Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18229


This item is only available as the following downloads:


Full Text
" .'. '."U '
^rt**'
r
1 -

i1
I

i
*>
'
F
i
I
AI10 Llfll-- fBIBJO 50
PARA A CAPITAL E LI'fiAFK OXDE .VIO E PACA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 60000
Por seis ditos dem.......... ...... ii^OOO
Por um mido dem................. 234000
Cada numero avulao, do mes-no di&. ; *........ 01 0
QDIITHir 3 DE MiBQO DE 1881

DE
PARA DESTRO PORA DA PBOTIMCIA
Por seis mezes adiantadoi..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem................
Cada numero avulso, de das anteriores..........
NAMB
130500
20,5000
270100
0100
Pr0prte>a fre JUanocl tgnrira ht -tarta i Silbos
Os Srs. Amede Frlnoe A C,
de Parla, & os nnssos agentes
exclusivos de annnnelos e pu-
blicarse na Franca e Ingla-
terra
TELEGRAMAS
(Especial para o Diario)
SOFA, 1. de Mar;o.
A gnarnirit de Sillstrla. insurgi-
le contra as stsioria.ad'es.
VIGO, 2 de Marco, de ojanhU.
\uufrai;ou perlo raqui O paquete
VALPARASO da Pacluc Sleam Wave-
icatiuo Companj.
At ora Ignorase quae poium
er Aa coiisequencia do desastre
A equipagem. os passagelros e as
salas foratn todos salvos.
MONTEVIDE'O, 2 de Mar$o.
De hoDirm para ca nenbam novo
caso de citolera rol asslgaalado.
PALERMO, 2 de Marco.
Apparcceu o cbolera-ntorbas em
Caanla, na SeciHa.
PARS, 2 de Marco.
\aw ninas de carvao de pedra de
Salnt-Etlenne. dea se ama explosao
de fogo-grlsoo.
Acin de Importantes dtanos ma-
terlaes. a explosao fex amcert nu-
mero de victimas.
Agencia Havas, filial em Pernamboeo,
i de Marco de 1887.
IHSTRUCC10 POPULAR
MEDICINA DOMESTICA .
(Extrahido)
DA BIBLIOTHECA DO POVO K DA8 ESCOLAS
PARTE PRIMEIRA
TECHttOLOCUA
( C o n t x n naca o)
Diabetis Pode-se resumidamente definir a da-
letit ama doenca earacterisada pela excrecio abun-
dante de urina que con tem urna materia sachar i na
anloga ao asincar da fcula, e por urna extraor-
dinaria sede e appetite, symptomas acompanhadns
por immagrecimeute progresivo.
O assucar exgregado com a nrina tem caracte-
res especiaes o varia ni quautdade.
Poueo a p mea vio appareceudo symptomas gra-
ves por modo !> diabetis se torna, decorrido
nm periodo waii un m.-uos loogo, u'uma verdadei-
ra cach"xi. Muirs >ezes apparece tubereulisa-
c4o pulrninar. edra. i lupcoVs turunculosas, pre-
versio na faiiccio *>!.1, ua audicao,_etc.
DyspepsiaDiffico! depravacio das digesies. Causas muito diversas
e variadas originara a dispepsia que em rigor se
nao pode considerar urna duenda, mas nm eympto-
ma de doencas diversas do estomago ou antes das
vas digestivas.
DysnriaDifficuldade em urinar.
Quando ba impossibilidade na urinacao chama-
se, segundo o grao menos on mais adiantado desta
impossibilidade : ischuria e estranguria.
EclampsiaDoeoca convulsiva que seda ou as
primeiras idadea, ou durante o puerperio fisto ,
em seguimento ao parto). Nao podemos, nem
necessario ao fim dcste livro, dar a descripcao
desta doenca. Basta-nos definir a palavra.
EfluvioEsta palavra substitue na nomencla
tara medica os termos emanacoes, mi cumas, exha-
lares. Os efiluvios sao substancias orgnicas al-
teradas, dissolvidas no vapor d'agua, em sospenso
no ar, principalmente nos lugares pantanosos.
Origioam doencas especises, taes como as febret
intermitientes (sezoes) a febre amareUa, etc.
ElixirNome genrico de grande numero de
prepar idos ptnrmaceuticos que resultara da mis-
tur,! de xaropes com alcooUdos (preparados em
que entrara os aleooes) e destinados, na maior
parte, a agradar ao gosto e ao cheiro.
EmpbysemaTumor cansado pela introduecao
do ar, ou de outros gazcs, no tecido cellular. Dis-
tingne-se do edema porque o tumor formado por
este, quando se lhe carrega com um dedo, conserva
esta impresso por algnm tempo, emquanto no em-
pbysema nao succede tal. Ha outros caracteres
distineti vos. Aponamos este por ser fcil de sfc-
servar e geral.
Empyema Accurnulacio de soro, de saague ou
de pus, na cavidade das pleuras. Tambem assim
se chama operacSo destinada a fazer sahir para
fra destas cavidades os lquidos ahi accumulados.
EnteriteIrjfl'immacao dos intestinos.
EnteroceleHernia formada to sement pelos
intestinos. Quando o tumor hemiario so forma-
do pelo epiploon (*) chama-se epiplocele ; se na
hernia entram o epiploon eo intestino, denomina-
se entero epiplocele.
Esporo de centeio-Tambera se chama crava
qem de centeio. E' na realidade urna doenca que
ataca o centeio e out-os cereaes, mas com especia-
lidtde o centeio.
O centeio esporado apresenta-se com o aspecto
de um corpo alongado, direito ou curvado, escaro,
com 1 a 4 centmetros de comprimento e 1 at 4
millimetros de espessura.
Tem importantes applieacoes therapeuticas de-
rivando-se o nso que del le se faz, em medicina, de
certas propriedades nota veis que o distingete,
taes como excitar as contraeces uterinas, ser um
bom hemosttico (isto suster as hemorrhagias).
Nao s Be emprega o esporao de centeio em sub-
stancia, porm nsa-se tambem de nm principio
delle extrahido, a ergotina, que mais enrgica e
mais apropriadapara as applieayes therapeuticas
FebreNo sentido mais geral e commam enten-
-.'.e se por/ore um estado de doenca caracterisado
por acceleracSa das pulsacoes e augmento do calor
animal. Considerada assim, a febre nSo caracte-
risa estado algum mrbido ; companheira de
muitissimas doencas. Porm, quando aos dous ca-
racteres precedentemente apontados se juntam
ontrn symptomas predominantes,a febre, por
assim dizer, individualisa-se, e constitnenma doen-
ca. Aim se di, por exemplo, febre typhoide
febre intermitiente, etc.
Nem a acceleracao de pulso nem o augmento de
temperatura sao condicoas sine qua non da febre.
Ha certas febres intermitientes, do grupo das per-
niciosas, as quaes nem o pulse est accelerado,
nem o thermometro aecusa augmento de tempera-
tura ; mas de nm modo geral pode dizer-se que a
temperatura augmentada signal de febre.
A thermometria clnica esta hoje mu estudada,
e parece colberem-se bous resultados da sur appli-
cacio ao diagnostico e prognostieo de algnmas
doencas.
MorinoDoenca particular de certos mammife-
ros (taes como cavados, jumentos, etc.) Uomeca
por infiammacab (as vezes aguda) das mucosas
principalmente da mucosa nasal, acompanbada por
um corrimento mais ou meaos abundante ; appa-
recem tumores em diversas partes do corpo ; vem
um estado typhoso ; e a morte termina em geral
estes symptomas terriveis.
E' contagioso e inoculavel, e por asa perigosissi-
mo pela facilidade com que se transmitte ao ho-
rnera e por sua incorabilidade. Os aomaea ataca-
dos de mormo devem ser abatidos e cuidadosa-
mente enterrados, nao se permittindo o aproveita
meato dos aeus despojos.
NevroseNome genrico das doencas que se
4 terem a sua sede no systema nervoso e que
que cons les&o material apreciavel,
Algnmas d'estas doencas teem ltimamente sido
estadadas sob o ponto de vista anatomo-patholo-
gico (isto no sentido de determinar a leao ma-
terial que as provoca) : e lentamente se vai eami-
nbando com o fim de obter nm estado completo
dellas, perdendo assim o carcter vago qae as dis-
tingua.
OphthalmiaQualquer doenca inflammatoria dos
olbos com vermelhido da conjunctiva.
Consideram-se diversas especies de ophtbalmias
(por exemplo, ophthalmias escrophulosas, purulen-
tas, etc.)
(Continua).
() Veja-se Anatoma (vol. XLII da Bibliothe-
ca do Povo e da Escola*) :
O exerck'io corrente, por maior que sega a economa, tem de ser encerrado
com dficit, forzosamente, e por tanto o estado financeiro de 1887 a 1888 aiada mais
se ha de aggravar. >*
Nao podendo nos contarmos com rendas imprevistas, pois com a molhor arre-
cadajSo dos impostos, hojo feita pela Alfandega, j o Thesouro se serviu nos aeus cl-
culos, nSo ha outro re-urso senSo ou augmentar por povos impostos a receita, ou dimi-
nuir na drsppza.
Algnmas das fontes d3 rendas podem ser revistadas, mas sobre tudo impres-
cindivel cortar todas as despezas que nSo sejam immediatamente necessarias e inadia-
veis.
Temos estado a supprir os dficits por meio de emprestimos. Ora, mclh r
que eu, comprehendeis os inconvenientes dcstes tnaios extremes.
O emprestimo recurso extraordinario, de que s deve se laucar mito em
casos tambem extraordinarios. Nunca para supprir a receita, destinada a despezas
de natureza commum e ordinaria.
E' expediente, que solve, apparentemente, embarazos de occasiao, tornan-
do os, entretanto, dapois msiores e mais custosos do ser vencidos. Em regra, nao se
deve onerar as gersc3es futuras seno por motivosflue tambem lhes apraveite.
-J Nunca a missSo de legislador foi mais on|jil do que a vossa actualmente.
Tendea de confeccionar um ornamento, attendendo o servido publico, nSo o desorga-
nisando, dentro de urna receita insuficiente para as despezas at agora consideradas
ordinarias.
E' preciso, pois, nma transformado, um supprimento, talvez, de hbitos in-
veterados, procedente de longos annos, legados pasados dos prrtidos polticos, que
cabem aos partidos politicos que sobem, para que todos, despidos de antigualhas, de
retaliacoes e caprichos, possamos nos encontrar unidos no generoso pensamento do en-
grandecimento da provincin.
Tanto mais penosa a tarefa tanto mais glsriosa a missao.
Pouca poltica, muitas finanzas ; seja esse thema do governo, tbema tambem
da Ilustrada Assembla Pernambucana.

FAMILIA IMPEHAL
.
Na Noite de 27 para 28 di Fevereiro nido, conforme transmittio-me pelo
telegrapho S. Exc. o Sr. presidente do conselho de ministros, S. Magestade o Impe-
rador, que se acha em Petropolis, soffreu um accsfso febril o congestao hepathica.
Gracas a Divina Providencia, porem, trde daquello mesrao dia, j o seu
estado nSo era grave, e assim continuou hontem sielhorando sempre seasivelmente,
pelo que de esperar que em breve esteja do toda restabelecido.
A preciosa sade de Sua Magestade o Imperador e da Sua Imperial Familia,
sempre motivo de sinceros desvellos por parte dos brasileiros.
A Serenissima Princesa Imperial D. Isabel, Condessa d'Eu. e seu augusto
esposo, eatao de viagem Europa, de onde, toasts, regressarao nestes poucos mezes.
ELEigES I
Em virtude de decis&o do tribunal competente, expe ii ordeas para proceder-
se de novo, a 23 de Dezembro 10 e 22 de Janeiro eleiyao de juizes de paz das pa-
roebias deNossa Senhora da Sade do Poco da Paqella e S. Jos de Belmonte e dos
districtos de S. Jos e S. Pedro em Iogazeira.
Tendo a mesa eleitoral de Ouricury me paltecipado qua nSo fora possivel
concluir hora legal a eleicSo, que, segundo as ordans desta presidencia, se proceda a
25 de Novembro do anno passado para vereadorea juizes de paz do quatriennio cor-
rente, expedi novas ordens, designando para isso d dia 15 do Fevereiro; adiei, po-
rem, esse acto para 15 de Abril prximo vindouro, attendendo assim ao que repre-
sentou-me a respectiva Cmara. .
Tambem dosignei o dia 15 de Fevereiro para a eleicao municipal de Taca-
rat, que nao pudera ser procedida a 25 de NovembYo.
Marquei o mesmo dia para preenohimento sU vaga do vereador da Cmara
Municipal do Cabo, Joaquim Maooel do Reg Barren, qua falleoeu, e o dia 2 de Abril
para o mesmo fim quanto ao faecimento do reeadclp-de fetrolina Joan Cielho Rodri-
gues.
Tendo prestado juramento e assumido o exerciojo alguas vereadores da C-
mara de Cimbres e constando-me de informado do respectivo jaiz da direito que na
quelle municipio apenas se proceder ao Ia escrutinio, no qual nSo foram eleitos todos
os vereadores declarei que nSo podia entrar em exercicio a nova Cmara ainda in-
completa. De vendo, por isso, continuar a seguir a Cmara transacta, determinei ao
respectivo presidente que quanto antes procedesse nos termos do art. 119 do regla-
me nto eleitor. 1 quanto a desigaac&o de dia para o 2* eserntinio.
Por ter a Cmara de Ouricury participado que se achava em ruinas a igreja
parochial, desigoei por portara de 12 de Fevereiro, o paco da munpalidade para
sede doB actos eleitoraes.
NATURALISaQES
Conced carta de naturalisacao aos subditos
Gongalves e Manoel de Azevedo Cruz.
portuguezes Manoel Francisco
(Continuar-se-ha.)
?ARTE OFFICii
Governo da Provincia
fall que Assembla Legislativa Provincial de Pernambnco
no dia de sua installaeo a de Mareo de 1889 dirigi
o En. nr. presidente da provincia r. Pedro Vicente de
Azevedo.
Srt. membros da Auembla Legislativa Provincial. ,
Pela segunda vea cabe-me a honra do assistir a ntallaclo dos vossos traba-
lhos, instruindo-vo8 do estado dos negocios pblicos e das providencias, de que mais
precisa a provincia para seu melhoramento.
Este dia todo de espranos?.
Empreguei quanto esforco me foi possivel, no empenho de bem conhoeer os
diversos ramos de servicos a cargo da administraco.
Se o resultado nao correspondeu ao trabalho; que o suppra a boa vontade
de acertar. .
O pouco que tenho feito nlo senlo cornejo de muito que podere fazer,
merecendo o auxilio das vossas luzeB, experiencia e patriotismo.
As Assemblas Legislativas Provinciaes, por suas elevadas funcjges, muito
podem concorrer para o bem geral.
E' por isso que n'este momento valtam-se para vos todas as vistas.
Execntor fiel da lei, sem outro pensamento que nSo sej o de urna dedicacSo
sincera e permanente aos nteresses da provincia, aguardo vossas deliberacBes para cura-
pril-as, com f de que serlo sempre justas e acertadas.
Contina a ser motivo de preoccupac&o para o governo o estado financeiro.
EstSo sendo fechados com dficit todos os ltimos exercicios.
No de 1884 a 1885, sendo a renda ordioris de 2,171:8420994, elevou-se a
a despeza, deduzidaa as subvencSea addicionaes a 3,215:981(}385, correspondendo a
am defic de 1,044:138*391. nil.ftco,5M
^ No de 1885 a 1886, a receita simples, liquidada, foi de 2,44o:2o206iM a
despeaa de 3,353:2330749 dficit 907:981(5117. ._, _
A receita oreada pelo Thesouro para 1887 a 1888 de 2,822:2690120, e a
despeza de 3,477:5440551, o que importar um dficit de 655:2750431.
Sem alteracao para mais as fontes de rendas aotuaes, nSo de presumir que
falhem as premie*, e tenhazoot augmento de receita.
EM ADDITAUEHTO O EXPEDIESTI DO DIA 3 DS f E VE -
REIBO DE 1887
Officio :
Ao eogenbeiro chefe da Reparticao das
Obras Publicas Iuteirado pelo qne me informa
Vmc. em seus officios de 14 e 19 de Janeiro findo,
do estado da fiscalisaco da illominacio publica
do Recife e Olinda, por onde se v :
1* que em 1859 um s fiscal inspeccionava todo
esse servico, que pass n em 1864 (lei n. 596, art. .
20) para essa Reparticao com auxilio de diversos ,
agiotes policiaes ;
Mais tarde, pelo regulamento de 21 de Ontubro
de 1870, que em parte ainda vigora, foi a ci Jada
do Recife dividida em quatro districtos de fiscali
sacao, e Horneados quatro guardas, percebendo'
remnneracao equivalente ao sold de um l9 sar-
gento d3 cerpo de polica;
Estes guardas foram em 1872 levados a cinco,:
em 1879 a sete, em 1880 a dez e ltimamente'
(1885) a doze, com os dous da cidadede Olinda.
2 que os vencimentos destes guardas, destina-
dos a substituir as pracas rondantes da polica,'
tambem foram sendo elevados gradualmente ;
A lei n. 1064, de 13 de Junho de 1872, sem
crear-lhes mais obri;acoes, mas, ao contrario,
quando estas diminuiram, visto que embora tivesse
bavido augmento de lampeos, comtudo com o
maior numero de guardas dimiuuiram-se os dis-
trictos fiscaes, elevou os vencimentos dos guardas
a 8004000 ananaes para cada nm ;
Esta remuneracao subios l:0O0*C00 em 1882
(lei n. 1658 de 6 de Junho;)
Neetaa condicoes, embora deixe-se de paisar a
fi8calisacio para a polica e continu a cargo de
Vmc comtudo convra r gulansal-a devidamente;
para o quu, confiando na sua experiencia do ser-
vido, recommendo-lhe que formando nm projecto
de reforma do regulamento de 21 de Ontubro de
1870, no qual dividindo as cdades do Recife e
Olinda em districtos dentro de ama verba de des-
pezas correspondente aos vencimentos dos dos
sargentos, conserve o numero de guardas actuaos
ou supprima-os pela metade, como lhe parecer me-
Ihor, com obrigaedes oeste caso de fazerem o ser-
vico montados a cavallo.
Era qualquer dos alvitres que escolha, podorao
ser aproveitados para os lugares de sargentos da
Iluminar;Jo, o actaaes guardas, se Uso lhes con-
vier, ou serio exonerados.
Este servico pode ser feito tambem como at*
agara, pelo menos com redcelo de despezas ; e
em tal caso nao de despresar mais essa econo-
ma para os catres pblicos, que em tudo precisa
ir colhendo aiguma ecusa para resistir ao dficit
orcamentario.
XPEDlBKTX DO DIA 7 DI FEVEREIEO DE 1887
Actos :
O presidente da provincia, de onfjrmidada
com a prop'Bta do Or. chefe de polica em officio
n. 105, de 4 do corrate muz, resolve considerar
sem tffeito a portara da 19 de Janeiro findo, na
parte em que nomeou Antonio Bezerra da Silva
Pereira 3o supplente do delegado do termo de Pal-
mares.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
O presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do administrador dos correios. em
officio de 4 do corrente, sob n. 74, rzsol ve, nos
termos da lei o. 2794, de 20 de Ontubro de 1877,
nomer Mana Gomes de Moura Coutinbo para
excrcer o cargo de agente do correo da povoacio
de Alagoa Secca, vago pelo tallec meato de Vicen-
te Mans da Silva Borges.-Oommnnicou-se ao
administrador dos correios.
Officios:
Ao Dr. chefe de polica.Traasmitto a V.
S. copia do aviso do Ministerio dos Negocios da
Jusc?, de 10 de Dezembro ultimo, para dar cum-
plimento na parte que lhe competir.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Declaro a V. S. que em aviso sob n. 4, de 22 de
Janeiro ultimo, o Ministerio da Agricultura, Com-
mercio e Obras Publicas, approvou os contratos
feitos com D. Dalfina do Najcimento Dantas,
Airiano Augusto de Almeidu JordSo e Jos Do-
miugues Mata, para o arrendamjnto dos predios
n. 59, da ra Nova de Santa Rita, telheiros sitos
no fundo do predio n. 61 da mesma ra, e dous
armasens no caes do Ramos, para servirem i re-
particao encarregada da conservacao dos portos e
suas dependencias.Obmmunicoa-se ao engenheiro
director da reparticao encarregad da conserva-
cao dos portos.
Ao mesmo.Para os Gas coa venientes trans-
miti a V. 8. a portara dj governo imperial pro-
rogando por seis mezes, sem vencimento, a licenca
concedida em 8 de Fevereiro do anno passado, ao
bacharel Antonio Luis de Mello Vieira, professor
de pbilosophia Jo curso anriexo Faculdade de
Direito do Reeife.
Ao mesmo. Communico a V. S, para os
fina convenientes, que o promotor publico da co-
marca de Cimbres, bacharel Alfredo Seraphieo de
Assis Carvalho, em 2 do corrente interrompeu o
respectivo exercicio para entrar no goso de um
jiez de licenca que lhe conced em 22 ]de Janeiro
para tratar d sua sanie. -
__Ao mesmo.Nos termos de sua infofmacao
de 1 do crreme, n. 63, mande V. 8. fornecer o
almoxarifo do presidio de Fernando de Noronha
com a quaotia de 5:0994519 rs. de que trata o in-
cluso orcamento, afim do oec.rrer ao pagamento
das deapezas com o pessual e material de mesmo
presidio, relativo ao mes de Janeiro prximo pas-
eado.
Ao mesmo.Communico a V. S. que, se-
gundo o aviso do Ministerio da Agricultura Com-
merco e Obras Publicas de 24 d* Janeiro ultimo,
sebn. 1, foi o bacbarel Antooio da Cunha Xavier
de Andrade relevado por equ'dade da multa du
2000J0 imposta por esti presidencia de ordem
do mesmo Ministerio, par ter preterido como jais
de direito da comarca de Iguantss a seue dous
cscravoB DesideriS e Prescilla, que ahi deviara. ter
sido alforriados por conti do fuudo de emincip*-
c5o. em audiencia de 31 de agosto do 1880, visto
que o mesan bacharel, por acto pjBterior mostrou
nao ter bavido mi f de sua parte.Couimunicot-
Se ao presidente da provincia da Parabvba.
j Ao engenheiro encarregado d^a obras mili-
taros.Autoriso V. S. a maudar fizer a reaova-
c2o geral do eucnoamento de gtz e enllocar os
canbustores de que precisa o quartel doHispici,
eatendendo-ee p.tra isso com o gerente da respec-
tiva empresa, segundo o orcamento por elle apre-
sentado, na importancia de 8074550 rs., e que veo
aunexo ao seu officio n. 98, de 18 de Janeiro findo,
preveniodo V. S. *; mesmo gerente que o paga-
mento daquella quantia ficar dependente da con-
cesso do crdito que em data de 4 do corrate foi
solicitado do|Miuisterio da Guerra.Communicou-
se ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Ao inspector da saude do Porto.Acabo de
receber do Exm. Sr. ministro do imperio o se-
guinte telegramma:
Providencie V. Exc. para quo nao sejam re-
cebidos nos portos dessa provincia os navios pro-
cedentes do Chile, sendo intimados para que si-
gam para a liba Grande.
O que communico a V. S. para os devidos fins.
Ao coronel Manoel do Nasi-imento Vieira da
Cuoha, presidente da Cmara Municipal de Igua-
rass, t quatriennio findo.Respondo ao officio
de 3 do corrente mez declarando a V. S. que a C-
mara que find'.-u nao contina em exercicio ; d
juramento e posse acs novos vereadores, qualquer
que seja o numero dos que comparecerem e o mais
velho destes assuma a presidencia interina e pro-
ceda na forma da lei para que baja sessao.
Ao tenente-coronel Antonio Cesarlo da Silva
Brasileiro, commandante superior ia'erino da co-
marca de Garanhuns.Fico inteirado pelo officio
de 12 de Janeiro fiado de haver V. S. assumido o
commaudo superior interino da guarda nacional
dessa comrca, por ter fallecido a 10 do mesmo
mez o respectivo commandante superior, coronel
Antenio Baptista de Mello Peixto. -
Ao director do Arsenal de Guerra. O Mi-
nisterio da Guerra em aviso de 21 do corrente
declara que aguarda o futuro exercicio de 1888
dar mandar fornecer a esse Arsenal a lancha, o
escaler e os turcos de que trata o officieio de Vmc.
de 1 de Dezembro ultimo, sob o. 716, e antorisar
a coastruccao de um teiheira para abrigo das di-
tas embarcacSes, visto nao existir no actual or-
camento crdito para occorrer ao pagamento de
taea despezas. O que lhe communico para seu
conbecimanto e em respoata ao citado officio.
Ao mesmo.Autoriso Vmc. a mandar rece-
ber e recolher a esse Arsenal os artigos bellicos e
caixoes de que trata c officio do gerente da Com-
panbia Pernambucana, de 1 do corrente. sobre
que versa a sua informacSo n. 860, do 5 desee
mes.
Nesta data exijo do director do presidio de Fer-
nando de Noronha a remessa do tormo qne alin-
de a dita informacao.Communicou-se ao gerente
da Companhia Pernambucana.
Ao meatno. Constando de participacao da
Intendencia da Guerra, de 29 de Janeiro fin i i,
n. 86, terem sido embarcados no vapor landos,
procedente do sul, sete caixoes desti nados phar-
macia militar da provincia do Rio Grande do
Norte, assim o declaro a Vmc. para sen conheci-
mento e devidos fins.
Ao inspector do Thesouro provincial. Em
additamento ordem de 28 de Janeiro fiado, de-
claro a Vmc. qne n'ella nao se comprehendem os
prefessores pblicos que, em virt.uie do disposto
no art. 115 do regulamento de 6 de Fevereiro de
1885, e nos termos de um processo de habilita-
cao, LstJj no gozo da gratificacao addieonal no
mesmo artigo estabelecida.
Ao Dr. procurador fiscal do Tbsouro Pro-
vincial.Remetto a Vmc. os papis juntos, refe-
rentes ao contracto celebrado cura o commenH>idor
Je s da Silva Lovo Jnior, pela lei provincial n.
1854, de 15 dn Junho de 1885, para o estaboleei-
ssento de linhas qne transmittam a electricidade
para a los e o movimento, afim de que, com a
possivel brevidade, emitta seu purecer sobrn a
effectividade da eoncessao do privilegio, ou parte
juridis
Ao engenheiro chafe da neparticlo das
Obras Publicas. -Para os devidos fins coinmuneo
a /me, que approvei a planta que se refero seu
officio n. 25, de 4 do corrente mez.
Ao mesmo.Sirv*-se Vmc. de emittir pare-
cer, com a possivel brevidade, quanto conve-
niencia e vantageus para a provincia, sobro o con-
tracto e privilegio concedidos pela lei provincial
n. 1,854, de 15 de Junho de 1885, ao commenda-
der Jos da Silva Loyo Jnior, para o estabeleci-
mento de liabas que transmitta'o a electricidade
para> a lux e o movimento.
Ao engenheiro fiscal da estrada d* ferro do
Reeife ao S. francisco. Remetto a Vmc, para
os fias convenientes, copia do aviso de 28 de Ja-
neiro ultimo, sob n. 5, no qual o Exm. Sr. minis-
tro da agricultura, commercio e obras publicas
declara que alo proe-Jem as razoes -.llegadas
pelo superintendente dessa estrada de terr> a in-
gerencia do go?erno na organisacao do quadro do
pessoal da mesma estrada de ferro e fixaco de
venc'mentos, pelos motivos constantes dos avisos
de 21 de maio de 1883, onfirmados pelo de 31 de
Outubro do mesmo anno ; assim como na coi.cea-
si) de licencis com vencimentos, visto que o go-
verno nao se oppoe a que o licenciado percha
vencimentos integraes no caso de que sen substi-
tuto desista da parte que lhe couber pela substi-
tuidlo.
Ao presidente da Cmara Municipal do
quatrieaio findo de Alagoa de Baixo.Constando
do officio junto por copia ao Or. juiz de direito da
comarca de Ciinbn a que nao se coucluio a eleicao
de ver.adores e juizes de paz desse municipio para
o quatrienio correte, tendo apenas havdo o 1.
escrutinio no qual foram eleitos todos os vereadores
n5 podiam entrar em exercicio a nova cmara
aiuda incompleta, cumpro por isso que conti-
nuando em exercicio a cmara autiga Vmc. proce-
da quauto antes nos termos do art. 199 do regula-
mento expedido cem o decreto n. 8213 de 13 de
Agosto de 1881.
Chame Vmc. a attencSo da respectivo mesa elei-
toral para as disposicoea Jos ar'.s. 149 2, 202, 209
e 234 3 n. 1 do citado regulamento-, quanto i
cxpedicio de diplomas aos juizes de paz e vereado-
res, substituido e multa dss msanos que se recu-
sir m a assignar as actas eleitoraes.Remetteu-
se copia ao Or. juiz de direito da comaica d
Cira ores e .o vereador da referida cmara Cuca-
no Gomes Patriota.
Ao presiaente da Cmara Municipal da Gloria
de Goita.Respondo ao officio de 7 de Janeiro
findo, declarando a Vmc. qne se a cmara nao se
reunir por falta de uuraer.< e nao deferir juramen-
ta em aessSo aos uovos eleitos, essa aUribuico,
bem como a de chamar para presidente provisorio
o raais velho dos vereadores novos, compete ao
mais votado dos ex-vereadores presentes ou mesmo
ao nico que ss apreseutar.(Aviso n. 181 de 20
de Abril de 1861,,n. 70 de 16 do Outubro de
1883,.
Assim constituida a nova cmara, sob a pres
dencia do vereador mais ve\a>, que se h presentar
este far proceder immedi&tameate em seguida
eleicao do presidente e vice-presdente, e caso para
isso nao possa constituir sessao por falta de ve-
rea lores novos, suppl-mtes para haver maioria,
convocar ento os iinmediatos precisos para per-
fazer raaioru dos membros da cmara, sendo que
os cidaaoes convidados a tomar ass-.-nto com ve-
readores eff ctivos ou supplentes, uSo cumparecen-
do, p.dem ser compellidos por meto ne maltas, na
forma do art. 28 da le de 1 da Outubro de 1828 e
afinalprocessadoscrimiBalmeute (art. 128 do codg.
pcual.
Portaras:
Com a c >pia inclusa da informacao n. 23 pres-
tada em 4 do corrent.i pela reparticao das Obrss
Publicas respoado ao officio u. 4 que a Cmara
Municipal do lijcif* dirig -me a 26 de Janeiro
finia sobre o concito do um pra'.ilhio existente
na estrada Joao Fernandez Vieira.
Trausraitto Cmara Municipal do Recite,
para os fias conuenieutes a plauta devidamente
approvada dos terrenos, a que so refere eeu officio
n. 3 de 26 de Janeiro fiado.
De vol vo i Cmara Municipal de S. Bento o
bataneo e ornamento annexoa ao seu officio de 31
de Janeiro findo, afim de que sejam orgauisalos
de accordo com os modelos a que al lude o art. 99
da lei n. 1221 de 21 de Junho de 1875.
Chamo a attencao da Csmura para as dispo-
coea dos arts. 81, 89 e 90 da citada lei 1221.
Deicr-uiuo Cmara Municipal de Petrolina
que expeca as devidas communicacoes aos juizes
de paz e d as dermis providencias do ertylo afist
de que se preceda Desse municipio no dia 2 de A
prximo vindouro a eleicao de um vareador, ,
substituir,ao do cidadao Joao|Coelho Rodrigues^*)
falieceu, segundo declarou-me o presidente deesa
Cmara em officio de 15 de Janeiro findo. MH
O Sr. agente da Companhia Brasileiro. de
Naveglo a Vapor, fa?a trinsportar provincia
da Paraliyba, por conla do Ministerio da Guerra,
no vapor ufanaos, o capitao Joaquim Podro do"
Reg Barros que veo depor no processo instaura- -
do ao brgadeiro honorario do exercito Francisco
Joaquim Pereira Lobo. Communicou-se ao ge-
neral commandante das armas.
O Sr. arente da Companhia Brasilera de
Navegac&o a Vapor faga transportar i provincia
do Para, por cunta do Ministerio da Gaorra, no
vapor Manaes, as pracas mencionadas na reluci
junta por copia, as quaes vo fazer parte dos cor-
pos all existentes, segundo determinou o mesmo
Ministerio em 4 do corrente.Commuaicou se ao
general commandante das armas.
O Sr. agente da Companhia Brasikira de
Navegacao a Vapor mande dar passagem de r,
na primeira oppoitunidade, para a provincia do
Para por cinta do Ministerio da Marir.ha, ao pra-
tico Rayraundo de Souza que tem direito a essa
passagem de conformidade com o contracto feito
na capitana do porto daquella provincia para di-
rigir a nado o vapor Purs do porto dalli ao desta
cidade.Communicou-se so commandaate do va-
por Purs.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem de r at Aracaj, na pri-
meira opportnnidade, Amynthas Jos Jorge por
cont". das gratuitas a que o governo tem direito.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
mande dar passagem de proa at e presidio de
Fernando de Noronha no vapor que para all se-
gu a 10 do corrente, a Maria Moreira da Silva
mulher do sentenciado Jos Fransisco de Mello,
por conta das gratuitas a que o governo tem di-
reito.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco faca transportar, por
conta dos pasees gratuitos a que o governo tem
direito, da estacao de Cinco Poatos de Ipjuca,
oito pracas do corpo de polica que para all se-
guem em diligencia, requisicao do respectivo
juiz municipal, providenciando tambem quanto ao
regresso das mesmas pracas.
EXPEDIENTE DO 8EC8JCTABI0
Officios ;
Ao agente da Companhia Brasileira de Na-"
vegacao a Vapor. Oe ordem de S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, aceuso o recebimento do
officio de hontem, no qual V. Exc. communicou ^.
que o vapor Mandos chegou dos portos do sal, asJH
10 e meia horas da manb e seguir para os d*
norte boje s 5 horas da tarde.
Ao Sr. agente da Companhia Brasileira de
Navegacao a vapor.De ordem de S. Exc. o Sr. ,
presidente da provincia, aceuso o recebimento do
officio de hoje, no qual V. 8. communica que o
vapor Mrquez de Caas, chegado da Bahia e es .
cala, regreesar no dia 10 do corrente.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, aceuso o recebimeuto do officio de 4 do
corrente no qual V. 8. participa qce no dia s -.
5 horas da tarde seguir para os portos do sul,
at Aracaju', o vapor Jaguaribe dessa companhia, j
no dia 10 ao meio da, o vapor Qiquid para o ^
presidio de Fernando de Noronha. Fizeram-ss^j
as devidas communicacoes.
. Ao'inspector da Thesouraria de Fazenda. **
O Sxm. Sr. presidente da provincia manda remet-
ter a V. S. cinco ordena o Thesouro Nacional, da
ns. 12 a 16, assim como urna circular do .Viniste-
ro da Guerra, de 25 do mez prximo findo.
Ao juiz de direito da comarca de Caroar.. j-
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
communico a V. S, que no seu officio de 29 de J.i-
neiio fiado, proferio se o seguate despacho:
Ao Sr. Dr. chefe de polica para providenciar.*
Ao juiz municipal do termo de Timbaba.
De ordem de 8. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, commnnro a V. S, que por decreto de 15 de
Janeiro findo, toi removido o juiz de direito Luiz
ferraba Maciel Pinbeiro, da comarca de Tirabafi-
ba para a de Breves, na provincia do Para, sendo-
Ihe marcado o praao de 5 mezes para entrar em
exercicio.
A' V. 8., compre portanto, fazer ao referido juiz
a notifieacio de quo Iratam os arts. 3 e 4 do de-
creto n. 8,266, de 8 do Outubro de 1881, constante
do impresso aqu junto.
EXPEDIENTE DO DU 8 DE FEVEUEIBO DE 1887
Actos:
O presidente da provincia, de conformidade
com a propoeta do Dr. chefa de polica, em cfficia
n. 110, de 5 do corrate mez, resolve nomear Pau-
lo Baptista de Jess, 2 supplente do subdelegad ..
do districto da Boa-Viagem.
O presidente da provincia, tendo em vista o
officio n. 40, de 5 do correte mez, do inspector
geral d* Instrucco Publica, do qual consta ter
pouca frequeucia a cadeira de eusiuo primario do
sexo masculino do Arraial, resolve, usando da at-
tonsaco conferida pelo art. 215 do regulasaento
de 6 de Fevereiro de 1885, supprimir a referida
cadeira, vaga pelo fallecimento do respectivo pro-
fessor Jacintbo Heleodoro Alves Cavaleante, vUto
nao haver pr.juizo para a instrucco publica.
Commuaicou se ao inspector geral da lustro
Publica e ao Thesouro Provincial.
O presidente da provincia attendendo as que
reqnereu o Dr. Francisco Piuto Pessoa, lente da
Faculdade de Direito do Recife, resolve conceder-
Ihe 3 mezes de licenca com os vencimentos a que
tiver direito nos termos do decreto n. 8,488, de 22
de Abril de 1882, para tratar de su* sade, onde
lhe convier.
O presidente da provincia, tendo em vista o
exposto pelo inspector de Thesouraria de Fazenda
em officio de hoje, n. 75, resolve, de accordo com o
decreto n. 2,884, do 1* de Fevereiro de 1862, abrir
um crdito ns importancia de 7:0424893, sendo
2:9144140 verbaCorpo da armada, e........
4:1284453, iForca naval, do Ministerio da Ma-
rinba, exercicio vigente, afim de occorrer ao paga-
mento de vencimentos que corre pelas menciona-
das verbas. Reinettcu-se copia ao inspector da
Thesouraria de Fazenda.
Officios :
Ao bispo diocesano. Submetto a conside-
racSo de V. Exc. Rvma., a copia do officio do Dr..
chefe da polica, n. 111, do 5 do corrente mes,
acompaando de outro em. que o delogado do tem)
de Correntes, representa eoutra o pfocediinento do
respectivo parocho.Communieone ao Dr. cbeCs
de polica.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Declaro a V. Exc. que Siediante as conliees
constantes do termo juuto por copia ao seu ifficio
o. 179, de 30 do corrente, poder ser contratado o
bacharel Joao Fcrrcira e Almeida Guimar-s,
psra serrir cumulativamente ns argos deadvoga-
do e solicitador dessa Sar.U Gas, em Olinda, me-
diante o honorario annual de 48'>4-
Ao Dr. :hefe de polica. Autoriso V. S. a
maudar encadernar a correspondencia cfficial Ao
administrador da Cisa de Detencao cora diverjas
autoridades durante anno fiad') Assim ticam
respoodidos os seus offiei's ns. 38, 103 e 113, de
17 de Janeiro fiudo e 3 c 5 do corrente. Com -
municou-se ao inyector do Thssour > Provincia .
__ Ao inspector da Thesouraria de Fas-oda.
Sos termos de si loformico de 5 do corrente,
';


neesj

fcf
_
\


%v
E
ti L aIgg^^g^^^^"
a. 72, mando V. S. pagar o Dr. Fraocisco Jacin-
tho da Motta, 1 cirurgiAo do cot^o de H*d'*K>
ejercito a crtot*o "* importancia de ll*l>oo,
qn lh^ ou.[Kt<;,por baver exercido asfunccoes de
. encHrroe',l1 do de Norotiha, nJarnnte o periodo, deeorrido de 21
de Uutubro al de Novembro do anno prximo
pues do, em que eateve licenciado respectivo
pharmaceutico.
g_ A ineemo.Remetto u V.S. paaa.08 fiuacan-
veninte<. as iocluuu noU do gas aasamiitasaal
Arsenal d Gutrra,.aawaaBa o mande aaaeroa-
do e beui a>sim a atar raar justa pawaapia,
eogenhor i cucarra ri > 'atol oaaaa infusares,-*
honte n datada M .. SUS. relativa ao iim-aa
COIISOIOO.
- A. meamo.Infcr-oe W. 8. com agenca,
aosoto existe uin o ataaitode dous aontoi.de
r. conc-dido para JuacertaMirgaute esa jaroprua
agilitaros de que trate a daroonstra*o auoesnaa
ordem da guerra de .-da -Otubra do anno paa-
__' Ao inernno. Approvo o deipacho preterido
ytr V S- ui sP3sao da aotano requerimento do
)r. Jos Hygino Doarte Pereira lente da 3 ca-
deira do 5 aono da Faculdade de Direito, era o
qual padia pagamento d gralificaeao par uavor
tunceonado no mea de Novembro ultimo na ban-
ca de na'! do 8 anno da mema Faculdade,
vato com ofo tendo havido o leato substituto^m
disponibilidad- c**o da probiaicilo dutoraaada
pelo jmuo de 10 de Oeaeabva .aassado a aeuinu
laca de qae a ira fot regular.
A-sim na respondido ara oficio de 3 do oor
ente n 66.
Devolvo-'.he a patieo do msocionado Ot. J-we
Hygino.
Ao moamo.Remeti a V. 8. para os debi-
dos filis, copia do aviso do ministerio da Justina
de*21 de Janeiro otia telatvo a distribuala do
todito para auxilio a ferca policial desta provin-
cia no cotrcuUf -xercietn.
Muala Mutandit.Ao inspector do The-
nurc.
f3 Ao director ('a Cetonia Orpbaoalogica 1.a-
\\.__Trauamitlndu o aviso de 24 de Janeiro fin
do, constante do mpreeso junto, espeto que V.
Rvm i. se esforcar afiro de que por p*re desta
provincia ; tenha xito o poaaauFuto do Bxm. Sr.
ministro di negocios do imperio de enriquecer a
eoll.<\JV> teebinlogio* do laboratorio de cdmica
industrial da escola Polythenicn, mmestundo a
secretaria tiesta presidencia as amostras que pu-
der obier dos productos naturaea, menenuados ao
referido impreaso.
Matatis Mu'anditAon Imgaminto da estrada de ferro e a reparticaV d-.s
O aras PaMieaa.
Ao eapitao de fragata corotnandaute do va-
por Puru*.Concedo a aut irisac.i que snlieuou-
rae V. S. esn .oficio de 5 do orrente n. 109 para
remetter a Thesouraria de Faaeada as tolbas de
pagaueuto dos veacneatos da guarnicio desee
vapor, coneeroentes ao snec de Janeiro ultimo, fi-
cando .iss'Ui reapoudid' o citado oifico.Commu-
nicou- se ao iuapeetor da Thesouraria de tt>a-
d.
__Ao eommandantfi superior da guarda nacio-
nal da comarca de (Joyamia. Declaro a V. 8.
era ree posta ao swu oficio de 15 de Janeiro findo,
que, segando coaita de informacio do ebefe de
polica de 5 da corrate n. 112, foram dadas as
necessarias oriens no sentido de seren apseseo-
tadas peiaa as autondadea pol;eiaea as re!c de-
que ti ata o citado oficio.
Ao director do Arsenal de Guerra.Remet-
i a Vmc. ss inclusas propostas que ficam appro-
vad-is, aceitas peto conselho de compras desse Ar-
senal, era aoasao'da 20 de Janeiro findo aara o
fornecimonto de artigo destinados no 2- e 14-
bataibo.-s de infantaria, compaobias da meenta
arma das provincias da Parabyba Alagoas, de
eavaMnria desta proriacia, afim de que mande Ja-
rrar os respectivos contratos na canfornridadv do
regulameoto n. 5,118 de 19 deOutnbro de 1872.
Communicoswse ao iuspe.ct-.ir da 93besouraria de
Faz-nda.
__Ao commandhiite do corpo de polica.Scien-
te do orna Vmc. expoz no seu offiaio n. 3,020, de
i a i crrente mes, reccmmendo-lhe qu substitua
o deitaoaments do Buraco. Nesta data providen-
cio no seotido deoesar o aboso das autoridadas
policiaes eaipregarem pracas de destacamentos em
iervicoa particulstes.Communicou-ee aoDr.che-
f de policia.
i __ Ao mesmo.Respondo ao oficio de Vmc. da-
ptado de 18 de Janeiro ultimo, n. 2,050, declaraa-
do que o ofacial emferui o em tratamento em Ma
propria casa, continua a perceber sold par ntei-
ro, perdenda todas as vantagene que sao as grati-
ficHepes devidas nicamente pelo eflecti vo eaer-
cieio
Essas gratificaces. com inclusio da forragem
aara a cavalpadnra que ficou no quartel e perteo-
ee as fuucces do scal do oorpo, o substituido
pense as em favor do aub ututo, na eonformida-
vembro de 1873 e mais dispoiieoes provimsiaea
Portarms :
__Constando de officios de 31 de Janeiro fia-
do di enmara municipal de Palmares que depois
de procedida a eieioao de presidente dessa cmara,
nati p6dR ser levada a- cffeito a de vice-preiideo-
te, por rerem se retirado alguna vareadoras, dea-
gostosos com a vo taca, nao sea lo psr isso p >s-
iivel constituir iessao, declaro a mecsaa cmara
que dever convocar es iinmedi*tos precisos para
prxtazer mni 'ria dos membros da cmara, sendo
que os cidados convidados a tomar asseato co-
mo vereadores effectivoa ou supplcntes, nao com-
Bireceude podes ser compeUidos por meto de
sanltas na forma doart. 28da lei de 1' de Uutu-
bro de 1828 e final proceasados criminalmente
(trt 128 do cdigo penal).
Acensando o recebimento do oficio de 14 de Ja-
neiro fiado em que a cmara municipal do Alti-
aho Bdbinette a minha apprcvacao > cdigo de
postaras e o orcamento de receita e despesa para
O exereicio corrente e consulta se deven sor leva-
dos a praea ou arreeadados admunstralivameate
as impostos esss municipio, declaro a mesas c-
mara que apero vo provisoriamente o ref rido or
i amento, com exeepcao dos impostas cieado pela
cmara e aatoriso-a a refefr se peiaa postoras do
monicipio de Caraaru, at que a Assembla Le-
gislativa Provincial resol va em sua prxima re-
aaiao sobre a Mpprovacao do referido cdigo. Qj*u
to a arrtcaJaca. doa impoatna pode ella ser feita
por adusiuistracao ou anvmatacao conforme a c-
mara iulgar ou couvenientc avista da ai t. 52 da
lei n. 1,791 de 27 de Julho de 1883.
Aproveito a occas-o para reeommeiidar a c-
mara que remet a esta presidencia urna copia
do auto de iustaUacfto deaee municipio de coufor-
midade com os decretos de 16 de Novembro de
1832 e 22 de Julho de 1833, juntes pot copia, e
Wm assim uui novo orcamenlo para o exereicio
de 1887 a 1888 afim de ser opportunameate re-
mettido a mesma Asaembla, conforme determi-
nara osartigos 74 e 89 da le n. 1,221 de 21 de
Junbo de 1875.
__Circular as cmaras municipaea.Transmit-
tindo o aviso de 24 de Janeiro findo, constante do
impreaso junto espero que a cmara mauicipal de
............ae etforcara para qae por parte dea
ta provincia tenha xito o pensameuto do Eim. Sr
ministro dos negocios do imperio de enriquecer a
oelleccao tecbnoiogica do laboratorio de cbimica
industrial da escola polyteehnica, remetteodo a
secretaria desta presidencia as amostras qae pu-
d.r obter doa productos naturaea mencionados no
referido impreaso.
O Sr Superintendente da estrada de ferro de
Recite a S. Francisco, faca transportar da estacao
das Cinco Pootas a da Eseada, psr co.,ta dos pas-
ses gratuitos a que o gverno tem direito o2' ca-
dete, 2- sargento J.ao Ribeiro Pessoa de Lacerda
o cabo de esquadra, Joaquim trancisc de Carva-
lbo e eoldadi IJeruaidino Soarea de Franca; pro-
videnciando tambem. para que d'alii regraasem o
3' caileie 2- sargento Sycbranio Cardoso Bandei-
ra de Mello, cabo de esquadra Joio Fragoso da
Silva c anspecada Manoel Fraotisc> Alees.
IMano de J'ernanihwcoHuinta-cira 3 it Marf de 1887
i ii
1887
attendendo ao
Quicios :
HXrBDlEHTB DO SECRETAEIO
Ao nior director do Hoefiui militar da Corte.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia tenho
a honra de enviar a V. Exc. o incluso termo de
exame dos 10 caixoes remettidos pelo labolator.'o
chimico d sea Corte, contendo medicamentos e ou-
troa objectes com destino a pbarmacia militar des-
ta provincia e ju j^esidio de Fernando de Noro-
nha ficando assitn aatisfeila a exigencia contida
em efficio deasa aireetnria de 20 de Dezembro do
anuo pasiado, *vb u. >-
fkt Dr. 1- secretario da Assembla Legiala-
vincial.De ordem do Exm, Sr. presiden-
vinca, transmiti a V. Sn para 08 fias
convenientes, o orcamento da reccita e deapeaa da
cmara municipal do Brej orgunisado para o ex-
HbJc 1881 a
pis Ao meamoLe ordem do Exm. 8r. preai-
dente d ;>rovincia, tranamitto a V. S. para oafins
cenvenieiiees ; o balanso da receita edespefca, rio
exereicio de 1885 a 1886 e o orcamento p ra o de
1887 a 1888 da cmara municipal delra-irb.
Ae roesmo. De "rdem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia eomiauuido a V.S. que no ofi-
cia da 31 do Janeiro ultimo, u. 2, a qik> v--iO anue-
xo p no dos empregad'JS da secretaria dess'a as-
sembla ed respeotivos tachigraphos relativo ao
citado me' foi Jutfa.profcrido o despacho seguinle:
KasDetidoaut Sr.-nspeetor do Thmaaro provin-
ciwlpara asdessOasfins.
__Ao sasarnrfcis9e ordem do Exm Jh. prei>
t-dss^rovraaia.riTn tti a V. S. iasr* fim d
sabsBS-nda-a.alrhwracao da Aasembfa a m
potnaV I Islilla uto ii Perna buuana acomp.
,l da informagiojanta em orixinal ato TheeMBD
Prowncial de 19 de Novembro n. 257, eom rafe-
renoia ao pagamento d* gaantta de 28300:Bara
o qae nao ha cosdito uaaei.deaiiaiuadr _;
Ao meamo.Be ord-'m rrn'Eim. *r. presi-
dente da provincia, rcmetto a V. 8. afim de ber
sobm^ttido a delib-racio dessa aesemble, a in-
clusa pericio do Tbe Oree.t Railway CompanyL'-
m'ted. .-ra M ae lec'ama o ptRameoto da quantia
d.: 31850 de i.aasagens concodidaa em carros da
miri ~ -lh:- ? infamiacio ju.iu
ginal.prestada pelo T'nrsoiuo Provincial em 3 de
Novembro ultimo n. 27G. .
_ Ao c.mmandante do Corp) de PolicaDe
ordem do Exm Sr. presidente, da PDC,a;'""!-
mito a V. S, em solacio de seu oficio u. B068, re
21 le Janeiro, oooia do de u. 84 do Sr. Dr. chete
de p dicto dtalo de 29.
__ Ao presidente e vereadores da Cmara n-
minicipaldeTriumphoDe. ..rdeirf do Exm. t>r.
presidente da provincia d*v -Ivn a Vv. Se. o re -
mnti enviado com o sen rfficio de 24 dn Janeiro
findo afim de qu- dep-iis d- 'WM4
par. o exereicio de 1887 a 1888 e nao 1886 a 1887,
conforme se aeha escriiitn.
Bxrsnrsam! no Dt* 9 ob vevesbibO de
Acto :
O presidente da provincia
que requeren o juix muuicioal o de orpaos do ter-
mo de Boique bachtrel P.aln Caetano de Albu-
qu-rque, resol ve conc-der-lhe lo das de licenca
com ..rdenado na forma da lei para tratar de ana
aaud", devendo o p-ticicnario entrar no gasa da
referida licenca no praso de 15 diaa.
__ O presidente da provincia, attendendo aoqae
requerera joir manir.ipal e de nrpos do termo
de Floresta, hachare! Jr Mauricio Borges J-
nior, resolva concedcr-lhe 3 mea es de. licenca com
ordenado, para tratar de aua san de onde Ihe. con-,
vier, contar do da 16 de Janeiro prximo fin-
do.
0 oresidenteda provincia, attendondo aoqae
rrecnereu o juix de direito da enmarca de GarNnlf,
nacharel Agostin'io de Carvalbo Dias Lima, re-
aolv. eoneeder-lhe 3 merea de licenca com ordena-
do na forma da lei, para tratar de sua aaude onde
Iho c^nviir, devendo o peticionario entrar nogoao
da refarida licenca m praro d&15 dias.
O presidente da provincia, resolve conceder
exnneraco que padio o b ichar-l A'fredoierafi
co de Assis Carvalho do cargo de promotor publi
eo da comsrea de Cimbros e nomear, para eubiti-
tail-o o bacharel Joaquim Mauricio Wanderlry.
Officios :
Ao inspector da Thesouraria de. Fa. curta.
Envi a V. Exc. para os fins convenientes, a in-
cluaa relacSo d^s objectos esperados de Liverpool
no vapor Merchant para o servico da companhia
Recite DrsynHge que tem de ssr despachadas ua
alfandega livres de direitos a que- veio annexo ao
oficio do respectivo fiscal de 3 de corente.Com-
municu-8 ao fiscal da companhia.
Ao mesmo.Decan a V. S. para os fina
convenientes que segundme communiou o enge
nhairo Aristid-s Galvo de Queiros em oficio n.
243 de 7 do corrente nesta data reassuxiio elle a
direccao da reparficio das ohrae dn prolonnanien-
to daeatrada de ferro do Rceife a S. Francisco e
do Recife a Carust.Repindeu-se ao dito en-
genheiro.
- Ae onmmandante superior da pista nacio-
nal da comarca de Panellas..-claro a V. S em
respusta a seu oficio de 31 de Janeiro findo, que
segundo consta de informacio do chufe de polica
de hontem datada, aob n. 120, foraoi dadas aa ne-
cesssrias ordens no sentido de aerem fomecidas
pelas autoridades policiaes aa listas de qoe trata
o citado oficio.
Ao director do Arsenal de Guerra. -Antn
so Vmc. a recelier n'ease Arsenal 48 porta-ctovi-
U88 daa antigs armas a mini, que ja no se
aem neceaaaiiae na companhia de cavallarla
ka privincia, e 8 ennhetea vasioa, conforme
ta o brigadeiro commandante daa armas em o
n. 65, de hontem datadoCommuiiicou-se ao
commandante das armas.
__Ao director das obras publicas.Informado
pelo oficio de Vmc, n. 24, de 4 do carrete, de
que a despeza com o alague! de commodos para
guardar fenaraeutas, ebe a quantia de 1:368j
determino que a taca cessar, quanto antes, deveu-
do aqaellaa ferrarnentas o maia uteucilioa aer con-
fiadoe a guarda dos chefes de wrvico quando fra
da captol a aqu na propria reparticio e em ou-
tros edificios pblicos, que forrm desigoados caso
seta demasiadamente grande o numero de ierra-
mentas actualmente sera oceupacie.
Ao gerente da Compaohia Pernambucana.
A' visto do que expos o inspector da Thesouraria
le Faienda o n oficio de hontem, provi lencic
Vmc, afim de que a viajj-im ao presidio de^ Fer-
nando da Noronba, seja tranaferda par* o dia 14
do corrate.Fiaeram-sc as devidaa commuaia-
ces.
K''Cmaras MunicipaesCircularTruas-
mittiud i i aviso d>- 24 de Janeiro findo, matan-
te do impresso junto, espero que a Cmara Muni-
cipal de.....se esforcara, para que, por pnrte
d'esta provineia, tcuba xito o pensamento do
Exm. Sr. ministro do impeno de enriquecer a col-
leccao tcchoolotrica do labiratorio d- chimica in-
dustrial da Escola Politechnica, remettendo 4 se-
cretaria desta presidencia as amostras que poder
obter doa productoa naturaea menciouadoa no re-
ferido oficio.
Portara:
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
raaudc transportar gratuitamente ao presidio de
Fernn io de Noronha, cora passagen de pro i, a
Antonia Mara dos Res con?, um filao menor de
nome Mame1, a qual para all vai em companhia
de seu marido, o sentenciado ViUrdo Juatiniauu
Carneiro da Cunta, fieando sem efteito a portara
de 11 oe Janeiro U'ti-flo.
BXPEDIEaTS DO 8ECETAR10
Ao 1 eecretario da Assembla Provincial.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
mittir a V. S., para oa fina conveniences, copiado
oficio que dirigi boje Cmara Municipal do Al
tinho, relativo A approvacio do cdigo de postu-
ras e de sea orcamento, para o exereicio cor-
rate.
Ao ju de direito da comaica de Cimbrea.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S. que por portara de hoje oatada
foi exonerado, a pedido, do cargo de promotor pu
blico d'esta comarca, o bacharel Alfredo Seraphi
co de Aasis Carvalbo, e nomeado para aubstitoil-o
o bacharel J aqaim Mauricio Wanderley.
Edita I:
Por esta secretaria commauica-ae ao Sr. ba-
charel Joaquim Mauricio Wanderley que por por-
tara de hoje datada foi V. S. nomeado promotor
publico da comarca de Cimbres.
DESPACHOS DA PRE8IDKNCIA DO DIA l* DE
HABCO DE 1887 ,
Augusto Goncalves* da Silva.Informa o 8r.
administrador do theatro de Santa Isabel.
Apolinara Caetana de Barros Leite.Informe
o Sr. inapector do Theaonro Provincial.
Alexandre Jos Franciaco de Lima.Informe o
Sr. jais de direito da comarca de Bom Jardm.
Major Emygdio Ferreira de 8oaxa Magalhes.
^-Forneca-ac.
Franciaco Tbemoteo de Andrade.Informe o Sr.
Dr. chete de polica.
Franciaco Avila de Mendonca.-Indefendo, em
vista do art 62 do Regulamento de 24 de Feve-
reiro de 1874.
Francisca de Mendonca Pinto.Nos termos da
informacio do inapector geral da natruccao publi-
ca, nao pede ter deferimento o qae reqaer.
Francisco Tnemoteo de Andrade.Informe o Sr.
Dr. chefe de policia.
Gerente de LonJon Brazilian Bank-Limited.
Informe o Sr inspector do Thesouro ProvinciaL
Hereutono Hygino Nunes Bandcira.Aposti-
Ibeae.
Joa Joaquim FerreiraInforme o Sr. inapector
da Thesouraria de Faienda.
Jos Xavier da Cacha Alvarenga.Apoati-
Ihe-ae.
Joaquim Manoel Borgea Informe o Dr. jais
municipal do termo de Sanio Aatao.
Jas Ignaoio da CoalaSatisfeito com a in-
formacio do juix de direito do 2.* diatricto crimi-
nal do Recite.
Major Justino Rodrigues da Silreira.Furne-
oa-ae.
O mesmo. dem.
Manoel Francisco Ta vares.Intonsa o Sr. Dr.
hjl de polica.
ttobasjtiao Tav*raide O.iveir* BrandSo.Apia-
tilbe- '
Tranquilino Graetono de Moli LeitaO.Re-
mettido a Sr. reifeder doGymoaaio Pernambuca-
no Dar ccacindir u contracto.
Waldatr.i.ies Ptimitivada Fonsaca Telles.Jua-
tte o titalu.
SeiMttani 'la Presidencia de Pernam-
huco, eam .m-Marco-de 1887.
O Tiorteiro,
iFraneelino Chacn.
Baajsnrsttt asada IIfcasia
.*-cdaW St' -3L .209 Seoetaa da W
lidia de Ternarabuco, 2 3e "H-r-fi ^e
18S7. Illm. e Eim. Sr. Participa a
V. Exc. que f'iram hontem racoHltos a
(aaa de O-ten^ilo os seguintes invidans :
A' roinlia orden, Migaol Luia de Oli-
veirn, por -star sendo proceaaatlo pelo
sulilele-r^jo da Varzea.
A' orvhm o Dr fiel-gado do 2* riistric-
to da capital Manuel Pereira dos Santos,
eouhui'i'io por Pa'.aria, como indiciado em
crine do rrubo.
A' prdw do subdHiegado do Recite, J.
Andeson e Paul Hapab, a requisiao do
amara inglez.
A' orden do do 2J dtotri to de S. Jos,
Jos Ginyalves da Oliveira, por distur
uios.
O subdelegado do R;cilo em officio de
hont-.-ra partenipou-me ter naquella data
f-ito reiDeass ao Dr juie de direito do Io
litri;tj sri'uinal do nqu-trito policial proce-
dido eontr Antooio Rictritno d Silva,
como iodiiiad >. no art. 201 do coligo cri-
tnin.il.
Acaba de oommuni iar-me o-ai'i.-.dSo
Joa Al ves Barbosa, em offi:io datado de
tointim, ter assuiaido o exereicio do cargo
d- subiel"glo do 2o distriati da Boa
Vista, na qualidade de 2o suppiieante.
um gu.rd^a V. Exc. Illm. e Exm.
r. Dr. Pedr Vic-inte de Aa^vmlo, "iuito
Ana preeidi-nte Wa pro"rrn;H. O tthefo de
polica, Anbmio Domingos Pin o.
Thesonro Provincial
DESPACHOS DO DIA DE MARCO DE
1887
Joao Bastate Telles, libiiro & Aaneida *
BelUrinino Narciso de Auirade.Iuforme o *.
Dr. minitradir d Conauladi.
Franeisc > Tavares da-Silva Uav atoante, Me-
deiros Silvj & Martn*, Jo da Silva Liy i & r*i
Iho o Maria dos Martyrcs Tararea doa Santos.
Haja viata o Sr. Or. procira ir dos foi tos.
ajaman1 Pereira Bastes, iuspector geral da iu<-
truecii publica u Isabel H. Peixoto de Albuquer-
que. !nf. i- ne o Sr. contador.
Gustavo Mermoud Filho Satiafaca a exigen-
cia.
Mara Angela FarwdoCertfique-ae.
Cantas do comiuaado do corpo de polica.
Exaininem-ae.
Pontos da Ca* d- D-itucaj < d-i sasretirto da,
iu&trucci puhlici. Ko Sr. reedor para o$ dnvi-
dos Boa.
Manoel O Mesquita Card./so.Entregue-se pila
porta.
Consulado rovinclal
DEI'ACUOS DO DIA 2i DE KEVEItEIRO
DE 1837
Jos Ferreira Pinto.Deferid de accerdo com
a informacio do Sr. chefe da 1 seecio.
Franciaco Iffleaaas Lopes.Junte quitacilo do
sapoetu relativo ao 1* semestre.
Bemvenuto Cavalcaute de Mello.A' 1 seecio
rao devidos fias.
Amirico & Irmaoa, Matia Joaquina de Medsiroa'i
Rasgal e Joo Gom-a da Costa.Iirtorme a 1
lecciio. 1
l. de Marco
Maaoel Francisco d Barros RegojFrancisoo
Ridri^nes Vieira. Jos Mara da] Sosa Araajo,
desembargadur Henrique Poreira de Lucena.
Inforia-- a 1" aeccin.
ir. Lua Eraygiio Kodrguea Vianua.Deferido
de accordo com as iotormaees
Amorm Irmiloa & C.Deferido com relacao a
1* seecio.
Amonm Irmaos & C Deferido do accordo com
as nifoMiiiiCe.
sianoel Gomas Penn.Facam-ae as necea-
sirias declarago-a nos livroa de lancamento acerca
da traoafereocia *> estebelecmento a que alinde
ae accordo com as informales.
Olympio Francisco de Mel.'o e Silva.Deferido
de accordo com as iuformacoea
Luiz Alves Monteiro A' 1 aeccio para pro-
ceder de accordo enin lei.
Iubel Uay nuuda doa Santoa Pinheiro.A' 1
see::.i para i.ttender.
Fonaeca Irmaos O. C.-A' I- aeccio para os de-
vidos fins.
Franciaco Cypriano da Silva Santos.Inde-
farids en vista das iutormacoes.
Iaspeet0ria s;cral da instrnct^o
PMMIca
HESPACUOS DO DIA 2 DE MABgO
Amelia Juaepfaina Nery da Fonseca, profesaora
publica. Eucamiiihc-8e.
Juventina Amelia Caroero de Oliveira, prutea
sor-i publici.Encamiube-se,
Mana da Natividad.!
och.Encnminh-se
Eluarlo Monteiro de M,.ur*, protessor publico.
ncaminhe 6C.
teeretaria da instruc<;:Xo publica de Per-
oarubuco, 2 de Mar$o de 1887.
0 porteiro,
J. Angosto de Mallo.
devia prestar legalMNar*' 0 decreto real ap-
pareccu em plena sessao do rigsdag.
A opposico nao quiz dasar sem resposta
essa nova affronla a um "privilegio essencial de
toda a assembla representativa. Votou um
protesto enrgico na forma e no fundo contra a
nova offensa a Constituigo, ao contracto synal-
lagmatico em que se fundam os direitos da actual
dynash, cujo reinado s existe em virtude de
urna substituigo [puramente legal. Mas oSr.
Kstrup, atjuem as balas urna ver rejpeitaramj
nao ae preoecupa absolulamente, com easas de-
monstracOes platnicas. 0 gosamo continu'a a
mandariMbrar os impostad e auaWIicar,giio-'
do ensBffJB,'o resrjectivoiiia^tBaisU.'aorjwE o or-
namento tivesse sido regularmente votado pelo
poder competente. E o caso que lhe nao fal-
tam exactores tiscaes, nem juiaes bastante se
veros para condemnar os contribuintes remissos.
A-silaagao aaonoimcu do-paz nao todava,
das mais prosperas. Em virtude da baixa no-
ta ve! nos precos de todos os productos agrco-
las, as difliculdades pecuniarias dos'fgrnndes
proprietarios chegaram a tal ponto, que o mi-
nisterio, sem estar para sso legatmeute aucto-
risado, j se sabe, desembolsou cinco milhOes de
coras em emprestimos lavoura.
Alm disso, a populago, profundamente irri-
tada por ver despresadas as deliberacOcs detseus
represenlantes, manifesta-se cada vez mais sym-
pathica para com os partidos extremos, 0 so-
cialismo faz rpidos e notavets progressos em
toa a Scandirravia. As suas doutrinas. de ex-
portaco ailem5, comecaram a ter voga na Di-
namarca, quando principiou essa lucia intran-
sigente c renliida entre o foikething e o poder
real, representado n'uin ministro em quem a
falta do escrpulos mais saliente que o talen-
to estadstico. Hadous annos, por occasio das
eleices, os liberaes forara forcados a realisar
um accordo com o partido socialista, mediante
o qual cou este com dous representantes pela
capital do reino. Presentemente, o mesmo par-
tido tem em Copenhague maior numemo de vo-
tos qut os de seus adversarios e alliados reu-
nidos ; maotm grande numero de ncleos na
provincia, os quaes, protegidos pelos seus adhe-
rentes da Suecia e da Noruega, dispOem de in-
fluencia cousideravel.
Eis um facto cujas coasequencias as Ilega-
lidades do Sr. Estrup e a cegueira real nao po-
dero de certo prevenir.
Em Julho o presidente Berg tinha cumprido a
sua peua, e o partido liberal em peso quiz cale-
biar esse aconteciraento por racio de grandiosa
ovajo. Esta devia eft'ectuar-se no magnifico
bosque de Klampenborg, s porlus Mpte de
Copenhagu.'.. Mas o governo, que 6 conserva-
dor, a despeito de urna cmara radical, negou a
autorisago necessaria. A conmisso dos fes-
tejos dingiu-se n'essa emergencia As aucton-
dades suecas. Quiz fazer a manifestagao em
Laudskrcna, alera Sund, masa curta distancia
da capital dinamarqueza. Nao teve melhor aco-
IhimeBto osse novo pedido. 0 festival realisou-
se, finalmente, em Marieculust, n'um dominio
municipal. Foi urna reuniao de mais de dez
mil pessda8-
A preseaca dossa multido e us discursos que
ella ouviu e applaudiu frenticamente conslitui-
rara mais urna prova irrecusavel do desgosto e
odio que a attitude ao -govepno vae levando ao
animo da populacao dinamarqueza.
0 ministro Estrup nao so d por convencido
com Bsaai deraonstrages, c tracta de tornar o
seu governo cada vez mais compressor. Segun-
do urna lei provisoria que o consolho de estado
votou cm Agosto, os directores e redactores de
jornaes sao responsaveis palos artigos publica-
dos, edevem assignal-os, aob pena de icarem
jeitos a multas que -variara entre mil e ^inco
mil coras (a cora corresponde a 750 reis da
nossa raoeda). As multas, as conderaaacOes por
perds edamnos e os gastos dos respectivos pro-
cessos devem ser pagos pelas receitas das folhas
a que a le tiver de ser applicada. Os jornaes
estrangeiros podero serapprehendidos nos cor-
reios.
Veremos que proveito tirar o Sr. Estrup desse
rgimen dracomiano a que quiz submetter a im-
prensa adversa.
0 governo dinamarquez continua a encontrar
dimculdades na Islandia. Gomo se sarje, esse
remoto paiz 6 administrado por um governador o
ergal e dous auxiliares deste, nomeados pelo re
t A' 1 hora da tarde foi reaberta a seasao, aehan-
do-se entao presentes 26 Srs. deputados, eannun-
ciando-se a ebegada de 8. Exc, foi, preeochidas
as formalidades do estylo, recebido pela commitsio,
e tomando aaaeoto direita do Exea. Sr. presi-
dente da Asaembla, leu a aua Falla, depila do
que foi declarada aberta a 2 sessao ordinaria da
26* legislatura, retirando-se S. Exc. com aa mea-
mas formalidades.
O 14 batalhao do liona prastou a S. Exc. as
honras a que tem direito, salvando a fortalesa do
Brum.
Lida a acta da reunan de 27 e anbmettida i
discussao, eoeataou-se asm debate, nio se votando
por falta de numero.
Proceieudi-*e chanada varifieou se tarem-se
ausentado os 9rs. Affonao Lustosa, Bario de Ita-
p8suma, Visoimde do Tabatinga, Prxedes Pi-
tonga, Joio de evera, Andr Diaa, Bario de
iCaiara e Joa liara
0 Sr. presidente levaoton a 8essao ifcBgnando a
seguinte ordem d da : elevj da mesa e das
commisses.
Tribunal dio Jury Haveodo comparec*
do 41 juizea d- facto, foi afinal instilada hontem
a Ia aessio ordiairia deste tribunal, no corrente
anno, sob a preeidancia do tir. desemb-irirador
Jos Manoel d- Fieitas, juix de direito do 5." dis-
tricto criminal, funccooaado eomo acousador o 1.a
promotor publico da cimarew Dr. Joio Joaquim
de Freitaa flenrquas.
Apreaentado pelo escrvio do Tribunal, cap i til >
Florencio Rairgues ds Miranda Fran-n, 20 pro-
ceaaos de reos presas, em qoe autora a ju^tica, e
1 da quaixa p*rticalar, foi julgado o do reo Eo-
sebio do Espirito Santo, pronunciado no art. 193
do Cdigo Criminal.
\ cansa desse reo foi catrocinada pelo Dr.
Luiz Emygdio Rodrigues Vianna ; e pelo jury foi
o meamo reo condemnado & pena de 7 annos de
prisao, grao mnimo do referido artigo.
Oorpo de pollcaat S. Exc o Sr. goseral
commandante das armas foi hontem pala maoha
ao quartel do corpo de polica, afim do pagar a
visita que a resp -ctiva oficia lidade lhe ha va teito.
S. Exc. peroorreu o qaartei e achou-o em boas
condicoea deasseio e ordem, o que importa lonvor
aquella officialidade e eapecialme-nte ao eomman-
dantx do corpo.
Hairlz do Manto atonto------Amanh.
4 do corrate, ter lugar, nesta matriz, a festivi-
dade roligiosa do SS. Coracio de Jess, solem-
uiaando se o quarto annversarlo de sua institui-
dlo eom mis cantada s 7 horas damanha, Te-
Qeiun e be o ci do S. Sacramento Aa 5 1/2 hraa
da tarde, pregndo o Revd. vigari" commeud.id.-.r
Manoel Mir>ira da Gama, e asaktiodo a este acto
S. Exc. o Sr. bispo diocesano.
1 riHliluto do froensori'-. le Por
narabuco Os membroa da directora d-sri
aociedade, dltimameatd eleitos, aeiio boje, p.-la;
10 h .ras do dia, empoesadoa do- aeus respectivos
cargos,
ortari K-cebem' iigmdec'in n nm
exemplar impresio do relatoro que,, em 10 it 1) --
sembr proxiins findo. foi pres"Htado ao Dr. ins-
pector do Thesouro, polo Dr. Frncisc> Amivfbas
de Carvalbo Mouru, administrador do Onitula !:
Provincial.
Anaii'rrsnrlo -Fazem hoje nove un que
foi coroado S. Santidadc o papa Ije > XI11
Kecrcailtn Am.r da IofclaEsta
aociedade funeciooa h.je, As 7 horas da n->ite, na
respectiva sede.
Hulli* ttesl luEloxa Segando tele
gramma recebido pelos Srs. Adamsoa Howie & C,
agentes dos paquetes da Malla Real Inglesa, o
naque'e. Treni. procedente do Brasil, ebegou i
L-60CJ no dia 28 de Feveretro, e d'alii parti no
mesm) dia para o Brasil o paquete Tamar; pelo
que este de-ve tocar em Pcrnambuco ao dia 11 do
uorrone.
I*n'iii* i'ernambneana-H 'je, ao meio
da, reonem se em assembla geral na accionistas
da Ceatpanba de Seeui js Phenix Periiamhuci.ua
pira oa tina do 1.* do art. 27 dos aeus estatutos
Etelc&O de cenfrartaHoje, s 5 borai
da tarde,' reunem-ne, em mesa geral, no rtspectivo
consistorio do Corpo Santo, os coufradea de Noasa
Senhora do Rosario, para o fim de proceierem
el Dia de diversos funcionarios.
^Hiapanliia de etaroi Vnspbitri
teReuniram-se hontem no edificio da Aesocia-
cao Comuiercial Beoeficente, i hora snnuociada,
os accionistas dista co-npauhia, representando 520
accoee, s quaes, dep-s de baverem aprec iado as
usutas do aoao findo em 81 de dezembro e appro-
vado o pareeer fiscal, prooodcram i eleicao dos
faaecioairtas da-companhia pira o futuro biennio
sendo este o resultado :
Assembla geral
PresidenteMaaoel Joao de Amorm.
Vice presidenteAlbiui Jos da Silva.
Secretario Joai Joa de Amorm.
Ditoloio Cardoso Ayre<.
DirectoresAntonio Marques de Annrim. Ma-
noel Jos da Silva Guimares e Joa A lolpho de
Oliveira Lima.
fommisaSo fiscal
Antonio Quedes Valente, Antonio Augnato Pe-
reira da Silva e Carlos Lvirouco Gomes.
Supplenles de director
Joaquim Olinto Bastea, Thomaz OombBr e Lna
Jos da Silva Qumaries.
3ts Trnsodla do BerlfoDiatribnio-se
hontem o 3 e ultimo fascculo 4> iotereeaairte
routsnee pernambacan sobo titulo cima, eacrip-
to peto Sr. Dr. A. M. Carneiro Villela.
Acha-se no preloO EsqaeJetolenda pban-
taatiea de Oliada, obra do meamo frtil autor.
Traimporte Parta Segnio hontem de
manha para a Babia o transporte nacional de
guerra Port'.
Directora daa obra* le eoaserva-
eo da aorioaBotetim metaorolocieo i
di 1 de Marco de 1887 :
DIARIO DE PERrABeCO
de ISStt
ESTADOS
da Dinamarca, residenies na ilha. e um secreta-
/ rio que reside em Copenhague. Os tres primei-
ros l'unccionanos constitucm o governo execu-
Kerreira, profesaora pu-ltivo; o quarto encarregado de apostillar e sub-
metter sancao real as decisOes legislativas o al-
thing rlandez, composto de duas cmaras: urna
bai\a, eleita pela populao, com 24 membros,
c outra alta com 12, dos quaes 6 nomeados pelo
governo e outros tantos pela cmara baixa.
Ha j annos que o povo da Islandia se quei-
xava de que o secretario encarregado dos neg
cios da ilha apresentava pareceres desfavora-
veis maior parte das deliberac6es do althing,
e que por tal maneira o veto real impeda a
adopcao de grande numero de medidas favora-
veis prospendade geral. Por isso e mais por-
que o rigsdag desapprovou a renovaco do trac-
tado de commercio com a Hespanha e favoravel ao
povo islandez, o althing procedeu reforma con-
stitucional. Nao deixando subsistir eitre a Is-
landia e a Dinamarca mais que urna umao pes-
soal, resolveu que o exame das decises legisla-
tivas pertenceria d'aqui em diante a um con-
selho executivo, composto de trez ministros res-
ponsaveis perante a cmara, e presidido pelo go-
vernador.
Em Novembro de 1885 foi ess reforma sujeita
apreciacao do rei, que, como era du prever, a
repelliu formalmente, mandando ao mesmo lempo
dissolver a Dieta. Mas os islandezes continuam
a manter as suas pretencOes. O novo parlamen-
to eleito com os mesraos poderes do dissolvido
votou as mesmas resoluces, que foram desap-
provadas pelo cora.
E' mais, um problema que o Sr. Estrup tem
a resolver.
(Contn'a)
Retrospecto poltico
POLTICA PARTICULAR DOS
EUROPEUS
(Continuagio)
Nao dimiuuio de gravidade durante o anno a
crise constitucional da Dinamarca.
Parece que o primeiro ministro de Ciristiauo
JX 9e sent mais animado no caminho do arbi-
hrio depois que sahio inclume do attentado de
Ramussen. Continuou em lucta aberta com o
foikething, cujo presidente mandou prender com
offensa a todas as normas parlamentares. Que-
remos fallar do Sr. Berg, liberal adiantado, que
em 1883 fOra, por juizes suspeitos, condemnado
a seis mezes de priso, por haver dado uns em-
purrOes em certo official de policia que assistia
a urna reunio poltica ao ar livre, em Holstebro,
uaJutlandia. Em odio a tal condemnacao. o
tolketing elegera ao condemnado seu presidente ;
em odio a essa assembla, o Sr. Estrup deu or-
dem para que a prisao se effectuasse, quando a
cmara funecionava, e sem previa licenca desta.
Imagine-se a que ponto devia ter chegaao a ir-
ritaco da maioria hostil a um governo que, por
seu lado, lhe nao poupa desconsideracOes e in-
sultos.
0 orcamento, como era previsto, deixou de ser
anda urna vez votado. 0 re mandou-o vigorar
por decreto, publicado em Janeiro, como havia
feito no anno anterior. Mas ento havia-se pro-
curado legitimar o acto abusivo, por meio de so-
plusma conhecido. Agora, portel, entendeu
o ministerio que nem essa homenagem hypocrita'
30:00000e ser extrahida no dia .. de Mar-
ca.
Oa bilbetea acbam-ae venda na praca da In-
dereudencia na. 37 e 33.
Tambem acbam-ae venia na Caaa da Foi-
tJna ra Primeiro dcMarco.
botera do RioA 3 parta da lotera
n. 866, do novo plano, do premio de 10O:UUUA0u,
Oa bilbetea aeham se i venda na praca da Inoe-
jnndencia na. 37 e 39.
Tambem acbam-ae i venda na Caaa da Fortu-
na roa Io de Marco n. 23.
raade lotera rf a provinciaA 15 ,
e ultima aerie desta locera em beneficio dos inge-
nuos da Cl<->>iia Isabel, cojo premio grande ....
240:000* ser axtralii i.i no dia 7 de Marco, ie 4
boros da tarde.
Os bilhatee aubam-se vauda oa Reda da Foi
| tas roa Juurga do Rosario n. 36.
Cemiierio Publico Obituario do da 1
de Marco :
Custodio Francisco Martins, Portugal,48 anuos,
casado, Roa-Vista; febre ptludnsa.
Damio, Pernimbueo, 6 meses, Boa-Vista; con-
vulsoea.
Casimira Lucia Moceara, Alagoa3, 20 anuos,
solteira, BiH-Viata ; tubrculos pulmonares.
Altiua Maria d > Jess, Pernambaco, 29 annos,
"viuva, Boa Viata; tubrculos pulmonares.
Amonio E=pernca, frica, 77 annos, aolteiro,
Boa-Vista; iosurEcienca mitra!.
Antonio Keniaudes da Silva, Pernambaco, 34
aanos, aolteiro, Graca ; pelo 8ubdelegado.
v 9
loras S a- Barmetro a Oo Trasao do vapai i > B 3
H a
6 m. 27o1 75819 21.66 80
9 24"7 759"i69 19.50 85
12 261 759n>63 20.95 84
3 t. 27'1 75761 21.32 80
6 80-1 757-I30 21.63 84
Caixa Econmica e .Honte de Sor-
corro de Pernambnco
Balanceie* em 3S de Feverelro de
1889
CAIXA ECONMICA
Activo
Thesouraria de Fazendaconta de
deposito 688:418*l,0
Thesouraria de Fazendaconta de
juros 263:312*320
Monte de soccorroconta de pas-
Bagam 79:022*577
Juros 241*300
Caixa 1:076*3511
1,032:100*697
Posasen
Depsitos em eontas correntes
l^)32.-10O*697
MONTE DE SOCCORRO
Activo
-Einprestraos sobre penhores
Valores depositados
Movis
adernetas
A plices da divida publica provin-
cial
Despozas g'-raes
Caixa
-
HbVlSTA DIARU
aanenabla ProvincialAo iceio da de
hontem abri a sessao o Eim. Sr. Dr. Jo- Ma-
noel do Barros Wanderley, achand<.--s* preseutea
22 Sra- deputados.
Em aeguida nomeou urna commissao comp st i
doa Sra. Vaconde de Tabatinga, Gaealvea Fer-
reira e Rata e Silva para recabar o Exm. Sr.
Dr. presidente da provincia, a suspeudeu a scssj
ta chegar S. Exc.
Temperatura mxima28,25.
Dita mnima24,7.
Evaporacio em 24 BirAa a* sol: 33 ; seoj-
bra: 3,1.
Cbuva-3,>2.
Direccao do vento : ENE de mea noite at 1
hora e 30 minutos da manha ; E at 7 horaa e 50
minotoa da maoha ; SW at 8 boras e 25 minaros
da manha ; 8 at 8 horaa e 35 minutos d toanha;
SSW e SVV alternados at 1 hora e 50 oainuti a da
tarde ; SSE at 4 horas e 15 miouto8 da tarde
KB nt 4 horaa 20 minutoa da tardo ; BSE at
9 h ir 3 ; nulla at mea noite.
Velocidade aidia do Vento : I,68 por segnndb.
Nchulosidade media: 0,86.
Hinoais frtnetorea. Serio celebradla:
Hoie:
A's 7 boras, no Espirito Saoto, por alma de
Bento Jos di Silva; aa 8 horas na matriz da
Boi-Viatapir alma de Vicente Ferreira de Arru-
da Filho.
Sabbado :
A's 8 horas, n'i m.triz da Bia-.Vista, por alma
de D. Maria Eugenia Uabello de Souza.
(jetlAeh,i. c:uar-e-tiao:
- Lbje :
Pelo agente Gnsmclo, s 11 horas, na ra Mni-
quez de Ulinda n. 47, de armaco e mais fazendas
aQ. sita.
Peio agente Bruto, s 10 1/2 horas, na ra de
Pedro Aff mso n. 28, de fazendaa, miudezas, mo-
vis, etc.
Amanh :
Pelo agente Stepple, ;is 11 horas, na rna do
Imperador n. 22 de predios.
Pelo agente Burlamaqid, s 11 horas, na rna do
Imperador n. ti, de predio.
Pelo agente Britto, s 11 horas, n ra do Im-
perador u. 16, de urna parte do engenho Brum.
caa de ueleiicoMaaMawKo dea pre-
s.js do da 1 M Msrgo :
Exietam presos 359, eutraram 5, sahirin6.
Existcm 358..
A saber :
Naiionaee 326, mulheres 11, estrangeiros 14, es-
cravoa sentenciados 6, dito de correco 1lo
tal 358.
Arrucoados 33 aa 318, docnt-s 16
To'l33*.
Movimento Ua ouloranatia:
Teve baixa :
o Francisco Sorgi-s.
Molerla da i-ftrleA 203 iorera da cor-
te, pelo ujvj plano, eujo premio grande de....
123:916*696
159:499*377
6:111*627
210*401
1:000*000
2:678*370
4:504*670
297:921*644
Passivo
Capital
Cautelas de penhores
Juros
Caixa econmicaconta de passa-
tmaa
Thesonraria de Fazendace ata de
emprestimo
Saldos de penhores vendidos em
leilo
Cadernctas archivadas
Lucros e perdas
18:181*215
159:499*377
67*830
70:022*577
36:057*440
4:254*405
32*4 6*400
297:924*644
S. E. & O. la-ama
O gerente e guarda livroa,
Felino D. Ferreira Codho.
INDICARES UTEIS
Medlcoa
O Dr. Lobo Moscoso, da volta de sua
viagera ao Rio de Janeiro, cooota no
oxercicio de sua profissSo. Consltuas das
10 s T2 horas da mantia. Especialdades
eperagSoa, parto e molestias de s-ohoras e
meninos. Ra ta Gloria o. 39.
Dr. Brrelo Smpalo n consultas de
roeio-dia s 3 horas no 1. anirar da casa
a ra Barao da Victoria, n. 61. Resi-
dencia rna Seta de Setembro _n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
O Dr. Castro Jess tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesus n. 23,
sobrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ra do Hospicio n^ 20.
Consultorio: ra Larga do Rosario n. 24 A.
Consultas das 11 horas da manh 3 2 da
tarde. Especialidade : roolostias e opera-
c5es doa orgos genito-urinarios do homem
e da mulher.
Dr. Joaqaim Ltureiro medico e parteiro
Consultorio na ra do Cabug n. 14, l..
andar, de 12 s 2 da tarde; residencia no
Monteiro.
0 bacharel Virginio Marques, eniiarrega-
se de questSes civis, co.-nmeraiaes, crimi-
naos e orphanologicas e d"feza perante o
jury d'esta e das comarcas prximas. Es-
criptorio a ra 1. de Marco 18. 1. andar.
Residenciara do Hospicio a. 83.
Drogara
Francisco Manoel da Silva & C. depo-
sitarios de todas aa especialidaaes pharm
ceutioas, tintas, drogas, productos chimica
e medicamentos homaeopaticos, ra do Mr-
quez de Olinda n 23.
Uroraria
Farra Sobrinho & C, droguistas por at-
tacado, ra do Mrquez de Olinda a. 41
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e ojjicina de carapina
de Francisca dos Santos Macedo, caes
do Capibaribe n. 23. N'este grande esta-
belecimetito, o primeiro da provincia neste
genero, corapra-se e vende-Be madeiras
de todas as qualidades, serra-se madeiras
de nonta alheia, assira como se preparara
obras de carapina por machinas e por pro-
co sem competencia Pernambnco.
"PLBLltfW ATblO
._____________________i--------------------------------------------
Assallo aos cofres
Pede-se ao Exm. 8r. presidente da provincia,
quando tiver de comprar-se mrdamento para o
corDO de policia, mandar por em arrematacao o
fornecimento, poia ha quem o faca por menos qaa-
renta por eento do preco do anterior e perpetuo
forncedor.
Aloralidadc.
BBSHiyDBKSW
Patricio Moreira
i Ex dlaclpalo Conaultaa e operacoea daa 9 horas da manh s
i da tarde.
57-RA DUQUE DECAXIAS-57
N. 8. Na tisica pulmonar a potencia
da EranUaQ Scott como remedio mara-
vilho8a. Restaura o sangue ao seu esta-
do normal. Saca as inflammagSas de gar-
ganta o dos pnlmSea. Caima a tosse a a
rouquidao. D cor 3 faces e aumenta a
ame e as forjas.

TaTataVaM asVatasn~~ ~T
{ atmjw I
fj


* V
.



>
11


Diario de Pernambueo (luinta-feira 3 de Marco de 1887
3
sao
O ma roaa uos advert e nnD,
que, quaudo o crneo produz eoiente cabellos ra-
lo* e imperfectos, requex e axiga umi applicacao
.que vigore e nao relaxe. Eate requisito acha-aa
admiiavelmente reunido no Tnico Oriental, cajo
ingredientes aio por condic > e natureza lortale-
centes e vigorante* e como todos enea sao eaorn -
puloeainenie escolhidos do_ reino vegetal, nao po
dem, onrao eaaa* preparacea com postas de roiue-
raes fazer damno algum eonstruccao do cabello,
nem to pouco anude, nem envenenar a cut.
Multas deltas ba que pretender poaauir cerras
proprielades obscurecente* e sao pr> judiciaes
saude, e inui frequenzeroeute o resultado do seu
uso torna-se bastante pericojo e at fatal.
Nenhuma prepuraco do da, d ou cutorga tata-.
to brilao, elastioidada ou riqueza de v:sta a a ca
bellos, como o Tonteo Oriental.
Acia-se 4 venda eu> todas aa botica lojaa de
perfumaras
Agentes em Pernambueo, Heury Forater 5.,
ra do Commeroio u. 9.
As mocaj 12 a 15 aunos absorvein urna tal
quantidade de alimentos, na poca da puberdado,
ene nem aempre o estomago p le digeril-os. Neste
caso os- medios recorrem alimentaeao por meio
dsePeptonas d* Chapoteaut,inffensivas sobre
os orgaos digestivos, porque ellas contm a carne
de vacca digerida pela pepsina. Ou seja aCon-
serva,que se p le lomar no leite, no caldo, oo de
mistura com qualquer doce ; oo seja oViubo de
Poptona;qualquer des doua producto augmenta
o peso do corpo, repara aa forcas perdidas e pode
considerar-ae como um preservativo da tsica, que
tao frequente nessa poca da vida.
Atten^o
O abaixo assignado avisa ao repeitavel
publico, que uiDguein est autorisado a pe-
dir nea* reeeber esmollas para os actos do
do Apostolado da Orayao que 83 elebram
na igreja do Rcolhimento de Noasa Senbo-
ra da Coneeicao ero Olinda, porque asfesti
vidades do mearao Apostolado sao feitas
custa dos aaso^iadoa entre si ; do mesrno
modo, que oioguem est autorisado a pe-
dir nem reeeber esmollas para o Mez Ma-
riano que se celebra na dita igreja, porque
agora ser o Mez Mariano foito custa da
mesroa associar^ao do Apostelado, o as pes-
soas qua sahiram na eleifo do atino pas-
sado, querendo dar suas esruollas para o
Mez Mariano entreguen) pessoaLsente ao
abaixo assignado, ou onviem em carta fe-
chada pelo correio
Olinda, 28 de Fevereiro de 1887.
Coego Manoel Joao Gomes, director
local do Apostolado da Oracao em Olin ia.
Agradavel nolic a para os que
soffrem
N2> soffre mais c ntestacSo os bous resultados
da electricidad*, e pi.istobein autorisadoa expo-
inus a venda cun a inaior confianca os bem co-
nbeeidos anneis electricoa eapcciaea para nevralgiae
e enxaquecas, os quaes vendem-se a 40j0 os d ju-
rados o a 24 O os nickelados.
Tambern as prodigioaas medalhas electrices que
teem feito grande revolucao no mundo civilisado.
para aa innocentes enancas um iudiapensavel
colar elctrico para f icilitar a denticao. Realmente
um martyrio para aa cannboaaa mies quando
veem aa pobres criancas estorcereni-3e na mais
hirnvel dr daa convulcoja. Deve-ae prevenir o
mal antea d'elle vir.
Veniem-se na caaa de confianca de Pedro
lalune A C.
63 EA DO DUQUE DE CAXIAS 63
Dr. Mo f*mrlo
{CUENCO
Eapeaialieta ana partos, molestias de senhoras t
de enancas, com pratica as principaes materni-
dades e bospitaea de Pars e du Vieana d'Austria,
fas todas as operaeoos obsttricas e eirurfrioae
conceruente* aa suas eapeoissidadea.
Cousultorio a aasideneia. na ru da Baria da
Vicforin fantiga roa Nova) n. 18, 1- andar.
Consultas daa 12 a 3 hora* ds tarde.
Telepnone n. 467.
CaHegio Hek
Milenio abri sua aulas desde
idvogado
O bichare I Julio das Mello Kilho tem o
eu escriptorio de advocacia ra Priinei-
ro de Hawcji u i, Io aunar, uode pt de
dra 16 horas da manha
EDITAEJ:
EiV: collegio abri suas aulas
i 15 de Janeiro prximo fiodo.
Ensinam-se n'elle todas as materias que
constituem o curso preparatorio as Facui-
dades do Imperio, sendo o pessoal docente
o mais habilitado que se pode desejar.
L'ontina a funecionir a aula primaria,
que poder reeeber alumnos da mais tenra
idade, pois dirigida por duaa nlhas do
director, das quaes urna alumna do ter-
cciro auno da Faculdade de Direito do
Recife.
Do da 1. de Margo em diante abrirse
ha urna aula da lingua allem3, em que se
ensillar a traduzir e a fallar essa lingua.
O professor respectivo ser o Sr. Al-
germon Sidney Schiefler.
Os estudantes, que quizerem frequentar
eeta aula, pagal-a-ho separadamente da
uiensalidade do Collegio.
O director do COLLEGIO MEIRa -
espera o mais decidido apoio dos pas de
familia, que desejam o real aproveitamen-
to do seus ilhos, pois que tem sempre
tido por programma dar aoB alumnos, que
Ihe-so confiados urna verdadeira instruc-
cito a par de urna boa educacSo moral.
O resultado dos exames fritos no fim do
anno paseado o eloquente attestado em
favor do COLLEGIO MEIRA.
Dos dezenove alumnos que foram su-
geitos exame, apenas DOS foram mal
succedidos.
Recebem-se alumnos internos,- mcio pen-
sionistas, e externos.
Ra da Imperatriz n. 63. 2." andar.
Recife, 26 de Fevereiro de 1887.
O director,
Ascencio Minervino Meira de Vasconcellos.
aer euconrrnerb
4 da tarde
Advogado ( professor k linpas
O bicharel Eduardo Alfredo de Oiiveira tem
ab-.rti o aeu i-birip;orio de aJvogaJn ra Io de
Msrc n. 4, onde lamben) pode aer procurado pira
Iccionar o inul.a. faMicz e allemi, pratica e
tbeoneaaasui*, mis colifgioa e casas ao UtaMist
TaoibwD para a comtncdidade doa estudantes
e empre^aJ..* uo commercio, roolveu abrir um
curso m.ctnruo daa ditas lingua. A tratar no
eacripiurio referido cima.
Cmara Imicipa! do Me
ii
(2)
remedio Oleas
KES NON VERBA
Aoa que soffiem do peito recomuiendamoa a fci-
tura da seguinte publicacao do Sr. Jos Mara
Lopes, morador na Ilha dos Marinheiros, em frente
cidade do Rio Grande :
Ha qoatro anoos que fui curado de urna
omito grave enformidade, resultante de um res
friado.
tSentia dor agadissima do lado esqnerdo do
peito, toase secea e urna fraqoesa excesai'a em
todo o corpo.
Em oito mesas de tratamento com varios me-
dicamentos, nunca consegu obter allivio e cada
vz s molestia augmeotava a ponto de me jn!ga-
rem perdido.
Encontrando-me com meu primo e amigo Sr.
Manoel Joaquim, residente no Povo Nevo, elle
aeonaelboo-me o oso de Pcllnral de Cam-
bstra. do 8r. Alvares de a. Hoarea, de Pelotas,
elogiando-me muito este preparado e com eff-to.
em deaa uiezea de seu nao conatante, restabeieci-
me de urna molestia quu me levava sepultara .'
O que digo verdade, e toda esta ilha o pode
afirmar, pois nella vivo ha mais de trinta anuos.
onde tenho chcara e familia.
O leitor poder encontrar outros muitos at-
testados nos folhetos que acouipanbam cada iras
co.
Deposito, nicos agentes e depositarios geraes
J em PernambuceFrancisco Manoel da Silva dz
C, ra Marques de Olinda n. 23.
Profrssora de canto
DO COLLEGIO
rr
O director deste eatabeleeimento, avisa ao pu-
blico, qne, para propagar o goato pelo estado daa
linguas, abri um curso >ie allemSo, onde oa alum-
nos podero appreoder esta lingua tanto pratica
como tboricanvnte.
A referida cadeira regida pelo Dr. Eduardo
de Oliveira, o qual tendo residido quatro annoa
e meio no mui couhecido collegio BREIDEX-
STEIS, na Saissa, o abaixo asaignado garante,
achar-se perfeitamente habilitado, para bem dea-
empenhar eeaa incumbeocia.
Aquelles que quizerem se matricular ao dito
'. urso, queinun entender ae com o director do col-
legio, ou como Or. Edaarlo Alfredo da Oliveira,
na re* Io ds Marco a. 4.
Jotl Ferrara, da Cria Vieira.
Escola particular
de instrteca primaria
para o sexo mascu-
lino
CASA DE ENSINO MODERNO
U Ra Velka%
Tendo resolvido fixar residencia Basta
cidade, prop5e-se a dar ligUes de cantoria
em ''asas particulares, prouoettendo esf r-
Qar-se o mais possivel pelo aproveitamento
de suaa discipulas, podendo ser procurada
ra do Imperador n. 44, 3. andar
Consultorio medico-
cirargico
O Dr Castro Jess, contando mais de 12 annot
4e eacrupuloaa observacio, reabre cooaaltorio nes-
ca cidade, 4 ra do Boin Jcaus (antiga da Crui
a. 23, i.o andar.
lloras de consultas
De dia : das 11 s 2 da tarde.
De noite : daa 7 a 8.
as dentis horaa da noite aera encontrado nt
itio 4 traveasa dos Remedios n. 7, primero por
rio 4 eaquerda, alm I? porfi do Dr. Cosme.
Leonor Porto
Hiia do Imperador n. *.
Primeiro andar
Contina a executar os mais difficeis
6gurinos recebidos de Londres, Pars,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicaode costura, em bre-
vidade, modicidade em precos e fino
gesto.
t linic raedlco-clrurca
DO
Dr, Alfredo Gaspar
EepecialidadePartos, molestias de senhoras e
criancas.
Residencia Ra da Imperatriz n. 4, segund
andar.
9
MEDICO HOMEOPATHA
{i;
]
f
\}t. liailhazar da Silveira n
Especialidadesfebres, molestias daa
criancas, dos orgos respiratartoa e daa
enhoraa.
Preata-se a qualquer chamado psj
or* da capital.
4VISO
O abaixo aasignado, participa ao illustrado pu-
blico desta cidade, que abri sua Escola parti-
cular de mstraccao primaria para o sexo masculi-
no, 4 ra Velha n. 36, (Boa Vista) onde esme-
radamente se dedica ao eoeino de seos alumnos.
Educa e instrue a infancia polo melhor Byatema
dos principaes collegos da corte do imperio, ende
por algum teuipo demorou-se a passeio, cojo sys
tema a delicadeza, a vocaco, a paciencia
intima para o ensino, fazeudo com que os sena dia-
cipuloa aigam o i-iminho da intellgencia, da honra
e da diguidade co n santos coiiselhos e as licoea,
afim de que venha-n a ser o futuro suatentaeulo
da patria, da religiSo e da lei, e aro verdadeiro
cidadio braaileiro.
Eapera merecer a confianca e proteccao doa
paia e tutore8 daa criancaa que qneuam sprovei-
tar um rpido adiantamento de seus filhos oa tu-
telados, e em particular tem f robuata cm todos
os sena compairiotaa pernambucanoa.
Comquanto ouaada seja cata tentativa, todavra
espera que oa aeua iocanaav^is eaforcos, e oa seus
puros desejos aejam coreados com a fehs appro-
vacSo de todoa oa filhos do imperio da danta
Crnz.
Eapera finalmente, qne o respeitavel publico
saiba apreciar de perto o sea verdadeiro ensino
primario, onde rpidamente as enancas abracum
e ainatn de coraciw sos livros, hs serenis ar let-
tras e as artes.
Igualmente tem urna aula de instruccao prima-
ria 4 noite para adultos, sendo das 7 s 10 noria.
Corso il partuguez e francez a qualquer hora.
Horario da escola para meninos, das O horas d
manha s 3 da tarde.
Menaaltdade
Primeiraa lettras 2fi000
Franc-z 3*000
'ortuguez 3 000
Pagos adiantados m acto da matricula.
Recebe meuinos internos, externos e meio pen-
sionista', por menaaJidades razoaveia.
Ra Velha n. 3t.
Julio Soaret de AsKvecUr
Dr. Mello (ornes
l dieo cirurgio parelre
Roa a Paulino Canmra fantiga li Gamboa
do (lansKi n. o&), ood pode ser pro-
curado quilquer hora do da e da noite.
Comultat :10 ao meio dia
Chamados por eseripto.
Sgpectilidades ;Pebres, molestias de peito e
das aenoras, aypbilia e aoffiimentot da> urrthrst.
Acode a qualquer chamado para fra da ca-
piUL
Tambera pode ser procurado, de meio dia s 3
horas, na Pharmacm do Povo, 4 nra di Rcagel
a. 34.
Oificina de cscoiplor e enla-
Ihadoremmadeira
85-RA DO BOM JaRDIM87
pobto
Encarrega se de todaa as imagens em
Lqualqner tamanbo, altares, aanctuarios, to-^
[cneiraa, casticaes, jarras e sacias, besa eo-
I ido tarimbas funerarias, figuras allegori-
I cas e serpentinaa, todo pertencente a di-
I tas artes. Tambem se encarrega de piutu
i ras e pratas para imagens.
Uranilc lepoailtO de redoma e
planta para meaoaaai
Todoa ns cbamad8 devein ser dirigi-
dos 4 pharmaciu do Dr. Saoino, ra da
Bario da Victoria n. 43, onde se indicar4
sua reaideucia.
Dr. CsFuiira Lie
MEDICO
Tem o seu escriptorio 4 roa Duque de Caxiaa
n. 74, das 12 4a 2 horas da tarde, e desta bora
em diante em sua residencia roa da Santa
Crusn. 10.
Especialidadesmolestias de 8enboraa e crian-
cas.Tolepbone n. 326.
Oculista
pwbHcn la idade
A Cmara Municipal desta cidade, em virtude
da le, qne masada sur a limpeza dn cidade feita
por a>rreBiatav4aj. seoebe propostaa em carta, fe-
chada par o servici da referida lisapeasi, at o
dia 16 de Marco do corrente ana >, aa quaea d---
verilo ser estragues p*loa inieressidcs em seeao
da mesma Cain.ra, du dia nema ratWfdtr, de con
formidad ooa- ao bhreaque abs.x,- eo publica
daa ; chamanlo-se eapecinlmeni' a attentilo dos
concurrentes para a clausula XIV.
I
A iirreniatscJlo do servi^ > da limpezn puiiiea
aera feita por proposta em carta techada, oig
ssndo permittido a nenhum concurrente arrematar
mais de orna freguezia, aorvindo de baee para
cada unas a quaotia de oito eontos e quinhentc;
mil ria annnaes.
U
O arrematante obriga ae a executar o varri-
mento diario de todas aa ras, pracas, buceos, Ira-
vessas pontea, c4es, rampas, emdm, toda a fre-
guezia que arrematar; a remover para os lugares
abaixo determinados todo o lixo, materias orgni-
cas e inorgnicas, animaes morios, qualquer que
seja o tsmaobo, que enterrar, sendo indemniaado
pelos dono* d'aquellea qae forem reconhecidoa, e
finalmente tudo qnanto ae compreheuda ua pala-
vra immundicia. Obrlga-se ainda o arematante a
providenciar sobre a ebstrucco das vias de com-
manicacao ^ da eatsgnacio e do eacoamento daa
aguas pluviaes, quando for possivel.
O servico principiar ao meatno tempo em cada
freguesia, 4 meia noite, devendo terminarlas 6
horas da manha, isto com rulaco 4a pontee, caes,
rampas e aa ras designadas abaixo, podendo
porui, ser feito de dia quando aa noites forem
chuvosae. A limpeza daa demai" ras poder co-
mecar daa 6 4a 10 horas da inauha.
IV
Todo o lixo ser removido em carroe puxada a
burro ou cavailo, e devem 8er cobertaa.
V
A ponte de Santa Iaabel ser varrida pelo arre-
matante da fregaesia de Santo Antonio, as da
B i \fista e Recife pelos respectivos arrematan-
tes.
VI
No aervieo da reasocio dos objeetos que oba-
truam as ras, pracs, caes e rampas nao se c-m-
prehendem aquelles que perteucerem a donoa de
obras ou empreiteiros, a quem os fiseaes obrigaro
a retirar, f. nem tao pouco a califa que da mesma
forma aera conduiida por elles para os lugares
que a Cmara indienr.
VII
Obrigs-ae ainda o arrematante a arrancar toda
a ve o calamento e o passeio das rusa, e bem assim a
derrubar todo o matagal que existir na freguezia
?ue arrematar, senda que este serv'fo poder sor
sito de dia.
VIII
Obriga-Be tambem o arrematante a limpiar e a
desinfectar oa mictorios e latrnas, lavando-os
com preptracoes chimieos, trazendo-oa sempre
aceiados interna e externamente.
IX
O arrematante scsupprir sua custa, de todoa
os utenciliot necessarios para a boa execuc&j do
servico.
Meeretarta da" presidencia de Per-
uaukaxK, de Fevereiro de
IS8T
6 srecio.
Por esta secretaria swdeclara ao.Sr. Osear Da-
trbuaux, de ordem do Exui. Sr. president da pro-
vincia, que acha-se na mesma secretaria para Ibe
S'Mvm entregues, o documentos, euja devoluco
ri-querau em Nove moro ultimo, o vieratn et'n o
aviso do Aliuiste: io da Agrien tura, Coinmenio e
Obras Publicas de 17 de Foverfiro cadente.
(A-aeignad )
Pedro Francisco Correiad.- Oliveira
Editis. 11
O administrador do Consabido Ptesmciai- faxi
publico a qnem interessar posan, quo, em cumpri-
mento da ordi-ui constante da- porthaa n. 590, ex-
pedida em 23 do correlo p do Thtsouro, fica prorjgaao t 15 de Vareo pr-
ximo viudouro a arrecadaco, livre de multa, das
aniiuidadua a mais servico da Recife Dcainagc
Company, relativo* ao primeiro semestre do exer-
e'io Consulado Provincial de Pernambueo, 25 de
Pevermro de 1837.
F. A. de Carvalho Moiira.
> pra?a
De ordem do Illm. Sr. inspector se faz publico,
que as 11 hor .a do dia 5 4a* easreute mez, scrao
vendidas em praca, no trapi. he Conceico, as
mercadorias aegnintea :
1 caixa marca iiemante e CPD uo centro n.
138, vinda do Havre no vaoor francez PtTfc de
Rio de Janeiro, entrado em 6 do uez de Seteo.brn
de 1686, contendo II kilogrronlas de qnadroa.
snuuuco de mais de urna cor, abandonada aoa
direitos por Charle Play* C.
1 caixa marca SR n. 1. dem de New-York no
vapor inglez Amazonense, entrado no mei de Fe-
vereiro ultimo, contando carlazea de mais de urna
cor, pesando liquido real l'.K) kilogrammas, aban-
donada aoa direitos por F,nseca Irmina C.
Ter reir seccao d Alfandega de Pernambueo,
em 2 de Marco de 1887.Serviudo de chefe,
A. L. de Menezcs Amurim.
Club os Meninos da
Candinha
De ordem do Sr. presidente, convido aoa socios
desta soetedade patn se reuuirr-m ua quinta-feira
p-oximai 3 do corrente, para deliberarum sobre os
estatuto da referida 8"<-edad>.
O secretorio,
__________________Mardochen.
Arsenal de Goerra
O conselito de compras recebe propostaa
no dia 3 de Marco do corrente auno, at
s II horas da laanh, para a compra dos
Aiitigos seguintes :
Algodosinh > de 80 90 ceutnnetroi de
largura, metros
AlgndSo rm rama, kilos
Aniagem, metros
doners de servico interno
Brim branco liso, metros
Brim escuro (de linho trancado) metros
Cavemira encarnada, metros
Cadeiras de guarnico de Jacaranda
Cadeiras de braco de Jacaranda
Caldeiraa de ferro para 5i pracas
Caldeiras de ferro para 25 piafas
tal branco "
3.157
17
180
280
8S0
26.769
16.80
2
4
/
DECLABAC6ES
Hotel Gibraltar
Praya da llalalha. 108
{defronte do correio geral e estcelo
telegraphica)
Eate hotel muito se recomm^nda sos via-
jantes pelo local nm que se acha,
perto doa Jardina Theatros eos precos
de bospedagem ao n.uis baratos
do que em outro qualquer, com o mesmo
tratamento
Proprletarloa
FERNNDES &IRMAO
PORTO
Dr. Gil Lei
Medir, panelro e operador
Residencia ra Baro da Victoria n. 19, 1 andar
Consultorio 4 ra Duque de Caxiaa u. 59.
D4 consultas das 11 horas du; rnanrot s 2 %.
tarde.
Atiende para e* chamados a qualquer hor
Celephoue n 419.
>ilista
Dr. Fert^ira da Silva, consultas
das 9 ao meio da. Residencia e
consultorio, n. 20 ra Larga do
Rosario.
Dr. Barreto Sampaio, medico ocu-
lista, ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, d4 consultas de meio dia s
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 4 roa do Bario da Victoria, ex-
cepto nos domingos e das santifjeados.
Residencia ra Sute do Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade n. 25.
ios portugueses
A satiafaco cen que boje vivo pe a saude re-
cuperada, faa com que venha 4 imprensa agrade-
cer sos cos, de vir encontrar o verdadeiro e ni-
co remedio que curou-me da terrivel enfermidale
que ia me coneumindo ht mais de 20 annos, em
Portugal, onde fui tratado com esmero e sempre
doente; vim para c4 em procura da saude, que
recuperei tomando os verdadeiros pds anti-he-
morrhoidarios do pharmaceutico Luis Carlos, e
que te vendem na corte, na drogara de Silva Cro-
mes & C.
A minba terrivel doenc-t era toda bemorrhoidns
e fazenlo esta pablicacao, guiando oa doentes para
verdadeiro remedia, creio ter cumprido um dever
da gratidio a Deua pela minha saude recuperada,
Santa Rosa, 28 de Janeiro de 1886.
Jos Lopes Esteves.
Deposito: Francisco Manoel d* Silva & O
droguistas 4 ra Marques de Olinda n. 23.
A o publico (1)
O Sr. Bernardo Jos dos Santos, residente no
Cerrito, municipio de Pelotas, provincia do Rio
Grande do Sol, querendo prestar urna homenagem
4 verdade, tornando publico as virtudes do pel-
ln*! de cambar preciosa descoberta do
Sr. Alvares de S. Soarea, de Pelotas, fes publicar
o seguinte importantisaimo documento, em diver-
sos j >rnaes da referida provincia :
Levo ao conhecimento do publico mais um
triumpbo alcancado pelo popular remediopei-
toral de caabar deacobeita e prepara-
cao do Sr Alvares de S. Soares, de Pelotas.
flavia seis anuos que urna toase grave me
atormentava dia e noite, faxendo ltimamente dei-
tar j abundantes escarros de satigue : os pulmos
com certeza acbavam-se affectador e en teria in-
fallivelmente de suecumbir 4 terriveltsica pul-
monar t
m Um amigo sabendo do meu estado, aconse-
lhou-ine o precioso pettoral de cambar.
e smente com o uso de 12 vidros deste importan-
tissimo medicamento, consegu curar-me radical-
innit", aentindo me boje forie e podendo entre-
gar-me s lides de minha fasenda do Cerrito.
U pois deste caso, trnh > aconselhado muita
g. nte > peltoral de cambar, e todos tm
colindo resultados i taponantes.
m Actualmente fas nao deste preparado, com
muito aprowitamento, minba filha Neufndea, que
tambem se acha soffrendo .o peito.
< Fatenda do Descanco, no Cerrito, 24 de Ou-
tubro de 1884 Bernardo Jos dos Santo*.Re-
oonheco oooij verdadeira a firma supra. Em tea-
teinunho de verdade, o escrivao de paz itetdo
S. de Gouveia.
nicos agentes e depositarios geraes nesta pro-
vincia Fraaclaeo Manoel da Silva A C
a rus Marques de Olinda n. 23.
Emulso de Lnriman
& Kemp
A EmuIsSo de oleo du figwio de baca-
Iho com os hipophosphitos de cal, soda- e
potassa, preparada pela acreditada caaa
de Lanman dt Kemp melhor, a mai perfeita, < u luaia cffiuaz e
agradavel que ai agir se tem offorecid
ao publico.
E' um regenerador poderoso das eonsti-
tui\oes debis e um remedio corto para
Mtaa ns affecySijs do peito, da garganta e
dos pu!m3es.
Use se a a Emulslo de Lanman d
Kemp nSo confandindo-a com as outraa.
Vende-se em todas aa drogaras e phar-
macias.
O arrematante incorrer na multa de 104, sem-
pre que fr encontrada sem indicio de ter sido
limpa, qualquer ra, traveasa, beeco, largo, pateo
rampa, caes, mictorio e latrina, que Ihe ser des-
contada no pagamento semanal.
XI
0 arremarante que hoaver incorrido cm cinco
multas, era proviniento de recarao interpoato pe
rante a Cmara, perder o contracto e o valor da
flanea seto direito ainda a aer indemniaado de
qualquer interesse ou prrda, que piovier do uies-
in i contracto.
XII
O aervico da limpeza pubiiea, alm da fiscali-
sacao a que est aujeito por parte do fiscal, a
quem corre o rigoroso dever de velar pelo cum-
primento restricto das presentes clansulaa, ser
tambem inspeccionado pelo respectivo commisaa-
rio, que impor multas ao arrematante pelavtaltn
de cumplimento ds dever, c rn recurso para a C-
mara, nao podendo da deciso desta recorrer o
arrematante para qualquer antcridade adminis-
trativa su indiciara.
XIII
As reclama coea contra o servico da limpeza pu-
blica dnverao aer feitas por eseripto 4 Cmara ou
a qualquer de seus membros.
XIV
O arrematante prestar urna franca de um cont
de res em dinheiro ou a plices geraes ou provin-
ciaea, para garanta deste contracto, e a Cmara
so receber propostas daquelles que houverem
depositado a quantia de 2004 em dinheiro, em po-
der do procurador, o que prova o com o respec-
tivo recibo, na eccasiao da entrega da proposta ;
sendo qne perderlo dita quantia, se acceita sua
proposta nao vierem assignsr o contracto dentro
do praso de 8 diaa. contados da approvacao do
presidente da provincia.
XV
A arreinataeao ser feita por auna financeiro
municipal, isto do 1' de Outubro a 30 de Se-
tembro ; sendo que o presente dever vigorar da
data, em que for approvadu pelo presidente da
da provincia, at 33 de Setembro do corrente
anno.
XVI
A Cmara pagar ao arrematante, por semana,
o aervico de limpeza na respectiva proporco da
importancia da arrematacao aonual.
xvn
As ras, que n3o forem calcadas, serio limpas
a ancinhu.
XVIII
As propoatas serao entregues pelos proponen-
tea em sesso da Cmara, designada para eate
fim, sendo preferido quem uielhores vantagens of-
ferecer, e quem mais idoneidade tiver.
XIX
Terminado ou interrempido o praxo do contrac-
to, nao ter a contraetant direito a ser ndem-
maado de qualquer valor ou material, que tiver
empregado no servico, cajo material fiud- o con-
tracto, pertencer ao contractaute.
XX
O contractante nao pode abandonar o servico
que tiver arrematado, salvo em caso de torca
maior provada, a joizo da Cmara ; mas eo o fi-
ser fra desta excep?io, pjo s nao tex direitr
a indemnisago alguma, como tambem perder
o valor da tianca em beneficio dos entres muni-
cipaea.
tOGAEES DESIGNADOS PABA S'BLLBS DEPO
SITAB-SE O LIXO DA CIDADE
Fregu a dt Santo Antonio.Praia de Santa
Rita.
Fregumia da Boa- Vista.H-japieic.
Freguesia do Recife,Lado da mr pequea ao
noite da fortaleza do Brum. 100 bracas distantes.
Freguesia de te e ao poente da ra Imperial.
BAS QUE DEVEM SER VAERIDAS a' NOITE
Redfe.Mrquez de Olinda, Bispo Sardinba,
Largo da Alfandega, Madre de Deus, Amorim,
TraVessa da Madre Deua, Bom Jess. Commercio.
Torras, Tbom do Souza, Msucates, Lrgo du
Corpo Santo, Vigario, Abreu, Travefsa do Corpo
Santo, Viaconde deltaparica, Barilode Triumpbo,
Caes do Appolln e Brum.
Boa-Vista.Imperatriz, Conde d'Eu, Largo,da
Santa Crnz, Roa da Santa Cruz, Conceicao, Bario
de S. Borja, Visconde de Pelotas, Viaconde de
(ioyana, Aurora, Visconde de Albuquerque, Hos-
picio, Caes de Capibaribe, Pires, Pormosa, e Beccn
dos rerreiroa.
Santo AnrenooBaro da Vietoria, Cabug,
Praca da Independencia, Rosario (eetreita), Rosa-
rio (larga), Iu perador, Duque de Caxiaa, Primeiro
de Marco, Livramen'.e, Direita (parte), Pcnha.
Viacondi! de Inbaurnn, Pedro Affonso, Caes dt) la-
moa, Ces 22 de Novembro, Ploiviuin, S Prau
cisco, Sol, Mar juezdiHerval (parle). Roda, Largo
do Paraizo, Pedro II (largo), o Coronel Suassuna
(parte).
S. Jos. Largo do Mercado, Ra Direita (par-
le), Imperial, Vidalde Negreiros, Assuinpfjao, Lar
go daa Cinto Pontaa, Mrquez do Herval (parte) e
Coronel Suassuna (parre).
!*(,) da Cmara Municipal do Recife. 4 de Fe-
vereiro de 1887.
Presidente.
Dr. Prxedes Gomes de Sousa Pitonga,
Secretario.
Francisco de Assis Perzira Rocha.

Recebedoria de Pernambueo
Matricula de eseravoa
O adre iniatrador da recebedoria faz publico que
finda-se no dia 30 do corrente mez o prazo para
a nova matricula e rrolamento doa eacravoa exis-
tentes ueste municipio, de vendo os donoa e psa-
suidorea dos meamos presentaren! at aquelle
dia as relaces em duplicata contendo a noine do
Ieseravo, nacioualidade, sexo, filiac^au. occupaco
ou servico em que fr empregado, dade e valor,
alm do numero da ordem da matricula anterior,
sendo o valor dado por extenso asta senbor do es-
eravo ou seu legitimo repreaentante, alo exceden-
do o mximo regalado pela iaade do matriculando,
que ser tambera escripia por extenso conforme a
seguinte tabella :
Eacravos menores de 30 annos 90000
de 30 a 40 8004000
de 40 a 50 > 6C0000
de 00 a 55 .. 4 de 55 a 60 2004000
O valor das escravas ser regulado pela mesma
tabella com o abatimento de ib "/, dus precoe
nella estabelecidos.
A inscripeao para a nova matricula ser feita
a vista dns lelacoea, que aervirSo de base a ma-
tricula especial ou de averbacao effectuada de
conform dvie com a lei de 28 de Setembro de
1871, ou de eertidao da mesma macricula, ou a
viata do titulo de dominio quando contiver a ma-
tricula do eseravo.
NSo serao dalos a matricula os eseravoa mo-
r< s de 60 annos, serao porm iuscriptjs em arro-
I amento especial.
Sero considralos libertos os eacravos, que no
prazo marcado nao tiverem sido dados a nova ma-
tricula.
Pela inscripeao ou urrolamento de cada esera-
vo pagar-se-b* 14 de emolumentos, coja impor-
tancia ser destinada ao fundo do eu.ancpaco
depois de aatisfeitas as despezas da matncu'a.
Recebedoria, 2 de Marco de 1887.
Alexandre de Souza r*ereira do (,'irmo.
Club Internacional de Regatas
De ordem do conselho administrativo convido
aoa Srs. sjcos do e rpo de remadores para se reu-
nirem na sede do Club na quinta-feira, 3 de Marco
vindonro pelas 7 boros da noite, afim de ae tratar
da prxima regata que este Club tem de dar.
Secretaria do Club Internacional de Regatas, 2
do Marp de 1887
P. C. Casanooa.
2o secretario.
Secretarla da veneravel confr.i-
rla de S. Benedicto, erecta no
convento dos religiosos fran
cscanos do Recife. 2 de Marco
de 1989
De ordem da mesa regedora desta contraria
convido, a todos carissimos irmaos a comparecer
em nosao consistorio uo da 6 de Marco, pelas 2
horas da tarde, e no da 18 de Mareo pelas mea-
mas horas, afim de encorporados acompanharmos
as procasoes de Nossa Senhora da Soledade e do
Senbor Bom Jeans dos Martyrioa.
O secretario,
Francisco Solano da Cesta.
Thesonraria de Fazesda
De ordem do Illm. Sr. Inspector favo publico,
que no dia 5 do corrente perante a aeaaao da
.Jauta, recebem-se propostas para o fornecirneuto
de alguna artigos que se fazem precisos para o
abastec ment do presidio de Fernando de Noro-
nha, os quaes nao foram contrectados no semes-
tre corrente.
A relacao desses artigos acha-se neasa secreta-
ria e ser '.presentada a quem se qnizer propor
para o alludido foruecimento.
Thesonraria de Pernambueo, 2 de Marco de
1887.
, O secretario,
Ztitx Emygdio P. Viama.
Irmoinlade de IVosa aeabvra do Kw
ario da matriz do Corpo-Saoto
Mesa geral
Pelo presente convido a todos nossos irmaos pa-
ra se reunir em nosso cousit torio no dia 3 do cor-
rente pelas 5 horas da tarde afim de em mesa ge-
ral proceder-se a cleicdn para juiz e mais algnns
cargos i agus por nao terem aceitado os que foram
elei tos.
Recife, 1- de Marco de 1887.
O eserivo interino,
Joa Miguel dea Santos.
seeiedade
DOS
Artistas Mchameos e
Lbenles
De ordem do irmao director, convido a todas oa
irmaos a reunirem-se em nosaa sede sexta-feira 4
do corrente, pelas 6 horas da tarde, afim de ter
lugar a assembla geral do mez prximo paseado,
que deixou de funccionar por falta de uumeio,
devendo esta ter lugar com o que comparecer.
Secretaria da Imperial Sociedad dos Artistas
Mecbasicos e Liberaes dn Frrnambuco, em 1 de
Marcode 1^87.-O- secretario,
>. _____________ Jos Castor.
Banco de crdito real de Pernam-
Em cumprimento doa 9 e 12 do art. 83-dos
estatutos e das diaposicoes da lei n. 3 150 de 4 de
Novembro de 1882, couvooamos os Sra. accionistas
a reunir-ae ern aseembla j-ral uruana. no dia
lo de Mari;0 prximo viudouro, au meio da, tu
urna daa aalRs da fsociaco Commercial Bene-
fleente. afim de lliea ser pieaente o relatoria das
operadora do anno bancariofindo em 31 deDezem-
bro de 1886, acompanhado do paree r da commia
(o fiscal e proceder-se 4 eleajo desta e bem as-
sim do presidente, viee presidente, 1- e 2: secre-
tarios da aseembla geral.
Recife, 28 do Fevereiro de 1887.
Oa administradores,
Manoel Joo de Amorim.
Jos da Silta Lovo Jnior.
Luiz Duprat.
Canecos de mtal branco "* '4
Cartucheras de sola 10
Cerreiaa.de marmitas de 8 pracas ">7
Cinturoee com ferrageoa, palas e pstro-
nas 10
Eateiras de palha ".'.") -
Eapadas com bainhas para msicos 3
Fianella alvadia para torro de capotes
metras 14
Ganga encarnada, metros 6
(iravatas de tola de lustro 286
Gruarda-fexes S
Hollanda de forro, metros btu '
Lene s de chita 600
Latas para acarar caf 2
Meias de algodo, pares 60q
Sapatos de couro de bezerro, pares 88o
Saccis para marmitas de 8 pracas 48
Tamancos, pares 75
Previne se que nao serao tomadas em conside-
racitn as propostaa qne nao f irem feitas na firm
do art 64 do Reg. de 19 de Outubro de 1872, em
duplicata, com referencia a un s artigo, mencio-
a&ndo o neme do propnente, a indicaco da casa
commercial, o preco de cada artigo, o numero e
marea das amostras, deeUrncao expressa de sn-
geitar-se a multa de 5 0|Q, no caso de recusar as-
aignar o eontraeto, bem como as de que tratam os
arta. 87 e 88 do regulamento citado.
Outro sim, previne-se mais qua sao improroga-
veis oa praaos estabelecidos no respectivo termo
de contracto.
Secretaria do Arsenal de Querr do Pernaro-
buo, em 18 de Peveieiro de 1887.
O secretario
Jos Francisco Ribeiro Machado
11 BElllJAfl
0 escriptorio tfesta
eoinpanliia. acha-se
uiiccionando no largo
de Pedro II, n. 77, V
anda;.
lmeombe-sc median-
te contrato t a paga-
mento em presta?oes,
de eonstruc$oes e re-
construepoes de pre-
dios, cu jos projectos e
ornamentos sejam ou
nao confeccionados
pela companhia.
No escriptorio se en-
contraro sempre, as
amostras dos produc-
tos da fabrica vapor
do Taquary, tend sem-
pre yenda: tijolt.s
massifos de alvenaria,
ditos para ladrilbos,
diversos formatos, te-
Ihas romanas, france-
zas, de capote com en-
caixe, de crista; canos
e curvas de diversos
dimetros, ornatos va-
riados e tijolos fun-
dos de diversos forma-
tos.
Para vendas c en-
comendas, no escripto-
rio central.
u
s ou lira
Por esta secretara sao chamados os pareutes e
protectores das menores abaixo declaradas, para
at o dia 28 do corrente aprcsental-as no collegio
das orphas, afim de serem ahi admittidas, visto
serem as primeiraa inscriptas no respectivo qua-
dro.
1 Carolina, protegida de Augusto Manta.
2 Illuonata, filha de Mara Florencia Barbos
dos Santos.
8 Laurinda, filha de Siocletica Lins de Vas-
concellos Araujo.
4 Mara, filha ja misma.
5 Adelaide, filha de Mara Jos da Conceicii .
6 Mana, filha de Mara Jos da Euoarnacao.
Secretaria da Santa, Casa de Misericordia do
Rccile, 8 de Fevereiro de 1887.
O eacrivao,
Peer Rodrigues de Sonta.
<.om,iaahia le cguris Pbeais
PerasinbncaaM
Os seuhons accionistas, iioa termis ito art. 25
e para eg cff-itos do 1- do art. V7 dra eitutos,
sio envidados a reuiirem se em aaeetnb'n gera(
ordinaria no di 3 de MarCi' P"'Xiinu, ao mi
na jde da c mpanhi.-i.
Pernaraboco, 16 de fevereirj de 187.
Os a iminia'radores,
Luiz Ouprar.
r. Manoel Gomes de Mattoa. A
JoSo Jos Rodrigues Meng;







Diario de PeruambucoQuinta-feira 3 de Mar^o de I-'7
i
K EMPREZ1 D (iAZ.
Pede-se aos Senho
res coDsumraidoi'es que
queirain fazer qualquer
comunicacao ou recla-
macao, seja esta eita no
escriplorio desta empre-
za na do mperador n
9, oude tarabem se re-
ceber? qualquer conla
que queinam pagar.
Os nicos cobradores
externos sao os Senhores
Hennillo Francisco Ro-
drigues Freir e Manuel
Antonio d Silva li
veira, e quando for pre-
ciso o Sr. Antonio Mar-
Sos Carvalho.
Durante a auzeucia
doabaixoassigtiado na
Europa todos o i recibos
dessa empreza deve-
ro ser passadosemta-
loes carimbados e fir-
mados pelo Sr. Samuel
Jones scm o que nao
tero valor algum.
George rnodsor,
Repartido das Obras Militares
De ordcm do Illm. Sr. capitao de eogenheiros
Dr. Gregorio Thaumaturgo de Azevedo, encarre-
gado daa obras militares desta provincia, faco pu-
blico qoe no dia 14 de Marco vindoure, s 10 ho-
ras da manba na Repartilo das Obras Militares,
no Palacio do Governo, se rcceber propostas em
cartas fechadas dos negociantes cb firmas cam-
merciaes desU prac, que quizerem contrariar no
correte anno o fornecimento s obras militares
dos materiaea constantes da relacao existente na
reparticao, diaposicao dos pretendentes, para
ser examinada uos das uteis, durante o expe-
diente.
Reparticao das Obras Militares em Pernambnco
'24 de Feverero de 1887.Jos Armando da Cu-
nha, 2* cadete 2 sargento amanuense.
Companhia Locomotora Pernam-
bacana
Na teodo se reunido no dia 29 de Janeiro em
tssembla geral os Srs. Accionistas desta Compa-
nhia, sSo novamente ccnvidadcs a se reuoirem no
da 7 do corrente, s 11 horas do dia no seu ez-
crptorio ra do Viseonde de Itaparica n. 7,
afim de ser apreseutado as contas do anno findo,
o parecer da commiseo fiscal c o relatorio da
adininistracao,
Em virtude da le a sesso [funcconar com
qualquer numero de accionistas que compa-
recer.
Escriptorio da Companhia Locomotora Pernam-
bucans, 1 de Mar?" de 1887.
S, Barro Brrelo,
Secretario da administrac-Io.
Lotera de 4000 eontos
A grande lotera de 4O0O eontos, em 3 sorteios,
fica transferida para o dia 14 de Maio vindouro,
impreterivelmente, uos termos do despacho do
Exm. Sr. presidente, de hoje.
Thesouraria das Loteras para o fundo de
eraaocipac&a e ingenuos da Colonia Isabel, 14 de
Desembr > de 1886.
O tbesoureiro,
Francisco Gonyalves Teires.
RMADADE
QB
S. S. da Conceifo dos
Militares
Mena genal
De ordem do v ice -presidente, convido todos os
nossos iroios para ee reunirein no consistorio da
nossa igr (sexta-teira) s 6 horas da tardf, afim de se pro-
ceder a eleicao para presidente e thesoureiro, em
virtude dos eleitos uao terem aceitado. Recite,
1-deM 11 de 1887.
Gereucio dos Santos Teixeira,
Secretario
GOMIERGIO
Bilia commerclal
COTA9OES OFFICIAES DA JUNTA D08 COB-
BECTOSE8
Rtafe 2 de More de 1887
L Pernambuco. do valor de 100*, com juros
de 1 de Janeiro, a 95* cada urna.
Cambio sobre Paria vista a 433 rs. o franco, do
banco.
Cambio sobre Lisboa e Porto, 90 djv. 143 0|0 de
premio, do banco.
Na hora da bolsa
Venderain6e :
98 letras bypothecarias.
O presidente,
Antonio Leonardo Rodrigues.
O secretario.
Eduardo Dubeux.
Tmenlo batucarlo
BECIPE, 2 DE HABOO DI 1887
A taxa dos bancos contiuuou a ser de 22 1/8 d.
sobre Londres.
j a tabellas offieiaes sao estas :
Do London Bank :
Sobre Londres, 90 d/v 22 1/8 e vista 21 7/8.
Sobre Pan, 90 d/v 429 e vista 433.
Sobre Hamburgo, 90 d/v 532 e i vista 538.
Sobre Portugal, 90 d/v 240 e vista 243.
Safan Italia, vista 433.
Sobre New-York, vista 2*290.
Do English Bank :
sobre Londres, 90 d/v 22 1/8 e 4 vista 21 7/8.
Sobre Pars, 90 d/v 429 e vista 433.
Sobre Italia, vista 433.
Sobre Hamburgo, 90 d/v 532 e vista 538.
Sobre New-York, vista 2*290.
Sobre Lisboa e Porto, 90 d/v 240 e vista 243.
-obre as principaes cidades de Portugal, vista
248.
Sjbre liba dos Acores, & vista 251.
Sobre Una da Uadeira, vista 248.
Mercado de Mocar e alzodao
BJSCIFE, 2 DB M1BCO DE 1887
Aetacar
As entradas ioram regulares.
Os precos, pagos ao agtcultor, continuam a ser
. seguintes :
> haixo, por 15 kiles, de 2*000 a 2*100.
: m turbina Usina Pinto, por 15 kilos, a
2*600.
mnemii turbina Usina Pinto, por 15 kilos, a
'00.
Ki.ioco turbina pulveiisado, por 15 kilos, de 2*300
a 2*400.
um, por 15 kilos, de 1*600 a 1*700.
cavado, por 15 kilos. 1*200 a 1*300.
(6 kilos, de 1*100 a 1*200.
lo kilos, de 840 a 1*000.
un mnimo dos pi ecos eio obtidoa
nt ment.
Companhia de Trilhos l'rbanos do
Recife'aOlindaeBeberibe
A contar do presente mez fioam supprimidos os
trena extraordinarios que aos domingos e dias nu-
lificados partiam das estacse da ra da Aurora,
Olinda e Beberibe s 10 '/ horas da Manba e da
noite.
Escriptorio do gerente, 1 dt Marco de 1887.
Antonio Peretra Simoes.
Cola* i Seros MAM,
U Li
AGESTE
Higael Jos Alves
N. 7RA DO BOM JESUS-N.
Sesearos) marliSBao e ierreire
Nestes ultimo a nica co~panhia cesta praca
que concede sos Srs. segurados ise&pcjta de pags
ment de premio em cada stimo anuo, o ppe
equivale ao descont de cerca da 15 por coat e
avor dos segurados.__________________________
COMM!raiA~Dfi NEC.URO*
NORTHERN
de tOniin-i ts Aberdeen
realceflnancelra (Uecembro 188)
Capital oubsciipto 3.000.000
Fundos aucumulados .'5.134,348
Kecella anniia! :
Di premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De jaros 132,000
O AGESTE,
John H- Boxwell
UVA COHHEunOCIO X. O **I>*H
%.> don ant Ktraailiaa Ha
Limited
Ra do Commercio n. 3l
Sacca por todos os vapores sobre as ca-
as do mesmo banco em Portugal, sendo
m Lisboa, ra dos Capellist** n 75 No
Porto, ra dos Ingleses.
(O.VniA FOCiO
INortb British & lercanlile
CAPITAL
t:OOO.OOo le libra sterllnas
AGENTES
A do ni so ii Howic&C.
"SEGUROS
MARTIMOS contra fogo
Companhia Phenix Per-
aambucana
Ruado Commercio u. 8
Algodao
O mercado de algodao eontina firme ao preco
de 6*150 por 15 kilos o de Pvruambuco e boas
procedencias, em terra.
Cumpnnbia de Sesaros indcinl'ci-
dora
Esta companhia est pagando < dividendo de
suas ac^es relativo ao ultimo semestre vencido
em 31 de Dexembro prximo paaaado, na razao de
12*000 por aeco ou 12 0/0 ao anno, sobre o capi-
tal efectivo.
Entrada de asmucar e algodao
HEZ DE rsVEREISO
'
EJTBADAS
Barcacas .
Estrada de ferro de Olin-
da ......
Estrada de ferro de Ca-
. ruar.....
Animaes.....
Estrada de ierro de S.
Francisca ._ .
Estrada de trro de Li-
moeiro.....
.a
5
1 a 28
1 28
l 28
1 28
1 26
1 28
I i
93.033
533
11.436
U.U6
92.961
23.691
234.739
a

6.993
1.852
335
12.944
4.938
9.263
36.331
Nota* do TbiK'iuro dilacerada*
O recolhimeuto de notas dilaceradas est sendo
feito na Thesouraria d Pazenda, as tercas e
sextas-feiras, das 10 s 12 horas da manhS.
Saballtalcao de notan do Thesoaro
Em 31 de Marco vindouro termina o praxo mar-
cado para recolhimento, sera descont, das notas
de 2*000 da 5" estampa, 10*000 da 6 e 5*000
da 7.
A subetituieo est sendo feita na Thesouraria
do Fasenda, nos dias uteis, das 10 s 12 horas da
manba.
Patacbo Inajlez Plvmonih
Foi freUdo este patacho para carregar assucar
aqu, com destino a Santos, a 140 ris por 15 ki-
los.
Vapor Ingle* Pleey
tfeguio hontem para Liverpool com um carre-
gamento de 2,077 saccas cun algodao.
Patacbo bollandes lobanna
Parti ante-hontem para o Rio Grande do 8nl,
condazindo :
651 saceos com assucir branco.
29 ditos com dito mascavado.
1,250 barricas com dito branco.
235/2 ditas com dito dito.
125/4 ditas com dito dito.
100 saccas com algod&o.
18 pipas com agurdente.
Patacbo sjaeco Nordbon
Sahiu ante-hontem, com destino a Santos, le-
vando:
SBGBBOa
CONTRA FOGO
f he Liverpool London & Globe
mmmm company
JMPERIAl
Companhia
DE
SECilJROS CONTRA lOt.O
EST: 1803
Edificio* t mercadura*
Taxa* baixa*
Promplo pagam-tUo de prejuitot
CAPITAL
Rs. 16,000:000*000
Agentes
BROWNS & C.
N. ?Ra do CommercioN. 5
Companhia de Seguros
martimos e terrestres
Hstabeicida em 1S&S
CAPITAL 1,000:000,8
SINISTROS PAGOS
Harlmos..... -3,110:0008000
Terrestres,. 516:000$000
44_itua do rommereio-

111
C'O ni> .4X111K DES HEMAKE
nu:* n.iitiTinKM
IJNHA MENSAL
0 paquete Gironde
Co-nmandante Minier
^. Espera-se da Eu-
^^_a>S Hmora da costurae
ro, tocando na
Babia
Lembta-ee 803 senhores passageiros de toda?
t classes que ha lugares reservados para esta
agracia, que podem tomar em qualquer tempo.
Previnese ao ssenhores recebedores^ de merca-
doriaa que s<5 se attendera as reclamacoes por fal-
tas nos Tolumes que forem reconhecidas na occa-
jiio da descarga.
Para carga, passagen6, encommendas e dinheir-
rtt': tracr*-e com o
AGENTE
4ugiiste Labille
9 RA DO COMMERCIO-
Haiiri-SBBamBffiaiclB
OanipfschiTfahrls-Gesellschan
0 vapor Tijuca
E' esperada dos por-
tos do sul ate o din 4
de Marco entrur no
porto seguindo depois
da demora necessaria
para
L.lsboa e Hamburgo
Pa-a carga, pasagens, encommendas, dinhei-
ro e frete tracta-se com os
AGENTES
Borstelmaim & C.
RA DO COMMERCIO N. S
/ andar


2,600 saco-s com assucar branco.
2,500 ditos com dito mascayado.
imporiarao por pequea eabo-
(acem
Mez de Janeiro
Acbas de lenha 5,000.
Arroz com casca, saceos 6.
Borracha, barricas 19 (950 kilos).
Caibres 109. '
Cocos 8,000.
Enlames 288.
Farinba de mandioca, saceos 92.
Qerimcns 204
Jangadas 0.
Sement de mamona, saceos 63.
Prancbces 22.
Sal, litros 23,040.
Taboas, duzias 2.
Toros 195.
Travs 208.
Varas 50.
Mea de Fevereiro
Acbas de lenha 10,40)
Borrachas, barricas 2 (1,00) kilos).
Caroco d'! algodao, saceos 24.
CSra de carnauba, dem 91.
Cocos, 13,900.
Eoi.ms, 194.
Kuriuhu de uia:idio.'a, a.-c-os 16.
Gerimuns 50.
Jangadas 14.
Mamona, semen tes seccas 32.
Pranches 81.
Sal, litros 5.800.
Travs 83.
Pauta da iimnileja
If.IKSl nB 28 DE FETBRBUO A 5 DB IfABfO
de 1887
Alcool (litro) 218
Algodao (kilo) 343
Assucar refinado (kilo) 151
Dito branco (kilo) 131
Dito mascavado (kilu) 067
Borracha (kilo) 1*26S
Cacao (kilo) 400
Cachaca (litro) 077
Caf bom (kilo) 460
Cafrestolho (kilo) 320
Carnauba (kilo) 366
Careos de alf odo (kilo) 014
Carvo de pedra de Cardifi (toa.; 16*000
Couros seceos etpiebados (kilo) 585
Ditos salgados (kilc) 500
Ditos verdes (kilo) 275
Farinha de mandioca (litro) 050
Pumo reslolh> (kilo) 400
ene ora (litro) 200
Mel (litro) 040
Milbo (kilo) 040
Taboados de amarello (dusia) 100*000
Exp*rtaeao
BECITB 1 DB MABCO DB 1887
Pora o exterior
No vapor ingles Pifie Branth, carregaram :
Para Liverpool, Borstelmann Se C. 500 saecas
com 36,838 kilos de algodao.
Na galera inglesa Lorenzo, carregaram :
Para Liverpool, N. Cabu & C. 200 saccas com
18,195 kilos de algodao.
Na barca uoruegaense Vega, carregaram:
ROYAL1AIL STEAM PACKET
COSPAM
0 paquete Tamar
CHARGEIRS REUNS
E' esperada daEuropa no dia
11 do corrente, segunde
depois da demora necessa
apara
Macei, Baha, Rio de Janeiro e Santos
0 paquete Mondego
esperado
do sul no dia 14 de
enrrente segnin lo
depois da demora
necessaria para
9. Vicente. Lisboa, Vlgo e Son
jhampiou
Reduafio de pasmqen
Ida Ida t volta
A Southamptm Ia classe 28 42
Camarotea reservados para os passageiros de
Pernambuco.
fara passagens, fretes, etc., tracta-se os
CONSIGNATARIOS
Adaiuson Howic ite C.
Cs>fBM*eAfidra 5raS8eIra de IHave-
apo: Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor Cear
Commandante o 1.' tmente Guilherme Pa-
checo
E' esperado dos porcos do su
at o dia 7 do Marc-, e
seguir depoia da demora n-
'y dispensavel, para os portot
do norte at Manos.
Para carga, passagens, encommendas e valores-
tracta-se na agencia
PRAQA DO CORPO SANTO N. 9
PORTOS DO SUL
0 vapor Manos
tenente Guilherme Wad-
dington
E' esperado dos jrtos do
norte at o dia 5 de Alar
Co e depois da demora in-
dispensavel, seguir para
os p-*-'ns do sul.
Recebe tamoem Carga para Santos, Santa Oi-
tbarina, Pelota.8, Porto Alegro e Kio Grande d>
Sol,frete modic .
Para carga, pasteen*, cncounnendas e valores
trata-se na agencis
PRAGA DO CORPO SANTN. 9
panhla Franceza de HfaTega-
co a Vapor
Liuha quinzenal entre o Havre, Lis-
ooa, Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro e
Santoa
0 vapor Tille deBahia
Comroandante Delins
Espera-se des Dortos do
sul at o dia 6 de Marco,
seguindo depois da indis-
pensavel demora para o Ha-
vre*
Conduz medico abordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo passa-
dio.
As pasEagenspoderao ser tomadas de anwan.
Recebe carga encommendas e passageiros para
os quaes tem excellentes accommodacoes.
OfuiTiii "fenmiiin
Coasmandvnte Chancerel
E' esperado da Europa
at o dia 8 de Marco, se-
guindo depois da indispen-
savel demora para a Ba-
bia. Rio de Janeiro
c MantuM.
Roga-se aos Sra. iir.portaderes de carpa p 'lo*
vapores desta iinha,qaeirim apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alv:ir3ng- -1-
quer reclamccao concernente a volumes, qaj po-
Vf atu h tenham seguido para os partos do sul.afin
de se poderein dar a tempo as provideucias necee-
sarias.
Expirado o referido prase a companhia nao s-
reaponsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
frete: trata-se com o
AGENTE
ngosle. Labille
'J RA DO COMMERCIO 9
Agente Burlaniaqui
2- Leilo
Commandante 1
Unued Slales lii! Brasil S. 8. G.
0 paquete Finance
E' esperado doa portos d(.
sul ate o da 15 de Marco,
depois da demora necessaria
seguir para
Haraaho, Para, Barbados, fc.
Thouiaz e Scw-York
Para carga, passagens, c suconumendas tracta-
k com os
AGESTES
Espera-se de New-Port
News, at o dia 18 de Mar-
co, o qual seguir depois
da demora necessaria para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e dinheira
frete, tracta-se com os
AGENTES
llenry Forsler k C.
N 8- RA DO COMMERCIO -8
!. anda
Para Liverpool, Borstelmann & C. 500 saccas
com 3V.413 kilos de algodao.
Na barca norueguence Ogir, carregaram :
Para New-York. J. S. Layo 4 Kilbo 3,304
saecus com 247,8U0 kilos de assucar mascavado ;
M. J. da Rocha 800 saceos com 60,000 kilos de
assucar mascavado.
No patacbo alietnao Wilhen & Joseph, car-
regaram :
Para Montevideo, Amorim IrmSos & C. 400
barricas com 47,373 kilos de assucar branco.
Para o interior
No patacho nacional S. Benedicto, carrega-
ram :
Para Porto-Alegre, P. Carneiro & C. 1,725 vo-
lumes com 121.510 kilos de assucar branco e 750
ditos com 50,750 ditos de dito mascavado.
No lugar portugus Teuterario, carrega-
ram :
Para Santos, Amorim Irm&os & C. 3.7HO saceos
com 222,000 kilos da assucar branco, 2,100 ditos
com 126,000 ditos de dito mascavado, 150 pipas
e 500 barris com 120,000 litros de agurdente.
\avlo-. a cara
Barca nacional Morinho IX, Rij Grande do Sul.
Barca nacional Marianninha, Rio Grande do Sol.
Barca norueguense Vega, Bltico.
Barca norueguense Ogir, Estados-Uaidos.
Barca inglesa Dtautoffage, Estados-Unidos.
Barca noruega Rez, New-York.
Brgue allemo Bruno & Mane, HHull.
Escuna ainamarquesa Express, Montevideo,
(s'scuna sueca Loreliy, Rio Granae do Sul. .
Galera inglesa Lorenzo, Liverpool.
Lugar nacfonal Logo, Rio Grande do Sul.
Lugar nacional Zquinha, Rio Grande do Sal.
Lgir nacional Tigre, Rio (rande do Sul.
Patacho ingles Plgmouth, Santos.
Patacho dinamarqus Mercar, Rio Grande do
Sal.
Patacho ingles Wittem & Joseph, Montevideo.
Patacho nacional Maiinho VI, Rio Grande do Sul.
Patacho americano J. P. Loasen, Rio Grande do
Sol.
Patacho portuguer Fanny, Para.
Palnabote nacional & Bartholomeu, Porto-Alogre.
Patacbo portugus Veritat, Lisboa e Porto.
Vspor ingles Sturgth, fiun;os.
Vapor ingles Gory, New-York.
Vapor ingles Gorje, Halifax.
Xavlos) & encarga
Barca dina'marqueza Julins Skrihe, varios ge-
neres.
Barca norueguense Atno, carvio.
Barca norueguense Noatun, carvSo.
Barcaca nacional Ipreseniaco de Mario, gneros.
nacionaes.
Barcaca nacional Boa Nova, dem.
Escuna inglesa Bella Rosa, bacalho.
Escuna inglesa Percy, baealbo.
Hiate nacional Joo Valle, algodao.
Hlatebrasileiro Deus teGuarde, sal.
Hiate brasiieiro Bom Jess, algodao.
Hiate nacioual Flor do Jardim, sal.
Lugar ingles Velly, bacalho.
Lugar ingles Minina, carvio.
Lugar nornegoense Courier, farinha de mandioca.
Lugar ingles Ltatie R. Wilce, baealbo.
Patacho ingles S. Joseph, bacalho.
Patacbo portugus Temerario, varios gneros.
lendimentos pabllcos
HEX DB KABSO
Al/aniega
Renda geral :
De um sobrado de dous andares e sotao
ra de Marcilio Dias, antiga ra Direita
sobn. 121.
Serviodo de base a quantia de 5:000jj00O
iexta-feira, 4 do corrente
AS 11 HORAS
O agente cima, por maodadu e assistencia do
Exm, be. Or. Juis de direito de orphos, a re-
querimento de Anl.nio Luiz Pereira Dutra in-
ventarian'e dos bens deixados por seu pai
Candido Tboinas Pervira Dutra, levar a eilao
um sobrado de' dous andares e sotao ra cima,
em bolo proprio.
Os Srs. pretendentes desde j podero ir exami-
nar o referido cobrado.
Leilo definitivo
de urna purte do engenho BRUM
da quantla de 12:559^js30
Agente Britto
O agente cima, a mandado do Illm. e Exm. Sr.
Dr. juiz de direito em sua presonca e a requer-
ment do inveotariauto do bens da finada D.
Tberesa Carneiro Lin-, de Miranda, levar leilo
pela ultima vez urna parte do engenho BRUM. da
quaotia de 12:5592230. servindo de base a o Ser-
ta do 6:500j; trrea parteda casa terrea ra
de S. Francisco servindo de base a offerta de
4005.
Tucio na freguesia da Varzea.
Sexta feir, & do corrente
A's 11 horas
A' ruado Imperador n. 16
Leilo
Da armaco, cofre ioglez prova de fogo, carteira,
mercaduras existentes na loja de fazendas *ita
ra do Mrquez de O.inda n. 47.
Constando de caseinia, chitas, setinetas, meri-
no, flanella, calcas, camisas, e..bertores de la. pa-
letota de easeir-ita, alpaca e flaoella, espartilhoe,
chilec, luvns pieti.s d^ sena, ditas brinca, caixas
com i >res finas, Irques pretos e de cores, diversos
movis e muitos utros ohjectos.
Garante-se a cas ao comprador da arnwcao.
Quuinta feira 3 do corrente
A's 11 horas
Por lutervuucio do agente GUSMAO
Agente Britto
Leilo
De fazendas, miudezas, 1 mobilia de pao car-
ga, nova, guarda-loucas, guarda-vestidos, cadei-
ras de amarell", 1 s^t, 2 cadeiras de bracos e 12
cadeiraa de iaoo, commodas, camas francesas,
marqnezoes, 3 pianos de Bord, Pleyel, Igson, e
muitos movis avuUos, espelhos, quadros, jai rus.
vinhos, cervejas e muitos outros artigoa.
No anuazetn ra ti Pedro Affonso n 43
As 10 12 horas
Leilo
De 2 sobrados, sendo um de 3 andares n.
2b ra do Livramento e outro de 2
andares ra dos Martyrios n. 144.
Stxta-feira 4 do corrente
A's 11 horas
RA DO IM. PE ADOR N. 22
O agente Stepple por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. juit de direito privativo de orpbos
e ausentes a requerin-ento de Joao Goncalves de
Souza Beirao, pertcnernte ao espolio de Jos Ma
ria Perreh-a da Cunta levar a leilo o sobrado
de 3 andares n. 25 ra do Livramento em solo
foreiro, rendendo meosalmente 1654.
Em seguida o meino vender um outro de 2 an-
dares n. 144 ra dos Martvrios, junto a igreja,
rendendo mensalment-j 1065000, as chaves acham-
se ra Direita n. 112 1* andar para qualquer
pretndante ir examinar.
Os pretendentes desde j podem examinar e
para qualquer informacao o mesmo agente dar.
O- 1
dem de 2
25:25 U242
23;UU667
enda. provincial :
Del
dem e 2
7.284-106
5:8854227
48.254*909
13:1691333
De 1
dem de 2
Efe I
dem de 2
0sj 1
dem Becebcdoria
Consulado Provincial
Reeije Drainage
61:4214242
3:5334171
2:3204753
5:8534924
1:3964229
1:127*410
2.5234639
5864191
1:197*691
1:7834882
Mercado Municipal de 4oe
O movimento deste Mercado uo dia 2 de Mar-
co foi o seguinte:
Entraram :
34 bois pesando 4,891 kilos, sendo de Ol-
veira Castro, 22 1/2 de 1.* qaalidade, 5
de 2* dita e 6 1/2 ditos particulares.
704 kilos de pene a 20 ris 144080
80 cargas de farinha a 200 ris 18*000
15 ditas de fructas diversas a 300 rs. 44500
11 taboleiroa a .200 ris 24200
19 Suinoa a 200 ris 3*800
Foram oceupados :
21 columnas a 600 ris 14*400
24 compartimentos de farinha a
500 ris. 12*000
21 ditos de comida a 500 ris 10*600
791|2 ditos de legumes a 400 ris 31*800
18 ditos de suino a 700 ris 12*60b
11 ditos de fressaras a 600 ris 6*600
10 Ulhos a 2* 20*000
3 ditos a 1* 3*000
A Olivira Castro & C.:
54 Ulhos a 10 54*000
2 talhos a 500 ris 1*000
Deve ter sido arrecadada ueste dia
a quantiade 206*48J
Rendimento do dia 1 202*800
Poi arrecadado liqnido at neje 409*280
Precos do dia :
Carne verde 200 a 480 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris idem.
Sainoi de 500 a 640 ris idem.
farinha de 200 a 320 ris a cuia.
Milho de 260 a 400 ris idem.
Feijo de 640 a 1*000 idem.
Vapore e navios esperad*
VAPOBJSS
Legislatorde Liverpool boje.
Supervisorde Liverpool hoje.
Tijucado sal a 4.
Manosdo norte > 5.

Leilo ila Barca "Granl
Por conta e risco da quem pertencer, ir a lei-
lo. no dia 4 de Marco prximo, na cdade do Na-
tal, provincia do Rio Grande do Norte, em uaa s
lote, o casco, mastreaeaj, apparelbo. veame, so-
brcselentes e mais pertences da barca norueguen-
se Grant, que encalbra ao sabir a barra d'aquelle
purto, onde se acha presentemente ancorada.
AVISOS DIVERSOS
Aiuga-s- iMBMS a 8*(X,0 no becco dos Coe-
ihos, junto d'- > Goiifa'.lo : a tratar na ra da
Imperatrit n. 5G.
= Precisa-se do um perfeito eseicheiro ; a tra
tar na ra do Bruin n. 3.
Precisa-se de Dota ama para cosiuhar ; na
ra Nova, pharmacia n. 51.
Alnga-se o sobrado n. 21 ra da Umo ;
a euteiidei-s- na rna da Impcratriz n. 19.
_," Quem achar JoSo seini-preto, de 5 annos-
om paletot de linho azul, calca de algodaozinho
de listra azul e sera chapeo, leve o ra de S.
Jorge n. 74, pois perdeu-se folgando hontem na
ra Imperial. ___________^__
Veude-se a casa terrea n 13, ra Oo Jas
min, hoje Coronel Lamenha, com bons commodos :
a tratar na roa da lt ida, taverna n. 11, ou com
Fredenco Chaves, largo de Pedro II n. 75, es-
criptorio, 1 andar. ____________ _____
Precisa se ae urna am para todo servico
de casa de famil a de tres peesoas ; no oito do
Crpo Santo n. 25.
Urna seubora de couducta exemplar e apta
para o magisterio primario, offerece seus prestimos
para qualquer engenho perto da estacao, eu casas
particulares : ra Imperial, junto ao n. 145.
Vende-se 1 junta de bos, grandes e gordos
bons de carro e carroca, na Magdalena, sitio do
commendador Barroca, defronte dn chafara.
Criada
Offerece-se nina senbora de idade regular dan-
do fianza de sua conducta, para acompanbar al -
guma familia que queia se retirar para qualquer
provincia do Brasil, gratis por 6 mezes, a tratar
na roa de Hortas n- 43 Io andar, prefere-se para
a Corte. ^^^^_____
Aluga-se barato
as casiohss do becco da ra da Palma ns. 10, 12,
14 e 18, pintadas e catadas ha po neo ; na roa do
Vigajio n. 31, 1 andar.
Ama
Preclia-se de urna cosioheira ; a tratar no largo
do Coipo Santo n. 17. 3- andar.
Girondeda Europa a 6.
Ville d Bahiado sul a 6.
Ceardo sul a 7.
Vlle de Pernambucoda Europa a 8.
Tamarda Europa a 12.
Mondegodo sul a 14.
Financedo sul a 15.
Valparasoda Europa a 14.
Montevideode Hamburgo a 17.
Alliancade New-PortNews a 18.
Kevada Eurcpa a 24.
Amandade Hamburgo.
Apolbeker Dirsende Santos.
Aricade Cardiff.
Aldwathde Terra Nova. i
Ameliado Rio Grande do Sul.
Auriolade Terra Nova.
Albanade Cardiff.
Alranade Cardiff. >^
Budade Cardiff.
Cometade Porto Alegre.
Cysnedo Rio Grande do Sul.
Chriatisui Scriverde Cardiff.
Caledooiado Rio de Janeiro. "
Diudado Sio Grande do Sul.
Enjettado Ro Grande do Sul.
Eru'ede Hambqrgo.
lite-de Tena Nova.
Eugeniade Terra Nova.
Friuchoy do Rio de Janeiro.
Guadianade Lisboa.
Glitnerde Liverpool.
Hapnusdo Rio Grande do Sol.
Helenede Hamburgo. ,
Idealde Londres.
Jelsnthede Santos.
J. G. Ficbtdo Rio de Janeiro.
Joaquinado Perto.
Jos Genebrade Liverpool.
Lidadordo Rio de Janeiro.
Liliande Terra Nova.
Laviniade Terra Nova.
Linda Parckdo Rio Grande do Sui.
Maia Ido Rio de Janeiro.
Marco Polodo Rio de Janeiro.
Marinho VIdo Rio Grande do 8uL
Meta Sophiade Hamburgo.
Mariettado Rio Grande do Sol. f
Metede Hamburgo.
Mayde Terra Nova.
Malpode Brunswick. i
Nordsoende Liverpool.
Noruega Ainoda Cardiff.
Our Aunie'de Buenos-Ayres.
Prcgressode New-Port.
Rosa Hilldo Rio Grande do Sul.
Rolanddo Rio de Janeiro.
Reformdo Rio Grande do Sul.
Speranzade Cardifi.
Sophiade Santos. .
Vareo da Gamado Rio de Janeiro.
Withelminede Hambnrgo.
Movimento do perto
Navios entrados no dia 2
Genova55 dias, barca dinamarquesa Julius
Skrike, de 283 toneladas, capitao ;C. Bondo,
equipsgem 10, carga varios gneros ; a H. Bur-
le & C
Navio sonido no mermo dia
Liverpool Vspor ingles Plessey, commaa-
dante l Scott, carga varios gneros-

*

I
{


Diario de PeraarobucoQuintafcira 3 de Marco de 1887
5
3
*

i


'-
Ao commercio
O abaiu assigimdo, dealara M coromerao e ao
publico que cesta data eornprou ao Sr. Joaquina
Martina dos Santos o estabelreiim'Dto de molhados
sito ra de Paulino Cmara n 44, livre e desea
baracado de rodo e qualquer mus.
Se alguem be ju g .r coro o direito de protestar
qUv-ira faze-u no pn.ai de 3 di>>s, a contar d'esta
data.
Eecife, 1. de Marco de 1887.
. Francisco Ferrtira da Coat.
Ao commercio
O abaixo assigna-io declara que nesta data ven-
dea O seu estabelei-i ment de inmundos sito ra
de Paulino Cunara n. 44, livr<- < deseoibaracada
de todo e qualqucr onns, ao Sr. Francisco Forrei-
ra da CoSM.
Kecit'e, i. de Marco .l-i 1887.
Joaouuim Maitius dos Santos.
Silio
Aluga-se ou vende-sc rauito barato tim sitio
com casa, tendo cinco janrlma do frente, na l-Vdra
Mo.i perto'da estacao. M vc.lta do Lirnao : oo-
tra cus uo larg > da igreja de Apipucoa u. 26 ;
outr i casa cu Mamancnape, na ra Nova n. 8, e
dous terrenos no Espinheiro, confron'e ao chal
do Sr. eng"uht-iro Feiteaa ; a tratar no Caminho
Novo n. 79.
Arirenda-seoii vcndc-sc
um si'i > cora alguna arv.iredos de fructo, planta
de capim e ortaliees. A rua de S. Migue! n. 148 :
quera quizer dirija-ss ra la Imp-ratriz n. 13,
toja.
A o commercio
Os abaixo assigiiudo.= aicos solidarios rrsp"n-
caveis da firma Araujo Ac Mi.ia, que tera f>yrndo
cui o estab< leciiii i,i de molliados praca do
Cundo d'Eu n. 15, participan) ao respi-itavel corpo
commercial e a quein inUTeaetr pus-i:, que drGta
data ein di-mv pnbtmr a rn-emo eetabeleeiinent>
a gyrar seb a firma Araujo & Pereira, ficandu
esta solidariamente lesponsavel p*r todo o activo
e paaeivo a'quel!a.
Rpcife, 1 rte Miren de 1887Jaaquitn Antonio
de Arauj'j.AgostiuliO Preia Leal.
Precii-M d
peradir u 42.
Cosiaiieira
u:nn cosinheira ; ua ra do Im,-
osihcira
para casa de fa-
Precisa-se cin nina co-dulieint
aiilia : na ron du Aragau n 14.
Cha prct superior
Eecebeu o Carlos Linden nova nra-.ssa do cha
preto superior, e avisa a^s seuH treuuezes que
v na ra do Barao da Victoria n. 4S, para se
aupprir,
Precisa-se
ile alinhnvadeiras e inachinistas : na canusariu
das estrellas a ra Duque de Cnxivis a 58.
Cofres prova de fogo
B O Carlos Linden tur. duna uovos em folba, e
vende milito barato por ser da cansignacao ; na
rna do Baro da Victoria n 48.
Sitio
A!uga-se uro sitio com casa, e outra boa casa,
no Aterrinbo do Giqui ; a tratar na ra do Im-
perador n. 50, tercer ie hiiriar.
Cosinheira
Precisa-se de urna perita de 40 a 50 annos de
idade ac turnada a servir em casa de familia,
paga-se bsm, em Santo Amaro d-n Salinas, porto
encaroado junto a capella.
i'eitoral de Cambar (.",)
Descoberta e [jrepara<;S-i de Alvares de S.
Soares, do Pilotas
Approvado pela Exim Junta Central de Hygie-
ne Publica,auclorisado pelo governo imperial, pre-
miado com as mcdalbas de ouro da Academia Na-
cional de Paria e Exposicao Brasileira-Allema de
1881, e rodeado de valiosos attestadoa mdicos e
de muitoe outroa do peaaoas curadas de : tosses
simples, bronchite?, asthma, rouquido, tsica pul-
iDL'iiar, coquelui'lie, Pwarr. s de rungue, etc.
Precos as agencias : frasee 2500, meia
agia 130iX > duaia 24000.
Presos as snb-ageneiap :irasco 22800, meia
dusia ]5000 e riui i 28*VKX>.
Agentes e depositarios geiaes tiesta provincia
FiANCISCO MAXOEL j\ SILVA & C,
r'* Mrquez de O'inda n. 32
AI
u^-a-sc
a casa do larga da Deten?ao n 23, defronte da
nova estacao da liuha frrea, cjm grandes ac.oin-
niodacoes pnra familia, quintal, banheiro, etc. : a
ratar na ra larga do ltosario n. 34. pharinacia.
Ama
Na ra d Uniao n 13, preciea-se de urna ama
para cosinbar.
HISTORIA
VICT0REHUG0
Bento Jom- da Silva
Julia Ramos da Silva agradece do intimo d'al-
rna todas as pessoas que se dignaram acompa-
nbar o corpo de seu extremoso esposo sua ultima
morada : e de novo ao convida para assistirem as
missas que por sua a'ma manda reiar na igreja
do Divino Espirito Santo, ua quinta-teira 3 de
Marrji. s 7 hiras da manhil ficando assim inais
un i vez eternamente grath por este acto de reli-
giilo c caridade.
aria EuspuIh Babellu de
Sousa
Joaquiui C rdeirc C > Ih i Cintra, sua esposa e
filbos convidam ao* scus prenle* e pessoas de
eua amizade, para nckiatirnn a misa que por alma
de na presada entibada, man e ta, D. Mara
Eugenia Rab-llo ra Sonza, rnindam resar na ina
tris da Boa-Vista, s 8 horas da manh do dia 5
do andante mez. stimo do re i uas^arnento.
dil.l^^HBMBi.iHBi.MHHIMMSMMMBM.l^BB
Antonio ivitn d- -oii atoares
Ua amigo do fallecid> Antonio Pedio de Sonsa
Soarea manda n-sar urna missa na igreja do Di-
vico Espirito Santo, as I,oras o oa 4 (s-jsta-
feiraj, trigsimo do teu passamento, e para este
acto de religio coivida a familia, parentcs e
amigos do fallecido.
Os proprietarios es
tao preparados para
supprirem coka (car-
vo) por pre^o mode-
rado, entregando-se o
mesmo as casas das
pessoas, que compra-
ren! de 10 saceos para
cima,e tambem se ven-
de em saceos avulsos
na Fabrica do Gaz ou
na ra do Imperador
n.29.
O carvo coke sem
duvida nenhuma um
perfeito desinfectan-
te; na sua combusto
nao faz fumaba que in-
commode, e nenhuma
outra substancia soli-
da combustivel pode
ser comparada com o
mesmo em economa
efficiencia e limpeza.
E tambem especial
para qualquer fogo,
forno, ou caldeira a
vapor que tenha cha-
min.
Vende-se do mes-
mo modo a 1 c a t r o
(Tar) em latas, bar-
ris, etc., etc., que de
grande valor, espe-
cialmente nos climas
quentes, como este
para perservaejio do
ferro, da pedra, tijo-
los, ladrilhos, asphal-
tos cu para effeitos an
ante-septicos.
Outro eim, ha a ven-
da, por pre^o muito
diminuto agua de
amonio, que o me-
lhor preparado para
destribui$o das sa-
\as, formigas, tem a
mesma benfica e di-
recta influencia sobre
a vegeta^o supprin-
do o mais salutar ele-
mento fertilisante.
Qualquer informa-
ticularidades se obte-
ro na Ftelosrdo 9
Vende-se
Aprmeiiem
Cabrioletde quatro rodas, en estado de traha-
Ihar, por diminuto prec > : a 'ratar na ra larga
do Rosario n. 14, l- andar, das 9 horas As 3 da
tarde, e no pateo da Pa dos Afolados n. 86, so-
brado, das 6 as 8 horg du mania e das 4 s 8 da
noite ; assim como tres vaccas crionlas, sendo
duas soltciras c ama com cria, por diminuto
ptrCO.
Grande vantagem oferece o lalho
de carne verde de Rvt Porto
do Carvo
RA MRQUEZ DO HERVAL N. 27
O fregus que completar o numero de 310 kilo-
grammas de carne, receber urna nameraco para
corresponder coai a m*ior lotera qoe eoto esti-
ver na circulacao d'esta cidade, e so csuber a
sorte grande em dita numerario, o consumidor,
tora, pelo espaco de 6 meses 5 kilos de carne dia-
rios ; os consumidores, de 5 1 kilo, s<5 t. rao o nu-
mero de kilos que d'antes consuminm diariamente.
O conductor do feliz consumidor ser tambem
gatificado com 50/000.
N. B.Toda a carne ser entregue no ta'bo aos
portadores dos fregueses.
Becife, 27 de Fevereiro de 1887.
Freguezia do Recife
Aluga-se por preco muito commodo metade do
1- andar do sobrado da ra do Visconde de lu-
ntica, antig* do Apollo n. 35, no mesmo precisa-
te do um menino que aeja fiel para mandados,
d-M roupa e bom ordenado.
bronze
LUIZ
66-
Fmidica de sinos
DE
DA CRUZ MESQUTA
Ra do Bario doTriumplio66
(Anliga do Brain)
Neste est ibelecimenfd encontraro os
Srs. agricultores e seus correspondentes
todos os objectos tendentes a agricultura,
como sejam*.
Machinas para fazer espirito, de destil-
lar e restiPar, alambiques do aritigo e no-
vo sjstemacom esquenta garapa, serpenti-
nas e campusas, tachas, tachos, bombas de
bronze, de cobr e de ferro, de aspirante e
de rcpuxo, para agua, me] e garapa, tor-
neiras de bronze, de madeira e de todos
os tamanhos, canos de cobre, chumbo, fer-
ro, de todas as dimenses, cobre picado,
fundos para alambiques, repartideiras, pas
sadeiras e escumadeiras de cobre, de fer-
ro galvanisado, rmelas e lene,oes dfe co-
bre, bombas continuas, sinos de 1 libra at
110 arrobas, sola ing'cza e do Rio, cadi-
nhos patentes e de lapis.
Fazem-se concertos de todas as qualida-
des ecom toda presteza c perfei^o apresos
mdicos
Vendem-se a nrazo ou a dinheiro com
descanto.
ATEHSos
N.44-Eu i do Brum-N. 44
JUSTO A ES 'AiJAU
Tem para veuder, por prer mo, as ueguintes
Tachas fundidas, batidas s .aide.-nlaa.
CrivacSeB de divcrsiit taumnlios.
Rodas do espora, :(!:->, ; ;.
Ditas angal.-ires, jden, lmr-
Bancos de iurro cora aen oteeoW
Gradeamento para iardiui.
Varantiaa de ferro batdo.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos
Portas d fornalba.
-Vapores de forca ds a, 4, 5, o e 8 bavaos
Ecoarregam-se do criii-'-'Ttns, e nssr.t:iirtnto de machinismo
trabalho com perfeir,-^" pivt'!Vi>i.
esocuiAui qual-
oooooooooooooooooooooooooooooooooo
WOLFF & C.
N. 4----EA DO CMA'-1.4
.Vest< muito tn encontrxr o re^peitavcl pnblici o iiihs
variad -s cos|ilcto oi-tinieno de JO-'A^
rece'kidiks semprr directniueiite doM mellio-
rrs f -brlcantcs du Kurop, e |ti priniaiu
pelo mi a rio gortt* do mundo elegante,
nicosi nder' i*- completos, lind pulsei-
ra*. alfin^tew, volt > de uro cravrjaiia eou
hrilbunte, ti p- rolaN. ? tic%. caenlfta*,
botoes mi-i* muitii.o artigo prop ios)
deste gcucra.
ESPECIALIDADE
Km rclogo de ouro, pratu e nck(l para humeas, seuhoras e mt-ninos dos niai
aereitados f' rica.
Para todot ost irtigoa desta casa % -iai:-
te-se a boa qualidade, assiin como a modici-
dade no preces |u a leni competencia.
.Ve*:i casa tambem concerta-se qual-
quer obra de ourn ou trata e tambem r^So-
gios de qualquer qualiuade qu* seja.
4Ba do
Bae d l'Echiqoier.
Fornocedor
prifilegiado do Casa Real de Espanha
e de 0. Id. a Rainha de Italia.
Ozea P.
Ozea Saehet.
Ozea Estancia.
Ozea Agua de toilette.
Ozea Vinagre de toilette.
Ozea Agua para os dentes.
Ozea Pasta para os denles.
Ozea Olee.
Ozea Sabo.
Ozea Pomada
Oza Fixativo ,
Ozea Cosmtico.
Ozea Brilhantina.
Ozea Cold Cream.
Estas exquisitas prepararles sao w
ciadas na mais distincta oociedade
cadeza do seu perfume.
nito apre-
pela deli-
W? RIECER'S
TRANSPARENT CRYSTALS0AP
(Sabu transparente cristalino)
reconhecido como i mais perfeito ir todos oa sabaos do toilette pelas suas
propiedades hygienicas, pelo cea irociu o pela sua larga deracao.
(i Dspsi: > i ,; .>.ci... Perfnmwlas, Farmacia, *ca.
Desconfiar
AS
FALS!FICA$0ES
e
Exigir a Assignatura
de

DE
MEUSSA dos CARMELITAS!
BOYER
TTxlco Successor
dos Carmelitas
-i, Ra de VAbbaye, .
CONTRA :
Apcplexia i Flatos
Cholera Clicas
Snjoo do mar Indigostoes
Febre amarella, etc.
Ler o prospecto no c'Jl ni WilBlrida
cada ridro.
cvc-53 csigir o letreiro branco o preto,
em todos os vidros,
seja q-ial idr o tamanho.
DEPSITOS EM TODAS AS PltASMACIAS
dq Universo.
oooooooooooooooooooo-
. JOSEPH KRAUSE ft C.
tem de augmentar o sen j bem conhecid
mporlante eslahelecljnento na \
de marf r. 0 em mus
%m salo no \ andar nxnosamenift prepa-
rado e providi; ? mua ?\\m\-
$h 4t tliis de pal m wte e*l*tefi*
ios mais afaiados jiriesil^
miiiido inieii'o.
nonvida, pois, as Exilias, familias, seas nume-
rosos .amigos e frepezes a visarem
o sey eslabelecmeRlfl, alm de
apreciaren! a grandeza bom goslo com que
uuo obslaole a grande
dcspea, o adornaram. em honra
dcsla provincia.
AGH-SE ABBRTO DAS 1 i'S DA IITE
m
FERRO GIRARD
Approvado pela Academia de Medicina de Pariz.
Approvado pela Jnncta Central de Hygiene publica do Brasil.
O Professor Herard encarregado do Relatorio Academia demonstrou t que &
fcilmente acceito pelos doentes, bem tolerado pelo estomago, restaura as
forcas e cura a chloro-anemia; que o que distingue particularmente este
novo sal de ferro, que nho causa priso de -centre a qual combate, 9 elevn-
dose a dse, obtm-se dejeccoes numerosas.
O FERRO GIRARD cura anemia, cores paludas, cairabras de estomago,
empobrecimento do sangue; fortifica os temperamentos iracos, excita o
appetite, regulariza as regns e combate a esterilidade.
Deposito em Pariz, 8, ra Vivienne e as principas! Drogaras t Phannaciu

% *r'*>oo oo WMf.
t'SMIOfllAROlIESDlflaLUiPA.
'" *f 3i*iCu!'
. .'rhoumattsmo.Cancro*,Bobas,Impjgens
todasas molestias quetenho-sna ort^em
na impureza do sangue devid&a svphis.
aauuTo
.--4,
'

' J1
,--------:c-4i&ifS^--------J^f%
^NTA-Ai DE'|rtO0CToS%0iC!
14 3ua dio Vteaonde do Rio Upa ac ^
RIOflK J.\>KIKO---------3
: aaoHATomo
4

0
a
*&
o
ce
psVi
e^
c
a
p
r*-
$+* H

9 3. 5"
&-
5* G
= *r
(^ "i
K p

>
P^, C5
r.- Qf.
#sk
-.soy >
~-
f
5 W
c
<
P
&
0
2

m .Ti"




-I
o
Diario de fiimiwufeucii--^uinta-teira 3 tic Margo de 1887
CUIDADO COM
AS FALSIFICACOES!

PARA
LENCO O TOUCADO
E O BANHO.
Alagase barato
riua dos Guararapes n. 96.
Ra Visconde de Itaparica n. 43, armazem.
lleceo CmmpeUo u. 1, 1 andar.
Larga do Mercado n. 17, loja com gai.
Largo do Corpa Santo n. 13, 2. andar.
"rata-e n ra do oinmcrcio n. 5, 1' andar
-Tiptorio de Silva (Juimaraes ft C. ___
xlluga
-se
o 2' andar do sobrado o. 35 4 travesea de S. Jos ;
ole terreo do de n. 27 ra Vidal de Negre-
ros; o 1' do de n. 25 ra velha de Santa Rita ;
o 1 do de a. 34 ra eatreita co Rosario ; todos
limpos : a tratar na ra do Hospicio n. 33.
Aluga-se
o sobrado de azulejo n. 82, no Caminbo Novo,
muito fresco pela posicao, e tem commodos bas-
tantes, est em estado de limpeza, que o pretn-
deme nao precisa fazer despera para morar.
Aliura-se
a casa tarrea com 8 quartos e com penna d'agua,
toda reedificada, ait* a roa de Santa Rita n. 89 :
a tratar u* ma de Douiioflos Jos Martiua nume-
ro|5 Precisa-se de urna ama que saiba cosinnar e
lavar, para cana de pouca familia ; na ra da
Aurora n. 139.
Ama
Precisa-se de duas amas, urna para cosinbar e
outra para lavar eeng'mmar; na travesea dos
Pires n. 5 (Giriquity).___________________
Ama
Precisa-se de orna ama para todo servico de
casa da pouca tatniia ; na ra da Palma n. 29.
Ama
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna p- ssoa : na ra V.lhn n. 95.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinheir i para casa de
pouca familia, prefere se escrava; na ra do
Riachuello n. 13.
Ama
Precisa-se de urna de boa conducta para todo o
servico de casa de pequoua familia: ra da ma-
triz da Boa-Vista n. 3.
AMA
Prccisa-se de um_ amaptra
lavar, eogommar e faze rmais
alonas servico! de casa de fa-
milia : menos comprar e eozi-
nhar : a ra de Uiachuele >
13. Rev dormir em casa.
Ama
Precisa se de urna ama pata cosinba; na raa do
Dr. Joaquitn Nabuco n. 3. ______^^^
--... Viua
Precia-w oV urna boa cosinheir, para casa de
peqiena familia ; a tratar no Caes da Compaunia
n. Preere-se escruv e deve dormir em casa.
Ama
Precisa se de urna para casa de familia, ra
do Cabug n. 3, 3 andar.________________
Ama
Precisase de urna ama que cosite e engpmae ;
na ra do Kangel n. 44, 2* andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para engommar e ensa-
boar ; a tratar na ra das Croaes n. 18, prneiro
andar. Deve dormir em csa e pref"e-se eaerava.
Ama
Precisa-se de urna ama para evainbar ; a tratar
ua ra das Cruz, s o. 18, 2- andar. Deve dormir,
em casa e prefere-se esernva.
Ama
Precua-se de urna ama que cosinne e dur**a em
casa : na ra da ImperaUii. u. 86, 2- andar.
Ana
Preciaa-se de urna ama para coainbar lavar :
a tratar na raa de Pedro Alfonso n. 5b tantiga da
Praia). ________ _______________
Ama ile leile
Pr'ci" f de urna ; do sobrado da roa da Im-
peratriz u 4', 3o andar, par amamentar orna
criaDca de menos de vz.
Engommadera
Precisa se de urna qn" engpmme com perfeifio
ra do Mrquez da H' rva n 10. ______
lian aii
PARA TINOIR A
barba c os catate
EetiTrintora tinge a barba e os cab-ll.* ios,
.iiexriexir, dan I h_ ui uosjtitsv.ri
natusJ, inofenaiv o ai-u uso ampies e
rpido.
Vende-se na BOTICA FRANCEZA. E DRO-
GARA de Ronqueyrol Preree, successore de A.
CAORS, roa do Bosn-Jesus (antiga da Crn
a. 22.
Attemjo
Sa. isapossibilidade deeasoatrar, tabendo que
i ha das acba-ae neata etdade o Dr. Lydio Ma-
^^^m Albuquerque, pede se ao mesmo senhor
reca na ra doa Martyrioi n. 148.
Tricofero de Barry
Garante-M que faz nas-
cer e crescer o cabello anda
aos maia calvos, cura a
tinba e a caspa e remove
todas as impurezas do cas-
co da cabecs. Positiva-
mente impede o cabello
de cahir ou de embranqno-
cer, e infallivolmente o
torna espeaao, macio, lns-
troso e abundante. .
Agua Florida de Barry
Preparada segnnda a formula
original usada pelo inventor em
1829. E' o nico perfume no mun-
do que tem a approvacao official de
un Govemo. Tena duna vezes
raais fragrancia qui qualquer outra
e dura o dobro do terupo. E' muito
niais rica, suave o deliciosa. K'
muito mais fina e delicada. E"
mais permanente e agradavel na
len<;o. _' iuas razas mais refres-
cante no banjo e no cuarto do
doente. E' especifico contra a
frouiidao e debilidade. Cura as
dores de cabeca, os cansados os
der.maios.
Xarp le Viia Je Beiter He.
1JTTES DE TT8_-0. DIPOIS DE USAIi-4.
Cura positiva e radical de todas as formas de
?scrofulaa, Sypbis, Feridas Escrofulosa,
Affeccoes, Cutneas e as do Couro Cabel
ludo com perda do Cabello, e de todas as do-
encasdoSangue^Figado, e Rins. Garntese
que purifica, enriquece e vitalisa o Sangue
s restaura e renova o systema inteiro. 0 <
Sabao Curativo de Reuter
Para o Banho, Toilette, Crian-
Sis e para a cura das moles-
as da pelle de todas as especies
em todos os periodos.
Deposito era Femambueo casa de.
Francisco Manael da Silva & C.
frofessora ^~
"Uma se:;hora competentemente habilitada, pro-
poe-se a leccionar em celiegios e casas partcula-
'es, as se^uintes materias : prrtngucz. francs,
msica e pi>ni; a tratar na ra do Mrquez do
Herval n. 10.__________________________
Vicho da Mourisca
Esae importante vinho de que nico
importador Joao Ferreira da Costa;
puro de uva escolhida a capricho, e pro-
prio para mesa, pelo seu merecimento tem
obtido a melbor ajeitayo nca lugares para
onde tero t>ido exportado : acha se ven-
da a retalho no estabeleciment dos Srs. Po-
cas, Mendes C.
Sitio oo CaMoireiro
Arrenda-seaunuaimente um ^rai sitio com bas-
tantes commodoo para grande familia, boa agua,
com arvores fructferas e jardiin, c com sabida
para o rio, por prego muito razoavel ; a tratar na
ruado Livram'nto n- 24.
Qw79 w *ttti9tm
eir
Eese medicamrnto de urna efficacia reconbecida
no beribrri e oatras moli-siaa en que predomina a
hydropesi*, mlia-au rroMricido es, aoa-fcrepara-
cao, raca a uuia nova formula de um distincte
medicu dests, cidade, s-nw que bOu-o'e e abaizo
assignacto usa habilitado nara pn-painl-o de modo
a melborar lb u gosio e rh-iro, aew lo invia alte
rar-lbu as pr..|tri*d*d- medicameoloaas, que se
conservad! c m a innini actifidade, se nao inaior
em vigtn du modo por (jii c ello toleradq pe)
nituangu
Inlni (teponilu
Na pbarmacia Conc> iv4j, ra do Marques de
(Miiidn n. Gl.
Bas*ra te M-llo
Cosinheira
ssHPOQ
Paga-M 20i000 por mes a urna perfeita cosi-
nhrira, para casad'.' pequea familia, prefermdo-
se de meia i iade e que ej* dr boa mora!, raa
do Pavsand n. 19, passando a poute do Chora-
oeaino : quaui nao estiver em condicoes esensado
~e apresentar-ae.
xVdvogado
Dominio F. d Sonsa Leio
Das 1U horas da manba s 4 da tarde, ra
do Imperador n. 16,1' asdar.
licia
Precisar-te de perteitat eostoreiras ; na roa da
Aorora n. 39, andar.
nqninhas
Pelo dimiauto reco de 1S500, para aeahoras o
meninas
Completo po-n.r.tnto de fazendas e roupas tei-
taa, p r pnv^.-i baratiaeimot : na ra Duque dr
Caxias n. 8 i
_________MKMDONCA &C._________
Jovtt orto d Carro
Ra ilo Margues do Herval n. 27
Joao Fiuza, aviba aos s'us tn guezes que ja se
acba. aber'o > seu estabel cimento de carvao, e con-
tina a cfferi-cr as iriiaj>in. vnutagens j bem co-
ndecidas do pnrilico,e pi i bHrar preco de 640 ris
a barrica; u.aibein lev >"> (o.li cimento de todo*
que tem eatrau verde de 1* qunlidude, portanto os
trejjuezea prrio fater o neus pedid..s, que seriio
muito bem servidos, e alin disto nj pagaro
fretes.
Recite, 20 de Feverei-o de 1887
Joo T. Finta Lima.
Para cosinhar
reciisa-sc de urna
ama para eosinhiir,
mas quecosinhe bem;
no 3. andar do predio
n. 42 da rna Duque de
Caxias, por cima da y-
pographia do Diario.
IMULSAD DE SC0TT
DE
OTEO PURO DE EIGAOO DE BACAHO
E
Precisa-s de urna boa eagomroad-ira e que
eosaboe tamhem, para c>ich ra p-quena familia :
a tratar no Cae da Couipaiilna n 2 Prefere-se
es^raVa e n-ve d'finir Pin ea.
triada
Precisa se de uta criada para o servido dnmee-
tiio de cafa de familia ; ba ra do Mrquez do
Herval n. 10.
E DOS
Approvadd pela Exoia. Junta Central de Hypne Publica do Rio de Janeiro e aulorisa a pelo
Govereo Imperial
E' T0 m\\!)AVBL AO PALADAR COMO 0 LEITE
CURA A
pmmohar. kMcHtoi. oseros ma, racitis ie criancas. M\\U em
e affeccoes Ho Mito e
Combina, n'uroa forma saborosa e agradavel, o oleo de ligado de bacalho e os hypophoshitos de cai e soda, e com
seu uso obtem-se, simultneamente, os eifeitos de ambos estea dois valiosos e bem conhecidos remedios. Alm da que tolerada e
assimilada pelos estmagos mais delicados, e nao causa nem nausea, nem diarrba, como rouitas vezes acontece com o uso
do oleo simples.
Vejase a opiniao de Ilustres mdicos de varios paizes, s jbre os resultados obtidos com o uso da EmuUo de Scott ;
ItIC A/ll
Attesto ter erapregado com ventajosos
resultados em doentes de tuberculose pul-
monar, em miaha casa de sade, a Emul-
s3o de Scott de oleo de figado de bacalho
com bypopbosphitos de oale soda.
O referido veidade e o juro in jide
medid.
Rio de Jaueiro, 15 de Outubro de 1884:
Dr. J. Taoano.
ESTADOS UNIDOS
Nova York, 4 de Setembro do 1870.
Srs. Scott & Bowne. Teubo receitado
na minba pratioa particular e nos hospi-
taes, a Emulsao de Scott de oleo de figa-
do de bacalho coa bypophosphitus, o es-
timo a como uma preparado de grande
valor.
A Emulsao nao muda, mesmo no lempo
de grande calor, e agrada mais ao paladar
do que qualquer outro preparado de cloo
que contieno.
Roberto Watts, director do servo sanitario
do hospital de Chprity.
INGLATERRA
Royal Free Hosital, Grnys Ian Road
w. c.
Londres, 11 de Marco de 1884.
Srs. Scott & Bowne. Tenho usado
com vantagens, a Emulsao de Scott neste
hospital, em casos, nos quaes, o oleo sim-
ples de figado de bacalho nao poda ser
otlerado, pois a Emulsao saborosa, cf-
ficaz e nao se re pete o gosto do oleo.
Chesam Sansn, medico interno.
VENEZUEL.LA
Valencia. Venezuella Io de Junho de
1884.
Srs. Scott & Bowne. Desde o ultimo
anuo estou applioando ; Emulscla de Scott,
a qual tem dado muito bons resultados, poia
almde ser uma effioaz preparacao para to-
das as doengas as quaes est indicado o oleo
de figado de bacalho, tomase sem a me-
nor repugnancia, vantrgem immensa sob
todos os respeitos.
Dr. S. Colom.
GSTDOS L'NIDOS DE i 03-OH
Bogot, 4 de Junho de 1884.
Sr. Scott & Bowne. Ha alguus mez-s,
esperimeatei, em dous doentes a Emulsao
de Scott. Um padeca desde muito tempo
de uma ulcera es.rophulosa o o outro tinha
uma atrephia incipiente do figado.
Ambos curaraiu-se radicalmente com o
uso da Emulsao.
Dr. Vicente Prez Rubio.
HEXICO
O doutor Ernesto M. Hogewich, director,
do hospital de S. SebastiSo desta ci-
dade.
(ertifica ter usado com bons resultados
a Emulsao de Scott na escrophula e na tu-
berculose, acbando-a urca boa prepara-
lo que deve ser recommendada.
Veracruz, Abril 5 de 1883.
Ernesto M. Hegewich.
CUBA
Os abaixo assignados, doutores em me-
dicina e cirurgia, certificara haver empre-
ado e continuareis empregar a Emulsao
Scott no hospital de- caridade para enume-
res (S. Francisco de Paula), encontrando
no dito preparado exceentes propriedades
reconstituiates, assim como o consideramos
de utilidade para as a flceles do peio,
qur tuberculosas, qur outras, pois modi-
fica vantajosamente o organismo as pri-
meiras, eroquanto a aflfecy2o nao tem en-
trado no terceiro periodo, e temos observa-
do as outras, que cora multas deltas. Ac-
cres''enturemos em conclusivo, que temos
acalmado alguraas vezes o outras allivia-
do a tosse pertinaz, que tanto affl;> > os
doentes -do paito, com o uso desta Emulsao.
Nao duvidamos, portanto, recommendar t
Emulsao de Scott para todos os casos, em
que estojara indicados todos os outros leos
de figado de bacalho, e particularmente
naquees a que nos referimos. E para
constar onde convenha, passamos o presen-
te em Habana, aos 14 de Fevereiro de
1882.
Dr. Nicols Carballo y Gutirrez.
Dr. Nicols Jos Ovitarrez.
PORTO RICO
Caguas, 30 de Junho de 1884.
Srs. Scott & Bowne. Tenho a satis-
fac3o de participar a V. S., que tenho
receitado, muitos dos meus doentes, a
Emulsao de Scott, tendo obtido, em todos
os casos, os mais favoraveis resultados.
Esta efficaz preparacSo, pela sua forra a
agradavel e seu bom cheiro e gosto, veio
rncher ovasio, que notava-sc de um me
dicamento que, tendo por base o oleo de
figado de bacalho, nlo apresentasse os in-
convenientes deste, (sobre tudo pelas crian-
cs.8) devido ao seu cheiro repugnante 3
gosto d <" sagrad a vel.
Cozinhciro
Precisase de im coaiohero que saiba desem-
peubar a arte en laarla ; na ra larga do Rosa-
rio n. 5.
DE
SCOTT
VE OLEO PURO DE
Fiffado de bacalho
COM
Hypopl.ospl.ilos de eal e soda
tpprovatta pela Junta de Hi-
giene c autorizada pelo
govemo
E' o roelhor remedio at boje dtocoberto para a
clalra ltroncbl(e, eseropbnlas, r-
rhlu. anemia, .'eblidade em eral,
deflaxo*. (otine cltronlca e affecre
do pello e da sarsania.
E' muito superior ao oleo simples de figado de
lacalho, porque, alm de ter cheiro e sabor agra-
laveia, possne todas as virtudes medicinaes enn-
Titivus do olee, alm das propriedades tnicas
-econstituintea dos hypophosphitos. A' venda na*
i rogaras e boticas.
Deposito em Pernambuco
Sitia
Aluga-se o importante sitio n. 36 ra do
Bemfica, na Passagcm da Magdalena, caiado e
pintado de novo, com accjuimodacoes para grande
familia, tendo agua e gaz encanada ; trata-se na
rna Duque de Caxias n. 90, loja de fazendas.
' Pinlio de Riga
MATHUE* AUSTIN C, reeeberam ultim-
mont: um cmplett STtimento desta madeira,
como sejam : prMnehoes tabeas para assoalh .
da melbor qualidade e de diversas dimens'-s, e
que veadem por precos cjmmodus. t reduzidos,
coulorme os litei ; n armazem do cae do Apollo
d. 51, ou ru lid Coniiii reio n. 18, 1 andar,
Dr. Domingo Cabrera.

Deposito cm casa de Francisco iManoel da SilvaRa do Mrquez
deOlinda n.23.
----------------.

me '=^% "^ *!
ivj
lja, ;-._.. i '- ___i -*-< ---'' *" i??%y
APl'RVACO DA ACADLSllA E MEDICINA DE PARS
Calada* e plnindan
Aluga-se a de n. 57 ru doa Guararapes, tere
corredor independente. S salas, 4 qoarcoe, sotao
corrido, c-.sinha fra, quintal cacimba, banheiro,
e preco coumodo.
MEIA-A6U A
Aluga-se a da travessa do Corpo Santo n 17,
por preco commodo ; a tratar com Siqueira Per-
ras &C, ra do Amorim r. 66.
Pechincha
Mantciga dinarr.arqueza a 700 rs. a ata di-
urna libra ; vende-se na casa de AntoniolDuarte
ra da Ilniao n. A. Arthur Mao.es ra da
Aorora n. 85, Paulo Ribeiro & C. i ra da Roda
n. 48, de primeira qualidade.

PASTILHAS
De ANGELIM & MENTRUZ
*" _ tan*
.
^5
JO
=>
O quinium Labarraqae um Vafeo eminentemente tnico et febrfugo destinado substituir todas a
oatras preparares de quina.
O quinium Labarraque contcm todos os principios activos, dos vinho mais generosos.
O quinium Labarraque prescripto com vjnu'em aos convalcscentes de doencas graves, as parturientes e
todas as pessas fracas ou debilitadas por uma febre lenta.
Tomado com as verdadeiras pilulas de Vallct, sao rpidos effeitos que produz nos casos de chlorote, ane-
mia, cores pallidas.
Em razao da efficecia do Quinium Labarraque, preferivel ^/jfp CJ^Z ^
comal o em copo de licor, no fim da refeic/o e as pilulas de Vallet antes. ^^SS& yc&0 Vende-se na mor parte das pharmacias sobe a assignatura : x s^
Fabricaco e atacado : Casa L. FRERE
19, rae Jacob, Paria.
3W
es
3
sa

e-a
0 Remedio mai efficaz e
Seguro que se tem descoberto ate
hoje para erpe'/ir as Lon trigas.
ROQRIAYOL IRENES
Preparatorios
O abaixo asaignado, antigo profjasor do colle
gio-Boo Jesso maia acreditado de Alagoas.
leecona nesta cidade em casas de particulares ou
na sua residencia- Pode ser procurado na ra da
Concordia n. 73.
L. Lavenre W.

TNICO FEBRFUGO REGENERADOR
vinho..,johanno XAROPE DE MBA
DO
'DOUTOR
Quina, Coca, Extracto de Carne e Hypophosphito
BeeommendAo-no nos casos que necessitao tnloos para reconstltiilr e rerenerar
o organismo arruinado por molestias, excessos, natureza do ciima^ Anemia, Cnlorosls.
Amenorrbea. Cachexia, riuxo braaeo, que tanto arrulnao a saude das mulheres.
Pobreza de Sangue, Fraqueza geral, Uebilldade, etc.
g. V.VJJT, Droguista, 50, Beulevard ae Steasbour, em PA&IS
Molestias das Cranlas
? *i*Tt *? ?.?.?
... t ? ???? ?.?^?.?A4.,A*iV*ViViVl'.
Trteirfw
DOMOESTIC
Sao recxjnrieeiaas ser as lliai>
elegantes^ as mal durareis
cm todoa os seotido8.
S H6LHQBE3
Para proeja. circulares com
illuatrajScs de. tj'iosi os estylr dir
jain se
Doimsc SwlBgfflacIsine & i
NBWYOifeU. S. A.
atakl
u.
de GR/MAULT e C*f Ph^macrinticn^
Approrado pela Jauta d'Eygiema io Bto-4e~Jc23ieo:
m fc.
Este Xarope que, pela sua reconhecida sffiocia, flgum na Pt-armacoDa- snecesa
/Edifdo tu i8&i), goza da melho' reputac&t eure os medico? r!s t.nn,/3 os paizes.
Substite o oleo de figado de bacsr ib pela intellisonta conibiuarla Intinia rio iodo cem
o sueco de plantas antiscorbutlc.-^, como o agriSo, o riifca-' c a oocbloaria-, bm
conhecidas na medicacao dos adultos e das erpancas pulb imft o encofra qu ellas
oonte*m. Este xarope convrn s qreancas pallidas, rae.-,-, -en. aprette. piedts-
posias aceras molestias, coioj ozagra, as cro-tr>s >-. )--:H.". <> enrioi ;i- amato
das glndulas do pesc^go. <[ii'de.- i'p.-''-'':" fli!';' *"
Essensialmentc depiii'aliv <> !iiifr.'ii-iv(>. rsn.can.-n "! :' :-"-i'
eoiodureto de ferro, mas cnii^o t:si"> .":; : ....-. ; : :: < -_ '.'...r>
debis e para conJiaicr a ff*Tn. :is ''' ; '-''
O* mo8 humores, as nw-iatc" ~ ,;
do saratrue. ......~
Deposito pin pARIS; **i'" V -

q: -'
M**>*3
t> ^~
Aos 1.000:000^000
4 desinlecudo pelo Alcatrio.
tnico tltamco. o fft/a tn*t*z
augmento s prtprM*det th
ho.
OOLMdeFISAfifl
DE BACILA fl%*
a uri
adm nutrir o Farro atm pro-
dunr Pnate 4m VUr, ntm
Incommodo.
SI, na i*rjui*-ItitBtrtit. 21
''%#'

Sr
MMTAiat i'la* TOBA* **
Ciiehridades Medicas
DV rllAKCA E DAIHOPA
Ul
illlS N POTO,
ESCMfOLOSAS
CKLOfiOSlS,
MCaiA. MtIMM,
TWCAPIHJMNW,
BRONCHITES.RaCHITISiO
Vinho de Coca
T.ICKNCIADOS l'KI.A INSPRCTOBIA DE HY11KXE DO IMl'EWO DO BBAZ1L.
200:0001)000
100:0001000
HiRlt LOTERA
DE 3 SORTEIOS
im favor dos \*iMK* du Colonia Orpianoiogicajlsafcl
DA
PHOVINCl \ DE PERNAMBUCO
BltnccSii s U 0J UBI il 1887 _
9 thrswttrciroFrancisco Goncalves Torres
V '*
P.

:.J,



Ls "



..
1:
9
I
rf-m
-
m
Diario e'Pcrnambnco COVado.
dito.
Reduelo absoluta de preco
Alpasaa de cores, Usas, de prece de 600 res o cevmdo, por 280 o dito.
Ditas acolchotdas, de 800 rs.. por 440.
Etamiee de U, tecido rvndado,#do l,$8O0_o corado, per 600 n.
L>ito4 do algodao, de rnuita eom gosto, a 500 rs. o dito.
Creps de cores, de preco de 800 rs., por 360 o dito.
Coutelines de rSree, tecido diagonal, de preco de 800 re., por 360 o dito.
Pana mas de c6res, tejido acolchoado, de preco de 1&2Q0 o metro, por 440 o
fetineUB de coces, lindos padrees, de 320, 400 e 440 o covade.
Zephir, de quadrinhos, a 180 e 240 rs. o corado.
Batistes de cores, a 140, 160 e 280 rs. o dito.
Brilbantinas de edres, de preco de 700 rs. o corado, por 320 rs. o dito.
Merino preto, cora duas largares, a 800 rs o corado.
Atoalhado de linho, Uvrado, a 15300 o metro.
Dito da Costa, de quadrog, a 1(5500 o corado.
Dito da Costa, de listras, a l^iOO o dito.
Brin8 de cores, para calen, a 260 o dito.
Dito pardo, liso, a 320 rs. o dito.
Esguiito, pardo, de linho, para restaarios de enancas, a 400 rs. o corado.
Canibraia branca, bordada, a 50500 a peca. ^^
Tofclbas felpudas para rosto, de preso de 70000 por 50000 a duaia.
Ditas menores, a 3600 a dusia._
Ditas gandes para banhos, a 10530 urna.
C.ilchdes para cama, a 5000 nm.
Cortes de eaaemira de cores para calcas, a 3000 nm.
Guarda-p de linho, para senhora, a 100000 um.
Dito de dito, para homem, a 50000, 6,5000 e 8K>00 ura.
Bramante de algodao, liso, cora 4 larguras, a 10000 o metro.
Dito do dito, trancado, a 10100 o dito.
Brim branco de linbo, qualidade superior, n. 6, a 20400 o covado.
Casomiras de cores, para costumes, de preco de 3*000 o corado, por 10800
Costumes rte banbo de mar, para senhora, a 100000 um.
Ditos de dito, para boroens, a 80000.
Ditos do dito, para meninos, a 5(5000.
Sapatos de baDhos, para homens e seoliorss, de diferentes precos.
Magnificas mallas americanas, para viagem, de 150. 200 e 250000 nma.
Saceos de lona para roupa suja, de* differentes tamanhos, por barato preco.
Colchas brancas, de algodSo, a 1 (5900 urna.
Completo 8ortimento de lindos cortes de casemira para calcas, caseroira de
cores para costumes, panno, brins de cores o muitos outros artigos que serSo lembrados
preserva d'aquelles que dos honrar com suas visitas. ,
Na aniga e acreditada loja de fazendas
DE
AMARAL & C.
(Junto do Louvrc)
SAUCE PARA TODOS.
UNGENTO HOLLOWAY
1
O Ungento de Hooway um remedio infaUivel par os males de pemas e do peito g tambero p^ra
as ftidas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gola e o rheumatismo e para toda as enfermi-
dades de peito nft* se reconhece egual
Para os males de garganta, bronchltes resfriamentos e tosses.
Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os merabros I
contrahidos e juncturas recias, obra como por encanto.
Cuas medicinas slo preparadas smente no Estabelecimento do Professor Holl*way,
78, MEW OXFOKD STREET (antes S33, Oxford Streat), L0ICB2XS,
vendemsc em todas as pharmacis do universo.
tX Os compradora so convidados rnpciiosamcnte a rlaminar os rtulos de cada oaixa Pota, M nio Mea a I
dircW53j.OxforfStrBAatoaalsificaSoes. __________________ I
tingommadeira
Precisa-so de urna bou engomroadeira, que en-
saboe tamb >m, para casa de pone familia, prete-
re-se escrava ; na ra do BiacbueUo n. 13.
Solicitador
Jos Ferreira de Paula, provi-ionado pelo Tri-
bunal da Relaco de Pernambuco, offerece-?e a
Juem precisar de trt balboa inherentes 8Ua pro-
sso na cidade de Pesqueira da comarca de Cim
bree, onde foi sua resid ncia, e Umberc trabatha
as comarcas do Bn-jo da Madre de Deua, Carua-
r, 8. Bent> e Escada. __________________
Aviso
O bacharel Eduardo Alfredo de Oliveira tem
aberio < u escriptorio de advogado ra Io do
Margo n. 4, onde tarobem pode ser procurado para
leccin* r o ingles, francs e allemao, pratica e
tbeorieatncute, nos cullegios e casas de familia.
Pechinchas para acabar!
59 Raa Dape de Gaxias 59
.VileiiCio
Urna familia offerece agaalbo e commodns coin-
pativeis a urna ou dona raparigas hmestas para
se encarrpgarem de cr i ancas : a tratar aa ru
Duque de Caxias n. 86, loja.
JS000
Aluga-se a casa n. P ra do Riacbuello na
Boa-Vista, com 2 salas, 2 qoartos, cosinba e quin-
tal ; a chave wb se junto n. E, etrata-se na ra
da Guian. & (Iiecife).
VENDAS
a 500 ria
Altenco
Vende-se ou permutase urna casa terrea sita
na travesea do Falcan a. 12, eom 2 calas, 3 qar-
tos, cosioba lira, grande quintal e cacimba, par-
ti dando sabida para a ra dos Usaos ; a tratar
na mesma com a proprieta'ia, e esta tari todo
negocio por j ter o despacho do juir, at para
butal a cu leilo. podendo aprrsentar os docu-
mentos aos permutadores, desejando tambera urna
por troca, anda que seja pequea, porm que es-
teja aove bem construida.________________^^_
A Revoluto!
Resolveu vender os seguintes artigos com
30 /0 de menos do que em outra qual-
quer parte.
Quarnicdes de velludilbo bordado a vidrilbo para
vestidus, a 7<000 nma.
Tafetaa de cores a 300 ris o covade
Cachemira bordada a 14500 o covado.
Ditas preto. a 14000, 1*200, 1*400, 1*600 e
1*800 o covado.
Ditas de cares a de 900 ris e 1*200 o dito.
Las mescladas a 600 ris o dito.
Ditas com listrinhas a 660 ris o dito.
Ditas com belinhas a 600 ria o dito.
Ditaa de quadrinhos a 400 ris o dito.
Lindas alpacas a 360 ris o dito.
(orgurinas a 820 ris o dito.
Srtim damase a 320 ria o dito.
Dito Macas a 800 ris 1*200 o dito.
Damase de seda a 1*300 o dito.
"Grsdenaples preto a 1 *800 e 2*000 o dito.
Gare eom bolinhas a 800 ris o dito.
Fusto branco a 400, 480, 560 a 800 ris o dito.
Velludilhos liaos e Invrados a 1*000 e 1*200 o
eavado.
Dito bordado a retroz a 2*000 o dito.
Cambraia com salpicos a 6*000 a peca.
Camisas para senhora a 30*000 a duzia.
Ditas de meia para homem a 800 ris, 1*000,
1*200 e 1*500 una.
Ficbs de 12 a 2*, 3*000, 4*000 e 5*000 nm.
Ditos prateados a 2*000 um.
Ditos de retroz a 1*000 um.
Linbos rscoiseaes a 200 e 240 ris o covado.
Collarinhos e punhos para senhora a 2*000 um.
Ditos de cor, idem dem a 1*000 um.
Cortes de caeimra finos de 3* a 5*000 um.
Dita* de hi e seda para cohete a 6*000 um.
Ditos de cachemira de cor para vestido por 20*
um.
Cachemira de cor de 6* por 3*000 o corado.
Damasco de cor a 700 ris o covado.
Panno da Costa a 1*400 o dita
Cortinados bordados a 6*000 e 7*000 o par.
Colchas bordadas a 5*, 6*, e 7*000 urna.
Crctoncs finos a 320, 360 e 400 ris o covado.
Chitas finas a 240, 280 e 3fJ0 ris o dito,
Zephiros finos a 500 ris o dito.
Setineta eacosaeza a 440 ris o dito.
Ditas de quadrinhos a 320 rs. o dito.
Chales Je mirin a 1*800 um.
Ditos estampados & 3*000 e 4*000 nm.
Ditos de cachemira a 2*, 2*800 e 4*500 um.
Cobertores de 12 a 4*500 e 6*500 um.
Esguiao pardo e amarello a 500 ris o covado.
Brim de linho de cor a 1*200 a vara.
Dito prateado de linho a 1*000 a dita.
Colchas de crochet a 8*000 urna.
Aoquinbas a 1*800 rs. urna.
0 48 a M
llcnriqne da
Silva Horelra
Viveiro para passaros
Vonde-se dons g> andes e bo'iitos viveiros po
pieco commodo, sendo o motivo da venda ter o
dono acabado com os passaros que poasuia ; a ver
e tratar na roa do Imperador n. 22.
WHISKY
ROYAL BLEND marca VlAD
Este excediente Whisky Escasses preterive
so cognac ou aguarden* de canua, para fortifica)
> corpo.
Vende-se a retalho nos a* Iheres armasen
oolhadoa.
Pede ROYAL BLEND marca VlADO cujo ne-
me e emblema sio registrados para todo o Brasil
BROWN8 & C, agentes
Sem competencia
UMtai
A LOJA
Das Listras Azues
A' RA DUQUE DE CAXIAS N 61
Tclephone n. 2!l
Receben grandes pechinehas de fazendas
Jias as qwies vende pelos seguintes precos
CAMBRAIA 8UIS8A muito fina com 9 palmos
de largura, a 8* o corte.
PERCALINA de cores eom bolinhas, fasenda
muito lind, a240rs.
MERINOS pretos e de todas as cores da melbor
qualidade a 800 re.
SET1M preto de Maco e de todas as cores a
1*000. ..
BRIM esguiio pardo eofratado para vestidos a
400 rs.
}L,o8 eacosseas lindas edres a 160 rs.
CHITA* escuras e claras, algumas rdres finas
a 200 rs.
FUSTAO de cordaoainbo fazenda fantasa cores
lindas e seguras a 200 rs.
CORTINADOS bordados a 6*000, 7*000 e
8*000. -
GRINALDAS com ricos vtw de Blond bordiios
a 8*000
COLXAS de Damasco eom borlas par casa-
mento a 30*000.
fMEIA8 arrendadas fio de Escrssi a 800 rs.
MADAPOLAO amerieaao muito suparier, ;t-
miseirca 6*000.
8ARGELIM francez qoalq'ier edr do melbor a
240rs.
LEQUE8 Joanita com esmalte ultima n. vi-
dade a500 rs.
CA8ACOS pretos com vidnlhos e rendas final
forrados de seda a 15*000 (estes caacos vend. m-
se n is outra easas por 30*0C0.)
E outras muitas tasen !.s xisltnti's, que se
vende muito barato.
As Exmas. Sras. que ni" isain vir n.-. l,.js
queiram pedir amostras e lutas Ja prcv^-
Ka Loja das Listras Azues
Nansocs cores firmas a 160 e 180 ris o cova-
do.
Cretones claros e escaros a 240 ris e dito.
Fus toes eom nalmiohas de cores a 240 ris o
*.
dildem branco finos a 320 e 400 ris o dito.
Popelinas com listras de seda a 300 ris o
dito.
dem branca para Exmas. noivas a 500 ris o
dito.
Setinetas brancas bordadas a 5(0 ris o dito.
Setins de cores, branco, e preto Macj a 800 e
1* o dito.
Combraia de forro preta a 1*200 peca.
Esguies de linbo de 10 jardas a 4* e 4*500 a
Madapolo pelle de ovo de 20 ditos a 6*500 a
dita.
Algodes superiores a 3*500 e 4* a
Brim de cores, lindos padrSes a 400
o covado,
dem pardo superior a 360 e 400 ris o dito.
Aogolas finas, cores firmes a 560 ris o dito.
Cambraia branca bordada a 5*500 a peca.
dem Victoria fina a 3*200 a dita.
Bramantes de algodJo superiores a 900, 1*200
e 1*500 o metrt.
dem de hubo puro, do melhor, a 2* o dito.
Lences de dito para cama de casal a 1*800
um.
Colchs de ganga idem a 3* nma.
dem idem para tcllci'os a 2*500 urna-
Cokbes franceses, grandes, a J 5* bu.
Ceroulas de superior bramante a 12* e 16* a
dnzia.
Meias inglesas, cruas, a 2*800 e 3*500 a dita.
Lencos brancos e de cores a 2* a dita.
Meias rara criancas a 2*500 a dita.
Goardanapos bordados de linbs a 2*400 a dita.
Camisas francesas superiores a 36 a dita.
Cortes de meia casemira a 1*800 e 2*.
dem de casemira superiores a 3*000, 4*500 e
6*000.
Para a quaresma
Merinos preto, sortimento sem competencia,
precos de 1*000, 1*200, 1*500, 2*000 e 2*500 o
covado
Grs de aples, verdadeiro de Lion, a 2*500
e 2*600 o covado.'
Cachemiras preta com salpicos a 2*000 o co-
vado. ^^
Veludilbos Usos c bordados a 1*000 a 1*200 e
dito.
Msntilbas brasileira a 5* ama.
Fil de sede bordado a 2*800 o metro.
Fiotiut, idem, grandes 7* um.
Cheviots superiores a 2*500 e 3*000 o cova-
do.
Casemiras, pannos, Sedans, merinos e todos os
artigos para o uso domestico le encontr na acre-
ditada casa de
Ra Duque de tJailas a. 5
Receben um completo sortimento de fazendas
para os actos da semana santa.
COMO SEJAM:
GorgurSo de seda preta a 2*000, 2*500, 3*000,
3J500 e 4*.
Setins preto superior qualidiide a 1*000, 1*200
1*509 e 1*800 o covado.
Merino preto eom duas larguras a 700, 800, I*,
1*200 e 1*400 o covado.
Cachemira lisa e bordada a 2Q00 e 2*500 o
covado.
Renda preta hespanhola 4*000, 5* e 6*000 o
covado.
Manteletes de casemira, etamyne e renda, rica-
mente bordada a vidrilbo.
Pelerinas ultima novidade.
Capas de casimira horddas a vidrilbo.
Assha como ura completo sortimento dj guarni-
{oes bordadas a vidrilbo, para enfeites de vesti-
dos tanto de seda, sajase cas-mira e merino.
Leques a Joauita a 500 ris um.
Ca neiro da Cuiilia & C.
danos
Vendas era grosso
descont
59 Roa Duqoe de Caxias
30
AGUASAUES
Acabarao-so as Cas
(mianmoa x Cabello s i roa
i Cor natural
Has i) \m s 'sai Ap rtatfie. o Unen m maraca
35 AKNOS DE XITO
E. SALLES fila: J. MONEQHETTI. an
Pertamista-OilmiN, J3, na larS'i. PAIB
Ksm-s m I. JU si prlaeut Hrf-mtrln o Orttirtu
i 5n>-itar!>nPp-njf",'ii;-o ^rranf"?! ra3ILVA A g
THESOURARIA DAS LOTERAS
PARA
0 fund) de emancipado e ingenuos
UwCa.
COLONIA ISABEL H
i k Narco de 1887
Tendo o Exm. Sr. Ministro da Fazenda por acto de 7 de
Fevereiro ultimo, prohibido a extraeco de loteras por series,
acha-se exposta venda a 7.a lotera para o Fundo de Emancipa-
cao. que ser, extrahida no da 10 do corrente s 2 horas da tar-
de no consistorio da igreja da Conceicao dos Militares, sob o
seguinte:
PLANO

5,000 bilhetes a 4iooo
Imposto geral de 15
e porcentagem
09
sello, beneficio
2o:ooo>oo
5:95o|ooo
1
1
1
1
premio de
8
16
55
916
l,oo4
14:o5o|ooo
(:oooooo
l:oooSooo
s 5oo$ooo
Sooooo
loo^000 5oo^ooo
5oooo 4ooSooo
2o|ooo 32o|ooo
loooo 55oooo
5ooo 4:58o^>ooo
0 tbesooreiro,
Francisco Goncalves Torres.
4:o5o$000
!
lio ni negocio
Vende-se urna casa de molhados, prepria para
priocipiante por ter poucos fundos ; quem sroten-
der dirija-se refinaco da ra do Li-na, em San-
to Amaro das Salinas.
Vende-se
urna rede de pescar viveiro, em bora estado, oom
18 bracas de comprimento e i de largara ; a tra-
tar na ra de Fernandes Vieira n. 68.
Cabriolis
Vende-se dous cabriolets, sendo um descobem
e ontro coberto, em pertelto estado, para om oo
doos cavallos; tratar i roa Duque de Caxias
o. 47.
Armau o
Vende-se a armacio da ru d Rangel n. 10.
Engenho venda
Vende si> o engenbo Murici, con safra oa sem
til, situado na freguTia da Escada, distante da
respectiva estaco um quarto de legoa, pod.ndo
dar seis caroinos per tem dirs casas grandes e 2 pequeas para mora-
da, e osrtra para tarinba com suas pertenoas, tam-
bem se faz permuta por predios nesta praca a
tratar na ra do Imperador n. 61, 2- andar.
PILULiSdoD'GRO:
de fMUMT9 dt m*0 I ie 0UIMA
TMKra arntos ti su> xito um d<
a eflcaeia li contrata < fastas PUnla*, qo* i
sjsas prteUnpmn -< tas STstfl
Palas mas praprladasas fcnlaa t su.i illm.,
OMHIUUltO iralt'tfc QTrtSTKm
i m>idicinoBf. aa> <*!* oaat aa
Mrac u tistoritje nhioroi* *
Parda tte poel/ft
tgrajiyt fmp'inre-itmjnta do 3anct
*fJcfei terofufotas, c*-
aaaxttK ssrjJ: I, tu 6;Mi-S!js-eraWa. riM
kleraassaiao : FBJlN BL A B3.f
200:000$000
lotera da Pin do para
EXTliACtiO l)\ II* PARTE DA 1* LOTERA
EM BENEFICIO Di SADT GASA DE HISEBIGOBDI&
(juittla-feira de
A0MEI0DIA
sta lotera, por algum teropo retirada da circulaglo, devido a grande guerra que
Ihe promoveram, von> do dominio publico, vem novamente tomar o aeu lugar de
urna das vantajosas loteras do Imperio.
O agente pede so respeitavel publico a sua benvola atten^So para o plano das
LOTERAS DO GRAO-PARA', por extenso publicado nos jornaes e impresso no ver-
so dos respectivos bilhetes. O plano desta loteria o nico que em 50.000 nmeros
distribue
12.436 premios, ou quasi a quarta parte!
Ainda mais : esta a nica loteria que premia todos os nmeros cujes dous ai-
garismos finaes forem iguaes aos dos
QUATRO PREMIOS MAIORES
1005
60,5
50d
m
A. SABER:
s duas letraB lioaes do premio do...................... 200:0006000
s duas letras finaes do premio do...................... 40:0000000
s duas letras finaes do premio de...................... 20:000(5000
s duas letraB finaes do premio de...................... 10:000(5000
Tambem sao premiados todos os nmeros das centenas dos quatro primeiros
premios.
Alm destes, tero esta loteria grande quantidade de outros premios de bastante
importancia. E' tambein esta a nica loteria que garante quem comprar 100 nume-
ros de terminacCes JiflVrentes 32 1/2 "/ independerse dos premios avultados que
possam sabir na eztracgao.
TODOS OS PREMIOS SAO PAGOS SEM DESCOMO
A's extracjSes sSo feitas em edificio publico e sob mais severa fis^alisajao por
parte das autoridades.
Os bilhetes ncham-se venda na agencia e em todas as casas, em Santos, Sao
Paulo, Campias, Rio Grande, bahia, Cear, Marauhao, Para, Amazonas e ein Per-
nambueo rua Nova n. 40 CASA DO OURO.
0 agente no Rio de Janeiro
Augusto da Bocha Moneiro fiailo
UruguayLna23
A* Florida
Ana Duque de Caxias o loa
Chama-te a attencSo das Exmas, familias par'
js psi-fos seguintes :
Lavas de seda preta a lsfOOO o par.
Ciatos a 1 000.
Luvas de pellica por 2,1500.
Luvas de seda cor granada a 2 j, 2*500 e 8*
o par.
Fitas de velludo n. 9 a 600 rs., n. 5 a 400 re, o
metro.
Albuus de 1*500, 2t, 3*, at 8*.
Ramcs de flores finas a 1*500.
Luvas de Eseoasia para menina, lisas e borda-
das, a 800 e 1* o par.
Porta-retrato a 500 rv, U, 1*500 e 2*.
Pentes de nikel a 600 rs., 700 c 800 rs. um.
Anquinbaa de 1*560, 2*, 2*500 e 3* ama.
Plisss de 2 a 8 ordena a 400, 600 e 600 rs.
Bspartilbo Boa Figura a 4*500.
dem La Figarine a 5*000.
Pentes para coco com inscripeo.
Babadores com pintura e inscripces 210 ra.
Enchovaes para batisados a 8, 9, e 13*000
1 eaiza de papel e 100 envelopes por 800 ris
Capelia e vcus para noivas
Suspencorios americanos a 2*500
Lit para bordar a 2*600 a libr*
Mo de papel de cores a 200 ris
Estojos para crochet a .$000 rs.
Bico de cores 2, 3, e 4 dedos
de largura a 3*000, 4*000 e 5*000 a peca
Para a quare-swi
Galo de vidrilbo metro 1*.
Franjas de vedrilbo a 1*,
Lavas pretaa de seda e Escoc.
Franjas e galSes finos a 2*500, 3 BARBOSA dt SASTOS______
Novidade!
A fabrica Vendme, recebeu dir^ctamee
te de Ha vana, Cigarrilhos de la Bella Ha-
banera, em bocetinhss com 10 ditos cada
urna; chamamos attenfo dos fumantes
apreciadores da umaya, e recommenda-
mos tambem as senhoritas: venbm ver
par comprar.
39Barao da Victoria39
23-B-
Doce de caj secco
Em latas de doas e quatro libras, sfiui eea
lstinbas com jalea e latas com doce de goiaba,
tem cootioaad^mente para vender a preco commo-
do; na raa do Bom Jess n. 35, armairm.
CAPSULAS
Mathey-Oaylus
Preparadas pelo DOUTOR CLIN Premio Montyon
As Capsulas Mathey-Caylus com Envolucro delgatto de Gluten nao fatigao nunca
o estomago e sfio lecommendadas pelos Professores das Faculdades de Medeoina e
os Mdicos dqs Hospitaee de Paris, Londres e New-Ycrk, para a cura rpida dos :
Oorrimentos antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrliagla, a Cystite
du Odio, o Catarrho e as Molestia da Bezigas e dos orgao genito urinarios.
419, Urna ttplieago delalhada acompanha oada Frato.
........ii......
Smigir os Verdaderas Capsulas Mathey-Caylus de CLIN & C1, e PARS,
que se achilo em casa dos Droguistas e Pharmaceuticos.__________ .
Aos agricultores e cria-
dores
Vende-se o engenho denominado Palmcirs^ua
comarca dn Becerros, nos limites da do Bonitf,.
com terrenos proprios para o cultivo de cannas e
plmitaco r"e caf, com mais de 500 ps j pa.-,
fados e dando frucro em abundancia, pelo que se
conbeoe a apropriacSo para este cultivo, com un.
grande cercado pira criaeao de gado, indepee
dente do cercado do engenho, o qual mede mi:
bracas quadradas, pouco mais ou menos, com
prcbsndendo qoatro grandes 9udes com verte:
tes permanentes, abundantes de peiies, eom oaa>
de vivenda, alem de ootras para moradores, de-
crescendo que amboB os cercados sao feiios de
Va lados, tem matas pa-.a serventa do engenho
Vende-se por preco mdico, e quim pretender di-
rija-se ao Recife, ra Direita n. 106, ou ao Sr.
alferes Joaquim ChristovSo Pessoa do Mello, ecr
Xjage Grande, que colher informacoes._________
Vacca
Vende se urna vaeca nova,
magnifica bezerra tourina ;
easteada, cora ama
na ra do Dr. .) -
quim Nabuco n. 3, Capunga.
Oleo para machinas
Superior qualidade, a *400 a lat em cinco,
raloea; vene-se u fabnra Apolle e de sen
lepcBtos. (

s



'

.,
-i
-


Diario de Pernambuco


..


LTTERATt
li.
0 AMIGO DO MARIDO
POB
JLES MA.RY
(CutitinuagSo)
XII
J eram decorridoa cinco ou aeis diaa
desde que Chalopin estava preso; o juiz
formador da culpa tinhao interrogado to-
das as raanhas e o vagabundo havia repe-
tido sempre a mesma historia. Disaera o
modo por que havia empregado o tempo.
Nao menta dizendo que tinha trabalhado
no Treport Do l sahira no mesmo dia
era que Gilberto fra assassioado. Nada
liega va. .. B ahora da aua passagem pela
Batalha d'Arques coincida coui a que o
relogio da vistima in iicava : onze horas !
As inforraacSes obtidas por Margerat, a
respeito de Chalopin, mostravaro qu es-
te era m cabega, frequentador de luga-
res ra al reputados... Entretanto, nos re-
gistros judiciarios figarava cono tendo.sido
condemnado apenas como turbulento, nun-
ca polo crime de roubo...
Eu, roubar ? Para que ? H ssropre
trabalho no porto... Quando nSo tenho
dinheiro, trabalho... quando tenho, be-
bol...
Mostrava sempre a mesma resigoncao.
^Duviam-n'o dentro da cellula cantar, o dia
**nteiro, canc3es guerreiras. Queixava-se,
apenas, de que a agua era ruira e fazia to
do o possivel para conseguir que lhe des-
8e m vinho.
Urna roanhS, dous gendarmes foram bus-
cal-o e conduziram n'o ao Palacio de Jus-
tica. .
Com todo o respeito que lbe devi-
do, disse elle, quando achou se no gabinete
do juiz; o senhor incommoda-me bera in-
tilmente. .. Palavra que, se eu soubesse
alguma cousa mais, dir-lh o-hia.. .
Cbalopio, est livre, disse-lhe o Sr.
de Montdoney.
__Ah disse o vagbanlo, sera mani-
festar alegra nein sorpreza... EntSo pas
sar bem I...
E dirigin-se para a porta. Mas urna re-
flexao fel o parar :
Oh mas eu nSo me vou embora sera
o dinheiro... Quero o raeu dinheiro!
Passe pela secretaria; ser-lhe-ha en-
tregue o dinheiro ..
- Obrigado. Olhe o Sr. 6 boa pessoa. .
Ah ainda outra cousa que roe preoc.su-
pa... Acharara, portanto, miaba carta?...
Acharara, sim.
__Ah I mas entilo, nessa csso, pre-
ciso que m'a restituam tarobem 1
E' intil. J a entregamos ao des-
tinatario... NSo se incomraode mais com
1880 .
__ E-se me d lcencaestou curioso
por saber onde estava a cart?
Dentro de um embrulho de roupas
que o senhor deixou ticar na Cit de Li-
mes e que o hoteleiro trouxe hontem de
noite... Tambera ser-lhe entregue na se-
cretaria ...
Chalopin deu um murro na test*, que
teria darribado uro outro hornera. Lem-
va-se agora!... Chovia um pouco, na-
quella noite, e elle esconder a carta den-
tro di embrulho, para nao sujal-a !...
- Nunca mais hei de embriagarme,
juro-o I S beberei agua, daqui por dian-
te Era todo caso, vou ainda dar urna
chegada at a Cit de Limes l!
Era verdade ; na vespera, o hoteleiro
que acabava de ser informado da prisSo de
Chalopin, tiaha ido entregar justica a rou-
pa esquecida era casa delle pelo vagabun-
ao.
Margerat reviatara o embru lxa
urna'carta. Mtrgera* e o Sr. du ^wtdo f
ney olbarara-ao admiradas. Chalopin nSo
tinha mentido.
Margerat levantoa o papel, que continua
a explicac&o do raysterio que rodeara a
morte do Barbarain.
O enveloppe tinha este endereco :
Illra. Sr.
JoSo Holgan.
& & &
Arrabalde de Arques.
Dippo.
iou ella... Purquo ? fluiara-lhe mente desvair-adaaid
Que necegsidade ha?. Falta va-Ihe a calma para refl-iotir
O juiz formador da culpa abriu o enve-
loppe e lea :
i JoSo Envergonho-me de mira mesmo;
por isso, morro. Morro voluntariamente,
e diria at sais pezar, se pudesso dizer
sera remoraos. .. Joao, cona>le minha mai,
consol minha irraa-.. e perdoe a Catha-
rioa 1. perde-a, JoSo, e amim tambero,
pago lhe '..,
Suicidou-se -' disse o juiz. Segua-
mos caminho errado, Sr. Margerat.
Depois lerabrou-se da priracira excla-
magilo que a dor havia arrancado a The-
reza. Lembrou-se das palavras myaterin-
8as da joven.
Pobre cranja, rauraurou elle, conhe-
ca o segredo !... Julgou que o marido
ticha-o aasassinado para vingar a honra 1...
Mandou chamar Thereza. Esta veio lo-
go. O juiz leu-lhe a carta. Ella nSo po-
de conter as lagrimas. Era a priraeira
vez que chorava desde aquella morte fa-
tal.
Mrae. Barbarain estava ao facto das
relacSes seu irroSo ? perguntou o juiz.
Nao Snhor, felizmente. NSo ser
possivel occultal as para sempre?...
Este segredo nao nos pertence, mas
a Holgan. Proraetto-lhe fazer tudo quanto
depender de mira para abafar esta triste
historia.
Obrigada, muito obrigada!
O Sr. du Montdoney escrevou immedia-
tamente a Holgan.
Meia hora depois, o antigo pescador es-
tava em sua presenca, esperando que o
interrogassem.
Senhor, disse o magistrado, nSo que-
ro com perguntas inuteis, renovar em 81
urna dor que comprehendo o que respeito.
Soi tudo. As tristezas como a sua preci-
sara de isolamento... urna allusSo pode-
ria ferir-lhe a delicadeza.
Eis por que, Sr. Holgan, entrego-lhe
osta carta que he dirigida e que o meu
dever obrgou-me a 1er, e peco-lbe que nSo
a leia senSo quando tiver, ao p do si, a
indiscripefio de urna testeinunha, embora
sympathica ..
Holgan pegou/a carta e aahio.
era caminho. Nao se lbe contrahio
msculo do rosto.
Dosiio o primoiro dia, suspeitara
dade.
Encontrou Catharina quasi morta de
medo. Sabia que Holgan tinha sido cha
raado para comparecer parante o juiz.
Imaginava que o marido ia ser preso.
Que escndalo I O nome de Catharina em
todas as bocas.
Sua vida privada desvendada Sua re
putacSo no lodo !... O adulterio, emfim,
tSo terrivel mente vingado por Holgan, co-
nhecido de todos I
Quando o pescador entrou, Catharina
levantoa se bruscamente.
Ah disse ella, nSo
... Julguei que nSo voltaria mais...
Holgan pas*ou-lhe a carta, com um mo-
vimento lento :
E' de Gilberto, alguns momentos an-
FOLHETIM
O flORCUNDA
POR
"A.L3 TS7AL
QINTjA PARTE
o cosmia de casamento
B
Cijm qae fira?
Leia, Catharina, preciso !.. .
Entio ella tomou a carta e procurou
ler...
E' singular.. nSo posso, Joao..'.
falta-me a vista. <
Volte a si, Catharina.
Esta passou a mo pelo rosto. Abri
os olhos o mais quo podia, uo ama ex-
prsalo de lou.ur.i. Afinal conseguid le ,
soletrando quasi e era voz alta... NSo
coraprehenleu logo... no estado era que
8o achava, foram-lhe prucisoa atguns se-
gundos... depois f z-se a luz... Deixou
eahir a curta... De repent), cahind de
joalhos, apoderou-se, forjn, das m5os de
seu marido e cobrio-as de beijos. ..
E pronunciava palavras sera nexo, pbra
sea inarticuladas, quo era.u antes gritos...
E entre essas phraaes ouvia-se rauitas
vezes :
JoSo, entSo nSo eras ta ? .. NSo
eras tu I... Meu Deus, como sois bora !...
Meu Deus, quanto vos agradeco !
Faltuu-lhe depois a reapiracSo e fiuou
imraovel.
Holgan deitou-a sobra um sof, oncos-
tan Jo-lhe a cabera em almofadas, e fcou
alli at que ella recuperou os sentidos
Entito afastou-se, sem ruido, deixando a
s. -.
E a priraeira patarra qae Catharina pro-
nun ,'iou quando voltou a ai, foi:
Nao foi elle?... Eat innocente da
morte de Gilberto !... Quando entrou no
pavilho, encontrou mea amante morto,
como acontecen comigo '.. Nio foi elle I
... Joao. .. posso entilo amar-te, sera ter
horror a miro mesma?... JoSo, amo-te. .
Amo-te, ha muito tempo!... Oh Gilber-
to, se me ests vendo e ouvindo, perdoa-
me '
Revolvea-se no sof, com a mao nos
olhos, para apagar sera duvida aquelle
phant.s na quo lhe apparecia no meio da
exaltac&o em que estava.
Depois, soerguendo-se e apartando os
cabellos que tinbam-se desenrolado e lhe
cobriam o rosto, cou entregue a uraa idea
fixa.
Mas eu? En? Qual aera o raeu cas-
tS0? ,.
E de repente ouvio aa area do jardua
os passos de alguem que entrava.
Olhou raachinalraente. Eram duas sb-
nhoras, trajando lato pesado, Thereza e
sua mai.
Holgan tinha-as visto e foi logo cum-
primental-a3. Apertou a mao de Mrae.
Barbarain e pareceu a Catharina que elle
reteve, por muito tempo, a mlo de The-
reza. O olhar da joven, cruzou-se cora o
de Holgan e nenhum delles abaixou os
olhos Somente o rosto de Halg.n'tornou-
se mais meigo, o sangue circulou-lhe as
veias com mais rapidez, as rugas cavadas
medo de deixar-se levar por um instioSo
bruUl de o i). .. Iria saiatir ao desen-
volviraento desso amor?.. Iria ver eesa
felicidade serena, nilo confessaia, mas
real, ao lado da desespero qm sentia, e
das recorclajS-s funestas que lhe acndiara,
era tropel, lembranca ? Oh n3o, nao,
rail vezes nilo I...
Engao ra, dizia ella corasigo ; The-
L-?u-a,
um s
a ver-
pela tristeza, desapparecerara, o corpo
aprumou-se. Da seu lado, quando There-
za levantou o veo proto quo lbe cobriam
as feigcles, urna charama fugitiva illuraina-
va-lbe o azul sombro dos olhos fatigados
de tanto chorar. Dir-se-hia que aquellas
duas almas se entendiam, se comprehen-
tes de raorrer ; leia !..
Catharina fez um gesto de horror,
se foise tocar em sangue. -.
diam, se amavam.
Catharina, torcendo os bracos, de des-
espero, murmnrava :
Ser este o castigo ?...
Desde aquelle dia a vida tornou-se-lhe
ura longo supplicio. Pode-se comprehender
o borrivel tormento daqnella alma decah-
da? Sentia ciumes e nio tinha 4 direito
de ser cinmenta I Sem ter o direito de re-
voltar se e de protestar via, junto de 8',
o detiveram l?ooia joven amar a Holgan, com ura amor
casto e que em vio procurava combater, e
Holgan, discretamente, sem talvez ter disso
consciencia, entregar-je aos encantos des-
se amor de enanca...
Sem ter o direito de queixar-se, com-
) prehendia que era indigna de ser amada e
que aquella joven merecia-o ser.
Af-
reta ama JoSo ; sin, sei isso; ha muito
tempo que o noiei... mas elle nao araa-a...
nao pode... na^...
Urna voz iraplacavel responda a esta
esperanza :
Por que nSo a amara elle ? Estes
dous seres, tito rgidamente honestos,
amar-rae b3o sem que Ihes aaia dos labios
a cinfUslo desse a.'oor.
Dsde entilo, Catharina pas30U a vida
em urna espionagem continua. Estava
sempre attenta e med la que uraa mul-
lidlo de incidentes vinha forraar-lhe a con-
vicyio ia ca.erraudo a verlade na .alma,
carao poderia fazel-o cora um punhal, era-
vando o em pleno corpo, revolvendo-o na
ferida, brincando cora a dor.
Mrae. Barbarain nao tinha saspeitas so-
bre os amores do seu filho com Catharina.
Thereza nio poda, portanto, sem cansar-
lbo admracSo e motivar perguntas eraba
rabosas, cortar rela^3es com Holgan. Se
Catharina soffria vendo Thereza, esta de
seu laio, nao se achava nunca, sem des
gosto, na presenca da aminte do irmao.
Thereza empregava todos os meio para
tornar estas entrevistas cada vez mais
raras, mas parecin qno Mme. Barbarain,
em sua ignorante siraplicdade, comprazia-
se em tranatornar a serie de pretextos, ha- go
blaiente inventados pela joven, para afas-
tar 9: de Holgan e de sua mulher.
Ura dia, entretanto, a boa senhora teve
uraa vaga suspeita das repugnancias da
filba.
O que tens tu contra Holgan ? Con-
tra Catharina?
Foi preciso mentir. Dahi por diante
recomecou a mesma intimidade antiga, en
tre as duas familias ; Mme. Barbarain,
toda entregue s recordajSes do filho, na-
da via do drarama que se representa va ao
seu lado, instrumento inconsciente de que
o acaso servase para aproximar JoSo de
Thereza. para punir Catharina.
Esta agora j nao duvidava mais.
Sorprender um dia Holgan folheando o
lbum de retratos. Estava tao absorto
que nao a ouviu. Catharina viu-o olhar,
por muito tempo, para a mesma pagina,
sem folhear mais, admirando e scismando.
Approximou-se.
Holgan continuou a nilo ouvil-a.
Catharina debrucou-se e certificoa-se de
que era a Thereza quo elle estava contem-
plando com tanto ioteresse. Thereza,
vestida como no dia em que fizeram, na
companhia de Gilberto, aquelle passeio
floresta de Arques e em que JoSo, som-
bra das arvores, vira os olhos de Theraza
Iluminados por ura raio de sol e excla-
mara :
Sao dous verdadeiros fanaes I...
Catharina recuon, fez um pouco de ba-
rulbo para chamar a attencSo do marido.
Holgan fechou o albura e levantou-se.
Ainda agora estava risonho e feliz cora o
doce segredo ; agora triste e sombro em
face da realidade.
Catharina dissimulou.
Mas noite, quando ficou 80, tirn o re-
trato do lbum, rasgou-o e pisou sobre os
pedacos. Depois, teve uraa crise nervo-
sa abafando os gritos cora o leaco e ferio-
do as raaos com as unhas.
Urna outra vez Mme. Barbarain e The-
reza, tendo ido visital-os, despedirn-se e
Holgan foi acempanhal-as. Thereza de-
brucou-se sobro uraa roseira, que pendia
para o meio da slam^da, o cheirou um bo-
tSo apenas entreaberto, Catharina voltou
kBfc mas, ao chegtr ao patamar,
pie ainda ver Holgan cortan-
do o botito de rosa, cujo perfume tinha-se
misturado ao balito suave da joven, e le
val-o aos labios, furtivamente e com um ges-
to rpido.
Quando chegou a noite e nZo poda ser
vista por ninguem, foi buscar ama cava-
deira e com urna alegra de louca espati-
fou o arbnsto e arrancou-o do chSo, indo
depois atirar os destrocos ao monturo.
Ero seguida a cada ara destes ac^essos
de furor, Catharina recabia n'um marasmo,
n'uma apathia profundas.
Holgan es.'apava-lhe. Estava tudo aca-
bado para sempre. Adeus, amor! Adeus,
felicidade !
E o que constitua para ella ama humi-
lhacSo de mais, era sentir a superioridade
daqnellcs dous seres, at nessi amor a que
se nSo rendiam. JoSo sabia que nSo po-
da confessal-o virgera, sob pena de obri-
gal-a a corar de vergonha. Quanto a The-
reza ninguem lhe poderia ler no rosto aus
tero os tumultos que lhe iam n'alma.
Coraprehendiam-se, sem um olhar, sem
uru suspiro, sera ama palavra, sem urna
allusSo. Sabiara qne tudo isso importara
urna falta, o adulterio. Seus coracSes ba-
tan) isochrono8. Experimentavam, sem
trocarera reflexSes, as mesmas alegrias e
as mesmaa dores. Viviam da mesma vi-
da; e certas impressSas subtis, qae nSo te-
riam sentido se nSo'sa amassera, vibravam-
ihe na alma como sobre um instrumento de
extrema delicaza.
E, supplicio eterno, Catharina dizia com-
sigo :
Eu poderia ter sido como Thereza,
uraa vez que Holgan era assim commi-
Comprehendo, Alteza, Oriol ir com- ordenara que ficasse, sentou-se de novo,
nosco ?
- NSo ; v.
Minhas meninas, disse Nivelle, D.
Cruz quer levar-no3 para ver o enxoval da
noiva.
As mulheres levantarams- todas ao mes-
mo tempo e entraram -precedidas pela gi-
tanita no pequeo salSo de Marte, qae fi-
cava era frente so gabinete onde vimos ha
pouco ai duas amigas. Efectivamente
havia no pequeo salSo um enxoval de
noiva
As mulheres cercar-m-n'o.
Gonzaga fez um signal a Peyrolles, que
foi fechar a porta por onde tinbam sabido.
Apenas a porta fechou-se, D. Cruz ap-
proxmou:8e della, mas Nivelle correu c
trouxe-a pela mSo.
- A' senhora compete mostrar-nos tu-
Catharina tinha diante dos olhos o es-
pectculo vivo, real, da felicidade que per-
der pela propria culpa. EntSo, pela pri-
raeira vez, passou-lhe pelo espirito o vsgo
desejo de voltar, por meio da morte, ao na-
da de onde sahira, ao eterno esqaecimen-
to, refugio supremo para os qua soffrem.
Que necessidade tinha de viver ? Pa-
ra quem? Outra havia-lhe tomado o la-
gar Ella era domis. Nada mais valia.
Era urna causa de tristeza. E nSo era real-
mente um fardo para o marido, um obst-
culo a sua felicidade?
Este dezanimo, porm, darou alguns
dias. O chimo despertav-lho odio contra
Thereza, e o odio ajonselhava-lhe que vi-
vesse para latar.
O solamente foi snecedendo aos poucos.
O marido nSo lhe fallava senSo rara-
mente, via-a smente hora das refeicSes,
sabia sosinbo.
Muitas vezes, tendo ella manifestado o
desejo de acompanhal-o, elle deixava de
sabir.
Catharina comprima entio a colera e a
tristeza. Agarrava-se menor esperanj,
com toda a paciecia, contando com um re-
trocesso de affeigSo, por parto de Holgan.
NSo hesitara em abaixar o orgulho a ponto
de satisfazer-so com um pouco do piedade.
Orgulho? Podia acaso tel-o? Procnra-
va ao contrario tornarse humilde e peque-
a, oceupando o menor espaco possivel na
vida do marido.
Este acabria de certo por compadecer-
se della o perdoal a.
Os dias, porem, passavara-se, sem que
se dsse a menor mudanca era suas rela-
jSes. Catharina viva dentro de casa, como
se fo8so urna estranha. Fallavam, em sua
presenca, urna liogua que j nSo compre-
hendia... Reiomou os hbitos munda-
nos ; Holgan abandonou-a aos seus praze-
res, s suas distracSes.
Cabio doente, atacada por urna febre re-
pentina. JoSo tratou della e o mesmo fi-
zeram Thereza a Mme. Barbarain. Mas,
quando levantou-sa da cama, estas atten-
5033, a que se tiaha habituado e lhe ha-
viam parecido tao doces, tSo boas, cessa-
ram i.omediatamente, e recomecou a mes-
ma vida deserva, de isolamento, de
leneio. 1
Um dia, entre as cartas espalhadts so-
bre a secretaria de Holgan, Catharina no-
tou urna, cujo envelope indicava n2o ter
passado pelo correio, e julgou reconhecer
a letra de Thereza, Isso fez-lhe un
borrivel. Pegn na carta com 03 dedos
trmulos ; bem quizera ler lliu o conte- .
do... Eis a raso porque mostravam-se
tilo nsensiveis quando se encontravam !...
O que ella tomara por urna virtuie eleva-
da cm Shereza, o que havia considerado
em Holgan um respeito tSo delicado, nSo..
era mais do que bypocrisia !...
Catharina amarrotava o papel nao mSos.
Tinha sido um moco de recad.s quem o
troaxera, havia ara instante, na ausencia
de Holgan. O que poderia. ter-lhe eacrip-
to Thereza ? .. Confidencias amoro-
sas sem duvida. Era lhe tito fcil sa-
bel-o 1... Com um gesto... bastava-lhe ras-
gar o envelope... EntSo poderia atirar
com a verdade ao rosto do marido, face
de Thereza... triumphar onifira 1... estara
acabada toda humilhacSo...
Ouvio o ruido de portas que se abriam
e tornavam se a fechar. Holgan tinha vol-
t .do. Ia entrar, de um momento para ou-
tro, no gabinete e sorprndela. NSo se
atreveu a isso, deixou-a sobre a secretaria
a retirou-se.
Joao percorreu com os olhos a corres-
pondencia, leu a carta de Thereza e dei-
xou-a aberta no meio das outras. Depois
tomou a sabir. Mal elle sahio, Catharina,
que o estava espiando, entrou furtivamen-
te e apoderou-se da carta...
Thereza avisava a Joao que, achando-
se doente sua mai, nao poderia ir jantar
era casa delle, conforme tinha sido combi-
nado... Nada mais... urna formula delica-
da, apenas... era ama s palavra que
dsse a entender que havia combinadlo
entre elle?...
i*
{Contim'a)
Chaver-
(ContinuacSo do n. 49)
VIH
Um peecgo e um ramo
Nao posso accrescentar mais nada
minha affirmacao, disse Gonzaga. Julgam
que aou senhor dos acontecimentos ? Em
todo caso, prometi que nSo ba de haver
constrangimento.
Qoia affastar-se ; D. Cruz reteve o.
Peco-lhe, disse ella, que permitta-me
voltar para onde est Aurora. As suas
reticencias fazem medo.
Neste momento, responden Gonzaga,
preciso da senhora.
__ De mim ? responden a gitanita admi-
rada.
Vao dizer-se cousas aqu que estas
mulheres nSo devem euvir.
E eu posso ouvil-as ?
NSo. Essas cousas nSo tra analo-
ga com sua amiga. Est era sua casa ;
curopra com o seu dever de dona e leve es-
tas aenboras para o salSo de Marte.
Estou prompta a obedecer-lhe, Al-
teza.
Gonzaga agradeeeu-lhe e voltou para a
mesa.
Todos procuravam ler no seu rosto. Fez
signal a Nivelle, que se approximou delle.
V aquella enanca, disse elle, mos-
trando D. Cruz, que est pensativa na ex-
tremidade do salSo, procure distrahl a e
laca com que nSo preste attencSo ao
qae vs passar-se aqu.
Expulsa-nos, Alteza?
D'aqui a pouco aa cbaaaareroos. No
pequeo salSo est um enxoval de casa-
mento.
aojo,
disse ella ; nSo a
do isto, querido
dispensamos.
No sali s esta vam horneas.
Gonzaga veio sentar-se, no meio de ura
silencio profundo.
Aquelle silencio despertoa o marquez de
Chaverny. .
EntSo en*ao 1 disse elle, onde estSo
essas mulheres ?
E como ninguem responderse :
__Record me, murmureu elle fallando
corasigo mesmo ; vi duas creaturas encan-
tadoras no jardim. Mas devo na verdade
casar me cora uraa dellas, ou ser isso um
sonho ? Palavra de nada sei. Meu pri-
mo, interrompeu elle bruscamente, isto
aqu est lugubro 1 Vou para onde eatSo
aa mulheres.
Fica ordenou Gonzaga.
Depois, laucando um olhar pela assem-
bla:
- Meas senhores, estSo calmos? per-
gunta elle.
Perfeitamente tranquillos, responde-
ram-lhe.
Com a breca 1 exclamou Chaverny,
foste tu, raeu primo, que nos fizeste be-
ber I
E traba razSo. A palavra calma, para
Gonzaga, tinha naqueRe momento urna sig-
nificaco puramente relativa.
Precisava de cabejas excitadas e bracos
alos. Excepto Chaverny, tolos estavam
nesse caso.
Gonzaga j tinha olhado para o mar
quez, meneande a cabeca com um ar des-
contente. Conaultou o relogio e oonti-
nnou :
- Temos exactamente tima hora para
conversar. Basta de loucuras ; dirijo-me
ao Sr. marquez.
Este, no momento em que Goozsga lbe
nao sobre urna cadeira, mas sobre a mesa.
- NSo se importe oommigo, meu pri-
mo, disse elle, tomando a seriedade dos
embriagados ; desejo nicamente que nin-
guem aqu esteja mais embriagado do que
eu. Estou preoecupado com a minha posi-
cio : muito simples.
Meus senhores, interrompeu Gonzaga,
passaremas Bem elle, se for preciso. Eis o
facto. Neste momento, urna linda rapari-
ga nos incommoda, comprehendem ? In-
comraoda-noa a todos ; porque os nossos
interesseB estito alera disso muito mais es-
treitaraente unidos do que julgam; pode-
se dizer que a sua fortuua a minha, e
tomo precaucSes para que o lago que nos
une sei a urna verdadeira cadeia.
kao podemos estar mais presos a
Sua Alteza, disse Montaubert. .
De certo, de certo I dssoram com
muito entbusiasrao.
Esta moca... continuou Gonzaga.
Visto que as circunstancias parecem
aggravar-se, disse Nivelle, temos direito de
procurar a luz. Esta moca, raptada hon-
tem pelos seas homens a mesma de que
fallavam em casa do Sr. regente ?
Aquella que o Sr. de Lagardre pro-
metiera levar ao palacio real ? accrescen-
tou Choisy.
A menina de Nevers, finalmente ?
concluo Noce.
Virara Chaverny mudar de feicSes.
Ouvo-se-lhe repetir em voz muito baixa
9 em tom singular :
A menina de Nevers l
Gonzaga franzio as aobrancelhas.
- Qae Ibes importa o nome ? disse elle
com um movimento de colera ; iacoramo
da-nos: deve ser desviada do nosso cami-
nho.
Ilouve um silencio.
Chaverny pegou no copo ; mas collo-
cou-o de novo sobre a mesa, sem beber.
Gonzaga pros guio :
Tenho horror ao sangue, meus ami-
gos, tanto oa mais que os senhores. A es-
pada nunca tera bom xito. Por conse-
qnencia nao quero mais a espada ; quero
a affabildade. Chaverny, dou te cincoen-
ta mil escudos e as despezas di tua via-
gem para conservar a paz da minha con-
sciencia.
caro, resmungou Peyrolles.
Nio comprehendo, disse Chaverny.
Vais comprehender. Proporciono urna
probabilidade a esta linda cranca.
A' menina de Nevers? perguntou o
marquez, pegando machina!mente no copo.
Se lhe agradares.... comecou Gon-
zaga em lagar de responder.
Quanto a isso, interrompeu
ny, bebendo, agrado-lhe.
Tanto melhor. Nessa caso casar-se-
ba comtigo por seu gosto.
__ NSo desejo outra cousa, disse Cha-
verny.
Nem eu tito pouco, dissa Gonzaga,
que tinha nos labios ura sorriso equivoco.
Urna vez casados, levars tua mulher para
o interior de qualquer provincia, e taras
a la de mel eternamente, a menos que
n&o prefiras voltar a, era ura tempo de-
cente.
E se ella recusar ? perguntou o mar-
que.
Se recasar, a minha consciencia nSo
rae censurar ecusa alguraa ; ficar livre.
Gonzaga abaixou os olhos, mo grado
sen, pronunciando estas ultima) palavras.
Disse ha poaw, murmuroa Chaver-
ny, quo ella s tinha uraa probabilidade.
Se recusar, ficar livre. NSo comprehen-
do.
E' porque ests embriagado, replicn
secamente Gonzaga.
Os outros conserva vara ura silencio pro-
fundo. Dobaixo daqaelles lustres brilhan-
tes que illuminavam as risonhaa pinturas
do tecto e das paredes, entre aquellas gar-
rafas vasias e flores murenas, nio sei que
sioistra impresaSo pairava.
De tempoa a tempos, ouvia-se o riso das
mulheres no salSo prximo. Aquelle riso
fazia mal. S Gonzaga tinha a fronte er-
guida e alegra nos labios.
Quanto aos senhores, estou certo que
me comprehenderam ?
Ninguem respondeu, nem mesmo aquolle
bandido empedernido do Sr. de Peyrolles.
E' preciso entilo urna explicacSo, con-
tinuou Gonzaga, rindo-se ; ser curta, por-
que nSo temos tempo. Estabelecamos
primoiro que tudo o axioma da atuacSo ;
a existencia dessa crianca nos arruina
completamente.
NSo tornera essas actitudes spticas. Se
amanhS eu perder a heranca de Nevers ..
depois de amanhS fugireraoa.
- Nos ? exclamaram de todos os lados.
Os senhores, disse Gonzaga, que se
le-antou ; todos, sera excepcSo. NSo se
trata dos seus velhos peccadilhos. O prin-
cipe de Gonzaga acompauba a moda; tem
livros como o mais insignificante negocian-
te, estSo nos livro3 do principe de Gonza-
ga. Peyrolles sabia arranjar adrairavel-
mente aquellas cousas I A minha bancaro-
ta arrasta-os perda completa.
Todos os olhares voltarara-se para Pey-
rolles, que nao se moveu.
Alera disso, proseguio o prncipe, de-
pois do que c passou hontem... Mas na- de quizess-, a um b.ile, a ama ceia
da de ameacas inteirompeu elle ; estao
slidamente ligados, eis tudo e acorapa-
nhar-me-hSo na adversidade como compa-
nheiros fiis. Trata-se entSo de saber se
tira rauita pressa de dar esta pro va de de-
dicacao !
NSo responderam ainda.
O sorriso de Gonzaga tornou-se franca-
mente gracejador :
Vejo que me comprehendem, disse
elle; faco mal em contar com a sua indi-
ligencia ? A moga ficar livre. Disse e
mantenbo, livre para sabir d'aqui, poder
ir para onde quizer, sim, meus senhores.
Isso os admira ?
Todos os olhrres estupefactos o interro-
gavara. Cbrverny bebia lentamente com
ura ar sombro. Houve ura longo silencie.
Gonzaga encheu pela primera vez o seu
copo e os dos visnhos.
Disse-lhes muitas vezes, meas senho-
res, continuou elle era tora secco ; os bons
costuraes, as bellas maneiras, a poesi \ es-
plendida, os perfumes exquisitas, tudo isto
nos vera da Italia. NSo se estuda muito
oa Italia, Escuiem e procurem aprovei-
tar.
Bebeu ura pou :o de champagne e con-
tinuou :
-c- Eis ama ancdota da minha mocida-
do ; meigos annos que nSo voltam mais.
O conde Annibal Canozza, dos principes
Amalfi, era meu primo ; ura rapaz alegre,
palavra, e que fez coramigo mais de urna
empreza arriscada. Era rico, muito rico.
Julguem : meu primo Annibal tiaha qua-
tro caatelloB no Tbre, vnte herdades na
Lombardia, dous palacios em Florenga,
dous era MilSo, dous em Roma, e toda a
baixella de ouro dos cardeaea Aliara, nos-
aos venerandos tos. Eu era o nico e di-
recto herdeiro de mea primo Canozza mas
elle s tiaha vinte e sete annos e promettia
levar um aeculo. Nunca vi uraa aaade me-
lhor do que a sua. Sentara fro, meua se-
nhores, queiram beber mais nra copo para
aqueo r.
Obedeceram ; precisa vam daqoillo
Uraa noite, proseguio o Sr. principe
di Gonzaga, convide raeu primo Canozza
para 1 minha quinta da Spolete, um sitio
encantador. Passmos a noite no terrajo,
respirando a brisa perfumada e conversan-
do, creio, sobre a iramort&lidae da alma.
Canozza era ura stoico, salvo o vinhp e as
mulheres. Deixou-me fresco e bem dis-
posto por urna bonita noite de luar. Pare-
es-rae ainda vl-o subir para o seu carro.
Cortamente estava livre, nSo verdade ?
perfeitamente livre para poder ir para on-
ha
VARIEDADES
AO AMIGO E COLLEGA H. MEA0
(A* P. L.)
Amo a floriona na haste,
- Amo della o lindo engaste
Do orvalho da manbS ;
Amo a brisa que a bat'eja
Dourada, meiga e louca.
Amo o ribeiro corrente
O seu sussurro plangente
Que entristece o coracSo ;
Amo o silencio das noites
Os periumosos acoites
Dos beijos da viracao !
Eu amo tambem o campo
O azul do pyrilampo
Que vaga noite perdido ;
Da tarde bella, e forraoaa
En amo n rola aaudosa,
Da Patativa o gemido.
Amo o raido da matta
E a maviosa cantata
Do sabia macillento ;
Eu amo sons predilectos
Aqui, alli, dos insectos.
as fras azas do vento .'

(,.**

- 7'* -i
* ti
1
Eu amo tudo que eocerra
O bello todo di trra
Que a natureza traduz ;
E mais que tudo em vertigem
Na vida adoro urna virgem
De seus olhares a luz !...
A. J. Henkiques Loca.
Recife1887.
tudo na Italia a urna entrevista amoroaa,
roaa livre tambem para ficar.
E virou o copo. E como todoa os olha-
res o interrogassem, terminou :
O conde Canozza, meu primo, usou
desta ultima libar Jado : ficou.
Um movimento ouvio-se entre os convi-
vas.
Chaverny apertou o copo convulsiva-
mente.
Ficou repetio elle.
Gonzaga tirou um pecego de ama cesta-
fructas e atirou-lh'o. O pecego cabio nos
joelhoB do marquez.
Estada a Italia, primo 1 continuou
Gonzaga.
Depois, corrigndo se :
__Chaverny, continuou elle, est mui-
to embriagado para comprehender-me,
talvez melhor ; estudem a Italia, meus se-
nhores.
Emquanto tallava, atirava pecegos aoa
que estavam em torno da mesa. Todos os
convivas tiveram um.
Depois disse era ura tom breve e secco :
Esqueei-me de mencionar eata cir-
cumatancia frivola ; antea de me deixar, o
conde Annibal Canozza, meu primo, tinha
partilhado um pecego commigo.
Todoa 08 convivaa colloaaram sobre a
mesa oa fructoa que tnham na8 mSoa.
Gonzaga encheu de novo o copo. Cha-
verny fez o mesmo.
Estudem a Italia, repetio pela tercei-
ra vez o prncipe ; a alli se aabe viver.
Ha cera annos que l nSo se servem mai
do estilete idiota. Da que serve a violen-
cia ? Na Italia, por exemplo, desejam afas-
tar urna moca que 8'rve de obstculo ao
sen caminho ; o nosso caso : eacolhem
um rapaz elegante que consente em casar-
se com ella e em leval-apara aualquerpar-
te. Muito bem : ainda o nosso caso. Se
a moca aceita, est tudo acabado. Recu-
sando, est no seu direito, na Italia como
aqu entilo, o homem inclina-ae at o
cbo,' pedindo perdSopela liberdade. Acom-
panha a com respeito at carruagem e
por simples galantera offerece lhe um ra-
mo...
Dizendo isto, o Sr. de Gonzaga pegou
n'um ramo de flores naturaea que ornava
a mesa. iu
CContimutr-seha.)
i'
Typ do Diario ra Duque de Caas n. Vi,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDZTP1C0S_5GFGT6 INGEST_TIME 2014-05-28T14:50:43Z PACKAGE AA00011611_18229
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES