Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
AUNO Lili UDMBBO 172
SEXIA-FfilRA 30 DE JULIO DE 1886
c.
las- a^

IMil A CAPll'AL 12 l.t A* OSUK NAO E PAC A PORTE
PARA DENTRO E FORA DA PROVINCIA
Por tres mea* amantados .
Por seis aitn idern. .
r*ar uu auno ucm......
.'(iu numero avuiso, do mesmo da.
6^1000
12*000
244000
5100
Por seis mezes adiantadoa.....
Por nove ditos dem.......
Por um anuo dem.......
Cada numero avuiso, de das anteriores.
135500
205000
27
-^
r
DIARIO
NAMBUGO

yx *-
f
JJraprirtiafcc fce JUanocl -ftgurira i>e Jkrta 4 -fUljos
i
telegShmas
*

3227150 PASTICLAS DO DIABIO
RIO DE JANEIRO, 29 de Julho, s 3
horas e 35 minutos da tarde. (Recebido
s 4 horas e 35 minutos, pelo cabo subma-
rino).
Fallecen o conNelbetro laro de
Macelo. Dr. Antonio Tetxeira da Ku-
lia. cavallelro da araem da liona e
commendador da ordem de Clirlnio,
lente Jubilado da Encola de Medici-
na do Rio de Janeiro.
es:::: s: :ns:: satas
(Especial para o Diario)
LONDRES, 29 de Julho, s 2 horas da
tarde.
i:tito no meado* para o novo minio
terioi
MINISTRO DOS NEGOCIOS ESTRANGEI-
R0S, lord Iddlealelgb ;
CHANCELLES DO THESOURO, lord
Cliurrhill 1
LORD PRESIDENTE DO CONSELHO PRI
VADO, ViNconde Craobrooki
VICE-REI DA IRLANDA, liondonder-
ryi
SECRETARIO DE ESTADO DA IRLANDA,
IckM-Beacn i
CHANCELLER DA IRLANDA, Anbborn ;
PRESIDENTE DO CONSELHO DO JOYER-
NO LOCAL, Cbaplln j
PRESIDENTE DA JUNTA DO COMVIER-
CIO, Stanbope.
Agencia Havas, filial ero Pernambuco,
29 oe Julho de 1886.
do, porm, noueado o tenerte do dito bata-
lhao Cesar Primo de Seixas para substituir
o capitao Francisco Moreira Jnior.
--------------------&&------------------
Ministerio da lustlea
Nao foram agraciados :
Antonio Joaquim dos Santos, condemna-
do pena de 14 annos de prisao simples,
em conformidadd com as decisSes do jury
do termo de Jaboatao, na provincia du Per-
nambuco, por crime de homicidio ;
Jos Joaquim Cachocira, condemnado
pena de gales perpetuas, em cor.formidade
cote as decisoes do jury do termo de Inga-
zeira, na mesma provincia, por crime de ho-
micidio.
Ministerio da Faz oda
Por decretos de 17 do -jrrente foram
nomeados :
Ajudanto do procurador fiscal do The
souro Nacional, o procurador dos feitos da
fazenda bacbarel Antonio Verissimo de
Mattos.
Procurador dos feitos da fazenda, o Dr.
Antonio "Her.;ulano de Souza Bandeira.
Por decretos da mesma data foi concedi-
da ao Visconde do S. Clemente a exonera-
gao que pedio dos cargos de memoro da
junta administrativa da caixa de amortisa-
cao e do conselho fiscal da jaixa econmica
e monte de soccorro do Rio de Janeiro.
Po)" ttulos de 19 do crrante foram no-
meaos :
&gUno escripturarios da alfandega de
Mafei, provincia das Alagoas, o. 3* es-
cripturar da re^eDedoria de Pernambuco
Joaa de Arroxallas Jaymo Qalvo.
3o escripturano da re -ebedoria de Per-
nambuco, o escriturario da alfandega de
Macei Joaquim Jos de Sant'Anna.
Por despacho de 21 do corrente foi de-
mittido Antonio Peregrino de Mendonca
do lugar de 3U escripturario da Thesoura-
ria de Pernambuco.
INSTRUCCiO POPULAR
NATACAO
(Extrahido)
.A BIBLIOTHKCA DO POVO K DAS ESCOLAS
mi
O VAPOI
\ I VCKM A TODO
iC'w*nmii)
Passa-se effectivamente entre Seylla eCharyb -1
des,__o primeiro rochado onde o mar bate com
frwjor horrendo (di-em o poetas i quando o tempo
est mo, o segundo rodoinoiubo formado pelo
encontr das correntes do estreito de Mesaina, mas
sem perigo nem susto nos possantes barcos a va-
por de hoje. .
Ao pasoarmos prxima do rodomoinno, siguen,
se lembra de contar a lenda que em seguida re-
produziinos por ter relami com o assumpto do uos-
so livro.
Estava um dia sentado, sobre o roebedo que do
mina o sorvedouro de Cbarybdes, o re Prederico
I da Sicilia, rodeado pela sua corte, e tendo ao lado
a filha que passava pela mais "ella princesa da
Europa, ea mais bella mulher d'entre as Sicilianas.
Muitas veres tinha elle off-recido as riquezas
dos seus thesouros, e todas s honra da sua corte,
ao mortal que ousasse mergulhar no terrivel abys-
mo, e gondar-ihe os mysterios : fra tudo baldado;
em toda a Sicilia nao ae encontrou um pescador,
n corte nenhum dos valeutes fidalgos da casa do
re, que ousasse afrontar o anyme. Pode, porm,
mais o amor do que n sede das riquezas e honras.
Quando um dia a encantadora priuceza, sorrindo
A multdo que a cercava, prsnuneiou algumas pa-
lavras iiuimadoraS: estas ptlavras drspertaram o
animo le um pobre pescador, que se propoz tentar
a experiencia. Cliamavaralhe oa companheiros
II pitee (o peixe), pa-' presara os das na agua
nadando e inergullianio Cuino um peiie. Lancm-
se II pesce uo u.r, toda a corteo segua ancio-
sacom a vista ; vira* u'o suuiu-se noabysmt, e,
aps alguns momento* de uin terrivel auciedade,
virart appar.cer a., lome d'agua una bracos, de-
pois urna sabes* pallida e desgreuhada, e mais
tarde o corpa A corte euio rompeu em gritos de
alegras: mas... quando de novo procuraram o
pobre 11 ptsce com a vista' viram-n'o mergulhar
para nao mais apparecer .
Parece urna bailada allem !
__E aesun iniuba senhura (acode um doa
passageiros). Esta lenda, muito conhecida dos
pescadores do estreito de Vlessina, servio de thema
aballada de Schillt r, intituladaO mergulhador.
E pr./va ella... ?
Qu* um nadador, por muito hbil que seje,
nao coinmrtte impunemente imprudencias d'.sta
ordem (mterrompt-u o capito que se approxima
do grupo de conversadores e vem trazer a sua
nota pralita n > meio da poesa que a lenda come-
f ara a despertar).
(Contina)
/arti; umLiAL _."
HloKicrio do Imperio
Foram condecorados com o habito da or-
dem de 8. Bento do Auiz, os c a pitaes Ri-
cardo Fernandos da Silva, do Io rgimen
to de artilharia a cavallo, Raphael Augus
to da Cuaba Mattos, do 12' batalhao de
infantaria e Gerardo Jos de Abreu, do 15
da mesma arma.
2SHG
MinisierJo da Guerra
Por p^rtaria de 2 do oorreute foi no-
mea lo o juiz de direito da comJrca da :a-
pital da provincia do Amazoaae, bacharel
Jos Fraacis o do Araujo Lima, para o
cargo de auditor de gu :rra da mestua pro
vincia.
Foi transferido para o 4- batalhao de
infantaria o alferes do 18 da mesma ar-
ma Alfredo M-noel das Neves.
Foram desligados o 2o tenente do 3o bu-
talho de artilbaria Joao do Reg Barros,
que pa- ,ao do ministerio de
estrang* Paulino Vieira de Mello e Silva, para reu-
i carpo.
Mandou-se que continuasse a estar na ci-
dade de Th-ophilo Oitoni o destacamento
do i do infantaria, que all se acli i, sen-
Ministerio da Agricultura
Por portara de 15 do corrente foi exo-
nerado o engenheiro Torquato Xavier Mon-
teiro Tapajs do cargo de engenheiro-aju-
daute da Inspectora das Obras Publicas da
corte, com ex :rcicio na aeejo das obras
de galeras' de esgoto das aguas pluviaes,
annexa mesma iuspeutoria, por tercm
cessado os trabalhos da referida secgSo.
Por porcrria de 16 do corrente foi no-
meado Dr Manoel Rodrigues de Carva-
Iho para o lugar de medico da commissao
incumbida de estudos no Rio Parnahyba,
jom i vencimento que Ibe -omp^tir.
Ministerio da Marlnha
Em 20 deste mez foram no uea los :
O 1' tenente da armada Eduardo Augus-
to Verissimo do Mattos para exercer o lu-
gar de secretario e ajudante de ordens do
commando da divisao de eunuracados.
Joao B.rnol escrevente da canhoneira
Vidal deNegreiros.
Por ttulo el* 21 do corrente foi comea-
do Henrique Simeao tst--llita dos Santos
escrevente do cruzador Imperial Marinhei-
ro.
Teve ordem de embarcar no encouracA-
do tiete de Setembro o capitac-tenente Ma-
noel L >pes de Santa Rosa.
Tiverain ordem de passar: do encoura-
9ado Sete de Setembro para o vapjr Pu-
r$, o capito-tenente Jos Porfirio de Sou-
za Lobo ; do cneouracado Javar/ para as
torpedeiras, o 1* tenente Manoel Jos Gon
calves, e do eu ouracado tolimes para as
torpedeiras, o 2' tenente Sebastiao Guillo-
bel. ___^_
lio ve ru da provincia
EXPEDIENTE DO DIA '0 DE JULHO DE 1886
Actos :
O vice-presidente da provincia, em execuco da
lei n. 2,3'J de 1U de Setembro de 1873, resol ve no-
mear (ieuiiuiano Torquato F.-reira de Lyra para
o posto de alteres da ti* compauhia do 5 batalhao
de iuautaria do servio active da goariia nacio-
nal da comarca do Kecifc, em sutistiiu-co de Jo-
s Luiz Salgado Aucioly, que nao aeeitou a nu-
meaco para o dito post>.uommunicou-se ao res-
pectivo couimandante superior.
O vice-preaidente da provincia, em execucao
da le n. 2,395 de 1U de Setembro de 1873, resol-
ve nomear Alexandre dos -autos Selva para o
posto de alferes da companhia do 4 batalhao
de incautara do acrvicj activo da comarca do Ueeife, va;o pelo failecimento de
Carlos da Silveira Lobo.Couimunicou-se ae com-
mante superior.
O vice presidente da pn. viucia, em execucao
da le u. 2,395 de lu de Set. mbro de 1873, resolve
uemear, ara preenebimeuto das vagas existentes
no 18 batalbo de infantaria do servico activo da
guarda nacional da comurca do Cabo, os seguin-
tes ofliciaes:
4 companhia
Capitao, Andr Baptista ue Araujo.
Tenente, bufraaio da C ota Araujo Netto.
Alteres, Ildefonso Rodrigues da silva.
* companhia
Tenente, o alferes Joao da vjusta Araujo.
Alteres, Honorio Rodrigues de Carvalho.
6' companhia
Alferes, Joao Carlos da silva Fexoto.
Uominuniou-se ao respectivo commandante su-
perior.
U vice-presidente da provincia resolve con-
siderar sem effcito a portara ae 8 do corrente, ti-
cauaoasaiip em inteiro vigor a de 7 de Novemoro
ue 1885, quanto subatuuieao e cooperaco dos
juizes aubatit itos da comarca do Recite.Fize-
ram ce as necesarias coiamunicaco. s.
O vice-presidente da provincia tendo em vis-
ta o ulHcio n. 214 de 15 do correle mez, de ins-
pector geral Ua Iustruccao Publica, determina
que au rescinda o contrato eelebiado com Mirau-
doiino Festina, pasa reger a cadeira de enaiuo
primario do sexo femiuiuo de Serru-Verde.Coin-
municou-se "os inspectores geral da Iustruccao
Fublica e do Tbesouro Froviucial.
O rice presidente da provincia resolve, de
couformidade com o art. 50 da le n. l,86u da 1885,
nomear a aluinnu-inestra da Escola Normal, Ma-
na Rosa Pereira, professora publica effectiva da
cadeira ae eusino pi imario do sexo femiuino de
Berra-Verde. Communicou-se ao inspecto geral
da lnstruccao Publica.
_ O vico-presidente da provincia attandendo
ao que requereu Torquato Laurennno Ferreira de
Mello, profeasor da cadeira de ensino nrimario da
freguezia de 8. Frei Pedro Goncalves do Recife,
tenio em vista a ioformscao a. 204, do inspector
geral da instrueco publica e o parecer da junta
medica provincial, resolve conceder ao peticiona-
rio, a coatar de 1 do corrente mez, 60 dias de li-
cenca, com ordenado, para tratar de sua sade
onde lhe convier.
O viee-presidente da provincia attendendo
ao que requereu Jos de Mendonca Maurity, alum-
no-mestre da Escola Normal, e tendo em vista a
intoiraacao n. 216 de 17 do corrente mez, do ins-
pector geral da Instrueco Publica, resolve, de
conformidade com o art. 50 da lei n. 1860 de 11
de Agosto de 1885, nomear o peticionario profei-
sor publico effectivo da cadeira de ensino prima-
rio de Anglicas.Communicou-se ao inspector
geral da lnstruccao Publica.
O vicc presidente da provincia attendendo
so que requeren Lisbella de Albaquerque Mello,
professora da cadeira de ensino primnrio da Ilha
dos Ratos, c tendo em vista o parecer da junta
medica provincial, resolve prorogar por 60 das,
com erdenado, a licenca ltimamente concedida
peticionaria, para tratar de sua sade onde lhe
convier.
0 vice-presidente da provincia resolve ex-
onerar o bacharel Aithur Garcez Paranhos Mon-
tenegro rio cargo de ajudante do procurador dos
feitos da fazenda provincial, do municipio de Igua-
rass, e remover para esse cargo o de Pao d'Alho,
bac arel Francisco Xavier Paes Bar-eto.Com-
municou-se ao inspector do Tbesouro Provincial.
Oficios:
Ao presidente da provincia do Maranho.
Declaro a V. Exc. que, por intermedio da secreta-
ria dista presidencia, foi entregue ao bacbarel
Joao Alfredo de Freitas, conforme consta do cer-
tificado junto, o fficio annexo ao que V. Exc. diri
gio-me em 6 do corrente mez.
Ao commandante das armas.Oeferindo a
paticao do 2o cadete 2 sargento do 14 batalhao
de infantaria, Joe darlas de Mello, que veio an-
nexa ao officio de V. Exc. do 16 do corrente, sob
n. 375. autoiiao-o, vista do termo de inspeccao
que exhibi o supplicante, a conceder-lhe licenca
por 60 dias, para tratar de sua sade na provin-
cia da Parabyba. Deste meu acto dou conheci-
mento as Ministerio da Guerra.
Ao mesmo.Deferindo o roquerimento do 2*
cadete da companhia de cavallaria, Abdias Be-
biano da Cunha Salles Filho, sutoriso V. Exc,
vista da sua informaco n. 380, de hoje datada,
conceaer lhe baixa do servico do exercito, median-
te substituto.
Ao inspector da Thesourana de Fazenda -
Remetto a V 8, para os nos convenientes, as in-
clusas notas do gaz consumido no mez de Junho
' ndo, com a iluminaco dos quarteis d >s bata-
Ihoes 3* e 14 de infantaria, companhia de caval-
laria e enfermara militar, e bom assim a informa-
cao, junta por copia, do engenheiro encarregado
das obras mil tares, de hontem datada, sob n. 41,
relativa ao mesmo consumo,
Ao mesmo.Communico a V. S., para os fina
convenientes, que a 17 do cont mez o bacbarel
Antonio Josa de Amonta deixou o exercieio do
cargo de juiz de direito da comarca de Iguarasc,
visto ter sido removido por decreto de 26 de Ju-
nho para a de Pao d'Alho.
Na mesma data assumio o exercieio de jais de
direito interino o respectivo substituto, bacbarel
Telespho Gomes de Araujo.
Ao inspector do Thesonro Provincial.No
laisii da oa infotinacfto m 19 4o frente, u.
16, mande Vmc. pagar a Joao Bezerra da Cunha
a quantia de 18J500, proveniente dos coneertos
de que trata a inclusa conta, ixecutados na gra-
de p porta di cadeia de Taquaretinga.Cominu-
nicoa se ao Dr ebefe de polica.
Ao Dr. juiz de direito interino da comarca
de Ouricury.A' vista do disposto no 2 do art.
21 do decreto n. 4,824, de 22 de Novembro de
1871, declaro a Vmc. que desapprovo o seu acto
cum referencia nomeaco de promotor publico
interino para essa comarca. Assim rica respoo
dido o seu officio de 21 de Junho prximo fiudo.
Ao promotor publico da comarca de Ouricu-
ry.Transmittindo a Vmc. os documentos, juntos
em original, relativos a c< rtos actos praticados
pelas autoridades policiaes do termo do Ex,
recommendo-lhu que proceda a respeito como
fr de direito.
Ao juiz muicipal e de orpbos do termo de
Villa-Bella Constando de representaces que ao
nspector da Thesouraria do Fazenda fez o collec-
tor geral interino dease ttrmo, Ignacio Jos Ard-
a Filo, haver sido por esse juizo devolvido gu
mesmo collector a relaco que este lhe remetiera,
para os flus dos 10 e 11 do art. 3 da lei n.
3,270, e art. 11 do decreto n. 9,517, airva-se Vmc.
de informar com urgencia a respeito.
Ao commandante interino do corpo de poli
c a. Declaro a Vmc, em resposta ao seu offico,
de 26 de Junho ultimo, n. 568, que devem ser ti-
rados de accordo com as informaces juntas por
copia, ministradas pelo Thesouro Provincial, e
que se acham de harmona com o disposto no art
42 da lei n. 1860, os vencunentos desse comman-
do interino e do capitao em exercieio do cargo de
major, no impedimento e vaga de qne trata o ci -
tado officio.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO
Officios :
- Ao commandante das armas.S. Exc. o Sr.
vice-presidente da provincia mauda communicar
a V. Exc. ter autorisado o director do Arsenal 'e
Guerra a mandar satisfazer os pedidos que viexam
anuexos aos seus officios, ns. 376 e 377, de 17 <*o
corrente.
Ao Dr. juiz de direito da comarca de Ca-
ruar De ordem do Exm 8r. vice presidente da
provincia, recommendo a V. S. em solucao do seu
oftLio do 1 de Junbo fiudo, recebido-n'esU secre-
taria no da 12 do corrente mez, que faca aflixar
novo editd pondo em concurso a serventa vita-
licia do lugar de esnrivo do jury e execucoes cri-
minaos do termo de S. Bento, vista que da copia
do que acompanhou o citado officio nao consta ter
sido observado o disp isto no art. 153 do decreto
n. 9,420, de 28 de Abr.l de 1885.
Oulro-sim convm que, preenchida essa forma-
lidade legal, V S. remetta em acto continuo a af-
fixn^o, copia do mesuio edital, afim de ser repro-
ducido pela imprensa.
Ao Dr. juiz suoalituto do 1. districto crimi-
nal da comarca do RecifeDe ordem do Exm. Sr.
vice-presidente da provinc'a, transmiti a V. S.
copia do oficio de 15 do corrente, n. 200, em que
o director do presidio de Fernando de N r.nha
o motivo po- quo nao pode gatUlzer a requisicao
constante do s. u officio de 7 do referido mez.
da
Ao Dr. juiz substituto da comarca de din-
__,. De ordem do *Exm. Sr. vice-preseate da
provincia, communico a V. S. que, do presidio de
Fernando de Norenha, veio para esta capital o
e-npregado de nome Manoel Luiz Carlos Tavares,
requisitado por V. S. em officio de 5 do corr.nte
mez, afim d-. depr Cuino testbmunha no processo
de formaco de culpa, o que se est prucedendo
nesse juizo contra Henrique Ferrira Poutes, Fran
ciaco L pea Machad.., Manoel da Costa Modeiros.
A* iospector gerrl da instruc(o publica. -
De ordem do Exm. Sr. vice-presidenle da provin-
cia, cunmunico a V. S., para os fina convenientes,
que, ne requerimento da professora Camilla ao
Carino Torres, sobre o qual ve'sa a sua informa
5o u. 194. de 22 de Junho lindo, foi proferido o
seguiute despacho : Em vista das informaooes
justifique se as faltas dadas pela supplicaute,
posteriormente remocao, que esto comprehen-
didos no piazo marcado, afim de assumir o exerci-
eio da cadeira.
Aos inembros da cemmisaao cnca regada de
agenciar productos e materias primas para h ex-
poaicao Kul-Americana em Berlim.De ordem do
Exm, Sr. vice presidente da provincia, remetto a
Vy. _8s. copias dos avisos e officios dirigidos pelo
Ministerio da Agricultura, CommTcio e Obras
Publicas, e pelo Centro da Lavonra e Commercio
ao mesmo Exm. Sr. acerca da exposico Su^- Ame-
ricana, em Berm.
Ao Sr.~ Joaquim de Almeida Valenca, 1.
supplente do delegado de polica do sermo de S.
Bento.S. Exc o Sr. vice-presidente da provincia
manda declarar a V. 8., em resposta ao seu officio
de 11 do corrente mez, qu-, por ora, nao ha torca
para augmentar-so o destacamento ahi existente,
convindo que V. 8. se corresponda com o mesmo
Exm. Sr. por intermedio do Dr. ebefe de polica
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 28. DE
JULHO DE 1886.
Domingo* Jos Machado. Remettido ao
Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda
para attender ao pedido, nos termos da sua
informacao de 23 do corrente, n. 526.
Maria da Purificado Silveira. Remetti-
do junta medica provincial, aqun a sup-
plicante se apresentar para ser inspeccio-
nada.
Manoel de Figueira Faria ii Filhos.
Aguardera a concessao do crdito pedido
ao Ministerio da Agricultura, Commercio e
Obras Publicas.
Thomaz AntonioMaciel Monteiro.Sim,
com ordenado.
Vicente de Assis Tavares.Indeferido.
0 mesmo. Ao Sr. director do presidio
de Fernando para informar.
O mesmo. dem.
O mesmo. Informe o Sr. director do
presidio de Fernando de Noronba.
Virissimo Bezerra dos Passes. Remet-
tido ao Sr. inspector do Thesouro Provin-
cial, para mandar escripturar o debito, na
importancia de 33|J3O0, de accordo com a
sua intormaco do 22 deste mez, n. 42.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, em 29 de Julho de 1886.
O porteiro,
J.L. Viegas.
Ropartieo da Polica
Scelo 'i.' N. 735. Secretara da Po-
lica de Pernambuco, 29 de Julho de 1886.
Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram hontem recolhidos Casa de
OetenuSoos seguintes individuos:
A' minha ordem, Antonio da Rocha Pon-
ciauo, vindo do termo de Itamb, com
destino ac Asylo da Tamarineira, por se
acbar sofiTendo de alieaacSo mental.
A' ordem do Dr. delegado do 2' distrie
to da capital, Antonio Correia de Barros
ou Antvgp Jos de Sant'Anna, por diatur
bios. 9
A' ordem do subdelegado do Recife, Se-
rafim Dias da Silva, por disturbios.
A' ordem do do 1* districto de S. Jos,
Quiteria, escrava de Manoel Clementino de
Barros Pessoa, requerimento de seu se-
nhor.
A' ordem do do 2a districto da Boa-Vis-
ta, Jos Domingues do Espirito Santo, por
disturbios.
A' ordem do da Magdalena, Jos Do-
mingos dos Prazeres e Joaquina Goncalves
da Silva, por disturbios.
A' ordem do do 2- districto da Graca,
Zeferino Manoel dos Santos, Augusto Mi-
guel de Oliveira, Joao Vieira do Nasci-
mento, Antonio Alexandre, Julia Maria da
Conceicao, Anna Francisca de Oliveira e
Ignez Senhorinha da ConceicS, por distur-
bios.
A' ordem do de Apipucos, Manoel Fran-
oibco do Nascimento, por tentativa de rou-
bo.
- Communicou-me o cidadao Agostinho
Xavier Correia Pessoa de Mello, que em
data de 24 do corrente assumira, na quali
dade de 3- supplente, o exercieio da sub-
delegada do districto de Alagda Secca.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Leao,
muito digno vice-presidente da provincia.
O chefe de polia, Antonio Domingo*
Pinto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 29 DE JULHO DE 1886
Dr. Bento Jos da Costa e Sebastiao
Alves de Souza.Certifique-se.
Contas do collector do Cabo e do ex-
ajadante do procurador dos feitos na Esca-
da.Approvadas.
Sizenando Co-lho d'Arc3, director da
Bibliotheca, Joaquim Joa Airares e p idr-
Francisco Verissimo Bandeira. Informe o
Sr. contador.
Vctor Neesen. Indeferido, porquaoto
constituindo o debito de que trata, onu
nacional e acornpanhaudo assim a obriga-
cSo causa, qualquer que seja a sua con-
dicao, sao por elle responsaveis os predios
a que su liga o mesmo sem dependencia
dos proprietarios.
Verissimo B zerra dos Passos. Junta-
se copia das informacSes.
Joaquim Ferreira Ramos Jnior, Carva-
lho & C. e Maria Joaquina dos Santos
Abreu e Silva. R-stitua-se.
Gaspar Jos de Mello. Informe o Sr.
Dr. administrador do Consulado.
Dionysio Pache-o se pela porta.
B >ltar Oliveira & C. Negase provi-
mento, mantendo se o despa-bo recorrido
por ser conforme as disposicS ?s legaes con-
ernentes a materia e por nao compreheu
derem-se s mercaduras de que se trata,
na excepgao estabelecida no 14, art. 2,
da le n. 1860, fra da qul uao ha irres-
punsabilidade do imposto de gyro.
Davida da Silva M-ia. Como requ-r.
Dr. Horacio Walfrid Peregrino da Sil
va.Indeferido vista daTs-nformacSes.
Antonio Dita da Silva. D-fendo, fi-
cando irreaponsavel pelo debito anterior o
aovo inquilino que eatabeleccr-se no arma-
zem do predio n. 25 i ra da Moeda, na
parte qne fca no oitao do mesmo predio e
deita para o becco do Chafariz, cuja des-
oceupacao se prova.
DIARIO DE PERKAIMiiO
RECIFE, 30 DE JULHO U^ 1883
Noticias do Pacifico. Rio da
Prata e sul do Imperio
0 paquete inglez Neva, entrado hontem do sul,
trouxe as seguintes noticias, e as que constan) das
rubricas Parte Oficial e Interior.
Paclfleo
Datas ati 14 de Julh:
Noticia um telegramma de Valparaizo, datado
lUDoTkfit
O Ri Doce, da Ponte Nova, refere o seguinte :
No dia 12 d > corrente, constando ao 8r. Se-
bastiao do Monte, taiendeiro desta freguezia, que
o seu escravo de nome Antonio, moco que se acha-
va fgido ha dous annos, estava acontado na fa-
zenda da Sra. D. Maria do Rosario, ex-senhora de
Antonio, por um escravo de nome Braz, to do mes-
mo, apressou-se o Sr. Sebastiao do Monte em man-
dar communicar ao Sr. subdelegado, que para all
se dirigi com alguns soldados e paisanos para
realisar a prisao do preto.
Antonio acbava-se em um quarto no terreiro da
dita fazenda, fechado por dentro: depois de cer-
cado o dito quarto, o Sr. Theodoro bateu na porta
dzendo a Antonio que se eutregasse prisao e
que abrisse a porta.
Antonio nao resDondeu ; batecdo o Sr. Theodo-
ro segunda vez, estava a porta aberta, emporran-
do-a vio que Antonio se achava armado com ama
I
noticia um leieeramuia ae vaiparaizo, aata'io i ------^,---------- ,------7-----.
de 14, que a epidemia da varila est causando 'c. e tremendos estragoi. Theodoro e deu-lha duas facadas, sendo urna na
Bio da Praia
Datas de Buenos Ayres at 17 e de Montevideo
at 18 de Julho :
Em Buenos-Arres foi nomeada urna commissao,
composta do ministro Ortiz, senador Oliva e de-
putados Zirrilla e Ruiz Lanos, para realisar a
idea da creeeao de um monumento em honra da
Victoria do Salto.
A populaco francesa festejou condignamente
em Buenos -Ayres o dia 14de Julho.
Na Repblica Oriental foram encerradas, no
dia 15, as sessoes ordinarias do segundj periodo
da legislatura.
Em Montevideo estar dando assumpto para
animados commentarios um artigo da folha por-
tenha El Diario contendo violentos ataques con-
tra varios ministros estrangeiros acreditados per-
ante o goveijfesfcrnguayo.
Porque tem eausado tanta impressao esse ar-
tigo ? pergunta El Siglo. O facto se explica f-
cilmente, porque um artigo de murinuracdes, e
estas sao geralmente bem acolhidas. sobretodo,
quando se referem a pessoas de alta posico e cu -
jos actos p-las condicoes especiaes d'aquellas pes-
soas nao sao nem podem ser tao conhecidos como
os autos dos funecionarios pblicos do paiz Com
efft ito, El Diario torna-se echo de varias imputa-
cues graves, dirigidas a varios agentes diplomticos,
estrangeiros acreditados em Montevideo, posto nao
se r-sponsakise pela verdade de semelhantes im-
putacoes
El Bien extrahio o mais substancial do art go
do El Diario, observando que nao pode transcre-
ver integralmente aquelle artigo sem incorrer par
urna parte das aecusafes concretas que se for-
mulara e especifican) contra determinados indivi-
duos do corpo diplomtico. >
A despeito desta resalva, El Bien indica nomi-
nalmente os diplmalas e refere com minuclosi-
dade os actos censuraveis que Ibes sao attribui-
dos.
Proseguindo na sua apreciacao, pondera anda
o El Siglo:
< Diz El Bien que estas aecusacoes interessam
principalmente aos govemos respectivos, nicos
perauto quem devem est.-icta conta de seus actos
os diplmalas inculpados. Concordamos em que
sao os governss de quem esses diplomatas depen-
den) os juiaes naturaes e competentes de seu pro-
cedimento; mas accresceutaremos que formara
bem triste idea dessea govemos aquelle que acre-
ditarse que bao de dar tanta importancia como as
rodas sociaes a aecusacoes por cuja veraeidado
ninguem responde > que El Bien saeeiao reco-
nhec que nao ae acham revestidos de condifes
de authencidade sufficiento.
Um telegramma d Buenos- Ayres para El Siglo
diz : O ministio Ssuza Lobo foi aecusad de
fornecer dados para as aecusacoes ao corp di-
plomtico em Montevideo e protesta contra taes
factos.
Hoje (17) El Diario publica novo artigo que
est causando seosaco.
Por outro lado La Prensa, de Buenos-Ayies,
publica um telegramma expedido de Montevidso a
16 e no qual se diz : Attrbu-se o e-cripto a
um jornalista portuguez residente ha inultos an-
nos em Buenos-Ayres.
i Parece une o ministro do Brasil, a quem fal-
tam instrueces do seu governo, nao favoravel
accao judicial; mas os ministros da H- spanba
e da Idnia aecusaram o escripto que coutm tre-
mendas aecusacoes contra seus predecessores.
Os presidentes das sociedades italianas em
corporaco e varias commissoes italianas, apre-
srntaram-se hoje na legaco de Italia, no intuito
de se informa.em acerca da attitude assumida por
seu representaoto njsta emergencia.
O encarregado interino da legaco pissou urna
nota ao governo oriental pedindo a aecusacao fis-
cal que julgue precedente no caso.
0 corpo diplomtico tem se reunido varias
vezes e se reunir novamente amanh.
Em cinco dias fallecern) no asylo de orphaos
32 meninos de dipbteria e sarampo.
O governo procurava recursos para melhorar a
pessima condican dos asylos de beneficencia.
Hia ticrae
Datas at 20 de Julho:
Na Bagag. m, estando Camillo Mendes da
Silva, em serenata com mais dous nu tres compa-
nheiros, na noite du 17 para 18 do corrente, foi
fulminado por um tiro que causou-lbe mor te in-
stantnea.
O aggressor saltando a cerca de cm quintal
appioxim.m-se tanto de sua victima, que pode
fenl-a. sem uffenJer nenbuin -i seus compa-
nheiro.
No Brejo Alexre fugiram os presos da cadia,
inclusivamente o individuo odigitalo como autor
du assassinato de sua propria mulher, facto por
n: nntieiado.
Em Pequy, no Carangola, estando o Sr. J >s
Xavier de Souza, negociante, na 1 ja com sua mu-
lher a passar polvera de urna baca para outra,
desgracadamente incendiou se esta causando gran-
des estragas na essa, destiuiudo todo o negocio e
arremessanao eaurme disrancia os barrotes e
baldantes.
O estampido e o abalo causados pela expluso
foram tainanb s que muitas pessoas perderam 08
sentidus; outres, porm, dirigind..-se ao lugar do
siuistro, e encout--aram u Sr. Jos de Souta grave
mente feridu e u cadver de sua mulher.
No d.a 7 do .jrrente s 7 horas da noite, na
fazenda aa Q.ieunada (Cubato), da fr-guezia da
Soledad municipio de Itajub, o escravo Amaro,
pertencente au Sr. Joa Borto ino Ribeiro, em actu
de desobediencia e luta com aea seubor uffeuded a
este od urna faca em ambos os bracos, e na
m-sma oceasiao rambem ferio mortalmeote, na re-
gia.- bypugastrica, a oua joven s- nh .r D. Auna
Balbma da Fouseca, que veio em auxilio de seu
nwidu, falleceudo a infeliz moca horas depois
d'estu trgico aconteca). n>, que euluetuu de pe-
sar a Kides ns habitantes d'aquelia lucalidade.
O Sr. Bertoiino acha-se, segundo cousta, livre
de ptr>(e.
A aut ridade policial procedeu a auctu de delic-
to e necessarias u-iigeuc as, remetieud > o inqueri-
to ao promotor publico da comar -a ua forma da
lei.
O assassino, que se apresentou ueste cida le co-
mo fgido, foi preso c recvlhtao a cadeia, onde se
acha por ordem do Sr. Dr. juiz muuicipal do ter-
mu.
Estamos infirmados de que a causa do delicio
foi o reprovado com,urUmeuto di preta forra Pe-
lisarda, m.- do faenara, que moran lo com seu li-
Iho, praticiu alguns furt s pelos qunes foi adver
ti.la e desp-dida.
Despe tada por isso euteiideu se com Amaro, o
qua uusadam-nte altercuu palavras com sua se-
uhora em ausencia de seu marido.
nadega direita e outra no braco. Estando o Sr.
Theodoro, d sarmado correu para o terreiro, acom-
panhando-o Antonio, que sedento de sangue e como
urna fera; atirava-se a todos que lhe faziam fren-
te !
Foram baldados todos os esforcos para realisar-
se a prisao drssa fra, que apezar de receber al-
gumas cacetadas continuon a resistir.
O infeliz Joa Pinto de Gadoy, moooinuito esti-
mado eexemp ar pai de familia, que se acbava re-
tirado das pessoas que queriam prender Antonio,
foi a victima escolpida por esta fra!
Vendo se o negro perseguido, dirigio-se para o
lado do Sr. Pinto que estava desarmado, edau-lhe
tao certeira facada na barriga que saltaran) os in-
testinos immediatamente para fra. O Sr. Jos
Pinto deu llie com urna bengala que trazia e rece-
beu nova tacada debaixo da espadua do lado es-
querdo e cahio quasi morto; tendo nesta occasiac
Antonio recebido um tiro, cabio dands ainda esta
fra urna facada no p do Sr. Jos Pinto.
No da 20 houve entre os soldados do destaca-
mento da Varginha um conflicto do qual retultou
ficar gravemente ferido o soldado Severino Jos
Estoves Ottoni.
Incendiou se a casa de lavagem do minerio na
lavra S. Matheus, suppondo-se que'o incendio foi
proposital.
Na cidade de Juiz de Fra a temperatura tem
estado frigidissima. rincipalmente as ras de 8.
Matheus, Capim e suaa immediaco,- tem cahido
grande quantidade de gelo.
Quem passar pela ra do Capim ficar' admirado
dos estragos occasionadns pela geada.
Nao ha al I i um p de bananeira ou mamotiro
que tenha sobrevivido geada.
As plant*s que por sua natureza sujeitam-s
ictemperie, essas mesmas ficam rachiticas, perder
o vico.
Se assim continuar o fri, os nossos lavradores
soffrero forzosamente.
Foi recolhid.) cadeia de Juiz de Fra o rrati-
cida Manoel Vicente Ferreira preso em 8. Fran-
cisco : foram presos em Alfenas os reos Antonio
Joaquim de Villas Boas e Vicente de tal, pronun-
ciados no artigu 205 do cdigo criminal e em In-
dai Meicbiades da Silva Calabar que assassinou
Jorge Ferreira.
8. Paulo
Datas at 23 de Julho:
Vito adiantadoa os trabalhos do assentamento
de trilboa da linha frrea que do Campo da Vista
vai Cacboeira, municipio de Pirassununga.
Foi preso no municipio da Limeira, Baraaba
Machado, acensado do crime de homicidio na
peaaoa de Jos Dias de Oliveira, vulgo Juca
tuano.
Vai ser publicado mais um jornal na capital,
com o titulo de O Commereio de S. Patito. Ser
estranbo poltica partidaria.
Diz a Imprensa Ruana, que nao ha naquella
cidade um s doentc de varila, e que os do laza-
reto quasi todos entraran) em convaiescenca.
Em S. Carlos do Pinhal deu se no dia 19, s S e
1|2 horas da manh urna grande exploao na fa-
brica de togos; pertencente a Martinho Silvestre
da Silva.
Promptamento foram prestados soccorros, con-
seguindo-se salvar alguns objectos. O delegado
de polica comparecen e tambem a fnrea policial.
4 mulher de Martinho e um seu filho ja moco,
ficaram horrivelmente queimado8.
O prejuizo material bastante avultado, tendo
o predio ficado inteiramente arruinado e qiniman-
do-se muitos fogos que esta rain sendo fabricados
para urna festa na freguezia do Ribeirao Bo.
nit>.
L aa no Correio de Campia :
m O machiaisia do trem que parti hontem de
S. Paulo para esta cidade s 6 horas da manhS,
ao chegar ao Bom Reriro, suburbios daquella ci-
dade, nutou por um solavanco da machina que ha-
via qualquer tropeso sobre os triihos.
Parado o co-uboio, ver ficon-se que maos cri-
minosas haviam enllocado sobre os tri'hoa urna
paridla de ferro das usadas na linba ingleza cm
lugir de uormentes.
E' fra de duvida que toi collocada alli inten-
ciunalmente, porquanto o trem de cargas que pas-
sou no mesmo ponto urna hora zntea nada encon-
ron *
No Soccorro, no dia 12 do corrente, s 1 ho-
ras da tarde, mais ou meu 'S, deu-se um barrivel
desastre no eogenho da canua do Sr. Antonio Luis
de Souza Pinto, no b >irro du Rio do Peixe, duas
leguas desta cidade, do iual result >u a morte
instantnea da ingeuua B -mira, de 11 annos de
idade.
Belmira achava s-' pondo canua em moenda,
quando repentinamente foi por ella apanhada,
proluzindo-ibe o esinagamento da mo esquerda,
um pr fundo ferimento no sovaco. forte compres-
sao da caixi thorax Ni i houve tt-aipo de ser soecurrida, pois, u'um
grito dilacerante que soltuu, B lmira tornou-ss
cadver.
Bio de Janeiro
Dalas at 24 de Julho :
Coustam as prin -ipaes n >ticias da carta do nos-
so corr-spo idents publicada na rubrica Interior.
O parlamento fuucciom u regulartmjntii d
0 24.
Em sessao de 17, o Tribunal do Tbesouro
deferm os seguiute* recursoa ;
Ue c'ramiso Ribeiro Pinto QuimirS8&C.
coutra a deciso da inspectora da Alfandega de
Peruainbuco, que Ibes neg .u a re^tituic do que
de mais pag-.ram em um d apacho de 15 8accos
com alfazema; vistj ter-se eneuntrado Di coufe-
reneia do peso quantidade menor do que a decla-
lada na nota do despacho; recommendando-ae,
Mitretxut, ao iuspect..r da Th-sourana que -ac
preceder precisa syndicnci* para se verificar
si hmve subtraeci da mercadona e qual o seu
autor, alim de ..brigal o a responder nao s pelos
resp ctivos direitos, como criminalmente.
lio 2o eocripturano da A fandega do Penedo,
Anto'iiu Osear Tavares da Conta, contra o despa-
cho de Thesouraria das Alagoas que cunfirmou o
da r. speetiva AHaunega, n g^odu-lhe a restitui-
5ao tua pelo exercieio interino do lugar de thesoureiro
da mesma Alfandega.
Eia as noticias coma.erciaes da ultima
data :
Kio, 23 de Julho de 1886.O mercado de cam-
oio eateve pouco activo : os bancos m*ntveram a
Uxa de 20 1/2 d. sobre Londres, mas o L-indon
Bnkeo Euglish Bauk, que hoatem saccavam a
20 5/8 d., entra caixa matriz t- a 20 ty!6 d rea-
liBaram huje speracoes a essa conuico.^
As tabellas no Commertial e no do Commercio,
e as Us .a no London Bauk e English Bank, sao
as seguintes :

I
wmm i
--------------------


}

Diario de PcrnambucoSexta-feira 30 t Jnlho de (886
*
Londres
Paria
Haraburg
Italia
Portup-1
Nova-York
20 9/16 e 20 1/2 d., a 90 d/v.
465 ra. por fr., a 90 d/v
577 e 574 ra. por m., a 90 d/v.
470 e 469 ra. por lira, a 3 d/v.
265 263 0/0, a 3 d/v.
2*470 por dol., viata.
O movimeoto do dia foi menos que regalar so-
bre Londres, a 20 1/2 d., bancano, 20 9/t6 d.,
cana matris, e a 20 5/8, 20 U/16 e 20 3/4 d., pa-
pel particular.
Repassou-se papel Jameano sobre UoMrcs a tw
5/8 e 20 9/16 d.
Na Bolsa o movkaeato foi peqaeno.
E iHiltaraaue
Datas at 18 de laMio : _J
No dii 27 do saaafindo, lei recolbide cadesa
de Itapemirim Joaaaim Auswo da R'eha, remet-
tido pelo gubdeleadadeArto Gnandu.
Rocha, com 50 sanos de idade, casado, vivta
com urna inalbt-r de ae Mana, a qnem na
noite de 6 para 7 assassrnou dando-lhe um tiro e
oito facadea na reco superior do corpj, culis t<
rimeutos constara do corpo de delicto. guando
tratou-s- de levar o cadver descobriram-se anda
fenraentos d faca e mutilacocs as virilhas e as
partea genitaes.
A autoriiade procedeu tambera a eorpode de-
licio na Rocha, que aps tao h rroao crime tentou
suicidar-ae com um tiro que ferio-Ihe a garganta
e pirrtio o qneixo inferior. _
Falleccram : na capital o agricultor Ernesto
Macedo Clragas, Manoel Pereira de Lirio e Edu-
niees de Amelia Freir.
anta
Datas at 27 de Julho :
Funceiouava a Assembla Legislativa Provin-
cial.
S'guirn na vrspera para a corte, no otoaos,
afim de tomar asaeuto na Cmara dos Deputados,
o presidente da provincia, conselbeiro Tbeodoro
Machado Freir Pereira da Silva, presando o
exercieio ao Io vicepresidente, desembargador
Espinheira.
Lemos no Diario de Noticias de 24 :
Vimos hontem urna nota falsa de 25*000, 3
serie, do Banco da Bahia, tendo acampa azal cla-
ro com fuu !o amarello.
O trabalho, teito a bico de penna, mal exe-
cutarto, tirnando-sefaeil distinguir as cdulas fai-
fas das verdadeiras, postas em confronto.
As de 10*000, 7^ estampa do Thesouro, tam-
bera estao sendo falsificadas em maior escala e de
isodo tnais aperfeicoado, pelo que cumpre ter mi-
dad- n> recebiment i dellas.
Secundo nos informa pessoa de coufianca, aos
proprios estabelecimentob bancarios tem sido apo-
sentadas alguraas netas falsas das a que nos esta-
mos referindo, sendo para lamentar que nao ce
lembrassem de levar o portador de taes notas
polica, afin de orien'al-a as pesquizas que cum
pre t mar.
__ Depois de proloogados soffrimentos e contan-
do a idade de 62 annos, deu alma ao Creador, no
dia 23, 3 horas da madrugada, o commendador
Jos Lopes Pereira de Carvalbc
O finado ejerca o honr >ao cargo de gerente da
Cotcpanhia Bahiana, quando foi colhido pela ter-
nvei moleatia, que afinal. depois de muito cmpo
roubou Ihe a existencia.
Nao deixa fortuna, corto, elle que a teve mul-
ta ; mas deixa familia um nome honrad;', imma-
cniado que servir aos filaos de um evangelho que
es illomiue nesta trasitoria vida.
icio da despea publica imaginados pelo go
^Ahitorpellacao do 8r. Lourenco de Albuquer-
que ao *r. ministro do imperio sobre o dote d. Sr
duque dH S.xe, que teve lugar na sessao de 20,
nao prendeu a attencio da cmara, como era de
suppor, o que faz crer que a maioria j tinha a
sua opiuio forjada e nao precisa maia a*r escla-
recida pelo debate, vm que s tomaram parte o
ioterpeJlante e o ministro.
Lead" e slriimi aSaimenta as clausulas
doflantraetaauaciai, cosaeafcaa e asaentuaco de
tato Ubituaw, o 8r. Lourenco de Ai- em poroso 4a paraeber taes gratificas
bqu,atatta as leas sast-at-as pelo.br,
Geacrs de Ostro, te que ja-dei natioia, e que a*
conbwida-eate s -dos tirs. Andrade Figueira,
Faoaira Viaana, e eincloi do q*e o dote era da
O Sr. C >elho de Maraes... por profese ores que
qae tivessem atttngido aoa 15 annos de que trata
o regulamento de 6 de Fevereiro; mas simples-
mente referir-se quelles que por ventura dsqui
em diante podeasem attingir esse prMO.
A commissao nao eatrou Da iodagacao de que
esaa gratificacao d& 15 anuos, estabelecida pelo
regulaioento de 6 de Fevereiro fdra urna gratifi
cacao creada para beneficiar, com detrimento dos
interesase da provincia, a profesaores, qaoXpor nao
en-m pcovado os. requisitos constantes dala dispo-
ces das leis e regulamento anteriores) deixas-
No aaiwoai ao-aaimo da commissao semelbante
Muito, ii a_asj'i iT'1* "*" a qem respondo, pa-
eee que, assaaaxiu. 4e alguma maneira justifitar o
aascedioMMlia da adminatracao daquclla poca,
dT^i^iK Lo^^"e"n*.o *o Sr. daan^Isndo amylaawiito d* 6 de-Reveniro eat^je-
leaau a nnaaicacaa de teaipo, jato a gratifea
9&4e 15*nnos.
INTERIOR
Crrepoadeacia do Diarlo de
reman buco
RIO DE JANEIRO Corte, 24 de Julho
de 1886
Scmuario :Trabalhos do parlamento. Votacao
dos crcamentos dos Ministerios da Jua-
nea, Marmha e GuerraDiscurso do
br. Beltro sobre negocios d comarca
de Bcm Jardim. Proposta do governo
para reforma da legislacao sobre trras
publicas.A interpellacao do Sr. Lou
renco de Albuquerqne.Trabalhos do
Senado.Os orcamentoa que j teem
sido remettidoB pela Cmara. Bedac-
ces feitas no do imperio.Economas
fitas pelo Sr. AndraUe Figuaira no
BJrvico interno da Cmara.
Vio correndo sem incidente os trabalhos do par-
lamento nestes ltimos diaa. A Cmara dos Oe-
patados t-m-se oceupado com as discusso^s dos
orcamentoa dos Ministerios da Justica, Mariuha e
Guerra. primeiro j foi approvado em tereeira
diacasso. sendo rejeiudas as diversas emendas
spreaenUda8 durante o debate, com ex repelo de
iva do Sr. Curios Peixoto, autjristndo o goveruo
a revir O acia il regiment de custas. O segun-
do, approvado em segunda discuss&o, j est em
terceira. O ultimo, em segunda discussao, deve
ser votado boje.
Em seguida vira o do Ministerio da Agricul-
tura. .
Entre as emendas ao orcamento do Ministerio
da Jnstioa, que foram rejeitadas, havia urna do
Sr. Duarte de. Azeveao, que suppumia as Relacea
de Matti Gcossu e Gjyz, paaaaudo o distncto
d'aquclU a ficar ligada ao da Relacao do Beo
Grande do Sul, e o desta ao da de Minas.
Na discussi) desse urcamanto o Sr. Beltru,
que pronuneiou se a favor d'aquella emenda,
achou opportuuidade para tratar oW negocios des
sa provincia e ep-ciaimeute do que na ultima
eleicao deu-se na couu rea de Bou Jardim e ac
tualmente ah> tem oeeorrido com reiar;io eleicao
municipal. Cuino prova da iutrrveaco do gover-
no nessa eleicao, cita a n-m cao dos juizes de di-
reito de Iguariss e Pao d'Aiao, e qaanto a Bom
Jardim, onde nao houve eleicao municipal no dia
1. do correute, chama a atteuci) do governu
para o que se est Ui pasoa ido, pareceudo-th -
qne o actual vioe-pres deute da prov icia tem-
se deiiado r -duzir pelo cndiato L)r. Barros de
Lacerda. Os aaim ,s u'aquella coiaarca acbam-
se em tal atado de excitaca que muito t de re-
ce iar que Da elnijaj (taca a qual deve o vice-
presidente ter dUeniiiiiado novo diase deui
aconecimeiiioa i^u.ies aos da Victorii ; ras.i
por que tal vea o orador teuba de dirigir-se a Ptr-
. nambuco.
NJo se derendo su-por que a retirada do hon-
rado deputadn antes de eucerrameuto dos traba-
lhos do parl..uieut.> seja ditada pi r conveniencias
particular s, qual a de subtrahir-se a jrorogaco
da sessai com qu- se cunta, forca crer que
realmeute muitn meliudr,ao o estado da comarca
4e Bom Jardim.
O Sr. Beltro foi muitas v. zes iuterrompido por
Srotestoa e redamacoes nao s dos aeus c dlegas
e Peruamue-o, coajo de outros, quando se referi
ao 8 Barros de Lacerda disendo que este, na e.ei-
fo ultima, tinha mandado o sen fiscal laucar um
maco d sedulas na ur>ja. quelles qne aqui co
nbeceram o Sr. Barros de Lacerda e reudem jus-
tica ao si u carcter, prote.taram vivamente cou-
tra tal imputacio.
Nessa mesma sessao apresentou o Sr. ministro
da agricultura uma propwsta refnrmaudo a le de
1850 tobre trras publicas, com o fim de :
Facultar a creaco da pequea propriedade
pela venda, aprazameoto e eoneessao gratuita das
trra* devolutas, e por tal mod estimular a cul
tuca do aolo ;
Marcar o prazi para que os posaeiios, ses-
SMrOs e outns conceexionarios possam promover
aldi-it inaco e rev.ilidacao das pos-es, aesmarias
e coucessoes ^ue, segundo a legislacao vigente,
eativ validadas ;
Regulara ir o systema das medi^oes por ter
ritorioa e seccao de territorios, de maneira qne se
faciltete, tanto como convi-m. o processo da me-
dieao e u da venda das trras. *
A reaueriinento Jo Sr K drigo Silva foi a pm_
poeta remettida & urna commissao espacial de 7
awaibres, uomeada pelo presidente, e que ficou
COmpoiiUdos srs. : Baro de Guahv, Rodrigues
Al ves. Henrique Marques, Lacerda Werneck. Sil-
va lavares, (Jarlos Peixota e Paaso Miranda;
sccrascentando o mesino presidente qae a propos-
t deve ir tambem coiom sso de fasaada, ua
forma do regiment, por importar augmento de
deapesa.
De facto, vista das novas disposices regi-
meotaes, nenhum projecto, ou mesmo euenda of
ierecida ao orcamento de cada ministerio, que en
volve augmento de despeza, podem ser admiitidos
4 diaoiiasao sem que seja ouvida a conamissau de
taaeada no primeiro caso, e de orcamento no ae-
guudo. Esaa disposico, que ucu das varias re-
formas operadas p- lo Sr. Andrade Figueira, e que
facilita bastante a diecuasao e votacao dos oroa-
saentos, rjauito ha de -ontrariar aos qu etvam
habituados a uoaseguir por muio de einunda au-
ntoa de ordenados e creacao de servidos que,
ia a da, aggravam os encargos do tkeaonro,
turbando todos os planos de economa e reduc-
dlJMP
No que eapeadeo julga o orador tar cmmpri-
do o seu dever, dirigindo ao governo aquella -
terpellaclo, sem o amedrootarem essaa exploaoes
de odio de urna demagogia delirante que tumulta
no Polytheama. laso para o orador n vale nadi;
sao fructas do tempo. O que o impressiona sao er-
ros como est3 que talvez o governo esteja diapoa-
to a com oetter. Isto sim, que pode .desaareditar
a monarehia perantn a eensciencia dos mais sin-
ceros fervorosos monarchistas.
Reita-llie perm, a coasolaco de que, se o
govorno eommettendo um crim.' impordoavel, qui-
ser entregar o dote, Sua Alteza nao o aceitar.
(Oh .' Riso).
O orador declara que nao diz isto em vio. O
Sr. Duque de Saxe, como membro que da familia
imperial, quj tem sempre revelado o maior desin
teresse, nao aceitar o dote que Ihe queira dar 0
governo, que para tanto nao consultou nem a di-
gnidad* nem 09 interesses da Ba0aq> Nao acredita
que o governo dirig lo pelo 8r. Barao de Coleg-
pe venha pedir 4 eamara-am crdito para este fim.
Se o fiser ficar desaoredit ido e para sempre in-
famado. Mas anda que o faca espera que aca-
mara saber defender a sua propria dignidade,
negando o crdito .
O Sr. Bario de Mamor-liz, quanto ao 1" que-
sito, que o direito a dotacao est firmado na 000-
vencao assignada no Io de Movetnhro e ratificad i
nesta cort.: em 30 de Dezembro de 1884 ; notando
que essa interpretaoao nunca foi posta em duvi-
da nem pelo parlamento, nem peloa ministerios
que se teem succedido desde aquella epecba, e
nem mesmo palo proprio interpeliante quo j foi
ministro de esrrangeiros e nunoa cogicou de in-
terpetrar aquella conveucao pi r modo diverso.
Ao 2o quesito responde que o governo pedir o
neces8ario erudito ao parlamento para effeetuar a
entreg-a do dote ao Sr. Duque de Saxe ; polo que
fica prejtidicado 3o quesito que si icfere a verba
de que subir o pagamento. Foi esta a summa da
reaposta do Sr. ministro do.imperio.
0 Sr. LoureuQO de Albu-iuerque replicn, insis
tindo nos argumentos queja havia produziio, con-
testando que o govern-i eswja autorisado pela le
de 1884 a entregar o dote, c afirmando qua ser
nm acto de liberadade nao ha de ser bera visto por
ninguem, e que quant) ao pedid) de foudos pira
cffectuar-se o pagamento, elle orador est con-
vencido de que o nobre ministro uito ir pedir *
cmara que assigno um acto de iudyruidade com
o qual se aviltar a.
E' preciso notar que se o 8r. Lourenco do A-
buquerque teve algum apoiadode conservadores
o Sr. uelho Bodngaea foi um desseatoi porvi-
ias vezes interrompido por contesUcoea oppostas
aos seus argumentos. Mas a discussao n;n produ-
zio a menor impreasao e quando o interpelante
replicou era tarde e ma a de metade dos depuU-
dos se havia retirado. A discussao ficou terminada.
Referindo os trabalhos que ah ficam notados,
omitto as queatoes loeaea eom queeoturnam u Re-
putados consumir diariamente os tres primeiros
quartos d'hora, que militas vezes sao prorogadas.
Sao negocios que s interessam ao deputado que
se ociapa delles em satisfacao aos seus amigos do
districto.
O Senado nao tem tcabalhado com a asaiduida-
de da Cmara que at aos aabbados tem feito
sessao, para adiaotar a passagem doa orcainentos.
Tem-ae oceupado com os pedidos de crditos para
pagamentos de despezas de exeracios anteriores,
sibre os quaes nao tem deixado de hav 8o88, e oom pr-ijeetos antigos. Tanbem na prir
meira meia hora tem liando all apiesentacoes de
requerimentos sobre negoeiss provineiaes. Destea
o queden lugar a mais largo debate toi um do Sr.
Meira de Vaseouaellos soore aqueotio da Cmara
Municipal de Belm, de que o Sr. ministro do im-
perio teve de tomar conheeimento e dar uma deci-
sao que o honrado senador pela Parahyba, qne
meio paraense por ter servido mu i tos auaos como
magistrado n'aquella capital.e iutervido na polti-
ca da trra, nao acbou .curial. Kesponderau-lhe
o mesmo mtniso, e o Sr. Miqueira Mendes que fi-
cou com a palavra.
Azora, porm, j o senado tem trabalho erio
com que oceupar-se, poio j alli se acham os or-
camentos dos ministerios do imperio e estrangei-
ros.
O primeiro j ejjt com parecer da commissao
de orcamento e depois de amanb, segunOa-feira,
deve entrar em discussao. Foi relator o Sr. Pau-
lino, Miito competente, por j ter sido ministro
do imperio, que fea tres alteracaes as verbas
adoptadas pela Camaru, duas reduzado a respec-
tiva despeza, e u/na augmentando, de accordo com
as informacocs dadas pelo respectivo ministro na
conferencia da conunioso a que assistio. Esse
augmento de 1:0Q0*0U0, visto que a suppies-
so, votada pela Cmara, de o-inoo preparadores
da Escola Politecbmcasegundo a Sr. ministro teve ulteriormente, perturbara
grandemente o plano de ensiuo desse estabeleci-
loeuto.
Man nasal asreau^coei as oatras verbas as-
cenderaiii a 33:0U0*. ainda ficaram 2l:UO0, ,.ue
reluzem a despeza votada pela Cmara. Taes
reduvoes versnram sobre a publicaco, que ficou
adiada, de debates do Senado, boje quas esqueci
dos, e pnra o que se pedia vinte e tantos cantos,
i! bobre augmento dos vencimeutos dos emprega-
dos da secretara do meamo Senado.
Mais d > que isto, porm, fez na Cmara o Sr.
Andrade Figueira que, no servido da secretaria,
uuOlKacoes de deoates da actual sasso e de de
batea antigos, fez urna reducao de ceroa de ciu-
coe'ita contos, sendo dez uoa veucimentos dos em-
pregados. que, realmente, eram largamente remu-
nerados, por s terem trabalho asstduo durante o
trinp.i das s-ssois. Estilo turios s ; mas calam-se
porque recet-ir. cousa peior, cenh -cendo, como co-
uhece n, o temp'-ramento do actual presidente da
Crirara.
D'agora pjr diante os trabalhos do Senado vo
turnar-le assiduos e interessantes. E' all q'e
verdadinunente se discutem os orc--raento8, e
com qttanto os qne tem sido approvados pela C-
mara se ach-m expurgad 'S da cauda de emendas
e additiv< 8 dos das seaaes anteriores, no Senado
que is questes sao bem < atudadas e discutidas.
Aersce que. alli que estao os chefes liberaes ;
e sabe-se que nao do treguas aoa ministros.
Otase S. Exc. quedesejando a administracao da
provincia estabelecer a igualdade entre os profes-
aores da nidade e os do matto, visto como oa pro-
fesaores do matto nao podiain provar um dos re-
quisaos, que o regulamento anterior exiga, para
que tosse concedida a gratificacao de mrito, isto
, a hab :itaci') de uw oe/to Minoro .da.ajnanos,
o que mais fcilmente conseguia aqui na cdade
>> n rarao de que oa pais de familia tanto por se-
ren mais zelos'8 pela edusacao de seus filhos,
como anda porque dispoem de melhores recursos
para habilitarcm seus filhos as materias que se
enatuam as aulas, do que os pais de familias do
int'ri.r da provincia, foi que fez substituir no ci-
tado regulamento a gratificacao d-< mrito pela de
15 annos, ao alcance da qual ficariam uns e ou-
tros.
Entretanto, attentas as consideradles feitaa pelo
nobre deputado para justificar a tdmiiiistraco,
nao poder S. Exc. negar que de alguioa maneira
a administraco daquella poca ineorror na falta
de exceder a autorisacao que Ihe tr* concedida
pela assembla, ao maudato legal. Nao poda o
presidente da pro7ucia conceder gratlfic quaesquer que ellas fosseui, aos profeasores, que
embira tivessem completado o prazo de 15 annos
de exercicio, nao houvessem todava pro vado em
seu favor oa requisitos legaes, e gmente essa pro-
va os hahilitava A percepcao de taes gratificaces,
que ciito eram chamadas de mrito.
-;. Exj. assim procdcudo...
Um Nr DeputadoBetormou parte do regula-
raeuto em virtude do urna lei de autorisacao que a
aa-embla lli: concedeu.
O Sr. Coelho de MontesMae essa autorisacao
nao era tao ampia que ohegasse ao ponto do re-
vogar uma disposicao legal, disp'jsico que exiga
a habilit&co de certo numero de alumnos e mais
outros requisitos, para os profesaores terem jus a
ees as gratificaces.
(Ha diversos apartes).
Portanto, como j disse, nao vim jusfifiear a
disposicao do art. 7", visto como j o tez o meu no-
bre collega que me precedeu na tribuna, vim ape-
nas dar esta resposta ao nobre deputado, o Sr. Ur.
Pitanga, na PArte em que S. Exc procurou attri-
buir a co.-jimissao o ututo de fea-ir direitos adqui-
ridos, i ni trando S. Exc. que a disposicao do art_
7o uma disposicao que comprebende tanto as
gratificaces que se houverem de conceder daqui
em oante, como as que teem sido concedidas at
o presente.
(Ha um aparte do Sr. Prxedes PHanga)-
A redaccae do referido art. 7 n5o est muito
clara ; ella comeficito pode prestarse interpre-
taos/), que Ihe deu o nobre deputado.
A commissao, porm, protne,Ue na 3" discussao
inodifieal-a de maneira a nao parecer que a, dis-
posicao do artigo citado poasa ferir direitos ad-
quiridos, mas que apenas comprehensivo das
gratificaces, a que, por qualquer titulo, se jolga-
rem da data da lei en diante com direito os pro-
fessores pblicos.
E' o que me cabe dizer ao nobre deputado que
me precedeu na tribuna.
O Sr. JU*e ra(Sao devolveu seu dis-
curso).
Cintlnuando a votacao, d ella o seguinte resul-
tado: seiem approvidos os arts. 7* e 10, fieando
prejudicados os arts. 11 e 12 e adapdo-ae a re-
qaerimento do Sr. Lourenco do S, a diecuasao do,
art. 13', at aerean pubhcadaa no jornal da casa
as emendas sob ns. 202 a 228 ao- mesmo offereci-
das; sendo approvadas as raendas de ns. 200 a
201, aposentadas aos arts-11* e 12% rejeitadas
as de ns. 187, 195 e 197, fieando prejodicadas as
de ns. 193, 196 e 198,
Foi am nominaes as votacoea sobre as emendaa
de ns. 187 195, as quaes dio o segante resul-
tad :
Emenda n. 187 : votam a favor os Srs. Costa
Ribeiro, Lonrenco de S, Jos Mariajfraxcdes
Pitanga e Juveocio Mariz, 5; e contra osdrs. Re-
g Barros, Farreira Velloso, Julio de Barros, Vis-
conde de Tabatinga,. Heroulano Bandeira, Costa
Gomes, D miagues da Silva Barros Barreto J-
nior, Coelho de Moraes, Luiz de Andrada, Rodri-
gues Porto, Con8tantino de Albuquerque. Sophro-
nio Hortella, Joo Alves e Gomes Prente, 1S.
Emenda n. 195. Votam a favor os Srs. Drum-
mond. Costa Ribeiro, Jos Maria, Vsconde de
Tabatinga, Ratis e Silva, Ferrera Jacobina, Ju-
vencio Mariz, Sophronio Portella, Prxedes Pi-
tanga, Baro de Caiar e Solonio de Meti, 11 ;
e contra os Sra. Reg Barros, Ferrcira Velloso,
Julio de Barros, Soares de Amoom, Herculauo
Bandeira, Costa Gomes, Dominguos da Silva, Bar-
ros Bamto Jnior, Coelho de Moraes, Joo de
Oliveira, Rodrigues Porto. Constantino de Albu-
querque, Joo Alvea, Luiz de Andrada e G-ymea
Prente, 15;
E' lida, ^ipoiada e apptovada a redaccao do
projecto u. 87.
2a PARTE D OEDEM DO DIA
Continuando em 2' discussao o projecto n. 27
deste anuo, approvado, sendo retirado o ar-
tigo.
Entra em 1* discussao o projecto n. 93 deste
anuo
E' approvado, sendo dispensado do intersticio
o requeritaento do Sr. Gomes Prente
Contina a 2a discussao de prujeetc
pao.
O Sr. Jone Maria(Nao devolveu seu dis-
curso).
O Sr. Mega Barro*(N'.io de volve i eeu
discurso).
Ninguem mais podindo a palavra encerrada
h discussao do art. Io, deixando-se de votar por
falta de numero.
O Sr. pr. aideite lev ,nra a sesaSo, designando
a segu.ito ordeui do dia : Ia parte, contmuaco
da anteceden!'-; 2a parte, 2a discussao do projecto
n. 93 deste anuo e contuiuaco da antecedente.
E' remettida aanec-io a resoluoao aue inter-
preU o 30 do art. 2 da lei n. 1860.
Assembla Provincial
52* SESSAO EM 7 DE JUNHO K 1886
PKBSIDKKCIA DO BXM. SB. DR. JOSB HANOCL DE BABROS
WAMDERLBY
(CuUCluBO)
O Sr. Coelma ele MaraesSr. presiden-
te, nao venho ju tifie ir a dispoaigao do art. 7o do
projecto em discussao, porquauto o meu nobre col-
lega de cotnmiiso, que me precedeu na tribuna,
justific iu-o perfettam-ate e por modo tal, que eu
nao poderta faae.l o. L vautei me apenas par:
dar urna rreposta ligeira ao no Ore deputado que
acaba d- sentar e.. .
O Sr. Prxedes PitangaAgradeco a V. Exc.
a sua ooiidi.de.
O Sr. Coelho de Moraes... na parte em que S.
Exc impugnando a disp^sicio do artigo, vai lerir
de frente a legislacao da provincia
S8r. presidente, u> foi este o intuito da commis-
sao qnando consiguou semelbante disposicao no
art. 7, cuja discassao se trata. A commissao
n poda, uem devia establecer disposicdes qae
foas-te ferir direitos adquiridos; a commieoo quiz
aitnpli'Stnente referir-se aquellas gratificaces, que,
porventura, eo bovessem de conceder daqui p r
Uiaute aos pr-ifessores* qu-- preenchessetu as cou-
dicoes lgaos, secando as quaes, estas gratifica-
coet- devtam ser concedidas.
E' possivel que a redaccao n-ieaej convenien-
temente fe>ta e que precise de alguma altera-
cAo.
A commissa', ppis, sonarda-se para, na 3* di-
cusso meih aar a redaccao d i artigo, fleando cer
lo o nobre deputado de que a commissao nao quis
ferir direitos j adquiridos...
O Sr. Prxedes PitaogaAceito a explicucio
e agradeco a V. Exc.
projecto n. 54 deste
53. SESSAO, EM 8 DE JUNHO DE 1886
PBESIDEHCIA DO BXM SB. DB. JOSa aAXOEL DE BABEOS
WANDE*LEY
SmmabioLeitura e approvacao da acta.Expe
diente.Discussao de um requenmento
do Sr. Jos Maria, pediudo intormacoes
sobre o irrsneameuto dos postigos rtu-
los da casa em que reside o major Anto-
nio Affonso Leal.Discursos dos Srs.
Jos Maria e Sophronio Portella.Regei-
co do requerimento.Coatiauacao da
discussao do requerimento do Sr. Fer-
rera Jacobina sobre a publicaco no
jornal da casa do exame procedido relati-
vamente aos eleitores do'2. dsstricto.
Encerramento da discussao. Requer
ment de utacao nominal do Sr. Ferre-
ra Jacobina.Votacao notnin. 1Rigei-
Cao do requerimentoContinuaoao da
discussao do Sr. Jos Maria, pedin-lo
copia do telegramma exped to pela Pre-
sidencia da Provincia, relativamente ao
creo da Assembla.Discurso do Sr.
Jos Mara. Uegeicao do requerimento
Primeira parte da ordem do dia.
Continuaoao da diseuso de ultimo artigo
do projeoto n. 43 deste anno {orcamento
municipal)-Apoiamento de emeudas.
Discursos doa Srs. Ferreira Jacobina, G
Prente, Costa Ribeiro, Prax-d"}8 Pi-
tanga e Joo AlveaEncerramento t
discussao.Final da sessao.
Ao meio dia, feitaa chamada verificou-se esta-
rem presentes os Srs. R tis e Silva, Luz de Andra-
da, Barros Barreto Juuior, Soares de Ainorim,
Rodrigues Porto, Lmrenosde S, Juvencio Mans,
Jos Alve", D mingues da Silva, Herculano Ban-
deira, Barros Wandtiy, Reg H.irua. L aHUlU te
Moraes,^August > Frai.kJni, ostantinn Albuquer-
qne, Jos Maria, Soplr t> ira
Velloso, Gomes Prente aOosta Ribeiro a 8r, ftf
Bidente declara aberta a sesaao.
Comparecem depois os ora. Braaouea Pitanga,
Visoonde de Tabatinga, Julio de Barros, Antonio
Victor, Ferreira Jacobina, Costa Gomes, Joo de
84, Baro de Caiar, Jeo de Oliveira, Rogoberto,
Aadr Das e Gaspar de Drummond.
Faltara, com participac, o Sr. Solonio de Mello,
o sem ella, os .*Srs. Rosa e Silva, Goacalves Fer-
reira, Amaral, Baro de ltipissuma e Reg.eira
Costa.
E' lida n sem debate approvada a acta da sessao
antecedente.
O Sr. l.o Secretario procede leitura do
agolte.
xpeDrasTB
Um officio do Sr. deputado majar Solonio Soares
de Mello, communicando deixar de comparecer por
alguna das a seasoea por achar-ije encunmodado.
==lnteirada.
Outro do secretarii do gobern, transsaittLaa
uma inforsaifo do Exm. Sr. bispo diocesano so-
bre aimgaezia de S. Jos doB^ptoA qae*
fez a requasicao.
Tre8^o*]esmo, devolv*ds NMMmadass po-
ticoss >js|mbelina AmeUa.da Sdva, Manoel He-
raclit4..4|buqaprqiie, Maa^el Aiv^s Pereira de
Lima e Philomcno Rayranndo Nunes de Lima.
A quem tez a requesicao.
Uma petico do padre Francisco Seabra de An-
drade Lima, requerendo pagamento da sua con-
grua do coadjuclor de Taquaretinga.A' commis-
sao de legislaco.
Oatra de Jos Peres Uampello de Almeida, es-
crivo do Trfluaal da RelacAo do Recife, reque-
rendo eousignaoo da verba de h76000 para pa-
gamento de custas de processo.A" commissao
de orcamento municipal.
Outra de D. Porcia Conatanca de Mello, reque-
rendo dispensa do pagamento do imposto de deci-
ma da casa em que mora. A' commissao de or-
camento provincial.
Outra de Francisco Manoel de Araujo, offiieal
de justica e perieiro do jury de^Gauelletra, re-
querendo cou8gnacao da verba de 4182650, que
Ihe deve a Cmara Municipal d'allt. A' coinmie
sao de orcamento municipal
Vem mesa, lido, apoiado e entra em discus-
ao o seguinte requerimento :
Requeiro que, por intermedio do Sr. Dr. che-
te de polica, se informe :
1. Se S. t-'Ve conheeimento do arrancamento
dos postigos e rotulas da casa em que reside o
Sr. major Manoel Antonio Affjnso Leal, sita
ra dos Patos n. 1 ;
2 Se a polica couipareceu ao lugar nonde
se deu essa scena dt canibalismo, visto como o
mesmo Sr. major, alm de ter apitado durante
muito tempo pedio soccorro em altas voaes ;
3o Quaes as providencias que deu ou preten-
d dar.Jus Maria.
O Sr. Jun MariaSr. presidente, eu l
um telegramma pablic .do no Diario de Peraam-
buco que o Ilustre representante do Io distncto
desta provincia havia distrado o telegramma man
dado pelo Sr. baro de Caiar, ao Dr. Pedro Bel-
Kro, com relaco ao cerco d'esta Assembla. Pri-
meramente preciso dizer: o telegramma nao toi
enviado pelo meu honrado amigo, o Sr. baro de
Caiar, mas por toda a minora da Assembla, as-
signando, como natural, como evidente, aquelie
uosso collega e prestigioso chefe.
Eu deseara, Sr. preaidente, que uos foase dada
uma copia do telegramma do presidente da pro-
vincia, e que sem duvida aervo do base para a
resposta do Sr. deputado pelo 1 diatricto, ao 1-
lustre representante do 5".
O telegramma P'la minora mandado ao Dr.
Pedro Beltro, era concebido noa seguintcs ter-
mos :
Votava-se o orcamento provincial quando ti
vemos denuucia de que se achavam pracas da
guarda cvica as immediacoes do edifci) em que
fuocciona a Assembla, achando-se na ante-sala
o commandante da estaco.
Protestamos pedindo a retirada da forca, n>
que fomos acompanhadoB por alguas conservado-
res, tornado-se tumultuaria a sessao, que foi sua-
penaa. *
Es telegramma que enviemos e que foi publi-
cado no Pais, no dia seguinte, exprime a verdad?,
a areio que neuhum deputado contestar que vo
tava-se trunquilbunente o orcamento quando eu,
tendo denuucia de que grande numero de pracas
se chava as immediacoes do edificio, apprcvei-
tei a opportunidade de uma votacao nominal, sahi
e logo depois voltei para esto recinto, onde bo-
gando ped a palavra pela.prdem e denunciei a V.
Exc. o facto anorinalissimo, descommunal, nunca
visto n'esta casa, denunciando ao meamo tempo
que o commandante geral da guarda cvica, far-
dado e de rebenque em punho, ach iva-s na ante-
sala.
Crelo tambera que nao se poder contestar que
todos ni protestamos contra esse acto atentato-
rio das nossas garantas, esse tacto que vinha of-
fender asa nossos bros eque fomos secundados por
quatro ou cinco dos nossos illustrea collegas que
tem asiento na bancada oppoata, LevanUndo-so
um grande t imulto e ando suspensa a sessao.
O uosso telegramma narra va, sortanto, a ver-
dade, o Dr. Pedro Beltro s poda fazer sea re-
queriutonto baseado n'esto telegramma, e nao sei
pomo poderia o Sr. Dr. Portella contstalo. N---
.cessariamente foi mandado pelo presidente do cou-
eeiho copia do nosso telegramma ao presidente
d'esta provincia, pedindo iulormaces, e eu nao
sei qae, informacoes poderla mandar o Sr. Ignacio
Jaqunn que deixasse ao Dr. Portella margsm
para contestar o Dr. Beltro. A coucluso lgica
que tiro dos principios que venho de estabelecer,
que o telegramma mandado pelo presidente da
provincia informando sobre o asentecimento, nao
encerra a verdade, e para que se tire a liuipo tuJo
isto, eu peco copia d'esse telegramma
Creio que desde que aqui patenteio o conteudo
do nosto telegramma, nao baver inconveniencia
em sabermoa da resposta que mandou o Sr. presi
dente, orquanto vivemos n'um paiz que se rege
pelo veteina da publicidade, o estas crasas nao
devem ficar incubadas.
Que receio baver da parte da maioria em
approvar eate requerimento, quando devem ter
couviccao de que o telegramma fra verdadeiro?
E' preciso que venha ease telegramma, preciso
que tenhamos conheeimento d'elle. e assim possam
os nobres deputados, cotejando esse telegramma
com o nosso, ver onde est a verdade.
*g ira nao peco intormacoes sobre attentados;
agora nao me retiro aos. aaaassinatoa commettidoa
por Cavalcante, eu peco aiinplesraente copia de _Barroa
um telegramma que us deve ser fornecido, ou fa- rQg
cu tadj, para esclareeimfnto da verdade.
Os nobres deputados devem ser amantes da ver-
dade, e por conseqnencia nao ba razo para repro-
varem mea requerimento.
Eu nao faco a menor censura, eu apenas n rro
8 tactos, demonstro qual o nosso procedimento, de-
claro qual o telegramma que enviamos. Ease tele-
gramma teve uma resposta; o Dr. Portella reu-
tou ao Dr. Beltro e o tes baseado em aviso tele-
grapbico enviado pelo presidente da provincia;
pois bem, para se saber onde est a verdade, quem
meatio, se nos, se o governo, preciso que a As-
sembla coobeca d'esse telegramma official, uma
vez que j se conhece o telegramma uosso.
Assim, pois, creio que os nobres depjtados fa-
ro uma excepeo regra estabelecida desde os
prneiros das de nossos trabalhos, approvando
este requerimento.
Contina a saguada discussao do projecto n. 43 -
deste anno (orcamento provincial).
Vem mesa, sao li Jas, apoiadas e entrso con
juntamente em discussao as seguinte s emendas
N. 229. Ao art. 3." do projscto, depoi s das pa-
lavraarepartieres publicasdiga-se : e a Santa
Casa de Miaericordia.Dr. Pitanga
N. 230. Additivo. Fca o presidente da provin-
cia autorisado a uomear effecti voa os profesaores
contratados, Ignacio Procopio da Cunta, para a
cadeira de Couro d'Auta, e D. Anna Marqaes Pe-
reira do Reg para a cadeira de S. Jos do Egy
pto.)r. Pitang.
N. 231. Fica o presidente da provincia autori-
sado a mandar pagar a D. Taciana Alexandrina
M.onteir.i Lipes, quaud) profeasora de Proprie
dade, oa ordenados de Janeiro a Feyereito de
1882, que deixou de receb-r.Dr. Pitanga.
N. 232.. Additivo. Fiea o presidente da provin-
cia autorisado a conceder a D. Fausta Pergeutina
de Lima Barros, professora de Cimbres, um anno
de (cenca com rdenado.Dr. Pitanga.
N. 233. Fca o presidente da provincia autori-
sado-a mandar pagar aos herdeiros de Manuel
Caetane Espinla, a quantia a que tiver direito
pelos servicos prestados no Gymnasio Pernaubu-
cano 0 qu- j fra determinado na lei n. 1,632. -
Dr. Pitanga
N. 234. Fica o presidente da provincia autori-
sado a entregar Cmara Municipal e Junta
de Hygiene, o gabinete de chymica e mythilogia,
fieando estes obrigados uomeaco do pessoal
preciso para o acrvioo do mesmo gabinete. Dr.
Pitanga.
N. 235. S pasaar o additivo Bob o n. 213, ae-
crcsccnte se : Que s gozar desses favores, no
momento que as letras hypothecarias tenham ja-
roa desta emisso, e que o prazo do e nprestimo
feito com os agricultores, e garantidos por hypo-
thecas, seja elevado at 30 annos voutade do
devedor.Ferreira Jacobina.
N 236. Ao art. 1. Offereco como emenda o
projecto n. 83 do 1880.
O projecto a que s refere o art. 1. desta emen-
da o seguinte :
A Assembla Legislativa Provincial da Per-
nambuco reaolve :
Art. 1. Fica approvada a innovacao do con-
tracto do canal de Goyanua, celbralo entre a
presidencia da provine a e o concesaiouario, Dr.
Manoel Polycarpo Moreira de Azevedo, em data
de 8 de Agosto de 1869 e na contormidade da au-
torisacao concedida pela lei n. 1,436, de 21 de
Maio do m-'smo anno.
Art. 2." Ficam revogadas as disposicoes em
contrario.
Paco da Assembla, 19 de Abril de 1880.Ay-
res Gama, Lopes Machado, Moraes Piuheiro,
Jos Maria, Maximiauo Duarte, Coelho Catauho,
i. Marauho, Baro de Tabatuga, Ferreira Ja-
cobina.
Art. 2." da emenda. 0 concessionario fi.-a obri-
gado a elevar o fundo lo canal de 50 centmetros
a urn metro, pelo que ter mais 3 anuos para ter-
minar as obras e dispensa de qualquer multa em
que tenha acorrido.Ferreira Jacobina.
N. 237. A' emenda additiva sob n. 213. Art.
2."Depois das palavrasic-eesdo banco em
letras hypothecarias ; o mais como est. Fer-
reira Jacobina.
N. 238 Se pasaar a emenda n. 116.Igual fa-
vor a Jos da Silva Barros, Jos Thom, Franco-
lino Fraucisco Carneiro da Silva, Manol Joaquim
Baptista Jnior, Antonio Tranquilino da Silva,
Lu de Franca Bezerra, J. Felppe do Espirito
Santo, Pedro Francisco da Costa, Joo Jos do
Reg, Joo Francisco Nunes, Pedro Celestino Ja-
cob, Manoel Francisco das Chagas Bezerra, Pe-
dro J. dos Santos, Jos Jcronymo de Souza, Ale-
xandrino Jos do Atnoritn, Joo Bernardo Diniz,
Pedro de Lyra, Pedro Francisco da Costa e Ma-
ximiano Francisco de Sjuzs.Lourenco de S.
Jos Mara.
N. 239. Se passar a emenda n. 216.Igual fa-
vor a D. Maria Rosa do Rocha Lias. Jos
Mara.
N. 210. Se pasaar a einepda n. 212.Igual fa-
vor a D A'inuuciadi de Mello Montenegro, que
se acha em idnticas condices.Jos Maria,
241Onde couber :
Ficam creadas daas cadeiras de instrucco pri-
maria para o sexo masculino, sendo uma na povoa-
co Mandaoaya, e outra no lugar Fasenda Nova, da
comarca do Brejo da Madre de Deus.Rodrigues
Porto.
N. 242Os contribuntes devedores da fizn-
da por djvida activa sero admittidos a pagar
no Thesouro ou em qualqaer estaco de arreca-
daco o que estiverem a dever.Juvencio Maris.
Ni 43. Onde couber5:5O0 para execuoc
da le 1,578 de.21 de Junho de 1882 Soares de
Amorim.
N. 244Os deveJore* pelo imposto estabele-
cido no 12 do art. 2.a da lei n. 1,860, quer os
seus dbitos estejam, quer nao, em jutzo, sero ad-
mittidos a pagal-os iudependentemente de multa e
das cusas devidas Fazenda, uma vez que o fa-
Cam dentro do exercicio da presente le.Costa
Ribeiro.
N. 245OfFerecemos como additamento a emen-
da n. 223 o seguiute projecto da commissao de pe-
ticoesJoo Alves.Rodrigues Parto.
A Assembla Legislativa Provincial do Pernam-
buco reaolve:
Art. 1 u Fica o presidente da provincia auto-
risado a conceder por praso improrogavel de 10
annos, privilegio a quem mai.res vautagens offe-
recer para montar nesta cidade uma fabrica de
chumbo de munico.
Art. 2. O chu.nba p.oduzido pela fabrica de
que se trata, nao gosar de isenco de imposto al-
gum nem de quaesquer favores directos ou in-
directos que tenham por fim prohibir a entrada ou
venda na provincia do producto similar nacional
ou estrangeiro.
Art. 3.a Se no fim de 2 annos contados da
data da presente lei, ao estiver a mesma fabri-
ca fraccionando regularmente a actual conc's-
bho de privilegio ser ipso-facto conaidetada ca-
duca.
Art. 4." Ficam revogadas as disposicoes em
contrario.
Sala das comntissoes, 12 de Abril de 1886.
Barretto JuriorPadre Julio de Bar-
O r. kupbronlo Portella (Nao de-
volveu o seu discurso.)
O Sr. Jos Marea fas novas considerarles
sobre o seu requerimento.
Ninguem mais pedindo a palavra, encerrada
a discussao, e posto a votos o requerimento, re
je nado.
Contina a discussao do requerimento do Sr
Ferreira Jacobina sobre a publicaco no jornal da
casa do exame ptocedido relativamaate aos elei-
tores do 2. distncto.
Ninguem mais pedindo a palavra, encerrada
a discussao.
O Sr. Ferreira Jacobina (pela ordem)
pede -i a casa concede que a votacao sobre o seu
requerimento si-ja nominal.
Procedondo-se votacao, d ella o seguinte
res litado :
Votam a favor do requerimento, os Srs. : Costa
Ribeiro, Viaconde de Tabatinga. Lourenco de S,
Ferreira Jacobina, Juvencio Mana e Prxedes
Pitanga (6) ; e contra, os Srs. Reg Barros, Fer-
reira Velloso, Joo de S, Julio ae Barros, Soare*
de Amorim, Herculano Bandeira, Costa Gomea,
Dotningues da Silva, Ratis e Silva, Barros Barre-
te Jnior, Cielhj de Moraes, Luiz de Andrada,
Rodrigues r'orto, Constantino de Albuquerque,
Sophronio Portella, Augueto Frankn, Joo Alves
e Gomes Prente (18).
E' portanto rejeitadj o requerimento.
O)tHtafia a dMiuaso do requerimenfo do Sr.
Jos Mara, pediudo <-6pia do telegramma expedi-
do pela presidencia da provincia relativamente ao
cerco da Assembla.
O Sr. los Mara(Nao devolveu o sea
discurso.)
Kiaguam ai.o pedindo a palavra encerrada
a discussao, e posto a votos o requerimento, re-
jeitado.
Passa-se &
1,* l'ABTE DA OaDEM DO D1
N. 246. Disp.isicoes geraes.Offereco como
emenda para ser coilocada onde f ir conveniente o
projecto junto por copia sob n. 233 de 1882Ra-
tis e Silva.
O projecto a que se refere a emenda o se-
guinte :
4 Assembla Legislativa Provincial de Per-
uambuco resolve :
* Artigo uni;o. Fica o presidente da provincia
autorisado a conceder a Marcelino Jos Mana
de Almeida, arrematante da reconstruccao da
ponte de Maus na estrada da Vic oria, ama in-
demnisaco correspondente a importancia do aba-
te por el'e feito no preco da ressectiva arrema
taco.
* Revogadas as disposicoes em contrario.
Sala das sesso-s, 15 de Maio de 1882.Olym-
pio MarquesNilo de Miranda.
N. 247. Offereco como emenda additiva o
pr,jecto n. 30 deste anno. Herculano Ban-
deira.
O projecto a que se refere esta emenda o se-
guinte :
n A Assembla Legislativa Provincial de Per
nambuco resolve :
* Artigo nico. Fiea reslabelecida a lei n. 971
de 1 de Maio de 1871.
* Revogadas aa disposicoes em contrario.
Em 8 de Abr de 1886.Herculano Bandei-
ra R-go BarrasDr. Costa Gomes
N. 248.Aprsenlo como emenda additiva o
projecto n. 74 deate anno. Herculano Ban-
deira .
O projecto a que se refere esta emenda o se-
guinte;
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
nambuco resolve :
Art. 1." A jubilaco do professor publico de
instrueco primaria Antonio Mximo de Bar-
ros Leite fica regulada segundo as disposicoes
do art. 156 do regulamento de 6 de Fevereiro de
1886. '
Art. 2." Ficam revogadas as di8posi$oe3 em
contrario. .
Sala das sesaoes, 28 de Abril de 1886.O vi-
gsrio Augusto FrankliaReg Barros Regueira
Costa. *
N. 249. Sub-emenda emenda n. 213. O
Banco de Crdito Real s gosar das isences de
que trata a emenda 213. durante os cinco primei-
ros annos de sua existencia.Barros Barreto J-
nior.
N. 250. Fica era vigor o art 7. 8 da lei 1,713
de 23 de Junho de 1882 na parte a que ae refere
ponte sobre o rio Ipojuca.Barros Barreto J-
nior.
N. 251. Additivo a disposicoes geraes. Onde
couber.Fica o presidente da provincia antori
sodo a mandar pagar -
8lveira Carvalho a quantia de 591*725 ; a Lttl*
Laroenhad. Mello Tambofim 538*000; a Elyaea
da Silva Gusmo 523flr>8: e a Henrique de Bar-
ros Cavaleanti 163*100 ; differenca de vencimen-
tos a que tem direito pelo exercicio interino do
cargos de I,,.e3 officiaes da Secretaria do
GovernoG. de Drummond.
N. 252. Additivo a diapoaicoes geraes 8
passar a emenda n. 216 accrescente-se : e tam-
bera D. Liberata Ambroeina dss Santos.G. de
Drummond.
O Sr. Ferreira JacobinaEu solicito
de V. Exc. a reraessa de todas as emendas additi-
vas que estao offerecidas ao orcamento.
(O orador satisfeto.)
Sr. presidente, nao me traz tribuna outro mo-
tivo que pedir serias contas commissao de orea-
meato, pela elaboraco do art. 13, e a V. Exc. e a
Anoria da casa pelos additivoa que collocaram ao
art. 13, contra a lettra expressa do regiment
d'esta casa.
Sr. presidente, ae passarmoa uma revista nos
antigos regimentos que presidirnm os trabaluoa
d'esta casa, antea do que rege actualmente, ae via
que a maioria d'esta casa dirigida pelo aeu presi-
deute, fazisa das lea de orcamento verdadeiros
mnibus, o que foi espirituosamente qualificado
de machambomba, porque era ah que os protegi-
do: tam buscar a guarida, e a maioria da casa da-
ya entrada, fazendo as trsnsaccoes que de cost-
me fazem para obter favores d'esta casa.
Volvem os annos. e de um e outro partido reco-
nbeccram a inconveniencia de semelhante proce-
dimento, e por isto foi elaborado novo regiment
por pesoas que nao sao suspeitas e se eatabele-
ceu a disposicao terminante de que na le do orna-
mento nao se udmtttiria materia que irli dissesse
respeito receita e ao servjco publico, entretanto
cora a mais clara e terminante iutracco do re-
giment que se achara em diacusso com o art. 13,
additivoa completamente extraubos materia do
servico puUico, da receita o despeza, verdadeiros
favores; e o que mais me sorpreheude. que ba
bem poucos aias, se nao me falha a inemoria> V.
Exc. recuso, creio que uma emenda mandada a
mesa, por occasiae de se discutir esse artigo do
orcamento em que se davam o abatimento aos ar-
rematantes do imposto provincial e municipal.
que certo e que susctou-se duvida e anda
ae poderia deduzr, porque dizia respeito despe-
za; mas as emeudas, que ora se discute, &lgumas
d'ell.is sao verdadeiros previlegoa extraordinarios
que se concedes a individuos, que estao com suaa
industrias para atacar e ferir a propriedade par-
ticular. (poiados). E, Sr. presidente, sobre
ato que esta commissao de orcamento, muda, nao
disse uma palavra e se encerrava a discussao sem
que ella pronunciasse uma s palavra.
O Sr. Prxedes PitangaNao, porque eu esta-
va presente.
O Sr. Ferrera JacobinaV, xe. sabe que es-
teva a eucerrar-se a discussao, e se eu nao me
adianto, por certo encerrar-se-hia. Este que
o facto.
O Sr. Gomes Pareule d um aparte que nao nos
foi possivel ouvir.
O Sr. Ferreira JrcobinaE, Sr. presidente, foi
muito bom que eu fizesse esse appello, porque
aasim estou convencido que o relator da commis-
sao nao s tulla o desejo de fallar, como nao de-
sojara passar no esquecimento essas emendas.
O Sr. Gomes PrenteHei de acompauhal-o.
O Sr. Ferreira JacobinaNao acompanhar a
mira, emittir o seu juizo sobre estas emendas ;
cu desejo que a commissao diga se acha razoavel
armar cora privilegio c com o direito de desappro-
priaco no interesas particular.
Seuhorco, ha piucos das se verificou um acta
uV-sta capital, pelo qual se vi at onde as empre-
sas abusara do poder de dcsappropriaco. A V.
Exc. e casa uo pode ser estranho o proced-
monto da via frrea do Caxang, que em nome de
utilidade publica e armada com o direito de des-
appropriaco, empregou n'aquellu terreno situado
4o Mauguinho, onde chaioam entroncamento, e a
pretexto de que preetsava para suaa obras, para
a sua emprezs, todo o terreno desappropriou e de-
pois vendeu parte d'esse terreno a particulares, da
forma que, senhores, uma erapreza publica, abusa
de uma concesso legal, eommettendo urna violen-
cia ao direito de propriedade, a titulo, dando como
razo ser a exorupriaco de utilidade publica pa-
ra beneficiar a tercciru.
Como pa, que ae va conceder livores desta
ordem a empresas particulares, que nao tem (di-
gamos com franqueza), a menor razo de utilida-
de publica ?
Eu nao sei como uma fabrica de cerveja, por
exetnplu, poasa merecer um favor destea como se
fosse uma empresa de utilidade publica c geral
como de viaco, luz, agua.
Sao como este, outros projectos que se ofterece-
ram coma additivo ; e Sr. presidente, eu voltando
ao coraeco, perguato ao nobre relator da commis-
sao que formulou o art. 13, autorisando aa apo-
sentadoras, quaes as condiccoes desaas aposen-
tadoras ?
Era face de que lei vo ser aposentados os func-
cionarios de que trata o art. 13 ?
Eu desejo ouvir a commissao neste ponto.
O Sr. Gomes Prente Nos termos da lei vi-
gente.
O -!r. Ferreira Jacobina Quaes termos da lei
vigente ?
Se a Assembla ha poucos das deu um parecer
e formulou uma le.; regulando as aposentadorias.
Eu quero que a commissao me explique isto.
Portanto, Sr. presidente, eu desejo ouvir a com-
missao n<> s sobre o disposto rio art. 13 e leis
relativas a aposentadorias, como quaes as con li-
CO--8 em que deve ser a aposentadoria, como tam-
bera sobre os artigos additivoa offerecidus, para
que diga com franqueza o que pensa para ento
se abrir ama discussao larga e votar-se depiis de
elucidada eila.
Nestas eondic^s sent me certo de que a com-
missao nao deixar encerrar a discussao sem que
ella justifique e aprecie cada um dos additivoa e
quelles que forem apparecendo, cerro de que na
procurar estabelecer uma votacao de continua-
ra i e previo accordo contra oesclarecimento o que
proprio e natural desta casa.*
O Sr. tmotmen Parate diz que nao tem
razo o orador que e precedeu na iccusaco quo
fez a commiaso de orcamento por nao se ter ma-
nifestado a respeito das emendasjeadditivosoffere-
cidos ao projecto de orcamento.
O orador esperava que terminasse a iueaso de
emeudas presenta ias boje para ento tomar a
palavra ; retirou-se por um m >raent > do sala > das
sessoes quando o Sr. presidente piof-rio as pa-
lavras regiraentae8seno ha qu-m peca a pala-
vra dou por encerrada a discussao.
Isso deu lugar a que o nobre deputado Sr. Ja-
cobina precedesse o orador na tribuna com o que
lucr-u a causa publica.
Nao tem tambera raza) o Sr. deputado quando
exagera os deveres da commissao de orcamento.
As commissoes da Assembla nao tem mais di-
reitos nem obrigaees que qualquer deputado ;
tod.s dev^m cooperar para o bera publico, estu-
dando os neg cios da provincia, esclarecendo os
eollegas de modo a que as leis sejam as melbores
a Antonio Fernandea da
pOSSIVelS.
Trata.se de emendas e additivoa apresentados
ao projecto de orcamento alguna dos quaes na
tem relaco alguma co n a receita e despeza da
provincia ; couseguintemente a obrigaco de com-
bater ou sustentar taes emendaa e additivoa cabe
ndistincta neut- a qualquer deputado, principal-
mente a seus autores.
Eutretauto o orador vai satisfazer o nobre de-
putado emittindo seu juizo a respeito de algumas
emendas s -bre as qpaea pode reflectir.
Aotes de tudo, porm, pede permisso para di-
zer que essas materias extr-.ntms ao orcanienta,
se forera aceitas pela Assembla, devem constituir
projecto em separado.
O presidente da provincia, com a prerogativa
que Ihe d o aeto addieioual de lanccio-iar ou na
os projec'oa de leis, tambem legisla, c> opera com
as aasemblaa provineiaes na coufecco das leii
respectivas.
Admlttir no projecto de orcamento materia cx-
trauha a receita e despeza de certo modo coarc-
tar a liberdade do presidente, qae nao p ide pres-
cindir das leis de meios.
Nao regular esse modo de proceder e por isso
em tempo opportuno requerer para se separar d
projecto do orcamento tud quanto Ihe for es-
tranho.
At certo ponto o orador justifica a aprosenta-
co te taes additivoa ao projecto de orcamento ;
esse o untec meio de serem disentidos.
E' por demais insuficiente o praso marcado por
lei ara as sessoes das aeaemblas provineiaes ;
nao possivel em dois mozes votar-se aa leis an-
ias, orcamentoa e tixacao de torca policial.
Ao tempo da promug.:c%to do acto addicional
orcamento da provincia nao exceda de irosentos
contos, ao passo qne hoje attinge a tres mil e
quatrocentoa.
As cmaras municipaes, para cada uma das

?
MMMa


Diario de PeniainbucoSexta-feir 30 de Julho de 1886
quaes se vot um ornamento, tem e multiplicado
e pela ordeu natural das cousas seus servicos su-
guoentaso sempre.
Alm dsso a Assembla Provincial Cambem
ua eorpo politico, onde os partido jodem propa-
gar suas doatrinas, coraba'er as do seus adrersa-
rios, e censurar os actos dos pideres pblicos
pelo que a poltica consom grande pirte de
tenspo.
Assim nao deextranhar que se tenhatn pro
longado os trabajos da Assembla alean o prazi
ordinario e legal, enlo que j foram votadas me-
didas de graud.i alcance para s financas da pro-
vincia ; refere-se o orador a lei que detertuinou
que a arrecaohgs dos impostos de exporlaeij B
os de consuma fosse "feita pela Alfandega.
Passa o orador a aualysar a emenda, que tem o
n. 202, assignada p 1's Sra. deputados liarao de
It ipissuma e Jos Mara e declara que nega seu
voto a ella.
Consigna easa emenda a idea de se conoeder aos
devedores da fazenJa at o ejercicio de !883 a
1884 inclusive, contra os quaes baja execucau em
juizo um abate de 2d c/o de principal, alm da
inulta, e de 40 /o das custas ; e a favor d'aquol-
les cujas dividas anda nao estiverem em juizo o
mesmo abate de 2l> /<, e a reletaco da multa.
Parece o orador que semelhante emenda por
demais prejudicial aos interesses da fazenda, e
importa um incentivo ao calote.
Adinittir o precedente da concessao de abates
aos devedores remissos e relevacao de multas im-
postas pelas leis fiscaes como pena pela nfraccao
commettida abrir a porta ao abuso.
O devedor reuiiaso tcar em eondico-a mais ta-
voraveis do que aquellos que sao pontuaes, que
pagam no devido temp >; fcaajanjai mis pagar
imposto esperaudo pelo ju*iieu decretado por
aquolle mesmo poder que votou o imposto, e im-
poz penas de muirs pelo nao pagamento deile no
tempo c forma devida.
Ha uma di.-poRiooaa 1j do ornamento vigente
que me Dureceu um tanto razoavel, i sen tr. nao do
pagamento da multa aos devedores que dentro do
exercicio pagassem seus dbitos.
NS i tom bem na lembranca a disposicio a qne
se refere, mas pare;e ao orador que idntica a
emenda que tem o n. 204 assignada pelo Sr. Cos-
ta Rib-iro.
O Sr. Costa RibeiroJ ipresentei outra emen-
da anda iniis restrictiva.
O Sr. Gomes Prente diz que como excepcao
e dadas certas circunstancias podara se admittir
a relevacao da multa, por sso que a fazenda nao
tem iuteresse era litigar para cobrar seus iinpos-
Aguarda a apresentacao da emenda do Sr. Cos-
ta Kibeiro, que anda nao conheee, mas com cor
teca vota contra a emenda a que se tem referido e
que tem o n. 202.
t'onvm ainda observar, diz o orador, que a
adopcao dess* emenda d logar a serem suspen-
sas as execucoes da fazenda durante todo o exer-
cicio da lei, uma vez que os favores concedidos
abrangem todo esse espaco de tempo. De modo
'ue, aten) dof abates e da relevado das multas,
ainda se concede o prazo de um anno para o dere-
dor reicisso pagar com snspenso das exeeayOes.
Convm notar que a divida activa que se liqui-
dou no exe cicio de 18S4-1885 excedeu de dous
mil e quiihenros cont?, sendo quasi met-.de des-
sa divida proveniente do imposto addicional a d-
cima e c-deauient.1, e portauto de fcil avenada -
cao.
O orador nao comprehende qual a vantagem
para a provincia de 9melhante favor, e, como j
disso, ir* parece perigoso lemeihante precedente.
Passa o orador a dizer o qu-f p-usa sobre o ad-
ditivo sob n. 206, que concede a fabrica de cerve-
ja denominada Nona Haiuburgj c a outros
quacaqni r estabelecimentos que possam vir a coin-
por dita fabrica. iseneao de dcimas a da quaes-
quer antros impost pr ovinciues e municipaos.
Aeba exoi hitante e raalo de ser semelhan-
te favo- feit.t a um estubeieeiinento cominercia!,
que se destina ao fabrico de cerwja e outros li
quidos, ja fabricados ua provincia.
O favor (iii- se pretmde cjncjder de uma am-
plitudc que espanta.
O orador engs a acre star sao aa pasear o ad-
diti 11 os proprietarioS daNova HaubnigOr-po-
denlo monop-Usar um dos principies ramas do
COTOiiieieio com prejuizo notavel das rendas pro
vinciaes.
\ -eiila a AaaantMda on< a iseneao compi-chen
de i>s impostor d mportaedo e exportaba*, sen-
do aNova Hamburc-----da propn-dale de -go-
antes importadores bein de ver o enga de
BOSoeesOes dessa ordem.
O .ir. .loiio Alees1> alditivonai aosris4 i-si
O Sr. 6i-mes Prente Acredita naf boas ins-
truegoes do autor do additiv ; mas forea convir
que anda qnsndo pvreoa que a isea^Ka dos ka
pOBt s de iuip.irtaca-i r feren'e s6;nei:tr a ceva-
d, lpulo, esseacias, capsula?, roihas e eascm
vaz"3, todava a primeira parte do aa litivo ge-
nrica
Mas quando mesmo seja restricta aos oij' et m
menciouad"S, nao ha david* que o favor coucedi
do extraordinario.
Ninguem mais impirtarA taes artigos em eon-
dicc tao favnaveis como os proprietanos d.
Nova Ham hurgo.
Isso com relami aos impostos de mportav'O,
porque se atteiider se que fica tsse estabrlecim. li-
to comm.rcial isento ili-s oemais impostos pio-
vinciaes e muincipaes evidente a desigualdade
entre este e os demais de igual natureza.
Em toib o caso o additivo da lugar a duvidas,
a as leis devein ser claras a p tiras, principal-
mente em materia de iseneao de impostos.
() Sr Jlo Alves V Exc. pode mandar um
gub emenda
O Sr. Gn-s Prente, nao pode mandar sub-
emeii-1 porquo vota contra o additivo.
Coin relco ao direito de desiippp.-priHcao qu>-
ge concede aos proprietarios da Nova-Hamburgo,
tambera o orador nao o concede.
A desappropriacio smente concedida per uti
lidade publica proviacial ou munieipal para con!>-
truc^o de edificios pblicos, tundacao de povoa-
Coes, hospitaes e casas d caridade ou de instruc-
eSo, aberturas, aUrgarneuUis ou prolonsamemos
de estradas, ras, prcas e canaes ; esse direito
nao pode ser concedido a um particulnr em pro
veito de um estabeleriment commercial.
Por todas essas razocs, diz o orador, nao pJe
aceitar o additjvo contra qal vota.
as mescias c<-ndtoe.- mutatis mulandis se aeh*
o addkivo que tem o n-220, o qual conceda sen-
cao de direitos provinciaeB e municipaes a dous
eoinmerciantes que se propoenr i estabelecer umn
fabrica para refinat assnoar e moiseo.
VO o orauor neste dditiv uma idea que pode
ra ser aproveitada; mas parece ao orador c\w o
meio para obter-se o resultado desejado e de uti-
lidade- pata-a- provincia nao o prop->sto.
O adoitivo eoasigna favores extmordinariog,
com > s-.iain a iseuoao de- impostos, inclusive os de
expoi tafiio, psm -os 'productos dees* f.brica ; isso
0 o, .dor na i c meada.
Confessa que sumlainen e ignorante dos di -
verses ysiemas de tabricaedn de msuear, e por
iss pede o auxilio de sus collrga pstmio qne vai
i d2c:.
H. uma qualilad' de assushnqusrse chama me-
lsc-, que b o nisauar brui, que vndido por pro-
co nfimo, e parece ao orador que -uo se conso-
m ua provincia.
Um .->,. U'-putiid-E' refinado.
O Sr. G -mes l'arenta diz qu<- sabe do cuntririo.
Este aasucar exportada, quasi rcduzido.a mei.
para certos porto da Iuglat- rra, onde itepoiS -
refiuaii.i re exporudo pr ua Es ados Unidos.
hUCCCih) quasi seuipru pecdw se nos n*vio
graii-l- qu-nitidade d ulc.l, que lane.do ao mar;
nes US coodico Se fcasr p ssiwl apn.veitai--e
essa qualidade -ie ^sucr sendo r-finado para sel
depaj 1-xportadu nao tinha ,. oi-adur duvida ni
couc ilitr a neiiCHO de direito para a empn-za que
tnWHsa a si c.^e encargo, al in-sioii poique o
mel- en est, por Iris pruviucisen, is-ntu du impos-
to de xpurUQsW
O Sr. Brsjfl Barros Vem f rii ontros direitos.
U dr. sWi Pare -te, eon'esta.
'' S:. cg> 15arr.i<, n parte re
esr off^riiV ..utros dinius; nio se refiuaii* so-
emenda n. 221, n5o nrejudica a pequea industria,
que existe na provincia ; e por essa razo nSo du-
vidar votar- pelo aijitivo com as modificacoes
coasigoass'em diversas emendas j4 approvadis
na 2> discasso do prejecto.
O orador na 3 diseaeso ter4 o:easiao de ofte-
recer consideracio da Assembla uma emenda
que torne bem claro a ida de que o contracto se-
r feiro em concurrencia puolica e com quera nw-
Ihores vantagens ufferecer.
O privilegio de que se trata nao pode ser pes-
soal ; so pode, obter aquelle que em concurrencia
publica offerecer mais garantas e maiores van-
tagens.
(Ha um aparte).
O Sr. Gomes Prente, diz que nio conhece os
prece lentes da casa a respeito desse ponto; mas
Ihe parece que ineootestavel a ch.utrma que sus-
tenta.
O privilegio s pJe ser pesaoal e independite
do contracto o que se refere aos inventores por
suas descbertas ou por suss produceoes ; tudo o
que nao lar isso dever sujeitar-se as regras de
um contracto, onde se estabelecam os direitos o
obrigacoes das partes.
as mesmas condicoes se acha o additivo n.
228 que concede a um individuo certo e determi-
nado privilegio para explorar a converso do grao
de trigo era farinha por meio de moinhos.
O orador nota que nao ha relaco algunii entre
eses privilegios o o ornamento ; sao materias in-
tegramente heterogeuias.
O Sr. Viaeonie de Tabatiuga Mas esse addi-
tivo est as disposicoes geraes, e o prusidente
pode deixar de sanecionar.
O Sr. Gomes Parate, mas, diz o orador, as da
posicoes gerae fazem parte do orcamento, o o
presidente da p:ovin:ia nao podo sanccion&r so-
metite uma parte da lei.
O'ahi a necessd-ide do separar-se do orcamnu-
to todos os additivos, verdadeiras parsitas, que
enxertain as leis annuas forcando moitaa vezes a
sanccJo.
Ainda tem muilo que dizer ; mas sentindo-se
fatigado aguardase para outra occasiao.
VozesMuitj oera !
(Contina).
KtviSTA DIARIA
tBarr.ie, un parte reo>tiva_ ao assu-
meui
fff'til ifllssailliiuj te il z que s
fav r para o melaaSf qu ft-SS* refint i '.
t uiprelpn'l.-se que esl no iuten-sue'do-eilcar-
.rtfta.iu perpie o lucro sacia maior
S-. 11 20 B^rr -oAh esai o son engao:
O Sr. Gomea'i-'itreiiu-, bens'disns.- oorador qu--
pT'Cisava do aaiiliu de onus-osliegse ; aci-edft
fi<- pede estar era oin> piiiieipiUiaeute depoi d
contestveio que le t..z o^ nutonr^iepatadu paio 2o
district >, que uoijiatsassu agricultor.
O adinvo u.' 'Jtl ooucede privilegio aium com
me re i nu te. para o costumes de coqros.
O'orad/r immigv de prfvihgios ; mas jnstifi-
sjiMssfcm sMgnua easoo.
E' iaformado de-sjne- o pstvslrgie consinsiario ua
(.minia nacionalPor acto da pruden-
cia da provincia, de 22 do corrent", foram nomea-
dos os seguintes officiars par o 18- batalh&o do
servico activo da guarda nacional de Cabrob :
1* companAta : tenente Bcnto da Costa Araujo ;
alferes, Rozendo deOliveira e Silva.
2' compinhia : tenenle, Mauoel Iiibeirj de Car-
valho Granja; alferes, K-iyinundo Abilio Ribeiro
Granja.
3 cotnpa/A/a : teneute, Caetano Pereira da Sil-
va Le i te.
Autoridades) policlaen Por actos da
presidencia da provincia, de 22 do correute, e eob
proposta do Dr. chefe de polica :
Poi exonerado o tenente do exereito Leoncio
Luiz Pinto Kibeir.i, do cargo de delegado do ter-
mo de Leopoldiua, sendo nomeado para substituil-o
o alferes do corpode polica Jos Pelippe Gomes
Jnior.
Foi exonerado do cargo de 1 supplente do de-
legado do termo do Goyanna o caprtao Joj da
Costa Ribeiro Cinto, sendo nmneado para subst-
tuil-o o major Jos Correia Oliv^-ira Andrade
Jnior, actual l' 6upplentc. e sendo nomeado 2-
supplente Joilo Goncalves Bastos.
Foram nomeados subdelegado, 1", 2- o 3- sup-
plente do l- distncto do termo de Goyanna, na or-
iem em que Be acbam, Francisco Cavalcante.Dias
de Amorim, Jos Alves de Souzi Pira, Joao Lu-
pecino Perreira da Si'va e Jos Lopes de Lima e
Silva.
Foram tambera nomea los :
Delegado do tersao de Gamelleira, o bacharel
Vicente Tavare Ridrigue.J. sendo a seu pedido
t.x uierad i o actual.
p -2- supplentes do delegado do raesmo ter-
m >, Antonio Uias 44*08 da Silva e Joaqmm Pan
tlelo de Barros e Silva.
Subdelegado do 2- districto (ib-irao) do trr-
mo de Gamelleira, o respectivo 2- suppleRte Joa-
quira Francisco do Almeida.
1- supplente do mesmo subdelegado, o 3- Joa-
(uiui Tioureio Ferreir.-i.
3 supplente do sub-ielegado do 3- distnoto do
dito termo (S. ilosd da Kxtre na) Prancisco de
Paula NiiiM?, cando exonerado o actual.
EOInarque ib e.-te titulo esereveu a Ga-
zela da Hahia de 27 do eorrente : *
< Ni paisnatn naeioual Manoi, seguio ha
para a aorta nosso iesp>-itav.i amigo e prestigioso
e-ir ligioiiari i Exm. S". cunselheiro Theodoro
Machado I-',ene Perrina da Silva, llustre nross-
ijei.i.- d- ata provincia e muito digno representan-
te d. brisas provincia de Pernambuco na cmara
teinporaii .
Ao embarque de S Exc qu-: effectuou-se no
Ais. oa a.- Marinan, consorreu uumero considera-
vei de pesaoas gra las. At all f i S. Exc. a sat-
janli .do i lo Sr. desem'oargador 1 Vice-presiden-
te da provincia, s;eue<-al commandante das aunas,
Dr. eh f d p.licia, Dr. presidente da Cmara
MunicipJ, l>r.ecreiarodo gov.-rno, Dr. inopector
do The*.uro Provincial, brigadeno cmmand.uite
do corpa de polica, os membros da deputaca
nuBsarvadsra da Assemb.a ProvineUl. diversos
magistrado*, i mpregados du Secretaria do G .ver-
no e outros fuucc-ioiaiios pblicos, representantes
da irapr^usa e mu tus amigos e en religionarios.
N > Arseu-I de Marraba esp-ravau, S. Exe. o
Sr. iiipector d'uquclle estabelecimento e outros
oili. ia- s da armada.
Deu alli a guarda de honra o 16 batalhao, to-
cando na p-issagem do S. Exc. as msicas de po-
lica, do 9, d W e dos menores do arsenal.
S. Bne. < mhbroou ua galeota, que toi acompa-
o ida. por trtslanohas a.vapor e varjos-escaleres,
nos qnaes" seguiram at o .liando mu tos dos que
haviam acompanhado S. Exo. at o arsenal, dei-
xando outros do seguir por.fasta de einbarcacoes
no momento.
A-i rogreesarein a trra as pessoaa que fo-
ram desiedir-sede S. Exea bordo do paquete
as lanchas a vapor fizeram uma volta em roda do
Manos, levantando-so n'essa occasiiloestrepitoaos
vivas ao Sr. c nselheiro Theodoro Machado, qne
do prtalo corresponda aos cumprimentos de seus
amigos e curreligionsiio*.
O paquete 'evantou ferro s 3 1/4 hor..s da
tarde.
Deuejando a S. Exc. a mais feliz visgci, fase-
mos a uossns cordi es deepedidasao cidaiiao Ilus-
tre que, ua representucao nacional, da qual or-
namento, vai de certo continuar a prestar a patria
os relevantes eervieos-que Uein turnado o seu noine
glonoso-e respeitado.
e>nlelrs Intorniatn-nos que ante ho:i-
tein s 8 1/2 horus da note foi invadido o esta
beleciraento sito o pateo do Carmo n. 13, por di-
versos deso deiro*, os quaes-esbordoaram as pessoas
que alli se achavam.
Pedem-n- s para chamar sobre isto a attonoo
da espectivK autoridade.
Useanoa fia ns*rt Ante-bontem por
voita d8 1/2 horas ds noice, toi apwnhado pelo
o ,nil n. 29, que ia parn b"eraandes Vieira, c na
p.nte Oons de Uesembro, um individuo bastante
embriagado, que atravesraudo por detras das mu
las, foi derribado, cahindo por debaixo do bond t
com tanta idieidade que nao foi atiingido pelas
radnas
O cocbeiru, qne imrnediatamente travara as ro-
da deu giHOas a Ueus quitado vio o houusm sabir
>u c '-ocuaeito por uebaixo du vehiouio.
Antes assim.
Meritlpe e tlaxoas Pelo vapor costeiro
rec-neiuosfolhasdeS>rgipeiat 22 e de Alagoas
at 28 do carrete.
Nada referein ellas que inereca metteao.
HaiiilVMtt awadetsiino' Rkeobemus e
gr^ d.eein>s uin exeinpiar mprvs o, qne muitos
eadeuneos pubiicaram, de um seu ttinifato aa
pait.
Cn'ajadaNo paquete inglez A'ewj chegon
n.tcm .10 sul o Sr. Dr. Jos Marianno Carneiro
dk Cunba.
Os seus amigos o udinfrndorcs, en cnsscido uu
meio. f.rmn rocebe.l-o no caes do Commercio, que
>-8tava emb.Mideiratic, bem como o estavain e u-
niiaiu festuca de l.j*hB is rutado Conuncroio, Mar-
qinstdtf OUri-ia,Vftn|era or. BaaSa dsl 'Vfbtxirn e
Imperatriz, e piac^*JCjude d'Eu.
lJ,vt-itwsocj.k**es-aboliciouisae ranih aca-
deiuicoS se encoip iraraib aos amigos qu'torami
esperar o Sr. Dr; jse Mariaosu.
Uepus'4o diM<*unbarquF,c-rca>-de 9 1/2- hora* J-.
miuib, diri^r..m se loaos Atsuciaylo Comutei-
eial t.airtioente, uui cuJO' sallo fosara prtdersdoS
aguiis. dseursos.
Ualli-seguio o-presli'0'para a fignesia.lB Ssn-
to Aulouiv, iiuio na beata. diverSjs endfleS' das
ooisoades abolictuoiB-* 3 ipaiarmoSMU-s-dois
Sitky* partiouii Wt.
Na ra do dnwrndor, sawptorio da Provincia,
foram proferidos muitos discursos, alguns violen-
tos.
, lalli segoiraio todos pela rna do Imperadjr,
Duque de Caxaa, praea a* Independencia e ra
do Cabug, at a ra Baria aa Victoria, onde no-
ves discursos foram proferidos da sacada de uma
casa particular.
Depila, segnio o prestito para a Boa-ViBta, e na
roa da Imperatriz de dtveisas casas foram pruf -
ridos discursos, sendo os ltimos da casa do Sr.
Dr. Prxedes Pitanga, cuja porta dissolvou-se a
reauio, seguindo o Sr. Dr. Jos Marianno, a car-
ro, acompanhado pjr diversos outros em que ism
seus amigos, para sua residencia no Poco da Pa-
nella.
Bevlnta de fenervatorioD-sta til
e interessaute publioacao mensal, do Imperial Ob-
servatorio do Rio de Janeiro, recebemos llantera o
n. 7, cujo sumraario o seguiute :
Estabilidade d > aunel da Saturno.Das tempe-
raturas que melhor represmitam as temperaturas
medias aunnaes.Torre de terr > para meteorolo-
gia.Sobre a evap iraca'Estimativa de curtas
duracoes de tempo.Trab.llios de Hiru na physi
ea transcenlente.levista das publicaces.As-
pecto do co durante o m-jz de Agosta.Noticias
varias.
A EntacaDa corte acab di chegar o n
14 do jornal do molas parisienses, sob o titulo
cima, dedicado s senhoras brasileiras.
E' uma daa me'hirea revistas de modas esta e
conta 15 annos de existencia.
O numero, do que nos occupainos, alm de umi-
tas gravuras no texto, tr*z duas estampas de mo-
das, coloridas.
Verdi. Extrahimos da revista tbeatral do
Mercante, de Genova, do 13 de Julho:
Giuaeppe Verdi sempra o mesmo, lapido e
vigoroso e o seu Otello parece mais que certo que
apparecer no futuro iuverno no Seala de Milao,
bastar para confirmar Italia o primate na arte
dos sons e derrotar o exereito de pygnieufl, que no
estrangeiro se afadigam em demonstrar que a m-
sica italiana dev- de hoje em diaute ceder o scep-
tro ao3 ab irtos monstrusos e mastodontioos de
errtos innovadores quo qu-'.rem reduzir a opera
thearal a uma ribombante successo laestfava-
gantea cjmbino<,-oes matbematicas.
Nao menos infressante parece qtiedcve ser a
cstacao do outon i para os amadores da msica,
uma vez iu ha rom certeza dous espectculos im-
portantes, um na PolitraiiaGen-vza e o outro no
Paganini. Nopiimuiro,-alm de uma erie de obras
ainda para se estatuir, haver tambera o primor
darte carographico do Manzotti, Exetlsior que
alm de ser aqul!e bellissimo baile que todos sa-
bem, tem ao metiuo tempo a apreeiaco da msica
do Marenco, cora certeza nao ultimo attr.ictivo
No Paganini tambera se erti, segundo se nos diz
amadurecendo um ptimo espectculo, acerca do
qual quer-se conservar ainda segredo.
Nj iuteresse ds arte e no igual urente das em-
presas de esperar que ellas esoolbam bem, tanto
as partituras como os seus interpretes. O publico
tom serapre se mostrado prorapto conforme os es
torcos das empresa i quando estas subem apresen-
tar-lhe8 bons espectculos. E' pois, de intsreese
dallas escolher b-m; que se lemorera serapre
nrmcnt's! vase"to da uygieue pu
bllca.L-'inos na Germania :
Os not*ve:s progressoa feitos na Germania
pela hygiene publici sao de data recente, depois
dos que sepa admente or^auisados em cada um
dos Estados e ainda mais as atdadaa, mas mi. se
verificaram senao depois da constituidlo da uuiJa-
da Gt-nnauica.
L.-is especiaes em argumento de bjgiene pu-
bca, dignas dealguma importancia, f.irntn as pro-
mulsadas em Badn, na Prussia, Saxonia, Bavie-
ra, Hesae, Wurtembero;, etc. Desde que era 1876,
fii instituid o o Rricli8gu*ndheUeamt (Officio) de
sanidade do Imperio o a administraco sanitaria
foi era todo o Imperio centralizada, se demonstrou
minuto interesas o Estado desejava toma" na ad-
ministraca da causa publica. A constituicao de
um tal otficio e as attribuicocs a elle deferidas, sao
louvaveis deoaixo de toda consideracao e denotara
um cousideravel dea-uvolviraeuto da hyt^ene pu-
blica, coa.ljuvado igualmente pela actividade do
mesmo OIHcio, a qual foi muito proficua. Impor-
tantes sao igualmente a iusntuiso da Reichscule-
rammission, pelo estudo da estatistiea asedian, e s
fundaco de estates locaes hygienicas.
As leis sanitarias mais importantes publicadas
n> Imperio G-rmauico s.j: de 869 sobre o exer-
cic.o da industria, e a de 1S74 sobre a vaecnacio,
das epidemias e as mais recentes sobre a vend
dos alimentos, acerca da iuspecco necroseopica e
sobre a deainfeceo (187tJ). Actualmeute foi acei-
to uin p-ojecto de le sobre a a8sociac,ao obrigato
ra dos oo-ru,rius contra os perigos eventuae*, de
rivados di tra&alho, e que debaixo de um c rto
ponto de vista pie referir se tambera hygiene.
A ndole diste trabalbo na > cousente seguir o
dcseuvoivnnento moderno da hygiene publica em
Cada um Estado federal e em t d-.s as cidades do
Iu.perio Germnico : devenios, porra advertir que
em alguns dos aes Estndos e tarab-m era algu-
nas cidades, se fuerara nos ltimos 10 airaos, pro
gressos taes, como nao se encontrara en alguma
outra naco.
Singular pois o de8envolvimento ecientifico.
A'm da xaetido cora que reguiada a estatisti-
ca as suas lependencias com a hygiene publiea,
e a copiosa bibliographia, que coineco do principio
do scalo, e comprrhcnde todos os ramos da hy-
giene publica, p<5de-8e dizer que a Germania deu o
primeiro impulso scieucia hygienica; a Prussia
gaba um Virchow e um Finselorburg e outros ; a
Ha vina tera Petteukofer e Vot, os mais distinctos
bygienistas do tempo: ueste ultimo Estado, pois,
o dsrudo do hygiene publica eminentemente fa-
vorecido e cusinado em todas as uuivsrsidades.
Vi
lielloex.Effcctuar-se-hao:
Hoje :
Pete a^en'e Palana, s 11 horas, ra do
gario n. 12, de movis, laucas, vidros, etc.
Peto agente Pinto, s 10 e 1/2 horas, na ra do
Hospicio u... de um orgo, piauo e movis.
Pelo aoetile Gtutnao. s 11 horas, na ra da
Imperatriz n. 40, de movis, laucas, vidros, etc.
Pelo agente. Alfredo Guimare, s 11 hora*,
na i ua de liom Jess o. 5J, lo estabelecimento ah
sito.
Hlssas funetsren.Serio celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na matriz da Boa-Vista e na igr- ja
dos Martynos, e s 8 horas nt igreja do Carmo,
por iduia do capitao Jacintbo Pereira da Silva
Barros; s 7 1/2 huras, na capella do Cemiterio
de Sauto Amaro,, por aluit de D. lita de Carvalho
(iuimares Autran; s 6 horaa, no Seminario de
Oiiuda e s 7 1/2 horas na matiiz de Santo An-
tonio, po<- alma do capitao Jacintho Pereira da
Silva Barros ; s 5 horas, na Fenh i. por alma de
Antouio Perreira Vilianm ; s 7 1/2 horas, na
matriz da Boa-Vista e na cap-lia de S. Jos da
Pedra Tapada, por alma da Jos Joaquim ctibuiro.
Araauba :
A's 7 horas, em S. Francisca, por alma do com
meiidador Mauoel Figueira de Faria; s 8 ho-
ras, ua matriz da Boa -Vista e no engeuho Geni*
pabo, por alma de D Mara de Jess Cavalcantl
Oliveira; s 8 1/2 horas, na matriz da Boa-Vista
por alma de. O Mina Urce** a a do Hgo tfarros.
Segundafrtira :.
A's S liaras, as matrizes da Boa-Vista e da
Palmares, por alma do major Custodio Ploro da
S'lva Fragoz ; s 7 horas, na cap-lia do cernir
rio publico, peta de Mauoel Antonio .le Jess.
taagt-irNCbegados dos portas do sul
no .-upor mg ez Neva :
Or. Jos Marianno Uarneiro da Cunba, Dr. \u-
lonioda Silva Menezes, Joo Luiz iogo, Autonio
Jouqunn da Siveira, Augelo W. Val, J. Gervasio
Si-v- ro, 11. Vctor Karmuato, Charls Duuu, Ale-
xaudre Lujes Medicio s Ljorenc de S Albu-
querque.
ahidos para a Europa no mesmo vapor :
Antonio Martras Mor ira e J. J. lii.'i;s.
Cb-gados do* portos do sul no vapor nac
nal 6' francisco :
Jo. Ltbanio i Silva, Hilasio da Cdtta e sua
senhora, Maximino Pereira ila Costa, Bella da
Costa Luna, Jos Tlles de Mem-zes.
Operarse clrurjiicu, Poraiu pratica
das no hospital Pedro 11, u.. da 20 de Julho,
a seguintes :
i'.-lo Or, Alalaquia*:
AniputSyo do dedo anoOlar direito eia pha
Unge a dous reulbos Internes indicada por i-siD
gainc-nt-i.
Ekfraccao pelo tt-rmo cauterio de exorrswen
ca pit.lial da mucosa da biicc.
Talha p- lineal ttmierl-reotansada por1 papilo-
mas da bexiga.
(b.u ,i> uctsuvii tiovimeuto dos pre-
*n, no di Fe Julho :
Existiauutncaos. '21,, ciumsanl l|. sahiram 5,
atns tem 3371
A sabei:
Nnoionaes 800, m*lbeis 6, eswnonrtros K, es-
esnasB sentoneiadas pPtKWssadoa HJ, recaio 10.Total 381.
Arraeoados 291, sendo : bens 279, doentesl2
Toral 291.
Movimeato da enferasaria :
Tere baixa :
Amancio da Silva.
I/oterta du provlnelaA lotera n. 65,
sss benooeio da Sania'Casa de Misericordia do
Recite suri extrahi.la quando for annunciada.
No consistorio da igreja de N'essa deshora da
Conceicao dos Militares, se acharo expostas as
urnas e as espheraa, arrumadas em ordem num-
rica aureciacao do publico.
liiilerla do taloA 3* parte d lotera
n. 198, do novo plano, do premio dj 100:0001000,
ser extrahida hoje 30 d-. correte.
Os bilhetes acharase i venia na Casa da For
tuna ra Primoirn de Mar^o.
Tambem acham se venda na praca da Inde-
pendencia us. 37 e 99.
Lotera de Mcele de 00:000*000
A 1* partes da l'j lotera, cujo premio
grande do 2CO:OO0J!, pelo novo plano, ser ex
trahla irapreterivelmeute no da 3 de Agosto s
11 horas da inanhi.
Bilhetes a venda na Casa Feliz da praca da la-
dependencia na. 37 e 39.
Tambem acham-se venda na Roda da For
tuns ra Larga do Rosario n. 36.
Precss resumidos.
Lotera Extraordtaria da Ypiran-
Ka 0 4." e ultimo sorteio das 4." e 5. sanes
de8ta importante lotera, cujo maior premio de
150:000*000, ser extrahida a 14 de Agosto pro
limo.
Acham-se expostos vendaos restos dos bi
Ihetes na Casa da Fortuna ra Primeiro de Mar-
co n. 23.
Tambem acham-se venda na praca da Inde-
dendencia us. 37 e 39.
Lotera da provincia de Santa Ca
tnarinaEsta latera, cujo maior premio de
100:0)0100, dever ser extrahida impreterivel-
mente no dia 6 de Agosto prximo, s 2 horas da
tarde.
Os bilhetes acham-se venda na Caaa da For-
tuna, ra Prynoiro de Marco n. 23.
Lotera da rdrte A 4 parte da 364 lo-
tera da corte, cujo premio grande de 100:0005,
ser extrahida no dia .. de Julho.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna A rna Primeiro de>Marco n. 23.
Tambara acham-se veuda na prac*. da Inde-
dendencia ns. 37 e 39.
Hulartouro PublicoForam abatidas no
Matadouro da Cabanga 69 rezes para o cousumo
do dia 30 de Julho.
Seudo : 51 rezes pertenceutes a Oliveira Castro
& C, e 15 a diversos.
Das 51 rezes perteucentes aos Srs. Oliveira Cas
tro & C 1 foi para a caldeira.
Mercado Municipal de Jone0
movimonto deste Mercado nos dias 29 do cor-
rente, foi o se quinte :
Entraram ;
40 1/2 bois pesando 5,798 kilos.
478 kilos de peixe a 20 res 9f 560
61 cargas de frrinha a 200 ris 12*200
31 ditas de fruetas di versas a 300 rs. 10200
8 taboieiros a 200 ris 1*600
12 Sumos a 200 ris 210 I
Foram oecuoados :
24 1/2 columnas a 600 ris 14*700
27 compartimentos de friuba a
500 ris. 13*500
23 titos de comida a 500 ris 11*1508
701/2 ditos de leguraes a 400 ris 28*200
16 ditos de suinoa 700 ris 11*20 >
11 ditos de tressuras 600 ris 6*600
Ib ditos de ditos a 2* ;it*0iH)
1 dito al* 1*000
A Oliveira Castro & C.:
2 talhos a 500 ris lOOO
51 talhos de carne verde a 1$ 54*000
Deve tac sido arrecadada oestes dias
a quautia de
Rendiuieuto do da 1 a ". 8
Poi arrecadado lquido at hoje
1970660
5:774*8(10
5:J72*4oi)
i-'rec is do dia :
Carne verd. n 240 e 400 ris o kios.
S i. .o- a 600e 50 i res dem.
Carneiro de 600 o 8iO ris idem.
Kan b. de 320 a 240 ris a cuia.
Milho de 280 a 320 ris idem.
Feijo de 640 a 1*280.
Ceiniterio publico.Obituario do dia 26
do Jubo:
,-Vd'a F-oro da Silva Fragoso. Pernambuco,
19 annos. viuvo, S. Jos ; beriberi
Mancel Antonio do Jesut Pernambuco, 65 au-
nos, viuvo, Santo Antonio ;iese cardiaca.
Jos Tnomaz de Aquino, Pernambuco, 58 an
nos, solteiro, Boa-vista; tubercul s pulmonares.
Mara Magdalena, Pernambuco, 40 annos, viuva,
Boa-vista; tubrculos pulmonares.
Mara Ara -lia da Conceicao, Parahyba, 30 annos
soltcira Boa-vista; tubrculos pnlmonarc-,
Luiza. Pastora de Jeeus, .Jeruambu, 2 > an-
nos, viupa. Boa-vista ; tubrculos pnlra mares.
Joo Ti idrigttes de Moraes, Pennmbuc, 37
annos, casado, Boa vista ; dyarrhe!
Isabel Maria da Conceicao, P. mainbuoo, b4
annos, casado, S. Jos; gastro entente.
Lus, Pernambuco, 2 inezea, Boa-vista ; gastro
entente.
Mdicos
Coanoltorlo u.edlco ciruriflco do lr.
Pedro de .ttiabyde Lobo Hoscoso a
roa da loria n. SO.
0 duutor Moscozo d consultas todos os
lias uteis, daa 7 a 10 boraa da marjh.V
Este consultorio offerexie a oommodid;.
le de poder cada doente aer ouvido e ex*
ainado, sem ser presenciado por outr.
Qe meio dia a 3 horaa da tarde ser
Dr. Moscozo encontrado no torreo pr-a
a do Coinraercio, onde t'uncciona a ins
peocSo de sade do porto. Para qualquei
d'estea dous pontos poderlo ser dirigidos
>s chamados por oart^ as indicadas horas
O Dr. Arthur Intbtusaky, medico occu
,lista, recenteroente chegado, esta cidide,
d consultas todis os dias, das 8 s 10
ooHis da marjhS, sendo -gratis aos pobres.
no 1." andar do predio n. 8, largo da
Santa Cruz.
Coawuitorio allopatfcco-doaianetrico
)r. Miguel Thermuio d consultas das
VI s 3 iiu tarde em sou consuftorio ra
do Bario-da Victoria n. 7, 1/ andar.
CbalUH.ios por escripto a qualquer hora.
Especialidades partos, feOrta, sypbilis,
modestias do pulmo e do corceo.
Dr. Lope* Pessoa -Molico.Residen
eia a ra de Pdro I n. 2, onde pode
ser procurado at s 9 horas da mantift.
Consultorio ra do Boin-Jesus n. 37 1.a
andar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Grmis aos pobres.
Dr Gama Lobo, urdida operador e par-
teiro, reside ra do Hospicio n. 20, onde
pJe ser procurado qualquer hora do dia
i.u d iioite. Consultas : de 1 s 3 horaa
da tardo. Especialidad : molestias e upe-
raedes tos orgos genito-urinarios do lio-
uiem e da inulher.
Dr. li'trmt campaio inudou seu consul-
torio do 2." andar da cas n. 45, a ra dj
Baro ia Virtoria, para o 1 andar, casa n. 5, a inesina rna, como consta do
jpu an mnei > inserto na secyao coiupe-
t -nte.
tiliuiiado
O bacharel Benjamim Bandeira, ra db
ImppJaiior o. 73, 1. ndar.
Dr. Seabra. Muduu ana escripto deadvo-
gaeia para a ras-do-Imperador n. 24.
ttroararia
VtHCiseo Manud iiiv tftu-a & L o
iitarios de todus as especralici?iues pha
ccut'AS, tintas, drogas^ productos chiinic -
e uiedicanMMrtoa-hoanceaaHina, enmiio M r-
de Olinda n 28v '
Serrarla a Vapor
Serrera a oepor e ojjicina de carapino
de Franeison dos antns Ma:edo, caes He
Oapisari-oc- n. 28. N'este- gnadn cstabo
cimento, o primeiro da provincia n'osto ge-
nere, compra-se 6 vende-se madeiras de
todas as qualidades/ serra-se madeiras de
conta alheia, assim como se preparan obrae
de carapira por machina e por procos-sem
oomn*****n'*ift-
l.an\asjaaoo
Os bilhetes desta importante lotera da
tres sorteios, que corre no dia 8 de julho*
acham -se venda na Roda da Fortuna
ra L*rga do Rosario n. 3rj e ra do Ca-
bug n. 1.
COMUNICADOS
Ao eleilorailo do 3 distrieto
Illm. Sr.O fallecimento do Dr. Antonio Fran-
cisco Correia de Araujo, abrindo uma vaga na de-
putsoao de Pernambuc, determinon a neeessidade
de uma cleicao no 3 districto, que aquelle Ilustre
cidadao tao dignamente representava.
Para preencher essa vaga proponho-me eu aos
suffragios do distincto eleitorado desse districto,
nao movido por impulso proprio, uem tomado de
ambices que estou longo de nutrir, mas por apre-
sentaclo do partido em enjas fileiras milito e alen-
tado pelo desejo de continuar a prestar serviecs as
paiz nesse posto de combate que mo foi indicada
E', pois, cicudado com esse ; ariotico desejo e
patrocinado ylo raen partido, cujo venerando
ch.-fe tenho por amigo, que eu venho solicitar de
V. S. o seu voto e 'odo o ssu precioso auxilio
minha cauta co pleito qu se vai ferir brevemente
nesse districto, onde V. S. gosa de prestigio e dis-
poe de merecida influencia.
Bem conheciio nesta provincia, onde nasci e
onde tenho sempre vivido mourejar em fadigosas
lides pelas ideas conservadoras, e sob a gide
d'aquella honrosa apresentacao; creio que ser-
, ., se bem que os nomes de Lantnan & Kemp venham
me-ha excusada a exhibicao de um programma,. eatampadoa em lettras transparentes no papel do
pois que outro nao posso ter que nao o do partid.. I livrinho que serve de envoltorio cada garrafa,
ao qual tenho servido com dedicac&o e esforco.
Entretanto, de harmona com o notavel discurso
honrad" presidente da provincia, cuja adminis-
tra cau foi um traca de lu..pjrqa teve os fulgo-
res da inteUUraaeia, da probidade, do criterio e da
indepeudenci.i.
(D. Gazet* da Baha de 27 de Julho).
Eacada
A tim de restabelecer a verdade e para que nao
poesa bavr equivoco algum, torna-ia iudispsusa-
vel declarar, que por engao da redaccu do Re-
bate foi menciouado o nomc do Sr. Antonio Jacin-
tbo, relativamente a mni p-.blicaeao feita naqnel-
le jornal de sexta feira 23 do correte.
S a um equivoco psdem s attribuir semelhante
encano, pois uao era a este prestimoso e sincero
amigo politico a quem aquella publicacao se refe-
ria, mas 8m a Deodato Mnuteiro, assaz conhecido
n'esta cidade da Escada.
O velho Birro.
Ao publico
0 abaixo assigaado faz sciente qne ninguem fa-
ca negocio ou transace.Io com o 8r. Miguel Ar-
ehanjo da Silva em nome da firma Pinheiro &
Silva.
O abaixo assignado protesta por essas transac-
coes e nao se respousabilise por ellas.
Barreiros, 22 de Julho de 1886.
Antonio dos Santo* Pinheiro.
Agua Florida de Marrar & Laomtn
too
Assenhiras que estao aco3tutnadas a usar pos
de arroz, que 60 fazem entumecer o rosto, fechan-
do os poros da pelle. privando a evaporaco da su-
perficie, obrara n com juizo em por integramente
de parte semelhante iugrediente, substituindo em
seu lugir ests puro cosmtico fliral; o qual.nao
s pertuma a pelle com um fragrancia tao fresca
e deleitavel con.oo respiro e cheiio das ti resnela*
libertas; mas sim tambem faz remover to las ss
maculas que deafeiaiu a form-sura das feicoes,
dando sos vasos superficiaes um asp cto saudavel
e vigoroso, restituindo s feicoes a primitiva cor
rebicunda e macia, dando-lhe uma pura e linda
transparencia e elasticidade.
Todas e.8saa aguns adstringentes, pos e poma-
das, etc., do dia, nao fazem. mais do qne arruinar
a pelle e estragar a formosura contaminando mais
tarde ou mais cedo a propria sade ; em quanto
que a tendencia desta agua saudavel e ammatica,
inteirameute opposta. Quando misturada n'ura
pouco d'agua, torna-se um excellenta-e exquisito
meio de lavagem para os dentes e gengivas, dando
bocea e ao paladar um delicioso gosto aromtico.
Cono garanta coutra as falsificaeoes, observe-
proferido no Scu.ido, em 1879, pelo honrado Sr.
conselheiro Joao Alfredo Corran de Oliveira, digno
chefe conservador em Pernambuco, dire que a
synthuse do men programma pugnar pelas re-
formas que f irein o deseuvolviinento pra'.ico dos
grandes principios liberaea consagrados na Con
stitituico e que tormam a base das mstrtonjns
que nos, os conservadores, ma a temos e queremes
m nter.
Deu tro do taes limites ha espado bast inte pasa
todos os melhoraincntos intelectunes, moraes e ma-
teriues, para todos os cunmettimentos serios da
pulitica, economa, finalizas e adminis'r.ca i, emfim
para todas as mais altas nspirae.a dos p V -
'ivres, que vivem sob o rgimen parame, tar.
No decora; dos vinte annos que cooatituem a
minba vida publica, sempre girou OasaH rbita a
a minha actividade, e disso fazem prova os meus
modistos esforcos na Assembla Provincial os
meus pequins trabalh s na imprensa, estes lti-
mos attestados pilo Diario de Pernambuco, em
cujas paginus tenbo esteriutypado a minha alma
e o mu coraco, pugnando por tudo quanto se me
lem augurado til e vautajoso causa do paiz c
mais particularmente desta provincia.
orno garautu dos ineus intuitos de futuro offe-
eco esse modesto passado ao digno eleitorado do
3o districto, asseguraudo Ule que euvidarei quanto
Couber eu -...a para clevar-me altura da attCW-
y do paiz e pir moi,trar-n.e merecedor da con-
fiuuYa ci Q que me honrar esse di,'no eleit.>rado
O meu norte ser o bem publico e o c.nninb
para i lie essa honrosa confiauc a que nunca ti1 i
ao Ilustre cidadao quem aspiro substituir e cu-
ta .irtudes civieas tomirei por modelo.
Subscrevo-me com a maior eonsidcraco e res-
peito.
De V. S.,
Amigo, att'-uto, venerador e criado.
Recife, Gde Julhode 1886.
Felippe de Figueira Faria.
I Acha-sa venda em todas as boticas e lojas de
perfumaras.
Agentes em Pernambuco, Heory Porster & C,
ua do Commercio n. 9.
PIBLICACOES A PEDIDO
A admoistra^So fiada
Deixou houtjm a admiui.-trai,j da provincia o
Exui. .^r. conselheiro Theodoro Machado Freir
l'errira da Silva, que seguio houtem para
faos pal de meus alumnos eao
publico em geral
Venho seientificar-vos que em cousequencia de
motivos imperiosos suspend as aulas do m"U cur-
so ra do Imperador n. 46, e quo resolv leccio-
nar, alm das materias do referido curso (segundo
o novo programma"da instruecao publica) portu-
gus e arilhmetica.
Para informacoes indisarei o mui digno delega-
do Iliterario Dr. Olymp o Marques e os amigos qus
conhecem a minha applicaeao.
Podere ser procurada na Llvraria Francesa
ra 1 de Marco n. 9.
Recife, 27 de Julho de 1886.
Galdino de Barros.
Proleslo
Tendo os abaixo asstgnados, scitnt-ia Jo que
certo qudam amia pausando bilhetes de rifa, em os
quaes declara qu os premios sao pagos pelos abai-
xo assiguados, del rain que inexac'a tal asaer-
co, por isso qu nao paesa de uma industria do
mesmo qudam que alm de tudo... um-cara
dura.
Keeife, 27 de Jnnho do 1886.
Figueirtdo & C.
Luja do Piraizo o. 18
N. 11. A Emulsao de Seott restau-
ra a saude ao3 tisicos, purifica o san-
gue, fasta do organismo toda sorto de
aflfecy3s ss rofulosas u fortaleue aos de-
bis e enfraque idos.
hixeita o appetite, estimula o orgtnismo
a augmenta as carnes e as forca.
&posico -ni Americana em
Berlim
APPELLO AOS PRODUCTORES DE PERNAMB0CO
A couiiiiissilo abaixo assignada, incum-
bida pela presidencia da provincia de or-
ganisar urna certa copia do productos na-
turaes, inlustriaes e rtisticos que possam
com vantagem representtar a provincia na
grande Exposicdo Sul Americana, que'se
tem de roaliaar em Berlim no dia. Io de
Setembro prximo futuro ; serve-se hoje
da imprensa p..ra fazer um appeilo a todos
os productores de Pernambuco, e, erm ge-
ral, a toda a pnpular-jlo da provincia, com
o fi>u da pedir-lhes que corrospoodam, do
melhor modo que puderem, as bons dee-
CPresidio S. Exc a csU briosa provincia durante oa alo s dacommissfto comn do^ _g0erao
nove meses, rodalo de franco apoio do presti-
gioso partido conservador, de que um dos pro-
ceres, angariando a estima e a considerado de
toda a provincia, parte uuicamonte a insensato
que liga importancia baixa poltica feita pelo
Diario da Buhia, quo julgaquo o valor das ao-
cus&ces est na razo directa da grosseria dos
doestos.
N'uina phrase nica poda se fazer o merecido
encomio d'essa patritica administracao.
O eonoelheiro Theodoro foi justo, probo, e so-
bretodo econmico.
Ao envez d'aquclles disperdicos e esbanjamen-
tos que constituiam o brazao das administraces
liberaes; em lugar de fazer aposentadoriaa inde-
bitas e di ultima hora, e nomeacoes mais c nau-
raveis ainda, como na presidencias liberaos, o
conselheiro Theoduro poupou multas despezas;
deu poucas licencas, estas por curto espaco de
tempo e algumas com p'-quena parte dos venci-
mentos.
As preten^des abstrusas encontraram em S
Exc. plena repulsa, e os contractos onerosos
proviucia nio figuram n e.-se largo estadio, ntia
eompras inuteis fbram reaiisadas.
Todos os actos do provecto administrador ti-
nbam o cunho di criterio, que o distingU", e no
cadiaho d mais rerta jusnea eram passadi-s to-
das as suas deeisoes, sempre sensatas e digaas de
encomios.
Para prova de nossa assercao ahi et a publi-
Ckquo do expediente, que um paira, de gloria
pai a sua administracao, que nao aptenentaun
neto snsceptwel de ser seriamente atacado, qoant i
mais capaa de fazer sentir ao dig presso do arrepemlim uto.
Dem-matrn elaramesite a economa d'esa admi-
nisfr oao o facto expressvo de ola ter nuginr-nia
do ua encargos do the ouro, pesar da iliiriiiiiiigiio
da reci-ta e dn-orvamento detcieute encontra lo.
O que exuberantemente -ern-uiiira a nobreza
do seu p.oet-diuieoto a ImprofiO n ia le, iuan.da-
de das accunacoei, que a apposicAo levantou ;
stA nrineipalm. ute na astnpendn C >lleeeau de
apodos coin que o insuit-.-u cm fi s de provar aa
oUpp.'Stas culpas.
Perde a provine* um d.-dieadu suministrad .r,
mas lucra o impi-ri., que jubiloso applaudio a
acto de moralidade da samara dos deputodos d in-
do aiseuio a qm m era o real representante da he-
roica P'-rnam'iuco.
i. Exc com o efpinto elevado que tem, coma
profunda pratica da admmiotraeo, certamimt-
ter* realisaoo esttlor ptoveitosoa acerca testa
provincia ; e com suas I uses e palaviu ibatiss^la
mi.r-Mi ha na cmara temporaria *s nasos l-' Pre;,:_,rac^1_i"'ra
e do Cenro da Lavoura, auxiliando a dita
comiuissao na acquisi^ao dos alludidos pro-
ductos.
O presente appeilo extensivo a todas
as classes da nossa sociedade, e dirige-se
em grande parte as senhoras pernatnbusa-
nas que trabalham em flores, tapecarias e
toda a ordem de bordados.
A comm8sao, dispondo de muito pouco
tampo para a sua tarefa, pede a todos os
que desejarem exoor os seus trabalho's ou
productos, que os remetUra, cora as devi-
dai indicares, para o estabelacimento do
Sa. Jos-ph Krause & C, i ra Primeiro
de Mareo n. 6, e isso at o dia 10 de Agos-
to vindouro.
Conseja de que ser ouvido o seu appei-
lo, a coramissao desdo j agradece a todoa
aquelles que se dignarera ausaVabaj
Re.-ife, 23 de Jt-lho le 7S86.
Viscondo da Silva Ley.
Baro de Serinhaem.
Antonio Gomes dn Miranda Leal,
J.)3o Feriiaudes L -pes.
Joseph Krause.
J-s Fmza de Oliveira
Andr Maria Pinheiro.
Df. G
MEDICO
T m o seu escripto-io a ra do Marque da
linda u 53 das 12 aa 2 horas da-tarde, e d*St
h ira ,m diauto en sua residencia roa ds*an
a urna n. l<> Bsvweii' la les, milestiss da se-
hMa e rriancaa
Xnrope k Mala-mat
0 ajata-ntat (le-ythis idatimon> oom
quil le p.-epara este sarape um vegetal da or
br.-i ira. .
K' um agente th.-r:>peutico poderosiss mo contra
as m >l sti is do *-ito e-da sstbma.
Os nami-rosos nfi ciado que delte'tomffito-uso
.consefiiirsnrinin resultado muito eatisfaetbie,aca-
bando po' a- reeoiihec-i- que 'at hoje mellar
a cura da asuma, brou-
luatres comprcviaeHnos para 4ue os negocios di
Baha sejam bem e'u -idadOs e votados.
Mgn neste instante a justica ven.I r t-nr'rrasca
da merecida posicao o digno representan e di 2
dictrteto de Pi-rnemboco; mas como contrasto,
lastima esta proviucia a ausencia do administra-
dor sensato e criterioso, cajos actos correctos, nao
So" possiveis do critfex- decente e que bri;iwm i*-'
luz propra, porque entanan d* intelligencia-curta,
da independencia de c; f Jetar.
Propricios ventos cou-Juaam aa sea destino o
hito astnnnatlca. astttia e pprea-
aes, disacnsaiKlo o emprego do arsems, folhas
le estramonio e plantas narcticas, que acabara
quasi sempre pelo abus que dellea so faz e meamo
pelo USO prolongado por praluzir efftltoa.detsa-
trosos sobre a saie. e em g.-ral eotdrpeofmen>di>
FrXlaaenn Rolica Pranotxt de Rovqialrfl ftres
sttccetsore* de A. Caer.
v tl-las ta fru-W. -t*
WTHhN la
ai
V


Diario de PernambucoSexta I eir 30 de Jaldo de 1" 6
i
C, Heikinann
Usinas de cobre, istao e brome ee d
Goliuer Ufer n. 9 Berlira S. O.
Espeef alidada:
Construcpo de machi-
nas e apparelhos
para faiieas de assucar, dcstillacoes e re
finac3es con todos os aperfecoamentos
modernos. __
DSTALLAgAO DE:
Engenhos de assucar completos
Estabelecimento filia! na Havana sob a
mesma firma de C. Heckmann
C. e San Ignacio n. 17.
Inieos representantes
Haupt Gebru'der
EIO HE JANEIRO
Para informacSes dij arrise ai
Pohlman &C
M do Cowr 110
Oculista
Dr. Barreto Sampaio. Medico ocu-
lita, cx-chefe de clnica do Dr. de
Weeker, mudou sea consultorio, do 2."
andar da casa n. 45 ra do Baro da
Victoria, para o l.9 andar da casa n.
51 da mesma ra. Consultas de meio
da s 3 horas da tarda.

I
I
Licor depurativo vegetal iodiKo
DO
Medio ([nintelia
Este notabilissimo depurante que vcm precedi-
do de tio grande fama infallivpi na cura de todas
as doencas syphiliticas, escrofulosas, rheumaticas
e depelle, coma tumores, ulceras, dores rheuroati
cas, osteocopas e nevralgicaS, blennorrhagiae agu-
das e chronicas, cancros syphilittcos, inflamma
coes visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes-
tinos, etc., em todas as molestias de pelle, simples
ou diathericos, assim como na alopecia ou qa.da
do cabello, e as doencas determinadas per satu-
raco mercurial. Dao-se gratis folhetos onde se
encentram numerosas experiencias feitas eom este
especifico nos hospitaes pblicos e muitos attesta-
dos de mdicos e documentos particulares. Faz se
descont para revender.
Deposito em casa de Faria Sobnnbs & O.
Eua do Mrquez de Olinda n. 4i.
Dr. Carneiro Leo
MEDICO
*Tem o seu consultorio e residencia ra
Livramento n. 31. Io andar. Consultas de 11 he
ras da manba s 2 da tarda. Chamados por es-
eripto a qnalquer hora. Especialidade :febres,
parios e molestias de crianzas.
Oculista
Dr. Ferreira Ja Silva, con-
sultas das 9 ao meio dia. Resi-
dencia e consultorio, n. 20 ra
Larga do Rosario.
Conultorio medico-eirurgico
O Dr. Estevin Cavalcante de Albaquerque con-
tinua a dar consulta medico cirurgicas, aa rus
do Bom Jess u. 20, Io andar, de meio dia s 4
horas da Urde. Paras? demais consulta e visi-
tas em sua residencia provisoria, ra da Aurora
n. 53, 1* andar. ,
u^ijujii i. consultorio 95 e residencia
126.
Especiaidades Partos, molestias de creacas,
Nd'njltt oseus annexos.
I

"Escola particular |
Msria dos Aojos Dornellas Cmara,
profesora particular, contina a lec-
ciooar, na casa de sua residencia rus
Duque de Caxias n- 70, 2* andar, as
materias que c^nstituem a instruccao
primaria, e os trabalhos de agulha e
bordados. O exercicio d'este por espaco
de mais tres anuos um garante de
suas hsbilitaces, e espera merecer dos
pais de familia a subida honra de lhe
confiaren! anas filhas.
A' tratar na casa cima.
Clrurgiao dentista
Patricio Moreira
Consultas e operaces, das 10 horas da manh
s 4 da tarde.
RA DUQUE DE CAXIAS
N. 57, 1* andar.
Dr. Cofil Me

COMMERCIO
ernain
Bolsa comuiercial de
buco
BECIFE, 29 DE JULHO \>E 188b.
A.5 irea uoras da tarde
i.'otacc* ol/idaes
Nao houve.
O presidente,
Pedro Jos Cinto.
O secretario,
Candido C. O. Alcoforado.
RBNOIMENTOS PBLICOS
Un de Julho de 1886
ALFANDEGA
RbKDA OBEAl
De 2 a 28
dem d 29
Medico, parielro e operador
Residencia ra daImperatr n. 48, 2- andar
Consultorio ra Duque de Caxias n. 59.
D consultas das 11 horas da manni s 2 da
tarde.
Attende para ss chamados telephone n. 449 a
qualquer hora.
Dr. Fernandes Barros
Medico
Consultorio ra do Bom Jess n. 30.
Consultas de meio dia ) 3 horas.
Residencia ra da Aurora n. 127.
Telephone n. 450
Ao publico
Os abaixo assignados, tendo registrado e depo-
sitado as suas marcas industriaes e rtulos das
suas preparacoes na unta commerciai do Rio de,
Janeiro de confi rnr.dade com as prescripces da
leis do impeno do Brasil, declaram e participara
aos interessados, que como nicos proprietariog,
tem direito exclusivo de usar as mares s indus-
triaes e rtulos relacionados com manufactura,
fabricacao e venda das s guin es preparaos;
Agua de Florida de Murray e Laman.
Tnico Oriental.
Peitoral de Anacahuite.
Pattilhas Vermfugas de Kemp.
Oleo de figado de bacalho de Lanman & Kemp
Emulso de oleo de figado de bacalho com hy
pophosphites, de Lanmam & Kemp.
Salsaparrilha de Bristol.
Extracto duplo de aveleira mgica de Bristol, e
ungento de aveleira mgica de Bristol,
e que, portento, perseguirio a todos os falsificado-
res ou imitadores das ditas marcas industriaes e
rtulos, procurando que sejam caatigados com toda
a severidade da lei.
Tambem acautelamos o publico contra todos
aquelles que intentem substituir as nossas prepa
racoes cima mencionadas com artigos falsificados
que levam rtulos ou marcas industriaos que imi-
tan! as nossas.
Lanman & Kemp.
EDITAES
132:408*218
3:6264233
Ruda raoracux.
De2 a28
dem-de 29
Total
55:394*869
310*305
436:034*451
56:705*174
491:739*625
Edital n. 2
O administrador do Consulado Provin-
cial, faz publico a quera interessar possa,
que em cumpriinento da portara n. 35 ex-
pedida em 24 do corrente pelo Illm. Sr.
Dr. inspector do Thesouro, ser effectuada
por esta repartico, no espaco de 30 dias
uteis, contados da data pr sent e ivre de
multe, a cobranca. conforme a relacSa in-
fra, das annuidades o mais servicos da
Racife Draicago Company relativamente ao
2." semestre do ejercicio de 1885-188G.
Consulado Provincial de Pernambuco,
27 de Julbo de 1886.
Francisco Amyntas de Carvalho Moura.
BELA9IO A QUE SE REFERE O EDITAL SUFRA
Frequezia do Recife
Ras:
Mrquez de Oliuda, Bara-Jesus, Alvares
Cabral, Commercio, Btepo Sardinha, Tor-
rea, Tbom de Souza, D. Mana de Souza,
Vigario Tenorio, Barreto de Menezes, M<-
riz e Barros, Burgos, Amorim, Monda
Tuyuty, Companhia Pernambucana, Madre
de Deus, Domingos Jos Martins, Masca-
tes, Restauracao, D. Mara Cesar, Viscon-
de de Itaparica, Pharol, Areal, S. Jorge,
Vital de Oliveira, Quararapes e Bario do
Triuiopho.
Pracas e travessas:
Assembla, Chaco, Pedro I, Vigario,
Madre de Deus, Caropello, Domingos Jos
Martins, p*ra o Corpw Santo, Aotigo Porto,
Bom Jess, Areal, para a Fundicao, Occi-
dente, Quararapes e Praca de Pedro I.
Beci'os;
Abreu, Noronha, Largo, Pindoba, Ta-
pado e Paschoal.
Largos:
Alfandega, Corp Santo e Assembla.
Caes:
Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Ras :
Imperador, Primeiro de Marco, Duque de
Caxias, Cabug, BarSo da Victoria, Triii-
cheiras, Laranjeiras, Larga do Rosario,
Kstrcita do Rosario, S Francisco, Joao do
Reg, Ilha de Carvalho, Roia, Patos, Ca-
labouco Vellio, Santo Amaro, Mathias de
Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Fogo,
Livramento, Peoba, Visconde de Iuha
raa, Pedro Alfonso, Nova da Praia, Mar-
cilio Dias, Viracao, Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassuna, Santa Thereza, 24 de
Maio, Palma, Mrquez do Herval e Ca-
deia Nova.
Caes:
22 de Novembro.
Praca:
Pedro II.
Travessas :
Queimado. Cruzes, Mrquez do Recife,
DESPACHOS DE KXPORTAgO
Ex 28 de Julho de 1886
Para o exterior
-r* No vapor ingle* Neva, carregaram :
Para Lisboa, da Costa & C. 300 saccas com
25,577 kilos de algodio.
rara o Interior
No lugar nacional Marinho 6', carrega-
ram :
Para o Rio Grande do Sal, Amorim Irmos &
C. 60 barricas com 6,729 kilos de asa-cur branco
20 ditas com 2,326 1(2 ditos de dito mascavado.
No biat* nacin. 1 Aurora carregaram:
Para Mossor, E. C. Beltro & Irmo 28 volu-
ntes com 1,420 kilos de assucar branco ; J. Ca-
ullo 10 barricas com 463 kilos de assucar masca-
vado e 1 caixa com 45 kilos de doce.
So biate nacional teriquity, carregaram :
Para o Natal, Fernandes & Irmio 14 pranches
de pao carga.
MOVIMENTO DO PORTO
Navios vahdo* no dia 29
Buenos Ayres e escalas11 1/2 dina, vapor ''nglea
Neva, de 1774 toneladas, comiuanduntc \V. (ji-
lier, equipagem 83, carga varios gneros; a
Adamsun H>wie & C.
Baha e escala8 dias, vapor nacional S. Fran
titeo, de 380 tonelaiss, commandante Joaqaim
da Silva Pereira, equipagem 30, carga variss
gneros; Companhia Pernambucana.
Liverpool e escala 20 dias, vapor ingles acho-
lar, de 1065 toneladas, commandante John Co-
bishley, equipagem 27, carga varios gneros; a
Job o 9 ton Pater & C.
Navios sahidos no mermo dia
Liverpool e escalaVavor ingles Cearente, com-
mandante John Qellard. carga varios gneros.
Sonthampton e escalaVajior ingles Neva, com
mandante W. Gellier, carg varios gneros.
Ro Grande do SuiLugar .rueguense A. B. Bull,
papito A. B. Bull Lorsen. carga sal.
MxicoBrigue allemo Orp'ieui, capitio J. H.
Waros, em lastro.
West IndiesLugar ingles Blanehe, capitao R.
Palfiery, em lastra.
VAPORES ESPERADOS
Ra Bella, Quarteis, Calabouco, Expostos,
Matriz, Flores, Carmo, Bomba, Livramen-
to, Arsenal, l.1 e 2.* travassas da Praia,
Carcereiro, S. Pedro, Viracao, Lobato,
Beoco do FalcJo, Pocinho e Concordia.
Beccos:
Travessa da Ra Bella, Calabouco, Ma-
triz, 1., 2." e 3. beccos da Camboa, Fal
co el.0 e2. da Cadeia Nova.
Campo:
Princeaa.
Largos :
Paraizo, Csrmo, Penba, S. Pedro e Pra-
ceta.
Freguezia ele S. Jos
Ras:
Marcilio Dias, Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassuna, S. Jlo, Palma, Mrquez
do Herval, 24 de Maio, Dias Cardozo,
Passo da Patria, Padre Nobrega, Victoria,
Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei
Heorique, Dique, AssumpgSo, Domingos
Theotonio, Padre Floriano, CbristovSo (h
lorabo, Jardim, Forte, Antonio Henrique,
Nogueira, Santa Cecilia, Santa Rita, Nova
de Santa Rita, S. Jos, Praia de Santa
Rita, '.Pescadores, Ypiranga, Imperial,
Praia do Forte e Luiz de Mendonca.
Travessas :
Maityrios, Ramos, Pocinho, Caldereiro,
G^z, Forte, Prata, Serigado, Copiares,
Ra Azul, Santa Rita, Praia do Forte, S.
Jos, Peixoto, Matriz de S. Jos e Li Beccos :
Palma, Caldereiro, Gaz, Assumpcao, 1.
becco da ra de Santa Rita e Matriz de S.
Jos.
Largos:
Forte e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Ras:
Imperatriz, ConcsicSo, Visconde de Pe-
lotas, Tambi, Capibaribe, Ponte Velha,
Conde da B5a Vista, Riachuelo, Unio,
Saudade, Sete de Setembro, Hospicio. Ca-
rnario, Rosario, Gervasio Pires, Atalho,
Socego, Principe, Santa Cruz, S. Goncalo,
Coelhos Hospital Pedro 2., General Sea-
r>, Coronel Lamenha, Alegra, Leao Co-
roado, Barao de S. Borja, Soledade, Vis-
conde de Goyanna e Attraccao,
Travessas:
Gervasio Pires, Atalho, Coelhos, Barrei-
rns, Veras, Quiabo, Joo Francisco, Man-
gucira, Campia o Palacio do Bispo.
Pravas :
Conde d'Eu e S. nta Cruz.
Largo:
Campia.
Becco :
Coelho
Edital n. 743
O inspector geral da instruccao publica mxnda
fazer const r s prof.'SSOras de ensino primario,
Marianna Teixeira la Coste Coeiho e Ism nia
Geuuina Dias, esta da cadeira de Ooyanninhn e
aquella da de Duarte Oas, que por acto da pre-
s dencia da provincia, de 24 do correle, pejinit-
rio-s-'-lbes prrmutarem as cadeiras que regein, e
se Ibes marcou o piaso oe 30 dias, a contar da-
qurila data, para tomar possf. e assumirem o .-i>t-
cicio de suas Cideiras.
Secretaria da instruccao publica de Pernambu-
co, 26 de Julho de 1886. Servindo de secreta-
rio,
Jlo Fox.
DECLARARES
O Dr. procurador dos feitos da fazeuda provincial
f.-ndo ri'ct-bido do Thrsouro I roviocisA a n-la
?-j abaixo trau ^cripta dos contribuintra d- im-
posto da dcima do exercicio de 1884 s 1885 da
freguezia de Afogdos que deixaram de p>igar
o uu'smo imposto no lempo cumprtentd, decia.a
aos mesinos contribuintes que lites fica marcado
o pra3 d.' 30 dias, a contar da publieacio do
presente edital, na conformidade do disposto no
art. 53 da lei n. 891, para rcco'herem a impo.-
tancia d'i seusdebitua ao Consulado Provincial,
curtos de que, rindo o referido praso, se proceder
executivameutt! a cobranca,
Recife, 24 de Julho de 1886.
O procurador dos fetos,
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
R.."lacio dos u^vedores da dcima da iregn-iis, de
Argado* do exercicio de 1884 a 1886, que
deixaram do pagar.
Travesa da Varze n. 18. Francisco
Simrs da Silva Mafra 3*090
Dita n 12. O mosmo 3*090
S. .Miguel o. 40. Francisco Simoes da
Silva Mafra Jnior 84652
Boa-Viagem n. 2 A- Francisco Telles 74416
Giqui a Jabiatio n 239. Francisco
Themoteo Pereira Bastas 64180
Lirgo di s Remedios n. 9. Francisco
Vieira de Arruda 184540
Dita n. 21. O mesmo 124160
Estrada-Nova n. 81. Francisco Ur-
c-sino Carvalho Paes de Andrade 84652
Barreta n. 2. Dr. Fulgencio Infante de
Albuquerque Mello 94888
Dita n. 9. O mesmo 204601
Motocolomb n 52. Fulgencio Jas Joa-
quim Cavalcante 13496
Bom-Grosto n. 42. O mesmo 94888
Castalio n. 10. Fulgencio da Silva 64180
Giqui a Jaboetao n. 243. Francisco
Joaquim d" Moura 94888
Direita n. 52. Gemiana Mara dos Pra-
zeres 124360
Travessa do Uchoa n. 2. Geral do Ma-
ra de Barros 44944
Dita n. 4. O mesmo 34708
Giqni a Jaboatao n 341 C. Gertru-
des Maria do Espirito-Santo 5 090
Dita n. 341 D. A mesma 34090
Dita n. 261. Guilberiniua JesulnaFrei-
r
Jaguaribe do sol boje
- Agosto
Patagoia da Europa a 1
Espirito Sanio do norte 3
Senegal da Eurspa a 3
Mrquez de Caxias da Bahia a 4
Vitte de Bahia do sul a 5
Vtlle de Cear da Europa a 5
Para do sul a 6
Mondego da Europa a 10
Cear do norte a 13
Merchant de Liverpool a 13
Trent do sol a 14
Manos do sul a 16
Pe/ropolis de Hamburgo a 20
Bahia do norte a 23
Orenoque do sul a 25
Espirito Ha sui a 26
La Plata sul *29
Dita n. 259. A mesma
Estrada Real da Torre n. 6 E. Hercu-
lano Jos Alleluia
Giqui a Jaboatao n. 133 A. Herdei-
ros e viuva de Antonio Jos de Li-
ma
Quiabo n. 30. Herdeiros e viuva de
Bernardino Correia de Mello
Bemfica n. 2. HerJeiros de Candida
Rosa Das Ferrao (parte)
Largo do Remedio n- 18. Herdciros de
ypriano Lms da Pal
Estrada do Rio n. 18. Herdeiros de
Henrique Gibson
Estrada-Nova n. 78. Herdeiros e viu-
va de Joao Antonia Vellaseca, (parte)
Dita n. 128. Herdeiros de Joo Baptista
Marinho
Dita n 130. Os mesmos
Dita n. 132 Os mesmos
Largo da Matriz n. 1. Herdeiros e viu-
va de Joao Cardoao Ayres
Dita n. 9. O mesmo
Estrada do Rio n. 32 A. Herdeiros de
Joao Carneiro
Giqui a Jaboatao n. 108 A. Herdei-
ros de Jetquim Jos Lobato
Direita n 2. Herdeiros de Jos de
Araujo Pinheiro e outro
Dita n. 4. O mesmo
Dita n. 6. O mesmo
Quiabo n. 23. Herdeiros de Jos F.
do Reg Barros
Estrada-Nova n. 4. Herdeiros e viuva
de Jos Joaquim de Oliveira
Dita n. 04. Os mesmos
Dita n. 5 Os meamos
Jirnta n. 36. Herdeiros de Francis-
co, Joaquim e Theotonio. fihos de
Manoel Bernardino Alves
S. Miguel n. 159. Herdeiros de Manoel
Jos Goncaives da Luz
Dita n. 162. Os mesmos
Forte n. 2. Herdeiros de Thomaa Ca-
valcante da Silveira Lins
' A. Miguel n. 23. Herdeiros de Thomac
124360
94888
64180
Domingues Tavares
Gamelleira n. 22. Irmandade de Nossa
Senbora da Boa-Viagem
Dita n. 28. A mesma
Dita n. 7. A mesma
Dita n. 9. A mesma
S. Miguel n. 113. Isabel Buarque Lis-
boa
Dita n. 115. A mesma
Dita n. 117. A mesma
Dita n. 119. A mesma
Dita n. 121. A mesma
Dita n. 127. A mesm
Dito n. 125. A mesma
Pocos u 40. Isanel da Cunt* Pereira
Giqui a Jaboatao n. 80. Isabel Maria
da l oneeic,i >
Dita n. 80 A A mesma
8. Miguel u. 67. Isabel Maria do Espi-
rito-Santo Cmara
Dita n. 142. Isabel Maria de Moraes
Bastos
Estrada real da Torre n. 3. Ismael da
Silva Guimaries
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
Estrada Nova u. 92. Januario Martina
das Cruzes
Dita n. 94. O mesmo
Dita m 96. O mesmo
Dita n. 98. O mesmo
Dita n. 51. Jacquiiina Carneiro de Al-
buquerque Lacerda, parte
Dita n. 55. A mesma, parte
Dita n. 59. A mesma. parte
Aurora n. 16. jerouy .1.0 da Costa Lima
Dita n. 18. O mesmo
Largo dos Remedios n. 5. Jesino de
Albuquerque Mello
Dito n. 7. O metmo
Dito n. 13. O mesmo
Dito n. 15. O mesmo
Dito n. J7. O mesmo
Dito n. 19. O mesmo
Giqui a Jaboatao n. 208. Joanna Ba-
ptista Feitosa
Dito n. 307. Joanna Baptista Olympia
Damaceno
Dita n. 309. A mesma
Dita n. 311. A mesma
P09118 n 41. Joo Evangelista dos Pas-
aos Dantas
S Miguel n. 84. Joanna Maria da Con-
ceico
Dita n. 135. Hermann Neimyer
Estrada real da Torren 20. Hermeli-
no Elysi'U da Silva Canega
Giqui a Jaboatao n. 70 D. Horacio
Leopoldo Alves Ferreira
Dita n. 74 A. O mesmo
Traveesa do Motolomb n. 6. Ignacio
de Amorim Lima
EstraH rnal da Torre n. 7 B Ignacio
da Assis
Dita n. 7 A. O mesmo
B.incy n. 6. Ignacio do Nascimento
G 8 da Luz
Beufica n 2. Ignacio de S Lipes Fer-
nandes (parte)
Gamell ira n 2 Irmandade de Nossa
S'-nhora d* Boa-Vixgem
Dita n. 4. A mesma
Dita n. 6. A mesma
Dita 11. 8. A m.-8ma
Dita n. 101 A mi'sma
Dita u. 12. A mesma
Dita n. 16. A infama
Dita 11 18 A asesina
Dita 11. 20. A mesma
Giqui > .1 .li.mio u 210. A 111 sma
Dita n. 212 A misma
Pita n. 2 1. -V m- sma
Dita 11 2*6. A mesma
Dita n. 254. A mesma
Travesea ui'S Rt-mt-dius n. 27. J01 nua
Mana da Fouseca
Paz n. 4. Joanna Paz Varilla
Pastel lo n. 4. A mt-sma
B ntica u. 37. Jo:io Alsredo Correia
de Olivi-ira, administrador de sua fi-
Iha Mari ila Gouc icio, parte
Estrada do Rio n. 38 B Joo d* Amo-
rim
B'in Gost 1 n. 11 Jos Antonio Mar-
tins
Lar.> dos Remedios n. 74. Joo de
Azevedu IVr-ira
Aurora 11. 2 A. Joo Baptista da Silva
Denta >
Gamt'll. ira n. 36 A. O mesmo
S. Mieuel n. C8. Joo Barbos* Maciel
Poc.s n. 15. Joao Be-ute Lar J
Dita n. 17. O mesmo
Dita 11 19. O mesmo
Estrada Nova n. 52. Joo Bernardo do
Reg Val-ole 1
Dito 11. 52 A O mi-smo
Dita n. 52 B. S. Miguel n. 15. J o da Cruz Eatenis
lo
ptubal n. 7. Joio Francisco Ciado
Aurora n. 28. O mesm
Largo dos Remedios n. 43 A. Jlo
Francisco Chacn
Giqui a Jaboatao n. 139 D. Joo
KrHiicUco d R''<"
Dita n. 80 C. Joo Francisco Rodri- .
giles
Rosario 4. Joio Carneiro Rodrigues
Campillo
Torre n. 9. O nn-siao
Dita n. 10. O mesmo
Di n. 12 O mesmo
Dita n. 3 O mesm
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 5 A. O mesmo
Giqui a Jaboatao n 275. Joo Car-
los de Souza Santos
Dita n. 2i7. O mesmo
Rosario n. 6. Joo Chrisostomo Pereira
Soares "
2# becco da travessa dos Remedios
n. 6. Joao Florindo Pereira
Dita n. 8. O mesmo
Giqui a Jaboatao n. 115 A. J0S0
Francisco
Estrada do Rio n. 34. Joao Francisco
de Lima Amo Dite n. 34 A. O mesmo
S. Miguel n. 104. Joo Francisco de
Carvalho Paes de Andrade
Larfco da Matriz n. 7. Joio Francisco
de, Mendonca
Estrada do Cordeiro n. 4. Joio Gomes
da Coste
estrada Nova n. 88. Joio Joaquim
Alves de Albuquerque
Bongy n. 8 B. Juio Jos de Araujo
Estrada Novajn. 9. Joio Jos de Sonza
12.1G0
94888
94888
94888
94888
124360
24S721
12436ii
414202
74416
74416
64180
74416
124360
64180
94888
124360
124360
124360
94888
64180
84652
74416
64180
14081
14236
24017
154450
154450
124360
12*360
6418
6*180
64180
74460
94888
74416
64180
34708
154450
144832
244721
94888
144832
6,180
124360
84652
64l8u
74416
703
204*91
13445II
20591
20*591
2<>b9l
204591
94888
988
94888
7 416
641f0
64IKU
74416
94888
18454
1 4122
4*944
154 >50
244721
74416
94888
bl-0
449
12436')
64180
44914
64180
204" 91
12436'
124360
114124
12 36'1
144836
124360
64180
64180
74416
204601
204601
204601
8-*4" 4
244721
244721
14854
14854
94888
64180
64160
204601
124360
244721
244721
144836
244721
144836
74110
184546
C. C Ej.
Club ioinmerel.il Euferpe
Assembla geral
Por ordem do Sr. presidente, convido todos os
Bocios quites para com o cofre soc al, a compare-
ceris na sed* de-te club s 7 horas da uoite de 6
de \gosto prximo, para em assembla geral tra
tar-se da elimiuacao dos socios em atraso.
i Secretaria do Mub Csmwercial Eaterpe, 29 do
Julho de 1886.O secretario,
Francisco Lima.
Obras publicas
De ordem do Illm. Sr. Dr. engeuhciro chefe,
faco publico que no dia 3 do mez prximo vindou-
n ao meio dia, recbese nesla secretaria pro-
dostes para a execuco dos reparos do acude de
S. Bento, oreados em 2:2434868.
O orcamento e mais condicoes do contrato se
acham disposicio dos senhores pretendentes,
para seren examinadas.
Secretaria da repartilo das obras publicas de
Pernambuco, em 12 de Julho de 1886.
O secretario,
Joo Joaquim de S. Varejo.
Estrada de ferro de Ri-
beiro a Bonito
Nos erjios do nico do art 4 e arts. 5 e 9
2 los estatutos, convida esta directora aos se-
nhores accionistas para recolher. m o London 6?
Brasilian Bank, a segunJa prestarn de 10 0|0
do valor nominal de cada accao, a ci;mecar deste
data 60 dias.
Recite, 20 de Julho de 1886.
O gerente,
Hyppolito V. Pcdernera8.
Thesouro Provincial
De ordnn do Illm. Sr. inspector desta reparti-
rlo, taco publico que do dia 2 de Agosto prximo
vindouro em diantu comecam os p garnentos dos
vencimentos dos empregados provineiaes, em li-
quidado do exercicio de 1885 a 1886, conforme a
collocaeio seguinte :
Nos dias 2 e 3, pr f asoras de 1* entrancia.
No dia 4 de 2 dite.
No dia 5 de 3* dita
Nos das 6 e 7, profeosores de 1* eutraucia.
No dia 9 de 2' dita.
No dia 10 tle 3 aita e escolas nocturnas.
No dia 11, Thes-,uro,Juizo, Instruccao Publi?a,
B blinthi-ca e S Publica.
No rlia 12, Ag.M'iub'a e Secretaria do Governo.
No iiia 13, Casa de Detencio e [tluminaeio.
No dia 14, E-cola Normal e Gv.-nnasio
No dia 15, Consulado.
Nos iliH3 17 18, Aposentados e Coadjutores.
. a^adoria do Thesouro Provincial de Pernam-
buco, em 27 de Jn no de i-m.
O 'S-rivao da despesa,
Silviiio A. Rodrigues.
irniaiiladc do Divino Escrito
Sanio doledfe
Connellio li Pr:ir.eirn s saSo ordinaria
De rinidade eom o art 68, convido aos
irm-ios ex-juizea e bemf itores a se renuircm em o
nosso consistorio d uningo, l- d Agosto pelas 11
inras do dia, afi01 de dar-ae cumpriinento ao
objecto d- qu trata a 1 parte do art 83, e *. 2*
parte 1I0 art. 84 do >os 1 c unoromisso.
Consistorio da irmandads do Div'no Espirito
- arito, 29 ue Julh > de 81 -.
O proe.HHiinr crerul.
Puna Jos Alves.
(Continua).
64180
124360
184034
174804
204601
54028
44941
64180
74416
144832
144832
184540
64180
824404
94388
374081
90888
164068
414202
414202
17^034
64180
64180
174304
Em aditamento ao edital desta repartico, da-
tado de 26 do corrate, declaro de ordem de Illm,
Sr. inspector, que a arrematacio para o arreada-
mente do armazem n. 7, sito no Forte do Mattos,
pertencente Fazenda Nacional, ter lagar por
meio de licitaco publica, perante a sesso da
junta do dia 31 do corrente, scientifi cando se aos
concurrentes que s serio admittidos a licitar de
pois de haverem depositado nos cofres a cauco
em dinheiro na importancia de 5004000, nos ter-
mos da circular n. 10, de 14 de Fevereiro de 1883.
Thesouraria de Fazenda do Pernambuco, 28 de
Julho de 1886.O secretario,
Luiz E. Pinheiro da Cmara.
Clnb Internacional de
Regatas
De ordem do Sr. presidente deste club, tenho a
honra de convidar aos senhores socios para a reu-
mio de assembla geral, le dever ter lugar as
11 horas da roanhi de 1 de Agosto vindouro, na
sede do club, afim de proceder-so a eleicao dos
novos fuiccionarios para o anno de 1886 a 1887,
prestacio de contas da actual administracio, e
ou tros assumptos de interesse social
Recite, 27 de Julho de 1886.
Pompeo (1 Casanova,
2 secretario.
Indemnisadora
Esta companhia est distribnindo o dividendo
relativo ao s.mestre fiado em 30 de Jonho proxi
mo passado, na razio de 12 0/0 s/s espita! oa rs.
/<-4000 por accio. Recife, 24 de Julho de 1886.'
Circular n. 21
Thesoararla d- F senda de Per-
nambuco. em 99 le Jinii tle
1MM
O inspector, em aOilitamento circular desta
Tbesouraria n 12, d.- 16 de Junh prximo rindo,
i ecomm nda aos senhores e lle-ior. s das rendas
i;eraes da pro inein a fiel obs-rvancia da ordem
d--Thesouro Niional n. 54, de 15 do corrente
mez, dirigida Thesouraria de Fazenda de Santa
Catharioa, e que v*i abaix i transcripta.
Aut-nio Caetano da -. Kally
Ministerio dos neg icios da fazenda n 54-Rio
de Janeiro, em 15 de Julho de 1886 Francii>co
B .lisario Soares de Souza, presidente do Tribu-
nal do Thesouro Nacional, declara ao Sr. ins
peotor da Thesonraria do Fazenda da provincia
de Sa ta Cathariua, em resposta consulla cons
tanto do seu telegrarnma de 8 do correte mes :
1 Que da venda de estanpilhas nio cobra-
vel a uxa addicional de 5 0/0, porque este s in-
cide nos act s que est) sujetos aa sello por ver-
a oa estampilnas da laxa de 24000 para cima.
2 Que as estacoes srrecadHdoras do sello s
teem de escripturar, em verba especial, o produc-
to d > dita taxa de 5 0/0, quando o pagamento
desta se verificar as mesmas estacoes ; e que,
portento, nada ha a escripturar, qiianta sos do-
cumentos sellados por particulares fra dessas es-
tacoes, limitando-so os exactores a verificar,
quando tees documentos Ih s sejam apresentados,
se estio ou nao sellados de conformidade com a
diutrina da circular n. 12, de 28 de Maio prxi-
mo passado.
F. Be I i-a rio Soares de Sonza.
Gabinete Portugus de
Leitura
Primeira prestacio do emprestimo para o predio
De ordem do Exm. Sr. presidente da commisso
executiva da constrneco do predio, sao convida
dos os Illms. Srs. subscriptores para que realisem
a primeira prestacio de 20 0|0 do capital subs-
cripto, para o que est autorisado a pasaar os re-
cibos provisorios o Illm. Sr. Antonio Correia de
Vasconcellos, thesoureiro da commisso, ra
Primeiro de Marco n. 13.
Secretaria da rxmaiissio execativa de Gabinete
Portugui-z de Leitura em Pernambuco, 24 de Ju-
lho de 1886.
Francisco Ribeiro Pinto Guimaries,
1 secretario.
Escola de aprendizes
marinheiros
Pela secretaria da escola de aprendizes mari-
nheiros de Pernambo*) co ividado o negociante
Joio Rodrigues ie Moura, para comparecer nesta
escola no da 5 de Agosto, s 10 horas do dia,
afim de assignar o contrato de fardamento a que
se propoz em 8 de Junho de 1886, sob penna de
inscrever sas multas previstas nos regulamentos
em vigor.
Secretaria da escola de aprendizes marinheiros
de Pornambuco, 30 de Julho de 1886.
Ernesto Jos dj Souza Leal,
Official de Fazenda.
Gabinete 'ortuguez de
Leitura
De ordem do Exm. Sr. presidente do conselho
deliberativo, eonvido es senhores conselheiros a
reunirem-se seguoda-feira 2 de Agosto, na sede
do Gabinete, para se proceder a leitura do rela-
torio da directora, e decidir-te sobre o modo de
effectuar a festa anniversaria.
Secrel ra do conselho deliberativo de Gabinete
Porluguez de Leitura em Pernambuco, 29 de Ju-
lho de 1886.O 2o secretario,
Alfredo C Cousseiro.
Assoeiapo Portague-
za de Beneficencia
2* assembla geral ordinaria
Convido os senhores socios desta assoeiacio a
comparecerem ua sede social, domingo 1 de Agos-
to prximo, s 5 horas da tarde, afim de eleger
os poderes qne lm de dirigir os destinos desta
aesocisco no anuo social de 1886-87, conforme
preceitua o art. 34 dos nossos estatutos.
Secretaria da assembla geral da Assoeiacio
Portugueza de Beneficencia, 30 de Julho de 1886.
O 2 secretario,
B. Agaiar.
Obras Publicas
De ordem do Illm Sr. Dr. engenheiro chefe,
faco publico que, em virtude da ordem do F.xnu
Sr. vice-presHente da provincia, vai de novo
praca no dia 3 do mez vindouro, ao meio dia, a
obra de reparos da cadeia de Iguarase, servind
d base o abate de 24 0|0 sobre o valor do res-
pectivo orcamento, eflorecido por Ismael Gau-
dencio Furtado de MendincH.
Secretaria da repartico das obras publicas, 22
de Julho de 1886.O secretario,
/otlo Joaquim de Siqueira VarejSo.
C. C. E.
Club Commerciai Etsterpe
Sarao em 31 do corrente
Nflite noite realisar se-ha o sarao que este
club proporciona aos seus associados. (ngressos
em mi do Sr. thesoureiro para os socios quites
at 31 do corrente. Depois do sarao hnver bonds
para Magdalena e Fernandas Vieira.
Secretara da Club Commerciai Euterpe, 24 de
Julho de 1886.O 1- secretario,
Francisco Lima.
Uub Imperatriz
Sessio extraordinaria
De ordem do Illm. Sr. presidente, convido a
todos os senh res socios a compareeerem domingo
Io de Agosto, s 10 horas da manhi, na sede so-
cial ra da Imperatriz n. 42, 1* andar, para
tratar-se de negocios urgentes a de nteres je so-
cial. Recife, 29 de Julho de 18-6.
O tesoureiro,
Augusto Jos de Azevedo M lia.
Cha preto
As qualidades rae-
lhores emais escomi-
das neste genero, con-
tina a vendar Carlos
Sindcn, n. 48 ra do
Barao da Victoria.
Recebcu de impor-
tacao directa c vende
mais barato do que em
outra qualquer parte.
Tambem vendamos
em caixas pequeas,
propriaspara botis e
casas de familia.
Companhia de EdilkacOes
O eseriptorio desta
companhia acha-se in-
staliado na piac,a da
Concordia n. 9,conser-
vando-se aberto das 7
horas da man ha s 5 da
tarde, em todos os dias
uteis.
Incumbe- se de cons-
trucfjes e reconstruc-
Qoes.
Recebe-se informa-
do es acerca de terre-
nos na cidade e subur-
bios, e a respeito dos
quaes queiram os res-
pectivos donos fazer
negocio.
No mesmo eseripto-
rio se encontraro as
amostras dos produc-
tos da olaria mechani-
ca do Taquary, pro-
priedade da es mina
companhia.
Preparados
DA
mltna h&mufagtdbihg- a
LONDRES
Oleo de Asado do bacalho e leit*
pepitouioado
Esta preparacio tio saborosa que ama enan-
ca promptamente a toma.
O leite digerido tem a propriedade de quasi in-
teiramente disfarca o oleo e as pessoas de diges-
to mais dbil podem tomar sem receio.
Peploaoidesi de Carne
Um alimento nit-ogeoso composto de consti-
tuintes solides de leite bem como gluten do trigo
(livre de gommaj.
Recommendado as convalescencas de qualquer
doenca, aTeccoes pulmonares, febres, pneumonas,
gastrite, dysenteria e toda e qualquer debilidade
seja qual for a suaorigem.
Maldssa
Um extracto concentrado de trigo, avea e cava-
da fermentados.
Valor diastasico 30 veses o seu proprjo peso !
O mais rico agente restaurador at noje conhe-
cido, alt mente apreciavel nos cssoa de debilidade.
Alimento Doulnvel de carnlck para
crlancaa
A analyse deste alimento demonstra que os seus
conetituintes nutrictivos sao quasi idnticos com
leite materno, por isto o alimento mais aperfei-
coado para crianca.
Pornecem amostras gratis aos Srs. mdicos.
Dopasito ra do BarSo da Victoria n. 48
sLondou aud BraslilaD a*uk
Umited
Sua do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
sas do mesmo anco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n 75 N-
Porto, ra dos Ingleses.
iHsWWVi



i -ajfc

Diario de Per na m burSexta- feira 30 de Julho de 1886
COMPAMHIA D43 KEGlROS
MMTIIERX
de DOnclre e Aberdeen
Folc#flance',rl('*eeiiilro 1885)
Capitnl oubsciipto 3.000.000
Fundos atcurauladoa 3.134,348
Becelia annaalt
Dj premios contra fogo 577,330
De pn-mios sobre vidas 191,000
De juros 132,000
O AGENTE,
John II. BoxtceU.
BA DOCOMMEBCI >.C filil
SEGUROS
MARTIMOS contra fogo
Cempanhia l'heniv Per-
nambucana
luado Commercio n. 8
ti
(JOMPANHIA
Imperial
DE
9ECI HOK contra FOGO
EST: 1803
Edificio e mercadoria*
Taxat baixas
tromplo pagamento de prejttiso*
CAPITAL
tts. 16,000:000*000
Agentes
BROVVNS & C.
N. Riui do Commercio N. 5
CONTRA FOGO
The Liverpool i \am Hk
lIVSlSiiWCE CGMPAM
___SaoBflers Brotbers & G.
fi file Seioros
ft Lisboa
(OnPA\lllh Ett IKNMVti
res u vm i ini:
LINHA MENSAL
Paquete Senegal
Commandante Moreau
Espera-se da Eu-
ropa at o dia 3 de
A gusto, seguin
do depois da de-
mora do costume
para Buenos-Ay-
res, tocando na
Babia, Ro de Janeiro e monte
evido
Lembra-se ios senhores passageiros de todas
as classes que ba lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Previne se ao ssenhores recebedores de merca-
dorias que so se attender as reclamaces por fal
tas nos roluines que forein reconhscidas na occa
siao da descarga.
Para carga, passagens, encommendas e dmhe ir
a frete: tracta-se com o
AGENTE
iuguste Lab He
9 RA DO COMMERCIO-9
REUNS CilARI.ELRS
Companhia Franceza de Xaveg
cao a Vapor
Linha quinzenal entre o Havre, Lia
na, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
steier ViUe de Cear
Leilao
De um orglo expreasivo com 20 registros, do
fabricante Debain, tocado por um muebinismo de
piano, novo o sem o menor defeito, 1 piano. 1 mo-
bilia de Jacaranda com sof, 2 consollos, 2 ca
deiras de bracos, 1 jardineira, 12 cid-iras de
guarnico, 1 unbiiia de amarello, 2 casticaes com
mangas, 3 cindiriros a gaz, 3 escarradeiras, 8 et-
tagers, 1 estante para livros, 1 cama franceza, 1
marquezao. 1 guarda vestido, 2 cumuladas, 1 cama
de ferro, 2 cabi es, 1 espe h.>, 2 buates, 2 baocos,
1 mesa elstica, 1 apparador grande, 1 guarda
louca bem, cadeiras avuls> s, 1 quartinbe'ra, 1 res-
friadeira, 2 jarros, 1 sof, 1 armario, 1 guarda
comida, mesas e trtns'de cosinba, talheres, louca
e vidroo, 1 estante, 3 bancas para escolas, 2 era-
veiras e mitres muitos < bjeetns.
Sexta feira, 3o do eorrente
Na cas grande da ra do H<;sp.cio n. 47
Agente Pililo
A's 10 12 horas
Em continuarn
Vender cerveja e vinbos.
Em lotes a vmtade do compradores.
N.
AGENTE
Miguel Jos Alves
7 -RA DO BOM JESUS-N.
Seguro iiiarniiK.N < lerreslre*
Ne.-tes ltimos a nica companhia nesta praca
que concede aos Srs. seg uradi s istmpcio de paga
ment de premio em cada stimo anno, o qne
equivale sx c'~~".outo de cerca de 15 por cento em
favor dos ( :->s.
Gompanbia de Seguros
martimos e terrestres
EstabelcSda em 1 >
CAPITAL 1,000:0001
SINISTROS PAGOS
At 31 de dezembro de ISS4
Martimos..... I,1I0:000$000
Terrestres,. 3f:<,0(,$00U
4-1-Ra do t'omuiereio -
~C0ffiPAliIABE8EGuM
(0\TRA FOGO
Nortb Britisb k Hercantile
CAPITAL
trooo.ooo de libras sterllnaa
A GEN ES
Adomson Uowie & C.
E' esperado da Europa at
dia 6 de Agosto, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ha
fila. Rio de Janeiro
e Manto*.
Roga-se. aos Srs. ii".portadores de carga p los
vapores desta linha, jueiram apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvareng
quer reclama^o concernente a volumes, que po-
vatura tenham seguido para os portos do sul,aa.
de se poderem dar a tempo as providencias neees-
sarias.
Expirado o referido praso a companhia nao se
responsabiiisa por extravos.
Kecebe carga, encommendas e passagero* par
es quaes tem ezcellentes accomoducoes.
Augusto F. de Orivcira U
ACMBlfTflS
Jl' RIJA DO COMMERCIO -45
COMPtMIIt Peu\tllBICAM
DE
.\Tavegaco costeira por vapor
Fernando de Noronha
0 vapor Giqui
Segu no dia 10 de
Agoso, pelas 12 h>-
ras da manh.
Recebe carga at o
dia 9, e passagens at
a 11 horas da manh
ESCRIPTORIO
da Companhia Peraambo-
eana n. l*
COHPAXBIA PEBNAHIJCANA
DE
"avegavo Costeira por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macan, Mossor, Ara-
caty, Cear e Acarahu
O vapor Pirapama
Do urna armacao envidracada, bacas, bali-, b>
caes, chamins, candieiros, latas para doces, ca-
necos, candelas, machinas para caf, regadores,
ehaleiras, abecedarios, espelhos, urna magnifica
pndula (reguladora), ferramentas propnas pa-
ra cfficina d. funileiro e cofre francez.
Ter9a-feir 3 de Agosto
A's 11 horas
POR INTERVENQO DO AGENTE
Alfredo (iuimares
Na officina do funileiro ra do Bom Jess n. 53.
Vende-se no largo do Corp Santo n. 19, se-
gundo andar, importantes toUhas de labyrintho'
de 251 a 281000.
Elixir carminativo e tnico do
pharmaceutico Ye as
Remedio que cura dyspepsias, gastralgias e to-
das as perturbaces ligadis desarranjos de es-
tomago e intestinos. Aconselhado por. varios cl-
nicos dos mais conceptuados desta cidade, acha-se
venda exclusivamente na pharmacia americana
de A. I*. eras & G., ra Duque de Caxias nu-
mero 57.
AO PUBLICO
QUEIJOS DO REINO
Marca Joliannes Pluym
No intuido de
Aluga-se muilo barato
A casa grande 4 ra de S. Jorge n. 26, no
Recfe, com 5 quartoa, quintal e portan.
8itio e casa p-ra familia, traressa do Moto-
colomb n. 4, em Afogados, com muitas fructeiras
e banho snlgado.
Trata-se na ra de Santa Thereaa n. 38.
Ama
De 1 mobilia de amarillo a Luiz XV, completa,
1 espelho dourado, 4 jarros para fljres, 4 cauto-
neiras, 1 relojio de parede, 1 carteira e moch), 1
agulha de marear, 1 cama franceza, 1 guarda-
vestidos, 1 bidet, 1 commoda, 3 marquesota, 2 la-
vatorios, 1 cadeira secreta, 2 cadeiras de bataneo,
de Jacaranda, 1 berco, 2 banquiohas, 1 bab gran-
de de folha, 1 estante, 1 eurteira, i mesa para
jantar, 1 guarda-louca, 2 aparadores, 1 mobilia
de amarello, 1 sof de Jacaranda, 1 marquesa, ca-
deiras de guarnico, mesas de pinho, jarras, lou-
cas, vidros, trem de cosioha, taboa para engom-
mado e muitos cutros objectos que estarao paten-
tes no acto do leilao.
Sexta feira, SO do correte
A'8 11 horas
No primeiro andar do sobrado n. 40, sito
ra do Imperatriz
O agente Gruamo autorisado [por urna familia
que retirou-se para a Europa, tara leilao dos mo-
vis cima mencionados, os quaes serao vendidoj
tem limites.
Na praca do Conde d'Eu n. 7, 2- andar, pre-
isa-se de urna ama que cosinhe bem, pjra casa
de pequea familia.
Vende-ie a armacSo com balcao, potes, vasilba-
me e mais pertencas da B .tica do Recite, sita
ra do B;)tn Jess n. 26, por precos muito com-
modo. Para infurmacoes, dirijam-se botica
francesa de Rouquayrol Freres, ra do Bom Je-
ss n. '22.
sustentar afama adquirida por estes deliciosos queijos, isto ser
Os melhores e os mais baratos
CHAILESPLYM
ilveram retulhar os queijos fr<
2*600
Resolveram ret.lhar os queijos frescos da ultima n-messa a
&C.
24
RA DO COMMERCIO24
(RECIFE)
Leilao
do dia
raes
dulzo dos Feltos da Fazenda
EscrivSo [Torres Bandeira
No dia 6 de Agosto prximo, depois da audien-
cia, iro praca por venda, os predios abaixo de-
clarados pcnborados pela Fazenda Provincial.
Recife
Casa terrea & ra do Pharol n. 58, com 2 portas
de trente, 4 metros e 30 centmetros de largura,
12 metros de comprimento, 2 salas, 2 quartos, cosi-
nba tora, pequeo quintal e sotio, avaliada em
300*000 ptrtencente a Jos Dnarte das Neves.
S. Jote
Casa terrea ra de Vidal de Negreiros n. 47,
com 2 portas de frente, 3 metros e 10 centmetros
de largura, 14 metros e 7:< centmetros de compri-
ments, quintal, cacimba, e porto para ra do
Forte, avaliada em 500*000, pertencente a Ma-
noel dos Aojos Ferreira^________________________
'empreza do gaz
Pede-se aos Senho
res coDsumraidores que
queiramfazer qualquer
eomunicaco ou recla-
mae\ seja esta eita no
escriptorio desta empre-
za ra do Imperador n
29, Gnde tambem se re-
ceber? qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobradores
externos sao os Senhores
flerraillo Francisco Ro-
drigues Freir e Manoel
Antonio da Silva (Mi-
rara, e guando for pre-
ciso o Sr. Antonio Mar-
tos Carvalbo.
Todos os recibos dessa
empreza deverao ser pas-
sados em taioes carimba-
dos e firmados pelo abai-
xo assig do sem o que
nao tero valor algut
George Windsor,
Segu no dia 5 de
Agosto, s 5 horas
da tarde. Recebe
carga at o dia 3.
Encommendas passagens e dinbeiros a frete at
s 5 horas da tai de do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pemamiwiaia
_________________n. 12____________________
Compona lira ileira de Xave
gseao a Vapor
PORTOS DO SUL
Vapor Espirito-Santo
Commandante JoSo Mana Pessoa
E' esperado dos portos do
norte at* dia 1 de Agosto
e depois da demora in
' dispensavel, seguir para
,os portel do sul.
Recebe tambem carga para Santos, Pelotas
Rio Grande d > Sul, frete mdico.
Para carga, passgens, encommendas o valores
trata-se na agencia
N._11_RUA DO COMMEROIO-N. 11
Pacific Sieam Navigation Coipaj
STRAITS OF MAGELLAN LINE
Paquete Fatagonia
E' esperado da Euro-
pa ate o dia 1 de A-
gosto, e seguir depois
la demora do costume
'para a
Babia, Rio de Janeiro, Monte
video e Valparalzo
Para carga, passagens, e encommendas, tracta-
te com os
AGENTES
Wilson Sons <& t., Limited
N. 14 RA DO COMMERCIO N. 14
Rio Grande e Pelotas
Segu com brevidade para o porto cima o
patacho nacional Social, recebe carga : a tratar
com Baltar liveira C, ra do vigario n. 1,
primeiro andar.
De 2 carros perfitos de 4 rodas para bo
SEXTA FhJRA 30 DO CORRENTE
A's 11 boras
Por occasio do leilao de movis uo primeiro an-
dar do sobrado da ra di Iioperatris n. 40.
POR INTERVENCO DO AGENTE
Gusmo
Leilao
De quatro malas e dous babus com roupa
de uso e quasi nova
Sexta-feira 30 do eorrente
Ao mel dia
occasio do leilao de movis, louca, vidros, 1
piano, urna serafina; na casa da ra do
Hospicio n. 47
Jf
EA0S 4:000*000
3ZLHSTES UfiAVIISOS
Ra Primeiro de Marfo n. 23
O abaixo assignado, tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 406 com a sorte de 4:000jt000,
1 quarto n- 2939 cora a sorte de 100^000,
alm de outras sortea de 32)5, 16)5 8)5, da
lotera (64.*), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem dcscont/
alguna.
Acbam-se venda os afortunados bi-
hetes garantidos da 253.a parte das lote-
ras a beneficio da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife (65.a) que se ex;rahir
quando for annunciada.
Precos
Inteiro 4,5000
Meio 20000
Quarto 1^000
Km qnantidade malor de loo*
Inttiro 30500
Meio 10750
Quarto 0875
Manoel Martin Finta.
Por
Rio-Grande do Norte
Leilao
A 9 de Agosto
O agente Odiloo vender em eilo publico, na
cidade do Natal, no dia 7 de Agosto prximo, o
patacho no'ueguense Land.
X_*a*>XaL&* Ca
Agente Pinto
O de movis, vidros, cerveja, vinbos e roupa de
uso em bom estado, annunciado para boje, 30 do
eorrente, deve ter lugir na casa da ra do Hos-
picio n. 47; bem como urna linda serafina i orgo) -
e um piano.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se casas a 84000 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Gon?ailo : a tratar na ra da
Imperatris n. 56.
Fornece-se comidas com precisSo e preco r
soavel: ra do Imperador n. 54, 3.a andar.
Precisa se de nma boa cosinheira para casa
de familia, psga-se bem : a trat r na ra do Ba-
So da Victoria n. 39, luja.
Aluga-so o sitio do Pina, com boa casa para
morada, contendo bastantes commodos para nu
merosa familia, grande quantidade de coqueiros,
seis grandes viveiros, duas cacimbas com exceden-
te agua : a tratar no caes de Apollo n. 45.
Anua Lenidas de Fi-
gneirda Faria
Francisco de Kigueiroa Faria e seus filhos con-
vidam a todcs os seus parentes e amigos para
assistirein a missa que por alma de sna nunca
esquecida esposa e mili, mandam celebrar no dia
6 de Agosto, no convento de S. Francisco, s 7
boras da mai ba, 1 annivenario de sen passa-
mento. Desde ja antecipam seus sinceros agra-
decimentos a todcs aquellos que se dignarem as
sistir a este acto, dando assim urna prova de soa
amisade e car dade chaista.
f
ALUG a .SE a casa terrea n. 20 da ra do
Capitao Antonio de Lima, com 2 salas, 3 quartos
cosinba e quintal com cacimba : a tratar na ra
do Marques da Olinda n. 8.
Compra-se fios de linho para o hospital
dio II : na ra Formosa n. 4.
Pe-
LEILOBS
Agente Pestaa
Leilao
De movis loucas vidros candieiros c 2 pia-
nos do autor Blondel
Sexta-feira 30 do eorrente
A's 11 horas
No armazem ra do Vigario Tenorio n. 12
para ferhamente de cantas.
O agente Pestaa vender 2 pianos Blondel 1
mobilia com pedra, guarda louca, guarda vesti-
dos, camas para meninos, berco, camis de casal
grande qnantidade de louca, candieiros, quadros,
espelhor, jarros, relogios de parede, carteiras,
grande quantidade de rotulas e postigos, copns,
.garrafas e outros muitos objsetos que estaro pa-
ente vista dos Srs. compradores.
Leilao
De cerca de 40 caixas com batatas
Sexta feira 3 de Agosto, no armazem do
Annes
Por intervencao do agenta
Alfredo Guaraes.
Apollce* provlnrlae de 1 O/O
Compra-se no Ixrgo do Corpo Santo n. 19, pri-
meiro andar.
Bacharel Ferreira de Menezes, advogado
com escriptorio ra de Santo Amaro n. 4, pri
meiro andar.
Na roa da Matriz da Boa-Vista n. 3 preci-
sa-se de duas amas que tenham boa conducta,
sendo urna para cosinba e que entenda de assar
bolos, e outra para lavar, engommar e ajudar em
utros servicos de casa de pouca familia
para casa de duas
domestico : na ra
Precisa-se de urna ama
pessoas, para todo o servico
da Praia n. 12.
Vende-se pela quautia do HOOJOOO urna
letra no valor de mais de 8:000 com os compe-
tentes juros. E' divida segura, pois ba accao de
penhora e execucao, como se poda ver nos com-
petentes documentos : quem pretenaer dirija-se
ra do Mrquez do Herval numero 23, pavimento
terreo.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
molhados : a tratar na ra da Uniao n. 54.
Aluga-se o 2- andar n. 31 e armazem n. 39
ra do Imperador, e a loj do pateo do Terco n.
20 : a tratar som Lint de Moraes Gomes Fer-
reira.
Vende-se um terreno sito na Casa-Forte,
ra da Amisade, com cacimba e fructeiras, tendo
150 palmos de frente e 300 de fundo: tratar na
ra da Imperatriz n. 42.
Vende-se ou arrenda se a engeuho Jerusa-
lem, na freguezia de Serinhem, perto do porto de
embarque e perto da estuco de Ribeiro ; enge-
nho d'agua com bons terrenos, maltas, cercado,
casa de vivenda, com 12 casas para moradores,
casa de farinba, distilaco, estribara, e outras
bemfeitorias; bem como boa safra para 800 pies.
Os pretendentes podem dirigir ee para o raoMno
engenho, ou para o escriptorio da ra do Bom
Jess n. 43, que acliaro com quem tratar.
Caatodlo Floro da Silva Fracono
A mal, irmaos e cunh*dos do finado msjor Cus-
todio Floro da Silva Fragoso, agradecem de cora-
cao todas as pessoas de sua amisade que lhes
fizeram o caridoso obsequie de acompaubar ao
cemiterio publico os restos mortaes daquelle sen
idolatrado filho e irmo ; e de novo lhes rogam o
compareciment s missas do stimo dia, que se-
rao celebradas as matrizes da Boa-Vista desta
cidade e da de Palmares, pelas 8 horas da ma-
nh:X do dia 2 de Acost.
Manoel Antonio de lean*
O Dr. Julio Cesar de Castro Jess, o bacharel
Augusto E de Castro Jess (ausente), Olympio
de Jess Goncalves, Karia Leopoldina de Jess
Carvalbo, o capito Manoel Antonio Goncalves,
Antouio Gomes de Mattos (ausente), Tbeodolinda
de Jess (ausente), Jos Fernandes de Carvalbo,
filbos, genros e ora de Manoel Antonio de Jess,
cordialmente agradecem aos amigos e parentes
que assistiram aos fricos fnebres e enterramen
to de seu presadissimo pai e sogro, e rogam-lhes
o carid'so obsequio de comparecerem s missas
de stimo dia, que serilo celebradas na matriz de
Santo Antonio e na capella do cemiterio publico,
s 8 boras da manh de 2 de Agosto.
Deulscher lluelfsvcrein
General Versammlung &m 31 ten. Juli 1886.
Abends 8 Uhr im Lcalo des Clubs Concordia.
Tagesordnnng
BechnungsaUage und Sericbt.
Ad. Stolienbacb
Schriftfuehrer.
Joa Joaqulm Ribeiro
Joanna Maria Rib.-iru, Jos Firmino Ribeiro,
aetano Theatino da Silva Ribeiro, Fructuosa
Francisca Ribeiro Ontes, Antonio Ontes Martina,
Rita Maria de Amorim Ribeiro, Joo Casimiro
Archelau de Ontes e mais parentes, agradecem
do iutimo d'alma todas as pessoas que se digna-
ra acumpaubar os restos mortaes de eeu sempre
chorado esporo, pai, sogro e av, a sua eterna
morada, c do novo os convidam a assistirem as
missas que n andaos celebrar no dia 2 de Agoste,
stimo do seu passamento, na matriz da Boa-Vis-
ta e na capella de S. Jos de Pelra Tapada, as 7
1|2 horas da manb, e desde j se confessam
atrradecidos por este acto d^ religlo e caridade "^
Antonio da
O vigario > Liiiuuciro, J. aijUiuj
Costa Pinto, convida seus amigos a assistirem a
urna missa que celebrar no da 30 do eorrente,
s 7 horas da manha, por alma do capitSo Jacin-
tho P--reira da Silva Barros, venerando pai do
Exm. Sr. Bispo Diocesano.
Antonio Ferreira l'lllarim
Roberto 6. Ferreir i Villarim e suas irmes
mandam resar urna missa na igreja de N. S da
Penha, s 5 boras da manha do da 30 do eorren-
te, 20 anniversario do sen passamento.__________
FUNDICA!
4LLANPATEHS01N ff
N. 44-Ru i do Brum--N. 44
JUNTO A Efr ripio DOS BlXDS
Tem para vender, por pre< mdicos, as seguintes fcrrig<-r.s
Tacbas fundidas, batidas e caldeadas.
CrivacBes de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos .aodelo*
Portasd fornalha.
Bancos de ferro com serra circular.
Grradeamento para jardim.
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 e 8 oavallos
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura
Rodas d'agua, systema Leandro.
Encarregam-se de conciertos, e assentamento ae machiuismo e exectuam qaal-
trabalho com perfeifUo e presteza.
r|r
4: b m %
JOSEPH KKAUSE tt
Acaban) de augmentar o sen j bem confaecidf
mporlante estabelecimento rna \
de marj'o n. t com mais
nm saldo no Io andar Inxuosamente pepar-
rado e prvido de urna xposi-
U i$ #kng do prata k Porte e tato-yin
dos mais afamados fabncanit^ do
mundo inteiro.
nonvida, pois, as Exmas. familias, seus nume-
rosos amigos e freguezes a visitaren)
o sen estabelecimento, alim de
apreciarem a grandeza e bom gosto com qne
nao obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
CHASE BEBTO DAS 1 A'S8 DA NOITB
4

-- 1


V....
O,-i*.
sati
J
4^
tt
f
t sa
p tt
M 0
-M
i-
O
^
ce 9
-
CCJ O 5S
fOCmiO MlR^lfES DlOLUflQA.
~uRheumatiemo,Caneroa,/Jobas.hnpajsi* <
etodas as molestias que \rnho sna orugem
na impureza do sangue dend a sjphilM.
r
c
ce
2
5!
p-
3 3.

ti
'X
O
Oh
V

RATORIO
*
-33(3i^
DC^RO0UCTO8lt0ICII
HA FLOflABRASIUtim
Boa dio Vteeonde de R io B ra-neo
------RIO DE IAXK1HO-
9
O
S"
=5
5

N*
X
C
(Je. asr*Jrnst
P
P
O
9
.
O
Este MXBiCAxairTO de um
mais de ao aaa<
Asrss M OarcwWa,
Eisto agradavel. .lopU'i,
i di Par, cura
da r-nlr liaf Vttu nna-i- W '>*rwo.
- IZ
e
v.iw Yictort
|a PtrnambuM:
rancie oxito ha
Tost,
pelos melhores fiedlo>s de Par, cura o- ijefluxo; *'j_.
Catarro
r
y*



r-J*

-

9-

l
Diario e PerBaiubucoSexta-feira 30 de Julho de 1886

NICO

\
Extracto Composto
ftL:> ce Ayer
wcn DAS

Escrfulas c todas as Molestias
provenientes deltas e para
DarVigoroao Corpo
Purificado Sangue.
h**U, do Di JCMCl i..' : f-.ll'-
Aluga-^e
predio n. 140 ra Imperial, proprio para es-
tabelecimeoto fabril : a tratar na ra do Gor,.n r-
cio n. 34, com J. I. de Medeiros Reg-____________
Alagase barato
A casa n. 96 roa dos Guararapos.
A ra Lomas Valeutinas n. 4
O armazem da ra do Corone! Suassuna n. 141
A casa n. 107 da ra V.s-oude da Wanna;
Trati-se na ra do Commercio n. 5, 1
eacriptorio de Silva Guimarae & C.
- w\/Y* A. Piecisa-se
v\,JLVX-C^. ra do
oeiro andar.
P'enaravo de Productos Vegetaea
XTIN(o'DAS CASPAS
e outras Molestias Capillares.
JVIARTINS& BASTOS
Pernambtit'is
Tricofero de Barry
Jrande e bem montada oflicina k alfaiale
T DE
PEDROZA & C.
N. 41Ra do Baro da VictoriaN. 41
Neste bem conheeido estabelecimento, 6e encontrar um lindo variado sor
timento de pannos, casemira, brins, camisas, punhos, collarinhos, meias, gravatas
tudo importado das mclhores fabricas de Paris, Londres e Alleroanha; o para bcn
servirem aos seus amigos e freguezes, os propietarios desto grande estabeleciment
im na direccao dos trabalhos da oflicina habis artistas, e que no curto espaco de 24
horas, preparam uin terds roupa de qualquer iazenda.
Ra do Baro da Victoria n. 41
(PRESOS SEM COMPETENCIA)
AMA
de urna : na
Cabug n 3, ter-
Garante-se que faz nas-
cer ecrescer o cabello anda
aos mais cairos, curo a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co da cabeea. Positiva-
mente impede o cabello
de cahirou de embranque-
car, e infallivelmente o
torna espesso, maeio, lus-
troso e abundante.
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
original usada pelo inventor em
1829. E' o nico perfume no mun-
do que U_aj a approvacao oficial de
um Governo. Tera duas vezes
luais fragrancia que qualquer outra
cduraodobrodotempo. E'muito
mais rica, suave e deliciosa. E^
muito mais fina e delicada. E'
mais permanente e agradavel no
lenco. E' dos vezas mais refres-
cante no banlio e no quarto do
lente. E' especifico contra a
frouxidao e debilidade. Cura as
dores do cabeon, os cansacos e os
desranios.
OS

Q
plEi-lniStea_ I laropeje YiflafleReBterNo.2.
de C. Suc-
PHARMACIA
Mermes de Souia' Perelra
teitore
Eecebeu grande sortimento desta expeliente
tinta de tods as cores o em lata* de 1 a 5 libras,
que continuara a vender por commodo preco :
dualquer pessa !crl"do cu menino) PIDta com
perfeico. Com esta tinta podem todos com pouco
dispendie conservar suas casis sempre limpas.
Ra do Mrquez de Olind-. n. I________
Ama para costabas
No largo do Corpo Santo n. 19, segundo andar, j
precisa-se de urna boa cosinheira. que d fiador .
de sua conducta. ________^ i
DSPOIS DE tTSAL-O,
.lliiiiam;;;
O solicita lor Joio OaataM de Abreu mudou o
seu escriptorio para a primeiro a dar do predio
n. 38, ru* do Imperador.__________________
io! sutes de Bieio neutros
loiuem nota
Trilhos para engenhos
WAOONS PARA CANNA
Locomotivas
at'hri i-siiiir completo para en
genhos de t dos os lmannos
Sysiema ap> rfei.
Eipecificaqws ep r,ptrio

Browns & C.
M. S Bua N. B \lwd > l"rosde
mi' i ,mpleu.i ; cultura, orno
.mbem machinas par -'odao, moi
anos para cat. trif", rito e inilh ; eerea de fer-
ro gaivanisadu exe-Uata ni o i tu |>r.'C<>, pes-
aoa nenhuroa pode trepai-*, i,i animal que-
bral a.
AJTTES DE USAL-O.
Cura positiva e radical de todas as formas de
acrofulas. Syphilis, Feridas Escrofulosas,
Affecces, Cutneas e as do Couro Cabel-
ludo com perdado Cabello, e de todas as do-
ancas do Sangue, Figado, e Rins. Garante-sa
que purifica, enriquece e vitalisa o Sangue
e restaura e renova o systema inteiro._______
Sabao Curativo de Reuter
5

as
os
Chapeos c chapelinas
36 A40PBlU Di lSDEiENDEIn---36140
B. S. CARVALHO & C.
Propietarios deste bem conhecido estabeleciinento paitecipam
as Exmas familias e ao publico em geral, que mensalmcnte recebem
das principae8 casas em Paris e Manchester o que de melhor e de
apurado goso ha om chap:linas o chapeos para senhoras e meninas
e das primeiras fabricas de Hamburgo o que ha de melhor em cha-
peos para hemens e crianjas, e muito^ outros artigoe concernenes
cha pelara.
Flores artificiaes para ornamento de salas.
C^2
s
!^2
^5

2
Precisa-se de urna ama para lavar, en-
gomar, e faer mais alguns servicos de
casa de familia na rna da Matriz da Roa-
Vista n. 9 se dir qnem preciso.
me* m crarn!
Sem dieta esem modifi-
ca?6es de costumes
Laboratorio central, ra do Viconde do
Rio-Branco n. 14
Esquina da ra do Reyente .Rio de
Janeiro
Especicos prepirados pelo phar
maecutico Eogenie Marques
de llollanda
i^provudos pelas juntas de hygiene da Corte,
Repblicas do Prata e academia de industria de
Pariz.
Elixir de imbiribina
Restabelece os dyspepticos, facilita as diges-
tfips'e promove as ejec?oes dificies.
Vinho de anauaz ferruginoso e quinado
Par os chlero-anemicos, debella. a hj poemia
intertropical, rtconstitue os bydropicos e beribe-
ricos.
Xarope de flor de arueira e mutamba
Muito recomint ndado ua brooehite, na hamop-
Sse e as tosses agudas ou chronicas.
leo de testudus ferruginoso e cascas de
laranjas amargas
E' o primeiro reparador d* fraqueza do orga
nismo, na fysica.
Plalas ante-peridicas, preparadas oom a
pererina, quina e jaborandy
Cura radicalmente as febres ir-termittentes, re-
mittentes e perniciosas,
Vinho de jurubxba simples e ta.nbem fer-
ruginosi, preparados em vinho de caj
Efficazes na inflammacoes do tigado e baco
(Hgudas ou chronicas.
Vinho tnico de capilaria e quina
Applicado as convalescencas das parturientes
urtico antefebril.
Depesito : Francisco Manoel da Silva & C.
Francisco Manoei da Silva k 0.
23-RUA MRQUEZ DE O LINDA-23
Jardim das plantas
MONDEGO N. 80
Pretendendo-se acabar com 9 plantas que es-
to cm vasos n'este j irdim, vende- so os sapotiser-
rrs muito grandes, e dando fructo, 2l)00, la-
ranjwiras, muito grandes, para mxertar, 6^000
a dnzia, e sap ifiteiros maia p-quenos por barato
preco.
Eite remedio precioso tem gozado da acceita
So publica durante cincoenta e sete annos. com
ecando-se a sua manufactura e venda em 1827.
Sua popularidade e venda nunca forlo tio exten-
sas como ao presente; e isto, por si mesmo,
offerece a mdhor prova da sua efficacia marav-
hosa.
Nao hesitamos a dizer que nao tera dei*ado
em caso algum de extirpar os vermes, quer era
creancas quer em adukos. que se acharo afiTic-
tos destes inimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantemente
attestacoes de mdicos em favor da sua efficacia
admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tem apparecido varias falsificacSes, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
eraitcieB.iFAHNEST9C
dus
Para o Banho, Toilette, Crian-
cas e para a cura das moles-
tias da pelle de todas as especies
em todos os periodos.
Dep<'s t
Fren
o
. iti PcniHiiibu
i*co Manoel da Sil
c isa de
. &C.
Serrara a vapor
raes do Cap3:>rbe n. ***
N'esia *ir lia encontraran 1.a > n'tvir'9 fregue-
mm. is.ftiu!.' (uirtioirato !<' pirli resina de
.iros liu 11111 .pi .:...:, de 0,08 a
ros Garnnt- .- ; r. c mais eomo-
imi" r;. qualqii' r parte
rancisco d Sni s Mjicedo.
COLLEGIO FRANCEZ
PARA MENINAS
17Rna dn Baro de Bemfica17
NA LHHA Di PAS&ffl DA MAGDALENA
As senhoras Mme. Frantis e Mlle. Francia, ufti e filha, diploraa'a pelaPa
. uldade de Pxris, r.centemente chegadaa de Franca onde exerceram por 11 tiit<.s an-
nos o profesorado, acabam de rstabelecer um collegio para meninas, segumdo o pro-
gramla adoptado eui Fr.mca ; o qual proporcionar s alnmnas que hea forera confia-
das urna educacao completa e esmerada. _
Os seDhores pais de familia sao convidacfoa a visitarem esto novo estabele.i-
mento situado em tao saudavel bairro e dispondo de todas as condicfos do confortavel
ede hygiene.
Mlle. Izabel Francis possue um talento elevado para o cnsmo de piano.
Ella precisa de urna ajudante psra as classes.
-111.-o a !>/.
0,-24 d
do de que em
\lh!C!0
Um senkura lubilitoda :> f kt qualquer
tr.tj;.lfr d ni i"dn a proroptidSo
e ac-'in. ifrcf ni prt-stiiuna ra de
Joo .MicojUr^dx, gwrantirio* gratii- minodida-
i! dt> pr v
7ASTILHAS
De AHfiELIlf & MENTRUZ
Yerdadeira
Sexta-feira, 3G do corrente, ao bite';domar-
telk do leiloeiro Pinto, ser yeadido na lpi'ao an-
auneiado, ra do Hipieio n. 47, uro riquusimo
orgao expresfivo, o melbor que aqui existe, pelas
T0et, solidez, qualidad(da.ina'leirase fjicilidadft
que oflVreee para reprar-se qiixfqufr dos desar-
ranjos tio comrouns em taca instrumento, mau-
ae neste paiz, onde a poeira invade tudo; a
melhor marca don fabrica los por Dbaim; fm
20 registros que poem o:n variadsimas non bina-
joes 244 notas reaes (palh'tas) nio contando dous
registros que pertencem ao piano qoe Ihe serve de>
accoasorio.
Nao ha mtlh'T para saluo on iereja.
S -
se
rs
f'
as
e
9S
0 Remedio mal efficaz e
Jeguro qup* tom tiescebrrw n
fio/e parB~mtpe'lir a ion trigas
ROPttYOL mms
c-,
1
a.
Os proprictarios do muito conbeeido estabelecimento denominado
MUSEU DE JOIAS
Bito a ra do Cabug n. 4, communic^m ao respeita^-el PUBLICO que receberam un
grande sortimenlo de joias 1as n.ais modernas e des mais apuradi* g"trt>w, <-amn tan.
bem i-elogios de todas as qualidades. Avisam tatubem que contiuuaiu a, 1- r pm
todos os vapores vind-s da Europa, objectoa novos e vendein par muito u>mum 'f -
outra qualquer parte.
MIGUL W0LFF & C.
N.
4RA DO CABUG----N. 4
^ompra-se ouro e prata velha.
SEMPRE NOVIDAIIES
Fazt'ndas finas e modas
2 A--Rua do Cabug~2 B
Aosio-Disteiilte
Cura ctrti em 48 horas das inflamagSes
recentes dos olhos, pelo c.olyrio prepara-
do por Jos Pedro Rodrigues da Silva.
Rmprega -se este poderoso colyrio semprc com
grandes vantagens, lias si^'uint.'s molestias :
Ophtalmias agudas, purulentas e chronicas, con-
unctivites, etc., etc.
Deposito ^eral, na drogara de Faria Sobrinbo
& C. rna do Mrquez (ii-'Olinda n. 41.
Para nfjnnacoes, sedirijam livraria Indus-
trial ra do Barao da Victoria n. 7, ou resi-
dencia do KOtor, a ra "tu Saudade n. 4.______^^^
Fumo desliado do Uo-!Xovo
M_____
DE
Fwias Silva & e
O melhor o o maU puro que tem
viudo a emln prora
NICOS IMPORTADORES
Costa Lio i & C. Rna do Amorim n. 37.
Almeida Machado & C. Ra da Madre de
Deus n. 3(J.
Jos Antonio dos Santos -Ra do Mrquez
de Olinda n. 5 c ra* Primeiro do Mar0
n. 3.
Para criado
Precisa-se de um menino de 12 14 annos :
.eriptorio deste Diario s dir qu-m precisa.
FAR1NHA LCTEA
DE
ESTi
-:000000
fiJLDIUiPTQ
..OS
ILlEu
Ra do Barf-a da Victoria n.O
e casas do cosime
Acham-se venda os felizes bilhett-s
garantido* da 253.a parte naa loteras i
oeueficio da Si.nta Casa do Misericordia do
Recife, (65.*), que se extrahir quando for
annunciada.
recos
4,J000
25000
lfiOOO
de ioo*oo
cinta par>
3S00
i67r.il
S><7?i
Inteiro
Meio
Qnar co
porco
Intcire
Meto
t^uirt
.lol> J-iuiH" '' '''/ Lf.it.
J
Hi-iin
tnria o
- t ri:
VdlM li
de M -
Apr'
aqut-l.r
sil" pr
tlllMU
lO |)Util
CO
ralbo M n C s'a, proprie-
phi* sin ai da Vi-
' andar, Vfli i d"8 con-
srie o mi nte deixou
,,-sma i.li Floaculu
i'Mbiao | H (odot
:n d is..r ll.o a
;n slle que c n
.. aeba
h. j. n q'jan'o
a. o. uan
il n h .sitos di-s
lessi I q i cerrm.
ra o pro-
iri iihc. II
iih-.ras i- Ihk '-RPi-ra a
uriH i ma proteo-
-i-
gradar
dBd
ma
Das Bi
refoii
i*;
Collr^io de Sant'Anna
Emilii. > *'-''a de M< aartienlar
de primeirs 1- rtraa, frani'z. i..1. u i di-tedho,
tsasica, pi i e riirers tn b ib -jc gnBia,
participa > i-.-uhorra p^ i "fo-
rtn boi.n. 'O seu
colWgio ra do Boa Jes
Pelo ultimo vapor recebemos de PARS :
Cortes de vestidos liaphaiics. alta novidade.
Vestidos da cachemira, especialidade.
Ditos de toile d'Alsace, grande moda.
Cachemira broch, tecd ino|rnlaaio.
Orlatienne, fazenda nova e pa'dr5es lindissiraos.
Venitienne, combinaeao de fazenda lisa e Uvrada de muito ^osto.
Z-pHyr quadrile, novidade.
Cachemiras de tudas as cores com enfoitos de Guipoure.
Plumetie, branco e de cores com lindos bordados.
Toile d'AUaie. variado sirtiment.
Satn doubl-, eei lo de Igfao < modernUaim,
Gase de algodao, eia ladaa as cSrca, proprm para bailen e theatroa.
Loques diaphano.
Ditos de setim.
Ditos de madreperola.
Guipoure de seda.
Bicos do teda diaphnno, r-volucAo da randa moda para entelar vestidos
de sedas.
Chapeos de seda arrend Sedas e seiin8, branco, pr-t
Col.lias de damasco 'i' n a.
Ditas de crochet e GTUIp^ur.:.
ESPECIALIDADES
Dolroana de seda e cachemira com enfeitts de psssemantcrie n vidrillms.
Uarm'cao de runda a franja. ,
Jersey de la coro enf tes de pelada e bordados, cscolhidos sortir.ientos d este*
asacos da malba, que vendemos de K#000 a ljJUO.
Fornecem se as amostras de todos os rtigos.
(TtlqlMie n. 350)
novid
c de i orna.
\s4:O0O80O
Bia.IIK'iF* ABIWIW
bragada independen
ca ns. 37 'W
O sbaixo assigna !o vend u i ntra os aoaju
fnlizcs bilhetes garantidoa da 64a lotera
a sorte de ld em 4 quartos n. 2476,
alm de outras muitas de 32)5,16(5 e 8f5-
Convida os possuidores a virem recebe
sem descont alsum.
Acham-se a venda na .iizcs bilbet-s
garantidoeda 65a parte* lotera a benetiei.
da Santa Casa (le Misericordia do Recife.
que aoexir.hir qu-wnlo tur eBnunciado.
Prrv"
ttilht.te inteiro i-^iuu
Mem *#**>
Quarto lo(KK)
coi porcio de 1005000 pai
cim
Bilhoto inte'ro .5f)(X>
Meio 75?
yuarto 's7
lados e no |ialairas
Aoa'qi'e *e de*ejatn tratar ** omyrorretter a
'tandt eom preparados mineralgicos
Nesta tj-pograpliia e na rna Direiia n 43, 1.
andar veii.!e-se tintura* ln.meopathicas para too
tensiva tura das BtRuiut. luuletlias : asthmatni
anda mesmo bron.bkieo; wysipela, enxaquecas;
intermitentes (em a empreo d.> fxtfl quininc):
tone c nv.itii. falta de u>eiirrua<;ao ; cmaras d.
sangue : ..-re icos ng metntu ; dores de dente* en
nevralgni, metromagii veinufiiiios, deatit*'
ouvuU.b das eriaava i ludo manipulado de lier
vas du uaii.
Ascim cir. tralam-se epcrofulosos em qnalquei
grao e gomar toaos.
MARCA REGISTRADA
is amos n sccsssq.
21 reeompens.a, da qnaes 8 dipli mas de honra
e8 m.idnlhas de ouro. _
(Vrti6eado- a*ineros8 das prim^ira- mitonoa-
des medicas.
Alimento rompilo para oriatscl-
nliao le prlo
Suppre a tomrfficieiici do Wt- materno, facilita
a desam.imentaca.i a (IrflystMO fcil.
Emprega-se rambe-n v.iirt j.nameBtP p-ira adul-
tos ermn alimefo para st ijnagoa debilitados.
NICO DEPOS1T E8reCUL I>A FABRICA
PARA TODO O JJPERIO
31C-KA HE S. rilDRO- 31C
Rio de Janeiro
*
lliISi
Vos 4:000S 1:0(MMOO
i ti
16-Rua do Cabag:-16
Ai'lniMi-*' a v- o '
tes yar nlidi. l< ri
da Santa < = > > '- Mi- r-
que ae eztVainr qu >>
rtit
Iht.'r"
M.i-
'Vil;. I-'..
Meado qj:.ij5.i H I I/mXM
Int i :^500
jr-fc, :750
guar.. 7?d3
./'('/(i"'-- /'""".i da Silva
< >-'"ituro808 bilb*-
(Oa em beneficio
nr lia do Recife,
for annunciado.
4l KH)
2i5tMHJ
iOUO
d!H M#fl

Em quartca
Sobrinho & (.'.
e metas garrafas, vendem Feria
' ma doaarquez de Olmaa i. l
DEP081T4KI08
Dtpotitos asa principae^PhirmSu.
Em Pernamhuoo :
FRAN M. da B1L.VA O.
SUSPeadJQftlLLEftET 1
i r ftnaixo as ear
/!,,, uet,
tur, lampada
>erworw.
Fffll3ifcfOJ33WnSTffll I
MEIAS PATA VAtlZCS
MUUET,UIQMPtt.i- '-' r al.O.Ht"
IUKGISTHKIiO
.
aaaki
MUIHAIO


>"""
riario de PernambucoSevUi -fcira 30 de Julho de 1S86

/
Menin
Precia-*", Caxia 11. 89 '-' -nd*r._______________________
Allenra
Compras- om1** UUia bo cw* pert<> d
cidade, des^j-i-'d-" nos MguintM pontos : fao-
leilade Cammbo Novo, C-pooga, Passagrn da
tover dirija se ruu do Imperador n. 49. 1" andar,
a tratar coui o solicitaior Antonio aoves.____
201350
Q Dr. Mello lime chamado i ra estreita
do Rosario n. 15, a negocio que uo ignora, ha
dous anuos._________________________
Aviso
Precisa-se de uinu profesora que saiba tocar
kem piano e uiais ti balhos de senhora, para en-
genho : a tratar com BarSo de Nazaroth, ra
do IiBDerador n. <>, 1 aiiam._________________
Eiigonimadeira
Pret-ia se de urna mulh*r de bom omporta-
mento. ijiie saiba engommar bem : a eotender-se
uu eacripwriu da redMC&o deeta folha. das 2 herus
at a ;") da tarde.
Olinda
(ar.mio do eatcrivo Ir. Calda
No din 29 de Julho ir prac* pela renda de
dous alios, j erante ojuixo ue orphitos da comar-
ca de OlinV, o sitio denominado Quadro, na
praia do Jang, coia 800 pea de coqaciros, com
maltas e capoeiras, cas do fijlo, tendo dito si-
tio meia legoa de fundo e 1,800 palmos de frente,
sob a base de '200 annuaes.
Entre amigos
Com a ultima lotera do mei de
Julho
I), xa de i r lug.r por ter sido transferida a
lotrr u. 6.1, que era a ultima deste mez. como se
v u. uuuuiiL'i'i do Diario de 28 do andante, ficar
para qoando ur anuunciada.
Cavallo e botoes.
Pilulas purgativas e depurativas
de Campanil
Estas pillas, cuja preparaco nulamente ve-
getal, tcem b por rnais de 20 annes aproreitadas
com os melliures resultados as seguintes moles-
tias : affeccoi's da j-elle e do figado, sypbilis, bou
bes, escrfulas, chagas inveteradas, erysipelas e
jonorrhas.
Modo de iiMal-nn
Como purgativas: tomi-se de 3 a 6 por dia, t-e-
bendo-se aps cada dsc um pouco d'agua acloca-
da, cha ou caldo.
Como reguladoras : tome-se um pilula ao jantar.
Estas pilulas, de invencao dos pbarmaceuticos
Almeida Andrade & Filhos, teein veridictum dos
Srs. mdicos para sua inelhor garanta, tornndo-
se mais recommendavfis, por seren um seguro
purgativo e de pouca dieta, pelo que podem ser
osadas em viaeem.
ACHAM-SE A' VENDA
* drogara de Furia Hobrinno C.
*l BA D MRQUEZ DE OLINDA 41
Mwr?f^-f----
..
Cnsila Jacinlbo Perl-ira d
Uva Barros
No seminario episcopal de Olindu celebrar-se-ha
ao dia 30 do corrente, as (i horas da maiiha, urna
znissa solemne de rquiem por alma do capito
Jacintho Pereira da Silva Barros, venerando pai
lo Exm. Sr Bispo Diocesano. Para assistir a
este acto de religiao sao convidados os fiis desta
(idade.
Mara de Jess Cnvalcaate
de uiiieirn
Joaquim Antonio de Oliveira, seas filhos, gen-
ros, netos e conhados agradecem do intimo d'al
irja todas as pessoas que se digparain aeumpa-
ahar os rstos .nortaes de sua sempie chorada
esposa, mii, aogra, av e irmil, sua eterna mo-
rada, e de novo as convidan) para assistirem a
nissa que mandara celebrar no dia 31 de Julho,
stimo do seu pagamento, na capella do engenbo
Janipapo ; assim como igualmente convidam a
todt'8 os amigns e,paren'- s residentes nesta cida-
de assia'ir.m a missa que mandam celebrar no
referido da, na matriz da Boa-Vista, s 8 horas
da man', a ; e desde j se contessam agradecidos
por este acto do religiao e csridade.
Capita-.i Jacintho Pereira da
Sil* Marro
O vigario Augusto Pmukliu Moreira da Silva,
tendo de celebrar nina miss sol-trine de rquiem
aa matriz ti Boa-Vista (s-zt, feim) s 7 horas
da manila, pur alma do pii I Exm. Sr. Bispo
Diocesann, o capital Jaeiotbo Hereira da Silva
Barros, fallecido em Taubat no dia 24 do cr-
rente, convida para assistir a ease acto aos seus
parochiauos e aos 8'iie aunaos, bem como ao Exm.
Senhor Bispo. Cerro da estima, que todos os ha
itanti-s desta cidade e principalmente desta fre
gnezia da Boa-Vista, votam ao virtuoso t-'relado,
espera que o seu convite st-ja aceito, e desde ji
man i fes ui a sua gran lo por este acto di cari-
dade.
Mi-toa fnebre
Amanha, stimo dia do passamento do espitao
Jacintho Pereira d Silva, digno pai do Exm. Sr.
Bispo Jj; o Bevd. Dr. Manoel Cavalcante de
Asis Bezerra de Menezea celebrara urna missa
s 7 1/2 huras por seu eterno descanso, na igreja
matnz de Saut Antonio desta cidade.
est encarregado de comprar e vender bons pre-
dios naa'a cidade : trata se em seu armasem
ra do Vicario Tlienorio n.}12.
Jos de Castro Uuina-
res
que Domingues de Souza nilo mais cobrador da co-
cheira rus da Impcratriz n. 29 desde Marco, e
chamado prestar contas dos dinheiros que re-
ceb.'u. como consta das cautas "om os recibos, e
entregar as contas que anda tem em seu poder
ao admin strxdor daquella conheira.
Telegrauwa (resposta paga)
Fiicos orientaes, grande variedade em cores '
arguras, receberam o Pedro Aotunes & C, e ven-
dem barato ; esperamos resposta ao 63 ra Du-
que de ('axias, Nova Esperanza ; novo sortimen-
to em leques de papel a 700 e 800 rs, preferencia
exclusiva ; ditos de seda, bonitas cores e lindas
paisagens a 3#, barrato punhos e collarinhos
bordados para senhora a 15800 e 2*500 ; ditos
com pintas de cores a 1/200 ; bonitos e delicados
lacinhos de cores, ultima moda em gravatas, a
1< 00. Keipo8ta paga ; vale a pena verem o que
: na luja de Pedro Antunes & C. u. 63, ra
Duque de Casias.
SMLSAO
DE
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Fisrado de iaealho
COM
llypophospiitos de eal e soda
Ipprovada pela liinta de II}
giene e antorisada pelo
goverao
E' o melhor remedio at hoje deocoberto para a
dnlca bronenitea. escrophDlas, ra-
rbittM. anemia. ebiiiuadc en geral,
deOoxos, tosse chronica e alTeccoe
do peito e da snrsai;in.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
bacalbo, porque, alm de ter cbi'iro e sabor agra-
daveis, possue todas as virtudes medicinaea e nu-
tritivas do olea, alm das propriedades tnicas
reconstituintes dos hypophospbitos. A' venda as
drogaras e boticas.
Deposito em Pernambuco
P DE RIGF
da 3X9 4X9 e 3X12 ; vende-se na serrara a
vapor de Ciimaco da Silva, cees 22 de Novembro
namero 6.
VENDAS
roda
I. Mara 1 reina do Reg
Barros
Francisco Agripino o!o Bego Barros e seas fi-
lhos, Pliuio Augusto Cavalcante de Albuquerque,
Anua S. fia de Albuquerque Fi^ueiredo, Mara
Isabel I'esoa de Albuquerque, Manoella A. Pes-
soa de Albuquerque, coaselheiro Diogo Velho Ca-
valcante de Albuquerque (ausente), Dr. Jos M.
Moscoss da Veigx Pessoa, Americo Cavalcante de
Albuquerque, Virginia Cavalcante de Albuquer-
que, Luiza Cavalesnte d" Albuquerque, An
a C. de Albuquerque, Luduvicu C. de A., An-
tonio P. de Figuckedu, Felinto do Bego B. '
Pessea, Dr. Pedro alazar da Veiga. Pesso (au-
ente), Godofredo Moscoso da Veiga P'sso
convidam aos seus emigos e parantes para assisti-
rem as missas que mandam celebrar pela alma de
ana prez >da esp ea, mi, filh., ixm, sobrnhae
cnnhaa, ilaria U do R.g,. Barros, as matrizes
da Boa Vista e Escada e uas capellas de Allianca
Alagoa Secca, s oit. e meii horaa do dia 31
do corrente, setK.o do fallecunento.
Liquidara os seguintes artigos mais barato queem
outra parte, visto serem algu:is comprados em
leilao a saber :
Lindos eretones claros a 240 e 280 rs., o eo-
vado.
Faites de novos gostos a 400 e 500 rs. o dito.
Linons com palmas de la a 80J rs. o dito.
dem com salpicos a 560 e 700 rs. o dito !
Popelinas com litras de eda a 280 e 320 rs., o
dito para acabar.
Esguao pardo para vertidos a 500 e 560 rs. o
dito.
Setinetas, nevdades, a 320 e 360 rs., ores
firmes.
Damascos de la, largura de 2 metros, proprio
para pannos de piano a 14800 o covado ; de cores
propnas para mesas a 14500 e 14600 o uto.
Merinos pretos para uto, 2 larguras a 900, 1,
1/200 e 14500 o dito.
dem de todas as ores a 14 e 1 4200 o dito.
Casemiras de 2 larguras, padres inieiramente
nevos a 14200, 14600 e 14800 o dito.
Setim maco, de todas as cores, desde 809 rs. a
> o dito.
Atoalbado trancado e bordado a 14400 e 14500
o metro.
Bramantes de 4 larguras, superiores a 900 rs. e
1*400 o dito.
dem de puro linho a 24 o dito.
dem de ama largara a 500 rs. o dito.
Guarnicoes de crochets para sof e cadeiras a
84.
Riquissimas colzas de dito a 124 e 144.
Lindas grinaldas e veos para Exmas. noivas a
144.
Cortinados bordadas a 64500 e 104 o par.
dem em pecas com \ jarda?, novos desenhos a
9/.
Toalhas felpudas de cores, para rosto, a 7/500
a duzi:i.
Meias inglesas, cruas a 3*500, 44 e 64 a dita.
dem arrendadas para senhor i a 8 a dita.
Seroulas bordadas de bramante a 124 e 16* a
dita.
Camisas superioies frtncezas a 384 e 424 a
dita.
Cobertas de ganga, forradas a 24500 e 34.
Lences de bramantes, grandes a 24-
Chales de casemira, dem, a 24, 34 e 54-
Cortes de casemira inglesa a 34, 44 e 5*.
Cheviot superior, de 2 larguras, a 34 e 34500 o
covado.
Vendas em groaao, danos descont
da praca
59=Rua Duque de Caxias=59
Carneiro da Cunha k G.
WHISKY
KOYAL BLEND marca VlADO
Este excedente Whisky Escossec pretenv
so cognac ou *gnarden.e de canna, para tortific
o corpo.
Vende-se a retajho nos t Iberes armazens
nolhados.
Pede BOYAL BLEND maree VLADOcujon-
me e emblema sao registrados para todo o Brazi
BBOWNS ^ C, agentes
Malas para viageni
Vende-se malas e bolsas de todos os tamanhos,
por presos sim competencia : na ra do Imper >-
dor n. 63.
+ t t t .
Contanela de Wouza MaaOtro
Jota Mana Mouteiro
do iutim. d'alma a toaas as pessoas qu<7 se di-
narsm aeempanh^r os r.stus n, rtacs de sua pre.
sada fiiha, Constancia de S. Monteiro de i" vo
al eon.idam para s-isn 1 missa de stimo aia
que ter U(rar a gunda-f ira 2 de Agosto, na
igreja de N. S. do Carme, as 7 horas da manh ;
deas j se confemmi agradecidos. _________
Aproveitem!
Vende-se tudo barato
Largo de $. Pedro o. 4
Neste estabeleeimento eucontra se sempre um
completo sortimento de gaioias e patearos naci-
aaes o esfrangeiro, o melhor que ha neste ge-
nero, fructas maduras, balaios proprios para ni
uhos oe canarios do imperio, cestinbas para eos
tura, vassouras do ara a 800 rs cada urna, que
costa e-n oufra qualquer parte a 14 e 14200, con-
serva de pimenta americana em bonitos fraaqui-
nhos a 120 rs. cada um, para acabar, maesa de
mandioca muito bem preparada, para bolos
Pinito de Riga
Vendem Foosec^ Irmos Ct C.f a preco mdico
Cabriolet
Vndese um ero perfeito estado e por pi
i,..- dos frr "s "!'','
n?
Boa &?qnisi(
Ver rreoia casase sj um% boa
para ^r.inde Urailia, enntendo sirio bem ar-
boriauo, duss _'-.)l* u'..Ku- d< l..'b*r e n.^a
Hguano mesen- sitio, a qual se acba ataga-
lla e com caverna, no lugar Campo Grande, perto
d* astacao do m-m nome : a tratar com opro-
prietario Lun do Bego Barros, no mesmo sitio.

1
Cimento po I lam
Vende-se de diversas marcas, no armasem de
Soares de Amaral Irinao, ra da Madre da
Deus n. 22.
GRANDE
Expsito central roa larga do
Rosario n. 38
Damiao Lima & C, chamam a attencao das
Exmas. familias para os precos seguintes :
Carreteis de 200 jardas 80 rs.
Pecas de bordados de 200 a 600 rs.
Ditas de um palmo a 24500 e 34000.
Fita n. 80 para faxa a 24500.
Leques regatas e D. Joannita a 14000.
Frascos e extractos de Lubin, grandes, a 24000.
Leques D. Lucinda Colho a 64000.
Toalhas felpudas a 500 600, e 14'00.
Duzia de meias para homem a 3J000.
Ditas para senhorss a 34000.
Luyas de seda a 24000.
Meias de fio de seda para menina a 14000.
Golarinhos de liuho a 500 rs.
Ditos de algodao a 320 e 400 rs. s-
Macos de grampos a 20 rs.
Pecas de cordao para vestido a 20 rs.
Bvisiveis grandes a 320 rs.
rampos iuviaiveis a 60 rs.
Um leque de setim (novidade) a 6(500.
Ricas bolcinhas de madreperola de 14500 6*.
L3 para bordar 24800.
Urna capella e veo de 15*000, por 124900.
Um espelho de mol lura por 54500.
Urna pulseira de fita per 1*200.
Plisf a 400 e 600 rs.
Urna noneca grande de cera por 2*500 e 34000.
NA EXPOSIQO CENTRAL
38Roa Larga do Rusario.18
Florida
Loja de miudezas
Ra do Duque de Caitas n. IOS
Os proprietariis deste grande estabelecimento
de miudezas, modas e para accommodar os interes-
ses da poca, tem resolvido venderem po' meuos
vinte por cento que eao outra qualquer parte.
Ptntes elctricos 6' 0 rs.
Luraa de pellica a 24500 o par.
Linha de carritel branca e de cores a 80 rs.
Grampoa a 20 ra. o masso.
Invisiveis a 320 rs.
Vestuario de fustao bordado para enanca a
34000.
Pentes de regajo para crianca a 100 ra. nm.
Baleias a 36o rs. a duzia.
Haspas para anquinhas a 120 rs. o metro.
Bicos com tres dedos de largura a 14500 e 1*800
a peca.
Linba de cores para crochet a 250 rs. o no-
vello.
Papel amizade a 40 rs. o caderno.
Fita cnineza a 320 rs. o masso.
Lencos de linho a 14500 a duzia.
Lindos bicos de cores com 10 Jardas a 44 e 54
a peca.
Urna caixa cem tres sabonctes desenliando urna
rosa por 500 rs.
Meias de la de cores oara senhora a 14500 o
par.
Fazendas brancas
SO' AO NUMEaO
4o ra da Imperatrlz = 4
Loja do barataros
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bonito sortimento de todas estts fazendas
abaixo mencionadas, tem competencia de procos,
A SABER :
AlgodoPecas de lgodosinho com 90
jardas, pelo'" barato preyo de 34800,
4J, 4*500, 44j '., bg, 5*500 e 6|50
MadapolaoPecas de madapotao om 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at 12*00*.
Camisas de meia com listras, pelo barato
preco de 800
Ditas brauc is e cruas, de 14 at 14800
Creguella francesa, fazenda muito encor-
pada, propria para iencoes, toalhas e
c-roulas, vara 400 rs. e 500
Ceroulaa da mesma, muito bem fetai,
a 1*200 e l*50t'
Colietinhos r'a mesma 800
Bramante francs de algodao, muito ea-
corpada, com 10 palmos de largura,
metro 142
Dito de linho inglez, de 4 larguras, me-
tro a 24500 e 28(X
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro 1J80G
Cretones e chitas, claras e escoras, pa-
drees delicados, d 240 rs. at 400
Baptista, o que ha de mais delicado uo
mercado, rs. 200
Todas estas fazendas baratissimas, na conhecida
loja de Alheiro & O, esquo do becco
dos Ferreiros
Algodo entestado pa
ra lenvoes
A Oo rs. e laOOO o metro
Vende-se na loja dos barateiros da Boa-Vista
:ndao para Iencoes de um s panno, com 9 pal-
s de larcuraa 900 rs., e dito com 10 palmos a
00 o metru, assim com dito trancado para
mallias d< misa, com 9palmos .-e largura a 14201
etro. Isto na leja de Alheiro o C, esquina
do ceco dos Ferreiros.
MERINOS PRETOS
A 14200, 14400, l*6o0, 1 '800 e 24 o covado
A heiro A C, ra da Imperatric n. 40, ve
dem muito bons merinos pretos pelo preco acim
dito. E' pechincha : na loja da esquina do bec-
co di s Ferreiros.
Espartllhos
Na loja da ra da Imperatriz n. 40 vende-se
muito bons espartilbos para senhora*, pelo precr
de 5*o00, assim cemo um sortimento de ronpas
de casimiras, brins, etc., isto na loja da esquina
de becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZ AS
A 24800 e 3i o covado
Alheiro & C, ra da Imperatriz n. 40, ven
dem um elegante sortimento de casemiras ingle-
sas, de.duas larguras, com o- padrSes mais deli-
cados para costume* e vendem pelo barato preot
de 24800 e 3J o covado ; assim como se encarre
gam de mandar facer costumes de casemira s
30, sendo de paletot sacco, e 35* de traque,
grande pechincha I na loja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 rs. o covado
Os barateiros da Boa- Vista vendem urna grande
porclo de brim pardo lona, por estar com princi
po de toque de mofo, pelo barato prego de 32<
rs o covado, grande pechincha ; na loja da es
quina do becco dos Ferreiros.
Bordados a I O rs. a peca
A ra da Imperatriz n. 40, vende-se pecas de
bordado, dous metros cada peca, pelo barato pre-
co de 100 rs., on em earto com 50 pecas, sorti-
daa, por 5|, aproveitem a pechincha ; na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
Farinha para poreo
Vende-se para acabar, por preco medico : na
ra do Imperador n. 63. ______^^^
VAPOR
e moenda
Vende-se nm bom vapor e moenda com pouco
usu ; a ver no engenho Timb asan, muito perto
da estacao do metmo nome ; a tratar na roa do
Imperador n. 48, Ia andar.
A Revolu^o
Mas
ra Duque de Casias, resolveua vender
os seguintes artigos com 25 0|o de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Sedas lavradas de 2*000 por 1*000 o covado.
Cachemiras de cores a 1*200 o covado.
Ditas pretas a 14000, 1*200, 14*00. 1*600
14800 e 2*000 o covado.
Dita broch, de l e seda, lindos tecidos, 14500
o covado.
Gorgorinss de listrinhas a 360 rs. o covado.
Setins a 800 o 1*200 rs. o covado.
Dito preto a 1*000 e 24200 o covado.
Gaze com bolinhas de velludo a 800 rs. o no-
vad?.
Las cora bolinhas a 640 rs. o covado.
Velludilbo liso e lavrado a 1*000 e 14200 o co-
vado.
Fustto*.branc9 a 440, 500, 560, 600 e 800 r. o
covado.
Giosdenaples pretos a 1*800, 24000, 24500 e
24800 o covado.
Nansc de c&r a 300 rs. o covado.
Cretones finas a 360, 400 440 rs. o covado.
Cambra i a de quadros a 14500 a peea.
Dita transparente de 44000 por 24000 e 2*500
Linn blanco a 500 rs. o covado.
Fachs de retroz a 1*000 um.
dem de 13, de 1*000 at 64000.
dem de pelussia a 54000 e 64500.
dem de pelussia bordados a 7*000.
Cretones para chambre a 320 e 390 rs. o oo-
vado.
Cambraia com salpicos a 6* rs. a peca.
Chapeos de sol de cores para senhor'. s a 7500
um.
Brim de linho de cor a 14200 o metro.
Lmhos escosscea a 240 rs. o covado.
Zepbiros listrados a 200 rs. o covado.
Tapetes para janella, piano e cama a 44000,
6*000 e 74000 um.
Ditos avelludados para sof a 24*000 um.
Fustao de cor a 500 rs. o cevado.
Setinetas lavradas a 500 rs. o covado.
Flanella branca a 400 rs. o covado.
Setinetas com desenhos lindos a 440 rs. o co-
vado.
Cortes da casemira a 3*000, 3*500, 5*0C0 c
7*000.
Casemira de cor e preta a 1*800 rs. covado.
Timoes bordados a 4*000 um.
Brim pardo lona a 360 e 500 rs. o covado.
Camisas de meia a 800, 1*000 e 14200 urna.
Algodao com duas larguras a 800 rs. o me-
tro.
Esguiao amarello para vestidos a 500 rs. o co-
vado
Espartilhos couraca de 4*000 a 8*000 um.
Para as Exmas. noivas
Setins maco a 14200 e 24000 o covado.
Popelinas a 600 rs. o dito.
Alpaca a 400 e 440 rs. o dito.
Setinetas lisas e lavradas a 500 e 560 rs. o dito.
Cortinaoos bordados a 74000, 94000 e 154000o
par.
Capellas e veos finos a 10* e 14*.
Colchas bordadas a 54000, 74000, e 8*0.0
urna.
Camisas nacionaes
A #SOO. 3AOOO e 3*500
32- Loja k ra da Imperatriz = 32
Vende-se neste novo estabelecimento um gran-
de sortimento de camisas brancas, tanto de aber-
turas e panhos de linho como de algodo, pelo*
baratos precos de 2*500, 3* e 44, sendo tasends
muito melhor do que as que veem do estrangeiro e
muito mais bem feitas, por serem cortadas por
um bom artista, especialmente camiseiro, tambern
se manda fazer por encommeadas, a vintade dos
fregueses : na nova loja da ra da Imperatriz n.
3 :, de Ferreira da Silva.
A 32
Nova loja de fazendas
a* Roa da imperatriz = 3;
DE
FERREIRA DA SILVA
Neste novo estabelecimento encontrar o res-
pjitavel publico um variado sortimento de raaen-
das de todas as qdlidades, que se vendem poi
precos baratissimos, assim como nm bom sorti-
mento de r, upas para homens, e tambem se mas
da tazer por encommendas, p r ter um bom mes-
tre allaiate e completo sortimento de pannos finos,
casemiras e brins, etc.
I Uu da Imperairli-l
Loja de Pereira da Silva
Neste estabelecimento vende-se as roepas aba
xo mencionadas, que sao ba- ..as.
Palitots pretos de cuagonass e
acolchoados, Bem o tazenaas muito en-
corpadas, e forrados ''4001
Ditos de casemira preta, de cordao muito,
bem feitos e forrados 10400t
Ditos de dita, fazenda muito melhor 12400)
Ditos de flanella azul sendo ingleza ver-
dadeira, e forrados 120W
Calcas de gorgorito preto, acolchoado,
sendo fazenda muito ene irpaoa 5*50
Ditos de casemia de cores, sendo muito
bem f.tas 6450'
Ditas de flanella ingleza verdadeira, e
muito bem feitas 840
Ditas de brim de Angola, de mulesktm e
de brim pardo a 2*, 24500 e 3401
i'eroulaB de gregnellas para homens,
sendo muito oem feitas a 1*200 e l*60i
ColletinhuB de greguella muito bem feitos 1*00
As9im como um bom sortimento de lencos dt
linho e de algodo, meias cruas e collarinhos, etc
Isto na loja aa ~ua da Imperatriz n. 3i
Riseados largos
a roo rs. o covado
Na loja da na da Imperatriz u. 82, vendem w
riscadiuhos pr->pnos para ronpas de meninos i
vestidos, pelo barato pn co de 200 rs. o covade
tendo quasi largura de chita francesa, e ssir>
como chitas brancas miudinhas, a 200 rs. o
d<>,e ditas s curas a 240 rs., pechincha
oja do Pereira da Silva.
Fnwtoew. setinetas e lassinba* a >'
rs o covado
Na loja da ra da Imperatriz n. 32, vende-
um grande sortimento de funtea brancos a 60)
rs. o covado, lziuhaa lavradas de turta-cores
fi-zenda bonita para vestidos a 500 re. o covade
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas a>
cores, a 500 rs. covado. pechincha : na loj
do Pereira da Silva.
Merino pretos a l*
Vende-se merinos pretos de duas larguras pan
vestidos o roupaa para meninos a 1*200 e 1*6<>
o covado, e auuenor setim preto para enfeitas >
1*500, arsim como chitas pretas, tanto lisas com'
de lavonres brancos, de 240 a' 320 rs. ; na nov
laja de Pereira da Silva ra da Irm eratriz ntt
mero 32.
lgodoztnio francs-, para lencae
a OOOrs., e 1**00
Na loja da ra da Imporatrit a <, vende-s
superiores algodozinhus fraucez< a com 8, 9e 1'
palmos de largura, proprios para Iencoes de ub
s panno pelo barato preco de " metro, e dito trancado pa a toalhas a 14280, at
sim como superior bramante de quatro largura
para Iencoes, a 1*500 o metro, barato ; na loii
as Pereira da Silva.
Roupa para meninos
A 44. UftOfl e
Na nova loja da ra da Imperatriz n. 82, s-
vende um vanado sortimento de vestiarios prc
prios para meninos, sendo de palitosinho e calo
nha curta, feitos de brim pardo, a 4*000, dito,
de molesquim a 4*500 e ditos de gorgoro prdtc
emitando casemira, a 64, sao muito baratea ; n.
loja do Pereira di Silva.
el
Vende Candido Tbiago da Costa Mello em sen
deposito roa Imperial n 322, olsria. Telephone
namero 2^1.
LOTERI
DAS
ALAOOS
CORRE NO DIA 5 DE AGOSTO
INTMNSFERim! IfiTRANHIM! #
O portador qaepossuir um
vigsimo desta importante lo
teria est habilitado a tirar___
10:006^000.
Os bilhetes acham-se a' ven-
da na Casa Feliz, praca d: In-
dependencia ns. 37 e 39.
Corre no dia 3 de Agosto
1886, sem falta.
O portador de dous vigsimos desta
importante lotera do cusi de 25200 est
habilitado a tirar
2o:oi2$ooo
Vigsimo
Vigsimo -
Preo em poryo
' A' RETLH
14000
1*100
A ROM DA FORTUNA
36lina Larga do Rosario36
Aos i.ooo:ooopoo
200:0001000
HIMOOSOW
GRANDE LOTERA
DE 3 SOffil
Em fav r dos ingenuos da Colonia Orphanelogica Isabel
DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO
Extraccao: no Ola 15 eDabro b 1886.
0 thesoureiro, Francisco Gongalves Tocre
FAZENDAS ""BARATAS..
Na bem conhecida loja dama Primeiro de
Marfo n. 20
JUNTO DO LOVRE
Grande sortimento de madapolS-8 de 4.5500, b&, 51500, 6(J, 6J506
74500 e 80000
AlgodSes brancos, superiores qualidades, de 40, 4^(500, 5)8, 55500, 6)$ e
6,5500.
SapesiQres eretones de 320 a 500 o covadu.
Batistes, liodro padrSes, a 200 e 320 ra. o covado.
FustSes brancos de novos desenhos a 440 e 500 rs. o covado.
Cobertas de ganga, forradas, de dous pannos a 3& 500.
Ditas de ganga cretone,bonitos padrSes, a 3^000.
Lenjoes de bramante, de linho,. de 2$ a 4#000 a um.
Ditos de algodao de 1,800 a 20500.
Toalhas f'-lpudas, de tamanho regular a 50000 a duzia.
Ditas grandes para banhos a 20000 urna.
Lerdos de algodSo de 10800 a 20200 a duzia.
D:*os ** algodSo, com barra, a 20400 a duzia.
B ..rd.i, claro, a 300, 400 e 700 rs. o covado.
Di^ > k-uaf^do, ltoa, a 10, 10iOO e 10200 o meto.
(i ru-s vestido de cretone de 200 por 80000.
G > 1 lanapos de linho de 30500 a 60 a duzia.
Grande var'odade de anquinhas de 20 a 50000.
Meias cruas para homem a 50, 60, e 70000 a duzia.
Chambres muito bem preparados, para homem, de 50 a 100000.
Casemira diagonal, preta e azul escuro, a 20500 o covado.
Algodao trancado de duas larguras a 10300 a vara.
Bramante de algodSo, de qnatro larguras, de 10500, 10800 e 2000 a van
Dito de linho idem idem de 20, 20500 30 e 4=0000 a vara.
Leques de papel, de lindos diaenhos, de 500, 800 o 10000.
Merino preto e azul a ly>40( rs. o covado.
Setinetas lisas de todas as cores a 440 rs. o covado
Guarda p de brim de linho pardo a 40, 50 e 6$000.
Oxford p.ra camisas, lindos padrSes, a 280 300 e 340 rs, o covado.
Velbutina8 de todas as cores a 10000 o covado.
Molesquin de cores, bonitos padrSes, a 600 rs. o covado.
Chales do algodao a 10200, 10400, 10600 e 2J000.
Costumes para banhos de mar a 80 e 100000.
Cortinados bordados para cama e janellas a 80 100, 12, 14 e 160080 o pai
Grande sortimento de roupa feita para trabajadores de campo.
Encarregamo-nos tambem de mandar fazer qualquer roupa para n#inef '
meninos, para o que temos nm hbil oficial o um grande sortimento de pannos, o*1**.
casemiras, etc. .
Quena precisar da algum artigo bom e baiato, devora visitar de jjreereno
este antigo e acreditado estabelecimento.
M Primeiro le Marco i. 20


Diario de PeriiainbuenSexta-fcira 30 de Julho de 1886
ASSEMBLEA GEItAL
CAVARA S DBPITADOS
SESSAO EM 14 DE JULHO DE 188t
PRISIDBNCIA DO SR. ANDRADE FIGBEIRA
(Continuado)
Ora, nao ha alguem, da boa f, de espi-
rito superior e dj principios mus severos,
que estudando o processo destas eleicS,
n3o conclua francamente peU sua nulh
dade.
Onde p le apparecer divergencia nica-
mente em sab-r si oeste caso se d a
hypothesa do art. 20 que manda proceder
nova eleicSo.
O Sr. Jos M-riaono : O art. O se-
ria a terceira derrota do candidato conser-
vador. ,
O Sr. Joao Manoel: benhores, quan
do se annulla uma eleicao por vicio de for-
ma no processo, diante de um eleitorado
legitimo, verdadeiro, entendo que o caso
do art 20, porque, corrgiios csses defei
tos, de forma, o voto dos comicios eleito
raes poderia ter expressao verdadeira e
legal; mas, quan lo se pede a nulliiado
de eleigoVs por vicios por assim dizer in-
trnsecos, que affeotam a substancia do
voto, que o desvirtuam, seria urna ociosi
dade repetir o novo pleito, p>rque esses
vicios permanentes sa reproduziriain, dan-
do o mesrao resultado. (Apoiados o apai-
te8-) A
Foi apoiada nestes principios e escuaa-
da nestas razoes que a corarais33o con iuio
pelo reconheciraento do Sr. conselheiro
Theodoro Machado.
Eu nlo tenho a pretencao de illuminar
o espirito da cmara, para proferir um voto
que exprima toda a Justina e vardade que
devem revestir suas decisSes.
Cuaipri o mea dever sern odio a sem
paix3o.
O Sr. Pedro Beltrao : Gomo bDtn par-
tidario, sem duvida.
O Sr. Joao Manoel: Quanto com-
missao. nao ha quem possa crer qua eu
tivesse forca e prestigio para fazer dos
meus Ilustres collegas instrumentos de
minhas paixoes particular;s ; a commissao
procedeu com toda a ismcao e indepen-
dencia, que caracterisara a cada um de
seus membros.
A cmara, apezar desse ruido que l
fra se faz, dessa agitac3o que p race tar
o fira de intimidar, vae proferir a sua sen-
tenga com espirito calmo, sereno e iraper-
turbavel.
(Muito bem 1 Muito bem O orador
felicitado).
O Sr. Ferreira le Aguiar (pela ordeno)
requer, e a cmara approva, o encerra-
monto da discuss3o.
O Sr. Candido de Olivoira (pela ordem)
requer, ea caara nega por52 votos con-
tra 35, votacao nominal sobra a 4.a con
clus3o do parecer da commissao.
O Sr. BeltrSo (p-la ordora) requer, e a
cmara n ga, votac3o nominal sobre as 1.'
e 2.a conolusSes do mesmo parecer.
O Sr. Alfonso Celso Jnior (pela ordem)
requer que a ultima conclusao do parecer
seja votada por escrutinio secreto.
O Sr. presidente diz que nao pode ad-
mittir essa votacao, porque ella tem fim
especial no regiment.
O Sr. Beltrao (pela ordem) pede para
que seja submettida de preferencia a emen-
da que apresentou, e que regimental, ou
submetter o paree r salva a emenda.
O Sr. presidento responde que submette
em 1. lugar as conclusSes do parecer, se
frem todas approvadas, fijara prejudica
das a emenda, menos a 4.*.
Posta a votos a l.1 conclusio do pare
cor, approvada por 60 votos contra 27.
Postas a votos as 2. e 3 conclus3es,
sao approvadas.
O Sr. BeltrSo (pela ordem) v que o pa-
recer da com missao sofferece conclusBas
annullando as eleicfos do Poco da Panella
e da Varzea, mas n3) offerece conclusao
quanto s de mais eleic5s do districto ;
portanto, a cmara tem necessidade de
pronunciar-se sobra essas eleic3es; por
isso requer que o parecer seja devolvid>
commissao afim de completal o.
O Sr. presidente nao admitte o reque-
rimento, que s podia ser apresentado na
occasiao da discuss3o; entretanto o para-
cer da commissao est regular, porque
desde que excluio das conclusSes s domis
eleigSes porque as considera validas;
sob o rgimen da eleic3o indirecta que
era necessaria essa approvac3o, hoje nao,
porque os eleitores sao permanentes.
O Sr. Lourenco de Albuquerque (pela
ordem) observa que a ultima conclusao
comp<5e-se do duas partes, a que annulla
o diploma do Sr. Jos Marianno, e a que
reconhece leputado o Sr. Theodoro Ma-
chado, e possivel que baja quem queira
votar a favor de urna e contra a outra par-
te ; por isso requer votacio por partas.
O Sr. presidente responde que aceita o
requerimento do nobra deputado; mas an-
tes tem de votar-si a 4.* conclusao da
emenda do Sr. Beltrao, que n3o est pre-
u licada.
Posta a votos 4.a con-lusao da emenda,
que manda responsabilisar o escrivao do
alist amento do 5. districto criminal do
Ruife, approvada.
Posta a votos a 1.a parta da 4 a conclu-
sao d > parecer que anuulla o diploma do
Sr. Jos Marianno, approvad por 60
votos contra 30.
Pista a votos a 2.* parte, que reoonhe
ce deputado o Sr. conselheiro Theodoro
Mchato, approvada por 56 votos con
tra 31.
O Sr. presidente proclama deputado pelo
2. districto eleitorai de Pernambuco o Sr.
constdheiro Theodoro Machado Freir Pe-
reira da Silva.
(Vozes no recinto exclamam que o que
se passa um escndalo; vozes das gale-
ras applaudem e dao vivas a Jos Ma-
rianno.)
O Sr. presidente adverte as galeras, e
declara que vao ser tomadas providencias.
(Rstabele-se a ordem.)
FORgAS DE TERRA
Contina a 2* discussao da proposta fi-
xando as forcas de trra para o exerccio
de 18871888.
O Sr. t'anto soba tribuna, como
sempra, irapressionado sement pelos sen-
timentos qu* loa inspiram as necessidadas
e verdadeiros eoffrimentos da classe mili
tar, clase qua a primeira do Estado, que
tudo sacrifica pela patria, esquecendo as
mais charas affeicSas, suffocandoe espirito
da propria conservacio e que, entretanto,
nlo olhada com a consideroslo que me-
rece.
Nlo vai entrar cm altas questoas milita-
res, porque a occasiao nao azada, e sim
aquella em que se tratar da reorganisac3o do
exercito ; vai apenas chamar a attencao do
nobre ministro da guerra para certos ra-
mos do servico publico que correm por
essa pasta; vai tambara responder a dous
pontos ds discurso do Sr. Candido de Oli-
veira, em considerado a S. Exc, e dei-
xando outros pontos, dos quaes nao tem
conhecimento inmediato.
Antes, porem, s^ja-lhe licito cumpnr
um grato dever, sau lando ao nobre minis-
tro da guerra pela alta posicao que oocu-
pa no paiz, a qual conquistou pelo seu bri-
Ihanta talento e activida te : quaesquer que
fossem as razoes de preferencia para S. Ex.
passar para a pasta da guerra, espera que
S. Exc. prestar nesta pasta os mesmos
servidos que prest iu na da marinha,* e ao
mesmo te rapo sada o exercito por ter
sua frente ura cavalheiro t.to distincto, que
se ha de dedicar ao exercito e compene-
trar se das respectivas necossid.tdes para
satisfazel-as nos li-nites do possivel.
Responde ao Io ponto do discursj do
Sr. Candido de Oliveira, que a commissao,
de accordo com o Sr. ministro da guerra,
oxcluio deste projecto a autorisajio para
reorganisac&o do exercito, porque, segundo
a sci-'n -ia moderna, medida de vasto al-
cance, que nao deve ser tomada de impro
viso ; demonstra o alcance dessa medida
e o que se passou n'uma das ultimas le-
gislaturas com um additivo no mesmo sen-
tido.
A commissao est convencida que o no-
bre ministro ha de empregar todos os es
forcos para que na sessao seguinte se possa
raorganisar o exercito de aceordo com as
nossas condicSes financeiras.
Quanto s es -olas militares, o orador
julga que a do Rio-Grraade do Sul soffreu
modifieacao ha dous annos, terapo sufn-
ciente para se conhecer os defeitos dessa
raolifieajao e reformarse essa escola e a
da corte, convenientemente, porque nao v
r..zao para qua essas duas escolas nao es-
tejara no mesmo p de igualdad entre si
mas que o orador at julga barbaras e que
descreve.
Passa a outro asoumpto : chama a at-
tencao do Sr. ministro da guerra para a
disciplina do exercito, isto instruil-o e
educal-o ; demonstra desenvolvidamente a
grandi conveniencia deste servico e como
elle se pode realizar sem augmento de des-
peza.
Mostra tambem a nece sidade e grande
conveniencia de se crearem corpos fixos
as provincias.
L.'inbra que as ultimas remoc3es dos
corpos de urnas para outras provincias do
norte os ofEoiaes que td pago os fretae
ios respectivos objectos do Estado.
Nota a desproporcao de mdicos naquel
le3 corpos, b'm corao a dsfieiencia de dro-
gas as pharmicias militares, a ponto de
se compraram remedios indispensaveis
custa dos offijiaes ; quanto a fardamento,
mostra a mesma falta da fardamento j ha
muito vencido pelas prafas. -
Depois de mencionar outras faltas, so-
bretudo a de inunicSos correspondentes aos
modernos armamentos* o orador termina
padindo ao nobre ministro da guerra que
empregue todos os meios para que a car-
reira militar seja uma carreira que possa
ser abracada pelos brasileiros.
O Sr. Cesarlo Alvlm lamenta o
abandono quasi completo em que fica a
cmara quando n&o esto em jogo interes-
ses partidarios. Pronuncia se contra o en-
cenamento inesperado da discussao do pa-
recer sobra a eleicSo do 2o districto de
Pmambuco, privando-se assim a opposi-
co de discutir essa eleic3o. A cmara de-
via ouvir 'alguraa voz menos int^ressada
do que a do Sr. Jos Marianno e a do re-
lator da commissao d> inquerito. Reco-
nhece que as depuragoes escanlalisas nao
foram iniciadas por esta cmara. Na pri-
meira prova da eleicao directa o gove4no
Quanto transferencia de offieiaes do I se deram quando orava aquelle nobre de-
putado nenhum estava no caso do regi-
ment.
Nao sdmitte qu os espectadores dm
signaes de approvaQao ou reprovaco, por
que devem guardar o maior silencio; mas
os espectadores, quando so deixam levar
por qualqoer impulso, sao obedientes s
adraoestac3js da mesa, e esta s em caso
extremo que pode a ueacar os especta
deiXou qua o paiz se pronuneiassa livre-
raente, mas a canrara com o s-u procedi-
mento desnaturou esse empenho.
Trata da interferencia da corSa nos par-
tidos, dizendo quo a culpa destes que
muitas vezes, at por ioteresses inconfes-
saveis, entregara a sua diraasaV a quem
nao pode e nao ueve intervir, e que o faz
com grave detrimento da governa do Es-
tado.
Pretenda tomar perte na discussao do
parecer sobre a leicao do 2o districto
de Pernambuco, para mostrar que era
um erro grave a votacao como se deu,
attendenJo, principalmente, situado do
no'te do imperio, cujos habitantes j aba-
tidos por estas contrariedades mais se b3o
do exasperar seutiodo taes injusticas.
Alludindo s economas promettidas, diz
que a opposijao est convencida da que
ellas nao se realisarao, e para ossa convic-
9J0 basta recordar o qua se passou com a
votacao do orcamento do imperio. Cr que
o mesmo fajto sa dar com os orgamentos
da marinha e da guerra.
Combate a opiniao dos que pensam que
pracUamos de urna grande marinha e de
um grande exercito. Nao devemos era po-
demos querer ser potencia militar, nem
deremos receiar nggresa5 dos nossos vi-
sinhos ; o que devemos fazer tratay das
financaa do paiz. O orador nao tem o me-
nor r ceio de ura conflicto com os nossos^
visinhos porque vai desapparecendo all o
espirito da caudilhgera. Elles estSo tra-
tando do progresso do seu p iz e tem
grande intereso etn raanter a paz
Por quastSas de trra nSo teremos con-
flicto com a Rupublica Argentina, qua tem
bastant' territorio para povoar. Nao de-
vemos estar contando o material de guerra
qua all entra para comprarmos tanto ou
mais.
exercito, entende qua se ha uma classe
que nao se deve metter em poltica a
militar.
Est convencido de que o Sr. ministro
da fazenda n2o cortou fundo nos outros
ministerios, as suas ultimas operacSes s
servirao para aggravar anda mais a posi-
cao do thesouro.
A proposito de despezas, trata da es
qutdra, qua julga excessiva, contando
grande numero de navios que s3o impres-
taveis, tornando se assim um sorvedouro
de dinheiro. Sa o orador um da fosse
ministro guardara sraente tres ou quatro
couracados e mandara desarmar todos os
navios d9 madeira.
Dizse que a cabotagam est raorta, se
assim os goveruos tara contribuido muito
para isso.
Um govarno do aeu p irtido, vendo que
os argentinos tinhara ndalo construir
ura cou^auada, veio logo p'dir um crdito
e mandou fazer dous: o Riachuelo o o Aqui-
etaban.
Quanto ao territorio das Missoes diz que
nio ha desdouro em aecoitar aarbitragera,
mesrao quando um governo tem plena con-
viccao do seu direito.
Devemos tomar por exeraplo os Estados
Unidos que tem reacSes com todo o mun-
do, ura exercito relativamente muito pe-
queo, o cuida do seu engrandecimento in-
terno. Tt-mos muita trra e pouca gente,
devemos, portanto, procurar attrahir gente
para povoar a trra e deixar-nos de gran-
de exercito e grande marinha.
Nota que de dez annos a produccao do Imperio tenha-se conservado
estacionaria. Isto um mal, e no tem es
p^ranca de velo tao cedo remediado.
Lamenta que a poltica absorva oxclusi-
vament-* os partidos no Brasil, obstando
assim a que cuidem seriamente dos inte-
.ressas da nacSo.
Por sua parte declara ter se sforjado
quanto era si cabe pela causa da' patria,
promovendo os intaretses de seus concida-
d3os.
Tem o maior pez ir de ao ver o Sr.
Andrale Figueira advogandoas suas i loas,
como outr'ora tez na opposicio ; o lugar
que S. Exc. oMpa na cmara, lh'o ira-
pede ; todava, tolga de observar que S.
Exc, mesmo na eadera da presidencia faz
o que ple era prol dessas ideas, propondo
reduccoes e procedendo cora roctidao e jus-
tica.
rJstranha que o nobra presidenta do con-
selho oraiWfsse sua opiniao acerca da veri-
ficagae de poderes. S. Exc, achando bom
tudo quanto a cmara tiaha feito com rela-
00 a este assu npto, como que dan carta
branca cmara para fazer o qm qui-
zesse. Ora, esta declaracSo do nobre
presidente do conselho pode, pelo menos,
trazer in-onvenientes a futuras vorificayBes
da poderes.
Conluindo, diz que est de proposito
deliberado a coa-ijuvar o governo era tudo
quanto iepeod# do seu fraco auxilio, e
asaira procedeatjo nlo o leva a 3SO era o
medo, nem temor, era o arrepondimento,
porque contina no presenta o que toi no
passado altivo c intransigente.
A discussao fica adiada pela hora.
O Sr. Presidenta.d a ordem dodial:
lores da os mandar retirar ; entretanto,
isto ioi hontem feito sem huver caso ex-
tremo.
Consta-lhe que so achavam as galeras
agentes secretos da policia, o que um
abuso, porque a policia das galeras di c-
mara est marcada nos artigos do regi-
ment quo o orador le.
Faz estas observac3es, porque depois
dos factos occorrdos hontem a minora
acha-se dspo3ta a redobrar de energa
contra o governo, mas com toda a corte-
zia e "calma; mas para isto inister obser-
varse escrupulosamente o regiment.
O Sr. Candido de Oliveira acba
a acta inexacta na ultima parte, porque
nao d noticia da violencia que soffreu do
Sr. presidente; quando hontem concluio
o seu discurso o Sr. Cesario Alvim e no
momento cm que o Sr. presidente ia de-
clarar encerrada a discussao,o orador apres-
sou-se em pedir a palavra, porque nao ti-
nha fallado senao uma vez; mas o Sr. pre-
sidente declarou j encerrada a discussao,
quando a de*ia considerar adiada.
O Sr. presidente responde s observa-
c3?s do Sr. Affonso Celso Jnior, que a
presidencia foi obrigada a chamar nomi-
nal nente ordem varios Srs. deputados,
mas s o- fez depois de ter chamado inn-
meras vezes a attencao daquelles qua, con-
tra o regiment, interrompiam a diseussao ;
entretanto, a mesa nao araeacou., nenhum
Entende que o exercito que temos de-
masiado e pst disseminado, sem organisa-
cao nem disciplina ; preferira um exercito
menor, concentrado e bem disciplinado.
Tratando da le do servico militar, diz
que est visto e provado que o governo
nao pode executar semelhante le, haven-
er que estao as duas escolas de medicina do por parte da populc2o a mais sjstema
e as duas de direito ; se a commissao deu
ampia liberdade ao governo para essa re-
forma, porque deposita no Sr. ministro
da guerra plena confianca.
Quanto ao ponto do discurso do nobra
deputado. as transferencias de offieiaes
militares, o orador fez ver o estado era que
se achava o exercito quando snbio o par
tido conservador, em qm os corpos que 89
achavam as provincias do norte nao ti-
nliaoi offieiaes; entao o ministro da guerra
fez recolher os que se achavam na cor
te aos respe-tivoB corpos, sendo transfer
dos apenas GS, juasi todos a pedido.
A proposito, cita grande numero de trans-
ferencias feitas pelt situacao liberal, algu-
FOLHETIM
KGOLO
POR
< COVlNUAO DE ANGELA)
(Continua.:So do n. 170)
XVII
Pelo caminho ia dizendo corasigo :
Como nao teremos criada, nunca al-
moQaremos nem jantaremos era casa. e,
pois, absolutamente intil mobiliar a sala de
jantar... Fareraos della um gabinete de
trabalbo e que servir de sala de visitas.
Dirigi se a um vendedor de mobilia, no
boulevard Saiat-Michel, onde eacolbeu duas
mobilias de quarto completas, de preco pou-
co elevado, mas muito bonitas ; alera disso,
urna grande secretaria, um pequeo guarda-
livros, duas oadetrms de br.>cos forradas
que no da seguinte, logo da manha, toda
a mobilia seria transportada para a ra de
Nevers, on ie Renato uevia estar para a re-
ceber e arrumar a seu geite.
Encantado com as suas compras, Renato
voltou para a ra Get-le-GourJ ao hotel da
Aodjrinha, escrev-u a sua mai para lhe
annunciar a sua boa chegada a Pariz, e
antes de jantar foi dar uma volta para es-
tudar o seu novo bairro.
Subinlo o boulevard Saint-Michel, vio
a cervejara da Vaga com as suas decora
c8as da Renaseen^a e com os seus vidros
pintados.
Alli dentro devem estar esludantcs...
penson elle. Vou entrar. Isto serve para
me faraili irisar com aquellas caras.
E entrou.
Ha va cchenle na cervejaria, exacta-
miite, como no da em que viraos entrar a
bella Sophia, como a charaavam os estu-
dantes.
A moca ainda li estava.
Presidia o mesrao grupo, fumando cigar-
ros sobre cigarros e de vez em quando b-
b'-ndo alguraas ^uttas de um copo do ab
sinlbio, collocado dianta dada e bebendo-as
sera fazer caretas : no quo havia um certo
mrito, porque exacra va o licor opalisado e
nao o bebia senao por extravagancia.
Renato Dliarville fora sentarse a luna
mesa perto daquella em que se aehava So-
phia e niaiou vir ura absinthio.
Sjphia voltou a cabeoa para o lado oude
elle estava e lancou lho olhos de eonhece-
gabinete de trabalbo.
Sua mai, tendo-lhe enohido as malas de
toalhas e lenjes e prevendo que Lr2o Le
royer ainda treuxesse mais, nSo pensou na
roaa branca.
O dono do estabelecimento promet
de marroquim o seis cadeiras para a sala flora, um desses olharos pelos quaes uma
muiher avalia ura hornera e de certo modo
o pesa.
Sanemos que Renato nao era bonito, mas
qm tinha olhos grandes., brilhantes e mei-
deutea m.gnifieos, physionomia sym-1
ol. 1
tica opposicao pela prolanda e natural a ver-
sao que em geral tem o brasileiro pelo sor
vico militar; acha que essa lei p le ser
observada nos grandes paisas da Europa,
que tra uma educacao que o nosso p >ro
nao tem. Essa opposicao apparece muito
pronunciadamente na provincia de Minas,
cujos filhos sao muito amantes de seu solo
e n3o querem deixar os seus penates.
QPensa que os arsenaes da Bahia e Per-
nambuco sao absolutamente deanecessarioa,
mas se apparecesse uma emenda suppri
raindo-08, hesitara em \(ptar por,ella, por-
que os considera antes como um auxilio
a essas provincias do que como urna ne-
cessidade.
disso, o seu todo, uma saude de ferro e uma
forca excepcional.
Era mais do que o neoeasario para gra-
dar a Sophia, que se podia com razao cla-
sificar na cathegoria das mulher^s capri-
chosas, e vendo que elle a contemplava
com o olhar investigador que' elle fixava
nelli torn .u-se animador.
Sophia era uma soberba muiher e usava
com incomparavel graca, os seus vestidos
excessiyamente vistosos.
Este genero de elegancia', porrn^ posto Lr
que de gosto duviioso, 080 aasusTtava o
mo^o, "que chegava da provincia.
Renato oorrespondeu com convicio s
olhadellas da moga.
No grupo, a convarsacao s>*guia o aeu
curso, ruidosa e animada.
Renato npanhou pelo alto estas phra-
ses :
O que fazes t do teu magistrado^
perguntou um etudanle a Sophia.
- Pfu I____respond-u ella, enviando
para o tecto de vigas salientes, as bafora--
das do seu cigarro. Nao fajo l grande
cousu.
Seropre preso pelo beijo ?
Emquanto isso, preso e bem pr^so...
est seguro. *.
E ciu ment ?
Nao tara te rapo para isso.. O pro-
cesso do assassinato do caminho de farro de
Lyon absorva-o de uma raaneira brutal.
Eoquece-se "da beber, esquece se mer I era pensa nisso I Est nesta es
lado Nao se pode ser mais... magistra-
do I 1 Ah I meus filhos, que homemzi-
nho aborrecido... Felizmente rico eemit-
t as notas do banco com facilidade.. ^ E
uma corapensacao I
XVII
SESSAO EM 15 DE JULHO DE 1886
PRESIDENCIA DO SR. ANDRADE FIGUEIRA
Ao meio-dia procedendo-se a chamada,
a que respondem 100 Srs. deputados, abra-
se a sessao 7 minutos depois do melo-
da.
E' lida e entra em discussao a acta da
setisllo antecedente.
O'Mr. Affoasi Celso Jnior
n3o pode daixar de fazer alguraas obs-r-
VHc5es obre a acta que se discate, porque
julga con ter alguraa oraiss3o.
Recorda que quando hontera orara o no-
bra .deputado o Sr. Joao Manoel, o Sr. pre-
sidente pedio attencao a ulguns nobres de-
putados que dav-ra apartas e logo era se-
guida chainou alguna nominalraeute or-
dem, chegando a a neaoar que mandara
retirar o reincidente; entretanto o aparte
muitas vezes urna prova de deferencia
pelo orador e outras veces esclarece pontos
que se estao discutndo sem ooufaecimento
verda leiro da queto.
Le o art. 216 do regiment da cmara,
qua manda 'que, se no/ialor da diseusslo
o deputa io se exceder,.o presidente o ad-
vertir primeira segunda va^ com a ex-
pressao Ordem, ese o deputado continuar,
o pr--sid*Qte IRe dir que clip n8o est em
estado d deliberar e o drpuUdo sahir
immediatameate^ito salo*. se assim aocor-
dar a cmara; portanto. o regiment ad-
mitte apartes; mas hontem dosapart-ts que
dos nobres depatados de fazUo retirar; o
que disse foi que j nao lho restara outro
recurso senao o do regiment.
Quanto as galeras, o presidente disse
que ia fazer retirar aquelles que pertur-
baasano o socego, como o regiment or
dena, mas ninguem deu essa ordam, por-
que logo bouve socego.
Quanto ordem do prender os que resis-
tissera intiraacao, isso expressao no
regiment e mesmo de direito commum
para com todos que resistem a ordens l-
gaos.
Quanto a policas secretas as galeras,
na deu ordem alguma a respeito era tem
nada com a policia ; at deplora o facto,
se ella se deu, porque o nobre deputado
nao o affir na, apenas disse que ouvio fal-
lar nisso.
Responda ao Sr. Candido de Oliveira
com o art. 174 do regiment, que diz que
se no fim da sessao nao houver deputado
cora a palavra, ou se nlo estiver presente
algura qua a tiver pedido, o presidente,
independante de votagao, declarar encer-
rada a discussao da materia de que se
tratar.
Quando terranou o seu discurso o Sr.
Cesario Alvim, nao liavendo mais orador
inscripto, o presidente declarou encerrada
a discussao, quando o nobre deputado ani-
madamente pedio a palavra.
Julga qua o nobre deputado que exatni
na os livros das inscripsoes e que cerca a
mesa examinando seus actos, no que a
mesa te u muito prazer, porque deseja que
s'-ja conhecida a lisura de seu procediraen-
to, S. Exe. teve occasiao de pelir a pala-
vra antes "de encerrado o debate ; se n8o o
fez, foi porque nao qiz.
Portanto, a acta nao contera inexactdao
alguma e o procedimento da mesa foi cor-
recto. (Apoiados.)
Nao haveodo mais observacoes, d se a
acta par approvada.
O'Sr. 2. secretario, serviado de 1., d
conta do expediente.
a ORDEM DO DA
FOBCASDE TEBBA
Pofcto a votos o art. 1 do projecto fi-
lando as forcas de trra para o exerccio
de 1887-1888, approvado em cada um
dos seus paragraphos.
ISEN9AO DE DCIMA
Entra em Ia discussao o projecto n. 134
de 1883 sentando de imposto o convento
da Soladade, na Bahia.
O Sr. C andido de Oliveira jul
ga que a nova reforma do regiment n3o
est bem conhocida por toda a cmara,
nem mesrao pala mesa, alias nao teria da-
do para a ordem do da o projecto era dis-
cussao, que consigna desfalque de renda
para o thesouro e, segundo a nova refor-
ma regimcntal, devia ser enviado s com
inissoss de fazenda e de orcamento, por
que trata da relevado do pagamento da
decima urb raa dos prodios que p issuera as
freirs do convento da Soledade na capital
da Bahia.
Faz outras eonsideracoes sobre o systema
econmico que oonstitueprogramma do go-
verno, sobre o procedimento que a maroria
tem tido em opposicao a essa systema sobre
a ignorancia quanto importancia das dci-
mas que ae pretende relevar e termina
enviando mesa ura requerimento de adia-
mento.
E' lido, apoiado e entra em discus88o o
seguinte requerimento :
4 Requeiro que o projecto volte s com-
uiss5es reunidas de fazenda e orcamento
para dar novo parecer, depois de ourido o
governo. Sala das sessSes, em 15 de Ju-
lho de 1886. -Candido de Oliveira.
O Sr, Freir de Carvalh* nlo
v razao para se protellar a passagem do
projecto em discussao ; presta as iuforma-
c3os que o nobre deputado exigi : o pro-
jeeto resulta de nm parecer dado pela
commiss3o de fazenda, a mais competen-
te para conhecei do pedido das religiosas
do convento da Soledade da Bahia ; pedi-
do que de toda a jdstiga, porque aquel-
las religiosas acham-sc em estado de mi-
seria, o seu patrimonio consta de urnas
pequeas casas que se acham qnasi des-
truidas e foram sequestradas pela fazenda
publica, deixando em maior miseria as
pobres religiosas, quo apenas solicitara a
relevacao da deetsaa para lhe seren resti-
tuidas essas casinhas velhas, cujo rendi-
miento as salvar da fome, ao passo que o
governo nada lucra em as ter sequestra-
dras.
Julga qua a cmara se acba esclarecida,
por isso vota contra o adiamento.
O Sr. *Ioo Penldo foi prevenido
no requeeiraento qua sa descuto porque
precisa que as commissoas de fazenda e
de orcamento esclareCam este assumpto,
porque nao sabo corao considerar-se mise-
ravel quem possuo predios, quer saber a
quanto monta esta con sessao.
Faz outras observajSas sustentando o
adiamento, porque outras corporaoes uti-
lisar-se-hao do procedimento que o parla-
mento tiver com estas religiosas e vir3o
ssiicitar idnticos favores.
nca
;ente annonctando. a
lera1
dor da culpa e do assassinato do caminho
de fi-rro de Lyon.
Er- quanto bastava para attrahir com-
pletamente a attencao de Renato Dar-
villc, j valenteraenta despertada pela bel-
leza provocadora de Sophia.
Mas a partir desse' momento a conversa
mudou da assumpto e versou quasi que ex-
clusivamente sobra os pequeos aeoanda-
los do bairro das Escolas, do qual a aman-j
te do Sr. de Govrey p.recia conh'ecer ma-
avilhAsamente todas as heronas.
Decididamente tinha achado o estu iante
a seu gusto e nao puni.a ,0hfi ;irraades em
lk'o deixar perceber.
R nato, comquanta a fatuidade nao fosse
ura dos seus defeitos, percehia aquillo per-
fearaaBte, mesmo porque, a menos q\ie
nao fose. ceg ou qua'iechasse os olhos,
era impossivel nao o perceber.
Apenas eheguei a Pariz, dzia elle
corasigo, apparaceu-me logo uma aventura
amorosa I Davo-a aceitar'? Esta raoc*
bonita o agrada-me muito ; mas a elegan-
cia dos vestidos e o luxodas joias provam
.que ella deita, cora -oda a galhardia, oi di-
nheiro ra.. Ora, a importancia da mi-
nha peosSc mensal prohibe-me absoluta-
mente de proceder como homem generoso,
cobriudo-a de joias dispfeodios.is. Por
outra parte, o papel de mane de corayao,
amante gratis, q* Jt> mette no armario ou
n'uma caixa de mficfoira, quando cliega
o Edictor, nao do meu carcter. Por
consequenca, o mais prudente abstor-
me.
Tcndo tomado esta prudente determina-
cao, o moco chamou o ompregaio, pagou o
absinthio e levautou-se para sabir.
Sophi, tendo reparado n'aquella aiovi-
inento, levanton-so tambera.
f J I '. exclamaram os estudantas, que
A moca-acabava de fallar dojuiz forma-'a rodeavam.
O Sr. Costa Aguiar sorprendeu-s
vendo o illustre leader da minora, esta-
dista de grande alcance, emaranhar se em
urna questao pequea, de poucas centenas
de mil ris, mas que nada renderao para
o estado, como explicou o nobre deputado
Sr. Freir de Carvalho, ao passo que ae-
r3o de utilidade immediata aquellas pobres
religiosas.
Depois de diversas considerajSes, admi-
rando-se do tom que tem tomado o debate,
conclue votando contra o adiamento e by-
pothecando seu voto ao projecto.
O Sr. LeflaOS justifica o aeu voto ao
adiamento, porque os nobres deputados
que o eombatera ainda nao poderam afir-
mar a quanto monta a importu ca dessas
dcimas por pagar.
Ouvio dizer que os predios a que se re-
fere a decima, j estao sequestradoa, mas
tudo isto vago, nao ha quem esclareca.
Concluindo, declara que, em quanto nao
vlerem cmara informacoes que a ins-
truam sobre as quantias que a fazenda pu-
blica deixou de arrecadar, nao pode votar
pelo projecto.
O Sr. Milton (pela or iera) requer e a
cmara concede o enesrramento da dis-
cussao do requerimento de adiamento.
Procede se votacao do requerimento,
que rejeitado.
Contina, portanto, a discussao do pro-
jecto.
O Sr. Ferreira vianna declara
que nao conhece as circunstancias em que
se acham as freirs do couvento da Sole-
dpde, que deixarara de pagar as decimas
dos predios que constituem o patrimonio
deltas ; mas presume quaes sejam, porque
se fossem prosperas, cortamente nao vi-
riarn essas pobres e velhas senhoras pedir
urna verdadeira esmola ao parlamento.
Faz ver a indiffeoca do seclo por es-
ses retiros religiosos que tao grandes ser-
vicos prestaram outr'ora humanidade, e
o dever do governo de amparar as poucas
instituico-.-s congneres que ainda se acham
da p, concluindo por exhortar a cmara
a conceder o favor, quando mais n3o seja
ao menos por misericordia, afim de que
aquellas pobres religiosas nao fiquem con-
demnadas miseria.
A discussao ficou adiada pela hora.
(Continuar-se-ha.)
Infelizmente necessario... respon-
deu ella. Nao ha companbia, por malhor
que 8fja, que se n&o tenha de deixar, di-
zia o re DagobeAo aos seus caes, levan-
do-oa a afogar... Tenho deveres a um-
prir, e a hora approxima-se.
A hora do namoradot
Nao, a hora do magistrado, o que
nap a mesma cousa.
A senhora tem a sua carruagem
porta ? perguntou um estudante de cirur
giao rindo.
Nao a senhora veio a p.
que feito do teu', famoso coup
amarello ?
Est no campo. |
Vamos todos acompanhr-te porta.
"Nisso que eu nao consinto, tinha
qne ver Uma escolta compromettedora,
as muhas relctvs com o tribunal obri
gara me o resp itar as conveniencias. Quem
me ama.'. fique.
Entao fi-amos todos immoveis.
__Bons, corao cordeiro !... At vis-
ta, meus seshores.
A amante \o Sr. de Gevrey tinha cal-
cado as luvas, agarrado no rrao de rosas,
qUe puzera era cima da mesa quando che
gou, e curaprimentanao os estudantes cora
isse ramo, dirigise para a porta, qual,
por uma hbil combm.ica'o, chegou exacta-
monte no momento em quo Renato a
abra.
O filho do industrial de Saint Jtthen du
Sault parou para deixar passar a moca, que
lhe 8gradeceu cora um sorriso e sahio.
Apenas acabava de sahii porta e quan-
do cora a roSo direita aconchegava, cora
fro a sua capa do pelles em roda do cor-
po.
deixou cahir no passeio as flores, qoe(
tinha na mao esquerda.
Renato abaixou-se immediatamente, apa-
nhou o ramo e entregou-lh'o.
Era o resultado que ella naturalmente es-
porava do seu geitoso desaso.
Muito agradecida, disse ella com um
novo sorriso, a depois accrescentou : n3o
o senbor que ainda agora na cervejaria es-
tava n'uma n Sira, minha senhora.
__Pareceu-me queo senbor estava olhan-
do muito para mim... Isto nlo uma cen-
8ur*' 1
Contemplava a, vtrdade, minba se-
nhora. .. admirava a... commetti mesmo
a indiscripcao de a escutar.
Indiscricao, por que ? As palavras,
ditas em voz alta, alo ditas para todos.
Entao a minha coaversacio nteressava-o ?
- Muito mais do que a senhora poderia
suppor ?
- Ora adeus I... E ent3o por que ?
Sabe que o senhor est me tazan io curio-
sidade ?
A senhora tallou n'um magistrado...
n'ura juiz tormador da culpa.
fcxactamente.. um homem de ar
grava, e velho antes da iiade, com vellei-
iiaies de joven... o que se poderia cha-
mae ura areista serio.
A senhora tinha acerescentado que
estava muito oecupado com o assassinato do
caminho de ferro de Lyon.
Tao oceupa io que faz mal aos nervcl.
Entao, esse magibtrado que tem a fe-
liiidade de a conhecer, o Sr. do Ge-
vrey.
Ah I Conhoce-o t Esta nao m! !
Ao menos nao lhe v contar qua me encon-
trou na cervejaria da Voga I Prohibe-
me ver os estudantes e j or conseqaencia
de ir aos lugares que tiles frequentaiu, e
entretanto ahi que a gente se diverte...
que se patusca. -. que se sent viver.
{Continuar se ka)
Typ. do Oiario~rua Daqe de Gaxias n. t
MIMADO