Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18264


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A NNO LXIX
DOMINGO "15 DE JANEIRO DE 1893
NUMERO J2
PERNAffl


PROPRIE0AOE BE MAHOEL FISUKIBOA FAB1A & FILHOS
I
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados. 6&000
Por Ues ditos vencidos ..... 7$000
Por um anuo a liantado .... 24&000
dem idem vencido...... 28$000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PUBLICAgOES NA FRAN-
gA E INGLATERttA
O Sra Amede, Prince & C, residentes em Pars34 rae le
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiaotado.
dem idem vencido.
131500
151500
271000
311000
I4RTE 0FFICI4L
fioverno do Estado de Por*
auilmeo
despachos do da 11 dr janeiro
de 1893
Arcoverde, Pereira & Parzio, coneeasionarios
da mina Piiroza, pedindo pagamento da 2
pres'.aca de seu contracto.Agurdete o pare
ce- da commisso de minas.
Bacharel Aagust Frederico de Siqueira Ci-
va cante, juiz substituto de municipio de Igua-
ras, pediado jactificaco de fallas.Informe o
^'pretor do ihescuro do Estado.
Capito Acs.riciino Paea Barreto.Marido
com ofii'io di' hoja ao inspector do Tbscuro do
Estado.
Anna Emia de Mirania Henriques, professo
ra punci, psdiado remocoAguarde oppor
uundade.
.". noa Cathar na das Neves, profussora publica,
pedalo 3 mezes ae lieeoci.Reme tido joata
aedi a do Estado a quem a peticionaria se aprc-
santar para ser inspecciona 'a.
Pe nardino de Arroda Senaa, sentenciado.
Infern o Dr. juiz de d'reito do 2* districto cri-
minal do R-cife.
Francisco Ribeiro -cs'a Vueconcellos pedindo
3 m zas da licenca.informe o Dr. ]Uiz de di-
reno co muaiciDio de G ,v-naa.
Gullhermina Francisca d* Araojo Lima.Ve
nba por intermedio d i [aspectoria Geral.
T-jsiavo Joaqaim de Mello, sentenciado.In
forme o Dr. jciz de direito do 2' districto cri-
minal do Recite.
falo Antonio da Costa Moreira.D se.
Jjso Ferreira da Silva Lima pedindo paga-
meato de vencimentos.Registre o peticionario,
no Tfiesoaro do Estad y. o titulo com qne ser.'io
c !u ar le aJmintradbr da Gisa de DetencSo,
afina de pode* receber os vencimentos que recla-
ma.
Joo Ferreira de Alcntara Barro'. Deferido
com oi:io de boje ao iuspu,etor do iheouro do
Esta lo.
L v.no da Canhi Guimares pediado isenco
.unidades da Companbia Recife Drainage.
'ciarme o enginLeiro fiscal da R^cife Drai
nage.
ftUnocl Joaquina de M-indOLca pedindo entre-
gua de documentos.Entreguem-se os docu-
mentos.
B.>..harel S'i i-munJo Antonio Goncalves, juiz
de direito da 2a vara do municipio do Recife
(Coimercio) pediEio transferencia para a 5*
vara ao mesmo municipio (Provedoria e Resi-
duos).Informe o Dr. procurador geral do Es-
Ldo.
ti
i ugosta da -ssumpco Soares Vilella, profes-
sora publica, pedindo casamento de vencimen-
10 .Deferido, ora turno desta data ao inspec-
tor do Tnesouro do Esta lo,
Capillo Antonio Graciodo de Gosmao Lobo.
Informe o Dr. juiz de direito e de o-pbo3 do
municipio do Recife.
ambrosioa Amelia Cibral de Arruda, profes-
tora rublica, pedindo dous mezes d licenca
ettldo a junta medica do Estado a quem a
peticionarla se apresenlara para ser iospeccio
Bernardino JosLope3, sentenciado.informe
o D?. juiz de direito do municipio de Bom Con-
selho-
Galditio Jo do3 Santos, sentenciado.Ao
Dr. juiz de direto do municipio ce Bonito para
enriar, devolvando esta petico.
Joao Francisco de Arruda, sentenciado.Infor-
me o Dr. juiz de direito dj municipio do Li
moeiro.
Jos Octa.iano da Rocha Mello, profesaor pu-
blico. Venba por intermedio da Inspectora Ge-
ral.
Joe Prazere^ de Saot'Anna, seitenciado.Ao
r. r. juiz ce direito do municipio da Victoria
pan p:oviienciar, devolvendo este requeri-
mento.
Josa Vicorno o>. Vasconcellos Piraira peda-
do er.'.rega de documentosEntreguem-se, me
diuie recibo.
los Joaquim Das do Reg pedindo para ser
p oviio no cffico d escrivo de orpbO) do
municipio deeU capital.-Informo o Dr. joiz de
direito de orpbos do municipio do Recifi.
Luiz Gomes da Cosa, sentenciado.Informe o
D-. z\z de direito do i districto criminal co! e-
cite.'
Lycurgo G;raldo de Alencar pedindo entreca
de OOCU -u.us.Ealreguem-ue, mediante re-
ciba-
Ba bar 1 Lou-engo Bezerra Vieira ue Mello.
Informe o inspector do Tnefouro do Estado.
na da Si.\a t-eves.Indeferido em vista
das informacr?.
Maria Rosa de Olifeira Liar-i pedindo para re
tirar ". colonia Santa Isabel sU3 tilhos ntonio
e Manee!.Ao director da colonia Sant-Irab 1
para in'crmar.
Bacbarel Pedro Alexandrino MarhaJo Jnior,
promotor publico do municipio de Alaga de
Bjo, pedindo 3 mesas de licenca.A'junta
medica do Estado a qu m o piticionarlo se apre-
sentar para ser inspeccionado.
Secretaria do Governo do Estado de
Pernambuco, 14 de Janeiro de 1893.
O porteiro,
. Hemeterio Maciel da Silva-
queseara policial
2 SaccoN. 12Sjoretara da Quea-
tura Policial do Estado de Pernambi^o, 14
de Janeiro de 1893.
CidadoParticipo-vos que foram hon-
tem resolhidoa Casa Detengo os
seguiotea individuos :
A' crdem do subdelegado do Recite, Aagusto
Jo6 de Saai'Aaaa e Seba9tio Jos do Nasci -
ment, por crime de furto.
A' ordena d subdelegado a Santo Antonio,
Francisca Mara da Conceigo,. Marii Francisca
do N^sciraento, Fernando J)s6 da Silva e Joao
Jos Joaquim, por embriaguez e disturbios: Hor-
telano Ferreira Pinto, como vagabundo ; Maooel
Rozendo, Josefa Mara da Conceicao, Manoel II )-
norato rerreira Ferro e Francisco de Paula Deo-
cldCiaBo, como jratuno?.
a' ordem do subdelegado do i- districto da
Grag, Joo "da M.tt'. Florentino, como deso.'-
deiro.
i' ordem do subdelegado do Arrayul, Anto
nio Baptista, co:becido por Antonio Badiao.
como gatuno.
Communicou-me o subielegado do Recife,
que no dia 12 decorante, entrando 03 larapios
Angosto Jos de Sant'Anaa e Sebastio Jos do
Nascimenlo em um estabelecimento ra do
Mrquez de O m Ja, emquanto o primetro pedia
camisas ordinarias para comprar, o segundo
apoderou se de duas pegas de fazenda, fogindo
em segnida mas sendo perseguido pelo clamor
publico, foi preso e recolbido pri35o, bern
como Sebastao, que se scbara arm o com urna
pistola carregada.
O referido subdelegado prosegue contra os
mesmo3 nos termo- da le.
No dia 8 do correte, pelas i hora? da tarde,
no sitio Baixa Grande do districto de Palmeira,
do municipio de Canbotioho, Jos Caris da Sil-
va ferio com orna facada ao inspector do lugar,
Antonio Rodrigues d03 Santos, sendo preso em
flagrante.
Proceden se a tal respeiio nos termos da lei.
Foi booteav recolbido cadela do municipio
de Goyanna, por crime da furto ie cavado, o
indiviauo de uome Jos Martins Cavalcante da
Oiiveira, e remettido na me~ma data ao promo
tor publico as deligencias procedidas pele res-
peclivo delegado acerca do mesmo facto.
Pelo subdelegado do districe de Palmeira fo
ram remettidos a autoridade competente as de-
ligenciaa procedidas contra Maximiaoo Bis
po dos Santos, Maximino Lopes Fettosa, Honora-
to de tal e Joaquina d'Afra, conbecido por Ca-
ioclo pelo facto do terem na nolte de 5 de
Dezembro ultimo arrombado violentamente as
casas de residencia de Manoel da Silva, Jasepba
Mari" da Conceicao e Joaooa Maria da Concel-
5?o, ^ODse(?uiodo '-vadirem-sp.
Co^municou-me o subielegado r'o ?>" districto
da Gr.ica, Que boje por volia de urna hora da ma-
nha as pracas que e3tavam de ronda, encontra-
raa nos fondos de urna casa, sita no Campo
Al-gre, do meamo districto, um individuo siml-
n.'o qual, ao avistar a patruiha deitou a cor-
rer e sendo perseguido, foi logo alcanfido.
Intimada a orden de prisao, oppoz elle tenaz
resistencia, dando tremenda bofe'ada em urna
das pracas, qne reconbeceu ser om tal Luiz Al-
bino, que ba ponco deu baixa do corpo de Poli
cia Regional, por incapaz.
A tal wpei'.o p;ocede-se no3 termos da lei.
Houlera, por volta de urna hora da madruga-
da foi encontrada pela patruiha que se acbava
de ronda na ra da Guia da fregneaia do Recife,
um individuo de nome Manoel Cutia, em estado
moribundo, o qoal sendo recolbido ao quartel
do i* posto, veiu a fallecer momentos depois.
A autoridade local tomou conhecimento do
facto e procedeu de accordo com a lei.
Ao Dr. Alejandre Jos Barbosa Lima,
.mi digno governador do Estado.
O Questor,
Julio de Mello Filho.
Vctor Neesen e Antonio Ferreira da Cos-
ta.Infirme a Ia seccSo.
Francisco Manrel da Silva.A' 1* aec-
cSo para 03 devidos effeitos.
Pedro di Alcaatra Boria Castro. N8o
tendo os anpplicados Manoel Luis &
(J provado a compra do estabolccimento
do supplicantd, como allegaran em sna
pettcSo, para obterem a transferencia da
firma por ellos requerida, e ao contrario
evidencindose das informacSes da Ia
seccSo nSo ser vardadeira aemalhanto a!-
lega^So, e que o aupplicante continuava
na posse do sea estabele^imento, o qne
eit de accordo com o que ezpSa na pre-
sente representado, foi indeferida a peti-
(lo dos supplicados, fiordo deste modo
o aupplicante garantido contra um tal
ardil, e nSo ba o que deferir.
Manoel Joaquim Pereira e Jos Eleute
rio do Azevedo.Informe ala seccSo
O porteiro,
Joi L. Macado C. Filho.
EXTERIOR
FOLHET1M
M
JULIO MARY
AMOS J 0D0
TERCEIRA PARTE
CASAMENTO DE JKNNY
XII
QUAL DAS DAS Y
(ContinuaqUo)
NSo acenso nigaem, Digo-Ibes sim-
pleamente qua! a micha conviccio inti-
ma. Est bem visto que no vou pedir
ao Sr. Caabert, juiz encarregado do in-
nerito contra Mirador, que expega j um
mandado contra o Americano... Teria
grande difficuldade em plicar-lhe o mo-
tivo de s^melhante pedido... Mas n3o
menos certo que para mim n2o ha duvida
er Romano o aasassino de Jactel e que,
losae esse crime inspirado ou nSo qelo Sr.
Bertignolles, este teve conhecimeato delle
desde que procura salvar o seu secretaria
das nosaaa mSos...
Mas por que sappoe isso ?... Des-
ulpo a nossa emocSo, Sr. Gaume, ella
bem natural I... Lembre-se que o Sr.
Bertignolles vai ligarse com aosea Sarailia,
pelo casamento de Jenny com mea irmSo...
Vai er um dos nossos, nos todos seremos
solidarios com a ana honra ; acsitamos o
eu passado; partilhamos a respoosabili-
Recohedorla do astado de
Pernambuco
DS8PACH03 DO DIA 14 DE JA EIRO
DE 1893
Antonio Jos Moreira, Antonio Moreira
Beis, D. Anna Cecilia Gomes Figaeiredo,
Agostinho Jos da Cesta, GuimarSea &
C,"D. Ignez Ferreira de Abren, Jo3o
Baptista Ribsiro GuimarSes, Jos Fernan-
dos Ferreira, Flix Ribeiro do Amara!,
AMERICA DO SL
Clllll
Grande numero de tiomens po'itico3 a'aca vi-
vamente a broenura publ.cida pelo Sr. Biancfi
Tuppr aitigo miai3'.ro cnileno no Rio de J-t-
neiro. sobre a guerra civil do Cbi i em 1891.
Furam postos em liberla te 55 cidadaos
implicados nos r.ltlmos successos e iostaurou-se
precesso contra 74.
A guna tremores de trra fizoram ?e sentir
em diversos pontos da repblica ch lona.
A nao serem aiguns estragos matenaes de pe-
quena importancia, nada mais oc^orre" na oc
casiao em que manifeston se o pbenomeno
Este sentio se bontem nao s na cidade de
Santiago, como na de Valparaizo.
O governo autorisou ao Sr. Guernro, seu
ministro acreditado em Buenos Aires, a desmen-
tir e noticia de urna alltanc do Cbili com o
Brasil.
Uepubllca Argentina
O governo argentino promulgou a lei concer
neote missSo de Danck-notes metallicas, dea-
tinados a cciverso do papel-moeda actual ao
typo de 2*i..
Na capital de Buenos-Ayres, a opiniio pu
blica continua a mostrarse inquieta pel03 con-
tinuos alarmes que se espalbam sobre urna nova
revolncao nessa provincia.
Nos circuios goverai3tas attribue se so
presidente da repblica a inlencao de proceder
enrgicamente contra os pertubadores da ordem
publica.
Nos circuios o(Bciae% discute se a prxima
demisso do ministro do interior : e fa'la-se
tambem na probahidade de demis..2o colle:ti
va do ministerio, por desintelligencias em seu
seio motivadas pela politica iuterna.
Nest ultimo caso afnrmi-ne qae o presidente
da repblica chamara ao poder o Dr. Maooel
Qui'.taoa. ., _
Mas artnal foi pablicido um desmentido om-
cial a esses boatos de crise ministerial.
Realisaram-se em paz as eleicss de sena
dores e aeputadas na pro.ncia de San Juan.
Annuocia-se da p-ovincia de Santa F, que
03 bombairos dalli revoltaram-se por falta de
recebimento de sold actualmente muito atra
zado.
A sedigo nao deseovolveu-se, gragas as me
didas de rigor postas em pratlca pelas autorida-
des.
Os principaes promotores do movimento fo-
ram presos.
As noticias chegadas da Corrientes trazem 03
eBpiritos indecisos sobre a situaso revolado
naria pelo desencontro dellas em suaa afrjrm--
C5es.
A 4 do corrente dizia-se dalli, que o interven
tor nacional do goveroo federal, o Sr. Marco
Avellanedo, mallograra commpletameote a mis-
so que Ibe fora confiada, para pacicar o con-
lliclo que rebentara ltimamente na^uella pro
fineta.
A prova disto est no fado de terem recame
jado as hostilidades e haverem os insurgentes
alcancado novas e importantes vid ras sobre
as tropas do governo, que, por es3a razao,
aiham-sa desmoralisadas.
consta mesmo qu? houve renhido combate
entre as fo'cas do governo e os revolucionarios
corrientinos, tendo a acg&o durado dez horas.
O resultado deve ter sido indeciso, porque,
tanto os governisias como os revolucionarios
cocsideram-se victoriosos.
HOs bandos armados gque percorrem o provin-
dade dos seus actos ; approvamos esse
actos... Lembre-se de todo issi, Gaumel
__ vjra essa 1 pois supp): qne nao me
lembrei ? replicou o agente que pareca
furioso com todos e com elle mesmo. Mas
reflicta, peo-lhe, Sr. marquez, e o senhor
tambem, Sr. conde. Em primeiro logar,
o deaapparecimento mysterioso do cowboy
nesse baile nao nos prova que iosso ho-
mem morando no proprio palacio, nSo
precisava sahir nem pela frente nem pelos
fundoB ?. -. Estavamos ti* longi de sus-
peitar isso no ontro da, que essa idea nSo
poda occorrer-nos... Hoje nos parece
muito natural...Como vm, oaminhamoe
Bem perceber... Alm disso esse cowboy
Romano Goux... A menina Jenny de-
ciaron-nos com franqueza ... Terceiro
ponto l o Sr. Bertignolles interrogado so-
bre quem era o eonvdado com quem con-
versava, dec'iarou nao lembrar-se de
nada!. Por mais qae solicitassemos a
sua memoria, esta moatrou se singular-
mente rebelde... E' ou nao verdad.:, Sr.
Lourenco ?
Com effoito, dase o conde. E fi.,uei
admirado !...
Entre esse baile a a hora em qne
estamos passam-se doia ou tres das e o
Sr. Bertignolles aproveita os. Como elle
bem desconfa que voltaremos carga,
que o interrogaremos sobre o seu secreta-
rio, e que lhe pediremos finalmente qae
nos aprsente esse ante mysterioso, aesu-
tolla so porque reoeia com razio semelhan-
te c afronto e no dia em que vamos,
cheios de esperang* da attingir o fina, ne-
dir-lhe que nos tira da duvida, o passaro
fugio, Romano Goux desappareceu.
De facto, murmurou o marques,
primeira vista tudo isso pode parecer es-
tranho... Entretanto as explicicSas que
cia t-m coram'-tiido mullos attentidos: saquean-
do estancias e praticando asssinatos.
Durante eita curta campanba, tem bavldo
scenas dolorosas de perversidade. As estradas
de ferro foram damnificadas; multas pontea des-
truidas
Oj prisioueiro3 em geral sao degolado3.
A insu-reicao de dia para dia toma propor-
es inquietadoras, comp^omettendo a existen-
cia do governo da provincia:
A opiniSo geral que u goveroo federal deve
immediatamente iotervir ofdcial e militarmente
nos acontccIuiegtoB que a li tem lugar e dar um
golpe decisivo na questao qae preoecupa viva
mente toda : repblica.
O presidente da repblica, a pedido do gover
no de corrientes^ ameacado pela revolucao,
mandou suspender as hostilidades, entrando ae
autoridades egaes em transagSes com os insur-
rectos.
Asuloridalea de Corrientes repeliera com
energa as propos'.as dos revolucionarios e por
este mo'ivo as hostilidades raconesaram.
Depois, chegaram noticias mais tranquiliisa-
doras.
Espera-se que a inaurreicao nao dure muito
tempo, e que os esforcos do interventor nacional
tenbam como resultado orna solucao amigavcl,
satisf zendo as duas partes in'eressadas, nao ob-
stante ter se dito que as negociares acabaram de
tomar novo aspecto em consequencia de recusa
calhegorica dos insurrectos de acceitar a3 pro-
postas que ibe foram feitas pelo governo federal,
produzindo tal noticia, que ss espalbou rpida-
mente na capital, certa s-uisic: nos circuios po-
lticos e governamentaes, de modo a fazer prever
que estes graves acontecimentos trarao serias
consequencias para o governo provincial de Cor-
rientes.
Todava, ultima data que alcaoca a 7 do cor-
rente, continuavam nao s as conferencias entre
o governjdor de Corriente3 e os chefes revolu -
cionar03,c moasnegocisocea entre o interventor
nacional e os insurgentes; as quaes seguem a
saa marcha regular, na la de extraordinario ten-
do bavia alii.
O goveroo federal por emquanto ainda n5o to-
mn decisao alguma a respeito ; conserva-se na
espectativa, parecendo ter confiaaca as medidas
n'aquella provincia tomadas pelo interventor no
intuito de restabelecer a ordem a a legalidade.
Mas est disposto a intervir, caso sua mediaco
nao surta effeitos.
Prevenindo esta contigencia, j marcharan) da
governajao do Chaco reforgos commandados pelo
gaueral de brigada Antonio Donovan.
Os "revolucionarios oceupam Bella Vista.
O commercio profundamente abalado na3
suas t'ansacces pelos continuos alarmes que
circu am c'esta capital annunciando acbar-se im-
minente nova revolucao, manifesta o desejo de
enderezar ao governo argentino um reguerimeu-
to pedindo a sua itterveoco nos factos que ee
es'.ao djndo na provioda de Buenos-Ayres, atim
de ccnlurar a inonnciada revolta, toda provoca
da pelo partido radical.
Espera-se de um momento para outro o
desment lo official qus o ministro do Chile deve
f,izer sobre o pretendido tratado de allianca of-
fensiva e defensiva entre os governo3 chileno e
dos Estad .~-ii^3 do BraiiL
Os ooaioa que circularam sobre a coaciu35o
.d'esse t'atado sao destituidos de lodo o funda-
mentos.
O general Julio A. Roca parti para a "am-
panba a passeio; pretende demorarse algum
tempo e em seguida dirigir-se-ba Exposifio de
Chicago para representar o governo argentioo.
Inaugurou se o cjng.-o3so calbolico.
O cruzador Viole e Cinco da Maio, que
haviaencalbado, conseguio safar.
Bc-publicn Oriental
as rodas governistas e no man lo poltico em
geral reina grande emaclo, por terem sido das-
cobertos despique' importante! iomoietlidos nos
varios ministerios do governo oriental.
As graves irregularidades em queslSo reca-
hem, em primeiro lugar, fobre o Ministerio das
Finangas. cargo oocupado interinamente pelo Sr.
J. Magdalena; em segualo, soore o Ministerio
de Fomento, sob a dire'i do engenheiro Al-
berto J. Capurro ; e em terceiro, sobre o Minis-
terio do Governo, dirigido pslo Sr. Francisco
Bauza, amg) ministro Otuguayo no Rio de Ja-
neiro. ,
Rigoroso inquerito foi aberto para estabelecer-
se a cnlpabilidadedo pessoal dos re3pectlvo3 mi
nisteri03.
O Sr. Blas Vidal, ministro Oriental junto
ao governo dos Estados unidos do Braza, acaba
de ser eleito senador.
Essa eleica foi bom aceita qj mundo poltico,
onde aquelle personagem gosa de grands sym
patota.
Telegramma passado para Buenos Ayres
denuncia qae no seio do gabinete oriental appa
reciem graves desintelligencias sobre politica in
terna, sendo imminente urna crise.
Parece que se retiraram os ministros das rela-
jSes exteriores e da fazenda, sendo substituidos
pelos S.-s. D.-s. Carlos de Castro e Alcides Mon -
i teiro.
A respeiio nada podemos garantir.
- Noticias da fronteira annnocam estar Im-
minente a invaso do Rio Grande, pelos federa-
listas.
O comnandante oriental da fronteira teve de-
nuncia de que elles havlam comprado multa ca
valbada.
Antes de entrarem em armas no sea Estado
natal, os federalistas publcaram novo manifest,
representando a idea exacia do partido.
Os federalista concentran] se em Artigas.
As autoridades de Jaguaro formaram novo
batalho de casticistas.
Dentro de poucos das, pelo que aqu se diz,
partirSo maitos federaes para fronteira. Guar-
dara a maior reserva sobre o ponto a que se di
rigem, coostando que o conselbeiro Silveira Mar-
tins partir em breve para Mello com alguna
amigos.
Bepubllca da Solivia
O go erno est resolvido a dar amnista am-
pia aos desterrados politi os.
AMERICA DO NORTE
Estados luido*
Reabrio-se o parlamento norte americano.
E' outra vez gravissimo o estado de sade
de Mr. James Blaine. O illustre cidado soffreu
orna recada.
De algnos dias que a epidemia do typbo
tem se desenvolvido em N.w-York de molo as-
eustador.
Nj Ar Kansus deram se alguna casos de
cholera.
Hi noticia em New-York de terem tropas
da R-pnblica da Costa Rica ceupado territorio
reclamado pela Repblica Nicaragua.
D'ahi parece imminente a gera entre essas
nacOes.
INTERIOR
noB deu o Sr. Bertignolles pareaem tam-
bem naturaes... e j que Romano Goux
estar de volta a Paria dentro da um
mee... Pois bem, daqai a am mez esta-
remos fixados !...
Gaame sempre furioso ric-se escarnin-
bamente com bastante descortesa.
Eu acredito que Romano Goux nSo
voltara de New-Yoik dentro.de um mea...
E porque acredita ?
A razao simples... Jurara que
Romano Goux nSo parti !
Mas entao ?
EntSo eeria mais urna ,boa prova de
que entre o Sr. Bertignolles e o secretario
ha combinacSo, nao ?
Cortamente.
Pois bem, ser cousa fcil ferne-
cel-a, essa prova, pois vou mandar inme-
diatamente ao Havre um agente habii, a
quem darei os signaes do Romano Goux
e qae ha di dizer me se o nosso homem
deixoa a Franca esta manhS, como affrma
o Sr. Bertignolles...
Os dous irmSos muito triste encaravam-
se silenciosamente.
- Finalmente, Sr. Gaume, diaia Lou-
renoo, qae motivo oceulto teria o Sr.
Bertignolles em semelhante camplicidade ?
Em vardade, contesso-lho qae nSo
adivinho...
Nesse caso ?
Nesse caso, poacojmporta... o que
est asontecendo novo na minba car-
reara de agente policial. Etn geral, quan-
da se commettia nm crime, procarava-lhe
as causas. E dahi com fueilidade che-
gava ao a actor.., No que nos ocoupa,
tudo muda... pois o acaso soabe tSo
bem arranjar as cousai que vamB des-
cobrir muito provavelmente o 0k'im:>o8)
SL DO BARZIL
Estado do Blo Grande do mi
A Imprensa publicou a mensagem do presi-
dente do Estado dirigida assembla dos re-
presentantes e qae, nao obstante bem meditada,
nao emitte conceitos que impresionen.
Esto as3ignados. os decretos organizando a
magistratura do Estado.
O superior tribunal ticou composto dos desem-
ba-gadore3 Birnardo Dias de Castro Sobrinho,
a ,ionio Antuues Ribas. Carlo3 Tomp3on Fio
res, Paulino Rodrigues Fernandes Chaves, Ja-
mr-s de Oliveira Franco, Epaminondas Piratinino
de Almeida e Antonio Augusto Borges de Me-
deiros.
Pairam boalos inquietadores.
At agora, porm. nao tem bavido nenbuma
oceurrencia anormal; e o Estado continua em
paz.
O major Alfonso de Moraes, pelo Jornal do
Commercio responden ao cootraprotesto, decla-
rando sua improcedencia por nao ferir 03 pontos
cipitaes referentes sua prisao.
No entretanto mais urna declaracSo referente
sua pnsSo, assigoada por diversos officiaes da
guaroico de Uruguayauna, acaba de apparecer
lamentando que aquelle major pretenda fazer
questo militar com acensago ao general Hip-
polyto de preedel o por paizanos, quaado a intl-
mago foi feita pelo ente coronel Felippe
Aguiar, official de patenie e em servigo.
Diz ainda, que caso idntico bouve o anno pas-
sado. quando o coronei Salgado, com acquies-
cencia do major Moraes, mandou prender o te
nente coronel Lydio e o teoente Alencastro.
Nesse tempo a prisao foi feiti por individuos
dados ao vicio da embriaguez, ea is'.o nSo de-
ram pudicidade, por amor disciplina e unio
da clasac, nica garanta da repblica, e am
de evitar exploraces polticas.
Es3a declarago foi enderezada em telegramma
ao general P>'go Jnior.
Consta ao Mercantil" que o marechal Fio
riano Peixoto o o ministro da guerra esto ao lado
doa ulr.iaes qne protestaram contra a prisao do
major Moraes.
O Dr. Julio de C stbos continua a receber
daslocali ladea do Estado congratulares pelo
regresso e pela eleico ao cargo de presidente.
O italiano Jos Braceo feriu urna praca do 2o
batalho de engenbeiro3 e foi pre30.
Grande numero de campatrio!a3 dirigase
residencia do cnsul, afirn de entenderem-3e so
bre a prleo.
Jos Braceo foi sollo, mediante Oaaca do con-
de Brichanteau, cnsul italiano.
Acha 3n. doente aquelle individuo e defender-
sc-ba en llberdade de aasassinato que lhe atlri
buem.
Falleceu em Bag o cidado Martins Aran
jo. ferido a tiro por Antenor Soares, redactor do
Qainzo de Novembro.
O Jornal do Commercio e o Mercantil
por quo com-
ser
raiva
ouvir
urna
Ser
antes mesmo de conhecer
metteu o crime...
Com voz trmula, Lourengo pergautoa
Mas Jenny? Jenny? Qae
del! em tado ieso ?
A voz brutal da Gaumecuja
ainda nao cessra abrandou se ao
o nome da moga.
E no seu rosto pasBOU como que
nuvem de tristeza.
Sim, disae elle, Jenny !....
urna desgrana bem grande, porque essa
aera com certeza victima... Merecia aer
feliz... merecia ser amada por si, Sr.
Lourenco... Oh nao se de fonda... Eu
sei que apenas compadece se um pouco
pelo seu amor... mas que seu coracao
ainda de Maria Rosa, qae o possae todo.
E abanando a cabega, como se respoa-
desse a um pensamento intimo que ainda
nSo quera declarar:
E veja, ae tivesse amado Jenuy,
po.sivel que nunca precisasse dos meus
servicos... Se amaase a essa adorave
rapariga, quam sabe so Jactel .cao estara
vivo neste momento ? se a fabrica de No-
gent estara perto do anntqaillamento ? se
o senhor, Lourecgo, soffreria tanto e teria
que rebater t&o odiosas aocusaySss ?...
Elles oueiam-no muito paludos, tao im-
presionados por tudo quanto essas pala-
vras, ainda que vagamente, faiam-lhos en
trever de terrive!, que tremiam.
Porm Gaame percebendo sem duvida
que se adiantra muito, deu-sa pressa em
accreccentar com um Borriso :
Afinal isso s5o invencSes bistante
romnticas e que talve nao tenbam razio
de ser daqui a dous dias, quando o agente
que vou mandar ao Havre eativer de vol-
t*\. Esperemos at l, n8o seban ?
j yrcmedio !
lameatam em sentidos artigos a morte do coro-
nel Aureliaoo Pedra.
Estado de Paulo
O governo receben representaco de S. Jos dos
Campos contra a proposta da companhla Norte
de S. Paulo, para a construeco da estrada di
ferro S. Sebast'o s cabeceiras do Sapucaby.
Appareceu n'uma casa em construeco na
ra Carneiro Le&o o cadver de um individuo
fallecido de febre amarella.
As sociedades corae3 allems de Santos. Rio
Claro, Limeira, lampinas e S. Paulo, realizaran
na capital concertos coraos co dia $ no tbeatro,
no dia 6 na Floresta, com assistencia do presi-
dente do Estado, chefe de polica e muitos ama-
dores, conseguindo grandes applusos.
Foi assassinado o italiano Jos Muso, por
um compatriota de nome Vincenzo Angelo.
O individuo preso como aasassino do me-
nor Jos Barsott chama-se Agnelo Parigi.
Oito teaienunhaa ja depozeram a respeiio,
sendo duas oc u'ares.
Esto construidas pontes metallicas sobre o
rio Piracicaba, perto da cidad do mesmo noma
e sobre o rio Parabyba no municipio de Lo-
rena.
Estado de Minas
Em aesso do Tribunal da Relaco foram no
da 4 reeleitos: presidente, o desembargador
Joao Braulio; vice presidente,o desembargador
AdolpboOliniho.
Durante o anno Ando toram apre3entadoi
na secretaria deste t-ibunai 486 futes, distribui-
dos 652 e julgados 578.
De beraba seglo a 4, por volta das 9 ho-
ras do dia, para Catalo, urna forca composta
de pacas e ollidaes d03 batalhOes 22 e 31 de
Infantera, sendo aestas 20 a cavallo, que foram
acompanbando o teoente Ovidio branles.
Cartas viadas a 3 de Citalo dizem que a
tranquillldade all completa-
O Dr. Jos Leopol lo, presidente do Estado,
de Goyjz, esteve naquella localidade, de passa-
gem para a capital, c tomou informagOas sobre
as ocurrencias.
Correm entretanto boatos de perurbagSes
da ordem em oulros pontos do referido Es-
tado.
O inquerito policial na questo do preto
Joao terminou, Meando provado o conloado da
queixa do engenbeiro Tavares.
Estiveram em exposico na sala da escola
de minas os ltimos productos remettidos para
Chicago pela commisso mineira e foram muito
apreciados.
Capital Federal
Foram nomeados :
Para a delegada fiscal do Estado do Piauhy :
Delegado em commisso, o inspector da Te-
souraria de Fazenda extincta do meamo Estado,
Antonio Celestino Franco de Ss.
1' escriptorario, o escripturario da referi-
da thesouraria Antonio Marques da Costa.
2-escripturario, o 2- da mesma thesouraria
Emilio Cesar Burlamaqui.
Thesoureiro, o da extincta lheourarla Benja-
mn do Reg Monteiro.
Porteipocartorario, o porteiro da Tnesouraria
de Fazenda extincta Avelino Jos Ferreira.
Para a Alfandega da Pa-ahyba; 1.- escriptu-
rari03, o 2.- escripturario da mesma Alfandega
Luiz Lucat Castello Branco e o 2.* e3crip'ura-
rio da Thesouraria de Fazenda extincta do Esta-
do de Piauhy Apaninarlo Monleiro da Cuaba ;
2. escripturarus. os praticantes da referida
Theaouraria Miguel Ferreira de Carvalha, Bene-
dicto Francisco Ribeiro e Francisco Jorge de
Soasa.
Para a Alfandega de Manos: 3. escrip-
turario e praticante da mesma Alfandega Tobas
Aftbnso Casado Lima.
Para a Caixa Econmica do Piauby :
Garante, em commisso, o contador da
Theeooraria de Fazsnda extincta do Estado do
Piauby Jos Tiiom.z Coelbo Bastos; offiae;,
em commisso, os i. e3cripturaries da referida
Tbescu*aria Francisco da Costa Freir eJugur-
tha da Costa Couto, e o 2. escripturario da
mesma Thesouraria Benjamn Elyseu de Morae3
Avelino.
Na asse i bla Jo Rio de Janeiro vai soffrer
nova discossSo. com carcter de 4.', o projeco
de reforma judicisria no Estado do Rio de Ja-
aeiro.
Dizem ao Palz, que ba urna emenda, pela
qual dissolvido o riuunal da relac) e creado
on'.ro, naturalmente com denominaco diversa e
pessoal difirante.
Os actuaes desemba^gadores desse tribunal:
ao que consta, sero postos em dlsponibilidade,
sendo aposentados apenas os sus mais antigos.
Parece queja no'offerece maia duvida algu-
ma que essa emenda passe. fommados 03 votos
dos que promelteram apcial-a n'uma reunio
politica realisada badias para esse (im.
O que nao transpiron absolutamente ainda
se honrado o Sr. Dr. Jos Thomaz da Porcin cu-
la, presidente de Estado, sanecionar essa lei
assim votada-
Ao governador do Estido de Pernambuco
solicion o ministerio da gnerra providencias
E rogo ao Sr. marquez que nao l
tere as suas relacSeB com Bertignollese
ao Sr. conde cae nao d a perceber
menina Jenny jai suas preoccapa^Ses...
Nao sei por qae, mas sinto.me compade-
cido por essa pobre menina... E dara
am pedaco de mim mesmo para que tudo
quanto previ e receio nao fosse senSo as-
neiras!
E com essas palavras Gaame dispe-
dio-se.
Doixva-os muito perplexos.
Que pensas tu de tudo iato T per-
guntou o marquez ao irmao.
Aoeaar de tudo estou convencido
que este rapaz engarase... De certo,
elle o5o birrento. Ser o primeiro a
proclamal-o, quando reconhecer que eat
em erro !...
Praza a Deus exclamou Miguel.
Lourenco paasou dous dias sem tornar a
ver o agente.
Ainda estava deitade na manhS do ter-
ceiro dia quando bateram porta.
Era Gaume que quera velo immedia-
tamente.
Lov.raaco saltou da cama, ves'.io urnas
ca'cas e um paietot e mandou entrar a
visita.
Gaume pareca muito animado.
Oa olhoB brilbavam. Triumphava sem
duvida.
E sem sabor porque, Lour neo vio sur-.)
gir dianta del e, de repente a imagem
Jenay, mas de ana Jenny qae
conheoia... J nao era a radiante mo9a
3ne tanto o amara... bella, elegante, se-
uctora... Vi-a no seu leito, lvida, mor-
ta, as m8es cruzadas sobre o peito e com
um sorriso pungente gravado nos labios de
cr-i!
de
ello nao
O triumpho de Gaum3 nao seria isso
mesmo ?...
r e?,aa imagem destacou-so tanto, a
aeosacSo do mogo foi tao forte, que expe-
rimentou violenta commojao.
Esquecia-se de saudar Gaume e apertar-
Ihe a mSo.
Entao, disse o agente rindo-se, assim
que me recebe ?
Desculpe desoulpe disse Loaren-
(0...
E accrescentoa passando a mSo pelos
olbos :
E' que vejo o tao a'egre que receio
saber o motivo.
E esta singular, recaa agora as
boaa noticias ?
Sentou-3e e olhou para o conde em s:-
lenc o.
Depois com voz compaseada :
O men agente voltou do Havre I. .
E os esclarecimentjB qua trouxa ?
Sao exactamente os que ea previa.
Romano Goux ?
O S.*. Bertignolles disse-aos que elle
partir pelo Normandie.
E' exacto.
__Meu agente nao achou nenhum nome
parecido com esse nos paquetes que ha
eito dias tem partido... lem disse o
Normandie est annunciado como tendo
partido de New-Yo:k e devia ter entrado
no porto do Havre hontem noite... Por
conaeguinte o Sr. Bertignolles mentio-
nos... E digo maia-como j disaeque
a minha conviceSo formal qae Romano
Goux nSo sabio de Pariz...
Entretanto 83 Romano Goux cul-
pado devia esconder se... E se nao sabe
de Paria qne nao teme cousa alguma.,.
{Mtttlal

-ir-An

V--1---. :



?
Diarto Ae Pruambuco Qainta-feira 14 dq Julho de i892
erelelros No domingo funccionaudo e::a
aociedade, eiogm a*ua nwi directora.
Bta ficen auapratadoat.:
MCtOMa
Director e va-dln--Antniio Mam L
galhes e Antonio JaaoHim da Carta.
SecretarloeAntaa da Silva Castro, e Jo*
amm Djurai*nta.
TnetonreitonJoa^f Aa8Dnio:Cu*istavo.
CioBelba
Presidente evrce-a!o JositAlveee M*>
oel Mo-elra de-Soan-
SecretariosMnio Je miz e Fetippe
Moreira da Cruz.
ConselheirosJoaquim Carneiro Barbosa, Jo
de Mello Salgado, Francisco SlmOes de Almej-
a, Jos Anacleto do Nascimento, Daniel Mar
fues Roirigues da Silva, Antonio Alves da Cu
aba. Manoel Pereirada SrLva^ JoeR'bsiro Gui-
jnares, Jos Mara da Costa, Joaquim Francisco
topea, Jos \Itbb da Silva Maia, Manoel SimOea
lanos da Figuewa, Florindo los Baptista, An-
tonio de Mello e Luir Pinto Saraiva.
Casnmisslo de coalas
Hombros-Jos remandes Lima. Adriano de
I i vera Maia e Prascisco da Natirldade Salda-
na
icoaeasaa-EiFe vapor da linlia do Paci
ac, saQio ante-bon'.em, pela meia ooi'e, de por-
to da Baliia.
Dwe boje-ctegar a esta cidade.
*plice do E'ado-No sabbado abre-
te 9 pagamente dos juros desaes titBloa-corres
poadentes ao semestre de Janeiro a Julho do
torrente anno.
respectivo expediente faz se das 10 as 2
lrada tarde.
Bemo^o de prafessores -Foram re-
ovidoa-asprofessores :
pnilomeno Raymun o Nones de Lima, da ca
-teira de S\ Benedicto d% Qirip arpa-para a 3.* da
ro Imperial desta cidad*e.
Feliebelt Amalia de Miranda, da 2. cadeira
anta do Limo?irO' paca a di igual ensiuo ao
Bwgjde Afogados desta cidade do Recife.
iitrrrio primarla Foram nomea
Uo3TJToles8ore8 :
Jerouym Euzebio Pereira da Rocha, da-ca-
deira de S. Benedicto de Qiipap.
Francisca Hmeltnda de Araujo VasconceU
los, di cadeira do sexo feminioo da Gloria de
A.
Compannta a Fabrica de Elop
Fax a chamada da 4. entrada na raso de 10
por canto do valor das accOes.
O arasa para-a masau entrada encama-se no
dia 30 do crrente.
Banca de Pernambuco-O pagamento
de 6.a di voleado deesa Baaco comeca a ter lu
ger amanba-
E'uiraxj de 10 por ceato ao anno e refe-
rente ao semestre fiado a 30 taJuoho ul-
tima.
Club Central Benefteente do or
frclaes da Guarda Nacional Reone-se
amiah as 6 horas da tardo, na respectiva sede,
em ee?fao de asembla geral, para tratar de
assomntou qneiffteressam'a corparaco.
O vegetaran! amo proletario O
proletario-dj campo e das c:d.des sao por forca
vegetarianos, e o sao desde o tempo e aotes
atada, que esta palavra fosse inventa la-e se es
ereveas m livro3 para defender o novo systma.
Klle3 ivem de pao, legumes e de verdura, por-
que tudo s u cusa menos que ovos e carne.
O resaludo que qIja vea o sabemos todos.
Opnilaco, cscrotalas, anemia, grande mortali
dade.
Apenas 3e pode dar ao pobre urna dieta ani
mal e mais variada, a sua gande raelhara e a
vida se prolonga.
A3-experiencias feas at agora, a respeito dos
vegetarianos sao em urna escala inuo pequea,
e apenas prusam urna cousa, dema.s ja sabida,
qu.< dispor o liomem de urna grande elaatiei-
dade, e, dadas r-r'.as circumslancias, poder vi-
ver f.6 de vegeuus eu de carne exclusivamente^
Gosa grande saoJe o cooli de Madras, que naa
vive sc-nao Je trroz ; gosa igualmente de moito
boa SLde o gaucho que id se alimenta de carne.
As casos excepciooaes doa santos antigos, e
dos espiritados modernos absolutamente nada
p-ovam, porque trala-se de organismos patbo
lgicos e que podem vi ver sob um rgimen ano
malo.
Cada hornera, cada raga, cala idaie e cada
temperamento tem necessidade da una dieta di-
versa e qu: c aiapte- 3 exig nciaa ua-cunaliiui
Qo organ;'. que lue propsia; oque para-um
ptimo, pode ser pessimo para oniro.
No se cite, tcis,inconsideradamente o oxem-
plo dos Indiauos; porijjie, si vlvem obbsi exclu-
sivamente d.- arroz, o lamperam. com o carry,
mistura mnito complexajde..d:vrc'os e orus aro-
mas-
A dieta perfeita e mais universal paraos no
mens de cada raga foi, e ser sempre urna-dista
mixta de substancias vegetaes e animaes, na
qual predomino, no entretanto, a carne sobre as
hervas.
Nos povos, como nos individuos, depois de
um abuso prolongada de carne, nasee espontanea
a necesiJadi-. de urna dieta vegetal e vice-versa.
As geracOes que foram sogadas de sangue em
Italia e Franca pelos vampiras das escolas vita-
liscas deveram refazer se do muito sangue
per-Jido com urna dieta muita carnosa ; e pode
dizer ee que boje um pouco de dieta vegetal
indicado para restabelecer o equilibrio.
O vegetarianismo, como escola med ca ou iiy-
gientca, cjibq methodo-exlusrvo de altoeatajo
nao figurar um da na historia humana, Beno
coso nma das tantas aberrares do hornera, que
se diverta tantas vezes em fazer e diz^r extra-
vagancias, e se embriaga das proprias exagera-
es: eomo o fa-z con o viobo, com o opio, com
as palavras e com tantas oniraa cousas, que Ibe
ugmentaoi a consciencm de vlr.
E agora que temos deixado fallar os vegeta-
rianos, podemo3 dar franca e desapa-xonada-
me^te o nosso parecer.
O vegetarianismo, como m io acooselbado
para conjurar o pauperismo e procurar s das
ses paires urna vida menos dura, urna utepia
rpsde tambetn parecer orna cassoada cruel.
Aguan Bella-Deesa localiade dizem-
nos'em ilatade 5 do correle:
t Temos tido copiosaB chuvas, a contar do3
le dcMaic uittoio a esta data.
Nao chegaram em tempo, verdade, de salvar
js plantado '.a feitas em Marco; ha comtudo es-
perances de bom resultado as que se rizeram
Itimamente.
Em todo caso na teremos este anno o dissa-
bor dg ver os nossos sertanejos emigrarem obri-
gados pela t Je.
No da 10 do corrate deve reunir-se a junta
do municipio, que tem de apurar delinitivamen-
te a quilicacao de eleitores, procedida em vir-
tede da le n. 35 de 26 de Janeiro do corrente.
sera duvide, como continuadora da obra ini
ciada pelas commissOes ha de apoiar tudoquan
to illi se fez.
As commisEes inspirando se nesses princi-
pios perniciosos que resultam ae um partidaris-
mo excessivo, declararam mudados um grande
umero de cidados eleitores, que aqu vivem
diariamente e resiem desde o naicimenlo, e in
eluio no listamento pessoas incapazes em vista
da lei, como sao os menores de SI aonos e as
pracas de pret. Urna le cuja execugo comeca
j de agora a ser falseada, ba de dar pessimos
resultados e prevendo esses efleil03 que re-
gistramos o tacto, afirn de que os poderes com-
petentes providenciem.
Um uotro facto tao grave como o precedente e
que reclama os altos poderes do Estado provi-
dencias immediatis, o modo por que o con -.-
lho municipal tem procedido em materia i.ibu-
tu.ia, decretando impoatos inconstucionaee.
Enirn oatras disposiQO?s abaurdas encontra
ie o imposto de mil ris por carga de certas
mercaduras que forem exportadas de ouiros Es
tados, e islo nao i centravem as leis do Estado,
como vexatorio sos contrbuiules ja tao sobre-
carregados de impostos.
No dia 2 do corrente circulou o boato de que
o cocceiho municipal, regundo as iastme^es
que havla recebido dessa cidade, ia nesse dia
votar urna mocao de adhesSo ao congresso ou
ao Dr. Martina Jnior. O que verdade que
1 hora da tarde, mais ou menos, comparece-
rn a$enas mcgSo neese sentido.
tjeiieEffectaar-se-bao os aeguiniea :
Amacha :
Pelo agaate Briito, s 11 hars, .rua^ da Im-
peratriz n 48, de urna casa.
Pelo agente Pestaa, ao meio dia, traveisa
do Carpo Santo n. 27 de um- terreno.
Pelo agente Gosmo, > 11 bocas, a ra do Vi-
ga ic n. 1, de calxaa tota cerveja.
jo:a Hoie:
A's 8 tmm,
Wma drJafi*
fimataaria^ioB
Ma- wiBcadiveadc
celcbrailan
na
drganto Antonia, pela
IM; s 9 um. na
a^ioB de JjiniBpBiptoalmadeflnVft n
veade AieaadD : te nras, na Mem
3* d*M FJMqscojjplaaatoa da comabbriBor
JoSo dadhfDi Lima.
AtBMoBb^na at-.z' da flngado' naab-
eladb eaasnbo IHBdrav peda. alma, dadaa*)
e awrahinc.
Imav-Baed^. d IftJiilaw diW2.
Boletim meteoroloeico
dwu Term. centi- Barmetro ',
(a 00
761-,I8
761- 05
761-M2
7B9-,6i
760-.
Tempejati*-uniaia: 2r*,2K.
Temperatura mxima 26,00.
Evaporaco em 24 nors ao sol 6,"0, som
bra2mi9.
Chava malla.
DireccSo do vento SW e- 01 m. da nranha ; WSW at 3 b. e 10 m. ; W
at 8 ti. e 56 do. ; 3 com inle-rupcO'-'s de S3W e
S^E at 3 b. e 49 m. da tarde ; SSE e S alterna-
dos at 6 h. e 52 m. ; SE com nterropjoes de
SSE at 8 b. e 9 m.; ESE at 9 b. e 14 m. ; SE
e SSE aliaras dos al 10 h. e 48 m. ; SE at meia
noite.
Velocidade media do vento 3",33 por segando.
Neuulosidade media 0.63.
BoletiJi do porto
grado
4 m. 2i,*5
9 > 23,'6
12 24,?9
3 t. un
6 2i,7
tnsao do Humx
vapor dade
16,99 83
17 69 81
18,73 80
18,73 80
19,35 83
Pramarou
baixa mar
B. M.
P. M.
B. M.
P. M.
Dm
Horas Altura
Julho
0-20 da
6-48 da
0-35 da
6-58 da
Hoje superior do dia
4e visita
m.
m.
0-44
2-31
0^54
2-36
Iz ae
12 de
13 de
13 de
Servlco mil
) xSr. capuao-Evari8to, e ttm ronda
dm subalterno da 14 batalbao.
O 14" batalhao de iefantaria dar as guardan
ios edificios federaes.
Uniforme n. 3. =3
Amacha superior do dia o Sr. capo
X'.vier e far a ronda de visita um soba I
terne do 14' batalbo.
O 2* batalhao de infantaria dar as guardas
dos edificios federaes.
Uniforme n. 6.
Cava d* BetcnaoHovimssw -oes pr -
ios da Ca* da Detencao de Recife, Estado ce
Peeuambuco. em 12 de Jalbo de- 1892.
Existtam 345 entraram 6, sahiram 15 exia-
te 331
A caber :
Naeionae* 295,. mulbere* 11, Btraagt'iros 30.
-Total 345
Arrancados 280
Bons 256.
Doeotes 10.
Loucos 10
Loocas 4
To*a 280.
Movimento da enfermada
Tiveram baixa:
Antonio Manoel da >ilva.
Florencio Jote Theotouio.
Tiveram alta :
Antonio Jos de Lima.
Sabino Vicente de Oliveira.
Foram vi hados os presos de6te estatnteci
memos 91 pessoas, sendo bomens 30 c mulbe
res til
Laierla du Eatada do Maranbo
Por telegramma recebido pela Casa do Ouro
este o resaltado da 12" serie da 7* lotera, ex
trahida a 13 de Julo :
aooioooaooo
12:500^000
7:500*000
2:500000
2:500900
2:500#000
1:250*000
l:250000
1:250^000
I:2o0*o00
1:250*000 .
1:250*000
1:250*000
1:250*000
\ppboxucac5rs
1:500*000
1:500*000
1:000*000
1:000*000
500*000
500*000
com 375*000 os seguate;
Francisca Mana da Conceda>, Prahyba, 50
annoa, .-olteira, Boa-Vista ttano.
Aaaa CyriBa doarBMAwv. Peiinih 40 aa-
oas, sonaba. BoaTtsU.; tabetaaioa pairnaa*-
re. _J
dkitasc'rava:cades iirtis,tteraanba-o. 2e
aunas; tajaes, Bi*Vmtm.; diarrba.
m o>;Bmbi.nb itmllva, Peiianaco, W]
anaaa, tasibbi, Gnnpi; onaq)hBe.
II03
941
2662
846
1754
8234
669
2546
2838
3695
6664
6873
7131
7585
4102
4104
940
942
2661
2663
Esto premiados
aumeros :
4101 4105
4102 4106
4104 4107
EstaopremJaitos-.com 250*000
aumeros: ^
942 945
943 \946
944 "9,47
Esto premiados com 125*000
nmeros:
2661 2663
2663 2666
2664 667
4108
4109
4110
os segutnteF
948
949
950
os segrales
2668
2669
2670
Causas e effeitos
ii
A incoherencia dos homens qse esto a frente
do partido em divergencia com o governador,
cada dia torna se mais caracterstica, sa lien ta-
se em as publicacfcs do < Jornal, as quaes
03 principios polticos sao esqaecidos, aeobuma
denuncia de abandono aos lemmaa dessa aggre-
miaco, que acceitou e elegen ao Dr. Barbosa
Lima, por seu alto merecimento e importantes
.-ervicos a causa republicana.
A opinio publica nao se manifestou a res-
peKo dessa preferencia, sem dezar para o eleito,
porque flcou sabida a.intervenso do ebefe do
poder execotivo, que dea liccao de mestre as
curvaturas dos federalistas de palavra.
Sabe se que a ama pergonta acerca de quem
devena merecer a escolta na eleicao p>ra o
carga de governador, foi dada, nao ama res
posta e sim feita a indicac&o de pestda da qual
a pergunta trao cogitara.
E' de presumir que os perguntadores nao ti-
vessen logo comprehendido a resposta ; mas,
passada a sorpresa alcancaro, por ceno, que
aqu lie que Ibes facilitara a note de 18 de De-
zembro, tinba o direito de indicar peeea de
sua inteira confianza, cumpriodo lhe3 obedecer;
pois era em termos laes e peremptorios, que ne-
nbuma pocaeracao poderia demover ao autor da
indicaco, qnando o mesmo aatecipava suas k
HcilagOes pela escolia.
Se assim foi, se abaixar cSo, com qne direito se qacr.ian impdr ao esco
ibido, quando ncm o sea i meato da gralidao o
prenda, quaedo este, desde que assumio o go-
verno, e antea mesmo de fazel-o, expoz quaes
os preceitos que se iipunha, qual a sua norma
de conducta na gestao poltico goveroativa?
Teria sido de melbor avise aguardar os actos
do eleito, nao antecipar loufaminhas, indicando
a.csim que contavam com o borneo, cojas pala
vras eram [a anthitese de ama celebre carta,
com carcter de proclamado dada a estampa na
imprensa desta capital, em epocha de triste re-
cordaco para esta trra, da qual se ac3ectoa o
escriptor da mesma, e l no Ro mexerica a cos-
ta dos cofres do Estado.
Desde que o Dr. Barbosa Lima Qo quer pra-
ticar no sentido inverso de suas palavras, con-
sentido na postergacSo dos direitos dos adver-
sarios, na escolha dos representantes federaes,
voz en: grita, levantam-sequantoseejulgavamdo
minadores desta trra, contar da noite de 18
de Dezemoro ultimo, crenteB da coDti:iuac&o do
ioverao de urna junta, levantada sobre cadave
res.
Dorante semelbante governo as cabee/js dos
adversarios for>am postaB a prenoto, reccmmen-
dou-se a cacada des adversafios, a jutlica foi
emoaracada em sua acjo, a vida e a lifcrdade
dos ciado nao liaba gawotia, os propnos
junes eram expellidos do templo da jusiica, con-
Uauando porm os turiferarios do novo poder,
do qual receberam o abalo preferencial, como
recompensa ao sacrificio das garantks constuu-
cionaes.
A gente em divergencia com o Sr. Dr, Barbo-
sa L'ma esta irritada, por que a opposicSo se
sent um pouco desafogada, move-se, agita ee
Cnflada quo o babeas corpus ter efTeciivida-
de, Qoe S. Ex. nao deixar de apreciar a posi-
(o dos juizes, qu tiveram a bomoridade para
no circulo Je suas attribuicOes defenderem e
ampararem a liberdade dos individuos.
procedimenlo dos divergentes, quer na tri-
buna e quer na impreasa, nao tem cxplicago
expressa o estado de irritacoa que se ectrega-
ram, porque fugio ibas urna opportuoidade que
contavam certa, para a supplantago da maiorla
do eleltorado, que nao deve e nao quer suHra-
gar candidaturas aoUpathlcas
Os divergentes cada dia dio novas proras de
sua irriaco : na tribuna, a'falta de seriedade
serep;oduz oas iodicages e motivares Je vo
tos ; is imprenea, basta a leitura do jama!, que
serve de vehculo as datrirjes dos mesiioe, para
lastimar se nao se poder afiirmar queos jor-
ad.ee se tem formado urna neceseidaae diurca e
qaaado seu3 autores sao honestos e Ilustrados,
os jornaes sao urna forca para a liberdade e um'a
autoridade para a historia.
Por certo nem a liberdade e nem a historia
pode aproveitar as manifestares da irritabilida-
de dos homens que escrevem no orgao dos di-
ve-gentes,, aos quaes tem justa applicacSo as pa-
lava de Casemiro Delavtgne a Napoleo I.
Fils de la libert, tu detrones ta mere.
Todos os nmeros terminados em 3 esto pre-
miados com 125*. excepto a sorte grande-
Todos os nmeros terminados em 1 esto pre-
miados com 125*, excepto a sorte immediata.
A segrate lotera corre no dia 20 de Julho
dei892como mesmo plano.
lloaftUal Pedro II -O movimento deste
establecimento de caridade cargo da Santa
Casa de Misericordia do Recife, do dia II de
Julho, foi o seguate :
Exlstiam 702
Entraram 24
726
726
6eguio
Sahiram 20
Falieceram 4
Existcm 702
Foram vitada3 as enfermaras pelos
es rs. :
Barros Sobrinbo entrn s 71/2 da manbae
sabio s 8 i/2 horas.
Malaquias entrou s 8 3/4 da manh e sabio
s 9 1/4.
SimOes Barbosa entrou s 10 1/4 a sabio s
11 hora?.
Berardo eat ou a 11 da manb e sabio s
113/4.
Andrade Lima entrou s 91/2 da manh e sa
bio s 11.
Vi( ira da Cucha entrou ti 10 e sabio s
10 3.4. -
Bastos de Oliveira entrou s 9 1/2 da manh
e sabio s 10.
Joo Rangel entrou s 101/4 da manh 3 sabio
s 11.
Tavares de Meilo entrou s 101/2 da manh e
e sahio s 11
Pbarmaceotico entrn s 9 i/2 daunanh e sa-
hio s 3 boras da tarde.
O ajuianls do pharmaeeutico ontrn s
8 3/4 boras da manh e sabio s 3 3/4 horas da
tarde.
Latera o Balado do Mar alio
A 13* serie da 7' lotera deste estado, sendo o
premio guinde de 300:000*000, ser impreterl-
velmente extrada uo da 20 de Julho (qnarta
feiraj.
liOteria do Eatado de Mlnaa Cte-
raea 1." parte da 71 lotera, deste estado
com o maijr premio de 36:000*000, ser extra
bida impreterivelmcnte no dia 19 de Julho (ter
5a- feiraj.
Itoterla do Matado do ro-Para
A 3.* serie da 54 lotera, deste Estado cojo
premio ranae e de 120:000*000, ser extraida
no dia 16 de Juibo (sabbado).
liOteria do Estado do Rio Grande
po SulEata-loteria cajo maior premio de
10:000*000 ser imprcterivelmeate extrahida
no dia 16 de Julho (sabbado).
Cemlterto publicoObituario do dia 12
de Jalbo de 1892.
Manoel Goncalves Ferreira da Silva, Pernam-
l.uco, 86 annos, viuvo, Santo Antonio; infec^o
minara.
Sebastlo Antonio do Reg, Pernambuco, 72
anuos, viuvo, Afogados; cyrrbose heptica.
Manoel Francisco Alves Vianna, Pernambnco,
29 annos, solteiro, Grac ; tubrculos pulmona-
res.
Alice, Peraambuco, metes, S- Jos; espas
mo gloltei
Mafia Jos Borges,Pemam!>uco,37 anno,Boa-
Viata; lobeicalos pulmonares.
JURISPRUDENCIA
Poder jadlclarlo
O Tampo, Ilustrado orgo da impreasa tlumi
neuse, a proposito da euspenso de um Pretor
da capital federal lancou as seguate liabas
de accentuaco do seu pensar sobre o facto,
cuja llegalilade caracterisou com o parecer que
serve de conclaso s mesmas liabas.
Diz o collega :
< O gravissimo acto da suspeoso de um pre
tor por simples aviso domiilsterio dajustica,
execatado forca de armas, anda que nullo pe
rante a coBstituico, nao poda deixar de inte
ressar aos jurisconsultos dos nosso foro, mais
do que cenbuns outros cidados escandaiisades
com a violencia.
Em urna da< suas sessOes coasecntivas ao fi
cto, o Instituto da Ordem dos Advogados Brazi-
leiros occopou se do aasumto, seod-lhe apre-
sentada a teguinte tbese como foi noticiado em
tempo:
-0 poder executivo.'por si ou por sea secre-
tario respectivo, tem attribuicao para, adminis-
trativamente, suspender um juia ou magistra
do?
Distribuida tbese ao distiocto advogade Dr.
Evaristo Gonzaga, formulou este o sea parecer
de que aquella douta corporaco tomn cooheci
ment na sesso de antehontem.
E' um documento que pela coaciso do seu es-
tylo, a forca dos seos argumentos jurdicos e a
imparcalidade absoluta de bous conceitos, diz a
ultima palavra sobre a questo, que de modo ne-
nhumdeveria ter sido controvertida; *So e7i
den te foi o alten lado.
Seno julgusm os leitores na apreciaco do
referido parecer que o seguate:
Eis o parecer :
Antes de apreciar o mrito da questo, sa-
br a qual tive a honra de ser designado pelo
Instituto para dar parecer, sinto netessidade de
elucidar os termos em que foi ella concebida, os
quaes, julgo, nao o consoantes com a nossa
actual lei orgnica e fundamentala Constitui-
co da Repblica dos Estados Unidos do Bra-
zil.
O poder executivo nao tem secretarios; quem
os tem o presidente da repblica.
Sao duas entidades disuadas.
O art. 41 da constitnico estatu que : exer-
ce o poder executivo o presidente da repblica
dos Estado Uoi(i03 do Brazil, como cefe electi-
vo da oaco.
Portante, todos os actos emanados do poder
executivo partera do presidente da repblica ;
i podem ser pratlcados por elle, como deposi-
tario exclusivo desse poder.
Nao susceptivel de delegaco ; o mandato
que Ibe confere a naco nao d poderes para
substabelecer.
O art. 49 da cit; da conBtituico declara que o
presidente da repblica ser a xiliado pelos
ministros do Ettado, aeus meros secretarios,
sem compatencia para praticar, em seus nones,
ac'.o algum, a nao eer os de simples expediente,
por meio de portarlas e officlos.
Os actos concernenles ao poder executivo,
sendo praticadoa pelos ministros de Estado, setn
a aasignatura do presidente da repblica, sao
allos, em face da lei constitucional republicana
e sujeitam o seu autor saneco penal da Secco
VI do cdigo criminal, art. 126.
Ha um outro ponto da tbese que precisa ser
estlarecido.
QJal a aocepe.o legDl da expresasemagis-
trado 7
Qual a de juiz T
A' que cla.se perteucarao oa pretores f
Aexpresso magiabade (-aagiatratafc) tem a
sba-aigoili-aco lenti., datada aa avba-circu-
larn, 9 de 19 de Jaaeiaoda 1844.
na se diz : qao'-oanjtfnw da direna-aSo
tanbtmmagistrados, bwoK-apaican a lai
aaxteto (si)...
De torte que, oeaneberstico disnttvro do
manstrado appliaar a baaa facto, Jancjai-
pabncia para julgar, com a* sem aijada.
Mm estar, por esnbjra, o preior nana coa
difaes, em vista das atrbTjteGes que Itre ao con-
feridas pelos arta. 49 a 75 do decreto citado u
Cortamente que est.
E a nos-a opinio eacontra apoio no proprio
Dec. cit, nos arts. 1* e 14. nos quaes se estab-
lece que o pretor far parte do quadro das auto
ridades jcdiciarua c qui a sua nomeico aeri
feita por decreto do presidente da Repubici,
usando d do art. 48 da Constitaico di Repblica dos Es-
tados Unidos do Brazil, o qual reza : nonaear
magistrados...
Logo o pretor magistrado e como tal con-
siderado pelo iie reto n. 1.030, que organou o
quadro da mag 3 matura da Capital Fedrale dea
nova orgaoisai'o a jusiica, (alias com bastante
infclicidade, seja dito de. paaaagem).
Aprec emos o valo.- juridico-legal da theae
proposta:
A materia parece inccn'.nversa, em face da
disposijOes taxatisas do Cap III. art. 43 e sena
S da Coost. Republicana, eatre as quaes, nao
ae encontra a de suspender magistrado] ou
jntes.
Entretaato, pelo art. 83 da cit. Coast., coat-
nuam em vigor as leis do antigo rgimen, em-
quinto nao revegada e no que explcita > ou
implcitamente nao forem cmiraras aos
principios firmados pela Constituico.
Compulsando a legislaco anterior, na parte
que regula a especie, encontramos ca lei de 14
da Juuhodel831, a:t. 17, asegrate disposi-
gio :
A attribuicao de suspender os magistrados,
ser exercitada pela Regencia cumulativa-
mente com os presidentes das respectivas pro-
vincias, em conseibo, ouviudo o magistrado
e precedendo informaco, na forma do art. 154
da Constituico do Iuperio. *
E' ioapplicavel sein-laaate disposigo de lei,
contraria aos principios orgnicos da Repblica,
oosoleta, incompativel nao t com a Constituico
Republicana, como com as demais leis da Repu
blica.
E' um fosail, informe, e que nao pode ter
vidal
A applicacSo desta dispos'co de lei aos caeos
oceurreotes, sobre ser um acra Ilegal, nao resis-
te mais leve apreciaco juridic i.
Assim que, aa propria lettra da lei, se veri-
fica que a attriuico de suspender os magistra-
oos, e era exercida, precedendo inforaago, na
forma do art. 154 da Constituico.
Ora, abi se achava consignado que o Impe-
rador poda suspender os magistrados ouvdJo o
coneeho de Estado e precedendo informaco
do magistrado.
A iaapplicabiliuade desta lei manifesta.
Preieod< r conferir ao presidente di repblica
as attribuicoes conferidas ao imperador, como
poder moderador, fazeodo applicacSo da sanc-
c3o penal da le e negando-sa o recurso, sea
correctivo, seria, por um lado, disvirtuar os ele-
mentos constitutivos doa poderes creados pela
coQslituico da repblica e anda prejudicar. al-
tamente, os direitos dos magistrados ou juizes,
fazeodo-os supporiar os effeitos das penas in
fungidas, sem audiencia e sem recurso para o
tribunal administrativo, conselbo de estado, hoje
extincto pelas novas iastuugOs!
As demais disposicfcs esparsas ca- antiga le
gislaco em nada al-eram a dautrina estatKle-
cida.
A' vista do excoato e do mais que oa diBcua-
so allegarei. emendo que, em bypotbese algu-
ma rJe o poder executivo suspender adcrai-
Uralivamente um magistrado ou juiz.
Se o acto r praticado por om dos secretarios
do presidente da repblica, a'm de nullo,
criiiiiuoso, e como tal uo merece dscasso.
Em face das leis vlogeotes, tem competencia
para suipender magistrados, o conseibo supre-
mo da corte de appellaco, ex vi do arlfgo 138
n. 1, usando das formulas egaes. Evaristo da
Veiga Gonzaga. -Rio, 11 de Maio de 1892.
O Instituto da Ordem dos Advogados Brazi ei
ns reeotvendo a tbese que foi formulada con
densaedo o aasurapto, decidi por 24 vot03 con-
tra 2 someate no sentido da incompetencia do
ministro da juetica para suspender juizes ou
magistrados-
Este pensar alm do mais. cooaoante com a
deliberago do Supremo Tribunal de Juetica,
que reconheceu o direito oio pretor suspenso,
mandanco-o reassumir o rejpectlvo exercicio,
de que fra privado itlegalmaate pelo Sr. mi
nistro da jusiica.
%
SPORT
Xovo premio
Em Franca o Sr. ministro da agricultura con
cedeu Sodedade du Dsmy Sang a tubvengo
de 25.000 francos, aiim de que a mesma socie-
dade oreare um premio, cuja realizaco ter
lugar no Hippodromo de Vincennes.
O collega
diz
TURF FLUMINi
do Sport em
NSE
seu Kaleidoscopio
A verdade, porm, que, no campo licito
das lutas bippicas, toda a3 glorias este anno
pendem para o lado dos argentinos, em vista da
grande vantagem que levam os animaes do Rio
da Prata sobre os de entras procedencias, aqu
existentes, nao levando em liaba de conta os
nossos creoulos que anda engatinham.
Oatr'ora a Iota resumase exclusivamente en-
tre os productos da Franca e da Inglaterra, oec
plus ultra dos hippodromos desta capital; boje,
como se t, entrando a Repblica Argentina
na arena derrotou francezes e ioglezes e todo
mais que se anime a appirecer.
Ha actualmente, portanto, doas alvitres a to-
mar :
Recorrer a mesma foate de onde emana a
agua pura e limpid ou recommendar aos ex
portadores da Europa que perfeigoem um pou-
co mais, ou muito mais as suas remessas a me-
nos que nao queiram os factores do turf flumi-
nense, que continuam a ser summidades das
Bistas : Faustos, Maracans, Aventureiros e ou-
tros qoe esto em ablativo de viagem para esta
capital. S
GENEROSIDADE
Durante a estaco sportiva do anno fiodo, os
animaes da coudelana do B.ro Hirscb ganha
ram em corrijas a soama de 175,000 francos.
O alluJo Baro acaba de distribuir essa im-
portancia aos bospitaes de Londres.
D'ARTAGNAN
E' um bonito alazo, 3 aonos, que ac-a de
chsgar da Europa ao Rio ds Janeiro para o Sr.
Paulo de Castro.
E' lilbo de L.w'und Cbief, e Handker-Cohief
esta tilha do celebrado Hampton ; e espera-se
que o novo hospede honrar ais raas Iluminen
sea a escolha daquelle sportsman, que tendo
sido bem inspirado na importago de Visiere,
Mergrise e Mrae d'Or, nao desacertara agora na
icquisco 'Artagnan, prejudlcando os crditos
da jaqueta azul e bran:a.
MEMORIA.L
10
Achando-
o par
O Dr. Lobo Mooeoto da eonaolta
^m casa roa da Gloria n. 3ft, das
horaa da maaha 1 a tarde.
ao fra do aotmao patuco offen
acudir a juaiaaer amado
tSo para fer a cbis.
operacSaa, partaa e.izaoJosda"(ia aanhorai
Conaaitono medico. O Dr. Maaa..
Argollo, eata pratiea noa hoapaes era-
Paria e Berlina, tem sea consultorio roa
BarSo da Victoria n. 1.
Especialidades.Moles'ias doa appare
lboa respiratorios, circulatorio o digestivo,
oonaaltaa das 12 s 3 da tarde. Chama
doa no eacriptorio.
Telephone n. 658.
Contultorio manteo- cirurgicoDr. Sint-
dlioiu Mavignier, de volta da Capital Fe-
deral tem seu consol torio, roa da Cadeia
a. 27 1. andar.
Eapecialidade Molestias pulmonares,
tebrea e da pella.
Consulta* de 12 as 3 tarde. Cha-
mados por escripto.
Telephone n. 392.
Dr. Joaquim Lotwwro medico psitei
ro, ccnaultorio i, roa do Cabug n. 14,
l. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Dr. Ferreira, ooa praod m princ-
o Loa-
im i
e rot
;ss hoapitaea o
rea
oJaic* i:
i d consulta todoa u Lm
oras ao meio-dia, Coaauifcorio
dencia rau Larga do iioaario a, Jr*
Dr. Barroto Sampaio, ocoulista, d a -.
salas de 1 a 4 horaa no 1." andar d
oaaa ra Barao da Victoria n. 51. Reai
dencia a ra Sete de Soiembro u. 34,
entrada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Pereira da Silva recentemente che-
gado de Paria, com pratiea naa clnicas
de Wecker e Landolt, d conaultas de 1
a 4 horas da tarde raa do Imperador
n. 63, 1." andar.
Telephone n. 588.
RESIDENCIA CAXANGA
Jdffogarlas
Faa SobrinAo & C, droguistas por ata
cailo, ra do Mrquez de Oiin n. 41.
Fratxoiaco Manoel da Suva & C, depoa
tArioa de todas *z capecialidadea pharm
ooaticas, tintas, drogas, producto chiusi
ce svnedicameutoa homeapaticoa, raa dt
bM que* de Oliuda o. 23.
NINGUL'M DEVE COMPRAR
Artigos de cbapelaria ou flores, plumas, veos
gazes, rendas, etc., sem fazer urna visita Cba-
pelaria Rapbael, onde se encontra eempre tudo
qnanto, nesses artigos, ha de melhor e mais
moderno.
2Ra do Baro da Victoria2
Raphael Das & C.
1WD1CAQQES DTEIS
edieos
Dr. S Parara, ma da Imperatri* a. 8
d consultas medico-cirurgicaa todos os dial
das 8 ao meio dia, monos n-oa doratnfoa
ias santificados.
OsConcelhos Municipaes
IV
Temos mostrado que, perante a letra,
parante o espirito e parante a historia de
noasa Constitaico, como por forca da
propria CoastituioSo Federal, oa munici-
pio determinados pela 1.a anda nSo ezis-
tem e nem terd existencia legal em
qaanto nelles nSo for dividido o Eatado.
Demonstramos ao mais exigente es-
crpulo que a par desea condicSo mate-
rial, outra d'ordem jurdica se impunham
para a verdadeira orgauisajSo municipal
e tambera que urna o outraa a teriam rea-
lidade com a lei orgnica em diaoosso no
Congresso; caja importancia pratiea e
necessidade, este reoo^beoeo, adoptan
do a para objecto de suss deliberacSeB.
Tornamos evidente que a immediata
consequenoia daaaa orgaoiaac&o tumultua-
ria quo o acodamento administrativo em-
plaatou no Estado, organacSo fatalmente
ephemera, logo que aquella lei aoja dada
execuefio, easa cousequencia era a mar-
cha desordenada que vSo tendo oa actuaes
concolhos municipaes com iniraccBea afio
s de leis escripias, como at do sena
comraum, presumido onde quer que exis-
tam homens.
D'ahi conclusSo em que paramos logo
no 1. artigo de que < a disaolucao de
taea concelhoa- como illegaes seimpuoha,
nSo ofFerece aos olhoa do bom sonso nem
espaco um melimetro.
De corto, quem sustentar que, nSo
haveodo municipios perante a Conatitui-
tSo, as Ibes poasa dar o faaccionalismo
dessa mesma Conatituicao ?
Appareca, indique-se-nos, j nao diro-
mos um principio de Bolencia administra
tiva oa urna regra da arte de governar,
mas de se-noa um criterio qualquer, urna
orientaeao a maia superficial que justificar
poasa, dar-so fancoionarios, electivos oa
nao, a instituicSes nSo creadas e que ve-
nha assim legitimar o provimeuto de mu-
nicipios nao organiaados e de simples es-
pectativaapenas.
Com que direito eatea concelboa que
ahi andam ao atar, invadem municipios
qoe nao aao seua, porque pertencem ao
eapolio d'uu. rgimen qoe deaappareceo ;
espolio mandado guardar e conservar pelo
rgimen aobr'vmdo at ulterior delibe-
racao ?
Porque lei se apossaram de seua llave-
ros e os dispoem como se de sua proprie-
dade fessom ?
Intrusos I
E como intrusos, o nico remedio a op-
por-lhea, outro nao aera aenSo o despejo
forcado.
Infelizmente para na pernambucanoe,
mas em honra da repblica braaileira, se-
melhante anomala apenaa ae v em Per-
nambuco, neste berco de horneas da lei I
Lancemos os olbares de vergonba por
todca oa outros Estados da Unio, anda
mesrio para aqaellea que maia convulcio-
nadoa tm sido pela extravasao das pai-
xSes partidariasmostr ae-nos em qual-
quer dellea tamanha aberracao dos prin-
cipios, os maia comeainhoa de adminia-
tracao !
Qual o Eatado da Unio qoe elegeo,
contratou ou nomeou faaccionarioa muni-
cipaes, sem preceder a inatalaco doa aeus
municipios segando as regras estableci-
das na respectiva Constituico ?
S Pernambuco !
A Capital Federal, a primeira que nos
deveria aervir de mode.o, teve sua Consti
tuigo, teve seu governo constitucional ;
mas aitida n3o teve esse governo munici-
pal de aua meama Constituico e nao o
teve porque ainda nao ao satiafeitaa as
duas nicas condicSes eatabeleoidas para
a Ba eleicSo organisaco definitiva de
todos os Estados da Uniao ou deliberado
previa do governo : art....
E porque Pernambuco nSo procede
de igual modo ? Pernambuco eatabeleceu
urna divisSo previa dos municipio; ; a Ca-
pital Federal estabolece como preliminar
a orgaaiaaaSo doa Estados ; Pernambuoo
podio urna lei orgnica municipal; a Ca-
pital Fedanri exigi deiiberacSo previa ds
governo; Pernambuco despreza aa con-
diefles impeatas antecipadameate tac
elager os ooncelbos municipaes ; no en-
tablo que a Capital Federal aguarda
complemento das eonai^Oea de aua consti-
tuico e nao elegs aeu cocceiho :
Como all 8e observa a lei e como aqu
ae a menoapresa!
O que sSo os actuaea
guntar-no8-blo talves
municipios,
para onde
per-
vSo.
porque eaperam, nesse Estado j consti-
tuido e por onde ae regem 1
Sao oa actaaea municipios, j o diase-
moa, oa meamos do antigo rgimen, subsis-
tentes at que chegaem os novos, unicoa
que oa diaBolvero.
Por eatea eaperam noa termoa da
Coastitaicao F derai e do Eatado e em
quanto a subitituicSo nSo se opera se
regerSo por sua lei orgnica da 1828,
naquillo que nao repugnar aa novas asti-
tuicJSes e nao tiver sido parcialmente mo-
dificada e sendo em m administrados, na
phrase d'^1 Provincia, por este reato de
gsverno dictadorial As Intendenciaa
at que Ihea chegue a aua parte do gs-
verno constitucional.
E' anda na Capital Federal que ire-
mos procurar o exempio : all o municipio
continua a ser dirigido immediatamonta
pela Intendencia do decreto de 7 de De-
zea) bro de 1S9 ao lado do Preaidente da
Repblica e aeus Secretarios revetidoa de
poderes constitaciouaes.
Intendencias dictadoras a par de gover-
noa constituidos em una Estados, e tam-
ben em concurrencia com os Concelhoa
oleitos em outros, acabam agora mesmo,
muito recente, de ser toleradas senao con-
sideradas pela Naco em a movissima lei
eleitoral da Uaio, ende o legislador pre-
vi a aquella concurrencia de Concelhoa
eleitooa e Intendencias borneadas : vejase
o art. 3' e outros <=desta lei, como o de-
creto de 16 de Marco ultimo.
Que o que temos dito porem nao reper*
curte no espago, oada alias devera ouvir-
ae ; que o exempio nSo aproveite para
guia de noaso procedimento ; que perma*
aecam oa actuaes Concelhoa Municipaes
sem titulo que os legitime, sem norma
que os coaduza, qae '..id > coatioue, a dea-
peito de tudo ; mas por orca de razSaa
oio forcosas, mas toreadas, urna verdade
dura sem duvida, picante mesma, para es
interesaos empecinados, resalta maior ca-
gueira e que o poder que tolereesaas
corporacSea upocurypbas, ter consentido
aa VMaf&e formal da Conatituicao do Ut.-
do e maia que isso, ter por sua vez golpea-
do a-CoBtitaicSo Federa- concorrendo com
sua condescendencia para a extineco an-
tecipada de aerv co3 inda mantidos por
ella e para a oreag* d'outro3 sem condi-
c$e& de Vida.
Mas ato nSc ser honesto.
Mas isao aera urna nota d alonante
n'uma-ftdmioiitracao que ae iniciar com
moralidade qae indiviaa.
Mas isso ser Burpreaa na3 actuaes con-
dicSes de Pernambuco.
Julho92.
Ventas
0 Jornat do Recifa orgo dos desgostoso?,
na sua iogloda trela da desprestigiar o illustre
governador, que j tem conquistado urna gran-
de porco de tympitbia do novo cernarnbuca-
oo, cada vez mais o ataca de um modj grossei-
ro e insensato, procurando por todos os uieios e
com subterfug es, destruir o grande edificio por
elle levantado. Has, q;.em nao \ nisso o despei-
to e a muita loviandade 1....
O honrado governador, o mais enrgico qua
temos visto na gesto dos nossos negocios, tem
j comubstanciado tolos os elemento i fortes e
saos, para fazer face a tantos ouros elementos
oltgarchos edeleterios.
N3, nao defendemos o honrado governador
com vistas a um bom salario, mas por espirito
de consciencia, por amor a verdade que tudo
tem sido miseravelmente illaqu ado ; per tinto,
o illustre orgo do poder administrativo, aqu
eatre nos, nao pode ser alvo de to torces cea-
saches por parte daquelles que deram seu v to
para collocal-o na suprema gerencia dos nego-
cios pblicos dse infeliz Estado, out/ora o
mais soberbo do nort>.
A parte s da sociedade, dos, os booms ge-
nerosos e patriticos, qua sabemos dar o justo
valor a alta admintsiraco do preclaro cidado
Or. Barbosa Lima, nao o cordemaamos e nao
nos illudimos com 03 borneas daqui sem man-
ts aos mandoes de aldeia por quem santlmoi
nojo e repugnancia.
A tyranna guerra que fazem ao benemrito ci-
dado. nao Um o minime alcance, e nem mere-
ce as honras de urna discu3so.
Qae importa ao D\ Barbosa Lima teda essa
bainurdia, todo esse barolbo? Os senbores des-
gostosos nao argumentan!, nao se de defe-dem,
mas ee contradizem e se condemnam..... bal-
dados esforcos I......
Ora, es-a gente se nao perdeu a cabeci, est
por perder; pola querer intimar ao illustre go-
vernador a se retirar deixbdo o campo lixpo a
desem .aracudo aos seus leis amigiti
Isto se tolera em umpaizonde ba ordens eleis
garautidoras a nao ser uoi paiz do ano ?
O actual goveroado-, tiquem sabendo senbo-
res.....de;g03l0303, nao hade retirarse as-
sim, sem mais, nem menos, como se fra na
expatnado ou um foragido; tudo nsile nos ins-
pira conQanca, e a mais segur.:, c praza aoa
cos que elle prosiga ch-io de energa e vida
para o bem nosgo, para 'elicidade do do3o futu-
ro, para miralisar certas cousmhas, e finalmente
fazer deste Estado o mais prospero e feliz.
Milln.
O bacbarel Joao da Rocha
e os seus ex-correspon-
dentes Temporal Filhos.
(Coninuafao do n. Ib6)
Nao est vencido o caminho ; sendo precisa
andar por entre eapinhos, e vamos.
Nos batneos qae segaem s ba mais digno da
nota, o termo figurado no anno de 1886 urna
ordem que saquei a favor de Manoel Vicente de
Hollanda Cavalcaote io anno de 1888, si em tal
bonve acto de escamoiagem, nao 6 por certo.'digno
de maior admirago, si attendermoa aos prodi-
gios j anteriormente executados; mas noto, e
nato com repique de. sino de igr^ja, som qae
deve ser muito agrdavel aos ou.idos da firma
Temporal, que nunca deixou de se moBtrar pu-
blicamente devota das exterioridades do culto
caihollco, que elle no seu memoravel reserva-
do de 12 de Janeiro de 1887, cuja summa m?a
digna de nota j dei noticia, expreasou se-ma
ainda do seguinte modo :
O nosso silencio em nao remetter a c/c ulti-
ma, porque temo de dar saldo a v., o que ta-
remos breve (III)
Tudo aqu en gma I...
Ma's adiante expressa-se desta outra forma :
d'abi V-imaine o mal que tem cansado a si
proprio. que at boje (12 de Janeiro de 1887!)
nao temos podido remetter a ultima c/c ; a
como V- nao ignora, em materia commercial,
conta prestada, saldo entregue. (III)
Eis aqu pois a firma Temporal no sen're-
servado de 12 de Janeiro de 1887 confeasndo *
que a conta ultima oa a ultima conta, a de 29 da
Abril de 1886, por falta de diaheiro de que ea
i *
.
l
;
-
(I
f


i
-r
J
i
I


Diario de Pernamimco Domingo 15 de Janeiro de 1893
JB
N
V

PERNAMBCO
Orcamento Municipal
DE
O commendador Joao Francisco do Amara], Pre-
feito do Municipio de Iguarass etc.
Fago saber a todos os habitantes do dito Municipio que o
Concelho Municipal respectivo decretou e eu sanccionei a scguintc
le do orcamento. .
Art. I.'A receita do Municipio de Iguarass, no exercicio
de 1893, em vista dos impostos especificados nos seguintes pa-
ragraphos, oreada na quantia de 34:895*000 ris.
1. 10,/' sobre o valor locativo dos predios urbanos com-
prehendidos no permetro da villa e povoados do Municipio, co-
brados por langamento annual
2. 35 por cabcca de gado vacum, 500 ris por sumo c
409 ris por cabrum e oveThum, morto para negocio ou con-
sumo.
8 3. 100 reis por pe de coqueiro de fructo
4. 15 por licenca para levantar H conservar curral de
apanhar peixe no canal e na pedra, 10* pelos de costa, cam-
bija e rio. e 8* por viveiro de crear peixe.
8 5/ Os forros de fabricar cal pagaro. segunda sua capa-
cidade as taxas seguintes : at 100 alqucires 10*, de 100 a 200,
20*; de 200 a 3'0,30*; de 300 a 400, 40*; e de 400 para
cama, 50*:
S 6." Os engenos de fabricar assucar pagaro, os de i.'
classe, 3005, os de 2.', 200* ; os de 3., 100*000.
A classiticacao sera feita pelo Prefeito c publicada por
cdital. ,. .
7. Os engenhos de 1." classe, que tiverem distilacao de
alcool, agurdenle ou qualquer outra bebida alcoolica, pagaro
mais 40* os de 2. mais WJ ; e os de 3.' mais 20*000.
8. Os cngenhOs que nao tiverem ilistillaco. mas vende-
rem mel pagaro metade das taxas langadas sobre as distillagoes
segundo a sua classHcacSo.
9 Os engenhos que estiverem de fogo morto, por que os
donos ou rendeiros prcl'erem vender as cannas aos engenhos cen-
traes. pagaro o respectivo imposto sem abatimento algum.
S 10. As distillaces de bebidas alcoolicas, que nao per
tencerem a engenhos, pagaro 505000.
11. Os predios rsticos ou ruraes, que nao iorem desu-
ados ao planto da carina de assucar, pagaro 5/. sobre o seu
valor locativo que, se nao for conhecido, ser estimado pelo lac-
eador, ou arbitrado judicialmente a requerimento do contri-
buinte. ,
12. 60 ris por metro correte de planta de capim para
negocio.
8 13. 2* por contribuinte que exercer qualquer industria ou
profisso, cu viver de rendimentos do Municipio, com destino a
iiirunfio publica. ,
14 Forros e ladennos de terrenos Municipacs pagando
ir- casas sitas nesla villa, em taes terrenos 80 reis por palmo de
frente e nutro lano-pelos quictaes, que tiverem maisde 40 pal-
nos de rundo. .
t l.". Kendimentos dos predios municipaes.
16. Rendimentos dos cemiterios pnbbcos, cobrados de con-
Jrmidade com os respectivos regulamentos.
1 17. Mullas do Jury.
18. dem por infreco de posturas.
\ 19. dem por falta de cumprimento de contraclos inuuiei-
Pes. .
8 20. dem de, 10 n sobre os veneimentos dos empregados
mvnicipaes, que forem omissos no cumprimento de seus deveres.
| 21. dem de 10 (1/ffl pela iudevida retenyo de rendas muni-
| M. Licenca do iOOOU par ter casa de rancho, cocheira c
canpeira.
8 23 dem de I3*fi00 para ter hotel, casa de pasto ou outro
quaquer estabeleeimento de igual nalure/a, dentro ou fra da
ti. dem de 15*000 para ter carro de aluguel e 10*000
par ter de passeio : pagando metade se o carro for de 2 rodas.
g 25. dem de 10*000 para ter acougueparticular, e de 6*000
par talhare vender raines yerbes no aCOUgue publico.
16. dem de 60 ria pormetreoe redes empregadas em
pesaras.
i-27. dem ile 40* ris para pescar na costa por meio de covo3.
28. Mein de O1 0 para ter jangada empragada na navega-
cSet pesca nos mais da Costa.
29. dem de 2*000 por canoa empregada na oavegacao llu-
vial
30. As canoas de carreira. barcacas, linchas e pequeos
bialt pagaro. segundo a sua lotacao, as seguintes taxas : de
capaidade at 100 saceos 6*000; de 100 a 200, 10*>00 ; de 20J
a 30, 15*000, e de 300 para cima 2r*r00.
31. As canoa?, barcacas ou lanchas de lora, qucvierem
ancoar nos portos do Municipio para tomar carga, pagaro... -.
2*011 ; naopodendo sabir sem apresentar aquitacao do imposto.
38. I5J000 por adrogado ou medico, que exerca, sua pro
fis.-c no Municipio, e 6> por solicitador; pagando iguaes quan-
lias G que vierem de l'ra exercel-a aqu, por urna ou muitus
vezes turante o anno ,, ,,.. ainm\
33. 10*000 por cartorio de escrivo e tabelliao e 2*000
por rtidor e contador do juizo.
s:ti. 20*000 por planta de abacaxis para negocio.
f SB Licenca de lu000 para ter casa de faser e vender
"" i. dem de 55000 para abrir ou continuar a ter aberta
Urenuldeiuro da Villa e povoacao de Itapissuma ; 12O0C na
povoab do Pilar e 10*000 nos outros lugares: pagando taes
estabelcimentos mais 15*000 cada um se nelles venderem qual
quer taluda fermentada, vinosa ou alcoolica
;7. dem de 25*0)0 para ter loja de tasendas.
S :8. dem de 30*00' por padana. ___
a. dem de 40*000 por armazem de recolher, comprai e
vender issucar.
S 4i. dem de 20/000 por refinana.
I. dem de 15*000 para fabricar fogos de artiucio, e de
10*11") [ara vendel-os fra da fabrica.
i dem de 15*000 para fabricar plvora e de outro tanto
para ven le a fra da fabrica. _^ .
43. dem de 25*000 para ruascatear miudezs e perfuma-
aS'5 dem de 25*000 para mascatear fasertdas smenle.
5. dem de 51*000 para mascatear obyectos de ouro, prata
ivdfas preciosas. ....__
16. dem de 10*000 para mascatear objectos de cobre,
.'alo, /stanho, ferro e flandes. .
i|47 dem de 10*000 por cada barraca lixa, que se construir
ou cojservar nos mercados pblicos, e de 55000 parausar da por-
ttil los dias de feira. ..
8J48. dem de tOOOO para usar de armas defesas. obtida
previlmente a da polica .____
49. dem de 6*000 para construir ou reconstruir qualquer
casa na Villa e na povoacao de Itapissuraa, e de 5*000 nos outros
povoade* do municipio, que esto sujeitos decima urbana.
30. dem de 4*00 para faser-se qualquer obra ou reparo
externo nos predios urbanos da Villa e povoagoes ; observndo-
se as :;onstruc<;cs, reconstrucgOes e reparos o que a respeito
ta'
e p
respeito
da Villa
...rtrucg6es
dispoem as posturas municipaes.
51. dem de 3*000 para collocar as mas e caes
materiaes destinados a construego. ...__
52. dem de 3*000 para construir andamies na Villa, e 2*0C0
nos povoados.
53. dem de 3 000 para abrir buracos para embandeira-
mntos, cortos e outros fins. por occasiao de festejos.
| 84 dem de 5*000 para ter empanada de modo que nao
embarace o taansito pelas calcadas
53. dem de 10*000 para ter salgadeiras de couros nos
lagares designados para esse fim.
' 56. dem du 5*000 para fabricar carvo vegetal, afim de
exportal-o, e outro tanto para cortar lenbas com o niesmo um.
57. dem de 30*000 para tirar sulipas, ou madeiras de
conslrucco, para negocio.
38. dem de 30*0D para vender assucar e outros gneros
em carrogas vindas de outros municipios ; e sendo em costas de
cavallo 15*000.
.9 dem de 50*000 para extrair e vender pedras, qual
quer que seja a sua quantidade e obra a que se destinem.
| 6'i. dem de 20*000 por pastoril ou qualquer outro es-
pectculo ou divertimento publico.
61. dem de 3*000 por botequim ou barraca que se armar
em lempo de festa ._.
62. dem de 5*000 para vender bilhetes de lotera no
municipio, exceptuadas as viuvas e pessas invalidas.
a 63. Receita. eventuaes.
5 64. Divida "activa.
8 65. 3 % sobre o valor dos depsitos.
| 66. 3 o/ sobre o producto liquido dos leiles nao judicia
es, pagos pelo agente.
67. 3*(00 por mercador ambulante de peixe.
8 68 Vi por cento pela averbaco da transferencia de bem
de raiz e 1 "/ quando a mesma for feita depois de 30 das con-
tados da data da escriptura. ,
69. Emolumentos municipaes cobrados de conformidade
com a seguinte tabella.
I 4*000 por al vara de licenca.
II 20*000 por titulo de nomeago e aposentadora de empre-
go municipal de vencimentos at 400*000, e d'ah para cima 4 /0-
III 5*000 por ttulos de nomeaco de suplentes de juizes dis-
trictaes e fiscaes. ^ ,
IV 10*000 por apostilla ou reforma de ttulos.
V 5*000 pelo registro de qualquer portara de nomeago.
VI. 5*000 por cada mez de licenca com vencimentos a em-
pregados municipaes.
VII 2*000 por cada certidSo e se passar de urna pagina,
mais 1*500por cada urna-
VIII 2*000 por cada anno de busca, nao se contando o anno
corrente.
IX 80*000 pelo registro de privilegio ou empreza de qualquer
natureza, concedida pelo governo federal, estadal ou municipal,
dentro do territorio do municipio.
X 10*000 pelos ttulos de aloramentos municipaes.
XI 10*000 por termo de Banca, responeabilidade ou depo
sito.
XII 15*000 por qualquer termo de arrematagao de obras mu-
nicipaes, de impostos, alugueis de predios e de quaesquer ou tros
contractos municipaes
XIII 10*000 pela verba de transferencia de casa de nego-
cio para outro dono.
XIV 20*000 por ttulos expedidos a trabajadores, maga-
refes e capatases ; assim como a boleiros e carroceiros.
XV 5*000 pelo registro de ttulos de mdicos, cirurgiCes,
pharmaceuticos e parteiras.
XVI 10*000 pelo registro solicitado de qualquer decreto de
nomeaco patentes e ttulos honorficos.
XVII 5*000 por titulo de nomeago interina ou provisoria,
que d direito a percepgSo de vencimentos.
70. 1*000 por carga de agurdente e assucar. 500 rs por
carga de mel, carne secca linguigas, queijos, hacalbao e outro3
peixes, e 300 rs por carga de farinba, trucas, e outros produc-
tos expostos a venda nos mercados pblicos ou feiras do munici-
pio; cobrando se metade do imposto quando os gneros forem em
metade ou menos de metade de urna carga.
71. 120 rs. por marinha de fazer sal.
72. Taxas sobre passagens de rio3, sendo 80 rs. por pes-
sa e 160 rs. por animal de raga bovina, cavallar e muar, pagando
mais 160 rs. se o animal levar carga-
73. Custas judiciaes.
74. O imposto da aferigao de pesos e medidas ser co-
brado do seguinte modo, sendo metade paga na reviso:
I Por um metro 2*'V 0
II Por lita, corda e trena de agrimensor at cinco metros
1*000 oor cada um e d'ahi para cima, 500 rs. por cada metro.
III De cada pe o, at 10 kilogrammas, 1*000, e outro tanto
por cada peso de 20 kilogrammas.
IV Por terno de medidas de capacidade para lquidos e sec-
eos 1W0 e por cada medida avulsa 500 rs
V Porbalanga commum que supportar at 20 kilogrammas,
3*000; at 200 kilogrammas, 4*000 e at 400 kilogrammas,
10*000
VI Por balanga decimal, 3*000.
Vil Por dita centesimal, 8*000
VIII Por ancoras ou barris empregados na condu-g5o ou ven-
da de lquidos de qualquer qualidade, cada um, livre de reviso
500 rs.
IX Por pipas idem idem. 2*000.
75, As casas de jogos nao prohibidos pagarlo 10*00) de
lH^PTlC""!
76 As olarias pagaro 105000 de licenga para sea estabele
cimento ou conservago. .,,.,
77. Licenga para soltar fogo do ar na villa, o*00) ; as
outras povoagoes 3*000. ____
7. dem para soltar fogos de vista na villa 10*000 e nos
outros lugares 6*0 0.
5 79. dem para vender plvora, kerosene e outras materias
inflamaveis, no lugar, que for para isso designado, 155000 :
S 78 Aspesquenas tavernas e quitandas, em que se nao ven
der bebidas alcoolicas, pagaro o* : seudo licenga concedida por
simples despacho do Prefeito-
79. 5* por licenga para exercer qualquer industria no
comprehendida nesta le
80 5"' addicionaes sobre todas as imposiges desta le
menos as dos S '3 e 69 cjtn applicaco aos reparos e ornamen-
tago municipal
Art. 2." A despesa do Muuicipio no exercicio de que se traa
fixada na quant'a de 29.7*0*000 como se v das seguintes
tabellas:
Tabella A
Secretaria do Concelho
a) Vencimentos do Secretario, que tera a seu car-
go o archivo ; sendo 560*000 de ordenado e
240*) 0 de gratih'cago.......
b) dem do Thesoureiro, que prestar fianca: sendo
560*i 00 de ordenado e 2U)*0O0de gratificago
c) dem de um continuo, que servir de porteiro,
sendo 180*000 de ordenado e 605000 de gra-
tilicago ..........
d) Expediente, livros, asseio da casa e assignatura
do Jornal oflicial.........
Tabella B
Prefeilura
a) VencimentO do Prefeito, sendo 2:00)* de orde
nadoe l.OoO* de i.'ialil'icago.....
g) dem no Secretario, que tera a seu cargo o
servifo da rec-bedona: sendo 560*000 de
ordenado e 240* de gratificago
c) dem do Advogado. que ser obrigado a de-
fender os presas pobres ; sendo 350*000 de
ordenado e 150*000 de gratificago .
dj dem de um Continuo, que substituir o Por
teiro, sendo 180*001 de ordenado e 60*000
de graticago..........
e) Expediente livros, impressoes e assignatura
do jornal oflkial..........
Tabella C
Iuslruccao Publica
Vencimentos de oito prefessores ou professoras,
sendo quatro a 800*000 de ordenado, e 400*000
de gratilieaeo, e quatro a 700*000 de ordenado
e 3003000 de gratificago ; seto direito casa
e expediente. ... ....
Tabella D
Forca Publica
a) Vencimentos de um commissario, sendo 400*000
de ordenado e 152*00) de gratificago. .
b) dem de um cabo com a diana de 1*200.
c) dem de 10 guardas municipaes a 1*000
por dia............
d) Agua e luz para cadeia e quartel.....
Tabella E
Poder Judiciario
a) Vencimentos de tres Juizes Districtaes, tendo
um, o do 1. Districto, 800*000 de ordenado e
400*000 degratificago, e os outros 600*000
de ordenado e 200*000 de gratificago. .
b) dem de tres Escrives Districtaes tendo cada
um 200*000 de ordenado e 100*000 de grati-
ricago. s..........
c) dem de Eecrivo do Jury, sem direito a oustas
da municipalidade.........
8)0*000
80050G0
240*000
300*00)
3:000*000
800*000
500*000
240*000
400*000
8:800*000
552*000
438*000
3:650*000
120*000
2:800*000
900*000
300*000
Tabella F
Fiscaksacao e Arrecadaco das Rendas Municipaes
a) Vencimentos dos Fiscaes dos tres Districtos,
tendo cada um 240*000 de ordenado e 120*000
de gratificago.......... 1:080*000
b) Porcentagem de 3 % aos agentes cobradores CAAfAnA
calculada em........... 600*000
Tabella G
Cemiterio Publico
ij Vencimentos do Administrador, sendo 200*000
de ordenado e 100*1 0 de gratificago. -
b) dem de um Coveiro, que limpar o cemiterio
Tabella H
300*000
120*000
Despezas Diversas
a) Jury, alistamentos e eleiges...... 2Sv
b) Custas criminaes.......... 300*000
c) Obras municipaes calgamento e limpesa das Kntnnn
ras. ............. ^2
d) Dividas passivas.......... ?XX}25{
e) Eventuaes............ jo;#uoo
DisposicSes Geraes
Art. 1 A presente lei comegar a vigorar no dia 1 de Ja-
neiro de 1893. ..
Art. 2. Ninguem poder abrir ou continuar a ter aberta
casa de negocio ou exercer qualquer industria ou prossSo sem
primeiro ter obtido do Prefeito o respectivo alvar de cenga,
que nao ser concedido sem que prove ter pago os impostos
do anno anterior.
nico. A igual obrigacao beam sujeito3 os mascates ou
negociantes ambulantes: nao podendo isental os do pagamento
o facto de ter obtido a licenga e satisfeito o imposto em outro
municipio. ,
Art. 3." Os encarregad03 do langamento entregaro aos coi-
lectados ou a quem encontrarem no estabeleeimento ou predio
sujeito ao mesmo langamento um aviso, no qual declarem:
1 > A taxa a que o contribuinte fica sujeito :
2. Que dentro do prazo de 5 dias podem reclamar contra
o lancaniento:
3 Que o pagamento deve oer feito dentro do prazo de 20
dias, isto at o dia 5 de Fevereiro, cando sujeito a multa e a
cobranga executiva quem n&o o fizer,
Art. 4.* Os Fiscaes em seus districtos serao os langadores,
cobradores e aferidores, tendo por esse trabalho. alem dos seus
ordenados, mais 3 [ das quantias, que arrecadarem; prestando,
porem, Canga perante o Prefeito.
Art 5. No fim de ida trimestre os fiscaes prestaro con
tas ao Prefeito das quantias, que tiverem recebido e entregado
ao mesmo Prefeito; api .sentando n'essa occasiao urna relaco
nominal dos contribuintes, que nao tiverem pago, para serem
executados.
Art. 6. Os impostos de langamento serao dagos semestral -
mente ; mas no principio de cada semestre isto at 5 de Fe-
vereiro, o primeiro, e at 5 de Julho, o segundo.
Art. 7." Os contribuintes que tiverem mais de um negocio
em um s edificio, quer seja no mesmo. quer em diversos com-
partimentos desse edificio, tirro as licengas e pagarito os im-
postos relativos a cada um dos negocios.
Art. 8. Os impostos laucados sobre os engenhos de fabricar
assucar, predios ruraes nao destinados a cultura da canna, mari-
nhas de fazer sal e coqueiral, sero pag03 por aquelles, que esti-
verem cultivando, trabalhando ou usufruindo por propria conta
taes predios.
Art. 9. A cobranga de todos os impostos, excepgo feita dos
que se cobram as feiras e passagens de ros, ser effectuada me-
diante recibos impressos em livros de tales, numerados e rubri-
cados pelo Prefeito, que dar instrueges a seus agentes para fa-
cilitar a arrecadago.
Art. 10. Os contribuintes que nao apresentarem aos fiscaes,
na occasiao do langamento ou da cobranga, conhecimentos com
os quaes provem ter pago os impostos do exercicio anterior, se-
ro multados e executados.
Art. 11. Em quauto o Estado nao abrir mo ou deixar de
cobrar o imposto municipal de que trata o 2- do art. 1- desta
lei, continuar-se-ha a arrecadar, duplcadamente, o antigo im-
posto de 500 rs. sobre cabega de gado vaceum, e 200 rs. sobre o
de suino, cabrum e ovelhum morto para o consumo-
Art. 12. As licengas para obras e concertos de predios urba-
nos, serSo concedidas por meio de alvar, que nao ser expedido
antes de pagos os respectivos impostos; pagando, porm, metade
dos emolumentos quando a licenga nao for para edilicago nova,
ou reedificado de todo predio. .
Art. 13. Dos alvars de licenga concedidos para o exercicio
de qualquer industria ou profisso que tenha de pagar imposto
inferior a 6*000. s se cobrar metade dos emolumentos.
Art. 14. O permetro a que se refere o Io do art. Io desta
lei, deve ser o mesmo dentro do qual tcm sitio, ltimamente, co-
brado o imposto da decima urbana pelo collector estadal-
Art. 15- A classificago das canoas, barcagas e lanchas, que
teom de pagar o imposto creado pelo 30 do art. I" da presente
lei. deve ser feita pelo langador, que ouvir, se for preciso, acer-
ca da lotago das mesmas, ao respectivo capataz
Art. 16 Os empregados nao electivos do municipio pagaro
os direitos a que estiverem sujeitos os seus novos ttulos, levan
do-se em conta o que tiverem pago pelos vclhos.
Art. 17. Os juizes districtaes c seus escrives nao percebe
rao custas da municipalidade ; mas podero recebel-as das par-
tes, que requerert-m qualquer diligencia ou litigaran perante
aquelles juizes
Art. 18. O fiscal que na occasiao do langamento ou cobranga
dos impostos, for njuriado, ameagado ou physicamente ofendido
por um ou mais contribuintes, prendel-os-ha immedialamente a
ordem da autoridade competente; e se nao puder effectuar a
priso por encontrar resistencia insuperavel ou nao haver quera
o auxilie, ofliciar logo ao Prefeito relatando o facto, c nomeando
as testemunhas, para que este promova a punigo dos delin-
quentes.
Ficam revogad-is as disposiges em contrario.
(Estava assignado o Concelho Municipal). _
Secretaria da Prefeitura do Municipio de Iguarass, 30 de
Dezcmbro de 1892.
O Prefeito,
Joao Francisco do Amaral.
Classificacao dos engenhos de Iguarassi feita pelo
Prefeito em virlude do disposto no 6o do art. 1*
da Lei do Orcamento Municipal.
NOMES DOS ENGENHOS
i* classe
1Araripe de Cima.
2Araripe do Meio.
3Araripe de Baixo-
4-Cara.
5-Cumbe deBaixo.
6-Engenho d'Agua.
7Jaguaribe.
8 Monjope.
9 -Tapipir de Baixo.
10-Taquara.
11Amparo.
2.' classe
Aguiar.
Cumbe de Cima.
-Desterro.
Gutiubinha,
Gongagary.
Inham.
Jardim.
Mazago
Mundo Novo.
Mussupe.
-Mussnpinho-
Engenno Novo.
Piedade.
Pitanga ou Regalado.
Pindobinba.
Purgatorio.
Santo Antonio.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
A
-Tapipir de Cima.
Vinagre.
-Macacheira.
-S. Joao.
3.a classe
1Bom Successo.
2-Cahet.
3Caiap.
4Cavatina.
5-Campia.
6Cha Grande.
7-Improviso.
8 -Mamulenga.
9-Maurity.
10-Machado.
11-Santo Cosme ou Mangabera.
12 -azareth.
13 -Pindahyra.
14Santiago.
15 Santa Cruz.
18 -Santa Rita.
17Triumphante.
18 -Utinga.
19 Chicha.
20-Pagitinga.
21 Perajuhy.
22Peuediuno.
23 -Queimadas ou Boa Vista-
2i-Cabde Araripe.
O Prefeito,
Joao Francisco do Amaral.
Banco Popular
Capital 1.5O0.O03^00(
dem realisado 600.000500':
Fuado da reserva 13.'66#O0O
Balan0 em 31 de dezembro de 1892
Act'.vo
Accioa'stas
Letras descontadas
Fundos pblicos
Emprestimos e caujSes
Adiantamentos de ordena
nados, peneSea. etc.
Mobilia
tOO.0000003
643.574*270
4.?878400
1.136.653043 .
Letras a receber
CaocEo da directora
Valores depositados
Diversa: e^ntns
Uaixa :
fim moeda corrente
156.5491070
12.0490000
942.153570)
30.0000000
1.866.3590940
27.18800 0
299.2430500
6.018.1580310
Passivo
Capital
Fundo de reserva
Lacros u9pensos
Contas correntes
Cantas com aviso e pe-
culio
Depsitos a pra30 fizo
Depsitos voluntarios
Diversas garantas
Dividendos:
Primeiro e se-
gundo. 1.9540680
Terceiro 24.O0OJ0O0
esbulhado pelos senhores gerentes, fiscal
e mais empregados encarregad n de di
rigii o distribuir o pesBo^l para o sorvigo
martimo \ dita companhia.
Esta nossa ;re3lamac8o feita pela ins
prensa de a'gum modo sorpreende a essa
moi digna directora porque mostra-ihe os
erras que esto commettendo da a da
.quelbs sechore no aervijo da conipanhia
e na destribuigSo de pesuoal habilitado
para o me-mo servijo, tendo por fim eco-
nomisar ou pregu (a de procuraren! pes
soal as condicSes exigidas pela capitana
do p.r.o.
Pora dp.rmos o sontido lgico de nos as
expressSes, passamos a expor o que se
deu ua sabida do vapor Uoa, depois de
factos igopes e peiores dados em outros
paquetes por conveniencia propria, so no
for por negligencia dos meamos senho
res.
Tendo de seguir para o sul da Repubh-
c>. o paqnata Uoa como bom o sabem, e
sendo matriculado com tres machinistas
como de devor polo regula nentos ma
ritimo8 e como neste mesmo dia havia de
UJlt
Diversas contas
6.018.1580310
S. & Oms.
Recife, 14 de Janeiro de 1893.
G- da Silva hntunes
Gerente,
A. Lambert.
Contador.
1.5OO.OOO0OOO
18.166SO0O ..-------------------
12.5750320 Isoguir para o sul do estado o vapor &i-
8.076016o nimb foi retirado daquelle paquete para
eBto vapor um macbinista, ficaado portaa-
to o Una com dos macbinista e com os
quat3 seguiu a viagem determinada om-
quanto que o Sioimbii com a mesma
qnantidado da machinistas tegaia para o
sul do estado.
Em conc-luslo do exposto diremos o
Sinimb oomo ia para sul du estado nao
precisava mais do que dois machinistas e
a licenca da capitana em vista da viagem
ser e poncas horas e o Una seguido para
o sul da Repblica e tendo sido matricu-
lado em t.-es poda ir com dous machinis-
tas e nada havia que impos^ibitasse soa
aahida. j
Bonito procedimeato 1
Nao se deve dar o seu a seu dono por- j
que um crime.
E' verdade que a ideia foi m&ravilho-
sa e a recompensa do autor ou autores
518.076016o
530.7720220
517.0990910
30 3570700
1.866.0025240
25.9540680
999.2040080
SPORT
Ilip ol-om> do Campo Grande
Inicia hoje esse prado os bous trabalhos
do corrente anno.
A corrida que off-?rece ao publico
oredora da concurrencia, que sem du?ida
manifestara a mesma corrida em su rea-
lisac&o.
At um pouco mais, e se ver conver
tido em facto o que externamos, por
presumpcSo.
semana Sportiva
Recebemos o n. 154, edic5o de 6 do
corrente.
Agradecidos.
Imprensa Fluminense
Esse grande premio do Jockey Club,
disputado a 18 de Deaembro no Rio de
Janeiro, foi gaaho por Tarantella, por
Frontn o Gndola. ____nmnnn
Esse premio era de 10:0000000, para
animaos eatrangero de 2 annos, no per-
curao de 1.700 metros, que foram ven-
cidos em 114". ,
A poule por coodelsria deu ero primeiro
280500 e m segundo 160800, sendo a
copartioipante Black-Witcb, que chegara
em terceiro.
PLBLIC4(0ES PEDIDO
Contr* o Sr. Cebo, nunca houve
. reclamayao por ass m proceder.
O carros para a conduccSo de made-
ras, na actualidade, s5o muito ma! destri-
buidos, a ponto de militas vezes -termo
as estaco5" re/.idas as n'ssas madeins,
por mais de trez mezes, no pas30 que
outros que 3aem -a graj! do actual
chefe do movimento, an rem adquerido madeira, j te a as esta-
c3es carros a e'pera, susaedendo que t
um dejses gorou a madeira e os carrol
foram cedidos a outra, depois de muit
espera na estacao de 3. Benedicto.
Desta modo v-se que, nao sd 6 um.
damno occasionado a estrada e por tanta
aos cofres da fazenda nacinul, como urna
preferencia odios* e prejudicial espartes.
Pedimos, pois, providencias a quem
competir, a fim de csssarem os abusos e
ser reguarsido o servido.
Estaclo da S. Bonedicto
Possidonio Jos Fe-reir.
Agostiaho (/amello.
Jos Beaerra de Araujo Quedes.
JoSo Climaco de Aranjo.
Laurentino Jos da Silva.
Jas Lopes Pimentel.
Joaquim Henrique d- Silva Jatob.
KstaQSo de Marayal
Vubiano de Mello.
Acttnio Joaquim Vianna.
Manoel Florencio Jatob Can to.
Fellippa Nery Pa Barretto.
Antonio Francisco Jabot Caauto.
Genuin') Jatob Canuto.
Jos Joaquim Jatob.
S. Benedicto 2 de Dezemb o de 1892.
N. B. NSo publicou-se mais cedo pan
as partes assignarem.
Elei^ao
Da mesa regedora da irmandade de Nos-
sa Senhora do Rosario de Olinda, para
o anno compromissal de 1893
Jois
i Domicio Rodrigues da Silva.
na v a lotuuipouiia w "", ------------ Escrivao
deve Um dar o illustrado capitao do porto; Jo8o DomngoB do Nascimento.
e a mu digna directora da compa- Thesoureiro
gna directora aa compa
nbia, tbsequiando-as com a sua presenca
na sabida dos paquetes e indicando se a
tripulacSo est ou nao de accordo com a
matricula par^ que n5o Be dem factos
idnticos e nem nos tenhamos mais occa-
sio de registral-os cas columnas dos jor-
naes.
A directora nSo deve consentir abusos
desta ordem, porque provoca o despresti-
gio da companhia, illude a boa f do ca-
p tab do porto e prejudica a laboriosa
el .sse dos machinistas.
Pedimos providencias nesta sentido
distincta directora e a sua recta justica
para a nossa reclamacao.
14-1-93.
A directora da Sociedade Uniao Bene
ficente dos Machnitta.
A dignissima e i I lastrada direc-
tora da Companhia Pernam-
bacana de Navegado
vapor
Derige-se
a
Estrada de Ferro Sal de Pernam-
baco
Nao podemo deixar de bradar contra a
m direccao que ut; t-*l doutor Eulalio
Victoro, chefe di movimento da Estrada
de Farra Sul de Peroamb ico, d ao ser-
V90 de conduc^So de madeiras que, de
diversas estacSes, nos e muitos outros ci-
dadaos, hzemos conduiir, a fim de bal
cearmoa para a estrada inglesa.
O tal doutor julga que, ser chefe de
t movimento, ser um rei pequeo e,
por aso, maltrata a quem, oom bons mo-
dos, o procura, nSo para pedir- Ihe lavor,
mas lem.brar-lhe.que regalarise o servio/),
mandando fazer
Vicente Ferreira Nunes.
Procuradores
JoSo Roberto d'AssumpcSo.
JoSo Candido de Sant'Anna.
Juisa
Martinha Mara da Conceijao.
EscrivS
Francisca Xavier de Franca.
Definidores
Antonio Perera da Silva.
Tobas Antonio do Espirito-Santo.
Marcolino Eliseu Gomes.
Hermino E'liaeo Gomes dos Praaeres.
Manoel Rodrigues de JesuB.
Liborio Manoel do Sacramento.
Manoel Galdino de Araujo.
Benedicto Barbosa da Silva.
Ce entino Manoel Joaquim do
ment.
Joaquim Antonio dos Santos.
Innocenoo Marques de Sant'Anna.
Florencio Jos da Conceicllo.
O cura,
Conego Jos Vas Ouiterres.
Nasa-

Felicitado
Faz annos boje o joven e lutelligente
estndante ARTHUR DUARTB
r-lhe. que reglame o servido, ,
fazer as remessas de carros iulcl UllXta pirtlCUlar
idade, dando preferencia aoa ** ___. *,, .M a. ai.
em em primeo lomr, oomo A profesara Mana Rodrigues de M
sem paroialiu.
que estiverem em primeiro logar, oomo. *?*eiB-*^- -:""."""V? "_
Jratimva o sea .neLaor, o Sr. Celso, med.4>lomop.rUmpa aos paud. w
Dere-^ a e*. dstinoU directora Jar. o que tinha nmlivro em que i. .^S^^JirSSiSaa V&1'
Sooiedade Uniao Benefioente dos Machi- tando aa requisic^es, proporgo qae ^f^ <~?te mea em diante, a raa Vidal
niitas reclamando os direitos da classe Isendo apresentadas e, nossa mean pro- J g"*- 196 ,
do mesmo nome j por mais de ama vea'porsSo, faaia aa remeBaas. -^
4
-______
litaran
~*A
^^:'*r-
" *->",


-'

Diario de Peraanmco Domingo 15 de Janeiro de 1893
A' algaem
Ao ver tea olhar formoso
E os ratos qoe despedia,
Ouvir a toi de harmona
Ver o p santo e mimoso
Toa face lio macia
A bocea ardente de goso,
fea seio rijo e formoeo
Porque Josas peccarn
Ao ver-te assim tao bella
Jnlguei Atar ama estrella
Brilhando no aiol do cea
Sent enorme desejo
De dar amoroso beijo
No macio eolio tea.
Otto Praseret.
Programme da resta do glorioso
Santo Amaro de Jahoalo
Aa 5 horas da manhl de 15 ama salva
ao Bom das barmonieeas pegas da banda
musical da scciedade 15 de Janeiro
annunciar a todos os fiis devotos mora-
dores na cidade de JaboatSo, que che
gado o dia em qae a igreja csthc'V"
lebra com todo o esplendor a festividade
do glorioso Santo Amaro, fiada a qual
entrar urna missa resada em intenso de
todos os fiis que concorreram com suas
esmolas para o maior realce da referida
festa.
As 11 horas da manhl entrar a missa
solemne, sendo celebrante o Rvdm. Dr.
Jas de Olivf.ira Lopes, queimaadc-Ba por
occasiSo do Gloria ama gaiola com
50 diiEas de fogo do ar.
No evangelho oceupar a tribuna sagra
da o eloquente pregador Rvum. vigario
da fregueiia da Graca Dr. Zeferino Fer-
reira Velloso, que lar o panegrico do
milagroso Santo Amaro.
Na missa qae ser a intituladaSanta
LusiaBob a regencia do distincto pro
fessor Sabino de Luoa Freir, tomarlo
parte diversos professores e amadores,
sendo o solos cantados por este, pelo pro-
fessor Daciano da Porciuncula e pelos
amadores Jlo Baptista de Souza, Pedro
do Reg Barretto e Ubaldo Lobo.
O credo do maestro Santos Piotoser
executado pelos meamos profasaorea e
amadores.
Ao assomar tribuna sagrad", o Rvdm.
Dr. Velloso, ser eotoada pela exima e
distincta amadora a Exm.* Sr.* D. Luisa
Medeiros a Ave Maria do maestro Gonau,
sendo acompanhoda a mesma a piano pela
Exm.* Sr." D. Maria Seixas e a orebestra
pelos rUitinctos professores Santiuo Pinto,
Gervasio Castro e pelo amador Jlo Bran-
dSo.
Fio da a festa ser queimada urna salva
especialmente preparada pelo conhecido
Syro'echinico Folix de Meaquita, depois
a qual BubirSo ao ar diversas gyrandolas
de foguetes e um magnifico aerstato pre-
parado tambem especialmente pelo devoto
mente Thomaz Lonreiro.
Dorante o acto tocarSo em coreto es-
pecialmente preparados e situarlos no lar-
go da matr z diversas bandas de msica
sociaes e a do 2o batalhao de infamara.
A tarde ter lugar ne largo da referida
matriz diversos folgares populares, e sa-
rao largado diversos areoBtatos, e as 4
lr2 horas da tarde sahir a solemne pro-
cissSo na qual ser exposto a adoragao dos
fiis as venerandos imagens do glorioso
Santo Amaro, do Archanjo S. Miguel, do
patriarcha S. Joaquim da matriarcha
Sant'Anna, e que percorrer aa pi-inci-l
paes roas da cidade sendo pre ididas da
referidas bandas musicaes.
Reoolhida a procissSo subir a tribuna
o elocuente pregador Revd. Dr. Jos de
Oliveira Lopes, que com a saa palavra f-
cil e flaente exaltar as virtudes do mila-
groso santo.
Te:minado o sermSo sar entoado o T
Deum, este entoado pela Exmo. Sra. D.
Luisa de Medeiro3 o < Salotario Hos-
tia >.
Ajis o Te Deum ser arreado o sagra-
do estandarts do glorioso santo, e em se-
guida queimado i m importante e variado
fogo de artificio, fabricado especial e ca-
prichosamente pelo eximio pyrotechnico
Flix de Mosquita, o qual compor se
de innmeras pecas, sobre-sahindo entre
ellas o enorme e quadraplo painel, pega
de sua iavencao, e que reuue 12 parta
distinctas.
Concluido todo c fogo ser largado um
esplendido bailo, que annuociar a con-
clusao da pomposa testa do glorioso pc-
droeiro da comarca de JaboatSo o excelso
Santo Amaro.
COMMERCIO
Bolsa Cooimorclal de Pernam-
bueo
COTAt,uES 0FFICIAE8 DA JUNTA DOS COR
RETOBES
Pracci d> Recife, 14 de Janeiro de 1893.
Cambio sobre Londres 90 J,'v 13 i/4 d. por if
do Banco.
O presiden e.
Candido C. G. Alcotorado.
O secretario,
Amorim Janior.
Cambio
PRACA DO KKCiFE
Os bancos abriram com a taxa de 13 I/i sobre
Londres a 90 dias, realisando se t.-ansaeges pe-
queas e a ultima hora o mercado manifeeton se
mais (rouxo.
Em papel particular boveram negocios a 13
1/2 e 13 7/16 e ao fechar nao havla letra cima
de 13 3,8.
PBACA DO RIO DE JANEIRO
Os banco3 abriram de manb com as lasas de
131/4 e 13 3/8, e de tarde a 13 1/4 com ten-
dencia para baixa.
Cotaees de genero*
Para o gricultor
ASSUCAR
C-ietalisado...... 6*800 a 7000
Usinas por 10 kilos. ... 4 a 8*000
Branco dem dem .... 6*800 a 84000
Somenos, idem idem. 4*300 44400
Mascavado dem idem 34300 a 34400
Bruto idem idem..... 34200 a 34400
Bruto melado...... 24600 a 247.K)
Rtame idem idem .... 24300 a 24400
Algodo
Constou negocio a 114000 por lo kilos.
Notice
British Episcopal Caurch Establishmens
Pernambuco.
The Annual Ganeral Meetingof Subs-
cribe wl! be hed at the British Oonau-
late on Tauraday the 19.h, iustant at 2
o'cclock p. m.
Recife, 10 January 1893.
A. Cohn
H. B. M's Cnsul.
Gollegio
Onze de A?o?to
A matricula para os qneprelnderem frequen
taras aula.- clesie estabelecimnta esta d aberto
a comecar do da 12 e as aalaa funccionaro do
dia 16 em diante
Sendo limitado o numero de alumnos, previ
ne-se aos Inleressaos de qae possivel nao ba-
ver logar, principalmente no iotprnato; mas, en
tendendo-se com o director, pc-dero, querendo,
ficar com preferencia 4s primeiras vaga?.
E sino de desenho e
pintura
Urna pessoa competentemente habilitada
e som alguma pratica de ensinos cff;re-
ce-se s xmas. familias desta capital
para leceionar deaenho em geral e pin-
tura.
Dirigir carta fechada com as inicites
A. J. nesta typogruphia.
Honorarios mdicos.
Programla
Da grande, composa e radelo
nal festa do glorioso Santo
\u r das Salinas, no sen
proprlo da 15 do corrale.
Sabbado, 14, ao meio da, urna salva, divers s
girndolas de fogo do ar e os barmonloscs song
Ua banda militar do 14" batalhao, unnunciaro
a ve.pera da festa do glorioso Santo Am3ro.
A's 7 boras da tarde u'esje me mo dia, (era
logar a ultima novena, fiada a qual elevar-se-ba
at as nuTens um fca'au feito a capriebo e em se-
guida ser queimado um bem elaborado fogo de
artificio; preenchendo os intervalos a referida
banda de msica, que locar lindas pegos.
Ao a'vcrecer do aimeijaJo dia 15, urna salva
de 21 tiros, aiversas girndolas de fogo do ar e
os sons festivos dus sinos dispertara os hab
tantea do locar, innunciando Ibes que ebega
d ) o grande da destinado pela igrej i caibolica
para se render caito e venerar ao grande mila-
groso Santo Amaro das Salinas.
A's 7 boras da maub, ter lugar orna missa
resada em louvor do mesmo milagroso santo
promeasa feita por um sea fervoroso devoto.
A's 8 Uoras da manb cera celebrada pelo
Rvm. capello padre Leonardo Grego, a missa
do costume.
Teado S. Exc. Rvma. o Sr. D. Joao Esberard,
diguiasimo bispo dio 'es-^oo se dignado aceiUr o
humilde convite da me a regedora desta irman-
dade, para asslstir a sua testa, ao penetrar S.
Exc. na igreja ser recebido pela irmandade
com todas as honras a que Um direilo, entrando
logo apoz a feata que constar de musa so
lame.
Ao Evangelbo assomara a tribuna sagrada pa-
ra faier o panegrico da festividade o distincto
pregador Rvm. padre P.dro da Puriticaco Paes
e Paiva, dissertando sobre a vida e milagrea do
glorioso Santo-Amaro.
A missa do estejado maestro Santos Pinto,
cujos solos sero executados por habis canto
re?, acbando se eccarregado da orchestra o pro
fessor qosso irmo ex juiz Lydio de Oliveira.
Ao terminar a festa fender o? ares um pora
poso aerstato, qoeimando se ama salva e di ver
sas girndolas de fogaetes.
Abrilhautaro o acto da festa, tocando sn'es *<
depois a referida Lauda musical do 14' batalbo
e a banda do Lyceo de Artes e Officios que a i*-
?o obs"qaiosamente se presta.
A's 4 aoras da tirde, no espacio largo da Ch-
plla a scciedade-CvrporaQo Gymuaslica L>ra-
sileira, execatar importantes trabalbos nunca
visto:- e nm esplendido b^zar de prendas estar
expesto a coucarrencia dos romeiros e devoto-1,
cojo p'odotto ter appcaco a mesma festa.
Sero durante tarde largados diversos aers-
tato?, um d.is qaaes de modelo inteiramente no-
vo, cujo elleo ser de abysrxar.
03 iaterfallos sero preenebidos pela banda
de msica j referida e a do distincto C ub Ma
tbias Lima qae tambem digea se de vir abri
Ihaniar a festa com saa presenta.
A's 7 1/2 boras da noite ec-rar-i a ladainba so-
Ifrane de 3 padresa grande orebestra, sendo
preeellda de se'mj pelo msmo orador da fes-
ta. F.ndo o acto divrsas girandobs feaJero os
ares e am cdIIossiI aerstato elevar-se-na no es-
paco.
Em acto conliauado, queimar-se ba um gran-
de e variado fogo de artificio, de pecas iateira
mente novas, feito a capriebo pelo nosso irmao
o artista lympio de Mello.
Por ultimo, e cotuo concluso a toda festa, se
r lirada a baudeira c. m a mesma solemnidade
com que foi basteada, 8^ndo cooduiida procis-
sioni;m'nie por cresciio r.umoro de ditinrttas
senbora8 e guntis creanc-s casadaExma,
juiza da fatura feata, tocando em todo o trajelo
as referida? bandas de muckf.
A Igreja Lcaar-ss-La liadamuale decorada, es-
tando disto encarregade o nosso irmo p.rmador,
Agoslinbo Bezerra.
O grande pateo seri lindamente embandeirado
e a noite cstentar garfiosa illuminacc a giorno
e por outro systema ainla cao adoptado.
Para maior brlbantismo, roga a mfsa Tenedo-
ra aos moradores das roas de Luiz do Reg e
Bom Gj'o, bjm coran do Largo da Capella que
iilu uinem as fachadas de suas casas.
Nao se lem poapade exforcos para que a fes
ta este anno tenba tolo trilaantismo possivel
em honra e louvor do glorioso Santo Amaro, e
para isso e?pera ainda a mesa regedora o valio-
so ruxilio da grande populaco do Recife.
A C mpanbia Ferrj Carril, afim de tornar fa
cil o fati-porte dos fiis romeiros e do publico
em geral-expedir durante todo o dia e a noite
grande numero de csrros.
Ainla no dia 16 p-las 7 horas da manh, era
cumprimento de prouessa que ftz um devoto
baver ama missa cantada ao glorioso Santo
Amaro, sendo celebrante o Revm. Sr. padre Au-
auno Fracklin Moreira da Silva, digno e ncan
avel vigario da Boa Vista dtsta cidade.
Consistorio da irmandade do glorioso Santo
Amaro das Salinas, 12 de Janeiro de 1893.
O escrivi,
Joo Franciscj de Oliveira.
Alsool
Por pipa de 480 litios 2104C00.
Agurdente
Por pipa de 480 litros a 1254 --'JO nominal.
Coaros
Seceos salgados na base de 12 kilos a 570 ris
nominal.
Verdes a 350 ris nominal.
Hel
Por pipa de 480litros 704000 nominal.
Borracha
Cota-ae a 204000 por 15 kilos.
Carnauba
CoU-se de 60W a 114000 por 15 kilos nomi-
nal.
f tBKLUk DAS 1RTUDU OK AMDOAB AL-
flODlo
Mes de Janeiro
Entradas
farcacas
Tai
Estrada de Ferro Central
dem da S. Francisco .
dm di Umoeiro .
tonina
ASBD- Algo-
car dio
Dias Saceos Saccas
i a 12 27522 913
1 a 12
1 a 13 4146 648
1 a 12 6518 744
1 a 13 34909 541
i ail 19991 6141
95086
8987
SxpGrEac.ti'
EXC, 12 D JA.V8IB DR fK'3
raro o exlenor
No vapor ioglez Mojnstoae, para Liver
pool, carregaram :
Casco & Barbosa, 239 sacco3 com 17.9 5 kilos
de assucar mascavado.
B Williams & C, 3,000 sacco3 com 199,500
ki'os de sement de algodo e 5,000 ditos con
375,000 ditos de assucar mascavado.
Medeiros irmo & C, 500 saceos com 35,50)
kilos de assucar mascavado.
P. Vianna & C 1,290 saceos com 86,250 kilos
de assucar mascavado.
No vapor allemSo Cear, para Lisboa,
carregaram :
J. J. da CosU Maia, 1 barril com 120litros de
agurdente e 2 caixis cjm 80 kilos de doce.
M. Lima & C, 20) saccas com l7,593 kilos de
algodo.
Para Bremen, carregou :
V. NeeseB, 52 couro3 seceos 3alga1oi pesan-
do 724 kilos.
No vapor ioglez Trent, para Montevideo,
carregou :
J. Borges, 65 barricas com 7,20) kilos de
assucar branco.
Vara o interior
No vapor nacional Brasil, p.ira Rio da
Janeiro, carregaram :
C. Guimares Janior, 502 voiumes com 30,080
ki os de assacar branco.
Hugo Vasconcellos, 1 sacco com 45 kilos de
assucar branco el barril com 40 litros de alcoii.
J. Borges, 00 sa,:..os com 36 Oto kilos de
assucar branco lO ditos com 24.000 ditos de
dito mascavado.
V. Prannos, 4,000 mangas frucla.
A Ferreira, SO caixas com elixir cabeg di
ne^ro.
L. A. da Costa, 5,000 cocos fructa.
Para Victo-ia. carregaram:
P. Carneiro 4 C, 15sa:cos com 1,125 kilos
de assocar branco e 100 ditos com 7,500 ditos de
dito mascavado.
No vapor nacional Coritiba, para Rio
Grande do Sol, carregaram :
Amorim Irmos & C, 100 saceos com 7/00
kilos de assucar branco.
S. Guimares & C, 100 sacc03 com 7,5.0 kilos
de assucar branco e 50 barricas com 5,650 ditos
de dito mascavado.
Para PeloUs, carregaram :
I. S. Carneiro & C, 503accos com 3,750 kilos
de assacar branco.
Amorim Irmaos & C, 140 .eco; com 10,500
kilos de assucar branco.
Para Porto Alegre, carregaram :
Amorim Irmaos & C, 1,120 saceos com 84,000
kilos de assacar branco.
No vapor nacional Santelmo, para Pono
Alegre, carregaram :
P. Carneiro & C, 1,100 vclomes com 93,160
kilos de assucar branco.
Para Rto de Janeiro, carregaram :
P. Pinto k C, 50 pipas com 23,100 litros de
agurdente.
No vapor nacional Parauyba, para San-
tos, car.egaram :
T. F. Mello, 200 saceos com 12,000 ki'os de
a3sacar branco.
J. Baltar & C, 800 saceos com 48,000 kilos de
assacar branco e 1,100 ditos com 66,000 ditos
de dito mascavado.
No vapor americano Allianca, para Rio
de Janeiro, carregaram :
H. Chavea, 1.000 saceos com 60,000 kilos de
assacar branco e 200 ditos com 12,000 ditos de
dito mascavado.
D. F. t-orto Baltar, 30 pipas com 14,100 litros
de agurdente.
J. L070, 500 saceos com 30,000 kilos de
assacar branco.
No vapor inglez Trent, para Uroguayan-
aa, carregaram ;
Ra do Visconde de Albuquerque
INTEMATO E EXTiRNATO
DIRECTOR
Bacharel Oliotho Vctor
n 33
Vctor.
Aa aulds deste so'legio estarSo abertts do dia 9 do correnta em diante.
A aula mixta infantil continuar a c-u-go da Exma Sra. D. Maria da Gloria
Eslabeleci ment de educado
e de iast?flCo
Fuadado em 1883
LUIZjDA
PELO
C. .
em
BACHBBL
PORTO CARREIR)
Instituto Pemambucano
director
Bach'.rel Virginio Marques G. Leo
63-Ra do HospicioOS
TELEPHONE 570
As aulas deste estabelecimento de inst-uccao
primaria e secundaria reabrir se bao no dia 7
do correle.
Recife, 1 de Janeiro de 1893.
Recebe alumnos internos, aeai-intora
e esteraos.
O servigo lectivo est absrto desJe
dia 7 de Jeneiro.
53Ra Visconle de
maragibe (antiga do Hos
picio)53.
Telepume n> 104
Ja-
Instituto 19 de Abril Elixir ante-febril Cardoso
SEGUNDO A FORMULA
^lanoel Cardoso Junio?
ipprovado em 21 de Margo de 1890 pela inspe
cioria geral da digna junta de hy^iene do Ric
de Janeiro.
Este Elixir de compo3ico toda vegetal pre
arado segando as regras pbarmacetitic? -, acn
teinadas pelos autores modernos e s recouhe-
apacidade scientica tanto no paiz come
;o ee*".'Dgeiro.
Es. j Elixir o producto nao so do grande es
ado as acfiOei paysiologicas das substancie
orno tambem punoiosicas,como tambem c re
faltado cas i nmeasas applicacoes nos diversoc
asos de febie3 de faedo palustre.
A applicac5o tese Eisir aa grande e> i-i n
ie bexigas de 1890 a 48SI mais urna v<.z de-
nonetrea a saa eSBcac.a ; pois no principio dof
primeiros symptomas a bexiga aborta, e em ca
os mais adiantudos a bes.iga passa a ser am<
loenca febril vulgar a presentando pequeas to
i onefasfios que cora a coatinuaco do Elixir de
sapparecem sem todava presentar recelos d
perlgo.
Os multo ittestados publicadcs do Diario d
"ernambuco e Gazeta da Tarde pro7am o qu<
jizemos.
Nos casos de f ravelapresenlando pbeaome.Q03 to au7a7ilnO'
sos que nesta cidade do Recife do
Janeiro poaeo receio causa a febre amarell
oosme eotando o doentc coai vemita preto i
*33gulteocestes ltimos periodos entao n--
. islario a anplicagao eui tita dose, dea
j k taoea acuexa.
Este Elixir ja coonecldo do pair. :"o t de un
glande numero ce digno3 mdicos e.. -n^enta
do para combatar os difiereates iocunak*..: to
ios ellas de carcter febril
Por muito lempo tivemoa occasi&o le faiers
cfjplic5o as febres erjsipeUosaa ecotu
5001 resol lado que ticau:- irados de o al
os effeiios.
Pela pratica chegan-os a conhecer qae ao.
ttaquea ao ieore erropeltosa os erjsipsna
valgamente se diz necussaru> o uso de 10 d-a
o Eiir.
Nos grandes incommoos das senhoras, tuena
~i 'irtarjo, gravidez e nos casos de parto coa fe
i bre de nca resultado moli corto e aegnro e t
DO VAHADOURO N. 34 e:ia" conposicao lio simples qne nao ofere
Directora
Extrnate Pemambu-
cano
4-RA DA IMPERATRIZi
(Io e 2- andares)
Director bacharel Moreira
d3 kiwib
As aulas desde o dia 9.
Sao professores o director e os Drs.
Mcr&es Pinheiro, Antocio QaimaritoB e
JoSo Baptista Lopes de Castro.
primaria a cargo do director.
A aula
FMafi ei Dllnfla
LADEIRA
Brjrttelman A C, 90 barricas com 9,601 kilos
de ii-.-ucar branco.
Nj vapor inglez J W. Tailer, pira Ba-
bia, carregaram :
F. Lemos fcC, 80 lats com 2.710 litios de
oleo vgeia!.
No vapor nacional Jacubipe, para Araca
ty, carregoa :
Compaania de Estira, 33 saceos com farinba
de mandioc?.
Para Cear, carregaram :
P. CarDtiro & C 20 pipis com 12.100 kilos
de graxa.
No biate nacional Correio de Natal*, part
N. tal, carregaram :
M. Smiappe A C, 5 caixas com 100 kilos de
sabio, 3 barricas com 180 ditos de assacar reti
n ;do e 1 dita com 60 ditos de dito branco.
Para Miobiba, carregaram :
i. Salgueiral C, 20 barricas cam 1,200 kilos
de assucar refinado e 5 ditas com 3i0 ditos de
dito branco.
Na barcaca Itojahy, para Parabyba, carre-
kou :
J. Souza, 250 caix38 com 5,750 kilos de sabao
Na barcaca Nazinha, para Parabyba, carre-
garam :
C. Pinto & C 23 caixas com 200 litros de
genebra.
Na barcaji Lindi Ro:t>, para Porto Gil-
vo, carregou :
J Scuza, 6 caixas com 138 kilos de sabao.
Este Collegio de edacecao pira ambos os se-
xos, abri as euis auLs no dia 9 de Jaoewo e
contina a admittir a'umnas e alumnes inter-
nos, meio-penslonistas e externos, mediente
orna mdica penc&o.
A casa em que elle funeciona rene todas as
condig5es bymenicas ; sendo boa a alimentago
que se da aos jovens educandos.
A' par da educao pbysica, a mo'al e a in-
lelleclual est&o a cargo da airec'ora e de uu.'
corpo docente habilitado.
Ensinam se primeiras tetina, iinguas Porta-
gueio, Francezi e Inglczi, Arilhmelica, G o-
graphis, Geomelria, Mucica. P ano, Piabeca e
Ganu.
Sao professo'es das aulas secundarias d'ete
Collegio. os Srs. Drs. Cicero O ion Poregriuo da
Silva e JoSo Baptista Reguera Coala.
Prof-ssora de bordados, a Exraa. Sra. D. Au
gela Go'.ma'aes, e de msica, a Exma. Sra. D.
Mathilde Cerotti, barpista maestra, que ensinara
Canto e Rabeca.
Silva:re, advogado e curador grai dos
orphSoa. Eseriptorio a ra 15 d? Noveit-
bro c 54, 1- andar.
faaia da Alanosla
A 21 DE JANEIRO DB
SBHANA DB 16
A.COOI (litro ......
&iguo em rama (kilo) ....
\rroz com casca & -o) .
Acucar refinado (kilo; .
ascucar branca (silo) .
Assacar maacavao (kuloj .
iagas de mamonas (kiio)
! Jacbasa ...... .
Gouros sececa epc!:aSoj {i i o] .
3ooros seceos salgarlos (kilo) -
jouros verdes (kilo).....
Jarosos de algoJo (kio) .
Jarrapateira (sementes) (kilo)
jac4o Odio) ....
Jal bom (kilo; ......
Jaf rosiolho (kilo).....
Gaf moido (kilo)
Carnauba (cera vegetal) (kilo) .
Cera em velas (kilo).....
Uanna (agurdenle) (lro)
Cal (litro)........
?arinba de mandioca (k'b) r .
Jenebra (litro)......
lraxa (sebo era rama on coado) (kilo)
Folbaa medicinae3 de qualqaer qua-
lidade (kilo) ......
Mel dr ;anque (litro) ....
Milbo (kilo- .
Sement de carnauba (kii ; .
sola (meio) .......
Stearina em velas (kilo) ....
Fatajuba (kilo)......
faboas de amareilo em prancbfjeg
(dula)....... .
18D3
415
666
90
5(0
433
210
100
1 MO-
HO
80
520
335
35
100
IOQ
-1*200
i 4000
iooo
400
640
343
10
60
300
600
200
100
90
60
44400
1*000
40
103*
seguuoa secgo da Aluadega 'ie Pemamboco,
14 i Janeiro de 1893.
O ciefe dasfeceo,
ianoel Antouiao de C. Aranba.
O tiiesoareiro,
Florencro Domnga^i da Silva.
oTlmeato do Porto
Navios entrados no dia 14
Soutbampton e escala-18 dias, vapor iagle:
1 renta, de 1699 toneladas, cox. mandan te W.
B. Milner, equipagem 99, carga varios genera*
a Amorim IrmSoe e C.
Ceare escala6 lias, vapor nacional J.boa'So.
de 391 toneladas, commandante JjSo da Silva
Pereira, eqoipagem 3J, carga varios gneros a
Coinpanbia Pernambacana.
Navios sabidos no mesmo dia
Buenos Ayres e escalaVapor inglez Trent,
commandaote Miloei, irk.rga vanos gneros-
Santos e escalavapor francez Ville de Monte-
tevido commaodante Hmtebert, carga varios
gneros-
Santos e escala-vapor Americano AJliaogs,
commandante W. M. L muer, carga varios g-
neros.
meadlaicntoi pablos
Mal Da jaxbito di 1893
Aijatuuga
Renda gsral
DO da 13 707:8634739
dem de 14 44:493*194
Renda do Estado :
Do dia 13 118:621*919
dem de la 39:4281582
752:388*933
268:060*501
Somma total
1,010.409*434
Mercado Municipal de 8. los
O movimento deste m-rcado no da 13 de
Janeiro foi o seguinte : Entraram
33 bois pesando 4 016 kilos,
1227 kilos de pexe a 20 ri?
5 ditas com camarOes a 100 rs.
12 compart. com mariscos a 100 rs.
i) lagares a 200 rs.
8 sainos a 200 rs.
-3 ditas com feijo a200rg.
47 cargas de fannba a 20 rs.
5 cargas to milbo sec.o a 200 ra.
3 dit;,3 de laranjas a 300 ra
4 (las com I cuca a 300 rs.
ditas com gerim a 300 rs.
1 ditas com fructas diverso' aSOOrs.
2 cassuas com fjaiiinhas a 300 ra.
dit?s de canoa a 300 rf.
44 ditos com verduras a 300 rs.
dita de raacacbeira a 300 rs.
3 dita de batata a 300 rs.
3 dfcas de melancia a 300 rs.
ditas de banana a 300 rs.
64 ditos com feriaba a 400
6 C3rga.i com gallh'ias a EOi ra
30 columnas a 600 rs.
7 co^rr-rtimentos com (rtssaraa
a 601 r.
45 ditos cotn fazends ele. a 600 rs.
30 ditos de comidas a 700 rs.
II ditos de soineiros a 1*
9 ditos a 7 0 rs.
41 tainos a M0O0
ireeio de applicaro Elixir a-'ai mesmo em Jo.
sapericres as indiadas oa tabella nfrx.
Pedalos os dJgnlssiajw clicos que d-e;.
eai faz-T uso deste Elixir em sua dioica nao w
injeitarem a cossa prascripc&o, ruis sirra fazer.
ppcaco em bcrmoola com os casc.3 que des-.1
aarem combater, certos de que o medicamento <
fe eomoosicao incesete para o organismo po
sais (ragtl que ;
jalado de asar
A's criancas at um anno 10 gotas de 2 em S
ora? em urna cotbe.- das de sopa cheia fago
'ria.
De um anno a tres 15 ^oUs.
Da 3 a 50 ansoa em diaate, 40 gottaa oto.
Esis dosea deven sempre ser apihcadas ea
Depolta
Coipauhii. de Drogas a Productos Cb'.aji-.u,
'tecife, roa do Ui.-roez de Olinda n. 23.
Nacioaa! Ptaarmacu", roa Larga do Rosarh
a. 35.
Pa.macU Oriental, raa Etreit do Rosa
i. i
Pnarmacia Alfredo Ferreira, ra- do Daro i.
Victoria a. 14.
Paarmacia Marlias, ra Duque de Caxus c
4S.
Pharm.cia Ribeiro praea Micie! Pinbeiro 22
Para /jiqaer info. raatao sera encontrado t
aater na ra ci Rosario Estreita a. 17.
Os nosioa frascos 3o quadrados e cont? go-
as. N'uia lado teem grava JoElixir ante febri
a no oatroManoel CardosoPernambuco, e to
dos os prospectos sao asignados por Manoe
Cardoso Jnior, s-^ndo falsos os que nao orcrx
assignados.
N. 139
Amih* i Sr. Manoel Cardse.
Recife. 7 de Agesto de 1891.
Estimo a sua presada sade.
F*l tu ria viesse por meio desta carta agradecer lhe o be-
neficio jue auaba de fazer me, livrando dos
garras da morte o meu filbo Florismundo, de 12
annos de idade, o qaal acbando-se prostr do no
cito da cama, com ama grande febre qae d'elle
nao se s< para va ba mais de quatro dias, j tend^
esgotado o qae poda fazer em remedios, tade
me era bldalo, aguardando nicamente a ora
prxima da morte ; ento kmbrei me do ten
conceitoado anti febril, que tcm salvado inno
meras pessoas, e immediatamente Ibe escrevi
pediodo qae u 3 mandasse urna dse, a qual
veio, e tratei de applicar conforme marca o sec
jeceitaario. Na segunda dse elle j nao va-
riava, na quarta a febf" j diminuir, e a cor
com que elle se acbav, qq&si rOxa, apresentava
se como indo para ama Clara. Na sexta dse
deaappareceu, apresentaedo-se nesse mesmo dia
as 8 iioras ; lenlo-se ti uta Jo o reonedio man
novamente bascar e continuei a applicar-lbe, t
(boje acba-sb ea filbo restabelecido, devido
aiKlo' nicamente ao se. Vneflco elixir.
ffflt I Peco Ibe qae aceite de mim e dos meus ttlbos
l*20o'0i me03 Bmcer08 protestos de estima e consite-
QJ2001 ajo, pelo beneficio que acaba de fazer me con
1*6o' sea e,ixr> salvando o dito meu filho.
No rnaie sorj
De Vmc. migo e criado,
Joaquim Juvencio de Almeida.
6C0;
9*100
10U)
900
1*200]
* i
*300
*G00
*
13J20C
*
*900
*900
*
25*600
3*0*0
18*300
4*200
270 C
2i*(X0
1*000
6*300
8*0OC^
Rendimeoto do dia 1 a 12
264*140
2.997*920
3.262*360
Presos do dia:
Carne verde de 40) a 723 ,-l* 0 kilo.
Suinos de 640 a 800 ris idem.
Carneiro de800 a I* ria idem.
Farinba de 400 a 480 res idem
Milho de 600 a 660 ris idemt
Bmlo de i* a 1*200 dnm
Vapor.? a esii?*?
Muz de Janeiro.
Sul.......... Una.............. 16
Sul.......... Tamar............. 16
Norte....... Kofe.............. 16
Sul........ Ma anhao......... 16
Norte....... Satcllite........... 16
Europa....... Ortegal............ 20
Norte....... Espirito Santo..... 20
Europa....... Scholar........... Si
Norte........ Olinda........... 26
Sal.......... S.Salcador........ 30
CurjO primario e se-
cundar.o
O professor Jos de Sooza Cordero SimOes,
avisa aos pas de etrus alumnos e ao publico em
geral que as aulas do seu corso piimario e se
cundano, sito no pateo do Carmo n. 26, abrir
se-ho no dia 9 do corrate.
Recife, 1 de Ja eiro de 1893.
Aula particular
A pr-.fee3ora Anua Theodora Simes avisa aos
pas de suas alumnas e ao publioo em ({eral,
que a saa sola particular sita no pateo do Carmo
o. 26 andar, abrir-se-a nc d;a 9 do cor
rente.
Recife, 1 de Juneiro de 1893.
Dentista
O Dr. Osear Leal forma-
do pelas ? acuidades de Pais,
Lisboa e Bahis, recentemente
chegado da Europa, abri o seu
gabinete ra do BarSo da
Victoria n. 37.
Dentaduraa com e sem cha-
pa, systema do Dr. Cleosier.
ObturacSo e ourificacoes garan-
tidas.
Extractes gratis aos po-
bres.
{}
Pbilomeno Ray Dundo Nunes de Lima, pro-
fessor pela E;ola Normal deste Estado, offere-
ce se uo s para habilitar tarde em casas
particulares pesroas qua se queiram matricular
no anno vindouro m, I istituto Benjamn Cons-
Unt, como tamb m para leocionar noite na
casa de sua residencia, garantindo ensinar a
qualquer analpbabeto as'gnar-8e no corto espa-
S0 de am mez, mediante um ajuste previo e mais
augmentado para quem quzer tao rpido adian-
tamento.
O referido professor s.ira encontrado na casa
onde funeciona sua escola, a roa do Visionde ds
Suissuna n. 211.
Curso
DE
NOYEMBRO A FEVEREIRO
Ceographia e H stona
PELO
Bacharel Julio Pires Ferreira
KO
Edificio do Instituto 19 de
Abril
lia cuju
Scientes da offerta de 123:000lo00 i
outra de 150:003^003 pelo espolio c
Marcelino Glen^alves de Azevodo ; prevt-
nim;3 rcs compraderas, vendedores e
tercas.-dos ueste negocio : o oesm.. (81
io est em litigio com oa abaixo usiel
dos
Recife, 5 do Dezembro de 1892.
/Sanios & C.
----------------6e!-----------
Minha Esperaa^
Felicito meu especial sorgo Aitin'-O
Francisco da Cnw, pola ptima aosai^le
de seas bona ci/arros, d3i:omDaf>-
Mi'.ha Esperanza, bem acoiit)3 e p-esu-
d i t em Locdres, d'on e te rt ia-io
i.'coiximecdas por seus apreoia-vOres j
Moa especial amigo deve estar sarJafei-
:io com o resultado dos sous esif r$os
sm acreditsr seus bon cigarros o temar
!* i-n conhecido no esiiangeiro u-ra pro-
ioeto da nossa patris.
parabens plo resultado obtid .
Vlcnoel Francisco de Barros tOO.
EDITAES
O Dr. Sigismundo Antonio G>r .slves,
juiz d- direito do ccmmereio da cridado
do Recite, capital do Estado de P*r
nambuco, etc., etc.
Feco saber aos que o presente cdital
virem, ou delle noticia tivem qae
por este juizo correm uros lutos de
execujo de sentenca, em die sSo
partea como exeqjente viuva d> Manoel
Francisco Marque3 & Filhos, e e^ceiitodos
Johnston Pater A C e tendo-se por forja
da mesma execuejo feita penhoranaquac-
t:a de 7.166^831 rea em dinhtiro per-
tencente acs executados, pelo pacurador
dos exequentea foi teito em aaeaoia o
requerimento cons'au'e do termr s'guin-
te : requerrmer.t) em sudienm.
Aob 12 de Janeiro de 1893 sto. cida-
de do Recife, em audiencia quejaos e tos
e partes dava o Dr. Sigismunrol Antonio
(longalves^ jui de direito do mmarcio,
oommigo e-crvo interino de si caigo, e
solicitador Jlo Caeano de |b:eo por
parte da viuva de Manos! Fraiisco Mar-
ques & Filh)3 aocasou a pefic-ra feita
era dioheiro pertoncente aoa
seus devedores, J :hnstan Pat
requeren qua antes ficasse
ect'.Udcs,
& C. e
&83igliad0B
virero com
dius aos
Bob pr. gao os G dio3 d.i lei pa
os embargos qua tiverem e 1
crsdores insertos dos executalos, prmsan
do-se quacto antes os competentes editaos
pena de langamento.
Sendo apregoados compjrecram os
executados por seu procurado Alxaodre
Americo de Caldas Pndilha apedio vista
dos autos, sendo lhe esta cotcodida pelo
juiz.
' o que fis este termo extrahido do re-
querimento lancads no meu protocollo de
audiencias. Eu Antooio Augusto da Fro-
ta Menezes, escrivlo interino o escrevi.
Em virtude do dito reqaeriuento man-
dei passar o presente edital pelo thaor
do qual chamo, cito e hei por mimados a
todos 03 credorea incertos dos xecutados
ditos Johnston Pater & U pan q-oe no
praso de 10 dias comparecam an;o este
juizo requerendo e allegando ta'io o que
tor a bam de seus direitos e j .stig.-. sob
pena de lancamento.
E para que ebegue ao conliscimecto de
todos o p eaente odital que vai por mim
assignado, ser publico pela impreaaa e
affixado no lugar do costua e.
Dado e passado nesta cidade do Rec'e,
aos 13 de Jane.ro de 1893.
Paga este de sello 500 res e 500 reis
do emolumentes pela assignatura.
t a Antonio Augusto da Frcta Menezes
eecrivlo interino o escrevi.
Sigismundo Antonio Gon:j'v .
O Dr. Jos Juhlo R<-gueira Pinto .e
Souza, juiz do direito dos faltas da
fazecd8 do Estado d) Penuuabuoo, em
virudo da le etc. etc.
Fago saber aos que o presente cdital vi-
rem ou delle noticia tiverem que no dia
20 do correute linda a audiencia d' juite
irlo a >rac por venda a qacm ma s dtr
e servindo de basa a ultima ootcBo da
praea es bens saguintea : 101 apoliees ca
Estrada de Ferro do Ribeirlo f,o Bonito
de numero 1S20 a 1921 no vr1?:- do
1005000 cada urna, 130 apohc3 da msx-
ma Estrada de Ferro de Riboirao a o Be-
nito do numoro3 1921 a 19^0 e de n-
meros 1441 a 1510 tambem no valor de
lQOfiOCO cada urna, dez accoes di C;m-
paohia do Brbaribo de nmeros 10236 a
10265 no vlor de 1QO0GCO cada urna,
25 acedos e, G'ompahi da Triihos Ur-
banos de Olinda de numoros 622, 623f
624, 629, 630, 633, 634, 688, 689, 690,
691, 1683, 1684, 1685, 1646, 1687,
16^8, 1689, 1690, 1691 e 1692, 1928,
1929 e 1930 aa valor de 2:0rJOOO cada
ama, 10 apoliees da divida estadual de
numero 2801 a 2810 no valor da 1:'J00#
cada urna, aojos beas ira virtuda iv exe
cuglo da foseada foraai penborados ao Dr.
Prxedes Qomis da Souza Pitanga e Jalo
Luis dos Santos na qualidade de adorss
do ex-thesonreiro do Thesouro do Estado,
Irinea Coelbo da Silva e se achara reco-
midos ao cofre do mesmo Thssouro e a
cargo do aotaal thosoureiro Antoaio Igaa-
cio do Rsgo Mtedeir03.
E para qae ebegae ao conbecimeato do
I
f
.J
i


.%
m -
\
m*
1
1
-wc-

~ '' t *
J**-.




\
s
Diario de Pernamboco Domingo 15 le Janeiro de 189^
!TWW
iodos mande! pasear o presente edital que
ser pnbeado pela imprensa e effiaado
no logar do costume, outro fio igual
theor.
Dado e passado nesa cidade do Raoife,
capital do Pornambaco, 14 da Janeiro de
1893.
Subscrevo e asasno Eu Alfredo Dia-
mantillo de Torres Bandiiro, escrivSo in-
terino.
Becfe, 14 de Janeiro de 1893.
Jos Juhoo R. Pinto deSouza.
O Dr. Tobiaa Gabriel de Oliveira, jais
substituto do teroeiro diatricto criminal
com jurisdiccjio oivel na trcguezia de
S. Jobo, ein virtude da lei e'.c.
Fagj saber eos que virem o presente
ediUl de 10 diaa do pregcies e 3 de pr 5a
qua pjr este jaizo te-a de ser arrcm--
ti-o por quem maia dor na audiencia que
se '-ff-ctuar no da 23 do correcto so
ai > dia na tala dos auditorios ra 15
do Novcmbr-, 03 scgaiutea bens peuhora-
do-! a Antonio Fra*.cieo Reguair* Duarte
por execucSo c.".o i .; aove Joaquina
Eiuardo FeTeir^, se;.d) :
'Jai sota, dea Cid.i.-.* le g -rmc^.-,
duss d tu de bragO', doua coaso.oa ludo
de Jacaranda e.m boai estado do g- at-> an-
tigo, dois pares de ia-j'.-.r a<.3 com HSticaes
o 1 vidro, um candi;; iro pur.i gas com glo
D3 i chamic d: vidro 3 cicco qu-dros
<: .j molduras djurad-;s, tudo avuldo
em 120CC0.
. para que chage ao Cvnheoi ment de
a, mandoi .assar o presente edita',
qce BO' publicado pela imprensa e affi-
x.Ij no logar do coitumc pelo porttiro
Otate jniaj, poesando este a respectiva
idSo.
Dado o passado acsta freguesa de b.
Jus los 11 d>9 do mea do Jareiro da
3
. j Miguel Arcbanjo Beaerrn de Me-
c:-:s, escnvao o escrevi.
labias Qa riel de Oliveira.
Municipio ce
EDITAL
Oinda
i prosrnle foco ccnsiar a quem iGtere3-ar
. que rm virlufc de lei municipal, sao d-
je adaa do mp<8to de dcima (dez e nwio pr
c ^ o inclusive o addicionaes) aecasas ituadus
Bt :: unt o determinado no orgaen-o vigen
te 1e aendo as nicas possuidas por secs do-
n-'-. rao tmham mas d* sis metro; de frente e
de fun-lo ; do de 3*000 todas as de palha
qu.; tcdo Urub^ui as uui'-as possuidas por seus
Conos rtj :e!n:'.do jeti-cetro, seja por eiles ba-
bieca ; que i ssosujr.las ao do 5,'. sobre o
i!a renda os que ticando fra deile seja de
-1. e oem Q8i ij que tioam enjertas ao
.0 de 8*000 as quitandas situadas as pro-
ji::;Jaues do merci.do e ao de 5*CO0 os merca
je ,. rirbulinies dr peixequandoestiver cm
o o .tiendo estabtleciaento.
i>',>f. itura Mancipa! de O'.inda, 13 da Janeiro
te 1893. m
O prefeito,
Jos C. da Silva Pessoa.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector do
Th.'sruro lago publico a quem intereeaar
po^c, que do Io do*mez de Fevereiro em
diante es pagamentos por folbas effectua
des nesta re>artis2o aerSo re^uladoa pola
ordem indicada na tabella infra, e appro-
vida por S. Exc. o Sr. governador do
Ectado.
Tabaila de ordem do pagamento de ven
c.mcntr s feitos por meio de folhaa
Numero de ordem :
1.a Governador e eecrdtario.
Porga publica.
Thescuro.
Secretaria do Goverro.
2.Superior Tribunal de JuBtica e
magistrados da capital.
Casa de Detenc3o.
Qaeetura Po'ijial.
3."Recebed-ria.
Emprega'os do juizo.
Repsrt c3o das U.rs Publicas.
4 Secretari* da IastruccSo Publica.
Bibliotheca.
JuDta Commercial.
Inapectoria de Hygiene Publ'ci.
5. Ssc-ctana do Congreeao e Iuatitu-
to Benjamiu Con8tant.
0. PesBO&l inactivo.
7.-M'gistrados do m'.erior.
3.Profeasoras de 3a entrancia.
Escolas nocturnas.
-J.oProfeeaorcs de 3a onlroncia.
10.Proeaacrea de a entrais.
11.ProfesBoras de 2a entre 1 cia.
13Profesaores de Ia entrar cia.
13.Professoras do Ia entrancia.
Observa 5I0
Os pagamentos serSo effectuadoe de ac-
cordo com as ferjaa do cofre na ordem
indicada na presente tabella, que s pode-
r ser alterada per determinagSo suprior.
Secretaria do Thesouro do Estado de
Percambuco, 11 do Janeiro da 1893.
S-:rviu'!o t^e b^crctario,
Joaqun Luc lo da Segutira VarejaO
Faculdade de Direi^o
De o-dera t'o Sr. Dr. director e de
>!>:dfi com o offijio n. 872 da se-
crotara do Estado da N .' la era 31 de Mag) do anco pro
x ao passado, ^50 publico que fioa aber-
ta n'esta secretaria, .' o '* 21 do cor-
r nte s 2 horas da tarde, a aoacurre-
jara o forcec:.mento dos olj-:ctos ibai-
r r.scriptos para o expediente do 1'
aeraerire do Janeiro Junho viodouro.
As pebaoas quo prctederem contractar,
deverSo apresentar propostts em cartas
tecbadea e competentemente selladas, at
referido dia 21 de Janeiro.
Nesta secretaria se daro aa informa
fojs e eaclareeimentoa da que precisaren)
os concurrentes
Secreter3 d* Facaldade de Dire;to do
R e f:, 9 ds Janeiro do 1893.
Relago dos objectos de quu trata o edi-
tal supva
pe braaco para offierbs, timbrado,
resma.
Dita branco iogles de linho paia offi-
oio, resma.
Dito rosado para cffijio, timbrado,
resma.
Dita rosado para portaras, reama.
Dito almaco pautado ioglez, resma.
Dito miniatro, timbrado, para cartas,
uaixa.
Enveloppes, timbrad-s, caixa._
Ditos pequeos para cartas, caixa.
Ditos pequeos para cartas, do linho,
aaixa.
Enveloppes, caixa.
Papel timbrado para telegrammas
oento.
Dito mVa-borrao branco ou rosado,
folha.
Enveloppes timbrado) p.ara offioios,
cento.
Ditoa timbrados para cfScios, sacco,
cento.
Ditoa timbrados para ofiicio, folio,
oento.
Ditos quadredos para cartas, cento.
Lapis preto de A. W. Faber, e Joham
Fabre n. 1 a 4, duaia.
Ditos pretos de Joham Faber, cabe$a
de usao, duzia.
Ditos pretos de Joham Faber, cabeca
do metal, duaia.
D tos preto de Joham Faber, cabeca de
borracha, dusia.
Ditoa pretos da Joham Fber, cabtja
de Raphael n. 1 a 3, dusia.
Ditos actogonoa tzul e eccarc*dos W.
F. e J. F,, duzia.
Ditoa rolijoa azul e fcocaroaio3, sum.
duzia.
DIo da borracha J. Faber. um.
Tabletas de borracha J. Faber, peque-
no, um.
D to de borracha J. Faber; graode
um.
''anotas de varias qualidades, d-eia.
R^spadeiras, ctbo de osso, marfim e
eb:.:.o, urna.
Brabante sores aortidas, novall^.
Dito pardo fino e grosao, noveilo.
Leer encarnado, pao.
Uaoipainaas de metal, urna.
T;ateiroa da vidros sortidj3, us.
Ditos ordinarios, am.
Caivetes, um.
Regoas, urna.
Tinta B. Biach para escaver, boiSo,
litro.
Dita B. Blach para escraver, frasco,
litro.
Dita preta An:oine Teles, boiao, litro.
Dita carmn fina, fraseo.
Dita azul, prata e oacarada para B-
nete, fiasco.
Pastas de varias qualidades, urna.
Esptulas da osso, urna.
Peonas da ajo de varias qualidades,
caixa.
Gomma arbica liquida, frasee.
Descanso de metal para caetas, um
Mata-borrSo cyhndro um.
Tympanos de molla, um.
O subse;retano,
J. Telesphoro da Silva Fragoso.
Companhia Fabrica
de Estopa
Os accioastas sao [coa
vidados a fazerei at o
dia 15 dejFevereiro, a ul-
rima eotrada de 10 Y so-
bre o cap "tal, ou 20$000
por accak) no liando de
Pernambuco, ficando as
cautelas promptas pata este
fim, no dia 90 do cor-
rete.
Recite, 14 de Janeiro
de 1893.
Thomaz C. Grifith,
Director secretario.
PRADO
PEMAMBUCANO
Banco de Pernam-
buco
A contar do dia 1- da Janeiro da 1893
e Banco de Pernambuco abona juros em
conta correte de movimento a rasao da
2 *|. ao anno, at segundo aviso.
Reoife 22 de Dezembro de 1892.
William 11. Webster.
Director gerente.
Estrada de Ferro Central de
Pernambuco
EDITAL
De ordem do Illm. Sr. Pr. direct-r eogenhei-
ro ebero. fajo publico que do dia 6 a 15 do correte
mez, h?.ver um trem extraordinario, qu^ par
ttndo deata cidade para a de Jabuu'.o tu 6 boras
e ib' minutoa da tarde, dalli voltar s 8 horas
e 45 minutos da noite. excepto do da 15, qne
dcqcellt cidade voltar s 9 i/2 horas da coite.
Aleus de3se trem baer um outro de Victoria
paraJaboato as 8 boras da manbS, voltando
i>ara Victoria s iO horas da noite
Sec-ctaria a Estrada rie F*rro Central de Per
nsm ?a '0, S de Janeiro d-. 1843.
0 aecretrio,
Julio Geiar Cavalcante de AibDq^.rqoe.
Becife Drainage
A companhia faz publico para conhecfmento
dosinteressados, que collocou no rajz de Dezem
oro proxiuuo lindo, os apparelhos abaixo deca
rados:
Recifn
Caes di Compacaia u. 4, apparclbo n. 8,113,
BOlo.
Caes do Apolb j. 75, cppsrelho a. 8,113, pri-
meiro au.lar.
S Jas
Bu* do Padre Nobre^a 3. 93, appartloo n
5,790, caca terrea.
Estacao de Caruar appareibo3 na. 5.791,
5,79, r.,?93, 5.794, 5.795, 5.796, 5,797.
Recite, i de Jmi .-o de 1593
J F. Mackintosb,
Gerente.
DerbyGInbde ?er-
nambuco
A arectOMi do Derby Club em sesso de hon
:em resolveu mollar os jock^ya Olymp o e Deo-
liado em U04 satis um, de conformidaJe com
os arta. 49 e 63, por faltas commeiidas na corr
da de 8 de J*eiro, pelo juii de partida ; foi
iarcbem mltalo ;-m 5') o jockey Jo&o Campos
pjr partidas falsas dadas no aetmo pareo da
mesma corrida.
Secretarla do Derby Club de Perno.^uco, 13
de Janeiro de 1893.O secretario,
Rt (.e Udeiros.
FROJECTO M DSORIPCAO
1 Ia corrida a realizar se no dia 22
?de Janeiro de 1893
Consola^o 800 metros. Auimaes de Perjambuco que n2c
tenbam ganho premios noa prades do Recile, at o dia do encerra-
manto da inEcnpgSo. pbemios : 200|JOOO ao primeiro, 40|J000 ao
segundo e OiSOOO ne terceirr.
- Estimulo 800 rae'ros. Animaes de Pernambuco que nBo te-
nhata ganho premio eim 1892. PRBMIOS : 200fCO0 ac primeiro, 40^000
ao segundo e 20(5(00 ao terceiro.
Ilarmoola 1.100 metros. Animaes pungas e de Per PBBatKM : 250tJ0C0 ao primeiro, 50)J0C0 ao segundo e 25,5000 ac
teroejto.
B^xpcrleacla 9^0 metros. Aaimes do Pernambuco q ;o dSo
tenham ganho em distancia superior do 1.050 metros em 1892.
o ecura detta avado. 'Psemios : 2005C0O ao prime ro, 40if000 ao
segundo e 204000 aotercoiro.
Progresso 1.500 cetros. Animaes pungas o pelludos. pbk
mos : 500^003 ao primeiro, 60(5000 ao segando e 305000 ao ter-
ceiro.
Ferro arrll1.450 metrosHANDOAPAnimaes naccnaea e
estriingcircs de prkm t S : 100^000 ao primeiro 80-5000 ac segundo
e 400000 ac terceiro.
Imprensa- 1.050 metrosAnimaes de Pernambuco. pbemios
25000& ao primeiro, 50)5000 ao segundo e 250000 ao terceiro.
Inicio 800 cetros. Animaes de Pernambuco que no teham
gacho premies. PREMIOS : 2080000-ao primeiro, 400000 ao segundo e
200000 ao terceiro.
Observaces
De accordo com o art. 5\ do cdigo de corridas, nSo poerSo sei
inscriptos no pareo Estimulo o snimal Maranguape no parco Harmona os animaec
Bonina, Attlanto, Potropolis, Doaradilho e Dspota 2', do pareo Experiencia os ani
roaes Pigmeu, Maranguape e Dublin, no pareo Progresso os animaes Attlante e
Pttropolis, no pareo Imj>rei.ta o animal Piramon. e no pareo Inicio os animaes
Haguct e Triumpho. No parco Farro Carril Sciroco, Pandego Seabresa, Effile eGpsy
No pareo Haodcp o peso de 50 a 60 kilos.
A iflscripcao encerrar-se-ha terg-* feira 17 do correte as 6 hora dt
tarde na secretaria do Prado Pernsmbucaao ra da Impei-atriz n. 26, 1' andar.
Secretaria do Prado Pernambuoano, 12 de Janeiro de 1893.
SERVINDO DE SECRETARIO,
Jos Gomes Ganches.
Para a
1. PAREO-
2 o PAREO -
3 o PAREO-
4." PAREO
. PAREO-
6 PAREO
7. PARO-
8 o PAREO
Coinp
^ arihTa d Triihos Ur-
banos do Recite a Ol oda
e Bebi?:be.
Assembla (eral Ordinaria
Autorisado pelo Sr. presidente da se-
sembia geral, convoco os Srs. accionis
tas a so recnirem para reas-l-a no dia
20 do corrente. afim de preciarem o pa-
recer de uommuso de contaa o o reieto
rio da directora.
Rscife, 9 do Janeiro de 1893.
O gerente,
A. Pereira SimCes.
Ihe couberam, at ao dia 30 de Janeiro
prximo.
C nforme resolveu a m-aca assemblet
geral, ficam sem diieitosacoces deste
augmento de capital os accionistas que
nao realisarem l.aen'rada no praso ci-
ma indicado.
Eacriptorio da 'Jompanhia em Macei,
30 de i eaembao de ?892.
Os directores.
J. A. Teixira Baeto.
Propicio P. Barretto.
Idelfonso L. F. d'Omena.
Banco do Bra-

Companhia Triihos Urba-
no* do Recife a Oinda
e Beberibe.
Ssgate de M$i s, jv*M di-
Avisa-se aoa Srs. accionistas que desde
o dia 1 estao sendo pegos os juros dan ae-
c5ea preferenciaeB e obrigi^Seo. que aa
accSes pr< ferenciaes de ns. 101 a 108,
124 a 126, 129 a 142 nSo vencerSo juros
ueste semestre porque s3o chamados e
resgate, que se effectuar naa tercas e
saboados, e que do da 17 at o dia 2i,
das 10 horas ao meio cia quando ee farSo
todos os pagamentos pagar.se ba no es-
criptorio da companhia o 36 dividendo
a razao de 6 (0; sendo depois deste pra-
so feitos os pagamentos as tercas o Bab-
eados que forem dias uteis.
Recife, 9 de Janeiro de 1893.
O gerente,
A. Pereira Simoes.
MMPAMT4 ~
Industria de chapeos
Juros da ebrigajoea
No escriptorio da companhia rna fitqn i
de Olinda n. 19, paga Ba > coopoa
da feus mulos da odir>c>} e r. .vj ao ti
tre uao hoje.
Recife, o ct Dfsecbro de (892.
jo: Cu m i GiQCee,
TnPHonreiro.
Companhia
Exportadora de Acool e apar-
tiente
Tereeira chamada
i-'or deliberago da diractoria derla coapu
a5o convidaucs es senoored accionistas a reali-
sarem a tereeira entrad; oo capi'.al t r:2o ce
5 0/0 ou 5#000 por a^-lo. at 15 de Janeiro oro
ximo vindoaro, das 10 horas da reauhi s 3 d-
tarde. na-ra cova de Sacia Rita o. 57.
Recite, l'i de Dezembro de 1892.
Jos Joaquina da (os'a Maia,
_________________President.e________
Companhia Aiagoana Fia^o e
Tecidos
Augmento de capital
A directora d'. eta companhia aviar, ^os
Srs. accionistas da pra^a do R-jc'.j que
em sessSo extraordinaria de C83embla
geral da 29 do crrante foi votr.do o aug-
mento do capital na import^uaia de rs.
250:000, destribuido por todos nietas us raaao de 50 pi sebre o cap'tai
que cada uui possue; e, de conformiude
com a resolu9o da mesma aeaembla,
pede acs Srs. pcoionistcs o obsequio do
realiiar no Banco de Pernambuco a 1.a
entrada de 40 ,0 do valor ds aoc5es que
Z
Pagase o dividendo das
ac de 12^000 pelas de pri-
meira serie e 6$00 pe-
las de segunda serie a ra
do Commercio n. 6, l*,
andar, ecriptorio de Pe-
rei-a Carneiro k C.
Recife, 9 de Janeiro de
1893.
Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife
De ordem da Illm.a junta administrati-
va desta Santa Casa fa9a sciente aoa pos
buidorea do terrenoa foreiro Santa Caaa,
constante da relelo infra, que no dia 3
de Fevereiro prximo futuro termina o
praso de 60 dias qua Ihes foi concedido
para virem sr.ldar os seus dbitos e que
n2o faxendo proceder se-ha a cobranca ju-
dicialmente.
Secretaria da Santa dea ie Miseri-
cordia do Recife, II de Janeiro de^l892.
O eacrivao.
Tos Honorio B. de Menezet.
RSLACAO
Roa doe Gui.raraue*
iros ii-.: J.e J.:c.-:iraa Tatso.
el Lua d.. S;!^'i Looreirc.
Ra dc8 Peseaderea
Si ieiroa de Jo3o Ignacio do Rg;.
Ra de anta Rita
Manool Ferreira Pinto,
li mandado de Seoh. r 8om Jeaas
P^acdorei.
Maric Antonia da z.
Jote Joaqoim do quita.
aial
Hordoircs de Jaro;,y.no Luis da Ooatf.
Taroartnoira
Jeronyma QebASviao da Carvalbo.
/ gaa- Fria
Antonio Coidairo de Uarvali.o.
ros de Henrique Gibsoc.
Herderoa da Frcncisco Joe da Costa.
Herdeiros de Mr. Muniz Tavf.res.
do
HIPPODROMO
no
CAMPOeSANDE
I
QUE SE REALIZARA' NO
o de Janeiro de 1893
Pe!! os
1
Katnra 9
lid. * 1

------------- ----1-
Cor da vesti-
menta
Pruprlelaei
!. pareo15 de Janeiro800 metrosAnimaes de Pernambuco qae nao tenham ganbo pn-
meiroa e gpgundos premios nos prados do tkc;te. Premios : 200O)0 ao !., 405000 a
2.' e 2CC00 ao 2..
i.Trelcso......
2 Cuete........
3 Rolo.........
4 Tartufo.......
5 Batinga.......
6 oric......
7Mnor.......
8 Tontea......
9 Turim.......
10 Ilutar......
ii.Seguranci...
Rodado
Castanuo...
Alazo......
Rodado.....
Russo......
Baio......
Rod. verm..
fampo......
flodado.....
Gastaatio...
iPernamb.. ol
ol
51
ai
31
51
ol
c 51
1 51
c 51
51
Greaat e azul......
Verde e encarnado.
Amarello e rozo..
Azul e preto......
Encarnado e preto.
Azul e ouro......
Eacarn. e preto
Grenat eourj......
Branco e azul......
Azule branco......
E. M. Ferreira.
Goud. Pombal.
Garios.
J. X. da Silva.
Goud. Nacional.
Ludgar M. P.
Goud. Mouriscana.
Goud. 24 de Agosto.
M. J. Mar'-ins.
Dantas.
Goud. Bo'.a Fgo.
2o pareoPrado Pernambncano 950 metrosAnimaes de Piroambuco. Premio3 : 200
ao i.', 4000O ao 2.' e 20*000 ao 3.
Piryiampo.
Tuao- ...
Oublin....
Pigoiej...
Tordilbo.
Balo.....
Rodado..
Zaino....
Peraamb.. 31
53
51
51
Grenat e azul.....
Verde e amarello.
a
Ouro e preto.....
J. F. Ferreira.
J. Moraes.
Azevedo & G.
A. M. A.
3. Pareo Anlmacao-1300 metrosAnimaes de Pflrnarabuco que nao tenham gmbo em dis-
tancia Buperlor a 800 metros em 1892. f ramios. 30JS0O0 ao i., 60/000 aa 2.', 30003
ao e 30000 ao jockey vencedor ai nio incorrer as penalidades.
Pontable..... 5
Malange..... 0
Ruy Bl9,ex
Mirante.... S
Trinmpbo... 5
Pensamaotj.. 5
Scepticismo.. 5
Gatuno....... 5
Gamponez... 8
Castanho
Russo....
Gastanbo
Baio.....
Alazao...
Castanho.
Rodado.
Baio.....
Pernamb..

51
30
50
50
50
50
so
50
Verdee amarello.....
Azul e encarnado....
Roxo e amarello
Encarnado e preto...
Encar. preto e ouro.
Ouro e pre'o.........
Amarello............
Rosa e branco........
M. L M. Jnior.
;cul, 24 de Maio.
V!. da S. Maia.
Goud. Arrayal.
J. N. F. Gomes.
A. M. A.
H. Lemos.
G. V.
4.PareoDerby Club900 metrosAnimaes de Pernambuco.
i." 40*000 ao 2. e 20OOO ao terceiro
Premios : 200*000 ao
Tudo..
Frontn ..
Berlim...
Mou^-o...
Vivaz
Pharizeu-
Regente .
Baio........
Russn......
Cachito......
Alazo......
Castanho -.
Alazao
Pernamb.
56
51
53
51
55
31
53
Verde e amarello----
Encarnadoe branco..
Encarnado e preto ...
Ouro e nzu!...........
Ene. e azul.........
Preto e ouro.........
J. Moraes.
P. Goimares-
Idem.
Coud Mouriscana.
Dr. J. C. doR. Barros.
R. C.
A. M. A.
5.* Pareo Imprensa Pernambucana1.500 metrosAnimaes de Pernambuco.
Premios: 400*000 ao i., 80*000 ao 2.' 40*000 ao 3. e 40*000 ao jockey ven-
cedor se nio incorrer em penalidades.
Maurity....
Ida........
Dublim.....
Pigmeu....
Sans Souci
Castanho.
Rodado ..
Zaino.
Baio..
Peraamb.. 52
c 52
V 56
c 56
c 50
Grenat e azul.....
Azul e ouro......
Verde e amarello
Ouro e preto.....
Oaro e braceo
A. A. F. Taques.
Coud. Cruzeiro
A. M. A.
Azevedo & C.
D .A. L. de Maltes.
6. PareoOrdem850 metros. Animats de Pernambuco que nSo tenham ganho de i.*
de Abril de 1892 at boje. Premios : 200*000 ao 1, 40*000 ao 2 e 20* ao
terceiro.
Mouro.......
Flautista....
Gerfaut.....
Tiberio......
Gatuno.....
Alazao.......
Castanho...
Zaino.......
Rodado.....
Tordilbo.....
Pernamb.. 51
53
51
c 51
c 51
Azul e ouro......
Ouroe encarnado.
G enat.' prelo----
Azul e encarnado.
Amareilo.........
Cond. Mourkcana.
X. Babia.
Coud. Aurora.
A. F. Neves.
H. Lemos.
7.'pareoI8a800 metros. Animaes de Pernambuco que nao tenham ganho em
maior distancia. Premios: 200*000 ao 1.- 40*000 ao 2.- e 20*000 ao terceiro.
New-York.
Triumpho.
Limeira....
Clyd......
Gotlector .
Hognote...
5 Alazao......Pernamb.. 51 Preto e encarnado.... E. Pinto.
5 (Mellado...
5 .Budado....
5 I
5 Russo.....
5 Preto.....
57
51
03
Ouro e encarnado. .
Verde e amarello
Encar. preto e ouro...
Amarello e ouro.....
Goud. Arrayal.
G. de Oliveira.
Coud. Salgado.
J J. dos S. Jnior.
J. N. Silva.
Observaces
A Companh;<* de Triihos Urbanos do Recife a Olinda o Beberiba mutei o
seguinte bonorio n 3 dias de corridas d'esta associa-. o.
Itnfal Tarde
9.30 12.30
10.30 1
11 2.30
11.30 3.30
12 4.30
Os cart8e,de criado b darSo ingresso pelo portSo do ensilhamento.
Os jeckeys s terao ogreaso relo porteo do ensilhamento.
O horario ser restrictamente cbaervado.
Os aahnaes iscriptos no primeiro parao dever'o achar se no ensilbamento.,
a 9 1[2 horas da manha.
A Directora chama a attenjao dos Srs. proprieiaiics o jockejs, para o c-
digo da corridas que ser cumprdo sem corntemp'H'lo fJguma.
Os forfaitt serSo receoidos at sabbado 14 do correcto s 3 horas da tarde,
ua Secretaria do Hippodromo.
Secretaria do flippodromi do Cf.mpo Grande, 12 da Janeiro de 1892.
O secretario,
Augusto Silva.
^W^R
Companhia Trhos Urba-
nos do Recife a OJinda e
Beberibe.
CORRIDA DO HIP'ODKOMO
Alem dea treus ordinarios aos dias sautirca-
i.os far-se-hao no prcxlmo domlcgo os sepuin-
tes trens extraordinarios entre o Recite e oHip
podromo as li horas da manha, a 11 i/t, a
mei.i i ora depoi de mel dia e a i tora da
tarde.
Recite, 13 de Janeiro do 1893.
O gerente, Antonio P. Simoes.
Goeapanhia Progresso 4lagoan.t
A rectora roga aos Srs. accionistas o
obsequio Je fazerem co Banco dePernam-
i t ro dia 30 da Janeiro corrate a
o.1 entrada na r.csao de 10 [# do c-pital
fiubecripto, bim como pedo o obsequio de
fazerem r> 2* entrada no meamo pr. 30 es
Srs. accicatsta3 qne a nSo touham feito
anda.
Machio. 2 do Janeiro v!c 1893.
Jos Antonio Teixei Basto.
Propicio P. Bcrreto.
M. B. P. Die^ues Jnior.
banta lasa
Casas para aag.r
Na fecretana da Santa Casa r.iuga'j;e es se
^uinies cas;a :
dem do Horgos n. 27, idem.
dem do Amonm o. 64, iaem.
dem do Burgos n. 2, casa terrea.
.um do Dr. Ivo Mequeltno n. 9, prelio de '
ndar.
Londo-i & Brazilian
Bank Limited
Aviso
A cantar do dia 1 de Janeiro de 1893,
o Londoa & Brasiiian Back, Limited abo-
car juros om conta corrente da movi-
mento a raao de 1 Q\0 ao anno, at 6-
cundo CV30.
Recifo 23 de Dezembro e 1892,
W. H. liiltn.
'.o
Com]. anhia
DE
i a. ai- Tecidos de Pernaoibaco
Sao convidados os seahores accionines a fa-
zerem orna entrada de dez por cento sod o valor
nominal de soas accOes, at o dia 30 de J.-neiro
prximo. 00 escriptorio da compaohia, a ra do
Oom JeRa d. 42, 1- andar.
Rtc.fn, 30 de Dezembro de 1892.
Jos Joo de Amorim,
Director secretario.
I mtwft l
% ..... ni! f^
-^...--.t .....WW^Wi.BV.^*Wl------
'



Diario de Pernambuco Dcqpingo 15 de Janeiro de 1893
Britsh Church
A meenting willbe held
at Mr*. Lathanis, Estancia,
on Iuesday Evening the 17
instan t at 8.30 to discuss
the proposal of moving the
site of said Church e comp.
Al! interested are cordial-
ly invited.
W. Ding.
Chaplaio.
lo Urde do dia da sabida, no trapiche Barbosa
u> larga do Corpo Santo a. 11.
Sociedade
DOS
Artistas Mchameos e Li-
be raes
Mantenedora do i.yeeu de Artes
e officios
51. aoniversario
De ordem da directora, convido a todos os
8enhores socio3 btmfeitores, honorarios e elec-
tivos, para assi3tirem a tess^o magna comme-
morativa ao 81." r.cai'ersario da installacj.o
des'a sociedade, que ter lugar no domingo 15
do corrate, ao roeiu dia, precedendo a este acto
a celebraco de urna mis-a s 11 boras, na ca-
pella do estabelecimento.
Secretaria da Sociedade dos Artistas Mcham-
eos e LiDeraes de Pernambuco, 13 de Janeiro de
1893.O 1- secretario,
Silvino Gomes Porto.
Aos Srs. carregadores pedimos a saa attencJi
iara a clausula 10 dos cenhecimentos, que :
o caso de ha ver alguma reelamagao contra
coupannia, por avaria on perda, deve ser etts
por escripto ao agente respectivo do porto Qi
descarga, dentro de tres dias depois da nali
sala.
Nao procedeado eeta tormalidade a companhli
(i '.a iseata de toda a reaponsabidade.
Tara passagens, frates c encommendas tr*
ta-30 C03 03 -
AGENTES
Per eir Carneiro& C,
6mmR'ia do Gommerci&^d
1* anclar
mi
8TRAFTS0FMAGELLAN LINE
O paquete Liguria
LEILOES
Taverna
Leiio
De
terrenos proprlos nos
Afoletos
Em lotee, vontade dos compradores
Qae fatem parte do sitio o. 12, que pertencen
D. Jeenina, em frente do Sertosinho, ponto
de pa'sda do tren.
Terca feira, 17 do corrate
A's 2 boras da tarde
Agento Pillo
Vende-se a .iverna eita praga Maciel Pinnei-
o p. 6 ; a trata1 c a mesma.________________
Hotel venda
Vende se o hotel Lisbonense rea de Santo
Ama-o Q. 40, com todos ;s ut-nsilios; trata ee
oo escriptorio Commercial i roa Duqui de Ca-
i a a n. 72
Hotel venda
Vndese o bo'.el Lisbonense ra de Santo
An >ro n. 40 com todos os utensilios ; trata
no escripiorio Co-umertial rna Duque de
des n. 72.
MARTIMOS
Para a llha de S. Mi=
gnel
Escuna portuguesa iFeiticeira
Espera-se nestes poocos dks e seguir para o
porto cima parle do carregamen'o promplo: para o restan
te tratase com Antonio M. da uva, ruada
Ccspanhia Pernambuc:na ns 810.
.....- i wSSn
The United State? and Bra-
zilM. S. S. G.
O vapor ingls-z Kate
E' esperado de
Ntw-Yorfc: at c
dia 16 de Ja-
eiro, seguinde
depois da demo-
ra necessana
Para o Rio de Janeiro
Para arca, passegens, encommendas e di-
nheiro a fr te tratase com os
AGOTES
Henry Forster & G
8BA DO COMMERCIO-8
Io andar
O vapor Ortegal
E* esperado da Europa at
o da
*o de Janeiro de 1893
guindo depois da indispensavel demora para
Btio de Janeiro, Montevideo, Buenos-Ay-
reB
ESTE VAPOR ENTRARA' NO PORTO
Previne-se ainda aos Srs. recebedores de mer-
cadorias que o se attender a reclamacGes por
faTae, que forem reconhecida naoccasiiodj
descarga dos volumes ; e que dentro de 48 ho
ras a contar do dia da descarga das alvarengas,
4everao fazer qnalquer reclamacSo concernen-
tes a volumes qne porventnra tenham seguido
para os portos do snl, afim de serem dadas a
tempo as providencias necesarias.
Roga-se aos Srs. passageiros de se apreseatar
rem na vespera da ebegada do vapor para toma-
rem as suas passagens.
Para carga, passagens, encommendas di-
nheiro a frete: trata-se com os
AGENTES
H. Burle &C.
42Ra do Comnurcio42
Lloyd Brasileiro
PORTOS DOSUL
O paquete Maranho
Commandante Guilherme de Castro
E' esperado dos
portos do sol at
_ o dia lO de Ja
Jneiro sega indo
depois da demo
ra necesearia para
Parahyba, Natal, Cear, AmarracSo, Ma
ranho, Para, Obidos, Santarm e Ma
caos.
As encommendas serao recebidas a'. 1 hon
da tarde do dia da sahida, no trapiche Barbos:
do largo do Corpo Santo n. 11.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com o AGENTE.
PORTO DO NORTE
O vapor Satellite
Commandante Azeved j
E' esperado dos portos do
norte at o da e de Ja-
neiro, seguinlo epois da
iGtii8i ensavel demora para
Macei, Babia e Rio de Janeiro
Recebe carga a Daldear no Rio de Janerc
sara Santos, Canana, Ignape, P._nagu, Ar
oiina, S. Francisco, Itajatry, Santa Gatharin*
Rio Grande, Pelotas e Peto Alegre.
As encommendas serio recebidas at 1 hor:
da tarde do da da sahida, no trapiche Barbosf
no largo do Corpo Santo p. 11
Para carga, passageus, encommendas o valo-
res trata se eom os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O paquete
Espirito-Santo
Commandante Florindo F. Dias
E' esperado do
por ios do nort
at de Ja
neiro se nindo
depois^a demora indispensavel para
Macei, Babia, Victoria e Rio de Janeiro
Becebe carga a baldear no Rio de Janeiro
para Santos, Canana, Iguape, Paranagu, Anto
Bina,'S. Francisco, Itajahj, Santa Catharina, Rio
Grande do Sol, Pelotas e Porto-Alegre.
As encommendas serio recebidas at 1 hora
E' esperado dot
portos do snl at c
dia *i de Ja-
neiro segnindo depois da indispensavel de
mor- para Liverpool com escala por
Lisboa, Bordeanx e Plymont
Para carga, passageiros, encommendaa e ir
nasiro a freie- trata-se com os
AGENTES
Wilsofi, Sons k C, lfflited
10-RA D COMMERCIO10
Comp nhiaBahiana deNa-
vegacao Vapor
Macei, Vlla-Nova, Penedo, Aracaja',
KstacciA o Bahi.^
O VAPOR
Principe do Grao-Para
E' esperado dos
portos cima at
o dia *1 do cor-
rente, regre3san-
to para os mes-
mos depois da
demora docostume.
Pan carga, prssagens, encommendas e di-
nheiro a frete tra'.a-fe com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Raa do Vigarie17
Io andar
Em contiouacao a om outro leilao de terrenos
nos Afilelos
a pretendentes podero tomar o trem de car-
gas dai 12 horas e 10 minutos.______________
Agente Pestaa
Importante emprego de capital
Leilao
Tercafeira, 17 docorrente
A' 1 hora da tarde
A' porta do sobrado em ruinas sito es-
trada dos Airlicto3 em frente ao Serto-
'inho -udc faz ponto de parada o trem
da. via-ferrea de Casanga.
O agente Pestaa vender por conta e risco
de quem pertencer, os excel entes e importantes
t?rret-os, bein atbjrisados e com gran -es fundos
em lotes a vontade d>.s Srs. compradores e todo
o material do sobidoem ruinas oo lugar cima
mencionado, os quar-s perienceram ao anligo si
lio do fallecido brigadeiro 3arros Falcao; que
serao vendidos retalbudamente a quem mais der
cojo leilaj ser effecuado depois da cnegada o
trem de carga, qte parte do Recife s >2 e 10
minutos, onde podero ir oj Srs. concurrentes.
Em continufrao venderse ha um pequeo fi-
lio, bem arDonsado, com excellente cacimba,
boa agua de tber, tanque e grande quantidatle
de material das casas que foram demolidas onde
existi a vmda denominada Arco Verde, cijo
sitio tem ires frentes, sendo nma para estrada ae
RosariDbo, outra para a dos Afliictos e outra
para a Tamarineira onde faz ponto de parada o
mesmo trem. todos estes terrenos e casas acham-
se desemburacados c livres de quaiqoer oocs.
t
Baronesa de Palmaren
Bernaruo Jos da Cmara e sua ai-
Iber, Manoel Jos da Cmara e gua
mulher, Dr. Joaquim Jos d. Cmara e
sua multier, Dr. Jos Uy^ioo Duarte
Perelra e sua mulher (auieu(e-), Luiz
Jos Pereira SimOes e sua mulher (ausentes ,
Catharina du Cmara Sampaio e Elvira Hallidav
da Cmara convidara aos seus p rentes e amigos
e aos da fin ida Baroct-za i Palmares para as
sisii'em as m.s:a-' que por alma de.-ta mandam
celebrar o dia 16 do correota, 1- aoniversario
do seo passamenio, s 8 boras da manb, na
i?reja do Espirito Santo, (Juipap e na capella
do engentio cuyambuca, coofessando se desde
j agradec doe por este acto de religiSo e cari
dade.
Companhi?. de Paquetes
Brazil Oriental e Diques
Fluctuant.es.
O vapor Curitiba
SahirJ uestes poneos
dias para os portos
do
Rio Grande do Sul, Pelotas e Porto-Ale
recebendo desde j carga para es mencionados
portos.
Estes vapores teai ptimas accommoda
ces para psssageiros e sSo Iluminados
la elctrica.
Para paasagviros, carga, encommedas trata-
se com os
AGENTES
Amorim Irmaos $f C.
Ra do Bom Jess n, 3
ionaiUa Pinnitacue lie lia-
HKh
Viageni directa antos
O paquete Jaboato
Commandante Pereira
Segu no dia 1S do cor-
rate s k oras da tarde
para o porto cima indi-
cado.

Recebe carga, encommendas, passagens e di-
nheiro3 a frete at 1 hora da tarde do dia da
partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucaua
n. 12
lOiiaimiB PinailmcBDii e U
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo, Aracaja' e Babia
O oaquete
S.Francisco
Commandante Estoves
Seguir para os
portes cima in-
dicados no dia
i a de Janeiro
s 4 da tarde.
Recebe carga, encommendas, passagens e di-
nheiros a frete at 1 hora da tarde do dia
16 de Janeiro.
ESCRIPTORIO
Ao Cas daCo'ioanhiaPernambucana
n. 12
I
m
O vapor Trent
riara a
E' esperado da Europa no da
15 de Janeiro seguindo de-
pois da indispensavel demora
i? t5
Babia, Rio de Janeiro, Montevideo e Bue-
nos-Ayres
Para carga, passagens encommendas e dv
iheiro a frete : irata-se com os AGENTES.
O paqueteTamar
,- ^i E'esperado dos portos do sul at
*^ o dia l de Janeiro seguindo
depois da demora necessaria
para a
llha das Palmas, Lisboa, Vigo e Son-
thampton
ReduccSo nos pregos das passagens
Ida lia i volta
i Lisboa iclasse I SO I 30
A Southampton 1 clasae 28 4 42
Camarotes reservados para os passageiros di
Psrnimbuco.
Para passagens, fretes. ercommendas, trata-s
wat o?
AGENTES
4morim Irraos & C
H.3Raa do Bcm JosasS. 3
Leilao
Do case j e pertences
Sabo russo
Aprovado pe'a Ezma. junta de hygiene
publica da Capital Federal
MOSQUITOS -Exiar sar mordido friccionan
do antes de deilar se.
PAR V CASPA e outras molestias de cabera.
PARA BANHOS-Uraa friegao geral antes di
entrar na banbeira, ou a quarta parte de um vi
dro dentro do baoho, refrigeran .e qne tonifica
o fysteraa nervoso e conforta como por incanto.
Encontri se venda na pharmacia 6. Mjrtini
(t C, ma Duque de Caxias n. 88.___________
Patacoes
Comnra-se de todas as nac6es ; na ra do Ca-
bug a. 9, oja de Augusto do Reg.
Flora Pern^mbncana
FABRIOA
DI
Yinho9 de mesa e medicin>es,
Bebd^'? espamosss,
Licores, c euacs e atiiardenttn
De fractas, doces, cuoserva
Parir h?, etc. etc.
ForoJul33 approvadas pla Jama de
Hyaie/ie
Sabio-;, Mo-jr.i & ''
LIJ.OEWO
28-RA DO BEMrOA28
Passagem da K'igdaieoa
DEPOSITO PROVISORIO
t Ra da Imperatri 1
1 ^nii^r
O oiiio van'ajoo
PERNAVlBUCO
Phllomena
t
Goibardo Enteren-
clano
Primeiro anniversario
0 bacharel Fraucis.o Canuto Emerenciano e
seus lhos convidara os seas parentes e amigos
para assistirea as missaa que miodaoi celebrar
por alma de sua ssmpre lemDradii eepo3a
Pbilomeoa Gotbardo Emerensiano, na matriz de
Santo Autonio e as rejas da Gloria e do Car-
ino, terga feira 17 do corrente, i 7 1/2 boras,
confespando-se desde ja agradecidos^_________
Pratele ras
. April s,
1W2.
OC
ESTANTES
Para salas e gabi-
netes.
5 tamanhes por
35500
Tambero se ve: de
c8dapor a 5(0, 6C0,
7CO, 8CO e 900 reis.
Na Uji das Liaras Azaes
emai. Kua Duque de Caxias d, 61
triz de *_____________
do patacho
Vats
do corrente
horas
norue-
Terca feira 11
As II
A bordo do roesmo patacho
O agente Gumao, bUtonsado pelo Sr. A.
Tjensvold, capo do patachonornegueose Vats,
arribado oeste porto com incendio a bordo, far
leilao a bordo do me?mo, com 1 cenga do Ex ..
Sr. Dr, inspector a'Alfaidega e em presenca de
um empreado da me:ni para esse lira Hornea-
do, e na preseDca do lilm. Sr. vice-conaul da
Suecia e Noruega, do patacho c seus pertences
cima mencionados.
Os Sr?. pretendentes roJero desde j exami-
nar o referido navio, o qual oe acha no ancora
duro interno, e no dia do leilao, as 10 1/2 e-
ras, ccharo botes no caes da L'n^ueta para
transporte dos concurrentes. __________
Asente Olsveira
Leilao
Da importante cssa terrea na Capanga,
ra do Dr. Joaquim Nabuco n- 21,
moderna, com cornij* e parapeito, i
porta e 2 janellas de frente, 2 grandes
Bailas, 4 quartos, cosinha fra, cacimba,
grande quintal murado e plantado, edi
ficada em terreno proprio, paredes do-
bradas, tanque para baoho, ote.
Ter$i~feira, 17 da corrente
Ao meio \iia em ponto
No ormasem ra do Imperador d. 39
O agente Olivelra, competentemente autorisa
do, vender em leilSo a quem maior lance ofiV
recer, a importante casa terrea cima dnscripta,
no melbor ponto da Capuog, e llvre e desem-
barajada de qualquer onus.
Os Srs. pretendentes desde j podetSo exami-
nar a referida casa.______^____________
Leilao
Agente Brito
De piano, movis, loucas e vidros
Urna mobilia de pao carga, i dita de amarello,
1 guarda roopa, 1 cmoda, 2 marquezOes, cabi-
des, 2 importantes cantoneiros com pedra, 1
guarda prsta, (sendo as 3 pecas iguaes) cama
para menino, loucas, vidros, cadeiras de junco,
1 mesa elstica, 1 dita do cosinha e outros mul-
los movis.
Terca-feira, 19 do corrente
Roa da Concordia n. 31, 2. andar______
Agente Oliveira
3. e ultimo leilao
Da importante casa terrea com grande so-
tSo e accommodacSes para familia, tendo
2 portas de frente e 4 de fundo, moder-
na, com portas altas, cornija e com es
tabelecimento de fazendas, a raa da I-i-
peratrii n. 76, Ireguezia da Boa Vista e
mais 2 di te.. a ra Imperial ns. 5 e 7,
servindo para moradia ou Degocio.
Ter(ja-feira, 17 do correnle
A o m?io dia
No armaaem ra do Imperador n. 39
0 agente Oliveira por mandado de aotorisago
doExm. Sr. Dr. juiz competente e dos demais
consenbores, vender em 3* leiio e ultimo a im-
portante casa terrea a ima descripta ra da Im
peratriz n. 76, e as outras duas da ra Imperial
ns. 5e 7, todas livres edesembaragaas de qual
quer onus.
AVISOS DIVERSOS
Yendem-se dua3 jorcas de raga ingleza e
alpuns porcos rilbos das mesmas ; a tratar na
ra da Madre de Osos n. 10.
Aluga-82 urna boa ctsa calada e pintada de
novo, mutto fresca, com agua, gaz muitos com-
modos ra do Hospital Pedro 2- ; t tratar alli
com J, M. Reis, das 8 s 12 da manti
A padi-i' a j Pombal moe milho para ca-
vallo do Crudo a 30 rs. por kilo.
Vonne se urna bahng decimal, propria
para averna : na ra do Brum n. 79.
Precies se de um copeiro e de um'ei tor :
a tratar na ra Baro da Victoria n 2.
Preciea-se de urna triada para Bervir a
urna pessoa ; na ra estrei-a do Rosario c. 22,
segundo andar.__________________________
Manoel M-deirop, possuidor das apolices
de ns. 1 9 e 87 89 do Emprestimo Racional
de 1879, tendo perdido doxe coupons de juros
relativos ai trimestre de Outobro Dezembro
de 1892, de o. 5<, previne ao Sr. tb soureiro da
Thesouraria de Fazenda, que nao pague os ditos
coopons a quem quer que seja que os aprsente.
Recife, 13 de Janeiro de 1893.
AMA Preclsa-se de urna para cosinbar e
para outros servigos internos, que aprsente at-
testado de boa conducta e pernoute em casa dos
patroes; na ra da Aurora o. 07, andar terreo
Alega se a grande caca assobraiada ra
do Socego n. 32 ; a tratar na mesma casa.
Sala para eseriptorio
Alaga-Bo urna n roa Duq<>o d Caxias
a tratar no BSCBIPfORlU COMMER-
72.
Joaqun Antonio Pereira
Manoel Jos da Cosa Pereira e seus rilbos,
convidla seus parentes e amigo3 e es do falle-
c do, a assist.rem as missss que e n suffiagio da
alma de seo lio Joaquim Antouio Pereira, falle-
cido em Lisboa, mandam rezar na matriz de
Santo Antonio deste Estado, plas 8 horas da
manb do dia 16 do crreme, trigsimo do seu
f illeriTnen'o ; an!>cii>anitc fU e'erna era'idJ.
f
Joaquim Antonio Pereira
Manoel Joaqaim Pe .vira e sua mulher convi-
dam z seus parentes e amigos para assistirem a
urna missa, que em suffrjgio de seu to Joaquim
Antonio Pereira, fallecido em Lisboa, mandam
rezar na grtja matriz da freguezia de Santo
Antonio desta cidade, pelas 8 horas da manb
do dia 16 do corrente, 3C" do fallecimenio
Amas
no
a Ul.si:'
ra -i.
Casa em ^pitucos
Aluga-sc
Apipucos ;
casa n. 12.
c. ex :ellen e ca^a n. 6 no largo de
a tratar no mesmo qoarteiro na
\Josinheiro
Prec:?a-se de um bom casinbeiro ; a tratar na
ra do Commercio n 4i eseriptorio.
tten^o
Veodem se duas partos do engecbo Tamoatar
Mtrim e duas da engenbo Ccqaeiros, comarca
da Victoria ; a tratar na ra do Imperador o.
14. 1- andar.
Para
ct si oh a
Precisa e de urna peseca que cosinhe bera e
duerna em ca.-a dos patrCes ; na ra da Casa
Forte n. 5, paga-se bem agradando.
Criado
Precisa se de um bom copeiro para assisten-
ca interna, e que d informago de sua conduc
ta ; a trotar na roa U irquez de Olinda n. o^.
Cctrapinas
Precisa-se de rar. pinas na Pernambuco Pow
der Facory : a tratar nn ejcriptsno ra do
Commeroio n. 6, pavimento terreo.
Roubo de eavallo
Na nouie do dia 20 de Dezembro rindo rouba-
ram do viveiro do eogeuho Muitas Ca >ras, em
Barreiros, um cavallo mellado esb'acqoigado,
de crinas, cauda e canins preto3, um pouco ra-
pouso no pescogo, Intetro, novj, andador baixo,
tendo na peroa direita, alm de outtos, o fer-
ro 5suppe-se ter ido para os lados do Re-
cite, onde j fui visto um outro roubado na mes
ma occao : quem del.e dr noticia ao pro-
prietario do mejmo engeabo, ou a seu3 corres-
pondentes Leal & IrmSo no^Recife, ser recom-
pensado. ____
Fareo
Vende se por mdico prego, no escripiorio de
M. Maia & C, ra do Commercio n. 7._______
Professora
Precisa-se de urna senhora habili'a'a a leccio-
nar algumas meninas em urna cidade prxima
via frrea de Limoeiro, exigindo-se que saiba
cem perfeigo o portuguez. fjancez e piano :
quem se julgar nesta^ condtgOes dirija-se a ra
do Livramento n. 22, oja de Andrade Maia & C,
que achara com quem tratar.
Criado
Precisa-se de -m criado de !i 16 annos de
idade ; ca ra do P.^ysandu' n. 19.
Curso de Janeiro a
Fevereiro
HISTORIL UNIVERSAL E HISTORIA
DO BRZIL
PELO BACHAREL
Thiago da Fonseca
A' iractar no eseriptorio do Jornal do Reci
fe, ruado Imperador, das 11 a 1 hora da
tarde.
PASTILHAS
De ANGELIM & MENTRUZ

&-a
t=sJ)
O Remedio mais efficaz e
Seguro que se tem descoberto ate
faje pare expellir as Lombrigas.
ROUQUAYROL FRERS
Cosinhcira
Precisase de um i cosinbeira ; na ra Mr-
quez de Olinda n. 3, armazem de miudezas.
No
Hora
urna
ur>a
Espinheiro,
n. 21, pre
ama -Je leite
criadinba.
ia
sa se
da
de
de
Attendite et t-
dte!
Jo Samuel Botelho, fabricante de bo i :ue!s
do maic apuudo oslo, para casaran!), uapti-
saJo ou outro qualquer seto ; ple 9er p cura-
do rua in Cad'iau. 4,3, loja de seeiro, oa na
sua residencii ra da Conceig-i n. 3, boa
Vista.__________________________________
A^sucar refinado
Rm vista da po?ig5o do <-enero rm rama tica
vigorando a segaiate tab?lli para o artigo reti-
nado.
Espe.il. 9*801 e 700 rs. kilo.
i." sor.-. 9#'W) e 640 rs. n k.o.
2.' sor:.\ 7*500 e SiO rs. o kilo.
3. Borie, 5.-400 e 4J0 rs. c Kilo.
Ama
Precisa-se de um.i boa cosioheira pora casa
Iti Iro, pa?a se bem no armases do
Mirtii.'s p i-ga ae Uu Pirh. i.o o. 2.______
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar e com-
prar para um casal; na ra da Impe.atriz n. 32,
primeiro anda^.
km
Precisa-se de utaa ama para cosiohir
do Payando' n. 11.
?a ra
Ana
*.\Preciea-ae de urna ama que saiba pentear urna
senhora e que t.aiba costurar : na ra de R;a
ch tilo n. 51.
Precisa-se de um < ama que compre e cosinhe
com nerfeigao para du>a pessaas : na in Baro
da Victoria n. 6. _______
Asas
Precisa-se de duss amas, urna para cosinbar e
ouira para tratar de duas criaogas, prefere-se
que pejam de meia idade e que d attestado de
sua conducta, paga se bcm ; a tratar no Livra
ment o. 1, sobrado.
Ama
Precisa-se da urna ama que a-rnme, engor-
me e lave bem : na ra da Uaio n. 39
Ama
Precisa-se de urna ama para cosinhar; na ra
das Guararapes n. 94.
Ama
Precisa-ae de urna ama ; na ra do Li'ramen-
to n. 34, toja.____________________________
Ama
Precisase de um i ama que seja boa coeinhei
ra ; na ma Baro de S- Bo^ja o. 33._________
Criado e ama
Precisase de urna ama para cosinbar, e de
um cr.ado para comprar ; a tratar na ra do
Alecrim n. 22.__________________________
Aula mixta particular
Olindina Theophila de Sacramento participa
ros pais de seus alumnos e ao publico em geral
que, no dia 16 do correnle, reabrir a sua aula
no 2# andar do mesmo predio n. 43 da ra Mar-
cilio Dias. Alm das materias que comprehen
de os tres graos de iostruego primaria, ensina-
se francez, msica, piano e todos os trabalbos de
agulha e ores.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro d' 10 12 annos,
que tenha alguma pratica de molhados ; a tratar
na ra Direita de Afogados o. 16, dando fiador
de sua conducta.
PuL-eira
Perdeu se urna pulseira de curo, tntre a ra
Duque de Caxias e a estago de Caruaru' : quem
a tiver acbado pd > entregal a raa Dnqae de
Csxias n. 52, que sera recompensado.
Criado
Precisa se de um criado de 10 12 anno3 de
idade ; na ra da Imperatriz n. 78 A.________
Cimento
Ferreira GoimprSs & C. vendem bara'o para
intregar no caes; ra Duque de Caxias n. 8
Caixeiro
Precisa se de um ca xeiro com pratici de
molhad03; a tratar na ra de 8. Jorge n. 92.
Mercearia
Vende-se urna mercearia em um excellente
ponto, bastante afreguezada, a casa tem commo-
dos para morada, o motivo da venda seu pro-
pietario achar-se doente e ausente do mismo
negocio ; para informagOes ra do Capito
Lima n. 32, em Santo Amaro.
Aluga-se
O grande sobrado da ra do Capito Antonio
de Lima n. 30, com commodos para grande fa-
milia, com aeua e gaz ; a tratar oa litograpbia
ra Mrquez de Olinda n. 8.
Libras sterliuas
Vende-se na loja de jolas de Augusto doRego
fc C. roa do Cabug n. 9.
Precisa se de
C'Xias n. 86. 1-
Criado
um criado ;
an lar.
na rea Duque de
12^000
E' qaanto se pag ror urna ama que saiba
comprar e osinbar bem, soja limpa e fiel, pora
casa de pequea familia compo3ta de um casal e
urna criaoca, residentes nebairro de Santo An-
tonio : a iralar ua padaria de Joaquim do Monte
ama la Senzaia n 96. ________
Vloodas brasileiras
Compra-se de 600 rs., 5/000, ZjOOO no centro
da moeda na ros -:. a. o, 'oja ds Ai
gua' do Re
Se as brancas, pretas e de
cores
- diQai e para granaj escolha,
jendo oospachadas nfst?s uidmoa dias.
LOUVRE
bjectos de goso para
oresentes
i
Sa se&>.d artigo trr&fidi escolha so
LOVR
\l
ortes de la9Hnho,seda
e a
Sil menie enfe.
naciente o
lgovo
tem r9ccbid-, al-
LOVEE
Grlualdas, lepes e chapeos
de sol
Oe phantasias acabara de chngar para o
LBYB8
TBCB8 i)E PfiAN-'
TASIA
S")rdo impossivel de se deBcrever a
,T3t'to anedade de teeidos de diversas
;aa'idfdes proprios para a estacSo actual,
'oga-se ao publico em geral e principal*
eate s Exmas. familias a finesa do vi-
litarem o
IsOUVKE
tua l.# de Marcp n. 20 A
Francisco (nrgel i Iraio
TELEPHQNE N. 158
Esteiras da India
Branca e de fantasa de novos desenhoo
jara forros de soalho, completo sortiments
so LOUVKE
Francisco (argel I frailo
Raa 1 de Margo n. 20A
TELEPHONE 158
^apas, jersey 8 e visitas
Jostos inteiraoNBte novos acaba de r
>abr
Costumes para creancas
De todas as id&des encoctra-so grande
3 tmsnto no
JLouvre
vhapeos e capotas
Ultimas novidades de Pars receben c
Loovre
A.guas de Bem Sande-
Villa Flor
Foiitt Sa ta
Aicolioas, gasozp-8, er uginosas e
lithicas
Contra a despepsia e outras enfermidades do
estomago e 'intestinos, especiae3 no tratamento
des engorgi'amentos e canculos do figado
VENDEM
Cuimaraes 8? Valente
nicos recebedores
* e Largo do Corpo Santo4 e
Fabrica de gelo
Aguas e limonadas gasosts de
(odas as f oalidades
Soda water, ginger. ala, limo, laranja, cora-
Sao abacaxis, granadina, groselles franbolses
bauniha bortela-pimenta, etc.. etc.
i_. 11 A-CAES DO CPIBARIBE
-
I

'

'.'

I

m


I
?"
.
A L..A. HEINE DES FEE'JRS
Hamalhetes Hoyos
L. T, PIVEem PARS
Mascotte
PERFUME PORTE-BONHEOn
Extracto de Corylopsis do Japo]
PERFoMES EXQUISITOS :
Boa [uel Zamora Ancna du Bengala
Cydonia de Chine
Stepbania cVAustralie
ir' HeMot opa i;: u Gardenia
et de l'Ai White 1 lezanlik Fclytlor oriental |
toe Boaqnet < s Reina 03 Prs, etc.

ESSE r).QUALIDADE EXTRA
ncsstos ms Bfi&upat 9r. -, Pliarmacias e Cabelle: euos ;s^ "" '""
AU BON MARCHE
AKMAZEN8 DE NOVIDA.DEB
Casa Aristide BOL'CICACT
pars.
Armucns de XoviJaJcs rcur.tndo cm tod'>s os scns artigas a escala mais completa, t
PARS.
s rica e m-ils elegante.
0 tyi.-jm a aaaiar loOj com diminuto lucro
intsiramento de conflanca i abioluto tu$ Armaieni do B#\ MARdl
A Casa ,1o BON MARCHE rcinctte ranco, a quem o pedir, seus Catlogos
assim como Amostres variadas de todas s fazendas, outrosim Albuns contendo
os seus modelos de Roupa frita d,- tod.i a sorte.
ponto de mei.i, Camisas, Enxovacs, Mobilia, Tapetes, Artigos para viagem, Artigos
do Pars, Luvas, Rendas, etc., sendo reconhecido que ella offerece enormes vantagetts
tanto por causa da qiuJ.ide como da Vratela real de todas as mercaduras.
A Casa do BON MARCH retmlte mercadorias para o mundo inteiro, e
corresponde em todos os idiomas.
As remessas que poderem ser feitas por voluntes postaes sero effectuadas
em tantos volumes/rui>quantas vezes a encommenda, paga adiantada, contiver
a somma de cem francos.
O BON MARCH (PARS) nao tem Sucursal nem Representante e roga aos
seus freguezes que desconfiem dos negociantes que usarem do mesmo titulo.
Os Armazens do BON MARCH sao os maiores, os mais ordenados e orga-
r.sados do mundo; contem todo quauto a experiencia tem produzido de til,
j-.i.vele commodo, constituindo ponanto una das curiosidades de PARS.
TNICO
'-.'ALEPTICO
RECONSTITUINTE
O Tnico
! rgi,o que devem
em r,r gar os Convaiescentes,
a pessoas idsas,
as Mjihsrss, as Criancas dbis
e as Pessas
fracas de Constituido.
Vi
Bifc
,Vi
%
,/U-

CARNE
JU1KA
COM aINA
SUMO DE
PHOSPHATOdeCALl
Composto
com Substancias neceesrias
e indhpensaveis na
formacao e no desvnvolvlmento
da Carne
muscular e dos Systemas
nervosos e ossosot.
viwiiO DE VIAL c a Assocl..'5o feliz dos Meicamentos mais activos, para combater a Anemia,
i Clili.i-j-e, a Tsica, a as astralgi.is 011 Gastntas, a Diarrliaatnica, a Wa-ie critica, a
Frouxid.i') ceraJ, as tongas Convalcscencias, etc. Em urna palavra, todos imclles estados de Lan-
erjiucnto, doJC-gotameiilo nervoso, aosquaes os terui>eranieutosdcliojec6to
Btalme atos. Em ro, noraxeta J. VIAL,, ra ae iiouruon, t4.
k05:c! a Pernamhueo: ERAN" M. DA Sil VA & C" e em UJis t Piarmicia e Brotars.
SINAPISMO RIGOLLOT
Esfriamentos Dores Congestoesi
ACHA^I KM TOIAI AS RMAHMACIAS
i'..'A-SE a ASSIONATURA, edr ENCARNADA, de**
UQ^Q l'KERMOMTRC
MEDICO de LON BLOCH
. :jai ssNsrvEi. nc TODOS os systemas conhecioos
7 ios es 1 Inetrurneutoi Ii lia I m/tMam^*^^^^^^^^^^^^^^^^^^^~^^
nena* Htianata : PARS. Jf. na da PAAmA 1. PA RI8
PARS, *, roa da VEntrtpt. 2, PARS
KO E21TANGEIE, EM TODAS AS PP.INCTPAES CA3A3. |
Diario de Pernamboco Domingo i 5 de Janeiro de 1893
v*MQ<>*9&&m
MAIS CONHECIDA
NO
Mando enteiro
PARA CURAS
tt.n nenhum outro medicamento e sem temer accidentes.
PARS 7, Boulevaru Denain, 7 PARS
Depsitos em Pernttm!nicc : fran M. do SILVA e na* prlnoipaes Pharmaolue>
m%m o Qt>i%o-r f>30#<>-^oeo
\

Apa MelissaCarmelitas
\
TJtlcc- Successor dos Carmelitas
PARS 14, Ra de l'Abbaye, 14 PARS
CONTRA:
Apoplexia Flatos
Cholera Clicas
Enjoo do mar | Indigestos
Febre ama.ella, etc.
Ler o prospecto no qual tai enroMdo
cada ridro.
Deve-se exigir o lotreiro branco
e preto, em todos os vldros,
seja qual fr o tamaito.
OKPOflrrofl 11 TODAS AS 1'UAIUIACIAS
do Vttire.fmo
S-*-fr
Desconfiar
falaifirafra
e exigir a Assignatura
de
,it WTppppf3f*apF
/MEDALHA DE HONRA

O OLEO CHEVRIER
desinfectado oe/o AlcatrSo,
tnico s baliam.co, o qi/8 multo
ugm$ntt m proo'ieddu (Jo
o/so.
O OLEO de FIGADO
DE I1ULA0 FERRUGINOSO
t a anca crcetracto oue otrmitte
adm.mitrar o Ferro Km pro.
duzr PrisSo da Veotrs, nam
Incommodo.
DlPOSirO ceral ea UBIS
21,rsa do Fini-Iontrnartrc, 21
BRANCO.LOIRO
E FERRUGINOSO]
d ALCAT^
Mmm^
DIPLOMA DE BONRA]
RBCF.1TAD0 POE TODAS AS
CeleoriCaies Scdieu|
DA FBANCA DA KlilOPA
^rgiai>deHo"a- j^nl
' rfiaceuoo de l
MOLESTIAS DO PEITO,
AFFECQES ES.-Of ULOSIS I
CHLOROSIS,
ANEMIA, CEBILIDADE,
TSICA PULMONAR,
BRONCHITES^s.-H'TISMO
Vinho e Coca
LICENCIADOS PELA INSPECTORA DE HYOIENE DO IMPERIO U BBAZIL.
CASA DE COMANfA
No intuito de bem ervir a quem
nos der preferencia em suas compras,
temos collocado o nosso estabelecimento
os LOUVRE, a par dos de igual nature-
za as principaes pravas da Europa,
mantendo sempre o mais importante e
bem escolhido sortimento de superiores
fazendas e artigos da ultima moda re-
cebidos mensalmente de Paris e Lon-
dres.

%
aisaparmnaneyer
Pai a cxra ejteat t prompta da
Molestias provenientes de m
^ pureza do Sangre.
E' urna laucan andar a fazo* expe
riendas eo' mistaras inferiores core
Mtaa de di ordinarias onde plau':
agen Icacia uao cc-nfltfn
peri sci' '' emqniuito que a moles
,ii Runliando I
c Exxbai rodo:
E Salsapai::ii ;.i D8 .'. ;
e recommeudado pelos mdicos mal
telligcntes dos paizes adiantadus,
Airante 40 aunos,
Centonas colhido beneficios do bou emprego e
So ontraa tantas testemmthas da ta
.'ieacia positiva e iucomr>aravel.
FBSPABADO PELO
DR J. Q AYER & C>-
,Jf.o\veli, Mass., Est.-Unido
fMEDAIjHASdeOUMtO *
as Expositor* BMe*tattM f.'e
l'arig 1S7H-1&HQ
BA V DS MARCO N, 0
(Antiga do Crespo)
TELEPHONE 158
PHAKMACIA
IIII0G.1. BARTUOLOKEO
PROPRIKTAftIOS
Pkarma$$nticos
IMPORTADORES E EXPORTADORES
DE
Drogas, productos ch; micos, e especialidades pharuiact: ticas
Grande deposito de tintas, leos, ver-
nizes para carruagens, pioeeis e artigos
para photographia.
Agentes de todos os preparados de ju-
ra beba de Bartholomeu 8? C.
YENDAS EM GiiOSSO E A YAREJO
Pre90s sem competencia
b imm 10SH0134
ndrsco tslgraphico-
TEJPHONP N.
Chamados a qaalquer hora da noite
pela campa elctrica,
SABAO GUR^Ti^O DE REUl '
^
t
A TOSSE E
PEITORAL
DE
A1TACAHUITA
&
PREPARADO POR
LANMAN E KEMP
> EW YOBK
0 BAJ .....|S EFF!CA?
PRO0U2 CUfM E TE*
triuh1pha03 em ca608 de
phth;5 <
IN FALL VE L
>
X
t
O
E
o
>
teri
w
02

Tumores, cravo, pele verme'!1::, asp-ra e oeose iaipidido ou curaao
por u mais fraude de toaba os jforaiosoillores do. pelle, o Sabio Curativo de
Reuter. Produsa a pelle 'ormosa, branca e clara e m&os brandas; absoluta-
rente pp-i. '. licadaments ir''dici'>-' Btblo par.. bem como no toucadur, do banho e rioq^artodascriaa^as.
CAUTBliA.Nao ?cnninosem cada envoltorio ter a marca re-
sistrada de ba. lay Co Ne^-Yo.-k
K01CINAL
TPAU
mm
ZAR* -*S DE K EUTEE 11. 2
domo remeaio daEsia^ao Clmosa, Porifl'
- lente, nenhum outro appdlidaJt deprat"-...
iima sequer ao Xarope Renter n. i. Comt'" q_
a um s remedio, operando a ura lempo sob"
dangue, os rins e os intestinos.
Ab80intamente neatralisa xpalsapros^
poros da pelle, oe germens nocivos, que flult ^vo i
traD8pirac5o_________
PEQUERAS FII.T V
Figad.' entorpecido cura-:e posiliva
^ao nm remedid purgativo livre de peripo par
ote activo par- o bomem mais fon
>.m. .
iitsiomeuica do.s fc. Quarenlaem a
- riosangoe, diurtico,
jisapnrrilba se appro-
o grandes proprieda-
rgaos di(?esivos, o
intwitlmKHi. ins e
?ue na urina e na
MSLHOB
PURIFICADOF
PASA O

OS DO
J3 as
ir i
*
o
*3 .2
o> os
- m
-O
ts S
-0*0
o 3
a a e
o o
._ 09 O
lis
o o-
TS 2 03
a
o" o
O-2
Si
a s>
f -a
o
S

00
03
na
i?
E
5
00 o
-a

ce

o
o
42
Vaccs tourinas
Vmdem-se qratro fauaa loorinas e da trra
paridas de novo, garrotas e garrotes ; para Te
e tratar roa de F-rnande Vieira n. 7.
Cha
Extra-fino-superior
Preto e verde
Ach^-Be vende em latas de 1, 12o
14 de kilo, prec. cem competencia ca
Adega Pcrtugueza
4Raa das Larangelfr*
m
-- ^Z, Wx&fTTEE
. tn ,*'c' i ., I uem
il
e mala ;e'' a 'o
PARA
mk lo
OFEiiO DEB 1RT
ma preparaya >^'f Dte,exlremimenteperfomaoa. temove todas as im
mrezas do era. eo. vativocoutra calvicie ecabello cinaento; fa o .abel-
!o crescer espesso, brando e bernoso Infellivel p: ai erup^es, doencas
da pelle, glndulas e msculos, e cura rpidamente corladuras, qoeimaduras,
eridas, torcedoras, etc.
CAUTBiA.NSo genuino sem cada frasco 'er a marca registrada
larcl ay & C.New York
PARA
t A 8E .
a rm
o
depositarios DK8TES pkodctos.A oompanhia de Drogaa duotot cbimiuoa.
Bu* Marque de Oliuda n. 23.
Breyemeote
A Traviata!
Antiga m U GailrHa
Vende-ss diversos utensilios, e machi
nismos, inclusive, cerca do meio kilme-
tro de trilhos DecauvileRaa de Lima
do Reg n. 14, Santo Amaro.
Bomeaox, diploma db honra na Expsita) fe 1882

ttSJSnt
:
i Jf
i m
0
; A
^ci-daos (Franja)
2 Deposiios em todas as vendas
^^ de comestiveis.
fe'HffKttirrrr-:::-::: -ir1fimt*9
Podra do fiantsria
A Companhia Explora-
dora de Productos Calca-
reos, est preparaaa para
fornecer, hombreirs, solei-
ras, cepos e lagedos de can-
tara para edificacoes e
calamentos, bem como pe-
dra britada e alvenaria em
qualquer quantidade.
Amostras e precos no ar-
mazem da Companhia
Caes do apollo 73
Joaquiui da Silva Caroeiro IC.
Mudou-se para o
Largo do Corpo Santo
n. 11 1* andar
Sala de ctetiaz
Tainhas
Novas e dos mais acre-
ditados escaladores ven-
den) : Ferreira, Rodrigues
& comp.
Ra da Madre de Deus
12 e 14.
ns
-
I
X
s
i-H
3

f5
T
8 S
ea
9) S
S a3
o
t-l
o
p*
>
a-
CQ
O
X
S .9
o
fifi jC
o.SP
a
SO
5->

'T
2
re
CQ
fe
1-9
8 o*
CT-rJ
Sitio Ilha do A.tjude
Vende se este importante sitio que
abrange toda Ilha ntreos engenhoa S.
JoSo e S. osma 'orado, a meia legua
distante da Vanea, com boa casa de ti-
jo!o. muitas frecteiras e bom agude.
Trata-ae no ESOhIPTORIO COM-
MERCIAL, ra Duque de Casias n. 72.
Cerveja IMsen
hilbf INsUlI l)E
Lwia M. Ribeiro GuimarSea, succeaaor
de Aiheiro, Fenandes & C*, como nico
importador, acaba de receber esta bem
conhecida cerveja atteatada como a maia
pura, hygienica e ao mesmo tempo a mais
peitoral ae todas aa cerveiaa fabricadas
na Alltmanha e cont tal recommendnda
pelas sumidades med paizes da Europa, India e Australia.
Ra da Imperatriz 42
Telephone 475





nam i

i


1
-.
Diario de Pernambuco Domingo 15 de Janeiro de 1893
OPINIOES MEDICAS E ATTESTADOS DE CURAS A FAVOR DO
PEITORAL DE CAMBARA'
O remedio mais eficaz para a bronchite, tuberculose pulmonar, laiyngite, asthma, coqueluche, rouquidao e tosse de qualquer especie
*>

O PEITOBAL DE CAMBABA
... gosa de propriedades emolientes e facilita
spertoracao t o considero como excellente
meio para alliviar e curar a tosse quando con-
venientemente proscripto. Baro de Itapitocay
(Pelotas.)
TUBERCULOSE PULMONAR
Illm. Sr. J. Alvares de Souza Soares. Pelotas-
Tendo em 1878 o meu lillio adoptivo Thomaz
Lencina, sentado praga e estando em Porto-
Alegre, servindo no quartel-general, adquiri
urna tosse impertinente que nunca pode ser
combatida pelo medico da enfermara ; era vista
diss foi enviado para o Rio Pardo onde estove
em tratamento com o illustre medico militar Dr.
Medeiros, e all foi reconbecido adiar se affec-
tado de urna tuberculoso muito adiantada.
Nao aprovcitaivlo nada com o tratamento, teve
baixa do servico e veio para minha casa em
lv<2.
Empreguei todos recursos pan slvalo da
morte.
Mdicos de Sant'Anna do Livramento, a queni
consultei, declararan ser caso perdido c intil
3ualquer tratamento, visto o estado adiantado
a doenga; o Dr. Fialho, porem, aconselhou me
o Peitoral de Cambar de V. S. talvez nicamente
para salisfazer me e foi com este preparado quo
o meu flllio se curou !
O t ral amento nao foi longo: as memoras roram
a medida que
cam.
pois todos saDera como laes uoeiues uesius con
diges tornam-se mais insoflridos e descuidados
do gen estado, come apparecimento das prima-
ras melhoras.
Por isso, propositalinenlc, obriguei-o a con-
tinuar, por algum tenipo, no uso do seu pre
parado, guardaudo un rgimen conveniente e
di-ntro em pouco, meu filho tornou-se forte,
vigoroso, completamente restabelecido !
Entendendo que este facto nao deve ficar igno-
rado pelos que soffrem de to ternvel enlernn
dade pego-lbe p >ra publical-o, tendo em vista
levar urna esperansa ao coragSo de tantos enfer-
mos desanimados.
Aceite o protesto da maior gratido do de V.
etc.Vicente Simes Fillio.
Dois Serritos, em Sarandy, Rio Grande do Su!
3 de Marco de 1885.
u iraiaiiienioiiaoioi luiigu. nouam,
gradualmente augmentando ; mas a medida q
ellas progrediam, os meus cuidados redobrava
pois todos sabera como taes doentes nestas ce
O PEITOBAli DE CAMDABA
... E" um excellente medicamento empregado
com muito bons resultados as molestias broncho
pulmonares. ,
Dr. Serafim Araujo (Pelotas.)
CONSTIPACAO E TOSSE
Minas Gcraes Soeego, 23 de Junho de 1889.
Eu abaixo assignado attesto a bem da huma-
nidad.', que fui atacado de urna constipagao
arompanliada de tosse desesperadora, que m
possibilitava-me de escrever e me nao deixava
conciliar o somno. .
i ter alivio algum. lancei mao do Peitoral
de i ambara, depois de ter fcito do meu estomago
urna completo pharmacia, e so este importante
m dicamento me removeu os softrimentos que
tanto me a tormenta vam dando-me finalmente o
meo da noite e o somno impagavel. E
di ver meu agradecer ao lllm. Sr. Jos Alvares de
Souza Soares, por to imporiante descoberta
Por isso, teiiho recommendado o seu prepara-
do a diversos amigos e recommendoo sempre a
todas as pessoas, que por fatalidade, soltrerem
de molestias provenientes de consooacOcs.
Olympio de Assumpco Oliveira
O PEITORAL DB CAMBARA'
... um excellente balsmico expectorante,
e como tal o tenho empregado sempre com bom
resaltado as atleccOes pulmonores... Dr. Meen-
te Cypriano da Maia. (Pelotas.)
tacao, que ainda nao teve arjui producto algum
otlicinal.Dr. Octacilio A. Cmara. (Pelotas).
BRONCHTE S REUMATISMO
Engenho Barra Nova na comarca do Bonito,
Pemambi.co, 7 de Setembro de 1888.Illm.
Sr. Jos Alvares de Souza Soares. Pelotas-
Para que a huminidade soffredora teuha a cer-
teza de um lenitivo a seus males, recorrendo a
um remedio enrgico e de maraviliosos effeitos,
tomo a liberdade de noticiar-lhc o eTeito que
produzo (de que sou lestemunha oceular e con-
victo) o seu to afamado Peitoral de Cambar.
O capito Antonio Dionyzio dos Santos, resi
dente no Engenbo Nova Vida deste termo ho
mera maior de cincoenta annos, soffrendo de
umajbronchite complicada com rheumatismo.re
C' rreua diversos remedios sem auferir resulta-
dos saffcfatorios. Lembrei que usasse do refe
rido peitoral (porque ja o havia lomado com
ptimo resultado urna pessoade. minha familia),
c no decorrer de tres mezes que tem usado,
acha se o referido capito com urna raelhora
consideravel
Adepto como sou de tudo quanto e pro
duzido em nosso bello paiz, nao posso ser in-
differente ao grande commettimento por V. S.,
empreliendido em bem da clnica brazileira, e
por isso pode V. S. se Ihe convier, fazer desU
narracao o uso que lhe aprouver.
Sou com o mais profundo respeito e conside-
rarlo de V. S. etcFrancisco Benicio das Chagas.
TOSSE DESE9PBBADOBA
Sr.
.>ouza soares
, (Pelotas..)- Sendo
atacada minha esposa de urna tosse desesperado
ra e de carcter grave, lancei mao IMnmB
preparados sem proveito algum, e, tendo conhe-
cimento dos bons resultados do xarope peitoral
de Cambar, mandei comprar dous Irascos do
dito xarope, e com o uso do prtmeiro, logo ma
nifestaram-se melhoras e, depois de ter a doeiite
tomado o segundo via-a completamente restabe-
lecida.Israel Antonio Caldcira -
Serros de Taquary. (Rio Grunde doSul).
PEITOBAL DE CAMBARA'
... tenho empregado em molestias dos or-
faos respiratorios o Peitoral de Cambar, co-
lendo os melhores resultados.-Dr. Francisco
Alvos de Lima Filho. (Parahvba do Norte).
DIVERSAS ENFKBMlDADES
Eu abaixo assignado attesto que nao so eu
Como todas o? pessoas de minha familia temos
feito uso do Peitoral de Cambara, eoiiliecido pre
parado do Sr. Souza Soares, navndo colindo
os mais satisfatorios resultados as tosses, rou-
quidoes c mais affecges das vas respiratorias,
e por isso nao cessamos de aconselhar o seu uso
as pessoas de nossas relages.
Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 1889, ra
de S. Luiz Gonzaga n- 176.-Alfredo A. Pi-
nheiro. ,
PBITOBAL D CAMBARA
... tenho-o empregado, com grande proveito
as molestias das vias respiratorias.Dr. Pedro
Correa de Macedo. Barra do Prahy.)
CTJBA DB UMA T0S3B ANTIGA
Eu abaixo assignado declaro a bem dos que
soffrem de tosses pertinazes. que tendo ifeito uso
do Peitoral de Cambar do Sr. Jos Alvares de
Souza Soares. liquei restabelecido de urna tosse
que ha muito tempo me fazia soffrer.
S. Paulo, 30 de Agosto de 1888.-Jos J. Au
gusto da Fonseca.
O PETTOBAL DE CAMBARA'
tem urna acgo especial sobre a mucosa
vas respiratorias, curando ou alhviando
mutas molestias deatas mesmas vas, o que pro
a cabalmente a sua crescente procura e acal-
das
PEITORAL DE CAMBARA
...tenho o empregado com ptimos resul-
tados, as bronchites e molestias do apparelho
broncho-pulmonar... Baro da Matta Bacel-
lar (Para.)
SOFFRIMSNTO DE 30 ANNOS
Freguezia da Ba-Esperanga, cidade do Rio
Bonito, (Estado do Rio de Janeiro), 10 de
Abril de 1891. lllm. Sr J. A. de Souza Soares
Sou profundamente grato a V. S. ; nao so
pela delicadeza de offertar-me o seu preparado
para combater urna rebelde bronehite, que me
atormentava ba mais d- 30 annos, como tara
bem pelo feliz resultado que obtive, debellando
urna enfermidade que j considera va incuravel,
alienta minha avancada idado de 71 annos.
Torna-se mais digna de nota a cura operada
em mim pelo facto de achar me na accasiao
8rostrado por outro perigoso incommodo a in
uenza.Joo Coelho de Queiroz.
PEtTORAL DE CAMBARA'
... Acho muito importante o Peitoral de
Candar, nao spela eflicacia de seus resul -
tados em molestias do peito, como tambem pelo
agradavel sabor, que nao faz repugnar o docn-
te mais delicado de paladar.. .Dr. J. Lassa
la. (Pelotas.)
ASTHMA DUR4NTE DEZESETE ANNOS !
O abaixo assignado criador no Povo Novo
(hoje em Pelotas), atiesta que soffrendo, du
rante 17 annos de astbma com accessoa terri
veis em todos os quartos de la e sem nunca
obter melhoras em todo esse longo tempo, ape-
zarda grande quantidade de remedios que usou,
uiuitos delles receitados por habis mdicos de
Pelotas e Rio Grande, tomou em Novembro de
1887 o afamado Peitoral de Cambar, do Sr. J.
Alvares de Souza Soares ce Pelotas, e nao fo
ram necessarios mais de sete vidros para o fa-
zer curar radicalmente pois desde aquella data
at hoje, nunca mais foi accommettido de to
terrivel enfermidade.
E por ser verdade firma o presente-Ignacio
Teixeira Machado.
PEITOBAL DE CAMBABA'
... empreguei o Peitoral de Cambar, com
grande vantagem em pessoa de minha familia
que soffria ha alguna mezes de urna laryngite,
acompanhada de accessos de tosse...Dr.Te
lasco de Gomensoro.. (Rio de Janeiro.)
TOSSE CAVERNOSA
Eu abaixo signado declaro, que, fazendo
duas pessoas de amisade de minha familia uso
do Peitoral de Cambar, effectivamente tiveram
bons resultados ficando curados da tosse caver
nosa que ha bastan'e tempo as affligia.
Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 1889.O
tabellio, Francisco Pereira Ramos.
PEITOBAL DE CAMBABA'
...tenho-o empregado com brilbantcs re-
sultados as differentes formas da bronchite e
em alguns periodos da tuberculose pulmonar...
Dr. Lopes Pessoa. (Rccife.)
HOBBIVEL TOSBK SECCA
Ha dous annos minaa mulher soffria de urna
horrivel tosse secca, acompanhada de dores no
peito que innmeros remedios receitados por
mdicos desta cidade, nao coaseguiram debel-
lar.
Casualmente, veio me s mos um folheto dos
que acompanham o Peitoral de Cambar e, len-
do as curas realisada? por este medijlmento era
doentes que soffriam do mesmo lB5l, resolv
fazer minha mulher experimental-o, e, gracas
ao seu uso, vi-a completamente restablecida.
Joaqun Alves Cavalcante. (Fortaleza Cear.)
O PE1TOB4L DE CAMBABA'
.. um heroico meio preventivo e um auxi
liar n* tratamento da tisica pulmonar.Dr.
Urias da Silveira.
CCBA DB UMA PNEUMONA
O PEITOBAL DE CAMBABA
... tem sido por mim empregado em diver-
sas affecges das vias respiratorias, obtendo
sempre os melhores resultados... Dr. Fran-
cisco Marianno de Aguiar.
TOSSE PERTINAZ
Atacado repentinamente de urna tosse vio
lenta, que se tornou pertinaz tendo tido por es-
paco de oito dias consecutivos pela mann, v-
mitos, a ponto de ficar suffocado, lembrei me
de tomar o precioso medicamento Peitoral de
Cambar e com um so frasco fiquei restabeleci-
do.=Carls Augusto Peixoto de Alencar. (ca
pitao de cavallaria, em S. Borja).
PEITOBAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado em diversos doen-
tes. obtendo excellentes resultados... Dr. Pe
reir da Mulla. iRio de Janeiro.
BONS RESULTADOS
Sr. J. A. de Souza Soares.PelotasVenho
penhoradissimo dar-lhes louvores pelo seu be-
nelico Peitoral de Cambar, pois tenho o appli
cado em pessoas de minha familia em casos de
bronchite, rouquidao. tosse agudissima, colhen-
do os melhores resultados, pelo que sou incan
savel em recommendal o aos doentes do appare
lho respiratorio.
Acceite minlias. felicitages c Deus o recom-
pense pela sua descoberta de tanto ar
os que soffrem.=Jcronymo Acacio S.
(Baha.)
O PEITOBAL DE CAMBaBA
i para
mero
... um excellente balsmico e como tal
o tenho empregado nos doentes de bronchites e
affecges pulmonares.com grande proveito...
Dr. Antonio da Cruz Cordeiro, (Parahyba do
Norte.)
COQUELUCHE, ASTHMA E TSICA GALOPANTE
Illm. Sr J, A. de Sousa Soares,Tenho a
maior satisfaco em communicar a V. S. mais
algumas curas importantes realizadas nesta villa
com o seu precioso medicamento.
Tendo aoecido dous filhinhos do Sr. Arscnio
Cardoso de Aguiar, de coqueluche, atacados de
grande febre, em menos de quatro dias ficaram
radicalmente curados com o Feitoral de Camba-
r.
Urna lilhinba do intelligente guarda livros Sr.
Barros dos Santos que tambem suffria de urna
tosse convulsiva, acha-se restabelccida devido
ao mesmo remedio.
A esposa do Sr. Gabino Rodrigues Correia que,
soffria de Asthma a mytos annos, sem nunca
ter experimentado memoras com outros reme-
dios, est obtendo-as com o uso do Peitoral de
Cambar e, to satisfatorias que promettem cu-
ral-a em pouco tenipo, se persistir no medica-
mento.
A parda de nome Maria, criada da Exma. Sra.
D. Maria das Dores Ferreira, sendo accoannetli-
da de urna tisica gajopanle, medicada pelo Dr.
Henriqson salvou-se-dc to horrivel enfermidade,
gracas ao Peitoral de Cambar empregado por
aquelle illustre medico.
Sou, etc. Emydio Pialo de Oliveira.
(Agente consular Portuguez em Santa Victoria
Rio Grande do Sul.)
PEITORAL DE CAMBABA'
..tenho o empregado sempre com muito
bom resultado as "molestias dos orgaos respi-
ratorios e tem a propriedade de ser um medica
ment de satior agradavel, sendo bem tolerado
pelas creancas em cujas moles ias 6 de grande
eflicacia.Dr. Jos Joaquim Pereira de
(Cidade do Bananal em S. Paulo.)
que lhe convier, na certeza de que, nao so a
minha gratido ao auctor de to precioso pre
parado, como o desejo de prestar um servico s
victimas de enremidades das vias respirato-
rias, me levam a attestar um facto que nao deve
ficar ignorado.Sou. etc.Bclizario Peroiro de
Athayde. (Estancieiro.
O P2IT0RAL DE CAMBARA'
...manifesta sua aeco especial sobre a
mucosa das vias respiratorias, por cujo mo'ivo,
em minha clnica medica, tem tido enorme
accitagao...Dr. Jos Rodrigues Ribeiro. (Be
lm do Para.)
souza.
lllm. Sr, J. A. de Souza Soares.Pelotas.
Cumpro um dever scientificando V. S. de que
ha tempos, achando-me atacado de urna pneu-
mona, recorr a diversos preparados que me re-
ceitaram os mdicos d'esta cidade, sem obter as
melhoras almejadas.
Por minha spontanea deliberado, resolv ex
perimentar o seu Peitoral de Cambar, com o
qual alcancei o restabelecimento de minha sa-
de, pelo que dou a v. s. sinceros parabens.
Nestorio Antones Pereira. (Bahia.)
GHAVISSIMA DOENCA DO PEITO
Illm. Sr. J. Alvares de Souza Soares.) Cum
pre me levar ao conhecimento de V. S. os be-
nficos resultados que tenho obtido com o em
Erego do seu mui acreditado Peitoral de Cm-
ara.
Minha cunhada D, Leonidia Vellas, estava sof
frendo ha dous annos, de urna tosse muito forte,
com dores no pulmo dircito e de dias a dias
deitava alguns escarros de sangue. J muito
debilitada e aborrecida de ter tomado muitos re-
medios sem proveito, Beeormcndei-lhe o uso
do Peitoral de Cambar, que comprei na phar-
macia do Sr. Antonio Rodrigues de Faria, em
Jaguaro e depois de algum tempo no uso deste
remedio, acbava-se completamente curada.
Levando pois mais este facto ao conhecimen-
to de v s, cumpre me agradecer lhe em nome,
de minha cunhada, a cura que acaba de reali
sar-se. Sou etc. Fileno GoriQalves de Medei-
ros. (Canhada de Santos, Repblica Oriental,)
PBITORAL DE CAMBABA'
.. .aconselho sempre este preparado aos que
soffrem de bronchiteprincipalment asthmatica.
Dr. Geminiano Jos da Costa. (Para)
TOSSE ASTHMATICA DE MUITOS ANNOS
Eu abaixo assignado major reformado do
exercilo attesto que, soffrendo de urna tosse
asthmatica, de muitos annos. acho-me restabe-
lecido com o uso do Peitoral de Cambar, do
Sr. Jos Alvares de Souza Soares de Pelotas
Fernando Jos da Gama Lobo. (Jaguaro)
O PEITOBAL DE CAMBABA'
... exerce aeco benfica sobre a mucosa
das vias respiratorias, pelo que teuho observado
em minha clnica...Dr. Manoel Alves da Cos-
ta Brancante. (Rio de Janeiro.)
ASTHMA DE MUITOS ANNOS
SOFFRIMEMTO PULMONAR
Eu abaixo assignado, negociante no Pilar das
Alagoas, declaro que soffrendo ha mais de qua-
tro annos de urna affecgo do peito, acompanha-
da de tosse violenta, c sem jamis conseguir
que os remedio* receitados por habis mdicos
trouxessem alivio ao meu soffrer, recorr ao
precioso medicamento Peitoral do Cambar, do
Sr. J. Alvares de S. Soares, de Pelotas e em to
boa, hora o liz, que hoje acho me completamen-
te curado de urna enfermidade, que, dia a da,
me arrastava ao tmuloManoel Cavalcante de
Albuquerque.
PEITORAL DE CAMBABA'
...fui ullimamente obri^ado a langaT mo
delle em minha clnica e julgo-me hoje habi
litado para aflirmar que um dos melhores re-
medios que em minha pratica tenho conhecido
para enfermidades do peito e vias respirato-
rias...Dr. C Henriqson. (Santa Victoria,
Rio Grande do Sul )
BRONCHITE CHBONICA
Cidade da Sorra Negra. (Minas Geraes), 12
de Setembro do 1888.-.lllm. Sr, J. Alvares
do Souza Soares. Tenho a satisfajo de escre-
ver a V. S. para participar lhe que soffrendo
eu a mais de quatro anno de bronchite, trazen-
do-me a maior parte do tempo prostrado no lei-
lo, recorr ao seu abengoado Peitoral de Cam-
bar, c nao foi preciso mais de meia duzia de
frascos para me restabelecer radicalmente,
Silvino Ribeiro. (Director do Colegio de Santa
Cruz.)
PEITOBAL DE CAMBABA
.. .Tenho-o empregado com assaz provecto
em minha clnica as molestias bronclio-pufino-
nares... Dr. Franc;sco Augusto da Silveira
(Recife.)
T JSSE COM ESC\BB' S DE 8ANGUE
Illm. Sr. J A. de Souza Soares.E'-me difli-
cil exprimir o quanto lhe estou obrig ido pelo be-
neficio que colhi do seu maravilhoso Peitoral
de Cambar, curando-me de urna tosse com'es-
carros de sangue que lia G 'mezes me atormen-
tava, sem contar mais restabelecer me de to
grave enfermidade. S aquelles que sabem o
que um soGr*- destes, que pdem avaliar a
satisfaco de que estou possuido.
Sou com muita gratido de V. S. venerador
e criado,Antonio da Silva Pimentel. (Negoci-
ante em Porto Alegre.)
PEITOBAL DE CAMBABA
Sr. A. Dias de Freitas Valle.Raqui (Rio
Grande do Sul), 6 de Maio de 1885.Sendo V.
S. o agente nesta cidade do Peitoral de Camba-
r, do Sr. J. Alvares de S. Soares, de Pelotas,
dlrijo-lhe a presente, afim de attestar que sof-
frendo minha mulher, ha muitos annos, de as
thma, s agora e com uso constante do referido
medicamento, ficou radicalmente curada. Po-
der V. S. fazer desta minha declaracao o uso
.. .tenho-o applicado em minha clnica com
grande proveito nas diversas affecgOes das vias
respiratorias, especialmente quando chronicas.
Dr. Julio A. Camacho Crespo. (Rio de Janei-
ro.)
BOUQUIDAO SKM ALLIVIO
Illm. S. J. Alvares de Souza SoaresAtacado
de urna forte rouquidao, e sem ter allivio com
o uso de muitos medicamentos receitados, ex-
perimentei o seu xarope Peitoral de Cambar,
e em poucos dias a molestia cedeu completa-
mente. Depois deste facto tenho aconselhado a
diversas pessoas o seu remedio e todas lm lo-
grado os melhores resultados.
Queira, pois, receber minhas felicitaces.
Baro de Avellar Resende. (Fazendeiro em
Minas-Geraes.)
PEITOBAL DE CAMBABA
...tenho-o empregado com o melhorresul-
tado nas diversas affecces das vias respirato-
rias, principalmente na bronchite catarrhal das
mangas quando atravessam a crise da primeira
dentico...Dr. Emigdo Bezerra Montene-
gro (Recife.)
ASTHMA EM DUAS CBIANA8
Atiesto que as minhas filhas, Isolina, de 8
annos de idade, e Silvina, de 5 annos, soffriam
ha mais de 3 annos horrivelmente de asthma,
que lhes vinha por accessos amiudados e to
tortes que eu julguei em muitos delles ter-se
approximado o termo fatal da suas pobres exis-
tencias.
Depois, porm que usaram o Peitoral de Cam
bar, preparaco do Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, s Silvina foi atacada de um novo ac-
cesso, que cedeo promptamente ao mesmo pei-
toral.
Pelotas, Rio Grande do SulMiguel Antonio
dos Santos.
PEITOBAL DE CAMBABA
... lenho-o empregado com resultados im-
portantissimos em diversas affeeges das vias
respiratorias, sobresahindo um caso de tuber-
culose incipiente que foi radicalmete curada
por este preparado, em D. Virginia Maria Men-
des, residente na capital do estado da Baha,
ra S. Miguel n. 46. Dr. Alfredo Mendos Ri-
beiro. (Baha)
TOBMENTOSO S07FBIMENTO
Illms. Srs. Silva, Gomes & C-, droguistas ne
Rio de Janeiro.-Ha mais de cinco anno3 que eu
soffria de urna bronchite com tosse e escarros
de sangue, bavendo dias de lancar mais de meia
garrafa de sangue, nao me aeixando dormir
noites inteiras. .
Recorr a todos os mdicos deste municipio
de Cantagallo, j sem gosto, ncm forjas para
cuidar de mnha lavoura; nao tinba nenhumas
esperangas da minha existencia por muito lempo
apezar de nao me faltarem recursos e bom tra-
tamento.
Por milagro de Deus, um amigo e negociante
deste lugar, nao querendo que eu deixasse meus
innocentes filos por criar, aconselhou-mc o
Peitoral de Cambara, c eu sem f, pois que ne-
nhum remedio me poz bom, resolv que esse
negociante me mandasse vir da casa de Vs. Ss.
seis vidros para experimentar e, findos elles
j dorma bem, cessando de todo os escarros
sanguneos.
Mandei vir mais 24 vidros e continuci at aca-
bar, isto at o anno de 1888, e gragas a Deus,
acho-me completamente curado.
Estago do Bom Jardim (Estrada de Ferro de
Cantagallo), 20 de Maio de 1889.Joo Jos
Zebendo.
peitoral de cambara'
... toho-o empregado em minha clinica
civil com resultados vantajosos nas molestias do
apparelho broncho-pulmonar, sobretodo nas
bronchites fihronicas e. na coqueluche. Dr.
Feliciano Teixeira da Matta Bacellar. (Para.)
CINCO ANNOS DE SOFFBIMENTO DO LA-
BINGE
Eu abaixo assignado, attesto que achando-se
minha esposa, D. Engracia Guitteres Gravana.
soffrendo do larynge ha cinco annos. foi aconsc-
lhada pelo Sr. Jos Lourengo Braga, estabelecido
com botica nesta cidade (D. Peurito), a usar o
Peitoral de Cambara do Sr. Souza Soares, de Pe-
lotas, e com effeito, tomando oito vidros desse
remedio, se acha livre do terrivel incommodo
que a persegua ha (anto lempo.-Ignacio de
Assis Gravana (criador.)
PElTOBiL DE CAMBAR
Tenho-o empregado em minha clnica nos
casos de molestias broncho pulmonares, colhen-
do resultados muio-satisfatorios. Posso em vir-
tude desses bons resultados garantir a eflica
cia deste medicamento, principalmente quando
estas affecces tiverem tomado o carcter de
chronicidade.. .-Dr. Luiz Jos de Araujo Fi-
lho. (Anta, Rio de Janeiro.)
GRAVE DOENCA DO PEITO
Declaro que minha sobrioha Marciana, com lo
annos de idade,achava-se gravemente doente do
peito, senlia grandes palpitarles do corceo,
losse desesperadora e dores agudissimas no pei-
to e na3 costas quando tomava respirago. Lem-
brei me, depois della ter usado muitos'medica-
mentos sem resultado, de dar-ltie o elogiado
Peitoral de Cambar, descoberta do Sr. J. Alva-
res de Souza Soares, e com o uso deste eflicaz
remedio achou-se completamente livre de to
terrivel enfermidade.Joanna Ferreira Sardoso
(Pelotas.)
PEITOBAL DE CAMBABA'
...Uve occasio de o examinar e, com ple-
no conhecimento, aconselho o seu uso com a
maior conllanca. (Extrahido do Formulario In-
ternacional, do Dr. Pires de Almeida.)
BBONCHITE DE MO CABACTE8
Illm. Sr. J. Alvares de Souza Soares. Con-
vencido por urna brillmnte cura operada em mi-
nha mulher, que havia onze mezes estava soffren
do de urna bronchite impertinente e do peior ca-
rcter, de que o Peitoral de Cambar, composi-
go de V. S. se pode considerar o melhor e mais
seguro espeeitico at hoje conhecido para com-
bater asjmolestias dos orgos respiratorios apres
so me, a bem da humanidade soffredora, a altes
tar-lhe o facto occorrido em minha casa, afim de
tornar mais conhecido, se isso possivel, o seu
excellente Peitoral de Cambar que considero
urna descoberta de magna importancia para cura
de taes molestias.
Minha mulher acha se perfeitamente restabe
lecida da grave enfermidade com o uso de quatro
vidros do Peitoral de Cambar, tendo antes ex
perimentado sempre intilmente, talvez cincoen
ta remedios diversos.
Sou etc. Joaquim Soares Gomes. Vice cn-
sul de Portugal Frauga c Inglaterra, em Para-
nagu).
PEITOBAL DE CAMBAR
El medico cirujano que suscribe, certifica que
el especifico titulado Peitoral de Cambar, del
Snr. i. A. Souza Soares, del Brazil, me ha dado
admirables resultados en el tratamiento de las
enfermedades del aparato respiratorio, especial-
mente en las bronchitis crnicas.Dr. Juan
Peralta R. ^Residente em Elqui, no Chile.)
'OSSE COQUELUCHE SEM ALIVIO
O abaixo assignado atiesta, a bem da humani-
dade ique tendo sido atacados de coqueluche
seus netinhos Antonio c Dejanira e sem terem
podido obter alivio com o tratamento do seu il-
lustre medico. deu-lhes o conhecido Peitoral de
Cambar, do Sr. Jos Alvares de Souza Soares, e
com quatro vidros deste eflicaz remedio ficaram
completamente restabelecidos do terrivel uoffri-
mento
Maria Jos Rodrigues Barcellos (Pelotas)
PEITOBAL DE CAMBABA
.. .Tenho-o aconselhado na minha clnica e
com elle tenho tirado resultados importantes no
tratamento das molestias broncho pulmonares.
Dr. Carlos Marcband. (S. Gabriel, Rio Grande
do Sul.)
FOBTK BOUQUIDXo
Srs. Silva Gomes 4 C Nesta capital.
Sendo atacado de orna forte rouquidao es?
bendo dos benficos resultados que continua-
mente tem proporcionado o Peitoral de tambar,
do Sr. Jos Alvares de Souza Soares, de Pelotas,
aquelles que soffrendo do mesmo mal, fizeram
uso delle, deliberei experimental-o e apenas com
dous frascos deste acreditado xarope fiquei com
pletamente restabelecido.
Rio de Janeiro 12 de Junho de 1888. Armando
Augusto Machado.
PEITOBAL DE CAMBARA'
... tenho-o applicado em diversos casos de
affecges d?s vins respiratorias e tenho obtido
os melhores resultados...=Dr. Jos de Aze-
vedoMaia- (Parahyba do Norte.)
OUTBO CASO DE COQUELUCHE
Eu abaixo assignado, morador ra Pault
Brito n. 25, no Andarahy Grande (Rio de Janei-
ro), desojando prestar urna liomenagem a ver-
dade. tornando ao mesmo tenipo publicas ate
virtudes do Peitoral de Cambar, venho decla-
rar que, empregando este importante medica-
mento em urna ilhinha de 5 annos de idade
presa de urna terrivel tosse convulsa ou coque-
luche, durante dous mezes, e depois de appli-
cados outros medicamentos obtive o mais agra-
davel resultado para o meu corago de pai, at
ento aflicto pela crueldade da molestia de mi-
nha liihinha, dando-lhe o afamado Peitoral de
Cambar, do Illm. Sr. J. Alvares de S Soares
de Pelotas, e dous vidros apenas produziram
to brilhante resultado.Jos Carlos Coimbra
de Gouva.
PEITORAL DE CAMBARA'
. tenho obtido ptimo resultado na appli-
cago do Peitoral de Cambar nas molestias
broncho pulmonares.Dr. Polycarpo A. Ara-
ponga do Amar 1.(Porto Alegre).
UMA TUBERCULOSE AGUDA
Eu abaixo assignado, morador ra S. Pe-
dro, n. 20. no Rio de Janeiro, declara que ten-
do urna filha minha. de 13 annos de idade,
sido accommettida de urna molestia grave, con-
sulte' os mdicos de maior reputago desta ci-
dade, e estes diagnosticaram ser o soffrimento
urna tuberculose aguda. Por espago de quasi
dous mezes sugeitei minha filha ao tratamento
desses Ilustres facultativos; mas, a molestia,
zombando de tudo, progredia para o destecho
fatal.
Nessas circumstancias um amigo dedicado
aconselhou me experimentar o'Peitoral de
Cambar, medicamento do Sr. J. Alvares de
Souza Soares, de Pelotas, c, em tao boa bar
acceitei esse conselho, que no tira de seis dias
as melhoras se foram accentuando, lendo dimi-
nuido a tosse e outros phenomenos que acom-
nanham essa terrivel enfermidade.
Minha filha tomou desoito frascos do Peitoral
de Cambar, e hoje pde-se considerar comple-
tamente restabelecida. Durante cinco mezes e
meio frequentou os lugares mais recommen-
dados pelos mdicos, seu estado de magreza
era extremo c a febre nao a deixava,
Convicto, como estou, de que o Peitoral de
Cambar, um precioso remedio para affecees
dos pulmes, muilo o tenho recommendado s
pessoas de minhas retocos.
Rio de Janeiro, 11 de Maio de 1887.Joo
Antonio Pereira Santiago (Socio da firma com-
mercial, Santiago & Irmo.
PEITOBAL DE CAMBARA'
... empreguei o e com o melhor resultado
no hospital da Santa Casa de Misericordia nas
affecges em que indicado, e continuo a en
pregal o com o mesmo resultado na minha cli-
nica civil.Dr. Israel Rodrigues Barcellos Fi-
lio. (Porto Alegre),
DUAS CURAS EM POUCOS DIAS
Illm. 3r. Jos Alvares de Souza Soares-Tem
esta por fim scientifical-o de mais duas esplen-
didas curas devidas ao seu precioso Peitoral de
Cambar.
Por occasio de effecluar-se um bazar em
beneficio da Bibliotheca Publica Pelotcnse, fui
atacado de urna forte bronchile, que me levou
ao leito. Vendo me prostrado e desejando o
meu restabelecimei.to o mais prompto possivel,
deliberei usar o Peitoral de Cambara, e o fli
com tanta felicidade que, no torceiro dia da
molestia pude reassumir as minhas funeges de
bibliotecario daquelle estabelecimento.
Na mesma poca foi a minha filhinia Julieta
atacada de urna tosse impertinente, com car-
cter asmathico, e applicando lhe cu o mesmo
eflicaz medicamento via a restabelccida em pou-
cos dias. Subscrcvo-mc etc.
Peletes, (Rio Grande do Sul)Fiancisco de
P. Pires.
PBITORAL DE CAMBABA'
... tenho-o empregado com feliz xito nas
affecges catarrhaes-broncneas-..Dr. Jos
Bernardino da Cunha Bittencourt, (Porto Ale-
gre).
OTBAS DUAS IMPOSTANTES CUBAS ?
Illm. Sr. J. Alvares de S. Soares.Pede-me
a minha consciencia declarar-lhe os seguintes
tactos que servem para robustecer o crdito do
seu precioso Peitoral de Cambar.
Ha pouco tempo, minha esposa apparecen
com urna tosse terrivel que nao a deixava dia
e noite, lembrei-lhe o Peitoral de Cambar e
com uso deste remelio vio-se completamente
curaa em poucos dias.
Fhi filho meu, que se achava soffrendo do
larynge, molestia que adquiri depois que teve
o typho, ficou tambem radicalmente curado
com o uso do meemo seu Peitoral de Camba-
r. AntonioSimcs Pires da Fontoura. (Es-
tancieiro em D. Pedrito, no Rio Grande do
Sul).
PEITOBAL DE CAMBABA
... Tenho empregado o Peitoral de Cambar
nos casos de affecges broncho-pulmonares
obtendo excellentes resultados Dr. Ceciliano
Alves Nazareth. iBahia).
BBONCHITE ASTHMATHIC DE OITO MEZES
Illm. Srs. Silva Gomes & CRio de Janeiro.
Felicito-me por ver annunciado em casa de
Vs. Ss. o remedio denominado Peitoral de
Cambar. Soffrendo eu de urna bronchite as-
mathica, durante oito mezes, e sem que os m-
dicos a conseguissem debellar, pois j a julga-
vam chronica, resolv oompir em casa de Vs.
Ss. o referido remedio e principiei a tomal-o
observando cuidadosamente a dieta e hygiene
recwnmendadas e prescritas nos impressos que
o acompanham, e no fim de pouco tempo deoois
de ter tomado 18 frascos, achei-me completa-
mente curado desta terrivel enfermidade. Gra-
tissirao aos introductores deste maravilhoso
preparado, peco a Vs. Ss. que dm publicida-
de a esta minha declarago, para d'ella trem
conhecimento todos aquelles qye soffrerem da
mesma molestia.
Barreado. (Miuas-Geraes,) 18 de Agosto de
1888.-Joo Antonio da Silva.
Todos as firmas cima
acham-se reconhecidas na forma da lei e sao de pessoas muito conhecidas e consideradas.
neiro
Allema.
lodos as nrmas cima acuaiii-se recuuuc^mao u ^ix *ivi ~ ^^ ^ r----------------- -
O Peitoral de Cambar, soberano remedio para as molestias das vias respiratoiias, acha-.e approvado pela Inspectora Geral de Hjf^ede Kl < **~
, autonsado pelo governo federal e premiado com duas medalhas de ourode I." elasse, pela Academia Nacional de Par c Jury da Exposicao B izilca
Vende-se a 2#500 o frasco, 13#000 J2 duzia e 24$000 a duzia aas principaes pharmacias e diogarias.
E' nico agente e depositario neate estado a Companla de drogas c Productos chimtcos.
23--RUA MRQUEZ DE OLINDA-23


.
1
i
i
i

ii i *'
_., .------ .. ...-------.. ...... ..... -...; -_-: .

,....1,^...-^., ^.
v-~-'-*it^f i r'M.|M.'4ry.- Djrri w~~k


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEMC89LT4_IUBN8H INGEST_TIME 2014-05-28T16:20:06Z PACKAGE AA00011611_18264
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES