Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18280


This item is only available as the following downloads:


Full Text
DOMINGO 3 DE MAROO DE 1889
PAR DIMHO E PORA DA PROVINCIA
Por seis meses adiantados...............
Por nove ditos idem. ......... .... .
Por um anno idem..................
Cada numero avulso, de das anteriores.........
13#500
20)9000
264000
100
PERNAMBUCO
Os Srs. Amede Prin-
oe & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
e publicapoes na Fr an-
pae Inglaterra.


U&7X55 BA S-IICU UVAS


PARS, 1 de Marco.
J foram ordenadas as deligeneas judi-
ciarias contra os directores da Liga dos
Patriotas de Pars.
Documentos importantes j foram ap-
arebendidos pelas autoridades e as pes-
quisas continua'!!.
i tuo^eom as festas raudaneis ; um planetario que
raostra a duraco das revolucOes de cada um, era
particular, dos' plaueU* ffciveis coru a vista des-
armad-; as pnasesta kia ; os eclipses da la c
do sol: o tempa apparente eo lempo sideral;
urna esphera celeste com a precesso dos equi-
noxios, etc., etc. l'iversa.s estatuasinhas me-
cinicas, que vem dar as horas e meias horas
tiveram semjre o privilegio de despertar a cu-
riosidade popular. Maso que constitue o verda-
deiro valor oeste monumento de relojoaria, e a
prerisao e a certea de, euas indicag&os astron-
micas.
UmdOTartistase mchameos mais notareis na
arte de relegara que houve em Franca foi Mr
A. Brguet, nascido nfrguiraa no anno de 1747,
tillio de uns emigradas fcsncezes
Napoleao I encarregou-a relogio del^*raqneaaifefe cotistantemente,
sem necessidade de se Ihe dar corda. Breguet
onstruio esta ebra prima; o relogiotrabalha
desde 1804, e trabalhara, segundo dizem, at que
o machinismo se gaste completamente. O nico
cuidado que precise ter com elle consiste em
mettel-o no bolso de tres em tres das e passeiar
alguns minutos. Um pequeo rolante, oceulto
no machinismo recebe a impulso resultante da
progresso, e d corda machina que segu
funecionando sem cessar. (1)
Nao terminaremos este artigo, acerca de relo-
joaria. sem fallar dos ltimos progressos desta
artec referimo-nos applicaclo da electricidade
ao andamento dos relogios, ou relojoaria el-
ctrica, (f) '
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
-.8 de Marco, de 1889.
IHSTRCqiO POPULAR
AS GIANDES l\YF.\(MS
ANTIGS R MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
POR
VI
< r*-la*i*.
(ContinuacSo)
O relogio de Strasburgo, que necessitou urna
vida in'eira de trabalho da parte do seu primeiro
constructor, Isac Habredi (1574). foi restaurado e
reconstruido, coalome um piano inteiramente
differeate, de 1838 a 1842, por M Schwilgu,
que o transformo em urna obra prima de me-
chan ica. Este relogio aprsenla um grande
numero de indicacoes diversas, relativas i medi-
da do tempo. Tem aai computo eclesistico
en todas as iu*rjCPOaBPBfcntfcirio perpe-
/
(Contina)
(1) Pndula misteriosa.Entre as inlinitas
creagoes da relojoaria moderna merece mencao
pelo mnito que tem excitado a cuiiosidade pu-
blica, urna pndula sem machinismo algum ap-
parente. construida por Henrique Rcbsrt, lilho.
Chama-se mysteriosa, por nao se- ve nella mais
que um disco, geralmente de crystal que consti-
tue o mostrador do relogio e dous grandes pon-
teiros, marcando as horas com grande regulari-
dade.
O segredo do andamento destes ponteiros con-
siste n'um pequeo machinismo, como o dos rt-
logios de algibeira, collocado n'um contrapeso
que existe em cada ponteiro. Este machinismo
imprime movimento a urna pesada peca de pla-
tina, fazendo-a girar dentro da caixa que can-
lem este contrapeso, e tomando nella diversas
posicoes.
Nrstas differeutes posicoes 0 peso da peca de
platina comMna.sc com o dos ponteiros e estes
andatn com reaularidade, marcando as horas
como podena tazel-o em ifcaalf uer relogio de
sala.
(I) Esta descoberta, ainda que de recente data,
pode considerar-se ja antiga e de pouca impor-
tancia em suas applicagoes praticas para o fu-
turo. A recente applicacio do ar comprimido,
a marcha dos relogios, (relogios pneumticos.)
ba de substituir ventajosamente, sem dunda al-
gunii. a relojoaria elctrica. Veja-*e o que so-
bre este assompto julginq* opaaaa addicio-
nar do fim dente- rtiiw:- -^La*^"f
-
PARTE 0FF1CIAL
1
Governo da provincia
PALLA um* Aaacntbla Legislativa Provincial no da de *ua
innI aliarn a I de Har* de 1**9. dirigi Kiaa. tir.
presidente da provincia Dr. Innoeeneio arques de
Araujo oes.
(Continuacao)
TRIBUNAL DA RELA^O -
Contina na presidencia deste tribunal o conselheiro Quintino Jos de Mi-
randa.
Em A de Janeiro ultimo assumio o exercicio, tendo sido removido da Relagao
do Cear. por Decreto de 11 de Abril do anno findo, o desembargador Joaquim Jos
de Oliveira Andradc.
Tendo o desembargador Domingos Antonio Alves Ribeiro concluido a licenca
concedida pelo Governo Imperial reassumio o exercicio de seu caigo em 28 do re-
ferido mez de Janeiro.
JUIZES DE DIREITO
Em 4 de Janeiro linde assumio o exercicio do cargo de jniz de direito da
comarca de Palmares o bacharel Manoel Caldas Barrete, removido da de Barreiros
por Decreto de 15 de Dezembro do anno passado.
Por decrato de 29 re Dezembro ultimo foi removido da comarca de Formosa, na
provincia de Goyaz, para a de Barreiros o juiz de direito bacharel Joao Antunes
Correia Lina Wanderley, que, nao consta ter assumido o exercicio de seu cargo.
JUIZES MUNICIPAES E SUBSTITUTOS
Por Decreto de 12 de Janeiro ultimo, foram mandados continuar nos cargos
de juizes substitutos das comarcas de Palmares e Limoeiro, os respectivos juizes
municipaes, bochareis Eduardo Correia da Silva e Francisco da Costa Maia.
Por Decreto de 26 do mesmo mez foi reconduzido no lugar de juiz municipal e
de orphaus do termo da Gloria de Goit, o bacharel Jos Cornelio Leitao Rangel.
Ei ii 10 de Fevereiro assumio o exercicio do cargo de juiz municipal e de or-
phaos do termo de Caruar o bacharel Luiz Zacharias de Lima, nomeado por De-
creto de 10 de Dezembro do anno findo.
SUPPLENTES DE JUIZES MUNICIPAES E SUBSTITUTOS
Em 10 de Janeiro nomeei Andrelino de Souza Martin para o lugar
supplentc do juiz municipal do termo de Villa Bella, passando o actual 3o,
Galdino Goncalves Lima, para o lugar de 2o, na forma da lei.
Em 15 nomeei os hachareis Jos Salazar da Veiga Pessoa, Belizario Alves de
Britto e Jos Antonio da Silva Mello para os logares de Io, 2o e 3o supplentes do
5o juiz substituto da comarca desta capital.
A 22 nomeei para os lugares de Io, 2o e 3o supplentes do juiz substituto da
comarca de Palmares os hachareis Jos de Castro S Barreto Adolpho Nunes Lins e
capitSo Felippe Nery de Siqueira Salles.
Em 9 de Fevereiro nomeei para os lugares de 2o e 3o supplentes de juiz mu-
nicipal do termo de Leopoldina o capitSo Honorato Honorio Ribeiro Granja e Ray-
#.mundo d Oliveira e Silva.
A 16 do mesmo mez nomeei pira o termo de Salgueiro, Io, 2 e 3" supplentes
do juiz municipaL *^8^ Mathias Dantas, capitSo Angelo Gomes de S e Braz Pereira
de Souza.
PROMOTORES PBLICOS E ADJUNTOS
Em 4 de Janeiro exonerei, a pedido, o Dr. Monoel Clementino de Oliveira
Baorel do cargo ae 2 promotor publico da comarca desta capital e nomeei para
tnbtituil-o o bacharel Alfonso Olinrlense Ribeiro de Sonza.
A 17 considerei sem effeito a portara de 31 de Dezembro ultimo, pela qual
fci nomeado o bacharel Firraino Correia de Mello para o lugar de promotor publico
S comarca de Villa Bella, e nomeei para o reterido 'lugar o bacharel Ascendipo
LfBs de Albuquerqtie.
Em 23 demitti o bacharel Francisco Santiago Accioly Lins do cargo de pro-
motor publico da comarca de Barreiros, e nomeei para substituil-o, o bacharel Miguel
Archahio Pereira do Reg.
Em 12 de Fevereiro, sob proposta do juiz de direito da comarca de Tacara-
t. nomeei o cidado Jeronymo Pires de Carvalho Belfort ^ara exercer o cargo de
acM'tnto do promotor pubilco no termo de Tacaratu'.
ADMINISTRRACAO DA POLICA
Em 16 de Janeiro ultimo assumio o exercicio do cargo de chefe de polica
desta provincia, para o qual foi nomeado por Decreto de 24 de Novembro ultimo, o
Dr. Antonio Firmo Figueira de Saboia, a quem conced em 31 de Janeiro tres
mezes de licenca para tratar-se, designando para snbstituil-o o juiz d direito da co-
wrca de Taquaretmga, Dr. Daro Cavalcante do Reg Albuquerque que na mes-
mi! 'lata prestou juramento e assumio o exercicio.
de 3o
tenente
TRANQUILD3ADE PUBLICA
De 3 de Jaueiro ultimo at a presente data nada occorreu que perturbasse a
ordem publica.
SEGURANZA INDIVIDUAL E DE PROPRIEDADE
Se bem que nao haja augmentado o numero de crimes, comtudo no periodo
decorrido de 1. de Julho a 31 de Dezembrb ultimo o estado de seguranca indivi-
dual e de propriedade foi pouco satisfactorio, em vista do nao pequeo de crimes, de
que teve conhecmento a Reparticao da Policv,*como se v do quadro infra:
Tomada ou fuga de presos
Resistencia
Fraudulencia ...
Homicidio ....
Tentativa d homicidio
Ferimentos e offensas physicas
Roubo ....
Tentativa de roubo
Furto ....
Rapto ....
Defloramento
-
?

individuos, dos
1
3'
1
59
o

114
27
1
59
2
13
215,
283
quaes foram
presos
como mcursos em vanos
; sendo 6
193, 3 no
Taes crimes foram commettidos por
evadindo-se os demais.
Foram ainda capturados 238 (reos pronunciados
crimes, tanto pblicos, como particulares.
Apresentaram-se voluntariamente e foram recomidos prisao 27
pronunciados nos arts. 192 e 34 do Cod. Criin.. 6 no 201, 6 no 205, 5 no
257, e 1 nos 269 e 205 do mesmo Cdigo.
Foram presos tambem, tendo depoie o conveniente destino, 3 desertores;
sendo 2 pertncentes ao exercito e 1 a marinka.
FACTOS NOTAVEIS*.ACCIDENTES
Do 1. de Julho a 31 de Dezembro ultimo. teve conhecmento a Reparticao
da Polica dos seguintes tacto* notaveis |e accidentes: 6 incendios, 10 suicidios, 3
tentativas de incendio, 17 mortes casuaes, 7 asphyxfas por submersio, e 8 esmaga-
mentos.
Estes ltimos foram producidos 2 pola ferro-via de Olinda, 3 por carroca, 1
pelo bond, 1 pelo desabamento de urna casa, 1 pela queda de um pao.
ESTRANGEIROS
No segundo semestre do anno findo a Secretaria de Polica registrou a entrada
de 300 eatrangeiros n'esta provincia, e a sabida de 71 em igual periodo.
GUARDA CVICA
Pbr portara de 8 de Janeiro ultimo, da conformidade com a proposta do Dr.
chefe de polica, removi, por conveniencia do Mrvico publico, o alferes commandante
da 2.a estacao Luiz Jos Antunes para a 5.* o desta Josu Materno de Azevedo
Santos para aquella*
A 9 do mesmo mez, de conformidade com a proposta do Dr. chefe de polica
demitti a bem do servieo publico, Francisco de Paula Mendes do cargo de alferes
commrndante da 1 .a estacao e nomeei para subtituil-o o sargento Antonio Luiz de
Sorra Cavalcante.
CORPO DE POLICA
No commando deste corpp continua o tenente-coronel Francisco de Araujo
Lima.
Nao tendo sido sanecionado pelo meU antecessor o projecto de fixacSo de
forca para o exercicio corrente, foi por elle prorogada, por acto de 31 de Dezem-
bro ultimo, a lei n. 1900 de 4 de Juaho da.1887, cando por ess* motivo o corpa
com o atunero de 954 pracas e or - Em 20aV Fevflreiro findo mande 3ubmefter*> eonaelho de investigacio o al-
teres Emilio da Silva Costa, vista dos motivos de\$e (rata a portara em segui-
da transcripta.
f Palacio da presidencia de Pernambuco 20 df Fevereiro de 1889. 2a secio.
O presidente da provincia, tendo presentes as informacSes do commando do
corpo de polica e correspondeuoia trocada Costa;
Considerando que eise offlcial, tendo assumido o commando, que Ihe fra
designado, elfc^2 de Junh ultimo, do destacamento de Ingazeira, d'ahi retirou-se
pouco tempo depos e sea aatorisacSo legal para a villa do Triumpho
Considerando que o mesmo oificial, apezar das ordens reiteradas que recebe-
ra, deixou de reassumir o commando conservando-se na villa do Triumpho sob pre-
texto de achar-se doente ;
Considerando, 4.a ainda, que o referido Alferes Costa desobedecen a ordem de
prisao que lhe fra intimada peasoalmente pelo oificial encarregado dessa diligencia
e expedida a vista da reluctancia que tem constantemente opposto as determinacoes
de seus legtimos superiores;
Considerando, finalmente, que o citado alferes Costa, tendo permanecido na
villa do Triumpho, d'alli veio ltimamente e apresentou-se a esta presidencia, no
dia 18 do corrente mez, completamente ebrio, sendo d'aqu conduzido preso para o
q uarte I pelo capitSo ajudante de ordens ; .
* Resolve, a bem da disciplina do corpo e que elle perte<;ce, mandar submet-
tel-o a conselho de investigacio, o qual se compor do capitao Joao Francisco Ha-
meterio Portella, presidente; tenentes Theodomiro Thomaz Cavalcante Pesaoa, An-
tonio Jos de Souza e Silva e alferes Joao Bento da Silva Valenca, vogaes; servin-
do de anditor o 2.a promotor publico da comarca desta capital bacharel AffonsoOlin-
dense Ribeiro de Souza.
Innoeeneio Marques de Araujo Goes
(Continua).
expediente do da 19 Di FKVBHBUto dr 1880 cidade. para cujo servico prestare o auxilio pro-
Actos : 1 ci so.
0 presidente da provincia de conformidade 0 Sr. agente da Companhia Brasileira de
com a proposta do Dr. chefe de polica em off-
cio n. 185, de non tem datado, resolve nomear
para o lugar vago de 1 supplente do subdele-
gado do districto do Macuco de freguezia de S
Lourenro da Malta, Alfredo Garrett.
0 presidente da provincia de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de polica em officio
n. 188, de hontem datado, resolve nomear para
os lugares de e tf snpplentcs do delegado de
termo da Gloria do Goita, tenente Vicente Mara
de Hollanda Cavalcante e Jos Cypriano de Souza
Pimcntel, em substituico de Joao de Souza
Costa e Antonio Bexerra de Medeiro?. que nao
prestaram juramento.
OtDcios .
Ao secretario da Cmara dos Deputados.
-Communico a V Exc. que no dia 13 do cor-
rate falleceu no lugar-^Arabarydo termo de
Bom Conselho, o deputado Assembla (era!
pelo 11" districto d'esta provincia, bacharel Bento
i.eciltano dos Santos Bamos.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Communico a V. S.. para os fin? convenientes,
que o juiz municipal e de orphos do termo de
Govanna, bacharel Honorio Hermetto Correia de
Britto, assumio no dia 11 do corrente mes o exer-
cicio interino da vara de direito da comarca do
mesmo nome.
- Ao mesmo Communico a V. S., para os
fin8 convenientes, que o bacharel Luiz Zacaras
de Lima em 10 do corrente assumio o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphaos do
termo de Garuara, para o qual foi nomeado por
decreto de Iz de Dezembro ultimo.
Ao mesmo.* Em oflicio n. 348, de hontem
datado, participou-me o director do Arsenal de
Guerra que. tendo fallecido no dia 16*do corrente,
o porteiro d'aquelle estabelecimento Emilio l'o
zendo da Silva, nomuara, na mesma data, de cn-
formida.ie com o % 9 do art. 187 do regulamento de
19 de Outubro de 1872, o escrevente de 2 classe
Francisco Luii Barreto da Iraeida para substi-
tuido interinamente e para o lugar de escrevente
de 2* classe interino a Alfredo Cavalcante Ri-
beiro da Silva, o que declaro a V, S. para os lins
convenientes Respondcu-3e ao #reMor do Ar-
senal de Guerra
Portaras
Respondo ao oflicio o. 20, de 1 do cor-
rente mez recommendando i amara Municipal
do Recife que faca executar as suas posturas cm
beneficio n iluhiiil irtjpnhlirj n Iti d'erta
Navegagao faca transportar corte, por conta
do Ministerio da Marinha, um encapado de lona
contendo as coutas do omcial de fazenda do pa-
tacho uararapes, correspondente ao anno pr-
ximo findo, as quaes sao para aili remetudas
pelo commandante da escola de aprendizes na
rinheiros d'esta provincia, com destino ao quar-
tcl general da marinha. Comraunicou-se ao
commandante da escola de aprendizes mari-
nheiros.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Oflicios :
Ao 1* secretario da Assembla Legislativa
Provincial. De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia remello a V. S., para os fins con
venientes, o balanco e orcamento enviados pela
Cmara Municipal de Caruar.
- Aos membros do Gremio Littrario e Re-
creativo Panellense. O Exm. Sr. presidente da
provincia manda declarar a Vv. Ss. que deixa de
attender ao pedido constante de seu officio de 14
de corrente mez por falta de crdito na lei do
orcamento vigente.
Editaes :
Por esta Secretaria se faz publica a recommen-
dacao do Exm. ministro e secretario de Estado
dos Negocios do Imperio, constante do aviso n.
288 de 22 de Janeiro Ando, para conhecmento
de faria Severina da Conceicao Lucas, me do
alumnado Instituto dos Surdos-Mudos, Jos Lou-
renco Godofredo Lucas.
N". 288. 2." directoria.-Ministerio dos Nego-
cios do Imperio. -Rio de Janeiro, 22 de Janeiro
de 188.
Illm. e Exm. Sr. NSo podeodo. na confor
midade do art. 23 do reguiamento do Instituto
dos Surdos-Mudos annexo ao decreto n. 5,435 de
15 de Outubro de 1873, continuar alli, por haver
attingldo a idade de 18 annos, o alumno Jos Lou-
renco Godofredo Lucas, a quem se refere e officio
dessa presidencia de 24 de Outubro de 1882 e
convindo, ponanto, providenciar afim de que seja
retirado do mesmo Instituto o dito menor, o qual,
segundo informa o director do estabelecimen-
to no officio, que a tal respeito me dirigic. se ex-
prime regularmente por escripto, perito ofucial
de encadernador e tem o peculio de 864195 reco-
Ihido a Caixa Econmica, dou conhecimento disto
a V- Exc. para os lins convenientes.
Deus guarde a V. Exc. A. Ferreira Vianna.
Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
O secretario interino.
Manoel Joaquim Sihtira.
1. seccSo.Secretaria da Presidencia de
Pernambuco, 19 de Fevereiro de 1889. Fago pu-
blico, para os devidos fins, que n'esta Secretaria
se acham as patentes impenaes de reforma do
coronel Joao Carlos de Mendonga Vasconcellos,
tentntes-coroneis Jos Henrique- de Salles Abreu
e Gandido Jjsade Barros, majores Domingos Ra-
mos de AnSae Lima e Joaquim Francisco Be-
lera.0 secretario interino. Manoel Joaquim Sil-
re ira. JP-
EXPEDIENTE DO DIA 20 DE FEVEREIRO DE 1889
Actos :
0 presidente da provincia, tendo presentes as
informacOes do commandante do corpo de polica
e correspondencia trocada entre este e o alferes
Emilio da Silva Costa; e
Considerando que esse official, tendo assumido
o commando, que lhe fra designado em 2 de
Junho ultimo, do destacamento de Ingazeira, d'ahi
retirou-se pouco tempo depois e sem autorsacao
legal para a villa do Triumpho;
Considerando que o mesmo official, apezar das
ordens reiteradas que recebera, deixou de reas-
sumir o commando conservando-se na villa do
Triumpho sob pretexto de achar-se doente ;
Considerando, ainda, que o referido alferes
Costa desobedeceu ordem de prisao que lhe
fra intimada, pessoalmente pelo official encarre-
gado d'essa deligencia, e expedida vista da re-
lutancia que tem coaslantemente opposto s de -
terminaces de seus legtimos superiores;
Considerando, finalmente, que o diado alfere?
Costa, tendo permanecido na villa do Triumpho,
d'alli veio ltimamente e apresentou-se esta
presidencia, no dia 18 do corrente mez, comple-
tamente ebrio, sendo d'aqui conduzido preso para
o quartel pelo capitao ajudante de ordens : re-
solve a bem da disciplina do corpo a que elle
pertence, mandar submettel-o a conselho de in-
vestigagao, o qual se compor do capitSo Joo
Francisco Hemeterio Portella, presidente, tenentes
Theodomiro Thomaz Cavalcante Pessoa. Antonio
Jos de Souza e Silva e alferes Joo Bento da
Silva Valenga, vogaes; servindo de aaditor o 2
promotor publico da comarca d'esta capital ba-
charel Affonso Olindense Ribeiro de Souza. Re-
metteu-se copia ao commandante do corpo e ao
2" promotor publico da comarca.
0 presidente da provincia, tendo em vista o
oflicio de hontem datado do director da Escola
Normal, resolve nomear os bachapeis Jos Ban-
deira de Mello e Ezequiel Franco de S, para ser-
virem na ordem em que estao collocados de com-
missario nos exames a que se tem de proceder a
22 do corrente. requeridos por alguns alumnos do
2." e 3.* anno da mesma Escola.Fizeram-se as
necessarias communicaces.
Oflicios:
Ao engenheiro Gervasio Rodrigues Cam-
Eello. Remetto a V. S. o oflicio que dirigio-me
ontem o engenheiro Gregorio Thaumaturgo de
Azevedo acompauhado do laudo de V. S. relativo
s obras e materiaes da empresa de illuminagio
a gaz desta cidade atn de que se sirva de to-
mar na considerajao que merecer o aasvmpto do
mesmo officio.
Ao engenheiro Gregorio Thaumaturgo de
Azevedo.DcvqIvo a Y. 8. o laude do engenhei-
ro Gervasio Rodrigues C rnpello, annexo ao ori-
ginal do ata afltfio de lionteva.
Ao referido lando acompanba o oflicio, que di-
rigio-me hoje aquelle engenheiro, no qual faz
as rectuicages de que trata o citado officio de
Y. S-; d'oode resulta que o valor da empreza do
gaz, segundo essas rectificages, attinge a -om-
ina de 948:300*518 e nao 92: 188*400.
Ao Dr. juiz de direito do 2* districto crimi-
nal. Para poder deliberar sobre a transferen-
cia do sentenciado Jos Rodrigues de Souza Ma-
galhes, preso na Casa de Detengo, para a ca-
deia de Timbaba, em virtude de seu niao esta-
do de sade. conforme por officio de 29 de Ja-
neiro findo requisitou V. Stdo Dr. chefe de po-
lica, que, por sua vez, solieltou-me em data do
1* do corrente mez, passagem na estrada de fer-
ro do Limoeiro para o mesmo preso e duas pra-
cas que de vem acompanhal-o.'cumpre que V. S.
me informe, se aquelle reo foi condemnado no
termo de Timbaba, e se sua remoco para a
cadeia dessa cidade foi requi sitada pelo juiz eje-
cutor da sentenga. Remetteu se copia ao Dr.
ebefe de polica.
Ao commandante do corpo de polica.Ao
Dr. chefe de polica mande Vmc. apresentar ho-
je duas pracas afim de cenduzirem um preso
Eara o termo de Goyaana. Communicou-se ao
r. chefe de polica.
f- Ao Dr. juiz de direito da comarca do Brejo.
Transmiti a Vmc, para os lins convenientes,
a inclusa copia do aviso do Ministerio dos Ne-
5ocios da Justiga de 31 de Janeiro lindo, exigin-
o urna certido dos quesitos e das respostas,
que no termo do brejo deram os jurados ao
couselho de sentenca, em que foi julgado Ma-
noel Vicente Monteiro.
ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Limoeiro.Nesta data submetto a con-
sideracao do Exm. Sr. Ministro da Agricultura,
Commercio e Obras Publicas o assumpto do offi-
cio de Vmc, de 16 do corrente, sob n. 4.
Portaras :
Respondo ao officio n. 19 de 13 do corren-
te mez, declarando Cmara Municipal do Re-
cife que, se as multas por infraegao de disposi-
ces que prohibem o deposito de lix e iminun-
dicies as ras sao inrtficazes, organise e sub-
metta minha consid raco postura consignan-
do igualmente pena de prisao aos que a trans-
gred reni ; e que nao posso attender ao pedido
da mesma cmara no sentido de serem os hscaes
desta cidade auxiliados pela policu quatido ti-
verem de effectuar prises por inlracgao de pos-
turas, porquanto a legislago vigente autorisa
aos infractores livrarem-se soltos.
Outrosim, declaro Cmara que nesta data
me dirijo ao brigadeiro .'commandante das ar-
mas reclamando providencias relativamente ao
lixo que retirado do quartel do 2o batalhao de
infantana e depositado na ra. -Remetteu-se co
pa do referido officio de 13 do corrente da C-
mara Municipal ao brigadeiro commandante das
armas.
Declaro amara Municipal de Limoeiro,
em resposta ao seu officio do i* do corrente
mez, que vista da disposigo do art. 24 da lei
n. 3,029 de Janeiro de 1881 e aviso n. 25 de 7 de
Margo de 1883 sao incompativeis os exercicios
dos cargos de juiz de paz e escrivo do, jury e
tabelliao de notas.
EXPED1KHTH DO DR. SECRETARIO
Officio:
Ao engenheiro fiscal da estrada de fer'o do
Recife ao Caxang.De ordem do Exm. Sr. pre
sidente da provincia remeto a V. S. em deferi-
mento ao que requereu o gerente dessa estrada
de ferro 59 passes impressos, afim de ser in-
demnisado igual numero de passagens concedi-
das pelo Dr chefe de polica durante o mez de
Janeiro ultimo
DESPACHOS DA PRKSIDXCIA DO DIA Io DE
' MARCO DE 1889
Tenente-coronel AjtevSo Jos Perra.Remet-
tido no Sr. inspector da Thesouraria de Fazenda,
para altenaer.
Joao Cliryssstouio da P Portella. Indefe-
ndo.
Segismundo Antonio dongalves. -Concedo.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 2 de Margo de 1889.
O porteiro,
F. Chacn.

jiiaiin
Reparticao da Polica
2. scelo.N. 226Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 2 de Marco de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que foram hontem recomido
Casa de DetencSo os seguintes indi-
viduos :
A' minha ordem, Joo Pedro de Alcntara, ia-
diciado em crian- de ferimentos, Levino Tavaree
de Souza, como alienado at que tenha conte-
niente destino.
A' ordem do subdelegado da freguezia do Re-
cife, Julio Miguel Soares, por offensas moral
publica; Demetrio r.rego, por embriaguez, Joao
remandes da Cruz, por disturbios, e Pedro Julio,
como vagabundo.
A' ordem do da freguezia de Santo Antonio,
Lino de Jess Bandeira, por disturbios, e Joa-
quim Antonio, por disturbios, minha dispo-
sigo.
A' ordem do do 1 districto da freguezia da
Boa-Vista, Joo Luiz dos Santos, por offensas i
moral publica.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innoeeneio Marones de Araujo
Gees, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Dorio
Cavalcante do Reg Albuquerque.
Thehouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 28 DE FEVEBEOtO DE
1889
Francisco Pedro BolitreauVolte, Conta-
doria para declarar se no contracto feito com Ma-
noel Figueiroa de Faria 4 Filhos estao compre-
hendidas impresses com a de que se trata.
Bicardo Fonseca de Medeiros.Com vista o
Dr. procurador fiscal.
Joo Joaquim da Costa Leite.Indeferido em
vista dos arts. 146,147 e 149 do reguiamento de
2 de Julho de 1887.
Manoel Paschoal de Lima. Deferido em vista
das informaces.
Rcccbedorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 1 DE MARCO DE 1889
Ernesto & Leopoldo. Soares Quimas4 C, Joo
Antonio Gozende, Francisco Gurgel Alrmao, De-
metrio Brando, Joaquim Carvalho & C Antao
Francisco da Costa, Antonio Ferreira da Silva *
C Joao Fernandes Ferreira 4 C, Lopes 4 Arau-
jo, Lima < outinho 4C, Alfredo Pinto4 C, Pinto
4 C, Herdeiros de Francisco Egydio de Lona
Freir, Virgilio Lopes 4 C. Martimano Jos de
Campos. Joaquim da Costa Moreira, Freitas Ta-
vares 4 C, Mareolino de Souza Travassos, Gia-
ciliano Martins 4 C, Manoel Alves Barbosa, Sne-
cessores, Estevo Rodrigues Campello, Leite tas-
tos 4 C, Antonio Affonso Simos, Jos Luiz
Alves Viletla, Antonio Luiz 4 C. Jos Duarte
Pereira, Joaquim Damasio 4 C, Pedro de Al-
cntara de Borja Castro, Adolpho 4 Perro, Hen-
rique Vogdy.Informe a 1* seccSo.
Joio Martn* 4C..ManoH e Soma AzevW.
A' i secgao para os devidos fins.
Joaquina Rosa da Estrella.-i-A' t* secgo para
os devidos fins.
Alipio de Franca Mello.Satisfaga a exigeaeia
da 1' secgo.
Joao Joaquim da Costa Leite, Domingos de
Souza Ribeiro.Dirija-se ao Thesouro Provia
cial por meio de recurso como lhe faculta a
le.
2 de Margo
Ludge.ro Gongalves da Silva, Autohio da Silva
Verissimo. J. Coimbra 4 C, Aquilino Ribeiro da
Cunba Oliveira, ugusto Fernandes 4 C, Tei
xeira 4 Miranda, Goncalves Lourenro 4 C, An-
tonio Jooquim de Sant'Anna, Jos Cordeiro de
Mello, Joaquim Ignacio Ribeiro 4 C, Francisco
Petrocelli > Irmo, Candido Sobral, Jos Una-
Ionio Domingues 4 ., Barbosa Lima 4 C, PtfP
Alves 4 C, Prente Vianna 4 C, Manoel da rQ-
nha Lobo Antonio Sampaio do Nascnento, Sa-
bino Antonio da Costa, Jos Clementino Henriques
da Silva, Christani C, Francisco Ribeiro Plato
Guimares 4 C, Jos Clementino Henriques da
Silva, Maia Silva 4 .., Prealle 4 C.Informe a
1' secgo.
Joaquim Pires da Silva, Antonio Augusto aos
Santos Porto. -Dirija-se ao Thesouro ..Provincial
por va de recurso na forma da lei.
Florinda Mara de Jess.Sellados os docu-
mento- juntos ter despacho.
Tavares Martins 4 C.-Certitique-se-.o que
constar.
Antonio Ferreira Nobrega. Informe a I*
secgo.
Joo Chrysos'homo Pereira Soares,Dirija-se
ao Thesouro Provincial.
DIARIO DE PERNAMBUCO
RECIPE. 3 DE MARCO DE 1889
Modelas da Europa
Concluimos hoie as noticias tvazidas pelo va-
por Tren/ chegado da Europa:
napte
A Russia est negociando com um syndkato
francez um novo emprestimopara acon^srsao
das dividas de 1871, 1872 e 1*73.
Um despacho de Berlim para o Jornal io De-
bates confirma a noticia de que os esponsaes da
princesa Alix de Hesse com o caervitch ho te
de celebrar-se na prxima pasch.a.
Servia
O marido da rainha Nathalia trata de passar a
segundas nupcias, dando por subsistente o di-
vorcio com a sua primeira mullier.
A sua triste-situagao linanceira obriga-o, po-
rm, a escolher urna noiva bastante rica.
Porece queja tem de olho a filha nica de um
boyardo; nao de alta nobreza, mas o uoivw
acha-se com a precisa nobreza para dois.
O bispo de Niscli, partidario da rainha Kama-
lia e opposto ao divorcio real, desappareoeu de
Belgrado subitamedte. Dizem uns quescreco-
Iheu a um convento, oulros que foi encerrado
n'uma prisao.
A syinpathica rainha da Servia acha-se, ha
lempos, na Livadia (Russia.)
Nao a deixa era paz, sequer no estrangeiro, o
irrequieto odio do marido. E' assira que as au-
toridades russas acabara de descubrir, que a
rainha Nathalia era vigiada constanteraenle po?
numerosos agentes da polica servia.
O governo russo. informado do caso, expeda
ordens terminantes para que os agentes fosseai
expulsos do territorio do imperio, em v nU e
quatro horas.
Segundo aflirraa um despacho de Vienna |ra
o Times os panslavistas incitarara a rainli i
tlialia a levantar complcag6a6_na Servia, ia-
rainha nao aceitou
Kouman|a
A cmara dos deputados prncipiou
discutir a proposta parase, instaurar o ~
pedido contra o ministerio Bratiano.
Presume-se que votar primeiro a intiniafo
ao referido uahiuetc para comparecer perantc urna
cominissio de inquerito, a qual destrirgir o
quinlifio de responsabilidad de cada um dos"
ministros.
Depois de tres das de debates sobre s pro-
posta do Sr. Blaremberg pedindo que se maaie
?
i
?.'


-

Diario
ua
Periiambuco -;I1
judicial contra o tninisterio
idear em Washington urna conferencia ma
que conhecida*pr.l<* gota-*jina, deraiide-ss- a -iniciativans aoven *o*
a dos deputados passou ao escruti-
ndo eate/eiiresidente declarau que
fra rcjeiud* por 80 votos contra 79.
rani-s,- numerosas reclamaces con-
resolta lo daivotagao.
taos ila km nao as.signar.ira a acta
Esperra-e no dia seguinte urna
stuosa.
asvasia *
o reatarsen -.is otgoui -tato
Itar umi-titjio casanieatnrao pasa-
ndra enro Peten-1>unjo : mi o bolo
contando.
tWrrSSUl
in de flJwsei-ajne MttiumoA-Vsryaak,
lterinota.-'a EtaEpuaiu para-Alleam-
1 de aluadquoHf-.vaf. cantatas dasti-
^b sultosaaru osase Ida.' o anaarntaso
as bateriascoBSsiridaatf..tstvurJn eiifls-.
flswb iilemao.
India
nuharadj Dtiulip-Sing enviou ura manifes-
t aos principes e ao povo da India, excitndo-
os a dcstrior o dominio inglez.
O plano qne se est elaborando permanecer
sqttMta
iriihanixluii
Consta ao Stmrttairl que-as noticias ultimameu-
te recebid.is de. Afgbanistan, excitaran! appre-
tienses em Vieana, onde na quem pretenda ver
rn taes noticias os* preliminares habituaos de
ssoa-aecao da Russia na Asia os quaes podiara
lar logar a cotnulicaee* com a Gran-Brota*
i 11.
Os circuios polticos de Londres e de S. Pe-
tersburgo nao ligam importancia aos boatos in-
ijwetttitori's acerca do Afghanistan, e assegurom
tfn* sis pseeltentes as relact>s entre a Gran-
BWMmha c a Russia.
Tonkim
tu 4uptKho expedido de Hunoi ao ministro
da marinlia de Franca annnncia que o general
Moa Doebardes atacou em 2 de Ferereiro
aa ah*eias-de Din lieng-Ton o Cbaf.hu ; o ataque
prindpiou a 11 kilmetros de Cha Gnu; os re-
helees,- de todo indisciplinados, abandqnaram
suecessivamenle todas as suas posicOes, liearam
leampentt- feridos ;! soldados europeo: o cam-
panlirConsidera-s terjninada.
Japu
Acaba de ser promsngada em Tokio urna nova
coastituico jiara o Jbpo.
.Todos os oovernadoros das cidactes a das.pro
rincias.-tinliain recebido ordem de se reunir na
capital, atim de receberera novas, inslrucces re-
lativas a direcrn que devem ilar daqui para o
latnro u sua administracao.
Foi em 1881 que o actual imperador annun-
cis-n. num manifest, o seu intento de dar urna
aova constituico ao Ja pao, ord'-nando.para essa
occasiu qii' se ; -<* principio aos trabalhos
preparatorios.
O conde Ito. autuo primeiro ministro, foi en-
viado Earopa, atim de estudar as constitai-
6ea4o3 derentes estados, e, regressando a
'odo, recoianiendou ao seu guverno a consti-
tuivo daPrussia. com a mais applicavel, no sen
carcter, aa.Japao.
Eis alguns apontamentos da nova constituico,
japonesa, coalirmado pelo Mikado.
O senado actual scra>abolidu, e os seu inem-
bms faro parte da sua assemblea nacional,
i-ruada pela constituico.
Esta assemblea compor-se-ba de duas cma-
ra?.
Xa cateara alta tom.r.io assenlo por direito os
principes datfainia imperial, kigo qne com pie
ii-ui ti aunos de idade, os principes ailWll
auezus; ubi certoaumero de condes, .viscondes
e batees sero eleitos para esta assemblea, que
coioprehender as illustracit da arte e da-scien-
cia ueni corno os homens que lenham prestado
importantes serviros ao Japo: os membrosda
ultima, cathegoria sero desisuados pelo Mikado.
A-camara alta constar de. 300 mouabru.
Panf e que o nova parlamento comeo;!r a
funofionar no prximo mez de.maio,
Hall
O.representante do general Hy poli te ca- Pars,
omntunicou imprensa, uta despacho- auuun
dandi sur excellente a situado no departamen-
to jdo norte-do llaiti; a general Horno, ministro
Ja guerra do general ilyppolite.- esta sslabeleci-
em.Saint Mar, general-"Alexis sahia.de lluiche
com fortes tropas iara i>'lor\.ille. co proprio ge-
uenil Hvppolite est cercand Valiere.
C oH Mira
Communiam deiXova-York as-noliaia allire-
ebidis de S. Jos da Costa Rica, acerea do lti-
aiaBBior de. trra naquella Bgio.
rtf^ftorme a derrocada.
Xa cidade as casas que nao vieram a. trra li-
caram nmi- u meaos damnificadas.
Ilouvi- mui'as Aictimas. entre ellas um bonan
que desappare:eu com quatro tilhos as ruinas
de um desabamento.
O solo abri fevlas profunda.
Os prejoisos avaliam-se am mair-tie. doua mi-
Iboesde dollars
Koladoo t uiUo%
-
Estados Unidos, que convidar a Dinamarca, a
Hespanha, Fr nca, A llemanha, i Italia, HoUattda,
Suecia e Noruega
Dizem informaedes de Panam que apesar de
haverem ido despedidos numerosos trabalha-
dores, em todas as seccOes do canal contina o
trabalbo, embora limitado. Nao provavel que
haja suspenso total dos trabalhos antes do mea-
do de Marao.i

Tmlia asiumido urnaspurporcoea, que no dei-
\a\am4Je preoecupar oseroceros amigos da paz,
o co'ifhto que pareca surjfir-cnire os governos
la Ark-nianlrn. a Inglaterra e dos Estadfisj'ni-
.*. |iro|wsito das linas Samoa.
K'liauenlr afligura-sc-noque o .perigo, que
se reneiava, vai ja desafwto.
6 roverno alkmo .recorreu. ao piocessaclas-
sictnia diplomacia, para tirar quelle joga en-
contrado de interesses, o carcter agudo edrri-
tante* propondo ao govemo dos Estados-nkJos.
que* rena em Berln tima ccoexencia em que
tenia t repre> ntado .0* tris Estados inleressa-
dos.
Esta-conferencia nao ciis do que. urna se
.-unda edico da que se effectuou em Washing-
ton, -sem resultado pratico, em 1887.
0 gabinete Je Wasliingtun nao podiajle moda
algirti regeitar a propoata do Sr. Bismarck.
A fazer-se juizo pelo queescrev-an os jocnaes.
americanos, em artigos alias anteriores pro-
posta da conferencia, deve crer-se que o gover-
do futiera!-uo do ve receber idea uan groada
"ii'.hu.siasmo
& MM/aqiasi a expirar o-nandoto- do [iresickii-
tilk-vNaivi; dentro r, o general Harrison, tomar conta do supre-
mo poder e com elle assumir a direc^o dos
nesocios federaos o partido republicano, desde
ba qna'r-i aunos jUasHlo- da gerencia dos as-
sumpijs pblicos.
Em1 Wtes.'ircumstanoias o chefe do Estado he-
sitara naturalmente em jtfrontar responsabili.
des noxas, e urna grande parte da imprensa de
NoTU-Wrk.e de outras graudes cidades da con'
iV.leravo acen ;elha7am ao Sr. Clavelandque
deixasse correr lentamente as negoeiaces, para
que Hlecis.'to nl licasse canta do novo go-
verno. '
Alm diaso ferencia de 1887 nao inspirara grande goato aos
representantes mais ou menos autonsados da
opima* americana para reabertura solemne de
um dvbate diplomtico, que desla vez ser ven-
tilado n'uma sala de Berliin.
0 que de resto, preocrupa mais vivamente os
espintos a situagao do proprio archipelago dos
aavegadores. Pergunta-se com algatna ancie-
dade se as hostilidades procedidas uu nao de
declaraco de guerra em formarebeita-
lun-entre as eqopasens da esquadra alleini
ret Mataafa. Ha preoecupacefi seriaa a res-
peitodas vidas e da= propiedades dos numero-
pos subditos americana que liabitarn as illias
rerso ior la imnortanles recoinmendam
.empenho que se a-orapanhe o consentunen-
to daAinertca de novas iiegoeMfoes cahh provi-
denews provisorias destinadas a manterem o
ai* qna ntreos liel.igerantes indgenas eos
seos protectores eivilisados. Algnns mesmo fal-
lam da necessidade le urna oceupasfie pelas for-
cas combinadas da Allemanha, da Inglaterra e
o* EstadoB-Unidos, para impedir que urna des-
tas tres patencias consiga para si vantagens ex-
ctasr as: Outros sustentam que o verdadeiro ca-
......lMtiliiii 1 consiste na oceupaco. em
onfbrmidade i;om os direitos adquiridos, a ba-
ha-de rapopago e ea eaperar-se nesta forte 10
10 o coarar dos acontecunentos.
, o estado Jos espiritas na America no mo-
nda: do nirio le
DHtaW
PA 1>AH0 iide Faveanfede
Em 28 de Janeiro, prximo pretrito,
assumio o cidadao Firmino Venancio de
Araaijo, o exercicio do carfo de delegado
de polica deste termo, no carcter de 3o
supplente.
No da l".do xpiranta' mea, a 5 horas
da manila, na igreja de Nesaa Snhora do
Livramento desta cidade, depois de urna
missa celel/rada pelo Revin. vigario Gon-
dim, foi hateaiio o estandarte dVi glorioso
martyr S. Sobastiaoj com a precisa so-
lcmnidade, tocando a "'Sociedade Phflar-
monica Podalliense. *
As novenas rbrara cantadas a pequuna
orchestra, todas as noites s 7 horas, ufri-
ciando o mesmo Be va*-, vigario^ cantan t
o versos duas mocas, acoaipnahadas-: da
inesma orohestta.
No dia 10, s .") horas da uiaiiha, una
:salva de 21 tiros, o estrepito dos foguetes
e o solemne repique dos sinos, annuncia-
rain a festa do mesmo glorioso santo mar-
tyr ; e s 10 horas.teve oomeco a missa so-
lemne a grande orchestra, ofhciando o
Revm. vigario Gondim.
Ao Evangelhu, oceupou a tribuna sa-
grada o Revm. conego Augusto Adolpho
boares de Kusewetter, desenvolvendo-se
cabal e perfeitaiuente.
Durante.a missa eatev-e o Senhar ex-
posto, com a divida solemnidade, assistin-
do as innandade do Santissimo Sacramen-
to e de Nossa Sen hora do Livramento.
O pateo da igreja achavarse arborisado
e embaadeirado, sendo noite Iluminado
a giorno, assim como a frente da inesma
groja.
A's 7 horas .teve lugar a ladainha, Tan-
tiim ergo 1 e bencao do Santiasimo Sacra-
mento, cooa assistenca das mesrsas irman-
dades> deixando dchaver sermSo, como
estava annunciado, em razio de nao ter
podido pregar o Eevm. vigario, por mo-
tivos justos que allegou.
Em concruaao foi arriado o estandarte
eom a mesma solemnidade com quo foi
haateado, depois do-que foi quemado .ura
3offriveiiogo de artificio, e largados diver-
sos aereoatatos, tocando a Bhilarmonica
Podalhense nos intenvailos, tendo tocado
em todos os actos anterioi es. A atHuencia
b<>a ordem.
No dia 19, tarde, na igreja matriz
desta cidade. ere lagar u baptiseao d'um
filhinho dollm. i>r. tenenle-coronel Jos
b'nMciacciPinlieiro Ramos e ata- .Exiua.
wposa D* Auna Ciouealres Ooutinho .-Ra-
mos, o qual teve o nomo de Paulo, sendo
seus padrinhos o 1 llm Sr. De .loo Bap
tista Correia-de <7Hveira e sua Exmaw con-
sorU, D. diaria Augusta < 1 orreia de Oli-
veirtv, e celebrante o Revm. Sr. conego
Antonio Domingues de -Vaseoncellos Ara-
gSo. Ao acto aaaiBtiram diversos amigos
do mesmo tenente^coronel e a irmandade
do Santiasimo Sacramento, de que ir-
m3o. A's 6 horas, da -tarda, offereceu elle,
aos seus amigos, ora.casa de aua residen-
cia, um profuso jantar, euja sobre-mesa
trocaram-se muitos brindes ; e ao termi*
e Barros e D. Nyrapha Muniz Tavar
fisntal-os e milito sorprehendidos ficasaosietn
vista dos movis que constara de taboas colloaa-
daassbfeeaiKbus que foram de sabo. E ver-
gonhoso-egifltrar-se tal falta, porm coobo+
sabemos quem sao os culpados, appellaaioa^a-
ra o Ilustre Sr-. Dr. Joo liarbalho
bramo
to a urgente
tas 0'
devi
cs ej
Dev
Provir
ecesaidade de duas cadeiras mix
a, .^ndmaMwle ttmn
' awaavoaios.
a. iUo storMaeeaUa
soluofiawia.pro
.que eteaa-eet.i
i-iukIu un ter-
n
de Mar^o de 1^
ircaaa Uarire^dapu
no
jecto nul48i.do.aBno
Mpvoacaa a mu
H -.i-m-is I.KiilaB
paudo*..uan icaei. i'oia
tagaiuiarprotaMiIMaii!9
i:(i00i para a continuaeao jas obras da nova
matriz d'aqui.
Se estes dous.projectos forera convertidos em
lei, ento nos- vicentanos ufaaesos pederemos di-J
ser: salvea Assemblea Provincial de Pernambuco
no bienuio de 188S a 1889, pois o patriotismo de
.tuaitiabii!iJ'iJBlmdcu-"aeate St 'VkwihJ'to es-
quecido como o foi at agora.
Seguie boje para esta capital o nesso dislaicto
conter.-jneo Josino de Araujo onde vai continuar
com seus estudos. Felicidade e, um aperto de
mo.
Muitos.M-prelieiidea-nos adolorosa noticiado
iiifaasle-passainento do grande estadistao ve-
nerando Baraode otegipe, digno- cliefe supre-
mo d.i [lariio eonserrador.
A nossaiuatremecida patria deve cobrr se de
luto, pois (pie o vacuo que a terrivel raa da
morte abri, descarrgando o seu tremendo gol-
ie no inclyto Baro de Cotegipe ser befe di-
cil de preencher-se.
Nos como brazileiros vertemos urna lagrima
de eterna saudade sobren tmulo d'aquelle^ue
se cnamou Jo5o Mauricio W m.lerley, Baro de
Cotegipe.
0 registro civil nesta freguezia nao vai tendo
boa execuco e isto devido nao s aos encane-
gados dos cemiteros, como tambera aos pro-
prietarios que em vez de aconselliareui aos seus
moradores para cumprirem a lei, estimulam-os
a nao cumprirem. Comtudo at hoja tera se re
gistrado 27 nascimentos, 6 casamentos e 13
bitos.
0 anno passado o movimento parocbial foi o
seguinte : 776 baptisados. 123-casamentos e 43
bitos afora o grande numero de enterraraen-
tos quftuaeram e-no reraettenmi osassentosao
respectivo parodio.
No dia 24 do corrale velebrom-se como de
costume a festa de No Senhora do Rosario ua
capella de Macap a cargo lioshomens pretos.
Tudo correu na mellior ordem.
O partido- republicano nesta freguezia acaba
de sahir do erabryo em que estav. Do man
festo que foi publicado mi Provincia, vimos que
49 sao os republicanos d'aqui e d'entre elles
destaca-se apenas m consereador; que entre-
tanta nao se negar a dar-seu voto ao candida-
to conservador. Os mais sao liberaes osquaes
por sua vez m "I -(.-ao vindoura no perguotam
se o candi-lato e ou nao monarchista s querem
que nao seja conserA-ador, se nao veremos.
Leudo a Provtntm de 9 do corrento depaea-
mos cora um artigete de Timbauba no qoal di-
zia.o articulista que o missivista d'aqui 'em sa-
bido aliar factos- horripilantes que se tem
pra'icado aqu Quando assumimos a nos a
espinhosa tarefa de missivista desta localidad^
tizemos o proposito de nao noticiar factos te
dentcs.a vida privada-de quem querquesejaB
sim narrar as noticias locae*
Pode o orticnlistu dizero que quizer que n%
nao daremos a menor satisfaccio.
Continua anda co exercicio de subo* legado.o
I" snpplente Elias Eliseu Alves Camello. Moco
ainda c apezar da ponea pratica e instruci.fltmue
tem do cnrgoT comtudo tem sabnlo rleserape-
nlial-o, e sej nao acabou com a quadrilha de
salteadores existente na matta Macambira e ofto
tem reprimiio a .vagabandagera porque' nao
dispoe de om s s* ivm-se a perseguir dita quadrilha, apezar de
|irvuzcs tenreqaisitado de svsisuperiores.
Na noute de & para 7 do corrente foram os sal
teadores ao eagnlio anta Tbereza dinHa. fie-
guexia e pertfeocente ao Sr. Jos do Bego (^aval-
cante e d'ahi roubarara 3 cavallo?. ,;5T
Na msma aoute o na propriedade\doengenno
Macana, roubaram ootro de uiu do moradores,
do*eeenho. Assim vao elles razarlo tropelas,
o subdelegado com bonsdesejos^i^k) sem meios
de reprimil-os. *"
Em vista disto menraano* a S.:Ex.:. o Sr. Br.
Araujo-Goes, para que se digna providenciar
como bem entender, alim de que nao s nossas
propriedades mas tambem nossas vidas sejam
gnraotiihis.
O sarampao tfsli'ii aasolando com intemidade
nesta povqacao e seus suburbios, nao fazeodo.
victimas, felizmente.. |
A chava tem1 rotrtmuado e por. isto tem subi-
do os'preoosdeH cereacs. A farinba-vendeu se
diHkaPea7avS> athmosphera. apreseatando astudo de uiu caraator, coma na pintura
uaaaarvezes a descoberto os continentes, de urna paysagem, deve o escriptor, imi-
tando o artista, attender situacSo do es-
petador vis-a-v o objecto sobre que re-
caa o exame.
J vs, pois, leitor amigo que e son
extraordinariamente exquisito, um typo
que o Dr. Ka-Kri do -liecifi: lilastmado
bem nuil 1 liimi firiiii
e -l'oatra grandes nuvens, ^qae se enno-
valam ou dissipam, como suceede no es-
pago, que circumda o nosso globo.
dtamae na ii J ""^s 3ttpU,T. aP,"Ma uma 8U"
amos aos dignos representantes deste distric- perftc'e 0 rezes maior do*que o terres-
tre.
fallamos na auper-
X'-o que
Note-se bem que
no voluma
aar un mundo tararaliojaiiazi-p.-aiii uma
, *iagataiao8 antipoda) tequtiIe atempre-
gar innatos annos dos aoaara. Seos ha-
bitantos d'aquellc p!arwte:4r-) oenheaotn
meio -de-locomocSo laaisurapiVis dW-qu
inventarios na trra, tyiss.1aa-hitear,c
sem, que os nuuinaMMt m.-i ragua aa
^tranapwHtm a outra -drataute.
Nos vemos aquelle magnifico mundo,
simples
mos mais-do que levantar os oihos para
o co. Em Jpiter, provavclmente, s te-
riiii nttnh^aitatMr^tarjKtaait^wraiai dteeraiaus-
0
WRIEAES
nar, teve oomeco.uma amre que., proion-
gpu-se as madrugada, quanda diasd-1 "na timalelii a"300ie 640 ris ; o milho de 410
veu-s na. maior ordem' ecordiabdade pos- i a 301) ris; o feijo de latxxi a 2a. O coiuhmt-
si-v.-i-. IG0 o mais^mmaeora desejar.-se.
No da 22, no trem ordinario ila manhi,
chegou a esta cidade o'ixm. Sr. Dr. Pe-
dro Francisco Correia de Oliveira; -presi-
dente da provincial da i'arahyba,. sendo
hospedado ein casa* do sen digno irmad o
IUm. Sr. Sr. Dr JooBaptiata Correia de
Oliveira, que o esperava na estacSo da via-
ferrea, em corapanhia de muitos amigos.
Ao chegar S. Exo. referida casa, of-
fereceu-lhe o Dr. Joao Raptista e a todos
os .amigos, presentes, um, opparo e delica-
do taioco,.durante o qual fizeram-se mili-
tas saudacoes.
A' tarde, regressou S. Exc. capital,
sendo de novo acompanhado estaclo pe-
los meamos amigos, que jamis deixaro
em olvido-o-ame ;de S. B5xc-, visto a
glande sympathia que aqui deixon.
No domingo, 24, tive ocsasiao de ir ao
sico (
Tal
meato-em qw^ a proposta telegrapliica da confe-
rencia acaba de ser aeceita. 4J estado de sade
do Sr. Peu Metan,- ministro dos Balados Unidos
em Berliin, nao Ibe permita abreviar as nego-
eiaces, e-esperar-se-hd por consegntole que o
seu succesaor seja designado pelo no* presi-
dente Harrison. J_____.
' O senado votoua 11 u crdito ue 2oi):0UW dol-
lars para se protegerem ewotaaloiBate os inte-
"s amerieaaos em Panam.
Parece provavel que no prximo outomnoe e
O pltmcta lapiler
O mundo de Jpiter o mais volumo-
80 de todos- os que. formara o systbema
solar. Segundo clenlos bastantes exac-
tos, 6, em nmeros redondos, 1:000 ve-
zes mais pequeo do que o astro do dia e
urnas 1,500 vezes maior do que o nosso
globo terrestre.
A sua distancia do sol prximamente
de 200 milhoes de leguas, e ainda que a
luz que recebe muito mais traca do que
a-que chega at nos, manifesta-se a sua
so pobre globo^-os sabios, os astrnomos
e os que-se dedicam a investigar; as pro-
fu adazas do ti r mamen to.
A maioria dos- sores intelligentes, que
povoam aquelle '< mundo,. nao suspeitar,
sequer, que baja no universo um ponto
perdido no espaeo, onde formigam urnas
creaturaa dotarra* de razio, que discorrem
sobre o que se pWo passar as regides do
infinito. Se algom dia, n'um futuro mais
ou menos remoto, algum dos nossos leito-
res fosse habitar em Jpiter, tera*um
grande trabalho para encontrar a sua an-
tiga patria, feria de se levantar antes de
nascer o sol, o note-se que, desde que se
p3e at que nasce- em Jpiter este astro
n2o v2o mais de cinco horas, e procurar
para o Oriente, cinco ou seis minutos an-
tes, uma pequenissima estrella branca.
Com uma vista muito apurada talvez
conseguisse descobril-a; na maior parte
dos casos teria de se servir de bons ocu-
los, perguntando previamente aos astrono
mos de j, que calcula ni a posicilo e mar-
cha das estrellos, para que panto do espaco
se oceulta o nosso planeta. S assim sa-
beria que este planeta est no Universo.
Seis'mezes depois, para o Occidente, po-
derla repetir a inrestigaclo, ajSresentand>-
se-lhe as mesmas difuculdades.
Tal a condieSo em que se encontrara
os'habttantos de Jpiter 'com relayao a
ni. Durante a noite, nunca d-^alli se v
a trra, emquanto que -exactamente as
noites serenas que nos podemos observar
de c de baixo;aquelle magnifico planeta.
Os seus habitantes, que apaas'tem idea
da existencia do nosso mundo, nao ima-
ginarlo que, pobre e humilde- como se
aeha paveado da creatnras intelligentes.
Um dos espectculos mais formosos que
offerece Jpiter o dos seus quatro satel-
lites,i-muito maioresi-do que a nosma la, c
girando sem ceseor-sobre um mesmo pla-
no. Urnas vezes, terao no horisonte uma
s la, d'oirtras vezes duas, d'outras tres,
e alguinas bnlharao as quatro. Se as
nossas noite sao tao bellas Iluminadaspor
csse fri e pequeo -astro, e os seus de-
bis raice-dio tanta poesa natureza, e
finta melancola ao*espirito, povoando-o
de vagos presentimontos, imagine-se o que
ser a formusur das-cartas noites de J-
piter, Ama luz dos seus tristes sateUitos,
e- temperadas constanteinssdB-poraim calor
|rnuM(v Se nos fosse dad, observar de perto
esse mundo, costa*aiar-nos a elle e apre-
ciar toda a magnificencia da sua-natureza,
achadamos a trra demasiadamente mo-
desta ao sahirmos de uma tal morada.
Em compensaclo, temos um espectculo
que nunca gosaram os habitantes de Jpi-
ter : o nascer e o pa- do *oL
Db cambiantas de luz, o oo enrubes-
cido pelos raios de logo, as nuveas. mati-
aadas por todas as cores do prisma, os
contrastes caprichosos, -que precedem a
magniiica.appacicao do .enorme -globo en-
candesiiente, .aao scenas que nlo poderlo
[contemplar os aerea-que?.virem a 200. mi-
lhoes de leguas.
Os habitantes de Jpiter verlo o sol
cinco vezes mais pequeo-"do que nos e
recebarlo a. sua luz com uma intensidade
27 vezes menor.
Se da la e do calor procede a- vida,
este humilde mundo tema eendiclo su-
prema da belleza.
Em divansbes enprero serapre aos bai-
les e thcataasa a oonveasa attra-heate de
uma mulhaasrudMaa, .pie paateeado ar-
rancada desBserisdB-cestlssVlaasBt^enaimr-as
inebria a aissMdasjsfllesaBje aveavem com
a agudez '- irnpii i ta biifaninrin
Dentre as ondas de gaze d'dhde se v
surgir um busto formosissiino, taihado
vista, sem qne para sao tenha-lprimorosamente ecom os tons Apiramente
azulados do leite, e resplendentes de attrac-
tivos sob os beijos quentcs da luz trmula e
amarelladardo gaz," quenr grato nos -ouvir
ninas pirrases deliciosamente aprimorada
e repletas de elegancia e verve ?!
Caixa Econmica ctate de Soc-
corro de Praaubuco
Balanreies esa 8 le Feverelro
le I8SO
CA1XA ECONMICA
Activo
Tharauraria de Fazenda 1.127:99-15980
Moate de soirorro l:!i:09;>080
Caixa 1:6354400
I
- Jkariso
Depsitos em cuntas correles
1.263:7124460
*
1.263:7 Ijjfl
MOXTJC DBaOOCOKRO
Activo-.*
Eupi (tstiiw sobre penhores
Movis
Apqlices da divida pubBca provn
cial
Despezas goraes
Caixa
144:053 s'3tt
0:l2ti627
1:0005000
3:H702
2:9975130
Isto posto, creio estar quites comtigo,
meu bondoso leitor.
De ora em diante, posso,., pois, expen-
der com a rude. franqueza do selvageni,
aquillo que pens a respeito dos factos da
nossa vida social.
Mas nessa expoBito u serei, alm de
imparcial, o mais inoffeaaivo pessi^el.
NaNhorte, da mesma.frma que na vi-
da, ha modestos e orgulhoes^ .individuos
que desapperecem- inopinadamente sem
produair choques e commoeoes e indivi- I
dos, quo tendo enchidoo mundb dcassom-
Lms o ieitos gloriosos, .tombam, iinpoudu-
ee nao si ao luto,-mas tambem surpre-
za universal.
Aos- primeiros a sociedade- quando mui-
to entoa um regukscaL
Os segundos, porm, quando caheni,
abalam os espiritos, visto como a sua per-
sonalidade por si s-representam tradi-
c3es inolidaveis, accSes heroicas c eubli-
mos.
O venejando Sr. Bario de Cotegipe es-
t neste -caso.
A sua individualidade que concretisava
era si todas as aspiradles de um forte
numeroso partido, e o.ue dominava todas
as vontades que em- -torno -de si agiam,
representou no vasto scenario politico des-
te Paiz papel .maia importante.
E' por sso que de toda a parre.surgem
nterrogaooos sobre a influencia -uc o oe
daso :de tal- astro peda exercer no futuro
das nossas instituieoes.
y POSS'IO
Capital
Caixa econmica
Saldos de peahorps vendidos
leilo
Juros
"Lucros e perdas
Gasto* eom lei!5es
s. B. k 0.
peche, I" de Mareo de 1889.
eni
lo7:V*609o
17:1925284
134:09." 3080
4:141 i24!'
;rni24K60
29MHr)r
1.17:296*095

O gerente,
Felino D. Ferreira Cacllio.
Agora.
leitor, dobra cuidadosaanoHte
este Diario e vai descancar da enorme
estopada que boje to pespeguei.
No domingo vindouro contar-U -hei as
impressoes que experimentar nestes tres
das em que reinar .mperiosnniefflte .n folia
carnavalesca.
Garlos.
P. S.Como teu amigo, leitor, dou-te
um conselho. A gomm, a cal. o verme-
lhl e a farinha de trigo.Airio sobre es-
ta capital, como uma das pragas de que
falla a legenda biblica. Se nlo queres
ter o praaep de passares quinze dias com
es o os inchados e apaaharos algnma
cjonstipaclo, fecha-ta no teu gabinete, e
nlo bota nem o teu dedo minimo de fra.
Banco Internacional
do Brasil
Capital do Banco Es. 20:000:OQO;y.)00 *
Idemealisado 12:0(K):OOH-Si)00
Flindo de reserva 350:00"-1XX
Balando
DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO, EM 28
DE FEVERE1R0 DE 1889
Activo
Letras descontadas
Conlas correotea caucionadle
Clisas, Matriz e Filiaos
Diversas agencias
Vaforcs depositados
Diversas cuntas
Lenas receber
Caixa :
Km moeda corrente
274.0224100
1.217.66150X0
876.9844140
616.6215690
485.434 5800
33.904 5040
19-8:i5.'>0>"
S33.8275620
Poeeimo
Deposito.- :
Coutas corren tes dfl
movimento......\ 1.36J'.154I w
Ditas -1 i tas com'
aviso...........1 369.8065010
Letras a premio. 1-. 162.5364430
--------1---------3.897.497 SS80
Diversas garantas
Diversas agencias
Caixas Matriz Finaos
Diversas rontas
4&'i.4:i44800
I68.678l80
105.6875590
1.200.440*570
Rs. 4:8o 7.758 i720
S. E. & 0.
I'oriianilmeo, 2 de Margo de 1889.
(Assignadoi v%'. M. Weimier.
gerente.
I. 1. santo*,
miarda-livros.
t
KEMSTA DIARIA
\ iiilvi>*;iiria o desraaneito, a iascusate^
nao consentirao que resucem as festa-- que
um punhado de individuo*"bem intencio-
nados esto promovendo.
C.
JkMN
tfclo
roviacial No houve
tejem eooiparfcido apenas 9 Srs.

PERNAIBOCO

De domingo a domingo
Leitor amigo !... Alga indolentemente
as tuas pernas, boceja um pouco, recosta-
grandeza pelo esplendor, com que brlhai c*deira ~m a dor' de g
__ *_ oiHuntn r*e\ ninni1 um niamtvcn Hq *iiii*
llamo da rumpaabia de siiiiiru
uiaiiiimos e lerreatrew Plienla
Pi-ninnihiiiniia. ira 31 e Denm-
I sssa Ir ii>.
Actioo,
Accionistas 800:000*001
Escriptoria e mobilia 2:000*000.
revesares geraes 30:8C*3-
Letras hjpotbecarias 95:209*000
Letras descontadas 60:421*730
Agentes 4/2820U
Companaiade bombeiros 31:7375788
Estampilhas I86800
Valoras caucionados 21:548*000
Diversos ttulos 19:333*521
Liuuidacao da apolice n. 20803 14:001*000
Caixa 17:8865458
Deposito de administracao 60:000*00
Companhias reseguradoras 1,053:200*000
Riscos :
Martimos. 2,003:643*980
Terrestres- 10,2*V18e*800 12,223:823*980-
as noites estrelladas,
occasiSes, eguala
que,
,!ada
em algumas
excede, o de
ongenha.Carrapato,. de propriedade do te> Venus. Jpiter portante, um dos astros
nente-coronel Sotero Marques de Araujo
Pinheiro, assistir a uma peqnena festivida-
de do Sr. Bom Jess da Columna, em cuja
capella foi ella celebrada.
A missa foi rezada pelo Kovm. oonego
Araglo, quasi ao meio dia, durante a qnal
houve cantos sacros, etc.
Comparecen um numero consideravol de
povo, ficando grande parte no campo, em
virtnde de ser muito pequea a capella.
A' noite, s 7 horas, cantou-se a ladai-
nha, antiphona e versos, sendo arriada,
em seguida, a bandeira do milagroso Se-
nhor Bom Jess, no meio de cnticos, e
ao estrepito das bombas, etc. Em conclu-
slo foi queimado um pequeo fogo de ar-
tificio e. btrasda mo bala" bumsummU em
paz.
Acha-se designado o dia 11 Me Marco,
pmxhno, para ser installada a Ia si
do Jury deste termo.
Deus queira que desta vez funecione,
alim de nao ficarem por mais tempo pre-
teridos os pobres presos, que, desde o
anno passado esperam ser julgados.
O invern nlo parece ser m"
mais formosos. do co.
Como est- sem'pre sobre o Zodiaco,
fcil conhecel-o.
Quando, .em qualquer epocha do auno,
vinnos caminhar por entre as constella-
c3cs x.odiacaos um astro ie luz branca,
fxa, que se destaca entre os demais, po
deremos, sem hesitar, effirmar que J-
piter.
Cada anno de Jupitgr equivale a duae
dos sWBSOB; isto aquello mundo gaafa
doze vezes mais tempo. do qne a.Terra
em fazer uma revoluclo completa em. tor-
no do sol. Mas, rigorosamente, all nao ha
annos; aqui, sabemos que, desde o come-
90 de um verlo, at ao seguinte, medeiam
trpsentos sessenta e cinco dias; o nosso
ponto de partida ordinariamente eostuma
ser urna estadio. E' assim que dizemos:
ka (iois :iuversos, ha tres veroes, suce*-
deu ssio, indicando com isso que ha mais
de uma establo ein cada anno. Os habi-
tantes de Jpiter devem contar
tempo civil, porque, como esto
fins do mez prximo pretrito apparece-
ran as chuvs, que tm sido peridicas,
porem de um effeito maravilhoso !
Os campos esto verdea, as plantas
cheias de virla e os agricultores animadis-
simns.
O calor quo ajnda nos^,tor.aenta for-
te mente.
A ordem publica%ai sem ltentelo.
Au revoir.
primavera constante, nlo podein appi
em paraesses pobres recursos de que nos
uuo anda nos^t
1 publica4ra sem a
S. VICENTE, 28 GE FEVEREIgtJ
Vou dar cumprmenlo a espinhosa missao de
missivista desta localidade.
Desde 16 do iucz passado que esto funecio-
naodo as escolas publtea|stapovoaco car-
go dos respectivos prajttsBBsk'rancico Guedeg
valemos.
A inenayao do eixo d'aquelle planeta
sobre o plano da rbita, de prxi-
mamente. (Jonhecid' a theoria das esta-
c5es, que dependem exclusivamente da
inclinaclo, fcil conhecer porque moti-
vo aquelle globo tem quasi constantemen-
te uma temperatura uniforme
Nao ha aJli outras variac5es-sensiveis
senlo as preduzidas pela evaporaclo, pe-
las auvens, e pelos ventos. /
Com o auxilio de bons telescopios, v-
em-se em Jpiter, como em/Marte, gran-
des superficies de turra e massa liquida.
Nlo ha a menor duvida d que alli exis-
te a agua, por isso que se obsarvam rao-
sidente ao ouvir um discurso de quatro
horas e prepara o teu espirito.
Depois de haveres devorado, com a
ancia propria do quem. procura estar ao
par das novidades, .todas as bastas colum-
nas deste velho Diario, inconscientemente
laucaste o teu olhar, ainda amortecido
pelo somno, para este cantmho ignorado
onde hei de por a salva as minhas despre-
tencioaas ideas (quando a ti ver.)
E como .nlo lia peor aguilhao do que a
curiosidade eis-te Jesejoso de apreciar .no
cadinho de tua imaginaclo cultivada as
minhas phrases, as minhas opiniSes e at
mesmo o que eu deixar. de dizer.
Seguindo velhas e .obstaveis praticas
devo faseras minhas lijresentacoes, depr
aos teus ps as credenciaes, em virtude
das quaes en tenho a honra de roubar al-
guns momentos da tua preciosa attencao.
Em poltica adopto sempre as theoras
daquelles que mais bonitos me parecem,
e que maior somma de beneficios me po-
dein prestar. Neste ponto eu procedo
muito bem, visto como, em falta de ideaes
eu sigo as personalidades, mesmo porque
as cousas nlo tem andado l para que di-
is U,433:F6*3iO
Pumto
Cirital 1.000:0^0*0)0
Lucros e perdas 33.656*759
Caucao da-administraco 60:Oeo#flMl
CaugOes IrUMMMI
Cmpanbias de seguro 13:908*541
EJ D. e Albuqoerque & C, de
. Camossim 133*330"
Dividendo 21 /. 480*000
Dividendo 22 20:000*000
Hoaoraris de administracao 7:223*700.
Resegaros
"
Variamos
Terrestres
Sesnrrados
207:200*000
846:000*000
Ris
l,tl53:U0iS0U
12,223:823*980-
14,433:976*10
gamos.
Em litteratura eu sou verdadeiramente
original. Todos os systemas, todas as es-
colas, todas as theoras slo boas todas as
vezes que apresentam bons productos.
Isto nao fjtie.r dizer que nio tenha uma
certa* queda
ra e consci
Com o
algum conco
montaros de
maram os mei
pelo principal
o romance s
dade na photogMot
Alm d'isso aTrl
imitado dosacom!
-observa5lo e analyse se-
strSrb factos.
rm^*sV> posso de modo
Hom o realismo dos
"teseclas, os quaes to-
fins, o acce8sorio
o que o drama ou
nario e a vej-
artistica
Pernambuco. 31 de Dezembro de 1888.
Lmz Masigner, guarda livros.
TRANSFERENCIA >E ACTES
Durante o anno nao houve transferencia de
aeces e sim urna averbaco nos termos le ins-
cripcao de 10 acoOes para os effeitos do arf. 19
do decreto 11. 8,82 de 3!) de Dezembro de 1882.
PER-
COMHANHIA E EGOROS P1IEMIX
NAMBITCANA
Sr. accionistas A commisso liscal dandsvj
cumprimento ao art. 43 dos estatutos, vem de-
clarar-vos que procedeu ao exame da escriptu-
racSo, dos Jecumentos e valores existentes re-
lativos ao anno social da companhia. findo em
31 de Dezembro do anim prximo passado, tu-
do veri ficando exacto e conforme com os ba-
lanfos.
Os lucros liquidps das operacoes realisadas
durante o anno< foram de 53:656*759, permit-
tindo um divid ndo de 20:090*000 ou 20*000
por acefto que est consignado no bataneo para
ser distribuido, e ficando em lucros e perdas o
saldo-de 33:636*759 para attender li.pii-laco
dos riscos pendentes-
0 movimento social e o crdito da companhia
corresponderam e corresponden] ao justo con-
ceko que Ihe dispensado, o que muito nos apraa
f declarar-vos.
Concluindo, somos de parecer que sejam ap-
provadas as contas fechadas em data de W de
Dezembro de 1888.
Pernambuco. Ia de Mai^o de 1S89
4nois.rrnai(fe RVi;o.
Ferreira Baltar.
de Amorim
M WTHMfl
sessao poi
deputados.
A reuniao foi presidida pelo Exm. Sr. Barto
de Itapisptrma.
O Sr. Io secretario procedeu a lei tura de se-
fainte expediente:
l'niofficio do secretario do soverno transmit-
tiodo copia da portara pela qual se prorogon,
alim de ter execuco no exercicio de 1889 a lei
n:1909JBtandoa'iorcasnoliciaI.Inteirada.
. Outro do mesmo communjcaiido que tiverun o
convaniente flestinaa relaco dos JSrs. debuta-
dos e osconto dos em presados desla secretaria
relativo* e de- Dezembro de 1888.Intei-
rada
Outro do mesmo i'Iem. o relatorio dos em-
presados. no mez de Janeiro ultimo.|itei-
rada,
Outro do mesmo transmit indo copia da porta-
riaicaosiderando sem effeito a de 31 de Dezem-
bro de 1888, convocando extraordinariamente
por 15 dias esta assemblea para o dia 15 de Fe-
rereiro.Inteirada.
Outro do mesme transmittindo 40 ejemplares
do relatorio con qu o Exm. Sr. desembarga-
lor Joaquuu Jos de Oliveira Andrade passon a
administragao desta provincia ao Exm. Sr. Dr..
Innocencio Marques de Araujo Goes.-A disiii-
buir.
Outro do secretario do goverao da provincia
do Piauhy remettendo um exeraplar das le
(faqucHa provincia promulgadas em !**$.
arciivar.
Em seguida foi dissolvida a reuniao,
i.iiarnii un dev Pet-nambucuDa .-y-
cretaria da ".presidencia enviaram-nos houlem
para ser publicado o seguinte officio do Exm.
Sr. general' commaudante das armas :
m .\.;480,Qoartel general do commando das
armas da Pernambuco. Io de Marcj> de 1889.
IUm, e Ejcm. Sr.Em virtude da lei.n. 3,3%8,de
%' de Ontubro de 1887. publicada na ordeca do
da doexereito, n. 2.203. de 3 de Setembro de-
creto o. 10,013. de 18 de Agosto, tudo do a.iuO
judo,- maudoii pr em execuco a nova on. ani-
saco das oreas arregimentadas, licando os ba-
talhei de infantaria 2* e-t4 com 4 companhias
cada- um.
Tambem-pela nova organisaco foi extincta
a coinpaabia ae cavallaria desta provincia, ii-
candoo sen pessoal pertencendo ao 10 reginen-
to da mes.i-, rma.
A" vista Jo ofliciOida repartico do ajuJaata
general, n. l',171. de. 12 de Pevereiroultimo, fica
a forca da extincta companhia considerada como
destacamento e para commandal-o nomeei c ca-
utio do 1 regiment Joo Justiniano da Rocba
c para subalternos os tenontos JosCarneiroMa-
cll'da^ilva do 4o, Leobaldo .Uigusja de Me raes
do 6 e alteres Joo fio da Fonseca fo 7 e Ma-
noel Ladislao dos Santos tambem do 6*.
Submettendo consideraco de V. Exc ijs-
sas occorrencias, espero que merecam a appro-
vaco de V. Exc, a -quem Deus. guarde.IUm.
e Exm. Sr. Dr Innocencio Marques de A-unjo
Ges, presidente da provincia.-0 brigu i-o,
Jos (i- Aimeid 1 Ei<. reto.
Igreja da ama Cr-Jlesta igrejs
ver ertodas as sextas-feira, s 7 horas da
te. sermes .quaresmaes, pregando o Revm pa-
dre commendador Manoei Moreira da Gama ; e
na quinta domioira sahir da qiesma igreja a so-
lemne procisso chamada de-^-Encontro.
a\aia'r. da poca0 club carna-
valesco deste nome obsequiou-nos hontem ca>o
um exemplar do inieressante jornal liumoristico
que distribuir boje e na terc-feira.
Fasendo a sua i- apparico no globo -sffr
queo. como nos annos antecedentes na fest
Deus Homo, estatuio dividir o prestito carnava-
lesco por 6 grupos allusivos e crticos em carra
irens istosamente preparadas, seguidas de u
sege de honra, com o pavilhao social, desfihiar
na ordem seguinte :
Pnmeiru carruagem
HONRA DO CLUB
Tres socios gentilmente vestidos conduzem o
estandarte social I
Segunda curt'iagem
Oppressao dos captivos
Um grupo crttico de deus fazendeiros ejcla-
vafiatas com duas viciimas do seu ignobil eorn-
mercio! -
Tercena, carrVUgem
Todos somos iguaes deaua^ft iaLBrk ItlRJ
fc_


Diario de Peroambuco
libertos, que em completa farailiaridade esque-
cem os srdidos precoaceitos sociaes'
Qum-tuxarniagem
Os futuros represeitantw do Brazil
m graao critico de stidos. expressando pelai physlonomiaspre-
1enck>s, aptidao para grandes reformas.
Qutnta xarrwgem
O Brazil caramba pura o progresso a passos
lentos, c
ia.alhiso allegorica representando o Bra-
PKTjui-.to a si dous erniuentes vultos poli-
. que oh iTvam o futuro do Imperio Na-
I por dous, oculo*! -..
ImtiKta carruagem
0 futuro do Brazil
.na allegara representando a Repblica,
!o a direita e fsqucrda dous nota veis re-
liemos brasileiros
Stima carruogem
Igualdad, liberdade o ftaternidade conve
niencia !!
I' ti rupo critico de tres individuos republica-
nos mestiros ligurando um bacharel, um 5* an-
Oista e uin uncciooario publico.
Inajpernl otetfade rio* Artista*
n banlrox e LUterae -Esta sociedade
se reuni em Asscmbla Geral era 8do pssado
e deu posse a sua nova directora.
Ksta se rennir em sessaa decon seibo segouda-
eii.i 11 do crrante.
Manta taoa -A sesso da junta apuradora
esta corBorago lera, lugar na quarta-feira 6 do
orreute a hora do costume.
lab trnniiiir Muri*<|iiinho
Este club sahir de sua sede aita a ra Augusta
n 121 os tres din do carnaval para percorrer
asjeinco freguesias esta cidade
Club don Co|aUatadorcCom este ti:
tulo organisou-se mais um club carnavalesco,
fue percorrer diversas ras desta cidade nos
tres das de carnaval.
Sua directora ticou assim organisada
PresidenteHermogenes de Souza.
Thesoureiro Antonio Francisco de Souza.
Io secretarioJoaquim J. Cde Souza.
2' dito-Arthur da Silva.
Or.idorManoel Carvalao de Souza.
M ufch Ca-nava I eea Canna Verde-
Este club percorrer hoje as prinripaes ras *e
Santo Antonio, Ilecife e Boa-Vista : amanh, as
4c Santo Antonio, e na terca-feira anda as de
Santo Antonio e S Jos: sah-ado sempre de sua
sede a ra da l'enha n. 25. 1* andar.
m rallerioaento Noticias houtem receidas
de Goyanna dizem haver fallecido all o abasta-
do negociante Antonio da Silva Loyo, muito es-
timad i nao s naquella cidade. como tambem
Basta capital, onde residi alguns annos.
Era o tinado natural de Portugal e contava 45
an i )S de idade. .
A sen irmao o Sr. Jos da Silva Loyo Sobn
Tiho. e a seu to, Exm. Sr. Visconde da siln
Lovo. apresentainos nossas condolencias.
tiiobinho-Cu.:) este titulo distribuiram
bootema fabrica de cigarros Globo, ra Lar-
ga do Rosario n. 28. a Nova Hamburgo e a pada-
ria Mello & Bisel o nuraero-nnico de urna gazeta
em saudaco ao Garnajal de 1889.
\->va mnlra Com o titulo de l'ln sir
d'amour a una. Sra. O. aria Anglica da Cruz
Ribeiro puWicou urna schottiseh para piano, de
suconiposHjo.
E' um bom trabnlho, que merece animagq.
Agradecemos o mimo que a gentil composito-
ra nos fez de Um exemplar da sua produccao.
Jornal do Miranda-A casa Miranda,
ra Baque de Casias n. :19, distribuio hontem o
1* numero de um peridico, sob e titulo cima,
dedicado troca sea. tragos.
Espirituoso, tiraaem 5,000 exemplares. "
tnnhvrMriu-Fazem boje ti annos que
foi roroado como ci'efe supremo da igreja cattio-
lica, sua santidade o papa Leao MU.
Patrimonio Heicsaard Recebemos do
Sr. Joao Martins da Silva, thesoureiro noraeado
pela- redaego do Rebate para agenciar donati-
vos pera o Patrimonio Regaard, na conferencia
realisadano lar-o-do Pilarem 28 de Fevere,iro
findo. a quantia de 42*500, dos quaes fizamos
hontem entrega ao commendador Sr. losepn
Entuse, thesoureiro da commisso central para
o referido patrimonio
Essa quantia assim desenmiaada
Joo Martins da Silva
Fr.rin-~o Aires Lourtnic
Jos*'1 '.'iitlo daCosta Sobnuho
Jo? Francisco Bomiogues
Ma el daMotta Bastos
Jo- Antonio Rocha
Man el Airea de Senna
l1 anio Ferreira de Partas
Mauoel Gaaeltes BeltrJo
\ i Francisco Galvo
Muo.-i Fernandes Velloso
Jos'' dos Anjos Farias
Joaquim Antonio Rodrigues Sobrinho
Lu/. 'la Fonseca Oliveira
Jos> Martins Raymundo
Au lio dos Santos Lop".-
JOS Miquillo
arenen Ja Silva Oliveira
Tt.Afi ihO sveiuo Ferreira
J Alve- lio.lrgue* Leite
Miaa ruaebrpSerao celebradas :
Aaanha :
A's 8 horas, na matriz da Gloria do Goit, pela
alma do padre Manoel Ignacio Bezerra de Ama-
ral ; as 8 horas, na capella da ceraitario, pela
alma de D. Gaadidn Gomes de Oliveira ; as 8
toras, na^Jgreja. da Sotedade. pola alma de,
Francisco Anioaio.de na matriz de Santo Antonio, pela alma de Fran-
cisco de Paula, Ferreira d'Annunciaco ; s 8
horas, na matriz de GomeUeira, pela alma de B.
Mara Francisca Paes Barre Lins : s 8 horas,
na igreja do Paraiio. |>ela alma do Br. Pedro
Affonso de Mello.
Terca-feira:
A's 8 horas, na matria de Gamelleira, pela
alma de D. Maria Finjwisca Paes Brrelo Lins ;
as 6 1/2 horas, na igreja do Tergo, pela auna de
D. Joanna Evangelista da Fonsecae Silva..
Paanw g*iro San idos para o sul no va-
por inglez trent:
Christiano Martins Ribeiro e l'mbelina Ro-
drigues Vieiea.
Chegados do sul no vapor braaileiro Prin-
cipe do GrSo Para :
Joo Baptista ila Costa Carvalho FiUiO. Char-
les Lonsan, Joo Jos da Rocha e i filho, Luu
da Silva Lemos, Joao Luij da Silva Campos,
Mfcfioel Capituliuo de CarMpio, Leandro R. G.
Mello, Jos Antonio da Silva Costa, Antonio R.
Santa Rita. Br. LuiFarinha e Adolpho Kjrsa.
- Sahidos para o norte no vapor americano
Allianca :
Germana Vieira,.Jos Antonio Arelas, L. A.
Chlaner, Rodolpho Lima e sua senhora.
Directora codo rort*d PeraomliuN-Reci-
te. 1 de Mar^o de 1889.
Boletim meteorolgico
Horu
9
12
3
6
m.
t.
9 =
|2
a o te

23 r 9
ir,--'
20"-1
29-
29'-l
Barmetro a
0
760-66
762-31
76-04
760-13
760-38
Tenso|
do vapor
18,43
20,09
22,97
22,62
22.11

83
90
76
76
74
som-
Temperatura mxima30,00.
Dita minima 23,50.
Lvaporacio em 24 bont3ao sol: 3.4:
brai 31.
Chuvanulla.
Direcga do vento: SE de meia noite at 9
e 3Q minutos da manh : ESE at li horas e 20
minutos; E at 4 horas e 25 minutos da tarde ;
SE e ESE alternados at 9 horas e 5 minutos ; E
at meia noite.
Calmara durante 9 horas pela manh.
Velocidade media do vento: 0-90 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,52.
Boletim do porto
^ 3
^3
-i -i
o =
B M.
l'. M
i; M
p M
Dia
1 de Marco
2 de Margo
Horas
1019 da manh
4 -43 da Urde
10-53
3- 3 da manh
Altura
0-,28
2-,63
0-.10
2-,42

lUOOO
3IOOO
500
15000
2*000
i Km
5 300-')
500
25000
500
1-4000
500
2*000
liOOO
OOO
5*000
24000
14000
500
2*000
2*000
24000
3 de Maifo de 1889
13
4
3
573
enfermaras
47*500
5*000


Pespeza leja cota a publicaeo de avul-
sos para a conferencia
Liquido 42*500
Ha dias remettemos tambem ao Sr. com-
\ mendador Josepb Krause para o referido patrimo-
nio 2*000 que cp:u esse destiuo mandara-nos o
Sr. Baro d'll-rpent.
- Bail<>M -Hep.teni-se boje os bailes pblicos
.os treatros de Variedades e de Santo Antonlb.
que estilo bem decorailo> : sao lindamente illu
minados. .
Os de bouteni uram baslante concorridos.
Club Carnaaleco FeninnoM do Be-
eife-Tendo este club resolvido percorrer nos
dias de carnaval aln;uas nas desta cidade far
o segante itinerario:
Domingo e terca-feira-Ra larga do Rosario,
Cabugi, Baro da Victoria, ponte da Ba-Viata.
Itnneratriz, praca do Conde d'Eu. Aragao, Rosa-
rio', ConcMieo, paa*a doCoae d'En, Hospicio,
F-innoza, Aurora, ponte da Boa-Vista,' oncordia,
Palma, Paz. Flores, Cambda do Carmo, pateo do
Carino, Coronel Suassuna, Vidal de Negreiros,
Mareilio Dias, travessa e pateo da Penlia. Assump-
co. Xogueira. Acoiguinho, Calgadas, travessa de
S. Jos, Santa Rita Nov;:. Paulo Alfeaso, bceo do
Carior.i, Rangi-f. Queinjado, praja da Indepen-
dencia, recollier-se.
, Segunda-feiia : Largo do Hosaro. pateo da
iiependencia, Cruzes, Ouvidor, Imperador, 'res-
po. 'Hite do-Recife, Mrquez de Olinda, i om'Je-
ps, largo do Arsenal, Bram. Guararapes. Pilar,
nal, Bom Jess. Mrquez de Olinda. Ponte
do Recife, Imifrador..pateo dt Pedro II, Queima-
do. Livraraento, ra e travessa da Penha. Marci
lio Das, traversa e pateo le S. Pedro, Coronel
Cana de DetencoMovimento dos pre-
sos da C:.sa de Detenco do dia 1 de Marco de
1889.
ExisUaui 439; entraram 9; sahiram 9 ; exis-
tem 439.
A saber:
Nacionaes 404 ; mulheres 14 ; estrangeiros 21.
-Total 438L,
ArraQp|w398.
Bons 368.
Doentes 26.
Loucos 4.--Total- 398.
Movimento da enfermara
T veram baixa:
Pedro Gomes da Silva.
Seran Amaro dos Aujos.
Manoel Dias Barbosa
Antonio Ai BBgiyidnn ff\ -vr-r*M
Te ve alta:
Joo t^apistraiK) de Oliveira Costa,
Hospital Peda* II O inovunento deste
est.ibelecimeato de datlade, no da 1 de Mar-
co, foi o seguate;
Entrara
Safiiram
Falleceram
Existera
Foram visitadas as respectivas
pelos Drs.: ........
Cvsneiro as 9 1(2, Barros Sobrinho as 7. Mala-
quis.is'.) l|i. Poutual s.9lj.
N5o compareeeram os Drs.:
Mosco so.
Etevo Cavalcante.
Berardo.
Simoes Barnosa.
O- cirurgiSo dentista Numa Pompilio as 8
horas. .
O pharmaceutico enirou as 81|4 da nianna e
sanio s 4 da tarde. ....
O ajudante do pharmaceutico entrou a* i l|[i
a manh e sabio s 4 horas da tarde.
Lotera do ram-Par-A 5 parte da
26* lotera, dessa provincia, cujo premio grande e
G:OO*00O, -era extrahida, amanhl. segunda-
feir 'ideMargo.
Cemiterio rnftleo -Obituario do da Io
de Marco de 1889.
Margarida Xavier de Lima, Pernambuco, /O
annos,'viuva, S. Jos ; tsica.
Jos Xavier de Oliveira, Pernambuco, 40 an-
nos, casado. Santo Antonio lesao do cora$ao.
Alvaro. Pernambuco. meaes. Graca ; colilc.
Alfredo, Pernambuco 7 mezes, S. Jos diar
rbea. ^ .,
Jos Rodrguez, Hespanha, 29 annos, Recite :
febre perniciosa.
Feliciano. Pernambuco, 2/ mezes, Boa \ isla ;
sar ou eliminar. O eminente
pesquizas que lhe encheram -meces de apV
plicacSo, ebogwi a conclusSes definitiva*
que resumiremos.
A fcula da Mcun^.aKiaai*'prepara-
da pelos eearensBa'faaiintbsy. nao infe-
rior, quanto as proporcoes deimido, s fe
culas. commune, mas encerra quantidade
notavel de um acido tannico, inteinmttnte
novo na sciencia, o qual se acha ligado -a
urna materia corante vermelha, pertencen-
te classe dos phlopaphenos. que-tinge a
fcula.
Ambos estes corpos (acido tannico e ma-
teria corante) adherem tenalmente ao ami-
d" e nao podem ser eliminados por sim-
ples lavagom. Tera elle* a pcopriedade de
curtir a pello animal e occasionam 'desor-
dena no apparelho digestivo em virtude
da sua accao sobre a mucosa gaatro inies-
tin;d.-Kita.circuiiJBtancia, junta ae tacto
de oao canter a fcula materias al bu mi-
noides e gordurosas, torna semelbante
producto incapaz de manter a vida, .ae
usado exclusivamente (como acontece aos
famintos do Cear) e explwa os graves
desarranjos que produa no organismo.
Meamo no estado bruto, porem, pode
fcula ser empregada indoatrialmente para
fabricasSo de alcool, glycose, eto^Sua
purificacao pode ser fcita pelo permaga-
nato de potaasio, pelo^gaz.aulfioroso ou
pelo hj-pchlorito de calcio. O pruneiro.des-
tes proeeasoa, que o mais caro, d-uma
fcula muito alva e o ultimo o mais ba-
rato. Medanle- ualqur deates procesaos
o acido tannico totalmente eliminado e a
materia corante reduzida ao minimo.
As bellas sementes de Mucuna podem
tambem ser purificadas mediante procesa
que o professor W. Michler descreve mi-
nuciosamente no seu relatorio, do mesao
modo que aquelles. O relatorio aeom-
panhado iie cinco amostras: urna de fcu-
la bsuta e- quatro de icula purificada pe-
los pTOcessos descripto8. Juntou tambem o
professor urna amostra de couro de boi,
patenteando a accao do acido tannico e do
phlopapheno da Mucun.
*
' orretr Vea, ha tempo, na imprensa eu-
repa, de que o famoso. assassino de Lon-
dres tinha sido preso em Tunis, e esta
suspeita ainda nao se tinha desvanecido
data das ultimas noticias.
O preso chama-se Alfred Gray, e um
homem de 24 annos, muito parecido com
os retratos do supposto Jack the Ripper
que, por informacoes, se poderam delinear.
E' tatuado no peito, as costas e em am-
bos os bracos; n'un dos bra90s tem a fi-
gura de urna mulher nua, e no outro de-
senhoa de pecas de artilharia e cordas, e
as letras M. e P., que elle diz seren as
iniciaes dos nomes ae duas mulheres que
conheceu, Msfjf e Pally.
Acompanha-o urna mulher ajada nova,
italiana, mas que 'alia correctamente o
inglez. Esta mulher confessa ter vivido
ltimamente em Whitechapel, mas tanto
as suas declara93e8 apmo as de Gray sao
perfectamente confun e contradictorias, e
por Uso inspiraram auspeitas ao cnsul bri-
tannico, que esta va procedendo- a cautelo-
sas averigua c;oes.
Na bagagem dos presos nao se encon-
trou cousa alguma suspeita, a nao ser
.uSJt-.,a^alba-.&.&**&)/&*&& K^^'\
a gente pode trazer comsigo
Dephrranr ta" i facto
Mianto os mdicos nerte-antencanos, segundo
allegam, s mu diflicilmenta otm.autonsai|ao
paM platicar a sua arte na Europa
Lamenta unjafomanortetamencaiia que o ?o*
vwno federal izaste mais dinheiro com o-estado
duc molestias doporcotde que com o de todas
asiualestias do homem. Outra pondera que a
observaco nao de todo fundada, norqae entre
as despeza da ultima categora importa levar
em oonta as dos -hospitaes -e laboratorios de
bacteriolonia/physiologia e outrosj como cen-
tros de estudos directos e indirectos Acerca das
molestias humanas, sendo estes estabelecimen
tos subnjncionados pela Estado.
***
Cuidado com os vidros!
Diz A Actwidade,. do Porto, no seu numero
de 27 do passado, sob a. epigrapne. Veneno
caseiro : .
Tal o que.serapeuinalanas wdracas c poN
tas das jauellas de tosa aposento habitado. Se
quoiniannos a -.amadaidc materia, oj-gaoica quu
se forma nos "Nidios com a respiraco, sentire-
mos um cheiro parecido com o que exbala o ca-
bello chamuscado, sensasao- que indica a exis-
tencia, da matara organioa, anda imporcentivel
vista. Se deixormos. permanecer .por .alguns
dias eexaminarmos com o microscopio, venli-.
caremos a existencia de microbios. Dista se
deprehende a necessidade de limpar a miudu as
vidracas dos quartos e salas, porque a materia
orgnica de que fallamos entra em putrefaa;ao e
um germen de eofermidades .
eapit
- #*#
niumo
Corro a seus bracos trmulo, iiiceodido
De febre e de paixao... A noite negra,
Ruge o vento no matlo;
Os pinheiros se inclinaui murmurando :
Onde vai este pobre cavalleiro
Com seu sonho insensato?.
(F. Varella).
As vezes quando noite no meu leito
Velo, as azas abrindo a pbaotasia,
E triste sorvo o feld'esaa agona
A que o fado cruel me traz affeilo ;
Como de Beus a mSo sobre o meu peito,
Una'doce visae me acaricia..
Exulto ante essa luz que me atlumia
E da sorte o rigor julgo desfeit o.
Portal triste de mim! como a miragem
Que um momeatosarrio ao caaiinheiro.
Em breve*se desfaz-anieiga iaiagem.
Debalde a fronte emsto ao travesseiro :
Foim o somno>... e ao paagir da>dar selv^gem
Dormir anhelo o somno derradeiro.
Manoel Caralmnte ie ieltv Filbn.
Fevereiro de 1889
\ile rtc hinr
Salve, la candida,
. Que traz dos altos mon tes
Erguendo a fronte paluda
Dos negros horisnntes
As sombras melanclicas
Vens ora ahigentar t


(. Dias).
Cerno a Venus formosa se embabuca
Na alva espuma do pego que flucta.
Asalm normar do co a branca la
Pisando niveos flocos eis que avaoca.
S,ifna e magestosa ella descanja,
Ora em sendaes envolta ou semi-nua,
Ora sem veos, risonlia a face "sua
A \pz tflo meiga pelo espaco lanca.
Como um crystal ondeia o manso rio ;
A flor silvestre as ptalas desata
Das lagrimas da noite ao beijo fro.
oermo em leucOes de nivea prata
eorac'o. triste e vas,
Hindo a sos a dr que o mata.
o bacil
da
e
raval-

Sussn:i. paleo do Carmo, ra de Santa Theresa.
(ial'l Jiro, S. Jooi Concordi* Bartliolonieu. De-
Mteo. Flores, Camboa do (Jirmo, Haro da Vic-
m0'i,y. dnisr, larjM do Rosario, n n-colber-se.
h*rlco militar Esto ili-signados boje
para .-.uperior do di.- Sr. impito S Brralo,
t para ronda menor um oflicial de cavallaria. e
par.: anflnrti o -r. captrO' Manoel Anselinu
para ronda menor outro subaltern
A gaamicao da ciuada dada boje pelo 14"
batalbo de infaUtaria e aman1i"*pelo 2- da mes-
ma .irma.
- E\i-tem na enfermara em tratamento -^t
pracas dos cornos dagoarnic"-
- Hoie das 5 s 7 horas da tarde locara no
jardim do Campo das frincezas a banda de mu-
i do 14 batalhao.
rlta de-minterario A Associacao
al Beneftcente vrigio liontem ao go-
Cenio garal o telegram a que damos em ae-
*uida sobre a escassf'z de numerario em nossa
"ara :
! presidente do conselho de unnis
Corte. Bancos nao tomam saques solii'-
por falla numerario t>raca luta
uldade peb mesma lazao, pdenlo i
ctWseque iriaa commerno lavoura.
'etlinios provid :as appellando patrotis-
mo \* Exc. _" _
IMarco 1:8* -Barao e Casa ror-
$* tt l" Ma, secre-
tare
L.eiiaoEtTeclnar-se-ha o seguinte
U Iwras, a ra Mar-
move- rsa


espasmo.
Elias, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Vista: atrep-
Joo Luiz Marinho, Pe .ambuco, 30 annos, sol-
teiro. Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
Genuino de Paula Santos, Pernambuco. 28 an
nos, solteiro, Boa-Vista, ascite.
Luiz dos Saolos, Pernambuco. 23 annos. sol-
teiro, Boa-Vista ; anemia. .*H
Um punco de tudo
A denominacao de jfucunu glabnu toi
dada ou proposta pelo Sr. llodolpk Theu
philo, do Cear, a urna leguminosa o pi-
nero Mucuna que, a seu ver, constittie va-
riedad* distincta das classiticadas pe!.:
sciencia, e'com a qual, as grandes Rcoaa
que devasUm aquella provinei.i, e alimeu-
tam oe famintos, na falta absoluta de
outros meios de nutricSo, comendo as f-
culas das raizes c as sementes depois de
lavagena, mais ou menos repetidas, desti-
nlas elirainacao ou attenua9lo doprin-
cipio toxico que a planta* encona. Esta
alimentacao selvagem, a que obriga dolo-
Kpsa necessidade, causa envenenamento
ento que, depois de produzir diversas per-
turbac3e8, determina fatalmento a morte
no fim de* algtim-tempo'. O Sr. Rodolpho
Theophilo estudou, duraut a secca de
1877 a 1878, este trisvisaimo facto, para o
qual invocou a attencao dos homens da
sciencia, assegurando haver instituido in-
vestigares para acfar meio de eliminar
aquelle principio toxico, qual se d com a
mandioca ( 'atrocha manihot. L), que, con-
tendo activo veneno no acido hydrocyani-
co, entra todos os dias na alimentacSo do
Brasil, mediante singelo prcesso elimina-
dor daquella substancia lethal.
Disto inteirado, deu-ae pressa o ministe-
rio da agricultura a confiar ao Dr. W.
Michler, director do laboratorio de chimi
ca industrial na Escola Polytechinica, o
Mame da materia, nao s para o fim de
determinar a "->""*V iJatnWM"''!
mas paca- i
K' aabido que o'Bculo do cholera,
quanda artificialmente cultivado por- muito
tempo nos laboratorios, perde a proprie-
dade toxica que tem no estado fresco. O
Sr. W. Loeweathal conaeguio restituir-
lhe esta propriedade p.ir meio de urna
pasta especial formada de carne e de pan-
creas de porco, farinha leguminosa, pep-
tona, assucar de uva e sal de cozinha,
acabando por verificar que o sueco pan-
cretico que, na presenca de materias al-
buminoides c peptonisadas, determina a
accXo toxica do bacil lo.
Determinado este ponto, procurou o au;
tor descobrir substancia que, inofFensiva
para o homem, impedisse o dcsenvolvi-
mento do bacillo do cholera na sua pasta
pancretica. Depois de experimentar sem
resultado o opio e o tannino, recorreu ao
salicylato de phenol (ou salol) por que este
poderoso antisptico decoraposto no or-
ganismo pelo sueco pancretico, isto ,
pelo meamo agente que torna toxicas as
culturas do bacillo. Com effeit o salol,
na presenca do sueco pancretico fresco,
matou os bculos do cholera desenvolvidos
em urna pasta previamente semeada e,
por outro lado, tornou estril esta pasta
quando Moewenthal a saturou do galol e
em seguida a semeou de bculos.
A' vista de taes resultados Loewenthal
communnicou Academia das Sciencias
de Pariz considerar-se autorisado para
propor o ensaio e:n ponto grande, e no
homem, do inotfcnsivo remedio que destroe
o bacillo do cholera, recominendando at
infonnacao mais ampia da experiencia ch-
uica a dosagem seguinte:
1." Como meio prophylatico, tres vezes
por .dia, no correr das prittcipaea refeicoes,
2 grannnas de cau vez :
2.o Como applicacao therapeiitica, urna
d.'.se inicial de 4 grammas desde a appa
rica > dos primeiros symptomas do cholera
e,* depois, urna gramma por hora, podendo
> i apptcadas atJnO grammaa de saloU,
por dia. i*
A douta corpora9* medica do Brasil,
to empenfeada na sua luta tenaz contra a
febre amarella, poder talvez tirar aqui
ilbic5e8 uteis. sujeitando o microbio a ex-
periencias idnticas. A sua prudencia e
a sabedoria aabero vitar o escolho das
pesquizas incompletas e das generalieacoes
e conclnsoes prematuras. Ella nao ter
razao para julgar-se desairada se ao cabo
de tentativas e de investigares pacientes
chegar conscienciosa conclualo de qua
nao ha nada que concluir. O verdadeiro
mereciinento scientitico nlo est sempre
no achar mas- militas vezes no procurar
com dedicaclo e com lealdade.
Manoel Cataicanti de Mello FMo.^
**#
Nao dcBcbnhecida dos nossos leitores a reso
luco quev na poucos dias. tomou o Sr. ministro
interino fia agricultura quanto organisaco
provisoria de um servico destinado pratica da
vaccina ante-carbunculosa as zonas da provin-
cia de Miaas-Geraes, onde o carbnculo sympto-
matico, alli conhecido pelo nome de Peste da
mnnqueira, lavra desde muitos annos. pusando
perdas que tem sido avahadas em 20 % da pro-
dueco animal. A imporlancia, que para li-
gar a este grave objecto, induzio-uos a publicar
integralmente em outra secgo. alm dos avisos
a tal respeito expedidos, as instruocoes pelas
quaes devem reger-se os encarregados daquella
vaccinaco. /*
Tratase da organisaco provisoria que sera
desenvolvida a tornar-se necessario por forca da
propapaco do mal. Por emquanto a zona fla-
gcdlada ser dividida em dous districtos, cada
um dus quaes licar a cargo de um novo vacci-
ador. O perimetro de cada districto vai
designado as instruesoes.
0 zelo da administrago publica pela serte da
industria pastoril de Miuas-Geraes incontesla-
vel. Est creado um servido que desde nr.ito
tempo no territorio francfz, e recentemente na
Australia (onde o carbnculo tomou a denomi-
nacao de Cumberland desease)', tem dado resulta-
dos dos mais satisfactorios pela consideravel
diininuico da porcentagem da mortandade nos
animaes accommettidos do mal. Todava era
tudo est feito. Aos interessados incumbe gran-
de parte da tarefa. i.utnpre que os criadores
nao olhem com indiueren'ca ou desdenhosa igno-
rancia para o meio prophyiatico que Ihes pro-
porciona e de cuja applicaso em grande escala
ter de resultar-lhes summo proveito. Seria
imperdoavel que por indiligencia nao acaulelas-
sera os seus uiesmos iateresses, quaado a admi-
nistrago publica acode solicita a resgurdalos.
As inoculasoes nao podero ter o effeito de,
em todos os casos, preservar do mal nem mes
mo de obstar absolutamente a terminaco pela
morte. Nenhutaa vaccinaco pode razoavel-
mente aspirar este resoltado. A benianidade
do mal, porm, e a grande diminuico da mor-
tandade constituem benellcios que bao de com-
pensar largamente a boa vonU.de com que o
criadores auxiliarem os esforcos da administra-
5o.
Nao ha muitos dias recordamos, segundo in-
dicarn do Dr. i. B-jJ Lacerda, que a Fraoca
posBic campos cogaotninades malditos, onde a
nhamaco de animaos fallecidoatle carbnculo
constituio terriveis focos de propagaco do vi-
rua carbunculoso. 0 meio- aconselbado para
evitar este perlgO a incincraro dos radaveres
era tornos apropriados. que os criadores da zona
Qagellada podem construir as suas fazendas a
pequeo custo. Toda a vigilancia, todas as
precaucoes sao para empregar quando se trata
de debellar zoouose que arrebata industria
20" da sua produego. nao sendo dado prever
al oude pdela eievar-se esta grave perda a
entregar as cousas ao seu cursa natural.
Pul do imperio; remetteiWu a relaaodos
conmeraiantes alli matwatados emDesenabro
passado- a'daiirc*do eorreate anno Accuso-se
a recepea'.aretrive-se.
Diario ottaiaes -de na. 41 a 4&Sejaovar-
ehivados.
Foram distribuid rubrica os seguintes li-
vros :
Diario : de Alvim 4 Chance, dito do Banca
Internacional y copiador de-GuHnareA Valaate.
DESPACHOS.
Petices :'
DeAugnsto Cesar Stepple, para que se regis-
tre o- conbeernento do imposto de geme de lei-
I6es desta praga.*egrstre-se.
De Pedro Jos Pinto -e Eduardo i)ubeirr,.idem
de corretones .geraes d'esta praga.Ideral
De -Jos-da Costa Vareda e AntomoPererra-de
Magaihes-Bastos, "da'Tldade'de Limoeiro, para
que se archive o contracto -dn*socrdade em no-
rae colteetivo que celebraranr soba tena de Me-
ideiros Varada & C.,xom o .capitaL36:324i*OS4
para o coinmercio de generosTlcestiva e ferra-
,'ens por guosso e a retalho ma da Matriz n
9 da referida cidade.-r-Arcbive-se na frma da
li.
De Alfredo Alves-Martins e Jos Augusto Rus-
seb, idem, dem, que celebraram eob- a lirrna de
A. Martins ie C, com o aapitai de!2:858*810.
para o coinmercio de fazendas na loja sita ra
do Viscsnde de limanma'desta'-cidade, n. 33.
Seja archivado.
De Fr-ncisco Pedro Bontitrair.-idera, qoanto ao
distracto da sociedade da firma Arantes 4 C. do-
miciliada na cidade da Parahyba, da que eram
socios o supplicante, Gabriet Laporte e Francisco
Candido Arantes de Mfendonca, pelo qual h'ca o
ex-socio Arantes de Mendonfa, de posse do acti-
vo e obrigado pelo passtro da extracta socieda-
de.Arcnive-oe na furnia da lei.
De Rouquayrol Frres, para se registrar a no-
meaco de seus eaixeiros'.Registre-se; depois
de satisfeito o parecer fiscal.
De Soares & Fereandes-, idem, quanto ao seu
carxciro despachante, Hernwno Bomingues da
Silva.-Deferida.
De^uerra-Fernandas .& Capara que se'd*
baixa na registro da nomeaeo de -sea ex-cai-
xeiros Joo A. de Figueiredo' Braga> Como re
quer.
De Antonio Francisco da *osta. idem, de seu
ex-caixeiro Fernando de-Paula Franco.Como
requer.
De Aievado Irmo 4 C. idem,-de sen ex-cai-
xeiros Alfredo IBIario dos Santos e Raymundo
Penna Forte de Lima Santos.-Na -forma reque-
rida.
Da Directora do Derby Club de Pernambuco,
para se archivar o balanco e a grelaco dos ac-
cionistas Archwe-se depois de satisfeito o pa-
recer fiscal.
De Firinino de Araujo Lima, para que se or-
dene o registro da procuaracao que lhe passra
D Candida Maria Ribeiro d Almeida, viuva de
Antonio Luiz Rodrigues de Almeida para gorir a
casa commercial Almeida Duarte 4 C. de cuja
firma era o finado o nico representante..Re-
gistre-se.
Aloangaram o despaehoDeferidaas seguin-
tes petices solieitande o registro de nomeacoes
de caixeiros, de:
Angelo Rophaei 4 C.
VicenteClaudmo ALves.
Manoel Jos Fernandes.
Barros 4 C,
Medeiros 4 C.
Duarte 4 C.
Maia Rodrigues 4 C.
Antonio Pinheiro de Carvalho.
Tiburcio de Oliveira 4 C
Sebastio Jos Bezerra Cavalcante.
Antonio Pinheiro da Silva. ,
Lenidas Tito Lcureiro.
Netto 4 Alves.
Couceiro Irmos.
Mello Pinto.
Pimentel Pereira A C.
Santos 4 Irmos.
Barbosa Ramos & C.
Paulo de Souza 4 Irmao.
Paulo Francisco de Souza.
Ernesto Gaimares 4 C.
Albino Ferreira dos Saatos.
Jos Luiz Salgado,
Manoel de Barros Caualcaule.
Luiz 4 C.
Burle 4 C. -_ ~^m
Thomaz de Carvalho 4 C.
Francisco de Oliveira Leite Gaimare-
JoSo Bezerra 4 C.
Silva 4 Almeida.
Bedel 4 David.
Azevedo Irmao 4 C.
Alvim 4 Chance.
Joo Cardoso de Figueiredo 4 C.
A Secretaria fez sciente Meretissima Junta
e esta cou inteirada de haver Pereira Penna
C, no dia 25 do correte, recolhido os 2o e 3o
exemplares da marca que foi cancellada e pago
a importancia das cusas perleneentes laze
nacional.
Encerrou-se a sesso ao meio dia.
as qualidades. serra. madei
alhta, aaen rom paepana obrasl
pin por mochinaa e por-pradosj
petenciaPernambaco.
Irsri:i
Furia Sobrinho tfc.C'.,droguista pe
cado,.ruaMo-Manquea linda
Francisco Maitoxl i&Cl
tarios de todas as- espeoialidades]
ceutkae, tintas; dr^as, .prodMctoa
cas-e medicamentosmomeepatk
Mrquez de Olinda n. 28.
Prui'eoiui' anertoane
De vi do a mudan9a.de res
George- B.lNind, pode ser puoc
dias atis na ra da Conquista a^ J
PUBLICARES A PEDIDO
E e (IHVIVII,
Nao est longe o.tempo em que a polica des'
ta cidade lera de intervir para evitar sceoas
desagradaveis, ou mesmo tftstes, consequentes
do abusivo emprego do p. ducaute os tres dias
do carnaval,'prinapabnente.
1 li'anies. a par d'agua,. alguem apparecia cora
'pequeas seringas dc.po aromtico, que derra
mava em pessoas;conhecidas; e isso, |ielo pou-
co uso de-ento, tinha wm cerio sal.
Como um meio de acabar com o emprego no-
civo d'agua bouve a feliz lembranca de eafeita-
reub-se algumas-ruas, de modoique as ;*amilias-
ipudessempasseiar, ver mascaras, aprectar iluir
minaces, etc semrico de prejidicar a sacle
e a bolsa.
Mas oque temos visto de is. pouco raais ou
imenos, para c ? As-juas/licam coberta.iide to
.da.sorte do p branco. desde a farinha do-trigo
iat a cal!, emporcalha-se a queni nio.qui
1 brincar estragam-se roupas, as familias naaauas
e varamlaa-naa sao res|>eitadas at por.(tes^ -
nhecidos e por gente de m sociedade I
Nao erageramos dizemlo que nos tres dias'de
carnaval desperdiam-se tildares de kilos de
farinha de t.igo,..maizena e outros pos. al no
civos, nem declamamos : a popnlaco s a .des-
ta cidade testemunha das venlades qu; vimos
ido escrever.
Aconselliamos, pois. a abstenco do p, assim.
como dagua, por isso que. alm de outros gran-
des inconvenientes, as familias nao podem sabu-
cal mas de suas casas.
Antes prevenir do que corrigir; isto o que
pretendemos; o contrario vira trazer-no* as
:scenas que prevemos, e nos tarde gritarcBos :
acuda-nos a polica I
A opiuuio mbltca.
Notas do sentimento-..

IND1CA0ES OTIS
O producto da venda,
nos, dos diamauks
a sete milhes de ft^^H
ento accumulados.
este modo aquella qua
constituir a primeira
museus; dous para r
cional das artes de<
colas de aprendhag
sociedades de |
Por intermedi
queix
80
mi
M
na dous an-
Franca. eleva-se
os juros desde
de repartir por
milhes para
um eaisn dos
.0 da escola na-
ira as es-
subvencSodas
Medical Rectni,
americanos da
CHROBICA JDICIARIA
\
#unta (o
relal da eldade do
Rceife
ACTA DA SESSO DE 9$ BEFEVEKEIRO
DE^889
PRE910BKC1A DO 1LL*. 88. COMIiaaADO AXTO.MO
GOMES DK MIRANDA LEAL
Secretario Dr. Julio faumares
A"s 10 horas da manh declarou-se aberia a
sesafio. estando'presentes os Srs. depntados Olm-
to Bastos e Hermino de Figueiredo. fallando com
partuipaco os Srs. oommend ador Lopes Macha-
do e Beltro Jnior.
Lida, foi approvada. a- acta da sessao anterior
e fez-se a leitura dcrsegulnte
EXPBOISME
OfliriOS :
De 23 do corrente. da junta dos corretores des-
ta praca, enviando o boletim das cotacer om-
eiaes d 1S a *3 do prsente mez. Para o ar-
chive
19 do-coMSWe-. da Jan*-Commercial da
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio aberto ra Duque de Casias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua rssidencia ra Barao de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e criancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Lov.ieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabuga u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barrtito Sampaio d consultas de
meio-dias 3 horas no 1/ andar da casa
ra do Barao da Vietaria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11 a
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.*
andar.
r. Ribeiro de Dritto d consultas de
me*' dia s 3 horas da tarde, no 1." an-
dar a ra Duque de axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
'Dr. Alvares Guimar&es, chegado da
corte, dedica-se medicina em geral, e
com especialidade s molestias do cora-
cao, pulmSes, figado, estomago e intesti-
nos e tambem s affecco'es das criancas.
Reside praa do Conde d'Eu, n. 28, e
tem consultorio na ra do Bom-Jesus
(antiga da Cruz), n. 45, onde d consul-
tas do meio-dia s 3 horas Telephone
381.
Hlvosado*
O bacharel Wruvio Pinte Bandeira,
pode Ber procurado ra do Imperador
n. 71, 1-- andar.
O Dr. H. Wlet mudou o aea escripto-
torio de advocada, para a ra do Impera-
dor n. 46, 1- andar, sala da frente.
Os bochares Jos Vicente Meira de Vas-
concellos e Maioel da Trindade Peretti,
mudaram seu escriptorio para a ruando
Imperador n. 50, l. andar.
OccwUsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consfltas toda os dias das 9
horasdao meio-dia. -jtonsultorio e resi-
dencia ra Largadb Rosario a. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor ojicina de campia
de Francisco dos Santos Macado, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o prime
n.
J
genero, compra
da provincia neste
e madeiras.de todas
O Quixote das leUras
Temosjnais este, novo na especie, do inundo
genero.
E' um que armou-se decavalleiro ainlante?
,(mas sem cavaoj e tomou seu Sancho, em vez
de Panga Guenzo, seu escudeiro.
E l vai elle com 3eu Sancho .Guenzo peto mun-
do a fra da Venda Grande em procura...
Quem tal dissera, quem peasara em tal I
Era busca de aventuras, como o D. Qusote da
Dulcinea del Tobozo I
Mas. nao sao a"aquella3 do de la -Mancha que o
uosso busca; sao outras mais venturosas e rsga-.
lonas: sao
lu-iiiurao novas, a* Iliterarias !!!...
E proclamou bem alto o seu intento para que o
mundo lodo o soubesse, que nao elle," como o
iantigo, cacador de aventnras-em desaggravo de
,alheias injurias, mas sim em vmganca das inju-
rias proprias, pela umitas letttas que vai meter
no quengo.
E nao. na especie novo, desse tal (genero-os
Qusoles que nunca mais se acabam 1
Metteu-se-lhena bola que litterato, e tterato
fundo ; que hade impor-se ao mundo, daca sua
lei: destruir a religiao que tanto mal lhe'taz, e
a todos os seus, os bandidos todos da-moral sera
Deus, do amor livre sem mais casamento.^
Mas o seu poco lo raso e pobre e raaw^inda
to immundo e ftido, donde elle extraliere-der-
rama aos ventos s materia impura. putHMa la-
ma I 1 -
Atalraaniade ser tterato Me vrrou de todo a
baia, que, nunca certa, o,tem couduzido emtriste
vida e torta.
Metteram-lhe o pao por nao agueutarem tanta
mmundice, e elle, coitado. se emurecendo; met;
teude cabega, metteu ps por maos e pivoteou,
deu poupas : E' quando armou-se de cavalleiroa
sahir pelo mundo da Venda Grande em busca e
Litteraes aventuras como elle .proprio,
i todo transtornado do pobre raioto, todo cheio
de si e empavesado, amron-ciou s getrtes.
E dito e feito e l se vio os dous. Qusote 4
Vllela, e Sancho Guenzo Tavora, em demanda
da Venda Grande, em procura de aventurlas
lettras, em desaggravo de tantas injurias.
Bdm pudera o novo D. Qusote ter levadcrflaais
:um escudeiro, para ser mais original na especie:
o tal das trac as e dos troros. dos elogios mutuos.
de tudo quanto bandido da amoral sem Deus;
dos elogios a quem se faz jusliea pelas proprias
raaos, armado-de ccete e cabras, para nio pa
gar a quem lhe cobra divida,- como conseguio.
Que bella escola, que bonita trempe a d'estes
bandidos do livre amor, da moral sem Deus I
0 tal dos trocos nao nega nos seus tragados da
impia gazeta, A Provincia, qne o pobre homem
fosse cobrar a sua divida ao novo Qutote : nao
nega que cora o escudeiro e dous cabras de c-
cete armados, com ameaca de morte de que o li-
vrou urna nynipha d'elles, obrigasse o. hornera a
assiguar papel comjdeclaracoes falsas, como W
dito ludo pelo Jornal de 27 do passado.
Veio s a lume esse seu tragado para elogiar u
Qusote por saber-se. fazer justiga com as suas
mos, c pelas mos do Tavora e mais de dous es?
bras de ccete armados I
Oh \ que valent6es que sao, que tremendos
Guisote e Sancho ?
Ser tamben Kswaventmra das fitUraiias-qtK
elles procuran) f -<:
Nao parece mais cora o moiiiho doQursote.au-
tigo! -i .: :
Mas ento era elle s cora o que erara sua
mente, um gigante, e o Sandio a um huuFpasmo
a contemplar a triste facanaa; e agora o Sanche
do Quisoto novo com dou# cabras consegue fN*
uo pague a divida o seu nobre amo.
E nao s isto que veio dizer as trofas; veio
tambem elogiar mai ainda o tal D Qusote das
litleeaes veutura. pul oer Uoiuem que a-tanla
j;ente d que fazer e a mira lambem, e cota meu
nome inteiro para nao haver duvida.
Que taes litteratos, que talentos, que espiritas
fortes ?
E' caso de elogios e tau (loraposos, o dar oque
fazer a muito gente J Nao sabe us das trocas que
sao os raaiores bandidos que do mais que fazer a
lodo mundo? ,.
Deixemos, porm, este episodio que veio eu
degresso, vamos s aventuras que o nosso helij
procura, o Qusote das lettras, pela Venda
Grande t
Ahf Venda Grande, Venda Grande! Nul
.pensaste ver teu nome to celebrado! E' qtwJ|
: adviuhaste que um novo Qusote fosse em t
seio procurar conceitos contra a religiao i
Christo, o Salvador do mundo, o libertador da
hora ns de toda aescravido.o emancipador 4a
mulher a quem fez par do homem. tirando-a de
seus serramos nos quaes eram aos centos :
0 salvada o Chisto de quem se lembrou de
ser iniraigo?de destruir sua lei, esse pobre, in-
feliz Qusote em seu virad i mielo por seu bes-
teal ocgu'ifto^.dease bandidos todos, todos da mo-
ral s'-: Deus.
Nao precedamos tanto o.- acontecimentos, va-
mos s aventuras de que vai em busca pelar-
Venda Grandeo nosso U. Qusote com seu San
clin Liienzo
Nao tera Rocinante-o tal nosso here, como o
da Dulcinea, nem tambem urna dama de sewpen
sanenlos, qu'* todas lhe servem no. seulivre
amcrcoa o antigo tinha.
ffo tem, pois. a quem invocar para com a sua
idea n retemperar as forca?, fortiucar o
- aperlados trances.
0 -cu ca vallo o iremda via-forrea deS. Fran
ide salta, vai puchando op pelas areias
quenies, o ato lavado em suor copioso, o as
tomogo dorfdo por falta de alimento e ardente*







'
*
-

Diario de PernambucoJPomingoS de Margo de 1889
mesmo o canta .. e lado isto em
lembramos seinpre, de aventureiras
j, el
Miras por ter esgotado o sen pojo das treviaes
jiairiB que elle chama lettras e que de todo Ibe
Hta a bola.
H&o leva pois o O. Quixote novo como o de
la Mancha famoso Rossim, mas o sea Saneko,
B panca c seu escudeiro Tavora que em tudo,
como ao D. Quixoe o Punca, ao novo hroe en-
tretem a conversa.
B la vao elles com o sol j quentc, pesinho
em tetra, puchando areia, at os Prazeret, em
basca de aventura*, de novas letras, impressOes
fecundas.
Chegam igreja d'aquelle nome, esse monu-
mento que se levantara para memoria dos nos-
sos feitos contra os Hoilandezes, aquelles feitos
me to profundamente tiveram de mudar os
destinos (leste povo e lalvez privar que outros
rossem os do Brazil inteiro.
E e pobre homem cacudor de aventuras de
impressOes moventes, com o Sancho sein panga,
o teve urna ideia, nao Ihe correu n'alma sen-
(fmento algum.
E como, coiudo, que o pobre homem nunca
teve alma; que, sem religio, sem crenca al-
guma, prega contra todas ellas, c se lhe metteu
na bola que ha de fazer este povo se tornar
aada sem religio, sein moral, sem crenja, por
que elle as nao tem?
Como teria ideia, era sentiraento algum n'a-
quelles sitios, onde se jogaram grandes pelejas,
como, se, sem alma, sem moral, sem le e fazeodo.
e os seus pregando, a justica por suas proprias
atos, nao quer a lei de Christo, nao quer casa-
-nento, nao obstante ser elle casado, so quer livre
amor; apanhar urna mulher, sem cerimonia nem
contracto algum, c amanha deixal a para ella
lambem ficar livre de tomar outro marido assim ?
E desses boceados, dessas infames doutri-
oas, que so um lonco, um Quixote das letras,
tem a coragem de trazer ao publico, que a Pro-
vincia, da a seus Icitores, s honestas familias,
as casadas, viuvas e donzellas, a de recreiarem
aos domingos, a se instruirem e moralisarem !...
Como pois nessa busca de aventura de novas
letras havia o nosso Quixote inspirarse de sen-
timen to algum, elle que prega contra a moral
do evangelho e diz e quer que se siga a del le, sem
religiao, sem Deus, a moral que elle pratica,
essa de sua vida toda, que, seno todo o mundo,
tanta gente conhece ?
E com effeito, chegando l o nosso Quixote de
literaes aventuras, reflexao nenhuma accodio- lhe
s bocas, nada vio alm dos quadros que pen-
dentes s paredes d'aquella igreja, mal ou bein
representan! a batalha ultima que abi se dera.
Apenas vio Nossa Senhora dando balas aos
nossos soldados, esta lenda que lhe saccou da
peona urna toleima, e o casaco branco de Hen-
rique Das.
Ora! que letras deu esta aventura lo custosa-
mente buscada ao Quixote das letras ? Apenas
as que compoein estas palavras :
Se o diabo comesse quadros, comia aquel-
tes.
E se o diabo comesse todos, onde estara este ?
S l se vao escudeiro e elle, to pouco ren-
dendo ao cavalheiro de nao menos triste ligura
qoe o antigo, a procurada aventura. Na volta
porem tiveram feliz encontr : foi o de um ca-
vallo magro !
E pensara que foi pouco isto ? Oh I que
grnele adiado: como bera o comprehendeu o
grande talento do feliz Quixote; mas que coitado,
est todo virado.
Ai! Tavora, veis ? diz elle ao Sancho
goenso, o cavallo em que Joo Fernandes deu
a famosa batalha dos Guararapes.
Blas o Tavora, fiel escudeiro, todo pasmo como,
o Sancho Panca, advertio ao amo :
Jto meo amo; nto tal (avallo. Nao
v meu amo que Joao Fernandes n5o montana
em cavallo too magro ; e alm disto, como po-
derla o cavallo de Joao Fernandes viver tantos
annosf
Foi bein semelbante esta aventura a do D. Qui-
xote com o elmo de Mamblino.
Era o caso que um barbeiro fra a cavallo
ao campo, por onde andava D. Quixote procu-
rando aventura, fazer urna barita. Na volta
eahindo um chuvisco, o barbeiro poz cabeca a
bada de barbear, que era de lati
Os reios do sol, que despontava, dando sobre
ella, reflectiam vista de D. Quizte. E elle
exdama a sancho:
Veis, Sancho ? o elma de Mamblino que o
cavalheiro F... o roubou ; e vou tmalo.
Ah meu amo, nao tal I nao v, lhe' re-
turque o Panca. que aquillo nao passa de urna
hacia de barbeiro *
Ests doudo Sancho, nio eslaes vendo
que um elmo f...
E' assim que o nosso, mais alucinado que o
antigo D Quixote, tomava o cavallo magro que
pasta va na falda do monte dos Prazeres, pelo cor-
cel, em que montara Joao Fernandes na famosa
batalha dos Guararapes.
E muito contente com o seu adiado, quer pe-
gar o bicho e mandal-o ao arcbeologico a exa-
minarse sera aquelle tal o raesmo cavallo,
botase a pegal o, por mais que a isso se oppo-
imm e Tavora seu bom escudeiro.
Por felicidade, (do cavallo ou delle?) o ani-
mal correu, sem duvida por nao lhe parecer que
o outro era um seu semelhante n'alma.
Paremos aqu por boje, que muito temos que
ver e appreciar e celebrar as aventuras da Venda
Grande, para onde dos Prazeres forara, Quixote
e Guenzo.
P. S.
Agora dizera-me que o tal das Tracas da Pro-
vincia que tira a maior ediecao aos jornaes do
nurtt, o mesmo nosso hroe Quixote das aveu-
turosas letras.
Neste caso os taes elogios niuluos, nao sao
taes mutuos, sao da propria lavra.
Eu duvldei; mu relarquiram-ine :
> Pois V. nao acha que Villela seja capaz de,
Ugurando-se eutro, dar d'aquelles elogios a si'
Eu sei?..- respondi eu. Assim s quem
perdeu de todo o juizo.
E o que fez elle agora nao armou-se de
cavalleiro Andante em busc das aventurosas
letras pela Venda Grande ?
E eu callei-me.
Recife, i. de Marco de 1889.
Affoiiso de AUnquerque Mello.
Patrimonio Kegaard
O abaixo assignado, thesoureiro da comniis-
sao agenciadore de donativos na freguezia do
Recife para a familia Regaard, pede as pessoas
que se dignarem assignar que quanto antes ve-
nuam satisfazer taes compromissos pare poder
concluir a sua raisso.
Recife, 1 de Marco de 4889.
Joao Martins da Silva.
O t Binculo
Ainda esta vez temos que pedir aos nossos as-
signantes a despensa da falla que acabamos de
dar boje em nao publicar o a. 8 do nosso peri-
dico, pois o carnaval veio ttazer ao mercado lit-
terario grande soturna de trabalbo typographico
de modo que a typographia em que tiramos a
nossa gazeta, nao nos poude dal-a hoje como
era de dever, pois nada devenios referida
casa.
.1 redaefao do Binculo.
do Ter^o, S. Joio, Mrquez do Herval, F}
res, Camboa do Carmo, largo do Cnrnio,
treita do Rosario, largo de Pedro II, Im-
perador, Io de Marco, Independencia, Ca-
bug, Barao da Victoria, ponte Pedro II,
Imperatriz, Conde d'Eu, Aragao, Santa
Cruz, ra Velha, Visconde de Albuquer-
3ne, Gloria, Cotovello, Mondego, Bario
e 8. Borja, Gervasio > ices, Conce^ito,
praca Conde d'Eu, Hospicio, Formosa,
Uniito, Princeza Isabel, Aurora, ponte
Pedro II, Bario da Victoria, Cahug, In-
dependencia, 1 de Mar;o, ponte 7 de Se-
tembro Mrquez de Olinda, i recolbr.
3" DA
Mrquez de Olinda, ponte 7 de Se tem-
bl, Io de Manco. Independencia, Cabug,
Barao da Victoria, ponte' edro II, Impe-
ratriz, Visconde d Albuquerque, ra Ve-
lha Santa Cruz, Pires, Conceiyo, Ara-
gao, Hospicio, Formosa, Aurora, ponte
redro II, Hetrval. S. Jlo, Terco, Direi-
ta, travessa t pateo de, S. Pedro, Hortas,
largo do Canno, Paulino ("amara, Cabu-
g, Independencia, Io de Marco, ponte 7
de Seteaibro, Mrquez de Olinda, reco-
lher.
seja integral, quer com accrescentamen-
, omissoes ou alteracoes, comtanto que haia
a tnestna possibilidade de erro ou confusao do
comprador.
Art. 15.Ser punido com as penas de multa
de 1004 5004 em favor do Estado o que:
3."Usar de marca de industria ou de com-
mercio que contiver iudicacao de localidade
ou estabelecimento que nao seja o da prove-
nienciada uiercadoria ou producto, quer a esta
iudicacao esteja junto um nome supposto ou
allieio, quer nao;
Art. 18.A reincidencia ser punida com o
dobro das penas eslabelecidos
Art. 19.^\s referida* penas nao iscntam os
delinqucntes da satisfuco do daino causado,
que os prejudicados podero pedir por aeco
competente. '
Amanh. 1/ anoiversario
Sobre a lousa que encerra os restos mortacs
do niallogrado auiigo FRANCISCO ANTONIO E
ALBUQUERQUE MELLO, verte urna lagrima sau-
dosa
M- t N-
Os tocn das febres
Encontram-se em todos os climas, no
norte, ao centro, ao mcio-dia da Europa e
das duas Americas. Em quasi todas as
regiSes mesmo em Franca, em toda parte
onde encontram-se pantanos ou aguas es-
tatuantes, os gormes da febre existem em
permanencia. Nos climas quentes ou na
estaclo calmosa, estes malditos germes
brotam com tira resdobramento de inten-
sidade.
Durante o curso da maior parte das fe-
bres, os mdicos receitam a quinina. Mas
na convalescencia e como preservativo, o
vinho de quinium de A. Labarraque ap-
provado pela Academia de Medicina de
Paris a preparaclo a mais recommenda-
vel e efficaz.
A viso
D. Mara Venanciaiia Silva, viuvade Joao Js
da Siva, previne aos iuquiliuos das casas de seu
tinado marido bem como a todas as pessoas
que com elle linham transacees, |que estejam
por liquidar, que s se devem enlenaer com seu
advogadoDr. Eugenio de Barros, a ra dotm-
petador n. 37.
--------_*----------------
Pensao Acadmica
_ Esta casa de ensilo wtuada no aun.no
bairro da Boa-Vista, ra da Iioperatriz
u. 15 2o e 3" andares, contina a receher
pensionistas, que mediante a mensalidade
de 50i$, terlo com o maior asseio e regu-
laridade, comida abundante, commodos
agradaveis, excellente banho c criado.
M. II
Nao ha agua de Colonia que nossa comparar-
se em fragrancia, suaviilade, docura, pureza,
durabilidades de aroma, ellicacia e torc a legi-
tima Agua Florida de Murray forma sua essencia a istillaco mais perfeita
das flores desse jardim do trpico donde deriva
seu nome.
O que a tem usado urna vez a usar sempre,
|K)is nella cncontram rigidez o corpo, vigor os
ervos e claridade a mente.
COMMERCIO
Revista do Mercado
Recife, 2 de mab^o de 1889.
Foi quasi nullo o moviraento, notndose gran-
ee falta de numerario na praca.
Bolsa
0?AC">ES OFFICIAB8 DA JUNTA DO COB-
RET0RE8
Recife. i ae Marro de 1889
Algodao do Maco 1' sorte, 05500 por 15 kilos,
no dia 26 de Fevereiro.
O presidente,
Candido 0. G. *lcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Cambio
Os bancos mantiveram a taxa de 27 7/8, adian-
do poucos tomadores-
Papel particular foi passado com difficuldade
a i8 1/16, exigi-ndo os Bancos 381/8.
O mercado fechon firme.
No Rio houve algunas transacjOes a 8d.
Wncaro
Ha falta para o mowmento de papel particular.
TABELLAS AFFIXADA8
Club carnavalesco Cavalhci-
fos da Epocha
Este club, sal indo de sua sede, na
do Bom Jess, percorrer nos Io e li*
das do carnaval, as seguintes ras :
Io DIA
Mrquez de Olinda, Ponte 7 de Setein-
oro, Io de Marco, Imperador, Travessa
do Ouvidor, Duque de Casias, Visconde de
Inhauma, Largo do Mercado, ra da Penlia,
pateo do Livrainento, Marcilio Das, pateo
Alg Cota-se o de Ia sorte do sertao a 6SI00 por 15
kilos.
A exportacao, leita pela alfaudega em Feverei-
ro lindo, subi a 1.665.8:18 kilos, sendo I.S7S.M3
para o exterior e 394.905 para o interior.
As entradas verificadas no referido mez, j co-
nhecidas, sobem a 26.811 saccas, sendo por:
Barcadas..... i K>.i Saccas
Vapores ... 2il
Animaes..... 8.114
*VU-ferrea de Caruar. 1 ":fo .
Via-ferrea de S.Francisco. 2.383
Via-terrea de Limoeiro 11.335
Somma. 26.841 Saccas
Aeeucar
Os preyos pagos ao agricultor, por lo kilos, se-
cundo a Associagao Cominercial Agrcola, forara
os seguintes:
Brancos ..... 35200 a 35800
i
T?
2. t
3 *
T
3.
a
f
I 1
i
I 3.
TT

*to-
6
x
c_
*
2
3
f
2 !S :
t "56
a
8
*
11
M i!
2 8 g g "a
&
8
S
5 J : S ^l Ib
S I g M ^ f
S ?'

*
*

I

Someno..... Mascavado purgado bruto. 14900 14400 14100 4800 a 25100 a 14300 a 14200 a 14000
Colonia Isabel: Branco 1* f 3* Someno Mascavado 45100 248U0 14300 :14900 14600
Usina Pinto: Branco 1 *.... Someno .... Mascavado .... 44000 24300 34000 14300
A exportacao, feitapela alfaudega em Fevereiro
ndo, attingio a 13 677.856 kilos, sendo 6.232.110
para o exterior e 7 445 746 para o interior.
As entradas verificadas no referido mez, j co-
ndecidas, sobem a 151.768 saceos, sendo por:
Barcacas ....
Vapores.....
Animaes.....'
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
36.017 haceos
7.384
10.206
63.324
12.837

s omina.
151.768 Saceos
O
Cota-se os salgados seceos a 370 rcis.
Aguardeate
Uttitn.is vendas na raiao de 924000, por pipa
de 480 litros.
Alrool
Ultimas vendas a 1704000 por (pipa de 480
litros.
Rett-se a 304000 por pipa de 180 litros.
ranla 4a alfaa>ga
ilUUNA D 4 A 9 DI MARCO DE 1889
Aseocar retinado (kilo).....220
Assucar branco (kilo) .... 20i
'ssucar mascavado (kilo) ... 86
Alcool (litro) .340
rroz com casca (l 30
ATTKNCA^
Limi i kEIF, M^oii
Proprietarios e nicos fabri-
cantes das celebres prepa-
racoes:
Salsaparrilha de Bristol
Plalas Vegetaes assucaradas de Bristol
Extracto e guento de Aveleira Mgica de
Bristol
Emulso de Oleo de Figado de Bacalho da
Noruega,
com os Hypophosphilos de < al, Sodi e Poassa
Oleo puro de Fiado de Bacalho, marca
LANMAN KEMP
Pciiornl do Anarahuila
Do original e legitimo perfume
Aiuu Florida e da exquisita preparayo
Tnico OrieM mi para Cabello
Tendo registrado suas marcas industriaes e re
solvido a fazer prevalecer seus direitos ante a
lei, cliamam a atten<;o dos FALSIFICADORES.
IMITADORES, e de todo* ow que vea-
dea imiiiM'tMvi de Miia*> prepara-
eae para os .eguintes paragrayhos da nova
lei sobre marcas industriaes.
O Decreto Imperial, n. 3346, de (4 de Outubro
de 1887, estabelece o segrate :
Art. 14.Seni punido com as penas de priso
de um a seis mrzes e multa em fror do Estado,
de 5004 a 5:0004, aquelle que:
I.-Hcproduxir no todoou em parte, por JHp-
3uer meio, .marca ae industria ou de cominero
e vid ai nen te regstrala e publicada, 'ni autor i-
sacio do respectivo dono ou seu legmo repre-
sentante ;
3." -Vender ou expuzer a venda bjectos re-
vestidosde marcaalhciaou alsilieadano todoou
em parte; |
4.*Imitar marca de industria ou de coramer-
cio de modo que possa Iludir o comprador ;
P. !Para que 'se d iniilago..........
nao necessario que a .-emelhanea da marca
seja completa bastando, sejaui quaes forera as
ilracreucs, a |>ossibilidade de erro ou con-
fusao........................................
1 P. 2. Reputar-sc-ha existente a usurpao
de norac ou firma couitnercial, quer a reprodsc-
Algodao (kilo)....... 366
Agurdente........ 19
Borracha (kilo)...... 800
(kmros seceos salgados (kilo) 354
Couros seceos espicliados (kilo) 410
Couros verdes (kilo) .'.... 192
Cacao (kilo)....... 400
Caf bom (kilo)..... 350
Caf restolho (kilo) ..... 350
'achaca(litro) .*..... 80
Carnauba -kilo)...... 260
Carocos de algodo (kilo) ... 16
Carvo de pedra de Cardiff ton.) 16*000
Farinlia de mandioca (litro) ... 80
Porque aae siuto eu lo aaise-
ravel?
TSo fraeo e tSo lnguido ? Qual ser a
causa de tal azia e dores de estomago, de
tal acrimonia e de tal sabor desagrada ve 1
na bocea ? Porque ser que algumas ve-
zes sinto um appetite devorador e depois
um dissabor tal por todas as comidas ?
Porque que o meu animo tSo freqente-
mente irritavel, desesperado, melanclico
e abatido ? Porque que s vezes nos per-
sundunos de algum perigo imaginario e
nos amedronta qualquer rumor inexper-
do, tornando-nos agitados como se urna
grande calaminade estivesse imrainentc ?
O que signticam estas desagradaveis me-
luneolieas dores de cabeea; estas palpita-
fSes violentas do coraco, este desacego
febril, estes suores nocturnos ; este inquie-
to e imaginativo somno que nao nos d re-
pouso refrigerante, mas apenas lamenta-
c5es e palavras inarticuladas e os horrores
do pesadelo V A resposta : Estes sao
apenas os syiuptonias da indigestilo ou
dyspcpsia, o comeco e prognostico de quasi
todas as doeneas humanas. Indigestao a
fraqueza ou falta de poder dos Huidos di-
gestivos do estomago para converter o
alimento em substancia saudavel para o
proprio alimento do corpo. E' causada a
maior parte das vezes pela irregularida-
de de dieta ou alimento improprio, falta
de exercicio saudavel e ar livre puro.
Pode ser derivada por affliceao mental, o
choque de alguraa grande calaiuitUule.
Tambera pode ser, e militas vezes a -
gravada e intensificada, se nao origina-
da por fraqueza consequente de upplica-
,'iii1 mental intensa, demasia physico, apoquentaeoes domesticas, ancie-
dnde era negocios, ou dificuldades finan
ceiras. Se o estomago pudesse conservar-
se sempre em ordem, nao seria a mortc
jamis ura assumpto de terrivel anciedade
tanto para os novos como para os adultos,
mas sim seria contemplada como visita de
ura amigo que se esperava ao lindar una
idade feliz e pacifica. Comtudo, o priraei-
ro invasor hostil no dominio da saude e
felicidade a indigestao.
Ha por ventura algum alivio, algum re-
medio, alguraa cura ? E' esta a pergunta
que faz o infeliz padecente do dispepsia.
O que se requer nina medicina que re-
novo completamente o estomago, entra
nhas, ligado e rins, e que preste assisten-
cia proiupta e efficaz acs orgaos digesti-
vos, e qiiw restitua aos systeiuas nervoso
e muscular a sna energia original.
Tal medicina felizmente pode obter-se.
tfnneana historia di deseneurtas medicas,
como o evidencia a prova de uraa duzia
de anuos, so eneontreu remedio contra in-
digesto tilo rpido, tito seguro e tan sur-
prehendente nos seus resultados como o
xarope curativo da ilai Seigel, porem boje
um remedio modello para aipiella afflic-
eao quasi que universal em todos os pai-
civilisados da Europa, Asia, frica e Ame-
rica. Pblicos testemunhos e cartas parti-
culares de officiaes do exercito, banquei-
ros, negociantes, capitaes de navios ine-
cbanicos, lavradores e suas mulheres e fi-
Ihas, todos confirmam os seus poderes cu-
rativos.
Acha-se venda era todas as boticas,
lojas de medicina em toda a parte do mun-
do e em casa dos proprietarios A. J. Whi-
te Limited 35, Farringdon Road, Londres
&C.
Depositarios na provincia *de Pernambu-
co por atacado : 1* rancisco M. da Silva &
C. na provincia de Pernainbuco.
Vendedores a retalho, na cidade de
Pernarabuco, Bartholomeu & C, J. C.
Levy & C, A, M. Veras & C, Rouquay-
rol Freres, Faria Sobrinho & C. e T. S.
Silva: em Palmares, A. C. de Aguiar; e
em S. Joao da Igreja Nova, J. A. da Cos-
ta c Silva.
Aviso ao publico
Emquanto durar a Exposico Universal de
1889,-OS nossos leitores que se acharem era Paris
e que ilesejarem receber quaesquer noticias da
trra, podero ler os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
pondentes, os Srs. Atnde Prince & C, 36. ra
Lafayette, era Pars.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amdee Prince & C. ,
Outrosim, os incsoios Srs. Amdee Prince 4 C,
negociantes-commissarios peir. a sua casa de
compras as ordeus de qualquer pessoa que dese-
jar ler urnas inforiuaces. ou utilisar seu inter-
medio
----------------------------------i^B-----------------------------
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da irape-
rati-iz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da maidl.
Chamados (por cscripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
. Opera^o importante
(^latorze anuos de soffrimentos doloro-
so*, e outros tantos de esforeos, de sacri-
ficios intilmente empregados, tal a his-
toria do meu estreitaraento da urethra.
" Chegando a esta cidade supportando as
raai cruciantes dores, produzidas por tal
molestia, indicou-me meu compadre c ami-
go Sr. Joaquim Dias de Audrade o Illin.
Sr. Dr. Carlos Bettencourt para medi-
car-me.
Em tres dias este distincto clinico den-
me por prorapto e urna real idade o
nehar-me radicalmente curado.
Ao Illin. Sr. Dr. Carlos Bettencourt,
pela pericia que rcvolou na operacao, fei-
ta pela electrolise, pela delicadeza, pela
attencXo com que sempre se dignou trac-
tar-me, meu eterno reconbecimento.
Recife, 18 de Fevereiro de 1889.
Joo Carneiro da ilotta SUveira.
Oculista
Dr. Barrete Sampaio, medico,
oculista, cx-ebefe de clinicn do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra. Sete de Setein-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 2*>.
Dr. Manuel do \ascinienlo la-
chado huidla Jimior
Escriptorio rita do Imperador n.
1- ANDAR
(J
Folhas de iahorandy (kilo)
(enebra (litro)...... aw
Mel (litro)....... 70
Mimo (kilo.........m
Pao Brasil (kilo)...... -Vi
rabeados de araarello (duzia) iUOi
navios a carga
Barca portugueza Novo Silencio, para o Porto.
Patacho inglez Peggie, para Mentevido
\avion descarga
Barca or ueguense Frida, car vio.
Barca norueguense FrUkyof- carvio.
Barca inglesa Sobrina, farello.
Rarca norueguense Jotva, car vao.
Barca allcm* Una, earvao.
Briguc sueco Pepita, carvio.
Escuna ingieza Abeja, bacalho.
Lugar nacional Mariano VU, cvrvo.
Lugar inglez Muy Cory, bacalho.
Vapor inglez Chita, earvao.
.. Iaiprtaci
\df0mgimAshdell entrado de Xew
em 1 do correwe e consignado a Wilson
. C, manifestou :
Carvo de pedra 1,800 toneladas aos consi
natarios.
Ipfti
sons
Uiate nacional Deus te Guie, entrado de Ma-
co em igual data e.consignado a B. I.ourenro.
manifestou :
Sal 7S0 alqueires ordem.
Paquete inglez Trent, entrado do- portos da
Europa em igual data e consignado a Amorlm
Irmaos C, manifestou :
Amostras US voluraes a diversos.
Cerveja SO caixas a Domingos Kerreira da Sil-
va "* C. Cha 4 grades ordem.
Esleirs 2 volumes ordem.
Libras sterlinas 1,000 a Pereira Carneiro
C, 4,000 ao Banco Internacional do Brazil, i:,000
ao New London Braziliun Bank.
Mercad.-irias diversas 27 voluraes a The Wes-
tern B. Tclegraph Cora pany, 1 a W. II. Bllton,
1 ao English BaBk, 1 ordem, liW. W. Hay,
1 a C. F. Cairington.
Perfumaria 1 caixa a Pereira de Azevedo &
Compauliia.
Pimenta 10 saceos a Ferreira Rodrigues & C.
Papel 1 caixa ao Banco Internacional do Brasil.
Queijos 5 caixas a Albino Fernandes & ('.., tii
ordem, 10 a Joaquim Duarte SimOes & C, 13
a JoSo Fernandes de Almeida.
Roupa 1 caixa a J. I'ater & C.
Tecidos diversos 1 volume a Manoel ua Cunha
Lobo, 29 ordem, 20 a Machado |Pcreira, 4 a
Bcraet & C, 2 a Francisco |Lauria & C, oo a
Concalves Cunha & C, 10 a Agostinho Santos &
i! a Luiz Antonio Siqueira, II a Loureiro.
Mata 4 ., 13 a A. Maia ., 10 a Guerra,
^hdes & C, 30 a Alvesde Brito & C, 10 a
^Kia & rodrigues Lima C, la
Olinto Jardiin 4 C. 2 a Sania Casa de Miseri-
cordia, 12 a Joaquim Agostinho a C, 4 a Ma-
nuel ias da Silva Guiraarles, 10 a Rodrigo de
Garvalho A C.
Vidros 1 caixa a Domingos iFerreira da Silva
& C.
Vapor nacional Principe to Grito Para, entra-
do da Baha u escala em 2 do corrente e con-
signado a Domingos Alves Matheus, manifestou :
Algo lito um rama 136 saccas a J. II. Boswcll.
52 a Afee Steiu A C, 30 a Ferreira Rodrigues fc
Coraiiaohia.
Bebidas 9 caixas a C. Pluyui & C.
Cooros seceos salgados 109 a ,A. Hirs, 237 a
Ramos Gcppert & C.
Oleo 30 caixas a Pohlmami .V C.
Peunas 6 volumes a JosRabello Padilha.
Pe.les de cabra M fardos aos mesinos, 3
ordem, 127 a A. Ilirsch 4 0., 94 a Abe Stein 4
Compauliia.
fauno de algodo 100 lardos a Silva Guiraa-
res 4 C.
Phosphoros 2 caixes a Costa Lima 4 C.
Saceos .vazios 80 volumes ortlem.
Sola 10.J 1-2 a Josi- Rabello Padilha, 487 a A.
Hirscb.
Tamancos 32 fardos ordem.
Exportaco
IKVI, 1 UB KAkCO UK 1889
t'ara o extenor
No vapor ingle* arhun City, earrega-
rum :
Para Liverpool, J. Pater 4 C. 3,0u0 saceos com
18,000 kilos de carocos de algodo ; Borstelraan
4 C. 942 saccas cora 73.933 kilos de algodo ;
M Amorim 102 saceos com 7,630 kilos de assu-
car mascavado ;'F. asco 4 Filho 1,000 saceos
com 75,000 kilos de 4ssucar mascavado.
Fara New-York, fl. Forsier A C. 2,700 saceos
com 202,50'> kilos de assucar mascavado ; P.
Vianna 4 C. 1 450 saceos com 108.730 kilos de
assucar mascavado ; P. Carueiro A C. 900 saceos
com 67,ao kilos de assucar mascavado.
No vanor inglez Waudick, carrugaram :
Para Lnerpuol, 1). Needhaa 4 C. 1 000 saceos
coa "3,t0(i kilos de assucar mascavado.
No vapor allemao Cari Woerman, carre-
gantai:
pura Liverpool, I'. Carueiro 4 C. 3.000 saceos
com 152,000 kilos de carocos de algodo.
No vapor inglez TantalUm, carregaram :
Fara Liverpoor. B. Needhan 4 C. UO saceos
com 4.300 kilos de carocos de algodo.
No vapor americano Attianrn, carregaram :
Fara New-York, Martini 4 C 5,000 pelles de
cabra..
Na escuna portugueza Feiticeira, carrega-
ram :
Fara Una de S. Miguel, F. de Moraes 1 barril
com 40 litros de agurdenle e 2 barricas com
140 kilos de assucar branco ; M. lavares do
Aniaral 1 barrica com W kilos de assucar branco
e I amarrado de varas no valor de 80O0.
fara o tutenoi
No patacho nacional Francoln, carrega-
ram : -
Fara Porto-Alesrc, Amorim Irmos 4 C. 80
saceos cora 6,000 kilos de assucar branco e 80
ditos cora 6.000 ditos e dito mascavado.
No vapor austraco Szecheny, carregaram :
Para Rio de JaneiroJP. Carneiro 4 C. 1,000
saccas com 39,950 kilos de algodo e 1,000 sac-
eos com 60,000 kilos de assucar mascavado ; J.
Fernandes 25 pipas com 12,tiflfl litros de agur-
dente.
No vapor americano Allumca, carregaram :
~rricas
100 ditas
(Mira 7,K87 ditos de dito branco; J. Borges 400
barricas cora 30,475 kilos de assucar branco ;
A. Guimanies 200 barricas com 11,162 kilos de
assucar branco ; B. Uncir 4 C. 200 barricas
com 12.11 kilos de ssucar branco e 7 pipas
cjiu 3.360 litros de agurdente.
No laar portuxuez Vrritas, carregou :
Para Pora, A. Taborda 100 barris com 9,600
litios de agurdente.
No hiate nacional D. Judia, carregaram :
Para Cear, P. Carneiro 4 C. 2,000 saceos com
farinha de mandioca e 100 ditos com feijo.
No hiate nacional Correio do Satal, carre-
garam :
Para Cear, B. Oliveira 4 C. 500 saceos com
farinha de mandioca e 50 ditos com feijo.
iHnhelro
UECEBIDO
Pelo vapor americano Allianca,'. do sulfpara:
Pereira' arneiro C. o.OOflOO
Pelo vapor inglez .Trent, da Europa, para:
London Brasilian Bank 13.00o
Bauco Internacional 4000
Pereira Carneiro C. 1000
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Satitos Andrade
Approvado pela Ins'pectorio Geral de Hy-
giene Publica do Rio "de Janeiro em 20
de JiilUo de 1887.
Este depurativo de grande elcacia uas mo-
lestias syphiliticas e impureza dosangue ; assim
como em todas as molestias das senhoras.
Tem curado radicalmente inuitas pessoas ac
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os aaultos toraaro qutro colheres das de
sopa pela raanh e quatro noite. As criangaa
de 1 a 5 anuos toraaro urna colher pela manha
e oulm noite, e os de 5 a 11 annos tomaro
duas colheres pela manh e duas noite. De-
vero tomar banhos fri ou momo pela manh e
noile. Hesguardo regular.
Encoutra-sc venda na drogara dos Sr8.
Francisco Manoel da Silva A C.. ra do Mrquez de
Olinda n. 23 e pharmacia Oriental ra Estili-
ta do Bosario n. 3.
O autor deste preparado poae ser procurado
na ra do Garfio da Victoria n. 37, onde ser en-
(ntrado para dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Beriberi
N. 49
Tiln. Br. Angelino Jos dos Santos ndrade.
Tendo sido accomiiiettido a quatro airaos,
pouco mais ou menos, da terrivel molestia Beri-
beri, e leudo recorrido a sciencia medica, nao
menos de seis facoIlativos, os quaes todos elle3
fura m de accordo que, sem perda de tempo fi-
zesse una vi.igem : on para Europa, ou para o
sul, a qual inmediatamente eflectuei embar-
cando at i capital do Ro Grande do >ul; e es-
tando em diversas capitaes do imperio sempre
em tratamento.
Regresse com noucas melhoras, e depois resol-
vi-me ir at ao sertao. onde melhorei um pouco.
Regressai'do ao meu engenli Poyo Comprido,
da comarca da cidade de Nazareth, porem sem-
pre sollrendo restos d'este grande mal; mas
chegando ao :neu conhecimento a grande no-
intzifa fe, rnmprei duas garrafas para ir experimentar,
Uve a felicidade que, com urna garrafa tire
grande alivio aos uieus solYrimentos: a outra
appliquei a um pobre menino que tinha quatro
goiiiinas as nemas, cojo seu estado era de
inutilidad^; esse mesmo teve a felicidade de me-
lliorar consideravelmente: parece incrivel que
depois de ter gasto quaulia superior a tres con-
tos de ii'-is, viro quasi resfanelecer-uie com a ba-
gatella de 6000. no enllanto vou continuar com
o seu milagroso Elexir at meu co npleto rest-
belecimeulo.
D'ctas |K)iica. liuhas qne s conlm a ver-
daile. pode fazer o uso que lhe apronver.
Eugimho I*oco Comprido, 24 de Abril de 1386.
Jos Antonio Correa Gaio.
>:. so
Al testo que o preparado do Sr. Angelino Jos
dos Santos Andrade do qual tomei quatro gar-
rafas, me fez dcsapparecer corapletamene urna
extraordinaria nchaco que me sobreveio dos
|is at ao haixo-ventre, acompanhado de um
graude cansaeo C alguma insensibilidade as
peroas, tendo'sido essa ininlia enfermidade qua-
lilicada poi alguna facultativos de beriberi;
sendo que antes de acabar a quarta garrafa me
acliava completamente bom da incnaco que
tanta me vexava.
Recife, 27 de Junho de 1884.O capito de
mar e guerra, Jos Acelino S. Jacques.
N 3I l\
. Illin. Sr. Angelino Jos Ac\ Santos Andrade.
Amigo e Sr. Tendo eu sof)Hd de grandes do-
res rheumaiicas por muito tempo, e tendo usado
de diversos remedios, sem d'ellesobter o menor
lenitivo aos meus soffrimentos, a conselho de
um amigo, lasen tno do seu elixir purilicador
do sangue, e com tanta felicidade, que, com dez
garrafas julgo-me restabelccido. assim como me-
lhorei de outros incommodos syphiliticos.
A bein da humanidade passo" n presente at-
testado autorisando-o a fazer 'elle o usj que
lhe convier.
Recie, 8 de Setenibro de 1888.-Henrique
Jouqu m Pereira.
Estavam selados e reconhecidos na forma da
lei.
.1


.
t.'
/ .


Forain ocenpados:
26 1|2 coluimuis aliOO ris 15900
1 escriptorio a 300 ris 300
ii compartimentos de farinha a 500
res 120O0
24 ditos de comidas a 300 ris l000
87 ditos de legumes a 400 ris 344800
18 ditos de suiuos a 700 ris 12600
9 ditos de fressuras a 600 ris 54400
33 talhos a H 664000
EXPEDIDO
.
Pelo vapor inglez Trent, para:
Macei
56.000 000
Rendlaaentos publleos
Ma dk .\i*Rg
Mfandeya
i mam
Reuda geral:
Do dia 1
dem de 2
Renda provincial :
27:3804239
26:03*4340
53:4134399
Do dia 1
dem de 2
5:4964618
4:6774713
Precos de dia:
Carne verde de 240 a 560 reis o kilo.
^Carneiro de 720 a U reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 440 a 5*0 reis a cuia.
Millio de 380 a 440 reis idem.
Fe;Jjo de 900 a 1420 idem.
Matadouro publico
Neste estabelecimento l'oiam abatidas
consumo de boje 9 rezes pertencentes a
sos marchantes.
2004180
para o
diver-
10:1744331
Somma total 63:5874930
Segunda seccao da Alfaadega, 2 de Margo de
1889.
8 thesoureiroFlerencio Domingues.
chefe da scelo -Cicero B. de MeUo.
Recebedoria Cieral
Do dia 1 1:4754651
dem de 2 1:8284331
3:3034982
Recchcdorla provincial
De dia 1 2524562
dem de 2 2644006
Do dia 1
dem de
Recife Dralaage
3134137
2 15464833
5164368
2:0594970
arcado Municipal de done
O morimento deste mercado no dia 1 de Mar-
go foi o segrate:
Eutraram :
161/2 bois pesando 2,981 kilos.
1.074 kilos de peixe a 20 ris 214480
43 cargas de farinha a 200 ris 84600
9 ditas de finetas diversas a 300
ris
Uboleiros a 200 ris
aMOris
24700
24600
24200
3J6MQ
Vapores a entrar
MEZ DE MARf;0
Sul........... Montevideo........
Norte......... Adcance..........
Sul........... .4/roo............
Haraburgo .. Paranngu........
Sul........... Congo.............
Europa...... Xertke............
Norte......... MaranhSo.........
Sul........... Para.............
Europa....... John Eider.........
Sul........... Ydle de Pernambuco
Europa....... Ai/lenas...........
Vaporea a sabir
MEZ DE MAU(,0
Southampton. Alnito............ 4 as
Monterido........ 4 as
Adcance........... 5 as
Haraburgo.
Sul..........
Bordeaux ----
-antos e esc .
Montevideo ..
Sul..........
Cear e esc...
Norte........
Coujio
Puranagu
Xerthe....
Maranhao
Jaguaribe
Para. ...
::::
5 as
5 as
7 as
7 as
8 as
9 as
3
4
4
4
5
7
7
8
10
11
13
lih.
2 h.
5 h.
2h.
3 h.
3h.
5h-
5h.
SO.
%
Hovimento alo porto
Novio eutrados no dia 2
Montevideo-70 das, patacho allemao Anna, de
176 toneladas, capilo J. H. Laarman;:, equi.
pagem 7, rarga farello; a Joaquim Duarte Si-
raoesA C.
Babia e escala-14 dias, vapor brasilciro Prin-
cipe do Gro- Para, de 508 toneladas, comraan-
dante Julio Cesar de Lacerda,> equipagem 28,
carga varios gneros; a Domingos Alves Ma-
theus.
Liverpool por Lisboa -19 1|2 dias, vapor inglez
Scu'ptor, de 850 toneladas, coramandante wff-
Ham R. Adsliead, equipagem 26, carga varios
gneros ; a Jolmston Pater C.
Baha2 dias, vapor inglez Yandyck, de 1,070
toneladas, commaudante J. P. Fisber, equipa-
gem 27, carga varios gneros ; a Blackburn,
Needhara & C. ,
Sonidos no mesmo dia
New-York e escalaVapor americano AUvinga,
coramandante James R. Beers, carga varios g-
neros.
Nova-Orleans Vapor ingle 'ibralftr,
commandante R. Nixon.
LiverpoolVapor inglez ToiUallcn. coma
te S. Pat-tridgecafga vagas .



jrftif



Diario de Pemambuco--Domkigo 3 de Maryo de 1889
A V6B0A0S BRH.HA
Por iiais que facara os crticos graciosos, cuja tarefa rezume-se simplesmente
a destruir aquillo que nao sabem neni podera construir, em certos casos impotente
a maledicencia d'esses demolidores perversos. ,
O seu trubalho. longe de prejudicar, uiais um incentivo para que a verdade
brilhe radiante, offuscandc-os cora a intensidade da sua luz.
De todas as classes sociaes, desde o opulento at o proletario*desde o maior
talento ate inteligencia monos culta, todos, porfa, encarregam se de vir dar um
solemne desmentido a essas crticas graciosas.
O documento que se vae 1er um attestado que falla inais alto do que tudo
quanto podamos asseverar.
Eil-o:
Illm. Sr. Jos Alvai'es de Souza Soares.Devo urna resposta a seu favor.
Fal-o-hei em poucas palavras, mesmo porque verdade nao mister colorate ima-
gen, para impor-sc soberana, escudada as manifestares da opiniSo (Hversal.
Bnianaciio da conscieneia, d'essc foro intimo de cada individuo, onde se aafk, eila
surge pura o immaculada.
a A sua preparacao P-itoral de Cambar um poderoro remedio roatpa as
enfermidades do peito.
Attesto-o pelos resultados que tenho colhido em pessoa* ae minh.i casa,
e8se pequeo scenario, onde, como pai de familia, posso com certeza reconhccci-
quaes os medicamentos uteis e proveitosos.
Minhas iilhas usarara por algum tempo do Peitoral de{Jambar, de sua
invengo, e fcaram coniplentaraente curadas de urna tosM pertinaz e perigosa.
Faca destas liuhas o uso que quizer.Sempre s das ordens encontrar
Joaquim Napoleco Epaminondas de Amida., i Ex-director de collegio, em Pelotas, c
hoje advogado em Bag, Kio Grande do Sol.)
Silo agentes deste preparado os Srs. Francisco Manuel da Silva & C. run
Mrquez de 01 inda n. 23, que o vendem a 25500 o frasco.
INSTITUTO
DE
\ossA mmu do carmo
iHNirurro primiirit. neenndaria e
r'T'liv*
Este collegio, fundado em 1873, conti-
na a funecionar no palacete n. 72, ra
de S. Francisco, junjo a estacao da ra do
Sol, da Estrada de Ferro de Caxanga, e
recebe alumnos internos, meio-penssionis-
tas e externos.
O seu director era vista da crise mone-
taria que affecta a todos, resolveu modifi-
car os precos das iuen&alidades dos alum-
nos internos e meio-pensionistas, ficando
em vigor a tabella seguintc:
Alumno interno, trimestre 100(5000
dem meio-pensionista, dem GOoOOO
Os internos tOm-direito a roupa lavada
e engommadagratis e nao dio joias.
Os professores sao habilitados; a ali-
mentario de primeira qualidade: todo o
edificio milito claro, esparos e arejado
e tem banhos fros de choque e chuvisco.
As aulas j estSo funcionando.
EDITAES
O Dr. Thomaz Garcez Paranhos Monte-
uegro commendador da imperial ordem
da Rosa, jidz de direto especial do com-
mercio delta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco por Sua A/a-
fjeitado o Imperador a quem Deui guarde
etc. etc.
Faco saber aos que o presente edital virem,
oo d'olle tiverem noticia, que Fernando Silva
A C. me dirigirn) a peticao do theor sejromte :
Illm. Exin. Sr Dr. juii do coiuniercio.Di-
zem Fernando Silva & C, que sao credores de
Joao Heinaux Duartu lia quantia de I:9703W)
importauvia de. jhjf Ultras, a sai.fr urna da
quantia De i:6t*40, saicada pelos supplican
tes, aceita pelo supplicado em data le 9 ile No-
vembro de 188:1, a \ mezes de prazo, outra da
quantia de UilWi" saccada pelos supplicantes
aceita pelo supplicado em data de 21 de Abril
de 188V com o prazo de 4 nezes, como esU-jam
prestes a presc.reverem querem os supplicantes
protestaren! alia: de iitcrrdiiipcr a prescripc&o.
reqnerem a V. Exc. digne se mandar tomar por
termo o seu protesto: como o supplicado esteja
ausente em lugar incerto, querem os supplican-
tes justificar a ausencia aliin de ser o pro-
testo intimado por carta de edictos, dignando se
V. Exr. marcar dia e hora afim de ter lugar a
justificacio.
Nestes termos pede a V. Exc. dcfcrimenlo.
EB.H. Kecire, 8-de Fcvcreiro de 1889.
Fernando Silva & C.
Sellada legalmcnte.
E mais se nao contilia em dita peticao aqu
copiada na qual profer o despacho do theor se-
guirte :
Como pede, designando o escrivo dia. Re-
cife. 28 de Fevereiro de 1889. Montenegro.
E mais se mo conlinha em dito despacho aqu
-copiada, cm virtude do qual fra feita a destri-
bnico do theor segunte :
A' Ernesto SilvaOliveira.
E mais senao continlia em dita destribuc&o
aqu copiada, depois da qual via-se o termo de
.protesto do theor seguintc :
Aos 28 de Fevereiro de 1889 cm meu cartono
perante mira compareeeram os supplicantes c por
estes foi dito que reduziam a termo o protesto
constante da petiyao retro que otTercciam como
parte desle em queassignam depois de lido. Do
que liz este.
Eu Ernesto Machado Freir Pereira da Silva.
Fetnand Suca & C.Antonio i. Cordeiro.
Fraucco Manoel de Almeida Junio*
E mais so nao continha em dito protesto aqui
copiado.
E 'eiido os justificantes produzido -uas teste-
munhas justificando a ausencia do juslilicado. o
respectivo esenvao fazendo sellar e preparar os
autos m'os fez conclusos nos quacs profer a
sen tenga do theor segrate :
Vistos. Jolgo procedenle a justificacao, c
mando que se expecam editaes com o prazo de
30 das para a intimarlo pedida. Cusas ex-
Mflflfc.
Recife, l.# de Marco de 1889.Thomaz Garcez
Paranhos Montenegro.
E mais se nao conlinha cm dita sentenca aqu
copiada, em virtude da qual o respectivo escri-
vo fez passaar o presente edital pelo qual c seu
theor chamo, cito e liei por intimado o juslili-
cado ausente Joo Heinaux Duarte para compa-
recer ante este juizo atm de allegar o que tirar
a bem de seu direito.
no praso de tres dias, o, caso o nao faca,
organise o Dr. curador fiscal o mesmo
balando em face ila escripturacSo.
Proceda-se a arrecadacio da massa,
em cujo acto deiignarei quem provisoria
mente a receba.
fustas pela massa.
Recife, 1 de Marco de 1889.- -Thomaz
Garcez Paranhos Montenegro. (
Em virtude tiesta minha sentenca o
respectivo escrivito tez passar o presente
edital, por cuj t'.ieor convoco os credores
da referida massa a comparecerem na sa-
la das audiencias no dia e hora cima in-
dicados, para elegerem depositario.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, o presente ser publicado pela im
prensa, e outro de igual theor aroxado ao
lugar do costurar.
Recife, 1 de Marco de 1889.
Eu, Jos Franklin de Alencar Lima,
subscrevo e assigno.
Thomaz Oarctz Paranho Montenegro.
DEC1ARACES
Itllill
QUE SE REALISARA' NO
Da 3 de Marco de 1889
!\omo

e
s
i
Pello*
\alnra
114.
Cor da veatt-
ffleiM

Proprietario
1" Pareo iroNp'ridaa> 850 metros Animaos da provincia que ainda nao tenham ganho
premios no Derby em maior distancia
i;Linda Flor...
* Pirraca......
Dan ton......
Vida Alegre.
Almirante...
Cvclone.....
7> -Neptuno.....
8 Arat.......
9 Licorne.....
10 Good mor-
ning--------
Fanfar....
Minha Espe-
ranza.....
Bijou.......
Pombp- Preto
ex-Lidador
Caifiz.....
15
I
8
I
3
6
4
i
:t
7
I
B
3
a
5
i
Castanho
Russo.....
Alazao
Rodado. .
Alazao......
Castanho
Rodado
rardao...
Castanho
(Caxito...
{Castanho.
Pern.
Premios iOOi ao 1*, 30 ao 2* e 20 ao 3.
Encarnado e hranco.
35
53
55
33
33
53
55
50
55
53
50
30
30
53
33
Encarnado c azuj...
Azul e branca......
Encarnado e preto. .
Encarnado e amarello
Azul e branco.
Encamado e preto
Azul e amarello.....
Grenate ouro........
Azul branco e ene.. .
Violeta e ouro........
Gerah.'o Cabral.
F- S.
G.V.
oudelaria Imperial.
Coudelaria Paysand
A. S.
Coudelaria Mondego.
Jos Luiz de S. Filho.
J. C. A.
Rufino Cardse
Palmeira & Procopio.
Coudelaria Modello.
Coudelaria Victoria.
I. J
Estrada de Ferro do Limoeiro
N. 7. Francisco Alvea de Bar-
ros 20000
Ra de S. Joao
N. 4. Manoel Elias Alves de
Farias 2000<7
Travesa do S. Joao
N. 2. Azevedo & Silva 160000
Agua-Fra
N. 16. Antonio Arco-verde de
Mello 24^000
Ra da Harmona
N. 10. Miguel A. Jos Fernan-
" des 200000
Estrada do Encanamento
N. 12. Adriano da Rocha Pe-
reira 320000
N. 22. Generosa de Oliveira
Fernandes 160000
N. 11. Adriano da Rocha Pe-
reira 240000
Ra do LamarSo
N. 1. Manoel Ferrcira dos San
tos Braga 240000
Ra da Ponte
N. 1. Manoel de Carvalho 320000
Estrada de Apipucos
N. 2 A. Manoel Goncalves No-
gueira 320000
N. 9. Capitao Alves 160000
Largo do Apipucos
N. 46. Joao Felisardo de Amo-
rim 320000
Travessa do Acude
N. 1. Victoriano Tobas de
Mello
N.
N.
N.
N.
Capitana do porto
A\MO MUM MU IIIO
De ordem do illm. Sr. capitao-tenente Rodrigo
Nuno da Costa, inspector deste arsenal e capitao
-ira quem
porto de
de hoje. com
2* PareoProdo Pe
i i Alfil........' 6
2Figaro...... S
3 Moncorvo... | 5
4 Favorita____ 6
31 Recife....... 5
6'Avmor. .
"Glalha...
nabocooo 830 metrosAnimaes de menos de meio sangue.
Premios: 300* ao 1, 75/ o 2 e 304 ao 3*
Alaza......
ChiU........
Rodado. ..
Zaina......
Castanho-----
Rosilha-----
3 Pareo -Coorordla 1,200
S. Paulo..
R. G. do Sul
S. Paulo...

Rio de Jan.
S. Paulo
R. G. do Sul
54
35
33
34
37
33
56
Ouro e branco.......Djalma M. da Silva.
Violeta e ouro.......J. Siqueira & Bastos.
Azul branco e ene___C. Fernandes.
Violeto e ouro...... Maia Chrysostomo.
Preto e grenat......S. P.
Verde e amarello A. M.
.................. coudelaria Allianca.
metrosEguas de puro
100* a 2 404 a 3>.
sangue. Premios ; 4004, a I,
do porto desta provincia1faeo publico para quem
ipitao do
> de lio.
municou a esta capitana que do da 4 do cor-
nteressar possa
Aracaj, em telegramma
que o Sr. ipit
dala do
rente em dianle deixa de funecionar o pharol de
Aracaj at segundo aviso.
Capitana do porto de Perpmnbuco, 2 de Mar-
jo de 1889.O secretario,
Antonio da Silva Azevedo.
Arsenal de Guerra
O const Iho econmico da companhia de apren-
dizes artfices, pVecisa eonlractar os artigos se-
grales, para fardanumlo -dos apeudizM
16."> metros (le brim escuro de lnho trancado.
273 metros de algodaoz nho.
2 metros de panno escarate francs. '
75 metros de algodao msela.
As amostras dessas fazendas acham-se na se-
cretaria para serem vistas e examinadas pelos
licitantes.
Os pretendentes deverao apresentar suas pro-
postas uamesma Mcrcteria, at as 11 horas da
manila do dia 4 de Mano prximo.
>'ao serio tomadas em consderacp as pro-
poslas que nio forem feitas de accordo com o
art. 64 do regulamento de 19 de Outubro de
1872, cm duplcala, com referencia a um s ar-
tigo, mencionando o nome do propoiientc, a in-
d i cacao da casa commercial, o ureco de cada
um artigo, o numero e marca das amostras, de-
claraco expressa de sujeitar-se a multa de 5
0A> no caso de recusar assignar o contracto, bem
como as de qne tratain os arts. 87 e 88 do mes-
rao regulamento.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 28 de Fevereiro de 1889.
0 secretario,
J: Francisco Ribeiro Machado.
iOlga.......
2 Cynira......
3 Vanda .
4 Gallia.......
5, Judia.......
6,Mascolte...
7lAspasia.. ..
Castanha. .
j.Alaz......
Zaina......
Alaz......
m
Castanha .
Alaza......
S. Paulo...
Inglaterra.
R. da Prata
Inglaterra.
Franca....
R. da Prata
Inglaterra
51 Ouroe branco......
34^| Preto, branco e ene .
Ouro e branco......
Azul, branco e ene -
Encarnado e Preto...
an
:7
57
51
MNP.
P.J.
.N. P.
Cordelara Emulacao.
C.S.
Coudelaria Paysand.
Guimaraes & L.
80000
Estrada para o Engenho
N. 2. Joaquim Ferreira Alves 200000
N. 14. Jos Joaquim Martins
&0. ... 240000
N. 14. Manoel Rodrigues 160000
Engenho Dous IrmJtos
3. Jos Mara
Pedra Molla
2 A. Antonio Maia
4. Manoel Passos
5 A. Mara Pessoa da Con-1
ceicao
N. 19 F. .\jitonio Vasques
Estrada de Sant'Anna
N. 7. Manoel Sotolino
N. 11. Francisco Dias dos Res
N. 41. Joao Procopio de Colom-
bo
Ra da Casa Forte
N. 13. Generoso Alves
N. 15. Antonio Arco-verde de
Mello
N. 69. Antonio Carvalho de Aze-
vedo & C.
N. 9. Manoel Martins Lopes da
Cruz
N. 10 Basilio Magno da Silva
GuimarSes
Ra da Poeira
N. 2 Ferreira & C.
Ra da Matriz
N. 2. Manoel Ferreira da Mot-
ta
Ra do Monteiro
N. 44. Manoel Pedrosa dos San-
tos
N. 1. Manoel Ferreira da Cruz
N. 17. Manoel 1 erreira da Cruz
&C.
N. 75. Antonio Joaquim de Aze-
vedo
Travessa da Carolla
N. 1. Horacio Machado
Ia seccSo da Recebedoria Provincial, 11
de Fevereiro de 1889.
O ehefe,
Jeffenon Mirabeau de Azevedo Soares.
12o0
32000
400000
200000
240000
240000
240000
22000
8;>000
240000
40000
1G0OOO
320000
280000
160000
321000
BULES PBLICOS
' A S>MML_
as quatro noites de Carnaval
4. Pareo -HipplrMo do Campo trnwlr- 1,609 metros Cavados da provincia.
Mouro........
Mylord ....
Templar___
Gracejo.....
Arumary-----
Monitor......
T-iiW......
5. Pareo.*-!
Salvatus.___
Castigliooi...
Coupon......
Price.......
Derby......
Ernani.....
Premios
Alazao..
Baio.....
Rodado .
.
Alazao. .
Cawanho
2501 ao 1
Pernamb..

80* ao 2 e 25 ao 3.
56
54
54
31
34
Encarnado..........
Azule ouro.........
Azul l8trado.........
Violeta e ouro.....
e preto ...
rauco e azul.......
CBVB de HrrnaRibur*-
Premios
Alazao.....
Zaino......
Alazao.....'.
Zaino.......
Alazao.....
Zaino.......
500* ao 1'
Franca ...
a
Inglaterra.
1.609Wetros-
123* ao 2 |40* ao 3
A. F.
A. F. da Rocha Leal.
S. M.
A. P. A. 8.
N. D.
. Co Coudelaria Piranga.
Animaes de qualquer paiz.
Azul list/ado ...... .
AsbI branco e ene. ..
Encarnado e branco
57
57
37
51
55
57 fRosa e preto
Coudelaria Cruzeiro.
Djalma Moreira.
A. M.
.. |G.* E.
P. C.
Gremio dos Professo-
res Primarios
De ordem do Illm. Sr. presidente, por forca do
art. 59 dos estatutos, convido todos os socios a
se reunirem aa sede social no da i de. Marco
prximo s 10 doras da manh, afim de proce-
der se eleico do conselho que de ve dirigir
esta sociedadade no correutu anno.
Secretaria do Gremio dos Professores Prima-
rios em Pernambuco, 18 de Fevereiro de .889.
O secretario
A injusto Wanierley.
"E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o presente qne ser publicado
pela imprensa e altixailo nos lugares do costuuw.
Dado e paseado Beata cidade do Recife, aos 2
de Margo de 1889.
Subscrevo e assigno. Eu, Ernesto Machado
Freir Pereira da StiVi, escrivo. o escrevi.
Thomaz Gartn *-iirunkoi Montenegro
~Dr. Thomaz Garcez Paranhos Monte-
negro, commendador da imperial or-
dem da Rosa, juiz de direito da vara
especial do commercio da cidade do Re-
cife e seu termo, por Sua Magestade o
Imperador., a quem Dcus guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital
virem ou delie noticia tiverem, que se acha
aberta a fallencia do negociante Felippe
Nery Guimaraes, pela sentenya Jo theor
aeguinte :
Sentenca. Vistos.Em face da peti-
cio retro, declaro aberta a tallencia do
negociante Felippe Xery G'iimarcs, es-
tablecido a na da Paz n. 2, a datar de
27 de Fevereiro.
Nomeio curador riscal o Dr. M. N. Fer-
reira Castro.
Faca-se publica a fallencia por euitaes,
e convoquem-se os credores para se reuni-
rem no dia 5 do eo'rrente na sala das au-
diencias, s 11 h.ras,*para nomearem de-
positario. Junte -j fafcdo o seu balance
Empreza da estrada de ferro
de Ribeirao ao Bonit
tM-aibla a<*rml erdiaaria
Nao se tendo reunido hoje, no escrip-
torio desta Empresa, numero sumeiente
dos Srs. accionistas para a reunido ordi-
naria de assembli geral, convocada nos
termos do art 73 do decreto n. 8821 de
30 de DezerabroMe 1882, e pela segunda
vez convocada mesma reuniao para o
dia 22 de Marco prximo ao meio dia, no
escriptorio d'esta Kmpresa, praca de
Pedro II n. Ti!, I." indar.
Recife, L'8 de Fevereiro de 1889.
Jo Bdlarniinv Pereira de Mell^,
Dirwctor secretario.
6. ParcoImprema Pe
sangue. Premios:
tcaaui 1.400 metros Eguas nacionaes al meio
350* a !, 80* 2* e 35 3*.
Minerva
Alpha. .
Olga. ..
Favorita
Douradilho
Alazao. ...
Castanho -.
Zaino......
S. Paulo... 51 AzuI branco e ene.
54 furo e branco......
51 I .
54 I Violeta e ouro......
Coudelaria Cruzeiro
Djalma Moreira.
M. N. Pontea.
Maia Chrisostomo.
OBSK3a,VA.gC)(3SS
Os animaes inscriptos para o 1 pareo devem achar-se no ensilhamento s
8 horas da manba.
Os animaes inscriptos para os outros parcos, deverao estar urna hora antes
da determinada para o pareo emque tiver. de correr.
Os forfait serSo reeebidos at sabbado, 2 de Marco s 3 horas da
tarde, hora do encerramento do expediente paca esta corrida.
A venda de paules encerrar-se-ba 20 minutos antes da corrida.
HORARIO
1. pareo.
2. pareo
3. pareo.
4. pareo.
5. pareo.
6. pareo.
9
9
10
11
12
1
horas ..... minutos
e
e
c
o
e
50
40
30
40
30
Concurso
Por esta secretaria se faz publieo em vista do
despacho da presidencia da provincia de 9 do
crrante mez, e de ordem do Sr. Dr. inspector
geral da instrucco publica, que se acha aberta
a inscrpcao para o concurso a que se vai proce-
der a requerimeoto do alumno nicstre titulado
pela Escuta Normal, Arthur Octaviano da-Silva
Ramos, para provimento da cadeira de ensino
primario do sexo masculiuo do Poco da Panella
(de S.* entrancia), sendo somante admittidos a
essa inseripyo os professores pblicos de qual-
quer cathegoria, e os individuos titulados pela
Escola Normal, devendo estes no prazo do 40
dias tpresentar os seguintes documentos : folha
corrida ou attestado de procedimento civil e mo-
ral pelas autoridades judiciarias, policiaes ou
cmaras raunicipacs das localidades em que ti-
verem residido nos dous ltimos annos, diploma
conferido pela Escola Normal. Ficando sem
efleito o caita! n. 32, que annuneiou o accesso.
da mesma cadeira.
Secretoria da instrueco publica de Pernam-
buco, 11 de Fevereiro de 19BB.0 secretario,
4.a seccSe.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro de
1889.
Por esta secretaria se faz publica a re-
conimendacSo do Exm. ministro e secre-
tario de Estado dos negocios do imperio*,
constante do aviso n. 288 de 22 de Ja-
neiro lindo, para conhecimento de Mara
Severna da Conceicio Lucas, mSi do
alumno do Instituto doa Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Godolredo Lucas.
c N. 288. 2a directora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
Illm. e Exm. Sr.Nio podendo, na
conformidade do artigo 26 do regulamen-
to do Instituto dos Surdos Mudos annexo
ao decteto n. 5,435 de 15 de Outubro de
1873, continuar alli, por haver attingido
a idade de 18 annos, o alumno Jes Lou-
renco Godofredo Lucas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 de Ou-
tubro de 1882 e convindo, portanto, pro-
videnciar afim de que seja retirado do
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director de estabeleci-
menco no officio, que a tal respeito me di-
O Gerente,
Henrique SchuteL
Estrada de ferro do Recife
Caxang
e
io d
Pr, Wtrrmy Club.
faehs ordinarios at Qua'ro Cantos (nanha)
8 h, 5 m. h. 26 ra.
Trens especiaes at o Derby (manh) 9 h. e
Volta (ordinarios) 2 h. 58 m. e 3 h. 30 m. Es-
peciaes i h. e 2 h. e 40 m.
THEATKO DE VARIEDADES
DA
NOVA HAMBURGO
Domingo, Segunda e Terca
O Theatro, Allamedas,--Jardim,--Galleras e
Terrados, sero Iluminados a
LUZ ELCTRICA
Ataviada de gallas, =a Nova Hamburgo engrinalda
a fronte sorridente do magnifico edificio, para receber em
ampia confraternisa$ao, a mocidade esperanzosa desta=*
Veneza Americana =, que n'essas noites consagradas
musa alegre dos prazeres, alli se absorve no agradavel con-
junctodeBoninas e Junquilhos.
Ao rgimen interno, ser observada a conveniencia
do consumidor, com a maior solicitude,quer no grande
e bem prvidoBuffet da seccao dos recreiosquer as
innmeras mesas existentes as dependencias exteriores
do estabelecimento.
20-Rua da Florentina 1-Caes de Santalsabel
Onde se acham as bilheterias para a venda dos in-
gressos.
PRADO
Para
a 2.a corrida que de ver ter lugar
no dia 10 de Mareo de 1889
Premios: IOJOOO a pri-
Carnaval
Nos dias 3, 4 e 5 ha ver mais um trera a noite
para a Vanea; partindo do Recife as 7 h. 40 m..
e o de 8 h. partir as 8 h. 30 m. 1* de Marco de
18890 gerente interino,
______________________H. Fletcher.________
Recebedoria Provincial
Relacao dos contribuintes comprehen-
didos no imposto decretado no art. 1.
% 9. da le n. 1884, (80 re. por litro de
agurdente ou alcool quer puro que trans-
formado em licor) com relacao freguezia
do Poco da Panella e pertencente ao
exercicio de 1889, pelo lancador Joaquim
Tranquilino de Lemos Duarte.
1." PAREO Extra 700 metros. Eguas da provincia,
meira, 35(O00 a segunda e 15(5000 a terceira.
2." PAREO Ensal* 850 metros. Animaes da provincia que ja tenham sido ins-
o/iptos n'eate Prado, eno tenham ganbo premios no Prado, Derby eHip-
podromo. Premios: 2OO0OOO ao primeiro, 50)5000 ao segundo e 20)5000
ao terceiro.
3. PAREOrra4 Prraambarano1.009 metros. Animaes de qualquer
paiz. Premios: 600$000 ao primeiro, 120000 ao segundo e 6OW00
ao terceiro.
4." PAREO GRADE PREMIO Recife -2.000 metros. Eguas estrai
Premios : 1:000)5000 a primeira, 300)5000 a segunda e 100)1000 a
ceira.
PAREOFerro Carril1.450 metros. Animaes nacionaes de meio
Premios: 350i5000 ao primeiro, 70$000 ao segundo e 35)<
ao terceiro.
PAREO Derby Ciato e Pernaaibueo 900 metros. Animaes da pro-
vincia que nao tenham ganho n'esta ou maior distancia. Premios:
250-5000 ao primeiro, 605000 ao segundo e 25)5000 ao terceiro.
o.
6.
7.
S.
PAREO 1.* tic iulho 900metro8. Aniaycs de menos de meio sangue.
Premios : 300)5000 ao primeiro, 604000 segundo e 30(5000 ao terceiro.
Estrada do Arraial
rigi, se exprime regularmente por escrip- j N. 66. Domingos Gomes Cor-
te, perito official de encadernador e tem
o peculio de 8645950, recolhido a caixa
econmica, dou conhecimonro d'isto a V.
Exc. "para os fina convenientes.
t Deus guarde a V. Exc. -A. Ferrei-
ra VUmna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuo
O secretario interino,
rea
N. 25 C. Moreira da Silva &C.
N. 27. Manoel Goncalves Ro-
drigues
N. 27 G. Domingos Gomes
Corma & C.
Estrada do Brejo
N. 24. Luiz Goncalves Louren-
o&C.
I
32)5000
24^000
165000
325000
32*000
PAREO flapodrOMO do Caoapo i.ramdf 1.500 metros. Animaes
provincia. Premios: 300*000 ao primeiro, 60<5OO0 ao segundo e 30$C
ao terceiro.
Observacoes
So sorSo admittidas para cada pareo 15 propostas. Cada enveloppe deveni conter
urna so proposta, e caso appareca mais de urna s ser acceita a primeira que i'or lida.
Nenhum pareo ,ae realisar sem que se inscrevam tres animaes de proprieta-
rios' differentes.
A inscripcJU) encerrar-se-ba quarfa-felra 6 de Mario as 6 horas da tarde
na secretaria do Prado.
Recife, 28 de Fevereiro de 1889.
0 SECRETARIO.
Francisco dk) Souza fiis.


6
Diario/ide Psifcambttco~^J>iMi*uigQ> 3 de Mango, .de 1889
THETB0
MIITO


kAMANHA!-MABERTRA-AMNHA!
1. BAILE CM\AVALESCO
DOMINGO
ILLMI1AAOA VENEZIAWA
O palco apresentar una deslumbrante novidade devida
ao distmcto seenographo
cxa:3Fu:s3PX3csflc asa jvjcwcAJ.AX,
Os bailes sob a direccaa do primeirtf'professor de danya peruanbucano o Sr.
halsivo ::::: sos asios seseos
Orebestra sob a regencia do estimado profcssor o- Sr. Martin*.
Ornanientacoes dos salSes do baile (que se achaui mais espacosos) ricas e de
muito gosto. *
BOTEOIM RESTAURADO
Anda que sem-estareattonatuidas todas as obras proyectadas naquelle edliicio
o publico ter ocCasiSo de ver os grandes melhoramentos que j a<> effectuaram.
No Theatro esta exposto um betn sortido e rico guarda-roupa, que se aluga
por procos oomiuodos, dando direite a entrada gratis noB bailes a quem alugar
reupas.
Os novos proprietarios d'este theatro esperam merecer a coadjuvaofloddo
respeitavel publico pemambucano >a quem sao muito gratas pelo gentil acolhimenio
que tempre lhe tem despensado, pronettem para o futuro proporcionaren* uteis e
permanentes divercSes.
Entrada geral. ...... 1$000
Camarotes-para familias. 8$000
\0 fW*m*W SANTO ATOBO
Jf si j / & c e & m w*71 i 0 o f
aiiss sem rivaes:


i-;.
I





* lndemni sadora
Esta Companhia est pagano o dividendo de
1%C por aeco, ou 15 ao auno sobre o capital
TOluado, referate ao semestrefinoem 3l Dezerahro prosimo paseado.
MARTIMOS
CMPmiK PKAMBI < \\\
DE
Xavegaeo ateira por va
rara Fernando k brrala
vO vapor'Una
Commandante 8erapliim ., Caatfui medice a berdo; e)de marcha rpida
S^hl' L3SJ?iAl tferecc ev.elle.te, commodos e optimo^as-
sadio.
A passageus podero ser tomadas de ante-
mao.
Recebe carga, eucomniemias e passageiros
paraosqu-.Hiitenr excellentes accominodac&es.
Para carga, passjgcns, eucoramendas e di-
heiru-u frt*' : tratare coqio AGENTE.
horas da manh. Recebe carga at o'
Idia 9.
Passagens at as 10 horas do di da sabida.
ESCRIPTRIO
Ao Caes da Companhia Pemambiitana
n. 12
United States and Brnzi
M. S. S. C. J.
. O vapor Advanee ,
-r-in E' esperado dos porto.s do
norte at o dia 4 de Mar-
co o qual depois da de-
mora necessaria seguir
I para a
labia, Rio de Janeiro c Manto
t
Para carga, passagens, encommendas
abeiro a frete : trata-se com os. GENTES.
Henrv Porster & C.
j
8Ra do Gommeicio8
1* andar
di-
COMPAWIA
l-KR>IHKI\
DE
!a'avegavo costelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Paruhyba, Natal, MacOj Mossm, Araca-
ty e Cear
O vapor vfog'HaTibe'
Comniandane Mooteiro
Segu no dia 8 do corrente s 5
horas da tarde. Recebe carga al o
Encommendas, passagens e dinbeiros a frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao .Cae da Companhim Pernambucama
n. 12
Companhie de Messa;eries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Congo
Commandante Lecointre
K esperado das -pertos do
sul no dia de Mareo,
seguind depois dademo
ra ilo coj'mae para feor-
deaux. tocando em
Dakar e Lisboa
Lemora-se aos Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares* reservado! para esta
agencia, que'podem tomar em qualquer tempo.
Paz-se abatimento de 15 0|0 em favor das fa-
milias eompos tus de i pessoas ao menos e.que
na garvn i passagens ioteiras.
Por exeepcSo, os criados de familias que to-
maren bilhetes de proa. goaaui tambem- deste
abatimento
Os vales postaes s se dao at o dia 2 pagos
de contado.
Para carga. paBsagens. encommendas e di-
uheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
O paquete Nerthe
Commandante Juzegabel .
'.'esperado da Europa no
dia 7 de Mareo e .e. : r depois da demora a-
para
Janeiro. Biumos-Ayes r
Montevideo
[ya-se aos Srs. passageiros dFtodns a'
ue ha logares reservado para e*a
|ue podem ^>mar em quaUnier teme
aos Srs. recebedor de mercado-
qoe p se atteuder a reclamaces por Cal- J
tas, hbs volamrs. que forerr. -eionhecidas. na.
occasiv da descarga, a-s... 'a\v deverao den-
tro de i" liura-a contar do ai. da descarga das
alvareiijas. fazerem qualque.; re lamacSo coc-
cernentesa volumesque por entura lenjaam se-
guido para os portos do suJ. afm de poder-se
dar a tempo as providencias\necessarias.
Este paquete illnrninadpj ;\luz elraiaim.
a vapor
Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
Xavega^o
jinLa quinzonal aatre
Pernambuco, Babia,
Santos.
0 VAPOR
Ville de Pernambuco
Commaadanta^MMre
Ksptra-so oYtsJportos d* sol no
lia 11 do trrente., seguindo
depois da indispensavel demora
ara o. Havre tocando em
lattoa.
entrar o* porto
ralfic.Sc m Navigation
s 'on.pany
STRAmfFM\QELLAl LINE
O paqnete JohntSder
Espera-se da Eropa at. o dia
10 do correa* e egoir depois
da demora ai HBlwli'p'iwwa Val-
paraso por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
abeiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Wilson. Sons k C, fliited
14_RUA DO COMMERCSO14
Rio Grande e Pelotas
Para os portos acima.'segue com brevidade o
lugar brasileiro Marinho Vil; para carga trata-
se com os cotsignatario3' Jos da Silva Loyo &
Filho.
Mossore -Xracatj
0 hiate Victoria segu com- brevidade para
Xlles portos ; para o resto da carga trata-se
rdo, no eaes do Loyo, ou ra da Lapa nu-
mero 14.
LE1L0ES
Terca-feira, S, deve ter lagar o leilao de
vinhos e movis no armazem da ra Mrquez de
Olinda n. 52.
Leilao
De inobilias e outros-movis
A saber:
Mobilias de jacareada, mogno.: po-carga,
junco prelo e austriacoi fiteirbs, cadeiras de jun-
co, aviesas,- ditas de balango, candieiros a gaz,
arandelas, jarros, guarda-loucas. apparadores,
quadws, oamas de ferro c muitos outros mo-
vis.
Terca-feira 5 de Marco
A'til horas
>o
Agente Pinto
arnazen da raa Hartfiu/
de OUnda a. 59
Por oecasio do leilao de vinhos finos
Leilao
O vapor Athens
8fcer*4 daEropa- at o dia DI
dt warra. stguindo depois da in- n. 52.
Hspensatrl demora para a .....
De vinhos finos, cognac o leitercondensada
Constando de:
216 azias 4c garrafas com vinhos das marcas
Saoternu-. S. Julien. S. Estepliech. Laroe, Mar-
gaux, Lalito, Poutet.' anet.
60 e meias'duzias de vinho do Reno, a saber :
Mascobremar, Mose bliicheu, Ranenthaler, HoCh-
heimer, Assuanshaases, Gcisenh Kosackerberg,
Rudeh Engrsg, Spark e Moiselle, Bitter de An-
gustura. Bonekamps.
10 duzias de agurdente de trigo das marcas
Kuldluburg, N'ordhansen, frascos,com leite, licor
70 sortido e cognac.
Priv duzias champagne marcas Fennidet & lls.
ilege, Cliegnet e outras marcas.
17 caixas com cogna .
Terca-frira & do corrale
AS 11 i/i HORAS
No armazem da ra Mrquez de Olinda
n. 52
O agente Pinto
levar a leilao, por mandado e em presenga de
Exm. Sr. Dr. juiz dedireito especial do commer-
cio, um variado sortimento de vinhos tinos, ci-
ma mencionados, pectencentes massa fallida de
Joao Moreira & C., emiotes vontade dos com
pradores, s 11 1/2 iioras do dia cima dito,
em'o seu armaiem, ra Mrquez de Oftgda.
Preciaa-se de duas amas para urna casa de
familia, a na do Pires n
Quem precisar de uma^senaora braaleira
para ensaar em casas particulares a menina? e
meninos, riureirae letras, crtuguez, Francez.
Italiano wi-.t? VUlU qwid.ides dirjase a
casa da ra M rqoM do BeTfH .,. 23, que se
dir quem ; na mesma casa vende-se bonitos
ps de crotn* em cacos para sala, e fazem-se
ramos de flores paia fiMVts de sala, naturaes e
Brtiliciae8.
^ raaDexo
Qic H'nyuain andar por estes
s
13
RA VISCONDE DE LNHAUMA
Cambra'as brancas a :<60 rs. avara.
Dita com salpico- a 300 rs. a dita.
Popelinas com listtas a 200 rs. o covado.
L5s de quadros a 160 rs. o dito.
Ditas chinezas a 200 rs. o dito.
Zetiros muito largo a 160 rs. o dito.
Selinetas lisasia 360 rs. o dito.
Setim prelo muito bora a 1*200 o dito.
Velbutinas a 700 rs. o dito.
Merino preto (2 larguras) a 800 rs. o dito.
Sargelins todas as cores a"2 Chitas escuras e claras a 2"0 rs. o dito.
Cretones para camisas a 240 rs. o dito.
Brkn de cor Minbo) a 300 rs. o dito.
Dito branco de linho, n. 6 a 1*300 o dito
Vestidos em cartSo a 9*000.
Toalhas felpudas para banbo a 1*000.
Dita dita de rosto a 360 rs.
Camisas de flanella a 2*000.
Dita du meia a 1*000.
Geroulas de. linho a l*i00.
Camisas francezas a 2*000.
Colchas de coros a 11800.
Fich de retroz a 1*000*
Ditos grandes a 2*000.
Chales de quadros a 8*000.
Meias de cores, arrendadas a 70U rs.
Ditas brancas a 300 rs.
Collarinhos de linhos a 300 rs.
Madapoln muito largo a. WHJO a peca.
Meias-casimiras de cor e pretas, com duas lar-
guras alio covado.
Grande sortimento de casimiras ingle/as, cortes
de fustes para collulvs, corles de capSimira
para calca de 6*. 8* e 10*.
Mandamos fazer -qualquer obra emnossa offldiia
por precos que outros nao.podem fazer.
Venham ver para crer
Gon^alves Kantos &C-
Babia-, Ri' de- Janeiro, e Santos
Rogare aos SrTimportadores de carga pelos
vfifiores desfcv linba,,queiraiB apresentar dentro
de > dios a contar do da descarga*dasalvarengas
qualquar reclamag rncnk-a volumes que
porventura tenha.. jo para os portos do
ulafimdese poitet dar a'-tempo as provi-
dencias nee^ssarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, .eSCOHUuendat e di-
nlieiro a frete: trata-se c-mru
AGESTE
Angoste LabiUe
9 RA DQ dOMMERClO 9
Companhia Bra^ileira de
Nave2;acao Vapor
BDRT08DOSUL
O vapor Maranho
Commandante o eapitao de fragata Pedro
Hyppolvto Daarte
E' esperad dos portos Jo norte at
odia 7deWarg< edepois da de-
mora indispensavel seguir para o.
portos do aal.
Recebe tambera carga para Santos, Santa Ca-
iliarma. Pelotas,'Porto Alegre e Rio Grande do
Sul. frete mdico
As-epceromenda *8d ero recebidas na agen -
oa at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens. encommendas e .alo-
res trata-se com as AGENTES.
PORTO* DO NORTE
0***por Para
CoinuianUattie- Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sul at o
ia 8 de Mareo e se guindo depois
,da demora 'indispensavel para os
portos dpflirte at Manos.
As encofiwenda* tia wtakidas na agencia
at 1 hora da tarde do Para carga, eiicommenda*,^passagens e valo-
re; trata-se com os
AflTEd-
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do~ QQjumrc>'6
l pandar
Agente Burlama
Leilo
A's 11 horas
De bons movis
No 1." andar do sobrado ra Direta
n. 34
0 agente cima, autorisadoi por urna familia
que mudou-sc, levar a leilao os bons movis
existentes no referido sobrado, constante de di-
versas mobilias, louras. vidros, tapetes, guarda-
louia. guarda-raupa, passaros e muitos outros
artigos qu cstaro a vista dos Srs. licitantes
LnJo
Royal Mail-Sufam- Racket
Compiuihia
O vapor Atrato
Baha, Rio de
Commandante L. R". Dlckinson
E' esperado do sul no dia
Marco c ^'guindi depois
M|ifria^p."C0'
de
da demora
Usboa. Viso. *outkaiupton
%atacrpi
De movis, loucas, vidros e trena- de ca-
zinha.
Quinta-feira. ? do torrente
A' 10 12 lloras
Na casa sita no pateo da feira em Jaboatao,
constando de:
. Urna molilia de junco com muito pouco usb,
qontndo 12 cadeiras de guarnico, 2 ditas de
brago, 3 ditas com balanco, 1 sof e ,,2 conso-
las com pedra, 6 jarros finos, 2 candieiros, 1 ta-
pete para sof, escarradeiras, espriguicadeira,
rnesa para escrever, excellenle cama de ]araraa>
d, guarda vestido, toilet, banca de cabeceira de
cama, cpula, cabides. lavatorio com espelbo,
secretaria "de Jacaranda, estantes porta papis,
lanternas, tinteiros, commoda de Jacaranda, la-
vatorio, bacas e jarros, 1 guarnigo fina para la-
vatorio, 1 grande aparador com rame, guarda-
comida, mesa elstica, aparadores, cadeiras de
balanco, dita6 de guarnico, sof, lout,as e por-
celanas para almoco e untar, copos, clices,
garralas, compoteiras, talheres, comeres, mesa
de cozinha, jarras, bacios e trem de tozinha, e
muitos outros objectos que- estaro patente uo
acto do leilao.
0 agente Gsmo, autorisado, far leilao dos
objectos cima iueucionarlos. existentes na rasa
em que resida o fille-'ido l>r Ladislao Pereira
da Silva. ^
No (re.i i-fe jugns da ma/di os concurrentes
ao leilao ter-jH!ajeiis artiti-
Aviso
Adiando-se aqui em Pernambuco seis immi-
grantes aMtriacoG, 9ndo-tres homens solteiros
o urna-familia de tres pescoas, marido, mulher
c urna ti I ha rdulta, se offerecem para qualquar
servieo. tanto aqui na praca como no campo :
quem intander poder precisar do servio desta
gente, queira a pparecer no consulado austraco,
que se lhe dar as informacoes necessaria.
Superior vinho de
Passto
Pelo mdico preco de 35* o quinto e 9*000 o
garrafo de tres caadas, voltando o garrafo
7*500 ; vinagre de vinho 30* o barril e 6*600 o
uarrafao sem casco, presos lquidos ; na ruapdo
Amorim n. 60.
Chegou < Pirraca
Esta rifa lica transferida para a primeira de
60:000*000 que correr no mez de Abril.
Alugue1 barato
Ra do Rosario nv39.
Visconde de Goyanna ns. 163 e 159.
Baixa Verde n. l-C (Capunga).
Ra Visconde de Itapanca n. 43, armazem.
Ra das Creoulas ( apunga) n. lo-B.
A tratar ra do f'ommerrio n 5. 1 andar,
escriptorio de Silva Guinores & C.
AVISOS DIVERSOS

Amorim Irmaos & C. pre-
vinem ao corpo commercial
*. a todos que interessar
possa, que o Sr. Antonio Au-
gusto Bezerra de Menezes
deixou de ser seu empre-
ado.
2 __.....___...................__
Nao soffre contestado I
Que as pechinchas da casa do Pedro
Antunes & C. tambem s2o repartidas com
o seus muitos freguezes, o para nao se
zangareru, mais una vez lembramos as
seguintes. para as quaes pedimos prefe-
rencia, do que certamente n3o se arre-
penderSo !!
NO VOS vestidos brancos bordados para
Seahoeas^preyo de l^a 22*000.
ELEGANTES vestidos de cretone de
cor.es 10<5 e 126 todo completo.
OMMODOS espartilhos de 3*500 a
12*000 Higinicos costumes ponto de
malha para criancas, para 7*000 a 12*000
As NOIVAS! Grinaldas e vens, Jeques
seda,
papel,
escossia,
e canutill
->,AIrtt>seo pavimento terreo-do sobrado-n.
46 ruiuLilt. da. estando o mesmO fciado, pin-
tado e t^r ladrilhado de novo.~couieiido 1 sala,
2 quartos e cosinbji; a tiatof ua r do Cabng
n. 16, toja.
Alu^'a ge easas a 8000no becco dos f.'oe-
llio, junio de S. on^ailo ; a tratar na ra da
Iraperatriz-ii. >'>
Uu^s
n.fl'.
rga, paeaag
nheiro a frete : tra'a-?f -.:. bENTi:
Augvsle L
9 Ra do Commerc
e di-
Ida da
. -ivyj i- das t 0 t .M
A Souttiamo.on 1- lasse t 2- x i -
' aioMote. re* .- idos para os
Pernambuix.
Emotefti a-^lereoteiia in.
H'-pu'i.. .i, ao-iaa>i protx-dei.i,
Brasil, w vapoi i aceiuirao
- i i;ueno.--A;
WDjaeadaaj 0
koxama
Amorim Irmaos & C.
N. o u.-- ni Boiu Josu-N
do I.ivra-
nienton.il!. o-- ailar da ra do Padre FJo-
riano n. 69 e a casa d lr*vessa do ociaho p
58 : as CaVes na l'racllia n. 7. e traU-se na ra
do ruai n. it, S andar.
Ahigu-l o 2- andar coi igua,. a ruade
Padre Msoiz n, I3ascans tei-reac anudo
Ninta Tlieivz i e becco do Caj ns. 58 e 24 : a
tratar na rua-dus Trincheiras n. 18.
Auu se na .- l;.irreiras um e\.
Ble terreno plantad k, presiando-
se para catroceiroA : -'tata,' na ru.: {lo Jnipi-ra
or i. SO i andar
A i. z'J rnainova de
Santa Hita, lea bons c e est muito.
Iknpa ; bata-K no n. 3f.
de una urna para tedaaet
:io:i.es':-0'-in o::;, -1 Se heru,
.. 10.
--
-T- P--ecisa-.e ile ums pomprar e eo-
p, para casa ib; poma familia : na ru
l'eqba n. t
modernos, meias de
bouquet em seda,
que de mais gosto.
Completo sortimento em bordados trans-
parentes e victoria, e tambem de cores.
NOVIDADE um leqnes Japowzcs por
2*000 a 0*000 proprios para bailes.
Landos aigretes, grainp<. com plumas
e pentes a Maria Antunicta para ataviar
um legante ponteado.
So lindos os- jrnloe. andaluzos. ota seda
c bilhetes domados.
NOVA ESPE-KAM'A
:* lia Iw4fii<> dt- Caxi.iM :t
P^itoml de imlmn
OB
JbLVABBS DE SoueA SOASES
De Pelotas
Apjirovado pela Exma. Junta Central
de Hygiene Publica, aHtorisado pelo (o-
verno Imperial e jirermado com> dalhas do ouro de l.'classe.
O PEiTOHAi, dk cambaba cura- perfbita-
mente a bronehite aguda ou ehronica ;
O PEITOKAU Vh. CAMBABA cura a asthma
por mais antiga que seja :
O pi;itural de Cambaba
forma admiravel qualquer
perda de voz ;
O PEITOBAL DE CAMBABA Cura
tavelmeutfe o tysica pulmonar;
O PKi-OKAL, DE CAMBABA Cura M tosse.
simples, m deHuxoes tio fcil e r*pida?uer-
te quo ao popno doente dtairaj
cura de uniu
rouc^JUe ou
GMm L
Na Loja das iitralas
W*m Doqr#.iXraS--S8
Telephoae n. SlO
Este bem corihecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente dom a
casa contigua do n. 5d no. intuito
de serem despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
qulda^o de todos os saldos que
ficaram de balanjo, por menos
50 [0 do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
Artlgoa de-lei
EsguiJUy pe9a, a 3*500.
Madapoffio com um metro de largura de
14* por 7*000
dem idem americano de 8* por 5*000.
Algodo marca T, especial, mait largo,
de 7* por 5*000.
Bramantes, pecas, por 7*000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 1* e 1*200 o metro.
Guardanapos de 4* por2*000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 1*500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 1*,
e 1*200 a duzia.
Toalhas de fuatao, quaiidade superior, a
3* e 4*000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
2*000.
iLenges de bramantes a 2*600.
Chales escocezes a 1*000.
E outros muitos artigo que doixain de
[ser mencionado* > e qa* se -vendoin cora
igual batimento
Te.hlos de: alta novidade
PAKA \1C8TID08 DE- SEKHORA8
Linhos pardos para- vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 1*800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
1*200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cre, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vicfcy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claro e esouros com lndissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande/variedade de
padr3es, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de G40 por 240 rs.
pechmeha !
Fust3es de c6r, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs.
Sedas Felippinas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, la e sedas que se ven-
dtm como o mesmo abatimento de 50 |B.
Coofeceo
Vestidos feitos de ("asemira ricamente
bordados de 80* por 15* e 30*.
Ditos para armar de 6*, 8* e 10*.
Ditos brancos bordados era carta, alta iio-
vidade a-8* e 10*.
Guarnicdes de colariuhos e.punhos para
senbora por 1* e 1*200.
Capotas tproparadas na corte) 9* e 10*
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 anuos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
5*, lio, 8* e 10*, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 2* e 3*.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 5*.
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
manho a 1*500 o par.
dem idem de Esoocia a 1* e 1*500.
Sobretudos- iinpemieaveis de borracha de
70*e8O*, por 30* e 40*.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfetadas de Vidnlhos a
25*e 30*.
dem idem de renda, seda, damasco e
gurgurao, tanto para phantasia como
para coramodidade a 38* e 40*7
Velludos do seda'e algodlo de muitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanbolas de seda, algo-
dao e linho, codt'um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confeccoes
como sejam mantilletes de blonda, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e-outros muitos mais, que se ven-
dem com o merao abatimento de 50 [0.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, e
3*500 p Ditas cor de caf e azul, do 2->500 por
800 re.
Cortes de seda para coHete, de 124000 por
.'.**' ,- :i->u0.
Ditos de velludo e fustao- a 1* e 1*200.
Mejas itru-l'-zajHx-ai rio de seda, d4l2*
por i.*km. u ozia.
l'aletots, A Camisas com um peque0"toque de mofo
a 1*600 una.
Collarinhos. modelo moderno, a 5*000 a
duzia.
Ctoaiuaa iigteaaa com collarinhos e jm-
nhos, sem colaivnhos e sem punhos a
36*000 a duzia.
Brins par'U .- de linho a 240. 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito braneo de linho n. 6 a 1*200 a vara.
Lindos casimira inglesa, de (i
_ 8*, 10* e 12-> a 4*. ti*, 8* e 10*000.
Sobretudos impermeaveisde boiracha, para
.honieu.-, de 70*-e'80*!^or30* e 40*.
Ceioulas tVanceaa, de 38* por 24*00'-
d^Pk.
de seda, completos e feitos de
mala. para viagem. bolc-a. de
RD ^ompk'to e "anaitainifi sor-
cheviots, casimiras fnuicez^tb,
prctaa o de cores de padrei
liosos c que se vendeta c^^H
CobIbumh as pcUockis
A' rea Duque de Casia -AS
> -J'este nnri acreditad) Btabelanimento
*r fa2enda8 finas, continuam a ofiferecer as
^mesnias vantagens, vendendo por menos
] do que em outra qualquer casa.
30
Como sejam as seguintes fazendas :
Cambraia com salpicos brancos e de cores,
muito fina com 20 jardas, a 4* a peca.
Cortes de meia-casemira, cores fixas, a
2*000 um.
Cortes de casemiras, finos, padroes moder-
nos, a 4*, 5*000, 6*000 e 7*000 um.
Cortes p<.ra vestidos em cartlb, todos os
aviamentos (novidade), a 7*, 9*, 10* e
12*000 um.
Pannos de crochet para cadeira a 1*000 e
para sof a 2*000 um.
Capellas com veos para nevas a 8*000
urna; peehincha.
Setineta branca lisas e lavradas a 440 rs.
o covado.
Setineta preta lisas e lavradas a 440 re. a
dito.
Mantilhas pretas de seda a 5* e 7* tuna.
Cobertas de ganga para cama de casal a
2*00 urna.
Colchas brancas e de cores a 2*, 3*, 4*,
5*, 6* e 7*000 um.
Cambraia preta para forro a 1*200 a pega.
Cambraia preta, nansuck a 160 rs. o co-
vado.
Algodaosinho inuito largo a 3*500 e 4*000
a peca.
Madapolao especial oom 24 jarda- a 5*000
e 6*000 a peca.
Esgniio para casacos a 3*200 a.peca;
aproveitem.
Brim hollanda para vestidos ou guarda-
pos a 400 rs. o covado.
Las modernas de listas e quadros a 200.
240 280 rs. o covado.
Fechs de retroz com palmas de cores e
pretos a 1*000 um.
Fichs de la, todas as cores, a 1*500.
2*000 e 3*000 um.
Seda Alcacianna, padroes escolhidos (phan-
tasia) a 240 rs. o covado.
Espartilhos de couraca, finos a 3*, -4*500
e 5*200 um.
Merinos pretos finos a 700. 800 1*000,
1*200 e 1.30O o covado.
Camisas francezes, puro linho de 60*000
a duzia por 48*000.
Toalhas acolchoadas a 120 e 200 rs. urna
(s se v^ldo).
H na loja da Revoliieo
DE
HENMQBE DA SILVA MOCHA
Santa Casa da Misericordia
do Recife
f
Br. Pedro Aflfoitfto de Mell
A junta administrativa desta santa casa far
celebrar na lreja da Senhora do Paraizo, pela?
8 horas da manfla do dia 7 de Marco, a missa do
30." dia com rquiem cantada pelas expostas,
pelo descanso eterno d'alma do seu compantieiro
de trabalho, Dr. Pedro Alfonso de Mello, e pede
a assistencia de todos os membros da irmanda
de. dos parentes e amibos do tinado a to pie
doso acto.
.secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 27 de Fevereiro de 4*889. O escriro,
Pedro flouygges de Souza.
t
Padre Manoel Ignacio Bezerra d
Ama ral
Jos Cornelio Leito Rangel convida aos seos
amigos e parentes para assistirem a urna missa
3ue manda rezar no dia 4 de Margo, trigsimo
o passameiito de seu prezado ami.'o e p. padre
Manoel Ignacio B. do Amaral, a qual ter lugar
na matriz de N. S. da (loria do Goit, pelas 8
horas da manh daquelle dia. e desde ja agr
dece cordialmente lodos quantos assistirem a
esse acto de religio.
t
Candida Come de Ollveira
Basto
Domingos' Teixeira Basto, seus filhos, genros
n rasa netos, ayradecemprofundamente a-todos
que acompanharam os restos mortaes de sua
mu prezada e idolatrada esposa, mai, .ogro e
av, 9ua ultima morada, e de novo ronvdam
aos seus parentes e amigos para: assistirem as
missas que se ho de celebrar na capella do ce
miterio publico, s 8 horas da manha do'dia 4
de Marco, stimo do seu fallecimento: con fes-
sando se eternamente agradecidos ]ior psf1 arto
de religio e caridade.
f
Joo Maria de Albuquerque
Oliveira
O desembargador Luiz de Albuqnerque Mar
tins Pereira, sua mulher c tilhos convidam aos
purehtes e amigos para assistirem as missas que
hao de ser rezadas por alma de seu finado sogro.
pai e av, Joo Mana de Albuquerque Oliveira.
em a igreja da veneravel ordem tercena "de S.
Francisco, pelas 8horas da manh de 5 do coi-
rente, stimo dia do fallecimento-do-megmo-
A assistencia solicitada ser considerada uin
divida de gratido para os solicitantes.
^M*M^HMMaH^^HMMB^^BMBB^^B>^M
Joan na t:\anseUHin da Fonoeru
e Kllva
Manoel Ferreira o Isabel Alejandrina Ferre
ra, cordialmente agradece a todas as penen
que se dignaram aconipanhar os restos mortaes
de sua prezada tia, Joanna Evangelista da Fon
seca e Silva ao cemierio publico ; e de novo as
convidam a assistirem a misflt que mandam re-
zar na terca-feira o do corrente. pelas 6 1,2 ho-
ras da manha. na igreja de X.- S. ds Terco, por
cujp_ obsequio desde j se confes-am gratos.
t
(, de seu ^^M
J Cu! i
uazeiu
importaat-a Bjadieamento v;nde-se
1*600 o ti-asco,.:-|S*000 i,2 Juzia e
24*01 a du'zia, em eat dos agent-
depositarios gera-
b'ranci*;. Manat da iha M*
Ra Mrquez de OihH
teirr: i^ntc
de 50
je i ai oes
A rowi grende qu
pe"? presos, i.-ni sacan pretas e d
gorgoroes,_setins, UU^.aerios- zeplr,;li;..
buhos, diitas, madapolSes e algod.
,nho8.
E muitas oatras
r>am na
so se
franriM-o de Pirula Ferreira
Innuniinrto
Primeiro anrrivrsario
Lucia Maria Carneiro da Annuneiaco
aos amigos e parentes do seu fallecido mana
Frnnciseo de Paula Ferreira da Annunci;
para assistirem a algumas missas que mado
cetebrar as 8 horas da raanba de segunda-fe-
ra i do corrate, na raat.-iz de Santo Anton-
Hesta eidade. Aos que comparecerem0 reconhe-
'imento.
ijmw^nnr'
f
Loja das Estrellas
I). Mara Francisca Paes Ba.reto Lia.
' lisia da Rocha Baixa Lins e ,ua farni
parentes e amigos
-mdam celebra *
!* horas da i
fada cu
Lm?.
t
I

-3
. i


".V:
V


Diaria <1 JPeraambuco---Diiiiago*& .de
HERMES DE SOUZA PEREIRA & C.
S33C3SSQR3S:
Acaba de reabrir-ge esta importante pharmacia nta ra o!o Mrquez de Olinda n. 27, depois de ter
passado por urna transformado completa. Est em condic,oes de satisfazer todo e qualquer pedido, nao s oncer-
nente manipulacao do receituario, como a venda de preparados nacionaes e estrangeiros, dos quaes a casa se acha
rigorosamente sbrtida. $
Esta.casa sendo por demais conhecidapela sua seriedade, os sens propietarios esperam do distincto eorpo
medico e da populacho em geral, a continnacao da proteccjo que sempre lhes dispensaran!, para o que empenham
a reconhecida leal chicle com que costumam tratar os negocios de sua profissao.
X3^E3B.IWX3SS 5 SOXTZJK. [POS^R-IEnm^ & G. SUCCESSOTRES
RECIFE
do
Cabello
do
Dr. Ayer.
Preparado Sob
,B&aB3 Sciontificas
E Physiologicaa,
.. para o
Toucador
OOOOOOCO00<>OOOOC
-
DE
SSA das CARMELITAS
lTico Buccessor
clos CafcxrLeli-fc&e
O-PASTOS *4> ** ** 'Abhaye, 14 y?Jh ;-r^.S
COKTBlA -.
\i&&\
fcpopUna i F'otos
Cholera Cslicas
E-.r'c"o njar Indigestos
* FcL-r' H. a'eila, etc.
er rle rti tr.n'rido
^nw c* j:: II'.. .. o i rtaoe i; to.
em t*.dc* o vldro*
c-_a <:;:.. o t.ir_^cto.
IirOHC.* fK tODAl A3 PHAEACIAS
do l'niv-ma.
OO00O0OOO0O Srsoenfiw ^
I
FALSIFiCA^C-S]

Erig.'- Aanyp.aKra '
de
PEREIRA
[i
!7
s
as
Recebedores directos dos mercados da Europa.
liquidaEaljDs segu Ates artigos com descont de M [
vendas em grosso
Bramantes de algodao.superiores, a 800 rs. o metro, 4 -largura*..
dem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 1(8000,; metro.
Atoalhado alvo, duaa larguras, a 700 rs., 10100 e 10200 o dito.
Algodio alvo, nacional, para lences a 0500 a peca.
Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jarda*
Maripteas de coras a 220 rs. o covado.
Chitas claras e escura, -cores firmes, a 200 ts. o dito.
Bat3te idcm a 120rs. o dito.
Zefiros-de quadiinhos-, a 80, 160 e 200 re. o dio.
Merinos "lisos de aaarlargura a. 200 rs. o dito.
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Ficha da-renckv-ohics a 10000.
Colabas irancezas da corea a 20000 e 40000, urna.
Lencee de bramante a 10800, para -cama de casal.
Casimiras 4sice,? pargroupa de enanca a 1AO00 e 10800, d-agonal, duas
Camisas inglesas o francezae a 260000 e 300000 a duzia.


' H PTIT_1
-'-. ....
otNOSi'
........... .'.*
Ch/oroF?.AnemiaCatharro pul \ar Brortcklte cvroi
itharro -1a Hexiga, Phtisica, Tossi es > *m* -// ->*.
araas semiaaes, Catharros jhuj a b..&*u*o*l tsu
^"iltvmxa nontJn, f, en PAJ em rtantoaJM horc-?"-*'-
g-w. ia-g<-7.
grageas de Ferro Babuieau


Laureado do Inttituto de Franca. i \:mo c'e Therapeutica
O empregoem rnpdicina de Ferro Rabuteau .'- lciseado na Sciencia.
AsVer4adira* Grageas de Ferro Rabutenn sao recommendadas nos casos-de
Qhlorose,-namiu,Pali'ltts Core*. Corrimentos,Debilidad*,Esi/otamento,Convalescencia,
Fraqueza dnt criancas, Depauperamento e Alterado doiangue cm-oonsequencia de
' fatigas viyiiiias e excossoc -I-' loda a natureza. Tomar 4 a 6 pragea dor..dia.
Sem Comlipaeo nem Diarrhea, Assimilaro cnmpltta.
Elixir de Ferro Rabuteau recommendado as pessoas que nao padem engur
cngulir as gradeas. Um calix de licor aos repastos.
Zarope de Ferro Rabuteau especialmente pan. as criancas.
\ ilti Urna explicado datalhatia aeompanha cada frasco.
Exigir o Verdadeiro Ferro Rabuteau de CLIN & C'-', de PARS, que
iMMHfellDroguistas e Pharmacenticos.
AO'|N. 20
iargui



- > _.
I
Tapetes aveludedas,- grandes, a 140000 um.
Cortinados ricamente bordados a 56*00 e 60000'
Pawos de cores para mesa a 10100 e 10300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 30000 o dito.
Brins pardoste de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores a pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austriaeas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Sets epodas as eOree a 900 rs. o dite.
Setinetas labradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruasinglezaa.parailwmem a 20500 e 30000 a duzia.
Cirr'T 1bm A- hwHiwntc, a 120000 e 160000 a dito
Cortes de casemiras para caica a 40000 e 60000.
dem de meia-easemira a 30000.
Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
dem felpudas para i>anke a 120000 dita.
E muitos artigos que serio lembrados com apresenoa de nossos eitores.
59Ra Duque de Caxias59
LO JA DE
PEREIRA & MASALHES
Capsulas de Quinina de Felletier
Uoje nao ba quem ignore que Pelletier o inventor da Quinina e que a tua |
marca de abrica foi adoptada por todos os mdicos, por ser inteiramente pura,
contra as Bnzaquecas, as Nevralgia, os Acceesos de lebrn, contra as
Pebres intermitientes e paludosas, a Gota e Rneumatismo, 9 os Suores
nocturnos. Cada capsula, da grussuna de uma.ervilha, contm 40 <:enti- /^~\
grammas de sulfato, e nella ie-se PELLETIER. Estas capsulas tem .icc4ofmaTs-
buis prempta a mais segura do que as pulss e cocifeUos, e sngnMsaiss V_>/
mais fcilmente do que as hostias.
Tendem-se em frascos de 10, 30, 90, 100, 300, 500 e 1000 capsulas. F o tnico
mais poderoso que se ooobeoe. Usjm eapeqla someste rapresepu so grande
copo de vinho de quina. "........,,,.,......,
Deposito a PARS, I, roa Tivieane, a naiprlacisaM Pasmadas Drogara*.
junrTO
Gazes de cres-a 5Q0ra.^o covado.
Fustao braneo a 360 e rs. o covado..
Brins de cores a -280 rs. o covado.
Baleias pretns a 260 a rs. a-duzia.
Colchas de core* a 20 e 30000 urna. .
Oumbraias bordadas ai 40000 a peca.. .
Luvas de seda a 20 e 2^500 o par.
Lencos brancos a 10200 e 10809 a dusia.
Cretonas de Alsace a 360 rs. a covado.
Atoalhado bordado a 10200 o Brim pardo a 280 rs. o covado.
Linho8 de quadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Espartilhos couraca a 50000 um.
Chales adam aseados a 20500 um.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Merino do cores, a 500 rs. o covado.
Ceroulas de bsamntc a 120 a duzia.
Madapolao americano a 65000 a peca.
Chachemiras lisas e listra de combinacSes
a 10200 o covado.
Cambraia -Victoria a 20900 -a peca.
Bramante de liuho a 10700 o metro.
Toalhas para hanho a 10500 urna.
Tapetes grandes a 130000 uiu.
Ceroulas de lioho a 340000 a duzia.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Loquee tiiissmlss n Hbtfl
Alpacasrdei quadro a 600 re. o covado.
Camisas brancas para meninos.
Sahidas de baile a 10000 urna.
Cretones de cores a 240 re. o covado.
Percales- tii as a 200 rs. o cMvado
Nansok cores fixas a 240 o dito.
Las escoasezas a 260-rs. o dito.
O LOVRE
Popelina branca a 800 e 10000 o covado.
Bicos matisados a 20500 e 30000 a pega.
Panno da costa adamascado.
Regatas de cores a 10000 urna.
Sargelim de cores a.200 ri. o covado.
Crenolina,, preta- e branca, a 400 rs.
Chambres, de crep a 50000, e 60000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. ovado.
Guarnicao de crochet coi a matizes.
Grinaldas para noivas.
Se tiii i de cores a 800 re. o covado.
Cachemiras- de duas larguras a 800 rs.
Corjea.de. linn em cartao a 100 e 1200001
Camisas alIemSes a 360000 a duzia.
Cachemira^fle duas largura* a 800 rs. o
covado.

linn de Linhos de anadro
500 r. e dito.
qnadros a 80 rs. o dito
Bramante trancados a 10000 o metro.
Meias para harnea a 30600 a duzia.
Guarn2o decrechet, bancas.
Extracto Port-Voine a. 10400
Alpacas mescladas *.600 rs. o corado.
Entretella para camisas a 800 rs.
PARA- 0 OAESAYAL
Guarda-p para homens a 6j|0QO.
irurtua*po~ pss'a sennoFSS'-sr'Wl^^^wi
Paletots de seda palha a 80000.
Ditos de alpaca preta a 50000.
Ditos de brim pardo a 50000.
Esgujao pardo a 400 rs. o covado.
Gangas lisas a 340 rs. o covade.
Sebineta dourada a 400 'tsj o .eovado.
Tarlatana prateada a rs. o covado.-
Velbotina de caree a 800 rs. o dito.
>
Alpacas indianas a-320 rs. o covado.
te ra fthtteiro de J.at$*ii. 20
CASA Ol C \FH \ VA
'.'

-w

...... .'| -

.......- . ,;.i
. ... rt M:1/1
. 1.^ ....
- ~ Ul i. 1
-- pci**t tsmabeMfata.
I u-yuai
. -?'."':'-.' ': :.itof c' fosss?.
. & >. mea
0 Vigor do Cabello
Do Dr. Ayer.
Devolve, com o brilbo e frescura da juventude, ac
' abvllo cfhIIio ->u brwwoiima rira cor natu-
ral, eastanho o pret.i, com*e dMejft. Pe* seo
ur<\ ao cisco claro o tAjo (sodc dar-se ama efir
i ri.-ura, e groMora ao cabello finu, eoiqnanto que
ir<- Impede a rueda *V> cabello, estimulando o dbil o
,.i crin a c'adttr 7^o#0fanitCMe. Reprime o pro*
jrcaso e euKi.%tiiib;Le,aa^a,ouraiMJo qua^i todas as
'ocncas p. culiares do ticrt*caneo. Como Coaraeti-
-o para aCurataaeart p sabelloilas Sepivoraa o
Vyr nff'Win-rivnl: jiV'otii*-in frz ;uma, torna o cabello suave* brilhante c sedoso na
upparciicia, e 'ornniuuicu-lhe um perfume delicado,
afradlTe) permaiWLite.
-'' giai""1 'Ku>
DR. J. C. AVES K CA.,
Lowell, Maua., E/47. A.
4.' venda as principaes pharmaciaa e -dregariaa
Alug-a-se
i capa da ra Coronel Suassuna n. 150; a tratar
na roa Marcilio Dias n. 106.
Aluga-
se
o armazem e 1 andar do predio n. 42 ra de
S. Bpm Jess (Recite/ ; a tratar eom Luiz de
Moraes Gomes Ferreira.
Alista-se
a casa n. 3 da ra dePaysacd tem agua e gaa,
e muitas acoramodagOes para familia : a enten-
der-se rna do Corredor do Biapo n. 6.
Ahiga-se
a loja e 3 andar do sobrado ra da Impera-
triz n. 20, ambos em perfeilo estado de limpez-
e com grandes commodoppara familia ; a tratar
com Capitulioo de Gusmo, ra do Bom Jess
n. 11, 1- andar.
Auga-*e
o 1 andar ao sobrado n. i3 ra cstreita do
Rosario, com muitos commodos, fresco, e est
pintado de novo; a loja do mesmo sobrado, pro-
pria para mial fresca e est ttmpa ; aicasa n. 38 oa^ru de S.
Joo. com bastantes commodos e esta limpa,
tem bom quintal com cacimba-: a tratar na ra
Duque de Canas n. 89, toja._______________
Aluga-se barato
a casa n. 47 travessa do Bartholomeo, os 1 e
2- andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
e os 1 2 e 3 andares do da ra do Brum n.t84,
todos com bastantes accofflstodacdes para fami-
lia : a tratar na ra larga, do Rosario n. 34.
Precisa-se de urna boa en-
gommadeira que faga outros
servidos, a tractar no 3.* an-
dar> por cimaida typograpbia
do Diario* na ra Duqu
de Caxias n. 42. .
Ama
Precisa-ae de urna perfeila oasnheira, para as-
sistencia interna : tratar nu ra do- Marqsez de
linda n. 54.
Ama
Precia-*.' de utna -ama que saiba cosiuliar e
dunnu em -.-i-a do patro. >|iw atieste a sua con-
ducta : iu roa da.l'Miiatii>4W-*, i andar.
Amf
Piecisa-e de urna.am^.puru imbbar, para
casa de familia ; na ruaiuoae de Coxis* n. -->4.
loja.
Ama
Para casa de familia, precisa-se de urna ama :
na ra do Cabug n. 2-C.
Ama
-
LoinssSj
... ; Kite. ^ *>

;
& c
ALIAN PATERSON
N. 44Ra do BrumN. 44
JUNTO A ESTADIO DOS BONDS
Tem para vender, por procos mdicos, as seguintes ferrageaa :
Tachas rundidas, batida) e caldeadas.
Crivacos de diversos taroanhos.
Bodas de espora, idem, dem.
Ditas angulares, idem, idem. *
Bascos de ferro com se-ra circular.
Ch-adeamento para jardim.|
Verandas do ferro batido.
Ditas do dito fundido, e lindos modolos.
Portas de fornalha.
Vapores de forca de 3, 5, e 6 cavadlos.
Moendas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Bodas d'agua, systema Leandro.
Encarregaavse de concertos, o- asseotamento "4o maohinismo e executam qnal
Mi :rabalho com perfeijao e presteza.
t
-*0P* PHEMI00 os i.
j^* Pharmaceuticoem Paris **l^
Pn-cHs-sc de urna eirgomuiadoira. da-.-.- bom
alaiio ; a tratar na roa-Mrquez do Henal, .an-
tiga 'oocordia. n. 63.
Amas
lTucisa-.-i de urna ama i para cosinbar, re de
tutra para cngoiumar ; na ra Conds da Boa-
Vista n. 24-J.. ___________________
T>pogapiria c Litltographia
FABBTCA DE LIVEOS DEESCBFJ'U
KafaQ
Premiada oas caposieew de
18 elf5
Manoel J.de"Miranda
Encademaco e speciadades em eartoes de
visitas.
H-lu Duque--de Caxias39
Telephor>e.B. lf>4^
0 aoido Pbocico 6 o principio activo dos alcatroos expurgados da todo qosoto
na iluasarmam a ana abaorpoto, e aa (Ufen oam d^fn^oidade.
Sot> a arma Se xarope, um espeotfioo effloas contra as Doenoaa do potto,
BronohrUe, iUmu, Rocqnldoeo, Tose. Ooqoeloohe e Oiippo. Produs os
rosul tados pan aa pwaaoaa obrtgailaa a fallar multo.
do Brasa e de Forts**!
Uoftclidn el, iiiHMHla t* ,U "Mtlo do Bratll.
MrslM de SNDALO 0TRIM:
2VE OLEBTIAS SEORBT
4 ne M /arr.osat CifSUiai iiiilirrja/iiiemtc recatmnr,,uirtam f4HU JU*4t
/-i'.rv*. r.r- njrtn.
-
Cosinheira
Precisase de urna ama que cosinne bem ; no
terceiro andar do predio n. 42 da na Duque de
Caxias, por cima da typogrrapbia do Oiorto.
Pharmacia Bartho-
Iome<
*a rna
Professora
Na nu Bario do Triumpao b. 68, sedarin-
tormacos de qnem precisa de urna professora
para ensinar cinco meninas, portuguez, geogra-
pbia, historia e trabalhos de agulha._________
Professora
Una sesJiora competentoment<> habilitada,
prepoe-ee a leccionar em collegio e casas par-
ticulares as seguintes materias : portagaez,
francez, msica e piano : a tratar na ra Vis-
conde de Albuquerque n, 20.
Para folia do Carnaval
A padaria a vapor do PoBii^ai, expoz a venda
pos de arroz a 100 ris o pacote, nos lugares :
fabrica Martina, ra da Imperatriz n. 1, .Tcsoura
Muda, Livrameuto n. i, merciaria Lusitana,
Geivarsio Piri; n. o4, fabrica 'Flora. Cabug n.
7 A, loja Rival, Duque de Caxias n. 8U, padaria
Conde d'Eu u. 14, padaria Princeza Izabel n. .
merciaria Zeferino Valente & C, .caes 22 de No-
vembro : assim como especialidade para fllhs,
ou papas e bolos finos.
Caixeiro
Preeisa-se de um caixeiro ; na ra de Luiz do
Reg n. 47, em Santo Amaro das Salinas.
Diarios ejornaes
Compra-se para embrulno : na ra da Aurora
n. 86, mercearia Arthur G. MacSes.
Assucar
Usina Pinto
Santa Filonila
Colonia Isabel
Na re&naco Salgueiral, ra Mareio Dias
numero 22.
Assucar refinado
especial, o meihor que se fbrica nesta cidade.
J0AQDJ SALGUBfRAi. dt C
Ra Marcilio Dias n. 22
Telepksae asusiers 44IS
Q OLEO PURO
-DE-
MADO de BACALHA0
-DE
LANMM & KEMP
produz effeitos anlogos a os da
Emulso com Hypophosphtes
dos mfiSBOS senhores, no caso do
ser preferido o iract.im.Mito nesta
forma para o curativo dos inoom-
modoe
do Peito, a Garganta e os PiiiinOes.
AVISO
Previne-se a quem quer que seja que nao fa-
ca negocio algum com as casas que possue
Marciano Carneiro da Cunha, na estrada nova ao
Caxang, porquanto se acharn hypothecadas aa
abaixo assignado.
Manoel Joaquim Goncalves.
Cauellas do Monte de Soccorro
Compra-se cautellas do Monto de Soccorro de
qualquer joia. brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 22, loja de
relojoeiro.
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, com
pratica de 11 auno< de profiasas, aprisentando
diversos attestados de bom metbodo c comporta-
mento, olferece-se para Jeccimus em casas par-
ticulares, na cidade ou em seus arrabaldes as se-
guintes materias : Porturuez, Francez. i'afiano
Geograalua, Hiaoo, trabalhos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Govanna n. 69 ou em
casa do-Regulauor da Mannhara largado
Rosario n. 9. _________________^^
Professora de piano
Urna senhora habilitada, nao s pelo sen es-
tudo, como tambem pela pratica, offerece-sea
ensinar piano por pregos mdicos, quer em sas particulares quer em collegios, podendo ser
procurada para o exercicio de sua profissao na
ra dn Jasmim7f,J?9__________ _____
Ao comnierGio
abaixo assignado, tendo de retirar-se para
a Europa no vapor de 5 de Marco do correntt
anno, faz sciente a quem interessar possa que
deixa como seus bastantes procuradores os Srs.
Luiz Jofio Affonso, Manoel da Costa Ramos c An-
tonio Al ves Pacheco, lal como seachamna ordeui
aqui estabelecida-
Recife, 28 de Fevereiro de 1889.
Lino Fernwtdes de Azevedo.
fgmrereiffTiffTnirEDgf
opu.'"-- ni FRASCA, nj AMtMCA,
HESP'tlHA, ro SRAZIl,
onde *&'} atttorisiaos pala Junt.i d& H/*.en-j
ll.'afo eprr.rwi\
constituintc u..litio (o.a a CscilfA4dO|
p^r,i se tratar so, iior pr" barato, e I
so < urapon jkiiico ltii:|.i>. J
Essa m-'dii'Ai.:"i> ety-iKi rapiaBBOau
os liiuiiorcs, I)ilis,.liuiuor*'< viscosos vi-1
i:idOK que .ici-.iiU)n;n_ ccnisitttun as |
njolcsti. s, ; .-nea o s4i>uuo c "uiycii.; \
as recaliicias.
Purqanies-eHoviJ
4 GS0S, aos-Uos se iodo aiaae. cor-
vSo ewaci^lBMStoi as i-aviestta&li
Cilronie-. 4
Mrtacf unrttto -'- dios liui-ii ij':ei:-j i Mili.--;:tun- )S.
pan asup*--*"'-'.- t'Danc]*#aji i-t i iiiyauhis lquidos.
Sao iuralliveis contra : Attthm*,'.
Catarrhn. ittn. tilieumntismo,;
TtiniovvH. i'ltttus. ^'-nta rf .
appetitP,Febren, Vongentaen, Wo- A
Ir Has rf Flgmlo. .'.n ; '"eu: a
_B__rf
Ph1 CTTIN.scDje djsu.Le Roy
Rna do Seiu<-, 5*. PARS
Ui.iU.-ll'.' 1 4 TODAS AS PHABM.Ari._9
^
Cosinheira
Precisa-se de urna, que saiba cosinh: e nao
saia ra, para casa de familia : a tratar na ra
do Caboga:iif 14. de inci da at 2_bor
Cosinheira
Preisa-se de tima le boa conduela; para isa
de familia; a tractar ra do Raro da Victoria
n. U.
Cosinheira
Precisase de urna osinheira para casa
pouca familia : na ra do Livramento n. 24, ter-
ceiro andar.
i
AS
laienniMgs Secretes
BLENORMtAQIAS
GNG..>.H6A6
FLOBEfi OR^IC/IG
CORRIMENTOS
rscoBtos ou antigos sao curados emj
poucos dias ou segredo, sem rogl-i
raen nsm tisanas, sem anearnemj
.moies^y os igaos digestivo, polas j
PILULA
e injeccao da
KAVA
DO D0UT0R FOWNIER
Caa-Pula tem trovado -M'ni,
pilul.. f m. noicso, 4 re.
PAR1M, SS. Pltice de U MmdeUinv
|lHilhjf#0R0. Piriill
Vos amadores do carnaval
A bem conhecida loja de miudezas-B.^
00 RECIFE,a ra Mrquez de Olinda n.1.
(antiga da Cadeia) recebeu grande sortimento de
mascaras caricatos para homens. senhoms a.
criancas, e grandes coHecoSes para clubs c so-
ciedades carnavalescas, vende-so por. pregos- sed
competencia, quec pequeas ou grandes porces.
Vale a pena visitar a loja de miudezasBAZAR
DO RECFE para ver o meihor sorlimento e
mascaras que tem vindo ao mercado. Tambem re-
cebeu grande sortimento de bisnagas de efeeia
e outros artigos proprios para o carnaval, tso
a precosmodicos loja de miudezas
Bazar do Recite
A' ra Mrquez de Olinda o. 11
De Domingos M. Marti
L
I




;

<\
V
T
f:
I .
l
m


8
Diario de PernambucoDomingo 3 de Margo de 1889
GRANDE ESTABELECIMENTO
PIANOS E MSICA
FUNDADO Eli 1851
43-MIA DOS OURIVES-43
J. DBVILACQUA
Participa ana ?eas numerosos fregufses do interior que tom sempre no o. u estabelecimtnto o matar a mata escoltado
aorti monto de piano* dos melhorea autores.
dos pispas de
It^C^^^MftdlHI (primeiro fabricante da Allemanha)
Construirte eom chapa inteir de metal, propris para o "noaao clima
Cardas mazada*, grande omrldade. perfelco. duracSo e solidez
PLETEi. m:m:, mili, mi, boisselot i m::
a. IJ. Ccgos e precB enrr<-ntfs rrJ rem GRANDE OFFICINA PARA CONCERTAR PIANOS
MSICA
D todos os editor' a'Europa para piano, canto, instrumentos, orobestra e banda militar.
KlVItl Kt MI MI CAL. -Rit-o albu-n Quem nos remetter 520 rs. enviaremos a MINIATURA.
As Dcoma forern dirigidas serio despenadas coa maior breaidade, desde que veoham companhadaa
de jgeu slor.
N. B. Oa abatimentoa Berilo propogeionados -o valor das emorornendaa.
Grande officina para gravar e imprimir msica
Ai pensse que quiziT-n- roaudur editar u- cerrp ai(,3 dev.-m rnmetter-noa os manuscritos pr aerem informadas da
espesa.
PREGOS LIMITADSIMOS
J. BEVILACQUA
45-RUA DOS OURIVES-43
Rio de Janeiro
.. "
1AIS DE .(MMMMXRAS
DORES DE DENTES
DPA.3FLAJO"5TSXA.
PREPARADO NICAMENTE
POR CALASANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheunia-
ttamos, inchacSes, dores aciaticas, nevra'
gias, dormencia, etc., empregaiido se ein
fomentac8es sobre os lugares affectadus
Cura o beri-beri, as paraTy>ias e as dore?
de dentes.
Todos os frascos levam direecoes para
uso d'este medicamento admiravel.
Prego 1(J20<>. Descont de urna duzia
eiu diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. roa
Mrquez de Olinda n. -''<
A o carnaval
Mascaras
Completo sortimento de mascaras de rame,
papelo c setim ; vende-se em grosa ou as du-
zias. ao mais barato prego possivel, s para
aproveitar a epocha : na ra Mrquez de Ohnda
numero 54.
Prefessor americano
Devido mudanca de residencia
MR. GEORGE B. NIND
pode ser procurado nos das otis, na ra da
Conquista n. 20
A vida das flores
Vende-se esta imprtante obra, ntidamente
impressa e ornada de estampas coloridas em
numero maior de 100 : adaptada ao rcreie das
jovens que apreciam a leitura : a ver e tratar
na typographia d;i ra Duque de CaMas n. 39.
FOLPETII
SEM M AI
aw
POR
Mi: FAKBIlfOIT
DORANTE A TKMPKSTADE
Gal preta caldeada com
agua doce
O abaixo assignado ofterece aos Srs. editicado-
, res e engenbeiros a cal preta caldcada com agua
L doce, que muito preferivel caldeada com
i agua salgada, como est verificado: podendo
jqualquor pretndeme mandar examinar em seu
torno, ao entrar no rio de Nova Cruz, onde fez
agora urna cacimba com 40 palmos de profun-
didad?, a qual conserva agua muito boa para
beber e com a rnesma caldeia o seu forno de
fabricar cal preta.
Nova Cruz, 5 de Fevereiro de 1889.
Francisco Coekles Teixeira d'Araujo e Silva.
Pao centeio
Millo A Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
borotojpo ; ra larga do Rosario n. 40.
(Continuadlo do n. 49)
CAPITULO X
latatel prquiia
E ella, que tambem nao ousava failar,
que alegra nao senta entilo !... Arreba-
tava como urna ladra as debis floreszi-
aaa tio perfumadas e cobria-as de cari-
cias quando ficava ssnha no seu quarto.
E o seu primeiro beijo!...
['oi quasi contra a vontade de ambos.
Pedro estava perto, ella apertava Ro-
berto nos bracos.
Os seus olhares encontraram-se, tive-
ram o mesmo pen samen t ti,:
^fflvez um dia tenhamos um assim
aosso!...
E apertarain-se simplesmente as maos,
e, como urna cousa natural, os labios de
Jorge apoiaram-se na testa de Adelia.
B Pedro, com o seu bom sorriso pater-
nal e meigo, dissera-lhe, quando Jorge re-
ara-se noite:
Voces amam-se entio, meus queri-
tilhos !... Ah como fazem bem !...
or casto, Adelia, o nico bem
,vel na trra!...
E a partir desse momento ticaram sen-
do notaos, amaram-se puramente, santa-
mente, castamente, at ao dia abencoado
em que ficaram sendo marido c mulher.
Agora, o sonho do dia do primeiro beijo
tara realisado, os seus dous coracoes ba-
tiaai n um s>'>; Deus havia-sc privado de
nm dos seus anjos e enviara-o ao joven
casal; tinham a suprema consagracio do
amor, a realisacSo absoluta da felicidade. a
Precisa-se
de urna ama para servico domestico e para com-
prar : na ra Vidal de Negreiros n. 103. ~

RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada oficina de relojoei-
ro, sita i ra Primeiro de Marco n. 4, acaba de
ser transferida para a ra (*rg* el* oa*-
rtoa.4.
O seu proprleteri. tendo um completo e muta
bom sortimento de aviamentos teadentes a aas
arte e com urna longa pratica da mesma, ofTerece-
se ao publico em geral para encarregar-se >
todos concertos de relogios, caixas de msica,
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confitur de
seus freguezes e assegura-lbes que ser seapre
solicito no cumplimento de suas aens.
42Ra Larga do RorAo 42
Gustavo Volli flhard
VENDAS
alegra sem no%e, que se chamao flbo !
Qeorgina largara sattateita o seio.
Com infinitas precaucoes, porque a crian-
za adorada liavia adormecido, Adelia tor-
nou a deital-a no berjo. t
Jorge, minba pobrezita, nao te ver
mais !... murmurou ella contemplando-a,
tao linda, to al va, tito rosada! Elle, que
j te amava tanto, no te abencoar, nao
dirigir os teus passos, nao vetar por ti,
mea thesouro!... NSo, nSo possivel!...
Deus nao arrebata assim os pas s crian-
cinhas !... Olha, vou procurar-t'o e te-
nho certeza de que em toda a parte on-
de ninguem encontrou-o, vou achal-o !...
Vestiu-se sem chamar Suzana, tanto re-
ceto tinha que se oppuzessem ao seu' pro-
jecto.
Estava to traca anda !...
Quando achava-se prompta. Pedro ba-
teu sua porta.
la visital-a, comofazia todas as manhas.
Vendo-a de p, vestida para sabir, ficou
estupefacto.
Onde vais ? perguntou-lhe.
Procurar Jorge, respondeu elle sim-
plesmente.
Mas ests douda! Levantaste-te hon-
tem pela primeira vez !
Sinto-me muito forte. Parece at
que nunca estife doente. Supplico-te,
Pedro, deixa-me sabir. A angustia, a in-
certeza e a inaccSo ^ que podero ma-
tar-me.
Mas onde queres ir ?
A toda parte onde Jorge podes se
estar.
J se foi a toda parte.
Quera ?
Eu primeiro; e depota o Sr. Marais,
chele da seguranca.
Como! disse ella, dirigiste-te po-
lica para os nossos negocios privados ?
Nio fui eu. Porm Suzana, deses-
perada por ver-te tSo doente, nio saben-
do o que responder s tuas interminaveis
perguntas, foi fazer urna declarac&o sem
prevenir-me.
De certo. Mas nao ralhes com ella ;
fez taso por amor de ti. ,
E o que descobro o Sr. Marais V
Nada.
Nao queres talvez fallar. Mas podes
dizer-me tudo; sinto-me forte para onvir
o quer que seja.
E mais baixo, mas com a cnergia que
voltava sob o desespero inmenso, Adelia
accrescentou:
Nao tenho por ventura minha fi-
lha?...
Disse-te a verdade, respondeu Pedro.
Vende- se leite de vaccas da trra,
3)1) rs. a garrafa, garantindo se a boa
aos freguezes que o comprar nesta
freguezes encontraro o leite das 5 s
da manbl, e tambem nos encarregamos deoiari
dar levar em casa de qualquer freguez : na ra
do Rangel n. 53.
O Sr. Marais nao pide descobrir cousa
alguma. Mas pedi-lbo que parasse eom
as suas pesq*uizaa. Talvez que, continuan-
do-as boje, elle seja mais felta. Qaeres
fallar-Ihe?
Que qualidade de bomem elle ?
Bom coracao, intelligencia aapqtior.
Vamos casa delle! it
NSo, no estado em que te achas.
Vou l ssinho, e pedir-lhe-Inei que renha
ter nossa casa ; daqui a U0w ora o ve-
rs.
Nfio quero contrariar-te. Mas anda
depressa. Devora-me a angustia, fiare-
ce-me que Jorge est me chamando,, que
exprobra a minha inaccSo, a minha apa-
thia.
Pedro abracou a irmS.
Se te deizares assim donjar por
essa impaciencia, disse-lhe elle, os ervos
toraarSo o ascendente e nao tena mais
sangue fro, e por conaequencia nent for-
<;a, nem raciocinio, aem energa. Acalma
te, serena o teu espirito, escuta-me. E
quem sabe se nos dous, nos tngMp o
Sr. Marais, nio lograremos o noset< fim 'i
Adelia atirou-se nos bracos do 9*. de
Sauves.
Sim, sei, disse ella, continas- a ser
o bom senso e a razio incarnados ; mas
bou to desgranada !.. Posso pa*Jrnt-
ra ficar calma?...
Apoiou a cabera no hombro de Pedro e
desatou e*m solucos.
O mancebo, por diversas vezes, berjou
os cabellos louros de Adelia, aquellas ca-
bellos parecidos com o trigo madero, de
tons to suaves, e, desvencilhandiir'e f ou-
co a pouco do seu amplexo, sent- n'u-
ma poltrona.
Depois, indo buscar Oeorgina ao seu
berco :
Por emquanto, dtase elle, preciso
pensar nella, e amal-a mais do que tudo
neste mundo Fica com ella at miDha
volta; a pobre Georgina vetar por ti, se-
r a tua protectora, a tua consolacSo.
Sahio.
Duas horas depois estava de volta com
o chefe da seguranca.
Pedro tinha tido a fortuna de encontrar
o Sr. Marais no seu gabinete.
Depois do expediente de alguns nego-
cios urgentes, o magistrado recebera-o.
O Sr; de Sauves contara-lhe tudo, e co-
mo conseguir acalmar momentneamente
Adelia, promottendo-lhe a visita do chefe
da seguranca
Supplico-lhe, accrescentou, venlia,
mas preste bem attencio ao que diSser a
minha irmi. Ella nio est ainda restabe-
Faxendas baritas
Loja do Triumpho
Ra Duque de Caitas u. 4
LSs fins com Troco, a 320 rs. o covado
Ditas de qudros. bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
Zefiros largos de quadros a 240 rs.
Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
Ditos bordados tinos a 700 rs.
Etamine arrendada a 440 rs.
Dita de listas abertas a 400 rs.
Setius de listrinhas a 660 rs.
Ditos ua China (fantazia) a 240 rs.
Saias bordadas linas a 300o
Camisas bordadas finas para senhora 45000
Cambraia branca bordada, a 44500 a pega.
Dita bordada de cora 51500 a peca.
Chitas escuras muito boas, a 200 rs. o covado
Algodo largo ( 10 metros), a 2,1500 a pega.
Dito dito de 20 jardas a 4*000
Toalhas acolchoadas grandes, a 4*500 a duzia.
Redes inglezas grandes a 5*000.
Guardanapos de linho, a 1*800 a duzia.
i amisasde linho sem punhos e sem colarinho
a 3*000.
Bramante de algodao 4 larguras, a 700rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14*000
Cortes de seda para rollete a 4*000,
Cortes de casimira ingleza a 4*500
E outras mu i tus fazendas que se vendem mui-
to baratas para liquidar.
ra Duque de Callas u.
Bastos *c C.
4
Q.i!..lAULTeC",ll':C32;;3j
(Codeas, Otarr/ja, OystQtaria)
Ksi;i pre|iar;i<;fiu conten o aub-iiitrato
to bismotlio um forui de pas;a e extre-
mamente dividido. De mistura com u^'iia
rila forma um verdadeiro leite inspido,
que eom asquear, ou sem assucnr, as
cranlas, tao bem couio os a com prazer. t' um remedio poderoso
contra as clicas, as diarrhas. a dy-
s -nt.na dos paizas quentes.as dores
i'estomago, as gastri tes. gastralgias
e ulceraces do intestino. Suaacgao
maravilhosa liara combater a diarrhea
precursora do Cholera.
Cada frasco acompanhado de urna
colher de osso. que a medida exacta
para a sua applicagao. A dose de duas,
quatro at seis colheres para os adultos;
para as creancas, ella de meia colher.
^EmPARI8^8^Rua^Vi22S^
Cimento
Vende-se cimento da melhor qualidade pelos
mais razoaveis precos do mercado, na ra.do
Mrquez de Olinda n. 54.
PlSTlHASiePllANGI
Com Chlarto l Potasti t Alutrio
Uinaiaiaaliltataam.lni>anMiM aSal
Estas Pastilbas substituem com
vantagem osgargarejos e seempregam
com xito contra as aeccSes da
garganta,inllamma?o das amyg-
dalaa, nlooraeao das gengivas,
aphtas, roucruido extinecao de
?oa. Tomadas no comeco de um de-
fluxo, de urna bronebite, quando a
molestia se tem declarado,facilitam a
expectorac&o e sustam a marcha da
inflammacao. Sao indispensaveis aos
fumantes pela presenca do alcatr3o.
que purifica o hlito e cmbale .-
efeitos do fono, e sao muito apre-
ciadas pelos cantores, professores,-
advogados e prpadores, para exci-
taren-) a secrecjSo salivar e coaser-
varem a bocea huni'd.-t e fresca.
FMLJkKOiS.Hr.rrr.ceulici Ct f Clttst.
Deposito em PARS. 8, Ra Vivienne
C HA aat'M>*p m!'a 18 i" Loureiro&C
continuam a receber os seguintes vinhos, em de-
cimos e quintos, c que retalbam :
Genuino de Col la n s.
Superior de Clieleirof, um dos vinhos de maior
consumo em Lisboa.
Tinto da Regoa e alto Douro, sendo este man-
dado por um particular amigo.
Tambem reUlham Verde e Figueira. duali-
dades garantidas por Lourciro & C., ra de Bem-
Bca n. 7, Passagcm.
lecida, e o seu amor pelo marido d-lhe ex-
cepcional perspicacia.
O Sr. Marata, comrnovido peta expres-
sio com que Pedro de Sauves fallava de
Adelia, nio pode impedir-se de dizer-lhe :
O senhor estima muito sua irmi ?
O moco respondeu simplesmente :
Eduquei-a. Ella era tio pequea
quando meu pai morrea !...
O chefe da seguranca nio insisti.
Mas se o engenheiro o havia iinpressio-
nado pela physioaomia leal e a sua voz
tio profundamente boa e sincera, o que
nio foi quando achou-se na presenca da
Sr. Chaniers ?
Pedro de Sauves tinha efectivamente
as reticencias que causavam-lhe a idea de
que Jorge havia fgido com Joanna Des-
cours, emquanto que a moca, nio.
Adelia vio logo que fallava com um ho"
mem de coracio,' ousou, portanto, chorar,
suppcar, deixar ver as suas angustias e
o seu desespero.
Senhor, dizia ella erguendo as bellas
mitos postas para o Sr. Marais, e com as
faces banhadas de lagrimas, supplico-lhe,
restitua-m'o. Se o o senhor soubesse!
nos amavamo-nos tanto !.... Aconteceu-
Ihe com toda a certeza algura accidente.
Quem sabe se elle nio jae, mudo e incon-
sciente, no leito de alguno hospital, sem
que se saiba quem elle ?!...
Esta lembranca de Adelia abra novas
perspectivas ao chefe da seguranca.
Prcurarei, minha senhora, disse elle
ao retirar-se, prometto-lhe. Para dar-lhe
noticias de seu marido, farei milagres.
E dir-me-ha a verdade ?
Sim, juro-lhe.
Qualquer que ella seja ?
Patavra de cavalheiro.
Bem. Acredito em si. E se con-
seguir re8tituir-me meu marido, a minha
vida inteira o de minha filha perteneer-
lhe-hio.
Tres das depois o Sr. Marais ainda nio
havia descoberto cousa alguma.
No dia subsequente ao da visita do che-
fe da seguranca, Adelia qutaera a todo
transe descer ao jardim.
O tempo estava esplendido, um comeen
de verao magnifico, sem muito calor.
A moca andar primeiro debaixo das
grandes arvores, e depois caminhara at
s ras, cada vez mais afastadas de casa.
Estava forte. Nio .atttagia-a a fadiga.
No quartodj* disse a Suzana :
I^^^Ka acompanhar-me,j^nr*;
Novidades
Keceberam uidas de Pars
AZEVEDO, IRM.^0 4 C.
16 Roa do. B. da Victoria 16
(Antiga Nova)
Lindas capas de surah, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de sata a 1*4000 e 1(5500.
Sargelim fino todas as cores a 200 o co-
vado.
Baleiascom forro a 240 a duzia.
dem cSm forro a"400 a duzia.
Bramante de lnho com 10 palmos
14500.
D to de algodao com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 5iJO00 e 60000.
Ditos de crochet finos a 80000 e 100000
Estrado Rita Sangal a 20000.
Fichus de li e seda 10000, 10500.
Capellas com veo bordado a 60000 e
Madapolio globo a 70000.
Dito camiseiro a 70000.
Tapetes grandes para sof a 130000.
Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
Brins de linho c6ies fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 20000 e
30000.
Guardanapos de lnho a 20500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setim maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
Madapolio com um metro de largura
a605OO.
Cachemira arrendada e de quadros
10500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 30000 a duzia.
Camisas finas para bomem a 330000.
Colxas' de crochet com flores a 50000 e
90000.
Lindas velbutinas de quadros lisos e com
listas proprias para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 460 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palha seda cores a 90000.
Pao verde para buhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
GuarnicSes pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 40000.
< achemiras de quadros a 280.
Fustio branco a360 o covado.
Esguiio fino a 10500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE200
O desengao ir rer
Taverna
Vende-se a taverna da ra de Luiz do Reg n^
47, em Santo Amaro das Salinas : a tratar na
mesma ou no Caminbo Novo n. 87.
Cofres de ferro de Mil

ners
Veudem-sc esles excellentes cofres, como tam-
bem le outros bem acreditados fabricantes, va-
rios tamannos, prova de fog#, com a maior segu-
ranca desejavel a precos baratissimos, na ra
Mrquez de Olinda n. o4.
Viva o carnaval
SRa Duque de (axlus :fl
Primeiro andar
Grande exposicao de um sortimento de roupas
de phantasia e de todas as epochas, proprias
para os bailes do Hippodromo, Internacional,
Carlos Gomes e passeios.
PRECOS SEM COMPETENCIA
Na ra Duque de Caxias
Por cima da raradrraarao do Mi-
mas sinto que ficaria douda se nio fosse
eu propria procurar Jorge.
Suzana comprehendeu que a resolucio
de sua ama era dessas que nio se conse-
gue abalar.
Tomaram um carro, e a Sra. Chaniers
coinccou a visitar os amigos, os commis-
sarios, os antigos collegas da escola cen-
tral, todos, emfim, que podessem dar-lhe
um indicio qualquer, por mais insignifi-
cante que fosse.
Nada tio tocante como aquella joven
senhora, tio paluda e tio bella, que mos-
trava-se desesperada, mas cheia de cora-
geni, indo de porta em porta, como n'um
calvario, mil vezes doloroso e compun-
gente, dizendo a todos :
Supplico-lhe, procure, rena as suas
reminiscencias: nio o vio ou encontrou
em qualquer parte ?... impossvel que
elle tenha desapparecido assim, sem que
se achem indicios da sua pessoa.
E o chefe da seguranca, que nao poda
recusar-lhe cousa alguma, tanto d inspi-
rava ella, promettera-lhe visitar em sua
companhia todos os hospitaes, todas as ca-
sas de soccorro, todos os lugares onde
exercia-se a cardade.
E Adelia ia s enfermaras, cada vez
mais desolada, mais triste, olhando para
todos aquelles rostes de doentes, dando-
lhes urna esmola, deixando cahir dos la-
bios, onde vinham morrer os solucos, pa-
lavras que os consolavam e faziam-lhes
bem.
Elle morreu! Nunca mais tornarei a
vel-o !... dizia ella a Suzana, que nio a
deixara.
Afinal foi forsoso renunciar a essas in-
fructferas pesquizas, que matavam lenta-
mente a joven senhora.
Nada!... Nem o-Sr. Marais nem ella
haviam descoberto cousa alguma E Su-
zana, afim de nao vel-a morrer de des-
gosto, repetia :
Emquanto nio for encontrado o seu
cadver, devenios ter esperanca de tornar
a vel-o. Quem sabe?... a vida tem tan-
tos mysterios!...
Mas a Sra. Choniers meneara dolorosa-
mente a cabega, e, deixando correr as la-
grimas, responda :
Nio. nunoa!... O coraio diz-ine
que Jorge separou-se de mim para sem-
pre ; elle nio me engaa !

FIM PA PRIMEIRA PARTE.
Royal Blend marea YIADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Viad,
cujo nome e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Do,ee secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 5 e 4 libras, por
preco commodo ; na ra do Bom Jess n. *5,
armazem.
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gnezes em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da continuacio do cambio favoravel.
Convem que experimenten!.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 48
8^000 a duzia
OLEO AMERICANO
O milis econmico, kygleuleo e
perfumado oleo para o
VENDEM
.O TI I N DE J1ATTO* IRM\9H
2.v-rua Mrquez de Olinda -23
Breu
Em barricas vende-se na ra do Amorim
u. 60.
Para oDerbj
Carlos Sinden recebeu grande sortime
to de grava tas e camisas de cores proprii
para os amadores do Prado e est vendei
do < por pre90s sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de formatos novos.
48RA BARAO DA VICTORIA48
Mobilias austracas
Vendem-se mobilias austracas de todas as
aualidades e cores, por precos os mais commo-
os. para liquidado, ra do Mrquez de Olinda
n. 54-
Armae.o
Vende-se urna armario de amarello em per-
feito estada, propria para nnude/as ou tabaca-
ria : a tratar na ra do Cabug n. 11-A.
Ha vendo grande influen-
cia nos festejos do carnaval
pelos muiros* elids estes se-
ren muitos merecedores de
toda atten^i^V devem to-
dos prevenir-se para as pas-
seiatas noite. dos magnifi-
cos-a.-archotes elctri-
cos-- para que se tornem
muito vistos.
Vende-se na
Ra do Sarao Victoria n. 61
LOJA 0 SOXA
INNOCENTE OU CULPADO ?
CAPITULO I
IiHSiihre liado
O estio havia comecado esplendido.
Junho nio fora muito quente. Era um
bom calor brando o que tinha feito at en-
tio.
N'um co muito puro,brilhava um bello
soldeouro; no horizonte nenhuma na^7
vem; na atmosphera nada de pesado que
fizesse prever a ameac#de tempestade.
Todos os dias, quando cahia a tarde, er-
guiam-se suaves brizas, refrescando a gran-
de Pariz trabalhadora e industriosa, a Pa-
rta que ganha a sua vida, que labuta, qde
sa, que nio pode ir para longe, durante
os mezes ardentes do anno, procurar o re-
pouso e o ar mais fresco.
Mas no comeco de Julho o tempo mu-
dou sbitamente.
O ar tornou-se pesado ao ponto de res-
pirar-se com diflficuldade ; o sol embaciou-
se nSo apparecendo mais senio como um
largo disco de cobre vermelho, desferindo
raios de fbgo capazes de atear incendios
ou de fazer rebentar os cerebros... A'
noite, largos relmpagos rasgavam as nu-
vens.
as ras enconcravam-se os amigos di-
zendo :
Abafa se!... Que tempo horrivel!...
E' impossivel que isto. dure assim !... Va-
mos ter trovoada!
Nio, a trovoada nio vinha, e continava-
se a vver debaixo de um co de braza,
n'uma intoleravel fornalha.
> Atrs da usina havia um immenso re-
servatorio d'agua flor da trra, com cer-
ca de tres metros de profundidade, e que
servir a um antigo locatario, ou para a
sua industria, ou para alimentar as suas
caldeiras.
Com o trrido calor dos dias preceden-
tes, i agua havia-se evaporado e cheirava
mal.
Por que nio mandas esvasiar e lim-
par o tanque ? perguntou un dia Adelia
ao irmio. Tenho medo <}ue esse cheiro
inaupportavel nos faga adoecer todos.
>J (Continuar-se-ha)
t __
-'jPuqu' as n. 4t.

*,


>


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQPSAD02S_JPSKDQ INGEST_TIME 2014-05-28T17:37:48Z PACKAGE AA00011611_18280
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES