Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18338

Full Text
ANNO L. NUMERO 34
r
\
V

S
<
PARA A CAPITAL B LUG ABES OXDE NftO SE PAG A PBBTE.
For tres mews adiaotados................ 6JW00-
Por seis ditos idem............"......12JJ00
Jor um anuo idem.................. S4?00U<
ida numero ayuUo.............. $320

QUINTA FEIM 42 MI FEYEKIRO DE 1874
PABA DKVT1 SO E FUm A DA PBOV1MCIAv
Por tres mezes adiantadoe..............-
Por seis ditos idem......-.......
Por nove ditos idem -.....?........
Por urn anno idem.......?-.......
6*750
135o<>
20*150
47*000
RMMBUCO


_
PROPRIEDADE DE MANOEL FKUEIR0A DE FARIA FILH0S.
Srs Gerardo Antonio AW*4 FRhos, no Par., Gouges A Pinto, no Maranhao; Joaqnim Jose de OlWeir. d Filho, no Ceari; 4*io de Letuu. Brag., no Aracatj Joao NUria Julio Chayes, no Assu;. Antonio Marque, da SiW*. no HaUi; Jose Justino
Pereir. d'Afaneida, em Mamangn.pe ; Carlos Auxoncio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jo*5 Gome., n. flllj* Penh.; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domingo. Jose da Setf. Braga, em feoareth;
Autouio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar dA*i(U; Abes d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL

Governo da provincia.
IXPKDIENTE DO DIA 15 DK NOVKMBltO DE 1873.
l.% seccao.
Offlcios:
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas. Transmilto a V. Exc. o incluso requeri-
mento do capitao honorario de exercito Camillo
Augusto Ferreira da Silva, atlm de que providen-
cie como for justo acerca de sua reclainacao.
Ao director do arsenal do guerra Expeca
V. S. suas ordens, afim de qne sejan concertadas
nesse arsenal, mediaute indernnisacao, os objectos
-onstantes da relacao n. 1, e bem assim sejara re-
colbidos os da de a. 2, qne sSo innteis ; sendo to-
dos apresentados de parte do commandante do
corpo de policia.
2." secgao.
Ados:
0 presidente da provincia, a vista do officio
do Or. chefe de policia, n. 1877 de 13 do correnle,
resolve conceder a Rayniundo Leonel de Alencar
a exoneracao porelle pedida do cargo de sup
plente do delegado do termo do Ouncury.
0 presidente da provincia, de acordo com a
proposla do Dr. chefe de policia em officio n.
1877 de 31 do corrente, resolve nomear para o
cargo de 1." supplente do delegado do terrao do
Ouricury o actual 2." supplente, tenente Benjamira
Beltrao Rodovalbo de Aleocar, e para substituir a
e3te o cidadao Antonio Mariolio Ribeiro.
0 presidente da provincia, atlendendo ao que
requereu Basilio Gomes Pereira Rodrigues, alfe-
res da l.*,companhia da seccao n. 15 do servico
de reserva do municipio de Serinhaem, resolve, de
conformidade com o duposto no artigo 43 do de-
creto n. 1130 de 12 de marco da 1853, manda-lo
aggregar ao I.* batalhao de infantaria do dito ser-
vico deste municipio.
0 presidente da provincia, atlendendo ao que
requereu o alferes Ignacio Ferreira dos Santos
Pimentel e informou o commandante superior da
guarda nacional do municipio do Bonito em offi-
cio de 4 de setembro ultimo, resolve que se lhe
de" para esta capital a guia de que trala o artigo
45 do decreto n. 1130 de 12 de marco de 1833.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.Nao pode por em-
quanto ser satisfeita a reqnisifao de augmento do
destacamento, que faz o delegado de policia do
termo de S. Bento.
Ao mesmo. Providencie V. S. para que
seja remettido para o presidio de Fernando de No
ronha, na primeira occasiao, o sentenciado de que
trata o sen officio n. 1868 de 12 do corrente.
Ao commandante superior da gnarda nacio-
nal do Recife. Em virtude do regulamento do
I e qne nao deve pagar a despeza com o tratamen-
I to do eseravo Andre, que, s;gundo informa-me o
Dr. clie'e de policia em offl;io de 11 do corrente,
veio do Amazooas coioo sentenciado a gates per
petua, com desiino ao presidio de Fernando de
.N'oronha ; devendo a Santa Casa de Misericordia
solicitar o pagamento ao Exm. ministroda Justica,
por intennedio desta presidencia.
Ao mesmo. D'ferido o requerimento do
conselho superior da sociedade propagadora da
instruccao publica, em vista da informacao- de
Vine, de 12 do corrente sob n. 508, autoriso-o a
niandar entregar ao thesoureiro daqaelle conselho
superior, Vicente de Moraes Mello, a quantia de
600*000, votada no art. 4* $ 16 da lei do orca-
mento vigente, em auxiiio a RevisU da Instruccao
Publica, mensalmeute publicada por aquella so-
ciedade.
seccao
4'
Acto :
0 presidente da
Sebastiao Antonio de
exercer interinameute
corpo de policia, podsm ser chamados os efflciaes
da guarda nacional, como os do exercito, para for.
mar as juntas de julgamento em ultima instancia,
tao devendo elles allegar como escusa o serem
regidos por lei geraes, pois, a proceder o principio,
impossivel seria a reuaiao de laes juntas. Con-
vetu. porem, que esse servjeo seja feito por escala,
di modo a que todos os officiaes snperiores a etle
se prestem; o qne V. S tera muito em vista, fl-
cando assim re3pondido o sen officio n. 717 de 17
d : mez proximo passado.
Ao commandante superior do Cabo. A' vista
do que requer o alferes Manoel Rodrigues Pinhei-
ro na peticio junta, que lhe envio, considere V.
S. sem effeito a guia que lhe deu para o munici
pio do Bonito, dando lhe uma outra para esta ca-
pital, aonde declara ter flxado a sua residencia.
Ao coramaadante superior do Bonito-. Ao
alferes Ignacio Ferreira dos Sautos Pimentel, de
quem trata o seu officio de 4 de setembro ultimo,
mande V. S. dar a guia de que trata o artigo 45
do decreton. liro de 12 de marco de 1853 para
esta municipio, aonde flxou a sua residencia.
Ao mesmo.Slande V. S. dar a guia de que
trata o artigo 45 do decreto n. 1130 de 12 de
mar$o de 1853 para o municipio da capital ao
^ canitSo Antonio Aureliano Lopes Continho, de que
\ trata o seu officio de 25 de agosto proximo pas-
ijado. ,
I Ao mesmo A' vista do que informou v. s.
^nV seu officio de 27 de outubro proximo passado,
wn&O a dizerlhe que mande dar ao capitao Fran
ciaco Ja Rocha Barros Lins a guia de que trata
o'artigo ''' do decreto n. 1130 de 12 de marco de
1353 para iesta capital, aonde pas^ou a residir,
;egundo decl\ara em sua peticao.
Ao cornmwndante do corpo de policia.
Concedo a VmcVitorisacao, na forma do regula-
mento, para conbVctar 800 fardamentos de panno
azul e o duplo de \bnm e caljados, como soncita
em seu officio sob n>598. .
Ao mesmo.-Intaorado do que me participa
em seu officio n. 642 dk 12 do corrente, com rela
rao ao sargento Jos6 dok Anjos Neves, lhe recom-
mendo que sem perda da tempo proceda nos ter-
rors da lei contra o dito iargento, qua devera ser
rebaixado. \ n .
Ao delegado de policia*, do termo do Ouncu-
ry. -Remetto a Vmc as cirteiras com medica-
mentos homosopatblcos, que a\este acompanham,
alim de serem applicados ao curativo dos indigen-
tes qne ahi forem accomraeltidos^da variola.
3* secgao. '
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. pagar a congrua ao vigario collado
na freguezia de Santa Maria no Rio de S. Francis-
co na Boa-Vl'U, Joao Jose de Araujo, visto ter
provado que cumprio seus deveres na respectiva
ntatriz. ,-^C
Ao mesmo.Communicandome o nngaaei
ro commandante das armas cm officio *e 23 de
setembro proximo findo haver oaqaella daU, em
virtude de ordem desta presidencia, referente ao
aviso do ministerio da guerra, de 9 do citado
mez, nomeado o brigadeiro retormado Hygino
Joe Coelho e os majores graduados Bento Luiz
da Gama e Luii Antonio Ferraz, aquelle presidente
e estes vogaes da commissao que tern, nos termos
do referido aviso, de dar consumo aos- objectos a
cargo do almoxarifado do arsenal de guerra, que
forem julgados imprestaveis ; assim o declaro a
V. S. para os fins convenientes.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Nao conformando-me com a sua informacio da-
tada de 9 de agosto deste anno sob n. 328, e em
obedieneia a consignajio do 3* do art. 40 da lei
do orQamento vigente, mande Vmc. pagar ao ser-
vente da reparticio das obras pubiicas, Vicente
Ferreira de Paiva Sim5es, a quantia de 3541, co-
mo pagamento de vencimentos atrazados, perten-
centes a exercicios la encerrados.
Ao mesmo.Mande Vmc pagar ao bacharel
Kradeisco da Cunha Castello-Branco o ordenado
qne lhe compet'rr como secretario intenno do
jtymna>i'J provincial, correspondeute aj liter de
outubro ultimo.
Ao mesmo.FalsiHcada, como se evidencia
a simples viita. a inclusa guia que devolvo, re-
cammendo a vmc. que proceda a respeito nos
termos da lei. Outrosim, proponha Vmc. as me-
didis convenientes em ordem a evitar a repeticio
de taes defraudamentos.
Ao mesmo.-Providencie Vmc, afim de que
seja fornecido ao administrador da casa de deten-
cao o livro consunte do pedido junto pjr copia,
a que allude o officio do Dr. chefe de policia, n.
1,882 de 13 do corrente.
Ao mesmo. Em resposta a sua consulta
latada de 6 Jo corrente sob n. 494, cumpre-me
leclarar a Vmc. que e procedente a sua davida
provincia resolve nomear
Albuquerque Mello para
o lugar de amanuense da
secretaria da directoria geral da inslruccao pu-
blica, duranle o impedimento do bacharel Henri-
que Alfonso de Miranda Leal.
Officio :
Ao tiibliothecario provincial. Era resposta
ao seu officio dalado de 25 de setembro proximo
passado, cumpre-me declarar lhe que nao pode
ser autorisada a despeza de 300*000 com a enca-
dernacao de obras pna essa bibliotheca, porque,
segundo afflrma o inspector da thesouraria pro-
vincial era sua informacao sob n. 509, o credito
votado no art. 4* 15 da lei do orcamento vigen-
te, para o expediento e aceio da bibliotheca, pela
sua exiguidade nao pode comportar a despeza at-
ludida.
Portaria :
A' camara municipal da cidade da Victoria.
Com officio de 30 de outubro ultimo remetteu-
me a camara municipal da cidade da Victoria 3
artigos additivos a suas posturas, pedindo para
elles approvacao. Respondendo, tenho a dizer
que deixo de approvar os citados artigos; devendo
essa camara submette-los a apreciacao da as-
sembled legislativa proviucial em sua proxima
reuoi.-io.
5." seccao.
Officio:
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
pubiicas.-Devolvo a Vmc. as representacdes que
o aireraatante do 5 lanco da estrada de Muribeca,
Antonio Victor de Sa Barreto, dirigio a esta pre-
sidencia em 14 de agosto e 13 de outubro ulti-
mo?, acorn panhadas das infoimacaes prestadas
pelo engenheiro do 2* districto e a que se referem
as suas, de 15 desse ultimo mez e 8 do corrente,
sob ns. 379 e 400 ; afim de que, depois de bem
inteirado do tudo quanto allega o mesmo arrena-
tante, dirijase ao lugar da obra e verifique se etle
tem ou nao razao no que reclama. Remetto-lhe
tambem as duas planlas juntas, do tra;ado da re-
ferida estrada, para melhor exame dessa questao.
Por esta occasiao nao posso deixar de estranhar a
excessiva demora que houve na informacio da
primeira das representacdes e recomraendo lhe
que faca sentir ao referido engenheiro a nccessi-
dade de evitar faltas, que podera suppor raa vonta-
de a alguem ou outro motivo inconfessavel.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
2" seccao.
Offlcios :
Ao chefe de policia.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, communico a V. S.
nesta data foram expedidas as ordens a thesoura-
ria provincia), afim de ser p go a Jeronymo Ma-
terno de Carvalho, pronurador de Sabino Jose da
Siiva, a importancia do aluguel da casa que serve
de cadeia no termo de Garanhuns, conforme seu
officio n. 1,880, de 13 do corrente.
Ao mesmo.-0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda traosmittir a V. S os titulos juntos
de nomeatio dos i e 2* eupplentes do delegado
do termo de Ouricurv, de conformidade com a
proposla de V. S. em officio n. 1,977, de 13 do
corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia mauda declarar a V. S que nesta data se
expedio ordem no sentido de que trata o seu officio
n. 1,882, de 13 do corrente.
Ao commandante superior de Olinda. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., em resposia ao seu officio de 10 do cor-
reate, que logo que os exemplares avulsos da lei
n. 2,395, de 10 de setembro ultimo, ehegarera-lhe
sera enviado um exemplar.
Ao commandante superior do Recife. Por
portaria desta data foi mandado aggregar ao 1*
batalhao de in'anUria do servico de reserva deste
municipio o alferes da seccao n. 15 de Serinhaem,
Bazilio Gomes Pereira Hodrigues ; o que lhe com-
munico para os devidos fins, de ordem do Exm.
Sr. presidente da proviacia.
Ao juiz de direito da Esrada. 0 Exm. Sr.
presidente da provincia manda accusar o recebi-
uiento do officio de V. S., de; 12 do corrente, em
em que participa ter reassumido o bacharel Gas-
par de Vlenezes Vasconcellos de Druramond o
exercicio do cargo de pr imotor publico dessa co-
marca.
Ao bacharel Francisco do Rego Baptista. -
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que ficou inteirado, pelo seu officio
de 12 do corrente, de ter n'essa data deixado o
exercicio do cargo de provedor de capellas e re-
sidues d esta capital.
Ao commandante do corpo de policia.0
Exm. S%-prefideate da provincia manda declarar
a V. S.; para os devidos fins, que fleam expedidas
as .convenientes ordens no sentido de que trata o
seu offl;io n. 644 de 13 do -corrente.
4* secgao.
Officio :
Ao Dr. inspector da saiide publica.-De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
communico a V. S. que nesta data deu-se ordem
a thesouraru de fazenda para pagar a Augusto
Caors A C. a importancia de 56 frascos com me-
dicamentos homeopathicosi como solicitou V. S.
era seu officio de 14 do oorrente.
5.' skgao.
Officio :
Ao Dr. Manoel de Figueirda Faria.De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, declaro
a V. S. qne ate agora apenas tem recebido esta
secretaria 300 exemplares das leis provinciaes,
quaodo pela terceira clausula do acto de 15 de
Janeiro deste anno e V. S. obrigado a fornecer
400 exemplares das mesmas leis.
KXPEDIENTK DO PIA 17 DB N0VEMBR0 DE 1873.
i.' secgao.
Offlcios :
- Ao Exm brigadeiro commandante das ar-
mas. -Expert V. Exc as suas ordens, afim de
i|ue iiiu todos dumii^o-s lug apresenlem ao subdelegado do districto de Beberi-
be 4 Dramas de linha, que alii deverao ficar a
disposicao da dita autorjdade, voltando no dia se-
gumte pela manba. 1
- Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
p6r em liberdade o recruta Manoel Jovino Pereira
ou de Mello, vindo de Bezerros, visto ter provado
isencao legal.
- Ao mesmo.-Sirva-se V. Exc de fazer che-
gar as m5o> do soldado do 2 batalhao de infan-
taria, Felippe Nery de Andrade, a inclusa copia
da informacao ministrada pela presidencia do Pa-
ra, em deferiraento ao que requereu a referida
praca
Ao inspector do arsenal de mariaha. Man-
de V. S. comprar e collocar na fortateza do Brura
um mastro para banleira, em substituicio ao que
alii existia e quebrou-se ; apresentando a compe-
tente conta para set carregada a respectiva im-
portancia ao luini.-tf-rio da guerra.
2." seccao.
Acto :
0 presidente da provincia, atlendendo ao
que requereu o alferes do 4. batalhao de infanta-
ria da guarda naeional do municipio d > Recife,
Joaquim (giutcio da Fonceca, a a vUta do que in-
formou o commandante superior do municipio de
Olinda em officio de 10 do corrente, resolve que,
de conformidade com o imposto no art. 45 do de-
creto n. 1,130 de 12 de marco de 1853, seja o dito
alferes aggregado ao 9 batalhao do 2s dos ditos
municipios.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. Remetto a V. S.
a inclnsa copia do officio do juiz municipal de Ca-
ruard, e bem assim a da informacao da thesoura-
ria provincial, com a qual me conformo, para que
V. S. providencie de modo a evitar que o arre-
raatante dos irapostos provinciies da Parahyba
promova a cobranca dos raesmos nesta provincia.
Ao commandante superior do municipio de.
Santo Antao. Para que possa ser satisfeita a
requisicao contida em seu officio datado de 1 de
outubro ultimo, cumpre que V. S. remetta de novo
os prets da guarda nacional destacada na cidade
da Victoria durante o mez de julho de^te anno,
uma vez que, segundo informacao do Inspector da
thesouraria provincial, desencaminharam-se os que,
conforme assegura V. S. era o alludido officio, fo-
ram remettidos juntamente com os do mez de
agosto.
Ao Dr. juiz de direito da 1.* van civel.
Transmitto, a V. S. para os devidos fins, as certi-
dois junta- de obito dos senlenciados Martiaho
Gomes Vidal e Marcelino dos Sa itos de Oliveira
Borburem, fallecido* ho presidio de Fernando de
Noronha.
Ao meesmo. Segundo officio do comman-
dante do presidio de Fernando de Noronha, de 8
do corrente, sob n. 16, foram remettidos para esta
capital, a serem apresentados ao Dr. chefe de po-
icia, os sentehciados constantes das guias, que
juntas envio a V. S.
Ao Dr. juiz de direito do Rio Formoso. -
Informe Vmc. por que razao tem deixado de ser
julgado Joao Gomes da Silva, preso na casa de
detencao, processado n'essa villa ha 5 annos, como
allega na peticao junta por copia ; providenciando
para que, quanto antes, tenha-lugar o seu julga-
mento. Igual ao juiz municipal e ao promotor
publico da uiesma comarca.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Palma
res. ReraeUo a Vmc. a copia do requerimeuto
que em 12 do corrente me dirigio Antonio Henri-
que Dias, representando contra o modo por que
sao tratados os indios da aldeia do Riacno do
Matto, afim de que Vmc providencie em ordem
a mantel-os na posse das terras do aldeiamento,
ate que sejam eltas demarcadas ; o que nao tar-
dara muito. Igual ao juiz municipal do termo
e ao promotor publico.
Ao Dr. juiz municipal de Caruarii. Res
pondo a sua consulta, exarada em officio de 9 de
agosto deste anno, com a inclusa informarao, por
copia, de inspector da thesouraria provincial, com
a qual me conformo. Outro sim, communico a
Vmc. que nesta data recommendei ao Dr. chefe
de policia que providenciasse no sentido de im-
pedir que o arrermtanle dos impostos provinciaes
da provincia da Parahyba, capitao Nylo Jos6 de
Carvalho, promova a cobranca dos mesmos nesla
provincia.
3' secgao.
Acto :
0 presidente da provincia resolve exonerar o
cidadao Antonio Joaquim d'Oliveira Maceip Junior
de escrivao da collecioria provincial de Serinhaem,
por assim o haver pedido.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. pagar pela verba soccoiros publi-
cos a Augusto Caors & C. a quantia de 1004,
importancia de 56 frascos ue remedios homoeopa
thicos, que por orlem desta presidencia foram
preparados e remettidos para Rio Formoso, afim
de soccorrer os indigente3 atacados da variola,
como sollicita o Dr. inspector de saiide publica em
offlcio de 14 do corrente.
Ao mesmo. Mande V. S. pagar a Guima-
rSes & Oliveira a quantia de 74*000, despendida
com a encadernacio de 33 volumes de leis do Bra-
sil, de diversos annos, e com outros ohjectos, cons-
tantes da conta junta em duplicata, segundo soli-
citou o capitao do porto, em officio n. 170 de 15
corrente.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado,
de acordo com a sua informacao de 15 do cor-
rente sob n. 933 serie E, o inspector do arsenal de
marinha a comprar e fazer collocar na fortaleza
do Bruin um mastro para bandeira, em substituicio
do que alii existia e quebrou-se, assim o commu-
nico a V. S. para seu conhecimento e fins conve-
nientes.
Ao mesmo. Dando provimento ao recur-
so interposto por Jose" Gracalves da Silva Carneiro,
no requerimento que lre devolvo e a que se re-
fere sua informacao de 14 do corrente, sob n. 919
seri E, autortso V. S. a mandar releval o da multa
em que incorreu por nao haver dado a matricula,
dentro do praso legal, o ingenue Severino, filho
de sua escrava Severina.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Mande Vmc. pagar ao fornesedorda casa de de-
tencao a quantia de 4:273*098, era que importou
o fornecimenlo de sustente e dietas, feilo aos presos
pobres, relativo ao mez de outubro ultimo, cons-
tante da conta junta documentada, segundo soli-
citou o Dr. chefe de policia em offlcio sob n
1,88'* de 14 do corrente.
Ao mesmo. Autoriso Vmc. a mandar pa-
gar a Jeronymo Materno de Carvalho, procurador
de Sabino Jose a Silva, a quantia de 86*000, im-
portancia de um anno de aluguel da casa que
serve de cadeia no termo de Garanhuns, vencido
em 15 de outubro ultima, a razao de 5*000 por
mez, conforme solicitou o Dr. chefe de policia em
effieio n. 1,880 de 13 do corrente.
Ao mesmo. Tendo em vista o que reqne-
reu a reparticao das obras pubiicas a esta presi-
dencia em offlcio sob n. 406 de 14 do correuie,
autnnso Vmc a entregar por adiantamento ao
thesoureiro daquella reparticao a quantia de 500*
Siara occorrer as despezas de conservacio e me-
horamento do jardim do Campodas Prine(zas.
Ao mesmo. Em resposta ao seu officio n.
383 de 6 de setembro proximo passado tenho a
dizer que (.ode entregar, mediante fianct. a mez*
regedora da irmandade de Nossa Senhora da
Assump;ao da capella da Estancia o beneficio
depositado nessa thesouraria, proveniente da 5.*
paite da kiterla eoncdirta para as obras da dita
capella.
4.' secgao.
Actos:
0 presidente da provincia, attendendo aq
que requereu Bernardino de Oliveira Cavalcanti
Machado, professor nomeado para a cadeira de
priraeiras leltras da villa de Salgneiro, resolve
conceder-lhe um novo praso improrogavel de qua-
renta dias para entrar no exercicio da mesma ca-
deira.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Maria izabel ite M-*llo Monra, pro-
fi'ssora nomeada para a cadeira de primeiras lel-
tras de Tacar itii, resolve prorogar por mats trinta
dias, a contar de 14 4o corrente, o praso que lhe
foi marcado para entrar no exercicio
Ctos:
t Ao Exm Sr. presidente da provincia da
Bah)a. DeferinJo o incluso requerimento, que
mftjera devolvido, do soldadt do 2* batalhao de
ioMuria Autouio Rodrigues dos Santos, rogo a
V. IxCj'ae sirva de enviar-me um documento le-
gal,*) anal couste ser exacla a allegacao que faz
a reteridV pra^-a de haver inarchado volunt.ria-
nf f **"'" a guer a do Paraguay em fevereiro
de 1865, na qualidade de guarda naeienal desig-
nado da villa de Alagoinhas, dessa provincia.
^o mesmo. Euviando a V. Exc. o reque-
rinaeuto, junto por copia, de Christovio, eseravo,
sentenciado na villa de Alcobaca, dessa provin-
cia, rtgo a V. Exc. se digne providenciar quanto
a gnia de que trata o dito sentenciado.
Ao mesim.-Em deferiraento ao incluso re
querimeuto, qu; me sera devolvido, do alferes da
comfanhia de tavallaria desta provincia, Vicente
Severino Alves, rogo a V. Exc. se sirva de trans-
miltir me certidio extrahida das relagdes de raos-
tras, existenles la thesouraria do fazenda dessa
provincia, do dia em que o supplicante se alistou
iwm voluotario da patria no contingonte que
segulo para a gutrra do Paraguay em l86>, sob
o commando do majorJoio Fernandes de Moraes.
Ao director garal da instruccao publica. -
Das raformastfes que Vine, ministrou a esta pre-
sidencia em datas de 6 e 13 do corrente mez sob
ns. 321 e 333 deprehende-se que a professora pu-
blica da cidade do Rio Formoso, Maria Isabel Lins,
tendo mais de;trinta e cinco annos de servico,
acha-se era estado valetudinario, quasi cega e
doente, de modo a nao poder mais exercer as
funccSes do magisterio com a devida regularida-
de e proficieacia Cumpre, porlaut), que essa
directoria mande quanto antes inspeccionar a re
ferida professora, trazeodo a raeu conhecimento o
resullado da inspeccao.
Ao comiuissario vaccinador provincial.
Remotta Vina a secretaria desta presidencia e
com enderecoao delegadj do terno de Caruarii
alguns lubos ie pus vaccinico, afim de que se sa-
tUfa;aa soliciucao doJDr. chefe de policia, de 14
do corrente mez sob n. 1888.
A) Rvm. Fr. Caetano Maria de Messina,
missionario cairachinho na cidade da Escada.
Em offlcio de U do corrente exp5e V. Rvma. o
estado em qut se acha a obra da matriz dessa ci-
dade, cujos trabalhos, outr'ora dirigidos pelo Rvm
Fr. Venan;io, va> hoje tendo andamento sob a
direccao de V. Rvma., pr meio dedonativos parti-
culares, que prumove nma commissao para tal
flm organisada. e accrescenta ao pedido que faz de
um auxiiio peciuiario do cofre provincial; quo,
tendo elevado as paredes da matriz a ponlo de
recebeieraaodaiines.'vai notaudo.dilHculdades na
obtencao de n^vos donntivos, apesar dos esforcos
da commissao, o que dara em resultado a paraly-
da mesma l lica a thesouraria provincial autorisada.a entregar
[ por ailiantamcnto ao thesoureiro dessa reparUcao
a quantia de 500*000, conforme solicitou em
seu officio n. 406 de 14 do corrente.
OKSPACHOS DA PRBSIDENCtA, DO DIA 10- OE l-EVKfif.IR
db 1874.
Antonio Correia Mai a.Prove o supplicante que
e pobre.
Duningos Jose Marques. Entregue se, mediante
recibo, caso esteja na secretaria.
Bacharel Gracilian i Augusto Cesar Watderley.
Passe portaria prorogando por raais trinta dias.
Joaquim Moreira da Rosa. Dererido com offl
cio diri;ido nesta data ao inspector do arsenal
de marinha.
Padre Jcao Jose de Araujo. -Defendo com offl-
desta data a thesouran de fazenda.
Joaquim Theotonio da Silva Lyra.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Julia Xavier da Miia e Umbelina Eulalia Xavier
da Maia.Informe o Sr Dr. chefe de policia.
Joao Francisco Paes Barreto.-Encaminhe-se.
Jos6 Maria de Araujo.Passe portaria ouce-
dendj a licenca pedida, cum vencimentos na for
ma da lei.
Manoel Joaquim de Jesus.Deferido com offlcio
desta data dirigido ao Sr. inspector do arsenal de
marinha.
Commando das armas.
iUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMBUCO, EM 11 DE FEVEREIRO DE
1874.
Ordem do dia n. 794.
0 brigadeiro commandante das armas faz pu-
blico, para os tins convenientes, que approvou o
engajamento que conirahram para servir por
mais seis annos, pereeoeudo por sobre os venci-
mentos estabelecidos por lei o premio de 400*000,
ns soldados do 9> batalhao de iofanteria, Fraucisco
Pereira Mannho e Jose J -aquim da Silva, aquelle
a 6, com deslino ao2 batalhao de infanteria, e este
a 9, tudo deste mez. para servir no seu mesmo ba-
talhao.
(Assignado.) Manoel da Cunha Wanderlsy
Lins.
Conforme. 0 alferes Jose EUziario d.ts Santos,
ajuuante de ordeus interino, encarregiido do de-
talhe.
(a
sacao da obra, eom prejuizo do >orvijo ja feito, se Afoj.ado3 qQe renl
esta presidencia nao acquiescer ao seu pedido. fi djs,rjc,
Em resposta cabe-me dizer a V. Rvm. que sinto JJira ""aetaoo F
ni-i poder dar de prompto o auxiiio pedido para
emprego Uo util, era vista do estado deficiente do
cofre provincial, o quo nao duvidarei fazer mais
tarde.-qgando ; hvendo-:e levado a obra a me-
Ihores condicOes de realisacao, tlverem tambem
chegado a proporcoes lisongeiras os recursos da
provincia. Releva, entretanto, ponderer a V.
Rvm quo o municipio da Escada, o mais rico da
provincia, poderia facilmente prescindir de auxi-
lios do cofre publieo para melhoramento que ea-
tende tao de perto com os seiiiimeutos reiigiosos
da popalacao, e portanto com os mais i agrados in
leressei da fami'ia, como em iguaes circumstan-
cias tem prescindido outros municipios somenos a
elle era extericao e riqueza
Portaria. :
A' camara municipal da cidade da E-cada.
Nego a autorisacao solicitaJa pela camara muni
cipal da Escada em offlcio de 22 do mez findo,
para despender por conta da verba obras muni-
cipaesdo orcamento vigente a quantia de....
300* com o pagamento de custas judiciaes, por-
que a verba de que se trata e destinada a satis-
fazer as uecessidades urgentes do municipio.
A' camara municipal de villa Bella.Emoffl-
ciode 17 de outubro ultimo a camara municipal de
villa Bella apresenta a minha approvaQio o auto
da arrematacao dos impostos do municipio, proce-
didaante a mesma camara em sessao do dia 11
d'aquelle mez. Tenho a dizer em resposta que
approvo a referida arrematacao. Cumpre, entre-
tanto, ponderar a essa camara que e notavelraen-
te desvantajoso a boa ecouoraia do cofre munici-
pal o systema de arrematar o producto das licen-
cas, que lhe compete dar para abnr venda, mas-
catear, etc. etc. visto como esse imposto 6 de na
tureza tal, que facilmente e com melhores resul-
tado pode ser cobrado pelo procurador, tendo a
camara um livro de tala como ha nas reparli&oes
arrecadadoras, d'onde se extraia o conhecimento,
que devera ser entregue a parte, indo assignado
por aquelle empregado e pelo secretario.
.5- secgao.
Offlcios: .
Ao engenheiro chefe da leparticao das obras
pubiicas. Va Vmc. examinar, de acordo com a
commissao da camara municipal da cidade de
Olinda, ja nomeada, a obra que se pretende fazer
no leito do rio. Beberibe, no lugar denorainado
Porto da Madeira, e contra a qual representa o
gerente da companhia Santa Thereza.
Ao engenheiro Luiz Jose da Silva.Inteira-
do>io que exp5e Vmc. em seu offlcio de 12 deste
mez, tenho a di er lhe que a 14 do corrente ja lhe
remetti a earta da sismaria de Piraenteiras, e
aguardo da thesouraria de fazenda o tombo e mais
dojumentos para lhe serem enviados ; como tudo
solicita em seu citado offlcio, que flea assim res-
pondido.
EXPEDIENTE DO S'CRETARIQ.
i." secgao K
Offlcio:
ao capitSo do porto. S. Exc. o br. presi-
dente da provincia manda communicar a V. S.
qu nesta d ua expedio ordem a thesnuraria de
fazenda, afim de pigar-se aGulmaraes & Oliveira
a quantia de 74*000, conforme o offlcio de V. S.,
n. 170, datado de 15 do corrente.
2* secgao.
Offlcios:
A&nr.che/e.de policia.-0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
fleam expedidas as convenientes ordens no senti -
do de qne trata o seu offlcio n. l88o, de 14 do
corrente. .
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o br. pre-
sidente da provineia, cemmunicoja V. S. que nesta
data foram expedidas as ordens a thesouraria
provincial no sentido de pagar-se ao fornecedor
da casa de detencao a quantia de 4:373*098, de
que trata o offlcio de V. S., sob n. 18!4 de 14 do
corrente.
Ao commandante superior de Olinda. -0 Exm.
Sr. presideuie ua provincia manda declarar a V.
S. que por portaria de hoje foi inanrtado aggre-
gar ao 9." batalhio da guarda nacional deste mu-
nicipio o alferes Joaquim Ignacio da Fonceca, de
quem trata o seu offlcio de 10 do corrente.
Ao cidadai Ltviao Augusto de Hollanda Cha-
con. -Sirva se Vmc. de reraetter-me, com nrgen-
cia, os papeis da secretaria da presidencia da pro-
vincia, que estiverem era seu poder.
. seegSo.
Offlcio :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
pubiicas.-De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia. crmmnuico a V.S. que ne?ta data
Reparticao da polfoia.
2." secgao. Secretaria de policia de Pernambuco,
11 defevereiro de 1874-
N. 2u3. -Iilm. e Exm. Sr.-Participo a V. Exc.
que foi hontera apenas recolhido a casa de deten-
cao a ordem do snbdelegad-i de Santo Antonio,
Manoel, eseravo de Maria Jose" Bandeira Mello. a
requerimento do procurador desta.
Nastadata communicou me o subdelegado dos
remettfira ao Dr. juiz criminal do
districto o inquerito a que procedera
rancisco de Oliveira, por crime
de mort
Deus guarde a V. Exc-Illm. e Exm. Sr. com
raendalor Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo presidente da provincia.0 chefe de policia,
Antonio Piancisco Vorrtia de Araujo
INTERIOR.
Bio de Janeiro
23 de Janeiro de 1874
INSTRUCCAO PUBLICA.
1N1CIATIVA INDIVIDUAL E 0 GOVERNO. j
I
A nossa epoca e de verdadeira transfurmarjao
politica e social.
Depois de muito tempo perdido em estereis lu-
las personalissimas, os nossos partidos come^ara
a verse com menos desconflanfa e a fazer-se re-
ciproca ju3tiga. LTm certo numerode ideas fez-se
como um campo neutro em que nao ha inimigos
a combater.
E' dele numero a a-pirai;ao de fundar a mais
perfeita e sincera pratica do syslema representati-
o sobre a larga base da educac,ao popular. Com-
prehendeu-se, comprehenderam no em boa hora
todos os partidos, que o mais bem combinado me
chanisrao eleiloral nao teria por si so a virtude de
refazer velhos habitos que a lei pode moditicar mas
nao pode substiluir.
Uma sociedade politica digna a todos os respei-
tos deste nome nao se improvisa ; nem o ideal de
um governo livre pode realisar-se a golpe? de de
cretos. .
Nao basta ao povo sentir o amor da liberdade
como nao basta aos poderes publicos decreta la ;
ser livre e ter a eseolha e nao ha operates da
vonUde mais exposta a perigos. Ora, nao ha de
ser um vago anhelo popular ou o mais habil de-
creto de algum possivel poder que estes perigos
aparte.
Os que tentam arrebatar a um grande numero
dos nossos concidadaos o direito de influir na or-
ganisacao politica, creandn uma classe privilegia-
da a que este direito fique reservado, viram de
perto estes perigos.
Os defensores da eleicao directa tiveram este
merito ; encararam de frente o temeroso problema
sentindo que, para ser livre, nao basta querer,
mas e preciso saber se-lo. E.te problema ater-
rou-os; e como se outra solucao fora irapo>sivel
no estado de nossa civilisacao, tentam fundar uma
sociedade politica a parte, alguma c-usa asiranha
ao paiz real, uma olygarchia no fim de contas sem
parecer se lo.
No fundo, fica o problema o mesmo, e talvez
mais aggravado potque, ou a capacidade politica
mantein o nivel actual, e aquelles perigos augmen-
tam com a importancia do roto directo, ou o eleva
na proporgio desta importancia, e o eleitorado vai
constituir a excepcao e nao a regra. Ora, a ca
pacidade politica deve ser a regra e nao a exce-
pcao.
Seja como fdr, porem, os partidos viram o mal
onde elle 63la. Indispensavel como e a todo o in-
dividuo. e a toda a sociedade, a instruccao popu-
lar e condicao irapresciodivel do governo repre-
sentativo. Onde o cidadao e chamado em inter-
vallos, mais ou manos curios^ a influir na marcha
da sociedade por uma particlpacio directa on indi
recta, nao ha problema que ao da instruccao se
avantage era importancia.
0 governo representative, disse profundo obser-
vador, e como uma officina em que o cidadao en-
tra como materia ptima Fazer o maior namero
possivel de cidadios : tal deve ser, cunseguinte-
mente, o primeiro cuidado dos que tentam mon-
tar uma dessas fabrics de que devem sahir os
precisos artefacts da liberdade.
E' da essencia destes governos, d'sse o mesmo
escriptor, que- o seu pedestal seja formado pela
grande massa dos cidadlos. Se estes so tem de
eidartaos o nome, o systema debalde se chamara
representativo.
Havera sempre ahi um circnlo de ctdadaos que,
sentindo-o ou nao. serio chamados pela forqa das
cousas a substituir a sua vontade a vonUde na-
cional. Estes nao serao mesmo usuipadores;
nao se usurpa o que todos abandonaram. bentin-
do-se na posse de um poder qu* alnguem Ihes
contesta, elles acabarto por jnlgar-se na posse de
um d reito natural.
No tempo de labor me atravessaraos. em qu
nenhuma das grande* questiies qne prendem com
o progresso material e economieo do paiz se seate
abandonada, reccaheceu se na iastruecao popnlai
o prologo obrigado de todas as energias e de lodo-
os avancos de um grande povo.
Nem essa preoeeupagao se revela somente 4e
parte do governo e de um crto numero de esp-
ritos de eseolha. 0 que era ha ponco tempo am
ramo de servicoy se nao de todo esquecido ptlo
n.enos muito descurado por gov- mantes e gover-
nados, fez-se o assumpto de um verdadeira prc-
piganda em que a sociedade, por esse mysterios
instincto que a faz adivinbar as grandes solocoes.
vein tomar o lugjar que lhe compete na grande
obra.
0 concurso individual na propagacao do easin
ja nao p uma vaga e iacerta .aspiragao. Na corte
como nas proviocias, roai prononciado movimewo
traduz era factos essa grata tendencia que a alu
adminislragao temsabido f >mentar, au.dliar e pre-
miar com um incesante cuidado.
Sao inimigos, e nao amigos sinceros da liberda-
de, os que if mem systeraalicamente o cootacto
estado em tudo quanto respeita aos commeUimen-
tos proprios do individuo.
A :i'i;ao individual, no regimen repretoala-
tivo, nao pode arreceiar-se da collaboracio do es-
tado. Onde o govern* tem pelo menos a prrten
<-.ao sincera de represeotar a upiniao, o estado o
individuo nao se excluem.
Isto quo e verdade a respeito da inflaencia in-
dividual em um grande numero de suas nunifes
tac.6es, nao poderia mesmo ser contestado ao tra
tar se de um assumpto que, como ode instrucc>>
publics, nao pode correr exclusivameate por conta
do individuo como nao pode correr exdusivaman-
le por conta do estado.
Amda nos paizes em que a instruccao fea-se 0
assumpto de cada nm, e u>dos tem uma ascolaeo-
mo i i: 11 uma igreja, o ens'no official toma lugar ai>
jar do ensino particular. Tanto e certo que, em
facto de instruccao, o estado e o individuo com-
pletam-se !
Nestes paizes, entretanto, a accio individual
chegou a organisar se, e por assim dizer a plinar se, ate manter com o estado uma verdadei
ra competencia.
Eutre nos, era e e ainda bem diversa a situa(a>
0 auspicioso movimenlo em que tao legitimas es-
peran.as e de fundar, nao podia e nao pode iso-
lar-se da accao governamenlal sem perder muito
de sua for;a.
Auxilios do estado nio podem ser um embara-
co a iniciativa cidadi, se o estado e o individu
ser vein a uma causa c immnra.
Comprehendea-o o nobre minutro do impervj
no muito que ha feito por este generose moviajeB-
to, em tao grande parte devido ao seu zelo poi
cousas da m.-irucrao.
Nem a obra de mais vulto podia o St. onselbei-
ro Correia de Oliveira ligar o seu nome. 0 pro-
blema, a cuja solucao tern o illustre ministro de-
dicado os mais a.-siduos desvelts, diz intimamente
com o progresso social em todos os seus Hi de
ser.
Acudindo en auxiiio da iniciativa individual,
onde quer que eta se ansaia solicito cui fazer
vingar as mais modestas tenlativas ; estimulando-
a sem deixar ao menos perceber a influencia do
governo de mistura com o esforco inditidual; o
nobre Sr. ministro do imperio pode com |U*to ti-
tulo dtsvanecer-se de ter prestado a mais nobr-
das causas o mais relevante dos servi.os.
Este lado da administracao do Sr con>elheir.
Correia de Oliveira nao merece ser somente invo-
cado em homenagem as vistas patrioticas que I
inspiram.
No momento em que a iniciativa individual M
sente por toda a parte despertada, o paiz nao per-
dera em saber que um verdadeiro governo da sx>-
ciedade ve no progresso intellectual uma obra dig-
na dos mais solicitos desvelos.
Sem a pretencao de guiar e dirigir este movi-
menlo, o governo nao poderia reservar para si a
attitude indifferente que nao lhe poderiam aconse
lhar senao os que vein no estado o inimigo osten
sivo ou sorrateiro de todas as manifestoes da
personalidade humana.
Nio se substituindo ao individuo. nada irapedr
que o estado coopere com a accio individual *
grande obra da instruccao popular.
Tal e, pela linguagem dos factos, o pensMwnto
que nos parece influir nos conselho* da admm *
tracio.
( .Varuo. i
PERAAMBUCe
REVISTA DIARIA.
Telesramnia do eorte. Em data J-
hontem dizem ........
t Grandes probabilidades da eleicao de Mure
para presidente da Republica Argentina. 0 cam-
bio sobre Londres bancario subio a 26 d. p -
1*4)0.
Promotor publieo. -0 Sr. bacharel Ma-
noel Tertuliano Travassos de Arruda foi uomea*-
promotor publico da comarca de Bom Jardim,
nio de Itambe, como hontem noticiamos.
Vapor Dunnai- Sahio bontem as 4 hora*
da tarde da Bahia para o nosso porto, segundo to-
legramma recebido.
Vapor Garonne.-Segundo telegramma da
corto.de hontem, este vapor da linha do Pacific
era esperado ahi, de volta de Calhao, a 13 do cor
rente, com destino ao nosso porte pelo da Bahia.
Santo imaro das Saliaa*. -No dia
19 do corrente deve ser hasteado o e>tandarte o>
Santo Amaro, que se venera na capella d s Sali-
nas. .
Inquerito.-Ao Dr. juiz de direito do res-
pective districto criminal, foi reraetiido pela su*-
delegacia de Afogados o que e effectuou cootr-
Csetano Francisco de Oliveira, por crime de mort*
BeneHelo. 0 distincto artista dramatice
Eduardo Alvares da Silva, de sobejo connecido -
festejado por nossas plateas, fara hoje Beneficio
theatro gymnasin dramatieo, a cuja coaopaaai*
pertence, dando a scena 0 medico das crianca*
Bertha de castiga.
Bern succedido sera o beartiriado ; as daas < >m
posicdes annunciadas eslao saoccioaadas pelen
applausos eom que foram sempre recebidas em
nossos theatres ; no merito que disttngua, ha tudo
que Bar.
SnffraglOK -Das 7 as 8 boras da manna a>
hoje havera memento e missas no con vemo de S
Francisco, mandadas celehrar pelo Sr. Joao da Cq-
nha Soares Guimarie, por alma de sru fi h > LeB>
dro Ferreira da Cunha.
Emaneipacao de eseravo*.-thama
mos a atteorao dos senhore* de ecrav.>s para .
edilal da juntt de emaneipacao, em outio lugai
deste Diario publicado. -
Baaar Vietorta. Este estabolec-meBt..
aeaba it receber completo sortimento d- em couropreto com enfeites demetal ^"U-.r-
larinhos. aberturas de cambrtta de linho, b.rdada.-.
para senhora ; a rua do Barao da \ ictoria n. 2.
Companhia peraaMbneana. Hoje -
o ultimo dia em qne recebem carga os Tanore* ri-
rapamn e Vandahu, para os port >* do norte e n!
LoterlaA que se acha a venda e a 87", *
beneficio da irmandade dp Nossa Seuhora da '
Es'tes'pfincipTos comecam -evidentemente a Ian- ted>*. *J Pg* do Livratnento, qn* eorre no dl-v
car profundas raizes em nossa sociednde. I 3 ao corrente.
OffifflLJ
.^
"--:
*.
___^.---------------


^W/pfflParoambuco Quinta feira 12 de Fevereiro de 1874.


Lelt&o. Hojealfcetua o agents
horas do dia, o teilao dos motels
--
na casa de-sua residencia a
Movimento da casa
ftverwro de 1874 :
31, 'entree ?, sahiram 4,
ranparos 31,
Baarque de
rua da Uniao
Casa di
de detencao
Bxistiam
existem 328
A saber :
Nacionaes 213, raaHierei 10, m
escravos 37, escravatJ^Total 328.
Alimentados a eust* dos cofres pnblicos 156.
Movimento da enfcrmaria do dia 10 de fevereiro
de 1874.
Tiveram baixa :
rtiomaz Antonio de Goaveia.
Antonio Joaquim da Silva.
Teve alta :
Manoel Ignacio de Freftas.
Oiuiterlo publto*. Obimario--*) dia"9
de fevereiro de 1874 :
Maria, parda, Pernambtrco. S. Jose ; ao nascer.
Joaquim, pardo, Peraambuco, 30 annos, soitei-
ro, Boa-Vrsta, hospital Pedro II : estreitamento da
Rosa, preta, Africa, 30 anaos, solteira, Boa-
Vista, hospital Pedro II; rheumatismo e cachexia
sypbilitica.,
Manoel>Silve*te, rwte-, Pernatnbuco, 10 annos,
solteiro, Boa-Vista, hospital Pedro It; hepatite
chronica.
Rosa de Miranda, preta, Africa, 0 annos, sol
teira, Boa-Vista; hypertrophia.
Tertuliano Xavier Cardoso, pardo, ignora-se a
naturalidade, 23 annes, solreiro, Recife; tobercn-
los pnlnnmares
Augusto Cesar de Mcdeieos, preto, Rio de Ja-
neiro, 31 annos, caside, miiiiac, Boa Vista ; apo-
plexia eerafaral.
Manoel, bronco, Pemarabuoo, 6 mazes:, S. Jose;
costvalsdes.'
Maria Camilla de Jesns, paria, R;o do Janeiro,
4ft anaws, ca?ada, S. Jose; t-nenrisma.
sens pais; assiaa com* a roupa *vada, engorama-
4..pBrteoces por elles stJrSo fofnecidos.
Art. 17. As pequenas indisposicoes e molestias
das internas sao tr a late-no Coilejio ;'na graves,
porem, a directora f^atavfcar aos pais on coif es-
pondeates para providenciarem s bre o trataraen-
to, qtreprteser Bin suiscasas, on no Colfegio.
Art. 18. Os feriados sao os das aulas publicas ;
salvo as quint as feiras que, no Collegio, ticam des-
tinadas a instrucQio de recreio.
Art 1*. Todas as materias ttecCirnadas no Col-
legio 4a Santissima Tbudade sao-professadas pela
directora e snas4rtnaas,otf ottrrassermoras com-a
aptidao precisa, e que a directora julgar necessa-
rian.
Recife, 30 de dezembro di 1873.
Phtlooieiia Minerciim de JL. OCouncil Jersey.
Approvo -Directoria geral da instrucjao publica
de Pernarrfba'-o, 8 de Janeiro de Wi.
Jofto Barbnlho Uch6a Giicaianttt.
SM
^DLi&Acots k nvm.
Rogo encarocidmonte a qualquer i<3i-
vvimo a quera eu tetifaa oflerecida por -venda
algftm dos meos bens de raw, movets ou
seinoventes, o especial favor de publicar no
;orpo deste /Jiuiw, b iid prmo de 3 ou i-
dias, a mmiia oiiertaeom todas aseireums-
tancias que se hbuverem dado
Igualmente pec,o, venharn receber de
mim o importa das pobltcaafugs que fize-
rem.
Recffej-8 defeiereirode 187i.
Manoel Antonio d'Asevedc.
liuti'c aaaudo a sefMaliiarM.
Niiu extste mais do. qua- uia frajizinn separacao
e e de suppor c|ue t>dos qoe apreciam a vida es-
tejam desejosos di later todo o possiv<| ao seu
alcance ali.-n de evit.ir que a moiestia a na-j der-
raoe. Quam sei-a o l>ueo- que e^pure o ataquo fin
nal, quaoikk o primeiro a-aallo pode scr repellida
com M ptlulas assuwradas .la Bristol; uma |ire
p.iraeuo tao gooiat e balsaiuiua, tao invustigadora
e no entanto tao fortificante ; quo ao pasao que ella
rebate a enfeFimdada, e eapulsa a sua causa, ella
restabelece e da rotuistez-a i-.unsiiiui'.-i't do ditents.
A sua coniposigao e pr?parada de> ingredientes
aoH bilios.w e vegetaa, saihartieos, sondo a uma
wgaros e invcitigantus, 6 a unico meio de cura
Cdfllra os desarranjos do estomago, do figado e dos
intestino*, n:n-quaes se uoJo coallar debaixo de
iods_as cKcuinstaucias, iendo a sua ao.vio inva-
riavei em qu!qii.'.r cli:iia qna seja, A idea de do
res e mereeidam ne associaia co:n esses purgan-
tes orJioarioti : p'wra ;n pilulas assuearadas de
Bristol, nem se qaer pro Itueni o nuis love iocom-
modo que seja, sead t a sai.iOpMun baada e
suave. 1'or'vonlura.seta ifM.-ter di/arse que ellas
sioomelhor ealhartieo e alterativ) de fanuiias-
at6 4ioje coaheckl) ?
lillas sanctum aconUicJofn-l*; dntro de vidri-
nbo, e por is*o a suacoiw)iv;ii;ti e durad>ra em
todosos clians. Em (-mIm im cj-o< proveaientes
on agiravadad por impureta A? sangue a sals*-
4)irrilha da Bristol, -dewera .-. r Id /it 11 i:onjun;la-
mento com as pilulas.
Art. 19.. A 4nstancc4o das aJumoas -oHfMA< 9am^r remuoerada segttodo ,o a/ligu. anUscftlettis, e ibt' '-(.QHaelfM^ para despachar.
dos arts. J e 5; as lulernas e meiq- teem direito a'doa artsf 3, 4, 5, B, 7 *8 j'podendcj;
todam, qnalqtier *alumna'externa freqticnrar J
anlas snperiores mediante a indemnisacao, que
se convencfonar.
Ait. 14. -\s despezas com livrat, papal, etc' sao.
da eompeteneia dos pais alumaaa, e bem assim a malaria prim* steborda-
dos, aestes exoautados sio propricdada -das mes-
mas.
Art 18. As anlas no Coliaajia da 8ASTissnfc>
Tkinoadk trabalham duas vexes ao dta-de manhi
das 9 as 12, e de tarde das 2 1|2 as S 1]2.
'01
litaportu^diu.
Brtgue hespanhol Christina, entrado
Prata em 11 do corrcnte e cjnsignado
do Rio da
a Pereira
Ao sella 300 rs.-Valha sem selkr^'fAusa.
^____________ Barm 9t*rda.
lr. 4febastiao do ttcgo Bdrto^xft l.acer"
ccM.
em.
rca \vs\maiatgar<*.f&kiU, eutrarta
verpool na mnSi data e consigoada a Simpsom &
X., mauifestou : w
Canos de forro HI. Carvio de-pedra 330 to-
Art. 15. 0 ewoval da. internas e ao gosto ie ne.adas e 4 qalnlae CaiPAIHIA ALUABCA
seguros maritimos e terreb'
tres estabdecida na: Bahia
em 1 & de Janeiro em/18f 0
CAPITA!. 4,060:0009000.
Toma seguro de rnercadorias e drriheJro
imjo maritifno era navio de vela e vaporei
ftra deirtro e fora do imperio, assim onx
;ontra fogo sobre predios, geoeros-te- (a
rorrdas.
Ageflte : Joaquim Jose GOmjalves Beltrt'c.
-ua do Coairaercio n. 5, l'andar..
deLi-
10 DB
; pect
publica desle
Uma lei
de Manuel
pela r ,i
Bor FrancfScXf
r
COLLBGIO
DA
wuui mill
A abaixo assifmaila, licenciada pelo Exm Sr.
presidente da provincia, e prlo Ilfm. Sr. Dr. direc-
tor get al da instruccao publica, tem estabelecido
na ma dos Coelhos, n, 20, a poucos passos da
igrcja de S. Go.ncalo, um collegio para meninas,
sr>h a invorai-ao da 9XRTB3IIIA Thinbade.
Auxiiiada por suns irmaas D. D. Landelina Jer-
sey e Olindina Jersey, ambas as quaes, em com-
umm com a abaixo assignada, receberam igual
educacao, dnrante quasi seta annos, em um dos
melliores colleaios francezes da cidade do Porto,
estaporcerto hatiililada p.ira transmittir a anas'
alumnas tnd.is os cimlieclnientos adquiridos nesse
toogo espaco de tempo.
Cnainaiido a attehnlo dos illnstrados pais defami-
lia, nacionaes e estrangi-inis, para os cstatutos
abaixo, a auniinciante espera merecer deridida
preferencia, pots o sen estabelecimento se distin-
gue, na so porqne n.ula patrjim-em separado pelo
"studo das artes de resreio. conta tambem pelo das
linguas estraegeiras que, em geraf, somente se
ensina a tradnar, ao passoque no Collegio da San-
tbsima TaiNoxBR se aprendsra a fallar e eserever
eorrectarnenle ; o que so lorna sem davMa de
uma vaBtagem e otilidade incontestaveis.
lavocando, clieia de c.ni!ianc*,3 a protccgao de
seus compatri'ttns, e dj todos os esirangeiros ilius-
trados, a auiHiucuuU) e SOU iimias, iio -cuiupii-
mento dos seus deveres, esperam e promettcm en-
vidar todos os esforcos, a;i;n de provar que, entrc
nos, existem pernambucauas sudicieatemente ha
bilitadas para instruirc preparar nossas innocen-
e amaveis palricias, na i so a enliarem
no futuro o nobre e respeitavd mmnerio de
mala de faniilia, eomo a se tamaiem aqui, ou em
qualquer paiz, onde se acharem, o brilkaote or
naraento da mats culta e distinct* sotiedade.
As aulas abrem-se a 2b' de Janeiro.
Philomena Minerviwi de A. .0' Cornell iersey
Aisi>usUi F. d'Dlivi'ira iC
A enss eomrrrerciai e bancaria-deAufusto
f. d'Oliveira & C, & rua do Co:nmercio ns
42, oiioarroga-se do- cxeeu^ao de or'Jcus
para embarque de prodoctos e de todos o-
mais nogocios do ccwamissao, quercommer
ciaes, quer bancarios.
Deconta lettras, e toma dinheiros a pre-
min, cornpra cambiaes, o saca & vista e a
prazo, a* votitade do lomador, 9obre M se-
^uiates pracas estrangeiras e nacionaes :
Lodre.<4. Sobre o union bank OF
LONDON, 0 LONDON AND HANSEATIC BANK,
limited, e varias easas de 1.' cJasse.
Paris. Sobre- os banqueiros- foul*
& C, MARCOARD ANDRF. & C. 6 A. BUCQllE,
VHiNHAitkiC.
Haiubin*go. Sobre os Srs. joAO
SC1U7BACK d FILH S.
Llslaoa. Sobre os Srs. fonsecas,!
SANTOS & VIANNA, SKBASTlAO JOSE DE
ABREU. *
affo*a. --Sobre-oBANeooNiAOBO'PORTO
0 Sr. JOAQUIM PINTO BA FONSKCA.
Para. Sotre o banco commercial
do para, e os Srs. FaANasco^*UDiiNcto.j)AiR
COSTA A F1LH06-.
llarauliito. 4- Sobre o Sr; josB'TER-
REiRA DA SILVA JUNIOR.
OfcaA. Sobre os Srs. j. s. de vas-
CONGFXEOS & RONS.
Daliia. Sobre os Srs. marinhos A e.
Rio ale Janeiro. Sobre o banco
(NDWUUAb E MEROANT1L, BANCO NAGIONAL 0
BANQUE BRASILIENNE FRANCAISE.
.KSJ?A:'.H DE JiKAOaMcAO NO DIA
FEVEREIRO DE 1874.
ftra jMrtos do emttrwr.
No npef fraftesc D'miiaj, para Bordeaux
earregoa : M.-Mettterft C. Ssaccos com 300*fK>?
de caJe.
29,508 kiios de algodio: -~*w* i
No pataclio inglee Rival, para o Canal,-ow
regon : R. Schmmettaa & C 480 saccos con
36,000-kilo* -de assuear mascavado.
No brigue hespanh. 1 Ceres, para o Rio da
Frata, oarregmi":- P/Carairo & G. -480 bamta*
com 54,223 kilos de assuear branco.
No brigue-portuguez Ooaren.se, para Usbw,
carregon : E. R. Ilubello 4 C. 320 couros salgaco^
com 3,8'0 kilos.
No brigue portuguez Triumpho, para Usba,
earregou : A. M. S. Machado 100 saccos conn7JD0
kilos deassntarfcrHnco elOOditos com 7,500-diios
de dito maaravado.
Na baroa portegueza SympaUtia, para a Por-
to, oawagou : F; J. da Costa .Araoi -80 coiros
espichados com 060 kilos.
Para to form do interior.
Fara o Rio tiraade o> Sol, no palar-ho \oc-
tugaes Olinda, capregon :. Olivoira Filhos-*YC>*75
barricas com tl,4M Kilos de assuear branco eaOO
dilas com 35,740 ditos de dito mascavado.
i Para o Rio Grande do Snl, na barca porlu-
gueza"ii!t*M com 2t,000 litrns de agoardento.
Fara o AcaraoU.noJTOpor brasiloiro Ipofaca,
earregou: AUBlMHaMftj 10 pipas com 4,800
Iitros da ag*ardento.
Fara^Mossoro, ho hi ate nacioral .4. dos An-
/os, earregoa A-Olivetra 4 C. 10 ripaaoom4,800
litres de aguardenh): para Macao, Faria4>Fllho
* *arric*s onv 3> kilos de assucir Jiranco : pa
ra Tabatinga, A. G. 1'ircs & C. 1 dita com 60 ditos
de ditd refinado.
Para Mos-oro, na barca narional Dons Ami-
^>, earregoa-: Femandes Irmao-10 saoeos com
T.iB kilo* dtr asstwar branco.
E uma divida de oOOiOOO, pertencente aos mes
mos hetdeniis, para cuja quantia ~os devetlures
(J|suAicao sua mulher Ma-
Jaflcal^o, fcfpothecaram um sitio
de terras com. coqueirus e 'outros arvoredos na
ragar do Loreto, as;qoaes dtvldirhs montam- hoje,
.segundo a conta-do contador do juizo, na iraportan-
cla'TO-t*l|-j330, inclusive osjnws, e foram ofTe
recida4ela mesma viiiva Apolinana Xhereza de
Barros, para pagameifto da execncSo que contra
ella e mais herdeiros encaminha Roraanco Luiz de
Frcltas, par quern foram ditas disidas penho-
rad-s, e a cujo requerimento tera lugar a praca.
E para que a notteia chegue ao conhecimento
de qaem interessar possa passoa-se opresento edi-
tal na forma da lei.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 18
fie dezembro de 1873.
Eu,_Ernesto Machado Ffeire Pereira da Silvaa
escrivao, o subscrivi.
Recite, 18 de d-wenrbro de 1873.
Sebastido do Rego, Barros de Lacerda.
cxpatatha da
Hendimentont. rtia 1 10.
dn do' dii ll
ALFANDBGA
r5:lt*53i
. 1:037^077
7:268*flt
No dia la 10.
VOI.UMFS SAHIDOS
No dia 11
.^Tinreh-a porta
Mdnfla porta-
IVrceira pona .
'jifarta porta .
i>ipiehe. Cohoetcao
SKRVICO-'-MftttlTTMU
' vlvarengtta .ilesftirregattas n<> trapicw
alfandega dvriia 1 a !0 .
Nndia I.
'Jatfjsatracadosno trap, da alraadefa
Alvfarengas........
W traqiicfte Oncicio
12,716
lff6
1*3
593
1:081
14 369
2*
I
3
26
pop S.
us gi

* *i
/W, ju z dc direilo especiar-xro commer-
cio, nesta cidade do Recife e seu termo
capiiai-dav-proviiiuit de fernaiaJraov,
I. o Sr. 0. Pedf Ju||
lo presente, fcie** uia 12 de
futuro, deplk ia-audteaata rat
e arremaur por teada tm prac*
izo a quern mais ojer, oawjninte
l:OC0i0'JO, pertenctntW ao casai
is de SarSiago, hoje repreaenlado
inva e hertteiros, a* qual e deve-
Chagas ROdrrgTies.'Tlue a acei-
tou, vencida em 10 de fevereiro de 1870, com o
7de uwem.
ro ultimavntutfmm- aOttW.
500*000, pertencente
A junta de emancipajao de escravos deste niunicipio faz publicp que se aclu concluida a
sificacio dos estravos qtie devem set liltertados plo EsUdo, *na conlbrmniade Bo aft 23 do regnU
meutoque -baijiou eomc decrelo n.-5,135 d 13-de noveoibre dVleWe ^oe em frrtoie do <<,..
posto no art. 27.do mesmo regulamento brain preferulos os segutates-:
-s/,1
Silvina e sens
Delphina
Francelina
filhos raenores
Edital com, prazo de 30 dias.
Pela inspectoria da alfebdeg* de Parnambuoo
se faz ipublifio, que aobaado-se as rnercadorias
contidas nos volumes abaixo meaoionados, no caso
do serem arrematadas para coanmo, nos termos
do cao. 6 do tit. 3 do regulamento de J9oe se-
tembro de 1860, os seus donos ou consinatarios
deverao despaoha-las no prazo de 30. dias, sob
peaa de, findo elle, serem vemndaeipo* sna conta,
sem que Ihes fiqne competindo- allegar eeotca os
elfaitos deal* veiula.
Trapiohe Gnnha.
rjOemros eecoos, vindo de Montevideo no na-
Vio hwpanool Anne ft-Goww, desaarrcgados m>
10 de julho da: 18W. e eonsignado Jose daSilra
Lwo fc Filho.
; Alfand6ga:de Pernambuco, 10 de levereira de-
1874.
0 inspector i
!.________________Fahio A. de.C;Reis.
li desembargador Francisco de Assis de Oliveira
Maciel,.pfltcial da imperial ordem da Rosa, ca-
valheinrda deChristo e jura privative deorphaos
e auseniHS-da cida-de do Recife e seu ter.Tjo, por
S. M. o Imperador, que Deus gcarde, etc.
Fa?o saber.a qneai o conhechueme deste clie-
gar, que o comraelidaU;r Jose Pedro da Silva di-:
menor
di...,
na
ronymo
uiza e seu filho
amillo
aria e seu fllho menor
Suilna e sea fllho menor
Bonifacia e seas filhos menores
'anerosa e sens filhos menores
Constanca e sen filho menor
u o sens tjlooi jsenafes
sua nib* moeor
a *
Joanna e sea liihj menor
Severina e seu filho menor
Josepba e seus lilhos menores
Anna e sea filho menor
Beaedicio e seus filhos menores
Innocencia e sea filho menor
i'erpeiua a seu filho menor
Benedicta e seu filho menor
Luiu e tea iilho menor
Militana e seus filhos menores
Marcclla e ana filha menor
Simpliciae seas filhos menores
Isabel e seu filho meaor
Romana e seas liihos menores
Januaria e seu liibo menor
Frili.-iadade a seu nlbo menor
Benedicta e sens filhos menores
Luizi o sens filhos menores
Antonia e seus lilhos menores
Luzia e sen filho menor
Victoriana
>:E8EDijR1A !>8 rrE.VDAS' i.NT UNAS GE-
f^ ES' HE PPi> N A MBWL'<
-.andimptfto dn dis 1 a 10 l6:fC3*992
I8:8n#7J
''.'>N5rTIiAIK> I'ftOVINCiA,.
\etrtimentf' do dl.t 1 a
id.fm io dh u. .
10.
57:4804403
3:458*609
60:9394012
CONTRA 0 FOGO.
A oompanhia Indemnisadora, estabcleeidf
aesta prar;a, toma seguros marttimos sobn
lavios e seus carregamentos c contra fog'.
;m edificios, rnercadorias e mobilias: ur
'ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Seguro coiilra-l'ogii
THK LIVERPOOL & wmon & O.lA.I
INSURANCE CCHPAOT
.lgentes
LAUNDERS BROTHERS d C.
11Corpo Santo11
Capital, .... 20,00O:OO0JJO0t
r*aiMlo de rescrva. 8,000tOOOJJOW 4
Agantes,
Mills Latham A C.
ESTATLTOS
DO
Collegio da SanTISSima Trwdawj, sob a
direcoao de Philomeoa Minervina d'Al-
buquerque 0' ConnellJersey, coadjavada
por suas irmaas D. Landelina d'Albuqqer-
que 0'Connell Jdrsey D. Olindina d'Al-
buquerque 0' Connell Jersey.
I
Art. i.* 0 CoWegiodirigido.por- Philamena Mi-
nervina d'Albaqnerque O' Connell Jersey denomi-
nate -Collegio da Sahtissima Trlnoade.
Art. 2/ As- alumnas reeebem nella iMtrne^ao
primaria, secundaria, religiosa, de eivHidade, e de
recreio e pr. ndas.
Art. 3.* A instraccao pownaria 6 ->leitnn, e-
:ripta, conubelidade (as qiuUro-operaQeB> inocetj
*gramioatioa paraiguaza, costura, cUa e cro-
chet.
Art, 4.' A instrucc*o secuBdaria comorehende
-lingua aaewnai fraoeai, inglex, italiaoo. histo-
na, geographia e arithmetica.
Art 5. A intrusao rehfiwa, e dad* peio ca
tbeoismo ; as atamoas aprendem douiiioa chriB-,
U, eiodoa os deveresreligi<*tes a eumprir p*ra com
Dens, aeoa pais e pareaies, e em garal oom a so-.
:iedade.
Art 6fi A iustruccao de -crvilidade vabrang^rio^
dos es actoa da vida de um* seuaora em rtlacao
com as pessoas de sua familiae com a socie-
dad%
Art. 7.* A instruccio de recreio eonsia de
deseahoy-musica, piaaee daaca.
Art a.* Ainstrueoao de preodas reune. todos.
os tratalhos de aguiha, e tod* especie de bor-
dados, qne deve 3aber uma senhora da melhor o-
eiedaoa.
II
Art 9. 0 Collegio admitte' alumnas internas-,
meio Art -40. A lingua que se falla ao interior do
Collegio 4'a franceza; e durante as aulas de ingler
e italfano.a* se fallam eslas linguas.
Aft it. As alaranas que estudam francez, in-
Slez e MaHano apreodem a fallar, eserever e tra-
uzlrastw idiomaa grammaticalmenta.
Arb 11 A mensalidade para as inHraos e de
40J000, para as meio pensionistas 20^000, e para
as esternas 5/000, pagos adiantados por trimes-
ItL'ADA CRUZN..38.
GOMPANHIi
Pj^iiixiPeriiambucana.
Toma riscos markimos em rnercadorias,
fretes, dinheiro a risco elinalmento de qual-
quer. oatureza, em.vapores, navios va ela oo
barcaras, a premios muito modicos. '
RUA DO COMMERCIO N. 34.
PUAGA DO flECTEE 11 DE FEVEREIRO
DE 1874.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDS.
Cota$3ea offlclae*
AJgoio do A' sorte-74800* 8j000por lS-.kikafe
Algodae da Paraiiyba 1' sorte 8<330 por Ifr
kilos posto a bordo a frete de 5j8 e S OiO,
hontem. .
Dito dedito dita.-8*200. por 13-'kilos posto a.
bordo,a treto de 3i& e S 0(0, liontein. .
Algodao de-Macert 1*sorte8#W) par.i5:fcilos
potto* bordo a frete de 7|8"e a OiO.
hiniem.
Assuear brato bom 1*800 por 16' kiloa, boo-
terna
jifaeu1 bruto regular iJZOO e 1*710 mm
lo kilos;*onWm.
Assuear Canal 1*300 por M.kikw, hontem.
Courosealgados verdes 327 rs. o kilo, kontem.
Gambie sobre l>jndres a 90 dfit. :26 .d.;pon
1*060, hontem.
Carabio sobre o Porto a; flO djv 109 AljO de pre
mio, do hanoo, aoje.
u.-de VaaeoaeeUos
Presiden te.
A. P. deLemos
Secretario.
.\avio sahido no dia to.
Sloekolm Eseuna allema Johann C.wll, capitao
L. LichtPinberg, carga assuear.
Observa$da.
Suspendeu do lamaiao para Falmouth a barca
ingloza Buenos-Ayres, capitao Gelsehrest, com a
mesma cargaque trouxe de Patagonia.
Navios entrados no dia 11.
Tuyu (no Rio da Praia)-Rrigue hespanhol Carts-
Una, do 208tonekulas, cjpitao Conille, oquipa-
gem 12, carga 4.600 quintaes hespanhoes de
carne ; a or l.m
Liverpool-47 .dias, barca ingleza Margarilh HW-
kit, de 340toneladas, capitao James Porter,
equipagera 2, carga carvao ; a Simpson & C.
Bordeaux39 dias, bare* franeeza Gaulois, de
479 toneladas,; oa.oitao Simunel, equipagem 14,
wrga varios generos ; ao mesmo consul. Veio
refrosoare seguio,para Buenoa-Ayres.
.Vuio sahidos no Tnexmo din
Rio Grande no Sul t'rigne nacional Sorpreza,
capitao Teixeira, carga assuear e outros ge
neros.
New-York LrrgreHnglez Beckermet, capita* T.
Dalrymple, carga assuear.
m
ALFANBEGA.
ucdUBento dJdiJi.la 10 .
dn do:dta ll
3iG:036i8iO
42:9964*91
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda,
juiz de direito especial do. commercio nes-
ta cidade do Recife e seu termo da capi-.
tal da pnovincia.de Pemambuco, por
SS"W,J impcrial-e constituciowal o Sr. D
Pe'dr'o II, a quern Deus guarde, etc.
Faco saber aoajjue o presente edital .virem ou
della noticia tiverem, que pelos adraiuistradoKS da
roassa fallida de Ignacio Pesso* da Silva, me foi
apresenudaa seguinte classificacao dos cxeditbsda
dita massa :
Grejores pri.vilegjadois.
Agra & C, 688*000 ; Lindolpbo dos Reis Cam-
peJIo, 600/000 ; Dr. Jo2o Raymundo Pereira
da Silva, 72*000. .o que for Uuuidado ; Francis
co Oliveira M^llo e Silva, 72iOOO.
Credores chirografarios.
Hrdeiros^le Fraaeisco dps Reis Nunes Cam
pello, 4:000*000 Tibureio Valeciaoo. Bapiista.
*b0*000.j RocJia-Lima.^i Guimaraes 3:837*660 ;
JoioJiarbosa/Cardriro, .83Q*350 ;P. Maurer kit'
1:699*000i Manoel da Silva Pari*.#ti, 3:877,1800,
Credores que nao consta.dos.Jiwas.eucreditosi
e que nao apraeataram titulos.
Francisco de Uliveira Mello e Silva, Antonia
DUarte- do Figure*) .4 C, M., P. 4a 8?lv-ira,
brancisco dabou*Rga Monteiro, Francisco da
Silva, Rego,,Maturioo Bwro&o _da MeJlij, Joaquim
^auri^GoocatoasRps^S^wiyA^.C^ae^^^
ijiwo .\etto de Azeredo Coutmho, Antonio Ferjaira,
rigiomea petirjao dotheor segnrats
lllm. Sr. Dr. juiz de orphaos.-O commendador
Jose Pedro il.-i SilVa, tendo-um filho de nome Jose
Pedro de Suuza a Silva, este se acba em estado
de loucara em Portugal, para onde fora para ua
tar -so, como prova o exame.de sanidade feito atli
e que vai junto, e mesmana impossibllidade de re-
ger seas bons esisteijtes nesta cidade ; pelo que
requer a V. S. que, mand;m io antoar esta e do-
cumentos juntas,.suba tudo a condu>io.p.ira se
Julgar o tiilio do.sunplicante desasisadi., nomean<
do V. S. o suppticante sen enrador e lavre o resi
pei-tivo termo de enradnria.
1'ede a V'S.ncferimento.E R. SL
Estava assignada sobre uma estauiprlrra dc 200
reis.
Recife,^ dc novembro de i87!.-Henrique da
Silva.
Distribuido* e autoados, venhaxn a conclnsao.
Recite, 28-denvmnbrode 1873. OfireirB Ma-
del.
Feito o qqe sahiram os airtqs a minha conclu--
?Jo, os qmres sendo por mim viatos e exammados,
nelles tlei e proferi a sentenra do theor se-
guinte :
Se'nteoca.
Veriffeando-se do exame-de folhas 3 a folhas 6,
que Jose Pedro de Souza e Silva, deeta proviociai
Ora no reino de Portugal, em tratamento; sc acha
em Estado de louenra, o hei por incapaz de admi-
nistrar sua pessoa e bens, que ficarao sob a cura-
tella de seu pai, o commendador Jo e Pedro da
Silva, e eustas.
0 escrivao passe edital para ser afHxado no lu-
gar do costume e publtcado pHa imprensn.
Recife, 20 de dezembro de 1873. Frrncisco dtt
As sis de Oliveira Model.
E para que ninguem-faea contrato algum com
Oipreciladointerdicto Jose Pedro de Souza e Silva,
seniio por intermedio de sen pai o commendador
Jose Pedro da Silva, sob pena de nullidade, com
pre via autorisajao drste juizo, mandei passar o
presente, que sera affls'ado nos litgares do costu-
me e publicado pela imprensa.
Dado e passado sob meu signal e sello, ou valha
sem sello ex causa nesta cidade do Recife dc Per-
nambneo, aos 5 de fe%'ereiro do 1374.
Eu, Floriano Correa de Brito, eserivao, o fit
eserever e subscrevo. Francisco de Assis de Ob-
teira Maciel.
Aq sello 300 reis. Valha sem sello ex-causa.
0 Dr. Sebastiao.do Rego Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do commercio.nesta cidade do
Recife de Pernambuco por sua magtstade o Im-
perador, que. guarde Deus etc.
F.'.;-o saber aos que o preseoio edital virem e
delle noticia liverein, que.alrequnriinenta da .linn*
commercial de Pereira de..MelIo.&.C, foradectara-
da aberta sua fallencia pela scnlenca do thcor se-
guinte:
A' vista da declaracao de folhas 2 e 8 dc Peroi-
ra de Mello,4 C, firm*-composta de Antonio Lo-
pes-fereira d.e Uellq Ltto Pesrrunn, e esubolecida]
neita praca a rua da Bom.Jesas, ns, 61 c 63, bej
Sor deolarada a abertura.de sua fallencia a dalar
e 31 de datembro proximo Undo. Xomoio cura-
dor fiscal ao credor Juao Ignacio d: Medeiros Re-
go, que ortatara juraxoanto.
Proceda se immediatamente ao tnventario sendo
depositario entao nomeado interinamunte que>scr-
vira ate que os credores segundo o disposlo no art.
812 d'> eoaig.j do commercio, facam a.nomeacao
qne e de sua compateocia, e para sua.reaniao do-
signo o dia li Jj corrante mez as 11 boras ni sa-
la das audieneias. Pur editaes se.-. publiqua esta
senlenQa e-fac*T,se coavocacio dos credores. Pa-
pas as costas pela massa.
' Recife, 9 de fevereiro de 1874. Sebastiao do
Rego Barros dr Laoerda.
para que. chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente que sera, publicado pela
imprensa e aliixado oos lugares do costume.
. Cidade da Recife >11 deXovareiro do 1874.
Eu Manoel Maria Itudrigues do Nascinieato, es-
crivao o subscrevi.
Sebastiao do :Bego.Barros de, Lacerda.
389.033*031
Dascarregam hoj-jii d* feverenwde^'**?*'",
Barca ingleza Witck of the rjn-~oeradorias
para alfaodega.
Barca mgleza-*- 8eretphinarnercadorias para al-
fandega.
do!QJi*eifa, Antonio;lgna$orra Co^nori
t nisio Hilaxio Loptv, Domingo*, da Costa Moetaieo,
4a.Siiv*Ferrttif*< Peaxo A-.CfiuaJleaino, ^osA'
Slinoda .zavedjjfiJjiaqu*m Siivario itei^aasf.
arlins;-da: SiWa. Borges, Jose.Angmio.de'
Araujo, Jose Antonio M*cedoLope-s Baatos A Monr
ieiro, Jose Marlins da Silva B6rg & C, Jose Fran-
cisco det Paula ftaaaos,- Antonio-. Jose^de Aireu Ri
beiroj Antonio Jovino Torres Bandeira, Ignez Pessoa
Veilaz, por nao tar apresentado niulo original; p.
llaurer ^ C, loio Banbosa. Cord*iriOy,Di MaxJa,
Anicita Retsoa da Silva, por nao estar sua escrip(.
ra de dote regisUada n ) tribunal do.cQimoereio.
E pon e^e tdmil a&q citad is os rjferidos arado
res para dea4m ca{ao <11 MiHsuht, iliwein sobre a dita classifica-
{*o dos credit .s-
' E para jue chegue ao eonbecrmento de todos,
mandei pass, r o presente, que ser* publicado pels,
imprensa e afOxado no- lugar ae-cortuma..
Retil+, 9 ii* ffvereir< deAi9i,'
Eu, Maii^l viana Radiilguesaarjiwcjraeoto, e- ,
crivo, o sub.-crevi. I
0 Ium. Sr.iioapietor da .Ujesowra,jai provm-
CKilnianda faaer tiuWico /jue em cumprimeoto da
prdem.do. Fxm. presidentu da.previsqa de 14 do
correute, ,perante a junta dpOa thesouraria se ba
de airomatar no dia. 12 de fevereiro proximu vin-
douro a obra dos reparo* de empedrameuio .da
qpe-iMjetsaa,.estfada daUiuoejro,orcada no. va
lor-da792*,cgmo indica .a. .iespecu?a rclausula.
abaixotFaascripta.
As pessoas qua se propozerem a esta. a arre-
maUnao, comparecam na sala das sestoes da mes-
(na.thesouratia .nodiaindieado pelo meio dia. com-
petenteaianta.-hubiUladas.
EiPJOTrrtWnalar, sa,mandpa publicar no ,-pteaen-
(a jornal.
S^retaria.d*,tho.sour(ui* proiaw*lt{ 20 4a,j*%
Padro
Paulina ,
Luiz
Isabel
Ignez
Seuhariaba
Raymunda
Maria
Luiza
Benedicta
Barbara
Mania
Libania
Franeeliiv.
FioitetMio
Luiza
-Luzia
Isabel
Theresa
lUyUiUIlt!,:
MiqueRna
Maria
Caelana
Deitiaa
itfarjalsabc1
Matuilde
Homana
isabel
Othilia
/-fcrni.t
Acuroia,
Margarida
I'rimrtiva
Jo.-eplu
Antonia
Raymunda
Masia
Amaro
Virginia
Luiz
Leopeldin.i
Ileoeiiuto
Martha
Jose -Estevuo
Guilftermina
1'rliano
Ilorculaiu
Fortunato
Maria
Mi noil
Joanna
Jgoaeio
Salviaua
Thaataz
Maria
Manoel
Joanna
Jose
Felician-
Joaquim
Josepha
Cesario
Joanna
Joao
Franc isea
Daiuiao Feiippe
Maria
Jose
Escolastica
Angolo
Oreueia
Heruienegildo
Constanca
Bartboloaieii
Floriana
Marcolino
Luiza
Marceliuo
EdunrJa
Rullna
Lino
Luiza
Caudido
Francisca
Antonio
Rita
Domicio
Florin(U
Marcolino
Manoell.i
Domingos
Hoinaua
Trajano
Rita Maria da Conceicio
BiM
Joanna
Jjse
Felippa
Tliomaz
Luiza
Jnstino
Isabel
Manoel
Teituliai.a
Francjsc Maria
Antonio
Alana
Manoel .
Christina
Gertrude- \.
Benedicta
Luiza
Ignez
Manoel
Joanna
Luis*
Luciada
I'rimitiva
especiaes, para.* arrematacao
de empedramento na estrada
dos 100
do Li-
neiro do 1874
{ Vipfotiano Josi Marinho Palhares.
OJBcial-inaior inlerino
PWplH
metros
. moeiro.
; 1.' Os reparos dos 100 metros de empedramen.
to na 1* ladeirana maUa,de 3., Joaj^ serao-eatca-
txiuide confoooiiada com o orgamouto, nc valor
da. 792*000.
t.' O^arremaUatodaia, primiipio ;i obra.no. pra
zo de iS.dias e concluir* no .de 3nnies.
3L? Q pagamento sera effectuaJo em uma so
pnestacAo, ua conclusio da obra.
h| Tudo o mais quo,naa se achar espoeificad j
nasprescnles elausuUs^seraregiiladonelo.que dis-
poeore&uJanieato.de 31 de iulho.de 1866. 0 on-
eJieiro chofe.--Jos^T*baxii*a'areira de Maga-
Yictoriano Palhares.
Januaria
Angelica
Rosa
Ednvirges-
Pau-ina
Basilia
Benedicta
Viceneia .
Ambrosina
Constanca
Luiza
Maria
Luiza
Maria
Ignacia
Joanna
Guilher: :."..
Luzia
Eduvirt'-
Viceneia
Luuia.
Tliereza.
Luiza.-
uiza
Cdsma
Ronedicia
Silverii
Bone I.
Tei tulw.'.a
Rnnvind..
llonoraax
Andrer.
m *r.
de D. Josephina Bemviuda da Cunha Souto-Malor.
de D. Mana Francisca de Paula Cavalcanto.
d* Joaaaiaa DemeMl de Alraeiaa Cavalawta a ITanoe! Antomr,
de Lotraneo Justfolaao de HoHanda e Souza.
de Dr. Murillo Mende< Vianaa.
de D. Maria dag Metces Meadoaca Lin*.
de Maredino dos Santos I'inheiro
de Juvioo Banfclra
do Dr. Pedro da AJbuqnerque Aulran.
de Elfsjo Albarlo.Silveira.
de Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
de Jose Antonia de Oliveira e Silva.
do mesmo.
de Joaquim Pacheco da Silva.
Jo Dr. Antonio Estevao de Oliveira e seas irmios.
de D. Theodora Francisca do Espirito-Santo.
de Jose Antonio da Costa e Si.
de Jose Antonio da Costa e Silva
da Alfredo Cardoso Pereira.
de Joio da Cruz Macedo.
de Pedro Osorio j de Cerqneira.
de Augusto Cesar de Abreu.
de Manoel Albino de Amorim.
dd D. Anna Isabel de Araujo Castro.
de Joao Ramos
do mesmo.
de Rellarmino Alvos Aronxa
dos herdeiros de Manoel Francisco de Carvalh* Pa-5*
drade.
de Antonio Pedro de Sa Barrelo.
de Luis Jose de D. Veridiana Carolina Sosres.
de .Jose Victor da Silva Pimentei.
de Fraaciice Pereira da Silva.
da Francisco Antonio de Figueiredo.
de Luiz Caetano Borges.
de D- Julia Angelica Pires Ferreira.
de Angelo Baptlsla do Nascimento.
de Luiz Antonio Goncalves Penna
de D. Umbilina Roza de Lima l'inho.
de D. Maria Theodora da Penha.
de Manoel Jose Soaras d'Avellar.
de D. Isabel Augusta Pires de Figueiredo Camargo.
de Jose Marceline da Roza,
do mesmo.
de Joaquim Demetria de Almeida Cavalcade.
de D. Veridiana Carolina Soares
do Dr. Nabor Carneiro Rezerra Cavalcante.
de Antonio de Pinho Borges.
de D. Calnarina de Serpa Brandao.
de D. Jacqoelina Qirnairo de Albuquerque Lacerda.
de Odorieo Alves Rapozo da Camara.
da Antonto. Bernardo Vaz de Carvalho.
de Jose Itibeirn de Souza.
de Jose Joaquim Pereira de Oliveira.
de Jose Pedro da Silva.
da,i. Maria. Raymunda Malheiro.
da n.esiiia.
de Joaquim Pereira Simoes.
de AnlomoTa vares Lima.
de D. Uelfioa Tavares da Costa.
de D. Rosa SancalVes de Jesus.
do Franeiieo Jose Alves,Guimaraes.
de D, Maria Norbarta ScheOer.
de CandiJo Thomaz Pereira Dutra.
de D. Auionia Raymunda dos Anjos Moreira.
de D. Candida Joaquina Lopes.
de D. Macioha Amalia da Silva.
da mesma.
de.D. Ursula Maria de Araujo.
de U. Ainbrozina Fernaodes de Souza.
do J. iiita Ueodata de Souza Monteiro.
de herdeiros da marqueza do, Recife.
de D. Thereza Florentina .Leite.
de Marcolino Dornellas Camara.
de Maximino-da Silva Gusm.u).
de Antonio Carneiro da Cnnba.
de Bernardino Francisco Junqueira.
de Aristarcho Ednacdu Caroeiro da Gama.
de D. Francisca de I'anla Leal Cavalcanti.
de Maroohiio Dornellas Camara.
de MaaaeUoaquim do Rego t Albuquerque
de Joao Fernaodes Lopes.
de Valeria no Maosoda Costa Reis.
de Jose Goncalves da Silva Bastos.
de Vale ianu Manso da Costa Reis.
de B. Joaepha Mma da Rocba Falcao.
de Joao Baptista Telles.
de D, Anna de Souza do Espirito Santo.
de Valeria no. Manso do E-pirito Saato.
de.DemclrioAcacio.de.Araujo Bastos.
de Valeiiaiio Manso da Costa Reis.
de Igoaeio; Alvim; da Silva.
de D. Candida Cawlcanti de Miran Varejdao
de D, Maria das Neves Pereira de Lyra
de herdeiros de Anna Maria da Conceicao.
d>' Jose Pateira dos Santos.
do Dr. Fraoaisoo Augusto da Costa.
de Cori'dauo de Abreui
'le D. Maria Carolina Peieira de Carvalho.
de D. Idaiiii i de Souia Mouiinuo.
de D. Emilia Xobre de Almeida e Castro.
de Jose Peres da Cruz.
de D. Isabel Maria Bapiista de Castro.
da Jose d Barr..s Pimentei.
de Salvador Ayres de Almeida Froilas.
de Luiz Foneeca de Macedo.
de Manoel Ignacio de Avila.
de D. Maria Carolina Tavares da Silva.
de D. Francisca Maria de Figueiredo.
de Jose Cecilia Carneiro Monteiro.
de D. Joaquina Theodora Gomes Barreto,
de D. Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira
do Dr. Raymundo Menoes Vianoa.
de D. Anna Antonia de lesus.
do Dr. Murillo Meudes V.anna.
da D. Maria Clara da Assump;ao.
de Aristides Duarte Carneiro da Cunha Gama.
de Caetano Cyriaci da Costa Moreira.
da Elizio Alberto .-ilveira.
do Joao I'aes de M in ra.
dc I). Januaria Camara Vasconcellos de Siqueira.
lo Dr. Antonio. Justino de Souza.
ue Manoel Theolonio Freire.
de Francisco do Paula Leal Cavalcanti.
de D. Auna Zulmiia de Souza Pimentei e outro
do D. Anna Francisca Lius.
de D. Anna Samico do Rego Barros.
de Manoel Joaquim Rodrigues de Souza
de D. Juaanina Ignez de Siqueira.
lo I). Maria Margarid* d* Cruz Lobo
de D. Augitsta Carolina dos Reis. .-
deJoio Pereira dos Santos Farola. /
de Vieente Ferreira da Silva Fraga. (
Je Fraga & Rocha. /
de Guilherme Haliiday. (
de Joao I'aes de Moura /
de; Josuina Carneiro da Cunha.
dos herdeiros de Jose Maria da/Paixao.
de D. Framisca Escolastica Joseph* da Cost.i.
do Dr. Anleio Manoel de Medfgiros Fur Lido.
de D. Josepha Maria da ftocna Falcio.
dos herdeiros d.i lotie Man* ,da Paixao.
de D. Antoni;* Bernarda de Souza.
de Pedro Jose Fernandes.
de Antonio Ja Rocha Wa iderlev.
JjH?.rc:lino Dornellas Camara.
daSTaQrique Guilherme Stepple.
de Antouio.Josjj da Silva dii lirasil.
dos lieraeiras de Francisco ua Paula Marinho Faicao.
de Joao Fernandes dos Santos Bastos.
de D. Augusta Lamonha Bahta da Cunha e filhos.
deiJo&e Ignacio Xavier.
de Deineterio HeruiiUo Costa.
de Manoel Nunes .da Foneeca.
le D. Maria das Moves Miranda Oliveira.
dos herdeiros do deserabargadrr Francisco de As*i Pereira u
Beeha.
de Antonio Machado Pereira Vianna Junior,
de Dr. Alvaro Ucho* Cavalcante.
do mesmo.
de, P. Mau*er & .C.
de D.Maria da Silva Caiopos Guiuutaes.
derJenrtque Lasserr.
de D Candida Rosa *le Caivalho Betsooi.
'le Anlonioierooimo da Silva Campollo.
do Dr. Cosme da Sa Pereira.
de.Manoel Joaquim de Castro, Madeira.
do Dr Jose Vieente,Duarte Brandao
de Francisco Juse Martins da Cost*,
de D. .Candida Ilo.-a de Carvalho Bessone.
do Joaquim Jose da Silva Guimaraes.
do desembargador Jose Nicolao Regueira Costa,
de D. Maria .Damiana Rodrigues Campollo.
de Manoel Ignacio de Torres Bandeira.
ae.TJ^Maria Ameliade.Ohveira.
de D.^Abba.. ordeico Cmcalvai Moreira.
de l>. Emilia Joaiuma. dcMedeiros.
do, Dr. lUymuudo Mendiw.Viaoaa.
de D. Maria,Francisca Borges Leal.
de.D Joaqttina Theodora Alves.
de Aulenio Fernandes Ramos de Oliveira
de Candido Moreira da Cost*.
de Joao Fernandas do- Santos Bastos.
da Fianeta-^ Xavjar .le Miranda a Nkllo.
da.Tuomaz Miares de Almeida Sarzedas.
de:iiiinoel Jo-e U.cna 1.1.
de Join Perora dos Santos Faro/a
de J"Ho Baptfeta da-Silv.
de Francisco Pachecu Soares.
/


t
f
,

/
/
J[
c
J


V
V
-V



k
K
iSkr^de^eraajnpuw 'Quintaifeira 12 "de Feve 8&
Maria Ami
Anna
Clara
Felicia
Clara
Eufrozina
Izidora
- Mequilina
i Delfina
Faustina
Joanna
Feliamina
Francelina
Thereza
Perpetaa
Luiza
Edavirges
Fellcidade
Francisca
Constanga
Constanca
Michaella
Joaquina
Antonia
Margarida
Margarida
Joanna
Maria
Helena
J.uiza
Fortunata
Joanna
Luiza
Lucinda
Francelina

L*DI
.8dH
of
\A M

ome
to Jo
_Jose
omingos Pinto
heco
da
deB
w ni^MnMNida Go....
de Jose Antonio, da Costa erSilva;
de Manoel Francisco do Azevddo.
de D. Deolinda Clementina da Silveu'a. >ij y j
de Candido Casimiro Guedes AlcoTorado.
de Joao Paulo de Souza,
de D. Joaquina Candida de Oliveira Borge->
de D. Maria Emilia Sobreira de MoUo.
de 0. Maria Jose Lias Soriano,
de D. Candida Rosa de Oliveira Abreu.
de Dr. Francisco Augusto da Fonceca e Silva.
de Francisco Guedes de Araujo.
de fc). Majia Damiana Rodrigaes CampeMo.
de 0. Mariana Adelia de Loyola Fragoso.
de D. Francisca da Cunba Bandeira de Mello.
de Joao Cavaleante de Albuquerque Mello.
de Joao Hermenegildo Borges Diniz.
de D. Arcelina Xavier Carneiro Rodrigues Campeiio.
de u. Anna tiita Cavaleante. S~rf
de D. Manoeia Augusta de Mello Rego. JUi
de D. Augusta Lamenha Bahia da Cnnha e Fillios.
de Jose Pinto Ribeiro. a f ft
de Jose Rodrigaes da Silva Rocha.
de Manoel Rodrigues da Costa Magalhaes.
de Maria Emilia da Cunha Halliday.
de D. Maria Candida de Mello.
de D. Maria Amelia de Barros Lima,
de 0. Arcbanja Beroardina de Oliveira Alvarenga.
de D, Angela Maria do Espirito Santo,
de D. Alexandrina FJora Ferreira doe Santos Silva.
de Jose Victor da Silva Pimentel.
de Antonio Lope* de Siqueira Braga. I'D
do Dr. Balbino d Moraes Pinbeiro.
JjiQOIO
-J7
TT"
icar o presdntt
oviaciaj. de Pernam-
ixrt
do Dr. Hufino Augusto de Almeida. r _,
de D. Antonia Luiza Barboia da Cnnha.
Dara
Paual de Joaquim Jose Silveira.
Joanna de Maria Candida d-t Trindade.
Sabina do Dr. flenlo Jose da Costa.
Maria de Joaquim Antonio de Castro Nunes.
Felippe de Herdeiros de Pedro Tavares da Costa.
Cyriaca do desembargador Manoel Tertuiiaao Thomaz Henri ques.
Francisco de Antonio Camello Pessoa de Lacerda.
E para constar determinou a referida junta fazer publicar o presente edital. Salla das ses-
soas da junta de emancipate no P.;o da Camara Municipal po Recife, em 7 do fevereiro de 1874.
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
Manoel Joaquim Silveira.
Francisco Augusto de Almeida.
Commando das armas.
Acham-se na secretaria miJitar desta provincia
Un-de fevereiro do anno passado, para serem en-
Vegues as ex-prscas abaixo mencionadaa, 03 di-
plomas, passadures, fitae c medalhas da eampanha
do Paraguay, conforme se annuociou pelos jornaes [ prazo de 15 dias e as concluira no de 3 mezes.
em 13 do referido mez e anno.
Os interessados compareeam ou autorisem, al-
guem a reeeber taes diplomas.
Ex-pracas :
Joio Quirino Carneiro da Cnnha.
Manoel Amancio dos Santos.
Manoel Joaquim do Nascimento.
Trajano Alves Correia.
Secretaria do commando das armas de Pernam-
btico, 11 de fevereiro de 1874.
0 tenente-corouei; secretario,
Francisco Camello Pessoa de Lacerda.
Clausulas para os repares da ponte da Escada.
1.*- Os reparos da ponte da Eseada serao feitos
de conformidade com o respectivo orcameoto ap-
proval) polo Exm Sr. presidente da provincia, no
valor de 1:384*.
2.* O arremataule dara comeee as obras uo
3.* A iraportancia da arrematacao sera dividida
em duaa prestacpes iguaes, sendo a primeira paga
quando tiver metade da obra feita e a seguuda
quando cqocluir os reparos.
4.a Em tudj o mais que nao estiver especifiea-
do I3S presenter ejajisulas, se observara o que
dispde o regulamento- desta repartigio. 0 enge-
uheiro cnefe, Jose Tiburcio Pereira de Magalhaes.
_______________Victoriano J, Mariano PThaa.res.
A camara municipal desta cidade manda
publicar os artigos de posturas, abaixo trans-
criptos :
Art. 70.-Fica prohibido neste municipio o brin- senao o que e estabelecido pelo regulamento em
quedo de entrudo com agua ou qualquer outra I vigor, podendo a relacao do. dito enxoval 6er nes-
Secretaria do gymnasio provincial de P,erna.mou
co, Jd de fevereiro de 1874.
Por esta secretaria, e de ordem do Iltm,.-Sr. Dr.
regedor interino, se deciara aos paii, tutores e
eorrespondentes dos alumnos internos, que nao
podem estes trazer para o instituto outro eaxoval
substancia, de qualquer maneira qne se empre
gue os infractores pagarao a multa de 135 e
s^ffrerao oito dias de prisio.
Art. 71. Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : os infractores alem de as perderem, pa-
garao 41 de multa.
Paco da camara municipal do Recife, 17 de
Janeiro de 1874.
Manoel J. do Rego e Albuquerque
Presidente.
Pedro de Albuquerque Autran
Secretario.
De ordem do Rim. Sr. inspector da toesouraria
de fazenda, se deciara que perante a junta da
mesma thesouraria tem de ir era hasta pnhlica
para serem arrematados, por quem men is offere-
cer os concertos do oaes da rna da Aurora, na
steusao de 27,5' m orgados em 4:621^829 rs.
Os interessados sao convidados a comparecerem
as 12 horas de dia 25 do corrente, com suas pro-;
postas em cartas fechadas devidamente selladas,!
podendo desde ja examinarem o orgamento qie
se acha na secretaria desta tliesouria.
Secretaria da thesouraria de fazenda dc Per-
nambuco, U de fevereiro de 1874.
0 2." escripturario, servindo de secretario, |
Carlos Joao de Souza Corre"a. j
De'ordem do lllm. Sr. inspector da tbe?ou-
. raria de fazsnda, se faz pnbliCQ, que em virtude { poute oaratirar pi
de autorisacio da presidencia desta provincia, | travesseiro
tem de ir a praca no dia 18 do mez de fevereiro j 4 meia commoja de amarello
proximo vradoun. perante a junu da mesma; a cioturtes d couro.
thesouraria, para serem arrematados por quem OBSKRVACAO
maior lan^o offerecer dez caxallos perfencentes {. 0. imeressados deverao ver no estajwleci-
a companhia de cavallaria; sao por tanto convi mao|0 0 m(Mno do boaetj da fardeta, dos distinc-
ddos os interessados a eomparceerem na mesma tivos e da cominuda> como Dera a eor do panno
> as duas boras da tarde do indicado para haver uniforraidade.
2' Cada alumno deve ter correspondente na ca
ta secretaria procurada por quem della precisar.
Enxoval do alumno pensionista.
1 bonet.
1 fard&a de panno verdee3curo com ditincti
vos do iastitato,
1 jaqueta de panno.
6 jaqueloes de brim pardo liso.
1 calca de casemira preta.
6 calcas de brim pardo liso.
2 ditas para o recreio.
4 colletes brancos.
2 gravatas pretas de seda.
2 ditai de qualquer panno para uso ordinario.
12 camisas.
12 pares de meias.
12 leo'.'os de linho para mao.
6 ceroulas de hamburgo,
6 fronhas de i\\o.
2 cobertas de creton.
1 cobertor de la.
6 toalbas de rosto.
6 guardanapos.
2 pares de < orzeguins de bezerro.
1 chinella de couro.
1 escova de sapato.
1 dita de deole.
1 dita de fato.
1 tesoura de unhas.
1 pente de alisar.
E para coi__
pelo Diario de Pernawibuco
Secretaria da Uieaenraria
buco, WWe ppero dk IB71..
^jCTonMo1JosT!lMamho'Palhares,
Official-maior interino.
Gtattula eepeciaes para a arrematacao de 200
metros da eslrada do Limoeiro
1' Os reparos do empedramento da eslrada do
LimoWro, etn-.Campina Grange, serio execuudos
dpodn>rflMU com o oreaayatfe. to valor de
mm. -**JS
JA Q arrematanle dara principio a ft m pra-
zo de 8 dias e a concluira no de um mez
3.' O pagam'ento seraJBHcliiado em uma sq
prestacao, na oonclusao da obra.
4.' Tudo mais <|ue nao se aenar e-neoifieado,
sera reguiadoflejo gaelbpoo o regala.Jento de
3ldejulho de 166.(Jtoiflnhelra cbefe. Jose
Tlbtjfera Perefra do MaMfbaes.
___________________frctoriano Palhares.
0 Rim. Sr. inspector da thesouraria provincial,
mMd* liaeri pubjtfMf^a^.^ iianprifaefiij da
ordewrdo: Exm,f MM*da pn>rinM, de 16
deianeiro proj?im *n*Mtwn 4.-*er.ajyemaiada
PQtanto a junta da lne8|^*eeoararia, no dia 26
de iiiarco proximo fu ,'em por njenos user,
a obra dos teparos de (jae precisa o ediflcio que
sewa-dfeHdeia da villa de Pwqueira. avaliados
erai:833<63idebaixo dM-6|dicdo? aliaixo trans-
criptas.
As pessoas qne se prpuuetw a.esia arremata
oio, oomparefam na SfJ^daftittilgas da mesma
jqnP^iOridia,.iaOima indica|B^5)eteiitemente
habiEiladas,
Epara.;cpflstar, se mandou4pty|fe*ro presenle
pel* Diarto1 it pernambuco.
fSeoretariadaibesouraria provincial d Pernam-
b|co, 7 de,fevrjro de 187*.
0 ojMfi^Mior,
Miguej^fr^nso Ferreirm.
Clausulas especiaes para a arrematagar dos
reoarosda cadeia de Pesqueira
{.' Os reparos de que precisa o ediflcio que
serve de, qadeia na yijla dp Pesqueira, .serao exe-
cutados de conrormidade com o orcamebto e plan-
ts, no valor de 4:833*834.
2.* 0 arrematanle dara comeco aos trabalhos,
no prazo de urn mez e ns coorluir.i no do cinco
mezes, cooiad.is da dat3.do contra to.
, 3" 0 pagament.o, sera fliyj.dido, em, tres presta-
c6es iguass, a proporfSo do servigo execulauo.
Para tudo iMis qne nao v*\ e|ieeifl>: nas
presentes clausulas, observerise-ha a que dispoe
o regulamento de 3| de julho dc 1866.
Repar^ao das obras publics, 29 de Janeiro de
1874.-^Jose" Tibnrclo Perelra Magalhaes!
Conforme,
Miguel Alfonso Ferreira.
Edital p.-128
Pelaluj3peofi|ad alfandega se faz, publico que
as H hors ,aa.Wmh, do dia 42 do carreo^, a
ports desta reparticao, se ha <*e arrematar, livres
de direitos de consumo, e sujeitas ao imposto da
capatazia, aa mercadoxias abaixo deelaradas :
Marca triangulo B T 7-3 n. 7 I ca^a viada de
LiverpooJ:ijo,vapor jinglez Cordova, enlrado em 26
de dezembro do anno proximo passado, contendo
20 pecas' de brim pardo traUcado, avariado, no
valor de cOdi, abandonadas aos direitos por Brwn
Thonsoeftj:.
890 kilos de sal cora/num refinado, vindo de
Liverpool no vapor raglez Student, entrado em
dezembro do anno proximo passado, no valor de
402, abandonados aos direitos por Cardoso Mar-
tins & C.
Alfandega de Pernambuco, 10 de fevereiro de
1874.
0 inspector
F bio A.de C. Reis.

Para qualqt'er ftturdiacao, potle
0 escrivlo
__________Pciio Rodrigues de Souza.
~ ^gUjBdi diencia do jftm. Sr. desembargador juw de direito
dos orphao*, tem de aer arrematada em hasta pn-
Jjiea a.joda trionnal da casa terrea sita a rua da
Moeda. frcguesia de S. Frei Pedro Gongalves n-
H6rRm^ ^e *>ase P*'3 arre,n>ta0*o a quan.
tia de 600*, por qnanlo ja esteve arrendada an-
nualmente, coja casa. e portencente aos menores
lllhos legitimosdeJoe Joaquim Pires Soares.
Admttiistragflj dos correioa de
Hernambuco, 18 de fevereiro
"de 874.
Malas pelo vapor Cururipe da companhia
pernambuc.nna
hnt c,.,JesP80,Jencia i SS2i' pel vapor Mitta meneionado para
X *Uap6' SGra receUid* pela waneira se-
,.3.1** ^.i**8". impressos de .qnalquer na-
ureza e carlas a registrar, ate 2 boras da tarde,
cartas ordmarias ate boras, e estas ate 3 1/2,
pagandoporte duple.
0 admmistradpr
.Affonso do Rego Barros.
I
EMPREZA
Quinta^feira 12 do corrente.
Recita extraordinaria.
, Em heu.il.iti dn Mrtista
immiinmmtin
Depois da orchestra tocar.uma de auas mais
nellas ouverturas, sqbira a scena o muito raeriloao
drama em S actos :
0 Meflieo elas Criaacas
Or.
servado.
Precos.
CaANtei eom 6 enlradas it WOO
Ditos com 5 entradas 10^000
Entrada geral 2JOOO
Diiffliis Wrtsnfads gratis.
Prlpeipiarao os bailes as 9 boras e flndarlo as
horas do costume.
AVISOS MARITIMOS
Pacific Sleam Navigation Comfiaii)
Liuiin quinzcnul
OPAQCJJTE
JOHN ELDER
Esperase da Europa, at6 22 do corrente, .
depois da demora. do ccstume, segaira para o
sul do imperio,. Rio da Praia- e eostasdo Paciflco,
para onde recabera p'assageiros, eocommendas
e carga a ff**e.
Pretende seguir com brevidade para o refaride
porto o potaebo iagfoz Cheviot, por far parted*
sua earga, e pva a qae Ike falta trata
consignatarios- Henrt- Forsler C, a rua
merclo'n. 8.
os
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende seguir com ani-
ta brevidade a barca portngaeza Aminda, por
ter a maior parte da sen carregamento tratado, e
para o resto que the falta. trata se eom oacooeig
natarios Joaquim Jose G .ngalves Bekraait Filbo,
a rua do Commercio n. 5.
m.
Grande

-Rio ^de" Janeiro.
PraleMe pegwir com brevidade, a brigue nacio-
nal Isabel, por ^rdous. tercos da carga epgaiada.
Para o resto que Ihe faUa e escravos a frete,
trata se com o seu consignalario Antonio Lu'iz de
Oliveira Azevedo. rua do. Bora Jesus n. 57.
8ClABAtm
thesouraria
dia. ,
Os cavallos estarao no dia da arrcmatacao na
area do ediGcio em que funccioua esta reparticao,
e desde ja podem ser vistos no respectivo quartet.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
namhnco, 29 de Janeiro de 1874.
pital para com promptidao satisfazer as pensdes
outra qualquer despeza de que tiver elle neces
sidade.
3* A pensao sera paga por trimestre adiantado.
0 alumno que no primeiro dia do trimesUe nao
0 2.' escrip urar.c, servindo de secretario, a ,iver ^^ seri |ogo remettido a 8ea pai talor
_____________Carlos Joao de Souza Correa. 10 correspondente.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin- | 4" 0 estabelecimento alem da instruc^ao, forne'
cial manda fazer publico que em enmprimento da ce ao alumno interno alimentos, medico, botica.
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia de 7 lavagem eengoramagem de roupa, papel, penna e
de Janeiro corrente, perante a junta desta thesou- tinta
raria se ha de arrematar no dia 23 de abril pro- I S* Os objectos do enxoval sao propriedades do
xirao viodouro, a obra da ponte denerainada Pao alumno, e os retirara quando sahir, no estado em
Sangue sobre orio Serinhaem. orcada em 9:570$, que e^iverem. As peijas deterioradas ou consu
psgosem apolices da divida provincial a juro de. midas pelo uso serao snbstituidas pelo alumno por
7 por cento ao par. outras, logo que for rcclamado pela regedoria.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
c.ao comparecam na sala das sessoes da mesma
tbesouraria no dia indieado aciraj, pelo meio dia,
< impetentemente habilitadas.
E para constar se mandou pnblicar o- presente
elo Diario de Pernambuco.
Secretaria da thesouraria proyinoial^JO dejarf
neiro de 1874.
PENSOES.
Pensionista -100*0 0 por quartel.
Meio pensiunista 60*000 idem.
Externo 18*000 idem.
Aula de mjijica-12*000 idem.
Gosleio.de cauia -to*000 por uma so vez na
prinieira jascripeio, sendo o estabelecimento obri-
Ngado.atfor-aece ia do/ante todo o tempo em bue
Victoriano Jos* M. Palhares, estiver o,alumno no^stabelecioento.
Official maior interiiw. 0 secretario,
CI tusulas speciaes para a afrematarao da ponte _________0180 Tertoljano Fernandes Quintella.
denominada Pao Sangue spbre e rio Seri- q cidad^o Francisco o> Silva Rego, juiz de paz
.da freguezia de S. .Antonio da cidade do Recife
de Pernejnbuco, em virtude da lei, etc.
=xm S, presidente ^^^^S^SL SSJpS^Sf qSl'S
^VarrtltrdS^rmcipm a obra no pra- ff'Vm^te^^r^freSn^ia^S
nhaem.
1.' A ponte denominada Pao Sangue sera exe-
it.vta de coaformidade com o ercamenlo ejilan-
r.) de um mez e a concluira no de 12 mezes.
3* 0 pagamento sera effectuado em 3 presta-
c5es Ignaes a propor^ao da tabella executada.
4." Para tud< o mais que nao se achar especifl-
c.ado sera regulado pelo que dispde o regulamento
ile 31 dejnlao de 1866. 0 engenheiro chefe, Jo-
se Tiburcio Pereira de Magalhaes.
Victoriano Jose M. Palhares.
De ordem do lllm. Sr. inspector desta the-
s juraria se faz publico quo peraute a junta de
fazenda, tem de ir a praca no dia 18 do mez de
fevereiro vindouro a factura dos concertos do caes
do pelo que sao convidados os que se propozerem a
SLr. *? h.e boras da manna do indi ado dn com suas propos-
us em cartas fechadas e corapetnlemente sjjladas,
declarando o ultimo preco por que so oflereeem
faze-los ;,padeado desde ja exanaioaro reapectivo
orcamento, que se acha patehte uesla secretaria.
Sscretaria da thesobraiia de fazenda de
Pernambuco, 23 de. Janeiro de 1874.
0 2 escripturario, servindo de secretario
Carlos J. de Souza Correia.
0 Rim. Sr. inspector da thesouram-provia*-
cial manda fazer publico qae era- cumprimento da
ordem Jo Exm. Sr presidente da provincia, de
14 do corrente mez, peranle a junta desta tbe-
scararia, se ba do arrematar no dia 12 de feve-
eirro proximo vindouro, os reparos de que precisa
a piue da Eseada, orjados om 1:384*, eomo
coasts das dansnlas abaixo mencionadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cio, queiram comparecer a. esta repartijao no dia
acinn raencionado pelo meio dia corapetentemen-
- bibtlilados.
E. pan QDoatar ae mandon fazer publino no
ft'ario de Pernambuco.
S.-eretaria dattaSporaria provincial de Pernam-
bHfv, tftde, janeire.de 1874. -
Victoriano Jos6 M Palhares,
Official maior fn1 rino.
Francisco Carneiro Monteiro e de Antonio Fran-
Cisco Carneiro Monteiro, e Justificando quanto
basta-se, Ihe mandasse passar carta de editos
para serem citados, aGm de virem a nrimeira
audiencia deste juizo que se flzer, passado os 30
dias para se conciliarero com o supplicante credor
de Jose Xavier Pereira de Rrito, dos justiBcados
e outros, como herdeiros que sao da finada
D. Ualhilde Bernardina da Concsicao, primitiva
devedora, pela nota promissoria que aceitara
em favor do justiflcante, da quantia de um conto
de reis. E porque juslilicou o deduzido em
sua peticao, Ihe roandei passar a presente
carta de editos de 30 dias, pela quii cito, cha-
mp e requeiro a Joao Francisco Carneiro Mon-
Carneiro Monteiro,
aflm de qne venham a primeira audiencia deste
juizo que se fizer, findo dito tenno, sendo as
andiencias aa> tercas ie)tfas-feirag de todaaas
somanas, na sala publica das. giesrnas a rua do
Imperador.
E para que cbegue a notieia de todos, mandei
passar a presente, que sera afflxada nos lugares
publicos e do costume.
Juizo de paz da freguezia de S. Antonio, 16 de
dezembro de 1873.
Subscrevo e assigno.Recife, 18 da dezembro
de 1873.
0 escrivao. Coriolano de Abreu.
^^^^^^ Francisco 4a silva Rego.
m*'
0 lllm. Sr. iuspet jr da thesouraria provin-
cial manda fazer publco que, em cumprimento da
ordem do Exui. Sr. i-r- i lente da provincia, de 14
do corrente, perante a junta desta thesourarie se
ba de arrematar no dii 12 de .fevereiro proximo
vindouro, a oora dos reparos de empedramento
que precisa a estra u de Liiaoeiro, orcada no va-
lor de 484*, com indica o respectivo orja-
me nto.
As.pessoas qne pmeozareni a esta arremata-
Clo, nopare>jaio na sala da sessops da mesma
thesouraria no dia i "iieado pelo me'o dia, com-
" petentemente babihtadas.
Pela recebedoria de rendas internas geraes
se faz publico que 6 no corrente mez de fevereiro
que deve ser paga, livre de multa, a laxa dos e.s
cravos, relativa aa exercicio. de 1873 a 1874; de-
pois dp quo se lo-ba com a multa do 6 0|0.
Recebedoria de Pernambuco, 5 de fevereiro de
1874.
0 admiaistrador
__________Manoel Carneiro de Souza Lacerda
SANTA CASA DA MISER1COREIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sessoes, no dia 12 de fevereiro
pelas 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a trts annos, as rendas dos predios em seguida
ieclarados.
ESTABELECIMELNTOS DE CAR1DADE
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11.......201*000
dem n. 5 o.....202*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rna da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Ruo do Pilar.
Casa terree n. !100......241*000
Idem n. 102........241*0O<>
Rua Velha.
Casa terea u. 44(fechada( .... 450^000
Rua de S.inta Rita.
Armazera n. 3'i(fechado) a 362*000
Os pretendentes devero apresentar no acto d
irrematacao as snas.fiaacas, ou comparecerem
acompannados dos respectivos fladores, devendi
pagar alem da renda. o premio da quantia ere
me for seguro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assira como o servico da lira
peza e precos dos apparelnos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re
:ife, 3 de fevereiro de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Personagens.
Dr. Luciano
. Delormel
Frederieo
Jeronymo
Francisco
Renato
Jose
Luiza
Lecilia
Balbina
Aetores.
Si. Eduardo,
Sr..Flavio.
Sr. Augusto.
Sr ,'Penaute.
Sr. Braga.
Sr. Vicente.
Sr. Ayrosa.
D. Philomena.
Idem.
D. M. Carolina.
O.fieorgiaiia
E' esperado.do Rio de Janeiro por estes dias
a seeue com ponca demora para o Para, tendo ja
parte da carga engajada : trata-se cam Tasso Ir-
maos A C.
m
Termjnara o espectaeulo com a chistosa come-
dia em 1 acto ornada do musica :
Berlin k c-asiig.
Principiani as 8 1|2 horas
0 beneQciado espera do respellavel publico o
mais hello, acolhjmenlo protostando retnbui-lo
com a mais sincera gra(idao.
Prepara-se para ir a scena na proxiraa seinana
da quaresma o drama tacro de grando apparato.
Scenario npvo.
Vestijarios novos.
Ornado de musica.
Fogcs eambiantes.
P.ntura do Chapelin.
Machinismo pomposo.
Atto movimeato.
3 actos o 10 quados.
MILAGRES
BE
i. 4.14 mmmm
Recebem-se encommendas para camarotes e ca-
deiras.
NA
ENCRUZILHADA.
Drama pastoril e scena
comica.
Banco Commercial de
0 banco paga o segundo dividondo na
razao do 8 % ao anno ou 2#400 por ac^ao,
relativo ao seicestre flndo em 3i de dezem-
bro de 1873.
Santa Casa da llisericordia do
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Mise
ricordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necossita o predio que possue o patrimo-
nio dos orpbaos, a rua da Cruz, hoje do Born Je-
sus n. 12, contcata com quem se proponha a rea-
lisar ditos concertos, mediante cerla renda e al
guns annos de prazo para desfrnctar ; devendo
os que disso se quizerem encarregar, apresentar
suas propostas em cartas fechadas, devidamente
selladas, acompanhadas do respectivo orcarae>ito
nesta secretaria ate o dia 19 de fevereiro vin-
douro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
,____________Pedro Rodrigues de Souza.
Arrnazens da companhia per
nambneana.
MeguroM contra o-fogo
A companhia pernambucana, dispondo de ex-
fellentes e vastos arrnazens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commercio em geral
para deposito de generos; garantlndo a inaior con-
servaclo das mereidorias deposita.das, servigO
prompio, precos modicos, etc.
Tambem recolbera, mediante previo aeeordn.ex-
clnsivamente os geueros de upw so pessoa.
Estes arniarens, Mm de atejados e commodps,
sap tateiramtnte novos e asphaltados, isentos de
eupim, ratos, etc., etc.
As.pessoas gue .quiierem uti|iar-se destes ar-
rnazens, pederaodirigir.se ao escriptono da com-
panhia pernambucana, que acharao com quem
tratar.
feanta L-asa da Misericordia do
"Recife.
A lllma. junta administraliva desta Santa Gasa,
aulorisada pela Santa Casa da Misericordia> da
Bahia, leva a praca 12 doeT*nter pelas 3 heras aa tarde, es;tres ,
prsdios sites a raa-do-Coronet Suassuna, putr'oW lesco.
de Hortas, n. 34, pela quantia de 3:8ii j n. ltd
pela quantia de 3:000; e n. 118 pela de 3:200*.
Bencflcio das pasioras.
Priucipiara as 9 1[2.
Havera trem depois do espectaeulo para o Re-
cife.
Os Dilbetes acham-se no lngir do costume, e
as beneficiadas pedem e e-peram o compared-
mento de seus apologistas e agradecem
Companhia Allianga Mari-
tima Portuense.
A galera portugueza Saudade, segnira em pou-
cos dias para o Porto, com escala por Lisboa.
Ja tem conlralada gr.nde parte da carga; e
para o resto, trata-se com os consignatarios e
agentes da companhia,
Jose da Silva Lryo & Filho,
em seu escriptono a rua da Companhia Pernam-
bucana.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegactto costeira a vapor.
MAMANGUAPE.
0 vapor Coruripe,
commandante Santos,
seguira para o por-
to acima no dia 12 do
corrente, as 5 horas
da tarde.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
aheiro a frete ate as 2 horas da tarde do dia da
sabida.: escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
COlll'AMIIA BAHIANA
-DE
inm\i)\
Uaeeio, Penedo, lrsioaju
e Bahia.
E' esperado dos portos do sul ale o dia 23 do
corrente um dos vapores desta cojipanhia, o qual
sahiia para os portos acima no dia seguinto ao
da sua cbegada.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a trete.
AGENTE
Antonio Lutz de Oliveira Azevedo,
57Rua do Bom Je3us-57
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
DE
Kave^acilo euwfeira a vapor.
MACF.10, ESCAI.AS PENEDO E AUACAJt'.
0 vapor Mandahu'
commandante Julio,
seguira para os por-
tos acima no dia 14
do corrente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate o dia 12 do corrente, encom-
mendas ate o dia 13, passagens e dinheiro a frete
ite as 2 horas da tarde do dia da sabida : es-
criptorio no Fnrto do Mattos o. 12.
SANTO ANTONIO,
Feslcjos carnavalcscos!
GRANDES BAILES
COMPANHIA PERNAMBUCANA
BE
iVavegacSo ostcira a vapor.
ARABYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACx-
Tl, GEARA, MANDAHU ACARACU' E GRANJA.
0 vapor Piivpama,
commandante Silva,
seguira para os por-
tos acima no dia 14
do corrente, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 12 do corrente, encom-
aiendas ate o dia 23, passageiros e dinheiro a fre-
te ate is 2 horas da larde do dia da sahida :
i8criptorio no Forte do Mattos n. 12.
da L ma
Hoje
Sendo:
Uma linda mobib'a de nogueira, med.iUao du-
plb, 1 excellente piano de Blerulel, 1 cadeira para
0 mesmo, 1 tamborete, 6 ca^leiris ik-ura lis, 2
consolos de jacaranda, com pedra. 4 eU*eri, de pa-
rede, 1 mesa de ferro com tampo d^ madtsira, t
quadros dourados com finas graviifas, 1 lustre
de crystal para gaz.
TJma riea secretaria de jacaranda, com pedra
marmore, 1 pulpito para le'rtura, I pedra para
calculo, 1 jogo. de globes (celeste c terrestre), 2
mesas de jacaranda. para jogo, cadeiras de balan-
ce, 1 sofa de palha, 1 quadro com (lores de cera.
escarradeiras e 2 quadros a oleo.
Um ;;:..n if beureau com eslante toda de raof-
no e envidracada, 2 estantes abertas para livros
1 le amareHo), 1 mesa de amarello para esertpM-
rio, 1 estante envidracada, I lote de livres, I ca-
deia de medir e 1 grande mesa de mogno para
estudo.
Uma mesa elastica para 24 pessoas, aparadores,
12 cadeiras de jacaranda, 1 guarda-louca de ama-
rello, 1 quartinbeira e 6 cadeiras de junco.
Um onarda-veslido de amarello, 1 guarda rou-
pa de dito, I rica commoda de jacaranda, 1 dita
de mogno. 1 divan de mogno cum molas, 1 sofa
de amarello, camas, toilettes com espelbo, lavato-
rios, cadeiras de retralo, berco de jacaranda, di-
versos candieiros e 6 arandellas para gaz carbo
nico, tapetes, esteiras para forre de salas, I gran-
de lote de louca e outros mmtos moveis que es-
tarao patentes no acto do leilao
0 agente Martins, autorisado pelo lllm. Sr. Dr.
Manoel Buarque de Macedo, que mudou a sua re-
sidencia para o Rio de Janeiro, fara leilao dos mo-
veis acima, existenies na casa da rua da I'niao n.
17, onde foi sua moradla.
Principia as 10 1)2 boras da m.inha, por serem
muitos os lotes.
LEEAO
DO
grande sobrado de 3 andares e sotao da rua de
Marcilio Dias, ontr'ora raa Direita n. 120, em
chaos proprios e edificado ha cerra de un anno
AO MEIO DIA.
Por inlervenCuO A; agenlePioto.
Na rua do Bom Jesus n. 43.
Os pretendentes poderao obler qualquer iolor-
mafao uo escriptorio do mesmo agente.
Leilao
De
12 pecas de grosdenaples pix-lo e 24 ditas de !>
ta de diff-.Tentcs cores
as 11 horas
POR INTKHVENCAO DO AGENTE PINTO
NA RIA 1)6 BOM JESUS N. 43
Leilao
PE
lazendas avariadas
Hoje
as Hi 1[2 da manha
Por intervencao do agenle Piulo, rua do b-M,
Jesus n. 43.
LEILAO
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
illavegaeito costeira a vapor,
RIOFORMOSO ETAMANDARE.
0 vapor Parahyba, com-
mandante Pedro, segui-
ra para os, portos acima
no dia IS do corrente
as 9 horas da noite.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
u. 12.
DE
locveis fiuos, -ouqas e crvslaes
HOJE
A's I I horas; a nil .h*
a rua de Hortas, sobrado n. 102, primeiro andar
Uma rica m bit a de faia, imitand jacaranda.
contend) cadeiras do guarniclo, sofa, consoles
jardioeira, cadeiras de braco, 1 dita de vime, con
tendo cadeiras de guarnicao, ditas de bracos, sofa,
consolos, jardineira I nco toilette, cum pedra, I
cama franceza para eaaal, 1 mesa elastica, 2 apa
radores, lavatorios, cabides, quarlinheiras, jarros.
lou^as, diversas lanternas, compdeiras, commo
da, e outros muitos objectos pan uso domestic*
0 agent" Pinho Borges. autorisado pelo Sr. Dr
Olymiio de Arroxellas Galvao, que se retira par i
o sul, vendera em leilao os referidos movei* acima
declarados.
Agente Dias
leilao
PARA
0
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM
PANY
IJnha ciuizizeiiai
0 PAQLETE
iSabbado 14
bDomingo 15.
Segundafeiraol6.
.Teiga-feira 17.
\ i orchestra compost a de excellen-
tes. profcBSorcsr o alrigtda polo
habll wacstro
executara grandes aovjdade3 no genero.carnava- ** P**geIros, encmrrrndasp carga a frete.
G theatro acha-se oecentemente otnado e o jar-
dim esplendidamente illuminado.
Seguira em poncos dias a barca portugueza
Nova Sympathia por ja estar com a maior parte
de seu carregamento engajado, e para o resto qne
Ihe falta, astim como para passageiros, aos quaes
offerece o navio os melhores commodos, trata-se
com Baltbar Oliveira 4 L, a rua do ^igario n. 1,
i andar.
i
alli e devera es
'or telegramma do Rio da Janeiro
rado o vapor desia companhia, o qual
tar neste porto ate o dia 20 do wrrente, o qual de-
pois da demora do costume, segnira para Li-
Tefpool, yja 8. VJeente e Lisboa, para onde recebe-.
DA
louca, armacao, um cofre de ferro, candieiros igf
e mais perteucas existentes no estabelecimeii
to sito em a rua do Marquez de Olinda n. R
Sexta-feiral3 do corrente
. as 11 h ra-sda m ni'ia
O agente Dias, corapetentemente autorisado por
despacho do Exm. Sr. descmbarga lor juiz de or
phio8,1 vara a leilao no dia e bora acima desip
nados, a louca e mais artigos existenies no mesm.i
eslabelecimento, pertencentes aos bens do faileci
do Manoel Antonio Vieira.
Aos Srs. pretendentes garante-se a casa por ar
rendamento, e podem desde ja examiner o balao-
co com a respectiva avaliacao que se acha em se-
der do mesmo agente, a rua do Marqaez de Ou
da n. 37, primeiro andar.
CO
OS AGENTES
Wilson Rune A C.
14RUA DO COMMERCIOU
DO
Grande sitio com boa casa de moradia, a qua'
tem 73 palraos de frente e 37 de foodo, chio>
proprios com cerca de 300 palm.* de freate
e 2,000 de fundo, com bons arveredosfructi-
feros, baixa de capim, cacimbas com bombas e
tanques para banho, e rauitas outra* accommo-
dacoes ; sendo que dita casa torn -i recom-
mendada por ser mui fresca, perto das.eslac/Jes
da Jaqneira e Tamarineira.
Terca-feira 24 do corrente
A's 11 horas em poo to
Por intervencao do agente Pioto en. i aacrip-
torio, rua do Bom Jesus n. 43. ,u
Os pretendentes poderao desde Ja examiav dita
casa, ou no dia 20 do corrente, por oceatafdo
leilao dos moveis, lonca e cristaes. ou no dia H,
por occasiao da entrega dos mesmos mo ton.

.'.."'-



9

'4
do Pernambuoo Quaita titya 12 4e Fevei#?o do 1$74*

LEfliO
^paiap*eww
DF.
moveis, louca, cristaes, uma
earroca e boi 3 espin-
gardas.
A SABER:
Uma mobilia de jaearaoda oom nm sofa, ma
jardineira, t con solos com pedra marmore, 2 ca-
deiras de bracos, e IS de guarn*c*o, 2 espettaos
ovaes, dourado*, ;! quadras, >duas escarradeicas,
enfeites de meat, ttpetes do sofa e portage urn
dilo forro da sala de visila.
Uraa cama franoeza de jaearaoda ( nova j uma
mesinha, 2 cabides, duas canas de amareHo, 1
toncador e an gmNU-roapa.
Uma meaa para ianiar, a aparadores de ar-
raarios, 12 cadeiras de guarnicio, uma marqueza,
nma quartiaheira, trelogio de^arede, quartinbas,
nd
talberes, bandejas, por-
copos, garrafa*, compo-
e outros objectos
fracteiras, porta-qaeijos,
celana para cha-e jantar,
leiras, cakees, tram de cexinha
decasa detamilia.
Dous bancos para jardim, umacarroca de duas
rodas, t boi mauso, 1 banco para carapina, i lote
de terras, ferrameota de jardim.
Um oculo de-alcanee, 3 tjsaingardas de 2 canos
e 1 vewolver.
Sexta feira 20 do corrente
Na Travessa daCraz das Almas.
Joao Henddkonre, tendo de mudar sua residen-
cia jpara Europa, fara leflao por intervencao do
agente Pinto, dos moveis e mais objectos acitna
mencionadofxistentes oa casa de sua residencia,
Cruz das Almas.
As lOilit horas em ponto partira da estacao do
aroo de Santo Aotonio.uca trein expres-o que
servira de conduccao (.gratis) aos concurrents
ao leilao.
FriDeipiar^ as 11 horas.
Em cootinuacao, e no dta-terca-feira 24 do cor-
reote, veodera o mesmo agente a casa etitio, con-
ferme flea aoonnciado.
AVISOS DVEBSOS
Armazem para alugar. no
eaes-da Alfandesra n. 5.
Estando a conclnir -se o arrendamento deste ar-
mazem, qne.|tertence. a irmandade do Bom Jesus,
quem o pretender node drigir suas propostas a
mesa regedoca da referida irmandade.
\'Precisa-se de uma ama para comprar, cozi-
nfaar e epgommar para uma pessoa : a rua do
Torres n. 16, primeiro andar.
MnoeI Francisco dew Santos comprou a
Francisco de Paula d'Almeida Cruz a taverna eita
a rua 'Imperial n. 296 : se alguem se achar pre-
jodieado, apresente-se no prazo de tres dias, con-
tados desde a presente data, pots findo o mesmo
praao, nao attendera a reclama^o alguma.
Becife, il de fevereiro de 18/i.
Laandro Ferreira da Cunha
Joao da Cunha Soares Guima
raes, sua mulher e filhos, pungidos
do. mais dOloroso seniimenlo pela
morte de seu sempre chorado filho
e irir.ii, Leandro Ferreira da Cu-
nha, convidam aos sens parentes e
amigos para assistirem as missas
do setimo dia, one terao lugarqujntafeira 12 do
correrue, pelas 8 horas da manba, no convento
dos religiosos- franciscanos.________
Manoel Antonio Vieira
Os filnos do finado Manoel Antonio Vieira man-
dam celebrar uma missa no dia 14 do corrente,
pelas 7 horas da manha, na igreja da Madre de
Deos, l anniversario de seu fallecimento; e pan
esse acto de religiao couvidam seus amigos e pa-
rentes.
O desembargador Fraucisco Domin
gues da Srtva, tendo rect-bido agora
a infausta noticia dofalletnmemode
seu pre?ado filho Dr. Francisco
Domingues da Silva Junior, quan-
do vnltava de sua comarca para a
capital do JfaranhSo, pede encare-
cidamente a sens parenies e amigos que compa-
recam no sabnado proximo no conven'o de S.
Francisco pelas 8 horas da manha, para ouvirem
alguruas mitsas por alma de seu infehz filho ;
pelo que eternamente grato ficara.
tea^*. ... ,-. .,,.# --mw^prr^
CRIADO
Precisa-se de de um criado de 16 a 20 annos,
que de fiador de sua conducta : no largo da ma-
triz de Santo Antonio, n. 2, !. andar.
g Advogado.
W Diodoro Ulpiano Coelbo Catanbo, a $p
A rua do i uqne de Caxias, ouir'ora rua %
? das Cruzes n. 9, 1. andar. **
***** ******* *
cm da mm.
AOS 4-J)O0#O6O.
BiLHETES GARAM1D0S.
* rua Pr-imet.ro de Marfo (ouir'ora rua it
Cre&poj 23 e oauas do coslum*.
6 iteao assignado tendo veadido nos seus fe
Hzes bflbetes. um nieio n. 2,604 ami 4:000*000
ummeio q.^,887 com 700*, um-meio n. 321 com
200*, wn inteiro n. 492 com 16 '* t outras sortes
de iMi 204 via loteria que se-acabou de exlrahir
(86"), convida aos possuidores a warn receber na
conf jrmidada do ^costame sem aesconto algum.
A-cnam-se a venda tw felizes rnltieies garantido^
la 1' parte das lotenas a kaoeticio da irman-
dade de Neesa Senhora da Soledade da igreja do
Liramen*OK(87*), quo 'su extrafeira na sexta-fei-
ra, 13 do-aorrenle met.
PRECOS
Bilhete inteiro 44000
Meio bilhete 2J00U
ttf V0KQAODK 1003000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*S00
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuta
Triumpho da
MEDIC A!
um
E
UKCEDORESINAVIQS
ESTABELECIMENTO DE ALFRE-
DO BARROS & FERREDEIA
Neste estabelecimento encontrarlo os Srs. com-
mandantes de navios o melbor e mais complete
sorlimento de viveres, garantindo se ao mesmo
tc npo a prempta e boa execucao no cumprimento
de suas ordens.
S i-argo d Corpo Kanto-t
PENHORES
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, dd-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
de um criado para
hotel de Bordeaux.
Frecisa-se
jodo o servico:
a tratar no
Alerta rapazeada I Eis o carnaval I I Ja se
ouve o clangor das irombetas; o estridente cla-
rim sibila nos ares; o zabumba rebda alem ; os
fuguetes ronpem o espa^o e la estouram ; a tolia
desgrenhada, monlada no fogoso Pegaso, percorre
as cinco paries do mundo, annunciando o deseja-
do dia I Turcos, Arabes, Tartaros, Gregos, Persas,
Francezes, Alleraaes, Cossacos, Kalmouks, Indous,
Kabiles, Samoyedes, Ihinezes, Japonezes, Esqui-
maus, Hottentotes, Zelandezes, Australianos, Usa-
ges, Californiauos, Patagonios, Charruas, etc., em-
Urn selvagens, civilisados, judeus, catholicos, je-
zuitas, macoes, ricos, pobres, mocos, velbos, todos
brincam, todos amam o carnaval Vinde, pois,
todos, munir-vos de vestuarios riquissimos de
velludo bordados a ouro, de velbntina, seda, da-
masco, las, cambraia, chita, e de todas as cores e
gostos a caracter dos difTerentes povos do mundo I
Tudo barato, muito barato, como ninguem E' o
maior sorlimento que se pode encontrar. Esta tu-
du a exposi^o, na rua da Boda a. 18, pavilbao en-
car nado ; vinde so ver. Viva o carnaval.
| ADVO&ADD
0 AYRES^ GAMA
*? ^
RUA
n

@
0 aDaixo assignado, autorisadj peio Sr. Joao
Maria Cordeiro Lima, convida a todos os devedo-
res do mesmo a virem saldar suas contas no
prazo de 30 dias, a contar da data deste, a rua
do Imperador n. 48, armazem, com o mesmo
abaixo assignado, sub pena de passado este tem-
po, se proceder a cobranja judicialmente.
Becife, 12 de fevereiro de 1874.
__________________Jose de Medeiros Correa.
iteeisa se alugar uma escrava para cozinhar
e comprar : a tratar na rua Primeiro de Maroo n.
23, loja._______
Desapf,areceu no dia 10 do eorrente, as 3
noras da tarde, o pardinho de 9 annos de idade,
de nome Maaoel, com os signaes seguintes : ca-
bellos carapinhos e avermelhados, um signal de
panno branco na face esqnerda, e corpolento. Foi
vestido de camisa de chita com listras encarna-
das : quem d'elle der noticia ou o encontrar, le-
ve-o, por obsequio, a policia ou a sua mai, na rua
dos Guararapes n. 32. loja.
CASADOOUKFi
Bilhetes garantidos
mm do Barao da Victoria (ouir'ora A'bva
n. 63. e casa do costume.
Acbam-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
-antido3 da parte da leteria a beneficio da
.irmandade de N. S. da Soledade da igreja do Li-
^ramentc, que se extrahira no dia 13 de fevereiro
corrente.
Precoj
Inteiro 4*000
Meio 2*000
Be 1009000 paraeirna.
Inteiro 3*600
Meio 1*750
Recife, 6 de fevereiro de 1874.
Joao Joaqwf* da Costa LeiU.
i,aixeiro
Qaem precisar de am caixeiro de 12 a 14 annos,
dos ultimos cliegados, pode dirigir-se a rua Impe-
rial n. J02.
DO DUQUE DE CAXIAS
V 9.
Primeiro andar.
Caixeiro.
Preeiu-se de um menino da 12 a 16 annos de
idade, com alguma pratica de molhados : na rua
de Maris e Barros n. 1 'antiga rua do Cerdomz).
Em tem pos modernos nenhum descuL.v-
tnento ope uromaior revolugao no modo de
cawar auteriormente em voga do que o
DE AIACABDITA!
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
RouquidSo, Resfriamentos.
Bronchrtes,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expoctara^ao de Sangne.
Como em toda a grande serie de enfeimi
'lades da G arrant a, do Peito e do?
Brgtrnm da rospiracao, que Unto
atormentam e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applica^ao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, nao faziam
senao enfraquecer e diminuir as forcas de
pobredoente, contribumdo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruicfio inivitavel de sua
victima Quam differente 6 pois o effeito
admiravel do
PEITOBAL DE AUACASUITAI
Em vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
i'.alma, modilica e suavisa a dor,
A Hi via a irrita^ao,
Desenvolvofe^entendimento,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapida
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relacSes analogicas, e ale"m disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maraxilhoso remedio, s5o mais que suffi-
cienles para sustentarem a opiniao do
PEITORAL DE ANACAHEITA I
Deve-se notar que este remedio se acba
inteiramente isento de venenos, tanto mine
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ultimos, e particularmente aquelles
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes tao fa-
cilmente se engana a credulidade do pu-
blico. A composicao de anacahuita peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafad;
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a d6se que se
toma e s6 d'uma colher pequena, baste
geralmeute a applicagSo d'um ou dous fras-
cos para a effectuar;ao de qualquer cura.
Acha-se a venda em todas as buticas.
H. Frosters & C, agentes.
Unices agentes nesta provincia os Srs. J-
0. D. Coyle, rua do Commercio n. 38.
Para a boaconservacjlo
DE
VOSSO CABELLO
Caixeiro
Juern precisar de
pode dirigir-se a rua
um, chegado ultiroamente
larga do Kosario n. 27.
Fugio do engenho Mamueaia, freguezia de N.
S. da Luz, no dia 2 do corrente, o escrave Ma-
noel, de nacac, idade 50 annos pouco mais ou me-
nos, bastante alto e secco, com um signal muito
visivel, que e uma ferida na perna esquerda :
por mo peco a toda9 as antoridades policiaes e
capitaes de campo a apprehensao do dito escravo
e traze-Io no mesmo engenho, que serio generosa-
mente recompensado.
Oiapoieris ^OBomici
Rua Direita u. 43.
N'e>te estabelecimento recebe se qualquer en-
commenda de ohapeos proprios para mascarados,
garantindo-se a perfei^ao do trabalho e por pre-
50s razoaveis.
Alugase a loja da esquina a roa da Impe
ratriz n. 1 : a tratar no cafe Imperalriz.
I Fugio hontem, a noite o escravo Antonio,
mulato, de 12 annos de idade, corpo fornido, ca-
bellos ruivos e corridos, feicfie? e pes regulares,
provavelraente procorara a Palmeira dos IndiosJ
donde veio o anno passa.do : quem o trouxer a
este engenho sera generosamente gratiflcado.
Tapera, 9 de fevereiro de 1874.
Htf***&tf*aft:*ff*
Aviso. if
Modista frnceza.
mt Clementine Daura participa ao publico A
que achando-se estabelecida a rua da *
Wt Imperatriz n 19, faz costuras de pas-
fit tem, bailes, casamentos e baptisado9, l
5 com a maior promptidao e precos bara- "
J91 tissimos, indo as proprias casas satisfa- 9
WL zer as pessoas que a honrarem com suas A
^ encommendas.
0 Sr. Antonio Mendes de f onza Machado
tem uma carta vinda de Lisboa, no escriptorio de
Oliveira Filhos & C, praca do Corpo Santo n. 19.
1* andar.
Alnga-se a casa n. 3 da rua do caes que
**gue da DetencJo, com i quartos. 2 salas, cozi
nna, quintal e caeimba, per 15/ mensaes : na rua
estreiu do Rosario n. 17. 1' andar.
.rAI-UiKa"!l 3 CVk ". 4 a rua de S. Miguel,"
com t alas, 2 quartos, caeimba e quintal: a tra
tarna rua estreita do tUwario n t7, andar.
Alafa-se ol andar com aotao do sobrado
da rua estreita do itosaiio n. 29 : a tratar na loja
do jnesmo scbrado, ou n roa Duque de Caxias n
Jv. armazem de moveis,
Precisa-se de um caixeiro que de" fiador a
sua conducta, para tomar eonta por balanco de
uma taverna em Olinda, nos Quatro Cantos tam-
bem nao se pee duvida em dar-lbe sociedade, se
entrar com algum dinheiro; a localidade e a me-
lbor daquelle lngar : a tratar no Recife, rua da
I^apa, hoje Tuyty n. 12, prensa.
Elle e um preventivo seguro e certo contra
a calvice.
Elle da" e restaura forca e sanidade A pel led*
cabeca.
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabelles.
F'le da grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posicSo que se dese-
je, n'um estado formoso, liso emacio.
Elle faz crescer os cabellos baslos e compri-
e os.
Elle conserva a pelle e o casco dajjabeca
limpo e livre de toda a especie de'easpa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bran
cos.
Elle conserva a cabeca n'um estado de fres-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nao e" demasiadamente oleoso, gorda-
rento ou pegadico.
Elle nao deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle e o melhor artigo para os cabellos das
criancas.
Elle e" o melhor e o mais aprasivel artigd
para a boa conservacao e arranjo dos ca-
bellos das senhoras.
Elle 6 o unico artigo proprio para o pentea-
do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
PODECONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CABELLO.
Acha-se A venda nos estabelecimentos de
B. Forster & C, agentes. JE em todas as
principaes lojas de perfumarias e beticas.
Allencao.
No pateo de S. Pedro n. 3, loja, precisa-se sem-
pre de amas seccas e de loite. assim como caixei-
ro*, eopeiros e cnadns
Luso-brasileira
Conselho fiscal
A sessao do conselho fiscal desta sociedade tera
lugar no dia 13 do corrente, pelas 6 1|2 horas da
tarde ; e para semelhante effoito, convido aos se-
nhores conselheiros.
Seoretaria da sociedade beneficente luso-brasi-
leira, 10 de reve-eiro de 1874.
J. M. de Andrade
Secretario supplente.
MEB1COA
^Preparado poi
*t^nman A Remd
para thisiaca
toda a quahdade
de doencas, quer
seja na garganta,
peito ou bofes.
Expressamente
escoUndo dos me-
lhores figados dos
quaes se extrahe
o oleo no banco
da Terra Not*
purificadochimi-
calmente, e suas
val ua veis propri-
edades conserva-
das com todo o
cuidado,emtodo
o frasco se garan-
teperfeitamen-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame mui-
to severo, pelo
chimico de mail
talento, do go-
verno hespanhol
em Cuba e foi
pronunciado por
elle a conter
MAIOR PORQAO D'lODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO EUMPODER SALVADOR.
Em todo o oleo de figado de baralhao, e na-
quelle no qual contem a maior porcao desta
invaluavel propriedade, e o unico meio para
curar todas as d< encas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronchistes, asthma, catharrho,
tosse, resfriamentos, etc.
Uns poucos frascos AA carries ao muito
magro que seja, clarea a vista, e da* vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, da tanto
nutimento ao systema e incommodando quasi
nada o estomago.
As pessoas cuja orgamsacSo tem sido des-
truida pelas affeccSes das
ESCROFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digestao se acha com-
pletamente desarranjada, devem tomar
OOLEO DE FIGADO DE BACALHAO
DE
.______________LANMAN & KEMP__________
Vernizes especiaes para carrna-
gens.
Este verniz, cuja falta aqui tanto sentem
os Srs. fabricantes e possuidores de carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das seguintes qualidades.
VERNIZ SUPERFINO PARA CAIXAS DE
CARRUAGENS.
E' um verniz muito claro e duravel para
as caixas de carruagens, para todas as de-
maos, ou para a ultima somente, sobre
outros vernizes. A superficie secca em 12
boras, depois das quaes se expoe ao ar por
algum tempo, o que faz endurecer, e" passa-
das 15 a 18 horas p6de passar-se a caixa a
pedra pome e dar-lbe em seguida outra de-
mao. Dao-se com facilidade tres demaos
deste verniz sobre as tintas, em tres dias.
A primeira demao servindo de apparelho,
ajuda a seccar as ultimas demaos e produz
um excellente brilho.
%'erniz superior seccaote para
carruagens.
Este verniz e" da mesma cdr que o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obras urgentes, e p6de mistur8r-se com o
anterior. A duracSo do verniz permanente
diminue na proporpSo da mistura.
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAGENS
Nao e tSo claro como o verniz para as
eaixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tambem para as pri-
meiras demaos sobre cdres escuras. Pode
passar-se a pedra pome passadas 10 horas,
podendo dar-se em seguida outra demio.
Verniz pre to do Japuo, superior.
Para trabalhos em preto de carruagens.
Produz o preto mais escuro e brilhante, e
pode passar-se a pedra pomes 10 horas de-
pois. Deve dar-se duas demaos sobre um
fundo preto e cobrir-se com outras duas de
verniz que se emprega nas caixas das carrua-
gens.
VERNIZ PAttA COUROS, BRILHANTE E
ELASTICO.
Este verniz, contendo na sua composicSo
grande quantidade d'uma substancia muito
semelhante ao azeite denominadopieds bceuf,
e o unico que da flexibilidade ao couro ve-
rho envernisado. Em geral basta uma de-
mao que deve ser applicada muito ligeira-
monte, com urn pincel depois de ter limpo
o couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 horas, e A sombra mas ao ar
secca em i. Em tempo humido e inutil tal
trabalho, por que nao e possival tomar o
verniz elastico e seccante ao mesmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depois de ter applicado 2 ou 3 demaos
deste verniz n'um intervallo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra intacta por 2 ou 3 dias,
no fim dos quaes se p6de pulir com extre
ma facilicidade. E' essencialmente neces-
sario cobrir este verniz com duas demSos do
verniz superfino para caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as tintas de apparelho, e
sobre tudo com as tintas moidas, para que
sequem mais facilmente e para Ihes dar
mais. consistencia.
PUND'HJIO DO BOWMAN
ROA DO DRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores de engenho e ontroi jgricnhorf, e emprega do ret de m
ainiamo o favor de nma visita a seu eatahelecimeoto, para verem o novo aortimeok.
onapletj qne ahi tea; aeudo tudo soperior em qaa!i<1ade e fortidio; o qne com a in
*ccio pesgoal pode-e verificar.
ESPECIAL ATTENCAOAO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
7aDOre% 6 rodas A'SUt'lfi Aot ?8'8 ,no,1e^00 systemaaaem la-
*pw10i %j iuuaa a <*g .* manhos ronvenientes para as diverts*
lrcnmalanciaa doa aennnrea pnipn.'isino* e {> ttOGIldaS d8 CAima '-1-'-" !i'UJi"lDos' ^.melDorea qoe aqoi
ex i stem,
para animaes.
agoa e vapor.
Sodas dentadss
raixas de ferro fundido, batido e de cobre.
llambiques e fundos de alambiqnes.
Kachinismos
Bombas
/
para mandioca e algodlo,|
e para terrar mideira.
Podendo todoe
ser movidos a mao
por agoa, vapor,
de pateote, garantidaa........ i on animaes.
rodas as maohinas 8 pec"de que 8* costoma Preciar
de macniiiismo,
a preco mni reaomido.
e mail baratas existentea no
Pa qualquer concerto
Formas de ferro 3^raeIhor6t
SnCOmTTlflTlHflR ,ncnmbe-ae de mandar vir qoalqaer machinismo i vod-
vwiuiuvuuag, ude dog c|jenteg> jembrindo-lhea a vantagem de faierem
aw eomprai por intermedio de pessoa entendJda, e qne em qnalqoer necesaidade oode
ie preaur auxilio. ^^
irados americanos e ,alrQnaenlo ***-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
4' rna do Barao do Triumph (roa doBroni) ns. 1061104
CARDOSO IRMAO
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machines para eo
?enhos, as mais modernas e melhor obra que tem vindo ao mercado.
VaporeS de forca de 4, 6,8 e 10 cavallos.
UaldeiraS de sobresalente para vapores.
MoendaS lllteiraS e meias moendas, obra como uunca aqui veio.
TaiXaS fundidas e batidas, dos melhores fabricantes.
tVOdaS U agUa com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
aOdaS dentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos para vaporPS.
DOmbaS de ferro, de repucho.
A.radOS de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes e p*pmm.
Concertos concertam com promptidao qualquer obra ou machine, para o qne te*ii
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoai.
EnCOmmendaS mand',m vir Pr encommenda da Europa, qualquer machinismc,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londrei
com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assertar
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE C A U 0 S 0 d IRMAO.
/

I
F
33
Constructor e afmador de pianos
Rua do Imperador
33
e afamadas easas Plevi'l
& Hcrz, e antigo director das "ffi a-
aberto sua cat
Ex-afinador das antigas
nas da casa Alpbonse Bloudel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico eesU cidade, que tem
concertos e afinacoes de pianos, qnalquer que seja o esiado do instrumento.
A mesma casa acaba de receber um grande sortimeDto de pianos dos melhores fabricates
de Paris, como Erard Pleyel, Henri Herz e Alphonse Blondel) todos os pianos sihido; da -asa
Dnibaut sao garantidos.
Compra-sw e recebe-se em troca cs pianos usados.
ODILON DUARTE k IRMAO
C&BELLEIREIBQS
exposicao de 1872
Premiados na
RUA
DA
Attencjio.
Qaem joreewar de uma pessoa com habiliu-
coes para j'epetlr as aulas de franeer o inglez em
algum colfegi.*, dirija-se a Boa-Vista qne achara
com quem trata." W rua 4q Deatino n. f|.
Como nao 6 necessario dar lustro a ultimf
demao de verniz empregado nas caixas df
carruagens e no dos jogos, convem da* k
n'um local separado aonde nio haja p6.
Quando a obra urge,- deve pdr-sa a sombrt
e ao ar livre depois de secco, isto e-, passa-
das 12 horas, lava-se e enxuga-se bem com
uma esponja huraida. Quantas mais vezej
se fizer isto, mais brilhante ficara" o verniz.
e mais depress* ss terminarA a carruagen
(em caso necessario tres dias depois da ulti
ma demio). Durante as duas ou tres pri-
meiras semanas deve-se lavar a carruagen
com agua fresca, depois de ter ser
dido.
Depesito unico para o Brasil, Bartholo
meu d C, Pernambuco, Rna do Rosa
rio n. 34.
IMPERATRIZ
N. 82
1." ANDAR.
RUA
n.\
IMPERATRIZ
.>. 82
!. ANDAR.
Acabam de relormar o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores eea-
diccoes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e is Exmas Sras n''-
quillo que for tendente A arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homenscomo para senhoras, tupete, chignor ,
coques modermssimos, trancas, cacbepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecimento acha-se provido do que ba de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos os vapores da.Europa, as suas encommendas e figu-
nnos de modas, e por isso pode vender 20 0 menos que outro qualquer, garantindo
perfeicao no trabalho, agrado, sinceridade e preco razoavel.
Penteam senboras, tanto no estabelecimento como fdra ; vende-se cabellos em
por^So e a retalho e todos os utensilios pertencentes A arte de cabelleireiro.
Ainda esta para alugar se o 1* e 3* aodares
com ot3o, na rua da Pepha n 3 : a trater na nu
Duque de Caxias n. 44.
CHAPEOS DA ULTIMA MODA
Chegaram lindos e bem enfeitados chapeos do mais apurado gosto, para senhora : i
loja das columnas, de Antonio Correia de Vasconcellos, i roa Pnmeiro de Mar-
co n. 13.
Irmandade de N. S. do
Terco
Em eumprimento as disposifoes do art 40 do
nosso compromisso, sao convidados todos os ir-
maos qne tenham occupado cargos em mesa, e
igualmente a todos os membros da mesa regedora
para em mesa conjuncta se tratar de negocios im-
portantes da irmandade, quintafeira, 12 do cor-
rente, as 6 horas da tarde.
0 secretario
Antonio Jose" Pereira da Cunha.
AVISO
Offerece-se uma senhora portugueza de bons
costumes, que lava, engomma e friza com perfei-
cao ; a travessa do Peixoto a 88,
.As audiencia; do Exm. Sr. desembargadcr juU
de orphaos, foram transferidu para u aefimdas-
feiras ao meio dia.
Cozinheiro
Precita se de um cozinheiro, preferindo-se escra-
vo, para o hotel de Apipaces : a tratar no -
mo.
Aluga-e uma escrava com prineipio de o-c
zinha e mais servico de casa : a tratar na rna de
S. Jorge n. 74, andar,
IMlll
-_


1
n
)
v
i..
!*-
K



3Stfio dd P^aaabttco Quinta fcfca 12 TO*eiitf>el* 18*4.

awoB-fe l ulher pan ama de
oasa ^^T <>V|ir(\co*iih to faz tedb 0
servj|Q|tfAf4j{rfeicl>-: 4 rua del. Joio, S3.
| fatoulkirio wdicoVinr^o 5;
A. B. da Silva Maia.
Rua do Visconle de Allmquerrnie n,
11, ontr'ora rua da malriz da Boa-Visu
D. 11.
Chamados a quaiqner hora.
Consultas : Aos pi bres gratis, das S is
4 boras da tarde.
I *tt.tt lumnitt t mnmM
h GABLNETE MEDICO CIRURGICO
do
Dr. Constancio Pontual.
Rua do Imperador n. 81 1* andar.
f Consultas das 11 as 3 da tarde, chama-
dos a qualquer hora, visiti e da consul- 2
Us gratis aos pobres.
*?fffffffffffffffffffffff|
cm m mm
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:1
0 abaixo assignado tern sempre exposto a ven
da bilheles da loteria do Rio, cuja extracelto an
Duncura pelos jornaes.
Precos.
Inteiro 244000
Meio 12*000
Quarto 6*000
jManoel Martina Finta.
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
.99, Rua da Praia, 2.
USBOA.
Liiiz Fclippc Leile & IrmSo
Executam por commissao quaesquer ordens das
provincias do reino, ilhas e provinces ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebera a consignacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanboes, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino on fora delle.
Execotam ordens para compra e venda de fan-
dos rablicos, nacionaes e estrangeiros. Tratam
da cobranca dos respectivos dividendos.
Promovein no mesmo escriptorio, inventarios,
liqnidaodes, cansas cireis e commerciaes, appel-
la$oes e recurso de revista.
Tern os melhores advogados na capital.
Para os negocios de natureza especial, como
cansas forenses, administracio de bens, etc., que-
rendo-se, pode proceder accordo previo confonne
a natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrlmoniaes e quaes-
quer outros breves apostolicos concedidos em Roi
ma ou pela N'uneiatura em Lisboa, annullacao
de ordens, e quaesquer ontras dependencias aos
tribunaes da Santa Se.
Tratam da arrecadaclo de herancas e adminis-
.racao de bens no continente do reino.
Obtem doeumentos de qualquer diocese, distric-
:o administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
ilhas e provincias ultramarinas.
Faiem adiantamentos sobre consignacSes de
luaesquer generos que tenham prompta sabida
oos mercados inglezes on allemaes. Tambem com-
pram aqnelles que se ofTerecerem em coridicfes
antajosas.
Fazem transacSes por consignacao ou compra,
sobre minerios, taes como de cobre, chumbo,
phosphatos, ou outros quaesquer, se convierem as
ondicoes de qualidade e precos.
DJo-se boas refereneias em Lisboa e no Porto.
Esta ea-a tem correspondencias senas em tedos
os pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
burgo, na Africa portagueza, em Macao (China*
reino de Siao, iibas dos Acores e Cabo-Verde.
e aceita as propostas que do imperio do Brasil
ihe torem feitas por correspondencia effectiva on
eventual.
Na modicidade de suas commissoes, na exacti-
dao de suas contas e no credito longamente esta-
beleeido faz consistir toda a garantia de bom aco-
himento.
Tem correspondentes em Sevilha e outras pra-
;as de Hespanha.
N. B.As comraissdes sao reguladas pela praxe
-tae praca
Amaro de Barros Correia e Captulino Ro-
Jriguej do Passo vendem terrenos, regalarmente
tracados, no sea sitio de Beberibe de Baixo, ha-
vendo organisado nma planta de seu perimelro,
em que se desenha visivelmente a distinccao
e regularidade no seu projecto de arraamentos
novos, approvado pela camara municipal de Olio-
da. A fertdidade do terreno, a sua proximidade
da esta;ao do Fundao, da linha ferrea do Recife
a Beberibe, conseguintemente do no Beberibe, e
commodidade dos precos convidam os pretenden-
tes a compra, que os poderao procurar a Amaro
de B. Carreia, em Beberibe, a Captulino Rodrignes
do Passo, no Recife, e ao engenheiro Antonio. Fell-
iano Rodriguee Sette, a estrada de Juao de Bar-
ros n. 9.
0 Sr. loao Paulo de Carvalho rogado a vir
a rua do Marquez de Olinda n. 53, a negocio que
osenbor nao ignora.
Fugio bontem. as tres horas da tarde do so-
rirado da rua das Crates n. 41, 2. andar, um
sabii; roga-se a quem liver apanhado, leva-lo
a-casa acima, que sera gratilicado.
Estrada de ferro de Olinda.
Pede-se ao Sr. gerente desta companhia que
conserve o horario da companhia como esta, islo
i, todas as meia horas, tanto pela manha como a
.arde.
Mutton assignantes.
Aluga-se
o primeiro andar da casa da- rua do Vigario n.
3, onde teve escriptorio os Srs. Johnston Pater &
C, recentemente repartido, caiado e pintado, ex-
elleate para escriptorio, nSo so pela localidale,
na rua 7 de Setembro n. 20, on na rna da Sen-
zala Nova n. 42, !. andar.
Escraw fugido
Detappareceu da casa do abafxo assignado, o
scravo Jose, de estatora regular pernas, arqnea-
das, Xalta de dentes, e cor cabra, suppoe-se ter
-eguidopara o Rio Formosa, ou Gamelleira ; por-
"anto, roga-se as antoridades policiaes e capitaes
de campo, a sua apprehensio e mandar parte na
rua D. Maria Cesar (ontr'ora Senzala Nova n 30).
Domingos Jose Cunha Lages.
AttenQao
0 Sr. Francisco Ag.wtinbo Madeira, e rogadoqe
vir a rna do Duque de Caxias n. 60 A.________
ALUGA=SE
2 andar do sobrado n. 52 da rna Marquez de
Olinda : a tratar no armazem do me9mo predio.
Esta fugido o escravo Jose, cabra, idade de
15 anno*, Ivcdes miudas, cabeHos froxos, pes
argos, veste calca e camisa branea, gosu do mn-
siea : pede se a policia a sna captura, e gratiflca-
se a quem o levar a sea senbor, a rua do Hospi-
cio n. 85, ou a rna do Queimado B. 83,1 andar.
ALUGA-SE
nma casa na Capanga, rna das Pereambucanas,
com coxeira e quartos fora : t tratar na rna do
Vigario Tenorio n. 31._____________________
Escrava
Tem para alugar-se ana malata para todo ser-
vlfo : na loja de Paaso, rua Primeiro de Marco
B. 7 A. t
UiHPlTJiJiJ
RETROZEDF. U.C.Q
DA
ASULHAS
loessfli**
Maehina
T
Com as falsiftcagdes que tem apparecido
ft ill
DAS MACHINAS PARA COSTURA
DE
SINGER
Porque?
S Nenhuma ma-
o
CO
IS
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
eg braco da machina.
Paraevitarfalsi-
o
fi canoes notem-se g
bem todos os deta-
inee da marca.
c9
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
Sao mais baratas.
SSo de doos pospontos.
S3o simples.
SSo rapidas.
Sao duradouras.
HACHIHAS IDE SINGER
SSo de dous pospontos.
AbaiDham.
Franzem
Pregam trangas.
Marcam pregas.
Bordam de linha de seda.
Alcolchoam.
Pregam cordOes.
UNICA AGEXCIA
EM
Mi\ll
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45
49 Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o raelhor sortimento de pianos dos mais afamados autores,
como sao : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riors, mandados expressamente construir para este elima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca-
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais complcto sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sao: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
mariim, etc., etc.
49 RUA DO OIPER AllOR 49
iipii iiEiiiilii
PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, len^os,
meias e todo genero de roupas
COMO TA11 lit;H
Carlos de visita, Hvtos, envelopes e toda a qualidade de
papeis, clara e exaclamenle com o nome coinpelente da pessoa
Garanre-se darumachapa tao boa como poderia conseguir-se em Landres on Nova
Yor, e affianga-se igualtnente que a tinta sera" iadelevel.
You can bet your bottom dollar on that
Cada chapa com o nome da pessoa e acompanhada de dous fraspuinhos de tinta,
urn pincel uma direcgao sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita para fazer
tinta. costando tudo
Pre^ofixo.....3#000
Em letra de m5o e gothice. 55000
\RGOI,\S ASrliANikS
PARA CHAVES
Sao muito coramddas e possuem as seguintes vantagens :
Servem para ajuntar as chaves, e ao mesmo tempo sendo chatas, ha lugar para o
nome e moradia do dono.
S5o faceis de abrir e fechar, deixam entrar a maior chave sem offender a
argola.
-Slo feitas de prata alleraS e n5o sao sujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir ; como as
argobs de aco, sio muito fortes e bonitas. C8da argola americana com o nome e mora-
dia do dono, eberta namesma, custa :
Pre?o fixo 2iJOO0
P. LAURO MACPHERSON
NO HOTEL ESTAMINET
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS PAS 9 BORAS AQ MEIO DIA,
wmm\
Precisa-se de uma perfeita coiiohcira, nao im-
ports qae seja forra oa escrava, para casa de uma
familia estrangeira, paga-se bora: a tratar na
rua do Mom Jcsu n 55, caa de l\r A C.
mam
rjirraiti" A $h u, n ruadoApclk
20, arcHin jbn; o Banco Ooramercial
de Vianna e suas 'agencies em todas as ci.
iades e villas de Portugal, i vista e a prazo
por todos os paquetes.
Ageucia de leiloes
0 abaixo assignado declara ao respeitavel pu-
blico, qne, tendo abcrto o seu escriptorio de
agenda de leiloes a rua do Mar que i de Olinda n.
64,1* aadar, contioua a receber moveia, louca,
fazendas, obras de ouro e prata, predios e todos
Saantos objectos se lhe remetta para serem ven
idos, em leilao publico ou particular, a vontade
de seas commitentes i e como quer qae o sea
novo estabelecimento se ache o melbor possivel
localisado, alem de que offerece as melhores
proporcoes para a boa conservacao dos objectos
qae tenha de receber; o abaixo assignado com-
proraette-se nio s6 a empregar toda a actividade,
zelo e pontnalilade no cumprimento de seus de
verea, como mesmo sens pagamentos serio feiots
com a costnmada prompudao, qae Ihe h con he
Recife, 7 de Janeiro de 1874.
Raymnndo Remigio de Mello Junior.
Na rna do Bario da Victoria n. 36 precisa-s
allar ao Sr vigario Andra Qurcino dc Araujo Pe-
eira, negocio desen iptereaae.
V Torre
Aluga-se para pssara festa um sitio com
exceUente casa de habitacio e banho no rio
& frenta desta: quem a pretender, pode
procurar i rua de Gervasio Pwes n. 24.
MOFINA
Esta encouraqadal!!
A;sia julc rra pnflra dnra
fnnla A-.k nf <**? :? turn.
n. $** a- ni:i .*' !).'! in vVir* f H'M
v-riv.. m.i .!.'i.ii' .' .\,;fi-:ii dtt f.-i'Viflcia.
-... it. ..i j joa iu|iie de tldxiaa n. 38, a con-
lulr anuelle ncgorio quo S. S. se compromeMp a
-ealisar, pela torceira ohamada deste jornal, em
1ns de dezembro de (871, e depois pan Janeiro,
^assou i.fevereiro e aLril de i87J,e nada enmpro;
e por este motivo & de novo chamado para dito
im, pois S. S. se deve lembrar qne este necocio
ie mais de oito annos, e quando o Sr. sea nlbo se
ichava nesu eidade.
Ao publico.
Angelino Jose dos Santos Andrade, tendo ooa-
cluido no dta 31 do mez proximo passado todas
assnas transzecees, declara pelo presente qae
nesta pTaca nada deve a quem quer qne seja,
nem directa r.em indirerjtamente. Ontro s'.m,
constando ao annanciante'que alguem exhibe nma
public* forma d'onde resulta qne em 28 de marco
de i-87 pagasse pelo mesmo annunciante a quan-
tia de 15:660,4060, declara qne semethante trans-
Eesta finda, visto como o original exists em sen
, nao sendo certo que semeloante ndividno
jobsequio algum ao annuneiaute, pcrque
este es*ando doenle feavia despositado em sna mao
quantia superior para aqnelie pagaraento e so-
merrte eo fazer passar o recibo, teve aqaelle indi-
viduo a habilidadr, de obtel-o como ^e fora qupm
flzera dito pagamento.
Recife, 3 de fevereiro de 1874._____________
Na rua de Santa Theresa n. 60 se dira quem
vende 60 palmos de terreno, em Belem.
CoiillllCfffl.
Para casa de pequena familia precisa-se
d'um bom eozinheiro : caes do Apollo n.
69.
AITonso de AUnperqoe Mello
inrumbe-se -de pro-mover cobraneas -amigavel
ou judiciarmeote, assim como de outros negscios
concerneotes a sua profisaao, nos lagares proxi-
mos a iinba ferrea, e nos outros tennos proximos
a esta eidade; para cujo auxilio tem o annun
ciante solicitadores babilitados e proboe, respon
sabilisando-se no eotaato pela boa gestao e conta
do qae lhe for connate.
Mediante- modico fconorario acode aos chmados
para diligencias ou consuitas fora da eidade e do
termo e incumbe-se da defeza de appella^des ante
o tribunal -da relaplo. tRdde ser procurado de
meio dia 4s 3 horas da tarde em 9en escriptorio
a rna do Clique de Caxias o. 37.
Precisa-se alugar nma ama para casa de
pouca familia : na roa do Imperador n. 33.
Dividerido.
Paga-se a da massa de Joao Hygino de Souza
na rua do Vigario a. d9.
Preoisa-se de uma ama para o fervico ie
terno de nma casa de familia : a rua da Soledadn
n.C5i.
Alofa-se a casa n. 3 do
Jma thesouraria das lotenas.
becco da matrix
Alaga-se o predio n. 20 da rua do Barao
de S. Borja, com cemmodos para grande familia:
.& tratar na rua da Poote Veiha n. 75, com o Sr.
Bicha Leai.
% "Mii sido apreseotada ao puhfico
Durante o espa^o
DE
4 0 A N N 0 "S.
S\L,S\PABRII.11JV
DE
BBISTOL
E. A. DELOUCHE.
49Roa do Marquez de Olinda49
Acaba de receber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despertador
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente inglei verdadeiros, des
coberto com ponteiro grande no meio, dos mais
modernos e do tnelhor Tabricanle de u ndres.
Grande sortimento de relogios de prata, prata
dunrada, cobertos e descobertos. Ditos de prata
foliada (plague ), orisontal e pateote, de todo
freco.
Cadeias -de plaque e de ouro.
Lunetos e oculos de todas as qualidade?.
Verdadeiros vidros de chrislal da Rccha, para
vista catosada.
Vende-se tudo por preco mais baratc que em
outra -qualquer parte. ___________
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri
fica a massa do sangue, expelle para fita
todas as materias e fezes sriciosas e impuras,
regula todas as secrecoes, -dd vitalidade e
energia a todos os orgaos e da forca e vi-
gor ao systema afim de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da eofermidade. E'
pois este um remedio constitutional. Elle
nunca distroe afim de poder curar ; porem
constantemente assiste a natureza. Portanto
em todas as doengas constitucionaes e em to-
das as molestias locaes dependente d'um es-
tadovicioso eimperfeito do systema em ge-
ral, achar-se-ha que a Sai^aparrilsa di
Bristol 6 um remedio seguro e efficassissi-
mo, possuindo inestimaveis e iucontestaveis
vrtudes.
As curas milagrosas de
IJserofiilas,
Ulceras,
C lia^"** asiti^a*
ENFERMIDADES SyPHiLI'iiCAS
ERYSIPELAS,
RBEUMATISMO,
NEVRALGIAS,
ESCORBUTO,
ETC., ETC., ETC.,
que tem grangeado e dado o alto reuome
Salsaparrilha de Bristol
por todas as partes do uni verso, sao tao so-
raente devidas &
UNICA LEGITIMA E ORIGINAL
Salsaparrfflia de Bristol
NA PHARMACIA CENTRAL
Apneeieiu como se veode liaralw
So o n. *20
RUA DO CBESPO
LOJA DAS I PORTAS
DE
Oailherme ft C
CASSA-LA
Acaba de -cheger esta fazenda com bonitos pa-
dr5es, eque se nde pelo dimkroto preco de 200
rs. o covado I'll
METIM
lletim irancado, padroes fconitos, a 320 rs. c
covadol 11
ORGANDY DE CORES
Catnbraia -organdy de cores, fazenda fina, boni-
tos padroea, velo dimmuto preco de 320 rs. o co-
vadol I I
LA5 ESGOCEZAS
Novo sertimento desta fazenda, com bonitos
padroes, que se vende a 240 rs. o covado 111
CRETONE
Cretone clarose escnros, bonitos padrSes, e fa-
zenda Una, pelo diniinuto preco de 400 rs. o eo-
vade in
LAS MODERNAS
Completo sortimento de la de todas as qualida-
des, peles dfcninutos precos de 400 rs. o covado,
e pechncha 11 1
Cortes de casemira 6s cores, a iif(. 00.
Colchas estampadas e com barra a 3*500 e
4*000.
Cobertas de chita adamascada a 3*500.
Len.nes de bramante a 2^000.
Bites de algodao a 1*400.
Toalbas alcochoadas, duzia, a 3*800
Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados a 2000 a duzia.
Ditos de esguiio abanbados, em caixinhas mo-
dernas, duzia, a 3*500.
Cambria transparente fina a 3*000 a pera.
Cbales de todas as qualidades e precos.
Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
gnra a 2*500 e 2*600 a vara.
Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
Dito domestico a 3*000 a peca.
Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
sas, a 440 rs. o covado 111
Madapoloes Irancezes de todas as qualidades de
5*a 8*500 a peca.
Chapeos de sol de seda com 12 asteas, pelo di-
minuto preco de 8*500.
Camisas inclezas, todas forradas, fazenda de
linho puro, a 41*000 a duzia ; e pechincha, so se
vendo.
Ponelinas de linho e seda pelo diminuto pre.o
de 800 rs. o covado; e pechincba, e dio-se amos-
tras.
S6 o n. 20 da rua do Crespo
sLoia das tres por (as
DE
Guilherme & C.
JUNTO A LOJA DA ESQL1.YA
Casa no Monteiro.
Aluga.-se a dun. 65 junto ao sobrado, com quin-
tal e sahida para o banho : a tratar na rua do
mperador n. 57, 1 andar.
Escrava fugida
Au-entou-se da casa de seu senh/ r, no dia 26
do corrente a escrava Felicia com os signaes se-
gumtes : cor parda clara, cabellos csmprido.--, ate
os hombros, rosto redondo, falta de um dente
quasi na frente, corpo reforcado, maca do rosto
bastante salienle, foi acompanhada por um ho-
mem. pra ;a de cavallaria de nome Vasconcellos,
foram vistos no dia 27 do corrente, em Santo \n-
tao : quem a levar 'a Camboa do Carmo n. 3,
sera gratificado generosamente.
NOVAS PUBLICACOES M0SIM.ES.
A. J. d'AievedoBualavan. f f.
Acabam de publicar-se, e acham-se i
venda as seguintts musicas :
PIANO SO".
Danse espanhola, por Ascher 2t000
Arabella, m.vzit.ka, por G. Wer-
theimer 1*500
Valsa do Fadsto, por f.royzes lJrOOO
Sonho de uma viRGE.M, por Aiber-
tazzi 18000
Anna la Trie, cavatina 13OO0
AoClair de la Um, por Bu*smeyer if 500
ESTRKLI A DO N0RTEjroikaLl.lhante j^
hAl'DAQiO AO bAHIA (
Cricket, por Seixas, oflerecida aos
cbrickets club perii;.;nbucano e
babiano 18000
PIANO E('.A.\TO.
Desespero, r?;uito Undo romance
por I. Smoltz 28000
Non m'amava, romance por Guezcia 1800C
Tambem receben da Europe grande sor-
menide musica para piano, piano e
anloudos, methodos, etc. t-tc.____________
Convida-se
aos seolures escriplores, lillera'.os, chefes de re-
particoes e commerciantes a risKarea a
ENCADERNACAO BRASILEIRA
a rua Duque de Caxias n. 21, onde verao que *
e.'te o estabelecimento que dis^oe dos melhores
mcfos e processor lira bem ser-i los na arte t,
encadernar, c o unlro que
POSSUE A MELIIOR
machina para pautar papel, riscar livros, jnapPM,
manifestos, folhas de empregados, despachos. fac-
uras, conus crrentes e de venda ; cujo tratalt
sera reguiado pela seguinte tabella de precos
Papcl pequeno em caixinhas.
Para pautar 1 caixa 1*0 0.
Idem 4 ditas a 500 rs. cr.da uma
Idem 10 ditas a kOO n.
Idem 20 ditas a 300 r.-. "* ,
Idem 50 ditas a 250 rs.
Idem 100 ditas a Wo rs.
Idem 200 ditas a 150 rs.
Mais de 200 ditas a 100 rs.
Papel em tamr.nho fiume contas e despau
Por pautar I resma 1*500.
Idem 10 ,\ 1*200 cada uma.
Idem iO 3 1*.
Idem 50 a 800 rs.
Idem 100 a 6u> r*.
Idem 200 a tOO r*.
Mais de 200 a 320 r-".
Outros trabalhos confoma o a nste.
A differenca em pre^o do papel iiso para
pautado, no nosso men-ado, e" muito superior a 32*
is. em resma, sendo ptr isro vantojoso aos Srs
lMPORTADORES DE PAPEL
mandarem vir o papel Iiso para aqui ser pauUu
podendo assim vendcrem mais barato, gachand .
mais diulieiro, para o que
GARANTE-SE
a bondade e limgwza do trabaiho, entregam!
os volumes de resma com a mesma perfei.vo
igualdade que fe tiver rrcebido na
E.N.ADElt.NACAO BRASILEIRA
_______21-nua Duque de Caxias-21.
Ao caniaval.
sobraJo u-_
Na rua esireita do Rosario n. 35,
urn anda-, tem vestuarios oara o carnaval,
todo goMo ; sendo dominus do seda e de vellado,
vestaarics de seda a phantasia, vende-se c aloga'
se por muito barato preeA Preparam-se lindc-
bouquets de cravoa, rosas e todas as floret ns-
Inraes e artifieiacs, sendo a encommenda fata 2
dias antes sio propries para noivos e bailee
Gratitica-se a quem apresentar uma
carteira com muitos itistrumentos cirurgi-
cos, pertencento ao Dr. Ferreira : desconfia-
se ter sido ella extraviada na esiacao do
Cabo. Rua Larga [do Rosario n. iO.
UUUUI]
o segundo andar a rua da
tratar no cafe Imperatrn.
u
Imperatriz n. 5
Precisa-se de uma ama para cozinliar e
comprar para casa de homem solteiro : na rua
Direita n. 8.
Precisa-se de uma ama para casa de familia
e tres pessoas : a tratar na rua das Flores n 5
Para tratar de um, precisa-se de um ho-
mem queseja cuidadoso eentenda dejardim.
Em S. Jose do Manguinho, sitio h. 2, muro
cinzento antes da igrejs.
mum wrosunss
n ,

s
frastes.
Compra se e vende-se trastes nevos
e usados ao armazem da rua do Im-
perador n. 48.
ESCRAVO FUGIDO*
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jos6 Borges, meslre de assucar,
tendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
nos, ponco mais ou menos, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, sendo o Signal mau visivel
uma gomma na junta do pe e^qnerdo : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehender dito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Fiihos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19, qae serio generosa.men-
te recompensados.
ATTENCAO.
Furtaram na nolle de 7 do corrente mez, do
sitio do abaixo assignado, no Caldeireiro, dons pa-
tinhos da Australia, de cdr cinzenta e rajada. sen-
do aves aqui geralmeme desconhecidas : roga-se a
quem elles forem offerecidos a vonda, de os ap-
Srehender, gratificando-se com toda a generosi-
ade a pessoa que os apresentar ou der noticias
certas do lugar em gue estao, ao abaixo assignado,
na rua do Brum a 96, ou no referido seu sitio.
_________Francisco Ribeiro Pinto Guimaraes.
-Precisa-se de um criado de 10 a 12annos
idade, preferindo-se escravo: na thesouraria
CHAMADO.
0* Srs Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim Cic
mente de Lemos Duarie, sao chamados a rna Coronel Suassuna n. 282, a negocio de particu'ir
intere^se.
Dii-se sociedade
a nma pessoa que tenha inteira pratica de m^-
Ibados, entrando com algum capital. verna bem afreguezsda, e tambem se vendc: para
informacoes na rua do Capitao Autunio de Lima,
em Santo Amaro, n. 15, taverna.
Engommadeira e criado de \i
aunos.
Para casa de familia precisa-se d'uma
boa engommadeira que entenda de costura;
e de um criado de 12 anuos para servir-o de
casa e algum mandado, preferindo-se escra
vos. Em S. Jose" do Maguinho, siUo
antes da igreja.
n.-2,
Q inslruccao jiriuiaria e
eundaria.
se-

0 professor Thome" Angusto da Silva
viilar participa aos pais de sens aium-
nos e a todos aqnelles qne qnixerem
confiar-lhe a educacio de seus fiihos,
qae transferio sua residencia para a
rua do Socego n. 68, onde continda a
exercer o sea magisterio. Desde ja
agradece em extremo a bondade com
qne o honram os pais da seus alnmnos,
e garante esmerar-se no cumprimen: o
de seus deveres.
o
pescador
Neste esubeleciroento compra-se um realejo de
flauu, qne sirva para daaca, e que eateja ca
bom estado, contendo quadnlnas, polkas, sehctz,
walsas, maxurcas : a pessoa qne tiver e queirx
dispflr delle, dirijase ao estabelecimento acima,

das lotenas, } ajjdar na rua do Crespo n. 6, ^raa de Marcilio Dias n. SI
f Mmm




6
,^aiii***fW^tI^FAi5ttii^f^ra IZjMEnirinlfactttA-
AfrOOO
Botmas para homem
Acaba m i'e chegar grandes facturas bem sor-
tidasde hennas d; bezerro, de cordavao, de pelli-
a, de duraque com biqueira, de bezerro com bo-
ties, e com ilhozes a 9*000 (a escolh r) por ter
viaio grande quanudade por coDta e ordem do?
fabricates : ao armazem do vapor francez, a rua
do Bailo da Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Mascaras
Chegaram grandes facturas de mascaras de
aoassa. de arame e de setim, para serem vendida?
por conta e ordem dos fabricantes, o raais barato
possivel, em grandes e pequenas porcSes : ao ar-
mazem do vapor frcmcez, a rua do Barao da Vic-
nrri (ontr'ora Nova) n. 7.
Calcado
fraocez,
Awada.
Na raa do Baaio da
fallar ao Sr, S. tenenle
gacio de sea interesse.
ria n 36, precisa-sfe
Maria Pceiana, a net-
t
' Precis a-sedfe
duas amas para
casa de pouca fa-
milia, sendo uma
para cozinhar e outra para engomraar, pre-
fermdo-se escravas, paga-se bem, se agradar:
a tratar na travessa do Vigarto Thenorio n.
1, escriptorio, das 9 is 4 da tarde.
Precisa-se de uma ama qne saiba eomprar
e cozinhar : na rua larga d.) Rosario n. 21, loja
de calcado.
Na rua do floepieio n. 49r precisa se de uma
ama de leite, livre on escrava, Meferene set i
filhos.
Para homem.
SOTINAS de bezerro, cordavao, peHica,lusire t
de dnraque com biqueira, dos melhore.-
fabricantes.
5APAT0ES de bezerro, de cordavao e de case
mira.
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamaneados com sola de pio, pro-
prios para banhos, sitfos e jardins.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e Portugueses.
Para aenliora.
tJOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos.
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
80TINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portaguezes.
Para men in on.
BOTINaS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS c sapatoes de bezerro, de diversa?
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e Portugueses.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a GuiUjerme, perneiras
oieias perneiras para homen*, e meias pernei^
uara meninus.
No armazem do vapor francos, a rua do Bara<
tria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
levos, e cs mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Bara<
da Victoria n. 7, outr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes t
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, on
fr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Fifloa extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete.
aa, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
-" neticos, muilos artlgos delicados em perfuma-
s -.. para presentes om frascos de extractos, cai-
iv.unas surtiJas f arrafas de aiflerentes tama
Bl as d'agna de cologne, tudo de primeira quali-
d.ide dus bem eonliocidos fabricantes Piver e Cou-
rt ray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barai
... Victo-i?, ou'.r ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos li Jiffercntes gostosr
uhantaxias.
.-spelims dourados para salas e gabinetes.
/.-ijucsi para senhoras e para meninas.
Luvas de. Jouvin, de (i:> de Escocin e de camurca
Oaixiuhas de coslura oruada c in; musica.
Albuns ;-.ia-1ni:i pa ;. netrafc*.
Oaixini as com vidro de Aivmntnr tctratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correctes dc plaque muilo bonitas para relo
pica
Pr. >r;'?.r/'o i hotSes de punhos de pla
Bo.aiBbas u eolros de seda, de velludo e de cou-
"inlio de cores.
Novos olijectos de phantazia para cima de mess
e toilette.
Pinrinez de cores, de prata dourado, de aco
de tartaruga.
Oculos de aco lino e de todas as guarnicoes.
Bengnlas de luxo, canna, com castdes de mar
am.
tiengalips diversas em grande sorlimento pari
homens e meninos.
Chicotiuhjs de baleia e de muitas qualidade^
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros
Pentes de tartaruga para desembaraoar e par
barba.
Ditos de marfim muito finos, para li;npar ca
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas epara d<"D
res.
Carteirinhas de medreperola para dinteiro.
Gravatas brancas e de seda preta para horaeu1-
e meninos.
Canvainhas de mola para chsmar criados.
Jojtos ua gloria, de dama, de bagatellas, de do-
mind e outros muitos differentes joguinhos alle-
mies e francezes.
Malas, boL.as e saccos de viagem de mar e ca
minhos de ferro.
Argoliuhas de marfim para as criancas mordt
rent, bom para os dentes.
Borcos de vimes para embalar criancas.
Cefttinhas de vimes par3 braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
erianeas.
Venezianas transparenles para portas e janella.-
ttevt-rberos transparentes para candieiros de
gas.
Estereoscopos e cosmoramas com escolhida
vistas.
Lantn.as magicas comricas vistas de cores em
vidr s.
Vidros avulsos para ^o^morama.
Globos de papel de c-^res para ilbaminacoes de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mm facil
-de suhir.
Machmas dc varios systemas para cafe.
Espauaiiores de palha e de pennas.
Te>uuriuhas ecanivetes finos.
Tap. it.. cim vidrilhos para mangas e lanternas.
Tiii'."in s de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
^ua-'ros.
Quadros ja promptos com paysagcns e pbanta-
na.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
taziaa.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
miha
Realejos pequenos de veio coin liadas pecas.
Realfjus i armonicos ou accordions de todos os
aman1"-. outros muitos actifos de quinquilha-
rias ililflceis de mencionar-se. No armazem dc
ppor frfincez, rua doBarlo da Victoria, outr'ora
Ama de leite.
l'recisa-se de uma sem Blho, qu9-?eja dp
boa conducta: a rua-do Vfseonde de Goyanna
n. H9. ________
AMA
de Goyanna n. 129.
Precisa se de uma ama para
raa da Imperatriz n. 16, 2an(Tar.
Precisa-se de uaia para ca-
sinhar para ci' de pouck
familia : a nia do Viscondb
cozfchar : nB
precisa-se fallar ao setfumUs tenhores :
Domingos Martins' de Uitrifl IhMeirD.
Eflrlgdio Marques de Satitiago pr.)
Joio Vaz de OSveira.
Jose Alves Machado Guimaraes.
Jose Francisco Lopel Lima (Xazarelh).
Manoel Pereira Brandao.
Manoel dos Patsos Miranda.
Theotonio de Barros.e Silva.
Pran^sco Pmto Pessoa (Pr.)
Francisco de Paula Borges.
Francisco A'nmnio Pontnal Junior.

-t,
GOMflRXS

ill
-
Enchamms.
A companhia da eslrad* de ferro de OHnda,
wmpraimais^SO enehameis de 30 palmos de cooi-
primmto e poleg_adas dft.*rosmra,para parte
da ttnha telegnrphfca : a tratar r escrlphwio da
eontfanhia.
!0'gee*te,
LtmreMviUt Pvs6 ude 'Miftinda..
AMA
Precisa-se de nma gommar para duas pessoas> prefcre-
se escrava : na rua Primeiro de
Marco n. to A, loja.
Antonio Joae Rodrigues de Senza, em seu es-
eriptorio a rua do Crespo n 6, compra, por bons
precos, escra7os das diversas coi"e3, ssxos le
idades.
Na rua da Penha n. 2 lava-se e engomma-se
com presteza ronpa de homem e senbora : quern
pretender, dirija-se a mesma casa. ___
LOJA
Aluga se a loja do sobrado n. 9 da rua da Au-
rora : a tratar na raa do Hospicio n. 26, taverna,
ou na rua da Imperatriz n. 10, taverna.


1 m u M.
&
1
da'fiussia
Ferreipi Junior, a raa do
Vaq
Vende Joio
Livramento n.
Manual1 'ftA&so do ^dvb-
gado
Por Jose Tito V)u,ullru..jo
Preo. .1*9000.
Acaba de chi>gar esta'obra e vende se na livra-
ria EeonomicB, ao pe! do arjp de-Santo Antonio
, ii'i'. .' ; '-" mu T------I'll .i n'^-<
A ma Precisa-se de uma ama para cozinhar
*aJiua'. e eomprar : na raa de I/edro Affonso
n. 3 fetrtfora^a, Praia).
Veste-se anjos para. procis;>ao, com as-,
seio, perfeigao, e commodo prego ; tambem
cose se vestidos para casa men tos, bailes e
passeio. a ultima moda, e aviara-se en-
commetidasdi) costuras para fora da cidade,
bem como vestidos, assirn como'pare bap-
tisados, e bordados a ouro e linba, etc.,
tudo com perfeicao e commodo preco. Na
rua d s Cruzes n. 26,se'dird quem.
Cozinheira para hotel
A bem conhecida cozinheira de hotel, offere-se
a quem precisar dos sens servicos tanto para ho-
tel como para casa estrangeira ou homem loltei-
ro, para esta praga oa fora Jell a : na rua das
Trincheiras n. 35.
Grande reuniao!
Para I o Republicanos e monarchistas.
Democratas e aristocratas.
Federados e confederados,
Communalistas o communistas.
Catholicos velhos ou n vos.
Todos devemir
Reunidos ou nao reunidos
Fazer emquanto entes
Suas encommendas
Dos saborosos filbos
Tao preconisados!
Fabricados a capricbo
Dos pasteleiros
S6 e somente
Na confeitaria do Campos
81, Imperador 21,
100$000 de gratifieagao
Engenho Santos Mendes
Fugio no dia 20 de dezt-nibro, do engenho San
tos Mendes, comarca de Nazareth, freguezia de
Tracunhaem, a escrava Maria, crioula, 50 amios
de idade, pouco mais ou meuos, baixa, grossa, cor
preta, rosto alquebrado, pes seccos e espanados,
dedos curtos. cabellos braneos, canellas finas, tem
dous signes cabelludos no queixo, e 6 bem ladi-
na. A pessoa que eutregar esta escrava ou ao seu
ioni, que e o senhor do engenho acima, Lauren-
:ino Gome3 da Cunha Pereira Beltrao, ou no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1 andar, sera
ecompensada com a quanlia de 1001.
Garanhuns.
Na rua
allar aos
ose Paes
esse.
do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
da Silva, a negocio de particular inte
Constando aos abaixo asslgnado achar se nes-
ta praci o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho.ren-
deiro dos engenhos Barra e Pregnica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veerri rogar ao
mesmo o obztqoio de vir entender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
tendente aos referidos engenhos. Rua do Amorira
37, escriptorio.
Tasso Irmaos & C.
Feitor.
No hotel de Apipucos, precisa se de um feitor
para tratar de um pequeno sitio: a tratar no mes-
mo hotel.
Adolpho Ma
chado dos Santo
soeiedade, que tinham n estabelecimento de fa-
zendas n. 54, no Caes 22 de Novembro e que gy-
rava sob a firma social de Marques Santos dc C,
ficando todo activo e passivo a cargo do ex-socio
Antonio Machado dos Santos e o primeiro intei-
ramente exonerado de qnalqner responsabilidade.
Rocife, 9 de fevereiro de 1874.
Adolpho Marques dos Santos.
Antonio Machad6 dos Santos.
Vende se um escravinho de :c6r cabra, de
17 annos, de bonita. figura, sadio, sendo copeiro
e 6 de todo servifo de oasa e de rua; o motivo
da vends e o senlior ir para a Kuropa por estar
doente, e ma parda de 2i :nnos com todas as
prendas: angomca, cozioha e cose, tudo cjm
perfeigao, e de bom comportameoto e bonoita ap
fiarencia : na rua de HcrUs n. HO poderao ver.
Uorgurao preto para vesti-
dos, de ,6#por 3#500.
A Rosa Branca eomprou em leilao algumw pe
cas desta superior fazenda. e esta vehdendo por
metado do seu valor, d largo, quem precisar apro-
veite : na rua da Imperatriz n. 56, loja de Azeve-
do& C. ^___________
Vende se uni bofmariso e uma carfoca : na
rua do Visconde de Goyanna a IU, outr'ora: Mun
^LIOUIDAOAOH
RA ">"
*jt
Bua da Imperatriz n. 60
m\\\ vmm
Rua do Barao da Victoria n. 21
E
Vewte'-fcizendas para liquida?, por barati^simo preco oomc
atoaixo se ye:
Pereira da Silva & Guimaraes tendo em set um grande depozito de fazeooM
tem rijdo fazer uma liquida0o das mesmns com grande abatimento nos prejoi
com OVuM fim da apurar dinbeiro, para o que convidam nao s6 os seus numertMOt
fregueze{ uno o*espeitavel publico, a vir surtir M.dd>ukae>iaxndas, bow e barata-
nOKH;js|#l^teimritodenominado oPataoaru* dadrnperttriz n. 80.
dego.
I*
GRANDE
Em
Grosdeaaple preto
Sendo tisos e de cordao, e ,o mais largo
que
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mij actedita-
dos ultimamente na Europa, cuias macbinas
sao garantidas por um anno,. e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesit&j em?
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim concerta-Jas. polo tempo tambem d'um
aano sem' despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha pertenjas
para as mesmas machinas e se suppre qual-
nuer -pe^a que seja necessario. -Estas ma-
ebinas trabalham com toda a perfeirao de
m e dous pospontos, franze e Mortis toda
qualquer ostura por*' lira que seia, seus
iffegos sao da seguinte qualidade : ; "ra- tra-
balhar a mao de 30000, 4^001. *5J!>000
e-BOJSOOO, para trabalhar com o p sao de
80JP000, 909000, 100JJJOO0, 110^000,
1205000,1309000, 15WOO0, 2f>O000 e'
250^000, emquanto aos atrtore* nao ha al-
tera^ao de precos, e os compradores poderao
visitar este estebetecimerjte, cue muito dJ-
verao gostar peia "variedade 4e ohjectos que
ha semp.-. para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas-de balanco, dkas para
crianga Jaltas) ditas para eacolas, costurei-
ras riqufesimas, para senbora, despeasaveis
para criancas, de todos as qualidades, camas
de ferro para homem e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha, fa-
queiros com cabo de metal e de marfim,
ditos avulsos, colheres de metal fino, condiei-
ros para sala, ^artos.i ^guarda-comtdas de
tampas para cobrir
vem ao mercado, e,qne se'vende pelos diminutos aranie. tampa$ para cobrir -pratos,.esteiras
precos de itlOO, 2^*00. 3^00 e 3/300. i para forrar saiaS, bmtorios completos, ditos
SO' NA RUA DOOR PO N. 20, LOJA DAS ; simples, objectos para toilette, e outros mut-
:tos artigos que muito devemagradar a todos
,que visitarem este grande estabelecimento
CAMiRAIAS A 49, 49500, JS9r W-T9.
0 Pavao vende um magnrfico sortimento
das mais finas cambraias brancas transpa-
cenles, tendo 10 jardas cada peca, pelo ba-
fato preco de 49, 49500,59, 69, tendo tam-
bem das mais finas que custumam vir ao
mercado, asstm como um grande sortimento
de ditas tapadas e victorias1 ojue vende de 49
ate 8-5, seudo fazenda qae^rall^jnitO";mab
*nteiro.
COM SALPICOS DE CORES A 59.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento
de cambraias brancas com bonitos salpiqui-
abos miudiuhos de cores, tendo 10 jardas
cada corte de vestido e vende pelo barato
preco ie*9, por ser pechincha, ditas com
selpieos todo branco sendo fazenda finissima
* 79500 e ditas a 59000.
VESTIDOS A 8d> DA CORTE 129
0 Pavao vende um bonito sortimento de
cortes de vestidos a usq :da corte, Irazendo
cada corte todos os enfeites necessarios como
sejam: babadinhos, entre-meios, rendas,
requeflfes, e vende pelo barato prejo de 129
cada nm, assim como, di.os a 2 de julbo
com todos o& enfeites a 109, cortes de cam-
braias brancas abertas, com listras e lavores
a 69, ditos finissimos a 89, ditos de cam-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e pechincha.
CORTES BORDADOS A 209 E 359.
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato preco de 209 e 359.
CASSAS FRAttCEZAS
A 300 rs, o covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinhos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fil6 branco liso e de salpicos, e tarla-
tanas de todas as cores.
BSRNOUS A 9.
TRES. PORTAS DE
Guilherme & C.
Junto u leja -se
um pequeno Itilhar de jacaranda em perfeito es
tado : quem o pretender, dirja-se a rua do Cres-
po, loja de fazeodas n 10.
Aos mascaras
Paris n'America, a rua Duquc de Cavias n. 59,
primeiro andar, acaba 4e receber botinas de alta
phantasia, proprias para os cbistosos tiajos 0)
carnaval : a quantidade e pequena, a 'lias antes
qne se acabem.__________________________
Cnlf.aii' estFangeiM.
I Paris r.'America, a rua Duque de Caxias n. Sfl
primeiro andar, acaba de receber um completo |
sortimento de calcados'estrangeiros para homem e
senhora; vindo entre elles um Kndo sortimento de
elegantes chiquitos, s.ipatinhos e -botinas para
criangas, que tudo vende por pregos razoaveis.
Cambraiar ft>0rrfada'i 3$ e 4$
a pp So oa rua do Queimado n. 43.
que se acha aberto desdo as 6 boras da ma-
nbfi ate as 9 horas da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
_________22;__________
0 INEXTJMGUIVEL
PERFUME
aua
DE
MURRAY it LANHAW.
Uma pura disttlle.ao das mais raras fla-
res dos tropicos. Gontem, para assim ui-
zer, quasi o oddr odorifero das flores ao
Pegas de cambraia berdada com flores miudas, tropico da America, esua fragancia e" quas
propria para jrestido) pelo diminuto preco de 3 e iue_hausta ainda mesmo D0r continuada
41 a pega. So e pechincha.
Alpaca preta
com fldres de cdres; padroes os mais modernos
no mercado, a SOO reis o covado. S6 e pechin \ UESMA10S,
cha ; dao-se amostras : na rua do Queimado n.
43, defronte da pracinha da Independencia.
Grande pechincha.
10-Rua do Crespo10
BAPTISTAS de lindas cores molhadas de agua
de chuva a 280 reis o covado.
BAPTISTAS de listas e palmas perfeitas a 400
e 500 reis o covado.
GROSDENAPLE preto superior com uma jarda
de largnra a 2k o covado.
GROSDENAPLE preto mm to bom a 1J800, ii
e 3* o covado.
VS9TUARIOS Je fustao,. cambraia, e la para
meninas a it, 6js e 7i o covado.
pOr
o/aporacao e diffusao. N'este respeito e"
i icomparavel a qualquer outro perfume
qne ba de venda para :
ATAQUES NERVOSOS, DOR
E
%?Z$!TiriS$iil Chapeos! te sol para senhoras
estabelecimento de
Barbeiro
Preci3a-se de um official de barbeiro e que en-
tenda de cabelleireiro : no 1 andar da casa n.
36, a rua Duque de Caxias
. ALUGA-SE
uma excellente casa construida de novo, sita na
entrada dos Afflietos, tem commodos para grande
familia, -itio muitobemplantan*o, jardim ebanhei-
ro : a tratar na rua Primeiro de -Marco ft. 2, livra-
ria economics.
0 muito conhebido artista cabelleireiro Jayrae
Kidera ser procurado para os mistere.desua pro-
sslo, a rua Duque de Caxias n. 28, deposito een
tral de perfuma ria nacional.
a 4$000!!
A Rosa Branca acaba de receber chapeo3 de so,,
de seda para senhoras ou meninas, com lindos ca-
bos brancos e superior seda, e vende a 4S ; nao
DE CABECA, DEBILIDADE
HYSTERICOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com o bom
t)D, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e.cinco annos sobre todos os
perfumes, nas Iudias Occidentaes, Cuba,
dexico, America Central, e do Sul e n6s
com toda a confianga o recoramendamos
como um artigo.pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEKE2AS, BMPOLAS,
QUBIMADURAS' DO SOL,
SARDAS E BHBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna uma
excellente mistura para banhar a pelle,
dando um aroseado e cdr clara a complei-
53o nublada, sendo ;appucada depois d<
julguem quo po?aea barato sao orofnarios, porqne barbear, evita a irritacao que geralmente
sao cbapeos i|ue sempre se venderam a i& e 8a ;
aproveitem a pechincha : na rua da Imperatriz
n. 56, loja de Aievedb & C.
Las avariadas.
A Rosa Branca acaba de eomprar em leilao uma
porcao de las avariadas, o defeito 6 pequeno, e
vende pelo bar tis>imo prego de 210 n. o covado,
e grande pechincha/ api oveitem na rua da Im-
peratriz, u. 66, loja da Rosa Brauca, de Atevedo
k Companhia.
><,va
HV.ll.
neu1"" !
A
da '
ma'.
ria,
G
VJei
n 7.
\e 10 a 100 metros,pes e palmos
*>eoos.
para
ids para meninos
variedade que se pode desejar de to-
|iiHi|iw fabricados em differentes paries'
i.ara entretenimento das criangas, todo
i- rernraidoe que e posiv. I : ao ar-
i>r francea, rua do Barao da Vlcto-
i ma Nova n. 7.
^rtu^para fcislnra
""to de bonitos moilel s chegados
% 'pop'traacuz, i u t'.o Barao da
. ro Neva, n. 7
>
alugar wrn ei
a Nm n 7, loja.
que s
aiba
Ao carnawl.
Braulio Ricardo Ooetho
Rua rte Suntu Tlnr. za uumero S3
Nesta c.:.-a encontrarao os influentes do carna-
val um jrrande sorttmento de vestaarios, 'cab'ellel-
ras e barbas a eseolher, peto baratissirnti hre'co de
U a.3i cada barba, 8*.'Sp,-*5*'e'3fIf cada ca-
belleira : a ellas, antes qne se acabem.
Sitio BftArnM
Aluga-se um sitio no ikrraiaL -com boa
casa, *onscommodos,-agua de'_tt*rocom
fructeiras: a tratar na >enda protima A es-Lef^ n vios : atratarcom o^apitio,
ta$ao da Casa Amarella. '-Amorim Inaaos & C
Yende-se os'seguintes
predios.
Duas casas terreas i rua Vinte Qaatro de Maio,
outr'ora dos Ossos. ns. 2 e!4.
Uma dita na rpa do Padre Floriano n. 35.
i Uma dita na rua do Fogo n. 22
I Uma dita no becco da Bomba n. 5.
. Uma dita na rna do Padre L< >hato n. 8
Duas ditas no becco do caes da Cadeia nova
nJ35.
Urn-sobrado na rua do Livramento n. 37.
A tratar no pateo do Carmen, t, taverna.
occorre, assim como tambem garganteando-'
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
Ihora a condic&e dos dentes e gongivas.
Como ha muitas imitates, as quaes nao
possaem nenhumas d'estas propfiedades,
deve-se to mar cuidado e con tar s6mente o
o famoso perfume j cosmetico do sul da
America, cham
AGIA FIORIDA
DE
Ml RUA V li LA\M \\.
Si acha & venda em todos odrogu
perf umari as da moda.
fraocez muito fino a 3JKOO0, apenas precifc
1, */4 metro para uialencol.
CUALES BARATOS
4 25, 2$5ft0, 4*.
0 Pavao iveddeichales a etoMci* de me
riu6 a^>, dilo^-da nientad lisbs de todas n
ooies a 2J?S00, ditos de merino estampados
muito finos a.4$, 'ditos, finissimos com lu
tras de seda a WOO, ditos muito fiuos d<
crepomaAO^e 12.
1 lc;oJio eafetiMl a I* !
0 Pavao vende algodio sfestodo com 8
palmos delargura, proprio para leocdei
sendo do raais encorpado qua tem vindo
mercado, lico a IP a vara etraucadoa.....
1^280.
0 PivtewadaatMlUado. tra^da com I
pala^sitU iovgura a fltAOO> ftvWM, diU
adamascado ai 2#; dito de, linho adamasc*
do a 35 e 5$.
SEDA PARA YJSTIDOS
a WOO a 2$.
'- 6 ravSo vende urn bonito sortimento di
sedas com listrinhas proprias para tasti
dos de meninas e de seubora a 19600 oco
vado, ditas lavradinbasa 25, os padrOea si.
muito bonitos e vende-se por este preco part
acabar.
Botina* a 5,5000
0 Pavao 4am um completo. sertiuMnto d.
botinas muito bem enfeitadas parasenaera;
e vende pelo barato preco Je 59, artigo qu-
em outra qualquer parte custa t9e 7f.
LEKCOSRRANCOS
a29000.
0 Pavao vende lencos brancos abainha
dos, tanto para homens como para senbora
a 29 e. 295U0 a duzia, ditos de eaguiao
cambraia de linho tambem absinbados i
39500, 49,59; d tos francezes escuros, pan
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas caraisas com peiu
de linho bordadas, proprias p;ra noivo i
100 e 129 cada uma, ditas de linboara se
rem bordadas a 49, 49500 e 59, ditas eoc
peito de algodao muito finas a 29, 29500 i
39, ditas dechita fina nuudinba a 29, 29*00
0 Pavao vende um bonito sortimento dos e 39, *ssira como grande sortimento de ce
mais modernos borno us com bonitas listras e roulas francezas tanto de linho como deal
vende pelo barato preco de 129 cada um, god an de 19C00 ate 39, gr- nde sortiment
assim como um elegante sortimento dos mais de meias cruas inglezas de 49 ate 89000 ;
bonitos chales demerind e com listras de seda. I duzia
Ceroulas francezas de linho e algodao, para todos os preens e qualidades, assin
como grande sortimento de meias cruas, camisas, colennhos, que tudo se vende pcT
precos muitj razoaveis.
mi
ANTONIO ml BE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tem, novo* c
isados, pelo prego do custo de factura.
Taimbem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assealho de salas, de muitos lindos desenhos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala por grande qu-
seja com oleado inteiro.
HAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
\.NNE1S electricos para curar dores de cabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARC.A e papel picado para bordar com la ou seda.
VERDADE1RA agua de colonia em garrafas empalbadas.
E muitos outros artigos, e por barato preco.
FUMO DO PARA
0 verdadeiro fumo de Borba, em chicote,
como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a vapor,
assu.
picado, desfiado e crespo,
antiga rua dos Qoarteis n. 21.
e bem conhecido-
Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarao os seguintes
fumos manufacturados na mesaoa casa,
Flor do Brasil
Novo Caporal
Bes Bird 6eje, ( Olbo de Tassaro. j
Vende-se a retalno, e em grande quantidade se faz grande abatimento.
.
VENDED
a taverna sita no pateo do Terco n 21, que faz
esqaina com o becco da Lenha, com poucos fun-
dO,s e propria para principiante : trata-se na
me>ma.
fara acabar!
Ricos chapeospara senhora : s6 na rua Duqne
de Gaxias n. 60 A 1oj da esqnina.
selecta e de umbigo
(Enxertadas)
Sapotizeiros
de (i palmos e ditos (em vasos) e de- todos
os lamanhos e precos mais commodos que dan-
tes; assim como as seguintes outras plantas de
frncta e de ornato :
Rua do Brum n. 76
Vende se since ,4>uro de superior oaalidade
proprio para cobertas de casas, medindo 11 pal
mos de comprido e 4 de largo, por pre jo mnit
em coma.
Abacati.
Acacia.
Aritioum a pe.
Canella.
Casuarina.
Carolina do principo
Condeca.
Coracao 4t India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa-pio.
IngadoPara.
Jam bo.
Jasmim laranja.
Laranja da China.
Dita do ceo.
E outras plantas :
tura n. 20.
Laranja. cravo.
Dita de doce do Para
Dita branca.
Dita tangerina.
, Lima da Persia.
i DiU de umbigo.
.Limao francez.
' Oitfi doce, enxertado.
Oiticoro.
Palmeira imperial.
Parreirw.
Pinheiras.
Romeiras.
Roaoiras.
Rozeda.
Ubaia.
na Capuaga a rua da \ en-
Wilson Rowe 4 C. vendem no seu armazem Albuquerque n
4 rua de Qommercio n. li .
0 verdadeiro panno de algodao azul americano.
i Bxcellente fio de vela.
Santa Csit^im,^ Impr'o-^AXr'^iui6
lri - vende se uma taverna-ua.rua ,
rua de S. Joaoj Com boa casa
Vende se a taverna da rua io Visconde de
68, ou por.balanco ou avulso,
propria para principiante por ter poucos rondos
e afreguezada para a terra : a.tratar na mesma.
que se dira o,motivo por qae M vende.
Asunicas verdadeiras
Bichas itamborgoezas qne vem a este ~arca4e:
na ro? JUarqaez de ulinda n.gl__________
Alerta principiantes.
Olliem que vende se> cocbeiiu lita a rua 4m
Flores n. 24 ; a traur-na tna Diraita~. 50.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha nova de mandioca' de Seat*
Catharina a berdo do-brigne portognei fmjireniw.
a tratar com o capitio, ou com Araorim Irraioa
_ C. rua do Bom Jesos n. 3.
Sanluario.
___
__ ,i venue se uma uverna -na.rua das Carrp-
Veuae-se farinha nova e excellente, a bordo dos _.$, esquina da rua de S. Joaatom byj. casa de
com
jpvenda ebastantei commodos-par,.;. .. '.'. : quem 63, .recebeu mai.; : .^ pretasj moderoas, e esta se
^retende-la dirija-se^ mesina.
as pretas.
ANeva^lsperau.,.. a rna Daque de Caxias n
.recebeu mai.; iireta
vendendo por pi i. razoaveis.
Vende-se um lindo santuario de jacaran-
da, obra do Porto, perfeitameate acabado e
novo : quem pertender dirija-sei rua Du-
que de Caxias n. 94, loja das 9 portag.
Venrtp.3ft.fiygfmlA< Am ^ii^lyipy gyhtHJafle*
proprios do carnaval.: o rai Direita n.J8.
Pacheco '4. iAaevedo tem ^ra.i.vanuer ta-
pioaa de arartlta, Qualidade especial,,em sea,ar-
maiem, na,rn>4- J>uqne da Caxias p 29.
I UAIA MA fk n
bttta e pfiiiica
Annral, JUbnea A fbitwrnmua lo-w de pejisa
de roree oom toXMraiM mM> ail*. 1S M 0
par .- no Bazar Victoria, raa do Barao da Victo-
ria a. i.

4
I
4
(
-



!

V
I
.
9
*
k
V
V...
iOifctioUlei iBaroariibwjo^ Qain^' 1^--12o-d^fWM^ys'd^4'KfK
UNIGOS AGENTES
Rua do Barao da Victoria u. 28
\jb mais simples, aa mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposigJo de Paris, em 1967, foi concedido a
Elias Howe Junior, a madaiha de ouro e a candecora-
Qio da Legiao de Hoora, por serem as machinas mats per.
feitas<** "iuHdo.
Jjns**a.trie a; 72

bGiirene* Pefeira SI*odes 6aimarAes
'a^an.nesoM'Io farer unn graoJe HrjtfidacSo, atd
Declara aos s
Jim do eorreiite:aiMtf>.
A medalha de ouro, conforida -E. Howe Junior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da, machina de
tura.
CAMBBAIAS BRANCAS. A.3f000"
Vende-se pefaa de.cambr.aia hranca, tapa-
da e traiisparente, a 89, 3*500, .{OttOO.
5W00.
USLWSA20QUS.
Vende-se lasinhas para vostidas, &%M,
320 e 509 rs.- o covado.
ALPACAS A040RS.
Yejudo-se. 4pncasd cOres com Iistras a fi40
e 800 rs. o caxado*
SABER :
Ditos de paiha, a 29, 8J000 e iW)0.
Ditos de massa, a 4000.
PKREiMARIAS *M UQWDA4JAO.
Vende se sabonetes de diversos tamanhos,
a ISO, 200e240*32Ors..todo bom.
Frasco de-banba, a 160, 320 e 100 rs.
Frascos com aguade colonia, a 240 e 890
rs cadaum. K outros muitos extractos qae
se vende muito barato para- liquidar.
TOALHAS A 800 RS.
Veade-sejkoalba* felpudas, a 800 ts; cada
GB.AKAmSEA800RS.
Yen le-se granadine preta com Iistras. de' uma. I.encos brancos,, 28000 a duzia, e
cores, para vestidos, a 800 rs. o co-! 3JWJ00. abaiuiiados, fazenda quo vende-se
cos- vado. 'por59000.
P0UPEU3A JAPONEiAAl800. \ GRAVATAS PRETAS A .500 RS.
Yende'Se uma faztjnda: noa com rlistas, j Vendese gravatas pittas*, a 500 ts. Man-
A medalha de ouro na exposifcio de Londres acreditam com o nome do poupeliua japoneza, propria tasde cores a 200 rs.
estas machines para vestidos .de senhpras, a UfctfOO o co-1 Chapeos para baptisados de meninos, a
vado. Todas estus fazendas.sao von iidas no 3#000.
Bazar Nocional, A rua da Im'per uriz u. 72. i BEKGALAS E CHICOTKS A 800 RS.
CORTES DECASSA A 29$ 0, Vende-se bengalas e cbicotes, a 800 rs.
Vende-se cortes de eassa para vestidos, cada uma, para liquidar.
com iOiovados, a 2J500. I
CU1TAS LARUAS A 240 ,Rs. .GRAJU'E LIQUIDACAG DE ROUPA FEllA
Vende-se chitas francezns., largas, de cores! Vcnde-se eeroulas de algodao, a iJflOOQ.i
A 908000
Cabe-nos o dever de aximnciar qae a companhia das machines de Hove de Noya-
ork, estabeleceu nesta cidade i rua do Berao da Victoria n. 28, urn deposito e agencia
ral, para em Pernambuoo o mais proviscias se venderem as afamadas machinas de cos-
ra -Howe. Estas mscninas so justamente apreciadas pela perferjlo de sen trahnlho, ^as
cs>re^ando uira agulha mais curta com a mesma qualidade'de linba que qnalquer outra,! vacj'0-
*ia lntroduccSo dos m'v aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habibtados a
Sareoer i eiame pubMco as melhores machinas do mundo.
4* vantagens destas\raacfimas sdo a$ segutntes:
frime>a.T-^pubJico*ah.qu< ellaAsio.duradouras, para isto prp*a incontastayel, a
wannstancia de nunca terem1aw"'w>4o 410 mercado machinas d Howe em segun-
<* mio.
Seguada.C9'.^a^> material preciso para reparar qnalquer desarranjo.
Xerccira.Ha uellas menor fric^So eutre as-diversas pe^as,. e menos rapidoi estrago
Qaarta.Formam 0 ponto eomo se fdra ferto i mio.
(Juinta.T-PariHitteque se examine o trabalho de ambos os flos, 0 quesenioconsegn
Seta.Fazera ponto miudo em casemira, atravessando 0 no de ami potro lado,
logo em segoidf^ modifioar-e, a tensao da linha,; coiom a fazenda mais
240, 300, Z2ft e 3C.0 rs. 0 co-0
a.
Setima.0 compress^ e letantado com a maior facilidade, qnandp se tern de mudav
agnlha ao corooc/.r.nova eostura.
OUays.Muitas companhias de machinas de eostura, tem tido epocas de grandeza e
eadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soflreram
-adancas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
optando a opiniao de .Elias Howe, mestre em artes mecbanicas, tem constanteraente
ujmentado 0 seu fabrico, e hoje nao attende a procure, posto que faga .600 machinas
>t aia.
Cada machina acompanha livretos com instrucc,oes em portuguez.
A,
S
A 90^000
A'
do Bara0 da Victoria n. 2 8.
BCHISAS
A 30X000 e 30^000.
D0US P0SP0NT0S
Na lojade Soares I&ite Irmaos, a-raa do Barao da
Victoria n. 28.
pellica com pequeno toque,; Espelhos de moldura dourada. de todos
toque, Espelhos de moldura dourada,
os tamanhos e pre$os.
para collete, grande sorti-1 PERf;UMARIAS E MIUDEZAS.
Layas de
i 200 rs.
Abotoaduras
oento a 120 rs.
Caixa de linha de marca, a 200 rs. Frasco com oleo Onza verdadeiro, a
tamparinas i gaz, dando uma lux muito; 190O0.
oa, a 19000. Idem com tonico de Kemp, verdadeiro, a
Duzia de pe^as de cordao imperial, a 19000.
U0 rs.
Caixa de bo toes de osso para calca, a
500 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a \
100 rs.
Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
Haco defita chineza, a 800 rs. .
'^aixade linha com 40 noyellos, a 500 rs.
Meios adere^os com camafeu, a 500 rs.
jarrafa de linta roxa extra-fina a 19000
Potes com dita ingleza, preta, a 100 e
160 rs.
Caixa depennas-Perry, muito boas, a
900flv
Idem.idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 ra,
Idem idem forrados, a 700 rs.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
100 rs.
Idem idem idem lisa,,a 600,rs.
Duzia de talheres cabc branco, 2 B., a
i9000
Resma de papel pautado, a 49000
59800.
Idem: idem lisp, a 29800, 39800159000.
Coques modernos, a 39000.
Duzias de pe^as de tran^as de car a col
ranca, a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Leques de osso e sandalo, a 29000, 49
69400.
Fita de veiludo de todas as cores e largo-
Garrafade agnafloridaverdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalena (novidade) a
19200.
Caixa de p6s para dentes, a 200 rs.
Idem idem de p6s chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
nel, 19C00.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
39600.
Duzia de sabonetes de anjipho transparen-
tly, a 29200.
Idem idem com fldres, a ,19500.
Sabonetes Glycerino transparenlei, a
19000.
Caixa com sabonetes, formato de fructas,
a 19000 e 19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
800 rs.
Frasco comaguado colagne, a 200, 820,
500 rs. e 1(5000.
Extractos muito finos dos mtlhores au-
tores.
Lindas e elegantes caixinhas com perfuma-
riw,.proprias.paw.presents, dps autoras
f.i.Q4(99fRiwr> GU4: Fr4ws,etc,
Quadros com santose estampas separa-
das.
Kntrcmeios e babados transparentes e ta-
pados.
I Uma grande taboleta propria para quaW
Microscopioscom l*yfetasj|a 69060. quer loja.
Ffasco com, oleo para machina a 400 rs.
Rua do Barao da Victoria d. 28.
smte pechfneto a 2W1 rs o
exalte.
________
I.1J..IU, 1.1 MIUIU. ., II.If f.|l
I
Ckssa S, padrSes bovos. e de mais gosto que
vinde ate mercado, s6 na rua e ^Queima 43^i(4a-d Guerra & Farnanse*, pelo diminu-
BWf, de 200 rs. o cov^do 1 -
*Jwgnem,freguez93 qae^e^aqaba
Farinba d;amrata
Vend-se superior (arfoha de srrata, tonto em
porjCea cooio 4 retalho, por pre?..qa. admira,
nsto snaqaalidade ; deposjtos nos jigniutoa la-
fares : rua do Vigario n. 86, rua do Amojira n.
58,6 travessa da rua das Crazes a. 4, a 600 rs. a
libra aretalho. '
VENDE-SE
mma casa na villa de Barreiros, aa rua do Com-
aerdo, dot preco modJeo: a tratar com Tasio
irssiMfC
Os \erdadeiros
yinltt^'Cte' Boujrgogne,
marcas
Chambertin
, Poswnard
Virita
Vplnay.
Beaune.
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Vende-se por barato preco
PARA UQUIDAgAO DE CONXAS
NA
Ran Larga do Rosario 84.
R>tica.
CASSAS DE CORES A 260RS.
Vende-se. cassasfrapcezas ;lina& de cores,,
a 2G0, 320,6 400 rs. o Qpyajlg.
SAIAS.A29000.
Vende-se. saias.ijrancas /com barras de cdr
res,a2aj000.
CIIITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Yende-se obita? para .cpbertas,. a 280 e
360 rs. o co vado. .
MEIAS PARA U0MENS A C90QO A Dl#I*,|
Vende-se meiascruas .verdadeiras, para
homens, a 69000 a duzia, a qua! val
89000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se .chajes de la, a 800 ,rs- cada
urn.
CUITAS t'Ii\AS A 400 RS-
Vende-se chitas finas de eampo largp,; fa-
zenda muito boa, a 400 rs...p covado.
CHALES DE MERIiNO', A 2^000.
Vende-sejjchales, da mori6 estampadps, a
29* 39, 49000 o 59O0O,
Ditos de Iistras a oJJOOO e 01000.
BRINS EM CORTES A 49600.
Vende-se cortes de brim de, |C6res. epardo,
a 19500, pai a liquidar.
COBEHTAS DECI1ITA A 19600.
Vende-se cobor.tas de chita, a 196Q0 e
29000.
BRIM (TARDO'E iJECOll^S A 400tRS,-j
Vende-se brimpardoe.decores, nara.rou-
pa de homens e. meninos. a 400 rs. o cova-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vendo-secoixas de cores para cflma, a 29,
e 4*000.
TRANSPARENTES PARA CA DIIRAS A
19500.
Vende-se traflspartutes para
19500, para liquidar.
BOKETS A 500;RS.
Vende se bonels do seda para
500 is.
C1IADEOS A 29500.
cadoiras, a
homens, a
Pitas de linho, a l?=iU0 e icooo.
Camisas de i-hrtasdiuas, a 19600.
Di,tas..de peito decoreSi a 2COO0,
Ditos brancas finas, a 25000, 39000 e
49000.
Cal^asdo brim pardo e de cores, a 2&0,Ol:
e 295-00.
Dilas de casemira de cores e preta, a 59,
69, 79.00 e 89000.
I'alitotsde alpacas de cores, a '29600.
Ditos pi etus, a 39000 0 39600.
Ditos de casemira de cores, a 49 e
69000.
Ditos ditps prefps, a 59000, 69500.
89000.
Colletes de casemira de cores, a 29, 39
49000,
i Gawisfls.de ftaneUa, deores,. a 29OO0 e
2950Q,
AUiODAO ,A-49000v
Vendp-se .peijas de algoda,. a 49v59e
69000.
CASEMIRA DE CORAr29,300-
Vende-se casepn'f;a.de c^res, a
covado.
MADAP6LA0 A 39000.
Vendc-se pecas de inadaiuilao enfestadx).
a 39000.
Dito inglez, a 495'QO," 59, 69 e 79000 a
pega.
)v
Vonde-se ehapeos de castor para n euiiios J to festa que estd na porta, a* rua da
homens, a 2C500 c 39000. n. 72. Bazir Naoioual.
IJOTLNAS A J9500.
"Vende-se botinas para-senborae meninos.
a 4950O, 59 e 69000:
DHasdeenfiar, a 29000.
, Sapatos de tapcte-,a 19000.
Ditos deitrungar.a 19800: e 29000.
BRAMANTE ; A 49600,
Vendp-se bramaute. com 10 palmos
la^guca^.para lenses,,a 19600, e 2950J
metrp. E outras.muiias fazendas propria
do mercado, qua se Jfnde> i sem. rcserva, de
preSiPj para liquidar i ale o .fiord ) correpte
annolpor isso cbn\jem,aos compradpres sar-
tirem-se de a/.endas.baraias, para a presen-
mpcratri^
A' r Ho CabiRji a. A A:
i Oa ipropriturios ida Predilecu, uo i intuitoi dt
conservar o bom coucwlo quo teem raerecido di
respeitavel publico, distinpundo o eeu estatxdeci
mento dos mais que negociam no mesmo genero
v*m scteiHiflcar aos sens bons fregaezes que pre
veninnt oeaeu> orretpoadentes nas diversas par
cas d'Europa para I lies enviarem por todos os pa
q,uetesos otijectoi.de luxo e bom gosto, que se-
jain mais hem a'ceitos pelas sociedades eleganief
IsquefleS paiaes, visto aproximar se o tempo d<
fesia, em que o bello sexo desia liuda Veneza
mais -ostenta a riqueza de euas toilettes ; e co
mo jarecehossem pels paquete francez diverso
artigos da ultima moda, veem patentear algun?
d'eutre elks quo se- tornam mais reeomraendaveis.
eeperando do respeitavel publico a costumada
copcQjrrencia.
Aderecos de l.irtarnga os mais liudos que teem
capas de madreperola e
bari
ratos
de
pre
i\:
VER G^rnaval
Fiiav
Amaral, Nabuco k C. vendem lantijoulas de
ANovaEsperanca.iiruaDuqnedeCaxiasn. 63, ,.*UBn> muuw u. veDuero tauujouias te
ressa-se em convi Jar a seus fregaezes. com WI awrsos format^, prafeadas o duuradas, cabellei-
rialidade ao bello sexo a virem apreeiar os se, ras.depabellos braocos. a>vas de.meia le algodao
.:_.____.:_.....__... ;__i. ._ j._________ a dn seda. hranrns p. dp. corrs. cami>as de meia
apressa
perialid
guiotes arligos ejipostos a venda e todos pof precos
rommedo?, coma sejam :
FIXAS RON'ECAS mansas e chorouas.
BONITAS E ENGRACADAS vistas parasterios-
copios.
COMMODAS LATAS,paragqardar cba.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras c menioas.
BOXITOS VASOS com (Ina banha e cheirosos
extractos, trazendo cada frasco um noiie, ami iai-
cial ou um dislico.
FINAS WE1AS D SEDA, viado entr* elias cor
de carae.
Parn qiiea gostar.
A' Nova Esperauc? a rua Duque de Caxias n
63, acaba dc receber tentos e caixas para o jogo de
Voltarette.
Ym quern stiffre das |M?nas.
A Nova Esperauea, a rua Duaue de .Caxias a.
63, acaba 4e, receber as procuradas nieias de hoc-
racha para quern soffre das pernas.
FLOXIES ARTIFICIALS
A Nova Esperanca, a rua Duquo de Caxias 11
63, acaba de receber um Undo e completo sorti-
mento de flores artificiaes das mellipres que tem
vindo ao mercado,
A elias antes que.se acahem.
Costumes para criapQa*
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n.
63, acaba de-receber bonitoscostpmes^paraeriao^a
e esta-se veodeudo por pracos razoave3.
A.N>va,Ejper,an5^r.a r,ua Duque de Capias n.
63, r3cebeu um pequeoosortimento de antreis '
pulseiras electricas; propriaspara qaem soffre 'do*
nervos.
e de seda, brancas e de cores, ,cami>as de meia
lislradas e brancas, capacetes de massa, vollas de
perolas falsas, briucos proprios para Cbicard,
franjas prateadas de muitas larguras, etc., etc, e
compjeto., sorAunpnta de,ituascasaa : no,,Bazar .Via-
(Aria rui drt D^rort di vi^ffirifi n #
tori?, rua do.Barao da Victoria n. I.
scaras
Amaral.Nabupo.& C. veadflin ma?raras de pa-
pejao, branpas. e pretas, para liomcas, mulherese
meninqs, de setim, de arame, de cera para homem,
mocas e velhos, typo inteiramente engracado : no
Bazar Victoria, rua do Barao da Victorian. 2.
Nan ha mais eabellos
brancos.
i mnmiMn JAPflMEZ*.
I S6 e unica approvada pelas academias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem appareeido ate hoje. Deposito princi-
pal & rua da Cadeia do Recife, boje Mar-
ques do 01inda,-n; 61,' 1.' andar,, e | em
tpdas as botieas e casas de cabellei-
jeiro.

I4s,de quadros
A liosa Branca veode .lindas .las de quadros, 0
pura .la e joatos muito 'chiques, dao-se amostras
.com penhor e manda-se levar em eaa,; aprovei-;|
item a occasiao : na rua da Imperatriz n. So.
Chegaram maiis me tins, e
agora-6 a 300 m
A Rosa Branca esta queimando a segunda re-
mena demetim bo ehita trancadaa 300 vado ; as pessoas qu? nso. comprarsin^dos pri-.
meiros a 320 rsv dvW> compfai]; agxira a 300/rs.,
dao-sa atnostras, e manda-se lewar nas casas:
qaem predisar aprpveitB : na rua da frnperatriz
n. 56.
________________________
PAltACr
Odilon Duarte A8Irmao
Rua da Imperatriz n. 82
Tem .promptos, a dispcsicSo abs'a mantes do Car
navalv,iJ0O barbas .a eseoMier, fwJo/baraliMimo
reco de 3/ cada uma, e grande puaiexo de ca-
M6rmaa e cpre^. a 1# 10a,
m?#
______
OAJ^AOO

4r1# IwjojJLsJipVf
Na pracadaindapeodeccia. 39,: lojade Pwta
M
e cordavlo e bezerrq,i^ar*
Borzeguins
bomem
Dhoi debezerro idem
Dim da.hagen;fretai)Ha3fitAora,
DHo.^e.dara.que dA^ftgaflpWof.para
menina
Sapatos de courinho com saho para se-
nhora
Sapatos de tapete avelludados finos para
04,'raem
MOO
4*090
24000
wool
Para ocarnaval
Liquida^ao de domin 6s.
Na loja do PavSo vende-.se uma grande
porgS de domiuos por prejos moito bara-
tos, por se drsejar i-cabar. Tendo de me-
tim a 39"0(i, ditos do lSzinha de 59000 a
69000, ditos de velbutina a 73000 e 85000;
pede.-se dizer que este era o preco.por^e sS^JX^Cr^^fofiSTj^ ao*
alugavam. t pechincba. I arco de Santo Antonio.
Lindo chfari?.
Vende-se por preco barato um rico chafariz
de marmere propritf para jardim, o qual se acha
armdo na vindo ao mercado.
AI buns com rieas
velludo, sendo diversos "tamanhos e
$09-
Aderecos completes de borracha pr. prios para
lo to, tan i be in se vendem meios aderecos muito bo-
nitos. |
uoloes de setim pre to e de cores para ornato dt
vestidos de sechora ; tambem tem para collete
psWIw.
Bolsas para senhoras, existe um bello sortiaen-
to de seda, de palba, de chagrim, etc., etc., por
barato preco.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca
eomo de cera, de borracha e de massa ; chama-
mos a atttti.ao das Exmas. Eraa para este artigo,
pois as vezes tornam-se as cri.inras um pouco im-
pertineates por falta de um obiecto que as en
tretenham.
Cannsas de linho lisas e com peitos bordadof
para homem, vtndem-se por preco commodo.
. Ceroulas de linho e do algodiic, de diversos pre
Cps,
Caixinhas com musiea, n que ha de mais Undo,
com diaticos nas tam|as e proprios para presen
tes.
Coquee os mais modernos e de diversos forma
tos.
Chapeos para senhura. Recebcrain um sorlimento
da ultima moda, tanto para senhora, como par?
menioas.
Canellas simples e com veo para noivas.
Caigas bordadas para meninas.
Eniremeios estampados e bordados, de lindoi
deseirhO!.
Escovas electricas para dentes, tem a proprie-
dade de evilar a carie doi deates.
Franjas de seda pretas e de cores, exi.te urn
grande sorlimento de divercas larguras e barato
pre?o.
Fitas de sarja, de gorgurio, de setim e de eha-
malote, de diversas larguras e bonitas cores.
Facnas. .de ^orgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A Predilecta prima em con-
servar sempre um bello e grande sorlimento des-
tas flo es, nao so para enfeite dos c^b*llos, como
tambem para ornato dc vestido de noivas,
, Galoes de algodao, do la e de seda, brancos, pre
tos e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lagos de cambraia e de seda de diversas cores
pajfti^enhora.
Ligat de seda de cores a brancas bordadas para
noiva.
' Livros para ouvir mlssa, ctm capas de madre
Eerola, marfim, 6s-o e velludo, tudo que ha df
om.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ca-
bel'os ; teem tambem para tjrar caspas.
Port bontmet. Um bello sortimenlo de madre-
perola, maram, osso e doprados por barato preco
Perfumarias. Nette artigo esta a PredUecta beai
proyjda, nao so ,em extractos, conjo em oleos e
bannas dos melhores odcres; dos mais afamados
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienics.
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis pars
a festa.:
Saias.Jjordadas para senbora, por commod(
preco.
Sapatinhos Jo la e de setim bordados ,para bap
tisadoe-
Tapeies. Recebeu a Predilecta um bonito sorli-
mento dc diversos. tamanhos, tanto para sofa co
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado o que ha de melhoi
gosto e os mais modernos, recebeu a Predilecta
vende por barato preco, para flcar ao alcance
qualquer iiolsa.
Rua do Cabuga n. 1
"Paris, 36,. Rua Vlvienne,, D*-
IHSMsHd MfiDICIM srtCIIL
DAS MmiHIBAD i DBS SEXDAES, AS i.'FECCOlS
r.'Tvp\<: r ALT8IIACOF3 DO SAKGDC.
110,000 cnr*s das imp**.
iens,puslulat. he i pel,
J sarna, comixoet, acri-
RK^f'IOrH flOHt'a, eallercoes. ri-
LiiMiZiJIAiJ a do sangue, vx-
rus, enUe> oioes d semmereurio). Bepurati vaa leteUcs
BiifBM HlKEHAEa tomao-se dous por
semana, seguindo o traciamsmo Depuraltvo: 4
empragado n is mesmss molestias.
I Bste Xarope Citracto de
Cerro it CH ABLE, curt
imra^diatamenie qaal-
luer purgacao, rela-
\xafao, e debihdade,
Muaimeute os Jtiuos e flores brancas das
mmheret. Esta iajeccao oenigoa erapregasse
com o Strope de Citracto de ftrro.
Beaiarroldaa) Pomuda que as cura em3 diat.
POMADA ANTIHERPETICA
Contm: nas aj'ecfoescutaneat e comixoei.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do r Chbic, cada frasco vrai
OEPURATIF
aceumpahada
de um folheto.
AVISO AOS SRS. MEDICOS.
[Can calarrhoi, lout*
coqueluchei, irrkafif
nertttal uu dot brm-
chioi t wdat at doencai
\-do peito; bsU o do*nU
ma colbe rchdea deste xarope IV Forget.
Dr. CSAJBU em Parii, ru TlTleiuie, S
Deposito botca Franceza
22-Rna da Cruz 22
Sirop du
d*-F0RGET
J. 0. C. Doyle.
Tem, para we 16 :
Cognac de Hennessy,.superior e verdadeir.
Vuuto Xeres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
, Chi preto em lattas de .10 libras.
Todas as preparacoes chimicas do Dr. Ayer
irjopipxa da rua do Commercio n 38.
Ohita preta a 280 rs. o co*
vado.
A rosa branca vende chita preta boa a 280 rs.
.CQ.yAdo ; isto e pechincha; na rua da Impera-
triz n. 56:
Caosbiaia.de-.forro a 1^600
a pec,a
mmto tapada e encorpada ; isto e so na rosa
brBnca:Wida:ImperiiUM n, 66, de AzeyedOAi C,
Camisas de chita francezasy
tA;jfos%Jpoaj.em;um resto.de camisas de cce-
tQnprie etita de diversos, numeros que vende
pafaicabar a,tjl!5(W ; quem conhece a farenda
sawque'^muitoi'barate, -aproveitem a oeasito-j
ituada impentrit b. 6.
^:VeB6V 26-bois de eawoea, muito bos, e
*snU*Hitairro-pafa oondwir. peso.de 6 a 8 to
na4#feii(|s1>-<-A(JWf node dar de, WOr* 150 car-
rocas : a trstar nLAMUo da Torre, dedomingo it*
" -fejr.a a ^ffireiJWTada' sematia.________'
afi escocezaa.
De varios padfJes, e inteiramente mddernas, a
360 rs :o'rooisado4 -na rua Priraeiro de Mar;,
) o. ,13, loja das columuas, d^ Ai>
Va eonrellos.
tomo 'Co'rrel.a
Vende-se .oma earrnca e nm hoi, estandn
este basbni-' des^anrad.; no armazem do stl, da
rua da Concel'lo, da-Boa Vista: a traiwnm
ancHco Meira. /____
Querem fazenda bai^tft.
Venharo on mandem a H"sa Branea que e.-ta
vendendo mniio i>artn>-^> a> fstrndaa i- roupa
fcita : na rua .rta-lmptratrn n. Cfi.
fazend
Rua Primeiro do Margo n Tik
DE
Cordeiro Siin6es E' esta uma das casas que t oje pode eon fft-
mazia offerecer aos seus freguew.- um varadMB
mo sorlimento de faxendas finas paia prande toi-
lette, e bem assim para uso ordinal. oV t das a."
classes, e por precos vantajosos, das qu ;e 'as sb
pequeno resomo.
Mandam fazendas as rasas d .- prctondeatts,
para'o que tem pessoal neceasano, edit aouMlB*.
mediante penhor.
Cortes de seda de linda? con s.
Grosdenaples de todas as cores.
Gorgurao branco, lizo. de li^tras, preto, lt-
Setim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadine de seda, preta c-ide cores.
Popelinas de lindos padroes.
Filo do seda, branco e preto.
Ricas basqninas dc seaa.
Casaccs de merino de cures, la, etc
Manias brasileiras.
Coites com cambraia branca con. lindos bordtv
dos.
Ricas capellas e mantas para noivxi.
Hiquirisimo sortimenlo de las com listraa ate
seda.
Cambraias de cores.
Dilas inaripozas, brancas, bias e nordadas.
Naniuijues de lindos radio..-.
Bapti.-las, padroes deiicados.
Percabnas de .pjadros, pretos c brancos, listri.-
etc, etc.
Brins de linho de cor, proprios para vestidi*
com ban a e Iistras.
Ricos cortes du vestido de linho, com infeites da.
mesma cor, ultima moda.
Ditos de cambiaia do cores.
Fustiio de lindas cores.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
godao.
Sortimenlo de Invas da ver.ladeira Lbr:a fc
Jouvin, para homens c scpluias.
Vestuarios para meniuus.
Diios para baptizado.
Chapeos para dito.
Toalhas e guardsnapos adai..aicad.,s dalink
cor, para mesa.
Colchas de la.
Cortinados bord:. Grande sot timent. do camisas de lu.ho, lizai
bordadas, para In M.cns.
Meias de ewes para Loraens, meninos e mcc-
na.
Dilas escoeezas.
Completo sorlimento de chapeos de sol pan
mens e senhoras.
Merino de cores para vestidos.
Dito preto, tran.;ado e dito de erao.
Aloalhado de linho e algodao para toalha;
Atoalhado pa do.
Damasco de la.
Brins de linho, brapco de (ores e preto.
Setim de lindas cores com Rttfta.
Chales de merino de cores e prelos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda pi eta e de cores.
Ditos de louquim.
Camisas de chita i ara homeus.
Ditas de flanella.
Ceroulas de liuhu c algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeiiis e a !
los.
Lencos b.-rdados e de lab;rinll!".
Colchas de cri diet.
Tarlalana de lAm as cor. s.
Ricos cortes de ve-!idos de Earlatana boNbdw
para corles.
Espartilhos li-os. bordados.
Foulard dc seda, liddas c6:e
Meias de seda pura senhoras e mrsuaas.
Ricas fachas de seda c I*, para senhoras.
Rico sortiminto de leques de madreperola"
osso.
Damasco de seda.
Ricos chapeos e In:leiinaS pan S*Bh i-;
ma moda.
Casemira preta edevr Chiias, madap, iao, pauno Bus press e ..rot, c
lariiihos, punhis de linho e ikjodae, 0av aas, It
vas de lio de E-cussia, 'apfitcj de todus os tama-
nhos, bolsas de viagt in. peitos bordados para hc-
mens, leaf)* de linho branco e do cores, SSsJIees.
guardanapo9, etc., eic.
Bazar: Mdrhi
E>te eslabelecimento acab.i da fwebef Comptv
to sorlimento de cintos de coaro i r to r m fiyei-
la e corrente de metal, punhos e g ilbiihas dc li
nho e gravatas escoecza*, tudo para ei.Iura : na,
rua do Barao da Vktoiia n. 2.
VENDE-SE "
um bom 'juartao, novo, castrado e prel i : na --
cheira do Sr. Agra mostra se e se d.ra earn quest
trata-se.
Bandej
as.
Amaral Nabuco 4 C. vendem bandej as de
tal e eliarao de diffcrentes modelos a rmanh v. ;
no Baxar victoria, rua do Barao da Vit nan. t
r
iiiii
t-
Vonde se lindis dominos de superior qnnHcMi
para o carnaval : na rua do Duque de l"axis
63._____________________________
Para ocarnaval
Gu-mao A Leal vendem Invas de pel! -.
pequeno toque de indfo a 500 rs., e quasi i i-
tas a IjS o par : na rua Primeiro de Marco n. ii.
Vigor do^Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacao do Ot-
hello, restituicao de sua cor
e vitalidade primitlva e nat-
ural.
, O Vigor do Cabello & uma preparacSo
mesmo tempo agradavel, saudavel e efficaz
conservar o cabello. Por meio do seu uso o>
cabello ruco, grisalho, e enzraqueciJo, dentx-o dc
iuco tempo revolve a cor que lhe e uatoral
jtiva, e adquire o brflno e a frescura do
ibello da juventude; o cabello ralo m torn*
denso e a calvicie muitas Tecee, posto que nfe
jem todos os casos e neutralizada.
Nao ha nada que pode reformar o cabeDc
depois dos foUiculos estarem destruidos, e m
glandes canaadas e idas, maia se ainda restaNia
'algums podem ser salvadas e utilizadas pel*
applicacao do Vigor. Libre de essas subetancia*
deleterias que. tornam muitas preparacoes de esta
genero tain nocivas e destructivas ao cabello, o
Vigor sdmente lhe e beneficial. Em ve de
sujar o cabello e o faeer pegajoeo, o conserrsv
lnipo e forte, embellizando o, impedindo a qoede*
e o tomar-se raco, e por consequinte previiM
calvicie.
Para use da toilette nio. ha nada buus a dees-
jar j nio contendo oleo nem tinturm, nio po#e
manchar mesmo o mais alvo lenco de cainbraia,,
per.lura no cajbellp, lhe da um lustre luxurioae^
e um perfume muito agradavel.
Psvra reformar a cor da bartta, e* necenme
maia tempo de que com o cabello, porem se pod*
arjpreesar o effeito, envolvendo a barba de
com um lenco molhado no Vigor.
f repkBAPo ro*
Dr. J. C. AYER A cfr Itrell, MASl.
KetadoB JJai^om.
Chtmie+t ITacttemM m Atmly*,
VENDS SOB FOB

}

' :. '
.



8
Diana de Pernambijeo Quints feira 12 de Fevereiro de 18&



Bela tari
A RESPHTO DO NEGOCIO DO MAIIECUAL BAZAINE
EXrWMMANDAKTE EM CHEFE DO EXERCITO
DO RHENO.
AUDIENCIA DE 3 DS NOVEMBRO
(Conlinuacdo )
0 coronel Stoffell expoz qua estando o
exercito do marechal Mac-Mahon sem
noticias'do marechal Bazaine, pjnsou em
rocorror ao concurso de- dous agenles
apoutados como muito activos e que perten
ciara a prefeitura tie policia ; que aquelles
dous agentes, por nome Rabasse e Midi, fo-
rm chamados de Paris ao carapo de Cha-
lons, e que se llies prometteram 20 ou
25 000 francos de recompensa, se conse-
guissera communicar com o marechal Ba
zaine, e trazer noticias positivas.
Aquelles dous agentes partiram, proseguio
a testemunha ; passaram se alguns dias sera
se ouvir fallar delles. A 20, recebeu-se
um despacho no qual elles annunciavam que
ndo podiam levar a effeito a sua missSo.
Fiz-lhes telegraphar para que voltassem, e
a 25 ou 26, tornei-os a ver pela ultima vez
em Rethel. mas nunca aiaisuuvi fallar que
tivesstm transiaittido ao eslado-miior des-
pachos do marechal Bazaiue, e nao vi no-
nhum dosses despachos.
P.Tendes acabado o vosso depoi-
mento?
R.Sim, Sr. presidente. Mas devo ac-
r.rescentar que neubiim despacho cltegou
directamente ds minhas inSos. Direi tam-
bem que um olficial, chamado Paulo Daru,
me tinha sido man dado addido dquelle ser-
vice das irifor.uaepes, e que elle poderd
certicar tudo quanto eu avancp PeJirei
por consequencia ao Sr. prosideute queira
fazer cita-lo para comparecer perante o con-
selho.
Presidente.Verei a esse respeito o que
teuha a fazer. Tinheis indieado aos agen-
tes o ponto de Longway ?
R.N8o, nao, os enearreguei senao de
penetrar em Metz, e de collier, sem impor
tar como, iuforuiacoes a respe to do mare-
chal Bazaine.
P.Lcmbrai-vos da data do despacho
em que os agentes vos diziam nao ter con-
seguido o seu propisito, do lugar em que
estavpm, e onde teriam visto o coraraanlan-
te Magaan ?
R.Nao.
P.Lembrai-vos se havieis respondido a
esse despacho.
R.Creio ndo lhe ter respondido.
P.Dissestes, que a 22, os agentes re-
ceberam um despacho. Dissestes v6s que
tavieis expedido esses despachos e se fos-
tes v0, lembrai-vos em que lugar o havieis
expedido ?
R.0 despacho raandado de Reims a
22, partio dirigido : 0 marechal Mac
Maho i aos agentes telegrapbicos do
exerfo de Chalons E'-me im possivel
dizei j elle era meu, ou de outro. To-
dsvi..ndo creio que seja meu, porque as
signava todos os meus despachos, e se
esse despacho nao estd assignado com
o meu nome ; alem disso.era dirigido
ao coronel Massaroli, para ser transmit-
tido aos agentes telegraphicos e eu
:iSo teria qualificaio assim os agentes que
empregava.
P.Como podestcs dizer entdo que elles
receberam esse despacho de 221
R-Teria feito mclhor em dizer; Um
despacho partio a 22 .
P.Se fostes estranho a essa expedicdo,
como tivestes conhecimento della ?
R.Um official do estado-maior disso-
uie nesse dia quo elles podiam para voltar.
Nao tendo a sua missao tido resultado, im-
portava-me pouco que elles ficassem f6ra,
e nSo fiz observacio.
Paulo Daru e eu estavamos alojados se-
paradaraente, e nao nos acbavjmos envoi
vidos na casa do marechal. Nao estava la*
quando os agentes pediram p.ra voltar ;
um official p6de dizer mo que se tinha
respondido en meu nome. Em todo o ca-
so, que o despacho seja meu ou de outro,
1180 ignorei o seu regresso, e nao liguei
grande impOrtancia a esse incidente. 36
.'inha um empenho : obter noticias do ma-
rechal Bazaine ; o fim faltou e o resto de
pouco imports.
P.Aquelles agentes estavam especial-
mente collocados debaixo das vossas ordens,
e todavia, o primeiro official que appareceu
pdde dispflr delles, e faze-los regressar ?
R.Todo o estafo-maior sabia que es-
ses agentes erara empregados.
P.Empregados o'uma missao secreta.
T.
I natureza das funecdes coofiadas naoTpdew certiEcar nada
S cousas nio se toroam* R.Creio ter uma' recordacdo confusa
to* gaorra da maior pru- de que outros respoaderam por mim, mas
tea das funecdes coofiadas nio posso certificar nada
aquelles agentes e das. que se eonaervara f.*-Odespacho em qiie se dizia aos vos-
occultas, Seja como tor, sabieis para que so* agentes para voltarem nao era rosso 1
ponto era dirigido o ;dospacbo que auton- R.Ha grande confusao nas minhas
sava os agentes a regressar ? ideas, mas creio que nao era meu.
R.Para Longway. O presidente, resumio o depoimento da
PComo se sabia que estavam em Lon- testemunha; que nao conservou nenhuma
gway, uma vez que tinham a missao de ir idea do que fez, nera dos seus actqs pe-
para Metz ? soaes, nem dos seus agentes, e que enten-
R. -E isso que me domonstra nSo ter deu n8o dever abrir, os papeis que estes ul-
silo-eu quern expedio o despacho. Os timo* lhe lerafam, porque estava anteci-
agentes hgavam talvez grande importancia padaraente persuadido de que esses papeis
a qaestao de saber se detiam voltar. A n5o tinham nenhuma importancia. Creio
unica cousa importante para mim era ter quod esse o vo'sso depoimento? concluioo
noticiae do marechal Bazaine ; iusigniBcante presidente.
para mim. ^...pisse ao conselho que os acontoci-
r. -was o omciai desconhecido que ti- mentos daquella epoca, nao tinham deixado
nna tornado sobre si telegraphar aos agen- na minha memoria senao recordacoes con-
tes disse-vos o motivo porque mandava vol- fusas, mas que podia afflrmar que os agen-
Ur os agentes 1 tes Mies e Rabasse me n8o tinham nunca
.....' ~ -i-ranl
agentes'
R.N3o ; e esso incidente n3o me ia- ] dirjgtdo directamente nenhuma noticia do
commoda. 'eieroito do Rheno.
P.Sabieis se esse official vos disse : Presidente. -O comraissario do governo
Chegaram despachos? ,tem algumas perguntas que dirigir i teste
R.E' possivel que me tenha dito : ninnha ?
Chegaram despachos ; mas as minhas' 0 general Pourcet.feqo que se faija
jtMfts sao confusas nesse ponto. ibi|an do depoimento do coronel Stoffell,
P.Se os officiaes po liam assim ser pos- perante o general que instaurou 9 pro-
tos ao corrente das inissfies raais secretes cesso.
quando os agentes regrnssavam, & porque j Eez-se e leitura deste depoimento, no
tinham chogado despachos ? Esses despa- qul o Sr. Stoffell reconheceu que tinha
chos deyiatn-vos sor dirigidos pessoalmente dado aos agentes ordem para se reunirom
por aquelles agentes, que estavam ds vossas o exercito.
ordens ? | P. Como explicais esta contradi^ao, n&
R. Vivia.iios todos como bons camara-( yosso depoimento escripto e no vosso de-
FOLHETIM.
tUCBECIA SOB&U
MEM0R1AS DE SATAHAZ
POR
9. Manocl Fernandezy Gonzalez
TERCEIRA PARTE.
0 DUQUE VALENTINO.
II
EM SER
das, e conliecen lo a missao de que estavam
encarre^ados aquelles agentes, o primeiro
official que estava de servigo pdde tomar
conhecimento dos seus despachos, e respoh-
der ao pedido que lizeram para regressar.
P.Assim, dizieis nao ter recebido ne-
nhum despacho telegraphico dos agentes-
Mie's e Rabasse ?
R.Nenhuin.
P.Os despachos dirigidos nominativa-
mente ao Cjrouel Stoffell podiam ter sido
a outras pessoas que nao fosseis v6s?
R.Sim, senhor presidente.
P.Deste modo, repito a minha pergun-
ta, nao tinheis recebilo dos agentes Mies e
Rabasse nenhum outro despacho senao o
que annuuciava que nao tinham conseguido
levar a effeito a sua missao?
R.Sim, senhor presidente.
P.Tivestes conhecimento do dia em
que esses agentes regressarara ?
R.Sube-o pelo relatorio do general
Riviere.
T.Em Rethel, a 26 de agosto, apre-
sentaram-vos elles alguns documentos ?
P.Sim, eat reg a ram-me alguns d cu-
rnentos. Lembro me especialmente de uma
carta em que se recommendava o nome
de Guyard ; apresentaram-rae tambem um
mago de papeis. Mas nem mesmo olhei
para esses papeis, porque para mim o seu
regresso j4 n8o tinha nenhuma importancia,
por isso que haviam cumprido a sua mis-
sao.
P.Sem explicates, nem commentarios
nao tinheis mesmo chegado a ler os despa
chos do marechal Bazaine, ou do general
Coffinie>es ? Tinheis igualmente dito que
aquelles agentes, que deviam ter orgulho
de haver cumprido a sua segunda missao, e
aos quaes,se tinham promettido 25,000 fran-
cos no caso de exito, se contentaram em
vos apresentar um mac,o de papeis, sora
vos provenir de que o despacho de que
eraji portadores podia ter uma certa im-
portancia Foi esta a vossa resposta ?
R.Disseram-me talvez alguma cousa ;
mas eu nao me recordo ; nao chamou a
m'nha atten^ao.
P.Desse modo, os nomes de Bazaine e
de Coffinie'res n3o forara pronunciados pe-
los agentes ?
R.0 nome de Coffinieres, BlO sei ; mas
o do marechal ndo.
P. Pertnitti me que vos faja observar
que o general Coffinieres era governador da
praga de Metz; mas passemos adiante.
Assim, estais certo de nao ter reeebido da-
quelles agnntes nenhuma noticia dexercito.
e tinheis pensado quando vos entregaram os
papeis, que aq'ielles papeis nao etam mais
do que reproduccjio dos seus iosignificantes
despachos precedentes ?
R.Devo ter supposto isso.
P.Nao tinheis recebido, por consequen-
cia, pelo telegrapho na tarde de 22, ne-
nhum despacho vindo dos vossos agentes ?
R.NSo, senhor presidente.
P. Nao tinheis sabido, por nenhum dos
vossos collegas, que os despachos desses
agentes tinham chegado ao estado-maior ?
depoimento oral ?
R.Explico-a assim; e" quj no mo-
menta em que a questao me foi apresseuta-
da pelo general relator, eu nao tinha procu-
rado recordar-me.
0 general Pourcet Havieis dito aos
agentes, quando vos entregaram os despa-
chos que'levavam : Nao ha ahi nada de
novo ?
R-N3o conservo senSo recordacoes con-
fusas ; nao me lembro nada das minhas
conversas com aquelles agentes. fbmei
quatro folhas de papel, metti-as na minha
algibeira sem olhar para ellas ; siato-o de-
veras. Sa me tivessem dito ; a Eis aqui
as noticias do marechal Bazaine, certamente
que me teria apressado a le-las.
P.Haveis considerado que os agentes
tinham cumprido bom ama parle' da sua
missao ?
R.Consideroime feliz de me ser apre-
sentada essa questao. Procura-se a esse
respeito lancar sobre mim a rergonha e a
infamia ; disse-se que eu tinha desviatdo a
recompensa promettida de 20 ou 25:000
francos, se elles podessim penetrar em Metz;
contentaram se em ir a Longway, e de me
trazerem despachos de urn chamado (iuyard,
que o coronel Massaroli tinha expedido sem
elles. Dei a cada uoo 1:0 a francos, sesfto
exactas as minhas recordacoes. Merecram
mais ?
Presidente.Mas se o3o tinheis recebi-
do oi despacho do chamado Gawd, como
dizeis, em que dado estabelecieis essa par-
te da recompensa que reconhecieis ser oV
vida ?
R.Nao quiz senao indenanisal os do seu
incomroodo, e de maneira nenhuma dar-
lhes uma recompensa que na minha opiniSo
elles n3a tinham merecido.
0 general Chabaud Latour. Mas tarde
quando forum mandados a Paris, haviei-s-
lhes mandado enlregar algum supplemento
de honorarios. Fizeram elles alguma ob-
Disseram elles : Tendes-nos^
promettido uma recompensa, ehavendo conv
prido a missao, pagai-nos? >
R Nao disseram nada, porque sabiam
bem que se lhe nao devia cousa alguma,
comquanto alguns- jornaes pretendam o coa-
trario.
Presidente.Sr. defensor, tern algumas
perguntas a fazer ?
Mr. Lachaud-. Nenhum*.
Presidente.Gonvido-vos-a-retirar-vos-pah-
ra a sala das testemunhas.
0 coronel Stoffell.Sei que nao estou
aqui senao como testemunha-, mas fizecam-
se insinuates attentatorias da minha hon-
ra; pedirei ao Sr. presidente licenga para
me avar das calumnias que se me tern di-
rigido.
Presidente.N*o tendes- de que vos-quei-
xar ; nao sois- aqui senao- testemunha^ e se
tendes encontrado no relatorio, por isso que
e d'elle que se trata, algumas palavrae seve-
ns que vos eram dingidas, nao tendes ou-
tro meio de- vos defender aqui, senao de-
pondo com franqueza e precisao. S6 a
KM QUE SE VE 0 PERICO QUE HAV1A
ESPOSO DE LVJCRECIA
(Continuasao do n. 34.)
- Entretanto, Affonso tora conduzido aos
seus aposentos no Vaticano.
Recebera uma cutilada na cabeca, dous
golpes de alabarda e tres eslocadas no
corpo.
Cesar, julgando terrainado aquelleas-
-sumpto, encarregou dous medicos de em-
pregarem todos os esforcos para salvar o
ferido.
Suspendeu a sua viagem, fieando como
born irmSo, junto do leito de Affonso, e
enviou um correio a Sermonetta, portador
da tristenova para Lucrecia
i Comtudo, apezar de que os ferimentos
oram graves, a juventude e a robustez do
principe triumpharam d'elles, e cs medicos,
que haviam acreditado de boa fe* na recom-
racada^ao de Cesar, declararam no segundo
dia que n8o havia a receiar pela vida de
Affonso, mas que era necessario um grande
retJouso e um grande socego, porque 0 prin-
cipe delirava.
A causa do delirio de Affonso era a voz
que elle ouvira na occasiao de ser. atacado.
Recordava vagamenj.a*iu*lfa voz, queria
'4a&igQSiux4uam atta pertencia, e nao lhe
era isso possivel.
Enchia-o, porem, de espanto essa recor-
dacao, sear que podesse e^plicor a causa,
e fazia-o delirar e pronunciar continuamen-
te ostas palavras :
Aquella voz... aquella voz? Quem
era aqnelle h^mem ? Porque raz8o me
disse elle que me matava pelo amor de Lu-
crecia ?
Estas palavras comprometteram Francesco
Garella, tio materno de Affonso, queo
acompanhara desde Napoles, e que na epoca
do casamento de seu sobrinho com Lucre-
cia, commettera a imprudencia de fazer a
cdrte a aquella e mos.trar-se cioso da fehci-
dade do principe.
Foi isto, pelo menos, o que se disse para
justificar a accusacao e a prisio de Garella,
que foi rigorosamente encerrado no castello
de Sant'Angelo.
Era,. comtudo, necessario acabar com
aquelle desditoso joven para deixar Uvre a
mao de Lucrecia, e acabar com elle an.es
de qu ella chegasse e o protegesse com a
sua presence.
A estada de Affooso de Napoles no Vatica-
no difficultava o consummacAo d'aquelle cri-
me horrivel.
Michelotto diziaj a Cesar Borgia.
Sao estes os resultados de se laacei'
mio de gente inesperta ; nao basta para
estes-casos ter um coracio forte ; 6 neces-
sario, tambem, que a mao seja habil. Nun-
dous vuhoo- pelos iardins solitarios e es-
curos.
Chrgaranii a um postigo que abriram,
entrandoe fechando-de novo o postigo.
.Minutos depois brio-se uma porta secre-
ta no pfoprio quarto de Affobso, quo, veu-
cido pela febre e pelo delirio, adorme-
oera.
Por aquella porta appareceu um homera,
trazendo no rosto uma mascara de velludo
pre to.
A porta, ao fechar-se, deixou \et no fun-
do obseuro, um vulto informe.
0 que havia entrado avancou para o
leito como o tig re que se aproxima da press
descuidada.
Os seus cabellos eram de um louro for-
mosissimo, e agitava-lhe os membros uma
imuaciencia febril.
Quando estevejunto do leito, contemplou
com olhar satanico o principe que dormia.
Em seguida tirou a mascara e pendu-
rou-a no cinturao.
Depois sacudio brandameute o prii
que despertou. -
Ao ver o homem que estava junto do seu
leito, cujo rosto estava illuminado pela luz
da lampada uocturna, soltou uma exclama-
Ah t 'disse elle, aquella voz era a tua ?
assim o fizerdes, lavarvos das imputac^es de
quo voa qoeixais.
0 foronel Stoffell7ejo que o Sr. pre-
sidente me recusa agora a palavra, porque
teme que eu ataque o relatjrio ; partilho
a respeito do relator a opinido de todo o ex-
ercito.
Presidente. -Nao recuso a palavra. Es-
tou prompto a ouvir-vos sobre tudo quanto
dizrespr te, e se tendes alguma
nova c_4 ...UVv.o a tornecer ao conselho, po-
deis fallar, mas ndo tenhp o direito de con-
sontir que sahiais da vossa posijao de teste-
munha, e quo -'- discussab de uma
quest*) pe-. >
0 coronel Stoffell. Repito-vos Sr. pre
sidente, que a minha iut^neao nao e atacar
o relator; partilho a este respeito da opi
niao de todo o exercito, e por elle nao te-
nho senao desprezo e desconsideravao.
Presidente'.Coronel, jolgo dever inter-
romper-vos ; nao tendes a palavra. Pocp-
vos que vos retireis.
Em seguida foi novamente chamado o
agente Rabasse para confrontaepp.
Presidmte.Antes de vos fazer uma no-
va pergunta, vou mandar fazer leitura do
vosso depoimento escripto, e do relatorio
que reduistes em consequencia da vossa
miss3o. Esse depoimento e esse relatorio
nao dizem nada da chegada ao estado Jiaior
a noite. Os agentes declararam hontem que
tinha n sido recebid^s por am criado, sendo
conduzi ios a presence de um official, e de-
p is perante um coronel, o qual, depois de
ter tornado conhecimento dos despachos
trazidos, dissera : Conheciamol-os ha-
via dous dias. Os agentes deram em se-
guida uma descripcao circumstancia )a dos
lugares.
Mandei fazer leitura d'estes dous docu-
mentos para vos fazer ver quanto p6Je pa-
recer extraorJinario que homens habituades
a comparecer perante a justiga. e a dar in-
forma^oos, completas e circum-tmciadas,
tenbain esquecido esta circumstancia' princi-
pal da maneira porque o tendes refcrido e
feito entrega dos- originaes dos despochos
0 vo9so relatorio estd redigido, como-^ re-
digido um documento d'esta impirtancia.
Abundam u'elle os detalhes. Po que ndo
escrevestes, o que havieis dito hontem ?
Chegastes ao estado maior general ; bates-
tes- a porta, fostes recebido por um criado*,
que vos conduzio a presence de um official
qualquer j depois apresentou-se outro, este-
ultimo recebeu e leu os dnspachos, e foi s6-
no dia-seguinte que pensastes- em ver o co-
ronel Stoffell. Como podsis- ter esquecido
estes detalhes irnportantes no vosso relatorio
e no vosso depoimento perante o general
relator ?
R.Nao me occorreu a ida.
P.Ah I nao nos falleis ass'tm fAiso. ]
Nao podeis, com e-habito quo tendes de dar
inforraa^oes- i justice, esquecer semelhantes
pormenores. Dizei^nos como vos-oceorreu
depois ii- idea ?
R.Mfes lembreu'-me esses pormenores
depois oV termos comparecido perante o ge-
neral relator, e disso-mo:
Lembrai-vos? tMas nao depuz assim,
respondi eu.
P.Dizei-rae simplesmente como vos oc-
correu a idea. Foi da nvsma maneira c|ue
a do reconheciment)do coronel que rece-
beu os despachos ? D'essemodo rao tinb&is
reconhecido o coronel>'hooem.
R.Eu estava pela- parle de traz. Nfie-vi
0 coronel; s6 ouvi dizer ao official1 que nos
recobeu : Meu coroneU
P. Ereis subordkiadonle Mies ?
R*Gonsiderava-e como meu superior,
porque era mais antigo do queeu.
P.A recordava* n3o fe-um acto-de s-
bordina^ao ? Foi por cotisideracAo com o
habito de obedecer, que procurastes- fazer
concordar as vossas reeonfcwjoos com as-suas?
R.Nao aceitei uma iden que nao era a
minha.. Nunca mais-toraei a ver Mies, que
nao se occupa no mesmo ser vino em que
eu estou; nao o toraci a -*er senao ultima-
mente.
P.Sem torna a ver Mies, ter-vos-hia
occorrido aquella idea ?
R.Cert^nentB; se me tivessem iuterro-
ga lo a respeito dos pormenores.
P.Nao esqueeestes neobum detalhe no
vosso relatorio ; horas de partida, boras de
chegada, tudo eta" notado miuucios*mente,
e haveis esquecido o principal detalhe. Is-
to pode parecer surpreheodente.
R.Teem decorrido tres annos,. e p6dt
ter. esquecido. Mies disse-me; Lem-
brai-vos da vossa entrada em casa. do ma-
rechal?
P.Esta entrada estd cheia de pormeno-
franqueza uV vossa exposic&o, poderd, so res curiosos : um official em mangas de ca-
ca me succedeu uma cousa assim ; se eujFostetu, Pedro
me tivesse encarregado d'isso, o caso seria 0 principe quiz griur, quiz pedir soc-
outro. Veja o que vale o seu bracp direi- corro, porem a sua vox era muito frac* e
to ; o senhor vai-se tarnando imprudente, nao podia ser ourida pelos crltdos que es-
e receio muito que acabe mal. tavam distantes.
Pois Michelotto, aquelle que come- Abim d'isso, Pedro de Napoles, sem dis-
cpu este negocio 6 quem o ba de acabar t farce algum, deixando se ver tal qual era,
procure Ramiro de Oreo e envia-m'o. \ opprimia com as duas mios a garganta de
Michelotto eucolheu os horabros e sahio. Affonso, e suffocava-o lentamente.
N'aquella noite Ctsar, prevalecendo-sedo Sim, sou eu, disse Pedro com voz con-
preceito dos medicos de que o ferido tivesse centrada e horrivel ; eu, expulsoda miulia
repouso e socego, a fast m do seu leito, e familia pelo teu odio ; eu, abaudonado por
nMS^io Jos aposei.tos iramediatos, todos os ti ; eu, ti lo por morto e nao chorado ; eu,
criados, e ells proj,rh stbio no principio que ma levauto Jo tumulo para me vinga .
da ooite^jom o prop.silo ue se .leivir ver Cbama, chama pela tuaedorada, pel* tua
dur-i.te ftda ella. en lu-'ires aoartadosdo auante Lucrecia I Ah I ignoravaa que eu
Vaticano. "\ < vivia, que a amava, quepossm-la (5 cami-
A uiia bora d" jssavaaji nh^r para a morte -Os moilossao esqtte-
cidos, os mo r to s nao causa m eiumes....
Morre I
E aquelle Cairn e-pantoso opprimia len-
tamente a garganta do principe, que se agi-
tava n'uraa convulsao horriveK
Sobrevio afinal a asphixiax e cessaram as
convursoes.
Affcnso de Aragao tinha morriio^
Pedro contempTou-o du*ante alguns se-
guodos com uma expressao in^ncebivel.
Em seguida poz a mascara, cotuio os ca-
bellos com o capuz do manto. dirigio-se
para a porta secreta, bateu demansiuho
com os dedos
A porta abrio-se e appareceu Michelotto.
Venha, disse lbs Pedro, e veja se hi
mais alguma co~sa a fazer.
Michelotto apruximou-se da mesa, pegou
na lampada dirlzio-se para o leito, olhou
para o cadaver e examiaou- lhe a gargante.
' Nio se viam n'ella os mais pequenos ves-
tigios.
Affonso f6ra suffbeado brandamente.
Muito bem, disse Michelotto com voz
tranquilla, estd tuio concluido e retiremo-
nos, porque nae ternos n ida mais que fazer
ajui.
E os dous assassinos sahiram pela porta
secrett.
Quatro horas depois, abrio-se a porta do
quarto, e entrou rapidamente uma mulher
que se precipitou sobre o leito oude jazia
unicameate um cadaver.
Aquella mulher era Lucrecia.
Ao ver o cadaver, soltou um grito de es
panto, um immenso grito de ddr.
& em seguida inclinou a cabega sobre o
cadaver, beijou-o e exclamou por entre so-
Itcps :
Cbegui-i tarde 1 Assassinar.m-te 1
Mas eu i-onhecp o teu assassino e vingar-te-
ht-i !
Comtudo, Lucrecia teve bastante valor
para engaoar Cosar, acreditando appareijie-
m-'-nte n-s suas demonstra^oes de uPr.
Cesar julgou ter illudido sua irma.
A morte de Affonso foi attribuida aos seus
ferimentos.
misa, depois outro tambem em trajos de
noite, e que havieis reconhecido na manha
seguinte com as dragonas do coronel. Este
ultimo tinha uma vella na mao ; Mies pega
na vella. 0 coronel folheia os despachos,
e responde-vos: Temos conhecimento
d'elles ha dous dias. E v6s esqueceis
todos estes pormenores I E' muito extraor-
Jinario, e especialmente da parte de um ho-
mera que etd acostumado a nao esquecer
nada, e ver tudo, e a tudo notir.
R.Esses pormenores ndo tinham para
mim nenhum interesso; receber, transpor-
tar e entregar os despachos em maos pro-
prias, isso e que era importante para
mim.
P.Dissestes hontem que havieis consul-
t'do com Mies. Perguntar-vos-hei se es-
tais costumado a combinar-vos antes de la-
zcr um dopoimento perante a justiQa. Sa-
beis que isso se nao faz ?
R Nao uos combinamos. Mies fallou
me da iiossa chegada d casa do marechal.
Disse-.ne: E' necessario depor, ou se
vos uaP lerabrardes nao digais.
P. Ob I Essas palavras de Mies nao te-
nho eu em conta o que eu, conservo, e que
tendes confess ido que havieis combinado.
Perguuto-vos se e essa uma maneira regu-
lar de proceder; se e assim que procedem
sempre os inspectores de policia ?
R.Nao, senhor.
P.-Fostes vos que havieis feito entrega
dos despachos ao coronel Stoffell ?
R. Alfirmo que lhe fiz entrega d'elles no
dia 26 pela manha.
P.Susteatais o vosso depoimento
oral e por escripto ?
R.Sim, senhor.
P. 0 que foi que vos prometteram ?
R.Nenhuma quantia. Na occasiao da
partida, entregaram-nos 500 fr ncos ; o co-
ronel di*se-nos : Parti e semeai ouro.
Presidente.Mas com 500 francos oao
podieis s*imeiar muito ouro (riso). Onde
vistes pela ultima vrz o coronel StoffelF ?
R. Em Cbene-Popoleut.
F.Tinhefcdirigid icfespachosao coronel
Stoftoll ?
R. Neiibnm, entreguei em m3o pro-
pria os- despachos- de que era portador.
P. 0' coronel Stoffell lew todos os- vossos
despachos ? Na carta do coronel Massaroli
estava radicado que Guyard tinha trazido
despachos de Metz t
R.Sim, senhor presidenta:
0 Sr. Chabaud Latour.Mas havieis in-
dieado ao coronel Stoffell que havia despa-
chos do marechal Bazaine ?
R.Entreguei esse* despachos- sera incB-
car a sua procedencia, e depois de ter to-
rnado conheeimento d'elles disse-me que jd
os-conhecia.
Bm seguida'foi chamado para confronta-
gao'o agente Mies.
01 Presidents. Deu ordem ao eserivdo
para ler o depoimento eseriptj do- agente
Mies* eo relatorio redigjdo por elle- a res-
peito da sua missao.
P'.Como e, Mies, que-vos, um homem
habituado ds formalidades- judiciaes, e sa-
bendoo valor quo tern a- menor crrcums-
taucia, tendes no vosso relatorio, deixado
de fatlar de um faetO tdo importante, como
foi a vossa visita> nocturne-- ao estado maior
general.
R.Omeu relatorio tiae era mais do
que uma justifica^do do emprego que tinha
feito do meu twnpo em quanto durou a
iiiinh.i missao
P.Honte i) havieis atuibuido ao eoro-
nel d'Abzac palavras que hoje attribuis ao
coronwl Stoffell ?'
. R.Nao coraprehendi bem.
P.Sim, cojtipreheudo ;. quereis faaer-
me repetir a mtnha pergunta para ter tempo
de refleclir no quo deveis- responder. Co-
niie., ia pralica.
0 presidente repetio a pergunta.
R.D sse que o coronel d'Abzac me tiaha
dito : Conlieoemos isso ha dous dias, e
que o coronel Stoffell pegando nos despa-
cho9> tinha dito i S8o o& despachos que
nos haveis enviado.
P.Devo fazer-vos oLservar quo tendes
atiribuido ao coronel d'Abzac essas pala-
vras : Sdo os- despachos que me tendes
enviado. Agora, que sorama vos tinha
promettido o coronel Stoffell ?
R.Nenhuma. Entregou-me 300 fran
i .;s, dizenlo.que todas as nossas despezas
seriam feitas- pelo exercito francez.
P.Quementregou es.originaes ao co-
ronel Stoffell ?
R.Foi Rabasse quem lh'os- entregou
dizendo. Ei-los aqui. 0 coronel res-
tituio-lh'os quasi im nedialamente ; foi so
a noite emquanto jantavamos, que elle me
0 funeral foi feito ni igreja, de S. Pedro
onde o enterraram, e Garella, sobre quem
fizeram recahir toda a culpabihdade, com
provas e testemunhas falsas, foi decapitado,
alguns dias depois, na praca de Sant'An-
gelo.
Ul
UUEM MAX ISA, MAL ACABA.
Lucrecia com uaoa immensa cdrte de
damas, cavalheiros e guardas, retirou-se
para Nopi, afim. de passar o luto pela mor-
te do marido.
Nao fizera recriminagao alguua a Cesar,
a quem tratara com o miior carioho, nem
mostrara a menor duv da de quo o justice-
do Garella tivesse sido o autor do assassi
nalo.
A ninguem disse uma unica palavra ;
porem guardou no seu corac,&o um odio
inteoio, uma sede ardente de vinganca con-
tra Cesar.
Este, entretanto, havia acabado de coo-
quistar o que reStava livre do seu poder na
Roumania, de assassuiar os que podiam le-
vantar-se contra elle, e intontara repetidas
excursOes sobre a Toscana, obrigando a
senhori.i de Floren^a a dar-lhe um tribute*
de muilos mJbares de ducados a troco da
paz.
Occupava se ao mesmo tempo do casa-
mento de sua irma com Affonso de E'ste,
casamento, como dissemos jd, protegido
pelo rei Luiz XII de France, e desejado pela
casa de Ferrari, que via n'elle um augmen-
to de poder.
Lucrecia parecia ter esquecido Affonso,
entregando-se em Neni ds diversoes que
eram com pa ti/eis com o luto, e.mostran-
do-se propicia ao novo enlace gufc se lhe
impunha.
So Dcus sabia o que se passava no cova-
c,ao Jo Lucricia, que, por outro ladoaiu.iva
coin delirio seu filho RoJrigo.
Em lAOl celebrou-se com grande pom pa,
em Roma o casamento de Lucrecia com
Affonso de E'ste.
Ao mesmo tempo o marechal Daubigtu
veio procurer e me pedio pormenores.
Mies communicou ao conselho o despa-
cho que lhe foi dirigido e a Rabasse, da-
rante a noite, para lhe mandar e lhe dar
ordem para se juntar ao exercito.
0 general Chabaud-Lotoxtr.fergaau-
rei d testemunha que sorama lhe entregou
o coronel Stoffell em Chi r.e-Populeux ?
R.Deu-nos 100 francos para entregar
ao cofre municipal, e 50 francos a cada um
para entregar em Paris
(A audiencia foi suspense ds quatro bo-
ras menos um quarto, e recomecpu ds 5
menos dez minutos.)
Presidente Chamai o coronel Stoffell.
(Movimento no auditorio.)
Presidente. Na occasiao em que. no fim
do vosso depoimento, vos convidava a re-
Urar-vos, muitos membros do conselho jul-
garam ouvir palavras ultrajantes para o ge-
neral relator. Essas palavras escaparam-me
no meio do arruido. Seriam estas s
Partilho a respeito do relator o sentinen-
to de todo o exercito, e nio tenbo com re-
la.,jo a elle senao o desprezo e o desiem >
Pronunciates es'.as palavras ?
R.Sim.
P.Sustentai-las, ou estais prompto a re-
tira-las
R.Disse-as, e nao tenbo que me re-
tractar do que disse. Fui atacado e calum-
nialo pelo relator.
Presidente.Em virtude do artigo lib
do codigo de justice militar, sobre a compe-
tencia dos tribunaes militares, e do artigo
922, do codigo Jiseiplinar ordinario, sobre
os ultrages dirigidos a um magistrado n j
exercicio das suas funccpes, vou man-
dar-vos lavrar auto a respeito deste inci-
dente.
O presidente, dictando : 0 corouel Stof-
fell, testemunha, proiwnciou perante o con-
selho de guerra as seguiotes palavras: c Ho
que diz respeito ao relator, partilho os sen-
timentosde todo o exercito, e ndo siuto a
respeito delle senao o desprezo e o des-
dem. Enterpellado pelo presidente, e
convidado por elle a retra>:lar-se, ou a ex-
plicar aqueltes palavras, a- testemunha de-
ciorou que as mantinha.
Reconheceis a exactidaP destas pala-
vras ?
H.A palavra explicar nao foi pronun-
ciade pelo presidente.
P.Explicai entao essas palavras sem as
aggra*ar ?
R.Ndo sou nenhuma crianoa. Fui ac-
cusado de um acto que nao eommetti: fui
calumaiado.
P.Nio 6 isso que eu oicpeomoexplica-
?ao. Av vossa explieagao deve assenler uni-
camente no sentido das vossas palavras.
Nao tendes nada a- accrescentar ?
R.Ndo posso tspressar seudo e que
sinto, e nio tenho neda que rettrer.
Presidente.A. redacclo que acabo de
dictar, parece-vos cooforme ?
R.Nao tenho vontade de ma eipres-
ao*i-
Presidente.Rectifieo a reo^coao neste
sentido : O coronel Stoffell convidado a
explicar-se a-respeito das suas palivrae, nio
prestou sendo explica^oesinaceitavow.
Mr. Lachaud.Quer o presidente per-
natttir-me que pronuneie algumas pala
vras?
Presidente.Mr. Lacbeud, ea vos darei
palavra n'outra occasido-; mas agore trata-
se da policia da audiencia, e neobum arti-
go do codigo me impoeedever dcconsul-
tar a accusagao ou a defen-
Str. Lachaud.Queria dizer senente,
impellido por um seniimeuto que o presi-
dente ha ie comprebender, que em certos
momeutos um homem elevado, sobo impe-
rio-do um sentiaaento vie-lento, podeopixar-
se acrastar ate ao ponto de pronainciar
palavras muito vivas, e sempre censuravei
quando se trata de um magistrate Que-
ria couvidar o coronel Stoffull a retirar as
suas palavras.
Presidente.Vou ainda oocupar-me do
auto. 0 coronel Stoffell quer retirar as suas
palavras ?
ii.- -De que ate serviria-isso ? Nio que-
ro commetter uma rapaziada murmu
rio.)
Presidente* Ndo se trata de srapaziada,
Sr. coronel Stoffell. Retratareis, sina ou
ndi), as vossas palavras !
R.Nao posso fallar contra o* meus seu-
timectos.
P.Pois bem. E;ti encerrado o inci-
dente. 0 auto ni ser lido, e serd trans-
iaittido ao general commandatite da 1.* di
visdo militar, que o ba do fazer encami
nhar d jurisdic^ao competeote.
Gontmuar-se-ha
expellia de Napoles o rei Frederico, e toma
va posse do reino em nome de Luiz VII.
0 inimigo que a France encontreva era
formidavel ; e, como, quando se accommet
te uma grande empreza, e bom augmentar
a force por todos os meins possiveis, o rei
de Franca obngou Cesar Borgia eoduque
de Ferrara, a auxiliarem-n'o com um exer-
cito.
A Italia devia ser por algum tempo um
sangukiolento campo de batalha.
N'estas circamstaucias, tornou-se neces-
sario a viagem dos dous espoeos, Affonso e
Lucrecia, & Ferrara, e Alexandre VI quiz
que nio fosse menor a magnificencia d&
viagem do que o fdra a das bodas.
Uma cdrte deslumbreate, da que faia
parte o senado roraano, devia a com pasha r
os esposos ate' ao lijuite dos estados. pon-
tificios.
Fizeram-se preparativos para que eaa
todas as povoacpes do transito hnm iiiw
demonstrac^es do maior regosijo, e foram
irnportantes as offertas qoe vieram de todas
es partes, d excepcSo de Seseoa.
Cumprioda o prcmottido a Ramiro de
Oreo, isto e\ a Peiro de Napoles, pelo as-
sassinate de seu irmao Affonso, Ceaar eo-
viou-o por governador a Sesena, com ina-
trucodes sanguinarias qoe Pedro de Napoles
era o ma s a proposito para desempenhar.
Cesar Borgia confiava pouco uos hahi
untes de Sesena, que, mesmo quando elle
resilira n'aquella villa, se lhe haviam mos-
trado hostis e comprehen lera que so os po-
deria submeiter por meio do terror.
De tal modo cumprio Pe Iro de Napoles
o encargo de Cesar, que, pouco tempo de-
pois de ser governador, a terca parte dos
habitanles de Sesem havia sido justicacla
ou assassin 0 nome de Ramiro ii Orcocausava, nio
s6 aos liabUant'S de S<;sena, mas tambem
aos das viziiibanras, um terror frio.

I


.<
-T'
(Continuar-se-ha.j
IYP.D0 i -;A DUQUE IE CAWaS.
L



\ ~mti8T^\