Citation
Diario de Pernambuco

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
newspaper ( marcgt )
newspaper ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
This item is presumed to be in the public domain. The University of Florida George A. Smathers Libraries respect the intellectual property rights of others and do not claim any copyright interest in this item. Users of this work have responsibility for determining copyright status prior to reusing, publishing or reproducing this item for purposes other than what is allowed by fair use or other copyright exemptions. Any reuse of this item in excess of fair use or other copyright exemptions may require permission of the copyright holder. The Smathers Libraries would like to learn more about this item and invite individuals or organizations to contact Digital Services (UFDC@uflib.ufl.edu) with any additional information they can provide.
Resource Identifier:
002044160 ( ALEPH )
AKN2060 ( NOTIS )
45907853 ( OCLC )

Full Text
AI10 Lili NUMERO 158

PARA A CAPITAL 12 LCfiAPW OWDB'HAO SE PACA PORTE
Por tres mezea adiantadou
Por seis ditos idem......
Por um anno :dem......
Cada numero avuiso, do mesmo dia.
6J00U
120000
24.J00O
100
QARTA-FEIBA 14 DE JLHO DE 1886
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezea adiantados.....
Por nove ditos idem.......
Por um anno dem.......
Cada numero avuiso, de diaa anteriores.
13*500
20*000
27*000
lvO
,
DIARIO DE
NAMBUGO
Praprietafce i>e Jflanoel Jxgnaxfa be Jkria i -fUIjos
TELEGRAMMAS
i

sss:i;: pabticuii.. so biasio
RIO DE JANEIRO, 13 de Julho, as 4
horas e 55 minutos da tarde. (Recebido
s 5 horas e 30 minutos, pelo cabo sub-
marino).
O Eim. Sr. Baro de Cotea-lpe. pre-
sidente do conselho. declarou boje
no Scuado qne nenie o reoulindo
da volaro de honlem. Accrescen-
ton S. Gxe. que ella nao influir na
marcha do ministerio, o qoal salte-
ra resistir is imposlcoes etutiuanlo
tiver aconflaura da Cmara dos Srs.
Bepulados e da Corda.
O Br. Jos Marlanno Carnelro da
(unlin est na Cmara dos sirs. De-
palados defendendo & sua elelco.
IIIW 2- A&SSCIA 2A7AS
(Especial para o Diario)
PARS, 13 de Julho.
O Koverno acaba de publicar um
decrete de expuls&o contra o Duque
de umaie. em consequencia da car-
ta que este dirigi ao presidente da
repnbca.a proposito de sua exclu-
o do quadro do exercito.
Oembaixador de Franca em Boma
fot removido na metma qualidade.
pata a corte de Vienna.
gracas (alias communsmas sempre de mo gosto,
mrmente quando sao de raestre pura discipul )
pode fazer lhe crear um edio invencivel pela agua,
compjomcttendo assim, e de vez para sempre, a
linti noflln
Em regra: se a instruceo previa foi bem diri-
gida, se o instructor tiver paciencia e methodo, se
o alumno nao tiver muito medo agua, tres licoea
de appliencao bastara para que elle tome confian-
ca nos seus recursos e possa nadar completamente
entregue a si,vigiado, porm, sempre e de perto,
pelo professor.
(Contina)
Agencia Flavas, lial
13 de Julho de 1886.
em Pernambuco,
INSTROCCiO POPULAR
3NATACAO
(Extrahido)
AA BIBLIOTHECA DO POYO K DAS ESCOLAS
?ABTE 0FFIC1AI____
ove rao da Provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 12 DE
JULHO DE 1886.
Augusto Goncalves da Silva.D-se certidSo.
Bellarmina Francisca Lobo Barros.Sim, em
vista do parecer da junta medica.
Bianor de Oliveira.Informe o Sr. inspector da
Thosonraria de Fazenda.
Constantino Ramos do Vasconeellos.Ao Sr.
command.in'i" do corpo|de polica para concedor.
Capitiio Carlos Elysio Pessoa de Albuqnerque.
Ao Sr. Dr. juiz de direito da comarca de ua-
ruar para informar.
Eloy Porfirio de Lima Ribe'ro.Concedo 30
das.
Francisca Mari* da Conceicao.Informe o Sr.
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Joao Ferreira VilleU de Araujo e Torqnato
Laurentino Ferreira de Mello.Semettido a junta1
medica provincial a qnem a supplicaute se apre-
aentar para ser inspecionads. <
Joo Baptista Cavalcante de Albuqnerque.
Ao Sr. Dr. chefe de polica para informar.
Manoel Romualdo Baptista.Ao Sr. comman-
danis do corpo de polica para iuformar.
Dr. Manoel Polycarpo Moreira de Azevedo.
Informe o Sr engenheiro chefe da Repartco das
Obras Publicas.
Bacharel Manoel Feliz Gitirana.Encaminhe-
se, devendo ser pago o porte na Repartco dos
Correioe.
Bacharel Philadelpho Barroso da Silva.J foi
preenchida a vaga.
Pastora Mara da Conceicao.Remettido so Sr.
director da Colonia Isabel, para attender a sup
plicante, a vista da sus iuformacao da 6 do cor-
rente mes.
Sebastao Antonio de Albuquerque Mello.Stm,
em vista do parecer da junta medica.
Virissimo Bezrra dos Passos.Informe, o&r.
inspector do Thesouro Provincia.'. ,
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, em 13 de Julho de 1886.
O porteiro,
J. L. Viegat.
Como se apprende a nadar
[Continuando)
3 Exercicio. Ejercicios de bracos c pernaS.'-
Formad a escola ao modo habitual* O instructor
manda i
Io Moviinentos de natacao.
2<> Exercicios dos bracos e d(U pamas.
3 Sobro o p direito (ou esquerdo) em posico.
4o UmDoB.8Tres.
5o Cessar.
A' vos.eift fccV.'eocoilocam-seospse asmaos
como jficon ensinado paraos ejercicios 1 e 2 do
artigo II. A voz deum estende-se simultanea-
mente e fcraco e perna direita, ficando esta afas-
tada. A' vos dedous unem-se os joelhos ; afas-
ta-se as mos prximamente Om,76, ficando
as palmas voltadas para baixo, o lad'i externo da
mi um pouco levantado. A' voz detres des-
creve-se lentamente um meio circulo com ambas as
maos, e os bracos estendidos ; approximam-je oa
cotivelios do oprpo e calcmhar das nadegas,
voltando pnuieira posiclo. Coutiouan-se os
movimentos, cuitando os teinpos em tem alto, ate
i voz decessar.
Recommendamos sobretudo a pratrea d estes
exereicios s peasoas que desajarem appreader a
nadar em pouco tempo.
Artigo IIISimular os movlmen-
lo de natacao sobre o avllete
O discpulo est deitado de brucos sobra o ca-
vallcte oh sobre urna mesa, fi o instructor man-
da :
1 M ivimentos de natacao
'2 Era posi^io
3o UmDoibTres
V Cesa r.
A' vez-eos posicaoapproximam-se os calca
nhares das natrgaa, cum os joelhes afastados o
mais possivel.oscil*inbarestocando-8e, e as pin-
tas dos pes TOlUdas pira fra. Simultneamente
unem-se os cotovellna ao corpo ; as maos uncm-se
ficando apoiadas ao peito e toeando-se pelas pal-
mas com es dedos atendidos e unidos, e dirigi-
dos para afrnte : a cabesa de ve ficar um ponco
levantad-. A' vor deumtendera-se os bra-
cos e as pernas WNB foro, ficando estas a fasta
das. A' voz dedoisappToxiinam-se os joelhos
ficando as pernas tensas, e afastam-se as maos
0, 16 prximamente, ficando as palmas voltadas
para fra e o lado externo das maos um pouco ele-
vado. A' voz detresdescreve-se lentamente
mm mei> circulo com cada um dos bracos conser-
vando-os bem estendidos durante o movimente,
unem-se os cotove.los ao corpo, e encolhem se as
pernas tomando a posicao primitiva Continua-
se este exercicio, contando o alumno os tempos
em voz alta, at recebar o instroctor a voz de
Cessar.
EXERCICIOS DENTRO D'AGUA
Artigo Inatacao de brujos
Ensinados e bem sabidos ja os movimentos de
natacaoem tecco, pode o discpulo comecar a
praticl-os d'entro d'agua. Temos porm, a pre-
venir) iuashypotheaea: o exercicio pode eflfeetuar-se
n'um tanque ou n'uma praia qualquer.
No primeiro caso indispensavel que o nivel da
agua, uas primeiras licoes, mo exceda a altura
dos sovacos do discpulo fim de qu- ente possa
quando se seutir fatigado pousar os ps no chao e
descancar ; a entrada e sahida do tanque devem
ser facis, para o que haver uuia escada de mo
encostada as par.ides, se o tonque nao tiver esca-
das de alveuaria para as sahidas e entradas das
pessoas.
O discpulo lvaposto o cinto de gymnastica ; e
pela argola do cinto passa um cordel suflficiente-
mente resistente e com o comprimento nec^ssario
para que o instructor possa seguir sobre as bordas
do tanque, e segurando na extremidade livre do
cordel, os movimentos do discpulo. O alumno
em p dentro d'agua deixa se chir lentamente
para a frente temando a poidcSo ja ensinada no
exercicio do artigo III. O instructor contaos tem
pos lentamente e va auxiliando, pela t'accao do
cordel de seguranza, a progresaao dos discpulo.
Se as liccoes se effectuam u'uma priia, entao o
instructor e o discpulo entrara n'agua at eatalh-'S
ctaegar ao peito, e o discipulo pratica o que cima
indicamos ; o instructor acompanna-o de p, con-
tndoos tempos lentamente e auxiliando a pro-
gresaao do discpulo com a tiaccao do cordel de
egursnca j descripto.
Recommendaremoo, muito expreuamente ao mes-
tre que se abaleaba de praticar para com o dis-
cpulo actos f*5* conveniente ^taes sao, por
exemplo, o de Andonal-o bruscamente, passar-
lhe o p paraja/aeer mergnlhar inesperadamente
lvalo para fora de p, etc.). Qualquer d'esUs
. repartit? r*";a
SaCJo 2* N. 683. -Secretara da Po-
lica de Pemambuco, 13 de Julho de 1886.
^-Ulm. e Exrn. Sr. Participo a V. Exc
quo foram hontera recolhidos Casa de
etani^ao os 8"guintes individuos :
sas e Jos Lopes Alheiros. Informe al.*
secgo.
Antonio da Silva Fontes. A 1.* sec-
cao. para os devidos fina.
Baltar Irmaos & C. Ioforme a 2." sc-
elo
Alfredo Baha. Pega por certido o
que lhe convier.
Jos Mara de L9mos Duarte. Al."
seogao para proceder de accordo com as
suas iaformacSes.
JoJlo Pedro de Barros. Deferido de
accordo com as informac5es.
Jos Geraldo Campello. A 1.a secsao
para os devidos fins.
13
Rouquayrol Freres, Jacintho de Almei-
da, Francisco Al ves de Car^alho, Antonio
Augusto deLemos & C.Dr procurador dos
feitos,o mesmo. Informe a 1.* aecc&o.
Bacharel Bento Jos da Costa e Joaquina
da Silva Carvalho. Certifiqese oque
constar.
Antonio Jos Maia & C. e Honor de
Mello Camello. Informe a 2.' scelo.
JoSo Baptista dos Santos e Manoel Jos
da Costa Pereira. -A 1.* secgo para os
devidos fins.
Joao Coura 4 C. Informe al.* sec-
g3o.
KtviSTA DIARIA
A' mnba o dem, Jos de Lima Ciuma* dos San
toa, vindo do tormo de Ulinda, afim de ser tratado
na enfermara.
A' ordem do subdelegado do Recife, Mana Joa-
quina de Souza, alienada, minha disposicao, at
que possa ser transferida para o asylo da Tamari-
ne;ra ; e Adriano Fernandes Vctor, por distur-
bios.
A' ordem de do 1 districto de S. Jos, Marcel-
lino Job d* lmeida, por disturbios.
A' ordem do do 1 districto da Boa-Vista, He-
lena Mara da Conceicao, alienada, minha d'spo-
siCio, at que seja transferida para o asylo da Ta-
marinen a.
A' ordem do do 2 districto d Boa-Vista, Joo
da Costa, por embriagues e disturbios.
A' ordem dj da Torre, Lai* Jos no Nascimen-
to, por embriaguez e disturbios.
A' ordem do de Apipucos, Ulysses de tal, por
crima de furto.
No dia 24 do mez ultimo e em trras do en-
genho Araripe de Cima, do termo de Iguarass, o
individuo de nome Felippj- Mendes, armando-se de
u na faca, assassinou a Manoel Luiz de Almeida e
ferio gravemente a Sabino Luiz de Almeida.
Contra o deliuquente, que evadio-se, procedeu-
se nos termos do inquerito policial.
Communicou-me o cidadao Joaquim Fernan-
des da C-Bta, que no dis 6 do corrente assumira,
na qualidade de 1* supplente, o exercicio da dele-
gada do diatricto da Lago* dos Gatos.
No da 10 do corrente, as 7 horas da noite,
foi esmagado na l.'ura de Palmares, pela machina
do trem de lastro do prolongaineato, o individuo
de nome Pedro Antonio.
O delegado do termo tomou conhecimento do
facto e sobre elle abri inquerito.
Communicou-me o delegado do termo de
Afogados de Ingazeira, que em urna diligencia que
fizeraao lugar denominado'Macambira. consegui-
r eftectuar a captura de Clementino Alves Be-
zerra, pronunciado em Alazo de Baixo, como m-
cu-so naa penas do art. 257 do Cod. Crim.
Hontem, s 7 1/2 horas da noite, fallecen na
enfermara da Casa de Detencao, victima de hy-
pertrophia do coraclo, o detento Joa Pacheco
Florencio.
Deus guarde a V. Exc llm. e Exm.
Sr. Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lelo,
muito digno vice-presidente da provincia.
-O chefe de polia, intonw Domingos
Pinto.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 13 DE JLHO DE 1886
. Daniel Francisco Pinheiro.Ao Sr. Dr.
administrador do Consulado para attender
nos termos das iuformac5es.
Contas do collector de Palmares, viuva
Virgolino & C. e Francisco Fernandos de
Farias. Haja vista o Sr. Dr. procurador
fiscal.
Jos Manoel de Almeida. Como re-
qu3r, ncando oopia por certidSo, urna vez
veiificada a qualidade em que requer o
supplicante.
Joao C. & ('. Informe o Sr. Dr. ad-
ministrador do Consulado.
Manoel Cardoso Jnior. Entregue-se
pela porta.
Offi-ios do Dr. chefe de Policae do Dr.
procurador dos feito, Verissimo Bezerra
dos Pasaos e compamhia dos trilhos urba-
nos de Caxang. Informe o Sr. contador.
Dr Bento Jos da Costa. Certifiqese.
Pontos do Gynasio. Ao Sr. pagador
para os devidos fins.
Jos Lopes Alheiro. Satisfeito o dis-
posto no art. 2S2 do regiamente deste
Thesouro e
querendo.
prorado o que allega, volte
Coasnlado ProTlnclal
DESPACHO DO DIA 12 DB JLHO DB
1886.
Assembla Provincial Funccionou
hontem, sob a presidencia do Exm. Sr. Dr. Jos
Manoel de Barros Wanderley, tendo comparecido
31 Srs. deputados.
Foi lida e approvada, sem debate, a acta da ses-
sao antecedente.
Bejeitou- s, erando pela ordem o Sr. Ferreira
Jacobina, o seu requerimento apresentado na ac -
eo antecedente, de adiamento da discusso do
apresentado pelo Sr. Gomes Prente, para que
fossem redigidas em projectos distinctos-as emen-
das ao projecto n. 43 deste anno, (orcamento pro-
vincial) cstraulias receita e d rspeza.
Continuando a discussio do referido requeri-
mento, adiou-se, depois de orarcm os Srs. Joo de
Oliveira, Prxedes Pitonga e Ferreira Jacobina,
e, pela ordem, os Srs. Bario de Itapissuoia e
Drummund, duas veses cada um, tendo-se proro-
gado a hora por 90 minutos, nao se votando, por
falta de numero, outro de 30 minutos, hayeodo sj
do apoiadas doas emendas, nao aceitando a mesa
outro ir. o-r Hauueira Costo, e sendo apoiado Hffl
requeiimento do Sr. Lourei^o de S, de adiamen-
to da disusao por 24 horas.
Pag ao* se Ia parte da ordem do da.
Enoefrou se a 3 discusso do projecto n. 27
deste jfnno, (fixacao da forca policial) nao se vo-
tando-por falto de numero.
Adin-se, depois dejirarem os Srs. Drummond e
Soares de Amorim, a 3 discusso do projecto n.
37 deste anno, (uDsidid e ajuda de cueto dos de-
putados na legislatura vindo&ra) uo sendo aoeito
pela mesa urna emenda do Sr. Drummond.
Passou-se 2a ptrte da ordem do dia.
Encerrou-se a 2a discusso do projecto n. 26 e
adiou se a Ia do de n. 46, ambos deste anno.
A ordea do dia : Ia e 2a partes : continuaco
da antecedente.
Tribunal do Jury do Beclfe Func-
cionou hontem com a presenca de numero legal de
juizes de facto, no julgamento do reo Raymundo
Silvestre do Nasciniento, pronunciado no artigo
201 do cdigo criminal.
Foi patrono o Dr. Argamiro Alves Arxa, sen-
do o reo abaolvido.
Tembem foi julgado o reo Joo Ramos Pessoa
pronunciado no artigo 269 do cdigo criminal o
qual teve por advogado o Dr. Luiz Emygdio Ro-
drigues Vianna.
Em vista das decisoes do jury foi este reo con
demnado pena de 4 annos e 8 mezes de priso e
multa de 2 por cento do valor furtado, grao m-
ximo do artigo 267 combinado com o artigo 49 do
cdigo eriaiaal.
Assassinato e ferluteoto graveEm
trras do engmho Araripe de Cima, da comarca
de Iguarass', o indiviauo de nome Felippe Men
des assassinou, no dia 24 do mez fiodo, com urna
faca de ponta a Manoel Luiz de Almeida e ferio
gravemente a Sabino Luiz de Almeida.
Contra o delinquente que evadio-se, procede a
autoridade local nos termos do inquerito policial,
EsmagamentoNo dia 10 do correute foi,
pelo trem de lastro do prolongamiento, esmagado o
individuo de nome Pedro Antonio, na altura da
cidadi de Palmares.
0 delegado do termo tomou conhecimento do
facto e procede nos termos do inquerito.
Conaolado de Franca Sendo hoje o
dia da festa nacional da Repblica Francesa nao
haver expediente n>'Sta repart cao.
LucioHontem os alumnos do 5 anno da Fa-
culdade de Direito d'eato cdade reuniram -se e
resolveram tomar lucto por tres dias, em signal
de pesar, pelo passamento de seu companhjiro de
lides acadmicas Francisco de Asis Caldas Lins.
IsnprensaPublicou-se e distribuio-se hon-
tem o 2' numero do peridico denominadoPro-
paganda.
Machina de somsnar ens sentido
vertical O Commerciu de Portugal dis o se-
guinte suore a machina in uta ia por Antonio
Julio Rodnguea de Azeredo Continuo, da Povoa
de Lanhoso,) privilegiada em Portugal e no es-
trangeiro) : ... ,.
O espirito inventivo nao monopolio de ne-
nhuma naco nem de nenhum povo. Onde est o
homem intelligente, eat a idea, est o estudo,
pode estar o invento.
< Diz-ae sempre, e repete-se como toada, que
nos nao somos inventores, mas simplesmeute imi-
tadores. Parece primeira vista que assim, mas
se reparamos que ein Portugal nao se anima nem
0 traoalbo, nem a iniciativa, nem o talento, nao
nos devemos admirar que os inventores escaceiem
e que os que porventura existem, se occultem pa-
ra nao entrar n'uma lucta de annss e do esforcos
enormes sem resultado, levados a esse desanimo e
a essa focada modestia por exeiuplos repetidos de
sacrificios inuteis.
D'ahi ven quo o relatar-se am invento em
Portugal, o mrsmo que registar nm acontec
meuto extraordinario e suscitar duvidas e descou-
tiancas em muitos espritus.
c Pode l ser ? 1 Um inventor Ha engao de
cerio.
E com estas e outras phrases se srrefocem a
principio oa enthusiaamos os mais sinceros e os
mais justificados.
D'esta vez, porm, e felizmente, por mais q,ue
fallem os sceptices e desconfiados, temos um in-
ventor noabo c ncidad > e portonto temos um in-
vento portugus, iuvento uotavel e que nos cau-
sou a maior surpresa pelas circumsuncias espe
ciaea que se dp!o para esse caso, que realmente
notovel. ,.,.
O inventor o Sr. Antonio Julio Rodrigues
de Azeidj C .utinho e o inventoum machina
de sommar em sentido vertical e de multiplicar.
O Sr. Airedo Coutinho, natural da Povoa
de Lanhoso, acha-se agora em Lisboa e f
1 favor de mostrar a sua curios ssuna
machina. Vi
D. Joao Busson, Jos Bernardino Ro-l mol- funecionsr com a maior precilo, Unto uu
operacoes de sommar como as de multiplicar e
examinamos o interior do apparelbo, qua de urna
simplicidade extrema.
Este cavalheiro com este seu invento realisou
um verdadeiro cumulo de audacia e de paciencia,
pois ignora completamente as regras de mecha-
nica e nada sabe da alta mathematica!
A' sua imagiuacao e sua vuntade deve o ro-
sultado assombniso a que ebegou, anda mais as-
sombroso porque antes de comecar a planear a sua
machina nao tiahi visto nenhuma outra e depois
apenas vio urna de sommar que nos parece estar
posto de lado por insuficiente.
O Sr. Azeredo Coutinho j tirn privilegio,
em oito pases, do seu invento e est prompto a
entr r em transaeces para a venda de alguna
d'elles, por isso que ss despezas feitas sao avulta-
das e crearam-lhe embaracos.
Nos fazejK sinceros votos para que o Sr.
Azeredo Cputlpio alcance, como merece, os me-
Ihores resultados dos seus esforcos, e ainda mais,
que encontr no seu pas, dos seus concidados e
at no governo, o apoio e a coadjuvaco a que in-
contestavelmente tem direito.
Para que os letores possam apreciar bem o
commettimento realisado polo inventor portugus,
vamos dtr nms noticia da sua machina, tal qnal
elle a descreve :
Dentro de nma pequea caixa se accommoda
o machinismo de qne se compoe este invento. Da
superficie da tampa da caixa elevam-se nove pis-
toea numerados representando os algarismo de i
a 9, gravados /Tos botoes dos meamos piatoes. Por
una orificios que ha na tampa da caixa apparece
a somma, que val augmentando progressivamente.
De um lado da mesma caixa ha um boto sem-
illado por meio do qual muda de posicio um eixo
movel quando se passa a sommar as columnas
das dozenas, centenas, etc. Cada nm dos piatoes
numerados move urna roda excntrica, que, pela
sua excentricidade, tem tantos doentes de engre-
oagem como indica o algarismo do seu respectivo
psto. Estas rodas, quando postas em movimen-
to, vo engrenar n'outras correspondentes, monta-
das sobre um eixo commum, o qual, por meio de
urnas rodas dentadas de conimunicaco, transmit-
te o seu movimento a nm eixo movel que atravea-
ss, pelo centro, urnas dez rodas numeradas som-
madoras, cada ama deltas dividida em dez espa-
tos iguaes, lofcdo, pela sua superficie, gravados os
algansmos def a 9. Estos rodas numeradas in-
cidem n'uus ansiis de haste que ha entre ellas, e
cada urna aberta pelo centro, formando urna en-
grenagen concntrica, em que se adapta urna bu-
cha dentada, fiza ao meio do eixo movel. Este
eixo transmute o eu movimento s rodas numera-
das, a cada nma de per si, conforme aquella a
que est ligada por meio da bucha dentada. Cada
nma das rodas numeradas move, de cada rotafo
que effecta, nm raio de urna estrella correspon-
dente, o qnal, ao mesmo tempo, faz girar um es-
0890 a siguite roda numerada, para assim apre-
Cntor as desenas e de ignal maneira as centenas,
ete.
* Para se sommar com esta machina eolloea-se
a mesma junto ou sobre a relaao que se pretende
sommar. Em seguida v-se qual o algarismo do
alto da columna das unidades, e preme-se na ma-
china o pisto numerado correspondente ao dito
algarismo, feito isto, procede-se na mesma manei
ra com o algarismo colloeado inferiormente aquel-
lo j marcao, assim se percorre verticalmenre,
at ao fundo, a columna das unidades : para se
pasoar eoldRnna das desenao retirase ra da.
caixa, por meio do boto serrilhado, um espseo
determinado do eixo movel. De igual maneira bj
effecta a nassagem s seguintes columnas de
centenas, milhares, etc., levando a machina, por
eftvito de seu mechanismo, as dezenas, centenas,
mlhares, etc., qae passain de columna a columna
durante a somma. Procede-se com as demais co-
lumnas segundo o processo que 6ca exposto e che-
gando ao fim de todas ellas, apparece nos orifie os
da tampa da caixa a somma feito, que se irans
porta para a relaco. Para principiar nova som-
ma necessario collocar os seros nos ditos orifi
cios, m^vendo para isto, os pistoes numerados.
Alm da operacao de sommar, effecta tam-
bem esto machina a maltiplicacd, sendo assim ri-
gorosamente certas estas operacoes, effectuad js
pela macbins,
< Eleva a somma at des mil contos menos um
real, mas podem construir se exemplares para
sommar at muito maior quantia, podendo dizer-
se que, por este systema, a somma Ilimitada.
O professor nominaos Freir na
socledade de Biologa.(L-se no jornal
Le Bresil: ....
< Mr. Rebourgeau communicou sociedade de
biologa, na sesso de 2 de Maio ultimo, o re-
sultado das experiencias feitas pelo professor Fre-
re, do Rio de Janeiro, sobre a febre amarella e o
seu microbio, e os admiraves efteitos da sua ino-
culaco, como meio prophylatico contra a terrivel
doenca. _
Segundo diz Mr. Rebourgeau, desde Dezem
bro de 1884 at Abril de 1885, foram inoculadas
3.051 pessas, e nenhumad'etlas morreu, emquau-
to que, no mesmo e.-p.co de tempo, 278 pessoas
nao vaccinadas foram attacadas mortalmente.
O numero de pessoas vaccinadas sobe hoje a
6.000, e nenhum mau resultado se deu entre essas
6.000 psseoas inoculadas.
1 Animado com esta serie ininterrupto de snc-
cessos, o Dr. Freir, iuspirando se as ideas de
Pastear, inoculou o microbio da teOre amarella em
oessoas j attacadas p-la molestia. Esta nova
tentativa deu um resultado, que ultrapsssou as
suas esperancas ; a ino^ulaco fez deter os pro-
gressos do mal e a cura foi rpida e completa.
. Transcn-vemos em seguida algumas lindas da
noticia publicada pelo professor Freir:
O assumpto de que trata esta noticia estova
reservado para urna ep^ca posterior, sendo a mi-
nha intenco coordeaar um maior numero de casos
fallando das provas e dos documentos mais com-
narativos da efficacia do tratamento curativo que,
durante a nlc.ma epidemia, foi o objecto dos u.eus
.todos, eoadjnvado pelo Sr. Carlos Browo, hoje
fallecido. ...
To'avia, a cominuncacao teiU pelo illustre
sabio Mr. Pasteur, academia das sciencias de
Paris' e relativa cura da hydrophobia rbica pelo
emprego das culturas mais ou menos attenuadas
do virus hydropnobico, decidime a tornar pbli-
cos os resultados alineados por mira na tabre ama-
rella, empregaoo nicamente como curativo a in-
jeceo eubcutanea das culturas attenuadas do mi-
crobio d'esta doesca.
. O nuin'ro de casos em que se applicou este
tr.tomento n-. ainda conoiderav^l, por isso que
e limita a sete, tres dos quaes no hospital de Nos
sa Senhora da Saude, no Rio de Janeiro, e quatro
nos domicilios des .contaminados, no periodo de
Maco a Maio d'este anno. Os resultados, porm,
foram to animadores, que nao posso deixar de os
tornar conhecidos, e principalmente depois do ex-
emplo dado pelo insigue fundador da doutnna pa-
rasitaria, que entendeu dever submettor apre-
ciaco do muido sciaatico a mesma deacoberto
relativa a hydrophobia rbica.
a Nao procurarei, por agora pelo menos, qual a
interpretaco d'esta accao das cultural attenuados
sobre a evioco da t-bre amarella. E provavel
que a introdoecao sub.ta do microbio pre> lamente
attenuado, no apparelho circnlatorio, tenha a pro-
priedade de atteuuar tambera o microbio virulento,
aue exe co sobre os orgos a sua aeco destruidora,
e o poder, per assim diser, de o domuticar pelo ef
feito de um contacto muito semelhante ao que se
d entro cortos animaes, quando se produs o pbe-
nomeno do cruxameuto das raoas.
. E, com effeito, nao difficil conceber esto as-
simlaco. O microbio attenuado nao por ren-
turi urna vanante ds microbio virulento/ *-,
d'este faoto, sao pederemos concluir quo, do con-
tracto d'este com aquello pode resultar urna ter-
ccra varedade tambem altenuada? D'ahi pro-
vm, o cessaWim todas as manifestocoes mrbidas,
o abortamento da doenca e a sua cura rpida.
* Acabada a leitura, Mr. Browu-Sgnard pedio
a Mr. Rebourgeau que lhe dissesse em que pro
porc entram os estrangeiros no numero dos doen-
tes tratados pelo Dr. Freir.
Mr. RebourgeauN'este auno, o flagell atta-
cou principalmente os brasileiros; deixeu o litto-
ral onde apparece geralmente, para ir fazer os seus
estragos at 2.000 kilmetros da costo ; alm
d'isso, o que um caso novo, a raca negra, que
at agara fra poupada, presentemente tao di-
zimada como os brancos.
Mi. Browo Sgnard J tinha conhecimento do
facto di que a febre amarella poda ir at ao inte-
rior das terraa.
Mr. RebourgeauE' a importeco que conati-
tue focos to affistadoa do lugar preferido pela
doenca; mas esaea focos tornam-se, bem depreaaa,
em centros d'onde irradia a epidemia.
Mr. LabordeA communicaco de Mr. Rebour-
geau d' um alto interesse, debaixo de dois pon-
tos de vista : primeiro, por indicar um meio pro-
phylatico contra um rl.gllo to terrivel em cer-
tas regides; e depois, porque ndica um passo
mais para a frente feito pela sciencia para a des-
coberta do microbio parathogenio.
Mas, ser corto qne o Dr. Freir encontrn o
microbio da febre amtrdla ? Recordme que, ha
algum tempo, n'uma amostra por elle enviada a
Mr. Cornil, este ultimo nada descobrio, que po-
desse justificar a sua presenca.
Mr. RebourgeauEasa amostra nao provinha
do Sr. Domingos Freir; fra envala por outros
m-idicos, que nao estavam em relrco com elle.
Mas, eu posso offcrecer urna amostra de cultura
verdadeira sociedade de biologa, pedindo que
queria nomsar urna commiss >, que se encarregue
de examinar e apreciar os resultados a que me
refer.
Mr. Laborde Deve-se attender a que, quanto
mais a febre amarella tendo a tornar-se endmi-
ca, maio ella diminue de intensidado.
Mr. RebourgeauPelo contrario ; os focos alar-
gam-se cada vez mais, mas o mal nao se attena ;
a mortolidade foi tamanha, durante a ultima
epedimia, quo o Brasil eateve verdadeiramente
aterrado; temos como ministro um homem cujo
zelo e dedicaco esto cima de todo o elogio, mas
foram infructuosos todos os esforcos empregadoa
para atalhar os progresssos da epidemia.
Mr. DamoawallierDevo observar a Mr. Re-
bourgeau que existe urna grande difiVrenga entre
os resultados alcancados pelo Dr. Freir c os ai-
caneados por Mr. Pasteur. Uom effeito, o Dr.
Freir, parece, pode atalhar o andamento da doen-
ca, j muito adiantada pela noculacao do virus ;
Mr. Pasteur nunca pode alcancar csses resulto-
dos.
Mr. ManrelA attitude tem alguraa influencia
sobre o desenvolvimento da doenca ?
Mr. Rebourgeau.fia uuj fco endmico a 500
metros cima do nivel do mar.
Mr. Maure!Felijito-me por ver Mr. Rebom -
geau confirmar a opino que eu j tinha ha muito
tempo, de qui a raca negra pvlia ser atacada pelo
flagello, e que a febre amarella podia estenter os
seus estragos at alturis bistaute elevad 13. A
opiuio contraria estova por tal forma enraizada,
que, apenas um negro apresentava symotomas as-
sustadores, affasta va se priori a hypothese de
urna feOre amarella; dava-ae o mesmo com os
casos que appareciam em certas attitsdas. E
tou peifeitamente convencido de queernegros
podem ter a febre amarella, mas entre elles, sao
principalmente aqaelles, que adoptaran o noaso
rgimen europeu, os que s) atacados; observei
mesmo que, at urna altura de 800 metros, deve-
se receiar a febre amarella, mas, que psasado
esse limite, daia de ha ver perigo.
Comtudo, quando se transporta para essas
attitudes um homem atacado pela epidemia, a mo-
lestia segu o seu curso, mas sem desenvolver em
torno de si, qualquer outro caso semelhante.
Depois de urna communicaco to importante,
esperamos que a sociedade de biologa nomear
urna commisso que se incumbir de examinar a
amostra de cultura verdadeira a que se referi Mr.
Rebourgeau e de apreciar os resultados alcauca
dos pelo Dr. Freir.Dr. SI Barbota.
as fortldcacftes de LondresEst na
ordem do dia em Inglaterra a questo de fortificar
Londies. ,
O general Wolseley, nao ha muito, fez ver o pe-
rigo de um tunnel submarino entre Calais e Doo
veres, onde um exeicito joderia introduzir-se e
poderar-se por essa sorte de Douveres.
O major Elsdale explcoa ha pouco aos seas com
patriotas, que a capital do imperio britnico corre
Este estado nao pode durar. Em caso de invaso
nenhum obstoculo poderia interpor-se a esbarrar
a marcha de um exercito sobre a capital.
Por isto, o major Elsdale quer que se construam
iaim-idiatamentefortificacoes em roda da grande
cdade commercial. .
En urna coaterenca no Royal United t,erviee
Club elle expoz as suas opiuio-js a este res-
BussianaCom este titulo acaba de^publi-
car-se no estobelecimento de msicas do Sr. A. J.
de Azevedo, nma linda danea familiar para pia-
no.
Agradecemos a offrta que nos fizeram de nm
exemplar.
Lyfeo de Artes e OfllclosReunem-se
hoje, em congregado, s horas do costume, os pro-
fesaores deste estabelecimento, afim de particular-
mente tratar se da reforma do respectivo regola-
ment interno.
Proclamas de easamentosNa ma-
triz de Afogados foram lidos no dia 11 do corrente
os seguintes:
Guilhermino de Oliveira Coelho com Adelina
da Silva Thiago de Jess.
Herculano Joaquim de Sant'Anna com Clotildes
Mara Cecilia.
Arthur (Jom'-'s da Costa Gaity com Mara Fran-
cisca das Virg ns Nones.
lielldes.Effectuar-se-ho:
Hoje :
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, no armasem
do Aunes, de vinho e macas e na ra do Vigario
n. 12, ao meio da, de predios.
Pe'o agente l'into, s 11 horas, na ra da Ira-
peratriz n. 24, de movis.
Velo agente Modesto Baptista, s 11 horas, na
ra do Duque do Caxias n. 9, de movis, etc.
Quinta-feira :
Pelo agente Martins, s 11 horas, na ra do
Brum n. 84, de movis.
Pelo agente Brito, s 10 e 1/2 horas, na ra do
Raogel n. 48, de dividas.
Pelo agente Brito, s 10 e 1/2 horas, na ra do
Rangel n. 48, de urna armaco envidracada, fa-
zendas e farinha.
Missas tuneares. Sero celebradas :
Amanh:
A's 8 horas, na matriz de Santo Antonio, por
alma de D. Luiz Lasne de Mello ; s 8 horas,
na Ordem Terceira do Carino por alma de D. Mar-
celina Mara da Pureza e Oliveira ; s 8 horas, *
na capella de Belra, pela do professor Joo Fran-
cisco das Chagas.
Quinta-feira :
A's 8 horas, no Carmo, por alma de G-uilhermi-
na A. Souza Mendes;' s 8 horas, na Ordem
Terceira do S. Francisco, por alma de Joanna
Francisca Seve Navarro ; s 8 horas na matriz
da Boa-Vista, por alma de D. Mara Benedicta
Souzi Bandeira.
Hospital PortuguexO movimento das
enfermaras deste hospital durante a semana finda-
foi o seguinte :
Es ia tiara em tratamento-
Eutraram.............
Sahiram curados......
Falleceu.............
Ficam em tratamento.
peito.
6 mojor comecou observar que a defeza de
Londres est inseparavelmento ligada a questo
geral da defeza da Inglaterra contra nma luvasao.
Ella calcula que as despezas com estas tonifica-
cues subiro a quatro railhoes do libras sterlinas,
aconselha a cumpletar-se as fortifica^Oes dV Cha-
tbam, afim de asuegurar a passagem do Tamisa
entre Gravesend e Tilbusy. mediante obras per-
manentes em trra sobre as duas margens ; a ga-
rantir a linha costeira e norte da M-dway ale
Harwich, por bateras de trra e urna forca local
de cauhoneiras e wrpedeiras; vigiar a linha cos-
teira em certas localidades tavoraveis a um des-
embarque, eapeeialmente naquellas que estanam
melhor situadas para impedir ao nimigo de poder
des-mbarcar e marchar sobre um porto visinho,
atar as suas defezas e ahi fazer urna base de ope-
racoes. ,
Elle recommenda alm diaso, o estabelecimento
de um ou de dous campos eutrincheirados na Ir-
landa, e fortificacoes na ilha de Anglesey e de
Hobyhead .
Pele em seguida que se construam urna sene
de posicoe de defeza, mais visinhaa Londres,
como segunda linha, onde os defensores podenain
concentrar-se e deter o inimigo, no caso que iosse
forcada a primeira linha; reclama finalmente a
construccao do tros campos intnneheirados, para
ref-rcar a defeza e servir de ponto de conjuuccao
e de base de operacoes s tropas inglesas contra
o inimigo. ... .
tjupoouhamoa, diase o major, que o inimigo des-
ambarque sobre as nossas praias cousa que foi
samo. e poasivcl, e que nenhum deseuvolvimeato
das uossas torcas navaes poderia jamis impedir
em qualquer circumstancia em consequencia do
graude mundo do elementos deoconhecidos e in-
certos que ha no guerra martima moderna; sup
ponhamos que elle marcho sobre a nossa capital,
e que s combata por teda parte em campo aberto.
oveutualidade que n.da teria de extraordinario,
em consequencia da superioridad.) num rica dos
excrctos do continente em frente da nossa arma-
da, composto de voluntarios, e pouco numerosas,
supponbamoa que elle se torne senhor de urna linha
do defea no circuito da cdade, que nao existe
ainda: admittamos que Londres se aprsente
ante elle todo aberto, e no futuro ser a curagem
dos ingleses collocada a altura daquella quu foi
no pascado. ...
pmPa\_Este vapor da Companhi Brasileira
tendo sahido hontem da Parabyba, chegar hoje a
este porto, sahindojpara os do sul, mclusive o da
Victoria, s 6 horas da tarde.
. 14
2
16
3-
1
12
16
Coutiaua de semana o Sr. mordomo Gaudino Er-
nesto de Mcdeiros.
Lotera da provnola Amanh, 15
de Julho, sa extrahir a loteria n. 63, em be-
neficio da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife.
No consistorio da igreja de Nossa Senhora da
Conceicao dos Militares, se acharo expostos ai
urnas e as espheras, arrumadas em ordem num-
rica apreciacao do publico.
Lotera de Macelo de t0O:OOOOO0
A 17a parte da 12a lotera, cujo premio grande
de 21/0:000*000, pela novo plano, ser extrahi-
da impretcrivelmente no da 20 de Julho s 11 ho-
ras da manh.
Bilhetes i venda na Casa Folis da.praca da in-
dependencia ns. 37 e 39. .
Tambem acham-se venda na Roda da for-
tuna ra Larga do Rosario n. 36;
Precos resumidos.
Lotera Kstraordiarou- do Tpiran-
ga-0 4.0e ulenno sorteio das 4." e :i sanes
d-sta importante loteria, cujo major dremio de
150:000*000, eer extrahida a 14 de Agosto pr3'
limo. .
Acham-se expoato venda os trestos dos bi-
lhetes na Casa da Fortuno ra Primeiro de Mar-
co n. 23.
Lotera da provincia de Santa Ca>-
tnarloaEsta lotera, cujo maior premio de
100:000*000, de ver ser extrahida araauha lo do
corrente impreterivelmente, s 2 horas da tarde.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da for-
tuna, ra Primeiro de Maroo n. 23. _
Lotera do Bio-A 2a parte da lotera
n. 198, do novo plano, do premio de 10W:OW#uw,
ser extrahida amanh 15 do corrente.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da for-
tuna ra Primeiro de Marco.
Tambem achara se venda na praca da inde-
pendencia ns. 37 e 39.
Matndouro PublicoForam abatidas no
MatadourodaCabauga 80rezespara o consumo
do dia 14 de Julho. .
Sendo: 64 rezea peTtenceutes a Oliveira Castre
& C, e 16 a diversos.
Mercado Municipal de ^f*6-0
movimento deste Mercado nos das 13 do cor-
rete, foi o seguinte:
Entrarais : 1 1
37 1/2 b a pesando 5,731 kilos.
308 kilos de peixe a 20 ris
150 cargas de f irinha a 200 ris
58 ditas de fructas diversas a 300
ris
6 taboieiros a 200 ris
14 Sum .s a 200 ris
Foram occuoados :
24 columnas a 600 ris
27 c-mpartimentos de frinha a
500 ris.
23 compartimentos de comida a
500 ris
721/2 ditos de legumes a 400 ris
16 compartimentos do suiooa 700
ris
13 ditos de treasuras 600 ris
Ib ditos de ditos a 2*
A Oliveira Castro & C.:
2 talh .s a 500 ris
54 talhos de carne verde a lf.
7*960
30J.U00
175400
1*200
2/800
14*400
13*500
11/500
29/000
11/200
7/80t
20/000
1/00
54/000
2213760
Deve ter sido arrecad ida oestes das
a qnantia de
Precos do dia :
Carue v.-.rd a 320 e 400 ris o kilos.
8i.uoi a 5'Oe 5il rib idem.
Carnero do 640 8 >0 ris id.-m.
r-annh. de 320 a 240 ris a cuia.
Milho de 280 a 320 ris dem.
Feijo de 640 a 1/200.
CHRONIGA JUBICIARIA
Tribunal da Relajo
SESSO ORDINARIA EM 13 DE JULHO
DE 1886
PBK8IDKNCIA DO EXM. SR. CONSELHKIRO
QUINTINO DB MIRANDA
Secretario interino Dr. Alberto Coelho
As horas do costame, presentes os Srs. desem-
bargadores em nume o legal, te. *^.*"**>
I depois de lida e approvada a acto da antecedente.

LJSfiio


o
Diark 4e Pernainbncouarta--feira 14 de Julho 4c 1886

*
legajases
JLGAMKNTOS
Habeas Corpus
Paciente .
Jos GoocaWes de Oliveira.Ficou adiado.
Recursos eleitoraes
Do IngRecorrente Francisco Alexandrino
da Veiga Torres, recorrido Chromacio Nono da
DUtribuidos e passados os feto. deram-ee os r Guimar&s, recorridos Antonio Joaquim Moreira
1 de Sampaio outro.
Ao Sr. conseiheiro'Queiroz Barros :
De NasaiethRecorrente o juizo, recorrido Jo -
s Antonio Bernardo.
Ao 8r. desembargador Buarqae Lima :
De Paulo Aflonso Recorrente o juizo, recorri-
do Apolinario Barbosa Biepo,
Silveira Callafang. Relator o Sr. conaelheiro
Araujo Jorge. Deu-se pruviiueato ao raoMrso,
unnimemente, andou-ae aocessar o reoer/ido
e o collector.
Da Escada-dnacorsana Antonio Onalcaato Pe-
reir de Mellolilho, seeerrido Dr. Jos Bn*euio
da Silva Ramee. Relator o Sr. desembagitdar
Buarque Lima-Negen*se proriinonto, unnime-
mente.
Do PenedoRecorrente Jos Lesea, reeorndo
ojuiao. Relator, o Sr. desembargador Toeeano
Barrete.Nesou-ee provimento, utianimemente.
De itimbRecorrente Joo Manoel da Silva,
recorrido Bonifacio Quedes Alcoforado. Relator
o Sr. desembargador Monteiro de Andrade.
Deu se provimento ao recurso, unnimemente, e
mandou-se responsabilisar o escrivo e o alis-
tado.
Do loga Recorrente Francisco Alejandrino
da Veiga Tonva, recorrido Feliciano Pergentino
i Carnairo da Cuaba. Relator o Sr. desembarga-
dor Pires Goncalves.Deu-se provimeoto ao re-
curso e mandou-se processar o recorrido e o col-
leotos.
Recursos crimes
Do HeefeRecurrente Antonio Luir daiiva,
recorrido Isidoro do Freitas Gamboa, lioistor o
Sr. dosemb.rgadjr Pires Ferreir. Adjuntos os
Srs. deeembargadores Buarque Lima e Alves R-
beiro.Deu se provimento ao recurso, unnime-
mente.
Oj Barreirjs Recurrente i juiao, recorrido
Caetano oares da Silva. Relator o Sr. de?em-
bnrgadr Monteiro de Andeade. Adjuntos o S' s.
conseiheiro Queiroz Barros e desembargador Ai-
ra Ribeiro. Negou-ae provimento, unnime
mente.
Di IndependenciaRecorrente o juiao, recor-
rido Antonio Joaquini Pereira. Rulat-ir o iHr. des-
embargador Pires ti onfalves. Adjuntos os Srs.
desetnbargadores Buarque Lima e conseiheiro
Queiroz Barros.Negou-s.: provimento, unnime-
mente.
Da Palmeira d>s Indios Recorreate o juizo,
recorrido Antonio do Souza Das. Relator o Sr.
desembargador Alves Ribero. Adjuntos os Srs.
desembargadores Pires Ferreira e conseiheiro
Queiroz Barros.Negou-se provimento, unnime-
mente.
Aggravo de peticao
Do RecifeAggravnte M*tbi*a Lopes da Cos-
ta Mai*. aggravado Antonio asemiro de Goaveia.
Relator o Sr. doserobar jador Buarqae Lima. ^ Ad-
juntos os Srs. desembargadores Pires Ferreira e
Pires Goncalves.Fieou adiado.
Curta testemunhavel
De IguarassAggravante Ismael Gaudeueio
Furtado de Mondonga, aggravado juizo. Rela-
tor o Sr. desembargador Toscano larreto. Adjun-
tos os Srs. desembargadores Pires Ferreira e
Alvos Ribeiro.l-'U-se provimento a carta, un-
nime mente.
Frorogaeo de inventari
Inventariante R>sal;na Igttacia Lins. Con ver -
teu-se em diligencia.
Appellaeao crirae
De TimbabaAppellante Joo Francisco de
Lima, appellada a justica. Relator o Sr. desem-
bargador Busrqu* Lima.Jalgous' nuo todo o
proceeso.
PASSAGENS
O Sr. conseiheiro Araujo Jorge, como procura-
cor da corda e promotor da justica, deu parecer
nos seguintes fe tos :
Appellacoes crimes
De GoyannaAppellante o promotor publico,
appeilado Joaquim Jos de Sant'Anna.
Do CoilegioAppellante EinMio Lapos Guima-
res, appellada a justica
Do >r. conselheirkQueiroz Barros ao Sr. des-
embargador Buarque Lima :
Appellacoes civeis
De MaragogyAppellante Jos A'itonlo de Oli-
ueira'Senna, appeilado Francisca da Rocha Hol-
landa Cavalcante.
De Agua PretaAppoilante Herculano Fran-
ealiao ('avaluante de Albuquerque, appellados Ma-
nee I Ferreira Bartholoe out-ros.
De Sr. desembargador Buarque Lima ao Sr.
desembargador To-tcano Barr. to :
Appellacoes crimes
De Jaboatao Appellante o juizo, appeilado
Luiz, escravo.
Do Bom CanselhoAppellante o juiao, appei-
lado Antonio Vioira da Virgens.
Appellacio e.unmercial
Do ReoifeAppellautes Ernesto & Leopoldo,
appeilado o curadoi tisoil da inasaa fallida de
Flix Gomes Coiinura.
Do Sr. desembargador Toscano Barreto ao Sr.
desembargadjr Pires Ferreira :
Appt'lUeao civel
De Goyanna Appellmte o juizo, appeilado
Francisco Tavares de Mello, senhor dos escravos
Antonio e Jos
Do Sr. desembargad .r Pires Ferreira ao Sr.
desembargador Monteiro de Andrade :
Appellacoes crimes
Da PalmaresAppellante o juizo, appellados
Antonio GoQCilves de Siqueira Granja e Jos
Victorino de Paiva.
De Ipojuca Appellante Honorato Ferreiro
Mariano, appellada a juanea.
Appeilaco civel
Do RecifeVppeMaiite M j, appeilado Mano i dos S utos Araujo.
Conflicto de juridieeo
Entre os juizes do distrito e municipal de Bom
Jardim.
Da Sr. descmli-irgador Monteiro de. Andrade ao
Sr. desembargador Pires Goucalves :
Appellaooea crimes
Do PiancAppellante o juizo, appeilado Juo
Caaeiano da Silva.
De SerinhaemA'.ipellante Francisco Flix de
Aguiar, appellada a Justina..
De Bxiri Jardnn Appellante o promotor du
blico e Joaquim de Albuquerque Gaudra, agpel-
iadoe Joao Barbosa da Silva e outros.
Appellaao civel
Do Recite Appellautes Carvatho Jnior &
Leite. appeilado Antonio de Souza Braz.
Do Sr. desembargador Pires Goucalves ao Sr.
desembargador Alvos Ribeiro :
Appeaoes crimes
De S. Miguel-Appellante Antonio Bernardo
dea Santos, appellada aj atica.
Do Bonito-Appellante o juizo, appeilado Joa-
quim Pereira da Silva
O Sr. desembargador Pires Goncalves apresen-
toa >. mesa para providenciar
AppellacSo civel
Do RecifeAppellautes os berdeiros do com-
mendador Vicente de Paula de Oliveira Vilias-
Bi8, appellados Affouso Augusto de Biito Ta-
borda e outros.
Do Sr. desembargador Alves Ribeiro ao Sr.
conaelheiro Queiroz Barros :
Appel lacio crime
Do PesqueiraApp-llant:- o promotor publico,
appeilado Jevino Jos de Carw.ih i.
DILIGENCIAS
Cor* vista ao Sr. conseiheiro procurador da co-
na c promotor da justica :
Appellacoes crimes
Do Buique Appellante o juizo, appeilado
Francisco Carlos da Craz.
Do P nado -Appellante o juizo, appeilado Gal-
din > Jos da Luz.
De MaceiAppellante o juizo, appeilado Jos
Joaquim do Nastimento
De Olinda Appellante o juizo, appeilado
Francisco das Jhagxs de Ji sus.
De Piassabosb Appellante o promotor pu-
blico, appeilado Joaquim Ferreira Ferro.
DI8TKI8UICOE8
Recursos eleitoraes
Do Catle do Rocha Recorrente Bernardino
Jos da Rocha Poronga, recorrido o juizo.
Ao Sr- conseiheiro Queiroz Barree :
DeJeroliBa Revorreute o juizo, -r.Jtoi!rid
Florencio Alves da Luz.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
De PetrolinaRecorrente o juizo, recorrido
Aprigio Amancio Rodrigues Coelho.
Recursos crimes
AoSr. desembargador Monteiro de Andmde :
Do RecifeBecerrete Joaquim Ferreira Lima,
zeeorrido o juizo.
Ao Sr. desembargador Pires 'Goncalves :
tm PiaueReoorreute e juizo. recorrido An-f
tsaso Tbemas da Sil/a Leite.
Ao Sr. deaembargdor Alves Ribeiro :
Do Recife Recorrente Joaquim Jos AIts
Appellacoes crimes
Ao Sr. conaelheiro Queiroz Barros :
Da ParahybaAppellante ntoskio Tavaie de
Lima, appeUada a jostiea.
Ao Sr. desembargador Buarqoe Lima :
De S. B >a Appellante o jizo, aspsttssio
Lauriada Jos de Franca.
Ao Sr. desemburadcr Teseano-Barreto:
De BeaerTosApBwUante Jos Alves Barbosa,
appellada a justica.
AoSr. dessmbargsxior Pires Ferreira :
Da EsesrfaAppeilanto Jofio Franciseo Tasv
res, appellada a justiea.
Ao Sr. desembargador Monteiro de Andrade :
Do Recife Appellante Mauoel Antonio de
Andrade, Joo Jorge e oufos, appellada a jnsteoa.
Ao Sr. desembargador Pires Goncalves :
De Alag* Grande Appellante o juizo, ap-
peilado Cosme Sebastiao Bezerra, conhecido por
i.'osme Piuta-ffigo.
AppellacSo civel
Ao Sr. desembargador Buarque Lima :
De OliudaAppellante Henrique Ferreira Pon-
tes, appeilado Manoel Elias de Moura.
Appellacio commercial
Ao'Sr. desembargador Toscano Barreto :
De GoyannaAppellante Joo Cavalcante de
Arruda Cmara, appellada D. Maria Ribeiro da
Silva
Eneerrou- se a seeso as 2 1/2 da tarde.
INDICARES OTIS
Medico*)
Conaallorlu mediru rirariclro du Dr.
Pedro de .lttaliyde Lobo Moncosso A
ra da Citoria >. 89.
O doutor Moscozt d consultas todos os
-lias uteis, das 7 s 10 horas da manJia'
Esto consuitorio offftrnce a eominodida
de de poder cada :'oente ser ouvido o exa-
lin.-ido, sem ser presenciado por outr
De aieio dia s 3 horas da tarde ser <
Dr. Moscoao encontrado sjn torrcSo prc
do Coramorcio, onde funcciona a ms-
peceo de sade do porto. Para qualipi r
i'estes dous pontos podeso ser dirigidos
os chamados por carta n< indicadas horas
O Dr. Arthur Imbaasahy, medico oceu-
lista, recenteroente chogado, esta cid ide,
d consultas tod >s os das, das 8 s 10
borns da maohS, sendo gratis aos pobrs
no 1." indar do predio n. 53 da ra da Ln-
peratriz.
Cnsul torio allopalleo doMlmetrleo
Dr. Miguel Themudo d coneuJtas das
12 s 3 da tarde em seu consultorio ra
do Bar3o da Victoria n. 7, 1. andar.
Chamados por escripto a qualquer hora.
Especialidades partos, febres, syphilis,
molestias do pnlraAo e do coraeao.
Dr. Lope Pessoa -Meiico.Residen
cia a ra de D. Pedro I n. 2, onde pode
ser procurado at s 9 horas da manha.
Consultorio ra do Bom-Jesus n. 37 1.
adar. D consultas das 11 s 2 da tar-
de. Gratis aos pobres.
Dr. Barreto Sampato d consultas de 4
s 4 hoias da tarde, ra do Bario d
Victoria n. 45, 2 andar, residencia ra
io Riachuelo n. 17, canto da rta do Pires.
Dr. Gama Lobo, medico operador e par-
teiro, reside ra do Hospicio n. 20, onde
podo ser procurado qualquer hora do dia
ou da noite. Consultas: de 1 s 3 horas
da tarde. E^pecialidade : molestias e ope-
rac3es dos orgSos genito urinarios do ho-
rnera e da mulher.
Advogado
O bachard Benjanim Bandeira, ra do
Imporador n. 73, 1. andar.
Dr. Seabra. Mudou seu escripto deadvo
gneis para a ra do Imperador n. 24.
Uro^arta
Francisco Mqnotl da 6do litarios de tod^s as especialidades phar.-n
ceuticas, tintas, drogas, productos chimii.
o aiedicaucntos hoinceo_i);it'ais, ra do Mr-
quez de Olinda n 23.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e ojficina de earapino
de Francisco dos autos Macedo, caes d-
(Japibarioe n. 28. N'este grn> 11 estib a
cimento, o primeiro da provincia a'cste ge-
aero, compra-se e. vendase madciras de
todas as qualidades, serra-se madeiras de
conta alheia, assira como sepr. param obra1
de carapira por machina e por precos sen
l.OOOiOOOitOOO
Os biUietes Ueata nnportan.te lotria de
tres sorteios, que corre no da 8 le julho*
achatase venda na Roda da Fortuna
ra Lnrga do Rosario n. 36 e ra do Ca-
biig o. 1.
No decursa dos vinte annos que eowtitaaa a
minha vida publica, sempre girou nessa rbita, a
a minha aetividade, e disso fatem prava s meas
modestos esforcos na Assembla Provincial e os
meus pequeas trabalhos na imprensa, tstes lti-
mos attestados pelo Diario de Pernambueo, em
cujas paginas tenho esteriotypado a minha alma
e o meu coraeao, pugnando por tudo quaato se me
ten figurado til e vantajoso causa do pais e
man particularmente & deata provincia.
Casno garante dos mcus intuitos de futuro offe-
reco ese msdseto pastado ao digno eleitorado do
3 distrieto, asseguraado-lhe que envidarei quaato
coubwr ui ...;.a 'para clevar-me altara dasitua-
cio d fiane* c i n aa" me honrar esse digno aleitofado-
O meu norte ser o bem publico e o eaminho
para elle essa honrosa confianza qne nunca faltn
ao Ilustre cidado quem aspiro substituir e cu-
jas \ irtudes cvicas tomarei por modelo.
t*beerevo-me eom a maior eensMeeSd e res-
peito.
De V. 8.,
Amigo, att^nto, venerador e eriudo.
Recife, 6 de Julho de 1886.
Fdipp* de Fg*eiria Paria.
^
**!
COMMUNICADOS
Ao eleitorado do : dislriilo
Im Sr.O fallecimento do Dr. Antonio Fran-
cisco Crrela de Araujo, abrindo urna vaga na de-
putagio de Pemarabuc*, determinou a necessidade
de urna cleicao no 3 distrieto, que aquelle Ilustre
cidadao tao dignamente representava.
Para preeuche essa vaga proponho-me eu aos
suffragios do distiucto eleitorado desse distrieto.
nai m ivido por impulso proprio, ncm tomado de
ambices que estou longe de nutrir, mas por apre-
scntacSo do partido em cujas fileiras milito e alen-
tado pelo desejo de continuar a prestar serviros a paiz nesse posto de combate que me foi indicado.
', pois, eicudada com esae patritico desejo e
patrocinado pelo meu partido, cujo venerando
chrfb tenho por amigo, que eu venho solicitar de
V. S. o seu voto e odo o ssu precioso auxilio
minha cauca no pleito que se vai ferir brevemente
nesse distrieto, onde V. S. gosa de prestigio e dis-
pe de merecida influencia.
Bem conhecido nesta provincia, onde nasei e
onde tenhi gempre vivido mourejar cm fadigngas
lides pelas ideas conservadoras, e sob a gide
d'aquella honrosa apresentaco; creio que ser*
me-ha excusada a exhibico de um programma,
pois que outro nao poseo ter que nao o do partido
ao qual tenho servido com dedicacao e esforco.
Entretanto, de harmona com o notavel discurso
proferido no Senado, em 1879, pelo honrado Sr.
conselheiro Joo Alfredo Correa de Oliveira, digno
chefe conservador em Pernambueo, direi que a
synthese do mea programma pugnar pelas re-
formas que forem e desenvolyimento pratico dos
grandes principios liberaes consagrados na Con
stitiuiioo e que formam a basa das iastituice
qne nos, os conservadores, maatemos e queremos
oaenec
Dentro de taes limites ha espaoo bastante para
todos es melhoramentos inteleetnaes, morsas e ma-
teriaei, jara todos os Oiunmettimentos serios da
politioa, economa, ftaanoas e admiaistraco, emfim
para todas as mais ajtas, aspir%Qas dos po,vos
'ivres, que vivem sob o rgimen parlamentar.
Pl BLiaCOES A PEDIDO
Rio Grande do Norte
eapItSo afoo everlano Ha
clel da wiIva e e sen detrator
l't-bano foaquiin de I^ojola
Barata
Promettemos no artigo anteci./eate dieer como
foi reeebido no Rio-Frande do Norteo nosso ami-
go," oapitSo Maeiel da Costa, que, victorioso volt
ra eom o Enm. Si. general Jos Angelo de Mo-
raes Reg, uomeado pelo goverao para inspeccio-
nar as tropas do norte desta provincia principian-
do por at/uella, conforme lhe recommendou o go-
verao ; txe* e tantas erara aa aecusaooes qae e
faam ao capitSo Maeiel, em virtode de nmaqnei-
xa que contra elle dra k pres'dencia da mesma
provincia o Sr. Urbano Joaquim de L'yola Br--
t p >r netos de pura adroinistraeio. disciplina e
eeonomia interna da enmpanhia de infantai-ia que
all coinmandava; qurixa qne merec>-u as atten-
c5es daquella presidencia, que encarainliou-a ao
ministerio da guerra, Corroborando-a e quimil ad-
do&iiido outras aecusaepes.
Lgo qae constou alli s ittmoeesto do plano se-
no de oerder um offieial de repntacRo firmada
por seiviQos e precedentes honroeos, a- menos de
afa.st.ir por om modo menos digno nin servidor da
patria encanecido no serTco das armas as guer-
ras do Estado Oriental e l'aragoay, que estava
estorvanJo arraujns inc in'csutvi'is e torpw, e
tflve a audacia de prender e snbmetter A conselho
de investigacao, um dilecto protegido e genro do
6f. Loyola Barata; novas mHehiuQoes se trama-
rain, e at nos parece, alargou-se o circulo da
mal i Ucencia !
Sabido que foi, que o Exm. Sr. conseiheiro Jun-
quaira, ex-ministro da guerra, nao deu a esperada
importancia, ou antes dra 9 que mereca a catili-
naria desenvolvida contra o unsso amigo, tarfoso
toi forgiear outra, pois ao contrario fieava amito
calvo o escndalo.
O Sr. Loyola Barata, homem previdente, cora-
joso e encorajado pelas blandicias de quem' devia
enxotal-o para longe de si, e que jA se havia mu-
nido, sabe Deus por que meios, das respottas das
cartas dirigidas pobres artistas, um dos quaes
aualphsbeto; tez um derivativo, abrindo passa
g-im p"la Thesouraria de Paseada, cujo archivo
lhe era tranqueado, e peraute o respectiva inspec-
tor apr.'senfou a sua declaraeae, que, vista do-
peso e insuspeiccio de to graves documentos, cor-
reu acceleradatneute. o devidos turnos e muito
procedentemente foi remettida presidencia.
Estavarn dados os primt'-iros passos.e j nao ha-
via outro remedio seno embarcar a bisca uo foro
cominuui, onde as chcanos dao inargem tudo e
ha baiiil iras para coanr todas as cargas.
S. Etc. sorpre/tendido cm tao neyjeradacora-
inunicaco, deu-se pressa em remetter as gro'vat
do crime promotoria publica, oriit-uiiuUo
Ibe que sem perda do tempo cise^ieniiii-i .
tn o eslellinnatario, enfojme o csoific m o Sr
Urbano Barata, em sua nunca assz esauecida
declarando !!
E para solemne attestacao da imprciulidadr. da
usti^as di cidade do Natal, capital da provincia
io Rm-Grunde do Norte, cuinpr<' que fique regis-
trado que no dia 11 de Juuho ultimo, o prom it ir
publico dessa cap'.al, muito resgniidamente do
papel que,lhe impuzeram, deu ai juiz municipal
li termo, a denuncia ordenada contra o capito
Vlaciel da Cista.'pjr actos do p'ira administra ao,
d'ssiplina e economa interna da bmpanhia que
commanuou, por cujos enmes, se crimes cominet-
teu, s' pide s r resp insabilisado perante os seus
ares, como j ti vemos o'ccasib de demonstrar
cpipridanonte em um dos anteriores rticos !!!
C'imn esse prcedimen^o, pergunt unri3 nos, o
Exm. Sr. preai lente do Rio-Grramie cTi"Norte, nao
incorreu na sanceo penal dosarts. 129, 1* e 2o
do cdigo criminal?
Em que penalidade incorreu o promotor publico
com to grande erro de officio?
Si S. Exc. foss algum dess^s coronis da guar-
da nacional, verddeifos medalhdes duphi, que
in falta de pessoal idneo, sao aproverta'dos para
vices presidentes' deseas p oviuclas'beqabnd c iVno
. Ki;-Graiide do Norte, Piauhy, etc., etc., tinha
desculpa; pirio sendo um moco'ic'rmado era di-
nit'i e cuja iustracco nos somos os primeiros
recoDher; nlo tein.deseulp!
O finado D. Thoinaz de Noronha, bispo que foi
dis'a iliocese, dizia: intelligencia, uo d juizo
a ninguem.
ii. F.
Xegoelos de Ipojuca
A proposito de um requerimento, que, ha dias,
diseute-se na Assembla Provincial e que versa
soljre a priso do elcitor Joaquim Felippe, mi-
nha ordem, sou forjado a vir imjrensa. N,li o
faco pata d.-teuder-me do suppost att-nladj, que
se me attribue, nem das aecusac^es que me fe?, o
Dr. L itireuco de S, pois, o meu especial amigo,
Dr. G. .de Drummondjp'eoamente justificou-mc
perante a Ass 'mD a. E' meu fim tornar, apenas,
mis eouhecda do puiblico urna eireurnt. .ncia que
deu se e qu bem mostra de ouanto sao capazes
meus gratuitos inimigos de Ipojurt.
A pos a priso de Joaquim Felippe, facto sem
importancia nem significajo, pois que a priso
fra apenas correcci nal, a Provin.ia, de 18 ie
Juuho, publicou contra mim ama i:orrep)ad"ucia
insultuosa e atacante. Estava firmada por Joa-
quim Feligpe. Sendo, elle homem sem habito de
escrever para a im >rena, cdmpreh ndi logo que
alg wn, que nao tiqha coragem de ferir-me'de
frente, eacrevera a correspondencia, que Joaquim
Felippe inconsciente asignara Eu estava, p i-
rin, long> de Kuppor ce usa peior, isto que o cy-
uisma de embudados aggressoreB arrastissem-os a
abusar da assignatura de Joaquim Felippe, falsi-
ficando a ou della usando falsamente para firmar
artigos contra mim!
Tendo certeza do facto, promov, perante varias
testeinunhas, um auto de perguntus a Joaquim Fe
Eis o que,a raspeito elle dase :
. P' rgqntado se o autor da artig publicado
na Provintia, de 19.de Junho, sob a epigraphe
Proezas io fcdonhi respondeu que n i foi o
autor do artigo.
Pecguutsdo se tem sciencia de tal artigo, res
pondeu que nada sabe resp^ito e que ignara
compleiamente^quem, aproveitando-se deseu nouie,
firujou um arti?o con tendo tanta injuria, dequ-
incapaz de dar publicac i, por sso quena) conhe-
ce o subdelegado, a pouco tempo, iguoraado nao 80 a sua vida publica,
como a privada.
Do auto de perguntaa v-se, portento, que
Joaquim Felipe nao firmara contra mim a corrus-
nond'.-Dcia publicada pela Provincia e que valemm
se falsamente d,a^ssjgnatura delle.
Sao desta ordem os meus gratuitos inimigos de
Ipojucafalai^eadores .e covardes Mas ellas
bem sabem, porque o sao /
Sem receio de que tanto os meus actos pblicos
como a miaba vida nrivada, sejam apreciados por
to .vis rafeiros, affront-os com a publicidade de
uem nao tem maculas que o ensauguentem !. .
liles %ue facam oatro tanto, ^ue venham, sem a
mascara, e com a responsbildade de proprio
nome, e nao de ama firma roubada a um pobre
agricultor, assacar injurias e calumnias contra
misa !
Dar-lhe-hei, cntio, resposta cabal.
Ipojuca, 11 de Julho de 1886.
Frederico Augusto de Siqueira Cavalcante.
QuatorzeJ de Julho
Tendo a Commisido Extcwtir* do Cauro Repu-
blicano de effectuar na da 14 do orrente pelas
seto aeras da noite,.o tbeatro das Variedades,
"naaesso litteraria eatnawawrativa da tomada da
BastHha pelo poyo franco, convida os habitantes
deata cidade, e especialmente os representantes
netta -provincia das dressas repblicas, aa sacie
dade? (cientficas e littci-aria todos oe repabli-
eanoaa assistirem essa fesfa, para a o/ril aio ha
conMIIb especiaes.
nBinV commissao de samaron do Centro atar
postada na poi-ja do tbeatro para dar ingresso nos
camaro'es, que sero reservados s familias.
Ser dada a patarra aos aradores qne se insere-
verem antecipadameote.
Jos Izidorn Martina Jnior.
M. Colho dos Res.
Bellaroiioer Carneiro.
Dr. Albino' Meira.
Joo Ramos.
Edtu-se correado no culto da igreja prsbyte-
rsna, sita ra do Imperador n. 71, Io andar, os
banbos para o casamento do Sr. Francisco Al -
brecht Leopoldo Americo Pralle. com a Sra. D.
Hermine Therese Selma Bosse.
Engenho Central do Cabo
Ero resposta ao artig-) publicado pelos
Srs. agricultores do municipio do Cabo,
que contracta rara' com a companhia o for
neciraento de caimas, para a fabrica de
Santo Igtracio, temos a declarar que di-
versos melboramentos "foram adoptados e
que estilo oncotomenia los machiaistuos,
que aqui devem chegar no principio de
Agosto psra sereno assentados sob a di-
recgSo do gereate geni, que at o fim do
eorrente mee deve estar nesta cidade.
Com relacSo aos trarowajs, todos sa-
bem que este tempo invernoso nSo o
irais proprio para sua conservarlo.
A companhia providenciar para qa a
co'heita seja feita ,do modo mais proreito-
8o para os agricultores e para ella ; quan-
do nSo fosse esse o 8u dover, o proprio
interesse nHo consintiria que ella proce
dessa de modo contrario.
Rscife, 13 de Julho de 1886.
A. D. Carneiro Vianna, ten lo de seguir
hoje, para a Europa, deixa encarregados
da geretacia de sita casa commercial, aos
Srs. Luiz Alfredo de jVoraes, Manoel de
Oliveira Mait o Franciseo de Oliveira
Maia, e como seus bastantes procuradoras
aos meamos cima e ao Sr. W. W. Ribil-
liard.
Apprbveita a occasio para se despedir
daquellas. pessoas de sua amisade, aquem,
por causa da presteza de sua viagem, nao
teve tempo de ir receber as suas ordens.
Recife, 14 de Julho de 1886.
Ao Sr. M. P. Barros
Acndindo provoca^ao que me fez
hontem por esta gazeta, em attencao tam-
bem considerajao que lhe devo, declaro
que V. S. netihuma parte tomou na publi-
cacao a.que se ifere, p.qr ma affljwWS, 9
meu mano Olympio de Seixas Bordes,
nico redactor do Binculo. Aproveito a
occasijo para declarar ao amigo e ao pu
blico que desde Setembro do anno passa-
do, retirei-me da redajjo daquella gaze-
ta, onde s escrevo artigos de interesse
publico.
'Recife, 14 de Julho de 1886.
Seixas Borges.
Despezas feltas com o fuaeral
do r. Antonio Francisco Cb-
rela Je Araujo
Imp irt ir.eia paga a Manoel Goncal-
ves Agr pela armaco da igreja,
catafalco e impostes Santa Casa 1:350000
dem, dem a msica 500^000
dem, idem a fassos Gu i maraes, pe! a
cera rorecida 553*000
dem reeebida pelo vigario Augusto
Franklin M>reira da Silva para
remuuuracao de alguns dos sacer-
dotes que funecionaram no offico
Iiem, idem pelo artista encarregado
da armaco do catafalco, Jos Cas-
tor de A. Souza a titulo de gratn-
cacao por excesso de trabalho
IJem paga a Baptista & C, de alu-
guel de cadeiras
dem, idem o guarda da ma'.riz,
Francisco de Paula Grac* pela
conduccao das cadeirai, limpeza e
arrumafo da igreja
dem, idem a Francisco los Alves
Guimares para desarmar e armar
o lustre da matriz
dem reeebida pelo servente Belisa-
rio para compras de enveloppes
grandes, sellos, papeleo enveloppes
pequeos
A deduzir da importancia das con-
tribuivoes de aciorJo com a lista
Saldo
1404000
60*000
38C00
28320
10*000
264500
2:7054820
2:8274000
1214180
que dea em poder da redac{o do Diario de Per
namhuco, para ser distribuido por.dez familias po-
b'r>j.
Os encarregidns da (rrecadaco e despeza.
Jos Francisco de Ges C'iva'canle.
Daro .avatcan'e di R lbuqufrqve.
Joaquim Pires da Silva.
Listas das pees >as que contribuiram para o fu-
neral do D.-. Antonio Praucisco Correia de Araujo :
2004000
10010 M
Dr. Bllarmne Correia de Oliveira
Andrade
Tenente coronel Antonio Gnedes
Gondim
Dr. Fulgencio Infante de Albuquer-
que Mello
Dr Joo do Reg Barros de Lacerda
Major Francisco de Siqueira Caval-
cante
Sebasteo de Barros Barreto
Dr. Joo Viera de Araujo
Com mendador Antonio Gomes de
Miranda Leal
Tenente-coronel Jos Goases Leal
Dr. Antonio Domingos Pinto
Mojor Cleomenes* Lupes de Siqueira
Dr. Pedro de A'hayde Lobo Moscoso
Dr. Herculano Baaieira de Mello
Dr. Manoel Ctententin de OJirasa
Escore!
Dr. Jos Maria Carneiro de Albu-
querque Lacerda
Numeriano Barbosa da Silva
Baro de Aguas Bellas
Dr. Jos Osoro de Cerqueira
Mojor Antonio Viiella de Castro Ta-
vares
Comiaendador Antonio Caetano da
Silva Kelly
Dr. Joo Joaquim de Freitas Henii-
ques
Capito Henrique Cecilio Barretto de
Alsoeida
Alferes Affonso Moreira Temporal
Jos Burle
Dr. Matheus Vaz de Oliveira
Vigario Julio de Barros
Dr. Manoel Nicolao Regoeira Pinto
de Souza
Dr. Joao Cravtllo Cavalcante
Jos Goncalves de Medciros
Dr. Augusto Carlos Vaz de Oliveira
Dr. Manoel do Nascimento Pontee
Antonio Juvencio da Silva
Misael da Silva Guimares
Major Jos Franklin de Alencar
Lima
Dr. Jos Joaquim Alves de Albu-
querque
Joaquim Anselmo Cavalcante
Antonio da Suva Ramos Neves
Dr. Clementino de Mezquita Wan-
derley
Dr. Joo Pinto Machado Portells
Gabriel de Mosquita Cardnso
Jos Prancisco do R-ro Cavalcante
Agostraho da Silva Neves
Dr. Luiz Antonio de Andrade
Dr. Jos Victorino Ferreira Velloso
Dr. Augusto Coelho de Moraes
Dr. Pedro Gaudiano de Ralis e
Silva
'ir. Ignacio de Barros Barreto Filho
Dr. Sophronio E. da Paz Portella
Dr. Alfredo Fernandes Dias
Dr. Jos Joaquim Seabra
Dr. Joaquim de Albuquerque Barros
Guimares
Dr. Jos de Miranda Curio
Dr. Miguel Figueiroa d-i Paria
Dr. Antonio d-> Faria Neves
Joo de S Cava lante de Albu-
querque
Dr. Antonio Witrnvo P. B. de A.
Vasconceilo
Dr. J Dr. Manoel Barbosa de Araujo
Dr. Alvaro Ucha Cavalcante
Dr. Cypriano Fenelon Guedes Aleo-
forado
Maaoel Xavier Carneiro
Agostinho Bezerra da Silva Caval-
cante
Tenente-coroael Apolinario Floren-
tino de Albuquerque Maranho
Capito Antonio Samico de Lyra e
Mello
Candido C. G. Alcoforado
Capito Antonio Francisco Cordeiro
de Mello
Capito Antonio de Barros Correia
Capito Antonio Jos Pestaa
Capito Samuel de S Montenegro
Tenente Tnodomiro Thomaz Ca-
valcante Pessoa
Tenente Joaqun Flix Bezerra Ca-
valcante
Tenente Miguel Nunes de Freitas
1 cuente Antonio Cordeiro CaVfft-
cante
Tenente Bellarmino Pinto de Paiva
Tenente Ildefonso Ignacio do Ama-
ral
Alferes Mxnoel Jos Ferreira da
Costa
Alferes Joa Bento de Hollanda Va-
lenca
Alteres Joaquim Srvalo Vieir8 da
Paz
Alferes Ignacio Vespasiana Augusto
Ferreira
Alferes Laurenio Goncalves de Aze-
vedo
Tenente Sebasto Floro do Reg
Tenente Antonio Jos do Souza e
Silva
Alteres Jos Felippe Gomes Jnior
Alferes Francisco Xavier Camello
Pessoa
Alferes Paulino Antonio de Sousa
Ayres
Tenente Severiano Vieira da Paz
Capello Frei Jorge de Santa Auna
Licio
Alferes Jos Nicolao Ferreira Gj-
ines
Dr. Nilo Rodrigues de Miranda
Dr. Francisco Joaquim Leal
Dr. Antonio de Ahneida Pernam-
bueo
Major Jos Cordeiro dos Sautos
Tenente Joaquim Jorge de Mello
Filno
Augusto Cesar da Cunba
Joaquim Pureira Borges
Rotilo Tolentino de Figueiredo Li-
ma
Domingos Joaquim da Fonseca
.li.o Irineu da Silva Sautos
Tiburcio Tavares
Manoel Juvencio de Saboya
\I i noel Estanislao da Costa
Jis Francisco do Reg Barros
Franklin Gibson '
Julio da Costa Cyrne
204000
204000
204000
204000
204000
204000
904000
304000
f04000
tOJOOO
l4000
OSO0O
104000
104800
104000
104000
104000
104000
104000
104000
1C4000
104'XX)
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
105000
104'100
104000
IO4OOO
IO4OOO
104000
104000
104000
104000
104000
104000
1O4000
IO4OOO
104000
104000
10400
104000
104000
1O400
104000
104000
104000
IO4OOO
104000
10^000
104000
104000
104000
104000
10401)0
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
104000
8.4000
81,000
84OOO
8*000
84000
64000
64000
64000
64000
64000
64000
64000
64000
64000
64000
54000
54OOO
54(00
54000
54OOO
54000
54000
54OOO
54000
54000
54000
54000
54000
54000
54000
54000
54OO0
54000
54000
ginaes de Flora. A atmosphere, a qual roaba e
diveste a fragranci a quasi todas as aguas cHei-
rosas, parece produzir bem psac/ effeito sobre a
exquisita raridade deste aroma, o qual pertence
por excellencia esta preparaco bublim e refri-
gerante.
Ella encerra em si, por assim diser, o onden-
sado respiro e vida das Aires as mais exquisitas e
odorferas do remo vegetal e sua fragrancia pare-
os nexhaurivel, inesgotavel, mesmo depoi de ter
sido exposta urna prolongada evaporacio ou dif-
fusio. Neate respeito ella se assemelha 4 original
agua da colonia de Faria, e preferida por toda
America do Sal e as Antilhas, nao obstante o va-
lor e custo dobrado daqnelle outro perfume.
Coso qaraktia contra as falsificacoes, obsrve-
se besa que os nones de Lanman & Kemp, ve-
nham estampados em lettras transparentes no pa-
-pel 4o livrinho que serve do envoltorio a cada
garrafa.
Acha-se vends em todas as principaes bo;icas
e lojas de drogas.
Agentes em Peruambuco, Henry Forster & C,
ra do Commercio n. 9.
Xarope de lal-mat
O Matamata (lecythis idatimon) com o
qual ee prepara este xarope um vegetal da flora
brasileira.
E' um agente therspeutico poderosiss'mo contra
as molestias do peito e da astlima.
Os numerosos affectados que delle tem ferto uso
conseguiram um resultado muito satisfactorio, aca-
bando por se recouhecer que at hoje a melbor
preparaco para a cura da aotlimu. lirn
dille asthmatica, e ulica e eppres-
ncn, dispensando o emprego do arsemo, folhas
de estramonio c plantas narcticas, que acabara
quasi sempre pelo abus > que delles se laz e mesmo
pe uso prolongado por produzir tffeitos desas-
trosos sobre a sale e em geral entorpec ment do
cerebro.
Vsnde-se na Botica Franceza de Rouquagrol Freres
successores de A. Caors
X. CBa da Crnz-*. 12
RECIFE
C
Usinas de cobre, iatao e bronze ee d
Golitzer Ufer n. 9 Berliiu S. O.
Espeealldade:
Construefo de inachi-
nas.e apparellios
para faoiicas de assucar, destillafSes e re-
finajSes com todos os aperfejoanientos
moderaos.
INSTALLAQA DE:
Engenhos .le assucar completos
Estabelecimento filial iil Havana sob a
mesma firma de C. ileckmana.
C. e Saa Ignacio n. 17.
nicos represenlanles
Haupt Gebru'der
EIO DE JANEIRO
Para informaeoes dijijamse ai
Pohlinan &C
M do Conii n. 10
Fados e nao pahn ras
Aon que se desejam tratar sem comprometter a
saude com preparados mineralgicos.
Nesta typographia e na ra Direta n. 43, l."
andar vende-se tinturas homeopathicas para ino-
fensiva cura das seguintis molestias : asthmatico,
anda mesmo bronchitico; eiysipela, enxaquecas;
intermitentes (sem o emprego do fatal quinino);
tosse convulsa, falta de menstrua^o ; cmaras de
sangue : esfricos ou metrite ; dores de dentes ou
nevralgias, metrorr'agia ; vermfugos, dentico e
convulsoes das criaucas tudo manipulado de tier-
ras do paiz.
Assim como tratam se escrofulosos em qualquer
grao e gommatosos.
Dr. Fernandes Barros
Medico
Consultorio ra do Bom Jess n. 30.
Consultas de meio dia 3 horas.
Residencia roa da Aurora n. 127.
Telephone n. 450
-~--a
Dr. Carneiro Leo
MEDICO
Tem o seu consultorio e residencia ra
Livramento n. 31. andar. Consultas de 11 he
ras da manha s 2 da tarde. Chamados por es-
eripto a qualquer hora. Especialidade :febres,
parios e molestias de criancas.
Dr. Mo Leite
f"apit H'iiriqiu Marques Lins
Coronel Harciooillo da SflVefra Lius
Baro de 'ir:in^i
Dr. Jos Manoel do Barros W ittder-
ley 1004000
Francisco Justiuiano de Castro Ri-
bello 1004000
D-. Praucisco do Reg Barros La-
errda 1004000
Major Florismunlo Marques Lins I0O41KX)
Yntcmi i de Am .rim 1004000
Commendador Albino Jos da Silva 1004000
Cominemiador Jos da Silva Luyo
Jnior 1004000
Desca larg^dor Manoel Clementino
Uarneir da Cunba 1004 KK)
Um 'ai.oiiy.n 1 10V4000
Capito Fabio Velloso Freir 504')00
L)r. Muui:l Jos de AlmeiJa Per-
nambueo 504000
le Tracuuhem 504000
rnenle-cor 'nel Jeroovmo de -ouza
Leo raMOO I
Cominead-.dor Eduar 1 Antonio Borle 9i>t>
Joa iiiim Custodi 1 Duart'-di' Aznvedo 204 *0v
,0f. Beutu los ila (' 'i 1A)
Joaquim Xivi'r Carneiro 1 La
crda 20400o
I>. Autoni Luiz dp M.-110 Vieira 204OOJ
Ur \ut 1110 Veuancjo Cav. i .uto do
Albuqerqu 204000
Jos Elrut^rio de Azevedo 204000
,Or. Julio Olndnald 1 Monti-iro L),ms 204''.(;0
CJioii'i Ernesto M-ichido Freir Pe-
reira da Silva 2000,i
Augusto Frelf'rico de Oliveira 204 00
Antonio J iio de \\a Win 2040OI
J suh Kr.use 2040.10
Tent'nte-c r niel Pedro Osorio de
Serqutrira 2 400^
ustio Antonio do R^go Barros 204000
Augusto Pinto de Lemo 2O400O
Somma total 2:8274000
Os encarreradoe da arrecadaco e despeina :
Jos Francisco de G es Cavalcante
Daro Cavalcante do Reg AHJuquerque.
Joaquim Pires da Silva.
Ass-iiiMa Legislativa das Alagoas
Tend a pnsidencia das Alagoas prorogadu por
30 di'as a actual sesso da assembla Legislativa
Provincial a15m de dar tempo a que sejam decre-
tados os ore imentos provincial e municipal e fi-
xsdi a torQa p ilicial, delibiraram os membrus
d'aquella corp ira^o renunciar o subsidio a que
haviam dirito durante o praso da proroga^o.
Parece-nos este o primeiro facto d tal natureza
e o ira ** registrado como te*>temanho de dedi-
cacao sos interesses da i>rovincia.
Gazetilha do Jornal do Commercio da corte, de
e Julho de 1886.)
_ __
A rainha de t 'das as aguas para o toucador a
Agua Florida de Barry. to deliciosa
mente i-xquisita, de tra^rincia to suave e aroma-
ii(- todava to refrescante e fortalesente que
reanima o corp) debilitado e communica vigor e
-xacti lo ao espirito sobrecarregado e enfraqneci-
.11. E' a nica agua floral propria para usarse no
banh 1 e 'io toueador; todas as outras nao pastam
'le fraea' 'mitayo deste grande'perfume. A
tins F'orlda de Jlatrrj- to superior a
otros rticos sob' o nome de florida ja-
mis ff recidos venJ 1, que urna vez conhecida
exdue p*ra sempre a todos os outros. L i-
t ". loixe-s cjitvencer, experimente a t E' s o
q ie pedimos
Agua de Florida Horrar Lanman
i ie os poetas embora fallem dosare* odorife
r, di balsmica Arabia, porni a pesar de tudo
u ie s.- muit'i oem prem duvida se jamis algum
dios fl escentes bosques de cannelleiras on la-
r..nji .- pr 1 luziram ou derramarlo! incens e per-
mu na.8 refrigerante e deleit.vel, 3o que aquel-
le d licioso delfcalo aroma que exhala e dinian-
desta admiravel essen'cia) colhid dos campos Vira
Medico, parleiro e operador
Residencia A ra da Imperatriz n. 48, 2.- andar.
Consultorio ra Duque de Caxias n. 59.
D consultas das 11 horas da manha s 2 da
tarde.
Attende para 93 chamados telephone n. 449 a
qualquer hora.
Clrurgi dentista
Patricio Moreira
Consultas e dperacoes, das 10 horas da mauh
s 4 da^tarde.
RA DUQUE DE CAXIAS
N. 57, 1" andar.
Dr. Gerpia Me
mu ico
Tem o seu escriptOrii) a ra do Mrquez d
)linda n. 53 das 12 As 2 horas da tarde, e desta
hora em diante em sua residencia ra da Saa-
a Cruz n. 10. Especri|i.iaf<"9, ra>Iestla3 de Be-
horas e crian? as.
N. 9. A Emulsao de Scott fortifica a
desenvolve o systerna osseo e nervoso das
crianjas debis e rachiticas, e nSo ha nada
que possa se comparar este remedio tSi
agr idavel j reconstituinte para a cura das
doenc&s devidas a ra condijSo de sangue
e debilidade do crpt,.
Lefons de Franfais
Theorque et Pratique
Louis MoQtejrol
N. 53-RA DO HO.SPiaO-N. 5J
OCULISTA
O Dr. Barreto ampalo, medico oculis-
a, ex-ehefede cnica do Dr. do Weeker, d con-
sultas de 1 s 4 horas da Urde, na ra do Bario
da Victoria n. 45, 2 andar, excepto nos domingos
e dias santificados Residenciara do Riachaele
n..l7, canto da rna dos Pires.
Conullorio niedico-eirurgica %
O Dr. Estevo Cavalcante de Albuquerque oon-
cinna a dar consultso medico cirorgictfe, na' na
do Bom Jess n: 20,1 andar, de meio dia s A
horas da tarde. Parase demais eonsnlta e visi-
tas em saa residencia provisoria, nia da Aurora
n. f, l andar.
b. 1 ephoaicjs : do consaltorie 95 e residencia
126.
Especiaidades Partos, molestias de creacas,
Nd'ujltt e seus anuexos.

FMTUUI L



!
Diario de Pernambioutyuurta-fcira 14 de Julho de 886
Ao publico
r Oa abaixo assignados, tendo registrado e depo-
sitado as suas mareas ndustriaes e rtulos das
as preparaves na jante oammerciai do Rio de,
Janeiro de oon ruvdade coni u prescripcoes daa
lea do imperio do Brasil, declarara e participan)
ao* iuteressados, qae uno aicos proprieterias,
tem direito exclusivo de asar as marcas indus-
triaos rtulos relacionados com manufactura,
fabricaeo e veuda das s-gn; es preparabas ;
Agua de Florida de Murray e Laman.
Toniej Oriental.
Peitral de Anacahuite.
Pastlhaa Vermfugas de Kemp.
Oteo de fgado de bacalbo de Lanman & Kemj.
Emulso de oleo de figado de bacalbo com hy-
popbosphites, de Lanmam & Kemp.
Salsaparrilha de Bristol.
Extracto duplo de aveleira mgica de Bristol, e
ungento de aveleira mgica de Bristol,
e que, portento, perseguirio a todos os falsificado-
res ou imitadores das ditas marcas ndustriaes e
rtulos, procurando que sejam castigados com toda
a severidade da lei.
Tambem acautelamos o publico contra todos
aquelles que intentara substituir as noasas prepa
racoes cima mencionadas com artigos falsificados
que levam rtulos ou marcas industriaos que imi-
i as nossas.
Lanman & Kemp.
Recite, 8 de abril de 1886.Ribeiro.
E maisse nao continha em dito aeu despacho
pe* qual Mimo, eko e bei por intimada a suppli-
cada O. Mara Crcsceueir jarea de Albuqneqoe,
para que findo o praso de 30 das comparece
na primeira audiencia deste juiso para o fim re-
querido na petico cima transcripta.
E para que chegut a noticia a todos mandoi
passar o presente edital, qae era afixado no lugar
do costume e publicado p la imprensa.
Dado e paseado nesta cidade do Recife, aos 9
dias do mea de abril de 1886.
Eu, Felicissimo de Asevedo Mello, escrivio, o
fia escrever e subscrevi.
Becife, 9 de abril de 1886.
Joaquxm da Corta Ribeiro.
Edital n. 73
De ordem do inspector geral, f fessora Mirandolina Borges Pestaa, da cadeira
de Serra Verde, que fie 1 he marcado o pr so de
15 dias para responder sobre o abandono de sua
cadeira, visto ter deixado de reassumil-i depois
de finda a licrnc obtida e liaver decorrido mais
de seis meses fra do ejercicio della.
Secretaria da instrueco publica de Pernam-
buco, 2 de Julho de 1886.^=0 secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvao.
Licor depurativo vegetal loriado
DO
Medico (ninteI la
Este notabissimo depurante que vem precedi-
do de to grande fama infallivel na cura de todas
as doencas syphiliticas, escrofulosas, rheumaticas
e de pelle, como tumores, ulceras, dores rheumat
cas, osteocopase nevralgicas, blennorrhagias agu-
das e chrouicas, cancros syphiliticoe, inflamma
coes visceraes, d'olhos, ouvidos, garganta, intes
tinos, etc., em todas as molestias de pelle, simples
ou diathericos, assim como na alopecia ou qa.-da
do i-Hueiio, e as doencas determinadas per satu-
raca mercurial. Dio-se gratis folhetos onde se
encentrara numerosas experiencias feitas eom este
especifico nos hospitaes pblicos e muitos uttesta-
dos de mdicos e documentos particulares. Paz-se
descont para revender.
Deposito em casa de Para Sobrinos & C.
Ra do. Mrquez de Olinda n. 41.
Edital n. 3
CawIM a Gnu
De ordera da Resp. Ir. Ven. convido a
todos os OObr.'. da ooaea. Aeg. Off.'. para
compareeerem a' ama seseie de flnancas, qae ter
lugar na quinte-feira prxima, 15 do crrante, id
7 eras ia o te ; devendo todos- os Ilf. apre-
sen tarem se quites em suas contri bu ices, sob
pena de nao poderem votar, conforme determinara
osRReg.-. GGer.. daOrd. .
O secr. .
M. Gomes da Silva18 .
EDITAES
Manoel Martins Fiuza, official da imperial ordem
da Rasa, teuente-eoronel comraandante do 2
batalho de infantina, commandante superior
uterino c presidente do couselho de reviste da
guarda nacional da comarca do Recife, em vir-
tude da lei, etc.
Paco saber a qnem utoressar possa, que de
conformidade com o que preceituam as instruc-
c5es n. 722, de 25 de outubro de 1850, regularaen-
to n. L.IBV, de 12 de Marco do 1853, e a lei n.
2,395, de 1 de setembro do 1873, reunir- se-h*. o
conseiho de reviste da guarda nacional desta co-
marca, na terceira dowinga (da 18) do corrate
mez, pelas 9 horas da manh, no paco da cmara
municipal.
Os novos documentos e pravas que as partes in
tresnadas quizerera produzir, na forma do i rt.
47 das ditas instruccoes, s poderao ser apresen -
tad. s ao mejrno conseiho at o primeiro dia de
sua rcuniao.
E para que chegue ao conbecimrnto de todos,
mande i fazer o presente edital, que ser affixado
nos lugares ma3 pblicos desta capitel e publica-
do pela imprensa.
Eu, Joaquim Francisco de Morae?, major ajo-
rante de urden*, servindo de secretario geni, o
eecrevi.
Recife, 11 de Julho de 1886.
Manoel Martina Finia.
Amonio Marques Correia, juiz de paz do
Io anne, da parochia de Salvador da
S de Olinda, em virtuda 'ia lei, etc.
Faco saber a todos os eleitores d'esta parochia
ase, deconfunnidade com oarL 189 do Dec. n.
8,213 de 13 de Agosto de 1881, acha,-se designado
dia 12 de Agosto, prximo futuro, para eleico
de deputado Assembla Geral Legislativa por
este 3* dutricto eleitoral, em viriude da vaga exis-
tente pelo fallecimento do Dr. Antouio Francisco
Correia do Araujo.
Convoco, psis, os mesmos eleitores 4 compare-
oerera no paco da Cmara Municipal, s 9 horas
da manh do referido da, afim de darem os seus
votos, observadas as disposicoes dos arts. 140
145 do citado decreto.
Parochia de g. Salvador da S de Olinda, 12 de
Julho de 1886.
Eu, Antonio Marques da Silva Mangninho, es
ervo de paz, o eserevi.
Antonio Marques Correia.
O Dr. Hermogenea Scrates Tavares de
Vasconcellos, juiz de direito de orphaoa
e ausentes da comarca de Olinda por
Sua Magestade o Imperador, a quera
Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital viiem e
d'elle noticia ti verem, que no dia. 15 do corrente,
s. 1 hora da tarde, depois da audieocia, o porteiro
interino dos auditorios, levar a publico piego
de venda e arremataco, a quera mais dr e me-
Ihor lauco offorecer, com scundo abate de 10 /
da respectiva avaliaeo : Urna casa terrea de pe
dra e cal, n. 3, roa do Amparo d'esta cidade,
Com 3 janellas e urna porte ds trente, corredor in-
dependente, duas salas, tres quartos, urna dispensa,
coeinha fra, quintal murado com portio e u te-
Ibeiro, em muito bom estado de conservaco, ava-
liada em 2:500/000 por 2:025*000, a qual vai a
praca de conformidade com o despacho no reqne-
rimento de Caerana de Olinda Silva Nones, ere-
dora do finado professor Joo Ferreira ds Men-
donca, cujo espolio pertence dita cas.
E para que chegue ao conbecimento de todos
mandei passar o presente, qse ser affixado no lu-
gar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado n'esta cidade de Olinda, no 1
de Julho de 1886.
Eu, bacharel Francisco Lins Caldas, escrivo, o
subscrevi.
Hermogenes Scrates Tavares de Vatconceos.
Edital n. 1
Do ordem do IUm. Sr. Dr. inspector, feco pu-
blico que tem de realisar-se e emprestimo autori-
sado pela lei n. 1868 de 15 de Maio ultimo por
emissio ao par do apolices de 7 0/0 ; e por isso
convida-se aos senhores que queiram tomar as
mesiiias apolices a fazerem-no desde ja, recolheu-
do as re.-pectivwa importancias.
Sdcreteria do Tbesouro Provincial ide Pernanv-
buco, 5 de Julho de 1386. Servindo de secre-
tario,
Liniolpbo Campello.
O Dr. Joaquim da Costa Kibeiro, aiz de direito
do civel desta cidade do Recite, e sen termo,
capital da provincia de Peruambuco por Sua
Mageatade Imperial e Constitucin. 1 o Sr. D.
Pedro II a quero Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia tivere-n que par parte da gante Casa
de Misericordia de Lisboa me foi dirigida a pe-
ticao ds theor segninte :
Ilnn. e Exm Sr. Dr. juiz de direito do civul.
Diz h Santa Casa de Misericordia de Lisboa que
tendj uetido sentenca contra D. Mtria Crescencia
Soares de Albuquerque, usufructuaria da casado
Beccu Largo, da qual e proprietaria a supplican-
te, como prova com a carta de sentenca junte,
Tem requerer a V. Exc. pata mandar citar por
editaes a dita usufructuaria, visto como acha-se
ausente em lugar inoerto, com j foi justificado
no iiicio da aeco, cuja execucao a supplicaote
trata de effectuar, para que na primeira audien-
cia deste juizo, depois de decorndo o praso legal
dos editaes, veuha louvar se em perito que com o
spresentado pela exequente verifique a necessi-
dade dos reparos na referida casa e arbitre e eus-
to du9 mesmos, afim de serena sequestradon, ai-
recadadjs e pastos em deposito os rendimentos do
predi at que seeffectae o pagamento das obras
e das coslae em que que foi uondemnado a esees
teda sob pena, de revelia.
Pede deferiai.-nto. E R. M.
te, 7 de abril de 1*86. -Arthur Orlando
Es( .va sellada na torma da lei com nasa estas*-
pilhi de 200 re. rocularmente inutiluada.
E mais se nao continha em dita p:ticao ca uua
profer o segsste despacho :
Como rej
De ordem do 111ra. Sr. Dr. inspector, faco pu-
blico que no dia 16 do corrente prnzipiar o pa-
gamento dos juros das apolices proviuciaes rela-
tivos ao semestre findo em Junbo ultimo.
Secretaria do Thesouro Provincial de Peruam-
buco, em 9 do Julhj de 1886.
L. Campello.
O deseiubargador Jos Manoel de Freitas,
juiz dos feitos Ha fazenda dcata provin-
cia de Poroarnbuco.
Faco saber aos que o presente viiem que em
prsca publica deste juizo, de 16 do corrento mez,
se ha de arrematar por venda a quera mais der.
Urna casa do tijollo e cal, com 2 janellas e 1
porCa de frente, 6 janellas no oito do puente e 4
no oitao do nascente tendo 2 salas, 3 quartos, me
dindo de frente 10 metros e 1 centmetro e de
fundo 19 metros ; bastante arruinada com Darte
do telhado desabado e edificada em um terreno
que mede de frente 241 metros e 2U centmetros e
com os fundos alem dos mangues ah existentes
di .idindo ao norte com trras de Francisco Ro-
drigues Cardoso, e pelo sul com o sitio denomina-
do Fazenda ; pelo nascente com trras do Pena e
pelo poenfe com antiga estrada do sul ; divieorias
estas tiradas de wna escriptura do referido sitio,
passsda pelo tabellio Silveira Lobo e que foi
apresentada no acto de prooeder-se a avaliaco
pelo inventeriante, afim de que servisse de base
para as presisas cuntrontacoes Tem no referido
te*reno que se preste bem para plantacocs muitos
pes de fructeiras, tees como, coqueiros, manguei
ras e coqueiros, avaliada por 3:000.
Cuja casa vai a praca a requerimento do inven-
teriante para recorrer as despezas e sello de he-
ranca do inventario dos bens que ficaram por fal-
lecimento de Jos Alexaodre Jos Santos e sua
mulher Isabel Francisca dos Santas.
E para que chegue ao conbecimento de todos
mandei passar o presente edital, que ser pu-
blicado pela imprensa c affixado no lugar do cos-
tume.
Dado e passado nesta cidade do Recite, aos 5
de Julho de 1886.
En Jos Lomos da Coste Rocha, escr vao inte-
rino o subscrevi.
Jos Manoel de Freitas.
ODr. Adelino Antonio de Luna Freir, ofi-
cial da Imperial Ordem da Rosa, com-
mendador da Real Ordem Militar Portu-
guesa de Nobbo Senhor Jess Christo,
e juiz de Direito privativo de orphilos e
ausentes nesta comarca do Recife e seu
termo, por S. M. Imperial e Constitu-
cional o Sr. D. Pedro II, a quein Dsus
guarde, etc.
Paco saber aos que o presente edital virem ou
delle tverem noticia, que, na audiencia ds 20 de
Julho do corrente aono, na respectiva sala das
audiencias iro a praca, a qaem miis der, ser-
vindo de base o abato de 10 por cent da lei, os
bens segniotes :
Tres quartas partes de sitio e casa em terreno
proprio, sob n. 8, estrada de Joo de Barros, fre-
gueza da Graca, com 5 quartos, 2 salas, cosinba
tora e cacimba de agua potavel, e a sitio eom di-
versos arvoredos de tracto, cDm 1,145 palmos de
trentejpara a mesma estrada, inclusive o direito
adquirido por escriptnra privada de Ia de Junho
de 1876, a meiaco do muro e oitao da Cksa con-
tigua do lado do poeote ra de Nunes Machado
pertencente a Antonio Jos de Souza e outr'or
de Manoel da Costa MangericSo, no valor de
2:616JO0Q.
A parto de torras no lugar denominado Dous
Bracos na Barra ds Areia e Rio das Inhumas da
Lage do Canhoto, comarca da Imperatriz, provin-
cia das Alagas, no valor de 243*000.
E para constar mandei passar o presente, qse
ser publicado pela imprensa e affixado no lugar
do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 5
de Julho de 18o6.
En, Olsvo Antonio Ferreira, escrivo, o fis es-
crever e subscrevo.
Adelino Antonio de Luna Fren.
O Dr. T.homaz Garepa Prannos Monte-
negro- comirendador da imperial Ordem
da Rosa e juiz de direito especial do
comraarcio d esta cidade do Reoife, oa-
pital da provincia de Peraambuco por
Sua Magestade o Imperador a quem Deus
Guarde, etc.
Faz saber aos qas o presento-sdital virem ou
delle tverem noticia, que se acha designado o dia
16 do corrente mes, as 11 horas di manh, na sala
das audiencias, para ter lagar a prestecao de eos-
tes dos administradores da massa fallida de Mo-
raes & Bocha.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandou passar o presente edital, pelo qsal seu
tbeor convoca os credores da referida massa & com-
pareceris no logar, dia e boca designados para o
fim cima mencionado. O presente ser publicado
pela imprensa e outro de igual theor affixado no
lagar do costume, de que se juntar certido aos
autos.
Dtdo o passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 7 dias do mez ds> Julho do armo de
Nosso Senhor de 1886.
Eu, Jos Fraaklia de Aleacar Lima, o subs-
crevi.
Thomaz Oarcez Paranhos Montenegro.
!^
BECLARACffES
Club Internacional de
Regatas
Bilhctes para a regate
Os socios deste club podero mandsr buscar os
seus bitbetes para a regata de 18 do correte, na
ra d i isconde de Itapurica n. 8, todos os dias
das 10 horas da manh s 3 da tarde, sendo que
na vespea da regate o restante dos bilhetes se
distribuir na s le do club, das 7 s 9 da noite.
Recite, 13 de Julbo de 1886.
Joaquim Alves da Fonseca,
1- secretario.
Obras publicas
De ordem do IUm. Sr. Dr. engenhcro chefe,
faco publico que no dia 3 do mez prximo vindou-
r<, ao meio oa, recebe se nesta secretaria pro-
pestas para a execucao dos reparos do acude de
S. Bento, oreados em 2:243*868.
O orcamento e mais coudico.s do contrato se
aehajn disposico dos senhores pretendentes,
para seeem examinad es.
Secretaria da reparticao das obras publicas de
Pernambaco, em 12 de Julho de 1886.
O secretario,
Joo Joaquim de Sy Varejo.
fcnco d Brasil
Paga-se o 65* dividendo na razio de 9{009 poi
acoo, ra do Coannercio n. 6, I andar, es
criptorio de Pereira Camairo 6t C.
decretarla da veneravel ordem tf r
celrav le N. S. la Carina do ecire,
9 de Jalho de 180ss
m viste do convite lo Revm. padre provincial
do convento do Carmo, e de ordem da respectiva
mesa regedora, acientifieo a tsdos os nossos ca-
rissimos rmos, afim de enoorporados, assistir-
raos nos dias 15 e 16 do cosrente mes, polas 6
horas da tarde, as vesperas, 6 no subsequente a
festa, Te-Deum e rasoura da Excelsa Padroeira ;
assim tambem no dia 20 a-festa e Te-Leum do
nosso patriareba Santo Elias.
O sscetero,
Adolphs Coelho Pnheiro.
Club Internacional de
Regatas
Venda de bilhetes
Previno ao publico que para a regata que este
club v i dar no dia 18 do corrente, na baca de
Santo Amaro, haver bilhetes que d entraa na
archibancada pelos seguintes precos : reservados
2*000, geraes 1*000.
Recife, 13 de Julho de 1886.
Joaquim A. da Fsnseca,
1" secretario.
Cha preto
As qualidades me-
lhores emais escolhi-
das neste genero, con-
tina a vendar Carlos
Sin de n, n. 48 ra do
Baro da Victoria.
Recebeu de iinpor-
taco directa e vende
mais barato do que em
outra qualquer parte.
Tambem vendemos
em caixas pequeas,
propriaspara botis e
casas de familia.
Conipanhia de dicacoes
O es criptorio desta
companhia acha-se in-
stallado na prac,a da
Concordia n. 9,conser-
vando-se aberto das 7
horas da manh s 5 da
tarde, em todos os dias
uteis.
Incumbe- sede cons-
trucQes e reeonstruc-
Qoes.
Recebe-se informa-
Qes acerca de terre-
nos na cidade e subur-
bios, e a respeito dos
quaes queiram os res-
pectivos donos fazer
negocio.
No mesmo-escripto-
rio se enconraro as
amostras dos produc-
tos da otaria mechani-
ca do Taquary, pro-
priedade da esmma
companhia.
Obras' Publicas
Ds ordem ds Illa. Sr. engeaheiro director da
reparticao das obrss publicas, faos publico que
em viste da autorisacs do Esa. Sr. vce-presi
dente da- provincia, recebe-se no dia 15 do cor-
rente, ao meio dia, propostas esa cartas fechadas
para a execucao dos repelos algentes da cadeia
da'villa de lguarass, oreados em 1:640.
O orcamento e mais condifes do contrato se
achato disposico dos senhores pretendentes, pa-
ra seren examinados.
SecreteTH da Reparticao das Obras Publicas,! 8
Jslho de 1886.Oseorstario,.
Joo Jtaquim de Siestirs Vrej&o.
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Srvaiajor disector, distribue
se costaras nos dias 12, 13 e 14 do corrente mez,
s costureras de ns. 1 50, de conformidade eom
os annuneioB anteriores.
Seccao de costuras do arstnal de guerra de
Pernambucn, 10 de Julbo de 1886.
Flix Antonio de Alcntara,
Alteres adjunto
Thesouraria de Fazenda
De ordem do Illa. 8r. Mspeetor, pnbHeo para
conbecimento dos iotoreasados, a relaco abaixo
de devidas des exeroicios ndos mandadas pagar
pela ordem do Thesouro- n. 134 de 22 de Junho
ultimo.
RelacSo dos credores constantes dos officios da
Thesouraria de Pernambuco as. 66, 112, 117 e
272 de 4 e 5 de Maio e 15 de Desembro de 1882,
e 19 de Marco de 1884, os quaes 7> ser pagos
pelo eredito concedido pelo decreto legislativa
n. 3,271 de 28 de Setembro de 1885 :
Ministerio do Imperio
Bacharel Francisco de Grouveia Cunha,
presidencias d* provincia
Ministerio da Marmka
Denuino Joao Marques, reformados
Manoel Fasstino Ferreira
Cmp.nhia de'Gas
Wiberto Barreto de SfeHo Reg
Ministerio da Guerra
Companhia de Beberibe
Companhia de Gaz
Carpinteiro, Filho & Sobrinho
Francisco Pinto de Magalhcs
Antonio Jos Mana do Reg
Mansel Mara de Hollanda Cavslcante
Agente da Enfermara
Jos dos Anjos, praca de pret
:;isiario Alves da Silva, dem idvm
Demetrio Herculano do Reg, idem
idem
Avelino Jos de t-ima
Manoel Figueiia de Faria
Empresa do Jornal do Recife
Estrada de ferro de S. Francisco
Guardeio do convento de S. Antonio
Gusamento da capilla do Ferte do
Bruta
Emygdio Francisco de Souza
Manoul Figueira de Faria se Filhos
Emygdio Francisco de Souza Maga-
lhes
Jos dos Anj^s, praca de pret
Silvestre Goches de ^ant'Aana
Jos dos Res Pereira
Jos Ja Silva Pessoa
Gaspar Fernandes de Albuquerque
Felppe Benicio de Castro e Silva
Companhia de Gaz
Ministerio da Fazenda
Leoncio Ribeiro Campos de Vasconcel-
600/000
139*14)
464401
31480
383479
276*000
498/600
220676
184S7t;
196340
57/980
13*40
20/XI75
2/585
39/676
146/000
35/100
82/080
16/0U0
150/000
45/400
16/000
88/800
85/700
10/065
802/879
365/645
13/780
34300
2/790
1/030
\
los
54/000
36/000
135/840
331/7110
Deodato A. de Gooveia
Manoel dos Santos Villaca
Francisco Manoel da Silva e C.
Contedoria da Thesouraria de Fazenda de Her-
nambuco, 12 de Julho de 1886.
O secretario,
Luiz Emygdio Pinheiro da Cmara.
Companhia
JO JC* JO JtTto X JO Jc
Nao se feudo reunido accionistas deste compa-
nhia em numero sofficieute para constituir a as-
sembl* geral ordinaria no dia y do corrente
mez, sao de novo convidados as senhores accio-
nistas para reunirem-se no dia 16 deste mez, ao
meio dia, afim de que toaba lugar a mencionada
assembla goral, a qual ter lugar com qualquer
que seja o numero des accionistas presentes, na
irma da le. A rcuniao no lugar do costume,
no escriptori.i desta companhia, ra do Impe-
rador n. 71.
Recife, 7 de Julho de 1886.
Cecliano Mamede Alves Ferreira,
Director gereute.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Dtrectrr secretario'
Sociedade Itenefi.-ejile Luso-Bra-
silcira
Asaembla geral
De ordem do Sr. presidente e a reqoerimeato
da directora, convido a todos os senhores socios
compareeerem a uiaa sesso ds assembla geral,
afi n de se traur de SHnrocios urgentisssos, de-
vendo ter lugar no na-15 do consol', s 6 horas
da tarde, na sede sMiel, rna.n>ra ds.Santa
Rita n. 5.
Sectetaria, 13 de Julho de 1886.
Caraeire Coate,.
Beeretaho.
*B i**
Companhia dos Iriihos urbanos do
Recife a Olinda e Beberibe
Dividen lo
Paga-se no escritorio da companhia o 23* di-
videndo, correspondente ao semestre de Janeiro
Junho, a aao de 8 0[0 desde hoje at o dia 17,
nos das uteis, das 9 horas da mauhS ao meio dia,
deste dia em diante todas as tercas e sabbados,
is mesmas horas. Pagam se igualmente os juros
das i.eces preferenciaes e das aceoes obrigato-
rias, semdo estes vista.
/ 'orio da companhia, 7 de Julho de 1886.
O gerente,
A. Pereira Simos.
Obras Publicas
De ordem do Illm. Sr. Dr. eogenbero chefe da
reparticao das obras publicas, faco publico que,
em virtude da autonsaco do Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia, recebe-se ds secretaria des-
te reparticao, no da 15 de correute, ao meio dia,
propostas em cartas techadas para a execucao dos
reparos urgentes da cadeia da cidade de Caruar,
oreados em 2:188/.
O orcamento e mais conerjedes do cstrate su
acham disposico dos senhoses pretendentes
para serem examinados.
Secretaria da reparticao das Obras Publicas, 3
de Julbo de 1886.O secretorio.
Joo Joaquim de Siqueira Vut^jo
EMPREZA DO 6AZ
Pede-se aos Sent
tes consumiiiidores (pie
queiram fazer qualquer
comunicado ou reda-
mfc% seja' esteeifeL m
escriptorio desta empre-
sta ra do Impecadoi n
29, onde famtmmw&'
oeber? qualquer eonf
que queiram pagar.
0s micos cobradores
externos sao os Senhores
HermUlo Praoeisco Ro-
drigues Freir e Manoel
Antonio da Silva li
veira, e quando for pre-
ciso o Sr. Antonio Mar-
ins Car.valho.
Todos os recibos dessa
emppreza devero ser pas -
sadosemtloes(3trimba-
dos e firmados peto abai-
xo assig do sem o que
nao tero valor algum.
George WindsoT,
Obras Publicas
De ordem do Illm. Sr. Dr. director, faco psblico
que no dia 15 do corrente, ao meio dia, recebe ss
neste secretaria proposta em cartas fechadas e
competentemente selladas, para a exeeneSe das-
obras de reconstruccao (*a bomba da varzea de
Catende, na estrada da Victoria, ercada em------
2.-400/000.
O oreamsnte e mais coudicoes do contrato se
acham disposico dos ienhoree pretendentes.
Secretaria da reparti?aa das Obras Publicas de
Pernambaco, 6 de Julho de 1886.
O oficial secretario,
Jo/o Joafmim de] Siqueira YarejSa
Prolongamento da estrada de
ferro de Pernambaco e estra
da de ferro do Reeife Ca
ruar.
De ordem do IUm. Sr. director, faco publico que
at o da 15 do correte, ao meto- dia, no escripto-
rio cenital, ra de Antonio Carneiro n. 137, re-
cebem-se propos'.ss em esrte fechada para o for-
necmento dos seguintes objectos necessarios ao
almoxaritado deste reparticao ;
50 kilos de rame de cobre.
25 ditos de dito galvanisado.
25 ditos de dito de chamba.
25 ditos de ac em bexiga.
25 ala vaneas.
25 litros de alcool.
25 bonete.
10 brochas.
25 kilos do borracha esa lesool.
10 banderas imperiaes.
1 bomba americana.
10 bacas de estanto.
30 borrachas de Paber.
10 kilos de breu.
50 novcllos de barbante.
12 caivetes.
24 cadeiras americanas.
50 copos de vdro.
10 kilos de colla da Babia.
5 toneladas de carve de forja.
100 cadeados.
15 kilos de er.
400 kilos de canos de chumbo.
250 ditos de ditos de ferro.
5 carrinhos de mo.
10 caixas com colchetes.
6 capachos.
12 carretas.
4 cestas para papis.
600 kilos de cobre em lencol.
200 ditos de canos de barro de 0,30 e 0,40 de di-
metro.
20 kilos de chlorhydrato d'amoniaoo
5,000 enveloppes quadralos grandes, ropres
1,000 ditos pequeos, lisos.
5,000 ditos tetegraphicos, mareados.
3,000 ditos compridos, marcados.
12 escarradeiras de louoa branca.
10 espanadores.
15 kilos de estanto em vargas.
25 enxadas de seo de 2 1/2, 3 i 3 1/2 libras.
225 metros de estupm.
1,000 fulhas de mao de olra.
2,000 ditas de mappas de bilhetes.
2,000 ditas parareceitado trafego.
2.000 ditas para remesa* de dinheiro.
2,000 ditas para chefes de trem.
2.500 kiles de ferro ingles sortdo.
500 ditos de dito sueco.
1 folie.
25 fouces nacionaes.
5 kilos de gomma ara ica em caroso.
12 frascos cem ditas liquidas.
15 kilos de gomma lacea.
60metros de gachetas de linh'*.
1,000 kilos de graixa do Rio Grande.
5 jarras com terneira.
10jarr6es.
6 jarros de Iones.
50 caixas com kerosene.
6 dutias de lapis de borracha.
5 ditHS de ditos de duas coros.
12 citas de ditos de Paber ns. 2 e 8.
5 ditas de ditos graphicos.
ditas de lacre encarnad (pase).
12 limpadores de pennas.
5*0 folhas de lixa esmeril.
100 ditas de dita de papel.
J2 levas.
5 kilos de la para pavios.
120 limas murcas e outrae.
S lavatorios e seus pertaces.
5 kilos de lato em lencol.
5 livros registro em mercadorias.
15 ditos dito de bilhetes.
10 ditos de mao d'olra.
1: cylindros mata-borro.
6 mesas para escriptorio 6X3.
50 kilos de mialhar.
5 pios de nankiin.
25 mveis de bolba d'ar.
25 frasco; com oleo para apparelho.
750 litros de oleo de linhaea.
500 litros de oleo de mocte-.
800 litros de oleo de banha.
5 machados.
2 resmas de p -pe de linho branco.
16 ditas de dito amasso pautado fiutne.
12 ditas de dito official para ministro.
12 ditas de dito aknasso bom para impresso.
5 ditas de dito inferior.
12 picaretas.
12 pincea para copiadores.
100 kilos de pregos franceses.
15 pegadores de papel,
25 caixas com- penas Mallat e Perry.
10,000 meias folhas de papel oficia!.
2 prensas para copiadores.
"2,V) pavios.
12 libras da plvora.
50 resmas de papel almasso inferior
16 folhas de dito secante.
50 ditas de dito mata-borrao.
600 ditas de dito para embruihe.
15 ditas de dito oleado.
100 litros de pise.
50 quartinhas.
50 regoas- de borrachas.
12 ditas de madeira.
3 relogos.
15 libras de roxo Ierra.
6- raspadeiras.
5 caixas de sabenstes.
12 subsalentes mata-borro.
26 kilos de sabo.
7 ditos de rolla fraoecsa.
5 si netas.
26 frascos com tinte carain.
12 trados.
3 thesouraa.
24 toalbas.
5 trenas fiometalico.
25 garrafas com tinte prets.
15 ditas com dita de copiar.
12 tinteiros.
12 teloes de pasee de 1, 2* e-3 classe.
5 ditos para assiguaturas, em cartees.
50 vassouras de passava.
300 pilhs Lechanch.
150 metros de oleados para cortinas.
2 neios de cerdavo para preslh a
1 grosa de botes para coninas.
1 meio de selle iaajteze.
6 livros de entradas e sahidas.
lOO-ps -fundidos pasa beos (de fsrrs).
30 lampooes para earros.
10 meios de sola nacional para mangueiras.
20 litros de aseite de peixe.
10 kilos de rebites.de cobre com arrsellas.
Os cbjectos serio de 1 qualidade e entregues
convenientemente acondicionados no almoxari-
fado na estacao das Cinco Pontes eu as oficinas
da estrada de ferro do Recite a Caruar, conforme
as exigencias do servico.
Os Srs. prepenentes devere acompanhar suas
propostas das respectivas amostras, condicao es-
sencial para serem aceites.
Neste escriptorio sero prestadas as informacoes
necessarias. As propostas serio abertes e lijas
no lugar, dia e hora cima indicados, na presenca
dos Srs. proponentes, que deverao sellal-as e as-
signalas, indicando s-as residencias.
O fornecimento poder ser ajustado com um s
pn ponente, ou parcialmente, conforme as vanta-
gens que cfferecer.
Secretaria do Proloagamento da Estrada de
Ferro do Recife a S. Francieco e Estrada de Ferro
do Recife Carui.ru, 2 de Julho de 1886.
O secretario,
Manoel Juvencio de Saboya.
Thesouraria de Fazenda
De ordem do Illm. Sr. inspector, face publico
qae perante a sessao da junta de IB do corrente,
se recebem propotti.s para o fornecimento de al
guns artigos que nao foram contratados,' e que se
tazem precisos ao nlmsxsrifado do presidio de
Fernando de Noronha.
A relacto desses artigos acha-se nesta repar-
ticao e ser mostrada aos preponentes.
Thesouraria de Paseada de J'ernambueo, 12 de
Junho de 1886. O secretario,
JosE. Pinheiro da Camera.
Obras do Porto e Geraes
De ordem do Illm. Sr. engenhero director inte-
rino da reparticao das obras da Couservaco dos
Portes, e Obras Geraes de Pernambaco, de con-
formidade eom a antorisacSo de S. Exc. o Sr. Dr.
vice presidente da provincia de 21 do mez o. p.
e na forma do art. 1 do Dec. n. 2926, de 14 de
Maio de 1862, e 18 do Dec. n. 2922, de 10 da
mesma, date do regulamento do Ministerio da Agri-
cultura, Coramercro e Obras Publicas, fazemoa
sciente, quem interessar possa, que no dia 15 do
corrento, ao meio dia, na mesma reparticao rece-
bem-se propostas para o fornecmeuto dorante o
semestre de Julho a Dezernbro do corrente anno,
dos seguintes objectos, e materiaes necessarios s
obras do porto, obras geraes, e obras da ponte
Buarque de Macedo:
Art. 1 Os proponentes devero apresenter as
suas propostas em carta fechada, e competente-
mente selladas, at a hora cima mencionada,
sendo que depois nao sero mais aceitas.
Art. 2 Os proponentes dever! o apresenter amos-
tras dos objectos propostos.
Art. .'i' As propost is devere ser teitas segun-
do o systema mtrico de pezos e medidas, descri-
mnando a qualidade e quantidade, conforme a rc-
lacao abaixo especificada.
Art. 4* Os f-.mecedores se obtigaro a fazer o
fornecimento a tempo e a hora, em que ibes ir
pedido, seb pena de pagarem 10 /o de multe sob
o valor do fornecimento, e de 20 % se ffectiva-
menre o n<*. fizerem.
Art. 5 Os fornecedores, sero obrigados a en-
tregar os objectos pedidos no Caes do Ramos, no
armazem de deposito, e ponte Buarque de Macedo,
mediante recibo, que ser passado pelos eoapre
gados competentes, na primeira va do pedido, a
qual acompanhar a conta, que dever ser tirada
mentalmente e entregue na reparticao at o da
15 do mez seguinte ao du fornecimento.
Art. 6o O carvo para as dragas e vapores ser
forneeido a bordo, da quantidade de 10 20 to-
neladas, em embarcacu d'essa arqueaco, compe-
tentemente verificadas.
Relac&o dos objeetos
Acido muriatico, litro.
Ac batido, kilo.
Dito dito ein verguinhn, idem.
Dito fundido, idem.
Dito dito em vergunha; idem.
Dito chato e eitavado, idem.
Dito bexiga, idem.
Agua raz, litro.
Alcatro, idem.
Almoola de folha de 1/2 a 5 litros, urna.
rame de cobre, kilo.
Dito de lati, idem.
Dito de ferro, idem.
Apito mecnico, um.
Azul ultramar, kilo.
Arrebem, peca.
Azeite doce, litro.
AzeiU de carrapato, idem.
Azeite de peixe, idem.
Aldrabas, urna.
Arruelas de borracha para tobo, kilo.
Aguilhao de trro, um.
Ancoreta de ferro urna.
Areia de fingir, metro cubico.
Alicate, um.
Alavanca de ferro, diversos tamanhos, idem.
Agulhade coser, grande em duzia, urna.
Randeirolas de madeira, idem.
Barril, um.
Barris pequeos, um.
Baldes do ferro, um.
Baca de louca, urna.
Bronze de ferro, um.
Baldes ferrados, dem.
Barra de gsi, idem.
Bandera nacional de 2 pannos, urna.
Balanca decimal, urna.
Borracha vulcanisada em lencol, kilo-
Bigornia, idem.
Breu, idem.
Brim, metro.
Brocha n. 8, urna-
Brocha pequea, urna.
Craveiro de ferro, um.
Chapo de ferro, urna.
JCardeneiro oe ferro, um.
Canoa, urna.
Caldeira de ferro para draga, um.
Ciscador de ferro, um.
Chave ingleza, urna.
Calderoes para verniz e alcatro, um.
Cavilhas, urna.
Correia de borracha, metro.
Cabo de linho, kilo.
Dito de manilha, idem.
Cadernaes brouzeadoa, pares.
Ditos ferrados, dem.
Cadeados de ferro, um.
Ditos de metees, um.
Caivete, um.
Colla da Baha, kilo.
Cadinhos, um.
Caetas, duzia.
Campa pequea, urna.
Calque em panno, metros
Dito em papel, peca.
Colheres de trado o.0135 a 0,0125 degroasors
a 0-0337, duzia.
Dita de rosca 0",0135 a o,0125de-grOsaBa
dem.
Chumbo em barra, kilo.
Dito em lancol, dem.
Caldeira sortida de derreter breo? idem.
Carvo Cardiff, dem.
Carvo para ferreiro, idem.
Dito New-Castle, idem.
Dito Cok, idem.
Cimento Portaaod ingles de marea Perassid, pese
lquido, idem.
Dito Romane V'asei, peso liquido, idem.
Dito infles marca Lee, peso liquide, idem.
Dito francez marca Demarte, peso liquido, dem.
Dito aliemo Vom Fels, peso liquido, idem.
Dito dito Zurme, eso lquido, idem.
Dito ioglez Helton, peso liquido, idem.
Dito dito Hemmoor, peso liquido, idem.
Cobre em barra, idem.
Dito em lencol, idem.
Dito para forro de canda, iiem.
Dito velho, idem.
Dito em vario, idem.
Correia ae sola inglesa lingera, metro.
Dita dita dita du orada, idem.
Corrente de Ierro, kilo.
Couro cr, um.
Cr, kilo.
Cravo ou rebite, idem.
Cantonera de ferro sortida, idem.
Cal prete, metro cubico.
Dita branca, idem.
Corvas de sicupira de differentes tamanhos, con-
forme a forma apresentada, urna.
Cavernas de dita verdadeira, com 3,60 de baste
e < m,138 de grussura, idem.
Caibros de qualidaie, metro.
Corda para andame, peca de 5 metros, urna.
Cano de chumbo, metra ou kilo.
Dito de barr de diversos dimetros, um.
Cera amarella, kilo.
Cepo de ferro, bate estaca, um
Candieiro, dem.
Cabo de cairo, kilo.
Carrete de ferro, urna.
i'arr nhos de mo, um.
Correia ds barracha de diversos tamanhos, metro.
Dsbradhes de ferro, par.
Ditas de metal, idem.
Ditas de cruz, idem.
Enchadas, urna.
Escova ingleza, dem.
Ditas para t.-bo, idem.
Encapota de ferro, idem.
Escala de madeira, dem.
Escali de marfim, dem.
Estanho em vergunha, kilo.
Escopeiro, um.
Esldpa dealgodi", kilo.
Diti de linho, idem.
Escov para limpar maetnaj urna.
Eucb'saebn, um.
Est' es de emberiba prets, am.
Estopa deemberibs, kilo.



Diario de PernambucoCuarta-feira 14 de Julho de I3E6
cham* de sicupira verdadeira com 6-.60 de
compr-m-nto e 0">,lo8 de groeaora, un.
Envelopes pequeos, eeiito.
Ditos para oficios, idem.
Feohndura,Jim.
Feltro, kilo.
Ferro ingle* sortido, kilo.
Dito em lencol, idem.
Dito ingles, mrca Somoor, idem.
Dit sueco em barra, idem.
Dito bruto para fundir, em.
Forqneta de trro urna.
Fio de algodo, kilo.
Dito de la, idem.
Dito de vela, idem.
Feriolho de ferro, um.
Fctecha, urna.
Garfo de ferro, um.
Graxa do Ro-Grande, kilo.
Gato de ferro inglez dobrado, um.
Jangadas urna.
Jarra de madeira ferrada, urna.
Janinho de K-uea para pena, um.
Lampean, um.
Lato em lencol, kilos.
Limas ingieras de 0,-15 a 0,-45, urna.
Dita triangular, urna-
Dita chata, urna.
Dita murca de 0,>15 a 0,-45, urna.
Limatao inglez de 0,-15 a 0n>45, um.
Linha de barca e sondagem, kilos.
Linha alcatroada, dem.
Lame de sicupira de differentes tamanhos, con-
forme a forma apresentada, urna.
Lisa de esmeril em panno, folha.
Dita de vidro de papel, idem.
Lona ingleza, metro.
Lapis de duas cores, duzia.
Dito Faber, idem.
Dito Gibert, idem.
Dito de borracha, idem.
Livro em branco, de papel almaco pautado de 50
a 200 folhas, um.
Dito em branco. papel Carr, de 50 a 200 folhas,
idoii.
Merlim, kilo.
Metal composicao em tolha, kilo.
Manga de vidro para lanterna submarina, una.
Mialhar branco, kilo.
Moitoes bronzeados, idem.
Machina para cerrar madeira, urna.
Moitoes forrados, kilos.
Mola para porta, urna.
Mira, nma.
Martello calcado de ac, um.
Nivel de bolha de ar, idem
lhar de latao, idem.
Oleo de linhaca, litro.
Fainas de coqueiro, cento.
Papello.-folha.
Parafusos de trro, duzia.
Ps de cabra, um.
Pipas para deposito d'agua, urna.
Parafusos de metal, duzias.
P db ferro patente de errado, urna.
Dita de ac, urna.
P preto, kilos.
Pranohoes de amarcllo, um.
Prancboes de pao carga, um.
Dito de louro, uro.
Ditos de pinno da Suecia, metro.
Ditos de pinho resinoso, idem.
Pregos de cobre batel, grandes e pequeos, kilo.
Ditos de zinco, idem.
Ditos de forro ds 0">, 10" a 0-, 20, idem.
Ditos caibraes, idem.
Ditos ripaes, idem.
Ditos de forro, batel grande a pequeo, dem.
Ditos francezes, idem.
Percas para atatrachar parafozos, idem.
Ditos de ferro de diversos tamanhos, idem.
Peonas Gauthier, caixa.
Ditas Perry, idem.
Ditas Falcon, n. 48, idem.
Ditas Mallat, idem.
Ditas finas para desenho, idem.
Presilhas de diversos tamanhos, idem.
Pililo de ferro, um.
Pastas de oleado, urna,
Pusaime, caiza.
Papel sem fim, preco.
Dito matta borrio, ful ha.
Papel almaco pautado, resma.
Dito rosado pautado, caixa.
Dito dito grande, resma.
Dito Carr, cento.
Dito Jes, idem.
Prussiato de potassa, kilo.
Prancho de o'ticica trancado, tendo 12 metros
de comprimento, 0ra,6 de largura e 0-075 de
grossura, um.
Piearta, urca.
Pregos de ferro fino, kilo
Ditos com armella galvanisada, idem.
Puxadores para gaveta de pao ou metal, duzia.
Pao de jangada, um.
Patesea, nma.
Passador de ferro, um.
Pedra bruta granito, metro.
Quartiuha de barro, urna.
Quartolla ferrada, idem.
Quiry para cabo, um.
Remo de faia, metro.
Raspa de ferro, urna.
Rxo trra, kilo.
Raspadeira de cabo de'osso, nma.
Regoa de faia, idem.
Ripas de qualidade, com 5 metros de comprimen
to, duzia.
Rodalna para patesea ou de cademaes, urna.
Rebolo de pedra com caixa de ferro, um.
Rodete de ferro, idem.
Regulador, dem.
Saceos vasios, idem.
Sapatilha, ama.
Serrafit. metro.
Serrotao, um.
Seccante feses de ouro, kilo.
Seccante de zinco, kilo.
Safra de ferro, urna.
Sola ingleza, meio.
Sineta de bronze, urna.
Serra circular, idm.
Tezoura, idem.
Trilhos de ferro, kilo.
Tezoura de funileiro, urna.
Timpano, um.
COMMERCIO
Bolsa coinanitrclal de Pernara
bnco
RECIPE, 13 DE JULHO T>E 18S.
As troa horas da tarde
t-otace* ojiciae
Cambio sobre Londres, 90 djv. 20 5/8 d. por
1*1)00, do banco.
Dito sobre dito, vista, 20 3[8 d. por 1/000,
do banco.
Descont de letras, 7 0/0 ao anno.
O presidente,
Pedro Jos Pinto.
O secretario,
Candido C. G. Alcoforado.
\\v.NI)i.\iUNTOS PBLICOS
Mes de Julho de 1886
ALFANDEGA
RsKDA OWttL
De 2 a 12
dem 13
Rbupa raoviaciAi.
De 2 a 12
de 13
Total
105:7734043
lli6G8*182
17:476*829
1:408*105
RaCEBIDOBIA 1->'
13
2 a 12
117:381*2*5
18:884*934
.136:26S*159
9:799*741
479*479
. PaovorciAt. -De 2 a 12
do 13
10:279*220
99:243*613
1:006/981
CxF> DRATAOB
dem de 13
-Pe 2 a 12
100:250*594
6:663*448
376*663
7:040*101
Talba, urna.
Taboas de amarello, de 0-, 0135 e0,0125de
crssarf, nma.
Ditas de po carga de 0-025 de grossura, idem.
Dita de pinho da Suecia, idem.
Dita de pinho resinoso, idem.
Dita de louro, idem.
Dita de sedro, idem.
Tapete para escalieres, metro.
Taxa de cobre, kilo.
Taza de bomba, kilo.
Tijolo iuglea, um,
dem de fogo, idem.
dem de alvenaiia batida, milheiro.
dem de al venara grossa, dem.
Tinta branca di zinco em maca, kilo.
dem verde em maca, idem.
dem preta Stepheer, botija.
dem carmim, frasco.
Trave de sicupira veiiadeira, metro.
Trena de fita, urna.
dem de ac, idem.
Trados de diversos tamanhos, um.
Trave de emberiba preta, metro.
Trinca I, ki.o.
Tubo de vidro para o nivel d'agua, um.
dem de latao para caldeiras, kilo.
Tarrachas diversas, urna.
Tinteiros de vidrus, idem.
1 elhas de barro curvas nacionaes, milheiro.
dem T rneira de bronze diversas, urna.
Tecido de rame de qnaiidade e dimenses, kilo.
Traveta de 7 metros, moa.
Tijolo francez, milheiro on um.
Tecido de rame de latao, metro.
Tornos de ferro para bancada, um.
Vlvula de bronze de mola e de tamanhos diver-
sos, urna.
V*ssoura de Timb, idem.
Verrutna de diversos tamanhos idem.
Vasssoura de piassava, idem.
Vara para canda, idem.
V*erde francez, kilo.
Vermelho, idem.
Verde chromo, litro.
Vcrgonfea de pinho, urna.
Zarcito iuglez, litro.
Zinco em folha, urna.
Reparticao das Obras do Porto e Obras Geraes
de Pernambuco, em 10 de Julho de 1886.
O Io escripturario,
Manotl Duerte Pereira.
O escripturario das Obras Geraes,
Joaquim fe Medeiro* Raposo.
0. C JE*
Club Commereial Balerpe *
Sarao em 31 do corrente
Nesta noite teri lugar o sarao deste mpz. Os
senbores socios podero dar suas notas de convi-
tes na secretaria deste club, das 7 s 10 horas
da noite.
Secretaria da Club Commercial Euterpe, 7 de
Julho de 1886.O 1- secretario,
Francisco Lima
Preparados
DA
MiLTIN IMPAOTU C.
LONDRES
Oleo de ligado de bncalbfto c leite
pepitonMiido
Esta preparaco tan saborosa que urna crian-
za promptamente a toma.
0 leite digerido tem a propriedade de quasi n-
teiramente disfarcar o oleo e as pssoas de diges-
tao maia dbil podern tomar sem receio.
PeptotioldeN de Carne
Um alimento iifog.'noso composto de consti
tniuus solides de leite bero como gluten do trigo
(livrt' de gomiua).
ReCoinuiendado nas convalcsucncas de qualquer
doenca, uffeceo'- pulmonares, febres, pneumonas,
ga.itrite, dysenteria e totla e qualquer debilidade
seja qual tor a suaorigem.
Mallina
Um extracto concentrado de trigo, avea e ceva-
da fermentados.
Valor diastasico 30 vezes o seu proprio peso !
U mais rico agente restaurador at hoje con lie -
cido, alt mente apreeiavel nos casos de debilidade.
Alimento Nouluicl de riirnlrk para
crianca*
A analyse deste alimento demonstra que os seus
cjnatiruintes uutrictivos sao quasi idnticos com o
leite materno, por uto o alimento mais aperfei-
coado para crianca.
Foruecein amostras gratis aos Srs. mdicos.
Deposito ra do Bario da Victori n. 48
(JoMPANHIA
Imperial
DE
SEGURO contra FOOO
EST: 1803
Edificio* t mercadoriai
Taxa baixai
Prompto pagamento de prejuizos
CAPITAL
Ra. 16,000:000*000
Agente*
BRO WNS & C.
5 N. Ra do Commercio N. 5
\ p si_________
lie Lisboa
AGENTE
Miguel Jos Altes
N. 7-RA DO BOM JESS-N. 7
Seguro* marlfimoM e terrentre
ettes ltimos a nica companhia nesta praca
que concede aos Srs. seguradla isempcao de paga
ment de premio em cada stimo anno, o qne
equivale ao descont de cerca de 15 por cento em
avor dos segurados.
"iMPAfflADESEGEOS
CONTRA FOCO
Nortb British k Mercanle
CAPITAL
COOO.OOO de libras Merlinas
A GEN ES,
AdomsonHowie & C.
Londoa and Brasilina Bank
Limited
Ra do Commeron n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as ca
zas do mesmo anco em Portugal, sendo
m Lisboa, ra dos Capellistas n 75 N-
Porto, ra dos Inglezes.
CONTRA FOGO
he Liverpool & Londoo Glo
INSIRRAME COHPANY
(iompanliia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Estahelcida em 1 s55
CAPITAL 1,000:000^
SINISTROS PAGOS
At 31 de dezembro de *hs
Martimos..... 1,110:000^000
Terrestres,. 3I6:000$000
44-Ra do Commerelo
SEGUROS
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenix Per-
nambncana
Ruado Commercio n. 8
iniieil Slates k Brasil Hall S. S. C.
O vapor A.dvance
E' esperado dos porros do
sul at o dia 15 de Julho
depois da demora necessaria
seguir para
flaranho, Para. Barbados, S.
Thomaz e Xew-Vork
Para carca, passagens e encouimendaa e dinbei-
ro a frete tracta-se com os
AGENTES
O paquete Finalice
Es pera-se de New-Port
News, at o dia 23 de Julho
o qual seguir depois da de-
mora necessaria para a
Baha e Rio de lanelro
Fura carga, passagens, eiicounui-udas e dinheir i
frete, tracta-se com os
AGENTES
Ilenrv Forster & 0.
RA DO eoMtoJUtlO. N 8.
1' andar
w
DampfsehiMrts-GeselIschaft
O vapor Argentina
N. 8
i?K>PAi:aos dk BXPuKTAgAo
Em 12 de Julho de 188o
Para o exterior
tU bouve despacho.
Para o Interior
No patacho dinamarqus Mercurio, caire
gara i< :
Kara o Rio Grande do Sul, Araorim Irraiios &
C. 60 saceos com 4,500 kilos de assucar branco e
20 ditos com 1,500 ditos de dito mascavado ;
Baltar Irinaoi G. 50 espanadores de penna
No vapor nacional Para, carregou :
Para o Rio Grande do Sul, A. B Corris 70
cairas cajurubeba.
Para o Rio de Janeiro, A. B. Correi 30 caixas
cajurubeba.
Na barcaca Ligio, carregaram :
Para S. Miguel, Pernandes & Irmao 2 barricas
com 240 kilos de assucar branco.
MOVIMENTO DO PORTO
Dia 13 de Julho de 1886
N3o entrou era sahio navio algum.
VAPORES ESPERADOS
Para
EUx
Jokai
Delambre
Advanee
Marinho Viteonde
Cear
Jaciiypt
do norte
do sul
da Europa
de Liverpool
do sul
da Bahia
do sul
do sul
Ville de Pernambuco do sul
Cotopaxi
Ville de Victoria
Argentina
Ipojuca
Mando*
Finance
La Plata
Equateur
Bahia
Neva
Scholar
ho
boj
ho.
boje
itmanha
amanha
a 17
a 18
a 19
a 19
a 20
a 20
a 20
a 23
Com|iK-Lifa Kr.v llelra de X*vt
t&Ciioa Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor Cear
Commandante o.'tenente Ouilherme Pa-
checo
E' esperado dos portos do sul
at o dia 16 de Julho, e
seguir depois da demora in-
dispensavel, para os portoi
do norte at Manos.
Para carga, passagens, encommendaa valores
racta-se na agencia
11 Ra do Commercio11
Companhia Bahiana de navega-
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Bahia
O VAPOR
Marinho Visconde
Commandante J. J. Coelho
E' esperado dos norio* aci -
ma at o dia 15 de Jnlho
e regressar liara os mes-
mos, depois da demora do eos-
turne.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na agencia
7iua do Vigario 7
Domingos Alves Natheis
do sul
da Europa
de Hamburgo
do norte
do norte
de New-Port News a 23
da Europa a 24
do sul a 25
do sal a 26
do sal a 29
de Liverpool a 29
KOYAL HAIL STEAM PACkET
C01PANY
0 paquete Elbe
esperado
do sol no dia 14 de
Corrente seguinlo
'depois da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, vigo e Son-
thampton
Para passagens, fretes, etc., tracta-se com es
CONSIGNATARIOS
Adamson Ho wic & C.
Vapor austraco Jokai
Espera-se dos
_ portos da Europa
at o dia 14 de
Jnlho seguir
depois de pouca
demora para a
Bahia, Riode Janeiro e Santos
Recebe carga a frete mdico tractar com os
Consignatarios
JOHNSTON PATER & C.
Esperase de HAMBURGO,
via LISBOA, at o dia 16 do
corrente, seguindo depois da
demora necessaria para
Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
se com os
CONSIGNATARIOS
Borstelmann & C.
RUADO VIGARIO N.S
i* andar
CHARGEHS ES
Companhia Franceza de Xavega-
cio a Vapor
Linh quiuzenal entre o Havre, Lis
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
Staer Ville fie Victoria
' esperado da Europa at
<> dia 20 de Julho, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba
tala. Rio de Janeiro
e Dantos.
Roga-se aos Srs. importadores de carga p'loa
vapores desta lmlia,quciram apresentar dentro de 6
das a contar do da descarga das alvareng. i.-
quer reclamacito concernente a volumes, que po-
V'-ntuia tenham seguido para os portos do sul.afiu,
de se poderem dar a tempo aa providencias necea-
sarias.
Expirado o referido prase a companhia nlo se
responsabilisa por extravio*.
Keoebe carga, encommendas e passageir pars
es quaes tem ezcellentes accomodacoes.
AngustoF.deOivcirait.
42 -BIJA DO COMMERCIO ~4*
COHP.l\iIIL K BENNAlir;
RES maiutimkn
IJNHA MENSAL
0 paquete Equateur
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sul at o dit 25 do corrente,
seguindo, depois da demora
do coitump, para Bordeaux,
tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se fos senbores passageiros de todas
as classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que pudem tomar em qualquer tempo.
Fai-se abatimento de 15 0/o m favor das fa-
milias composta de 4 p>ssous ao menos e que pa
garem 4 pasfagens inteiras.
Por excepcao os criados de familias que toma-
rem bilhetes de proa, gosam tambem 'este abati-
mento.
Os vales postaes s se dio at e dia 23 pagos
de contado.
Para carga, piissagcns, encommendas e dinheir i
* frete: tracta-jc c "n o
AGENTE
Augnste Lab He
9 RA DO COMMERCJO-9
PatiDc Siean Paviplion ompany
STHAITS OF MAGELLAN LLNE
Paquete "otopaxi
Espera-se dos portos
do sul at o dia 19 de
Julhr, seguindo pa-
ra a Europa depois da
demora do costume.
Este paquete e os que dora
em diante seguireni tocaro em
Plymoulk, o que facilitar che-
jareui os passageiros com mab
brevidade a Londres.
Haver tambem abatimento no preco das pas-
sagens.
Para carga, passagens, e encommendas, tracta-
se com 08
AGENTES
Wllson Sons A C.. Limited
S. 14- RA DO COMMERCIO N. 14
Moreau, os movis e mais objecios existentes na
loja da ra da Imperatriz n. 24, do que prin-
cipiar pelos movis, em seguida p oficina, isto
Quarta-feira, 14 do correte.
O leilao piincipiar as 10 horas em ponto por
serem muitos os lotes.
Agente Pestaa
Leilao
De 30 grades com 75 Rusias de garrafas
com vinbo Collares e 81 oanastras com
rnaoncas de albos.
Quarta-feira, 14 do corrente
A'o 11 horas
No srmszem do Sr. Annos em frente a Alfan-
dega, e por conta u risco de quem perteneer.
Leilao
tilinta feir, 15 do corrente
A's 11 horas
Na ra Duque do Caxias n. 9
Urna mobilia de JHcarand, 1 cama franceza, 1
toillet, 1 mesa, 18 caderas avulsas, 1 marquoza, 1
marquezS, 1 cama para menino, 1 commoda, 2
consolos, 1 quartinheira, 1 cabide, 1 reU>gio de pa-
rede, quadros, jarros, talheree, colleres, 1 aparador,
. cadeiras de bataneo, 1 jarra e trena de cosinba.
T
LE1LUES
Quarta-feira 14, deve ter lugar o leilao de
bons movis, bancos e fi-rramentas da oficina de
marcinaria e entalhador da ra da Impcratric n.
24, bens perteocentes so espolio do finado Mo-
reau.
Sexta-feira 16, o de ferragens, miudezas,
frascos, ferramentta, balancas e muitos outros ar-
tigos que serao vendidos para fechamento de con-
tas e liquidacao do armazem da ra do Vigario
n. 31.
Leilao
de mobilias, guarda-louca, camas francezas, mar-
quezoes, aparadores, espelhos, mesas, loucas,
jarros e muitos outros objectos existentes no ar-
mazem da ra do Bom Jess r.49.
Quarta feira, 141 do corrente
A's 11 horas
POR INTERVENgAO DO AGENTE
Gusmo .
Agente Pestaa
LEILAO DE PREDIOS
lloui emprego de capital
Livre e desembarazado de todo e qualquer
onus
O agente Pestaa, decididamente, entregar
pelos maiores preces que puder obter, as casas
abaixo mencionadas :
Ra da Palma n. 11.Excellente casa terrea
rendendo 264S00O.
Ra de Lomas Valentinas n. 4.Casa terrea
com 2 sotas, rendendo 300*000.
Ra de Hortas n. 141, fabrica de licores.Casa
terrea em terreno proorio, rendendo 300*000.
Corredor do Bispo n. 18.Casa terrea, em ter-
reno proprio, rendendo 300*000.
Ra do Tambi n. 5Uina boa casa terrea, reo-
dendo 300*000.
Travesea de S. Jos n. 23 Casa terrea em ter
reno proprio. rendendo 30O0O.
Ra de Hortat n. 143.Casa terrea, pequea,
em terreno propri rendendo 168*000.
Ra do Visconde d Goymiua o. 107.Casa
terrea, em terreno proprio, rendando 300*0- 0-
E finalmente a cusa lerrea sita a roa do Rosa-
rio da Boa-Vista n. 11, onde se aclia localisada
urna ravernu, rendendo 300*000.
<|uiiitn tYirn, 15 do corrente
A'a 12 horas MD pouto
Em seu armazem ii ra do Vigai io Tenorio n.
12, onde se dar qualquer intormacao.

De dividas na impoitancia do l:267tJ00O
em 3 lettras aceitas pelo Sr. Bento Leite
Cavalcante de Albuqn<;rquu, perlencente
ao espolio de Jos Francisco de Salles.
Agente Brillo
0 agente acim, a mandado do Illm. Exm. Sr
Dr. juiz de ircito e da provedonn, em presenca c
a requerimento da ioventariante, vender as refe-
ridas dividas.
Qiinta-feira. 15 do corrente
IA' 1012 horas
Ra do Raogel n. 48
Grande Icii<>
De importantes movis, 1 excellente piano,
1 bonito espelhu oval, Iouga de porcelana
toa, crystaes o objectos de eletro-plate.
Constando de :
Um excellente piano forte, 1 cadeira para o
mesmo, 4 ps de vidro, 2 livros de msica, 1 solida
e elegante mobilia de jcarund, a Luiz XV. (com
pouco uso) tendo 12 cadeiras de gu:>ruicao, 4 ditas
de bracos, 1 sof, 2 consolos com tampo de mar-
more^l bonito es elho cval, 2 serpentinas de crys-
tal, 2 ricos pares do jarros para flores, 6 cadeiras
dt fantasa, 2 tapeti-B para sof, 5 ditos para por-
tas, l dito para cama, lanternas, 1 banca de ierro
e 3 I lincas para cortinados.
Urna importante orna franceza de jacarando, 1
toillet de dito com pedra, 1 lavatorio com pedra,
1 rica pjuaruicao para Uva>rio, diversos vasos e
jarros para toillet, 1 bonito guarda-vestidos de
amarcllo, 1 meia commoda, 2 cumas de amarello
para enancas, 2 cupu'as p*ra cama, 1 cabide de
columna e um guarda-rcupa com frente de esoelho.
Urna mesa elstica, de amarello, com 4 taboas,
1 guarda-louca, 2 aparadores de columna, 1 guar-
da-comida com p de columna, i guarda-prata de
amarello, 12 cadeiras de jauco, 2 ditas de bracos,
I 1 marqueza, 1 rico apparelbo de porcelana para
juntar, 1 dito para almoeo, 3 pares de compoteiras,
({arrufas para vinbo, copos, clices finos, 1 galhe-
teiro, 2 duzias de fallieres de electro-pate )ara
mesa, 2 duzias de ditos de dito para sobre mesa,
2 duzias de colherrs de dito pora sopa e 2 ditas
ditas para cb, 1 bonita salva de di'o, coocha de
dito para sopa, colher de dito para arroz, 2 taboas
e cava Ib tes para engoininado, 1 carrinho para
ciianca, 1 deposito paia gz, 2 latas para farinha,
1 mesa de cosinha, 1 trem de cozinha e outros
muitos i> ovis do aso de urna familia.
Qnlnta-fclra, 15 do corrente
A's 11 horas
No 2o andar do sobrado n. 84 da ra do
Barilo do Triurapbo,antiga ra do Bruto
O ageste Martins, autorisado pelo procurador
do Sr Jos Vicente Goncalves Turres, far leilao
dos movis e mais objectos existentes no referido
sobrado, os quaes se recommendam pelo apurado
gosto e ptimo estado de conservacSo.
Entrega en acto continuo
Quem quizer dar a qnantia de 100*000 qu
falta para a liberdade de um* escrava perfeita
engommadeira de roupa de bomsm e de sen hora, e
cosinheira de tazer qualquer jantar de possoas que
se traten), de conducta irreprenhensivel e seria,
dirjase a essa typographia, ou na ra do Mr-
quez do Herval n. 23, que achara com quem tra-
tar, ficando a escra/a sujeita por um contrato a
ervir at pagar a dita quantia a quem aem-
restar.
Na ra da Matriz da Boa-Vista n. 3, preci
sa-se de urna mulher de idade para cosinhar, para
ptquen* familia.
Vende-se a taverna da esquina da entrada
do Fuudo, em Bebenbe, faz-se todo negocio a
vontade do comprador : quem pretendel-a dirja-
se mesma.
Aluga-so o sitio do Pina, com_boa casa para
morada, contendo bastantes commodos para nu-
merosa familia, grande quantidade de coqueiros,
seis grandes viveiros, duas cacimbas com excellen-
te agua : a tratar no caes de Apollo n. 45.
Precisase de urna cosinheira para casa de
familia; a tratar na ra do Baro da Victoria
numero 39.
Urna familia honesta aluga outra de igua-
conducta a metade da casa da ra de Birtholameu
n. 61. e precisa-so de um menino para vende*
na ra.
= Precisa se de um horoein para tratar de tus
prqueno sitio i a tra:ar na estaca) da Jaqueira
sitio do Dr. Valenca.
Estoe m praca e serao vendidos, a quem mais
der na audiencia do Dr. juiz de orphaos desta oi-
dade de 20 do corrente, as 3 quartas partes da casa
e sitio n. 8 a estrada de Joao de Barros, tendo a
casa 5 quartos, 2 salas e cosinha fra, e o sitio 2
cacimbas da melhnr agua potavel, muitos arvore-
dos de f-ucto e 1145 palmos de frente para a mes-
ma estrada, onde ha terreno para larga edificacao
e at para retnlbar, e sabida para a ra de Nunes
Machado, onde ha tambem terreno para edificar,
e grande baixa para capim ou canna, e proporcoes
jara faz' r um viveiro, e finalmente direito a meia
acio d i muro e oitao visinhos.
Vender-s^-ha na mesma audiencia urna parte de
trras na comarca da Imperatriz di provincia das
Alagas.
Tudo por menos do seu justo valor.
i, LOU7s~LAVEN RE ensina francez, lec-
ciona em casa do discpulo ; sendo encontrado i
ra do Livrauento u. 12.
Precisa-se de um criado, daudo fianca de
sua conducta ; na ra da Florentina n. 36.
Na ra da Matriz da Boa-Vista n. 3, preci-
sa-se de criados para vendas de taboleiro, e qne
tenham boa conducta, aifuncada, d-se bom tra-
tamento _____________^^
Aluga-se o sobrado n. 3 no caes do Gazo-
metro, entre o mesmo gazometro c a estacSo de
Caruar, tem commodos para grande familia e
bom qnintal : a tratar com L. M. R. Valenca, no
mesmo lugar. _______
Precisa-ee de urna ama para cosinhar e
comprar : na ra da Imperatriz n. 41.
Vende-se
um predio na freguezia da ooa- Vista, com terre-
no ao ludo, com bastau',es fundos ; c na mesma
freguezia um estabelecimento de ni-"haJos com
pouco capital, s-rve para qualquer p incipiante :
para inf.iriflaooes, na passagem da Magdalena,
ra do Brmfca n. 31-A.
AMA
Precisa-se de urna ama para lavar, en-
gomar, e fazer mais nlguns servicos de
casa de familia na ra da Matriz da Boa-
Vista n. 9 se dir quem precisa.
Prreisa-se
de urna senhora de idade para fazer companhia a
nma pessoa e fazer algun servicos domsticos '
a tratar na ra Duque de Caxias n. 60-A.
|1
i
Leilao
Leilao
da armario de amarello, envidra$ada, fa
zendas, miudezas e 60 saceos com farinba.
NA LOJA N. 48 DA RA DO RANGEL
Agente Britto
|marta feira. 11 de lalho
A's 10 e meia horas
Leilao
De bons movis, novos, acabados e por
acabar, urna armaco, urna vitrina,
bancos, ferramentas, prensas e mais per-
teneces da offinina de marcineiro, entalha-
dor e torneiro.
Ra da Imperatriz n. 24
CONSTANDO DE :
Mobilias de Jacaranda, toileta, lavatorios, guarda
loucas, aparadores, secretarias, carteiras, etagers,
espitis, commodas com armarles, jarros e vasos
de madeira, cpulas, csixinhas, costuraras, porta,
msicas, sanefas, quadros, barmetros, berco de
jaoarand, poltronas, pedras marmores para con-
solos, mesas, e outros movis.
Um fiteiro, aruiacao, bancos e ferramentas
prensas e mais pertences da officina.
QUARTA-FEIRA, 14 DO CORRENTE
Na ra da Imperatriz n. 24
O agente Pinto levar leilao por mandado e
assistencia do Illm. ar. Dr.juiz de orphaos em vir-
tude de requerimento do testamenteiro e inventa-
riare dos bens deixados por Antonio Felippe
De mintieras, ferragens, ferramentas, balancas e
muitos outros artigos q e sero vendidos para
liquidacao do armazem u deposito da ra do Vi-
gario Tenorio n. 31.
CONSTANDO DE:
Balancas de 3 a 50 kilos, serras, nches, vasa-
dores, tenazes, colheres, les, batedores de ovos,
torquezes, bracos para balanca, facoes, thesouras,
plainas, galhoes, pannos para enfeitee de caixoes,
< rnamentos, objectos para casas mortuarias, bor-
das douradas e serras.
Botoes de linho, espelhos, fitas de seda, trancas
de caracol, bandejas, bicos, fraBJas e lencos.
Espoletas e fio e brabante.
Frascos para pbarmacia, capsulas para garra-
fas e frascos vasios de difivrentes tamanhos.
Sexta feira 16 do corrente
O agente Pinto fai leilao por conta e risco de
quem perteneer de 152 volumes com terragens,
miudezas, ferramentas, balancas, frascos e outros
muitos artigos existentes no armazem da ra do
Vigario n. 31, os quaes serao vendidos ae correr
do martello e sem reserva de precos.
0 leilao priucipiar as 10 1/2 horas, por serem
muitos e differentes os lotes.
ISA FELIZ
Aos4:000$000
t^rac.a da independen
cia ns. 37e 39
O abaixo assignado vendeu entre os seus
ilizcs bilhetes garantidos da 62a lotera
a sorte de 100$ em 4 quartos n. 1309,,
alm de outras muitas de 32(5,16(5 e 8(5.
Convida os possuidores a virem receber
sem descont algum.
Acham-se a yenda os feiizes bilhetes
garantidos da 63a parte da lotera a beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que se extrnhir no dia 15 de Julho.
Preeo
Hilhete inteiro 40000
Meio 20000
Quarto 10000
a porcio de oosooo par
eima
Bilhete inteiro 30500
Moio 10750
Quarto 875
utonio Augusto dos Sant** Porto.
AVISOS DIVERSOS
Aisga-ie urna casa e sitio na estrada de
Joao de Barros n. 6, junto a estacao do Espinhei-
ro, tendo agua e gaz encanados, e bein assim se
singa urna boa sala e um quarto tambem com
agua e gaz ; a tratar na ra nova de Santa Rita
n. 57, sebrado.
Aluga-se casas a 84000 no becco dos Coe-
Ihos, junto de S. Qoncallo : a tratar na ra da
Imperatriz n. 56.
ALUGa-SE a casa terrea n. 20 da ra do
Capit&o Antonio de Lima, com 2 salas, 3 quartos,
cosinha e quintal com cacimba : a tratar na ra
do Mrquez de Olinda n. 8.
Compra-se fios de linha para o hospital Pe-
dio II : na rna Formosa n. 4.
Precisa-se de nma ama para cosinhar e
fsser mais servicos de urna casa de pouca fami-
lia : na travesea da Praia do Forte n. 6.
cira!
Sem dieta esem modifi-
cacoes de eostiimes
Laboratorio central, ra do Viconde do
Rio-Branco n. 14
Esquina da ra do Reqente.Rio de
Janeiro
Especficos preparados pelo phar
maccuco Eugenio Marques
de Hollanda
Approvados pelas juntas de hygiene da Corte,
Repblicas do Prata e academia de industria de
Pariz.
Elixir de imbiribina
Restabelece os dyspepticos, facilita as diges-
toes e promove as ejecedes difficies.
Vinho de ananaz ferruginoso e quinado
Para os chloro-anemicos, debella a hj poemia
intertropical, rtconstitue os bydropicos e benbe-
ricos.
Xarope de flor de arueira e mutamba
Mnito recomm* ndado na bronchite, na hemop-
Sse e nas tosses agudas ou chronicas.
leo de testndus ferruginoso e oascaa de
laranjas amargas
E' o primeiro reparador da fraqneza do orga-
nismo, na fysica.
Pilulas ante-peridicas, preparadas com a
pererina, quina e jaborandy
Cura radiealmnte as febres intermitientes, re-
m i t ten tes e perniciosas,
Vinho de jurubeba simples e tambem fer-
ruginoso, preparados em vinho de caj
Efficazes nas infiammacoes do figado e baco
agudas ou chronicas.
Vinho tnico de capilaria e quina
Appiicado nas convalescencas das parturientes
urtico antefebril.
Deposito : Francisco Manoel da Silva & C.
Francisco Manoel da Silva & C.
23-RUA MRQUEZ DE OLLNDA-23
V
'


t
)
\s
Diario de Pernambueo---Quarta-feira 14 de Jalho de 1886
i
GRANDE LOTERA
u
A SAIS IMPORTANTE DE TOSAS HA V W NO
BRJiZIL
EXTRACgAO A'15 DE DEZEMPRO
DATA MASCADA NOS RESPECTIVOS BILHETES
Esta loicria est a cargo do thesoiireiro das loteras da corte
A EXTKACCAO ETA NOMO BE JANEIRO
PREMIOS MAIORES
i de.
2
2
1
3
11
l,ooo:oooj$ooo 24 de. 5:ooo$ooo
2oo:ooo$ooo 50 .". 2:ooo$ooo
loo:ooo$ooo 80 . * . l:ooo$ooo
5o:oooJooo 2 approxii.ia(dcs de. 15:ooo$ooo
4o:ooo$ooo 2 . 6:ooo$ooo
2o:ooo$ooo 4 c . 4:ooo$ooo
lo:ooo$ooo 4 c . 2:ooo$ooo
Alm de umitas sortcs de 5oo$ooo, 2oo$ooo, looj too 4o$ooo c 2o$ooo.
Esta lotera de tres sorteios. Um bilhete joga em todos
elles e est habilitado a tirar mais de um premio.
Esta lotera em favor dos ingenuos da Colonia Isabel da provincia de Pernambueo
BILHETES A VENDA
FUEMHS IWims
Na bem condecida loja darua Frimero de
Marfo n. 20
JUNTO DO LOliVRE
Grande sortimento do madapolo^s de 4500, 5,5, 5< -.6& fJ^k*
7^500 6 8,5000 P^i t*m9
Algodoes brancos, superiores qualidades, de 4&, 4300, 55, $500 6| e
Saperiorcs cretones de. 320 500 o eovau.
Ba,tistes, Ddro paarSes, a 200 e 320 rs. o covailo.
Fustoes brancos fie no vos desenhos a 440 e 5U r;. ., cvvai Cobertasde ganga, forradas, de dous pannos n 3,5 (J
Ditas de ganga cretone, bonitos padroVs, 3jlOUO.
Lencoes de bramante, de linlio. de 2$ a 4#00 .. u.u.
Ditos de aigodSo de 1,800 a 2^500.
Toalbas felpudas, de taoianho regular a 50000 a dzi
Ditas grandes para banhos a 25000 urna.
Lencos de algodo de ]is00 a 20200 a duzi..
D;*os <* algodao, r-om barra, a 25400 a duna.
t.' ,-..nl.,, rUr-, .- 300, 400 -- 700 rs. o covado.
l>i (oriea i<- v8ti.i>. d." cretona <1e 20-5 por 80000.
U,i..r Grande vanedade de anquinhas le 25 a 55000.
Meias cruas para horoem a 50, 65, e 7 000 a duzia.
Chambres rauito bem preparados, para hornera, de 50 a 105000.
Casemira diagonal, preta e azul escuro, a 20500 o eovado.
AlgodSo-trancado de duas larguras a 10300 a vara.
Bramante de algodao, de q-i.tro larguras, l 1>:,00, 10800 o 20000 a vara
Dito de linho ilem dem de 20, 2r>00 30 e 4fJK)JU vr.-i.
Leques de pape), de linios d-amboa, d 500, 00 u I0"OO.
Merino preto e azul a i40i rs. u cuvado.
Setinetas lisas de todas as corea a 440 rs. < c.ov..do-.
Velbutinas de todas as r-on-s n 10000 o i **o.
Molesquin de coi es, bonitos padroVs, a 600 r. u >.*.. -o.
Chales do algodao a 10200, 10400, 1 S 00 e ?*00^.
Guarda pode brim de liiilio p.rdo 40, 50 iij';:M
Oxford p.ra camisas, lindos pacho s, a 28U -;O c 340 rs, o'vovado.
Costumes para oanhos de mar >. -0 1O0OOO.
Cortinados bordados para can-., j ;. ,; a 80 100 jj. 14 ,. 160000 o w.
Grande sortiuienio de roupa i'eir, ,>.u ainlai.o.-- ,-u cinp0.
Encarregarao-nos tambe 01 d p'it.ni..r /. imi l,,, roapi para horneas e
meninos, para o que tem-s u-u hbil -jAQ ia u gf-iiii
casemiras, etc.
Quem precisar de algum artigo ii n
este antigo e acreditado eatabelncimeato.
oiti u< n ''c pannos, briaa,
!> a ., .iever. irioitxr de preferencia
Baa Prmeiro k M i jsn
RODA DA FORTUNA
36 -Ra Larga do Rosario 36
Bernardino Alheiro.

I
- I
... I -
, f *
\~-.
<\ .
" '5
Aos 4: Este remedio precioso tem gozado da accelt
(3o publica durante cincoenta e sete annos, com*
ecaodc-se a sua manufactura e venda em 1837.
Sua popularidade e venda nunca fonlo tao exten-
sas como ao presente; e isto, por si mesmo,
ofierece a melhor prova da sua efficacia maravrl-
hosa.
Nio hesitamos a dizer que nao tem deiado
em caso algum de extirpar os vermes, quer em
creancas quer em adukos, que se acbaro afilio
tos destes mimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantemente
attestaces de mdicos em favor da sua efficacia
admiravel. A causa do successo obtido por este
remedio, tem apparecido varias falsificasoes, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando o nome inteiro, que devia ser
Venino le B.A.FAHNESTOCK.
CASA DO OLR!
ios 4.0001000
E
l:000S00O
16-Lua do Cabug-16
Acham-se venda os venturosos bilhe
tes gar ntidos da lotera n. 63a em beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que se extrahir quinta feira 15 do cor-
rente.
meas
Integro 40000
Meio 20000
Quarto 10000
Siendo qnantldade superior
a ttU:OU
Inteiro 30500
Meio 10750
Qarto 0875
Joaqun Pires da Silva-
llUlJixiu !?L
Rna do Baro da Victoria n.40
e casas do costante
Acham-so venda os felizes bilhetes
girantdoa da 251. parte das loteras a
aeneficio da Sf.nta Casa de Misericordia do
Recife, (63.a), que se extrahir quinta-feira
15 de Julho.
Precos
Inteiro
K:
Meio
Quarco
porco
Inteiro
Meio
Quarto
40000
20000
10000
de loo&ooo
cima
30500
10750
0875
para
Tocto Joaquim Costa da Leite.
Aos totes dos olios
Cura certa em 48 horas das inflaraacSes
recentes dos olhoa, pelo colyrio prepara-
do por Jos Pedro Rodrigues da Silva.
Emprega -se este poderoso colyrio sempre com
grandes vantagens, uas seguinteg molestias :
OpbtaJmias agudas, purulentas e chronicas, con-
unctivites, etc., etc.
Deposito eral, na drogara de Faria Sobrinho
& O. roa do Mrquez de Olinda n. 41.
Para nfjrmacoes, sedirijam livraria Indus-
trial a rna do Barao da Victoria n. 7, ou resi-
dencia do autor, ra da Saadade n. 4.
PAEI8
1S Euc d l'Eohiqmiar.
Fornocedor
pririlegiado da Casa Real da Espanha
e de Z. 1. a Rainha de Italia.
Ozea P.
Ozea Sachet.
Ozea Essencia,
Ozea Agua da toilette.
Ozea Vinagre de toilette.
Ozea Agua para os dentes.
Ozea Pasta para os dente*.
Ozea Oleo.
Ozea Sabio.
Ozea Pomada.
Ozea Fixativo.
Ozea Cosmtico.
Ozea Brilliantina.
Ozea Cold Cream
Estas exquisitas preparaces sao muito apre
ciadas na mais distincta sociedade pela deli
cadeza do sea perfume.
R E C E R S
TRANSPARENT CRYSTALSOAP
(SabtLo transparente cristalino)
reconhecido como o mais perfeito do todos os sabaos de toilette pelas suas
propiedades hygienicas, pelo seu aroma e pela sua larga duraco.
Depsito as prlncjpacs Perfumaras, Farmacias, dea.
m
*
os o
g
-5 p
Eueeiio Marques deHollahda.


cteRheumatsmo.Cancros,Boba6,irnpi^en6 ;v
e todas as molestias que lenho ana orujem
na impureza do sangue devida a syphiua.'
- >. -------------------------;___r- y '
9**f.
ttooj9ov A ?**
O
V
AOGU.
J|aBObVoFI0^HTBAi D$rf00CT08^t0ICIAt
14 Ra do Vsoonde do Rio B ra.nox>
RIO DE JA>KIKO-
C/c Osr*/v9 .'
0

J5
O
co
M
e*
O
1
3
95 P
= ~
^1
& O
c jq
&9
S
S P

A
= rD

N ^
O. y
P
O
S" 0
s- 0
p = s S5
ro P
ce O
f

02
ce
Si
5
00
ce
5
PILLAS
JURUBEBA
BARTHOLOMEO C
Phtrm. Pernambueo
ao as SeaSea, e todas as Pebres J
in termnente.
S ANNOS DE SUCCCSSO!
t^isw>.'r m. asaiianaturai,,

ce
as
Chapeos c chapelinas
36 yflACA Di LNDEPENDEIA--36 A i 1
B. S. CARVALH0 & C.
Proprietario8 deste bem conhecido estabelecimento pajtecipam
as Exmas. familias e o publico em geral, que mensalmente receben)
das principat-s casas em Pars e Manchester o que de melhor e de
apurado goslo ha em chapelinas e chapeos para eenhoras e meninas
e das prmairaa fabricas de H'.raburgo o que ha de melhor em cha-
peos para homens e crianjas, e muitos outros artigos concernenteB
chapslara.
Flores artificiaes para ornamento de salas.
c*2
a"
o
ce
O
es
SO

1X2
I
O portador de dous vigsimos deste
importante lotera do custo de 2$200 est
habilitado a tirar
* 2o:oi2$ooo
Pre^o em poreji
Vigsimo
Vigsimo.
A' RETLHO
fi^OOO
AIOO

zn
A RODA HA FORTUNA
36llua Larga do Rosario36
PILLAS
Ferruginosas
JURUBEBA\
BARTHOLOMEO & Ca
Phirm. Pernambueo.
Anemia, Flores branca
El lie Em
Em quurtca < meias garrafas, vender Faria
Sobrinbo Se C, ra do >arqnez de Olinaa j. 41
DEPOSITARIOS
Curio i
1
s Debilidad-; e Pobreza de sangnei
i Menstruaco,
cigir El aasignaiura;
mmm
OEROCOUl
DEROGOUE
15, Rn? de Poiton, H
PARS
OLEO
FlfrADO deBCALfiAir
Natural
Ferruginoso e Crec^ctad*
Su priDiiiws nua: rite
MUTHAH I
mm
wm


(i
Diario NICO
CUIDADO COI*
AS FALSIFICACES.
Preoaraco de Productos Vegetaes
PARA
EXTINCO DAS CASPAS
e outras Molestias Capillares.
JVIARTI NS&~BAST08
Pertuimbitco "
O LENCO O TOUCAOO
E O BANHO.
Criada
Precisa-se de urna criad que saiba cosinbar
bem, que aprsente atteatades de boa conducta e
qneira ir para a provincia do Espirito Santo : a
tratar na ra do Baro da Victorre n. 57.
Serrara a vapor
Caes do cap bar he n. 8
N'esta serrara encontrarlo oa atanores fregue-
ses, um grande sortimento de pinh j de resina de
einco a dez metros de compnmenco e de 0,08 a
0,24 de esquadros Garante-se preco mais como-
do do que em outra qualquer parte.
Francisco dor Santos Macedo.
Freguezia 4o Recite
Aluga-se por commado preco metade da casa da
ra dos Guararapes n. 29. Na mesma precisa-se
de um menino que seja fiel para criado, e paga-
se bem.________________________________________
PlHO DE RIGA
de 8X9 4X9 e 3X12 ; vende-se na serrara a
vapor de Climaco da Silva, caes 22 de "Novembro
numero 6.
F. IdIba Latine de Mello
Jos Luix de Mello, seus filhos, irmaosecunha-
dos, sua segra e filhos, convidam aos seus paren-
tes e amigos para assisnrem a mssa que mandain
oekbrar por alma de sua sempre lemWada mu-
lher, mai, cunhada, filha e irm, D. Luiza Lasne
de Mello, s 8 horas da mauha do'"da 14 da cor-
rete, na matrit de'Santo Antonio, trigsimo dia
do seu passamento, e desde ji se cqnfcssam gra-
tos por mais esta pr,ova de iinjfzad.
(Aye-sCherrvftctoral)
PAM ACOSA DC CDNCTVMrO.
r0SS.ASTHMA.BR0NCHITE,
COQUELUCHE OuTosSt CONVULSIVA
Tsica Pulmonar.
f,,w> K.o o. j cAvuiaAjn!La.ua
Precisa se de urna ama para lavar, engommar
e facer mais alguna servicos, com tanto que dur- i
ma em casa : na ra da Matriz da Boa-Vista n.
9, se oir quem precisa.
Ama
Precisa-se de urna ama de meia idade : na ra
ja Aurora n. 137.
Ama
Precisa-se de urna ama idosa, para pouco tra-
balbo : na ra da Madre de Deus n. 3, hotel do
lado 4a igreja. ____________
Aluga-se barato
A casa n. 96 ra dos Guararapes.
A casa n. 107 da ra Visconde de Goyanua.
A ra Lomas Valentinas n. 4
O armaren da ra do Coronel Suassuna n. 141
Trata-se na ra do Commercio n. 5, l8 andar
Jarn das plantas
ma Carlota da Albnqoerqne
Mello
Primeiro' anniversario
O bacharel PedroAffynso de Mello, em comme-
moracao do 1- anniversario do falleclinento de
sua sempre chorada malher, Ana Carlota de Al-
buquerque Mello, manda celebrar missas por sua
alma ao dia 16 do correte (snta-foira) s 8 ho-
ras da manha, na matriz da Boa Vista ; e muito
peBhurado ficar todas as pessoas que lhe fize-
rem a finesa de assistir a esse acto de candade e
religiao.
MMMMM1
uilbermlna Adelalde deSonza
endes
Manoel Gomes Meudes convida aos seus pareu-
tes e pessoas de sua, amizade para assistirem a
mssa do stimo dia do passamento de sua presada
esposa, Guilhermina Adelaide de Sooza Mendos,
que manda resar na igreja do Careno, s 7 XJ2
horas da manha do da 14 do corrente, e dsde ja
antecipa o seu reconhecimeuto por este
ebsequio.
caridoso
Joaquliu daColn Rimo*
Joaquina Mnria dos razeri'8 Hamos ? sua fa-
milia agradeei'in a todas as pessoas que se digna-
ran), acompanhai at ao cemiterio publico os restos
mortaes de seu chorado filho, Joaquim da Costa
Ramos, e de novo covidam a tudos os parentes
e amigos do fallecido assistirem a mssa de s-
timo dia, que ter lugar quinta-feira 15 ao cor-
rente, pelas 6 1(2 huras da mauha, na matrizde
Bauto Antonio ; pelo qu.. desde j se confessam
eternsmente gratos.
nsii ir ni -m--------'
D. Mara Benedicta de Soasa
Bandelra
Djr. Riymuudo Bandeira e seus irmitos (ausen-
tesjk convidam seus parentes e amigos para as
missas que por alma de sua ta, D. Mara Bene-
dicta de Souza Bandeira, fallecida na Parahyba
a 8 do corrente, mandam celebrar na quinta-feira
15, s 8 horas da manha, na matriz da Boa-
Vista.
D. Joaiui Francisca Sevena-
varro
Os irmaos Leal :nandac resar urna mssa por
alma de tua presada ta, D. Joanna Francisca
8eve Navarro, na igreja da ordem terceira de S.
Francisco, s 8 horas de 15 do corrente, stimo
dia de seu falleciroetito, e se confessam recoube-
tidos aos que comparncer^m a ''use acto.
MONDEGO N. 80
Pretendendo-se acabar cota as plantas que es-
to em vasos n'este jirdim, vende-se os sapotisei-
res muito grandes, e dando fructo, 2/000, la-
ranjeiras, muito grandes, para enjertar, 6000
a duzia. e sapotiseiros mais pequeos por barato
preco- -__________________
Doce secco de caj'
primeira qualidade, proprio para presente, tem
para vender na ra do bom Jess numero 35, ar-
masan.
Casa para alugar
0 2- e 3' andares, juntos ou separados, da rma
larga do Rosario n. 37, esquina defroute da igre-
ja f a tra'ar no pavimento terreo.
Para criado
Precisase de um menino de 12 14 annos : no
escriptorio dsate Diario se dir quem precisa.
Caixeiro
Precisa-te de um menino com alguma pra tica
de taverna : a tratar na ra de Hortaa n. 17.
Receberam pelo ultimo vapor i negado
da Europa, um esplendido sortimento de
chapeos para borneas, senhoras ti mangas,
forrados e lisos; grande rariedaile i-ru c
res.
Chapeos chinases qiif xpoem venda
por prscos rezmni lissimos.
Este bem conhecido estahelecimr-nto ea-
pricha em servir bem seus fregu*,
para o que dispon de pessoas bem habili-
tadas para todas as obras que nos queiran
encomraendar; assim como fabricam-se
chapeos de todas as qualidades, concer-
ta na se e cobrem-se chapeos em urna hora
com a maior perfeicao possivel.
Vendas em grosso e a retolho.
N. B.- Levam-sa amostra em qualquer
casa.
CASA FLI- _,
Ra do Cabulla n. 18
AOS 4:00000
&AMIT.D0S
tn-ellua Mara da Pureza
e Ollwelra
Jos Elias de Olueira convida aos seus paren-
tes e amigos para assistirem a mssa que por
alma de sua presada mai, D. Marcelina Mara da
Pureza e Oliveira, manda resar na igreja da or-
dem terceira de S. S. do Carino, no dia 14 do
cerrente, s 8 horas da manb, 1 anniversario
do seu passamento, e por este cto de caridade,
antecipa seus agrtdecimentoa.
Professor Joo Francisco dan
Cnagas
14 de Julho, s 8 horas, 3 anniversario
Segiualdo Francisco das Chagas manda cele
r no- dia e hora cima, na capella du Belezo,
aa mise por alma de seu sempre lembrado ir-
Joo Fraaciww das Chagas, e para cujo
convida aos parentes e amigos sseu ed
ido.
3ILHSTSS
Boa Primeiro de Marfo n. 2,1
O abaixo assignado tem ezposto ven-
da os seus afortunados bilhetes garantidos
da 251.a parte das loteras a beneficio* da
Santa Casa de Misericordia do Recife (63.a)
que se excrahir quinta-feira, 15 de Julho.
Preces
Inteiro 40000.
Meio 2I000
Quarto 10000
em quantldade maior de I o*
Inteiro 30500
Meio 10750
Quarto 0875
Manoel Martina Finta
Criado
para um sitio ; precsa-se contratar na ra Nova
numero 13.
Cosiiiheira
Precisa-se de urna cosinbeira para c*sa de pe-
quena tamil a : ito pateo do Carmo n. 18, segun-
do andar. _______________________________
Ajudiie para cosiaha
Precisase de um bom ajudante para cosinha
no hotel do Camiuho Novo.
PEROLAS DO DB CLERTAN
Approvada pela Academia de Pedfcdata) .le Parla.
^, Jos de Castro fuiraa-
^
wv^'fSJfm^P^S.P^J^Fi\?J!lI%lI4 acalmam em alguns minutoe as enxaquecas. as MAIS
VIOLENTAS DORES DE CASMA e DOEN^AS DO FIGADO. Si a dose de trez ou quatro perolaB
nao produzr eec-to dentro de alguna instantes intil sera ^^ e
continuar. Cadra vidro contera trinta perolas. Para ter o pro- K^JC*******-
ducto bem preparado e eficaz, convem exigir a assignatura do: pw$^
AS PEROLAS D'ETHER sao o remedio, por excellencia, das pessoas
nervosas sujeitas s suffocales, caimbras d1 estomago e aos desmaios, as quaes
devem ter sempre a mo este precioso medicamento. Exigir a assignatura :
AS PEROLAS DE QUININA conteem cada urna dez centigrammas (dois graos) de sulfato de quinina puro.
Por isso eficacia dellas certa nos casos de febres alem do que nao causam repu-
gnancia, nem fastio e engolem-se fcilmente. As perolas de quinina conservam-se QJX2ua.
indefinicamente sera estragaren -se. indispensavel exigir a signatura :
Ss veside a varjo na mor parte das Pharmacias.
Fabrioaco e atacado, Gasa L. FRERE
19, rae Jaeob, em Pars.
PHOSPHATINA
Falires
PAKA A
ALIMENTAgO RACIONAL
Mes, Criangas, Amas,
Conoalescentes.
Este alimento, de un sabor agradavel, precioso
sobretudo :
Para as Mes, durante a gravidez;
Para as Crianzas, na occasiao de desmamal-as;
Para as Velhos e Convalescentes.
A PHOSPHATINA constitue o verdadeiro alimento
Crian9as alimentadas no seio ou na mamadeira. Nenhuma
Fcula, Conserva ou Pos ditos de alirnenta pode competir-lhe.
E a administradlo fcil do PTwsphalo de Calcium, que fortifica as
Crianzas durante o seu crescimento.
FABXZ, 6, Avenue Victoria, 6, FABIZ
tepadUrioi tm Perntmbuco : FRAN M. da SILVA & C"-
rj.PIVER em P-A^
nico Inven tot
ur.
de
0 melhor dos Saldes de Toucaoi
le a. m
^ *COMMEN0~0O P&u0&
Invitar ass Imitaces
Qapositoi tua prtacipae* Paiiemartaa. Prj-v-tcias e Cabeherairoa di Amarioav
i -a-'r. i1---
Molestias Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
.tunado da Faculdade de Medicina de Pars. rnmio Montytm
As Capsulas do Doutou CLIN ao Bromureto de Camphora empregflo-se
as Molestias, as de Cerebro e contra as afTeccSes seguintes:
Asthma, Inaomnia, Palpitagoes do Coraofio, Epilepsia, Hallucinaco,
Tonteiras, Hemicrania, Afiecgdes das viao urinarias et para calmar toda
especie d excitai^o.
118 Urna explicaco detalhada acompanhi toda Frasco.
Exigir ai Verdadeiras Capsulas ao Bromureto de Camphora de CLIN & C'S
de PARS, q*e *e ncontro em casa dos Droguistas.et Pharnwcsuticoi.

HU
i fOlEnl
no-m
a WIN
urstnii
OleodeFigadodeBacalhau
do !>' DTTCOTXaC
lodo-Ferruginoso de Quina e Casca dB Laranja amarga
---------mu i-----------
Este medicamento fcil de tomar, nao provoca nauseas,
j de cheiro agradavel. Pela sua composicao, possue todas as
iquaidades que lhe permittem combater :
a ANEMIA, a CHLOROSE, as AFFECgES do PEITO
a BRONCHITE, os CATARRHOS, a TYSICA
a DIATHESE ESTRUMOSA, ESCROPHULOSA, etc.
Em vista do seu emprego fcil, da sua accao multplice e
Hsegura, da economa para os doentes, os mdicos receitam-n'o
[de preferencia qualquer outro medicamento similar.
DEPOSITO OSXtJlX. =
PARS, 209, ra Saint-Denis, 209, PARS
Tnrom-SE es todis as pejncipaes phariiacus do utnvEaso
DE SCI
IAR DAS FALSIFICACES E IMITACES
PERFUMARA
PARIZ
Segredo da Juventude
AGUA LAFERRIRE
Para o Toucador.
POS LAFERRIRE
LAFERRIRE
PARIZ
Segredo da Juventude
OLEO LAFERRIRE
Para O Cabrlb>.
ESSENCIAS DIVERSAS
Para o Rosto. "^^ |^BW Para o Lento.
PRODUCTOS HYGIENICOS para conservar a Belleza do Rosto e do Corpo.
Dpoltrioemftrm.mtvw.rRAN"M.daSILVA*C'e nat principae< Pcrfamarias e Cahcllcreiros.
f
raes
que em Goyanna tra o aome de Jjs Gaspar Do-
mingues de Soazs nao mais cobr dor da cochei-
i ra ra da Imperatriz n 29 desde Marco, e
chamado prestar centag dos dinheiros que re-
c eotatgar aa contas que ainda tem era ueu poder*
ao administrador daquella cocheira.
Porto Calvo
O 8r. Bevenuto Buarque, para itisfazer a pro-
messa e compromisso do dia 15, chamado roa
do Bario da Victoria n. 10, loja.
Ra do Mrquez do Herval n. ISO
Alaga-so a casa cima : trata-se na roa,
Imperatriz u. 16, 2- aodsr.
l:owwiti
JOSEPH KRAUSE a
Araban, de augmentar o seu j bem conhecido
mporlante estabelecimento ra Io
de marco n. 6 com mais
nm saldo no Io andar luxuosamente pepar-
rado e prvido de urna exposi-
fa k abras de prala do Port e eleeti^pto
dos mais afamados fabridmies do
mundo inteiro.
nonvida, pois, as Exmas. familias, seus nume-
rosos amigos e freguezes a visitaren,
o seu estabelecimento, aOm de
apreciaren, a grandeza e bom gosto com qne
nao obstante a grande
despeza, o adornaran!, em honra
desla provincia.
CHASE ABERTO DAS 1 ATS 8 DA KOITE
3 WM W A rS?

:n
SEMPRE NOVIDAHES
Fazeiidas finas e modas
2 A-Rua do Cabug-2 B
J. BASTOS & C.
Pelo ultimo vapor recebemos de PARS :
Cortea de vestidos diaphancs, alta novidade.
Vestidos da cachemira, especialidade.
Ditos de toile d'Alsace, grande moda.
Cachemira broch, teuido modernissimo.
Orlatienne, fazenda neva e padroes lindissimos.
Venitienne, combinacao de fazenda lisa e lavrada de muito gosto.
Zepbjr quadrile, novidade.
Cachemiras de todas aa cores com enfeites de Guipoure.
Plumatie, branco e de cores com lindos bordadoB.
Toile d'Alsace, variado sortimento.
Etaxina de cares, desenlio novissimo.
Satn double, ecido do algodao e modernissimo.
Gase de algodao, em todas as cores, propria para bailes e tbeatros.
Lequos Jiaphanos.
Ditos de setiiu.
Ditos de oradreperola.
Guipoure de seda.
Bicos du seda diaphano, revoluc^o da grande moda para enfeitar vestidoi
de sadas.
Chapeos de seda arrendados, novidade.
Sedas e setios, branco, preto e de cores.
Colchas de damasco de seda.
Ditas de crochet e Guipoure.
ESPECIALIDADES
Dolmans de seda e cachemira com enfeites de passemanterie e vidrilhos,
" rnicao de renda e franja.
Jersey de IS com enfeites de pelucia e bordados, ojcolhidos sortiraent08''d'
...oaoos de malha, que vendemos do H&000 a 155000.
Pornecom-se as amostras de todos os artigos.
(Telephone n. 35)
100:0008000
Lotera cfa provincia de Santa Catharina
A MAB VANTAJOSA DO I11I0
I 11 $1111$ III Sllllf It
Decreto proninci! de \ de Fevereiro de 1886
= }.r prittarios do muito conhecido estabelecimento denominarla
MSEDE J0I\S
sito a v: ig n. 4, conananicam ao respeita-el PUBLK.O que receberam un
grande k rtim n'u le jotaa las mais modernas e dos mais aparados gostos, como Um
bem reh.gius do todas as qualidades. Avisam tambera que oontinuam a receber po:
todos os vapor- s lindos vta Europa objectos novos e vendem por muito menos que en
outra qu ilqner parta,
i
e
i
m
o
i
3* I
*
i-H eg
o i
SI
< i
M
B
M
9
"S
9
a
S
premio de
dito de
dito de
dito de
dito de
ditos de
ditos de
12 ditos de
24 ditos de
47 ditos de
100 ditos de
200 ditos de
1
1
1
1
1
2
6
loo:ooo$>ooo
24:ooo$ooo
12:ooo$ooo
8:oooSoco
5:ooo$ooo|
2:ooo$ooo|
l:ooo|ooo
3
9
3
5
la
9
9

5oo|-ooo|
2oo$ooo
loo^ooo
5o>ooo |
2o|ooo |
C/J
3
0B
* 3
2 ^
N.
HIGUL W0LFF & C.
4RtJA DO CABUGN. 4
Jompra-se ouro e prata velba.
Duas approximapoes de 3:ooo|ooo para o pri-
meiro premio
EXTRACCO A 15 DO CORRENTE
23-4hia I. de Itrp-H
MUTHADQ L


Diario de Pcruarobueo-- Quarta-feira 14 de Julho de 1886

.

Tricofero de Barry
Garntese que faz nas-
cer e crescer o cabello tunda
aos mais calvos, cura a
tinha e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co a cabeea. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou de embranque-
cer, e infallivelniente o
torna espesso, macio, lus-
troso e abundante.
Agua Florida de Barry
Preparada segunda a formula
original usada pelo inventor em
1S29. E' o nico perfume no mun-
do que tem a approvacio official de
ura Governo. Tem duas vezes
ruis fragrancia que qualquer ontra
ednraooobrodotenipo. E'muito
maiR rica, suave e deliciosa. E'
niuito mais fina e delicada. E'
main permanente e agradavel no
lenco. E' duas vezas mais refres-
cante no banlio e no quarto do
doente. E' especifico contra a
frouxidao e debilidade. Cura as
dores de cabeea, os cansaeos e os
desmaios.
Xarope Je Via Je Reuter No. 2.
ANTES DE USAL-O. DKPOIS DE USAL-O.
Cura positiva e radical de todas as formas de
escrfulas, Syphilis, Feridas Escrofulosas,
Affecces, Cutneas e as do Couro Cabel-
ludo com perda do Cabello, e de todas as do-
cncas do Sangne, Figado, e Kins. Garante-se
que purifica, enriquece e vitnlisa o Sangue
e restaura e renova o systema inteiro. .u
Sabao Curativo de Reuter
Para o Banho, Toilette, Crian-
zas e para a cura das moles-
tias da pelle de todas as especies
e em todos os periodos.
Dep<
psito em Pemambuco casa de
Francisco Manoel da Silva & C.
o sp.nflOi es ne engenno e
Tomem nota
TriJhos para engenhos
WAGOXS PARA CAXNA
LocomoYis
Mach': jssn-- completo para en
genhos de t"ds os f a man lio*
Systema aperfeico*do
Especifica cZes c preqos no escriptorio dos
agentes
Browns & C.
IV. Rua do Cojiimercio
N, 1* \lm do cima B & C tem carhalogos de
mr I .uplementosuecessarins agricultura, como,
.ambfm machinas para desean car Igodio, mei
nhoj para caf, frigo, arroz e milh "; cerca de fer-
ro galvanisado excelli-ate e mdico em preco, pes-
soa nenhuma pode trepai-a, nem animal que-
br^l a.
tmm
SCOTT
DE OLEO PURO DE
Fijado de 'tacalho
COM
Bypo;liaspliilos de cal e soda
Approvada pela Junta de Hy
glene e autorizada pelo
goreroo
E' o nx'lh'T remidi at hi je descoberto para a
llnlra lironchiles. rxrrophnlaN ra-
rhitr. aneinia. <-:iiU 4eOnia, inNMe rhronlra o atYec;tieM
do pritn p iln garcanln.
' muitu superior ao oleo simples de figado de
baealho, porque, alm de ter eh ro e sabor agra-
daveis, (>ossue todas as virtudes medicinis e nu-
tritivas no ole\ alm das propriedades troicas
reconstiruintes dos hypophospbitos. A' venda na
drogaras e boticas.
Deposito em Pemambuco
PARA. COSINHAR
Precisa-se de una
ama que saiba cosi-
nhar bem; no 3. an-
dar do pred'o n. 42
da rua Duque de Ca-
sias, por ciua da ty-
po^raphia do Diario
Ao publico
Hermina de Carvalho Mi nna da C' sta, proprie-
taria a pbotographia sita i rua d i Bario da Vi-
ctoria n 14 2." andar, declara para fina con-
venientes, que desde o da'6 do correte deixou
de ser sucio da mesma photegraphiu o Sr. Floacnlo
de Magnlhes.
4Aproveita a occasiao para commuau-ar a todot
aquellos que se t *em dignado de disp. nsar ILe a
sua proteceao n'aqudlle rumo de negocia, que con-
tinua corn a referida pboto^raph:a, h qua1 se acha
fcoje meihorada consideravelirente na.> s quanto
aoa misteres teehnicos d'arte, c >mo ti b-m quan-
M aos d> maia requisitos easenciaes para uao dea
agradar aquellas pesxoas que all compareceris,
dando prov* de desejo de concorrer para o pro-
gresso da industria nacional.
'DhsExmas. senhoras principalmente, espera a
referida proprietaria toda sua valiossima protee-
Aviso
Precisase de uma profesa ra que saiba tocar
bem'piano e mais traba >b'>a d? senhora, para en-
geaho : a tratar com o Bario de Natareth, roa
dc/Imperadorn. 79, l- andar.
Criado para alugar-se
Ma rua de S. Joao, cas* n. 27, tem para alu-
jar-se um mulatinbo com 17 anuos de idade, mui-
to proprio para copeiro ou outro qualquer servico
tatito de casa 'i HW rua, e Ua bem sabe bolear,
po-j ter ido befceiro.
flalas purgativas e depurativas
de Campanha
Estas pilulas, cuja preparaco prrrameute ve-
getal, teem sidj por mais de Sannos aproreitadas
com os melhores resoltados as seguintes moles-
tias : affeccoes da pelle e do figado, syphilis, bou
bee, escrfula!, enagas inveteradas, erysipelas e
gonorrhaa. .
Modo de- Biml r
Como purgativas: tome-se de 3 a 6 por da, be-
oendo-se apoa cada dse um pooco d'agua adoca-
da, cha ou caldo.
Como regaladoras : tome-se nm pilula ao jantar.
Estas pilulas, de invencao dos pbarmaceuticos
Almeida Andrade & Filhos, teem veridiettan dos
Srs. mdicos para sua melhcr garanta, tornndo-
se mais recommendaveU, por serem nm seguro
purgativo e de pouea dieta, pelo que podem ser
osadas em viagem.
ACHAM-8E A' VENDA
*> drogara de Farla Sobrlubo A C.
-1! KCA DO MABQEZ DE OLINDA 41
6&y
8OU
sto
1X60T
1KXK
A caridade abre a por-
ta do co
A infeliz viuva, Maria Jos da ConceioSo, Mo-
radora na travesea de S< Jos n. 2, e que se acha
proatrada no loto, quasi paralytica, supplica e
estende as m3os, pediodo s benvolas almas e
caridosos ciraces dos habitantes deeta cidkd-f,
urna esmola. A mesin infeliz viuva tem comsigo
urna filba moca, que vive honestamente a ten
lado, e que uninro aos de sua m5i os seus rogos,
nao cessar tambem de rogar as heneaos celestes
sobre todos aquellea que se condoerem do duplo
infortunio que pesa ha tempo subre mai e a
filha. Chantas evper omnia.
Telegra:: rji.) (rrsp^a paga)
Bicos ori< nti-. crina^ faii-'aade em cores e
larguras, nce*- iHinu 1' dro An'nn.-s&C-, e ven-
dem baia'o ; u imho- r ?r ..Pra 63 rua Du-
que de Caxi:iu. N va K peri nc# ; ovo sortimen-
to em leqti' s di- ; |,el a 700 a 8<0 rs, preferencia
exclusiva ; ditos Ue seda, bouitai cores e lindas
paisagens a 3, barrato punhos e collarinhos
bardados para senhora a 1800 e 2500 ; ditos
com pintas de cores a 1200 ; bonitos e delicados
lacinhos de cores, ultima moda em gravatas, a
1' 0 i Reposta paga ; vale a pena verem o que
: na loja de Pedro Antones & C. n. 63, rua
Duque de Casias.

EXPOSITION ^ UNIV* 1878
Mdaille d'Or^pCroiXdeCheTlir
t nitt HAUTES RCOHPHta
PERFUMARA
de
ESPECIAL
jLACTEINA
rrMoniuda pelu Celebridades Medicas de ParU
HM TODAS AS HECESSICDES 00 IOUCUD0I
PRODUCTOS ESPECIAE8
FLM de iUOZ de UCTIIIi para branqnear a oehe
SAMO de LiCTEffll pira o Uncador.
'UMl t ti de SABie de LACTEIIU para a barba
f OIABA de UCTEII1 par a belleza dos cabello.'
Sli de UCTIIII par o toncador.
ILE8 de UCTEIIA para embellezar o cabello.
ESSEICU de LACTMA para leos
P e ACIA UrnrRICIOS de LACTEMA.
CBEIE UCTEIIA di.mnda setim da selle.
UCTEUillA para branquear a pelle.
EWE AITMOS Ac"aM.E NA FABUICA
PARS 13, rae d'Engliien, 13 pars
Depositoa ea lad/j as Peri'umariai, Pharmaeias m
CabelterMros .la America.
>...............>!
Ka Magdalena
Alnga-ee urna casa terrea cim commodos para
familia, tendo agua u gaz encanados, jardim e
sitio todo murado, sita travessa do Paysand :
a chave est na taverna do Sr. Braga, esquina da
rua do Hospital Portugus.

i?ASTILHAS
De ANGELIM & MENTRUZ
cTE>
05
se
es
SO
ea
O Remedio mala efficaz e
Seguro que se ten deacoberto ote
boje pare expe'lir as ion trigas.
I.0QIUAY0L FUERES
VENDAS
Vende-se 25 predios (sobrados, casas terreas e
sitios) as fri-tru- zias do Recife, nanto Antonio,
8. Jos c Gra$a, a tratar na rua do Imperador
n. 75.
Vapor e moenda
Vende-se um bom vapor e moenda com pouco
U8 ; a ver no engenho Timb ass. murto perto
da estacao ao netmo uome ; a tra'ar na rua d
Imperador n. 48, Io andar.
Ditos de casemira de cores, sendo muito
bem feitas
Ditas de flanella ngleza verdadeira, e
muito bem feitas
Ditas de brim de Angola, de muleakim e
de brim pardo a 2, 2*500 e
Oeroulas de greguellas para homens,
sendo muito oem feitas a 1*200 e
ColletinhoB de greguella muito bem feitos
Assim como um bom sortimento de leos d
linho e de algodo, meias cruas e collarinhes, etc.
lato na loja na -ua da Imperatriz n. 3i
Risea dos largos
a SOO ra. o rotado
Na loja da rua da Impera triz n. 32, vendem &
riscadinhos prepiios para roupas de meninos
vestidos, pelo barato preco de 200 rs. o oovadi
tendo quasi largura de chita francesa, e stir'
como chitas brancas miudinhas, a 200 rs. o
do,e ditas es curas a 240 rs., pechincha
loja do Pereira da Silva.
FastCes, etlnelast e laziniian a SO
r*. o rotado
Na loja da rua da Imperatriz n. 32, vende-
nm grande sortimento de fustoes brancos 50*
rs. o cvado, lazinhas lavradas de farta-core
fe zonda bonita para vestidos a 500 rs. o covade
e setinetas lisas muito largas, tendo de todas ai
cores, a 500 rs. i covado, pecbincha : na loj
do Pereira da Silva.
HerinN preto a I*
Vende-se merinos pretjs de daas larguras pan
vestidos c roupas para meninos a 1*200 e 1*6
o covado, e suserior setim preto para enfeites i
1*500, arsim como chitas pretas, tanto lisas com
de lavoures brancos, de 240 a' 320 rs. ; na novt
loja de Pereira da Silva rua da Imperatriz no-
mero 32.
tlgodoiinho francs para leneei
a o r., I* e iSoo
Na loja da rua da Imporatriz n. 32, vende-
superiores algodaozinhos francezes com 8, 9 e V
palmos de largura, proprios para lencoes de un
s panno pelo barato preco de 900 rs. e 1*000
metro, e dito trancado pa a toalhas a 1*28", at
sim como superior bramante do quatro largura'
para lencoes, a 1*500 o metro, barato ; na loj
do Pereira da Silva.
Ronpa para meninos
A t$, 1$5O0 c
Na nova loja da rua da Imperatriz u. 32, a
vende um variado sortimento de vestuarios prc
prios para meninos, sendo de palitosinho e calo
nha curta, feitos de brim pardo, a 4*000, diu>
de molesquim a 4*500 e ditos de gorgorito pretc
emitando casemira, a 6*, sSo muito barates ; n.
oja do Pereira di Silva.
Fazcndas brancas
SO' AO NMEXO
lo rua da Imperatriz = lo
Loja dos barafeiros
Alheiro i C, rua da Imperatriz n. 40, ven-
dem um bouito sortimento de todas estas fazendas
abaixo mencionadas, sem competencia de precos,
A saber :
AlgodoPecas de lgodozinho com 20
jardas, pelo- barato preco de 3*800,
40,4*500,4* ', 5J, 5*500 e 6J50-
MadapoloPecas de madapolo com 24
jardas a 4*500, 5*, 6* at 12*000
Camisas de meia com listras, pelo barato
preco de 800
Ditas branets e cruae, de 1* at 1*800
degella franceza, fazenda muito encor-
pada, propria para lencoes, toalbas e
ceroulas, vara 400 rs. e 500
Ceroulas da mesma, muito bem feitas,
a 1*200 e 1*500
Cilletiiihosra mesma 800
Bramante francs de algodo, muito en-
corpade, com 10 palmos de largara,
m;tro 1*2
Dito de linho inglez, de 4 larguras, me-
tro a 2*500 e SJ80C
Atoalhado adamascado para toalbas de
mesa, com 9 palmos de largura, metro 1J800
Cretones e chitas, claras e escuras, pa-
droes delicados, d 240 rs. at 400
Baptisra, o que ha de mais delicado no
mercado, rs. 200
Todas estas fazenda baratissirnas, na conhecida
loja de Alheiro & C, esquin do becco
dos Ferreiros
A Revoluco
. 'm. zm
rua Duque de Casias, resolveu a vender
os seguintes artigos com 25 0q de me-
nos do que em outra qualquer parte.
Sedas lavradas de 2*000 por 1*000 o covado.
Cachemiras de cores a 1*200 o covado.
Ditas pretas a 1*000, 1*200, 1*400, 1*600
1*800 e 2*000 o covado.
Dita broch, de l e seda, lindos tecidos, 1*500
o corado.
Gorgormas de listrinhas a 360 rs. o covado.
Setins a 800 e 1*200 rs. o covado.
Dito preto a 1*000 e 2*200 o covado.
Gaze com bolinhas de velludo a 800 rs. o no-
vad.
Las com bolinhas a 640 rs. o covado.
VeBudllho liso e lavrado a 1*000 e 1*200 o co-
vado.
Fusto branca a 410, 500, 560, 600 e 800 rs. o
covado.
Giosdenaples pretoa a 1*800, 2*000, 2*500 e
2*800 o covado.
Nnaoc de cor a 300 rs. o covado.
Cretones finas a 360, 400 e 440 rs. o covado.
Cambraia de quadros a 1*500 a peci.
Dita transparente de 4*000 por 2*000 e 2*500
a peca.
Linn branco a 500 rs. o covado.
Fdchs de retros a 1*000 um.
dem de l, de 1*000 at 6*000.
dem de peluseia a 5*000 e 6*500.
Iden> de pelussia bordados a 7*000.
Cretones para chambre a 320 e 360 rs. o co-
vado.
Cambraia com salpicos a 6 rs. a peca.
Chapeos de sol de cores para senhorns a 7500
um.
Brim de linho de cor a 1*203 o metro.
Linhos escosae^es a 240 rs. o covado.
Zepbiros listrados a 200 rs. o covado.
Tapetes para janella, piano e cama a 4*000,
6*000 e 7*000 um.
Ditos avelludads para sof a 24*000 um.
Fusto de cor a 500 rs. o covado.
Setinetas lavradas a 500 rs. o covado.
Flanella branca a 400 rs. o covado.
Setinetas com desenhos lindos a 440 rs. o co-
vado.
Cortes da casemira a 3000, 3*500, 5*0C0 c
7*000.
Casemira de cor e preta a 1*800 rs. covado.
Timos bordados a 4*000 um.
Brim pardo lona a 360 e 500 rs. o covado.
Camisas de meia a 800, 1*000 e 1*200 urna.
Algodo com duas larguras a 800 rs. o me-
tro.
Esguio amarello para vestidos a. 500 rs. o co-
vado.
Espartilhos couraca de 4*000 a 8*000 um.
Para a Eiiau. nolvax
Setins maso a 1 *00 e 2*000 o covado.
Popelinas a 600 rs. o dito.
Alpaca a 400 e 440 rs. o dito.
Setinetas lisas e lavradaa a 500 e 560 rs. o dito.
Cortinados bordk dos a 7*000, 9*000 e 15*000 o
par.
Capellas e veos finos a 10* e 14*.
Colchas bordadas a 5J0O0, 7*000, e 8*0j0
urna.
Grande e bem montada odicina le alfaiale
DE
PEDROZA & C.
N. 41Rua do Barao da Victoria- N. 41
Neste bem conhecido estabelecimento, se encontrar um lindo variado sor-
timento de pannos, casemiras, brins, camisas, punhos, collarinhos, meias, gravat*,
tudo importado das melhores fabricas de Paris, Londres e Allemanha; e para be*
servirem aos seus amigos e freguezes, os proprietarios deste grande estabelecimento
jm na direccao dos trabalhos da oficina habis artistas, e que no curto espa5o de 24
honrs, preparam um terde roupa de qualquer fazenda.
Roa do Baro da Victoria h. 41
__________________(PRESOS SEM COMPETENCIA)
FNDICAlTGERAr
ALLAN PATERSON & C
N. 44Rn i do Brum--N. 44
JUNTO A EF fA(JA0 DOS B0NDS
Tem para vender, por prer mdicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas, batidas e* caldeadas.
CrivacBes de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido. )
Ditas de dito fundido, de lindos modelos
Portasd fornalha.
Bancos de ferro com serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forca de 3, 4, 5, 6 a 8 cavailos.
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura
Rodas d'agua, svstema Leandro.
Encarregam-se de con-iertos, e assentamento de machinismo e execuiam qual-
ga traballio com perfeico e presteza.
Ta manco
Vende-se taina neos de P- necio, em p ircao e a
retalho : n* rua da Bola n. II
Camisiis Q.uioiacs
A tASOO. SftOOOe 3 500
32^- L*ja amada luper^n-iz =82
Vende-se neste novo es'ar-e e intento um gran
de ortim-uto de caminas branca, tanto de ab^r
turas e pjnhos de linho como .le alg.ido, pelot
barato precos de 2*500, 3* 44. aerd" taxeiirl
muito melhor'lo qu as que v. en rl .Mirangeirn <
muito mais bem f itas, pnr rein i- rradiu poi
um bom artista, esp.cialmeue v mixeirj, ti.mb.n
se manda fazer p r ene tnin. i-il .s. a ntade dnr
fregueses : na nnva loja (la ru da lin(.erntrii B
3., de Ferreira da Silva.
Ao ;12
!\l &t Roa da Imperatriz = J
D
FERREIRA D SILVA
Neste novo atabel. einnal. r .r
.jitavel public) em variad 'iioeut ie tssr
as de tod as qirili.l- I s. i u .. ... i n. p.
recos baratisBiin.iH, -issim mu u n < irt>
ment de r upas par- h ni im. lamtH-m -
da tazer pi.r rMiBVidMudiia, \i i-i > si
tre altaiate ec.iinpie'o auriaieui < \>* i fio
casemira e brinn. te
Kimtt m o
Vlgodao entestado pa-
ra lencoes
A ooo r*. e i OOO o metro
Vende-ee na loja dos barateiros da Uoa- Vista
rodao para lencoes de um s panno, com 9 pal-
s de larpuraa 900 rs., e dito com 10 palmos a
00 o metro, assim coma dito trancado para
malhas de mi sa, com 9 palmos re largura a 1*200
u otro. Isto na leja de Alheiro 6t C, esquina
do ceco dos Ferreiros.
MERINOS PRETOS
A 1*209,1*400, 1*6(10, 1*800 e 2* o covado
A heiro & C. i rua da Imperatriz n. 40, ven
dem muito bons merinos pretos pelo preco acirn
dito. pcehincha : na loja da esquina do bec-
co di s Ferreiros.
Espartilhos
Na loja da rua da Imperatriz. n. 40 vende-se
muito bons espartilhos para senhora*, pelo preco
de 5*1(00, assim como um sortimento de roupas
de casimiras, brius, etc., isto na loja da esquina
de becco dos Ferreiros.
CASEMIRAS INGLEZAS
A 2*800 e 3* o covado
Alheiro & C, ri>a da Imperatriz n. 40, ven
dem um elegante sortimento de casemiras ingle-
sas, de duas larguras, com o- padroes mais deli-
cados para costume, e vendem pelo barato preco
de 2*800 e3J o covado ; assim como se encarre-
gam de mandar fazer costumes de casemira a
301-', sendo de paletot sacco, e 35* de fraque,
Brande peeh neba ; na loja dos barateiros da Boa
Vista.
BRIM PARDO LONA
A 320 js. o covado
Os barateiros da Boa-Vista vendem urna grande
porcSo de brim pardo lona, por estar com princi-
pio de toque de mofo, pelo barato preco de 320
rs o covado, grande pechincha ; na loja da es-
quina do becco dos Ferreiros.
Bordado a lOO ra. a peca
A rua da Imperatriz n. 40, vende-se pecas de
borda io, dous metros cada peca, pelo barato pre-
co de 100 rs., ou em carto com 50 pecas, sorti-
jas, por 5f, aproveitcm a pechincha ; na loja da
esquina do becco dos Ferreiros.
WHISKY
SOYAL BLEND marca V1ADO
Este excellente Whisky Escasee preferivt
ao cognac ou aguarden^ de canna, para fortifica'
o corpo.
Vende-se a retalho nos tu lheres armazens
Bolhados.
Pede ROY AL BLEND marc* VIADO cujo n.
me e emblema sao registrados para! todo o Bran
BROWNS & C, agentes
Carteira
Vende-se barato urna carteira contendo na peca
de baixo dous armarinhos e tres gavetas, e na
peca de eima 17 compartimentos que se fecbam
com orna 89 chave : a ver e tratar no largo de S.
Pedro n. 4, loja.
Armario
Veade-se urna boa armace de taverna bara-
tsima : trata se na rua Duque de daxias n. 28,
ou na rua da Paz n. 38.
4ttenco

GRANDE
UN
Vende-se urna importante taverna no largo das
Salinas de Santo Amaro, propria para qualquer
principiante, faz frente para a lirha frrea de
Limoeiro : a tratar namesma.
Ha "
Loja de ..lindezas
Rua do Duque de CaxJas n 103
Os proprietarios deste grande estabelecimento
de miudezas, modas e para accommodar os interes-
ses da poca, tem resolvido venderem po' meaos
vinte por cento que em outra qualquer parte.
Ptntes elctricos 6" 0 rs.
Luvas de pellica a 2*500 o par.
Linha de carritel branca e de cores a 80 rs.
Orampos a 20 rs. o masso.
Invisivei8 a 320 rs.
Vestuario de fusto bordado para enanca a
3*000.
Pentes de regseo para crianca a 100 rs. um.
Baleias a 36U rs. a duzia.
Haspa para anquinhas a 120 rs. o metro.
Bicos com tres dedos de largura a 1*500 e 1*800
a peca.
Linha de cores para crochet a 250 rs. o no-
vello.
Papel amizade a 40 rs. o caderno.
Fita cOineza a 320 rs. o masso.
Lencos de linho a 1*500 a duzia.
Lindos bicos de cores com 10 Jardas a 4* e 5*
a peca.
Urna caiza com tres sabonetes desenliando urna
rosa por 500 rs.
Meias de la de cores para senhora a 1*500 o
P"-_______________________________________
Vende-se
barato o sobrad nho da rua do Apollo n. 63 ; r
tratar no pateo do Livramento n. 21.
Aos I.000.000S000
200:0001000
100:000^000
LOTERA
DE 3 SORTEIOS
Em av r dos ingrimos da Colonia Orphanologica Isabel
DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO
EUrap 15 SeDeziro ae 1886.
0 thcsoumro, Francisco (Jmira I ves Torre
Cabriolet
Vende-se um ero perfeito estado e por preco
commodo; tratar na rua l^'oue de Carias a. 47
8* Hu la liU( f
Luja de Prrriru ''
Nestt: estabele imeiii,. \.
xo mencionada, que s&o l>
Palitot preto d" i. .
acolchoados, sen o tazen i- a
corpada, forrados
Ditos de caaemir pret, d-
bem feitos e torrados
Ditos de dita, fazenda muii. 11
Ditos de flanella azul eni
dadeira, e forrados
Calcas de gorgorito preto, !<<
sendo faxenda muito ene .rpa u
.. r r.,
"l
lllllNl
IMSUf
b*r*>
K\|>os"H*ao central rua larga do
Rosario n. 8
I) miao Lima & O, cbamam a attenco das
Eimas. familias para os precos seguintes :
(Jarretis de 200 jardas 80 rs.
Pevas de bordados de 200 a 600 rs.
Ditas de um palmo a 2*5 Fita n. 8t> para faxa a -J*500.
Leqves regatas e D. Joanuita a 1*000.
e extractos de Luhin, grandi s. a'2*1000.
L que a D Lteinda O lho a 6*.
Tontilal felpudas a 500. 6t>, e T* <>0.
Duzia de nie* p 'a h m> m a SaOOO.
Ilitas para senhur s m 3*000.
Luvas de fJa a '*00l.
Mei' s de fio de h I para meniin a 1*000.
Uolannh k de f i i li fv O rs
[VA<>*. de algo ai 3 !) e fOO rs.
\i c> de i\ mpus s.
lie nviaiv i* gi^ndrs -. 320 >"
y rmn- a* 'i1) rs.
S qu de -, i un (nuvniade) a 6^500.
K holeinh f i -adrep'r a de 1*500 6*.
I-ui p-r horilir *800.
Uina c p l'a e v. l5i0 0, por 12/WOO.
Um esja-lho d mol ora p i *ft"0.
U ul- ira de fita o-r 1*200
ii-> a 400 r ion r-.
Um- hoiMO grande ip ifl p r 2*51i e 3iQ00.
N\ EX''OSigAO i ENTRAL
Jaboato
.")8Kua Larga do k.r^.rio38
Vende se a padaria e o estabelecimento de mo-
Ihados, bem afreguezados, e prometiendo anda
maior negocio fazer com a ida das oficinas da
estrada de ferro de Caruar, prximo mesma
estacao, fica situado os estabelecimentos cima,
arrendando se as casas pegaba que pretender :
a tratar em Jaboato. confronte ao botel Globo.
I
Vende-se urna importante taverna no lugar das
Salinas de St-ato Amaro, propria para qualquer
principiante, faz frente para a linha frrea de
Limceire : a tratar na mesma.
Fo roa, tiiolos e lias
Vende andido Thiago da Costa Mello em seu
de osito a rua Imperial o 322, olaria. Telephone
numera 2 1.
Coi
re
Vende-se um na rua do Amorim n. 66 do autor
Hitara.
Pinbo de Riga
Vendem Fonseca Irmaos & C, a preco mdico
LOTERA
DAS
I ALAGOAS
CORRE NO DA 13 DE JULHO
NTRANSFERIVEL! INTP.ANSFBRIVEL!.
O portador que possuirum
vigsimo desta importante lo
teria est habilitado a tirar........
10:006^000.
Os bilhetes acham-sea' ven-
In-
dependencia ns.
Corre no dia 13 de Julho
1886, sem alta.
i
da na Casa Feliz, pracad;
37e39.
N. 59 Rua Duque de Taxias N.59
Riquissiroas cliapelinas e lindos chapeos para sonhoras a 6(5 e 8J000! I
Anquinhas de setim a 3(5000 para acabar.
Lindas luvas de seda, todas de cores, a 3(5000!
Setins de listrinhas, phantasia para bailes a 400 rs. o covado 1
Capas de la para senhoras a 2(5, 3(5 e 6(5000.
Espartilhos finissimos a5je 6)50001 Figurino
Camizinhas bordadas para senhoras a 4(5 e 6(5000.
Leques, meias arrendadas, lencos de seda, enxovaes para casamento, artigos
de gosto, tudo barato.
CARNEIRO DA CUMA &C.
59Rua Duque de Caxias59
BflBTl
I

I


Diario de Pernambacutyuarta -feira i4 de Julho de 1886
ASSEMBLEA^CiEIiAL
ABA DS DBPIT1DOS
SfiSSO EM 23 DE JUNHO DE 1886
PRESIDENCIA DO SB. ANDBADE FIGE1KA
(Continuaj&o)
Ahi est uina despeza de 200:0003
que deve ser deduzida do orjaraeato nte-
rior e ver-se-ha se nao houve grande eco-
noma.
Vagaram tres lugares de ad iidos que o
orador suppriroio por julgal os desoecessa-
rios, ooao desnecessario julgou o consula-
do da Cbina porque l nao ha que fazr.
Tado isso sao pequeas comraissSes que
denuncian o proposito em que est o go-
Temo de fazel-as: e se o nobre deputado
auizer certificar-se deste proposito exami-
ne s tabellas que s; acham juntas ao re
latorio anterior
Lastiraou o nobre deputa lo o solaioen-
to cm que se acha o Brazil entre as di-
versas najSes de mundo, e attribu* esse
isolamento permanencia da escravidao no
Brazil e existencia da monarchia na
America.
S. F.xc porm, nao demonstrou era
que essas duas instituij3es tm conaorndo
para que o Brazil nao represente o papel
que lhe compete entre as divorsas naj3es,
papel proporcional sua forja e as suas
circumstoncias.
De certo nao se lembra o nobre deputa-
do que a escravidao existia no impeno era
maior escala do que actualmente, assim
como a monarchia que o orador espera
existir ainda por longos annos, quando
najSes como os Estados-Unidos e a Fran-
ja eacolheram o Brazil para arbitro de
suas queBtSes internacionaes ; quando na
j3es como a Inglaterra, a Italia, a Suissa
republicana e a Blgica solicitaram do Bra-
zil a nomeajo do presidente das commis-
s3es que tinham de decidir questSes de re-
clamajSes provenientes da guerra do Ohi-
le coca o Per.
A que ficam pois reduzidos os funda-
mentos da opiniao do nobre deputado?
O Sr. Affunso Celso Jnior : Na Euro-
pa o Brazil conhecido smente as chan-
cellaras. ,
O Sr. Baro de Cotegipe ^presidente do
conaelhoj acha m erro contundir com a
Europa essas associacoas phUantropi<:a
que l se formara, o que intentara dar leu
ao Brazil. Nos nao precisamos dellas,
nem de cartas era de co..selhos para nes
governarmos. Governein-se ellas a si que
nos nps governareraos a ua mes-nos.
Estranhou o nobre aeputado que a di-
plomacia nao tenha conquistado vantagens
para o paiz. Hoja nao como outr'ora ;
o papel da diplomacia resume-se em fomen-
tar a estima e o respeito entre as najSes
com as quaes se mantm relaj5e3.
E' esta a nica conquista, que Iba com-
pete, e essa demonstram-n'a os factos que
acabou citar.
A respeito da questao das Missoes, O
nobre deputado a-onselhou o orador a que
rompesse as negociaj538 entaboladas. Pra
ticaria um acto pouoo digno se tal fizesse.
A palavra do g>verno j se achava empe
nbada ao iniciar o orador a administrajao,
e assim nao lhe competa desfazer o que
estaya feito,
Dsso o nobre deputado que lbe consta
va que a Repblica Argentina procura il-
ludir o tratado feto com o Brazil, pela ra-
z5o de que o futuro presidente era d-erso
&o ajuste celebrado. Isto nilo verosmil,
em primeiro lugar porque o nobre deputa-
do nao pode classificar o Sr. Juares Oel
mon de inimigo desta negociajo, e em
segundo lug*r porque o proprio nobre de-
putado declarou na discussao da resposta
falla do throno, que por este tratado a
Repblica Argentina havia ganho urna vi-
ctoria sobre o Brazil 1 Como, pois, oon-
ciliar que urna najo que alcanja urna vi-
ctoria sobre outra por um tratado, esteja
buscando meios de Iludir esse tratado ?
Deve, porem, asseguarar ao nobre de-
putado que nao ha receio de que esse' tra
tado nlo seja executado tilo litteralmente
como o que nelle se acha estipulado.
Quanto aeraora bavida,no cornejo dos
trabalhos da commisso, pondera que ha-
vendo prazo marcado para enoetarem cases
trabalbos, e esse prazo nao estando ainda
terminado, nao ha razSo para se descon-
fiar de que o tratado nao ser cumprido.
Era evploracSea de campo, dificeis como
esta, em lugares desertos e sem recursos,
como aquellos, preciso tetnpo para que
cada coramissario se possa muir do que
ha mister.
Sobre a quentao -hilena ignora o orador
ee o Sr. Lopas*Netto pedio ou nao domis-
sao O quu certo que osso cavalheiro
foi substituido pelo Sr. conselheire Lafayet-
te, que na sua roissao tem sabido desem-
l> '.nh,ir se na altura do seu carcter, do
seu talento e das suas habilitoj8es.
Deve informar ao nobre deputado qne as
sessSes da commisso de arbitros nao fo-
r m suspensas, como S. Exc. affirmou,
tanto assim que o Sr. Lafayette tm jal-
gado algumas reclamares.
O que o governo nao quera era que o
nosso arbitro ficasse inactivo, urna vez que
os commissarios das outras naj3es allega-
vara pretextos para suspenderem as ses-
sSes.
O governo pedio explicajSes sobre esse
facto e estve a ponto do mandar retirar o
Sr. conselheira Lafayette, mas nao fez pjr
motivos Justos, esperando o orador que S.
Exc. venha quanto antes com a sua mis-
sao concluida.
Fez o nobre deputalo algumas couside-
rajSes a respeito do vapor Tm France tor
entrado no porto da Bahia, e de haverem
all disp^ad.i sobre elle um. tiro de bala
de que resultou a morte de ura passageiro.
O orador mostra o acert com que pro-
cedeu o capito daquelle porto castigando o
transgressor de urna formal medida sanita-
ria que, obsta a invasao d; urna epidemia,
e declara que preciso proceder com ener-
ga em casos taes na quadra epidmica,
podendo essas medidas de rigor ser abran-
dadas por meio de multas em tempo anor-
mal.
Est de accordo com o seu antecessor
quanto a demissao dada a um diplomata
nosso ; e nao comprehendo a extranheza
do nobre deputado em ser cassada a esse
diplomata a carta de conseibo, porque seria
interessante que Sua Magestade que dis-
tingue com ossa carta aos cidadaos aquem
preza.fl'io pudesse cassal a aquella que
foi deraittido'pela forma por que o foi, e
continuasse elle a ser conselheiro de Sua
Magestade.
Sao estas as considerac3as quo enten-
deu de ver fazer era resposta ao nobre de-
putado, a quem estima ; e tanto, que la-
m;ua profundamente vendo-o tomar a po-
sijo que S. Exc. acabou de declarar, isto
, de republicano.
Esta discussao fica adiada pela hora.
OBCAMENTO DA JUSTICA
Contina em 2 discussao do projecto fi-
xaado a despeza do ministerio da justija
para o exercicio de 1886 1887.
(Entra no sali e oceupa a sua cadeira
0 rr ministro da justic )
O r. Jos Marcelino louva o
Sr. ministro da justija por nao ter pedido
vorba para ociorrer creajao de termos e
comarcas, como pretenda o Sr. Candido
de Olveira, que entende d<*ver se isentar
o orjamento da justca do programma
do economas, proclamado pelo governo,
E' preciso lembrar qae as assemblas
provinciaes nsm ae.xpro procedem Q(?m
jnstica quando retalham termos e coraar-
cpb ; ellas nwsta materia quasi s3mpre obe-
decom ao influxo partidario, e dabi resul-
tara croares dispsasaveis e dispendiosas.
Disse o nobre deputado que a nica at-
tribuijao que resta as assemblas provin-
ciaes, para a creaco da termos e comar-
cas estava nullificada, desde que assem-
bla geral competa a decretbco de verba
para occorrar a essa despeza.
Entendeu S. Exc. que havia confusao
nesta ponto, e que a lei orcaraentaria nesta
parte no acto addicioDal e feria de freni
a prerogativa da as^embla provincial.
Illude-se o nobre deputado. A t boa;
assim as assemblas provinciaes nao se ex-
cedessem tanto na decretacSo de termos e
zara as assemblas provinciaes de certas dor no pdde,conter o seu regosijo, porque
FOLHETIH
MGOLO
PK
2vi2a uaaaanp
(GO.NTlNAgAO DE ANGELA)
(Coutinuago do n. 158)
XII
Altn disso a carteira perdida ou jogada
na ra Vieille du Temple demonstrava a
presenja do assassino em Pariz.
Continua a acreditar na cumplicidade
da filha natural de Jayme Bernier ? per-
guntou o chefo da seguranja ao magistra-
do.
Mais do que nunca... E' ells, sem
a menor duvida, que, tendo achado a car-
ta escripta por seu pai a Jecilia, tracou o
itineraaio o deu as indicacSes ao homem
pago por ella, quer em dinbeiro, quer em
amor.
Ento, o senhor de opiniao quo se
deve mandar prender essa mulher?
Da certo, o ia assigaar o mandado
de priso. O que me est dizendo decde-
me a esperar.. Angela Bernier pode, sem
e saber, auxiliar nos a encontrar Osear Ri
gault, que, segundo parece, nao levar
muito tempo que se ponba em relacSes com
ella... E', pois, preciso vigial-a de muito
perto.
O que pensa o senbor a respeito de
ma busca era casa deHa V
J pensei nisso ; mas nao na casa
della qae est o perigo... Angela Bernier
est ainda em Saint Julien du Sault, perto
da filha, e ser tempo de tomar providen-
cias, quando ella chegue a Pariz. Quero
qae a busca tenha lugar em sua presen-
ta... emquanto esperamos, anime as pes-
quisas dos seos agentes.
comarcas.
O orador refere-se
ao mo uso que fa-
As ordens j esto dadas... Espero
com impaciencia a chegada de Caseneuve
e de Flogny... Obtiveram naturalmente
em Marselb os signaes do homem em que
talla o telegrararaa de Caseneuve o sao os-
ses signaes de que precisamos ; porque o
assassino deve ter deixado o seu nome de
em prest mo de Osear Rigault.
Era tambem a opiniao do juiz formador
da culpa.
O chefe da segaranja retirou-se.
O Sr. do Gevrey nao tinha osquecido
qae o Dr. Angelo Proli devia vir, pela
volta do meio dia, trazer sua mai a lune-
ta, cujos vidros de crystal de rocha, cor-
tados segundo os seus dados scientificos,
int iramente novos, realizara um verda-
deiro prodigio, restituindo a vista enfer-
ma.
Deu, pois, rpido expediente aos seus
trabalhos da manha, e, pouco antes do
meio dia voltou ao seu domicilio.
O successor do polaco Gnsky nSo tinha
feito nesse dia a visita da manha casa do
saudo.
Querendo assegurar de viso que Luigi
curapriria a sua promessa, tencionava pr-
se espreta no botequim situado em fren-
te do estabelecimento da bella Angela.
Por consequencia, encarregou o seu me-
dico adjunto de o substituir, subi ao apo-
sento de Cecilia para lhe perguntar sa ti-
nha passado bem a sua primera noite, no
estabelecimento, de que ella devia ser em
breve a rainha e senhora, e depois de re-
ceber resposta afirmativa, dirgio-se a Ba-
tignolles.
Chegado ra das Damas, o italiano
collocu-se no botequira, como se havia col-
locado na vespera, isto por detraz da
vidraca que, por um intersticio entre as
cortinas, lhe perraittia ver a loja da her-
vanaria.
Er.im dez horas, menos um quarto.
Drigindo-se pela avenida de Clichy o
vindo da ra das Damas, um homem com
chapeo de feltro flexivel, com grandes abas
puxadas para baixo, com o peacoco enro-
lado n'ura cache-nez, caminhava a passos
largos pelo passeio da esquerda.
Esta transente assobiava, gesticulava e
dava reviravoltas a urna bengala, qae tra-
zia na mo.
Era o ofiicial armeire Luigi.
regalas que Ibes sao conferidas por lei, e
desojara ver adoptada urna medida que
cohibisse essea abusos.
Quanto reforma judiciaria, projecto de
que o nobre deputado foi relator o anno
passado, e a respeito do qual S. Exc. quer
saber a opiniao do nobre ministro da jus-
tica, entende o orador que essa reforma d
algumas vantagens, mas nao completa,
porque dJo vem melborar a sorte da ma-
gistratura.
A idea da eleijao do magistrado pelo
suffrago popular syrapathica ao orador,
mas nSo para ser appli:ada em o nosso
paiz, onde o eleitorado ainda nao aitingo
as condijSes de liberdade o independencia
necessarias.
Acha o systema da nomeajlo por anti-
guidade muito peior do qua o actual. O
concurso o outras pro vas para a investi-
dura do magistrado sao preferiveis e p3em
o candidato, por seu merecimento, ao abri-
go do capricho o do influxo partidario do
poder executivo, que tem de nomeal-o.
Lamenta que a sorte da magistratura
dependa tauto da poltica, e lembra a con-
veniencia de urna medida quo acaba com
este pernicioso systema de que derivara
tontos abusos.
O nobro deputado fez-se echo de aecu-
sacSes feitas em carta pelo Sr. Zima, a
respeito da nomeacao de um magistrado
cgo, e de conflictos provocados pelas au-
toridades n* cidade de Lenjes, da pro-
vincia da Bahia.
Attribue ao espirito trefego e partidario
do communicante semelhantes aecusajoea,
iffirma que nem o magistrado a que S
Exc. alludio ceg, nem os confllictos fo-
ram provocados pelas autoridades de Len-
jes, porque os habitantes d'aquelle lugar
o que desejam a paz, depois do xodo a
que os obrigou a ascensiio do partido li-
beral era 1878.
Podo asaeverar Cmara quo as autori-
dades conservadoras d'aquelle lugar sao
ordeiras o moderadas, mas nem por isso
devem deixar de restabelecer a ordem,
quando alterada, desde que o proprio Sr.
Zama quem incita luta os seus amigos,
em vez le reoommendar-lhes prudencia e
moderacSo.
O Nr. Lentos comprimenta o seu
Ilustre comprovinciano, o nobre ministro
da justija, a quem dedica estima o consi-
deraco. Com muito pezar, porm, nilo
pode deixar de externar queixas o censu-
ras ao procedimento de S. Exc. pelo que
occorre na provincia de Minas; pois, co-
nhecendo o pessoal all, estava as suas
raaos evitar essas oceurrencias.
O orador censura o procedimento do Sr.
vicepresidente. Dr. Teixeira de Souza,
que nilo procurou por cobro aoa desmandos
das autoridades em Minas. Referindo-se
s queixas trazidas Cmara pelos seus
co religionarios, diz que deviam ter provo-
cado a aejao do governo. Os assassinos
do Francisco Jos Mariano e seus compa-
nheiros ainda esto impunes. O estado da
cidade da Curvello de dia em dia fica
peior, o se o governo nao obstar que o ca-
pitSo Francisco de Paula Xavier de Abreu,
official de polica, continu na pratica dos
atentados que trazem aterrada a popula-
Sao d'aquella pacifica cidade, de receiar
que baja urna reaccjfo violenta.
Censura o vice presidente Sr. Teixeira
de Souza, por ter demittido do cargo de
director da fazeuda provincial o Dr. Ber-
nardno Augusto de Lima, conservador dia
tiacto nomeado pelo Sr. Portella, qae de-
clarou peia iraprensa que tinha sido demit-
tido por ter resistido a pretensoes inconve-
nientes do presidente, que quera ingerir-
se em actos da sua exclusiva competen-
cia.
Narra varios toctos praticados pelas au-
toridades da provincia de Minas, para os
quaes chama a attencao do Sr. Ministro.
Lastima que se dem factos dessa natu-
reza, Bem que merejam os devidos correc-
tivos por parte do nobre Sr. Ministro da
justca.
Mostra que mesrao na capital da pro-
vincia de Minas se tem dado factos estra
nhos, como quando se retirou o nobre de-
putado o Sr. Portella da admtnistraco da
provincia, um grupo do partido conserva-
Por detrs delle, distancia de cerca
do cincoenta pasaos, caminhava um vidra-
S. Exc. tinha sido obrigado a demttir al-
guns membros desee grupo.
O Sr. Carlos Peixoto : Com grave in
jas tija.
O Sr. Lemoi :Replica que foi porque
aquello notavel administrador tinha tido a
borabridade de nao se sujeitar a exigen-
cias partidarias, procurando curaprir seu
restricto dever.
Faz ver quanto foi riiiculo o proced
ment da polica da capital nessa emer-
gencia.
Rel.ta factos contra a liberdade do cora-
mercio na raesraa capital.
Termina pe-lindo ao Sr. Ministro da
Justica que diga o que pensa a respeito da
reforma judiciaria que se acha no Senado,
porque, se ella deve ser aceita, seria de
bom conselho alterar a verba primitiva a
respeito dos jaizes de 2.a instancia; po-
rm, se S. Exc. so oppoa a essa reforma,
pergunta He que modo S. Exc. impedir
que ella seja convertida em loi.
Esto discussao fica adiada pela hora.
O Sr. Presidente d a ordom do dia 23.
SESSaO EM 23 DE JUNHO DE 1886
PRESIDENCIA DO SB. ANDEADE FIGEIEA
Ao meio dia, feita a chamada, a que res-
pndelo 106 Srs. deputados, abre-se a ses
sao ao meio-dia o sote minutos.
E' lida e approvada a acta da sessao
antecedente.
O Sr. 1. secretario d conta do expe-
diente.
ORDEM DO DIA
PATRIMONIO DE IBMANDADE
Entra em 3.* discussao o projecto auto-
risando a irmandado dos homens pretos de
Nossa Sanhora do Rasario, da cidado de
S. Paulo, a possuir bens do raz at
quantia de 30:0000000.
Nnguem pedindo a palavra, o projec-
to adoptado o romettido commisso de
re iac jo
Entra era 2 discussao o projecto fizan-
do a despeza do ministerio de estrangeiros
para o exercicio de 1886 o 1887.
Ninguem pedindo a palavra, encerra-
da a discussao, approvado o projecto com
as seguintes emendas da commisso :
< 1.* < Secretaria de Estado, moeda
do paiz diminua-se 3:200(5000.
A o 2" LegajSes e consulado, ao
cambio de 27 d. por ljJOOO diminua-se
25:850^000.
< Ao 3o Erapregados em disponibi-
lidade, moeda do paiz< diminua-se......
1:6000000.
Ao 5o Extraordinarios no exterior,
ao cambio de 27 d. por 10o augmonte-se
30:0000000.
c Ao total reduza-se a quantia pedida a
949:3560666.
BESTITOigXo DE IMPOSTO
Entra em 3o discussao o projecto auto-
risando a restituir ao Lyceo Litterario Por-
tuguez a quantia de 9:0000, que pagou de
imposto da transraissao da compra da casa
em que fcnccionam suas aulas.
Ninguem pedindo a palavra incerrada
a discussao adoptado o projecto e remettido
commissSo de reduejao.
E' igualmente approvado o segunte ad-
ditivo -
c E' concedido igual favor at 50:0000
instituijao de caridade Corajb de Jess
da cidado do Crato, na provincia do Cea-
r, a respeito dos immoveis que adquirir
por qualquer meio, permittido era direito,
ou que obtiver at o valor d) 50:0000000.
OBCAMENTO DA JSTICA
Entra em discussao o projecto fixando a
despeza do ministerio da justija, para o
exercicio de 1886 1887.
Vem mesa, sao lidas e postas em dis-
cuseao juntamente com o projecto as se-
guintes emendas :
c Ao n. 19 onde se diz novos termos e
comarcas-20:0000, diga-se 50:0000000.
Sala das commissSes, 22 de Junho de 1886.
Silva Tavares. Guahy. Rodrigues
Alves. Mattoso Cmara. Lucena.
Carlos Peixoto.
1 Aon. 19 onde se diz novos termos e
comarcas -20:0000000suprmase a ver-
ba. Loaran ja de Albuqu erque.
D Sr. Illbeiro da Luz (ninistro
da justica) estranha a impugaajao feita
pelo Sr. Candido de Oliveira raduejao da
[fespeza proposto no orjamento da justija.
a o goveruo aagmentasse a despeza era
procedente a censura da parto deS. Exc;
mas diminuudo-a, nSo. P.irece-lhe, por-
tante, qua o papel do nobre opposicionista
acha-se invertido.
E' certo que a opposijo t im doveros a
cumprir e interesses a zelar; e se do seu
dever dar ao governo meios iodisponsaveis
de vida, est tambera no seu intaresse nao
dotar as verbas tao largamente que afinal
veja-se o governo crubarajado para occor-
ror ao seu pagamento.
E' assim que o nobro deputado quer dar
ao ministerio da justija, em vez do 20:0000
que elle pede, 294:0000 que elle nao pede,
nem }ulga necessarios para a installajao
de novos termos o comarcas.
S. Exc. quer dar tambem ao goveroo
a faculdado de noraear mais 47 juizes de
direito, no correnta exercicio, assim como
47 promotores, outros tantos escrivSes de
registros o hypothecas, e 30 juizes muniei-
paes.
Este augmento de despezas ncorapa-
tivel com o papel da opposijao, que ao
contrario devia, com o seu apoio, animar o
orador a proseguir na reducjlo dellas.
No relatorio da justija estao consigna-
das algumas reduej3es principalmente na
verbaNovos termos e comarcas, por
que o governo est no firme proposito de
equilibrar os orjsmentos.
O orador, propondo tambem o adiamen-
to da verba para pagamento dos novos
funecionarios que tm da servir as novas
comarcas, julga que nao ferio a prerogati
va das Assemblas provinciaes, conforme
affirmou o nobre deputado:
E' verdado que o nobre ministro da fa-
zenda realisou, com o melbor xito, as ope-
rajoes dos emprestimos interno e externo;
mas isso nao sufraga a opiniao de alguns,
que entendem estarem, por esse facto. re-
gorgitando de |dinheiro as arcas do the-
soure.
A vantagera que dessas operaj3es resul-
tou foi livrar o thesouro das difficulda-
des em que o collocava a crculajao de
112,000:0000000 dos seus bilhetes ; de
maaeira que agora nao tem de pagar
juros incertos pela divida fluctuante, mas
juros cortos, e pode fazer maior amortiza-
jaodo que fazia d'antes,
Outra operajlo vantajosa foi a da con
rai, no relatorio qne pedia para isto
apenas a quantia do-20:0090000, embora
raencionasse na tabula a de 220:00000
Pensa, portonto, que procedendo assim
nao violou a lei de Dczembro de 1879.
Em seguida apresonta cmara urna re-
lajeo discriminada dos termos e comorcas
creados desde 1871, e mostra qual foi, des-
sa data em diante, a despeza feita com a
qua se fez com a instatallajao de novos
termos o comarcas
Nada mais tendo a accrescentar sobre
t^sto ponto, aguarda : pronunciaraento da
cmara, que de certa resolver sobre as
reducj3es propostas como julgar mais con-
sentaneo com as conveniencias publicas.
Recoria que o nobre deputado o Sr.
Duarte de Azevedo quando ministro da
justija, era 1573, propoz a reforma da lei
da guarda nacional e conseguio que fosse
consignada na mesma lei o art. 2o que pas-
sou para as rendas provinciaes o imposto
pessoal^ e os emolumentos provenientes das
patentes dos officiaes da guarda nacional,
at entio essa guarda era chamada a fazer
o srvijo das guarnijoes o poda ser desta-
cada em um ou outro termo, sendo a despeza
futa pelos cofres geraes ; aquella le, po-
rem, dispensou-a desses servijos, excepto
noa casos do rebeliao cu de guerra estra-
nha, determinando que essa lei nao tea
execujao seno um anno depois de pro-
mulgada ; em 1875, estando rovogado o
imposto pessoal deliberou-se que sa con-
sigoasse na lei de orjamento a somraa de
600:0000 como o auxilio forja policial
das provincias, para a falta da guarda na-
cional. ^^^
V, porem, qua doz annos sao passados,
que aquella so urna tem sido, entregue an-
nualmente s provincias, mas estas a tem
erapregado em outros sempos ; por isso
aehou urna verba que sa prostava dirai-
nuicao ; verdade que o nobre deputado
o Sr. Candido de Oliveira dissa qae as
crise
mas
ceiro, que nao era outro senao Donato, com
O seu cavallele s costas, seguindo a inesv
ma direejao o caminhando pelo meio da
caljada.
De minuto a minuto, soltava este conhe-
cido prglo :
Olhe o vidraceirol
Quanto mais Luigi se approximava da
loja da hervanara, com mais animajao fa-
zia voltear a bengala, executando sarilhos
insensatos, assobiando ou cantando.
A's vezes atirava a bengala ao ar o apa
nhanhava-a, maneirados tambores-mores.
Proli vio-o, reconheceu-o e perguntou
de si para si, muito inquieto, se o armeiro
se tena embriagado.
Como se poda explicar per outra forma,
aquella pantomima estupenda ?
Por detrs de Luigi, Donato continua va
a apregoar, com intervalos regulares :
Olhe o vidraceiro 1
Mas nenbum fregusz o detinha para re-
clamar os seus servijos.
Luigi chegou em frente loja de An-
gela.
Ahi a bengala adquiri, de repente, um
movimento de rotajao vertiginosa ; eis se-
no qu >ndo, escapando-lhe da mo, voa co-
mo urna flecha o vai bater contra urna das
janellas da sobrepuja, situada exactamente
por cima da loja da her van aria.
Ouvio se um grande ruido do vi iros
quebrados.
O armeiro parou, muito eofiado com o
seu desaso; ficou immovel, de bocea abor-
ta, olhando para a vidraja quebrada, pela
qual so tinha introduzido a bengala com
etfracjao no aposento.
Mmtas pessoas vieram porta.
Uu>a vizinha tinha aborto a porta da loja
da hervanaria o gritava com toda a forja
dos seus pulm3es :
Calharina... Catharina, olha qae te
quebrarom urna das vidrajas.
Catharina covreu log para o passeio.
Eu bem tinha ouvido, replicou ella,
mas nao sabia onde era ento em nos-
sa casa ?
Exactamente, urna das janellas da
sobreloja.
Isto s de proposito, s por mslda
de 1... Quem o animal damninbo...
A criada da bella hervanria nao teve
tempo de acabar a phrase.
Luigi tinha-se approximado della.
^ O animal damninbo fui eu, minha
querida senhora, disso elle com toda a ci
vilidade e acompanhando as palavras com
um grande cumprimento ; o nSo o fiz de
proposito. Foi urna falta do geito.... ou
gesticulava com a bengala... escapoume
das mios... o abi est.
Visto quo assim, nao lhe quero
mal... Mas ha um vidro quebrado, 00
senhor sabe o dictado : quem quebra vi-
droe...
Paga-os acabou o armeiro. E' mui-
to justo, u o qua eu mais desejo pgalo,
minha querida senhora. Vou pagar imme-
diatamente. .. Trata-se de avahar o estra-
go... Faz favor de mo dizer quanto cus
ta um vidro novo, posto na vidraja ?
Neate momento Donato, j muito perto,
lanjou com voz, cada vez mais vigorosa, c
seu prgo profissional :
Olhe o vidraceiro 1
Luigi continuou :
Ora veja que felicidode Chega ago
ra justamente um vidraoeiro, na occasiao
precisa em quo temos necessidade delle...
Ola, vidraceiro !
O que que manda, meu burguez ?
perguntou elle.
Meu amigo, respondeu o armeiro,
acabo de commetter a imperdoavel estupi-
dez de quebrar desastradamente um vidro.
Ora, com o fri quo faz, isto nao agr
davel para as victimas da minha falta de
geito. Qnoira entenderse com esta senho-
ra para por o vidro. Aqu estao cinco fran-
cos.
Mas, observou um vidraceiro, um
simples vidro de janella nao custa cinco
francos.
O rosto para o meu amigo.
Obrigado, meu burguez.
Donato metteu os com solios na algibeira
o disso a Catharina :
Onde necessario por o vidro I
Venha commigo; vou conduzil-o.
Lngi deteve Catharina, tocando-lhe no
brajo, deiton-lbe na mo urna moeda de
cnc.i francos e disse :
Queira, minha senhora, aceitar isto,
como insignificante indemnisajSo do incom-
1 modo qae lhe casei, e restituir-me a mi-
veraio dos juros de 6 [0 para 5 {0, resul-
tando dahi qara o thesouro urna economa
de 3,019:0000. O thesouro lucrou porque
v-se assim menos enerado nos pagamentos
a faasr : mas essa sarama insufficente.
A couverso ser o prineiro passo para
a reorganizajo das nossas fioanjas, que
o desidera'nm do governo ; e oeste empa-
nho cumpre cmara auxilial-o.
Para obter o equilibrio da ra eta com a
despeza julga o orador que ha s dous
meios: a elevayilo da renda por meio de
povos iropostos ou aggravajSo (loa existen-
tes, ou euto a raduejao das dospezas pu-
blicas. O primeiro destes moios paroce-
lhe mais difficil do que o outro, por affec-
tar direotamenta os interesses do contri-
buinte. Mas a cmara compete dizer de
entre ellos qual acha preferivel.
Propoz o orador no seu orjamento ama e-
conoraia no valor de 400:0000, quo sa poda
realisar as verbas :novos termos eco-
marcas, auxilio forja policial o justija de
1* instanciaE' pouco, mas conta com o
patriotismo da cmara para fazer toda a
reduejo possivel.
Voltando supposto offensa feito a pre
rogativa das assemblas provinciaes no ca-
so de adiar-so a decreta jao de despezas a
fazer com os novos termos e comarcas,
nfostra que nao ha scmelhante offensa, por*
quanto, se s assemblas cabe a dacreta-
jo desses termos e comarcae, e a assem-
bla geral a decreta jo das desposas a fazer
com esse servijo, claro quo o parlamento
nao deve decretal-as quando as circumstan-
cias lh'o nSo permittem. E este o caso
que se d actualmente.
Mencionou na tabella, urna por urna, to-
das as comarcas, tormos e varas raunici-
paes, e qual a somma total exigida para
pagamento dasse servijo. Declarou po-
provincias passam por grande
o orador pergunta quaes sao as condjSes
do thesouro, so este pode prestar auxilios^
quando precisa delles.
Motra, entretanto, que este auxilio
nao se sxtingue, apenas se reduz, porque
o governo obrigaio a fazer economas
em alguns servijos das provincias.
Responde a outra pergunta do Sr. Can-
dido de Oliveira, que podia recordar o que-
disse no relatorio do ministerio da justija ;
mas devo declarar que aceita o projecto
que foi da cmara para o senado, sobre
reforma judicial, como base para a discus-
sao, mas nao concorda com muitas de suas
disposijBes.
Entende que alguraa cousa se dev* fa-
zer sobra a aposentadoria dos magistrados;
por isso dentro do pouco tompo vira c-
mara propor medida nesse sentido ; quan-
to aos venciraentos daquelles funecionarios,
foraro elles alterador pela loi de orjamento
do 1870, C-'?m a doclaracito de seren per-
manentes.
Affirina que uina boa reforma judiciaria
dependo dos recursos quo o thesouro possa
dar aos magistrados garantindo-lhes a in-
dependencia, por isso o governo tem essa
reforma em vista logo que as circumstan-
cias financeiras do paiz o permittam.
Quanto aos tribunaes correccionaes, o
orador declara que de accordo com o mi-
nistro da justija, que foi collega do Sr.
Candido de Oliveira, aceitou que fosse de-
cretada a creajao daquelles tribunaes, mas
declarou quo no concor lava que se esta-
belecessem estes tribunaes seno n > inte-
rior do Brasil, onde mnito difficil reunir
o tribunal do jury.
Mostra a differenja dos julgamentos por
juiaes singulares eos proferidos pelo jury,
neite a responsabildade collectiva, em-
quanto que naquello restricto aojuiz.
Depois de responder s irapugnajoes do
nobre deputado o Sr. Candido do Oliveira,
devia tomar em eonsiderajo os factos re-
feridos pelo Sr. Lomos, rras o orador acha-
se fatigado e por isso deixa para outra oc-
casiao a resposta ao nobro deputado.
en-
nha bengala, (que to estpidamente
trou pela sua janella.
Agradejo muito, senhor. a culpa nto
foi inteiramento sua. Foi um accidente,
um simples accidente, como podo aucceder
a todos... Tenha a bondade de entrar na
loja, emquanto eu voa mostrar ao vidracei-
ro onde est o quarto, o eu mesma lhe tra-
rei a bengala.
Fico-Ihe muito agradecida, minha
querida senhora, respendeu Luigi, entran
do na loja.
Donato levava o vidro, o diamanto, o
martello, a faca, a massa e segua Catha-
rina, que o conduzio para a sobreloja.
Aqu est a janella, disse-lhe ella.
Sou obrigada a tornar a descer para a lo-
ja... Aquello maluco nao teria quebrado
por aqu alguma cousa ? accresceutou ella,
deitando urna vista d'olhos em volta do
quarto e apanhando a bengala do que o
armeiro se servir to dcsageitodamente.
Depois desceu outr vez.
Aqu tem a sua bengala, senhor, dis
se ella, e tenho um conselho a dar-lhe :
que tome mais cuidado para o futuro com
os seus exercicios... se fizesse, como esta,
urna s por dia, sahia-lhe a cousa cara.
Excelleote conselho, minha querida
senhora, e creia que bei de seguil-o.
O armeiro sahio da loya da hervanaria
desta vez sem gesticular e continuou o seu
carainho pela avenida de Clichy.
Proli, espectador mudo por detrs da
vidraja do botequim, tinha assistdo curio-
samente scena inventada por Luigi.
Tudo correu maravilhosaraenta, mur-
murou elle, muito engeuhuso e nao posso
deixar de o admirar I 1 O patife tem ima-
ginajo. E' bom saber isto. Se do no-
vo ti ver preciso delle,. bastar pagar-lhe
bem par. ser bem servido.
Atirou para a mesa urna moeda e sahio
do caf, exactamente na occasiao em que o
armeiro sahia da loja da hervanaria.
Primeiro doixou-o passar adianto do si,
mas depois aprassou o passo.
Parto da praja, alcanjou-o e bateu-ihe
no hombro.
Luigi voltou se.
J esporava que o senhor estivesse
por aqui... disse elle. Vio?
-Vi.
Entio que dia a isso T
(Confi'nuar seha\
Figo quo es um rapaz de mnito m-
rito. O que tu acabas de fazer da primei-
ra forja.
O armeiro apresentou urna cara radiante
de alegra o de orgulho.
Tenho no meu sacco outras vinte par-
tidas, que valem tanto como esto... repli-
cou ella. Eatou inteiramonte a o seu ser-
vijo, meu amo.
Talvez que se aprsente ainda a oc-
casiao de utilisar o teu talento.
Tanto melhor... Reconheceu o vi-
draceiro ?
O teu companheiro de mesa de hon-
tem noite...
Exactamente... Donato, um bom ra-
paz. -
Que tu acabaste de tornar teu cum-
plice... Ests certo da sua discrijo ?
Tanto como da minha. Donato mu-
do como um paixe. Dedicado como um
cachorro e com bastante iatelligencia para
execuiar, sem coraraentorios, o qae se lhe
pede. Quando preciso ajudante, nao pro-
curo outro homem seno elle... Tem o li-
vrinho da martina no bolso e garanto-lhe
que o ha de saber introduzir em quaiquer
parte, emquanto est pondo o vidro.
Estou contenta comtigo... J come^
jaste o teu tratamento T
Mesrao esta manha.
- Os resultados nilo so h2o do fazer es-
perar. .. Reflacti que intil o talzez mes-
rao perigoso ir-te procurar Reunio dos
Vidraceiros, onde, a minha presenja repe-
tida acabara por ser notada.
Comtudo, para ajuizar dos resultados
da reueito. y"
- E's ta quo me viras procurar.
__Ola I tem confianja em mim. Vai
dizer onde o sou ninho 1
Por que nao. Sei que nao tenho na-
da a receiar de ti.
L isso nada tem que temer I...
Um compatriota 1 Um filho da Italia....
sagrado I Saiba que deixaria cortar a
minha Iingua antes que pronunciar urna
palavra que podesse compromettel-o I 1 A
ra morada ?
1Continuar-seha)
Typ. 4o Diario, ras Daqte de Casias m. t