Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18298


This item is only available as the following downloads:


Full Text

A JN JN \J h A V
NUMERO
PARA A C.1P1TAJL B LICAREM flWDli 3A SE FAA PORTE
Por tres ineaes adiantado. ......
Por sois ditos idcm........
Por um anno idem ........
Cada numero avulso, do niesmo dia. .. .
G000
120000
230000
0100
QUABTA-EfflA 27 DE MARfjO-DE 1889
PARA ttEATRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantadoB............. 130500
Por nove ditos idem................. 200000
Por um anno idem................ 260000
Cada numero avulso, de das anteriores.......... 0100

DIARIO DE PERNAMBUCO
TroprMade de Manoel 3%dra de tfaria .# Cilios
-.
TELEGRAHHAS
SSBVI50 rABTICLAB SO HLli:
NATAL, 24 de Marco, s 12 horas e 4
lutos da tarde.
cias recebidas de MoflO dizem que
stavam all agglomerados .cerca de, 2:000
emigrantes, os quaes perturbavam a ordem
publica. asustando o commercio.
O Exm. Sr. presidente da provincia to-
Jfatpu imraediatamente as providencias que
Kaso requera, epara alli fez seguir o Dr.
chefe 4c pelicia, ao qual deu as necessa-
ria- instruccOes, fazendo-o acompanbar de
lmna forca.
RO Dr. chefe de policia e a forca embar-
^saram n'um. cter que para esse fim foi
frlbdo pela presidencia.
t|aTAL, 25 de Marco, s 9 horas e 10
minutos da manha.
No dia 15 do corrente teve lugar, no 2.*
.districto eleitoral dc-ta provincia, aeleiclo
de um membro da Assembla Provincial.
Foi eleito coni a maioria de 108 votos
o candidato conservador Ucha Costa.
No Jardim nlo houvc ele95o.
PARAHYBA, 25 de Marco, s 7 horas
c 50 minutos da noite.
Foi hoje inaugurado o ramal do Cabc-
dello na ferro -via desta provincia, assis-
tindo ao acto o vice-presidente era exer-
cicio Bario de Abiahy, a Cmara Munici-
pal, chefes de repartieres e militas pessas
gradas.
A festa inaugural, que terminou por um
banquete, esteve esplendida. O primeiro
brinde foi feito ao deputado geral Dr.
Anisio Salatiel Carnciro da Cunha.
A locomotiva que puxou o grande trem
inaugural, chama-se Anisio.
MACEIO', 26 de Margo, 1 hora e
30 minutos da tarde.
Coronel commandante superior do mu-
nicipio de Cimbres, Thomaz Albuquer-
que;
Tenente-coronel commandante do (53.
batalhlo, Manoel N ;
Major commaniantc do esquadro de
cavallaria de Cirabres, Joaquim Gallindo.
Foi*efon coronel da guarda naeional Candido Brito.
Foi mandad o servir na reserva, o
coronel commandinte superior da guarda
nacional do municipio do Brejo,
Hontem, na occasilo em que salta-
va da galeota 'no Arsenal de Marinha, o
mordomo de Sua Alteza o Conde d'Eu,
cahio no mar, sendo salvo pela ]marinha-
gem.
Tendo o engenheiro Paulo Frontn
entregue as obras provisorias que se com-
promettera fazer oar* augmentar o forne-
cimento d'agua corte, foi aqu recebido
por grande numero de pessas, que, ape-
sar da chuva, lhe fizeram urna honrosa
manifestacao, percorrendo depois as ras
da cidade em procisslo civca.
tem, da anniversario do juramento
Cbnstiuielo Poltica do Imperio, estive-
ram embanderados os edificios pblicos
durante o dia e foram illuminados noite.
Reabriram-se os jardins pblicos d As-
sembla e de Jaragu, melhoramenibs de-
vidos ao Dr. Milton, actual presidente da
provincia, qne j havia franqueado ao pu-
blico a ponte do trapiche da barra, cons-
truida em sua adininistraclo.
Houve grande concurrencia de povo
pelas ras e jardins.
O 26. batalhilo de infantera, organiza-
do nesta provincia, depois de ouvir missa,
fez as continencias do ustylo presiden-
cia e desfilou pela cidade.
NSo foi perturbada a ordem publica, que
se conserva inalterada.
RTO FORMOSU, 26 de Marco, s 3 ho-
ras da tarde- *
Principiaran! hoje os estudos prelimina-
res da estrada de ferro de Tamandar.
RIO DE JANEIRO, 20 de Marco, s 12
horas e 45 minutos da tarde.

Foi nomeado ajudante-general do exer-
' cito, efectivamente, o marechal Visconde
de Maracaj.
Foi concedida a exoneraclo pedida
pelo conselheiro Manoel do Nascimento
Machado Portella do cargo de presidente
da provincia da Bahia.
Foram nomeados:
Juiz municipal e de orphlos dos termos
reunidos de I'almeira e Quebrangulo, as
Alagas, sendo exonerado o actual, o ba-
obarel Bernardino Ribeiro;
Juiz municipal do termo de Alagas, na
mesma provincia, o hachare! Alfredo Car-
ralko;
Juiz municipal do termo de S. Jlo,
na dita provincia, o bacharel JoSo < ar-
valho ;
Juiz municipal (Je termo do Pilar, na
.ma provincia, o bacharel Pedro Pe-
i reconduzido no cargo de juiz
ito da comarca do Hecife, em|Per-
bacharel Lindolpho, i lisbello
ssa::;: sa gecia savas
S. PETERSBURGO, 23 [de Marco.
Acaba de fallecer o general Schouvaloft*.
ROMA, 23 de Marco.
O general Corvetto sub-secretario de
Estado no Ministerio da Guerra mandou
os seus padrinhos ao deputado Cavallotti,
em consequancia d'um desmentido recebido
na Tmara dos Deputado?.
PARS, 24]de Marc/>.
Acabara de ser designados dous admi-
nistradores provisorios do Comptoir d'Es-
compt de Pars.
VIENNA, 24 de Marco.
0.s ministros do Interior e da Justica
pediram suas demssSes.
PARS, 25 de Marco,
Os membros da liga dos Patriotas vio
comparecer em policia correccional no da
2 de Abril prximo.
ROMA, 25 de Marco.
Um duello a sabr teve lugar entre o
general Corvetto e o deputado Cavallotti*
O primeiro foi levemente ferido' no
braco.
Juiz municipal do termo de Patos, na
Parahyba, o bacharel Ignacio Cabral;
MADRID, 25 de Marco.
S. M. a Rainha Christina regente de
Hespanha chegou hoje a S. Sebastilo onde
vai ter urna entrevista com S. M. a Rai-
nha da Inglaterra.
O presidente do conselho de ministros e
o ministro dos negocios estrangeiros acom-
panham S. M.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
26 de Marco, de 1889.
a:

para a guarda na-
cional de Pernambuc
INSTRCCiO POPULAR
AS ttMMSRVBQNB
ANTIGS E MODERNAS
MAS
Scientias. industrias e artes
POR
(Continuaclo)
vin
A ponrlana, a loura e o barre*
A materia enveroisatoria reduz-se a p extre-
mamente uo e poese em tuspensao na aaoa.
L'tn operario merrulha hbilmente no liquido a
peca que se quer enveniisar ; a agua c- alisorvi-
da pela massa porosa, e a materia vitrescivel
fica depositada sua superlicie. Se se preten
desse en\ ernisar pecas ja cosidas e nao porosas
seria preciso applicar o verniz a pincel ou poi
derramair.ento.
A cosedura da porcelana fuz-se, na fabrica de
Sevres, em forn.'s de tres andares. O superior
serve, como j se (tfsse, para dar pega a ni
meira cose iura, e os dous outros para as cose-
duras, definitivas. Cada um destes andares
aquecido por quatro fomalbas exteriores pega-
das no foriro ; a rhamma penetra neste.por aber-
turas lateraes.
Para cozer cada peca de porcelana, mette-se
em um vaso de forma semelhante da peca
Estes vasos fazem se de argas menrs fusiveis
que a porcelana, alim lencia do calor. Quandj o forao esta ebeio, ta-
am-se as portas com tijolo refractario e larga-
gt-lhe fogo. A cosedurajnio est terminada
sen&o.passadas 36 horap.
Quando se quer ornar a porcelana de pinturas
ou dourados, applica-se a peca j cosida e rober-
a de verniz, ouro em p, ou outras substancias
raineraes de diversas cores, as quaes servum para
produzir o desenho sobre o.verniz. Estas sub-
stancias mineraes coloradas sao misturad;
iwn fundente, que ordinariamente o brax'.
Levam-se ao forao as pecas assiin adorna-
das. Pela accao do calor, o brax derrete-se e
determina por estafasaoa a(ihcrencia,das mate-
rias mineraes coloradas com o verniz da porce
lana. Eslas cocas sao
quando applfcadas com
sistem a todas as lavagens e a accao dos lquidos
alcalinos ou cidos.
mui j.ouco ^IteraveU. Foi rtformado, a pedido,
a devida cautelfa ; re-
O* oeulo de ver ao longe
Dizem alguns que a invenco dos oculos nao
pertence aos modernos; mas todas as provas que
se apresentaram a este respeito, desvaneceram-se
quando interpretadas razoavelmente. O que est
bem averiguado que os antigos examinarara o
astros com longos tubos, de tal forma que como
diz Aristteles, reproduziam o effeito de um poco
do fundo do qual se vecm as estrellas em pleno
dia Mas este methodo nada tem de commum
com os instrumentos d'opica de que vamos oo
cupar-nos. *
Le-se em urna obra de Frascator publicada em
Veneza em 1538 : Se se olhar atraves de dons
vidros oculares col locados um sobre ou tro, veem-
se todas as cousas, maiores e mais prximas.
L-se tafnbcm na Magia natural, obra publica-
da em 1589 por um physico napolitano chamado
Porta, que reunida urna lente convexa com urna
concava, podem ver-se os objectos augmentados
c distinctos. Nao obstante, neohum destes dous
physicos construio apparelho ptico que realisas-
se o oculo de ver ao longe.
Resulta de documentos achados nos archivos
da cidade da Haya, que, no dia 2 de Outubro de
1606, Joo I.ippeshey, ptico, burguez de Mid-
delburgo e oriundo de Wesel, pedio aos Estados
Geraes da Hollanda um privilegio ;de 30 annos
pela construeco de um instrumento que servia
para ver objectos multo retirados, como foi pro-
nado aos respedaieU membros dos Estados Geraes.
Quatro das depois, urna commisso nomeada
pelos Estados Geraes, decida que o instrumen-
to de Lippershey seria til ao ruiz, mas que era
necessario aperteicoal-o, atim de que se podesse
ver com ambos os olhos. A 15 de Dezembro de
1608, o instrumento recebeu das m&os do inven-
tor a modificaran pedida.
No dia 17 d Outubro de 1608, Jaymc Hetius.
sabio hollandez, fabricou um instrumento que,
segundo a opinio, era tao bom como o do ptico
de Middelburgo. Alm disto, im 1609, o im-
mortal Galileu chegou a construir em Italia, por
si so, aquella celebre luneta hollandeza, que s
conhecia por tradic&o.
(Contina)
parte orriciAL
Ministerio do Imperio
Por decreto de 16 do corrente mez, fo-
ram agraciados :
Com o titulo de conselho, o Dr. Jo2o
Marnho de Azevedo.
Com os segnintes graos da ordem da
RoBa:
Dgnitario, Antonio Ricardo dos Santos;
Otficial, Alexandre Baguet, vice-cnsul
do Brasil em Antuerpia c Jos Francisco
Halbout;
Cavalleiros, os Drs. Charco t Flho e
Henry Meige, da Faculdadc dt' Paris; e
E. Rivoire, secretario da Sociedade de
Antropologa de Florenca; Paulo Fassiaux,
e os capitaes do corpo de bombeiros An-
tonio Geraldo de Souza Aguiar, ajudante;
Benevenuto de Souza Nascimento, Do-
mingos Fcrreira Soares e Antonio Jos
Lopes.
Com o de eavalleiro da mesma ordem,
os majores do corpo de engenheiros Alfre-
do Carlos Mullcr de Campos e Gregorio
Thaumaturgo de Azevedo e o 1." teen-
te da armada Arthnr Indio do Brasil e
Silva.
A's presidencias das provincias do
Para, f ear, Piauhy, Rio Grande do Nor-
te, Parahyba e Bahia expedio o Ministerio
do Imperio, a 15 do corrente, o seguinte
aviso-circular: ^
Illm. e Exm. Sr.Deven todas as
despezas, que se tem feito-n'essa provin-
cia por motivo de secca, ser escripturadas
em conta especial do crdito extraordina-
rio de 5.000:000*XX), aborto ao ministe-
rio dos negocios a men cargo pelo decre
to u. 10,181 Jdc 9 de Fevereiro ultimo,
annullando-se, por esta raz2o as que se
tenham classificado na verbaSuccorros
pblicoshaja V. Exm. de assm o fazer
constar Thesouraria de Fazenda.
Por esta occasiSo recommendo a V. Exm.
que requisito da mesma Thesouraria e re-
metta com a possivel brevidade urna de-
monstraceao minuciosa e bem discrimina-
da d'aqiullas despezas, que j tein sido
realisadas pelo motivo alludido, bem assira
quinzenalmente a das que se forem eft'e-
ctuado. i
V. Exc providenciar igualmente hfim
de que venham com a mxima regular!-
dado taes documentos, precedidos de urna
synopse org nisada n secretaria da presi-
dencia, e pela qual possa o governo acom-
panhar todo o mov ment do servico.
Deus guarde a V. Exc A. Ftrrra
Vianna.
Ministerio da Juatlea
Por decreto de Iri do corrente foram
exonerados a pedido cargo de juiz' munici-
pal e de orpbS'is :
Do termo de Alcobaca, na Bahia, o* ba-
charel Jos Herculano Ferreira.
Do termo de Japaratuba, em Sergipe,
o bacharel Francisco Xavier de Mattos
Telles.
Foram nomeados :
Para os termos de Japaratuba, >ra Ser*
gipe, bacharel Leandro Ribeirro de Si-
queira Maciel Jnior.
Para os termos reunidos de Santo Ama
ro e Maroim, na mesma provincia, o ba-
charel Alfredo Gordilho Costa.
Para o termo do Triumpho, em Per-
nambtA, o bacharel Manoel Jos Rodri
gues Kieiro.
PaMbj termo de Ip, no Cear o bacha-
rel Francisco Jos Neiva Sobrnho.
Por decreto da mesma data deu-se
o segunde movimento na guarda nacional:
no posto de
tenente-coronel, Loureno d& Silva Porto,
major ajudante de ordens da comarca de
Aracaty, no Cear.
Foram nomeados:
oronel commandante superio, da co-
marca do Brejo da Madre, de Deus, em
Pernambuco, o tenente-coronel Gemnano
do Reg Maciel.
Coronel commandante superior da co-
marca de Caruar, na mesma proviricia,
Antonio da Silva Florencio.
Tenente-coronel commandante do 34
batalhilo de infantaria da comarca de Pal-
mares, na mesma provincia Manoel da
Rocha Lins.
Por portara de 9 do corrente foi
declarado sem eftbito o decreto de 24 de
Marco do anno passado, que reconduzio
o bacharel Vitalno Cordeiro Lns no lu-
gar de juiz ^municipal e de orphos do
termo de Tamboril, na provincia do Cea-
r, visto nSo ter entrado em exercicio no
prazo legal.
I or portara de 16 do corrente, fo-
ram transferidos para o servico da re-
serva :
O coronel commandante superior da
guarda nacional da comarca de Caruar,
na provincia de Pernambuce, Luiz Pau-
lino de Hollanda Valenca, ficando aggre
gado ao mesmo comraando superior.
O teqente-coronel commandante do 34
batalho de infantaria da guarda nacional
da caraarca de Palmares, na mesma pro-
vincia, Felippe Bencio Alves Ferreira,
ficando aggregado ao mesmo batalho.
Foram expedidos os seguintes avi-
sos :
Ministerio dos Negocios da Justia.
2a Beccao. Circular.Ro, 5 de Marco
de 1889..
Illm. e Exm. Sr.Convm que V.
Exc. enve a esta secretaria de Estalo
urna reSa$4o dos termos dessa provincia
que se achare m vagos, por nao haversido
nomeadfwnao ter anda entrado em ex-
ercicio o respectivo juiz municipal, e pro-
videncie para que com toda a regularida-
de e promptidSo se facam commumeacoes
de posse e de qualquer interrupeo de
exercicio, e sejam devolvidos os ttulos
dos nomeados que nao o assumirem den-
tro do prazo legal.
Deus guarde a V. ExcFrancisco de
A. Rosa e Silva.Sr. presidente da pro-
vincia de...
Circular.Ministerio dos Negocios da
Jultica.21 scelo.Rio de Janeiro, 15
de Margo de 1889.
Illm. e Exm. Sr.Sendo demasiado
frequente o uso de licencas e prorogacoes
solicitadas por muitos empregados deste
ministerio, com grave detrimento do ser-
V50 publico, rocommendo a V. Exc que
tenha na maior consideracao a prova dos
requisitos legacs para a concesso desse
favor, e a exacta observancia dos arts.
2o e 3o do decreto n. 247 de 15 de No-
vembro de 1842, devendo as presidencias,
no caso excepcional em que dentro do
anno podem provisoriamente prorogar ou
reformar a licenca, sem vencimento al-
gum, depois da de tres mezes qjie Ihes
faculta o art. 5o, 14 da le de 3 de Ou-
tubro de 1834, dar sempre ao governo
parte circumstanciadae immediata dos mo-
tivos urgentes e imperiosos que justifi-
3uem a prorogaclo ou reforma, com os
ocumentos que houver, para a resolueao
definitiva, cumprindo muito evitar proro-
g.voes das licencas concedidas pelo go-
verno imperial.
Deus guarde a V. Exc. Francisco de
A. Rosa e Silva.Sr. presidente da pro-
vincia de....
Ministerio da Agricultura
Por portara de 14 do corrente foi re-
movido o engenheiro Gabriel Ozorio de
Aliaeida do lugar de chefe de aecc3o do
prolongamento da estrada de ferro de
Pernambuco para igual cargo na estrada
de ferro do Recite a Caruar.
por portara de 15 do corrente foi con-
cedida ao engenheiro Jos Clemente Go-
mes a exoneraclo que pedio do lugar de
concuctor da linha da estrada de ferro de
Paulo Affonso.
-----------' Ministerio de Estrangeiros
Forana removidos os seguintes addidos
de 1* elasse :
Lniz Rodrigues Lorena Ferreira da le-
gaja imperial junto a Santa S para a
da Gia-Brctanha;
Alberto da Rocha Faria de Nioac, da
GrS Bretanha para a legacao junto a San-
*' ^'
Francisco de Paula de Araujo e Silva,
da legaeo de Portugal para sidos Estados
Un do la America ;
Jos -olho Gomes, da Jegaco dos
Estados-Unidos da America pan a de Por-
tugal.
-...y ',:*--..
Ministerio da uerra
Por decretos de 16 do corrate:
Concedeu-sc reforma, de conformidade
com a primeira parte do art. 9o da le n.
648 de 18 de Agosto de 1852, aos coro-
neis aggregados arma de infantaria.
JoSo iheodoro Pereira de Mello e Joao
Nepomuceno da Silva, visto terem sido
julgados incapazes do servijo do exercito
em inspeccSo d saude a que foram sub-
mettidos.
Foi transferido para a 2a classe do exer-
cito, de conformidade com a immediata e
imperial resolncaO de 1 de Abril de 1871,
o alferes do 5o regiment de cavaliaria
Julio Fernandos dos Santos Pereira, fican-
do aggregado a arma a que pertence, vis
to ter sido julgado incapaz do servigo do
mesmo exercito, em inspeccao de saude
a que foi submettido.
Foram nomeados segundos cirurgi3es do
corpo de saude do exercito os pharraacu-
ticos alferes do mesmo corpo, doutores
em medicina Fortunato Raymundo de Oli-
veira e Femando Ferreira Barreto.
Por decretos de 18 do corrente foram
nomeados :
ESCOLA 91TPERIOR DE (CERRA
Director. Tenente-general graduado
Bsrto de Miranda Reis;
Lentes cathedraticos: Da l1 cadeira do
Io anno, tenente-coronel Benjamim Cons-
tant Botelho de MagalhSes; da 2a cadeira,
conselheiro Dr. Francisco Carlos da La;
da Ia cadeira do 2o anno, o tenente-coronel
Manoel Peixoto Cursino do Amarante ; da
2a cadeira, o major Antonio Vicente Ri-
beiro Guimares ; da 1* cadeira do 3o an-
no (interino), Luiz Cruls ; da 2a cadeira,
0 tenente-coronel Bibiano Sergio de Ma-
celo da Fentoura Costalat; do 4-1 anno da
Ia cadeira, o major Luiz Manoel das Cha-
gas Doria; da 2a cadeira, (interino), o
major Jos Flix Barbosa de livera.
Substitutos interinos :Da l1 seccSo, ca-
pitulo Antonio Ant&o Ribeiro e 1 tenente
Jos Eulalio da Silva Oliveira ; da 2a se-
ccSo, eapito Alvaro Lopes Machado; da
3a seceo, capitao Innocencio Serzedello
Correa.
Coadjevanten interinos do ensino:Ma-
jor Henrquc Valladares, tenente Jos Ma-
ra de Beaurepaire Pinto Peixoto, Io te-
nente Augusto Ximeno de Villeroy e te-
nonto Jaymc Benvolo.
Instructores de t" classe :Major Anto-
nio Vicente Ribeiro Guimares, major
H. Valladares e capitao Alvaro Lopes
Machado.
Instructores de 2' ciaste : capitio Lydio
Purpurarlo e 1." tenente Augusto X. de
Villeroy, mestre de esgrima E. Pontis.
Ajudante : Tenente-Coronel Innocencio
Galvao de Queiroz, secretario tenente-co-
ronel Bibiano Sergio de Macedo da Fon-
toura Costallat; bibliotecario, 1.- tenente
J. Maria dq Beaurepaire Pinto t'eixoto.
Escripturario, capitao Jos Alipio da
Fontoura Costallat.
Amanuense : Osear do Reg Macedo.
Professores: De allemilo, Joo Gottlic-
be Theodoro Ufflacker; de trabalhos gra-
phicos, major Albino Rosire; major An-
tonio Americo ereira da Silva; capitaes,
Jos Alipio da Fontoura Costallat e Leo-
poldo Rodolpho Pinheiro Bittencourt.
Porteiro : Manoel Correia Mello de Lima.
Escola militar da corte :
Curso preparatorio : professores effect-
vos de mathematicas, tenente Antonio Ga-
briel de Moraes Reg, capitao Licinio
Athanazio Cardoso e Leonilio Antonio Gal-
vio ; de graramatica nacional, o cirurg3o
mor de brigada, Dr. Francisco Lino Soa-
res de Andrade ; de geograhhia (interino),
tenente Alfredo Candido de Moraes Reg ;
de historia (interino), 2." cimrgSo Dr.
Affonso Lopes Machado; de scieneias na-
turaes (interino,) Dr. Francisco Lino Soa-
res de Andrade, e de nglez (effectivo),
Dr. Joaquim Mendes Malheiros.
Adjuios: bacharel Jos Feliciano de
Noronha Feital, bacharel Felisberto Jos
de Menezes e Jo bacharel alferes Marcos
Franco Rabello (interino)
Curso de infantaria e cavallaria Lentes
interinos : da Ia cadeira do 2.- anno (inte-
rino), major Alfredo Carlos Muller de
1 ampos; da 2a cadeira, conselheiro Dr.
c alferes Fabricio Correia de
Thomaz Alves (effectivo.)
Substitutos interinos: capitao Agrcola
Ewerton Pinto e tenente Alcides Bruce.
Coadjuvantes do ensino interinos: tenentes
Antonio Gabriel de Moraes Reg, Alfredo
Candido de Moraes Reg, 2.- tenente
Lauro Severiano Muller e alferes alum-
no Egydio Tallone.
Instructores de Ia classe: tenente-coronel
JoSo Vicente Leite de Castro e capitio
Julio Fernaudes de Alareida.
De 2* classe : major Jos Mana Marinho
da Silva e major laudio do Amaral Sa-
vaget.
" Professor interino de trabalhos grapkicot
Coronel Jos Mana Pego Jnior.
Professor interino de htfppologia e hygiene
militari) L* cirurgiao Dr. Frederico
Marinho de Azevedo.
a estrs De equitacSo, major Jos Ma-
ria Marinho da Silva; de esgrima, tenente
Servilio Goncalves da Silva ; de gymnaa-
t:ca e natacao, Paulino Pacs Barreto.
Ajudant*Tenente-coronel JoSo Vicen-
te Leite de Castro.
Secretario Major Roberto Troinpowsky
Leitao de Alnieida.
EscripturarioAlferes Mareos Franco Re
bello-
Amamunse Raymundo Machado de
Mattos.
BJUiathearjo'- Major laudio Sava^et.
rorttdro Joaquim Paulo de A. aojo
Pinto.
Cominandantes das contpanUas de aliun-
noCapiles Felippe Ferreira Alves e
Agrcola Ewerton Pinto.
SubalternosTenerte Joao do Souza
Franco, 2.- tenente Manoel Pautoja Ro
drigues, alferes Marcos '..'uriug Mariano de
Campos
Mattos.
Escola militar do Cear :
Director, tenente-coronel Jlo Nepomu-
ceno de Mederos Maltet.
Curso preparatorio Professores interi-
nos de uiatLematicas: o major do corpo
de engenheiros Feliciano Antonio Benja-
mn, o capitio do mesmo corpo Jos Faus-
tino da Silva e o capitio de cavallaria Jos
\Ae Vasconcellos.
Da aula de nocoes de scieneias physicas
c naturaes o 1.* tenente de artilharia Vc-
tor Uuillobel:
De gramraatica nacional e lingua, ver-
ncula, tenente de cavallaria Olegario Her-
culano da Silveira Pinto.
De francs, major do corpo de enge
nheiros Gregorio Thaumaturgo de Azeve-
do; de inglez, 1.- tenente de artilharia
Jonathas de Mello Barreto; de historia,
Dr. Antonio Augusto de Vasconcellos; de
geographia, capitio [reformado, major ho-
norario Manoel Bezerr de Albuquerque
Jnior.
Adjuntos interinos: Ia scelo, 2." te-
nente de artilharia Manoel de Mello Nu-
nes, e da 2a scelo 2.- tenente de artilha-
ria Tobas Becker.
Curso de infantaria e cavallariaLen-
tes interinos: da Ia cadeira dol.- anno, o
2.- tenente faggregado arma de artilha-
ria Alexandre Jos Barbosa Lima e da 2a
cadeira o l.- tenente de artilharia Carlos
Jorge Calheiros de Lima.
Profeisor interino da aula do 1.- anno,
capitio do corpo de estado-maior de arti-
lharia Jos Freir de Bezerril Fontenelle.
Substituto interino da Ia scelo, i.* te-
nente de artilharia Benjamn Liberato
Barroso.
Instructores de 1" classe, capitio do
corpo de estado-maior de artilharia Jos
Freir de Bezerril Fontenelle e capitio
de cavallaria Jos de Vasconcellos.
Instructores de 2a classe; tenente de ca-
vallaria Henrique Guilherme Coeiho e te-
nente de infantaria Francisco Benevo lo.
Mestres: de esgrima, o 2.- tenente de
artilharia EsperidiSo Rosas, e de equita-
ejo, o tenente de cavallaria Henrique Gui-
Jlherme Coelho.
Secretario, o major do corpo de enge-
nheiros Feliciano Antonio Benjamn.
Ajudante, o major do'mesmo corpo Gro--
gorio Thaumaturgo de-wevedo.^ -
Oiiicial de ordens, o alferes de infanta-
ra JoSo de Deus Moreira de Carvalho.
Quartel-mestre, o tenente de infantaria
Antonio Goncatves Pereira.
lbliot beca rio, o '2.- tenente de artilha-
ria Jos Florencio de Carvalho.
Escripturario, o 2.* sargento de infan-
taria Thiago Araripe de Souza Carvalho.
Amanuense, o 2." sargento de infantaria
Frederico Augusto Fagundes.
Porteiro, Francisco Emygdio da Motta.
Por portara da mesma data expedida
repartclo de ajudante general foram no-
meados para a mesma escola:
Commandante e Cumpa ahia de alum-
nos, o capitio do corpo de engenheiros
Jos Faustino da Silva. ,
Subalterno, o 2.* tenente de artilharia
Jos Florencio de Carvalho.
Auxiliar da instrucclo pratica, o 2.* ca-
dete 2.* sargento da mesma arma Manoel
Onofre Muniz Ribeiro.
Medico, o 2.' cirurgiao do corpo de sau
de do exercito Dr. Joaquim Antonio da
ras.
O Sr. marechal de campos, Viscon-
de Maracaj. foi nomeado para exercer
interinameute o cargo de ajudante ge-
neral.
O Sr. brigadeiro Conrado Jacob de
Niemeyer foi nomeado para exercer inte-
rinamente o cargo de quartel-mestre ge-
neral no impedimento do Sr. visconde de Ma-
racaj.
Foi promovido a 1.* cirurgilo do
corpo de saude do exercito o 2.- Dr. Fre-
derico Marinho de Azevedo, por antigui-
dade.
iiorerno da Provincia
OKSPACHOS DA PRh8IDENC'IA DO DIA 23 DE
MARC/O DE 1889
Avelino Lima & ''.Deferido.
Enedina Floresta dos Santo Cordeiro.
Indeferido, vista da informaclo.
Alferes Jlo de Deus Moreira de Car-
valho.Remettido ao Sr. inspector da
Thesouraria de Fazenda para mandar abo-
nar.
Bacharel Jos Emygdio Goncalves Lima-.
Concedo.
Tenente-coronel Pedro Secundino Bar-
bosa da Silva.De-se.
Silva A .Informe a Cmara Munici-
pal do Recife.
Capitio Ulysses Ponce de Len.. Infor-
me o Sr. commandante superior da guar-
da nacional da comarca da Victoria, tendo
era vista o despacho de 12 de Setembro
do anno passado.
Bacharel Victalino Cordeiro Luis.En-
eam'nhe-se.
Secretaria da Presidencia de Pemaaibu
co, 26 do Marco de 1889
O porteiro,
P. CT'icort.
Hi;pari?to da Polica
:< 301Secretaria de Po-
2.a
licia di- Pernambuco, 26
1889.- Illm. e Exm. Sr.
V*. Exc. 4. foram reuolhi
Detenclo os seguintes indivi
No dia 23:
A' ordem do subdelegado

Marco de
Participo
>a de
I
-^ v'
Vi
rwmuB



&

2
Diario de Pcniambco-Quarta-feira 27 de Marco de I 49
a
Jo l- i-ifV'. Joao de tal, por disturbios 'e
neo i de eza.
A' ordem do subdelegado do Io distr-;
cto da tVefruezia-"e. 6. Jos, Lucinda Ma-
ri da Conceicfio e Mafia Josepha daCon-
eeicao, por embriaguez < disturbios, e
Manoel Ignacio Alexandre do8 Santos,
pof disturbios.
No dia 24 :
. A' ordem dada freguesa d* Reeife,
Joao Malaquiaa->dc Figaeiredo. por distur-
bios, e Bernardaso .Uves Gardos-, -porori-
me de espancanertto.
No dia 25*:'
A' ordem da subdelegado da freguesa
do Reeife, Franoia-eo fiobeato da Silva e
Victoriano l'arinh**, jwi disturbie*.
O Dr. juiz municipal do termo da Glo-
ria do Goit participou-me que a sua or-
dem rbi alli capturado o reo Joaquim Jos
de Sant'Anna, pronunciado as penas do
art. 205 do cdigo criminal.
No dia 25 do corrente, peas t> hora*
da tarde, em trras do engenta Japaran-
duba do termo de Palmares, travandivee
de.az<>es os individuos de mimes Manoel
JJezerra de Mello e Francisco Manoel das
Ckagas, deltas resultou sahir Manoel Be-
zerra de Mello, ferido gravemente com
duas 'aendas. sendo preso era flagrante
seu affeoaor.
Abrio-se o competente inquerir.
CouMutinica o delegado do termo de
Grava.i, que no dia 21 deste mez, pela
3 Wns da tarde, no lugar, Cascavelj do
__ t v rr c :taA* n nnal sendo recolhidu nato Poi exonerado, a pedido, o Dr. Manoel Fer
nome Jos Telles, ferio com um tiro ao nos de idade, o quai seuuo roununiu f. > P Mi*i n
tambe* nause, vmdmiom*- legojdelegado, veio a fallecer no da segumto
apso enme. Das diligencias procedidas verifico!**!
soffre de alienaao mental
O delegado tomando couheci ment do
facto, fez proceder a viBtoria, declarando
os peritos ser leve c ferimento.
Procedeu-se a retpeito bob termos da
lei.
O delegase* tnsMudaclegea de liar
tea, coaanMr-ronN svds 2 do er-
rante, ao lugar Terrado Kei, do merme
termo, si eacontrdw coloreado um ho ''
sean quisseonriccea*ee *er Marcos Jos-
da Silva.
Das dili.'imeias procedidas ii respeito
soube-eH|ne*lBBgoetBS .rttcuJaies abriga
ram o rofeia Marra* <* piatiear aqneileu^P'
acto de loucura.
Participou-me o delegado do Cabo que
^J
individuo.
Comsuintca. o delegado de Florestales*
constando-lhe achar-se no lugar Mariz da-
quee ersa*** crimisaeo. de mortajse
de taL-jn** --*M naasdsa o inaesssusto
quarfwaa-siufierre-fAlegm, afim de cap-
utesuor crntaoso,- o qual judo >
icontaedo palo ninas epector e mais
pessoeane.ee o .acorasuihssrn, e recben-
la) voz de sssao,; resisti armado de ba-
caraar* faoaide parta,..abrindo luU, da
nal if^"' sdo, viado a.fallecer 'dous
dias depois.
Aquella autoridade tonjou coimecimen-
ndo Nd cor,a oram Publicados estes telegrammas:
Orno l'nto, 17 de.Margo.
No dia-13 sero celebradas pomposas festivi-
no dia 23 deste mez, fm trras do erige- to do fcctowe.piwcdeu respeita nester>
nho Tob do referido termo, capturou o mos da le.
pomposas
dadiwsn-bonra do palriarrha S. Jos, que se
venera na capella desta cidade.
i 7 de Marco
Klaarassando "nm pinsiiwtrn iileie sm
cadeia.deta capital, a tpidesia do tia ben.
leii'IO'taHbeni apparecide" outeaaucisoB nesta ci
tlade. I
' 'Na cadea ja fallecers tgaa presos ataca-
idas.
O presidente da proviticiarserouu odia 26 de
Maiopreximo para a eleigo papa da vagadeixada pelo 'AttlccseMo di .senador
Evaris-da Veipa.
Juiztkt-aa, 17 de Marco.
Teido exaininailo as torras do municipio de
Itabini, chegou boje o eommendador Jus Carlos
de Carvalho, inspector especial de eolonisafo,
|.e deve iegui-\para a malta\por andera' lio go-
verno.
O presidente da p.ovineja, de aecordo cora o
individuo do nome Manuel-de. tal, conhe-J \0 dia -do-oorrente appareoau boian.-. miuiUo da a^riculuira, pretende fundar; seo
-:j, ___n ~~T~ r ___t.___:..j.T, i n__:i.__:i .._ .,_ ncleos et.loiiiai's e emnenlia todo. os estreos,
cido por Serid, autor do roubo praticado i \,t aas aguas d rio Capibaribe nm pe-
em casa de Rosa [da onceicSo, na noite- uueno caixSo. de cbaimtoB, dentro do qual
de 7 para 8 de Noverabro do anno de J f0 encontrado um feto do sexo*masculi-
1887.
Aquello criminoso confessou serem tam- i
bem conniventes no enme os individuos'
de nomes Jos Rabello c Joao de tal.
O delegado proceden a respeito nos ter-
mos da lei.
No dia 18 tambera deste mez, foi en-
contrado cabido margen- do rio Jaboato
do districto de Ponte dos Carvalbos do
termo do abo, nm individuo deseonheci-
2* districto daquelle termo o menor de' do, de cor parda, representando ter 60 an-
no em adianado estado de putrefaccao.
O subdelegado da freguzia 'de Santo
Antonio, tomou conbecimento do tacto, e
mandou proceder o enterrameeto no ce-
miterio publico de Santo Amaro.
Deu8 guarde a V. Exc.Hlra. e Km.
,Sr. Dr. Innoaencio Marques de Arauja
Ges, muito digno presidente, da provinj
cia. O chefe de policia interino, Darle
Oivalcante do Reg Alhuqw.rqae.
LEI N. 197
lunocencio Marques.de Araujo swe, luebarel era sciencias
iuridicas e sociaes pela Faruidade do Recite. deputlo >& Assem-
bla Geral pela provincia da Babia e presidente da de Ptruam-
buco :
Fuco sber a todos os 8CO habitantes que a Asseuibla Legis-
lativa Pmriacwl decretou e eusanecionei a resolacao seguate :
Art. 1 Ficao presidente da provincia autorisado aoontractar
com quera melhores vantagens offerecera abertura-lo rio que
tirares a villa de IguanA e do rio Jordo, que atravessa o po-
voado da Ho Viage
Art. 2.u BevksHt-M as disposicifs em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quera o conheci-
ito e excucaoda presente resolugao perteucer, que a eumpra:n
UD curaprir to iuteiraracnte como nella sacoptem.
i) secretario interino d^ presidencia da provincia a faca im
nremir. publicar e correr.
alacio da Presidencia de ivniaiabuco, 19 de Marco de 1889
68' da independencia e do luiperio.
L. S. Jnnockncio Marques db AaAnje Oxs.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernanibuco, eos 19 de Mareo de 1889.
0 secretario interino.
Manoel Joeu/uuu SiSffVa
LE N. 1.971
Innocencio Marques de Arauio Goes, Daonarel em sciencias
judiricaae soeiaes pela Faculdade do Reeife. deputado Assem-
Ma Geral pela provincia da Babia e presidente da ie Pernam-
bu o :
Fago saber a todos os seus habitantes que a ssembla L-
ji-iativa Provincial decretou e eu sauccionei a resolucao aeguinle :
Art. 1. Pica o presidente da provincia autorisado a contracta!'
com quera melhores vantagens offerecer, a fundjco e explora-
do de onze engenhos centraes, sendo'seis de typo maior e cinco
le typo menor sob o plano, condiges e auxilies constantes do art.
16 da lei provincial u. 1.860, de 1885.
1. Dos de typn mai'-r doos serio fundados.no municipio do
Bonito eos outro's nos de Iguarasso, Ipojuca,Cabo e Muribeca.
Os de typo raonor sent fundadas nos municipios deltamb. Bom
Jardim, Victoria, Jaboato e no valle do Aoiaragy da comarca da
BsK
S 2." Sero eonsidrrados de typo maior os engenhos centraes,
que inoerera em 1UU dias de 23 a 30.W>. 00 de kilogrammas de
caunas. e de typo menor os que durante o mesmo tempo moerem
de :.300,0l)0 a 15-000,000.
Art. i." As concessoes para a fundago e explorago dos en-
genhos de que irata o artigo anlecedeate, s eoderad ser feitas a
agricultorea. que residam na9 zonas ondatenhara de se estabele-
cer as: respectivas fabricas- exceptuado o de Ipojuca que poder
ser routracU"do com o requerente Joaquim Ignacio Pessoa de Si-
tfiieira i
"Art.':i.,"Fiealr'Twoa*las as disposigee em contrario.
Mando, portanto, a toda* us antoriddes a quera o conheci-
cumprara
ment e execucao da presentc^esobuco|'rU'ii''e)i
e fagam cumpnr to inteirameote como nella se Cffl
O secretario interino da presidencia da provinciaa laca im-
primir, publicar correr J
Palacio da Presidencia de. Pernainbnco, -em 22 de Margo-*"
1889. 68' da Indepeiicia s do Imperio.
L. S. I.NNOCENcm Marques de Akaujo Goes.
Sellada e pablieada a presente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco. aos 22 de >'argo de-1889.
O sewetorio interino,
tittnoel Joaquim Silvftra.
LEI N 1-972
Innocencio Marques de Araujo Goes, hachan! em sciencias
jurdicas e sociaes pela EacuJdade do Recite, deputado a Assem-
bla Geral pela provincia da Bahia e presidente da de Per-
nambuco :
Fago saber a tOil os scus habitantes qive a Assemllea Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanecionei a resolugio stiguinle :
Artigo nico. O pagamento da primeira-preslago. deque
Irata o n. 2 do art 16 d;>- !ei provincial n. 1.860. de 1883, ser
feito tambpm quindo for aproseuia.lo aoThesouro Provincial o
contracto de compra e venda dos maleriaes devidameu'.c lega-
lizado.
1" Esse contracto ser por ptura publica, era que o
veudedor dos maleriaes garanta ao concessionarh), com nypotheca
conTencianihdebens, a entregados apparclhos na epocbaajustada
ou com liiiea equivalente.4 primeim prostagio paira pela pro-
vincia.
2o Ficar a provincia ubrogada as garantas do conces-
sionario am assisnar perante. o Thesoum Provincial termo de
responsabilidad*-, tirmado tanU'm pelo'veedBder como alnnador
daqueUe.
ji 3o Aamortisaeao das aiiolices, de que trata o n 5 do art. 16
da referida lei, ser feita annualmentee por sorteioa razo de 5"/,
e principiar duas safras depois daquella em que a fabrica cen-
tral houver principiado a trabalbar. ,
4o Quer os contraclaoles, quer as fabricas centraes caro
isentos de quaesqaer impostos provinciaes e municipaes, exce-
ptuados nicamente os de expoTtago, emquanto nao forem elimi-
nados doorcamento provincial.
Sao revogadas as disposiyoes em contrario.
Mando.. portante, a todas as autoridades, aquem o conbeci-
mento e execugao da presento resolugao pertencer, que a com-
pram e fagam cumprir to interramente como neHa se contm.
0 secretario wlerino da presidencia da provincia a faga im-
primir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 22 de Margo de 1889,
68 da Independencia c do Imperio.
L. S. Innockncio Marques de Araujo Gs.
Sellada e publicada aprsente resolucao nesta Secretaria da
Presidencia, aos 22 de Marco de 1889.
O secretario interino,
Manoel Joaqutm Stlreira.
Minas Ce rae*
lastmeeo ublira
DESPACHOS DO DIA 22 DE MARCO DE 1889
Ji.s Paulino da SUva Filho.Eneemi-
nhe-sc.
23 -
Joaqmna.Matalda.de Carvalho Veras.
(Junpra.-ae .o registre-se, devendo a licen-
ca correr do 1." do corrente.
Manoel Francisco de* Medeiros.Sim,
laediaue recibo.
26
Teleaphoro Lopes de Beqneist>Cum-
nra-se e registre-se.
DIARIO DE PERNAMBUCO
K -:eiFE, 2T DE MARCO DE 189
%oli:5as do Rio la i>ra(a e *ul
do Imperio
Os paquetes Adcauce e 0TSSM, entrados do
=ul. trouxeram :s seguintes noticias .
Parilro
Batas O gabiuete peruano pedio demucto. Onovo
tniM-lerio licou assim constituido : presidente
do conselno e ministro do goveruo, Marianno
Gimenfx; ministre dos negocios estnmgerros.
AHaioc.Ario-. da justiga, Eaequiei Vegar; da
.'uerra a marinha. Jusiiniano lorgona; da fa-
zeaLi. Eulogio Delgado.
Fm |Kililiido na corte este lelegramnia .
Valparaizo, 13 de Margo (retardado).
ido sua demissao o ministerio perua-
io l t i ,ssiin constituido o novo gabinete :
Maraa'.i Jtrenep, |>resulenle do consolho. BJ
aistm do interior.
Bieqniel Veger. ministro dajustica.
Coronel Borgona, ministro da guerra.
Eul'-o, ministro da fazenda.
Anienor Arias, ministro dos estnmgeiros.
Rio us*. frala
Patas at 5 do Manco.
. Foi uomeado ministro da fazenda da repbli-
ca itruutai Jacob Vrela, que occapava o lugar
de inspector nacional de insruegao publica.
Por decteto do poder execative, datado de 2,
locam approvados os tratailos celebrados em
Montevideo com os plenipotenciarios que to au
ram. porte noxoni'resso internacional ul-Anie
asno.
diario portenho El Nacional assegura que a
JWPtad de Mistes licar delinitivamcute resol-
^ida dentro de poucos dias.
El Diario insiste na noticia de que Sua Mages-
tade o Imperador ir prova\elmente a Buenos-
Ayres e visitar o Chile e o l'eri.
Girculava o boato de que ogoverno ar-entiao
preoecupano com a suoida constante do ouro,
tomara medidas raira impedir a coesce ite d.
riago do papel. Urna das pnmeiras meih-
seria a iHip.-.- '* |(' Allandegu
sobre a exportaein
Per causa da tetrada no senado uruguayo d;
Amaro Carve. eleir.. lo leparUmento de So-
auo, o Dr. Jos r-nuii'-ioii a eadei-
ra que tiiibaauquella > ,
()-'"! .do, por votago unnime, nao
renuncia.
|oram publici

ButMi* .->a,M'r M adu;.
iBoradie destrato di >_
-HO di' IlftSU:Ill.
O Sr Tessa foi nomeado ministro da i
dapio\incia de neooa-Are6>
i i de Margo.
Q preiuiu de ouro 6 58 "(o.
0 governo'vai estabeleoer lazaretos fluctuan-
es. '
1* de Margo-
A junta sanitaria examina a convenco.
- 14 de Margo.
Montevideo, 14 de Margo.
6 senado rejeitou a demisso do -fenador Ka -
mirer.
A Razn publicou o que se disse em urna en
trevista de um reprter com o Sr. Case y e pro va
3ue exista muita desordem entre a directora
a Cotnpanuia Nacional.
0 governo uiandou eslabelccer um posto de
observaoo e desmfec5o em Cerro-Largo.
14 de Margo.
0 Sr. Henriqoe Figueiras foi nomeado inspec-
tor das escolas.
Buenag-Ayr.es, l.'i >- Marge.
A colonia brasileira aqui resideute felicilou
hontem o respectivo cnsul por ser o dia ani-
versario de Sua Magestade a Impcratriz do Bra-
sil.
O professor Araiptnno foi nomeado para re-
presentar a Repblica Argentina no Congresso
Zoolgico.
15 de Margo.
0 premio do ouro vista de 58 if?0|U para
o prximo sabbade 58 1 [4 0{0. e para o tira do
mez 57 :| i 0|0.
Um trem descarrilou perto de Banealari; ua
linha do Rosario : tirabaram tres wagons eom<
immigrantes: as lampadas incendiaram-se,
morreodoltt pessoas e li cando ftidas 70.
MonletuUo, 1;> de Marco.
Honve ama reunio de deputados colorados,
alim de ser orgaeisada urna maioria governista.
15 de Margo.
O Sr alorueque desaliou para um dueilo ao
Sr. llixen. redactor de La Razn.
lui'nns-Aftret. 16de Margo.
O presidente da repblica, Dr. Jurez.Ceiman.
com todo o ministerio, assistio boje abertura
do miwu de prodaetos argentino;
16 de Margo.
0 premio do ouro 57 .1(4 6|tk
Foi aborta una subscripgo em favor da- vic-
timas da catas.Tophp do caminho de
Rosario.
Monlt'-idtv. 16 de Mateo.
0 partido colorado contina "Ui traballkis para
organisar a maioria governista..
- 16 de Margo.
Um syndicaloargeiilinp vai catr.ilisar aa agua*
do rio Santa Lucia
lluenos-Ayres, 17 de Margo
a epidemia da diphteria est acassandO'trm
Cordova. Os estragos j sao consideraveis e rc-
ceia-se que o nal lome maces proporges.
Contina a suescripcao para soccwrcr as vic-
timas do incendio do tren de ferr do Rosarie.
Mouteniiio, 17 de Margo
fti foram bem succedidos os esforgos erapre-
ados pelo partido colorado para organisar
aioria governista.
Na cmara, o deputa lo Larreja combateuo
crdito Claasen.
Buenox-A^Mt. 18 di'^Marro.
Inaugarou-sf. O'faMpicie uura >rsn*li
0 Sr. Alfredo Lerna- bi aaseodo addi le mi
litar em Broxeltas.
Bpteee coecorridissima aerionu a"
lockey-t;iub.
N'iClub Saaial sibhb un i animado baile da
ojascars
Reaiiaoar-ae a festa r'e caridade para conslnic-
e mn hospital frjinc-
s secieda abrirs > Goa-
) Unionista.
18 de Vlar
0 premio do bar .. vista 5 l|4 OlO, para o j
- )'20|0-para o rim do me;- j
eveu m
'
;-. de iea
sthemm Buenot-Aures. l
0 dueilo tntre os .Srs. PaJomeque e Binen
deu-se e:o La arma .-scolbida o
*ibre.
Ambos fiearara fendM lveme!
Do iaquerito a qae se procedeu sobre a calas
i U-ophe da estrada de ferro do Rosario hcou ave-
Julga-se que o numero dos mortos uaquelle
desastre foideqnarenta pessoas.
As familias das victimas vo.proccssar a refe-
rida ompanbia por perdas e damuos.
O governo decretou que fossem executadas as
ordens fiscats referentes s estradas de ferro.
19 de Margo.
O premio do ouro 4 38 it/l "/
Est grassando a epidemia da dipulena em
La Plata.
E" esperado aqu o cruzador chileno Exmeral-
da que seguir depoispara Montevideo.
AoiUerido, 19 de Margo.
O senado apptovou o pedido de renuncia do
senador Ramrez, assumtndo o scu lugar seu
substituto coronel l.andehno Vasquez.
A familia do poeta Gil, fallecido em Quebra-
cho, vai transportar para aqu os. res tos mortaes
do lindo
0 mercado de cambio apresen (enajnelas
para a alta.
19 de Marco.
No dopartameiitode Florida est grassando a
epidemia da dipbleria.
Buenos-Ayres. 20 de Marco.
0 premio do ouro vista 57 f/2 ",', para o
roxiino sabbadO'57 '(o, para 0 lira domez 57
|2 | e para o tm de Abril 57 |.
O presidente da provincia assignou boje os
decretos que llie foram apresentados pelo minis-
tro da faaenda : prohibindo o jogo sobre as
moedas arpan le ouro e punindo os especula-
dores oonT as penas impostas aos jogadores ;
autorisandn a mobilisagio dos deposites em
ouro existentes no thesotiro e incumbindo o
Banco Nacional da compra de cambines para o
Service da divida externa.
20 de Margo.
Est naSBWOO a epidemia na ra^a cavallar
da provincia do Buenos-Ayres.
Sentiratn-se algans tremores de tetra na rc-j
fTrro'do 1** de Mendoz-
101 M>Mmif>m deasmeo.
A cmara dos deputados decidi que fosse
dado para ordem do dia o pedido de explica-
ees sobre crditos eventuaes.
io sesassi i sui
lalas i 9 de Marco :
Para alojamento dos immgrantes na capi-
tal foi alugado o palacete dos herdeiros da I!a
marta de Gravalahy, situado prximo da ponte
do Riachintio.
A inspectora de saude do porto do Hiotiran-
de aiuo para servir de lazareto a casa do ua-
do Ignacio da H. Lima simada na barra do lado
do sul.
Falleceram : om D. Pedrito, o fazendeiro, re-
-idente no'Bitailo Oriental, Anacteto Goularl:
no Livramento, D. laudina Moreira Sanche, es-
posa do Sr. Fidelis Sanches e D Antonia Balv,
esposa do Sr Miguel Balv ; em Bage D. Melina
MartuiB 'le Freilas, esposa do Dr. Jos Francisco
deFreita-. 8 na cafase, 1>. Anadia SalgadoFro-
la. esposa : .i. Julio Auadcto Falcan da
I-Vm!-..
_ Ti.tnlo ialiecido na hosieiaria de immi-
oante de orto nm italiano e sua mu-
Iher, !i'i\,in.ioiiu.tlro Jibos, dos quaes o aiaior
ten cerca de l<) aunoa, oDr. chefe de policia os
acolheu, collocando-os emeasa de urna l'amilia-
|italiana na ra lo Scnhor dos Pacen e provi-
lesnan lo pera ie nada Usa bsiaae.
A ; "ii.Jcu em Feral
1202:68:1*787
HUin<* C'allMwin
Data '' 12 '
Na < ''' 'B i >biv ijiftlaJ vio-
lenti : Dipaabada de (p"tp
Nn cKtago telegraphic:. ibio urna
que nao s offenilen a linha na entrada
da dita estacSo. como queimou dous apparelhos.
As liabas tinham sido postas em descarga a
A lipbteria est giassand na cidade de Cor-1 rj}?tKlda culpabirias*i^da direegao daoaolla es
aova. a lirada.
tomadas Unas as providencias em tempo. A
fais a sub pelo lio da batera, viado ofender
as platinas .! um dos manipuladores e queimar
os citados apparelhos.
A presidencia da provincia determino que
n-se, inleriuamnnte, o exercicio do cargo
'le del ."'uto d> cirurgio mor do exereilo al"
, cirurgio Dr. Ab-xandre M. Bayraa ; filando dis-
pensadeo 1^ cirurgiSo Dr. I'aula Geiraaraeg, que
o exerciaStasbem interinamente
ncleos colontaes e empenlia lodos, os estreos
para dosenvolver e-se projecto.
Dere l'retu. 19 de Margo
O tribunal da relago julgou boje a revista;
commercial entre partes : recorrido Pritchunl e
recorrente a New-YerU Lif.- Insurance Company..
Triumphoa a recrrante. Seu advogado foi ."o
Dr. Horacio Andrade.
19 de Margo.
Realisaram-se feslas em homenagem ao pa-
triarcha S. Jos, Beata cidade : mtssa cantada,
sendo cel-'brante o padre Candido ,Vellosj, ca-
pellfai da irnrandadi', servindo dea^olvlo o co-
nejo Thuesio e padre Rosil o. Privou senno 0
padre Alfredo Heves. Commungarara cecm de
500 pessoas. Finda a raissa solemne boave um
lunch no Estadt Coblena de 50 talheres, ollere
cido pela mesa administrativa aos Revds. sacer
dotes.
A capella-mr. imagens e paramentos dorara
bentos pelo padre capello Candido Velloso.
GtaasB concurrencia.
o lunch o brinde; de h ira foi levantado n,
S. A a princesa D. Izabel.
A me*a|adtninisirativa agradeceu ao Dr. galves Ferreira, presi lente da p-ovinna, os ser-
vigos prestados capella de S. Jos.
As 6horas da tarde, sermo pelo padre Ca
millo Velloso, qne, em cloqaente discurso, agra-
deceu nos beinfeitores di irmandade.
Assi I|r. Faino Hamos, representando o -presidente da
;>inviiien. e grande numero de funecionarios.
Era boaienagt'iii ao dia de boje, o presidente
da provincia, e rs comniandantes dos eorpos
uuwidaram soltar as pr.icas presas em,correego.
Solemne TV tem*, i aorta enengo do SS.Sa-
cramento. Concurrencia enorme'. O templo es-
lava mageslosumente decorado. Illuminai.ao
geral na cidade-hon eme boje. Fra da iirreja
to-.ot a banda de msica do corpo poHent. To-
dos os actos religiosos fnr.im dirigidos pelos
amadores D. Maria da Ex.dlacao Dias Coellio.
Jos Nicodeusla Sil va Antonio Dias, Antonio
Leo Lopes da Cruz.
Nao iioirre incidente algnni. O povo mosirou
grande devogo pelo patnarcha S. Jos.
Nao Paulo
Datas al 20 de Marco :
No dia 12, s horas da tarde, em Jundia-
by, foi banhar'se no rioOaapena um mogo em-
pregadono rommercicr, de nome Joo S. Ca-
margo
Tendo deixado a roupa [endurada e.m urna
arvore, ao voltar do banlw u, quandode novo se
vestiu, pareceu-lhe estar mais pesada, mas uno
deu ao tacto grande Importancia.
Metiendo, porem, a mo .'era um bolso para
tirar uigarros, eis que s&he teste urna cobra
castavm.
O mogo, com o susto, flcou sem sentidos e
iruguejandoj Entretanto, iiem a elle nem a ou-
tros moges que acudiram fez a cobra mal l-
iuin
No no Tiet junto fazenda doSr. capito'
Tito de Mello, pereceu afogado Joaquim Candido,
rapaz muito trabalbador.
U facto s foi descoberto depois de qdatro dias
pawaassM
0 Carreio de Campinas..r*laUi> o eguinte
brbaro aisasiinato-:
No illa" 13 do currcre pehrsOhoras da noite,
mais ou menos, as proximidades da antiga es-
lagao, em Ribeirno-Preto. foi brbaramente as-
sassinado o estimavel cidado Sr. Antonio Bc-
raldo de Azevcdo, quando se recolhia para a
sua chacera, no lugar cima referido.
0 modo cruel por que fbi perpetrado o crime
denota a mais reaaiutada-perversidad!'
Beraldo eslava de.viagem naca S. Simo, onde
tinha tomado o trem da nianhi em Ribciro-
l'ieto para aquelle lugar, para voltar no miwmo
dia, e os assassinos. coraoj depresnmtr. foram
estago espralo para eertiticarem-se se com
vffeito bavia regressado, e como de facto chegou
Peraldo noite pelo expresso, e como o trem
chegasse depois das 8 horas em Ribeirao-Preto,
a victima seguio para a villa, eutrou em casa
de Anlo.no Mailiia-, seu lio. deixando m casa
deste urna arma de fogo que trazia, protestando!
nao trazer comsigo, porque a pa'rulba Uie poda
tomar em caminho.
Mal sabia o infeliz que sua iuorte j estova de-
cretada, por urna embobada de ante mo pre-
parada e perto de sua propria casa foi o theatro
ilo crime.
Qaando a victima approxrmava-se da portaira,
foi inopinadamente assaltado a cacetadas placa-
das. .
Apezar de ser impossivel a defexu, o lugarilo
Maneto apresentava vestigios de grande hita,
com aggrussorcs que erara mais de um.
Quando o deixaram foi por morto e mesmo
assim poude ehegar at a casa de um seu cama-
rada, que era a mais prxima, onde veio a falle
cer pouco depois.
Na maah do dia seguinte foi conduzdo o ca-
dver para a villa e feito o auto de corpo de de-
licio.
A policia abri sssarito e-procede was dili-
gencias legaes.
Indo banasT-se em um.tanqueexistenteem
a faz.rada do Sr. Man .)! Ferreira Silva, no rau-
nicinio de Braganga, o empregado daquclla la
zenda Sr. Lucas Pinto pereceu afogado.
L-se no Diario i* Santo* de 14 do cor-
rete :
Todos em geral altribuem o desenvolvimen-
to do mal ao cscoamento das materias lacees
para os canos de drainagem, que deviam ser
utilisados exclusivamente para o servico das
aguas plaviaes : com os canos de drainagem.
que8o de tijolos construidos quasi ao nivel das
ras, filtrando todas as emanac6es pestilenciaes
no' dias quentes e quando ha falta absoluta de
chovas torrenciaes e copiosas, que possara la-
val-os. "stabeleceu-se o germen da molestia que
inesperadamente apparece. causando serios pre-
juizoa a todas as hsses.
Carta de conceituado negociante escripia na
niesma data diz :
/ A causa do noeso pessiino estado sauitsiio
sao os canos de draiuagero fetea de lijlo a
secco muito na superlicie da trra. Para esses
canos, cujo deslino era receber as humidades
do solo e aguas phuiaes. consentii>se que os
particulares encanassem as raatenaes l'ecaes !
Sem havas essas maieins'jazein paradas petos
canos o com um calor de 50" ao sol as ras, os
microbios e toda a procisso de biebos, com
feios nomes que u medicina descobrio. sabem
para a atbmospatTa.
Isto que ha aqu nao a raer amarella, pois
esta costean atacar no mar principalmente, e
desta vez nSo ; o mar tem sido poupado ; s
no centro da cidade. principalmente onde ha os
taes canos e urnas vaiaa desconectas, que tara-
bem recebes materias feeaee, onde a raorte
tem feito raaioanumero de victimas.
Na cort f rain !>u!ili-,idos os aeguiotw
legra inmas ;
Santos, l de Mal ; i irdad >j
S. A. o Sr. Conde d'JE i desemnaraHJ s 5 lio-'
*:n ri'gu'da visitn os hoseitaes e enferma
rias, acompanbuk.. atase da proel
Em nome de S. I affareesti a
quantia de 2:0005 a Sania Cusa o 1.-0004 era scu
nome e DO de 8. A. Imperial.
0 eocouracado Aquidakw parti boje pura o
Rio, levando a scu bordo os Jm minislrb da
marinha e ajudante general da armada.
S. A. o Sr. Conde d'Eu deve partir araanb
para Campias.
iO presidente da provincia regrassou hoje par)
a capital.-
- 17 de Marco
A. o Sr Coivi.' dl*t parto efe s 3 hora
da tarde para S. Paulo, atonde seguir para am-
afnea.
Nos hospitaes derara hontem entrada 54 doen-
te. existiam 28, fallecerara ii e sahiram 11.
Ha muitos doentes-pela cidade.'
Est organizado o servigo diurno e nocturno
pelas cominissoes medicas, provincial e do Dr.
Araujo Ges.
Tem i'h >vido eqei.
S. Paulo, 16-de Marco (retardado!
0 corpo dt -volunlaios fla Cruz Branca -parti
boje para Santos. ,
Na estago*a Luz.a despedpla fci oouuwiten-
te e por essa-occasiaoo padre SenHa-*remB, a
pedido daquew cor pora gao; pro nutrcMuaim bri-
lliante improviso, rarminasae por pedir a benco
de Deus para os "olentarios.
0 orador foi ouvid i com o mais profundo res-
peito, sianlo todos descubertos.
Acompanhou o, por parte do Diario Mercantil,
o Sr. Eduardo Salamonde.
AmanhJ a Sociedade de Benefitrencia fa urna
reonio, convocada por grande numero de so-
cios afim de tratar-sede soccorros aos epidmi-
cos de Santos e Campias, sendo a idea predo-
mrtianeft'tnbtrtres o'ito de ris petas so
ciedades beBcUceiitcs1 Jaquellas cdades e offere-
cer o hospital da'pii aos convalescentes.
Discotir-slia fcimberii a idea qw o Diario^
Mercantil da raanh 'angara em artigo de fundo,
da organizago de urna caravana da colonia por
tugneza para ir a Campias soccorror s victi-
mas da epid.-mia
17 de Marco
Esleve concorridissiraa a asserabla geral ex
traordmorw da Sociedudu Portnguoza de Beneli
cenca, para tratar los soccorros as victima da
epidemia em Santos e Campias.
Ficou r-'solvi lo se enviar para aquellas locali
dades a quantia de 8:00&, endo 2:000 para
Sania Gasa de Mi*ri-odia de anl -, .-OOtii para
a Sociedade de Peuelicencia Portuguezada mes-
iiki oidadf. .'iWO p*th a Sania IJtua de Miseri-
cordia de Campias e 2:0005 para a Socie
Portugueza de Bimeficencia da mesma cidade.
Por proposta-do Viseoode de S. Joaquim. esta
sociedade subscreveu para este lim a quantia de
qualro como.- deris, aiindo-so uinn suliscrip
gao entre a colonia portugueza para obter o
resto da nuatrtta.
0 Visconde de S. Jonqnim subscreveu logo um
cont de ris.
Os outros socios presentes subsoreveram qunsi
tres conlos de ris.
Ficou tarab ni resolvido que a sociedade offe-
rega um hot|)ital para ccnvaleseenle das socie
dades co-irms Ilouve animada disruso, na qual toma rom
parle o Visconde de S^Joaquim, Abilio Soares.
Domingos Lonrein da Cruz, Gasir da Silva e
oclros, manifestando todos geral desejo no lo
cante prestago de soccorros s victimase di-
vergi.ido apenas-quattto forma.
Foi una reunio imponente e as :esoluces
tomadas muito honram a colonia portugueza
daqui.
Aprcsenton algumas melhoias o esiad. saude do Sr. Heitor Barbosa, redactor do Diario
de Campia.
Santo*. 18 de Mareo
Chegaratn boje, s 12 1.2 horas da tarde, o>
e-tudaotea Je medialaa e deainteaaaeaes, que
vin a-esta cidade um cominisso do ministerio
do i m peno.
- 18 de Mineo
0 movmento das quatro enfermarlas foi o se-
guinte :
Eutraram 40. sahiram 28 e fallecerara 10 doen-
tes.
Chegaratn os seis esludaotes< de raedknnaj os
desinfectadores e oque foi pedido pelo Dr. Arau-
jo Ges para a creugo de urna nova enfermara,
a qual depois de manhfi comegar a reeeber
doentes.
Tem-se manifestado grande numero de casos
novos de non tem para hoje, e so o Dr. Eufrasio
unha verilicou26.
as pharmacias'as receitas a aviar sao era tal
numero, que umitas das de hontem nao o foram
at nianh de hoje.
Os pharmaceuticos das coinmisses foram in-
cumbidos de auxiliaros trabalbos las pbarma-
cias.
Os dous chefes das commissOe Drs. Araujo
Gtas- e-Fuado aconselharam populago me-
didas bygienieas
Gontina fortissima a chuva, sendo para re-
ceiar que a epidemia augmente se depois reap-
pareccr.
S. Paulo, 19 de Margo;
Est aqui e segu aninh para a corte o co-
ronel Cunha Manos.
Pa;tiram hoje para o interior 25 immigrantes.
S. a. o Sr. Conde d'liu foi acollado com a
maior cordialidade e respeito em Santos, aqui e
era Campias.
Aqui foi muito acclamado, assim como sua
augusta consorte.
0 discurso que -ua Alteza pronuuciou produ-
zio magnifica impresso nesta cidade.
Sua Alteza parti hoje efi e i/3 horas da
manh da estago de Jaguary, em trem especial,
com destino a Jaguara, directamente.
Alm das pessoas que daqui o acompaoharara
seguiram mris os Srs Baro de Ataliba, Poly
carpo Queiroz, Pinto Mores, superintendente
da estrada de ferro Mogyana, e tres engenhei-
ros.
Sua Alteza lecebeeonstantemante, a seu pedi-
do, telegrammas do presidente da provincia so-
bre a marcha da epidemia eco Santos.
A vmda de Sua Alteza causou, em toda a pro-
vincia, viva impresso.
Tanto era Saatos cerno era Campias, era con-
$equencia das choras, den-se abaixamento de
leraperatura e a epidemialem felizmente dimi-
nuido.
A promptido com qne dahi lera sido envia-
dos os soccorros pedidos causn boa*mpresso.
As commissbes sanitarias em Santos tra sido
incansaveis Sao uas verdadeiros herea. como
os voluntarios da Cruz Branca.
Hoje estes voluntarios, que sao uns bravos,
mandaram. um outro grupo dirigido pelo Sr.
Napoli.
Consta que o padre Senna Freitas acompanlia-
r as irmSs de caridade a Santos.
Foi muito louvalo o acto do presidente da
provincia norneando o Sr. Mondim Pestaa para
o lugar de chefe da 2 secgo da secretaria do
governo.
Falleceu era Campias o advogado Dr. Joo
Gabriel de Mo"acs Navarro
Acfta-se em corrralesceruja o Sr. Heitor Bar-
bosa, redactor do Diario de Campias.
O presidente da provincia mandou, no dia 16
do corrente, por dtsposigo da Cmara Munici-
pal de Camprnaa o auxilio de 10:00w0.
Portera amanha para Caxamb o eommenda-
dor Scarzaaetlae sea secretorio
Eit despertando geral -JWeoo a diwneo
fuedica, pela imprensa, entre o Dr. Figueiredo
MagalMese varios 'clnicos daqui.e Campias,
sobmjff natureza das fferes -qne estie grassando
naqulla cidade.
-Fallecen-o SrjErasmo Me*o.
Santos, 20 de Margo.
0 Dr. Araujo Ges, chefe da commisso medi-
ca, querendo computar o numero de doentes em
domicilios particulares, mandou contar o nume-
ro de n-cenas aviadas pelas pharmacias daqui-
Todas prestaram esaas infornagoes.com excep
gao de urna, tirando calculado em 400 o numero
le enfermos.
Contina a apaerecer mmtos ras -s npvos.
0 Jerapo contina chuvoso.
0 servigo de desinfecgio est sendo bem lis-
tribuido.
A commisso do Dr Ges tem-se tornado cada
vez mais, digna de elogios.
20 de Margo.
Foi inaugurada a enfermara no -oavento do
Carmn.
Ilouve luncu, du M a atst .vai.iaram-s*1 di-
versos brindes, scodo o S. A. o r. Conde d'Eu. e do Dr. Eufrasio Cunha
ao Sr. con?ell)eiro-ministro do imperio.
J:i nlntrcuTi para a pew o-- .en-
A chuva continua.
S. Paulo, 20 de Margo.
A commisso medica de Saatos requisito,; va-
rias wrovideooias do governo previnciul. O pre
sidente da provincia deu-as todas inmediata-
mente Acaba de fallecer nesta,capital o Sr.
r Coiuibra, commissano da praca de San-
tos : viera para aqai com febre.
Em Canipioas tesi melborado o -stado sani-
tario.
BM a- suetr*
i Data at 21 de Margo:
i ontinuava a grassar a mere amarella. ees-!
peilo de todas as proilldeeoiaMomadas para
trorar rs efTeitos do ten ive! mal.
Leraos no Jornal do Cotnmerti> de 18 sob o
titulo Aqmtaban:
Este vaso de guerra, a'cujo bordo partiram
d'aqui para Santos S..A. o Sr. Conde d'Eu, o'Sr.
inini.-stro da raarnba e o Sr. ajudsnte-yeneral da
armada, chegou Barra hontem s 8 horas e 50
minutos da manh. .'
Assistiram.ao-desembareae-o presidente da
provinea. as aeteraladetocaes e grande concur-,
so de povo.
S. A. o Sr. Conde d'Eu, loro que desembar-
coo, ii visitar Miserieordra.c Sociedade Por-
t'.igttia de Bem-flcenctee cutres lugares onde .
eslava enfermes em tratamfsto.
llar hontem na eidade.frsenlos enfer-
mos. (
" Segundo _le|pgia:uma d' Santos, o Sr. Conde
d Eu prerendia puair, deeoisde pequea demora,
>egundo o memo telegramma o Aquidaban
devta regressar de Santos para o nosso porto
hontem, a n tito, trazendo a seu bordo o Sr mi-
nistro da marinha.
Nao havendo al ao rneio dia de hontem no-
ticias da ciie-yada tomadas al um..s providenctos entrr outra
inandou-si? aprompUir, para sabir pnmeira or-
dem. o cruzador amnabara e deu-se igual aviso
ao cruzador Trujano,
O vapor mercante Aymo eslava tambera
prompto para sabir. -
L-se n i mi-sraa foi ha :
0 Sr. comniandante do paquete Snior, entrado
do lo Grande do Sul. d clara o seguinte
Enconu'ei na latitud.- 31,50' e lonyitude
5I0,15, um casco de navio submergido era 78ps
tnlezes d'agua, est 48 milhas inglezas Norte
to0 Li'-sle. inte courae md magnette-from Rio Gran-
ii f:i ni if BJtUVl
Do passadic.i rof amor les navegante-! que frequentam
aquelle.i. ai-, bom seria que se mandanne remo-
ver ou destruir o referido casco, depois deje '
haver veiilicae, por meio de mi rgulhadors,
que navio e.-,e contm ainda aiguma cousa
aproveitavi-i - (,
L-se itnWdflre*folhu de 21 :
Por decreto n. 10,201 de 9 do corrente foi con-
o-dida garanta de juro inir.iral de 6%. durante
15annos, sobre o mximo capital de 65:OOW
qae elTecnvamente for empregado porcomoanhia
organisada p.-lo Baro de Itapi^uma. cotnu:eri-
dador Joo Baptista do An.aral e capito Napo-
leao Cesar Duarie. parr fundaco deum ene-
nho central, destinado ao labrco de assucar e
alcool de mrnna no municipia' de Iguarass da
pr ivi'.ici, de Pernambuco.
. A fabrica dever-ter'capacidaua para traba-
litar em i h"ras 3tiotoneludas de cmna duran-
te a safra calculada em cera dias. Ficou depen-
dente de approvago do poder legislativo a iaen-
cao de direilos concednla importacSo de ma-
ebuw. instrumentos, trilhoseinuis objec'os des-
tinados ao fabrico
Basta
Dalas at 23 de Margo :
Sobotit;i!o Invidencias Sanitarias, escreveuX>
Diario /<' Noticia* de 22 :
Hontem, a convite do Sr. conselnefro presi-
drnle da provinci.i, reunirani-se rm palario os
Sis. conselheiros Ramiro Alfonso Monfeiro e Jos
Luiz d Almeida Coulo. Drs. Manee! Joaquim Sa-
raiva, Castro Rebello, Silva Lima, Manoel Victo-
rino Pereira c Simios I ereira, lentes da FaCWa-
ile de Medicina, para tratarem das medidas hy-
gienicas e metes preventivos a empregar-se con-
tra a Pebre amarella..
S. Exc. declarou me desejava' ouvil-os a
respeito das medidas que ia adoptar, e tambera
sobre quaesquer outrns que Os* consultados jul-
gassera necessariag e urgentes.
S. Exc. maiifestou a resolugao de fazer ac-
quisigao de urna casa prxima ao actual lazareto
do Bom Despacho para opila acommodar as pes-
soas que Eorein submettidas ti quarentcna, maa
houverem desembarcado de navio em qu. da
rante a viagera, nenlium caso de febre naja oc-
corrido : e bem assim mandar preparar um pon-
to prximo ao predio, em que liquen de obser-
vago os suspritos.
Por telegramma dirigo-se S. Exc. ao pro-
pietario de> un predio as condigQes cima re-
feridas, e ao Sr, engenbeiro David, percato da
Companlria fiahiana de Navegago, encarregnu
de obter com promptido o pontao para ponto de
observago.
De referencia ao hospital para os atacados
da epidemia, deliberou se transferil-o para. a.
predio na Ponta da Arcia, sendo este supprido
de agua, ou para outro em melhores condi-
coes.
- Rsolveu-s-: tambera que ser de convonitn-
cia publica a transcripcao das instruegoes orjs-
tnsadas sobre o assuinpto pela inspectora de
hygieae ; e tambera a nomeago de um medico
para cada narochia como auxiliar da inspeeto-
ria, julgantlo acertada a autorisago j dada pela
presidencia inesiaa para manler o pessoal in-
cumbido do servico da limpeza hyaienica de ae-
cordo com a Cmara Muni-jipat.
Outras medidas relativas ao servico da bv-
gieae foram discutidas.
L-se na mesma folha de 19 :
. Um facto criminoso revestido de requintada
ba-baridade chega ao nosso conhecimento
Occorreu assim :
Noi dia o o nneirte. na freguzia do Mundo'
Novo, Joo CJemenlino da Trindade. por motives--
que rro conhecemos, mas que em todo o caso
seriam fuleis visto tratarse sassinou Paulino de tal, menor, enterrandoo
depois no masa para oerultar o ^eu nefando de-
licio. K.
Vindo o Sr. subdelegado, no da immediato,
a ter sciencia do facto. dirigo-se ao lugar.indi-
cado com seu cscrivo e peritos, que orocede-
ram exhomago do cadver j em adianiado
estado de putrefaego, e prendeu o delinquente.
"Das diligencias postas em pratica pela au-
tondade chegou-se ao conheoimentode que Joae
Cleraentino da Trindaile Uvera um cumplir de
nome Joaquim Amistado do Nascirocnfo, que ja
estava pronunciado como autor de ferimentosf gra-
ves praticados na pe.-va do soldado. Agostr-
nho.
O Tacto foi comniurfcado ofcialmente ao
f>r. Dr. chefe de policia, que recommendou a
captura de Amistado. >
;.





l
\oi<-ias lo norte do Imperio
'0 Paquete nacional Pernambuco, entrad" do
Borte) trouxe as seguintes noticias :
Amazonas .
Datas at 14 de Margo :
Eslava funecionando a Asserabla Provincial:
Lentos no l'.ommei ci do Amazonas de 12 :
D esem barcaram Itontem do vapor inslez *>-
bralense 1386 immigrantes os quaes foram aloja-
dos no Hospicio Baro de Mandos.
Do Cearj at esta capital, falleceram U-
criangas menores de 2 annos de idade.
. Por parte do governo da provincia do Cear,
acompanbou-os at este porto, o Sr. Dr. Eduardo
Salgado, que com a maior dedicaco. e rarmmv>'-
sa.solicitude de medico, estove senipre ao lado
dos seos infelizes conterrneos aos quaes prestott
reaes[servigos.
Durante a viagein nao se deu o menor facto
de alteraco de ordem.
Os immigrantes deserabarcaram satisfeitos
e meitoTeconbecldos para cora o digno commae-
dante do Sobralenee, o Sr. E. J. Collings e aeus
officiacs pelo tratainento qne. receberara nesse
vapor.
L-se ua mesma folha :
No engenho Santo Antouio do qual preprie-
tario o Sr. Bernardo Braga, deu se no dia 3 do -
corrente 1 hora da? tarde um confricto entre An- '
tonio Correia da Silv' e l-'rancisco Pedro sendo
este victima de urna Liada da qual falleceu
mediatamente
Correia foi preso r.do francez Berger
le desse engenho qne o conduzio para esta capi-
tal, entregando o ao Dr. chefe.
Depois d inquerito policial foi Correia
colhido a cadeia publica..
L-s; no Joma' Minaos de 12 :
' An' 7 horar- da
distribuidas as pal.ulli.-i
levo o Dr. chefe dft policia aviso de que
de residencia d i. mes Bastos e.-t
da por tres urag. .3" halalho di
paisano j armados, qnv procuravan
As n feridaa ires praca-, entre ellas, cerno
que commandando. o corneta mor do batall
pausaran) s '> horas da.U^H
frente ao qu.irtel de i ^^B|
ae um grosso cae-,te.
I
<&


Desubedoeiiiaseifil^H
onifco
1 So
presidente da provincia eaquai'tollamento, i
ge dia, da todo o batalhBbr
(
]

FKflSB~l



-"
ira .
Diario de Pefmamibuco-^ttaitte^feira 27 i ^^_





/

*
lo este facto ao conbrcimento do r.
polica orlenou delegado, que
eolio se achava e.tn frente ao mercado a apasi-
.venga >ntre pi que
npanhadode algumas pitrull
OWO d C.IadO i i: I HUS-
.ilra qualq.ier lo, euiquan o elle
ctiefu ifi' polica ia c -idate da
prov le sabia ; ucsta occasin
do aigdaigaucias de que as taes Bracas conti-
nuava.n ffinecar a residencia de Lentos Baslos.
trque e.-tavam munidas de armas de fogo, deu o
lr. chele de polica ordeta a um piquete de
as de poli a que je i iu liciassem e trou
aeiu as carabinas eeae fos-em aman-be marebe
por-se disposigo do delegado de polica a ra
de ezombro, afim de defcudel-o contra
qualquer allantado.
fcm comprimeoto dessa ordem, soguio o pi-*
quele a pa-so de C mndo
na ponte do Espirito Santo, esquina da casado
arbosa Rodrigues toi aggredido pelas pra-
ras do 3* baialMo ana nabam da ra S >te de
ezembro, recebeodo urna das pravas de poiicia
aigumas cacetadas.
Querendo Iterarse o piqueta desse obstcu-
lo, fot anda ouibaracadu i marcha por tres ofB-
ciaes do batalho a frente d qua o Sr. len-
te Pa. quede tere ido, o a puuho, a
patsaov. sabiram da casa do Sr. Barbosa Rodri
raxOea coni o piqaete ira-
pi'dindo-liie o cumplimente de ordens, c dan lo '
ibes ordens c a gritara infernal.
> N'essa oecasiiO foi dispar, do utu tiro de re-
II dver ou rifle, sein que se soubesse donde
parta, resultando que as pravas a paisana eoa
Iciaes trancaram-se etn casa do referido Sr.
Barbosa Rodrigues,. onde segundo nos consta
.ava preparado um verdadefi oArsenal do
armas.
Depois de ter levado ao couhecimento do
-liento que apezar oa ordem de aquartcia-
iio, aehavam-se placas do 3. us mas desta
ide em attitude araeagadora, seguio o Sr.
Ur. ebefe d i poKcia para- a na 7 e Deaerabro
quaodo e.n frente a guajea jithesouro, f.-lhe
ejji > que un t^tutiaW-i '''di- irado
contra a polica e que^kTrafe do Sr. Barbosa
Rodrigues os ofliejaes censur ;vam em alia voz a
polica.
Beuiiindo O 'Dr. ebefe de polica a preseas
. gamas pairulbas, foi ao quarle de polica, ar-
rna"l-os de carabinas, co.n ella sego para o
luhar o conflicto.
Collocou essa [brea era frente a casa do
- Barbosa Rodrigues, e sabendo que se achava
sent o major comn do referido ba-
:iandou o J)r. cicle ciiumal-o. c depois
algunstninutos de conferencia, pedio-lhequc
CfBlivcsae os seus officiaes e pravas afim de en-
-e algum .conflicto, de consecuencias fu
5tUS.
Ailendido o pedido do Sr. Dr. ebefe de p >-
liria, i :ruu-se eoin a forra para o quarlel e
dirigindo-se em seguida coni o piquete e praca-
cuja marcha (Ora embarala na ponte do Es-
to Santo a presenea do presidente da pro-
:ia, a quein foi referido pelas pravas e pelo
befe o que se dera.
Tomaiido -. Exc. as psovideucias. fez vir
presenca o- r. commandante das armas que
' nao se uioveu de casa durante todo esse con-
flicto, o Sr. major do batalho e alferes I'i, e
Ojteis de alguns minutos de conferencia, fez
Ilier preso o alferes l'i, declarando tomar
nutras providencias, que nao nos vierara aiuda
tmhecimento.
Para
Dala., al de Marco :
Continuava u funecionar a Assemblea Provn-
cial.
Palleceram o deputado provincial Dionisio
Auzier Benies. na corte, e Roberto Serro de
Castro, era Porto d: Moz.
. Muran bao
BBUafi al ) de Marco :
Eslava funecionando a Assemblea Provincial.
As demais uoiicias constara da carta do
o correspOBdenle, publicada oa rubrica la-
feriar.
Piuuby
' Datas at 7 Je Marco :
.Nada referem as foflias que merega menco
CerA
Datas at 23 de Marro :
Tiulia cabido aignmas ebuvas. Entretanto
('oram aioda eulcientes para minorar os
i 'eilos da secca que continuava a flageliar a
P'-pulaco.
Em viagein do amazonas para o C.ear Uil
leceft a bordo do paquete Mngasr no da 12,
um lumiiio do Moute.
Kio t-ramle do >orli-
lla I,:: at i de Margo :
A secca continuava a Castigar a provincia.
L-se no Correto do Natal de ii :
Tundo sido abertos dous crditos de cinco
coates ile ris cada um. destinados occorrer
[espesas ja fei'.as e as que se tem de fazer
i verba Soccerros Public s no crrenle ex-
ereicto, S. Exc. o Sr Dr. presidente da provin-
cia, al temiendo as rcciiunaces que Ihe cram ulti-
mamenle dirigidas da cidade de Mossor, c no
louvavel intuito de, mediante trabalbo, propor-
. ir rasoavel salario aos indigentes e necea
sitados llageiladQS pela secca. que se achara ag-
-lomerud/js uaquella cidade e' lugares adjace-
tes, em dala Je 10 do correnle deu-sc pressa em
nonjear duas coramissOes. nina para Mossor e
outra para Carahas s quae- eucarre^ou da dis-
taibuigao e liscalisago oestes soccorros, na con-
l'orraidade das insirucgOes j publicadas no an-
tecedente numero deste jornal em que hram
tambera publicados os mues dos cidadaos dos
quaes se coiupem as referidas comraissoes.
O zeloso e providente administrador o K\m
Sr. Ur. liosa e Silva em sua accentuada orien-
i resol ven, por costa dos respectivos credi-
. lar coSjtrair era Mossor um predio
oado ao Peso Publico Oflicial- e um acude
/ir tubas, mandando igualmente concluir o
rio nacional situado na Arca Branca.
rconta do 1" crdito de3:000 mandon-se
entregar aos re-pectivos agentes fcae* coman-
ilicagao as referidas obras as Begtutes quan-
tias. assimdistribuidas .
2;00Wparao acude:
" 2:0 OJ para o Peso Publico:
1:000-} para a casa de Areia Branca >
Parahvitn
Balas al 25 de Margo :
l:iaugurou-se nesse dia o ramal do ^Cabedello
da ferr-va Conde d'Eu.
A" proposito desse rama!, escretreu o Jornal
a Commerciu de 23 :
Na mauh de 21 do correte realisou-seuma
m de experiencia na liana do proioogi -
ment da va frrea Conde d'Eu de.ta cidade ao
Cabedello cora a asaiatencia de S. Exc. o Sr.
Bario de Abiany, acompanbdo dos Sis. Dr. che-
fe de polica, Dr. engenbeiro fiscal e Dr. La-
eerda.
- Richard Felloii e Dausmure. aquel-
le Miperiutendcnte e este engonieiro assisli n'.v
irada de ferro obsequiaram arpieltea ca-
ralbcirosna povoago do Cabedello, o'erecendo-
! vllente almoco.
i S.Exc. o Sr. Barae de Ah ihj e "its dignus |
rih iros voltaraai muitoagradados do pas-
1 ijf'dongamen!'!. que "sl sol
./.c'coii.-i/ueJa, pelo que merecem louvo-
rtio so os corveilcii-os, mas anda o leloso
fiscal do governn.
EslQo em andamento os preparativos para
a inaufraragau. quesera urna fes ta solemne, para
coja ordem a digna superintendencia da Conde
d"Ea muitc acertadamente adoptou o ,-y-(ema,
usado em actos idnticos :i faeet
convites poi uartes, .-e d exbibico dos quaes
uiein poder le nos wagn-', nem
tonar parte no lunch.
1-buido os convites.
Fallecer, no Breu ili Gnu, da enmarca
a. '"lente, coronel Joo Ce-
ha
Tregoas a poltica.EiploragOes de these cscreveu o distinctisBK.io engenbeird Dr. mam-ser prente natural}fo presidente dos mes
^^^Hft)s Notitralidatfe da Gazela I, R. Vieira -outo. um eosceitnoso artijrono'. inissiraos Fagundes.
de Skiticias.Nova phase em que en- Jornal d ommtrao, do dia, K, leraboando o al-
trou o Diaito.de Noticias. Cauluirem vil re Ja lavagem dos caaos por raeio deum^p-
partlhoi apropriado.
No dia s-gainto, depois dft ce nforencia cele-
bra la na. secretaiia da a
do ouro. Desinteliigencias mininle
riaes. -Falsos Lalos -Pra
jectos do. governa.
Contina a ser pessimo o eitado sanitario
desta grande cidade.
Nao ge pode infelizmente atteuuar as dlli 'eis
conJigOes em que nos acham
AUjaTUBMUnos um periodo dos mais angus-
pan a sade |blica.
.A eslac& contin* rada dia nmis gofosa ea
temperatura le hIu sempre eleva-
dissima. Faz um calor de asphixiar, os poUl
litara e a que. corn-
il os liiroclorv.niit.Citii impraveiuents, o
eagenlieiro Hscal e o lie. L R. Vieia Sjuto, o Sr.
minisiro da agricnltnra incumbi a este illu
do prolissioaal do lrab:illio da d(infecgo e la-
in dos esgotos e-ouiros imtl!i!>rauieiitos ten-
deles a modificar as in.is condig jes do syslema
adoptado pela Cily mgrocements.
Aquello divno eugeoheiro, oom louvavel soli-
citude, coaeoeu no dia seguinle o trabalbo de
resfura tl i -uldadi, o ar pez ido.e a!qoe lora incu*nbi athraospher.i pareoe saturada de miasjuas de I No |>eriodo de sobresaltos e inqoiilago que
tuda especie. j atravessanios, no raeio das justas apprefiensoes
Depois oue a microbiologa vulgarisou as ana*(que assaltam a todos os espirito* era pisio.que
admiraveis descocerlas, tornou patente me tragaas a poltica, que todos se cen-
aos olbos profanos um mundo oe iuii'iiamenle'^n^assem DO pensamenlo comraun, patriotici B
pequenst. urna (egiao de o os, u n i rcilo b i uanitariole ineihora" as iri-ies coa lices
di' bacterios, bculos, vibries el reli'/wi -alulicidade em que nos achanos. Infeliz-
nTGBH
P^raambiico
\{ V^KIKv-'oht- Id do
# Mu-co de 188^
tro. Recrudescencia
, ,u,; m de vida
^Hkienr publica e privada
giaas Provi-
den. ,- t-r-
res.
Na.agua que bebemos, no alimento que iafo-
rimos, no ar que re por toda
pe -eguem estes mangos oceultos, do modo
mas temivel.
Macando a vida no que ella tem de mais es-
sencial, esta borda iaaactMel da parsitas inva
dem o Doato ontaoisme cora o maior eocarni(a
ment.
.Presentemente ullirmam os medidos c hygie-
Mstas as condiges climatolgicas sao de todo
ponto Eavoravei ao rpido e a-ssoaibroso des-
euvolv;nient i destea eleraeiitnV mrbidos e a
ios-a orga:ii-;.g..o nao :e;n 10 I lente para
resistir a to temerosa invasao.
O calor tem sido exce-.-ivo as clu:.
seavam COmpletameate, o tlier.nomeiro tem mar-
cado consecutivamente de <3" a 3(5 sombra,
os uianaiicio's que abasicceni d'agua a cidade
tem diminuido continuadamente a pro.
turnada, os eugOtOS funecionara mal e O sol
pre o inesino, sempre imetacavel cool,
W a erra um rmislir, i bra
Em taes condiges nio de extranliar que
lenha ^oradescido de modo asaattador a epide-
,i >,
A eonstituigao medica da cidade e d
suburbios das peion.-.
A febre amarella veio juntar se um factor de
tnottalidade, anda mais lerrivela febre perni-
ciosa o accisso iK-rmcioso, do.qual se iitam
niuilos casos fulminantes.
Nao tem sido raros os casos de nortes sbi-
tas, repentinas, produzidas peta insolago, pela
aulo-eoinhustfio
as ras publicas da cidade mais de um ca-
dver tera sido recoUijdo pela polica. S no
tecretorio, qne a iios^a morgue, foram deposi-
tados 25 cadveres, do da 1 ao dia !1 do cor-
ren te.
Dia nouveem quei'allec ta 163 pessoas, sera
contar com os indigentes e oulras pessoas falle
cidas na Jurujuba. Do dia 1 ao dia li cerca de
1:900 fallccimentos foram registrados pelos obi-
tuarios.
Era taes con lices bem se coaiprehcnde que a
vida publica experimenta como que urna es
pecie de parada, de eslremccimento. Os tempos
nao se prestara muito a assut.ipto.- caroateatwii.
Todas as quesles, poli'icas, sociaes, scieulilica.-
ou literarias que por ventura estivessera na or-
dem do dia, paimiH a segundo plano, sao sup-
plaulada pela priun'ira das quesles-a questo
vilala questo da vida, purae siuiplesmeiite.
sera o menor vestigio d ; floreio rethorico. or
mais que o negucm os philosophos pessimistas.
os nirvanis'.as occidenlaes, tale' a peni rirer e
anto vale, tanto a vida tem o seu valor, nico.
iuavei, su; remo, que para conserval-a em-
pegamos todos os recursos e a sua conserva-
gao a nossa principal cogitagao. Neete duello
tremendo (cavado entre a Vida e a Morte nem
sempre vence aqaeUa.
A morte vai laucado um -em numero de vc-
timas, eseetbeade as eses existencias preciosas,
fazendo murcliar rauilas esperangas, eslielantlo
rauitos lares a dr e a constemacao.
A sciencia. por mais dobn1 que soja" sua su-
blime missao, por maior que seja a negagio
d i seu apostolado, por mais qxpleiiJida que se-
jam as suas conquistas, todos os dias confirma-
das pelas rail vozes da imprensa, finu:1 vezes
impotente para arrancar as garras ja morte
estas vidas queridas e preciosas. Muitc.s vetes
ella iuta em vo contra a fatalidade csmica, a
predisposigao physica. a receptividade mrbida
que se raanifesta e favorece a devastago do mal
qus se procura combater.
E' o que era mudos casos tera acontecido na
quadra desoladora que vai atiavessundo esta ci-
dade. As condige- mesologicas favorecen! o
desenvolvimento das epidemias reinantes. Os
esforgos da hygieoe publica e privada poder
eireumscrever o mal, attenuar-lhe os terriveis
ellifos, mas impotente paja feril-o de frente,
na sua origera. "ara isto uecessario que se
modilquem os condiges physicas, que a tem-
peratura desga, que o calor diminua, que a chuva
caa abundante e vivificadora, que o sed lorue-se
mais clemente, menos impiedoso, do que se lera
mostrado. Emquanto perduraren! as acluaes
condiges climatolgicas ha de ser mao o estado
sanitario desla cidade, que felizmente ha loncos
annos bao teslemunha da calamidade igual, a
que ora tem experimentado.
O governo nao tem descurado da aluhridade
publica, tem erapenhado louvaveis ^aforaos para
melhoral-a. Nomeago de mdicos Agienistas,
creaces de ambulancias a postos mdicos em
varias zonas da cidade, varias medidas de poli-
ca sanitaria tem sido tomadas no intuito de mi-
norar os terriveis mulos do flagello que nos
persegue.
Tanto o Sr. ministro do imperio, como o Sr.
ministro interino da agricultura teem tomado
acortada providencias no intuito de impedir o
augmenta) do mal e de diminuir-lhe as funestas
couatquencias. Para nous pontos convergirn)
as medidas administrativas tomadas pelo Sr mi-
nistro interino da agricultura : a falla d'agua e
o n;io estado dos esgotos.
A 'al'u d'agua geralnieule sentida por lodos
os habitantes da cidade e principalmente pelas
classes indigentes ou menos favorecidas da for-
tuna. Todos sabem que a agua um elemento
essencial vida e conhecem o importante papel
que ella reprsenla na hygiene de una cidade.
como esta que habitamos.
D'ahi pois, fcil inferir quantodeve ser sen-
si ve| a fulla e era rauitos lugares a ausencia ab-
soluta deste elemento vital, sem similar, insub-
stituivel. Nao ha limpeza possivel sera agua
abundante, e se a limpeza sempre necssaria,
i.as condiges em que nos adiamos imprescin-
divel, como aieio prophilatuo de primeira or
dem, para impedir a invasao do elemento mr-
bido.
A falta d'agua gral, a i.uprefisa tem clama-
do cm altas vozes e os particulares por sua vez
amiudam as reclamages na respectiva reparti-
rlo encarregada do abaslecimenlo. E-t^/jues-
iao do abastecimento d'agua longa. teinwrios
antecedentes e reraonta-se a outras
tem fcito o seu carainho por entre as qaeixas do
povo, oatribanacs e as dckmgas adminisirativas.
Nao cabe no nosso intuito, nos modesl s limites
la urna carta, Tazer o histrico de to intrincada
to.
Basta dizer que apesar das obras do novo
abastecimento d'agua, na epocha calamitosa em
que estamos, depois de tantos dias de secca. a
agua tem faltado, tem eecasseado, os inaaaii-
cae- nao teem fornecido os litros d'agua o
jarros ao consumo da grande cidade, oque quer
dizer que tem diminuido um demento de vida,
justamente na occa* precisava.
Tratava-se, pois. de achar o novp oyss que
lizesse jorrar agua no raeio desta ai idez'que nos
acabrunha- Varios alvitres foram lembrados.
Algumas propostas foram feilas. Agua era 40
dais diziam uns, aguaern 6 dia-. illinnavam
outros.
Tendo procurado ouvir a onse outros o Sr.
ministro interino da agricultura providencien
modo a.poder a sequiosa populaco flumm
crer satisfeita a necessidade que a afflgia no
menor lapso de lempo possive!.
A questo d 'receu lambem a al-
ti-nco do digno ministro.
Parece provado que tem concn i lo para
gravago do estado sanitario. tal-.eZ ,-,-v ama
ausas preponderantes, o defeill
ssotos da cidade
. A falta de chuvae, a escasez dagua nao per:
mittindoa i:no(rin.MaiiJarda ranal i
mente assim nio tem acontecido. O e
nitario da cidade tem ser.i le de titean par di-
versas exnioraces partidarias. Tera-se infun-
daaatente |irocurado respousabilisaro governo
e atea monarcli: i ;i'l, .; que uos affl-
gem.
Os hbernes da Tribuna, o r pul
meetings, os neutros de soda :i prodU
rado tornar o governo responsavel pelo mal que
tos ut'.rin ota e cada qual segudo o.^ -ei-in-
tuitos peculiares te.n procurado explorar as ms
condiges em qne nos acharaos, de aceorao co.n
as Bius iiispir^ge- particulares.
Nao u;;',i'i! de cotnprehen rquemuitas
vesos tan ficado assimeompromettidoa interes-
se publico. Nao prelendo allirraar que o gover-
no i ii feito ludo quanlo podia para melhorar o
nosso estado sanitario, mas parece nos exagero
clamoroso querer trnalo responsavel pela cala-
midade publica com que presentemente luamos.
O cerlo que o governo tetn feito o possivel a>
seo alcance para minorar o mal, de accordo com
as nossas praticas e Iradges adraiiii.-lralivas.
S defeito existe, se ilgum vicio lia a extirpar
tio de hoje, dala de oulros temos. ,
A azeta de Nul cias que at bem poftfb ,L'"1
po era de. urna neutrnlida le mais que sy.^alin-
ea, entbusiastica pelo actual gabnete; parece
ter mudado de orienlagao e lelo to bruscamen
te que at, desdizeudo-se do que aul'-s por ve-
zes ffinnara, negoa ao ministerio a -gloria que
ib cabe com i pnl dor da alioligo- da escra-
E-!a- sbitas oscilaces de ODHliaO de, .
p ;il xos Os espiritos poucoacosluniados as ta-
riagdet da nosa imprensa Se valesse a pe$a e
li.'vesse um novo Bossuetque se desse ao tra-
balbo de nrralas que enorme n-fulio poderia
esccever ? !
Para-nao sahir do raunio joruatstico direi
aioda que o Diario de Noticias, que tantas trans-
formages tem Soflrido, acaba de pasear a ne-
vos pro; rieiarios e imciar urna nova phase.
A Trenle de sua redargo aclia-se agora o Sr.
conselheiro Ruy Barbosa, que lera por coiupi-
nheiros os Srs. Luiz de Andrade, Antonio Aleve-
do. Luz Onadros e (iasto Bousquet.
Embora divorciado dos partidos politicos mi-
litantes tem agora o IHaritde Noticin, a sua neu-
lidade nleiramente dedicadaja causa democrti-
ca e nao occuka as sias syiupalhias pela forma
republicana.
Era un rpido torneio era que lomaram pac
a Gazeta de rV'aWWI e a Tribuna Liberal j se
procuoru tirar a limpo a que nuaace do libera-
lismo pertence o Diario que lem a lesla de sua
redaccao um nolitico e parlamentar coonecido e
respeitado como o Sr. Ruy Barbosa. Parece
ter lirado provado que entre o liberalismo do
Diario e o dn/Tribuna, orgao das excelsas pre-
t' nces ao poder, nao ha inteiro accordo de vis-
tas. L se avenbatn !
O Sr. ministro da fazenda acaba le pretiear
um acto q mostra o iuteresse qoe Ihe inspira
a quesipde raeio circulante. Corte da necessi-
dade de melhoral o acaba S. Exc. de por em
pratica urna medida preparatoria necssaria
aquelle almjado melborameute.
Refer monos ao decreto n. 10197 de 2 do
correnle qne determinou que a taxa de 1 |0 at
agora estabelecida pela cuuhagem do ouro era
moeda nacional nao seja cobrada do ouro que,
para aquaile ira, for apresentado a c sa da moe3
da. em moedas estrangeiras e era barras de to
que i nal o superior ao da moeda brasileira.
Esta providencia facilitar srm duvida a cunha-
gem do ouro em moeda nacional, concorrendo
iorlanto para o melboramento do inio circu-
lte.
Nao urna medida de carcter decisivo, nem
visou a taes intuitos, mas nao se Ihe pode negar
as vanlageus como providencia auxiliar.
Em varias rodas polticas tera circulado o boa-
to de que graves desinteliigencias reinara entre
os membros do ministerio.
A Tribunal Liberal tem se referido a esta ver-
sao e a Gozeta de Noticia tambera.
Pessa que julgamos perfeitameule autorisada
afhrma-nos que tal divergencia nao existe e que
perfeila a solidariedade ministerial, Tente
quanlo pode julgar um profano, parece-nos que
nao ha fundamente para semelhante boalo.
A supposta desharmonia entre os membros
do gabinete urna das costumadas balellas pos-
tas era circulago pelos adversarios.
Na ha ministerio, liberal ou couaervadoi, que
durante a sua permanencia no poder nao teuha
sido victima de seoii-lhantas invenges.
Sabe-se quanto fecunda a imiiagina,go, o
taleuto inventivo dos novelleiros e fabricantes de
opimoes (bom oflicio !) que peraoibulam pela ra
do Ouvidor e adjacenclas.
O certo, o que se v, pe'o menos, que o ga-
binete est disposto a abrir o parlamento, cuja
sesso nasal prornette ser bastante agitada.
Para esta, alm dos relatorios que se confeccio-
nara as secretarias, eslo em elaboraco, diz-
se. varios projectos.
Entre es'esavulta pela sua importancia o que
se refere a descentralisago administrativa, as
franquas provinciaes.
O ministerio coat melhorar a publica admi-
nistracao, promovendo no parlamento passa>
gi-m de um projecto que dcscenlralise varios ser
vigos que at hoje sobrecarregam o poder cen-
tral, de mais vida e forca ajaoroviucias e aos
municipios, torne emfim umWealidade a vida
provincial, embora sem o sacrfo da ntegrida-
de poltica do impera.
E'sera duvida esta uraa das nossas mais ur-
gentes necessidades, todos os dias attestada por
factos eloquentes e convencedores. 0_centralismo
poltico administrativo um dos maiores vicios
de que se rusente o nosso organismo poltico.
Autorisarain o presidente da provincra- a con
trahir um emprestimoeiterno, ilestinado ao re-
gate das apolices- provinciaes, que em verdade
ftsto era grande depreciaco ; raae, eslipularam
ao raesmo lempo, que a rendo proveniente- do
imposto de dectawa nrbana- ficasse destinada
para o pagrfoieiim'exclusivo dos juros do em-
prestirno. Por essa forma, difficultaram eluda
nais as opei-ages do thesouro, pois que o ira-
posto da dcima(: o seu raelhor rendimeulo. A'
passar semelhante medida triste seria a serte dos
erapregados pblicos : se at.hoje so podiam re
ceber seus ordenados com grandes inteivallos,
o qoe nao acontecer para o futuro ? D'isso nao
cogita n os Lycurgos provinciaes, mas de repre
ages massudas, reptelas de lugares com
ranas, para exigir da assemblea geral inde nni-
sacao paraos proprietarios de escravos.
Estas e cou-^as ile igual jaez, que vemos I
os dias, contribuem apenas para deeaefeliaaco
ilo systema monarchico representativo tal como
funeciona no nusno paiz. Si nao fora a terca e
o prestigio dados pelo gabinete presidido pelo
Baro de Cotegipe ao Sr. Gomes de Castro,
contribuindo para qm; elle creasse aqu um par-
tido, ao calor dos sentimentos exallados dos es-
cravagistas, nao estariaraos presenciando o Iu- Imuilos
gubre espectculo de urna provincia inteir.t estar
sendo immoladapara salisfagaodo odio de meia
duna de edpcitados.
Multe confiamos dj tino administi-diivo *e do
criterio do Ilustre Sr. Moreira Alves, mas com
irdemosfo que poder elle fazer i|U
contrabaraocar tantos desparates *
O futuro nol-o dir.
No dia 8 do corrente realisou aqiri sua pri
neira conferencia republicana o Sr. Dr. Paula
o Sr. Riffirab Guimaraje, que convrdon,epovo a
ir ao palacio da proideBcia.agradecer ao*x;o.
Sr Dr. Aranjo Ges a sus tlitule na 'que-
da farinha.
A massa popular poz se em Bievimento. e de,
facto dirigio-se ao palacio presidencial' dando
repetidos vivas. All r llegando, foram deputa-
dos para drigir-seao Sr. presidente da provin
ca os Srs Dr. Cansiano Lopes, Ricardo Goima
rans. Jos Candido de Barros, PedrcfCav
Dantas Bastos, S e Souza. 'rai Ribeiro da 811-
va e Jas CarneiiT) da Silva, e em nome de lo-
dos, orou o Sr. Dr. < assano Lopes, que agra-
deceu a S. Exc. o Sr. Dr. Araujo Ges a Batatar
providencia que tomara um beneficio das el;.--es
pobres (Ja populaco.
B Exc. o Sr. presid ule da provincia, agra-
decendo a maoifeslaco, disse que o povo per-
ua^ubucano nada liaba que agrailec-r-lbe p lo
acto de 21 de Margo, porquanlo S. Exe apunas
cumpria o seu de-ver. Aecreseentoa s. Exc. que
esse acto nio era novo, pois que em casos
ticos p ir i^u;i| modo pro-e lerarn os presj k*ate
da Babia e do Cear. Termiuou S. Ese. a-se-
verando que tornara sempre-todas as providen-
cias que visassem o bem publico, e livessem por
lim ilaanlfli n o povo.
Neesa occasifio, a referida commisso ergara
vivas que foram phreneticamentc cor
Jero-
j-ido,
..ba-
AI-
Duarte.
Nao comportando a sala principal do Hotel de
Franca o povo que concurren a ouvir a palana
eloqiienle do tribuno raaranhense, foi elle obri-
gado a falla? de nina das janellas de-te edificio
iu lo os ouvinles para o jardira publico que Tica
fronteiro.
K..va annunciado para objecto desta un es
ludo compaajM||Ko entre a nossa e a Consituico
fi i;r.iideH|blica americana. O orador tendo
-nio forgado "pelas exigencias do publico a fallar
Ibaae ar livre, precisou transformar o seu pro-
TOinn liiiiitahdo-sc a proferir urna br. *e
lucao, ao firn da qaal prometteu contieoar o
-eu pirneiro ostudo logo que fosse ins'allado O
(Ilub Republicano em um dos palacetes que se
se appareiha para um tal lira nestacaj ital.
A concurrencia foi enorme para urna popula-
peq'iefia^como cata, e o melhor da historia
que o orador foi coberto de applausos.
Veuha assim a propaganda rexiblicana que se-
r.^semprebem receDida-
J poasou o Ecmpo das descomposturas tiesca-
belad.is ao iniperadOf e a familia imperial presen-
temente Bueremoa que nos inosrem os pontos
(races do nos o tysteraa e o- aluso- n'ella n
lio luzido^afi.ii de ver se possivel dar-Ibes
remedio: mas isto com calma e no terreno
elevado das ideias expurgadas de injurias ecou
vicios que abalara mais o edificio social do que
cnnveiicem o? que lem interesse em restaural-o.
lauto falla no bem geral e se diz o
do Haranbao, nao deixar de tomara palavra na
primeira DCCaaiaa opportuna para sustentar o
(joverno monarci'iico. Si nao fizer isto, eotie
i idijamente chegar-se-ha evidencia deque
S. Exc. anda cora vontade de que ludo v pelos
aree, como ana entender no sea somnolentov
nnrehieo Patz.
Basta por esta vez.
respondidos.
Descendo a niesma commisso, oraram os Srs.
Eticante Minarles, Jos Candido e o pr \>
Vicente de Mamadme.-. \;t\o todos muito ap
plau litios.
It' pi.tiramse enl os \i\ ,.s ao Bm. Sr. pre-
sidente da provincia, que por sua vez saudoii
o povo pemarahucano e a Casaara Municipal do
Recite.
Em se-uida diii^io-..e a ma~-.i prt|Kllar ao
e lido da Canuca Municipal, e. nao eacontrau
do iienbura de seus membros. foi rec bida a
..Iludida commisso peto secretare da mesnna
Cmara, a quem fallan o Sr. Ricardo Guimares
pedind i qoe Ita !Ht( Kdilidade qoe o
povo se aeli.iva ideatilfcade Cora as sua- o im
dencias refispjites r questo da farinha,
mprida essa taissao, dceci rara os manifee-
lantes pela ra do Imperador, onde, fallarem os Srs. ir. Cae ,!..-.
ddo de Barro.-, diseo :i-e pacifica neni
reuni io, que se i jmpunha de cerca de 2:000
paaaoas.
Iilalua gramma que foi previamente annunciado. reah-
sou se, ante-hontem em Oliuna o aaseatanwato
d primeira pedia do monumento commemera
tivo da emancipago da antiga capital de Per-
nambucoo e da completa sxlincco da escrasdao
no razil.
Assisliram ao acto o Exm. Sr presidente da
provincia, governador do bispado, Dr. cicle de
polica, as autoridades judiciarias e oohciaes de
(Mind.i, alguna dasembargadores o outeas pessoas
gradas, alm de muaaraso concurso de povo.
S. Exc. o Sr. presideute da provincia, acom-
panbdo de diversos amigo. foi em trein ex-
presso, que parti do Recite s i horas da tarde.
Foi no mesrao trem a banda de msica do corpo
de i dicia.
A's-5 hora- da '.arde, logo que chegou o trem
i- certoa que o Sr. Gomes de Castro que I ordinario, orgunisou-se o prestito na estacao do
senhor 'paleo do Carrao, indo frente d'elle e p'endo
da Sociedade Abolicionista tMimicuse e sendo a
pe.ira fundamental do monumento conduzitla ro
urna padiola por membros dessa sociedade. Se-
guiam-seos paranymphos e mais convidados, as
bandas de msica do corpo de polica e da phi-
armouica oliadeiise. e o povo
lavogem
provui o afeccionameof
i regular da ranalisag
o de qi
que
timae.
;; -ido sutiant. 'ten-
ate*. De.aecerdVj com esta hypo-
(*) Por culpa do correio da crfe a presente
corie-pouJencia, que devia vr pelo paquete in-
glez Neta, veio pelo amerfeaiie, daanee.
Sula da rednefo.
ilAKANHAO8. luiz, 20 de Maro*.
de 188!)
Tundo espadado utnpouco esta i.ii-siva da qu
!'d
i a
opporturildade de falar-lhes da abertura "da as
sembla provincial, que alias, en'rou para o do-
minio das,factos sera importancia. \\ lem
o rirocedimeoto incoherente e esUpafui dio dos
actuaes Fagundes.
Inventados era sua maioria pelo Sr. Gom
Castro, que os foi arrancar dos suburbios da
Beocia. esa pobre gente ignorante do impor-
tante p | i representara as uisembleas pro
vinciaes. na vida autnoma das "provincias esta
daadfl de -i : iniLs triste idea.
Cren.l" com a mais sania{ingenuidade crear
embar i i- i adiiinittraoo do Sr. Moreira Alves
anda r a legislar a lorto e a direito entorpeceudo
de moiloo mais -scandalo?.. a marcha dos nego-
cios pblicos. Imiginera que comegaram por
mo approva um oredilo aber:o;pe!o Sr M
reir Alves pira pagamen" i d d'-pe-as judi-
ciaes com a cobranga da divida pubica I
Realmente, jsto excede os lituiles concedido
ao cmico. De Mirle que. dora em diante, qu..
esgotado o crdito votado para tal tin.
ir por dimtecom a arrecadajao dw dioliei
ros publico-s. a despeito das necessidades dOs
1 ;al. que vive sabe- Duns
como !
No i-antel quejapwsenlaram .'uisa do pro;
le mostraran aiieceiSi.dade de
,-uppnrair o pessoal da secreana.delgavenio, do
Tlie-ouro Provincia!, de tndasasreparll
summa. Pus bem, uo erara paasadoe lo *W*
e ja os ta" homens nventaram a nee.wsidade
de cr aisum lugar de coatiouo na pro-,
pna assenoblg. para dal-oaum ujeitocueaflir-
lieral)lea Provincial Funecionou
hontem sob a presidencia do Exm. Sr. Baro
de Calar, tendo comparecido 2i Srs. dipu-
tados.
Foram lidas e approvadas sem debite as actas
da sesso de 22 e da reonio de 23 do correte.
O Sr. I." secretario proceden leitura do se-
guinle expediente :
Urna petigo de Antonio Ito do Rege Barros,
arrematante de impostes municipaes da Escada.
no anno de 188C a 1887, requerenao um aban-
de 603*000 emquanto orgou o prejuizo que tere
na cobranga.-A' commisso de orgamento mu-
nicip.il.
Outra de Venceslao Pinto de Paiva, guarda de
2. riasse da Gasa de Dutengo, requerendo a
concess.'io de um anno de licenga com todos os
vendmnntos para tratar de sua sade. A' com-
misso de petiges.
Outra do pharmaceutico Francelno Ferreira
Crespo, requerendo o pagamento de I6o48U>
importancia de medicamentos fornecidos para o
cm-ativo de presos da cadeia de Goyanna.A'
commisso de orgamento provincial.
Outra de Marcolina Furtado da Silva Cabral,
professora publica de S.* entrancia da extrema
da ra Imperial, requerendo autorisago para
permutar sua cadeira sem prejuizo em seus vea-
cimentos por uraa de 2.* entrancia de qualquer
localidade.A' commisso de instruego pu-
blica.
Outra de Mara Joaquina BandeiraDelgado,
requerendo isengo do imposto de dcimas de
sua nica casa de Latea sata estrada, do en-
genho Cvalheiro em Tigipi. -A' commisso de
orgamento provincial.
Foram approvados sem debate :. um parecer
da commisso de redaego sobre o projecto
n. 1 deste anno e oulro da de, legislago decli-
nando para a de orgamento provincial o conhe-
cimento da petlgo de Francisco Pacifico do
Amara!
Approvou-se depois de orarera oi Srs. Correia
da Cruz e Glodoaldo Lopes, um requerimento
d'aquelle Sr. deputado pedindo copia da repre-
sentago dirigida pela Cmara Municipal de
Triumpno sobre factos occorridos a 7 e 8 de Ja-
neiro ultimo.
Adiou-se pela hora a discusso de um reque-
rimento do Sr. Bogoberto Barbosa pedindo copia
de um oflicio do delegado de Bom Jardim a res-
peito da denuncia dada por Jos Oypriano con-
tra aquella autoridade seudo prorogada a hora
por lo minutos a requerimento do Sr. Clodoaldo.
Lopes.
Orou pela ordem o Sr. Ferreira Jacobina.
Passou-se ordem do dia.
Approvou-se a 2.* discusso com 3 emendas,
sendo 1 regeitada. o projecto n. 2 deste anno
(licengas).
Encerrou-se a 1.a discusso do projecto u. 13
de 1888 nao se votando por falta de numero.
Adiou-se a 1." discusso do projecto ti. 101 de
1888.
A ordem do dia : continuagu da antece
dente e mais 1.* diseussio do projecto n. 107 de
1888.
Promotor publicoPor acto' da ores i-
dncia 'da provincia de hontem datado, foi no-
meado promotor publico da comarca de Timba-
ba. o bacharel Joaquim Velloso Freir de Men-
dopca.
Exportar&o la farinha Sobre este
assumpto objecto do acto da presidencia de 21
do corrente, recebeu S. Exc. o honrado pre-
sidente da provincia um lelegramraa do Sr.
Caio Prado, presidente do Ceara, em que dizia
este tur sido acertadissima a medida tomad...
CoIK'ko da* orphii -'.'or convite espe-
cial do^r. conselheiro Joaquini Correia d'Arau
jo. digno proredor da Santa Casa de Misericor-
Recife, S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, acompaiihado de -ua illns'r- amiuae
talgos com su is familia;, foi
ai.l. nontem ocollegio das orpbs cargo da
Santa Casa, e sito no antiga convento
na Thereza, em Oiinla.
S. Exc. p 11
do-o bem dirigido.
Kvsocio ta fariuh.i !< mun.Iiora
Estando convocada para bon'em ao meio dia.
una reunio era as-emb!li geral da A--
Gommerci I Benelicente, e suppondo->e que
. aeunio seria tomado algum aKre con-
trario portara de 21 do corrente pela qual a
presidencia da provincia prohibir a expoitago
da farinha de me.ndioca, appareccrapi hontem
alxados as esquinas das ras e pravas, e l'o-J
rum distribuidos em larga escala, mis boletins
convocando o povo se reunir tanbem na praca
do Commercio para contra-pro'estar sobre o que
reolvesse aquella Associago. apoianooo refer-
do acto da presidencia.
A Associago Commercial Beoelicente, porm.
uo se reuni, pois nao compareceram
kem numero legal. Eatretanto, nti
popular reuaio-se na citada praca.
tfa?.'orando all, da sacada do Grande Hotel.
A jiedra foi conduzidaat urna barraca erigida
prxima do lugar em que tera de ser construido
o monumento, e onde se achava um altar para a
ceremonia religiosa.
A barraca eslava e:u..audeirada e ornada com
llores e folhagens.
Benzeu a pedia o Rvm. r. Dr. Jeronymo Tho-
m da Silva, governador do bispad. Nesse
acto as oandas de msica toraram o hymno na-
cional e fendeu aos ares una immensa girndola
de foguetes, succedida por uraa salva real.
Foi depois a pedra conduzida pelos paranym-
pb is at o lugar onde tinha de ser collocada, e
na cavidade adrede preparada foram langados :
diversas moedas de ouro prata, nickel e cobre,
as folbas do Recife do dia Si, o Diario Ofpxial do
Imperio cora letn. 3.393, um exemplar da
mesma lei em pergaminho, diversos folhetos e
documentos ella referentes, e a acta do langa-
ment da niesma pedra, escripta em pergami-
nho.
i epois regressou o prestito at casa de resi-
dencia do Sr. Dr. Antonio Pereira Simes, mem-
bro da commisso ereciora do monumento, onde
se sebava a estatua e o respectivo pedestal, que
foram muito apreciados como bellissima obra
artstica.
Era seguida, drspersou-so o prestito, regres-
saudo para o Recife o Exm. Sr. presidente da
provincia e sua comitiva s 6 1/2 horas da
tarde.
Eis a copia da acta que fot lavrada:
Acta do assentaiwnto da primeira pedra > pe-
destal', sobre o qual tem de ser coUocadn a es-
'iitti i da libenl ule em cnmineiitorac.au da dulas
de 12 em de Mam de 1-188.
< No anno do Nascimento de Nosso Senhor
Jess Christo de 1889, 68J da Independencia e
do Imperio do Brazil e no reinado de Sua Ma-
gestade Imperial, o Sr. I. Pedro II, aos 2o dias
do mez de Marco, na parte noroeste do paleo da
CarfflO, que se denominar d'ora em diante Pra-
ga da Aboligo, nesta cidade de Olinda, comarca
do raesmo nome e freguezia de S. Salvador da
S, provincia de Pernambuco, presentes os
Exms. Srs. presidente da provincia e o Revdm.
Dr. governador do bispado, oulras muitas auto-
ridades desta comarca e da do Recife, grande
numero de pessoas gradas, diversas associagOes
e numerossimo concurso de povo, a commis-
so, abaixo assignada, encarregada de dirigir as
solemnidades da collocago da primeira pedra
do monumento com que o povo olindense perpe-
ta as duas auspiciosas datas de 12 e 13 deMaio
de 1888, sendo a primeira a em que este muni-
cipio libertou-se da escravido, antes que qual-
quer outro da provincia o lizesse, e a segunda a
em que com a proraulgagao da lei n. 3,333 foi
abolida a escravido em todo o imperio brazi-
leiro, declarou que se ia proceder a bengo da
primeira pedra deste monumento comraemora-
tivo das duas mencionadas datas e em seguida
assim se fea ofiiciando no acto o Exm. e Revdm.
Sr Dr. Jeronymo Thoni de Silva, actual gover-
nador do bispado, e servindo de paranvraphos as
pessoas no lira da presente mencionadas
Depois de concluida a ceremonia da bengo
da pedra, que foi conduzida a esle lugar era so
leuine procisso, efTectuou se a collocago da
mesma pedra, tendo sido depositada em urna
cavidade della, previamente preparada, uraa
caixa de folh de zinco, contendo nao s a pre-
sente acta devidamente assignada, depois de
liaver sido della extrahida urna copia, como tam-
bera diversas moedas braaileiras, sendo tres de
ouro, quatro de piala, tres de nikel e tres de co-
bre, c bem assim os jornaes hontem publicados
na cidade do Recife, diversos jornaes e folhetos
relativos a extinego da escravido no Brazil,
um exemplar do Diario Oficial de^4 de Maio de
1888, em que foi publicada a le n. 3,353, cli-
nalraente a mesraa-tei impresea em pergaminho.
A caixa de l'olha de zinco, que acaba de ser
mencionada, foi fechada na cavidade alludida
por raeio de urna tampa de^erro/que n'cou tran-
cada por um cadeiado de lettras na palavra
Patria.
Essa lampa de ferro tem aberla em cobre a'
a seguinle inscripgo Oliuda, 253 89e a
pedra, a que est ella presa, inede (4 centme-
tros de couiprimeido sobre 37 de largura e 22 de
altura.
Foram paraaymAuos e conduziram a pedra
depois de benzida' os Exms Srs. presidente da
provincia, Dr. Innccencio Marques de Araujo
Goes, presidente do Tribunal da Relaco do dis-
tricto, conselheiro Quintino Jos de Miranda,
presidente- da Cmara Municipal de Dunda, Fran-
cisco be Pinho Borges Sobrmho, monseunorJoa-
quim ArcQverde de' Albuquerque Cavalcante e
juiz de direito desta comarca Dr. Jos Antonio
Correia da Sil ve.
. 0 acto foi soleranisado por duas bandas de
msica, que teOfiram os bjmon nacional e da
aboligo.
Depois do que eu, o bacharel
i:

;:-
Jos Vicente
Meira de Va-scocellos.membro da commisso ci-
ma declarada, lav ei a presente acta, emjque me
:uo um ultimo lugar com os le uais membros
desea msma commisso.
Em terapo declaro que entre Os paranymphos
cima nomeados acuou-se o deputado geral pelo
2 districlo. q Exm. Sr.Dr.FelippedePigueira
Faria.
. (Assignado/l..uocencio Mai-ques de ArauJo
Ges. presidente da provin -ia, Pad
ovino Tiiom da Silva, governador
Qiiinuo .lo de Miranda, presiden,
nal da Relaco, Drio Cavalcante do.Be-
buquerq-'e, chefe de polica interino;J<-v Au-
nio Correia da Silva, juiz de direito dacourarca,
Mousenhor 1. Arco.erde de .Albuquerque Ca-
valcante. Felippe d Figueirda Fa/ia^ .deealado
d do 3." disii ii Ui. Francisco de-Pinito Bor-
sobrinbo. presidente da amara Mu ni :i pal
de.....ida.
Commisso da Assemblea Provincia Jos
Eustaijuio Ferreira Jacobina. Estevo de S Caj
raleante de ^b^uqueaque.
Citiraisso do Monte-Pio Popular l'eiiiani-
bucauo. iiacliarel amerao F. de :. Menez
brinho, JvaqiJ'tii de Gouveii Cordeiro, Pr
Cypriano da Si va Santos, Marolino D.
Jnior, juiz substituto de 01 inda,.Francisco Btv
telho de Andrade, teneute Francisco de
Marra.
" Commisso da Imperial Sociedade dos Ar'
listas Mchameos e Liberaos, Candido Jos*>de
relies, J i Amonio Vieira uulia, "Flix
Venancio de Cantalicc
'* Commisso do Cabido, chantre Jos Marques
do Castilha. conego Manoel'Joo Goraei, ujuega
Joaquim Graciano de Araujo, Mauoel Go oes de
Maltes, viee presidente do lub Abolicionista
Olindense. Jus Rodrigues do Passo Netto, Ans-
berto Rodrigues do Passo, Francisco, rio Lira/
Gi u'inli... Juvi. i ibrCunha Cegar,
Braz Florentino Henriqu" de Suu.sa, raestre- -
cola,Antonio Arcover.ie d Ahuq'uerqneCaval-
cante, llorlulano Auiu i Ferreira da Silva', peo-
fe.-sor da banda mar I Mam de Olinda
Jo.- Mara Ramos Guija no Siruira de
vraujo Galvo, FraiiL-isco Ca' da Silva Fra-'
'.'OSO.
> Commisso da Sociedade LiUerara CascmirO
de Abreu, Manoel de S. Galvn FO, Fr.rairisco-
de Souza Nogueir,!, Migui 1 AustregesiUo llodri-
gnes Lima, Jos Rufino da Cuaba Ri, ]
M ira de Vaconcellos Joaquim Jos de Faria
Wcry Sobrndio, Jos Augusto Teixeira de Faria.
Avres de Ib i |uerq le Gama Filho, Alfredo San-
tiago, Libralo T. Oe Miranda M iciel da R. Pitia,
Jos i! drigues Aires, Manoel Jus de astro Vi-
lella Manoei Antonio Teixei a Jun
Luiz da Sil reir, mbrosi Francisco de uarros
Leile, ali'eii Jo-. Samuel Bot'ho, Antonio Aus-
teg'-illo "Rjdrigues Lima, Manoel Antonio de
Frei n- Botelho.
" Go ; UlissO da Sociedade Musical i3 deaio
Olindense, JoSo (hrisoiniano Borges, Jos Joa-
quim de Saut'Ama Lobo, Antonio Eus. bQ I"e-
reira d Ase vedo, Gabriel Cursino Ferreira Lima.
Hifleodoro yrno de Oliveira Coragem, Joo
Theoiomiro da Cosa Monteiro, tabellio publico
da comarca, Candido Manoel de Souza Uiiveira.
Dr. C-' vio Cavalcante de Albuquerque (medico),
Jo- F rlunnioT. de Lima, Gaspar lyriipio Lins
ile Carvalbo, Genesio de Figueiroa Para. Leo-
poldo .Marques. d'Assumpgo Jnior Joo da Sil-
va Neus Manta,Ildefonso Celestino l'essoa Mon-
teiro. Pedro Jos Pinto Jnior, Antonio Conreia de
Oliveira, Luiz Mximo 'ereira de Araujo. Jos
Francisco fe Goes Cavalcante.
Representantes da commisso promotora do
Monumento, Jos deMoraus Guedes Aisoforado,
Manoel Frazode Aleucar. Jos Joaquipi Alves
de Albuquerque.
ommisso execuliva, Bernardino'dc Senna
Dias, Fortnate Jos de Sarapaio, Calixto Jos, de
Mello. Jos Guilnerme da Silva L'uarte.
Commisso encarregada da collocago da
primeira pedra. Domingos Antonio Alves Ribeiro,
Antonio Pereira Sim*, Jos Ausiresiesillo Ro-
drigues Lima e Jos Vicente Meira de Vascon-*
cellos.
Paquete AdvanrcO paquetelamercano
Adcunce, ebegado do sul ante-hontem nao com-
uiuncu com a trra seno depois de desinfe-
ctado e fumigadas as malas e os passageiros e
suas bagagens.
Entretanto nenhora caso suspeito.se deu a
bordo depois de sua sabida do Rio de.Janeiro.
como se depreliende da seguinle declarago de
respectivo commandante :
Certifico pela presente que, durante a via-
gein do Rio de Janeiro a este porto nao houve
casos de febre amarella a bordo deste vapor.
Na Baha, un dos tripulantes de nomeJ.
rawley, foi desembarcado e levado para o hos-
pital, por estar soffrendo de febre remitiente.
M H. Hcrrimnnn. M. L>. ..
E\equia-Na igreja Conceigo dos. Milita-
res foram hontem celebradas as exequias que"'
pelo descango etern|Jjea^l!ar'a,d,e A_la<5a, uju-
daule general do exercito* manuarm.celebrar
os Srs. officiaes da guarnico' da cidade do
Recife
No cruzeiro da igreja eslava erigido um boni-
to catafalco encimado por urna cruz, e tendo na
frente o retrato do Ilustre morte. O monumen-
to era guarnecido por muitos tocheiros e tinha
de sentinella nos quatro aojlos cadetes-sargen-
tos com as armas em funeral. 0 templo trajava
lucio.
Assistiram ao acto : alera de toda a ofliciali-
dade dos corpos da guarnico, tendo frente o
Sr. tenente-coronel Lagos, commandante das
armas interino, o Exm. Sr. presidente- da pro-
vincia, Io vice-presidente Dr. Ignacio Joaquim
de Souza Leo, o Dr. chefe de polica, o conse-
lheiro presidente do Tribunal da RelagSo, depu-
tados geraes, magistrados, officiaes dar armada
officiaes da guarda nacional, urna commisso do
Instituto medico, outra do Instituto da Guarda
Nacional o muitas outras pessoas gradas-ir erjnr-
raisses de diversas sociedades, bem como re-
presentantes da imprensa.
Celebradas as missas. foi etrtoado'O solemne
Memento, a que telos assistiram recolhidose
commovidos.
Tocaram todas as bandas de msica da guar-
uigo c as dos arsenacs, e o 2" batalho de
infantaria prestou as honras militares; dando *
tres descargas de fuzilaria ao terminar o acto.
A fortaleza do Bru deu uraa salva.
IN'ebliua myt-rioaLemos na Gazeta
de Noticias da corte de 17 do corrente.
Quem tem viajado a frica, conhece perfei-
lamente a neblina secca, que por varias vejes
neste vern, e quando a estiarem mais prolon-
gada, tem apparecido, nao so sobre a cidade era
toda a regio circundada pela cadeia de .mon-
tadlas que a envolvem.
Esta neblina nao attinge os planaltes das
montanhas elevadas, onde lia grande quantidade
de oxygenio : veriticando-se agora mesmo, que
ainda nao foi visivcl em Petropolis.
A neblina secca mais intensa e aprsenla
phenomenos mais curiosos as baixas regiOes
africanas, onde justamente os raios ardentis'simos
do sol vo esbater-se nos vastos lencoes de areia.
para subirem logo em cstreitas e onduladas fitas
luminosas, como se se reflcctissem na face lisa
de um espelho.
Deste phenomeno, que se observa a poqca
distancia, que se forma a neblina como vemos
actualmente as nossas regiOes.
Algumas vezes apparecem nos desertes da V-
frica miragens, proluzidasnessaraesma nebli-
na, e tal a illuso que tem o viajante, posto
pela primeira vez dianle de um espectculo to
maravilhoso, que diflicil convencel o de que
est vendo cousas impalpaveis e imaginarias.
Nessas occasies o calor suftocantc, e os
pulmes sentem o contacto do ar momo, fque
insufficiememente os alimenta. Parece que a na-
tureza vai [morrer de todo, e que ooxygenio
absorvido como n'uma machina pneumtica
pelo raios do sol.
Ha uns bons oito annos foi observada nesta V
cidade uraa d estas miragens interessantissimas.
Por sobre nos, na opacidade de urna neblina
idntica que nos envolve actualmente, a cidade, ...
com as suas casas, as suas igrejas de torres ele
yadas, as suas pragas e ras, era reprocruzida a
inverso da sua posico, tal qual como seria|vist
n'um vas'o espelho collocado sobre as nossas ca-
becas.
Este- sao os phenomenos da neblina que
vai sendi considerada mysteriosa, e que acensa
uraa inleiisidade de calor secco, raras vezes ob-
servada no nosso'clima, tao abundante deh'umi-
dade e de oxygenio.
Ha pouc mais de mez era attribuid inde-
vidamente queimadura das mattas e agora
procurara aiiribuit-a nao sabemos a que outras
causas.
As innmeras mortes por suffocag bavids
ltimamente, e sobrif as quaes os mdicos ainda
nao tem opinio segura, nao devem ser estra-
nhis a este phenoineno meteorolgico, nao-o
era que a brisa do mar nao vera refrescar o
ambiente.
Ktrtada anltaario da rrv~Km sua
chronica A Semana, de 17 no corrente, escre
o Jornal do Commercio:
' Foi um periodo de sobresalto
para o povo d'esta capital a maior par
W-i
I
I

^



de PlrnambcoQuarta-feira 27 de Mar$o de 1889

1
I

I
I
4

i
{

iraDa ti; lo/se
aidaexi obituario,
intensissimo o calor, aullas as esperanzas de
chova, a anciedade publica augraentava e de va-
rios pontos surgiam alvitres numerosos e- quasi
sempre pouco aproveitaveis.
Pareceu encontrar apoio a opinio de que,
seno como causa principal, ao menos como si-
nistro e poderoso auxiliar, concorria para aggra-
vagao do estado sanitario da cidade o defeituoso
systema de esgotos, tornado pernicioso pela fal-
ta de lavagens, regulares que escasez d agua
nio permitlia.
Tomando corpo esta opinii i, o governo pro-
curou ouvir pssoas que eram indicadas como
capazes de fornecer em breve das abundante
supprimento de agua cidade; uao oblido* este
auxilio, tratou de alcangar administrativamente
um servico, embora provisorio, que no menor
prazo, augmentaste o abasteciinento, elinalmcn
te celebrou contracto com prolissional de alta ca-
fiacidade que assumio a responsabilidade de um
ornecimento regular em seis dias.
Em todo este periodo toruoa-se notavel o,
aelo e actiridade com que procedeu o Sr. minis-
tro interino da agricultura, attendendo s indi-
cages razoaveis da opinio e facilitando os raeio-
dereahsago dos projectos n"cssas condignos,
"entre os quaes fot logo posto em execuco o da
risita e lavagem das galeras de esgosto com a
agua que fosse possivel encontrar, plano que fra
apresentado por distinctissimo engenheiro oas
columnas do Jornal do 6oinmercio.
Ao mesme lempo, o Sr. ministro do imperio,
auxiliado pela inspectora de hygieue e pea re-
partigo da polica, procurava augmentar os re-
cursos promptos em favor das classes indigentes
pela creacao de ambulancias e poslos mdicos e
de remover algumas das causas que poderiam
contribuir para crescimento do mal.
Nos ltimos dias da semana comecou a sen
tir-se alguma inoditicago no estado sanitario ;
mas a pequea distancia d'esta capital, na cidade
de Santos, aggravava-se a situago. Para all fo-
ram enviados mdicos c pharmaceulicos e S. A,
o Sr.' onde d'Eu, que anteriormente visitara os
hqspitaes d'esta capital, ia em companhia do Sr.
ministro da marinha atirantando a epidemia em
Santos, buscando assim infundir confianca uo
espirito justamente abatido da populaco da in-
feliz cidade.
No meio d'estas tristezas houve entretanto
um dia em que os nimos serenaran) e at pare
ceu uea propria naiureza interrompcra a inexo-
rabilidade com me nos tein tratado, enviando-
nos passageira cnuva.
O povo saudoa n'esse dia o anniversario na-
talicio da veneranda Imperatriz do Brazit, em cuja
cabeca encanecida o diadema imperial refulge no
meio de urna aureola de affeigo e de respeito,
efluvio purissimo da alma popular que sada lon-
gos annos passados no tnronoc consagrados
praticadas mais altas virtudes.
- Mas como um raio de luz que rompe por en-
tr novens escuras, passou rpido esse dia, ar-
rastando-se os outros lenta e tristemente no meio
4a geral preoecupaco que despertava o passo
igual e pecado do flagelln, que havia pouco fe
nra um homem de elevada posigo social, o se
nador Evaristo Ferreira da Veiga e agora arre-
batava modesta mi de familia, boa e querida,
consolar de um filho, em torno do qual se reu-
niram pzarosos seus collegas representantes da
imprensa fluminense.
Faraldadr de Dlrrlio Eis o resultado
dos actos de bontem :
1* anno
Pedro Estellita Carneiro IJns, planamente.
Antonio Lopes Carneiro Chaves, idem.
Francisco Athayde M. Bibeiro, ideas.
Leopoldo B. de liveira Audrade, idem.
Goncalo Ladislao de Aguiar, simplesment".
Um reprovado.
3' anno
Sezino Barbosa, plenamente.
Francisco Arago, idem
Joriniane Telles, simplesmcule
Antonio de Cerqueira, idem
Francisco Salgado, idem
Jos da Silva Loyo Netto idem.
.9" anno
Luiz Cavalcante Lacerda de A'moid.i. plena-
mente,
loaquira Jos Correia de Arauio, iitem.
Frederico Alexandre Correia Silva, idem.
Antonio Luiz Drummond ua Cssta, siraplesmenle.
Sindolpbo Rupiano de Salles, idem.
JVjf"'1' de Paula Veras, idem.
"^^ i'anno-
Jnlio NogOTa-Ta,, w>.A)ele.
Alfredo de Guarnan Coelho, simple-mente.
Arlerido Ferreira Carneiro, plenamente.
Tertuliano da i'osta P. Filho, similesmenle.
Firmino Antonio de Souza, idem.
PalriMoaiii -*! rif O Sr. Joao Mar-
tin s Filh'j remetleu-nos huntem a quautia de
15500. quena qualidade de tbesoureiro dacom-
missao Domeada pela redacgSo do Jlebate agen-
ciou do Sr. Albino Mariins ua Silva \i e do Sr.
Jos da Costa Gomes ."i00 r<.
Fizemos entrega da referida quanlia ao hon-
rado Sr. comniciddor Joseph Krause.
Tbeatro %I-*r' -O Sr. Hiheiro da Silva
envino-nos a 2* parte do 3" fascculo das suas
eomposicps que est publicando sob esse ti-
tulo.
Nessa 2* parte eouieca a reedieco da L'im
noiva maecolina, 2' comedia da collerao. .
Agradecemos.
COMHERCIO
Revista do Mercado
Recife, 26 l>E UAErO DE 1889.
O movimento foi pequera, iioiaudo-se apenas
alguma animaco no mercado de cambios.
Camino
A taxa, em gem, regulou a 27 3 i bancario,
saccando o London reservadamente a 17 7 8.
adiando pouco dinheiro.
Papel particular foi presado u 28 1 16, sendo
poucaa procura.
No Rio a taxa baucaria era de 27 78. sem to-
madores, c 28 i 16 particular.
TABELLAS AFK1XADA8
3
t

* > r- = ='
c 9
-s =
A 2
5 i- r
1 : 5

3?

5"
C

c
g.
j

. .

* ' Hs t.
p> -sr t. ~* > ?
< .' \C -~ l i --- f<
>* O 1
fc *J * s
V
^1 * ~ se
'C c tt * ^ V
*- -i ' -T t.
r* 8
p- i ^J ir
. . 1* m i* * J
a>
t-t < E
* ~I I
o > a* ^ A- ZC ce ^
t * e=
tf> ^i ^T
\ *- W K
a 14 *- -- --
o
-a t *- j.
*". '-" "i
Bolsa
^E9 ( S DA JV* COB-
Forana raaturaaoi -No tAMi da Glo
ria de Goit foi capturado o reo Joaquin Jos
de Sant'Anna, pronunciado as penas do art.
205 do Cdigo Criminal.
Tambem em trras do engenbo Tob do ter-
mo do Cabo e no dia 23 do correte mez foi
capturado o Indiriduo de nome Manoel de tal
conhecido por Serid, autor do roubo praticado
em casa de Rosa da -Conceiao, na noite de 7
para 8 de Novembro de 1883, declarando o mes-
mo Serid serem conniventes no referido crime
os individuos Jos abelio e Joo de tal.
A autoridade local procedeu a respeito nos
termos da lei.
Frrlmeniu No dia 23 do crrente, em
trras do engenho Ja^aranduba de Palmares
Manoel Bezerra de Mello.e Francisco Manoel das
Chagas, brigaram, sabinlo este ferido grave-
mente com duas tacadas e sendo preso o crimi-
noso em flagrante.
No dia 21, no lugar Cascavel do 2 dittri-
cto de Grvala o menor Jos Tulles ferio leve
mente com um tiro a oulro menor de norae Jos^
evadindo se em seguida.
Crimino**) do morl.'-O Sr. delegado
de Floresta communicou que sabendo existir no
lugar Mariz o criminoso de morte de nome Jos
de tal, maudou captralo pelo inspector de
quarteiro de Seria Negra, que foi acoinpanhado
de diversas pessoas qnelle tim.
Enroiitrando-o e dando Ihe voz de piiso re-
sisti, armado de faca de punta e bacamaKe. e
abriudo lucia, foi ferido, morrendo do da se
guate
wuiridto-No lugar Trra do Re do termo
de Alaga dos Gatos foi encontrado enforcado,
no dia 2 do corrente. um homem que se rero-
nheceu ser Marcos Jos da Silva
Das diligencias procedidas a respeito, chegou-
se a evidencia de ter Marcos praticado aquelle
acto de loucura por desgostos particulares.
Doun radateren-No da 15 do corrente
foi encontrado cehido margem do rio Jaboalao
do districto de Ponte dos Carvalhos, do Cabo,
um individuo desconhecido, pardo, representan-
do ter 60 annos de idade. %
Recolnido pelo delegado de polica falleceu no
dia seguate.
Vcriucou-se das diligencias empregadas que
0 infeliz soffria de alienaco mental.
No domingo ultimo appareceu botando as
aguas do Capibaribe um caixote contendo um
feto do sexo masculino em adiaotado estado de
pulr .Tacyao.
0 Sr. subdelegado de Santo Antonio mandou
proceder ao enterramenlo do referido feto no
cemiterio publico de Santo Amaro.
Thrairo da Torre Neste piltoresco
theatro do anrazivel arrabalde da Torre, haver
no dia 30 do corrente um vanado espectculo
constante das pecasUrna noiva masculina e
Conseqoenciasdeum rapto, jocosas comedias do
conbecido comediograpno o Sr. acadmico Ri-
beiro da Silva; Quasi que se pegam, entre-aclo;
a espirituosa comedia Urna experiencia ; a ga-
Ihofeira comedia Tribofes em casa e a scena-co-
mica Fui Nova-Hamburgo.
Como se v urna noite de gargalbadas que
vo ler os moradores da Torre.
Tribunal do 4ur? do eclfe Func
cionou h ntem este tribunal 'sob a presidencia
do Dr. Joaqun) da Costa Ribciro, juiz de direilo
do 1 districto,
A's 11 horas da manda, presentes juizes de
facto em numero legal principiou a sesso sendo
submettido a julgamento o reo Antonio Pedro
dos Santos, pronunciado no art. 193 do codiao
criminal porque no dia 3 de Dezembro de 1880,
s 8 horas da manb, no presidio de Fernando
de Noronha, cm um conflicto entre praras do
destacamento e diversos sentenciados, matou os
soldados do 2 batalhao Jo1 Ferreira de Lima e
Manoel Francisco|Verissimo.
Occupon a cadeira da aecusacao o fr. Affonsu
Olirdense Ribeiro di- Souza, 2" promotor poblico,
e a da defeza o Dr. Jeronyfuo Materno Pereira
de Carvalho advogado dos presos pobres.
0 jury de sentenca compoz se dos seguinles
jurados":
ManoeliJos de Campos Barbosa.
Dr. J. Cavalcante Leal de Barros.
Jos lzidoro Pereira dos Res.
Aggeo Barreto de Mello Reg
Jos Alfredo de Carvalho Jnior.-
Francis v de Lemos Duarte Jnior
Manoel Felippe Pimentel.
Frederico Henrique da Silvcira favor*.
Arpbesim Jos da Costa Carvalho.
Joo Carolino do Nascimeiito.
Antonio Soares da Rodn e Silva.
Marcos Francisco de Paula Res.
interrogado o reo disse que era natural desla
provincia, de 35 aunes de idade, casado c anal-
phabelo;
Que sabia o motivo porque era acensado, c )-
nbecia as testemunhasque juraram no processo
e nao altribnia a aecusayao a motivo particular;
Que lizera as mortes de que trata o processo
em defeza de sua vida, poisjtinha sdojaggredido
porjum grupo de soldados do destacamento do
presidio de Fernando, onde morava elle respon
dente, por ser condemnado tres vezes a- pena de
1 i annos de priso e urna vez a de gales perpe-
tuas.
Feda pelo escrivo a leitura do processo. o
Dr. pronlotor desenvolveu a aecusaco a pedio
a condemnaro do reo as penas uo grao mxi-
mo do art. 193 do cdigo criminal, vi.-to que
O presidente,
Candido G. Icoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
Foi cotado o de 1" sorte do
fechando o mercado frouxo.
scr!3o aCSiO.
A cxportacSo, feita pela alfandega neste mez
al o da 22, sabio a 1.240.126 kilos, sendo 965.MW
para o exterior e 274.218 para o interior.
As entradas verificadas at a data de boje so-
lK.m a 23.468 saccas, sendo por:
Uarcacas.....
Vapores.....
nimaes .
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea de Limoeiro
3.658 Saccas
569
8.6S3
2.755
2 733'
5 098
--------1_
Somraa.
23.468 Saccas
0 vapor inglez Cuvier, levou 2.211 saceos
para Liverpool.
Pelo vapor fraucez Ville de Maeeio foram
tambem remettidas 1*0 saccas para a Bahja.
Assuear
Os procos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
cundo a Associajo Commcrcial Agrcola, foram
os seguintes:
Broncos..... 3*200 a 3*800
Someno..... 1*9 2il(X)
ascavado purgado 1#4 . Wo. i 100 a 1 #200
Rtame..... *800 a IWOO
Colonia Isabel:
Bronco l 4l0i
. 2- 28*X
. 3- 1*300
Someno !*900
Mascavado .... *600
lsina Pinto:
Branco 1* '*00u
. f S*300
Someno .... *000
Micavado .... 1*500
A exportacSo, feita pela alfandega ra-u mez
al o dia-22, attingio a 6 426 W kilos, sendo...
2.610.176 pata o exterior e 3 815.971 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data de beje, so-
liera a 91.928 saceos, sendo por :
Barcacns ....
Vapores.....
Ammaes.
Via-ferrea de Caruar.
Via-terrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
3146 Saceos
'4'700
7.495
45312
2.957
Somma.-
91.928 Sacros
Pelo vapor france/-. Vil'e de Macet, foram
remettidos, para Santos. 1.725 sai oranco e de 3.40 ditos com di vado.
0 palliabote nacional Ida, levon "J/olarri-
iOTJ, 175/4 e 1-2 -neo
.vado para lt
57S ucru com assucar brar
em cump'imento de sentenya por
crimes de morte, reincidi em delicto dj
natureza. .
0 patrono do reo allegou ter o scu cnslituin-
te praticado o crime era defeza de sua pessoa,
com pleno conbecimento do mal, que procuran
evitar, e falta'absoluta de outro meio mjnos
prejudicial, nao tendo havido do sua parte pro-
vocacio que occasionasse o conflicto.
O jury reconheceu por unanimidade de votos
a autorid dos delictos coai a aggravante do ^ 3.*
do art. 16, arliculada no libello e, por 9 votos,
as attenuantes dos g? 6." e8. do arl. 18, negan-
do, tambem por unaniraidade, a justificativa do
art. 14 8 i.*, allegada pelo defiMisor.
Em vista tiestas decis.s foi o ro jalalo in
curso duas vezes no grao medio do art. 193
combinado com o art. U do cdigo criminal,
e condemnado pena de 28 annos de prsfio.
Terminou o julgamento urna e meia horada
tarJe.
A sesso foi adiada para boje s 10 horas.
Hervir da cuaruirio Eslo designa-
dos hoje para superior do dia o Sr. major Alves
e para ronda menor um subalterno de caval-
laria.
- E' a guaruiyao da cidade dada hoje pelo
14." batalhao de infantera.
- Existem em traUmento na enf rmai ia mi-
litar 37 pravas da guarnito.
- Funcciona uo dia 29 do crlente, no Quar-
tel-General, o conselho de invostrgaco a q e
est sujeito o soldado do 14. Latalho de infan-
taria, Luiz Fernandes de Oliveira sol a presi-
dencia do Sr. capo Pedro Vellu de Si Bar-
reto.
Nos requerimentos dos sol lados do 2." ba-
talhao ile infamara Horacio Carlos de Amorim
e Tertuliano de Barros Pimentel, que pede.m a
S. Exc. o Sr. cominandante das armas o uso
provisorio dos distinclivos de cadete de 2.'
classe, deu'o mesmo Exm. Sr. o despacho se-
grate : Concedo [or 3 mezes.
O commando das armas anprovou a pro-
posta feita pelo commandante do 14." batalhao
de infamara do Sr alfoces Pedro Nalasco de
Souza para interhiamente exereer as tuocofts
de director da escola regimenlal, t-0 substttui-
co Jo Sr. lente Jos Joaquim de guiar: que
deu parte de doenle.
Ao 2" batalhao de infamara foi devolvido
rubricado por S. Exr. o Sr. lente coronel
commandanle das armas a certid'o deassenta-
mentos e pret especial por dupla'a do ex sol-
dado Antonio de Souza Regn.
Foram Horneados os Sis. -capitn Januario
da Silva Asumpco, segando* crurgie* Drs.
Virgilio Tavares de Oliveira e Luiz Tacares Ha-
0M0, para no dia 28 do corrente dirigirein-se a
enfermara militar aun de exainiuarem diver-
sos medicamentos.
tlmr rimo d> Marro -l'.om este ti-
tulo distrbuio-se ante-hontum urna tulla, nume-
ro nico, bellissimo preitoda Unio Acadmica
1 earense ao 5" anniversario da abolieo dos es-
era vos da provincia do Cear.
Agradecemos os exemplares com que fomos
obsequiados.
Dr. i>riito (.niiii^i-M)- Disiribuio-se
mais um fascculo cm appeodice a miscellanea
philosophica e socialogica do chorado raestre
Dr. Aprigio Guimares, o qual est sendo pu-
blicada pelo editor F. P. Bolitreau.
Agradecemos o exemplar enviado.
nraloNa loja da Esperanea, sita a ra
Duque de Caxias n. 77, acha-sc expnslo um
retrato do Sr. Coronel Cunha Pedrosa, hoje Ba-
rio do Bonito, o qual est bastante iel o que
muito honra e recominenda ao seu aulor que
foi o nosso comprovinciano Ven Cruz.
Vaaor l'aa-A sabida da vapor Una, da
Companhia Penianibucana, para os portes do
norte, foi transferida de honteiq para hoje, asa
horas da tarde
O vapor Una vae de viagera al o Cear.
Eucerrou-se a sesso s 2 horas da tarde.
Lente*Effectuar-se bao os segrales :
Hoje:
Pelo agente Pestaa, s II horas, esquina
do becco de LcJo Cornado, da armario e mais
perieneas da tavenia ahi si'.a.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, na Mar
3art de (Miada n. 52. de movis, loueas, vi-
ros etc.
Pelo agente M<>J*te Baptiate. is II oon
ra estreita d > Rosario 11 36, da unuaejio c
uns ohjectos da Inverna ahi sita.
Pelo agente Alfredo Guimares, s 11 horas,
ra do Vigarion. 25, da fabrica de hebillas ubi
sita.
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, ra
da Madre de Deus n. 27, de movis, louea, qua
dros, etc.
A man hit :
Pelo agente Silveira, -< l<) 12 horas, Inrves-
sa dos Expestos n. 4. de movis, louea e tidros.
Pelo agente Gusmao, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48. de movis, pianos, vitn ,
ua e nmiios outros objeclos.
MlNaaN runebri-N -Serfio celebradas:
A's ( 1 2 lloras, na i i"-ja 1I.1 Penha. pela al-
ma de Manuel dos Santos Faieio s 8 horas,
no coavento do Carino, pela alma de Lua Ce
mentioo Carneiro de Lyra ; as 8 horas, ua uia-
iriy de Santo Amonio' pela alma de Antonio
Cereira da Rocha Basles
Pamaariro* Chi'gailos do norlc no va-
por brazileiro Prnambum : %
600 saceos e 100 barricas com dito mascavado
para Porto Alegre.
('uro
Cota-se os salgados seceos a 370 ris na base
de 12 kilos,
Agurdenle
Cota-sc a 88*000, por pipa de 480 luios.
Aleol
Manteiii-se a cotaeo de I70*00l por pipa de
480 litros.
O vapor Traacez Ville de Mace-, levou 5 pi-
pas com alcool.
Mel
Cota-se a 50*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
-rWiM 1 n 26 i 30 0K MAMU DE 18:9
Ville o iario de lile Marro
%nvios carga
Patacho nacional Marmho 7.", para Pelotas.
Vapor ingle! Paroetw, para Liverpool.
.\avos descarga
Barca nerueguense Frida, carvo.
Barca norueguense FrUkyof, carvo.
Barea aljema \a, earvo.
Brigue sueco Pepita, carvo.
Lugar inglez Vidonia, bacalho.
L^ar inglez Dom. bacalho.
Lugar inglez t.orisande, bacetho.
Lugar inglez Lennder. bacalho.
Logar americano Hobert Y tan farinha de trigo
Lugar nacional Loyo, alfafa.
Patacho allemio" Anna, farello.
rmtortaco
Vapor auiericauo Adr Janeiro e escala, em 25 do corrente c consigna-
do a HenryForsler (1, manileslou :
Amostras 13 volumes a diversos.
Ac 46 caixas aos consignatario?.
Caf 742 saccas a Domingos Cruz & >'... 261 a
Joaquim Fer-eira de Carvalho .* C., 203 i Costa
c Medeiros, 100 ordem, 30 a Joao Keniandes
de Almeida, 50 a Fernandes & Irmios 2i)0 a S
Basto Amorim '.,40 a Jo.- Joaqnim Altea ,\
C. 70 a Pinto Biboiro,
Farinha'de trigo 3Q barricas e rij' suecas nos
consignatarios, 1,'O ditas e 3W l|iaaec reir Carneiro 4t C, 1,363 dilas a M. GoiKaives
Rosas.
Fruclas 5 caixas a Paulino de Olivein >fiia.
Fumo 20 volumes a Pana Vlenle 4 C, a Fi-
guein'-d-i Costa s C. 41 a Moura Borgcs C.,8
a Pereira de Baria 6 C, 15 a Jos Antonio dos
Santos. S a F-;rreira Rodrigues C.
Feno 50 fardos a David Ferreira Porto Billar.
.Mas-a alimenticias 100 cdixas a Paiva Yalonte
& 1 ., 100 a Souza Basto, Amorim & C.. 20 a Jos
Joaquin Alves C,60a Fernandes* I-niaos.
Mercaduras diversas 2 volumes a Manoel Joa-
uim Ribeiro iC, 1 a Pa-xmla.* C, 2 ;. Ivs
> C, 1 adlaooel r nr-
a Blackburu, Needhaai & r..
- 4 atados a Ma \ G. Muas
ordem.
Lniz Diniz,Lulz de Oliveira Louis Victor Go-
rineau, Joo E. Correia Miranda, Joo Braz, Pu-
dro i-erreira, ex-sargento Manoel Marques da
SiUa. Dr. Toledo Dodurortb, sua senhora e 1
criada, Antonio Pinto Carneiro da Silva, Acbill
E. Jacqoenart, Antonio Alves de Lima, Williara
Preeu, Vicente Albano, Eurico de La Balze, ir-
ra Josepha, Mara Candida da Motta, Antonio
Frederico Joio Saraiva, Daniel Fernandes Vian-
na, oa Joequim Bezerra. sua senhora e 3 filhos.
Abraho Asbon, David Gulio, Georg Mittre,
Adolpho Almeida, Georg Wilsoii, Praocg Dow
ner, Jo5o Jos Fernandes Veiga, Joo dos Sm
tos, Baldune Meire Hard.inan. Arihur de Lemos,
I i Varandas de-'arvalho. r,>-ios l.-mos, Dr.
Antonio Thomaz de Carvalle. lfredo Jos d >
Naseimenio, Francisco de Brillo Lyra, Alfredo
Ameriro Carueiro, Aron Caho, sua senhora, 3
lilhos e I criado, Francisco,! preso e8pracai de
polica e 30 immigrantes.
Chegadosdo sul no vapor americano Ad-
vanee :
Octavio da osta, A. Pinheiro e P. F- da Cunha.
Chegados da Europa no vap ir allemo
Campias :
J. P. Duarte. Eduard Renger e Jos Pereira
Duarte.
- Chegados do sul no vapor inglez llritania :
Francisco da Ponte Pereira Antouio Francisco
da Sulla e Emilio Souza. .
Sabidos para a Enropa.no mesmo vapor :
A. Cahn, sua senhora, 3 filhos e 1 criada
Britto Lyra eJ. Dawis.
niret-toria dan obras de eonaerva-
ciido* Porto* de Pernambuco-Reci
fe. 24 de Margo de 1889.
Boletim meteoroloirieo
------- la -3
HO'.is Barmetro a 0 Tenso do vapor P s
6 m. 25"-6 759-32 20,78 86
9 28" -3 760-44 22,41 78
1? 30" -5 760-08 21,18 65
3 t. :i!' 4 759-38 22 73 69
K 28" 6 758-91 21.73 74
temperatura mxima-32',00.
Dita miuima 2ou,o0.
tvaporaco em 24 horas-so sol: 7".2; som-
ora: 33.
Chova0-.8.
Direcyo do vento: E de meia noite ale 3
horas e 10 minutos da inanha; SE al 4 horas e
28 minutos ; E at 9 horas e 50 minutos ; E
com pequeas interrupeoes de. ESE at meia
noite.
Calmara durante 3 horas pela manir.
Vefocdade inedia do vento: 1-24 por se-
gundo
Nebulosidade media: 0.55.
Boletim do porto
y - Dia Horas 10 -13 da manila 4 -54 da tarde 11-22 343 da manb altan
P. M B M P. M. B. M. 24 de Margo > a 25 de Margo 2-07 11-.88 2-,00 1-00
Caaa de UetencaoMovimento dos pre-
sos da Cusa de Detengao do dia 25 de Margo de
1889
Existiara 445; entrarain 3; sahiram 4 : exis
lera 4)4.
A saber:
Nacionaes 409; raulheres 14; eslrangeiros 21
-Total 444.
*rragoados 374.
IJons 371.
Doentes 22.
Louco 1.-Total 394.
Nao houve allerago na enfermar ia. ,
UoMpial Pedro II O movimemo desli
estalielecimcnto de daridade, 110 dia 2-i de Mar-
co, foi O segrale :
Enlraram o
Sahiram 9
Falleceram 4
Existem 588
Fur.un visitadas as respectivas euiermana-
ocios Drs.:
Cvsneiro 10, Barros Sobrinho st> l|4. Ma
laqiiias s 9 l|2, PouUial s 9 lj
Nao comparee-eram os Drs. :
SimeVes Baroosa.
Mosco so.
Estevo Cavalcante.
Berardo.
0 cirurgio dentista Nuina Pompilio nao com-
parecen.
O phannaceutico entrau s 8 l|2 da manh e
ahio s 4ila tarde.
O ajudaiite do pharmaecutico entrau s i 2
la manila e sabio s 2 horas da tarde.
1,..orla do rana-Para-A 2- parte da
tT lotera, dessa provincia, cujo premio graaae
6>I:0O0j000, ,-er ext rali ida. sabhado, 30 de
Margo.
Ceaallerlo PublicoObituario do dia 2.1
de Margo de 1889 :
^Laura Dias da Cosa Pernambuco, 24 annos,
solleira, Pogo ; pneumona.
Panno de algodo 50 fardos a Ferreira Irado,
115 a Rodrigues Lima & C 99 ordem, 84 a
Luiz Antonio Sequeira, 49 a Alves de Brito C.
Perfumaras 2 caixas a Ribeiro v Almeida.
Vinagre 15 barra a Soarej do Ama ral Innos.
Viulio 3 pipas, 39 barris e 7 caixas a D. Lopes
Cruz ..
Xarquc aW fardos a Mala Rczcnde, 552 a
Ulackburn, Needham Paquete nacional l'mi'iinbua), entrado dos
portos do norte, em 26 do andante e consignado
a Pereira Carneiro ^ C, manifestoo :
Amostras 3 volumes a diversos
Caf 3 .-accos a Joo Ramos, 2 a II. Lundgreu
& C. Camaro 8 encapados a Maia \ Rczcnde.
GTma7 encapados a ordem.
Vcrcadorias 5 volumes ordem.
Peixe 7 encapados ordem.
Salsa 3< rolos a Francisco Manoel da Silva C.
Hiate nacional Bom Jesut, entrado do Aracaty
em 25 do comnte e cousignudo a Manuel Joa
quim Pessoa, manifestou :
Algodo em rama 230 saccas.
Cera de carnauba 58 saceos.
Movis 14 volumes.
Saceos vaaios 1 fardo.
Vassouras de palha 9 saceos ordem.
E&noriaco
Btcira, 23 ua uahco de 1889
Para o exterior
No vapor inglez Paruense, carregou :
Para Liverpool, Marcos Silva 3,000 kilos de
cobre velho e 75 ditos de chumbo velbo.
No vapor inglez GelUvara, carregarnni :
Para Li.crpool. >-. carneiro i 1 i. 200 saccas
cora 14,269 kilos de algodo.
Para o interior
No lugar nacional Loyo, carregaram :
Para Pelotas, Amorim limaos & C. 700 barri-
cas com 74,200 kilos de assucar mascavado'e 60
ditas com 6.600 ditos de dito branco.
No Patacho allemo Anna, carregou :
Para Rio Grande do Sul, A. Guimares 50
barricas com 5,458 kilos de assucar mascavado e
730 ditas com 70,085 ditos de dito branco.
No vapor allemo Campias, carregaram :
Para Santos, F. S. Macedo Sobrinho 450 saceos
com 27,000 kilos de assucar mascavado e 30
ditos com 3,000 ditos de dito branco ; J. J. Mo-
reira 300 saceos com 1$,000 kilos de assucar
branca ; J. B. de Carvalho 3 caixas com 24 litros
de vinho de caj.
No vapor nacional Jiculrf/p'', carregaram : .
Para Rio de Janeiro, P. Pinto &'C. 6< pipas
com 28,8 0 litros de agurdente : B. Oliveira &
C. 670 barricas com 40,200 kilos de assucar
branco ; Amorim IrmSos & C. 30 barris com
2,880 litros de mel.
No vapor americano Advance, carregaram :
Para Para, P. Carneiro & C. 750 volumes com
48,070 kilos de assucar branco; J. Borges 400
barricas com 30,191 kilos de assucar branco ; B.
Oliveira & C. 1,200 barricas cora 72.380 kilos de
assucar branco ; E. C. Beitro & Irmo 150 bar-
ricas com 6,700 kilos de assucar refinado e 150
ditas com 12,152 ditos de dilo branco ; Amorim.
Irinaos C. 46 pipas com 22,080 litros de agur-
dente, 14 ditas com 6,720 ditos dealcoGieSO
os com 6,780 kilos ae assucar braneo ; A.
Guimares 400 barricas com 24,325 kilos de
Lauriana Candida de Mello, Pernamle
annos, soltelra, Boa-Vista ; enterite.
Pedro, Pernambuco, 3 metes, Boa-Vista : t-
tano.
aria, Pernambuco, 16 mezes, Boa-Vista ; fe-
bre ama re la.
PantaleSo Ribeiro Dias, Pernambuco, 23 an
nos, solteiro, S. Jos : tuberculose.
Theotouio, Pernambuco, 2 anuos, Boa-Vista
enterite.
Mana, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vista ; con-
vulsoes. ,
Jos. Pernambuco, 6 dias, S.Jos: conul-
ses.
Manoel, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ; con-
vulses.
Joaquim, Pernambuco, 14 dias, Recife : con-
vulsOes.
Osear, Pernambnco. 7 mezes, S. Jos; con-
vulses.
Bernardino Jos Freir, Pernambuco, 45 au
nos, casado. Boa-Vista ; congesto cerebral.
Antonio Baplisla da Silva, Pernambjico, 40
anuos, solteiro, Boa-Vista ; tuberculose.
Leocadia Mara da Conceigo, Rio Grande do
Norte, 30 annos, vuva ; tuberculose.
Joao Baptista de Albuquerque, Pernambuco,
28 annos, solteiro, Boa-Vista ; anazarca.
Ezequiel Casado ue Oliveira, Alagoas, 39 an-
uos, solteiro, Boa-Vista ; pneumona.
Jos da Silva Costa, Pernambuco, 26 annos,
solteiro, Boa-Vista : congesto pulmonar.
Francisca Maria da Conceigo, Pernambuco,
74 annos, solteira, S. Jos: insufCciencia artica.
- 24 -
Joanna Maria da Conceigo, Pernambuco, 80
anuos, viuva, Grata; bronebite.
Maria Virginia Vieira de Barros, Pernambuco,
48 annos, vuiva. Recife ; convulsoes.
Mara das Dores Pereira de Oliveira, Pernam-
buco, 32 annos, solteira, S. Jos; tubrculos
pulmonares.
Gaspar Alves do Monte, Pernambuco, 33 an-
nos, soltoiro, Boa \ista ; tubrculos pulmo-
nares.
Rita Maria da Conceigo, Pernambuco, 31 an-
uos, solteira, Boa-Vista ; marasmo.
Uysses, eeruambuco, 3 mezes, Boa-Vista ;
convulsoes.
Albertina, Pernambuco, 3 annos, Recife; t-
tano.
Jos, Pernambuco, 9 mezes, Boa-Vista ; t-
tano.
Maria. Pernambuco, 4 anuos, S. Jos ; ttano.
Eugenio, Pernambuco, 8 aias, Graca ; reu-
matismo.
Joo, Pernambuco. 3 anuos, Boa-\ ista ; t-
tano. .
Francolina, Pernamluico, 19 annos, solteira,
Boa Vista : tuberculose.
Condinia x Alexis. Ftanga, 51 aunoi. Boa-
Vista fehre perniciosa.
Thoraazia da Conceigo. Pernambuco, 4 > an-
uos, viuva, Boa-VbHa : tubrculos.
Pedro Fran :isco da Silva, Pernambuco, 29 an-
uos, solteiro. Bw-Vista : rheumatitiino.
m feto, Sanio An'onio : asphvxia ao naseer.
. 25 -
Olegaria, Peroambuc, 1 anno, a fugados;
dentigo.
Joo, ternambuco, 9 mezes, Boa-Vista : den-
tieo.
"Aunuslj, Pernambuco, 19 annos, solteiro.
Boa-Vista : tuberculose.
Gamillo Luiz Pereira, Pernambuco, 22 anuos,
solteiro, Hoa-Visia ; traumaiismo.
Julio, 'ernambuco. -48'annos, Boa-Vista; tu-
brculos.
Paulo, frica, 6t annos, solteiro, Boa-Vista ;
pneumona.
lu 6.1o, Pernambuco Boa-Vista
Mara, :M5 horas, Boa -Vista ; espasmo.
Manoel Francisco da Silva Magno, Pernambu-
co. 9 anuos, Recife : tuberculose.
SPORT
Hlppodrpmo do Campo Cirande
Com grande comurrencia realizou-se no do-
mingo ultiaio a 14" corrida.
O movimento ueral dus sate eleyou se 1
42:630OOO.
A|M-zar de ler a digna directora feito aunun-
ciar que ojtorario seria impretenrelmente cum-
prido. a corrida do 6" pareo, que se achava mar-
cada para s 3 horas e 10 minutos, gmente de-
pnis das 6 pode 1er lagar, justamente como acon-
teceu na ultima corrida do Derby.
O starter, ou antes os starters, esliveram mas-
cantes e em geral as partidas foram dadas em
ms condiges.
Felizmente, nao obstante algunas irregulari-
dades que se oVrain, lenhtim faci desagradavel
occorreu que alterasse a boa ordem observada
desde o romero do divertimento. ?
Eis o resultado das corridas :
#
1" pareo -Knnio (1* turma)800 metros.-
Aninaes da provincia que nSo tivessem ganlio
premio 110 Hippodromo. Premios: 2004000,
50-5000 e 204000. .
Aogrito do tartir, Granee, o rencelur de Rol-
do na ultima corrida do Derby, tomou a tonta
que conservoo somente at a distancia de 500
metros, quando foi balido por Pierrot.
Prximo entrada da rrdadetkegada. Lucifer,
assucar braaco P. Alves v C. 50 barricas com
6 410 kilos de assucar refinado ; F. Casco &
Filho 200 barris com 19,200 litros de agurdente
Dinheiro
BECEB1BO
Pelo vapor nacional Pernambuco, do norte.
Hermann Lundgreu C 22.0005000
English Bank 15.1505000
Lomton Brasilian 19.fo. a620
Ramos Geppert C. 6.5005000
Seixas Irinilo 2,64355-jO
Fernandes Irmaa 3.0005000
Julio* Irmilo 2.000*000
Carlos LoHrcnco Gomes 1.0005000
Bailar. Abreu *> C l.OoOOOO
Bodrigues Lima & C. 1.MW5000
Alfonso Monteiro 4005000
Mendes Lima C. 2825300
A'ordem 1025120
Kenriimenfos piiblleos
HEZ DE Mari.:
Alfandega
Renda gerai
Do dia la 23 571:0855731
dem de 26 45:0935420
montado por Lu*. Pereira, bateu.por sua vez a
Pierrot e collocando-se na vanguarda, ganhou a
corrida em 62".
No distanciado, Barnave, bem corrido de al-
cance por Manoel Virgilio, alcangou o 2/ lugar,
passando Pierrot para o 3o.
Quanto a Orange, depois de batido por Pierrot,
tomou posigo na bagagem. ao lado de Soldado,
um animalzinho cstrantr e que pela valenta
com que dispulou a carreira, pde-se afflrmar
que nunca passar de soldado raso.
Poule de Lucifer em Io, 36.5200-: ero 2,
205000.
' oule de Barnave em 2". 405300.
Movimento geral, -7:0155000.
*
2o pareo -Prado P. Animaes de menos de meip-sangue que nao ti-
vessem ganho nesta distancia no Hippodromo-.
I. Premios: 230*080, 60 SOOOfe 25.3000-
Alpha, Aymor, plur e Galatha foram os
animaes inscriptos neste pareo.
O publico, como era de prever, deu preferen-
cia a Alpha e a Aymor, que pareciam ser os
animaes que offereciam mais probabilidade de
ganhar a corrida; os tribofeiros, porm, encar-
nados na Alpha e no Aymor, tomaram a Gala-
tha para favorita e tantos foram os ckequei com
que a honraram, que, ao encerrarse a venda das
poules a todos ficou patente que seria ella a
venredora.
Conduzidos os animaes para a raia e alinha-
dos convenientemente, principiou o publico a
assislir o prologo da comedia, que consisti em
algumas contradangas de Aymor e Alpha.
Dado o signal de partida, Galatha, que eslava
atienta, pu/o na poiirt, acompanbando-a depois
Aymor e Alpha. Ophir nao teve tempo de
partir, ou antes parti para o ensilkamento, c
ahi, sombra dos cajueiros, 'esperou pelo resul-
tado da farca.
Cerca de 500 metros depois, Galatha estava
esgotada e os dous companheiros, apezar decor-
rerem presos, bem podiam, contragosto, des
manchar o tribu fe.
Os jorkeyi, porm, que dirigiam os dous ani-
maos, foram leaes as ordens que receberam c o
tribofe vingou. Wk
Por um esforgo inaudito do Olympio a Alpha
quasi para, cmquanlo o Luiz Pereira levava o
Aymor de. encontr ao zinco, obrigando-o a
desgarrar.
Isso deu tempo a Galatha ganhar lerreno e
ehegar-'plrada ao vencedor em 63".
Afpha obteve o 2" lugar e Aymor o 3'.
Poule de Galatha, 85700.
Movimento geral, 6:4655000.
*
3" pareo Derby Club-1.400 metros.Ani-
maes at meio sangue P-emios : 3505000,
K0500 e 35 OOO.
Nova cotwdia represcntQU-se na corrida desle
pareo.
Tendo se apresentado sostente Olga, Ruy-
Blas e Riselte para disputarem a corrida, o pu-
blico retrahio-se e poucas poules foram ven-
didas.
Ao aignal de partida dispararara Risette e Ruy-
Blas, percorrendo ambos toda a raa, na mesma
ordem em que sahiram. Nao tendo, porm,
Olga partido, o digno starter nao arreou a ban-
deira e os animaes tiv^ram de se sujeitar urna
segunda prova.
Depois de alinhados de novo, foi dado o signal
definitivo. Meando anida parada Olga.
D'esta vez, porm, o starter manteve o signal
e l se foram em demanda do poste do vencedor
os outros dous combatentes, isto Risette c
Ruy-Blas, cabendo aquella a victoria.
A comedia, porm. nfio estava em condiges de
ser approauda e a digna directora assim pen-
sando, mandou restituir a importancia das poules
vendidas, proccdimetito que a todos agradou.
* I
4*pareo Prosperidad--900 metros. -Animaes
da prdVincia qu*> nao tivessem ganho nesla ou
raaior distancia era neiihum dos lirados d'esta
capital. Premios : 2 -05000, 505000 e 203000.
Coa be :i Bonaprte tomar a ponta, que foi 000-
servada at ao distanciado. Ahi, Barnave, mon-
tado por Manoel Virgilio, offerece lucta a Bona-
prte, colloca-se na vanguarda e ganha a cor-
rida em 69".
Bonaprte foi 2o e Coguac 3".
Nao correu Incitalus.
Poule de Barnave em 1, 705600; em 2> ....
18*300.
Poule de Bonaprte em 2", 105900.
Movimento geral, 8:1405000.
#
Renda provincial :
Do dia la 23 80:112*003
dem de 26 5:5665682
616 1795131
85:6785685
"
Somma total 70I8575836
Segunda secgo da Alfandega, 26 de Margo de
1889.
8thesoureiroFlerencio Domingues.
chefe da secgio-Cicero B. de Mello.
Recebcdorla fteral
Do dia I a 23 37:3185918
' dem de 26 1:8265281
59:1435199
Reecbedoria provincial
Da dia 1 a 23 16 3855649
dem de 26 2:2575999
18:6435648
Recite Dralnage
Do dia I 1 23 35:6815556
dem de 26 2:8435034
38.5265590
Matado uro publico
Neste estabelecimentofotam abatidas para o
consumo de hoje 59 rosea pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DB MAB9O
Europa....... Fi< de Santos..... 2"
Norte......... Finance .......
Sul........... Muranhao .. >......
.Eurcpi ''
Sul Trent..
5." pareo llipodromo do Campo Grande -
1,800 metros. -Animaes de qualquer paiz. Pre-
mios: 8005, 2005 e 805.
Coupon puxou a corrida seguido de Vesper,
Aspasia, Olga e Apollo.
C-rca de 600 metros depois, Aspisia, dirigida
por Hinds, colloca-se na vanguarda e nessa po-
sigo se cons rvou al a entrada da recta de
cbegsda, quando Vesper, montada por Manoel
Virgilio, e que em toda viagem nao havia aban-
donado o 3" lugar. Ir.tr de ganhar a corrida, o
que fcilmente couseguio, chegando ao vencedor
em 125".
Outro nao poda ser o resultado da corrida
desde que a kabilidade te Hinds, chegou ao pon-
to de collocar Aspasia na vanguarda, quando
ainda liii'a de percorrer I 200 metros esgotan-
do dessa forma a importante egua em proveito
27 as 3 h.
27 as 4 h-
27 as 4 h.
27 as 5 h.
27 as 4 h.
Vapores a sabir
MEZ DE KOapO
Rio de Janeiro Jucukype........
New-York-----Adrance........
-autos e esc.. Campias.......
Cear e esc... Una...........
Sul.......... Fin'inre.........
Movimento do porto
Navio sahidos no dia 24
LiverpoolVapor inglez Gellivara, com-
mandante G. Thomaz, carga Varios g-
neros. '
Santos e escalaVapor francez \1Ue de
Macelo, Commandante Lenormand, car-
ga varios gneros.
Navio* entrado no dia 25
Hamburgo e escala25 dias, vapor alle-
mo Campia, de 1,637 toneladas eom-
mandante a. Barret, equipagera 47,
carga varios gneros ; a Borstelmann
4 a
Santos e eseala=ll dias, vapor america-
no Advanee, de 1.919 toneladas, com-
mandante D. E. Griffithz, equipagem
70, carga varios gneros; a Henry
Forster & C.
Aracaty16 dias, hiate nacional Bom-
Jess, de 85 toneladas, mestre Cle-
mentino Jos de Macedo, equipagem 5,
carga vark s gneros ; a Manoel Joa-
quim PessGa.
Sahidos no mesmo dia
PelotasEscuna no niegense Gfiau, ca-
pitao Th. T. Wig, carga assucar.
Porto-AlegrePatacho nacional Anduluza,
capito Joao Jos dos Santos, carga as-
sucar.
Navios entrados no dia 26
Manos e escala11 dias, vapor nacio-
nal Pernambuco, de 1,999 toneladas,
commandante Francisco Antonio de Al-
meida, equipagem 60, carga varios ge-
eros; a^Pereira Carneiro & C.
Valparaizo e escala23 dias, vapor iti?
glez Britania, de 2,479 toneladas, com-
mandante G. Massey, equipagem
carga varios gneros ; a Wilaon & C.
Sahidos no mesmo dia
Liverpool c escalaVapor inglez
nia, commaudande G. Massey,
varios gneros.
BarbadosBarca ingleza Lavinia.
Lanees W. Mitichell, em lastro.
P.io de Janeiro e escaaVapoan
Pernambuco, commandant
Antonio de Almeida,
1'a 1 lita
1




Diario de Pernambuco-Quarla-feira 27 de-Margo

sniente da temivel competidora, que se achava
poupada e por conseguate dispondo de mais
toreas para, na recta de chegaria, fcilmente
.vencer.
Vesper, que j tem sua claque em nosso turf,
foi phreneticaraente aoplaudida pelo publico.
Aspasia foi classifieada em 2" lugar e Olga
. em 3".
Coupon, depois da primeira volta, retirou-se
para o eusUbpmento e Hei fi:ou parada ao si-
gnal de partida.
Poule de Vesper em !, 20*900; era 2 7430n.
Pouie de Aspasia em 2-, 64n0.
Movimento geral, 10:9703000.
6. pareo Cvmmerto 1.3811 metros Ani-
maes da provincia. Premios : 25"*, 604 e 251.
Arreada a bandeira. Cuod-morning tomou a
fatn, cedendo-a 10o metros depois a Templar,
que nessa posicao se Ocservoa at ao distanna-
io, onde Arumary, montado por Turner, passou
para a frente jranhando a corrida em 102'.
Templor foi 2 e Suido Sr
Poule de Arumarv em 1", 11 iiOO em 2',....
55400.
Poule de Templar em 2'. SJ90 '.
Movinienlo geral, 10:i08m>
' Prado l'crnambucaiio
Foi extraordinaria a concurrencia que aflluio
antehontem ao prado da Magdalena para assis-
lir a 23- corrida.
O jogo, por sua ves, estove asante animado
attinsindo o movimento geral das paules a----
56:670*000.
ToJos os servidos foram executados com a m-
xima presteza e regularidade. ao envez do que
acontece nos outros dous prados, onde a niorq-
sidade e o atrepello parecem estar comprehendi
dos no regiment interno,
O divertimento correu era boa ordem ; apenas
no ultimo pareo appareceram afumas reclama-
cOes no sentido de ser annullada a corrida o
que nXo foram attendidas pela directoria.
'ao sabemos em que se basearara as reclama-
ces: alarmamos, porm, que no numero das
corridas sirias que neuve durante o dia, deve
ser incluida a do ultimo pareo.
O resultado das corridas damos abaixo :
#
i" pareoConsolaeao (I" turma 850 metros
Animaes da provincia que aiuda nao tivessem
ganlio premio-Premios : 2005, 50* e 20*.
Ao signa! de partida, Jatob tomou a ponto,
que conservou aleja entrada da recta de chegada
onde foi balido por Cerbero, que ganhou a corri-
' da em (ti".
Jatob foi i" e Seera 3o.
Nio correram Cri-' ri e K.
Poule de Cerbero cm 1", 16U800 : em 2",....
56590". ,
ntle de Jalob em 2", Vi 500.
ovimento geral,5.5654000.
faraocim, Ferrabraz 2-,-Pirapama. Pirrafia, Viulio i ApyellacOes enme-
Branco, Rosa d'Ouro, Vampiro ex-Borburema, De MimanguapeAppeilante o juizo, -appel-
AmarillisPs-ManA Pini Cniutar c Roldao. ladn Pedro Vianna.
De Atalaia-Appeilante Manoel Antonio (.a-
Amarillis ex-Man, Pipi, Cndor e Rold2o.
I pareoProiincia de Pernambuco900 me-
tros :
Alpha, C meta, Moncorvo, Fovorita, Recife e
Aymor.
pa eo Com pensado -r- Grande Premio
I 450 metros:
Tupiniqtiim.Pbebo, lncitatus,Mylord,Rigoleto,
Serillo, Goo'l-Moroing, Fanfar, General, Wather-
loo, Ingaxeira, Planeta, Fantoche, Barnave, Rol-
dao Bonaparte e Yissallo.
do Campo Grande
i pareoHippodromo
1.609 metros:
Pnce, Diana e A?pusia.
5" pareo Derby Club1.609 metros :
Mandarim, Minerva, Mimosa, Favorita e Dou-
ro.

6 pareo -Progresso1.2 M) metros :
Olga, Diana, Vanda e Gal!;a.
7' pareoExperiencia -1.100 metros:
Arumarv, Msico, Templare Monitor.
Hoje as .'I horas da tarde eucerrar-se ha a ius
cripeo para os pareos 4U e 6' que nio h'caram
completos.
O pareo ile eraiasil i provincia qof Dio corren
no domingo aUinu coir.-ra no domingo prximo
'n l* lugar a* II luas da manha com o lime
de Extra.
CHR0H1CA JDICIARIA
2" pareoComjiensacu1.000 cretros Ani-
maes nacionaes at meio sangue, que ja tendo
sido inscriptos nao tivessem eanho premio este
annoPremios : :5. 60e30i.
Os tribofeims, contrariados talvez rom o resul-
tado da corrida anterior, onde nao poderam niet-
ler o dente, dispozeram se a tirar urna desforra
neste pareo.
E reunidos secretamente, fra das vistas dos
profanos, depois de apreciadas as condges dos
animaes, opiuaram que fosse Mimosa a vencedora.
dndose o 2o lugar a Alpha.
Arreada bandeira. Cometa tomou ap foi pouco depois roiMMMmfa por Saltarcllc e em
seguida por Alpha.
Na entrada da recta de chegada, Mimosa col-
locou se na vanguarda c gaum a corrida em
73 I/i".
^Ipha foi 2' e Saltarrlle 3".
Poule de Mimosa em 1 12*600 : nf,.....
ll*IO.
Poule de Alpha em 2.-, 34500.
Movimento geral. 5.105*000.
3 pareoIterb, Club de Peniambwo 1.000
metrosAnimaes da provinciaPremios : 3003,
60* e 303.
Ao grito do starter, Roldao sanio na vanguar-
da e nessa posirao se conservou at a entrada
da recta de clrgada. AliT. Arumarv, montado
por Turner, bale Roldao. chegando ao vencedor
em 77".
R ldo foi t- e Pierrot .T.
Poule de Arumarv em ", HSiOO; cm 2",....
.*V00.
Poule de H.ill.io em 2, 6 200.
Movimento geral. 11.5105000.
*
i pareo-Pimo Prrimmliueano -1.70' metros
Vnimacs de qualquer i>aizPremios : 8ii0i, 2001
e 0*.
Vesper. a inveucivel Vesper. vendo que nao
nreeiaava ponpar-sc para ganhar a corrida, to-
mn a ponln logo na sabida, chegando folgadaao
rencedor em 121". .
Diauna foi classillcada em 2 lugar i l.asti-
-lioni e Slvalos cUegaram distanciados.
Nao correu Apollo.
Poule de Vesper, montada por Manoel Virgi-
lio, 6*400
Movimento r-ral, 7:190000.

5-pareo Ferro-Carril 1,300 metras Ani-
maes. nacionaes at meio sangue Premios :
I50S, 75* e 35*.
Corcovado puxou a corrida, conservando-se
na vanguarda, com grande vantagem dos demais
le cnegada. Ahi diminuindo Corcovido a car-
reira, reunise aos companlieiros e em bolo
laminharam algURS metros, afim de Dooro col-
locar se na vanguarda, o que fcilmente conse-
iraio, ganhando a corrida, como de antemao ha
via sido determinado em 94".
Corcovado foi 2' e Mandariin 3o.
Nao correo Ruy Blas.
Vtule de Dour'o em 1", 2157 0 ; em 2", 6*700
Pokle de Corcovado ein 2". 6il00.
Movimento geral, 4:550*000.

6-> pareo lmp\m*H PermmbucitiMl,iOQ rae
trosAnimaes da provincia-Premios 3005
lio* 30*.
Coube anda a Roldao puxar a corrida. Ler-
rjx de 6'W metros depois da sahida, o importao-
tfeanimal tefe de ceder a ponto a Arumary, que
ihegeu folado ao reiuedurem 92".
Roldao foi t" e l'ierrot 3."
Poule de Animary em 1". 7*800, em 2*, 6*200.
Pou- de Roldao em 2". 6*900.
Movimeuto geral, 11:160*000.
'
? pareo -/(<<'/> 1.400 metrosEguas al
puro sangue. Premios : 500J, 100* e 50*.,
Africana, que ltimamente tem estado caipora
lesta vez salientou-se, batendo Olga.
Tendo Vanda s.ihido na vanguarda, cerca de
yOO metros depois foi a pona oceupada por
Africana, que nao mais a pedeu, chegando ao
rencedor em 100".
O 2" lugar Joi conquistado por Diana, que nao
obstante ser nma egua linla e de formas bastan
le desenvolv las, parvee estar destinada a fazer
io nosso turf a mesma figura secundaria de Ve
ius salvo se tiver a felicidade de pegar um pa-
reo'em que entrera sraeiite Van Ja, Cynira e
Mascotte. _. .
E" possivel mesmo que com taes compawnei-
iiao consiga Diana sahir visorio, em vista
la manlia que adquiri de s correr bem tendo
intro animal na frente. .
Olga foi classilicada em 3o lugar.
Poule de Africana em Io, 95R00. em 2 ,
7*800.
Poule de Diana em 2. 65V0.
.Movimento geral, 6:5:10*030.
pueoConsol cao 850 metros
niaes da nroviticia que nao tivessem ga-
mios : 200*, 50* c 20*.
Ao g~rito do starter, saiiiran os nnim;
o.
Prximo ao distanciado. Boladiinha, montado
Henrique Rocha, collocou-s-- na vanguarda,
|mJo ao tenedor em 65".
^^Kr, q"e on-io (."-<, foi bom2e
' '1*'
^He Boladiinha em 1*. 1025400 em 2,
^B'de Fanfar cm 2-. ls-40.
., geral, a:060*0'.
Kllppodromo do Campo Crande
: corrida a roalisar-se
Tribunal da Relafio
SESSO ORDINMUA EM 26 DE MARCO
DE 1889
PRESIDENCIA DO EXBC. 8R. CONSELHEIRO
QUISTIKO DE MIRANDA
Secrttario, Dr. Virgilio Coelko.
As horas do costuras presentes os Srs. des-
enibargadores em numero legal foi aberta a
sesso depois de lida c approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-sc
os seguintes
JULOAMENTOS
Recursos eleitoraes
De Alalaia Recorrente Joao Francisco da
Rocha Reg, recorrido Jos Ferreira da Silva.
Relator o >r. deserabargador Buarque Lima.
Deu-sc provimento, unnimemente.
De Ataiaia Recoirente Joo Francisco da
Rocha Reg, recorrido Tertuliano Jos de Mo
raes. Relator o Sr. deserabargador Tscaio
Brrelo.Negou-se provimento, unnimemente.
Do Brejod'AreiaRecorrente o bacharel Adol-
pho Elysio da C cisco das Chagas. Relator o Sr. deserabargador
Toscano Brrelo.Deu-se provimeuto, unni-
memente.
De AtaiaiaRecorrente Vicente Correia I^eal,
recorrido o juizo. Relator o Sr. deserabargador
Pires Ferreira. Negou-se provimeuto, unni-
memente.
De Anta Recorrente o bacharel Adolpho
Elysio da Costi Machado, recorrido Jos Vicente
Al ves Percira. Relaior o Sr. deserabargador
Monteiro de Andrade. Deu-se provimento,
unnimemente.
De vtalaiaRecorrente Martinho Jos da Sil-
va, recorrido o juizo. Relator o Sr. deserabar-
gador Monteiro de Andrade.Nao se toinou co-
nhecimento, unnimemente.
De Ariu -Recorrente Jos Evaristo Filho, re
corrido o juizo. Relator o Sr. deserabargador
Alves Ribeiro. Jtto se toinou conhccimcnto.
unaniraeraente.
De PiancRecorrente Roldao ,d^ Caldas Ca-
valcante Gambarra. recorrido Autonio Brasilia-
uo Pereira de Moraos. Relator o Sr. desembar
gador Alves Ribeiro.Dcu-se provimeuto, un-
nimemente.
Do Piaaoo -Recrreme Roldao de Cildas Ca-
valcante Gambarra, recorrido Autonio Silvino
de Souza Relator o Sr. deserabargador Tava-
res de Vasconcellos. -Deu-se provunento, con-
tra o voto do Sr. deserabargador Silva Reg.
Recursos criraes
Do RecifeHecorrwii.es Manoel Alexandre Be-
zerra e outros, recorrido o juizo. Relator o Sr.
ieseiiiliargdor Alves Riberro.-Negou-se pro-
vimeuto ao recurso de Manoel Alexandre Be-
ierra, contra o voto do Sr. deserabargador Mon-
teiro de Amliade,e unnimemente aos de Ame-
rico Vespocio e Ignacio Paz Filho. nSo se to
mando conhecimento, unnimemente, dos de-
mais recursos pela illcgiliinidade da parte que
os nterpz.
Do Limoeiro-Recorrente o juizo, recorrido
C-iidid) Alves rk-zerru. Relator o Sr. desem-
bargador Toscauo BrreloDeu-se provimento,
unnimemente.'
De Areia Recorrente o juizo, recorrida Joao
Miguel do Nasciraeiito. Relator o Sr. desem-
bargador Oliveira Andrade. Negou-se provi-
mento, unnimemente
Agravos de petico
Do Recife-Aggravante Alfonso Fiuza de Oli-
veira, aggravauos Joo Vctor Alves Matheus 4
t^ Relator o Sr. deseaibargador Pires Ferreira.
Adjuntos os Srs. desembargadores Tavares de
Vasconcellos e Silva Rgo.-Nao se tomou co-
nhecimento, unnimemente.
Do Recife -Aggravante Jos Soare.s do Ama-
ral, aggr.iviulo o jui;:o Relator o Sr. desera-
bargador Tavare de Vasconcellos. Adjuntos os
Srs. desenibargadores Pires Ferreira e Monteiro
de Andrade.Ne^ouMi provimento, unnime-
mente.
De OlndaAggravante Antonio da Costa Mo-
reira, aggravado o juizo. Relator o Sr. desem
bargador Oliveira Andrade. Adjuntos os Srs.
deserabargadores a Ivs Ribeiro e Buarque Li-
ma.Deu-se provimento, UHauimemente.
Appellages criraes
De Garanhuns Apiwllante Jos Joaquim de
Moura. appellada a juslica Relator o sr. des-
erabargador Pires Ferreira. Conlirniou-se a
sentenca, unaniueniente.
De OliuJa -App. Ilanies Porcino Manoel dos
autos e outro, appell da a justica. Relator o
Sr. deserabargador Oliveira Audrade.Maudou-
sc a novo jury, unnimemente.
Embargos infriugentes
Do Recife -Eraiiargimtes a viuva e herdeiros
de Fer .indo Jos Correia. embargado Manoel
Marques da Silva. Relaior oSr. desem bargador
Pires Ferreira. Revisores os Srs. desem barga-
dores MoBteiro .de Andrade e Alves Ribeiro.
Desprezarem-sc os embargos, unaniraeraente.
PAS8AGENS
Do Sr. desembargador Buarque Lima ao Sr.
deserabargador Toscano Brrelo :
Appella.(;Ao crime
De Pao d'Alhu +- Apjiellantes Manoel Ribeiro
de SanfAnna e outro. ippellada a justijJi.
Appellagao civel
Da Parahyba Appeilante Joo Alvares de
Trigueiro, appellada a fazenda nacional.
Do Sr. -lesembaraador Pires Ferreira ao Sr.
deserabargador Monteiro de Andrade :
Appellagiies criraes
Do RecifeAppellanies o promotor publico,
appellado o 2' cadete de uifantaria Francisco
Beltro Gomes Siherio.
De Boni (>)Usellio Appeilante o juizo appel-
flado Jos Geraldo da Silva.
Do RecifeAppeilante o juizo, appellado Vic-
torino Jos dos Santos.
Do Sr. deserabargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ilibeiro :
Appcllar&o cwrae
Da Baonociras-Appeilante o juizo, appellado
Vnlonio Fernandes de Almeida Filho.
Do Sr. desembargador Pires Goncalvcs ao Sr.
desembargador Alies Ribeiro :
Appctlaco coramerciai
Ao Recife Appcllaite Joao Gongalves de
Souza Beiro, ppellado Gratuhano dos Santos
O Sr descmbargadrn' Pires Gongalves como
promotor da justica tul parecer nos segrate*
feitos :
Appellaecs enmes
De Matta GrandeAullante o juizo, app\-l-
lado Antonio Jos dos tontos.
De Agua l'reja
vafeante, appellada a justica,
Appellacao comraercial
Do RecifeAppeilante o Banco Industrial Mer-
cantil do Rio de Janeiro, appellado Dr. Manoel
Holycarpo Mo reir de Aievedo.
O Sr. deserabargaddr Tavares de Vasconcellos
mandou mesa
Appellagao crime
De OlindaAppeilante o promotor publico,
appellado Manoel Mara Bandeira.
C0MMUN1CAD0S
a'trofi
ibara.
Afiellan'e o promotor pu-
b ico, appellado Mano' co da Silva.
Do Pilar. Appeilante Antonio Borf."
.raha,
angv,
Beus, appellada a ju
Do

los

A queslo dn frioha
Appafeceu no torm do Reafi de hoje um ar-
tigo anonyrao, prMieiro de urna serie que pare-
ce dever ser louga, criticando a portara de 21
no correte, pela qual o digno administrador da
irouncia, uo iuteresse das classes pobres da
provincia de eruainbuco. tomou O alvitre de
suspender a exportagao que da farinha de mau-
dioca eslava sendo feita em larga escala.
O aulor desse artigo, simulaiido sentimenta-
lismo, que est onge dos seus intuitos, alera se
em pregar urnas obnoxias iloutrinas altruistas,
e. hiendo jogo cora os mais nohres c elevados
sentimentos do pavo pernainbuc no, procura
insinuar Ihe que, por amor desses sentires, deve
elle tirar a ultima can isa para com ella vestir a
nudez do seu semclhante, anda que se exponha
a raorrer exposto s intemperies
E' sem duvida o mais bello dos sentimentos,
o mais louvavel dos impulsos do corago hu-
mano o que leva homens e povos, diante da
8tuagao afictiva de seus irmaos, a cercarem-
n'os de disvellos, mitigar-lhes a sede, matar-lhes
a fome, vestir-lhes a nudez.
Esses sentimentos altruistas, porm, teem o
seu limite natural, imposto pelo dever de curar
iia propria coaservacao, na situngao dos que sao
por elles impulsionados, as condigOes que os
fados criam e impOem como necessidade inde
cjinavel.
E' assim que ninguem pode dar o que nao
tem ; assim' que os que possuem sobras as
distnbuem cora aquelles que sentcm carencia
de meios de vida ; assim, finalmente, que,
urgidos pelas peripecias da luta pela vida, cada
qual apparelhando-se para fer a victoria nessa
luta, que a propria vida, ninguem va i alera dos
limites naturaes que a satistaejio desse impe-
rioso dever Ihe traga.
E' sabido que a provincia de Pernambuco, na
quadra afllfetiva por que est passando o norte
do imperio, tem largo quinho nos imbaragos e
Iropcgos que se antolham popularao nortista.
A secca flagella essa populago desde o Cear
at o Espirito Santo ; e a penuria da lavoora
tanto se faz sentir as provincias dessa zona,
como cm Pernambuco. A.iiuiscria de una des-
sas provincias a de todas.
Como, pois, exigirse que, sob pretexto de
urna caridade que excede todos o limites, que
ultrapassa todos os dictames da consciencia e
da razio, se dispa o povo pernambucano para
vestir o cearense, nao mais necessitado do que
aquelle :' Como censurar o governo que. tendo
o dever de velar pela sarle, pela laude, pela
vida dos povos confiados sua paternal guarda
se toraa de receios dimite de uraa ispeculacao
descabellada sobre um genero de primeira ne-
cessidade, e age em conseqnencia. visando o
bem desses povos }
Dissemos expecubi^u descabellada, e eremos
fer l'erido precisamente a nota que produzio o
artigo referido. Nem de outra forma se com-J
prebende o artigo do Jornal du Rec fe, porque
de boa f nao haver um s pernambucano, fra
do circulo dos especuladores gananciosos, que
seja capaz de lirmar esse artigo.
Nao, dlzemol-o convencidos, em l eruambuco
nao ha egosmo ; ao contrario, o passado mteiro
do nobre povo pernambucano responde em pro
dos seus sentimentos altruistas. Mas estes nao
podem levar esse nobre povo ao suicidio, que,
tanto importara o seu desprendimento na ques-
tio da farinha, no consenso da exportagao desse
genero de primeira necessidade, uraa das bases
da aliinentago do povo.
E a prova provada de que elle o povoligou,
liga toda importancia a esse assurapto, esta no
facto de que pela propria bocea do povoa im-
prensa applaudio elle o acto presidencial de 21
do corrente. achando-o justo, necessarlo, provi-
dente.
Consulte o articulista do Jornal do Recife as
folhas locaes leia o Diario, a Prortmia, o Jor-
nal do Poco, a Gazela da Tarde, o Rebute, em
urna palavra, todas as folhas desia cidade; e
ver que, com cxcepgao do Jornal do Recife, que
nao ex'.ernou opiniao, sem duvida receioso de
rcproduzir o faoto deploravel que ostentou na
questao Gcrmans, todos os demais orgaos da
imprensa pernambucana apoiaram o acto de 21
de Margo.
E releva ponderar que, em sua grande maio-
ria, cssas folhas sao adversas anual situariio
poltica, e fazein opposicao aduiinitrago da
provincia, que, pois, uo poda adiar guarida
junto s suas respectivas redacj,oes se aquelle
acto nao traduzisse o seu modo de pensar na
especi?, isto os sentires do povo a quem pro
curara servir.
Esse acto, portanto, bascado no saluspopuli
que a le suprema, traduzio em facto o modo
de pensar do povo, foi a realisago de suas es-
peraugas mais caras no actual momento : o que
por modo nenhura prejudica o sea espirito ca-
ridoso-, os seus sentimentos altruistas tantas ve-
zes demonstrado de modo inequvoco.
Demais, porque nao dzel-o ? -a situago do
Ccar, para onde, na p'irase do articulista do
Jornal do Recife, se faia a pxnortaco da fari-
nha de Pernambuco, nao mais cruel do que a
desta provincia em relneSo a tase genero de"
consumo.
Alli, segundo dado; positivos, existe um de-
posito de 37:000 saceos de farinba na cidade
da Fortaleza: ao passo que no Re
existem em deposito lo:20>) saceos.
E seria razoavel consentir que saliissem bar-
ra-fora esses 15 20i s;,ws de farinh::, ticando
a populago do Recife bragos com a fome '
0 Diario de Pernamimco, cm estatislica que
publicou 22 do corrente, de..u:istrou que, no
anno passado, tendo apenas entrado de oulras
provincias 61:478, sahirara entretanto de Per-
nambuco para ellas 137:562 saceos de iarinha
de mandioca, isto bou ve urna differenga de
76:084 saceos contra Pernambuco.
Essa ditferenga contra a provincia eieva-se
141:401 saceos, incluindo-se no calclo a im
portafio e a exportarao feita no corrente anno
at o dia 19 de Margo fincte.
E note se que, do Io de Janeiro uliimo a 19
do corrente, foram as entradas apettlt di
e as sabidas elevaram-se 09:oV
Quanio aoa pregos do genero, o Diario poz
patente que foram se elevando successi vamente
desde 1884, em cujo curso regulou de 2*000 a
3*500 'por sacco, ao passo que, no corrente
mez, altingio 8500 !
O que mais era precuo para que urna adminis-
tragao criteriosa interferisse no assunupto, ob-
viando quanto possivel que a populago pobre
fosse sacrificada ganandia dos especuladores !
Diz se, bem o sabemos, que sao esperadas
do jilerkir da pfovfoca novas lemessas de fa-
rinfia, eque portanto o mercado do Recite nao
corre o risco de (car desprovido do genero.
Esse argumento, porm, nao colhe.
Todas as correspondencias vindas do interior,
querpara o Diai h de pernambuco, quer para o
Jornal do Recife e l'ruvncia, sao accordes em
dizer que a secca flagella os povos da zona da
mat.a, onde mais farinha se fabrica, e que os
rogados de mandioca estSo acabados.
Anda boje, em correspondencia de S. Bento
para o Umnij, s.. irrin/.io iiet;>s palavras oque
vai por todo o menor: Os genero* alimenti-
cios, porm, oscasseiaii, prineipalmeute a fari-
nha, alu; de pouca. v;-i vendendo a 1*000 a
cuia. Os alravessadon s de farinha formigaiu
pelo agresic. como os gafanhotos do Egypto,
00 lempo das pr.igas,. dando em resultado ha-
ver penuria desse genero de primeira necessi-
dade, a farinha, a qaal exportada em grande
escala par# essa cidade. Ha falta absoluta de
mandiocas, as majtas, e as novas plantacoe'
se extinguiram com o sol ardentsimo, que rei-
nou nos ltimos mezes do anno prximo passa-
do. Oulr'ora vnlia ao mercado mais de cem
cargas de farinha; presentemente n5o se conta
mais de trinta cargas
E' falsa, portanto. a allirmagSo de que se es
peram nova# remessas de farinha do interior
capazes de ^bastecer o mercado do Recife. O
que ha s5o os 15:200 saceos do deposito ques-
tionado, e quig mais alguraas centenas que po-
dem vir entrando medida das necessidades.
Quauto s remessas esperadas de outras pro-
vincias, facto com que tambera se argumenta,
preciso que ellas aqui chOguem para se acredi-
tar nisso. A razSo obvia ; no anno passado foi
pequea a quantidade de farinha viuda de ou-
tras provincias, e nos mezes decorridos deste
auno quasi nulla.
E que cheguem esses sonhados carregaraen-
tos Se'no fosse impedida a sahida da fari-
nha existente esses carregamentos problemti-
cos desappareceriam rpidamente ante a vora-
gem dos especuladores, traduzida no facto de
somonte no dia 20 do corrente terer; sido des-
pachad jS para exporlagao 6:511 saceos.
N'esse andar, essa gananciosa cspcculagSo
com a lome do Cear e de Pernambuco nada es-
capara: ludo seria monopolizado: e o povo
soffreria as consequencias da desastrosa poli-
tica do laissez (aire laissez passet.
N'o, repetimos, o povo nao poderia ver com
bons olhos que a adininistrago se quedasse in-
diferente ante a ganancia dos especuladores.
Vendo a assurair a alli tu le que Ihe compela,
applaudio-a, louvou-a. porque o seu acto era ac-
corde com os seus setilimenlos. que, posto que
altruistas, nio vo de certo at o proprio aniqui-
laniento para salvar o prximo, mxime quando
este n2o est em p"iores condigOes do que
aquelle.
O acto de 21 de Marro corrente, aclo de sal-
vago publica, merece, pois, todos os encomios.
Secettitas carel lege
24 (fe Marro de 1889.
WnsoN.
PBLICACES A PEDIDO
Cmara Municipal Charaa-se a atteneao fia Cmara Muni-
cipal do Recite, para o modo irregular
porque se procede com rela<;ao aos despa-
cho das petigles de custas criminaes,
despachando-sc as petices do bacharel
Luiz de Druminond, com preterielo de
outras entradas em Setembro ; Outubro
do anno passudo c que ainda nao foram
despachada, pro|x>sitalmente, lefando-se
o capricho a ponto de fazer-sc exigencia
sem fundamento legal, para quu se apr-
sente conta detalhada, nao obstante as
certidSe declararem quaes os processos,
shas datas, julgamento da sentenca passa-
da em julgad, e o total das custas, isto
devido smente a ter exigo o honrado ve-
reador Dr. Lacerda, em sesso de 20 do
corrente, que a Cmara uzease justica aos
demais credores preteridos em antigui-
dade.
Pede-se a"s dignos vereadores Dr. La-
cerda e Corbiniano da Ponseca que exa-
minem a quantidade de peticSes que exis-
tem, e fajara com que sejara todas des-
pachadas, passando se os mandados pela
ordem de sua antiguidade, as quaes se
acham revestidas de todas as formalidades
legaes.
Espera-se justica.
G. C. E.
O Club Coramercial Euterue vai de novo abrir
os seus sales a nossa sociedade. e para isto
acaba de fa cr com o^Sr. Antonio do i armo Al-
meida a acquisgao do Io andar da sobrado n.
22. ra do Imperador.
E' com verdadeiro jubilo que couicmplamos
cstu pleiade de mogos, chelos de herosmo. Luc-
iendo sempre cora possantes difficuldades, visto
a localidade ein que se achava a sede da mes-
ma. tce:n com seus ingentes esforgos collocado
e.-ta socieda'.e va altara digna dos mais justos
elogios, j abrilhantando com a sua banda de
msica, que a eleva sobremodo, e muilo honra
aos seus dignos socios em geral. e em particu-
lar ao seu teloso c dedicado meslre. que cora a
sua reeonhe-j.Ha iptidfio da arte que professa,
unilicada com a vocago que se nota em cada
socio que a compoe. nos induz a garantir que
ella a banda particular de melhor execuco.
Nao estamos na altura de elogiar cala sucieda
de, porque ella est muito superior aos nossos
elogios; no omtanto lasemos um appello a di-
rectoria futura p a todos os socios em cern, para
que tototm sob seu valioso apoio esta sociedade
bou digna de seu auxilio, do qual, depende in-
dbilaveliuente a sua prosperidade.
O poder querer 1
actual directoria tuJo tem feito em bjooefi-
ci delta : mas temos inteira conviegao que a
sua suc.-;essora aao far menos, esforganrfo-se
para que continu a gosar dos foros que tem
posado ai" hoje, e muito mais: no que Ihe faz
justiga
A Ujumas do teclo s*xo.
ciaes de pedreiro Cypriano Jos de Sant'Anaa,
carpina e marcineiro Joaquim Candido de Santa
Anna, enialhador Manoel Modesto de Freitas,
ferreiro Jos Francisco Bento e pintor Liberato
Prisco Ribeiro, eis o resultado :
Pedreiro 1:7'0*000
Carpina... 550*000
Entalhador 325*00
Ferreiro 210*000
Pintor 350*000
Sommi -i: 135*000
Consegnindo-se a quantia cima, a capella-
mr licar perfeitamente boa e digna de uraa
Mai que-tantas gracas tem dispensad aos ex-
tremos fillios ; ser urna graude prova do amor
lilial. Quando alguem de outras provincias vier
render gragas recebidas da Fillia do Eter-
no Pai. yol tara admirando a pedade dos Olin-
denses e Peniambucanos l Ao contrario, di-
r : oh parece que nestu trra nSo ha ckr-
taos '.'.'. E acredaai, religioso povo, que foram
as pala'.'res que se desprenderam de meus la-
bios, na tarde do 26 d Aoril prximo passado,
3Uiiudo ... em verdade o confesso ; ceptenas
e vezes. timbem cheguei a ser um pouco in-
sensivel mas. naquella tarde, apparcceu ou to-
mei a sincera resolugo de nao ser mal* indif
ferenle sorte daquelle sagrado u-nipio : dc<-
apparecendo Kxlo c qualquer respeto huuiaoo oo
oulra irisle ciiiuuislancia de.-ejando so-nen-
le, a taculdade de poder eoni os lillios de Mana,
cumprir deve* to sagrado, cemo licou mani-
fest em o annuncio antecedente; crde me,
sinto assim : um lilho nao faz favor sua mi,
por maiores que sejam os sacrificios!!! ah !
de quanto .vo i capaz uraa mi ?... isto huma-
namente fallando ; por ventura ignoramos nos,
quanto cooperou para a nossa Cehcidade eterna,
a Esposa do Espirito Santo !; hojemesiiio com-
meraorou a igreja o mysterio mais sacrosanto
da nossa santa religiio,"noMissus esl Gabriel
ngelus ad lUariani Virginem, etc. : e noFiat
fnini secundum rerbum taum, salvou-se a liuma-
nidade cabida !?.....
Voltenjos nossa tarefa: presinfemente s
contina lentamente o trabalho. o enialhador,
emquanto recolbo certa somma para poder co-
mecar todo irabalho internamente, os outros of
fici es. Finalmente, a obra daquelle templo es-
t dependente da vossa magnanimidade.
" No reino do co dar se-ha cem, a quem na tr-
ra der um : Disse nosso SenAor. *
('linda, 25 de Margo de 1889.
* 0 devoto.
Olinda
Os abaixo assignados, quorendo com a
maio brevidade, recolher em poder do Sr.
commendador Joscph Krause, thesoureiro
da comoiissao do Kecife, o resultado da
subScrip^ao, que>romovem em favor da
familia do inditoso tenente Pedro Regaard,
pedem encarecidamente a aquelles que
aasignaram e ainda nao deram, o obse-
quio de entrarem com a importancia de
suas assignaturas.
Olinda, 25 de Margo de 1839.
Herculano Cava cante de Albuquerquc,
Trcsidente.
Mano.'l Procopio da Silva,
Lhesoureiro.
Silvino Augusto Nunes de Mello.
Francisco Antonio Teixeira de Faria.
A melhor e mais perfeita de todas as eonheci-
das at agora a Emulso de Lanman Kerap,
e por conseguinte a mais segura e rpida nos
seus cu"eitos em todo o caso de affecgo da gar-
ganta, tsica e demais incommodos pulmonares
on peitoraes.
Sabidas e conhecdas sao em todas as partes
as virtudes de urna boa Emulso de Oleo de
Figado de Bacalho. e no presente caso, s te-
mos a dizer que, tanto a absoluta excelienciajdos
elementos empregados. como o esmero e correc-
c scientilica (fe sua preoaraeo. fazem da
Kiuuls'io de Oleo de Figado de Bacalho com os
Hypophosplutos de Cil. Soda e Potassa que feva
o nome e marca industrial de Lanman & Kemp,
a mais perfeita,eflicaz e ugradavel das que exis-
tem no mercado
O Quinium Labarrnq::e, nica prepara-
9S0 deste genero que tem sido approva-
da pela Academia de Medicina de Paris,
um vinho tnico e digestivo que fortifi-
ca os estmagos delicados ou enflaqueci-
dos.
A administracJto do Quinium continua-
da durante quinze dias, um mez e mesmo
mais, conforme o grao de deterioracilo phy-
sica ao qual tenham chegado os doentes,
tem produzido urna tonihcaeao gradual,
um augmento de forca digestiva e por
conseguinte urna amelioragao tilo rpida
que nao se podia duvidar da accao do
Quinium. Dr. Wahu, medico principal
dos hospitaes (Argelia.)
------ s>'-------------
Agradecimento
AO ILLM. SB. DB. CAKUlS BTOH OCRT
Pelo presente declaro a quem posas in-
teressar que achando-me doente de um es-
treitamento da urethra indicarara-me o Sr.
Dr. Bettencourt e, procurando-o no seu
consultorio, fui operado pela electrolyse,
sem dr, tcando logo bom e radicalmente
curado do estreitamento.
Agradeco do alto da imprensa a impor-
tante cura que fez-me este Ilustre faculta-
tivo e'que archive mais este attestado nos
sene triumplios diarios.
Recite, 5 do Marco de 1889.
Laurentmo Jote da Silva. .
Aviso aos nossos leitores
Os nossos leitores que visilarem Paris
durante a ExposicSo j sabem que pode-
rSo 1er os ltimos nmeros recem-chega-
dos do nosso jornal que em casa dos Srs.
Amde Prince & C, 36, r a* Lafayette,
quer da sala de leitura pelos nossos cor-
respondentes estabelecida na exposieao
noPavilhSo d\ Repblica d Guatemala
cujo.comiuissario geral dignou-se de por
graciosamente urna sala com varanda
disposicao dos mesmns senhores.
Para se evitar qualquer coniusao, os
nossos amigos que quizerem receber a
sua correspondencia em casa dos Srs.
Arad, rince & .. devem mandar diri-
gil-a ra Lafayette, n. 36, por ser a
sede do servico especialmente orgaiisado
para isso.
Nossa Senhora do Monte, em
Olinda
Oi-catucuto
.ido prometti em o annun:io do dia 23
lorrente, reunidos og oiRciaes na capella
de Ifbssa Senhura do Monte, 110 da 24, feito o
iieilioramento da ea-
P'.'Io Olfi-
EDITAES
Escrivo Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto dos Feitos da
Fazenda, Jos Salazar da Veiga Pcssoa, se ven-
der em praca publica no da 29 do corrente
mez de Margo pelas 11 horas da raanh depois
da audiencia do mesmo juiz os bens seguintes :
l'ma ^asa terrea de tiiollo e cal. sita a ra da
Igreja da povoaeo da Boa Viagein n. 11, com 2
salas, o quartos, cosinba externa, 1 saleta, 2
portas e 2 janellas de frente e quintal em aberto.
avahada por 1:800*000, pertencentc ao patrimo-
nio de Nossa Scnhora da Boa Viagem.
Uraa olaria montada sobre pilares de pedra e
cal, cora dous telheiros e ais compartimentos,
fomo em bom estado, sita ra Viseonde de
Goyanna. f-oguezia da Boa Visla, avaiiadu era
2:43. irtencente a MJhoel do? Santos
*
Una casa terrea de pedra e cal osn,
sita ra Amelia fresuezia da Grai
salas, 4 quartos, 5 quartinhos fora, edificada em
terreno proprio, avallada era 2:000000, perten-
cente a Antonio Jos de Azevedo. .
Urna olaria cora dous te heiros montada sobre
pilares de pedra e cal cora forno em bom es-
tado, sita no Ambol freguezia da Varzea, ava-
hada em 2:500i000, pertencente a viuva de An-
tonio Mara Carneiro Leo.
Urna olaria sita nos Coelhos n. 19, freguezia
da Boa-Vista, montada sobre pilares de pedra e
cal cora mais um telheiro na margem do rio, em
bom estado, avahada em 1:4004000, perfencente
a Antonio Carneiro da Cunta.
Urna casa terrea de pedra e cal n. 70 ra dos
Guararapes freguezia do Becife, medrado 5 me-
tros e 42 centmetros de frente, 17 metros 0*59
centmetros de fundoavaliadaem l:000,'per-
fencente a Duarte Bodrigues & Inno.
E3tes bens se acham penhorados e v5o ser
vendidos para pagamento dalazenda nacional.
Becife, 22 de Marco de 1889. .
O solicitador da fazenda nacional,
Luiz Machado Botelho.
O Dr. Jus Antonio Correia da Silva,
cavalheiro da Ordem de Christo, com-
mendador da Ral Ordem Militar Por-
tugueza de Nossa da '- onceicfio da Vil-
la Vicosa. juiz de direito de orphSos
da Comarca de Olinda, por S. M. o
Imperador, a quem Deus guarde, etc.
Fajo saber aos que o presente edital
virem e delle noticia tiverem, que; por
parte de Joaquim Antonio de Miranda,
me foi digida a petij^o do theor seguin-
te:
Illin. e Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos
de Olinda.Diz Joaquim Antonio de Mi-
randa, que havendo arrematado perante
V. S. a propriedade Tab, sita na fre-
guezia de Taquara, provincia da Parahy-
ba, e pertencente ao espolio do coronel
J0S0 de S Cavalcante de Albuqucrque,
requer o supplicantc, parajgarantia de seu
direito, que V. Exc, depositado o pro-
ducto do bem que o supplicante arrema-
tou, mande, de accordo com a Ord. livro
4 titulo 6, passar editaes, chamando todos
aquelles a quem fr obrigada aquella
propriedade, para, no prazo que Ibes for
marcado, pugnarem pelos seus direitos.
Nestes termos pede a V. Exc. deferi-
mento E R. Me.Oirada, 27 de Feverei-
ro de 1889.Joaquim Antonio de* Miran-
da. (Estava sellada.)
Em a qual peticao profer o despacho
do theor seguinte:
Feito o deposito eomo ac uo ae verificar,
passe-se o edital as condicoe alludidas,
com o prazo de 30 dias, ficando assim de-
ferido o presente requerimento, que ser
junto aos autos. Olinda, 27 de Fevereiro
de 1889.Correia da Silva.
E mais n3o continha dito despacho
aqu fielmente copiado, epor forjado mes-
mo despacho, o respectivo escrivSo fez
passar o presente edital, pelo qual e seu
theor sao chamados aquelles a'quem for
obrigada a mencionada propriedade Tab,
para, no prazo de 30 dias 'pagarem pelos
seus direitos.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, mandei passar o presente, que
ser affixado no lugar do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado neste cidade de Olinda,
aos 28 de Fevereiro de 1889.
Eu Joao Theodomiro da Coste Montei-
ro, escrivSo do civel no impedimento do
de orphos, o escrevi.
Jote Antonio Correia da Suva.
O Dr. Joaquim da Conta Ribeiro, juiz te
direito do civel desta cidade da Recife e
seu termo, capifm'&Q pt#vHekl de Per-
nambuco, por I."?"' Magestade. Imperial e
Constitucional,, o Sr. D. Pedro II, a
quem Deus guarde, etc.
Fajo saber aos que o preseste edite!
virem e delle noticia tiverem. que no dia
4 de Maio prximo vindouro, precedidos
os preg&es e pravas respectivos, se ha de
arrematar em praca publica deste jnizo,
a quem mais der e maior lance offerecer
o bem seguinte :
Urna quarta parte da casa e sitio es-
trada de Joao de Barros n. 8, com 2 por-
tas e urna janella de frente e 1 porte e 1
janella no fundo, medindo 7 metros e 50
centmetros de largura e 13 metros e
meio de comprimento, cosinba fora e por-
ta que deite para o sitio, avahada em
625-OOO, e vai a praca para pagamento
da execujo que move o Dr. Antonio An-
nes Jacome Pires, contra Francisco Be-
larmino dos Santos Freitas.
E para qae chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente edital
que ser affixado no lugar do costume e
publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife
de Pernambuco, aos 13 de Marco de 1889.
Eu Antonio de Burgos Ponce de Len,
escrivSo o subscrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.

I

""
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
fajo publico que par conveniencia do ser-
vico o concurso para preenchimento das
tres vagas de terceiros escripturarios,
existentes neste Thesoqro. ter lugar no
dia 6 de Abril prximo, ao meio diaj fi-
cando neste parte alterado o edital de 21
de Fevereiro ultimo. 4
Secretaria do Thesouro Provincial de
Pernambuco, 26 de Marco de 1889.
Lindolfo Compeli.
i'
-
i1
DECLARARES
Club Commercial Euterpe
ASSEMBLEA GERAL ORDINARIA
Convido os Srs. socios a comparecerem na
sede social provisoria, ra Duque de Caxias
n. 72, 2o andar, sexta-feira (29 do corrente), s
7 horas da noite, am de ouvirem a leitura do
relatorio da directoria que vai lindar seu man-
dato, e efeger s os compe'entes da nova.
Secretaria do Club Comraercial Euterpe, 26
de Margo de 1889.
O 1' S'-cretario,
Alvaro de Menrzes
llevoco de Xossa .Weuhora da
Concelco erecta no convento
de Santo .tntonio;do Reeilfe.
ELE1CAO
De ordem do ccnselho hscal convido a todos
os cafissimos irmios a comparecerem em no
consistorio pelas 10 horas da raanh do dia
do correte afim de em meza geral procede
a cleicao para os membrus da mesa raedora.
Consistorio da Devoro de Nossa SMihora
Conceico erecta 110 convento de Santo Anfe
do Becife, em 22 de Margo de 1889.
Jos Rodopiano dos Santos Fdho.
Ex-juiz escrivo
V*so<-iaeo Commercial Bcnefl-
eente
De conformidade com o art. 16 do
desta associacSo, sao convidados t
res socios para urna reun
ter ncar no dia 26 do
na sede da mesna asso
Mirco de 1889.
O
r mam


6

e PertonabiUo-*-4Jiiaj,tarfQra 27 Mango de 4889
r
, d-- a dlpn)
tuto, que, no da 23 do mi* vinuour
tesilaaas em praca a porta dest.
^^Kas coolidas nosAoluHiet al.aixu m-
aos nos termos do Tit. 6" Cap. 5 da Goasp-
, da&leis das Alfcmdegas. **.seus donos
ou consignatarios nio iespacual-as e reliru
n*_reerido prazo de 30 das, ob pena de. ui-
i$le, seren vendidas por sua con la. era que
iktfft (jejue direito d allegar contra .os effeilos
lieiia vuda.
Armazem n. 1
Harca A J M C, ^era numer Un pa
aMKtras sem valor, viudo de-Uambui
Mr allemao Bueno-Ayres em 16 de Juulio de
Marca F L, sera numero m dito, dito, dito,
dito.
Armazem n. 2
Marea triangulo C no centro l'iua caixa n.
51 cooteado sele cocelos e,adeira ordinaria
de mais de, 80 centiroctr..* de capaeidade at
1,10 centmetros, vinda de Liverpool no vapor in
*la* Sebolar em I de Junho 03>i8H*.
Mesma marca Lina caixa u. 51 tontead 20
cadeiras de braco de madeiraiocdinaria, seni as-
seata e encesto de pallia, idf ni. idem, idera.
Armazem n. 3 .
-Marca A I sen numero Dea grades com 100
barris.coni leos impyreraaticos nao eapecilica-
das, peso bruto 500 kilos, tara de 10 par cento
do legal 450 kilos, viudas de New-York no
vapor americano Finanee em lo de JutWio de
HS8.
Marca D C Um fardo, contendo 97 kilos, peso
licjuiuado de panno de algodo cr culraucado,
:. idem, idem.
Marca S A lana barrica n. 1/20 contendo
amostras de louca viuda do.Liverpool no vapor
inglez Sculptor em 25 de Junho de 1888.
Marca triangulo e ('. no centroUrna caixa
i Mateado 48 radeiras de madeua ordi-
naria com ssii!. < encost de palha. dem,
idem. idem.
Marca triaugulo e C no centro Urna dita n. 52
coutendo 16 cousolos de madeira ordinaria t
80 cwitinn'tres de compriuiento, idem, idem.
idem. t
Armazem n. 4
Marca Gonealves Irmao, ncm numero Um pa-
cote amostras sem valor, viudo do Havre no va-
por francea S. Nicols em 6 de Junho de 1888.
Marca J l S Urna grade n. 2a contendo dez
cui&as pesando cada una 18 kilos de cha da
India, 180 kilos, tara de 26 por cento liquido
legal 134 kilos, viuda de Liverpool no vapor in-
glez Orator em 21 oe Joa de 1888.
Marca J D 8Urna grade n. 32, contendo 2
caixas, pesando cada urna 34 kilos com cpi da
India 68 talos, tara 23 por cento liquido legal
33 kilos. dem, idem, idem.
Marca JDS-Uma dita n- 33, idem, idem,
idem.
Marca J D SUna dita n. 34, idem, dem,
idem
Aviso aos navegantes
Da wdem do I :iotenente
Bodrigo .Nuno da Costa, inspector deste
MU eapitao do porto desta provincia.
tafo /publico a quera interessar posaa, quo
. apitSo do porto de Jlacei, eui
legrainma dirigido a esta capitana em da-
ta do hentem, comm jnicou que os pesca-
dores noticiara que existe um grande na-
vio virado, ciu frento ao porto de Macei,
em Tinte e seis brabas de protundidade,
s sendo visivel o cobre do fundo.
Capitana do porto de Pernambuco, 23
de .Mar*;' de 188 .
0 secretario,
Antonio oa ti Ova Azevedo.
Thesourarii de Fazenda
i'.' oixlem lo illui tur, convido o"s
credoies de dividas de fJWC|i >-. abaixo
declarado- MI[aerar-* esta Thesouraria
os respecta os, pagamentos, para os qoaes foi
habilitada com o iwce?-sario crdito pelo The-
souro Narional.
Caetano Cyriaco da Co: a M.'rcira 130*000
J. E. Purcell 124000
Euzebio da Cu Bei-ao WfOO
Silveira 375* '0
Companliia Peruambu1 ana 2514100
Francb-co Manuel da Suva jeC. 24i:iOO
Josa Saporiti 6D6000
Recife, 23 de Margo de 1889.
O secretario da junta.
D*. Mtmio Jos de Sont'Annu.
Banco de Cn-dilo Rea! de.
Ptxxiambuco
Este eslabelec-iinento de couformi lade como
art. 54 dos estatutos, paga o se- 5." ditidendo.
relativo ao semestre linio em 34 de l'ezembro
do anoo prximo pausado a razio de 5 0/0 so-
bre o valor das oatradis realisadas do capital,
ou r> sOUO por aeeae, toles os dias utefs, desde
as 10 horas da uiashiis 4 da tarde, em sua sede
a ra do Coeki n 34.
Recife 23 de-Sai-jade 1889.
O gerente,
Joo Fernandes Lopes.
United States and.Brazi]
M. S. S. C. J.
<** vapor; Finanee
E' esperado dos portes do
norte at o diu27 de>Mar-
qual depois da de-
mora ii egoira
iaraa
hutelro^ (autos
Par carga, passag< .menlas e di-
Irete trata-serom os
AGENTES
Henry Fprster & C.
8Ra do Commercio6
1* andar
m
Roya I Mail Steain Packet
Companhia
O vapor Tamar
E-i ira-se da Europa at o dia29de
Marco, seguindo depois da demo-
ra do costnme para
Haoel*. Baha. Rio de Janeiro.
Sanios. Montevideo e Buenos-
Ayres.
Para passagens. frotes e encommedas trata-
se com os AOENTES.
O paquete Trnt
Commandante W>Chopmam
E' esperado do sul no dia 31 de
Marco e seguindo depois da demora
-aria para
vlgo. Moatkampton e
Antuerpia
Lisboa.
ftoeiedade An&iliailora da Agri-
cultura de Pern;unbueo
musbhblb'a gkkal
(* convocaclo)
De ordera do Bxm. Sr. j.residente da
aasembla geraL coiMinendador Francisco
do Rgo Barres de '^Lacer^a, ficara convi-
Marca ID S Urna dita n. 35, contendo 8 ca- : ^j t^og qs s^ (mgfr
kfl luij'iniln ,../hi lima 4f. L-iInc CAm 'lt (la In- T I T
oin agsemblja geral no da sexta-
eia _'J d; corrate, procederem a elei-
xae pesando cada urna 16 kilos com cha da In
dia 128 kilos, tara de 26 por cento. liquido legal
95 kilos, idem, dem.
" Marca J D SUrna dita u. 36, idem, idem.
idem.
Marca diamante n. 291 no centro. D C em
cima e G 1' e u baixo Urna caixa n. i, contendo
27 kilos peso liquido de cha da Ii.-dia, 8 kilos
liquido de obras de folba de Flandres pintada,
\iuda de Liverpool no vapor inglez Sculptor em
26 de Junho de 1888.
Marca diamante n. 201 no centro, I) C em
cima e 6 P em baixo L'ma dita n. 2, idem
idem, idem.
Marca dian.ante n. 291 no centro, D C em
cima e G P em baixolima dita n. 3, idem,
idem, idem.
Marca diamante u. 291 no- centro. D G em
rima e G P cm baixoUrna dita n. 4, dem,
idem, idem.
Marca diamante n. 291 no ceniro, D C.em
cima e G P em baixo Urna dita n. o, idem.
idem, idem.
Marca S A, contra marca O II 4 C Urna caixa
n. 9047, coutendo ^0 kilos lquidos de uanella
de la lisa, 10 kilos, idem, idem, larrada, 200
grammas, tilo de seda, 700 grammas. meias de
seda, 950 gremmas, lil de algodo liso pgsando
100 metros (4) menos de 4 kilos, 1,400 gram-
t % meia3lfc
algodo nao clarificadas, cumplimento
de mairrr,20" (--euliroetoaUliiida .lo Havre no
_____ T-.-fT. .1- IJ,.. ,.,7,,.. *>rt Ii innh Ai-


i
I
vapor francez Vilte ilt mjtiti eui 30 de Junho de
1888.
Armazem n. 5
Marca diamante B no centro e F em cima
Um cestn. 3i|30; contendo amostras de louca
seto valor, viudo de Liverpool, no vapor inglez
Orator, em 14 de Junho de 1888.
Marca J D S C Urna caixa, sem -numero,
contendo 25 kilos de cartees de annuncios ra-
pressos em mais de urna cor, idem idem, idem.
Marca C M & C. <<- l'm encapado sem numero,
contendo cordoalha em peca, pesando bruto 40
kilos, abate de 3 por cento 1 quido legal 39 kilos,
dem, idem, idem.
Marca C M C.Um dito, dito, peso bruto 36
kilos, abale de 3 por cento, liquido legal 35 ki-
dem. idem, dem.
Marca diamante n. 981 no centro F L em cima
i G P em baixo.Urna caixa n., contendo 50 la-
minas de vidro com ac at 3 milmetros de es
pesaura, medindo 1,710 decilimetros (4), todos
de mais de 20 decilimetros at 50 decilimetros
(4)'de- superficie, idem, idem, idem.
rniazem n. 6
Marca (i. C. Katis.Um pacote n. 204, conten-
do um vestido tfe sedaijiileilado emmao estado,
vindo de Southampton no vapor inglez Taffus,
em de Fevereiro de 1888.
Marca Leal ft C.Um dito, sem numero, con-
tendo 4 kilos de jornaes impressos, vindo de
Southampton no vapor inglez Trente, em 4 de
Janeiro de 1888.
Armazem n. 7
Marca diamante B no centro S F em cima
lua caixa aem numero, contendo annuncios iui-
-sos em mais de urna cor, peso bruto 21 ki-
los, abale de 10 por cento, liquido legal 19 ki-
vindo de Liveapool no vapor inglez Sculptor,
i de Junho de 1888.
Marca diamante P A no centro-lima dita, di-
to, peso bruto 19 kilos, abate do K) por cenio.
liquido ieMl 18 kilos, vinda de Liverpool no
vapor inviez Htrthel, em 12 de Junho de 4888.
Marca diamante I! no centro e D Sem cima
lina dita, dito, dito. dito,.dito.
Marca, diamante P V no centrodem, idem,
idem, idem:
Marca J F A em cima c'H S* em kxo.Idem.
ioi ni, dem, idem.
Marca C I.- Cento c dez pedras de marmore
smplesmente serradas, medindo 120 metros qua-
draaos. viadiis de Genova no navio italiano Tre
Sertf, om Id de JulUo de 8MU
Marra II C. Urna caixa n. 50, contendo an-
nuncivs inipreasoaam-mais] *e urna cor, peso
ifo 73 kilos, tara de 10 por cento, liquido
:.')ti kilos.
Maraa HAC.dem n.. 70- impuros em urna
or, poso bruto 10 kilos, tara de 10 por cen-
to liquido legal 9 kilos vindo do Bio de Janei-
ro no vapor nacional Vernumlmco. em 31 de Ju-
ifio de 1888. *M
da Alfandega de Pe! uambuco, 2:
-liireo de 1889.
cliefe,
Domingo Jnaquim da Fonst<:a.
cao dos ineiiibros d>j conselho administra-
tivo e mais funecionarios electivos da so-
edade pela forma proscripta nos arts.
4.S e sepuintes doa ceapectivus estatutos.
Veriticar-se-ba a eeso 1 hora da
t; rde do mencionado dia '29 na sede so-
cial, ra da Unilo a. 52 bis, e consti-
tuir-se-ha a assemhMa com a terca parte
dos votos ertectFO como disp3e o art.
54 dos mesmos ltutos.
Recite. 22 de Margo de 1889.
[guaci (j. Boa-ros Barreto,
i-^entario geral.
Conipanliia pernambucana
[ nave^aijao costeira por
i\
vapor
a renhores aceiouJHtaa sao convidados a se
r uniivm na fde. Abril, ao meio-dia; afin. d* Ihcs ser apresentado
o balanco do anno .pwsrma lindo, e elegerem o
consellio de direcsao, a eommisso de exame de
cinta? os-pres dente'ftsecietario da assembla
geral; e tambem para tratarse da reforma dos
estatutos da 'wnpnhia.
Recife, 19 detMar (Ja 4889.
., )8 direclors,
MasVJo5o de Amorim.
ThCember.
'. 'AMhw B. Dallas.
MARTIMOS
(pan i
MACANA.
apresa da estrada de Ierro
de Riheirao ao Bonito
turnhK^ toral raijiuiiu
feudo hoj c, no eaerp-PO SUC! iaV ordi-
vwa, m
taa par-
nos
e*auibro ^ ^- i oe
muio dia, no praca de
m.
iwa
\avegao'eoeira por Vapor
Rio O vapor. Jacuhype
Comraand.urfe Esteves
wgw wr*a 2k do corren tea?
B, hpNft na larde. Recebe car-
a*i>> (Ha 17.
Passagens nti'A ,i ^ora, da tarde do dia 28.
ESCKIPTOEIO
Ao Caet da. Con'fianMa Pernambucana
__ .31.12____________. .
(oan^Hi* i i>>MAiiBi(t^4 ".
Karesaco eo'ielra por vapor
PQBXO, J>0 SUL
Macei, PeDf) t Aracajii
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no da 29 do corren te s 5
bor*s-da-4#d- cebe carga at o
Ldia28.
Encommendas, pa^s.;igeus e dinheito frete,
- horas da-tartbr do,da da partida.
ESGMFiWIO
Ao Caes da -Oimpanhii Pernmnbiicana
' 1*1
lieauc^ao de pastageng
Ida Ida e volta
i' Lisboa,l'classe 20 30
".'Southampton classe 23 42
amaretes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro
cetes do Brasil, os vapores desta compaiiq'.a nao
accilaro passageiros nem carga para Uuenos-
Ayres.
"Para passagens, frets,eBCommendas, Irata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C
N. 3Ra do Bom JessN..3
Conpanhia Brasileira de
Navega^ao Vapor.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos portos do sul at o
dia 27 de Marco e seguindo depois
da demora indispensavel para
portos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sabida
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
)=J2u'i do Commercio=^6
Io andar
CHARGElRSRENIS
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio do Janeiro
Cempaali In Francesa
DE
atvega^SO'
jinha quinzenal enlj
Pernambuco, Bal>ia,
Santos.
O vapor
Ville Commuulunte Tauquery
B'ecpenla !aRuopa at o dia 27
df Mareo. -e^Mindo depois da in-
,, i .i aoja |iaraa_
Rahia, Rio d anevo e Santos
isSrs. im de carga peles
na api-oseotar dentro
-nda^alvarengs
Mea volunie? que
tura tenhan -
ipo ai provi-
iria?"
ado o re! impanhia nao se
e, di-
Kl.A 1> .WERCJO
Rio Gr;i i*eIotas
Mi i port' vue eom bfevidade o
luja- !>m*d-. 'irga trata-
i>oyo 4
Companhie de Messageries
Mari times
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Jezegabel
E' esperado dos portos do
sul ae dia 2 de Abril.
seguindo depois da denlo
ra do cos'ume para hor-
deaux, tocando em
Dakar Lisboa
Lembra-se aos Sw. passageires de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 OjO em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
paya re ni i passgeas inteiras.
Por cxcCpcao, os criados de familias que to-
marem biihetes de proa, gozam tambem deste
abatimento.
Os vales postaes s se dao at o da '0 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : tra'a-secom o GENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E'esperado da Europa no
dia 4 Abril de e segui-
r depois da demora ne-
essaria para
Bahia, Rio de Janeiro, Bwmot-Ayre e
Montevideo
Lembra-se aos Sre. passageiros de todas aa
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer lempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mcrcado-
rias que s se attender a reclaoaaces por fal-
tas, nos voJums,- que forem reconhecidas na
occasio da descarga, aseim eomo deverao den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
alvarenga?. fazerem qualquer reelainaco con-
oornentes a volumes que porventura lenham se-
guido para os portos do sul, aui de podur-se
dar a tempo as providencias necessarias.
intu l ii*
e di-
I.SU- IH<|IIM<> il
elctrica.
Paia carga, passagen?. encommendas
nheiroa frete: tratase com 6
AGENTE
\ugiste Labille
-'< Ra do Commercio
Leao
Hoje, 2,7 do corrente
^4'* i/,horas
De um hotel roa da Madrwde Dus,. coustando
de mesas grandes e pequeas de pedra, 2 fo-
gfies de ferro quadros, louca, cadejrn? relo
gios e ricos quadros
Ao correr dontariello
Agente Burlamaqui
Agente Pestaa
?Leilo
De excelientes predios que pelo scu bom
estado de conservacao e melhor ren-
dimento cbamama attencao doa Srs.
compradores.
Quarta-teira 97 do corrente
A's 11 horas em ponto
No armaaem ra Mrquez de Olinda
n. 44
0 agente Pestaa vende/ por conla e risco de
quem perlencer os predios aliaixe declarado?,
livres e desembaracdo? .
Urna grande casa terrea, sita ra de S. Jos
n. 74, rendendo 334333 raensas, servindo de
Lase a otlerta de 3:60000fX ,
Urna dita sita ra Vidal de Xegreiros n. 45.
rendendo .'WOOtf mensaes, servindo de ba?e a
olTerl de 2:800 Urna dita sita ra Visconde de Goyanna n
1Q7, rendendo 25iS000 mensaes, servindo de base
a offerta de 2:000000.
, Urna dita com solao, sita ra de Lomas Va-
lentinas n. 4. rendendo 2.V5000 mensaes, ser-
vindo de base a offerta de l:>56000.
L'ma da sita a ra da Palma n. 11, rendendo
254000 mensfcea "servindo de base a oferta de
1:800.00 I.
Tres da- sitas ra Baixa-Verde (Capungai os.
i B. 1 C e 3, rendeni!o J*W00 muses cada
u a, servindo de base a offerla delo0*000 por
cada casinna.
Leilo
De movis, louca, vidro?. lainieiros, quadros,
mesas, cadeiras, papel para forro de sala, cha-
peos, viidios, champagne, bombas, oachnas,
camas de ferro para nieninos e muitos outros
artigos que, podem ser considerado? como ar-.
chaides.
Ao correr do martello
luarta-feira uaMla-fcIra
9H do-rorrenle
A's 11 horas
U agente Pinto, tundo ell'eriuado a inudanea
do seu escriptorio para o nimazeui n. 45 da ra
do Bom Jess, levar a leilo sem reserva de
preco os moitos e differentes obiectos anda
existentes no armazem da ra Mrquez de Olin-
da ii. 52.
Joao Oapustii i nciual-
mfiole em Oliuda. i 2& de
Dezambra.de 1880 e at o presoate nada |em
feito.
w Paaolaajim eafrerer ao*r. Iir. Lidio Ma-
rianno de Albuquerque, e nao sabendo-st onde
esteja, pede-se obvor de dizer na iva do Jar-
dim n. 40.
Leilo
De mobilias de junco novas, ditas de Jacaranda
usadas, pianos, 1 vanea para centro de loja,
1 lindo lustre de crystal com 8 bicos para gaz
carbnico. barricas comamendoas novas, di-
versos e lindos objectos pata toilet, cachim-
bos, ponteiras para charutos e cigarros, esco-
vas para cabellos, sapatos, cspelhos. quadros,
diversas qualidades de bebidas e licores, can-
dieiros. jarros, camas, guarda-louca, balanca
decimal loucas. vidros, talheres e muitos ou-
tros objectos.
Em continaacao
Um carro e 1 exccllente boi
Quinta-feira 28 do corrente
A's 11 horas
urniuzem ra Marqiu-z de, Olinda
n. 48
Por intervencSo do agente
Gusmo
= Pela ultima vez pede se ao Sr. eapitao
Francisco Aatonio de Sa Barreto, em aome de
seu honrado pai, que acabe rom afluclle nego-
cio que motivou V. S. passar o papel do venda
da parte do sobrado da ra Direta.
EpiphaniO da Booha Wanderley. elieie na
estacao da estrada de Limoeiro desde 1880 que
oaoipaga alu-uc? dos trastes, e nem se quer
09 reslitue.
O nielbor e mai faeit mel de pre-
venir o futuro para *l. e para os
oi'ui e jicifur de vida na oa
York
(New-York Life Insurance Cornpany)
Companhia de seguros-de vida e montepo dos
Estados Unidos da America.
Capital realisado :
184.000:0004000
Deposito no Thesouro Naeiouai :
200:0004000
Para prospectos e informages. com o Sr. Theo
Christiansen, correspondente da companhfa em
i ern.iuibuco, ou com Julio Guimar.es. agente
geial-______________________i_________
Precisa-se
de urna senlwa de idade e de bons co?tumc\s de
familia, qoe seja so e d conhecimento de sua
conducta, para fazer oompaabia a ama senhora
casada : a tralar na ra Era fie de Caaiaa dikbc-
ro77 A. loja.
Ama deleite
maseeca e eosinheira
I'ree,isa-se de urna ama de leite. una :
cuidar de crianzas e outra boa eu-inueira. pafta-
se bem<: a tratar na ra Bario de Tacanm
23,'ou ra da Madro do Deus ii. o, Kecife.
iixeiro
Preciaa-si de um carxeiro de 12 a lo' am:
idade, com aluuma pratica de (averna, qe
abooo sua conducta ; a tratar na rea de Santo
Amaro n.5 A.
Declaracao
Francisco Antonio de Oliveira participa ao res-
peitavel publico e com especialidade ao corpo
do commercio, que por ter outro d i.^uul come.
de boje em diante assignar-se ha por Frami.-e i
Antonio de Oliveira Brasil.
Recife, 26 de Marco de 18-0.
Francisco A. de pKveira l5-B
A \ i so aos S rs. marcha fttee
No engenho Ranchos, freguezia da Basada,
exislem quarenta bois gordos para seivui \en-
didos, quem os quizer conprar. peder ir v/'l-os
e entenderse oom o Baro do Limoeim, no seu
engenho Penanduba, eic Jtaboatao. Bato es-
cellentes para o acougue, e prefere-se a quem
os comprar todos.
* "'V^VTSIamnmmmmmmmmmmmnnW'MMMMM
Xo
MO DE FERRO
ItBBdMNi Doutor em Soiencias
..-cj prte Janlt il Hifitni do Bio-da-Jtniln.
ferruginoso o nico que
:a em sua composicao os ele-
- los ossos edo sangue.E'muito
..-. contra a anemia, a pobresa
: a jue, as dores de estomago,
: LUdaa, as perdas brancas e as
. ordens e irregularidades da
aeao. Agradavel pelo seu
pelo seu sabor, sempre bem
lacceio pelo estomago, muito acon-
. lo pelos mdicos, s senhoras,
i ocas e s creancas delicadas.
Em. PARS, 8, Bu ViVianae.
Agente Silveira
-jLeiio
De'movis, loucas e vidros
Quinta-feira 28 do corrente
A's 10 1,2 horas
A' travessa do -Espirito-Santo n. 4
O agente Silveira, devidamente autorisado, le-
7ara a leilo meia mobilia de amarello, 1 guarda-
louga, 1 apparador, cadeiras de puarnio, raia
commoda, espeltios, I lavatorio, loucas, jarros,
lanternas e candieiros.
Era coiilmiiii'ao
O mesnio agente, por mandado e uom assis-
tencia do Exm. Sr. )r. juiz de direito de ausen-
tes, levar a leilo o espolio do padre Diogo de
Barros Araujo, constando de 1 marque-za, 2 con-
solos de amarello ejgamo.
Em continnacao
Pelo mesmo agente ser levado a leilo o es-
polio do tenente Joo Bernardo do Reg, roupas,
j espadas. 2 malas e bab. ^^__^_____
Leilo
de movis, louca, vidros, orystaes, objectos de
electro-piate, quadros, jarros, espelhos.
Sabbado so do corrente .
A's 11 horas
Agente Finto
EM ( ONTINUAgO
vender o mesmo agente os pannos, basteares
mais pertences de um theatrinho, urna i ou-
paria e 6 classes para collegios.
AVISOS DIVERSOS
Cozinheira
Precisase de urna ama que cosinhe bem, para
casa de pequea familia, que durma em casa
dos patroes; na ra Conde da Boa-Vista n. 24-F,
porto de ferro
t
LE1LDES
(Jauta e quinta-feira, 27 e 28 do correle.
ven nte Pinto todos e differentes art
gas, muitos dos quaes, considerados archaides.
enstenles anda no armazem da ra Mrquez de
Dunda n. W.
eilo
Da beod montada fabrica de bebidasf sita
na do Vjgario n. 25
Km lotes a cout'1
Hoje. *9 de Mareo
A'a 11 i1
i) a^i auto-
l'abriea de bebi-
npradore
Leilao
*________
de una l bala livera -
paos pa
ridri I 'onda, lom
diver
a -7 do r
11 horas .
Na ra 124rci n. 3
A*
Modesto Bh|>lisia
Aluga-se o sotirado n. 46 ra da Roda
com bons commodos e muito fresco, todo pinta-
do de novo e forrado a papel as salas : a tratar
na raa do '".abugi n. 16, loja.
Aluga re casas a 84006 no boceo dos Cte-
nos, juu' de S. & tratar na ra ato
mperatriz n. 36.
r\luga-se a eaaa a. 1 .: roa Leuibraoca do
Gomes, i ni Santo Amaro : a tratar na ra da
Iraperatriz n. M. 2 andar.
ktaga-*e um Bttto no Gasa Ama-
ndlai con; boa casa, lien limpa. ralada-a pialada
de novo : a tratar na ra > edro AflUfcSO n ta
Precisase de um caixoiro (houierui com
toda apratica de molbados e que d fiador de
SU8 conducta, para gerir interinamenle una rasa
de molhados : a tratar na ('apunga, iiia da.-Per-
n.'.iuliucaruis n. 38.
Precisa-se tallar con o lllni. Sr. uiaior Jos
Marcelino Alves da Fonsec actual liicada Bre-
guezia de Afoliados, na ra da Companhia Per-
nambucana n.'l-A.
Precrsa-w iL ,;; rteiroa para
de.-liaui,. : na filbriCa Vi ti ne.
i se de urna i o.-inie-iia e de urna co-
peira : a tratar na ra da Solednde n. 82.
boa conduela ; nir ra da bnperatra u. 'Mi,
\j andar.
aota
niem solleiro ou viu
f.'rindo :- ula-
de ; na rea da Ruda n. Hi.
tratar.
ti' incrivfl, as nono
locha Falc fez urna hypotiii c a de
Marco de I mais
eme.
TllOlll
provincia da Babia, deixou ami-
ira liquidar siu.-
naquella da!a. i
IMU CleaueMlicio Carneiro de
L. ra
3." anniversario
GuHhermina da Conceicao Barros Carneiro e
seus futios. Dr. >*anoel "Clemtmtino oe Barros
Carneiro e Maria doCaraio de liarros Carneiro.
convidara aos seus prente amigos para as-
sistircm algumas missas que mandara celebrar
Eor alma do sen sempnc pranteado esposo e pai
uiz Clementino '.arneiro de Lyra, s 8 Horas
da manh de qoarta-fen a 27 do Gorrehte, no con-
vento do Carmo do Recite, do que fiearao sdm-
aiamente gratos.
t
Desembargador Franciro de
AVmmin iU- OU\eira Maeiel
Mara Carlota Vianua Maciel convida a todos
os prenles e amigos do seu sempre lembrado
mando Dr. Francisco de Assis Oliveira Maciel,
para assistirem as missas que manda rezar por
sua alma no dia 29 do corrente, s 8 horas da
manh, nawalrkdu Boa-Vista, 1- anniversario
de seu faliecimento. Desde ja agradece a todos
que se-disurem a.-sisr ;:s referidas missas.
ijiiix le feou*a e Sila
O Dr. Pr.xedes i'ian.ua eoa^iaa aw ios ami-
^o-e ao- prente; e ;,...^ do Exm :v. liara
dbanla Cruz para oiu^AOOl a u;i.. ;,:.ssa quts
manda raw aa matriz da Boa- Vista, a 5 iioras
da nianu do da -29 do andante., ^rigesuno do
lalleciineutoaYseu aini-'o. filbo do'tnesico Exm.
Sr. Baro.. Ag adece desde j este acto da ver-
dadeira cari lade.
t
I. L.turiana Candida de Mello
toarte Carneiro Viairaa a -ua familia
convdala a todos o- tmn pareotes eamJKOs e
os da fidieciila D. i.aunana Candidii 'e Mello,
a alma
aiai: ta cek bra MBl s 7 ora- da ma-
nfla, na itrdem terceira de S. Fran :isco. stimo
ment', e desde j nntecipam os
seur- ai;:-a'ieeimentos.
I"
ClionfeetMarin Muer
- da EmoIu .Norma:, ;.- ;.iuinnas
anas da aula pratica da referida
mandar rezar 11 por
;la, collega e amiga Bisabel
.er. ne dia 27 dori.rr. petas S ho-
lo dia, na oreja de N. S. '' He-
igeiimo dia de ata.
migas da mesma :.
irem a esti igiaso.
t
AnfoaioPuvira d**"Jto.o
istraa >';- :! na "Iba. 'endo
' resar n na
r aini
ka 27 il
de seu
AKAIfllK L'.QtfnAe
Na Loja das Estrellas
Telephone n. IO
Este bem cenhx-ido estab'elecJujento-acaba
de pass.r por urna grande, reforma,
sende libado interiormente com a
casa contigua do n. '58 no inteitp
de serea despachados todos '58 Ma
freguezes com mxima brevidade
potsivel, reeolveu fazer grande lt-
ptiflapSo d; odos os saldos bcarain ae balando, por menos
'.''' seu valor, ,eojoa wtigo
mea a demonstrar:
Artigos de le!
Esguiao. -.; -ya,,a 3^500.
Madapolao con um metro de largura de
14t por 7^000.
dem idem americano de 8-5 por 5f5>OO.
Algodo marca. T, especial, muit? largo,
da 7,5 por 6,^000.
Bramantes, pecas, por 7^000.
Aoalhados, lindos dc-euLos,.. dua& largan
ras, a 15 e [200 a ;\etro.
Guardanapos de 4 por 2SQQQ a duzi.i.
'/. lopa de linlio para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes du nio com 11 palmos de
largura a 15500 o dit >.
Lencos branco e com barras de cor a l&t
e 15200 a duzia.
Toalhas de fnstSo. qualidade superior,
35 e -4,5000 a dnzin.
Crotones para coberta a 2-V rs.
Colchas acolchjadas, bra:- cobas *.
C500Q.
I.ences de bramantes a 2500'J.
coce;:es a 15000.
E -utros muitos artigos que daixu de
ser mencionados "e quo se vendem cuna
igua! abAtimonto '
'3'eeidos de alta novidade
PARA YICSTIDOS DE SKXHOI.',S
Linlios pardos para .[vestidos u oJ a 32Q
Sedas com quadros e listras de 15500 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de...'.
1 1200 por 500 e 320 rs.
Morillos lisos, tedas ore, de 500 pt
240 rs.
Tuaile de Vicliy, de 240 por 160 a S'J rs.
Xonsuks, desenbos novos de 240 por
120 rs.
Crotones claros c escaros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
pecas:
Merinos de quadros, grande vnriedade d
padrocs, de 50 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 ra.
pechincha !
Fustoes de cor, do quadros e outros dse
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos oatros tecidos para vestido, _
em nlgodSo, linho, la e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 [e.
Confeeco
Vestidos feitcs de Casemira ricament%
bordados de 805 por 55 e 305.
Ditos para armar de t>5, 85 e 105.
Ditos brancos bordados em cartao, vidade a 85 e 1&&.
Gruarnieoes de colariuhos e punhos para
senhora por 15 e 15200.
Capotas (preparadas aa corte) de 2Q-) por
95 e 105
GoUinhas e punhos para menino de 3 i
8 annos
Vestuarios e roupinhas para crianzas, por
55, 65, 85 e 105, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 2-> e 35..
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 55-
Luvas de seda nieio brajo e qualquer ta-
manho a 15500 o par.
dem idem de Escocia a 15 e 15500.
Sobretudds irapermeaveis de borracha de
705 e 805, por 305 e 405-
.Capas e pelleiinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
.255 e 305.
dem idem de renda, seda, damasco o
gurgurSo, tanto- para phantasi.-i como
1 para commodidade a 385 e 405.
Velludos de seda e algodo de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas Jaespanbolas de sed;,, algo-
do e linho, com um metro de krgura.
Setins Maco de tod^ as cores a 750 e
300 rs.
E muitos outros artigos de confeccSes
como sejam mantilletes de blonds, sahidas
,de bailes, Jeques transparentes e de plian-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 "[.
Para bonicas
Casimiras inglesas com duas larguras, de
35500 por 153OO.
Ditas cor de caf e azul, de 25500 por
800 rs.
Cortes de seda para collete, de 125000 por
35000 e 35500.
Ditos de velludo e fustao a 15 e 15200.
Meias inglesas com fo de seda, de 125
por 65000 a duzia.
Paletets, de 75 por 45000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 15600 luna.
Collarinhos, modelo moderno, a 55< KJ0 a
duzia.
Camisas ingle2;as com collarinhos e pu-
nhos, seu collarinhos e sem punhos a
365000 a duzia.
Brins pardos de linho 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito hranco di linho n. 6 a 15200 a varo.
Lindos cortes de casimira ingleza, do 6$
85, 05 e 125 a 45, 65, 85 e 1D5000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
ihomens, de 705 e 805 por 305 o 405.
Ceroulas francezas, de 35 por 245000
a duzia.
Paletots [ed seda, completos de feitosd
casemira, malas para v
tapete e um completo e v ^or-
timento de cheviots, casimiras ir.
inglezas, pretas e de cores de pai"
teiramente novos e que se entli
mesmo abatimento de 50 u[0 de
Retalho
Aproveiteiu a grande q^^|
polos precos, cm sedas pretas t
gorgoroes, setins, las, merinos, Mfb
<. chitas, madapolSe
nhs.
E muitas otitras
"Dcontram na

t
seus
1 :

.
I

!
? -
f


SUPfS PAILLIDAS
'#1
.to aspeMtMlfeaoae >dMi^>4a^j>rf/-'pflafs^nptbB>tlai&t -da-lmg^c. Tontas
lxprt&lft lili Deposit a mor partir tas Phruiacitta.
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodae (I agua.
Tacas fundidas e batidas.
Tai xas batida*
Arados.
(J WTO
Gazes de corea 500 r. o covadov
Fustlo" branco a 360 e rs. o covado.
Brin8 de cores a 280 rs. o covado.
Baleias pretas a 260 a rs. a duzia..
Colchas de core a 20 e 30000 tmta.
Oirrabraias bordadas a 4000 a peca.
Luvas de seda a 20 e 20500 o par.
Lencos brancos a 10200 e 10800 a duzia.
Cretones de Alsace a 360 rs. o corado.
Atoaihado bordado a 10200 o metro.
Brim pardo a 280 rs.- o covado. .
Linhos de quadros a 280 re. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Espartilhoecouraca a 50000 uto.
Chales adam aseados a 20500 um.
Cortinados bordados a 60000 o par.
I Merino- do coree, a 500 rs. o covado. .
SCm CravacaO Ceroulas do bramante a 140 a duzia.
Madapolfto americano"a 6MXX)'a peca.
Chachemiras lisas e listra de combinacJes
a 10200 o corad*..
Oambraia Victoria a 20900 a peca.
Bramante de linho a 10700 o metro
Toalhas 'para banho a 105(.H) urna.
Tapetes grandes a 130000 um.
Ceroulas de linho a 340000. duzia.
Cretones francezes a 400 re. o covado.
Leques transparentes a 20500 um.
Alpacas de quadro a 600 re. o covado.
Camisas brancas para meninos.
Sabidas de baile a 10000 urna.
Cretones de corea a 240 rs. o covado.
Percales fi as a 200 rs. o covado
Nansok cores fixas a 240 o dito.
L3s escoseczas a 260 re. o dito.
! Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
AON. 20
as
v
(Avsqms ffiegnezes
Os PRODUCTOS da.
Oanr o.
307,.rua de-r:.'-IIozos, IPJLHIS
MMfc*a* ffty JRfflHfflft iqaj tbieause,- a(wiuza
DEVEM' 0 SF. flURffG ERA B M il'.C :QS DO PUUCO i
! Ao cui'l-scio perleito com qurestiio sen'".o fabrodoe;
2" A' sua (JttafiadiB i .-. tervel< e suavidado S ..ac.
fx, cqb WMt tWiiwyi'sifBWiiiwcwm ohiza
(00 MMN if" MP UMM a Al a fai*-:isf vuegnaor,
praos de Eobreav*? e* fregueses no: fiai.'^ww nao
dei-resr'engaar.
Os VfWJAMPWHWD'.TOU s.l!tM*i:f*.- iMss j; ?:as m oe M .aart I'tralla
HuaM*n ra IW* ni iil un h*'thi i n"~rtirni .->poste
EH& MA( ALHAES
Recebedores directos dos mercados da Europa
quiiani os sectate'artigos com descont de 14
vendas em grosso
l-: uiaates- da migwUio superiores, a 800 rs. o metro, 4 largura*.
Tdeis de puro linho faxeacla de.2-1200 para acabar a 10500, metro.
Atoaihado alvo, duas largaras, a 700 rs., 10100 e 10200 o dito.
AlgodSo alvo, nacional, para.lences a 50500 a peca. ,
Madapolo. americano^ a .30600, 40000 e 60000, col 24 jardas.
Maripozas de cures a 220 r3. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 re. ojdifc .
Batiste idem a 120 H o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quadros modernos a 280 0 300 rs. o dito.
Fichs de renda chics a 10000.
Colchas trancezas de cores a 20000 e 40000, urna.
Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras do cores para roupa- de crianca a J'<000 e^lSOO, diagonal, duaa
furas.
Camisas inglezas e franeezas a 260000 e 3O0OOO^ dzia.
Tapetes aveludados, grandes, a-140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 50500 e 60000- '
Pannos de. cores para mesa a 14100 e 10300 o covado.
Cheviot preto'e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de cSres a 280 rs. o dito.
Veradilhos de cores c pretos a 500 rs. o ditr
Rendas austracas para.vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 900 rs. o dite.
Setinetas lavrsdas 200 e 240 rs. o dito..
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias ernas inglezas para homem a 20500 e 30f'OO i duzia.
I rodas lxni*lna. d.. br:nnintA. ni 124000 e Ifi/SOOO a Jjri..
wites'dc. o.'.^.-ii.irai paw. calo* a 4000(1 e 00000.
dem de meia iimiiiil' a 20<)M.
roalhas grandes paM rosto a 40000 e dnsi.-i. .
Idenr felpudas para bmho a 120000 a diu.
T muitos artigos que sero lembradoe com a presenya de ii/>ssos leiiorea,
59tRv Dijuo Je Gp A O LOUVRE
Popelina branca 800 e 10000 o covado
Bicos matisados a 20500 e 30000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Regatas de c6res a 10000 ama.
Sargelrm de c6ree a 200 n o covado.
Crenolina^ preta e branca, a 400 rs.'
Chambres, de crep a 50(00, e 60000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. o covado.
Guarnicao de crochet com matizee.
Grinaldaa para noivas. ,
Setim de cores a 800 r. o cOvado.
Cachemira* de duas larfuras a 800 rs.
Cortes de linn em carraos 100 e 120000.
Camisas allemSee a 360000 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
Linn de core a 500 ts. o dito.
Linhos e quadros a 80 rs. o dito
Bramante trancados a-10000 o metro.
Meias para horneas a 30600 a duzia.
Guarnigfto de croch', brancai>>
Extracto Port Veine a 10400
Alpacas mescladas a 600 rs. o cOvado.
Entretella para camisas a 800 rs.
PAM A QARE8MA
Merm preto de 800 at 10800 o covado.
Setins pretos de 10000 at 10400 o dito.
Crep inglez (de seda) a 20000 o dito.
Fichs pretos a 20500 e 30000 um.
Luvas pretas a 20500 c 30000 o par
Cheviots pretos a 30000 o-covado..
Casimir! preta a- 20000 o dito.
Renda-heapanhola 30000. *i.<
Bicos' pretos, todos os prec Regatasvfretas -10600 \Atm>? -
O OLEO PURO
DE
HGADNe MCLKIJ

VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob ba.se*. aclentlfica*
c ptiysiolog-icas para o fim de
henenciar os cabellos, retanrar
a cor, impedir a queda, e promo-
ver eu vico e abundante oresci-
inento.
Esta apurad e exoellente prepwafift,
sem duviila o melhor remedio- at noje
coqfaecld para os differentes defeitos da
oabelladura, merece a intima attencSo de
todas as pentoas que tm tido a infelici-
dade de perder em parte este aais* rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sen emprego ratelllgent tPm-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nao
sempre, a proprla calvicie tem sido curada
pcnnanent.'mi'nt"'.
Sempre se consegue fazer parar a qneda
dos cabellos; euiquanto que para openlea-
ao das senhoras, e o objecto mals Titll e
mais agradavel que se pode empregar.
PREPABADO PELO
DR. J- C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Kst.-Unidos.
A' venda as tojas de arraarinho e per*
fnmarias.
deposito i.;ei:a.'
UX0SS. & KMP '
prddnz efeitos anlogos 'B-,eg d
dos mesmos senhoros, no csaeo do
hef preferido o tractamettto nesta
forma para o curativo dos incom-
znodoe
do Peiite, a Gargairtaie 06 Pniiafies,
Na ra Primis de Marco h. 20
(ANA DE CIRWMKWpft 11
|J
y
& C.
.. AsCfiii1ltaiiiCra^lEfi2B.
MUN. P^trMeMV^CJHMr*- fans. Mea. P rijaUWm. 47
THAMr t. (19 m.VA C.
. Alug-a-se
o 2- andar do predio n. 36, ra Mrquez de
Olinda : a tratar no 1 andar da ra larga do
Rosario n. 22.
hisfa-se
o 3- andar da ra cstrata do Rosario n. 32, tem
grandes com modos para familia a tratar na ra
da Imperairi a 46, i andar.
i
DcDositanm em rmmmmati'
MoLESTrAs Nervosas
Capsulas do Doutor Clin
Laomdo Jaftoaldade de Mjdicna da Pars. Pnmh Uont/ti
As Caprulas ido Dotor CLIN ao Bromnreto do Camphora emprego-r-e
as Molestias,'as de Cerebro e contra as afleccoes seguintesr
Aothma, insomnia, Palpitac**-do Coraco, Epilepsia, Hallnciiaco,
Tonteiras Hemitn-ania, Ailecoes das via', urinarias et pare calmar toda
especie' de excitacao.
HJ2 Um3 ex o/ cacao dtulhada acompanhk cada Frateo.
;, Ex-.ijt:> .v: Verdad eir Caireel as ao Bromureto e Camphora de CLIN A G'S
de PARS, que x encontr em casa dos Droguistas etPkarrr.aceutice*.
Alug-ue1 barato
Baxa Verde ns. 1-Ce 3.
Ra Visconde de [tapanca n. 43, armazem.
Ra Visconde de Pelotas n. 5.
Largo do Corno Santo n. 13, 2o andar.
Ra do Bom-Jesosn. 57, 3o andar.
A tratar ra do Commercio n. 5, i- andar,
esenptorio de Silva Professora
Urna senhora competentemente habiltda/com
pratica de U annos de profissao, apresentando
diversos attestados de bom methodo e comporta-
ment, offerece-se para eccionar em casas p-
ticulares, na cidade ou em sens arrabaldes as se-
guimos materias : Portuguez, Franee, Itatiano.
Geographia, iiano, trabalhos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Goyannn n. 69 on mi
casa do Regulador da Mannha -ra largado
Rosario. 9.
Ama
Atten^ao
Est em liquidacao nm armaxm de madeiras
rtRf fiova de Santa Kn a. 87. por setisdonos
retirarem-se para torada eptade por molestia.
Superio. vinho de
Passto
Peio mdico proco de 35 o quinto e 9*600 o
garramo -de tres caadas; voltando o garrafo
7*000 : vinagre-Je vinho-3#. barril e o*U00 o
garrafto sem casco, precos liqnidos ; na ra do
Amorim-'n.'dO.
puro e 8antarn
Da Quinta do Brral
7 Chegou a prwieka remessa dosis. especial \i-
aho para o Armazem Central de guneros alimen-
ticios a ra do Cabug n. II. o qual se toma re-
oommendado pela sua pweza e boa qualidade,
manda-sc cm casa dos distinctos rregiiezc* livre
de frete, para qualquur ponto da cidade.
Ra do Cabug n. 11
TTe.pbone.. n. 447
Joaijaim Christevo C.
Serrara a'-vapor
Caes do Capibaribe
Tem para vender diversas oalancas sendo urna
iropria para engenhos contraes ou estradas de
erro por ser de grande forca de peso.- Temdi
versas somaas graadesde dinefentes monV4oe-
Tudo se vende- por pnros commodoe.
Cosinheira
Precisa-se de urna, que saina cosiobar e nao
saia ra, para casa de familia : a tratar na roa
do Cabug n. 14, de meio dia at 2 horas.
Curso primario e pre-
paratorio
Establecido na do ColovHIo
numero 34
Precisase de urna ama boa costnheira, para i o covado.
cus de poue* famHia e que durma em casa dos
patroes ; a tratar na ra Duque de Caxias n. 48,
loja.
Telegramma
Yejam e adpiirem!
S o 55 ra Duque de Caxias podt
ven4er pelos preeos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padrSes, a
200 rs. o covado.
Fustoes brancos a 360 e 500 rs. o ce-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. o
covado. E' barato.'
Casooos e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padrocs lindos e precos
razoaveis.
Madapolo com 1 metro de largura a
6)5 a peca.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 r*.
Ama
Precisa-se de urna ama para servigo de casa
de urna pessoa s c que du/ma em casa ; a tra-
tar na ra Direita n. 48, sobrado.
Ama
Qoeur precisar de uma ama, dirjase roa
de Saato Amaro n. 14.
Alumno interno
Meio pensionistas
Msica
Piano
Pnmeiras lettras
30*000 mensaes
154000
440001-li .
4*000
24000
Por cada um preparatorio 34000
Leccin* em casas particulares a ambos os
sexos, quer na cidade, quer fra della.
Pagamentos- adiantados.
, Ra do Cotovello Humero 34
Julio Soares de Azevedo
PASTA
, APut*lUckte"|
Jccrfoes elegaatitai-f
IlaoB HMMla)
J nm novo a mmt*--
vilhdso pmttado;
proporcionando uip
buho dcliciM .
kjKint, e umal
excellMt itn del
Eiu Pasta Uaek
g6za de fama oni-
veraal. aitamota
mihi a catla, r,
como rfifVMavla>
|MBM% too
J Be conhere at ho}6.
II VenaeB8ait>iMa
I aapbarraacias, dro-
____________ Mvw ptrfamariai.
-neo fe5ncSt^W*toi H. atACE,' Bhn D.
Ama
Precisase de urna cosinbeira, para casa de
pouca familia ; a tratar na ra Duqie de Caxias
n, 77-A; loja.
Amas
Na ra da Conquistan 21, precisa-se de urna
cosinheira, o :utra para servico* internos, e que
durma m em cisa dos patrOes.
Amas
Precisa-se de duas amas, sendo urna para co-
srrirlare outra para ensaboar e mais serviros de
casa de familia : a tratar na ra do Ho^pitio nu-
mero 41.
Cairt Compra-se cautellas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-se
bimi' na Prara da Independencia n. 2S, loja de
relojoeiro.
Attenijo
Nao tem sido possivel enoontraf com o Sr.
Manoel Torquato ae Araujo SaWanha, pede-se
a este senhor j hoiidade de rosoler aquella ne-
gocio.
MACK
itaxwa Si "frr.nMct : >l!StrB(iM". -
ii
~* 'Ai *^*.
Tratamento Reconstituate
ELIXIR X>GHAMP:
COM EXTRACTO
de Figad de. Macalhw
FERRO GIRARD
. Approvado pela Academia de Medicina de Paria.
[ A*?ffrv*d fala 4la Cetral de Hygieae jWtbUaa 4o BmriL
0 Professor Hrard eocarregado do Relatorio Academia demonstrou que
4 fcilmente acceito pelos'doentes, bem tolerado pelo estomago, restaura
as forcas e cura a chloro-anemia; que o que distingue particularmente
este novo tal de ierro, que no cauta prisSo de venir*, a combate, e
elevndose a dse, obtm-tedejeccie numerosa.
O FERRO GIRARD cora anemia, cores paluda, calmbraa de eato-
iago, empobreolmento do aangno; fortifica oe temperamento fraoo,
lita e appetite, regularixa aa ragras e combate a terilldade.
IHyeetoeiParli,8, Rm Vhrlaiw im rialm DreaartM t I
----.--..
Cada fresco deste
ELjDCIR- -ontm os
principio* depurativo* e
to^icoid ufTvh*nAd*oljo
de f yado- de bacalhv
Tem sobre o ole* de
figado de baoalMiu a ar>4
tagem de accelerar a*
funoofee do estomago
em tufar d i ae perturbar.
umtnfrdoviiiho.dejuin*: <_ e de despertar o appetite.
Este Me4i*emvntoi, de sabor e gsto
muko agradaweis4 obteve o melhor sc-
cesso em Franca para combatir :
ANEMIA, CHLOROSE,
AFPECQES dos BRONCHIOS
e PULMES,
e a FRAQUEZA das CRIANZAS
..^^.^
Depsito geraJ em PARS :
BV0SA1C?, 16, rae d Poitou
Em Pernambuco .
poJices perdidas
Prewii"->c quf c.-iniviara se do poder do
abaixo asignado duas apoUcea provinciaes de
100* cada urna, ns. 381 e 382, d juros de 7 0/0,
prtencen'es a D. Elvira i^rrrirS' Campos de
Andrade Recite. 21 de Harn de 1889;
0 procurador,
Adulpho Fernira dePaiva e Silva.

Guide internacional
D'F.iirope au Br ilet la Plata
nut, redigido ero portugu( em franee
e em eepBa<-i. inrf^pf*To ;wa qa^-
viajante, tanto da Europa pareo Brazil, com.
-las do Imperio e do Rio da Prata, encon
tra-se nas casas seguintes :
Sulzer Kattffmann C34 m Marqaez
Olinda.
. CAar* Pluym *> C- 24 ra dq CouuHefcio.
F. P. Bovire. 46 ra do Imperador
FrMtisto Soeret Qttntat.^ roa t de Iferf"
|HQn#ai., Affiyr>5ii:- *inK|
i Burafen i
<*i'
| dftl-BCTINS!^ -'ilimvse
Concrro3*dasiiaas,eea, IkabeU, Alinuiaona
|H/TERIVE. Afreooesdosrin^.Ji beiija. Araias
t.ocsfe)lnori,.i!aili atoara.
EXUA-SE 0 K0M da FOSTE IU Uf&OU
Ha Pfntmtmm, ta Ag*a- da* FaatM de VMM
i im* DOBMattis. nhivw en cata* V
| St^BRABOECHUIf.T ru -*tr.u- Auq LABtLLE. I
Morada confortavel
AJogam-s duas casas no aprasi^-i arrafaMe
Monteiro, muito nerto do rio, lendo urna dellas,
agua da companhia do Beberise, gaz, jardim,
bom banheiro e muito frescas ; a tratar na ra
1 .de Marco n. 20 A.
Perdeu-He
da ruu KarAo de S. Ilorja at a ra do Hospicio
una espora de prala e rorreia do mesnio metal
Sem :..'!,.mi' poile levar i pra^a _ ..que sera generosamente recompensado.
Cosinheira
, Precisa se de urna ama que cosinbe bem; no
terceiro andar do predio- n. 48 da na Duque de
Caxias, por dma'ua typograpbia do Diaria.
Cosinheira
Precisarse de urna queco-
sinhe bem no 3. andar, da
typograpbia do Diario.
Caixeiro
n^:enino para eaixeiro de ta-
jmi
Precisa-se de um
ver'a. que tenha prllrcu e d conlweimento de
so* condurta ; na ra Coronel Sojiia neme
ro 149
Cosinheira
Preci
de
n. ifi.
-se de
a t
ma de boa conducta, para pasa
r'a roa do" Barao ih T?etw
Triado
Na roa da Saudade n. 27.
criado.
precisase de um
triado
20#000
Aluga-se a casa n. Id-C ra do Riachuelto,
antiga do Destino, na Boa-Vista ; a de n. 14, em
S. Jos, ruada Via-ferrea, por 12* ; a de B..JI6,
por.15, com 2 salas, i quartos, cosinha.-1-at
to e cacimba ; as chaves estao junto par ver;
e trata se na ra da ada n. 02.
Precisa se de um criado ; na pliarmacia i ra
Mrquez de Olinda n. 27.
Direito Romano
O l." livro do Curso Elementar de Direto Ro-
mano pelo (onsclheirn Joo os Pinto Jnior, de
conformidad!' com o progranma de eivino ad
mittido n.i Fkculdade de Direito desta cidade,
est venta na livraria Econmica, roa do Im-
Krador n. 73, e na livrana Prancesa, ra 1- do
arce n. 9 ^^_
Boa cosinheira, ruim nao
serve
Cosinba s nos das uteis, entra is 8
horas e sabe as 8)
Precisa ge de urna cosinheira nestas c*odicoeH
para um esiabek cimento, que compre e durma
onde quizer ; na ra Nova n. 13.
Ditos bordados a 800 rs. o corado
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o corado.
Cortinados de crochet, eoaaa eaie e
pre$o barato.
Oambraia Victoria a 2|>800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 **'."
co-vado.
. Giiardanapos bens a 1)5800 a duzia.
L2s modernas a 240, 280 e 320 rs.. o
covado.
Rendas respanholas a 2<5 o metro.
Luvas de seda ^e^^ojir. _--
Espartilhos cura5a a 4/, 5J e* fJ^unt
Merinos pretos e de cores, urna vario-
dade immensa em preces e qualidades.
Setins de todass cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, gTande reduc^So em
pre?os em vista da grande quantidade. -
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preco, lOiJOOO.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem collaeodio.
AtoathaMkF'iRmr nee l#-el#ND
muito fino.
Collarinhose punhos de linho e algodao
e por prego barato.
Babados e entremeios, grande sorti
ment.
Madapolo pelle de ovo por 6)5 a pe*ja
EsguiHo pardo e chumbado a 400 rs. o
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para horneas.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilha*" de* renda a 55 urna.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs. <
covado, muito bonito.
Chitas isoura e claras a 240, 280 e
320 rs. o covado.
CrttcmeB trancados, finos, a 3204*.
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que hade mais bonito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por precos
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 1)5600 o Me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado. ,
Cortes1 de vestido de cachemira com ri-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordddWs.
E' barato.
Ckmbrai branca, bordada, o qae ha "de
mais gosto e por preco raSzoavel a 80fr
peca.
Dita com salpicos a 45 e 550OO a paga.
Colchas argentinas a 6)5)500 orna.
Ditas de 20, 30, 4)5 el 50000
Bramantes de aigodao e linho de tode
os pre90s.
Grande sortimento em fichas de core
e pretos.
Grinalda para uoivas.
Luvas e leques para noivas.
Bicos de cores muito chic.
Alm do que acabamos de annuncia,
temos urna quantidade de artigos que 6
vendo-se, se acredita, pelo que pedem qde
comparecam.
Dio se amostra sem penhor.
Setinetas lisas de todas as corea
rs. o covado. SSo muito Jargas.
Roupa feita e por medida.
55 KUA DUQUE DE CAXIAS M
FERAA.WS DE AZEVEDO A i
Cosinheira
Precisa-se de urna 'rosinbeir : na prat- a
Lontle d'Eu n..32, segundo ac
400
/



*-

I
i
r
ambuco^-Quaria-f
Cavallos furtados
nstituiute, em Cuyambuca, fur-
ttre de 12 do correte, dous ca
iaes sao os seguintes : un po
todo prelo, ruin duas marras'brancas em ambos
os lados, inteiro, ccete, principiando a aBda*
baixo. outro ala.-io, j velho, castrado, com
estrella ua teala e um espravao queimao de
velho : qoem os apprehender ou delles tiver no
ticia exacla. pode dirigir se aquellc engenh ou
dar aviso no estriptorio ra Mrquez do Olin-
da n. 56, I- andar.
Criado
Precisa se de urn criado
Casias n. 70. 1 andar.
na ra Du :
Professora
l;ma seuhora competentemente habilitada pro
ele se a leccionar era collegios e casas pari.ru
res a aguintes materias portnsuez francez.
msica v (ii.nio a tratar na ra Visconde de .ti-
lMtquerqii n. 20.
A
cfiS-r-SW
*T folegwn fragancia
FRANGIPANN
Opopoaax ? Peidlum
Oarlaalmt ? Paradla
Vy Vemde-M em lodo
^ as Ptrfumartat **
*> Ihvgartat m -C->'
5> S S aa &*.
52-
a= o o
Typogaphia e Litiwgraphia
FABRICA DE LIVROSDE ESCRIPTU
RAQaO
Premiada as eaposlces de
138e1HH5
' Manoc1J.de Miranda
Eneademagao e especialidades em eartfeg de
visitas.
59Ra Duque de Caxias--.19
Telephone n. 194.
"~ lI DE iOrOOOCURS
[filil i M
m:i so sseuhatishc
. DORES E DeDENTES
PREPARADO NICAMENTE
POR CALASAN8 & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuraa-
tismos, inchagoes, dores aciaiicas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregai do se eiu
fomentares sobre os lugares afloctados
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de den tes.
Todos os frascos levara direccoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Prego 1(5200. Descont de urna duzia
ca diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23
VENDAS
Vende-se terrenos na visinhanga do hippo-
dromo ampo rande, no sitio do Feil jea ; a
tratar na prega da Concordia n. 11._______
Attencao
Vende se o estabeleeimenlo de molhado?, sito
a ra do Hospicio n. 57 assim como vende se
ifltoredio ou faz-se arrendamento a vcntade do
cSSicrador i a tratar no mesmo. U motivo da
vendfe-W"dono rliWf-se para tratar de sua
aaude. __________________________
Atlencao
Vende-se urna casa terrea em bom local, fre-
guezia da Boa-Vista ; a tratar na pharmacia do
pateo do Carmon. 3. ___ ____
Pao centeio
Mille 4 Biset, avisam ao respeitavel publico,
qtK todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
tooroso pao; ra larga do Rosario n. 40.|
Milho 340 rs. acuia
. le-se no Larfo do Merradu n. li.
Cava'lo desella
\ nde-se um bom vavallo de sella, andador de
baixo a meio. sem .irliaque algum, muito novo,
gon!- ; para \er e tratar na ra do Pi-
83.__________________________
Continan) as pichinchas
V ra Duque de Caxias n. 48
N'este mui acreditado estabeleciment
de fazendas finas, continuara a offerecer as
mesnias vantagcns vendendo por menos
do que em outra qualquer casa.
Como sejam as seguintes fazendas :
Cambraia com salpicos braacos e de cores,
limito fina com 10 jardas? a 45 a peca.
Corte6 de meia-casemira, cores fixas, a
25000 um.
Cortes de casemras, ino6, padroes moder-
nos, a 45, 55O0, 65000 e 75000 um.
Cortes para vestidos em cartSo, todos os
aviamentos (novidade), a 70, 95, 105 e
12^000 um.
Pannos de crochet para cadeira a 15000 e
para sof a 25001 um.
Capellas com veos para nevas a 85000
urna; peehincha.
Setineta branca lisas e lavradas a 440 rs.
o covado.
Setineta preta lisas e lavradas a 440 rs. o
dito.
Mantilhas pretas de seda a 55 e 75 urna.
Cobertas de ganga para cama de casal a
20300 urna.
Colchas brancas e de cores a 25, 35, 45,
55, -60 e 75000 um.
Cambraia preta para forro a 15200 a peca.
Cambraia preta, nansuck a 160 rs. o co-
vado.
Algodaosinho muito largo a 35500 e 45000
a peca.
Madapolo especial com 24 jardas a 55000
e 65000 a pega.
EsguiSo para casacos a 35200 a peca;
aproveitem.
Brim hollanda para vestidos ou guarda-
ps a 400 rs. o covado.
Las modernas de listas e quadros a 200,
210 e 280 rs. o covado.
Fechs de retroz com palmas de cores e
pretos a 10000 um.
Fichib de 13, todas as c0re3, a 10500,
20000 e 30000 um.
Seda Alcacianna, padrSes escolhidos (phan-
tasia) a 240 rs. o covado.
Espartilhos de couraca, finos a 35, 40500
e 50000 um.
Merinos pretos finos a 700, 300 15000,
15200 e 10500 o covado.'
Camisas francezes, puro linho de 605000
a duzia por 480000.
Toa!has acolchoadas a 120 e 200 rs. urna
(s se vendo).
S ua loja da Revoluco
DE
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Bem publico
Vende-se farinha a retalho; no trapiche Fiuza
no caes do Companhia Pernambucana.
Bilhar
Vende-se um bilhar anda novo ; a tratar na
ra deBemfica n. 29. Passagjra da Magdalena^
O tempo proprio
No se esquecam do novo sortimento de guar-
nicoes pretas, palmts e pinge-ntes de vidnlhos,
grande variedade em bicos de todas as largona,
rendas, crep inglez e litas pretas, vendem por
prers reduzidos Pedro Antunes & C, 63 ra
Duque de Caxias -Nova E.-j>' auca.
Para oDerby
' Carlos Sinden reeebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores propriat
para os amadores do Prado e est venden
do por precos sera competencia.
Reeebeu tambera collarinhos e punhot
de borracha de formatos novos.
48ROA BARAO DA VICTORIA 48
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos o fre-
gnezes em geni! que receben pelo ultimo
vapor cha "pieto novo e superior que ven-
de por procos raais resumidos em vista
da coniinuaco do cambio tavoravel.
Convem que experimente ni.
48 RA DO BARAO DA VICTORIA 4H
\ssucar
Usina Pinto
Santa Filonila
Colonia Isabel
Na retinnc&o Salguciral, ra Mareilio Dias
numero 22.
Assucar refinado
especial, o nelhor que se fabrica nes'.a cidade.
JOAQUM >ALGUEIRAL & C.
Ra Mareilio Dias n. 22
TcIcphoiH' numero 4 1.".
Terreno
Bom parn coudelaria ra Mrquez do ner-
val 80 e 82 ; para ver, na casa ao p, e a tratar
na ra Mrquez de Olinda n. 25. Tem cocheira.
de Margo 89
i
HWA MAIS BARATERA 3STA.TO G3R.3eXO
WiiSKf
Boyal Bicnd marca \ UDO
Este-excellente Whisky Escocez 5 Pro
ferivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corno.
. Vende-se a retalho nos raelhores arma-
zens de molhados.
Pede Koyul Blcnd marca Vlado
cujo nome e emblema sao registrados par
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
K9LEST/AS 0*9 CMM9A9
XAROPE4.RABO IODAO0
l QWIWAUUTaO*
liis activo que O xarop anacor-
butico, exoiU o appetita, raaolra
o engorgitamanto das glndulas,
combata a pallidez, torna firmas
as camas, cura os maos humoras
e as crostas da laita daa oraanoas,
e as diversas erupess da palla.
Esta combinado vegetal, esseneial-
mente depurativa, melaor tolerada
que os ioduretos de potassio e de ferro.
Em PARS, B, Htm VirUmn.
Vcnde-se a armacao que
foi da loja Florida propria
para loja de ferragens. miu-
dezas, tabacaria ou venda,
quera a pretender dirija-se a
na Duque de Gaxiasn. 103.
FOLPSTIM
tVlercearia
Vende-se urna mercearia das melhores nos
arrabaldes da Boa-Vista ; paia iolbrmacfles, na
ra do Socego n. 33. taverna.
A FLORIDA
Esta bein conhecida casa, previne aos
seus numerosos freguezes e freguezas que
contina a servil-os, como dantes, em to-
das as suas raais extraordinarias exigen-
cias, para 0 que substituio a sua antiga
armacao por outra que mais expansiva, .of-
ferece muito maior accoramodaeoes as in-
nmeras fazendas do que se acha hoje
provida, aonde s Exraas senhoras encon-
traran tudo quanto o rigor da moda exigir
para um toilette completo, desde o maior
chiquisme at as mais simples
Ventara verificar por si mesmo para
acreditare 111.
Ra Duque de Caxias n..0o
PARIZ N'AMERCA
AZEVEDO, IRMaO & .
16Ra do B. da Victoria16
200Telephoue -200
Tendo recebido directamente da Eiyopa
grande sortimento de fazendas e modas o
que ha de raais novo e precos sera com-
petencia.
A saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de la e la seda.
Damass-de seda pura.
Merinos pretas de 800. IjOOOe 10200.
rnoline preta e branca a 400.
Sargelira, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 10500, com 10
palmos..
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
(hachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolo trancado a 90000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
. Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 60000.
Fichsdelae seda 10000.
Brin8 de lisho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fustao a 20000 e 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas^ comprimento de saia a 10500.
Renda d la, preta, para quaresraa.
lao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de flanella a 50000.
Cortinados de crochet para cama a
105000.
Chitas de cores a 200 rs.
Crotones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
' Seda de c8res a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
Guarnientes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglez para enfeite'
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustao de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
Vende-se
o estabelecimento de molhados sito ra do
Bom Jess ii. 29, antiga da Cruz, est bem sor-
tido e afreguezado ; a tratar no mesmo.
. Armacao
Vende-se urna armacao de amarello enverni-
sada e envidracada, propria para qualquer nego-
cio, ra Visconde de Inhama, outr'ora Ran
gel n. 19, e garaate-se a chave da dita casa. Na
mesma acharo com quera tratar. _____
SEM MAI
POR
. INNOCENTE OU CULPADO?
(Continuacao do n
CAPITULO X
ej-ry
6 8)
E se o nSo fizerem, Pedro, se elles
te julgarera culpado, como o juiz, como a
npronsa, como todas as pessoas que te
lo conhee?m, o que ser de mim?
Continuars a amar-me e consagra-
ras a tua vida a rehabilitacao da minha
memoria.... Mas tranquilisa-te, minha
uerid.i irma, eu nao morrerei... Nein um
homem no mundo, depois daa palavras que
eu dir i aos meus juizes, ousar condem-
nar-nie, ao menos irrevogavelmente, asse-
BTO-te. Quanto -i prisao, pde-sc sahir
lila.
Esta inquebrantavcl e ousada coragem
acabou por impressionar a Sra. Chaniers.
De cubito voltaram,-lhe tarabem a ener
gia, a vontade, a confianj^:
Po:'s bem, sim excamou ella, crcio-
te Eu tambem nao tenho mai6 medo.
Se a alalidade estivor anda contra nos.
saberei esperar o dia de rehabilitacao, e
a minha vida ser consagrada a vencel-a o
iiais df pressa possivel. Demais, no tri-
bunal, cmquanto Ihes affirmares a tua in-
nocencia, e i dir-lhes hei to alto qce te
estimo, que te venero, que s a honra e o
eever incarnados, que elles hao de ser
obiv jscutar-me tambem. E todos
airao comsigo que urna mulher como eu
alo ina, nao vai sobretudo quando
ao >mo eu aniei, e chora co-
ate chore o taeu pobre Jorge, affirmar e
j.erar que o acensado innecente, se urna
nica duvida p<>desse existir contra elle.
Dous dias depis o engenheiro foi trans-
I portado de Mazas para a Conciergerie,
afim de obedecer s preseripces da lei.
Estava acabado: Pedro de. Sauves ia
sentar-se'no banco da infamia, onde se
haviam sentado todos os grandes crimino-
sos, todos os grandes culpados, os ladrees
e os bandidos.
Chegou em fim o dia dos debates.
O processo fizera enorme arruido.
Era do numero daquelles que apaixo-
nam e alvorocara Paris.
Tudo era contra o Sr. de Sauves, n3o
ha duvida; mas elle nao tinha fallado.
nada tinha confessado, e o mysterio impe-
netravel que cercava esse processo offere-
cia-lhe urna especie de aureola, que a to-
dos impressi^nava.
Apezar de tudo quanto se diz, a gene-
ralidade das pessoas antes boa de que
m, e, embora o crime seja mil veaes
palpavel e evidente, se o aecusado nao o
confessa categricamente, muitos, quasi
todos mesmos dirSo comsigo:
E se nao fosse elle I...
Pedro de Sauves, a despeito das cir-
cunstancias que o esmagavam, tinha de
seu lado essa disposicao do espito pu-
blico.
Alm disso, se tudo o acabrunhava, os
seus antigos companheifcs de collegio, os
seus camaradas, os seus amigos de infan-
cia, todos entSo bomens intelligentes,
oceupando posi^Ses mais ou menos imppr-
.Vende-se
Urna taverna bem loca Usada e com poucos
fundos, o motivo por seu proprietario ter-se re-
tirado para fora da cidade por motivo de moles-
lia, a tratar na ra Bella n. 37.
A lambique
Vndese um alambique de tamanho regular e
em perfeito estado, com a competente raspadei-
ra, propria para engenbo; a tratar na fabrica de
vinagre ra Barao doTnumpho n. 75.
Que se pessa vender por estes
p r e e o s
Zefiros muito largos a 160 rs. o co-
vado.
hitas batistes a 130 rs. o .covado.
Popelines de cores a 180 rs. o covado.
Setine'-as muito largos a 360 rs. o co-
vado.
Las finas a 200 rs. o covado.
Ditas de quadros a 240 rs. o covado.
Setim muito bom a 102' o covado.
Bramante de,linho com 4 larguras.
Dito de dito e aigodS a 10400 a vara.
. ambraias com salpicos di*, cor e bran-
cos a 40000 a pega.
Toalhas felpudas a 300 rs.
Cortes de vestido em cartao com todos
os preparo a 80000.
Fichs felpudos, muito grandes, a 500.
MadapolSo americano a 50000 a pega.
Meias casemiras de cores proprias para
roupas de menino a 10000 o covado.
Cambraia Victoria com 10 jardas a
20800 a pees.
Merinos pretos a 800 e 10500 o co-
vado.
Flancl'a branca a 500 rs. o covado.
Camisas francezas a 201 KX>.
Ditas de cretone a 10700.
Colchas de cores a 10800.
Cortes de Duraque para colete.
Ditos de fustao para colete.
Ditos de casemira para calca e para
costume, o mais moderno que ha no mer-
cado. ,
Grande sortimento de chales de casemi-
ra por precos baratissimos.
Dito dito de gravatas para homem, pu-
nhos e collarinhos, chapeos, ceroulas, ca-
misas de meia e muitos outros artigos.
Vende-se em grosso com descont de
14 i.
Yenham ver para crer
A casa tem por signal bandeira encar-
nada com 13 no meio.
Venham com f, nao tenham receio.
BA VISCONDE DE INHAUMA
tes, defendiam-no com um ardor que a
nao poucas pessoas deixava hesitantes c
abafadas.
Logo pela rnanha o ^'alacio da Justiea
foi cercado por multidao febril e impa-
ciente.
Foi necessario postar agentes de poli-
ca at ao grande pateo de^ entrada, e pre-
venir tudo como para os ""espectculos de
attrac55eB irreeistiveis.
Haviam-se distribuido cartoes, e o pu-
blico que ee ve. de ordinari" em toda a
parte, as c-rridas. as primeiras repre-
sentaoSes, as revistas, as sesrfes impor-
tantes do corpo legislativo, o que se clia-
ma emfim toda Pariz, tinha tomado os
seus lugares ('---alto.
De todos os lados, pelo boulevard do
Palacio, pelo caes dos Ounves, pela pra-
ca Dauphine, a multidao acotoveilava- comprima-se, ..b.-.fava-se, procurando en-
trar.
Na sala dos Passos Perdidos, foi neces-
srio postar guardas municipae* : o povo
esmagava-se no corredor que passa diante
d tribunal de cassacSo, para chegar mais
lepresaa sala do jury-
No recinto os bancos dos advogados ti-
nham sido duplicados, o estrado sobre o
qual ficam as cadeiras dos jurados tinha
sido havia muito tempo invadido por ma
gistrados e notabilidades de. toda a espe-
cie.
O Dr. Leval, muito rodeado por amigos
e conhecidos, afirmava com urna dessas
expressdes que arrastam as conviegoes,
que, para elle, a innocencia do acensado
nao offerocia a menor duvida.
Reinava na sala um sussurro indescripti-
vel.
Um tumulto insupportavel de conversa-
c3es, de discussScs muito apaixonadas,
mesclava-se ao ruido dos tac3es, aos ba-
tidos das portas, aes arrastamentos dos
bancos, aos chamados, s exclamag5es e
at aos estouros das rolhas de champag-
ne, porque algumas pessoas que l tinham
ido sem querer perder tempo e.o comer,
almogavam desembarazadamente.
A temperatura comegava a subir e o
calor tornara-se insupportavel.
A atmosphera ticava cada vez mais pe-
sada, tornando se anda mais carregada
pelos perfumes de verbena, mbar e so-
bretudo de musgo, que exhalavam-se de
todas as bonitas damas do mundo equi-
voco e outras que l se achavam.
As grandes cortinas de umcinzeqto azu-
lado, rendadas de amarello, pendiam pre.
sas nos cantos das sete largas janellas
abertas : o sol penetrava e fazia resplan-
decer o domado das baiafigas e dos. gla-
dios da justiga espalhados em medalhoes
sobre a pareda do lado, cima das inscrip-
gJes varias vezes repetidas :LexJob.
Finalmente o grande relogio Luiz XIV,
que domina o banco dos aecusades, bateu
os tres quartos antes das dez, e quasi im-
mediatamente a pequea porta que d pas-
sagem s testemunhas abrio-sc sem ruido.
Os operarios da usina entrarara todos
de urna voz.
A enfermera, Sra. Nouvailles, o Dr.
Graniers, o caixa, o agente que tinha
prendido Pedro em Calais, o banqueiro,
desfilaran] ura a um.
Dentro em ponco appareceu Suzana.
Estava admiravelnrentc bella, com os
seus grandes olhos, outr'ora tao alegares,
e que o desguato havia cercado de um
largo circulo azulado, a sua bocsa entilo
com a crispaglo da dr a sua jihysiono-
mia grave e seria at ao trgico.
Nao era por veatura o seu depoimento
que, confirmando o da Sra. Nouvailles,
havia affirmado a extraordinaria pertur-
bagao com que Pedre de Sauves se apre-
sentara s quatro horas da raanhS na casa
de habitagao da usina?...
H
13
Gonralves Santos & C-
9
_ i *
Bom negocio
Vende-se urna armagao envidragada. em bom
estado, existente na taverna travessa do Pom-
bal n. II, garantindo-se a chave ; a tratar com
i> tenente Evaristo, ra do Socego n. 24.
Olhavam muito para ella, deu-se tregua
a todas as conversagoes, a todas as dscus-
s8es, para erguerem-se todos as pontas
dos ps c procurarem ver a bonita rapa-
riga de olhos de velludo, cujo trajo decen-
te, cuja expre8s3o discreta e cuja attitude
reservada diziara que ella estava na casa
dos Chaniers em melhor posigac do que
na de simples criada.
Mas inmediatamente a emogao que cau-
sou a sua entrada dissipou-se sob urna fm-
presso mais profunda, mais pungente, e
cuja angustia chegou ao ponto de todas as
boceas.
Era a Sra. Chaniers que entrava pelo
braco do advogado Dr. Leval.
Estava com o veo erguido, e via-se o
seu admiravel rosto nos menores detalhes,
podendo-se analysar a mais ligera im-
pressSo da sua physionomia.
Um grande frmito, percorreu entSo a
sala, agitando a todos da nuca aos ps.
Nao, aquella senhora t5o idealmente
bella, de grandes olhos hmidos e bons,
de fronte to intelligente e to desenvol-
vida, de rosto to soberbaraente delinea-
do e to fino, nao podia ser urna mulher
vulgar.
Nao se conseguirla enganal-a, nem fa-
zel-a crer no que nao fosse a verdade,
nem fazel-a renunciar a urna idea conce-
bida
Amara loucamente o marido, chorava-o,
era dessas que se vingara e nao perdoam ;
porque sustentara entilo a innocencia do
Sr. de Sauves, se este fosse culpado ?...
E quem melhor do nue ella podia
conhecer os pensamentos de ambos, o grao
de-affeigao que os unia, as suas tenden-
cias, os seus caracteres e as suas paixoes V
Todos estes pensamentos impunham-se
indistinctamente a cada um.
Neste instante fez-se um sbito revira-
mente na sala, dispondo a oniniao publica
cm favor do aecusado.
Todos 03 coragoes voavam para aquella
joven senhora, cujo marido haviam assas-
ainado; para aquella mSi cuja filhinha
era rpha; para aquella irmS cujo irmao
era aecusado de um crime to horrivel, e
que mostrava so, apezar do sen enorme
desgosto, to forte, to corajosa, to su-
blime.
Introduziram o aecusado.
Pedro appareceu entre dous guardas.
Estava completamente vestido de preto
com gravata branca, pois achava se de lu-
to pesado, primeiro por Jorge, e depois
pola Sra. de Lavarande.
Aquella 'sobrecasaca preta, correctamen-
te abotdada de alto a baixo, aquello peito
de camisa de deslumbrante alrura, que
Grande reduccao em presos
NA
Loja do Triumpho
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 49
Merinos de cores. 1 largura, a 200 rs. o covado.
Dito, idem, 2 ditas, a 300 rs.
Dito, dem lavrados 2 ditas. 700 rs. o dito.
Etaminc de Iista3 arrendadas, 400 rs. o dito.
Cretoaes linos claros. 240 rs. o dito.
Linn estampado, padroes novos, 320 rs.
dito.
Las de quadros finas, 240 rs. o dito.
Ditas mescladas finas, 300 rs. o dito.
Zcfir de quadros largos, 240 rs, o dito.
Saias bordadas finas, 3000.
Camisas bordadas para senhora, 4X.
Bicos cortes de cretone com figurinos, 8f.
Toalhas acolxoadas pandes, 44500 a duzia.
Guardanapos muito bons, 14500 a dila.
Madapolo fino largo, 24 jardas por 6/400.
Algodao largo, 10 metros, 2*500 a pega.
Dito idem 20 jardas. 44 a dita.
Dito idem superior 20 ditas. 34200 a dita.
Bramante 4 larguras para lengoes, 700 rs. a
vara.
Camisas dc'Iintosem colarinho sem punho,
& 34000.
Cortes de casimira ingleza, a U e 45300.
Leccos de esguio linos, a 2J300 a duzia.
Esguiao branco para saias e casacos, 31500 a
pega.
Cambraia bordada, 45'10 a pega.
Merinos pretos finos, 800, 900 rs 14, 14200 e
1440 o covado.
Sedas e setins pretos. grande variedade de
precos.
Bastos & C.
Mais Barato
ALojadas Lisrasznes
A' RA DUQUE DE CAXIAS N7
Tlephone n. 211
As fazendas vendidas ne'sta casa sao de boa
lidace, e nao levara ; medida escassa
aeeita-se a fazr-ndu vendida se, por
3uaii|uer motivo nao fr de muito agra-
oda pessoa para quem" for comprada
D-sj descont a quem comprar de 20#,
para cima.
ESPECIALIDADES
Mrim de llsfras azues pegas com
20 varas a H0OOO.
Madapolo com um metro de largu-
ra a 60800-a pega.
Cortes de vestidos bordados ea
carto a 100000.
Velludilho bordado a contas a 106
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros
arrendadas a 20 e 20500.
Tecldos phantazia arrendado proprio-
para baile e theatro a 400e500 rs.
Cortes de cachemira com guarmg3e6
bordadas, lindas cores, a 200 e 250000.
Setim Maco de todas as cores a 750
e 800 rs.
Inon bordado tecido de urna s c3r
qualquer que se deseje, a 200 rs.
Zeflros lisos e bordado, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Las de quadrnhos a 200, 240 e 300
o covado.#
Linhos lisos a 60 e de quadrnhos
100 rs.
Guardanapos melhor qualidade a.'
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 10,
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada 40000.
Cortinados de crochet, comsanefaS;
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas fustao, brancas e de co-
res a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
Batistes de cores seguras a 120 rs.
.\anzuc de lindas cores a 280 rs.
Brlm pardo esguiao a 240, 280 e 320.
Casinetas de cores escuras para ratt
pa de hornera ou menino a 400 e 500 rs. .
Hantilhas de renda hespanhola, pre*
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
200, 250 e 300000.
Loques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo prego.
Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartilhos inglezes a 40500 e 50. '
tem desde o n. 40 at 80 de grossmra.
Blco branco creme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a pega.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e de qualquer cor.
Bahailos e entremeios bordados ta-
pados e transparentes por todo prego.
Cirampos e pentnhos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Btelas para vestidos a 260 rs. a
dazia.
Relogios despertadores com fi-
guras era movimento a 80 c 90000.
Aspas de ago para vestidos a 120 rs.
o metro.
Sargelim francez fino, diagonal, a
200 rs. de qualquer cor.
Crinolina de cordao preta, branca,
chumbo e cor de caf a 400 rs. o metro.
Redes americanas para menino-
dormir a 30500 e para homem a 60000 e
70000.
E militas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas ma loja das
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Dias
fazia sobresahir o extraordinario embacia-
do da sua cuts, o seu corpo delgado, a sua
barba elegantemente cortada rente ao ros-
to fino e longo, tudo isso dava a Pedro de
Sauves um tom de to suprema elegancia,
de to rara distinegab, que todas as mu-
lheres tbram instantneamente conquista-
das por elle, to inteiramente quanto os
homens o haviam sido pela Sra. Cha-
niers.
Estava multo pallido, curvado e enve
Ihecido pela sua prsio preventiva, pelas
torturas da instauragao do processo e so-
bretudo pelo'odioso da aecusagao que so-
bre ello pesava ; apezar disso, o seu olhar
era claro, firme, tranquillo, sem relutan-
cia ; a sua attitude triste, mas orgulhosa
e enrgica.
Mal se havia elle sentado, um dos as-
gisteutes pulou por sobre as cadeiras e os
bancos e foi apertar-lhc a mao.
Era um dos seus companheiros de aca-
demia, ura dos engenheiros mais notaveis
de Pariz.
Em nome, de todos, meu caro de
Sauves, disse-lhe elle muito alto, cora-
gem Ura homem de bem como tu nao
pode baquear em semelhante aventura.
Este incidente alvorotou e impressionou
a todos.
Infelizmente, todas estas sensagoes, to
felizes para o aecusado, nao tardaram a
ser attenuadas, e depois destruidas.
Em primeiro lugar, foram as pegas de
cdnvcgSo estendidas sobre urna mesa, que
um official de justiga descobrio.
Via-sc alli com effeito :
O casse-ttte encontrado era poder de Pe-
dro depois da sua prisao.
A corroa cinzenta, anda esverdeada
pelo lodo do tanque.
A roupa de Pedro, descoberta, cheade
lama, e mal lirapa, no seu gabinete de ves-
tir de Passy, atraz de um movel onde pa-
reca ter sido escondida.
Finalmente, cousa horrivel c archi-es-
magadora, o punhado de cabellos encon-
trado na mao do cadver.
Desses cabellos pretos, curtos e finos,
estendidos sobre urna folha de papel bran-
co, os olhos de todos corriam para a ca-
bega de Pedro Sauves.
Apezar da sympathia que elle conquis-
tara, como os anneit; da sita testa pareciam-
se com os que se viam sobre a mesa das
pegas de convicgo !... Eram os mesmos,
nao havia dnvida possivel !..
Fez-se todas as testemunhas prestar ju-
ramento, c tendo estas desapparecido na
sala que lhes era destinada, erguu-se um
hornera todo de preto
Dentro em pouce, o libello rpsumisdo,
hbilmente as circumstancias accumuladas
contra o presumivel assassino de Jorge
Chaniers, arrebatou ao infeliz o pouco
interesse que restava ainda por elle ao
espirito de alguns.
E como era simples aquelle libello, cor*
recto, fri, sem phrase, mas ao mesmo
tempo to claro !
Fallava primeiro no singular desappare-
cimento de Jorge Chaniers.
Rcferia-sc em seguida ao carcter do
dous asso ciados, mostrava Pedro de Sau-
ves dspota, absoluto, nao admittindo con-
tradice "es sobretudo no que concerna
sua industria, querendo ficar senhore des-
envolver a todo transe, com a raivafria
e egosta do inventor, que, desde Ber-
nardo de Palissy, queimando a mobilia de
casa para alimentar, os seus tornos, tem
serapre sacrificado tudo sua obra.
A' extrema irritagao que a recusa da
machina de moldes fez nascer no espirito
de Sauves, ve dentro em pouco juntar-
se outro motivo.
Pedro jogou, talvez afim de encontrar
dinheiro necessario para a sua machina,
talvez iuipellido pela sua paixao da mo-
cidade, a paixao do jogo, que jamis se
cura, e que volta sempre, cedo ou tarde.
Jogou no Havre, perdeu.
Tudo quanto tinha comsigo primeiro,
isto as suas economas, e depois qua-
renta mil francos sob palavra.
Era preciso pagar esse dinheiro.
Onde ir buscal-o ?
Naturalmente na caixa coramum, onde
tinha visto Jorge Chaniers guardar na
vespera noite trinta e oito mil francos, e
da qual s elle Pedro tinha a chave.
Sorprendido, porm, por seu cunhado,
matou-o, tanto por ter-se azedado a dis-
cussSo como por nao querer o Sr. de Sau-
ves que existisse urna testemunha contra
elle, diante da qual corara e que o tinha
visto commetter a aegao baixa e vil entte
todas, que se chama o furto.
E o seu crime teri?. aasim um duplo re
cuitado:
Era primeiro lugar, poderla tirar livre
mente o dinheiro que lhe era preciso.
Depois, (icaria senhor nico da
omnipotente, indiscutido, dirigindo
dustria sua vontade.
E framente comraetteu o crime.
E mais framente ainda foi langar
daver no tanque, onde o gancho da
vula prendeu-o e reteve-o durante
mez.
t
1
i
* ,
(Ooai
:yp- ao /' Buque
h\
n. t.
HIHAN



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQEZLBC38_8HI03W INGEST_TIME 2014-05-28T18:25:25Z PACKAGE AA00011611_18298
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES