Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18288


This item is only available as the following downloads:


Full Text

*

i
)
\

O
PARA A CAPITAL E UtARIS OXDE XA SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 60000
Por seis ditos idein................ 12)5000
Por um anno idem................ 23f5000
Cada numero avuls\ do mesmo dia..... ." (5100

m
outetatoia u 'nmmm de iss9
PIRA IMVTItO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados ................
Por nove ditos idem.......... .'.
Por um ansndem................
Cada numero avulso, de dias anteriores..........
134500
205000
26.JOO0
0100

DIARIO DE PERNAMBUCO
Troprkdade de Mancel ffigueirca de ZFaria # ffitycs
Os Sis. mede Frin-
ee & C. de Pars, sao
os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios
e publicares na Fran-
ca e Inglaterra.
TELEGRAMAS
se?,?::: mmm so r::s;c
RIO DE JANEIRO, 13 de Marco, s
2 horas e 17 minutos d tarde.
.-
. 'Foram promovidos : ki$gg
O major do 1. batalhiu de infantera,
Honorato Candido Ferreira Caldas para o
posto de tenente-coronel commandante do
19.c da mesma arma.
O capitSo do 6. batalhao, Luiz Alves
Le;tc de Oliveira Salgado para o posto de
, ^ajor do l.c batalhao.
Foi exonerado do commando da for-
taleza do Brum o coronel Joilo Evangelis-
ta Nery da Fonseca.
Achava-se convocado para ante-hon-
tem um meeting no largo da Lapa para o
run de seren reelamadas providencias re-
lativas ao estado sanitario da Corte.
O meeting deixou de realisar-so por ter
Sido prohibido pela polica.
Em conseqnenqja disto renniram-se hon-
tem muitas pessas em frente do edificio do
Club Tiradentes e processionalmente enca-
janharam-se para o largo do Paco e ahi
ram pronunciados varios discursos.
A ordem publica nao foi alterada.
guerre. Laisant e Turquet, deputados, to-
dos boulangistas militantes e como mem-
bros da Liga dos Patriotas; tanto a com-
missSo do Senado como a da Cmara dos
Deputados encaiTegadas do exame da pro-
posta sSo favoraveis a adopcao do projecto.
PARS, 12 de Marco.
O Duque d'Aumalc fez urna visita ao
Sr. Carnet, presidente da Repblica Fran-
ceza.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
13 de Marco, de 1889.
1NSTRCCI0 POPULAR


ssst::: il ahici wl:
PARS, 12 de Marco.
I A autoridade judiciaria tendo endereca-
do ao Senado c a Cmara dos Deputados
um pedido de autorisacao para processar o
Sr. Alfredo Naquet, senador, Georges La-
AS GRANDES I Vil\{0ES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
POR
2*37X2 a?24K37XR
vu
O idro
(Continuacao)
No scalo XIII os venezianos, que tinbam des-
coberto o segredo de estanhar o vidro, espalha-
ram por toda a Europa vidros cstanhados sob o
nome de espelhosde Veneza. ffectivamente os
antigos nao conhecerem a arte de estanhar os
esperaos ; os que possuiam erara formados de
urna -un|>lr- lamina deprata polida, ou de outro
metal pouco oxydavel e com superficie mui re-
flectante.
Os venezianos adquirirn) grande reputaco
na arte de trabalhar e decorar o vidro com que
formavam toda a qualidade de objectos, tSo pre-
ciosos como elegantes.
No principio do secuto XVI, a arte de fabricar
vidros estendeu-se de Veneza at a Allemanha.
Os vidros de cor que se fabricavam em Bohemia,
constiluiara urna novidade para esta industria.
A arte de gravar e lapidar o vidro, transforma-
do por esta forma em um objecto de ornamento
foi, segundo se diz. inventada por um artista
allemo, chamado Gaspar Lehmann. a quem o
imperador da Allemanha, Rodolpho II, fallecido
em 161 i, conceden o titulo de gravador de vidro
da crtrtp de Ailemanha. Nao obstante, a arte de
polir e decorar o vidro nao havia sido de todo
ignorada dos antigos, porque Pimo falla de uns
tornos que no seu tempo, se usavam para gravar
o vidro.
O crystal a mais preciosa das variedades do
vidro, e de invenco mais moderna, tendo-se fa-
bricado pela primeira vez no setulo XVII, em
Inglaterra,
Quando se derrete em um cadinho, aquecido
at ao rubro, urna mistura, feita em proporcoes
convenientes.de silica(areiapura) ed'um oxydo
metallico, alcaline|oii terroso (potassa, soda, cal,
alumina ou magnesia), a sili a combinando se
com o oxydo metallico, d o'rigem a urna msela
de silicatos diversos, isto e, a silicatos de potas-
sa, soda, cal, etc. Os silicatos de soda, de
potassa. de cal, de alumina, puros ou misturados
isto o resultado da combinaco da silica com
a soda, potassa, cal ou alumina constitue pois de
um modo geral o producto designado pela deno
minago geral de rdro.
As variedades de vidro que se conhecem na
industria ol>teem-se modificando a naturezacas
proporcoes dos elementos que o constituem, a
saber :
Vidro commum, composto de silica, soda e
cal.
Vidro de garrafas, formado de silica, soda ou
potassa, cal, alumina, e oxido de ferro.
Vi iro da Bohemia, composto de silica, potassa
c cal.
Crystal, formado de silica, potassa e oxydo de
chumbo.
Chama-se flint-glas> a ums variedade de crys-
tal, mais rica em chumbo do que a precedente ;
e strass a um crystal em que abunda mais o
chumbo do que em o flint-glass.
Fallaremos nicamente do vidro commnm, do
de garrafas e do crystal.
Vidro commum-Os vidros incoloros ordina-
rios que se usam para copos, vidracas e espelhos,
sao feitos de silica combinada com cal, potassa
ou soda. Os mais bellos vidros de base de po-
tassa ou de cal sao os vidros da Bohemia. 0 vi-
dro branco de primeira qualidade fabricase em
Pars com areia de Etampes, de Fontainebleau
au do Cabero d'Aumont, greda branca de Bougi-
val a carbonato de soda.
O forno para vidro consta de urna fornalha
central, rodeada de dous compartimentos late-
raes, em que se collocam as materias que en-
trara na composigo do vidro para lhes fazer re-
ceber urna calcinacao preliminar. No meio est
a fornalha ; de ambos os lados ha dousfleompar-
timentos nos quaes o vidro submettido a urna
temperatura menos alta. As materias que hio
de formar o vidro, isto a areia e os carbonatas
de potassa e cal, depois de matariadas, isto ,
aquecidas a urna temperatura moderada no com-
partimento lateral do forno, sao eollocadas na
fornalha central, dentro de um cadinho, aonde
se derretem e produzem vidro. Este producto
liquefeito pelo calor de forno, recebe era segui-
da differentes formas .pelos meios que varaos
descrever.
O principal instrumento "do vidreiro ( um ca-
nudo de ferro, com cabo de madeira. Daremos
como exemplo da maneira por que e vidreiro faz
objectos de vidro por meio deste instrumento, a
descripgo da prepago do vidro de vidraca.
O vidreiro mette a extremidade do canudo me-
tallico dentro do cadinho que contera o vidro li-
3uido. Tira urna certa porco de massa de vi-
ro qual d primeiro a forma de urna pera
rauilo grande. Continuando a soprar pelo ca-
nudo augmenta a massa do vidro. Submetten-
do-o a diflerentes movimentos de rotacac e oscil-
lago, o vidreiro consegue dar ao vidro a forma
de um cylindro co e alongado. Com urna the-
soura corta-se rpidamente o calote que termina
o cylindro de vidr ainda molle com o calor ;
depojs separa-se do canudo o cylindro de vidro
assim fabricado, collocando urna gotta d'agua ua
parte visinha do canudo e applicando no mesmo
ponto um rame em braza, o que occasiona urna
separago ntida eimmediata. Cortase depois
o cyTlndro, no sentido do comprimento, por meio
de urna gotta d'agua e urna baste de ferro en
candescente. Transporta se depois o cylindro
de vidro para o forno de estender.
O forno de estender, destinado a dar ao vj-
dre um certo grao de calor, que perdeu em vir-
tud* das manipulacoes precedentes. Quando o
cylindro A% vidro est suficientemente araolleci-
do pelo calor, o operario esteodedor, armado de
urna regoa, abaixa para a direita e para a esquer-
da ambos os lados do cylindro; depois. por meio
de urna plaa de madeira, que passa rpida
mentejela superficie do vidro, estende e aplaina
perfeitamente a chapa. Introduz-se Dovamente
esta chapa de vidro no forno de recozer, e deixa-
se arrefecel-a lentamente. Fica ento prompta
urna chapa quadrada de vidro.
(Contina)
PARTE 0FF1C1AL
Governo da Provincia
LE N. 1.966
Innocencio Marques deiAraujo Goes, bacharei;em sciencias jur-
dicas e sociaes pea Faculdade do Recife, deputado Assembla
Geral pela provincia de Bahia e presidente da de Pernambuco :
Faco saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial decretou e eu sanccionei afresolugo seguinte :
Art. '. A abertura da Assembla Legislativa Provincial de
Pernambuco ter lugar em 1 de Junho de cada anno.
Art. 2. J/icam revogadas as disposicfies em contrario.
Mando, portanto a t das as autoridades a quem o couheci-
mentc e execueo da presente resolugo pertencer, que a cumpram
e facac; cumpnr tio inietramente como n*ella sejeontem.
O becretario interino da presidencia desta provincia a faca
imprimir, publicar e correr. *
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 12 de Marco de 1889,
68 da Independencia e do Imperio.
L. S. Lvocecjo MRaras di Aracjo Goes
Sellada c publicada a presente resolugo n*esta Secretaria da
Presidencia de Pernambuco, aos 12 de Margo de 1889.
O secretario interino,
Manoel Joaquim Silreira.
LE N. 1.967
Innocencio Marques de Arauio Goes, bacharel em sciencias
jurdicas e sociaes pela Faculdade do Recife, deputado Assem
bla Geral pela provincia da Baha e Jpresidente da de Pernam-
Fago saber a todos os seus habitantes que a Assembla Le-
gislativa Provincial, sobproposta da Cmara Municipal de Grva-
la, decretou e eu mandei publicar a resolugo seguinte:
rt. Io Aog erapregados ennumerados nos do art 1* da le
n. 1760 de 5 de Junho de 1883 se addicionar mais um zelador
para o agougue da cmara.
Art. 2". Ao zelador incumbe:
g 1. Velar na conservago do agougue e curral pertencentes
cmara.
g 2'. Ter sob sua guarda as chaves do mesmo'agougue, abril-o,
varrel-o, limpar os cepos ebalancas dos dias destinados ao
abatimento de rezes.
8 3. Observar se os pesos sao falsificados pelos talhadores das
carnes.
| 4'. Participar ao fiscal para este impor a devida multa a
quilquer contravengo das posturas que forera praticadas pelos
talhadores das rezes.
5'. O zelador pelas omisses que praticar no cumpriment
de seu dever, ser multado na quantia de 4*000, pela forma deter-
minada no art. 23 das posturas em vigor.
Art. 3*. Fica extensivo ao zelador o disposto no art 14 das
referidas posturas,
Art. 4o. A multa decretada no art. 128 das posturas approva-
das pela lei n. 1.760, de 5 de Junho do 1883, licar rcduzida a
quantia de 5.4000.
. Art. 5'. Ficaoj revogadas as disposiges em contrario.
Mando, portanto a todas as autoridades a quem o conheci-
mento e execugo da presente resolugo pertencer, que a cumpram
e facam cumpnr to nteirameute como nella se contera
O secretario interino da presidencia d'esta provincia a faga
imprimir, publicar e correr.
Palacio da Presidencia de Pernambuco, 13 de Margo de 1889,
68 da Independencia e do Imperio.
L. S. Insocbncio Marques de Aradjo Ges.
Sellada e publicada a presente resolugo n'esta Secretaria da
Presidencia, aos 13 de Margo de 1889.
0 secretario interino.
Manoel Joaqu m Silceira.
BXPBflESTE DO DIA 1 BB MAR?0 DE 1889
Actos:
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o bacharel Sigismundo Antonio Con-
ga! ves. resol ve conceder tres mezes de licenga
para tratar de sua saude fra do Imperio, sem
prejuizo das vantagens que competem ao peti-
cionario na qualidade dt juiz de direito em dis-
ponibilidade.
O presidente da provincia atten enlo ao
ue requereu Joaquina Malphada de Caryalho
eras, professora publica de ensino primario de
Praia dos Carneiros, e tendo em vista a informa-
gao n. 61, de t de Fevereiao findo do inspector
geral da Instrucgo Pblica, resolve conceder
peticionaria '.res mezes de licenga, cora ordena-
do, para trat^: de sua saude onde Iheconvirr.
Officios :
Ao brigadeirp commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de providenciar para que a
forga de cavallana distribuida em patrulhas ron-
de a cidade nos tres dias de carnavel. Commn-
nicou-se ao Dr. chefede polica interino.
Ao Dr. chefe de policia interino.Declaro
a V.. para os lina convenientes e em reaporta ao
offinode^S de F.vereiro findo n. 245, que
lica approvado o contracto de aloguei da casa
pertencente a Jos Luiz Ribeim. pira servir quartel ao destacamento do dislrii-to doArraval.
mediante o prego de ll mensaes. .
- jfcgia data providenciei para que sejara forne-
nesmo quartel agua e luz e seis barras
de madeira cm pfr* de ferro Remetteu-se co
pi ao inspectordO-fcesouro Provincial.
Ao inspector a"?fcesourana ik Fazenda. -
termos de si infcrmagfto n. III de 27 de
Fevereiro tindo, antori*) a V. S. a mandar sup
prir o almoxarifado do Presidio de Femando de
Sorouha com a qnanlia 6:1M210 constante da
inclusa demonstrago, para occorrer ao paga-
mento das despezas que devem ser realisadas
com o pessoal e material do mesmo presidio,
no mez de Abril vindouro,Communicou-se ao
director do Presidio.
Ao Dr. juiz de direito do 2* districto crimi-
nal da comarcado Recife. -Providencie V. S.
no sentido de ser-toe apresentado a certido
doprocesso de Tito Cardoso de Oliveira, que
interpoz recurso de graga da pena de 9 annos e
11 mezes de priso ta, imposta por esse juizo em 9 de Agosto de
1887, devendo V. S. prestar a necessana infor-
mago.
Ao director do Arsenal de Guerra.Con-
forme solicita o brigadeiro commandante das
armas em officio n. 412 de hontem datado, au
toriso V. S. a mandar fornecer ao 2 batalhao
de Infamara o incluso pedido de fardamento
para voluntarios. Fizcram-se as necessarias
comraunicacoes.
Ao commandanle da escola de aprendizes
marinheiros. -Respondo ao oflicio deVmc.de
22 de Janeiro ultimo sob n. 372, autonsando-o
a mandar substituir o actual encanaraento d'a-
gua existente nessa escola peb novo xysteraa de
alta pressfio. urna v.-z que a fespecUva despesa
na importancia de 695#, pode ser paga pela ver-
ba -Eventuaes -segundo infjrraa a Thesoura-
ria de Fazenda em uffico n 109 de 27 de Fe-
vereiro prximo pa.sado Comramieou-se ao
inspector id Thesonraria de Fazenda.
-. Ao director geral das Oliw Publicas. -
Manle Vmc. fornecer a^ qnartel dodesta.amen-
topjlii-ial do districto o Arrayal seis barras
de ma.trira. fatendo para all reme ter os ps
de ferro necesarios, i]ue. requisitara do comman-
dante do corpo de polica.
Expedio-se ordem neste sentido ao comman-
dante do corpo e remetteu-se copia ao inspec-
tor do Thesouro Provincial.
EXPfcDIEJTE DO DR. SECRETARIO
Ollicios :
Ao 1* secretario da Assembla Legislativa
Provincial.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda cotnmunicar a V. S. que nesla data pro-
fe rio^o seguinte desi>aclio no seu officio n. 6 de
28 de Fevereiro lindo, relativo ao ponto dos e.n-
pregados dessa secretaria, referente ao alludido
mez. Remettido ao Sr. inspector do Thesouro
Provincial paraos ilevidos fin*
Ao Dr. juiz de direito do 2 districto cri-
minal da comarca do Recie. -S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda comnunicar a V
S. que nos seus otDcios ns. 78. 80, 91 e 93 de
25 e 27 de Fevereiro findo, proferio boje o des-
pacho seguinte:
Ao director do Presidio de Fernando de No-
ronha para satisfazer a requisigo.
Ao director do Presidio de Fernando de
Noronha. -De ordem de S. Exm. oSr. presiden-
te da provincia, communico a V S para os fins
convenientes que foi hoje remettido a secreta-
ria de Estados das Negocios da Justica o reque-
riraento. que ao Goveruo imperial.dirige o sen-
tenciado A'tils francisco Simonelli pedlhdo sua
reniogSo desse Presidio para acadeia da capital
da provincia de Minas Geraes.
EXPEDIENTE DO DIA 2 DR MARCu DK 1888
Actos:
O presidente da provincia em execugo da
lei n. 2.395 de 10 de Seterabro q>> 1873 resolve
numear Frmcisco da Nactividade Saldanha para
o posto de leueute da 6.* coinpauhia do 66." ba-
talhao de infaiitariu da guarda nacional da co-
marca de Olinda, em subsutuicao de Pedro Re
g*ard que falleceu. -Comtnunicou-se ao com-
mandante superior.
O presideule da provincia attendendo ao
que requereu o bacharel Jos Joaquim da Gama
Malchcr, guirda-rar da Alfandega, e tendo em
vista o attestado medico exhibido e a informago
da Ttiesouraria de Fazenda de hoje datada n. 144
resolve conceder-Ihe 3 mezes de licenga. na for-
ma da lei. para tratar-se fru da provincia da
molestia beriben.
Officio? :
ao "r. Felino Francisco de Carvalho Nobre
2. vicepresidente da provincia de Sergipe.Te
nho a honra de aecusar o recebimento do officio
cinmlar, n. 15, do l. de Fevereiro findo, no qual
V. Exc. me communica ter na mesma data assu-
inido, na qualidade de 2* vice-presidente, a ad-
miuistrago-lfessa provincia.
Ao brigadeiro commandante das armas.
Declaro a V. Exc. que ficam approvadas as pro-
videncias, de que trata seu officio n. 430,dcnoo-
tem, que fica assim respondido.
Ao director do Arsenal de Guerra.Mande
V. S fornecer ao t: batalhao de infantaria, de
couformidade cora o aviso do ministerio da guer-
ra de 21 de Fevereiro lindo, os artigos constan
tes da inclusa nota de 25 de Janeiro ultimo, or-
ganisada na repartico do quartel-mestre gene-
ral.Fizeram-se as necessarias comintinicayOes.
Ao commandante do corpo de polica. Au-
torso Vmc. a alistar no corpo de seu commando
os paisanos de quem trata em officio de hontem
datado n. 212.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Limoeiro.Para cumprimento do avi-
so circular do miuisterio da agricultura, commer-
cio e obras publicas de 21 de Fevereiro findo.
sob n. 4. remella rae Vmc. nformag&es relativas
ao trafego d'essa estrada de ferro.
dem aos de Caxang, Olinda e Ribeiro.
Ao juiz de paz em exercicio do!, districto
da paroenm de S. Bom Jess dos Afictos de Pa
nellas. Declaro a Vmc. em resposta ao seu offi
ci de 25 de Ftvereiro ultimo, que nSo tendoo rc-
gulamento do registro civil cstabelecido processo
especial para a inspeego das multas de que tra-
ta o art. 50 do mesmo regulamento deve Vmc
seguir o processo ordinario e fazel as recolher
col lectora peral vatb constituirem renda do Es-
tado con torrae decidi o ministerio do imperio
em aviso de 22 de Janeiro do corrente anno.
Portara
O Sr. gerente da Companhta Pernambucana
de Navegago mande conceder passagens de r,
at a Parahyba a Joaquim F.niv-'lio de Souza
Gouvea, por conta das gratuitas a que o governo
tem direito nd primeiro vapor que seguir para o
norte.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officios:
Ao Dr. chefe de polica. De ordem do
Exm. -r. presidente da provincia transmiti a V
S., atim de dar conheciraento do assurapto do de-
legado do termo do Cabo, copia do officio n. 2 3,
de hontem datado do commandante do corpo de
polica relativo forga existente no termo d'a-
quella denomiaagao.
Ao director do Arsenal de Guerra De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia trans-
miti a V. S., em resposta ao seu officio n. 360
de 21 de PeVereiro findo, o incluso termo de exa-
me procedido nos volnmes de que trata o citado
officio.
Ao 1 secretario da Assembla Legislativa
Provincial. -De ordem do Exm.Sr.presidente
da provincia remeti a V. S., para os fins conve-
nientes, o incluso balango da tmara Municipal
d'esta cidade relativo ao exercicio de 1887 a 88
e os documentos que o acompanhau.
Ao mesmo. O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. em resposta ao seu
officio n. 7 de hontem datado que fica inteirado
do modo porque est constituida a meza que tem
de dirigir os trabalhos da actual sesso d'essa
Assembla.
Ao agente da Companhia Bahiana de Na-
vegago. De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia aecuso o recebimento do officio, em
que V. S participa que o vapor Principe do Grao
Para chegou hoje da Babia e escala e regressar
no dia 6 a corrente s 4 horas da tarde.
EXPEDIENTE DO DIA 4 DE MaRQO DE 1889
Actos :
O presidente da provincia attendendo ao
que requereu Jos da Silva Maia, collector pro-
vincial do municipio de Gamelleira e tendo em
vista o attestado medico exhibido e a informa-
go prestada pelo inspector do Thesouro Pro-
vincial, em officio n. 85, de 28 de Fevereiro
fiDdo, resolve conceder ao peticionario tres me-
zes de licenga para tratar de sua saude onde Ihe
convicr.
Officios :
Ao ministro plenipotenciario do Brazil em
Lonires. Tenho a honra de remetter a V. Exc.
o balancete da receita e deSpeza da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco concernente ao
mez de Janeiro ultimo, acompanhado do devido
desenvolvimento e de copia da acta da sesso
em que os commissarios do governo procedern)
o exame das respectivas contas.
Reitero a V. Exc. os protestos de minha alta
estima e considerago. Communicou-se aos
membros da commisso de contas.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Nos
termos de sua informago n. 84, de 28 do mez
findo, autoriso Vmc. a mandar pagar ao detento
Olympio Jos de S a quantia de 38*420 prove-
niente da lavajjem da roupa da enfermara da
Casa de Detengan no semestre de Julho a De
zembro do anno passado. conforme a inclusa
conta em duplicata. Commuaicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Ao commandante do corpo de polica.Ao
Dr. chefe de polica mande Vmc. apresen'ar no
dia em que tiver de seguir para os portos do sul
o vapor Maranhao, seis soldados alim de condu-
zirera tres criminosos at uterino de Tacarat.
Provideticiou-se com referencia ao trausporte
dos refe-idos soldados e criminosos.
Portaras:
Recqmmendo, a cmara municipal do Re
cife, a vis'ta do qu represen!ou me o inspector
de hyglene em officio n. 212, de 28 de Feverei-
ro lindo, que prowdcncie no senti-lo de ser re-
tirado diariamente do quartel do 2- batdho de
infamara pelo eocarregado da limpeza publica
do bairro de S. Jos o iixo da fachina do mesmo
quartel. .
Para resolver obre o as-umpto do offico
n. 21,de 27 de Fevereiro lindo, recommendo
cmara municipal do Recife que remetla-ine :
1. Um demonstrativo da receita e despezi
do mercado de S. Jos de. 2. Um demonstrativo do raoviiueuto do em-
prestimocontrahido con o Banco do l.razil.com
a? datas dos pagamentos dos juros e da amorti-
sacSo e declarago dos motivos que euibaragam
o cumpnme ito do contracto.
3." Relagno dos cubculos e espagos alugados
e por alugar, prero de cada uiu e modo da co-
brauga do aluguef.
' 4.* Relaco dos empregados do merca lo re-
munerados pelos cofres municipaes, ordenados
que percebt-m e servigos q te desempeuhaui
5." Orgainento dos c lUCeitos reparos e pin-
tura de que care e o referido mercado.
- O Sr. superintendente da estrada de fi-rro
do Recife ao S. Francisco, faga transportar por
conta da provincia, cora direi a bagagera, da
estago de Cinco Pomas a de ua oilo praga-
do corpo de polica que'regres-ain para a Barra
de Jangada, a cujo destacamento perteucem
dem ao eucarregado da esta,-o de Palma-
res para mandar transportar at Barra de Jan-
gada
. BXPEDIE.Yrt: DO DR. SECRETARIO
Officios :
Ao Dr chefe de policia. S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, manda remetter a V.
S. os documentos aqui juntos para que. proce-
dendo as necessarias veriguag6es, informe si o
sentenciado Manoel Joaquim de Sant'Anna, sig
natario do requerimento do 1" do corrente mez
o mesmo individuo, cuja certido de casamen-
to est annexa'ao requerimento de 11 de Outu-
bro ultimo, assignado por Evaristo Ferreira das
Chagas, a rogo de Manoel Paulo de Sant'Anna.
Ao gerente da Companhia Pernambucana
de navegago. -De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, aecuso o recebimento do.
officio de 1 do corrente, no qual V. S. partici-
pa que o vapor Jaguaribe seguir para os portos
do norte al Fortaleza no dia 8, s 5 horas da
tarde, e que o vapor Una seguir para o presi-
dio de Fernaado de Noronha no dia 11 ao meio,
dia. Fizeram-se as necessarias communicages
cora referencia a partida do vapor Una para o
presidio.
EXPEDIENTE DO DIA 5 DE MARgO DE 1889
Aclos :
O presidente]da provincia, attendendo ao
que requereu Jos Torres Campos de Medeiros,
3 esenpturario da Recebedoria Provincial 3obre
o qual o Thesouro Provincial informou em offi-
cio de 21 de Fevereiro ultimo, n. 81. resolve, de
accordo com o art. 1 da lei a. 1,964, de 31 de
Dezembro do anuo prximo passado, eoeceder-
Ihe um anno de licenga com ordenado, para tra-
tar de sua saude onde Ihe convier, sendo calcu-
lado o mesmo ordenado conforme o art. 27 do
regulamento de 28 de Maio de 1887.
O presidente da provincia, resolve declarar
Jara o< devidos effeitos, que deve-se contar de
0 de Fevceiro ultimo a licenga de um anno
concedida n'esta data a Jos Torres Campos de
Medeiros, 3'escripturario da Recebedoria.
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o padre Francisco Adelino de Bri-
to Dantas, capello interino do presidio de Fer-
nando c"e Noronha, resolve conceder-lhe tres
mezes de licenga sem vencneotos para tratar
de sua saude, devendo entrar no gozo da refe
rida licenga no prazo de um mez. Communi
cou-se ao director do presidio e mandou-se dar
passagera por conta das gratuitas.
Officios :
Ao director do Arsenal de* Guerra.Fica
V. S. autotisado, vista da sua informago, n
373, de 1 do corrente, a satisfazer o incluso pe
dido de diversos artigos para a conservaco dos
reparos, boceas de fogo e mais materiaes de guer-
ra da fortaleza do Brum.Communicou-se ao
brigadeiro commandante das armas.
Ao director do Arsenal de Mariana. -Au-
toriso Vmc.. em solugo ao seu officio n 29 de
Fevereiro ultimo a mandar substituir as harinas
existentes na enfermara d'esse Arsenal por ou-
tros de patente, mediante a importancia de
J.'iOJOOO em que foi calculada a despeza segundo
o officio junto por copia, do engenheiro das
obras publicas de 1 do corrente, sob n. 10.
Communicon-se ao inspector da Thesouraria de
Fazenda.
- Ao juiz de paz em exercicio da parochia
de S. Jos do Egypto. -Respondo ao ofncio de 7
de Pevereiro findo, declarando a Vmc. que cun-
pre Ihe impor mullas quelles que, tendo obri-
gago de dar a registro algum nascimeuto, casa-
meato ou bito, nao fizerem as declaragoes com-
petentes dentro dos prazos marcados no respec-
tivo regulamento.
Ouirosim, declaro a Vmc. que nesta data ex
peco ordens Cmara Municipal para que pro-
videncie no sentido de nao ser feito enterra-
mento algum nos remtenos ahi existentes sem
a certido do escrivo de paz. conforme deter-
mina o art, 74 do citado regulamento. Officiou-
respectiva Cmara Municipal.
Portaras:
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
Navegago a Vapor faga transportar corte, por
centa do Ministerio da Guerra o alferes Urcicino
Augusto Villas-Bas que segu para alli afim de
reunirse ao 24' batalhao de infantaria a que
pertence
Ao referido official acompanha sua mulher
Elysa Leopoldina Villas Boas e urna irm sol
teira Carlota Villas-Bas.-Officiou-seao inspec
tor da Thesouraria de Fazenda para mandar
ajusfar contas ao referido official c commanicou
se ao brigadeiro commandante das armas.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
de Navegago faga transportar para o presidio
de Fernando de Noronha, por conta de Albino
Fernandes a C, e com destino ao gerente da
emprezade explorago de phosphato de cal, os
gneros alimenticios e diversos artigos de que
trata a relago aqui junta assignada pelo secre-
tario interino do governo d'esta provincia.
--------------gesa
DESPACHOS DA PRKSIDKCIA DO DIA 12 DE
MARCX) DE 1889
Arthur Dallas.Concedo.
Clementino de Albuquerque Mello. Informe
com urgencia o Sr. Dr. juiz de direito do 2
districto criminal.
Capitio Damio da Costa Leilo -Remettido
ao Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda para
mandar abonar os tres mezes de sold reque-
ridos.
Tenente Elias Francisco Bastos Filho.Devol
vido ao Sr. commandante superior da guarda na-
cional da comarca do Brvjo para mandar cum-
prir o despacho de 17 de Seterabro ultimo.
Joo Bento Monteiro da Franca.Deferido com
offlcio de boje Thesouraria de Fazenda.
Manoel Joaquim de Sant'Anna. Reraetta-se o
documento ao Dr. chefe de polica, para que o
faga entregar ao supplicante pelo administrador
da Casa de Detengo, visto nao exhibir procura-
go o -ignatario d'e.sta petico.
P dro Jos lio Carino e Souza.Procedem as
razes allegadas pela cmara e, portanto, neg
provimento ao reoirso.
Secretaria da Presidencia de Pernambu
co, 13 do Marco de 1889
O porteiro,
F. Chacn.
[
^ n, I
1
ReparttJco da Polica
2.a secc&n.N. 2GOSecretaria de Po-
lica de Pernambuco, 13 de Margo de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que toram hontem recolhidos
Casa do DetencSo os seguintes individuos :
A'ordem do subdelegado da freguezin
do Recife, Miguel da Silva Paz, como va-
gabundo.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Jlo Alexandrino dos Santos, per
disturbios e Eugenia Maria do Espirito
Santo, por offensas a m ral publica.
A' ordem do do l.- districto da fregue-
zia de 9. Jos, Oiympi.) Sabino Nepoinu-
eeno, por embriaguez e disturbios.
A' ordem do do i.- districto da fregue-
zia de Nossa Senhra da Graca, Francis-
co Eusebio da Silva, por disturbios.
A' ordem do de Belem, Canuto Augus-
to, JoSo Vieirados Santos JoaoVieira do
ascimento e Severino Antonio da Cunta,
por disturbios.
Communica o delegado do termo de
Garanhuns, ter no dia 6 do corrente.
capturado o individuo de nome, Jos Al
ves Diniz, alli pronunciado as penas do
artigo 205 do cdigo criminal.
Aquelle delegado ainda participou-me
que, no dia 8 deste mez, por occasiSo de
se fazer a limpeza na cadeia publioa, ter-
se evadido o detento Placido Jos Alves.
condemnado a 7 annos de prisao
Procedeu a respeito nos termos da lei.
O delegado do termo de Tacaratii par-
ticipou-me que no dia 2 do corrente,
apresentaram-se voluntariamente e foram
recolhidos i cadeia publica os reos Hygi-
no Torres da Silva condemnado no mini-
modo artigo 257 do cdigo cria inal, Fran-
cisco Soares de Queiroz, pronunciado no
artigo 193 combinado com o 34 do mes-
mo cdigo, e demente Jos da Silva,.
tambera pronunciado na 2a parte do artigc
19 da reforma judiciaria.
Deas guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges, muo digno presidente da provin-
cia. O chefe de policia interino, Datit
Cavalcante do Reg Albuquerque.
-------------?
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 12 DE MASCO DE 1889
Joaquim Gongalves Ferreira e Silva.
Volte a contadoria.
Jos Luiz Alves Vilella.Indeferido,
por nao estar verificada a desoccupacSo.
em vista das informacSes.
Henrique Deocleciano Tavares dos San*
tos.Requeira a presidencia.
Joaquim Duarte Campos, Francisco
Coirabra dos Santos, Joaquim Manoel de
Oliveira e Silva.Informe o Sr. Dr. con-
tador.
Olegario S. de Carvalho Neiva.Pa-
gue-se.
Antonio Gomes Tarares.Certifiqe-
se, quanto ao que disser respeito ao pre-
drio n. ... sito no Monteiro.
Joaquim Mariano de Souza.Nada ha
que deferir em rlsta da3 iaformacSes.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 12 DE MARCO DE
1889
Domingos Pinto de Freitas, Rouquay-
rol Freres, Jos Antonio dos Santos Car-
neiro, Francisco Ferr m ,-ares, Albino
Ferreira dos Santos, Joaquim de
Souza Motta, Manoel Fernandes Masca-
re nhas, Bernardino C. Campos Jnior.
Informe al1 seccab.
13
Avila Irmao, Jos Lins Salgado, Anto-
nio Jos Martins & C, Costa Mai dt Irmoa.
Emilio tereira de Abreu, Lins & O, Ma-
noel dos Passo6 Gomes, Manoel de Barros
avalcante, Paulo de Souza & Irm2o, i
Jos Monteiro Torres de Castro, Moreira
Res gueira da Silva.Informe a 1* secglc.
Manoel da unlia Lobo.A' l1 seccao
para os devidos fins.
rsula das Virgens Vieira da Cuaba -
Certifique se o que constar.
Joaquim Francisco Junqueira. -Certi-
fique-se.
VARIEDADES
Boulanger perante a Europa
Vera a proposito recordar nestes momentos
urna interessair.e ancdota de Thiers. Um ar-
tista de talento superior acabava de pintar o re-
trato do presidente da repblica e solicitava li-
cenga para manda!-o exposico de Vienna.
Mas Thiers, estimando amito o "art.sta nao es-
timava tanto a sua obra ; e, com a previso com
que julgava deord nario assim as grandes cou
sas como as pequeas, negou-se obstinadamen-
te a donar partir a famosa tela. Tudo o que
o senhor queira em Franga, accrescentava ir-
nicamente, mas nada na presenga do estran-
geiro.
Applicando, vem isto a dizer que urna parte
da Franca, e frente dessa parte Pariz, acaba
de eleger um dolo, Roulauger, para o seu uso
particular i mas, se pretende ex polo a adora
gao dos crentes fra do paiz, corre os riscos e
perigos de ver-lhe .Sacrilegamente desfeita e
irofanada a veneranda ligura. B tanto que, se
osse o eleito de 27 de Janeiro chamado amauha
ao Eiyseu ua qualidade de presidente da rep-
blica, nao Ihe custaria pouco dissipar as grayis-
siraas prevenges que se levantan) contra elle.
E primeramente a Russia. Tendo sido mi-
nistro da guerra em 1887, o general Boulauger
nao ignora quanto a Russia auxiliou efficazmen-
te a Franca em duas cirenmstancias niemora-
veis, e nao deve ter.esquecido as esperancas pa-
triticas que se ligara a estas lembrangas, dado
o caso de ser a repblica aggredida. Natural ,
portanto, que os seus amigos hajara procurado
crear-lhe apoio em S. Petereburgo. Prospera-
Ihes o intento ? Nem por isso. Diz-se de boa
procedencia que o governo imperial cerrara
ouvidoB s sua;' sggestoes e nao se quedou por
aqui. Um dia, o seu or o ollicioso no Occiden-
te o Nurd de Bruxellas, apresentava o general
como artista era coniplicacOes lnternaciouaes.
Quer dizer que o mundo official russo nao tem
relaces de neuhuina ^especie com o general
Boulanger. Mas, por outro lado, considera-o o
exereito do imperio como quantidade despreza
vel? o licito affirip.iil-o, vendo como o jor-
nal russo de mais larja exlracco, a Noir
Vremia, testeiuunha to grande interesse feto
general francez e raostra pela sua causa o iuaiot
zelo.
Na Allemanha, o jogo do governo e da sua
imprensa claro como a luz do dia. O pr.oci-
pe de Bisnarck diz e rediz a todo.o proposito
que nao quer ingenr-se as conleosoVs inter-
nas da Franca e que jamis poz nellas rao nem
dedo. E de faciescreve o Figurodesde que
se estabeleceil a repblica, a politiea do chan-
cellej cifrase em dua< palavras: Sustn-
tala. Nao sthio da sua inlifferenga seflc
quando entrevio no honsonte o restabelecimen
to da moiiarchia, cuu ponto adquirido para
a historia que a destituigio io Conde Arium,
em 1874 fot sobn-tudo motivada pela molleas
doeuibaizador da Alleiuaulia nocouflicto parla-
mentar que levoa queda de Thiers. V. Eic.
soube ganli.ir aqui, escrevia o principe ao se
subordinado, a 19 de Junho de 1873, urna ta-










r


I


de PernaxiibucoQuinta-feira*14 de Mar
iw-llie posi-
ae que lanrasse na balanza," a favor do
niers, todo o peso da nossa poltica
Nao deve esperar-se por isso que a imprensa
jo Sr. chancelle ratraet8e grandes penedos no
carainho do general. ; Nao lhe envipu ella j,
tu poucas semana* apenas, alguns dos seus
eis sorrisi
tan Roma, nao se hguran peior as cousas,
obstante um- ii lente ooeaido
aio
o
Boulanger comnitnwt a i;k^ dewccapnio utro do msalo, remetiendo o.balanco da re-
eeita e despez; 887 a 1968 e o
orcamento para o de 1889 a 1890 da Cmara Mu-
nicipal de Corrente. A" commissao de orca-
mento municipal.
Urna petico de Francisco da Silva Miranda,
professor jubilado c a aula primara do Gymna-
sio Peraambucano. requerendo, que sua jubila-
gao seja regulada p,'lo 3* do art. 156 do regu-
nto fogaflrvoni-do afia.^A' comis
de Tunis. Feride noi o(Bciak'4nn<4MK)*roM
sahida do thetro por um campatriHa .lo -Sr
Crisp, oaggresaor ffi eexlesinado i penam-
soria de seis da de prisao.
O general enMeu-sc. e em urna orden do
ia aconselhava o* ts ofiieiaes, muito indi-
gnado, a que liagem oso das armas qnaodo se
Tissein enxovalHtcs. Mas isto vaMia malo, <
aao vale a peus-Jiuar se. lMpois tu de se
explica e esclarece, jpiand"sB ?wtecte que
partido bonapartista, lo activo em favor do ge-
eral Boulanger, dispoe de poderosas influen-
I cias na cre do rei Humberto. Na Austria
3ue o bravo general nao goza da maior consi
eraco. omo geralmenteo representain como
i)psri8Mti'*y-1" p"*'1"*", nao deixa a, .-e a ooca
siao opemittir. de suscitar formida\es compli-
> cacee, e cuino na Austria nao se quer a guer-
ra, dubi ven a m sombra com que o o I liara.
Emfim, nito menor a impoi>ularidade de Bou-
langer na Gran Bretanha. Os ingieres tm o
cuHrt da lei e da constituicao; e se o general
ameaca e lhes falla de governal-os tainbtmr ba-
Uint, tigura-se-lb.es ver surgir, contra a civilisa-
cao, a disformissima besta do apocalipse. Da-
--pois. nem o governo, nem os subditos de sua
zraakua'-mag^stade poein reparo em contrariar
a ^referencias dos francezes, anda as ques-
de pessoas. Gambelta era-lhes syrapathieo,
anda antes de ter urna siluacao preeminente,
pbrqoe f*Ue quena a consideracao das institui-
4^s'em '883, que defenda tanto com o sea!
<-rao. como com a sua cloquencia.
A diplomacia ingleza nao se prcoeeupava
1 milindrar os poderes officiaes da Franca,
cultivando a amisade do deputado ainbetta.
-DrS< cora o general Boulanger nao se da nada,
-^ue -possa pareeer-se com isto, e por isso, at
nova ordem. mal podem contar com a benevo:
lencia da Inglaterra.
Segue-se, em summa, que nao est aplanado
. de todo em todo o caminho que o eleito de 27
de'Janeiro parece chamado a percoprer. Mas
observa o publicista do Fgaro cujo artigo vimos
extractandose elle contina a ser levantado
pelo suffragio universal, nada lhe resistir. O
eeceHente ollirio do chefe supremo da Franca
ieuroes e respeitos. Nao ha nada como as ci-
fras para dar urna idea penetrante das cousas, e
duas cifras detinem perfeitamente a Franca :
ama nagao que pode armar dons milhes de no.
mens e pie tera na mito, ou raeilior. na casa forte
do Banco, dous miihares e quinhentos milhes
de francos.
Outra de D. UrsuliMnria Barbosa, viuva de
Pettx Jos* de Santa Anna, requerendo que seaa-
torise a Cmara Muaieaf de Serinhaeiu apa-
gar lhe ItSMTi p. la coaalrnogao do mercado
d'aquelta tilla. A commissao de orcamento
municipal.
Foi a-imprimir, ato-a. 4, um projecto autori-
zando a aposentad! ra de Bartlioloineu Gaedes
de Melfea>JtDgar {>mcipal di'ltairrbe.
Eacerrou-se a discusso do requerimento
adiado do Sr. Jos Mara, cao se vofando por
falta de numero e tundo orado os Srs. Coroelio
da Fonseca e Jos Mara.
Passou-se orden: do dia
chos Uuiniacuses
(Do Paiz da corte)
D. Pedro tiiKUMio
eiiho diante e mim o primeiro fasciculo da
conferencia realizada no dia 7 de Novembro do
an 10 paaaado no Instituto Polytechnico Brazi-
de 1888 (engenhos ceutraesi foram apoiados urna
emenda sob n. 20 e um requerimento do Sr.
Joao Auausto de adiauenlo da discueso por 24
horas, nao se votando por fa'ta de numero.
Adiou-se a 3 dise.ussao do projecto n. 108 de
1888 (elevando a villa deBom Conselho a cida-
dei, sendo apoiado um requerimento do Sr.
Orummond de adiainento da discusso por 24
horas.
A ordem do dia : continuaco da anteceden-
te e mais: 1 discosso do projecto n. 7 deste
anno.
Actos da pr<-N,Jcii< ia da pro imia
Por acto de 4 do frrente mez:
Foram concedidos 3 mezes de licenga ao col-
lector provincial d? tamelleira Jos da Silva
Maia.
Por officio da mes na data autorisou-se o The-
souro Provincial a maudar ]>apar ao detento
Olympio Jos de S a quantia ue 381420, de rou-
pa'lavada para a eni'ermaria da Casa de Deten
cao.
Por actos de 5 do mesmo mez :
Foi concedido um anno de cenca ao 3* es
cripturario da Recebedoria Provincial Jos Tor-
res Campos de Medeiros, em virtude da lei n.
1964 de 31 de Dezembro ultimo : cuja liccncji
dever ser coulada de 20 de Fevereiro findo.
Foram concedidos 3 mezes de licenca ao ca-
pellQo do presidio da Fernando de Noronha pa-
dre Francisco Adelino de Brito Dantas.
Mrquez de Olinda p. 84, de oHctos de miud
zas, de vaccas tourinas e tres r#allo9.
Pelo agente Modesto Baptista, s -11 horas,
ra Duque de Caxias n. 36, de motis e mui-
tos outros artigos.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de paisas com fogos.
AmanM :
Pelo agente Gnsmao, s H horas, na ra do
Bon-fe*s a.lS, Je man* rariostetfWtss.
PdBMl|aMMRto,4'M'M hoMa, 6 iva Mr-
quez do dleml n. Hj>da nnacae e mais per-
tencteulaSMjiNse ciarnos efei existente.
Petoageote ilveira,4is 11 horas, i roa do
Impeafter n. 45, de pdios em terreno'propria
Pelo agente Pestae, s itiioras, ra Mar-
Suez de Oliada n. Afcj deuenovuis/ loucas e vi-
tos.
l'eloagentii Alfredo *uiarfes*-s 11 boaas,
ra da-t&iz n. 2, da erieff'e ctooearioa da
taverna al sita.
Mleaae fimetereSero celebradas:
Hoie:
As 7 horas, na igreja da Sbledade, pela alma
de Theepbilo Augusto de Azevedo e Souza ; s
7 1/2 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
*
liro pelo principe Dom Pedro Augusto de Saxe
Coburgo Gotha.
Intitulase o folheto Bretes consideraffs so-
bre mineraloga, geologa e industria mintra do
Qrazil.
Longe vo os terapos, felizmente para a so-
ciedade, em que os principes eram uns sujeitos
despreoecupados, desfructando as sinecuras do
ter e do ocio a que Ihes davara direito os pri-
gios do nascimento.
As sociedades modernas tm suas exigencias.
E quanto mais alto est o individuo collo-
cado, mais deveres tem a cumplir para com
ella.
O Principe D Pedro Augusto, embora anda
nessa' idade feliz em que desabrocham as rosas
da primavera da vida, tem a comprehenso,.
clara e perfeita de taes deveres.
A edueaco liberal que recebeu o seu espirito,
de una ductilidade invejavel pasa esludos posi-
ivos e para aquelles.tE qtrs se poem em jogo a
iei;iL'ina(ao e .nentos estheticos, contri-
tenia. d~cer.> que elle tome parte, activa
progresso do Brazil, que adora com o fervor
; um verdadeiro patriota, imitando o nobre
exe.nplo de seu augusto avd.
As bellas artes e a mineraloga sobretodo sao
os dous ramos que mais tem preqccupudo a
atteijco e os cuidados do joven prinsipe.
Em seu palacio, ra Duque de Saxe, lia urna
gkleria ainda em romero de quadros, estatuetas
e etjjertos artsticos que bem revela o amor e a
scieuda do colletcionador paciente.
Cada um d'aqucltes objectos, anda o mais in-
signiticante, representa o marlyrio da pesquiza;
martyrio cuja doyura s podem romprehender
ws que sentem a nevrose de colleccionar.
Alm de urna erudieo poueo vulgar par& a
saa idade em diversos ramos de urle, e sobre-
todo era pintura, cujas escolas conbece desde
os tempos os mais remotos at o periodo actual,
D.i'.Jdco Augusto tem enraisado em si. como o
principe D. Fernando, o senmeuto do bello.
Uando discute sobre este ou aquello artista,
historiando os quadros que maiores louvores
u-iii alcanca lo da critica, v-se em suas predi-
lecce a uota subji-ctiva.
*K*tim wjxfidor banal do qiw ?e tem es-
cripto. um critico vomo ha muitos, sem convic-
tbes e sem sincerifade.
^ht na > i~ i i t r 11 -1 j ~ "m arle c toda moderna.
""Os qnadrttt que trouxe da Eticopa mostrara
eloquenti'raente o culto pela-natureza.
A "galera artwtica do principe oceupa quasi
todo o pavimento superior do palacio Leopol-
dina.
Ao lado de telas de uxandes mestres. romo
Andrea del -Sarto, ilias Troyan e cutros, liguram
alt quadros de muitos pintores brazileiros.
Unidos sales mais importante", do pavimento
nifcr: ir do palacio oceupado pela coller^ao
HiB^raloL'ica.
Al* o principe I. Pedro Augusto passa grande
Jarte do dia oceupado n >s estudos de sua pre-
Hcrao. estudos de que deu prova em sua ul-
tima viagem Europa, sendo saudado e fehci
Bd.> pelo* maiores especialistas da materia.
ular importaniissima.
W'-se a4 o espirito meliiodeo do mea na-
turli-!;i
Tu.h) esta catalogado.
Elle^mte'e-sc perfeitaniente to meio d'aquelle
nudo mineralgico, dando aos amigos que vao
djMal-o precio-,,- iiifonnares acerca do mais
iUtenilIfante i i .ividuo da collerco.
1). Pt-jlro estoila ciencias naturaes com amor,
vented-ira paixao.
Almdisso o estudo toraou-.-e nelleum habito, t
iwr segunda natureza.
^o-seju por etleito de temperatnrnto cu pela
eduearso que recebeu o seu >-piro acostu-
mou-8e por tal forma a clausura do gabinete
tji:s os que o conheceni de perto podem dar
desmonto ao poueo desembaraco ou timidez
que ol'-'umas vezes revela na comnHiulio rui-
ii3 is salos.
A vingem que fez ao velho mundo e a pratica
de vi'ia ha de contribuir, estou certo, para com-
ptetel-o
.Nao foi nieu intento, como os le torea acaham
-crever a critica acerca do trabalho de
B.-Peilro AiiL'usto.
A imprensa j delle se oceupou com vanta-
|mv, prest m I, devid t.jusiica aos mritos do
autor. *
Sem comp< tencia n materia, eu ;ahina no
ridiculo ae pretendesse di/.i r o que valle scienti-
ieeeMbte o pri ciculo da conferencia.
jo para prestar homenaj
ase telemos e virtudes de n a moco que honra o
paiz oode nasceu.
Frisca Jiwob.
Coutiuuaado a M rtiaaHiiian do pro>ecto o. 44 do tachare! Feroaado Alfonso Ferreira ; s 7
horas, na igreja da Santa Cruz, pela alma de
D. Francisca Januaria Tenoria de.ima.
Amanh:
A's 8 horas, na Ordem Terreara do Carino,
pela alma de Geneziudo Belisario de Vascon-
cellos; as 9 horas, na capella do. engenho Gr-
vala, pela alma de Ignacio Ferreica Fernando
Lessa ; s 8 horas, na igreja da Penha, pela alma
de J). Anna Isabel Bayina Murga.
Paattaif-ironCliegados do sul no vapor
francuz Ville de Pernambuco:
Odilon dos -antos, Manoel Torres, Augusto
Ferreira, Alvaro de Aguiar, Jo5o de M. Rocha
Figueiredo, Arthur N. Lemos, Eduardo Pinto de
Vasconcelos, Francisco Costa, Salvador Pires,
Joo Santos, C Lopes Jnior, Elpidio de An-
drade, Carlos Goncalves, Angelo M. Jnior, Ar-
thur da Costa Pinto, Th. Borges Falcao. Hugo
Joaquim Ramos. Antonio Ramos, Alfonso Gama.
Raymundo Silva Cunha, Augelo Biltncourt,
Affonso Taeheat, J. Claudiuoe Isabel de Oliveira
Silva.
Sahidos para Europa no mesmo vapor :
D.{Virginia Maria Ramos, Joo Jos Carreiro
c Luiz Antones Candido.
Operacocw eirurgtcm -Foram pratica-
cadas no h'osiiital Pedro n, no dia 13 do cor-
rente, as segrales:
Pelo Dr. Malaquias :
Urethrotomia interna pelo processo de Mai-
souneuve. indicada por estreilamento da ure-
thra.
Pelo r. Berardo :
ExtraccSo de catarata senil dura pelo proces-
so de vvecker.
Pupilla artilicial reclamada por mancha du
cornea.
lana de DeieoraoMovimento dos pre-
sos da Cusa de Detencio do dia 12 de Marco de
1889.
Existiam i-'ii; entraram 9; sahirirn 17 ; exis
lem 446.
A saber:
Naconae o ; muJheres 17; estrangeiros 21.
Total 446.
Arracoados 392. 0
Boii6 36o.
Doentes 19.
Loucos 8 Total 392.
Movimento da enfermara
Ti s eram baixa:
Manoel Fraucisco da Silva.
Antonio Jos do Nascimento.
F'orain visitados os presos deste estabeleci-
mento por 143 pessoas, sendo 44 horaens e 99
mulheres.
Hotpilal Pedro II 0 movimento deste
estabelecimento de daridade, no dia 12 de Mar-
co, foi o .-''minie;
Entraram :>0
Sabiram 17
Falleceram 3
Existem 582
Foram visitadas as respectivas enfermaria>
pelos Drs.:
Moscoso s 8, Cjsneiro .-10 1|4, Barros Sobn
nbo s 6 3|4, Berardo as 11, Malaquias s 9 3(4,
Pontual s 101]4, Estevo Cavalcante s81[2, Si
mOes Barnosa s 91)2.
O cirurgiao dentista Numa Pompilos 83|4 lio-
horas.
O pharraaceHtico entrou s 8 Ij2 da manh e
saho s 4 da larde.
0 ajudantedo pharraaceutico entrou s 71(2
da manhi e sahio s 4 horas da Urde.
l.uKria do rao Para Eis os premios
da 4.' parte da 24." lotera do Grao-Para, ex-
trahida era 43 de Marco de 1889 :
8327 120:0001000
3908 ."10:000*080
4458 12:0001000
890 6:000000
9615 3:000*000
Esto premiados com 1:500*000 os seguintes
nmeros :
1618 6516 19256
EstSo premiados com 680*000 os seguintes
nmeros:
2786 7866 9526 11333 16799 18360
Ksto premiados com 300*000 os seguintes
numef\)s
Miaaa de rquiem--Teve lugar hontem,
ua matriz da Boa-Vista, a mina de rquiem que.
pelo descanso eterno do seu linado chefe o Ba-
ro de Cotegipe, mandou celebrar o partido con-
servador de Pernambuco.
A igreja, vestida ele luto para a ceremonia
tinha no centro da nave principal um rico cata-
falco, circulado por copiosas luzes, e encimado
por urna grande urna funeraria sustida por qua-
tro leoes.
Assistiram ao acto os Exms. Srs. Dr. presi-
dente da provincia, general commandaute das
armas, Dr. chefe de polica, vice-presidentes Dr.
Ignacio Joaquim de Souza Leo e desembarga-
dor Hermogenes Scrates Tavares de Vasconcel
los, senador Alvaro Barbalho Ucba Cavalcante,
deputados geiees Baiao de Lucena, Jos Bernar-
do Galvo Alcoforado, Joo Juvencio Ferreira de
Agoiar e Felippe de Pigueiroa Paria, varios de-
putados provinciaes, desembargadores, juizes
de direito e municipaes, chefes de reparticee,
officiaes do excrcito e do corpo de polica, e umi-
tas outras pessoas gradas.
A missa entrn s 8 lf2 horas da manh, ofli-
ciando o Revai. conego vigario Augusto Frauklin
Moreira de Silva. Cantaram as titanias diversos
sarecdotes. A orebestra esteve muito boa, e
'rfesempenbou-se perfeitamente.
Depois da missa,que terminou s 9 1(2 horas,
foi cantado o librame, seguindo-se as absolvi-
eses do tmulo.
Tocn, nos infernillos urna banda de msica.
Facnldadc de Direito do Herir
Eis o resultado dos actos de hontem :
4 atino
Braz de Andrade Me I o. simplesmente.
Alfredo de Albuquerque Gama, dem.
Manoel Vieira de Siqueira Torres, idem.
Antonio Nelto da Silva Costa, idem.
Amanh comecam os exames oraes no 1",
2* e 3o anuos
noticia da Balita0 vapor france,: lij-
le dt Prwffiico,entrado,liontem trouxe-nos ape
as folhas da Baha, alcanzando a 10 dtste raez.
A receita da Santa Casa de Misericodia,
de Julho a Fevereiro, importou era 311:074*898,
e a despeza no mesmo periodo de tempo era ..
3060o2*830
Patrimonio Regaard -O r. tbesourei-
ro da commissao nocieada pela redaccao do Re-
bate enviou-nos hontem a quantia de 2*000, as-
signeda pelo lilho de um allemo, para o palri
monio Regaard,
Hontem mesmo entregamos a referida somma
ao Sr. commendador Joseph Krause.
Eiamc* Hoje, pelas 11 boras da manh,
em urna das salas da repartic&o da instrueco
publica, se reuniro as commisses nomeadas
pelo S.'.Dr. inspector gcral, atimde examinarem
e emittirem parecer .-obre as provas produzidas
pelos alumnos de ambos os sexos das escola
publicas primarias era 1886 e 1887.
%&, urna rapariga qae se *trm- etaria dftpo*>ta a deixar paasar tanibem
porque foi trahida pelo amante : os voto* que os bispos fazem, em favor do
que t se degoHa por falta ( restabelecimento do poder temporal, se
nSo se trataese de urna offensa Italia,
que potencia amiga e alliada.
< Somos gratos a Neice Froie Pressa e
a todos os jornaes estrangeiros, accrescen-
ta 11 Poplo Romano, que team acompa-
nhado com commentarios deafavoraveis a
ao rio
hoje um marido
da fidelidade da mulher; anranhH urna
joven se atira a ra de um quinto andar
porque a me n3o consenteno namorocom
o caixeiro da venda.
A vida agora cata catada em- multe
poueo
Por umnada, porama^meira^aJtpm-, agita3o -o clero dos --respectivos paizes
ba gente que faz sbanos ni olea. em ravor do poder temporal ; e por conse-
E' o methodo mais wapaa.'toqui' te co-' quencia contra a Italia. Mas lhes asse-
uhece para a llquidattSe/ dannegneios e das guiamos .que os italiano ostio bem longo
reputaeoes. de confundir a causa dos Eatedos amigoa*
s escrpulos ne-exiatem mamqne na com a doaspos.
conaoifcia dos ihial^Q fiitare--ido se- < Dos'36iitHBentos.destes -na>> podamos-
culo estao poder do revolver ou do bra- esperar outra cousa: e porque, em regia,
seiro carregado do camio. j elles n2o podem ser favoraves ao nosso
A luca pela existencia, aquella fama-1 paiz, fe acompanham tambem a pal
2668

REVISTA DIARIA
Aaaaattlftlea
ruvincial Fuuccioiiou
.ca do Exm. r. Bart de
ido 2o Srs. deputad
111 debate a acU da
-rio procedau leitura do se-
so, transuwt-
enlo para o de .888
1 do Cabo.A' com-
misso de orcamento municipal.
Poz-we ao rreeoNo dia 8 do correte
Eor occasio de fazer-se a hmpeza na cadeia pu-
lir de Garanhuns. evadio-se Placido Jos Al-
ves, condemnado a 7 annos de priso.
Panellan de Miranda Este club car-
nales! o reunir-se ha s 11 oras da manh, em
1 ile as-emblea geral, no prximo domin-
go 17 do corrente, em sua sede social ra Au-
gusta n. 211, alim de proceder eleicio da nova
directora, que tem de o administrar no anno
de 1889 a 1890.
Humilladores daK Flore -- Com este
titulo pretendem algnns mocos constituir urna
socie tade com o fim nico de acaborem o pes-
gimo lirinqoedo do p>.
t' urna excellente le...branca.
ireelnria dan obran de connervn-
ooAon Porion de Pernambu.roReri-
fe, I i de Marro de 1839.
Boletim meteorolgico
mL ==' e 0
loras 0 = gil Baroni' 0 Tsate do vapor c3 1
ai. 759-63 20,01 77
9 28"' -6 761 "Oti 19.-it) 67
12 30 I 76-8G *M5 til
3 t. 3U-5 758-8.3 20, 5 62
6 29-4 759-53 20,42 67
Temperatura mxima31,25.
Dita minina 26",00
Evaporaco era 24 horasso sol: ".9; i som
bra : 5 .0.
Chuva nulla.
Direcco do vento-: E de meia noite ale aos 3
raiuutos da tarae ; E, ESE e E alternados at
meia noite.
Velocidde media do vento: 1-42 por se-
gundo.
Nebolosidade muta: 0,49.
, Boletim do porto
- et
2 X
* "3
Fia
M
M.
M.
M.
Dia
12 de Marco

13 de Marc.)
loras
144 da tarde
7 50
222 da manh
8-19.
Alturi.
1- 97
0-.8?
2-00
0-,85

Lii;<>*Etlectuar-sc-bao os segrales
Hoje:
Ptio agente Gusnio, s H horas, ra Mr-
quez de Ol.nda, de latas sortidas de manleiga
a.
reto agente Tinto, s 10 12 boras, a ra Mr-
quez de Olinda n. 52, de piano, movis, etc.
Pelo agente Guaino, s 11 horas, ra

4523 9604 9875 13981
14434 13664 16817 16899
APPBOXIMACOES
8526 1:5001000
8528 1:5001000
:W!7 (OOOOO
3M 8001000
4457 . 1504000
4459 150*000
14323
Os nmeros de 8521 a 8530 esto premiados
com 150*000 inclusive o da sorte grande.
Os nmeros de 3901 a 3910 sto premiados
com 90*000 inclusive o da sorte de 30 contos.
Os numen de 8301 a 8600 esto premiados
com 90*000. ,
Os nmeros de 3901 a 4000 esto premiados
com 60000.
Os nmeros terminados em 27 esto premia-
dos com 60*000.
Os nmeros terminados em 08 esto pretaia-
dos com 60*000.
Todos os nmeros terminados em 7 e 8 esto
premiado- rom 30*000 excepto os terminados
em 27 e 08
seguinto latera corro no dia 18 de Marco
como plano de 60:0>O*000.
Lotera do tran*-ParA 6 parte da
:6 lotera, dessa provincia, cujo premio grande o
60:000,000, era extrabida, i-egunda-ieira 18
de Margo.
Cemiterio PublicoObituario do da 12
-le Marco de 11*89 :
Bfandina Philadelpha da Paixo, Pernambu-
co. U aunos, Santo Antonio; coogesto cere-
bral.
" Petrolina. Pernambuco 10 raezes, Boa-Vista;
enlerite aguda.
Severina, Pernambuco, 3 mezes, Recife : cou-
vulsOes.
Sanjinbo, Pernambuco. .50 annos. solteiro, Boa
Vista : aneunsraa egangnma,
Maria Josepha -los Przeres, Pernambuco. 31
anuos, solteiro. Boa-Vista ; cachexia syphilitrcp.
Um feto, Pernambuco, Boa-Vista.
Antonio, Pernambuco, 1 anuo. Boa Vista ; en-
terlie verailiiosa.
Um f ; Pernambuco, Roa-Vista.
Manoel, Pemanjboco, l hora-, Grajj
p
Un poueo de tudo
Umberto Panvini Kosati, de Roma, um
joven de abastada familia, matou-se bar-
baiametu, como um maifeitor qualqucr
que procura a morte para fugir dos bor-
-le urna gal.
Matou-se diante da mulher pela qual ti-
nha sacrificado a paz da propriu familia o
seu futuro e as sua posses.
Nao este alm disso o primeiro caso
do genero que se verifica: poueo tempo
faz em Milao um mancebo de educaran
se niatou pelos olhos verdadeinunente
bellosde urna joven modista eetabelecida
com lejana na Vallardi.
E' um phenoineno morboso que, se rep-
to (peridicamente.
Frocurai a causa.
A causa vos foge, porque varia :--
tioje .uxn bomem que se mata por*"deUc-
sa lucta que deu ae mundo de c e de l
do Atlntico e do Mediterrneo, tantas ro-
bustas temperas de homens e de intelli-
gencias, tornou-se um paradoxo.
A lucta est reservada aos pobres de
espirito.
O suicidiodo secuto que corre o
detideratum das gentes: esta ao alcance de
todos.
Um joven que se despede para- o outro
mundo dando um salto no Tibre um sui-
cida vulgar.
A perversiJo social exige alguma couza
de mais; a morte nao interessa mais a
mim; o interesse vive s-para o mothodo,
para a maior ou,menor forma thcatral.
Ha tambem um high lije dos suicidios:
c Panvini Rosati pode caber ahi digna-
mente.
Ha gente que diz que elle morreu i ro-
mana : que nao foi um velhaco, porque a
lamina da faca nilo lhe deshonrou as mr-
bidas carnes do amante.
Assim se tente at urna apotheose do
suicidio: o phenoiueuo digno de estudo.
Um homem que, depois de ter deitado
fra um patrimonio pelos caprichos de urna
futilidade qualquer, perturbando o socego
de urna familia respeitavel e honesta; que
nao sabe fazer outra cousa de melhor que
matar-se com urna facada, vale tanto
quanto um caixa que foge.
Para esta raca de gente sem honra e
sem sentiinentonaodeve haver compaixao:
s merecem o despreso.
' ompadcceuio-nos de uin pobre pae de
familia, que opprimjd-ipela miseria ufme,
em um momento de desesperacao e de dor
prefere a morte a vista da fome dos fillii-
nhos, a quem niio pode dar um p2o ; mas
a sorte de um peralta que, coberto de
deshonra e de dividas, nao tem acoragem
de livrar separass dos abracos de urna
mulher sera coranao e de desembaracar-se
como trabalho arrepondendo-se perante a
sociedade, causa nausea, e nao despena a
piedade.

##
Na Victoria (f'olumbia ingleza) foi con-
demnado prisab por cinco annos, em
consequencia das suas bellas empresas,
um individuo que se intitulava Dr. G.
Humilton Crrifiin ; e cuja carreira !he da
o direito de ser collocado entre os mais
famosos cavalheiroa de industria
tem dado que fallar ao publico.
O intitulado doutor nao passa de um
mulato do padre francez da ilha de Haiti,
que foi baptisado lia cerca de eincoenta
annos com o noiue de Jean Bapttiste Le
Blanc.
Na sua ilh cosmopolita, em tempo de
rapaz, aprendeu varias inguas, e cres-
cido um poueo, embarcou como coainhei-
ro n'um navio qne o conduzio Ingla-
terra.
m Londres trabalhou tres annos em
urna typographia de jornal: depois diri-
gio-se Pars, ao servico de Gustavo
Grifiin, medico de fama, a quem acompa-
nhpu em varias viagens ao Oriente.
O contacto com os jornalistas de Lon-
dres e com o doutor concorreu para que
liianu- adquirase uuiitos coubaaiiatoa e
podesse publicar alguns rotearos de via-
gens que firmara com o pseudonymo de
Casmos.
Deixando o doutor Griffin, Le Blanc
voltou Londres, e de l se transferio
Nova Orleans onde fundou um banco que
chamou deBanco dos horneas de cor!
Depois de dous annos parti sem pas-
saporte, levando comsigo cem mil dol-
Iars!
Em ^875, se achava em Nova York e,
com o nome de Dr. Gustavus Griffin B.
A. era um dos indispensaveis em todas as
reunioes da alta soeiedade.
Um bello dia desappareceu deixando
muitos credores com um palmo e meio
de nariz !
Reappareceu em 1877 na cascata do
1, que mais
que lhes mandara do Vaticano, obrigados,
como sao aquella, cega disciplina, que
um dos fundamentas da sua instituicSo.
Aquillo que podiam e deviam seguir
cora attencao era a attitude dos paizes,
onde as manifestncCes elcricaes estavam
se produzindo. Hoje daquella attitude nSo
temos totalmente motivo de queixr-nos c
nem de preoecupar-nos.
Governo8 e populacoes teem tido,
perante aquellas manifestares, a attitude
mais correta. Bem que dirigidas ao Papn,
cactas e endere90s dos bispos, miravam a
commover a opiniab publica dos respecti-
vos paizes. Hoje, esta tentativa alhou
completamente, tambem nos paizes catho-
licos por excellencia, como a Austria, a
Blgica o a Hespanha.
Tambem este, pois, se resolveu em
nosso favorpois que demonstrou que, se
em vilo o Vaticano tem confiado em um
movimento interno que tornasse os italia-
nos doris s suas pretencoes, debalde
tem igualmente confiado n'uma agitado
internacional promovida pelos bispos no
estrangeiro e cabio no vacuo, como a qne
se tentn na Italia com mil meios, entre
os quaes aquella famosa peticSo, que des-
appareceu ao primeiro annuncio do gover-
no, que quiz ver decididamente respeitada
a lei.
a Obedeea pois o episcopado austraco,
a par de todas as outras, s ordens que
lhe sao mandadas do Vaticano contra a
Italia.
A Italia por si mais, que pelas ou-
tras, nao se commover.
1ND1CACES TEIS
Nigara, com o mesmo nome, ostentando
riqueza, e depors de ter engaado um bom
numero de credores, desappareceu.
Passou depois Quebec, no Canad,
onde conseguio casar-se eom urna rica
viuva que morreu depois de um anno, tai-
vez pelos remedios ministrados, pelo ma-
rido medico !
Le Blanc com o dinheiro da viuva abri
um sumptuoso escriptorio de medico em
Moutreal, onde vcio a ser um dos lyons
da alta sociedade-
Mas depois, por que elle costumado
habito, amaldicoado habito de nito pagar
as dividas, tnve de emigrar para outros
climas.
Appareceu depois na ilha principe
Eduardo onde tentou defraudar um Banco,
mas nao o conseguid.
Appareceu entao no Ontario onde se
fez passar por correspondente de urna
meia duzia de jornaes,. e mediante os
sous candes de visita, altisonantes obteve
passagene gratuitas as vias frreas, e se
familiarisou tanto com os altos emprega-
dos das estayoe das estradas-frreas, que
induzio a dous a consignar-ihe urna grossa
somma de dinheiro para urna corta espe-
culaban em tcireno8; estava para fugir
com o sacco, mas foi agarrado em tempo
e teve de restituir o dinheiro para nao ser
preso.,
Depois mea Deas que va crucial
casou-se com urna rica rapariga e se tran-
sferio a Victoria na Columl.ia Britnica. flom je9Ug uQt[glt da t*ruz) n.
D'ahi passou S. Francisco, depois et'andar.
Los Angelos, ate que einfim hoje cahio na r Ribeiro de Brito d consultas de
rataeira e por* cinco annos
sao da Victoria.
A cerca da migracao italiana na Rep-
blica Aigentina, eis o que acharaos e tra-
duziine8 de urna bem conecituada folha
estrangeira, como a Riforma de Roma:
Depois do ; ourrier' de la. Plata, que
uo excede certamente em italophilismo, e
que juntamente obrigado a render jus-
tica as nossos compatriotas, eis aqu El
Nacional, o qual, preoecupado dos esfor-
908 do Brasil para attrahir a nossa emi-
gracSo escreve:
Nos necessitamos de muitissimos bra-
cos e occorre que somos bons.
A Italia a nacao da Europa que
com maior facilidade pode fornecer-nos
este poderoso sueco que robustece o r-
pido progresso da Repblica.
c NSo de vemos por tanto deixar-nos de
servir d'este precioso elemento.*
t O governo argentino que tanto tem tra-
balhado para o deacnvolmento da imigra-
cao, dedicando-lhe" ingentes sommas, deve
adoptar salutares providencias, para nos,
que nos achamos privados de valiosissi-
moe elementos, c para os imigrados mes-
mos, das necessidades urgentes a desviar
da verdadeife estrada, na qual podem en-
contrar um futuro e urna segunda patria,
a Obrigue o governo argentino os seus
agentes da Italia, ou muna-os de ampios
poderes, se nao os tem, e se dirija aos
campos lombardos, que sao os que sempre
nos furneceram os melhores bracos; os
mais robustos e os mais promptos que se
adaptara aos nossos costuraos, aos mais
variados trabamos c com especiaiidade
agricultura; aos campos lombardos onde
o Brasil nos mostra a mais feroz batalha,.
batalha contra a nossa riqueza e o nosso
progresso.
t Combatamos os brasileiros forca
d'ouro. No importa; sacrificaremos tam-
bem algnns milh3es, que no ficarao per-
didos.
< Pelo contrario. Sb aomente capi-
taes que empregamos com interesse usu-
rario, que nos render mil por cento.
c Occorre estudar minuciosamente a
questo que das mais graves.
A Italia, com as leis sobre a imi-
grac;o e a colonisacb, proceder de modo
a que nao iraigre senao o excesso da sua
populaco. Mas no emtanto, eis aqni to-
das as aceusacSes levantadas nestes lti-
mos tempos contra a aiigraeao italiana, des-
mentidas n'este debate dos Estados sul-
amcricanos, que tudo envidam para at-
t rail-a.
E vemos esta disputa com prazer pois
quetutelada com as Legisla$oes, com os
consulados e com as escolasa imigracSo
italiana, em paizes onde for bem vista e
bem- tratada, ser sempre urna forca moral
e econmica para o nosso Estado.
com especiaiidade s molestias do cora-
cao, pulmoVis, ligado, estomago e intesti-
nos e tambem s sfeceoes das enancas.
Reside praea do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas- do meio-dia s 3 horas. Telephone
n. 381.
Occulista
'Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paria e Lon- j
dres, consultas todos os das das 9j^i
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-J
Jencia nxa Larga-do Raeario n. 20.
Aileeajedoe
Ob&ekartl Witritvio Pinte Bandetra,
pode ser procurado ra do Imperador 1
n. 71, 1.- andar.
O Dr. H. Milet mudou o seu escripto-jj
torio de advocada, para a ra do Impera-*^
dor n. 46, 1* andar, sala da frente.
Serrara a vapor
Serrara a vapor e officinu de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obra6 de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petencia--Pernambuco.
II robara
Paria cjubriho & ',., di'oguista por ata--
cado, ma do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
^^^^mm^mmim^mmmmmmmmmmmmwmwmmm
*


Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio aberto rua Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua rssidencia ra Bario de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras c criangas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. 'Barretto Sctmpaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
ra do Bario da Victoria, n. 6L, Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da "'audade n. 25.
Dr. a*fro Jess medico e operador.
Pratica a la vagara do ntero quando e *)
rao cou.^elha4i. Consultas das 11 s
j 3 da tarde em sua risidencia ra do
t*-uz) n. 23, l.4
PUBLICARES 1 PEDIDO
Elei NSo discutiramos a eleico que neste colle-
gio elfectuou-se no dia 4 do corrente,* a nao
a noticia consignada no Jornal do Recife de an-
te hontem.
0 partido liberal desta comarca empregoutu-
dos os meios Ilcitos o indecorosos para dar g-
libo de causa ao Sr. Dr Loureucode S.
0 que se deu no collegio eleitoral desta cida-
de, est abaixo de toda amura.
; "s nossos adversarios de accordo cni o cen-
didato liberal que assistio nesta cidade o pleito
eleitoral, pretederam viciar a eleicao introdif-
zindo na urna maior numero de redulas, o que
nao se realisou porque os signatario:- do preJB-
te descobriudo a falcatrua, enrgicamente a isto
se oppuzeram, e sendo frustrada a tramoia lan-
garam nao do recurso de provocar a to lo ata-
lante disrussOes e disturbios que a prudencia
Jos nossos amigos sonlie desprezar. O juiz de
direito Dr. Miguel Amorim com ares de ca.
Tiberio co.nmandava os seus amigos dentrol
recinto ao coileaio eleitoral e incitava-os a
sordera e a coullagrarf.o.
Nesta cidade anda nao se tinlia visto
eleigao mais cheia de peripecias e disturba1
isto porque o partido liberal desta cidade
(ende que por ter como chele oDr. Miguel AobOt
rim, pode em pregar todos os meios, porque cor
tam com a impunidade, como apregoam."
Dizer-se que o consedheiro Rosa e Silva o|
ve 81 votos e o Dr. Lourenfo de S 89 vota ,
requinte da falsidade e da' inverdade ; s oJ
rebro enfermo dos amigo- doran li lato derrota-
do, que einpregaran! desde a fraude a -"jrrup^e
e tentaram fmpregar a violencia e o-ios os
'meios coercelivos. podia conceber e mandar pu-
blicar as columnas de um jorual que se diz se-
rio, tanta flsidade. Nem ao menos soube o au-
tor do telegramma passadoda Russinliu, fallar a
verdade, de modo que a saa iuverdade podesse
ser verosmil ante o publico que ignorara os
fados que se deram por occasio do pleito elei-
toral no dia 4 do fluente.
Segundo o autor do telegramma a que nos re-
ferimos, compa(eceram cento e setenta cleitocujh
entretanto pelas ossignaturas do respectivo dP'
vro, com o termo de enctirameoto assignado
por toda a mesa e pelo fiscal liberal, v-se que s
comparecern] cento e sessenta eleitores. O fis-
cal do Sr. Dr. Lourenco de S e o mesario se0>
co-religionario, observaram abertura da urna,
e a contagem das cdulas e se tivesse havido .
subtracyo de edulas por parte de um dos IU
gnatarios na qnaldade de presidente do collegio
eleitoral, ter-se-hiam onposto a este faetc e. cha-
mado para elle a attencao do corpo eleitoral. Tal,
porm, nao se deu, j quaudo a apuraco d-
votos, estava era raeio que appareceu o Sr.
Juvencio Mariz, com a iuvenco da subtraecu
de cdulas e provocando grande tumulto no qae
foi" auxiliado por-seas amigos que incitavama
dafordia e invasao do recinto onde se achava a
mesa, com o rim de inutilisarem a eleico, o,
quenoconseguiram pela prudencia, e attitude
enrgica dos abaixo assignados.
O partido liberal nesta cidade nao se quer
conformar com a minora que desde o anno de.
1886 arithmetica demonstra por algarismoa "
Assim v se que no anno de 1886 disputando o
conselheiroRosa e Silva a eleico com o falleci-
do conselheiro Godoy, aquelle obteve 87 votos e
este 84 ; em30 de Dezembro de 1887, um dos. si-
gnatarios do presente, obteve 90vi>tosnara de-
puado a assembla provincialae o Sr. Juvencie
Mariz 82 ainda o partido conservador desta ci-
dade no anno de 1887, ganhou a eleico de juizes
de paz e vereadores.
K como dizer-se que o candidato liberal neste
collegio oble ve raaioria, qrando 03 factos e as
eleices anteriores a que nos referimos demons
Irain ate a saciedade que o partido conservador
de>ta fretiuezia tem raaioria ?
Devia o autor da noticia do telegramma passa-
do da estacoda Russinha temais criterio c bom .
senso para nao ser contestado por factos e por
algaliamos.
Fique certo o autor ou autores da noticia a que
nos referimos, que Caroar. nao Iguarass e ,
era Itamarac, onde em 1884 o partido liberal
obteve rotos por meio de fraude e falsilicacOes
de actas, fraude e faisicaoes que foram reco-
nhecidas pela cmara dos Srs. deputados.
Garuar, 10 de Margo de 1889.
Manoel Rodrigues l'orto.
Lauriano Jos de Carvalho.
Francisco Jos Goncalves Flore
Antonio de Vusconcellos Florencio.
I

\
f J
>

(
-i
y-

estar na pri- meio ia s acoras da tarde, no 1. an-
dar a ra Duquo de axias n. 46, poden-
i do ser procurado xwra chamados ,na sua
XcwFoie Presse fallando da carta din-; residencia ra ao Hospicio n. 81. Te-
* #
gida pelos bispos austracos ao papa, jul-
ga n&tural que d eprtcopadb preste home-
nagem ao pontfice; e accrescenta que
lephono n. 303.
Dr Alvares QuimarUes,, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e '
Breve resposta a confirmafo
que faz hoje ao loraal do
Recife o Sr. Dr. Llvsses Viaa*
a a sua deelaraeo fcUa ao
nirsiuo Jornal de lo do cor-
rele
Insiste o Sr.' Dr. Ulys6es Vianna, j
eom impertinente tenacidade, em susten-
tar, apezar da lucida explicacio que lhe
dei, que a phrase por mim empregada
errare humanim estrevela ter eu con-
fessado um erro e nio o ser delle suscep-
tivel.
ara coinproval-o, recorre a citar.'.
um livro que diz ter vista, .mas 11
clara o autor, o qual explica qu
prime a atenuacio de uina tal
queda moral.
Apezar da utoridade reeofj^^H
citador, e quiy do autor citado,
demos acertar a librrima tr>" luc
mestre efdo discpulo, nem a f
prefacio que lhe dio.
Para mim urna novidade
que, confeaso, n&a tinha
me sinto disposto
traria a tudo q
po de cstdaiue 1
sinar as aulas de lau"
No esforcado eapenh
X
. ''
*""W"W
^'


1
;stmunha* que
tal phrase, o Sr. Dr. Uiysses
Vianna acere scentou-o hoje com os nomes
dos Srs. Drs. Pontual, Joao Paulo, Fer-
nandes Barros, os quaes nao tendo estado
no segundo exame em que a pr nunciei,
nao podiam p. r conseguate terein-if a ou-
vido de mim nessa occasi&o.
Ora, se tirarmos do seu rol de testemu-
nhas esses nomes, indevidainente enxer-
tsulosnelle. e se os possuidores dos outros,
j anteriormente citados, nao se julgando
tSo aperfeicoados, como S. S., em latim
,' macarrnico de palito mtrico, sentindo-se
r1- movidos com as minhas raaoes, se tenham
convencido, pela explicaco clara que Ihe
dei, que a verdadeira a ininha tradc-
elo latina, ficar o Sr. Dr. lysses Vianna
em urna compassiva unidad*.
Na me dou ao trabalho de refutar os
tpicos que transcreve do artigo assigna-
do pelos meus collegas; porque com o
meu companheiro Dr. Jos Flix j lhes
respondi pelo IHurio de hoje.
Quanto a affirmacSo do Sr. Dr. Bal-
thazar direi somentc quo pode ello con-
trariar-me como Ihe approuver; o publico
nos julgar e aquilatar quem seja mais
capaz de dizer a verdade.
Recife, 12 de Marco de 1889.
Dr. B. da Gama Lobo.
Pemambucp---QuLita-feira 14 -de Margo de 1889
A' Provincia
Hlma. Srs. redactores o Diario de Pevnambuco.
Lendo hoje no jornal A Provincia ama tian-
seripeo do Jornal do Poto, sob a epigraphe E
'sta ?.', rogo a Vv. Ss. que se dignem de declarar
pelo seu conceituado Diario que se o pedreiro.
a que se referem, foi posto em liberdade foi de
pois de recebido o al vara da autoridade compe
tente (subdelegado do 2o districto da Ba-Vistaj
e nao por aeliberaco ininha porque nao tenho
por costume invadir as attrihuicocs alneias.
Casa de Detencao do Recife, 13 de Marco de
1889.
O administrador,
Agosliuho Bezerra da Silva Cavalcantr.
mmsmmmr.. ^Rm. v Me
de viste e oiro airaos.-, est aooramettida
de febres sob diferentes typos desde
oito, a dez mezes. Tem tomado urna
quaqtidade enorme de sulfato de quinina
em pn em plalas, em tKo grande cx-
cesso, que seu estomago n&o podia mais
toleral-o, mesmo associado com o opio.
Ella offerece todo os syraptomas da ca-
chexia paludosa, amenorrhea, ochadlo
das faces, barriga enorme, bajo triplica
do de volumo. O estomago est to can-
eado que nao supporta o sulphato de fer-
ro ; este sal provoca clicas e urna extre-
ma repugnancia. E nestas condicoes que
prescrevi o vinho de quinium Labarraquc
cuja apparicao era recente. Assim pouco
familiansado com seos effeitos, foi muito
sorprehendido pela mApeira rpida e com-
pleta com que triumpnou da febre da sc-
nhora A,.. que desde dous anuos nao
tem experimentado recahida. (Extracto
das observacoes dirigidas pelo Dr. Reg-
nauld a Uniao medica.)
Immigracao
Tratainio-sc de iniciar este servico entre nos
damos pu!>licid:'.de o regulamento abaixo trans-
cripto, seguido em algumas fazendas de S. Paulo
e do qual os agricultores da nossa provincia po-
dera aproveitar as ideas que Ibes parecerem mais
ulcis e aproprial-as a cultura da canna e outras.
REGULAMENTO COLONIAL
FAZKVDAS DO BABAO DE CASTRO LIMA
Provincia de S. Paulo '
i.
(I colono de parceria, receher ca^a para mo-
rir, com una parte de cafezaes velhos para tra-
tar, e outra de cafezaes novos para nelles plantar
mantimentos.
Entao percebfr metade da colheita que 3er'
medida e dividida aonde preferir o proprie-
tario.
A sua metade vender de preferencia ao pro-
prietario. combinando no preo.
2."
O preprietario fornecer vveres ou o preciso
pira o colono manter-se ao preco do mercado,
fue ser Rembolsado pelo colono no tira da pri-
nfeira colheita.
3-
Ter por cada lirapa de caf 84000 por mil
pe. on SMfleo-por cada 10" bracas em qnadra
que carpir quando o colono tomar empreitada,
setn sustento.
4.
/-Seste caso ganhar 320 res por cada 50 litros
razi irado- que iiver colindo, entregue perfeita-
mente liuipo e medido no cafezal, ou no terreiro
da fazenda.
' S-*
Nao poder plantar no cafezal novo "seno milhu.
mandioca e fejao da secca, o milho em dnas car-
reiras e o fejao de qualquer mod >.
Para plantar arroz, fejao das aguas, canna, ba-
tata, fumo, etc.. ter fra do cafezal terreno suili-
ciente.
6*
fmm colono poder ter nos pastos da fazenda um
animal e urna vacca de leite, com tanto que nSo
Sejam daraninhos, e poder tambem ter o nume-
ro decreos que quizer. com tanto que os con-
frve fechados.
7.
Ser obrigada, quando avisado, a vir com sua
familia ajudar a apagar fago nos mattos, e a re-
olner o cafe do terreiro. O que nao vier paga-
r urna multa de 2*000 por pessa.
8.
O colono obrigado a fazer as replantas, nos
cafezaes que Ihe forera entregues, fornecendo Ihe
as mudas o eolonisador.
9.
Os colonos que plantarem cafezaes novos, os
levem entregar no lim de 4 annos, ou quando
formados, content do eolonisador, recebendo
entfio 400 ris por cada pe vivo e em bom es-
tado.
10.
Devera canservar-e em boa harmona uns com
os outros, guardando perfeita moralidade. Os
ue assim nao MzerenK brigarem ou se embebe-
darem. pagaro a mulla de 51000, dobrado as
reincidencias.
O lim desta medida evitar os males que d'ah
proveru para os colonos e para a fazenda.
* O coIobo que' quizer gauhar jornal e sustento
Mi-cebera, sendo bom trabalhador de enchada
on [buceos maiores 500 ris por da, e os me-
nores 20 ris mais ou menossegundo o que
jfalerem. O sustento de fejao com ang de
milho. couves, carne secca tres vezes por sema-
na, e caf tres vezes no da.
12.
As umitas d'este regulamenfo revertem era
beneficio da propria colonia, por exempto para
las, traiamento, medico e pharmacia.
Um acto de justica
Ha das lemos nos telegrammas do Diario de
PenwMbucQ a reconduccao do Or. Luiz Goozaga
de Almeida Ar.iujo no cargo de juiz municipal de
Pko de Aasocar, em Alagoas. atrevemo-nos a
diz<.r, que bem poucas vezes o governo imperial
poder xetcer actos que revelem tanta jnstica.
O distineto pernambucano e integro magistrado
Or. (kiruaga, que desde o anuo segrate ao de
sua formatura, tem exercido os logares de pro-
motor e depois de juiz municipal (sempre em
Cao de Assucar). 0 Dr. Luiz Gonzaga, digo:
im dos raros magistrados de quem se pode aflir-
.nar, nio existir um s dc-saffecto dos te itrios de sua comarca.
Imparcial, criterioso e prudente, o Dr. Gonza-
ga de Arauio nao tem desmentido a confianca do
?ovetno imperial e, ate hoje. tem mantido inalte-
rawd o cenceito de inte 111 gente e illustrado ad:
qifirido desde os bancos acadeicos, onde foi
tres vea aierecidarapnte galardoado com ap-
provacwe, rom distmiv;;o. Nos que o conhece-
perto, c que admirami^ as suas raras
-lados como amigo, e sua honradez e inte-
iiib magistrado, admiramos e lamenta-1
mi
4 do fundo d"alnia. que o.> lenha.iiavido ama
varadaiuiz de direito para >'Ilustre magistra-
do qu{ Hko beni tem sabido cumprir o seu dever,
I^^^^Hk honrado a magistratura mantendo-e
t^^^^m altura da verdadeira justica.
pegothes. Srs. redactores do Diario de Per-
nambnco, a publicago d'ossas lianas, com o qte
muito obrigacH ao sen constante leitor.
Itainfa; t de arco de 1H89.
Kswaar
Aula publica
A .'.* cadeira do seso friruno da freguezia de
Smto Aritonio. rwridn prta proessora D. Thereza
jSpiriri'datiinii;: -^* /*mccionan*)
ra do Sol n. 1"
Or. I*Bttor;CwvaIcante
Medico
iiw nwni nm>iwXMiniiiiiiitMiiiiiiiimin
Exposlfo LTulversal de i*s
Segundo a carta que nos escrevem nos-
sos correspondentes, os Srs. Amqjee
Prince & C, o PavilhSo do Guatemala'
onde elles acabara de organisar urna sala
de leitura de todos os principaes jomaos
das Amaricas do Centro, do Sul, das An-
tilhas e do Extremo-Oriente urna cons-
truccao de madeira muito bonita.
Este pavilhSo acha se situado direita
da Torre Eiffel, pilo lado direito e de-
fronte da parte contal do Palacio das Ar-
fes Liberaes. Est perto de todas as sec-
coes das Repblicas Americanas e do Im-
perio do Brasil cujos riquissimos palacios
lian de constituir, por sem duvida, urna
das maiores attraccSes da Exposicao.
Aos nossos patricios recommendamos
encarecidamente que visitem no Pavilhao
de Guatemala a "Jnstallacao dos nossos
correspondentes, Srs. Amde Prince &
O, devida ao obsequio do Ilustre com-
missario geral do Guatemala.
IV.
I IIima descoberla de um ahio
Extracto Duplo de Aveleira Mgica (viitch
Hazel) do Dr. C. C. Brislol. O autor deste novo
e maravilhoso remedio, o Dr. C. C. Bristol, cujo
norae conhecido em ambos os hemispherios,
de um a outro extremo do planeta, como autor
das celebres Salsaparrilha e Pilulas de Bristol,
s quaes tantos devem a saude e ;i vida, em to-
dos os climas do globo ; o sabio medico, chimi-
cqe naturalista, oceupado sempre em novas des-
cobertas medico botnicas, depois de intelligen-
tes e repetidos ensaios, veio a achar-se possui-
dor de urna nova e admiravel combinaco enra-
liva, baseadanas maravilhosas virtudes da plan-
ta americana conheeida hoje na sciencia sob a
denominado botnica de Hamamelis Virginica.
planta indgena da America Septentrional e pri-
mitivamente empregada pelos indios no curativo
de toda molestia de carcter inflamla torio, tanto
interna como externa.
--------jaeeee.------------
lllm. Hr. Dr. Vleente Perelra
do Reg
Con3tando-me que V. S. se linha mudado
de nossa casa sita rna do Conde da Ba-ViSta,
ha perto de um mez e eu nao sabendo de sua
raoradia para ir buscar a chave em sua mo.
peco-lhe o especial fevor de me a remetter
ra larga do Rosario n. 46, que pagarei ao por-
tador, alm do grande prejuizo em alugueis
anda porta fechada.
Kecife, 12 de Marco de 1889.
Castro Monten o
Dr. Alfredo Oaspar
MEDICO
Operador, parteiro traMk com especiali-
dade de* molestias de sentaras e craaaoas.
Conauitorio c residencia ma da. impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manhl.
QhamadoB (porescrfpto) qualquer hora.
TELHPHONE N. 226
MEDICO HOMEPATA
Dr. Baltlia/ar da Silvera
Especialidadefebres, molestias
r das criancas, dos orgios respirato-
rios e das senhoras.
Prenta-se a qualquer chamado paca
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pliarmacia do Dr. Sabino,
ra do BarEo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
DECIAHA50K
Medico operador parteiro
4 Rna larga do Rutarlo 11 j
94
(Por cima do Annel de Ouro)
Onde tem conanllorlo e resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualqaer hora
do dia e da noite.
Especialidades : l^tos, febres, oles-
ras de senhoras e tos pulmoes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope
races de estreitamentos e mais soffri-
raentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fora. qualquer distancia.
Telephoae o 8 94
I
Aviso ao publico
Emquanto durar a Exposicao Universal de
1889, os nossos leitores que se acharem emParis
e que desejarem receber quaesquer noticias da
trra, podero 1er os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
EDOdentes, os Srs. Amede Prince & C. 36, ra
afayette, em Pars.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amde Prince 4 C.
Outrosim, os mesmos Srs. Amde Prince 4 C,
negociantes-commissarios poen. a sua casa de
compras s ordens de qualquer pessoa que dese-
jar ter urnas informacoes. ou utilisar seu inter-
medio.
?
Pensao Acadmica
Esta casa de Pensao situada no ameno
bairro da Boa-Vista, ra da Iraperatriz
n. 15 2o e 3" andares, contina a receher
pensionistas, que mediante a mensalidade
de 50?5, terao com o maior asseio e regu-
laridade, comida abundante, commodos
agradaveis, excellente banho e criado.
Lugar s provas !
Quardo mesmo n3o tivessemos o traba-
lho de vir trazer ao conhecimento de pu-
blico a noticia das muitissimas curas ope-
radas pelo Peitoral de Cambar, de Souza
Soares, basta va que os proprios beneficia-
dos por tito poderoso remedio se encarre-
gassem de Ihe divulgar as virtudes.
A voz do povo a voz de Deus, por
esta razao nada mais do que elle preciso
para constituir a gloria de um preparado.
O attestado que se vae lr mais ama
prova do que levamos dito.
Eil-o :
< Attesto que se minhas filhas, bo-
lina, de 8 annos de idade, e Silvina, de
5,soft'riam ha mais de tres annos, hor-
rivclmente de asthma, que lhes vinha por
accessos amiudados e tao fortes, que eu
julguei em muitos d elles, ter-8e approxi-'
mado o termo fatal de anas pobres exis-
tencias. Depois, porm, que usaram o
Peitoral de Cambar, preparaeo do Sr.
Jos Alvares de Souza Soares, em Agos-
to do anno prximo passado, s Silvina
foi atacada ha quinze dias, de um novo
accesso, que cedeu promptamente ao mes-1
niO' peitoral.
i Tuto o que fp verdade e o jury,
e preciso fr.
[ Pelotas, 10 de Marco de 1879.-^M-
guel Antonio dos Santos. (Pelotas.)
Este importante medicamento vende-se
em casa dos agentes Francisco M. da
Silva & C.| ra Mrquez de O inda n. 23,
que o venden a 2(5500 o fras Oculista
L>r. J. Correia de Bittencouit, oculista
resideate na corte, ex-chefe de clnica
ophthalmologica dos Drs. Wecker c Punas
em Pars e do professor Hirschberg em
Berlira, tendo regressado de sua excursao
s provmoias do norte, demorare alguna'
toezes aesta capital, no exercicio de sua
esperialidade.
CotoaltOrio e resideneia--ruavo Bario
da Vietorw n. 23 ln andar Entrada pela
Gamboa do Carmo.
OinaaUas das 12 s 3 da tarde. (irati*j
aos pobres.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meie dia s 3 horas da tarde, no
1 andar da casa n. 51 ra do
Baro da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 84. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
ThcsoBuraria de Fazenda
De ordera do lllm. Sr.- inspector, convido os
abaixo mencionados, credores de. dividas- de
exercicios lindos, a virem receber as respec-
tivas importancias, visto ter sido concedido o
necessario crdito pelo Thesouro Nacional.
Manoel lardoso Ayres 132*100
Constantino Alves da Silva 274*764
Joaquim Jos Gonealves Beltfo 17*483
Leandro do Rosario Correia Lins 424*W)8
Jos Bernardino de Souza 423*576
Antonio Januano Cabra! 338*926
Antonio Luiz de Araujo 178*000
Manoel Franeis-co da Costa 370*26
Antonio Machado de Lima 18WU)
Joo Marits fernandes 19*647
Ftlismino Thomaz de Aquino 36*297
Alfredo Hemeterio Ribeiro 72*900
Joaquim Bazilio yrrho 24*4*0
Uelmiro Jos Perreira 19*900
Reidemarque Parrtaleo dos Res 16 000
Avelino Galeno Coelho 19*200
JoSo Nepomuceno Ribeiro 19*200
Antonio Ignacio da Silva 19*260
Francisco Zacharias de Moraes 192O
Hermenegildo V. de Almeida Porteila 19*2u0
Joaquim Jos da Costa Fajozes 195200
Ignacio Nery da Fonseca 73(100
Antonio Athanazio de Araujo 26*400
Jos J-'everiano da Silva 8*out)
Antonio Reinaldo de Miranda 214000
Francisco Rogerio 28*000
Francisco Jos de Sampaio 32*000
Manoel Eustaquio da Silva Marques 24*000
Victorino Jos de Sant'Anna Mello 32*000
Arthur Ignacio Gomes de Oveira 19*200
Francisco Borges das Cbagas 32*0 0
Empreza do Jornal do Recife 173*020
G. Laporte 4 C. 242000
Augusto Candido Baprista 15770
Secretaria da Thesouraria de Fazenda de Per-
nambuco, 13 de Margo de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sant'A
HIPPQDROMO
DO
CAMPO
Frederco Chaves Jnior
Homoepatha
39 RA BARAO DA
Pri metro a
VICTORIA 39
dar
11 Bacharel Antonio Witru-
vio Pinto Bandeira '
< Pode ser procurado ra do Imperador '
) ( n. 71, Io andar j
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Un i vera idade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Baraa do Victoria 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
EDITAES
O Dr. Jos Antonia Correia da Silva,
cavalheiro da Ordem de Christo, com-
mendador da Real Ordem Militar Por-
tuguesa de Nossa da Conceic3o da Vil-
la Vicoaa, juiz de direito de orphos
da Comarca de Olinda, por S. M. o
Imperador, a quem Deus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edita!
virem e delle noticia tiverem, que, por
parte de Joaquim Antonio de Miranda,
me foi diaigida a petiao do theor segnin-
te:
lllm. e Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos
de Olinda.Diz Joaquim Antonio de Mi-
randa, que havendo arrematado peante
V. S. a propriedade Tabi, sita na fre-
guezia de Taquara, provincia da Parahy-
ba, e pertencent ao espolio do coronel
JoSo de S Cavalcante de Albuquerque,
requer o supplicante, parajgarantia de seu
direito, que V. Exc. depositado o pro-
ducto do bem que o supplicante arrema-
tou, mande, de accordo com a Qrd. livro
4 titulo 6, passar editaos, chamando todos
aquelles a quem for obrigada aquella
propriedade, para, no prazo que lhes for
marcado, pugnarem pelos seus direitos.
Nestes termos pede r. V. Exc. deferi-
mento E i. Me.Olihda, 27 de Feverei-
ro de 1889.Joaquim Antonio de Miran-
da. (Estar, sellada.)
Em a qual peticSo profer o despacho
do theor segrate :
i Feito o deposito como acabo de verificar,
passe-se o etal as condicoes alludidai,
cota o prazo de 30 dias, Hcande assim de'
ferido o presente requerimento, que ser
junto aos autos. Olinda, 27 de Fevereiro
de 1889.Correia da Silva.
E mais nao continua dito despacho
aqu fielmente copiado, e por forca do mes-
mo despacho, o respectivo escrivSo fez
passar o presente edita!, pelo qtwt e seu
theor sao chamados aquel le afquera for
obrigada a mencionada prop-iedado Tab,
para, no praio de 30 din pagarem pelos
seus direitos.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, mandei passar o presente, que
ser affixado no lugar do costume e pu-
blicado peta imprensa.
Dado e penado nesta ddade de Olinda,
os 28 de Fevereiro de 1889;
Eu Joto Theodnmiro da r-wtn Montoi
ro, escrivao do civel no imped meato do
fie. ofpMto,- o eacrevi.
Jo Antonio '"orraa'da Silba.
Juizo dos Jeitos da fazenda
Escriyao
TOREES BANDEIBA
No dia 15 do corren te, depois da au-
diencia, irlo a praca por venda, os predios
abaixo declarados, penherados pola fazen-
da Provincial.
Santo Antonio
Sobrado a ra do Fgo n. |5 com 2
janellas e 1 porta, 2 salas, 1 quarto, co-
zinha e quintal; no pavimento superior os
mesmos commodos, 4 metros e 70 cent-
metros de frente, 6 metros e 60 centme-
tros de fundo, avaliado em 9000000, per-
tencente a Mara Bernardina Monteiro.
S. Jos
Casa terrea ra de S. JoSo n. 63 K,
com porta e janella de frente, 2 salas, 3
quartos, coznha externa, quintal murado,
cacimba, 4 metros' e 60 centinietros de
frente e 13 metros e 40 centmetros de
fundo, avahada em 1:5000000. perten-
cente a Evaristo Rodrigues Vianna.
Casa terrea travessa do Caldeireiro
n. 2, com 2 portas e 1 janella de frente,
2 salas, 2 quartos, coznha fra, quintal,
com 5 metros e 60 centmetros do largu-
ra, e 5 metros de fundo, avahada em
5000000, pertencente a JoSo Joaquim de
Azevedo Quedes.
Boa-Vista
Casa terrea ra do Socego n. 14, com
porta e janella de frente, 2 salas, 2 quar-
tos, coznha fora, quintal, e cacimba, 4
metros de frente e 10 metros e 60 cent-
metros de fundo, avahada em 5000000,
pertencente a Joaquim Lopes de Al-
meida.
Casa terrea no terceiro becco do Pom-
bal n. 4, com 2 portas e 3 janellas de
frente, 15 metros de coraprimento, 10
metros e 40 centmetros de largura, 2 sa-
las, 1 gabinete, 6 quartos, cozinha fra, 2
cacimbas, cocheira e 1 quarto para cria-
dos avahada em 2:0000000, pertencente a
Jos Moreira da Silva.
Graca
Casa terrea ra do Visconde de Ita-
marac n. 20, com 2 portas e 2 janellas
de frente, 2 salas, 3 quartos, 1 gabinete,
cozinha externa, quintal, com 34 palmos
e 2 polegadas de frente, 40 palmos e 6
polegadas de fundo, avallada em 8000000,
pertencente a Elias Avelino de Barros.
Poco
Casa terrea travessa do Marques n. 8,
com porta e janella de frente, 2 %alas, 2
quartos, coznha fra, quintal cercado, ca-
cimba, solo proprio, 4 metros e 90 cen-
tmetros de frente, 9 metros e 80 cent-
metros de fundo, avahada em 20' '0000,
pertencente a Antonio Cabral de Medei-
ros.
Afogados
Casa terrea Estrada Nova a. 4, solo
arrendado, com 1 porta e 2 janellas, 2 sa-
las, 2 quartos, cozinha fra, quintal, 8 me-
tros de largura,. 5 metros e 10 centme-
tros de funde, avahada em 1000000, per-
tencente a Amalia Feliciana de Britto.
Casa terrea ra de S. Miguel n. 182,
com 1 porta e 2 janellas, 2 salas, 2 quar-
tos, cozinha fra, quintal, solo proprio,
5 metros e 60 centmetros de frente, 14
metros e 50 centmetros de tundo, avalia-
do em 500000, pertencente a Ignacio da
Cruz Mello.
Caxang
Casa cas Barreiras de Caxang n. 6,
com 3 portas de frente, 12 metros de
frente, 12 metros e 2 centmetros de com-
primento oceupado por estabelecimento.
avahado em 2000000, pertencente Jos
Pedro Fernaades.
Domingo 24 de Margo de 1889
I." pare*ENSAIO-800 metros. Animaos da provincia que anda. nSo teaham.
ganho premios no Hippodromo. PBBW08: 2OO0OOQ,ao puimeirp, 600000 "
ao segundo e 200000 ao terceiro.
. pareo PRADO PERNAMBUCANO 850 metros. Animaes, de menos ~4e
meio sangue que nao sejam da provincia e nao tenham ganho nesta dis-
tancia no Hippodromo. pbbmios : 2500000 ao. primeiro, 600000 ao
segundo e 250000 ao terceiro.
S. pareePROSPERIDADE 900 metros. Animaes da provincia que nao-te-
nham ganho premio n'esta ou maior distancia em nenhum dos prados
d'esta capital, premios : 2000000 ao primeiro, 500000 ao segunda e
200000 ao terceiro.
4." pareoHIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.800 metros.. Animaes de
qualquer paiz. premios: 8000000 ao primeiro, 2000000. ao.segundo,
e 800000 ao terceiro.
ft. pareoDERBY CLUB1.400 metros. Animaes nacionaes at meio sangue
premios : 3500000 ao primeiro, 800000 ao segundo, e 350000. ao terceiro.
.'pareo COMMERCIO 1.300 metros. Animaes da provincia, premios:
2500000 ao prmeiro, 600000 ao segundo e 250000 ao terceiro.
1. pareoVELOCIDADE700 metros. Egaas da provincia, premios: 1500000
a primeira, 350000 a segunda e 150000 a terceira.
Observacoes
O 4. e 6. pareos nao se realisarao sem que se inscrevam 5 animaes.
Nenhum dos outros pareos se realisar sem que se inscrevam tres animaes de
propietarios differentes.
A inscripcio encerrar-se-ha segunda-feira 18 do corrente s 6 horas da tarde
no escriptorio do Hippodromo.
O cdigo de corridas prescreve o modo da inscripcao.
Recife, 13 de Marco de 1889.
O secretario,
Ferreira Jacobina.
w

^'**"p-
M3MISDS HWSKll
.
PAIUL O PAREO
GRANDE PREMIO I PR EVS4 RAHI.WA
^T corrida que se realisar no dia 21 de Abril de 1880!
f JO metros. Animaes nacionaes de meio sangue. Premios: 1:2000000 o
/ primeiro, 5000000 ao segundo, 2000000 ao terceiro e 1000000 ao quarto..
Inscripto OO&OOO
Observacoes
Nao se realisar este pareo sem que se inscrevam ti-animaes de proprietarioe
differentes. i
Os proprietarios deverao apresen tai- certidSo do Stud Book do prado onde
tenha corrido o animal que inscreverem.
A inseripeo encerrar-se-ha no da 11 de Abril, na secretaria do Hippo-
dromo, ra do Palacio n. 16, Baha.
>^:
Bahia, 9 de Marco de 1889.
O SECRETARIO,
A. Coutinho.

ESTRADA DE FERRO DE PERNAMBCO
DO
RECIFE
oeiedade Auxiliadora da Agrl-
cultara de Peroambueo
ASSEMBt.f-.A GERAL
De ordem do Bxm. Sr. presiente da assem-
bla geral d'esta sociedade, commendador Fran-
cisco do Reg Barros de Lacerda, e de accordo
com o a-t. 27 dos respectivos estatutos ficam
convidados todos os socios eflectivos da mesma
para.constimdos em assembla geral, proceder
no dia 15 do corrente eleirSo do? membros uo
conselno administrativo e i funecionarios
electivos pela forma estubeleiida nos arts. 48 e
seguintes dos supra citado* estatutos.
A sessao verificar-se m no menrionadn du H
1 liora da tarde, na sede sorial. ruada Unio
d'esta cidade.
Recife, 8 de Marco de 1889.
Ignacio de Barros Barreto,
Secretario gen.l.
Companhia Aalagoana de
Fiacao e Tecidos.
Convidamos aos Srs. subscriptores des-
ta companhia para, de accordo com os
arts. 9 e 10 dos estatutos at o dia 17 de
Marco prximo futuro," realisarem sua
quarta entrada na raz2o de 10 [0 do valor
de suas acefles ao Banco kitenarcional
em Pmambuco.
Maceio 13 fl Fevereiro de 1880.
Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Joa JnuaiM P. de arva!':>.
Propicio Pedrflso Barreto.
40 S. FRANCISCO
AVISO
mamw:-
m
Estando esta estrada reconstruindo ponte de Piropama, pelo presente- m
publico que o trem de carga, que desee do iuterior no dia 23 do correnta, ficar ma
estaca do Cabo e s seguir para Cinco Ponas na manha de 26, que o tranaport
de passageiros na tarde de 22 e nos dias 23, 24 e 25 ser feito com baldegloy^
tendo os passageiros de atravessar a p a mesma ponte e finalmente qoejnew*
dias s se despachara animaes entre as estacSes de Cinco Ponas e Di a^Cabo a
Una.
Cabo, 13 de Marco de < 1889.
Vells HooC
SuperinteHaente.
taco de crdito real de Per-
Em cumprimento dos 9. e 12." do
art. 83 dos Estatutos e das disposiedes
da lei n. 3150 de 4 de Novembro de 1882,
convocamos aos Srs. Accionistas reuni-
rem-se em assembla geral ordinaria, no
dia 23 do corrente mez, ao meio -da,
em urna das salat da Associaco Coramer-
cial Beneficcnte, afim de lhes ser presen-
te o relatorio das operacoes do anno ban-
cario, findo em 31 de Dezembro de 1888,
acompanhado do parecer da eommissao
fiscal, e proceder-se eleicio d'esta, do
presidente, vicepresidente',,l.1 e 2.B,seere-
tatioB da Assembla Gerai.
Recife, 7 de Marco de 1S80.
Os administradores"
Manoel Joao de Amorim.
Alumno Fwrwute* Ribeiro.
h*iz*D"ptut.
instituto
eiados
dos todv
Instituto
de elege
Professores..de
xnambuco
/pnbla eral
comparecido Damero legd deasse?
i.* convocacSo, sao de novo- convida
socios para, se reunirem na sede >
io horas do da 14 do crtente, afii
m os membros do conselno adminis-
trativo que tem de dirigir esta sociedade no an-
no social de 1889 a i.m.
. Recife. 12 de Marrt da 889.
0 i secretaiio,
Trano^iilino da CrM Ribeiro.
'OL. DO GR ''. ARCH.-. DO UN.-. S.-.'
B CAVALHBIROS DA CRUZ
De ordem do Resp. Ir. Ven. coafido u
todos os Obr. d'esta Resp-. Off. acom-
pan-cerem na sede da mesma ao poDiimo sab-
bado 16 do correte, ns;7 oras da noitej, para
ae?itiremases8.-.mag.-. deinic.
de.cndo todos se apTesentaren;
vertidos, e com as respectivaa;
tlnctivos.
Recife, 13 de Marco 4eAaW E. -. V- -
Eduardo Ggtgtfm^L 1.
Sec^^H
r
T



iario de Pernambuco-j-Quinta-feira 14 de
S Antunes, tercas e
wem
Lyceu de Artes e Officios
De ordem do Illm. Sr. director fago publico
. que se acham abortas as matriculas para as au-
las do curso secundado do Lyceu, todos os dias,
nesta secretaria, das 7 s 9 horas da noite.
O referido curso consta das seguintes cadei-
ras :
ArithmeticaRegida pelo Dr. Galdino Loreto,
funcciooa s segundas, quartas e sextas-feiraa,
de 8 s 9 horas da noite.
Algebra-Dr. M. F. de
quintas das 6 a 7.
Geometrin-Dr. Camerino Facundo, segundas,
quartas e sextas, das 6 s 7.
Geographia-Dr. A. de.ArrudaBeltrSo, segun-
das e quintas, das 7 s 8.
Historia patria e especialmente de Pernambu-
co Acadmico Laurentino M. de Azevedo, tercas
o quintas, das 6 s 7.
PhysicaDr. J. da Costa Ribeiro, segundas e
quintas, das 6 s 7.
Cbimica Dr. A. CoelboLeite, segundas, quar-
tas e sextas, das 8 s 9.
2* cadeira de portuguezDr. A. da Silva Gui-
rnares, seguadas, quartas e sextas, das 8 s 9.
Francez-Dr. Bianor de Medeiros, segundas,
martas e sextas, das 6 s 7.
Msica vocalProfessor Antonio Martins, ter-
cas e sextas, das 7 s 8.
Msica instrumentalProfessor Manoel Ban-'
deira, segundas e quintas, das 8 s 9.
Desenhos linear e de figuras e ornatos- Luiz
Prazeres, tercas e sextas das 6 s 8.
Paisagem (aula nocturna no Lyceu)Benve-
nuto Cabral, as tercas-feiras, das 7 s 9.
Paisagem (aula diurna no campo, sos domin-
gos, reunio no Lyceu ao meio dia) -Telles Ju-
ior.
Secretaria do Lyceu de Arles e Officios. 11 de
Marco de 1889.
O secretario,
F. Cotta.
SACO imACIOM
DO
Capital 0.000:0004
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lllm Sr. inspector, sao pelo pre-
sente intimados os ex-collectores Belmiro Al ves
de Carvalho Azevedo, Felippe Benicio de Moura
Tipi, Joo Augusto Alves acie! e Manoel Anto-
nio dos Passos Miranda ou seus herdeiros, alim
de viren, no prazo de 30 dias, que Ihes fica mar-
cado, allegar oque for a bem de seu di .vito nos
processos de tomada de suas contas.
Recife, 11 de Margo de 1889.
O secretario da junta,
Dr. Antonio Jos de Sanl'Anna.
dem realisado 11,000:00041
A canea filial deste Banco funeciona
ra do Conimercio n. -10, ucea, vista ou
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONDON.-tBanco Internacional
< do Brasil,
( London office.
( London fc C ouniy
( Banking Corapany L."1
PARS......(Banque de Par Sedes
(
Faculdade de Direito
De ordem do Exm. Sr. conselheiro director
interino, taco publico que a cougregaco coi
sesso de 9 do corrente resolvcu designar os
das 18 e 19 do andante, s 11 horas da maulla,
para a defesa das theses do bacharel Joo Elysio
de Castro Fonseca, o qual dever comparecer
nesta secretaria no dia 15, s 10 horas da ma-
nir, para tirar o ponto de dissertacSo.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
11 de Marro de 1889. O oflicial, servndo de
secretario.
Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Companhia de Seguros Phe-
nix Pernambucana
Os seuhores accionistas so convidades a reu
airem-se gm assembla geral ordinaria, na ter-
;a-feira 19 do correnle, I hora da tarde, na
sede da companhia. A remalo tem por lim dar
execuco ao 1- do ar. 27 e 2 do arl. 30 dos
sta tutos.
Pernambuco, 2 de Margo de 1889.
Os administradores.
Luiz Duprat.
Manoel Gomes de Mallos
Manoel da Silva Maia.
Hamburgo..
Berlim.......
Bremen.....
Fr an k fir t
sur Main...
Antuerpia..
Roma........
Genoya......
aples.....
Milao c inais
340 cida-
desde Ita-
lia...........
Madrid......
Barcelona ..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona.
Valen ca e j
outras ci-
da des d a
Hes pa nha
e ilhas Ca-
narias......
Lisboa......
Porto c wats
cidades de
Portugal
ilhas......
Buenos Ay-
res .........,
Mon tevido
NovaYork.
Pay8-Bas
Deutsche Bank.
Bank d'Anvcrs.
Banca Genrale e suas
agencias.
Banco Hypotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
Recebedoria Provincial
O administrador da Recebedoria Provin
ciai dando cumplimento a ordem constante
da portara sob n. 225 expedida n'estk
data pelo Illm. Sr. Dr. inspector do The-
souro, faz publico, para conhecimento dos
interessados, que fica prorogado at o dia
30 do corrente o prazo concedido para pa-
gamento, livre de, multa, das annuidades
e ruis servieos da Recife Drainagc Com-
pany relativamente ao 2. semestre do
exercicio de 1888.
Recebedoria Provincial de Pernambuco,
!) de Marco de 1889.
Francisco Amiuthus de Carvalho Moma.
t Baaco de Portugal e
The London & River
Plata, Limited.
G. Amsink & C.
Compra saques sobre qualquer praga do
imperio c do estrangeiro.
Recebe dinheiro em conta corrente de
movimento com juros na razao de 2 /0 ao
anno c por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, Hilliam M. Westber.
%
COMERCIO
Metrospecto contnicrclal do nei
de Fevereiro de lWf>
Como era de prever, reproduzio-se era J\n-
reiro o que hata occorrido em Janejjs^p'roximo
findo. ^ -,n-*~"
A eiportagfr ^HJiico foram menores
d#"ie e^Tvereiro de 1888, e lodos os demais
"te^ do movimento mercantil soflreram a
correlata depresso.
As estacOes publicas geraes arrecadaram me
nos 31:527*062 e as provinciaes ineuos.......
118.191*624 do que em Fevereiro anterior; o
bataneo das entradas e sabidas de numerario
deixou dficit de 136:217*503. sendo que as en-
tradas foram consideravelinente menores do que
a de Fefereiro de 1888; o compnto dos saques
para o exterior foi muito maior. revelando esse
mesmo facto a necessidade de saldar com di-
nheiro o que foi importado em excesso sobre a
exportaco: o movimento du saques para a:?
pracas do Imperio foi diminuto, nao obstante se-
ren os premios rnais m:dieos do que em Feve-
r.'iro de 1888; poucos foram os descontos de
ettras napraca; reduzidas extremamente as
operacoes sobre ttulos da divida publica e ac-
etes de empresas; e finalmente menor de que
em Fevereiro anterior foi o movimento do porto.
Assim. claro que o mez de Fevereiro ultimo
foi precario e diflicil para o comraercio, e os da
doa que se seguein sao a dcuionstraco palpitan-
te deste conceito.
As cstases publicas arrecadaram :
Alfandega
Fevereiro de 1889 907:516*710
de 1888 933:702*291
Companhia de Seguros Ain-
phitrite
Os Fenbors accionistas so convidados a reu-
nirem-se em assembla geral ordinaria, na quar-
ta-teira 20 do corrente. 1 hora da tarde, no sa-
lo da Associago Commercial BcneCcente. A
reunio tem por lim cjimprir as disposigoes dos
estatutos, arts. 36 e 40.
Antonio M. Amorim.
Manoel J. da Silva Guimares.
^^^^^^^^JnaguimOUji|oBasto3^^^^^
4.* aeccSe.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro de
1889.
Por esta secretaria se faz publica a re-
conimendacSo do Exm. ministro e secre-
tarlo de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n. 288 de 22 de Ja-
neiro rindo, para conhecimento de Mara
Severina da ConceicSo Lucas, mSi do
alumno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Godolrcdo Lucas.
t N. 288. 2.a directora.Viaistcro
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
i Illm. e Exm. Sr.Xilo podendo, na
conformidade do artigo 25 do regulamcn-
to do Instituto dos Surdos Mudos annexo
ao decteto n. 5,435 de 15 de Outubro de
1873, continuar alli, por haver attingido,
a idade de 18 annos, o alumno Jos xiou-
renco Godofredo Lucas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 de Ou-
tubro de 1882 c convindo, portante, pro-
videnciar afini de que seja retirado do
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director do estabeleci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigi, se exprime regularmente por escrip-
to, perito oflicial de encadernador c tem
o peculio de 864^950, recolhido a eaixa
econmica, dou conhecimonro disto a V.
Exc. para os fins convenientes.
Deus guarde a V. Exc. A. Ftrmi-
ra Vianna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco.
O secretario interino,
ManotlJo'Mquim Silveira.
Fevereiro de 1889
de 1888
All ido
332:689 290
i3 :3175220
X
em
en 1889
Menos em 1889
Recebedoria Ueral
Fevereiro de 1889
de 1888
28:t8.-)*.'8!
Mais cm 1889
Fevereiro de 1889
> de 1888
Meaos em 188
Correio
101:227i3
99:640*921
1:381*822
10:167*16:
H 26*920
==2
1:7591639
Rendo Provincial
Fevereiro de 188 149:7665026'
de 1888 267:937*650
Menos em 1889 118:191*624
V-se, pois, que as tres repartieres geraes ar-
recadaram menos 31:327*062 do que em Feve-
i-eiw de 1888. c que a renda provincial foi me-
nor i 18:191*624 do que no referido mez.
O seguinte quadro da renda comparada da Al-
"apdega mostra as differencas havidas aas dif-
ereptes verbas da receita :
9 r-
3
N
32
I --
I
, I
i
I
1
3 2. s 2
003,=;
|- 3.5 2-
,|. =5?
V, |.
* i'
o
1
1i
3


s
Ai
SU
55


00
. o a.
f = 1S-
n
3 .
-

3C
3
3
%
K
s
^1 K> Ct
Ci *G> '-I ^*" cr
it I

?
- 1
x -
J-s.
-a z S
O i;
I
|t' l'Jl i-
Meno.
movimeoto de dinheiro sob
rompanbias de v.pores :
- Batracio
|0 19C:?U783
M
43(2
igao em Fevereiro
jruintes pontos :
iciro

Ae
para o:
Rio de
AlagAai
Fernam
I*arahyb
Klo Grande do Norte
Cear
I'ar.i e Amazonas
O bal anco das entradas
117:827*930
prximo lindo foi
34:933*770
Hl:000000
--"S 3:987*001)
\ 8WWQ0O
1 22:300*000
25:34,- I8M
Ili:4n%l0
saludas em Fev
ro lindo uiostra ter sabido da provincia ni:
136:217*305 do que o que entrou.
Effectuaram-se os seguintes saques para o
exterior :
Sobre Londres :
Fevereiro de 89- o20:' de 88 l 400000 de 24 I 4 23 1/8 d.
Mais em 89-i 120:000
Sobre Paria :
Fevereiro de 89 fr.
. de 88 fr
430:000 de 341 348 res
330:000 de 380 a 391
Mais em 89-ti. 120:'O'
Sobre Hamliunjo :
Fevereiro de M-rcch. 32:000 de 423 433 ris
de 88 70:000 de 472 486
Mais em H
18:000
Sobre Portugal '
Fevereiro de 89ris lurtes W:03J de 91 96
de 88 < 40:00 > de 113 a 119c
Mais em 89
2:000*
Os valores saccados calculados.- pelas ta\as
medias do camoio, foram
Km Fevereiro de 1889
de 1888
Mais em 1889
4:787:401*000
4:146:605*000
640:796*00.)
Se, porem, forem calculados os valores sac-
cados em Ferereiro lindo pelas taxas medias
de Fevereiro de 1888, ser este o confronto :
Fevereiro de 1889 5:319:023*00'
Fevereiro de 1888 4:146:6034000
Mais em 1889
1:172:4184000
E comparados os dous valores dos saques em
Fevereiro de 1889 calculados pelas taxas desse
mez no dos ltimos annos, terse lia :
Pelas taxas medias de 89
88
Diflerenca
4:787:401*000
3:319:0230OO
531:622*00(3
O que representa lucro liquido aa verba dif-
ferencas de cambio.
-:;
Para as prai;a do impero que entreten) rela-
ges mercante com a de Pernambuco foi peque-
no o monuK'ato de saques.
Foratjj elles efectuados com os seguintes prc-
miofniodio* :
1*88
21 2
1 7/16
3 8
I
1889
Rio Grande do Sul 1 5 8
S. Paulo '. 3 16
Rio de Janeiro 1 i
Rabia 1
Cear
Maranho -----
Para e Amazonas 3 i
Os descont de le! ra,
laramdeO 10 0, contra
1888.
tfJOlprC uiiuaus, i'.'-U-
;. ri iro de
Em titalos da divida pjbcae J:' a'ces e
compannias houvc na bolsa o s-'guiute movi-
mento :
polires geraes d' > /. : Foram vendidas 4
de 1:0004000 por ItOOOO, 1 de 600* per 558*
1 de 400* por 392*000 : ou om o descont
7 4 2',. Em Fesereiro de 1888 tinham ^ido
vendidas 17 de 1:000*, 2 de 600 e I de 500-5.
cora os descontos Je 7 B t 14 '.
'/CariaForam keiidi las ; 7i
a i\ 92*50'. ou com i
juros
*,'., e 4:12 coiu juros de %S
descont .1 4 3 i.2
1888 tinham sid
onto de 9 */0.!
*500 ni
ni F
. 0 dea-
SANTA CASA
CASA PARA ALAGAR
Ra da Moeda n. 49, armazem 240*tX)0
dem do Vigario Tenorio n. 27,1 si a 240*000
dem idem n. 22, 3. andar 180*000
dem idem n. 23. i." andar 360*000
dem do Rispo Sardinha u. 3, 1. e 2
anda res e soto 400*t>00
dem do Rom Jess n. 29, 3." andar 200*000
dem do Mrquez de (.(linda, sobrado
.44 2:1314000
dem do Bom Jess n. 13, I andar 240*000
Becco das lloias n. 14, loja l."e2. an-
dares 480*000
l'm sitio em Parnameirino. 460*000
0 movimento do pofto do Recife foi este :
Entronan do exterior
23 vapores Iotando3:4l8 toneladas.
21 navios 6:514
BMranw ilos partos do imperio
25 vapores lotando 25:732 toneladas.
17 navios 3:463
Daitdu para lotul das entradas
86 embarcacOes, lotando 72:149 toneladas.
E tendo sido o total em Fevereiro de 1888. de :
114 n n lia rear'1-, lotando 82:046 toneladas.
V-se que entraraui menos 28 embarcaces lo-
tando menos 9:897 toneladas.
Safti' am tara o exterior
16 rapara
24 navios
Sahirmi.pom os partos do imperio
16 vapores
"I navios
Dando pura o total das sahidos
euibarcaees.
vtendo sido esse total em Fevereiro de 1888,
de \ embarcacOes
V'^ que s.ihiram rm Fe\erciro prximo fin-
do nietos 36 embarcaces do que em Fevereiro
de 1888^
KXPORTACAO
O mercadb de exportaco a despeilo do qu-
occorreu axk a agurdente, cuja rraiiile procura
e notavel asea nos preyus foi um poderoso in-
centivo para u prodcgo d'esse genero ; o mer-
cade de expprtacao, dizemos, conservou-se em
depresso iin juet* de Ferereiro prximo lindo,
daftdo para o Qoinmercio resultados muito infe-
riere* aos de fevereiro de 1888.
As entradas quer de assucar quer de algodo
foram muito inferiores s d'aquelle mez do anno
passado, e a exportado de ambos os productos
lacompanhou esse decrescimento, nao obstante o
melhor preco do assucar ter urna razao justili
.'cativa para o maior acervo exportar.
E' que nao ha conlianra na praca na persis-
tencia de taes preCos, e, podendo elles variar de
momento ninguem quer arriscar-se a fazer re
messas pora o estrangeiro, BfitH base segura de
proveitoso resultado.
Alm disso, a sobra, tanto do assucar como
do algodo, foi pequea e est prestes a termi
nar.
Em agurdente e alcool os preces foram real-
mente muito reinuneradores. As entradas, prin-
cipalmente de agurdente, foram notaveis, e a
exportacSo desse genero maior em 140 do
que em Fevereiro de I88, foi urna das maiores
l'eitas de Pernambuco no periodo de um mez.
Subsisti e mesmo accentuou-se a baixa dos
ciuros e couriuhos diversos ; de sorte que, nao
obstante o maior acervo exportado o producto
total de taes artijros foi inferior ao de Fevereiro
de 1888.
Os demais artigos e gneros exportados, com
excepeo da farinha de mandioca, pouco avulta-
ram e pouco concorreram para o completo total
do valor da exponaco.
lies! arte esse valor foi menor de.........
1.444:528l41 do que em Fevereiro de 1888.
Em cooclusao, o mez prximo (Indo de Feve-
reiro foi mo no ponto de vista do commVrcio
de exportaco, como fazem prova os seguintes
algarismos:
#
.Isiucar
So uiez prximo lindo os precos do aatocaa,
.especialmente do branco e somenos, subiram
uotavelmente, devido isso, sem duvida, peque-
nbez da safra local e diminuico do stok r.os
mercados de consumo.
Dessa alca resultou que a media dos precos
por lo kilos foi em Fevereiro ultimo superior
em 228 ris media correspondente de Feverei-
ro do 1688.
A' despeilo, porm, dessa alca, o mercado do
genero esteve trouxo no decurso do mez, sendo
pequeas as entradas comparadas s de t"
ro anterior e 30, menor do que a desse mez a
exportago do genero cm Fevereiro liado.
Entrarajn;
Fevereiro de 1889 153.232
de 1888 2*5.727
Menos cm Fevereiro de 1869 122.495
Regularam as vendas por 13 kilos para r\
tato":
Branco '!" ipperior
3- I
e guiar
i) sorte
Somc.iio
:om
regular
Pede-se ao Senho-
res ronsummidores
que queiram fazer
qualquer eommunica-
c\o ou reclania^ao, se-
ja esta eita no eserp-
torio desta empreza
ra do Imperador n.
29, onde tambem se re-
ceber qualquer conta
que queiram pagar.
Os nicos cobrado-
res externos sao os Se-
D11 ores Hermillo Fran-
cisco Rodrigues Frei-
r e Manoel Antonio
da Silva Olheira, e
quando for preciso o
Sr. Antonio Martins
Carvalho.
Todos os recibos
desta emprezadevero
ser passado em tales
carimbados e firmados
pelo gerente, sem o que
nao tero valor algum.
George Windsor,
Gerente
Monte de Soccorro de
Pernambuco
41* lello de jolas
Esle estabelecimento far leililo no dia 26 do
correnle, por intermedio do agente Martins, em
sua sede, ra do Bom Jess n. 32, s 11 horas
da manha, dos objeclos que uao forem resgala-

0 pren> medio por 15 Kilos foi:
Em Fevereiro de 1889
i de 1888
Mais em Fevereiro de 1889
Foram exportados:
Fevereiro de 1889 -Exterior 6.232.110
-Interior 7.445.846
Tolal 13477.986
Fevereiro de 1888 27.373.590
Menos em Fevereiro de 18*9 13.695.634
25298
25070
228
kiloi
O valor exportado, calculado pelos precos me-
dios respectivos, foi :
Em Fevereiro de 1889 2 095:662*782
de 1888 3.777:555-5420
Menos en Fevereiro de 1889
1.682:096.'(X

Ahjodao
Os precos do algodo tireram nina pequea
alca sobre os de Janeiro. Anda assim. porm,
oraui iuferiores aos de Fevereiro de 1X88; pelo
que o preco medio do enero em. Fevereiro pr-
ximo lindo foi menor 75 rs. do que o preco me-
dio por 15 kilos em Fevereiro de 1888.
As entradas foram inferiores s de Fevereiro
de 1888 e a exportaco do genero acompanhou
esse decrescimento.
0 mercado que no principio do mez esteve
regular, na ultima quinzena conservou-se apa-
tliico.
Foram as entradas por trra e mar: *
Km Feveniro de 1889 27.920 lardos
de 1888 35.921 .
Menos em Fevereiro de 1888
S.001
Euecluaram-se aa vendas por 15 kilos :
Do de l qualidade de 6-5200 i
Do mediano de 5*200 a
IK) de 2' qualidade de 4*200 a
O preco medio comparado foi este
Fevereiro de 1889
de 1888
6-5580
5*500
4*500
5*330
5*425
4075
dos at a vespera, constantes das seguintes co-
tellas, v encinas de Agosto Novembro de 1887;
a dinheiro de contado :
14997 1 Volta de oaro com medalha, 2 puliei-
ras, 2 cordOes, 1 trancelim, 3 pare de
brincos, 1 allinete, 2 anneis, 4 moedi-
nhas ouro de le, urna salva de araia
de lei. >
15818 1 Corrente e cinete para relogio. 1 pa r de
argolles, 1 alfinete de ouro para n tra-
to e 1 medalha ouro de lei, 2 relqgios
de ouro.
15933 I Corrente de ouro com cabellos para re-
hgio, 2 pares de brincos, 2 ditos de
rosetas, 1 cordo, 2 voltas de trafice-
lim, ouro, leteias, 3 botes, 2 encasto
res e 1 annel ouro de lei, 2 moedinhas
de ouro, dolUrs. 1 relogio de ouro. I
paliteiro, 3 comeres para cha, de prata.
16027 24 Colheres para sopa, 24 ditas para cha,
3 conchao grandes, 24 garfos, 24 cabos
para facas e 1 par de trinchantes, tu do
de pruta de lei.
16302 I Salva pequea, 1 tigella, 1 copo, 17 co
Iheres para sopa e 14 ditas para cha.
prata baixa.
18453 I Escrivaniulia, prata baixa.
16458 1 Medalha de ouro. conteudo brilliantes.
16691 1 Salva, 23 colheres para sopa, 17 ditas
para cha e i dita para assucar, prata de
lei.
16699 6 BotOes de curo com brilhautes.
16703 1 Par de rozetasde ouro com minantes.
16701 1 Relogio de ouro de lei.
16713 1 Broche de ouro com camaphr-n de co-
ral. 1 corrente e sinete de ouro para re-
logio.
16715 t Salva, prata de lei.
16717 1 Par de rozetas de ouro cem esmeral-
das circuladas ne brilhautes. 1 par de
brincos com ditos, 1 par de bri eos
com brilhantes. [pequeas coiiiinendas,
1 cruz com brilhautes e 1 fio du pcrolas.
16720 1 Pulscira, 1 medalha. 3 pares de brin-
cos e l dito de rozetas, ouro de el.
16744 1 Adereco de ouro. conteudo 1 pulseara,
1 broche, 1 par de rozetas erawjadaa
de brilhuiitcs e diamantes, 1 volta de
ouro contendo 1 peca enrejada com
brilhantes e diamantes.
16745 1 Annel de ouro com um brilbaute peque-
o, 2 brilhantes sob-papul, I allhiete
com 4 ditos e 3 rubios, 2 alli..otes. I
Sulseira. 2 medalhas, 1 volta de onro.
correntes para relogio, 1 cor-lio. 1
beiitiuho de ouro, 1 cruz ouro de lei. 1
moeda de ouro.
16747 1 Corrente de ouro para relogio o '. ran-
celins, ouro de lei.
16749 1 Par de brincos, 4 aunis c I cruz, ouio
de lei.
16750 I Cordo, 1 allinete, 1 par de brincos. '
dito de rozetas ouro de lei.
16758 1 Corrente de ouro ara relogio. ouro de
lei
16763 4 Pulseiras de ouro 2 voltas. 1 medalha,
1 corrente e medalha para relogio, I
broche, 2 pares de orincos, ouro de lei.
16777 1 Trancelim ouro de lei, 1 emblema do
Espirito Santo e 1 liga, ouro baixo.
16797 i Par de rozetas de ouro com 2 brilhau-
tes pequenos.
16810 2 Bote.s de ouro com brilhautes.
16804 1 Reluci ouro de lei.
16808 2 Pulseiras, 1 alfilete, par de rocelas,
2 anneis ouro de lei, 1 trancelim, 1 an-
nel. 1 cruz, ouro baixo.
16810 1 Volta de ouro, 1 medalha! relogio, ou-
ro de lei.
16821 I Corrente de ouro de lei para relogio.
I683H 1 medalha de ouro de lei com nix.
16845 1 Par de rozetas de ouro com.brilhantes
e 1 annel com ditos.
16859 1 ulseira de ouro eom brilhautes c sa-
phyras.
Alcool
Tiveram tambem vultuosa alca os precos deste
genero, attingindo a ditTerenca sobre os de Fe-
vereiro de 1888 70*000. em media, ou DMiS de
73 V
.Nao obstante, a quautidade exportada foi me-
nor do que em Fevereiro de 1888, conservando
se porem o mercado animado.
tntraram :
Em Fevereiro de 89 55 pipas
de 88 42
16873
16875
16878
16855 1 Trancelim, 1 volta de dito, 1 moeda de
ouro com laco, 1 pulseira pequea, ou-
ro de lei.
16858 1 Volta de trancelim, 1 rozeta, 1 annel
ouro de lei, 2 panes de brincos e 1 cruz
ouro de lei.
16862 l'Cordo, 1 medalha. 5 anneis, 2 botes,
1 teleia, ouro de le, 1 par de brincos e
1 annel, ouro baixo.
K86S 1 Par de rozetas d? ouro com brilhantes,
1 pulseira, 1 dita de broche, 1 par de
brincos cravejados de perolas, ouro de
lei.
Trancelim e 1 liga, ouro de lei.
Relogio ouro de lei.
Trancelim e 2 relogios, ouro de lei.
16883 3 Pares de brincos, 1 dito de rozetas, 1
cordo e 1 annel ouro de lei.
16895 i Pares de brincos cravejados de brilhan-
tes pequeos.
16898 2 Pares de brincos, 6 anneis e 3 botes,
ouro de lei
16907 1 Medalha com diamantes, ii botes rom
perolas, ouro de lei, 24 garfos, 24 ca-
bos com facas, 2 pares de trinchantes,
tudo de prata de lei.
16911 1 Pulseira, ouro de lei.
16915 1 Anel de ouro com 1 brilhante.
16917 1 Pulseira. ouro de lei.
16922 1 Laco de ouro de lei.
16931 12 Colheres para sopa, prata baixa.
16939 2 Rroches, 2 pares de brincos. 1 dito de
rsela, i trancelim, 1 medalha e 1 fivela,
ouro de lei.
16940 2 Voltas de trancelim, 3 teteias de ouro,
3 pares de rosetas, 3 anneis, ouro de
le, 1 bracellete com coral, ouro baixo.
16947 I Trancelim, ouro de lei.
16952 1 Annel de ouro com 1 pequeo brilbaute
el par de brincos, ouro de lei.
10953 1 Par de brincos, 1 volta de ouro, C an-
neis, 1 teteia, ouro de lei.
16972 I Pulseira. 1 allinete, 1 par de rosetas,
ouro de lei.
16979 1 Corrente dupla com medalha para -elo-
gio, ouro de lei.
16982 2 Pulseiras, 1 correntSo, 1 alfinete, 1 tran-
celim, I par de brincos, 4 pegas de dito,
1 par do rosetas, ouro de lei, 1 pulseira,
ouro baixo.
10984 I Pulseira incompleta. 1 volta de ouro, 1
cordo, 1 medalha. 1 allinete, 1 par de
brincos, ouro de lei.
10985 1 Relogio de ouro para senhora.
10987 I Annel de ouro com 1 brilbaute.
16992 1 Annel de ouro com 1 brilbaute, 1 pul-
seira. I volta de ouro c 1 medalna, ouro
de lei.
17026 1 Cruz de ouro com um crucificado, ouro
de !ei.
17031 1 Tranceln] o 1 cordo, ouro de lei, 1
cruz, ouro baixo, 1 salva e 2 casticaes
de prata.
17032 1 Paliteiro e 12 colheres para sopa, de
prata.
17033 I Gargantilna, 1 volta de ouro, 1 tran-
celim, 2 cruzes e 1 par de brincos, ouro
de lei.
17030 I Pulseira, 1 par de brincos, I trancelim
e dedal, ouro de lei.
1 Relogio, ouro de lei.
17041
17042
Corrente para medalha (para senhora),
1 pulseira, I par de brincos e 1 dedal,
ouro de lei, 1 relogio de ouro para se-
nhora
17045 I
Corrente para relogio, 2 pares de brin-
cos, ouro de lei, 10 moediohas de ouro
em botes.
17051 l Corrente e 1 sinete para relogio, ouro
de lei.
17058 2 -Mmeles, 2 pares de brincos, ouro de
lei.
17062 1 Annel de ouro com brilhantes pequenos
e 1 relogio Cde senhora) de ouro.
A demais exportaco feita pela Alfaudega
a seguinte :
Azeite de carrapatoInt. 630 litros
Borracha-Ext. 120 kilos
CafeExt. 280
Carroros de algodo-Ext. 611 350
Int. 20 250
foi
Mais em Fevereiro de 89
13
Regularam as vendas por pipa de 480
de 145*000 180*000 os precos medios
Em Fevereiro de. 89
de 88
litros
Mais em Fevereiro de 89
A exportaco foi esta :
Fevereiro de 89Int.
de 88
Mais em 89
162*500
02*600
70*000
17.088 litros
60 520
'1.1.432
O valor dessa exportaco, calculada pelos pre-
cos medios respectivos, foi :
Em Fevereiro de 89 5:785*00
de 88 11:662*400
Menos em Fevereiro de 89
Mel
5:877*400
Menos em Fevereiro de 1889
Foram exportados:
Fevereiro de 1889Exterior 1272.933 kilos
-Interior 392.905 .
Total 1.865.838
Fevereiro de 1888 2.017.842
Menos em Feveretro de 1889 332.004
Calculado Dlos precos medios respectivos, o
valor dessa*exportaco foi o seguinte :
Fevereiro de 1889
de 1888
Menos em Fevereiro de 1889
588:595:40
729:786*190
141:1905450
Agurdenle
Crescendo a procura deste producto, eievaram-
m os precos uotavelmente, attingindo amedia a
87*500 por pipa superior em 28* media de
Fevereiro de 1$88.
As entradas do genero foram abundantes e a
ex[iorlago elevou-sc a mais 140 do que -
nha sido em Fevereiro de 1888.
O mercado esteve setnprc animado.
Enlraran :
Em Fevereiro de 1889 1.250 pipas
de 1888 820 .
Mais em Fevereiro de 1889
430
As vendas efl'ectuaram-se entre os extremos
de 805O00 a 93*000 per pipa de 480 litros.
A media foi : ,
Em Fevereiro de 1889 87*500
de 1888
Bru1
Do C:
de 3*000 a uuO
de 2*800 a
de 2*600 a
de 2*300 :.
de 2*100 a
*O00 a 2:
le U&y
americano de i**5o
iio|
Mais em Fevereiro de 1889 28*000
Foram exportados :
c.-vereiro de 1889Exterior 9. '46 litros
Interior 1:189626 -
Totd 1.199.072 .
Fevereiro de 1888 498.600 f
Mais em Fevereiro de 1886 700.472
fi valor exportado, cal rulado pelos precos me-
respectivos, foi :
iro de 89 217:632*750
de 01:805*6231
de 1*000 a !
m Fpvereko de 89
136:827*125
Manteve.se o preco de 50*000, por pipa de
480 litros em todo o decurso do mez, sendo o
mercado regularmente supprido.
A exportacSo foi superior em 44 "i de Fe-
vereiro de 1888.
Os pregos medios foram :
Em Fevereiro-de 89
- '. de 88
Total
CarrapatoExt.
Carvao animalInt.
("era de carnaubalot.
CocosExt.
Int.
Total
GordasInt.
Courinhos e pellesExt.
Docetxt.
Int.
Total
Drogas c medicamentosExt.
Int.
Total
Farinha de mandioca-Ext.
Int.
631 600
30.000
75
3.040
7.025
69.725
76.750
~ 236 kilo*
165.435
i'O kilos
1.040 .
1.060
~8
177
195
vols.
3 saceos
29.610
Total

Mais cm Fevereiro de 89
A exportaco foi esta :
Em Fevereiro de 1889.-Ext.
Int.
Total
Em Fevereiro de 1888
:*0oo
424500
74500
9.08' litros
47.566
56.646 -
39.380 -
Mais em Fevereiro de 1889 17.266
O valor exportado, calculado pelos precos me-
dios respectivos, foi:
Em Fevereiro de 89 5:900*000
de 88 3:4864700
Mais em Fevereiro de 89
2:413*300
Couros
Persisti a baixa deste artigo em suas tres
variedades, conservando-se frouxo o mercado.
Todava as viudas para a exportaco foram
maiores do que em Fevereiro de 1888.
Entraram por mar e trra :
Em Fevereiro de 89 3 542
de 88 1.824
Mais em Fevereiro de 89
Regularam as vendas por kilo
Dos espichados (nominal)
Dos secos salgados
Dos verdes
Em media :
1718
520 ris
de 370 390
210
Fevereiro de 89
de 88
Espichados
520
580
Seceos
380,5
432,5
Menos Fevereiro-89 60
Foram exportados :
Fevereiro de 89-Exterior :
Seceos
Verdes
Total
Em Fevereiro de 88
Mais em Fevereiro de 89
Verdes
210
240
3(J
57.396 kilos
63.744 t
121140 .
72.607
48.533
O valor dessa exportaco, calculado pelos pre-
cos medios respectivos, foi :
Fevereiro 89 Seceos 21:839* 180
Verdes 43:386*240
Total
Fevereiro de 88
Mais em Fevereiro.de 89
33:223*420
4*667
2370*753
Feijolut.
GenebraInt.
GraxaExt.
Int.
Total
MadeirasExt.
Milho-lut.
Pao RrazilInt.
PiassavaInt.
Rap-Int.
Sebo-Ext.
Int.
Total
Sola Int.
TraposExt.
29.613
1.923
3.224 litros
500 kilos
28.308
29.000
2 pranciies e
2 feixes de varas
. 80.370 kilos
1.700
30 toIs.
25i,5 kilos
500 <
4.250
4 730
20 raeios
6.000 kilos

0 valor total da [exportaco, calculado pelos
precos medios respectivos, foi este :
Assucar
Algodo
Agurdente
Alcool
Mel
Gouros seceos
Couros verdes
Azeite de carrapato
Borracha
Caf
Carocos de algodo
Carrapato
Carvo animal
!era de carnauba
Cocos
Hordas
Courinhos e pelles
Doce
Drogas e medicamentos
Farinha de mandioca
Feijo
Genebra
Graxa
Madjiras
Milho
Pao Brazil
Piassava
Rap
Sebo
Sola
Trapos
Total aproximado
Em Fevereiro de 88
2093:462*782
588:595*740
218:632*750
5:785*00r
5:900*00
21:839*180
13:386*240
189*000
108*000
129*950
20:421*730
2.-200*000
30*000
1:276*800
5:3785000
168:5000
106:882*750
1:060*000
3:900*000
142:142*400
5:778*200
.1:289*600
0:466*550
120*000
0:208*860
170*000
96*000
231*500
1:424*980
70*000
120*000
3. 75:744*012
4.720:272*133
Menos em Fevereiro de 1889 i 444:528*141
*
IMPORTACAO
Como era natural, o mercado importado!
freu o contra-choque da depresso do commer-
cio exportador.
Em geral forrm menores as entradas aose-
neros e artigos diversos procedentes. do estr
geiro : e a renda aduaneira. na rnbrica twjw-
afo-ueauncia o f inorado petos
seguintes algarismoc
Gneros alimenti
mentadas, e acepipe.=


:/

'
i
H
<
t
InVnvnnvnnBi

I



i
ile Pemambuco-Quinta-feira 14 de Margo de 1889
-
>ara cha,
Jgio de ojro, todo ooro de
iei.
708i 1 forrete e niedalha para reluci e 2 a-
ilis, ouro de lei.
090 i l'ulscira, i par d*> "mucos, I luneta e i
annel ouro de lei, I volta de cordao e 2
teteias. ouro baixo.
*Z09t 1 Volta de ouro coin medalha, 1 medalha
de ouro com ac e I annel, uuro de
lei.
170 1 ReL.gio e ouro ;e lei.
17102 1 Par Je ro-ctas de ouro Cftiu brilhantes
pequeos e _T;iinpo de ouro.
$7112 1 Corren |>a:v. i"loyio, I par de brineo,
2 anneis logios, ouro de lei.
" #7113 1 Relogio de ouro de lei.
1711* 3 Traneelins. I cordao, 1 redoma e 1
cruz, ouro de lei I cordao de ouro
baixo.
17117 1 Relogio, ouro de lei.
SJ131 1 Par de rosetas de ouro con 2 brilhan-
Ica, 1 crux com dito*, 2 aunis com di-
tos e 1 lio de perolas.
17139 1 Annel di- ouro com brilhantes pequc-
. nos, 1 iraucelim, 1 niedalha, 1 alfluete,
S prea de brinco, I dito de rosetas, I
peca de pulseira e 3 aunis, ouro de
lei.
"IVt I Relogio de ouro (com arbola de prata).
17161 1 Par de botOes. ouro de lei.
121C* Pulseira. 1 allioete, 2 traneelins, I cor-
dao e 1 medalha pequea, ouro de
lei.
JTititi 1 Corrate para relogio, ouro de lei.
3167 1 Corrente e sinete para relogio, ouro
de lei.
71S8 1 Broche de ouro para retrato, contendo
1 corrente de brilhantes, 1 par de brin-
cos com hrilhanle.-'. 2 boles com ditos,
aneis com ditos.
t7189 1 Cruz de ouro com 7 brilhantes peque-
nos, 1 par de rosetas com 2 brilhantes,
1 dito cora 6 ditos, 2 anneis com bri-
lhantes e 2 lios de perolas.
0185 1 Par de rosetas de ouro com 2 brilhan-
tes, 1 annel com 3 ditos, 1 cruz com
dito, 1 fio de perolas e l pulseira com
diamante, ouro de lei.
-.71*) 1 Relogio. ouro de lei.
BUS I Corrente para relogio, ouro de lei, 2
moedinhas em boto e 1 relogio, ouro
de lei.
5216 i Annel de ouro cora 1 pequeo bri-
Ihante, 1 volta de ouro e 3 anneis, ouro
de lei. 1 volta de cordao, 1 annel e 1
par de botOes JJ233 1 Corrente e niedalha para relogio, 1 tran-
celn!. 1 cruz. 2 pecas de brinco, 5 te-
teyas de ouro, 3 anneis e 1 par de bo-
tos ouro de lei.
1E239 2 Pares de rozlas com brilhantes peque-
nos, 1 cruz com ditos, 1 pulseira, 1
volta de ouro cora medalha, 2cerrentes
tiara relogio, 1 volta de trancelim e 1 re-
ogio de ouro para senhora, ouro de
lei.
JB40 1 Par de rosetas de ouro com brilhantes
1 annel com 5 ditos e 1 dito com 1
dito.
3354 1 Volta de tranceliui. 1 niedalha e 2 pa-
res de brincos ouro de lei.
7264.I Corrente para relogio, ouro de lei.
*32t 2 Correntes, 2 raedallas de ouro para re
logio. ouro de lei.
3TO 3 Pulseras, 1 medalha e 1 dedal de ouro
de lei.
521312 Colheres para sopa, 12 ditas para cha e
2 conchas grandes prata baixa.
32 2 Pulsfiirns. 1 volta de ouro, 2 botOes e 1
_____ alfineite. uuro de lei.
0583 1 Coco de prata para agua.
72H4 1 Trancelim, 1 par de rozetas ouro de lei,
17289 1 Cordao, ouro di: lei.
17 90 1 Trancelim. ouro de lei.
17291 I Pulseira, 1 par Je brincos. 1 cruz de
ouro craveja.ia de diamantes, 1 salva, 1
paliteiro, 13 colheres para cha, prata
de lei.
17293 1 Pulseira, 1 bro:e, 1 par de brincos de
ouro de lei, cor.tendo brilbanles.
17294 1 Annel de ouro com brilhantes, I dito com
um rubira e circulo de brilhantes.
1729.') 4 Castigues, 1 pr. to thesoura (para vella)
prato de lei, I 'aso de prata baixa.
17297 i Par de roseta- :e ouro com 2 brilhantes
e um boto com 1 dito.
17303 1 Pulseira, 1 aili. i te, 2 pares de brincos.
1 luneta, I trancelim, 2 anneis ouro de
lei, 1 gargoutili:a, 1 pulseira e 1 alfine-
te, ouro baixo.
17304 I Altiuete, I puls ira, 1 par de brincos, 1
'lito de rosetas incompleto ouro de lei,
i colheres para cha.
17306 I Par de rozetas c.2 ouro com 2 brilhantes,
1 medalha de curo cora 1 dito, 2 pul-
seirasourode Iti.
17309 1 Pulseira, 1 par de argoles
voltas
Entra rain pela AJfandrga :
Albos-601 canastros, vendendo-se 100 120
sis a manara.
Aneixas13 caixas.
Ainendoas 5 volumes.
Arroz 2.211 saceos, ou menos 812 do que em
fcweirode !*88. Venden-de, por 1-' kilos.de
2**50 24100.
Azpite de oliveira 3 barris c 111 caixas.
ndeu-se de 2*800 24980 o galao.
Aieitunas31 volumes.
atraillan -30.864 barricas, de menos 8.872 do
Bit era Fevereiro de 1888. Vendeu-se a barrica
fe I5*ft 184000.
Banha de porco -1:023 barris ou menos 193 do
weem Fevereiro de 1888. Vendeu-se por kilo
* 8*3 915 ris.
Batatas1.938 coxis e 50 figos. Vnden-
le a eaixa pequea 24630 34700.
Bagres75 volumes.
Biscoutos 62 caixas.
Cafe- 1.312 suecos ou menos 1.019 do que em
tevereiro de 1888. Vendendo-se por 13 kilos
Ir fi200 94200.
Camares26 volumes.
Canela18 volumes. Retalhou-se o kilo de
250 14300.
Castanhas4 volumes.
Ceblas 572 caixas, 201 saceos e 9.972 res-
B. Vendeu-se a caixa de 105 13*"00.
Gerveja 762 caixas e 287 barricas. Retalhou-
sett* 64 94000 por duzia de garrafas com boti-
as, segundo o engarrafador.
evada 40 volumes.
Cevadinha15 garrafes.
Cha da India-95 volumes. Vendeu-se o kilo
Je W 65000.
Champagne30 volumes.
floculate1 sobime.
Cbouncas 1 volume.
Cidra215 caixas.
Cocos-17.000.
Cognaci*) ciixa.
Conservas239 caixas.
&avo da India-3 volumes, vendeu-se o kilo
e 14800 a 2*390 .
Roce2 volumes.
Ervilhas38 volumes.
Farinha de mandioca347 saetas. Vendeu-se
da sacco de 14600 a 54000.
Farinha de trigo-7 2i'2 barricas, ou menos
t-701 do que em Fevereiro de 1888. Vendeu-se
i barrica : da americana de 174500 a 184, e da
te Trieste e Hungra de 185 a 205000.
Ffeiio546 saceos ou mais H9 do que em
eTereiro de 1888. Vendeu-se cada sacco de
5300 a 135000.
Rgos 89 volumes.
Fructas11 volumes.
Genebra109 volumes.
Ginger-le3 caixas.
Gomroa de mandioca45 volumes. Venden
# de 35 a 6SO00 os 15 kilos.
Grao de bico1 volume.
Leite condesado10 votantes.
Licores26 caixas.
Lioguas11 volumes.
Maizena -413 caixas.
Manteiga-1790 barris e 99 caixas, ou mais
120 barris e menos 6 caixas do que em Fevereiro
Je 1888. Retalhou-se o kilo : da franceza em
tarl, de 15329 a 15331 ; de diversas em latas,
Jfc 1*071 a 24398. m ,
Massas alimentares-68 caixas. \endeu-se
Jfc7* a 74500 a caixa.
Ssasa de tomate 28 caixas
Milho-781 saceos ou mais 620 do que em Fe-
vereiro de 1888. Retalhou-se o kilo de 70 a85
.vi?.
Noaes-2 volume*.
Passas22 volumes. Veudeu-se. a caixa de
35 a 105000
Peixe de conserva21s volumes.
Cimenta da India80 volumes. Vandeu-se
j kilo de 14030 a 14200.
Presuntos8 volumes.
Provises 27 volumes
Queijos678 caixas e 3 tinas. Retalhou-se
dos flamengos de 35 a 3*:J00 cada um.
Sal44*-88i') litros <* 567 nlqueires. Vendeu-
se de SW'n 60 ris os 100 litros.
Sardijbas -509 barricas. As de latas foratt
andida de 240 ;i 280 ris cada nina das de 1/4.
X'apioOB -40 volumes Vendeu-se de 35 a 65
rouciiflio-^66 barril. Ven leu-se por 15 kilos
12*00.
Tremacos-7 volumes.
n e 133 barris. Vendeu-se a
. 1205 a 1105 ; do nacional
oj. _
(.Ojt, 1
10053
de trancelim. ouro de lei.
17310 1 Par de rozetas t'ouro com 2 brilhantes,
1 cruz de ouro com ditos pequeos,
1 fio de perolas. I vapor, I paleiro, 2
casticae< pequeos, 6 colheres para sopa,
7 ditas pira ch;S, de prata.
17311 1 Iroxe de ouro com perolas,! volta
de tntnreliiu, 1 emblema l medai-i, peonena, l moeoiaba de "ou-
ro. imlfl ooro de lei.
17913 I CarH.lt, I medalha, I alfluete, I cruz.de
OOTO de iei.
17317 1 Salva de prata io lei.
17318 I Pnr .e eastices prat de iei.
17319 1 Par de rozetas do ouro com perolas, ru-
Iiin.. I medalha ouro de lei.
17320 1 Jarro e hacia e I salva grande, prata de
lei.
17321 1 Relogio de ouro para senhora.
17322 18 Colheres para cha, prata de lei.
P323 1 Cordao, 1 alfinele, 1 par de rozetas ouro
de lei.
17321 I Trancelim, 2 voltas de dito, 2 pares de
rozetas, 1 annel e 2 moedinhas, tudo
ouro de lei.
17323 1 Corrente para -ilogio ouro de lei, i re-
logio de ouro e I figura de prata.
17327 2 Anneis de ouro com 2 brilhantes, 1 dito
com 1 esmeraldi e pequeos brilhantes,
13 traneelins. 2 conloes, 1 pulceira de
requilifes, 2 pares de botOes, 1 cruz, 1
annel onro de lei, 1 par de rozetas e 1
cruz cravejadas de diamantes.
17328 1 Annel de ouro :om 1 brilbante.
17331 2 Medalhas e 1 annel com diamante ouro
de lei.
17336 I Volta de ouro de le.
17338 3 Pares de brincos, 1 dito de argoles, 1
volta de ouro e I. medalha ouro de lei, 1
colheira de prati.
17342 1 Pulceira ouro de lei.
17316 I Cruz de ouro com 6 brilhantes e 1 volta
de trancelim.
17344 1 Broche de ouro ^>m brilhantes.
17349 1 Paliteiro e 13 ctlhercs para cha, prata
de lei.
17390 1 Corrente dupla para relogio ouro de lei.
17332 1 Trancelim grosao, 2 ditos linos, 1 cor-
dao e 1 medalha, 2 cruzes ouro de lei, I
trancelim ouro laixo.
17353 1 Pulceira de ouru com 1 brilhantc peque-
no, 1 trancelim e 1 corrente de ouro para
relogio, ouro de lei.
17363 1 Annel e 1 alfin -te ouro de lei.
17368 1 Alfinete. 2 med Ihas, 2 pares de brincos
e 1 volta de cordSo. nuro de lei.
Rerife. 7 de Mareo de 1889.
( gerente,
Fe'iim Ferreira Coelko.
Faculdade Je Direito
De ordera do Exm. 5r. conselheiro director
interino fago publico o telograrama expedido
pelo Ministerio do Imperio e abaixo transcripto
Telegramma n. 336 de 11 de Margo de 1889.
Ao director da Faculdade de Direito do ftecife-
De accordo com o que propoz em telegramma
9 corrente autoriso adiamento abertura aulas
para 8 de Abril, se antes nao poderem terminar
exames e defesa de theses. Ministerio do Im-
perio.
Seeretaria da Faculdade de Direito do Recife,
12 de Marco de 1889.
O oflicial seivindo de secretario,
Manoel A. dos Passos e Silva.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
faco publico que era cumplimento da re-
solueao de S. t-xc. o 8f. Dr. presidente
da provincia, de 14 do corrente, rica mar
cado o pn>zo de 45 das a contar desta
ata, para a ncripbao ao concurso que
ter lugar neste Thesouro no da 15 de
Abr 1 prximo faturo, atim de preencher-
se tres vagas de 3o escripturario existen-
tes nesta repartc2o.
O exame versar sobre lekura,'analyse
grammatica!, orthographia o arithmetca
at a theoria das proporeoes inclusive.
Os candidatos devero requerer 1 ins-
pectora deste Thesouro a sua admssao ao
concurso por meio de petiyo documenta-
da, provando ser maor de 18 annos, achar-
se livre de culpa e pona e te bono com-
jwrtaraento, llcs sendo lit'to juntar, alm
destes, quaesquer outros documentos que
po&oam favorecer o cu dreit.
Secretaria do Theaooro Provincial de
Pcrnanibuco, 2t oe Fevcic.Yv de 188S.
Senrindo de secretario
O official,
Lindolfo Compeli.
"SEGUROS "
MARTIMOS CINTRA l'IH.II
(ompanhia Phenix Prr-
namburana
RA DO COMMERCIO N. 26 |. ANDA
Campaitljia ^e Seguros
COSISA ro&o
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
PosigSo flnanceira ('Dezembro de 1885)
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulado8 3.134,348
Rccefta animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
0 AGENTE,
John H. Boxivell.
a
MARTIMOS
CONTRA FOGO
The Liverpool & hnilon & Globe
m:mi osm: c.
Ilua do Commereio n. 3
Coinpanhia
DE
Vendeu-se cada um
Xarque23.813 fardo? ou mais 70 ou meno3
[-489 823 kilos do que em Fevereiro de 1888.
Vendeu-se por 15 kilos : do do Rio da Prata, de
IKK"i a 51: do nacional de t< a 'i jkii).
Wennouth 25 caixa.
Artigas liemos
Entraram:
gua-raz23 volume-,
Alcalrao30 barris
/lfara-423 fardos.
Alpiste 95 volumes. Vendeu-se por 13 kilos,
de 3*800 a 4*200.
Rameas e barris vasiosi. 174 e mais 831 vo-
lumes desmanchados.
Rarrilha130 tambores.
Borracha37 volumes. Vendeu-se por 13
kilos de 125 a 1500O.
Bren 63 barricas. Vendeu-se de 11 < a 12*
cada urna.
Cabos2 ratones.
Cal100 '.Kirricas.
Calcado22 eaixes.
Carcos de algodao-730 saceos. Vendeu-se
de 470 a 309 ris os 15 kilos.
Carrapato16 volamos. Vendeu-se por 13
kilos a llOO.
Cutio de pedra 7 i41 toneladas. Vnden-
se a tonelada de 13 a 181000.
. Cavallos -13-.
Ceras diversas169 .olumcs. Vendeu-se por
13 kilos de carnauba d( 2S600a 5*000.
Chapeos-40 volumes.
Charutos26 caixOe.
Chumbodo de municTio 376 barricas. Em
folhas 3 volumes.
Eimento 3.930 barricas. Vendeu-se cada
urna de 3*500 a 6*000.
Cobrp92 volumes.
Cordas-1 volume.
Couriiihos e pelles 1)3 volumesc 425avulsos.
Vendeu-se o cento, conforme a qoalidade, de
iOi a 90*4100.
Couros de boi -3.543.
Dormentes -12 171.
Drogas e medicamentos272 vcJumeo.
Dynamite 25 volumes. ?
Enxofre50 volumen.
Estanho-13 volumes.
Esleirs 10 volumes.
Estopa86 fardos.
Farello-1 023 sacco?.
de 2*700 a 3*300,
Ferro Em ac, 8 fexes.
Era arcos, 537 volumes.
Em barras, 1.337 c 496 feixes.
Em canos, 30 feixes.
Em correntes, 8 barricas.
Em'enxadas, 263 barricas.
Em ferragens diversas, 583 volumes.
Em foges, fogareiros e chapas para elles.. 33
volumes.
Em folhas, 34.
Em folhas de Flandres, 336 cunhetes.
Em formas para assucar 1 volume.
Em ps,86 feixes.
Ein pregos. 67 volumes.
Em trilhos, 628.
Fio de linho e algodio18-1 volumes.
Fumo-349 volanK;. Vendeu-se de 11* a
21* os 13 kilos.
Garrafas, frascos, lotijas e garrafOes1 41o
avulsos e 2:30 volumes.
Graixa103 pipas, 6 barris e 5 caixas. \ en-
deu-se, por 15 kilos, de 3*500 a 4*400.
Jangadas2.
Joias5 volumes.
KeroseneJ 070 ca cas
3*350 2*550.
Linhas-77 eaixes
Lona 3 fardos.
Louca455 volumuti. A ordinaria vendeu-se
de 80* a 120i cada gi'o
Madeiras- 38 prai.-hCes, 43 travs, 9o taboas,
252 enxamMs. 2o0 ealbrs, 12 300 toros de
mangue, 4.511 pedamos diversos e 190.118 ps.
Slarmores e pedras -1 volume e 6 lages, e
mais 1 barrica enm poiras de fogo.
Mercadoria diverso1 194 volumes.
Movis-92 volume.
(Heo dlver*os~39 volumes.
Pal ha de carnauba-60 mol,os.
Papel-96 caixas *.SM fardos. Vtndeu-se
a roma do de eaibro.' u> de 4/0 a 1**00.
Pronas de aves 2 "tfwnes
Perfumarias-95vo.umes ..w,
Phosphoros-736 ctiixfles. Vendeu-se de 1*900
a 2*050 cada groza d( caixinna-
Pianos4 volme?.
TiassavaI46mol!ic-:.
Pipas vasiasCt'i. tx tvn
riaa'.a- vivas4 ve u:: ^amM>aML
"Mlora-oltr barric. '- -jallos
le 19*000 a 20*000
Sao -votl' lies.
Salitre-
Vendeu-se a lata de
Compaiiliia de Seguros
AGENTE
Miguel Jos Alves
V. 1-Ru do Rom J<-*u >. t
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
cio de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 13 por cento em favor dos segurados.
London & Brasilian Bank
Limited
Iiua do Commereio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco cm Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75. No
Porto, ra dos Jnglezes.
Seguros contra Fgo
EST: 1803
Edificios e mercaduras
Taxas baixa
Prompto pagamento di- pr ( Al'ITAL
lis. I .O 00:000*000
CETK
HKOl\ >S A C.
. 5-RUA DO COMMERCION
IHDEMNISADORA
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
KMftbeleria em 1 SS
CAPITAL 1,000:000^000
SIXISTROS PAGOS
At S1 de Dr/embro de 1884
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000^000
44Ra- do Commereio44
Sebo583 barris. Vendeu-se os 13 kilos de
!}300a5*500.
Soda110 tambores.
Sola2.704 meios e 25 volumes. Vendeu-se
cada meio da nacional de 3* a 3*500.
Tecidos diversos535 volumes e mais 686 far-
dos de algodo do paiz.
Tijolos para i impar facas80 caixas.
Tintas70 volumes.
Typos10 volumea.
Vllas 41 volumes. Vendeu-se o pacote :
das estrangeiras de 500 u 800 ris das nacio-
naes de 240 a 300 ris.
Vidros149 volumeSj
Revista do Mercado
Recife, 13 de mabco de 1889.
Foi pequeo o movimento no mercado de cam-
bios.
Na Bolsa foram negociados 3.400*000 em ttu-
los da divida publica geral com o descont de
4 "/ e 10.000*000 em accOes da Fabrica de Fia-
5S0 e Tecidos, ao par.
Constou vendas de alguns lotes de assucar e
algod&o.
Cambio
Os oancos manveram a laxa de 27 7/8 at
1 hora, quaudo todos mudarain suas tabellas
para 27 3 4.
Em papel particular houve algumas transac^Oes
a 28 18 de manha. exigindo os saccadores, ao
fechar do dia, 28.
No Rio, os bancos cotaram oflicalmente
3,4, saccando todos, portu, a 27 7 8.
Houve falta de papel particular.
TABELLAS AFFIXADAS
a 27

f

f
3 $
f
5
x
o
-
1
1
3.
i t ^ tf Ti J
^1
3 - s g 5
to
i
g i
$ 3S

5

i
3
u
* -^
Bolsa
i
C0TA95ES OFTICIAES DA JUNTA DOS COB
RETOBE8
Recife, 13 tte Marro de J889
Assucar broto do Rio (rande do Norte, 1*150
por 15 kilos posto a bordo neste porto.
Apolices geraesdeoO/O, valor de 1:000*000 a
960* cada urna.
iU8 ditas ditcfde 400* a 384* cada urna.
Accoes da fabrica de flaco e tecilo, valor de
100* ao par.
Cambio sobre Londres, 90 d, v. 27 7/8 d. por
1*000. do banco.
Na Bolsa eram-se
3 apolices geraes de 1:000*.
1 dita de 400*
100 accOes da fabrica de liacRo e tecidos
SEGURO CONTRA FOSO
Roy al Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL t.OOOtOOO
AGENTES
R.DEDRUSDA&C.
13Ra Mrquez de Olinda13
Offereceram Vender Comprar
100 accOes da fabrica de
liacito e tecidos a 110* 100*
100 letras hvpothecarias
com juros a 98*800 98*
* O presidente,
Candido G. Alcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
iigodo
Cota-se o de 1' sorte do sertao a 6*400 por 15
kilos.
A exportarlo, feita pela alfandega neste mez
at o da 13, sabio a 517.910 kilos, sendo 423.0)3
para o-exterior e 94.907 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bein a 10.727 saccas, sendo por:
Barcadas..... 1.015 Saccas
Vapores ...... 311
Ammaes..... 4-254 .
Via-ferrea de Caruar. 1.058
Via-ferrea de S. Francisco. 1 231
Via-ferrea de Limoeiro 2.858
'
Somma.
Asraear
Os precos pagos ao agricultor,
gando a Associ;ao Commcrcial
os seguintes:
Brancos.....v
Someno.....
Mascavado purgado
Bruto.
Rtame.....
Colonia Isabel:
Branco !
. 2*
3* ...
Someno.....
Mascavado ....
Usina Pinto:
Branco !
al*....
Someno ....
Mascavado .
10.727 Saccas
por 15 kilos, se-
Agricola, foram
3*200 a 3*800
1*900 a 2*100
1*400 a 1*500
1*100 a 1*100
800 a 1*000
4*100
24800
1*500
3*900
1*600
4*000
. 2*300
3*000
* 1*500
A exportacSo, feita pela alfandega neste mez
at o da 11, attingio a 3 213.933 kilos, sendo...
1.495.341 para o exterior e 1.718.592 para o inte-
rior.
As entradas verificadas at a data de boje, so-
bem a 45.483 saceos, sendo por:
Barcacas .... 15.662 Saceos
Vapores...........
Ammaes. 2.868
Via-ferrea de Caruar. 4.016
Via-ferrea de S. Francisco. 21.607
Via-ferrea do Limoeiro 1.330
Somma.
45.483 Saceos
Pelo vapor inglez Tibor, foram remettidos
?ara Santos 500 saceos cora assucar branco e
.850 ditos com dito mascavado.
O vapor inglez Sculptor, levou 2.700 sac-
eos com assucar mascavado para Liverpool.
Conros v
Offertas para os seceos salgados a 365 ris.
Agurdente
Cota-se a 90*000, por pipa de 480 litros.
O vapor inglez Tibor, le vou 154 pipas para
Liverpool.
"""~
AlcOOl
Cota-se a 1704000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cola-se a 50*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
SatUHA r> 11 A 16 DR MASCO DB 1889
Vide o Diario deOde Marco
\aios carga
Patacho inglez Peggie, para Menirvido.
\ avos descarga
Barca norueguense Frida, carvSo.
Barca norueguense Frhyof, carvo.
Barca uigleza Sobrina, farello.
Rarca'norueguense Joro, carvfto
Barca allemi Anua, earvo.
Barca noropguense Braca, carvac
Barca norueguense Ortd, madeira.
Barca ingleza Lavmia. bacalho.
Companhia Brasileira de
Nave^a^ao Vapor
PORTOS DO SUL
O vapor Alagoas
Commandar.te Joilo Mara Possoa
E' e .(.erado dos portos do norte at
odia 17 de Man;o edepois da de-
mora indispensavel seguii para os
portoj do sal.
Rcebe tarahem carga para Santos, -anta Ca;
tliarina. Pelotas. Porto Alegre e RJo lrande do
Su. frete mdico
As ercommendas sseroree--,'i!.;i i agen-
cia at 1 horada tarde do dia da sahi la.
Para carga, passagens, eneommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Gruilherme
Waddingon
E' esperado dos portos do sol at p
dia 17 de Margo e seguit > ; i-
da demora indispensavel tara os
portos do norte at Manos.
As eneommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, eneommendas, pasaagens e valo-
res trata-se cera os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Comnuircio~-i
Io audar
COHPIMIII PEX.tlBI'CABIA
DE
VavegacSo costelra por Vapr
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo. lracaju' e Baha
O vapor S. Francisco
Commandante Pereira
Segu no dia 14 do corrente as
horas da tarde. Recebe car-
i at o dia 13.
Eneommendas, passagens* e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO ,
Aa Caes da Companhia Pernambucanm
n. 12__________^__
Rio Grande e Pelotas
Para os portos acima'segue com brevidade o
lugar brasileiro Uarinha 17/ ; para carga trata-
se com os consignatarios Jos da Suva Loyo ft
Filho.
Royal Mail Steam Packet
Companhia
O vapor La Piala
Commandante A. H. Dyke
Espera-sc da Europa at o dia 15 de
Margo, seguindo depojs da demo-
ra do costnme para >
Baha, Rio de Janeiro. Xopte-
Tldo e Buenos-Ayres
O vapor ]N
Commandante
E' esperado
a
G. M. Hlcki
dosul no dia 17 de
Margo e seguindo depoif da demora
necessaria para
S. Vicente, Lisboa, Vgo, Sou hampton e
Antuerpia /
Redcelo de passagens
Ida \ Ida e volta
X' Lisboa 1> classe 20 \ t 30
A' Southampton 1- classe t 28 \ t 42
Camarotes reservados para os pasaageiros de
Pernambuco. \
Emquanto vigorar a quarentena inlposta na
Repblica Argentina, aos navios procedentes do
Brasil, os vapores desta companqia nao areitaro
passageiros nem carga para Buenos-Ayms.
Para passagens, fretes, eneommendas, tra^a-se
com os
Amorim Irmos &
N. 3Ra do Bom JessN. 3
Lugar inglez Vidonia, bacalho.
Lugar inglez Xora. bacalho.
Lugar inglez Corisande, bacatho.
Patacho allemo Amia, farello.
Importarlo
Patacho inglez PlymotUk, entrado de Terra
Nova em 13 do corrente e .consignado a Guima-
raes & Perman. manifestou :
Bacalho 2,853 barricas e 850 meias ordem.
Lugre inglez Leander, entrado de Terra Nova
na mesma data e consignado a Johnston Pater
& C, manifestou:
Bacalho 2,960 barricas e 1,044 meias ditas
ordera.
Brigue inglez Willian, entrado do Harbor
Grace em 12 do andante e consignado a Johns-
ton Pater & C. manifeston :
Bacalho 2,570 barricas e 920 meias ordem.
i:\porlaeao
RBCIPa, 12 DB MARCO DE 1889
Para o exterior
No lugar sueco Bifrost, oarregou :
Para Liverpool, J. H. Boxwell 100 saccas com
7,589 kilos de algodo.
Na barca portugueza Ceres, carregaram :
Para o Porto, J. S. Loyo 4 Filho 220 saccas
com 14,352 kilos de algodo.
Para o interior
No vapor austraco Tktsbe, carregaram :
Para Santos. J. J. Moreira 500 saceos com
30,000 kilos de asquear branco e 500 ditos com
30,000 ditos de dito mascavado.
Para Rio de Janeiro, P. Pinto & C 30 pipas
com 14,400 litros de agurdente ; B. Oliveira &
C. 20 pipas com 9,600 litros de agurdente.
No vapor austraco TToor, carregaram :
Para Rio de Janeiro, P. Carneiro & C. 25 pipas
com 10,000 litros de agurdente.
No vapor austraco mean, carregaram :
Para Rio de Janeiro, H. Burle & C. 500 saccas
com 36,586 kilos de algodo.
No palhabote nacional Ida, carregaram :
Para Porto-Alegre, P. i arneiro A C. 350 volu-
mes com 31,150 kilos de assucar branco e 200
ditos com 17,900 ditos de dito mascavado.
No vapor inglez Athens, carregaram :
Para Santos, S. Guimares a C. 200 saceos
com 12,000 kilos de assucar branco e 200 ditos
com 12,000 ditos de dito mascavado.
Para Ro de Janeiro, M. Menezes 200 saceos
com 12,000 Kilos de assucar branco ; A. A. Hol-
landa Costa 20 caixas com 40 duzias de elexir
cabeca de negro.
No vapor nacional S. Francisco, carrega-
ram :
Para Bahia, P. Pinto & C. 70 barris com 7,000
litros de mel.
No hiate nacional Deas te Guie, carrega-
ram :
Para Ceara, P. Carneiro A C. 100 saceos com
6,000 kilos de feijao 'e 166 ditos com farinha de
mandioca. *
No hiate nacional Joao Valle, carregaram :
Para Cear, M. L. de S 2,200 kilos de mel.
No hiate nacional res, carregou :
Para Araeaty, A. da Silva Campos 600 saocos
com farinha de mandioca.
Na barcaca F. Octavia, carregou :
Para Maeei, A. F. da Silva 10,000 litros de
sal.
Na bareva Lig-'ira, carregou :
Para Macei," A F. da Silva'13,600 litros e
sal.
Na barcaca Rosa Cruz,, carregou :
Para Macei. J. Cordeiro- 65 volumes cora 870
litros de genebra.
Renriiuientos pblicos
-> 91 : HEZ DE MARCO
Alfandega
Renda geral
Do dia 1 a II 264:9971*26
dem de 12 7;594fi4,9s .
---------1- 292:592*324
Renda provincial :
Do dia i a II 38:136*973
dem de 12 2:908*13(5
-----------------41:0*04109
LEILOES
Quarta-feira 13, contina o leilo de movis
mais objectos existentes no armazem da ra do
Mrquez de Oliada ,n. 52, ao correr do martello,
por ter o mesmo agente de effectuar sua mu-
danca para o armazem da ra do Bom Jess
n. 45.
Hoje, 14, contina o agente Pinto o leilo
dos movis, fazendas, chapeos, miudezas e mais
obiectos que serao vendidos ao correr do mar-
tello no armazom da ra Mrquez de Olinda
n. 52.
Leilo
De 1.020 libras de mantega ingleza em
latas de 1, 2, 7, 14 e 22 libras
Hoje, 14 do corrente ^
A's 11 horas
No armazem ra Mrquez de Olinda
n. 48
Km lotes a vontade dos compradores
Sem limites
Por laterTencao do agente
unsmo

Leilo
De grande variedade de indos objectos, vindos
como amostra e outros para fechamento de
contas.
Constando de :
Grande collecsCes de carleiras, charuteiras e
dgarreiras, lindas correntes de, plaquet o que r.a
de ftielhor, 1 rico sortimento de jarros e objec-
tos para cima de toilet. brinquedos para manga,
escovas para cabello c roupa, grvalas para ho-
mens e senhoras, faqueires para crianca, chales
e oulros muitos artigos que estaro patentes a
vista dos compradores.
Qulnta-feira. 14 do corrate
A's 11 horas
No armazem (i ra Mrquez de Olinda n. 84
Por intervenr;So do agente
Gusmao
Recebcdorla provincial
Do dia 1 a 11 7:9734780
dem de 12 593*80
v Recife Dralnage
) da 1 a 11 'o:02tt978
dem de 12
254*525
8:567*580
25:276*303V

Merado Municipal de i. Jone
O movimento deste mercado no dia 12 de
Marco foi o segrate :
Entraram :
18 1 2 bois pesando 3,179 kilos.
327 kilos de peixe a 20 ris 6*540
62 cargas de farinha a 200 ris 12*400
4 ditas de fructas diversas a 300
ris 1*200
10 taboleiros a 200 ras 2*000
13 suinos a 200 ris 2*600
21 matulos com legumes a 200 ris 4*200
Foram oceupados:
26 1[2 columnas a 600 ris 15*900
1 escriptorio a 300 ris 300
24 compartimentos de farinha a 500
ris 12*000
25 ditos de comidas a 500 ris 12*500
78 ditos de legumes a 400 ris 31*200
18 ditos de suinos a 700 ris 12*600
9 ditos de fressura? a 600 ris 5*100
34 tamos a 2* 68*000
186*840
Rendmentos dos das 1 a 11 cor-
rente 2:102*900
.->
' "
7
Foi arrecadado liquido at hoje -2:289*740
Precos do dia:
Carne verde de 400 a 560 reis o kilo.
Carneiro de 720 a II reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 480 a 6' H) reis a cuia.
Milho de 360 a 440 reis idem.
Fe-; lo de 900 a "440J idem.
Matadonro publico
Neste estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 69 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
14
15
17
17
17
2 c.
oh:
4 b.
4 h-
Semina total 333:6324433
Segunda scelo da Alfandega, 12 de Margo de
1889.
8 thesoureiroFlorencio Domingues.
fe daseccJo Cicero.B. de Mello.
Recebcdorla Geral
DO'dia i a II ",27:9454750
dem de 12 9:041*470
420
Vapores a entrar
MEZ DE MARCO
Europa....... Athens...........
Europa....... La Plata.........
Sul........... Manos..........
Sul........ Neva............
Norte......... Alagos..........
Vapores a sabir
MEZ DE MABCO
Santos e esc Athens............ 14 as
Bahia e esc S. Francisco....... li as
Buends-Ayres Im Plata.......... 15 as
Antuerpia .Yaca............. 17 as
Movimento do porto
Naios entrados no dia 13
Terra Nova29 das, patacho inglez Plymouth,
de 199 toneladas, capitao J. Vine, equipagem
8, carga bacalho ; a H. Permann A C.
Terra Nova-25 das, lugar inglez, Lemier, de
227 toneladas, capito James Cougdoni equi-
pagem 7, ci-rga bacalho; a Johnston Pater
Santos e escala 11 dias, vapor francez VU de
Pernambuco. de 1795 toneladas, commandante ,
L. Sebire, equipagem 38, carga varios gene
ros; a Augusto ILabilIe.
Araeaty io dias,iiiate nacional Diius te Salve,
de 50 tonejadas, mestre Antonio Jorge do Nas-
cunento, equipagem 5. carga sal: a Bartholo-
meu Lourenctf ** *
New-York33 das, lugre nacional Duas Amen-
cas, de 620 toneladas, capitao Francisco Gon-
calves de Mattos, equipagem 14, carga kero-
sene ; a Fonseca Irmaos A C.
Sahidos no mesmo dia
Havre e escala Vapor francez Viile de Pernara-
wmo, commandante L Sebire, carga varios g-
neros.
Bahia Patacho inglez Plymouth, capito J. Vi-
ne, carga bacalbao.
Rosario de Santa FeEscuna argentina Romana,
capitao Browns, carga varios generoe.
S. Thomat-Barca norueguense Gr. capito L.
Oaen, em lastro,
Macei-LOgar.inglez Meante, capitao Vfm. Mul-
caly, carga b:calho.
Cear-Hiate nacional Joo Valle, mes1'
nio A. da Silva, carga varios ge-

r
]
T



>
mam.
Oajteetos de electro-pate e bronze
Hoje 14 do torrente
fio armazem da ra Mrquez de Olinda
n. 52
0 agente Pinto tendo de muder-se do arma-
lem da ra Mrquez de luiiki q.-i52 para o da
ma do Bom-Jesus n. 45, far leilSo ao correr do
nartello de todos os movis affl"existeates os
naes sero rendidos, sem reserva de precos.
Bm contiriuaeSo tender o mesmo agente :
Orna seeretuna grande, 1 burra prova de foso,
1 repartiiucula du escriptorio, 1 armaco iaglc-
za, 1 carteira, l balanga, e outros movis de es-
criptorio. existentes no araiazt ni da ra Mr-
quez d'Oinda n. 52.
O leilo principiar as 10 1/2 aorae em ponti
por aerem muitos os lotes.
Entrega emfacto continuo e em 24 boras.
Leilo
<|iiu i a-fel i*a. 14 do torrente
A'8 11 horas
No 1." andar da ra Duque de
Caxias n. 36
O agente Modesto Bautista far leilo do se-
guate : 1 mobilia, 2 toilets. 1 cama de casal, 1
arque^o, 1 mesa elstica. 1 apparadores. 1
esa para jogo, i dita de t gavetas, 1 lavatorio,
cabides, i estante, quartinheira. 12 cadeiras de
junco preto, 2 cooslos, 1 espelho. 44 garrafas
de electro pate e 6 colneres do mesmo metal,
etagers, quadros, candieiros, jarros, escarradei-
ras, iQuga, vidros, 1 raaohina elctrica, 1 relogio
de parede, i carabina, 1 realejo, t jarrooutros e
artigos de casa de familia.
Leilo
I>e 2 importantes vaccas.prenhes, tourinas verda-
eira, 1 parrte tourino e 3 carvallos, sendo
m bom de sella.
Quinal-fe ira f t d eorrenfe
A's 11 horas
Ko armazem ra Mrquez de Olinda n. 48
Pr inervi'Doo do senle
(nsruo
Leilo
De diversas caixac coni figos
<|uJ A's 11 horas
No armazem ra Mrquez de Olinda
. 48
Por occasiao do leilo de diversos obiectos de
amostras, vaccas tourinas e cataflos
Por intervencao do agente
Gusmao
Leilo
Be divises de amarello envernisado. I secre-
tara de nogneira, 1 grande carteira de ama-
relio com duas faces, 1 dita menor, i dita
grande com gavetinha, 1 secretaria com ga-
veta*, i cadeira com encost, 5 mochos, i,
prensa com meza, 1 estante de amarello n-
vidracado, 1 banco de amareda, i. ftorta-pa-
pe, i estrado granda, 6-eadelras de junco, 1
banca com ^dr, cabido de columnas, 1 la-
vatorio4e lou^a\J>ara parede, i oculo de al-
-' fitC com seus perteeee, 1 relogio de parede,
i lavatorio de forro coi: Lacia, 1 banco de
ferro, 2 jarras para agua.e oiOraa,objecin da
escriptorio.
Sexta-feira, 15 de Martjo
A'$ 11 horm,
No escriptorio sito ron do Bom Jecue
n. 15
O agente Gosmo, autorisado pela Kxma. Sra.
Viscoadessa de Itaqui do Norte, far leilo dos
objeclas cima mencionados pertencentes ao
senatorio do seu finado marido.
Leilo
Agente Brito
lX'uuki armarn de amarello. fiteiros, miuder
sas, atnitos, cigarros, espelhos, cadeiras, con
solos; lavatorios, cabides, relogtos de parede,
candieiroe, encanamento e registro de ga, i ro-
tula nova e mais objectos proprios para casa de
bartwiro.
Ao correr do marteJk)
Kxtsientes na casa n-. 96 roa do Mrquez do
Hervai.
Garaote-se a casa.
Aexta-feira, do rorrete
A's ieii2 horas
Agente Sveira
LETLA.O
De predios em terrea.' prope->, rua do
Bm(i" l'ardoso Ayres, sob ns. 14 e Ifi,
freguezia da Boa-Vista
SEXTA-FEIRA 15 DOCORKENTE
* A .- 11 horas
No armay,cm roa d Imperador
n. ir.
O atiente Silveira por mandado e com asis-
tencia oo'Exm. Sr. lr. juiz de direito de orphaos
e areqnerimento'lo i:\ma Baroneza de Catua-
na levara a leilo:
A casa errea n. 14. ra do Bispo Cardoso
Ayn-s, tendo 2 salas, sendo a sala da frente as-
Bi>a!badt e forrada. 3 qaurtos interno*. 1 -aleta,
eosinfu. e 3 qnartos externos, sendo, um oceupa-
do por iian banbtiro, a{ua encaad e gaz qain-
ta. da..' v! e t gallinbeiro.
U1114 dita na uiesma ra :+. 16, cmn 2 salas,
sendo sala M frente forrada. I qjartos inter-
aos, 1 -aleta, 1 quarto externo, agua encanada.
gaz,e quintal murado-
prefenoenres poden i examinar.
O S-s.
Agente Silvein
i
Agente Pestaiia
Leilo
e aaaveis, lonsas, yidios, iun cofre prov
aVfogo e 1 piano de Jlkee e 1 dito da
Le'to
Leilo
corref do raartello
lobilias de Jacaranda; mogne, pao carga,
e junco, 'quadros, jarros, espelhos, reiogios de
anri transparentes cmaezes, candieiros a gaz,
arandela-, mesas, oadeiraa de jnuco,-guarda lou-
ms, apparadores, fiteiros, casias de ferro, inar-
fezAes, cadeiras de bataneo, camas para meni-
Bos e lavatorios com pedras.
Um piano, 1 serafina, 1 fugo de ferro, 2 bom-
ias, t guarda roupa, pannos % bastedores para
ai taeatro pequeo.
Bancas americanas, (classe) carteiras para wl-, m
legios,e 1 fueao de ferro grande e-araitoaoutraB- a armagao, balcao, pisos, medidas, balanga,
candieiros., cantelro e grande quanlidade de
gneros novos.
En un 6 lote
Sexta-feita 15 do torrente
A's II horas
O agente de leiloes Alfredo Guimaraes por
mandado e assistencia do Exm. Sr. i>r. juiz do
commercio e a reauerimento do Dr.curador tis-
Do hotel Cosmopolit. si* o raa da Madre
de Deus na. 30 e 82
Sexta-feira 1 > do corrente
AS 10 1II HORAS .
0 agente Silveira, por mandado ecom assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito do com-
mercio e a requerimento de Manoel Cordeiro do
Reg Pontes, levar a It i lio s utensilios do re-
ferido hotel.
Leilo
eqt
lida
cal da massa fallida de l'etippe Nery Gaimaraes,
levar a leiao a taverna ra da Paz n. 2.
Caraote>se eliave do'oaesoia
Leilo
medidas e
praca do
Da armacSo, balanca.. pesos,
gneros da taveria sita
Conde d'Eu n. 18-
Nabbado. t. do rorrete
't t hora*
6 agente Gusmao, competentemente autori-
sado, far leilo da armaco, gneros, movis e
mais objectos que estarlio patentes no acto do
leilo.
3 leilo
Da armago, cofre prc va de fogo, candieiros,
mercadorias e utensilios existentes na toja de
fazendas sita ra Visconde Inhauma n. 29,
antiga do Rangel.
Segunda-feira 18 do corrente
A' 11 horas
O agente Gusmao, aut<>risado por mandado do
Exm. Sr. Dr. juiadr aireito do commercioe a re-
uerimento do Dr. curad jr fiscal da massa falli-
a de Salvador Gougalv s Braga & C., levara a
3 leilo com assistencia do mesmo juiz, o es-
tabelecimento cima mencionado, o qual sera
vendido em m ou mais lotes a vontadedos Srs.
compradoaes.
AVISOS DIVERSOS
Alugase o sobrade da praga Conde d'Eu n-
26 e o da ra do Barao <.,e S. Borja n. 26, ambos
com grandes commodos pea numerosa familia ;
a tratar na ra de >anto Amaro n. 8.
Aluga-sc o 2
Padre Muniz n. 13
cheiras n. 18.______
laga se casas a **0)0 no bece dos Coe-
laos. junto de S. Goncallo ; a tratar na ra da
Imperatriz n. 56.
amlar com agua roa do
a->'itar na ra das Trin-
Alugase a casa c. l ra Le m branca do
Gomes, em Santo Amaro ; a tratar na ra da
Imperatriz n. 32, 2- andar.
Precisase de BOO'iOOvpara comprar e co
sinliar e fa7-T todo servi p4e casa de pouca fa-
milia na ra Visconde >4MlUMiqaer matriz da Boa-Vista) n. 1
Precisa-se de urna-ama que cosinoe e com-
pre para, tres pessoai 4. uoiaMo do Corno Santo
numero 25.
Precisase de uns, nouc-jl ftmiHa; a tratar nitestago da Jaqueira
/Precisa-se de urna Meinb''ira e de urna co-
peira : a tratar na ra as Soledade n. 82.
-A Precisa-se de umita*cosinlii?ira ; na ra
djJ Pires n 28. _____
- Precisase de wav.aaapara eosinnar : a
tratar na ra da Uniao iU&r .
Precisa-se de ama awa a tratar na roa do
Livramento n. 9.
Offerece se um rapix.-aabendo ler e esi re-
ver, para qualquer eap^o dando conhecimen-
to de sua conducta; a 4< ar ao largo da Penha
numero 8.
Ao publico e ao corpo com-
mefi al
O adai.\' assignado (*n4 mamente em v1ageu1.g4.-1 a.Europa a tratamen-
to de sua sade, jnlga" aada^dever n'esta praga
neni fora d ella, se algpegigeiulgar #eu fedor
quei-a apresentar scrwrdwinent- no prazo de
3 dias
Brcife. 13 de Margo l'-lWvA
AtyrtJii** Per+r*.
Ve me-se
lina taverna bein t?alHada e <<' poneos
fundos, o motivo por *! uroprietano ter-se re-
tirado para ora da cil$'po.motM' >fe moles-
lia, a tratar na ra Bm, m^7:
Atttfcn^a^ iWf.peditlo
O abaixo assigncuo fiedt a todos os Sra. que
estao em debito na VISARA AMi!lCANA
sita ra Visconde 'j oaauflia n. :io, o obse-
quio de virem saldar <' 18 da-, a contar d'eeta., tlata, cora o ahatimento
de 2( ,. lindo este nr*. > i'yg)ieiii U>m direito a
atmttpwDto algura.
iecife, 13 de Mango. .,:03
MMnxioK Pirara.
(.uiHIas do Monte de Socearro
Compra-se cautelki'i do Monte de Soccorro de
qualquer joia, brUtran:.-3 a, reiogios; paga-t
lM-m na Praga da lnd"iendrncia n. 22. loia de
reloi-eiro.
Roubo
Feltoral dr Cambar
Atiesto jtt.o PeHoal tle/Oarabjartfc. do
Sr. Jos Alvares de Souza Soares, prepa-
rado de urna arvore aromtica denomina-
da CAMBABA'*-!**' ^geta na serra
desta proTacia, um exceUeata baJeami-
co expectorante, e como tal o teuho m-
pregaoo sempre cora bom resultado as
affecfoes pulmonares. O referido 6 ver"
dade e o juro sob a f do men grao.
Dr. Vicente Cypriano da Mata.
(Pelotas).
Cura e de bom paladar
Nao ha remedio que rena mais vanta-
gens para os doentes do peito, do que o
Peitoral de Cambar : cura e de bom
paladar.
I'erguola
Oual o remodio mais efficaz e aconaelha-
do para a tesse ? O Peitoral de Camba-
r que se k vende em casa de Francisco
Manoel da Silva A C, ra do Mrquez
de Olinda n. 23.
Deve ler-se
O abaixo assignado, cidadao oriental,
morador no Monte Bonito, 2 districto de
Pelotas (Bio-Grande do Sul), attesta que
soffrendo de urna tosse perigosa, foi radi-
calmente curado, em poucos dias, com o
popular medicamento Peitoral de Camba-
r, preparada do Sr. J. Alvares de Souza
loares desta cidade.
". Joaquim Thotnaz Affonm.
wataMUwowmmwi k
EXPOSITIW Jg. UKIV"* 1878
PERFUMARA especial
LACTEINA
E. COUDRAY
fwiim1i p*li Ctktridadrf Meiiicu de Pirto
MM moS H H-.CESSJf DES M TCKOM
PRODUCTOS ESPECIAES
rUl de A1B0Z UBi de UCTIIIfi tai funestar.
CKEIE e tb < SABiO if-UV.'M ptrt 4 barfe
roiiBi de UTuaa fin>*tii*m*m OJOaOI
iGDi de UCTEII1 i>ara o teiicador.
t: te de UCTtDM pan enArlitar ot<
ESSEHCU dr LICTEU rara Iciiros.
f e iGOA DEMTirHCIBt de LICTnil.
CBOE LTINft O.aviv (Hn J fk. B It]
UCTWUIA tini Mnaos' ac'aJ-ie u Moa
PRfS 13-, toe d'Ijaien. 13 NWS
tpoattMB todas as Perfumaras. Ptnriasisi
Cafaeltereiroa da Amfrlca.
oossoaaastoanoaasasoosso
Oflerece-se
urna senhora de meia idade de familia, e de
boa conducta, para fazer companbia em casa de
familia, mas que nao teaha meninos, se presta
a -fazer a'.puns sorricos, exige uta pequeo or-
denado dentro desta capital, d fiador sua con-
ducta ; quem pretender diriiase raa do Ara-
gao n. 13, das 9 boras da manha s 4 da tarde.
*nna Isabel Bma Murta
Francisco GoncalTes Murga, Joo Rodrigues
Vianna Ra-yma e seos lilhos, agradecem do inti-
mo d'alma a todas as pessoas que se dignaram
acompanbar os restos- mortaes de sua sempre
lembrada esposa, tilha e irm Awia IaaOel
Bajma Morra, e de novo as con vida m o a to-
dos os prenles e amigos assistirem as nissas
que por-seu eterno repouso mandam rezar na
igreja de Nossa Senhora da Penha, pelas % horas
de sexta-feira 15 do corrente, 7. dia de seupas-
samento; pelo que se confessam eternamente
gratos.
t
O. Marta Koat-e Pereira Maitm
Guilherme Pereira Bastos,-Joaquim Antonio
Pereira Bastos, Cesario Pepeara .Bastos, Jos Pe-
reira Bastos, Joao Pereira Bastos, Maria Pereira
Bastos, Francisco Pereira Bastos t Aatonio Pri-
mo Soares rogam a todos os parantes e amigos
para assisiirem as missas que mandam rasar na
matriz da Graca pela alma de sua presada espo-
sa, irrna e confiada D. Maria Soares Pereira Bas-
tos, s 7 1]Z horas da manba de 16 do corrente.
trigsimo dia do seu fallecimento, e desde j
agradecem esse acto de caridade.
t
Tlieoptillo AuRBita de 4sevedo
e Souia
(Sexta-feira lo de Mareo
A't 11 hora
o aroaazeoa da raa Mar]oez
delioda m. 44
O aoaate Pettaaa, tendo de entregar sateles.
< luuaaaa armazem far ieilao dos mewrs que
serio rendidos sem reserva da meo.
A6ABEB.
iliu Siaido,tuta Pleei, dito de mesa, urna
BMfciiia^lieveticica ama dita de aOo carga, t
gnaroa-TCStido; t guarda-louca, orna mesa elaa-
Kaca?.taaOH,4 con prova de fogo. anr
ajaedes largos, ditos estreitos, cartearas,'casias
para fgmmm, gapas, cama* de ierro, mates
ara ajeo, cataaa para caaal, apparolaopara
lantardiO para almotjo. copos, eahtes, gara-
di-
^^^^^^^^^V"!*^^^^ *"W< *^^^~*^~r^^^ a^aj^aja ^^^^HkV!
iMirTint- Tudo ser
a>Mafp
Nn noilc de i para '< do jrrenle roubaiam do
ragrnbo Para do termo de ipojuca dous cavallos
bons de -Lila, sendo mu caslanbo, com dous ps
e a mo 1 sqoerda brantcs, frente a! erla, tama-
nho regular, com alguiras pintas brancas as
costas, novo e ^ordo ; 8 o oatro alas&o caxiio.
com dous pes e urna mi areos, frente abena,
tamanho pouco menos que o regular, gordo e
com os dente estragado:. O ladrao arromboo
a porta da estribara. Sf recompensado qaem
apprehender e antregar os dou< cavallos no en
genbo ara ou no ReciC" o --L-riptorio de Wan-
derU-y & li 1 Bom Je.-u- o 1P
Guide ji ^ a ciona I
D'Ettrop* ou.fii i ti d ki Plata
Ette i]"i. redimido m ugaez. em francs
e em hespanhwl.jnCtpeBaaaai para qualquer
viajante, tanto da K.iropr. .para o Brazii, como
aas cosas do Imperio e do Rio da Prata, encon-
tra-se as casas sefiMoi
Safar Ktugmam t ff.--34 ra Marques, de
Olinda.
Charlrs Pluym l C.'.Vkm* do fioaaoeeoio.
F. P. B0uUirwm.^M iaa-do Imperador
Francisco Soares QumuK ra L*daMarco
Jos de Azevedo e Sousa, seus filbos e oras
agradecem do intimo d'alma a todas as pessoas
que se dignaram de acompanbar at a ultima
morada os restos mortaes, de seu prestimoso e
sempre, lembrado filo. irmo e cuahado -Theo-
pbo Augusto de Azevedo e Souza ; c de 00*0
as cr>nvid..m. e bem ussiui -os pareutes e ami
gas. para assistirem as missas que mandam re-
zar pa iirreja da Soledade, pelas 7 hora.- da ma-
ab'do du li do corrente, setimo.de mento, peta que desde j se confessaui eterna-
inente gratos._______________________
BRANDE LiQfflDAGAO
Na Lojadas Estrellas
:()-Ru Doqoe de Cxis~S8
Telephooe a. to
Este bem conhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
ende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachado todos osaens
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
quidaeSo de todos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 [0 do se valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
Artigos de le
EaguiSo, peja, a 30500.
Madapolao com um metro de largura de
lU por 7^000
dem idem americano de 80 por 50000.
Algodao marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustSo, qualidade superior, a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coherta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
Lences de bramantes a 20000.
Chales escoceses a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vende -cora
igual abatimento
Teeldos de alia oovldadr -
PARA VESTIDOS DE CBSHORAS
Linhos pardos para ^vestidos a 300 e 320
Sedas cora quadros e listras.de .10800 por
800 rs.
Setins. de seda, todas as- ceros, de-....
1*290-por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuailc de Vicfty, de 240 por 160 e 80 rs.
(Nonsuks, deseadlo novos de 240 por
120 rs.
retoes claros e escuroa com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de-quadros, grande variedade de
padroes, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fust5es de cor, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs.
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodao. linho, 13 a sedas que se ven-
p dem como o anouno abatimento de 50 ";,..
Coofeeeo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por "50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartao, alta no-
vidade a 80 e 100.
Guarnicoes de colariuhos e punhos para
senhora por 10ve 10200.
Capotas (preparadas na corte), de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhae para crianas, por
' b, 0, 80 e 300^ e Jersey, casemira-
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
tricos por 50.
Luyas de seda meio braco e qualquer ta-
manho a 10500 o par.
Idean idem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretudos rmpermeaveis de borracha' de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras, ottonsa-
ua ricamente enfeitadas de vidnlhos a
250 e 300.
Idean idem de renda, seda; damasco e
girrgurao, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 c 400.
Velludos de seda e algodao do mujtas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo
dao e linho, com- um metro de largura.
Setjns Maco de talas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confeccjes
como sejam mantilletes de blonds, sabidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se vea-
40 TORR^ROR
Lima Coutinho & C.
43-^Rl'A DUQUE DE CAXIAS43
Defronte da Prarioha da In-
dependenela
'Este novo estabelecimento intitulado
AO TORRADOR-vende sem competen-
cia, como as Exmas. familias poderlo
analysar pelo seus precos.
Lanzinhas de quadros a 60 rs. o covado.
Ditas de ditos a 200, 240 e 280 rs.
Merino de quadros, bonitos padrees a
300 rs.
Ditos lisos enfiestados a 480 rs.
Baptista e nanzuch finos a 140 e 240 rs.
Mariposa branca e do cores a 240 rs.
Chitas finas cores fixas a 200 a 240 rs.
Ditas forlaidine a 240 rs.
Cambraia branca bordada a 40500 e
40800 a peca.
Dita Victoria, fina, a 20800 e 30500 a
peca.
Seda de Japo, lindissimos padrSes a
200 rs. o covado.
Dita da Persia, lindos padrees, a 180
rs. o covado.
Se sofito porque qneres
USA E CONVENCER-TE-HA8
CURA RADICAL
SEM DIETA
DAS
Molestias de pelle
SYPHILITIOAS
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im<
pingens, bobas, gommas, cancros, rheumav
tismo e morphea.
Com os prodigiosos
XAROI'E E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
Applicaclo fcilUso sem perigoEf
feitos promptos, dieta razoavel.
Contra fados nao ha argumentos
t
diado
Procisa-se de um csiiido-, aa na Duqae de
Carias ji 70,1 andar._____________________
Coetimira
Precisa-se de ama boi costureira ; na ra da
Auroran. 8!. i andar.______________^
En sino priaaario e se-
cunlario
O profesaoi Joao VsJaatia Toiaeira Baatoa
m aberto- as aola do ten corso desde o da 7
tfe Aaheiro do corrate aiao._____________
Alambique
V'eade se um ataa>aaaue.dtr taajatoo rafO)ac e
iem pirfeito estado, coc ao?ooatOrte raapadei-
tra, pflopria para engeoba; a-tratar na fabrica de
Irmigre a rua,Barta doTnumpoo n. 78.
uriu IVrrciru Thi-maiao I.e>a
O Baro de Gravat convida aos seus prenles
e amigos para assistirem a urna missa;que man-
da rezar no dia 18, stimo do passumenlo de,
seu prezado irmo, Ignacio Ferreira Themudo
Lessa, na capella do engenho Grvate, as 9 ho-
ra- ili rnanha, agradecendo desde ja esse acto
de religi&o.
t
#oa da Nllva tarvalho
Joanim da Silva Carraibo, ua esposa a li-
lhos. Bruno da Silva Carvalho, Manoel da Sirvu
Carvalho, reconhecidos a todas as pessoas que
acorapanharam ao cemiterJo-poMico os restos
mortaes de sen finado inn&o, cunaada e to \ e
de novo pedem a todos os seu* prenles c ami-
gos para assistirem as missas que serao rezadas
Kr ma alma no dia 16 do corrente, s 8 horas
manha, na matriz de Santa Antonia, pelo
qpal desde j se confessam regonheejdog.
50
la
IMaeitndo
^Mtrie
ceU*
de Vmitron.
3- anai*ru-io
Anua Bernardina Bios de Vasconcellos convi-
da a eus prenles anao--paraaaaittrem as
oaaias que tem de mandar calaaraa, nanadam **
tercera do Carmo, poi alma de'seuaeasoaaaho- ,Ia<>8^ cnita8>
rado esposo, Genesindo Bflliaoio d VaaaaOjel- 1 '
los, as 8 horas da manha de aext-Xer*-iB do
corrente, 3- anniversario de seufaUoonoeaOM*
dead j antecipa tu *ani.gat*%H* Moas
rintos se dignarem raoaipajc8r aeaae.iata
reagiao e candade.
dem com o mesmo abatimento de
Para hooaeos
'Casiniiriis inglezas com dua? larguras, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf c azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de seda paracollete, de 120000 por
35000 e 30500. '
Ditos di velludo e fustao a 10 e l>20u.
Meias inglesas com fio* de seda, de 12-1
por 60 Patetots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequcuo tuque de-mofi)
a 10601 Mima.
Collarishos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas ingiezas cora eollarinhos c pu-
nhos, sera collarinhos e sem punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a 240, 280. 20,
360 e 400 rs.
Dito branoo de linho o. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 40, 60, 80 1O0OTJO.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens, de 700 e 800 |>or 300 e 400.
Ceroulas francezaa, de 380 por 240000
a duzia.
Paletots |ed seda, completos de feitosd
casemira. malas para, viagern^ obolcas e
tpete e mn completo e yarUlssimo sor-
timento de cheviots, casimiraa francesas,
inglesas, pretas e de cores de padroea ia-
teiramente novos e que se vendem com o
mesmo abatimento de 50 [0 de seu valor.
metaUaos
Aproveitem a grande .. quantadada 1 e
pelos preces, em seda pretas e de eSrea,
gorgorees, setins, las,, merinos, ,aaphycrQ%
madapotoes e algodaosi*^
OOft
E mu tas outras pechincha que 96 se
eaoontram na
Loja das Estreliasi?
5b,\&8Ruaido Duque de Caxias5%, 58
Estes remedios s2o os mais commodot
Sargelms de todos as cores a 160, 20q do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, dircccSes para uso d'estes ^medi-
camentos admiraveis.
Pre90 do ungento 10200 o
Preco do xarope 30000 a garrafa.
e 240 rs.
Setinetas lisas, largas, a 360 e 400 rs.
Merinos pretos finos a 800, 10000,10200
e 10500.
Colchas para cama a 10800, 20000 e
0gOOO.
Cortes de casemira de cor a 20500 e
30000.
Casemira preta, duas larguras, a 10800
20 e 20200.
Madapolao superior com 20 varas a 4$,
50000 e 50500 a peca.
Dito americano, superior, a 70200 a
peya.
Bramante de algodao para lences a
700 e 110000 o metro.
Dita de linho saperior, cora 10 palmos
de lagura a 10000, o metro.
Guardanapos de linho e algodao a 25 a
duzia.
Toalhas felpudas a 3$ e 40500 a duzia.
Atoalhados para mesa, lindissimos pa-
drSes,'a 10200 e 10800 o metro.
Dito trancado, alvo, a 10000 o metro.
Lencos brancos com barra de cor a 10200
a duzia.
Ditos superiores, de linho e algodao, a
20200 a duzia.
Enxovaes para baptisados, completos, por 1
todos os presos.
Entremeios e babados bordados por todo I
preco.
Bicos de todas as cores para enfeite de
vestidos.
Baleias cobertas c descobertas.
Arcos cobertos para anquinha.
Camisas brancas para homens e meni-
nos.
Ditas de meia para homens e senhoras*
Manda-se fazer roupa por medida e da-
se amostras de todas as fazendas.
Preparados por Calazans & C.
macia Imperial, Baha.
Deposito do Reeife
Franciseo Manoel da Silva & C
Ra Mrquez de O/inda n. 23
frasco
Phar
Lima Coutinho & C.
0 lECOLOjnOM XITO
43 Premios
aLCO0LHORTELa
DE RIGQLES
REC0MMKN4D0
pe Hlustra$5es Medicas
contra
Indigest es, Dores t Esto mas o
de Confio, it Heno, de Caceta, etc-
IiispeasiTel DURANTE n CALORES
PTIMO TAMDEM PARA.
oTOUCADOReosDENTES
Gnnde rreservatWo em tempo
Fabrica em LYO
9, Coa d'IIerbonrilla
i \
Casa asi PARS, **r *** Richer I
VxiQt-st o nowu i* R'CQLO
kl maaiAago: PBis- M. da silva O.
1 ni tvfas t* Hn rsnaiclw t Biayailji.
At
.^4 fl^ "* Por meio do suritEOO do* ^"^^^aflaa?
.^O^ Esr,PePastadentifpioios
.aalaVlS
POR I U,.
M. PP. BENEDICTINOS
a ABBADIA de SOXJT_,^^G (Girondel
DOM MTAGUE1.0J NE, Pnor
* rtcriafliV* fie On .- : Bruxellaz 1880 Lcndres 189*
AS MAC ELEVADAS RECOMPENSA i
137^
NVENTATO
.NO A N
*clo Prior
Pierre 30ITS .TEi
. jiwi'nlit!::". 1! E'iiir. i*entiricio
5?K .PF. HenedicUncs. tciu mo o
i- >
do.
Armuia sott *-.-ni:sii:i. 'r-.'-ni i'fur.i ;. raj*
i..s il-iiu-K .iiiUi.,i,iuc.-. -. fortalecendo c. tor-
il... ... 1- pt ic^vU |iofeitameate nmIUs.
!*atw#i ui" jprteira tvr;o, '.>-
l.-iado .: nos"'* l.l:i.i-.- ;s'.' iti-.-" e utills-
<~if ;! ;v,,-,i.Ki. o mclhor curativo o o uaic*
|trespvaUTO cimirn as Aiec;oes den-
tarias. ,
Agento Oeral 9 S> VlU ll'BO
/ .. s tir. to4i .- boas ferfjireras, Pf-armacua i
ajmmmmf i., i hwm
J
.



ROBERTO WEISS
FRANCFORT S/MENO
ENGENHEIRO E CONSTBCTOIf
DE
(VHIMIOi DE FKRHO
Estabelecimento especial por fornecimeoto de caminhos de
ac transporta veis, e Gxos montados completos para posttjo e raanpijoe rado
nsism como
. CADEilLNHA COM RODAS, VAGOSETES, DE
TATPAES LOCOMOTI\'AS, GRAS, ETC.
P.-inoso: .-iL'.-i^ola. plant.<;oes,* nnzens, mirins
iuiu^lritis. saltas o campos miliUtres, etc.
l^fa'PORT!
,
*$>?&<
(ir

i a 2

.-
NAO PERCAES TEMPO!
TOMA! O PEITORAL DE CAMBAR
que o uuieo remedio effieaz
para a>> nioleiIai d lar ave. lM*a*ehios e pulmes !
t;-'in o uso deste poderoso medieatnonto'.iebellajwse as toases as maiaiaperti-;
nentes- e relteldes e t'imbcm desappareccm as oprwejSes. dores do peito c alteracSet-
da voz -T ees8ara as ranaal(ir*>f.*f'rfl sangmnolenlas e os esonrro de sangue; enirpouct
tempo di-'Sfiivalve-seo appetite, as forcas-peadjJas reaprarecem, e em una pajarr>a|
os enfermos .-entem urna mudanca muito notavel e por assim diaer, reaumam-se <-
eacapam de urna morte certa.
Examinoi que a marca da fabrica e a firma do autor J. Alvares d S. Soares
ae achem nos rtulos que circulam a rolha e gargalo de cada frasco, ctaae garantia
contra as mu tas falsificacoes e imitacSes qwe pot- toda a parte apparecenv.
Agente af.la provincia
FRANGISGO MAN9SL M SILVA & G.
Raa Mrquez de Olinda n. 23
Precos: 2600 rs. ,'o frasco, 13^000 meia duaia e 24J000 a -Vrfc^J
PEROLASda PEPSIMA PURA IIYAUSAD
de QgAWrHAT, Pharmaceutico.
, FoaaBrGauKwwwtoawhn^oMtn^qaecoijae^
oinaato.nem uar figora aa a\iadu^o^^um^wmJrmt*mmtnmUlO'am*m*
8aaaocao da matar eflteactei duaa parolas tonadaa depoi* a
Caa parola leva upraaag eaa gafro .
3Aft 18, 9, Uta* ^l*^aaatay.ii


sal
" wn1' i
14 de Marco de l%89



21-KIJA 110 CBESPO-21
OLIVE! 8A CAMPOS & 0. ted<, de t.w bre-
vemente um sortimento de artigosnovos de alta novidade, resolveram
fazer urna grande reducc,o nos presos dos artigos abaixb menciona-
dos, para os quaes chamam a atteinjo das suas Exmas. fregnezas.
Coskiheira
Precisa se de urna ama queVosinhe beca ; no
terceiro ufar do predio n. 49 da ra Duque de
Cajas, por cima da typograpbia do Diario.
Superior vinho de
Passto
Pelo mdico prego de io$ o quinto a 9< 00 o
garrafao de tres caadas, voltan.lo o garrafao
7HK); vinagre de vinco 304 o barril e 64000 p
garrafSo sern casco, procos lquidos ; na ruadlo
Araorim n. 60.
Linhos para vestido padroes modernos a 160 rs. o covado.
Cretones francezes, cores claras, a 260 rs. o dito.
Herins de cores, duas larguras, a 500 rs. o dito.
Ditos de cores, larrados, de 2,0000 a 10000 o dito.
Las de cores, desenhos de cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branco de 400 c 500 rs. o dito.
Mursolina branca para casacos a 500 rs. o dito
Zephir de cor, listas e quadros a 500 rs. o dito. .
Ditos arrendados, lindos gostos, a 600 rs. o dito.
Ditos de listas arrendados, alta novidade, a 800 re. o dito.
Etammes arrendados, de cores, de 800 a 500 re. o dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 re.
Mursolinas de cor, de listas, % 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de 15$000
e 20*000 por 90000 c 120000 cada um.
L.nao, padroes em quadros, a 440 rs. o covado:
Nanzukes padrees mimosea, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos linos, a 200 re. o dito.
Merino preto fino, de 20000 a 10000 o covado.
Setim Maco de todas crea, a 900 rs. o dito.
Brim fino pardo para vestido, a 400 re. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 30000 a peca.
30000 urna,
de 40000, 5000,
60000
Mantas hespanholas, de seda preta
Espartilhos, o que ha de melhor,
70000 um.
Fiohs de cor arrendados, d 10000 um.
Capinhas hespanholas de cor a 20000 urna.
Fichs de seda, muito lindos, a 30000 um.
Sargelim diagonal, todas as cores, a 240 rs. *> covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 um.
Luvas de soda, todos os tamanhos, de 20000 a 30000 o par.
Lences de linho do Porto, a 40000 um.
Ditos grandes para cama franceza, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
Fichs, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Lencos de linho com barrinha a 20000 urna dnzia.
Camisas franceza?, de 240000 e 360000 a duzia.
Meias cras para honion, do 40000, 50000 e 60000 a duzia.
Ditas brancas cras e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para enancas.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de casemira de cor, d 60000 a 80000 um.
Cortea de fustao para collete, de 10000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglesas de franella, 12 pura, a 60000 urna.
Alm de outros artigos que doeamos de mencionar.
21-Ra do Crespo21
NAO SE DAO AMOSTRAS
VIGOR J3 Q&MLBD,
DE AYER
ob bHM ofenttfCas
wlosirm para o ni de
lar os cabellos, restaurar
a cftr, impedir aqueda, e promo-
ver *euivtyo e abtnHSrinte ereeei-
Betawporsda e elcetWnte prtparatao,
9e'Uvtda o ffleWbr xetodlo at-loje
(nfceeW eaeelladunt, merece ahMBis todas 8 peMMMM eue-tm tklo a irrfeHci-
tMOe'-ne fi^Mer em-pSTte-fcste Tnals rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sen eraprego intelligente tem-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em mnitos casos, porm nao
sempre, a proprla calvicie tem sido carada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para o pentea-
do das senhoras, >' o objecto mais til e
mals agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA.,
Lowell, Mass., Est.-TJn idos.
A' venda as lojas de armarinho e per-
fumarlas.
deposito Berai.
N. 13, Ra Primeiro de Marco,
Bio de Janeiro.
Aluga-se
o 3 andar do predio ra Baro da Victoria n.
60, com muitos bons commodos : a tratar do
mestno com Paulo Jos Alves & C.
ni wm
-DE-
Marray i Lanman.
0 MAIS EXQBESIT0
DOS
Perfumes do Trocador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior a Agua de Colc-.
nia pela delicadeza de sen
aroma e a durabilidade de
seu perfume
NO LEigo.
V,
Telegramma
i
Aluga-se
Serrara a vapor
Caes do Gapibaribe
Tem para vender diversas bataneas sendo urna
firopria para engenhos contraes ou estradas de
erro, por ser de grande forra do peso. Tcmdi
versas bombas grandes de diflerentes modelos -
Tudo se vende por precos commodos.
PEHE1RA If MAGALHAES
tiiuiihitnuiuuitii
ANEMIA
k.% VEKOADEIRA8

as

Recebedores directas dos mercados da Europa
iiquidam osseguintes artigos com descont de 14
vendas em grosso
Bramantes de aigodo superiores, a 800 rs. o metro, 4 larguras,
dem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 1(5500, metro.
Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 15100 e 15200 o dito.
Algod&o alvo, nacional, para lences a 50500 a peca.
Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardaa.
Maripozas de cores a 220 rs. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
Batistes idem a 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fichs de renda chics a 10000.
Colchas francesas de cores a 20000 e 40000, urna.
Lencoes de bramante a 10800, para cama de casal.
Casimiras de cores para rotrpa de crianea a 1A000 -e 10800, d'Agocal, duas
larguras.
Camisas inglezas e francezas a 260600 e 305000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 50600 e 60000-
Pannos de cores para mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rt. o dito.
Veludilhos de cores h pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setns de todas as eres a 900 rs. o dite.
Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias croas inglezas para homem a 20500 e 30000 a duzia.
Ceroulaa bordadas, de bramante, a 120000 e 160000 a diio
Cortes de casemira para calca a 40000 e 60000.
dem de meia casemira a 20000.
Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpudas para banho a 120000 a dita.
E mu tos artigos que se rao lembrados com apresenca de nossosleitores.
59-Ru Duque de Caxias59
LOJA DE
PEREIRA k MAGALHAES
ifiiiuWiinrriirnTitifrBBakw.
CHLOROSE
i
PILLAS DE VALLET
NAO 8O PRATEADAS
aaa* TiLLET impreeee o preto soere oada puna.
A maior parto dea medieot concord io con a Academia de medecina em ana,
meracam prafarwcia qae ae Ibaa di sobre os outros ferrn {[ nnwosL
xislem numeror i tmitace* das.
#angia
' i pc*Ja.
a aasinrAToaa
PILLLytM DE Vt.l.lT
s*y<> em cada exlremidade do fras-
00 um. *i/U impresto em qcatso cbks.
i
Paria.
rn Jacob,
Venda na-mador parte das pharroacias
in,iimin..m;.ii|i|iYm]B^niumm1:ii.i.tMit.l,||H1j
o z- andar do predio n. 36,
Olinda : a tratar no 1
Rosario n. 22.
ra Ma
andar da ra
rqui
lar
lez de
arga do
Aluguel barato
Ra do Rosario n. 39.
Visconde de Goyanna ns. 163 e 159.
Raixa Verde n. 1-C (Capunga).
Ra Visconde de {tapanca n. 43, armazem.
Ra das Creoulas ( apunga) n. 15-B.
A tratar ra do Commercio n. 5, 1 andar,
esenptorio de Silva GuimarSes & C.
AMA


OQ*5<>g0-*g (gesfamento, gosse, tgatarrho, fysica
XAROPE de HYPOPHOSPHITO de CAL
de GRIMALT & C"
Approrado pela Junts de Hygiene do Rio do J*n$in
Fazendo-se uso deste Xarope, calmao-se os accessos de tosseJ
[desapparecem os suores,nocturnos, goza-se de um somno re-
parador, desperta-se o appetite, e o doente, augmentando suas forcas,
apresenta o aspecto de quem gosa boa sade. Os mdicos recommen-
do que se tome ao mesmo tempo as Pastilhas peltoraes de
sueco de alfacee agua de lourocerejode GRIMAULTeC",
I que constituem os dois calmarjtes mais inoffensivos da materia medica.
O* frasco ovet; qu^ contera este Xarope, eSo da most bellm cor d
da /morid, e aala
Precisa-se de urna boa en-
gommadeira que faca outros
servidos, a tractar no 3. an-
dar, por cima da typographia
do eDiario na ra Duque
de Caxias n. 42.
Ama
Na ra vema de Sania Rita n. 89, precisa-se
de urna ama para Comprar, cosinhar e mais ser-
vicos de casa de pequea familia.
Ama
Precisa-6e de urna ama para cuidar de erian-
cas ; na ra da Aurora n. 81, 1- andar.

Ama
Na ra Matriz da Boa-Vista n. 26. 1- andar,
precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
casa de pequea familia, paga-se bem.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar : na ra
deS. Jorge n. 131, 2- andar.
Ama
Precisa-se de urna boa cosiaheira para casa
de pouca familia : na ra do Livramento n. 22,
segundo andar.
lev&o a marca
Deposito em Pars, 8, Ra Vivienne, e
allrm da, omaam aaaa.
bu principies Pbarmacias e Drogaras.
osramos
ANTIMONIO-
oDPAPILLAUD
constltum o Preparado ferrt&ffinoao
inaf* ffioaz mprgado pte summidades medcaa com icit* ha mai da
20 AI4NOS
i'*',r.'- Anrtiim, Vhlaroae {Pites coulaurt), irerrmlmHaa, AjfeeQtm ato reUe.
MLAToaiO PAVORAVCL POR PARTS DA ACADEMIA DE MEDICINA DE PAJUZ
Ctijj-se soore esdt frasco o nomt : K. Jlounnirr b L. I'apiUatid.
. uuttAi.:3?ns.ca.r-aMLa<5la. C3-IC5-01*r, 7, ruti Coq-Hron, PABIZ
P!ni Ptrnnmbwo : FRAH M. da S1XVA C
PUND1SA0 GfiRAL
ALLAN PATERSON & C
N. 44Ra do BrumN. 44
JUNTO A'STA(!0 DOS B0ND8
Tem para vender, por precos mdicos, as seguinfes ferragens :
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Crivacos de diversos tamanhos.
Bodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular.
Gradeamento para jardim.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos .modelos.
Portas de fornalha.
Vapores de for9a de 3, 5, e 6 cavallos.
Moendas de 10 a 40 pol'egadaf de paadora.
Bodas d'agua, systcma Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentamento de maehiniamo e executam qual
^a; a-balho com perfeic2o e presteza.
AO N. 20
(JUNTO AO LOUVRE
Gazes de cores a 500 rs.' o covado.
VetasUStfOt m*rt 9tr*J 4o Hjgltao Importe i
M>6rem do Kt>Untago, l>nop*pU*'
Anemia, Wbrm, ato.
Inul
a
Fustlto branco a 360 e rs. o covado.
Brins de cores a 280 rs. o covado.
Baleias pro tas a 260 a rs. a duzia.
Colchas de cSres a 2)5 e 3(JO0O urna.
Cumbraias bordadas a 4000 a peca.
Luvas de seda a 20 e 2#500 o par.
Lencas brancos a 1(J200 e 10800 a duaia.
Cretones de Alsace a 360 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 10200 o metro.
Brim pardo a 280 rs. o covado.
Linhos de qnadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Espartilhos couraca a 50000 um.
Chales adam aseados a 20500 um.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Merino do c3f%s, a -">00 rs. o covado.
Cerouhi de bramante a 140 a duzia.
Madapolao ameriano a t; 000 a peca.
Chachemiras lisas e listra de combinares
a 10200 o covado.
Cambraia Victoria a 20900 a peja.
Bramante de linho a 10700 o metro.
Toalhas para banho a 10500 urna.
Tapetes grandes a 130000 um.
Ceroulas (le linho a 340000 a duzia.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Leqiies tran.-parentes a 20500 um.
Alpacas de quadro a 600 rs. o covado.
as brancas para merinos.
Sahidas de baile a 10000 urna.
Cretones !* crea a i'40 rs. o covado.
Percales ti> as a 200 rs. o covado
Naasok edreaj txas a 240 o dito.
Las escossezas a 260 rs. o dito.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
Popelina branca a 800 e 10000 o covado.
Bicos matisados a 20500 e 30000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Begatas de cores a 10000 urna.
Sargelim de cores a 200 r o covado.
Crenolina, preta e branca, a 400 rs.
Chambres, de crep a 50(00, e 60000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. o covado.
Guarnico de crochet Cora matizes.
Grinaldas para noivas.
Setim de cores a 800 n. o covado.
Cachemiras de duas larguras a 800 rs.
Cortes de linn em cartSo a 100 e 120000.
Camisas allemaes a 360000 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
Lin'.o de c6res a 500 rs. o dito.
Lnhus de quadros a M rs. o djto
Bramante trancados i 30000 o inetro.
Meias para honiens i 30600 a duzia.
Guarnifao de croch'., brancas.
Extracto Port Vejao a. 10400
Alpacas inscladas a 6Q rs. o covado.
Entretella para camisas a 800 rs.
i
Ama
Precisase de urna boa cosinheira ; na roa da
Aurora n. 85. mercearia.
Na roa da Saudade n 1, precisa se de urna
cosinheira para casa de pequea familia.
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar, na ra
do Rangel n. 9 ; padaria.
Amas
Na ra da Palma n. 4'\ precisa-se de duas
amas, sendo urna para cosinhar e comprar, e
outra para cuidar de urna crianza.
Ama de leite
Precisa se de urna ama de leite e de um ven-
dedor de plantas menino ou velho ; a tratar na
roa Barao da Victoria n. 54, na nova agencia de
movis. \
Cosinheira
Precisa-se de urna, que saiba cosinhar e nao
saia a ra, para casa de familia : a tratar na ra
do Cabug n. 14, de mo dia at 2 horas.
'Cosinheira
Precisa-se de urna de boa conducta, para casa
de .familia a tftetar roa do Barao da Victoria
n. i6. _________|____
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, cou
pratica de U anno-.i de profisso, apresenlandt
diversos attestados ilenom methodo e comporta
ment, orTerece-.e para fectioar etn casaa p,
PARA A QPARESMA
Merino preto de 800 at 10800 o covado. ticulares, na eidd ou cm seos arr.ibaldes as se
Setins pretos de 10000 at 10400 o dito, S^?1" aU'rins : E5l*?S?'Ifran'*f' llaianc'
GeOjrrUDbid ,,jnn li^lK-illirti; Aa aunlha Ittn '.
Crep inglez (de seda) a 20000 o dito.
Fichs pretos a 20500 e 30000 um.
LuVas pretas a 20500 e 30000 o par
'Cheviots pretos a 30000 o covado.
Casimira preta a 20000 o dito.
Benda hespanhola a 30000.
Bicos pretos, todos os presos.
Begatas- pretas a 10500 urna.
iano, trabalbos de agulha, etc.; ;
tratar roa Visconde de Goyaena n. 69 ou en
casa do Regulauor da'Marmita---roa larga dr
Rosario n. 9.
ejam e admirem
So o 55 ra Duque de, Caxias pode
ven4er pelos precos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padroes, a
200 rs. o covado.
Fustes brancos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. o
covado. E' barato!
Casacos e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padr3es lindos e precos
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura a
60 a peca.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o covado;
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs.
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 20800 a pe9a.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 re.
co-vado.
Guardanapos bons a 10800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs.
covado.
Bendas hespanholas a 20 o metro.
Luvas de seda a 20 e 30 o par.
Espartilhos couraca a 40, 50 e 60 um.
Merinos pretos e de cores, urna varie-
dade immensa em preces e qualidades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o ce-
vado.
Toalhas felpudas,, grande reduc9ao em
preos em vista da grande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco prego, 100000.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem collarinho.
Atoalhado para mesa a 10 e 10800
muito fino.
Collarinhos e punhos de linho e algodSo
e por prego barato.
Babados e entremeios, grande sorti-
mento. t
Madapolao pelle de ovo por 60 a peca.
Esguiao pawdf> e-chumbado a 400 rs.
covado. m
Urna grando variead-erhllgoav
Gravatas e meias para homens."
Cretones para coberta o que ha de maia
barato e bom.
Mantilhas de renda a 5<5 urna.
Lequea de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs.
covado, muito bonito. t
Chitas scuras e claras a 240, 280 e
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 rs. Sr
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que hade mais bonito, A
400 e 500 re. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por precos
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 10600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 re.
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E barato.
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gosto e por pre$o razoavel a 80000
pega.
Dita com salpicos a 40 e 50000 a peca
Colchas argentinas a 60000 urna.
Ditas de 20, 30, 40 e 50000
Bramantes de algodo e linho de todoaj
os pregos. >.
Grande sortimento em fichs de corea
e pretos.
Grinaldas para uoivas.
Luvas e Jeques para noivas.
Bicos de cores milito chic.
Alm do que acabamos de annunciar,
temos urna quantidade de artigos que se
vendo-se, se acredita, pelo que pedem qae
comparecam.
Dao se amostras sem penhor.
Setinetas lisas de'todas as cpreV a 409
raS-q covado. Sao mu.i.to largas.
Boirna feita e.por medida.
55 BtM DfjQUE DE CAXIAS -if
SDEAIEVEDiC
Para medico ou advosado
Alua-se a sala da f-rnte com gabinete**- la-
do forrada com papel e esteira, mal Ae
Marro n 20 (antiya do Crespo): a trata* a*

Na ra Primeiro de Marco n. 20
< ANA DE CO\I'IA!\;\t
AMARAL
ee i,oc ir.
rjp LAROCHE. j-harmaonUco X PeJMfl.
O Qlliaa-Larocka nio i um qumlqur preparado, port o
mmmsfsWsmtsW OUUf Ot m*u aUmi rsampsnsas ioEaio. O
:r.z
.E. NICI
resultado dt Ir'.
Miaao /fe*""*!
*0P!
Pharmaceuticoem Pars
* ty
0 acido Phenlco o principio activo dos alcatroes expurgados de todo quanto
torna desa^radaral a aua abaoipcao. e ae digere com ditliculdade.
8ob a forma de xarope, um especifico emcaa contra aa Doencas do peito,
Bronobites, Asmas. Ronqulddea. Tosa. Coqueluche e Qrippe. Produs os
mslorss resuiiaaoa para as presaoas obngattas a tallar muito.
HrslITfS: em todas ats principes* Pbarmeoies do Brasil e de Portugal
Perdidos
Umapessoa que conduzia dous embrulhos, um j "?'l
cuntcnilo roupas, e o outro couteodo urna chapa J
e aoiumrnlos quesointeressam lodono, deixou, Pocnrioiro
, ditos embrulhos em urna loia. que nao saJieonde) V0llineira
foi. Pede a quem achou ditos embrulhos que) Precisase do urna ama para cosinhar
osentregue no largo da Penha n[10, (trema. da Aurora u. 81, I- andar.
Capsulas de Quinina de Felletier
Hoje nSo ha quem Rnore que felletier o fientor da Quintoa e que a sea
marca de fabrica foi adoptada por todos os mdicos, por ser inteirame
contra as Enxaquecas, a> Nevralgias, os Accessos de febre i
Febres intermitientes e paludosas, a Gota e Rheumatismo, e'os Suoea,
nocturnos. Cada capsula, da grossura de urna ervilha, conten 10 ce'nti- /*~\
grammas de sulfato, e nella l-se PELLETIER. Estas capsulas tem accao (nuraod
mais prompta e mais segura do que as pilulas e confakos, e engolem-se V-
mais fcilmente do que as hostias.
'Vendem-se em fraseos de 10, 20, 30, 100, TOO, 500 e lOOO capsula. E'
mais poderoso que se conliece. Urna caosula somente representa am e
copo de viuho de quisa.
Depolito sn PARS, 8, rae Vfrienne, s nai principaes Pharmaclas e Drogaras.
r
]





fiario de Pernambuco
mm
4b publico eao corpo com-
mercial
iguado decan ao publico r ao
po cotnniercial d'esta praca, qe vendiu ;w>
Res & C. o seu estabclccimcnto de Euen
e camisaria, sito ama Visconde de Inhaunia
n. 33 e denominado-Caminara Am-ii-
rana
Sendo dito estabeleciincnto vendido. i
desembarazado de qualquer onus.
Recife. 13 de Mano de 1889.
A! raro Jos Perda.
ATKiNSON
PERFUMARA INGliZA
Sscode todas ai otftrns pelo ara
perfume exquisito.
Afamad*
A60A de COLORA de ATKIMSOR
tneompanTcl pe'.o ae* parime e
enticen tnK-flo. Fxcedc todo? o pro-
ttnctos ? tallares rendidos aob o codio
same.
tmcanUa-m tm Cat ie todos os Riio-
e*Pn fet t Fatrtctttta
4. E. ATKINSON
24, Od Bond Street. Londres
Xarc d( Fabr.c* nia" R" ab-ooa"
obi iiim Lyra de OaroV1
ownnaiuso? n* totalilada.
Boa acquisif;o
Aluga-se a loja do caes 22 de Novembro n. 58,
multo propria para qualquer genero de negocio ;
a tratar no Louvre roa i de Marco n. 20.
NENHUMA
Pasta poitoral tem adquirid I .roa mal-.- mr-wM
do quo :i da PASTA de NAF de DELANORE-
NIER. ra VIvienne. 53, Paria.
. .4 sua coffa todooe$ot e bftseoda i
1 Na sna poderosa efjlcucla oontrs os ELeu-
mas (Oonstip.i?Ccs). BWMlitti*, ZrrtafOaa do prito t de
pargafila; efftcacia (ta, Tt-'Scada por 10 nal
iloiplni di I'arU.
:'" Ha sna IHperloridadr incontrst'1 rl
r*-*ouhcci Purfa.
Xas analtm de ellilM eon dr. Taculdade 6> Pars
qu Teric.rio qtic n.v eoaUaba opio ncm mmrs dr
opio, tw-i oomo Morphlr.it < Coodlu, naafl
cujas ht
Criado
TAES
rtalo nrrthtnll utqne rr:vr.i;r]e
PASTA e o XAKOPE h NAFE con-
auv* *w Heuic *. e estai titoam uio frfto co
a pe toral aJs*um. rn r antigo, aja F rcente.
TEde-sc s pnseipiie* Pbirmaciis do luda in'.eir.
Ama
Precisa-se de urna que nao seja muito moca,
para cosinhar, a tratar na roa Imperial n. 133,
sobrado.
if^M!
151

,**
dt e<.iiW jlt 5 c\ Uva mSm
(Clicas, Diarrha, Dymiaria)
Esta prcpanKjlo conim o irttb-nitrato
de bisniuilio *-iu forma de pas;a e exiro-
mamente dividido, be mistura ootu ai: i-a
ella forma um verdadeiro ieite inspido,
jue com assucar, ou sem assucar. as
cranlas, tito bem como os adultos,tomiio
eom pruzer. fc' um remedio poderoso
contra as clicas, as diarras, a dy-
senteria do j paizes qu entes, as dores
d'estomaqo,asgastrites gastralgias
.; ulcerr.ro -s do intestino. Suancefio
maravillosa para combater a diarrha
precursora do Cholera.
Cada frasco acompanhado de urna
colher de osso. que a medida exacta
para a sua applicacao. A dose de duas,
quatro at seis colheres para os adultos
para as creancas, ella de. meia colher.
EtA.JVa.rUS, 8, Roa Vivienne.
Tvpo^apfia e Lithagraphia
FABRICA DE LIVROS DE ESCRDPTU-
RAJaO
Premida as exposife de
Manoel J. de Miranda
Eacadernafao 8 especialidades em cartees de
visitas.
39Ra Duque de Cui.s-39
Telephonen. 194.

folptii
SEM MAI
POR
paulo vmmm
SB&&HB& F\R7
D
- -?."
Precisase de um criado r na ra Ba-
rao da Victoria n. 54 : na nova agencia de mo-
TIIO E ZAROPE n QUIMA e FERRO
M) MIIAULT O-, M Parla
aa/l imt H Hjglt */o-dtVi/i/i
nM proprledadea inicas e repa-
, _Biea preparado produiem os me-
ihorw iMultadoa quando em pregados contra
4 !, a ah ora, a laooorr he a, as daaor-
towm 4m aaanafi iiajgln, as oalmbraa do aato-
OooaecuUTU a eacaa eufermldadeB. o
eoottas moiesUaaproTen lentes
da jTatrna 4a aanoaa. Excitando o appetlte.
eatfnmtormo o ocfanlamo. e reconatltalndo os
ocaoa e o aansue, o vimho a xabope da
OUIKA a FERRO da BIMAOT.T a C*. ieien-
ooloem rtmttamtnU u oraancaa debis eas
moca paludas e anmicas, corleo os UMlros
aeeum t ribrt. .uofrtwum mor oarmio*
* m t*$ru nocturno*. Sao da malor efflcacU
na mantea rtt*UUt. taflflltso marcha da
eonoaietctnctu t/tetU t nultnU motiUt.
mu pjaum, muA. vixrimivifjs.
Casa para alujar
O 3 andar da ra larga do Rosario n. 37, de-
fronte da igreja a tratar na loja de cabellei-
reiro.
Caixeiro
Precifa-se de ura caixeiro que tenha alguma
pratica de molhados ; na roa de Santa Thereza
numero 30. ____
A o coH.fttercio
Os abaixo assignados declaram ao eommercio
que nesta data dissolveram migavelmente a so
ciedade que tinbara nos estabelecimentos sitos a
ru;i de Pe dro AfJbnso ns. 80 e 82, e casa filial
na mesma roa n. 1, sob a firma social de Silva
4 Santos ; retirando-se o socio Jos Pereira da
Silva pago e satisfeito de seu capital e lucros,
ficando o socio Manoel S ira .lo dos Santos e ilva
responsavel pelo activo e passivo da referida
firma
Recife, 6 de Marro de l*-'89.
Manoel Simio dos Santos e Silva.
Jos Pereira da Silva.
VENDAS
= Vende-se a taverna bem freguezada da
ra da Imperatriz n. 55.
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gnezes em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da continuacao do cambio favoravel.
Convem que experimentem.
48 RA DO BARAO DA VICTORIA 48
Fabrica de fiagao e tecidos
de Pernambuco
Vende-se cem acj6es desta companbia. de
100*0' 0 eda urna, estando todo o valor realisa-
do desde o dia 16 de Janeiro passado ; a tratar
na ra do Commercio n. 46.________________
Vende-se
barato um carro de quatro rodas, em bom esta-
do ; quera pretender dirija se roa do Hospicio
numero 6.
Mercearia
Vende-se urna mprcearia das melhores nos
arrabaldes da Boa-Vista ; paia informacoes, na
roa do Socego n. 33, taverna.
O conquistador
Ra Visconde de Inhautna o. 24
(Antiga Rangel)
Jcse Teixeira .. participan) aos seus fre
guezes e"amig08, que, tendoaberto o estabeleci-
raento com o titulo cima avabam de juntar a elle
urna oQicinade camisaria. visto ucharem-se com-
petentemente habilitados.
Portanto, pedem a frequencia dos seus amigos
e f-eguezes, em geral, ao poblico, nao s para o
variado sortiraeato de fazeadas a retalho, romo,
camisas de todas as qualidades, seroulas, puohos
e coltarinbos, sendo especial o fabrico das en-
com meadas.
Presos sem competencia
I
INNOCENTE O CULPADO
(Continuacao do n. 58)
capitulo in
A pri*Bo
Emqnanto o Sr. de Sauves tomava-a jm
presaas e paga va, o agente compro u i^ri-
jaro'e 0 Petit-Journal vendedorar que
costuma offerecel os aos passageios que
se conservam nos wagoB3. _m
O trem parti.
O Sr. de Sauves tornou sua postura,
encostado ao fundo do carro, com oe olhoB
fechados, o rosto impassivel.
S urna ruga profunda, cavada entre as
sobrancelhas, dizia, com ligeiro arfar das
narinas, quaos eram a sua preoecupacao e
a ana-angustia.
O homem da polica desdobrou o Fga-
ro, percorreu-o rpidamente, parando so-
bretodo na columna dos Fado diversos, o
passon-o aberto no banco, ao sen lado.
Abri igualmente o PetU. Journal, mas
entao a sua attencSo foi mais fbrtemente
attrahida, e elle leu mais demoradamentc,
mais attentaraeote.
De quando em quando erguia aa olhos
fera Pedro e olhava para elle attentamen-
te, como as cousas ignoradas Ihe tivessem
ido de repente reveladas a respeito do cn-
geDheiro.
Este, com as palpebras cerradas, nao
vto o manejo do agente e nao moveu-se s-
nao quando chegarara a Pars.
O trem entrn finalmente na estacSo, a
machina, depois de ter assobiado demora-
damente, parou, os viajantes apearam-se,
entro em pouco o rr. de Sauves e o
Jue o acompanhava, tomando um fiacre,
rgio-se para a prefeitura de polica.
O gabinete do chefe da seguranea acha-
va-se anda naquelle tc.npo no velho edi
ficio que enfrentava com o caes do Re-
logio.
Fui, pois, diante dos velhos torreSes pon-
teagudos que o fiacre parou.
Os dous viajantes subirara, c emquanto
Pedro de Sauves sentava-se n'uma espe-
cie de ante-camara srdida, onde agentes
trajados burgueza aguardavam as ordens
do chefe, o individuo que o havia trazi-
do de Calais entrava no gabinete do Sr.
Marais.
Este, que lia muito attentamente um re-
latorio, ergueu acabeca.
Oh f Moreau, disse elle, j de volta ?
E' verdade, Sr. chele.
E foi bem succedido ?
Quanto ao negocio de Saint-Denis,
nao ; nlo ha ainda indicio algum. Patay
e Solivard estao l espera e acham-se
alerta.
Bem, e o Sr. de Sauves?
Eef aqu.
ff)z outro lado?
-M- Sim, senhor.
^- Como fei feita a prisaoV
Cousa muito simples. Esperei o
expresso de Lille, que o senhor me havia
aasignalado, e reconheci logo o Sr. de
Sauves, a quera j tinha visto em ariz.
Agarrei-o entao no momento opportuno ?
Que impresslo produzicr-lhe elle?
A de um individuo horrivelmente pre-
oceupado o muito fra do natural.
Ora, falle, Moreau, voc sabe que eu
tenho a maior confianca na sua perspica-
cia.
O Sr. de Sauves foi almocar n'um
restaurant do caes antes de embarcar; mo
pode engulir cousa alguma. Olhava em
torno de si como um homem inquieto. Nb
outros conhecemos esses olhares. Sao os
dos individuos que tm medo de ser en-
galfinhados; urna cousa instinctiva, que
n5o podem evitar, por mais fortes que se-
jam. Pagou o almoco, que nao tinha co-
mido, e, ou porque as suas inquietacSes
se tornassem mais fortes, ou porque o seu
olhar encontrarse o meu e farejasse em
mim alguma cousa de suapeito, levantou-
se de repente, como um buco e sahio, e8-
quecendo-ae de guardar o troco.
Ah!... E voc prendeu-o entao ?
Nao mrnediatamonte. O vapor acha-
va-se ancorado a dous pasaos. Deixei-o
installar-se na tolda, e dopois ped-Ihe que
me acompanhasse.
E elle fel o 8dm resistencia?
Oawaprehendcu logo que, para um
Novidades
Receberaai Modas de Pars
AZEVEDO, IRMaO & C.
16 Ra do B. da Victoria 16
(Antiga Nova)
Lindas capas de surah, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de saia a 10000 e 10500.
Sargelim fino todas as cores a 200 o co-
vado.
Baleiascom forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 palmos
10500.
D to de algodao com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 50000 e 60000.
Ditos de crochet finos a 80000 e 100000
Estrado Rita Sangal a 20000.
Fichus de 13 e seda 10000, 10500.
Capellas com veo bordado a 60000 e
70000.
Madapolao globo a 70000.
Dito eamiseiro a 70000.
Tapetes grandes para sof a 130000.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 20000 e
80000.
Guardanapos de linho a 20500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setm maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Madapolao com um metro de largura
a 60500.
Cachemira arrendada e de quadros
10500.
Crochet para cortinados a 700. .
Toalhas felpudas a 30000 a duzia.
Camisas finas para homem a 330000.
* Colxas de crochet com Adres a 50000 e
90000.
Lindas velbutinasde quadros lisos ecoiu
listas propinas para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas propinas para presente.
Palitos de palha seda cores a 90000.
Vano verde para buhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
Guarnieses pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 40000.
Cachemiras de quadros a 280.
Fus&o branco a360 o covado.
Esguio fino a 10500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE200
O desengao ir ver
18SF
Milho 340 rs. a cuia
Vndese no Largo do Mercado n. 11.
Assucar
Usina Pinto
Santa Filonila
Colonia Isabel
Na retinato Salgneiral. roa Mareilo Das
numero 22.
Assucar refinado
especial, o memor que se fabrica nesta cidade.
J0AQM SALGEIRAL & C
Ra Marcilio Dias n. 22
Trlrphom- numero 11."i
Terreno
Bom para ooudelaria roa Mrquez do Her-
val 80 e 82 ; para ver, na casa ao pe, e tratar
na roa Marquex de Olinda n. 25. Tem coebeira.
individuo da sua especie, o escndalo era
a peior das cousas. Foi ae posto commi-
go, e l expliquei-lhe o negocio.
Elle indigneu-se?
Nao muito, mas ficou extremamente
paludo e profundamente agitado.
laso nb quer dizer nada. Quanto
mais culpado um homem, mais gesticula,
mais grita e indigna-Be.
Conforme. Algns ha que tm bom
estomago. E o Sr. de Sauves parece-me
ser um desses.
E durante a viagem?
Tudo quanto pode haver de mais
correcto, de mais impassivel. Recostado
no fundo do wogon, pareca dormir. Nao
abri os olhos, nao disse palavra. S em
Amiens fiz com que elle tomasse urna so-
pa.
E chegada ?
Nada, nem um msculo do rosto con -
trahio-se-lhe.
; Mande-o entrar. Mas espere por elle.
O Sr. de Courneuve quer vel-o ; deve de-
morar-se no seu gabinete at onze ho-
ras, e nSo me perdoaria o facto de ouvir
o seu aecusado antes delle. Voc condu-
zil-o-ha presenca do juiz de instruccSo,
logo que eu o haja simplesmente visto.
Emquanto Moreau desapparecia pela
grande porta verde acolchoada, o Sr. Ma-
rais levantava o abat-jour do seu lampiao
de trabalho e diriga hbilmente a luz pa-
ra* o sitio em que devia parar o Sr. de Sau-
ves, ao passo que o rosto delle chefe
se conservara mergulhado em espessa som-
bra.
A principio, effectivamente, Pedro, ao
entrar na sala, que um papel verde-carre-
gado tornara muito escura, nao vio senao
o raio luminoso que, partindo da secreta-
ria, ia at porta.
Ojuiz'de instruccao espera-o, se-
nhor, diese o Sr. Marais ao cabo de al-
guns segundos de profundo silencio, se-
gundos que o chefe empregara a encarar,
ou antes, a escrutar a physionomia do en-
genheiro.
* Este, que se julgara s, estremeceu dos
ps cabeca.
Voltou-se para o lado de onde parta a
vos.
Que juiz de instruccSo ? pergunteu
elle um pouco altivo e imperioso. Quer
ter finalmente a bondade de explicar-me,
senhor, o que querem de mim e o que sig
nifica esse singular procedimento para com-
migo?
O juiz lh'o dir. NSo me cumpre
fazel-o.
E' exquisito, na verdade. Prendem-me
como um malfeiior, arrancam-me aos meus
33XO
Que se possa vender por estes
p r e e o s
13
RLA VIS- ONDE DE IXHAMA
Cambraiss brencas a 360 r? a iara.
Dita com'salpicos a 500 rs. a d;ta.
Popelinas com listras a2(0 rs. o coi
Las de quadros a 160 rs. o dito
Ditas chinezas a 200 rs. o dito.
Zcfiros muito largos a 160 rs. o dito
Setinetas lisas a 360 rs. o dito.
Setira preto muito bom a 14200 o dito.
Velbutinas a 700 rs. o dito.
Merino preto d larguras) a 800 rs. o dito
Sargelins todas as cores a 2'O rs. o dito.
Chitas escuras e clara.- a 2 O rs. o dito.
Cretones para camisas a 240 rs. o dito.
Brim.de cor (linho) a 500 rs. o dito.
Dito branco de linho, n. 6 a 1*500 o dito.
Vestidos em carto a 9*000.
Toalhas felpudas para banho a 1*000.
Dita dita de rosto a 360 rs.
Camisas de flanella a 2*000.
Dita de meia a 1*000.
Ceroulas de linho a 1*400
Camisas francezas a 2*000.
Colehas de cores a 1*800.
Fichus de retroz a 1*000*
Ditos grandes a 2*000.
Chales de quadros a 8*000.
Meias de cores, arrendadas a 703 rs.
Ditas brancas a 300 rs.
Collarinhos de linhos a 300 rs.
Madapolao muifo largo a 4*000 a peca.
Meias-casimiras de cor e pretas, com duas lar-
guras a 1* o covado.
Grande sortimento de casimiras inglezas, cortes
de /BtCes para colletes, crte= de casimira
para caifa de 6*. 85 e 10*.
Mandamos fuzer qualqupr obra em nossa offleina
por precos que outros nao podem fazer.
Venham ver para crer
Gonijalves Santos &C-
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores propinas
Sara os amadores do Prado e est venden-
o por precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhoe
de borracha de formatos novos.
48BCA BARAO DA V1CTOUIA 48
Para a qnaresma
ALTA N'OVIDADE em surabs failles, setn
raerveilleux. ottomanes e sedas pretas de Lyon,
rendas e bicos, escomido sortimento em palmas,
guarnictes o pellermes de vidrilho preto ; na
roa Bario da Victoria n. 15, sobrado.
Atteller madanic Fanny %ll\n
MODISTA E COSTUREIRA
Telephone n. 93
Grande reduccao em precos
NA
Loja do Triumpho
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 49
Merinos de cores, 1 largura, a 200 rs. o covado.
J)ito, idem, 2 ditas, a 500 rs.
Dito, idem lavrados 2 ditas, 700 rs. o dito.
Etamine de listas arrendadas, 400 rs. o dito.
Cretones finos claros, 240 rs. o dito.
Linn estampado, padroes novos, 320 rs.
dito.
Las de quadros finas, 240 rs. o dito.
Ditas mescladas finas, 300 rs. o dito.
Zefir de quadros largos, 240 rs, o dito.
Saias bordadas finas, 3*000.
Camisas bordadas para sehora, 4*.
Bicos cortes de cretone com figurinos, 8*.
Toalhas acolxoadas grandes, 4*500 a duzia.
Guardanapos muito bons, 1*500 a dita.
Madapolao fino largo. 24 jardas por 6*400.
Algodao largo. 10 metros, 2*500 a peca.
Dito dem 20 jardas. 4* a dita.
Dito idem superior 20 ditas, 5*200 a dita.
Bramante 4 larguras para lene oes, 700 rs. a
vara.
Camisas de linho sem colarinho sem punho,
a 3*000.
Cortes de casimira ingleza, a 4* e 4*500.
Let:cos le esguio finos, a 2*500 a duzia.
Esguio branco para saias e casacos, 3*500 a
Cambraia bordada, 4*500 apeca.
Merinos pretos tinos, 800, 900 rs 1*, 1*200 e
1*40'o covado.
Sedas e setins pretos, grande variedade de
precos.
Bastos & C.
negocios, snspeitam-me, a mim, um ho-
mem de bem, e nao me dizem cousa al-
guma!. .. Senhor, isto odioso. E a lei
franceza deve prevenir semelhantes atten-
tados contra a honra e a liberdade dos
cidadSos!... Parece realmente que es-
tamos ainda no tempo das bastilhas, do
despotismo! ..
O Sr. Marais tinha ouvido Pedro sem
interrompel-o.
Aquella colera indignada, profunda e
verdadeira, nao desagradava-lhe, a elle que
arredilara na perfeita honorabilidade da-
quelle aquem aecusavam.
Tenha paciencia, senhor, disse-lhe
elle; ha de saber de tudo quanto Ihe ex-
probram. Mas cada um no seu papel.
EntSo, senhor, mande-me conduzir
o mais depressa possivel presenca desse
juiz. NSo poderci supportar por muito
tempo a horrivel situacSo que me crea-
ram.
O chefe da seguranea tocou um tympa-
no, e apparecendo o agente :
I onduza o senhor presenca do Sr.
de Courneuve, ordenou elle.
O Sr. Marais sabia* agora o que queria
saber.
Vira a physionomia de Pedro.
Ouvira as suas patarras.
O seu olhar, a sua colera, a sua atti-
tude, tudo na pesaos do engenheiro era
correcto, verdadeiro, sent de temor eu
de fanfarrice.
O Sr. Sauves era um homem de bem,
de consciencia tranquilla, e nSo suspeita-
ra sequer da accusacSo que pesava sobre
eUe.
Oxal o tal juiz nao teime em negar
a verdade e nSo o queira culpado a todo
o transe, murmurou o chefe, emquanto Mo-
reau conduzia o Sr. de Sauves.
CAPITULO IV
Faiali4avde>s
O Sr. de Courneuve, apaixonado como
nunca se mostrara por processo algum
havia declarado ao Sr. Marais que inter-
rogara o Sr.' de Sauves logo que elle
caegasse.
Aquelle caso, mysterioso por muitos la-
dos ; o cadver daquellc homem encontra-
do no fundo do tanque; o desespero da
sua joven viuva, que era mai havia pou-
cos das ; o enterro, que devia effiectuar-se
no dia seguinte, logo que toase feita a con-
frontacSo com o criminoso; tudo isso emo-
cionara Pariz no mais elevado grao.
Os jornaes nao tratavam de outra cou-
sa.
Continuara as pichinchas
A' ra Duque de Callas n. 48
N'este mui acreditado e*tabelecimento
de fazendas finas, continan) a offerecer as
mesmas vantagens, vendendo por menos
30 0 do que em outra qualquer casa.
Como sejam as seguintes fazendas :
Cambraia com lpicos brancos e de cores,
muito fina com 10 jardas, a 40 a peca.
Cortes de meia-easeoiira, cores fixas, a
20000 um.
Cortes de casemiras, finos, padroes moder-
nos, a 40, 50000, 60000 e 70000 um.
Cortes para vestidos em cartao. todos os
ariamentos (novidade), a 70, 95, 100 e
120000 um.
Pannos de crochet para cadeira a 10000 e
para sof a 20000 um.
Capellas com veos para neiras a 80000
urna; peehincha.
Setineta branca lisas e lavradas a 440 rs.
o covado.
Setineta preta lisas e lavradas a 440 rs. o
dito.
Mantilhas pi-etas de seda a 50 e 70 urna.
Cobertas de ganga para cama de casal a
20^00 urna.
Colchas brancas e de cores a 20, 30, 40,
50, 60 c 70000 um.
Cambraia preta para forro a 10200 a peca.
Cambraia preta, nansuck a 160 rs. o co-
vado.
AlgodSosinbo muito largo a 30500 e 40000
a peca.
Madapolao especial com 24 jardas a 50000
e 60000 a peca.
E8guiSo para casacos a 30200 a peca;
aproveitem.
Brim hollanda para vestidos ou guarda-
ps a 400 rs. o covado.
Las modernas de listas e quadros a 200,
240 e 280 rs. o corado.
Fechs de retroz com palmas de cores e
pretos a 10000 um.
Fichus de la, todas as cores, a 10500,
20000 e 30000 um.
Seda Alcacianna, padroes escolhidos (phan-
tasia) a 240 rs. o covado.
Espartilhos de couraja, finos a 30, 40500
e 50000 um.
Merinos pretos finos a 700, 800 10000,
10200 e 10500 o covado.
Camisas francezes, puro linho de 600000
a duzia por 480000.
Toalhas acolchoadas a 120 e 200 rs. urna
(s se vendo).
H na loja da Kcrolueo
DE
HENRIQUE DA SDLVA MOREIRA
Mais Barato
j:
WIISK?
Boyal Blend marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma
zens de molhados.
Pede Roy al Blend marca Vlado
cujo nome e emblema sSo registrados pan-
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Pao centeio
Mille & Biset, arieam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
oorosojpo ; roa larga do Rosario n. 40. _____
Vende-se a armac,ao que
foi da loja Florida propria
para loja de ferragens, miu-
dezas, tabacaria ou venda,
quem a pretender dirija-se a
ra Duque de Gaxias n. 103
Batanea
Vende-se urna balanza em bom estado, com
columna e braco, do afamado fabricante Romo;
na roa larga do Rosario n. 27.
Uns aecusavam abertamente Pedro co-
mo assassino do seu cunhado, outros de-
fendiam-no, davam todos noticias mais ou
menos falsas, mas que excitaram extraor-
dinariamente o interesse e a curiosidade.
Em tal situacSo, como nSo seria honro-
so para o Sr. de 'ourneuve um processo
hbilmente dirigido, urna instruccSo com-
pleta, no fim da qual, esmagado por irre
hitareis deduegoes, o aecusado confessasse
o seu crime?
J os jornaes da tarde tinham fallado
na prisSo do Sr. de Sauves em Calais, a
bordo do propino vapor que ia transpor-
tal-e para a Inglaterra.
J choriam os elogios dirigidos quelle
juiz previdente e enrgico, que nSo se pre-
oceupara com bagatellas e dera as provi-
dencias para que fosse preso o aecusado
antes da sua fuga.
Finalmente, senhor, disse Pedro ao
entrar, me dir o que querem de mim ?
Como fiserao Sr. Marais, o magistrado
encarara Pedro.
Mas nSo o conhecia.
Via-o pela primeira vez, e aquella phy-
siomia impregnada de colera,-com os olhos
indignados, com as feioes endurecidas
pela rerolta, nSo Ihe causou impressSo fa-
voravel primeira vista.
Os seus cabellos pretos, ligeiramente
Erizado cima da testa, que attrahiram
particular ente a attencSo do juiz.
Evidentemente eram os meamos que
aquelles que tinham sido encontrados na
mSo de Jorge Chaniers.
Sobre esse ponto nao havia duvida pos-
sivel.
Queira, senhor, replicou elle pesan-
do as palavras. fallar mais baixo, c nao cb-
quecere de que se acha na presenta de
um magistrado. Estas violencias aggra-
vam muita3 vezes ae situa$5es, em vez de
melhoral-as.
Aggravar a minha situacSo!... re-
Eetio Pedro exasperado e fazendo sobre-
umano esforjo para conter-se. Mas bSo
comprehendo absolutamente o. que o se-
nhor quer dizer.
Vou explicar-me. ncontrou-se o
Sr. Chaniers.
Pedro esqueceu tudo e soltou um grito
de alegra :
--Finalmente! exclamoa elle. AL r
meu Deus! Por que oceultaram-me isso
por tanto tempo ? E' urna crueldade!
Querida Adelia!...
Elle pensava effectivamente na irma,
nao cuidando em mais.couBa alguma scnSo
com a lembrancu de qne ella nao era mais
desgranada, de que as suas angustias- c as
A Loja das Listras Azaes
A' RA DUQUE DE CAXIAS K. ?>>
Telephone n. 211
Aa fazendas vendidas nesta casa sao de boa qua
lidade, c nSo levam:medida escassi.
aceitase a fazenda vendida se, per
qualquer motivo nao fr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprada:
Base descont a quem comprar de ti*
- para cima.
ESPECIALIDADES
Hrhn de listras azues pecas case
20 varas a 0000.
lladapolo com um metro de luja
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordadoe k
cartao a 100000.
Velludilho bordado a contas a
o covado.
Caehenilras pretas, de quadros.
arrendadas a 20 e 20500.
Teeldos fantazia arrendado prcfrr
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes de cachemira com guarnieSec
bordadas, lindas cores, a 200 e 250OQG>.
He tira Maco de todas as cores a 756
e800rs.
Unon bordado, tecido de urna s cc.
qualquer que se deseje, a 200 rs.
Zeflros lisos e bordados, tecido fijw,
novidade a 500 rs.
Las de quadrinhos a 200, 240 e 3#::
o covado.
Linhos lisos a 60 c de quadrinhoc a
00 rs...
Guardanapos melhor qualidaae
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores tl|
Oleados para mesa redonda ou qn*
drada a 40000.
Cortinados de crochet, comsaxeae.
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900
metro.
Colehas de fustao, brancas e de ce
res, a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 se.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 nu
Batlstes de cores seguras a 120 re
Manzuc de lindas cores a 280 rs.
Orlas, pardo esguio a 240, 280 e336
Casinetas de cores escuras para
pa de homem ou menino a 400 c 500
Mantilhas de renda hespanhola,
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de rea-
cia com lindos enfeites e com vibrilhos *
200, 250 e 300000.
Leques de pennao c transparenaiE
ultima novidade, todo preco.
Luvas de seda, lizas, bordadas a ar-
rendadas, pretas e de qualquer cSr a 2&.
Espartilhos inglezes a 40500 e 50.
tem desde o n. 40 at 80 de grossara.
Blco braneo creme e de. todas ar-
cores desde 700 rs. at 20500 apeca.
Rendas hespanholas, de seda e e
algodSo, preta, branca e de qualquer eor
Babados e entremeics bordados fia
pados e transparentes por todo preco.
Orampos e pentinhos fantasa pars
cabello a 400 e 500 rs.
Balelas para vestidos a 260 re. s
duzia.
Reoslos despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
Aspas de ac para vestidos a 120 ra
o metro.
*argelina francez fino, diagonal, *
200 rs. de qualquer cor.
Crinolina de cordSo preta, brzawt
chumbo e c6r de caf a 400 re. o meta.
Redes americanas para menat
dormir a 30500 e para homem a 60009 e
70000.
E muitas fazendas que se vende ra&b&
barato para liquidar facturas aa loja e
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Dias ^
_ ... _______Ll
suas dores tinham sido esquecidas ao ladt
daquelle a quem amara.
O Sr. de Courneuve obseryava-o atten-
tamente e achara que todas as palavras de
engenheiro soavam mal.
Julguei-o mais forte, pensou elle.
Mas de repente Pedro perguntou a a
mesmo como podia a volta de Jorge ser
causa da sua prisSo.
O que se passava"?
No fundo do seu pensamento, anda con-
fuso, nascia urna luz que approximava-se,
crescia, fazendo brotar urna gotta de soor
na raiz de cada um dos seus cabellos, ees-
chendo-o de desespero e de terror.
Ergueu para o juiz uns olhos desvair
dos, indecisos, trmulos, semelhantes
de urna fra que se encurrala, e isso L
tamente no momento em que o Sr. de
Courneuve examinava-o mais attentamen-
te do que nunca.
Meu Deus!... murmurou elle, seri
possivel ?!...
E to forte foi o choque que elle cabio
sobre a cadeira como morto, sem forjas,
quasi sem movimento.
O juiz den dous passos em direceo a
elle, muito grave, muito paludo tambera
Entao, disse elle, confeosa que foi
senhor quem asBassinou Jorge < haniers
que atirou o seu corpo no tanque da asi-
na ?
Mas Pedro estava j de p.
Aasassinado Jorge ?... Eu!. ?. ex-
clamon elle. Ora essa, crivel semelhaa-
te cousa ? 1
Nega entao ?
Se o neg !... Mas at urna
impossivel! 'Em primeiro lugar sou
mem de bem, c alm disso Jorge era mea
amigo, meu iriuSo, marido de minha irma,
a quem adoro... o nico ente com quean
ella poderia ser feliz! E o senhor dia que
elle est morto! Misericordia, meu Deus 3
ella rai morrer tambem Ah! Deus!
que fizemos nos para sermos ambos tas
desgracados!...
E mais urna ves Pedro, esquecendo a
sua cruel situacao para s pensar no des-
espero de Adelia, cahio com os cotovelloe
sobre urna mesa e desatou em salucos, os
a cubeca oceulta entre as maos.
O Sr. de Courr.euve esperou que
acabasse essa dr, que considerara i
da, achando a artsticamente represe
e depois, ao cabo de alguns instante
A que horas recebeu no Havre, e
dia de Pentecosts a noticia de que
nhora sua irmS comecara a ter as
(Continuar-* .


I

"typ. do jiieitto ruaDsqi
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4E617GZZ_7DYRRU INGEST_TIME 2014-05-28T18:54:38Z PACKAGE AA00011611_18288
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES