Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18291


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXV NUMERO 62
>n
4 < 1PIT %L E I.IGini:t WDK !V\ SE PAl.i PO
antados.
es ditos idem.....
anno idem .
!ada numero arulsn, do mc?smo dia.
23,JOOO
133500
20,5000
26OO0
I
DIARIO DE PERNAMBUGO
4 "
TrcprMade de Marwel 3%guerca de ^aria # Snfycs
>s Srs. Amede Prin-
oe & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
epubiicacoes na Fran-
ir TELEGRAMIAS
^
-
-
%
sss:::: ?:::::l?. ::::::::
RIO DE JANEIRO, 16 de Marco, i
1 hora e SO minutos d;i tarde.
. Foi removido da estrada de ierro do Re-
cif Caruar, para a do Prolongamento
da de S. Francisco, o chafe de seecfio Ga-
, briol AVneida.
Foi mandado servir na resena, pas-
saado para o respectiuo quadro, o coronel
commandante superior da guarda nacional
da comarca de iTKmarctingn, em Pernam-
bnco, Amaro Coutinhu.
i lustrosa, que j se nao fabrica hoje. Os vasos
I etruscos sao os modelos raais uotaveis ua olaria
antiga ; leem urna forma pura, simples e elegan-
te, que boje muito se imita.
Veem se alguns nodellos destes vaso?, copia-
dos'das rollecoef de cermica antiga, existeo-
les no palacio "do Louvre, em Paris. A massa
desla louca fina, homognea, cober.'a de urna
especie de verniz delgado e resistente, vermelho
ou preto, constando de silica tornada fusivei por
meio de um lcali. Eram cosidos a urna tempe-
ratura pouco elevada.
A fuianca esnia iada foi conhecida dof. persas
e dos rabes antes de o ser dos europeus. Ad
mitle-se geralmen'e que os oleiros arabos leva-
ram das lhas Baleares para a Italia o esmalte
opaco stanifero. Essa iutroduecao, diz M.
Alexandre Bronguiart, Uve lugar talvez por
volta do anno 44i.">. quasi :ia epocha em queLuca
dclla Robbi. esculptor de Florenca, fez suas es-
tatuetas e baixos relevos de barro cosido, e os
cobrio cora um esmalte de estanto.
Esta faianca chumava-sc majolica em toda a
Italia, nome fabricar:, da majeica teve primeiramente lugar
em Castel Durante e em Florenra. sob a direccao
dos irm&os Fontana d'lirbinu. Estabcleceram-
sc ao depois manufacturas em todos as cidades
de Italia, e outras ?m Faenza, a qual foi talvez a
que deu o nome a esta especie de louca. Se
gundo Mezerai, esranomevem talvez de Faicnen
pequea villa, situada na Proveoca e afamada
Cela louca que all se fabrica como diz este
istoriador. Francisco I mandou estabelecer
urna fabrica de faianca perto de Parts : a de
Nevera foi fundada por Henrique IV em 1603.
Mas voltearos nossa materia. As fabricas
italianas cxecutavri pecas de luxoparu princi-
pes : eram faianoas esculpidas c ornadas de pin-
turas admiraveis

VIENNA, 15 de Marco.
Acaba de fallecer o celebre cantor Tam -
btrlick.
ROMA, 15 de Marco.

Brilhantes festas tivcraia lugar aqui hon-
tem em honra do anniversario natalicio de
S- M. El-Rei Humberto.
!i*8S. MM. El-Rei e a Rainha Margarida fo-
ram calorosamente aclamados pela popu-
fffc.
>
Agencia Ha va, filial em Pernambuco,
Ir! de Marco, de 1889.

P

IHSTRCCO POPULAR
AS GLUDESI \YE\fOES
ANTIGS K MODERNAS
KAS
Sciencias. industrias e artes
POR
VIII
A porcelana, a louca e o barro
(Continuaeao)
O tijolo prepara-se com urna argilla grosseira
que se encontra em uia grande numero de loca-
lidades. Depois de amassar com agua estas
trras argillosas d-sc massa a forma de tijo
los expoe se ao calor de um torno. Algumas
vezes basta seecar os tijolo? a um sol arden te ;
mas entao ficam com pouca solidez. O tijolo co-
sido deve a cor verme-Iba ao oxydo de ferro que
encerra. Podem fabricarse mao ou em formas
rectangulares, polvilhadas com areia. Para co-
set-os, reuaem-se em monte deixando aqui e
acola alguns intervallos em que se queima o com-
buptivel', od aquecem-so em tornos.
A louca ordinaria fabrica-se com a.gilla impu-
ra, que se deixa apodrecer muitos annos em
fossos, para a tornar nais plstica. Os vasos
{ara flores, alguidares, potes, etc., etc., saofa-
ricadas por meio do tomo de oleiro.
Este torno e um dos mais antigos instrumentos
da industria humana. Consiste em um grande
disco de madeira ao qual communica um mov-
mento de rotacao o pe do operario. Um segundo
disco mais pequeo, que contem a {massa sobre
que se opera, est lixado na extremidade supe
or do eixo vertical a que est preso o grande
disco inferior. O oleiro, sentado em um banco,
colloca no centro do disco menor urna certa
quantidade de massa hmida c molle, e, dando
no tomo com o pe, da a essa maesa, com ambas
as maos. o feilio que desoja. Nao ha espectculo
tao agradavel como o de um oleiro hbil, dando
i ao barro, ainda em massa, as formas mais va-
nadas e com urna rapidez assombrosa. Paper e
que o vaso nasce, se forma e moMa milagro&a-
meDte, por si proprio. entre os dedos industrio
sos do oleiro.
As loucas campanianas. designadas impropria-
mente pelo nome de etrnscag, e as loucas gregas
antigs, pertencem classe da louca branda e
I

tel, que raudou de.residencia, segundo part
pou-me o presidente dessa cmara em officio
de Fevcreiro findo. Communicou-se ao juiz
direito'da comarc:i de Villa Bella.
0 Sr. gerente da Companhia Pernamhuca-4 "' r*_glBi
na de NavegacSo faca transportar para o presidi"
de Fernando de Noronha, por conta de los Jcn-
quim Al ves C,. os gneros alimenticios e di,
xersosprtigos contemplados na relacao aqui junta
assignada pelo secretario interino do governdi
dasta provincia.
Sr. superintendente da estrada.de
do Recife ao Limoeiro.dk'' transporte, por conta
SCIENCAS
da provincia, destaeapital at aquella cidade
de OliveirajCosta,
{Contina:
sss::;::: ams:: savas
PARS, 15 de llardo.
I
*'0 Senado accedeu por 213 voto3 contra
T6S ao pedido da autoridade judicioria para
jrocessar o Sr. Alfredo Naquet, senador.
como membro da I-ig:i dos Patriotas.
Tambera na Cmara dos Deputados dis-
cutio-se o mesmo pedido da autoridade ju-
tiaria contra os Srs. deputados I^aisont,
rquet e Laguerre aembros da Liga dos
Patriotas.
O pedido foi concedido depois de urna
11Mlr1* rtr*"f rw ^' '- *- ^ |
A sesso dn Caraart foi da- mais tumul-
tuosas.
PARTE OFFICIAL
.ity erno da proviacla
r.MT.or' t>: do pa 7 dr u\uro de I?8>
Oflicios
Ao hrigadeiro commandante das armas.
Conforme declara o inspector da Thesouraria de
Fazenda em officio de 4 deste mez, n. 117, n.V>
consta que pelo Ministerio da Guerra fosse al-
gnma vez pago o gaz consumido do Quartcl Ge-
neral, entretanto que sabe-se da propria emprc-
za da illuminacSo que as contas do alludido con-
sumo tm sido pagas particularmente pelos com-
mandantes das armas. Nao |K>de portanto ser
Batisfeita tela mesma Thesouraria a despeza de
que trata o officio re V. F.xc. ae 13 de Peverei-
rojultimo, n 298.
Ao Dr. chefe de policia.-lnteirado pelo of-
ficio de V. S.. de hontem datado, soh n 233, dos
factos que ltimamente se tm dado no termo
de Buique, recomrnendo-lhe em resposta que ex-
pega terminantes o-dens afim de ser mantida a
tranquillidade e ordem publica naqoella locali-
dad e.
Ao mesmo. Declaro a V. S.. para os fins
convenientes < em resposta ao sea officio de hon-
tem datado, ob u. :!,i, que apurovn o coiitruc'o
e 1ocacio*rDt iMrteeenrc fcrtencuAfW.'uar
do Jos Arfcfl de Mello, pelo prerb 4k doze mil
res mensaes, c a contar do da 6 de Janeiro ul-
timo, para servir de quartcl ao destacamento de
Caohotinh Remettcu-se copia ao inspector do
The30uro Provincia'.
-- Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.'
Communico a V. S. para os fins convenientes
que o promotor publico da comarca de Bezerros.
bacharel Joaquim Manoel Vieira de Mello, a 2
do corrente mez eutrou no coso da licenca de 1S
dias, que Ihc cencedi em i"> de Fevereiro, para
tratar de sua saude.
Ao inspector interino do Arsenal de Mari-
nba. -Segundo consta de aviso n. 313 do Minis
torio da Marrana de 2o de Fevereiro prximo
passado foi, por decreto de 23 do mesmo mez,
exonerado, a pedido, do logar de inspector des-
se Arsenal, o capitao de fragata Manoel de Arau-
jo Cortez. 0 que declaro a Vmc. para seu co-
nhecimeato. Comraunicou-sc ao inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Ao inspector do Thesouro Provincial. De
accordo com a nformagao de Vmc. de 28 de
Fevereiro ultimo, n. 86, autoriso o a mandar
pagar a quantia de 16450' proveniente de pas
sagens concedidas em carros da estrada de fer-
ro de Paulo Aftooso aos officiaes do corpo de
polica de que tratam os documentos juntos por
copia authentica e extrahida pela secretaria des-
la presidencia.
Ao dilector ca estrada de ferro de Paulo
Alfonso. Respondendo ao officio de Vmc. de 28
de Janeiro ultimo, O. 391, tenho a dizer-lhe que
nesta data autonsri o Thesouro Provincial apa-
gar a quantia de 16S500 proveniente de passa-
gens concedidas ao capitao do corpo de polica
Joaquim Flix Bezerra Cavalcante e alteres do
mesmo corpo Antonio Cadena Bandeira de Mel-
lo. Quanto ao pagamento do restante, na im-
portancia de 147>I40, nao pode ter lugar por
nio haver o preciso crdito, conforme declara o
mencionado Thesouro era inforraaco de 28 de
t-evereiro ultimo, n. 86.
Ao inspector geral da Instrucgao Publica.
Recommendo a Vmc, que me informe o mo-
tivo da demora no julgamento da professora
Rufina Demetria te Souza, que toi interrogada
a 15 de Janeiro ultimo e conserva-se nesta ca-
pital solicitando lirenca para tratar se.
Ao commanrlante do corpo de polica.Ao
Dr. chefe de polica mande Vmc. apresentar
duas pracas afim de conduzirem um criminoso
que tera de ser submettido a julgamento no ter-
mo de Taquaretinaa.
Aojuiz de orphos do termo de Cimbres.
-Afim Je que tenham o conveniente destino,
faca Vmc me apresentar os menores otlion. Ma-
ra e Luiza de que trata o seu officio, a que res-
pondo, de 25 de Fevereiro fiado.
Ao fiscal da Companhia Recife Drainage. -
Declaro a Vmc. que, a vista de sua informaco
de hontem, indeferi o requerimento em que Fran-
cisco de Pinbo Borges pede que fiquem reduci-
dos a um os apparelhos dessa companhia, collo-
rados no predio n 4 da ra l.cao Coreado
Ao engenbeiro fiscal da estrada de ferro do
Ribeirao a Bonito. Declaro a Vmc, em resposta
ao seu officio de 5 do corrente, no qual solicita
copia do aviso do Ministerio da Agricultura Com-
mercioe Obras Publicas, de 21 de Fevereiro ul-
timo, referente a informacoes sobre o trafego das
ferro-vias de conc?ssao provincial que o fiscal
da mesma estrada de ferro deve procurar conhe-
cer os actos do dito ministerio, ao Diario Officutl
em que sao publicadas as decisoes do governo-
Ao e.-crivo do juiz de paz do 1* districto
da parochia de N. 5 da Conceico de Serinhem.
Respondo ao ofl'uio de 25 de Fevereiro findo
declarando a \mr. que, nos termos dos arts. 50
e 51 de Marcojde 1888, aojuiz de paz emexereicio ca
be impdr multas acuelles que. tendo origaco
de dar registro albura nasciraento, casamento ou
bito nao lizerem as declaraeoes competentes
dentro dos prasos marcados no citado regula-
mento.
Portara:
Determrao a Cmara Municipal de Trium-
pho que exoeca comrounicaso aos juizes de paz
e d as demais procidencias do estylo afim de
que se proceda niMse municipio no dia 6 de Maio
vindouro a eleic') de um vereador, em substitui-
cao docidadao Manoel Jos de Almeid a Pimen-
em resposta ao seu officio q. 23i. de hontem da-
tado, que nao ba torga disnoniu-l parasatisfa
a requisicaa do delegado co termo do Buique.
Ao Dr Henrique Jos oelho, secretario
provincia de MattoGrosso. -Pelo officio, aq
respondo, de 6 de Fevereiro findo fico scienled
haver V. S. assumido na mesma data o exercici
do cargo, de secretario dessa provincia.Apr-
senlo a V. S. os protestos de minlia estima
considera (So.
Ao tapyctur da Thesouraria de Fazenda.*-,
(> K\m. 8r. presidente da" provincia manda re-
inetter a?. S.a inclusa ordem do Thesouro
Nacional n^0 de 26 de Fevereiro ultimo.
Ao secretario da Assembla Legislativa
ProviDCial.De Ordem de S. Exc. or. presiden-
te da provincia Uansmitto a V, i*, para o"s fius
convenientes, o lpplanco da receila e despeza da
exercicio de 1887 a 1888 e o orcamenlo para 'p
de 889 a 1890 da? Cmaras Muicipaesde Igua-
rass e Gravat.
Ao tenente-coronel Alexaudie Jost' Mana de
Hollanda Cavalcante commandante superior in-
terino da guarda nocional da comarca da Victo-
ria. -O F.xra Sr. presidente da provincia manda
acensar o recebimento do officio de V. Exc. de 1
do corrente de cojo assumpto fica inteirado.
Ao Io juiz de paz do 2' districto da fregu
zia de Cimbres. -De ordem do Exm. Sr presi-
dente da provincia remeti a V. S. copia das leii
n. 618 de 16 de Maio de 16.de 1865 e 966 de 2$
de Julhofde 1870, relativas ao assumptode seutofti
co a que respondo, de 27 de Fevereiro findo.
Rrpartlro da Polica
2. secc-ao._N. 2C>7Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 16 de Marco de
18S9. Illm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que toram hontem recoibidos
Casa de DetencSo ob seguintes individuos :
A' minha ordem, Ficulino Velloso de
Lima V. Manoel Vicente dos Santos co
nhecido por Benedicto, vindos do termo
de Agua l'reta, como vagabundos.
A' or.lem do subdelegado do 1.- dis-
trietfr da rVguczl* *r S. Jos, Jo Uo-
des da Silva por embriague* e disturbios.
A' ordem do do l.- districto da fregue-
zia da Boa Vista^ Jlo Nery,'por embria-
guez e disturbios e gueda Maria da Con-
ceico, por disturbios e offonsas a moral
publica.
A' ordem do do 2.- districto, Alexandri-
no Baptista de Araujo, por disturbios.
A' ordem do do Peres, Vicente Ferrei-
ra Honorato, conbecido por Vicente de
Mello por embriaguez e disturbios, a dis-
posico do Dr. delegado do 1.* districto
da capital.
A' ordem do da Torre. Esperidio Jos
dos Anjos, por disturbios a disposicao da-
quellc delegado.
Communica o subdelegado do diatricto
de Beberibe, que hontem por volta de 3
horas da tarde, no lugar Porto da Madei-
ra, daquelle districto, Eva de tal, foi ac-
commettida de um ataque e eahio dentro
do rio. morrendo asphixiada.
O subdelegado respectivo tomou co-
nhecimento do tacto, e procedeu a respei-
to nos termos da lei.
Communica o delegado do termo de
Santo Antao, que no dia 10 do corrente,
no lugar Caracax daquelle termo, o in-
dividuo de nome Antonio Francisco, co-
nbecido por Cambraia, ferio com urna ta-
cada a Francisco Teixeira, logrando eva-
dir-se,
Procedeu-se a respeito uos termos da lei
Aquella autoridade participou-me tam-
bem que pelas 9 horas da noite de 12 des-
te mez, no lugar Mocos, do referido ter-
mo, suicidou-se com um tiro, Manoel de
Almeida Franja Acerca do facto, procedeu-
se de conformidade com a lei.
Pelo Dr. delegado do 1.- districto da
capital, foram hoje capturados os crimino-
sos Miguel e Antonio de Torres Gallindo,
como pronunciados no artigo 193 do cdi-
go criminal a requisicao do Dr. juiz de
direito do 2.- districto criminal.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Goes, muito digno presidente da provin-
cia.O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
manlelpal das gran
des eldades estr ngel ras
(REVE DES DEDX MONDES)
III
(Continuacao)
i nnidade e a independencia de u'iia graade
cidade esto quasi sempre na razao Inversa do
criminoso Joo Capistrano de Oliveira|Costa, vai ser submeido a julgamento no termo de Ta'. con! a va 150.000 habitantes em 1801, 550.000 em
qoaretinga e a duas pracas do corpo de polica **t;i 1.235 000 em 1885, Berlim, anezar d'esse
que o conduzem. anmenlo collossal, evilou o escolho. Sua muni
kxi'bdie-nti; do os. sscbetabio prlidade conserva ao mesmo tempo mais auto-
Officioe : momia que a de Pariz, mais unidade quea de
AoDr. chefe de polica.S. Exc. o Sr. prc-j Pendres. Atora a polica, que perteuce ao gover-
sidente da provincia mandu communicar a V. S.|n- ,n"> o reito de aotonsar a creacao de im
foslos, a emi&sao de em prestimos, a venda das
priedades, ella senhora dos servidos da el-
le, designa ou aceita todos os agentes muni-
^aes : nao preenche, como em Pariz ou Vienna,
"egoes d'' governo por conta rio Estarlo, perce
o dos impostes. recrutamc.:to militar. Tudo
?a organisftSo. diffi're da nossa : o fundo e a
rraa, a orapsico das autoridades, suas attri-
ices, suas tendencias, o direito eleitoral.
^a Allemanha i-'!' todo o mundo, salvo os indi
jjentes, paga o imposto directo.
- No mez de Julho, o MagMrat organiza urna lis
ta dos cidadaos residentes era Berlim ha um
anno ou menos, cora indicacao dos imnostos que
pagam cidade e ao Estado ; depois divide o to-
tal em tres partes iguaes, que forraam tres clas-
fces, das quaes cada urna numeara o mesmo nu-
mero de representantes i assembla cominu
nal
. Em 1878, contavara-se 3.378 na primeiro cate-
gora, 15.653 na segunda. 135.951 na terceira :
assim. 3.378 eleitores ricos possuiam urna repre-
sentaco igual a 15.653 eleitores remediados e a
de 135.958 eleitores nao indigentes.
Berlim, repartindo-se para a eleicao era qua-
renta e dous quarteires, cada classe elege mu
conselheiro em cada quarteirao. A assembla
compe-se, portanto de 126 membros, Horneados
r seis annos, enjo terco eleito de dous em
os annos, sendo preferidos, pelo menos na me
*e,os proprietarios. As sesses publicas, soo
" dato gratuito, a assembla elege e seu pre-
dente, lixa a data, a durarao de suas sesses,
""rce superintendencia ilhmitada sjbre os actos j
. administraro.
o Migistrai "exerce o poder executtvo; nao'
una pessoa, um collegio, urna segunda assem-
bla, comp>3ta de 3i membros, o p/imro e o se
gunao burgomestre, 1S vereadores que receben)
jm ordenado de 7.000 a 15.000 francov!7 ve-
readores nao pagos. O primeiro burgomestre pre-
ide ao magistral, oceupa-se da administracio
geral; deve, salvo urgencia, entenderse com os
leui collesas antes de tomar medidas de execu-
eao. Percebe 30.000 marks (37.500 fr), e al amas
vezes tambem urna gratilcac&o pessoal. O pri-
meiro burgomestre. o Sr. de Forkenbect, exerce
o cargo desde 1878; nSo e lhe pode, por falta
4aAgar disponivel, reser\ar um cominodo o
T^iO'.i) palacio BjBoicipaL- -
A assembla municipal lixa os vencimeiflos,
nomeia, pessoas extranhas a corporafao. todos
os membros do magistrado, com reserva da con-
tirmacao real; os titulares pagos, verdadeiros
funecionarios, sao eleitos por li annos, os outros
por 6 ; guando expirara suas funeces, os pri-
meiros tm direito a urna penso de aposcota-
doria.
Como as resppnsabilidades col lectivas se dis-
persam c desapparecem, remedeia-se esse incon-
veniente attriburado aos priocipaes membros do
magistrat repartieses especiacs : financa*. ensi-
no. assistencia publica, estradas reaes, archi-
tectura.
Qoaodo urna deliberacio da assembla parece
Ilegal, contraria ao bem do Estado ou aos inte-
ressea da communa. o magislrat tem o direito e
o dever de impedir-lhe a execucao (4); ordi-
nariamente, para chegar a urna combinago, con
stitue-se una commissao mixta das duas assem-
blas; si o conflicto persiste, o governo decide
o debate.
Esta diposirao, muito importante, garante ao
magistrat reaf cstabilidade: em Munich, onde
existe systeraa anlogo, e conselho municipal
pode, depois de ter sido liberal, tornar-se ultra-
montano, sem que o magistrat, nomeado pela
antiga maioria, se retirasse a vista da nova.
E' um principio inscripto aa lei, consagrado
pelos costumes, que a communa pode repartir os
servicos administrativos entre os cidadaos, ser-
vicos gratuitos, impostes por tres annos, que, :m-
pedindo a estagnaeflo e a rotina, garantem a to
dos os graos munciosa vigilancia. Assim, a ci-
dade adiase dividida era 200 districtos para a
expedico dos negocios locaes; em cada um
d'elles o presidente e um adjunto representa e
secunda a administracao municipal
Deste modo, um numero considcravel de com
misses compostas de membros do magistrat,
de membros da assembla e de simples particu-
lares, horneas ou mulheres, exercem em cada
reparticao. sob a autoridade do magistrat, um
poder ue vigilancia, de direceo c de execucao
Pdese dinerque todos os burguec"s da cidade
preenchem devere3 para com a cidade. A' fren-
te da assistencia acna-se a deputacao dos po-
bres (Armen Direction), formada de 10 membros
do magistrat, 17 conselheiros municipaes, 10
particulares e 4 assessores. O numero das com-
missoes locaes, encarregadas de distribuir soc-
corros pelos domicilios, augmenta em cada an-
uo ao mesmo tempo que a populago : hav ia 193
em 1884, que nao oceupavam menos de 1.900
pessoas. A le ordena que cada individuo deve
receber do syndicato a que perteoce ura abrigo,
os recursos iudispensaveis para a conservacSo e
para a vida, os cuidados necessarios em caso de
molestia, e sepultura conveniente depois da mor-
te ; o Sr. Elberti, membro do magistrat, dizia ao
Sr. Daniel Mayer:
> E' impossivel que um homcm morra de fo-
me em Berlim .
A assistencia figura no orcamento de 1883-
1886 cora a somma de 10.500.000 francos. Urna
forma original de soccorro a cultura das bata-
tas pelos pobres nos campos, que a cidade pe
sua disposicao ; 100 heelares divididos em lo-
tes s&o entregues, cora o adobo necessano e a
sement, mediante urna venda annual de iOfrs.
50 por lotes de 4 ares ; a titulo de exemplo, os
vigas cultivara, certo numero de lotes.
Apezar da venda, a cidade tera um dficit de
25.000 francos. Assim, para todas as classes da
hierarchia administrativa, o allemao prcoceupa-
se da poltica do homem pobre; nao imagina
que a questao social possa resolver-se em ura
quarto de hora, nem que ella seja nicamente
urna questao de taberna. Nos servicos pblicos,
a exptora$ao por adtninistrasao superior con-
cesso a particulares; mas este sjstema nao
(3) Ver os excellentes relalorios d%Sr. Daniel
Maver, sobre Les instutiotu mnniciwfex de frrlin
et Vienne, imprensa Chaix, 1886^1887: Der-
nombrynes, Constilutions europe/mM voluines !
BulMin de la Societf de Uijislatim comparte.
Berlim tem nina superlice de ti.tilO hfctares, quan
ndo Pariz, com urna populacho ip;a, apenas
tem 7.802, ha, porm, quatro vezes^mais ca
em Pariz do que em Berli-
(4) Esta organisacao
Reeebedorla Provlaelal
DESPACHOS DO DIA 16 DE MAB^O t>E
1889
Matheuo Austin & C. Ribciro Sobrinho
& C. Firmino Oomes Leal & '., .andida
Maria da Conceiclo, padre Frimcisco Jos
Alvos, Antonio Domingos de Lima, An-
tonio Moreira Reis, Francisco Ribeiro Soa
re, Johonston Pater & C, Jorge Hermn
Augusto Erharde Antonio Jos Soares.
Infoi-me a PseccSo.
Fernandes de Oliveira & C. Em vista
das informacoes os supplicantes nao pode-
res ser attendidoa.
Ferreira Cruz & C, S. Esnaty Banks,
Barboza & Santos e Duarte Cruz & C.
Informe a 1* seccao.
Netto Alves. Satisfafam a exigencia
da 1* seccao.
Domingos Pinto de Freitas. Proveo
supplicante o valor da parte que lbe per-
tence
nexa.
visto nao constar da escriptura an-
I
teve os effeitos que se podiam temer, porque a
organisacao das cominisses permitte urna vigi
laacia rigorosa e porque os regimens das tarifas
concebido de modo a fazer pesar os encargos
sobre aquellos que mais ge aproveitara delles.
A munifipnlidade dirige o ensino primario
gratuito e olirigatorio nomeia os professores e
as commisses locaes. em numero de 88, encar-
regadas, antes de tudo, de velar que as disneas
de seu quarteirao frequentem regahrmente a es-
cola. O clero, an les de Culturkampf, exerciana
deputacao das escola- ama influencia preponde-
rante, que perdeu.
L'rnaesco i; profissional, fundarla em 80, foi
mui bem succedida i conta mais de 1.000
alumnos.
A despeza prc .isla no orcamento de 185-188i
para o ensino primario foi de 8.400.000 francos;
tomando a media de llu.000 alumnos, obtem se
urna rlespcza total dr 60 francos por alumno.
Quanto aos estabelecim "">s municipaes de
ensino secundario para os iapazes, comprehen-
dem 17 gymnasios dous real gmnnatu, 7 real-
chute superiores, no total 13.040 alumnos, oque
representa as suas Ierras partes do numero to-
tal do ensino secundario dos rapaxes em Berlim
repartindo-se a outra parle entre os estabeleci-
mentos reaes e particulares. E' sabido que nao
ha internatos na Alleraanlia : do que resulta una
diminuicao sensivel nasdespezas de estabeleci-
meoto dos coliegios.
O uso prussiano conf'ere ao magistrado o pa-
tronato das igrejas evanglicas, isto, o direito
de dirigir seus bens, de prover os lugares va-
gos, com o dever de acudir Ss uas necessida-
dea. Em consequeacia de certaf iffieuldades.
urna lei de I87t permitte as igreja* de Berlim.
reunidas em synodo, crear para i recursos pes-
soaes por meio de impostes hincados sobre os
seus fiis ; aproveitando se disso, instituiram um
imposlo adaicional ao imposto sobre a renda,
que, em 1884, ren leu mais de 350.000 francos.
Todava, amunicipalidadc nao rennnciou forne-
oer-lhes subsidios, para, sera duvida, conservar
um patronato ao qual nao podiajpretender se re
pudiasse os encargos.
Na ordem judiciaria, a ConstituicSo de 1879
estabeleceu urna especie de jurisdieco arbitral
anloga J dos juizes de paz em Franca ; n5o
existem menos de 190 tribunaes desse genero
em Berlim, e comquanto, como principio a ins-
tituicao dependa do governo, do facto o magis-
trat determina as circumscripces arbitraes, ao
passo que a assembla municipal designa es ti-
tulares que recebem depois atconfirmar/io real.
Observemos tara bem que, al agora, a mu
nicipalidade que representa os interessta com-
raerciaes e industriaos da cidade. aguardando
urna ressorreicao do systeraa cooperativo, que
favoreeeu o poder desd 1860; ella qse preside
execucao do novo rgimen estafcelecido na
Allemanha para as ca xas de soccorros mutnos
que dirige as caixas de subvenco; ella, linal
mente, que maio/ iniciativa touiou na creaco do
instituto de crlito fiduciario, associaco de prO-
prietarios formada co:n o fim de substituir, nos
emprestimos hypothecarios, o crdito collectivo
ao crdito individual. Fundado era 1868, o ins-
tituto comprehendia, em 1884, 4,153 imraove1&,
sobre os quaes eiuprotaraflj-se 75 milhoes de
francos
EmBrtim, a ^tic loml, assim como a p-
lida geral pertence a Estado, era virlude de
urna lei de <850, que autorisa essa operaro em
todas as cidades importantes. O gowrno relri-
bue o pessoal, a municipalidade paga as outras
despezas, sera nenlmi'"direito de decusso, tem
de liscalisaco. Todava, os nivelariienlos, a po-
lica das estradas publicas, a de draiaagera das
casas uas ras providas de esgotos, foram aban-
donadas communa, ha treze annos ; finalmente,
nos outros ramos que o Estado conservou e que
nao dizem respeito a seguranca publica, as con-
strueces e a salubridade, por exemplo, a cidade
em virlude de urna lei de 1879. consultada so-
bre regulamento.- novos.
Apezar dos aformoseamentos realisados ha
vate anuos, apezar da suaestrada de ferro me-
tropolitana Berlim muito inferior a Paris sob o
ponto de vista da hygienc da habitaco das clas-
ses pouco abastadas. Quando se considera que
em 1880 havia 25, neos, das quaes a maior parte submersiveis no
invern, 3,280 habitacoes desprovidas de qual-
quer meio de aquecimento, lastima-se que a mu-
nicipalidade nao teoha directamente^ agido para
corrigir um mal cuja gravidade ella nao desco-
uhece.
E' ama cidade nova, mal servida por urna na-
tureza madrasta, laboriosa e montona, bem pr-
vida de fe ramelas pela industria moderna ;
nao nem nunca ser, urna capital de gente
artstica e elegante ; nao ura centro, uuiaca-
beca, ou antes um capacete, a capital dessa
Prussia que o poeta chama Tartufo entre os
Estados. Compra tambera reconbecer, dispOe
de ura orcamento muito modesto (34 milhOes
apepas) em comparaco do orcameato parisiense,
que, em 1889, parece dever exceder a 320 mi-
lhoes.
Esse orcamento divdese em dua3 cathegorias:
os servicos geraes, taes como polica, viac&o pu-
blica, instruccao, assistertcia publica, os servicos
industriaos, mercados de gados matadouros, agua,
gaz, esgotos. A fonte, que a alimenta, o im-
posto directo. Berlim nao arrecada nada, nem
em proveito do Estado, nem em proveito da ci
dade ; tambem a vida ou parece ser, pouco
dispendiosa, porque, sendo os salarios pouco ele-
vados, os operarios vivem menos bem que em
Pars, onde a caresta dos alimentos corresponde
a ura augmento sensivel da paga.
A communa impe os arrendamentos que o
Estado nao mufle, e, como este peicebc um im
posto sobre a renda, imposto suplementar des-
tinado a equilibrar o orcamento, figurando no de
18851886 com 11.680.000 ; altinge cerca de
3 |a sobre as rendas superiores a 3 750 francos,
e baixa progressivamente at 3,75. Emquanto o
imposto fiduciario real, carregado ao proprie
tao, o imposto dos arrendamentos pessoal e
pesa sobre o locatario. Os diversos imnostos
municipaes produziram, em 1886. o total de
33.940.000 francos, 9to 27 francos na media
por habitante.
E- sabido que o imposto dos arrendamentos
occasionou urna luta entre a ci ade e o principe
de Bismarck. que em um discurso pronunciado
a 4 de Marco de 1881, queixou-se de ter pago a
quantia de 23,000 mares desse imposto e araea-
nu transportar para outra parte os poderes pu-
lios. Esse desabafo nao teve outra conse-
uencia siaao urna lei que iscotou do imposto os
unecionarios do Estado
Refere-se que, no anno d* 4840, um medico
de Goettingue ordenou a resistencia era Vienna
a um sabio que esgotara suas torcas physicas e
intellectuaes as transceadeotaes pesauzas da
philesopliia alloma. O passaportc piulido pelo
burgo mostr de Ga'ttinguoeraconieWw) nestes
termos : M. X d iujor eiftphosophia, pro-
Tessor na universidade. cndmnad < jielus m-
dicos a niio pensar mais. ,
O chnfe de pdlicia de Vienna, entio ominpo-
teoie e muim tmido, uao exigi mais ; dispen-
sou-se o professor de todas as formalidades, e
nimjuem se importou mais com elle. Todava,
a resoluco de 1848 teve o seu ricochete na Aus-
tria ; a sublevaco passeiou tnumphante as
ras de Vienna, o exercito imperial sitiou a e
entrou pela brecha : mas o imperador usou ju-
diciosaraeote da victoria ; decretou urna consti-
tuico, e pascando sbitamente da suhmfssSo ao
capital nao tardou em despe
que faHKrnvara
De 224 000 habitantes que utilia, eo
1800. chegou, em 1884, a 744-0(Hi ,- era. cotoi
outr'ora, considerada, com razao, ama das ma?
bellas capitaes d.i Europa i.ine i nao pd
viverein Pars, deve viier em Vienna ; escrq
va Patn no seculp XVIII. Muitos s^^^^H
communs entre Berlim o Vienna, iiuMpsas a
divergencias. Aqui, a lutella do EA
tase sobre os impostos e os empresa i muni
cipaes ; all o Estado conserva enj^H^rao.-
toda a polica armada, c a seguranca das pessoas
e das propriedades c mn ervico gosernarneatal
era que a cidade s intervem para pagar o*-seu
qatohao de despeza (1.284.000 fran
1886; : mas em Berlim a hygiene pubne, a po
licia dos incendios e das costrucroes dependen
da prefetura de polica ; es-e- -i vicos perten-
cem municipalidade de Vienna.
_Quanto assistencia publica, o Estado aduji
nistra tambemos hospitaes. e o* outros ranw-
incumbera cidade. cujo orcamento sobrecarre-
gam com seis millioes por arno ; a municipali
dade tem. nos diversos quarteires, commisses
de districto, nomeadas pelas assemblas de dis
tricto, sob a autoridade do conselho, as quae-
contm mai- de 650 pessoas.
Como em Berlim. o ensino primario ( munici-
pal, obrigatorio, gratuito; a noraeaco enromo
cao dos professores, a gestao de caixa de soc
corros, cabera communa; a vigilancia a um
conselho de districto, composto do burgo mestre
de certo numero de conselheiros municipaes, de
professores, de tres representantes dos cultos
evanglico, eatholico e israelita ; ao todo 28
membros. Cerca 75.000 enancas frequentam as
escolas primarias de Vienna. as quaes, em 1869,
s contavam 35.613. Nao ha palacios escolares :
consti uceos simples e econmicas, conforme a?
necessidados do eusino.
0 Sr. Mayer verificou, todava, que a reuoiao
de inuitas classes na mesma escola um incon
veniente serio era Vienna e em Berlim : nao
raro que um grupo escolar coraprehenda vinte
e seis classes, Irese de meninos, e trese de me-
ninas, contituindo urna agglomerago e 1.308
criancas. Vienna supporta urna despeza annual
de 6 mifhcs pelo insigo primario, e si deduzir-
se as, despezas do primeiro estabelecimento as-
sim como o aluguel dos inrioveis, chega-se a
urna despeza de cerca 69 francos .por alumno,
como em Berlim.
Parte do ensino segundario defiende da com-
muna ; em 1884, os coliegios municipaes coat
nham 2.068 alumnos, com urna despeza de
650.000 francos e 110.000 francos nicamente de
receita.
Certo numero de igrejas conse.-vam-se enfeu-
dadas ao patronato municipal, tendo a cidade o
direito de apresentaco para os curas e o encar-
go da conservajo dos edificios. Outrosim pro-
cede, por conta do Estado e sem retribaicSo,
percepcao dos impostos directos, do recrutameo-
to militar, do estado civil. Finalmente, o magis-
tral em priraeira instancia, o agente de exe-
cucao das leis que regem o commercio e a in-
dustria : velu ua constituicilo das sociedades de
pairos, dos syndicatos de operario? e procura
favorecer a ressurreifao do systeraa corporativo,
para o qual o governo esforja-se por dirigir o
rauudo dos Ira bal fiadores.
ftata faaer aee^o* seus encargos. a lumticipa-
idade dispoe de m Orcamento erdhSrio de
cerca de 26 milties, e sua divida j absorve
8.500,000 francos Esse orcamento alimenta-se,
principalmente, Jos impostos de consumo, dos
cntimos addicionaes aos impostos de estado,
dos cntimos especiaes sobre os arrendamentos ;
cidade cabe urna sexta parto da arrecadacao
que, em seu coujuncto, produz cerca de 17 mi-
lhoes e um oitavo do imposto sobre a renda, que
existe ua Austria desde 1849. De fecto, os im-
postos directos do Estado e da communa pezam
muito sobre a populaco, porque absorvem 48 j
da renda das casas.
0 systema eleitoral repousa sobre o principio
da representaco e dos rateiesses das tres clas-
ses. Os eleitores repartem-se em tres catego-
ras, das quaes cada urna nomeia 40 conselhei-
ros municipaes, compondo-se a primeira dos
cidadaos que pagam 1 000 francos de imposto
fiduciario ou 200 francos de imposto sobre a
rondd; a segunda comprehende os proprietarios
fiduciarios que pagam 20 francos pelo menos \i
terceira dos cidadaos que pagam de 20 a 900
francos de imposto sobre a renda.
No todo 30,000 eleitorefc ; Berlim conta cerca
de 155.000 O systema das tres classes preva-
lece tambem para o Reichsrath e o Landtag ;
todava, as eleicos do Landtarg, o censo acaba
de baixar cifra de 10 francos de impostos di-
rectos.
Insensivelmente caminha-se para a democra-
cia, que, partindo da Franca, est em va de
fazer o gyro do mundo; mas a grande maioria
repelle rida o sufTragio universal, no qual nao
v sino a multiplicaco dos imbecis pelos e-
lliaco.-. prorapta a repetir as palavras desse ora-
dor i:;,ii'.: Damos um salto na sombra. Como
o principe do cont persa, talvez que tornemos a
cahir sobre um leito de rosas; mas poderemos
rolar sobre ura monto de seixos .
Os conselheiros municipaes, em numero de
129, sio eleitos por tres annos, podendo ser re-
novados pela terca parte e exercem gratuitamen-
te o seu mandato.
As sesses sao publicas ; a assembla olfaai-
sa, por si, o seu regulamento, fixa o numero e a
data de suas sesses, ingero-se nos menores de-
talhes da administra^o, designa todos os agen-
tes retribuidos, derattte-os, eseolhe entre seas
membros, e sob res-rva de approvacao imperial-,
o burgomestre, que percebe 34.00> francos.
Ella levanta contra o Estado rauitos conflictos,
e sente-se algumas vezes estar mais perto de
Caris do que do Berlim .
O magistrat c urna commissao de 25 funecio-
narios, normados viteliciamenle, pagos a 6088
e a 12.000 francos, escolbidos na ordem dos le-. '
gistas, dirige os servicos da cidade, com excep-
c'io da contabilidade.
Alera disso, os eleitores, divididos anda, pela
terca parte, designara era cada um dos 10 distri-
ctos urna commissao de 18 membros, administra-
cao local enearregada de executar as ortlens do
burgomestre e do magistrat, e de defender os
interesses de seu quarteirao.
O magistral de Vienna una commissao de
funecionarios legistas ; o burgo-m"Stre pertence
ao conselho municipal, passa o U-rauo era presi-
dir s sesses. onde sua influencia entibia cao.
o correr do tempo ; o magistrat berlins un
collegio de vereadores urna oorporacao bomo^
genea onde se fundem os talentos jurdicos, ad4
ministrativos e scicntilicos, e que, fortalecido
oas suas iradices, na conlianca da assembla,
as suas communicaces permanentes com a
opiniao publica, imprime ao negocios da cidade
urna direceo mais segura, mas methodica; o
burgo-mestre berhnez e independonte do conre-
ino municipal e conserva melbor o seu prest-,
gio .
Todava o engraudecimento de VieoujdHM-
gularisaQHO do Danubio, a adducao de BB igiia
excellente que fox baixar i mraed i aumente o ni-
vel da mortanilade, um cemiterio, up mercado
central de gados, aruiasens geraes. escolas no-
vas e lautos outros beneficios realizados em po
eos annos testeinunbam a favor de urna munici-
palidade livenunte ektta (assim iniitula-se ella
nosseus docu nentos) que talvez vaium iwuco
depiessa ao cabo de soa autoridade, mas cuja
aciividade, energa e perseyeraiica laboriosa
compensara largamente os defeitos.
(Contina).





I

I

I


Do domingo a domingo

Querida leitar .4, Pelos frestas das
persianas coHocad aas janellatrdo vobbo
primoroso quarto em que vio aninhar-se
as mais candidas esperancas e os sonhos
ais deliciosos e donde se desprende um
duleissimo aroma, j coraecam a entrar
rabras laminasa1aas<>! antean c
que actualmerB-Ttc- tloaainxaestanri
ade.
Envolta non roinea qae tea.* caeia-
ao de guardaraviwais joias ale iaeal-
, eulava valor, eewi as abatios 'mm agxa-
davel desalinhaiqtio se .-uommiant* a um
Tasto estendai' de -fcspinnntoa vagnc
anda nao compMwite iia afr pesan! ^
e inobstinavel jugo de Morphe, vos vies-
tes, mesmo nessa mrbida languidez, ver
se as columnas deste Diario existia al-
. guia poesa inspirada as mltiplas qua-
Iidade8 physicas e moraes com que a na-
tnroaa emgrmrttdou-vos a fronte magesta-:
tica.
E ou, occalto-nesee canrmh* obsenro,
apanhei-vos de passagem o ouso interrom-
per ji vosfia deliciosa .pesquisa atim.de ro-
' garbos .quo trabalhaiB toijte, eorajonmen-
te, evm a valenta e denodo de que sois
dotada, em pro! do levantamento do nivel
oral e intellectual da moiher brasil eir e
vanoeialneiite das filha* dest bello toarrao
tornead* pelo > apibaribe que molle monte
e espreguica n'nra alvissimo leito, cerca-
do de kjxuriaut; vegetacao.
Na eeuala da propaganda a favor dos
dir,:ris-da parte mais seasivel da huma-
idade, esta 'provinciaberco das mais
obres ideasse acha n'um plano mui
aqueuL daquelle que a sua .provada bege-
ati:a me garanta.
A bervica trra dos Andradas (de parte
egosmo injusto que a caracterisa) vai
se avantajando cada ve maz em cvilisa-
dL> o dabi sea riqaeza enorme de que
pos&oidora.
Kscudada no progressivo alargaiueuto
da ospbeca onde gyra a lirteratura paulis-
tana. inflaendada por tao auspiciosas con-
didVs mesologicas, a mulhcr paulista,
oomprehendendo a olevaead do papel que
j o seu sexo representa no destino dos
povu, tem-se dedicado ao estado e in
aguc&o das verdades scieutiticas.
E tanto isso c exacto que j possue S.
Ver
la quiato paii-.
0 ;.
raimen M
as estacdes. em Ve Ineomp.iravt'linete
mais intensas, irregulares, e inesperadas
Era prjroeiro lu:ir, as quatro eslaccs sao
mais curtas do que as nossas, por seren de 36
das e nio de 90 cono na Terra.
D'aqui resulta que a transicAo de urna
por

6 ii
,lti
"AleuaaassOt** Cir
einMeui! mu:
ilMBHIIMMkf
Mrsiacjfcn
Se na aVrra >
Mxaan):

MVb W%lkUW m*&mBra SSB a nijwpre Jo
iaora a Sidoniaaas Mulheres nervotm.
- a Amelia dajtfrreira succede tamban m casai
semeilmm>. Encarnada to notavelmewe nos.
popis fros e eugmaticos da miss da Soaedae
onde a gente se aborrece, da rainha do uque de
Vise* e outros, deu-nos um typo de moderna
-lernaa* tadaa que an iipaaenaaattaes,
muiHn.....jaaaa-e nnpreanatiaaaKnanivecUai
dade. J^nant j aaara ando han a saara da* trabatian na
.//H*-a*A iiielaaraiiaa cesJaoatnaenai'
irrui aMaveraaau
iiBlina w ii 11 umnianMti iro clac qne lor-
inoinarfio ak inece^aaaa. as cori iiaaai'"'a*, na awuco
para
ta da inclina
aawPBaaciaita,., aggra.'
aaawMmaaKtis mu
ron tao dtanuc-- bur
as. inaaiaa-se aoue siiaaaawai aatu
a aaiiafaa i!/>-j
.iiaaaiA. tlaaaie
aor oaapal
1 ttireaaaam
e inin coi
ile. Fi'iT
(U:coail
111.
roana, (vm ^eaajbo e
dafiilta detattiaaaai r-
it iiin-nr-nmiaaaiin 1
faz na Tena nina cxclirso zenithal io lo Ha ainda a citar a esplendida toilette de Ame-
lia da Silveira e a toilette e os quatro chapeos
qual del les de mais gosto e mais novidadcque
Rosa Bimasoeno ipor impoajfio da>pccniapresrn-
ta nos tres actos.
As Mulheres nervosas vio ter larga carreira no
laaaaaanaaaV
L. P. s
de Janeiro a Hav.ini, e *vice-versa noutros seis
mezes. os bero, se estivessemos inclinados
como Venus, a excurso solar ira ento kse
o Cabo de Horn ao extremo do Canad, e isso
em quatro mezes.
1 u Milln, no it flmnrin .tuitit, aan ia
clinaQao do cixotenestre se deve ao^ieccudo de
Adao. como castigo do mesmo puccado.
Sendo Deus soberauameute justo, a pena
deve ter sido proi orcional falta. P e se,
pois sup(6r, era"-vista disso, que o piccado com-
inettido pelos dous primeiros habitantes de Ve-
nas, foi murto mais grave do qu o que com-
metteram os nossos ^nmeiros paes, uitendeudo
a oue a sua inclinacae spbre a rbita miis do
dooro da maesa
Di'w,-portuto-, ser Venus urna manso da in-
Ictnnerivs eatremas e ao mesmo tempo um cen-
tro de desorttenadas paixes.
A sua atmosphera, que muito ,.iais densa do
que a njssa, est constantemente earregada de
nuveus, de forma ipa* lem sido mui'o diflicilrl
surpiebemler a sua eonuraco geographita.
MoH/ se tem. pn iin. eooaegaida, e, Ior^a
da paciencia nesse terreno, tein-se boje o ?eu
mappa qaasi compleioVeesto medidas as sua*
pnnerpaes cordthei'as; algumas das qua6 se
assimimatn pela su;, xtenso e altura s dos
ndese do Himalaya.
Nao viven, portant. os habitantes de Venus
sempi mol luscos e crustceos vivem no fundo do mar.
CoBtJecetn de certo o mundo exterior e o cea M-
trellaao. Conhecern urna magniiiiui estrella ver
d, como os de Marte admirara tambera urna re-
fulgente estrella do pastor, que para elles o
mesmo que Venus para nos.
Essa estrella, que encanta os moradonis de
Venus e de Marte em differentes occasiOes, pha-
ses e circumstancias, esse mundo 6 a trra.
KtiVIOTA 1MARM
Vs nwhii'ii. arrvwat*
(Do Comnu rcio de .Portugalj
O nervosismo femniuio, doenca antiaa mas
que no ultimo quartel do scoalo. um ponco por
das
moUa. um pouco ocio detinbumento gera
Paulo urna revasta cuida^oemuente redigi- rip em /aBe vamos camiuhandn, requiirtou,
da por ama distincta senkera paulietana, ularirando-ae por todos os pai es e por todas as

Kart
mp#
e que aquel-
feinientos da' pro-
m montado e per-
ffiaroroardirigido, ampara, protege
para a xia iunumeras criancas, que sem elle,
ia\.'iam no vai-veu, do mundo.
Existem all actualmente 175 criancas, e to-
daa, aahgeral, gozamaaaannnde, e ateaaan
bem uliiiiemadirs,aprenilem /ifHco* e
lavoura^eguaak as feapis e p-
tidOaaale cada urna, raae.tandiDdn6aBia aaaca-
cto nraria accommodaa a suw wspaaaes
conaks.
E',tiois, repetimoa, aun eatab.'leoiini-raa ani'
faz uoaau provjnciu,-ao w nin 'ador caoaa-
loseanaltor que o tem-aabide^evantaT-ft-aforra
em que se acha.
( uiiMM.ua* da Hriiku .- E.w. o Sr.
brigdeire tfo* de Almekfei Barreto, actual cam-
mandante das armas desta provincia, tendo sido
chamado corte pelo Ministerio da Guerra. seue
da peana invojaval de urna pernam
Bcaaa qne Be tem distinguido pela sua il-
lustr&cJU), carcter e abnegoslo. \
1 heguu-me, ante-hontem, s maos, fiar-
aeoido por nm amigo, um numero d'A
Familia e eu tive oceasiao de ver quanto
estudo, quanta dedicafao c quanu forca
de vontade nao deviam ter ido postuaem
pratica para que esse lindo rccueil, sob a
aUrtcefio -exclasiva de algnmas senboras,
atieste boje que a mulber tem o direito
de peaaar c agir, livre das peas que
tem
UKiliada por outras nao menos dignas re-1 carnadas sociaes, abri um campo vaslif-Mmo.
..P^ntan da Plt<> literaria braaileira uberrun0 de Pi"0,llr'' toexplorados, htterata-
pesententes aa lite luterana Drasueu-a. i rj dl.amalica aleri, que jarf0 ^fa amitmamu
Agorn aiesmo essa leviata tez acquuu- forf.a de Hrar flag lT,0|ag wgUs d aQligos
cuellos, entre os quaes a sogra, a ine\gtael
soura linha uai Jugar |- roemiiienv.
Tornava-M necesaai'io ioveutar alguum cousa
de novo entrar de novo, eBtrar decidido, icio
paradoxo, pelo imprevisto, pelo absurdo at,
visto que as hypoliMweS'Com visos 4e vTero-setae-
lltaaca j se achanto todas approveitudas i-ela
febru avidez dos dramaturgos K a nerrme. a
a doeiica providencial da poca, veio cortar este
no gordio, oertaodo amaveimentu o sea auxilio
para justificar e solver as situaces mais pitan-
laslii-d.- que um cerebro de escriptor pode ima-
ginar. Foi un lilao tif ouro que a exceotricida-
ue, de bravo dado com a mediana desvendou
paca a grande arte. Richepiu bapsara con
esteaome um dos seus melbores leixes de ri
mas ; o naturali no todo proln j iu engalptoar-se
alucioaitantete por ede e esta longe anda de
sentr-sc cancadt N.itural era que o ibentru sh--
guisae as pegadas d pees e do romance ; e
assim foi.
HomneiD iriumphaiites a marcha deas nemes
consagrados, Sardn e Barriere cora as (entnrr
veux, meio comedia uieio drama, com uuwe eer-
tac pretcagoes, jostilWsKliis lias, a peneiflir pelo
ama;* ido aasuiapta. Foi este mrito nm erro
hmeiitarel. A dose era fartr demais para uo-
ine^o de tratamento de um enfermo linda des
aiKxfluraada As tian;is.. afjyicns. A peca em
ver. deboilar e mal pela in.-u viva aggraaao-o muito
mais. Uouve ataqae^ nervosos pelos camarotes
epussons com a dan^;. da S. Itluido peia platea.
Eslava decretaoqpr era uessario comeesrpor
meios brando> para mUroAuzir o genero sem pe-
rigo. Vieran encho -sora mms sacre3o as Mu
Hieres netaa de 4Main fl Tocbr que a enter-
ra id ade galante apw as am feli-xto -fMvtexto
magnifico para expl car an eredo tae-dispa-
ratado oomo ubernaioente urdido e desliado.
Apenas no 1* arte, todo de preparaeo, se
aborda ooenoso, mas pela superficie, como que
a aaedo de entrar mnlo elle, n^m proposito cal-
culado e hbil de evitar (iraies cntico-suientrti-
cas. Unir e simple-mente o que neNe se tem
em vista < trisar bem as orinintsaedes capricho-
sas e excntrica* das muibepes para assim ju-n-
licar o mais plianta^ioso enredo rujo ditnenol-
viraento cabe uosactos segmntes. O aarimioino
aqoi aprsveitado cono un expediente ooar-
modo e nao como urna (hese a estudar.
Para priadpio de vida de om geeero oto en
o canaiubo mais ilgico a seguir pana ir clocan-
do o poMica. D'aqui a supehoridade do suc-
cesso parisianas da comedia aue bonlem je re-
presentou pela priawira vez em Lisaou, sobre as
reaaou nevcomix. de ftaniofl e >Barrise.
diosos e seculares preoonoeitos lhe
imposte.
Porque motivo, porem, esta provincia
aao '.rt* de oceupar lugar que .lhe eem-
petiai:
Nada justifica essa indafferen^a por par-
le das victimas de um jugo tao. xetrogra-
do, perquaiuo, aliu de tudo, l'eroaiabato
possno'nrns seboras ti taladas pela FaouJ-
dade de Direite; as quaes deviam pugnar
pela proclamayao dos seus dtrtito da mas-
an. >riua porque nina herona permuB&M-
cana, arcando eom o ri san bo estulto dos
invej eapti^os, quer ascendendo a tribuna das
coat^reaeias, <|-:ur em simple pales-*s
ia taitas.
3e,port8Bro, as dietinetae tituladas o^ri-
zessem patentear os altos conhecimentos
qucuacioatemente adquiriraui e unir seus
eatiMfOMo dessa illustraeo femenil cujo
aone (geraluaenre proehnnado, com eer-
teza; carisaima leitora, outra seria a poai-
c/U> dv voseo sexo na sociedado e ataiai- a
ihoiiiu de con--klerac6es que vos sao dis-
penssu<.
Fortemente amparado pela razao escla-
cacida, a respoiu* das perigna e espinaos
dasaeacia,^randaente instruido sobre
aa responsabilidades inherentes ao exer-
cicio de seus direitos, o vosso sexo en-
contrara n'unia educa^ao variada a bar-
raira.oiais insuperarel ante a qual bb-
baroHi-se-hrao as artimanhae e perfidias
dos eventureiros ou a estulrice pretencio-
sa dos gaocaates.
.Si senerita o aial >que se cvwbeee, da
BRisina forma que nao -se iode avallar a
prorandeza das aguas revofcas de nm
ocano sem a estelisacSo da onda ou cou-
snmeoaante.
(aa perto, pois, que ooatt^rer uai ger-
men de bons sentimentos deve ser um de-
nodado defensor dos inLerusse-s Miciacs, os
quaes-aii podeai'estar aujeitas aos caprir
cbws e- medroeridaden e o elher meiode
se educar uin povo educar-se primeira-
naate a mulber que deade o beroo c a
pessoe que nos ioraaa o carcter.
Deveis, poie, carissima leitora, pugnar
pela consagracSo dos vos30sdirietoB.
*
Fechando o longo parenthesis que abri,
dominado por duaa causas tortissimas:
a alegra que me causou a recepeo da-
qaellaflevista e o conhecimento da posi-
^ao desvantajosa que em face do mo-
TnenU intcllectual vai oceupando esta
provincia, devo declarar aos leitores qae
a semana finda nSo registrou na sua his-
toria um facto digno de urna apreciacao
seria.
Por |bo, aproveitando o ensejo, procu-
ra ter o praz r de |iale*itrar, durante al-
noonentos, com as ininhas benevo-
i le toras.
Carlos.
VARIEDADES
O planeta Venaa
a? em que a aiinosphera se ostenta era
toda a >ua pureza e limpidez, pouca-
xaco de lixar a vista, ao cahir da tarde,
na fulgurante estrella, que, a essa bora, se
^na para o occidente.
o planeta a que os antigos, pela sua bel-,
lesa deram o nome de Venus.
E um mundo parecido com o da trra, quasi
copio que um seu irmao genieo.
leuices do a Venus um dime-
tro de ii :i64:20 metros, e como o da Terra de
Awarnihiai Prt>\im*itU Nao houve
hontem sesso por terem comparecido apenas
10 Srs. deputados.
A reuniio foi presidida pelo Exm Sr. BarSo
de Caiar.
Nao bavendo expediente foi a reuniao dissol-
vida.
l(H*i da |irii 4*oioflicio d<' .7 do corrente nox :
Aut .risou-se o Thesouso l'r \\iv.ati a p,i..ar a
quana.de I6*o00 de passagens ojiicedi.las na
oslrada de ferro de l'aulo Alouso.
Por actos.de 8 do mesmo uh-z :
Foi creado um districto litturarie/ em Beim
de Granito e nomeado para o.cargo de delegado
litleaario do mosnodistiicto Manoel Antelo de
Luna.
1 nr officio da niesnia data :
Autorisou.se o Thosouro Provincial a pagar
Franciseo lavares da Silva Cava lea ule as q
tus de 448. W e 1:3174980, relativas as obrai
das poutes Bujary e Aralaca e reparos da estra-
da entre iguarass e liaaib-
.' aiMiriof* Pela presidencia da pro-
vincia fui designado o dia vindouro para ter logar no II" districto eteilMul
a eleieo de um deputudo geral, na vaga aaerta
peio fillecimento do Dr. liento Ceciuuo dos
Sanios Hamos. .
< oanla srpfaMBWottfa Iwabet S.
Exc. afir, presidente da provincia, acorapanha-
do de sua illustre familia ede diversos amigos.
que lev.iran tambera suas familias, seguio, no
dia 13 do correnle, em pass^io atea ColoniaOr-
phanolc^ica Luiad* levando o intuito de visitar
esse knpontaote estaboleenanto proviaciai.
Foram todos em trem especial da ferrovia do
S. Francisco, parndo a 1 hora da Urde do re
ferul ) di.i, v -llegando a Palmares s 4 iiz ho-
ras. Afli foi 6. Exc. recebido patas primeiras
autoridades da comarca, sendo atacados minios
faguetes e tobando urna banda de muciea da lo-
cal! idade.
Depais des cumprknentoe, S. Exc. e saa co-
mitiva, accresrida com alguns amigos de Palma-
res, tomaran outro trem especial do pfolonga-
m. uto daqudla ferrovia, qae as b 1(2 luirs ida
tarde os depos na estacao da Colonia.
Con i se sabe, o astabakckneato orpbano I cua-
co lica cavalleiro da eetaco, em tuna chapa-
da pinoneaca, para a qual da acoesa urna estra-
da de suave pendor, en: zig-zag.
Vencida a subida, S. Exc. e sua comitiva fo-
nun recbraos as som do faymaa nacioaal.aa-
do pela iwnda dos menores, estando estes nni-
fonnii'dos e em forma, tendo o pavilho beasi-
eiro desfraldado, No pocto do eslabelasiann^j ~ Hoje.tocar .no crelo do jardim de Campo
pora aHi nuaubt no paquete Wwtos, deixando o
exercicio do cargo, qae too dignameate tera
desempeado.
AiTadecendo S. Exc. as despedidas que nos
dirigi, desejame*lue prospera viagera.
KaannriiuffNo paqaeieraacional, esperado
h i je do sul. embarca amatih com destino ao
Ceata Sr. tenente-coionel Luiz Antonio Ferrax,
comauadante nomeado para o 11." batalbo de
infanleria, vstacknado n'aquella provincia.
Agmdecendo S. S. a visin quei nos tez por
cartao, desejamos-lhe feliz viageui.
Iraanaataaei Mtam ahau d Bedfc
Hoje, s H linms dn dia, reunm-se em mesa
gera-es membros da Irmandade das Almas da.
fregueaia de 8. Fre Podre Concalves do ecifc
alim.de tratarwn da r.i-eaciode um hospital e de
.luiros -assnuptos.
Ptaenix Pcrnambucant Em assem-
bla gera I ordmana. reuiiei n-se anuntii. i hora
da tarde, na respectiva sede, os accioiiiRtas du
compaidiia de seguros Phenix l'eraumbueana,
para-.daren axecnco ao disposto nos arts, 7 g
1 i: ;iti|?.dos estiilutae da uiesina compuubia.
ajnwaaa de rauro mturiima H-i-.
benos liontoui um folheto com as razeS'deMo-
reira Irmo &.C, recorridos, contra a conpanhia
Amphitrite escripias- pelo Sr. l>r. Jos Nicolao
Tolentino de Carvallut.
Agradecemos
torrria la Kiaropa-^-^islribuio-se hon-
tem o n. <>. de 10 auno do Confio da Europa,
quincenario portuguez, que se publica em Lis-
boa com destino ao Brazil, e do qual agente
nesta provincia a l.ivraria Conlempoiansu, i ru.i
l." de Margo n. .
'i'<-ieiM*Aiiio *abnHHo >- O lloarado
Sr. Home cohihiuucju-i*os qae do prximo mei
de Abril en diaute sern leitas as seguales re-
tacateg as laxas dos Ujleguammas de Hern.nn-
buiM para :
Hivlau 3:000
Portugal 2:790
Franca 3:180
Alleuiauha :i:2io
Hespanba z:Wi
E paiu os outjus paizes na me.sma pioporciin.
*-%< Bftiiittar Esto desigados boje
para supeiior do daa o Sr. capito-Sa Bara-uto. e
para ronda menor um subaLlerno de cava I Liria.
A guaruluo da calado dada ii-jje pelo 14
batalhao de infaiiiaria ocommandam os guardas
de Palacio e Thesounata de Faaenda dous -Srs.
olliciaes d,i hitaliao da mesma arma.
Exifcteiu-eiu Irataiuenio na enfermaria mi
litar 37 [iracas dos aorpos da miarnirao.
Passou a empregado no quartel general na
qualidade dlmanuense o .Sr. 2 cadete 2 sar-
gento do 2'KUalho ck iniauiacia Artliur Bap-
tista de Carvallio.
Foi iadeerida hontem o reqoeriiBenlo do
furriel do i" batalhao de ioianlaria Manuel le
xandrrno de Me ira Calute. em que pedia para
aguardar saa baixa no seio ue sua familia.
Foram entregaes hontem do 2 e ft^bata-
Ibetide iofaotari os ttulos de alistamento.de
que tralouo art 4 das diversas ordenado deta-
Ihe de hontem.
Foi mandado effectivar no 2" batalhao de
lufantaria o woldado uddkio ao mewao batamuo
com desliao a onte, Feato Elisio do Bego
Barros:
amcon-
Dar ama afea-do enredo iiapoasivel. Dous
ac.tusos idlimos de nt-pro-quos. de trocadi-
ilics permanentes e cixiiplciidos unose fiaanie
muito neaasi se poden wsaiair. Alm disp a
cilla le intuir ha de ir doranteeate tempode car>
naval a D. Mara, como costuma, c sena tirar
todo o sahor a earioattladese dcianasenos pao-
meaoiies que a peto effeito do iaaprewtst > ten
interesse. *
l*i vai, .portan, a liaba gecal.
Um par elegante gentii.ooui o con^ieteats
titulo de conde. Elle esbelto,. lidaigo, leal e
amoroso : ella, boa tamben ao toado, mas un
feixe de ervos em vibraga e, o que pcior,
cora urna mam de .uarrafas o aiu Ja o que
muito peiot'. con ana mama aae,alm das mar-
ratas ainda mais. nervosa da qae ella.
Urna cruz e um martyna para o desditos ra-
paz J Por consenos do proprio sogro, elle, ven-
do a nulber n'raa das crises nervosas-foge pata
o club duendo auu ia ao-ta!viUao. Devolta. a
mulber apauki-o ua ir-eu'a noooente vistoqae
se esU em domingo, e ueste dia os tal id I hM
nao teem a porta aberta.' Desoampoe-ao ; ee
berra, ella exclama que elle lhe hateu e jora
\ingar-ae. as propnas boehechas do marido
vai buscar o almaftadi das 25 mil moradas, abre
ao acaso tamban, c dudara ue o nome marcado
ser o do seu auunte A BfNBl dera que fosse
um confeiteiro ofeaxao, l.ogoem segoida.es-
creve ao deacenhecido urna carta apaix-jada qu?
a criada felizmente nao entrega.
Ha agora aqui urna Sidouia, modula e nervosa
tambem, cujo marido se separara dalla ha ada-
tantes anno tendo ido para as Antilhas sem mais
se saber noticias.
Havido por morto ella resol ve pa-sar a segn
das nupcias e o seu escolhido o mesmo con.rei
teiro celebre que ia servir vinganca da ;ondes-
sa. Sidonia apparece no Io acto em casada con-
dena a pretexto de tomar ioformacoes de urna
criada e. a proposito, conta-V a historia do
desapparecimento do marido c dos seus projec-
tos futuros. Esta soma esplndidamente
crapenhaja, com;WBa graca maliciosa incompa-
ravel. ntfltO'u a.'S'a Damasceno urna ovajao
calorosa. 9
0 "acto e paatadiiBh-onfeilara. Vai Sido-
nia lirocurar o suj^w* instrumento da >ua vn-
ganc.i mas j.i arrapentda e so para lhe jn-dir a
caria que impensadainente lhe escrevera. vio o
.conde e os soirros irocurar a condessa For-
mase uma embiulhad i monumental, mas urdida
com uma verdade e uin espirito de que s a lit-
teratora francesa ainca boje ^apaz. 3
iiom ainda c bem a; tem em trala o
envencilbar o'mais i izoavelinente poasivel
meada, que a nevro.-e feminina fez embrulhaf.
0 desempenho U>liJ expeliente e
6.371:104, a differeoya entre os dous nao1- muito,
superior a uma legua.
I prom.cn
prime!
candi
toastavam tamborn i spera de S. Exc o digno
director-da Colonia, Bevra. Frej PWeHs de Fog-
nano, e todo o pessoal do e3tabelecimento.
l'epois do indi.spensavel re|iouso foi todas
ser ido s jantar, modesto mas decente, e o resto
do lempo at fO horas da norte foi passado em
palestra acerca da Colonia, seus meios de vida,
seu .futuro, etc., etc.
No dia segurare, 14, 8. Exc. e sua digna il-
Instn consorte amanheceram incommodades;
pelo que nao poderam percorrer o estabelaci-
mento, nem realisar a volu para o Kecil'e. que
Iiaviam predisposto para esse dia, imito. En-
tretanto, seus companheiros de excurso, desci-
da a coima, tomaran os carros da ferrovia da
usina, e, tirados os mesmos carros peta respec-
tiva locomotiva, foram percorrer os cannames,
fazendo o percurso de 20 kilmetros, que tantos
tem de deseuvolvimenio a vnsSo frrea da Co-
loia.
A linhn t'erreu foi muito bem ronstnda, e tem
bellas obras darte e de trra. O tragado foi o
inelhor possivel, quer pelo lado lechnico,, quer
pelo lado i couoiiiiW). P'az honra ao Uevm.Frei
Pascheal, engeDheiro da Colonia.
epois de visitar os cannaiiaes e mais plan-
tagnes do estabolecimento, os visitantes l'uraia
examinar a usina, qae continua era actividade,
e uhi assistiram a todo o prooeseo da fabricauio
do assncar pelo metbodo aperfeicoado do co.-i-
nieuto no vacuo e turbinagem ; admirando to-
do.-, a preciso do trabalho e a belleza dos
prelados da fabrica.
Beg res*ndo ao edifica principal, o excur-
cionistas percorreram as diversas offichws. dor-
mitorios, rel'eitorios, rouparie secretara, eiuJim
todas as dependencias, encontrando portada par-
te a melhor ordem,aceio eregularidade.
Assim passou-se o dia 14. No d.a 1S, estn
do j restabelecidos, S. Exc. o Sr. presideale da
provmcaa e sna alustre consorte percorreram
minuciosamente o estabelecimento, mostrndo-
le satisfeitos com o que observaran e com as
iaformas&es que loes foram ministradas.
A' larde, nesse dia, foi celebrada na capelia do
estabelecimento uma Ladainha solemne em acgo
de iracas, terminando com a hencao do San lis-
simo Sacramento.
Depois foi servido o jantar, cuja sobre-mesa
foram trocadas cordiaes felicitacOes; e s 5 ho-
ras da tarde r-s. Excs. e sua comitiva descerara
tomar p trem especial, que os esperava, e, en-
tre vivas saudaces, segmram para 1 almares,
onde tomaram outro trem que os trouxe para o
Hecie. aqu ebegando s 9 horas e 4o minutos
da noite.
i i um bello passeio, que de ve ter deixado
gratas recordacoes todos que nelle tomaram
parte, at porque o Sr. Julia de Mello, guarda-
livro> da coinpanhia ingiera da ferrovia doBe-
cife ao S. Francisco, foi prodigo em dispensar
finezas e attences S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, de quem amigo anlipo. e i sua il-
lustre familia e companheiro- Oe excurafio.
Por isso mesmo, o Exm, Sr. Dr. Ges retri-
buio-lbe os delicados, obsequios indo fazer-lhe
uma visita em a casn > sua residencia, no Cabo
15 do con
Quanto QploniaOrphanoJoglca babel, -o. j
rbiaes os disvellos e cuidados do seu pes-
soal, e especialmente do -eu digno director, o
deli>. cm obsequiar aos seus hos-
Hiajrau) evidenciados es-
i penhora-
das Princezas, das 5 s 7 horas da noite.a banda
de manca do 2- batalhao de infauturia.
TrihimiH lio Jui-> do f**f-De\e
ser iustallada amanh a 2. sesso ordinaria
destie tribunal, para a qual foram sorteados os
segu rites jurados:
Hecifr
Luiz Alfredo de Moraes.
Santo Antaato
Jos Gurgel do Amaral.
Dr. Manoel nedino do Bego Varcnea.
Antonio Badrpaas de Seuaa.
Antonio de fia Le i tan
Ignacio Joaqun de Souza.
Antonio Macario de Assis.
Arphelim Jos da Costa Garvalho.
Manoel Felippe Pimentel.
Flavio Jos Beaerra Cavulrante.
Tenento Francisco de Paula Maura.
Bicardo Luiz da Cunha.
S. Jos
Albino Lene de Farias.
IV mu i te Jos Luis Netto de Mei idnea.
i:apitao Joio Caro lino do Nascimeuto.
Bu-Vtsta
Luiz Manoel Viegas.
Modesto Leapoldo Xavier BustorO'.
Miguel Fontoura.
Manod Luiz de Siqueira.
Antonio Soares da Rocha e Silva.
Jerorrymo Jocundo da Silveira Mendonca.
Capfto Manoel Goncalves Pereira Lima.
Alcides-Lauro AccioJy.
Manoel da Silva Bastos Jnior.
Dr. Manoel Gomes Viegas.
Jho Cetar Paes Barrrto.
Br. Virgilio Marques ameiro Leao.
Artliur Goncalves Ferreira.
Jos Joaqnim Pereira.
Manoel Roberto Botelho.
Joaquim Pedro do Reg Cavalcaute.
Luiz Augusto Moceara de Carvalho.
Dr. Jos, Nicolao Talen tino de Carvalho.
Salusano Bezerra Bapsta.
Antonio Ignacio do Reg Medeiros.
Fram isco JoSe de Barros Jnior.
Dr Ayrea de AUnquerque Gama:
Eulduio Erasma More ir* de Meadeoca.
Fabio de Albuquerque Gama.
Afogados
Arcbias Lindolphe da feilva Mafra.
Francisco Mauoel da roaseca asa.
PofO
Joaquim do Reg Barros Pessoa.
Dr. Paulo Jos de Oliveira.
Franrisco Jos Mdreira.
Dr. Elpidio de Abreu e Lima Figueinedo.
Francisco Ravnundo de arvalho.
Farsea
Thomaz Lins Caldas.
S. Lourmoa
Dr. Francisco Xavier Paes Barreto.
i.iaa Opr-rMi-ta Esta sociedade que se
compoe dos empregado* das edacinas do Arse-
nal de Marinha desta provincia, requeren e ob-
teve a" segaiiite'oertiilio, cujo comeado muito
honroso para os membros da mesn :
IIIiii. Sr. inspector do Arsenal de Marinha
de Pernaubuco. A directora da Associaco
Liga Operara Pernarabucana, que tem por mis-
s os Miteresses e direitos de sua dasse, vem
por intermedio de seu secretario, requerer a
bem de seus pares, a V. S. para que se digne
de mandar passar-he por copia o offick) de n.
49 de 20 de Setembro de 1888, dirigido a esta
HS|M'cco pela directora de conHruccao naval
oeste Arsenal. Nestes termos pede deferimento.
E. R. MeBecire,20deFevereiro de 1889
Jui Calasen.* de Fitueiredo, 4 o secretario. Esla-
va sellada"
Despacho :
D-se a copia requerida. Inspecclo do Ar-
senal'de Marinha d. I'ernambuco. 21 de feve-
reiro de 1889.fl. Afano dn Costa inspector in-
terino.
Copia do oflicio :
t m c raprimeuto ao despacho supra, trans-
en; vo do proprio original o oflicio.a que se re-
fere a peticao. o qual do theor seguinte :
N 49.Directora das construcg&es navaes do
Arsenal de Marinha de Pernambuco, 20 de Se
teinlH-o de 1888. Illm. Sr.Participo a V. S.
que os operarios das oflicinas de carpinteros,
calalates, carapioas, apparelho e veame, a car-
eoem todo r accesso de
clasw. por aarem habilitados serem assi-
duos, diligentes, de bom coraportamento, c
alm disso. pelas razos que em seguida expo-
e adapta nno: Em 1883, por. occasiSo de serum reorgani
sadas as tabellas do pe soaj desle Arsenal, o
numero de operarios d'estas oflicinas foi aug-
mentado, readmittindo-se ento. as mesmas
classes em que se achavom e outras inferiores,
operarios que ha va m pectencido ao quadro e
linham sido daiaeaaadiwem 187. Doanwram
*i anuos, edaraiaa-todo esse tempe hoaaeram
no pessoal.apcuasas segniites alieracOes :
Em 188taiassoa-m aprendiz, para a ir classe
da ollicinadecalafcU.'S eoutro para igual clas-
se da de campia ;m taS4i teudo-se dada urna
vaya de 2-nssea offienaide upinrdhoe ve-
lame, foi Maq)romMtiidaaaio coneeaiejwao por
fallecimeraaalD mostr da eficiim de apoarelho
e veame, ha unirlo ara este cargo an ope-
rario de 1' Btaaso du muiinii r fatM-en mtrnpe-
rario de 3* classe da offitina de calafate-.
i onsta do mappa n. 1. o pessoal marcado pe-
la tabella para cada uma das oflicinas e o que
falta para completar. jf~
Pela relaeao sob n. 3 das obras qaPfor:
ciuidas dnratito o coirnate ns -e das
achamein andamenlo pede-se avaliar os'esfor-
cos que se fazetn para proniptitical-as, o que V.
S. deve ter verificado as visitas que faz fre-
quentemente as offidnas.
Tendo-se comecado a construego do brigue
liecife, devendo ser construidos vinte esclelos
e uma lancha, alm dos concertos de navios, es-
caleres e edilicios, necessario conservar o di-
minuto pessoal constantemente distribuido pe-
las diversas obras, o que. demora a coaclnsao
1 estas.
I'ermitta V. S. (ue, com o tira de couduir as
obras com mais presteaa e estimular os opera-
Tiosa esforcaiem-sc cada vez mais para bem
serviraoEstado, |>eco a V. S. o precnchimeuto
dasduas vagas existentes e da* que se decen e
0 augmeuto de 8 operarios, sendo 4 na oflidna
derarpotriros. 2 na de calafates e 2 na de ca-
rapmasatodos de l classe. porque cora este
pequeo augmento poden? ter accessos classes
immediataraente superiores, os de 2*, 3', 4* e 5
classe e passar para esta ultima alguns apren-
dizes.
Nao propouho augmento do pessoal para a
ollicina de apparelho e veame porque o que
existe bastante para as obras que tera ha-
vido.
Contando mais de 20 annos de servico os
mestres das oflicinas de carpinteiros. calalates,
carapinas e quasi todos os operarios de 1* clas-
se, se fr concedida a gratiticacio marcada pelo
regulamento a aqudles que tiverem satisfeito
as condigoes exigidas para raerecel-a Qcar de
algum modo compensada a impossibilidade de
serem proinovirtos por ser o quadro muito li-
mitado. Os factos tem demonstrado que os ope-
rarios que traballiam sem esperauca de memo-
rar de venciraentos nao produzem tanta obra
nm loperfeita como os que traballiam con-
vencidos de que serao remuneraitos* na razo
directa de seus esforcos, parecendo-me por isso
muito conveniente, qunndo houverem vagas con-
ceJci'-.-e acoisu de dasseoos aue wats se dis
liuguirem.
O maifiaii. 2. eonan o noirmi^iasse e ne-
me Jos >*)iamr*'#. dat;w eiavpii' fntrer.nii para
o servido e em que passaram para a classe na
qual se acha, amara 4oe -que faltara para
completar e dos que se, prope auguumtar.
Devendo deniro em poucos das, ser batida a
primara cavilha do bngue ltectfe e, alm das
outras obras, havendo so ueste navio trabalbos
em que, se poderao empregar maitos operarios,
julgn ser esta a melhor opportuuidade para, ao
mesmo tempo, conseguir-se o pequenu augmen-
to de pessoal que propouho e recompensarse
cora o accesso de classe os serviros que durante
cinco annos os operarios das oflicinas a cargo
desta directora tem prestado.
Deus guarde a V. S.^Illm. Sr. capito de fra-
gata Munoel de Araujo Cortez, inspector do Ar-
senal de marinha. -(Assignado) Rodrigo Auno
da Costa, capito-tenente dia-clor.
Conforme0 secretario, Antonio da SUca Aze-
redo.
nireato BuauuM-Um livro de 246 pagi-
nas intitulado Curse Elementar de Direito Roma-
no peJo'oonselheiro Joo Jo- Pinto Jnior, lente
de Direito Romano da Faculdade de i ireito desta
cidade. acha-se ex posto a venda desde o princi-
pio do comente mez na Liviana Econmica, ra
do Imperapor n. 73, e na Livraria Frauceza, ra
1. de Mare.o u. 9, segando consta do annuncio
em outra parle publicado.
Na Revista do Diario de 8 de Abril do anno
prximo findo, quando apenas se achavam pu-
blicadas as duas primeiras formas deste Livro,
di?semos.o seguinte:
Segundo declara o seu autor, o conselhcrro
Pinto Jnior, esse trabalho destinase aos alum-
nos do 1.* anno da Faculdade e nao aosjdoutos.
Nao listante a |ihrase -di-pretenciosa do au-
tor, entendemos que seu esenpto, conforme co-
memos da leitora d'aqudlas duas formas, al-
guma cousa mais do que simples elementos.
Aira leceudn a finesa da ollera que nos fez
o illutre conselheiro, nos caugratalamos.com os
alumnos da Faculdade pela preciosa obra, que
deste modo Ibes proporciona o estudo do diflcil
Direito Romana
Na;; 32 formas de que se compoe ojlivro aduna-
se inethoJicamente expostos os principios gomes
qae serven de introdcelo ao estudo do Direito
Romano e com relaco a todas as suas partos
mantemos o mesmo juizo.uue, emilmos relativa-
mente as duas pruneinas formas.
Consta que o conselheiro Pinto Jnior pretende
publicar em um segundo volumeoDireito dos
Romanos relativo as pessnas, as cousase as ac-
c6cs.
Continuamos a fazer votos para que elle con-
siga levar ao lim esse un emprebendimento
com vantagem para os estudantes que frequentam
o 1. anno da Faculdade de Direito.
Teneates do Biabo Hontem iiistallou-se
uma sociedade carnavalesca com o titulo cima-
oraeAnte-hontem, por volta de 3 huras
da tarde, no Porto da Madeira de Beberme, Eva
de tal foi accommettida de tun ataque e, canudo
uo rio, innrreu asphixiada.
Fninda-No dia 10 do corrate, no Ingar
Caracax de Santo Anio. Antonio Francisco,
conheddo por i'.ambraia, foi ferdo "om uma ta-
cada por" Francisco Teixeira, que se evadi.
Naalrdflio -No dia 12 do correnle, no lugar
Mocos do termo de Santo-Anuo, pelas 9 horas
da noite. s uicidou-se com Un tira Manod de Al -
incida Franca
Capturan-Pelo Sr. Dr. delegado do 1. dis-
trelo desta capital, foram hontem capturados
Miguel e Antonio de Torres Gallindo, como pro-
nunciados no arl. 193 do cdigo criminal, a re-
quisicao do Dr. juiz de direito do 2. districto
cnminal.
ciwiii cb> aan aaa mmckBe> -- Hoje.
s 7 horas da noule. ter I upar na sede dessa
associaco uma conferencia poeten, sendo eon-
fereaciador o seu presidente o Sr. Jorpe Jos
Gcaaas.de Mattos.
Como de costme, a entrada ser franqueada
a todas os cavaiheiros que a ella quixerenvas-
sistir. ^__
1 s an nad* Reunida em assemMa geral
a.sociedade musical 13 de Maio, elegen para a
sua directora, durante o anno de 1889, os se-
grales Srs.:
Presidente Manoel F. C. Guimares.
Vice dito -Vasco de Arouquerqae Gama.
Io secretario Manoel dos Santos Cavalcaute
de Barros ^reeleito).
2o dito Aristides Jos de Oliveira.
Thesoureiro Possidenio de Oliveira Azevcdo.
Adjunto -Leopoldo de A. Ucha.
Orador -. ndr D. Pinheiro (reeleito).
Commisso de contas
Relator -Jos de Oliveira Guimaraes.
Adjunto-J. B. do Reg Valenca.
fito Joo Carlos da Silva. _
Faeuldnd> de DiretloEis o resultado
dos actos de bootem :
/." anno
Elpidio Barbalho Ucha Cavalcante'. approvado
lilenamcote.
rancisco Vieira de Andrade, dem.
Cornelio de Magalhes Moraes, idem.
Pedro Tertuliano dos Santos Corddro, approvado
siinple.-mente.
Antonio llenrique de Oliveira. idem.
Jos Francisco Bittencourt Jnior, idem.
3." anno
Odavuno Pereira Susart, approvado plename
Augusto Jos Meudes de llollanda, i em.
Joaquim Bernardo Falco Filbo, dem.
Z 'ferino Goncalves Agr, idem.
Rayraundo da Silva Perdigfto, idem.
Joo Francisco de Andrade, idem.t
Alefjre--Receb(
3s fascculo dolivro sb o tilu
publicando o Sr. Bibeiro da Si
Agradeddos.
or. Aprixio CiuinacaaniDistribuio-se
hontem o fascculo (bi do appendice A Mis-
cellai>ta Philosonhice e j?ocrologica do Dr.
Aprigio Guimaraes.
E' a continuacSo do discurso, que de bontem
denos noticia
icdnns Aleare* de Azetedo-
Rmnar-se-ha aonrabaesta sociedade em segunda
conwcaco de nsemida gemfc, na ra dos Pra-
zoroa-D. 40.
It eoimerva-
ibacoReci-
pomM oaadeasr Ksta socieda-
de ilraniaticaaaBiie-ie amanhi. s 0 horas da tar-
de. oD'Sua mfectira ede. atirn de dar posse
nova tirectore.
nu TTi.-
de Marco de 1889.
Boletim meteorolgico
=1 .


o o
= "=
Hfi-ja 2
J o =c
-
H
9
6 m. 2*- -4
9 28"-1
12 29*-4
3 t. 29*-
28 i
O
760-1 )
761-90
761-ttU
7o9"'.'5r;
759o7
7-0; som
Temperatura mxima30,00.
Dita mnima -./o.
Eviiporaeaa em 4 honasto tot:
Ora : 3".4.
Chuva2-.U.
Dtrecco do vento : S&de mea noite s 7 ho-
ras e ii minutos SSE al 8 horas e 2o minutos ;
- at 9 oras e 30 minutos da manh : SE at
mea noite.
Veloeidude oiedia Jo valo: 2-iiO or se-
gundo
Nebulosidade media: 0,o7.
_____ Boletim do porto
ItB \ E Da Horas *** 9 -27 da manh 3i "i da tarde 10- 3 -4 8 da manh r Altura
II M P. M B. ii P. U 15 de Marco 9 10 de Marco ()-,57 2-,46 0-.38 2-.30
iiesMnaa^iHiaAuarj-se-hiio -os segurates:
Amanh : #
Pelo agente Gusmao, s 11 horas, na ra do
Viscoude de liihama n. 29. da .armacto e mais
mercaduras da loja ahi existente.
Pelo, agenti; Silveira, s lt horas,, ruada
Mal" d Dos do hotel Cosmopolita.
ti*;* anenacN'Serio celebradas :
AmaoUS :
As 7 1.2 limas, na matriz da Graca, pela al-
ma de D.Mara Soares Pereira Bastos.
Terca-feira:
A's 7 12 horas, ualgi'eja da Penha pela al-
ma de Domingos Manoel Alves da Costa
horas, na matriz de togados, pela alma de
vecino Jas dos Santos Aguiar : s 7 12 horas,
na menn matriz, pela alrrn de Joaquifn Caeta-
no Farges.
PaNMaceiruNGhe^sdas do sul no vapor
inglez tlellirara :
Dr. Achiles de Freitas Oliveira,-Gaspar An-
gasto de Andrrde Joo Fernandes da Silva
Vianua c Paulino Aunes Jacome.
Operaco ciruraicaFoi praticada 00
hoBpitaJ Pedro U no dia 16 do correnle, a sev
guinte :
Pelo Dr. Estevao Cavalcante:
Araputaco da cxa esquerda pelo ojstliodo a
dous retalho6, reclamada por aneurisma diffuso
da popltea.
Reunia norial Ha boje a seguinte :
Do Moule-P Typograpbico l eniambucano. s
10 horas da uiauh*. na sede social ra do Co-
ronel Suassuna n. 41, 2 andar, em sessaordir
naria.
Casa de DeCencaoMovimento dos pre-
so* da-Casa de .Deteucio do dia o de Marco de
1889.
., Existiam4i3; entraramS; sahiram 7 : exis-
ten 447. .
A saber:
Nacionaes 40o; muflieres 19; estrangeias 2t.
-Total 406.
Arracoados 381.
Bons 334.
Doentes 17.
Loucos 10.Total 381.
Movimento da enfermara
Teve baxa;
Rufino Amaro Sdaros.
Teve alta:
Manoel Francisco de Olireira.
Falleceu:
Jos Joaquim de Sant'Anna.
H estabdedmenlo de daridade, no da la de Mar-
co, foi o seguinte;
Entraram Di
Saturara 7 M
Falleceram e
Existem 592
Foram visitadas as respectivas enfermaras
pelos Drs.:
CysneiroslO 1|2, Barros Sobrinho s 7 Iji,
Berardo s 111]2, Malaquias s 9, Pontual. s
9 l]2, EstevfioCavalcante s 81)2.
Nao compareceram os Drs.:
Moscoso.
SimOes Barbosa. _
O cimigiaudeBiirta Sama rXiiapOiu naocen-
parecea.
0 haraiaaivti!^ Mtraatis i I{2 da malla e
sarrio s adatar*?.
0 ajudantedo pharmaceuiico eiitrou s 7 1|2
da maah-e sabio s '* hornada laade.
Luieriado Cirana-ffar-A parte da
26* lotera, dessa provincia, cujo premio grande
0:009*000, era extrahida, segunda,feira 18
de Mares.
tmtiTi< Publica -Obituario do dia 13
e Margo ds 1889 :
Colleta Thecesade Jasus,' Pernambuco, S2 an-
uos, solteira. Graca; lesSo cardiaca.
Maria Ignacia da CaaceicSo, Pernambuco, 52
annos, viuva, Graga ; lesao artica. v
Jos d'Olieeira, ^ernaalbuco, 3 anuos, Boa-
Vista ; anemia.
Marianna, Pernambuco, 8 mezes, S. Jos; gas-
tro-interite.
Mara, Pernambuco, 8 mezes, Boa-Vista; febre
biliosa."
Luiza, Pernanbn, 6 meses, Boa-Vista; hy-
pertrophia do ligado.
Joaquim *s de Sant'Anna, Pernambuco, 53
annos, solteire, Saato Antonio ; beribri -
Daniel Pedro Borge?. Pernambuco, 60 annos,
sotteiro, Ba-Vista ; febre biliosa.
Um pouco de tudo
Escreveu a Jforma da Italia :
Ao velho illustre, amigo nosso e def-
feasor, em tempos trit'ssimoi de desgraca
e vergonba, a Guilberme GHadstone que
aples hospeda e que a Italia sada,
mandamos tambem o nosso desejo sincera
e verdade iro de ttade e felicidad e.
Elle representa meio secuto da historia
ingleza, e de seu nomc e apostolado falla
galbardamento uma das mais bellas pagi-
nas da nossa resurreijao: as suas cartas,
sobre o reino de Nopoles a lord Aberdeen,
hoje legendarias.
Elle conhece de perto, e foi d'elles inti-
uaissimo, aos nossos exilados e os socoor
reu efficazrneBtej n'aquelles das tristissi-
mos de sofFrimentos e de sacrificios: Maz-
zini, Garibaldi, Bertani, Crisp, Panizzi,
Rurini, Mario,. Saffi c outros muitos, cu--
jos nomos nao occorre repetir, achavam j
n'eHe, mais que o amigo, um irmSo.
Elle amava e ama a Italia com intenso
amor, estudoii a sua historia antiga e mo-
derna, qual dexcou doma* publicacoea;
conheoe a sua lingua, a ponto de esersver
versos elegantes para faaaj^envergonhar a
l



.
\

U



oda a-sua ex-.
mnpankawA) eomsigo roeorda-
de que faz mitas, vezes
iivoniaoo'es brilbantes, dV
Dglaterra, nflo ha' nacSo a quem
ame tanto, come a mnntj hah/ da-'sua
jroraaitude : como a Italia, forte, ana, te-
mida a respeitada dos seas ltimos anuos.
Vana vida e urna progresBXo para as
idea-de iberdade e reforma social: an-
P te, *'i*to muito differente de muitos ho-
nsaus polticos dos noseo dias, oe qmies
comacarn a sita oa,rreira publica, com in-
clinacoes ou conviccoes nadicaes, e aca-
banv dopois, na velhice, conservadores
etsattados.
'guando Gladstone eontava 20 anuos,
Oxford laureado em mathematiea e em
eslttdos orassicos jirst cas, in elUssics and
tnathematies, como Peel, ardwell e West-
burja^elJe era genuino conservador.
Jembram-se d'elle mu toa discunos
la eseravid&o na America!
Natui'*hnentc, os seus primeiros pasaos
fura*) :u;d julgados e Ih'attrahiram muitas
rit&,.
Em Setembro de 1845. Gladstone ti-
nha fallad') na Cmara, retirando se da
presidencia do Board of Trade; sobre isto
Lnrd BeJiconsfield, em urna das snaa car-
cas de familia, ha pouco publicadas, faz
urna BUccessSo de revelacBes, curiosas,
ISiMNWMMIWBBIYiMS, *^ OCrf^FTfi a Wfl ?TH)fl,
a Myra do seu Endyraiao.
... O h'senrso- de Gladstone foi um
tanto embrdhado nao preduzio- nenhum
efftit* Tera talvea o seu-roturo, mas A
fallar claro, duvido^Houito que tal Sit-
ceda. >
Gladstone, foi mal julgado, e nenhura,
entre os seus grandes contemporneos,
conjecturm i sua.grandeza; e tanto isto
verdade que Thomas Carlyle as suas ce-
lebres epstolas a Emerson, o grande phi-
losopho americano, d'elle falla como d'um
crank, ou d'um tal que soffre d'uma li-
geini lesao anatmica no cerebro.
* a
# -
E preste-se f propliecias'.
< laustone^aures de partir para a Italia,
dizera- os iornaes ingeeaes, quiz i>rovar
amor se pag i com o amor
tra moeda falsa.Howsaye.
Se na verdade o amor a gamma mais
preciosa, devoraos lechal-a n' um armario,
qne pela riqueza *:lo material, perfeieao de
arte, c inaccessivl belleza esthetiea seja
nobilissiraa, deve tocal-a; nenhuin hlito
que nlo seja perfumado de sndalo e de
rosa deve respirar ao seu lado, nenhuma
mo que nao sej i de anjo deve fazer-lbe
caricias, nenhum ra o dos beijos de: dous labios enamora-
dos. -Mantegazsa.
Eu pamente creio que o verdadeiro
amor, urna vez perdidas as pennns, nao as
adquire mais.Guerrazzi.
O amor eternamente joven e os mo-
dos de exprimi-lo sumisamente velhos.
Alfredo Mmtet.
Amaadu fazos o teu dever ; fazendo-tc
amar, sttUl aos outros.Beranger.
O amor aforra das torca ; apptireco
quando o homem est mais forte e decre-
ce quando os annos o tem. enflaquecido.
O amor a alegra, e no fundo de todo
desejo e de toda a riqueza, e de todo ho-
risonte de delicia, sempre o escopo mais
elevada. Com exeepca do caso de ho-
mens nascidos mal, em todo co humano
o amor e a estrella mais brilhante, e o
sol de todo horisonte. Elle 6 paixao ma?s
forte, mais humana e mais rica. Monte-
fiAiio de Eemamburo-^Dominyo -l7-.de Marqa?de ;18W
ido no roovimanto
>it-, corros pblicos, -andera muid* carregou de ji
'. I Mil !! I
volver. Alli ese-se sol gem qne fl*ao*saa-
sinn nao- sabio da eirlade.
Mais de .30 prisco tf*ra -sido ffeitas, sem
nada se adiantar, todavia.
Alguns detalhe do ultimo aesassinio :
(iJ-aando a polica ntrou no* eatabeleti-
mentoda viura Prancois, sobre o balco
havia anda o copo cheio de vinho. Sup-
pde-se que o aasassino aproveitara o mo-
mento em que a viuva Ihe voltava as eos-
tas para lhe dar o primeiro*golpe.
A vctima "no caio e arrojou-se sobre
gnzza.
* .*
Dizem de Montpellier, Franca, que o
oondemnado mor te Clemente Maje a. um
dos autores do assasino dos Sallins, se acha
na i-ellula u. 26, em companhia de presos
de confianca.
Marcia est multo abatido. A urna vi-
sita que lhe fez un jornalista, respondeu-
Ihe que a Prado tambem haviam dito que
nlo devia perder esperanca, que o per-
dSo lhe seria concedido e todavia eorta-
ram-lhe a cabeca.
o agressor, devendo tel-o arranhado forte-
mente, porque o cadver tiuha urna das
unhas quasi despregada de um dedo.
Tres uovas facadas prostaram-na. Entao
o aasassino vasculhou todos os movis le-
vando oerca de tres mil francos.
Foi encontrada junto da victima urna
faca ensanguentada e desde a casa do crime
at a ra dos Mura encontrou-se vestigios
de sangue.
A estacao da linha forrea est prxima
e a hora do crime entre nove e doz da
noite, fazem-se manobras do Irene. D ahi
o nlo ter-se ouvido os gritos qu a victima
aecessariamente daria durante a lucia.
megwm mtt^tm e.
Eisahi: Jm* < t'uim'ia caim-ara-seu
|i;irt!do' niiio do Sr. Quiuteo en id qua* latatMade'isnna tauaMBcasiBo
do fM*klrwpubfe.iniMiHaiki (fm, no Mi|) pnoa^t
em que para ser abolicionista era. mister muita
atmegneo.
E o partido republicano mo3lrou-s8 incapaz
d'esaa abnegacao!
Mais tarde, em-188i, o actual cliefe do par
tido republicano d'e3ta provincia, o Dr. kbrtina tyra.
1HD1GACES TEIS
I ------......-*-------:- -y.----
Hedlcos
Dr. Oerqueira Leite, tem o seu eacrpto
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, a desta hora em dian-
te em sua residencia ra Barfto de S.
Bftrja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e criancas. Telephone M. 326,
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde : residencia
no Monteiro.
Dr. BarrMo Sampaio d consultas de 'pareca fatigada
AqftgHe yensanornt^ de qite Ibe c*rH "meio-dia s 3'horas no 1.* andar da casa
ro a cabeca persegne-o a todo o momen-
to. Est sempre com os elbos no vacuo,
e do peito sahcm-lhc suspiros de desani-
mo.
N'uma d'eatas tardes pedio um confes-
Bor. Assignou o seu recurso de perdSo*,
que os jurados que o condemnaram a mor-
te assignaram tambem.
*
#
Diz urna folha franceza.
Entre as numerosas aggremiaces Alsa-
co-Lorenai com sede em Paris, urna das
mais interessantes a que tem por fim
proporcionar gratuitamente aos nossos des-
venturados compatriotas os meios de vi-
rem para Franca e de se naturalisarem
francezc .
S o anno passado, esta sociedade fez
chegar as mjos do ministro da justica 331
peticScs de naturalisa5So, ou de reintegra-
cao o este numero tende a ser ainda mais
cn-idcravel no anno corrente.
#
* *
N'uma cabana situada a pouca distan-
cia de I^as Ventas del Espritu Santo, ar-
arredores de Madrid, viviam Francisco
Delgado Garca, de 54 annos, pioneiro,
6iia inuiher, du*aa ti Iba ja mullicreb o um
filhito, e ainda um outro filhito de urna
d estas, chamada Emilia, a quein sedu/.ira
e promettera casamento, um tai Jos Gipez
Aguilher, valenciano, de 2o annos.
os msculos dos bracos e conseguio, de
facto, derrabar urna grande arvore, promp-
tamente cortando-a a golpes de marcha-
do ; estava rodeado das pc9soas da sua
familia que o apphmdiram enthusiastica-
mente.
^A proposito de filhos, Gladstone tem
^Hfq'ue ministro episcopal da velha pa-
roebia onde reside.
Em Inglaterra, gloriossima a tnr-
diceSo dos nomes politicos, que as horas
de ocio, ou depois que se retirara do
combate da vida publica, acharam con-
forte e passa-teinpo nos estudos litterarios,
em doutas, uteis e celebres puWica^ies.
Pitt esquecia os enados e desconaolos
do seu cargo, na leitura dos classicos gre-
gw e latinos; Tox em companhia de
Eurpides e Herodoto.
Canning e Weli'-sley traduziram as sa-
tyras e as odes de toracio : lord Redes-
lala anganu 9 nitr txvnipio.
Lord Norraanbv escreveu um romance :
Vao Eafl Russei uma tragedia e um ro-
aaaiiee : lord Palmerston se diverta em
publicar excellentes e magnficos jeux de
*l>ru ntL Xa-- Whiy (Juide, quanda lord O Ginez vivia na cabana de pioneiro,
Liverpool era ministro, Lord Brougham1 'pela palavra que a este dera de egalilar
era um escriptor nfatigavel.
Lord Derby e Gladstone demonstraram
uma especial dedicacao, una syrapathia
vitf&jjpia para a KtteWltara afttiga. A tra-
duccSo ngleza da Iliade, de lord DfrL\.
sentla c commentada tambem quando
dB^Sfc brilhantes discursos polticos, tao
acfeMvos, nao se lembrarSo mais.
W| e*tiidos sobre Homero de Gtrilher-
mo Gladstone, serio lidos com fervor,
leinbr&dos com orgulho, muitos annos de-
pois qu o seu coraeo tiver cewado de
bater e a sua palavra nao separar mais,
cin dous grandes partidos, ao maior povo
aterra.
E*te; o vclho Ilustre, seguio o conse-
Ihuum sabio que dizia: tetiho Mna li-
.vraria bem formada e um bello jardim,
que cultivo com as miabas proyrias mSos,
divYtmdo-me bastante. E se tembra de
tacn, que elle cita s vezes, O tual nos
us ssays assim invoca Deus Omnipo-
tente : Dai-mc um jardim, assim como
pensae* em "fla-d, *nfcs d qual-
^ac:- outra cousa sobre esta trra.
QuaJquer qne possa ser o juizo sobre a
ultima phase da sua vida poltica, qual-
quer cousa que se possa pensar* acerca
dti home rule, a Irlanda e a reforma agra-
ria,. Gladstone permanece, qual foi, qual
, uma das mais bellas, das mais respei-
tada*, e das mais gloriosas individualida-
des do nosso seculo.
Mas nao queremos qne Gladstone, por
;;raor Irlanda, c aquella benevolencia
que pode sentir "pelo' fKnatsmo 'catholico
dr ilha verde, sacra S. Patricio, seu pa-
trono^ esquece, como nos fazia suppor
uma sua ultima carta, as antigs opinioes,
por'elle manifestadas em varias occasi&e
sobre' a qucstSo romana S-bfre papa.
O amor a asa que Deus deu ao hc-
mem para elevar-se at elle. Michelan-
y!o.
Rcdzir o universo a tima s 'atura
* at Deus, eis o que o amor. O amor
a sattdacto dos anjos uns aos outros.
VMot Hugo.
O que para o navio o piloto, para a
cidade o magistrado, para o mundo o sol,
entre os mortaes o amor; sem o piloto
o navio perde-se, n cidade sem magBtra-
em pefigo o riSundo sem ol eah" as
treva8, e a vida des m taes sem amor nao
ge J#de enamar vida. -Filippc Bervaido-
NHo ha enrac.. ta*. vil que possa odiar
i tanta intcnsidade. quando urea alma
gentil ama. Tarumaseo.
< > amor, suavissima correspondencia dos
espiritos, que de duas almas se cempoe
uma*, que du. torease as auxi-'
lia, se nutre de mutuo sacrificio, ci.no a
violeta do orvalho.Guerrazzi.
O que se chama amor sempre alguina
*a de mmen nio o *
O amor, bello entto os brl
se comp* i factos que
aquella unio com a tilha. Era, porm,
um valdevinos, inimigo de todo o traba Iho
e frequentador de todas as tavernas.
X urna das noites passadas, estando a
familia reunida, Emilia teve uma reunida
disputa com o seu seductor, o lan*eou-lhe
em rosto a vida de mandrice que levara.
Ginez, ceg de colera, n'uin mdmento
em que a pobre rapariga lhe apresentava
o tiihinho e lhe dizia qe ttvesse pena
d'elle, agarrou a crianja pelas perna-s, e
ia a dar com ella contra a parede, quando
os avs Hi'a tira rain das mos.
O pioneiro, entio, teniendo a colera do
infame, disae-lhe algumas palavrs sere-
nas e convidou-o a ir dar um passcio at
uma taverna prxima.
Foram, estiveram a beber c a conver-
sar, demoraram-se, e, no regresso, Ginez,
que ruminava uma idea infame, lancou-se
de repente sobre o pioneiro, derribou o e
esmagou-lhe a cabeca com uma pedia.
Em seguida evadio-sc.
O cadver foi encontrado depois por
dous carreteiros, que avisaram a guarda
civil.
Francisco Delgado era um honrado pio-
neiro, mantendo toda a familia om o seu
trabaiho.
O infame (inea ainda nfto foi encon-
trado.
*

' Um tal Bury, :hegado ha tree semanas
a Dondee, Escocia," e proveniente de
Londres, entregou-se voluntariamente a
polica, declarando que assaesinara sua
mulher n'um accesso de embriaguez.
Foi s no dia seguinte ao do crhtie que.
ao despeftatr^ avistou a mulher estendida
ho soalho, com uma corda ao pesco90.
Aterrado com aquelle espectculo e
crendo qtie ella n3o estivesse ainda mor-
a, deu-lhe uma duzia de facadas no ven-
tre, metteu em seguida o corpo d'ella
n'uma mala e fugio.
A casa nSo tinha locatario e -mam fi-
cou guardando o cadver durante uma
semana, sem que ningtiem dsse pelo des-
apparecimento do casal.
Afinal, o assassino, ralado de remor-
sos, entregou-se e declarou tudo a poli-
ca, qne foi ao local indicado e verifican a
verdade do depoimento, encontrando den-
tro da mala u cadver, horrivelraente mu-
tilado.
O assassino foi Ihgo entregue a justica.

A cidade de Pont-a-Mous.n. Franca,
est sob a aceao de um terror at corto
ponto justificado. Em quinze dias foram
assassinados e roubados qs esposos Sulzer,
a viuva Feriy e por ulti.u) a vi uva Fran-
dona de urna loja d"e bebidas do ca-
rua do Baro da Viotori*, n. 51. Resi-
dencia ra Sete deSetenibro n. 54, en-
trada pela raa da- Saudade n. 25.
Dr. (.astro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da f'ruz) n. 23, 1.*
andar.
L)r. Ribeiro de Br.tto d consultas de
meio dia -3 horas da tarde, no 1.- an-
dar a ru Duque de I axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Dr Alvares Guimares, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com ospecialidade s molestias do cora-
cao,, pulmoes, figado, estomago* e intesti-
nos e tambem as pJTecgSes das criancas.
Reside prava do Conde d'E, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas Telephone
n. 381.
Oeeulista
Dr. Ferreira. com p'rafica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, A cw*ffB9 Pvlos os- dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio o resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Advocados
O bacharel Witruvio Pinte Bandeira,
pede ser procurado raa do Imperador
n. 71, I." andar.
O Dr. H. Mild mudou o Seu escripto-
torio de advocacia, para a ra do Impera-
dor n. 46, I* andar, sala da frente.
Aerrarl* a vapor
Serrara a vapor e offichia de Cirapino
de Francisco dos Saatos Macedo, caes do-
Capibaribe n. 23. Este grande estabek-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende inadeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
l>roarIa
Furia Sobrinho & C, droguista por ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva sC, deposi-
tarios de todas as especialidades pharlna-
ceutica, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Marques de Olina n. 23.
PUBLICARES i PEDIDO

ngiliveis.
dest-
pelo amor,
o amor no's
e a
est
9018,
da ra *
minho da Corderie a quina
chotte.
O cncelho municipal, reunido extraor-
dinariamente a convite do prefeito, de
dicio que se patralhasse todas as noites a
cidade com patrulhas civis, conduzidas
concelheiros municip
Patrulhas militares percorrem anda as
ras, ha uta grande 1 le geudar
e o tribunaldc Naucy est reunido
manentemene, isto no obsta a qu
di>s os habifr B grande f nos soc-
Jos do Patrocinio
.Nao eei se o leitor j tem notado a presteza e
a facilidide com qne 110 Brasil se perde uma re-
IiBtacao. firmada muita vez casta de muitos e
oojros annos de perseverantes esforces e nume-
rosos sacrificios em prol da patria, custa de
uma ubnegaco a todo instante exp rimeotada e
provada.
Para que c-.-e castelk que, em muitos paizes,
ostenta una solidez capaz de desafiar a (bms
abundante metralha e s mais proceltosas tcm-
iestades. mus que do Brasil tem apenas uma so-
ides upparente : para que esse castelk) que se
channia repntacSo, -tique derrocado neste paiz
inrc'izmente sumeiente qne um miseravel qual-
3aer atranque uma calumnia dos escondrijos
e um coragSo #e lama.
Os partidos apoderam-se da arma que o des-
peito forneccu, sem indagar o grao de torpeza >ie.
semt'lliante recurso, e dio sem o menor escru
pulo curso ao nefando producto de uma alma
ainda mais nefanda.
Estas consideraces, de todo ponto exactas,
sao filhas da observago ds modo por que nesta
cidade se assacam a Jos do Patiocinio os mais
vis apodos, attribuindo-se o apoio franco que este
llluslre tribuno e jornajista presta ao gabinete
10 de Marco a srdidos interesses individuae:.
E todava a posicp de Jos do Patrocinio co-
herente, justa e iDvulneravel.
Todos que conhecem as primeiras manifesta-
edes do abolicionismo posteriores primeira lei
de 28 de Setembro, nao ignorara que Jos do Pa-
trocinio andou sempre divo/ciado do partido re-
p*it)lirano.ncssa questSo.
Lembro ni" perfeitamente de ter lido um dis-
cursj do Sr. Quintino Bocayuva, pronunciado esa
um congresso republicano em que se tratou d
.0. algum lempo antes que o Sr. Dantas
subase ao poder, aljrum lempo autes da liberiacao
do Cear, e publicado em avulso. no qual acn-
sethava aquelle cWtao ao pirlldo reiiublicano
que se aflfstasse d'essa queseo e que daixasse a
Irjcle ao part Jo liberal.
Ora o part.In lib 'irio havia channdo
a ia que.-' rvil: e del
partido liberal a que se leturia o Sr. Quinno
resuma se em Joaquim Xabaco, e cstendia se a
mais 9 ou tu deputados n'uma cmara de 122.
E' claro que o emancipador dos ltimos tem-
pes, vulgo escravocraia. nao se manife-laria de
lo.
o que o Sr. Quinlino
seloava ao partido republicano neatralidade
na qu tirio,
iiemenies apar-
Joa

Jnior, em uma conferencia que fez sustentando
a candidatura de Joaquim Nabuco disae que Jos
do Patrocinio aflirmava qu se o Imperador li
zesse a abolicao e os fazepdeiros se levaniassiui
contra elle por esse facto, haviam de encontral-o
na estacada do lado do Imperador?
E o joven republicae accrescentava loao que
de nenhum modo e?taria cora o Imperador.
Eii*M facto mostra como desde; o comeco-uouic
sempre diversidade. entre Jos do Patrocinio e
os republicanos em geral, no modo de encarar a
bolico : Jos do Patrocinio mai abolicionista
que republicano: Quintino, Saldaoha, Martios
wa. mais republicanos que abolicionistas.
Fica ao mesmo tempo provado que, se incohe-
rencia ha, sem durida da parte rj'aqudles re-
publicanos que, neutros a principio, aporarom
depois.francamente- o ministerio Dantas, para
loge depois negarem esse apoio ao ministerio
Joao Alfredo.
Muito mais digno e correcto foi sem dnvida o
procedimento do partido liberal abstendo *e do
pMto eleitoral na corte e no Espirito-Santo.
E quando o partido liberal de duas provin-
cias d uma tal prova de abnegacao que lhe faz
honra, podendo alias crear difliculdades ao go
verno, que o partido repnblicauo que devia ser
a propina abnegacao. aprsenla um candidato em
opposicAo ao da Conederaco Abolicionista !
Nao colhe a aJIegacao de que o Sr. Quintino
tambem era abolicionista, porquanto entre o mi-
nistro que representa va a abllelo j e j e o ro-
puMicano-que a reptesentava as dobras de um
futuro indeciso, o mais ferreaho escravocrata
nSo tinha que hesitar.
Ainda aqui o valen; e denodado tribuno, o
inspirado jornalista. 3 apostlo da caridade. o
ioeta da rederapeo teve de, preferindo a Con-
ederaco Abolicionista, desorezar a orientaco
da maioria dos seus correligionarios.
Ora a (Jonfederaco Abolicionista nao era uma
associacao qualquer, era a mesma associaco
que, no mais renhido da peleja, quando a naco
pareca fatigada e a victoria indecisa, tendo
\istocahir fulmimido um dos mais intemeratos
combatentes. o grande cidado Jos Bonifacio,
ji h.wa, por intermedio do seu representante no
entorramento d'esse iustrissimo morto, o.uk o
ANSM dk 89 nao venia mais bsoravos mi brazh. !
E se, em 884, Jos do Patrocinio nao mereca
censuras quando depunha na urna em i esoru
timo o nome do Dr. Bezerrade Menezes, candi-
dato que se declarara abolicionista depois do Io
escrutinio ; eu nao vejo por que motivo mereca
censuras quando ja nao se tratando de sexage-
narios apenas e sim da totatidade dos escravos,
depunha na urua o nome de Ferreira Vianna.
Denais d'kito trata va -se de um gabinete pre-
sidido pelo couselheiro Joo Alfredo, cujo ad-
vento ao poder era, de ha muito, anciosamente
esperado por todos os abolicionista-, como a
aurora da libertaciio geral.
E era Jos do Patrocinio quo das columnas do
seu jornal dava ao grande estadista toda essa
popularidade; de sorte que no dia seguinte ao
da sua ascenco ao poder, o eonselheiro Joo
Alfredo nao vis no redactor illustre da Cidade
do Rio o amigo da vespera.
Tudo isso, porm. so esquece, e preteade-se
atirar o homem que tem a sublime corngeai tas
suas convieces na hit'ufda immundn em que
se revolvem os seus calumniodores.
. Nao o conaeguiro.
Gatdino Loreto,
Um dos personagens presentes, e a anedeota
canta a. rsteasris alta do tal. te q:- nta me
imbarnefpoade:
Qmmtem nrqteno *-iuiliwp*art*a em
F Mijaiir-';-
Ento.V. Exc. em pequeo devia ser mui-
Jto esperto.
O tul poearwposta do personasen) na bocea de um
padre imorcil. que ouve do menino aquella sa

Faria

.
Marinnnr ca Pi^noirn Pnrin, seJW
Ihos, su sOgYa c seus cunhados,^ convi-
dara aos seas* paren tes e amigos para as*
sistirem as raissas que mandam celebrar
por alma de sua idolatrada e nunca esque-
cid esposa, mili', tilha e innS, Outharina
Pessoa de Figneira Faria, que serSo cele
bradas fia igreja de Nos*sa Senhora do Carmo
no dia 20 do corrente 30." dia do soufalle-
fcimento, edesdo j agradecen) do intimo
de seus corajStes por mais esta prova de
amizade e religio.
Sociedade Beneficente de
Naaatetk
Nesta dala, lo to corrente, pelas 9 horas da
munli, foi na cadea desta cidade, aberta uma
escola de tnstrucc5o primaria cargo desta so-
ciedade e sob a direccafc db preso Jos Ezeqmel
distfibuindo se ) cartas de A B C.
O mordorao,
, Ignacio Yieira de Mello.
Notas do sentimento
Os bandidos da> Moral
Sao uma quadrilha de pobres diabos, muito
tolos, muito ignorantes e-^edantes e portento
muito insolentes e sem vergonha.
l'omaram para ehefe o mais tolo d'enire el
les, mas com tracas de engaar aos outros, fa-
aendo-se o mais sabio c insolente, inculcndo-
se o mais esnfritndW Tt-qlfefntaWWIra e bes
tialidade ha.
S sabe fallar de sua vida, de seus biefeinhos,
de todas as asneiras e trivialidades que pratica ;
fra e alm, s da religio e te Deus-
E' lioouco, to raso de seubestunto que, quan-
do se v aperreado pelas surras de peas de no
que lhe do pelas muita- asneiras e parvoices
que profere, n5o tendo recurso nenhura pa-
ra luetar e responder como gente, vira bicho,
cavallodo qual j i O j. alma delle, e para fazer
melhor, pe as maos no cbo, fazendo dellas
patas, e entra a escocear e dar poopas em vio;
e vai ao diccionario dos convivios e das messa-
linas depravadas, e, relinchando, vomiiu todo cs-
iBmando, quantos improperios i se disse, e ou-
tros novos que compc. formando pirases para o
S[e snente tem habilidad;: em seu furioso des-
empero.
Este o chefe da quadrilha., que de milo vi-
rado, desde que de ra va puaera as maos no
chao e se tizera cavallo, que nao sebeado mais
5ue asneiras diga, por se lhe ier seccado o poco
ella3. sabio a procurar aventuras, como D. Qui-
xote, e levou seu escudeiro, um Sancho sem
panga.
B-depois de tantos Irabalhos e fadigas, tanto
suor e cede e fome, como elle proprio o cont -
ra, s encontrou aquella aventur dodiabo co-
nlendo quadro e do oavallo magro em carne e
oco em que, diese elle em -sua bola virada, em
qte Joao Fernandes dera a bata toa dos Guara-
pes contra osWandezes.
E o melhor fci velo torreado, para peg.iro
cavallo, e esse fugindo delie por nao adviuhar
que o outro era igual a si, ejaiO'Btntorf jpanto e
opposico do escudeiro, que, sa sua simplicida-
de, como a do ancho Pa|fa, nunca mais se po-
de persuadir que o amo livusse virado o milo;
porque, da mesma 'iiad-lllia das bandidos da mo-
ral, nao crC que o ebefe est luc(redo em casti-
go de sua perversidade de fazer propaganda con-
tra a moral e contra a religio e contra Deus.
Os outros sao u 1 rOOetHgN falso que j cun-
prio sentenca por este crime. e boje prega cun
o chele, contra a religio e coniru Deus.
0 ouii 1 1 bandido que diz pelo Jorw.il d
fceife. que u civilisaco anda sao pode ex'irpar
do corago liumano o sentimento religioso.
O outro um dessa Gaxeta da Tarde que
imbcil, como o padre que ella inventou
quer ainda desbragadamente como os outios
combater de frente Den io ; mas vem
urna vez por outra dando aqui > alli suas d
da*,coiiO essa por exemplo. ': um
padre a quem da a imbecilida
Ha muito
a
Lembrei-me do grande philosopho, o Sr. To->
nias, cojos conceito*^ sao para as geraccs mil
veros*futuras, que as-de agora, daqui da trra
de hacharais e doutores todos burYosynaonodem
metter o dente em suas pr duccees profundas.
Esse serrhor. uma vez, passando dos doutoros
e hachareis aog padres, d quem 9 inimigo tam-
bem, porque lambem noquei'Deus. fallando da
ignorancia deiius, diese que elles nao sabiam
nem o latim.
Foi quando veio a^i idrarin daqui B voruitaram
sobre c Hr. Tomas lonto latrw que elle empasi-
nou, tendo protestado, ou como qotr que seja.
analysar tudo aqaio e aln licou.
E |iara mais farlura veio do Maranha tanta
cousa pisando os calo?, dando n 8 baldas certas
do 8r. Tobas, que elle a principio quir arcar,
das apesar de soaforca mais que herclea, como
elle 6 esoreve o que por muito. fundo nao e
para nos, ou o que, quando se entende, soda para
o debique, quiz arcar ao principio ; porm, ven
eido, esmorecen, marchou.
E' por istio que esse dessa gazetavam assim a
irfedo ou lcito, dando deseas de.uudiulias, ain-
da, nao, como os outros uto ousados.
-a* rases quotro bandidosda moral que, tolos,
ignorantes, pedantes perfeitos, todos estudand
gracejos c dizendo asnsiras que s provocara o
nojoou o riso de suas pessoas lizeram pacto
fiara uma campanha que julgaram fcil, para se
azerem celebres e terem de que viver a custa
de uniros mais- tolos do que les.
Mae qual sena a empreza de uma-g'jnte, uns
de uma vida torpe, outros e todos inteiramenie
igooraules e de to trivises recursos?
Vamos fallar de Deus, disseram-elles em seu
pacto, enchnmo-nos de filaucia, chamemos ifeno-
rantus.aos crales, zombemos. mordamos a relir
giaCfOs padrea;. eccul((Beaio-ii08 -gaind9cou-
sas ;^onanda nSs tivfrmos o qne-dlter profira-
mos muitas asneiras, que muita gente ha de
achar graca, porque ha muita gente mais bruta
do qae nos.
E dito e (fita, nio#u-obra.
Desta ve >nk) foi a>patear fosA-eae hu-
ra iWe K-hristo, mas eour bastante forca para
surrar estes bandidos todos.
O primeiro queyirou de cainbalhotas foi esse
tal, *o chefe, qae viroa tambem de juizo que nan-
ea foi correto, cfazeodo-se quixote, cavalheiro
andante, foi eom escudeiro procurar aventura
de lettras.
Nio pensavam estes bandidos encontrar presa
esse barranco em seu cammho, dessa empreza
infame, que julgaram tao fcil; e e>os furio-
sos, cada vez mais daranados, se mordendo.
O chefe delles. o Quiaoto das lettras, (") sa-
hindo en basca com o sacco vasio por s haver adiado um ca-
vallo magroque nao pode pegar e um diaboque
cerne quadro.
lecerreram ao escudeiro da Lantermo. Mgica
para pratar-rae ora enforcandogente, rame es-
paulando com almas do outro mundo Leinbra-
me isto os chinezes, quando, batidos e rebalidos
pelos eurofteus. levantava noile phanta9 e faziiim outras visagens para metter meao s
tropas dos barbaros.
Nada disto tlcaocando o desejado xito, em
agora o sabichao disripulo pelo Jornal, todo
cheio de si, enculcando-se de consequencia e s
provando a maior toleima. E nem ao menos as 1
signa o tai pedido, que nem tem a coragem de
assinar to aparvalbada asneira.
Meu bobo, quem pede assigna ; seno, nao faz
pedido, argumenta e discute.
Mas isto mesmo >' de podante :
Um pedido (!!!)
O pedido este :
Sr. Milet, V. S. om ignorante (nu se of-
fenda ; so su olbodec, cetiraj. V. S. quec Deus
porque nao sabe que Deus creaco da igno-
rancia e do medo de trovo.
A religio do futuro a dos momos, d'onte
nos saturnos, a moral- <* delles, e nao a de
CI11 i.-tp, nem a do tfatticus, tjuo a-o %t> t>
mor dos maonos e Hvre como o amor dos ca-
vallos, nem no3 tranqueia o ftuettr-do trabalho
alheo, que i do bom que nfto cheira a cobre.
Mas nao obstante a sua ignorancia Sr. Milet,
melhor que V. S. se oecupe de resolver o pro-
blema do capital e do trabalbo, do que de faUar
em Deus, ideia sem objecto aigura.
Sr. Alfonso, nos deixe e va resar na Penha,
procurar por l a virtude e a vida eterna. >
E' assim, que estes bandidos, zurzidos e con-
fundidos, sustentan) a causa infame da iinmo-
ralidade e do atheismo, com todas essas tolei-
ma.-, iingiodo-se at muito aprumados para se
engaar a si proprios.-Fazendo pedido a mim e
ao Sr. Milet. que os deixe e deixemos Deus.
E Faliam em problema social, para enculcar
que sabem alguina cousa disso.
K9taiaa4M uaa lasa^^Rt^^tf^M^^s ^^tt4^a>fl c^af^^Aa^^^k^v ~y
ignoram que uo ha soluco, nem ha problema
entre o capital c o trabalho; que emquanto o
homem, o individuo fr seuhor do capital, o
omem ha de ser seahor do homem.
E' por isto que escolheram a empreza da ne-
gacan de Deus e da religiSo: por uma razo e
para um fim.
A razo porque nada mais fcil para um
pedante do que dizer r^Deus o trovo.
Elles nio earecem de discusso nem de de-
feza, porque nao tem forca para sustentar suas
insolentes parvoices. Gomo se sustentaro por
tanto?
E' por isto que tomaram aquelle chefe.
Um Baadwio de urna vida como a tem ; ca-
paz de todo, menos de algama aeco digna, ou
discurso da menor substancia, sobando s dizer
asneiras para ver se os tolos acham graca nel
las, sabendo s descompor e vomitar mil impro-
perios, com que julgaram-se elles poderosos e
que niiuuem fosse capaz de atacar a propaganda
infame contra' Deus.
Encontraran): sabio o chefe armado at aos
dentes das maiores asneiras as vomitando contra
quem os atacou. .
Nis fis c iiii i fatioin daa* pnlndini
Nao flz caso ainda. ) bicho desembestou e
agora pinta-ate como assassino, e canta-me em
prosa e verso, e me fa medo com almas do outro
'mundo.
Coitado, pobre diabo, ao menos assim, vazando
a raiva correr menos risco de sabir damuado
herrando pelas ras c mordendo a gente c ser
agarrado para a Tamarineira.
E esse pobre outro, esse do altruismo, que faz
Eedido para que nao s falle em Deus, (c muito
esta!.. ) para que eu os deixe. Marera maior
sandice! Os bandidos da moral, os iningo&J,
de Deus pedindo para que os nao persiga ?
Nao bandidos, nao os deixarei; esta calila
infame que faz propagaada para que to lo povo
se faga infam, immigo de Dens, como elles.
nao os deixarei emquanto Deus m'o permitir.
Nao os deixarei emquanto metteretn seu dedo
immundo as cousas santas em que todo este
povo acha conforto, seu abrigo a resignaco, a
esperanca na presente e futura vida.
Nao, bandidos, eu nao os deixarei, emqoanio,
infames, vos servirdes da imprensa para perver-
(ter este povo. Fallcm de nrim muitas vezes at
cem por dia, mas na arca santa nao, nao mette-
reis impunemente a nWo. E faco mais :
De boje era diante, vos perseguirei de mais
perto ; -l de dia a di se me for possivel.
At que )*or tita, cada um considere as cousas,
par ter menos leveza ; que nao pode ser maior
a hman lade do que um pai de familia levar
para casa esses jornaes que contm to infa-
mes doutnuas. to perverso alimento dalma
Com .estes inmundos manjares coojLessas
infames l.-iiuras, s suas malhojos, ilhas e :-
mas, os pais de familia so pederfio prepralas
para pasto destea bandidos.
l' *.'.-' -i seu lim.
it evt 15 Je Hhrcq Je 188*..
A/fanto Ir Jbuqiu rqtu Mello.
CoiHmawkf'-das Armas
Bm comprimento deordem do goverrro-sigo
paraoorte'rfcr-TOpor'.41*9*!.? que deve cliegaru*
norte no dia t?*d corrente mez. e nio ctendo
tempo para posnoalmente d*sp*dir-me de- todas
as pessoas com quem ti ve a honra de- entreter
relaces de amisade. o taco por este meio Pe-
nhormlissima pelffs. exonerantes' demonrrafCie-
de/antisad. qunseuipri- inoffespensoiiun os ti
Ihoedesta heroica prc)incia,.dispocorine sauda-
so. offereoe.ido-lbes o meu limitado, preatimo
n aquella capital do imperio.
Buigsdeiro, Jos d'Almeidu Brrelo.
.-*- lMnn1|rt4=a "III Wim. ^"W" '
II
f
Dr. inhestar CaAialeflnte
Medico
OPFERECE OS SEUS SERMHOS HHPW.MAHKS
i'iiHiiian wwiiii 1 111 iiit

'Ot
A' MEMORIA
DE
Ensilla Rosendo iln
HlVta
Porteiro do Arsenal de liuerra
de Pernambuco
so 30*rDU n SF.uyAmcumrro
, Recordaco de seus
amigos e couipanheiros do
mesmo Arsenal
Missas 11a igreja de NossJ Se-
nhora da Penha, amanh
18 de Marco
s 7 horas da manh.
(") Este; pobre alucinado, que por pregar con
tra Deus triron maluco, nao quer estar s na ca-
vallaria andante, quer que eu seja tambem Qui
xote. porque def-tido a religio. Se nao tuca
isto b remate da toleima, o maluco ja
virou deudo de lodo. Pobre diabo, a religio
:n miaba, 1 trra, que t
rem
WLULAS OPERATIVAS f>A MAl
SEIGEL
costaa
ConstipaeSo inaeco do ligado, etc.
Deasemelbante a muitas outras medici-
nas catbarticas, estas plalas nio daa
com que uma pessoa se sinta peior antes
de gemir metor. Prmhtzrm o mn cffetto
com brandur'i mas c*rmpiaJara*ente. nSo
sendo acorapanhado de aepidtTjtes desa-
gfntave.R, t**o onmn nft.nAfiay- jp*rt* OO
ventre, etc., etc.
As Pilulas Operativas da Mai 'eigel
slo a medicina de familia a mais til que
se tem descoberto. Limpam as entranbas
de todas as substancias irritantes, do-as em condijao saudavel. SSo o me-
lhor remedio que existe?-coatMi a peete daa
nossas- idasGoiMti^a^S* wofao do
figado.
Estas pilulas impedem febres e-toda a
sorte de doencas, pelo simples facto de
expcHrrem toda a natlWra venenosa das*
entranbas. Operam cosa vignr^ aaaasua-
vemente a on>. cswmrodp alguma.
Se uma pessoa apanhar um refriado e a
ameacar uma febre, e sentindo dores- de
cabeca, costas e membros do corpo, uma
ou duas 'loses das Pilulas Operativa? da
MSi Seigel expedirSo o reinado, impe-
dindo a febre.
Lingua grossa acorapanhada de um gos-
to'salobro, e a causa de materia impura
no estomago. Urnas poncas doses das Pi-
lulas Operativas da MSi Seigel limparao o
estomago*, remoVendo o mo* gosto, res-
taurando o-aj-etrre e com elre'trtrr-Wn
sade.
Muitas vaos ueoae qMir'daaaca mente meio a podrecido/ causa, nauaea e
diarrha. Se se lirapar as entranbas d'es-
ta impureza Gom uma dose das Pilulas
Operativas da Mai Seigel,. estes eSmt*
desagradaveis desapparecerSo, resuliando
em boa sade.
As Bilulas Operativas da Mai Seigel,
impedea oe toa eifekos que pH-
zem o comer e beber em excesso. Uma
boa dose ao dear da cama tornajuma
pessoa hbil e inclinada para o trabalho do
dia-segninte.
Comer ostws Klalas So cobertas de -ama
carnada de assuc/ir toiaam-se com- agrado.
O gont deaagradavel tao oommozn maior
arte das pilulas d'esta forma evitado.
. Estas pilulas reoommeudam-ae aapecial-
mtente s mulheres, podendo empregar-se
para facilitar toda obra da natureza, e
para remover todas essas "abstrucjSeaiaiua
sSo a causa de tantas sancas a que est
sujeito o sexo no mundo inteiro.
Acham-se venda-em- todas as boticas
e lojas de medicinas, em toda a parte do
mundo e em casa dos proprietarios A. J.
Wrrite, Limited, Londres.
Depositarios na provincia de Pernam-
buco por atacado: Francisco M. datklva
4C, na cidade de Pernambuco.
Vendedores a retalho, na cidade de
Pernambuco, Bartli->!omeu A'O, J.
Levy & C A. 31. Veras & C. e T. S.
Silva; em Palmares, A. '. de Aguiar e
c.n S. Joo da Igreja Nova, J. A. da
' osta e Silva.
Oculista
Dr. Barreto SampaiOj medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie dia s horas da tarde, no
1" andar da casa n. 51 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
3
vi--
i
H
I
'<







Diario de PernambucoDomingo 17 de Margo de 1889

Correspondencia
Muitaa vezies tem se nos dirigido per-
guata seguinte : Qual a melhor prepa-
racSo de quina ? Nos encontramos a res-
posta n'um jornal medico antigo e muito
estimado.
A melhor preparacjto de quina o a
3ite rene todos os principios activos
'esta casca eliminando todos os productos
inertes- ou irritantes n'ella contidos. Esta
preparadlo tcm sido reaiisada pelo vinho
de Qiiittium de Alfredo Labarraque, mera-
bro da Academia de Medicina de Paria.
(Franca Medical.)
Oculista
oculista
clinica
Dr. J. Correia de Bittencourt,
residente na corte, ex-chefe de
ophthalmologica dos Drs. Wecker e Panas
em Pars e do professor Hirschberg em
Berlim, tendo regressado de sna excursao
as provincias do norte, demora-se alguna
meses nesta capital, no exercicio de sua
especialidade.
Consultorio c residencia ra do Barao
da Victoria 23 Io andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 as 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
MEDICO HOMEPATA

f
i
Dr. Ballliazar da Slveira )|
Especialidadefebres, molestias
das criancas, dos org&bs respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
i ra do Bario da Victoria n'. 43,
onde se indicar sua residencia.
Pensao Acadmica
Esta casa de Pensao situada no ameno
bairro da Boa-Vista, ra da Imperatriz
n. 15 2 e 3o andares, contina a receher
pensionistas, que mediante a mensalidade
de 50J, terSo com o maior asseio c regu-
Iaridade, comida abundante, commodos
agradaveis, excellente banho e criado.
Bacbarel Antonio Wilru-
vio Pinto
Pode ser procurado ra do Imperador
n. "l, Io andar
AuJa publica
A '>.' cadeira do sexo femimno da fregueziade
Santo Antonio, regida pela professora D. Tbereza
loseptiina daCuuha Salles, acha-se fnnecionando
i ra do Sol a 17.
COMERCIO
TELER.IMM.1S
Servido da Agencia Haca
LIVERPOOL, 15 de Marco.
ASSUCAR:ai o.
d- Prnumburu n. Mle-M a
1S par qaintal.
ALQODAO:Saalenlado.
F.Ufi de Peraamburn wHdrtf a
1/9 d. por llura.
Irnd* da lia 0:000 fardo.
NEW-YORK, lo de Marco.
ASSUCAR: Frme.
a / Palarlaardta-5 1 1* r. par li-
ara.
LISBOA, 16 de Marco.
CUrgo u aqu non tem. I&, prace-
deate da America do Sal o paquete
Aira lo.
Cketaa umbrm ao dia 19 do cor-
rale a vapor Araneaala da P-
ctate.
Agencia, Havas filial em Pernamubco,
16 de Marco de 1889.
Revista do Mercado
'ReCIFE, 16 DE MAlt<,'0 DE 1889.
0 rnovimento limitou-se a pequeas transac-
'Oes no mercado de cambios e a venda, na Bol-
nt, de 90 aeces da companhia do Beberbe com
o premio de 63 % e 100 da Piacio de Tecidos, ao
par.
Os outros mercad s rnaatireram-se na mesma
posicao
UMA CUBA NOTAVBL
Nao fazemos commentarits, sobre o que se vae 1er, porque a verdade nao ca-
rece de apanagios de peJavras, para que brilhe radiante. Limitamo-nos a tranacrever
-> seguinte attestado que, por si, falla mais alto do qu tudo quande poderiamos dizw
sobre os predicados effieazes que possue o Peltoral de tambara.
Eis o attestado;
' llhn. 8r J. Alvares de Souza flPH.Pelotas.
* Tendo cm 1878 o meu tlho adoptivo, Thomaz Lencina, sentado praea, e
estando em Porto-Alegre servindo no quartl-general, adquiri urna toase impertinente
que nunca pode ser combatida pelo medico da enferinaiaa; em vista disso foi enviado
para o Rio Pardo onde esteve em tratamento com o Ilustre medico militar, Dr. Me-
deiros, e all foi reconhecido achar-se effectado de urna turbecidote muito adiantada.
NSo aproveitando nada com o tratamento, teve baixado servico e vcio pSfa
minha casa em 1882.
Empreguei todos os recursos para salval-o da morte.
t Mdicos de Sant'Anna do Livramento, a quem eonsultei, declara ram ser
caso perdido o intil qualquer tratamento, visto o estado adiantado da doenca; o Dr.
Fialho, porem, aconselhou-mc o Peitoral de Cambar de^V. S., talvea nicamente
para satisfazer-me, e foi com este preparado que ojmeu^filho ae curou!
O tratamento nao foi longo, aa melhoras roram gradualmente ....SMttaado ;
mas, medida que ellas progrediam, os meus cuidados redobraram, pois t>dos saben
como alguns doentcs n'cstas condieocs tornam-sc mais insoffridos e descuidados do sou
estado, com o apparecimento das primeiras melhoras.
c Por isso, propositalmente, obriguei-o a continuar, por algum tempo, no uso
do seu preparado, guardando um rgimen conveniente, e dentro em pouco. meu tlho
tornou-se forte, vigoroso, completamente restabelecido !
t Entendendo que este fucto nao deve fiear ignorado pelos que sotfrem de tio
terrivel enfermidade, pe90-lhe para publical-o, tendo em vista levar urna esperanea a>
coraeao de tantos enfermos desanimados.
t Acceite ps protestos da maior gratidaoDe V. etc. Vicente St'nSu Filho.
(Dous.Scrritos em Sarandy, Rio Grande do Sul.)
A 2)5500 o frasco, vendido este remedio em casa dos agentes Francisco
Manoel da Silva & 0. c cm muitas outras pharmacias c drogaras (Testa capital.
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspec torio Geral de Hy-
gicne Publica do Rio de Janeiro em 20
de Julho de 1887.
Este depurativo de grande ellicacia aus mo-
lestias sypbiliticas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente muitas nessoas ac
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos temarao qintro collieres das de
sopa pela man ha e quatro noite. As enancas
de 1 a 5 annos tomaro urna collier pela manha
e outra a noite, e os de 5 a II annos tomaro
duas colheres pela manha e duas a noiie. De-
vero tomar banhos fri ou momo pela manha r
noilc. Resguardo recular.
Encontra-se venda na drogarra dos Srs
Francisco Manoel da Silva 4C, ra do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental ra Ktn-
la do Rosario u. 3.
O autor dcste preparado poue ser procurado
na ra do Harftu da victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda c qualquer cxplicacSo
que for precisa.
Beriberi
X. 30
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade
Papel particular foi procurado a 28 d., sendo
rcalisadas algumas iransaeces a esta ta\a.
icao e inehando-ni a pernas
horrivelmente : Irnubrei-me gde tinha em casa
.irrafa do seu elixir purilicado- do sangue
ijue um amigo em tempo me tinlia leito presen
le ; sein perda de tempo recorr a ella, felizmco-
le melhorei, acabando-se a primeira garrafa
mandei busc r segunda para concluir o meu
tratamento. Destas poucas linhas que s contem
a pura verdade, podera fuzer o uso que lhe con-
vier, pois acho-rae rnditalmen'e curado do dito
mal.
De V. S. atiento criado e obriga^o. Francis-
-feo Teixein Barbosa.
Recife. II deMaio o.- 1886.
lllm- Sr. Angelino losi5 do* Santos Andrade
Recife, 2 de Dezombro fe 1887,-ts.iando atf-
freudo horrivelmente de tipnil, recorr a di-
versos remetlios, os quaes produzirauMiie cabir
por todb o corpo, grande quantidade de panos
pretos e no rosto ento em maior quantidade :
um amig' aconselhou-meque lomasse o prepa-
rado do Sr. que tinha lirado grande vantagem
para a mesjua moles! i.i, resolv-me a tomar, em
bora j estivesse desptrsuadido, assim o liz,
e com grande vantagem obtive rom tre garra-
fas do seu preparado o mais eficaz curativo e
por iss particino lhe os meus ayrydecimentos
aaimcoara Vine, far uso da inuha assignatu-
ra para o que quizer.
De Vine, criado e obrigado. Joo Francisco
Monteiro.
Eslavam seladose
lados.
reconhecidos todos os altes
Universal as suas applicacOes, tanto como
infallivel nos seus elfeitos, o Extracto de Ave-
leira Mgica do Dr. C C Bristol, o qual, em-
pregado quer externa, quer internamente, se-
gundo o cago, ura remedio verdaderamente
assombroso para o allivio immedialo c cura ra-
dical dos stguinles malea
Externos :Machucadelas, contuses, golpes,
cortaduras, ferdas, tumores, ulce'-a.', queimadu-
ras, mordidclas, insolaro. carbuQCUlos, erup-
ces,deslocacr)es, fracturas, eacoriaces, picadas
de insectos panancos, mal da garganta, dos
ollios e dos ouvidos. dor de denles e de eafieca.
luternos :Hemorrliagia pulmonar, vaginal e
nazal, lumbago, uVccOen dos ovarios, tonsilitis,
vmitos de sungue,' vanco^is, puxos, mal dos
rins, estreilamento c retcnclo da urina, leucor-
rhea, diarrha, clica, mi-iiriruaro penosa, cons-
lipace-', coqueluche, asthma e oalarrlto de toda
a especie.
E' infallivel. assombroso em seus effeitos e
especialmente ellicaz em casos de almorreimas o
rh(!iunatismo.
Em Dezembro do anno passado, dcpois de co-
piosa perda de sangue em cooseqneften de urna
hemorragia intestinal, experimentei symptomas
de grave molestia que o meu as-isleute o llm.
Sr. Dr. Pranciseolorae duAndrade Luna >iassi-
licou df beriberi bem 'Vino os nao menos Ilus-
tres Drs. Francisco da Hunha llellro e Krmirio
Coutinho aos quaes eonsultei.
Combateudo o mal Bi-snod os preceilos da
sciencia, foi-iue deelarado em Main pelo assis-
tente que o meu soffrimeiiio degeuerava em
rheurnatismo chrouico. complicado com bt;ribe
ri acompanhadu de paralysia de um pe, e que
t'ulg;>va de urgente necessidade urna viagem ao
lio de Janeiro ou a Fernando de Sfotopm, por
isso que o rheurnatismo rebelde ao tratamento
por meio de depurativos e fric;0es, al enlieii
na o maior mal beriberi que s por esw meio
devia ser debellado.
Achava me entretanto rin dilliculdades para
satisfazer a presenpco medica recommendada
pelos conselhos dos Srs. Drs. Caoba Beltrao e
Ermirio Coutinho, quando um amigo aconse-
Ibou-me o uso do depurativo de V. S. denomina-
doSalsa do Angelinoapplicado em pettM de
sua familia com resultado feliz.
KHeelh ament delle tinha usado lia 3 mezese
gracas ao seu salutar effeito,acho-me quasi res-
tabelecido.
Em homenagem a verdade e que se lome no-
torio a eficacia de tfto prodigioso depurativo to-
mo a liberdadede dingir-lhe a presente da qual
peder V. S. fazer o uso que bera lhe approuver.
Sou com estima de V. S. criado. -Jos Luiz
de Franca Torres.
Recife, I de Agosto de 1884.
X. 31
lllm. Sr. Angelino Jos dos Sautos Andrade
A hem da humanidade tenho a satisfaco de lhe
communicar um caso que se deu coimuigo. Es-
tando fura da provincia (em Macei), fui acom-
meilido da terrivel molestia beriberi, inmedia-
tamente embarquei para o Rio de Janeiro, aonde
i' tratei seriaroouU, mas i-egressando a esta
cidade, repelime esse grande mal, ser.tindo
i\
Medico operador parleiro
* l Ra larga lo Hnsario ti
(Por cima do Annel de Ouro)
Onde lem -onnullorio real-
dearla i podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do da e da noite.
Kipecialuiuiles : Partos, febres, moles-
tias de senhoras e ios pulmes, svphilis
em geral cura rpida econipMuc ope-
raees de estreflamentos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de promplo a chamados para
fora, qualquer distancia.
Telephoiie n. 33 1
Ao Kio nao Iwav jltmclo.
1
i

>
Ti

TABELLAS AKKIXADAS
9 = |
J- r.
B S* 2 ff
\
3.
1*1
I
5
-
1 '
9



1
m
Bol
dos coa
sa
CTAgOE8 OPFICUES DA JKTA
RETOBES
Recife. 16 de Marco de J889
Accoes da Companhia do Beberibe, do valor de
100*. a 1634 cada urna.
Accoes da fabriea de Hacao e tecidos; do valor
de iOO ao par.
Cambio sobre Londres, 90 d,v. 17 3 i d. por
14000. do banco.
Dito sobre dito vista 2J 12 d. por 14006, do
basco.
'Cambio sobre Pars, vista 345 rs. o franco, do
banco.
Cambio sobre Lisboa, vista 94 0,9 de premio,
do banco,
'^mbio sobre Porto, 90 d/v. 92 0 0 de premio,
do banco.
Xa Bolsa Venderam-se
' 20 accoes da Companhia do Beberibe.
100 accoes da fabrica de fiacSo e tecidos.
Uffereceram Comprar
50 accoes da iabriea de fiacao e tecidos ao par
O presidente,
Candido C. G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dnbeux
, , . i
ie Si
^
; ; ^ ^ ~ u -=r|?
o M <
te * te ^ r
.
. , . i* - s-
*^ 1 g
*J * t
s o *" f: e 9 1
; Ni *i
- " ! *- u J 1J i -?rl I
o 1* < i .
14- li * I
V
^a e ^4 + 1 K' 5- "
-t i^ __ # zc ^ . 1
i -c aa i* * * .e !
14/ ** . - 1 : wC
te 8 B C
' e s . ^j f |
u, w i- *"

B> |
* ; iS 4
*J f 1C
f an o M* i * -^. | C.
- ^1
Barcacas .... Vapores..... Anunaes.... Via-fciTV** Uu 'Uiruur. Via-ferrea de S. Franciseo. Via-ferrea do Limoeiro 21.407 Haceos 3.628 i. -i 27.466 i.131
Somma. 00 073 'taceos
Pelo vapor "Thisbe foram remedidos 3'' sac-
eos com assucar branco e 430 ditos com dito
mascavado para Rio de Janeiro ; 1.80Q Mecos
com assucar branco e 2.440 ditos com dito mas-
cavado para Santos.
O lugar portuguez Ventas, levou para o
Para 1.400,2 barricas. 1000/4 e 30 saceos com
assucar brauco-
------
Coa ros
Olleras para os seceos salgados a 3j63 ris.
%mirdt'B(e
Cola-se a 884000, por pipa de 48'' litros.
Pelo vapor austraco Tliisbe foram remedidas
130 pipas para o Rio de Janeiro.
O lugar portuguez Veritas, levou 60 pi
pas e 218 3 para o Para.
Alcool
Cota-se a 170400" por pipa de 480 litros.
Cirurgfio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
nado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, ten aberto o sen consul-
torio, na ra Barao do Victoria JS, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
'I Frederico Chaves Jnior jj
Homoepatha
W39 RA BARAO DA VICTORIA 39 U
I [ l'rimt'lro andar ) i
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e ereancas.
Consultorio e residencia ra da irape
ratriz n 18, 1" andar.
Oousultas de 8 is 10 da maiihil.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
Foram remedidas pelo lugar portuguez
tas, 5 pipas para o Para.
Veri
M
Manlem-se a cotaclo de 304000 por pipa Je
480 litros.
Pauta da alfaadega
18 a 23 o i; fcAKCO dk 1889
Algodo
Cota-se o de 1' sortc do serto a 64400 por 13
kilos.
A exportaco, feita pela altaudega neste mez
at o da 14, subi a 679.463 kilos, sendo 474.413
para o exterior c 205.030 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
ban a 16.384 saccas, sendo por:
Barcacas. ,.
Vibores ...
Animaes.....
Via-ferrea de Caruaru.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea de Limoeiro
Somma.
2.870 Saccas
311
6 642
1.372
1 405
3.584
16.384 Saccas
Pelo vapor austraco .Thisbe, foram remedi-
das 1.50o saccas para o Rio de Janeiro.
Assucar
Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
Caavhio
Os bancos mantiverfcn no baldo a laxa de 27
dando o London 27 13/K5 reservadan'
Ora a mala de 18.
34200 a 34800
14900 a 24100
undo a ssociajao Comraerrial Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos.....
Someno.....
Mascavado purgado .
bruto.
Rtame.....
Colonia Isabel:
Branco 1"
. 2
. }
Soineno.....
Mascavado ....
14400
15100
4800
I 5300
14200
14000
44100
24800
14300
14900
14600
ANA
Assucar retinado (kilo) .
ssucar branco (kilo) .
-ssucar maseasado (kilo) .
tlcool (litro)......
Arroz com casca (kilo) .
Algodao (kilo) .
Agurdente.......
Borracha (kilo).....
Couros seceos salgados (kilo) .
Couros seceos espichados (kilo) .
Couros venles (kilo) ....
Cacao (kilo)......
Caf bom ikilo) .
Cal restolho (kilo) ....
achaca (litro)......
Carnauba 'kilo) ., .
Careos de algodao (kilo) .
Carvao de pedra de Cardiff ton.)
Farinha de mandioca (litro) .
Folbas de iaborandy (kilo,1 .
Genebra i litro.....
Mal ilitroi.......
Milho (kilo.......
Pao Brasil (kilo).....
Taboados de amarello (duza)
. 220
20.
86
340
30
360
160
800
354
410
192
400
350
350
80
260
16
164000
40
300
200
70
60
35
1004009
Csina Pinto:
Branco, 1"
Someno .
Mascavado .

44000
24300
34000
14500
mez
A exportado, fct pela ilfaudcga neste me
at o dia 14. altiugio a 4.072.455 kilos, seudo..
1.632.771 para o exterior'e 2.430.084 para o iule-
rior.
bem a
-oSiaai >t : ;!: '
o por:
\avlos earga
Barca poi tugueza Ctret, para o orto.
Lugar sueco Brifort, para Liverpool.
Patacho inglez feggie, para Mciiictiuco.
Patacho norueauense Ce/ion, para Pelotas.
\aios a descarga
Barca norueguense Frida, carvio.
Barca norueguense Fril^of, carvo.
Barca allema Auna, earvao.
Barca indeza Lacinia, bacalho.
Barca inglcza EtMet, bacalho.
Brigue, sueco 1'epUa, carvay
Lugar inglez Hdonia. bacalho.
Lugar inglez Dora, bacalho.
Lugar inglez Coraande, bac; iho.
Lugar inglez Leander, bacalho.
Logar americano Robert Y Dan, farinha de trigo
Lugar nacional I-oyo, alfafa.
Patacho allemuo Auna, farellc.
fr-nortacao
Lugar americano Robert J. Baw, eiUrado de
BaltBore, em 16 ry Forsier ,v C.: nanifestou :
Bveu 300 barrica^ a Manoel dos Santo- Araujo.
;gna-
na mesma data e consignado a Jos da Silva
Loyo & Fillio ; mauifestou :
ll'afa i.010 lardos aos cousyrBatano.
Vapor inglez Atke>s, entrado do Havre e Lis-
boa, em 16 do andanii- e consignado a Auguste
Laliille : mamfesiou :
Carga do Havre
Alvaiade 20 barricas a Manoel Al\es Barbosa
Succos-"or. Amostras 5 volumes a diversds., Agua
mineral 5 caixas a Faria Sobrinho \ C. Amei-
xas 8 caixas a Onucalves Rosa i Fernaudes*
Batatas 200 1 2 eaixas a Paiva Valeute *JKt
a Gongalves Rosa & Fernaudes. 100 a Silva Mar-
ques 4 C, 200 aos consignatarios Cognac 5 cai-
xas a Goncalves Rosa & Fernando.
Cartas para jogos 1 caix-i a Manuel Coltiro
A Conservas 7 caixas a Sulzer KaulTinaiin
* G. ilase vellas 3caixas a Ramos <0C. Cho-
colate 2 caixas ordein. Cobertores 16 fardos i
II. Burle. C. Como- 1 eui&io Laporie Calcados 2 caixes a Antonio Duai le Carneiro
Viauna, 1 a Ferrara Barbosa-& C, 1 a Thomaz
de Carvulho, 1 a Manoel Collaco ''. Chapeos
i eaixao a Antonio Jo.- Maia & C. I a Adoipho
A Ferro, 1 a Cliiistiaui A C 1 a Raphael Dias
a C Cachimbos 3 eaiaw a M. J. Hibeim.
Drogas 2 eaixas a Manoel Alves barbosa, Suc-
eessor, 1 a Francisco Manoel da SiKa C 6
a Houquayrol Fi-eres, 4 a Faria Sobrinho A C,
3 a Maia Je Silva.
F.-melho 3 caixas allomes de Mallos Innos.
Ferrouens 3 caixas a Viauna linsv A C 3
a Albino Silva C 2 a F-rreir.i Cuimaraes A
C, 6 a Miranda A.Soaza, 2 a J. de Azcveu
*C.
. Fitas I cuixaTa Francisco Lauria A '.
Cesso 10 barricas a Francisco Manoel da Sil-
va A C.
Livro* 1 caixao a A. D. Santos. Louca 20
barricas a Joaquim Duarte Simes A'".
Manteiga 110 b.irns e 140 1)2 ditos or.lem.
30 e 40a Palta Valenle AC, 15 e 30 a Pereira
Carneiro & C, 10 e 20 a Joaquim Duarte Simes
& C, 45 e 6 a Souza Basto Amorim A C, 30
e 40 a Domingos Cruz C 30 e 75 ao consig-
natario, 29 caixas ordem, 12 caixas ao con-
signatario.
Mercaderas diversas 1 volume aos herdeiros
de AulonioC. de VasconollosJ a Goncalves Cu-
nha A C, a Goncalves Irmao A C .4 a R de
Druzina A C, 1 a Guimaraes Irraos A C. 2 ao
Dr. A. Pereira Simes, 1 a Rapbacl Dias C-,
1 a Sama reos A C, 3 a Guimaraes Cardoso A '.,
S a Nunes Fouseca A V.., 3 a Gomes de Mattos
lrmos A C, 2 a Manoel CollaCu A C, 5 a Sa-
lazar A' ., 2 a Prente Viauna & C.
Objectos para eha|>os de sol 1 caixa a Lsite
Basto a C:
, Perfumara I caixa a E. Goncalves Cascao, 1
a Joo Bezerra C. Papel 3 caixas a Joo Wal-
fredo de Medeiros, 1 ordem.
Queijos 45 caixas ordem, 10 a Paiva Valente
AC
Roupa 1 volume a A. J. da Silva.
Sellins 1 caixa a J. J. da Costa Maia. Seccan-
te 9 caixas a Domingos Ferreira da Silva
A C,
Tecidos diversos 1 caixa a J. Coimbra A C.
1 a R. de Car va I lio C, 1 a A. Vicira A C .
10 ordem, 2 a Bernet A O 1 a Francisco de
Azevedo ., la Luiz Antonio Sequeira, 1 a
Olinto Jardim A i., 1 a N'arc'/o Maia C, 2 a
faulo Jullieu 1 a Correia Lobo.
Tintas 1 caixa^ ordem.
Vellas 23 caixas ordem, 3 a Goncalves Rosa
iFernandes, 4 a Antonio Martiniano Veras AC.
Vinho 3 bailis a J. Louret, 70 caixas a Ramos
Geppert C.
Carga de Lisboa.
txefte 36 caixas a Paiva Valente 4 C.
Batatas 40 1|2 caixas ordem.
Ceblas 75 caixas a Silva (uimaracs A C.
Droga* 9 caixas a Francisco Manoel da Silva
* .
Fazendas I caixa a Manoel Pasaos Carlos.
Iinpressos 1 caixa a F. P. Botreau.
Livros t caixa ao mesmo.
Massa de tomate 30 caixas a Silva Guimaraes
A C. Movis usados 2 caixas a Goncalves Cu
aba. A
Repolhos 2 grades ordem.
Rouiia 1 malla a Francisco de Azevedo A C.
Sardinhas 80 barricas a P. Vlente t C, 117
a Silva Guimares A i'., 20 a Pereira de Carvallio
0 a Araujo Castro '., 2o,a Lopes Arau-
jo iv C.', 20 a Souza Bast v o.
Vinho 8 pipas e 45 Domingos Alvos
Matheus, 20 e 56 a So;. & C i
e 10 a Jos Fernandes Lima ti C, .15 c 30 a Sil-
i:\|>oshi I ulversal de 1S89
Segundo.a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Aiude
Prince & C, o Pavilh3o do Guatemala
onde elles acabam de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jornaes
das Aiuericas do Centro, do Sui, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente ama cons-
truccao de madeira muito bonita.
Este pavilhao acha-se situado direita
da Torre Eiffel, pelo lado direito c de-
fronte da parte cental do alacio das Ar-
fes Liberaes. Est perto de todas as sec-
eSes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
hao de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attrac^oes cbi ExposiciLo.
Aos nossos patricios niommendamos
encarecidamente que viaitena no Pavilhao
do Guatemala a installacao dos nossos
correspondentes, Srs. Aiude Prince &
C, devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
ED1TAES
O Dr. Jos Antonio Correia da Silva,
eavalheiro da Ordem de Christ", com-
menJador da Real Ordem Militar Por-
tuguesa de Nossa da oneeiclo da Vil-
la Viyosn, jui/, de direito de orphao~
da Comarca de Olinda, por S. t. >
Imperador, .i qiieui ens guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edito!
vireui e delle noticia tiverem, que, por
pnrte de Joaquim Antonio de .Miranda,
:ne foi digida a petie.-io do tbenr seguin-
te :
lllm. e Exm. Sr. Dr. niz de orpbaos
de Olinda.Diz ioaqitiui Antonio de Mi-
randa, que havendo arrematado peraate
V. S. a propriedade Tab, sita na fre-
guezia de Taquara, provincia o*a Parahy-
ba, e pertencentc ao espolio o coronel
Joo de S Cavaleante de Albuqucrque,
requer 0 supplieante, para garanta de sen
direito, que V. Exc., depositado o pro-
ducto do bem que o supplcante arrema-
tou, mande, de acconlo com a Ord, livro
4 titulo i, pa.ssar editaos, ehainaudo todos
aquellc8 a quem (<~>r obrigada aquella
propriedade, [tara, no prazo que lhe for
marcado, pugnar n pelos seus dir^^^f
Nestes termos ped,e a V. Exc. deferi-
mento E R. MeOlinda, 21 de Feverei-
ro de 1889.Joaquim Antonio de Miran-
da. (Estova sellada. I
Em a qual peticao profer o despacho
do theor seguinte:
Feito o deposito como acabo de verificar,,
passe-sc o edital as condieoes alludidas,
com o prazo de ."50 dias, ficaudo assim de-
ferido o presente requerimento, que ser
junto aos autos. Olinda, 27 de Fevereiro
de. 1889.Correia da Silva.
E mais nao continha dito despacho
aqu fielmente copiado, epor foreado mes-
mo despacho, o respectivo escrivo fez
passar o presente edital, p*;lo qual e seu
theor sao chamados aqti elles a|quem for
obrigada a mencionada propriedade Tab,
para, no prazo d 30 dias pagarem pelos
seus direitos.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, mandei passar o presente, que
ser affixado no lugar do costume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Olinda,
aos 28 de Fevereiro de 1889.'
Eu Jbo Theodomiro da Costa Montei-
ro, escrivo do civel no impedimento do
de i'i-pililos, o escrevi.
Jos Antonio Correia da Silva.
DECLARACES
Veneravel irmanilaile dan \lma. da
rn-iiiic/iii de ti. Fr. Pedro Cioaeal-
DM
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os innos desla veneravel irmaudade, para se
reunirem em mesa peral no dia 17 do correte,
s 11 lloras da mah, aiim de Iralar-se da
creaeo de um hospital, e de oulros assumptos
importantes e inomentosos, que ento serSo
apresentados deliberacno ; para o que a mesa
rejiedora solicita o comparecimenlo de lodos os
membros desla veneravel irmandade, no indica-
ilo dia e hora.
Consistorio da veneravel irmandade da Almas
da f eguezia de S Fr. Pedro Goncalves do Reci-
fe, em I i de Marco de 1889.
O escrivo,
F. Cosa.
va Guimaraes C. 2 ra, 2 a G. de Vattos Irmfios, 10 a I.niz Antonio
Si<|Ueira, 1 e 27 caixas n ordem. 1 a Olinto Jar-
dim A C.
, i:\porl.H-rm
BICC1KI, 15 E MAHtjo i'K 1889
'ara o ej&enor
Nao hnuvc.
Pur-i o interior
Xo vapor inglez itkens, carreguram :
I*ara Santos, Amorim Inicios A C. 75 cascos
com 10,800 litros de agurdeme : 1,20 saceos
com 72.000 kilos de assucar bnmeo e 1,050
ditos com 63.000 ditos de dito mascavado.
Para Rio de Janeiro, Amorim lrmos C. 30
pipas eom 14.400 111 ros de agurdente.
No vapor nacional Alfgnm. carregaram :
Pan llio de Janei, Maia A Rezende 20 pipas
eom 9,600 litros de apuanlcniu; F. Rodrigues A
C. 30 saccas com 4,278 kilos dealgotlao.
No patacho nacional Mu. carre^annn :
Para Porto-Alegre. P arneiro A C 400 sac
eos com 24.000 kilos de assucar branco e 200
ditos com 12,000 ditos de dito mascavado.
No vapor nacional Muo, carrcgoo
Para Manos, H. Ohvcira M barris 'om 2,880
itrosile agurdentee40 barras com 2,700 kilos
de assucar brame.
No hiate nacional Deits le Salce, carrega-
raui :
Para Camossim, P. Viauna A C. M barris com
2,880 litros de agurdente ; Fernandes A Irmao
510 saceos com farinha de luandioca.
No alate nacional Xeptnno, canearam :
Para Aracaty, Fernandes A Irmao 20J saceos
com farinha de mandioca.
No biate nacional Marta (ilyupm, carrega-
ram : ..
Para Aracaty, Amorim lrmos A C, 200 saceos
com farinha de mandioca.
No hiate nacional Geriguity, carreraram :
Para Natal, r. Alves \ C. 26 barricas com
1,560 kilos de assucar retinado.
No hiate nacional Con ci do Xatal, carre-
garam :
Para Natal, P. Alves A <
kilos de assucar retinado.
No hiate nacional Pedro Muerico, carrega-
ram :
Para '"ear, P. Alves A C. 30 barricas com
I,n0 kilos de assuca.- refinado; M. .^raoriui 102
saceos com 6,120 kilos de milh.
No hiate nacional Deut te Giue, carrega-
ram :
Para Cear, P. Carneiro A C. 1,107 saceos
com farinha de mandioca.
Na barcaca Almeruulu, cmregou :
Pura Macei. A. G. Torres Mi grrafoes com
540 litros de genebra.
Banco de crdito real de Per-
iiamhiico
Em cumprimento dos 9. e 12. do
art. 83 dos Estatutos e das disposicoes
da lei n. 3150 de 4 de Novembro de 1882,
convocamos aos Srs. Accionistas reuni-
rem se em asxenibla geral ordinaria, no
dia 23 do corrente mez, ao meio dia,
em urna das salas da Associaoo Commer-
cial Beneficente, afim de llies ser presen-
te o relatorio das opcrac5es do anno ban-
cario, tindo em 31 de Dezembro de 1888,
aconipanhado do parecer da eommissSo
fiscal, e proceder-se eleieo d'esta, do
presidente, vicepresidente, 1. e 2." secre-
tarios da Asseinbla Geral.
Recife, 7 de Marco de 1860.
Os administradores*
Manoel Joujj de A^norim.
Antonio Fernandes liibeiro.
Iaiz DujM-at.

Mercado Municipal de a Jun
O movimento deste mercado o dia 15 de
Margo foi o seguinte :
Eutraram :
13 bos pesando 3,792 kilos.
1029 kilos de peise a 20 ris 20*580
' 20 eargas de farinha a 200 reis uooo
10 ditas de fruclas diversas u 300
ris" 33000
12 taboleiros a 200 res 2400
10 suinos a 20 ris 2J000
20 matulos com legumes a 200 ris MODO
Foram oceupados :
27 columnas a 600 ris 164200
1 escriplorio a .100 ris 300
24 compartimentos de farinha a 500
res 12*000
24 ditos de comidas a 300 ris I2II00
77 ditos de legumes a 400 ris 30*800
18 ditos de suinos a 700 ris 12C00
9 ditos de fressunis a 600 ris 5*400
33 talhos a 2S 66*000
15 barricas com 900
Reudimentoa dos das f a 14 cor-
rente
191*280
2:667*420
2:8584700
Foi arrecadado liquido at hoje
Preces d da:
Carne verde de 400 a 640 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 1* reis ideru.
Suinos de 560 a 640 reis dem.
Farinha de 480 a 6 0 reis a cuia.
Milho de 380 a 440 reis ideni.
F^-'lo de 900 a 1*400 idem.
Matadotiro publico *,._
Neste estabeleciniento foiam abatidas para o
consumo de hoje 86 rezes pertencentes a diver-
ses marchantes.
Vapores a entrar
MKZ DE MAKf;0
Sul........... Manos............
Norte......... lagoas...........
Sul........ Meca.............
Europa....... Ville de Macei.....
* "ul........... Adcance..........
Europa....... Campias.........
Vapores a sabir
MEZ DE MARC;0
Santos e esc Athens............ 17 as
Sul......' Magoas........... 17 as
Antuerpia.. era............. 19 as
Norte........ Manos........... 19 as
New-York----- Adcance.......... 21 as
Santos e esc.. Ville de Macei..... 21 as
17
17
19
20
21
24
2 lt.
5n.
4 h.
5 h.
4 h.
4 b.
V
I i
I

I
,'',

r
Iteuriiiueiifo* pnbllcos
Renda geral
Do dia 1 a 15
dem de 16
mez de ma;<; '
Alfandegu
342:230*0112
25:956-56 4
Renda provincial :
-- .368:186*606
Do dia i a 15
dem de 16
47:894*245
4:284*647
32:178*892
Somma total
420:365*498
16 de Marco de
Segunda seceso da Alfandegu,
1889.
Sthesoureiio Herencio Domingues.
chefe da scelo Cicero B. de Mello.
Recebedorla Geral
Do dia 1 a 15 42:4<;m3->
dem de 16
1:397*001
44.460*439
Recebcdorla provincial
De dia 1 a 15 10:328i0
dem de 16 l:0i7*l!i
11 375*778
Reelfe D rain age
Do dia 1 a 15 28:224*030
dem de 10
s*989
Novlmenln do porto
Navios entrados no dia 16 r
Baltimore68 dias, lugar americ no Robert J.
Barr, de 412 toneladas, capito b. B. Dowghtv,
equipagem 8, carga farinha de trigo e breo":
a Henry Forster A C
Montevideo34 dias, lugar brasileiro Loyo, de
242 tonelada, c pito Bernardio da Silva
Thom, equipagem 10, carga alfafa; a Jos da
ilvaLoyo A Filos.
Rosario de Santa F- 40dias, barca sueca Alpha,
de 336 toneladas, capito P. 0. Olsson, equipa-
gem 9, em lastro ; a ordem.
Terra-Nova37 dias barca ingleza Ethd, de 281
toneladas, capito W. H. Kidd, equipagem 10,
carga bacalho; a Blackburn Needliam A C .
Mossor 19 dias, hiate nacional Apody, de 80
toneladas, mestre Joaquim B. de Mendonaa,
equipagem 5, carga sal; a Souza Nogueira
A C. *
Buenes-Ayres e escala22 dias, vapor inglez
Hellicara, de 1764 toneladas, commaudante G.
Thomsen, equipagem .32, carga varios gneros:
a Blackburn Needhag A C
Sahido8 no mesmo da
S. ThomazBarca norueguense Braco, capitn
O. Johnson, em lastro, *
S. ThomazBarca sueca Alpha, capito P. 0.
Olsson, em lastro.
BahaBarca ingleza Ethel, capito W. II. Killd.
carga bacalho.
Rio Grande do Norte-Hiate nacional GeriqHily,
mestre Joao IJ. da Silveira, carga varios g-
neros.
Rio Grande do Norte. Hiate nacio.ia! Correa d*
Natal, mestre JoSo Gedes e Moura, carga
varios gneros.
CearHiate nacional Dti.
cente Ferreira da Co
eros.


Diario de PernambucoDomingo 17 de Marco de 1889

S
*

i
4.a secle.Secr la Presidencia
de Pernambuco, crn 19 de Fevereiro de
1889.
Por otaria se faz publica a re-
conimendayao do Exm. ministro e secre-
tarlo de Estado do3 negocios do imperio,
eonstante do aviso n. 268 de 22 de Ja-
neiro findo, para conhecimvnto de Mari a
Severina da Conceic,ao Lucas, mili do
alumno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Gudi>tredo Lucas.
N. 288. 2a di rectora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de M-S). .
< Illm. e Ex.ni. Sr.XSo podondo, na
conformidnde do artigo 2."> do regulamen-
to do Instituto dos Suidos Mudos annexo
ao decteto n. 5,135 de 15 de Outubro de
1873, continuar aJli, por huver attingido
a idade de 18 annos, o alumno Jos Lou-
renco Godofredo Lucas, a iiueui se refere
o officio dessa(presidencia de 24 de Oa-
tubro de 1882 e convindo, portanto, pro-
videnciar afim de que soja retirado do
(pesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director do cstabeleci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigi, se exprime regularmente por escrip-
to, e perito official de eneadernador e tem
o peculio de 8645950, recolbido a caixa
econmica, dou conhecimonfo d'isto a V.
Exc. para os tins convenientes.
Deus guarde a V. Exc. .1. Ferrei-
ra Victima.3r. presidente da provincia
de Pernambuco.
O secretario interino,
Manoel Jonquim Sveira.
.SAO IffTEBMCMAL
DO
JBJutuvA>c>XX_
0.4M>0:0004
Capital
dem realizado
A caixa filial deste
ra do Commercio n. -JO, sacca, vista ou
aprazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estranse iro.
1*.000:00
Banco funeciona
LONDON
PARS.
I Banco lateroaeional
)do Bra.-il,
London ptce.
( l.oadou &. C ounty
( Banking Compssiy L.ld
(Banque de Pars A des
llainburgo..
lierliiu.......
Breinen.....
Fr an k fur t
sur Main...
Antuerpia..
Roma........
Genova......
aples.....
Milito o mus
Pays-Bas
Dea*- he Bank.
Bank d-'Anvers.
Arsenal de Guerra
De ordem do Illm. Sr. tenente-coronel direc-
tor, distribue-se costuras nos das 18, 19 e 20
do corrente mei, cotn as. costureiras possuido-
ras das guias de ns. 441 a 490.
SeccSo de costuras do arsenal de Guerra de
Pernanibucn, 17 de Mar50.de 1889.
Flix Antonio de Alcntara,
Alferes adjunto.
Fabrica
de
de fiac.no tecidos
Pernambuco
Vndese cera acefies desta companliia. de
lOtyMMl Cida uina, estando todo o valor realisa-
do desde o dia 16 de Janeiro passado ; a tratar
11a ra do Couiinercio n. 46.
SANTACASA.
CASAS PARA *LI < %II
\l
Banca Genrale e sua?
4'onl'rarfa do enhor H0111 le-
sa da Vla-saerada Ireja san-
ta Cruz.
De ordem do Illm. rinfio aroedor, convido a
todos os nossos irados, para oomparecerem
paramentados de seus hbitos, em nossa igreia,
domingo, 17 do corrente. pelas 3 horas da tarde,
alira de encorparados acoiupaiiharuios a pro-
cisso que deve sabir da igreja de Nossa Senhora
do Livramento, da qal tiremos convite da ir-
raandade da Soledad erecta na mesma igreja.
O eserivao,
M. h. d'i Silva.
Recebedoria Provincial
Os abaixo asignados cobradores da
Recebedoria Provincial previnem ao sc-
nhores contribuintes |ue recebem ate o
fim do corrente mez e com a multa de
6 j0 decima c contribuicoes da Compa-
os imposto*
84 cida-1
los de Ita-i
Banco Hipotecario de
Espaa o. suas agen-
cias.
Banco de Portugal e
suas agencias.
The London & Kiver
Plata, Limited.
de
nhia Drainage e 10 i0
3 [, 20 "[., 12 lu e 10 %, mao morta,
agurdente, alvarenga e classe, sendo que
d'esta data em diante, pagarao a multa
de 9 j os primeiros e a de 20 [0 os de-
mais impostos.
Recife, 15 de Mareo de 1889.
Jofio Leonardo 1I0 Rcga Valen^a.
Frederico (j'dnuiries.
Derb\ Club de Pernambuco
De onlciii "la directora e de eonformidade cotn
o i- irt. 16 dos estatutos sao convidados os
senhores accioui*tas a reuQireni-se era assero-
blca geral no dia 30 do corrente. ao meio dia,
aa praca de Sahlanba Marnho n. 3.
Secretaria do Derby Club de Pernambuco, 14
de Marco de 1889.O" secretario..
Jos de Oliveira Castro.____
De ordem do lm. .Sr. Dr. inspector
ac publico que em cumprimento da re-
iolucao de S. r xc. o Sr. Dr. presidente
la provincia, de 14 do corrente, fica mar
bita, para a incripbao ao concurso que
ter lugar ueste Thesouro no dia 15 de
Abr 1 prximo futuro, afim de preencher-
>e tres vagas de 3o escripturario existen-
es nesta reparticao.
O exime versar sobre leitura, analyse
^Tammatical, orthographia c arithmetica
it a theoria das proporeffes inclusive.
Os candidatos devero requerer ins-
pectora de6te Thesouro a sua admissao ao
concurso por meio de peticao documenta-
la, provando ser maior de 18 annos, achar-
se livre de culpa e pena e ter bom com-
portamento, lhes sendo lieito juntar, alm
lestes, quaesquer outros documentos que
uossam favorecer o eeu direito.
Secretaria do Tkeworo Provincial de
Pernambuco, 21 de Fevereiro de 1889.
Servindo de secretario
O oficial,
Lindolfo Compeli.
Madrid......
Barcelona ..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona .
Valen cia e /
outras ci-
da des d a
lies pa nha
e ilbas Ca-
narias......
Lisboa......
Porto e mais
cidades de
Portugal e
ilhas.......
Buenos Ay-
res .........,
Mon tevido
NovaYork. G. Amsink & C
Compra saques sobre qualquer praca do
imperio e do cstrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movi ment com juros na razio de 2 / ao
anno e por letras a, prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, W illiam M. Wextber.
Companfjia be Seguros
::::il ::::
NORTHERN
de i.ondrc e Aberdaea'
Posifao tinanct'ira flh'zembro de I885y
Capital subscripto :l.000,000
Fundos accumulados i>. 134,348
Recelta animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGKNTE,
John H. Boxivell.
SEGUROS
CONTRA FOGO
The Liverpool Lunfa & Globe
:::::::,r. mim & c.
Ra do Commercio n. 3
n:Li
KT7
idanJatracao do Crrelo* de
Pernanilmeo. 1 de Marfo de
t8H9.
ftelacio da cftrespoueiieia registrada (sem va-
lorj que existe nesta repartico, por nao tc-
rem sido encontrados seus destinatarios.
Vrthur Trilha de Lemos.
ugusto Rodrigues Braga.
Dr. Antonio Netto da osla Silva.
Bento Manoel de astro Amaral
1 asdmirc Jos Kodrigues da Motta.
Domingos Ribeiro.
Bomicio do Reg Rangel (i).
Francisca Emilia da Costa.
Francisco Izidoro de Paiva.
uilhennina HolTinann.
Qeovanni Antonio Carente.
Juilhermina Caroliua do .NViscimento.
Gregorio Cyrino Cavalcante.
Joanna Enediua Mara do Espirito Santo.
Jos Brando de Azcvedo.
Jos da Costa Brando ordeiro Juaior.
Jos Carlos da Silva Leal.
Jos dos Aojos da Silva.
Jos Joaquim da Silva Dantas.
Jos Manoel de Amonio.
Joao Baptista Xavier. \
Joao Henriques Cintania.
Joao Baptista de Ovcira Braga.
Joo Jos Macena.
Maria Jos.- de Siuueira Boraes da Silva.
Manoel Antonio dos Santcs Vieira.
Manoel Jcaqu ra de Azevedo.
Manoel Antonio da Silva.
Celestino Jos Leal da Silva. *
eraplima Ferreira de Araujo.
Sebastiao M. de C.
Virginio Estanislao AlTbnso.
O offical,
Antonio Ditbeux.___
Tlusouraria de Fazenda
De ordpra do Illm Sr. iuspector, sao pelo pre-
-eote intimados os ex-collectores Belmiro Al ves
le Carvalhc Azevedo, Felippe Benicio de Moura
Tipi, Joo Augusto Alves *acic! e Manoel Anto-
nio dos Passos Miranda ou seus herdeiros. afim
le virem, 00 prazo de :iO dias, que lhes fica mar-
cado, allegar o que for a bem de seu di/cito nes
irocessos Je tomada de suas contas.
Recite. II de Margo de 1889.
O secretario da juuta,
Dr. Antonio Jote de SaiU'Anna.
Companhia de Seguros Phe-
ni\ Pernarabucana
Us --< aaiMH^s sao convidados a reu
lire ssembla geral ordinaria, na ter-
a-feira 19 do correle, 1 hora da tarde, na
^de da companhia..''A reunio tem por lim dar
ucSo ao I I do ari. 27 e % 3 do art. 30 09
^estatutos.
Pernambuco, i 4-- Marco de 1889.
administradores,
Matto.
Matf^^BHva Maia.
Companhia
Imperial
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercador'a*
Taxat baixaa
Prompto pagamento de pre,'uizo$.
CAPITAL
R8. I tt.O 4M:4MMMtOOO
BSTK
BHOUXl t C.
N. 5RA DO COMMERCION
Si DEMItIS ADO RA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
CAPITAL 1,000:0001000
SLMSTBOS PAGOS
At 31 del>ez(mbrodrlN84
Martimos.. 1.110:000^000
Terrestres. 316:0O0|OO0
44Ra- do Commercio44
SEGURO COMBA FOGO
Roy al Insurance Company
, de Liverpool
CAPITAL *.000:000
AGESTES
R. DEDRUSINA&C
13Ra Mrquez de Olinda13
Companhia de Seguros
AOEXTE
Miguel Jos Alves
X. J-Hua do Bom Jpu \. t
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Xestes ltimos koeparos c a nica companhia
oesta.praca que concede aos Srs. segurados aemp-
c2o de pagamento de i aono. o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 13 por cento em "iivor dos segurados.
London & Brasilian Bank
Limited
Rita do Cownercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Gipellistas n. 75. Ni?
Porto, ra dos Inglezes.
SEGKOS
MARTIMOS (0\TRA fogo
CoMpanhia Phcnfx Per-
aamhncaoa
RA DO COMMERCIO N. 16 i." ANDAR
QUE SE REALISARA' NO
Dia 17 de Marco de 1889
?
>onn-.

9
I
S
I'.ll.i-.

.
fallir- 9
lid
i
----- .
Cor da veMtl-
mi'iila
Proprlelario
Pareociiwitia no'Derby. Premios : 200* ao Io, 304 ao 2, e20* ao 3.
1 -Royal. ..
" Pitt......
Marat....
Ferrabraz
Alheu
6TJuaracy .
almirante
Orange .
9jGina..
Vassallo.....
Pedreira... .
Boulanger...
RoldSo] .
Bridedor.. .
(Jood mor-
ning.....
Russo.. ..
Zaino.....
Rodado ..
Baio.....
Castanho.
Russo.. ..
Alazao
Castanho
Rodado...
Russo rodado
Alazao..
Baio....
Russo.-
5 Rodado
33
35
n
so
0 53
0 55
55
i 53
* 53
o K)
o 33
a >-j

M 00
53
O 33
Rosa e prelo.......
Eocarnado e amarello
Amarelio c azul. ....
Ouro e verde.......
Azul c encarnado.. .
Encarnado e Prcto. -.
Preto ene. e ouro.....
Encarnado e grenat .
Encarnado.........
Ouro............
Grenate pelo.......
Pretoe ouro...
Saldanha.
S. F-
Coudclaria Democrala.
P. J.
.4. F. C.
F. R.
Coudclaria Pavsand.
A. J. ti. A. '
Coudelaria Carguello.
Coudclaria UniQo.
T. D.
G. V.
D. T.
Branco e encarnado.. Antonio P. Marioho.
Encarnado e branco. ,R. C.
2o Pairo CoiMoiaro 2" turma 800 melros Animaos da provincia que ainda nao leuliam
gaoBO no Derby Premios : 200* ao i*, 50* ao 2" c 20* ao 3.
Zig........
Licorne .....
Re de ouro.
4 Corsario
Potos... .
Siroco;.....
Aracahy
Vesuvi
i!amos.iin .
Guanabara
Breas..
12| Vida Alegre.
l3|Horisonte .
IVPierrot .....
Russo pedrez
Castanno...
Rodado -.
Castanho. .
' ardao.....
Russo......
Preto.....
Castanho..
Baio......
Alazao -----
Russo ....
Alazao.....
Baio ......
Pern.

55
33
53
55
30
55
55
55
53
50
55
33
53
Greuat e ouro.......
Encarnado e preto. .
Branco e prcto.....
[Riscado............
Ouroc encarnado
Encarnado e branco.
Coudelaria Bemfica.
J C. A.
F.G.
J. F. S.
A. C. dos Santos.
S. B.
Amarello e encarnado;S. B F
Ene. b bonet azul
Branco e azul.......
Azul...............
Preto, eoc. e ouro
Azul e branco.......
Azul..............
Azul e rosa..........
F. de A.
M. A. Pimentel.
M. Mendonca
Coudclaria Desgrana,
'oudelaria Imperial.
Coudelaria Maduro.
S. A.
Hua da Moeda n. 49, armazem
dem do Vigario Tenorio o. 27, laja
dem iilini n. 22, 3." aodar
dem dem o. 23,1." aodar
dem do BispoSardioha n. 3, 1.
andares e sotao
dem do Mrquez de Olinda, sobrado
n. 44
hiera do Bom Jess n. 9. 1." andar
dem de Domingos Jos Marti ns n. 190,
loja e 1" andar
dem de Thom de Soua n. 11,1" andar
dem do Bario da Victoria o. 41, ar-
mazem I
dem Imperial n. 151, casa terrea
Travesa de S. Pedro n. 2, casa terrea
2404000
240*000
180*000
360AOUO
400*000
2:131 5000
2405000
ViM)*000
200*000
200*000
360*000
3005000
17043 i
17038 2
:) Parco-mnium-l.40O
metrosAnimaos de menos de
ao 1", 73* ao 2o c 30* ao 3/
meio sangue. Premios: 300*
1 jMoncorvo .
21 Favorita------
3 Recife.......
4 Aymor. ...
5Cometa.
6 Alfa........
Rodado .....S. Paulo.
Zaino. ..
Castanho..
Ala/.o.
SI
Rio de Jan.< 34
54
S.Paulo...! 54
I Rosa e preto.......
Violeta e ouro......
Preto e greoat.....
Verdee amarello ...
O Fernaudes.
BernardiooL. Alheiro.
S. P.
A. M.
Bernardino Alheiro.
52 ,Ouro e brauco...... |Djalma M. da Silva.
Parco Prop'Hdad ganho premios no Derbv em maior distancia. Premios : 200* ao 1", 30* ao 2o
c 2-suo ao 3*.
Arumary...
Caim ......
Almirante. .
6eneral..
Orange .. ..
Roldao.....
Pirrara......
Danion ..
Vida Alegre-
Ciclooe ...
Borburema...
Bola \ nha
Bonaparte ..
14 Faofar.. .. .
15 ero......
Russo pedrez Rosilho Castariho Baio....... Castanho .. Pemamb.. > a a
Russo..... Roilado ----
> Russo..... riodado.....
o
*
55
33
58
68
88
88
88
88
88

88
88
80
Violeta e ouro......
Ouro c verde......
Eocarnado e preto .
Branco e preto .... .
Prcto ene. e ouro
Preto e ouro......
Greuat e prelo......
Azul e branco.....
Encamado 'e branco
Enramado..........
Brauco e azul. ...
Branco c eocarnado.
Azul e grenat.......
Ene. preto c branco..
F. S. Bastos.
A. F. C.
Coudelaria Paysand.
J. O. C. B.
A. J. G. A.
D. F.
I. L.
G. V.
Coudelaria Imperial.
S. B
Augusto Silva.
M. ti. M.
M. G. L.
R. .
II. G. L. G.
5. Pareoatapldes- 1.000 metros Animaes ato faci sangue que anda nao tenham
gaoho premio este anno em nenhura dos Prados desta capital. Premios : 300*
ao l', 75* ao 2o e 40*0:0 ao 3o.
Mandarn). .
Moncorvo. .
Mimosa.
Minerva. ...
Corcovado ..
Risette.....
6. Parco- C
Rosilbo......
Rodado.....
Alazao.....
Douradilhu
Castanho ..
Zaino......
S.Paulo...
Rio de Jan.
8. Paulo ..
88
49
52
83
34
*zullistrado ..
Rosae preto
i ir nal e azul. .
Violeta e ouro..
enramado e preto
Azul e ouro
... Celso Oliveira.
MolarAa 3* turma Aoimaes da provincia que ainda nao tenham
no \rby.Preraios : 200* ao 1, 50* ao 2o e 20* ao 3".
Phebo.....
Bonaparte
Rocambole..
Ra.........
Rndelo.....
Palito.....
Jonkopings
Dublin.....
Meteorolitho.
Biscoutioho
11 VafotecxRato
Bornave
Lucifer.. -
Mercurio.
Castanho .
Rodado.....
Cardao .
Russo pedrez

Castanho ...
Alazao .. .
Tordilho
Russo.....
Baio......
Castanho. ..
*
Rodado.....
Russo pedrez
Pemamb
53
65
33
53
55
88
30
53
55
55
.35
33
53
35
Azul e branco.......
Branco e encamado..
Azul e branco......
Kocarnaiio c braceo
*
Encamado e preto
Preto e ouro........
Pardo azul e ene .
Branco e eocarnado,
Branco e azul......
Encarnado e azul-----
Eocaroado c preto.
7." Pareo Pro\in,ia de
Premios
Prrnambmo 1.300 metros Aoimaes da provincia.
250*, ao 1, e ao 2" livra a entrada.
1 lArumary...
2|Condor ...
3|Templar...
Alazao......IPeroamb.
Baio........
Rodado.....I
54 I Violeta e ouro.
54 ...........
54 I Azul e ouro.
F- Siqueira
R. C.
J. M.
8o. Pareo- Impremu Peraamboi-ua- 1.609 metrosAnimaos at6 meio sangue.
Premios : 300* ao 1, 75* ao 2 e 30*000 ao 3.
Fgaro..
Ruy Blas
Douro..
Hexe.. .
Apollo...
Olga. ...
Chita...
Alazao.
Zaino
Alazao ..
Castanho
R G do Sul
S. Paulo
Rio de Jan.
R. da Prata
a
S. Paulo..
54
56
54'
55
54
49
Azul listrado.........J- S. S. Bastos.
Rosa e pret........ Arthur Silva.
Verde e amarello.....F. P.
Rosa e preto......Coud. Pernambucana.
Branco. e encamado. Estevao de S.
M. N. P
Os anihaes inscriptos para o Io pareo devem achar-se no ensilhamnto s
9 \\2 horas da manhS.
Os animaos inscriptos para os outros pareos, deverSo estar urna hora antus
da determinada para o pareo cmque tiver de correr.
Os forfaiU serfio recebidos at sabbado, 16 de Marco as 3 horas da
tarde, hora do encerramento do expediente para esta corrida.
A venda de poulet encerrar-se-ha 20 minutos antes da corrida.
Chama-se a atteneo dos Srs. proprietarios para os *rts. 56 e 57 do regimen-
t interno.
HORARIO
l.o pareo.
2. pareo.
3. pareo.
4. pareo.
5. pareo.
6. pareo.
7. pareo,
pareo.
8.
11
11
12
1
2
3
4
4
horas ..... minutos
oa e 50
> e 40
e 30
t e 20
e 10

50
O Gerente,
Henrique SchuteL
Monte de Soecorro de
Peraatiibuco
II I ella o de Jolas
Este estabelecimeuto far leillo no dia 26 do
corrente, por intermedio do ageote Martios, em
sua sede, rua do Rom Jess n. 32, s 11 horas
da manha, dos objectos que nao forera resgata-
dos at a vespera, constantes das seguintes cau-
telas. \encidas de Agosto N'ovembro de 1887;
a dinheiro de contado :
14997 I Volta de ouro com medalha, 2 pulsci-
ras, 2 conloes, 1 trancelim, 3 pares de
brincos, I allioete, i aunis, i moedi-
nhas ouro de lei, urna salva de praia
de lei.
15818 1 Corrente e einele para relogio, 1 par de
argoles, 1 alfinete de ouro para retra-
to e 1 medalha'ouro de lei, 2 relogios
de ouro.
13933 1 Corrente de ouro com cabellos pura re-
bgio. 2 pares de brincos, 2 ditos de
roietas, 1 cordao, 2 voltas de trauce-
liui, ouro, leteias, 3 botos, 2 encasto
res e 1 annel ouro de lei, 2 moedinhas
de ouro, dollars, 1 relogio de ouro, I
paliteiro, 3 comeres para cha, de prata.
16027 24 Colheres para sopa, 24 ditas para cha,
3 conchas grandes, 24 garios, 24 cabos
para Tacas e i par de trinchantes, tuie
de prata de lei.
16302 1 Salva pequea, 1 tigella, 1 copo, 17 co-
lheres para opa e 14 ditas para cha,
trata baivi.
scrvaninha, prata baixa.
16458 1 Medalha de ouro. contendo brilhantes.
16691 1 Salva, 23 colheres para sopa, 17 ditas
para cha e 1 dita para assucar, prata de
lei.
16699 BotOes de curo com brilhantes.
16703 1 Par de rozetas de ouro com brilhantes.
16708 1 Relogio de ouro de lei.
16713 1 Broche de ouro.com caraaphcn e co-
ral. 1 correte e sioete de ouro parare-
logio.
10715 1 Salva, prata de lei.
16717 1 Par de rozetas de ouro cora esmeral-
das circuladas ue brilhantes, 1 par de
brincos com ditos, 1 par de bri icos
i'om brilhantes, pequeoas commeodas,
1 cruz com brilhantes e 1 fio de perolas.
16720 1 Pulseira, I medalhi, 3 pares de brin-
cos e l dito de rozetas, ouro de lei.
UJ7'i.' 1 Adereco de ouro, contendo 1 pulseira,
1 broche, i par de rozetas cravejadas
de brilhantes e diarnaotes, 1 volta de
ouro contendo 1 peca cravejada com
brilhantes e diamantes.
16745 1 Annel de ouro com um brilhante peque-
no, 2 brilhantes sob-papel, I alllnetc
com 4 ilitos e 3 rabins, 2 allii.etes, 1
pulseira. 2 medalhas, 1 volta de ouro.
2 correles para relogio. 1 cordao, 1
benlinho de ouro, 1 cruz ouro de lei, 1
moeda de ouro.
16747 1 Corrente de ouro para relogio e 2 trun-
celins, ouro de le.
16749 1 Par de brdeos, 4 anneis e 1 cruz, ouro
de lei. .
16750 1 Cordio, 1 alfinete, 1 par do brincos, i
dito de rozetas ouro de lei.
16758 1 Corrente de ouro para relogio, ouro de
lei.
16763 4 Pulseras de ouro 2 voltas, 1 medalha.
1 corrente e medalha para relogio, 1
broche, 2 pares de i.rincos, ouro de lei.
16777 1 Trancelim ouro de lei, 1 emblema do
Espirito Santo e 1 liga, ouro balso.
16797 1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhao-
tes pequeos.
16810 2 Botan de ouro com brilhantes.
16804 1 Relogio ouro de lei.
16808 2 Pulseras, 1 alfloete, 1 par de rojetas,
2 aooeis ouro de lei, 1 tranceln), 1 an-
nel. 1 cruz, ouro baixo.
16810 1 Volta de ouro, I medalha, 1 relogio, ou-
ro de lei.
16821 1 Corrente de ouro de lei para relogio.
16838 1 medalha de ouro de lei com nix.
16843 1 Par de rozetas de ouro com brilhantes
e 1 annel com ditos.
16850 i i ulseira de ouro com brilhantes o sa-
hyras.
ranc lim. 1 volta de dito, 1 moeda de
ouro com laco, 1 pulseira pequea, ou-
ro de lei.
16858 1 Volta de trancelim, 1 roseta, 1 annel
ouro de lei, 2 pares de brincos e 1 cruz
ouro de lei.
16862 1 Cordao. 1 medalha 5 aooeis, 2 botos,
1 teteia, ouro de le, 1 par de briocos e
1 annel, ouro baixo.
16865 1 Par de rozetas de ouro com brilhantes,
l pulseira, 1 dita de broche, 1 par de
brincos cravejados de perolas, ouro de
lei.
16873 1 Trancelim e 1 liga, ouro de lei.
16875 1 Relogio ouro de lei.
16878 1 Trancelim e 2 relogios, ouro de lei.'
16883 3 Pares de brincos, 1 dito de rozetas, i
cordao e 1 annel ouro de lei.
16895 2 Pares de briucos era vejados de brilhao-
tes pequeos.
t6898 2 Pares ue brincos, 6 aunis e 3 botes,
ouro de lei
16907 1 Medalha com diamantes, 6 botes com
perolas, ouro le lei, 24 garlos, 24 ca-
tos com facas, 2 pares de trinchantes,
tudo de prata de lei.
16911 I Pulseira, ouro de lei.
16915 1 Annel de ouro com 1 brilhante.
16917 1 Pulseira. ouro de lei.
16922 1 Laco de ouro de lei.
1693112 Colheres para sopa, prata baixa.
16939 2 Broches, 2 pares de brincos, 1 dito de
roseta, i traocelim, 1 medalha e 1 ti vela,
ouro de lei.
16940 2 Voltas de trancelim, 3 teteias de ouro,
3 pares de rosetas, 3 anneis, ouro de
lei, 1 bracellete com coral, ouro baixo.
16947 1 Trancelim, ouro de lei.
16952 1 Annel de ouro com 1 pequeo brilhante
e 1 par 16953 1 Par do brincos, 1 volta de ouro, 6 an-
neis, 1 teteia, ouro de lei.
16972 1 Pulseira, 1 alfinete, 1 par de rosetas
ouro de lei.
16979 1 Corrente dupla com medalha para relo-
gio, ouro de lei.
16982 2 Pulseras, 1 correntio, 1 alfinete, 1 tran-
celim, 1 par de brincos, 4 pecas de dito,
1 pur de rosetas, ouro de lei, 1 pulseira,
ouro baixo.
16984 1 Pulseira insompleta, 1 volta.de ouro, 1
cordao, 1 medalha, 1 alnWtc, 1 par de
briocos, ouro de lei.
16983 1. Relogio de ouro para senhora.
16987 1 Annel de ouro com 1 brilhante.
16992 1 Aonel de ouro com 1 brilhante,
I. Bastos,
C. Feroandes.
Coud. Parnamerim,
Coudelaria Cruzeiro,
oudelaria Paysand.
;anho
Coudelaria 1* de Julho.
R. G. Li
C P.
J. L. de Souza Filho.
Tacos.
A. P.
J. A.
J. M.
H. H. de M. Henriques.
M. G. M.
B. D. Cavalcante.
A. S.
A. 0.
L. P.
A. Bastos.
17099
17102
17117
17131
17031 1 Trancelim e 1 cord&o, ouro de lei, I
cruz, ourb baixo, 1 salva e 2 easticaes
de prata.
17032 1 Paliteiro e 12 colheres para sopa, , prata.
17033 1 Gargantilna, 1 volta de ouro, 1 tran-
celim, 2 cruzes e 1 par de brincos, ouro
de lei.
17036 1 Pulseira, 1 par de brincos, I traocelim
e dedal, ouro de lei.'
17041 1 Relogio, curo de lei.
17042 1 Correte para medalha (para senhora),
1 pulseira, 1 par de brincos e 1 dedal,
ouro de lei, 1 relogio de ouro para se-
nhora.
Corrente para relogio, 2 pares de brin-
cos, ouro de lei. 10 moedinhas de ouro
em botes.
17051 1 Corrente e I sineie para relogio, ouro,
de lei.
llinetes, 2 pare.; de brincos, ouro de
lei.
17062 1 Anael de ouro com brilhantes pequeos
e 1 relogio (de senhora) de ouro.
17070 1 Corrento.'i contrate para relogio fal-
tando chave. I moeda de ouro com ar-
gola e 1 relogio de ouro, tudo ouro de
lei.
i/082 1 Corrente e medalha para relogio e 2 au-
nis, ouro de lei.
17090 I l'ulscira, 1 par de brincos, 1 luneta e 1
anuel ouro de lei, 1 volta de cordfio e 2
teteias, ouro baixo.
17091 1 Volta de ouro com medalha, 1 medalha
de ouro com ago e I annel, ouro de
lei.
Relogio de ouro de lei.
Par de rosetas de ouro com brilhantes
pequeos e 1 grampo de ouro.
17112 1 Corrente para relogio, I par de brinco,
i anneis e 2 relogios, ouro de lei.
17113 I Relogio de ouro de lei.
17114 3 Traocelins, 1 cordao, 1 redoma e 1
cruz, euro de lei, 1 cordao ,de ouro
baixo.
Relogio, ouro de lei.
Par de rosetas de ouro com 2 brilhac-.
tes, 1 cruz com ditos, 2 anneis com di-
tos e 1 lio de perolas.
17139 1 Annel de ouro com brilhantes peque-
nos, 1 trancelim, I medalha, 1 alfinete,
3 pares de brioco, 1 dito de rosetas, 1
peca do pulseira c 3 anoeis, ooro de
1 Relogio de ouro (com arbola do prata).
1 Par de botes, ouro de lei.
i Pulseira, l alfinete, i trancelins, 1 cor-
dao e 1 medalha pequea, ouro de
lei.
1 Corrente para reloyio, ouro de lei.
1 Corrente e .simio para relogio, ouro
de lei.
17168 1 Broche de ouro para retrato, coutendo
1 correle de brilhantes, 1 par de brin-
cos com brilhantes, 2 botes com ditos,
ocois com ditos.
17169 1 Cruz de ouro com 7 brilhaotes peque-
nos, 1 par de rosetas com 2 brilhantes,
1 dito com 6 ditos, 2 anneis com bri-
lhantes e t ios de perolas.
1718. 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhan-
tes, I annel cora 3 ditos, 1 cruz com
dito, 1 fio de perolas e 1 pulseira com
diamante, ouro de lei.
1719' 1 Relogio, ouro de lei.
17215 1 Corrente para relogio, ouro de lei, 2
moedinhas em boto e 1 relogio, ouro
de lei.
17216 1 Annel de ouro cora 1 pequeo bri-
lhante, 1 volta de ouro e 3 anneis, ouro
de lei. 1 volta de cordao, 1 annel e 1
par de botes (incompleto) ouro baixo-
17933 l Corrente e medalha para relogio, 1 tran-
celim, 1 cruz. 2 pecas de brinco, 5 te-
teyas de ouro, 3 aooeis e 1 par de bo-
tes ouro de lei.
17388 2 Pares de rozetas coto brilhantes peque-
nos, 1 cruz com ditos, 1 pulseira, 1
volta de ouro com medalha, 2 cerrentes
Ciara relogio, 1 volta de trancelim e 1 re-
ogio de ouro para senhora, ouro de
le.
17240 1 Par de rosetas de ouro cora brilhantes,
1 annel com 3 dilos e 1 dito com 1
dito. .. -, -^ %
17234 l Volta de trancelim, 1 medalha c 2 pa-
res de brincos ouro de lei.
1 Corrente para relogio. ouro de lei.
2 Correntes. 2 medalbas de ouro para re-
logio, ouro de lei.
17270 3 Iralseras, 1 medalha e 1 dedal de ouro
de lei.
17273 12 Colheres para sopa, 12 ditas para cha e
2 conchas grandes prata baixa.
17280 2 Pulseiras, F volta de ouro, 2 botes e 1
alfineite, ouro de lei.
17283 1 Coco de prata para agua.
172-4 1 Trancelim, 1 par de rozetas ouro de lei,
2 colheres para sopa e 1 dita para cha,
de prala.
17289 1 .CordSo, ouro de lei.
17141
17161
17l6'i
17166
17167
1726 i
17269
seira, 1 volta de ouro el;
17026 1 Cruz dte ouro com um
lei.
, 1 pul-
!790 1 Trancelim, ouro de lei.
17292 1 Pulseira, 1 par de brincos, 1 cruz de
ouro cravejada de diamantes, 1 salva, 1
paliteiro, 13 colheres para cha, prata
de lei.
17293 1 Pulseira, 1 broxe, 1 par de brincos .de
ouro de lei, contendo brilhantes.'
17294 1 Annel de ouro com brilhaotes, 1 dito com
um rubira e circulo de brilhantes.
17295 4 Casticaes, 1 prato thesoura (para vella)
prato de lei, 1 vaso de praia baixa.
17297 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhantes
c um boto com 1 dito.
17303 1 Pulseira, I alfinete, 2 pares de brincos,
1 luneta, 1 trancelim, 2 anneis ouro de
lei, I gargonlilha, 1 pulseira e 1 alfine-
te, ouro baixo.
17304 1 Alfinete, 1 pulseira, 1 par de brincos, 1
dito de rozetas incompleto duro de lei,
4 colheres para cha.
17306 1 Par derozelas de ouro com 2 brilhantes,
1 medalha de ouro com 1 'dito, 2 pul-
seiras ouro de lei.
17309-1 Pulseira, 1 par de argoles e .2 voltas
de tranceln], ouro de lei.
17310 1 Par de rozetas de ouro com 2 brilhantes,
1 cruz de ouro com ditos pequeos.
1 lio de perolas, 1 vapor, 1 pateiro, z
casticaes pequeos, 6 colheres para sopa,
7 ditas para cha, de prata.
17311 1 Broxe de ouro com perolas, 1 volta
de trancelim, 1 emblema da Conceico.
1 medalha, pequea, 1 moedinha de ou-
ro. tudo ouro de lei.
17313 I Cordao,! medalha, 1 alfinete, 1 craz.de
ouro de lei.
17317 1 Salva de prata de lei.
17318 1 Par de casticaes prata de lei.
17319 1 Par de rozetas de ouro com perolas, ru-
bim, 1 medalha ouro de lei.
17320 1 Jarro e bacia e 1 salva grande, prata de
lei.
17321 1 Relogio de ouro para senhora.
17322 18 Colheres para cha. prata de lei.
1'3S3 1 Cordao, 1 alfinete, 1 par de rozetas ouro
de le.
17324 1 Trancelim, 2 voltas de dito, 2 pares de
rozetas, 1 annel e 2 moedinhas, tudo
ouro de lei.
17323 1 Correte para relogio ouro de lei, 1 re-
logio de ouro e 1 figura de prata.
17327 2 Anneis de ouro com 2 brilhantes, 1 dilo
cora 1 esmeralda e pequeos brilhantes,
13 trancens, cordes, 1 pulceira de
rquitifes, 2 pares de botes, 1 cruz, 1
anoel ouro de lei, 1 par de rozetas el
cruz cravejadas de diamantes.
17328 1 Aonel de ouro com 1 brilhante.
1733! 2 Medalbas e 1 annel cor diamante ouro
de lei.
17336 1 Volta de ouro de lei.
17338 3 rares de brincos, 1 dito de argoles, 1
volta de ouro e 1 medalha ouro. de lei, 1
colheira de prata.
17342 1 Fulceiraouro de lei.
17346 1 Cruz de ouro com 6 brilhantes e 1 volla
de trancelim.
17344 1 Rroche de ouro com brilhantes.
17349 1 Paliteiro c 13 colheres para cha, prala
de lei.
17350 1 Corrente Jupia para relogio ouro de lei.
17332 1 Trancelim grosso, 2 ditos finos, cor-
dao e 1 medalha, 2 cruzes ouro de lei, 1
traocelim ouro baixo.
17355 1 Pulceira de ouro com 1 brimaote peque-
no, 1 trancelim e 1 corrale de ouro para
relogio, ouro de lei.
17363 1 Aonel e i alfinete ouro de lei.
17368 l Alfinete, 2 medalhas, i pares de brincos
e 1 volta de cordao, oujde lei.
Recife, 7 de Marco de 1889.
O gerente,
Fe'ino D. Ferreira Coelho.




I-


lam
PKOJECTO BE UtfSCRIP$AO


Para
a
23.a corrida que devera ter lu^ar
nodm'25-deMai^o.de 1889
I. PAREO -Coaaelaeio 850metros. Afrittnes da provincia que uao tcnham
ganho premio. Premios : 2005000' ao- primeiro, 505000 ao segundo e
204000 ao terceiro.
2." PAM50CipCMMlfi' 1.450 metros. Animaes nacionaes at meio sangue.
que j tendo sido inscripto nao tenham ganho premio este anno. Premios :
3005000 ao primeiro, 60(5000 ao segundo e 3O50OO ao terceiro*
3. PAREO Oerby Clab le PertMOslMieo 1.000 metros. Animaes da
provincia. Premios: 3O05O0Q ao primeiro, 605000 ao segundo e 3t5000
ao terceiro.
4.9PABEO Ferro Ctrril.1300 metros. Cavallos nccionaes at meio san-
gue. Premios : 3505000 ao primeiro, 308)5000 ao segundo e 35iSKXX) ao
terceiro.
5.0'-PA*M>-MPr#O-I^raWilMBCaB'l.W- metros. Animaes de qualquer
paiz. Premios: 9009000 ao prneiro, 200(5000 ao segundo e 80,5000
ao terceiro.
6. PAREO IraprriMa FWMWhMina 1-200 metro*. Animaes da provin-
cia. Premios: 3005000 ao-primeiro, 605000i aoiaagimdo. 4 305000 ao
terceiro.
7." PAREO Roe lie 1,400- mearos; .Eguas at puro saague. Premios : 5005000
a primeara, lQUtfOOO- a sognaa e 50(5000 a terotara.
Observares
96 serlo aceitas para eada pareo quinao fwopotasi-Ctoda eaveloppe deveri
conter uma so proposta, e caso appareca mais de urna ad-fter aeeeita a primeira
que for lida.
Nenhum pareo se realisar seai que se inscreram .animaes do tres propieta-
rios diferentes.
O anno social contado do dia 1.* /Le Jnlho a'36-de Junho do anno segrate.
A inscripcao oneerrar-se-ha na tarde na secretaria do Prado.
A direotoria pede a attenr-au-dos Srs. proprietamos para o 1.* do art. 21 do
Cdigo de Corridas. .
Redfc. 14 de Mareo de 1889.
O SECRETARIO,
Francisco de- Somza Res.

Coaopanhia de Seguros Am-
pfoitrite
0 senhores accionistas o colindados a reu-
airem-se ni aasembla gara' ordinaria, oa quar-
ta-teira 20 do corrente.l hora da tarde, no sa-
lo da Assoriaco Commercial Bendicen te. A
reuia leni por tita cumprir as dtsposiccF tos
estatatos, art*. 36-e 40.
Antonio M Amonm.
Manoel J. da Silva 6utnuiries.
k aquiai Olino Bustos.
MARTIMOS
CHARGEURS REUNS
loHpunhlH Vi
DE
tNavnegatea*
-jinlia quinzciial entre
Pernambuco, Baha,
Santo*.
Tille
a wmgmm
o Havre, ^Lisboa,
Rio de Janeiro e
ceio
United Sfcates and Brazil
M.SiS.C.J.
O vapor Advanee
B' esperada dos portos no
sul ate odia i 1 de Marro
o qaai depois dadtemo
ra Becessana seguir
ara o
Ha*altfto.'' INMr*. Bar*XHO. S.
rhouac lew-York
Para carga, pacsa-irena, encommendus e di-
usmro a frete : trataba com os .GENTES.
O vapor Fnance
E' erado dos iportosdo
I norte at o dia i" de-Mar-
I eo o 4jua! dopoi da de-
trnora. neeessari seguir
naia a
Baha. Win XcxPMttlro auto
Tenrw Fattter & C.
8-~-nm (ioeo*v*ereio8
, 1"
m
Commandante Lenormand
E'esperado da Earapa at o dia ?'
di. Man o. saguina | d(ioU fe in-
dispensavel demora para a
Gamocjii
Babia, > Rw de Janeiro e Saut s
Roga-se aos Srs. importadores ac carga pelo?
vpores desta linbayaueiraaiapreaenir dentro I
-Segu para o i parto, cima, com toda brevida-
de niate De* e1 Sbie. recebe carga ; a tratar
na na da Madre d Deoa* 8 ou no caes do Loyo
cora o mestre. ____
Rio Grande e Pelotas
Para os portse-.atf tni.'*MB de .asa costar dada desearga das al viran aas UnMr brasileiro *t.rinho; para raraa trata-
qualqaer reclamasaa concemente a votanea qu< porrentura tenham seguido para os partos do pjjno
=m\ afim de se poder dar a tefapo as i >:
dencias necessarias.
E^radc o refjriaoprazoa conipaniiami>>.:.:
11 p laatlili n pon extravos.
Paz*.earganajafljeens, encoaunendus *v -\>-
oheiro a frete : trata-se rom o
AGENTE

Aupte LaMIle
a^RUADOCOMMERCIO 9
(! Nave^a^o Vapor
KT0SDOSL
O vapor Ala^oas
OrtiiuBambinte- Jafta Maria Fes.
l3^.-v E" esperado m partos do or
4^J|Kw>odi 17-e-deaoi3 da '
gJmKtiaara inisaeaeaaei seaair p- ra -
^^^^^portos do sul.
Rceeo taaibem carpa para Santo.--, .Saut.i (.a-
Jih;:: Pelotas. Portora/e^n e Bi* Intnde do
Su!, rce4ejiDli<'o
A iiiM|Min(kutt duawto>raoebiaas naagen-
t' hnk'M i:\r-an d* dia- da aliida.
Pas*ititra-a,-inuimuron.*. eaoanqi-uias
res trata-se com oa wWmitm.
'() vapor Mafr<*s
Ce uiandante o l" tenente Ghtilheme
Waddiagton
E' superado ios portos do sul ai q
{b 17 df Marco> e egnindo dq>oi-j
H- uarla Ierra. i;/mt\fiU
leilaodos oiarvisi.kfsfj ddro
miudeas. ch.7[K-os--5'DHl'_f*>
occasio do leihfi t%pre jaaiMnrfftrer itr iru'a'trSS.
IEE8ES
ageaK tinto o
vr>-. tazendas,
i de safa, por
nnazera da
T Iftilao
Da armar jo. cofre |wrra4e fogP
mercadoriis t? ufeneinoft *s8h'!HV<
.-andifiros,
na foja de
fazendas sita n J*-v"i'h' inliauin;i n. 29,
antiga do Rarrgel.
Segunda-fer.i- I/i do '"i-rentc
A' avKi
o *e*u.' fiviiMt wiaarait* ;Mr maadaao do
*l queruaeiUodo'ti curuJai liHKai da naus* falli-
da de Salvador Gtica he* Braga 4 C, levar a
Weuaocoma$siaMaaia talicleeimeaWiacui u*fw*ina4o. o qual ser
vendido em un ou mais totes a vonlade das Srs.
compradores.
\:iUo_U$ih'eira
;*e mrtri c*Hmo-
WOlUa i iiAtlit HAiiv de Uiis
ii'. O p 3t
Segundar thwtfl^.'liada -eorreate
A's tl;*ras
erjRnm. rana eicthca. nanueija;
ras, 4 apparelha de electro-pate, tacas para
champagne, i iagtrda, 1 jirro, I revolver,
trem de cosinlii, l aaneiro e 1 carrooa -para o
mestno, divers*#ip1l# de clttons e 'outros ar-
ligos.
Terea-feirat o 1" andar da ra das Larangeiras n. 18
0 agente Modesto Baptista far leilo do que
cima se declara, autorisado pelo Sf Antonio
Jos Coelho Aranha, que sefWra para tora cltt
provincia, o qual fez transportar dHea movis da
casa de sua residencia para o 1"-andar da ra
das Larangeiras n. 18 para se efffeetnaiv o leilo
que" ser sem reserva de precos,
gente Pe stanja
Leilo de predios
Terca-feira, 10 do cumule
A's 11 horas
Em frente do armazem roa do Mrquez de
Olinda n. 44 outr'ora Gaaaia do Reeife
agente Pestaa vender livres e-deeembara
jados de todo e qualquer onus os predios abaixo
declarados t
Uma casa terrea sita -ra da Palma n. 11,
rendendo 25* mensaes.
Uma dita ra Vidal de Negreiros n. 4, com
soto rendendo 304 measaes
Uma dita sita ra Marqoez do Herval n.
139, rendendo 30 mensnr-.
Uma dita sita ra de S. Jos n. 74, renden-
do 324500 mensaes.
Uma dita sita no Corredor doBispon. ft,
rendendo'2!>* mensaes.
Um obrado sito ra Coronel Suassuna n
.-0. rendendo S05 mensaes.
Uma casa terrea sita ra do Rosario da Boa
Vista n. llr eaaauM do becco dO'Tambi.
Todos estes predios acham-se ttvres e'desenv
baracados e em bom estado de conservaco.
*eilo
de movis, candieiros. vinhos, telendas, mttlde-
zas, chapos, papel forro de sala, livros, bom-
bas, fogoes de ferro e ramios outros movis exis-
tentes no armazem da ra Mrquez de OHfHa n.
32 que serao-vendidos lo correr do martello.
i|uarta-fpira lo de Marco
Agente* Piolo
Por occasio do leilfio de predios.
Bntrainer
Aos puoprietario de ani-
maes
O jockey Pedro de Souza ericaricV"-se, median-
te paga razoavel. Jdo tratamento de animaes de
corrida,, peWndos e de sangue, obrigando-se a
enaaial oaeoaaefftiiilOiatite.
Prova de logo, dos raelnercs fabricantes, como
iMilners e outros de -. i:r ladeira guranca : vea-
de-ae barate ptir.- liquidar, mi Mnquez de
lin SO tft
SU. ;'<
.-mar em i> 'leo l
mti-r e- Sc-S
.-I:i .-. C.CI ixdoJZI
M
X piad'.,-.i. iafti tfs.-r. mas S
iiiuli'S.s; purica o
Leilo
Da armac5o,vilrina.-quadros, mesas, espelhos,
relogios de parede, estantes, armarios, bancasi
mochos, son'eteiras, bebidas de"diversas qtiali-
dades, loucas, vidros e tram de cosinha.
liiarla-pl ra. ttr do corrate
A's lLboras
Na pastelaria sita Aijaadsf Itwperatriz
u. 54 A
O agente GslSO autorisado jielo Sr. Argemi-
ro Pedro da Silva, que refirt-se para o Rio de
Janeiro far leilo do senestbletTmenlo cima
menc;onado.
Em un ou mais lotes a vontade dos compra-
dores.
Leilo
Agente Brito
De 1 mobiria de amarello e 1 cama franceza. 1
toilet, 1 guarda-louga. 1 guarda-roupa, 2 mar-
Tlezoes. 12 cadeiras de Jacaranda. 6 de junco,
commda, I-mesa de jantar, 2- espelhos, qua-
ros, jarros, etagers, candieiros para kerosene,
tapetes, escarradeiras, louca de porcellana para
almoco e jantar; copos,- clices, colheres, bandei-
jas. garcas,- Itmternas. relogios de parede, 1
nmehin|le costura, trens de cosinha. 2 realas
grandes 6 outros artigos
Ao- linaria-1 pira 9o do eorreate
Ra Nova d Santa Rita n. 44, l.* andar
A's 101i2 horas
tnSWEMS_
- Aluga se o sobrado 26 e o da ra do Baro de S. Borja n. 26, ambos
com grandes coramodos paia numerosa familia;
a tratar ama de i-aato Amaro n. 8. i
i^ luga^se o o-radon.-4 ru da-floda,
cora boas cotnwados e-muto fresco, todo-pinta-
do de novo e forrado papel as salas : a mitnr
aa ra do Cabug h. 46, toja.
Aluga-se o 2 -andar camagua ra do
Padre Muniz n. 13 : a tratar na ra das Trin-
chwras n. 1.
- Aluga se rasas a 8*080 no beoco>de*<^w
ibos, junto de S. Goncallo ; a tratar na roa dai
Iraperatriz n. 56. __________________
Aluga-se. a-casa n. 1 ra Lembranca do
Oomes, em Santo, Amaro ; a tratar na na da
Jmperalaa. 32,^ andar. ......;
? iwgfrse tusa caaa om Biqaartwrua
da-- Flores n: M>; a trotar na ra Bario da Vic-
toria n 39, loja.
as rov.iiidas.
' SCA08, '.-1 ,us lade.coe. -^
v->m :' 'i ,
Identia* do fMo
O Peitoral o!c Cambara de S. Soares,
remedio efficaz para todas as molestias do
peito. Vende-se em casa dos agentes
Francisco Manoe! ra Silva & C, ra
Mrquez de Olinda.
Coaselho
(uando alguma aflfecQao pulmorar amea-
car a rossa existencia, experimentae o
Peitoral de Cambar, que tcareis livre de
tal ameaca.
Os agentes,
Francisco H. da MIa A C.
Bronehites
O remedio infallivel para as bronehites
o maravilloso Peitoral de Cambar, de
S- Soares, que so vende em casa de Fran-
cisco Manoel da Silva & C, ra Mr-
quez de Olinda n. 23.
n-ttra :'.u conak 't-.-aao dos Bma>- i
Moa Itnsaoj : I<1 Mbat:t:iiM *
paru ?!> | ---'' |;' "'"" -
Knanc;a aan o>> ?'
i a.. laMn*-* C alM : AutUmm, *
Vatnrvho. '.<-" '. !tliriiinittinuu>, Turnaren, I'lioi-is. Pe rila !,*.
ni>lM-tltr:'\*b>i::,,(?Mlt lertius rrtneJtilitlri,-.Ht-*nm !
n>HW$rt^,MXKX&&&i.LirT .y.
injl,]Ii. r [i.-ii : '. .11.' da ^
Pkci- COTTIN, un'i t. Le Roy m
Kna do Se..-, ?l, PARS jj
D.-.I'O.-ITO EM TODA A? ri!eMAII ..:
aeaaffiB^s Ama
Precisa-se de urna ara* *Oaicosnhelra. para
casa de pouca familia e que durma em Oasa dos
pitres ; a tratar na rtta- Dw^ne de Caxias n. t.
ioja

Amas
Precisa-* de dosamas, sendo uma para co
nohar e oatra para euaabear emas servicos de
casa de familia : a tratar na ra do HOcpicio au
mero 41.
EaermMaes Secretas]
BLCNORflHJlOlA6
QCNORrWt^S
FLORES BRANCAS
coRRimewiTos
recentes ou antigos sao curados em]
pouooa diaa eui segredo, sem ragi-rl
man nam tisanas, sem cncer nem f
molestar os argaos digestivos, pelas)
. PILUIAS o'
e inieceo de
CAkWAk
DO DOUTOR FflUBNIER
cw'i* umarMMtr at*>fc*tAS>
" mmdi. fin iMiosto. 4 n.
S%WBatS, aa, PImce da U MmdmUta
^||jlWtlstOU.I),rani l"w5
Vinho ^s irgem
dem de eaji
Vende-se estas superiores quadades de viaho
sem compost^ao alguma, por pregos muini bara-
tos para liquidar ; na ra Mrquez de Olinda
numero 54.
0 agente dilveira^y;0' maul^j e com assis-
ij;. demora idispensave! para o- Ljeocia do Ex.-n. Sr. V. jilia de .invito do romer-
fikirto!! !o norte ate Mano;. ci e a nquerimcnloj .** Vaiiu'-I CordeirO do Re-
- sao :. eOldas na ..:: les, lavara t-WtSoos u ilos do refe-
ate 1 i>oi.i da 'arde do dia Ja ahida.
Varac-arga, enfommendap. passagen? e c.i/i-
re u -.-'- i w
AGENTKS
P*-r?ira Carneiro Se C.
^=diw du '^mm
Io andar
Roya! Mail Sfieam Packet
Compaiihia
U vaoor Nva
^
vapor
Commandante O. M. Hicks
E' esperado do sul no dia 17 de
Marco e segurado depois da demora
necessaria para
ridt-.hote. en. um u.nas lotes.
\lmiiw
Da niKnjfio. ;uL-,-ij(mw'u!^::iilios da (averna
,-iiit .. \-i-d?-.'imin :i. 32
TiTi-a-feirai **ido comente
A-'s iliUwas
0 agente GusmSo anUsilaa.tara leilo. da ar
macao e mercadoaJsatsjiwna.cima .mencio-
nada, emumouBiftWlKa. a vontade dos com-
pradores.
Garante-se a chave.
S. Vicente, Lisboa, Vigo, Southampton e
Antuerpia
ReducqSo de passagens
Ida Ida t rolla
i' classe t 20. I 30
A' Viu iumpton 1* classe t 28 42
Lirotas reservados para os passage'.ros de
Pernambuco.
rar a quarentena imposta na
Bf-p na, aos navios procedentes do
;orapanqia nao aceitaro
.r icommendas. trata-se
Aiorimlrraaos k C.
' Pergunta-se aoSriFranc seo Rape0 -e eotfetsi iju uao os novis qw tte- em seu
oodrr lia dez nnos. .
Ao Sr, capttaa sfracuco Antonio di Sa
Barteto que resposta d l laq i -lie negocio.
O liaclwre! lesnli > CTaro dos Santos e Sil-
va udvnga nos auditorios .l*WfiAaaresifaiunir
l(-se do" patrocinio de cauta m *i^eu 4aaw-
cio.
It^eitao
Do bon& movis, ajpafelho de eleotro-
plaie, loucayiTidosj rystoes, aaaber :
Uma rica mobuiaidiV)iaBeand, com tainas
frescas, compostada.'lsiesa. 2 consolos, i jai di-
neira, 4 cadeiras d^.haaa ail de guarnicao ; 1
difa comporta de taafi taok)s, 1 jardinei-
ra, % cadeiras de bia$o, 6 de guarnicao, 2 mezas
redondas, 2 porta-'orea- pandes, 4 ditos peque-
os e 2 etagers, tudo de goiabeira, 2 camas de
casal, 1 toilet de.j icanaaafl 1 dito de mogno, 1
meza redonda parmjMWi aPOuezOes, 1 meza
Mastica de4.tangas,. 4piacda-louca. 2 aparado-
res, 1 guarda-viftilj 1 cominoda. 12 cadeiras
de unco. 1 sofiJStadeas de braco de amare!
lo, 1 meza c i gaMss*,- bewo, 2 quartinhei-
ras, 1 tapete. 1 me::a redonda preU,4 etagers, 2
jarros de faiance. l.rassgio de parede. qnadro.
espeliios, jarros de louca e vidro, camlieirus,
apcarelhos de abacd e juntar, 2 aspel
cima.de meza
lectro-pln- l^ macluna de
-^ Precisa-se de uma urofessan para enge-
nho. que siiba o portugnez, francez, msica e
piano; artratar aa ma daPenha, 2-andar, en-
trada pelo becco. _________________________
Precisa-se de urna ama que caaialK-e com-
pre |jara tree-pessoas ; noottao do Corpo: Santo
aumero 25. ___ _^_____________
Precisase de um, menino para criado de
-pouca familia ; a tratar na ra das Trfflcheiras
numero-18.__________________ ___M_^__^
Precisa-se de-peritas oostureiras : ao ate
lier de madaawi Paimrj roa Novan, loipriiaeiro
andar._______ ______________
- Preeisa-se de urna cosinhira e de orna" en
peira : a tratar na ra da Soledade n. 82
OWtrfcrvje iaaa>8abora |>aiW'Ca5.i d>> ho-
mem solteiro ou viuvo, tendo hatlruw rin otea
aniiniha. prelerindo pessoa de fra na cid-
de ; narsnilafcP^aa n.-16, .ir-Jwr osk qwn:
tratar.
Ii o di.. 25 de Feverriro nao ;io--imI
encontrar com o Sr. Dr. A. A. A pede-se qi-e
aapareca no i ac da Patria n. 5.
Ao Sr. M. T. A. L. pede-se que venha dar
soluco sobramansilo.....
j'l'i.....ni .:ii-a.. -"lo a-sn'.ti'..
P"---' iii'fn ii i ssKsliiifiillnniilrrt|i
?: i-oi i iii'.i -'i', k. um SWMKUIU "i**<
Professora
Uma-senheraeoiapetentemente habilitada, con
pratica de 11 annos de profisso, apresentandi
diversos atUvslados da. bom-oiathode eicomponu-
meoto, offerece-se para leccionar em. caas pu
ticulares, na cidade ou em seus arrabaldes as se
guintes materias: Portuguez, Prance, Italiano
GeograpUiar l'ianoy trbateos de^gna, etc.;
tratar a ra Visconde de Goyaana n. 69 ou en
casa do Regulauor da Mannhara larga df
Raaario n. 9.
Sobrado
Alga-se um *- andar com cotnmodos para
grande familia e por preco muito commodo, na
ra de Domingos ios Martins, nos fundos do
armazem de Carneiro Vianna, e a tratar no nies-
mo, ra Mrquez de Olinda n. 54.
. Direito Romano
0 1 livro do Curio Elementar de Direito no-
mino pelo ronselheiro Joao Jos Pinto Jnior, de
onformidade com o programma de ensino ad
mittido na Faculdade de Etireito desta cidade,
a venda na livraria Econmica, ra do Im-
perador n. 73. e na UvraqtJ:'ranceza. ra i
Marco n. 9 ."*
IV! obilias austracas
Vende se lindas mobilias e pecas avulsas do
acreditado fabricante Tonet Freres ; alem destas
baontras-mobilias iMiriramaoM anwas e rtquis
simo desenos, que muto unimar'aos compra-
dores. Tambera se encontra varadissimo sor-
timento de camas de ferro para solteiros, casa-
dos, c meninos,- rom lastro de tela-de arae, e
que muito bygtenico- para as pessoas que sof-
frem do nervoso ; na ra Mrquez de Olinda
maero 54.
>--., j>i'>i*.i.
K...*--*,
O"'
,. .. e: -
ale U*
F'i 'ti; '-!-
1
vrifyr. y. ::.
-.r-;'. i .:.;.,;
ni l.irc.. il-- i* .- h v.tiri'- i
: .. I 'i>'I*Iim i .';'.:n IIBN y;
: .. rH --; .;,--i.\.:.i, i
hM>
,*!:
|ii-.i/ r. t. ui-.i siMMinu i.itr*t*c-i
is coHoaaMax luaraiisist < dy-1
;+ .!.,-rk>iio* paiz vsqueli:3>as dono!
I ,.,.,.. v."-;g \t.*\ "m B9*t'- '-'t-ftljj
.:. li* : -. -*'r <-. Hu -.' >
.i : : i.i. -.i i.t"- -' : '.o. a diart- .i
fbiiki !'.-"' !li( '.i- ..-si. i|ii' u medida oucta
>sia t ,?1T JT" "t^TT A< Alose de dus.
jaati i'-- -'i- i-nihcro pora os adultos:
.;.. ,i3 cr.-aaca.s, iot. a* sneia colanr.
{m PA-H18, 8. Ra Vivienne.
Continuam as pechinehas
A' ra Duque de Caxias n. 4
N'este mui aeseditado estabelecimento
de fazendas finas, continuara a offerecer as l
mesmas vantagens, vendendo por menos
30 0i do que em outra qualquer casa.
Como sejam as seguintes fazendas :
Cimbraia com salpicos brancos e de cores,
i muito fina com 10 jardas, a 4fl -a peoa.
Cortes de meia-casemira, cores fixas, a
2000 um.
Cortes de casemiras, finos, padrees moder-
nos, a 40, iJOOO, 65000 c 7#000 um.
Cortes para vestidos em cartSo, todos os
' 'aviamentos (novidade), a 75, 95, 105 e
125000 um.
Pannos de crochet para cade-ira a 15000 e
para sof a 2,5000 um.
Capellas com veos para neivas a 85000
uma; peehincha.
Setineta branca lisas e lavradas a 440 rs.
o covado.
Setineta preta lisas e lavradas a 440 rs. o
dito.
Mantilhas pretas de seda1 a 55 e 75 uma.
Cobertas de ganga para cama de casal a
25-OO uma.
Colchas brancas e de cores a 25, 35, 45,
55, 65 e 75000 um.
Cambala preta para fon* 1J200 a*ftt*-
Cambraia preta, nansuck a 160 rs. o co-
vado.
Algodaoslnho amito turgo a 35600 e 4000
a peca.
Madapo^ao especial com 24 jardas a 55000
e 65000 a peca.
EsguiSo para casacos a 35200 a peca;
aproveiteni.
l.riin hollanda para vestidos ou guarda-
ps a 400 rs. o covado.
Las modernas de listas e quadros a 200,
240 e 280 rs. o covado.
Fechs de retroz com palmas de cores e
pretos a 15000 um.
Fichs de la, todas as cores, a 1500,
25000 e 35000 um.
Seda Alcacianna," pddtCea escolhldos (phan-
tasia) a 240 rs. o covado.
Espartilhosr dtf itaej*, nos 35, 45500
egftfOOum.
Merinos pretos finos *7T30. 800*'15000,
15200 e 15500 o covado.'
Camisas fraftceeJ mt(f linho d 60^000
a duzia por 4#5OO0.
Toalhas acolchoadas a 120 e 200 rs. uma
(so se vendo).
S na Ioja la evolucu
DB
fflRQUE 8>A SfLVA MCfeJ&IRA
SHANOK LQfIDAiJAO
Na-Loja das Estrellas
Telephrac n. lO
sEste bem eonhecido estabelecimento acaba
,de passar por uma grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos os seus
fregnezes com mxima brevidade
pos8vc!, resolveu fazer grande II-
|lii;;' de todos os saldos que
ficaram de bataneo,' por -menos
50 i do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
Artigo* de le
EsguiSo, peca, a 35500.
MadapolSo com um metro de largura de
145 por 75000
dem idem americano de 85 por 55000.
Algodao marca T, especial, muito largo,
de 75 por 55000.
Bramantes, pecas, por 75000.
Atoa-liac'ioo, lindos desenhos, duas largn
ras, a l*e 15200 o metro.
Gt'.irrdan;ipos de 45 por 25000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 15500 o dito.
Lencos branpos e com barras de cor a 15,
e 15200 a duzia.
ti
1
Meterino *on^ Anna David de novaos
Ks (ciliar
Aguiar, seus tilhos,
.1 ; quim Silvjstre Teixeira e JoSo Pelinto de Oli-
veira Cirros agradecem d6 iatitno d'alma a to-
dos o 11.4*sjjovCsMAOMAtnte aftSpsflMram
to teimierio publico os reatos mortaes de seu
-svnipre i iioioso marido, pal e eogro, e de novo
Oortvidati: iis seus pnrentes f amiiro.- a asswiirem
as uissas que mandam rezar na matriz de Afo-
gadosiNi*alu;.,a tr crrate M-tfti.-o- .'e-enrj .!-
wcimlto.
iaaMisti su nuil if
'

! ilM-n HMWHbnriiiltM ki-Mu-acsaras
f*ewNi>a
] VMi^MMrtoWKfl^JhkSiiiifes l'Ti-ri iisnln
1 .c/; i. .iss:i \i nliaHaia*irll>-M>':#*>.- DO lia '\r\i om-tt-
t* ii-z. a- i 1 2 da madrugada, na igrrjaS N-
S. I "!; par,, 'asflsfir a -st- ael convida
u-,.- scu-'!!""parnites daiswn-i lifRdi
Ao
com mere i o
a. r-irasahm (i Mattos. aafariedted cs.tbrieci
d* ncrta cKiad*. dectasBn q\ enuo expirado
lioje o pwizo do contracto sMal entre os soeios
Alex;iiicliv Ferreira Canuata'e .\rtliurGou)es-dei
>lultos sa aubain desliinidos. tendo o socio Mat-
tos retirado o seu capital e lucros, ticando sem
fflaw- ri'ipoti.'iibilii'teHf fw-.ic.rirn >'-passlui da-
casa que contina ein -ni gyro com a mesma
firui*. sab> ia*j.ar*C>lsa" 'de Alejandre Ferreira Caminlia, a quem t.io so-
mente e reservado o uso da n.esma firma.
Aracaty; 2 tre Janeiro de 1889.
A. Caminha & Mattos.
PiSmEiS*PAIilfiit
6> Wftrsfo- ds r\*Mn r *fcttrio
tssrmiiHisailsaili.iirl|H*s.lMili
Estas Pastilbas substituem com
vantagemosgargarajose seempregam-
com xito contra as affecgoes da
rfl^Hifl.....macao das amyg-
warnt?-vtoerac&o das gengivaa,
aphtas, rouquidao e extinecao de
voz. Tomadas no comego de ura. de-
fluxo, de uma bronchite, quand> i
molestia se tem declarado,facilitam a
expectoracao e sustam a marcha da
inflammaefio. Sao indispensavei<
fumantes pela presenga do atoa1,
que purifica o hlito e combaje os
efTeitos do fumo, e sao muito a|
ciadas pelos cantores, pn:
advogados e prgadores. para exci-
tarem a secregSo salivar e couser-
varem a bocea hmida e 11
PA.LANG:E, Phir.
Deposito en- PAJU8, t. Ba
t
Rohm sfssrWla>flVtasiMo.^Mi.vll'^
Constautina de i'liuna comida aor seus p-
renles e as le.-MNis ft ^ua-nraizadc- iiaia asiis-
t-em a i.-i.-sa que n du rezar por ilnu de su
sempre clnirada hrti. Rova Bmrla da Panacea
OTivtira. na matriz ik; Suato ntonio no diu 1S
do corre te/asl'rrtTW da tn ha.
I
JbMUtlB> (PUmnltirtM
Anna Tranquilina Farges, Alaria Luiza de
Franca Farges, Etelvina Francelina Farges. Ma-
ria TheodOKi Farges, Anna Joaquina Soares (au-
sente) e Lniz Jos Carneiro, compungidos da
mais acerbatorpeto-passamettodesea-sempre
lembrado esposa, pai. tilho e etmpadre -agrade-
cen do mtnno d'alma a todas as pessoas que se
dignaram-acosBpanbar os seus restos mortaes ao
cemitenoi publico ; e de novo as convidara e aos
prenles, t- amisjas para aesistirem as missae que
serao rezadas na matriz de Afogados no dia 20
do corrente, s 7 1]2 horas da manha, stimo dia
do seu oassamento, e desde j se csafesearn
eternamente reconhecido por este acto de re-
ligio e caridade^________________________
DomiiiKoxIlHBOrt vwr d* Cwia
Manoel Juaquim Alves da Costa. Manoel Fran-
cisco Alves da- Costa, Joaquim Manoel Alves da
Costa e Idalina Amelia de Albuquerque Costa,
tendo recebido a ifausta noticia do fallecimen!o
de seu prezadissinio pai. ave gogro Domingos
Manoel Alves da Costa, fallecido no reino
de Portugal, convidam a todos os seus ami-
gos e prenles, para assis'irpm a missa que
pelo descanco eterno de snalalma]mandani rezar
na igreja le Nesca Senhora diPebo
horas da manha de 18 d.
desde j se conl'eseam ter.
por este arto di- caridade e ryl
WBoumm
Toalhas de fusto, qualidadc superior, a
35 e 45000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colohas at'okmoada) brancas e de ores a
2-SOOO.
Lenees de bramantes a 25000.
Chales cscocezcs a 1500").
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados c que se vcudetn com
igual abat me nto
TeeliioM de afta uovfdde
I'.VliA VESTIDOS DE SEXHORAS
Lihhos pardos para [vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros c listras de 15800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as ciresy de....
15200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tnaile de Vichv, de 240 por 160 e 80 rs.
NoHSttks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros c esciuos com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade de '
padrSes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
peehincha !
Fustoes de cor, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, do 500 por 160 rs-
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E moitos outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, la e sedas que so venr
dem como o raesmo abatimento de 50 "[,,.
CnafereHo
Vestidos fcitos de Casemira ricamente
bordados de 805 por 55 e 305.
Ditos para armar de 65, 85 e 105.
Ditos brtureos bordados em cartao, alta no-
vidade a 85 e 105-
GuarnicSes de colariuhos e punhos para
senhora por 1& e 15200;
Capotas (preparadas na corte) de 205 por
95 e 105
Golllnhas" e' pnhos para menino de 3 ?.
8 afinos.
Vestuarios e rdUpin'has para criangas, por
55, 65, '85 e 105, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 25 e 35-
Enxovacs para baptisado com collares ele
trieos por 55-
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
mnho a 15500 o. par.
dem idem de Escocia a 15 e 15500.
Sobftudos imprmevis de borracha de
705 e 80$ por 305 e 405-
Capas e pellerinas de cachemiras oSoma-
na ricamente enfeftndas de vdrilhos a
25* e 305.
dem idem de renda, seda, damasco c
gurgurSof tonto para phantasia como
para commodidade a 385 e 405.
Velludos de seda-c algndao de murtas co-
Gazes de seda.
Ricas' rendas hespahholas ce seu;i
dSo e linho, com um metru d Setins Maco de todas as Cores ^
800 rs.
E muitos outros artigos de confetlcoesr
como sejam mantilletes de blonds,- sabida
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muiros mais, que se ten-
dem com o mesmo abatimento rTc O j,.
Para linutens
I miras inglezas cota duas lai-gums, g
- 5600 por 15200.
Ditas cor de caf azttl, de iWfO oOi
600 rs.
Jortes de seda parncolletc. do I25000 p 3.VXK) e 35500.
Ditos do velludo e f l-.i.
Muas inglezas com rio de .
por 65000 -a duzia.
Pletots. de 75 por 45000.
Camisas cora um pequeo toQ<;
a 15600 uma.
(.'oli.:rin!ns, modelo moderno,
Duzia'
| oisi" inglezas com coHarinhos e pii-
fchos, sem collarnhos e sem punhos u
1000 a duzia.
Brins pardas de lir.ho a 240. 2S0, 320.
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 15200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 65
85, 105 e 125 45, 65, 85 e 105000.
Sobretadw hiipwnreavois de borracha, otea
: hornera, de 705* e 805 por 305 e 40*.
Cetonias francezas, de 385 por 24#000
a duzia.
PaJotots ged seda, compietoo de fettosd
casemira, malas para viage, ebolcas e
tapete e um completo e vanadisBimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas,
inglezas, pretas e de'crea de riadroes in-
teiramente novos e qno-'se vendem com o
mesmo abtttimento deW*|0 de seu valor.
lUfMlhos
Aproveitem a grande fjjj^^
pelos prego s, em sedas
gorgorSes, setins, las,
linhos, chicas, madapole
nhos.
E muitos outras pechinchati que s se
encontrara i.a
Loja dasEstrell;
ua do Duque de
de 12.-
ftf
4*
v
t

%
L
*'.


Piano -de Pernaiiibuco--
1
~J 7 de Mm^ de
!
m:
HERMES DE SOUZA PEREIRA. &. C

Acaba de reabrir-se esta importanteplUHUacia. sita ra.do Mrquez de Olinda n. 27, depow de fcer
paesado por urna trajisforma^o completa. Est em condie,oes de satisfazer todo e qualquer pedido, nao s*ancer-
nete manipil.acao do receituario. como a venda de preparados nacioaaes e estrangeiros, dos quaes a case arla
ri gotosamente sortida. -
Esta,casa .sendo por Cernis conkfXda:peia .sua sewedade, os seas propietarios esperam do distincte eorpo
medico e da populadlo em^eral, a continuacao da proteccao que sempre lhes dispensaram, para o que empenham
a reconriecida lealdade com que cosfeimiaim tratar os negocios de-sua profissao.
saosriisaoes db. sanzA :p:ejFurRA. & c. successores
-S'A Mk A#- 'X % BE 011RBA-S7
iiECIIX!
V
TJM.
s
y-
mema a- magalhaes*
!,.

largar
X
IWebedeFesali rectos dos mercados da Europa
liqutdanj os seguntes astigos com descont d* 14
vendas em, grosso
Braraaiite*. de elgaiflRoSuperiores, a 800 rs. o metro, 4 largara,
dem de puro Hubo fazenda de 2*200 para acabar a 1(5500, metro.
Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 1*100 e 1*200 o dito.
Algodao alvo, nacional para lences a 5)5500 a peca.
MndapolSo americano, a 3*600, 4*000 e 6*000, oro 24 jardas.
Mariposas de cores a 220 rs. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idema 120 rs. o dito.
Zefiros de qnadrinhna, a 80, 160 e 200 rs. < dito.
MerioOs liaos de orna largura a 200 re. a dito.
dem de qoadsos moderno a 280 e 300 w. o d'.t.,.
Fich a.- renda ciatc- a 1*UU0.
Cololiaa trancezas de corea a 2*000 e 4&iQfi nma.
Leaaa&ea de bramante,a 1WW, para cama de casal.
Casimiras de ores panuroupn de crianca a 1-> ira*..
Camisas ngiezas e francezas a 26*000 e 30t50Ut> a diana.
Tsate! iiveludadoa. grandes, a 14000 uin.
CK*inatto.rieammte.4itMriaib> a 5*500 e ***000-
Pannos de cores para meea a 1*100 e 1|5300 *> oovado.
Cheviot preto e azul, a 3(I00 o dito.
'An* pandos e> de corea >a .2410 rs. o dito.
Verudhos>de cores-i praws *'MK) re. o dito.
Mandas uistriacaa^asa. veaiidue a 500 e 5tk> ua. dito.
Setins ie todaas efire* 900irs. o dte.
>. tincse Jarradas 200 e 240 re. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meiaa cruas inglesas pana beaem a 2*500 e 3s30 a duxia.
-Ceroulas bordadas, de bramaste, a 125000 e MftassVal inv
Corto de caseaairas ara caifa a 45000 e 65000.
dem Je uieiaiea8wn:ra a 2(5000.
Toalha grandes- pacto resto a 4)5000 a duzia.
Idea felpudas para banh a 125000' a dita.
E m'lito* artigos que sero rembrados coa a sreaeaga ci ooaaoaleiun*.
59Raa Daqtie de Caxias-59
LO JA DE
P1BIBIUL MJkGALBlES
Capsulas de Quinina de Pelletier
Hol ato aa eaaan rgsore qae efletler o tarea** a Oorwraa e que asna
as
SAUDE PARA TODOS.
'ENT0 HOLLoWAY
PETT0RAL de CEREJA
Do Dt. Ayer.
As informidades mais dolorona. .la rupin
( do* pulmfc*, frllaariaioentc tendo por principio ba.-rs pequeas, cujos resulta-
dos nio sao dlffiuis de curar e prornptameote 8e
trmtio rom o rerat dio conveniente. O Resfri-
ado* e un Toa*. dao reciprocamente o resultado
de LuiocUia, Atki*a. BrooehiU, Ata-
W Pnlmviaftr a TlMim.
Todas as familia- qaa tem crianca- rtev.in ter o
Peitoral de Cerqa do Dr. Ayer
eni casa para usar em caso de neees-idade.
A perda de ua da, pode em rauHwi oaaon
:weurretar serias consequenciod. Por tanto nflo
>.erd>T tuaijpr.-cio*o, expimntado
reraedkjf de efaaneki dirdoia, in^uanio Orne
a enTef midad'- se aiiodera db systema e se arralca
profuialaiMMi., e *uto que se necessita toaiitr
auise tostaata. o cornal* mala crWe imivo ej
seu effelto, e este remedio sem duvida alguna
o Peitoral db Ckkk.ia no Dr. Ayek.
FBEPARArK) PELO
C. AYESI-& CA,
la**., Kat.-lTiiMla.
OEPOSITO OERAI.
N. 13, Ra Primeiro de Marco,
io d Janeiro. '
?:. "im
ISFALIEL
em tooo caso de
TISMO
Ernpgoes, Escft-
DR. j.
Lo
D^aeotn d? Ho)loiv-y um remedio mMHrel ptra es males Je pernas e do peito ; tambera
as .cridas at:gas chagr; e ulccrr.t. K famc*o nara a gntn e o rheumalismo e ira toar as enfeim;.
ades depeitc nSo se reconhec: egual
Psm iWaTste.! de g&'ganta, bronchiies resfn'auenios e tossss.
ores n.- E'.aafiolaa e todas te molestias da pellc nao lean semelhante' e twR roerJiS.";"
;
cootrahiiltis i'jncatras recias, rlir.i como pr encanto.
'xiSTBed'cinas r. pi
lOi co*\pnorm* Oj> m*>L
aa saw-tc no E-i.^Vt.imvr.i o \v.;eor Holujwav.
:zrrr vantes 6. $, --*+- i^rgBg
: am to4as a& phar .miai m miivemm.
vid- s rcsvitofUmtf examinar n nrrios-^a emil attrxft c ?JaH, s* l'tc I
airccsao, 533, Oxford Street, rlviMfca^ocaa ^.
JBJ

Alug"a-se
impB!
.. lcai^XWpMIis
e toda, tfaajgto
ewartivaaau
ikff*
a b 1

I Va-'
turaza
crea
,L
RRIiflA
DE BBISTOIa
0 Remedo g Familia por excellenciaj.
Tlegramma
e 500 rs. o
o-
i) i ;indar da predio n. :tl, ra Mnrqnez de
Otinda : a tratar no 1 andar da ra larga do
KoiMtrM) n. 22.
iOOOOOOOOOOOOOOOOOOv OOOOO
'i;ts
marca de fabrica foi adoptada por tedos os medico, pea sw'iat'Mi ament pura,
apntra as Enxaarueoaa, as Va^ral{tiaa, aa Aocaaaas da le tare, contra
Pebres intermitientes e rshiiMiia. ata n Bhsiaallsaiaa.li
nocturnos. Cada capsula, da grossun de urna apailfaa, aoaam id oentr-
granmaa de sulfato, -e nella l-se PELLETIER. Satas capssaas tem
maja firnrapta a laaiaaapasa^aa^aaBaa
sn fcilmente do que as hostias.
Teoden>8e em fraseos de 40, 26, 90,108, 300, 600 e 4000apaulas. r o teatco
asas sederas qae se aaasece. Paaa capsula s asa asta raprauaai
i sosa- da viaao da qsina, -
Oapsaiuaa faaUa, Km* Vaaiessa, aaspctaeipaat Pkacajaeiasa
DE
miSSA dos CARMELITAS
BOYER
TTxxiao Succe?r;or
dos Cariaslitae.
Rrrn de C'ALiuryrf J4. XfJ^BtlS
CONTRA : _
ApoplOAi.i | F'-ta*, Df-scoBfiar.
Cholera Coii.ja
ftr*aa do mar | Indigeates p^
Febrc an:areilat uto. # '^^^'
lv o o"**** ,-o 9.a' i e/.rafawa fiagi,,, .As.ignatura
SK?v-*e eHjiiosrtfca^ #" -**
err tudos *s vtr<
%cfM qual 'tfir -
DEPftMT* SKI TODAS AS PBAEMAC1AS
DO Oii'- i*#o.
ooooo^ooooooooooo
AO
JB.AN PATEKSON & C
N. 44Riia do rmitN. 44
JUNTO A ESTAClO 0S B0NC8
lera para vender, por preces mdicos, as seguir-res ferragens
TacLas fundidas, batidas e caldcadas.*
CrYa(,-oa de diversos tara-anaos-
. Roda. de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
iancos de ferro com sexra circular.
Gradeamento para jardim.
Varandas de ferrv batido.
Ditas de dito fundido, de liados modelos.
Portas de tomaina.
Vapores de forca de 3, e 6 cavallos.
lotndas de 10 a 10 poUegada de panadura.
Rodas d'&gna, sjsteica Leuulra. f
P^ncarregam-se de concertos, e aaiaiWasi'iU de niP'.-ainisnvi arsaestan qual
- nbaibo com perfeicSo e presteza.
T-B
GRAGEAS de GITO jl;taJ3UteaU
limatl: rlt ItHtttio dtfran;
1 .13 BUuUtu
"'i'u-apufiM
:nciu.
( J If T O
Gazea de -coree a 00 rs."o oovado.
FuatSo braaeo a 360 e rs. o covado.
Brins de carea a .260 rs. o covadoi
Baleias pro tas 260 a rs. a duzia.
OolcKae de atoes c g-JOOO ama.
Cumbraias bordadas a 4(5000 a peca.
Ltrvas de seda a 2 L-ancoa bnascoaa 1*300 e 1-5800 a lacia.
Cretones de Alsace a 360 rs. o covado.
Atochado bordado a W200 e metro..
Brrm pardo.a 280.rs. o covado.
Linbos de quadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 80 rs. o metro.
Espartilhoe-cearaca a EtfiOO um.
Osa lee adam asaaaloa a 2G0 um.
Cortmadoe bordados a 6*000 o par.
Merino do cores, a 900 rs. o covado.
"Ceroulas de bramante a 14* a dncia.
Madapolo americano a 6**900 a peca.
Chacheaiiras lisas a listra de combmaeoee
a l-JGO o covado.
Cambraia Victoria a 2900 a peca.
Bramante de lhrho'a 1 .-TTOO'o metro.
Toalhas para banbo a 1550 nma.
Tapetes grandes a 13*060 um.
Ceronias de linio a 34*000 a duzia.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Leques transparentes a 2*900 um.
Alpacas de quadro a 600 rs. o covado.
Camisas brancas para meninos.
Sanid.Ts de barre a 1*000 Tima.
Cretones de crea a 240 ra. o covado.
Percales f as a 200 rs. o corado
Naasok cores fixas a 240 o dito.
Lis escosaesas a.260 rs. o.dito.
Alpaca indianas.a 320 rs. o covado.
AO LaUV&Ei
Popelina blanca a 00 e 1*000 o>oovad o
Brees matnade* a 2*500 e 3*000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Regalas de cores a 1*000 urna.
Sargelim de coras a 200 r. o corado.
Cresotaiay-preta-'e brBrca>a 400 rs.
Cnamores, de crep a3*000, e 6*000 um.
Cachemiras de quadras a 260 rs. e covado.
Goaancao de crochet oora iniasi 11. -
Grinaldas paa coivatk
Satina, de odres a 800 ra. o cercado.
Cachemiras de duas larguras a 800 rs.
Cortes de linn em carto a 10* e 12*000.
Camisas alie mies a 36*000 a duzia.
Cachemira de- duas. larguras a 800 rs. o
covado. i
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Lnmos ve quadros a nO rs. o dito
Bramante trancados a 1*000 o metro.
Maias para horneas a 3*600 a docta.
Gnarnicao de crochet, braceas.
Extracte Port-Veine a 1*400
Alpacas mesdadas OOO^rs. o corado.
EntreVdla para camtBas a 800 rs.
PARA-AODAKBSMA
Merino preto de 800 at 1*800 e eovado,
Setins pretos de 1*000 at 1*400 e dito.
Crep ingrez {de seda) a 2*000 e dito.
Fidrue pretos a 2*500-e 3*000 tnn.
Luvas pretas a 2*500 e 3*000 o par.
Cheviots pretos a 3*000 o covado.
Casimira prata a 2*000-o dito.
Renda feespsnrjola a 3*800.
Bieos pretos, todos os procos.
Regatas preraa a 1*500 Mm*-
ra Prineiro de largo d. 20
(AM di: (0>H*^*
Aluga-se
a casa n. 5 do becca- Tapad, ou becco da Pyiwlo-
ba (Iti'vifei toda canda e pintada, com 2 qnar
los, apparelho e petrorno quintal; a tratar na
roa DireUa n. 45. sobrado.
Ahtgne' barato
Viscsndi' de Goyanna ns. 16a e 159.
Baixa Verde n. l C (Oponga).
Ra Visronde de Itapariea n. 43, armaaein.
Lar(> do^orpo Sanio n. 13, 2o anda,r.
Baixa Verde a*3.
Becca do fialanVlico n. 4. loja .
A tratar i ra da CoBBBtisio n. 3, 1 aadar.
escrrptwio-t!- Silva -Guimaraes flt C.
AMA
Precisa-se de urna boa eo-
gommadeir* que fa servicos, a" tractar no 3. an-
dar, porKnma^a typographia
do Diario na ra Duque
deCaxia&iik 42.
AMA
Precisarse de urna ama, de conducta
affiancada para servico domestico, na ra
Nova a. 1 1." aadar.
Mk
1'recUa-se de ama ana -para coiobar; na ra
irfitan. 23, i andar.-
t
Ama
Preciarse de un ama para cesrohar para pe-
3uena familia e que compre e durma em casa
ospatres; na ra i." de Marco n. 16, luja,
(antiga do Crespo).
Ama
Precisa-se de una ama \uot calar de enan-
cas ; na ruada Aurora n. $1, 1 andar.
Ama
Precisa-se de ama aum para cesinhar
deS. Jorge n. 131, 2- andar.
na ra
Amas
Na ra da Palma n. 4", precisarse de duas
amas, sendo urna para cosinhar e comprar, e
ostra para eaoar-se urna ronca__________
Ama de leite
Precr9ase de anra ama de lerte e de um ven-
deder de plaataa naenino eu vattio ; a tratar na
roa Saca da Victoria a. 34 na nova aaeucia de
movis.
Cosiihira
Precisa-se de urna, que saiba cosinhar e nao
sai a roa, para casaderaariUa a tratar na ra
de &*a@a.B. UL, eselo dia'ale/shsraa __
Cotfiiihcira
Proriaa ir dr urna -de boa cendoeta, para casa
de familia; a tractara ruado Baria da Victoria
n. 46.
vejam e admiremly
S o 55 ra Duque de Caxias poda
vender pelos preos que abaixo mencio-
narnos.
Amor da China, novidade em padrees, a
200 rs. o covado.
Fustas brancos a 360
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. e
covado. E' barato.'
Casacas a capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padrees lindos e precoa
razoaveis.
MadapoUo com 1 metro de largura a
6* a peca.
xZdflrs- a 80, 170, 200, 240 e 400 ra.
o covado.
Ditos bordados u. 800 rs. o covado.
Tetados arrendados a 400 e 500 rs.
covad.
Brisa de cores 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic e
prego barato.
Cambraia Victoria a 2*800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs.
co-vad.
Guardanapo bons a 1*800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs. a
covado.
Rendas hespanholas a 2* o metro.
Luvas da seda a 2* e 3* o par.
Espartilhos corfraea a 4*, 5* e 6* um.
Merinos ipretes de cores, urna vare-
dade immense em preces e quadades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpadas, grande' redcelo eas
prefes ora vista da grande quantidade.
Enxovaes parassptisados o que ha de
mais moderno c- por pouco preco, 10*000.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas ingkaas com e sem
Atoalhado para mesa .a 1* e i
rruato fino.
Collarinhos e punhoa de linho e algedae
e pea* preco barato.
Babadas e eosremekm, grande sorhV
meato.
Madapolo pella de ova por 6* a peca.
Esgrnao pardo e chambado a 40Ors.
corado.
Urna grando variedade em lencos, i
Gravatas e aieiaa paca homena.
Cretones pasa oobeVta o que da de saaa
barato e bou.
Mantilhas de renda a 5* urna.
Leqses de seehn muito chk.
Linn bordado com quadros a 800ts. o
covado, muito bosito.
Chitas saeuns e claras a 240, 280
320 rs. o oovado.
Cretoaea {rascados, finca, a 320 rS.
covado, para acabar.
Casemiva de carea e pretas um grande
sortintento em quadades e pcecos. -


Hpaf nem Diarrhem .'; nmiia&io compUtu.
A" de Ferro Tlc.bnteau reeoramesdado zs peaesas^pip nio podem eaeoHf
' i calix de licor aes mpnsfi
Fcrrc B.abutaau especiaunei, pr; as chancas.
. Urna txoUcaeio dettthaa aoomoanha cada friten.
exigir o Verdadeiro Ferro Rabuteau de CLIN ft C", dci PARS,
cncontra em cata du. Droguittat e Pharmaceuticctt.
Xarope de
m
mm
-fo0PE PHEMICO of ytjl
mfi i ^ Pharmaceuticoem Pars *Qt
, Pbssieo o principio activo osa alastros expurgados de todo emento
UM asVfialewal a aaa abaorpcAo, e ao digjra com difHculdade
8op a Arma de aerse, um eepectfioo Dcsa esotra $ Ootiooss do peito,
Bronohitee. Asmee. Ronqnldoee. Tese. Coqueloone e Gta Lpps. ProduTos
meleores rMalUdoe para as praasoas obnaadaa a (aliar muito.
GIHoeot*,-~Aemia,~CatnarrofittqiQfifii'- Brmt!tittsltFf*ir,(;.
aUuwroda xig, Phtlsica, Tosss a-^A, {Jyswsts, Pettis-
"eraos ssminaes., Cataarros aailfm e (Maptcufas, st.c
SnnlsTaril -Oenain. f. en PA3HT :>ru c":>'''-" E *r. i "
l/oaoo/ad.-- plt lamuHria H afaStM <"> imoft *> trttU.
fitVBULASx SAHDAL0 CTRHI
.ca mala
MOLSaTIAS9BORBT
;ar i rumouu Captvuu -n'iruarfammfr rvmm*nn* ' f.niHmm a
Superior Yinfao de
Passto
Pelo mdico preco de 35 o quinto e 9*000 o
garrafo de tres caadas, voltando o garrafao
7*$<)0 ; vinagre de vinho 30 o barril e 000 o
rrafao sem casco, preco? litoide ; na ra do
"rim n.0..
Cosinheira
Precisa-se de urna ama para cosinhar : na ra
da Aurora n. 81, 1- andar.
Eusiiio primario e se^
cimdario
O proitsser Joio
tem aberto
Valentiai Teixeira Baste
as ardas do seu curso desde o dia <,
de Janeiro do corren te anno.
400 e 500*b. o eovado.
Tapete* grandes peqaenos por precoi
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 1*600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. e
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato.
Cambraia braaoa, bordada, o que ha de
mais gosto e por preco razoavel a 8*000 a
pega.
Dita com salpicos a 4* e 5*000 a peca.
CeJehae argentmaB a 6**0Oirma.
Ditas de 2*, 3*. 4* e 5*000.
Bramantes de algodac e fadM/detodos
os prefos.
Grande sortimento em fichas de cores
e pretos.
Grinaldes para ne-ivas.
Luvas e leques para noivas.
Bicos de cora oit Alm do que acabamos de annunciar.
temos utwa narrtidade de srtigos qHe a
vendo-se, se acredita, pelo que pedem qae
comparecam.
Dao se amostras aem -penaor. > >
Setinctas lisas de todas as ores a 400
ra. o covado. Sito Trmrto largas.
Roupa feita e por medida.
55 RA DUQUE DE CAXIAS i ;:
niuiBiiEmvEiio&L.
(m\c\uv> do Monte e Secewro
a ttntmm, *m lobobs
'.tmnoai.
a uil '-
aV
' Anooa -!*-y m!r-'.

roiiheira
de BjQMi ,.aia que coeiolie bem
i
Costure ira
UU
W da ra Duque de
i o Diario
Precisa He urna boa costureira ; na ra da
Aurora n. 81. I andar.
Ori;
: asa lenta ee patoaipa
Kt
de Brasa! e io PortngaJ
Para medicoou
' Aluga-se a sala
'o. forradu >

lijado
ao l.
Serrara a vapor
Caes do Cap ib aribe
Tem para vender diverjas bataneas sendo urna
iropria para engenhos centraes ou estradas de
erro, por -er de grande forfa do peso. Temdi
versas bombas grandes de differentes modelos
Tudo w rende por precos commoilo.
asa i, quaresma
Alta neviflftde em surahs. lailles, SOlim
merveilleux, ottomanes e sedas pretas do Lyoo,
rendas bieos, escoibido sorlimeiHo em puinas.
guarnicoes e pellermes de vidrilho preto ; na
rur Sarao da Victoria n. 15..sobrado, atelier ma-
Fanny Silva, modista i i. -

S
Telephone fi4BS
Cosinheira e topeira
Na ruada Sol edad e
e de urna boa eos
nheira e da urna cope.ra.
.*-_
82
Compra-s lutellas do Monte de Soccerro de
qualquer joia, brilbantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independeneia n. 22. lo .. Ir
relojoeiro.
Guide internacional
D'Ettrope au Briletla Plata
Este flua, redigido em portuguez, em fmnesi
e em he>p*nuoi, indiapensavel para w''*tgt
viajante, tanto da Europa para o Bruzil, cota
as ensias do Imperio e do Rio da Pratu rrea-
tra-se us casas seguinles
Sulzer Kauffmann'b C 34 ra M.;rqn*z de
Olinda.
Charles Pluym & C 24 ra do Commercie.
K P. Bonliirenn. 46 ra dd Impe'
Francisco Soares Qumtai -4 ru {e
Boa aeqmsic-
Aluga-se a foja do caes 2fTle No S8,
muito ppopria para qualquer \* rio
a t-atar no Louvre fua 1 de Mar.
Professorn
i hora rompetentement
ollegw
"''mm'ps ni;ttpria. <.
JZ
3%
IL



8
Diario de PernambucoDomingo 17
ESTABELECIMENTO
n >tpi
PIANOS E MSICA
' -INl'AD'i.Kvi 1851
^3-KUA DOS OU.UVES-43
J. 1IVILAGQUA
_: ____.___..............^S9. oi.k.l.;
p bt-8 ? '
i >' r*K.
t ri-r qp > >pr
pgUW'ciroptiti- o roaior m.is eseolhido
^le*^? tt\ s vm^*rt* ^s ^\%w

W9mB
i mi
i? -r -
feII (primeiro labricante da Allemanba)
O ntttruiros com chapi inteira de m^tal, propria para o noeso clima <^f_.
k re /arfas, graade sonorlriade, pe re i cao. duraco e solidez v*
rus:. Aorara, s,rzu, bebz, bqisseloi s auisas
f.< \t < rr-nt-s -ri>> r*'.ttt<-iit<- a quena os partir.
GRANDE OFFMNA PARA CONCERTAR PIAN'JS
MSICA
D
instrumentos, nrefcesra bn Iba ont-n'.o setf p c>8 de rousica, alroaaach e catalogo de pee*s escolbida
. MINIATURA.
8 ra i despachadas com ma< r brevidade, desde que veubam acompaobad-.
todos os editores d'Europa para piano, canto.
JinilTI H Ml'wit'ti. :
Quem nos remetter 520 r. enviaren*
' As eDComaieod*B que dos forem dirigidas
de s^d valor.
N. B. Oa batimentos ser3e propngciooa^os o valor das eDcommendHS,
Grande officina para gravar e imprimir msica
As pessoas q e quizerem mandar editar >u a coirpoaicSea dev-m remelt r-noi 6s manuscritos para s raro infirmadas da
despesa.
PREGOS LIIYIITADISSIMOS
J. BEVILACQUA
43-RUA DOS 0IVES-43
Rio de Janeiro
-

Precisa-se de um
botel.
Cozinheiro
no Carainho Novo n. 118C,
Peitoral de Cambar
DE
Jos
Alvares de Socza Soares
De Pelotas
Approvado pela Exma. Junta Central
de Hygienc Publica, autorisado pelo Go-
verno Imperial e premiado com duas me-
d al has de ouro de 1.a classe.
* O peitoral de cambar cura perfeita-
mente a bronchite aguda ou chronica;
O PEITORAL DE CAMBAR Ctira a asthma
por mais antiga que seja;
O peitoral de cambar cura de tuna
forma admiravel qualquer rouquidlo ou
perda de voz;
O peitoral de cambar cura incontes-
tavelmentb o tysica pulmonar;
O peitoral de cambar cura as tosse
simples, as defluxo"e3 tan fcil e rpidamen-
te que ao proprio doente causa admira-
90.
Este importante medicamento vende-Be
a 20500 o frasco, 130000 1/2 duzia e
240000 a duzia, em cas% dos agentes e
depositarios geraes.
Francisco Manoel da Suva 23 Ra Mrquez de Olinda-23
FOLPETIM
SEM MAI
POR
INNOCENTE OU CULPADO P
(ContinuaSe do n. 62)
CAPITULO V
O club dt
Porque nao fallara nelle ?
Voltou em seguida historia da ausen-
cia de Jorge.
Porque nSo fizera a competente parti-
cipar o polica?
Pedro tentou justificar-sc :
E se mea cunbado estivesse n'um
lugar que ninguem e aobretudo sua joven
snulher devesse conhecer?
A divulgajao disso.nSo poderia compro-
netter para sempre a felicidade de minha
rmi, talvez ate matal-a, no estado em
e ella se achava?...
D jniz mostrou cntSo grandes indigna-
Suspeitar da conducta do 8r. Cha-
niers, tSo apaixonado pela esposa, to cor-
recto, t3o bem comportado !... Na ver-
dade, era preciso estar exhaurido de re-
cursos para chegar a tal desculpa!...
Pedro nSo insisti.
Para que ?
E os trinta e pito mil francos des-
apparecidos da aixa ? pergnntou o Sr.
Courneuve, porque nao fallou nelles?...
Accosava tambem o Sr. Chaniers de ha-
tel-os carregado ?
Pedro estrenfeceu at medulla.
O que responder ?
O que dizer?
Pensou em soa irm. que jamis lhe
perdoaria as mas suspeitas, conforme ella
iropria o havia declarado, e preferio ca-
ar-se.
Se solres porque queres
USA E CONVENCER-TE-HAS
CURA R A DUAL
SEM DIETA
DAS
Molestia de pelle
SYPHILITICAS.
Darthros, sarnas., ulceras antigs, im-
pingens, bobas, gommas, cancros, rheuma-
tismo c morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applicacjlo fcilUso sem perigoEf-
fetos promptob, dieta razoavel.
Contra fados bao ha argumentos
Estes remedios sSo os mais comniodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direcc3es para uso d'estes medi-
camentos admiraveis.
Preo do ungento 10200 o frasco.
Pre5o do xarope 30000 a garrafa.
Preparados por Calazans & C. Phar-
macia Imperial, Baha.
Deposito ao Reclfe
Francisco Manoel da Silva & C.
. na Mrquez de OUnda n. 23_____
senhor desse dinheiro?
juiz muito satisf'eito, ao
O que fez
pergntqn-lhe o
cabo de alguna segundos
Eu ? replicou Pedro estupefacto, nao
toqueirlhe.
Nao negu, insensato. Confesse
antos; preferivel sob todos os pontos de
vista.
Confessar ?... Mas o que, grande
Deus ?... Que sou um assassino e um la-
drao, eu !... Mas isto para por ura li-
me m doudo !
O Sr. de Courneuve encolheu os hom-
bros.
Mas o que poderia eu azer desse di-
nheiro, exclamou Pedro ao cabo de alguns
segundos, eu que nSo tenho urna nica ne-
cessidade e que reservo as tres quartas
partes dos meus lucros, entretanto nao
muito consideraveis ainda ?
Veu dizer-lh'o. No da de Pente-
costs o senhor deixou i Sra. Lavarande
urna hora e meia.
Nao neguei i aso.
Sim, mas nao foi ao Havre pelos mo-
tivos que declarou.
Por qnaes entilo ?
Para jogar.
Jogar, eu ?... Ora essa!... nunca
toquei n'uma carta depois da morte de meu
pai.
Quando meco, o senhor tinha verda-
dera paixZo por essa distraccSo, sobretu-
do pelo baccarat-
Nao neg. Mas quando tornei-me
chefe de familia jurei sacrificar eisa pai-
paix&o, como o senhor chama-a, e...
NSo cumprio o seu juramento.
Cumpr-o, ao contrario!
Em todo o caso, nSo noHavre.
L como em qualquer outra parte.
Est em formal contradiccSo com
pessoas as mais idneas.
Que me viram, n asi'm, Pedro de Sau
ves, jogando ?. ..
Sim, o senhor.
Dou-ihes o mais formal desmentido.
Onde estSo essas pesaras?
HSo de ser-Ihe apresentadas, esteja
tranquillo. O senhor jogou, portanto, no
Club das Ondas, no Havre, das duas as
cinco hora?, no dia de Pentecosts e per-
deu urna quantia consideravel.
Mas itso falso, arehi-falso! Nunca
puz os afc^m tal club, nSo sabia sequer
se elle cae' ia.
O SrW^Courneuve, sem responder di-
rectamente ao inculpado continuon :
O movel do sou crime, que hontem
escapava-noii/ -nos explicado hoje: O
senhor perdn sob palavra 41.000 franco.
Casa para alugar
0 3 atdar da ra larga do Rosario n. 37, de-
fronte da igreja : -a tratar na loja de cat*llei-
reiro.
Caixeiro
Precisase de un caixeiro com bastante pra-
tica de molhados ; a tratar na ra Visconde de
Goyanna n. S15. _______
Itamb
Rogase ao Sr. Adelino Celestino de Miranda,
collector de Itamb, se digne comparecer no
caes do Apollo n. 67, armazem, negocio que
nao r extranho.
Para torrara de caf
travessa das Cruzes n. 8. ha para vender : um
l'ogo, um torrado;' cylindrico, um moinho. ba-
langa c pesos, tudo de ferro, em perfeito estado
de conservacao. \h
Fauny Silva. French dress mu A LOJA MAIS BARATERA
Dresses aod maotles nade in
the raoM fasfclonable maiief
aod oa the shortest aotlee.
15 floor Bario da Vh-toria
Telephooe n. 93
E
'PARIZ OMEKICA
VENDAS
Cha preto superior
Carlos Sinden aviBa seus amigos e fre-
gneze3 em geral que recebeu pelo ultimo
ttpor cha preto novo e superior que ven-
de por preces mais resumidos em vista
da coninuayo do. cambio favoravel.
Convem que experimentem.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 4*
Vende-se
barato um carro de quatro rod.as, em bom esta-
do ; quem pretender dirija se ra do Hospicio
numero 6.
Vende-se
Lina (averna bem localizada e com poucos
fundos, o motivo por sen proprietario ter-se re-
tirado para fura da cidade por motivo de moles-
lia*, a tratar na ru Bella n. 37.
Alambique
Vende se um alambique de tamanho recular e
em perfeito estado, com a competente raspadei-
ra, propria para engenho; a tratar na fabrica de
vinagre ra Barao do Tnumpho n. 75.
Milho 340 rs. a cuia
Vende-se no Largo do Mercado n. 12.
Assucar
Usina Pinto
Santa Filonila
Colonia Isabel
Na refinagao Salgueiral, ra Mareilio Dias
numero 22.
Assucar refinado
especial, o melhor que se fabrica nesta cidade.
JOAQl IM SALGUEIRAL 4 C
Kua Matalio Dias n. 22
Telephoae naaaero 115
Terreno
Bom pwra eoudelaria ra Mrquez do Her-
val 80 e 82 ; para ver, na casa ao pe, e tratar
na ra MarqueadeOlindan.25. Tem cocheira.
SET
Rojal Blend marea VUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Hoyal Blend marca Vlado,
cujo nome e emblema sSo registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mi|!e 4 Biset, ansam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-teiras, tem este sa-
ooroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
Typogaphia e Lilbograplua
FABRICA DE LIVROS DE ESCRLPTU-
RA^aO
Premiada aas eiposlede de
ISSelNS
Manoel J. de Miranda
Encadernacao e especialidades em cartees de
visitas.
59Roa Duque de Caxias-3)
Telephooe n. 194.
As economias que tinha cm sua casa, nSo
chegavam para liquidar a sua sitnacao, o
senhor dirigio-se ao gabinete da usina,
onde sabia que estavam os 38.000 fran-
cos guardados na vespera por seu ennhado.
Esta va consummando osse... emp estimo,
quando o Sr. Chaniers chegou e sorpren-
deu-o. Houve entSo provavelmente urna
violenta discussSo entre os dous, essa
discusaSo degenerou em hita, o senhor
deitou por trra a sua victima, ligou-lhe
as mSos com urna das correias que ser-
viam lhe de ordinario para atar os seus
macos de papis, estonteou-o com o seu
casse-tte, esse casse-tte cuja existencia o
aenhor negava hontem, e depois estran-4
guin seu cunhado... No dia seguinte os
41.000 francos eram pagos. Infelizmente
na mo do cadver havia um punhado dos
seus cabellos.
Mas tudo isso nSo paasa de urna es-
pantosa invencSo.
Os que o viram no Club das Ondas
reconhecerara-no.
Encontraram-me entSo depois disso ?
Foi-lhes mostrada a sua photogra-
phia.
Pedro respiren.
Dar-se-ha caso que urna photogra-
phia seja sempre parecida e possa forne
cer urna idea da texp do olhar, da expres-
so geral ? replicou elle.
L por isso nao seja a duvida, disse
o Sr. de Courneuve levantando-se; vou
dar ordem que introduzam as pessoas que
pretendeni reconhecel-o.
Unr homem de cerca de cincoenta annos
foi o primeiro a entrar.
Era alto, um pouco franzino, com es ca-
bellos grisalhos, os olhos azulados muito
leaes, o nanz firme, um toda aympathico.
O seu nome e qualidades ? pergnn-
tou o jniz.
Norberto Sallanches, armador, do-
miciliado no Havre.
Este nome.era mujB conheeido, e o
seu possuidor um homem dos ma3 esti-
mados.
Pedro de Sauves estremeceu, agitado
Sbitamente como por urna descarga el-
ctrica.
Se o Sr. Sallanches dizia reconhecel-o,
que elle, Pedro, havia perdido a nocSo
das cousas, que fizera-se urna lacuna na
sua vida ; que estivera doudo, e qne esta-
va-o ainda.
Reconhece aqui o senhor ? interro-
gou o juiz.
O armador olhon attentamente para o
homem que se achava diante delle, de p
em plena luz.
Vende-se a armaco que
foi da loja Florida propria
para loja de ferragens, miu-
dezas, tabacaria ou venda,
quem a pretender dirija-se a
ra Duque de Caxiasn. 103.
Mercearia
Vende-se urna mercearia das melhores nos*
arrabaldes da Boa-Vista ; pai a informarles, na
ra do Socego n. 33,gtavci na.
aBsHBBaaaBBaaB^BBaBa^BBaBaasaaBaaBaBaBSHBBava^BaBtaaaBaBataa
Houve alguns minutos de silencio mor-
tal e de suprema angustia.
Ouvir-se-hia na sala o trabalho de urna
aranha a tecer a sua teia.
Sim, disse finalmente o Sr. Sallan-
ches, reconheco-o como o individuo que
jogou no dia de Pentecosts no Club das
Ondas, e que perdeu urna qnantia consi-
deravel.
Pedro sentia-se morrer.
Eu? exclamou elle. O senhor cn-
gana-se. Confunde-me com alguem que
se parece commigo, sem duvida. Nunca
puz < s ps no seu club, juro-lhe.
O Sr. Sallanches reflectio novamente.
Nesse instante o Sr. de Sauves ator-
mentado pela idea de que urna incompre-
hensivel ratalidade o persegua, fez um
involuntario movimento com a cabeca e os
hombros.
Oh! agora, exclamou o armador s-
bitamente convencido, estou certo. O se-
nhor acaba de fazer o mesmo jogo de phy-
sionomia que fez l, quando disse: Sou
na verdade muito infeliz. Tinha jurado
nSo tocar nunca mais n'uma carta ; por-
que nao cumpri o meu juramento ?!...
Eu, eu disse isso?... Mas >' urna
aberracZo semelhante cousa I
Sou incapaz de inventar o quer que
seja, e parece-me ainda, aenhor, ouvir a
sua voz, ver o seu rosto...
Era ao senhor que o Sr de Sauves
devia os quarenta e um mil francos ? per-
guntou o juiz de instruccSo testemu-
nha
Inteiramente, nao, senhor.
Quanto lhe devia elle ?
Trinta e um mil francos, que recebi
quarta-feira d manhS pelo correio.
~- Com um bilhete, sem duvida?
NSo, senhor, as notas eatSo simples-
mente embrulhadas n'um papel.
Tinham seguido registradas ?
Sim, senhor.
Em que data?
Com certeza terja-feira depois de
Pentecosts, pois recebi-as na quarta.
Bem, ser fcil ver o nome do re-
metiente.
O rosto de Pedro illuminou-se sbita-
mente.
EntSo, disse elle, estou, salvo!
03f. Sallanches olhou para elle muito
admirado.
PerdSo, senhor, disse o juiz teste-
munha, tenho necessidade de perguntar-
lhe se os estranhos admittidos no Club das
Ondas nSo dSo o nome on njo sSo opK-
sentados por amigos.
O armador sarrio
AZEVEDO, IRMaO & ".
16Ra do B. da,Victoria--16
. 200Te/ephonc-200
Tendo recebido directamente di. Europa
grande .ortimento de fizendas e modas o
que ha de mais novo c pregos sem com-
petencia.
A saber :
Capas de surah, senda e merino.
Renda preta, diversas qualidade-.
Etamines, pretos, de la c 13 seda.
Damasco de seda pura.
Merinos pretas de 80&lfKKK)e 1^200,
Cr.noline preta e branca a 400.
Sargelim, todas is e5res, a 20*J rs.
Bramante de linho a 1^500, com
palmos.
Toalhas para banho a loOO e 15500.
Chaehemiras com 2 larguras a 800 rs.
Ditas de l & sed 2 larguras a lOOO.
MadapolSo trangado a 9-5000 a peta.
^Dito globo a 7-5000 a dita
Dito camiseiro a 7-SOO.
Dito Boa-Vista, verdardeiro, a 6-)0< x'.
Fichs de 13 e seda 1)5000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Espartilhos couraca a 45000 e 55000.
Colchas de fust3o a 25000 e 35000.
Capellas para noiva com vo bordado a
65000.
Toalhas de cores para rosto.
Rendas, comprimento de saia a 15500.
Renda de 13, preta, para quaresma. .
I ano verde para bilbar.
Tapetes para sof a 135000.
A verdadeira .esteira para fono de sala
a 15000.
Camisas de flanclla a 55000.
Cortinados de crochet para cama a
105CKK.
Chitas de cores a 200 rs.
Cretones com 2 larguras a 40U.
Baleias com forro a 390 a duzia.
Ditas sem forro.
Seda de cores a 800 e 15000.
Extracto Rita Sangal a 25000.
Velbutina de quadro a 800 e 15900.
GuarnicSes, pretas, de vidrilhos.
Bicos de seda, brancos.
Caixas com extractos para presentes.
Rendas hespanhola a 45000.
Capachos de coco.
Luvas de seda a 2-5000 o par.
Meias de seda para homem.
Hita de dita para senhora.
Flanellas de cores para roupas.
Panno da Costa para mesa.
Vestuarios para baptisado.
Colchas, de crochet com Horca.
Crep inglez para enfeite*
Grande sortimento de chapeos de sol.
Setineta para coberta a 000 re.
Cortes de collecte de seda.
Dito de fusto de cores.
Dito de casemira de cores.
TELEPHONE 200
3NrAo caFLoexa
Que se possa Tender por estes
p r e e o s
13
RA V1SC0XDE DE LNHAUMA
Cambraas branca; a 360 rs. a vara.
Pita com sal piros a" 500 rs. a dita.
Popelinas cpm lislras a 0 rs. o covado.
Las de quadros a 160 rs. o dito.
Ditas cbinezas a 200 rs. o dito.
Zefiros muito largos a 160 rs. o dito.
Setinetas lis;i- a 360 rs. o cilio.
Setim preio multo bom a 14200 o dito.
Velbutinas a 700 re. o Cito.
Merino preto <2 larguras) a 800 rs. o dito.
Sargelms todas as cores a id) rs. o dito.
Chitas escuras e claras a 2"0 rs. o d,ito.
Cretones para camisas a 240 rs. o dito.
Brim de cor (linho) a 500 rs. o dito.
Dito branco de linho, n. 6 a 15500 o dito.
10 Vtstidos fin carto a MOOO.
Toalhas felpudas para banho a 1.800O.
t>ita dita de rosto a360rs.
Camisas de flanella a 2-S0O0.
Dita de meia a 1*000.
Ceroulas de linho a 1*400.
Camisas francezas a 2-5000.
Colchas de cores i 1*80.
Fichs de retroza 1*000"
Ditos grandes a 2*000.
Chales de quadros a 8000. '
Meias de cores, arrendadas a 700 rs.
Ditas brancas a 300 rs.
Collarinhos de linhos a 300rs."
Madapolo muito largo a 44^00 a,
Meias-casimiras de cor e preta:
guras a 1 o covado.
i.irandr sortimento de ''usin'.iras iBglezas, crte-
de fualoes para rolletes, cortes de casimir;
para caiga de 6*, 8* e 10*.
Mandamos fazer qualquer obra emnossa ofllcin?-.
por preros que outros no podem fazer.

duas lar-
ver para
Gonc,aves Sant
rt
Vende-se
o estabelecimento de molhados sito ra do
Bom Jess i>. 20, antiga da Cruz, est bem sor-
tido e afreguezado ; a tratar no mesmo.
Armacao
Vende-se urna armaco de amarello enverni
sada e envidracada, propria para qoalquer nego-
cio, ra Visconde de Inhama, outr'ora Ran
gel n. 19, a garaate-se a chave da dita casa. Na
mesma acharo com quem tratar.
Vende-se
urna boa armacao envernisada e parte envidra-
cada, com balcao de volta ; a tratar na roa Mr-
quez de Olinda n. 48. com o agente (JusmSo
Armaco
aaca
ualq
Vende-se urna magnifica armaco de amarel-
lo, envidracada, propria para qualquer estabe-
lecimento de primeirn ordem : a tratar na ra
Duque de Caxias n. 75, loja.
Devera ser assim, disse elle, mas
no Club das Ondas esquece-se s vezes
esta formahdade. E, se o estranho tem
bom aspecto e joga forte, nSo se lhe per-
gunta mais nada.
Mas como a gente honrada que faz
parte desse club consente em tal cousa ?
Sao os estranhos que em geral jogam
mais forte. E o jogo urna paixSo que
faz com que a gente deixe passar umita
cousa.
Quando se paga vista v l!...
Mas quando se joga sob palavra ?...
.- Quando o jogador estranho perde
tudo quanto trazia, os que tem alguu lu-
cro com elle tornam-se commodos. Aquillo
n3o commercio, os nossos capitacs nao
csto empenhados, accrescentou o arma-
dor com um sorriso. Se as sommas per
didas sob palavra, voltam, bom ; se o
que as deve esquecer-se de pagar, tanto
peior.
O Sr. de Sauves tinha j perdido e
pago vista antes de jogar sob palavra ?
Sim, senhor, e sommas bem impor-
tantes; seria, portanto, cruel recusar-lhe
a desforra, que nos damos sempre pelas
razies que lhe expuz ha pouco.
Bem, senhor, pode retirar-se.
A segunda pessoa chamada era um cor-
reffr maritimo, igualmente muito conhe-
eido, ao qual tinham sido devidos os ou-
tros dez mil francos tambem perdidos sob
palavra.
Reconheceu Pedro de Sauves, como o
havia reconhecido o Sr. Sallanches, e, com
grande estupelccSo do infeliz inculpa-
do, den as mesmas explicar-oes que o ar-
mador.
Depois destes importantes depoiinentos,
o banqueiro, o Sr. Grard, e o seu secre-
tario contaram a m impresso que lhes
havia causado o Sr. de Sauves com a 6ua
angustia e a sua preoecupacSo, quando
fora casa delles buscar os quarenta mil
francos destinados a substituir os trinta e
oito mil desapparecidos.
O senhor nSo fez observacSea sobre
esses dous levantamentos t3o prximos um
do ontro? perguntou o Sr. de Courneu-
ve.
Isso seria muito inconveniente da
nossa parte, Sr. juiz, responden o Sr. G-
rard. O Sr. de Sauves podia assignar a
firma social, como o Sr. Chaniers, e, urna
vez que tinha capitaes em nossa casa po-
dia buscal-os, nSo nos competia fazer a
menor observacSo.
Os operarios, chamados a seu turno, de-
clararan! todos, apezar da evidente sym-
pathia que manifestavam pelo Sr. de San-
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores proprias
para os amadores do Prado e est venden-
do por precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punios
de borracha de formatos novos.
48bca babXo da victoria48
Para a quaresma
ALTA NOVIDADE em surahs failles, 3etim
merveilleux. ottoraanes e sedas pretas de Lyon,
rendas e bicos, escomido sortimento em palmas.
guarnices o pellermes de vidrilho rireto ; na
ra Barao da Victoria n. 15, sobrado.
.tteller madame Fauui Uva
MODISTA E COSTUREIRA
Telephone n. 93


Grande redcelo em precos
NA
Loja do Triumpho
A: RA DUQUE DE CAXIAS N. 49
Merinos de cores, 1 largura, a 200 rs. o covado.
Dito, idem, 2 ditas, a 500 rs.
Dito, idem lavrados 2 ditas, 700 rs. o dito.
Etamine de listas arrendadas, 400 rs. o dito
Cretones finos claros, 240 rs. o dito.
Linn estampado, padr&es novos, 320 rs.
dito.
Las de quadros finas, 240 rs. o dito.
Ditas raescladas finas, 300 rs. o dito.
Zefir de quadros largos, 240 rs, o dito.
Saias bordadas finas, 3*000.
Camisas bordadas para senhora, 41.
Ricos cortes de cretone com figurinos, 8*.
Toalhas acolxoadas grandes, 4*500 a duzia.
Guardanapos muito bons, 1*500 a dita.
Madapolo fino largo, 24 jardas por 6*400.
Algodao largo, 10 metros, 2*500 a pega.
Dito idem 20 jardas. 4* a dita.
Dito idem superior 20 ditas. 54200 a dita.
Bramante 4 larguras para lenges, 700 rs. a
vara.
Camisas de linho sem colarinho sem punho,
3*000.
Cortes de casimira ingleza, a 44 e 4*500.
Lencos de esguio finos, a 2*500 a duzia. I
Esguio branco para saias e casaros, 3*500 a
peca.
Cambraia bordada, 4I5"0 a pega.
Merinos pretos tinos, 800, 900 rs 1*, 1*200 e
1*40'> o covado.
Sedas e 3etins pretos, grande variedade de
precos.
Bastos & C.
I .i-
?,
r


ves, que o patrSo como elles o chama-
vam, andava atrozmente preoecupado de-
pois do desapparecimento-do Sr. Chaniers ;
que em certos dias pareca um doudo, nSo
fallando, conservando-sc todo o tempo com
a cabeca apoiada as mSos, sobre a mesa
do seu gabinete ; ou correndo as officina
sem nada ver, com os olhos desvairados.
N3o set esqueceram de ass'ignalar igual-
mente a resistencia que Pedro havia feito
quando tratara-se de mandar esjpaiar o
tonque, do qual exhalava-s um cheiro
verdadeiraraente pestilencial. *"
A senhora pedio-o por diversas ve-
zes ao Sr. t edro, declararan! elles, e se
nSo se aproveitasse da ausencia do patrio
para mandar ella propria fazer esse tra-
balho, n3o se sabe, com este calor-o que
acontecera.
Tornava-se evidente para o juiz que o
Sr. de Sauves sabia melhor do que nin-
guem o que contmha o tanque, e que nSo
queria que o esgotassem.
O agente de publicidade, interrogado
por sua vez, e que guarda va um certo ran-
cor contra Pedro pelo mal que elle fizera
ao seu negocio, prestou o majs desfavora-
vel depoimento:
Despota, violento, nSo supprtando que-
se fizesse cousa alguma que nSo fosae da
sua iniciativa, contrariava o Sr. Chaniers
e tinha a pretencSo de ser senhor nico.
Tudo isto era grave, o Sr. de Sauves
bem o via, mas dir-se-hia que a sua cora-
gem avigorava-se proporc,3o que lhe aug
mentavam a carga.
Seria o sentimento da sua honestidade
da sua irreprehensivel conducta que lhft
dava forcas a sua consciencia implacave.
que tinha a certeza de triumphar?.. .
Ou antes um carcter de tempera supe-
rior, que, passado o primeiro momento de
pasmo, rcconqu8talli o seu poder ?...
Em urna palavra, o Sr. de- Sauves seria
um homem de bom, victima de um con-
curso de cirenmstancias t3o fat'aes quanto
extraordinarias ?...
Ou ao contrario, estar-se-hia em pre-
senya de um criminoso temive!, perigoso
e intelligente, resolvido a negar at ao
cadafalso, e quagamerava aproveitar ee da
indecisSo torcaaV^ue o mysterio trazcom-
sigq, quer para a opiniSo pnblic, quer
para o espirito dos jurados ?

n
O Sr. Marais
perguntas com
sumia as propo:
pno estas
que
-te-ha)
Typ. do />('(rio_rva Duque de t
tVCi!-^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEINOOUJ6_0IFM69 INGEST_TIME 2014-05-28T18:29:22Z PACKAGE AA00011611_18291
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES