Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18294


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^H
p^iy ii
v
ANEO. LXV NUMERO 65
^
PARA A CAPITAL E 14 ARE* OXDE \lO SE PACA PORTE
Por tres meaee adiantados........
Por seis ditos idem.........
Por u* anno idem.........
Cada numero avuLo, do mesmo da.....
9*000
12,5000,.
235000
0100
/
QUINTA-FEIRA 21 BE MAR(!0 DE 1889
PARA DEXTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados.............. 13(|600
Por nove ditos idem................ 20(5009
Por um anno idem................. 26(5000
Cada numero avulso, de dias anteriores ......... 4100
DIARIO DE PERNAMBUCO
/
H
Trcpriedade de Manoel dnqurca de Fario, # dnll)cs
TELEGRAHMAS
SSRTZCC PAaiICLAS SO DUM
RIO DE JANEIRO, 20 de Margo,
hora da tarde.
Tcm chovido torreneiahnente nesta ci-
lade ; comega a produzir-se a mudanza
na athmosphera e o estado sanitario a me-
nr.
RIO DE JANEffiO, 20 de Margo;
hora e 15 minutos da tarde.
o mare-
Foram nomeados interinamente:
Adante-general do exercito
chalVisconde de Maracaj;
Quartel-mestre-general, o brigadeiro Con-
rado Jacob de Niemeyer.
Foram mandados servir na reserva
o actual commandante superior da guarda
nacional de Caruar e o tenente-coronel
commandante do 34.p batalhSo da mesma
guarda nacional.
RIO DE JANEIRO, 20 de Marco, s 3
horas e 50 minutos da tarde.
O Supremo Tribunal de Justica por una-
niinidade de votos concedeu revista da
causa da Companhia de Seguros Amphi-
trite.
E' advogado da causa o Dr. Jos Joa-
quim Seabra.
ssst:;: : l:u::l zlu:
PARS, 20 de Marco.
Est resolvida a liquidacSo da antiga
sociedade do Comptoir d'Etcompte de Pa-
rs.
Esta mesma companhia ser restabele-
sobre novas bases.
ROMA. 20 de Marco.
-
O governo resolveu retirar o projecto
concernente s medidas financeiras, que foi
apresentado ltimamente na Cmara dos
Deputados.
BUDA-PESTH, 20 de Marco.
O Rei Milano da Servia acaba de che-
gar aqui.
Como a historia da descoberta da porcelana
muito interessanle, permittase-nos reproduzir
aqu a narragao que sobre esta materia apresen-
mos em urna de nossas obras (i).
Havia muito lempo que os europeus traba-
lhavam por achar o meio de fabricar a porcelana,
que a China e o Japao tinham o privilegio exclu-
sivo de preparar, e cujo proeesso de tabricacao
era ura segredo niui cautelosamente guardado
n'aquelles dous paizes. No seculo XVII os sobe-
ranos faziam eraprehender muitas indagaces
afinJ de achar o meio de fabricar essas preciosas
loucas que assombravam a todos pelo seu brilho,
dureza e transparencia. O eleitor de Saxe ha-
via confiado do conde Ebrefried Walter de
Tscbirnhaus indagaces especiaes com este lim.
Ora, foi sob a direeco particular do conde de
Tschirnbaus que Botticher tinha sido estabeleci-
do, por ordem do eleitor, na fortaleza de Keeni-
gstein para all continuar os seus trabalhos al-
chimicos. Testemuaha das pesquizas do conde
relativas ao fabrico de loucas anlogas porce-
lana da China, o nosso adepto foi naturalmente
incitado a tomar parte em sua tarefa. 0 seu ta-
lento de cliimico e o seu saber em mineraloga
deram-lhe o meio de obter, neste genero de in-
dagues, resultados importantes, O conde de
Tschirnbaus decidi entao Botticher a dediear-se
inteirameite a este problema industrial, ruis
serio e importante do que aquelle, de que o elei-
tor de Saxe esperava soluijo. a saber : a preten-
dida fabricacSo artificial do ouro por processos
alchimicos. Eml7u4,Botticherdescobno o modo
de fazer porcelana vermelha, o melhor, urna es-
pecie de louca que s difteria da porcelana ^)or
sua opacidade.
CConlind)
(1) A alchimia e os alchimistas, ensaio hist-
ricos e critico sobre a philosopbia hermtica, i.
vol. in i8. 3- edicSo. Paris, 1860. pag. .149 352.
Agencia Havas, filial
20 de Margo, de 1889.
em Pernambuco,
INSTRDCCiO POPULAR
AS GRANDES l\VE\C0ES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciencias. indus as e artes
POR
VIH
A porcelana, a louca e o barro
(Continuadlo.)
Eis como se opera para applicar as faiancas
a carnada de verniz. Pulverisa-se, at um grao
de finura extrema, a materia destinada a formar
o verniz, a qual consiste, como cima dissemos,
em um esmalte ou vidro, tendo por base o oxvdo
de estanto ou de chumbo. Dilue-se este p fino
im agua e agita-se de modo que fique em sus-
Kaso ; mergulha-se ento no liquido a peca de
ica, cosida, e por conseguinte porosa e muito
absrvente. N'esta immersao rpida, a peca
absorve urna certa quantidade de agua, que pe-
netra at ao interior de sua substancia e deixa
a superficie urna leve carnada de verniz pulve-
rulento. Levando logo a peca ao forno, a agua
evaporase; o esmalte, materia muito fusivel,
derrete-se com o ca'or, e forma a superficie da
peca de louca um envoltorio de verniz opaco ou
translcido, conforme a natureza das materias
fin pregadas. .
PorcelanaA porcelana a mais preciosa das
loucas. porque se fabrica com urna arga espe-
ciar, chamada kaoln:, que de urna pureza ab-
soluta.
A arte de fabricar a porcelana foi conhecida e
pratirada, desde tempos imfnemoriaveis. na Chi-
na c no Japo, aonde existera mui ricas minas
dekaolino. O celebre monumento, conhecido
Eelo nomc de Torre de j^meelana, taz compre-
ender at que ponto a porcelana era commum
deede a mais remota epocba. Com tudo s nos
comeros do seculo XVII que alguns viajantes, re-
gressando do Oriente, irouxeram para a Europa,
aqui izeram conhecido, este precioso producto
da cermica. Diversos pontos da Europa come-
earam logo a oceupar-ss com ardor em imitar e
reproduzir esta preciosa louca. Os soberanos
coosagraram sommas consideraveis para provo-
esfa descoberta, que havia de enriquecer os
-cus --suidos. .
Ein 1704 ui descoberta em Saxe pelo alchimis-
UBotlclirra arle de imitar a porcelana cnineza
epois de longu prsquizas feitas por conta do
eteit. -Urna mina dekaolino, achaca
pert. i be havia p-rmittido realisar esta
notairi descobeita. Em 1707, o eleitor de Saxe
fundava em Dresde a primeirt fabrica de porce-
lana que bouve na Europa.
Governo da provincia
EXPEDIENTE Do DA 9 DE MARCO DE 188!)
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Manoel Thom d'Oliveira Mello,
tenente do extincto 18' batalhao de infamara
da guarda nacional do municipio de Nazareth, e
tendo em vista a informarlo ao respectivo com-
maudante superior, de ti de Fevereiro passado,
resolve, de conformidade com a ultima parte do
art. 68 da lei n. 602 de 19 de Setembro de 4830,
reformar o*supplicante no posto de capito.
Communicou-se ao commandante superior.
0 presidente da provincia, em execuro
da lei n. 2,395 de 10 de Setembro de 1873, re-
solve nomear, para preenchimento das vagas
existentes no 62 batalhao de infantaria da guar-
da nacional da comarca de Bom Conselho, os
seguintes officiaes:
2* companhia
Tenente, Manoel Candido Ferreira.
4 companhia
Tenente. Alexandre Vieira de Souza.
7* companhia
Tenente, Luiz Alves Feitosa.
Communicou-se ao commandante superior." '
O presidente da provincia tendo em vista o
officio do Io juiz de paz, presidente da junta de
alistamento militar da paroehia de Nossa Scnho-
ra da Assumpcao de Cabrob, de 13 de Feve-
reiro passado, do qual consta que o primeiro
eleitor Antonio Jos de Andrade deixon de com-
parecer sessao da referida junta, pelos moti-
vos apresentados em o cilicio da mesma data,
annexo ao do predito juiz de paz, os quaes sao
improcedentes, resolve, de conformidade com o
3- do art. 122 do decreto n. 3,881 de 27 de Fe-
vereiro de 1873, impr-lhe a multa de 50*006.
Fizeram-se as necessanas communicaroes.
O presidente da provincia, de Conformida-
de com a proposta do Dr. chefe de polica inte-
rino em oflicio n. 239 de 7 do corrente mez. re-
solve exonerar Olympio de Luna Costa do cargo
de Io supplcnte do" subdelegado do districto de
Preguicas do termo de Palmares, e nomear para
substitu I o Jos Gomes Ferreira.
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Joao Jos Pereira, professor publi-
co da cadeira de ensino primario em Baixa
Grande, e tendo em vista a informarlo presta-
da pela inspectora geral da instruccao publica
em oflicio n. 68 de 4 do corrente, 'resolve con-
ceder ao peticionario tres mezes de bcenca, com
ordenado, para tratar de sua sade onde lnc con-
vier.
Dflicios:
Ao presidente da provincia do Maranho.
Bogo a V. Exc. que se digne de providenciar
no sentido de ser-me transmitida a certidao do
proeesso do reo Baymuudo Vianna. que interpoz
recurso de graca da pena de gales perpetuas
em que lhe foi commutada a de morte, imposta
em 28 de Maio de 1837, por decisao do jury do
termo de Vianna, nessa provincia.
Para que o recurso possa ser encaminhado,
convem que a referida certidao seia acompanna-
da da certidao do juiz da condemnacao ou
daquelle que o tiver substituido no cargo, con-
forme preceituam os avisos do. Ministerio dos
Negocios da Justica, de 28 de Jnho de 1865 e
22 de Outubro de 1886, sob ns. 287 e 63.
Ao inspector da Thesouraiia de Fazenda.
Tendo em vista o oflicio do brigadeiro com-
mandante das armas, de hontem datado, n. 491,
autoriso V. S. a mandar lnderanisar a caixa da
msica do 2 batalhao de infantaria. da quantia
de 14*880, proveniente das despezas feitas com
o *;nterramento de tres pracas do mesmo bata-
lhao, conforme as inclusas contas documentadas.
Communicouse ao brigadeiro commandante
das armas.
*o mesmo.--Commumco a V. S., para os
fias convenientes, que Januario de Souza Silva
Srrodio assumio a o do corrente mez o exercicio
interino do cargo de promotor publico da co-
marca de fanella. por nomeacao do respectivo
juiz de direito, visto ter o promotor effectivo
entrado a 3 daquelle mez no gozo de trinta dias
de licenca que lhf fdra concedida pelo presiden-
te do Tribunal da Relacao
Ao commandante superior da guarda na-
cional da comarca de Bom Conselho Inteirado
do que expoe V. S. em officio de 26 de Feverei-
ro ultimo, autoriso-o a mandar abrir novos li-
vros para os assentamentos cargo desse com
mando superior.
Ao dir Jor do Arsenal dr Guerra. Fiea
V. S. autorisudo, conforme solicita em officio n
378, de hontem datado, a promover administra
tivamente a compra de mil baixas impressas
para o 14* batalhiio de infantaria, de accordo
com o orcamento na importancia de 203000, an
nexo ao cita lo cilicio Communicou-se ao in-
spector da Theotiraria de Fazenda.
Ao mcsmnRestituo a V. S. o incluso re-
querimento e nnis papis de Antonia Maria
GoncaUe- da Malta, que acompanharam o offi
ci dessa directora, de 6 do corrente, sob n.
377, au'orisando i a man lar admiltir na com-
panhia de apren liz-'< artilices o menor Ignacio
.ntero da Costa, (ilho da supplicante, urna
vez que se ada lie as condicOes do regula-
memo de 19 de Outubro de. 1872.
- Ao eng"nheiro encarregado das obras mili
tares.De ronfo-mldade com o aviso do Minis-
terio da Guerra, de 21 de Fevereiro prximo
mandar reconstruir,
exercicios da forca aqui existente, nao devendo
a respectiva despeza exceder da quanlia de
2:298*039, segundo o orcamento que acompa-
nhou o seu officio n. 159 e 27 de Novembro do
anno passado. e observadas as alteracoes con-
stantes do parecer da seccAo da directora ge-
ral das obras militares, junto por copia. Com-
municou-se ao brigadeiro commandante das ar-
mas e ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
^B memoro? da (Junta Medica Provincial.
ConWm que Vv. Ss. devolvam secretaria
desta presidencia o requeriraento de Jos Vieira
de Oliveira Maciel Jnior e mais pap.-is refe-
rentes.
Ao commandante do corpo de polica.
Mande Vmc. a presentar ao Dr chefe de polica
Suatro pracas, atim de escoltarem, at o termo
e Ipojuca, dous criminosos, que all tm de
responder ao jury no dia 11 do corrente mez.
Mandou-se dar passagem por conta da pro-
vincia na estrada de ferro do Recife ao S. Fran-
cisco at a estacan de Ipojuca as referidas pra-
as e criminosas, e communicou-se ao Or.che-
c de polica.
Portaras :
Os Srs. agentes da Companhia Brazilcira
de Navegaco facam transportar a corte por con-
ta do Ministerio'da Guerra o 2' cadete 2o sar-
gento do 2 batalhao de infantaria Goncalo
l'cha de Souza Leao, que se acha affectado de
Beriberi, segundo declara o brigadeiro com-
mandante das armas em oflicio de hontem sob
n. 490.Communicou-se ao brigadeiro comman-
dante das armas-
Ao gerente da Companhia Pernambucaua,
mande dar passagem a menor Josepha da Silva
Porto, irm do cadete do 2' batalhao de infanta-
ria Manoel Marques de Abreu Porto, por conta
das gratuitas a que o governo tem direito.
Ao gerente da Companhia Pernambucana,
mande dar passagem a Luiza Brrelo, sogra do
2 sargento do 2* batalhao de infantaria Joa-
quina Basilio Pyrro.-Communicou-se ao direc-
tor do Presidio.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na, faga transportar para o Presidio de Fernando
de"Noronha, por conta de Bento de Aguiar os
objectos contemplados na relacao aqui junta,
assignada pelo secretario interino do governo
desta provincia.
dem por conta de Joaquim Monteiro.
Communicou-se ao director do Presidio.
BXPKDIF.ME DO DR. SECRETARIO
Oflicios :
Ao agente da Companhia Pcinambucana de
N'avegacao. De ordem doExin. Sr. presidente
da Provincia acenso o recebimento do officio de
hontem no qual V. S. participa ter transferido
para boje a viagem do vapor Jagwriue aos portes
do Norte, por nao ter sido possivel embarcar-se
toda a carga engajada.
Ao mesmoDe ordem do Exm. Sr presiden-
te da provincia aecusoo recebimento do oflicio de
hontem, no qual V. S., participa que o vapor S.
Franctsco seguir para os porto* do Sul, at a
Babia, no da 14 do corrente s 5 horas da
tarde.
EXPEDIENTE DO DU 11 DI MARgo DE 1889
Oflicio.- :
Ao brigadeiro commandante das armas.
Transmitto a V. Exc. para a devida execuco, a
inclusa copia do telegramma do Exm. Sr. mi-
nistro da guerra, datado de 9 do correte mez..
Ao conselheiro presidente da ReJ/fio do
Recife.Sirva se V. Exc. de providenciar para
3ue me seja transmittida a certidao do proeesso
c Tito Cardoso de Oliveira, que interpoz recur-
so de graca da pena de 9 anuos e 8 mezes de
priso simples, imposta em 14 de Novembro de
1887 por accordao desse Superior Tribunal.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Para poder satisfazer o que exige o Exm. Sr.
conselheiro ministro e secretario de Estado dos
Negocios da Justica, ero aviso de 21 de Feverei-
ro nndo recommendo a V. S. que me enve um
demonstrativo da receita e despeza do Presidio
de Fernando de Noronha de Janeiro a Dezem-
bro ultimo, com descriminacSo dos artigos e g-
neros remettidos a essa repartico no dito pe
riodo, declaracao de todos os productos do mes-
mo nos annos anteriores, que exislam em de-
posito, inclusive os recolhidos ao Arsenal de
(.uerra.
Ao mesmo.CommunicoaV. S. para os fins
convenientes que o juiz municipal do termo do
Bonito, bacharel Sebastio Ildefonso do Reg
Barros, deixou por molestia, o exercicio de seu
cargo no dia 6 do corrente.
Ao mesmo. Lommunico a V. S. para os
fins convenientes que o bacharel Belfarmino
Guedes Correia Gonaim, deixou a 7 do corrente
mez oexercicio do cargo de juiz municipal ej
de orphos do'termo de Timbauba, extincto pelo
decreto n, 10,080 de 21 de Novembro do anno
do, e assumiona mesma data o de juiz substituto
da comarca daquelle nome.
Ao mesmo. Communico a V. S., paraos
fins convenientes, que o bacharel Ascendino Lins
de Albuquerque, em 19 de Fevereiro findo. as-
sumio o exercicio do cargo de promotor publico
da comarca de Villa Bella.
Ao inspector do Thesouro Provincial. -At-
tendendo ao que requereu Jos de Castro Paes
Barrete, contratante das obras de reparos da
ponte de Guararapes e dos dous primeiros pon-
tilhOes da estrada dos Prazeres a Venda Grande,
e tendo em vista a informacio do engenheiro
director geral das Obras Publicas, de 26 de Fe-
vereire n. 22, e de Vmc. de 6 do correte n
96, reconmendo que mande pagar-tue a quan-
tia a que tiver direito, inclusive a prestaco de
responsabilidade, visto que taes obras ja foram
recebidas defiaitivamente para o que lhe remet-
i o certificado passado por aquellaceparticao.
Communicou-se ao director geral das Obras
Publicas.
Ao mesmo.-Nos termos de sua informarlo
n. 97 de 6 do corrente, mande Vmc. pagar ao
capito do corpo de polica, Francisco Pereira do
Lago, a quantia de 20* correspondente a ajuda
de custo a que tem direito por ter vindo a ser-
vico publico de NossaSenhora do O' de Ipojuca
capital.
Ao commandante do corpo de polica.Ao
Dr. chefe de polica mande Vmc. apresentar duas
pracas afim de conduzirem um reo que tem de
ser submettido a julgameoto na comarca de Pal-
mares.
Mandou-se dar passagem s referidas pracas e
reo, na estrada de ferro de S. Francisco da esta-
Co das Cinco Ponas a de Una por conta dajpro-
vincia.
Ao gerente da Companhia Pernambucaua
de Navegacao. Providencie Taje, para que teja
transferida para amanha a sahida do vapor Una
para o presidio de Fernando de Noronha, como
soliritou o inspector da Thesouraria de Fazenda.
-Fizeram-se as necessanas coramunicac&es.
Ao inspector especial de trras e colonisa-
co. Ueclaro a Vmc, em resposta ao seu offi-
cio de 9 do corrente, no qual se refere ao auxilio
que 'leva ser prestado a imraigrantes portugue-
zes chegados esta cidade e outros que venham
as con lices expostas no officio do cnsul de
Portugal, que taes mmigrantes podero contar
com a hospodagetn e agasalbo por 8 dias quando
houver hospedara que o governo trata de fun-
dar, pois acaba de ser oomeado o engeuheiro
que tem .ie collocar-seaqui teata (leste servico.
Ao juiz de direito da comarca de Timbauba
Declaro a Vmc. para os fins convenientes e
em solucSo da consulta feita no seu telegramma
de 9 do corrente mez, que'nao obrigado a pres-
tar novo juramente o juiz municipal e de orphos
que continua a servir como substituto do juiz de
-
Ando autoriso V. :>. a mandar reconstruir, por
conta dCLcredito concedido por aviso de 11 de
Janeiro ultimo, a linha fle tiro ao alvo para_osdireito da comarca em que servia aquelle cargo
A consulta proveio, provavelmente, do facto
de achar-se as circumstancias iadicadas o ex-
iuiz municipal e de orphos do termo de Tim-
bauba, bacharel Bellarmino Guedes Correia Gon-
dim, a quem o governo imperial, por decreto de
16 de Fevereiro ultimo resofveu mandar que con-
tinu a servir como substituto nessa comarca,
declarada especial por decreto de 24 de Novem-
bro ultimo.
A' vista dos termos em que est redigidoo ci-
tado decreto de 16 de Fevereiro. eiidente que
nao se deu nomeacao, no rigor da palavra, sen-
do por isso o exercicio do substituto um facto
consecutivo do exercicio do ex-juiz municipal,
aproveitado para aquelle cargo, cujas funcc6es
sao, alias, semelhantes s desse outro.
Ao juiz de {taz da paroehia-de Taquaretin-
ga. Em resposta ao seu officio de 31 de Janeiro
ultimo declaro que deve Vmc. remetter The-
souraria de Fazenda copia do acto relativo a im-
posiro de multa por infracro da disposigo do
att. 50 do regulamento do registro civil, se nao
for intentado o recurso facultado pelo art. 51 do
mesmo regulamento, afim de que, nao sendo ella
paga amigavelmente se proceda a cobranca ju-
dicialmente, de accordo com o proeesso indicado
no regulamento n. 4181, de 6 de Maio de 1868.
Ao juiz de paz em exercicio da paroehia
de Caruar.Respondo consulta constante do
oflicio de 29 de Janeiro ultimo, declarando a
Vmc. que, nos termos do art. 51 do regulamento
do registro civil, o jniz de direito a autoridad*
competente para relevar da multa aquellos que
nao lizerem no tempo determinado as declaraces
alludidas pelo art. 50 do citado regulamento.
Outrosim, declaro que, imposta a multa e nao
sendo intentado o recurso a que se refere o ci-
tado art. 54, deve Vmc. remetter copia do respe-
ctivo acto Thesouraria de Fazenda, afim de que,
nao sendo ella paga amigavelmente, se proceda
cobranca judicialmente, de accordo com o pro-
eesso indicado no regulamento n. 4181 de 6 de
Maio de 1868.
Ao juiz de paz da paroehia do Altinho
Em resposta ao seu officio de 15 de Janeiro ulti-
mo declaro que deve Vmc. remetter Thesou-
raria de Fazenda copia do acto relativo imposi-
co de multa por infraeco da disposigo do art.
oo do regulamento do registro civil, se nao for
intentado o recurso facultado pelo art. 51 do
mesmo regulamento, afim de que, nao sendo ella
paga amigavelmente. se proceda cobranca ju-
dicialmente de accordo com o proeesso indicado
no regulamento n. 4181 de 6 de Maio de 1868.
igual ao juiz de paz da paroehia de S.
Salvador da S de Olinda, em resposta ao seu
oflicio de 14 de Janeiro ultimo.
Portaras :
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na de Navegaco faca transportar ao presidio
de Fernando de Noronba, por conta do Ministe-
rio da Guerra, o 2. cadete Manoel Marques de
Abreu Porto, segundos sargentos Antonio Galdi
no Leo e Joaquim Basilio Pirrho, todos do 2.
bataihao de infantaria ; e bem assim a familia
do ultimo, composta de sua mulher Leopoldina
Carolina Pirrho e seus filhos Joanna. de 12 annos
de idade, Horacio, de 10 annos, Isabel, de 9
annos, Carlos, de 5 annos e Adelia, de 1 anno.
Communicou-se ao general commandante das
arras. v^a,
O T?HWne da Companhia Pernambuca-
na faga transportar para o^iresidio de Fernando
de Nordnha, por conta do Ministerio da Guerra,
o soldado do 14.* batalhao de .nfantaria Delmiro
Correia de Mello, que vai fazer parte do desta-
camento all existente ; e bem assim a sua mu-
lher Anna Scverina das Dores e suas futas Plii-
lomena, de 3 annos de idade e Severina, de 2
annos.Communicou-se ao brigadeiro comman-
dante das armas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na faga transportar hoje para o presidio de Fer-
nando de Noronha, conforme requisitou o juiz
de direito do 2. districto criminal da comarca
desta capital, os sentenciados Florencio Gomes
de S, victorio dos Santos Domingos Forte e
Lourenco Justiniano Patriarcha de Messias, os
tres primeiro?, que para alli regressam, por
conta da provincia e o quarto por conta do Mi-
nisterio dos Negocios da Justica, o qual segu
para aquelle estabelecimento afim de cumpnr a
pena que lhe foi imposta por crime de moeda
falsa praticado na provincia das Alagoas, se-
gundo consta de aviso do mesmo Ministerio, de
26 de Maio de 1887. Officiou-se ao brigadeiro
commandante das armas para providenciar so-
bre a escolta dos referidos sentenciados at o
presidio e communicou-se ao'Dr. juiz de direito
da 2. districto criminal e ao director do pre-
sidio.
O Sr. gerenta da Companhia Pernambuca-
na mande dar passagem gratuita de proa para
Macei, na pnmeira opportunidade, a Marciano
Avelino Cydro.
Muiatis mutandis a r, para o Natal, a Sal-
vio de Sa Gonzaga.
O *>r. gerente da Companhia Pernafibuca-
na faga transportar para o presidio de Fernando
de Noronha, por conta de Pereira Ferreira 4 C,
os gneros alimenticios e demais artigos con-
templados na relacAo aqui junta, assignada pelo
secretario do governo desta provincia
__O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco faca transportar, por
conta da provincia e com direito bagagem, da
estaro das Cinco Pontas para a de Una, o te-
nente do corpo de polica Paulino Antonio de
Souza Ayres e urna praca, que regressam ao
seu destacamento em Canhotinho.
Igual ao encarregado de Palmares para
mandar transportar at Canhohntio.
EXPKDIE.NTE DO DB. SECRETARIO
Oflicios :
As inspector da Thesouraria de Fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda re-
metter a V. S quatro ordens do Thesouro Na-
cional, de 27 e 28 de Fevereiro findo, ns. 41
a 44-
Ao 1." secretario da Assembla Legislativa
provincial.A lei n. 1,962 de Dezembro de 1888
autorisou a Cmara Municipal do Recife a con-
ceder licenca com ordenado a quatro emprega-
dos seus, sera determinar por que lempo.
ltimamente dous d'aquelles empregados pe-
diram lirenca por um anno ; e a Cmara, tendo
duvidas com relacao ao periodo por que podem
ser coucedidas aquellas licencas, visto a omisso
do texto da lei, trouxe o assumpto aa conheci-
mento do Exm. Sr. presidente da provincia,
afim de que resolvesse a respeito.
Sendo V. S., no carcter de 1." secretario
dessa Assembla, mais competente que outro
qualquer para prestar os esclarecimentos que a
lettra do projecto respectivo possa conter, rogo-
Ihe se digne de fazel-o com seu reconhecido
zelo e criterio.
Aproveito a occasio para prestar a V. S.
meus protestos de estitna e consideracao.
Ao mesmo.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, transmitto a V. S., para os
fins convenientes, o balanco da receita e despe-
za do exeicicio de 1887 a 1888 e orcamento
para o de 1889 a 1890 da Cmara Municipal de
Santo Agostinho do Cabo. '
Ao gerente da Caixa Filial do Banco In-
ternacional do Brazil. De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia aecuso o recebimento
do officio de 6 do corrate, acompauhado o ba-
lancete das operacoes effectuadas at o lim do
mez ultimo por essa caixa filial.
Mutalu mutandis ao gerente da Caixa Fi-
lial' do English Bank of Rio de Janeyo, Recu-
sando o recebimento do officio de 7 do corrate.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 19 DE
MARCO DE 1889
Abaixo assignados operarios do Arsenal
de Guerra.Deferido com officio de hoje
Thesouraria de Fazenda.
A commissao encarregada da construc-
cao do passeio publico 13 de Maio.
Deferido com officio de hoje Thesoura-
ria de Fazenda.
A commissao encarregada dn construc-
go do passeio publico 13 de Maio.De-
ferido com o officio dirigido hoje ao Io
engenheiro encarregado das Obras Ge-
raes.
Digna de Santa Rosa.Concedo com
ordenado a que tem direito.
Ignacio Troyano de Jesns fiandeira.
Remettido ao Sr. commandante superior
da guarda nacional da comarca de Olinda,
para mandar passar a guia de que trata o
art. 45 do Decreto n. 1,130 de 12 de Mar-
50 de 1853.
Maria Clara de Mello Figueira.Inde-
ferido vista da informagao do Dr. in-
spector geral da Instrucr.l Publica.
Secretaria da Presidencia de Pernambu
00, 20 do Margo de 1889
O porteiro,
F. Chacn.
del & David, Azevedo Irmao & C, Hei1'
man Lundgren & O, Jos Antonio do
Santos.Satisfaga a exigencia da 1* sec
gao.
Sociedade anonyma Prado Pernambu
cano.Dinja-se ao Thesouro Provincial.
Nicanor Avelino Alves de Araujo.A'
Ia secgao para os devidos fins.
Luiz Jos da Silva GuimarSes.Infor-
me al' seccAo.
Azevedo Cesar, Alvim & Chance.
Satisfaga a exigencia da. Ia secgSo.
Anna Amelia da Costa.Indeferido,
em vista das informagfJes.

I
9
INTERIOR


Repartico da Polica
2.* seccSo.N. 279Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 20 de Margo de
1889. Ulm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que foram hontem recolhidos
Casa de Detenglo os seguintes individuos :
A' ordem do subdelegado da freguezia do Re-
cife, Manoel Fernandes da Silva, Mariano Seve-
rino, Antonio Joaquim do Nascimento, Alberto
Francisco Caetano, como vagabundos, e Joo
Jos de Sant'Anna, como vagabundo turbu-
lento.
A' ordem do do 1 districto da fr egueaia de
S. Jos. Jos Guillierme de Sant'Anna, por em-
briaguez e disturbios.
A' ordem do do 2o districto da freguezia da
Boa-Vista, Pedro de Barros Pereira, por crime
de defloramento ; Francisco do Reg Barros,
Manoel Joaquim Fernandes, Antonio Nobrega da
Silva, Gongalo Lourenco da Trindade, por dis-
turbios.
A' ordem do do 2o districto de Afogados,
Francisco do Nascimento Dantas, Aoanias Dio-
nisio de Mello e Custodio de Carvalho Lins, como
vagabundos turbulentos.
O subdelegado do 1 districto da freguezia da
Boa-Vista, communica que no dia 18 do corren-
te, pelas 10 horas da manhfi, o trem da via-fer-
rea do Caxang, que subia para aquella povoa-
go, ao alravessar oponto em que se cruzam as
ras Conde da Boa-Vista e Visconde de Camara-
gibe, alcaneou o bond n. 9, que segua para a
Capunga, guiado pelo cocheiro chapa n. 29 e es
magou os animaes que morreram instantnea-
mente.
Do accidente que foi devido a imnrudencia
daquelle cocheiro, resultou tambem a fractura de
um braco do passageiro Euclides Fonseca.
O respectivo cocheiro evadio-se em seguida ao
facto. *
O subielegado tomando conhecimento do oc-
corrido. procedeu a respeito nos termos da lei.
Pelo delegado do 1" districto da capital, foram
remettidas esta repartico 15 facas de ponta, 4
compassos, 3 navalhas, 4 caivetes e 1 furador,
tomados a desordeiros.
O delegado do termo de Jaboato participou-
me que no dia 17 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, em trras do engenho Santo Amarinho,
daquelle termo, o individuo de nome Jos Vicen-
te da Sirva, ferio com um faco a sua amasia
Maria Joaquina da Conceico sendo preso em
flagrante.
0 delegado tomando conhecimento do facto,
fez proceder a vistoria declarando os peritos leve
o ferimento.
Abrio-se o competente inquerito que j teve o
destino legal.
Participou-me o delegado do termo de Bom
Jardim, que no dia 10 do corrente, pelas 6 ho-
ras da tarde, no lugar Arueira d'aquelle termo,
o menor de nome Justino, travando-se de razes
com Manoel do tal, conhecido por Monoel Preto,
dellas resultou sahir este ferido gravemente com
urna facada, vindo a fallecer momentos depois
O criminoso logrn evadir-se logo aps a per-
petraro do crime.
Abrio-se o competente inquerito.
O delegado do termo de Pao d'Alho, commu-
nicou-me que no dia 16 do corrente, pelas 5 ho-
ras da tarde, urna faisca eletrica penetrou no
interior da casa do negociante Jacintho Francis-
co dos Santos estabelecido a ra do Agougue,
causando pequeos estragos no predio.
Na mesma ora, em trras do engenho Con-
dado, do Io districto tambem d'aquelle termo,
falleceu fulminado por outra faisca, um menor
de nome Manoel, filfc de Josepha Maria do Es-
pirito Santo.
Anda participoiHne aquella autoridade que
no dia 15 destemez, em trras do engenho Ca-
valcantc da Matta, do mesmo termo o individuo
de nome Jacintho Jos da Silva, defloruu sua
propria filha menor de nome Emilia
O criminoso foi preso e confessou o crime.
Abrio-se o competente inquerito.
Deus guarde a V. ExcUlm. c Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Goes, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 19 DE MARCO DE 1889
Manoel G. Gongalves Braga, Josepha
filha de Francisco Pinto de Assia, Anto-
nio Augusto da Silva Reg.Informe a
lasecgao.
20
Severino Martins, Tiburcio de Oliveira
A C, Marcelino Jos Baptista, Pereira
Carpalho & C, o mesmo, Antonio Luiz
Baptista.Informe a Ia secgao.
Luiz Augusto Coelho Cintra.Deferi-
do com relagao ao 2o semestre do exer-
cicio findo.
Joaquim Antonio de Souza.Indeteri-
do quanto a eliminagao da collecta a que
allude, em vista das informag-Ses.
Fernandes de Oliveira & 'Em vista
da 2* parte do art. 52 do Reg. de 28 de
Maio de 1887 os supplicantes nao podem
ser attendidos por esta reparticSo.
Jos Thomaz & C, Jos Rodrigues
Macieira, Vieira & Silva.Informe a 1*
secgao.
Jos Joaquim de Azevedo, Casimiro
Fernandes d.C, Campos & Ferreira, Be-
C orrespondeneia do Diarlo de
Pernambuco
SANTA CRUZ DO BREJO, 16 de Marc
de 1889
Condemnados a triste condigo, de homns
mediocres a nossa timidez nao permute senSo
que procuremos protectores seguros seno em
nos mesmos, apezar de conhecermos que a mis-
so de escrever para o publico est muito cima
de nossas tracas forras.
Infelizmente somos cidados da reserva e por
isso os nossos brados talvez nao sejam ouvi-
dos.
Depois da nossa ultima missiva um certo ma-
rasmo se apoderou de nos e talvez anda assim
permanecessemos. se nao fosse a eleigo do con-
selheiro Rosa e Silva, que, seja dito com verdade,
correu aqu tao pacifica quanto legal, manifestan-
do assim o juste crdito que aqu j gosava o
digno ministro da justica.
Em falta de as.-umpto tratemos de cousas ve-
lhas.
Pedio demisso de delegado litlerario por cau-
sa de questOes que nao tm nenhum valor o pres-
timoso cidado Antonio Jos Ferreira Franca, per-
dendo assim a causa da instruccao um bom au-
xiliar, alm de que era o mesmo senher um pti-
mo subdelegado de policio, que foi incansavefna
represso dos crimes.
Tiveram lugar os exames a 6 de Dezembro do
anno findo, sob a presidencia do delegado Ili-
terario Ferreira Franca, sendo examinadores o
professor Francisco Oiympio da Rocha e a profes-
sora D. Jeronvma Francisca da Rocha Paula, cu-
jas alumnas foram as seguintes: Joaquina Maria
da ConceicSo, Maria Flix de Macedo e Mara .
Emiliana, as quaes foram approvatias
Tiveram tambem lugar as novenas e festa do
Senhor Bom Jess dos Aflctos, sendo os versos
cantados pela joven D. Rita, dilecta filha do capitio
Jos Ferreira do Nascimento, vindo diariamente
a msica, acompanhada por crescido numero de
cavalletros e precedida de salvas de foguetes.
E aqui fazemos ponto para nao abusar da in-
dulgencia dos leitores do conceituado Diari ie
Pernambuco cuja llustrada redaego compri-
men tamos. .. -M_ ^ _^
-------------o -------
BREJO DA MADRE DE DEUS, 15 de
Margo de 1889
Para que os assignahtes do Diario e o publico
em geral possam julgar, com seguranga, do cri-
terio do Jornal de Recife e da Provincia as apre-
ciacoes que teem feito sobre a eleigo ha vida, no
dia 4 do corrente, no 10 districto d'esta pro-
vincia, remellemos-lhe os documentos infra tran- .
scriptos, para que V. S. se digne publical-os.
E estupendo que os orgos liberaes e o seu
candidato, Dr. Lourenco de S, estejam a encher
as bochexas de vente para soprar calumnias e
insultes aos conservadores, atribuiado-lhes frau-
des e immoraes convenios, quando sao os libe-
raes os useiros e veseiros nesses modos de agir.
Jornal e Provincia, secundados pelo Dr. Lou-
renco de S, afflrmaram, por exemplo, que o i*
juiz de paz de Santa Cruz, alias liberal, falsifi-
cou a eleico d'aquelle collegio, vendendo-se aos
conservadores
Entretanto, a verdade que aquelle honrado
juiz de paz resistjo s ten taces do ex-joiz de
direito Dr. Luiz de Gusmo, que a elle, suppon-
do-o capaz de um acto vil, dirigi a carta que
por publica-forma lhe remeti (documento n. i.)
Esse documento a prova provada dos meios
empregados pelos liberaes, das suas tramoias,
das suas fraudes, para que nao triumpbasse na
eleigao o conselheiro Rosa e Silva.
A eleico de S. Caetano da Bapoza que foi
falsificada; e assim o attestam os signitarios do
outro documento queremetto (n. 2), o qual vai
em original e com as firmas devidamente reco-
nhecidas.
Mirem-se aesses cpelhos o Jornal do Recife e
a Provincia, e acompanhe-os nesse acto o Dr.
Lourengo de S, essa testal de nova especie, que
sempre primou, por ndole de familia, em tricas
eleitoraes.
Deixe V. S. ficar por alguns dias no seu es-
criptorio os alludidos documentos para seren
vistos e,examinados por quem quizer.
KI les dizem mais e melhor do que padtiriimos
fazer para mostrar ao publico onde esto ts tar-
tufos, os prevaricadores.
Eis os documentos:
NUMERO 1
Pnblica forma como abaixo se declara :
Amigo Sr. Brando.Nao encontrando o aqui.
como suppunha, mandei ah faUar-lhe pelo nos-
so amigo e certo do trato niaoo um portador
para por elle mandar-me um offieio ao presi-
dente da provincia communicando nao ter ha-
vido eleigo nesse districto; nSe esmorega e ve-
nha ou mande por pessoa sua receber o que
tratou logo aps a eleigo : trezentos e ciacoen-
ta mil ris. Mande logo o officio pelo portador
e os livros pelo que combinou. Adeus, abra-
ga-o. Seu amigo e obrigade. -- Luiz de Gvsmio.
Brejo, 3 de Margo de 1889.
N. 40 Bis 200Addicional 5 por cento dez
ris duzentos e dez risPagou de sello addi-
cional duzentes e dez ris em falta de estampi-
da. Brejo, 14 de Margo de 188. No in
ment do escrivo. O collector, Si/ro Ai
Reconbego a lettra e assignatura do Dr. Luz
de Gusmo, dou f. Cidade do Brejo, 14 de
Margo de 1889. Esta va o sello publico Em tes-
tcmunho de verdade.-O tabellio publico, Elias
Francisco Bastos.
Nada mais se coutinha em dita carta sello e
recoiihecimcnto que bem e fielmente extrabi do
proprio original a presente publica forma, e ao
qual me reporto, conferido e concertado coa o
escrivo de orphos tenente Joaquim Cordeiro
Falco, na forma do estylo, nesta cidade do Bre-
jo da Madre de Deus aos lo dias do mez de Mar-
co de 1888. Fu, Elias Francisco Bastos, tabel-
lio publico a e-crevi e assi^nei e fim-i o meu
signal puolico de qm uso. E. F. B.Em teste-
munho de verdade. o tabellio pub ico, Rtias
Francisco Bastos.
NUMERO 2
Os abaixo assig lados, eleores lafregu
d': ". Caetano da Bapoza. vista do pro.
uiento criminoso do pre-ideute da uesa eieito-
ral da me-mi freguezia, inajor Lucuoq Jos de
Nogu in Mel lo,qu>- abandouou O re
a apuracH das cdulas, levand
vrjs das assignaluras dos eleii
de eleigao, com o lim de imri^^H
..-',.
I -.


I 111*11 1
J^


^weimso <*+*n*--' tnl>
eleitoraf;- tendo sido neste acto acorapanhado
dos msanos Claudino Cordeiro Misaana .Jobo
Francisco de Pootes ; declarara que votaram pa-
ra deputado Assembla Geral Legislativa no
candidato consdheiro Francisco de Assis Roja
e Silva, e protestoontra o procedimento dos
ditos presidente.enuesarios, os quaes, segundo
consta, falsificara urna acta da referida eleicao
pela qual obteve a quasi totalidade dos votos o
candidato Dr. Lourenco Augusto de M e 41-
buquerque. ^
Sao Caetaua**rf
Jos Francisaaaalra
Justino Jos aaueoanle Meato.
Joo Ferreirar* MaaaaLvra
Manoel Apoto* daa>6antos.
Manoel omaaaaos tutos.
Manoel Silveaaawie aavedo.
Joo Malaquatnrie *ouza.
Antonio de Saaaa Baranza.
Jos Gomes 'm imtr -
Jos Franklin dr-Aadrade.
i Jos Clemente dos Santos.
Francisco Capitulino dos Santos.
Jos Alexandre Bezerra.
Alexandre Vieira de Mello.
Pedro Ribeiro de Andrade.
MaaoeLFeuuadmJliaimto.
Joo Leite de Lima.
I Jeaquim Fernaudes Pirmeiro.
Fraucisco Rama* Torres.
Manoel Florencio da Costa.
Oetaviano de Araujo Albuqerque.
Manoel Bezerra da Silva Salom.
Manoel Francisco dos Santos.
Francisco de Assis Xavier.
I lorencio Alves Moreira Jordo.
Esto as firmas reconhecidas e selladas.)
SCIENCIAS
Diario de Pernambuco-:.Qahrta-feira 21 de Margo de l ,S9
deberacao illejr.il e contraria aos interesses du
deferi-a- ao
jeidadey e,-se..-ti3elhe partiste,
miaistro do interior, que estatu.
Um, ponto commum. aos Estados Scandiaavos,
a representayao directa do poder central
communa, fofa <: o corno eleitoral ou da assem-
bta dos eleitorc 5. Nos campos, a par do presi-
dente do conselhn, ha-o fogde e o lensmand (No-
ruega), okrono/ogde e o loansman (Suecia), o
herredtsfoged e o sognefoged (Dinamarca), todos
'ata. NaVddades, otn/tged
raaa.No -oaaa). o ourga*niestre fSaatia
acuaaaaam naun iaaa aos-Msos as fuicae* de
iibpeBfctto. de 'taire -e dejiriz. Xn Sins
oraaaaaiaaaara': f-a3paaaai3 cidades, sao,
coneran louinni atainistradas pela
assaaaala ganl loseleitores.
Aaaaiiaaaweforaanwpal aS'orkotmo per-
tencaajuaaaa*>ilBir*i md*md(mitiBdsfaUf- la
iwkl*9mmlmimm\ttkmui wniiit. da coanuaaa^
O poder execotivo exercitado por varios com-
missanos escolto dos pelos deputados entre el-
les e entre os el itores ; o goirerno representa
do por utn grande governador e por unvsub'ge-
vernador, os negocios ecclesiasti'os e escolares
dependem de urna assembla especial, a kyrkos-
tainii> wnipiat rrh* Miembros leitrj*. pnst**r
pelo pastor e suy ila tabella administrativa. K
eieitor todo o cidadao sueco, domiciliad", que
paga em StoHcolio suas contribuicoe* commu-
naes, sobre a renda mnima de 400 coras (352
polica um photographo chamado
foi a presentado a Packer e Miller per Siaiasan.
Packer tem 39 annos de idade.Miller S8 e
Siuipso 28.
Os hoinens foram levados a presenta di eoin-
nrwsario- dos Estados Unidos Alien e- depwe de
U-r sulu abttradu a (langa em iSOOO eHes foram
desidos para o interrogatorio.
--------------IJiBtBGK^---------1------
O rgimen
unicipal das.gran
des cidades estraageiras
(revue des dex mosdes)
francos). As sociedades de commercio e de in-
dustria tm o dirsito de votar, fazendo se repre-
sentar; o tutor vota pelo seu puplo. Urna di*-
posigo originali ssima a que* concede a cada
eieitor um numero de votos proporcional s
suas eontribuiges. na ruao.de uui voto por co-
ra do imposto, mas sem poder execeder de cem
votos, que corres|K>ndem a urna renda de iOjOOO
coras (13.800 frencos).
(Gontina).
e par-
dis-
utado
f


I

(Continuaco)
A communa italiana constitne, em geral, urna
I aggtouerago asss nunn-rosa, muite mais po-
voada do que a coinmuoa rural franceza.
Tem um conseibo coiumunat .eleito por cinco
annos (amsjtio cummunal) e urna municipalida-
de (gtunta munietpalj. vleilu pelo conselno. A
juma exerce o poder executivo de accordo com
mane fsindaco), nomeado pelo rei, mas sem-
pre tirado do conselho ; o censo eleitoral de 5,
Mk, SO ou 33 francos, segundo a importancia da
cornalona. 6|.
Um projecto de reforma o reduz por toda parte
a cinco francos e prope fczer votar as nnrlberes
fiuvas, ou separadas de corpospor listas envia-
las ao escriptorio ou por mandatario.
O numero de conselheiros varia com apopu-
' layo : 80 as cidades de 288^00? almas, 13 as
eomraonas que. tm menos de 3.008 habitantes.
O'prefeito, o sub prefrito, o ministro do reterior
tm o direito de assistir s ^essOes ou de se fa-
zer representar nellas por graves motivos de
ordem publica, o rei pode dissolver o conselhn.
som a condigo de fazer proceder a nova eleicSo
no prazo de tres mezes ; nomeia ento um dele-
gado extraordinario encarregado de administrar
expensas do ornamento communal.
Sao o prefeito e a coramisso provincial que
esercem fi tutella administrativa, bastante seroe
Ibante franceza : tambeiu a coramissSo pro-
vincial.quasi est sob a dependencia do prefeito.
Alm do sindaco, a junta compoe-se de dous.
luairn. seis e oito assessores, segundo a impor-
tancia da communa; por maioria absoluta dos
rotantes, o conselho municipal escolhe os mem-
bros da junta que se renova por metade todos
os annos e vela na marcha regular dos servigos.
. uanto ao sindaco elle desempenha, como o
winr francez. um papel duplo : chefe da admi-
aietraca inniiicipal e representante do governo.
Na Hespanha, a rganuayo da communa ap-
aroxima-^e sensivetmentc do rgimen italiano.
Pura constituir o termino, um territorw deve
contar, pelo- menos, 2.0UO habitantes,' apresentar
ftxteaao proporcionada -sua popniaco, poder
juppurtar os encargos municipaes. Os conse-
Ihos provinciaee tm competencia para crear,
supprimir oa modificar os teamos, aps deli-
beraco dos ayuntamientos e habitantes inters
..aaifcs ^tin is^dr-conllicto, a lei decide.
Era cada communa nespanhola, a administra-
aii pnU'iice ao ayuntamirntv eleito por quatro
annos> nodendo ser renovado por metade com-
posto do alcaide (mairej, dos tenientes (adjuntos)
e dos regidores, simples cooselheiros. todos ile-
agnados pelo nome de etinmjule. A par da apun-
tamiento, a junta mnuicipai, que estatu sobre
todas as qaestOes fiaanceirus formada dos
consjales e de membros associados fvocaies aso-
siadosj era. numero igual ao das concejales, e de-
signados entre os contribuintesda communa.
a Franca, antes de J882, tinha urna institu -
yo anloga uas juneces dos que maiores im
postes pagavara. Saoeleitores : os o.cotos; cae-
fes de familia, cem casa abena que residen ha
dous anuos pelo menos, e pagara qualquer con-
IribuicSo ua razio de scus bens ; o censo su-
bstituido por um titulo que jas6que>a capaci-
dade prohssional ou acadmica, qaanto s con-
di(dcs de elegibilidade, differem segundo a ira-
oortancia dos terrenos.
as capitaes de provincia, cabecas de comar-
ca departido judiciario e uasoidadesquetenriaro
mais de 6.000 habitantes, o re tem o direitode
designar o alcaide em Madrid pode at esco-
lael-o forado auunlamunto e nomear os.adjun-
tos. A lei prohibe aos membros do conselno
abster-se das votaces, estalielece contra elles
penalidades asss rigorosas, exige qae o alcaide
saiba ler e eserever; deste modo o poder central
fica poderosamente armado. Sao o conselho
provincial, mas principalmente o gove nador,
que exercem a tutella administrativa.
Portugal divide-se em 2i districtos, os dis-
trictos, em 22 OMuelbos ou communas, as cuiiimu
as em parochias: sua organisago municipal e
provincial apresenta seme-lhancas coma dates-
panba, mas o cunselho tem urna physionemia
particular. E' urna circurascripcao que ooeupi
o termo medio entre o districto e a freguezia,
ruja populaco varia de 2.000 a 4.000 habitantes,
jnde a lei de 1872 coaservou a admiaistraco
dos interi-esses communaes mais importantes.
Tem um;: <\iiaara uitwcipal. eleita, cora um ail-
miniteaiLu .ieleiiado da poder centra' Hornea-
do foca do conselho: si se considerar am/itarn
municipal e suas attribures da ares; de ama
communa: si se atiende extemsao de seu ter-
ritorio, ao papel da administrador, approxiraa-se
do districto francez 0 presidente da emmam
conserva um poder executivo que garante a in-
dependencia do cone.lht mas a policia perteace
aoaduiiiiis'.radsr. Idntico dualismo na fregu-
lia : 1*, urna junta, conseihe oleito que eseolbe
i seu presidente e regula certos negocios com-
inunaes, mas principalmente o que em Franca
da competencia da fabrica e diz respeito aos in-
Ufases do culto ; o cura faz parle della du di -
reito;. 2o, um delegado do poder central, que p-
de ser ao mesmo tetnpo juiz de paz.
O rgimen communal da Dinamarca difiero, si
se trata de Copenhagen, duas outras cidades ou
dos campos. Um conselho eleito, um magistra-
do, um presidente superior administram a capi-
tal ; o con-elhu compe-se de 36 morabros, elei-
tos por seis annos por todos os cidadaos maio-
res de. 23 anuos que paguera communa pelo
enos 10 francos e 6o de impostes: o suffragio
univer-al eslabelecida para a eleicao da cmara
substitae u rgimen censitario.
O conselho delibera schre todos os negocios
municipaes, nomeia o burgo-me*tre com a ap
proyacao do re. e escolhe os pnneipaes funecio-
narios da communa; director das escolas, en-
genheiio, caixa, e nao pode ser dissnlvido. Cer-
loe-uegocios de in'.eresse geral 3o geridos por
consmissoes especiaes designadas pelo conselho
e aele governo: taes como a commissao das es-
tolas, o couselho do porto, a comniisso sanita-
ria, a comuiisso das obras c edificios, :. com-
missao de seguranga contra incendios.
0 Magistral, poder execatrw da communa,
camposto d i burgo-meslres retribuidos e de4
conselheiros nao retribuidos, escomidos no con
seibo. 0 presidente superior que>desempenha
em Cope na fuoccoes de prefeito, no-
meado pe -calisa em seu nome a admi-
raco municipal, preside o raafiistrat e re-
enu aaommuna. I-ode suspender qualquer
polticas, a lei de 1882 exige
faz ao mesmo lempo larga applicaco
: iiicipio da juaec das opacidades
VARIEDADES
Tentativa' de moeda falsa
(Diario do Grao Para)
Das oticias traiidas pelo vapor americano
entrado antd-heiitemde New-York, nenhumaaJi-
aula a que jademr-s em ura dos nossos nme-
ros anteriores ; todava damos o resto da dita
noticia J conhecida do nosso publico, e aguar-
damos a chegad a le outro paquete pare com
mais minueioidade. orientarmos aos nossos lei-
tores do que ha de verdadeiro relativamente a
tentativa de inundar o Imperio do Brazil de moe-
da falsa.
Depois de doze dias de esforcos constantes e
incessaates os policas secretas da repartigo cen-
tral-James Roche e Michael Ryan censeguirara
prender a noite passada tres homens que tinham
quasi completos os seus preparas para falsificar
inoepapMiiraKleira em denominac.des cujos
valreseladinaeiros dos Estados-Unidos seriara
mais on menos 5.i() pesos e 2.75 pesos.
Ha duas semanas o superintendente de policia
Patrick Campbell teve inrorniaces prestadas por
um individuo que em estado de>'emb.'iau-i>-z di-se
que Asa A. Packer of 370 Wert Tewenty nintb
street Jiev<-YorkL i'iibricante de papel pira tor-
rar ; Jobn Simpson, impressor, morando 27
Quenpoint avenue e sua casa de negocio Twen-
Iy tliird street. perto de Third avenue, New-York ;
e l.harle^ Miller de 73 Third Place haviaui se
conspirado para retratar notas do governo brazi
lauro conhecidas como de dez mil res (5-50) e
cinco mil ris (3.75) e depois mandar abrir cam-
pas d'estas negativas e com ellas embarcar para
o Brazil, onde, por meio d'nm prelo ordinario,
este paiz poda ser inundado com estas notas fal-
sas.
O superintendente encarregoa os policas se-
cretas Roche e Ryan na soguuda-feira, 21 de Ja
neiro a seguirem os tres homens cima indicados.
descobnr onde se reuniam e espiar todos os seus>
movimentos al se acharem de posse de provas
3ue jastificassem a sua prisa, e ento pren-
el-os.
Descobrio-se que Miller estara de volta do Bra-
zil a pouco lempo havia declarado que o neu
lira era comprar ornas machinas e voltar para
aquel le pai/,. ,
Os policas setretas localisaram Miller nriraei
ro na casa em Third place, a qual um edilicio
grande de tres ai dares cora a freatede pedra
parda ; Miller occiipava o primeiro andar com
sua mulher. Parker foi seguido at a sua casa
em Twenty ninth slreet New York e tambera at
a sua loja de vend r papel para forros na mesma
ra a notou-se que elle visitava a casa em Third
place todos os dia e as vezes duas e tres veaes
por dia. .Simpson tambera foi espiado at a sua
casa, porra nao foi visto visitando a casa de-Mil-
ler umitas, vezes.
Notou-se.que o andar em Third place era o pan-
to de reunio dos conspiradores oque a6Uas
raulheres tambem visilavam este lugar fruquen-
(emente.
Os policas secretis alugaram um quarto n'uina
casa desoecupada bem em Trente ao andar de
Miller eapesar de nao ha ver fogao em parle a!-
guma da casa, um ou outro dos policas seeretus
eslava sempre de vigia no quarto desde o pri-
meiro dia em que o occu parara na quinta-feira da
semana passada, al que se effectuaram as pr -
soas a noite passada, pelos menos em quaoto ha-
viara quaesquer signaes que indicavam que o an-
dar defronte tinha gente. Da janella do quarto
oceupado pela polica secreta devassava-se tudo
3ue se passava na. sala fronteira, sendo observa-
as as operaces com a cmara e vistas as ne-
gativas collocadas as janellas nos dias de sol,
para seccarera.
Todos os movanutus dos iiiquiliuos do pri-
meiro andar foram observados por um dos poli
cas secretas que os segua para onde eltes se
dirig-iamA Sra. Miller fazia a maior parle dos
trubalhos exterior s u o policia secreta Ryan,
que pareca ser a sombra d'ella. acorapanhou-a
as suas visitas aos armazens era New-York e
em Broolyn.
Elle descobrio que os maleriaes ebiiLicos. pre-
cisos-para os trabji.hos Ibraui comprados nadro-
garia WanhingUMi em Sovuer Fulton'Steeet perto
da ponte e de Cnirles.Cooper & C, chimicos
194 Worth Street > ew-York. Ella tambem visi-
tou diversas, casas onde se vuude appurelhos
pbotograpbicos e procurou comprar.umacamara
de tirar, negativas seccas, porm debalde.
Fiualraente elle lomou por alugucl urna c-
mara ue um planographo em.Atlantic Aveaue
perto de Court Stnet, ajustando a mesma por
Jl por dia e fazendo um deposito logo, ue 20.
Honiein os poliis secretas deeidirara qae es-
lavam de posse de todas as pravas de que ne-
cessitavam com relco aos planos do trio e
resolveraiu dar busca na casa noite passada.
Obtiveram o auxilio do policia apona Price e
os tres dirigirara-te Third piase s 10 horas e
raeia raais o menos.
Roche foi adiant e prevenio aos companheiros
que o seguissem dsntro da tasa logo que ouvis-
sera a sua voz. Elle baleu na porta c quando
eda foi abarla por Packer. Roche perguntou se
um hornera chara idu Quenter morava na casa.
Quando Packer virou-se para indagar Price e
Ryan empurranrm a- -porta-e atraz de Roche en-
traram na-salla. Airi estavaui.assatados Miller
e sua mulber. a nblhrr e a mai de PaHuf a
Packer que entrou atraz dos policas secretas
O apparelho photo:rapnico e sete negativas tira-
das de duas nota- brazileiras, verdadeiras. dos
valores cima indicados, estavam, estendidaj
n'uma mesa e era volta reunidas estas pessoas.
Quando os policial secretas declararan] quera
eram e o que pretendiam ahi, a surpresa das
pesssas reunidas iu salla foi tremenda; durante
alhuns momentos perderam a falla, porm de-
pois de tornarem i si mostraram urna completa
indilTen-nca e sangue fri, e os dous homens su-
jeitaram-se a prisa) sem rumorPacker foi le-
vado a estacan policial de Bulter Street e ahi
detido e Miller para a estago era Adras Street -
O policia Price ticou tomando conta das mu-
|heres para que D&o podessem mandar qualauer
aviso a Simpson e depois de recolhidos os dous
homens, Roche e Ryan dirigirara-se a casa de
Simpson 37 Quc.ipuint Avenue onde ciiegaram
a 1 ora o a raadruj^da.
Simpson havia rallado pouco do theatro
onde representa Hs. Sangtry e tambem' ticou
bastante surprehe.idido pfirque ninguem da
malta julga va por un instante que as suasacrOes
estavam no dominio das autoridades.
Simpson foi detido na cstacao de Quenpomt
durante a noite e boje de manha os tres homens
compareceram per.inte Justice Walsh aecusados
de falsificadores e foram enviados as autoridades
dos Estados Unido;
Espalha-se qne o autor da denuucia dada a
nobre ex
Oa uMaantelefpjaannan^la Baropaniotieja
do asoJataHKis paxfciiaaMUri's.-fondas to cow
reasoisf isiativo ,'dcvem 1ar*niiliari.
sau'auaiii lLMavuvem o n
deaataav itBlim>8r*Br>vio.-.a aaea
reaaaaas. _____
'floiaant iioaaan pcHticomen
1
tinaabanm.
pela prohindea do seu espirito.
Elle pertence a essa pleade illustre de (Jensa
dores e oradores que rbrraam a resptendente
consolaciO' das capacidades politieas oriundas
do sul da Italia, dessa regiao privilegiada que
tem fornecido a todos os ramos do saber haata.-
na c-a todas as1 espireras da actividade intelle-
otatJ-.da'Italia os mais preeminentes homens.
Sem tsaoatar nos a lempos j4 remotos, bas-
tar ciUr, entre esses proceres do engenho hu-
mano, aauelres> qae modernamente tem figurado
no alto>pfaao dsaoieaela o da poltica.
Terra.fecunda em homens de alto valor, bas-
tara para a sua gloria o Sr. Crisp, actual presi-
dente du conselho de ministros o Sr. Grimaldi,
at ha pouco ministro da agricultura e actual-
mente- ministro da faeenda ; o Sr. Magliani, o
linanceiro illustre-a quema Italia deve a restau-
ragao das soas tiniracas, que aps dez annos
de gloriosos trabalbes1 acaba de renunciar toIuii-
tarramente o seu posto ; o Sr. Bonghi, ex-mi
nistro dainstraccao publica e que passa por ser
ura laJentopaenoraenal; os Sr-1. Nrcotera e Roc-
co -1* Que sejaraapprovadaa.ua oontas e actos
da directora.
I* Que a directora credota do reconheci-
mento de todos os interessados
Recife, 31 de Janeiro'le 1889.
A commissao fiscal,
-Hennque Xavier de Araujo Saraiva e Mello.
Antonio Fernandes Ribeiro.
Izidoro Bastosfde Oiiveira.
Na ha vendo quom aaasoa da
nte encerroaaaa1
(ahurra-o Sr.
sao, e sajaiaiu a
irMHria a votacao qm foi -apairovada aaaaindo-
sede votar os meniaVoadaMarechwift>e .ecwms
saa-wscal.
O-Sr. presidente con*aa*3 SWiaacatawistas
Ilustre- 'parva eleicao da cnraaiiaM lisearyi oaatidas
IB as'lMias era urna eapiai^dyaani.naast apandas,
vnrrrteou-se que obaivenraitaaiionB.de vetos os
Sr^^oinraendadop-Jao MM lMM^uaa-Men
2*; 5? volS Hoaaa|aa''ite|.'..\iaa>>!aruai e
MCTW2/2 volos : Jcn; 'Artclptio Rodrigues Li-
ma 232 votos ; John Allrcd Thoiu 70 votos ; Tho-
maz de Aquino Pereira 30 votos ; Thomaz i ora-
ber Griflilt 3f> votos. -Assira-o Sr. .presidente
declarou eleitos os tres mais votados.
Em seguida o Sr. presidente maiido pi-oce-
de.r a le tura da. uia prepaala do Sr. secre-
tario, cuja materia podia ser resol vida na pre-
Felieiano Zenobia de Torres -Galado, ni sabsti-,
tuig5o de Amonio Pedro de Abro, que foi exo-'
uerado.
arma* dereaaw Foram remettidas pelo
Dr. delegado do !. districto i Secretaria de Po-
licia, 15 facas de ponta, 4 navalhas, 4 caivetes,
3 compassos e 1 furador, lomados a desordeiros
na freguezia de Santo Antonio.
Faculdade de DI retoResultado dos
actos de llantera :
3o anno
Jos Vetorino Alves-aaa, pteaannute.
Jos Wo NaaW'ira-aaiBior, idem.
PedroMastiaffde Soma Poadefr dem.
Lafaynaedas 4Jhagas Justiniano, idem.
Julio BirleKardFreirrwMari?-*iiBp*ement
LadisHaaBezorra do Amarai, idera.
4aano
Ba-Vvta
Miguel de Albuqerque Mello.
Jos-Candido Viegas.
Joo Carneiro Litis Seriano.
Miguel Arohanjo Minadlo.
Jos Ricardo Dias Fernandes.
Antonio Jos de Moraes Sarment.
Manoel Domingues da Silva.
Frederico Augusto Neiva Jnior.
Fedro Cavateawe de Albnqerque.
Aasberto Bdrigues'do Passo.
Jotto Luiz Rabello.
Vietoiirio Lata Innocenciofoggv.
Jos* Pedro-daMAssi Pampos.
Afogados
Barfto de Nataretb.
Ctedoaldo GaMo Camello- fessoa.
^.audiWsehaPV.e Gmmiro-imi FUho, de^ ^ (k^^lm ^ ^ ^
?*!-5B?*"*;._ sent reuniSo conforme o art. 24 dos estatutos.
* Proposta :
Attendendo a diminuta porcentagera que
coabe a directora, que gerio e adniinistrou a
fabrica da Magdalena, procedeu a transfonna-
gao da erapreza sem augmento depessoal, ad-
inini^trou e frscalisou pessoalmente a cons-
truego Jos novos edificios para a fabrica da
" Torre, concluidos em tao curio espago de
tempo, em cujo arduo trabalho hoove grande
proveito para a corapanhia, como foi reconhe-
cido pela digna commissao fiscal, proponho
urna gratilicagao de cinco, confos de ris a
actual directoria.
Posta a materia em discusso fallarara varios
Srs. accionistas encerrada a qual foi approva-
da com a emenda do Sr. Jos Adolpo Rodr-
gala superioridade do seu espirito, entre os
quaes destacamos o Sr. Bovio.
Pois bem, com referencia a esta homemJllus-
rre temos vista um decumeuto honrosissimo,
que falla tanto em favor do carcter do einiHen-
te parlameniar como em honrados costumes po-
'iticos da sua patria.
E' um documento que por si s basta para a
gtoriftcaigao de um hoinem poltico.
Elle prova que na Italia, ao menos, a advoca-
da^ administrativa ou poltica nao descarada-
mente exereida como era outros-paizer.
Eis o fado. ITesuuiindo-se na Enropa que o
governo italiano feria de contractar um grande
raprestimo. um banqneiro francez dirigi ao
Sr. Bovio urna carta, na qual Ihe uizia :
Tenho a honra de conheeer-vos e j tive a
fortnira de ouvir-vos... Poderieis fazer me o
favor de saber do ministro Magliani se certo
que o governo italiano necessita levantar breve-
? meuBe. ura empreBtimo de--50 ou'66 milhOes em
MNaa do tttesoiiro e se- tambem certo haver
fracassado essa operago?
Em que condigoes qnerer o governo ita-
liano reahsnr "sse emprestirao?
odeis airmar ao ministro que, se as con
diges sao aceitaveis, dentro dequinze dias.
a pos a vossa resposta, chegaro a Roma os 60
milbes de que carece.
Como vedes, este um assumpto serio e
que deve ser tratado com lodo o criterio. Pelo
vosso tn.lmlho t inteivenrao, una vez realisano o
negocio, ser posta vossa disposicao a somma de
um militan e dtizentos mil francos. -
A essa carta respondeu o deputado Bovio nos
seguintes termos:
A proposta que me fjzeis indica claramente
que j me \istes e ouvistes, mas que nao me. co-
nheceis.
O assumpto de que tratis do numero d'a-
quelles que sao verdadeiros negocios e dos quaes
os deputados nao devem tratar nmn cora os mi-
nistros era com as repartigOes ou companhias
dependentes do governo.
E' certo que nao ha nenhuma lei que se op-
pralla; mas os peiores actos neio sempre sao
aquellea que canora sob a sanecao escripia.
" Quanto minJia pessoa. nem a vos que j
-iivesies em aples, nem a ninguem ter
constado que eu me tenha envolvido em neg
eios desta natureza. Sustento rainha familia en-
tinando e escrevendo philosophia conjuncta-
meute. com as mathamaticas, mas a minhu arith-
inetica nunca chegou a milhOes.
Dizeis-me na vossa carta trae fudo se pode
fazer em Roma sera que ninguem o saiba.
Mas eu ? nao o ficaria sabendo ? No-tenho
acaso um cdigo na rainha consciencia ?
Os hanqueiros podem deixar a sua cons
ciencia na falda dos Alpes, e ao regressarem a
sua patria podem tornar a leval a; mas eu a le-
vo commigo a toda a parte aonde vou, porque
nella estao encerrados os ideaes que tenho po-
dido salvar neste mundo de desengaos.
A democracia italiana nao rica. Ama o
decoro e a liberdade da Franga. mas nao se dei-
xa avassalar pelo ouro francez.
Eu e os meus amigos nao revelaremos o
vosso nome, mas direi aos vossos companheiros
que na Italia vive ainda o sentimento da digni-
dade e que se um joven italiano educado entre
nos tivesse de escolher entre o jugo austraco e
o ouro francez. seniTftrvida-alguma preferira o
jugo.
seis contos ; nao tendo tomado parte na discus-
s^ e votago os directores presentes.
Nada raais haveudo a tratar o Sr. presidente
levantou a sesso s duas ho-as e raeia^ia larde,
c para constarEu, Jos Eustaquio Ferreira Ja-
cobina, 1" secretario raandei lavrar a presente
queassigno com o Sr. presidente.
Recife, 7 de Margo de 1889.
Jos Eustaquio Ferreira Ja -obina.
Manoel Joao deAniorim.
ttVISTA DIARIA
PERNAMBUCO
Campanhfa de 'iaoo e TecJdos
d e Peroaaabeaco
da assembla geral
Tecidos de Pernani-
Acta da sesso ordinaria
da Corapanhia de Fiago e
buco:
Aos 7 dias do inez de Margo de 1889 1 hora
da tarde, no salo do edificio da Associago
i ommercial BeneGcente, presentes os Srs accio-
nistas por si e por seus procuradores, a aber :
1 ommendadores Manoel Joo de Amorim. Joo
Fernandes Lopes, Exm. Sr. Bar de Casa Forte
Exmas. Sras. D. Anna Marques de Amorim D.
Amelia Leite Ferreira, D. Marianna Ventura do6
Santes'ftfis, Srs. Antonio Henrique Rodrigues,
Henriqutt Ventura- dos Santos Reis; Manoel Ven-
tura dos .-Santos. Res, .Manoel Joo Gomes de
morira, Antonio Macliado Gora*"S da Silva, An-
drade Lopes 4 C, Jos Aolpho Rodrigues Lima,
Rodrigues Lima 4 C, Goncalo A. Alves Peraira;
John Alfred Thotn, Jos Joo de Amorim, Jos
Eustaquio Ferreia Jacobina, Manoel Fernandes
da Costa, commendador Manoel Jos da Silva
Guimares e Thomaz Comber, que representam
duas mil seis centas e qoarenta aegoes ou du-
zentos e sessenta e quatro contos de ris.
O Sr. commendador Manoel Joao de Amerim,
presidente da assembla geral, declarou ter nu-
mero strfficiente para funecionar, pelo que decla-
rou aberta a sesso.
Nao tendo comparecido o Sr. 2" secretarlo, o
f"r. preeide.ite convidou^i Sr. Jos Adolpho Rodri-
gues Lima para oceupar este lugar, o que foi ac-
ceito, e em seguida disse que o motivo da con-
vocago da reunio era a approvago das con-
tas do anno findo em 31 de Dezembro ultimo e
eleigo da commissao riscal e convida o i secre-
tario Sr. Dr. Jos E. Ferreira Jacobina, para ler o
relatorio da directoria da Companbia.
Usaram da palavra o Exm. Sr. Baro de Casa
Forte e o Sr. Jos Mana de Andrade, e termina-
ram propondo a dispensa da leitura do relatorio
e outras pegas j publicadas e distribuidas, o que
foi approvado.
Foi nosto em discusso o parecer da commis-
sao fiscal, que passo a transcrever :
Srs. accionistas: Em cumplimento do que
determinam os Estatutos, a commissao fiscal
examinou os balangos dos dois semestres do
anno de 1888 e os documentos relativos, no
escriptorio da Companhia na fabrica da Mag-
" dalena.
Encontrou todos oslivros escripturados com
asseio e clareza, corfronlando as verbas do
activo e passivo dos balangos, veriflcou que
esto exactas.
Dirigindo-se tara bem Torre, ahi reconlie
ceu achar-se construido os edificios da nova fa-
brica, collocadas todas as transmisses de for
ga, caldeiras, machinismos a vapor, funecio-
- nando a ferrara, eassentando-se os machinis-
raos de fiago, tecelagem e carduz, devendo
ter brevemente coroego a fabril ago dos pro-
duelos para que esto destinados.
Nao pode deixar a commissao fiscal de re-
conhecer o zelo e dedicago erapregadospela
directora na geslo de seu mandato.
Assim, pois, de parecer :
Hw-miiK1 i ProvlMcial Nao
hontem sesso por terera comparecido apenas
19 Srs. deputados.
A reunio foi presidida pelo Exm. Sr. Bario
de Caiar.
O Sr. !.* secretario procedeu i leitura do se-
gu o te expediente :
Um ollicio do secretario do govorno, remet-
iendo o baliuco la receta e despeza da Cmara
Municipal de Floresta, relativo ao exerclcio de
tx7a!888eo orgamento para o de l"-89 a
IH9.A' commissao de orgamento municipal.
Foi.a imprimir um projecto sob n. 8, precedi-
do de parecer da commissao de exames de pos-
turas approvando posturas da Cmara Municipal
da Boa-Vista.
Porain tambera a imprimir quatro pareceres
da commissao de redaccao sobre os projeclos ns.
106 e 118 de 1889.
Em seguida dissolveu-se a reunio.
LoiM drvaiMa dente da provincia negou sanego e devolveu
Assembla Provincial os seguintes projectos de
lei:
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
nambuco, resoive :
Art 1 Fica mudada a sede do juizado de
paz.de Santo Antonio do Tara de Buique para o
povoado do mesmo nome.
Art. 2. Picara revogadas as disposigoes em
contrario.
Paco da Assembla Legislativa" Provincial de
Pernambuco, 11 de Margo de 1889.Baro de
Caiar, vice-presidente.Jos Mara de Albu-
quergue Mello, i.* secretarioFrancisco l'hae-
lante da 0aaBan Lima, 2.* secretario.
Volte Assembla Legishuiva Provincial.
Nenhuma razaoide utiudade publica oueora-
modidade da populaco autorisa e justiliea a
mudaaca da sede do distristo de paz de Santo
Antonio do Tara de Buique para o povoado do
mesmo nome; pelo que neg saneco pre-
sente resolugof
i a lacio da Presidencia de Pernambuco; 19 de
Margo de* 1889.Innocencia Marques de Araujo
Ges.
Fausto Tgmrrtano Batldeira FeTrert idem
Eduardo Agapio da Silva Freir, idem.
Antonio Gervasio Alves Saraiva, simples-
mente,
-duardo Augusto de Caldas Brito, idem.
Thom Aldes Arrtxa, idem.
" maaaii Da-as -do Sr. A. t.
de Azevedo acabi- de sabir uina walsapara piano
com o titulo Vixo i.elest-., composigo do Sr.
Prudencio Milanez e oerecida ao seu distincto
amigo, capitaoJAntonio Machado Pereira Vianna
Jnior.
Sansa rcconliecidos pelo mimo que nos lizeram
de um exampiar.
TiiMouro Provincial Hoje effectuar-
se-hfijnesta repartigo a arreraalag.o para o forne-
cimento de alimentos aos presos pobres recolhi- i
dos a Casa de Detengo.
Or.tprixio uimaraea Dist|auio-se.
hontem o fascculo C, do appendce Mmcellanea
Pliilosophim e Sociolgica do tinado pernatnbuea-
no Dr. Aprigio Justiniano da Silva Guimares.
E' agente desta obra poslhuma o Sr. F. P. Bo-
litieau. ra do Imperador n. 46.
Frrroiindn IMStfir. ao llonilo
Ainanh. ao meio dia, no 1" andar do predio n.
73 da Praga Pedro II, devera reunir-se em assem-
bla yeral os accionistas da estrada de ferro do
Ribeiro ao Bonito, nos termos do art. 73 do de-
creto n. 8.821 de 30 de Dezembro de 1882.
Capitana do Porto -Teve lugar hontem
na Capitana do Porto, o exame de um primeiro
pralic das barras e porto desta provincia.
De conforraidade cora o que prescreve o artizo
8o doiregulainento quebaixoucomo aviso do Mi-
nisterio da Marinha. de 28 de Feverciro de 1854,
reunio-sega commissao examinadora, que foi un-
nime era approvar o 2- pratico Manoel Estevo
de Oiiveira, a quera foi conferida a carta de
I* praticc.
errleo militar Esto designados para
houve superior do dia o Sr. raajor Alves e de ronda
menor ura subalterno de (.-avallara.
A gaarnigo da cidade dada hoje pelo 1'"
batalhode infantaria.
Commundam as guardas da Thesouraria e
Palacio dous Srs olliciaes do 2 batalho,
Existem em fataraento na enfermara mi-
litar 48 pmcas dos corpos da guarnigo.
ao 14 batalho de infantaria se fez entre-
ga ila e-cusa do servico do exercito do ex-cor-
r.eta Francisco Trajano de Britto.
Foram Horneados os Srs. eapito Francisco
Antonio de S U.irretto, lente Justino Lopes
Cardim e alferes Victanano Leopoldino da Silva
Costa para hoje, no Arsenal de Guerra, assisti-
rein abertura de diversos voluntes contendo
armamentos para o mesmo Arsenal.
Entregase ao .2 batalhode infantaria a
escusa do servico do soldado addido Francisco
Cardoso ; ires, passada pelo 22 batalho da mes-
ma arma.
Foi mandado desligar do numero de addi-
dos do i4 batalho de infantaria o Sr. alferes
do 27" da mesma arma, Pedro Aloxandnno Be-
ckraan.
Hermaaeg**a"Joaqurm -de Oiiveira Baduem.
A sesso foi adiada para hoje s 10 horas.
JMrectoria da obra de conerva-
cao don Portn Ue PernambucoReci-
te. 19 de Mareo de 1889.
Bol etim meteorolgico
2 a
Horas Barmetro a Tensao do vapor -3 I
i p "! 0 5
H 3 S
'i ra. 27-5 7o937 21,8o 78
J 24-8 76"66 1D.81 83
12 27- i 760-56 23,03 84
- a t. 29"-3 7o938 2.97 76
6 28 -i 7o94o 23,441 81
Temperatura mxima29,50.
Dita mnima 11*73.
Evaporaea em 24 horasro sol: 3".o; som-
bra : 3mm.i.
i;iiuv:i-2,0.
Direcgo do vento: E de meia noite at 3
horas e 45 minutos da raauh ; ESE at 7 horas
e 30 minutos; ENE at 1 hora e j' minutos da
tarde ; ESE at 5 horas e 10 minutos: sE at
meia noite.
Velocidadc media lo vento : 1 41
gundo-
Nebulosidad?inedia: 0,80.
Holetira do porto
por se-
' i
1
a J = Dia 19 de Margo 20 de Marco a Horas 11 -39 da manh 017 da tarde 036 da manh 6 26 Altura
B M P. M. B. M. P. M- 0-.28 2",77 0-.28 2-68
A Assembla Legislativa' Provincial de Per-
nambuco, resoive:
Art. 1." Sao reduzidos a um s, sob a deno-
minaco de Cruangy, os districtos de paz de
Pindoba e Cruangy, da comarca de Timbaba.
Art. 2. Picara revogadas as disposgO -s em
contrario.
Pago da Assembla Legislativa Provincial de
Pernambuco, 11 de Margo de 4880.---Baro de
Caiar, vice-presidente.'lose Mara de Albu-
qerque Mello, 1. secretario.Francisco Pkae-
tante da Cmara Lima, 2. secretario.
Volt Assembla Legislativa Provincial.
A grande extens&o da comarca de Timbaba
justiliea a neceesidade dos districtos de paz de
Pindoba e Cruangy para maior commodiaade
dos eleitores. Nao na, portanto, razo para que
sejara reduzidos a um sob a denonriaago de
Cruangy aquelles dous districtos ; pelo que neg
saneco a presente resolugo.
Palacio da Presidancia de Pernambuco, 19 de
Margo de 1889.Innocencia Marques de Araujo
Ges.
A Assembla Legislativa Provincial de Per-
nambuco, resoive:
Art. 1. Fica o presidente da provincia auto-
risado a mandar pagar a D. Porcia Constancia
de Mello, 18*000 por forma de oito paginas de
")-'> 11 nhas de 63 lettras (em caracteres oito i como
coadjuavgo impressio da biograplna de Ma-
noel de liar val ho Pacs de Andrade, escripia-pelo
commendador Antonio Joaqnim de Mello.
Art. 2. A subvengan ser paga vista de 100
exemplares brochados entregues ao presidente
da provincia para lhes dar destino conve-
niente.
Art. 3." Aperfeigo do trnbalho ser averigua-
da con Tenientemente.
Art. 4.* Igual favor nos termos dos artigos an-
tecedentes concedido a Manoel innooencio Men-
ta da Costa, para imprimir as notas inditas es-
criptas robre a revoluco de 1817, por Felippe
Menna Calado da Foaseca. e possuidas e mori-
ginal lelo mesmo Menna da Costa.
Art. 3.* Sao revogadas as disposigoes em con-
trario.
. Pago da Assembla Legislativa Provincial de
Pernambuco 11 de Margo de 1889.Baro de
Caer, vice presidente.Jos Mara de Atbuquer-
que e Mello, Io secretario.Francisco Pkaelante
da Cmara Ltma, 2. secretario.
Volte Assembla Legislativa Provincial.
Por tozos tem a Assembla autorisado despe-
zas idnticas, oque consta de diversas leis.
Nopermittindo, porm, o estado linanceiro
actual da provincia a realisago de despezas que
nao forera inadiaveis, deixo, por esta razo, de
sanecionara presente resoluco.
Palacio da Presidencia de Pernambuco em 19
de Margo de 1889. Innocencio Marques de Araujo
Ges.
Arlo da presidencia -Por actos de 12
do correte mez.
Foi nomeado Francisco Xavier dos Santos, para
o lugar de 2 supplente do subdelegado do dis-
tricto de S. Benedicto, do termo de Quinap, em
substituigo de Vicente Ferreira dos Reis, que
mudou de districto.
Foi aberto um crdito de 409*750 a verba do
12-Arsenaes do Ministerio da Marinha, ejer-
cicio de 1888, para pagamento da gratfleagao
devida ao mestre das olncinas de machinas do
Arsenal de Marinha, Jofio Bento Monteiro da
Franca.
Foi nomeado Jos Machado de Oiiveira, para ex-
ercer interinamente o cargo de 3.* escripturario
da Recebedoria Provincial, durante o impedi-
mento do effectivo Jos Torres Campos de Me-
deiros
tutoridiide policialPor portara da
firesidencia de 18 e proposta do Dr. chefe de po-
icta de 15 do cprrente foi nomeado :
Para o lugar de 3.* supplente do subdelegado
do districto do Bebedouro, do termo do Altinho,
s. ieiiad*- i na e Kielrraw Reune-se
hoje 1 hora da larde era assembla geral esta
sociedade, atim- de tratar de assumpto de impor-
tancia.
Cautade pedranEscrevem-nos de Ri-
beiro, termo de Gainelleira, que na. tarde de
17 de corrente, bou ve grande trovoada e chaya
de pequeas pedras no povoado Demarcago e
engenhos Prado, Boin Deslino e Lage.
A chuva causava desusado harulho no telhado
das casas e nos campos podiam ser apanhadas
pequeas pedras que algum tempo depoisdesfa-
ziain-se era agua.
loramea illuntradon Recebemoi hon-
tem
A Lanterna Mgica, sempre chistosa e engra-
cada e o Recife Ilustrado, que cada dia mostra
aperfeigoar os seus trabalhos.
Agradecidos pelos exemplares enviados.
Providencial A quem competir transmit-
timos a seguinte reclamago :
Srs. redactores do Otario de Pernambuco :
Rogamos a Vv. Ss. o obsequio de chamare.in a
attenco da municipalidade para o estado lamen
tavel em que se achaarua do Bai-tiioloraeu, onde
as aguas pluviaes I i cara estatuadas e apodreci-
das era detrimento da saude publica.
" O encarregado da-lirapeza publica do bairro
de S. Jos, sempre sordo as noesasiteciamaces
ainda nao se lembrou de mandar abrir um rgo
na referida ra, para dar sahida as aguas plu-
viaes, que alli esto estagnadas .
Ferimentw- levePelas 6 tioras da tarTe
de 17 do correte, era trras do engenho Santo
Ama noli') [da Jaboato, Jos Vicente da Silva
ferio levemente com um faco a Maria Joaquina
da Conceigo, sua amasia, sendo preso em fla-
grante.
O inquerito a que-se procedeu teve j o devido
destino.
.tNNainatoNo lugar Arueira, de Bom
Jardim, pelas 6 horas da tarde de 10 do corrente
o menor Jastino travando-se de razoes com Ma-
noel de tal, conhecido por Manoel Preto, assas-
sinou-o com uraa focada.
O criminoso evadio-se.
Tribunal do Jury do Recife Sob
a presidencia do Dr Joaquim da Costa Ribeiro,
juiz de direito do districto criminal, funcclo-
nou hontem este tribunal em sesso preparato-
ria.
As 10 horas da manh, presentes oDr. Atlbuso
oiidense Ribeiro de Souza, 2* promotor publico
da comarca, fe o escrivio Florencio Rodrigues
de Miranda Franco, a chamada geral dos jura-
dos sorteados.
Compareceram 23 jurados sendo multados em
200OO os seguintes que deixaram de compare-
cer :
Dr. a lu.-ti ano Jos de 01i\eira.
Jos Gurgel do Amarai.
Antonio Jos da Silva e Souza.
Arthur Gongalves Ferreira.
Archias Lindolpho da Silva.
Francisco Joo de Barros Jnior.
Francisco Manoel da Fonseca Rosas.
Jos Joaquim Pereira.
Luiz Alfredo de Moraes.
Miguel Fontoura.
Dr. Manoel Gomes Viegas.
Dr. Paulo Jos de Oiiveira.
Salustiano Bezerra Baptista.
Thomaz Lins Caldas.
Antonio Valeutiin da Silva Barroca.
Dr. Antonio de Siqueira < arneiro da Cunha.
Dr. Antonio de Souza Pinto.
Abdisio de Vasconcellos.
Bento Manoel Carlos de Mello.
Francisco Augusto de Araujo.
Joo Antonio de: Mello.
Joaqi im Maximiano Pestaa.
Thomaz Jos de GusmSo.
Bcllarmino Alves Neiva.
Francisco Borges Leal.
Jovino Bandeira Filho.
Manoel da Costa saldanha.
Manoel de S Leito.
Silvno Antonio Rodrigues.
Thomaz da Gama Lobo.
Luiz Augusto Moreira de Carvalho.
Manoel Luiz de Siqueira.
Jos Luiz de Souza.
Antonio Jos da Cunha.
Gesario Jos da Silva Bastos.
Jos Francisco de S Leito.
Dr. Manoel Martins Fiuza Jnior.
Foram sorteados os seguintes supplentes :
Reafe
Luiz Bandeira de Gouveia.
Santo Antonto
Dr. Joaquim Cavdcante Laal de Barros.
Epiphanio de Luna Freir.
Jos Dias Alvares Quintal.
S. Jos
Pedro Jos de Oiiveira.
Manoel Pedro Alvares.
Leuden Ell'ectuar-se nao os segrales :
Hoje:
Pelo agente I i uto, s 10 1/2 horas, de urna
armaco e raais pertengas da taverna sita ra-
Dias Curdoso n. 39
Pelo agente Gosmao, s !1 horas, a ra do
Visconde de Iohama n. 29. da arraago e res-
to de fajeadas ah existentes.
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra Mr-
quez de Ol-.da n. 52, de diversos genero.? de
estiva
Pelo agente Alfredo Guimares, s 11 horas,
na do Vicario n. 6, de roupas feitas. novas e
Usadas.
Amanhii:
Pelo agente Silveira, s i 1 horas, na do
Imperador n. 43, de predios no Caxang.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, 'rua- Mr-
quez de OliBda n. 44, de urna casa terrea e de
vanos objectoi.
Pelo agente Martins, s II horas, ra Du-
que de Caxias n. 37, de movis, piano, cabrio-
let, cavallos, etc.
Pelo agentcGasmo, s 11 horas, ra Mar-.
quez de Olinda n. 48, de diversas raiudezas.
Miaan fnebre*---Sero celebradas:
Hoje:
A's 8 horas, na igreja do Espirito Santo, pela
alma de Francisco Guedes de Araujo.
Amanh:
A's 7 e 1/2 horas, na igreja dos Afflictos, pela
alma de D. Jesuina Dinize Silva.
Pannageiron Chegados de Fernando de
Noronba no vapor nacional Una:
Arthur B. Dallas, Cohn (cnsul inglcz), pa-
dre Francisco Idalino B. Dantas, Joaquim Soa-
res Teixeira e sua senhora, Antonio Cmara,
Luiz Jos Pereira, Leonla Mendonga de Mello,
14 pragas do exercito e duas mulheres, 16 pre-
sos, 1 mulher e 3 ilhos.
operaco cirargieaFoi praticada no
hospital Pedro II no dia 20 do corrente, a se-
guinte : .
Pelo Dr. Pontual:
Oscheotomia indicada por elephantiasis do es-
croto.
cana de DetencoMovimento dos pre-
sos da C&sa de Detengo do dia 19 de Marco de
1889. v
Existiam4i3; entraram 15; sahiram 9; exis-
tiera 449.
A saber:
Nacionaes 408; mulheres 20; estrangeiros 21
Total 449.
Arragoados 382.
lious 363.
Doentes 15.
Loucos 2.Total 382.
Movimento da enfermara
Tiveram baixa :
Manoel Jos Teixeira.
Foram vigilados os presos desle estabeleci-
mento por Ht pessoas, sendb 45-homens e 96
mulheres.
Hospital Pedro n-Omoriraento deste
estabelecinrento de daridade, no dia 19 de Mar-
go, foi o jeguinte:
19
5
1
608
respectivas enfermaras
Entraram
Sahiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas as
pelos Drs.:
Moscoso s 8 i [2. Cysneiraaia, Barros Sobri-
nho s7 1|2, Malaquias s 9; Estevo Cavalcan-
te s 10 1|2.
Nao compareceram os Drs.:
Berardo.
Puntual.
SimSes Barbosa.
O cirurgio dentista Numa Pompilio nao com-
pareceu.
O pharmaoeutico emrou s 84i2 da manh e
sabio s 4 da tarde.
O ajudantedo pharmaceutieoenlrou s 7 irt
da manh e sabio s 4 horas da tarde.
liotarla da Graaa-ParaA 1 parte da
27* lotera,-dessa-provincia, cujo premio grande
60:000.1000, ser extrabida, sabbado, 23 de
Margo.
Cenuaerlo- Pabiieo -Obituario do dia 19
de Margo de 1889 :
Miguel, Pernambuco, 5 mezes, Recife; con-
gesto cerebral.
Mara Theresa das Mercs Guerra, Pernambu-
co, 73 annos, viuva, S. Jos; syncope cardiaca.
Gabriel, Pernambuco, 3 dias, S. Jos; ttano.
Laura, Pernambuco, 7 mezes, S. Jos; espas-
mo.
Gercina, Pernambuco, 1 anno, S. Jos; bron-
cho-pneumonia.
Jos, Pernambuco, 41 dias, S. Jos; coquelu-
che.
Joo Baptista dos Santos Jnior, Pernambuco,
22 annos, solteiro.. Boa-Vista; tubrculos pul-
monares.
Joo, Pernambuco. 45 anuos, viuvo, (Iraca;
encaphalite.
Gabriel Guedes #slcoforado. Pernambuco, 36
annos. viuvo, Boa-Vista; gastrite.
Ura pouco de tudo
Os trabalhadores, que preparavam
terreno para a construc^So de tm gaawue
tro em Brigg (Inglaterra) cidade de tres
mil habitantes, quando cavavam o terreno
para os alicorees, encontraram um grande
pedaco de madeira de carvalho.
Tomaram-se logo todas as precausfca
para desenterrar e verificou-se, que era
urna canoa feita de urna s poca de ma-
deira de quinao (15) metros mento,um o meio (1,5) de largura e um o
dous centmetros (1,02) de altuia.
/,
I



Ea,^06,.oawld..
no tranco de urna
i

I


#
t
!


u^vore incontestavelmente prehistrica.
um admiravel monumento da arte na-
val dos primeiros habitantes das Uhas bri-
tannicas. O acaso fez com que a canda
se achasse. dentro do permetro marcado
pelo engenheiro para a construcgao do ga-
ornetro.
A proa arrondada parecendo-se com
,um esporao e a popa cortada em duas fa-
ces fazendo um ngulo e tinha duas ta-
huas, que forain encontradas alguraas se-
manas depois a quinze metros de distan-
cia
| Essas taboas sao da grossura de cinco
centiraetros (O^O) e eutravara em dous
caxilhos verticaes abertps nos dous lados
da canoa, dispostos de forma4 a se poder
suppor, que serviam de ponte ou banco,
para alguem se assentr. Urna serie de
buracos dos dous lados da popa faz crer,
que serviam para epertar as taboas contra
os caixilhos por meio de cordas.
O fundo da canoa doze (12) metros de
comprmanlo, plano c horisontal, mas
nao tem lugar algum, em que se podesse
collocar um mastro. As paredes lateraes
sao verticaes e tem saliencias a r, que
preccm ter sido destinadas para se col-
locar taboas, formando assim bancos.
No meio da canoa ha alguns buracos
nos lados, muito pequeos para servirem
de passagem a remos, porm na proa ha
um outro, que poderia servir para a collo-
cacao um mastro.
Essa canoa foi encontrada alguns me-
tros distantes do rio Aucholme que des-
agua no Humber.
* *
Os milanezcs, muitos secuios antes de
Gouella, o celebre Imiao do duque de
Ferrara, Alfonso d'Este, tinham com o
seu espirito faceto esculpido em Sm pro-
verbio o mesmo q*ie aquelle afirmando
que :
luce n sto moni, cassen cont tre M, che
vouerren di: medie, music e inat.
Isto todos nascemos neste mundo
com tres M, que querem dizer, que todos
Dr. Barretti Sampaio
meio-dia s 3 doras no
Diario de PerimniLuco---QJntarfeire 21..de.Margo de 1889*'
3
d consultas de cuja reputagb est mais exposfc* aos tiros
. 1.* andar da casa' da calumnia. A madecencia urna pe-
na dencia ra S 3te de Setembro n. 54, en-; coraeao. Maldiger sern-- designio estu-
tradapela ruada Saudade n. 25. pidez, maldizer com reflexao infamia.
Dr. Castro Jess medico e operador. < maldizente escolha, elle um insensato,
Pratica a lavagem do tero quando e oo- oujim ^perverso. >
aso acopselhda. Consultas das 11 s
3 da tarde em- sua risidencia ra' do
Bom Jess (amiga da (,'ruz) u. 23, l.4
andar.
<>r. Ribeiro de Brtto d consultas de
meio da s 3 horas da tarde, no 1.
dar a ra Duque de i axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ron do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr Alvares Guirnaraes, chegado da
corte, dedica-s medicina em ge ral, e
com .espeeialidade s molestias do cor-
ceo, pnlmSes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s SeccSes das criancas.
Reside praca do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas Telephone
n. 381.
x>cullsia
Rio Formoso. 13 de Marco de 1869.
l'adre Francisco Verissimo Bandeira.
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes^ospitae^ e clnica de Pars e Lon-
Santa Crnz do Brejo
Ao I erraos um telegramraa expedido da Rust-
an- nlia uo Jornal do Recife de 8 do audanle dando o
! resultado da eleigo de 4 do corrate para pre-
enebiraento da vaga aberta no parlamento, por
I ser chamado aos conselhos da corda o Dr. Rosa
e Silva, nao podemos deixar pass:ir adulterada
a verdade dos factos tanto mais quanto fe re
os bros d'um eleitorado.
I Hsse o informante que os conservadores falsi-
flcaiam a acta da eleigo, 0 que o juiz de. paz se
vender.
Nada mais infame !
Garantimos ao respeitavel publica que foi fei-
la a eleigo com toda a regularidade, e que o
juiz de paz nao se vender, e mais adiante ria-
mos se a conveniencia (nao a nossa; mas dos
nonos adversarios) nao nos mandasse, calar.
No Jalabadisseo luformunteterlidoo Dr. Lou-
rengo 34 \otos, e o Dr. Rosa zero ; quando leve
o Dr. Rosa 12 otos, o Dr. Loureuco ii. Tristes
manejos polticos !
Sobre o que tica dito fallamos (jara os amigos
do Jornal quer d'aqui, quer de Ja toba.
. O eleittitudaiiudtju'tdii.
dres, consultis todos os das das 9
horasdao meio-dia. Consultorio c resi-
dencia ra Lartra do Rosario n. 20.
somos, mdicos, msicos e malucos.
Talvez algum outro proverbio tenha ja-
mis conglobado em tao poucas palavras
maior porcio da natureza humana. Quem
. de facto nao tem alguma vez aconselhado
um remedio a quem soffre ? quem nao
tam < uturoiado ou tocado algum instru-
mento ? quem nao tem feito alpuin dispa-
rato,?
Nao elevemos, porem, oceuparmo-nos
senSo do priineii M, o que nos declara
mdicos desde o nascimento. e que nos
foi esculpido na palma da mi; quasi va-
lendo significar a missao, que a providen-
cia as->ignou a cada mortal.
Nao somente o vulgo, que er ter
direito em aconselhar remedios, mas tam-
bem a gente cultivada de toda a classe e
de todo grao de instruccSo.
Farei tambem urna aposta com.) o 6o-
nella : Tirarei da vosas bibliotheca um
livro de qualquer litteratura ou de qual-
. quer tempo, comtanto que seja de autor,
que, em ehrouicas, em cartas ou em me-
morias, descreva os costumes do terap
em que viveu; e acharis que tedos os
homens e mais ainda todas as mulhercs
crecm poder aconselhar remedios e julgar
dos mdicos, e fazer em summa as vezes
de doutores.
Estiro o meu Uraco e com os olhos fe-
chados vu apalpando entre os volamos,
que estilo mais prximos minha mao e
ao mcu coraeao.
Tirei ura, e qual elle*?
Sao as cartas de madama de Sevign,
ascriptora dstincta, que entrelacando em
nma si griqalda o espirito, o coraeao e o
buu senso, nos offerece um suave e deli-
cioso perfume, que jmala fatiga, neiu ja-
mis se evapora pelo correr do lempo, e
mudam de gostos. Bastara este volume
para fazer abenyoar cem vezes a littera-
tura franceza e persuadil-o que a mulher,
no escrever cartas, como em tantas ou-
tra cousas, superior ao homem.
Comtndo, nem o talento agudissimo,
nem o bom senso, nem o espirito cultiva-
do e inexhaurivel bastam para sentar a
Sevign da birra de querer ser medica.
' onvm ouvil-a disputar sobre o bago c
sobre os humores. Rccolhe receitas, con-
frouta-as; julga-as e condemua-a. Ella
adora a medicina, mas detestaos mdicos,
mas nao fez quando trata do pol-os
em con'.radicgao entre si.
* Ah que jen veux auzmedicins '. (ad-
e forfanterie que leur art!
E n'ostra parte os chama t les premien
ignoranta de Vendroit.
Tambem ella, aquella notavel mulher,
que verdadeiramentc representa a aristo-
cracia intellectual do seu tempo. ao paito
que insulta os mdicos, admira os char-
lares, os inventores de remedios secre-
tos, e eleva ao quinto co os capuchiahos
de Louvre, protegidos pelo seu sympathi-
c<> De. iuo de Chaulae, e discorre com en-
thusiasmo sobre a maravilhosa reeeita de
Charsio e dos emplastros de madama
Fonquet e das prophecias do cavalheiro
Talbot. (1)
Entretanto os charlatSes mdicos, de-
fendidos pela Serign, eram os mesmos,
dos quaes Montaigne dizia:
A escolha da maior parte dos seus
remedios nada tem de mysteriosa, nem
divina: a pata esquerda d'uma tartaruga,
a usina d'um lagarto, o cscremento d'uL
elephante, o figado d'uma toupeira, o san-
gu tirado da asa direita d'um pombo
branco c para os atacados de clicas, ex-
crementos de ratos polverisados e outras
semelhantes porcarias que teem mais a
apparencia d'uma magia que d'uma scien-
eia solida, tees slo os medicamentos.
Advogados
O hachard Witruvio Pinte Bandeira.
pode ser procura lo roa do Imperador
n. 71, l. andar.
0 Dr. H. Mrt mudou o seu escripto-
torio de advocada, para a ra do Impera-
dor n. 46, 1- andar, sala da frente.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de carapina
de Francisco dos Santos Maccdo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabcle-
cimento, o prime ro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de oara-
pina por machinan e por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
Furia Sobrinko & 6'., droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manad da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades phanna-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentjs homeopticos, ra do
Marques de Olincli n. 23.
Questao da raenina Germana
Sou obngadu a ceder pressao da minha. fa-
milia que nSo quer eu coutinur a tratar dessa
questo normana. A minha familia est en pri-
meiro lugarepu subnietto me sua vorade
Recife, 20 de Marco-de 1889.
Dr. Lobo Mostoso.
o diabo que come quadro por fbdo o fructo de
suas luteranas aventuras.
Ridiculo l aquelle coraeao que encontraste
oas lendas da Venda Grande qne palpitava sosi-
nho de,amcr na ausencia d lodo outro ente que
podesse se- objeclo desse senmento.
Ridicufci sao todas as uas parvoices que pro-
fere cora retenclo de fcuer rir, olhanao para
os que te feem, esperando que te achem graga ;
rcicula esta tirada hesteal d Deus cahindo
como carticho de confeitos. Quando que esta
besta, est Qu i chote das lettras perder a inania
de se fazo? engrapado ?
Em Chisto, bandido, nao pode haver nada de
ridiculo : so pode haver ludo de amor e venera-
cao dos ccraceg brandos, e de odio os perversos
a quemsUB doutrina condemna.
E'por isto bandido, que nao queras as pro-
ciseoes ; por que odeas a Cliristo pela sua
doutrina.
0 que que excita o riso dos incrdulos. ?
Incrdulos de que ? Da divindade de Christo f
0 incrdulo se nao nmtolo, naa pede rlr-se,
porque se nao ere na divindade de Christo, ain-
da maior admiraco Ihe deve elle proauzir, e im-
mensa vHeraco, po- sua doutrina sublime, que
so os infames bandidos odeiam, por sua pacien-
cia e resignaco ao grande sacrificio.
De CI.Tisto nao ha incrdulos, bandido Quixo-
te, so ha amor por sua dootriaa e seu aacrilicio,
s ha odiq de todos os perversos scus inimigos.
Esse dio, nao podendo mordel-o, se tradnz
ou exprime nesses sorrisos fingidos, que es to-
los maii tolos que esses infames, inntam para
se fazerem avisados.
Da figura de Christo s ha a inspiracao do que
e de mais venerando e mais santo.
NSo santo mal feito de gao, a Imagem do
artyr do Golgotha, que i*s bandidos hypocri
mar
Notas do sentimento
O bandidos da maral
Estes bandidos que tomaram sobre os seus
hombros a tareti de distruir e perverter os cos-
lutnes, nSo cedetn de seu intento daninho por
mais batidos que sejam pela imprensa, de que se
servem. fazendo propaganda contra as cousas
mais santas, que sustentan] esses costumes, man-
tera e purificam os sentimentos.
E' uui perverso, dos costumes mais torpes e
hediondos, e tendo mulher e tilhas que tem dei-
xado em sua presenca em inteiro abandono, <'
um bandido oeste que vem se por Irente da
propaganda contra Deus, contra a rdigiSo e con-
tra a moral, e e aceito e admittido as colum-
nas da imprensa diaria para fazer essa propa-
ganda com o maior cvnisaio.
0 thema
PBLICACES i PEDIDO
Prolon^ameiito da estrada
de ferro de Pernambuco
Picamos sorprendidos um destes das, quan-
do vimos aflixado nas estacoes desta estrada
copia de urna circular do muito digno chafe do
trafego, declarando que por ordem no lm. Sr.
l)r. director, o k-r:>ene. phosphoros e louc
passariam a ser I sjiachados pela primeiraclas-
Be, etc., etc.
Nao sabemos '(jual a razo qu.' levoo S. S. a
tomar semelhante rssolugao, salvo se foi para
prejudicar os interesses da estrada e igualni'enle
os do commercio da praca do Recife. Cromos
que S. S. por falta le esclarecimentos sobre a
zona percorrida por esta estrada, foi levado a
dar este passo retrogradaste.
Nao ha quem nao conheca que quanto mais
barata a mercadoria. tanto maior o sen con-
sumo, e quanto uns barato o transporte,
maior a concurrencia.
A'.in disto nao sei diQicil a S. S. verificar
os motivos que levaram o muito digno Dr. Pi-
res Ferreira a approvar as modilicaces propos-
tas para a cobranca dos fretes destas merca-
dorias.
Este facto nos so:-prendeu, tacto mais quan-
do entendamos que o Illm. Dr. director neve-
ra estudar os meios de augmentar a reeeita da
estrada e nao diminuir, como acontecer com
a execuco desta nova ordem, porquanlo a c m-
sequencia ser desv: r para a provincia visinha
grande parte dos productos da zona entre Qui-
pap c Garanhuns, urna vez que forcados pela
dTerenca de precos de transporte seremos tam-
bem obrgados a aproveitarmos os animaes que
transportem estas mercadorias. Dar conduzi-
rem outros productos que at agora circulavam
pelo prolongamento
Desta forma perder a estrada, nao s o fete
do kerosene, pliosp'uros e louca, como tambem
os de outras mercad Dias, o que redundar em
um prejuizo nunca inferior a vinte contos de
ris annuaes, perdendo tambem a provincia o
seu quinho nos diieitos de gyro e imposto de
exportaco. e a praca do Recife a nossa fre-
goezia.
piante de taes .uteresses julgamos de bom
aviso elucidar ao Dr director, convictos de que
S. S., apos informscoes colindas com maior
exactido se convencer da inconveniencia da
execuco de urna tal ordem, que sopoder re
dundar em prejuizo na estrada, da provincia c
*do commercio.
Garanhaas, 11 de Marco de 1880.
Os n'tiociantex.
(1) Vide a este proposito o interessan-
te livro de Menire: Le coneultateons de
madame de Seviqne.
1WD1CACES DTE1S
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio*berto rna Duque de Caxias n. 74, das
12 s i horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua residencia ra Barao de S.
Borja su 22. Especialidades molestias
desenhot^i^ criancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio roa do Cabug u. 14,
1.* andar do 12 s 2 o y
Rio Formoso
O abaixo assignado nao se curva para
levantar do charco a luva lancada all por
um individuo, que tendo smente Deus
nos labios e o demonio no coracZo, sob a
asquerosa capa do anonymo, fez publicar
no Diario de Pernambuco.
O sacerdote provocado por impios e
crucis phariseus nao teme a luta, e aceita
a discussSo de sua vida publica e particu-
lar com homenl do viseira aleada, que as-
signarem seu norae, se tm animo e cora-
gem, porque quein tem consciencia do que
diz e escreve, nao se oceulta, a menos que
seja um cobarde infame, coberto de vicios
de crimes, em cujo carcter espera con-
vncelo com pravas, perante o publico,
de quem j bem conhecido, que nao te-
me inimigos gratuitos, falsos aecusadore,
que nao poderam apanhar um s facto de
sua vida publica o particular merecedorde
ponicao, aenhum doeumento, ou attestado
de pesaoa qualificada de Rio Formoso, on-
de ha quatro annos resido com honestida-
de, e independencia sem ser pezado a nin-
goem, Deus louvado.
Hei prestado ofiieiosos respeitos a quem
os merece, nao levando porm, em conta
aos que qnerem irapor sem nenhuma ou-
tra importancia e consideracao, que seo
fofo orgolho, e... o qoe tolo o seu
crime.
Tem bastantes amigos,
a excepcao de
inve-
uivos de caes goses, que ralados de
ja dio tudo o ana pqdem, e o que teem,
por cujo sacrificio os agradece por ser evi-
dente que a los j sahe mais brilhente
depois que dissip<:u as trevas.
Resignado, poii, com as injusticas e in-
gratidRes, dir cc;n o pessamento do Ilus-
trado conselheiro Bastos : As pessoas
mais honestas sao omitas vezes aquellas,' tra o cavallo magro de Joo Fersandes Vieira e
Nao ha Deus; a reiigio e cousa intil e es-
tulta, s serve para alimentar a dominacao e a
preguica dos padres, o casamento cousa v e
redicula, que s serve para os mesmos padres.
0 amor livre. 0 homem e a mulher se atra-
hem e se amam, esto casados se lhes convm.
Essa infame propaganda, feita assim com o
maior cynismo, .i5o discute, nao demonstra, nae
tras u;na crenca para substituir a outra ; nao e
corrigindo abusos e supersticc=; nada disto.
Deus urna chimera, urna idea sem objecto, to-
da a religio cousa intil, prejudicial e ridicula,
o casamento to ridiculo como toda a religio.
E este bandido sam pudor, cuja vida pratica
como a moral que prega, cuja cynica coragem
a do homem, cujas infames dotrinas pintain
o valor de sua alma, este bandido encentra nos
jornaes diarios sahida a to infame como per-
versa propaganda.
O bandido nao tirando partido com esse des-
braga ment, essa propaganda desvairada e sem
vergoona contra Deus. contra a religio e con
tra a moral, contra o casamento, em vez (feliz-
mente de trazer a sua nova doutrina moral que
promettera em lugar d de Christo, mette-se
no habito de raonge, e fz-se christo, faz-se
religioso, infame hypocrita, para cora os foros
de religioso poder combater :i mesma religio.
E' assim que este bandido, que prega em urna
pagina de urna gaceta que toda a religio cou-
sa intil e ridicula, que Deus e ida va, a moral
do Evangelbo urna estultice, so a delle boa, o
casamento urna toleima.. escreve no domingo ul
timo nos seus tragados : .
Hoje mesmo comeca, entre nos a exhibi-
co |)eias ras da imagem de Deus e dos seus
santos, e ossyinbolos da nossa sama e divina re-
ligio vao ser expostos a irrisao e a irreverencia
pblica, provocando o riso dos incrdulos, os com-
mentarios dos malvolos eo encollter de hombros
dos indifferentes .
O bandido, iniraigO de Deus e de seus sautos,
da moral e da religio. feito christo para la-
mentar que a imagem de Deus, os symbolos de
nossa santa religio vio ser expostos ao riso dos
incrdulas e os comuientarios dos malvolos '.
No lempo da ignorancia (prosegue o bandido,
anda se imir.do fiel catholico) tinha razo de
ser as procisses : mas hoje s produz o livre
exame. s produzem o riso e o ridiculo.
E um catholico que lamenta que os symbolos
de nossa religiio vo nas procisses provocar o
riso, que diz que ellas s serviam no tempo da
ignorancia, que hoje s do lugar ao Une exa-
me. e provocam os commentarios des malvolos.
E este christo, este catholico e o verdadeiro
christo catholico, o puro fiel que lamenta urna
tal ou qual ra pratica de nosso culto, como se
declara '
Nao ; o infame hypocrita, que. desengaado
de combater francamente contra Deus e costra a
religio, vem combas vestes de santo entoar na
igreja pensando assim distruil-a.
Verdadeiro ministro de Satanaz, este bandido
o mesmo Quixote das letras que saino com ou
tro igua! a elle feito Sancho, era busca de ou ver-
turas por nao ter mais asneiras a dizer.
E' o mesmo inimigo de Deus, da religio da
moral que vem hoje como santo christo infame-
mente pregar contra as procisses, porque osio-
credulos,(isto a quadrilha de bandidos que elle
commandai. se riem delhis, e fazem commenta-
rios e exame.
Ora, conao ho de ter prestirao as procisses
para este bandido se todas as religies n3o
prestara, se todas sao ridiculas i
E a razo principal porque nao prestara'?
K porque, na India, o Deus Brahma, com to-
das as estravagancias e burlescas supersticoes
dos religiosos onentaes, com as suas divises de
castas, puchado em carro muito pesado, vaies-
magando os crentes que se deitam nos lagedos
para ganhar a vida eterna.
Por isto a imagem de Christo. Deus de pao e
mal feito, nao deve sahir em procissao, i porque
se faz ridiculo, excitando o sorriso dos incr-
dulos.
E, quem diz isto ?
E' o bandido que prega contra Deus, contra
toda religio, contra a moral ; o louco que vi-
rando Quixote e sahindo em busca de aventuras,
foi a igreja dos Prazeres e nada consegrando de
sua mania perversa da extinego da religio, to-
mn o habito de monge para, infame hypocrita.
pregar contra as procisses, porque excitam o
riso e commentarios delle e dos seus.
E' o bandido que j escreveu que n3o se siga
a moral do evangelho, do calamento ;'mas sim a
delle, que licou de expender em nova doutrina
que nunca mais veio : por que a sua vida que,
todos a conhecem, dizem como elle a quer.
Ah t nao, nao haja mais procissao, porque
este catholico diz que ellas excitam o riso aos
incrdulos
De que se riem os incrdulos dessas procis-
ses em que se conduzem a imagem de < pristo e
dos santos raartyres, que, na pratica das virtu-
des ensinadas pelos Evangelhos, s fizeram bem
humanidade custa dos proprios sacrificios f
Nao, uinguem se ri, seno os muito tolos,
que se querem fazer muito avisados.
Este proprio bandido, nao se ri seno fingi-
damente, porque, bandido como e e carregado
de todas as immoralidades, a vista da imagem
de Christo s ihe pode excitar odio e rancor.
Nao haja mais procissao. porque este bandido
com toda a autoridade da moralidade de sua vi-
da e com a hypocrisia do nome de christo que
se arrota, diz que as procisses e a imagem do
Deus de pao', mal feito, pregado no andor e pa
recendo que est cahindo como cartucho de am-
feof, tudo isto sao cousas ridiculas.
Ridiculo, bandido, o cavalheiro andante que
sahe era busca de aventuras litterarias, e encon-
tas, fingidos, nao veneram cora santo respeito,
lembrando-se de tudo quando pela humanidade
Elle lizera.
Knto a ignorancia que fazia venerar a ima-
gem do Santo dos santos que trouxe as verda-
des qne levantaran! o homem liberdade e a
mulher maior altura da dignidade humana ?
Ento todo este povo que na contemplaco da
imagem do Salvador, nessas procisses que re
urpsentam os passos de seu martyrio, toda esta
poplaco que se presta sua passagem, essa
multido que reverente se lembra desses passos,
desse martyrio, como tu, sabio da sabedoria
dos pedantes e dos estultos, sabia da sabedo-
ria dos perversos hypocritas como tu ?
Larga esta capa de christo catholico, bandi-
do, que eu te rasgo esta mascara, para mostrar
tal qual s.
Prosegue nas tuas aventuras litterarias, que
assi-n divirtirs a gente com os teus disparates
e asneiras.
No que e santo porem nao toques, nem viudo
com essa to infame quanto estulta hypocrisia.
nem com as armaduras da cavallaria andante ;
porque te sahirs sempre mal : hei de langar
por trra todos os leus perversos intentos, todos
os teus estultos ardis.
Recife, 19 de Marco de 1889.
Afronto de ilbuquerqw Mello.
Pergontas e respostas. Indicar um t-
nico que seja realmente efficaz? A res-
posta tem sido feita n'um jornal de medi-
cina, por um Ilustre clnico : Nos te-
mos visto em seguida do uso continuado
durante algum tempo Aim mez ou dpus)
do Vinho de Quina de A. Labarraque
effetos maravilhosos se produzir, e orga-
nismos deteriorados # vencer e passar por
assim dizer por urna regeneracao. Por
isso nSo hesitamos a dizer que o Quinium
Labarraquc segundo n6, o mais enr-
gico dos tnicos conhecidos. Dr. Wahn,
medico principal do hospital de Oherchell
(Argelia).
-----------------SGfeSSi----------------
w.
Como remedio por excellencia para as almor-
reiraas o Ungento de Aveleira Mgica do Dr.
C. Bristol verdaderamente maravilloso
pela 8eguridade e rapidez de seus effeitos, e ne-
nhuma outra medicina pode competir com elle
no allivio immediato e curativo radical de quei-
maduras, carbnculos, inflammaco da garganta,
dores nas costas e lados, mordeduras de insectos,
dores de cabeca, nevralgia facial, coatuses, in-
chaces. pleuriz, ery*ipelas, chagas chronicas.
golpes e toda a especie de dores externas e in-
ternas, cujo allivio instantneo produz.
CoJlegioMeira
Este collegio abri suas aolas desde Ja-
neiro prximo findo. i
Ensioam-se nelle todos os preparatorios
que constituem o corso preparatorio nas
facilidades do imperio, e o seu pessoal do-
cente o mais habilitado que se pode de
sejar.
Contina a funecionar a aula primara
que poder receber alumnos da mais ten-
ra idada, pois dirigida por duas filhas do
director, das quaes urna alumna do 5.-
anuo da Faculdade de Direito do Recife.
Desde o 1.- do corrento est aberta a
ula de allemao, em que se ensinar a tra-
duzir c a fallar essa lingua.
O professor respectivo ser o Sr. Sidney
Schiefler.
Os estudantes, que quizerem frequentar
esta aula, pagal-a-hao separadamente da
mensalidade do collegio.
O director do collegio Meira espera o
mximo apoio dos paes de familia que d-
se jam o real aproveitamentode seus filhos,
pois que tem sempre tido por programma
dar aos alumnos, que lhes sao confiados vma
verdade ira instrucfao a par de urna boa
educa rao moral.
O resultado dos exames feitos no fin do
anno passado a prova mais evidente em
favor do collegio Meira.
Dos cincoenta e cinco exames feitos pe-
los alumnos deste collegio, inclusive um de
allemao na Baha, apenas tres foram in-
fructferos. .
Recebem-se alumnos internos, meio-pen-
sionstas e externos:
Roa do Imperatriz n. 63, 2.* andar.
Recife, 18 de Margo de.1889.
O director,
Ascencio Minervino Meira de Vasconcdlos.
Elixir depura*
tivo vegeta
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hi-
giene Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande efficacia nas mo-
lestias syphiliticas e impureza de sangue ; assim
como em todas as molestias das seohoras.
Tem curado radicalmente umitas pessoas ac
commeltidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os aaaltos temaro qutro colheres das de
sopa pela manh e quatro neite. As criancas
de 1 a .i annos tomaro urna colher pela manila
e outra a noite. e os de 5 a 11 annos tomaro
duas colheres pela manh e duas noite. De-
vero tomar, banhos fri ou momo pela manh e
noite. H esguardo regalar.
Encontra-se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva 4 C, ra do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental i ra Estr<
ta do Rosario n. 3.
0 autor deste preparado poae ser procurado
na ra do aro da Victoria n. 37, onde sera en-
contrado para dar. toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Beriberi
N.50
Illm. Sr. Angelino Jos dos Sant is Andrade
Em Dezembro do auno passado, depois de co-
piosa perda de sangue em consequencia de urna
hemorragia intestinal, m | I Isanlilii symptomas
de grave molestia que o meu assistenteo illm.
Sr. Dr. Francisco Gomes dcAndrade Lima classi-
icou de beriberi bem como os nao menos illns-
tres J>r#. Francisco da Cuaba Beltro e Ermirio
Coutinho aos quaes consultei.
Combatendo o mal segundo os preceitos da
sciencia, foi-me declarado em Maio pelo assis-
tente que o meu soffrimento degenerava em
i'heumatisrao chronco, complicado com beribe-
ri acompauhado de paralysi a de ura pe, e que
julgiva de urgente necessidade urna viagem ao
Rio de Janeiro ou a Fernando de Noronna, por.
isso que o rheumatismo rebelde ao hatamento
por meio de depurativos e frieces, at entreli-
nha o maior mal beriberi que sopor esse meio
devia ser debellado.
Achava-me entretanto era ditficuldades para
satisfazer a prescripeo medica recommendada
pelos censemos dos Srs. Des. Cimba Beltro e
Ermirio Coutinho, quando um amigo aconse-
Ihou-me o uso do depurativo de V. S. denomina-
doSalsa do Angelinoapplicado em pessoa de
sua familia com resultado feliz.
Efiectivamente delle tinha usado ha 3 mezese
i;raras ao seu salutar effeito, acho-me quasi res-
ta belecido.
Em homenagem a verdade e que se torne no-
torio a efficacia de to prodigioso depurativo, to-
mo a liberdade de dingir-lhe a presente da qual
poder V. S. fazer o uso que bem Ihe approuver.
Sou com estima de V. S. criadoJos Luiz
de Franca Torres.
Recife, 1 de Agoslo de 4884.
N. 51
Illm. Sr. Angelino Jos dos Sautos Andrade
A bera da humanidade teaho a satisfaco de Ihe
communicar um caso que se deu commigo. Es-
tando fra da provincia (em Macei), fin acora-
mettido da terrivel molestia beriberi, immedia-
tamente embarquei para o Rio de Janeiro, aonde
me tratei seriamente, mas regressando a esta
cidade, repetio-me esse grande mal, sentindo
cansaco. indisposico e inchando-me as pernas
horrivelmente ; lerabrei-rae que tinha era casa
urna garrafa do seu elixir pu ri tirador do sangue
que um amigo era tempo me tinha feito presen
te ; sem perda de tempo recorr a ella, felizmen-
te raelnorei, acabando-se a primeira garrafa
raandei busc r segunda para concluir o meu
tratamento. Destas poucas inhas que s contm
a pura verdade, poder fazer o uso que Ihe con-
vier, pois acho-rae radicalmente curado do dito
mal.
De V. S. atiento criado e obrigadoFrancis-
co Teixeira Barbosa.
Recife, 11 deMaiode 1886.
N.52
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade
Recife, 2 de Dezembro de 1887.Estando sof-
frendo horrivelmente de siphilis, recorr a di-
versos remedios, os quaes produziram rae cahir
por todo o corpo, grande quantidade de panos
pretos e no rosto ento em maior quantidade ;
um anda aconselhou-me que tomasse o prepa-
rado do Sr. que tinha tirado grande vantagem
para a mesma molestia, resdlvi-me a tomar, em-
itan j estivesse desptrsuadido, assim o z,
e com grande vantagem obtive com trez garra-
fas do seu preparado o mais efficaz curativo e
porisse participo Ihe os meus agradecimentos,
assim como Vmc. far uso da minha assignalu-
ra para o que quizer.
De Vmc. criado e obrigado. Joao Francisco
Monteiro.
Estavam selados e reconhecidos todos os attes
tados.
jEipai?av> l iiTt >.al le -1 *"''
Segunda a carta que nos escrvem. nos-
sos correspondentes, os Srs. Amde '
Priace&C, o Pavilhaa'do Gatemalain
onde elles acabara.de organisar orna- sala
de leitura de todos os principaes. jomaear
das Amerk-as do Centro^ do Sil, daa Aa- l
tlha% e do' Extremo-Oriente urna coas-1
truegao de.madeira muito bonita.
Este pavilhao aeha se situado direita
da Torre.-Eiffel, pelo lado direito e de-
fronte da partecental do-Halacio da Ar^ '
fes Liberaes. Est, perto de todas as aec-
cocs das Repblicas.Amqpcaaas e.do Im-
perio do Brasil cujoa .riqolssnos palacios
hao de constituir, por sem duvida, urna
das maiorfiiii attrao^Saa da Exjiaai^iao
Aos nos80s patricios recommendamo
encarecidamento que vishem de Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince. &
C, devida ao obsequio- do Ilustre com-. ir.
missario geral do Guatemala.
I
Bacharel Amonio Witrir-
vio Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador .
n. 71, l" andar | \
Dr. Nelr Cavalcante
Medico
OFFERECE OS SEOS SER VICOS EMPALMARES
36

Medico operador parleiro
91 Kua larju do Notario -34 )
(Por cima do Annd de Ou.ro)
Onde tem consultorio e resi-
dencia : podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer. hora
do da e da noite.
Especialidades: Partos, febres, moles-
pulmes, syphilis
oniplelae ope-
e mais soff.-i-
f I mntos da uretra.
() Acode deprompto a chamados: para
' (ora. qualquer distancia.
Telephone a. 394
! Especialidades : Partos. 1
t lias de senhoras e .los pul
i\ em geral, cura rpida eco
l] races de estreitamentos i
}{
Aula publica
Aa.' cadeira do seso femimno da freguezia de
Santo Antonio, regida pela professora D. Thereza
Josephina daCunha Salles, acha-se fimecionando
ra do Sol n. 17.
EDITAES
Pensao Acadmica
Esta casa de Pensao situada no ameno
bairro da Boa-Vista, ra da Imperatriz
n. 15 2o e 3o andares, contina a'receher
pensionistas, que mediante a mensalidade
de 500, terao com o maior asseio e regu-
laridade, comida ahondante, comisados
agradaveis, excellente banho e criado.
a------------
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 1S, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com espeeiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, 1 andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
MEDICO HOMEPATA '
Dr. Baiihazar da Silveira
Espeeialidadefebres, molestias (]
^ das enancas, dos orgos respirato- l\
ros e das senhoras. 11
Presta-sea qualquer chamado para -
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
roa do Barao da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meia da s 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Se te de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Oculista
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clnica
ophthalmologica dos Drs. Wecker e Panas
em Paris e do professor Hirschberg em
Berlim, tendo regressado de sua excursao
s provincias do norte, demora-sc alguns
mezes nesta capital, no exercicio de sua
espeeialidade.
Consultorio e residencia ra do Barao
da Victoria n. 23 Io andar. Entrada pela
' amboa do Carino.
Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
[j Frederiee Chaves Jnior j
Horaocpatha
(139-RA BARAO DA VICTORIA 39
l ) rrlmeiro andar
O Dr. Jos Antonio 'Jorreia da Silva,
cavalheiro da Ordem de Christo, com-
mendador da Real Ordem Militar Por-
tugueza de Nossa da onceico da Vil-
la Vigosa, juiz de direito de .orphaos
da Comarca de Olinda, por S. M. o
Imperador, a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital.,
virem e delle noticia tiverem, que por"'
parte de Joaquim Antonio de Miranda,
me foi fingida a petigao do theor seguin-
te:
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos
de Olinda.Diz Joaquim Antonio de Mi-
randa, que havendo arrerBataHb --jigjanjg--
V. S. a propriedade Tab, sita na fre-
guezia de Taquara, provincia da Parahy-
ba. o pertencente ao espolio do coronel
Joo de S Cavalcante de Albuquerqne,
requer o supplicante, parajgarantia de seu
direito, que V. Exc, depositado o pro-
ducto do bem que o supplicante arrema-
tou, mande, de accordo com a Ord. livro '
4 titulo G, passar editaes, chamando todos
aquelles a quem for obrigada aquella
propriedade, para, no prazo que lhes for
marcado, pugnarem pelos seus direitos.
Nestes termos pede a V. Exc. deferi-
mento E R. Me.Olinda, 27 de Feverei-
ro de 1889.Joaquim Antonio de Miran-
da. (Estava sellada.)
Em a qual petigao profer o despacho
do theor seguinte:
Feito o deposito eomo acabo de verificar,
passe-se o edital nas condigSes alludidas.
com o prazo de 30 das, ficando assim de-
ferido o presente requerimento, que ser
junto aos autos. Olinda, 27 de Fevere-o
de 1889.Correia da Silva.
E mais nao continha dito despacho
aqu fielmente copiado, epor forgado mes-
mo despacho, o respectivo escrivSo fez
passar o presente edital, pelo qual -e seo
theor sao chamados aquelles ajquem for
obrigada a mencionada propriedade Tab,
para, no prazo de 30 dias pagarem pelos
seus direitos.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, raandei passar o presente, que
ser affixado no lugar do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda.
aos 28 de Fevereiro de 1889.
Eo Joao Theodomiro da Costa Mostei-
ro, escrivSo do civel no impedimento da
de orphaos, o cscrevi.
Jos Antonio Correia a Silva.
Edital
Escriv&o Reg Barros
Perante o Sr. Dr. juiz substituto aos feitos da
fazenda, Jos Salazar da Veiga Pessoa, se vende-
r em praca publica no dia 22 do correte mez.
de Margo pelas 11 horas da manh, depois da au-
diencia do mesmo juiz os bens seguintes :
Vinte e quatro cadeiras de guarnigo, 4 de
braco, solas e 4 consolos com tampos de pe-
dra, tudo de junco, em muito bom estado, exis-
tente no estabelecimento de movis ra Duque
de Caxias n. 29, pelo prego de 4001, pertencen-
tes a Baptista & Companhia.
Quaterze quintos de vinho de uvas do Rio
Grande do Sul, existente no armazem ra do
Vigario Thenorio n. 12, freguezia do Recife, pelo
prego de 180*, pertencentes a Joaquim de Oli-
veira Borges. .
Urna armaco, balco, dous nteiros envidraga-
dos e envermsados de preto, existente no esta-
belecimento da ra Larga do Rosafio n< 24, pelo
prego de 6004, pertencentes a Jos Joaquim Gon-
galves Barros & Companhia.
Urna armago, balco, 3 titeiros e i relogio de
parede, existente no estabelecimento ra da
fina, em Caxana, pelo prego de 80#, pertencen-
te a Joo Carlos Pereira da ilva
Doze cadeiras de guarnigo, 2 ditas de catan-
go, 2 ditas de brago, 2 consolos, 1 sof, tudo de
junco branco, novos, existente no estabelecimen-
to de movis ra Duque de Caxias a. 29, pelo
prego de 1564, pertencentes.a Baptifcta & Com-
panhia.
Urna armaco envidragada, 1 balcao, i fiteirc
envidragado e 1 carteira, tudo envernisado, e
tente no estabelecimento ra Larga do Rosa
rio n pelo prego de 2404, pertencentes a
dr Santos.
Urna.carraca de 4 rodas, n. 178, existeata
urna cocheira a roa Barao do Triumpbo a...
Mumaro i



Diario de Pernambuco---Quinta-feira 21 de Marco de 889
mam.
preco de 68/800, pertnceite a Tranquilino Vi-
cante Ferreii.
Uma armaco, balco de madeira envernisada
e envidracada, existente no estabelecimento da
ra Direita n. 76, pelo proco de 60*, pertencen-
tes a Joaquim Aotuaes Guimaraes.
Um cofre em pcrfeito estado, existente no es-
tabelecimento ra do Cabuga n. 18, pelo preco
de 150*, pertencente a Papoula & Companhia.
Um cofre de ferro francez e 1 fiteiro grande
com 3 vidros de frente existente no estabeleci-
mento roa Pnmeiro de Marco n. 25. pelo pre-
50 de 300*, pertencente a Bedel 4 David.
Cajos bens acham-se penborados e v&o serem
vendidos para pagamento da fazenda nacional e
castas.
Recife, 19 de Marco de 1889.
0 solicitad# da fazenda nacional,
Laiz Machado Botelho.
DECLARARES
1* SceloSecretaria da Presidencia
de Pernambuco, 20 de Marco de 1889
Por esta secretaria se faz publico, a
quem interessar possa, que acha-se nesta
repart cao, afim de serem entregues aos
nteressados depois de pagos os devidos
direitos as cartas patentes do major aju-
dante de ordena secretario geral do com-
commando superior da guarda nacional da
marca de Bom Con sel ho, Candido Carlos
da Costa Vilella ; do major ajudante de
ordens secretario geral do Acamando su-
perior da guarda nacional da comarca de
Aguas Bellas Jos Faustino Marinho Fal-
clo e do capitao quartel-mestre do com-
mando superior da guarda nacional da
mesma comarca Manoel Soares de Albu-
querque Preac.
O secretario interino,
Manoel Joaquim da Svira.
Derby Glub de Pernambuco
Peto juiz de partida foram multados os se-
guintes jockeys : Luiz Pcreira em iOiOOO, sendo
em 20* ho 4." pareo e em 204 no 5." pareo ; An-
tonio de Freitas e Jos Marcelino em 20*00)
cada um no 1." pareo.
Recife. 20 de Marco de 1889.
O gerente,
llenrique Schutel.
Companhia pernambucana
de navegacao costeira por
vapor
Os sniores accionistas sao convidados a se
reunrem na sede da companhia no da 4 de
Abril, ao meio da, afim de Ihes ser apreientado
o balanco do anno prximo fiado, e elegerem o
conseibo de direceo. a commissao de exame de
coatas, os pres dente e secretario da assembla
geral e tambem para tratarse da reforma dos
estatutos da companhia.
Recife, 19 de Maree de 1889.
Os directores,
Manoel Joao de Amorim.
Th. Comber.
Arthnr B. Dallas.
Gremio dos Professo-
res Primarios
Eleirmo
Nao se tendo reunido numero legal na primei-
ra conyocacao feita para proceder-se a eleico
do nwo conselho que deve dirigir esta socieda-
de no correte anno, de ordem do lllm. Sr. pre-
sidente, convido de novo a todos os consocios a
se reunirem para o Iludido fim, quinta fcira 21
do corrente, as 11 horas da manha, na sede
social.
Secretaria do Gremio dos Professores Prima-
rios^ em Pemamhji0v18 de Marco de 1889.
^> .' 0 letrelario
Augusto Wanderley interino,
De ordem do lllm. Sr. Dr. inspector, fco
publico, que no dia 21 do corrente ir praca o
foraecimento da alinimtaciiu e dietas aos presos
pobres da casa de Detencao, relativo ao trimes-
tre de Abril a Junbo, de accordo com as tabel
las em vigor, e srrvindo' de base a diana de
Ore-
Secretaria do Thcsouro Provincial, 18 de Mar-
co de 1889.
I.mdolplio Campello.
Recebedoria Provincial
Os abaixo assignados cobradores
Recebedoria Provincial previnem
nhores contribuintes que
fim do corrente mez c com a
da
ao se-
recebem at o
multa de
6 i decima e contribuiyocs da Compa-
abia Drainage e 10 i0 ol impostos de
3 *[ 20 [ 12 [0 e 10 |0, mao morta,
agurdente, alvarenga c classe, sendo que
d'enta data em diante, pagarao a multa
de 9 |0 os primeiros e a de 20 [0 os do-
mis impostos.
Recife, 15 de Marco de 1889.
JoSo Bernardo do Reg Valaca.
Frederico GuimarSes.
COMERCIO
Revista do Mercado
Recife, 20 de masco de 1889.
Foi pequeo o movimento.
No mercado de cambios pouco foi feito.
Quanto aos outros mercados manteve-se na
tnesma posigo dos dias anteriores, com espe-
ranza de melbora de preco.
Bolsa.
C6TACUES OFFICIAES DA JUSTA D08 COB-
BETOBE8
Recife. 20 de Marre de 889
Cambio sobre Para, 30 d, v. com 1 0/0 de des-
cont.
Descont de letras, 11 0.0 ao anno.
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Alftodo
0 de sorte do serto cota-sc a 6*400 por 13
los.
A exportaco, feita pela alfandega ne3te mez
al o da 18, subi a 800.343 kilos, sendo 533.207
para o exterior e 267.338 para o interior.
* As entrada? veriaadas at a data de hoje so-
bem a 18.170 saccas, sendo por:
Barcacas..... 3 >20 Saccas
Vapores..... W
Ammaes. 6.660
frrea de Caruar. 1.C81
Via-ferrea de S. Francisco. l 6#
Via-ferrea de Limoeiro -il
Somma.
18.170 Saccas
A barca portugueza -Ceres, levou 350 fardos
e 494 saccas para o Pcrtd.
lambo
fc bancos adoptaran) hojea taxa de 27 5 8 d.,
London, fe.-;er?adaaiente, a
;Ho(; papel particular a -27 7,K.
.nos pequeos negocios a 27
4.* scele.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro de
1889. .
Por esta secretaria se faz publica a re-
commendacXo do Exm. ministro e secre-
tario de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n. 288 de 22 de Ja-
neiro lindo, para nonhecimento de Mara
Severna da Conceioao Lucas, m3i do
alumno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Goclolredo Lucas.
e N. 288. 2* directora. Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
i lllm. e Exm. Sr.Nao podendo, na
conformidade do artigo 25 do regulamen-
to do Instituto dos Surdos Mudos annexo
ao decteto n. 5,43o de 15 de Outubro de
1873, continuar al..i, por haver attingido
a idaile de 18 annos, o alumno Jes Lou-
renco Qodofredo Lacas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 de Ou-
tubro de 1882 e convindo, portante, pro-
videnciar afim de que seja retirado do
mes'mo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director de estabeleci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigi, se exprime regularmente por escrip-
to, perito official de encadernador e tem
o peculio de 8645950, recolhido a caixa
econmica, dou conhecimonto d'isto a V.
Exc. para os fins convenientes.
t Deus guarde a V. ExcA. Ferrei-
ra Vianna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco. t
O secretario interino,
Manoel Joaquim Sveira.
De ordem do lllm. Sr. Dr. inspector
faco publico que em cumplimento da re-
solucSo de S. Exc. o Sr. Dr. presidente
da provincia, de 14 do corrente, fica mar
cado o prazo de 45 dias a contar desta
data, para a incripbio ao concurso que
ter lugar neste Th-. so uro no dia 15 de
Abr 1 prximo futuro, afim de preencher-
se tres vagas de 3o escripturario existen-
tes nesta reparticZo.
O exame versar sobre leitura, analyse
grammatical, orthographia e aritbmetica
at a theoria das proporcSeB inclusive.
Os candidatos deverao requerer ins-
pectora deste Thesouro a sua aduiissao ao
coqcurso por meio de peticao documenta-
da, provando ser maior de 18 annos, acbar-
6c livre de culpa e pena e ter bom com-
portamento, Ibes sendo licito juntar, alm
destes, quaesquer outros documentos que
poasam favorecer o seu direito.
Secretar do Tbetouro Provincial de
Pernambuco, 21 de Ferrel/o de 1889.
Servindo de secretario
O official,
i Lindolfo Compeli.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
A Illnia. junta administrativa desta Santa Ca-
sa contracta com quem melbores vantagens of-
ferecer o fornecimento dos gneros abaixo de-
clarados para o consumo dos cstabelecimeotos
a seu cargo, durante o trimestre de Abril a Ju-
nbo do corrente anno:
Al el na. kilo.
Arroz, dem.
Agurdente, litro.
Azeite doce idem.
Aramia, kilo.
Bacalho, idem.
Hanha de porco, idem.
"atatas, idem.
Caf em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebla, cento.
Empreza da estrada d ferro
de Ribeirao ao Bonito
tutrmblu geral orilimirta
Nio se tendo reunido hoje, noescrip-
torio desta Empresa, numero suficiente
dos Srs. accionistas para a reuna^ ordi-
naria de assembla geral, convocla nos
termos do art 73 do decreto n. 8821 de
30 de Dezembro de 1882, pela s(jgunda
vez convocada mesma reuniao para o
dia 22 de Marco prximo ao meio da, no
e8criptorio d'esta Empresa, praca de
Pedro II n. 73, 1. andar.
Recife, 28 de Fevereiro de 1889.
Jos BeUarmino Pereira de MelF,
Director secretario.
Banco de crdito real de fer-
nambuco
Em cumplimento dos 9.a e 12. do
art. 83 dos Estatutos e das dispos^oos
da lei n. 3150 de 4 de Novembro de 1882,
convocamos aos Srs. Accionistas reuni-
rem-se em assembla'geral ordinaria, no
dia 23 do corrente mez, ao meio da,
em urna das salas da Associacao Commer-
cal Beneficente, afim de lhes ser presen-
te o relatorio das operacoos do anno ban-
cario, rindo em 31 de Dezembro de 1888,
acompanhado do parecer da eonimissao
fiscal, e proceder-se i eleioJlo d esta, do
presidente, vicepresidente, 1. c 2." secre-
tarios da Assembla Geral.
Recife. 7 de Marco de 1880.
Os administradores"
Mnnod Joao de Amorim.
Antonio Fern&ndes Ribeiro.
Luiz JJujirat.
Cb, kilo.
Farinha de mandioca da provincia, litro.
Feijo, idem,
Fumo do Rio, kilo.
Gaz, lata.
Dito inexplosivel, idem.
Mantuiga franceza, kilo.
Millio. dem.
Pao e bolacha, idem.
Jdem idem para o collegio das orpbas em Oliu-
da,idem.
Papel Kume, resma. ,
Potassa kilo.
Rap, idem-
Sabao, idem.
Sal, litro.
Tapioca kilo.
Toucinho. idem.
Velas de carnauba, idem.
Ditas stearinas, idem.
As propostas deverao ser apresentadas na sa-
la de suas sessOes, em cartas fechadas, devida-
mente selladas, at as 3 horas da tarde do dia
26 do correte, declarando os proponentes su-
jeitarem-se a mulla de o "|. sobre o valor total
do fornecimento se no prazo de tres das uao
comparecerem a esta secretaria p ara assiguar
os respectivos contractos.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 19 de Margo de 1889.
O escrivlo,
Pedro Rodrigues de Souzu.
No Rio os bancos saccaram a 27 3/4 e o Lon-
don a 27 13.16 sobre a caixa matriz.
Papel particular foi passado a 28 d.
TABELLAS AFFIXADA8
n
3.
3
2.
1
I
3
D-
e
-i
o
1 I
13 M
f *
: r;
0 m .
: . ' c s
' * ex 9: ?
i* * <
. w *j * 00 m r
-
te < i
^B 'Si 3
^
Ve * -i -^1 ^ r
; !
?*
& i --J &
p a #- < i
m W -c
i o-
s l S 1 I
& C* ~ i
* . V ^ J ^3 i
', ; H s
. . -^ a. (
' e J &l V
0 ^1 *- O
9-
P l . * 1 r s,
z 5 * * u 1
"X V. -~I 1J mm
Assncar
Os precos pagos ao agricultor,
ando a Associacao CosBUMrcial
os seguintes:
Brancos-.....
Someno.....
Mascavado purgado .
broto.
Rtame .
Colonia Isabel:
Branco i*
*
por 15 kilos, se-
Agricola, foram
:;200 a 3&00
1*900 a 2*100
1*400 a 1*500
1*100 a 1*200
*800 a 1*000
Monte de Soccorro de
Pernambuco
41> lellio de jolas
Este estabelecimento f ir Icilao no dia 2G do
corrente, por intermedio do agente Martins, em
sua sede, ra do Rom Jess n. 32, s 11 horas
da manha, dos objectos que nao forem resgata-
dos at a vespera, constantes das seguintes cau-
tellas. vencidas de Agosto Novembro de 1887;
a dinheiro de contado :
14997 1 Volta de ouro com medalha. 2 pulsei-
ras, 2 cordes, 1 trancelim, 3 pares de
brincos, 1 allinete, 2 anneis, 4 moedi-
nhas ouro de lei, urna salva de praia
de lei.
15818 1 Corrente e cinete para rclogio, 1 par de
argoloes, 1 alucele de ouro para retra-
to e 1 medalha ouro de lei, 2 relogios
de ouro. "
15933 1 Corrente de ouro com cabellos para re-
bgio, 2 pares de brincos, 2 ditos de
rosetas, 1 cordo, 2 voltas de trance-
lim, ouro, teleias, 3 boits, i encasto
res e 1 annel ouro de lei, 2 moedinhas
de ojjrn. dollars. 1 relogio de ouro. i
paliteiro, :i coHiercs para cb, de prala.
14017 i\ Colheres para sopa, 24 dilas para cha,
3 conchas grandes, 24 garfos, 24 cabos
para facas e 1 par de triiicliunlcs, lujti
de prata de Id.
1G302 1 Salva pequea, 1 ligella, 1 copo, 17 co
Hieres para sopa e 14 ditas para cha
prata baixa.
164->) 1 Escrivaninha, prata baixa.
16458 1 Medalba d# ouro. contendo brilhanlcs.
16691 1 Salva, 23 colheres para sopa, 17 ditas
para cb e 1 dita para assncar. prata de
16699 6 BotOes de curo coiu brilhantes.
W703 1 Par de rozetas de ouro coiu brilliantcs.
16708 1 Relogio de ouro de lei.
16713 1 Broche de ouro com camaphon de co-
ral, 1 corrente e sinete de ouro para re-
logio.
1671. ) Salva, prata de lei.
16717 1 Par de rozetas de ouro cen esmeral-
das circuladas de brilhantes. 1 par de
brincos com ditos, 1 par de bri .eos
com brilhantes. pequeas coininendas,
1 cruz com hritbautes e 1 fio d<: pvrolas.
16720 1 Pulseira, 1 medalhi, 3 pares de brin-
eos e I dito de rozetas, ouro de lei.
16744 1 Adercco de ouro. contendo 1 pulseira,
1 broche, 1 par de rozetas crav^jauas
de brilhantes c diamantes, 1 volta de
ouro contendo I peca cravejada coiu
brilhantes e diamantes.
16745 1 Annel de ouro com um brillante peque-
o, 2 brilhantes sob-papel. I allinete
com 4 ditos e 3 rubins. 2 alli..etes, 1
pulseira. 2 uiedalhas, 1 volta de ouro,
2 correutes para relogio, 1 cordo, 1
bentinho de ouro, 1 cruz ouro de lei, 1
moeda de ouro.
16747 1 Corrente de ouro para relogio e i Irau-
celins, ouro de lei.
16749 1 Par de briacos, 4 anneis c 1 cruz, ouro
de lei.
16750 1 Cordo, 1 allinete, 1 par de brincos, 1
dito de rozetas ouro de lei.
16758 1 Corrente de ouro para relogio, ouro de
lei.
3*
Someno .
Mascavado
Usina Pinto:
Branco 1*
2*
Someno
Mascavado
1*500
t#!tO0
1*600
4*000
25300
3*000
1*500
A exportago. feita pela alfandega ueste mez
at o dia 18, attingio a 50 2.576 kilos, sendo...
1.972.526 para o exterior e 3.030.050 para o inte-
rior. .
As entradas verificadas at a dala de boje, so-
bem a 69.440 saceos, sendo por I
Barcacas .... 24.017 Saceos
Vapores..... ......
Ammaes. 4,056
Via-ferrea de Caruar. 5.852 c
Via-ferrea de S. Francisco. 33162
Via-ferrea do Lnoeiro 2.353
Somma.
69.440 Saceos
Pela barca portugueza Ceres, foram reuiet-
tidos 1.590 saceos com assucar mascavado para
o Porto.
Couros
Cota-sc a 370 rcis os seceos salgados.
Agurdenle
Cota-se a 88*000, por pipa de 480 litros.
AlI
Mantcm-so a cotacao de 170000 por pipa de
480 litro.
ti el
Coia-se a 50*000 por pipa de 480 litros.
Patita da alfandega
MYUNA 18 i 23 DE MARCO DE 1889
Vide o Diario de 11 de Marro
\avios carga
Barca portuguesa Ceres, para o Porto.
Lugar sueco Brifoit, p.ira Liverpool.
Patacho inglez Feggie, para tfcaneweo.
Patacho noieguen^e Oefin, para Motas.
Savios a descarga
t*caho.
16763 4 Pulseiras de ouro, 2 voltas, 1 medalha,
1 corrente medalba para relogio, 1
broche, 2 pares de brincos, ouro de lei.
16777 1 Trancelim ouro de lei, 1 emblema do
Espirito Santo e 1 liga, ouro baixo.
16797 1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhan-
tes pequeos.
16810 2 Botoes de ourc com brilhantes.
16804 1 Belogio ouro de lei.
16808 2 Pulseiras, 1 allinete, 1 par de roietas.
2 anneis ouro de lei, 1 trancelim, 1 an-
nel. 1 cruz, ouro baixo.
16810 1 Vultadeouro, 1 medalha,! relogio,ou-
ro de lei.
16821 1 Corrente de ouro de lei para relogio.
16838 1 medalha de ouro de lei cora nix.
16845 1 Par de rozetas de ouro com brilhantes
0 1 annel com ditos.
16850 1 ulseira de ouro com brilhantes e sa-
fhyras.
rncelim, 1 volta de dito, 1 moeda de
ouro com layo, 1 pulseira pequea, ou-
ro de lei.
16858 1 Volta de trancelim, 1 rozeta, 1 annel
ouro de lei, 2 pares de brincos e 1 cruz
ouro de lei.
16862 1 Conlao#l medalha. 5 anueis, 2 botoes,
1 teteia, ouro de le, 1 par de brincos c
1 aunel, ouro baixo.
16865 1 Par de rozetas de ouro com brilhantes,
L. pulseira, 1 dita de broche, 1 par de
brincos cravejados de perolas, ouro de
lei.
16873 1 Trancelim e 1 flga, ouro de lei.
16875 1 Relogio ouro de lei.
16878 1 Trancelim e 2 relogios, ouro de lei.
1688.'! 3 Pares de brincos, 1 dito de rozetas, I
cordo e 1 annel ouro de lei.
16895 2 Pares de brincos cravejados de brilhan-
tes pequeos.
16898 2 Pares de brincos, 6 andis e 3 botoes,
ouro de lei
16907 1 Medalha com diamantes, 6 botoes com
Eerlas, ouro de lei, 24 garfos, 24 ca-
os com facas, 2' pares de trinchantes,
tudo de prata de lei.
16911 1 Pulseira, ouro de lei.
16915 1 Annel de ouro com 1 brilhante.
16917 1 Pulseira. ouro de lei.
16922 1 Laco de ouro de lei.
1693112 Comeres para sopa, prata baixa.
16939 2 Broches, 2 pares de brincos, 1 dito de
roseta, i trancelim, 1 medalha e 1 livela,
ouro de lei.
16940 i Voltas de trancelim, 3 teleias de ouro,
3 pares de .osetas, 3 anneis, ouro de
lei, 1 bracellete com coral, ouro baixo.
16947 1 Trancelim, ouro de lei.
16952 I Annel de ouro com 1 pequeo brilhanlc
e 1 par de brincos, ouro de lei.
16953 1 Par de brincos, 1 volta de ouro, 6 an-
neis, 1 teteia, ouro de lei.
16972 1 Pulseira, 1 allinete, 1 par de rosetas
ouro de lei.
16979 1 Corrente dupla com medalha para relo-
gio, ouro de lei.
16982 2 Pulseiras, 1 correntio, 1 allinete, 1 tran-
celim, 1 par de brincos, 4 peyas de dito,
1 par de rosetas, ouro de lei, 1 pulseira,
ouro baixo.
16984 1 Pulseira iusompleta, 1 volta de ouro, 1
cordo, 1 medalha, 1 alfnetc, 1 par de
brincos, ouro de lei.
16985 1 Relogio de ouro paro senhora.
16987 1 Annel de ouro cora 1 brilhante.
16992 1 Annel de ouro com 1 brilhante, 1 pul-
' seira, 1 volta de ouro e 1 medalaa, ouro
de le.
17026 1 Cruz de ouro com um crucificado, ouro
de lei.
17031 1 Trancelim e 1 cordo, ouro de lei, 1
cruz, ouro baixo, 1 salva e 2 castiyaes
de prata.
17032 1 Paliteiro e 12 colheres para sopa, de
prata.
17033 I Cargantilna, 1 volta de ouro, 1 tran-
celim, 2 cruzes e 1 par de brincos, ouro
de lei.
17036 1 Pulseira, 1 par de brincos, 1 tranceln)
e dedal, ouro de lei.
17041 I Belogio, ouro de lei.
17042 1 Corrente para medalha (para senhora i.
1 pulseira, 1 par de'brincos e 1 dedal,
ouro de lei, 1 relogio de ouro para se-
nhora.
17045 1 Corrente para relojfio, 2 pares de brin-
co, orno tle lei, 10 moedinhas de ooro
em botoes.
17051 1 Corrente e 1 sinete para relogio, ouro
de lei.
17C58 2 Alfiuetes, 2 pares de brincos, ouro de
lei.
17062 1 Annel de ouro com brilhantes pequeos
e 1 relogio (de senhora) de ouro.
17070 1 Corrento, 1 corrente para relogio fal-
tando chave, 1 moeda de ouro com ar-
gola e 1 relogio de ouro, tudo ouro de
lei.
17082 1 Corrente e medalha pararelOjiio 0 2 an-
neis, ouro de lei.
17U90 1 Pulseira, 1 par de brincos, 1 luneta e 1
annel ouro de lei, 1 volta de cordo e 2
teteias, ouro baixo.
17091 1 Volta de ouro com medalha, 1 medalha
de ouro com ayo e 1 annel. ouro de
lei.
17099 1 Relogio de ouro de lei.
17102 1 Par de rosetas de ouro com brilhantes
pequeos e 1 grampo de ouro.
17112 1 torrente para relogio, 1 par de brinco,
2 anneis e 2 relogios, ouro de lei.
17113 I Relogio de ouro de lei.
17114 3 Trancelins, 1 cordo, 1 redoma e 1
cruz, ouro de lei, 1 cordo de ouro
baixo.
17117 1 Relogio, ouro de lei.
17131 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhan-
tes, l cruz com ditos, 2 aunis com di-
tos e 1 fio (Je perolas.
17139 1 Annel de ouro com brilhantes peque-
nos, 1 trancelim, 1 medalha, 1 allinete,
3 pares de brinco, 1 dito de rosetas, 1
Brigue sueco Pepita, carvo.
Lugar inglez Yidonin, bacalho.
Lugar inglez Dora, bacalho.
Lugar inglez Coritame, bacalho.
Lugar inglez Leander, bacalho.
Logar americano Robert Y Barr, farinha de trigo
Lugar nacional Loyo, alfafa.
Patacho allemSo Auna, farello.
rniiortaeo
Vapor inglez Paraense entrado de New-York e
escala em 19 do corrente e consignado a Johns-
ton Pater a C, manifestou :
Bauha 150 barris.
Farinha de trigo 2.000 barricas.
Kerosene5.800 caixas.
Machina para descarocar algodo 5 caixas.
Oleo de napbta 50 caixas.
Toueiubo JO barris a ordem.
Exportaco
rbcif*, 19 ,dk uakco de 1889
Para o exterior
No \apor iuglez (ellivara, carrcgaurain :
Para Liverpool? C. Y. deLemos 4,(W0 saceos
cora 160,000 kilos de carocos de algodo ; J. H.
Boxwell 2,00o saceos cum 15,000 kilos de assucar
mascavado.
Para o interior
No patacho nacional Ida, carregaram :
Para Porto-Alegre, P. arneiro & C. 300 sac-
eos com 22,500 kilos de assucar mascavado
Para Pelotas, Viuva de M. F. Marques A Filbo
400 barricas com 38,520 Kilos de assucar branco
No hiate nacional Neptuno, carregaram :
Para Cetra, P. Carneiro & C. 50 saceos com
3,0^0 kilos de feijo e 648 saceos com farinha
de mandioca ; Amorim Irmos C. 40 barris
com ">.80O litros de mel
No hiate nacional Deus te Salve, carrega-
ram : *
Para Camossim. Ramos Ceppert & C. .200 cac-
eos com farinha de mandioca.
Para Acaraba, P. Finto 4 C. 13 barris com
1,170 litros de mel; E. C. Beltro & lrmo 4
barricas com 204 kilos de assucar mascavado.
Na barcaya Sova Brasilea, carregaram :
Para Aracaty, F. Masearenhas 350 sacros com
(aliaba de mandioca e 10 ditos com 600 kilos de
milho ; Amorim rmaos & C. 40 saceos com
2,400 kilos de milho.
.Na barcaca Correio Parahybamo, carregou^
Para Paralryba, J. M. Dias 2 caixas com 101
de rap.
Rendlmeatos pblicos
MEZ DE MARCO
Alfandega
17141
17161
17164
17166
17167
17168 1
17169 1
17185
17190
17215
17216 1
172.33 1
17239
17240
17254
17264
17269
17270
17273
17280
17283
172f4
17289
17 90
17292
17293
17294
17295
17297
17303
17304
17306
17309
17310
17311 1
17313 1
17317
17318
17319
17320 I
peca de pulseira e 5 anneis, ouro de
lei.
1 Relogio de ouro (com argola de prata).
1 Par de botoes, ouro de lei.
Pulseira, 1 allinete. 2 trancens, 1 cor-
do e i medalha pequea, ouro de
le.
1 Corrente para relogio, ouro de lei.
1 Corrente e sinete para relogio, ouro
de lei.
Broche de ouro para retrato, contendo
1 corrente de brilhantes, 1 par de brin-
cos com brilhantes, | botoes com ditos,
anneis com ditos.
Cuz de ouro com 7 brilhantes peque-
nos, 1 par de rosetas com 2 brilhantes,
1 dito com 6 ditos, 2 anneis com bri-
llantes e 2 lio de perolas.
1 Par de rselas de ouro com 2 brilhan-
tes, I mu! co 3 dito?, 1 cruz com
dito. 1 lio ile perolas c 1 pulseira com
diamante, ouro de lei.
1 Relogio, ouro de lei.
1 Corrente para relogio, ouro de lei, 2
moedinhas em boto e 1 relogio, ouro
de lei.
Annel de ouro com 1 pequeo bri-
lhante, 1 volta de ouro e 3 anneis, ouro
de lei, 1 volta de cordo, 1 annel e 1
par de boles riucompleto) ouro baixo.
Correnle e medalha para relogio, 1 tran-
celim 1 cruz. 2 peyas de brinco, 5 te-
teyas de ouro, 3 anneis e 1 par de bo-
toes ouro de lei.
2 Pares de roietas com brilhantes peque-
nos, 1 cruz cora ditos. 1 pulseira, 1
volta de ouro cora medalha, 2 cerremos
fiara relogio, 1 volta de trancelim e fcre-
ogio de ouro para senhora, ouro de
le.
1 Par de rosetas de ouro com brilhantes
1 annel com 5 ditos e 1 dito cora 1
dito.
1 Volta de trancelim, 1 medalha e 2 pa-
res de brincos ouro de lei.
1 Correnle para relogio. ouro de lei.
2 Correles, 2 raedalhas de ouro para re-
logio, ouro de lei.
3 Pulseras, 1 medalha e 1 dedal de ouro
de lei.
12 Colheres para sopa, 12 ditas para cha e
2 conchas grandes prata baixa.
2 Pulseiras, 1 volta de ouro, 2 botoes e 1
alliueite, ouro de lei.
1 Coco de prata para agua.
1 Trancelim, 1 par de rozetas ouro de lei,
2 colheres para sopa e 1 dita para cha,
de prata.
1 t.'ordao, ouro de lei. I
1 Trancelim. ouro de lei.
1 Pulseira, 1 par de brincos I cruz de
ouro cravejada de diamantes, 1 salva, 1
paliteiro, 13 colheres para cha, prata
de lei.
1 Pulseira, 1 broxe, 1 por de brincos de
ouro de lei. contendo brilhantes.
1 Annel de ouro com bnlluntes. 1 dito com
um rubim e circulo de brilhantes.
4 Casticaes, I pialo thesoura (para vella)
pralo de lei, 1 vaso de praia baixa.
1 Par de rselas de ouro com 2 brilhantes
e um boto com 1 dito.
1 Pulseira, 1 alfinUe, 2 pares de brincos.
I luneta, 1 trancelim, 2 anneis ouro de
lei, 1 gargoulilba, 1 pulseira e 1 alline-
te, ouro baixo.
1 Allinete, 1 pulseira, 1 par de brincos, 1
dilo de rozetas incompleto nuro de lei,
4 colheres para cb.
1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhantes,
1 medalha de ouro com 1 dito, 2 pul-
seiras ouro ile lei.
1 Pulseira, 1 par de argoloes e 2 voltas
de trancelim. ouro de Iti.
1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhantes,
1 cruz de ouro com ditos pequenos.
t lio de perolas, 1 vapor, I paleiro, 2
castiyaes pequenos, 6 colheres para sopa,
7 dilas para cha, de prata.
Broxe de ouro com perolas, 1 volta
de trancelim. 1 emblema da Conceiyo,
1 medalha, peqneun. 1 moedinha de ou-
ro, tudo ouro de lei.
Cordo,! medalha, 1 allinete, 1 cruz.de
ouro de lei.
1 Salva de prata de lei.
1 Par de caslirs prata de lei.
1 Par de rozetas de ouro com perolas. ru-
bim, I medalha ouro de lei.
Jarro C baca e 1 salva grande, prata de
lei.
Relogio de ouro para senhora.
do e 1 medalba, 2 ernzes ouro de lei 1
trancelim ouro baixo.
17365 1, Pulcei-a de ouro com 1 brilhante peque-
no, 1 trancelim e 1 corrente de ouro para
relogio, ouro de lei.
17363 1 Annel e 1 alfinete ouro de lei.
17368 1 Alfinete, 2 medalhas,2 pares de brincos
e 1 volta de cordo, ouro de lei.
Recife. 7 de Marco de 1889.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelho.
London & Brasilian Bank
Limited
Roa do Commercio 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesnio banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
17321 1
17322 18 Colheres para cha, prala de lei.
1?323 1
17324 l
17325
17327
17328
17331
17336
17338
17342
17346
17344
17349
17350
17352
Cordo. 1 allinete. 1 par de rozetas ouro
de lei.
Trancelim. 2 voltas de dito, 2 pares de
rozetas, 1 annel c 2 moedinhas. ludo
ouro de lei.
1 Correnle para relogio ouro de lei, 1 re-
logio de ouro e 1 figura de prata.
2 Anneis de ouro com 2 brilhantes, 1 dilo
enm I esmeralda e pequeos brilhante?.
13 trancens. 2 eordOes, 1 pulceira de
requilifes, 2 pares de botoes, 1 cruz, 1
annel ouro de lei, 1 par de rozetas e I
cruz cravejadas de diamantes.
1 Annel de ouro com 1 brilhante.
2 Mcdalhas e 1 annel com diamante ouro
de lei.
1 Volta de euro de lei.
3 Pares de brincos, 1 dito de argoloes, I
volta de ouro e 1 medalha ouro de lei, 1
colheira de prala.
1 'ulccira ouro de lei.
1 Cruz de ouro com 6 brilhantes e 1 volta
de trancelim.
I Broche de ouro cora brilhantes.
1 Paliteiro e 13 colheres para cha, prata
de lei.
1 Correnle dupla para relogio ouro de lei.
1 Trancelim grosso, 2 ditos finos, 1 cor-
Do dia 1 a 19
dem de 20
451:5305-86
28:875272
Renda provincial :
Do dia 1 a 19 6O5O2J607
dem de 20 3:172*239
480:406*158
63:674*846
somma total 544:881*004
Segunda secco ta Alfandega, 20 de Marco de
1889.
8thcsoareiro-Flerencio Domingues.
chefe da secyo Cicero B. de Mello.
Recebedoria Geral
Do dia 1 a 19 49:141*705
dem de 20 3:754*204
52:895*909
Recebedoria provincial
Da dia 1 a 19 14 3254420
dem de 20 829*374
15:154*794
Recife Drainage
Do dia 1 a 19 32:563*501
dem de 20 612*984
33:176*485
Mercado Municipal de S. Jo-
O movimento deste merca.do no dia 19 de
Margo foi o seguinte :
Eutrarara :
22 Ii2 bois pesando 4,175 kilos.
214 kilos de peixe a 20 ris 4*180
55 eargas de rarinha a 200 ris 11*000
4 ditas de (rodas .ii versas i 300
ris 1*200
10 taboleiros a 200 ris 2*0(>0
17 sumos a 200 ris 3*400
16 matulos com legumes a 200 ris 3*200
Foram oceupados:
27 columnas a 600 16*200
i escriptorio a 300 ris 300
23 compartimentos de farinha a 500
ris 11*500
25 ditos de comidas a 50Q ris 12*500
92 ditos de legumes a 40*ris 36*800
18 ditos de sumos a 700 ris 12*600
9 ditos de fressuras a 600 ris 5*400
42 tamos a 2* 84*000
204*380
Rendimen is 1 a 18 cor-
renle t i 6*440
cozrm ::::
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posigao nanceira ("Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000 '
Fundos accumulados 3.134,348
Reccita animal :
" De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. BoxiveU.
mmmukm*
Royal Insurance Company
de Liverpool
C1PIT.IL
'.000:000
AGESTES
R.DE DRUSINA&C.
13Rita Mrquez de Olinda13
AGENTE
Compauliia
Imperial
Foi arrecadado liquido at boje 3:630*820
Precos de dia:
Carne verde de 400 a 560 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 15 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 560 a 680 reis a cuja.
Milho de 380 a 440 reis idem.
Fe-:ao de 900 a *401 idem.
Matadouro publico
Neste estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 69 rezes pertencentes a diver-
ses marchantes.
Vapores a entrar
MEZ DE MARCO
Europa....... Vtlle de Macelo-----
Sul........ Neva............
^ul........... Adcance.........
Europa....... Campias........
Norte......- Pernambuco ..'-----
>ul........... Britania.........
Europa....... Vdle de Santos
Sul........... Marmnhao........
Norte......... Finante .........
Europa....... Tomar...........
Sul........... Trent............
21
21
23
24
25
25
27
27
27
29
31
Vapores a sabir
MEZ DE MARgO
Antuerpia Neva............. 21 as
Santos e esc. Ville de Maeei.....21 as
Rio Formoso. Mandahu'......... 22 as
Rio de Janeiro Jacuhype.......... 23 as
New-York-----.Adcance.......... 24 as
Liverpool Britania.......... 25 as
Sul. ....... Pernambuco....... 25 as
antos e ese. Campia^......... 25 as
Ceara e esc... Um.............. 26 as
Sol.......... Finonce........... 27 as
Havre e esc.. Maranhao......... 28 as
Buenos-Ayres. Tama)-............29 as
Antuerpia.... Trent............. 31 as
h.
h.
b.
h.
b.
2 11.
5h.
4h.
5
4
5
4
4
b.
b.
h-
Wovimenlo do porto
y Navios entrados no dia 20
Genova e escala44 dias, vapor italiano Sarg,
de 84 toneladas, coramandante Guiseppe Ta-
rarossa, equipagem 14, carga varios gneros:
ordem.
Feriando de Noronha36 horas, vapor brazile;
ro Una, de 258 toneladas, commandante
r (m da Silva, equipagem 21, em la^a
Companhia Pernambucana.
Sahidos no ~"
Porto e LisboaBarca
taoJos Rodrig
BarbadosBarca
Jacobsen ; em
->
Companhia de Seguros
Miguel Jos Alves
v. 9Ra do Bom J<-u -"X. V
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestcs .ltimos seguros a nica companhia *
nesta prac que concede aes Srs. segurados semp-
cao de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento era favor dos segurados.
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercaderas
Taxas baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
lis. I O 00:000*000
OESTE
BR01t.\ *V C.
N. 5RUADO COMMERCION
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool k London & Globe
etsuroce cdmpany
*Rua do Commercio n. 3
" SEGKOST-
)I iRTIMOS COSTRA FOGO
Companhia PhenlxPcr-
naiubiK :m;i
RA DO COMMERCIO N. 26 1. ANDAR
INDEMNISADORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
MaMtoeMa -m isss
CAPITAL 1.000:000^000
SINISTROS PAGOS
At 31 de Dezembro de 1884
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000#000
44Ra do Commercio44
t
f
I
i
1


-


^w

)
!
I
*.

'
1 -


'
Diario de PernambucoQuinta-feira 21 de Marco de 1889
X
S. SALVADOR
CHARGEURS REUNS
Francesa
a vapor
o Havro, Lisboa,
Rio de Janeiro e
M@3M D
PARA O PAREO
GRANDE PREMIO M'RENSA BAHJWA
Na corrida que se realisara no lia 21 de Abril d
f .900 Metros. Animaes nacionaes de meio sanguc. Premios:
um ihimmiom
DO
Jo 3r\. *\. J-j XXj
Capital
90.000:000*
e 1889
1:3000000 ao
primeiro, 500*000 ao segundo, 200*000 ao tcroeiro e 100*000 a quarto.
Inscripco OOSOOO
Observacoes
Nao se rcalisar este parco scn que se inscrevam animaes de proprietarios
differentes.
Os proprietarios devero aprcsentar certidSo do Stud Book do prado onde
tenha corrido o animal que inscreverem.
A inscripco encerrar-se-ha no 41a 11 de Abril, na secretaria do Hippo-
dromo, ra do Palacio n. 16, Babia.
Baha, 9 de Marco d 1*89.
O SECRETARIO,
__ A.Coutinho. ^
carimbados e firmados
pelo gerente, semo que
nao tero valor algum.
George Windsor,
Gerente
SANTA CASA "
CASAS PARA \ I I \ K
Ra da Moeda n. 49, armazem 240*000
dem do Vigario Tenorio n. 27, leja 210*000
dem idem n. 22, 3". uudar 180*000
dem idem n. 23, I. andar 360*000
dem do Bispo Sardinha n. 3, i. e 2.
andares e soto 400*000
dem do Mrquez de Olinda, sobrado
n. 44 2:131*000
dem do Bom Jess n. 29, i. andar 240*000
dem de Domingos Jos Martins n. 136,
loja c 1" andar 400*000
dem de Thom de Souza n. 14,1" andar 200*000
dem do Baro da Victoria n. 41, ar-
mazem 1:200*000
dem Imperial n. 151. casa terrea 360*000
Travessa de S. Pedro n. 2, casa terrea 360*000
S. Lourenco da Malta 60*000
CoMipantala
DE
.\avegaeio
jinha quinzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O vapor
* ille de Santos
Commandante Tauquery
E'esperado da Europa at o dia 27
de Marco, seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-seaos Srs. importadores de carga pelas
vapores dest liaba, queir.nu aprcsentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamaco concerncnte a volumesque
porventura teuham seguido para os portos do
sul afim de se poder dar a lempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido Brazo a companhia nao se
rosponsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, ene
aheiro a (reta : trata-secirn o
AGENTE
e di-
Augusto Labille
-RA DO COMMERCIO-9
Ultimo leilo
.Ho armazem da ra Mrquez
de Olinda u. 5*
onde sero vendidos :
Pecas de papel, forro de casa, a 100 rs.
Machinas de costura de mo a 1*000.
Ditos de p com mesa a 2*500.
Chapeos parasenhQra a 1*200.
Lma burra de Milner de 2 portas por 3005000.
Jrralas com champagne a ion re.
Ditas de cognac e rhum a U00O.
Ditas com vinbaot vinagre a 20 ,'g.
Lvios diversos, voluiiii-s'. a IG0 re.
Molduras douradas, nvues, brandes a 1 iOOO,
Quadros dourados a l *0 o.
Camas de ferro para meninos u 1300.
Uracos a gaz a 160 re.
Bombas a 5*000.
Gafeiras para collegio a 3*000.
Candieiros para azeite e kerosene a 300 rs.
Moiies e cadernaes a 500 rs.
Hoje, as 11 horas em ponto
O agente Pinto, tendo de entregar amanh a
rliave do armazem da ra Mrquez de Olinda
n. 32. por ter se mudado para o da ra do Bom
Jess n. 43, levara a leilo todos os objectos ci-
ma mencionados e mnitos outros servindo de
base asoffertas obtidus sem dimito de reclama-
dlo por parte do donos.
Aluga-se a casa n. 1 ra Lembranga do
Gome3, em Santo Amaro ; a tratar na ra da
Imperatriz n. 32, 2- andar.
Precisa-se de urna ama que cosinhe e com-
pre para tres pessoas ; no oito do Corpo Santo
numero 25.
Preci-a-se de un menino para criado de
pouca familia ; a tratar mi ra das Trincheiras
numero 18.
Precisa-so de ..m caixeiro de liu 14 annos,
rom pratica de molhados ; a tratar na ra Bella
numero 37.
Precisa-se de una perfeita cosiolieira e de
boa conducta na ra da Imperatriz n. 36, pri-
meiro andar.
Precisase
Ferreiros n. fi.
de um criado ; no becco dos
AMA = Precisase de urna, para cosinhar e
comprar para duas pessoas ; na ra da Penha
n. 21, 2- andar.
Roval MaiJ Steam Packet
Companhia
O vapor Tanar
Espera-se da Euror
Marro, seguindo depois
dem realisado 1 9,000:0000
A caixa filial deste Banco funeciona
ra do Commercio n. 40, sacca, vista ou
aprazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONDON.. (Banco Internacional
< do Brasil,
( London office.
( l.ondon dk C'ounly
( Banking Company L.ld
PARS......(llanque de Pars dtdes
(
Pays-Bas
Deutsche Bank.

Bank d'Anvers.
Banca Genrale e suas
agencias.
Banco Hypotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
Ham burgo..
Berlim.......
Bremen.....
Fr an k fur t
sur Main...
' Antuerpia..
Roma........\
Genova......,
aples.....j
Milaoeinais >
340 cida-1
des de Ita- J
lia.___...../
Madrid......>
Barcelona..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona.
Valen ca e /
entras ci-
da des d a
Hes pa nha
e ilhas Ca-
narias ......
Lisboa......
Porto e mais
cidades de
Portugal e
ilbas.......
Buenos Ay-
res .........,
Hon tevido
NovaYork. G. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do estrangeiro.
Recebe dinbeiro em conta corrente de
aevimento com jaros na razao de 2 /0 ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, H liam M. Westber.
a at o dia 20 de
da demo-
ra do costme para
Hacei, Baha, Rio de Janeiro.
Mantos. Montevideo e Ruenos-
Ayres.
Para passagens, fretese encommendas trata-
se com os AGENTES.
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
E' esperado do sol no dia 31 de
Marco e seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, vlgo. Seuthamptou e
Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida Ida e volta
k' Lisboa 1 dasse 20 t 30
A' Southampton Ia classe t 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Argentina, aos vapores e navios pro-
cetes do Brasil, os vapores desta" companqia nao
aceilaro passageiros nem carga para Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorimlrmos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
1 Agente Brito
Leilo
De urna armuciio.di: louro. baluncas, pesos e
medidas existentes na casa ra Dias Cardoso
n. 39, outr'ora Caldeireiro.
Ao correr do martello
Quinta-feira 21 do corrente
A'3 10 i |2 horas
Leilo
- Olferece-se urna senhoai para casa de ho-
mem solteiro ou viuvo, tendo habilitaco de casa
de familia, preferindo pessoa de fra da cida-
de ; na ra da Roda n. 16, achani com quem
tratar.
Dese o da 2o de Fevereiro nao e pjssivel
encontrar com o Sr. Dr. A. A. A, pede-se qe
appareca no faro da Patria n. 5.
Ao Sr. M. T. A. L. pede-se que verilw dar
solurao sobre aquillo.....
- Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Falcao
se entrega ou nao os movis que estao em seu
poder lia dez annos.
Ao Sr, -apito F uucisco-Antonio de S
Brrelo qc respoeta d\ uaqueue negocio.
a pessoa que precisar de um criado ou co-
sinheiro bom, para fra dsta provincia, dirja-
se ao largo do r'orle n. 43.
De diversos fardos de saceos de estopa em
cortes para assucar, urna factura de lindos ob-
jectos de amostras como seiam, caivetes finos,
carteiras. tinteiros, venlarolas, oculos, espelhos,
oleados, frascos, com extractos phosphoreiras,
lengos. ponteiras, caximbos, grvalas, thesouras,
broches, correntes, cacoletas, guarnices para
camisas, brincos, cruzes, escovas para roupa c
sapatos, lindos objectos para cima de toitet, sa-
bonetas finos, mifldezas, fazendas. roupas feitas,
movis, pianos, louca?. vidros e muitos outros
artigo*.
Mnta-feira 99 do eorreute
As 11 horas
No armazem na Mrquez de Olinda
n. 48
Por Interveneo do agente
Gusmo
Pede-se ao gr. Romio Jos da Silva Mar-
ques para liquidar tontas com o seu socio Dias,
licando cada um com o que de direito Ihe per-
^^SJSX^^o^So^iSi 2SS? -olchoadaV/br-anVa; 7ie cores a
GRANDE L1QUIDAGA0
Na Loja das Estrellas
S6-Ru Duque de C\is-o8
Telephone n. *lO
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fezer grande U-
quldaeo de todos os saldos que
iicaram de balango, por menos
50 ie do seu valor, cujos artigos
passam s a demonstrar:
Artigos de le
Esguiao, pe a, a 30500.
Madapollo com um metro de largura de
MI por 7,5000
dem idem americano de 8?) por 5)$000.
Aigodao marca T, especial, muito largo,
de 7# por 5#000.
Bramantes, pecas, por 7^000.
Atoalbados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a H e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de lnho para bordar a {500 o me-
tro. ,
Bramantes de lnho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lenjos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia. *.
Toalhas de fustao, qualidade superior, a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
rpar
se que de qualquer forma tem de prestar contas
a sociedade.
0 amigo da paz.
Aceten imran*r<-rivtiN rom a a."
. Marco Par
Correr com a 2. de Abril,
da extraego.
de
Pagamento antes
co
i\lll*
Banco de Portugal c
suas agencias.
The London & River
Plata, Limited.
MARTIMOS
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 23 de Marco
o qual depois da demo-
ra necessaria seguir
para o
naranho. Para, Barbados,
Thomas e New-York
Para carga, passagens, encommendas o
nheiro a frete : tratase com os AGENTES.
di-
Pede-se aos Senho-
res consummidores
que queiram fazer
qualquer communica-
go ou reclamac,o, se-
jaesta feitano escrip-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
29, onde tambem se re-
ceber qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se-
nhores Hermillo Fran-
cisco Rodrigues Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Oliveira, e
quando for preciso o
Sr. Antonio Martins
Carvalho.
Todos os recibos
destaempreza devero
ser passado em tales
O vapor Finance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 27 de Mar-
co o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Manto
Henry Forster & C.
8Ra do Commercio8
1* andar
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do norte at
o dia 23 de Marco e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul-
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas so serao recebidas na agen-
ta ati'' 1 hora da tarde de dia da sabida.
Para'carga, passagens, encommendas e valo-
res tra'a-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Maranho
Commandante o eapitSo de fragata Pedro
Hyppolyto Duarte
gM E' esperado dos portos do sul at o
4"aM^ dia 27 de Marco e seguindo depois
2lda demora iu 11-pensavei para os
mmmBBportos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia ta sabida.
Para carga, encommen'las. passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pereira Cameiro & C.
6Ra do Commercio=6
1 andar
l'KH^lHHICni
DE
Xavegaeao eostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mostoso, Araea-
ty e Cear
. O vapor Una
Commandante Serapbim da Silva
Segu n dia 26 do corrente as 3
horas da tarde. Recebe carga al o
dia 25.
Caixeiro
Precisa-se de um caiseiro de 12 a 14 annos,
que queira tomar pratica em miudezas e cigar-
ros, preferindo-sc ser do malo ; a tratar n ra
do Fogo n. 18.
jB^jS^-
Encommendas, passagens e dinbeiros a frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes -da Companhia Pernambucana
n. 12
COMPAXUIA PEK.MHBiriVt
DE
\avegaeo eostelra por Vapor
Rio de Janeiro
. O vapor Jacuhype
Commandante Esteves
Segu no dia 23 do corrente as
B horas da tarde. Recebe car-
at o dia 22.
Encommendas, passagens e dinbeiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRD7TORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
< OMPAMII*
K'AV
PEBVA
DE
.favegaeo eostelra por vapor
PORTOS DO SUL
Rio Fornoso e Tamandar
O vapor Mndahu
Commandante Alcides
Segu no dia 22 de Marco s 5
horas da manha. Recebe carga at o
dia ..
Passagens at s 4 horas da tarde do dia 21.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n.12
Rio Grande e Pelotas
Para os portos cima, segu com brevidade o
lugar brasileiro Uarmho VII; para carga trata-
se com os consignatarios Jos da Silva Loyo 4
Filho.
LEILOES
Hoje, contina o agente Pinto o leilo dos
objectos existentes no armazem da ra Mrquez
de Olinda n. 32, ao correr do martello, por ter
mudado seu cscriptorio para o armazem da ra
do Rom Jess n. 45.
Pacific St:7m Navigation
Con panj
STRAITSOFMAGELLAN LLNE
O paquete Britania
Espera-se do sul at o dia
23 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
Lisboa. Bordeaux e Plymonth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Hilson, Sods i L Limited
14RA DO COMMERCIO14
Leilo
De roupas feitas novas e usadas
Hoje. 21 do corrente
A's 11 horas
Na taverna da Ra do Vigario n. 6
O agente Alfredo Gnimares, fpor mandado
do jExm. Sr.- Dr. juiz |de ausentes e a re
querimento do Sr. cnsul de Portugal, lijvara
leilo as roupas assim mencionada? pcrlencentes
ao espolio do fiando portuguez Manoel Goncal-
ves Ferreira.
Agente Pestaa
Leilo
Da importante casa terrea sita ra Mr-
quez do Herval n. 139, servindo dej
base a offerta de 2:700#XX).
Sexta-felra S9 de Mareo
A's 11 horas em ponto
No armazem ra da Cadeia n. 14, lutje
Mrquez de Olinda
EM CONTINUACAO
vender o mesmo agente, 1 avallo rodado, sel-
lado e enfreiado, 1 piano de Pleyel, urna mobi-
lia de pao carga. 1 guarda-vestido de amarello,
1 guarda-louca,*l mesa elstica de mogno com
7 taboas, 2 bridos e arre ios para ca vallo, es-
pelhos, jarros, talheres, apparelhos de almoco e
Jantar, copos, garrafas, camas para criangas,
eros, marquezOes largo e estreito, 1 cofre
pro va de fogo, camas para casal e outros muitos
objectos que estarao presentes no acto do leilo.
Agente Silveira
Leilo
De predios e terrenos
Na estrada de Caxang na Barreira
*e\ As 11 horas
No armazem | rna do Imperador n. 45
O agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de or
plios levar a leilo 2 terrenos e 8 casinhas na
estrada nova de Caxaag na Rarreira, espolio de
Rarnabe Caldas Lins.
Os Srs. pretendentes podem examinar
Precisa-se de urna ama
saiba cosinhar na ra Rar da
segundo andar.
jue laca compras e
Victoria n. i o,
Ama
Precisa-se de urna ama que cosinhe
do Imperador n. 2, primeiro andar.
na ru
Precia-se de
Victoria n. 35.
Amas
duas amas ; na ra Rariio da
Caixeiro
Precisa-se de um menino para caixeiro de ta-
verna, que tenha pratica e de conhecimento de
sua conducta ; na ra Coronel Suassuna nume-
ro 149.
Leilo
De bons movis, 1 piano forte, 1 cabrio-
let, com arreios, 1 cavallo para cabrio-
let, cabecada, brides, cortadeiras, louca
e vidros.
Sendo :
Urna mobilia de junco, com consolos de mar-
more e cadeiras de balaneo, 1 piano forte, ca-
deira e estrado, 1 mobilia imitando Jacaranda
com cadeiras de balaBco, 3 pares de jarros, 2
ditos de lanternas, 2 tagers, 9 quadros. tapete
para sof, capachos, i cama fraaceza, 1 toilet
de mogno, 1 bidet, 1 com moda inteira, 1 cabide,
i marquezo e 1 colcha para cama.
el'ma mesa elstica de 3 taboas, 1 guarda-
jca de amarello, 1 meia mobilia de pao-carga
(torneada). I machina de costura, 1 bonito banco
com toldo, 1 mesa para desenlio, 2 planchitas, 1
relogio de parede, louca de jantar, 1 apparelho
de porcelana para cha, garrafas, oompoteiras,
copos, tacas para champagne, colneres para
sopa, ditas para cha, bandeijas, i redoma para
santo, camas de lona e diversos cretona.
Um silho, 1 sella, 2 cabecadas, brides, cor-
tadeiras, 1 cabriolet com arreios e 1 cavallo para
o mesmo.
ftexta-felra 99 de Mareo
A's 11 horas
No 2o andar do sobrado da ra Duque de
Caxias n. 57, por cima da botica
do Veras
O agente Martins, autorisado pelo Illm. Sr.
Augusto Pi mentel que se retira para a Rabia,
far leilo dos movis, cabriolet e cavallo ci-
ma descriptps e que foram removidos do Arraial
para o referido sobrado, onde se enecluar o
leilo.
Ao correr do martello
Leilo
De um sitio na ra do Costa no Arraial, junto
a estaco da Mangabeira de Cima, terreno pro-
prio com 106 palmos de frente e 317 de fundo
com excellente agua e arborisado. tendo casa de
taipa bem construida e conservada, com 3 quar
tos, 2 salas, gabinete, cosinha, quarto para
criados, 2 estribaras, sendo urna de taipa para
2 animaes e outra de tijollo para 3 animaes e i
quarto tambem oe tijollo com banheiro.
Sabbado 98 do corrente
A's 11 horas
Na ra do Imperndor armazem n. 16
O agente Martins, autorisado pelo Sr. Augusto
Praentel far leilo do sitio cima, o qual se
acha muito bem localisado.
Copeiro ecriado-
Offerece-se um perito copeiro para criado de
qualqVr casa de familia ou pessoa s : dirijam-
se ra Visconde de Inhama n. 9.
Tratamenlo radical em I dias
DAS
BLBNORRHAGIAS AGUDAS
chronicas
(VULGO PURGACO)
BO no n I N Ol BA ti I I III II
E da leucorrha ou Jlores brancas
Plliilas Resino -Balsmicas
Injeceo Aot-Blenorrhag ca
PREPARADOS POR CALASANS & C.
PRODUCTOS APPROVADOS PELA
INSPECTORA GERAL DE HYGD31E
Urna serie de brilhantes e innmeras ex-
periencias, coroadas sempre de bem xito
durante dez annos, assignala a estes dous
medicamentos, usados com a dieta e dosa-
gens prescriptas, o primeiro lugar entre os
medicamentos estudados e preconisados
para curar estas terriveis molestias.
As pilulas sao supportadas pelo estoma-
go o mais delicado, pois que ellas nao im-
pedem nem difficultam as funcfSes deste
orgao.
A injeccao anti-blenoiThagica nao ab-
solutamente irritante e por isso nSo tem o
inconveniente das actualmente empregadas
e nao produz estreitamentos.
Nao publicamos o grande numero de
cartas, attestados e agradecimentos que te-
mos recebdo para nSo offender aos nossos
clientes, muitos dos quaes sao pessoas mui-
to conbecidas e altamente collocadas.
Empregada como artigo de toilet parti-
cular excellente preservativo contra as
molestias secretas.
Modifica e faz desapparecer o mo cheiro
das regras.
Preparados por Calasans. & C, Phar-
macia Imperial, Bahia.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Ob'nda n. 23.
Criado
Xa ra da Saudade n. 27,
criado.
precisa-se de um
Atten^o
Leilo
Em continuaco
Da ermaco e balco de amarello. armaces
inglezas. restos de fazendas existentes na loja
sita ra Visconde delnhama n. 29.
Em lotes vontade dos compradores.
Quinta-feira. 91 do corrente
As 11 horas
O agente Gusmo, autorisado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito do commercio e a
requerimenlo do Dr. curador Pscal da massa fal-
lida de Salvador Goncalves Braga C, conti-
nuar o leilo de arraacfto e resto das fazendas,
em lotes vontade dos compradores
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o sobrado praca do Conde d'Eu
n. 26 e o da ra Baro de S. Borja n. 26, ambo
com grandes commodos para numerosa familia,
ajratar na na de Santo Amaro n. 8.
Aluga-se o sobrado n. 46 ra daltoda
com bons commodos e muito fresco, todo pinta-
do de novo e forrado a papel as salas ; a tratar
na ra do Cabug n. 16, loja.
Aluga-se casal a 8*000 no becco dos Co?
hos, junto de S. Gongallo; a tratar na ra da
mperatru n. 36.
Est em liquidaco um armazem de madeiras
ra nova de Santa Rila n. 37, por seus donos
retirarem-se para fra da cidade por molestia.
' P'i
t
Prerisa-s de urna cosinh<>ira e de uaja co-
peira ; a tratar na ra da Soledade n. 82.
Francisco Cluedes de trnujo
Marta Amalia Guedes de Araujo, Francisca
Adelaide Guedes, Candida Guedes Lima (ausen-
te), Hermelida A. Araujo Ribeiro, Eugenio
Guedes de raujo, Jorge Guedes de Araujo,
Francisco Adolpho Guedes de Araujo, Theodo-
inird C. Duarte Ribeiro e Antonio Fernandes Sil-
va, agradecem do intimo d'alma a todas as pes-
soas que dignaram-se de acompanhar os restos
raortaes de seu prezado marido, pai e sogro
sua ultima morada ; e de novo convidam aos
seus amigos e parentes para assistirem as mis-
sas que mandam rezar no dia 21 do corrente,
stimo do seu falleeimento, na igreja do Espi-
rito Santo, s 8 horas da manh, pelo qne des-
dej se confrssam eternamente gratos.
tes-
D. Jeoulnit Oinlx > Silva
Theopompo Magno de Oliveira Quintella,
tamenteiro da finada D Jesuina Diniz e Silva,
tendo de mandar celebrar missas no stimo dia
de seu falleeimento, convida aos amigos e pa-
rentes da mesma para assistirem a esse acto de
religio e caridade, que ter lugar pelas 7 1/2
horas da majgi do dia 22 do corrente mez. na
matriz da Bdff-Vista e igreja de Nossa Sehhora
dos Afluctos.
2*000.
Len$cs de bramantes a 2*000.
Chales escocezes a 1*000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem com
igual abatimento
Teeldos de alta novldade
PARA VESTIDOS DE SENHORAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros listan de 1 #800 por
' 800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de____
1)200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs. *
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PEgAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padrSes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fust3es de cor, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, de 500 por 160 re.
Sedas Febppinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, 13 c sedas 'que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 %.
Confeeco
Vestidos feitos de Casemira ricamenfl
bordados de 80* por *5* e 30*.
Ditos para armar de 6*, 8* e 10*.
Ditos brancos bordados em cartao, alta no-
vidade a 8* e 10*.
GuarnicSes de colariuhos^e.piMthQs para
senhora por 1* e 1*2007 *
Capotas (preparadas na corte) de 20* por
9* e 10* **
Gollinhas e punhes para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
5*, 6*, 8* e 10*, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 2* e 3*.
Enxovaes para Daptisado com collares ele-
trieos por 5*.
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
manho a 1*500 o par.
dem idem de Escocia a 1* e 1*500.
Sobretudos impermeaveis de borracha de
70* e 80*, por 30* e 40*.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidnlhos a
25* e 30*.
dem idem de renda,, seda, damasco e
gurgurSo, tanto para phantasia como
para commodidade a 38* e 40*.
Velludos de seda e algodio de murtas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de si,da, aigo-
dao e linhe, com um metro de largura.
Setins Maco de odas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confecces
como sejam mantilletes de blonda, sabidas
do bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento da 50 i0.
Para horneas
Casimiras inglezas com duas larguras, de
3*500 por 1*200.
Ditas cor de caf c azul, de 2*500 por
800 rs.
Cortes de seda paracollete, de 12*000 por
3*000 e 3*500.
Ditos de velludo e fustSo a 1* e 1*200.
Meias inglezas com fio de seda, de 12*
por 6*000 a duzhi.
Paletots, de 7* por 4*000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 1*600 urna.
Collarinhos, modelo moderno, a 5*000 a
duzia.
Camisas inglezas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
36*000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 1*200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 6*
8*, 10* e 12* a 4*, 6*, 8* e 10*000.'
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 70* e 80* por 30* e 40*.
Ceroulas francezas, de 38* por 24*000
a duzia.
Paletots ed seda, completos de feitosd
casemira, malas para viagem, ebolcas e
tapete e um completo e variadissimo sor-
l.mento de cheviots, casimirat' francesas
inglezas, pretas e de cores de padroes in-
teiramente novos e que se vendem com o
mesmo abatimento de 50 f0 de seu valor.
Retalhos
Aproveitem a grande quantidade
pelos preyos, em sedas.pretas e de cores,
gorgorees, setins, las, merinos, zephyros.
linhos, chitas, madapolSes e algodaosi-
nhoe.
E nauitas outras
cucontram na
pechinchas qv

Loja das Estrellas
58Ra do Duque de Cxias
T
I

1



i


Diario de PernambucoQuinta-feira 21 de Mar$o de 18&9
VMt-'iirt'ie- Santarem
Da Quinta do Barral
Ciiegou a pnmeira remessa deste espetial t-
pera o Artuazem Centraljde gneros alimen-
ua do C4>ug n. il, o qual se turna re-
codado pela sua pureza e boa quaJidade,
t lu casados distinctos freguezes livre
de frele, para quaiquer ponto da cidade.
Ra do Cabugn. 11
Telephone n. 447
Joaqun ChrislovoA C.
Si
Preferencia
O peitokal de cambak hoje' o re-
.medio iuais receitado pelos mdicos,para
as molestias do peito.
Francisco Maiwt / da,8v & C.
Superioridad e
"cima de quaiquer outro remedio para
as doencA do peito, est collocado pela
sua eficacia o Peitoral de Cambar que
se vende em casa dos agentes Francisco
Manoel da Silva & C, ra Mrquez de
Olinda n. 23.
Molestias di peito
O Peitoral de Cambar de S. Soares,
remedio efficaz para todas as molestias do
peito. Venderse em casa dos agentes
Francisco Manoel da Silva & C, ra
Mrquez de Olinda.
Consdho
Quando alguma affecco pulmorar amea-
car a vossa existencia, expermentae o
Peitoral de Cambar, que fcareis livre.de
tal ameaca.
Os agentes,
Francisco Ti. da Wllva A C.
Bronchites
O remedio infallivel para as bronchites
o maravilboso Peitoral de Cambar, de
S- Soares, que se vende em casa de Fran-
cisco Manoel da Sirva & C, ra Mr-
quez de Olinda n. 23.
A ultima pal arca
Da medicina para as molestias do peito
O PEITORAL DE CAMBAR.
Francisco M. da tilva & C.
fjjjogaphia e Lilhographia
FABRWA DSLIVROSDEESORIPTU-
RAaO
Premiada as exposices de
tHS9el8
Manoel J. de Miranda
Km nif'riiae.ii e especialidades em eartes de
visitas.
39~Rua Buque de Ca\tas-~39
nhonen. 194.
Telej
Tosses
O Peitoral de Cambar combate
enerrieainente as tosses dolorosas, tornan-
do-as brandas e expectorantes at cural-as,
Os agentes
Francisco M. da Silva & C.
O PEITORAL DE CAMBAR
\ ende-se a 2500 o frasco, 13000 1/2
duzia e 24fJ000 a duzia em casas dos
agentes Roerigucs Silva & C. e as prin-
cipis pharmacias e drogaras da capital.
RAZ. O NATURAL
Qual a razao da grande fama de que
osa Peitoral de Cambar ?
E' pelos seus maravilhosos resultados.
WANCISCO M. DA SILVA & C.
0 IViloral de ambara
De I. Alvares de *. Moars
Sempre foi, e ser o principal remedio
para as molestias da.laringe, bronchite os
pulmSes.
A bronchite, asthma, molestia do peito,
rohquido, coqueluche e quaiquer tosse sao
perfeitamente curados com o verdadeiro
remedio Peitoral de Cambar, de S. Soa-
res, approvado pela Exma. Junta Central
de Hygiene Publica do Brazil, premiado
com duas medalhas de.ouro, e rodeado de
valiosos attestados mdicos e de innmeros
de pessoas curadas, tanto nesta provincia
como em outras do imperio.
Precos : frasco 20500, 1/2 duzia 130,
duzia 240000.
Km >x aunif<-s
FRANCISCO MAN0KL DA SILVA & C
23 El'A MA.BQUBZ OS OLINDA 23
Pernambuco
VINIIO DEFRESNE
TDNI-NUTilIVO
COM
""S*
PEPTONA
O tTtiAa) le JPepMt Urfrrtttr o mals precioso s toajeos .Quineu- a.
fibra muscular, o turro aemaiico c o pDofpbato ae cjU d* c*fljer reconstituidle natural e cumlelo. '
Unte, itriiciumm fin*; que deeperta o appeilte, rcatltiM as forcaa ap esto-
mas; i a melbora a mgestau, como raeoi>'.".alnte lucomparaveL qu d, por luso qua
im t -.euieuto plstico dos moscutoa que suata a consuno pao, colore o
Sb.u. no djseraaJa pela anemia, pteTiae oa dearior da colmsa. vertdtrl,
Quando Deiresne resolreo fjracde problema >ie digerir. Mnils cn* humano,
a carne de vacca e de a translonnar, com o auxilio da Pancreatlaa, em a Jtquido
Umeutlcio, a i'eptcua. os profaaaores da bscola de Medicina a oa ioalcas da
afarinha e do Hospitacs de Parts, se apresaaram em esparto! o Ui pre-
cioso nutritivo nos doentas e cooTaleacaotts e o resultado-** a aoopew mffieiat
da Pepton* Defresne un. todos os Hoa pitaes a vis e Mi.llares.
O PH-ho fe frptona Dt/Vmm imuoe-se era todos m caaos das ras digestivas e de eufermidades de furnia depruaetjta. ifif m cheoolcae,
como ras dygpepsias, ulceras do estomago, etc.. e no marasmo, colorse, aljete,
cacnezla, tsica pulmonar, etc. Devem usal-o egua.mente as yeoag dbil, as criancas cya saude posta em risco pelo creaa.*meoto-raa*f>). aa maens
cuv> vigor compromettido pelo trabalho do aleltamento.
.-. :ifl:u o i .nho it frptna itefreut* convem em todos oa casos em que
lmprescindivel restabelocer, rnaater e aofmentar aa torcas, qoer jatejamos
.oentes, convaloacentes ou sios.
DtFBEStt o primelropreparador do Tinhode I'c;./.Cuidado imllartes.
H': BERTO WEISS ^-^^^hngenejro k aTOSSTRuctqr
FRANCFORT S/MENO ^ .iaiia w fkbbo
Estabelecimento especial por forDecitoeiilo d8,:o)iijihs.ae
ac "transportaveis, e fixos montados completos para posigo o manpijo e rado
asism como
CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETES,- DE
TAIPAES LOCOMOTIVAS, GRITAS, ETC.
r Pan uso : agrigola, plantagoes, rmazens, mind^
industrias, selvas e campos militares, etc.
lAl'ol'i'!
A LA-REINE DES FUE"R3
iv
r
Bamalhees Mo?os
LLPIVERem PARS
3
PEHr'JUF POP.TE-BC^l 'VIH

Ext cacto d#Cor rlopsi s Tim
PtRFUf. F.ct!>-.' Jame ,i m Re;..j. *.. ^K
\. CUSA/,
'.il '.;,... i a .: Si- '.
-.- ,Vllt !--. F..1-/-.1.V. oria-ni. i I
'. i ^r i. !'
-. mi

Chaceas de Ferro Rabuteaui
-ssto o Int 'tn;- i wc ae Tnn = .. i
Perro Kabutean i ba icia.
laflefrasG <->. Parro Rabuter" il": >=de,
rimentus. Deb 'ida-i ', E \'j rru-'tt >,Cotrih:s: neta, l
ment e Al'.er.' ': o fin leticia fie
Jd a natuftza. Tomar 4 ."> 3 r.-.zers dor da.
Sem Constipando nem Diarrhca, .'-'inili
Elixi" de Ferro RsQiuteau .ecoramend;id(^ as pessoas que ifi poden
> .'igulir s grabas. Un calis .i" licor aos repas
Xarope de Ferro Rabuteau especialmente par: v Tiancas-
mt Urna ixeliticao sm dada acorr.aaflaa ettfa fruteo.
. gir o Verdadeiro Ferro Rabateau de CLIN 4 G*, de PARS, qu4 se,
encontru em casa doa Droguistas Pharmaceuticc.
ni:
HERMES DESOUZA PEREIRA & C.
Acaba de reabrir-se esta importante pharmacia sita ra do Mrquez de Olinda n. 27, depois de ter
passado por urna transformacao completa. Est em condiefes de satisfazer todo e quaiquer p^Mo, nao s concer-
nente manipula^ao do receituario, como a venda de preparados nacionaes-e^estrangeiros. (]** (inaes a casa se acha
rigorosamente sortida.
Esta casa sendo por demais conhecida pela sua seriedade, os seus propietarios esperam do distincto corpo
medico e da popula^ao em geral, a continuativo da proteccao que sempre lhes dispensaram. para o que empenham
a reconhecida lealdade com que costumam tratar os negocios de sua profissao.
XXK3.IWC3eS 0D3S SOXJZJ^ 3P3S3aDSXD.J^ & G. SUCCESSORES
w-
>m


r^
IMPRTANTE
REDUCCO DE PRECOS
21-iiU^ DO CMESP(H21
0LYERA CAMPOS & V, tendo de recebe.- bre-
vemente um sortimento de artigosnovos de altanovidade,resoheram
fazer umagrandareduc^o iiqs presos dos artig*os abaixo menciona-
dos, para os quaes cJiamam a attencao das suas Exmas. frguezas.
Linhos para vestido padrSes modernos a 160 rs. o corado.
Crotones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Merinos de cores, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, lavrados, de 2W00 a 1)5000 o dito.
Las *de cores, desanos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fu&tao branco de 400 e 500 rs. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 rs. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 rs. o dito.
Etamines arrendados, de cores, de 800 a UO rs. o dito.
P16r de Italia em quadrinhos, a 500 rs. c de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de carabraia bordados transparente e tapado, de 155000
e 205000 por 90u0 e 12^000 cada um.
LjiSo, padroes em quadros, a 440 rs. o covado.
Nanzukes padroes mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinba se pannos finos, a 200 rs. o dito.
Merino preto tino, de 2J000 a 1#>000 o'covado.
Setim Maco de todas cores, a 900 rs. o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 300Q a pei;a.
36000 una,
de 4*000, 5500,
65000
Mantas hespanholas, de seda preta
Espartilhos, o que ha de melhor.
7,5000 um.
Fichs de cor arrendados, de li$000 um.
Capinhas hespanholas de cor a 25000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 35000 um.
Sargelim diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 35000 e 4000 um.
Lttvas de seda, todos os taannos, de 25000 a 35000 o par.
Lenyes de linho do Porto, a 45000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 65000 um.
Colchas de cor, de 25000 a 55000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 25000 a 65O0 um.
Lencos de linho com barrinha a 25000 urna duzia.
Camisas francezas, de 245000 e 365000 a duzia.
Meias cras para homen, de 45000, 55000 e 65000 a duzia.
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras c de cores para criancas.
Chambres de cretone, de 55000 e 6*5000 um.
Cortes de casemira de cor, de 65000 a 85000 um.
Cortes de fustao para cohete, de 15000, 10500 e 2*5000 um.
Camisas inglesa de franella, la pura, a 55000 urna.
Alm de outros artigos que deixamos de mencionar.
21-Rua do Crespo21
\ \E
ftrseftt
+^*^+^<>4^^+i^^+]^+*^++++n
0 MAIS ENRGICO! 0 WU T!0 DQS RESONS TiTOINTES
O ARSENIATO DE ODRO granulos por dia, volta o atfxtitr., osforc a augmnitSo < .jwt *atik perfyf, sucv.d'. rapidamm'/- d um estado inquietador. Nenhum
medicamento podecompetir com elle no trafcimeut" '-J l intestinaes e nervosas.
AHiHUA. S&0TAUMTO, BS0L7IA^HE0SAS, /MUSTIAS DE SENHORAS
O Arseniato de Ouro dynamizado de Doutor ADDItlCi: resultando ..'., combiaaco de dous medicamento*
heroicos, combate victoriosamtnto i Tlalea, B^onchite^ onro.iica:;, Asma. Hl;*5imatismo chroaico e todan as
Molestias que resultSo do Esgotar.aento do systema ervos?.
Nio tera rival nos Enfraquecimentos (,uc rfultao de urna longa axo\aMatl^u.rupri;daa.:: nicas e reguladoras da
ismervaco tornao*w superior ao Vrrro contra a Anemia, as Flozts iiranc. u- Tevr|Ktga8. As Pebres que
resistem ao sulfato de quinino cedem ao Arseniato de Ouro.
O Arseniato de Ouro torna as mulheres joven* e nutridas. Auxilia poderos anfe o Htraves.sar a "noca tSo temida idade critica. communicu udi4 nova .iuvenfude.
MOLESTIAS DO SANRUE, APOPLEXIA, MOLESTIAS DA PELLE
Grecas a sua propriedade Je reslab.deeer o equilibrio entre os elementos coustiUtiv'i- I, saague, c Arseniato de
Cancroides, etc.
Milhares de Doentes dc-?n hoje sua cura aos Granulos do Arseniato de Ouro do Dr. ADDISON
Innmeros sttt-tid<.s forffo dali. ci'arcmos aqu alguna.
o frasco : e francos
(em Franqal
Desconie-se das Contraages
e exij a-sea VERDADEIRA ETIQUETTA
com a MARCA DE FABRICA assim
como a assigilatlira ^^^Z^)
e a do Snr.
nico Preparador
ATTESTADOS DOS DOENTES
Snr. Gkliv, Plureuceatico de 1 clan*. *>rn Parir.
Tendo tuto dores no yeito, estomago e rfor&o,
indoperdendo ni/oi ra*. nao podendo man comrj;
oonutando quanto t,maca,crnf>n k'ArMaiilo de Ouro dynmisi-lodo Hooior A.Miwn.
Bmpouco* dia dcsai>arcceram at da
me o appetie.
Quera enviar-me au um /rasco /testes gm-
nulos.
.Va espera, tenho a honra, de cumplimenta'-^,
tdk'uneiiT. Reloj, Ourtre* em BrezoVe* (B-et-l.)
Nota. Autoriso-o a pub'icar esta carta.
Snr. Gilir. PhrAC(Dtico delacluw.em Pgiu.
Estou multo sertsJeUo com o emprego dos Gra-
sa los de Arsenialo de ouro dyntmiudo do tN)utor
Addison. Ha dous anno* aue os Grmnufoe : Arie-
aiate de or flo DoVtor Additon comnu^nu a Jtcar
em roga n'rste paiz e t'-maujmentmiv. poit ornen
cuantos de/les jarflo uso.
Muilo Ikr serri agradecido a> me enriar ornis
brete posncel dous /rseos deste medirnmrnt*,
Um sido o nico remedio n,,,' t _
fio* dores ner
he V S. m- atr" V.
F. Akm
UmCabrtrcfTAti'jn'jn f
Caro Snr. Gei.IS,
O effeito dos Granulo* de Aran
miwflo do Doutor Addion, tem *
Anda nao voltei de mmAa sur tenho
Deposito Geral :
Eliarmaoia ffELlK
39, ruafchecKouart, m Pariz
E AS MV !!PAES PHARMACIAS

m //.-
,
1 "
ttitat

ni i
f '
,

La

Em BerrKimhve:
Fxanc00 M. da Suva k Cu.
"' '' m Puii
""'''.. A.-wnilo -
r A(I:im ar "i- ueHi. u-
> ,: .., ,uUo.bom Jreiro ,0
> efftvo lau- reli;
o.' qnr renha o-'

Ou n re.
'i/i f.\lgcrin).

Sa
Lob
emj-'i
FUI
Fetwr.
misa-I* i
Ten/
frasco
Ooaior '
recan
Muito
r.a >'-"'

'' I N Pti.
^;ito- i
Ai >i* camprm em
tute r J*iuH

Vfp :


fr-fti
l) i \



*
"u *C1 Pl'll.
ouro i.jt.~Tinado Jo
r >
.iTu&%mrai>' -J^ Dout"-
/>?o-i/ i ..cu mew hrc~c pos-
ttfdOU '
l.aif
Jarjaye. Jo-> PaeJ, propr lao.
Em Veicoiran. nir Le tuis ?t>r/ime).
***. : .\!&SSVM******4*tW
,JUI EST
A SALVAQO
SALPYRf.iC.
DE
UM ESTADO PERFEITO DE SAUBS
o maicr beneficio da existencia
Pan '">bt'T os" Moni d*M1bmt0| et.ipre^aes o SAL
PYRETICO da LAMPLOUGH que acorn cite o Mal
as suas raizes, nelhoraa lo a BiyfHtiio. (lesem-
baracaaa e Ettsmmpm, Pigutlo. os IHus*
o> IntpMtiHox ilc qualqufr i>b-.tni'rao. e ao nie-mo
Ifii f rr;M>v.ou!' n,;TU'','!i|<;>rimini!>ju^ hanorM iBiala1-
bresef*^rs. r>'flvtun*)a*o e owpcn.u io-o.
E 2.-;TE O GHANBO PRESEKVAnOR E O
GRAmE Jl MEDIO .-,.,il-. i a u [ .las Molactt
.- r aiaiisitu dos eliuas tropicaes e c elGca
eoalrj U Felir*J anurt'llase utras lcljrt.v-, l.t'xiga, sarampo,
s-I", ci.iairu.ra. eojm, tnmitoi. bilis. Jurea de ventr.
ladi^Mlao, madBBOj; eaolcraaiiioi >, avapcoai DaiolesiU*
la pt'IK", alteracactOjO 'an^iii'. ce.
O Dr W. STEVEN3 roala: Aps a adopto ageste
Sal, as febres mortferas mais horrorosas.
O D'J. W. DOWSING relata : T.-nhoempregado
Jareo Sol no t. Hmenlo de itcasw de lebre timarella.
.foigo te^trjrir. >. ir que > < 'ce um s nutu exilo.
SALVOU-ME A VIDA EM XTMA TERRA
LONGINQUA. oscreve O. rttzgrerald, Esqoir.
onlr'ora na Albania,
THOMAS C. COOPER. Bsfoia, Eugeabciro a
Rio-.le-Janeiro, aerara
Tenho estado dnfante 16 asnos no Rio-e-
Janetro,cteuhotornadodius oh tres vezespor.semana
eslgumasvezes lodos o> diaso Sal Pyretico deLampUof.
mininlrandoM) taml>cm aos meus/ilhos.enunca tenho
precisado de medico para a febreamarella durante
aquelletetnpo.Tcnhocr'ti-reyado tnuUos operariosetn
meusestaleirosaquieseisil'critreeUesmoiTrao entra
de urna semana dn frbre amarelln Senltumporim
taquetles que tomar ao SU PTEETICO DE LUfFUNE
morra--o. nem scqwr suffrrita da febre amarella.
Se nSo leuctnente.
O Sr. YONG ascreve :
Duranle l5annos lomevesse Sal regularmente todas
as manluu, e durante todo este tempo nunca tomex
outro medicamento nemt to pouco consultei medico.
Miniatrei o sal aos meut /tinos, e nunca preeisei de
Wiandar vir o medico para etles, depois de nascerem.
laceuciado pela Inspectora de Hygiene
do .mpariu do Brazil.
kWitarrk/VfiMttoeo :FruCMdaSILVAGv
~*9W****V<*^*4t&**&j>*


C
.
!
Poou:an- em FRAHCI, ni tVEMCA,
HESP-NHA, no BMZIl, 4
'-do sa tutorisdos ">;.-. J .ni di Hygiene S
etllcr-c">.o Toparattva e Ka-1
(ji constituir, te Qtio toda a laciilido CC
.J : .ira sa ir, : .-n. .ior previ Darto, e S
& urar cm pone l.-miio. CJ
^ E>a :n tllca :ai .;. -. ate 2
4| u >:n: iros, Ulis. i .: vtsc
| cruel i : c>ns'T>atn as 2
'



'
" 'vi

Extraet concentra Jo uos 35*W.?
ios I qnldos podr
para as pessoas qu --"h
raauc a ara os perga V
54o infalllveis cntr !**"?*#;*#. *S
talarrlsa, Gttt. iUt, Tumores, Cceram, S'ertU * ttpe*titc.Ftnbr+-Kt Vtntf,"--''e'**.'.-. "*'-'- ^*
I futan- ti' i'iyavio. j< ^ > i ,.
W^fsneHiil&eH, Meti)*'/
v
'NAO SE OEVLJC
- !

qualqurr pri*)u lo PhlaC0TTIN ger.'Ddtsar.t
Ituaiio Sf'i:it>, .'il, ir.. .
m
DtPO-rTo Ea
40 PHAKMA-
%v.
: w
Uepomoc r.:- [.rmcipae* Phai
Era i'cmam'-nco ;
TRAN"' r. CKARRm mmm,
preparado com CANNABiS INWCA
pir GRDHAULT e Ca, Ph-de Pars
ifsnniu paU Juu .1 IjliaM a. Ul *l laM
Gonstituem a preparacao a mala
efficaz que se conhece para eombater
a asthma, a oppressio, aa aano-
oaooea, a toase nervoaa, oa oa-
tarrho e a lnaomnta.
DtpemMo Mi PAMU8, Ka Vtrrismst.




Diairie-de rRn^mbiK'o---QwntB*fefra 2J de Marcar de r889
4
m
NAO PERCAES TEMPO!
TOMAI O PEITORAL DE CAMBARA
que o tnico remedio eflleaz
para as molesllas do lar? nge. bronehlox e pulmes !
Com o uso deste poderoso medicamento debellam-se as toases as mais impert-
entes e rebeldes e tambem dosapparecem s oppressoes, dores do peito e slteracoes
da voz; cessam as expectorac5e*s sanguinolentas e os esciuros de sangne; era pouco
tempo desenvolve-se o appetite, as forcas perdidas reapp:i recera, e em urna paavra,,
os enfermos sentem urna mudanca muito notavel e por assim dizer, reanimam-se e
escapam de urna morte certa.
Examinoi que a marca da fabrica e a firma do autor J. Alvares de S. Soares
se acbem nos rtulos que circulam a rolha e gargalo de ada frasco, como- garanta
contra as muitas falsificac^es e imitac3es que pof toda a parte apparecem.
t(fBlcs n'esta provincia
FRANGISCO MANOEL DA SILVA & G.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
Precos: 25500 rs. o frasco, 130000 meia duzia o 240000 a duzia-
PEROLAS de PEPSINA PURA IIYALISADA
de CHAPOTEAUT, Pharmaceutico.
Foi o Sr Chapotkaut o prhneiro chimico que conseguid preparar e fornecer ao
mdico e aos doentes, em perolas redondas, urna pepsina ;>ura,nao contendo,nem
amido.ncm assucardeleite,nexD gelatina. E' Cinco vezes mai; activa que a pepsina que
figura na ultima edicao da Pharmacopeafrancesa e digere 100 vezes seu pezo de carne.
Sua accao da maior efficacia; duas prolas tomadas depois da comida basti
pan favorecer e activar a digestao, e fazem desapparecer no flm de um qnsrto da
hora as enxaqnecas, as doras de cabeoa, os boosjos e s omnolencia, que
sao a oonsequencia de urna a digestao.
Cada perola leva impresso em negro o nome CHaPOTE&DT.
PARIB, 8, Ru Vrrlenne, em todas at Dngtfto $ Pharmacam.
44 :.H4MHWIRHWBM4-
Machinas a vapor.
Moendas.
Rodas digua.
Taixa fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravacao
. Arados.

Purgativo Julien
C0NFE1T0 VEGETAL, LAXATIVO E REFRIGERANTE
contra PRISO DE VENTRE
Approvado pela Junta central de Hyceene publica do Brazil
Este purgativo exclusivamente vegetal se aprsente sob a forma de um oonfeito
agradavel, que purga com suavidade sem o menor incommodo. E' admiravel contra
as affeeobe* do estomago e do figado, a ictericia, bilis, pituita, nausea* e gatee. O seu
eflei'to rpido e benfico na enxaqueca, quando a cabeoa est pesada, a bocea
amutf s, Ungua tuja, falta appetite e a comida repugna, as ichacbes 4$ ttontre
causadas por inflammaco intestinal, pois nao irrita os orgos abdominaes. Emflm,
as molestia* de pelle, usagre e couvulsdes da infancia. O Purgsitivo Julien resolveu
e difflcil problema de purgar as creancas que nao aoreitam purgativo algn, pois o
pedem como se fosse una pastilha de chocolate sabida ds ooafeitaria.
Deposito am Pars, 8, Roa Yirienne, e as piincipaes Phi.rmaciai e Drogaras.
REMEDIO DO DR. AYER
CONTRA
AS SEZES OU MALEITAS.
0 Rmkdio do Dr. Ayer, descoberts
vegetal que nao contm a quina nem o
arsenieo, nem toponco outro ingrediente
nocivo, um remedio inallivel e prompto
para toda a quaHdade e/ebres intermit-
ientes ou malettas. Seus effeitos sao per-
manentes e certas e nenhum mal abso-
lutamente pode advir do seu eraprego.
Da mesnia lnrma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doen^as que provm dos ejfettos dos
miasmas, que se desenvolvem nos lugares
pantanosos e infectados, e que geralmente
caracterisao-se pelas affeccSes do
florado e do baco.
O Remedio de Ayer curar sempre,
ineamo nos casos pelores, toda a vez que
for ewpregado convenientemente e se-
gundo as direcces.
preparado pelo
DR. J. C. AYER & CA,
I-owelL Masa Est.-Unidos,
AON. 20
1
v
PERRO GIRA
Approvado pala Academia de Medicina de Paria.
Approvado pela Junta Central de Hygiene publica do Brazil.
0 Professor Hrard encarregado do Rea torio Acaderr :a demonstrou que
fcilmente aectito pelos doentes, bem tolerado pelo estomago, restaura
as forcas e cura a chloro-anemia; que o que distingue particularmente
este novo sal de ferro, i que nao causa prisao de ventre, a combate, e
elevando-se a dse, obtm-se dejeccoes numerosas.
O FERRO GIRARD cura anemia, cores paludas, oalmbras ds
mago, empolrssimsnto do sangne; fortifica os temperamentos n
excita o appetite, regulariza as regrae combate a esterilidade.
Deposito as Pars,8, Rea Viviente e aas pnaaipast Dreearias t Psamaeia.
'
PEKEIRA MAGALHES
as


gjRecebedores directos dos mercados da Europa
qudam os seguintes artigos com descont de 14 0[(
vendas em grosso
Bramante Vmgodlo superiores, a 800 rs. o metro, 4 hirgurab.
dem de Duro linho fazenda de 2)5200 para acabar a 15500, metro.
Atoalhado* alvo, duas larguras, a 700 rs., 15100 e 1*200 o dijo.
AlgodaoialTo,-'nacional, para ences.-a 5)5500 apeos.
Madapotto americano, a 3*600, 4*000 e 6*000, com 24 jardas.
Maripozas de cores a 220 rs. o corado.
Chitas ciaras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idem a 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 er^OO rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fich*de renda chics a 15000.
Colchas brancezas de cores a 2*000 e 4*000, rana.
Lences de bramante a110600, para cama de casal.'
CasrmiraB de cores para roupa de crianca a 1*XM> o 1*800, diagonal, duas
larguras.
Camisas inglezas e francezas a 26*000 e 30*000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 14*000 um.
Cortinados ricamente bordados a 5*500 e 65000-
Pannos de cores para mesa a 1*100 e 1*300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 3*000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
VeludiHios de cores i pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas-para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setias'de-todae.'as-ereaa&OO rs. o dite.
Setinctas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruas inglesas para homem a 2*500 ei3*M00 :i duzia.
f.'eroiilas bordadas, de bramante, a 12^000 9> \6*000 &\%.
Corss do tasemiras para calca a 4*000 4*000.
dem de meia caaesaira a 2*000.
Toalbae grandes para rosto a 4*000 a duzia.
dem felpadas para banho a 12*000 a dita.
muitos artigo qae serao lembrados eom a preeeny. de nosaos leitores.
59Ra Duque de^Caxias59
LO JA DE
PEREffiA A HAfiALHAES

App-vbarc ii Acudan'* i* Utdicma^tia Ptriz
Cantera iez centisrammss (dote graos) de Quinina
'silsoeMsavel exigir a Firma
Casa L f, 19, ra Jacob, PAR//
AS PEROLAS
"DK

rtan
pora
*sZJ
UNIMENTO GENEAU
F>bltA os Gavallos
Kntang**f> coso j raor He mam oavadharleas reaes da 88 KM. o L'nparador -
***".. ck* Paises-Balxos e o Itoi da Bator y
35 tfyzas (k (gxito
guppresdG do LE DA 3A *Q PELLO
k> este orecioso tK" o nico que
ss^BBCooitastteo e cura radicalmente
em pouoos ola* aa amaeoetra*^aova*
\Tvm**e* e incaaoSo i persa*.
i-aifr Sobre-Can"*. TnupieM e Xa. |
leinM das PfiSWi doev>tro6, etc., sem I
CThuma^Cva. nem queda do ftlo
ranlo o tra'ameai' I
iUm Par :riniil_OaBWE ATT,
MjLMCL
M r.BKIGA
Os re- .aarios T'n
Pello .. Cttai -or.. B.
mhi-Hr 4a Ccrci.^*" 8nbt> mtt. o dio Hgar c-
cura rat-it coi a mdo cu: 3 tuintsto* sem K'
tunr e tim r< ,isVu.
E.aa St-HoDor .1
iU a Parla: riSl* *3tXll!**iA*J, t-aa biuonore -/v, vu u a iL"E"TS'i_ r
JUNTd
Gazes de crea a f>00 rs. o covado.
FustSo branco a 360 e rs. o covado
Brins de cores a 580 rs. o covado.
Baleas pretas a 2H0 a rs. a duzia.
Colchas de cores a 25 e -*0 Cumbraias bardadas a 440<)0 a peca.
Lnvas de soda a 25 e 2fl*00 -o'par.
Leos braticoe a 1*BW B 1*868 duia.
Cretones de Alsace a 60 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 15200 o metro.
| Brirn pardo a 280 rs. o covado.
Linhos de quadros a 280 rs. o corado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
F.sparti Ihos com raya a 5*000 um.
Chales adam aseados a 2*500 um.
Cortinados bordados a fi* Merino do eftres, a 5 Ceroulas-de bramante a I4 n duzia.
MadapolSo' .iinertcano n't- OW^a peca.
Chachemiras lisas e listra de eondiiincoes
a 1520O o covado.
(,ambraia Victoria a-25HK) a peea.
Bramante le iinho a 1700 o netro-
Toalhas para banho a 1*600 urna.
Tapetes grandes a 13*000 um.
Ceroulas de linho a 34*000 a duzia.
Crotones francezes a 400 rs. o covado.
Leques transparentes a 25500 um.
Alpacas de quadro a 600 rs. o covado.
Camisas brancas para meninos.
Sabidas de baile a 1*000 urna.
Cretones de cores a SEO rs. o covado.
Percales ti as i 200 rs. o surada
Nansok cores iixas a 240 o dito.
Lis escossezas a 260 rs. o dito.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
AO LOUVKE) "
Pupelma branca a 800 e 1*000 o covado
Micos matisados a 2*500 e 3*000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Regatas-de cores a 1*000 urna.
Sargelim decores a 200 r. o covado.
CrenoKna, preta e branca*, a 400 rs.
Chambres, de crep a 5*000, e 6*000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. e covado.
GuarnicSo de crochet coiq matizes.
Grinaldas para noivas.
Setim de cores a 800 n. o covado.
Cachemiras de duas larguras a 800 rs.
Cortes de linn em carto a 10* e 12*000.
Camisas allemZes a 36*000 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
Linn decores a 600 ts. o dito.
Linhos de quadros a 80 rs. o dito
Bramante trancados a 1*000 o metro.
Meias para homeus a 3*600 a duzia.
GuarnicSo de croch'., brancas.
Extracto Port-Veine a 1*400
Alpacas mescladas a 600 rs. o covado.
Entretella para camisas a 8,00 rs.
PABA A QARB8MA
Merino preto de 800 at 1*800 o covado.
Setins pretos de 1)000 at 1*400 o dito.
Crep ingles (de seda} a 2*000 o dito.
Fictas pretos a 2*500 e 3*000 um.
Luvas pretas a 25500 e 35000 o par.
Cheviots pretos a 3*000 o covado.
Casimira preta a 2*000 o dito.
Renda hespanhola a 3*000.
Bicos pretos, todos os precos.
Regatas pretas a 1*500 urna."
\;i na friiMiro de Maree n. 20
VAfi.% lili COXFI.ftXV-'l
AMAI&L M C.

9*
lliaj
ti,
fatUsKhtcm L. fOSSON eom ChmcolaU
LMf ; :;s:.'/;*s, de ULbar agradivei, esto rigorosamente
Cada fWKffn cantan 15 cs-tigrammes di Si (ama colhsrads).
HputlOWf.r L8a|* ?!:'aiRBSJutCErtfrti.ffliia^pli*
Professora
Urna setihora roaineUenH'nhm'e habitadu, cou.
pratica de 11 annos de profissu, aiiresenJand--
aiTCrsoj attestado" de bom raetbodo t comporta
ment. -cHerece-ce para leceiomir etn casas pr^
cnlan;s, naeidaili* omvm &vk arr.tb*Wie9a se
(minies materias: I'orlu^uez, Francve. Ilalranc
Geographia, Plano, trabalhos de agulha, etc.; .
tratar ra Visconde de Goyamia B. ou en
casa doRegador da Mannhara lardad'
Rosario n 9.
Gosinheira
Direito Romano
0 I.* livro do Curto Elementar de fUreito Ro-
inano pelo conselheiro Jofio Jos Pinto Jnior, de
conforinidade com o programma de ensino ad
inittido na Faculdade ile Direilu desta cidade,
1 est venda na livraria EceaomM'a.' ra do Im-
Serador n. 73, e na livrana Franceza. ma l de
arco n. 9.
Taixeiro
l'iecsa-se de um caixeiro de 16 18.sobos de
i d.i i>-. que d lianca de sua conducta : na ra
Precisa-sc de urna cosioheiru :
Conde d"Eu n. 32, segundo anjlar.
na pracado Vi' : !'Negrea n. z3.
Criado
Precisa-se de um criado : na ra Duque de
Casias n. 70,1 andar.
~M
EXfOSiriON
l.iille i'Or
m\r* 1878
Ckmlkr
& PLUS HAUl'lS RCOUrlUUS
OLEO BE QUINA
E.COUQRAY
VECULHENnPREPAUFU*iHiailMURADOGAKUI
Recommeniamos e*te producto,
c8iierad pels caleoridads neaCM,
pelos seos principios de ouioa,
eoau o nui< poderoso regenerador i|ni M.tffcWi
AR1IS0S REC0MMENDADO3
PERFUMARA de LACTEHA
laaamaitii tuu WariaSi bam
GOTAS GORCEMTRADAS para o leseo.
AGUA DIVIMA diuiui uixta.
t/TEl AITiaOSMIMM-tE NA FMIIM
pars 13, ni d'Eigkiei. 13 parsf
Piporitot a ad.< u Perfumarlas, Pharmaeias
e Cabellereiros da America.
...............<
Cosinbeii*a
Precisa se de urna ama que cosinhe bem ; no
terceiro andar do predio n. 48 da ra Duque de
Caxias, por cima da typograpbia do Diario.
Superior vinho de
Passto
Pelo mdico prego de 35 J o quinto e 9W00 o
,garrafao de tres caadas, voltando o garrafao
I 7 ; Hasfre .le vinhoflO^o barril e 000 o
i. presos lquidos ; na ra do
Mrquez
larga
Ahtgra-'se
o 2- andar do predio n. 36, ra
Olinda : a tratar no i andar da ra
Rosario n. 22.
Aluga-se
a casa n. 5 do becco Tapado, ou becco da Pyndo-
ba (Recife) toda caiada e pintada, com 2 quar-
tos, apparelho e pequeo quintal; a tratar na
ra Direita n. 4o. sobrado.
lu^a-e
o 3- andar da ra estreita do Rosario n. 32, tem
grandes commodos para familia ; a tratar na ra
da Imperatriz n 16, 1- andar.
Alug-uei barato
Raixa Verde ns. 1-C e 3.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
Ra Visconde de Pelotas n. 5.
Largo do Corpo Sanio n. 13, 2o andar.
Ra do Bom-Jesus n. 57. 3o andar.
A tratar a ra do Commercio n. o, 1 andar,
esenptorio de Silva Guimares & C.
Ama
Precisa-se de urna ama boa costnheira, para
casa de pouca familia e que durma em casa dos
atres ; a tratar na ra Duque de Caxias n. 48,
iatrc
oia.
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar e cosi-
nliar, para pouca familia': na ra Duque de Ca-
xias n. 51, 2- andar.
Amas
Na ra da Conquista n 21, preciBa-se de urna
cosinheira, e 2Utra para servidos internos, e que
durmara em casa dos patres.
Amas
Precisase de duas amas, sendo urna para co-
sinhar e outra para ensaboar e mais servijos de
casa de familia : a tratar na ra do Hospicio nu-
mero 41.
Cosinheira
Precisa-se de urna, que raiba cosinbare nao
saia ra, para casa de familia : a tratar na ra
do Cahug n. 14, de meio da at 2 horas.
Cosinheira
Precisa-se de urna de boa conducta, para casa
de familia: a tractar roa do Barao da Victoria
n.4^________________
Cautellas do Monte de Soceorro
Compra-se cautellas do Monte de Soceorro de
qualquer ioia, brfaantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia a. 22, loja de
relojoeiro.
Guide internacional
D'Europe ou ir ilet la Plata
Este guia, redigido em portuguez, em francez
e em Eespanhol, indispensavel para qualqav
viajante, tanto da Europa para o Brazil, como
as costas do-Imperio e do Rio da Prata, encon-
tra-se as casas seguintes :
Sulzer Kau/fvtann & (7.-34 ra Mrquez de
Olinda. :
Charles Pluym d .24 ra do Commercio.
F. P. iimlitreau.- 46 ra do Imperador.
Francisco Soane Quintas.i ra 1. de Mar**
Serrara a vapor
Caes do Capibaribe
Tem para i vender diversas balancas sendo urna
eropna para engenta contraes ou estradas de
uto, por ser de grande forga do peso. Temdi
versas bombas grandes de dMfereates modelos-
Tudo se1 vende por.precos ommodos.
Sobrado
Aluga-se um 2- andar com eommodos para
grande familia e por preco muito commodo, na
ra-de Domingos -Jos Martins, nos fundos do
arnMzemide'Carseiro Vianna, e a tratar no mes-
mo. ra Mrquez de Olinda n. 54.
Caixeiro
Precisa-se de nm menino com alguma pratica
de molbados : na ra daDetengae n. 15.
Para a quaresma
Alta novidade em surahs, failles, setim
merveilleux, ottomanes e sedas pretas de Lyon,
rendas e bicos, escoHdo sortimento em pahuas,
guarniges epellermes de vidrilho preto ; na
ra Baro da Victoria n. 15, sobrado, alelier ma-
dame Fanny Silva, modista e coslureira.
Telephone n. 93
Criado
Precisa-se de um criado ; na pbarmacia ra
Mrquez de Olinda n. 27.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEIA
Sxcad*: toda* as ostras pelo sea
perfume exquisito.
Agua afamada de
LAYAIDA IHGLEZi di ATIIISOI
ootrofl multos cooheoidos pcrftuna
pela sua qaalidade e Odor deleita-Tei
exquisito.
Pasta Oriental a Dotes AOdusn
em rival pan arnju e emboleoar af
daatea e pnaamr u feagiTM.
CCUIIr,.,! MI Clll IM todo M **-
oi,*ts 0 Futrante,
i. E. ATKINSON
M. Od Bond Street. Londres
HdeVftbrica Uon" kUMknaaa"
obn nm Ljr de Oaro
ii arta > AtrA u
-DE-
Murray & Lanman. m
0 M<$1S EXQUESITO
DOS
Perfames do Touoador.
Perfuma o Corpo
Vivifica a Mente
1MO 'BANHO.
Superior a Agua de Colo-
'ttia pela delicadeza de seu
aroma e a durabilidad* de
seu perfume
o LEigo.
Telegramma
Vejam e admirem!
S o 55 ra Duque de Caxias pod*
vender pelos prefos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padroes, a
200 rs. o covado.
Fustoes branoos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cofes a 800 rs. o
covado. E' barato!
Casceos e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padroes lindos e precos
razoaveis.
MadapolHo com 1 metro de largura a
60 a peca.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o covado
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs- o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.-,
Cortinados de crochet, cousa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 25800 a pea.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
covado.
Guardanapos bons a 15800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs.
covado.
Rendas hespanholas a 2J o metro.
Luvas de seda a 25 e 35 o par.
Espartilhos couraca a 45, 55 e 65 um.
Merins pretos e de cores, urna varie-
dade immensa em precos e qualidades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o eo-
vado.
Toalhas felpudas, grande reducCSo em,
precos em vista da grande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preco, 105000.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem collarinhs.
Atoalhado para mesa a 15 e 1'5800
muito tino.
Collarinhos e punhos de linho e algodSo
e por preco barato.
Babados c entremeios, grande aorti-
mento.
Madapolao pelle de ovo por 65 a peca,
Esguiao pardo e chumbado a 400 rs. o
covado.
Urna gran do variedaV*m lencos __ _^
Gravatas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilhas de renda a 55 urna.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs. o
covado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 2o"0 e
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 rs. o
covado, para acabar.
Cascmiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que hade mais 'bonito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por preco*
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 15600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. e
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato.
Cambraia branca, bordada, o, que ha de
mais gosto e por preco razoavel a 85000 s
peca.
Dita com salpicos a, 45 e 55000 a peja.
Colchas argentinas a 65500 urna.
Ditas de 25, 35. 45 e 55000.
Bramantes de algodao e linho de todos
os precos.
Oraxde sortimento em fichs de core*
e pretos.
Grinaldas para noivas.
Luvas e leques para noivas.
Bicos' de corea muito chic.
Alm do que acabamos de annunciar,
temos urna quantidade de artigos que so
vendo-se, se acredita, pelo que pedem qae
compare cam. ,
DSo-se amostras sem penhor.
Setinetas lisas de todas aa cores a 400
rs. o covado. Sao muito-largas.
Roupa feita e por medida.
55 RA DUQUE DE CAXIAS--
FER.YlWESDEAZEYEDOiC,
Cosinheira
Precisa-se de urna queco-
sinhe bem no 3.* andarj da
typographia do Precisa-se
de um-menino pirapratiear em loja decagase,
prefere-se brasileiro ; a tratar na ra do-LiTH-
mento n. 87.
BOLBSTIMS DAS CREA*CAS
XAR0PEa,RABA0100A00
ORlUAULTiC
asmemem Ha mata *> *#**, m
Mais activo que o xarope antiseo-
butico, (aceita o appetite. retoive
o engorgitamento das glndulas,
combate a pallidez, torna, urna es
as caxnas, cura-os ruaos humores
e as cromas de leite das cretcea,
e as-diversas erupcoes da pelle.
F. na combinadlo vegetal, eeseneielH
mente depurativa, melhor tola
ipieosioluretosdepota H
Vm 'AHIf, S,



T
]
7


io de Pera
Cavallos fnrtados
Do en^enbo Constituate, era Cuyambuca, fur-
taram na noite de 12 do corrente, dous cval-
as, cujos sigaaes sao os seguintes : um poltro.
lado preto, cm duas marcas brancas em ambos
o lados, inte.ro, ccete, principiando a andar
1 aixo. O outro alusao, ja velho, castrado, coro
estrella na testa, e um espravSo queimado de
>elho : quem os appreheiider ou delles ti ver no-
exacta, pode dirigir-se quelle engenbo ou
dar aviso no escriptono ra Mrquez de Otin-
da n. 56, f andar.
Caixeiro
Precisa-6e de un ie lia 11 annos de
idade paia taverna ; na ra da Ponte Velha nu-
mero 77.
Professora
Ima senhora competentemente habilitada pro
pe-se a leccionar em collegios e casas' particu-
lares i siguiles materias : portuguez, francoz,
(msica c yiano : .. tratar na ra Visconde de a1-
buquerque n. 20. <
Cozinheira
na
Precisa-se de urna boa cosinheira
Buque de Caxias n. 47, loja.
Fannv Silva, French dress maker
Dresses and inantles made in
(he mot and on the shortcst notlee.
15-i -floor Baro da Victoria
________Telephone n. 9a
AO, TORRADR
Lima Coutinho & C.
43RA DUQUE DE CAXIAS-43
Defronte da Praeinha da In-
dependencia
Este novo estabelecimento intitulado
AO TORRADRvende sem competen-
cia, como as Exmas. familias poderlo
ar.alysar pelo seus presos.
Lanzinhas de> quadros a 60 rs. o covado.
Ditas.de ditos a 200, 240 e 280 rs.
Merino de quadros, bonitos padr5es a
300 rs.
Ditos lisos enfestados a 480 rs.
Baptiat* e nanzuch finos a 140 e 240 rs.
Mariposa branca e de cores a" 240 rs.
Chitas finas cores fixas a 200 a 240 rs.
Ditas forlaidine a 240 rs.
Cambraia branca bordada a 40500 e
4(5800 a peca.
Dita Victoria, fina, a 20800 e 3$500 a
peca
lindissimes padr3es a
VENDAS______
' fj Vende-se una boa arnvicao de amarello,
envidracada, propria para qualquer negocio,
K)r preco muito razoavel ; na ra Mrquez do
erv: "
Seda de Japao,
200 rs. o covado.
% Dita da Persia, lindos padrees, a 180
rs. o covado.
Sargelin6 de todos as cores a 160, 20q
e 240 rs.
Setinetas lisas, largas, a 360 e 400* rs.
Merinos pretos finos a 800, 10000, 10200
e 10500.
Colchas para cama a 10800, 20000 e
tffiOOO.
Cortes de caseinira de cor a 20500 e
30000.
Casemira preta, duas larguras, a 10800
20 e 20200.
Madapolao superior com 20 varas a 40,
5000 e 50500 a peca.
s'Dito americano, superior, a 70200 a
peca.
IfcBramante de algodao para lences a
700 e 10000 o metro.
EDito de linho superior, cora 10 palmos
igiira a 10600, o metro.
irdanapos d linho e algodao a 20 a
fia.
rToalhas felpudas a 30 e 40500 a duzia.
Atoalhados para mesa, lindissimos pa-
a 10200 e 10800 o metro.
ito trancado, alvo, a 10000 o metro.
mcos brancos com barra de cor a 10200
uzia.
tos superiores, de linho e algodao, a
a duzia.
Enxovaesma baptisados, completos, por
loe oa precos.
Entremeios e babados bordados por todo
preco.
Bicos de todas as cores para enfeite de
vestidos.
Baleias cobertas e descobertas.
Arcos cobertos para anquinha.
Camisas brancas para nomens e meni-
nos.
Ditas de meia para homens e senhoras
Manda-so fazer roupa por medida e da-
se amostras de todas as fazendas.
Lima Coutinho & C.
al n. 96, onrt ,*om quem tratar.
Vende-se a Uverna bem afreguezada ra
da hapentia n. 5.
Atten^ao
FOLPffll
SEM MI
POR
paulo nmm:
INNOCENTE OU CULPADO?
(Continuacao don. 64)
CAPITULO VI
Onde emlH Ciaffe T
x
Porque elle conhecia-os todos pelos no-
ines, sabia da sua situacSo, o que elles
eram, o que faziam, o que valiam as suas
mulheres, se tinham filhos.
Quantas vezes, por occasiao de moles-
tia, depois do pagamento, Pedro nao es-
perava no corredor, e alli, a sos, sem o
proprio Jorge saber, longe das vistas de
todos, nao dava algum diuheiro, dizendo
ibuto baixinho:
Isto para a convalescenca, eu en-
carrego-me do resto!
E com cffeito o medico, o pharmaceu-
tico, tudo era pago por elle.
E naquelle momento nao se pensava
senSo nestas cousas.
E velo alli, entre aquelles guardas,
era coima quo revoltavaos operarios, que,
no fondo, o estimavam e' alo se ouvia se-
mlo phrases deste genero :
AL! maldita sorte!... Nao possi-
vel! O patrSo um hornera de bera!...
No gabinete de trabalbo, ama joven
mulher, toda vestida de luto, inconsolavel
s seus trajos de viuva, achava-se senta-
da, abrindo a correspondencia, tomando
n6as, fazendo varios majos das cartas,
arcando urnas com trac* azues e nu-
tras con traeos encarnados, sublinhando
m parases que con tinham observacSes e
emendas.
Era Adelia .Chaniers, que, apezar do
Vende-sc o estabelecimento de iulhados, sito
ra do Hospicio n. 57 as;:n como vndese
o predio ou nu-se arrendacieoto a ventade do
comprador : a t tar no mesmo. 0 motivo da
venda seu dono rctirar-se para tratar de sua
sade. ______
* Aos sentares caladores
Vende-se duas importantes e novas espingar-
das para caca, de dous canos cada urna, sendo
urna de Lefuch calibre 16 e outra de fogo cen-
tral calibre 10, com todo? o? apparelhos neces-
sarios para as me-mas : para ver e tratar na ra
Imperial n. 164.
Continan) as pechinchas
A' roa Duque de Csiias n. 48
N'este mui acreditado estabelecimento
de fazendas fines, continuara .: offerecer %
mesmas vantagens, vendendo por menos
30 0f do que em outra qualquer casa.
Como sejam as seguintes fazendas :
Cambraia com salpicos brancos e de cOres,
muito fina cm 10 jardas, a 40 a peca.
Cortes de meia-casemira, cores fixas, a
20000 um.
Cortes de casemiras, finos, padrees moder-
nos, a 40, 50000, 60000 e 70000 um.
Cortes para vestidos em cartao, todos os
aviamentos (novidade), a 70, 90, 100 e
120000 um.
Pannos de crochet para cadeira a 10000 e
para sofe a 2JO00 um.
Capellas com veos para neivas a 80000
urna; peehincha.
Setineta branca lisas e lavradas a 440 rs.
o covado.
Setineta preta lisas e lavradas a 440 rs. o
dito.
Mantilhas pretas de seda a 50 e 70 "urna.
Cobertas de ganga para cama de casal a
20OO urna.
Colchas brancas e de cores a 20, 30, 40,
50, 60 e 7001-0 um.
Cambraia.preta para forro a 10200 a peca.
Cambraia preta, nansuck a 160 rs. o ce-
vado.
AlgodSosinho muito largo a 30500 e 40000
a pega.
Madapolao especial com 24 jardas a 50000
e 60000 a peca.
Esguiao para csaacos a 30200 a peja;
aproveitem.
Brim hollanda para vestidos
pos a 400 rs. o covado.
Las modernas de listas c quadros a 200,
240 e 280 rs. o covado.
Fechs de retroz com palmas de cores e
prctos a 10000 um.
Fichs de 1S, todas as cores, a 10500,
20000 e 30000 um.
Seda Alcacianna, padres escomidos (phan-
tasia) a 240 rs. o covado.
Espartilhos de couraca, finos a 30, 40500
e 50000 um.
Merinos pretos finos a 700, 800 10000,
10200 e 10500 o covado.
Camisas francezes, puro linho de 600000
a duzia por -150000.
Toalhas acolchnelas a 120 e 200 rs. urna
(s se vendo).
*o na loja da Re volueSo
DE
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
Quinta-fei i de Mar$o de 1889'
Vinho \
IdenT
ecaju
Vende-se estas superiores qualidades de vinho
sem composico alguma, por precos muito bara-
tos para liquidar ; na ra Mrquez de Olinda
numero 54.
Afobilias austracas
Vende se lindas luobili e pecas avulsado
acreditado fabricante Tonetirere? ; a!em destas
baoutras mobilias inteiraap|te novas e riquis-
simos desenlio, que muito animara aos compra-
dores. Tambem se encontra variadsimo sor-
timento de camas de ferro para solteiros, casa-
dos, e meninos, com lastro de tela de rame, e
que muito hygienico para as pessoas que sof-
trera do nervoso ; na ra Mrquez d Olinda
numero M.
Cha preto soperior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gueses em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por prejos mais reiumidos em vista
da continuacao do cambio favoravel.
Convem que experimentem.
48 RUADO BARAOJ)A VICTORIA 48
Venae-se
barato um carro de quatro rodas, em bom esta-
do ; quem pretender dirija se ra do Hospicio
numero 6.
Alambique
Vndese um alambique de tamanbo regular e
era perfeito estado, com a competente raspadei-
ra, propria para enpenho; a tratar na fabrica de
vinagre roa Baiiu doTruifl^fco n. 78.______
Milho 340 S"a cuia
Vende-se no Largo do Mercado n. i.
Na refinacSo
numero 22.
ou gnarda-
que
seu desespero, no dia subsequente ao do
enterro de Jorge e da pris3o de Pedro,
entregara-se corajosamente ao trabalbo e
tomara a direccao da usina.
J com seu irmSo ella havia aprendido
as cousas indispensaveis da sua indus-
tria; mas quando vira-sc s, em vez de
deixar-se esmagar pela dr, mostrara-se
ao contrario corajosa e torna.-a-se nica
directora
A sua edragem, a sua energia estive-
ram na altura da horrivel catastrophe que
attingia no que ella tinha de mais caro.
Jorge, seu marido adorado, a creatura
que ella ama va cima de tudo, morrera
assassinado !...
Pedro, o irmilo que a havia educado,
que tinha sacrificado a sua mocidade aoe
mais austeros de veres, o homem que ella
sempre considerara como a incarnacSo vi-
va da honra e da lealdade, era acensado
desse crime abominavel, des se crime
despedacara-lhi; a vida!...
Ah! ella nao acredita va de certo na
curpabilidade de Pedro, mas quantas do-
res, quantas angustias, quanto desespero,
juntos ao que ella soffria j, nao lhe cau-
sava o vel-o aspira suspoitado, preso, des-
gracado!...
Como o coracSo da pobre moca san-
grava quando pensava era que elle esta va
s, l na sua et Hua, separado de sua fa-
milia, de seu iilho, delta, de tudo quanto
podia coosolal-o, attcnu*r as suas afflic-
9&es !
Vinte vezes ella apresentara-se em Ma-
zas, vinte vezes haviam-lhe respondido im-
piedosamente a mesma cousa :E-dquan-
to nao estiver terminada a instruccSo, o
Sr. de Sauves nao pode communicar com
pessoa alguma, nm mesmo com o seu ad-
vogado.
Era para morrer de desgosto.
Ella nao morrera, entretanto, porque
pertencia a urna raja valente e porque no-
vos e penssos deveres ch:iwavam-na.
Havia bem poneos das nao tinha mais
do que deixar-se viver na despi-eoccupa-
cSo feliz da raulher amada, pela qual
pensavam e tnibalhavara sftn irmSo e seu
marido.
A adora$ao de Jorge, o.- projectos de
futuro pelo anjo esperado eram as suas
nicas preoccuj)ac8es.
Mas entao as scenas mudavam-se.
Desapparec.doAmbes, ella substituia-os.
, Em algumas horas Adelia nao e torna-
ra-se chefe de familia, como dona de um
estabelecimento tambem.
Mostrara-se lia altura da sua miaslo, &,
sera urna fraqueza, sem um desanimo, sen-
tara-se no* lugar oceupado po- Jorge e por
Assucar *
Usina Pinto
( Santa-Filonila
Colonia Isabel
Salgueiral, ra Mareilio Dias
Assucar refinado
especial, o melbor que se fabrica nesta cidade.
JOAQUIM SALGUEIRAL & C
Ra Mareilio Dias n. 22
Trlrplione numero 4-S&
Terreno
Bom para coudelaria ra Mrquez do Her-
val 80 e 82 ; para ver, na casa ao p, e tratar
na ra Marques de Olinda n. 25. Tem cocheira.
WHISKY *
Rojal Blend marca YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca lado,
cujo nome e emblema sao registrados pan
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mille & Biset, avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40. _____
Vende-se a arma^ao que
foi da loja Florida propria
para loja de ferragens, miu-
dezas", tabacaria o venda,
quem a pretender dirija-se a
ra Duque d^ Caxias n. 103.
Mercearia
Vende-se urna mercearia das memores nos
arra bal des da Boa-Vista ; paia informar Oes. na
ra do Socego n. 33, taverna.
Pedro, combinando tudo como elles, diri-
gindo o interior, oceupando-se do exte-
rior, abafando o seu desespero, dominan-
do a sua dor, enxugando as lagrimas para
velar sobre os operarios e sobre seus fi-
lhos.
Seus filhos, sim, porque a Sra. de La-
varande tinha succumbido, arrebatada su
hitamente por urna antiga molestia de co-
racSo, quando soube da prisao de seu gen-
io.
Entao Adelia, que voltava do enterro
de Jorge, ao qual quizera acompanhar,
parti immediatamente para Passy.
Na pequea casa da ra da Torre, Ro-
berto estava s com urna criada de con-
fianca, brincando, descuidado e feliz, ig-
norando a sua desgraca.
Ao aspecto de Adelia, elle correu com
os bracos abertos e foi atirar-se-lhe ao
pescoco, pronunciando esta adoravel pala-
vra, que aprender quando ella era ainda
solteira !
Mam a i !
Depois, cobrindo-a de beijos, .accrescen-
tou:
Que m mamai, qae me esquece,
que eu nao vejo nunca...
Os olhos da crianca banharam-se de la-
grimas, ao ver Adelia chorar.
O que tens? perguntou-lhe elle.
E vendo o seu trajo de luto :.
Ah! meu Deus f exclamou elle lem-
brando-se da morte da Sra. de Sauves,
sua av, entao a mamai de Lavarande
morreu tambem?
Adelia fez um signal de cabeca; as la-
grimas suffocavam-n'a.
Entilo, disse tristemente o menino,
com urna expressSo dolorosa muito rara na
sua idade, todas as minhas mamis vJto-sc
embora Tu irs deixar-me tambem ?
Ella levantou-o nos bracos.
Nfio, meu amor, disse-lhe olla, nun-
ca. Ninguem nos separar mais nesta vi-
da ; tu s meu, meu s, e eu te amarei
ao mesmo tempo como todos aquelles que
desappareceram.
A crianca tinha seis annos; mas o seu
espirito reflectido e claro pareca perten-
cera urna creatura mais idosa.
Pedio tambem noticias de seu pai, e co-
mo ella lhe dissesse que elle estava no Ha-
vre para o enterro da Sra. de Lavarande,
o menino nao insisti.
A Sra Chaniers levou-o no mesmo dia
com8go.
Na ra todos voltavam o rosto para ver
a joven senhora, tao idealmente bella, eon-
duzindo pela mo aquella crianca mais lin-
da que os amores, e que julgar-se-hia seu
filho, sobretudo vendo a ardente solicitude
A tOJA MIS BARATARA
PARIZ NUMRICA
AZEVEDO, IRMaO & C.
16Ru/f do B. dajVictoria16
200 Telcpkone 200
Tendo recebido directamente da Europa
grande sortiinento de fazendas e modas o
que ha de mais novo e precos sem com-
petencia.
A saber :
Capas de surah, senda c merino.
Renda preta, diversas qualidades.
Etamines, pretos, de l e la seda.
Damass de seda pura.
Merinos pretas de 800, 1)5000 e 1$200.
Crinoline preta e branca a 400.
Sargelim, todas as cores, a 200 rs.
Bramante de linho a 1^500, com 10
palmos.
Toalhas para banho a 10000 e 1)5500.
Chachemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l e seda 2 larguras a 10000.
Madapolao trancado a 9)5000 a peca.
Dito globo a 70000 a dita
Dito camiseiro a 70000.
Dito B8a-Vista, verdardeiro. a 60000.
Fichs de 13 e' seda 10000.
Brins de limho cies fixes a 600.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Colchas de fustao a 20000 c 30000.
Capellas para noiva com veo bordado a
60000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, -comprimento de saia a 10500.
Renda de 13, preta, para quaresma.
Pao verde para bilhar.
Tapetes para sof a 130000.
A verdadeira esteira para forro de sala
a 10000.
Camisas de fianclla a 50000.
Cortinados de crochet para cama i
100000.
Chitas de cores a 200 rs.
Crotones com 2 larguras a 400.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 10000.
Extracto Rita Sangal a 20000.
Velbutina de quadro a 800 e 10900.
GuamigSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancof.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 40000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 20000 o par.
Meias de seda para homem.
Dita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado,
Colchas, de crochet com flores.
Crep inglcz para enfeite-
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 600 rs.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fustaO de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
fNAO G3.3SXO
Qae se possa vender por estes
precos
13
RA VISCONDE DE I.NHAMA
Cambraias brancas a 360 rs. a rara.
Dita com salpicos a 300 rs. a dita.
Popelinas com listras a SCO rs. o covado.
Las de quadros a 169 rs. o dito.
Ditas chinezas a 200 rs. o dito.
Zefiros muito largos a 160 rs. o dito.
Setinetas lisas a 360 rs. o dito.
Setim prelo muito bom a 13200 o dito.
Velbutinas a 700 rs. o dito.
Merino preto (2 larguras) a 800 rs. o dito.
Sargelins todas s cores a 200 rs. p dito.
Chitas escuras e claras a 2"0 rs. o dito.
Cretones para camisas a 240 rs. o dito.
Brim de cor (linho) a 300 rs. o dito.
Dito branco de linho, n. 6 a 1*500 dito.
Vestidos em carto a 9*000.
Toalhas felpudas para banho a 1SOOO.
Dita dita de rosto a 360 rs.
Camisas de fianella a 2*000.
Dita de meia a 1*000.
Ceroulas de linho a 1*400
Camisas francezas a 2*000.
Colchas de cores a 1*800.
Fichs de retroz a 14000a
Ditos grandes a 22000.
Chales de quadros a 8*080.
Meias de cores, arrendadas a 700 rs.
Ditas brancas a 300 rs.
Collarinhos de linhos a 300 rs.
Madapolao muito largo a 4*000 a pega. ,
Meias-casimiras de cor e pretas, com duas lar-
guras a 1* o corado.
Grande sortimento de casimiras inglezas, cortes
de fustoes para colletes, cortes de casimira
para caiga de 6, 8 e 10*.
Mandamos fazer qualquer obra em nossa olcina
por precos que outros nao podem fazer.
Venham ver para crcr
Gon^alves Santos & c
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores proprias
para os amadores do Prado e est venden-
do por precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de formatos novos.
48ba babXo da victoria48
Para
Vende-se
o estabelecimento de molhados sito ra do
Bom Jess d. 29, antiga da Cruz, est bem sor-
tido e afreguezado ; a tratar no mesmo.
Arma^ao
Vende-se urna armar5o de amarello enverni-
sada e enridracada, propria para qualquer nego-
cio, ra Visconde de Inhama, outr'ora Ran
gel n. 19, e garaate-se a chave da dita casa. Na
mesma acharo com quem tratar.
Vende-se
raa taverna bem localisada e com poucos
fundos, o motivo por seu proprietario ter-se re-
tirado para fra da cidade por motivo de moles-
lia, a tratar na ra Bella n. 37. #
Cofres
Prova de fogo, dos melhores fabricantes, como
Milners e outros de verdadeira sguraDp : ven-
de-se barato para liquidar, a ra Mrquez de
Olinda n. 54.
de que o cercava e a senielhanca que com
ella tinha.
Effectivamente Roberto tinha o rosto
comprido, as feicoes puras de Pedro e de
Adelia, com a tez desta ultima e os adro i
raveis olhos castanhos de seu pai.
Quando chegaram usina, Suzana, que
o adorava, explicou-lhe que seu tio Jorge
tinha morrido tambem, mas que elle nun-
ca devia fallar nisso, porque a mamai Ade-
lia soffria muito quando lhe recordavam o
triste aconU-ciment.'.
Elle comprehendeu.
Demais, Georgina, da qual elle consti-
tuio-se logo admirador, e a quem acalcn-
tava, levando horas inteiras a olhar para
ella, foi urna salutar distraccao para aquella
alma de crianca, onde tudo j se classifica-
va, gravava, enraizava para nunca mais
esquecer.
O seu tempo partilhou-se entao entre a
criancinha, de quem gostava j loucamen-
te, e longas horas passadas ne escriptono,
onde comecava os seus primeiros deve-
res, no mesmo lugar oceupado outr'ora por
seu pai, n'uma cadeira alteada com o au-
xilio de alguns livros.
Nada tinha sido mudado no gabinete.
Na parede smente, defronte do lugar
em que Adelia passava entao a sua vida
sentada, dous grandes quadros de madeira
continuara os retratos de Jorge e de Pedro.
Estavam alli ambos, em tamanho natu-
ral, esplndidamente .fiis, parecendo acom-
panhar com olhar enternecido os entes
queridos que haviam deixado os infelizes,
animando-es, amando-os, dando-lhes a cer-
teza de que mais tarde ou mais cedo che-
garia a nica recompensa que Adelia de-
sejava e que mereca a sua coragem : a
volta de Pedro rehabilitado.
Nessa manha, ao lado da joven senhora,
pensativa e grave, inteiramente absorvida
por suas ingratas occupaefles, o menino
copiava um verbo.
Estava vestido de preto como ella ; o
seu pequeo rosto, que inclinava-se sobre
a pagina comecada, tinha j traeos sober-
bos de virilidade, e a expressao reflectida,
mas leal do de seu pai; a sua dbil mSo-
zinhaxracava as letras sobre o papel, mui-
to atiento, emquanto as veias da sua am-
pia testa engorgitavam-se e diziara o es-
forco intelligente que elle despenda para
comprehender os lempos do verbo e nao
confundir os futuros eom os condicionaes.
De quando era 'quando Adelia ergua os
olhos e urna Iigeira charama accendia-se-
lhe as pupillas azues, brilhando-lhe no
rosto desesperado urna grande exprssio
de orgulho; nao era seu ilho tambem
aquella crianca trabalhadora, cuja intelli-
a quaresma
ALTA NOVIDADE" em surahs. failles, setim
merveilleux, ottomanes e sedas pretas de Lyon,
rendas e bicos, escomido sortimento em palmas,
guarnicoes c pellermes de vidrilho prefc ; na
ra Bario da Victoria n. 15, sobrado.
.tteller madame Fanny Silva
MODISTA E COSTUREIRA
Tdephone n. 93
Grande redcelo em precos
HA
Loja do Triumpho
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 49
Merinos de cores, 1 largura, a 200 rs. o covado.
Dito, idem, 2 ditas, a 500 rs.
Dito, idem lavrados 2 ditas, 700 rs. o dito.
Etamine de listas arrendadas, 400 rs. o dito.
Crekmes finos claros, 240 rs. o dito.
Linn estampado, padres novos, 320 rs.
dito.
Las de quadros finas, 240 rs. o dito.
Ditas raescladas finas, 300 rs. o dito.
Zeir de quadros largos, 240 rs. o dito.
Saias bordadas finas, 33000.
Camisas bordadas para senhora, 4 j.
Ricos cortes de cretone com figurinos, M.
Toalhas acolxoadas grandes, 44500 a duzia.
Guardanapos muito bons, 11500 a dita.
Madapolao fino largo, 24 jardas por 6*400.
Algodao largo, 10 metros, 25500 a peca.
Dito idem 20 jardas. 4f a dita.
Dito idem superior 20 ditas. 5*200 a dita.
Bramante 4 larguras para lences, 700 rs. a
vara.
Camisas de linho sem colarinho sera punho,
3*000.
Cortes de casimira ingleza, a 4* e 4500.
Lencos de esgiao finos, a 23500 a duzia.
Esguiao branco para saias e casacos, 34500 a
Cambraia bordada, 4*500 a pega.
Merinos pretos finos, 800, 900 rs.. 15, 1*200 e
1*400 o covado.
Sedas e setins pretos, grande variedade de
precos.
Bastos & C.
gencia e cuja bondade recordavam-Jhe Pe-
dro, e que era tudo quanto lhe restava delle,
que soffria s e desesperado na prisao t
De repente a porta abrio-se, a crianca
interrompeu o seu trabalbo e soltou um
grito, ficando muito paludo :
Papai! exclamou elle.
A Sra. Chaniers estava j de p, como
se tivesse recebido o choque de urna des-
carga elctrica.
Deus do co!... Iriam restituil-o ? !.,.
Voltaria rehabilitado ?! Ah elle bem o
mereca!...
Desgraciadamente, o rosto impassivel e
zombeteiro do Sr. de Courneuve, a cuja
presenca Adelia havia j comparecido por
diversas vezes, provou-lhe que nao.
Se tivesse sido solt, Pedro nao appa-
receria com o lgubre cortejo que o es-
coltava, e entrara ssinho em sua casa.
Apezar, porm, de todos que o cerca-
vam, um movimento de affecto, mais for-
te do que a sua vontade, impellio-a para
os bracos do Sr. de Sauves.
Ah meu querido irmao exelamou
ella, torno finalmente a ver-te) a ti que
estimo mais do que tudo sobre a trra.
Pareceu ao desgranado que o co abra-
se-lhe de par em par.
Adelia, pela qual elle soffria em silen-
cio ; aquella irmX adorada, cuja affeicao
tinha em maior conta do que a propria vi-'
da, nao o julgava culpado !...
Apertou-a contra o coracSo ; as lagri-
mas suffocavam-no.
Ah! como bom o amor e a estima
daquelles que se amam! pode elle final-
mente murmurar.
Duvidaste algum dia de mim, meu
Pedro ? pergunton ella com expresso in-
dignada. *
Afastou-o Higeiramente de si, e litava
nelle as suas ampias pupillas, tao leves e
tSo lmpidas, as quaes reflectia-se o mais
insignificante dos sens pensamentos.
Mas elle mal a ouvia; via-se novameu-
te alli, no meio das cousas que tinham si-
do a sua vida, daquella industria que elle
havia creado, naquelles lugares onde ti-
nha vivido.
Tornava a ver tambem o sitio onde tan-
to havia trabalhado. .
Depois, volvendo os olhos em torno do
compartimento, vio Roberto sentado no seu
proprio Iug\r, olhando para elle com os
seus grandes olhos puros, o ^rosto muito
paludo de emocao...
Depois, na parede, e seu retrato collo-
cado-por Adelia ao lado daquelle que ella
chorava.
A eruocao foi mais forte do que a sua
vontade.
Mais Barato
Alojadas Listras Ames
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 81
Telephone n. til
As fazendas vendidas nesta casa sao de boaqua-
lidade: e nSo levam | medida escassa;
aceita-se a fazenda vendida se, per
qualquer motivo nao fr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprada.
D-se descont a quem comprar de 28*,
para cima.
ESPECIALIDADES
Hrlm de listras azues pecas com
20 varas a 6,0000.
Madapolao com um metro de larga-
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordados em
cartao a 100000.
Velludilho bordado a contas a 10600
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros e
arrendadas a 20 e 20500.
Teeldos phantazia arrendado proprio
para baile e theatro a 400e500 rs.
Cortes de cachemira com guarnicSes
bordadas, luidas cores, a 200 e 256009.
Setim Maco de todas as cores a 750
e800rs.
Linn bordado tecido de urna s cor
qualquer que se deseje, a 200 rs.
Zefiros lisos e bordado, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Lis de quadrinhos a 200, 240 e 300
o covado.
Linhos lisos a 60 e de quadrinhos &
100 rs.
Ciaardanapos melhor qualidade a
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 10.
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada 40000.
Cortinados de crochet, com sanefas,
ultima novidade, para janellas c portas.
Croehet para cortinados a 900 re. o
metro.
Colchas fustao, brancas e de c4-
res a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 re.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 re.
Bats tes de cores seguras a 120 re.
\anznc de lindas cores a 280 rs.
Brim pardo esguiao a 240, 280 e320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 re.
Hantllhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lidos enfeites e com vibrilhos %
200, 250 e 300000.
Leques de pennao e transparente!,
ultima novidade, todo prego.
divas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartilhos inglezes a 40500 e 50,
tem desde o -n. 40 at 80 de grossura.
Blco braneo reme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e de qualquer cor.
Babados e entremeios bordados ta-
pados e transparentes por todo prego.
Grampos e pentinhos fantazia pare
cabello a 400 e 500 rs.
Baleias para vestidos a 260 rs. a
duzia.
telonios despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
Aspas de ac para vestidos a 120 re.
o metro.
Sargelim francez fino, diagonal,. a
200 rs. de qualquer cor.
Crinolina de cordo preta, branca,
chumbo e c6r de caf a 400 rs. o metro.
Redes americanas para menino
dormir a 30500 e para homem a 60000 e
70000.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas na loja das
LISTRAS AZUES de /
Jos Augusto Dias
Cahio sentado junto secretaria, com a
cabera oceulta nos dedos e murmurou:
Sou oceusado de um crime tao es-
pantoso !
Adelia pegou-lhe na mao, quasi forca
e, esplendida de energia, de re, de indig-
nacao :
Sim, e o que tem isso ? disse ella.
De que vale isso de que te aecusam ? NSo
s o homem leal e impeccavel entre todos,
cujo coracSo e cujo espirito nunca foram
tisnados por um mo pensamento e que
nunca viveu seno para o dever? Cora-
gem, meu Pedro amado, meu irmao, meu
amigo. Todas as pessoas de bem esti-
mam-te e lastimam-te; en adore-te. Alca
bem alto a tua fronte de homem de bem
que teu filho recorde-se por toda a vida
como o rosto de urna creatura boa e justa
como tu, que acensado injustamente de
urna aceao espantosa. Que elle aprenda,
ao ver-te, para nao esquecel-o nunca, qual
deve ser a attitude daquelle cuja conscien-
cia pura como a tua.
Lembratedo que sempre meensinaate:
Que importa a sociedade e os seus ful*
gamentos quando se cumpre o seu dever
e possue-se a estima e a affeicSo daquelles
a quem se ama ? E quem algum dia
cumprio os seus deveres como tu?..-. O
nosso amor?... Ah se soubesses com
nos, Roberto e eu, te amamos !...
A crianca nSo esperara o olhar de Ade-
lia, pendurara-se ao pescoco de Pedro.
Ah! papai.' dizia elle cobrindo-o de
beijos, meu querido papai, nao chores,
porque nunca fizeste mal a ninguem!...
Aquella voz de crianca, mesclada is^ar-
dentes palavras de sua irma, foi um pv-
derososo balsamo applicado no coracSo do
infeliz.
Ergueu o rosto inundado de lagrimas.
Tm razio, meus amigos, disse elle)
ser; forte porque a rainha eonsciencia
est tranquilla... Mas, continuou elle,
olhando para o retrato de Jorge, cujo bom
sorriso alegre illuminava o compartimen-
to, fui tao amigo teu, tive por ti tao vivo
affecto, tanto reconhecimento e tanta ter-
nura, e no entanto sou aecusado de hawr
te assassinado, meu pobre irmSo, meu me-
lhor amigos isto nao horrivelmeai
cruel?...
Levantara-se, e, dando alguns pas
approxi niara-se do retrato.
No limiar, o Sr. de Courneuve e o chefe
da seguranja consideravam a scena.
(Continuar-u-haJ
"Tsp. do jOiarfe.rua Duque de Caxias n: 42.

'
>
>.
'
'{
l-
v'
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5PB5G197_6IDLTQ INGEST_TIME 2014-05-28T15:20:34Z PACKAGE AA00011611_18294
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES