Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18331

Full Text
P n

v


r
:

?
r
I
-i
' I


ANNO L .NUHERO 27
PARA A CAPITAL. E LI C IRES OYDE NlO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiaotados................. 6?W00
Por eisditos ideal................. J2|X)00
Tor am anno idem.................. 24^000
-Cada numero avulso................. $320
w
0UARTA FEIRA 4 DE FEVEREIRO DE 4874
PARA DE1TBO E I Oil A DA PROVINCE*.
Por tres mezes adiantados.............. 19750
Por seis ditos idem................. 13JJ5oO
Por nove ditos idem................. 20*250
Por um anno idem.................. 379000
PROPRIEDADE DE 1ANOEL FKUE1R0A DE FARIA ft FILHOS

to Sri. Gerardo Antonio Aires & Filhos, no Pari; Gonca.lres 4 Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jose de Oliveira <& Filho, no Caaritff Antonio de Leruus Braga, no Aracaty ; Joio Maria Julio Chares, no Assd; Antonio Marques da Silra, no Hatal; Jose Justino
Pereira d'Almeids, em Mamanguspe ; Carlos Auxencio Nonteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na fiUa da Penha; Be'armino dos Santos Bulcao, em Santo Autao ; Domingos Jose" da Costa Braga, emUaiareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no I'ilar daAIag6as ; Aires dC, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro
1
r
PASTE OFFICIAL
Oovei'iio da provincial.
BXPSOIESTE DO DIA 4 DE XoVIMUBO DE 1873.
/.* sccfiio.
Offictos :
Ao director do arsenal de guecra. Maude
V. S. fornecer ao Dr. chefe de policia 500 espolo-
ij, para serein remetiidas ao delegado da Gara
n'uuns, que as requisita. ;
Ao mesmo. Mande V. S. fornecer ao Dr.
chefe de policia, por conta do ministerio da justi-
..a e para serein remettidos ao subdelegado de Be-
beribe, tO tercados com o correame cerrespon-
dente. \ '-
Ao mesmo. Tend}, por portana desta da-
ta, nomeado o 1* escriplurario da ibesouraria de
fazenda, Francisco de Salles de Andrade Luna pa-
ra fazer parte do conseiho de compras dcsso ar-
s nhecimento.
Ao comma ndante do presidio de Fernando
da Noronha. luforme Vmc. com o que Ihe cons-
tar sobre os factos mencionadcs no iucluso pajtel,
derendo dar inteira ezecuciio a ordem de um dos
meus antecessorej, no sentido de serem relirados
desse presidio os sentenciados que ahl tern estabe-
tecimentos commerciaes.
Ao conseiho de compras do arsenal de guer-
ra. Nao tendo apparecido concurrenles a venda
da am moinho de cafe, deslinado a companhia de
aprendizei artilices do arsenal de guerra, autoriso
o respectivo conseiho de compras a fazer a acqui-
sicao desse objeclo direetaraente conforme solicita
o director do mesmo arsenal em ofilcio desta data
ob n. 510.
__Ao consul da kalia. Cora a inelnsa copia
da informacao prestada pelo inspector do arsenal
de marinha relalivamenle a lanientavel oecurreu-
cia havida na manha de 27 de outubro ultimo, e
<]e que foram victimas os subditos italianos Nicola
Vita e Felice Felirrola, em consequencia de lor
sido mettido a piqne pelo vapor n. 1 ao service
das dragas o bole em que vinbam ajnelles infe-
lizes, respoodo ao officio datado de 28 do citado
mez, em que o Sr. barao da Soledade, vice eon-
sai da Italia trouxe ao meu conhecimento esse
Renovo ao mesmo Sr. rice consul a seguranja
{ ninha per'eita estima e distincta eonsideracao.
2." seccao.
Actos :
Para substiluir o tenente Camillo Machado
J-reire e aiferes Francisco Ignacio de Moura Gon-
J.T.. Marcelino da Costa Raposo e Manuel Antonio
, nomeados vogaes no conseiho de. julga-
uiento do ^oldado do corpo le policia, Manuel Mu-
uiz do Xasciinentu, designo os capitaes Alvaro
<',.-.-nrado Ferreira de Aguiar, Samuel de Sa Mon-
tenegro, tenento Antonio Francisco Cordeiro de
M?!!o e alfereS Jose" Pedro da Silra Goimaraes.
.*
Para sabstiiuir o isoente Manuel Candido de
Albuquerque e os alferes Numeriano Jo.-; de liar
ros, Marcolino da Costa Raposo e Man id Raynero
d ? Barros, nomeados vogaes no conseiho de julga-
mento do soldadte do corpo de policia, lianoel Fe-
lix de Santa Anna, desigao os capitaes Francisco
d Siqueira Cavalcante e Samuel de Sa Montene-
gro, tenente Antoni) Francisco Cordeiro do Mello
* aiferes Jose Pedro da Silva Guimaraes.
Para substiluir os tenenles Flavio Jose dos
Satos e Silva e Manoel Candido de Albuquerque,
os ilferes Francisco Pereira Lagos, Francisco Ig
nick) de Maura Guodim e Pergentinode Miranda
Pimentel, que por termn destacado nao podem ser
vogaes no conseiho de julgameulo do cabogradua-
do Victor Tiburtiuo de Sliveira, designo os capi-
lies Camillo Augnslo Ferreira da Silva, Miguel da
Fonceca Soares e Silva e Samuel do Sa M ratene
gr j, tenente Antoaio Francisco Cordeiro de Mello
? aiferes Jose Pedro da Silva Guimaraes.
._ 0 prtsidente da proviocia, allendendo ao que
requereu o aiferes do 3 batalhao do serrico de
reswva da guarJa nacional deste municipio, Vi-
riato de Freilas Tavares, e a vi: la do ofhcio do
jmmandante superior, n. 699 de 17 de selembro,
reaolre conceder-lhe um anno de licenca para
c. iitinuar a tratar de sua saude na Europa.
0 presidenteda provin'.ia, attendendo ao que
requereu o capitao da anliga guarda nacional,
Joao Francisco Antunes, e a vista do que informou
o respeclivo cooimandaulo superior em offlcio de
20 de sttembro ultimo, resolve rcformal o no di
to posto.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia. Faca V. S. seguir
para o presidio de Fernando de Noronha, com a
' s.'guranca devida, o sentenciado Manoel Antonio
da Silva, de que trata o seu offlcio n. 1,816 do 3
do corrente.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para os
1 -vidos fins, as copias juntas do aviso do inini-te-
rio dos negocios estrangeiros, de 20 do mez pro-
ximo passado, com os documentos a que allude,
relatiros as notas falsas do 504 apprehendidas por
V. S. nesta capital.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal de Garanhuns. Mande V. S. destacar nessa
villa de Garanhuns, a disposicao das respectivas
autoridades policiaes, 10 pracas da guarda nacio-
nal sob seu commando superior, as quaes refor-
;arao o de?tacamento ahi existente.
Ao juiz de direito do l districto criminal
desta capital. Transmitto a V. S. os papeis jun-
tos por copia, nara serem annexos ao processo
que deve ter sido inslaarado por esse juizo contra
os fabricantes e introductores do notas falsas de
."JO* das que foram apprehendidas nesta eidade.
(gual ao promotor pnblico desta comarca.
Ao joiz de direito de Buique. laleirado de
quanto expoz Vmc. em sen offlcio de 2i do mez
proximo passado. tenho a dizer lhe que approvo a
soa resolncao relatiramente a exoneracao de Ma-
noel Turiano dos Reis Cam|llo do cargo de pro-
moter publico interino dessa comarca.
Ao juiz municipal de Nazareth. Em pcti-
cio dirigida a esta presidencia, a preta Genoveva
escrata de Jos6 da Silva Portelta, residente nesse
municipio, requer que seja o sea senhor chama-
do para consentir que ella comparcca peranteesse
jaizo, afim de ser avaliada e obter a sua liberda
do, visto quo tern um peculio de tresentos mil
reis alem die quo tem pessoa com a qual contracta
a prestacao do seas services com a condicao de
indemnisar seu senhor o valor real que em juizo
se arbitrar, e nao o que elle caprichosamente exi-
ge. A* vista disto, recommendo a Vmc. que to-
mando em consiJeracao o assumpto da referida
peticao, prorldencie como for de lei.
Ao commandante do corpo de policia.
Mande Vmc. por a disposicao do subdelegado da
Varzea 2 pracas do corpo sob sea commando, as
quaes ?cr*o liradas do dostneamento i, Af.-.gados.
3'. tmfpa,
Actos :
0 presidente da prormeia resolve nomear o
1* escripturario da thesouraria de fazenJa, Fran-
cisco de Salles de Andrade Luna, para fazer par-
te do conseiho de compras do arsenal de guerra.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
reqneren Joaquim Candido de Miranda, resolve
conceder-lhe o praso improrogavel de trinta dias
para prestar a nanca relaura ao lugar de cobra-
dit da collectoria provincial do municipio de Agua
Preta.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fatenda.
> ;ndo per portaria desta data, nos terraos da sua
prop""'" eo*Hn m nm^ ,;e 3j (je outubro ulti,
i mo sob n. 763 serie E. ncineado o escriptura-
rio dessa thesouraria Francisco de Salles de An-
]drade l.una, para fazer parle do conseiho de coin-
tpraa do arsenal de guerra ; assim o communico a
[ V. S. para seu conhecimento.
Ao mesmo. Nesta data expeco ordens ao
eogenheiro das obras geraes para proceder com
urgencia an orcamento a que se refere V. S. em
offlcio de 31 d<; outubro uliiino sob n. 757 serie E.
Ao mesmo A 24 do mez proximo passado
foi exornerado pelo juiz de direito interino da co-
marca de Buique o cidadao Manoel Turiano dos
Reis Campello do cargo de promoter publico in-
terino da dita comarca ; o que oouuauouie a V.
S. para os devidos fins.
Ao mesmo. Communico a V. S, para os
devidos fins, que nesta data mando destacar em
Garanhuns 10 pracas da guarda nacional para a
manuten;ao da ordem e tranquilidade publica.
Ao mesmo.-Sirvase V. S. de remetter-me
copia da escriptura do compra da colonia militar
de Pimenteiras.
Ae mesmo. -Transmitto a V. S., para os fins
convementes, o iucluso terrao em duplicata do
exame a qoe .-e procedeu na casa commercial de
Manoel da Silva Faria A C, nos medicamentos
destinados ao presidio de Fernando de Noronha,
conforme solicitou V. S. em seu offlcio de 28 de
outubro ultimo, sob n. 718 serie E.
Ao mesmo.Attendendo a sua informanao
datada de 31 de outubro passado, sob n. 759
serie E, mande V. S pagar a Augusto Caor 4
C, sob a responsabilidade desta presidencia e nos
termos do deer, to de 1 de fevereiro de 1862, a
quantia de iGOjOOO, importancia de medicamentos
horaoepaticos destinados ao tratamento dos indi-
gentes atacados da variola era Muribeca e Ouri-
enry.
Ao mesmo. -Remetto a V. S., para seu co-
nhecimento e devidos efleitos, copia do aviso expe-
dido pelo ministerio do imperio em 22 de out.bro
findo, declarando que fica concedido pela verba
soccorros publicos do exercicio de 1873 a
1874 o credito de 5:0004000 como auxi'iar para
as despezas da limpeza geral desta eidade.
Ao raesmo. Couinunico a V. S., para os
devidos fins, que segundo participouo bacharel
Manoel Caldas Barreto em offlcio de 25 do mez
proximo passado por incommodo de saude dei
xoa de reassumir o exercicio do cargo de juiz de
direito da comarca de Ouncury.
Ao mesmo. Communico a V. S, para seu
conhecimento e fins convenientes, que em aviso
de22do mez findo, sob a. 9871, declarou-me o
Exm. Sr. miuistro do imperio que fica approvado
pela verbasoccorros publicos-do exercicio de
1873 a 1874 o credito de 152*000, automado sob
responsabilidade desta presidencia para paga-
mento de igual quantia a Jose Tavares de Oliveira
pelo tratamento dos indigentes atacados da vario-
la no termo de Garar. huns.
Ao inspector da tresouraria provincial.
Communico a V. S., para os devidos fins, que a
29 do mez proximo passado reassumio o bacharel
Manoel Annes Jacome Pires o exercicio interino
do cirgo de juiz de direito da comarca de Palma-
res, que deixou ? 27 do dito mez por incommodo
de saude.
Ao mesmo. Communico a V. S., para seu
conhecimento e fins convenientas, que em offlcio
do 31 de outubro tindo dfdarou-me o bacharel
Joao Barbalho I'choa Cavalcante haver n'aquella
data assumido o exercicio do cargo de director
geral da instruccao publica, para o qual fora no-
meado por portaria de 29 do citado mez.
Ao mesmo. Sendo i asufflciente, segundo
V. S. informa era seu offlcio datado de hontem, a
importancia ex^teute na caixa da receita geral
para occorrer as despezas que devem ser satis-
feitas no corrente mez, autoriso-o a passar por
emprestimo de alguma ou algumas caixas espe-
ciaes a quantia necessaria para aquelle Cm.
Ao mesmo.-Communicj aV. S., paraos de-
vidos fins, que por portaria de hontem foi reinte-
grado a seu pedido, no lugar de chefo da 2.* sec-
cao da secretaria desta presidencia, o bacharel
Joao Diniz Ribeiro da Cunha, que continua a ser-
vir com o mesmo titulo, passando a reger a 4",
vaga por ter sido nomeado para chefe da 1.* sec-
cao do consulado provincial o bacharel Eduardo
Augusto de Oliveira, o bacharel Jefferson Mira-
beau de Azevedo Soares.
4- secrao.
Acto:
0 presidente da provincia, em vista do offe-
recimento que fez Rufino Augusto de Almeida
para va:cinar gratuitamente na eidade do Rio
Formoso e seus suburbios, resolve nomeal-o vac-
cinador n"aquelles lugares.
Offlcios :
Ao Exm. vico-presidente da provincia da
Bahia. Com o offlcio do V. Exc, de 18 do mez
findo, recebi os dous exemp'ares a elle annexos
do regulamento que reform mi a instruccao publi
ca dessa provincia.
Ao bacharel Joao Barbalho Uchoa Caval-
cante, director geral da instruccao publica. -
Fico inteirado de haver Vmc, conforme comtnu-
nicou-me em offlcio de 31 de outubro findo, assu-
mido nessa data o exercicio do cargo de director
geral da instrucfio publica, pira o qual fora no-
meado por portaria de 29 d'aquelle mez.
Ao Dr. inspector da 3aude publica. -Forne-
ca V. S. a secretaria desta presidencia una car-
teira com medioamentos homoipathiios apropria-
dos ao tratamento da variola e sarampo, afim de
ser remettida para a eidade do Rio Formoso, onde,
segundo declarou-me a respectiva camara muni-
cipal em offlcio de 23 do mez Undo estio grassan-
do taes molestias.
Ao provedor interino da Santa casa de Mi-
sericordia. Provideneie V. S. para que, logo que
esteiam conclnidas as accommodai;oes one estao
sendo feitas no hospicio de alienados, nao se rece-
ba alii senao os que forem apresentados pela po-
licia.
Ao commissario vaccinalor provincial.
Remetta Vmc. com urgencia a secretaria desta
presidencia algumas laminas com lympha vaccini-
ca, afim de serem remetiidas as camaras munici-
paes do Rio Formoso e Paneilas, conforme solici-
taram em offlcios de 24 e 25 de outubro findo.
Ao Sr. Augusto Rufino de Almeida.Nesia
data tenho ntmeado a Vmc. para vaccinar na ei-
dade do Rio Formoso e seus suburbios, em vista
de sea 'offerocimento consume do offlcio, que
dirigio ao jaiz do paz do !. districto daquella ei-
dade.
Resla-me louval-o por seus sentiraentos huma-
nitarios e agradecer ice a espontaneidade dos bons
servi^os que vai pre.-Iar nesta comraissio.
Portaria :
A' illustrissima camara municipal do Recife.
Remetto a illustrissima camara municipal, para
?rn ennheciaento s fins cmvenientes, copia do
aviso expodido pelo aiiuiiterio Jo imperio em tt
de outubro tir,do,"seb n. 9870, declarando que flea
concedido, pela verba soccorros publicos do exer-
cicio de 18731874, o credito decinco eontos de
reis como auxilio para as despezas da limpesa
geral desta eidade.
5.* seccSo.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticio das obras
publicas.Desde o dia 27 de agosto ultimo foi
remettida a Vm;, para informar com o que se lhe
offerecer, uma representacao de Antonio Victor de
Sa Barreto, arreraatante do 3 lanco da estrada de
Muribeca, contra o conductor do 2.* districto,
Felix Ramos Lienthier.Cumpre. portanto, que
Vmc. sem perda de tempo derolva a esta mm>
dencia a referida representacao, deridanente ia-
formada.
Ao engenheiro das obras geraes,Betermi-
no a Vmc que sem perda de tempo fefa o orca-
mento dos reparos precisos no caes da ponte de
Santa Izabel, em (rents a estacio da eslxada de
fe-ro de Olinda, e examine o que ha de exaclo
sobre o que noticiou noje o Jornal do Recife com
relacao a pome Sete de Selembro.
Ao mesmo.Proceda Vmc. com a maior ur-
gencia ao orcamento da despesa que se deve fazer
com os reparos de que precisa a casa onde lunc-
ciona a recebedoriz de rendas desta provincia ;
remettendo me o resuitado.
- A' junta de eraancipacao de escraros do tt-
nicipio de Nazareth.Em peticao dirigida a esta
presidencia e.a 25 do mez proximo passadp a pre-
ta Genovera, escrava de Jose da Silva Porlella,
raorador nesse municipio, declara que torn o pe-
culio de 3004 para lioertar-se, o que, eotretan.o,
nao foi mencionado pelo mesmo Portella na rela-
q4o de escravos que apresentou peranta essa junta;
alem de ter pessoa com que contracie a prestacao
de seus services, com a condicao de indemnisar a
seu senhor o valor real, e nao o que ella capri-
chosamente cxige. Recommendo, portanto, a essa
junta que, toraando conhecimento do expostoe
certificando-se do que possa haver de verdadeiro a
esse respeito, preste a consideraqa > que merecer
a pretenQao da dita escrava.
Aos agentes da compaahia de navegacao a
rapor bahaina.-Expecara Vmcs. suas ordens
para que nao tenham pa3sagem nosvapores dessa
companhia mulheres dc soldados que forem a ser-
viijo publico, sem ordem express* desta presi-
dencia, sb pena de nao se ih.es levar em conta
a importancia des-e transports.
EXPEDIENTS DO SECBETARIO.
if* seccao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.0 Exm Sr. presidente
da provin:ia raanda declarar a V. S., para os devi-
dos fins, que nesta data se expedio ordem ao di-
rector do arsenal de guerra para fornecer as es
poletas, que pedio era seu offlcio n. 1809 de 29
do mez proximo passado.
Ao mesmo. -0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que foram expe-
didas as convanientes nrdens, n > sentido de que
trata o seu offlcio n. 1865 de 31 do muz proximo
passado.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. para os devidos fins,
que nesta data se expediram as convenientes or-
dens, no sentido de que trata o seu offlcio n 1814
de 31 do mez proximo passado.
Ao mesmo -0 Exm. Sr. presidente da provincia
manua declrrar a V. S., para os devidos fins, que
nesta data se expediram as convenientes ordens,no
sentido deque trata o seu offlcio n 1814 de 31 do
mez proximo passado.
Ao mesmo.-0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S, paraos devidos
fins, que nesta data expedio ordem ao director do
arsenal de guerra para fornecer os tercados e
camas, de que trata o seu offlcio n. 4100 de 2-5 do
mez proximo passado.
Ao bacharel Manoel Caldas Barreto.0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda accusar ore-
cebimenlo do offlcio de V. S., de 28 mez proximo
passado, em que participa qua por 'incommodo*.
de saude deixa de reassumir o exercicio do cargo
de juiz de direito da comarca de Ouricury.
Ao bacharel Manoel Annes Jacome Pires.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda accu-
sar o recebimento do offlcio de V. S., de 29 do
mez proximo passado, em que participa ter nessa
data reassumido o exercicio de jurisd'ecio interina
da vara do direito da comarca de Palmares, que
deixou a 27 do dito mez por incommodos de
saude
Ao commandante do corpo de policia.
Dc ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, transmitto a V. S. as portarias juntas, que
designam outros vogaes para os conselhos de jul-
gamento do cabo \ ictor Tiburtino do Oliveira e
dos soldados do corpo sob seu commando, Manoel
Felix de Santa'Anna e Manoel Aires do Nascimento,
dos quae- tratara os offlcios de V. S., n. 620, 62!
e 622 de 30 do mez proximo passado.
3" seccao.
Offlcio:
A' thesouraria provincial.De ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, communico a
V. S. que nesta data foi autorisado o Dr. chefe de
policia a mandar adiantar pelo cefre da reparticao
a seu cargo a importancia de 200000 para oc-
correr ao sustento dos presos da cadeia de Pe-
trolina, na conformidade da sua informacao datada
de 31 de outubro proximo passado sob n. 486.
5." seccao.
Offlcio :
Ao engenheiro fiscal interin o da estrada de
ferro do Recife ao S Francisco.-S. Exc. o Sr.
presidente da provincia manda accusar recebido
o offlcio da V. S., de 31 de outubro proximo findi),
no qual participa que o superintendente dessa
estradade ferro, 6. 0. Mann, reassumio no dia 28
o exercicio de seu cargo.
EXPEDIENTE DO DIA 5 DE NOVEMBRO DE 1873.
I.' seccao.
Offlcios :
Ao capitao do porto. Coramunicando-me o
Sr. D. Juan Buson, vice-consul da Haspanha, ha-
ver na data de 30 do mez passado Incumbido da
gerencia daquelle consulado o consul de S. M.
britanica, em consequencia de ter enjrado no gozo
de licenca concedida pelo seu governo ; assim o
declaro a V. S. para sea conhecimento e direc-
cio.
Ao mesmo.Com este sera apresentado a
V. S. o recruta Antonio Ferreira Barbosa, que,
tendo sido julgado incapaz do servico na corte,
dalli regressou, afim de que V. S. o mande sub-
mcttera nova inspeccao, como foi determinado
pelo ariso do ministerio da marinha, de 5 de agos-
to ultimo, a que se refere e meu offlcio de 25 do
citado mez; devendo ser-me remetttdo o resuitado
dessa inspeccao.
Ao engenheiro encarregado das obras milj-
tares.Tendo nesta data sujeitado a deliberacao
do governo imperial a niodilicaeao exiglda pelo
director do hospital militar no piano das obras
para mudanca da capella do referido hospital, a
que faz subir a despeza primitivamente orcada,
cumpre aguardar a respeito a resolncao do mes-
mo governo. Fica assim respondido o seu offlcio
de 20 de outubro ultimo sob n. 28.
8.' seccao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo a
que a freguezia de Gamelleira passou a forraar
um termo constitutive da comarca da Escada, em
virtude da lei n. 1093 de<24 de-maio do correnteJ
anno, resolve, de conformidade com o disposto no
ariigo 6 jj i partd 2.-- do docreto 4824 de 22 de
novembro de '87 i, dividir o termo- de Serinhaem
em 3 districtos, quantos sao os de subdelegado*, a
saber : o 1.* comprehendera o districto da subde-
legacia da villa de Serinhaem, o 1. o de Nosta
Senhora da Conceicao, o 3.* o 3.* de subdelegado
do mesmo termo.
0 presidente da provincia, attendendo a pro-
posta do tenente coronel commandante do bata-
lhao 29 de infautaria da guarda nacional do mu-
nicipio do Bom Conseiho, sobre o qual informou o
commandante superior respectivo em offlcio de
25 do mez proximo passado, resolve, de conformi-
dade com o disposto no artigo 48 da lei n. 602 de
companhia. Capitao, o tenente quartei roes-1 direito para si e sua familia, composla das pessoaslfi.cal da thesooraria provincial, visto achar-s im-
aggregado Manoel Ribeiro de Carvalho.
companhia. Tenente, o aiferes da mesraa
io Touorio de Albuquerque.
0 presidente da provincia, attendendo ao
equereu o bacharel Joaquim Elysio de Car-
Louto, juiz municipal ede orphans do ter-
pe S Benlo, resolve conceder-lhe 30 dias de
, corn vencimentos na forma da lei, para
de sua saude.
ios :
) Dr. chefe de policia.Em resposta ao
io datado de I de outubro proximo passa
e se refere ao Dr. jniz de direito da Boa-
a attendendo a ianirmaoio da Ueeouraria
prnviacial, de 31 do mesmo mez, sob n. 486, au-
toriso V. S. a mandar fazer o adiantaraento da
toportamia de 2004000 rs. pelo cofre d'essa re-
particao, |ara occorrer ao sustento dos presos po-
bre3 da c;d ia de Petrolioa.
ao iresmo.Inteirado de quanto V. S. expoe
em seu ollcio n. 1819 de 3 do corrente, quanto a
fuga dos iniiciados em crime de moeda falsa, Pe-
dro Lopes m Costa Aiencar e Manoel Aires de
Alencar. Ihe recommendo a expedicao de suas or-
dens afim di que sejam capturados, tendo proce-
dido n neceaarios inqueritos contra aquelles, que
por uualquei motivo houverem concorrilo para
a fuga do protein).
Ao mesiio. ilommunicando-me o Sr. D.
Juan Buson, vce-consul da Hespanha, haver na
data de 30 do tutubro proximo findo encarregado
da gerencia dame lie consulado o consul de S. M.
britanica, em censequencia de ter entrado no gozo
da licenca concedida pelo seu govern.; assim o de-
elaro a V. S. pa-a sua intelligencia.
Ao commandante superior da guarda nacio
nal de Garanhum. Por portaria de h>je foram
nomeados para o batalhao 29 de infantaria da
guarda nacional (o municipio do Bom Conseiho
os offlciacs constants da nota jnta, deixando de
ser approvada a jroposta na parto relativa ao
pr. po.-iu para alters da 2.* companhia, por ter
sido praeuchido esie posto por portaria de 10 de-
outubro ultimo, qm para elle transferio o aiferes
do esquadrao de ca/allai ia Luiz Tenorio de Albu-
querque Mello.
Ao juiz de direito de Twaratu. Inteirado de
quanto V. S. me panicipa em seu offlcio de 21 do
iii' i proximo passadi; quanto aos concertos e me-
Ihoramentos (eitos noproprio nacional quo serve
de prisao na villa de Tacaratti, os quaes foram
feitos por subscripcao proraovida por V. S. en'.re
os moradores dessa Vila, teuho a louval-o por
esse acto, quo tgmonsf a o seu zelo e patriotismo
e que tanto abona aqielles que para elle con-
correram.
As commandante do corpo de policia.Pode
Vmc. engajar, sendo idnee, no corpo sob o seu
commando o paisano Antonio Francisco Gayo,
de queut trata o seu oflfcio n. 627 de 3 do cor-
rente.
3' seccao.
Actos :
0 presidente da provincia resolve demittir,
por assim convir ao servico publico, o collector
provincial do municipio de Igoarassii Jose Tei
xeira da Motta Cavalcante.
0presidente da provincia, attendendo a in-
tensidade com que contintia a grassnr a variola
em di verso j pontnsjla provincia, resolve abrir o
xredito d 8:000*000 rs a verbajocorros pu-
blicos-do ministerio do imperio. para cccorreras
despezas que se tem de fazer com o tratamento
dos indigentes atacados daquella epi lemia.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda
Transititto a V. S. por copia a tnclusa portaria
desta data para seu conhecimento o devida exe-
cucao.
Ao mesmo.Communico a V. S. que a S3
do mez proximo findo assumio o bacharel Ante-
tonio Ti istao de Herpa Urandao o exercicio do car
go de juiz substitute da comarca de Iguarassti, no
impedimenta do effectivo que entrou no gozo de
licenca.
Ao mesmo. -A" vista dos prets quo inclusos
remetto, mande V. S. pagar a quern se mostrar
competeutemente autorisado os vencimentos das
pracas de guarda nacional deslacadosna eidade do
Nazareth duranto o mez de outubro proximo pas-
sado, segundo solicitou o respectivo commandante
superior em offlcio de 3 do corrente.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os de
vidos fins, que a 28 do mez proximo passado dei
xou o exercicio do cargo de promoter publico da
comarca do Bom Conseiho o bacharel Manoel Jose
Mondes Bastos.
Ao mesmo.Mande V S. pOr de novo a dis-
posicao da commissao incusibida de distribuir
soccorros aos indigentes atacados da variola na
villa do Cabo a quantia de 200*000 rs., visto ja
estar esgotada a que foi fornecida.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os de-
ridos fins, que a 24 do mez proximo passado
reassumio o bacharel Ernesto Vieira de Mello o
exercicio do cargo de promoter publico da co-
marca de Palmares, que havia deixado a 21 do
dito mez por incommodo de sau le.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar ao bacha-
rel Joaquim Pereira Arraes, juiz municipal e de
orphans nomeado para Santa Luiza, da provincia
de Goyaz, a quantia de 650*000 que lhe foi arbi
trada para ajuda de custo, na conformidade dos
avisos dos ministerios da justica e aa fazenda, de
26 de agosto e 2 de setcmbro ultimos.
Ao mesmo. Communicando-me o Sr. D.
Juan Buson, vice consul da Hespanha, haver na
data de 30 do mez proximo passado incumbido
da gerencia daquelle consulado o consul de S- M.
britanica, em consequencia de ter entrado do gozo
de licenca concedida pelo seu governo ; assim o
declaro a V S. para sea conhecimento e afim de
o fazer constar ao inspector da alfandega.
Ao mesmoMande V. S. pagar a Eduardo
Muihert a quantia de 704000, constante da conta
junta, proveniente da impressao de quiuhentos
exemplares de instruccao para o tratamento da
variola, conforme solicitou o Dr. inspector de sau
de publica e.u seu offlcio de 3 do corrente.
Ao mesmo. Expeca V. S. suai ordens pa-
ra que com urgencia sejam remettidos ao presi-
dente da jnnta de emancipacao de escravos do
municipio de Paneilas os livros e o mats que for
preciso para a classiflcacao de que trata o regula-
mento n. 5,133 de 13 de novembro do 1872.M-
talis mutandis a respeito dos livros que devem
ser remeUidos ao promoter publico de Bora Con-
telho, membro da respectiva junta de emanci-
pacao.
Ao mesmo. Na conformidade do parecer do
Dr. procurator fiscal dessa thesouraria, ao qual se
reporta'a sua informacao datada de hontem sob
n, 783 serie E, mande V. S. sobr'estar a arrema-
tacao do predio nacional, existente em Santo Ama-
ro das Salinas, ficando deferida a pretencao da
junta adminUtratira da Saata Casa, exarada no
offlcio do seu provedor, datado de 27 de outubro
proximo passado.
Ao mesmo.-Conformando-me coma sua in-
formacao datada de 27 de outubro proximo pas-
sado sob n. 708 serie E, derolro a V. S. os pa-
peis annexos, relalivos a pretencao do commenda-
dor Jose Pires Ferreira, aflra de que a resolva nos
termos da alludida informacao. |
Ao mesmo.Attendendo ao que solicitou o
bacharel Francisco Teixeira de Sa, presidente no-
meado para a pruvtneia do Ceara, autoriso V. S.
a mandar abonar-lhe em dinheiro, com o aug-
constantesdainclusa relacao, assignada pelo secre-
tary interino desta presidencia.
Ao inspector da thesouraria provincial.At-
tendendo ao que requereram Antonio Luiz de Oli-
veira e Azevedo & C, agentes e procuradores da
companhia de navegacao a vapor Bahiana, nesta
capital, recommendo a Vmc, em addilamento ao
meu ollicio de 3 do corrente, que mande pagar-
Ihes a quantia de 595*000 importancia de passa-
gens dadas nltimamente a bordo do vapor Goncal-
res Martins, da eidade do Penedo para aqui, con-
forme a conta junta.
Ao mesmo. Rimetlo a Vmc. trinta exem-
plares impiuaeos do leguiamenio de 7 ae outuoro
proximo finde, que bafxou para dar execucao aos
art 15 d* lei n. 1,115 de 17 de Jn-
49 de setembro de 4850, nemear para o dito bata- mento da terca parte de que trata o re*uUmeuto
Ujao os ofllciaes seguintes; *d a de outuoro do 1871, a passagena a
| V.i e 44 do
nho deste anno, atim de dar lhes o convenient*
destino.
4' seccao.
Actos :
0 presidente da provincia, attendendo ao
que ruquereu o eonego Lino do Monte Carmello
Luna, bibliothecario provincial, resolve conceder-
lhe trinta dias de licenca, com ordenado, para tra-
tar de sua saude.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Joaquim Theodoro Vasconcellos de Ara-
5ao, professor publi:o da villa do Limoeiro, e ten-
o em vista a informacao do director geral da
instruccao publica, resolve conceder-lhe ires me-
zes de licenca com todos os vencimentos, de confor-
midade com a segunda parte do 4' art. 1 da lei
n. 1,108 de 29 de inaio deste anno.
Offlcios :
Ao provedor interino da Santa Casa de Mi-
sericordia.Em vista da informacao da thesoura-
ria provincial, nao pode ter lugar o pagamento da
su".vencat) correspondente ao mez dejunho ulti-
mo, concedida a Santa Casa pela assemblea pro-
vincial ; ficando assim respondido o ofilcio de 10
de outubro proximo passado, em que V. S. recla-
raa esse pagamento.
Ao commissario vaccinador provincial. -Re-
metta Vmc com urgencia a secretaria desta pre-
sidencia, e com dostino ao Exm. presidente do Rio
Grande do Norte, algumas laminas de pus vacci-
nico de boa qaalidade.
Ao presidente da camara municipal da villa
de Paneilas. Em resposta ao seu offlcio de 25 de
outubro proximo passa Jo, cabe me dizer lhe que
por acto de 24 do mesmo mez designei a casa em
que fancciona a camara municipal, e na falla ou
insufflciencia aigreja matriz dessa villa, para ahi
reunir-se o collegio eleitoral, creado por deereto
n. 2,471 do 24 do setembro ultimo. Igual ao pre-
sidente da camara municipal de Paneilas.
Ao juiz de paz do primeiro districto de Agua
Preta.-Consulta Vrac. em offlcio de 28 de outu-
bro proximo passado si o collegio eleitoral que
vai reunir-se para a proxima eleicao provincial
deve faze lo na villa de Agua Preta ou si na de
Palmares ; em resposta tenho a dizer-lhe que a
reuniao do collegio eleitoral deve ser na igreja
matriz da villa de Palmares, para onde foi trans
ferida a sedo da comarca, visto como nessa trans-
ferencia nao se verificam as hypotheses do art. 63
da lei de 19 de agosto de 1846 e aviso n. 582 de
13 dedezembro de 1861.
Portarias :
A' Illma. camara municipal do Recife.Ha
vendo falta absoluta de forca no quartei do corpo
de policia, nao pode ser satirfeito o pedido que fez
a Illma. camara municipal dj Recife em offlcio de
31 do mez findo, sob n. 106, quanto a permanen-
cia do um guarda policial no matadouro publico
desta eidade.
A' camara municipal da villa Je Floresta.
Mande a camara municipal da villa de Floresta or-
car a despeza a fazer-se com os concertos precisos
na casa que serve de cadeia na mesma villa, afim
de. podcr esta presidencia revolver sobre o que ex-
poz essa camara em offlcio de It de outubro findo.
5' seccao.
Ollicio:
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Remetto por copia a Vmc. as clausiilas
do contracto Cf lebrado em 30 de outubro ultimo
com a companhia Ferro Carril de Pemambuco
para prolongamento das linhas respectivas, afim
de tomar disso conhesimento.
EXPEDIEXTE DO SECRETAR10.
i*. seccao.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.S. Exc. o Sr. presidente da prorincia, tendo
por despacho desta data concedido ao recruta
Francisco Bezerra dos Santos o prazo de 10 dias
para provar isencao legal; assim o raanda coin-
municar a V. Exc. para seu conhecimento.
Ao commandante do presidio de Fernando
de Noronha.-0 Exra. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. que, segundo offlcio do
juiz do direito da 1* vara cive', de 4 do corrente,
deixaram de seguir para esse presidio os senten-
ciados Jose Candido Ferreira da Silva o Florencio
Alves de Carvalho, que foram raenciouados na
respectiva relacao.
2.' seccao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policiaDe ordem do Exra.
Sr. presidente da provincia, transmitto a V. S. os
litulo3 juntos do nomeacao dos suppleoles do dele-
gado do termo da Boa-Vista e do subdelegado e
supplente do 1* districto do dito termo, de confor-
midade com a proposta de V. S. em offlcio n.
1,820 de 3 do corrente.
Ao commanJante |superior de Nazareth.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que nesta data foram expedidas as ne-
cessarias ordens a thesouraria de fazenda no sen-
tido, de que tral i o seu offlcio datado de 3 do cor-
rente sob n. 8.
Ao juiz de direito do Cabo.-O Exm. Sr. pre-
sidente da provincia raanda accasar o recebimento
do offlcio de V. S, de 31 do mez proximo passado,
em que participa ter adiado para o dia 1" de de-
zembro proximo passado a 4' sessao judiciaria do
jury do termo da villa do Cabo.
Ao bacharel AntonioTrislao de Serpa Bran-
dio.0 Exm. Sr. presidente da provincia raanda
accusar o recebimento do offlcio de V. S., de 24 do
mez proximo passado, em que participa ter assu
raido o exerci -.io do cargo de juiz substitute do
juiz de direito de Iguarassu, como seu 1' supplen-
te, a 23 do dito mez.
Ao bacharel Ernesto Vieira de Mello.0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda accusar o_ re
cebimento do offlcio de V. S., de 29 do mez proxi
mo passado. em que participa ter nessa data reas-
sumido o exercicio do cargo de promoter publico
da comarca de Palmares, que por incommodes de
saude havia deixado a 27 do dito mez.
3' secclio.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria provincial.De
ordem de S. Exc o Sr. presidente da provincia,
communico a V. S. que por portaria desta dita foi
demittido, por assim convir ao service publico, o
collector provincial do municipio de Iguarassu.
Ao procurador fiscal da thesouraria provin-
cial. Do ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
Srovincia, accuso recebido o ofilcio datado de 4
i) corrente, em que V. S. commuatsa acbar-se
impossibilitado de fuuecionar no lugar de procu-
rador fiscal da thesouraria provincial, e haver scien
tificado disto ao seu ajndante.
Ao ajadante do mesmo.De ordem. de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, communico que fica
inteirado de haver V. S. em data de]4 do corren-
!? ;^o o exercicio do lugar ae procujaaor
pedido por molestia o respectivo funccionario.
4.' seccao.
Offlcios:
Ao Dr. inspector da saude publica. De or-
dem de S. Exc o Sr. presidente da provincia, com
munico-lhe que nesta data autorisou-se a thesou-
raria de fazenda a pagar a Eduardo Muihert, a
quantia de 70*000, conforme solicitou V. S. em seu
de 3 do corrente.
Ao prorelor da Santa Casa de Miwricordia
S. Exc. o Sr. presidente da prorincia manda
communicar a V. S. que nesta data mandou so-
br'estar a arrematacao do predio nacional exis-
tente em Santo Amaro das Salinas, segundo soli-
citou V. S. em sen offlcio de 29 de outubro n*.
A' coramij-ao encarregada de distribuir soc-
corros aos indigentes atacados da variola na villa
do Cabo.S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda communicar que nesta data expedio ordem
a thesouraria de fazenda no sentido de por a dis-
posicao de Vv. Ss a quar>tii de 200* para occor-
rer ao tratamento dos indigentes atacados da va-
riola na villa do Cabo.
5.* seccao.
Offlcio :
Ao presidente da junta de emancipacao de
escravos do municipio de Paneilas. 0 Exm. Sr.
presidente da provincia mania communicar aV
S. que nesta data expedio ordem a thesouraria
de fazenda para reineiter-lhe os livros e o mais, de
que trata o seu offlcio de 3J de outubro proximo
findo.
Ignal ao promoter publico da comarca de
Bom Conseiho membro da respectiva junta era
resposta ao seu offlcio de 21 do MM mez.
OESPACH0S DA PRESIDENCIA. DO DIA 31 0E JAXU1U
DR 1874
Antonio Sdgado de Vasconc-llos Reeorra a
autoridade judiciaria.
Balbino Cesar de Almeida Leite.Indeferido.
Domingos Francisco Duraes.-Deferido com of-
flcio desta data dirigido a thesouraria de fazenda.
Fielden Brothers. Deferido com offlcio desta
data dirigido a thesouraria de fazenda.
Fielden Brothers Deferido com offlcio desta
data dirigido a thesouraria de fazenda.
Joao Baptista Cabral. Apresente o raenor ao
Sr. inspector do arsenal de marinha, afim deeo-
nbecer se esta elle nas condicoes de ser almittido
na companhia de aprendizes marinheiro.^.
Jo3o da Cruz Lima. Entregue-sc ao suplican-
te o termo de inspeccao a que foi subroettido.
Torluliano Cele>tino Pereira.Seja relevado da
multa.
Thereza de Jesus Maria. Deferido, mediant* as
condicoes constantes do offlcio desta data ao prove-
dor da Santa Casa de Misericordia.
REVISTA DIARIA.
Colleetoria provincial.Por portaria
da presidencia da provincia, de 26 de Janeiro, foi
nomeado Philomeno Getulio Correa de Araujo, es-
crivao da collectoria provincial de Bom-Jardim.
Autoi'iiluilcs puliciaew.Por portarias
da presidencia da provincia, de 31 de Janeiro, fo-
ram nomeados : delefradj do termo de Garanhun*.
o tenento do corpo de policia Manoel Aprigio to
Moraes; delpgado do termo de Papacaca, Joao Ca-
valcante de Albuquerque.
Gunrila nacional. Por portaria da pre-
sidencia da provincia, de 31 de Janeiro, foi nomea-
do o alfares Joaquim Moreira de .Mendonca, tenente
da 6* companhia do2*bstalha) de infantaria do
municipio do Recife.
Professores publicos. Na publleacio
feita em nosso nuinero passado, foram trocadas as
nomeacoes das rrofessoras interinas, devendo ler-
se D Looliina ak Barros Cavalcante Lins para a 1*
cadeira de Affogados e D. Maria Candida de Fi-
gueiredo para a 3' de S. Fr. Pedro Gonoalrej.
Jury do Recife. -A' falta de nuraero suffl-
ciente de juizes de facto, nio bouve hontem ses-
sao.
Telc^ramma do ParaSahio do porto
de Belein no dia 31 de Janeiro para o nosso, pela*
respectivas escalas, o vapor brasileiro Ceara.
Impostos provinclaes No dia 17 de
corrente termina o prazo de 30 dias marcado para
o pagamento, livre de multa, dos diversos impostos
provinciaes, mencionados no edil.il publicado no
lugar competente do preseote numero.
Pagadoria de fazenda.Nesta esta-
cao pagam-se hoje as seguintes folhas :
Tribunal do commercio, pessoal da policia, coo-
signacdes dos offlciaes do exercito e outros, juizo
dos feitos, marinhagera e guardas da alfandega.
Os funccionarios que deixarem de receber nesle
dia, so poderio faze lo do oitavo dia util era diante
\uness Machado. Effectuou-se no dia
2 do corrente a solemnidade da collocacio da la-
pida commemorativa do lugar em que estere de-
positad > o cadaver do desembargador Nunes Ma-
chado eo capella de N. S. de Belem.
0 acto comecou as 10 boras da manha por uma
missa, durante a qual tecarara em funeral a mu
sica dos mennres do arsenal de guerra. e a do 9.*
batalhao de infaeteria de linha. 0 local, que re-
cebeu a lapida, achava-se funebremente adornado
e illuminado por duas vela*.
Tenninada a missa, usou da palavra o Sr. Dr.
Apiigio Guimaraes, como director da solemnidade,
e seu sentidissimo discurso foi distribuido em
avulso pelas pessoas presentes, cujo numero foi de
cerca de 400.
Seguiram-5e a orar os Srs. Dr. Jose Austregesilo
Rodrigues Lima 0' Connel Jersey, Dr. Jose Areliao
Gurgel do Amaral, Romualdo de Olireira, acade-
mico Altino Metra, Dr. Clodualdo de Souza, cooao
orgao do club popular, Pelino Guedes e Dr. Made!
Pinheiro.
Findo e acto d.i collocarao, as senhoras que
tambem baviam coraparecido, dirigiram se com os
denials circumstantes a casa da velha raulher, que
Suanlara por algumas boras o cadaver do martyr
a rev riurjao de 48, a qual demora a poucos pas-
sos da capella e Ihe entregaram o producto de
uma subscripcao promorida na occasUo, a qoal
tubio a importancia de cento e tantos mil reis.
Sobre a ultima palavra dc cada orador, geroeu
a musica funeraria.
Eseola Normal para, senlaaras.
Achain-se ate hoje matriculadas nesio curao, cuj
aula- principiaram hontem a funccionar, as se-
guintes senhoras -.
2* anno.
D. Idalina Porfiria do Amaral.
D. Maria Hosaua Pacheco ,
D. Liberati Maria da Conceicao.
D. Bcllarmina Clementina Ferreira dos Santos.
D. Anna Candida Firraina Monteiro.
D. Maria do Livramento Noanatu.
D Maria Rosa do Espirito Santo.
D. Maria Hermiua Correa da Silva.
D. Bellarmina Fiancisca Lobo.
D. Rita dos Santos Leal.
D. Leopoldina Franci-ca da Costa Pereira.
D. Clarinda Ribeiro da Cunha Guimaraes.
D. Bemvinda de Souza Chares.
D. Philomena Guiliierraina da Silva Samftio.
D. Amelia Rosa de Lemos.
D. Francisca Adolphina de Assis.
D. Leopoldina Amelia Gonzaga da Rocha e Silva.
B, Ueecaiiia Julia de Castro,
.

t



r *- I
* i
^SWhTdt? Pernambuco Quarta feira 4 de Fevereiro de 1874.
\f
D. Maria Saturnina Prodenciana da. Cruz.
D. Justina Anna da Siiva Santos. ^ *
D. Maria Leopp|Au>a Pires Ferreira.
1* anno.
D. FraaciscAXa?6fia das Chagas Medeiros
D. Maria Fraacfcm* de Mello.
0. Alvina Ffuc8ca-de Mllo.
D. Jovina Maria Pessoa de Saboya.
D. Guilhermiaa Pire^s Domellas.
1). Josephina dc Miraaia Cteara e Alhuijuerqae.
D. Julia Alvara de Miranda Camara.
D. Elisa Marinho Paldo.
D. Umbclina Francfac* da Coa%a.
D. Maria Joventina?.lal|nre3 ita Cosl.-i.
D. Olympia Claudina de Mello.
D. Emilia Maria Aotuaes.
D. Maria do Carmo uHrrido.
D. Balbiua Maria dos Prazores.
0. ldalina d Santos Leal,*
. Carolina d* Saiito*.Lael
D. Felisbella Augusta Fernandes da Costa.
D. Maria Prudencia da Silva Gomes.
D. Maria Antonia Gomes da Costa.
D. Maria do linn Parto Marque?.
ft. Mililam Candida Coriea da Silva__.
! Vereadores.Mangel Leite ferreira^ Grego-1 Gregorio lose da Silva, Maria de Freitas Franclac) >
rio*BJbesar Mnceli,kii.di Silu'- iLuna. xumbec A;
i Mapdon o djta quviijpr use gn ofeMryasaa o O eaba- flo f batalhin Pedro Xa regimento de 3 r.e m'aio dc if 37, dado pelo gover
nador da Para, Traucbco Xavier da Mendonpa
Furtads, que taavia side conaroado pelo alvara de
17 de agosto. de 1758.
Os limites qua foram assignados a) termo da
villa e que constam da acta de installacio, foram
os segctates; pelt parto do poente com as cabe-
cdras do rio Moxdte- e.*riaeao Cupitfatazenio e*
I
trema cora a ribeira de Pajeii, e por esta forma de Ainoriin^viuva.
0. Luiza de Medeiros fi/ito.
D. Lydia de Carvalho Lima.
D. Leopoldina Gcralda de Vssconcollos.
D. Maria do Carmo S. mza.
D. Deolinda dos Reis Fonceca Cesar.
D. Maria Ermina I) >rn-Jlas Pessoa.
D. Antonia Carolina dc Barros Corr^a.
D. Diuamerica Balbina da Silva Sampaio.
D. Leomlla de Jeso- da Silva Sampaio.
tt. -Grata Caadida da Alcantara Con to.
D. CandTifJ'PgreiraT.Tns:
1). Joanna Maria da Conceiea.) Cruz.
D. Maria do Carnw da Cruz Ferreira.
D. Olympia Epiphania dos Santos.
1). Rulina Demetria de Souza.
O. Umbclina. Cherexa de Souza.
D. Taciana Ale sand rina Monieiro Lopes.
D. Rafina Maria da Conceicag Lima. .
D. Cy.i ilia Rtbeiro da Cuuha Guimaries.
As mstricalas, .porein, acnaui-se abertas&te o
  • CwiMieto c, IVriiueuto* As 3 boras
    da tarde do Jia 1.* do correule mez>travoa*e urn
    conflict! em* e.diversas pessoas, na travessa do
    Cosia, da *ef u'ezia de Sapto Amaru das Salinas, d >
    llUal tOSJlJlOU cohir0. ftiiaai^jgojiiibo, Joid Jo
    flocaa. a Manoel Iguacio Leitio, e serenvnresos os
    Jeiniquentes Joao de Dens de Santa Rosa Qninte!-
    la,. Manoel Ignacio de Frei'.as, a am terceiro, cujo
    noiue ae iganra.
    PatalialudiM E:n 2^ dc Janeiro proximo
    fiado. pelas 11 boras do Jia, Joao Curuniba ferio
    com seis puqhaladas a Manoel Franeisoo de Bar
    ros, oo povoado da Muribeca.
    Ferimcuto Pelas 8 hora^, da noita de
    2i do passado, trmodo-se de razoes o portugnez
    Joaquini Esteves de Souza Pires com Angela Cs
    tadio Yiannu, no districto da delegaeia de P.io
    d'AHw, pavaram a vias dc facto, rasultando saijr
    u segundo graj(emente ferijo. e evadir-se o pri-
    *aejro.' O.iiiquerie.a policial, .quatal facto occasio-
    nou, leve logp o conveniente destinu.'
    QymtiawiM proviaeial. R- Snlera, a loaugaraeao solemne dos trabalhos dea-
    ia estabclccimentp de instructjio. superior, assis-
    tin h a elle S. Exe- o Sr. co.nmcndador. presidente
    da provincia, o Sr. Dr. director geral da instruc-
    clo ptihlica, diversas pessoas gradas, a maioria
    das professoros a cresciiio numero do pessoas do
    pOfo.
    Lugo depois de tenujuado o Sanfc) Sacrilicio da
    Mi'M, foi aberta a sessio publica da coogregacao,
    ^.i!i a prosidineia do Exm. Sr. cominendador
    luesjd -nte da provincia, proauociando o Sr. pro-
    !e>sor Dr. Maiuel Pareira de Moraes Piuheiro,
    previaniente designado, a oraean de sapiencia on
    mauguraiiva. dos tranalbos, relirando em seguida
    4,ida* as pessoas eslranlias ao eslabeleciraenlo.
    Passando a funccionar a consregaQao em Ira-
    balbos ordinarios, approvou o h irario para as
    aujas, osco:n;icudios que devem servir, e a forma
    da se substituirera os profeasores.
    0 estabolecimenlu esleve cm esposiciio durante
    as bocas era qae durou a festa, agralando em ge-
    ral o asseio e boa or Jem que alii se notavam.
    NcHinas. Rio*as. rPessoa* que ainda nao
    tiveram o prazer de ouvir e ver' estas apreclaveis
    find* termo desta nova vitta-com o da julgaia
    de Cabrobo ; das dins cabeeciras do Moxoto
    Cupity vem bsscandot sul ate a fazeod* da Cruz,
    que 6 extrema tanto da fregaczia de TaearaMi,
    como com termo da villa de Pettedo e o julgado
    de Cabrobo, seguindo a estrada ra4, qtae a* di-
    visao para o rio S. Francisco e para a villa de
    Cimbres, baseando a parta- da- sw sobre o Hlo
    termo, pelo no Paneraa abaixo at a barra do
    riacho Mororo ; e para o aasc*ntdimita- com o
    narlio Taquara e jnlgado de Garaahuns ; e ao
    orle com o rio CaplDanbe e fazenda Santa Ma
    ria, e demarca cora o tarma da Iguarasiii a o da- 3i
    meoinas, aos pedant para leiubrar-lhes a conve-
    nieacia de darem inais urn esnectacorlo no sabbado,
    com os trab3lfios mats variado$ b'i " Gymiiasio rilramatle Neira theatro,
    a ciuprezi Lima Penante, levo-i a sceoa nos dias
    id do passado e !. do correate, o drama do il
    lustre escriptor portuguez Almeida Garret, Fret
    ImIz de Souza.
    O mento litterario d'aquelle drama 6 sabido
    penbo corrcu saiisfac no papel de Magdaleaa de Vilnena, demonstrou
    >tr artisU d* merito. G Sr Augusto Cesar, no
    papel de Frei Loii de Sonaa, foi muito bem, es-
    f>9ciabnente na primeira scena do ultimo acto.
    O Sr. Fl.ivio, no |wpel lie Rooioiro. satisfcz e cor-
    roborou o juizo que fazianiijs de artor-centro. A
    Sra. D. Burotbea, no papel de Maria de Noronha,
    dem mslrou que, apezar de acini nova, tern muito
    g).-tj pela arte a que se delicou e comprehende
    bsin os papeis que Hie cabe, especialmente isao
    dmninstrou nnsse drama, merecendo especial
    iMMKbi na scena do ultiui) acto. O Sr. Penante,
    prov..u inais uma vet, no panel de Telmo, seu me-
    ri'o artistico, apezar de quo esse nao seja sea ge-
    nero.
    A d-uios di;cr ijue nos parece que uma nova phase
    aprcscnta esla cmprc/.a e ijie o public) tera Bellas
    noites de dislrac.ocs, indo ao Gyoinasio Drama-
    tico.
    I.oeoinotora Pernambucana. E'
    esla a dcnom:iar\o da empr>za de carris de ferro
    para transport dc uiercadorias, cujo contra'.o com
    a presidoacia da provincia, que foi celilo ao ban-
    co industrial c mcrjantit do Rio de Janeiro, e Srs.
    cominendador Antonio Augusto Teixeira e Tito
    Chaves liar-cellos, que sob a fir ma Teixeira, Cha-
    ves ji C, reprcsenlada aqui na qualidade de em-
    prezario gerente pelo ultimo d'aquelles seahores,
    vao em poucos dias dar coroeco as obras sob a
    ilireccao do distinto engenheiro brasileido Dr. Ni-
    .olao Carcellos, que ja se acha nesta capital.
    Aguardam os navios ja sahidos de Liverpool,
    Djlphia, Dona Louisa e Mines of Soumik, e que
    oouuzem o respeetivo material inclusive os car-
    ros.
    Pelo que nos informant, essa empreza vai trazer-
    noj notavL-i mellioramento quanto aos meios dc
    transportc de mercadorias, hoje usados no inle-
    nor de nossa cidade. Os tnllws sao de feuda,
    collocaJos ne:n ao nivel e perfeitamente unidos ao
    'alcjnicnto e a distaticia entre elles e apenas de
    <)," 82 ou :i palmos e 6 pollegadas. Os carros tern
    Jia maxima largura 6 palmos e 6 pollegadas, sao
    pojados por uin b6 animal e carregam facilmentc
    0 saccos de assucar.
    Pelo couirato, sao os emprezarios obrigados a
    levar os Irillios do bairro do Recife a ostacao do
    caminh) d>; farm de S. Francisco e aos limites da
    cidade, e por isso seria muito bcm cabida uma
    postura da camara municipal do Recife, prohibin-
    do a entrada na cidade, de animaes carregados, o
    ras anteriores, e alHrmamos ser aspirajao de toda
    a populacao. .\ao esta ja em pratica uma postura
    nesse senlido, porjue ate agora nao havia quern
    condozisse as cargas dos limites para a ciJade,
    mas desde que funccione a Locouwlora Pernambu
    cana, sera urn rclevanle servieo a prohibicao da
    entrada dos animaes earrcgados e desses imraea
    aos carros com duas e tres juntas de bois, que
    atravancara as ruas, impeJiudoo transit.) e estra-
    gando o calcameato.
    S. Braz. Acuara-se em exposicio, durante
    vito dias, as imagena de S Braz, aivocado das
    gargantas, na lgreja de 3Iossa Senhora do Terco,
    no Recife, e de Nosia Senhora do Guadalupa, em
    Olioda.
    cidade da Parabyba, servinJo de divisa o rio Ca-
    pibaribe ; e para a parte do aorte demarca com
    o*ermo da cidade da Parahyba, na serra das Por-
    iBJras.
    Pelo dito ouvidor foi concedido patrimonio a
    camara pnr am alvara do the* leguinte : -eu-
    irosim se assignem logo duas legmas de terra em
    quadro. para patrimonio da camara, uma,;iegua e
    ' ontra parase poler repariir entre as moradores
    que para o futuro venham aggregar-e aos desta
    villa.
    A villa da Cimbres, ate a anno de 18^8, foi a
    sede do termo, quando nasse anao o ouvidor Bar-
    roso mudou a sede para a viUa do Brejo da Ma-
    dre Deus.
    a Esta villa foi posteriorraeate cousiderada ca-
    be ja de comarca pordei provincial ; e ficon Cim-
    bres como termo annexo ao do Brejo, lando juizes
    supplente* ate o anno de 48-tt, em qoo par lei
    provincial foi elevado a cathegoria de termo com
    juiz formado, e em 1872 foi elevado a cathegoria
    de comarca por lei provincial da 7 de junbo, sen-
    do seu 1* juiz da direito o Dr. Francisco Brandao
    Cavalcante de > Ibaquerque.
    - t a -cabana da comarca de Cimbres e sede das
    auionuaaes -0 a villa de Pestjut-na a villa e nova,
    tern boa editicacao, seu commercio 4 granie e
    prometta ter um'bomftit'iro, assia o go ver no ctu-
    das.'e em exlinguir o aldelamento dos indios, que
    serve lao somente para atrazo da localidade, por-
    que os melhores lerrenos para a agricultura estao
    em poder dos intitnlados aldeiaJos, gente indo-
    lente que se limits a tar um baijan.-iral a alguma
    mandioca. 0 aldtiamenlo e uma sinacura, para
    lion -arias e serve de arma politica de doos ga
    mes: serve para demonstrar o|o|nosso atrazo, porque
    nao e possivel comprehender homens, maiores a
    todos os respeitos, que a lei manda a forea consi-
    dcrar orphaos; que por lei nao podem casar,
    nao p id- in contratar, nao podem sahir do aldeia
    mento sem licenca, a que em qualqaer parte hao
    de render obedfencia a seas superiores.
    a Existem no aldelamento muitos individuos
    que, pelo facto de casarera com india, seguem a
    condigao da mulher e birnanvse al leiados. Se o
    actual administrador da provincia, que tern sabi-
    do eonquistar pels saa administraQao recta e im-
    partial, jus a gratidao de sous patricios, tomasse
    em consideraQAo os interesses desta localidade,
    ouvindo a homens imparciaes e nao interessados
    nessa conserva^io exquisita. alinal viria a con-
    veneer se de qua a extinccao do aldeiamento e
    uma nccessidade do bom estar dos habiiantes des-
    ta comarca e suas vizinhancase do sea future.
    ii A comarca do Cimbres, na parte da freguezia
    de Siaota Agueda, e onde mais.se estreita a pro-
    vincia de Pi-rnambueo, porque de Pesqaeira aos
    limites com a provincia da Parahyba sio 6 legnas,
    e da mesma villa aos limites com a. provincia das
    Aiagoasscrao ii leguas. Se a comarca do Om-
    bre* com .rehendesse o termo de S. Bento, limrtar-
    se-hia com duas provineias, com a Parahyba 4alo
    norle e com as Alagoas pelo snl.
    A comarca de Cimbres actualmeote limita-se.
    ao norte com a provincia da Parahyba, com os
    terraos de lngazeira e Floras, desta provincia ; ao
    nascente com a comarca do Brejo e termo de S
    Bento, da comarca dc Caruani; ao sal com o
    termo de S. Bento e comarca de Butane.; aopoen-
    te com as comarcas de Tacaratu e deFiores.
    i A sua maior exteusao, de nascente a poeute,
    e de 43 a 30 leguas, c de norte a sol de 33 a 10.
    ii A comarca de Cimbres e talvez a parte mais
    aita da provincia de Pernambuco ; no seu termo
    tern lugar o naseimento dos rios Ipojuca, qua nas-
    ce na fralda oriental da serra Jabitaca e tan^a-se
    no oceano, o rio Mexoto que nasce na fralda oc-
    cidental da mesma serra e lanca-se no rio S. Fran-,
    cisco ; o rio Panema que nasce na fralda oriental
    da serra de Aroroba e lanca-se no rio S. Fran-
    cisco ; e timbem regado o, sea termo pelas.agaas
    do Capibaribe, que segundo a opiniio geral, nasce
    na lagoa do Angd, mas que quan'.o a inim na:ce
    na lagoa da Eslaca.
    t As razoes que lenho para assim pensar sao as
    seguintes : o rio que vem da lagoa do Angii 6
    conheciJo pelos moradores da sua ribeira com o
    norae de rio Canhoto, ate a sua confluencia com
    o rio que vem da lagoa da Estaca, que traz o no-
    me de Capibaribe ; alem disso o rio que vem da
    lagoa do Angii teui as margens e leito despido de
    arvores, eulretanto que o rio que vem da lagoa
    da Eslaca, que reune-se ao Canbolo, pouco abai-
    xo da fazenda desle nome, tern as suas margens
    e leito cheio de arvores a que aqui chamamca-
    raibeiras ou eraibeiras, especie de salgueira, e
    isto desde quo sahe da lagoa da Estaca ate sua
    junccio cora o que vem da lagoa do Angii e de
    sua junccao em diante continuara ellas a eucher
    o leito e margeus do rio : nao se pode tambem
    argumentar com o curso dos rios, porqae e axWm
    sao do percorrimento das aguas desses rios ate
    sua junccao abaixo da fazenla ,do Canhoto c
    igual : por essas razoes e por oulras, que so os
    enienlido3 poderio mcllior explicar, e que enten-
    do que a nascen^a do Capibaribe e na lagoa da
    Bataea anao na lagoa do Angii, como ate hoje se
    tern ensinado, e nesla crenca estao todos os qua
    alii sao moradores, de que o Capibaribe vera da
    lagoa da Estaca.
    TranstVrcncia. -Fica transferido para a
    proxima terca feira. 10 Jo corrente, o espej aculo
    olferecido pelo Sr. Goodison em auxilio do ajardi-
    namento da Praca de D. Pedro I, na freguezia de
    S. Frei Pedro Gonealves.
    0 Baa que se'deslina o producto desse espec
    taculo, e de mover a concurrencia e genero.-idade
    publicas ; o merito daquelle que a nfferece a cus
    ta de seus dilBceis irabalhos, o Sr. Goodison pres
    tidigitaJor e ver,!riloquo degrande "forca, e segura
    garantia de um importante resultado.
    Incanjavel nos intuitos de promover o mais pos-
    sivel o progresso material desta provincia, o Sr.
    Dr Libo Moscoso toraou aos hombros a empreza
    de mais este mclhoramenlo da cidade do Recife
    E' nosso voto, que bem succedida seja sempre tao
    de cedida dedicacao a fins lao louvaveis.
    com Autcuia.,Maria ii Espirito Sarto.
    Si'L>as'.iao Mapii Basilio Pyrrliu, com ldalina
    Cuvokail Rivoreda dos Santos.
    Join Gomea Pereira Torres, com Fortunala
    Rioformosens-e.
    Ernesto Goacalves Macedo Wanderley, com Ja
    venlina An^ata do Azevtiao.
    Frantisco da Paula Amarim, com Anna Soaras
    I.ulcria.A qua ad acha & venda a a 88", a
    benefiew da itiatriz da Peirolina, que corru do
    dia (j d corrente.
    I.eHaVfcT-Hoje, vai a luilao, o sobrado d
    andares a atao, sito a rua de Ldmbas Vale,
    pek) agenfe-f)ias, as U bras da manhil, e
    escriptorio a rua do Marquez de Olinda a. 37,
    an dar. J*.J& SkM, ]
    Hospital Portuguez. Movimeato das
    enfanna.rias de 23 a 31 de Janeiro :
    Ficaram eni Iratamento 36, entraram durinte
    a'semana 5, sahiram "curados 8, Beam existlndo
    emeeti
    Entra de semana o 5r. mordomo Anlonjp de
    Souza Rego.
    Casa de detenyao.Movimento da tasa
    le detencao do dia- 2 de fevereiro de 1874 :
    Existiam presos 312, sahio 1, existem 341.
    A aabar-:
    Nacionaes 219, mnlheres 12, estrangeiros31,
    oscravos 47, escravas 2.Total 341.
    Alimentados a eusta dos cofres publicos 251.
    Movimento da eufermaria do dia 2 da fevereiro
    de 1874.
    Tiveram baixa:
    Speridiao fiarboza da Silva, syphilis.
    Caetano.Maria da Conceicio, metralgia.
    Antonio Joaquim Jose dos Santos, odnna.
    Josd Pedro Geral do, fobre.
    Tiveram alia :
    Joao Alexa adre de Carvalho.
    Luiz .Pereica dos Santos
    Luiza Maria do Espiriu Santo.
    Antonio Francisco da Paixao.
    Antonio, escravo, sentenciado.
    Hospital. Pedro 11. 0 movimento dete
    etabeleeimentor de i6 de Janeiro ao dia de fe-
    vereiro da 1874 foi.o seguinte: existiam- 333, m-
    traiam i'ij sahiram.46, -falleceram 7, existem 325,
    sendo I 20o boaieas e 120>.mnliieres.
    Adcertenda.
    Foram visitadas as enfermanas nestei dias : aa
    8, 8 l|2, 9, 8 1)2,8 1|2, 8 1 [2, 7 1(2, pel* Dr. Bel-
    trao ; as 12 1|2, 12, 12 l|2, I, 1, 1 l[7, 12, pelo
    Dr. Sarraenlo; as 8, 8 I4J, 8 i|2, ( M2,8 l|2,
    pelo Dr, Malaquias.
    Fallecifcs.
    Francelia) Dauasio Santiago enteriu chronica.
    Valeria.^ diarrhea. '
    Joao; hemorrbagia cerebral.
    Antonio Felix Tavares ; Licken geral
    Jose,Maria; tuberculos pulmonares.
    Ignacio Carneiro d'Assumpcao ; camexia tuber-
    culpsa.
    Ro nana Maria da Cooceicao ; tetan*.
    Cemiterio publieu Obitiario do dia 31
    de Janeiro de 167.4 :
    Julia, branca, Pernambuco, 2 annas, S. Jose ;
    bexigas.
    Ignacio Correa da Assam pcao, pardo, Pernam-
    buco, 29 annos, viuvo, Boa-\ista. hospital Pedro
    II; cachexia tubercuioaa.
    Luiz da Luz, brauco, Portugal,26 annos, casa:
    do, Reeife; pericardite.
    Jovina, preta, Eeruambuco, i mezes, Graca;
    convulsj$ej.
    Finnino Alves Ferreira, pard, Alagoas, 40 an-
    nos, viuvo, Recife; bexigas.
    Olympia, parda, Pernambuco 7 dias, S. Jose ;
    tetano.
    Maria, branca, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vis-
    la ; euterite chrome*. .
    Maria, branca,, Pewibucc, 18 mezes, Santo
    Anti niii, asthma.
    Antonio dos Santos, brancn, Portugal, 33 auaos,
    casado, Afogados ; tuberculoi pulmonares.
    I de feveieiro
    Virginia, branca, Pernamuco, 18 mezes, Santo
    Antonio; tuberculo mezenterico.
    Riimaoa Mafia da Coaceii,ao, parda, Pernambu-
    co, 70 annos, vinva, Boa Vi.ta, hospital Pedro IT;
    tetano.
    Alexandre, branco, Perntmbuco, 14 mezes, Boa-
    Viita ; couvu.Udes.
    Maria Francisea da Coii.eicao, preta, Rio Gran-
    de do Harts, 14 annos, soleira, Recite ; variolas
    liemdrrhagicas.
    Annunciada Arruda Albuquerque, branca Per-
    nambuco, 22 annos. casada, Graca ; parto.
    _2 _
    Manoel,. branco, Pernambuco,, 3 dias, Santo An
    tonio ; convulsoes.
    Lourenca, preta, Pernambuco, 68 annos, soltei-
    ra, Boa Vista ; herysipola.
    Julia, branca, Pernambuco, I 's', Graca ; den-
    ti;ao.
    Antonio, preto, Pernambuco, falleceu no hospi-
    tal Pedro il, mandado pela policia; bexigas.
    de Carvalho ; appellante. ,Augaslo.,Ta-
    C, appellados administradflres -da mas-
    so de Magalt.ae.* \ Irmao.
    9o 9r. deaembargador Sauza LeAo ao Sr, des-
    embacgador Freitas Henriques ;
    Appella;oes civeis.
    Appellante Eufrazio de Arruda Camara, appel-
    lado Manoel do Rego Cavalcanti de Albuquerque;
    appellante Tolentino, por seus filhos Francisco e
    Elista, appellad) Silvino Augusto Nunes de Mello;
    appallanla Joaquim ftodrigues da Silva, appellado
    las* de G6 Mello.
    Diligencia crime.
    Ao Sr. desembargador promoter da jusli^a:
    Appellante 0 juizo, appeliado Antonio Firmino
    de Carvalho ; appellante 0 promotor,, appellado
    Pedro de Barros Castro Mello ; appellante Anto-
    nio Jose da Costa, appellada a justica ; appellan-
    te 0 juizo, appellado Candi-lo Rodrignes Luis de
    Albuquerque ; appellante 0 promotor, appellada
    Tila, escrava ; appellante 0 promotor, appellado
    Jose Ferreira da Silva ; appellante o juizo, appel-
    lado Agostinho de Arauja Fonceca; appellante 0
    joizo, appellado Jose Rodrigues Pereira Filho.
    Diligencia civel.
    Ao.Dr. curador geral :
    Appellavoes civeis.
    Appella ite Antonio Jos6 Telles, appellado Ma-
    noel Joaquim Maia ; appellante Joao Baplisla de
    Maria Queiroz, appellados Joao, .lose e outros.
    Assignou se dia para julgamento dos seguintes
    feitos ;
    Appellacoos crimes.
    De Paulo Alfonso.Appellante 0 promotor, ap
    pellado Manoel. Luiz, escravo.
    De Alagoas.-Appellante Manoel Ferreua a
    Penha, appellada a justica.
    De S. Joao.Appellante 0 juizo, appellados Si-
    mian Gomes da Silva a outros.
    Appellacoes civeis commerciaes.
    Appelleaies Sa Leitao & Coimbra, appellado a
    alministracao da massa de Manoel Jose Monieiro
    Torres ; appellantes Maetiado do Francisco Antonio de Albuquerque ; appellan-
    tes Henrique Leiden_ A C. appellado August0
    Kraus; appellante Joao de Oliveira Leite e Souza,
    appellado Antonio Jose da Silva Maia; appellante
    0 barao de Bemfica, appellados Jerooymo Delsuc e
    outros.
    Appellacoes civeis.
    ' Appellante major Jose Goedes rtogocina.appel
    lado Epaminon las da Rocha Vieira e outros.
    Da fazenda.-Appellante Carlos Ernesto de Mes-
    quita Falcao, appellada a fazenda provincial.
    Encerroa-.se a sessao a 1 hora da tarde.
    Balnncete ilo Banco Cananaeroial
    l- IVriiaiubiico, em 31 de jn-
    ueiro de 1834..
    ACTIVO.
    Accionistas................... 4,200;OOOiOOO
    Letras descontadas............ 1,906:880*343
    Letras caucionadas........... 14:634#388
    Valores depositados............ 72:379^030
    Despezas de installacao........ 5:8115o5
    Dospezas geraes............... 1:242*i80
    Moveis....................... 6:281733
    Diversas contas............... 242:191*446
    Caixa........................ 292:681*972
    6,742:i3l*92l
    Comarca dc Cimbres. Eserevetn nos
    da villa desse nome :
    A villa de Cimbres e a aatiga povoa?ao dos
    indios Arorobas, conheeida pelo noibe de povoa-
    #io de Moate Alegre, que f..i ereeta em villa com
    a denominacao dh villa de Cimbres pelo Dr. Ma-
    noel de Gouveia Alvares, ouvidor que era da co-
    marca das Alagoas, que Jveio installar a villa o
    Jhe foLjJonferida por officio do governador de Per-
    nambuco, em data de29 de abril de 1761, dando-
    Ihe as in8truc?5es para a creagao das differentes
    villas da capitania de Pernambuco.
    Autorisado para tal fim, fez 0 Dr. Manoel de
    Gouveia Alvares, putdicar em data de 26 de raarco
    de 1762, um editil convneando os povo?, para as-
    si>tir ao aeto da inaoguracao da villa e posse da
    seus empregaJps.
    A iuaugura-cSo, installaclo e pose dos seus
    empregadoVfeVe lugar aos 3 de abril de 1762, e
    foram nomeadas e eleitas as ^guintes auionda
    des :
    a Sargento-mdr.-Joai Mendes Branco, director
    que era dos indios.
    Juiz ordinario. ^ Fraar;;?-;j Alvare? de Mn-
    )nca. '
    Prodainas. Foram lidos na igreja do Ro
    sario, que serve de raatriz da freguezia de Santo
    Antonio, no domingo 31 de Janeiro, 03 seguin-
    tes :
    1.* denunciacao.
    Jose Joaquim Narciso da Rocha, com Emilia Pau-
    la Benevides.
    Joaquim Marcolino da Silva, com Eudoxia Ame-
    lia Soares Chaves.
    Bacharel Ulysses Machado Pereira Vianna, com
    Anna Ambrosiaa de Oliveira Fonceca.
    T ome Barbosa Alves da Silva, com Afrodisia
    Eugenia de Mattos.
    2.' denunciacSo.
    Dommervillo de Oliveira Mello, com Dina de
    Araujo Pinheiro.
    Jose Antonio de Mesquita, com Jveplia Brigida
    Jlnnes.
    Joio Antonio da Silva, com Antonia Maria Lilio-
    sa das Neves. .
    Joao Franeisco Honorato, com Felisbella Ferrei-
    ra Tav res.
    Maximiaao Jose da Costa, com Julia Francelina
    Porto.
    Antonio de Oliveira Maia, com Francisea Tho-;
    mazia da Cunha Maia.
    Jose Novaes de Souza Carvalho, com Julia Au-
    gusta Guimaries.
    Joao Jose Franeelino, com Caelana Brigida do Li-
    vramento.
    . 3." denunciacao.
    Simplicio Liberia dos Santos, com Juventina
    Couitancia da Coneeieao.
    Maximiaho de Lima Ribeiro, com Maria Adelai-
    de da Rocha Oliveira.
    Antonio de Albujuerque Paes Barretto, com
    Elisa Rita Moreira Costa.
    Jesuino Ayres de Almeida, eom Josepha Maria
    do Carmo.
    Jose Bernardino de Senna, eim Josepha dos
    Prazeres de Souza.
    Manoel Rodrigues Nogrreira Lima, com Candida
    Rosa Campello Capibaribe.
    CHRONIC*. JrillCiARlJL
    TRIBUNAL DA RELlClO
    SESSAO EM 3 DE FEVEREIRO DE 1874.
    PliESIOENCIA DO EXM. SR. C0.NSEL1IEIR0 CAE
    TANO SANTIAGO.
    Sevetario Dr. Virgilio Coelho.
    As 10 horas da manha, presentes os Srs. des
    embargadores Siiva Guimaraes, Reis e Silva, Lou-
    renco Santiago, Almeida Albuquerque, Domingues
    Silva, Souza Leao e Freitas Henriques, procura
    dor da coroa, faliando 0 Sr. desembargador Accio-
    li, por estar na presideacia do jury, abrio-se a
    sessao.
    JULGAME.NTOS.
    Recursos crimes.
    Recorrente 0 juizo de direito de Barreiros, re-
    corridos Antonio Pereira de Castro e oulros. Jui-
    zes os Srs. dosembargadores Lourenco Santiago,
    Souza Leao, Almeida Albuqu.'rqae e Domingues
    Silva.Improcedente.
    Recorrente 0 juizo de direito da Fortaleza, re-
    corrido Joaquim Mananno de Araujo. Juizes os
    Srs. desembargadores Domingues Silva., Souza
    Leao, Silva Guimaraes, Almeida Albuquerque.
    Deu-sc proviuuntopaia mandar prender 0 reo.
    Aggravo ,do petitjao.
    Aggravante padre Albiuo de Carvalho Lessa.
    Juizes os Srs. desembargadores Lourenco Santia
    go, Souza Leao e Almeida Albuquerque. -Deu-se
    provimento.
    PASSACESS.
    Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao
    Sr. desembargador Reis e Silva :
    Do jury de~Penedo. Appellante 0 promotor,
    appellado Antonio dos Santos Lima.
    Do SobraL-Appellante o promotor, appellado
    Jos6 Alves Ferreira Calaboca.
    AppellagSes civeis.
    Appellante 0 juizo, appellado Jose Maria Gon-
    calves Vieira Guimaraes.
    Appellacoes commerciaes.
    Appellantes Jose" Paulo Botelbo & C, appellado
    Sebastiao Olegario Lamenha Lins ; appellants Ma-
    noel Zeferino de Salles, appellados Barlholomeu
    & C.
    Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
    Appel.'acao civel.
    De Olinda. -Appellante 0 juizo, appellado Fran-
    cisco das Chagas Salgueiro.
    Ao Sr. desembargador Souza Leao :
    Embargos remetudos.
    Embargantes viuva. e hardeiros de ^Sebasliao
    Antonio Paes Barreto, embargado o visconda do
    Suassuna.
    Ao Sr. desembargador Reis 0 Silva.:
    De Ipojuca.Appellante Rocha Leal & C, ap-
    pellado Manoel Jose da Silva Oliveira.
    Do Sr. desembargaioi Ben e Silva ao Sr. des-.
    embargador Almelua Albuquerque :
    Appella>;oes crimes.
    Appellante Vicente Ferreira de Paula, vulgo
    Vicente Bomha, appellada a justiea ; appellante
    Antooio Gomes'da Campos Petleo, appellada a
    justica.
    Appellacoes civeis.
    Appellante Manoel Gomes Pereira Guerra, ap-
    pellada a parda Carolina, por seu curador.
    Anpellacao commercial.
    Appellante Oliveira & C, appellados a eomna-
    nhia de seguros indemnisadora. por sens curado-
    res ; appellante Gertrudes German a dos Passos,
    appellado Manoel Ediiviges, da Silva.
    Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
    St. desembargador Domingues Silva,
    Do Recife.Appellante Francisco Antonio de.
    Oliveira, appellado Anrelio dos Santos Coinibr*.
    Do Sr. desftmbargador Domingues Silva ao Sr.
    desembargador Souza Leio ;
    Apjkllacao commercial.
    Appellante -Joao Marques Fernandas, appellado
    Azovedo & Mala ; appellante Antonio Duarta Car-
    neirn Vianna, appellado Joao B. Somes Penna.
    Apbell.i^ao civel.
    PASSIVO.
    Capital.......................
    Fundo de reserva.............
    .Contas correntes por dinheiro a
    juros......................
    Contas correntes simple........
    Letras por dinheiro a jnros.....
    Dejiositoa da. directoria.........
    Caucoes......................
    Dividendos.....................
    Descontos.....................
    Diversas contas ...............
    Liieros a perdas...............
    6,000:000*000
    8:820*000
    111:1223390
    89:8393700
    17:033*310
    24:000*000
    19:379*05d
    106:924*300
    63:542*449
    269:026*796
    4213326
    6,742:131*921
    S. E. & 0.-----------------
    0 guarda livros,
    Francisco Joaquim Pereira Pinto.
    JoJoDamasio da Srlva, viuvd, com Maria da Pa- Do Recife.Appellnnta A companbia de irilhos
    trocinto da Canha. iurbauos.do Reeife a Caxanf*. appellado JnSo1
    JURY DO RECIFE.
    REVISAO DE QUAHFICACiO.
    Frtguezia. da DodrVisla.
    (Continuacao).
    776 Dr. Miguel Jose de Almeida Pernambuco.
    777 Dr. Manoel Arthur deHollanda Cavalcanlf.
    778 Manoel Roberto de Carvalho Guimaraes.
    779 Manoe' da Silva Neves.,
    780 Manoel lose de Almeida Soares.
    781 Misael da Siiva Guimaraes.
    782 Dr. Manoel da Trindade Penetti.
    783 Dr. Manoe] Felix Giiiraua. .
    784 Dr. Manoel Barbosa de Araujo.
    783 Dr. Manoel de Siqueira Cavalcante Junior.
    786 Dr Manoel Gomes Viegas,
    '.87 Manoel Alves.Gnerra.
    788 Manoel Alves Guerra Junior.
    789 Manoel Antonio Cardoso.
    790 Manoel Joaquim da Costa Mascarenhas.
    791 Manoel Archanjo Mindello.
    792 Manoel Zeferino Dias Barreto.
    793 Manoel Gomes da Finueiredo Costa
    794 Marcolino de Souza Travasso.
    793 Manoel Luiz da V'iga.
    796 Manoel de Alinei la Costa.
    797 Manoel do Naseimento da Silva Bastos.
    798 Major Mignel Jose do Almeida Peroambuco.
    799 Manoel Jose da Silva Guimaraes.
    800 Manoel de Abreu Macedo.
    801 Manoel Alves do Araujo.
    802 Manoel Archanjo de FigueireJo.
    803 Manoel de Araujo Alcoforado.
    804 Manoel Pereira Lemos,
    803 Manoel Roberto Boldlho.
    806 Minervino de Souza Leao.
    807 Manoel de Siqueira Cavalcanle.
    808 Manoel dc Sa Leitao.
    8B9 Manoel Francisco Marques.
    810 Dr. Nabor Carneiro Bezerra Cavalcanle.
    811 Nicolao Tolentino de Carvalho.
    812 Dr. Nilo Rodrigues de Miranda.
    813 Pedro Pereira Lemos.
    81 i Dr. Paulo Leitao L. de Albuquerque.
    813 Dr Pedro Affraiode Mello.
    816 Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso.
    617 Dr. Praxedes Gomes de Souza Pitanga.
    818 Pedro Osorio de Cerqueira.
    819 Romualdo Alves de Oliveira.
    820 Raymundo Joao dos Reis.
    K.'l Rufino Manoel da Cruz Cousseiro.
    822 Sebastiio Jose Gomes Penna.
    823 Dr. Silvio Tarquinio Villas-Boas.
    824 Simplicio da Cruz Ribeiro.
    823 Tiburcio .^ntonio de Oliveira.
    8J6 Thomaz Ferreira Maciel Pinheiro.
    827 Thornaz Garret.
    828 Thome Joaquim do Rego Barros.
    829 fir. Thomaz Argemlro Ferreira Chaves.
    830 Lllysses Cockles Cavalcante de Mello.
    831 Dr. Ulysses Machado Pereira Vianna.
    812 Ulysses de Arruda Camara.
    833 Vicente Machado Freire Pereira da Silva.
    834 Vicente de Paula de Oliveira Villas-Boas.
    835 Dr. Vicente Pereira do Rego.
    836 Vicente Pereira da Silva.
    837 Vicente Teixeira Bacellar.
    838 Victorino Manoel da Silva.
    839 Vicente Teixeira de Moraes.
    840 Vicente Teixeira Coimbra.
    841 Major Lniz Antonio Ferraz.
    842 Tanenti-coronel Joaquim Cavalcante de Al-
    buquerque Hello.
    843 Major Manoel da Azevedo Naseimento.
    844 Capiiao Jose Domiogoa Ramos.
    845 Capitio Antonio Raymundo Lins Calds.
    846 Capiiao Joaquim Manoel de Medeiros.
    847 Capftao Francisco Geouino Simao. /
    848 Major Bento Luiz da Gama.
    849 Capiiao Henrique Eduardo da Costa-Gama.
    850 Capiiao Joaquim Agripino Furtado de Men-
    dooca.
    831 Capi&o Fernando, Paciflco de Aguiar Mon-
    tarroyos.
    832 Capitao-Samuel da Silva Monieiro.
    833 Joaquim Villela da Castro Mariz.
    85i Thodoro Maehado Freire Pereira da Silva.
    p835 Ernesto Maehaio Faeire Pereira da Silva.
    836 Hypolito da Silva.
    837 Floriano Correa de Brito.
    838 Thomaz Barreto Lins Barros.
    83U Ji-se Candida de Barros.
    860 On. Antonio Colurabiano Seraphico de Assis
    Carvalho.
    861 Alfonso do RenoBwroi
    862 Dr. Joaquim de Aquino Fonaaea.
    868 Tanenle corouel Doeio de Aquiao Fonceca.
    8*4 Dr. Ernesto de Aquino Fonceca.
    865 Or. Joao Augusto d Rego Barros.
    866 Bernardino de Senna Silva Guimaraes.
    H57 Carlos Augusto Lins de Souza.
    868 Antonio Buarque de Macedo.
    869- Dr. Gabriel S-tares Raposo da Camara.
    870 Capita.) Jose Joaquim Coelho.
    871 Comelbeiro Joao Silveira de S
    872 Dr..Mapo^l de BarrM,Barrto,
    873 Dr. MaiWei Francisco:dfi;l3arros Rego.
    874 .Dr. Simplicio Cesar Goutinho.
    875 Pedro Paulo,dos Santos.
    876 Manoel das Santos Nunes de Oliveira.
    Freguezia de rToMd Senhora da Graca.
    S77 Dr. Arthur Annes Jacome Pires.
    878 jintonio Jose" Mauricio.
    879 Augusto Jose Goncalves Lessa.
    880 Augusto Genuino de Figueiredo.
    881 Antonio Pereira de Lyra.
    882 Adolpue Tiago ^e Faria.
    883 Adolpbo Koop.
    884 Affonso Peixoto da Silveira.
    885 Dr. Antonio Maria da Faria Neves.
    88'] Antonio Feliciano Rodrigues Setle.
    887 Andre Alves Gama.
    888 Mr. Ayres de Albuquerque Gama.
    889 Barao da Soledade.
    890 Dr. Bento Jose da Costa.
    891 Bernardino de Oliveira Coragem.
    892 Constantino Lopes Guimaraes.
    893 Clarindo Ferreira Calio
    894 Christovao Santiago de Oliveira.
    893 Caetano Quintino Galhardo.
    896 Eustaquio Antonio Gomes.
    897 Francisco Ignacio de Medeiros.
    898 Frederico Chaves.
    899 Ignacio da Silva Braga.
    900 Dr. Jose Anastacio da Silva Guimaraes.
    901 Joio Joaquim Alves.
    902 Dr. Joaquim da Costa Dourado.
    9i3 Joaqoim Jose de Faria Neves.
    904 Jose Henrique Machado.
    905 Joaquim Pereira de Souza.
    906 Joaquim Lucillo de Siqueira Varejao.
    907 Jos-i Nicacio da Silva Junior.
    908 Jose da Silva Loyo Filh'o.
    9U9 Joao Jose da Cruz Muniz.
    910 Julio da Costa Cirue.
    911 Joaquim Francisco da3 Chagas e Silva.
    912 Dr.Levino Pinto Brandao.
    913 Ludgero Joaqoim de Faria Neves.
    914 Manoel Pinto de Queiroga.
    915 Marcolino da Silva Mindello.
    916 Manoel Pereira Geraldo.
    917 Napoleao Olympio Prates.
    918 Pedro Barboza de Oliveira.
    919 Paulo de Albuquerque Gama.
    910 Raymundo di-Silva Maia.
    921 Regino Ferreira de Carvalho.
    922 Sabino Jose de Almeida.
    923 Salustiano Baptista de Oliveira.
    924 Thomaz Jose da Silv. Gusmao.
    925 Ulysse* Pemambucano de Mello.
    926 Dr, Francisco Augusto da Costa.
    927 Herculano Alves da Siiva.
    928 Coronel Domingos Affons,o N'ery Ferreira.
    929 Dr. Vicente do Naseimento Feitoia.
    930 Dr. Augusto Frederico de Oliveira.
    931 Dr. Luiz Lopes CasteHo Branco.
    932 Eduardo Candilo de Oliveira.
    933 Antonio Christian] Gomes.
    934 Or. :Fran-:isco de Paula Salles.
    935 Dr. Affonso de Albuquerque Mello.
    936 Alfredo Henrique Garcia.
    937 Daniel Ces-ar Ramos. '
    938 Elias Pereira Goncalves da Cunha.
    939 Bernardino de Senna Muniz.
    940 Francisco Antonio da Silva Cavalcante.
    941 Joio Goncalves Torres.
    942 A.itonio da Siiva Leal Loyo.
    943 Barao de Bemfica
    944 Barao deCampo Verde.
    945 Joaquim Salvador Pessoa de Siqueira Caval
    cante.
    940 Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
    917 Dr. Jose Eustaquio Ferreira Jacobina.
    918 Dr Jose Francisco Ribeiro Machado.
    949 Manoel Antonio de Albuquerque Machado.
    930 Jose Antonio de Almeida Cunha.
    934 Francisco de Paula e Silva.
    Freguezia.do Por,o da. Panella.
    952 Arisiides Duarle Carneiro da Cunha Gama.
    933 Alfredo Jose Antonio de Oliveira.
    954 Antonio Soriano do Rego Barros.
    935 Capitao Antonio da R)cha Accioli Lins.
    956 Antonio Luiz dos Santos.
    957 Antonio Henrique de Miranda.
    9o8 Antonio da Silva Neves.
    939 Bento Joaquim do Miranda Henrique.
    96m Ciciliano Rodrigues, dos Passos.
    961 Carlos Eduardo Riyder.
    962 Christiani da Gama Lobo.
    963 Cussy Juvenal do Rego.
    964 Delfino Jo-e" Camara.
    965 Francisco Placido Botelho.
    966 Franeisco, de Salles Andrade Luna.
    967 Frederico Augusto do Lemos.
    968 Dr. Fab 0 Alexandria*) de Carvalha Reis.
    969 Francisco Carneiro Moateiro.
    970 Francisco Jorge de Soura.
    971 Frncisco de Paula Machado.
    972 Gennino Augusto Peixoto.
    973 Jose" Ribeiro da Cunha.
    974 Jesnino Ferreira da Silva,
    975 Jose Dellino da Silva Carvalho.
    976 Jose Gregorio Pinto.
    977 Jose Antonio de Oliveira.
    978 Jose Duarte Ribeiro Gama.
    979 JosC Burle.
    980 JJse da Silva Neves.
    9S1 Jose Ma :hado Brandao.
    982 Jose Rodrigues de Souza.
    983 Joao Ignacio Ribeiro Roma.
    984 Jol) Leite Rodovalho.
    983 Jose Francisco do Rego.
    986 Jose Felippe .Very da Silva.
    987 Jose Cesano de M-llo.
    988 Miguel Nunes de Freitas.
    989 Manoel Alves de Carvalho.
    990 Manoel Jose de Paiva Pinto.
    991 Mannel da Costa Pereira.
    992 Nicolao Machado Freitas.
    993 Paulo Jose" de Oliveira.
    994 Severino Duarte.
    995 Sebastiao Antonio do Rego Barros.
    990 Dr. Antonio Joaquim de Moraes e Silva
    997 Francisco Antonio de Oliveira.
    998 Thomaz Lins Caldas.
    999 Felippe Duarte Pereira.
    1000 Jose Bernardo Galvao Alcjforado Fiiho.
    1"01 Joao Francis :o do Rego Maia.
    1002 Sebastiao Affouso do Rego Barros.
    1003 Francisco de Paula do Rego Barros
    1004 Jose Camello do Rego Barros.
    i003 Miguel Joaquim do Rego Barros.
    1006 Augusto Octaviano de Souza.
    1007 Dr. Inn cencio Seraphico de Assis Carvalho.
    10.'8 Izidoro Thecdulo de Malios Ferreira.
    1009 Dr. Joaquim Moreira Pinlo.
    1010 Jovino Bandeira de Mello.
    1011 Luiz Augusto Rubim Maviguier.
    1012 Pedro Americo da Gama Duarle.
    1013 Adolpho Bernardo Galvao Alcoforado.
    1014 Pedro Rcdrigues de Souza.
    1015 Dr. Joaquim Maxiraiaqo Alves Cavalcante.
    1016 Dr. Joaquim Francisco de Miranda.
    1017 Jose Domingues G;deceira.
    I0;8 Dr. Monoel Domingues Codeceira.
    1019 Francisco Jose Alves Gama.
    .'020 Dr. Joao Luiz Victor Leuthier.
    Qua importa, pote, *St Exe. que a Pronn:ia
    e a Vniiio propalem que a exoheracao, dada ao*
    empregados que assignaram um protcsto, qoe *
    verdadeira eolleccao de ealurmiia* atiradas a face
    da autoridade, e uma vinganca, quanlo tolo a
    publieu applaudo n acto, como meio da por cofero
    a certos desregramentos T
    Se a Provincia sabe que os demittidos er-rn
    amigos de S. Exc, e que apezar disso foram d--
    mittides, como A que classilica acto da S. Exc.
    como vinganca ?
    E' inadmi*ivel qua S. Exc, sendo amifc 4a-
    quelles euipragadps, como assevera a Pooincia,
    exercesse contra ertes espirilo de vinganca !
    A piopria Provincia, conlradizendo-se, WCJ-
    nhece qne 0 acto de S. Exc nao fai pauttc-o
    pelo espirito de vinganca.
    Pensa a Provincia qua as anas palavras teem
    algnm valor para 0 pablico T
    Se pensa, esta enganada, pois ellas sao repelli-
    das, assim como o sao as da Uniao.
    Lma verdade, porem, lica ainda uma vex pr-
    vada.ee que nio e amar o principio que datcm
    a Proancia na luta, mas >im 0 odio a a guerra
    que 0 directoria por awor do chefe, faz ao Exm.
    Dr. Lucena.
    Tranquillisese a gente da Provincia, a ua
    posi'.-ao pouco on nada incommoda a S. Ex*.,
    dede que es'.e tem a opiniio publica que 0 f-
    plaude.
    A' policia e ao publico.
    En abaixo assignado declare as auloridades 0.-
    liciaes e tambem ao respeitavel publico que no o-
    mingo, l,c de fevereiro e-ireute, deu-se em Mi-
    nna casa, na rua do Vigario Tenorio n. II, I.' ac-
    dar onde reside e lenho meu estabeb cimecto V
    cabellereiro, o seguinte facto :
    Succedendo por acaso cahir um pouco d agba
    no soallw qua foi ter no armazem, ooda o Sr. Jo-
    Maria Peslana tem agencia de leiloes, em o:casiao
    que estava eu descancando com minha faaib..
    ouc.o pancadas repetidas e bastanle estroDdov-
    no soalho acompanhadas das palavras :
    Canalhas esla cahiodo agna ca em baixo.
    Apenas cbeguei na varanda persuadmdo-me 41M
    a agua nao fosse dc minha casa, diss; Ibe que aaa
    era, e que aqu'llo nao eram termos de at kataf
    em uma casa de familia usando de semelbaa'e*
    expressoes. Quando eu acabo de fazer. eslai vti-
    servacues disseram os Srs. Jose Maria Pe-Ui.j
    F1II10 (tanente da armada ) e Josa Maria Ptm-
    tana, pai :
    Pt-liatra, canallia, desce ca embaixo qu>
    quero le partir a cara.
    Nesla occasiio so be 0 meu vismbo do 2." and*.".
    0 Sr. Joao Gomes de Oliveira com Joio Franks ..
    Pestana. por terem-lhe dito que a agna parUa ik
    um dos andares, para ver se era de sua ;-*a.
    Prevado que nao era de la, desce 0 Sr. Joao Go-
    atee, e nesla occasiao encontra o Sr.. Jose M*im
    Peslana Filho, acompanhado de sea pai,. sutin^o
    furiosos as msnhas. escadas para quebrarera-mt a
    cara e dizendo :
    Pelintra, caualha, quero dar-le.
    Ahi, o Sr. Joao Gomes abrajou se com wife*
    evitou que elle entrasse em minha casa, dizandj
    ao Sr. leueute J.-se Maria Peslana :
    Deixe-se disso, sue nao e-ia beat aa> Sr.
    querer dar em um cidadio, pai de fauiilia, a os
    sua casa ; em quanto eu esttver aqui nao. cou-
    sentirei, e o mesmo (aria com 0 Sr. ( como vim-
    nhn i se se desse comsigo o mesmu facto.
    Nao satisfeito com isto 0 Sr tenente.Jose Macut
    Pestana coatinuou a maltratar-me com palavra<
    injuriosas e obscenas, faliando com o deviJo dtc
    coro a minha senhora e a senhora e filhat do M
    Joio Gomes que estavam presentes. Eats
    mesmo Sr. Joao Gomes repelliodo 0, observjq- r*
    que elle devia respeitar.as famdiar>.
    Coatinuou 0 Sr. tenenle Jose Maria Peun a
    snbir, galgou os ultimos degraos da escada, forccu
    uma grade culiocada a porta que entra para a sa.a
    do meu trabalho, e vinha dar-me. Vendo an 0 pe-
    rigo, vali-ine de minha lesoura de lrabaiho para
    defender-me, e quando 0 Sr. Joao Gomes de 01-
    veira diz para mim :
    Guarde essa lesoura, porque en Bio < 0-
    sinto e'le lhe offender.
    Dirigindo se depois ao Sr. Pestana 1 pat i oj-
    se-lbe:
    Sr. Pestana, o Sr. como pai nao devia MB-
    sentir uma ac^ao detlaa, eu sempre lhe tribotei
    araizade e por isto admiro agora 0 sea jroeQ.-
    menU).
    Nesla mesua occasiao 0 Sr. Jose Maria PetraLa
    ( pai j conhecendo a razao, disse para 0 Sr. J-.o
    Gomes:
    0 men lilho obrou muito mal 1
    Kniiio retirarara-se. Desde asse dia c;n sempra a minha oorta fechada, visto como el.e
    (tenenle Pestana 1 prometteu quebrar-me a cra.
    Na occasiao do cmllicto enlrou com os Srs. Paa-
    tana um inspector de quarteirao, qne lestemuniii 0
    i/facio de principio a lim e nao providtneion. e- era de seu dever ; a naa ser 0 Sr. Joao Gome* i -
    Oliveira, eslavsuios perdidos.
    Sendo elles os criroinosos, foram os primr:.-. -
    que sa foram queixar ao Sr. tuldelegadc, qr.e
    mandoa.um inspector com uma urdenanca '- <
    somenta para reeommendar que evitasse da car r
    agua no armazem, e nada mais nesle senlid<, -
    cando eu sempro jurado por tile (itMSttt '
    Maria Pestana ) de partir me a cara.
    Recife, 4 de fevereiro de 1874.
    Joaquim Morena I
    As meninas Rios s
    Verdadeiros admiradores do talento desUs i.c-
    ninas sympathicas, que entre nos lera dado algan-
    espectaculos, solicilamo-lhes a graca de mais uma
    vez exhibirem-se em seus prim*rosos IrafeaJk
    proporcionando nos uma occasiao de mani'esi.--
    mo Ihes quanta as apreciamos.
    Os ullimos irabalhos artislicos, presidides per
    uma certa mestna c graciosamente corabina ; -.
    nos lovaraui a fazer e>te pcJido, que por atrta
    esp.Tamos, nao sera desattendido, altondendo -"
    bellas qualidades da delicada pessoa que as ii-
    rige.
    Alguns apreciadorrs.
    fairaiido cspectaculo eau bcuefi-
    cio do ajantinaniento da pra-
    ca de II. Pedro I, no bairrada
    Recife.
    Em con*eqnencia dos dias sanlos, festas de ar-
    rabaldes e outros inc nveniemes, flea tran'Iend-.
    esle espectaculo, para lerca feira, 10 de correct.
    As pessoas que quizerem concorrar espon'.a-
    neamente para tao util melhoramento, prefecem
    aos lugares que quizerem, os quaes maada-L
    procurar cm casa do abaixo assignado.
    Recife, 3 de fevereiro de 1874.
    Dr. Pedro de Athayde Lobo flats**.
    Tribunal do jury
    Souzi.
    Dcmiasdesi.
    A Provincia de 31 do met ultimo, noticiando
    as demissoes dos Srs. Drs. Barboza e Balis e
    Silva, contra os quaes, ha bem poueo tempo,
    gritava, fe-lo com aquella sanha do coslurae.
    Nos ja esperavamos, que 0 orgao do rachitico
    directorio, sempre coherente, mormente na questao
    religiosa, viesse advogar a, cansa daquelles que
    outr'ora eram.o principal ubjacto de suas accu-
    sacfies, porque e essa o lim de todo partido, que
    sem logica politica ambiciona 0 poder, embora
    tele lhe venha com quebra do que se chaina co-
    herencia de principios.
    Se essas palavras nao enconlrassem apoio na
    opiniao publica, dar-nos-hiamos ao trabalho de
    confrontar as lemurias da Provincia de hoje com
    as repetidas denuncias que outr'ora fazia acerca
    do Sr. Dr. Barboza para Hear mais patente qua a
    Provincia perde tudo : nada move a sua seasi-
    bilidade.
    0 publieo vio que nao foram esses sujeitos da
    Provincia, que forcara S. Exc dar demissio a
    esses empregados, mas sim 0 arrojo qua. tiveram
    em prestar suas assignaturas para dar vulto a
    verdadeiros insultos feitos as autoridades.
    Uma.prova de que S. Exc. nenhum passo da,
    qua nao e-gote a tolerancia, lemo-la nos nessas
    demissoes.
    Mas,- diz a Provincia que S. Exc quiz com
    aquellas demissoes exercer vinganca.
    Exercer vinganca porqae f
    Piovocamos a gente da Provincia a quo de-
    clare em que consta a vinganca, que diz ter
    ft, Kxc. exer:ido eontra os demittidos t
    Ninguem tomou o acto du Exm. Dr. Lucena,
    como o cxercicio de viDgauea : toda esta cidade
    tem prociamado a S. Exc. coma prudente, pois
    lolerou, quanto era pnssivel, a pesicao daquelles
    empregado.". e so os demir.io porque a toleraoeia
    nao e.xc.'at a onirgia.
    A pedido dos dignos proprietarios do Dtiiiu/,
    lenho fornecido uma ligeira nolicia do que vai
    occorrendo nas sessdes 40 jury e por isso jolg i-
    me obrigado a dar a seguinte expli.ac.ao :
    Nao tem ra.'io de ser a reclamacao publicada ad
    Diario de hoje pelo Sr. Dr. Gomes Parente contra
    a noticia qne sahio na Bevista Diaria do dia I
    do mez lindo.
    Na-i tendo podido comparecer no dia 30 0 Sr.
    Dr. 1.* promotor, officio u nessa sen lido (do qne
    fui prevenido na vespera a tarde.,1
    Sendo procurado na manhi de 30 o Sr. b .
    adjuncto, foi encontrado em sua casa em uso de
    remedios, que 0 privaram de sahir n'aquelle d.a
    Em vitrude disso,olBciou-se ao Sr. Dr. J. pra-
    motor, 0 qual nao foi encontrado em sea eaaip-
    torio pelo ollicial portador do officio. Volloa 0
    mesmo official, e como a hora ja estivesse adian-
    tada, foi levantada a sessio.
    Ja se ve que nao houve culpa alguma nem mes-
    mo d'aquelle official, que nao devia deraorar-ss
    ausente por mais tempo. Tambem nenhuraa cenr
    snra foi feita ; apenas noticiou a Revista nao ler
    havido sessao, e o molivo disso.
    0 Sr. Dr. Gomes Parente declara que foi an
    official de jnsiica aa saa escripiorio e nao 0 eav-
    contrando, volloa com 0 mesmo ofllcip, sand)
    entao levantada a sessao.
    Ve-se, pois, que a noticia hi vcrdadem.
    Dizendo 0 Sr. Dr. Gomes Parente que nao tam
    obriga*ao de estar presente a actual sessao do
    jury, para prevenir qualquer evenlualidade, que
    nao podia pre ver 0 incommodo do Sr. Dr. I.* fro-
    motor, etc., da a entendar ter-se-lhe feiioem uma
    simples nolicia (de tres ou qualro linhas) alfaiMa
    Centura, ou haver-se commettido alguma anue-
    tidao.
    Nada disto hoove.
    Dizendo a illustrada redaccao da Revist 1 Dmia
    em resposta ao Sr. Dr. Gomes Parente qu-
    trabalhos do jury sao ooticiados a vista de QOtas
    ministradas por um empregado desse tribunal, en-
    lendi que nao devia conservar me silcneioso.
    Recife, 3 de fevereiro de 1874.
    0 escrivao do jury.
    Florencio Rodrigues de Jlirandi Fran r


    1 mrtrn i
    1
    \
    /


    1
    1

    v
    - w
    w>.


    ''
    I

    ^A^SmaMi MftfcaAittfta 1 0$'^^%$Hk
    <3
    ------
    -
    P*A
    Imas
    Vi
    WAil?
    \0 JOSE DE
    ^-rt^^j^fr^ellai peTigo eminenle
    ..ealamitesa nwdacao vos aotea-
    .ura Qcarias qaedos e tfanquillos
    je*Tta vos vieasearaebatar 7-.Por eerto
    _ I Sabei, pois, que se naofacets easo d'uma
    Hi d'am* dor de garganu, isto poder serka
    oroar uo fatal omo urn inceodio ou uma muo-
    dacio. Cad* uin accesso ou paroxjsmo violento
    de losse e um golpe qae debiliu c prostra vossa
    vida. jl"liv'k^i
    Sede.poa pruddntes e precavidos contra o pe-
    rigo, munindo-vos imraediatamente do maravilho-
    soPeitoral de Anacahuita de Kemp. Em snas
    qaalidades calmantes e salutiferai se encoutra a
    veMMaira seguran<-.a e a propria -vida. Nem a
    tosse, nem as infiam.v;oes da garganta, nem as
    coostipaeoes e catliarros, nem a asthma, nem a
    iflritacao dos pulmues ; finalcnente, uenhuma en-
    fermiiade pulmonar, precureora da phJysieacon-
    firmaJa, podera resistir a sua p eurativa, o sea poder e iinmensoj o seu valor e
    impagavel.

    .1 algJCftLEGIO
    W--to dos Crolho*<20
    A abaixo assignada, ticeneiada pelo Exm. Sr.
    fireadenta da pfovidcia, e pelo Him. Sr. Dr. direc-
    tor gei a! da iustroecao pubtiea, Mm ettabelecido
    M'fua dos Coelhos, n. 20, a poucos passos da
    ija de S. Gonealo, um collegio para meninas,
    a invoca'.ao (HhSAimssiMV TmsoADK.
    por snas irmaas D. D. Landeliaa Jer-
    sey e Olindina Jertey, aortas as quaes, em com-
    radm com a ababco assignada, receberam igual
    edoflscio, durante quasi sete annos, em um dos
    rnelhore* collegtos francezes da cidade do Porto,
    esta por certo. aabiulada para transtniitir a suas
    akamnas todos os conuecimentos adquiridos Basse
    loogo espaco de tempo.
    Gbamando a aUeacao dos illustrados pais de ramt-
    ha, nacionaes a eelrangeiros, para os estatatos
    abaixo, a anoanciante eapera mereoer decidida
    preferencia, pois o seu estabelecimento se distin-
    gue, nao so porque nada pagam em saparado pelo
    estudo das artes de resreio, como tainbem pelo das
    liaguas estrangeiras qae, em geral, someute se
    ensina a traduzir, ao passo qae no Collegio-da San-
    tissima TflmD^BB seaprendera a fallar e escrever
    correctamente ; o que se torna som duvida de
    Uma vantagem e utilidade incontestaveis.
    Iavdeando, eheia de conOanca, a proteccao de
    seus eouipatriotas, e de todos os estraageiros illus-
    trados, a annuOciante e suas irmaas, no cumpri-
    raento dos seus deveres, esperam e promettem en-
    vidar todoa-os i*fdr<03; aflrn fle provar que, eatre
    nuSj exislem pernainbucauas sufflcientemente-ha
    bSudiS paTa instruire preparar nossas. innocen-
    ts e amaveis patricias, nao so a desempenharem
    no futut'o o non're e respeitavel rainisterio de
    luHs'de'Tamilia, como a so tornarem aaui, ou em
    qaalqnet paiz, onde se acharem, o brilhante or-
    namento da mais culta e distineta sociedade.
    A" aulas abrera se a 26 de Janeiro.
    Philoment-Mintrvina de A. 0' Cornell Jersey.
    -----
    ESTATLTOS
    DO
    >>itegio da Santi&sima. Trindade, sob a
    direcgao de Philomena Minerviria d'Al-
    buquerque 0' Connell Jersey, ooadjuvada
    por suas irmaas D. Landelina d'Albuquer-
    que 0' Connell Jersey e D. Olindina d'Al-
    buquerque 0' Connell Jersey.
    Art.-4. 0 Coltegio dirigido por Philomena Mi-
    ii*rina d*Albuquerque 0' Connell Jersey denomi-
    nate -*Collegio da Santissima Trwoadb.
    Art *. As alamnas recobem nelle instrucclo
    primaria, secuadaria, religiosa, de clvilidade, e de
    reereio e prndas.
    Art. 3. A instrucQa} primaria e -leitura, es-
    ripta, contabelidade (as quatro operates) nogoes
    de grammatica portugueza, costura cha e cro-
    chet.
    Art. i." A'instruccao secandaria comprehende
    lingua nacioml, francez, inglez, italiano, histo-
    ria, geographia e arithmetica.
    Art. o." A instrucgao religiosa e dada pelo ca-
    thecismo ; as alumnas aprendera doutrina chris-
    ta, e todos os devores religiosos a cumprir para com
    Dej3, seus pais e parentes, e em geral com a so-
    ciedade.
    Art. 6. A iostruccao de civilidade abrange to-
    dos os aetos da vida de uma senhora, em relacao
    com as pessoas de sua familia e com a socie-
    dade.
    Art. 7. A instrucijao de rccrdo consta de -
    desenho, musica, piano e danca.
    Art. 8." A mstruccao de prendas reune todos
    u* traballios de agulha, e toda a especie de bor-
    dsdos, que deve. saber uma senhora da melhor so-
    ci>>dado.
    II
    Art. 9." 0 Collegio admitte alumnas internas,
    tneio peusioniitas e externas.
    Ait> !0. A lingua que se falla no interior do
    Collegio e a francoza; e durante as aulas de inglez
    e italiano so se fallam estas lingua*.
    Art. II. As alumnas que estudam francez, in-
    glez e italiano aprendem a fallar, escrever e tra-
    duzir estes idiomas grammaticalmente.
    Art. 12. A mensalidade para as internas e de
    iOiOOO, para as meio pensionistas 203000, e para
    a; ext-.-rnas 5^000, pagos adiantados por trimes-
    tres que, uma vez coniegados, considcram se ven-
    oidos.
    Ar'.. 13. A mstruccao das alumnas internas,
    remunerada segdndo o artigo antecedente, e a
    doa arts 3 e o ; as inlernas e raeio-pensionistas
    team direito a dos arts. 3, 4, S, 6,7 e 8 ; podendo,
    todatia, qualquer alumna externa frequeutar as
    aulas saperiores insJiaate a indemnisasao, que
    se convencionar.
    Art. li. As despnzas com livras, papel, etc' sao.
    da competeneia dos pais ou correspondentes das
    alamaas, e bjm assim a materia prima de borda-
    dos, e estes exocutados sao propriedade das mes-
    mas.
    Art. 15. As aulas no Collegio da Santissim\
    T:(!ndade trabalham duas vezes ao dia -de manna
    da* 9 as 12, e So tarle das 2 1|2 as 5 1|.
    Art. 13. 0 euxoval das internas '6 ao gosto de
    seas pais; assim como a roupa lavada, engomma-
    da e pertences poi elles serao fornecidos.
    Art. 17. As pequenas indisposigoes e railestias
    ias inlernas sao tratadas no Collegio ; na graves,
    "porem, a directora faz avisar aos pais ou corres-
    pondentes para providenciarera s >bre o tratamen-
    to, qua p6de ser em suas casas, ou no Collegio.
    Art. 18. Os feriados sao os das aulas publicas ;
    salvo as qnintas feiras que, no Collegio, fleam des-
    tinadas a in Art. 19. Todas as materias leccicnadas no Col-
    legio da Sastissima Tbindadb sao professadas pela
    directora e-suas irmaas, ou outras senhoras com a
    aptidao precisa, e qae a directora julgar necessa
    rias.
    Recife, 30 de dezerabro di 1873.
    Philomena Mincrvinn ie A. ff Connell Jersey.
    Approvo -Directoria geral dainstruccao publica
    de Perfambu-n, 8 de Janeiro de 1S74.
    Joan Barbalho Uch6a Ciitalcante.
    SANTOS
    ABREg.
    P i*o. r^!9fl|te o WiJico Bhtiff .no- roRTo
    o Sr.^rjA(jyrsr*rino BAtcwsECA.
    Para. Sobre o- banco couslErlCtAL
    DO PARA, 6 OS SrS. FRANCISCO Git DEN CIO DA
    COSTA (&S5MOS. 35^\
    MaranhSo. Sobre o Sr. jose fer-
    REIIU DA SILVA JUNIOR.
    Ceara. Sobre os Srs. j. s. de vas-
    CONCELLOS <& SONS.
    Balala. Sobre os Srs. marinhos & c.
    Rio de Janelra. -r Sobre o banco
    INDUSTRIAL E HERCASTIL, BANCO NACIONAL 6
    BANQUE BRASILIENNE BttNgAISE.
    COMPANHlTALLIANgA
    stsgurosmaritimos e teTrefl-
    tres estabelecida na Bahis
    em 15 de Janeiro em 1870
    CAPITAL 4,000:0000900.
    Toma seguro de mercadorias e dinheiro
    co marilimo ew navio de yela MBjibra
    para dentro e font do imperio, assim come
    ;ontra fogo sobre predios, generos e fa
    rondas.
    Agente : Joaqim>ios66oDcalvesBeltrao.
    'ua do Commercio n. 5,l*andar.

    - Part o QaiiiaMU oV^.!;^i.:b.^cV ai,
    nal mrmn, carregpu : Oliveira Cilhos & C. 451
    saccos com 34,09WtiB>da saacar branco ; J. A
    Campos 20qft9fMfett)
    ------Pan 1ARITHWS
    ;CQraRA 0 FOGO.
    Axjompanbia Indemiiisadora, estabelacidt
    aesta pra^a, toma seguros mariiimos sobrt
    aavios eseus earregameatos e--coaitraiogc
    ita edificios, mercadorias e-tnobilias:.
    rua do Vigario n. 4,,paTimento terreo.
    contra
    Augusts) F. d'Oiivcira ^C.
    A casa commercial e bancaria deAugusto
    F. 'd'Oliv.eira & C, a rua do Commercio ns
    42, encarr^ga-se de execugio de ordens
    para embarque de prodoctos e de todos o*-
    maS negocios de commissao, quer comroer
    ciaes, quer bancarios.
    Decoiila lettras, e toaaa dinbeiros a pre-
    raio, icompra canubiaes-, e saca a vista e a
    praaai a" voiitade do tonnaiJor, sobre as se-
    guilMes pra^as estrangeiras e nacionaes :
    Landres. Sobre o union bank of
    LONDON, 0 LONDON ANDi BaWtBEATIC BANK,
    limited, e.varias casas do 1.* classe.
    Paris. Sobre 6s ba,nquelros FOULD
    & C'twacuARD andre'&c e k. b,lacODk,
    VIGNAL'Xt'C.
    Hamburgo. SohSj'.os. Srs. JOloJ
    Wa***/-i"Scrbt'e os Srs. f6jseCas,
    THE LIVERPOOL & LONDON* GLM
    INSURANCE COMPANY
    if^xentes
    SAUNDERS BROTHERS & C.
    11Corpo Santo11
    Capital.
    ?ondo
    .... 30,00O:0O0?M>0l
    de reserra. 8',000:0009001
    Agetites,
    Mills Latham & C.
    RUA DA CRUZ N.'38.
    Phenix Pernambucana.
    Toma riscos maritimos em mercadorias,
    'retes, dinheiro a risco e linalmente de qual-
    quer natureza, em vapores, navios y& ela oo
    barcacas, a premios muito modicos.
    RUA DO COMMERCIO N. 34.
    PRACA DO RECIFE 3 DE FEVEREIRO
    DE 1874.
    AS 3 1/2 HORAS DA TARDR.
    Cotac5es ofBciaes.
    Algodao de Macao 1* sorte 8^000 por 15 kilos.
    Algndao da Paraliyba 1' sorto 8^300 por 15
    kilos posto a bordo a frete de 3|i e 5 0|0,
    sabbado.
    :ambio sobre Londre3 a 90 Hit, 25 7(8 d. por
    1^080, sabbado.
    Cambio sobre a Bahia a 8 d[V. 1(2 0|0 de des-
    conto.
    a. de Vasconcellos
    Presidente.
    A. P. de Lemos
    Secretario.
    ..indimecto do
    ALFANDEGA.
    di. 3 .
    51:7i9i729
    Doscarregam hoji 4 do fevcreiro de 1874.
    Darca ingleza -Seraphinamercadurias para al-
    faudega.
    Barca ingleza Witch of the Teign mercadorias
    para alfandega.
    Barca inglezaJ/imnda mercadorias para alfan-
    dega.
    Lug re inglez Corisande bacalhao ja despachado
    para o trapicbe Conceicao.
    Lugre portuguez -Cedral -varios generos para o
    trapiche Concaicao, para despachar.
    Barca portugueza -Linda -pedras para o fapiche
    Conceipao, para despachar.
    Barca franceza Etiza sal ja despachado para
    terra.
    Barca ingleza Fazilier carvao ja despachado
    para a companhia pernambucana.
    Barca portugueza Nova Synpathiageneros na-
    ctonaes ja despachados para consumo,
    no 1 ponto.
    Barca iugleza Kate carvao para a terra.
    Pola?a hespanholaNicacia xarque para terra.
    lEUfiortnctio.
    Barca franceza S. Louts, entrada de Cardiff era
    31 do passado e consignada a E. A. Burle & C,
    manifestou :
    CarvSo do pedra 639 toneladas a Wilson Rowe
    &C.
    Barca portugueza Nova Sympnthia, entrada do
    Rio de Joneiro em l.do corrente e consignada a
    Balthar, Oliveira & C, mamfe-'ton :
    Barncas vasias 2,8'jO inteiras e US meias aos
    consignatarios.
    Pipas vasias 100 a Tito Livio Soares, 50 aos con-
    signatarios.
    Patacho portuguez Improviso, entrado de Santa
    Catharina na mesma data e consignado a Amorim
    Irnuo & C, manifestou :
    Farinha de mandioca 157,699 kilos aos consig-
    natarios.
    i;.MMuar-carregou : B. Oliveira & C. 2 pipas
    wqi*^ )^> da afoardeate ;^4. V. de OHveira
    JtUtor20KDaftyca8 com 64,263 .kilos de assuear
    branco.
    Pa'a o Rio Grande do Sol, no brigne nacio-
    nal Pirangy, eariwgou : F. I. P. Gnimariei 150
    barricas com 150 ktiosoe aancar branco.
    REVDIM-NTO DA EMP.-tEZA DAS OBRAS E
    CAPATAZIA DA ALF-ANDEfiA Pa BBWAbV:
    CUCO, RELATIVO AO MEZ DE JANBfRO DE
    1874, COMPAflADO COM 0 DE JANEIRO DE
    1872.
    Verbas de receita
    Taxa de embarque
    Diu de desembarque
    Dita de armazenagem
    Dita de embarcac5es-
    Dita de ajvarongas
    Dita de baageos
    Dita de diversos
    9*
    588*550
    i:610i826
    8UA034
    W9*8O0
    1:3*3*800
    70MO0
    1:5W*430
    8
    57*398
    -5-8ia*505
    10:137*129
    703/650
    liOMVtoO
    114*000
    1:304*0*4
    Total 17:1583*340 19rl90*086
    . Thesoucaria da empreza das obras e capalazia
    da alfandega de Peraambaco, 3 de ftverelro de
    1874.
    Aiitonio Jose Leal ReiaFilhe ,.,
    fiel do tttesouteiro.
    Conforme.r-Franciseo lose GalVfto
    Ajudante auxiliar inlerino. .,
    CAPATAZIA DA ALFANDKGA
    (Vaoaimftto.flo,,dla 3 C6I*7I4
    ' VOLtTMBS SAHIDOT
    No dia 3
    .-runeira-porta .....
    iegunda porta.....
    Terceira purta .. ...
    Quarta p*--. -J *I > / -^
    rupiche Concaicao .
    SERV1CO MARITIMO
    ti^arengas descarregadas no tra^eis*
    aUanaetra-'^-'-ala 3 + *
    Vavus-alBacadasno irap. da altanduga
    .Uvareagas-........
    n;o traptche Conceicao..... J
    RSCEBEDOBJA DE RENDAS ItlTl'RNfS-GE-
    . RAES DE PKRNAaiWJ.
    lendimento do dia 3 2:167*488
    'ifflvtMtiffFO'qiio^wffro
    Nauios4nlr.ados no\iia i.
    Bahra -r' ifi-oias, ^olaca Drasilcira .Mariuho, de
    261 toneladas,.capitio Joaquim Pinto Moateiro,
    equipagem 10, em lastro ; a Manoel Toixeira
    rBaatoa^
    Buenos-Ayres 37 dias, polaca hespanboia An-
    nitj, de 153 toneladas, capiUo P. Alsinia, equi-
    , pagem 10, carga carne ; a J. J. G. Beltrao 4
    Filho.
    Santa Catharina 26 dias, brigue portuguez Im-
    proviso, de Jose Venaario Pereii a, equipagem
    10, carga farinha de mandioca ; a Amorim Ir-
    mao & C.
    Navios sahidos no dia 2.
    Rio Grande do Sul Brigue brasileiro Honor to,
    capitao Manoel E. de Barros, carga assucar.
    13em Barca brasileira Norma, capitao Cardoso,
    carga assucar.
    Obscroarao.
    rsao houve entradas.
    Navios.entradosno dia 3.
    Rio de Janeiro 40 dias, brigue" Brego Zacarias;
    de 257 toneladas, capitao G. Zioarias, em lastro
    a Rabe Schmettau & C.
    Sahidos no mtsmo dia.
    Baliia Barca ingleza Ztilma, capitao Peier-en,
    carga parte da q ren!.
    De ordem do illra. Sr. inspector da thesou-
    raria de fazsnda, se faz publico, que em virtude
    de autorisacSo da presidenoia desta provincia.
    tern de ir a praca no dia 18 do mez de fevereiro
    proximo vindoun. perante a junta da mesma
    thesouraria, para serem arreraatados por quem
    maior Unco offerecer, dez cavallos pertencentes
    a companhia de cavallaria; sSo por tanto eonvi
    dados os interessados a comparecerem na mesma
    thesouraria as duas horas da tarde do iniicado
    dia.
    Os ;avallos estarao no dia da arrematacao na
    area do edilicio em que funcciona esta reparticJo,
    e desde ja podem ser vistos no respectivo quartel.
    Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
    namhuco, 29 de Janeiro de 1874.
    0 2.' escripturario, servindo de secretario,
    Carlos Joao de Souza Correa.
    A camara municipal desta cilade mauda
    publicar os artigos de postaras, abaixo trans-
    criptos :
    Art. 70.Fica prohibido ne-ite municipio o brin-
    quedo de entrudo com agua ou qualquer oiitrai
    substancia, de qualquer maneira que se empre-
    gue os infractores pngarSo a multa de 15* e
    3offrerao oito dias de pri^ao.
    Art. 71. Fica prohibida a venda de limas de
    cheiro : os infractores alem de as perderero; pa
    gar.io 43 de multa.
    Paco da camara municipal do Recife, i7 de
    Janeiro de 1874.
    Manoel J. do Rego e Albuquerque
    Presidente.
    Pedro de Albuquerque Antran
    Secretario.
    Edital n. 125
    Polaca naci nal Marinho, entrada da Bahia na
    mesma data e consignada a Manoel T. Bastos,
    manifestou :
    Chatutos 12 caixoes e 1 pacote a Domingos
    Alves Malheus.
    Pipas vasias 150 aos consignatarios.
    Polaca hespanhola Annita, entrada de Buenos
    Ayres em 2 do corrente e consignada a Joaquim
    Jose Gonealves Beltrao k Filho, manifestou :
    Linguas saigadas 230.
    Xarque 164,404 kilos a ordem.
    31 D2
    'ESPACBOS DE BXPORTACAO NO MA
    JANEIRO DE 1874.
    Para ot porlos do exterior.
    No brigue inglez George Armstron, para Li-
    verpool, earregoti : M. Lathsn & C, 700 sacces
    com 52,508 kilos de assucar mascavado.
    No vapor francez Fire Quem, para Liver-
    pool, carregou : J.Paulo 100 saccaa com 7,518
    kilos de algrtdao ; G. Neesen & C. 5'ditas com
    *;037 dltos'xM dito ; M. Lathan C. 100 ditas
    com 8,946'ditos de dito.
    Na polaca hespanhola Vtagtro, para Barcel-
    lona, carregou : P. M. Maary 1*7 saccas com
    14^810 kilos de algodao.
    No Ingar inWez Stag, para o Canal, earre-1
    gon : J-.ater A C. 100 sa<3eos eom 7,06 kHos
    daiassucar mascavado.
    Na sumaa hespanhol* Paula, para o Rio da
    '4f4U, carregeu : Amorim hfltost 4 G. WO barri-
    cas com 46,'iW> t(i kilos devaMi-Jia Braneo.
    Ptm m por>ns fa iHthter.
    *K* Rio Grande *ySnf,-*a barca portu-
    gueaa1 #*eftala,earregou r Amorim Irmaos 4 C.
    50 pipas com 24,000 litros de ajoartente.
    Para o Rio flraode do Sal, no toavio national
    Sorpreza, car/ewa :- ,Aatdi1mr,frt4*U'i& C: 50
    1 pipae caa 24,0001iBroa de.aBjoardsnte ; L. J. 6.
    flqlmaraej 450 barricas com 63,998 1)2 kilos de"
    aasucar branco. .
    Pela inspectoria d alfandega ee faz publico qae
    as 11 horas da manha do dia 5 do corrente so ha
    de arrematar a porta desta reparticSo, livfei de
    direitos e sujeitas ao imposto da capatazia, as
    mercadorias abdixo declaradas :
    Trapiche Conceicao.
    4,600 resteas de cebolas avari idas, vindas. do
    Porto no patac o portuguez Oltnda, entrado no
    mez proximo findo. abanaonadas aos direitos por
    Silva Cuimaracs & C, e avaliadas por 130*..
    33 caixas e 460 resteas de cebolas avariada0,
    vindas do Porto no brigue portuguez Trfrtmplio,
    entrado no mez proximo passado, abandon&das
    aos direitos por Silva GuimarSes h C, e avaliadas
    por 211*.
    590 kilos de sal eommum re&nado, vlndos de
    Liverpool no vapor inglez Student, ontrado em
    de7embro do anno- passade, abandonado aos di-
    reitos por Cardoso Martins & C, e avaliados poa
    S2f*000.
    Alfandega de Pernambuco, 3 de fevereiro 65e
    1874.
    0 inspector
    Fbio A.de C, Reis.
    0 desembafgador Francisco de Assis Oliveira Ma
    ciel, official da imperial ordem da Rosa, e cava
    Iheito da de Cbristo, joiz privativo de orphans a
    ansentes e sabstiluto reciproco da provedoria de
    capellas e retfdaos nesu cidade do Recife e seu
    termo, provmcia'ide Pernambnco, por S. M. I.,
    etc.
    Faco abe.r aos qua o presence edital virera ,e
    Sdelle hoticia tiverem qae vai de novo a concurso
    jpor nao terem os pretendentes prestado exame de
    sufflciencia perante o juizo de direito da prove lo-
    ria, o lugar da soiiciudor de capellas, residuos a
    aiis^ntes, vago por fallecimento.do serventuano
    vitalicio do dito oflBclo Domingos J096 Marques, e
    pelo presente sao chamades os pretendentes ao di
    to i.IIieio, para-no praxo de 60 dias, c-mTfld is da
    publica^ao deste, apresentirem-se perante este
    jui;o competeutemonte aafcilitidos-cpm suas pe-
    ticSes aoempaBhadrfleltaTne de arfmVWotia, fo-
    iba corrida e mais documentoe -que^ julgaram ne-
    eessarios a bem de sut preJeneao na "fotina dfl
    lei. ^
    E para-que chegue ao conhecimento de todos
    mandei passar o presente edital com. o pr.izo de
    60 dias; rrae' soft 6al>oado pelos Jornaes e afflxa-
    do nos togares do' Bortome. l^
    Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
    NaraDuce aos 29 de Janeiro de 1874.
    '"Bo, Domingos Nones Ferreira, escrivao o es-
    cravi. i
    FraWWe^gae JWBWafflta!*' MSrfef.
    : Olllm. Sr."
    !"msodra>fa .
    cial mandafazer publico qae era camprimento da
    de 14 da
    "5 Wr-^r-m
    ordem do Exm. prefSEtt
    corrente, peranie PMbM thesoa.'w* n &*&*"&* ** ***' bortqute, easas de
    de arrematar no diaMlde fevereiro proxiu.." v,Bj ^irfW*PHraV iWallaoas e hbrieas ; 500* rs.
    CO a obra d^s renar'da de. enjpedramento ^ ?2LiSua-*fni?.i empreza^ana^ra on agenda
    "cfsa s Mtrada do Limoeiro, orjada no va-ji.1 "
    lor de 792|-, cdjBJ<7 indica a tespectiva clausul
    abaixo transejlpta.
    As pessoas qne se pfopozerem a esja a afre-j
    matacao, coraparecam natata aBetfai da mes-
    ma thesouraria no dia indicado pelo meio dia, com-;
    pelentemente habilitadas.
    . E para consttr, se mandon #ubBcar no preaeo'
    le Jornal.
    Secretaria da thesouraria pro.vintial, 20 de Ja-
    neiro de 1874
    ' Yictoriano Jose Marinho Palhares.
    Ofllcial-maior interino
    CTansnlas especiaes para a arrematacao dos 100
    metros de empedramento na estrada do Li-
    moeiro. __ _
    1." Os reparos dos 100 metros de eraaedramen-
    to na 1* ladeira na maita de S. Joao, serao execu-i
    tados de confjrmilade aom o orcamento, nc valor
    de 792*000.
    1* 0arrematante dara principioaobrano pra-
    zo de 15 dias e concluira no de 3. mazes.
    3.* 0 pagamento sera etfeetilado em uma so
    prestaaaa, na ooaclwto da otai^1 utrt*
    4.* Tado o mais que nao at achap aspocificado
    nas prescnlea elausulas, sera regulado pelo que dis-
    p8e o regulameBto de 31 de.julho de-486&-<_ 0 en-
    geojieiro chefe. Jose Tiburckt -foreira d> Maga-
    Inaes.
    _______-Vietoriane- Palhares.
    - De ordem do Iltnft ISr* inspector desta the-
    souraria se faz pubKcaf qaa> >paraute a junta de
    fazenda, tern de ir a praga no dia 18 do mez de
    fevereiro vindoaro a faotura dos concertos do caes
    doFocte-do Maitos, avaliados em 15:328*705;
    pelo que-'Sao convidados ,e'BJse'prepterem a
    fazer os dilo3 concertos a coraparecerem as 12
    boras da manha doIndiadodh'com suaspropos-
    las em cartas fechadas e ompet"Btomente selladas.
    declarando o ultima-prego p>r.^he se oJferecem
    faze-los ; podeado desde ja examinaro respectivo
    orcamento, que se acua paiente neeta secretaria.
    :"i Secretaria da thesouraiia de. fazenda .de
    Pernambuco, 2i de Janeiro de 1874.
    0'2 es:ripturario, seryiado de secretario
    _______ Carlos J. daSo^a Carreia.
    . 0 Iilra. Sr. inspector da thesouraria provin-
    cial em observancia de ordem da presidencia da
    provicia de 16 do nv-'z- corrente, manda fazer pu-
    blico, que perante a junta da mesma reparttyao
    serao levados a-veoda no dia 5 de levereiro proxi-
    mo vindoaro, os objectos constantes da relacao
    abaixo, dados em consumo pelo corpo- de policia,
    em cujo quartel-se acham t> podem ser examina-
    dos por quem os pretender.
    Secretaria da thesouraria previncial de Pernam-
    buco, 22 de Janeiro de 1874.
    * Victorino: J.' M. \Palhares,
    ' Offlcial-maior-tnterino.
    Relacao a que se rofele o edital suppra.
    1 uma de ferro.
    1 tofre da dito.
    2 aaldeiroes graades de dito.
    1 gancho deJerra'para htnpeao.
    4 jarras de madeira.
    2 mesas grandes de dita.
    60 pas da ferro para ban-as de ditas.
    Diversos pedacos de tab-as de differehtes qua-
    lidades.
    1 cofre de madeira.
    encerados grandes.
    V. Palhares.
    0 Illm. Sr.. inspector da thesouraria provin-
    cial manda fazer'publico que cm camprimento da
    irdcm do Exm. Sr. presidente da provincia de 7
    le Janeiro corrente, perante a junta desta thesou-
    raria se ha de arrematar no dia.23 de abril pro-
    ximo vindoaro, a obra da pontc dunominada Pao
    Sangue sobre o rio SerinhSem. orcada em 9:570^,
    pagosera apolices da divida. provincial a juro de
    7 por cento ao par.
    As pessoas que se propozerem a esta arremata-
    ;io comparecam na sala das sessoes da mesma
    .thesouraria no dia indicado acima, pelo meio dia,
    compelentemente habilitadas.
    E para constar se mandou priblicar o presente
    elo Diario de Pernambvco.
    Secretaria da thesouraria provincial, 29 de Ja-
    neiro de 1874.
    Victoriano Joss M. Palhares,
    Official maior Inter!
    ClausuJas especiaes para a arrematacao da p.nte
    denorainaua Pao Sangue sobre o rio Seri-
    nhaem.
    1." A ponte denominada Pao Sangae sera exe-
    cutada de conformidade com o-orcamento c plan-
    ta approvados pelo Exm. Sr. presidente da pro-
    vincia, no valor de 9:570*.
    2." 0 arrematante dara priucipio a obra no pra-
    zo de um mez e a concluira no de 12 mezes.
    3." 0 pagamento sera effecluado em 3 presta-
    i.-oes iguaes a proporcao da tabella executada.
    4.* Para tud< j mais que nao se achar especifl-
    cado sera regulado pelo que dispoc oregulamenio
    de 31 dejulho de 1866.O engenheiro chefe, Jo-
    se Tiburcio Pereira do Magalhaes.
    Victoriano Jose M. Palhares.
    O0PHfor casa da penhoias, venda de joias em
    jfoasoV # escriptario ou estabelecimento onde se
    BjaKie #Jr4a*a^a)vora, apor calxairo de eor-
    retor matriculado DO tribunal do commercio;
    200* por deposito de kerozene ; 100* por casa de
    roupa falta, selleiro, on de outra qualquer arte
    feita no estraugeiro, corretor commercial e agente
    i?. leilio; 200* por casa de compra e venda de
    esciavos ; 30* pir escravo erapregado em servi-
    co ds aivarenga ; 1 0|0 por tonellada de alvaren-
    ga ; 44 pof e:eravo gannador.; 30* por cocheira
    com cavallos para alugar : 8 0(0 sobre o valor do
    capim vendido na cidade do Recife ; 5* por cada
    estabelecimento eom applicacao a creacao da com-
    panhia de bombeiros; 1:500* por casa on agen-
    cia de segnro ; 2004 por deposito de carvao de
    pedra e de vender cat nao fabricada na provincia,
    e o imposto sobre carros, earrocas e bmnibus, e
    doceasBroo de agnardente, pertencentes ao exer-
    cicio de 1873 a 1874.
    iGaawlado provincial de Pernambuco, 3 de fe-
    vereisoa'lW4.
    No impedimento do administrador
    ^Eiiardjo AnanstB de Oliveira.
    dfetricto dos Afoga
    ada.
    T-
    Pela sab
    dos se declara.^jIeAe aJiJ laJUalnte depositada
    uma besta de cor eastaaha : qaem pois se julgar
    earn direito a ella, se apresente neete jaizo dentro
    do prazo de 30 dias, a conlar da data do presente,
    muoido de seus documenlos, que Ihe sera en-
    tregue.
    Afogados, 2 de-fevereiro de 1874.
    0 escrivao
    Msximiano Aatunes Tavares.
    . .^-*------------------------------------------------
    Banco Commercial de
    Pernambuco.
    0 banco paga o segun-Jo dividendo na
    razao de 8 % ao anno ou 2*400 por accSo,
    relativo ao semestre fiatlo' dm 31 de dezem-
    bro de 1873._________________________
    SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
    RECIFE.
    A Hlma. Janta-adminlstratlva da santa casa da
    Vlisericordia do Recife, manda fazer publico qae
    aa sala de suas sessoes, no dia 22 de Janeiro
    pelas 3 horas da tarde; tem de ser arrematadas a
    quem mais vaatagens offerecer, pelo tempo de am
    a tres annos, as rendas dos predios em seguida
    leclarados.
    ESTABELECIMENTOS DE CARIDADE
    tadre Floriano.
    ;CasS terrea n. 47...... 2014000
    "Rua de Uertas
    Loja do sobradon. 41.....125*000
    Travessa de S. Jose.
    Casa terrea n. 11........ 201*000
    PATR1MONIO DOS ORPHAOS.
    -Rua da Senzalla velha.
    Casa terrea n. 16.......209*000
    Beeco das Boias.
    Sobrado n. 18.......421*000
    Rua da Cruz
    Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
    Rao do Pilar.
    Casa terree n. 98......241*000
    Casa tereei a. 98....... 210*000
    Idem n. 102........241*000
    Rua da Moeda.
    Armazem n. 37 (fechado) 600*000
    Rua Velha.
    Casa terea u. 44(fechada( .... 4503009
    Rua das Larangeeras.
    Casa terrea n. 17.......361*900
    Rua de Burgos.
    Armazem n. 13 (fechado) o 0 210*000
    Rua dj Hortas.
    Casa terrea n. 116 e ^240*000
    Parnameirim.
    iStio (desocupado) 0 0 0... 500*006
    Os pretendentes deverao apresentar no acto da
    urematacao as suas fiancas, ou comparecerem
    acompannados dos respectivos (iadore3, devendo
    pagar alem da renda, o premio da quantia en
    me for seguro o \)redio que contiver estabeleci-
    mento commercial, assim como o servigo da lim-
    peza e precos dos apparelhos.
    Secretaria da santa casa da misericordia do Re
    cife, 2 de Janeiro de 1873.
    0 escrivao
    Pedro Rodrigues de Souza,
    0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
    cial manda fazer publico que em cumprimento da
    ordem do Exm. Sr presidente da provincia, de
    14 do corrente mez,. perante a junta desta the-
    souraria, se ha do arrematar no dia"'li> de feve-
    reiro proximo Vind mro.os reparos de quo precisa
    a ponte da Escada, orendos cm 1:3843, como
    consta das elausulas abaixo.mcacionadas.
    As pessoas que se propozerem a esta arremata-
    cao, queiram comparecer a esta rcparticao no dia
    acitna mencionado pelo meio dia comptleutcmen-
    t-habilit dos.
    E para conslar se mandou fazer publino no
    Dtarto de Peruambuco.
    Secretaria da thesouraria" provincial de Pernam-
    buco, 20 de Janeiro de 1874.
    Victoriano Jose M Palhares.
    Official maior interino.
    Clausulas para os reparos da ponte da Esca ia.
    1." (is reparos da ponte da Escada serao ftjitos
    de conform'dade Com o respectivo orcamento ap-
    provado pelo Exm Sr. presidente da provincia, no
    valor de 1:384*.
    t.' 0 arrematante dara comeco as obras no
    prazo de 15 dias e as concluira no de 3 mezes.
    3.* A ira!> 'rtancia da arremr.tacao sera dividida
    em duas prestneoes ignaes, sendo ajirimeira paga
    quando tivjr metade da obra feita e a seguada
    fjuando cencltir os reparos.
    4." Em tud) o mais que nao estiver especifica-
    do nas presentes clausulas, se observara o que
    dispoe o rflg.ilameato deta reparticSo. 0 enge-
    nheiro chefe, Jose Tiburcio Pereira de Magalhaes.
    Victoriano J. Mannho Plhaares.
    0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
    cial manda-fazer publico qae, em cumprimento da
    ordem do Extn/'sr. presidente da provincia, do 14
    do corrente, perante a junta doitajhesourarie s e
    bade arrematar no dia, 12 de levervjo proximo
    vindouro, aoi)ra dosTe^aros de ermWdramento
    que precisa-a estra la do*Limoeiro, orjada no va-
    lor Je 484*j como 'iadica o respectivo orca-
    mento.
    As (ussnas qae se propozerem a esta arremata-
    c3r, cfBwaroi^m'na'^ala das sessoes da mesma
    Hi > pel enterneo U-%al) i I r&das.
    E>ara dBBjatajy^e mandou publicar o presente
    pelo DtarTtrSePernnmbuco
    Secretaria da the* uraria provincial de Pernam-
    buco, 20 de Janeiro' de 1874.
    Victoriano Jose- Marinho Palhares,
    Offlcial-maior interino.
    Glaosura s especiaes para a arrematacao de 200
    metros da estrada do Limoeiro
    1 Os "reparos do empedramento da estrada do
    Liirtnrtro,"em' Carffprna "Grande; serao lexecutados
    de oenforniidade com o orcamento no valor de
    484*000. ,
    2> 0 arrematante dara principio a obra no pra-.
    to de*8 dias e a conekilra" ao ^e ,um taez
    '"' J.* 6"payament0 era erTeettfWo'iem uma s6
    prestteao, na cosakisao'da obra.
    4.* Tudo mais quo nao se-acnar .especificado,
    sera rejjulado pelo* qae lispSe o regalamento de
    3r6*e"juIho "de 1866.-0 engenheiro chefe.-Jose
    pTttTOmio Perslra d-IMgaHi%es.
    Vietoriano Palhares.
    1 ,M'*'*d mti
    'jt.-vl
    >^i TrrR:
    i
    Consulado 'ppovifieial.
    P*W'msa-dO osa6^reir.eial ?e te'jihbn*--
    co*ao>intribaiatijs imnatot,"Mi*ti)t'V de-la
    rado, que no dia 17 do oorrenlfinlam"9e,*os 36
    dias uteis1 marcados,oara a cobranga de seus de-
    bitos, indepenledre ife'taaita. fiomdu sajeitoa a
    ella todos os que pagfrem depois de fmlos os
    dttps 30 dias : 501 por caixeiro, corretor on in-
    deeseraTa.4. 4de modas a debilhar;
    ire esubelflcimentos de commercio em
    grosso e a retalho; 8 0i0 sgbre coasultorios, as-
    nnta Casa da Misericordia do
    Recife.
    A junta administratiza da Santa Casa da .Mise
    ricordia do Recife, precisando fazer os concertos
    de que necessita o predio qua possue o patrimo-
    nio dos orphaos, a rua da Cruz, hojo do Bom Je-
    sus n. 12, contrata com quem se proponha a rea-
    lisar ditos concertos, mediante ce.-ta reuda e al
    guns annos de prazo para desfructar; devendo
    os que disso se quizerem encarregar, apreseatar
    suas propostas em carlas fechadas, devidamente
    selladas, acompanhadas do respcoLvo orcame .to
    nosta secretaria ate o dia 19 dc fevereiro vin-
    douro.
    Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
    Recife, 17 de Janeiro de 1874.
    0 escrivao,
    Pedro Rodrigues de Souza.
    ESTRADA DE FERRO
    do
    RECIFE A OUNDA
    Esta companhia contrata com quem por menos
    fizer, a -construcciio da pequena estaoao do Pires :
    os pretendentes se entenderao com a respectiva
    gerencia.
    L. J. de Miranda
    Gerente. .
    Pagamento de dividendo
    Paga se o 40. dividendo das acroes do
    Banco do Brasil, inscriptaa na extincta cai-
    xa blial desta provincia, a razao de 8J?000
    por accao : a" rua do Vigario n. 1.
    Recife, 22 fle Janeiro de 1874.
    Consalado provincial
    Pela mesa do con>u!ado provincial, se faz pu-
    blico que ho dia 12 do correate, se principiam a
    contar os 30 dias uteis, marcalos para a arreca-
    dacao, independenle de malla, dos diversos ira-
    postos, eobrados por lancamento, pertencentes ao
    anno financeiro de 1873 a 1874, 6cando sujeitos a
    multa, todos os que forem pagos depois de findos
    os referidos trinta dias.
    Consulado provincial de Pernambuco, 2 de Ja-
    neiro de 1874.
    0 admiaisirador,
    Antonio Carneiro Machado Rios
    THEaTRO
    SANTO 4Mf
    (fiirande espectaenla de presti-
    digitacllo, ventriloquisuio e
    cquilibrion, pelo Sr.
    W. Goodson
    om beneQcio do ajardinamenlo
    da praca de B. Pedro I do
    halrro do 11. ciT,-.
    ^arta4ira 4 it 'fevereiro.
    f ando o Sr. Goodson se dignado bffereoer-me
    um espectaculo para applicar sea prodaeto a bem
    dos m -IhoramHitos matenaes da proviocla, resol-
    vi afferece-lo aos senhores moradoros e negoeian-
    tes do Recife, aflrn de ver se bra>e podemos con-
    verter em am lujrar de lecreio uma linda e gran-
    de prca que ate o presea*!6itdn( servido oara
    deposKo -de iiaaundictas, eoawndo3 veem. E^pe-
    rodueserei ajadado por a^iaeTres senhores e3te
    emaenho.
    Recife, 29 de Janeiro de 1874.
    - Dr. Pedro do Atthayde Lobo Moswso.
    a T'i'SedlmidiiBTteii*eBte.
    , Qulnta-.. Aowi do paBMi* BJaMeiro.
    lose Goncalvw. fc sta HwaBrB B!fBU-BBMo
    reaolvea Ievar a scana ^ 5 aBBa.^Blai <,
    conceituado drama pastolil *. fimliaaii a
    qae avisa ao respeitavel publico.
    com a importantissima vista da gloria a>
    Os bilhetes acham-se deade ja a venda na >>-
    mo theatro.
    Principiara is 9 horas ea
    *
    AVISOS M

    COMPASHU PERNAMBUCAJti
    BE
    .11 avegncdo costeira a vyr.
    GOYASNA,
    0 vapor Pmrahyba, eom-
    mandante Padro, secui
    ra para o porto acmu
    no dia 3 do corral,
    as 9 horas da noile.
    ---------------_ Recebe carga, BBCon-
    ^^^l^ir mendas, paaiaifBaaa di-
    nheiro aj frete : escriptotrio no F0H4 af-.Balto*
    a. 12. __
    \1ESSAGERIES MAIOTIMES.
    l.inUu uiensul
    Espera-se dos poitos do sol ate 0 dia 9-do cor-
    rente, seguindo depois da demora do aesta-
    me para Bordeaux, tocando em Dakar (Goraa) a
    lisboa.
    Para condicoes, fretes e passagens trata-sa aara
    OS AGESTES
    llHrismeiidy Jc I^abille.
    9 Rua do Corotnercio 9
    Armazens da companhia per
    nambucana.
    Seguras contra al faaa
    A companhia pernambucana, Bispondo de ex-
    cell en tes e vastos armazens em sea predio ao for-
    te do Mattos, oQereceos ao commercio em geral
    para deposito de generos, garantindo a maior con-
    servacSo das mercidorias deposKadas, aervir;o
    prompto, precos modicos, etc.
    Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex-
    clusivamente os generos de uma so pessoa.
    Estes armazens, alem de arejados e eommodos,
    sao inteiramuite novos e asphaltados, iseotos de
    cupim, ratos, etc., etc.
    As pessoas que quizerem utilisar-se destes ar-
    mazens, pederao dirigia-se ao escriptono da com-
    panhia pernambucana, que acharao com qaem
    tratar.
    PaeHIc Steam Savigalwo Compnj
    Liuha quiuzeual
    0 PAQUETE
    _^1 -
    sapera-se da Europa ate 0 dia 8 do correuie, e de
    pois da demora do costume segnira para 0 sul do
    imperio, Rio da Prata e costa do Paciiico, para on-
    de recebera passageiros, encommendas e Jinheir >
    a frete.
    OS AGENTES
    Wilson Rowe A C.
    14 HUA DO COMMERCIO- -It
    I
    5ara
    Para 0 referido porto segue com brcvidade a
    barca portugueza Liium por ler a maior parte de
    seu carregamento cngajado, e para 0 resto quo lhi*
    falta, trata se.com os &insignatari< s Joaqaim Jose
    Gonealves Beltrao & Filh.; a rua do Gomsef ,
    numero a.____________________________________^
    PAKA
    0
    POllTO
    Seguira em poucos dias a barca portugueza
    iVbra Sympatltia par ja estar com a maior p
    de seu carregamento engajalo, e para 0 resto que
    lhe falta, as>im coma para passageiros, aos q
    offereco 0 navio os melhores eommodos, trata-se
    com Balthar Oliveira & C, a rua do Vigario n. 1.
    1 andar.
    COlPAXfflA BADAIU
    N\VEG\CIl6 \ \APOK
    LIillTADA
    Haceid, Penedo, .Mrncajii
    e Bahia.
    E esperado dos portos do sul ate o dia 9 de fe-
    vereiro am dos vapores desta companhia, 0 qua!
    sahiia para os portos acinia no dia seguinle ao J'
    sua ehegada.
    Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
    nheiro a trete.
    AGENTBS
    Antonio Luiz de Oliveira Azevelo 4 C,
    57Rua do Bom Jesus -57
    rXt-iU
    ME STEAM NJIflGJTION C8M-
    PUT
    LinLa quinzenal
    0 PAQUETE
    espera se dos portos do sul ale 0 dia 13 do
    corrente, e depois da denrnra do costume, seguira
    para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para ondi
    recebera passageiros, encommendas e carga a frete.
    OS AGENTES
    Wilson Rowe a C.
    14RUA DO COMMERCIO14
    COHI'WDIA
    1ESSAGERIES MARITHB8
    Liana uiensal
    ERYMANTHE
    Espera-se da Europa ate 0 dia 7 d> rorfBlte,
    seguindo depois d demora do eoatome j ar*"BB>-
    io* Ayres, tocando na Bahia, Rio, d" fndf
    Montevideo.
    ftura passageiros, encommendas, etc.,
    eom
    OS AGENTCS
    Harlsmendy a tabUIa
    9 Rua do Cornmercto J.


    \








    .'.
    I

    Diario de Pernambrfto Quarta feka 4 de Fevereiw) d 1874*
    nii umt
    Tendo part* da carga promD'v aeguira breve-
    *'*WiP^eW Grama. Para a que
    Maine laltte passa^ trata-Se com E R. Ra-
    aajnA C,i r^ do Commerelo n. 48.________
    Lislioa
    Pan o referido porto pretende sepuir com pouca
    demon o brigue portuguez Ligeiro III, de I'
    classe, capitao Nubre, por ter a maior parte de
    sen carregamento engajado, e para o resto que the
    fall* trata-se com c consignatarios Joatjuim Jose
    tioncalves Bellrao & Filho, a ma do Comroercio
    n. 8.

    cmrgirs mm.
    Companhia Franceza de Navega
    C&o a vapor
    Lnhamensale,ntre o
    Lislioa* Pernambuco, Rio dr
    Janeiro, (Santos, somente na vol
    (a ) Montevideo, Buenos-Ayres,
    (com baldeacao para o Rosarlo)
    IfflLLE B, SANTOS
    Coaaniandautc Lefevre.
    Espera-se doe portos do sul ate 6 do corrente,
    seguindo depois da indispensavel demon do costu-
    me para o Havre com escala por Lisboa.
    Recebe carga para Antuerpia em direitura, e
    pan Liverpool, por baldeacao as expensas da com-
    panhia.
    Relativamente a fretes, encommendas, passagei-
    ros, para os quaes tern excellentes acommodafOe?
    por pregos reduzidos : trata-se com
    OS CONSIGN ATA R10S
    Al'GUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
    41Rua do CommercioEntrada pela rat
    do Torres.
    PARA'
    0 (ieorgiana
    E' esperado do Rio de Janeiro por estes dias
    e segue com pouca demon pan o Para, tendo ja
    parte da carga engajada : trata-se cam Tasso Ir-
    mioe A C.
    LEILOES.
    Leilao
    DE
    lli meias caixas e i> inteiras, com superior?s
    qneijos flamengos, dssembarcadas ultimamente.
    HOJE
    A's 11 horas ca man ha
    O preposto do agente Pestana fan leilao, por
    conta e risco de quem pertencer, de d versas
    caixas com mnito superiores queijos flamengos,
    desembarcadas ultimamente, quarta-feira, 4 do cor-
    rente, no armaiem do Sr. Annes.
    LEILAO
    64
    DE
    urn bom pre lio de dou* anda-
    res egrande sotao
    sito i rua de Lomas Valentina n.
    Hoje
    as 11 horas
    Na rua do Marquez de Olinda n. 37, primeiro an-
    dar, escriptorio do agente Dias
    que competentementfe autorisado, vendera em lei-
    lao no dia e bora acima designados, o predio em
    chios proprios, reediflrado ainda nao ha nnuto, e
    ccm grandes accommodacoes em qualquer dos an-
    dares, alem disso duas 'lojas e um grande sotao
    com duas salas e tres quartos, e com magnifica
    vista. Este predio possue uma boa escada de vol-
    ta que se estende do pavimento terreo ao sotao,
    de modo que ate este pode ser alugado indepen-
    dente.
    Os Srs. pretendentes podem desdc ja examinar
    o referido predio, dirigindo-se ao segundo andar
    do mesmo, onde a familia que ahi reside facilita-
    ra o exame.
    Aos Srs. proprietaries se offerece occasiao de
    pcssuir nm predio que da optima renda, e que se
    vende somente em consequencia de ter o seu do-
    no transferido sua residencia para a Europa.
    Pan qualquer informacSo podem dirigir se ao
    escriptorio da agencia, rua do Marquez de Olinda
    n. 37, primeiro andar, onde se effectuara o referi-
    do leilao.
    6> ft balas, estelras pan Torro de sala, dlversas
    obras impnsMS, 1 nrtoria cdm arreios. pan 1 e
    dona eavaUee, oatros muitos objectos de gosto,
    que se tornara reeemmendavei*, e 10 duzias de
    vinho velbo do Porto.
    0 agente Pinho Borges, autorisado pelo Sr. Sr.
    Pedro de Araujo Beltrao, que se aco na Europa,
    vendera em leilao o* xeferidos moveis e loucas
    que aeima se declara.
    Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar
    os moveis e niais arligos que se acbam no referi-
    do sobrado.
    leilao
    LEILAO
    um
    DE
    dous boles com os seus pertence.-, tendo
    vellas.
    Quinta-feira 5 de fevereiro
    as 1 horas da manha
    No ca-s da Lingueta, confronte a Associacao
    Commercial.'
    0 agente Pinho Borges fan teilao dos referidos
    botes por conta e risco de quem pertencer.
    LEILAO
    DO
    Gnnde predio de tres andares e sotao, da rua de
    Marcilio Dias n 120, em chaos proprios, nas mais
    desejaveis condicoes de solidez, asseio e com-
    modidades, foi todo reedificado com bom ma-
    terial ha ponoo mais de um anno, por artistas
    peritos, e tern um bom rendimento.
    gt^uinta-feira 5 de feTereiro
    ao meio dia
    Por intervencio do agente Pinto.
    Na rua do Bom Jesus n. 43.
    Os pretendentes poderSo obter qualquer inlor
    ma.ao no esrriptorio do mesmo agente.
    Agente Dias.
    Grande
    ?
    bons moveis, Jouqa e am cabrio-
    let com os competentes ar-
    reios
    Uuinla-I'ejra 5 de fevercire
    As 10 1|2 horas da manha
    Nas salas do edificio da companhia pernambu-
    Leilao
    De
    M) caixas com muito superior vinho Xerez,
    verdadeiro inglez, para fechar contas.
    as 11 horas cm ponto.
    O preposto do agente Pestana, competente-
    .mente autorisado, fara leilao de um pequeno
    lote de superior vinho Xerez, verdadeiro inglez,
    quarta-feira i do corrente, as !1 horas em ponto,
    ne armazem do Sr. Annes.
    leilao
    DE
    uma casa terrea com sottia, recenlemente acaba-
    da (no Chacon), com 22 palmos de frente e 75
    de fundo, em chaos proprios, com cozinha e
    quartos f6ra, quintal murado, caoimba meeira
    com agua de beoer e ao iado da sombra
    OUINTA-FEIRA 5 DO CORRENTE
    cana.
    0 agente Dias, competeutemente autorisado pe-
    lo Illm. Sr. Adolpbo Pereira Carneiro, levara a lei-
    lao no dia e bora acima mencionados, os moveis,
    louca e mais arligos pertrncentes ao Illm. Sr Fran
    cisco Ferreira Borges, gerente da dita companhia,
    que tendo mudado sua residencia para a corte, re-
    solveu dispor dos reftridos bens.
    I.'sala.
    1 mobilia de faia, completa.
    1 dita de jacaranda, idem.
    i magniflco toilette com a competeDle guarnicio.
    1 guarda-roupa com espelho.
    i lavatorio e espelho.
    1 guarda-louca de amarello.
    1 mesa elastica de amarello.
    1 dita menor.
    1 guarda-roupa de amarello.
    1 bonito porta-chapeos e bengalas, com espelho.
    t commoda de amarello.
    i grande aparador com armarios.
    2 bancas de jacaranda para jogo.
    1 mesa redonda para meio de sala.
    1 apparelho de metal para almoco, obra de gosto
    ipparelhos de louca para almoco e jantar.
    Compoteiras, copos e calices.
    1.* e 2.# gabinetes.
    I piano de mesa.
    1 sofa de jacaranda. .
    4 cadeiras de junco (poltronas).
    10 ditas de guarnicSo, avulsas.
    1 cama americana de flexo (obra muito bem aca-
    bada.)
    descan^os para pes.
    3 camas de ferro.
    DilTerentes tapetes.
    1 lote de artigos, trem de cozinha.
    Gabinetes.
    ( magniOco guarda-louca.
    i mesa elastica para jantar.
    2 a paradores grandes com ps terneados.
    1 ditos menores.
    4 quartinlieira.
    I guarda-vinhos, novo.
    10 cadeiras avulsas.
    1 cabide para roupa.
    2.' sala.
    1 magnilica mobilia de mogno, obra muito bem
    feita, composta de I aofa, 4 cadeiras de bracp, 12
    de meios bracos, 2 consolos e 1 jardineira.
    1 magnifica secretaria de mogno, obra completa-
    mente nova e de gosto.
    2 ditas de mogno.
    1 caixa de charao para jogo.
    2 pares de iarros para flores.
    8 quadros de differentes pinturas.
    I espingarda com a competento caixa e accesso-
    ries.
    1 cama americana de flexo, obra bem acabada.
    1 barometro.
    1 consolo com tampo dep edra.
    Differentes cabides para ronpa e toalhas.
    4. gabinete.
    r L>onita mobilia estufada, composta de 1 sofa 2
    cadeiras de braco e 4 de guarni.;ao.
    3 lavatorios de ferro com bacias.
    2 cadeiras de balanco, junco.
    I boa commoda com tampo de pedra e espelho
    cabriolet com os competentes arreios.
    Leilao de magnifico vinho Ma-
    deira
    Em continuafao, o mesmo agente levara a leilao
    cerca de 650 garrafas de flnissimo vinho Madeira,
    pertencente ao mesmo Sr. Francisco Ferreira Bor-
    ges, quinta-feira 5 de fevereiro, as 101|2 horas
    da manha, nas salas d* edificio da companhia per-
    nambucana.
    uma armacio de amarello, envernuada e envidra-
    cada, diversoa cbapeos do palha, massa, feltro
    e oxttras muitas qualidades, enlre os qnaei al-
    gous proprios para os dias de carnaval
    Sexta-feira 6 do corrente
    A'S 11 HORAS DAMANHA.
    a rua da Imreratrir. n. 63.
    0 agente Pinho'Borges fara leilao, daarmacao
    acima declarada e chapeus diversos, por conta e
    risco de quem pertencer.
    0 mesmo agente garante a casa a qualquer pes-
    soa que queira principiar a negociar em qual
    genero, poii a loja esta bem localisada e co
    cida.
    LEILAO
    DE
    um grande sortimento decha-
    peos de Hi versas qualidades
    Sexta-feira do corrente
    A's 11 1^4: horas
    0 agente Pinho Borges fan leilao, dos chapeos
    acima declandos, por conta e risco de quem per-
    tencer, na rua da Imperatrii n. 63.
    Leilao
    Moveis
    DE
    usados e uiii cofre
    ao correr do martetto
    Sexta-feira 6 do corrente
    SENDO:
    Uma mobilia forte de jacaranda, 1 dita de faia
    com tampos de pedra, 1 aparador de amarello, 1
    grande cofre prova de fogo, 1 cartein de duas
    Faces, commoda*, meias ditas, nurqueides, mar-
    quezas, cadeiras avulsas, bancas para advogados,
    lavatorios de mogno, 2 ricas machinas pan cos-
    tun, consolos, cabides, e oulros muitos moveis
    que serto vendidos ao correr do martello pan li-
    quidar.
    No armazem da rua do Imperador n. 48, as 11
    horas do dia.
    pelo agente Martins.
    Externato do Divino Espin-
    to Santo
    Rna da Saadade a. 8.
    Olympia Lins Ribeiro, directora deste externato,
    faz sclente aos pais de familia que quizerem con-
    fiar-lhe a educitio de suas filhas, que no dia IK
    de Janeiro comecam os trahalhoi dos' estudos
    onde, alem da instruccao moral religiosa e curso
    primario, ensina-se franecz, sordados, desenho,
    piano, flores de lio de ouro e de todas as qualida-
    des. Afflancando tudo desvello e applicacao pelo
    progresso de suas educandas, e espera coadjuva-
    cao da publico em geraf, e dos pais dc familia em
    particular, cuja dedicagio tambem os caracterisa.
    Casa de campo.
    Alnga-se uma excellente casa, sita na 1." esta-
    r?o da via ferrea, .na entrada dos Afflictos: tem
    cnmtiiodos para grande familia, jardim ao lado, ba-
    nhniro e sitio muitu bem planiado : a tratar na
    prai,a da Independent ns. 4 e 6.
    Offerece-se uma senbora portugueza para ensi
    nar meninas em algum engenho, ou nesta cidade,
    ensinandb portuguez, borda os e flores : a tratar
    na rua do Hospicio n. 9.
    Escravos fugidos.
    Na madrugada do dia !6 do mez corrente, des-
    appareceram do engenho Raiz, do termo da Esca-
    da, dous escravos com oi signaes seguintes: um
    de nome Severino, cabra, com 22 annos de idade,
    estatura medians, corpo regular, carreiro ; e ou-
    tro de nome Joao, pardo, com 18 annos de idade,
    de boa altura, tambem e carreiro: ambos sio im-
    berbes e levaram calca, jaqneta, dous chapeos de
    feltro e nm de couro. Quem os apprebender, con-
    duza-os ao referido engenho, que sera generosa-
    mente recompensado
    Engenho Raiz, 28 de Janeiro de 1874.
    LEILAO
    DE
    um grande sobrado em Olin-
    da, rua da Mangabeira
    n. 1
    QUARTA-FEIRA 11 DO CORRENTE.
    as 11 horas da manha
    Na rua do Impendor, armazem n. 48.
    0 agente Martins, competentemente autorisado,
    vendera em leilao, no dia e hora acima, o referi-
    do sobrado, edificado em chaos proprios, com 350
    palmos de frente, murado com portao, e 450 de
    fundo, com rico pomar das raelhores fructas, sa-
    potizeiros, larangeiras, jaqneiras, mangabeiras,
    caiueiros, anjazeiros, contendo 3 salas de frente,
    sala de jantar, 6 quartos, dito para banho, cozi-
    nha fora, 3 lojas, cacimba meeira, etc, etc.
    Quem quizer ver dirija-se das 9 horas da ma-
    nba as 3 da tarde, no mesmo sobrado.
    AVISOS DVERSOS
    Aloga-se um moleqne com bastante pratica
    do servico domestico : a traur na rua do Duque
    de Caxias n. 53.___________________*
    Relogio perdido.
    Perdeu-se um relogio e corrente de ouro com
    as iniciaes na tampa F. L. A. em viagem na via-
    ferrea da estacio do Manguinho a Soledade, as
    10 hons e um quarto da noite. E' relogio de se
    nhora : quem o tiver achado sirva-se restilui-lo
    no escriptorio da rua da Cruz n. 3, para ser bem
    recompensado.__________________________
    Arrendam-se os seguintes predios becco
    das Doias, scbrado n. 16, por 600i, ma da Moeda,
    armazem n. 37, por MM, rua do Burgos, arma
    zem n. 13, por 240*. Todos esses predios sao
    proprios para estabelecimentos commeriiaes e es-
    tao de novo reedifkados : a tratar na secretaria
    da Santa Casa.___________________________
    Aluga-se
    o primeiro andar do sobrado da rua da Imperatriz
    n. 3 : ; tratar na mesma n. I.
    Attencao.
    Ausentou-se o escravo Abel, pardo, cabellos
    carapinhos, pernas um pouco cambetas, tem os
    olhos com ditTerenpa um do eutro, pes um Unto
    grossos, sendo secco do corpo: quem o pegar
    leve-o a estrada de Joao de Barros, junto a ca-
    pella, casa n. 20, que sera gratificado.
    0 Sr Jos6 Teixeira Peixo-
    to ainda nao se dignou com-
    parecer 4 rua do Bom Jesus
    n. 51. Veja que lhe 6 preju-
    dicial....
    Publicacao solicitada. Ao
    publico.
    Francisco Amazonas de Lacerda, na qual.dade
    de procurador, e caixeiro do Sr. Manoel da Silva
    Pontes, participa ao respeitavel publico em geral
    e com especialidade ao corpo do commercio, que
    em vista da publicacao feita boje neste jornal
    pela Sn. D. Josepha Rosimira Pessda Guimaraes,
    que recebeu o saldo da extincta flrma Viuva
    de Sinezio Pereira Guimaraes, como consta do re-
    cibo que pascou na conta entregue com os dous
    aceiles, ficando a mesma senhora a dever o aceite
    sob a firma socialViuva de Sinezio Perein Gui-
    maraes A C.
    Recife, 30 de Janeiro de 1871_____________
    Cozinheira
    Precisa-se de uma perfeita cozinheira, nio im-
    po'ta que seja forra, ou escnva, para casa es-
    trangeira, paga-se bem : a. tratar na rua do Com-
    mercio n. 4.
    CH4NAD0
    0 Sr. Euthiraio Eresmio Moreira de Mendon$a
    queira ter a bondade de vir a rua de Domingos
    Martins n. 96, que se lhe desef* fallar a negocio
    de seu interesse.________________________
    Sitio para alugar
    Na estrada dos Remedios aluga-se um sitio com
    casa de vivenda reedificada, boas arvores de fruc-
    to, cacimba, murado na frente, com partao de fer-
    ro e jardim : a tratar no mesmo sitio com a pro-
    prietaria. ou na rua do r 'onel Suassuna n. 2.
    CHAMAD07
    Roga-se ao Sr. Joao de Arruda Camara, o ob-
    zequio de ehegar a rua do Cabuga n. 3 A, (Collar
    de Ouro) alim de tratar de negocios de seu inte-
    resse.
    33
    aliiiador de pianos
    Rua do Imperador-
    33
    Agente Dias
    Ao meio dia
    Por intervencao do agente Pinto, em seu es-
    criptorio, a rua do Bom Jesns n. 43.
    !>iim:\eiih
    LEILAO
    DE
    ricos moveis. louca, crystaes,
    um apparelho de prata do
    Porto e uma victoria
    QUARTA-FEIRA 4 DO CORRENTE
    As 11 horas da manha
    no primeiro andar do sobrado n. 50, a rua do
    Bom Jesus.
    Um rico piano de F. H. Hers, uma rica mobilia
    de mogno, a Luiz XV. com 14 cadeiras de guarni-
    cio, 4 ditas de bncos, 1 sofa, 2 consolos, jardi-
    new com Umpo de pedra, 1 dita de jacaranda,
    com 12 cadeiras de guarnicio, 2 ditas de bracos,
    1 sofa, t consolos, 1 gnarda-vestidos, i guarda-
    roupa com espelho (mogno), 1 dito de amarello, 1
    cama para casal, 1 lavatorio com tampo de pedra
    {tpofpto), l dito de jacaranda, 1 secretaria, 1 cos-
    turelra, 2 banquinhas para jogo (mogno), 1 cama,
    I marquezao. 1 cabide, 1 toucador, 2 imporuntes
    adores.de mogno, 1 guarda-louca, 1 mesa
    jUeuca, cadeiras para sala de jantar, camas de
    ferro, mesa de amarellt, 1 porta-joias, 1 relogio,
    JDaonetro, 2 espelbos dourados, escarradeiras,
    tapetes, capachos, vasos de pcrcelana para flores,
    laotenus, copps, calices, compoteiras, garrafas
    Jiara vlnno e licores, lou^a para cha, dita pan
    mar tarnos de bandejas, balaios para coeturas,
    metinhas chinezas, perten?as para toilettes, figu-
    ns, cadeiras para costaras, 1 rewolver americano
    ILTHI4 PEIR4
    DE
    canarios hamburguezes
    para final liquida9ao
    Quinta-feira 5 do corren'e
    as 11 horas da manba
    FEIRASEVIAN1L
    .{J-Ra do Imperador-.0
    mihM
    DE
    um pequeno sobrado de um andar e de um ter-
    renono Chacon.
    -Sexta-feira, 6 de fevereiro, as
    10 horas da manha.
    Na rua do Marquez de Olinda, n. 37,1* andar.
    0 agente Dias, competentemente autorisado,
    vendera em leilao no dia acima e hora designada,
    o pequeno sobrado em chios proprios, sito em a
    travessa da rua da Guia para a do Apollo, becco
    Tapado n. 3.
    Um terreno no Chacon, com 90 palmos de
    frente e cerca de 400 de fundo, tendo o alicorce
    feitd pan uma casa de 40 palmos de frente.
    Este terreno recommenda-se nao ?6 por ser
    em um bom arrabalde, como porque flea em po-
    sicao que o isenta de qualquer enchente nos rfoso
    Pan qualquer informacio os Srs pretendentes
    B&dem diriglr-se ao escriptorio do agaate, rua d.
    arquez de Olinda n. 37, 1* andar, onde se effec-
    tual o referido leilao,
    Ex-afinador das antigas e afamadas casas Pleyel & Hen, e antigo director das offlci-
    nas da casa Alphonse Blonde).
    Tem a nonra de declarar ao respeitavel publico desta cidade, que tem aberto sua easa de
    concertos e afinacoes de pianos, qualquer que seja o estado do instrumento.
    A mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pianos dos melhores fabricantes
    de Paris, como Erard Pleyel, Henri Herz e Alphonse Blondel) todos os pianos sahidos da casa
    Dhibaut sao garantidos.
    Compra-se e recebe-sc em troca os pianos usados.
    ODILON DUARTETiRMAO
    CABELLEIREIROS
    Premiados na exposicao de 1872
    RUA
    *r
    IMPERATRIZ
    N. 82
    I.' ANDAR.
    RtA
    DA
    IMPERATRIZ
    N. 82
    !. ANDAR.
    Acabam de reformer o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
    dicgoes possiveis de bem ser vir ao publico desta Must re capital, e a's Exmas. Sras. n'a-
    quillo que f6r tendente & arte de cabelleireiro.
    Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon,
    coques modernissimos, tran^as, cochepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros In-
    molares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
    0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
    geiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
    rinos de modas, e por isso pode vender 20 */ menos que outro qualquer, garantindo
    perfei?ao no trabalho, agrado, sinceridade e pre^o raioavel.
    Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos em
    porjao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
    Km
    nma vonuunr
    FUMO DO PARA
    0 verdadeiro fumo de Borba; em chieote, picado, desfiado e crespo, assim
    como cigarros do mesmo fumo ; na fabrica a vapor, antiga rua dos Quarteis n. 21.
    Na dita fabrica, os Srs. fumantes encontrarSo os seguintes e bem conbecidos
    fumos manufacturados na mesma casa,
    nor do Rrasil
    * Novo Caporal
    Bes Bird'seye, ( CHho de Passaro. )
    Yende-se a retalho, e em granda qaaotidade se faz grande abatimento.
    Triumpno da
    mm MEDIC A!
    ^a-
    Em tem pos modernos nenhum descubri-
    mento opeuromaior rPvolu^iJo no modo df
    curar anteriormente em voga do que o
    peimal u \mmm:
    TANTO NO TRATAMKNTO
    DA
    Tosse, Crupo,
    Asthma, Thisica,
    RouquidSo, Resfriamentos.
    Bronchites,
    Tosse Convulsa,
    Dores de Peito,
    Expecturagao de Sangue.
    Como em toda a grande serie de enfeimi
    dades da Garganta, do Peito e dos
    Orgjtos da rc.**pirucffo, que tanto
    atormentam e fazem soffrer a humanidade.
    A maneira antiga de curar consistia geral-
    mente na applicac&o de vesicatorios, San-
    grias sarjar ou applicar exteriormente un-
    guentos fortissimos compostos de substan-
    cias vesicantes, afim de produzir empolhas;
    cujos differentes modos de curar, nSo faziam
    senao enfraquecer e diminuir as forces de
    pobre doente, contribuindo por esta forma
    d'uma maneira mais facil e certa para a en-
    fermidade a destruicSo inivitavel de sua
    victima I Quam differente e pois o effeito
    admiravel do
    FEIIOBAL BE MACASVITA!
    Era vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
    ditos soflrimentos ao doente,
    Calma, modifica e suavisa a dor,
    Allivia a irritagao,
    Desenvolvo'ejenteudimeuto,
    Fortifica o corpo
    e faz com que o systema
    desaloje d'uma maneira prompta e rapid*
    ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
    melhores votos em medicina da Europa, (os
    entes dos collegios de medicina de Berlim)
    testificam serem exactas e verdadeiras estas
    relagues analogicas, e alem disso a expe-
    riencia de milhares de pessoas da America
    Hespanhola, as quaes foram curadas com
    este niaraxilhoso remedio, sSo mais que suffi-
    cienles para sustentarem a opiniao do
    PEITORAL DE ANACAHUITA !
    Deve-se notar que este remedio se acha
    inteiramente isento de venenos, tanto mine
    raes, como vegetaes, emquanto que algunt
    destes ultimos, e particularmente aquelles
    que sao dados sob a forma de opio, e aci-
    do hydrocianico, formam a base da maior
    parte dos Xaropes, com os quaes tao fa-
    cilmente se engana a crcdulidade do pu-
    blico. A composicao de anacabuita peito-
    ral acha-se linda e curiosamente engarrafad;
    em frascos da medida de cerca de meio
    quartilho cada um, e como a d6se que se
    toma 6 sd d'uma colher pequena, basta
    geralmeute d applicagao d'um ou dous fras-
    cos para a effectuagao de qualquer cura.
    Acha-se a venda em todas as boticas.
    H. Frosters d C, agentes.
    Unicos agentes nesta provincia os Srs. J
    0. D. Coyle, rua do Commercio n. 38.
    Para aboaconservacao
    DE
    YOSSO CABELLO
    Elle 6 um preventivo seguro e certo contra
    a calvice.
    Elle dd e restaura forga e sanidade & pelle d>
    cabega.
    Elle de prompto faz cessar a queda prema-
    tura dos cabelles.
    Filedd grande riqueza de lustre aos ca-
    bellos.
    Elle doma e faz preservar os cabellos, em
    qualquer forma ou posigao que se dese-
    je, n'um estado formoso, liso e macio.
    Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
    e os.
    Elle conserva a pelle e o casco da cabega
    limpo e livre de toda a especie de caspa.
    Elle previne os cabellos de so tornarem bran
    cos.
    Elle conserva a cabega n'um estado de fret-
    cura refrigerante e agradavel.
    Elle nao e demasiadamente oleoso, gorda-
    rento ou pegadigo.
    Elle nio deixa o menor cheiro desagrada-
    vel.
    Elle 6 o melhor artigo para os cabellos das
    criangas.
    Elle e o melhor e o mais aprasivel artigo
    para a boa conservagao e arranjo dos ca-
    bellos das senhoras.
    Elle 6 o unico artigo proprio para o pentea-
    do dos cabellos e barbas dos senhores.
    NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
    PODE CONSIDERAR COMO COM-
    PLETOSEMO
    TONICO ORIENTAL
    o qual preserve, limpa, fortifica e aformosea
    O CABELLO.
    Acha-se i venda nos estabelecimentos de
    H. Forster & C, agentes. E em todas as
    principaes lojas de perfumarias e bsticas.

    A 9:000
    Botinas para homem
    Acabam de ehegar grandes facturas bem sor-
    tidas de botinas de bezerro, de cordavio, de pelt-
    ca, de dnraqne com biqoeira, de beterro eon bo-
    toes, e com ilhozes a 9/O00 (a escollir) per Hr
    vindo grande qu.intidade por conta e ordea 4ot
    fabricantes : ao .irmazem do vapor franeet, 4 nu
    do BaiSo da Victoria (outr'ora .Nova) n. 7.
    Masca
    ras
    Chegaram grandes facturas de macaras 4e
    massa, de arame e de setim, para srem vendi*a
    por conta e order* d(is tabricntes, o mais barato
    possivel em grandes e pequenas poreoes : ao ar-
    mazem do vapor franecz, a rua do Barao da Vie-
    om (outr'ora Nova) n. 7.
    Na rua de S. Jose n. 27 acha-se uma cam
    para ser eulregue ao Sr. Dr. Joao de Almeida
    Lepes.
    ALUGA-SE
    uma casa na Capanga, rua das Pernambucanas,
    com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
    Vigario Tenorio n. 31.
    Amorim, Lima & C.
    na rua do Commercio n. 48, 1.*
    t-em turn cart*
    andar.
    Galcado
    fraocez.
    Para Iiomrra.
    BOTINAS de bezerro, cordavio, peHica, lustre
    de duraque com biqueira, dos melhor*
    fabricantes.
    SAPATOES de be?erro, de cordavio e de caaa-
    mira.
    SaPATOS de lustre com sal to.
    SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
    prios para banbos, sitios e jarains.
    SAPATOS de tipete, chariot, castor e de tranca
    francezes e portuguezes.
    Para Meuhora.
    BOTINAS pretas, brancas p. de cores differentes.
    lisas, enfeitadas e bordadas.
    SAPATIXHOS de phantasia com salto, brancos,
    pretos e de cores differentes, bordados.
    SAPATOS de lapete, chariot, castor e de tranca.
    Para meninas.
    BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes.
    lisas, enfeitadas e bordadas.
    ABOTINADOS de diversas qualidades.
    SAPATOS de tranca portuguezes.
    Para raenino*.
    BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavio.
    ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
    qualidades.
    SAPATOS de tranca francezes e portogoezes.
    . Botas de montaria.
    Lotas a Napoleao e a Guilberme, perneiras
    meias perneiras para homen<, e meias perneirae
    para roeninos.
    No armazem do vapor francez, a rua do Baric
    g- Victoria n. 7.
    Mobilia de vimes.
    Cadeiras de balanco, de braco, de fnemicdea,
    sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costo-
    reiras, tudo isto muito bom nor serem fortes
    levos, e os mais proprios moveis para saletas e
    binetes de recreios.
    No armazem do vapor francez, a rua do Ban*
    da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
    PIANOS.
    Acabam de ehegar muito bons pianos fortes
    de elegantes modelos, dos mais notaveis e bea
    conhecidos fabricantes ; como sejam : AlphooM
    BMonel, Henry Hers e Pleyel Wolff k :~m>
    vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
    tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
    Perfumarias.
    Finos extractos, banhas, oleos, [opiata e pos den
    trifice, agua de flor de laranja, agua de toilett,
    divina, norida, lavande, pos de arrot, sabooela,
    cosmeticos, muitos aligns delicados em perfama-
    ria para presentes om frascos de extractos, eai-
    xinnas sortidas e earrafas de diflerentes tama-
    nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
    dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
    drai
    DOT
    da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
    %
    armazem do vapor francez, a rua do Barac-
    Quinquilharias.
    Artigos de ditTercates gosimm r
    pliantaziaa.
    Espelbos dourados para salas e gabinetes.
    Leques para senhoras e p*ra meninas.
    Luvas de Jouvin, de fio de Eseocir. e de camurca
    Caixinhas de costura orcada cm; musics.
    Albuns e quadrml os pa:i retratos.
    Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
    Diversas obras de ouro bom de lei g^rantido
    Correntes de plaque muito bonitas para relo-
    gios.
    Hriticc-s i n'.'tacSf. botdes de pnnhos de pla-
    que
    Bolsinhas e cofres de -eda, dd velludo e de eon-
    rinho de cores.
    Novos objectos de phantazia para cima de mesa
    e toilette.
    Pincinez de cores, de prata dourado, de ace
    de tartaruga.
    Oculos de aco flno e de todas as gnarnicoes.
    Bengalas de luxo, canna, com castoes de mar
    fim.
    Dengallas diversas em grande sortimento para
    homens e meninos.
    Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
    diversas.
    Esporas de tarracha para sail is de botas.
    Ponteiras de espuma para charutos e cigarros
    Pentes de tartaruga para desembaracar e para
    barba.
    Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
    beca.
    Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
    ies.
    Carteirinhas de medreperola para dinteiro.
    Gravatas brancas e de seda preta para homens
    e meninos.
    Cam pain has de mola para ch-mar criados.
    Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
    mind e outros muitos differentes joguinhos alle-
    maes e francezes.
    Halas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca-
    minhos de ferro.
    Argolinnas de marfim para as criancas morde-
    rem, bom para os denies.
    Bercos de vimes para embalar criancas.
    Cestinhas de vimes para bracp de meninas.
    Carrinhos de quatro rodas, para passeios d*
    criangas.
    Venezianas transparentes para portas e janellas
    Reverberos transparentes para candieiros d*
    gaz.
    Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
    vistas.
    Lanternas magicas com ricas vistas de cores ea
    vidros.
    Vidros avulsos para cosmorama.
    Globos de papel de cores para illuminagdes de
    festas.
    Baldes aereostaticos de papel de seda mm facO
    de subir.
    Machinas de varios systemas pan cafe.
    Espanadores de palha e de pennas
    Tesourinhas e canivetes finos.
    Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
    Tinteiros de louca branca, modelo bonito e boa.
    Tiras de molduras douradas e pretas para
    quadros.
    Quadros ja promptos com paysagens e pbanta-
    ua.
    Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
    tazias.
    Objectos de magicas para divertimentos em fa-
    milia.
    Realejos pequenos de veio com luadas pecas.
    Realejos barmonicos ou accordions de todos os
    amannos, e outros muitos artigos de quinquina-
    rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
    vapor francez, rna do Bario da Victoria, outr'ora
    Nova n. 7.
    Hedidas de 40 a 100 metrosjies e palmos para
    medir terrenos.
    Brinqnedos para ueniies
    A maior variedade que se pode desejar de to-
    dos os brinquedos fabricadot em diflerentes paries
    da Europa, para entretenimento das criancas, todo
    a-precos mais resnmidos que t possivel : ao ar-
    mazem do vapor francez, rua do Barao da Victo-
    ria, outr'ora ma Nova n. 7.
    Ccslinhas para costwa
    Grande sortimento de bonttos modelos cbegados
    ao armazem do vapor francez, rua do Baric de
    Victoria, outr'ora rna Nova, n. 7.
    L
    i
    Precisa-se da naa ama aara easa da *aailir
    4e tres pessoas: a tratar na r daafbrw n, S
    a


    Dfcrio de Peraambuoo Qaarta feira 4 de Fevereiro de 1874
    #
    k
    I
    i
    DR. FERREIRA
    opersdor, a ru larga do Ro-
    sarion. SO,
    Antigo gabioete de sen pai.
    f Cow debydroee+es sem injeceio.
    Ab'rtura'de abcessos e extraccao
    j derramameulDS aerosos pelo spi>.
    or de PoUin.
    Consults de 7 boras da manba ao
    meio dia
    Chamados a qualquer hora.
    Gratis aos pobres.
    Consnllorio medico-eirargico
    DE
    A. B. da Silva Maia.
    Rua do Viaeonde de Albuquerque n.
    ii, outr'ora rua da matrix da Boa-VisU
    B. 11.
    Chamados : a qualquer bora.
    Consoltaa: Aos pcbres gratis, das J as
    4 boras da tarde.
    O Dr. em medicina pela facaldade da j
    Babia, Francisco Rodrigues Guimaries,
    acha-se esubelecido na cidade de
    Nuareth, oade pode ser procurado
    f para os misteres de soa profitsao.
    Nareth, 17 de Janeiro de 1874.
    * GABINETE MEDICO ORURGICO
    do
    Dr Constanclo Pontual.
    Rua do Imperador n. 81 andar.
    Consul Us das 11 as 3 da Urde, chama-
    j doe a qualquer bora, visitt e da consul -
    Us gratis aos pobres.
    LWHAS
    Wk M WRTEY.
    Rua 1. de Marco n. 23
    Aos 20:000^000.
    O abaixo assignado tern sempre exposto a ven-
    da bilhetes da loteria do Rio, cuja extraccao an-
    nuncjara pelos jornaes.
    Precos.
    Inteiro 24*000
    Meio 1IJM0
    Qoarto 6*000
    Manoel Martins Fiuza.
    CHAMAD0.
    O Sr. Joao Apolonio Cavalcante, que moron no
    engenbo S. Bartholomen, e hoje ignora-se sen
    domicilio, qneira apparecer na rua da Cruz n. 23,
    2* andar, a negocio de particular interesse.
    ESCRIPTORIO
    COMMERCIAL.
    199, Rna da Praia, 1
    1ASBOV
    Luiz Felippo Leile & Irnulo
    DE
    RETROZEDEALGO
    ftAO
    DE
    IMS
    Jkm
    CORES
    A&ULSAS
    Accessories
    PAR*
    L
    PARTE
    A
    Machina
    G0ZINHEIR4
    J M K r 9 M
    Precisa-se de uma perfeita cozinheira, nao ira-
    porta que seja forra ou escrava, para casa de uma
    famiiia estrangeira, paga-se hem: a traUr na
    rua do Bora Jesus n: SS, rasa de Kel'er A C.
    Fugio no dia tl do or rente a wrrsva de
    nome BttaaEiia. idade 30 annos p'flxco maia ou
    mi-nos, : m p uiht* nm ponrii aMKdoi c tern <
    andar modera.in ; tr.j.i resiido prelo e dialer
    preto, costuma mudar trajos, tem uma clean iz na
    perna esquerdh : roga-se as autoridadespoliciaes
    on aos eapitaes de campo a apprebensao de dita
    escrava e leva la no Caminho Novo, sitio n., IK1,
    ou na rua da Cacimba n. I, que se reeompensa-
    do generosamente._________
    Atieneao
    Precisa-se de uma mulher de mcia idade, para
    tomar conta de duas meninas pequenas, que te-
    nha bons costumes e de fiador de soa eonducu,;
    quern esliver n'estas circumsUncias, appareca no
    * andar d'esU typographia. Na mesma casa
    precisa se tambem de uma outra mulher de meia
    idade, para fazer companbia a uma famiiia, e que
    tenha boa conducu civil e moral; a tratar na
    mesma casa acima mencionada.
    Com as falsifica$oes que tern apparecido
    DAS MACHINAS PARA COSTDBA
    DE
    SINGER
    Porque?
    Nenhnma ma-
    china Singer elegi-
    tima se nao levar
    g esta marca fixa no
    rj braco da machina.
    o
    QO
    c8
    M
    Paraevitarfalsi-
    o
    Na rna do Barao da Victoria n. 3 precisa-*
    allar ao Sr. vigario Andre Carcino de Araujo Pe-
    eira, negocio de sen Interesse._____________
    *&%*&
    Faz-se negocio com o estabelecimento sito a
    praca da Independencia na 32 a 36, com as r
    cadorias
    mesmo.
    existentes on sem ellas: a traUr no
    MOPINA
    Esta encouraqado !! !
    Arh* nile *im pedr* dnra
    Taaifci ti.)|ia-<-a-- i:11. .! i/':i:i'i' Vieira de
    i-nvij i.;> i.l.i.i- .].'.>o;..;e>l: dita prcvirii-'s.
    vnr de v:r .-. r i- 1'iique dt- Cajtias a 36, a con-
    uii nt\anUn negoci<; que S. S. se comprometteu a
    realL-ar, pela terceira ehamada deste jornal, em
    ADS de deieinbro de 1871, e depois para janetfo,
    , a i por este tootivo 6 de novo cbamado para diva
    3m, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
    de mais de eito annos, e qoaodo o Sr. sen Olfco m
    nrhava nesta cidade.
    ficacdes notem-se g
    bem todos os deta-
    lhes da marca.
    ce
    o
    j
    ExecnUm por commissao quaesquer ordens das
    provincial do reine, ilhas e provincias ultrama-
    rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
    geiros.
    Recebem a consignacao generos nacionaes, co-
    Joniaes, hespanhoes, franceres, inglezes, allemaes
    e do Brasil, on mesmo de outros paizes, para se-
    rem vendidos no reino on fora delle.
    ExecnUm ordens para compra e yenda de fan-
    dos Boblicos, nacionaes e estrangeiros. TraUm
    da cobranca dos respectivos dividends.
    Promovein no mesmo escriptorio, invenlarios,
    liquidaoSes, cansas civeis e commerciaes, appel
    lacdes e recurso de revista.
    Tern os melhores advogados na capital.
    Para os negocios de natureza especial, como
    'aosas forenses, administracio de bens, etc., que-
    rendo-se, pode proceder accordo previo conforme
    a natureza do negocio.
    Solicium-se dispensas matrimoniaes e quaes-
    quer outros breves apostolicos concedidos em Roi
    ma ou pela Nunciatura em Lisbda, annullacao
    de-ordens, e quaesquer ontras dependencias aos
    iribanaes da SanU Se.
    Tratara da arrecadacao de herancas e admims-
    'racao de bens no contineute do reino.
    Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
    to administrativo, conselho, ou freguezia do reino,
    Jbas e provincias ultramarinas.
    Fazem adianumentos sobre consignaQoes de
    quaesquer generos que teoham prompta sahida
    nos mercados inglezes ou allemaes. Tambem com-
    pram aquelles que se offerecerem em condic5es
    vanUjosas.
    Fazem transacSes por consignacao ou compra,
    sobre minerios, Ues como de cobre, chumbo,
    pbosphatos, ou outros quaesquer, se convierem as
    -xmdipSes de qualidade e precos.
    Dio-se boas refereoeias em Lisboa e no Porto.
    Esta ca-a tern coi'respondencias senas em todos
    os pontos do reino, em Paris, Inglaterra e Ham-
    burgo, na Africa portugueza, em Macao (China1
    reino de Siio, ilhas dos Acjorw e Cabo-Verde,
    e aceiu as proposUs que do imperio do Brasil
    lhe torem feius por correspondencia effectiva ou
    eventnal.
    Na modicidade de suas commissoes, na exacti-
    dio de suas conUs e no credito longamente esta-
    belecido faz consistir toda a garantia de bom aco-
    luimento.
    Tern eorrespondentes em Sevilha e outras pra-
    cas de Hespanna.
    N. B.As commissoes sab reguladas pela praxe
    stat praca_______________________________
    A dinheiro e a prazo!
    A contento das Exmas. familias
    MACHINAS DE SINGER
    S8o mais baratas.
    S3o de do us pospontos.
    Sao simples.
    Sao rapidaf.
    Slo duradouras.
    MACHINAS IDE SINGER
    S8o de dous pospontos.
    Abainham.
    Franzem
    Pregam trances.
    Marcam pregas.
    Bordam de linha do seda.
    - Alcolchoam.
    Pregam cordoes.
    UNICA AQENUA
    EM
    SAQUES
    Carvalho A Nogueira, na rua do Apollo
    t. 10, accam sobre o Banco Commercial
    de Vianna e suas agendas em todas as ci-
    dades e villas de Portugal, a vista e a prazo
    pot todos os paquetes.__________________
    Agenda de leiloes
    O abaixo assignado declara ao respeiUvel pa-
    blico. qae, tendo aberto o seu escriptorio de
    agenda de leilvts a rua do Marquez de Olinda n.
    64,1* aodar, contioaa a receber moveis, louca,
    fazendas, obras de ouro e prata, predios e todos
    3uantos objectos se IberemetU para serem ven
    idos, em leilao publico ou particular, a vonUde
    de sens rommitentes: e como quer qae o seu
    novo estabelecimento se ache o roelhor possivel
    localisado, ale-n de que offerece as melhores
    proporcoes para a boa conservacao dos objectos
    que tenha de receber; o abaixo assignado com-
    promette-se nSo s6 a empregar toda a actividade,
    zelo e pontaaliiade no camprimento de seus de-
    veres, como mesmo seus pagamentos serao feiots
    com a costomada ptompudao, que lhe e conhe-
    cida.
    v. Recife, 17 de Janeiro de 1874.
    Raymundo Remigio de Mello Junior.
    A Torre
    Aluga-se para pssara festa um sitio com
    excellente casa de habitac&o e banbo no rio
    a frenta desta : quem a pretender, pode
    procurar a rua de Gervasio Pires n. 24.
    Aluga-se o terceiro andar com sotao, e a
    loja do sobrado n. 63, a rua da Imperatriz : a tra-
    Ur no segnndo andar do mesmo predio._______
    A CASA AMERICANA
    45 RUA DO IMPERADOR 45
    Moleque.
    Precisa-se de um moleque de 13 a 16 annos,
    fiara criado de uma pessoa : a tratar na rna I
    mperador n. 28, armazem do Campos,
    40 Rua ili Imperador 49
    Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afamades autores,
    como sSo : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
    riores, mandados expressamente construir para este clima, o qua! os amadores dos
    bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
    Recobem-se pianos usados em troca.
    Concertam-se e afinam-se pianos.
    Tambem avisa-se aos Srs.
    concertadores de pianos
    que ha sempre o mais complcto sortimento de materiaes para concertar pianos, como
    sao: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
    marfim, etc., etc.
    49 RCA DO IMPERADOR 49
    Amaro de Barros Correia e Captulino Ro-
    driguei do Passo vendem terrenos, regularmente
    tracados, ao seu sitio d Beberibe de Baixo, ha-
    veodo organisado uma planta de seu perimetro,
    em qae se desenha visivelmente a distinccio
    e regularidade no seu projecto de arruamentos
    novos, approvado pela camara municipal de Olin-
    da. A fertilidade do terreno, a sua proximidade
    da esu^o do Fundao, da linha ferrea do Recife
    a Beberibe, conseguintemente do rio Beberibe, e
    commodUade dos precos eonvidam os pretenden-
    ies a compra, qae os poderio procurar a Amaro
    de B. Carreia, em Beberibe, a Captulino Rodrigues
    do Passo, no Recife, e ao engenbeiro Antonio.Feli-
    ciano Rodrigues Sette, a estrada de Joao de Bar-
    ros n. 9.
    O Sr. Joao Paolo de Carvalho e rogado a vir
    a rua do Harauez de Olinda n. 53, a negocio que
    osenhor nao ignora.
    Advogacia.
    1 Baeharel Antonio Annes Jaeome Pires Jm
    Largo de Pedro Uo.fi. M,
    MmMM* mmmmw.mw mm
    AVISO
    Bernardino da Silva CosU Campos, com arma-
    iem de viveres a roa do Imperador n. 28, faz
    scieole ao respeiuvel corpo commercial, a seus
    atnigos e fregaezea, qae por conveniencias parti-
    colarea, flea sem effeito o annuneio insendo neste
    Di4rtem principio do mez proximo Tindo, no
    qua! dedarava admittir como seu socio ao Sr.
    Haapal Jose de Souaa Nones, qae flea livre de
    toda a retponubllidada do ,activo e passivo de
    soa easa commercial e eontinda, como dantes, ua
    gerencU da mesma, proaagufaado arta a gyrar rob
    a ani Arm lo annunciante.
    PENHORES
    Natravessa da rua
    das Crazes n. 2, pri-
    meiro andar, da-se
    dinheiro sobre pe-
    nhores de ouro, pra-
    ta e brilhantes, seja
    qual for a quantia.
    Na mesma casa
    compra-se os mes-
    mos metaesepedras.
    ALUGA=SE
    o 2 andar do sobrado n. 52 da rua Marquez de
    Olinda : a traUr no armazem do mesmo predio.
    ROBERTI
    EsU fugido o escravo Jose, cabra, idade de
    15 annos, feicSes miadas, cabellos frdxos, pes
    largos, veste calca e camisa branca, gosta de mu-
    sica : pede se a policia a sua captora, e gratiflca-
    se a quem o levar a sea senhor, a roa do Hospi-
    cio n. 85, on a rua do Queimado n. 83,1 andar.
    CHAMADO.
    Os Srs. Jovino Fernandas da Craze Joaquim Cle-
    mente de L' mos Duarte, sao chamados a roa do
    Corouel Suagsuna n. 282, a negocio de particular
    interesse._____________________^______
    Fugio hontera, as tres horas da Urde do so-
    brado da rua das Crazes n. ii, 2. andar, am
    sabii ; roga-se .a quem tiver apanhado, leva-lo
    a caea acima, que sera gratificado.
    Tratado das pequenas virtudes, pelo padre
    Roberli, da companhia de Jesus.
    EDICAO DE 100,000 EXEMPLARES I 11
    1 vol. ene. l^OOO.
    As pequenas virtudes de que trata esta
    obra sao:
    A indulgencia a caridade a compai-
    xao a docilidade a dilipencia a li-
    beralidade de coracao a allabilidade
    a urbanidade maneira de pratical-as
    meio de adquiril-as etc.
    LIVRARIAFRANCEZA.
    Casa para alugar.
    Aluga-se a easa n. 63, na rna do Hospicio, com
    excellent^ commodds para qua'quer famiiia : a
    tratar no collegio de Santa Genoveva, na mesma
    rua n. 55.
    Aula particular.
    Jose de Hollanda Cavalcante, provisionado pela
    directoria da instrnccio publica desta provincia,
    faz sciente aos seas conhecidos e aos senhores
    pais de familias, que nesU daU abrio nma anla
    parti jolar de instruccao primaria e de francez, na
    praca do Conde d'Eu n. 26, segundo andar. Pro-
    mette desde ja tomar todo cuidado na educacao
    de seus alumnos.
    Recife. 3 de fevereiro de 1874.
    HERGULANO
    OPUSCULOS
    DOUS VOL. 8NCAD.-6/000
    Lisboa-1873
    A edicio estando para esgotar-se, chamamos a
    attencto do publico sobre esu obra, cujo mereci-
    mento dispensa de qnalquer elngio.
    UVRARIA FRANCEZA.
    Escravo fugido
    Desappareceu da casa do abaixo assignado, o
    escravo Jose, de esUtura regular pernas, arquea-
    das, falu de denies, e cor cabra, suppoe-se ter
    seguido para o Rio Formosa, ou Gamelleira ; por-
    tanto, roga-se as autoridades policiaes e eapitaes
    de campo, a sua apprehensao e mandar parte na
    rua D. Maria Cesar (outr'ora Senzala Nova a 30).
    Domingos Jose Conha Lages.
    Monte pio portuguez
    CONSELHO FISCAL
    Por ordem do Illm. Sr. presidente desU associa-
    paq sio pelo nresente convidados os dignos func-
    cionarios do conselho fiscal, nao so da administra-
    cao finda, como os da nova administrac&o, a com-
    parecerem no gabinete portuguez de leitura quin-
    u feira 5 do corrente, pelas 7 horas da Urde, afim
    de ser empossado o novo conselho.
    Secretaria do conselho fi-cal do monte pio por-
    tuguez em Pernambuco, 3 de fevereiro de 1874
    Jo:e da Silva Rodrigues
    1* secretario.________
    CASA DA FORM.
    AOS 4:000#000.
    B1LHETES GARANTIDOS.
    V rua Primeiro de Marfo (outr'ora rua d<
    Crespo) n. S3 e casas do costume.
    0 abaixo assignado tendo vendido nos seus fe-
    llies bilhetes, um meio n. 2,690 com 700*000,
    um inteiro n. 3,434 com 10OJ00O e outras sortes
    de 40* e 20* da loteria que se acabou de extrahir
    (85"), convida aos possmdores a virem receber na
    con form idade do costume sem desconto algum.
    Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
    la 2* parte das loterias a beneflcio da matriz
    de Petrolina (86">, que se extrahira na sexU-fei-
    ra, 6 do mez vindouro.
    PRECOS
    Bilhete mteiro 4*000
    Heiobilhete 2*000
    Uf POKQlO DE 1009000 PARA CIM A.
    Bilhete inteiro 3*500
    Meio bilhete 1*750
    Manoel Martins Fiuta
    ADV06AD0
    AYRES GAMA
    RUA DO DUQUE DE CAXIAS
    M. O.
    Primeiro andar.
    E. A. DELOUCHE.
    49-Rua do Marquez de Olir fa-49
    Acaba de receber um grand* sorlin u> de re
    logios americanos para parede e toes* Ue corda
    de 24 horas e de corda de 8 dias, con. uespertadoi
    dos melhores gostos e qnalidade.
    Relogios de ouro patente inglez \ < rdadeiros, des-
    cobertu com ponteiro grande nci meio, dos mais
    modernos e do melhor fabricate de L Grande sortimento de relopios de prata, praU
    dourada, cobertos e descobertos. Ditos de praU
    foliada (plaque ), oriscnUl e patente, de todo
    preco.
    Cadeias de plaqne e de onro.
    Lunetos e oculos de todas as qualidades.
    Verdadeiros Vidros de cbnstal da Rccha, para
    vista cansada.
    Vende-se todo por preco mais baratc que em
    outra qualquer parte._____________________
    Apreciem eomo se vende barato
    86 o n. 20
    RUA DO CRESPO
    LOJA DAS 3 PORTAS
    DE
    Gullherme & C
    CASSA-LA
    Acaba de chegar esU fazenda com bonitos pa-
    dr5es, e que se vende pelo diminuto preco de 200
    rs. o covado 11 I
    METIM
    Metim trancado, padroes bonitos, a 320 rs. o
    covado 111
    ORGANDY DE CORES
    Cambraia organdy de cores, fazenda flna, boni-
    tos padroes, pelo diminuto preco de 320 rs. o co-
    vado III
    LAS ESCOCEZAS
    Novo sortimento desU fazenda, com bonitos
    padr5es, que se vende a 240 rs. o covado! 11
    CRETONE
    Cretone claros e escuros, bonitos padroes, e fa-
    zenda fina, pelo diminuto preco de 400 rs. o co-
    vado lit
    LAS MODERNAS
    Completo sortimento de la de todas as qualida-
    des, pelos dtminutos precos de 400 rs. o covado,
    e pechincha 11 I
    C6rtes de casemira di cores, a 5*C00.
    Colchas esUmpadas e com barra a 3*500 e
    4*000.
    Cobertas de chiu adamascada a 3*500.
    Lencoes de bramante a 2*000.
    Dites de algodao a 1*400.
    Toalbas alcochoadas, duzia, a 5*800
    Lencos de cassa com barra a 1*000 a duzia.
    Ditos de cassa abanbados a 2*000 a duzia.
    Ditos de esguiao abanbados, em caixinhas mo-
    dernas, duzia, a 3*500.
    Cambria transparente fina a 3*000 a peca.
    Chales de todas as qualidades e precos.
    Bramante de algodao e linho a 1*600 a vara.
    Dito de linho puro com 9 e 10 palmos de lar-
    gura a 2*500 e 2*800 a vara.
    Algodao marca T, largo, a 5*000 a peca.
    Dito domestico a 3*000 a peca.
    Brim com listras, irlandez, proprio para cami-
    sas, a 440 rs. o covado 11
    Hadapoloes Irancezes de todas as qualtdades de
    o* a 8*500 a peca.
    Cbapeos de sol de seda com 12 as teas, pelo di-
    minuto preco de 8*500.
    Camisas inglezas, todas forradas, fazenda de
    linho puro, a 44*000 a duzia ; 6 pechincha, so sc
    vendo.
    Popelinas de linho e seda pelo diminuto preco
    de 800 rs. o covado ; e pechincha, e dio-se amos-
    tras.
    S6 o n. 20 da rua do Crespo
    Loja das tres portas
    I0WS PUBLICANS MUSICAES.
    A. J. d'Azcvodoltiia\o\a ii. If.
    Acabam de publicar-se, e acham-se a
    venda as seguintts musicas :
    PIANO SO'.
    Danse espanhoi.a, por Ascher 211000
    Arabella, mazurka, por G. Wer-
    theimer 19500
    Valsa do Facsto, por Croyzes 19000
    Sonho de uma viRGEM, por Alber-
    tazzi 19000
    Anna la Prie, C8valina 19000
    AoClairde la Lljie, por Bussmejer 19500
    E8TRELLA DOHORTElp ,k bri,hante WM
    SaudacXo ao Bahia I
    Cricket, por Sixas, offerecida aos
    clirickets club pernnmbucano e
    babiano 19000
    PIANO F. CANTO.
    Desespero, muito Undo romance
    por I. Smoltz 29000
    Non m'amava, romance por Guercia 19000
    Tambem recebeu da Europa grande sor-
    menide musica para piano, piano e
    antoudos, methodos, etc. etc._________
    Convida-se
    aos senhores escriptores, litteratos, chefes de re-
    parlicpes e eommerciantes a visitarem a
    ENCADERNACAO BRASILEIRA
    21, onde verao qne i
    dos melhores
    a rua Duque de Caxias n.
    este o estabelecimento que dispde
    meios e processos para bem servi-los na arte de
    encadernar, e o uniro que
    POSSUE A MELHOR
    machina para pauur papel, ri;car livros, mappas.
    manifestos, folhas de empregados, despachos, fac-
    turas, contas cerrentes e de venda ; cojo trabalh j
    sera regulado pela seguinte tabella de precos :
    Pepel pequeno em caixinhas.
    Para pautar 1 caixa 1*0 0.
    Idem 4 ditas a 500 rs. cada uma
    Idem 10 ditas a 400 rs.
    Idem 20 ditas a 300 rs.
    Idem 50 diUs a 2b0 rs.
    Idem 100 ditas a 100 rs.
    Idem 20> dilas a 150 rs.
    Mais de 200 ditas a 100 rs.
    Papel em tamanho flume conta? e despaclw*.
    Por pautar 1 re^ma 1*500.
    Idem 10 a 1*203 cada uma.
    Idem 20 a 15.
    Idem 50 a 800 rs.
    Idem 100 a f>00 rs.
    Idem 200 a iOO r*.
    Mais de 200 ; '-.;< r.
    Outros irabalhos conforme o ausU'.
    A differenca em preco do papel liso tpari
    pauUdo, no nosso mcrcado, e muito superior a-lv>
    rs. em resma, sendo pfr isfo vanlojoso aos Sr.->
    IMPORTADORES DE PAPEL
    mandarem vir o papel liso para aqni ser pautatl .
    podendo assim venderem mais barato, ganhandj
    mais dinheiro, para o que
    GARANTE-SE
    a bondade e limpeza do trabalho, entregando -
    os volumes de resma com a mesma perfcicao -
    igualdade que ?e tiver recebido na
    EN'IADERNACAO BRASILEIRA
    21Rua Ouque de Caxias-21.
    tres
    DE
    Ghiilhermc & C.
    JUNTO A LOJA DA ESQUIXA
    Escravo fugido
    f^ontiniia fugido o preto Antonio Panan, idade
    de 30 annos, pouco mais ou menos, altura regu-
    lar, rosto redondo, cabeca peqnena e nanz muito
    grosso. Este pieto foi canoeiro e tem uma costu-
    ra no rosto, provenicnte de uma espinha : quem o
    eapturar tenha a bondade de leva lo aos Srs. Oli-
    veira Filhos & C, largo do Corpo Santo n. 19, ou
    aoieudono.no engenbo Improviso, freguezia de
    Iguara^sti, qne sera generosamente recompensado.
    Precisa-se alugar uma ama para casa
    pouca famiiia : na rna do Imperador n. 33.
    de
    Aula particular
    Modesto do Rego BaptisU, competentemente ha-
    bihudo para dirigir o ensino, nao so de instruccao
    elemenur, como de muiica e piano, tem esubele
    cido.em sua casa, a rua de Marcilio Dias n. 82,
    nma aula particular, na qua! s6 admittira o limita-
    do numero de 12 alumnos, sod sua direccao e
    desvelos, ajudado por pessoa sufflcientemenie ba
    biliuda para as ditas materias, e tarcbem para os
    preparatorios.
    Nao esUndo ainda preeachido este numero,' e
    tendo de abrir sua aula no dia 3 de fevereiro pro-
    ximo, avisa aos senhores pais que traUram man-
    dar seas filhos, e a aquelles qae quizerem se ati-
    lisar de sua aula, qae tem lugar para man seis
    meninos.
    Promette empregar esforcos para o adianumen-
    to de seus alumnos, e nae poupara sacrificios para
    satisfazer seas pais em tao ardua tarefa.
    0 abaixo assignado agente das rendas da pro-
    vincia das Alagoas, em Peruambuco, declara ao
    commercio desU praca e com especialidade ao de
    Agoa-Preu, que nesU daU tem encarregado ao
    Sr. Fortunate da Silva Neves, para cnidar nos
    negocios tendentes a mesma agenda naquelle lu-
    gar.
    Pernambuco, 2 de fevereiro de 1874.
    Jose Vicente Fernandes Silva Gomes.
    Aluga-se
    a loja do sobrado u. 3 da rua da Imperatriz
    a traur na mesma n. i.
    Alpga-se a loja do sobrado da rua da Impe-
    ratriz n. 53 : a tratar no 2* andar do mesmo so-
    brado
    Caixeiro.
    Offerece-se um moco com basunte pratica da
    Uverna : a tratar na ma larga do Rosario n. 29.
    Ao publico.
    Angelino Jose dos Santos Andrade, tendo con-
    cluido no dia 31 do mez proximo passado todas
    as suas transaccoes, declara pelo presente qae
    nesU praca nada deve a quem quer que seja,
    nem direcu nem indirecumente. Outro sim,
    constando ao annunciante que alguem exhibe ama
    Soblica forma d'onde resulta qae em 28 de marco
    e 1870 paaasse pelo mesmo annunciante a quan-
    tia de 13.000*060, declara qae semelhante trans-
    accao esta finda, visto como o originalexiste em sea
    poder, nao sendo certo que semeloante individuo
    fizesse obsequio algum ao annunciante, porque
    este es'ando doente bavia desposiudo em sua mlo
    quantia superior para aquelle pagamento e so-
    mente ao fazer passar o recibo, teve aquelle indi-
    viduo a habilidade de obtel-o eomo se fora quem
    fizera dito pagamento.
    Redfa, 3 de fevereiro de 18J4. ^^^_^__
    Alofa-se o 1* e 3* andares com sotao da roa
    da Penha n. 3 : a trauj na raa Duque de Caxias
    B.44,
    in flHumrn
    Os abaixo assignados, socios da firma de Mon-
    teiro, Rocha & C, extincU em 31 de maio de 1873,
    declaram ao respeiuvel publico, e com especia-
    lidade ao corpo do commercio, que nada devem
    nesta praca nem fdra deila ; porem se alguem se
    julgar eredor da mesma, pode apresenur seus
    titulos para serem pagos. Recife, 29 de Janeiro
    de 1874
    Antonio Marcelino Monteiro.
    Joaquim Ferreira da Rocba.
    Joao Martins de Barros.
    Tem sido aprcsentada ao publku
    Durante o espaco
    DE .
    \ 0 A N NOS.
    DE
    RBISTOL
    Escrava fugida
    Ausentou-se da casa de sea senh do corrente a escrava Felicia com os signaes se-
    guintes: c6r parda clara, cabellos campridos, ate
    os bombros, rosto redondo, falu de urn dente
    quasi na frente, corpo reforcado, magi do rosto
    basUnte saliepte, foi acompanhada por um ho-
    mem. pra^ de cavallaria de nome vasaoacellos,
    foram vistos no dia 27 de corrente. em Santo An-
    tao : quem a levar 'a Cambda do Carmo n. 3,
    sera granBcado generosamente.______________
    Praclsa se alugar uma escrava que saiba
    coiiobv; aa nm Nova n. 7^Joja
    CURA OS CASOS MAIS DtSESPERArOS
    A SAFSAPARR1LHA DE BRISTOL pur>
    lica a massa do sangue, expelle para f6r
    todas as materias e fezes viciosas e impuras,
    regulA iodas as secre^oes, da vitalidade e
    encrgia a todos os orgaos o da forca e Ti-
    gor ao systema afim de poder melhor resis-
    tir a todos os ataques da enfermidade. E'
    pois este um remedio constitutional. EUe
    nunca distroe afim de poder curar ; porim
    constantemente assiste a natureza. Portanto
    em todas as doencas constituciotuies e em fo-
    das as moleslias locaes dependeitte dutn es-
    tado vicioso e imperfeito do systema em ge-
    ral, achar-se-ha que a Salsafarrilha di
    Bristol e um remedio seguro e efficassissi-
    mo, possuindo inestimaveis e iucontestaveis
    v rtudes.
    As curas milagrosas de
    I-'scrofula*,
    l'leer as.
    Cha^as ant i *as ,
    ENFERMIDADES SYPHIU'flCAS
    ERTSIPEUS,
    RHEUMATISMO,
    NEYRALGIAS,
    ESCORBUTO,
    ETC., ETC., ETC.,
    que tem grangeado e dado o alto reuome
    Salsaparrilha de Bristol
    por todas as partes do universo, sao tao o-
    inente devidas a
    CNICA LEGITIMA E ORIGINAL
    Salsaparrilha de Bristol
    NA PHARMACIA CENTRAL
    vsssAsss zxroaiAns
    OOereae-se ama mulher de boa
    para faxer companbia a nma famiiia a
    alguns services, que dira a quem preteodet :
    qnem precisar dirija-se a Boa-VisU, Corredor do
    Bapo n. 9.____________________
    Traspassa se o arrendameoto do i
    Bom-Lugar, sitnado na freguezia de At
    a tres leguas da e*ta;ia, com exceUeolH
    fufflcientes para safrejar dous mil pies 4a aao-
    car ; moe com agua, e muito bom copairo e Um
    boas obras: quem pretender dirija-se ao actCK)
    engenbo, a tratar com Manoel da Rocba Caval-
    cante Lias.
    f
    c
    }


    ~*nf
    IMfc ote WwmbSu^ 4- st&Mvim* + driglem&fr # W*
    (Wpaq
    ifac,ao
    Fugio po{tl2f. K^SxTSfeiuenho San
    W Monies, comarca de Nazareth, fregtwzia de
    Jrannhadm, a escrava* Maria, erioula, 80 aonos
    de idade, poueo mais ou moiin?, baixa, grossa, c6r
    Sreta, rosto alquebrado, pes seccos e espanados,
    edos cnrtos. cafeellos 'braneos, caneilas finas, lem
    dous signaes cabelludos no queixo, e 6 bem ladi-
    na. A pessoa que entregar esta escrava ou ao sen
    dono, que 6 o senhor do engenho aciraa, Lauren-
    tino Gomes da Cunha Ptreira Beltrao, ou no Re-
    cife,.largo do Corpo Santo n. 19, i- andar sera
    acompensada com a quantia de 1001.
    Cdllegio de S. Sebastiao
    D; Manoela Augusta de Mendonca Mello Heir)
    parttrjpa aos paw, tutors e rorrespondentes de
    .salumnas, que transferio aquefle estabeleci-
    Arflfeda.
    r
    J?, I?sF?ar?* ** V*** a 36> Preeua-se
    gaoio de q mteresse.
    dues amas para
    casa de pouca fa-
    milia, sendo uma
    para cozinhar e outra para engoromar, pre-
    ferindo-seescravas, paga-se bem, se agradar:
    a tratar na travessa do Vigario Theoorio n.
    1, escriptorio, das 9 as 4 da tarde.
    Precisa-se de uma ama cue saiba comprar
    ecoziBhar: aarna-larga do Rosario n. 21,loia
    de caleado. '
    nistas meio penafonijtas e externa*, sendo que
    sjm abertura tera lugar do dia 12 de Janeiro cor-
    rente.
    Garanhuns.
    Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-st
    atiar ^aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
    da Silva, a negocio de particular tote
    ose Paes
    ESCRAVO FUG1M
    Desappareceu ao amanhccer do dia 4 do cor-
    rente, do engenho Serigi, comarca de Goyahna, o
    escravo de nome Jose Borges, mestre de assucar,
    lendo os signaes seguintes : cabra, idade 30 an-
    nos.pouco mais ou .menos, boa Qgura, um tanto
    grosso e espadando, sendo o signal mats vlsivel
    u^a gomma na junta do pe esquerdo : rogase a
    todas as autoridades e capitaes de campo traeiram
    apprehender iito escravo e leva-la ao referido en-
    genho, ou uesta praca a Oliveira Filhos. & C, lar-
    go do Corpo Santo n. 19, que seraj generosamen-
    te recoinpensados.
    unerace-te na iulher. viu-
    de boa eoadocta para--^ma
    rt w> casa*!* honem aolteira-para
    , *wvico Interno e coiSnha
    com perfeifao : a tratar na ma Angola n 149
    A-MA?
    Ama Preciaa-se *> cat ama escrava ou
    """ forra que cozma'e bem : na rua do- Im-
    perador n. 17. Paga se bem.
    Precia-se de ama ama sue compre e;'cozi-
    nhe para easa de bomern soheir j ': na nf de
    Pedro -Affonao n. 10.
    Prewsasedeoinaama que
    cozinhe e engojame. para
    poncas pessoas, paga-se bem:
    AMA
    na rna Nova n. 38.
    Ama Precisa se de -uma ama quafaca com-
    pras c mais todo- iervioo de casa de
    pouca familia estrangeira : a fe 4k Gantiba tfo
    Carmo n. 17.
    Ama Precisa-se do uma ama, que contort
    Z^T e cozinhe : 4 fnx-Ab Dflfjul 'dV Caas
    3i ii. ii ii
    e leite.
    n. 54.

    Precisa-se de.ami que o teaha>> preferib-
    do-se sem lilhn : na rua Nova n. |l, l. andar.
    T're
    li
    rsst

    UPeimuUm se duas .escravasnwca* e sadias,
    in aigurri.is Uabilidades e com uma cria de It
    annos, por uma casa nesta cidade ou nos Afoga-
    pot, voltando se o excedente, se acaso for de maior
    valor : na rua Nova a. 63.
    lASA DO OURO
    Aon 4:00 ' Bilhefces garantidos
    ftua do Bili-do da Victoria (outr'ora Nova
    n. 63,^e casa do tot tufa.
    I O abaixi '
    tauito feli
    eaio bilhete de n. 3
    eto'bBheie de^.1
    eom a sorte'rle 'ttWi
    res:a& 40*000 el
    r^Srlae' r,
    fcrarW^Muflo' felfJi jbilnej^
    tirar qualqucr premie como
    innuncios. [ Aiai|n
    Acham-i i vtad* da m^4 p,\tt
    *-de feve^reiro,
    Inteiro 4*000
    Meio --3*000
    De lOO-TQOO
    InteTrb I
    a sprte de 7i
    I e unrtteio'
    de ftutras.'ior
    Sos
    a.1o.ft!rfaqde seacaboj
    PSp2Mtes a n-
    .....*-
    Rua da lmperatriz n. 60
    Vende fe*endas para liquidan, por baratissimopreQoco;
    abaixo se ye:
    ffaetes ga
    3cio da
    ra no dia
    tfejo
    Recife, 30 de j
    'fWst
    -Mm
    imu.
    m%%!Sha Costa Uite.
    '--------- i i '' | l I i ,
    Constando aos abaixo asslgnado achar-se oes-
    ta praci o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho.ren-
    deiro dos engenbos Barra e Preguica, em Ma-
    manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
    mesuio o obztquio de vir entender-se com os
    abaixo assignados imniediatamente sobre negocio
    lendente aos referidos engenhos. Rua do Amoiim
    3/, escri.itorio.
    Tasso Irmaos & C.
    P
    ara se
    obter.
    Ama Preci*4-se de uma ama para engsm-
    aaiA Ama Precisa-se- de uma ama para ccWMldr
    XX111<* para rapazfls solteiros: m rna do Cres-
    po n 20, loja.__________________
    ^feciSa-Sf1 rW-nma ama
    AMA
    cozinhe e engomme
    soas,prefere-ie escrava
    Roda n. 44, sobrado.
    na rua da
    ALUGA-SE
    a grande casa na largo da Paz n. 98, com todas
    as commodidades para familia crescida, bomauin-
    tal e arborisado, do lado' da sotopi meflior 1*-
    cal daquella povoajao (4fogalos).'BiuKo enehota
    e bygienica : para v<5r ao guarda da matriz, e tra-
    tar a rua Duque de Caxia'S fi. 97.
    2to#*M9fe*im&teo
    Roa do Barao da Victoria n. 22.
    ^anna. *

    A' este grande estabeleciroento tem dbg-
    gado um bom sortimento de machinas pars
    tostura de todos os autores raais acredita-
    ios ultimamentena Europa, cujaa machinas
    Qm ^i2K.* Silva & Guimar5es teido em ser um grande depozito de faienda*
    IZXA&?*! Uma lMlu,d"C*>" ontcoflai da-aptfrar dinheiro, para 0 que cotfvfdam nao ,ao os seus numerosoi
    BB^niemo 0 resneitavel Dublico. a vir WMmo 0 respeitavel pblico, a vir surfir se de n%uit>s faiehdas-, bass
    eslabelecMBeBlo denoramado o^Pavaoa rua -dalitfpefatrte ti. m.
    e CiMBRAIAS A 49, 49500, 59, 69 79.
    0 Pavto vehde um magnifico sortimento
    das mais finas cambraias brancas transpa-
    rentw, tendo jardas cada peca, peto ba-
    rato prego de 49k *9W0;9>4s)| tefld&iam-
    bem das naais finas qe eusturoam .viio
    mercado, asfcn camo urn grande sortnnea*o
    de ddtas tapadas e- tittarfes qae v6ide 'd* 9
    ate 89, sendo fazenda que valle muito mais-
    dinheiro.
    COM SAtPICOS DE CORES A 59.
    0 PavSo recebeu um elegante sortimento
    j de cambwias brancas com bonitos salpiqui-
    rtogarantidas por um anno, e-tendo^mJBh* irtihTeTor^7t^dr"irfaX
    perfeito artista pma ensinar as mmas,'m *-*- *-"- -- *
    de'ifnni, pVtl
    Urn
    'Jsef^fitklBojasSfrn Sorb*lambent
    dellfte enr/nBiomor qdemo
    iabacinh,-!-- para raata
    Mate em po 0. em folha.
    Cafe* verdadtiro de Java.
    Chi verdadeiro das Caravanas.
    Bolachinha* cstias, jara d:etas.
    Licores Qnissimes,
    Geleias de diversas qualiJades.
    JJoces seccos, era calda e ralad >>
    Fiambres prc-pirados.
    Puiin? e hilos inglezos.
    Xar pe? a orchata ie Luboa.
    Anenloa? e confejtos.
    I'iUii pessoo no lem amis
    *|K ir l3g:> 4* ht;ro
    -ii coufcataria do Camrtm
    A -sapcr.jdoa-941
    Atten^ao.
    Fugio do engeBho Dons Irmaos, era Apipucos,
    a pardn esenra de nome Paulina, barxa, falta de
    dentes, levando comsigo uma Blha mnlata, de nm
    anno ; veio no trem de Caxanga das 6 e4S minu-
    tos da manha. saltou'po arco de Santo Antonio, e
    dingio-se pela rua do Qaefmado : quem a ^ppre-
    hender e levar ao dito eogenho sera generosamen-
    te gratificado.
    .. i-
    1
    h
    ij 'ii ;,-: d( S nza, em ^eu s-
    ) n 6, compra, prjr bons
    d...
    iliver?!.
    &jr sexos e
    A.
    ripi
    prec
    dau
    do i 1 )< 14 a 16 anaos,
    Pf' : rtm / lt chegadbs ultima-
    te: -e aos qiiatrocan-
    ^s 16, 1 :i a rua Dnrfae de ^axias
    ' '' 1 das Ciuzos.
    t* a I
    Antonia Maria do Espirito
    Sauto Araujo.
    Aalonio Baptista de Araujo e
    Francisco Baptista de Araujo, agra-
    decem a tudas aquellas pessoas que
    se dignaram assistir aos ullirnos
    sufTragios de sua mui prezada eu-
    nhada D. Antonia Maria do Espi-
    rito Santo Araujo, e de nrM' to-
    Sam ao? seus amigos para assirtirem as missas
    a setimo dia que terao lugar quarta feira4 de fe-
    vereiro pelas 7 horas da manha, na igreja da
    M.idre de Deus, e desde ja se confessam eterna-
    m-nte gratos.
    lioubo
    Si noile de"3para 0 a.maubecer .* dia. 31 de
    }*neiro arroinbaram e roufcaram da caa n. 28 da
    iU^n3n*,r5 de/?.'Aw..na c^ de Olinda,
    l.HWfOro em1 dmheiro, um correatao de ouro
    pesando 10 a 10 1/2 ollavas; e um annelab tambear
    de ouro, pesando 2 oitavasypouac mais bti menos.
    Da-se a gratilieapaode 60ftt000 a aeH descobrir
    ejta roubo.
    ^na.lquer parte des*a cidade, como bem as-
    4inrj;oncBrta-itei pflb-tttapo tambem d'um
    anao sem desperidk> algum do comprador.
    Jieste estabelecimerrt* tambem ha pertencas
    part as mesmas'.aiacfcmas e sesuppre qual-
    quet.pe^a que seja neeessario. Estao ma-
    'dhima trabalham comtoda a perfeicaX) de
    jrri-e dous poipontos, fracze e'borda Soda cada corte todos os enfeites necessarios-corao
    quaiquer cosiura por fiia que seja seus sejam : bebadinhos, emtre-meios, rendas,
    Cadte corte 'de vestido e vende pdo barato
    pre^o de 59, por ser pechincba, tftas com
    salpfeos todo brancosendo fazenda finissima
    a 79900 e ditas a 59000.
    VESTIDOS A ISO DA CORTE 12$
    0 Parao vende- um>Jonito sortirneBto de
    certes do Vestidos a io da corte, trafcendo
    pre^bs s2o da seguinte qnaiidade : p.ira tra-; requefifesre vend* pelo barato preco
    balhar a mao d30>000', 40900o i59OOJcada um, aesim como, dhto/aa 1
    B 509000, para trabalhar com o p?i sSo de
    AO
    ,
    0' abaixo assignado. seientifici ao resp&ilavel
    corpo do commcrcfo, qhe ebniprou, livre e desem-
    baraeada de quaKjuerijntTS, abja ns; 25 d 25, si-
    ta apratadalndepenilencla, a Jose Joanuirn'Rar-
    bosa da- Silva.
    Recife, 31 de Janeiro de 187'*.
    , Guilhermjno nodrignes Monte Elma,
    Aos padres.
    Convidam-se a iodos aquelles qae quizerem
    celebrar missas com a esmoia de 3i, a compa-
    recerem quarta-feira 4 de fevareiro, na igreja da
    Madre de Deus,
    Manoel Joaquim Seve
    Junior.
    0 capitao Jose" Candido de Bar-
    r s, convida aos sens pa rentes e
    amigos, e os do seu nunca assas
    psquecido cunhado 0 'finado Manoel
    Joaquim Seve Jnnior, a duvirem
    uma missa que pelo descanco eter-
    no de sua alma, manda celebrar
    na dia 4 de fever.'iro, na igreja do convento da
    Gloria, as 7 horas da manha, 1 anniversarip de
    seu fallecimento.
    B
    Traces.
    Compra se e vende-se trasles novos
    e nsados no armazem da rua do Im-
    perador n. 48.
    V9$fe
    Enchameis.
    fOpe
    A companhia da estrada da ferru de Oliniia
    compra mais CO euc&ameis de 30 palmos de com-
    pnmento e o polegadas de grossura, para parte
    da linha telegraphica : a tratar ne escrintorio da
    ccmpanhia.
    0 gerente,
    ____ Laurcntino Josi d Miranda.
    Piano
    rVtteiiQao
    1
    0 Sr. Franci-co Agostinho Madeira, e rogadoqe
    v'f a rua do Dnque de Caxias n. 60 A.
    Atuga-se 0 armazem n. 16 da rua
    baribe.
    do Capi-
    .!#"
    s simv P toji9i!9iio 8 03nn30nuqd
    *iJf]un ijyj wHi!|JUijd M> sopo] ap VSBO uia &w-ujuooaa
    ujnisua.p aiu 'ci 'sravd
    /%vp*'
    I'.iijqi'j p esiGcn 9 aun
    enaiai c' 003 ex;; Enaanbaa
    cam e*t-sq3E secnb ?pp ore8ii3 on stjtjjcS ?b
    s :oiiii88| ohiod ojuscubdiud isoqao39i p sejop
    -IOIHSU03 sc jvpujuiuioooj s 8ai-o(3uqo 'enu
    ip eay v)ad vpumbpe eiasmci-nt opi vai'cj
    sjad repcipxa 'spires $ nsoaanp saiat sjboi sb
    'sitju9|npn'ejj sag5B3gis|Bj a sj..i5c)ioi! SBraQ
    amvxuodHi Tnuaiaaiof
    -oqjotn si3[oip op s ajtd vp opaA
    -lacajd 0 'pvpiaom vp njgo nuaa. n siuaarasoTifDoa
    0paA19n03 OHIO? 'jopvJQOJ 0 ild *pn|M030ij
    panvs 3a vnov vino
    xvjLdnoaa
    vnov
    FUNDA ELECTRO-MDICAL
    IHYENJAO PRIVILE6!ADAPRA15 NN0S
    puncm urpNiAO dca dontorea M AISXE
    rdicl das ncr\IMO Irmaos,medlooelnventoreB
    44, nede 1 Arbre-Sec, Paeis, Vai aocomparl-
    Chapeleria economica
    eom e?te nome acaba de abrir-se uma chniiele.
    na na ,ua de Harcilio Dias n. 41! (antjga/rua Di-
    reita), aonde as Exmas. senljofas "c cavalheiros
    desta capital encojUar^cfsempre variado sorti-
    mentojl.-ctiSpeos para senhora, cbapclinas, cha-
    PeP*-para homens, meainos e meninas, tudo de
    tfptimos aostos, e por pre.xis quo harmonizem com
    o nemo do e pes biralissinios !!!
    T.-imbem se recebem concertos de chapcos para
    senhoras, chapelinas, e chapeos paa homens :
    assim como se poem fitas em leques, e tambem se
    concertam
    Convida se, pois, o respeitavel publico a vir
    veriGcar a veracidade do annuncio ; pelo que o
    proprietary deste estabelucimento desdo ja se
    confessa em extremo grato ; e Hie pede a sua va-
    liosa protac^aj.
    Dinheiro a vista
    Compra-se nma tawrna em bom lugar nos
    bairros de &antt Antortio ou Boa-Vista : a tratar
    na rua do 1'angel a. 67.
    o p
    809000, 909000, 100JWOO, 1I090CO;
    1209000, i-^pOOO, 1509000, 2OU300O e
    2509000, emquanto aos aEtores nao ha al-
    teracSo de pre|o, eos ctnajscMdorss^ioderao
    wsitar este estabilOeikiento, *(pe muito de-
    vrao gostar pela variedade delobjectos que
    ba sempr** para vender, como-sejam: eadei-
    ras para viagem, malas para viagum, cadei-
    rss-para saJas, ditas de balance ditas para
    crianca (alias),, ditas para eseohs, costurei-
    ras riquisshrfes-;. para sfenhota, despensaveis
    para- criancas, dotodasasqualiiades, camas
    de ferro para homem e criantias, capachos,
    espeihos dourados para sala, grandes e pe-
    quenos, apparelhos de metal para chd, fa-
    queiros com cabo de metal e de marfim,
    ditos avulsos, colitai"*dmetal fiao, coadiei-
    ros psra sala, jofros, guarda-oomidaa de
    arame, tampas paw eobrfr pratos, esteiras
    para forrar salas, lavatorios completes, ditos
    simples, objectos para toilette, e outros mui-
    tos artigos que muito devem agradar a todos
    que visitarem este grande estabeleciniento
    Que seacha aberto de--de as 6 horas da ma-
    nha at as 9 horas da noute a"
    Rua do Barao da Victoria n.
    22.
    Uma arma^ao de c.marello envidraaada com
    balcao proprio para quaiquer negocio : a tratar
    na rua do Crespo n. 20.-
    c.
    VKiNDE- e
    a tayerna slta ao puteo do T^rco n. 81, qua- faz
    esquina coin o becco da Lenha". trata-se na mes-
    ma.
    Vendu-
    e uma casa nao acabnda em um
    terreno com 50 palmos do Ifcsnte e SOO de fundo,
    com algumas fructeiras, nas prosjmidades di becco
    do fcspinheiro : a tratar"no mesmo becco com Pe-
    drojta-Hqra, Santiago.
    Milho e estopa
    Vende sc milho novo chegaJo u.limamente do
    norte, e estopa para calafetar uavios e barcacas :
    na rua do Amorim n. 31, arraazom.
    Farinha do mandioca.
    Vende-se farinha nova de mandioca de Santa
    Catlianna a b.rdo do brignc portiiguez Improviso:
    a tratar com o capitao, ou com JVmorim Irmaos
    & C. rua do Bom Jesus n. 3.
    Lindas las scocezas.
    TASSO IRMAOS k
    Em seus armazens & rua do Amorim
    n. 37 e caes do Apollo n. 47,
    tarn para vender por pregos coramodoa
    Tijoks encaraados so.Ttavos para Jadniao.
    tanos de barro para c-sgoto.
    Ciraento Portland.
    Ciraento Ilvdr.tulicc.
    Machinas de d'.rscarofar aljodao.
    Machinas de padaria. -
    Pptassa, da Russia em barril.
    1'hosphoros do cfira.
    Sagu ern garrafoes.
    SevaAinca om garrafoe^.
    Lentilhas era garrafEei.
    Rhnm da aJmaica.
    Vicho do Pijrto velho engarrafado.
    Viah-) do Porto superior, dito.
    vinho do Rordeaux, dito.
    vinho de Seherry.
    Vinho da Madeira.
    Potes com linguas e dobradas Ingl
    L>cores flnos sortidos.
    Cognac Gaulbier Freres.
    Latao de toucinh" ingiez.
    Barris corn repolho ora salmoura.
    de 129
    _ do julho
    com todos os enfetes a 109, cortes de cara-
    braias braneas abertas, com listras e lavores
    a 69, ditos &niesimos a 89, ditos de cam-
    braia branca eom listras de cores, para aca-
    bar 39500, e>pechui&a.
    CORTES BORDADOS A 209 E 359.
    OPavSo vende ricos cortes de cambraias'
    brancas delicadamente bordados, pelo ba-
    rato prego de'209 e 859.
    CASSAS FRANCEZAS
    a 300 rs, o covado
    O Pav5o recebeu um grande sortimento
    decassas francezas com delicados padrfies e
    cores fixas, que vende pelo barato preco de
    300 rs, o covado, organdy branco e lis-
    tado e de quadrinhos a 6i0 rs. a vara fi-
    nissimo 016 branco liso ede salpicos, e tarla- !de lmho ordadas, proprias para noito a
    tanas de todas as cores. | i0$e 129 cada uma, ditas de fmhosen se
    |rem bori.das a 49, ^SpfSDO e 9, dius cob
    BORNOUS A 129. Pe'10 de algodao muito finas a 29, 29600
    _ ; 39, ditas de cbita fina miudinha a 2?, 29500
    U 1 avao vende um bonito sortimento dos {e 39, fcssim como gratide sortimento de ee
    mats modernosbornous combonitas listras e' roulas firancezas tanto do lirtho como de a'
    vende pelo barato preco de 129 cada um,' godao de 19C0O ate- 39, gr. nde sortiment
    assim como um elegante sortimento dos mais de mei s cru.s inglezas de 49 ate 83000 j
    bonitoschalesdemerin6 e com listras deseda. 'duzia.
    Ceroulasfrsncezas de linho e algodao, para todos ospreeos e qualidade* tsain
    como grande sortimento de meias cruis, camisas, colerinhos, q*e tudo se vende iv t
    precos muit; r-zoaveis. "
    francez muito fino a 39000, apenas precis*
    !1,' V4 metro para uiaiengel.
    CHAL8-^iftAT0S
    a 29, 29500,^.
    0 Pavao vende enales a emitacao deme
    rm6 a 29,"dftos de merino lisos tie todas
    tMkAkmm^ dagBamj^aiMt>a4oa
    bMitobOfJOB a'4,'-^ihM #**sios rjom li
    traa de seda I 09500, rMtos mtflW fltuM i
    a.109 e.129.
    edSi*fMie lfQ>
    PavJo verJde algodio Oofestado com
    prihies delargBra, ptOfme -peta Itf^ei
    SMsdo do mats encorpodo que tem vindo *
    Biecadcvls9a't9 Ta traa^ados.....
    980. ___
    ATlHrllHOO ft*1gWfr;ap;.-B9.
    0 PavSo veade atoalhado franeado eom
    palmos de largura a 19200 e IJttOO, diU
    adaroascado a 29, ditotJo Unlto adamasca
    doa39~e59.
    "MUG*
    it Ct laTlo vende um Hionite sorimante /d
    sedas com hstrinhas proprias para Testi
    dos de mensMs ede seuhora a 19609 o co-
    vado, ditas lavradinhas a 29, os padroes sat'
    muito bonit06 e vende-se por este preW'twt
    acabar.
    Botlnas a OOO
    0 Pa vao tem nan complete, sortimento d
    botinas muito-bem enfeitadas para senhora*
    e vende- petO bafato preco Je S9, artigo qa
    em outra quaiquer parte ousta tfe-79.
    IEKCOS BRANCOS
    *29X).
    0 Pav8o vende len^os braneos absinha
    dos, tanto para homens como para senhora*
    a 29 e 29500 a duzia, ditos de esguiio
    cambraia de linho tambem abainhadot
    39500, 49, 69, d to* fraeezesescuros, par*
    rape a 69, a duzia.
    CAMISAS PARA HOMEH.
    0 Pavao vende riean eatnisas com
    peiu
    E' seinnre assim.
    a .ii** VER
    A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n 63
    pressa-se em conviiar a seus fregwzes. com cs-
    Qu.'ado parece ter-se esgolado o repertcujo da
    modas, pela immensidade de artigos de ata ade
    cjue tem apparecido, eis quo os velhos e ansa- aprfca.3C
    S^fiSKw"*' dNya ESKriD^ >rna l*rtalidadeaobellosS ^ a vir^aprec'ia? 2"
    &.dL2SiaL2i.? descobrom onlros no gniutes ariigosexpostosa v,udaTloC0 S
    mundo elegante, aonde se conscrvam escgitando commodes, como heiam ^
    J?'Q"c'os.an'enS? as '-0 "nvenroes ; r,.nettem I FINAS BOXECASmasa e choronas
    ETV. r a EsPeran'-'a' eantorisamna a dizer BOMTaS E E.NGRACA!.\S S^narasieries
    aos seus freguezes e especialmente ao bello sexo. copios
    que nao creiam cm tal : e para prova evidente
    do qua acaba Qa cxpor, vejam o que abaiao se
    descreve :
    MANL'AES para missa, com capa de madreperola
    COMMODAS LATAS para guardar clia
    R BO.XITOS \ASOb com fiua banha t
    com fina banha e cheiroto'
    extractos, (razendo cada fiasco um nome, umi iai-
    ou lartaroga, tendo no centre da capa cial ou um distico
    um pequeno relogio perfeito regula-! FINAS JSE1AS D SEDA, vindo entre ellas cor
    ce carne.
    dor.
    j Wll-on Rowe ^ l. vondom no seu armazen-
    a rua ds Coainu-rcio n. 14 :
    0 verlad-iro p.inn de algodao azul amencano.
    Excellente lio de vela.
    Cognac do 1' qualidade
    Viaho de Bordeaux.
    Carvf.-i de Pedra dp tolas as qualidaides
    Querem fazenda barata.
    \enham ou mandem a Rosa Branca que eta
    i-odendo muito barato todas as fazendas e ronna
    CARTEIRAS, po t chamtos, port cigarros o ports
    moneys no mesmo gosto.
    CARTEIRAS para notas com capa de marfim, ma-
    dreperola e lartaruga, com o distico
    Leinbranca.
    BOLSAS para senhora, o melhor qne tem vindo a
    este mercado, de di versus tamanhos,
    qualidades e modelos de nova inven-
    cao.
    PORT BOUQUETS de lindos gostos e tamanhos
    r,,, especiahdades para as noivas.
    IAIXIM1AS com muslcas e sem ellas, proprias
    para presentes.
    E outros de inteira novidade.
    E com os meninos.
    A iVova Esperanga, a rua Duque de Caxias n.
    o-i, recebemos boners de borracha de formates
    in.eiramente novos : os meninos muito apreciarao
    este bnnquedo. I
    E verdade. |
    ^Quaiquer senhora de bom gosio, parece que W, acaba de rVceber bonitos co.Mmiies'para crTaara
    "??-.Pde completer e sua toillette, sem dar um e esta se vendendo por precos razoaveis.
    Para quem goslar.
    ' a..A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
    b.f, acaba de receber tentos e caixas para o jogo d-
    Para qiie,,; s (Tie das perns.
    A Nova Esperanca, a rna Duque de Caxias n.
    OJ, acaba de receber as procuradas meias de bor-
    racha para quem soffre das pernas.
    FLORES ARTIFICIAES
    A Neva Esperanca, a rua Duque de Caxias n
    63, acaba de recber um lindo e complete sorti-
    mento de flures artificiaes das melhores que tem
    vindo ao mercado,
    A ellas antes que se acahem.
    Costumes para crianca.
    Nova Esperanca, a rua Duque de" Caxias
    a.
    , .. ----------lazenuas e roupa
    De vanos padriSes, e inteiramente modernas a' ^1, : na rua d:1 l!l>Peratriz n. ofr.
    .- Ka o. Cuva antiga do Crespo n. 43, loja das columnas, de An-
    tonio Correia de,Vajconcellos.
    e/a
    Fa
    Pacheco & Azevedo tem para
    piooa de araruta, qualidade asjuicial,

    FERPUSIfBSO, CLftRO E
    ri: ifa ItiFR
    TRIGUEIRO
    vender ta
    _ em seu ar-
    mazem, na rua do Doijue ie Caxias n. 29.
    Rua do Bipm n, ?6
    Vende se zineo puro de superior qualidade
    proprio para cobertes de casas, medjndo 11 pal',
    mos de comprido e 4 de largo, por pre$o mnitr
    em conta.
    Cntyilf'frn de l.r^iitn de llnnra, Official do
    Vedjirlic < Cnmmendadordaordein
    bil a Cuiliolictt:

    MGB&W/KS fafarfcadas em Yfcfty
    extrhid< tit Fontes. Sao de gosto
    (4 e a sua acjio e cerla contra a Alia
    Bgesloes difBi-eii.
    EyiCRY PARA BAMH08- Um rolo
    M, para as pessoas (jne nflo podem
    '. Para ttitar at ftm'ioffef
    14V) todos as praductot a marca do
    yWtfjt D UUBO HkUl.
    de *cima achSo-se :
    ji Oi>i,-<- >i-Chr*rier deveoseuaroriia^
    icias balsa oicas ae airlda bur-'
    ni"iiUc ns suttc proprirdadea tJierapeatM
    ao 'liosmot'-mpo r(U' otomao agiada-
    vol ai toni.ar so.
    0 srnfirir Qievrier completou |8 sua
    (IpschI-i i: -;r -^n^n o loilurpto at ferro
    ao son r.leo < fifpirlo di.'Bnra'hnn. Este
    Oil n dG flgnda de bjnulhaii f nrriitrlwo-
    o poatnp todas as flpp.iedadfs do oleo
    p fpi o. '.: if i..;i; dinstSf I nanpa
    "i;"i jrj|"o do veati-r. T^
    ToUas^is i ferero .Is putraa pr."uar;acj>e3 ferrugine*,
    isas. i(>i:,tpi!i pro to'lo**' os ca'sos em qoe
    |sppr4nvcua'0 f-rrf>: TUica pirmonM
    IlritV.rhltrft. B*< hit!uio, CwraTu],,'
    SCniiifti'*ii. **otn. Otli'inDartiamo.flly*.
    rii-paiiu. <'aal 1< rnqiivza dc runstilul^ao.
    Depoeno em paius: Pliarm. GHKVaUHR
    21, Faubourg Mmt)n&r$r. <
    Na mc*majil)aruci^ta<*aa*gai(ifr
    Ki.ixm de Coca, excellent* -Dipafa-
    C6et tonicas. Os granalos aaBiVwih
    compost-os contra as diarrheas, dyseftf'
    tsnas, d6;es de es'.oraago, .'etc
    Paris, 36, Rna Vivlenne, D
    [h;f:V-iM vxtm spccisl
    DAS IHrEmiIDM>'8 DKEIUA8S, At t^ttCOS*
    fi-TVP\c ALTEItArjFS M IUUC
    DEPUnAY!.-
    4V Kj-
    rs. o covado.
    Fi-ito da fazenda de linbo eom listras de seda
    oe dfversas cores qne esta vendendo a Ro3a Bran-
    ca, e fazenda de 11 : quem duvidar ven^a vtr a
    rua da lmperatriz n. 56, loja da Rosa Branca.
    Sem maisttada....
    _---- Wada Hiaideve4ueii|[Moi8
    tfe so ter f|o a se^rulnte de-
    claracuo
    com as floristas.
    a Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias !
    n. W, recebeu pelo ultimo vapor, um inteiro sor-'
    tiaiento de papeis para flores 1 a elles.
    m
    Caxias n.
    . anneis e
    pulseiras electneas, proprias para quem sofTre dos
    nervos.
    Para crianca.
    Manlilhas prelas.
    A Nfiva E>
    A Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias vpnl^nJ"?''1^0"3-' m6dcraas' '*
    nm sortimento de vestuarios "' "Ddendo Por prepos ra*oave.s.
    ",000 euras daswpa-
    .putiulasMrpti,
    I'irna, comixott, acri-
    rioniu,eaUeraots,v{.
    _ Jciosas do sangue,, ti-
    rui. eaiuv., oat u. ^anfue. (Xarope Teeetal
    semmcrenno).DepariVM .(..,
    ,,*HM mixebab* toteao-se dons por
    emana, seguindo o iraciameoio DepuraUvo a
    emnregailn nm mfsmas jiolnsluig.
    ~ teXaro

    PLUS D
    COPAKU
    E$te
    rerrc
    Imm^dutamente "rnml-
    arope Gitracto de
    rerro de GMaBlE, curt
    (uer pttrgacmo, rtla-
    tdMtmu
    __lrcpao, t detHkdafr.
    on O'JUrope d citracto diferro.**^
    t.rrwi,Pon>ndi qne as enrt emlBin
    i POMaDA amiHERPtticaT^
    Wotra t as ajjecfotu tulaneat eomiroct.
    in*i^2A?*!T?BS KrURAf IVAS
    a! ^L?EVa' <*,ft'tnK0 > ao**apha4
    e um roUieto.
    Ai8o aos ana^wgoicoa.
    | Cora ciuaniAM, letsu
    mi KU dot bro*-
    IiMm #m* o dmntm'
    de. 0>^"xWD^SSrT>4Oa"t*
    tr. naau em Parti, mm vivacm^ J^,
    I
    Sirop du
    ifFORGET
    E vem a.ser:
    QI'E 0 toilCO dopoflito de doces:
    Do goiaba (Gnissimo)
    De caja seccor crystalkado, ralado e em
    calda
    De mangaba secco e crystalisado
    De cidra^seoCo. e orystaligado
    De laranja secop.e^crystajisado
    D lianao secce crystalijado
    egroaello em'ca'lda.
    De docesirancews e portuguezes
    AGORA AL\OA o seguinte:
    De matte:em'folha e era p6
    ; De cate lava (verdadeiro)
    : De clia verde e-prelo (especialiJades)
    'DWe*"bttlchinhas pars cha
    De nambres promptos
    De boloj ifeglezcg
    D^.pudiBs flnissimos
    -Bepaes-ae-16 (monstros)
    De conserves alimeolwias (lubaradas)
    De fruclas do tempo.
    De chocolate inglez e francez
    .ga de'tttti quanti
    j.E na feettconhexiidia
    jOdnfeitaria do Campos HI
    peranca, a rua Duque de Caxias a
    , a rua do Duque de Caxias. ffi"""8* "
    n. 63, recebeu nm sortimento de vestuarios de -^^
    casemira e alpaca para criancas : modernos e bo-
    mtos.
    Las mescladas.
    Um bonito sortimento de las mescladas em co-
    res, recebeu a Nova esperanca, a rua Duque de
    Caxias n. 63.
    I 0. Doyle.
    Tem para wr< :
    Cognac de Hennessv, superior e verdadesrs.
    Viaho Xeres das melhores qualidade*.
    Bitters de Angostura.
    Whisky.
    Cha preto em lattas de 10 libras.
    Todas as preparacdes chimicas do Dr. Aw
    armazem da rua do Commercio n. 38.


    Ndo ha mais cabcllos
    braneos.
    TOB1MU JAPOMEZA. ^I'S^ W~
    Villa de Patmang
    i
    sciancias, roconhecida superior a toda que
    tem apparecido ate" hoje. Deposito princi-
    pal i rua da Cadeia do Recife, hojeiMar-
    qoez do Olindai n. 51, 1. andar, e em
    todas as boticas e casas de cabellei-
    do
    tijo
    villa, casa n. 51.
    to preco acima declarado ; sao conatnidaa *
    ijolo e madeira e "bem cowemdas :
    retro.
    .
    Lindo chfariz.
    Vende-se por preco barato um rico chafariz
    de marmere proprio para jardim, o qual se aha
    armado na offljina de marraore-'do^Sr. Lima, a
    rua do Imperador para qaera o quizer ver : a
    tratar na rua do Crespo, loja djPasso junto ap
    aroo de Santo Antonio. ________
    Astmicas verdadeiras
    'Biohas hamburtrueoaa qne vem a eota-iamreado'
    M rua barque* u via4 ft. Si
    Vende-se
    , por muito conaoaV). paeeo exoattoates
    nos seguiniesilagant: aa Torre, a nurgeaa dcri
    Caplbaribe #imtai4mm*vm *> c-minho*M-
    ne ; na-estrada de Baeehfce, a nurtem doMio-a
    oorto da ertacio-dowawinhardeierro, nfcrttada
    nrva de beberibe, tarobem perto da eata^a: *
    ptircora loio Peitoaa, nafal-HsaiUda tUaajria
    FaFaV
    I
    Rksos chapeos para sentwra : 'aA^
    de Gaxias B. 0W A loja da osquioa.
    HtOTIl
    \i


    Diirfb it PeBaaro&iefc -^- Quarta fbk'a-4 tte^ltevfeitefcfc

    U
    t

    I
    =
    -----
    HE
    bois mmm
    ONIGOS ACENTES
    Rua do Barao da Victoria d. 28
    3ffiS
    Sta.n di: i
    Lourenco PereM 'ITetfosGiiiMftM-
    Declara aos.seusfregueies qua item resoUiWaiiM umagratide Hquidataev atfiol
    urn do correuto aniio.
    .1 SABER i
    ICLXftftig simples, as roais baratas e as melhores domundo!
    Na exposicio de Park, em 1807, foi concedido a
    Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
    5*o da LegLa de Houra, por serem as machinas mais pert
    feitaad*' gaundo.
    A medalha de ouro, conferida a E. Howe Junior, noi
    Estados-Unidos por ser o intento* da machina de cost
    tura..
    A. medalha de onrona eiposigao de Londres acreditam
    e$us mafihinas-.
    CAMBRAIA& BIUNC.4& A-afeQOQl,.
    Vende-so pecaa decanibraia braoeaj tapa-
    da u-transparenta, a 39, 3tfA0*,.4*Mi> e
    55600. _
    LASUWASA200RS.
    Vende-se,. Idsiuba* para .vestidos, a3ft<>;
    320 e 500 rs. o aovado.
    ALPACAS A 640 RS-.
    Ditos de.paliw, a 2*; 3*000 e 4#000*
    Ditos tk8,rna6sa
    00O.
    PERRl MAWAS EM i LKjUIDACAOv i
    Vmdo-sa safaenaesdeditersos tamantaK,
    a 1-iO, 200 240 320.rs., todo .bora,
    a Frasco- cie.banhak alftO, 320 e 400 mi
    i Frascos com aguadecoloniH a 240*380
    rs.-cada urn. E outnas makes extractoe que
    Vende-se alpacas de cores com listras a 3i0 se ve.idts nu-iio bftrato pa#a liquidar.
    e 800 rs. o covado.
    GRANADINEA800RS;
    TQALHAS A 80*>RS -,.
    Veode^e-toaJhas WpHdas, a. 880.rs. cada Vende-segranadiae,:preta fcoaa .listras de um8. I.encps brancos", a 2JJKMH) #du*ia/e
    cores, para, vestidos.na 800 rs. oco- 39000 abakkhados, fazaodnv que vende-se
    vado. por 5#0OO..
    POUPEUSU iAPCLNFZAA J*800. GIUVATAS PRKTA8-A 400 RS.
    Vendc-se uma fazenda nova com listas, Yeude &e gravatas pretas, a 500 rs. Man-
    corn o nomoide poupeliiia-japoiieza, propria tasde cores a 200 rs.
    para vestidos de senhoras, a. 19Q0> vado. Todas estas fazendas sSo vend ides no 3*0.00.
    Cabe-otti o derer de annunciar que a companhia das machinas de Howe de ISova-
    *rk, estabeleceu nesta cidade abroad* Ba#|oiaa Victoria n. 28, um deposit e agenda,
    raral, para em Pernambucn o mais provincias se vendetem as afamadas maebinas de-co6-
    re,*** Howe. Estas-macnmas sao. justmente apreciadas pela perfeicjio de sen trabalho,' fi
    *jp,re$ai,do tij^*gulha,majs,curta com mesma quaHdade de linba que qualquer outra, "^'
    *ii* mtroda\cg4o dps m*v?.|>erfeicpado apparelhos, estamos actualmente habihtados a
    ftrecer it? examo publico as melhores machinas, do raondo.
    -4* va/ntogeris-destas machinas sao as segmutes:
    frineira.0 publico Sfbe.qu* el las *3.o du#adourat*.pai isto prova incontestavelj a
    revnnstaocia de nunca terenv apc?-'v'*4o no mercado machiiias d Howe em segun-
    ' mio.
    Bazar, Nacional, i rua da- Imper riz a. 72.
    CORTES DECASSAiA 2&,0
    Vende-se c6rtes de casaa-,- para^ vestidos,
    com 10 Lovados, a iCoOO.
    CHITAS URGAS A 2AO Rs
    Vende-se chitasfraijccaas, largas, de a 240, 300^,320*360 rs. o co-0
    Segunda,Coirtaa o material preciso para reparar qualquer dosarranjo.
    ISw^eira.-r-Ha -nellas menor fricoio entre as diveisas pecas, e menos rapido. estrago
    sue nas outras.
    Qoarta.Forraam o ppnto como se ffira feito a mio.
    (Jcinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consign
    mais
    oj.ottta*.
    Sexta.Faiem ponto miqdoem caserpira, atrayessando o fio de am i outro
    ?ogo em segui^'j, sra modificap-e a tensio. da linka, cozem a faieuda
    '-.
    Sethfaa.0 cpmpress4i iletantado com a maior facilidade, quando se tern de mudar
    agolha ao .corp^ar nova costtirap
    Oitays.Muitas companhias de machinas de costora, tem lido epocas de grandeza e
    eadencia. Machinas outr'ora populares, sao cdahcas radicaes parappderem supsthuir : entretairlo a companhia das machinas de HOwe
    aoptando .a ppiqii0.de Pi^s, Howe, mestre em artes mecbanicasi, tem constanteraente
    Hmentadq o..seu fabrico, e boje aio attende a procura, posto qne faca 800 maebinas
    * a.
    Cada ma,Qhina,acpjripanha]iTretos eom instue8es em portugue*.
    CASSAS DEC0&CS!AafiOR&-
    Vende'Se cassas.franeszas.fiaas de cores,,
    a 260, 320 e 400 rs. o covado.
    SAIAS A 25000.
    Vende-se saias brancas.com.bar,ras de-co-
    res,a2#000.
    CH1TAS PARA COBEIITA A 280'RS,
    Vende-se.. chitag. para cobertas, a 280 e
    I 360 rs^ o covado.-.
    MEIAS PARAHOMENS A 6*000 A Dl'ZIA.
    Vende-se -moiascruas, verdadeiTas,.para
    800 RS.:
    a80O-rs. cada
    ir mmm a
    SO ARES LEITE, IMAOS
    do Barao da Victoria n. 28.
    t,
    A 30^000 e 30^000.
    POOS P0SP0NT0S
    Nalojade Soares Leite Irmaos, a rua do Barao da
    Vietorian.28:
    La?as de pellica com pequeno toque,.: Espelhos de moldura dourada, de todos
    200 rs. j os'tamanhos e precos.
    Abotoaduras para collete, grapde sorti-
    ihomens, a 6*000 a duzia, aqual'val
    lado, 8*000.
    CHALES DE LA A
    VendVse chaJes-dei la,
    um.
    CIIITAS FINAS A 400 RS.
    Vende-se chitasifioas de campo largo, fo
    zenda muito l>oa, a 400- rs.o covado.'
    CHALES I)E MEtt 1 NO' A ^^000,
    , Vende-se cbales de-merino estampados, a
    2*,. 3*, 4*000 & 5*000.
    Ditos de listras a 5*000. e G3000i
    BR1XS EM GOttTESA 19500r
    V-eod-se^cortes de brim de cores e peixloi,
    a l*.'i00, para liquidar.
    C0BEH.TAS DECHITA'A 1*600.
    Vende-secobertJS' de ehitdi a 1*000*
    2*000. i
    BRllhPARDO E IB CORES A 400-RSj
    Vende-se brim pardo e de cores, para roil-
    pa de faormsnse meninos, a 400-rs. o cova-
    do,, para liquidar.
    GOLXASDE CORES A 2*000.-
    Ven4e-secohtas de cones para can*a, a 2J*;"
    e 4*600.
    TRANSPARENTES PARA CADEIRA'S A
    1*500.
    Vende-se transparentes para cadeirav*
    1*500, para liquidar.
    BONETS A 500 RS.
    Vende-se bonets.deiseda para hom*ns,;.a,
    500 rs.
    CHAPEOS A 2*500.
    Venderse chapeos de castor para.neninos
    e lumens, a 2*500 e 3*000.
    uentq-a 120 rs.
    Caixa.de linba de marca, a 200 rs.
    Lamparinas & gaz, dando uma luz muito
    oa, a_ 1*000.
    Duzia de pecas de cord So imperial, a
    (40 n.
    Caiia de bowes de osso para calca, a
    00 n.
    Duzia de carreteis de linba, 200 jardas, a
    *00rg.
    Idem idem 60 jardas, a 240 rs.
    Maco de fita chineza, a 800 rs.
    Caiia de linba com 40 novellos, a 500 rs.
    iieios aderecos com camafeu, a 500 rs.
    fjarrafa de tinta roxa extra-fina a 1*000
    Potes com dita ingieza, preta, a 100 e
    \60rs.
    Caixa de pennas Perry, muito boas, a
    1*000.
    Idem idem, a 400 rs.
    Caixa de enveloppes tarjados, a 500 T.
    Idem idem forrados, a 700 rs.
    Caixa de papel amisade, beira donrada,
    800 rs.
    Idem i Duzia de talheres cabc branco, 2 B., a
    4*000
    Resma de papel pautado, a 4*000
    i5*800.
    Idem idem liso, a2*800, 3*800 e 5*000.
    Coqnes modernos, a 3*000.
    Duztas de pe^as de trancas de caracol
    feranca, a 400 rs.
    Idem idem lisas, a 200 rs.
    Leques de osso e sandalo, a 2*000, 4*
    6*000.
    PERFUMARIAS E MIUDEZAS.
    Frasco com oleo Orjza verdadeiro, a
    1*000.
    Idem comtonico.de Kemp, verdadeiro, a
    1*000.
    Garrafa de agua Qorida verdadeira a 1*200
    Garrafa d'agua japoaeza, a 1*000.
    Idem idem dlvina, a 10000.
    Idem idem Magdalena (novidade) a
    1*200.
    Caixa de pos para denies, a 200 rs.
    Idem idem de p6s chinez, muito bom, a
    500 rs. e 1*000.
    Pote com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
    i.bI, 1*000,
    Duzia de sabonetes de amendoa, a
    3*600.
    Duzia de sabonetes de aniinho transpa ren-
    tes, a 2*200.
    Idem idem com flfires, a 1*500.
    Sabonetes Glycerino transparentes, a
    1*000.
    : Caixa com sabonetes, formato de fructas,
    a 4*000 e 1*500.
    Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
    800 rs..
    Frasco comaguadeeolagne, a 200, 820,
    500 rs. e 15000.
    Extractos muito finos dos melhores au-
    toresi
    Lindas e elegantes caixinbas com perfoma-
    rias, proprias para presentes, dos autores
    E. Codray, Rieger, Gelle" Fr6"res, etc.
    Quadros. com santos e estampas separa-
    das.
    Entremeios e babados transparentes e ta-
    BENGALA^ErCHICOIESA 600 RS.
    Vende-se bengalas e cbicotes, a 800 vs.
    cade UBaa.'parifcliqnidafi.
    GRAN DE UOL'IDACAO DE ROLPA FHTA
    Vende-se ceroulas de algodan, a 1*000.
    Hiias de liriho, a 1*000* e 25000.
    , Camisas de chitas Unas, a 1S600.:.
    Ditas de peito de cores, a 25000,,,
    . Ditas braucas. Unas, a 2*000, 3*000 e
    4*000.
    Calcasdc brim pardo e de cores, a 2*000
    e 2*500.
    Ditas. de casemara de cores .e .prota, a 5*t
    6*, J*! 00 e: 8*000.
    PaUt6ts.de alpacas, de cores, a 2*500;i
    Ditos pretos^.a-3*000 e. 3*500.
    Ditos de casemira de cores, a 4* e
    G^OOO..
    Ditos ditos' protos, a 5*000, 6*500
    8*000..
    Colletes de casemira de cores, a 2*, 3*
    4*000.
    Camisas do fiauella-, de cores, a 2*000 e
    2*500.
    AL'.ODAO A A*000.
    Vende-se pegas dealgodio, a. 4*. JJ* e
    6*000.
    CASEMIRA DE1 COR^A' 2*500.
    Vende-se -casemira de c; res, a 2*500"o
    covadc*.'
    MADATHTCAO A 3*000.
    Vt*i^<*-se pecas de madabolSo enlestado.
    a 3*000'.
    DrW ingrcz, a mOQ] 5*; r3*"-e 7*000 a
    pe BOWNASA 4*5001'
    Veiwte-se'feotm&s -pwra-^ermora e merrinos,
    a'4*5H 5*i3'6*00O'.
    Ditas de enfiar, a 2*000.
    Sapatosde'Wpoteya 1*800:'
    DftoS'de irew^a', a 1*800'^ 2*000.-
    BRAMA5TE A l*00i
    \ciido-se bramante com 10 palmos
    largura, para lencdes, a 1*600 e 2*500
    metro.. E outxas muita*. fazendas propria
    do mercado,,.que. *& seude : sem reserve,, de
    preco, para liquidar. ate o fim d>corrente
    anno, porisso convenvaos oomprttdores sor-
    tirem-se. de fazendas baratas,, para,aipresen-
    te festa queesta* :na porta, a rua-da 'mperatrij
    n. 72. Bazir Nacioual.
    MiMAxeni
    DB
    mas
    la
    Rua frfraeiro de Marco n. 7 A
    DB
    Cordciro, Simoes & G.
    ' esla, uma das cisas jue hoje pode com pii-
    mazia ofTereeer os seas freguezes um variadissi-
    rao sortimento de Taiendas finas para grande toi-
    lette, e'benrgjjim pSraiiso ordinario de todas as
    claaset, o po pr*?os vantajosos, das quaes fa* um
    pequeno resumo.
    Mahdara Mzendas as ca?as dos pretendentes,
    para o que tem pessoal necessario, e d5o amostras
    BaetHaMe pentaor.
    / Cortes de seda de linda> cores.
    .GrosdenapUs de todas as cores.
    Gorgurao branco, lizo. de littras, preto, etc.
    Setim ifacao, preto e de cdres.
    GwfliaplS prelO.
    Vellido preto.
    Gruu4io de sed, preta <*de e6re:
    Popelinas de lindos padroes.
    Fil6'*e seda, ftrarico e preto.
    RrtasbftsqumaB de seda.
    Casico* de merino de eflrei 15, etc.
    Mantas brasileiras. .
    corn lindos borda-
    RieiB eapellas ewastas para noivas.
    , .Riquiishno sortimento de las com listras de
    seda^-
    Cambraias de cores.
    Ditds-maripoias, brancas, lizas e bordadas.
    Nanzuqaes de lindos padroes.
    Raptistas, padroes deiicndos.
    . Percalmas de quadros, preto9 e braoeos, listras,
    etc., etc.
    Brins'de,}ulllo, de cor,' proprios para vestidos,
    com barra e listras.
    Ri^es-curies de vestido de linho, com infeiles da
    mesma cor, ultima moda..
    Ditos de cambiaia de cores.
    Fustid de llndas cOres.
    8ai *or4adas para senhoras.
    CamuaS' burdadas para senhoras-, de linho eal-
    godao..
    Sortimento de luvas da verdadeira fabrica de
    Jodviu, para homens e senhoras.
    Vestda^ios' pwa merfnos.
    Ditos pi.ra bapuzado.
    Gbap^os para dito.
    Toa'lbas e gnardanapos adama>cados de linho de
    cuTj'para nresa;
    goldwtOMfc'
    Cortinados bordados.
    Grande sortimento de camisas de linho, lizas e
    bordadirs, para honiensv
    Meias de cores para homens, meninos e meni-
    n..
    Dilas escocezas. i
    Completo sortimento de chapees de sol para ho-
    mens e senhoras.
    Merino de cores para vestidos.
    - Dito preto, tranrado e dito de -eriio.
    n Atoilhado de linho e algodio para toalh-as.
    Atoalhado pa-do.'
    Dama= co de la.
    Britis de linho, branco de cores e preto.
    Setim de lindas- cores 'com listras.
    Cbales de merin6 de cores e pretos.
    Ditos de ea-emira.
    Ditos de seda preta e de cores.
    Ditos de touquim.
    Camisas de Chita para homens.
    Ditasde llanella.
    Cereulaa de linho e algodao.
    Pannos de crochet para sofa, cadeiras e conso-
    los.
    LenCos boraado? e de hbyrintho.
    CoJchas de crochet.
    Tarlataoa de todas as cores.
    . Bjcos cortes de vestidos de tarlatana bordados
    paVa c6rtes.
    Espartilhos lisos, bwrdados.
    Foulard de seda, iiddas cores.
    Meias de seda para senhoras e meni nas.
    Ricas fa'chas deseda e la para senhoras.
    Rico sortimento de leqnes de madreperolas e
    osso.,
    Damaaco de seda.
    Ricos chapeos e ohapelinas para senhoras, ulti-
    ma mods.
    Cdsemlra preta e de cores.
    Chitas; madapotao, panno fino preto e azul, col-
    larinhos, punbos de linho e algodao, gravatas, lu-
    vas de fio de Escossia, tapetes de todos os tama-
    nhos, bolsas de viagem, peitos bordados para ho-
    mens, lencas de linho branco e de cores, toalhas,
    guardanapos, etc., etc.
    Fita de rel ludo de todas as cores elargu-. pa dos.
    " ) Uma grande taboleta propria para,qnal-
    Hicroscopios cow, 12 yistasjaj ,6^*000. quer loja.
    Fraaeo t3omroleo para.machinaa400 re.
    Ufa do Barao da Victoria d.
    Bandejas.
    Amaral Nahuco A C. vendem bandejas de me-
    tal e charao de diflferentes modelos e tamanhos :
    no Razar victoria, rua do Barao da Victorian. 3.
    VERDADEIRO ELIXIR DO D" GUILLIE
    TONKO AMTI-FLEIMOSO E AMTI-BILIOSO
    PREPARADO POR PAUL GAGE, PHARMACEUTTCO
    Nao 6 cassuada, sao toalhas
    grandes a 500 rs.
    Imperatriz u. S6,
    Venham depressa a rua
    | loja da Rosa Hranca.
    TJnico proprietario, rua. de Grenille Sainl-GerBtai*. 9, em PwU.
    A ICflo de Blixlr GulUM 4 :d1hmhMbtt
    Como pur(tUvo alo debiliit como o( aulrdf rta.
    dwu qaiHdtdt, ptrtm lonlBtt MfrtK* n nun
    letipo : milli corrigt W4m M ucr(Bt; di (ore*
    IM dhrMlll trgiot:- nil tt\f*m dirtt ttvert, ptlo
    contrtrlo i pr.ciio lomtr um> bot ttfttflo t lrd
    qaando se ultr delle; pode ir tdraicisirado com
    egntl tdto 01 mil unn Idade como di dmI> tdtaa.
    lada velhice Mm nonet cauar tccidenle qualquer.
    Na iota d'umt colhetadt pequtca dentro d-um
    pouco da agua aaaucaradt, sejt antes seja depolt it co-
    mida, eslimult o appeliu, tviva laa funccOas digesilraa,
    MkatitMt ktm&miM+0mmimmMBI*m&
    gas qne M coatuma lomtr. cajoi grares oa desengantdon
    ' E sobretudo ntil k classe operaria. a qnem elle poupa gastos considsra-
    veis de toMM e tempo perdido, pois com o rcr.rvTi^ GIJIT.T.IE, as ci
    sao rapidas.
    O Elixir Gulllie vende-se em todas as principaos-pharmaeias das An*ricm, nomeadaaicnte
    no Pirnambuco: A. REGORD;.- BAHTHOJLOMEO E Cv
    Un folhelo qut 4 on verotdtlro lrala4o da HsMi
    naart* daaeMlei a-d* aVgttct nravcida
    da ELIXIR. Elle Indict as4aapoa> tooda o
    4 olil a 0 modo da uaar della.
    - Aa patMu. qua qnOtrao i coasotur -tsla lalbala
    antes da'uaarem diw_ ELIXIR, podem ditijir aau
    padido franco w 87 Pun Ga, em Parifs na
    provinela. ou not paiiea erirasfairct, ant cna daa
    deposilarlOii esla folhelo Ibas tart entragua de
    graca aulaanMlatamaate. i
    Daada dncoasia annoa a repulaclodo illilroaiiua
    eipalhou-ta no mundo Intario peloa tervlfoa qua
    qua tda Oia alia praau toa madicat aoa- anfermai an
    calot graret on deseng
    nav
    It j
    i
    GiKilosde coaro
    Amaral,.Nabuco & C. vendem ;laoiiipttlasde, ,ir.A,n?wi-.fcb diversos formatos, prateadas e douradas cabellei- Z'"f **"*' cin,0f de ??uro Para senhora com
    ra de cabellos braoeos, eafras de meia de algodao. (>Yelas.de aco m. tal^ oxid6, etc.. etc. : no Bazar
    e de seda,- brancas ede cores; camisas da meia V
    Victoria, rua.da iiarao da Victoria ji. 2.
    toriirna d* Barao da Victoria n.
    A' rua de Qaefattdo n. 43f defronte da Praci-
    nba jedajo-se aBioatrai,: s*na loja d.GuerniT A
    Fo/najides,,
    Amaral, Nabnco & C. vendem masara, da pa-
    pelao, brancas-e pretas. para homens, mulheres e
    meninos, de setim, de arame, de cera pata.lwinem,' A ^*
    mo^as e velhos, typointeirainente
    Bazar Victoj;ia,.xua do Barao da-V

    firanfe. pliiutltt n 200 fs o
    i.,
    issa 15, padr5es novos.. e de mais gesto que
    rvindoao mewado, so na rna do Queimado
    43, loja de Guerxa i Fernande*, pelo diminn
    preco de MO n. o covado I
    Chegnem freguezes que se acaha
    Farinha de araruta
    Vende-se superior farinha de ararnta, tanto em
    i-orijoes como a relalho, por preco que admira,
    visio gua qaaiidada ; depqsito* n'os seguiates. lu-
    fares: rua do Vigario n. 26, rua do Anwim n.
    56, e travessa da rua das Crazes n. 4, a 506 rs. a
    ibraaretalho.
    VENDE-SE
    ama casa na nUa de Barreiros, na rua do Com-
    ^maM ir Pre8<> m*U* '' trater c^m Tass0
    Os verdadeiros
    Vinhos de Bourgogiije
    das marcas
    CbawJoeptio
    P>aimard
    , Virits
    Volnay
    Beaune
    Monthelie
    Dito Bordeaux em quarlolias.
    Vende-se pof barato pre^o
    PARA UQUIDACAO DE CONTAS
    NA
    Bua Larga do Basarlo 34.
    Rotica.
    Boa aeqnisiffto
    Vende-sa oaipermutise por essMvos ubmi
    casa construida de novo, tendo duass,la *a
    seis quartos, com gabinfete, sala de en-
    gommar, cozinhafdta, quartos para familia,
    cacimba com boa agua de beber e um sitio
    bem arborisado ;' no alto da Torre : a tratar
    nesta typographia.
    ----------_
    eogcawado > no Queimado n'.'43. defronte da Pracinha.
    actori,n.i:.-, yoalhas a 4#50Qt.;,a duzia*
    CA SoAaar, to* douQwimvk) a43, e grawk .pe-


    {
    in ki
    Na praja da Independencia n. 39, lojafle Porto
    4 Basuo,, vende-se : ,
    Borzeguins ,de c&rdaySa e bezerro, para
    horoera
    Ditos de bezerro idem
    Ditos de cbagrea preto para senhora
    Ditos de duraque de cor e gaspiados para
    menina
    Sapatos de courinho com silio para se-
    nhora
    Sapatos de tapete aveliulados finas para
    homem
    61000
    8*000
    4*000
    pe^a.
    e pechincba : so na rua do

    --------
    lOHDADEi
    PHtfO--'
    Vende-se duas vaccas de. leite .
    1 no sitio do Jacobina, junto ao chafariz.
    : Rukdrti iBD^aMraUrtafu. a
    ' T6m promptos, a disposicao dos amantes do Car,i
    naval, 1,500 barbas a escolher, pelo baratissimo
    nreco de 3|i cada uma.ie grande numcro4ee-
    belte*ras.iaMto
    \if e 15* cada oma.____________________ *"
    Liiva de pelfa
    Amaral, Nabuco & C. vendem. luvas de pellica
    de cores com toque de mofo a l*\ 1*3 >0'e 2* o
    par : no Bazar Viotoria, rua< do Bario da tie-
    ria n. 2.
    Vende-se *
    uma mubilja de araarello a Luiz XV, perfeitamen-
    te nova, sendocumpn.-ta de 12 cadeiras de guar-
    nicao, 2 de braco, 2 eonsolos,- \ jardineira, 1 so-
    fa, 1 cama franceza,. 1 aparador; 1 mesa de co-
    na Capunga. zinlia e alguns outros objectos. Para wer o tratar
    ; no Campo Verde, rua do Socego n. 66.
    3*O0j
    21000
    2^(00
    NURT1MENT0
    MED IECIN A
    Preparado pot
    Lanman & Kemd
    para ihiiiaca
    toda a qualidade
    de doen^as, quer
    seja na garganta,
    peito ou bofes.
    Expressamente
    escolhido dos me-
    lhores figados dos
    quaes se extraht
    o oleo no banco
    da Terra Not*
    purificado chimi-
    calmente, e suas
    yaluaveis propri-
    ^^^edades conserva-
    das com todo o
    , cuidado, emtodf
    o frasco se garan-
    teperfeitamen-
    te puro.
    Este oleo tem
    sido submettido
    a um exame mui-
    to severo, pelo
    chimico de mais
    talento, do go-
    verno hespanhol
    em Cuba e foi
    pronunciadb por
    elle a conter.
    MAIOR PORgAO DIODINA
    do q^ue outro qualquer oleo, que eHe tem
    eiaminado .
    IODINO E UM PODER SALVADOR.
    Em todo oleo de figado de banalhib, e na-
    ^u^llejDo quai cpnt^m a maipr pqrfiio desta
    invaliiavel propriedade, 6 o unico rneio para
    curar todas as di encas de
    .GARGANTA, PEITO, BOFES, WCADO,
    Phtyij,ca, bronchistes, asthma, catharrho,
    tosse, resfriamentos, etc.
    tins' poucos frascos dd carncs ao muitc
    magro que seja, clarea a vista',- edd vigor
    a todo r? corpo. Nenhum outra artigoco-
    nhecido na medicina ou sciencia, dd tantc
    nutirhento aosystema e inr.omraodando quasi
    nada o estoraago.
    As pessoas cuja organisac,8o tem sido des
    trukla pelas affec^oes das
    ESCROFULAS OU RHEUMATISMO
    e-todns aquella?, cuja digestSo se acha coin
    pletamente desarranjada, devem tomar
    0 0LE0 DE FIGADO DE BACALHAO
    DB
    UNMAN & KEMP
    A'ruado Cabuga alaV
    Os proprleurioa da Predilecta, no hstaMo da
    conservar o bom conceito qne teem mereaido do
    respeitavel publico, distingnindo o sen estabeleci-
    mento do* mais que negociam no mesmo genero,
    veem scientificar aos sens boas freguezes qua pre-
    veniram aosseus correspondentes nas diversatpar-
    cas d'Europa para Ihes enviarem por todes pa-
    queteB os objectos de luxo e bom gosto, qne se-
    jant mais bem aeeites pelas sociedades elegantes
    daquelles paizes, visto aproximar se o tempa de
    festa, em qne o bello sexo desta linda Veneza
    mais ostenta a riqueza de suas toillettes ; e co-
    mo ja recebessem pels paquete francez diverse
    artigos da ultima moda, veem patentear alguns
    d'entre elles que se tornam mais recommendaeis,
    esperando do respeitavel publico a costunada
    conenrrencia.
    Aderecos de tartaruga os mais lindos que teen
    vindo ao mercado.
    Albuns com ricas capas de madrcnerola e da
    velludo, sendo diversos tamanhos e baratos pra-
    (08
    Aderedos completos de borracha pr prios para
    lctoy tambem se vendem meios aderecos muito bc-
    nitos.
    Botoes de setim preto e de cores para ornate de
    vestidos de secbora; tambem tem para collete a
    palitot.
    Bolsas par* seaaoras, existe um bello sortimoB-
    to de seda, de palha, de chagrim. etc., etc, per
    barato prejo.
    Bonecas de todos os tamanhos, tanto dc loupa
    como de ce>a, de borracha e dc massa ; chama-
    mos a aiten.ao das Exmas. Sras. para este artip>,
    pois as vezes tornam-se as criani;as um pouco in>
    pertinentes por filta de um obiecto que as en-
    iretenham.
    Camisas de linho lisas e com peitos bordados
    para homem, vendem-se por preco commodo.
    Ceroulas de linho e de algodac, de diversos pre-
    cos.
    Caixjnhas com musica, p que ha de mais lin-.o,
    corn disticus nas tampas e proprios para sreiec-
    tes.
    Coques os mais modernos e de diversos forma-
    tos.
    Chapeos para senhora. ReceLeram nm aortisssn M
    da ultima moda, tanto para sonhora, como para
    meninas.
    Capellas simples e com ve<> para aoivas.
    Cal^as bordadas para meuiua^.
    Eniremeios estampadus e bordados, de lindc*
    desenbos.
    Eacovas etectrieas para denies, tem a proprie-
    dade de evitar a carie dos denies.
    Franjas de seda pretas e de cures, cxi.'.e um
    grande sortimento de divercas larguras e barato
    preQO.
    Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de cta-
    malote, de diversas larguras e bonitas cores.
    Fachas de gorgurao muito lindas.
    Ffores artificiaes. A Predilecta prima cm con-
    servar sempre um bello e grande sortimento des-
    tas fle es, nao so para enfeite dos cbrllos, como
    tambem para ornato dc vestido de noivas.
    Galoes de algodao, de la e de seda, brancos, pre-
    tos e de diversas cores.
    Gravatas de seda para homem e senhoras.
    Lacos de cambraia e de seda de diversas ccree
    para seabora.
    Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
    noiva.
    Livros para ouvir missa, com capas de msore-
    perola; marfim, Cs-o e velludo, tudo que ha de
    bora.
    Pentes de tartaruga e marfiro. para alisar o? *-
    bel'os ; teem-tambem para tirar caspas.
    Port bouquet. Um bello sorlimento de n adre-
    perola, marfim, 6sso edourados por barato pfagt.
    Perfnmarias. Xeste artigo esla a Preddeeta beo
    Krovida, nao so em extractos, conn em oleof e
    annas dos melhores odorcs, dos mais afi'miiaa
    fabrieantes, Loubin, Piver, Suciedade Kygieiuca.
    Coudray, Gosnei e Rimel ; sao indispensaveis para
    a festa."
    Saias bordr.das para senhora, por MMNta
    precp.
    Sapatinhos de la e de setim bordados .para bap-
    tisados.
    Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonito >:rti-
    mento de diversos tamanho-, tanto para sola co-
    mo para enlrada de saias.
    Veslimentas para, bapti>ado o que l;a de mtihti
    gosto e os mais Btodernos, recebeu a Predilecta
    vende por barato preco, para Bear ao alcance
    qualquer bolsa.
    Rua do Cabuga n. 1
    V ende-se
    a taverna do paten da Ribeira n. 5': a tratar na
    mesma, ou na rua de Pedro Aflbn*> n. 47.
    venae- ?e nrra casa terrea, (chlo forerro
    Santo Amaro das Salinas, rua de Luiz do Kegot da
    22 palmos de fr -ntp o 65 de (undo, com quintal
    plantado, o qual tem jOO palmw de'fundo : quern
    pretender, dirija-se a mesma n. 39.
    0 INEXTLVfGUIVEL
    PERFUME
    ana
    DE
    III UK AY <& LA\t\.
    Uma pura distillacio das mais rar.i> fli-
    rts dos tropicos. Conte"m, para asslm ai-
    zer, quasi o oddr odorifero das florcs do
    tropico da America, e sua fragancia e quas
    incxhausta ain.la mesmo por eonli.aiada
    c/aporacSo e diffusfio. N'este rcspeito e
    i jcomparavel a qualquer outro perfume
    qne ha de vend a para :
    UESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOR
    E CABEC.A, DEBILIDADE E
    HVSTERICOS.
    um certo e ligeiro allivio. Cum o bom
    .in, tem conservado sua influcncia para
    cima de vinte e cinco annos sobre todos Of
    ^rfumes, nas Indias Occiduntaes, Cuba,
    idexieo, America Central, e do Sul e nos
    ujrn toda a contianca o recommendamos
    como um artigo, pelo seu aroma muito de-
    licado, riqueza de odorepermanencia, nao
    pode ser igualado. Tambem faz remover
    da nolle:
    ASPEREZAS, EAIPOLaS,
    QUElMABlilUS DO SOL,
    SARDAS E BORBLLHAS.
    Sendo. roduzida com agua, se torna uma
    dxceilente mistura para ban ha r a pelle,
    dando um aroseado e cOr clara a complei-
    00 nublada, sendo applicada depois df
    barbear, evita a irritarao que geralmente
    oocorre, assim como tambem garganteando-
    se, o cheiro do cigarro desapparece, e me-
    Ibora a condicao dos dentes e gengivaf.
    Como ha muitas inuUc.des, as quaes naav
    possuem nenhumas d'estas propriedadati
    deve-ae tomar ouidad e contar somente o
    p famoso perfume j cosmetico do sul da *
    America, chain
    A fill FLORIDA
    DE
    HI ItltVY A w*\\n.\x.
    Se acha & venda em todos odrogu
    ptirf umari as da moda._________ __
    Arma^ao.
    Vende se uma bonita armcS3 env
    propria para qpalquer negooi.-i e por
    nheiro, sita na rua de Marcili j Di^s antiga I
    ta : a tratar na rm do. Cundc da L'j..-Vuta a.
    Caminbo Novo.
    -


    ------------------------------------------
    ii


    8
    JDRISPRDDERCIA.
    Diario de Pernambuco QuArta fein* 4 de Fevereiro de )87
    ....._ "**


    Relat*ri
    A KESPEITO DO NfcGOClO DO MARECHAL BAZAINE
    EX-COMMANDANTE EM CHEFB DO EXERCITO
    DO RHENO.
    AUDIE.NC1A DE 27 DE OUTl'BKO.
    (Contiauaoao )
    0 marechal Ba-saine.O marechal Can-
    robert cstava informado, desle 17, quo to
    ria de se retirar para .Melz, se se visse raui
    to seriamento ameagalo na sua direita.
    0 Sr. Mageron, comnsnlante do estado
    raaior. Depois da retirada Jo 6/ e do i.
    corpos, na noite do 18 de ag >s'.o, poosou o
    marechal Le Boeuf, ndo tendo recebido ne-
    nhuma nottcia do quartel-general, qu > a
    obstruigdo das estra 1 .s era a causa daquel-
    Wt demora. 0 marechal Le Bceuf mandou
    rae partir a pe" is dez horas, e cheguei-jun-
    to do marechal Bazaine d moia noite. 0
    caramnn Jante em chofe disse-mo que infor-
    masse o marechal Le Bceuf que-a ordem
    tie retirada tinha sido communicada a to-
    dos os corps, e que se tinha assegurado
    das poisgdos que as tropas deviam oecupar.
    A' uma hora da madrugada, fstava de novo
    junto do marechal Le Bceuf.
    Mr. Lachaud. Perguntaroi d testemu-
    nha qual era o estado do exercito depois da
    batalha de 16?
    R.Depois da batalha de 16, nao tinha-
    raos sendo o scnttmento do successo.
    President.Quando eh-gou a ordem de
    retirada ao marechal Le Boeuf, o seu corpo
    R.Sim, senhor presideute.
    Presidente. Vamos proceder aoinque-
    rito das testcrnunhas da mesma cathegoria
    que forara designadas para a defeza. Fa
    zei chamar o coronet Grangez de Rouet.
    Mr. Lachaud. Pe$o ao Sr. presidente
    queira interrogar bem o coronet Grangez
    de Rouet a respeito de certos factos retativos
    d batalha do Forbach a 6 de agosto.
    Commissario do governo. A accus gdo
    ndo tem de se oecupar dos factos atiteriores
    a 12 de agosto,. isto e. anteriores d posse
    do commando em chefe pelo marechal Ba-
    zaine, por isso que a ordem da accusagdo
    nao apontasenio os factos coraprebondidos
    entre aquelta data e a da capttulagio.
    Mr. Lachaud.0 commissario do gover-
    no commotte utn crro ; imagina que o ac-
    cusado nd > p6de fazer ouvir senao testemu-
    nhas relativas aos factos qualificados pelo
    ado de accusagdo, mas permitta-me fazer-
    lhe observar que nos termos do art. 321
    do codigo do processo criminal, o accusado
    tem direito de respon !er a tudo quanto pos-
    Lachaud.A 6 de agosto, quando foi-me entregue pelo commandante Castel.
    cbegaram despachos, ou pedidos do general PrtsidenU.Nao tinheis recebido ne-
    Frossard, nio sabia a testemunha que e nhuma ordem ou aviso do general Fros-
    marechal Bazaine, njo deixava esses daspa- sard ?
    chos ou pedidos sem respOsta ? R.Nenhuma ordem ou aviso.
    R.Ignoro. o general de Chabaud-Lalour.k qua
    Mr. Lachaud.0 telegrapho funcciona- horas havieisprevenido o general Frossard
    va entre Forbach a Saint-Avoid ? do que estarieis a* sua disposiclo T
    R.Iguoro. R.Eram 5 boras; e poderiam ser tal-
    0 general Montaudon.Esta testemunha vel seis da noite.
    foi interrogada a respeilo da batalha de g, A testemunha declarou depois que a 14,
    e dcerca das ordens dadas pelo merechal tinha encontrado o marechal Bazaine muito
    Bazaine.Na batalha de 6, disse elle, rece- affectado, e quedisso tinha fconcluido que
    beu do estado-maior-general um desaacho, as inunigdes comegavara a faltar. 0 gene*
    em que se Ihe annunciava que O general ral Castagny, ao reiirar-so dirigio um novo
    que commandava em Forbach estava sendo curapriraento ao marechal Bazaine.
    fortemente atacado, e que devia esperar se- Ocapitdo Meat, antigo ajudante decatn-
    lo igualmenta pelas ires boras e meia. Na po do general Castagny, entrou em grandes
    occasiao em que estava a cavallo na frente porraen ores sobre os movimentos executa-
    de Sarreguemines, recebeu segundo despa- dos a 6 pela divisdo Castagny. Este depot -
    chodo marechal Bazaine, dando-lhe ordem mento reproduz, desenvolvendo-as, explica-
    para marchar sam demora em auxilio do gdes que tendem nao sd a estabelelecer
    general Frossard. Atravessou Sarreguemi- qua o marechal Bazaine nio abandonou o
    nes e chegou pelas sete horas is posicdas general Frossari, mas tambera justificar
    que Ihe tinham si lo indicadas ; mas as tro- o general Castagny das ceosuras que contra
    pas ainda nio tinham parado, quando che- eltese formularam. Tudo isto diz respeito,
    gou um official esbaforido e canga lo, e Ihe so indirectamente, ao processo.
    disse : Arancai, avancai, general; o Segue-se o depoimento do general de di-
    corpo de Frossard 6 obrigado a retirar visao Melman.
    Segui logo com os meus soldados; mas^ Mr. Lachaud az uma pergunta a teste-
    quando cheguei ds immediagOes de Forbach,' munha. O defensor deseja saber a que
    jd alii se nuo atirava um tiro de pega, nem horas a testemuba chegou a Forbach, em
    um tiro de fuzil. j consequencia das ordens que tinha rece
    Mr. Lachaud.Interrogon ainda o ge- bido a 6 de agosto.
    neral Montaudon a respeito de uma ordem I R.ltecebi a ordem para marchar de
    que Ibe tinha sido dada a 16 pulo mirechal Mariental a Burning ao me o dia e men ho-
    Bazaine. ra fpara a execotar em um. reeonbeci-
    A testemunha entrou em uma n"va nar- mento.
    ragdo sobre a batalha de Rezonville, e deer
    **. dtacar a sua fionra ou a sua considera-
    gio. Ora, como o trabalho do general re-
    lator expoz que o marechal Bazaino tinha
    abandonado o general Frossard, a 6 de
    agosto. importa-lhe provar o contrario.
    Cammissario do governo.Sinto q*e o
    defensor ndo tonh' comprehenJido bem o
    que eu jueria dizer ; quiz unicamoiito pre-
    cisar Os liinites em que devia e entendia
    concentrar-se a accusagao, mas de modo
    algum tivo a intengdo de impeilir ao mare-
    chal Bazaine, sob o imperio de uma preoc-
    cup3gdo, que eu respoito, que fornecesse
    todas as explicagoes quo julgasse couve-
    nientes.
    Presidente.Ainda senao apresentaram
    as coacljsoes, nem a accusagao, nora a defe-
    za ; por consequencia o conselho julga que
    e j'isto ouvir todas as explicagoes que Ihe
    forem fornecidas pela defeza, devendo com-
    tudo circumscrever o debate aos limites de
    que importa nao os deiiar sahir.
    Em presenga da falta de conclusoes posi-
    tives apresentadas pelo ministerio publico,
    e tendo em conta os direitos da defeza, o
    couselbo declare que a testemunha ha de
    ser ouvid'. 0 defensor, accrescenta o pre-
    sidente, pergunta d testemunha se, d pro-
    prnporgdo que os despachos do general
    Frossard chegavara ao quartet general do
    marechal Bazaino, este ndo dava as ordens
    convenientes em consequencia delles?
    R. -Eu estava addido ao estado-maior,
    sob as ordens do general Mancque, quo era
    cbef do estado-maior dos corpos co nman-
    dados pelo marechal Bazaine; mas ignoro
    se, na data de 6, todos os corpos tinham
    jd passado para o commando do marechal.
    Estava encarregado pelo raeu chefe de me
    por era communicagdo com o general Fros-
    sard. e...
    Presidente.Nao posso impedir a defeza
    de produzir as suas testemunhas, mas 6" ne-
    cessario limitar as respostas das testemu-
    nhas ds perguntas que se produzem do de-
    bate. Sr. ooronel, dignai-vos ouvir a per-
    gunta do defensor, e respondei a ella.
    ca do rajvimento prescripto i diviso, mo-
    vimento que me parece nao ter exercido
    grande influencia no resultado da batalha,
    e cuja demonstrac.do parecia completamente
    A testemiinbn lembrou a este respeito os
    termos do relatorio, ends se trata dos mo-
    vimentos que ex-ecutou, e annuncia ^ue
    vao ser refutados.
    Presidente. Tende
    a- bomhrie de
    \
    FOLHETIH.
    lUCBSCIi BOSNIA
    MEMQR1AS OE SATANAZ
    POR
    O. Manoel Fernandez y Gonzalez
    SEGUND A PA RTE
    SAVONAROLA.
    XXL
    EM QUE SE DIZ 0 QUE SUCCEDEU A ANOIOLINA.
    (Continuagio do n. 24 )
    Tiveram de a toraar nos bragos, e en-
    trai.do na casa, subirara com ella uma es-
    cad-, atravessaram um corredor escuro,
    abrram uma porta, penetraram n'urn apo-
    sento- itluminado por duas velas, que ar-
    diam sobre uma mesa, e deixaram-n'a alii,
    sahii: lo e fecbandoa porta.
    0 homem que estava n'aquelle aposento,
    vest! 11 com elegancia, avangou sorrindo
    para Angiolina.
    Era Cesar Borgia.
    Ah I e o senhor! exclamou Angioli-
    n.. com altivez e desprezo.
    -- Sim, sou eu, respondeu Cesar, quo
    Oi* quiz morrerde desesperagao.
    - Poupe palavras ?!, e vas dosculpas,
    duquo Valentino, replicou Angiolina ; a ac-
    gaoque praticou d iodigna de um horaem
    de honra.
    tt- O pie eu iiz 6 a obra de um desespe-
    rado.
    Meuto! exclamou Angiolina ayan-
    gando e sentando-se tranquilla e terrivel,
    em um dos assentos que bavia n'aquelle
    mesquinho aposento de uma casa rustica,
    para a qual haviam levado, coitamentede
    Seseni, alguns raoveis ricos e alguns tape-
    tes par a cobrir a nudez das paredes. Men-
    te, Cwsar; nio tenho razdo alguma para
    acreiitar na sua desesperagdo; esteve afgu-
    m* vsz euamorado de mim ?
    inutil no processo. A defeza ndo deixa discutir o relatorio, e aVrespondkr d
    comtu lo de declarar que estd satisfeita eom
    as explicagoes do general Montaudon.
    0 general Castagny, general de di visao
    cumprimentou o conselho, e mclinou-se
    profundamonte diante do marecbal Ba-
    zaine.
    Mr. Lachaud.Desejava que o general
    Castagny se dignasse dizer ao conselho se
    ndo recebeu em Sdnt Avofd ordem para en-
    trar em relagoes com o general Frossard', e
    de o sustentar no caso de ataque da parte
    do iniraigo ?
    R.Recebi primeiramente ordem para
    marchar sobre Guttlange; mas passando em
    frente do quartel-general do marechal Ba
    zaine, fiz parar a minha divisao, e dirigi-
    me d residencia de S. Exc. para receber as
    suas ordens. Dtsse-me elle : ^ Meu caro
    amigo, ponde-vos em relagoes com os gene-
    raes Montaudon o Frossard ; estais na se
    gunda linba. .Mas no caso de ataque do.
    ini nigo- autoriso-vos a marchar emvseu au-
    xilio Na conformidade com estas ins-
    trucgOes, mandei prevenir o general Mon-
    taudon. Outro ajudante de campo preve-
    nio igualmente o general Frossard de que
    eu tinha instrucgdes para o sustentar.
    Mr. Lachaud.Que disposigdes tinheis
    tornado no dia 6 do agosto.
    R. As dez horas da manba, fiz pegar em
    arm is a minha di visao. Duas estradas se
    acbavam na minha frente, uma real e ou-
    tra particular. Pensando que a particular
    mo conduzia mais facilmente a Forbach, to-
    mei por ella ; mas depois de ter marcbado
    uns seis kilometros, alguns homens do cam-
    po me preveniram do que aquellle carainbo
    ndo tinha sahidi. Nesse moraento ouyio-
    se o canhao com grande violencia. Fiz im-
    metiatamen'o mular de caminho d minha
    divisdo para tomar a cstrada real; mas an-
    tes de chegar ao campo de batalha, surpro-
    hendeu-mea noite. Mandei aos generaes
    Frossard e Montaudon muitos dos meus ofli-
    ciaes. Foi por um desses'correios que eu
    subo da retira la do general Frossard sobre
    Sarreguemines.
    Mr. Lachaud. Ndo tinhi o marecbal
    Bazaine mandado ao general Castagny o ca-
    pitao Locmaria, e o commandante Castel ?
    Podeis dizer-nos quaes eram as missoes
    desses dous offi iaes.
    R.A minha divisao estava envolvida no
    caminho do passagom, quando recebi de S.
    Exc. o marechal Bazaine um despacho con-
    vidando me a marchar para o lado das attu-
    ras ; este despacho foi-me transmittido pelo
    capitao Locmaria. Naj fiz execu'tar com-
    pletamente aquollas ordens ; o Sr. presiden-
    te deve comprehender porque ndo se move
    uma divisao como se quer, ospecialmente
    quando se acha cm raarcha em uma estra-
    da. Recebi tainbom de S. Exc. o marechal
    Bazaine outro despacho. Este despacho
    Ndo se recorda de uma noite em que
    n'um sardo de sua madrinha e protectora,
    Izabel de Gonzaga, eu Ihe disse: ame-
    me?
    Pois que, ndo diz isso a todas as mu-
    lheres que excitant o seu olhar ?
    Sei, Angiolina, que a mulher que ha-
    de amar-nos, basta unicamente que Ihe pe-
    gamos amor; nunca arrastei o meu cora-
    gdo aos p& da3 mulheres ; o modo porque
    respondeu to raeu amor, Angiolina, fez-
    me crer que me ndo amaria nunca. Callei-
    me por altivez, mas soffri; a sua imagem
    ndo se apartou nunca de mim, e dera tu-
    do o que exigtssem para que a visse oe-
    cupar o lugar da senhora d'Albret, minha
    esposa.
    Envenene-a, senhor Cesar Borgia, dis-
    se Angiolina fixando um olhar frio e terriveL,
    no olbar astuto de Cesar.
    Envenenal-a I
    Sim; proponho-lhe por acaso algu-
    ma cousa que nio seja familiar aos Bor-
    Vejo que se vinga cruelmente da vio-
    lencia necessaria que exerci.
    Nio, resigno-me d minha sorte ; sei
    o que posso esperar e busco o raelhor per-
    tido. Ama me, nio 6 verdade? Pois bem,
    ouga, duque Valentino, tambem eu o
    amo.
    Angiolina pronunciou aquellas palavrw
    de um modo tio ardente e profundo, que"
    Cesar, a p. z a do grande dorainio que ti-
    nha sobre si mesmo, estremeceu e
    uma perturbagio singular e estranha.
    nao
    per-
    gunta.
    Mr. Lachaud forconvidadba repetir a per-
    gunta, e a testemunha insftda para respon-
    der a ella unicamente.
    Mr. Lachaud.Sr. general Metman, re-
    cebeu porventura algura despacho do*gene-
    ral Frossard, em o/ie Ibe pedia soccorro ?
    R.Estava em marcha sobre Bellisle
    quando recebi un despach*- do general
    Frossard-; Ogeneral Metmaoestd ab?
    Respond!: Sim A isto acrescentou o
    general Frossard :Que venha; w
    P;A que horas ebegou o general Met-
    man a> Forbach?
    R.Dirigi-me a Forbach ds nove horas.
    President*.Tinheis-ordem d marecbal
    para prestar auxilio. ao caso de necessida-
    de, ao general Frosar4?'
    R.Kntro em duwda, mas nao-tinba
    ordens especiaes a esse- respeito.
    0 capitao Locmaria-. Yai encarregado
    de levar ordens aos generaes Metman e Cas-
    tagny. Devia dizer-thes que fizessem pegar
    em armae- as suas divisdes. Parti para
    Saiat Avoid dsonze boras e cheguei junto
    do general Metman um pouco antes do
    meio dia.. Parti novatneote para encontrar
    o general Castagny, e qual jd tinha feito
    pegar em armas d sua divisdo. Fiz-Ihe ob-
    servar quo nao tomava o caminho-indicado
    pela ordem. do marechal, mas elle-nao teve-
    em nenhuma conta essa minha observa-
    gao.
    Mr. Lachaud.Pedirta, senhor presiden-
    te, que se perguntasse A testemuaha se a
    13 pela manna ndo tinha sido mandado ao
    4' corpo para levar ordens relativas d.passa-
    gem do ri<. que devia. ser executada pela.
    manhd.
    11.Fui effectivamente a 13 pela manhd.
    prevenire general Ladmirault, que raandas-
    se immediatamente um official de engenhei-
    ros para junto do general Coflinieres, alim
    de o informar das ponies e das estra las que
    deviam ser indicadas para a passagem do
    corpo doexercito.
    Mr. Lachaud.Teve a testemunha co-
    nhecimento de um despacho diiigido, na ma-
    nhd de 16, ao general em chefe. pelo gene-
    ral Manijque ?
    R A 16, o general Mancque fez preve-
    nir o marechal que as tropas do 3* corpo
    estavam muito taligadas, e que era inutil
    ordenar-lhe nenhum movimento naquelle
    dia- : 0 marechal disse que isso era impos-
    sivel, por isso que o exerci to devia achar-
    se em Verdun ds 4 boras.
    Ao mesmo tempo determinava que os
    corpos olhassem com o maior cuidado por
    que (s viveres estivessem serapre completos,
    de maneira que a marcha nio podesse ser
    demorada.
    Mr. Lachaud.A. que horas se ouviram
    os primeiros tiros de canhdo em Forbach ?
    Veneza, o por muita que seja a sua sober ba,
    deve comprehender que a inimizade de Ve-
    neza p6de ser-lhe funesta.
    Tem razio, disse Cesar aproveitando
    aquella occasiio de parecer loucamente
    enamorado de Angiolina; por seu res-
    peito desaliana o poder do mundo in-
    teiro.
    E, como quer que o grande sacri-
    ficio que acaba de fazer por minha causa,
    me nio encha de orgulho t Nio 6 o du-
    que o principe favorecido pela fortuna ?
    Nio triumpham as suas armas por tod a
    a parte ? Nio e sua a Roumania ? Nio se
    ve claramente que dentro em breve serd
    rei da Italia ? Como 6 possive) deixar de
    attrahir o homem que, pelo nosso amor,
    chamma sobre si um novo e poderoso ini-
    raigo ? Sim, amo-o, e sou sua, Cesar Bor-
    gia.
    Cesar licou mudo.
    Em vio pretondia comprehender Angio-
    lina que Ihe sorria, e o embriagava ca-
    da vez mais com o seu olhar iotenso e lu-
    cido.
    Cesar levantou-se e comegou a passeiar
    pelo aposento, em silencio.
    De repente parou, aproximou-se de An-
    giolina, ajoelbou aos sens pes, pegou-lhe nas
    maos e beijouas.
    Angiolina nio oppoz a raenor resisten
    cia.
    Mas isto e terrivel 1 diase Cesar er
    sentio' guflddo-se aturdido. Isto nao pode ser ver-
    Idade
    A excessiva, a esplendida formosura de
    Arao-o, rq>etio Angiolina.
    Angiolina falhva-lhe" fortemente aos senti j Mas, diga-me, nio ia ser a mulher de
    dos; embriagava-o o fluido que emanava Cac dos olhos da gentil menina. Casavam-me.
    Pois que, ama-me tambem? exclamou E cedia docilmente a uma vontado
    elle com estranheza. alheia ?
    E como ndo heide amal-o se acaba de' (Juando deixei eu de coder? Disse-
    me darumaprova louca e dosesperada do ram-mc: Ama esse frade, porque a refor-
    seu amor ? ma da igreja 6 necessaria o estd proxima.
    Francamente Angiolina, ndo a com- Eu era innocente^ tinha na alma uma pro-
    prehendo. pensio funesta paTa o amor, e amei, ou jul-
    Para apoder-se de mim, insultou guti einar Savonarola,
    R.Nio podia ser antes das dez boras.
    Um official do general Frossard, que se di-
    rigia para Saint-Avoid, disse-me : Ob I o
    general nio estd inquieto; por agora nio
    serd serio.Eram entdo quatro horas.
    Acompanbei o meu general de divisdo a
    Bennig. A' noite fomos em auxilio do ge-
    neral Frossard; chegamos a Forbach pel*
    meia noite... uma bora.
    Aqui foi chamado o general Montaudon.
    Mr. Lachaud.Queria que a testemunha
    so dignasse dizer se a 16 era possivel avan-
    gaf?
    R.Era no desfiladeiro d'Ars, quando a
    populagdo me fallou de um grande movi-
    mento do inimigo do lado da ponte do Gor-
    ze. Em presenga desse movimento offen-
    sivo, parecia-me impossivel avangar sem
    ter destruido o eiercito que se achava na
    Bossa retaguarda. Era de toda a necessi-
    dade procurar langa-lo sobre o Moselle.
    Foi chamado o general de brigade de Ju-
    nrac, por parte da defeza, afim de indti-ar
    a hora em que no dia 6 recebeu do mare-
    cbl Bazaine ordem de se dirigir p3ra For-
    bach.
    0 general de Juniae respondeu que ti-
    nha recebido aquella ordem pelas dez horas
    e meia oo onze, oovio o canhao de For-
    bach, mas ndo tendo recebido instrucgdes
    a este respeito, ndo julgou dever avangar
    mais. No dia seguinte voltou para Saint
    Avoid.
    Seguio-se o depoimento do general de
    divisao Bataille.
    Mr. Lachaud.A que horas, na noite
    de 6 para 7, denaram as suas posigdes
    d'Ettingem os ultimos pelotOBS da divisdo
    do senbor general ?
    R.Pelas tres horas e meia da manhd.
    r\0" movimento de retirada do Sr. ge-
    neral foi imjuietado ?
    R. Nao- toi inq-iietadte-.
    Mr. Lachaud.Quer o general Vergfir
    dizer-nos a qwe horas comegou o seu movi-
    mento de retirada na noife de 6 para 1 de
    agosto T
    R'.C meu Movimento' de retirada cc*-
    megou das sete para as oito boras.
    P.Tinheis sido incommodado pelo ini-
    migo'?
    R;.Ndo-fui incommodado-senao qoando
    o meu movimento de retirada estava- jd
    bem pronunciado:
    P.Tinheis um pontj de retirada indi-
    oade?
    R.Ndo tinha ponto da retirada positi-
    vamente indicado.
    Foi'd.:pois chamado o Sr. Gabrielly-, oo-
    ronel retirado. A testemunha teve a per-
    na direita amputada. Commandava como
    tonente-coronel 0-8 do linha, divisdo Batail-
    le: O seu depoimonto confirms- os prece-*
    dentes, saber : que o movimento de reti-
    rada comecou ds sete e meia da noite de 6-,
    que continuou pela manha, e qtie ndo foi
    incommodado pelo inim;.go. A testemunha^
    disse tambem que tinhft- sabido do rnaire
    de Forbach que os soccorros cbegavam.
    Presidente :Antes de ouvir as outras
    testemunhas, chaiaadas- pela defcza, vamos
    'ouvir o general Frossard.
    Movimento prolongado no auditorio.
    0 general Frossard e introduzido n
    sala.
    PresidenteQue ordens tinheis recebi-
    do na noite de 5 e no-dia. 6? Qu infor-
    tnacoes e que pedidos-havieis feito chegar
    ao mareebal, e emnin veu o marecbal em resposta aos vossos pe.
    didos? Bignai-vos, senhor general, escla-
    recer o conselho sobre estas divorsas quos-
    tdes.
    R.Quando a 5, tive de deixar Sarre-
    bruck, recebi uma ordem que me fazia sa.-
    ber que o 2 corpo estava sob o commando-|
    do marecbal. Fiz conhecer o meu effecti*
    vo, e informei o dos movimentos que me
    tinham sido ordenados. Estavaraos em
    raarcha a. 5 d noite para Forbach. Eu es-
    perava ser atacado; Effoctivamente a &,
    as nove horas, fomos atacadosv Fiz diri-
    gir um despacho ao marechjL gara o pre-
    venir deste ataque.
    0 segundo corpo tinha tres divisdes:
    uma nas alturas, outra na planicie, e uma
    na retaguarda. Todas is. ires.divisdes fo-
    ram empenhadas- no cornbate. Pedi soc-
    corros ao marechal, que deu ordens em
    consequencia disso. Todo-o dia, porem,
    o 2" corpo lutou s6, e & aoita tive de reti-
    rar. Mas, primeiro, que- todo, tenho que
    fazer saber ao conselho que relagaes tive
    com as divisdes quo tinham sido raandadas
    para me sustentarom p,.k> marechal Ba-
    zaine.
    0 general Montaudon, que estava era
    Sarreguemines, tinha recebido ordem de
    Savonarola 1 exclamou sorabriaraenV
    Cesar Borgia.
    Um outro dia disserara-me :
    Giovanni Borgia e um poder incontes-
    tavel em Roma ; necessitaraos. atacar os Bor-
    gias, nossos iuimigos terriveis ; Giovanni
    enamorou-se de ti, engaua-o, seduzo-o> ma-
    ta-o. Porem eu encontrei o duque de
    Gandia muito mais formoso, apaixonado e
    brilbantedoque Savonarola, e coraprebendi
    que nio amava o frade dominico, porque
    julgava amar o formoso Giovanni, o genera-
    lismo da igreja, o valido do nosso santissi-
    mo padre, o dosejado pelas mulheres, o in-
    vejado pelos homens ; e tanto o amei ou jul-
    guei amar, que fui a causa da sua morte.
    Somos comblices, Cesar ; o sangue do du-
    que de Gandia cahe igualmente sobre as nos-
    sas cabegas.
    * Equeimportal disse Cesar, nio ba
    irmaos, nio ha (ilhos; ha unicamente ins-
    tramentos e obstaculos ; o instrurnento apro-
    veita-se, o obstaculo destroe-se. Que in-
    portam os meios, sojara quaes forem, se com
    elles se consegue um grande tim ?
    Tem razio, replicou tranquillamente An-
    giolina ; o duque de Gandi estoryava-o;
    Fez bem. Eu nao tive tempo de sentir a sua
    mocte, porque, antes de a saber, conbeci,
    por causa de outro homem, que nio amava
    seu irmio.
    E que homem era esse?
    Gonzalo de Cdrdoba.
    0 gran capitio o invencivel I excla-
    m.u Cesar com inflexio de odio. 0 ho-
    mem que me fez sentir o seu desprezo e que
    vive ainda 1
    - Ah 1 o gran capitio nio estd ao alcan-
    ce da sua man, duque Valentino 1 disse tran*
    quillameuto Angiolina.
    E deixou tambem Je amar o grau-ea-
    pitao?
    Ndo, mas odeio-o.
    Amor e odio I
    Sim, abandonnu-me, despresou-me.
    Repito que nao a comprehendo, se-
    nhora ; on esoerava encontrar em si lagri-
    marchar em meu auxilio. Logo queeu o
    sube, telegrapbei-lhe para activar a mar-
    cha. Pelas tres horas e um quarto, tele-
    graphei tambem ao general M-tmann :
    Se o general Metmann ainda estd em Bo-
    ring, que venha para aqui immediata-
    mente.
    Quanto d divisdo Castagny, nao tive ne-
    nhum s relag5es com ella. Tive ordem do
    march" r para a posigdo de Kalenbrann,
    que devia ser o centre da centralisagJo ;
    mas esta posigdo estava mais proxima das
    tropas do 3 corp>, e era natural que alii
    se estabelecessem. Dirigio-rae sobre Sarre-
    guemines, que me pareceu melhor situado,
    e julguei assim contriboir mais utilmente
    para o movimento projectado.
    P. Sabieis onle se achavam as divisdes
    que tinham sido man la las em vosso auxi-
    lio, e tinheis-lhes mandado algumas indi-
    cagdes quando deixastes Forbach para que
    podessem juotar-se a vds?
    R.Sabia quo deviam acbar-se atraz de
    mim, mas nao sabia onde as encontrar, e
    nio tinha officiae3 para mandar em sua
    proeura. 0 meu estado-maior achava-se
    extenuado. Quanto a dar-lheuma indi-
    cagao, isso nao era posiivel. (A testemu-
    nha animuu-se).
    Quando se deixa tranquillamente- uma ci-
    dade, pale alii deixar-sc uma nora direc-
    gdo; mas quando e uma posigdo que deve
    ser a cad a instante occupada pelo inimigo,
    ndo se pode cfeixar um escnpto : e Vou
    em tal direcgdoFiquer muito penahsa-
    do pela censura que se me dirige no rela-
    torio, a qa-al julgo ndo ter merecido.
    Presidente. 0 conselho dm no seu inte-
    resae ouvir vos sobre a pergunta que se vos
    dirigio ; mas nio-deveis sahir desse assump-
    to ; nio doveis- discutir o relatorio.
    0 general de Chabaud-LatourA que'
    boras tinheis mandado ao general Montau-
    don a ordem para- ir em vosso auxilio ?
    R.Pelas tres horas. 0 marechal fez-
    me saber que tinha1 dado ao general Mon-
    taudon ordem para me soccorrer. Toda-
    via o general Montaudon devia fazer partir
    uma parted* sua divisao p ra Grossblie-
    derstroff. 0 estado maior estava insuffi-
    ciente e inexactamente* informado ; e podia
    b*?er alguma indecisfto etn vir ter oomigo,
    porque se nSo sabia bem sobre que ponto o
    iniraigo dirigia o ataque.
    P".^Tinheis recebido- a mensagera do
    general Castagwy, em que vos informava
    que estava n* retaguarda ?
    R.Ndo recebi nada. Se tivesse sabido
    a 5 a noite ou a 6 pela manhd que o gene-
    ral Castagny-estava na minha retaguarda,
    ndo teria pedidosoccorroao marechal.
    Marechal Batsmne.0 estado-raaior-ge-
    neral naandou-me ordens na noite de 6 pa-
    ra 7, qe me embaragarant de operar a
    centraltsacdo das tropas, por isso qoe rae
    prescreviam o contrario de as collocar em
    esealdo-.- Quanto d batalha de Forbach,
    eis -aqut'os termos em que respondi ao pe-
    dido de soccorro de general Frossard :
    v. Saint Avoid,- 6 de agosto ds 3'da
    tarde.
    | Mande marchar a divisao Montaudon
    oara Grossbliederstooff; a brigada de dra-
    gdes marcha sobre Forbach.
    Segue o depoimento do commandaute
    Nauson.
    Mr. L'aehaud.Queira a testemunhadi-
    zer quaes eram as instrucgdes, que se ti-
    nham dada a 6 de agosto ?
    R. A.8 recebi ordem de marchar pitra
    Sarreburgo para evaeuar sobre Chalons to-
    ilos os isolados do 1 e 5* corpos ; apres-
    rei-me tomar todas as medidas necessa-
    sias, e na manhd ds 9 estava de volta em
    Nancy. .
    P.Nfto vos indicavam as instruojdes
    que passasseis de Nancy ?
    R. Nio faziam nenhuma mengdo disso.
    P. A. 15 uio tinha a testemunha- sido
    mandada ao general Ladrairault para Ihe
    transmittir a oriem de marchar immedia-
    tamente -?
    R. Sim, senhor. presidente ; foi das 10
    para as 11 que reoebi aqnella missio do
    marechal Bazaine. Essa ordem dizia :
    Dirigio vos sobre Dencourt Nao conti-
    nha cutras indicates.
    Depoimento do- commandante de France:
    Mr. Lachaud.Nio foi o cou>raandante
    encarregado de levar despachos ao gene-
    ral Eailly ?
    ft.Fui encarregado de dua missdes
    juntas do general Failly ; a 9 levei-lhe a
    ordem de se pdr em marcha sobra Nancy.
    Fui chamado depois pelo imperador que
    mandou um despacho ao general Failly para
    Ihe dar ordem de vir a Metz, e que me en-
    carregou de ir pessoalmonto confLrmar
    mas, desesperagao, e a sua tranquillidade es-
    panta-me, domina me.
    Sou uma pobre victima habituada ao
    sacificio continuo, sem defeza e sem es-
    peranga, estive sob o poder de sua irmi
    Lucrecia, em cujas maos estou tal vez tam-
    bem n'este momento ; quer entio que me
    espante, se por muito horrivel que seja o que
    me acontega, nio serd tio horrivel como o
    que espero ?
    Cesar Borgia toroou a passeiar.
    Angiolina estava pallida, triste, tranquilla
    na apparencia, mas de uma tranquiUidade
    espantosa.
    Nos sens olhos ardia a febre.
    E', pois, certo que nio ama Caraccio-
    lo ? disse Cesar parando subitamente e apro-
    ximande-se de novo de Angiolina.
    N&o o oonhego, respondeu a joven.
    E teria casado com elle ?
    Estou habituada d ohediencia. E que
    ennseguiria eu com sublevar-me? Nada
    mais do que provocar tratamentos indig-
    nos.
    Cesar continuou a passeiar, parando pou-
    co depois outra vez defronte de Angio-
    line.
    Estou habituado d luta, disse elle, a
    submissdo irrita-me, pre&ro as lagrimas, a
    desesperagao, o estorcer-se impotente da vic-
    tima. Que espera de mim :
    Nada, nem de si, nem mesmo de
    Deus, porque sou Pilha de lobos, e a miseri-
    cordia de Deus ndo pdde cahii sobre a mi-
    nha raga.
    Confla na sua belleza sobrenatural,
    Aogiolina, e isso irrita-me. Sabe a razio
    porque a mandei raptar ?
    Comprehendo-a. Ha dias meu pai
    foi de manhd muito cedo d casa da minha
    protectora, a duqueza Je Urbino, e levou-
    me aos sous jardins do Bjlotri. Alii, apre-
    sentou-me d um joven principe, d quern de
    antomdo m9 mandou que seduzisse. Sem-
    pre victimas 1 Aqucllo principe era o futu-
    ro eiposo de sua irmi, a duqueza de Spo-
    letto. Ella tem em toda a parte oundos que
    escutam, ol^os que espreitam, e, yendo-rae
    aquella ordem. Fui encarregado de dizer
    ao general que se dirigisse pela ettrada de
    Tours.
    Mr. Lachaud.k testemunha al> foi
    encarregada de outra missio na manhi de
    Id?
    R. -Fui mandado na manhi de 1 !>"*'
    to das commandantes do 8* e 6" ^pos.
    que bivacavam em Rezonville. Sabe do
    marechal Canrobert, e do general Fros-
    sard, queaosseus corpos faltavam oioitas
    cousas, e nao tinham viveres lenio pant o
    dia ti. '
    0 commissary} do governofez observar
    que o comboio do 2* corpo estava na plani-
    cie, e que era facil romediar aquelle estado
    de cousas.
    A testemunharespondeu que os com-
    boios sa achavam na retagiarda, eque os
    corpos, mat informados sobre as posigdes
    que occupariam, nio p idiam pdr-sa em
    communicagio entre si.
    Depoimento do general Duplesws.
    Mr. Lachaud.Desejaria saber se a ti
    o Sr. general ndo tinha encontrado a mare-
    chal Bazaine, e o que Ihe disse o aare-
    ch^l ?
    R. V 16 a divisao estava esUbefecida
    na estrada de Sarrebruck ; o marechal one
    tinha rese^ido ordens do grande quartet, fez
    me notar 'qwe a minima posigao nio era boa,
    efez-me marcher pan dous kilometros pa-
    ra a retaguarda do desfiladeiro da Levallois.
    O marechal disse-me que o mimig) ens
    grande forga se dirigia sobre a oossa direita.
    Depoi nenta do-general Fortor.-.
    Mr. Lachaud1.Quer o general Fortm
    dizer-nos as caoens que o deteruniMram a
    evaeuar Mars-la-Tour?
    & general Forfon entrou em largos data
    Hies soLre a missao- que tinha a desempe-
    n-iar a sua divisao na- batalha de ti-; dessas
    informa^des results que a 15 se tinha dado
    ordem para tomar pesigtes em Mars-la-
    Tour.
    Tendo adqoirido a eerteza de qua maaias
    consideraveis inimigas- se achavam na es-
    qnerda de Mars-la-Tour, na direcfia das
    povoagdes de Proxieux e de Cumbley, des-
    taquei em recoohecimeato-a brigada dedra-
    gdes-ds ordem do prieerpe Murat ; depois
    elledispoz em ordem de batalha a snabri-
    gada-de coaraeeiros e a sea artilheria. An-
    tes da voltar do reconheeimealo, o inioigo
    rompeuo fogo-mroito viva.
    Tendo o principe Murat informado a res-
    peito das masses inimigae, e julgando a
    posi'jao de Mars-la-Tour muito dominada e
    muito difficil da sustentar so pela cavallaria,
    deu ordem, approvada pelo general Fros-
    sard, para se juntar ao" 2." corpo, quase
    acbava em TbionvHIe.
    0 capitao Lepkts, official de ordenanajas
    do general de Forton, confirmaa o praaa
    dente dopoimento.
    Mr. Lachaud. 0 general de Fraaoe
    acompanhou o imperador ataEtetn ; quaira
    dizer-me que netkias lho Szeraa reunir a
    sua divisdo ?
    ft.Chegueia Etein a ', o imperador
    disse-me : Agradego-vos, ftcai onde qai-
    zerdes ; o mareehal Bazaino vos mandara
    ordens. Ouvi o canhdo e parti ; o general
    de Barrail, que-tinba ainda uaa regimento.
    levoo. a minlia brigada conasigo. o foaaos-
    collocar-nos is- ordens do general LaJmi-
    rault. Combatemos todo o dia, e a minha
    brigada soffren muito.
    & utiUdade da carga de cavallaria qua sa deu
    a t&, segundo as oriens do marechal.
    Durante o dia 16, o mareshal estava oomo
    sempre impassive! no meio das suas tropas ;
    quando vio que o inimigo pronunciava nm
    movimento sobre Rezonville, deu-rae ordem
    para carregar, afim de suspender aquelltt
    movimento.
    Oscagadoros e os carabineiros avanaaram.
    Estes ultimos, recebidos por um logo mor-
    tifero, perderam 22 olltiaes, 2i officiaes
    inferiores, 220 pragas e mais de 300- caval-
    los, e nao puderam derrotar inimigo
    Chegamos no moraento em que o. marecbal
    estava cercado pelos bussards de Brunswich ;
    desembaragamol-o, e escoltamol o.depois ate
    ao seu quartel general.
    Mr. Lachaud, dirigindo-se ao general de
    Montardy, pedio-lhe que se eiplicjsse aobre
    os raovimentos do inimigo no Valla de
    Gorge ?
    (Conknuar-se-haJ
    \
    arrebatada esta noite, conheci que o golpe
    partia da duqueza de Spoletto.
    -E' verdade, disse Cesar, nio quaro eo-
    ganal-a. A arobigio cegava seu pale toi-
    na vao imprudeute. Affouso de Napoles e
    uma creamy imbecil que viveri pouco, as-
    seguro-lh'o. Seu pai quiz prevalecec-se do
    amor insensato que, segundo parece, minha
    irmi sente pelo joven principe da Taranto.
    Os resultados foram os que se esperavam,
    seu pai raorreu, e a senhora estd em meu
    poder.
    Angiolina levantou-se, pegou n'uiaa da
    mios de Cesar, olhou sombriameote para el-
    le e exclamou :
    Que queres que toma uma mulher qua
    tem nas suas veias sangue da fera, da mise
    raveis lobos como tu ? A iudignacAo a o des-
    espero nao dio lugar ao medo. Araorte,
    aim, oomo o desesperado ama a morte, ve-
    jo-te com o mesmo prazer quo aquella que
    nao pdde soffrer a existoncia, ve o verdugo
    que se aproxima para o malar. Queres a mi-
    nha deshonra ? muito em bora, a minha das-
    honra me matard, ese me nao malar, que im-
    porta ? ahi estd tua irmi, a nobre, a grande,
    a virtuosa, a sem igual Lucrecia, que en-
    contrard um meio seguro de que a alma sa-
    bia d'este corpo que te enamora. Ah I nio
    e verdade que sou muito formosa, Cesar ?
    Nio e verdade que os meus olhos abrazam a
    que o lago dos meus bragos em rod* da tan
    pescogo sio a languidez da morte ? Ah t eu
    amo-te, adoro-te, estou louca por ti, in-
    fame I
    Angiolina estendeu os bragos para Cesar
    querecuou espantado.
    Esta mulber estd louca 1 exclamou
    elle.
    Louca I Quem diz que eu estou lou-
    ca? Ouve, Cesar amas-me?
    Sim, exclamou Cesar Borgia.
    N'aquelle momento nio mentis. Angio-
    lina dominava o, excitava-o, e fazia-o expe-
    rimentar sensagdes para elle desoonhecioas
    ate entio.
    ......________Conttmior-sc-fcq.
    * TYl.D0 DIA1U0.-RUA DUQUB OK CAXU5.




    V

    4
    f