Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18187


This item is only available as the following downloads:


Full Text
___
' 4
Wk\
1
1
ANKO L. MiWEUO 109
I" ill A A CAPITAL E LtiGABES O.IOK .VI SB PAGA PORTE
ffor tees muxes adiantados................ 89000
For seis duos idem........... \ .......129000
i'wr um anno idem..................949000
vCada numero avulso................. 938J)
Por tres
Por seis dito
Por nove
Por um annd
mez s
SEXTA FEIM 15 DE MAI0 DE 4874
PARA UBATRO E FORA DA PRO% IACIA.
adiantados................ 6*784
idem.................. IStSod
(idem......%.......... MptlO
idem................... STfOH
PR0PRIEDADE DE MAN0EL FICUEIR0A DE FARM & F/LH0S.

Sra. Gr*rdo Antonio Alvesd Filhos. no Par*; Goucalves d Pinto, no Maranhao; Joaquim Josd de OUveira d Filho, no Cear*; Antonio de Len,u Braga, no Aracattj ;
Pereira d"AJmeida, em Mam*uKuape ; Carlos Auxenciu Montairo da Franca, aa Parahyba } Antonio Josd Gomea, na Villa da Penha; JBe'armino doa Santos
Automo Fwreira de Aguiar,em Goyanna; JoSo Antonio Machaeo, noPilar da* Alagdas} dive* AC, na Bahia; e Leh4
Joao Maria Julio Chares, no Assti; Antonio Marques da Silva, no Batal; iaai I
Bulcio, em Santo Antio ; Domingos Jose da Costa Braga, em flaxareth;
Cerqninho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Govprno da pi'ovlucit*
,'iIPKlMK.NT : DO OU 10 I).-. FKViiKKIRO IK 1871.
1' sei\'~m.
Acto:
O president da provincia, attendendo aj que
requereu o bacnarel Felix do Figueiroa Faria, se-
cretario do arsenal de puerra, resolve euBoeder
Ihe 30 dias de licenca, earn veiieimenlos, a contar
do dia4 do correute, para tratar de ua saiide.
Offlcios :
AoRxm. brigadeiru rnmniainlimlfi das ar-
mas. Sirva-se V. Exc. de doienninar a>> c.iprlao
refortuado do exereiio, Manoel Joaquim Machado,
que va receber na thtsnuraria de fazenda, onde
so acha. e pagar OS direitos exigidos por iei, a
portaria pela qual Ihe e coneedida licenca pira re-
sidir nesta provincia.
Ao mesmo.Com os documenios prestados
pela presidency das Alagoat, no otlicio iaciuso
por copia, que V. Exc se servira de Cater chegar,
com aquelles, as mioa to cab > de esquadra du 2*
batalhao de infantaiia, Mauoei da Silva Pass Rar-
reto, fica deferido o requeriment > de.-sa praca,
que junto devolvo, e veio annexe ao officio de V.
Exc, o. 1218, e datado de 2i de dezeiubr> proximo
findo.
Ao mesmo.Para cumprimen.o dn aviso do
ministerio da guerra, de 29 de Janeiro ultimo,
sirva-se V. Exc. da inforuiar se o cx-volunt.irio da
patria, Joao Hyginn Rodrigues qua consta ter sido
guard a nacional do 4* batalhao de infanta ria deste
municipio, qnando designado para o servico da
guerra do Paraguay, seguio vuluntanamente paaa
oseu destino ou foi a isso compellido pela autori
dade competente.
Ao inspector do arseual de marinh*.D<-fe-
riado o requerimento de Joaquim Moreira da Rosa,
sobre que versa a sua inforraaeao de 7 d > cor-
rente, sob n. 828, autoriso V. S. a mandar Iran
sferir para a companhia de apreadizes|arliGces, na
primeira yaga que nella se der, o aprendiz atari-
naeiro Joao Rndolpho Coelbo, sobrinho do suppli-
canie.
Ao mesmo.-Deferindo o requerimento do
mandador da odlcina de c irpinteirns desse arse-
nal, Manoel Joaquim de Jesus, autoriso V. S., de
accordo com a sua iuformacao de 4 do corrente,
sob n. 825, a dispensa-lo do comparecimenU) ao
ponto da manha, em ;uanto ostiver solTrendo de
riieomati-ino articular.
Ao director do arsenal de guerra. Recom-
raendo a V. ?. que man le entrcgar ao admini-
strador da casa de detencao os cubos e tinas, qu9
por elle (oram requisitados, e que, segundo infor-
ma o Dr. chefe de policia, em oflkio de 9 do cor-
rente, sob n. 120, ja se a;ham promptos nesse ar-
senal.
Ao commandante do presidio de Fernando
de Noronha.Envie Vme na primeira opportuni-
dade, para esta capital, o presO de uome Manoel
Franscisco dos Santos, que tern de responler ao
jury no terrno de Flores, contorme solicitou o Dr.
chefe de policia, em olHcio de 9 do corrente, sob
n. 187.
Ao engenhein; das obras militares.A' vista
do que expoz Vine., em seu olHcio de 7 do cor-
rente, sob n. 70, rclativamente a necessidade da
collocacao de mais ires traves no forro da nova
sala do conselho de eoppras do arsenal de guer
ra, em substilujcTio de outrai quo se venficou es-
tarem podrea, antoriso esse accressimo de servico,
cuja despeza, na importancia de 35^000, devera
correr por conia do abate dado sobre o orcamento
dessa obra pelo respectivo arremaianle, Juveniaoo
Xarier de iouzu.
2." serroo
Actos :
0 presidente da provincia, resolve nomear ao
bacharel Manoel Terluliano Travassos d'Arruda,
promotor publico da eomarca do Bom JarJim.
0 presidente da provincia, attendendoao que
requereu o bacharel Jjse Maria de Araujo, pro-
motor publico da eomarca do Bonito, resolve con-
ceder-lhe 2 metes de lic-ncacom vencimentos, na
forma da lei; para tratar de sua saiide.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.Constando da parte
diaria dessa reparli^o, do liootem datada, sob n.
185, ter sido assassiaado no districto dos Afoga-
dos, Mathias Gomes d'Anr.unciacao, recommjndo
a V. S. as necessarias djligencias para o descjbri-
moto e captura do crimiuoso.
Ao mesmo.Reinetlo a V. S. uma ambulan-
cia de medicament)? homeopathicos, apropriados
ao tratamento da variola, para serem enviados ao
delegados do districto de Capoeiras, conforme so-
licitou V. S. em olflcio de > do corrente.
Ao mesmo.-Para scu conhecimento e tins
convenientes, incluso remetto a V. S., em original,
o officio do engenheiro fiscal dos trilr.os urbanos
do Recife a Olinda, de 8 do corrente, tm que par*
ticipa o triste acontecimenlo havido naquella via
ferrea a3 II horas da noule do dia antecedente.
Ao mesmo. Reapi'iiJendo ao otDcio de 7 do
corrente, em que V. S. sblicila 6 pra^as do corpo
de policia para escoltarem 2 cri:ninoso? ate-os ter-
mos de Triumpho e Flares, tenho a dizer-lhe que
no dia anterior ja tinha sido expelida ao comman-
dante daquelle corpo ordem para Ihe serem apre-
sentadas ditas pracas, como Iho foi communicado.
Ao commandante do corpo de poiicia. -De-
claro a Vine., em additamento ao rceuofflcio de 6
do correute, que os destacamentos que 9e devem
recolhersio os exi-tentes DO districto deGravata, e
nao o de Bezerro>, eoaio por eqnivoco se disse am
dilo offlcio.
.9." secriid.
Acto:
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o fiscal da cullectoiia das readas pro via-
ciaesdo municipio do Bonito, ba^bartl Jose Maria
de Araujo, resolve conceder-fhe duus mezes de
liceuca corn enciinento:. aa forma da lei, para
tratar de sua saiide.
Offlcios :
Ao inspector da IhBsouraria de fazenda.A'
vista do que expoz V. ?. em seu oflkio de 13 de
dezembro ultimo, sob n. 194, serie F, tenho a di-
zer-lbe que devolvo o recibo anoexo a minha or-
dem de 27 de novernbro do anno passado, relative
io pagamento da despeza f.ita pelo delegado de
Penedo, com o tran-porte aid Piranhas, da escolta
iue seguio para Cabrobo, cr>nduzindo criminosos,
adm desertal pagamento eTectuai) pela thesou-
raria provincial.
Ao mesmo.-Communicj a V. S., para ieu
conhecimen'o e fins convonieiUes, que por aviso
de 26 do mez passado, n. 51, do ministerio da
agricuilura, commercing obras publicas, foi appro*
vada a de!jeza iut :".;: !.-. ;..- e.ii pa'siJenein,
com osn^eaa&tiii re,: ni p-inte do Ssota
Isabel, orijj'iw'J.'j [th \tiv&A> de umj pa te
do caes da ret Aurora.
Ao mesmo. Traa.-n-itto a V. S, para seu
conhecimento, copia do aviso que com data de 22
de Janeiro proximo lindo, dirigio-me o Exm. Sr.
ministro da marinha, a resp sito do pagamento re-
clamads por Aogusto Frederico de Oliveira 4 C,
de diversos sobresalentes que perteaceram as dra-
gas, e foram por elles vendidos ao arsenal de
guerra desta provincia.
Ao mesmo.Tendo o delegado do termo de
Aguas-Bellas, dissolvido temporariamente no do
corrente, o destacamento de gnardas nacionaes
alii existentes, como participoa o Dr chefe de po-
licia, em officio de hontera datado, n. 189 ; assim
o communico a V. S., pira os fins convenientes.
Ao mesmoTendo.se reconhecido na occa-
siao d fazer-seo forr> da nova sala d> conselli)
de compras do arsenal de guerra, acharem-se
|n'idre- Ires Irave*, trail nnri dellas a que rece-
be o topo das emenilas do assoallio de um compar-
timento da ihesouraria, que por ser alcatifado nao
permute a retirada da tra e e par ISSO teve de
ser collo.rada uma outra de cada iaio desta.de
sorte que sao tres a* traves a collocar se, resolvi
nesta data autorisar esst acorescimo de servijo,
cuja despeza, na imuortiniru. de 3A*t n;V> aUera
de mode algmn o orcamento dessa obra, visto de-
ver correr a conta do abate, concedi 1 > pelo rcs-
pecllvi) arrematante, Juviniano Xiviar do Souza :
o que dedaro a V. S., para seu conhecimento e
direccao.
_ Ao mesmo. Mauds V S. pagar ao padre
Joao Jose de Araujo, vigario collado na freguezia
de Santa Maria da Boa Vista, a conprua relaliva
aos metes de novernbro a dezembro do anno pas-
sado, uma v-z quo do atteatado junto se veriQca
haver ell* cumprido com os seus deveres na res
pectiva matriz.
Ao mesmo Transmitto a V. S. para o pa
gamento do direilos exigidos p >r lei, a inclusa
portaria, concedeodo ao capitao reformado do
exercito. Manoel Joaquim Machado, licenca para
re?idir nesta (rovincia.
Ao mesmo.Tenda o ministerio da agricul-
lura. commercio e obras publicas, concedido um
erediio da quanlia de 1,7031331 por aviso de 19
do mez passado n. I, afim de ser applicado aos
reparos de que preciua o caes da ma da Aurora ;
assim o declarj a V. S para os fins convenientes.
Ao mesmo.Transmitto a V. S. para os fins
convenientes, as inclusas contas documentadas da
rCtita e despeza do hospital militar, relativas ao
muz de Janeiro proximo lindo ; e bem assim o
oarecer em dup icala da junta de inspeccao que
examinou ditas contas. na forma das ordens em
vigor.
Ae inspector da tliesouraria provincial.
Provideneie Vine para que seal indemnisado o
cofre da reparticao da policia, conforme solicita o
respectivo chefe em officio de 9 do corrente, sob
n. 191, da quantia de 7<680, constanle da conta
junta, proveniente de siisten'.o dos criminoios, h:-
cardo Roberto de Lima e Francisco Jose de Lima,
que foram para os tennos de Flores e Triumpho
responder ao jury.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar, a quern se
mostrar autorisado, a importancia dos prets juntos
em duplicate, dos vencimentos das pracas da guar-
da nacional destacadas na villa de Serinhaem, a
contar do !. ao ultimo de Janeiro proximo.Undo,
como solicita o re.-pectivo commandante superior
em officio de 7 do corrente.
Ao mesmo.-Remetto a Vmc. para os devi-
dos fius a quantia de 162137, proveniaote do sus-
tento do preso pobre Andre, pertencente a pro-
vincia do Amazonas, a que se referem as contas
que vieram aonexas aos olficios dessa thesoura
ria, de 23 de agosto I 17 de setembro do anno
passado, n.-. 354 e 410.
Ao mesmo. Ao 2.* sargento do corpo de po-
iicia, Antonio Heraclio da Silva Paula, deve Vmc.
mandar effectuar o pagamento de que trata a mi-
aba ordem Ui ti de Janeiro proximo Sado, am
vista de documento comprobatorio da despeza fei-
ta com o aluguel da casa qua ervio de quartel ao
destacamento de S. Caetano da Raposa, porespa-
co de dous mezes ; ficando assim respondido o
officio dessa tliesouraria, de 3 do corrente, sob
n. 04.
Ao mesmo. Conforme solicita o Dr. chefe
de policia em officio desta data, sob n. 188, re-
commendo a Vmc. que maade pagar ao pharma
ceutico Claudino Augusto de Lagos a quantia de
bus, pelo tratamento dos paisauos policiaes e pre-
sos pobres ferilos em diligeucia no termo do Li-
mceiro, conslantes dos documentos juntos.
Ao mesmo. Approvo as arrematacoes, quo
em cumprimento do disposto no art. 70 do regu-
lamento dj, 8 de novernbro do anno passado, fo-
ram feilas perante essa ihesouraria. conforme. de-
clara Vaic. em offioio de 3 do corrente, sob n. 08,
por Joao Rodrigues de Moura e Firmino Firmo de
Azevedo, esle do fornecimento de calcado e aquel-
Ie do de fardamento de panno azul o branco para
o corpo de policia, mediante os prei^os indicados
no citado officio.
4." secruo.
Acto :
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Alexandrina Umbelina de Freilas Uchoa,
professora publica de primeiras letlras do soxo
feminino da villa do Brejo da Madre de Deus, e
tendo em vista a informacao do director geral da
instruccao publica, em officio de 23 do mez Undo,
resolve conceder-lhe dous mezes de licenca com
vencimentos, na forma da lei, para tratar de sua
saiide onde Ihe convier.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da provincia de Amazo-
nas.Recebi e dei o conveniente destino a quan-
tia de 18/1157 que V. Exc. remelteu-me em officio
de 17 do mez findo, proveniente do sustonto do
preso pobre Andre, pertencente a essa provincia,
durante os mezes de maio a agosto do anno pas-
sado.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Verificado que a quantia de 666* votada na
veiba seguros de predios-dos esiabeleeimentos
de caridade no exeroicio de 1873-74 6 insufficient
te, visto ter sido augmentado o numero de nredios
seguros, autoriso-o a abrir um credito supplemen-
tar a referida verba, na importancia de 500/i, se
guoJo pede Vmc. em sen officio de 6 do corrente,
sob u. 740.
Ao mesmo.Achando-se esgotada o credito
de 46*600, votado na verbaAnnos findos-do
patrimonio dos orphans exercicio de 1873-74, au-
toriso o a abrir um credito supplementar a referi-
da verba na importancia de 300H, para occorrer
as respectivas despezas ate o tira desse exercicio,
conforme solicita Vme. em seu Qtflcio de 0 d'. cor-
rente, sob u. 741.
Ao mesmo. Solicita Vmc. em officio de 6
de corrente, sob n. 472, antorisagao para abrir o
credito supplementar de 1:0001 a verbasegu-
ros de praamdo patrimonio de orphaos, visto
ser insufficiente a quantia de 1:2001 marcada no
orcamento vigente, de conformidade com os pre-
dios daquelle patrimonio, que entito se achavam
no seguro. Respondendo, tenho a dizer-lhe que
attentas as razdes expostas, concedo a autorisa-
cao que pede em seu referido officio.
Ao regedor interino do gymnasio provincial.
-Autoriso-o a contraolar com um sacerdote, que
se incumba de celebrar o sacnlicio da missa nesse
instiluto, e de dirigir os alumnos na instruccao
religicsa, mediante a gratifioacao de 501 meusaes,
despeza que sera feita pela verbagratifioacao
sanssdids ao ccn--or esnoler. vistu camo e.;tas
funecSe* et^u swidi tsere'da* com iruvit-i pelo
repptidwr hh> Fe.tcunn ila Malta e Alttniuerqne,
cxclusivarnenie com os vencimentis respeciivos ao
seu lugar, segundo diz Vmc. em seu officio de
honlem. Cuinpre que effecluado o contracto, Vmc.
me remetta copia delle, para se fazer a devida
communicacao a thesouraria provincial.
Ao Rvm. vigario da freguezia de Teiucupa-
po. Em additamento ao officio que em 24 de Ja-
neiro do corrente anno dirigi a V. Rvma., en-
viando medicamentos homcepathicos, apropriados
ao tratamento da variola, remetto-lhe quatro tubos
capillares com lympha vaccinica para ser inocu-
lada nas pessoas que ainda nao tiverem sido vac-
cinadas.
Ao delegado litterario do districto de Cruan-
gy.Era additamento ao officio de 30 de Janeiro
conforme s licitou ein_offlcio de 30 de Janeiro pro-1 ttiu gove-nad->r por 6,690 r_Sss- de- maiori*. Ht i
riola, remett > Hie quatro tubos capillares com lym-
pha vaccinica, afim de ser inoculada nas pesseas
que ainda nan tiverem sido vacciaadas.
Portaria:
A" camara municipal da villa de Unique.
Remetto a camara municipal da villa de Buique
quatro tubos capillarescom lympha vaccinica,
findo, que dirigi a Vmc, enviando medicamentos I mas ao que occupava este emprego. O depos
hoincepalhicos, apropriados ao tratamento da va-v governador tem insta id com o presidente pas
intervir em sen favor; mas elle nega-se, por nl o
.ter direito disso.
H mve este mez algumas elei;o>s locacs eto
varios estados do Oeste. No Coaneclicut hou\
eleicao geral, que resultju em brilaante victor a
para os doraocratas, que fonnara. como se sab
a opposigao ao actual g iverno. Iagersoll foi re4
xrmo findo ; e, aceila'ndo o offerecimento constan
te do referiJo offi:io, no sentido de encarregar-sj
a mesma camara da vaccinacao nesse municipio,
curapre me louval-a pelo interessc que mamfesta
no deaempenho do honroso mandato raunisipal.
espachos da prksidencm, do dia 12 de maio
de 1874.
Abaixo assignado negoci-'ntesestabelecidos com
casas de negocios nesta villa do Brejo da Madre
de Deus.lnforme o Sr. inspector da Ihesouraria
provincial.
Commmdador Ant mio Gomes Net to. -lnforme o
3r. inspector da thesouraria provincial.
Capitao Antouio Gracindo de Gus.-nao Lobo.
Entregue-se, mediante recebido.
Anna Elisa Pereira Dutra.Passe portaria, con*
cedendo a prorogagao pedida por tres mezes, sendo
dous mezes com mdtade do ordenado, e um sein
vencimentos, na forma da lei.
Padre Antonio Rufino Severiano da Cnnlia.
Defer id o com officio desta data a thasouraria de
fazenda.
Auspicio Crespo. Indeferido.
Firmino Herculano da JSilva. Deferido, com
offioio desta data, ao inspector da Ihesouraria pro-
vincial.
Francisco de Pauja Barreto. Dtfendo com o
officio dirigido nesta data ao Sr. director interno
do arsenal de guerra.
Joaquim Dias Falcio. -Os retalhos da sola de
que se trata vao ser vendidos en hasti publica,
concorra a ella, o supplicante, querendo.
DIARIOUEPERN1MBU0O
RECIFE, 13 DE MAIO DE 1874.
>oti< ins
e do
dos i;>.iuIo--i niiioM
Pars).
Amanheceu hontem em nosso porto o vapor
americano Merrimnck, trazendo datas: de New
York 23 de abril, do Amazonas 1.* e do Para 5 do
correute.
KsTADOS-L.MDoS.
Do S'ovo Mttntlo transcrevemos o seguinte
retrospecto mensal de abril.
A attencao publica foi neste mez partilhada en
tre a questao financeira e os desastres de que fo-
ram victimas outros dous paquetes da linha fran-
ceza. Tambem tem sido assumpto de muito.
commentarios o inquerito aque.se procede em
Washington sobre a questao Sauboru.
0 senado federal, por 29 contra 24 votos pas-
sou a 6 do corrente, uma importanle medida, decla-
rando que o maximo 1a aumuia i**? notas dos Es
tados-Unidos fica fix ado em nuatrocentoa milhdea;
que quarenta e seis milboos dessa somraa serao
emittidos aos bancps nacionaes actuaes on que se
organisarem, sendo distribuidos pelos varios esta-
dos. Deterroina mais a medida que os bancos na-
cionaes d'ora em diante gnardarao em reserva a
quarta parte do ouro que receberem em pagamen-
to dos juros de suas apolices depositsdas no the-
souro, para garantia de sda circulajiio. Esta lei
que expande a circulacao ddnciaria por 44 mi-
llioes, foi objeclo de viva discussfio no senado. Em
geral os senadores do leste e do cenlro votaram
contra, os do sul e do oeste, a favcr, tudo isto sem
relacao alguma as antigas linhas dos parti-
dos.
Apezar de quo a camara dos represenlantes
tambem discutira e approvara um projecto no mes-
mo sentido; mas simples projecio fji por
ella adoptado a 14 do corrente por 140 contra 102
votos. Alera disto, porem, a camara passou outro
projecto tixaudo em quatroceutos milhoes a som-
raa representada nas notas dos bancos nacionaes:
o seuado, porera, nao ce prestara a appro-
val -o.
Assim, a lagislatura por ora so resolveu aug-
mentar a somraa de papel inoeda por 44 milho;s,
dos quaes ja 20 milhoes estavain emittidos pelo
thesouro sob falsi inlerpreta;;to d'uma lei; e au-
gmentar asomma das notas dos bancos por 46 mi-
lhoes, para o que elles djvem depositar uns 50
milhoes.
t Brandas como parecam eslas dispo.-icdes, t Has
teem evo:ado muitos protestos do commercio de
New-York e em gtral de todas as classes do leste.
0 governador do ostado de New-York r sentou a sua legis'atura contra eile e declarou que,
depreciar o papel moeda e ao mesmo tempo obri-
gar o povo a rccebtl-o como equivalente de me-
taes preciosos, eo exercieio mais abusivo e tyran-
nico de qu pode ser criminoso um govemo civi-
lisado em tempo de paz. As pracas do commer-
cio, e muitas coramissoe3 de commerciantes emi-
nentes das prinoipaes cidades estao agora insis'in-
do com o presidente para oppor o veto a este pro-
jecto de lei, Cre-se, porera, que elle o sanccio-
nara.
Alera de outros muitos desastres raenores, a
companhia Ti-ansatlaniique (franoeza) perdeu este
mez mais dous magniOcos vapores que navegavara
enlre Havre e Naw York. Nao ha cinco mezes
submergio o Vill* da Havre com terrivel perda de
vidas. Agora, dentro de um nuz, foi abanlonado
o Europe e naufragou o Ameriqne. 0 primeiro
era viagera para este porto eomecou a encher-se
d'agua. Quando ja a pooto de sossobrar, avistou
u paquste inglez Greet, que tambem ia cm viagem
para New-Yoik, e que apioximon-se e talvou os
passageiros e genie da tripolaeao, em numero de
400 pessoas. 0 Amerique largou de New-York a
4 do corrente e a 14, naut'ragou na cesta da Bre-
tanha, a 26 milhas de Brest. Excepto o immedia-
te, todos a bordo foram salvos por dous navios
que passavam. Essa era a terceira viagem do ;>a-
queie. Nos Estados Unidos ha agora decido pre-
juizo contra a habilidade dos francezes no mar.
Os pcrmenores do abaudono do Europe mosiram
rauit i falta de disciplina e muita cobardia a bordo.
Tem cralinualo em Washington o inquerito
ordenado pela camara dos representantes sobre os
contratos do thesouro com Mr. Sanborn, o agente
especial, que tem estado a arrecadar taxas venci-
das e n3o pagas. 0 inquerito tem revelado pelo
raenos gtande detleixo na administracao das rcn
das. 0 ministro da fazenda depoz que elle assi-
goou os contratos sera os ler, como papeis de ro-
tfna, e qco o ma| foi feito nao pelos contratos es-
poc'aifs com .S inburn, in is pla Ie: i\ io is au'oris.u
e ouji levogiiriHi tilo projioe. A apiuiai puldica,
inclusive o ork.'u dos republicauos, o Mite- York
Times, accusa o ministro de graude dealeixo.
t Os negocios internes do Arkansas compliatra-
se cada vez mais. Na ultima eleicao geral do Es-
tado (1872) os republicanos, apezar de nao have-
rem obtido raaioria, conseguiram tomar posse dos
principaes erapregos, por frande na apuracao dos
votos, e com o auxilio, diz-se, das autoridades fe-
deraes. 0 negocio, porem, foi logo apresentado
ao poder judiciario que neste mez decidio em fa-
vor dos candi Jatos democratas, que foram os elei-
tos. 0 candidate eleito para governador, senhor
da decitao jndiciaria, dingio-se ao capiiolio, onde
despachava papeis o governador de facto, e expe-
dio-o a (orca, e o mesmo fez o novo ajadante d'ar-
duas camaras da' legi-latura tambem elles teeni
boa maioria.
A legislatura do Massachusetts elegon Mr. ^
Wasbburo, actual governador do estido, pa
occupar a cadeira de seoador dos Estados-Umdo
vaga psio fallecimento de Mr. Snraner, Para esth
eleicao houve na legislatura 31 escrulinios en
que os dous candidatos Hoar e Dawes, posto qu >
oblendo o maior uumero de votos, nao reuoiram
raaioria absjluta. Mr. Washburn, foi eleito no 3Sj
escrutinio.
0 governo da republica da S. Daraingos, n
ilha desse mine, rescindio n contralo pel > qua
dera a corapauhia ratitul.ida Swim Bay Compu
ny certos orivilegios imposlaates acerca do u-
da bahia de Samana e terrilorie circumvisinhi
A companhia nao pagou a renda em tempo e na
honrou um saqoa do governo : t%l e o uutivj di
clarado da rescisao.
A divida publica dos Estalos-Unidos e agor
de 12,2;I'S,038,559. Caixano thesouro 1142,367,83
sendo 186,122,000 era ouro.
0 presidente Grant nomeou John J. Turtle, d
Delaware, para consul djs Estaios-Uuidos no Ma
ranhao.i
AMEiUCA HESPANHoLV.
Sobre os paizes coraprehendilos nessa denoj
niinac iu, publica o mesmo jornal :
Cuba. 0 marechat Serrano, presidente d
Hespanha, com 200 contoj por anne, e com o pes
de vergonhosas derrotas que Ihe hao inflingid
os carlistas neste mez, comraetteu ura acto qu^
so por si basuva para deshonrir um governo mm
to mellior do que e o seu. Elle despacbou o san
guinario Jose de La Concha para capitao geral d
Cuba, e o general ja se acha de commando na ia
feliz illu. Jo por duas vezes fera Concha seu go
vernador, e as crueldades que pratioou foram taesj
que nao se pole explicar a sua terceira nomea
cao, qoe dir-se-hia impossivel, senao pela resoluj
eao em que esta a louca admioistracao de Madric
de perder bem cedo a sua perola nas Antilhas. 0:
escravagistas actropophagos recobraram aniraot
a luta pela independencia de Cuba vai agora tomar
segundo todoi os indicios que lomos, proporcSei
mais .serias do que nunca. E' uma nodoa para a
nossa civilisacao, que, neste dia de hoje e neste
novo mundo, ainda seja possivel a indigputavel e
faciaorosa dominacao de ura Concha.
< America Central Era Costa Rica honye um
pequedo mivimento revolucioaario, mas foi logo
supprlmido pelo Dr. Barrueta, qne sc acha a tes-
ta do governo.
a Era Nicaragua ha paz, mas muita exacerba-
cao nos espiritos por oocasiao da eleicao de pre-
jidente, qne se approxima...
*'"? presidente Barrios de Guatemala, tern esta
dc a visitor os Altos. As ls da tlesamcrtisacaoi
i. axctauiiracio vio sendo executadas sem diffi-i
culdale. 0 governo marcou u*a penslo oquiva i
lenle a quarenla mil reis por mez as freiras que,
voluntarlaraente ahandoiiaYem ^ vila monaticaJ
Um do? couventos desaprqpriados fai destinado a
escola militar e outro a alfandega.
Contlnia em paz o Salvador, sob a president
cia de Goniales.
Estados Unidos de Colombia e Venezuela. -'Fot
eleito presidente dos Estados Unidos da Colombia;
o Sr Santiago Perez, que ha dous annos repre-;
sentava o seu paiz em Washington. Elle obteve
seis dos nove votos do3 Estados.
t A 10 do proximo passado abrio-se a sessio;
ordinaria do congresso venezuelano.
Equador. 0 Equador e.sla esforcand )-se porj
concluir cm Londres' um emprestimo de 8,0)0]
eontis. Dizem que este dinheiro, se for nbtidoj
vai ser empregado na conclusao da estrala da
ferro do sul. e no comeco das obras ie outra,
entre Quito e Manabi, e tambem na consolida-
cao da divida publica. Como em 1869, o Equador
suspendou o pagamento de sua divida em Lon-
dres, elle esta agora encontrando muitas difflculdai
des para levantaros 8,00) contos. 0 paiz aeha-sa
n'uma crise monetaria e o congresso prohibio ^
exportacao de metaes preciosos.
t Peri. Houve uma tentativa de revoluc;
a 16 de marco. Algons conspiradores preteadia
captttrar o presidente P.rdo com o auxilio d
regiraento do quartel de Santa Catalina,
Lima, o piano, porera, foi descoberto era tempct
eos conspiradores postos era ferros.
Bolivia. As ultimas noticias recebidas d;
Bolivia sao taes que parece-nos que o paiz va
ser novarcenle victima dos excessos sanguinolen
tos de caudilhos militare3. Depois do assa3sinat4
de Morales, exerceu a prosidencia da republica o
Sr. A. Ballivian, cuja administracao promettia set
do paz e pro3peridade. Infelizraente a 14 de fej
vereiro ultimo falleceu este diguo funccionario 4
agora esta o paiz presa da anarchia. A*s ultimas
datas gjvernava titularmente um Dr. Thomas
Frias, o mesmo que depois da raorte de Morales
empunhou a direccao dos negocios. Na raesraa
capital, porera, esta commettendo toda a sorte de
barbarid-vles ura general Daza que esta a reco^
Iher 4s prisoe3 alguns do3 homens erainente3 do
paiz. Do cutro lado um sujeito chamado Migue|
.Santa Cruz proclamou a republica federal em
Cobija. s
AMAZONAS.
Conlinuava trabalhando a assembles pro*
vinciat.
- Seguira para Tabatinga em uma das ianchas
da ilotilha o Dr. Aprigio Marlins de Menezes, com-
missionado pelo governo para tratar das pessoas
atacadas da variola no SolimSes.
No dia 22 de abril chegaram a Manaos duas
Ianchas a vapor, que e.tavam a servico da com-
missao de limites.
Constava continuar gravemente enfermo o
Sr. barao de Teffe.
Fora nomeado lente da cadeiia de philoso-
phia do lyceu o Dr. Aprigio Martins de Meneze;.
Funccionara o jury da capital desde 13 ate
17 de abril, sob a presidencia do Dr. Franeisco de
Paula Lms dos Guimaraes Peixoto.
No dia 24 o depulalo Sympson justificou, na
assemble!, uma mocao, para que fosse nomeada
uma noramissao de 5 membros, afim de felicitar
o presidente da provincia. Esta mocao diz o
Commercio do Amazonas, fora approvada sera
discussao e por unaniraidade de votos.
Gentil Rodriiues de Souza, ajulante interino
do estabelecimento de educandos artifices, foi
nome.Tb official da secretaria do governo, sendo
lobslituido pur Francisco Carlos Delduque, alii
rlie.^-ido no uia anterior.
I'AIIA.
Era 7 do corrente escreve nosso correspon*
dente da capital:
a Hontem sahio o Bahia, pelo qual nio Ihes es-
crevi, por contar que o vapor norte-americano
chegue alii em primeiro lugar.
A noticia mais importante, que Ihes mandei
tegrapbicamente, 6 a da prisao do Rvm. bispo
diocesano, D. Antonio de Macedo Costa, que teve
lugar pelas 10 horas da manhi de 26 da abril, no
seu palacio episcopal, onde comparecea, para se-
melhante effeito, o Dr. juiz de direito da 2' vara
criminal, Meira e Vasconcellos, o seu escrivao e
o chefe a'esaaadra Pedro da Cunha, o qual depois
L_
llHBt 1
Wotlcins de Sergipe de 9S
gmmm.
Tambem amanheceu em nosso porto o vapor
brasileiro Inojuca. trazendo datas: do Aracaju,
at6 8 e de Macei6 ate 13 do corrente :
SKRGIPK.
No dia .2 do corrente encerraram-se os tra-
balhos da asserablea provincial.
ALAfiOAS.
0 Rvm. conego vigario da capital mandou fa-
zer preces publicas, na respectiva matriz, pedindo
a misericordia divina a cessacio da epidemia das
variolas, que ha tanto tempo assola a populacao.
[Voticls do uorte do iaiaperlo.
Ainda hontem amanhceu em nosso porto o va-
por brasileiro Cururipe, trazendo dates : do Cea-
ra 7, do Rio Grande 11 e da Parahyba 13 do cor-
rente :
CEARA.
Achavam-se funccionando, no tribunal da re-
lacao, os juizes de direito Drs. Julio Barbosa de
Vasconcellos, Esmerino Gomes Parente e Americo
Milittao dc Freitas Guimaraes.
Falleceram os negociantes Luiz Antonio Pe
reira de Aguiar, era Sobral, e Antonio Francisco
Coelho, no led.
0 vice presidente da provincia w.Ticiou ao en-
genheiro encarregado da direccao de obras pu-
blicas provinciaes, afim de verificar se e pratica-
vel, e mesmo de vantageui para o commercio, li -
gar por uma estrada de rodagem, com as actuaes
da provificia, a villa do Cascavel a da Pacatnba,
onde deve tocar a via ferrea de Balurite e bem
assim enlroncar na mesma via ferrea, no lugar -
Maracanahu, ou outra parte da estrada, entre
aquelle ponto e o povoado d'Arronches, a estrada
da Uruburetama; aproveitando a depressao que
apresenta em frente daquelle lugar a terra de Ma-
ranguape, isto de inodo a encurtar as distancias a
evitar as difflculdades, qne se ofTerecem ao transi-
to de carros nas adjacencias de Soure e da capi-
tal. Recommendou ao raesmo engenheiro que,
com a possivel brevidade, proceda a ura rejonhe-
ciraent.) das linhas indicadas, proenrando assegu-
rar se de todas as circumslancias que possam in
fluir para a adopcao, ou regeigao da idea.
No Pereiro continuava a grassar a variola,
e em Arneiros desenvolvera-se uraa febre de raao
caracter.
Dizia-se que o governo imperial ordenara a
thesouraria de fazenda da provincia, que fizesse
de3apropriar, era lugar conveniente, o terreno pre
..iso para a constrnceio de nra edificio para a ai-
fandega.
Foi noraeado secretario do bi spado o B*tt.
Dr, Jeronyrao Thorae da Silva, em substituicao do
Rvm. Glicerio da Costa Lobo, que pedio de-
raissao.
No dia 4 do corrente seguira para Liverpool
o vapor iuglez Maranhense, levando 3,598 saccas
com algodao, 3.500 saccos com assuca', 8 fardos
com borracha, 3 dilos com cabellos, 1,579 couros
salgados e 18,500 kilos deossos. pesando tudo...
471,177 kilos, e deixando de rendimento a alfan-
dega 14:0001000.
No mez de abril o movimento da via ferrea
de Balurite foi de
2,042 passageiros a 500 rs. l:OSI00n
6 > a 300 1*800
188 > a 200 371600
Frete de bagajera e carga 121540
1 trem especial 251000
1:0971946
Cartas de Liverpool recebidas pela direclo-
ria dessa companhia, annuueiam haverem embar
cado no vapor Lisbontnst no dia 16 de abril, 250
toneladas de trilhos, e a embarcar igual quantida-
de na barca Jerfalcon no dia 15.
0 vapor era esperado ate sabbado, 9 do cor-
rente.
As 500 toneladas de trilhos devem dar para o
augmanto da linba ate Maracanahu.
RIO GRANDE.
Nada reeeb^mos desta provincia.
laaaana.
A camara municipal do Pombal procedeu a
apura ao dos votos para depulados provinciaes pe-
lo 2* districto, e expedio diploma aos Srs. :
4 Dr. Trindade ijjg votos.
2 Manoel Melchiades <8l
3 Dr. Villar \n
t

de intimada a ordem e iavrados os competences
tennos, conduzio o diocesano em carruagym ao
arsenal de marinha..
C .nit .m se alguns episodios acerca do acto da
prisao; uns qua o juiz procedeu com extrema
severidade, e outros que o raagistrado nao foi mais
do que o orgao da I i no cumprimento do manda-
do do sapnmo tribunal da justica.
a Seja como for; o facto eipie pe'.o delicado
e espintioso eucargo de que foi agente o Dr.
Maia e Vasconcell03, o que tratou elle, foi de abre-
viar o acto, pois os conegos e alguns adeplos de
S. Exc. Revma., que se apresentarara no moment)
da prisao, era procastinar o negocio, ate ver se
apparecia alguma manifoslacao.
i Nada succedeu felizmenle, a nao ser alguns
protestos e manifestos do clero, de varias associa-
coes, especialmeote a Catholiea Paraense, tudo se
Ism reduzido a questoes jornalisticas
Oeu-se a circumstancia tambem da prisao ter
sido realisada com tal reserva, que duas horas de
pois de terminada e que o palacio em geral teve
sciencia della.
(i S. Exc. It' vma.. e verdade, tem sido bastonte
visitado e cumprimentado por muitas pessaas gra-
des, familias e raesmo pelo po?o.
a No domingo disse missa e chrismou na capel-
la do arsenal de marinha a quern quiz la ir ; h ra-
ve bastante concurrencia, e por isso o diocesauo
teve occasiao de dizer alguma* palavras sobre o
estado desua questao e despedir-se do seu reba-
nho.
a Ao Sr. D. Antonio nada tem faltado na reclu-
sao em que se acha; ao lado do seu particular
amigo e patricio o inspector Carneiro da Kucha, e
de rauitos outros amigoj e adeptos que o cercam
a toda bora. Assim pode-se ser preso ; com tudo
dire: que nera para comer doce I
i Falla-se que S. Exc. embarca hoje no vapor
americano, acorapanhado de um official superior,
nao sei porem o grao de veracidade de se.nelhante
noticia.
a Emfira o diocesano nao se pode demorar mui-
to tempo nesta capital, ainda que nao embarque
hoje.
Estes dias tem chegado uma serie de vapores
entre elles o Grtat Northern, pertencente ao cabo
electri-i) subroariuo.
< Hoje segue para Liverpool o paqaete inglez
Maranhense, tocando em Lisboa, para onle con-
duz cerca de 60 passageiros. -
a Hontem sahio para Lisboa e Porto a barca
Linda Palmeira ; amanha a Adelaide para o mes-
mo destino.
Tendo obtido a dispensa qoe solicitou de
exercer fntennamente o cargo de chefe de policia
o Dr. Innocencio Pinbeiro Correa, foi nomeado pa-
ra o substitmr o Dr. Jose Francisco de Araujo
Lima.
Pela presidencia da provincia foi sanctions-
do como lei, o projecto da assembles, que manda
fazer os melhoramentos necessariot a navegabili-
dade dot caaaes : de Cabeceiras de Igarape-miry,
entre a villa e o canal desse nome ; e do Furo do
Page, qua comraunica o rio Marapaataa com o rio
Caju4uba.
m
7
8
9
10
11
I*)
no
144
144
134
Itl
ft*
4 Dr. Samuel
5 Padre Izidro
5 Tenente coronet Araaoi
Padre Ambrozio
Manoel Carlos
Dr. '."urenco
Dr. Juvenal
Mendes Hibeiro
1* Dr. Clandiano
Lemos no Jornal:
" A agradavel noticia de que foi portador a
Cruzeiro do Sul, vindo do Rio de Janeiro, a> ter
o governo imperial concelide lanct dos Joros de
7 V* durante 30 anoo, garantidos pela asseniW-
legislativa desta provincia. sobre o capital os
5,000:000! para a factura e casino da aos -ia
ferrea Conde a~Eu, foi na noile de II do net cor
rente, objecto de publico regosijo pan a poonts-
cao desta capital, e veio realistr a mais arosWu
aspiracao da pruvincia.
A populacao desta cidade, rendo aomximor
se a epocha de tua emancipacao. resolves toteas
nitar aquelle acto do governo imperial coat u-aa
onraerosa e bella pasteata. qoe pwrcoirwdu mt
versa* mat desta mesma cidade, se dirigio a pa-
lacio da presidencia, donde S. Etc o 9r. pressdi.fi-
te da provincia, associandi-ss ao nobre peassmea-
to, que presidia essa festa popular, dirigio alra-
raas palavras, fazendo teslemanha*- a divida de
gratidao em que esta o povo parahybaoo part erm
o Exm. Sr. cooselheiro CoU Permra. coioitsro
qne referendou o decreto de 25 de aonl findo
Depois do qne S. Exc. levaoton diversos viva*
a S. M. o Imperador. ao poverno imperial, aa po-
vo parahybano, etc., os quaes foram freosttcaaajaai -
te correspondidr>t.
" Prosegoiodn a passeata, coatioaaraoi es vivas
aos distinctos e infaligaveis coiwessioaanos da
erapreza, nossos dignos comproviariaoos e ami
gos, conselheiro Diogo \> ho. Dr An-tao Ssiathel
e engenheiro Iteboocas.
< De passairera pels ma Daqae de Caxias.
em frentr da casa da sociedade Phibntrofru
dos artista* que te ichava rt its, o st>
cio Sr. Vicente G. Jardim dirigio rivat aaV ft Iti
perial, aos Exm*. Srs. coaselosirn Diojjo Vefto e
Dr Anizio, etc.
< Semelhante facto nao podia deitar de dar-
se n'uma admiaistracio ptrahybana. psrasii lass
bem o sao dons dos distinctos coattMiorios da
empreza.
Esta portanto dissipada t'>da o diaVaStUit. a
muito brevemente a nossa boa terra
jubilosa na vangaarda de snss irmis, e a I
indolencia qne tanto a ansodaa s-ra
pelo som agradavel do tibilar da I teat
< 0 nosso commercio e agricnltara, ttt se a-
ehsm extennados, bio de toasar aosieao mat
superior.
Por portaria de S. Exc. o Sr. piujiluii ia
provincia acaba de ser aaanllada a eMoV a
qne ultimamenle se procedeti para vfrsaduti
e jnizes de paz da villa de Miseneordia, sab o
fundamento de terem sido coavocados, para orga
nisacao da mesa parochial, os eleitores e
tes ainda nio reconhecido* pelo poder eon
e de itr-se ao mesmo leasao e
procedido a eleicao dos jaiie< de paz da aomcliii
da C-\nceirio, provide canonicaisiSu, ba taatt ie
anno.
E-te acto da administracao do Exm Sr. Dr.
Silvino Elvilio Carneiro da Cnaha. revela beas a
tmpareiatiiiatta e iwj'j.i !> espinto ine pTesil
aos seas jalgamentos s a**n<>>. *m m w,
Co annullada e dos tens mais debeados ataatjot
politicns.
Elle serve tambem de cabal resposta as im-
jnstas apreciaciVs e as detraccfles dos poor. *
desaffeicoados de S. Ex? na provmcia. assta r-
mo de contirmarao ao bem eonceito ie one me-
recidamente gozi dentro e fora da mesma pr-vm-
cia. > t
^EMMBUCO,
REVISTA DIARIA.
Vssr-iiililca |iruvlst-tsl -Ante hoottta a
asserablea funccimou din 2*.' Srs. drpotado?,
?oh a presidencia do Sr. Dr. Aguiar.
Lida e approvada a acta da sessa > aatec i leoti1.
o Sr. !. secretario leu o seguinte ex(
I'm nflici i 1 secretarici do iioverao.
I > o re<|uerimento da camara municipal de Gora
niiuns, em que pede um auxilio p*aniario para
os concertos do respectivo paco. A' eoaBtaassov
de camaras raunicipaes
Uma peticio de Caetano Francisco Daraes, pr
fessor publicode instraccao primaria ds povoafao
Agua de Preta, pedinlo seit mezes ie Iteeoeaoaa
todos os tens vencimentos. A cmtaMssaa ie pe-
licoes.
a reiaccio do projecto a 2-
Foi approvada
deste auno.
Entrando na I
approvada? em 2.
parte da ordem de dia, foram
dismssio as wmoadas aaorova*
das em 3.* ao projecto n. t>7 de 1872, e b-m suiita,
tamliem em 2.* discussio, o projecto a. 11 data*
anno, quo eteva i cathehoria de cidade a vila, de
Triumph a. com os projertos nt. 16, 19 e SI,
recidos como enwndss.
Continuando a 2." discussio do project'a.
deste anno, que prohibe nesta provincia
fiscae* de outras, depois ia orar o Sr. MeHo Keg .
e tendo-se esgotado a bora da 1.' pane da Hhm
do dia, o Sr. Toientino de Carvalbo requerea or
geneia para continuar a discussio. sobre a oaat
orou o Sr Goncslves Ferreira, fi an io finalm-TOf
adiada a discussao e rejeitado o reqaenatea)*'
Passagdo i 2.-j>arte da ordem ds dia, cati
nuon a i.* discussao do orcamento pmviavi >l
bre o art. 15, orou o Sr. Portell*, e find > sea d-
curso e estaado adiantsda a bora, m levaotada a
sessio.
A ordem do dia para hoje e : 1.' porte, enm-
nuacio da anterior, I." disrotest do proiecto a Xt
deste anno, 2 do de n 45 do toon oaaaada 3
dos de us. 3d a 43 do eoagajaoj 2 parts, cctaei-
nuacio da aolecedeni.
Jssr> o ertle. Compareceodo 3J* Jotte;
de facto, aeon o aoojtam. d? seoteoca sortead.-.
composto dos seguinte* Srs I in Paoboi l^r
que*. Ulysses da Costa Spinola. Anloi<> Mai* Or
let. Dr. Francisco de Paula Saws. Lais ftao4
Rodrigues Valenca, Thomaz Garret, aooel J-*e
Doniingnes &>dereira, Josqnim dr Gotmi-i Coe-
lho, Candida Jose Lisboa. Vicente Terx-in. f>o-
bra, Josqnim de S nz Miratetro e Dr
Hermetlo Cor*ei de lint.
Enfouem jnlgameato o ran ftsosol
Romualdo da Silva, pronuoriado os art *'
digo criimnal, tendo por advogade Sr
de Oliveira
Em vista da decisio do jury, M
Biooo do Ports.-A bards
caao Meri imack. ptstoo a-s*sm. aoeto, i
no a cone, em virtade de lutjaistgoi s
Tribunal de Ju*.**, o Kint. tiRvat
Para, D Aa-oata ie tsaeedo Csata.
S. Exc. Rm Sr. etastao de frnsis
Cuob* Moreira.
2ifunds os asoarara, a SocW i*>
C+Jo, tm oataaroooaeo mais oa
-ewoaseotre sacerdolat e
a bordo do Jdirritaorir. oat tras
pelo rebocador ImpermUw, atta ds
a S. Exc. Rvm, o qw wefectoao.

bsoo4>
a
e


t
flkrio do Pemambuco r_ Sexta feira 15 de Maio de 1974.
Cjipj/iano
fade Czthotlrn
Feor
Cdrsos ha occasiao : o Sr. Dr.
Alcoforado, pavRarU5 da Socitm
KvJ Ur. rrancl'co do P.cga' Maia, cm nama do
cab do. i
Em segaida (orim offertados &S. Exc. Rvnj. al;
guns ramalhetes de (lores naturae*, te.minando a
ccremonia pels allocucab de agradecimen'lo, q'ui o
mesmo Exm. e RvmSsenhcr profirio, abencoando
as pessoas presents, qhe se aebavam ajoelaadas.
Para. Seguudo telegramma da Bahia cliegou
a esse porto na uaarta faira a satiio a larde para o
nosso, pelo de Maceio, o vapor brasile.ro ford.
l)v unanlieceraqai no sabbsdo.
Saata Ca*; de Hlsericorrtia do Re-
cifeNo dia 6 do correate falleceu ues'.a eida-
de, u) estado de solteira, 0. Joaquina Francisca da
T indade Uutra, instituindo os dous seguintes le-
gados a dous estabeleeimentos que muito careceni
da caridade publiea para bem freencherem seus
(ins :
Deixo a casa terrea, em cHSo proprio, a rua
de Santa Crat n 21, para neila inorar, emquanto
viver, Joaquina Maria da Canceiciio, e, pur sua
in ite, passar para o hospital de caridade desta
Wdade (hrje hospital Pedro II).
Deixo a easa terrea, era chio proprio, a raa de
Pedro AtT-.mso n. 62, ao \sylo de Mondicidade.
Como prova dcgralidao e reeonheciraento, a jun
taadrainistrativa da Santa Casa resolveu, era scssao
de 13 do correate, mandar celebrar uiqa mis-a so
If ii.ii* de Beimem, ua sua igreja, no dia que for
annuociado.
DiMiirii <>. o vapor Merrimock' i
para :
Antonio Iuho Furtada & C.
Jo joaquicp J. Gon? lives Ueltrao & F.iho
A. I. ^.Oliveira A-eveda
Correia, Fcrrcira & C.
AKtsenablea ^eral. Seguiram hont.mi
para a corle, no vapur Merrima:k os Srs. ileputa
dos geraes barao de Aracigy e Dr. Elias Frederico
de Almeida e Albuquerque.
! districlo da fivguezia dos Afogados aeh.-mi-se
c!',. iiUiJ is dous cavallos, que se suppoe furtados,
sendo u;n roe i e outro eastanho, os quaes serao
eitregues a quein privar ser dono
xa-iedale l.usci Brasllcira.Domin
f'>, I", deve tor lu0'ar a posse da nova directoria,
u tiroURepte eleila. "
lri'einatariii'8 proi iiiciacn.I'eranta
a junia da iliesuiiriria provincial vao a praca, no
dia 21 do corr;Ote : a madeira velha, tirada da
panie do Janque'ra, avaliada em 100iOU) ; os pa-
paros da coborla da easa do detengaa, 'jrcados em
'..'.'*jiki : .,,.. iv|j .ro.- 11 b nt.i ii, 2 no seliaio
Inif j '!a estra la do sol, oreauos em 1:01 i&OQO ;
27:300 JOOO
fcuaojoo
3:Q0l)i00 I
l:6:li3'HW
1:500*000
e a .,bra da bomba para o pjvoado djs Uoules,
or? ula em 1:9801000.
II ii-jiiiii! l*orlu^ii<-x dc BeiieHeen-
cia -U'-iniago (17) devo reua:r-se a assemblea
geral di's sirijj deste hospital, alim de ouvir a
I nuiadjrelatorio aoauo e do pancer da com-
uis/i3*i Je eila-, b_'m coinj proeeJer a cLicao
(!> diu: iuvjs ruordimos, em snbslilalca. da-
quelles que reeuSaraiu aceilar.
Triia -. uvb;noj*le (>!iul -Sio se
if :i! i roam 11 a assembb'u ger.il dos aoeimistas
dj.-lv e.i.ii.niliia n) dia 8 do ivjrrenie, para proce-
der a leica > do urn ine.nbro d i commissio de con-
t.i-, quo rocusou o inaudalo, toi de oovo uiarcado
I !i i 21, a i ineio dja,.paxa es-i rcuniilo, quo sc
re.li-.ira com 0 numcro de aceion-.stas q.ie com
parece .
(l<'i!'-v*<*aa;ai caairn o ^overno-
A rJm.'ai d>]iirnal Unidi promove uma re.
pr.:se:ita;a.) ou denuncia c intra o minisierio, por
- i '! is incur-!') no 1 d; art. 1 da lei de 13 de
oulubro de 1827.
PaKitamvat*. -No engenho Caricr, da c i
in.ire i de Santo Aollo, falleceu no dia 3 do cor-
i.-.!, Franei-;o de Abreu 1'eieira, victima de vio-
ienta eiu'i'iiiil.ili.',qua Hie rouboa a existenciaoih
irino dia-. Eia tluitor de piruebii e s'upplante
de subdelegad t.
tuuin-iarii>.-Na quarta feira (I:!) com-
I! : 'U oiteuia e -Ions au:us je iJale S. S. Pi) IX.
>-'? l* tB.r-eiros. -Diseurso a quenos
rewi'iuios na nossa Iteci.'t i pavidz :
a Sis. jurad.'s -K a pri:ueira vez que me cabe a
t.oari de ,iresnl.r-vos. e sia'.o ni-t>samuo prazer,
pjrqae nut o a i;onvie;4o de achar-me entreeida-
ans mortgera >-, conscieBcfosas, que sab.'rao sa
Wificar as affei;o.'s, g mo es lueier os resenlimen-
ftsje o.ii i-, anteo dever e a justiea.
Eacerra-se ois* a maito nobre e respeitosa
inissio da que vos aeha"3 encarregados.
Os juizes juradj?, a-sim chamados em conse-
q iciicia do juramento que prestaram, datam das
primeiras id.ide< do mundo, porque desde essas
rdiUdtsa eras, antes mjsmo dos .lqniens fo^marem
Estadoa ou corpus de Naeoes, viveado em hordas
sem lei? po-i.iva-s ja deci liam suae querollas Dor
meio de tribunaes comp-)=to3 de seus iguaes, es-
' iliiido- d entre os mais vellios, a que g'zavam de
niais r>spcito e consideraeao.
0- inglezes, porem. c-P;ervaala...*i**^iradi-
cie, irai;vrain bunaes regularcs, chamadus -jr.ry -.
T.i j subhme instituic&o, orgulho do povo inglez,
arlia-,>e ja .'stabeleeida em muitas nacoes civili
sadas, bwmeutd eaire d6; como nella, goza da
raaior eon-rideracao.
Assim devj ser, porque essa consideraci) in-
flue sobFa nulo para o acaUmoato e respeito a
, i t in Jireil i esse tr.banal, da povo, das pane-,
das lesteina.i ia-', dos advojudos e do pnprio juiz
que ) priJ, qie veem nelle a socieJade repre-
s;ii!.i la.
Srs. jura-.!..-, vossas faneeoes sao &i impor-
tant-- :i so l;ve:u reeahir e.n cidalios honeslos
e instruilos, como reeommenlam toJos osligisia-
dores juo instituiiam esses tribunaes, e alguns
tap escrupol'isos que ^6 confl:.ram semelliante
iiiis^aj a a |u-il s rj le, pjr saas virtales e empre-
gas, setinb.im to nndj rec->inmeniavei-.
Sim, v6s soi- como u:n simulacro da magis-
tiatura, vos estais reveslilos do cargi pub'.ieo de
juizes de vassos iguaes, eseolhidos peTa lei para ca-
nhecerdes de s.ns fallas, sem outro movel que
vossa conscieneia, sem outra responsabdidade qua
nao as penas moraes.
Juizes ties nao podem ser rmvidos pjr paiv.oVs
ilheias a seus deveres, nao deven mesmo eonhe-
cer o aceusador e o aceusado, e rnenos obrar se
nao p\'os seotimentos da eons:ienj;a em vista do
eonheeimento que tiverem do facto sobre que vaa
julgar.
Tenho fe que vossas deeisoes confirmarao o
jaizo que de vos faca, servindo elias, naa bo para
j mfunJir a injusticad'aquelles que pensam que a
iartitui;ao do jury deve ser eeroada e cireums-
Eripta acertus lagares, como tambem para provar
que o jnramenio que pre^tais 6 teres diante de vos-
sos olhos someute Deus e a leie o unico pliaral
de um povo -mo o brasileiro, estencialmente ca-
th plico
Qaanto aos reos, estes a qnera o mao uso da
hberdade, ou o infortunio aliroa os ao baueo dos
aeeoaados, toleram resignados, s nao applaudem
as justas senteacas, quando mesmo lhes imponham
as penas creadaa por leis para desaggravo da so-
c.edade, saliafa^ao do bffendido, e exemplo aos de-
mais hymens.
E' que a lei e Mo nectscaria para reprimir os
abuses da sociedade, qaanto preeisa para garan-
tir a liber lade, honra, vida e propriedade do cida-
dao, por isso tern tal forja moral que nao ha
ijaem, por mais elevado e poderoso que seja, se
-Dponha a sua execo^ao, se nao por alguna affec-
fi&o moral, pois qu o estado natnral do ho-
uiem e a ordem e respeito a jutsija.
Qaaaio liaalmente a mim, coraa juiz de direi-
t-. da comarca e presidente deste tribunal, farei
quant) era mim couber para appliear devidamen-
te ild a< vossas de^isSas, respeitaado as formu-
las Jo process ),'pois que estas, como bem'diase Mr.
-.tro=ne, siu as guardas da lei, porqoe garanlem
ijusticadoi julgamentos conira a leviindade do
epinto bumano.
.I Pr,;urarei manter e fazer manter a ordem e
bberdaue qua deve preeder e saecedor ajnossa
aeliDer.icoes, sem furtar me nuuea a prestar-vos
os esclareeinvntos qne forem necessarios para
que a verdade seja sjjnen'.e o pharol de voseas
eonsciencias.
. Entretanto peco e espero que me ajudeis quir
neste recinto quer f.ira delie, no enpeaho que
tenho de distnbuir justica a todos.
Sim, perque para o magistrado maiebar com
iseguranra em eua diUleil carreira, necessita do
auxilio dos homens, assim eomo de conheee-lo
|a3 que sem aquelle auxilio e este eonheeimento',
como disseMr. Bergasse, a sabedoria delle seria
va, sna sciencia nao serveria serao para perlur-
ba lo, e os reciirsos que buscasso em sua rhe-
nioria, nao Ihe ofTerecena setao precadQiaes des-
grapadae contra o crime qae escapasse asuaap-
phcacSo ou a inaoceacias que se recasasse a sua
severidada. l
riSSmOiZ re,l*lo*- Na-corresponden-1
Wo,W-MO:"----r* -Jornal d0 Commercial
Auslria :
na tjqmara doa iaepmad*.s da Awtrja tor.jO-.n*
r nsineravot liijioria, e.Mei-Ihe'iambein urn re-
sum.) d i oisootso do uiinistro dos" cilt >s. 'O im
paradkV telegraphou de. PeJft que aiiprovavaosso
discurso.
Os bispos'calholicos, aflm de se prepararera
para nppOr toda a resistencia a camsra alia, reu-
niram se em conselho, cm Vienna, c h ije o prin-
cipe-bispo de Seckaadeve dirigir se a uma reu-
ntAo geral delodos os caiholicos. NJo (aliara por
certo abundanto assumpto para eloquentes deda
macoes e sombrias previsSes do futuro pelo re-
eenie prooedimento da Prussia..
En Monster e Treves tern havido algnas
disturbios populares; n-ste ultimo lugar foram
lBolivados pela prisao do biapo e o feehameuto obri-
ga-lo do sea se ninirio pela polioia ; em Munster,
pela tomada da raobilia do palacio episcopal, qne
foi posta em hasia publiea para com seu prodaclo
pagaram se as maltas em que incorreu o bispo
pela desobedieacia as kis. Nem Wo pouco hSo
de os prclados auslriacos deixar passar desaper-
cebidas as medidaa awda mais repressivas ulti-
mamente adoptadas, a iasUBcias do principe Bis-
mark, pelo cnnselho federal em Berlim, medidas
muito mais severas do que as leis de maio pas-
sado. Estas ultimas leis estabelecem que, todo
ecclesiastico (inclusive os bispos) deposto ou re-
prehendido pelos novos tribunaes da igreja, po-
dera ser privado do seu< direitos civis e emquaoto
pander a decisao do processo, podera sor Tn-
ternado pela pidicia para qualquer lugar que
essolber. E a nealium ecclesiastico banido ou
privado deseus direitos civi-< no proprio e-tido s-a
permittira residir ou adquirir direitos civis em
outro qualquer estado do imperio allemao, sem
a expressa sanc.io do conselho federal.
Por este modo, pois, pormaaente para expuba) de qualquer ou de to-
dos os bispos allemaes, a na) nos admiraria me
os seus co irmaos epfscopaes da Austria se assns-
tam apenas com a sombra da urn pr.jecto de
legislaeio, quanJo se propuzer qae lhes seja ella
applicada. t
Iniprensa. Eis o que diz o Mono do
Rio, de 22 do passado, acerca da intlaencia da
impransa nos Estados Unidos da America do
None:
E' forcoso reconhecer a benefica infiuencia
que exerce nos Estados-Uaidos a impren-a sobre
iodos os particulars que dizem respeito a admi
nistracao publiea. No meio das maiores ca'arai-
Jades procura ella sempre prestar o seu valioso
auxilio, e a sua voz 6 sempre ouvida com proveito
para a causa do povo; o estado de miseria a que
tern cliegado milhares de individuos pela falt.^ de
Irabalho, teria certaraente priduzido trislissimos
resaltados, se os jornaes nao tumassem "a si a
missai) de appellar para a generosidade da gen e
dbastada, e, o que e mai, encarregarem se de
receber tud>> o que pode servir para suavisar a
orte dos infelizes, fasen 'o distribuir os soccorros
e prucurandi me-'mo na sua moraJi aquellas fa-
milias quo por vergon a nao ousam ir receber
a sopa economica no3 ertabelecimentosque publi
eameate a distribnem.
Disseraos na uliima revista que o Herald
mintinha por sua conta alguns daquelles es'.a-
belecimentos; pois nos meado* de marco nao so
aqueila folha conlinuava a prestar esse humano
benelcio, como nomeara u.n commissii) de seus
empp'gad s para ir levar o sMJwiro a casa das
famiiias, qui sabia acharem-se vivendo na mi-
se.ia.
a De-[iprladis por esse ineentivo todas as clas-i
ses da sociedade tenn imitado o exemplo, e a
grandioso o digno da louvor a juelle espectacalo
em que tolas os habilantes de ama eidade, ja nao
so oi abastados, coma os menos favorecidos da
forluna, procuram reparbr com os infelizes os
seus parcos recursos, o isto niio somente em
Ni-w York, como em todas as cidades populosas
ouJe a uiiseria porseguia a popularao.
Aliin disto a imprensa procurava animar 03
fabricani.s a entrar em um accordo, aflm de se
proporcioaar Irabalho aos operarins, embora se
lhes desse um salario menor, emquanto as cir-
cum.-tiricias nao mellioravam.
Este conselho fcira lambem seguil), e ja al-
gumas reunites liaham tido lugar, resoWendo-se
em uma, que os opcrarios aceitariam dons t^rcos
da salario esiipulado para o seu trabalha, ate que
os inter-.-sses pjrmittessera colloca los no sea anti-
go pe.
Calculava se o numero de homens e mulhe-
res reduzidos a e;ta miseria nos diversos estalos
em mais de 100,000.
Fiaaneas. Sobre o regimen ftn.ineeiro dos
Estadis Unidos eis o que cscreva um correspon
dente de yew- York para o Jornal do Commemo,
do Rio :
0 ultimo balanced da difida nacional, publi-
cado pelo'thesouro, moslra que no mez proximo
passado houve uma dimiauigi) do 2,390,030 dol-
lars,, mas que desde o comeoo dp anm auaaceir^
houve o augmento de 7,060,0')3 dollars.
No 1" do corrente havta' "em circulagao. 382
miUioes era notas do thesOtm, e par r-onsegainte
ve" se que dos ii milhoes retirados ha annas pelo
raiaistro Moccullogh, o governo tem remettido na-
da menus de 20 milh5es. No mesmo dia havia em
caixa no tiiesouro 8j l|2 milhoes em numerr.rio,
mas ja neste mez tenho visto aonua?iadas tres
veudas de ouro pelo sub-thesauro de Nova-York,
venlas feitas sem duvidi para se fazer face as
despezas correntes, pois, na princlpio da mez so
havia em caixa ni tliesouro um pouft) menu de
quatro milhSes de dollars.
0 congresso por ora nao deeidio cousa algu-
ma acerca do limlte da circulacva fiduciaria, se
deve ser os 336 milhoes autorisados por lei ou os
V00 milliees que sao reclamados pelo ministro da
fazeada. Aaezar Je que a sc.-sao aciaal tem sido
mui arida, n.lo e passivel que sa encerredeixanlo
iniecis.a a questao, se o ministro da fazenda pole
on nao a sua vonlade expedir ou contrahir o meio
circulante no limite de ii milhoes.
a Nao ha quasi duvida algama que nao se con-
si'iinri qae continue a exercer tio perigiisa attri-
bute* >, caja existencia ja tem eausado e vai cit;-
sando tantas males. Na verJade, o oommercio da
primavera tem ostado muito fronxo exactamente
Qaal.o.nwlhor men do simplili.; -r e-te stftf-
av tlar>e1ro.B coil oca lo em bases soiidas lio
^fu le problema para o qual o a :uiai cangr'osso
toichainiido aestudar, mas qu= ale agora nao tjrii
Uiidiilu fazer.
Aurora Brasilcira. -Lemos nesse jornal,
orgao dos estudantes br.isileiros em Cornell (Una
ca) Mew-York : "an
a Mais (ii\uileiros Cbegarafc pelo ultimo pa-
quete os segabiles Srs.: JuAo Alberto de Salles e
Joaquim Augusto de Campos Salles, com dastino a
matrioula na uuiversldade desla eidade, Diogo Pu-
po Nogueira e Jose BoSalfacio de Camargo Pentea-
do a de Pennsylvania, em Philadelphia, e Antonio
PeiKeado e Luij Antonio de Snueira. viaiant< A
lueira, viajantes. A
excepcao do ultimo qae peraarabueano, os outros
sao paulistas. i
t U*iao Scientific* Srasileira. Sob esta deao-
minacao fundaram os e^tudantes brasileiros em
Uctblehem, estado de Penusylvania, uma assoeia-
cao_ liiteraria, *eado eleitos para presidente o Sr.
maraes.
J. da Gama Mal^ier c seereUrio o Sr. 1. C. Gui-
t Tulerprete dos sentiinenlos do3 brasileiros que
estudam em Ithaca, a Aurora congratulate com a
Uniuo Scientiflca e envia Ihe uma enthusiastica
sauda-.ao.
Foram on\1dados para membros effectivos os
brasileiros e.-tuianto< em Ciruell os Srs, Pacheco
Jordao, Q iciroz Tcllei Netto, Viei a Bueno e Sou-
za Harros
a Ur. G. Ellis. Reeebeu o grao de doator em
medicina pela universidadu de Pennsylvania cm
Philadelphia e regressiu ao Brasil e.n mar.;o pro-
ximo passado, este distjneto joven nalural de 5.
Paulo. Ao gra luar se recebea dos sen mestres
uma meneao honro-a o i|ue dos poupa rcpetir o
quauto fez o laborioso patricio. Saudamos a S.
Paulo que vai tor no Dr. Ellis, mais am meJico
mleli'-'eii!- e consciencioso.
a Vapmes para o Branl. Acabam de sahir da
ca-a dos Srs Hartupee & C, em Pittsburgh, dmis
vapores de ferro para a compauhi.a de navegacao
a vapor do Rio de fanciro, que os encoaimendoU.
Devem ser armados depois de chegarera a Buenos-
Ayres ; para os iransportar sio precisos 1,200 cai-
xoes, pesandao men or dos vapores com madiiuis-
mo completo 13,000 libras e medindo 90 pes de
lomprimonta e outro 120.
Curso de cngeaherii civil. Em fevereiro do
corrente anno, o professor Estevao A. Fuertes, di-
rector do curso de engenh sria em Cornell, con-
ialtod a Sociedade Aaiericana de Eageuheiros
Civis qual o verdadeiroj curso de instrucjao a
alojitar-se em CoUegios e acadamiasqie preparam
estudantes em engenh.eria civil.
Fui nameada uma cominisjSo composta do
pruf-ssor De Volson Wood, Mi. Charles Macdonald
e professor George W. Plympton para dar seu pa
racer
E' de espsrar quo de engenheiros tao eminen-
tes nos Estados-Uuidos provenham suggestocs,
que completem era tido o sentido o carso de en-
genberia em C rnell; pois julgamas essas as vis-
tas do professor Fuertes.
Imporlante estud >.Varia, comosesabe, com
cada paiz o maior ou menor desenvulvimento da
crcanca e mnit obscura esla ainda geralmente a
que.-tao de idale em que deva ir para a escola.
0 Dr. R. Sullivan, por longos annos inspector
medico da escolas publieas, comocou a nol^r que
as creanjas do menos de sele annos. em vez de
aproveitarem com a vi.la escjla3tica, iam-se aca-
n!ianda physicamente e raras vezes aprendiam al-
guma cousa.
* Dep-jis de serio esludo sobre este assumpta im-
portantissimo para qualquer paiz, disse o Dr. Sul-
livan, em cjufereneia na escoia de medicina de
New Y'jrk, que a pressa que teem os pais em man
dar os (il!io3 para a escola muito c-do da em re-
sultaao negativo; que 03 exercicios mentaes em
vez de desenvolverem a inieiligencia embotara-na
'ne.-sa idade, que lirialmenie a vida escolaslica aca-
n!ia seusivelinente o phyico da creanca.
a Xova loc motica. Acaba de sahir da of&Vina
dos Srs. Lalferty 4 Irmaos, em Gloucester, New-
Jersey, uaia locomoiiva que deve percorrer um so
trilho, consiruida para uma estrada de ferro de
rua em Atlanta, Georgia, na altura de 12 pes aci
/na lo passeio. P61e-se chama la pn priamente
valocipcde a vapor, pois que asseata-se sobre duas
rodas uma alraz da outra. 0 trilho denominado -
prismoide, compde-se da pranhas sobrepostas
umas ua> uulras e arranjadas a maneira de uma
quilha de um navio invertida, com um trilho pia-
no no apice. Na priineira experiencia altingio a
locoaiutiva a velocidado de 12 millias por hora e
Mr. E. Crow, seu inventor, a-segura velocidade
dupla em via de maior extensao e diz que sua in-
veng.ao deraonstra forca de traccao superior a tudo
quo dii respeito a locomoiiva de igual peso. Uma
par causa da indecisaa do que fara o congresso,
e toda a deinara nao pode d-ixar de ser maito
prejudicial a sens interesses.
Uma das eommissoes do ongessa esta agora
a prouder a um inquerito sabre as ne:?sidades
do meio circulante. Ha dias foi ouviJa a opioilo
da um baaqaeiro notavel dosta eidade, o Sr. Buell,
pres dente do Importers .Vicion U Bink E'le de-
clarou que a proporcao de pipr-l-mo-da para os
cheiaes, letras de cambio, etc., em rirculacao, e
tae d'iminata em Nova Yirk, que poaca gente po-
dera later idea. Afurnesta cilade, disse ella.
empregamo3 samenie cinco por cento de papel do
governo ; nas cidales d > Interior, dez por cenle ;
nas villas, de quinze a vinte e cinco. e aos distrie-
tos ruraes cerca de cincoenta por cento. Assim,
accrescenta elle, e da mais alta convenlen"ia niio
marear-se um total flxo de circulacSo, pois, cada
pane do paiz toma na proporcao da saas nacessi-
dades : o que o paiz preeisa e am systems de Ii
berdaJe bancaria que off-reca garantias do reiga-
te das no:as, quando nao I Jem' precis as.
o 0 congresso por ora nada tem legislado a esta
respeito, como ja disse, e, entretanto, ainda coati-
nm a mesma eonfusao financeira, com dilfercntes
qaalidades e padroes de meios circulantes. Hi
duas circulates de papel neste paiz : as green
oaks ou notas do thesouro, com que sia pagaveis
todas as dividas, partienlares e publieas, exeepto
somente os juros da divida publiea e os direitos
de imporiacao, e as nous dos bancos nacionaes
que sao boas para todas as transacts, exeepto
o pagamento da divida publiea, cs direitos de im
portacao e o resgaie das notas nacionaes. Em ter-
ceiro lugar ha cs raetaes, qae hije estao pratiea-
mente desmoedados, mas que sao o unico mei a
porjuese podem pagar os direitos de importagao
os joros da divida publiea, as contas cam casas
europeas e em geral e?tr0ngeiras-, e as conus da
California, gue em materia de financas nao esta
sob o regimen completo da Uniao, a que per-
tence.
a Ern caixa do thesoaro federal e nos bancos
ere se que ha a somma de 140 milhoes ou 280,000
eoiMos de meiae* preciosos : de greenbaks in-
c.luiado a reemissao de pane da (impropriamente)
porque, 03
ouaca na
=ogainte sobre b cbnmcto religloso n
Ja dissa ao leilor de minha oltima carla enm*
os project das leis eccle/asticas Eiara JassS
chamada rtterva, existe attualtnente em circu'a-
cao a s.imma de 380 milhdes, eomo ja disse ; Ii
nalmente de notas de baocos nacionaes ha a som
ma de 33i milhoes ou serea de 700,000 eontos em
cireulacao. Total 87i milhoes, afdra cerea de 43
milhoes de notas miudas qua, n5o sei
balancetes do thesouro nao ioclaem
somma das greenbaki. '
Com este meio clreulante tio &licada, ad-
mira que nao haja mais desastres commereiaes flo
aue tem havido. Notem os leitores qUe nenhama
Jas notas e pagavel em otirf 0 g'vern? desa-
redila as soasmesmas aotac, recusandd-se rece-
be-las em pagamento'de cerjas dividas dos seusci-
dadao? e liabKintes. A% greenbaks dizem na fren-
le: e 0 governo dos Estados-Unido's pagara ao
porlador-dollar?, e nao ha pomdor que, re-
clamando a sua impor'ancia dotheiopo, a'possa
yeceber, ao passo qae nas ajfandegas e'xige-se o'

anlagens do systema prismoide e ser seu cUs-
to de 3,000 dollar* por coiiiin, cortstruid) cam base
de li pollegadas e angulos de iO graos.
Armada brasilcira. Do Ear pcan
Muit, de 9 de abril ultimo, traduzimos o seguinle :
A. n>ile de peior tempo que temos tido no
presonta inverno, foi sem duvida a d \ 2 d > cor-
reate, qitanlo fomos aQ>utados pelo mais rijo ven-
to sueste, com todas suas conse juencias da mar
eavadissimo, arrebenta^oes, etc, etc.
A's 7 haras da noile, pouco mais ou menos,
chegou um guarda-costas, communieando qne,
cerca de uma milbh distante da praia de Lulw,.nh,
achavase um grande vapor, que so suppunba
estar fundealo por algum desarranjo na ma-
c'aina.
t I.nmediataraente apos a chegada do guarda
costas, apromptou-se o rebocador Commod-jre, c
seguia para o lugar levando a reboque o salva-vi-
das Agnes-Harriet. Logo quo se approximaram,
reconneceu se a impossibilidado de soccorrer o
vapar, nao sd pela sua ma collocacao, eomo por
causa do mao tempo que fazia e de nao serem
vistos a bordo d'aquelle vapor sigaaes de prompto
socorro, pla qae resolveuse esperar que o tem-
po clareasse.
Quando estavam nesse proposito, o vapor
Aquila, capita) Falle, um das vapores que nave-
gava as ilha.s do Canal, qae linha chegado poueas
horaa antes, descarregou a maior pane da carga,
a s-'guio para o lugar em que estava o vapor es-
trangeira em perigo, e, descobrindo-o com dous
pharo's accesoa. reconh^cea achar-se elle 3,'i de
raillia diitante de uma praia perigossima, em face
do Lalw 'rtii Cove* fuudeado a duas amarras, para
resistir ao embate do mar, que era horrivel.
a Ap6s luta perigosa e difflcilima, p6de o
Aqaila, passar os cabos de reboque ao vapor em
perigo, nio sem ver por duas vezes partidos os
cabos, e recomecaram o trabalho, que durou ate i
horas da manna, quando foi elle rebocado a con-
duzido a fuadear dentro de Portland-Harbour, no
aicaralouro dos navios de estado.
Alii chegado, verificoa-se ser dito vapor o
Madeira, bonito navio, de cerca de 1,100 tonela-
uas, perteacente ao governo brasileiro, o qual
funleara por ter soffri lo desarranjo aa machina.
E' um navio inteiramente novy, qae ia de
Londres para o Rio de Janeiro.
Sao digaos de encomios o Sr. James Nobbs, ge-
rer.:e da campanhia Vfeymouth and ChanwlIsland,
o capitao Falle e a tripolac,ao do Aqaila, pela
proraptidao por que acudiram aa Madeira, espe-
cialmente com o horrivel tempo que fazia.
Proela-mas. Foram lidos na igreja do Ro-1
sario, que serve de matriz da freguezia de Santo
Antonio, na quinta-feira li de maio, os seauni-
4es:
1.' denunciacao.
Augusto Castro Moateiro, com Maria Siqueira
Castro Monteiro.
Major Guilhermino Paes Barreto, com Marcolioa
Guilhermina de Souza Cauro
Martiniano Isidoro da Trindade, com Clorinda
'.arolina Guede3.
Manoel Martins Gomes, com Maria Jose de Jesns
s-.-oreira.
Raphael Araujo Rodrigues e Silva, com Candida
Bernardina Evangelista.
Augusto Francisco dos Reis, com Guilhermina
da ".onceicao Bast>.
S=miao Joaquim d.' Oliveira, africano livre,
com Hermina Maria dos Prazeres.
i.' denunciacao.
Manoel Virginio da Gama, com Joaiaina Theo-.
dora d-i Sam'Anna.
3." deniiiiciagao.
Hwmes Dias Feruandos, com Can*da Maria da
Cuulia Fernandcs.
Vtaaoi-I liomaaldo Paplista, com ilisliberta Olin-
d na da Cunha Moreno.
Joaquim Paulino Niceas Muuii, com Hermina
do Hugo Costa.
Alferas Domingos lose Ferreira, com Amalia
Avelina Maciel da Silva.
Juao Domingues da Silva Pint a Guimaraes,
com Ignez do Rego Barros Guimaraes.
Alexaadrtno Luiz de Farias, com Felismina Ma-
ria dos Prareres.
Guillierae Rodrigues da Fonceca, com Amelia
Lina de Barros Pinto.
Later!a -A que se acha a venda e a 100."
a benoficio da igreja do Terco da Reiile, que cor-
re no dia 21.
Leilau. Hoje, 13, effcliia o agente Pinto, na
rna de Santo Amaro n. 42, o leilao de bdhares e
suas pertencas mesa e mais perlencas de ama ?a-
la de bilhar. _
Amanha, 16, eff-ctuara, no armazem da rua
do Bom Jasus u. 20, o da carteiras graudes e pe-
quenas, mesa com prensa para copiar cartas, me-
sas grandes, prateleiras, taboas de louro, uma hur-
ra, pr'ova de fogo, repartimento para escriptorio,
a muitos outros moveis, e tambem 36 balas de pa-
pel de embrulho, com avaria d'agua salgada.
Casa de deteapao.Mavimenlo da casa
Je detenpao do dia 12 de maio de 1874.
Exisliam presos 332, eniraram 2, sahiram 6,
exis-.e.n 328.
A saber :
Nacionaes 2">2, mulheres 9, e=.traageiro3 23,
escravos 38, escravas I. Total 328.
Alimentados a casta des cofres publicos 263.
Movimento da eufarmaria no dia.12 de maio de
1874.
Tiveram baixa :
Laizde Lima Franca; anemia.
Jose Lopes de Oliveira ; indigestao.
Teve alta :
Juvino Nunes da Silva.
Pasgaffeiros. Vindos da Eur>pa no vapor
am ricmo Mcrrimack, cntrado no dia li d > cor-
rente :
Josue Hirbs, Gustavo Mermendo, Maxima Ta-
borde, S, P. Casimir, \V. Campbell e Thomaz
Davis.
Vindos do Ceara e escalas na vapor Cururipe,
no dia acima:
Maaoel Tavares de Figueiredo, sua senhora e
um filho, Manoel B. de Mendonea, Miguel Pedro
Fie, Lioo L. Regalo Braga, Candida A. do Sacra-
mento, Jesuino Machado M. Braga, Francisco C.
do Andrade, Paulo M. do Espiriio Santo, Dr.
Octaviano da Rocha, D. J. da Silva, Pedro G meal-
va de I., Joaquim Ferreira Diniz, Mau.el Fran-
cisco Dnraes, J. J. D do Rego Junior, Sidronio 0.
Barges da Fonceca, Benedicto D.', II. C. Mangeri-
clo Junior, e uma escrava.
Vmdo do Aracaju no vapor Ipjuca :
Antonio Maaoel de C. Branaao.
Sahidos para os portjs do sul no vapor
americano Merrimtck :
E. F. de Almeida Albuquerque, sua senhora e
um lilho, F. Keller, JJ. Raffard, Ociaviana da Ro
cha, Baraa de Aracagy e um cria lo e Oliveira
Campos
Sahidos para o Aracaty no hiate Deus te
guarde:
Joaquim Lourenco Sonza, Eugenio It. Ferreira,
e sua senh ira, Alfreio F. de Maura, Jos6 V. M.
Porto, Joao Marques, Antonio D. C de Mendoaga,
Joao Antonio Ccrreia e Manoel G. de Amorim.
Ceiuiterio publico. Obiluario do dia 10
de maio de 187i :
Francisco, pardo, Pernambuco, 13 mazes, Graca ;
anazarca.
Maria Fiancisca da Cooceicao, branca, Pernam-
buco, 20 annos, casada, Boa-Vista ; phlysica
palmonar.
Joanna Maria da ConceicSo, parda, Pernarabaco,
16 annos, solteira, Boi-Vista ; tubereulos pul-
monares.
J anna, preta, Peraambuc >, 1 anno, Boa-Vista ;
convulsSes.
Geraldo Thomaz de Aquino, pardo, Ternambuco,
32 annos, solteiro, B6a-Vista ; congestao ce-
rebral.
Maria, parJa, Pernambaco, 3 dias, Recife, te-
(ano.
Dlonisio. preto, escravo, Peruambuco, 2i annos,
B0.i-Vista; diarrhea.
11
Pedro, pardo, 43 annos, B6a-Visti; canvalsoes.
Laarindo, pardo, Ceara, 19 annos, solteiro, B6a-
Visla ; variolas confluentcs.
Severino Francisco da Silva.' Pao d'Alho. 43 an-.
nos, easado, Rraa-Vista ; marasmo.
Lulza, "preta, Pernambuc, iO annos, solteira, Boa-
Vista ; variolas.
Maria Jose do Saerarrento, branca, 7o annas, viu-
va, S. Jose ; tumor no venlrj.
Maria, parda, Pernambuco, 1 anno, !\cife ; con-
vulsSes.
Brigida, parda, escrava, Pernambuco, 40 annos,
solleira, S. Jose ; febre biliosa.
Antonio, branco, Pernambuco, 2 mezes, S. Jose ;
espasmo.
Antmio, branco, Pernambuco, 1 aano, Recife ; fe-
bre peroiciosa.
Ignez Merencia Carneiro Lins, branca, Pernam-
buco, 20 annos, solteira, S. Jose; erysipela re-
colbida.
- 12 -
Isabel Maria do Espirito Santo, parJa, casada, S.
Jose ;' tubereulos pulmonare3.
Clara Maria do Espirito Santo; parda, Pernambu-
co, 33 annos, solteira, Graca ; tubereulos.
Luiza Maria Francisca do Nascimento, parda, Per-
nambuco, 30 annos, solteira, S. Jose ; pneumo-
nia suppurante.
Qumtiliano dos Santos, preto, Pernambuca, 70 an-
nos, solteiro, B5a- Vista, hospital Pedro II; pe-
ritonite.
Paula Maria da Conceicio ; mandada pela poiicia
da Magdalena.
Manoel, recem-nascido, Afogados, ao nas-er.
Jose Severino Soares da Silva, branco, Pernambu-
co, 18 annos, solteiro, Boa-Visia, hospital Pedro
II ; erysipela gangrenosa.
Jose Goncalves da PaixSo, branco, Rio Grande do
Norte, 40 annos, solteiro, BOa-Vista, haspital
Pedro II, phtysica pulmonar.
Pedro Jose dos Reis, pardo, Pernambuco, 33 an-
nos, soltriro.Graja; tumor maligno.
Maria, parda,' Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista ;
convuisoes.
Vicetcia Maria da Conceigao, parda, Pernambuco,
30 annos, casada, graca ; asthma.
Gaspar, pardo, Pernambuco, 2 mezes, S. Jose ;
fraqueza coDgenita.
Jose Alves Fernandes, branco, ignora-se a natu-
ralidade, 42 annos, casado, S. Pedro Martyr ;
febre perniciosa.
W Mamct Maria Viera*ianr e CasJmiro Je-e
d; Fiviias GuimarSe^, saiis'uendo n pi racer do
Sr. desembargader.flseal para ser regiaralo o sea
Contrail.Proeeda-se ao rc^i-lrj jiedil) na fu ma
do deereto n. 4,39i-
liif.priiiarao da sccretarki, favuravel a pretenciiu
da compaahia de seguros transatlantica de Ham
burgo, que requereu o registro dos seus e.'tatutos.
Elfectue se o registro na forma pedida.
Nada mais havendo a despachar, S. Exc. o Sr.
conseiheiro presidente eacerrou a sestio as
11 e nieia boras do dia.
PjJBi^lflCA
PARTIDO COftSERV.lDOR
RECIFE. \o DE MAIO DE 1874.
As apreciacoes apaixonadas da Protincia, prin-
Salmente no qae toca a administracio do Exm.
r. Pereira de Lucena, realisam aquillo de Hobbes :
/' Uoinine ett le louu de t komme. b
Os partidos teem tudo a ganiiar pela verdade.
Os homens da Provincia, jorem, entendem de ou-
tro modo -querem tudo ganhar p-!a mentira edc
tractaclo. E Mssa via de conducta que se traca-
r .m, elles avaV^tm ousados, nao conhecam obsta
eul)5 que lhes embarguem o passo: fugio Ihe o
pudorI
A mentira, a injastica e t >rreno safaro onle na
da se colhc aein se edilica de solido e estavcl.
Os procinaanos descunhecem tudo isto, e vao
aminho a liante.
A hberdade e diuturnamente dilacerala pelas
haaos dos seus falsos apostolos da Provincia. Em
ez da prepararem o campo para as grandes ideas,
sterilisam-no. Ndo imitam as charruas que fe-
undam a terra, sim as que corlani as Mm :
Parpereus veluli cam /los succisus aralro />i-
^ue-dt marie us.
E havera nisso exageragao '
Vejamos.
Nao ha am so dos grandes meiboramentos ini-
<|ados pelo illnsire peraambucano que actualmenle
- irige os de-tiuos dosta provincia, que nao seja
leliido a riJiculo pelos praiensis Uberats probin-
t ianns.
Ahi estiio o Asjlo de alienadis e a Culonui Isa-
tiel, monumontos qua attestam o patriotism.) do seu
i lieiador, a servirem da thema as diatribes intul-
sps e as mi is affrontosa provocacoes a a bom sen-
s(a, por parte da genie da Provincia.
| Larva* qae detestara a luz !
I Quern melhor qae o Ex:n. Sr Henrique Pereira
i e Lucena tem compreheudiJo qae as funcoi -s
I ublica* nao ha> distinc.-S.-s, nem priviUgios: -im
i everes ?
Conteste-o muito embora a Proiinria que faz
i mbra em diminuir de sum av.iutajad.i- propr-
oes da nobreza loios os actos da illusire e patrio-
i ca administracao do Exm. Sr. Lucena.
Se o illustre admiaistrador nio tivesse posto am
Helevo o seu patrioi-rao por uma imaiensiJada da
ctos que tanto n-'bilitam a sua administracai, m
i ous graudiosos melhoram nlos por elle iniciados
-Asyto de ulienaioi Coloma Isabel seriam La-
anles para ete T.isar o seu uome na memoria los
OB* pernamhucanos.
Com elf-ilo ; proporci >nar a grande nuiiuro de
ifelizis que perderam a ratio, d"m preciosissimo.
i in asylo commodo e onde, talvaz, possam achar
I mitivo para os seas males, e am tenlamen qua en
i obrece e exalta a quern quer que o empreh- nde
t raali'a.
Qnem ja teve occasiao da visiiar o actual hos-
i icio de alienado', e.n Olindi, sante se transport i-
(o a uma regiao desconhecid.t de salisfacao iu'.ima,
iendo que, aesforcos doln:ansavel administrador,
|iielles infelizes que all: vivem encarcerados como
f iras, vio melhorar de 9orte e ser tratados com
I umanidade.
0 ra ido honroso e saiisfactorio, apazar da crise
I nanceira que imos airaves-ando, porque foi cor-
r'spmdido o appello feito por S Exc. assenti-
itentos dc caridada d's seas c-: mprovincianos, at
Ustain de mod) inconlestavel o alto conceilo e as
a|Tic |A sub'cripcai aherta para a c >n trnccio do
afiylo de alienados sobe a mais de seiscenlos coi-
IM de reis.
E' i>ti, sem duvida, un documento irrecusavel
dia alto pre-tigio e consideraeao que rodeiam a ca-
dt-ira preslden-ial dignamente occupada pelo Exm.
S>r. Dr. H. do Lucena.
j E o sen espiriio ousado e emprehendednr nio
sibe recuar em presenc i das dilQcnldades de occa-
siao. Animao a mais profunda e grave convic-
c o do quanto pode o horaem qae inspira-se de
p iiri itisino a devotacio pela cansa publiea.
I'm.i-c'iiia:ii i de luz dlvma lliumlnou Iho um
a a fronte, e elle pen-ou em preparar o future de
felizes meninos.
Todc3 os crimes do homem tem b seu princi-
o na vagabundagem da crianca.
S. Exc. nao podia esqaecer Uo esplendida ver-
dade.
De logo projectou melhorar a sorte d is infelizes
rrleninos que sao recolhilos ao collegio deorphaos
a Coloniu Isabel, onde o orphao vai desenvolver
si as aptidoes naturaes para a inlustria, artes e
ricuitura, sera em pouo uma esplenlida rea-
li lade.
Preparar o homem para a terra e a terra
bra o homem e sem du >ida intuito nobilissimo
I te nao poJerra escapar ao acrysolado civismo do
ustre parnambacano.
A lavoura, fonte principal de nossa riqueza, bem
ra o iniciador de tao grande ineentivo para a sua
osperidade e incremento.
Ainda desta vez vio 0 Exm. Sr. Pereira de Lu-
fcna coroados os seus nobres eft>rcos da mais !i-
| r
Cambio Sf*re tsyn9m t *) djv 13 l|i d
ilm, hnifm.
i suhrfoRn latira a 13 d|. r*'
h nrem e U'>j.
it. ic TiMMN
Preridwii
A P. *> Lemm
ALPAMiROA
Keadimanto ao 4is I a It. .
dtm do Ju 13 .
332 .tl-
373 l7*IH7
Descarrefam bua 15 de maio 4e l7
Patacbo allemio Sicolam$ nxrradnria* para
alfandeya.
Barca inglfU/ay.fa-msrcadoria-i para ^Ifai-
dega.
Brigue naciooa Isubrlgeneros naci<-ue nra
o trapiche Uaotas.
Patacho americano-W'i/t W/r/A -brialu jj >
pachada para o 3* pnato,
Patacho allemao EUse fannha ja i:apiri
para o eaes d Apolln
Barca franceza Samti A Ure trlha- e iij
para o trapiche Cnaceicao, para i
char.
Brigue portugaezSiherauo -vinho, a>ri:e < -
nagre para deposit a no ir*p-he Barb--a
Vapor americano Merrim irk -(>-;(-rioVn rr
g. neros para aifand-ga
Import :tr*a.
Brigue national IstUI, entrado do li
neiro em 12 do corrente e con-ignil i a Ai
Luiz d'Oliveira Azeved >, nu f---toa .
Itarricas vasia* l.(*lt a M irtins ^ \r ,-
dH.s meias e 33 46 a Antonio Joao Fartado C
Cafe iOOsaccos aoc n-ignatari *.'"i a T-r. a
des da C-sti A :., 213 a Joaquim J-rv Lf-Ju A
C, 103 a Ricardo Jos.'- J m-s da I. iz a :., | -
Labre A Kcis, 100 a J ai M. d i Ho a Filba*.
100 a Autoiiio FranciMjj Oarga. 100 a
lose da Costa Le:t.\ 8H a J. 1 I; -Ir .-..
30 a Thomaz A. F 'ii vn s ,.- .. ..
lino Jose C Amarim A C, '-'*\ a Fraca ,\
50 a Magalhaes & Irrnio, 5-j a Martins ,\
40 a J. J. Alves A C, 2** a I jrl.-o A V*r-in
a Jose Rodrigues de Faria, 30 a Vaff^Piiirs R#t -
A C, 23 a oriein, 22 a 1) .iningos J ;
Cruz, I a Francisco Martins E>lees.
Ciaqu.iin i-,- \ \
l-'eijii I saoco a Francisco M B4nw
Ladriliio la caixa? a Maao-I Bast>s l\br*:
Lima.
Viaagre Wpini a !-: B R.bello A C
2 pipas e 31 caixas a E. It Kabelle k C.
BXPORTACAO
NO DIA '

-
Octaviano Augusto de Figueiredo, com Joaquina
Flora Veiga.
Emygdio Celestino de Moraes, com Joscpha de
Lima.
Joao Pereira da Silva, com Petronilla Soares de
Brito.
George Canoll, com Clara Carolina da Fon-
ceca.
Dr. Joao Au*>i-to do Rego Barros, com Beoeroe-
nta da Silveira Lius:
Agostinhu Luiz AUe* de Brito, com Pelronilla
M-irla da Alba jub.-ijiw JfMo.
Joi-j Leopoldino d) Riga, eorn Maria Crispiniana
Ribeiro.
Antoni.) Jose da Mesjulta, com Alaxandrina
Maria da Conceicio.
/aoob Antonio Vieira, com Rosa IgmMa Fran-
cisca Pereira.
CHRONIC A JIlHflilEIL
Tribunal ACTA DA SESSAO DE 11 DE MAIO DE
1874.
PRESIDENCY DO EXM. Sit. CGNSELHBIHO ANSELMC
FRANCISCO PERETTI.
A's 10 horas da manha, preseutes os Srs. de-
putados, seereUrio Olinto Bastos e Alves Guerra e
supplente Sa Leitao, S. Exc. o Sr. conseiheiro pre-
sidente abrio a ssesao, deixrndo de comparecer
sem causa participada o Sr. daputado Lopes Ma-
chado.
s ingeira animacao para novos e mais arrojados
mimeltimentos.
0 g veroo imperial nao podia deixar de exhibir
ulna prova de consideraeao e reconhecimento ao
s a preclaro delegado.
E, nao demorou-?e em da la, auxiliando-o :om
quantia de 13:000*000.
A Provincia sente se hnmilbada em vista de la-
manha distinccao, e procura marear o brilho da
a Iminblracao do Exm. Sr. Lucena pela mentira e
d^tractacSo.
Mas nao arrcfecera nunca o patriotismo do il-
liistrado pernambucano-as maldi;5e- da Prorin
da sao daquel as que os beoe abencoam.
J Deus tem sempre recompeosa para c merito e
vonudes.
D spa:hos DE
M VI J DK ItTi.
Para os p>rtos 4o exterior.
No brigue hwi Intirpide Cmrse. [
verpool, carre.na : S. Bi "tiers A I tin
om 11,100 iilos de asucar ma-eaval
Na barca prtajgneza Alefrim, para Uek-m.
carr giu : L IS. Gann:.raa* 303 aacc-M e-ci
37,300 kilos da --ucir bronco ; V. Via*** k <~
I barrica cam 127 dilos de dito e I dila em
ditos da dita masavado.
Ra barca p >rtnga za .V re Sitem-m. para
Lisbon, carregou : F. M. II taleiro T+rs I
I santuario.
No palach) p ariugues kd-tior. para o P >r:
carregon : F. R PirHo Guimaraes W-l s.- -
20,473 kilos de assucar braaca e 44 oil -
3,300 dilos de dito mascavadn.
No brigae por.a^.-z I'Mete, p*ra
Pratt, carragoa : J E. ItiUiro 3 ban ea-n
2,403 lilros de agnardente
No navio po.tuguaz Azmrnro, para o Hi* da
Prata, carragoa : A. C->rJeiro3.iW cisn (iracl*'
Pa--a o< po tot i intmm.
Para o Rio Grande d Sul, no patMbe nac
nal Marinht, II, carr-gaa : A. Loyo 196 barma*
com 19,003 kilos d s a?u :ar branc
Para a villa da Tun.-, v. < bia- ,<
Deos te Gnardr, cartog-m : Pocas AC | karrv .
cam 6(kilos de a-suear refinado : para AnMBfi
M. F. da CosU 1 barril com 43 litros d ajrnirden
te ; P. Alves & C 9 bar.icas com 674 ki
assucar relinado ; Lapa Primes 2 litas c n I .
lit .s de dito branco e I barril c torn de mt.
Para a Bahia, M vapor branletri Jjff;
de Caxias, carregaa : J. C. do Reg.) Poai" "i
pipat cam i.HOO litros da agaiidili : para Ma
cent, Carvalho k Nogu^irt WO %irem cont ".#"
kilos de assnear branco : para o Aram
Cerqaeira 12 barricas ttm 720 dilos de dit .
Para Mva i, na b.;r a;.i Ita.nJi i d ,< I..
carregou : A. S. Campos I caixa com 7 doce : para Mossoro. B. J. Perrira A traaiw I bar
rica com 60 ditos de assucar reload
CAPATAZU
dendimento d<- dia I
dm do dia 13
DA ALFaNMKGa
a 12.


No dia I a 12 .
No dia 13
.'nmeira pona .
ieganda poru .
Terceira pona .
Juarta porta .
eiapicbt Ccaceicao
VOI.CMBS SAdll>0?
i n
?'
SSRVICO MAhiTiMc
vl>areagas descarregadas no trapicL* da
No dial a'12. .... n
No dia 13.......
i
r\2CE3ED0RIA DK KEN DAS INTrPN
RAES DE PERNAMRf-'
tendiineato do dia 1 a 11. |o **,-
dem do dia 13...... 917
30:l**r
EXPKDIENTE.
Oflcio da presidente e secratario da junta dos
corretoras, remettendo o boletim das cctacoes
offlciaes da semana de 4 a 9 do corrente. Para
o archivo.
Livro do registro da correspondancia oflfJcial re-
gularmente escripturado ale o o. 65.
Fez-se a leitura do aviso de 24 de abril proxi-
mo passado, expedido pelo ministerio da jostica
ao Exm. Sr. presidents da provincia do Para
Foram dislribuidos os livros ieguintes :
Diario e copiador de Gpilborme Pereira de Aze-
vedo, diario de Alfred a Barros & Ferreira, copia-
dor de Alves de Brito A C.
DESPA HOS.
Requerimentos :
De Antonio Alves Barbosa Primo, pira ceniQ-
car-se-lhe o dia, mez e anno em que foi registra-
da a sua nomeacao de caixeiro do estabalecimento
de funileiro a rua do Bom Jesus n. 59. -Certifi-
que se.
De Adamson Howo A C, pedindo certidao di
ua raitrieula, o bem assim oi nomes de lodos os
socios qae ci.inpfam dita Anna. Coma re-
qaerem.
De Antonio Joaquim de Vasc\*ncelIos, solicitan-
do eertidao do theor do proleslo por ^le feito por
occasiao -da reaniffo des credores de Joaquim da
Suva CosU, e se o dito Cosia oppoz algama C*>-
jeccao ao referido proteeto.Defendo.
Ifredo Henrique Garcia, precarador
I <"JBUCaC0E$ k PEDIDC.
DA
Santrssinm Trindade.
Neste eslabelecimenta de instruccao e educajao
d i meninas, sob a directoria da Exma. Sra. 1).
P ailomena Jersey, e saas Exmas. irmas D. Lande-
li ia Jersey e D. Olindina Jersey, admittera se edu-
c ndas mediante a pensao mensal de 401, sem
n ais rutra despeza, e aprendem: lingua nacional.
ii glez, francez e lUliano, fallar, escrever e tradu-
z '; geographia, arithmetica, bistoria, piano, dan
c musica e desenho; toda a especie de bordado,
e os melhores principios da religiao christa. No
ii terior do estabelecimento falla-se somente fran-
Ciz.ee incompalivel o professorato do sexo mas-
ci lino.
ici'cariiai bem eHta tircumttiancla.
Que a reconhecida pureza do oleo de figado de
b: calliao de Lanman A; Kemp, o colloca n'uma pa-
si ao maito alera de toda a rivalidade em todos os
m rondos do niunie. E' este, pois, am assumpto
do maior importe para ps doenles. Como ummeu
de curar as tosses obstinaias, de sarar os pul-
mi os ioflaaamados e tuberculosos, de atalhar a
co sumicao do Qgado, de alir.'i ,r as afTeccoes broa-
ch ies, de revestir os corpos extenuados com no-
va caraes e de restabel^cer as forcas e a saude
do -ysiema vital ; nao ba por certo ueuhum reme
dio conhecido na sciencia que tenha produzido
tan as maravi|i>as. a bem merc-cida repulafio do
ole i dff figad de bacalhaa, como o mais grandio-
so los remedies modernos, achar se-hia ja des-
tru da pi las vis imitacoes fraudulentas que se em-
pal na aos pouos descoofiados, se nao o hooves
se alvado da deslonra este artigo fresco, puro e
inomparavel, preparado e vendido debaixo da
gartantia de pessoas de ama respaitabilidade reco-
nh(cida. Tendo isto na lembranca, esiareis se-
guijos de obter o leg-iimo oleo de figado de baca-
hap de Lanman A Kemp.
CONSULADO PROVLICTAi.
rtsndimento do dia 1
idem do dia 13.
a 12.
ia I'
A7W2
17 5^i*5-
RECIFK
tendimento dn dia I a
idem do dia 13. .
DRALNAGE
12. .

. de
,.^. ,, I Praueisco Loelho da Foeseca Junior, requerendo o
Jose Antonio; ^o>im, cam Maria Joaquina do registro da eseriptura '
Espirito Santd. 'que-se,
junta.^-Reglstre-se e publi-
JUNTA DOS CORRETORES
Praoa do Recife, A3 de male
dc 18 4.
A3 3 HORAS DA TARDE.
C0TAC0E9 OFI-IC1AIS. ,.
Algj)daQ 4e Macao 1' sorte 8iW0 por 43 kilos.
SEGUROS
illRITIMOS
CONTRA O FOGO.
A companhia Indernnisadora, esUbt-!*.-id
aesta pra$a, toma seguros aaaritimos sobre
aavios e seus carregamentos e contra 'of
^m edificios, mercadorias c mobiliaa i m
.D do Vigario n. 4, pavimeoto terreo.
Auguslo F. d Oliveira i t
A casa commercial e bancaria de Aogiia*
j d'Oliveira & C, a rua do Co nmercio &
42, encarrega-se de execacio de ordas
para embarque de prodoctos e de tote o-
mais ncgocios de commissio, quer commer-
eiaes, quer bancarios.
Deconta lottras, e toma Jinbeiro a pre-
mio, compra cambiaes, e saca i viala a
jbzo, a vonlade do tomador, sobre as so*
guintes pracas estrangeiras e nacionaes :
L*ndreo. Sobre o anon bakk or
LONDON, 0 LONDON AND IIANStATIC BAKE,
limiteo, e varias casas de I .* classe.
k*H. Sobre os banqueiros pc cld
d C, MARCUARD ANDRE d C. e A.
VIGNAL d C,


!.



JMiriadePerfi^ibaeo ^ Sexta- feint, 1 dtf. Maio. de 1874
os 9m. joao
Hamlt^i^m .Sobre.
SCHU BACkH. .?$*,
JLlsboa. Jkrtire oft Srs. foksscas,
SANTOS d'VWiiii, e MBA-WISO' JOS6
ABREC.
Porto. Sobre o jMHCO-umHODO nmo.
O Sr. JOAQUIM*lN?0 DA FQKSfCA.
Part*, -r- Sobre o banco comuercia-
do paha, e os Srs. FKANCISCO gaudescio da
COSTA & ElLflOS.
.llaranfiao. Sobre o Sr. jose fer-
REIRA DA SILTA JUHIOR.
Ceura. Sobre os Srs. I. s. DE vas-
COXCELLOS A SONS.
lliihia. Sobre os Srs. marinhos & c-
Rio INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
6ANQUE BRASILIENNE FRANgAISE.
COMPANHIA ALLIANCA
segurcs maritimos e terreB-
tres estabelecida na Bahifc
era 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0008000.
Toma segwro ienwrijadorias e diaheiro
uco raaritimi) em rump de vela e vapore*.
para dentro e f&ra do ioiperio, assim con*
contra fogo sobre predjbs, generos e fa
rondas.
Agente : Jqaquim ios& Goncalves Beltrlo
rue do Comrpercio n. 5, 1* andar.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias,
(rates, dinheiro a risco e finalmente de qual-
iaer natureza, em vapores, navios vi ela oc
barca^as, a premios rnuito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
. Segaro conlra-fogo
CHE LIVERPOOL 4 LONDON A GLOl
INSURANCE COMPANY
A^entea
SAUNDERS BROTHERS A C.
11Corpo Santo11
NORTHERN.
.... aO,G0O:OO490l
Ipedradejaspe, i*.
1 nwsa para ooxjana, 1*.
veihas,
1 dftaraeno.,
ta, 3*.
it, 3*
640 rs. 1 earxa antffa, gramle, it, tmesa-par.
fogaretro, 509 r. 1 fgaiifo,.l Diversas ob
db- jectos em mao estado, par 10*.
Os quaes sii perlencentes ao espolio de Manoel
RibaiaHia Gutffi OJ|VfU*^fcva>.a praca a reqie-
rimento do testamenYeiro e. inveatariante Jose Pau-
lo Bottlbo.
E nao havendo lansador que cubra o prec. j da
avaliacao, se procedari na forma, da. lei.
para eonetar passaram-se editaes quo serJu'
puWicados e afflxados na forma *> estylo.
Ea, Dominges Nunes Perreira, escrivao, o sub -
screvi.
Em tempo declaro que a arrematacao dos bens
acima se prooedera na rua da Senzalla a. 124.
Eu, dito escrivao, o esorevi e declarei, era sup -
pra, Domingos Nuaes Ferreira.
Recife, tl de raaio de 1874.
Francisso do Rego Baptista.
Pela thesouraria provincial se faz publico
que foi transferida para o dia 21 do correnie a ar-
rematacao da madeira velha tirada da ponle da
Junqueira, avaliada em 100*000.
Secretaria da thesouraria provincial, 12 de maio
de 1874.
O otBcifFmaior,
Miguel Alfonso Ferreira.
Capital.
fundo
ik

rese,
rva.
Mills
8/J00:000J00(
Ag-Miles,
Latham d C
RUA DA CRUZ N. 38.
BANCO GflMMEflCIAL OR BRAEA
Jorge T asso
Sacca sobre este banco e suas agencia^ nas se-
guintes cidades e villas:
Portuga l.
Araarante Lisboa
AaaJia Melgaco
Areas Mirandella
Aveiro M ii.'A'i
Barca Pena-fiel
Bareellos Pinhel
Beja Ponte do Lima
Chaves Porte-mao
Coimbra Porto
Con*_ Povoa de Varzicc
iv'Vtti Repoa
El as Ta vira
Extremoz Valen :a
Eamalido Vianaa
Faro Villa do Conde
Figacira Villa Real
Guarda Vinhcs
tluim.-.n"i.;.-. Vizeu
Laaiet'o Villa SJ. da Cerveira Funchal
Fayal.
Sinco'do Minho.
Joaquim Jose Gon^alves Beltrao & Filho sacam
por todoa os vapores sobre :
Anadia. Evora.
Aguida. Fafe.
Faro.
Guarda.
Leiria.
Lisboa.
Bareellos.
Coimbra.
Mirandella.
Penaftel
Aveiro.
Beja.
Ghaves.
Elva*
Amar.mte.
Guimaraej.
CovilhS,
Melja^o.
Portalogre.
Areas- de val de vcz.
Celorico de Basto.
Caminha.
Man?:ilde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lmhosa.
Villa-Nova de Portimao.
Monsao.
Ovar.
Porto.
Tavira.
Regoa.
Vizeo.
Figueira.
Lamego.
Estarreja
Valen ea.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
CasteHo-Branco.
Espozende.
Oliveira de Azemeis.
Povoa de Varzim.
Vianna do Castello.
Villa Nova de Faaialicao.
Villa do Conde.
Mas iljias.
M ideira, S. MjgueJ, Faial e Terceira.
*::>:ttoMl& M 30RT
----------------frwl----------------1-----------h-------!------
.Yauto entrado no dia 13.
Aracaju. 4 dias, patacho italiano, Ermidk, de
184 toneladas, capitao Angelo Ghervi, equipa-
a'in II, ca.-ga assucar e algodao ; a E. Burle
* c-..
Navios sakidos no mesmo dia.
Liverpo I. Barea hespinhola, B.lMisa, eapitao
J. Julet, carga algodao e outros generos.
New-York. Oarca ingleza, Maud, capilao M.
Bar! JSavios cnlrados no dia 14.
Xew-York, S. Tnomaz e Para. 20 dias, vapor
amerieaao Mevrimack, commandnle W. Wier,
de 2,000 toneladas, equipagem 70, carga varios
generos; a Henry Foster & C.
(]eara e escalas. -7 dias, vapor nacional Cururipe,
de 222 toneladas, comruanJaate Santos, equipa-
gem 18, carga varios generos; a companhia
pernambucana.
Aracajii e escalas. 4 dias, vapor Ipojuca, de 360
toneladas, commandante Moura, equipagein 30,
carga varios geaeros; a companhia pernam-
buco.
.Vavlas sahiJos no mesmo dia.
Aracaty. Hiate nacional Dens te guarde, capitao
Man >el G. Pessoa cargi varies generos.
Porto3 do su!.Vapor amencano Merrimnck, com-
mandante W. Wier, carga, a que trouxe da
Europa.
Penedo e escalas. Vapor nacional Murquez de
Caxias, commandante Francisco de Araujo Goa-
ta, carga varios geaeros.
CITAI
0 Dr. Francisco dj Rego Baptista, iuiz substituto
do juizo da provedjria de capellas e residuos
nesta cidade do Recife, etc.
Faco saber que flnda a priraeira audiencia des-
te juizo no dia sexta-feira. 13 do corrente, se hio
de arrematar os moveis seguiutes :
8 cadeiras de jacaran la, entalbadas, velbas, a
31, 28A0C0. 10 ditas de dito, lisas, velhas, a
2 loS. 1 marqueza de condurd, velha, por 10J.
1 mesa redonda, idem, por S|. 1 banquinha de
jacaranda, 'vh. 2 ditas de condurd, 6 J. 2 ditos
de amarello, if. 1 commoda de arnarello, 16J.
1 relogio de cima de mesa, 5/1. 1 manga de vi
dro para santo, 3J. 1 cama de armacao, velha
6*. 1 mesa de jacaranda, velha, com gaveta,
12* 7 mochos de pao, por 3*300. 2 cadeiras
de pao, com bragos, a l/, 2*. 1 mesa para jan
tar, 4*. 1 commoda de jacaranda, em mio estado,
3*. 1 eabide de amarello, para.roupa, 4*. 1 cai-
xa arqueada de ferro, 5*. 3 bahus velho*. i
3^. 2 cadeiras com assento de pao, '..{> Ain
rs. 1 taboleiro, I*. 1 mesa p .i^J^ j
jarr5es para agua, a H, U, l?^ffm^or-
Debitoe.
69*585
87*017
j
20. Antonio Ferreira
Ant.nio Joaquim Lopes
Caetano Ta-
\Olmo \'aj-
Pela thesouraria provincial se fas publico, qae
vio novameate a praca no dia 21 do corrente pa-
ra serem arrematadas a quern por menos fizer as
obras aeguiote* :
Obra dos ceparos da coborta da casa de deten-
fio. cr^ada em 1:478*000.
Obra dos reparos da bomba n. ?, no T Janco
da estrada do sul, or-jada em 4:012*000.
Obra da bomba para o povoado do# Montos, or-
cada em 1:980*00,).
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambneo, 12 de malo de 1874.
0 official maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
- 0 procurador fiscal da thesouraria pro-
vincial, declara aos contribuintes do imposto
de 60 reis por litro de aguardente, no exer-
cicio de 1872 a 1873, a cargo do consulado
provincial, que Ihes flea raarcado o prazo irapro-
rogavel ile 30 dias a contar da publicagao desle na
conformidade da lei n. 981, art. 53, para solicita
rem da seccjlo do contencioso as respectivas guias
para pagamento de seus debitos, eertos de que se
nio o iizerem dentro do prazo marcado, proce
der se ha a cobranca judioalmente, publieando-sc
para isto a rela;ao dos devedores abaixo trans-
cripta.
SecQio do contencioso provincial de Peraaaibu-
co, 7 de maio de 1874-
0 procurador fiscal,
Cypriano Fenelon G. Alcoforado.
Relacao dos devedores do imposto de 60 reis por
litro de aguardente consumida na provioeia,
que deixaram d9 pagar seus debitos no exerci-
cio de 1872 a 1873.
Ruas. _
Conde da Boa-Vista n. 87. Antonio
Gomes de Mendonea
Madre Dcus n. Hi. Antonio Jo;e
Pereira da Cunha
Vital de .\*reiros S. An^rno
Eoupo de Linw
Oka n 1. Ant*io Ferreira da Coita
Dita n. 21.-Aiuuriin i Scuza
Dita u. 93. Ana a Maria da Con-
eeie&o
Imperial n. 102. Antonio Joaquim
Tertulian.i de Mello
Dita n 262. Antonio de Miranda
Castello Braaeo
Dita n. 233. Agostinho Antonio da
SiJva
Uoiio n. 3 J,-tAoionio lose Braga
2. becco tra-vesra do Principe a. 9.
Antonio iovi'4e Souza Carneiro
Luiz do Rego n. 10. Antonio Rapteo
Albinos Junior
Socego n. 51. Antonio Spares Bo-
telho
Atlraccae n. 3 A. Antonio Jose de
Castro
Direita n.
Netto
Dita n. 80.
de Carvalho
Po?o n. 20. Antonio
vans
Eneanameolo n. 23.
J;;viuo dos Santos
Cam Fcrtc n. 93. Viuva de Antonio
Manoel Tetxeira
Dita. Ande Yidal Alves
E?trada Nova. Afltcfiio 1 injo de
LeSo
Caxauga. Antonio Cardoso de Amo-
rim
Caes de S. Joao. Antonio Correia de
Loureiro
Estrada de Juboatao. Agri. ino Ro
drigues da Trindade
P. de Jaboatao. Antonio Joaquim
Rabello Bastos
Imbiribeira. Antonio Joaquim Pe-
reira
Caxanga. Ambrosio Ribeiro da S.
Largo do Corpo Santo n. 6. Beltrao
Oliveira & C.
Coronel Suassuna n. 125 Barbosa
& Silva
Imperial n. 109: Brasiliano H. da
Cunha Cavalvanle de Albuquerque
G. Jaboatao. Bernardo Jose da Costa
Pale: do mesmo. Bernardo Goncal-
ves dos Santos
Commercio n. 8. Carrol & C.
Vigario Thenorio n. 12. Correia & C.
Barao da Victoria n. 33. Clemente
Nunes Pacheco
Dita n. 61. Custodio Jose Pereira
Yisconde de luhaurna n. 41. Car-
valho & Mello
Vital de Negreiros c. JO. Gaelano
Jos6 Leite & C.
Estrada Nova. CoeMho & Pinto
Pateo de Jaboatao. Canuto Sergio
de Farias
Dili'. Caetano Lour?nco de Brros
Campina Grande. Cartota Marinha
da Rocha Falcao
Boa Viagem. Chryso^torao Dario N.
de Almeida
Largo do Rosario n. 23. Delfioo Lo-
pes da Crux
Santa Cecilia n. 27. Domingos da
Costa Guimaraes
Commercio n. 24. Eduardo Tupim
Visconde de Inhauma n. 33. Fran-
cisco Joaquim Ferreira Esteves
Marcilio Dias n. 74. Francisco de
Araujo Cesar
:mperiai n. 106. Fraacisco Paes
Barreto
Visconde de Goyanna n. 123. Fran-
cisco Xavier Ferreira
Encanamento n. 8. Franciso Gon
calves Bastos e Sa
Apipuco3 n. 41 Francisco Marines
da Silva Mendes.
fravessa da Ladeira n. 1 B. Idem
Estrada Nova. Francisco Manoel de
Oliveira
Dita. Felippe Correia Gomes de
Mello
Pateo de Santa Cruz n. 4. Gomes e
Silva Brito
Visconde de Gayinna n. 97. Gongai-
vss & Primo
Bemfica n. 27. Gomes A Irmao
Pateo de Jaboatao. Gaidino Joaquim
Cavalcante
E. S. Jojo. Henrique- Pereira da
Silva
Pateo de Jaboatao. Herratlinda F.
Maria do Carmo
Estrada para o engenho. lldefouso
dos Reis Gomes
Gequia a Jaboatao. Ignacio Ferrei-
ra dos Santos
Vigario Thenorio n. 33. Joao Alexan-
dre Vieira
Companhia Pernambueana n. 22.
Jose Goncatves Reguff
Travessa das Cruzes n. 8. Jose do
Rego Pacheco
Santo Amaro n. 8. Jose I. d'Avila
Paulino Camara n. 3. Jose Miguel
Barbosa Ramos
Largo da Penha n. 21. Jose Lniz
Goncalve3 Penna
Largo de S, Pedro n. 1.
de 5rivo Vasconoellos
LO'ioas Valeatina3 n: 78.
Deas Oliveira Santos
5*400
tOfieo
3^742
32J710
G9*o&
32/700
27i7'JJ
393240
323700
19*620
I9i010
8*698
UoM
i/jv)6
*"'$8G2
*lR83
383209
103431
6*932
10*438
5*199
4*903
32*700
63*100
394240
0*932
54199
52*320
81*730
69*38J>
32*320
63*400
65*4(0
19*096
13*864
20*862
Joaquim
loa.0
de
n. I, Io>
Cadeia-nova
Gusm^o
VilAt & Ne^eiros n. 32.
3a \'eiga
..-iuim F. de
Joaquim
27*793
58*800
65*400
26*160
66*400
39*240
39*210
13*080
10*398
38*238
27*795
5*166
130*800
55*590
63*400
20*822
VUW
5*486
mJfUJUu
20*862
40*873
49*573
52*320
70*480
45*780
43*780
65*400
19*620
88*290
52*320
Dita ?. 151. Jose de Mello Trindade 52*320
Travessa de S. Jose a. 21. Jose Joa-
quim d Souza 52*320
Imperial n. Ill' Joao Adrlano de
MalloDutra 42(510
Visconde de Albuquerque n. 54. Jose
Carpintetro da Silva 104*443
Ponte Velha n. 87. Jacintho Fornan-
des da Silva 32*700
Pateo de Santa Cruz a. 12. Joao
Marques Fernandes 58*860
Plres n. 1. Joaquim Doraingues
Fernandes 391240
Lima n. 10. Jose Jacintho de Car-
valho. 23*430
Socego a. 53. Joo Dias Marlins 69*585
Estrada de Joao de Barros n. 6 C.
Joaquim Pereira de Sousa 8*698
Aulictos o. 9. Joao Ferreira doe
Santos 8*698
Pernambucana n. 24. Joaquim Jose
Dias Pereira 39*240
Amisade n. 26. Joanna Francisca
de Barros 16*350
Direita n. 60. Jose Ribeiro de Le-
na os Duarie 13*080
Dita h. 84. Joao Francisco Regis
Lobo 6*540
S. Miguel n.- 148. Jose Marinho de
llollanda Falsao 39*240
Dita n. 71 A. Jovino de Carvalho
Cavalcante 19*620
Estrada de Santa Anna lit Jpse"
Mendes da Silva 5*383
Pateo do Monteiro n. 1. Jose" Antonio
de Oliveira e Silva 47*131
Caxanga. Jose Pacheco da Fonceca 8*6*98
Barreiros. Joaqaina Marques da
Cunha 13*047
Torre. Jose Rodrigues Canhoto 5*199
Matanea. Jose" Macario dos Pra-
teres 17*396
Gequia a Jaboatao,- JosiEiteves Mo-
reira da Costa 6*932
Dita. Joaquim da Silva Costa 13*864
Dita. Jose Anlonio Tinoco 10*431
Dita. Joao Mauriclo 13*864
Dita. Joao Domingues dos Passos 13*897
Dita. Jose Manoel do Espirito Santo 3*466
P. nte de Jaboatao. Jose* Joaquim de
Santa Anna 17*196
Dita. Jose Figueredo 3*466
Dita. Joao Ribeiro Pessoa 8*698
Sao Lourenco. Joao Maria Panche 10*498
Venda Grande. Joao Bernardo Di-
niz 3*466
Munbeca. Joao Xavier de Mello 63392
Barao do Triumpho n. 65. Lopes
& Andrade 57*879
Visconde de Inhadma n. 77. Lau-
riudo Graciano da Silva 111*180
Marquez do Herval u. 94. Lopes (Si
Oliveira 87*023
Canal de Riacauelo n. 67. Lucas
Antonio Evangelista 6*540
Estrada do Arraial n. 22. Luiz An-
tonio Fragoao 103398
Barreiras. Luiz Calmoa Cordville 17*396
Gequia a Jab atao. Lpia Antonio
de Souza 63932
Conde da Boa Vista a. 33- Maria
Candida Ribeiro 26*160
Visconde de Ilaparica n. 6. Manoel
- Jose; Pereira 6.3*400
Guararapes n. 61. Manoel Gimes
de Farias 83*020
Largo da Penha n. 8. Maia & Men-
des 26*306
Vidal de Kegreiros n. 137. Miguel
Jose da Costa Meira 63*400
Dita n. 141. Marooliuo Martins da
Luz 45*780
Imperial n. 130. Manoel Antonio
Francisco 26*16j
Jita n. 137. Manoel Antonio dos
Santos 26*160
Imperalriz n. 22. Marlins & Irnao 63*400
Vbconde de Pelotas n. 6. Miguel
Antonio Coelho de Almeida 87*047
Ponte Velha n. 77. Manoel Jose*
Ferreira 98*100
Conde da Boa-Vista n. 79. Manoel
Ferreira Coelho 53*590
Coronel Seara n. 31. Maximiano
Jose Ferreira 63340
Luiz do Rego n. 48. Manoel Bene-
dict dos Santas 13*897
Pomljal n II. Maria Vicencia da
Oliveira 63082
Direita a. 22. Mafra & Ribeiro 26*160
oso M;6t>ci o. isa. \r.ir.irvin da Cruz
Mello iOiO.-.a
Dita n. 23. Man el J*se Soares 13*080
Casa Forte n. 17. Manoel Joaquim
Carneiro Muntejro 13*864
Estrada para o" engenho n. 7. M?.r-
colino Neves de Farias 33*192
Estrada Nova. Marcilino Francisco
da Silva 3*466
Gequia a Jaboatao. Maria Ernes-
nestina de Castro Azevedo 17*396
Dita. Maximiano Jose Bezerra 14*322
Di*a. Manoel Renovato da Fonceca 10*498
S. Lourenco. Manoel Antonio do
Na>cimento 8*698
Boa Viagem. Manoel Felix da Sil-
va 13*038
Marcilio Dias n. 16. Neves Queiroz
& C 65*400
Primeira travessa de S. Joao Barros.
Nicolao Toleatino do Sacramento 13T080
B. Sardinnaa. II. Oliveira Miran-
da & C. 81*750
Maria Gezar n. 22. Oliveira Cruz
4 C. 40*875
Coronel Lamenha n. 18. Pereira &
Irmao 24*160
G. Jaboatao. Paulino Antonio da
Silva Ayres
Imperial n. 146. Ricardo Moreira da
Cunha
P. de Jaboatao.
reira da Silva
G. Jaboatao. Rosalias Maria da Con-
ceicao
L. Rosario. 31. Santos & Araujo
Travessa do Livramento n. 28. Sil-
va & Leite
Marcilio ias n. 72. Sebastiao Jos6
Bezerra Cavalcante.
Imperial n. 148 Severino Tavares
de Olivsira
Estrada para o engenho Silvino dos
Reis Gomes
Varzea. Silve.-tre Francisco Alves
Imperial 203. Traiano Jose Pereira
Quiabo n. 25 A. Vicente Torres de
Sal es Menezes
Seecao do contencioso provincial de
co, 7 de main de 1874.
0 1 official,
Horacio Walfiido Peregrino da Silon.
Ricardo Carlos Pe
3
E nao havendo lan$aior qae cubra prece < a
avahajSo, a arreroalacao sera fella pelo pre$o <
adjndicagao, na forma da lei.
Bpar que chegue ao conhecimeotp de todoi,
mandei passar o presente, que sera publicado pela
imprt-nsa e afflxado nos lugares do costume.
Recife, 27 de abril de 1873.
En* Mwioel Maria Rodrigues do Nasc-
rnento, escrivSo, osubscrevi.
Recife, 27 de abril de 1874
_____Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
0 desembargador Francisco d'Assis Olivei-
ra Maciel, official da imperial ordem da
Rosa, caval'.eiro da de ^bristo, e ju z
privativo de orphSos e ausentes da cida-
de do Recife de Pernambuco e seu tei -
mo, por S. M. I., a quep Deus guai -
de, etc.
FaQ) saber aos que o presenie edital vireri,
que por este juizo sera arreraatado por quem ma s
der, em uma s6 praca :
A metade de um sobrado de dous andar s
e sotao, sito a rua da luiperatriz a. 42, freguez a
da Boa-Vista, com 3 porlas de freote, 2S iia'.in is
de v5o e 104 de fundn, quintal com portao qi e
deita a rua Seta de Setembro, edificada em ch o
foreiro, servindo do bas.e pjara a arrematacao a
quantia de 6:000*, porquanto foi avaliada ami-
tade do dito sobrado. R vai a pja a reque i-
a>eato dos oredores do uaado Joao. Martini E i-
bciro, cujo inventario. se proeedeu por este jui :o
de urphaos, dando-se em parlilha ao respectt a
invenlariaote, suhredita metade, para de sea pn-
duelo serem elles pago* ; aando o restanle, pe -
tenccnte aos menores, recotliido pelo arrematan e
por empreslirao a ta soura/ia de faienda.
E para que chegue ao eonhecipenlo de todc s,
man 1 i passar o presente, que sera affixado no
lugar do costume e publicado pela impreosa.
Dado e rjassado nesta cidada do Recife de Per-
nambuso, aos 1-1 de maio da 1874.
Eu, Maaoel do Nascimentp Pontes, escrivao, Ic
subscrevi.
Francisco de Assis Oliveira Maciel. )
0 major Antonio Bernardo Q.iinteiro, juiz de piz
da freguezia de Santo Aatonic da cidade do Ke-
cife de Pernambuco,.em virtude da lei, etc.
Faco saber a qyem convier aue vao ser arre!-
matados por venda, finlos os dez dias da lei, pqr
quem mais der, os bens seguiutes :
50 chapeds de sol, sortidos, de al-
paca e algodao, a 2* cada um, todos
na importancia de
30 ditos inutilisados, a 500 rs, to-
dos na importancia de
22 armacoes de ditos, a 160 rs.,
t"das na importancia de
1 armaeao envidraqada, na impor-
taacia de
' 1 armario pequeno em mao es-
tado
Vicc-CuU&yo de Espiiii m
Perna'l)nco.
En el viee-consulado de Esparia, esta abierta
una suscricion ea favor de los heridos huerfanos y
viudas de la goerra civil qae exisre actualmente
en Espana.
Ea vista paes del espuesto se ruega a Jos ciuda
danos espsiioles resideotes en esta provlncia, para
cada uno a su vex y segun sus recursos, contri-
Imiren para aliviar las penalidades, deaquelles in-
felises que con la mayor abnegacion acud-m al
campo de la btlalla, derramando su sangre en
defensa de la libertad.
Ciudadaaos viva Espni i, viva la libertad, no
permilaes que seyamos lidos como beterogeneos,
hijos de nuestra cara patria, ayudemos para ali-
viar la suerte de aquellos desdichados hermanos
que hoy se bateo, abonando con sa sangre genera-
so y con sus preciosos buesos los campos de la ba-
talla, deyatnos uaa prueba a la nation y al mundo
entero que se bien estamos tan distantes, no esta
mos olvidaJos de nuestros deberes, yo espero qpe
cada un dejara bien puesto el nombre que posee,
emitamos el ejemplo da nuestros compatriot.s de
la Peninsula y del extrangero que gencralmente
baa concorrido con sus donatives, aliviando por
esta manera, el dolor que oprime aqnelles comba-
tentas.
Me hantecipo en agradecer en nombre de aquel-
los infelises, a todas las personas que se dignarem
coBcorir eoa sus donativos sia perjuicios da ha-
cerlo opurlunamente qaien corresponds.
Los pombres de los sacritores y el impcr'.e de
sus doaalivos seran publieados en ocas ion opurlu-
na en este pcriodico.
Pernambuc), 13 de mayo de 1874.
Vice-consul.
Juan Bason.
100*^00
13*000
3*590
150*000
5*000
273*520
Arrematacao
Achando-se annunciada para o dia 15 do crrren-
te a arrematagao peranle o juizo da provedoria, da
caaa- a. 57, a ma do Apollo, hoje Visconde de Ita
parica, como pertenceate ao esp >!io do floado Jose
Pereira e soa mi^lher Francises Maria da Concei-
cao, declara-se para sciencia de quem quer que
t-?nha de concerrer a dita arrematacio, que do
telheiro qae a rua do Apollo tem o n 57, somente
metade pertence ao e-polio daquelles linados, per
tencendo a outra metade a Joao Antunes Guima-'
ries, ausente era Portugal, mas que por seu bas-
tantc procurator nesta cidade, tem e.tado e con-
nijiia a estar na posse de metade do dito telheiro
Recife, 12 de roaiode 1874.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.*%in vej*aeffo cost cm ra a vapor.
DIViDESDO NuNO.
Esta companhia paga o seu nono dividendo,
razao de 3 QjO.
deslinados, cobrara o pafaoieal* de ?.f0 rs.
o portador, uma vex qae o dito ieaucilio m scIm
dentro dos limites da cidade do lassie, de oi n4a,
e povoado de Beberibe, e nos mais pont -nr,
do circalo trarado com o raio da aea kiKmintro,
teado como centra a estacao deMioalaria do tote-
gramma.
Ar. 55. No caso de qne o daaieHto da ieeiiaa
lario se ache fora dos limites traeadw M art. aa -
tecedenle, nao e a companhia obrigada a tiaao
mittir os telegrammas, e too fara meal ete a pa-
ga qae conveneioaar com o expeawioaario.
Esenptorio desta companhia, 9 de awtede I1
Laareotioo Jom- Ao!
Gerente.
Companhia Fidelidade
Os preditos bens foram penhorados a Jos6 Bau-
doux, por pxecucao que contra este move por
este juizo Anton;o Gonc,alyes de Moraes.
Dado e pass a lo nesta freguezia, era 12 de maio
de 1874.Subscrevo e assiguo.
0 escrivao. Griolano de Abreo.
Anlonh Bernardo Quinteiio.
*>
9*810
26*160
17*396
83396
43*780
32 58*360
26*160
208'12
27*795
32*700
8*692
Pernarabc-
0 Dr. Delfino Augusto Cavalcante de Albuquer-
que, official da ordem da Rosa, juiz de direito
e provedor de residuos e capellas da comarca
de Olinda, por S. M. I. e C, qae Deus guarde,
etc.
Faro saber aos que o presente edital virem,
que havendo stdo posto a minba disposicao o es-
cravo Manoel, cabra, que diz pertencer a Manoel
da Silva, casado com D. Rosa Maria da Trindade,
por nao haver, apezar das deligen'ias que fiz, ap-
parecido quem seia seu seahor, sao de uovo cha-
mados com o pr.zo de 60 dias, aquellas pessoas,
qae com direito ao referido escravo se fizer, para
qae venham peranle mim. fazer valer o seu direi-
to, procedendo, findo o dito prazo, na forma da lei.
E para que chegue a noticia a todos, mandei
passar o presente, qae sera afflxado no lugar do
costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, comarca
do mesmo aoiae, da provincia de Pernambuco, aos
6 dias do mez de maio de 1874.
Eu, bacharel Francisco Lias Csldas, escrivao, o
subscrevi.'
Del/ino Augusto Cavalcante de Albuquerque.
Edital n. 161.
Pela inspectoria da alfandega se faz publico qbe
i:a i tendo .-ido rtstiraio quatra cajxas de mar :a
E 4 I ns. 304, 313, 318 e 32s, peiteatenfs ao d
pachode n. 1346, de marco proximi pas-, d i,
Leonel de Lacrda Michado, eontendo latas c-
ervilhas, v< -das de Liverpool no vapor jpgfez C'
dova, aaauQciadasfor elital n. 153, se na de Ar-
rematar de conformidade com o art. 599 do rej
lamento das alfandegas, livres de direitos, e
jeuasab imposto da capatazia, as 11 horas da n a-
nha do dia 18 do corrente, a porta desta rep;
liead.
Alfandega de Peraambueo, 12 do maio de 18
0 inspector,
Fabio A de C. Reis.
0 Illn. Sr. inspector da thesouraria pros'n-
cial manda fazer publico, que em cumprimento la
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia de 6
de maio, perante a junta desta thesouraria, se \\*
de arrematar no dia 21 do corrente a obra dos
reparos da estrada e empedramento da subida da
ladeira do Barro, orcada em 1:647*300, debaixo
das condi'.oas abaixo declaradas.
As pe^soas que se pmpozerem a esta arremata-
cao i-oni|i-ttcv>>rn-iM. ia da*, seisoe* jja mesma
da mesma
o presefite
junta, no dia acisn%iadjcado, a9 meio
E para con-lar se muuhu publicar
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial, 13 de maio
de 1874.
0 official maior
Miguel Affonso Ferreira.
CUusulas especiaca para a arrematacao dos repa-
ros urgentes da estrada e do empedraoiants da
subiaa d"! Barro, na estrada da Victoria.
1" Os reparos da estrada e empedramento na
subida da ladeira do Barro, serao executados de
conformidade com o orgaraento, na iraporianaa
de 1:647*8C 0.
2' 0 arrematante dara comecoa obra no prazo
de oito dias, e as concluira no de dous mez.es. ,
3' 0 pagamento sera effectuado em duas pres-
lagoes iguaes; a la duando liver execulado a
metade da obra, e a 2" na conclusao da mesma,
que sera recebida definitivamente.
i" Para ludo mais que nao vai especificado oas
presentes clausalas, observar-se ha o que dispo^ o
regulameuto de 24 de fovereiro do anno carreajte.
Conforme.Mlgael Affonso Ferreira.
0 engenheiro chefe
______________ Victor Fonroi^. |
0 Dr: Delpbino Augusto Cavalcante de Altju-
querqu-, offi'-ial Ja ordeui da Rosa e
juiz de'direito, orpha s e ausentes,. da
comarca de Olinda, por S. M. o Impera
dor, a quem Dejjs guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital virem, iae
por este juizo foram arrecadados os bens pertfan-
centes ao espolio do flnado Bellarmino Perqira
Beringuer ; e assim, a requerimento do Dr. yu-
rador do mesmo espolio, e de conformidade otm
o regulamento de 13 de junho de 1859, mandei
afflxar editaes nos lugares do costume, e publipa-
los pela imprensa, pelos quaes slo ehamadosjos
herdeiros e successores do dito flnado a virpm
habilitar se na forma do citado regulamonto. |
Olinda, 7 de maio do !874. E eu, barrel
Francisco Lias Caldas, escrivao, o escrevi
Delphino Augusto Cavalcante de Albuquerqae.
0U3UCQES,
Juizo de ausentes
Previne-sa aqu'in interessar possa,
a. Sr. '
0 Dr. Luiz Ferreira Maciol Pinheiro, yiiz
substituto do juizo especial do commer-
cio, nesta cidade do Recife de P.rriam-
bjco, porS. *a. I., que Deus guarde,
et;., etc,
Faco saber aog qge 0 prM4me eo^ta| virem e
delle no'jlC;a nvepem, qne no dia 15 de main do
correoLj ^m, ^ de arrenia;ar por venja a
JS?a!,taa,'l i". ftffl Pfafi pubhea deste juizo, de-
p \ respectiva audieacia, 6 segaiate :
. tlm bitUar deja'caranda com as saas perten^as,
avaliado par 2Q0*.
Umi mesa elastica de Madeira de a'ttirello, ava-
liada por 20*.
Um relogio mericanode madeira preta, ava-t t
tiado por I*. Penhorados por execucSo de Jose
Domingues Maia, como cessionario de Jose* Joa:
qnim Barbosa da Silva, contra Zeferino Jose* da
Costa Maia.
que por
ordem do Exm. Sr. desembargador juiz priva&vo
de o-p aos e ausentes desta cidade, em virtude de
precatoria dirigida a este juizo, pelo de ausentes
do termo de Agua Preta, coraarea de Palnares,
passada a requerimento de Joio Fernandes Bip-
tista, teslamenteiro e iuvantariante dos bens | do
fallecido Manoel Josd Vianna, sera acrematado iem
face do decreto n. 1695 de 15 de setembro de 1869
um escravo perteucente ao espolio daquelle finajdo,
de norae Faustino, crioulo, de 19 annes de idajde,
solteiro, agricultor, natural desta provincia, a,va-
liado por 1:200*
Em virtude do qne sao convidadas todas as n
soas que pretenderem arremata-lo, a apresei ta-
rem suas prenostas dentro do prazo de 30 dia i, a
contar da data deste, devendo o referindo te ta
menteiro, que 6 morador na travessa da Madre
de Deos n. 18, apresenta-lo aos licitantes, afici de
qnspossam basear suas propostas. Recife, 1
maio de 1874.0 escrivao interino,
Joao Tiburcio da Sitoa Guimarde^.
as-
Peja recebed>ria de rendas interaas gerae3
se faz cer'.o que e neste mez de maio que tem de
ser pago, sem multa, o imposto pessoal, relativo
ao 2.' semeslre do exercicfo corrente de 1873 a
74, depoia do que sera pago con a multa de 6
por cento.
Recebedoria de Pernamboco, 7 de maio de 1874.
0 administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Companhia perna ubucana
de nawgacao costeira a
vapor.
Deordmido conselbo da direc^ao, caovidc aos
Srs. accionistas da nova emis.-ao de ac.-oes desta
companhia, que somente realisaram a primeira
presta;ao de 20 \. sobre o valor subscripto, a fa-
zer segunda entrada a mesma razao, denlro do
prazo He 30 dias, a contar de hoje, no escriptorio
do Forte do Mattos.
Recife. 23 de abril 1874.
Jhomas M. Connan,
Gerente interino.
A.rmazens da companhia per -
nambucana.
Ncguros contra o fogo
A companhia pernambucana, dispondo de ex
^ellentes e vastos armazens em seu predio ao for
le do Mattos, offerece-os ao commercio em geral
para deposito de generos. garantindo a maior con.
servacao das mercadorias depositadas, service
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex
iiuaivamente os generos de uma so pessda.
Estes armazens, alem de arejados ffcommoaos.
3ao inteiraraente novos e aspnaltados, isentos dt
cupim, ratos, etc., etc.
As pessoas que quizerem utillsar-se destes ar-
mazens, pederao dingir-se ao eseriptono da com-
panhia pernambucana, que acharao com quea
tratar.________ '____________________
SANTA CASA DA MISERICORLIA DO
RECIFE.
A (lima, junta admiuistrativa da santa casa d;
Uisericordia do Recife, manda fazer publico qu
la sala de suas sessoes, no dia 7 de maio pe
las 3 horas da tarde, tem, de ser arrematadas a
mem mais vantagens offerecer, pelo tempo de ura
a Ires annos, as rendas dos predios em segnida
1 <-h* 1 Jir a d i rs
ESTABELECIMEXTO DE CARIDADE.
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11.......201*000
Rua de Santa Rita.
Idem n. 32........230*0,0
Idemn 34........200*000
Ciuco Pontas.
asa terrea n. 114......362IT300
Rua da Alegria.
dem n. 31........371*000
Ponte Velha.
Idem a. 31.........156*000
Rua de Antonio Henri mes.
Idem n. 26........99*000
Rua do Vigario.
l. andar do sobrado n, 27. 325*000
Eojaidera.......... 375*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea u. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*0OC
Rua da Cruz
Sobrado n. 14 (fechado).....l:000*09t
Rua do Pilan,
Caia terrea n. 100......241*001
Rua do Amerim.
Idem n. 34........122*000
Rua da Guia.
Idem n. 29........201*00(
Rua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17.......361*001.
Os pretendentes deverao apresentar no acto ds
iirematacao as suas tiancas, on comparecerea
acompanhados dos respectivo3 fladores, devendc
pagar alem da renda, o premio da quantia en
pie for seguro o predio que contiver estabeleci
memo commercial, assim como o servico da lim
?eza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re
ufe, 17 de marco o da 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza,
Consulado de Portugal,
03 credores de Joao Manoel Alves Gondim, sub-
dito portngnez, fallecido em 22 de abril do pro-
ximo passado, apresemem suas conias dentro do
prazo de 8 dias.
Cuaupanhla dos trillion iirbaooi
do Recife a Olinda e Behe-
de
Vioe*Conlilado de llalia en i
lf I'lianibuco
Os aubditos italianos De Salva, D. Francisdo e
Calaflori Vicenzo, aquelle natural da Tramutol i, e
este de Diamante, sao convidado3 a compare cer
perante este viee-coosulado de Italia, a qeg cio
qae Ihos diz respeito.
Capltanla do porlo at*&ra,amlra
It de maio de 18*t.
Por esta capitania se fiz constar aos Srs. ro-
prietanos de alvarengas que se empregam na
cirga e descarga dos uavias, quo someate MO
Jrco central da ponte Sete de Sete^^'oro podi rao
passar as mesmas alvarengas que de modo
gum Ihes sera- permrttido &m&rrarem espials
referida ponte.
0 aecretario.
ribe.
Jggb
Sb
do) 503 rs. r
a fraccao das mesmas, .
palavras ou fraccao que accresoer.
Art. 54. A compaahia para entregar os tele-
Decio de Aqumo rone ica.jgrammas no dpjujcjljo das pessoas a que forem
" J
al-
a
Tendo concluido esta com
panhia o assentamento da li
nha telegraphica da estacaoda
Aurora a Encruzilhada e ci-
dade de Olinda, franqaeia ao
publico a meema companhia
os seus servi;os7ie aeeofdo eom os artigos 53,
54 e55 do regulamento de II de outubro de 1871,
abaixo transcriptos :
Art.53. Que pela expedigao dos telegramm*-
particalares, cobrara a compaahia os se?"' -3
preQOS: 0aiates
l. De qualqaer extremo da ,:
cruzilhada 300 rs. pelas 20 pr'- ..nha ate* a En-
fraccao dellas, e 300 r3. -oeiras palavras, ou
fraccio das mesma*. t'0'" cada 10 palavras on
J. De qaal"- ua accrescer.
comprehend'' ije.r extremo ao oatro (endereco
vtUf" -"do) 50D rs. pelas 20 primeiras pala-
JJ + fraccao das mesmas, e 50Q rs. p^r cada
aegaroM inarillinoi e
A agencia desta rom(tanhia toma se#ar< s ma-
ritimos e terrestres. a iresnKts raz>aveis, ultimos o solo livre, e o seiian aaao pitatti aa
segurado.
F.-liciano Jota Goma*
ceaiav
51 Rua do Apollo 51__________
Capitania do porta de Peri am
biico, de utaio de IS a
Para seieucia dos navegaales, manda eU capi-
tania publicar os seguioies avisos:
Minislerio da marinha, ati$o nos nacepmuUi.
Pela secretaria de estado dos m gocio* aa mari-
nha se pul.licam as segaiotes instru'-coes, orgaei-
sadis pel > capilao de fragata n. TaiiUiorim. a Inr-
do da cauhoneira .IraoNa/y, on cumpriiii.i.to do
aviso n. 1,635 de 30 de jultto de I87:i
Iuitruoroes para deman lar o port. U U lna na
provincia do mesmo n >me, avistando n u pt.ar-.l
llapod.
0$ navios que, in lo do largo e do N d- manda
rem o porlo da Babia e avi>urem o paari.1 de Ita-
po5, luz fixa, cor natural, situado pur li*. 17' W
de latitude sal e 4*, 46', 30" de lngi/ade E do
Rio de Janeiro, visivel de lo milhas d diriaii -.a :
navegarao de modo a marca-lo p< r 36* NE. au-
gnetico, e puxaodo depois paia a birra at#
qae tenham o pharol da ponta d*. Panto Antonio
por 72, NO, seguirao sobre die, eonvrvaaJo a
luz um pouco aberta p r EB, por dentro da ataa
ra ; a passar bordando as nedras dessa ponta e
tendo o cQidado de nao se ap'artarem rnnit" dellas,
se a mare for de vasante para nao serem levados
sobre o cabeco S. do banco.
Montala a ponta de Santo Antonio navegirao
conven;entemente para o anc radouro.
Os que tiverem ds passar ao -ul do banco ira-
larao de conservar o pharol de liapoa de -Vi' SE.:
N, e uma vez demorando o de Santo Antonio por
2* >'E magnetico navegarao sobre elle.
Tanhoneira Araguary, lo de setembro 4e 1878.
Antonio Joaquim de Mello Tamborim, capitao de
fragata. Couforme. -S. Pessoa, direct r fe-
ral'.
luetruccoes para demandar o porto de S Fraacis-
co, na provincia das llagoas, ay,-undo ea o
pharol de S. Francisco.
0 pharol do rio S. Praacirc >, de lu Gxa, coil >
cado no pontal do norte da barra por 10, 29', 3U"
de latitude sul e 6, 45'. - de Janeiro e visivel em temjio claro ae 10 a 12
milhas de Ji.-taneia.
Os navios que demanJarem es^a barra devera-
logo que avistarem o pharol, navegar de modo a
marc-lo pel j N 4 NO e NNO magi.etico, e Cutsero
vando-o a esse rumo por uma aa la de 6 e 7 bra-
cks, areia ; esperar alii o pratico.
Canhmeira Aragunry. 14 de st-lembro de i873.
Antonio Joiquim de Mello Tamb'iiim, capitJo de
fragata. Conforme.S. R. Pessoa, dire-tor fe-
ral.
Iu>liuccocs para demnndar o potto de PernanLn-
co, na provincia do mesra i name, avistand)
o p' arol de Olinda.
0 pharol de Olinda, girante, de lampej*, > taa-
d"Por &, i'i 36'' de laiilula S, 8 16", i de Lngi-
lude F. do Rio de Janeiro e por 49 SO magn nr .
da ponta de Pao Amarello e v:s vd, e:n tempo ela-
ro de 10 a 12 milhas de dlstama.
Os navios que vindosdo N. 1-:aap.iarera o |iorto
dePcrnambuco, avistand > es^e pharol devem s gair
ao sul por araa sonda de 7 e 8 bracaa ate marca-
lo a O 4 N 0, e navegando depois ao S 4 SOo
S S 0, a ter o pharol do Pica, do 0 N 0 ao I I).
corrcr sobre elle para fuodear no lainario wn 3
ou 7 bracas d'agua, quando o phatol de O.iada
estiver ao N 4 NE magnetic >
Vindo do sul sera o pharol de Oliada, ma-'cad
por N 4 N E para se fundear no lainarao, teido a
pharol do Picao de 0 N 0 : N 0.
Canhoneira Aragunry, 22 d'- setembn de J873.
Jilwun Joaquim At X'tilo TaiubortM cauit i > d*'
fragata. Conforme.-S. '. Pes'on, dtrcaw g*-
ra'.
lastruc^oes para dercandar o porto da Parahytia.
na provincia do mesmo n me, avtstaaAa-sa o
pharol da Pedra Secca.
0 pharol da Pedra Pe-:ca na barra do rio Para-
hvba do Norte, de eclipse, cor natural. eaaV ca I >
por 20* NO magnetico do extremo norte da r-*tio
ga do '"abedello, e NS com os haiaoa de Lacena.
e visivd de 10 a 12 milha* em tempo d
Acha se por 6-56'- 3i" de latitude .-ul eV
17'43" de longitude E do Rio de Janeii ?.
Os navios que tivirem de demandar
barra deverao navegir do modo a marcar a aaa-
rol de 0:OSO ; c nessa posi.ao. em sunda de ."' \\t
a 7 brac.as, areia e lama, fundeando uu pairmd .
e-perarSo praticj.
Canhoneira .It-nonary. 5 de oatobro Jo 1871
Antonio Joaquim de Mell i Tamborim, capitao da
fragata.Conf irme. S./: PMIM, aWefaT fSJai
Instrucc,oes para demandar a barra velha de !gaa-
rassii, na provincia de Piauhy, autuid > .-e o
pharol da Pedra do Sal.
0 pharol da Pedra d Sal, de luz Gxa, aaaeaa-
do na ponta saliente da Ilha Grande entre a barr i
velha ae Igaarassil e das Canarias, na bocca do
rio Parahyba, e visivel de 10 a li milln* d: *!*>
tancia, e pre vine da existen.'la do rochedo iVdra
do Sal que corre ao NNE magnetico de!>a p -nt <
na distancia de uma mil: a.
Acha-e por 2'-48'-55" de latitude S e [ -
23' 3', 3 'le longitude E do Ri) de Janeiro
Devem os navios que demanJarem a barra da
Amarracao, ou barra velha de Iguarassii Ci>n-r-
var-se a barlavento do pharol, em distann i "<
milhas proximamen'.a. e marcandoo do NO '.0 a
0 NO magnetico funJear en 3 bracas de i
areia e lodo, a esperar pratico.
Canhoneira .ttvoiary. 30 de outubro de lv73.
.liifotJioJoogutiB de Meilo Tamborim. -i>
fragata.-Conforme.-S E. Pessoa, director g.ra'..
Coaforme.-0 secretario da capitania,
Decio de Aquino Fonsec-
Arrematacao.
Em audiencia do Exm. Sr. desenibargad'r juiz
privative de orphios eausentes, vao eer vetiii 1
em prai;a publica, no dia 18 do corrente. os b--a
que firaram por faileeimento do major Man .-i I
Nascimento da Costa Monteiro e sua mull -r I-
Antonia Vieira da Cunlra ; e a reqoeriineir. 1 i
tenente coronel Antonio Vieira da Cunha, i
menteiio e inveatariante dos reridos bens, os q-.i i
sio os seguintes :
A parte do engenho Regalia, que a casal inven-
tariado possne no valor de de 3:200* ; am terre-
no no alinharoento da rua da Aurora, ewnj "
palmos de frenre ate a rua de Luiz do Reg >, p i
200* ; um dito no alinhamento aa mm tin.
com 2O0 palmos de frente, por 400* ; am dito n.i
mesma rua, com 200 palmos de frente, fuados : t.;
a rua de Luiz do Rego, p t 446* < am i.ito m
mesma rua, com 150 palmos de frente, fuados ate
a rua de Luiz de Rego, por 360* ; um t Jto am
Santo Amaro das Salinas, com 100 palmos do fren-
te na campina que prende ao sitio perten*-ata a <
casal inventariado. por 200<4 ; am dito ao '
lugar. com 100 palmos de frente, a comec, r
campiaa que prende ao sitio do c sal invent irial,
por 200*. _______ _________
dos
C'OH I* A ^i IIII
trilhos urhina>
A Olinda "
do Beeifo
, BeborlbP
Nio havendo se reunido a
asserobleagiraldosSrs. ...
cionistas, coo'ofada pan
dia I do corrente, atim i-
proeeder se a ekta i
membra da comm -
contasera subsUtoifio
tro que pedio sua exoaeracao ; sio de
vidados os meiroos Srs. aceionistts a -
no dia 23 do correate ao meio dia, no. i
costume, para o referido fiat; e n MU. p<-
der-se-ba nos termos do art. 11 dos e*'ai
isto 6, funcionara a assemble* ooui |aal |u.r na
raero dos presentes.
Recife, 13 de maio de 1871^
0 aacrttario,
Luiz Lope3 Catello Braaeo,
..-



-._. BM1|
Diario de Pernambuco Sexfo feira 15 de Maio de Uf4.
Irmandade de 1ST. S. da Con-
ceicao dos Militares.
A mesa regedora da referida irmandade pre-
cisa contratar a obras do assoalho do paviniento
terreo do corpo da igreja, que devera ser de araa-
relto da melhor qualidade. 09 pretendentes deve-
rao apresentar suas propcstas era carta fecbada,
no dia 15 do correnle, as 7 horas da noite no con-
sistorio da'igreja, podendo para melhor se escla
recerem procarar o Sr. Thome Lopes de Senna a
rua do Bario da Victoria n. 32. .
Recife, It de maio de l87i. Leopoldo Uchoa,
secretario.
Luso-Brasileira.
0 thesoareiro desla sociolade Antonio Bcnto de
tempos declara ao respeitavel publico e em gjral
aos assoctados que entrega a thesouraria da mes-
ma assoiiacao ao seu successor, kvre e desem
baracada de qualqaer onus, no cntretanto, qoem
se jalgar credor da mesma, apresente seus tituios
para em continente serem pagos.
Recife, 15 de maio de 18?t.______________
Por esta reparticao se fax publico, para quem
ttieresaar possa, que pelo Dr. chefe de policia da
provincia das Alagoas, foi alii entregue ao respec-
tive depositario, o negociante ioao Francisco Fer-
reira da Silva Braga, o pardo Eugenio, escravo
de Maria Joaquina dos Santos, em viitade de re-
quisicao do Dr. juir municipal e deorphaos da
capital da mesma provincia aflm 4e que possa
referido escravo tratar bvremente de sua liber-
dade.
Secretaria de policia de Pernambaco, 13 de
maio de 1874.
Pelo secretario,
______________Francisco G. da Suva Barroso.
Sociedade Beneficeate Luso-
Brasileira
Convido os senbores membros do conselho fiscal
a comparecerem a sessio extraordinaria do mes
mo conselbo, que tera lugar as 7 horas da tarde
de sexta-feira 15 do corrente.
Tendo de toraar posse a nova administracao des-
ta sociedade no proximo domingo, 17 do correnle,
convido aos seuhores socios e os novos eleitus a se
reuoirem em assemble? geral nesse dia, pelas 11
horas da manha, na forma do art. 41 dos estatutos.
Secretiria do conselho fiscal, 13 de maio de
1874.
0 secretario.
_________________M. F. Paula Beis._______
Acham-se legalmente depositados pela sub-
delegacia do 1 districto dos Afogados, dous eaval-
los, seado nm ruco e outro castanh* : quem se
achar com direilo a elles, provando, Ihe serao
entregues.
0 subdelegado
Joao Chrisostomo ae Albuquerque.
Libras esterlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
_______Rua do Commercio n. 42.
PROCiRESNO MARITIHO DO PORTO
Kmproxa porlnenae vapor entre i'oriui.'iii e o BraMll
O VAPOR
Jtuo uraiz
Cammandantv Ctntente
R* esperado da Bn-
ropa em 13 do cor-
renle, e depois da de-
mora do costume den-
im deste porto segui-
ra para Bahia e Rio
de laneiro.
Passagens e fretes de cargas, encomroendas e
valores, tratam-se com os
AGENTES
E. It. Rabello tt C.
48 Rua do Commercio 48
COMPANHIA BR4SILEIR1
DE
1VAVEGAQA0A VAPOR
Horto do norto
Lisboa e Porto
Vai s&talr com brevidade a veleira barca Lisboa.
Recebe carga e passageiros: a tratar com Tito
Livio Spares, roa do Torres n. ft).__________
Para o Rio-Graniie do Sul
Pretende sahir brevemcnte a patacho portnguez.
Matxiai, por ter ccntralada grande pane da sua
carga ; para o restante trata se com E. R. Rabei-
l & 0., a rua do Commercio n. 48.
IEILOES.
Leilao
Era continuacao
DE
tnoveis, louijas, miudezas,
das, perfumarias, ouro
Commaadante Carlos Gomes
E" esperado dosportos do sul ate" o dia 16 do cor-
rente e seguira para os do norte depois da de-
raora do costume.
Para carga. encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio.
. 7-^R.UA DO VIGARIO-7
_________Pereira Vianna & C.
Preoisa-se contratar com quem mais vanta-
gens oflerecer, o calafeto e forro de metal de duas
lancbas daassociaca) dos praiicos desta provincia.
As possoas que se propozerem, deverao apre-
sentar suas propostas em carla fecbada ate as 10
horas da manha de 16 do corrente.
Associacao da praticagem, 13 de maio de 1874.
ilerculano J. Rodrigues Pinheiro
.__ Pratico-raor.
Libras eslerlinas
Vendem Pereira Carneiro
& C.
Rua do Commercio o. 6.
tes
No i.1
crystacs, fazen-
prata c brilhiui-
Hoje
A'S 10 HORAS DA MANBA
andar da rua do Vigario Thenorio
n 11.
Pelo prepito do a^ente
tana.
Pea-
LEILAO
PAIA LW
Deve segair em poucos dias a e.-cuaa portu-
gueza Aguia ; para a carga que Ihe falta, trata-se
com E. R. Rabello or C. a rua do Commercie n.
48.
Arremata^ao.
Pelo juizo de provedoria, escrivao intorino Gui-
maries, serao vendidas finda a audiencia do dia
lo do eorrente para pagamento do sello de he-
"oca e mais despezai do inventario do casal da
finada Franc sea Maria da Concei^ao, casada com
o tambem fallecido Jose" Pereira, as seguintes ca-
sas de ns. 2 e 8 na travessa do Corpo Santo ; n.
57, na rua do Apollo ; n. 4, na iravessa dos Gua-
rarapes ; a saber : a !.' avaliada em 8001. a 2.'
por 6501, a 3.- por 4001, e a 4." por 1:1001
Hospital portuguez de bene-
ficencia em Pernambuco
Sao convidados os socios deste hospital para
comparecerem a assemblea geral, que devera ter
Ingar domingo, 17 do corrente, as 11 horas da ma-
nha, afim de se proceder a eleicao de dous mor-
aomos era substituiQio aos que declinaram de suas
noraeacoes, e serem lidos o relalorio do anno pro-
ximo passado e o parecer da comniissao de exame
de contas.
Em seguida, e corn a ^olemnidade do costume
tomarao posse de seus cargos os membros da jun-
ta administrative .jue lem de funccioaar no cor-
rente anno.
Hospital pOrlUtfllCZ de hanaRaoaeia,
< II 11(4.1 I IIS Itl I Ms
COM PAy HI A FRINCEZA DE NAVE-
GACAO A VAPOR
LINHA MENSAL ENTRE 0
Havre, Lisboa, Pernambuco, Rio dc
Janeiro, (Santos, somente na vol
ta ) Montevideo, BnenosAyres,
(eom baldeacao para oRosario)
STEAMER
Cotnmandante, P. Robert.
E' esperado da Eu-
ropa at6 24 do cor-
rente, segnindo de-
pois da demora preci-
sa para 03 portos do
sul de sua escala ate
DE
12caixas<3om velas deeera
Hoje
as 11 h. rasda manha
NO 1." ANDAR DA RUA DO VIGARIO THE-
NORIO N. 11.
0 prepostodo ageute Pestana fara leilao de 12
caixas com cera em velas
A SABER:
N. 1-Uma caixa com 40 Iibras de cera em velas
de 1 libra.
N. 2-Umadita com 37 ditas de cera em velas
de 1 libra.
N. 3-Uma diU com 37 diias de cera era velas de
1 libra.
N.V:Uma dita com w dit deeera em velaa de
1)2 libra,
N. 5Uma dita com 37 ditas de cera em velas de
1]2 libra.
N. 6 Uma dita com 37 ditas de cera em velas de
1)2 libra.
N. 8 -Uma dita com 36 ditas de cera em velas de
3 em libra.
N. 9- Uma dita com 36 ditas de cera era velas de
4 era libra.
N. 10-Uma dita com 37 ditas de cera em velas
de 4 em libra.
No arruazem do sobrado da roa do Bom Jesus
n. 20.
ao correr do marteUo
Desde ja declara-se queo referido armazem es-
ta para ser alugado.
Segundo e ultimo
LEILAO
DE
uma lancha a vapor
Sabbado 16 do corrente
4'S 11 HORAS DA MANHA.
Em frente ;i companhia Pernambucana
0 agente Dias, compelentemento audorisado,
venders no dia e hora acima designados, a referi-
da lancha, que se acha a raachioa em perfeito es-
lade.
Esta embarcacio acommoda 2J pessoas, e uao
s6 serve para recreio, como para conducrao de
passageiros dos vapores qne fnndeam no lamarao,
assim como para rebocar alvarengas. dentro do
porto.
A machina e de forca de 6 cavallos, e pode ser-
vir para qualquer outro mister, taes como : ser-
raria, engenhos, etc., etc.
Oi Srs. pretendentes podem desde ja examina-
la, pois esta atracada ao caes da referida compa
nhia. "^
Em seguida vender-se-ha uma oulra machina
qat P"tencea a nm ou'ra lancha igual a esta,
podendo ter a mesma applicacao, assim como o
casco do vapor Mamanguape, lal qual se acha
fundeado na corda do Passarinbo. Pcssde muiias
chapas de ferro e cantoneiras que tem valor e ap-
plicacao. '
LEILAO
encommendas e passa
o Rio da Praia.
Relativamente a fretes
geiros, trata-se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
iiRua do CommercioEntrada pela rn
do Torres.
iic ta
ij.i,'
PARA'
iN. 11-Uma dita com 36 ditas de cera em velas de
6 em libra.
N. 12Uma dita com 40 ditas de cera em velas de
8 em libra.
N. 13-Uma dita com 39 ditas de cera em velas de
8 em libra.
Sexta-feira 14 de maio
is 11 horas da manha.
No I." andar do sobrado da rna do
Vigario Thenorio n. 11.
Pelo prep mm to do agente Pes-
tana
I'elo preposto do agente Pestana.
DE
duas casas terreas
Uma a rna Velha n. 102, com as seguintes c mmo-
didades: 2 salas, 2 quartos grandes, cozinha,
sotao, quintal plantado e cacimba.
Ontra na mesma rna n. 34, com salas, 3 quartos
coanba fora, quintal, cacimba e 1 quarto, estao
hvres e desembarafadas de qualquer onus.
SEGUNDA-FEIRA 18 DO CORRENTE
Ao weio dia
No escriptorio & rua do Bom Jesus, n 53,
primeiro andar
0 agente Pinho Borges vendera as casas acima
por conta e risco de quem pertencer.
Qualquer esclarecimento relativo a ditts casas
o mesrao agente esta autorisado a dar. Os Srs. pre-
tendentes poderio examinar.
Leilao
Leilao
0 bngue portnguez Soberam segue para o in-
dicado porto, lendo ja parte da carga engaiada ; e
para o resto que Ihe falta, trata-se com os consig-
natanos Amorim Irmaos 4 C, rua do Bom Jesu=
numero 3.
Luiz Duprat
Secretario.
1NSPECCAO DO ARSENAL DE
MARIMBA.
Faz-se publico que em data de 12 do corrente
loi vistonado o vapor I'irapama, da companhia
pernambucana de navegacao costeira, e a commis-
sao julgou-o em estado de pDder continuar no
servico em qae se emprega.
Inipeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 13 de maiode 1874.
Francisco Jose" Coelho Netto,
___________________Inspector interjno.
ADMLMSTRA^AO DOS CORRE10S DE PER- '
NAM BUCO, 15 HE MAIO DE 1874.
Malas a expecllr-se
Pelo vapor nacional Pirapama, esta administra-
;ao expede malas para Jaragua, Maceio, Penedo e
Sergipe, hoje lo.
liecebem jornaes, impre^sos e cartas a registrar,
ate 2 horas da tarde, cartas ordinarias ate 3 hora
e estas at<5 2 Ii2, pagando porte duplo.
0 admm istrador
Affonso do Rego Barros.
Rio
o
de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
cional Isabel, tem parte de seu carregamento en-
gajado ; e para o resto que lfie falta, trata-se com
o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, rua do Bora Jesus n. 37.
DE
dous bilhares de mogno, com suas pertencas, ca-
- bides, quadras, relogios, mesas, com tampos de
pedra e mais perten.;as deumasala de bilhar
DE
uma grande casa terrea e sotSo, & rua do
Rangel n. 46, (em chSo proprio), com
duas frentes, esta* Iivree desembaracada
de todo e qualquer onus
SEGUNDA FEIRA 18 DO CORRENTE
Ao meio dia
No escriptorio & rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar
0 agente Pinbo Borges vendera a casa acima
mencionada, por conta e risco de quem pertencer
Os pretendentes podem desde ja examinar a re-
ferida casa.
as 10 1|2 boras da manha
Por intervencao do agente Pinto.
Na rua de Santo Amaro n. 42.
LEILAO
DE
riu'inin.
Sahira" com brevidade o patacho portu-
guez Lidador, por ter quasi toda o carga
prompta ; para a que Ihe falta e passagei-
ros, trata-se com E. R. Rabello & ., i
rua do Commercio n. 48.
Santo Antonio
mmntMXA
Segunda
em 8 actos
Sabbado l<; de maio.
do importanle drama
representagao
e 6 (juadros :
Pacific Steam Navigation Company
ROYAL MAIL STEAMER
LI3SIT\NIA
Eipera-se da Euro-
pa at6o dia 24docor-
rente, e depois da de-
mora do costume, se-
guira para Babia, Rio
_ de Janeiro, Montevi-
deo, Buenos-Ayres, Valparaiso, Arica, Islay e
Uliao, para onde recebera passageiros, encom-
mendas e dinheiro a frete.
Nao sahira antes das tres horas da tarde do dia
de sua chegada.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
t4RUA DO COMMERCIO14
PAR 4 0 PORTO.
Seguira brevemente a barca portugueza Aleqria
por ter engajada a maior pane do seu carrega-
?Cl% Kana Ve,?t0 e Passage'ro3, trata-se com
t,. H. Habello & L., a rua do Commereio n. 48,
ou com o capitao. '
No dia 15 do corrente, asli horas da manha, Ju-
lio Izaac, com casa de penhores a iravessa do Du-
que de Caxias n. 2, por intervencao do agtnte Mar-
tiDs, fara leilao dos penhores constantes das cau-
tellas abaixo declaradas, vencidas e nao reforma-
das, a saber:
Cautellas.
. J3M. 1303, 1565, 1604, 1673, 1803, 1835,
*gSj 12&> i^6' 2028>2050'2143.2l92 **
i?o?f SS2* 2282> 2303> 2333> 2339> 23i2> 2ai5
Iml- !Hf' 2S? 2483' 2539' 2562 2605 ^607
S f316.14' 26,72627'2638' 2C32>2676
IS5S' !52?' 269l> 269S- 27u. 27"3. 2712 2715
& E24' 2729> 2730' 2733> 273i 2736 2750
?7o2, 2760, 2765, 2766, 2772, 2775, 2779 2780
2797, 2807, 2820, 2822, 2828, 2833, 28i2.
2858, 2859, 2861. 2864, 2865, 2869, 2872,
2894, 2896, 2899, 2900, 2909, 2916, 2918
2936, 21137, 2954, 2959, 2969, 2955, 2972,
2978, 2373, 2988. 2993, 2998, 3009 3013
3023, 3026, 3032, 3041, 3045 3049, 3055
S W 3063> 308i> 3087' 30" 3u' 3105
S 2M2' 3117> 3. 3120, 3128 3129 3132
3142 3134, 3165, 3166, 3168; 3171 3176, 3)33
e 747- cujas cautellas podem ser reformadas ou
resgatadas ate o baler do marlello.
uma caixa com 100 duzias de sapatos de
charlote, com sal'os e sem saltos, para
homens e senboras, e sapatos de casemi-
ra preta e de marroquim
SEGUNDA-FEIRA 18 DO CORRENTE
A's 11 Horas
No escriptorio 4 rua do Bom Jesus
primeiro andar,
0 agente Pinho Borges levara a leilao os sapa-
tos acima raencionados, por conta e risco de auera
pertencer.
Pelo preposto do ugcuto
tana.
n. 53,
Pen-
AVISOS OVERSOS
2793
2853,
2890
2927,
2975,
3016,
3059,
Principiara as 8 1|2 horas
A'* 5 i|9 horas da tarde
Terceira represenlancao do drama :
' A A VO'
Jermmara o especlaculo com a opereta eai um
Sem falo c sem noiva,
A empreza esta remonlanda para a proxima se-
0 NAUPfiAGIO
riACATAHMEIO!i
macei6.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.>'avegaeffo costeira a vapor.
ESCAU4S, PENEDO E AIUCAJU'.
0 vapor Pirapama, com-
mandante Silva, segui-
ra para os portos acima
no dia 15 do corrente as
5 horas da tarde.
Recebe carga ale o dia
13, encommendas, passa-
a frele ate as 2 horas da tarde
escriptorio no Forte do Mat-
geiros e diaheiro
do dia da sahida
to n. 12.
ISOS
MAR!
COMPANHIA PERNAMBUCANA
^'a vegaciio costeira a vapor.
RIOFORMOSO ETAMANDARE.
0 vapor Mandahu,
eomroandante Mari-
nbo, s eguira para os
portos acima no dia 15
do corrente as 9 horas
da naiie.
Recebe carga, encommendas. passageiros e di
nbe.ro a frete: escri*orio no Forte do Matto,
Para.
LEILAO
Em continuaqao
do de nozos e fazendas
Sexta-feira 15 do corrente.
As 11 horas da manha
No primeiro andar da rua do Vigario The-
norio n.- li.
0 preposto do agente Peslaaa fara leilao., por
comae risco de quem perlencer, de 25 pares de
quartinhas hainburguezas, 26 corles de vestido
modernos de diversos gostos, 31 chapels enfeila-
dos para meninas, 50 peps de franjas de seda
para vestido, aO lirjleiros magicos, 12 chapeos es-
paneine, 12 ditos de dito, 12 ditos de fuslao para
menino
SEXTA-FEIRA 15 DO CORRENTE
ds 11 horas em ponto
________no referido primeiro andar.
Ao commercio.
Uma pessoa habilitada propoe-se a contratar
es;nptas commerciaes, quer por partidas dobra-
das ou simples, garantindo toda perfeipao e promp-
tidao : quem de seus servicos se queira ulilisar,
dinja-se em carla fechada com as iniciaes S. J. S
a loja do Passo, rua do Crespo n. 7 A.
Furtaram da casa dos arcos nos Remedios
no dia 11 para 12 do corrente, uma trouxa de
roupa lavada, a qual continha diversas pecas pa-
ra homem e senhora, bem como toalhas, lencos,
etc. As diias pecas tem a marca M. A. Guima-
raes: quem della der noticia dirija-se a dita case
que sera gratificado generosaraente.

PASTILHAS PEITOR
m PAIIf.
DE SUCCO DE ALFACE e LOURO CEP.tJA
De flRin.il'LT e ', phonnaeevtieos.
Todas as pastilhas pectoraes, hoje de grande roputacao, coni>f.m nn
Irrilantcs.OsdeAKaceTdeLouro^crejanao contomo^io. sao i?22o2ES52JSfi
que todas as outras e n5o exeroem acco nenhuma irri&nte m^SS^tSRS^SSST^
Cur5o rapidaraente a coqueluche, a tosse, os defluxQH, o catarrh., mdmnnar Mtaoc^
do peito, a lalta de rcspiracao, e aUviam a asthma 0 as rouquidoea.1 irri*V**
IIIMM '(Mi- IMMlhuW
' t> f iiMnnila-
I1H' licaim ;iln IIOVO
(cvomlogom-ntin Hox^hidar coui iud.ia beuevoleucia, pehM Hcnhoros nv>.Jicos as nmnn.
APPROVADO Pf.LA ACADEMIA DE MEOICINA DE PARIS.
A Academln de MftHetiui rtc Piris :.. inn dog eonjos -:il.i... u ,min .v-.m"
W.1' ,lc esttaHiilo, c loirto h<< iiik- jA le> alsnim
rccoueo a sua Rjjpwvifc.-Jio.
Ocvcni logo servin
C6es
o segliintp do Bolettm da Acailcmia
a*.^^atlomia,.iu,fe'a q,,c Protoxalato de ferro apwmlatlo i-lo -loutor r.irr,i *
Dcpositos em Pernambuco : FERRE1RA, MAIA fr ; M.-A. BARBOIA e
roico e ra]>ido das lorras pcrdidas
cipaes pharmacias de Portugal e do Brazil.
nas prin-
DOENCAS das CRIANCAS
AAKOPK de RARAAO 10DADO
IAAKUP
agradavel; 3-_
E
" 7Tr"p,"HX i; 8 ue Dacalna". tem sobre este as s-guintM
um
como o rachitismo, oallldez etc 4 "JT ^fj;^"-^ ?"" ""';, ""- vicii.., no saiiirue.
dellcadp. .lfflM g^ii e?uaeSacu,rati;^a,,r,,,n"ria "!
peito, e da pelle nos enfartes das
tlas do
he prod it
glandulas.
iosa nas atolca-
XAROPE d'HYPOI
GR1MAULT e C'.A pharmaceUTicos eivi PARIS
Hoje e sabido que o pl.osphoro e a cal suo as basoa essencfMi do .lualouor orod
ado a reconstilu.r o organismo c a cicatrb-ar os tulxrcilos J22?JZ$!?, ESLffS C* ''" "***. P",para.-o,>s j.r.Klii^m o offoito dosei^Jo he ne-
WHrto que sojao absolutamente puna, condiyao quo ne.dVu.na casa ,-Mle roaliur melhor ^te
uea nossa, cujo o director sc.ent.fico he o illustio cl,v,i,o r> Lecnte prf.J.-ss rL MadSado
l6O^eKlfare?l'eparad0r ^ Cl,"'SO JSHSEL m?d'"'- e 0S d"eJ,u>s V 'l nhecidos ate hoje nos darao certamenle a preforencia sendo a sua effi aaa luDertor ade
Odos os outros, no curativo das aHeccoes pulmonares "uiacia supenor a dc
J2!L2i??5?' faz d,esaPPyecer os suores nocUrn,.--. cura a bronchitcs, os catarrhos
lulmonares, a lisica. e corta a febrc lenta que deslroe as f r..as do doente. cauurnos
Deposilos em Pernambuco: FERREIRA, MAIA C ; M
lipaesphar wci-xs de Portueal e do Brazil.
-A. BARBOZA, e nas prin.
INJECCAOe CAPSULAS
V^GEI AES ao MATICO.
A injecyao de Matico remedic
^mnbnh^Mii^^:^^^^^^lnoJL ronhecido. cura rapidamente a.
leaccidentes^e senViS StaSS?KJS lenhuma accao corrosivT estreitamento dc nenhum genero. posto que nao eieroe
As Capsulas de Matico dilferem completamente de
J0je_: as^psulas do commercio contem a copahiba liquid.fe caus3o7njoo."arroVos'-? volai
ossas ao contrario cobertas com uma car
?m coritacto com as viasVrinariat CnOSlnles,Inos' e ^ rcmcdio *-*"
nenhum genero.
todas as outras empregadas ate
torque dissolvem-se i^^ioyS^oT^n^^'^i^Z^^f^ r"J'",' *"*"* V0^109
v$&^S^iS2^.m,nidas uma -* *- *"
Estas
I ustre
>ilulas sao resultados
annos de experiencias e notaveis estudos teHna
totatiai?da%to*enaV8, n HSpitalde S' LuiE f"il1^" liSSSfm tratamooto-.Ua
rv**,niug6 os tan medicos receital-as
e -upcees o molesUa. da pelle por muTtogravef que^e.'Unh* C em fsmX *tod" M
Depositos em Pernambuco i FERREIRA, MAIA
Pharmacias" de Portugsu'e doSSST^ """" C'5 ~ M'"A" BAR,0ZA' m *.
e XAROPE de DUSART
COM LACTOPHOSPHATO DE CAL
VINHO
O* medicos dos grandes hospitaes de Paris receilao ambos Mfea i
Jos como recpnslituintea e roparadores por excellent para \. .,
ic ne c consegiur a assimila.-ao rapida dos aliincnlos '
u]acoriecu,vrcterr,,','linlis/,';: "s ",ulhcrC3 gravidas o efamento pmhrnkM do Mi
"!. c.insid-
I-, despertar a
is amas
rri.id.i?
ine
(l^fwncrra uti nRO e MANGANEZ apprtu'a pela lca*ia de IrJirma it Paris
mJaZmPQ. t3 ,reuente das pilulas de iodnrelo dc ferro provem de quc nao enira n eiu.
i pilulas de iodureto de ferro e manganez de Burin du Buisson,
leilao
com avn-
Para o indicarJo porto pretendo seguii
com a possivel brevidade o patacho portu-
guoz Azurura, por ter a maior parte de seu
rarregamento engajado e psra o resto que
I lie fal'a trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose" Gonr;alvcs Beltrdo & Pilho,
a* rua do Commercio n. 5.
Porto
segue com toda a brevidade a barca portugue-
)l ZT1m' P0l!,,er d0Ui ler?osda carga promp
romot^n'6810.^-"^3 eP*aeiros, trata-se
corn os consignatarios Thomaz de Iquino Fonseca
a t. bucccssores, a rna do Vigario n. 19.
DE
3G balas de ppel de embrulho,
ria d'agua salgada
SABBADO 1G DE MAIO
4s 11 horas
0 agente Pinto fara leilao, com au!orisac5o do
Sr. consul de Frauca, em presenca de seu chan-
celler, e por con'a e risco de quem pertencer, de
Jb balas de papel de embruM, marca S A, ava-
das d agua do mar, a bordo da barca franceza
Santo Andiv; o leilao sera effectuado no dia e ho-
ra acima meneionados, no armazem da rua do
Bom Je_*us n. 20.
Leilao
Rio de Janeiro
Fara eindicado porto segue com poucos dias
de demora a barca portugueza Feliz Uniao nor
ter a maior parte de seu carregamento engaiado
s para o resto que Ihe falta, trata-se com os con-
eignatarios Joaquim Jose 'ioncalves Beltrao & pi-
sho, a rna do Commercio n. S.
DE
objectos de escriptorio e armazem
CON.^TANDO DE :
differenles corteiras grandes e pequenas, enver-
nisadas e nao evernisadas, 2 mesas com prensas
para copiar cartas, grandes mesas proprias pa-
ra fa?endas, balcSes, praleleiras, laboas de louro
c pinbo, e medidas, uma burra, prova de fogo,
1 balcao envernisado, repartimenio de escrip-
torio e muitos outros moveis, entre os quaes
uma mobilia de jacaranda"
Sabbado 16 do corrente
as 10 112 horas da manha
Na Pragado Corpo Santo n. 6, f andar, pre
... ...... ,..IVWV ^^ linWt -gSSco"^^.^ "
Obras completas do, padre
Francisco Ferreira | Bar-
reto.
Vao Cnalmente ser publicadas as obras com-
pletas (prosa e verso) deste granle escriptor -per-
nambucano. cuja repulacao litteraria nao se cir-
cumscreve somente a sua patria.
A illustre assemblea provincial, conhecendo
quanto vai de gloria para Peruambuco, na publi-
cacao dos variados e imporlantes escriptos de lao
noiavel homem de legras, acaba de volar o sub-
sidio de 2:000*000 para a referida pnblicacao, o
que constitue uma prova do acrysolado patriotis-
rao dos dignos legisladores pernambucinos.
0 Exm. Sr. commendador Henrique Pereira de
Lucena, mui digno presidenle desu provincia
sempre solicito em elevar a terra que o vio nas-
cer, cheio de patriotismo e amor as lettras, empe-
nhou-se dignamente nessa publicacao, da qual
encaTregou os Srs. Carlos Eduardo Muhlert & C
proprietarios da typographia Mercantil.
Os editores nao tendo em vista a ganancis^e o
interesse, e sim apresentarem uma edigao corres-
pondente a iuiportancia do texto, e ao alcance do
maior numero, resolveram publicar as obras do
padre Uarreto em 2 volumes de 300 paginas, e
com o retrato do autor, pelo commodo preeo de
5*000 cada exemplar, pagos na entrega do pri-
meiro volume, para assignantes, e 8*000 para os
que o nao forem
Nao podendo os editores pelo estado preoario do
nosso commercio e industria, e mesmo pelo pouco
recurso pecunario de que di.'poem, empaiar gran-
de capital, deliberaram imprimir ura numero li-
mitado deexemplares-o estrictamente nedessario
para cobrir as despezas; o que servira de aviso
as pessoas que quizerem possuir as desejada-i e
importantes obras do illustre escriptor pernanibu-
caao, afim de que se apressera em subscreve las.
Subscrevese em todas as livrarias, e nesla ty-
pographia
Os editores.
immmmmwmmmnmmmmmmmmfmmmm
Mabel Maria Pedro Luiz do Espirito Santo e
sua familia agradecem a todos os
seus amigos, e especialmente a ir-
maiidade de N. S. do Terjo, o ravor
que lhes fizeram em acompanhar o
cadaver de sua prezada esposa, Isa-
bel Maria do Espirito Santo, ao ce-
milerio publico; e de novo os convida para as-is-
tirem as missas do setimo dia, que terio lugar na
malriz de S. Jose, sabbado 16 do corrente, as 7 ho-
ras da manha, os qnaes -c confes-am summamente
agradecidos.
s
Jos6 Maria Mendes e
a negocio.
Ase^JSaSSSS^SesS^StSSA -
pela
Aeademia
nades da menstroacao, e nos accidentes de siphUis consUtucionalT
Depositos em Pernamfcuco rERREIRA. MAIA a C M -A BARBOZA a n.. j^
cipaes pharmacias de Portugal o do Brazil. BAaBUM, e nas pnn-
XAROPEeMASSA
DA SEIVA
i PINHEIRO MARITIMO
A influencia que tem os prlncipios resinosoa do
iinheiro maritimo sobre o palmao em todos os
graos da tisica, he Uo maravilhosa, que a medida
que desenvolve-se a sua accao, ve-se por assim
dizer o doente vollar A vida.
Nosso xaropc fabricado com a seiva do pinheiro.
recolhida logo ao sahir da arvore. contem o prin-
cipios resinosos com loda a sua enenria c pureza
seu effcilo he pois innnedialo c Begun contra on
deQuxos, catarrho pulmonar, rouquidoe*,
erol contra lodas as molcstias do peito, Sjaslqaer que seja o sou e.siado.
xMmmMB&E
GIGARROS INDIOS
NNAB
[MAULT e Cu, pharmaceuticos em PARIS.
ias
cerehro
Ajs propnedades do pnncipio activo do canhamo dc Dcngala que contem nossos cicarros
saojno admiraveis, que apenas se rcspira alguma lumaca, nota-se logo uma irrandc "facili-
aac s em respirar. menor oppressiio, em uma pahu-ra um alivio rApido, complelo e inoffensivo
por me os nos'^s cisctos nao contem nenhum pnncipio tdxico. S3o pois esles ciparros o unico
remcdio certj que se possa acconsclhar com confianca contra a asthma, catarrhos oulmo-
nai', ne vr jses, laryngite e era geral contra todas as molestias das vias respiratoria*.
H% ilP^'a!H.PirnDa16"Ci 7^RBJ,EA' MAIA !~ *-* BARBOZA. e nas prin-
dpfe? p.iarraacias de Portugal e do Brazil. K
HOSPHATOdeFERRO
le IiKKAS phariuaeeutieo. HOUTOR Ell SCtFKCU
Jfc?L'e1!Jsinosos con^dos ate hoje, produzem graodes nrtlseSes a Htsto de >o-.ire
Ou lorquco estomago nao po.lc supporUal-os ou eirlao he quc nocessitlo ,r, cc iri^o
para assimilar-se ao organismo. O que hoje. recommendamos .oSKXvd
dlat imente. nao prouuz nehu.n dos raAos eBeitoe quc acabamos d .it^ a8Sjm"a am*
jura hoBAP.OA e cert* nas cores pali.idas. chi.oi.oses, c oi-biupaom ella re-uHrirj. .
cert "dc'od^Tm ^,v;,'an'C!,1,c aS ^-vauks,:,,x,-v dilii,, i- : ri^!;. w ^avra* %a4aSa
f?" '''c 10 P'>r onge.n a pobreza do sanerae. c o n- .1,
enor. ico para reanlmar as foroas debiiitadas ,,clas f a^e^SosartoTes A' L.
CUR
so d<
mais
ph
Lo
cipat-
Enzaquecas, Ddres de Cabega Nerralgias
R A PI US
Er.o
Dc GRIMAILT c i '..
PIURMACKIITICOS CM TXRIS.
nrovar uma vcz este medicamento para se Bear cm-encido da sua el (ieaeia. fm.i
uma ca um pnuco d'agua com assocar, far. linsspparrrw at
t'lixaqtu .'a on novnilgia. Er por este molivo quc clle loi udm ,\ ,
a lui'iiicada pelo geverno.
em Poram*ico : FERRE1.A, ..MAIA e C; M.-A. BARBOZA.
pharmacias de Portugal c do lirozil,
50,
'
-
o nas prin-


-


Diario do Pernambuco Sexta feira 15 de Maio de ] 874.
B
om negocio.
Vende-se ou arren-'a-se o gnn'e predio
de urn andar e sotao, sito ria ma do Rispo
Sardinha. proximo da greja da Mi.-crir.or> i,
na cidade de Olinda, tendo duas boas salas
de frente, urn slao no sotAo, scis quarto .
espacosos e free ;os, urna grande cocheira,
quintal toJo oercado ile novo, e com diver
sos arvorodos, uma boa fonte d'gua, e
tendo gaz canalisado. Achando-se prepara-
do com todos os moveis indispensavns i
uma grande familia, serdi assim vendido-ou
sens os moveis : a tratar nesta typographia
ou na rua da UrriSo n. 49, sobrado, alraz do
paco da assembles.
Escrava eoziulieira
30P00
Precisa-se com urgencia
de uma perita cozinheira e
compradeira para casa de
uma pequena familia, pa-
gando-se a quautia acima :
a tratar no pateo do Paraizo
n. 28, 1. 2. andares.
PUNDICAO
RUA DO 8
DO BOWMAN
52
(P'v.S85Uid0
AOS enboifs oe (-ngcnfx
o chafariz)
I'F.DEM AOS enboifs de (-ngcnflo e orrtroa cncnl!orVB, ? ^mpre^adjrea de m
i'tiismo e favi- de unu vif^ k't'fv eitatMtechnebhf, pirn verein o lovo lortimeotc
ompietj quo aui tem; beat;,, udo superior em quaiidade e fortidSo; o quo com a ins
*ccIo peascal podese verifiesr.
ESPECIAL ATTEN?AOAONUMEROE LUGAR DE SUA FUNDIQAO
CTann->-* A v*n/inr> rlJon-no ^os m'i,& modernos aystemag e em ta
vapo*e*. e roaas a agaa marjhlls conVeniente9 par* M uwm
Devedores.
Os proprietaries da Confaitaita do Camp s
rua do" Imprrador n. 2A, pedem aos seusdevedor
quo tern s'ido remissps, o favor de virern pagar > A-
urbitos ate o dia 8 de abnl proximo vindoiire
avisam aus memo* que se ale aquella data nao e
livercm >aldo.. reran won nonte< ne 'cm li.-ciiir.-an de pets -a alumna. -
des.arocar algodlo.
o> tamanhos, as^melhorei
qoe iqui
10#200
NIo eja Vf lhaco por uma quantia ta"o diminu-
ta, quem nao pode pagar champagne, nao offerece.
A sombra da Paraen-e.
Aluga-se o 2. andar da casa da rua do Tor-
res n. 18, e os armazens da rua de Barretq de
Menezes n. 8, e da travessa dos Exposlos n. 18:
a tratar com o ministro da Orders Terceira de S.
Francisco, no consistorio da mesma ordem.
UmiMWM do rallertmento de
o. Clementina I'dllomrna de-
"touiH Leile.
Joio da Silva Leite manda rezar missas por al-
ma de sua sempre chorada esposa, na igreja da
Madre de Deus, sabbado 16 do corrente as 7 bo-
ras da manna, convida a sens amigos e aos pa-
rentes de sua nnada esposa, o caridoso obsequio
de alii irem rezar um Padre Nosso e uma Ave
Maria, por alma da mesma Snada.
mmmmKVnmWHi
Dr. Joio aIvch Hergulhao.
0 major Joviniano Antonio Duar-
te Cunha, possuido do mais vivo
sentimento, pela morte de sen pre-
sado amigo o Dr. Joaa Alves Mer-
gulhao, manda rezar uma missa
por sua alma, no dia 16 do cor-
rente, na igreja da Madre de Deus,
no Recife, as 8 horas da manha ; e para assistir
a mesma, convida os parentes e amigos do falle-
cido.
.ircotnstanciaa dos aenborea pr ipfietario* e pan
ttoendas de canna %$
Sodas dentadas p,ra ,n5oMM'agoa e vapor-
Taixas de ferro fundido, batido e de oobre.
ilambiqnes e fundos de alambiqnes.
WftpVliniGTMOfl para mandioca e algodlo,I Podendo"todoi
uavuiuiBJUUD epiraierrar madeira. f ser movidoa a mlo
Bombaa ., iPr *&** ^p0''
*v***w*o de patente, garanttdas........ Ion animaes.
Todas as machinas e pecas d6qae M co'lonu preciMr-
Fas qualquer concerto de macbi,ii8mo' aPre? ^wpw
FormaS d6 ferrO tom aa mslbor63 e milt baralas exiatentea no mer-
SnnnmillAnilatt Incombe-ae de mandar vir qaalqaer machiniamo i von-
auuujuiuguuttB, ude dog C|ientei> lembrando-lhea a vaotagem de faxerem
aai compras por intermedio de peaaoa enteDdl,a, e qoe em qnalqner neceaaidade pode
iu preetar aoxilio.
irados americanos e in,l^oroen,o, ***
RUA DO BRUM N. 52
PASSAl\DO O CHAFARIZ
^*s^
0 capiUo do corpo de policia Joa-
quim rernandes de Azevedo e Jose
Domingues do Carmo e Silva man-
dam celebrar algumas missas pelo
repouso eterno d'alma de sen pri-
mo e amigo Joaquim Fernandes de
Azevedo, ne convento de Santo An
tonio desta cidade, as 7 horas do dia 13 do corren-
te, para o que rogam a todos os parentes e amigos
do faUecido a assrstirem a esse acto de caridade e
religiio, e com especialidade a digna offlcialidade
do corpo de policia, como mais nma prova de
amizade do seu companheiro de armas.
O. Olympin de Albuquerque
Martins Pereira
Alfonso de Albuquerque Martins
Pereira e irmio, tios e primos de
Olympia de Albuquerque Martins
Peraira, convidam a todos os seas
amigos para assistirem ao enterra-
menu de sua prezada irma, sobri-
nha e prima, qoe se ha de effectuar
fuje, pelas 10 horas da manha, achando-se o ca-
dayer da mesma depositado no cemiterio publico.
Ua-se um conto de reis a juro de dous por
cento ao mez, com hypotheca em predios nesta
capital : a tratar na rua do Pilar, ou S. Jorce n
23, 2." andar.
FUNDICAO DE FERRO
I" roa do Baro do Triompho (rua doBrom) ns. !00a 104
' Er%;. .
Precisa-se de um caixeiro para taverna, de
12 a IS annos : a tratar na rua Direita dos Afo-
gados, taveroa n. 60.______
Pedido. ;
Pede-se a quem quer que por emprestimo te-
nha levhdo os seguintes livros, do escriptorio de
Alcolorado A Irmao, o favor de mandar traze-los:
Dallor, volume 16 e 31, Goujet' et Merger, volu-
me 2", Masse, volume 1., e alguns volumes do
Legislacao Brasileira e provincial.
Fugio no dia 3 do corrente uma preta dc
nome Luiza, crioula, bem preta e bem parecida,
alta, representa ter 32 annos de idade, tern sido
vista na Capunga e no Recite, e que tomou o ca-
minho de Caxanga, consta que foi seduzida por um
pardo escravo, morad, r no Recife : roga-se a po-
licia e capitaes de campo a sua apprehensao, e re-
mette-la para o Recife, ?a casa n. 1 da rua da Ca-
deia-velha, que se gratificara. *
lUVUItt- f^
il, mu- O
idar da R
II, an- M
Arrenda se o engenho Rarra nova, um quar-
to de legoa distante da estrada Aripibu : a tratar
no engenho Minas-novas, annexo ao mesmo.
Advogado.
Miguel Jos6 de Almeida Pernambuco
Filho, advogado e ajudante do procura-
dor fiscal da thesouraria provincial
dou o seu escriptorio para o 1 an'
casa n. 81, sita a praca de Pedro
tigo Largo do Collegio.
Ama e criado.
Na rna do Corredor do Bi6po n. 17, precisa se
de uma ama e de um criado para mandados.
Moleque Joao.
Desapareceu hontem, 1! do corrente, o mole-
(jue de nome Joao, com 8 annos de idade, tem has-
tantos marcas de bexigas pelo rosto, falla baixo,
e natural da Gloria de Goita, levou vestido calga
8 camisa de riseado e foi sem chapeo ; quem o
apprehender queira o levir a rua Duque de Ca-
xias n. 55, que se gratificara.
oOOSOOO.
CARDOSO IRMAO
AVISAM aos senhores de engenhos e ontros agricultores e ao publico em geral que
continuam a receber de Inglaterra, Franca e America, todas as ferragens e machina s ne-
cessarias aos esUbelecimentos agricolas, as mais mode^oas e melhor obra qoe tem vindo
ao mercado.
VaporeS |de for^a de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores que tem vindo ao merado
UalaeiraS ^ de sobresalente para vapores.
AlOendaS inteiraS e meias moendas, obra como nunca aqui veio.
TaixaS (ftindidaS e batidas, dos melhores fabricates.
ttOdaS d agua com cubaje de ferro, fortes e bem acsbadas.
RodaS dentadas de todos os tamanhos e qualidades.
Relogioseapitos para Tapores.
BombaS de ferro, derepucho.
AjadOS de diversas qualidades.
Formas para assucar,grandeS epequenas.
Varandas de ferro fundido, fracezaS de diversos e bonitos gostes.
Fogoes francezes para ieDba e wri0| obra superior.
Ditos ditos para gaz.
Jarros de ferro fundido para jardim.
r es ae terro para mesa e banco.
Macnina para gejar 8guai
V alVUlaS para bomba e banheiro.
Correias inglezas para machinismo.
BanCOS e SOfaS Com tiras de madeira, para jardim.
OoncertOS concertP com Promptidao qualquer obra ou macbina, pr* o quo teen
^ sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
SnCOmmendaS mandara vir por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel oasa de Loadres
i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assenta?
mas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMAO.
BARATEIRO DA m-Wik
Rua da Imperatriz n. 72
I
i
ps
MENDRS GUIMAHAiB &
Acalxi.n do f.iz> r um ytmdn t foWi
u.
IltMAOS
.. sus i>T.en dendoa grande falta quo I1.1 boje de dinheiro,^ por isso creio qip 0 pitfo que vii mo-
cionadj ugradar iita Victoria taped*
:>-
14900
24-Roa doMarqnezdeOlinda-2i
E.KC|iiInn do becco larg
Participa a sens frrguezes e amigos que mudo 1
0 seu estabelecimento de relejoeiro para a mesn a
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimen 0
de relogios de parede, americanos, e cima de mi
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios ( e
algibeira, de todas as qualidades, patente suiss ,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), rel(
!;ios de onro. inglez, descuberto, dos melhon.
abricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata. lunet; s
de tods>s as qualidades, tudo por precos muito bi
ratos.
L0J.\ DO PASSO
parcnte a .'K>, 45, e o:
a 35?, 4?, c 89.
ROCHES A 19500.
VeiHc-se enches pnni ca ceda um.
L.UIMBA8 \ 200 HI IS.
Vcnde se lazintias pan vestido & 2#0,
32, 400, e 500 is. e tonit.
ALPACAS DC CORKS A 300 REIS.
Vcnde se ftl|>acas d<; cores a iOO, 649. |
800 rs. 0 covado.
GHA.NDE 90RTIRE.VTO DE TAI'LTES A 49.
Vvnde se grande sortimeoto de t a petes para
todosos tamaidios a +9, i?5<0, 89, 0 69
cada um.
GRANDE SORTIMKNTO DE ROl'PA FEITA
NACIuNAC.
Calais dc riseado (>nra tr-.l.-i h<, a I000
e 1JZJ400.
Calgas de brim pardo a 1?900, 25, 2J50.
1
DE
Cordeiro Simdes & G.
Acabam do receber pelo'vapor Mendoza :
Riquissimos cortes de gorgurao de seda lisosje
com listras achamalotadas.
Ditos de linho para vestidos, contendo cada cor-
te, 0 necessario para seu enfeite, como seja
franjas, trancas, botoes, fivellas, etc.
Riquissimos chapeos para senhora, ultima mod ,
a rua Primeiro de Marco n. 7 A.
ODILON DUARTE & IRMAO
Arrenda-se 0 engenho, Saltinbo da fr<
guezia de Una, moente e corrente. Dit >
engenho e bom d'agua, dista duas leguas dc
portos de Tamandare" e Rio Formoso, e tet 1
terras para safrejar 1,600 a 2,000 pSs
annuaes : a tratar no mesmo engenho cor 1
0 consenhor Henrique Augusto Milet, ou n >
Recife com Leal & Irmao, rua do Marques
de Olinda n. 5*6.
Escravo fugiilo
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do corj-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna,
escravo de nome Jose Borges, mestre de assucai
tendo os signaes seguintes: cabra, idade de 3 i
annos pouco mais ou meoos, boa figura, um tant
grosso e espadatido, sendo 0 signal mais visivel
gomma na junta do p6 esquerdo : roga se a toda
as autoridades e capilaes de campo, queiram ap
prehender dito escravo e leval-o ao referido enge
nho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, larg
do Corpo Santo n. 19, que serao generosameBl
recompensados
PENHORES
Na travessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilkantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
oompra-se os mes-
mos metaesepedras.
PrccKase de batedores
roa Direita n. 10.
na refinaeao d<
CAB
Premiados
ELLEIREIROS
najexposicao de 1872
- ... s*-X3x--.i;y&?s*fi
RUA
OA
IMPERATRIZ
N. 82
I.' ANDAR.
RUA
DA
IMPERATRIZ
N. 82
1. ANDAR.
Engenho
_ Vende-se o engenho S. Pedro, situado na pro
vincia de Alagoas, comarca do Porto Calvo, i
menos de uma legoa distante do porto de mar del
Gamella, tem oxcellentes terras, matas, e safrei;
regularmente 2.C00 pies : a tratar na rua do Vi-
gario n. 31.
Precisa-se da quantia de 300*000 a juros razoa-
veis, e para ser indemnisada durante o periodo de
3 Inezes e a razao de 100* mensalmente. Qaem
quizer fazer e3te negocio deixe carta feehada nes-
ta typographia com as iniciae* A. T., declarando
sua moradia a Cm de ser procurado, e nesta oc-
casiao ser-lhe ha explicada a especie da transac-
f5o.
Oflecaee-se um homem fiortuguez para to-
mari'mla de umsitiocqae di! fiador de sua con-
due la : quem precisar dirija-se a rua de t\ Gon
calo a 6.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o'nasfmelhores con-
dicedes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e is Exmas. Sras. n*a-J
quilto que for tendente & arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para bomens como para senhoras, tupete, chignon
coques modernissimos, trancas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavol em cebello.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
ring de raodas, e por isso pode vender 20 % menos que outro qualquer, garantindo
perfeicao no trabalho, agrado, sinceridade e pre$o razoavel. *
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fdra ; vende-se cabellos'em
por?3o e a retalbo e" todos os utensilios pertencentes i arte de cabelleireiro.
Aluga-se a sala e alcova da frente do *er-|
ceiro andar do sobrado n. 70, i rua Duque de Ca
xias : a tratar na loja.
g CONSULTBfilO i
m MEDICO-CIRURGICO *
m do
^ Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso :
PARTEIRO E OPERADOR
V.Rua do Viaconde de aiimkiik-i W
tt que n. 39. fy
ESPECIALIDADE
Holestias de no nho rax e 40!
iuoninoM. ^
da ma-
ESPECIALIDADE
SIoIoMmim de sfiihorax e
inoninoM.
Consultas das 7 as 10 bora
nha, todos os dias.
j Das -6 as 8 da noite, nas seguodas, quar-
Xtas e sextas-feiras.
%l Os doentesque mandarem os sous cha-
l*i mados por escripto at 10 horas da ma-
2; nha serao visitados em suas casas.
Ifa para alugar a raa a'Aurora ii. 65, um
asciavo, preto, erioalo U.; 23 anno* de Idade, mai-
lo ribusto, e apto para todo o servico.
Preeisa-sfl dn um eneadernador para enear
regar-86 da encaderna;a d diversasobras: a rua
do iraperad.ir n. 20, 1 andar.
Jose Claudio Pereira Gm'siaraes, faz saber a
Suem ai.nunciou precisar falla'r com seu primo
oa< Pereira Cardoso Guimaraes a negTcio do in
teresse deste, r;ue eile ha muitos annos e^ta resi-
dinlo na cidade do Porto, para onde se rt'.irvu
por motivos ', molestias.
49 Rua do Imperador 49
r
m
CHAPEOS DE SOL DE SEDA A '.5000.
Vende-se chapeos do sol dc seda para se-
nhoras e meninas a 45, ditos de alpica I-'
nos com 12 astes a 45, ditos de r.erin6 de
duas cores a 55, ditos de seda para horrent
a 05, ditos inglezes com 12 aslos a 85 e 95.1
BRIM PARDO A 400 rs.
Vende-se brim pardo escuro a 400 rs. o,
covado, dito de cores com quadnnhos a:
500 rs. o covado
CORTES DE CASEMIRA A 55.
Vende-se cortes de casernira de cores para
calca a 55, e 65, ditos de dita preta para
calca a 45, 55, 65, e 75.
BRIM DE ANGOLA A 25 0 CORTE.
Vende-se cortes de brim de Angola para
calca a 25, dito muito finos a 35.
ABERTURAS PARA CAMISAS A 203 REIS
Vende-se aberturas para camisas a 200 rs,'
ditas mais 6nas a 400 e 50(1 rs. ditas de- Calces de brim do Ai>gla de core* a 25
esguiSo a 15, ditas bordads a 25. J e 35.
Colcas dc casemira de cores a &95U), W
75.
Calgas do casemira preta a 35SC0, o&'rQt
75.
Palitots dc riseado a 1"".
Paletots dc alpaca do MM a id.
Paletots de a paca preta a IP, :15500, 4?
o 55.
Paletots de panno preto a ii?, 6J, 8f, e
105000.
Pal- tots ile casemira do corr-s com dHeito
a 45.
Ceroulis dc al^odao a 15, ditr. ds bra-
mant- a 15500.
Camisas de cb ta de cores a 1*280, e
1|4M.
Ditas brancas com peitn de cores a 15-
Ditss brancas fines a 2^, 25500, .15 e 45.
Ditas finas de risradinbo franrez a 35.
Ditas de crctonc a 35500.
Colletes de casemira decoresa i5, 25500,
35e45-
Toda esta rour.n < v.ii le ass.-n harato
para liquidar.
BRIM HLISOO A 15.
Vendc-sc brirr branco a IT a .art, ditj
fino a 15V00 c 25.
ESGUVO ll>'0 A 25.
Vende-se esguiao de linh Im a 25000.
2->o00 e 35 a vara.
FA7.ENDAS PRETAS PARA U TO.
Mcrin6 preto fino a 2->500 ocovadi.
Bomb'iziiia preta lina a 15600 e 2? >
covado.
1.8 preta fina 8 500 rs. o covado.
Chita prate lisa e com (Vires a 2'i0 e 320
rs.'o covado.
Alpaca preta a 300, 640 e 800 rs. o c -
vado.
t'antao pre! p.ira Into a 1-"T2 ( o cov-l
Sarja dc Ii pireM propria para
640, 800 e I^OOO c eovsdo.
Outras muitasfazo.idas preta- ui.r t? ft
dem barato, no Bazar Nacional, ti;9 da Jm-
peratriz n. 72.
CHITAS A 240.
Vende-se chitas para vestidos a 2i0, 280 c
e 320 rs, o covado, tem escuras e clar MADAPOLAO A 35. e
Vende-se pejjas de mad polao enfestado a I
35, ditas de dito inglez a 45500. 5d. e 65,
ditas de dito francez fino a 75 "5.00, 85,
95000.
CASSAS A 35.
Vende-se cortes de cassa para vestidos a
35000.
CHITAS PARA COBERTA A 280.
Vende-se chita para coberta a 280 e 360
rs. o covado.
ALGODAOZINHO A 35.
Vende-se pecas de algodSozinho a 35000,
3?5C0, 45, 45500, 55.
BRAMANTE A 15600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura a 1)J600 o metro, dito de linho fino
a 25500 o metro.
ALGODAO ENFESTADO a 900 R-IS.
Vende-se a'godao enf-stado a 90o rs. o
metro, gravatas pretasa 400 e 500 rs. cada
uma.
CHALES DE LA A 800 REIS.
Vende-se chales de la de quadros a 800
rs, ditos de merin6 a 25, 35, 45, 55.
COBERTAS DE CHITA A 15800.
Vende-se coberlas feitas de chita a 15800,
25, e 45-
C0RTIN4.D0S PARA IANELLA A 75.
Vonde-se cortinados para janella a 7(J e
85 o par.
COLCHAS DE CORES A 25.
Vende-se colchas de cores para cama a
25, e 35500, ditas de croxe a 65.
CORTINADOS PARA CAMA A 14-
Vende-se cortinados bordados para cama
a 145, 165 e 205.
COBERTORES DE PELl.O A 15200.
Vende-se cobertores de pell j a 1^200,
ditos superiores a 1 #600.
CAMBRAIA BRANCA A 35.
Vende-se pecas de cambraia branca trans-
Hh;

m
PH4RMACIA NORMAL g
^ DE
JOSEELIAS HE IffOI R & C
17Largo do Mercado I'u^lico17
(Amiga ribeira de Sv Jose.)
Acaba de ser aberta e acha-se a disposiQao do respeiuvel publico e?ra nova phar-
macia e drogana, completamente provida do indisper.savel a um esiabele.-imeaio Ac<>> ua .-*
tureza, sem excepcao de productos chimicos e meJican^n: pr-paad s no c.-:ran- llcr
trangeiro, tudo novo e o melhor possivel. .^
As receitas dos Srs. medicos serao sempre despachada* com a mais seria atlenjao, 9
e sempre sub as vistas do pharmaceutico que cempoe a nossa lirma s icial. -^
As pessoas que se dignarcm de honrar o nosso eaatbel. im. ntj c -m a sin c nuan- ^f
ca, podem esur cerlasde que serao consrienciosamente scrvidas na-. su relativamonte ao 4^
que pedirem, como tambem a modicidade do? prec Wf
nmm@ mm m a e ^ #*
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e de j victoria VnuirV?.
elegantes^ modellos.. dosjnaia notaveis e bem co- j v,cton* < mL.
\ zes a OrfWOO (a escolber
j quanlidade por conta e
ao armazem do Vapor Francez, a rna do Barao dt
ora >ova) n. 7.
por Jer vindo jran-3
ordem dos (abriranK-
nliecidos fabricantes ; como sejam : Alphnnse Bi-
donel, Henry Hers e Pleyel WolIT & C. : do Vapor
Francez, a rua do Baiao da Victoria, outr'ora No-
va n. 7. a precos muito commodos.
Mobilia de vime.
Cadeiras de balanco, de braco, de guarni^oes,
sofa?, jardineiras, mess, conversadeiras c costu
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, eos mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreio.
fummmm 0^-*^
Jordao.
Ainda por jastos motivos, transfere-se por es
ta ultima vez, 0 que esuva marcado para 0 dia
15 do corrente, a eootar de^se dia, para o dia 31
do corrente. a cor.iir desse mesmo dia.
' Ha para aiugar, mais uma escrava,
raulata : na rua >arga do Rosario, antiga
dos Quartei? n. 16, !. andar.
Ha neste estabelecimentoo melhor sortimento de pianos dos mais afamados autores
como s8o : Herz, Pleyel, Flap, etc. Offerece-se tambem uma quaiidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para este clima, 0 qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarSo nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tam'^m avisa-se aos Srs.
concerta-dores de pianos
qoe ha sempre 0 mais CPmpleto sortimento de materiaes para concertar p".\?oos, como
sao: cepos, folha para os nl-f-smos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, C'Tdas,
marfim, etc., etc.
49 MJA DOIJHPEV&aOIl 49
0 Dr. Sarmento Filho mu-
dou-se para a rua da Aurora a.
61. l. andar ; entrada pelo oi-
tao.
Na Capunga, a rua das rernambucanas, con-
front? a casa de n. 32, aluga-so uma escrava com
excellente leite.
Boa casa n. ".
Aluga-se nos Cuelho-, confronte ao h>spital Pe-
dro n,com oxcellentes commodos, grando q'uinial
murado, quartos para criados, cocheira porto de
embarque, banhos sal^ados, independent?, de ou-
tras ; emflm e uma hella ca*a de campo para
^uem quer eslar livre do reboligo dos carros, e
prmcipalmente dos pestilentos apparelhos Drains-
Je: a tratar no mesmo lugar, e"m u.iia taverna
frunte do dito hospital.
Aluga se a casa terrea d. 5 do becco do -
ras : a tratar na rua do Torres n. 36, escriptorio
de Matheus Austin \ C. '
No armazem do Vapor Francez, rua do Baric'
da Victoria n. 7. outr'oaa Nova,
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiata e pos den-1
trifice, a^ua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, saboneles'
crosmeticos, muitos arligo delicados em perfnma-
ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidaa e garrafas do differentes tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira quaiidade
dos bem conhecidos fabricantes Piver e Coudrav,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao '
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
.Irtigos de differentes gostos r
pliantazins.
Espelhos, leques, luvas, joias d'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de ccstura, albuns, quadros,
ecaixinhas para retratos, bolsi.ilas de velludo
diUIde couro, e cestinhas para bracos de meninas'
cbieotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
:harutos e cigarros, eaeovas, pentes. cart-innha de
nadreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
le viagens, venesianas para janellas, csterioco
)os, lanternas magicas.cosmoramas, jogos da gloria,
le damas, de bagatella, quadros com paisagens
ilobos de papel para illuminacoes, machinas de
azer cafe, espanad-ires depalhas. realejos de veio,
ccordaos, carrinhos, e bercos para crianja?, e
ulras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de (o-
( os os brinquedos fabricados em differnie< paries
i a Europa, para entretimenlos das criancas, tudo
; precos mais resurr-idos quo e possivel no ar-
r azem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
na outr era Nova n. 7. "
Calfado francez
A 9^;
Botinas para homem
Acabam de chegar grandes jaduras de botinas
Ji bet rro, de cordavao. do pelica. de durable
I C( i;jqueira, de bezerro com botoes, e com ilho-

BOTIXAS preta?, brancas e de cores, diflereote*
lisas. enleitadas e bordadas.
SAPAT1X1I0S de phantasia com salto, l-r.n-
pretos e de cdre? ditTercntes, bordad
SAPATOS de Upetes, chariot, cator e de traiK'.
Para mrnlna*.
BOTINAS pretas. brancas e le cores dtfon^t-1*.
lisas, enfciladas e bordadas.
j ABOTINADOS de diversas qualidades
f SAPATOS de tranca pcrtuguexes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, !u=ti. .< de corda ao,
ABOTINADOS e sapaloe-, dc blMRS, d? d-.var-.
quahdides.
SAPATOS de tranca.
Botas de mom aria.
Botas a Napoleao
meias perneiras para
para meninos.
Ja
a Giiilhenne, perbc
b-.-icons, e meias pemetr^
No armazem do Vapor Francez.
> ictoria n. 7.
a rua do Bari-i
j CoDsollorio me-iic ^-f inrgic o $
5 DE % A. B. da Silva Maia. &
If. Rua do Visconde de Alhuquerque *
M 11, outrora rua da matriz da Rna-Visu

Chamados : a quaiqoer bora
Consulias: Aos po grativ da* J is
4 horas dimarde.
INao ha mais cabellos
mum JAPONEZA.
S6e unicai'provada pelas acadmnu de
sciencias, r>eiv. irjda superior a toda ru
tem apparecido ate boje. DenosHo r-
pal i rua da Cadeia d- R^rtfr, boj sr-
qoei de Olinda, n. 5i, 1
todas
eiro.
ea boticr*: *


3iarie de;?|*a*flii&ico Seste feira ,& lu'ir<>
ajur,s
e 1:0005 a 2:0-10*, ma* ju menus com hypo-
caem,e2>a^ aqui na oidaJe : se dira quem da
oms ruas da [mperatriz n 38, ioia, ou Imperial
somero 5.
Bemvindo fugio.
Nodia 21 do corr'ente fugio o escravo
aetma, tendo os signaes soguintes : idade 25
annos mais ou menos, cftr fula, cabellos
carapinhos e um pouco cresoidos, cabeca
diata, estatura regular, um tanto magro, e
tem no rdsto bastantes signaes de bexigas.
osa de chapeo de couro, e levou calces e
camisa de algodaozinho : roga se a todas as
autondades e eapitaes decarrpo, queiram
appreheuder dito escravo, e leval-o a rua da
Hadre de Deus n. 5, l. jindar, das 9 as 4
auras da tarde, ou 6 rua da Imperarru n.
A, l. andar, quo serao rccompensados.
CAS4 DA MTU
Sua I.0 de Marco n. 23
Aos 20:000804)0.
O abaixo assignado lem sempre exposto a veo
a biineles da lotiria do Hio, cuja extrac^o an
cnneiara peios jornaes.
Prefos.
Inteiro 24*000
Meio J 1*000
Quarto tj*000
_____ Manoel Martins Fiuza.
AlieneJo.
Precisa se de uma senhora que esteja habilitada
para ensinar o portuguez, francez, piano, costuras,
-Dor dados, etc., etc., e qne queira ir para um en-
frenho pert.) de uma das estae5os do Recife a S.
Francisco, para ensinar a umas meninas que ia
estao principiada?, pnga-se 1 000& e gratiQca-se
gradaan lo : a tratar nas Cjbco Pontas n. 82.
Arrenlase o engtnlio Jussaral-grande, no
termo de Sermhaem, o qual esla situado a legoa
s rum da estacao da Escada ; e bom moedor com
agua, e de n;iiito boa produ-cao, tanto de canas
como de maadioca a tratar com o proprietary
do mesmo, no eng.-nho C-tlifjraia, em Serioh Jem
Aos pais de familia
A abaixo assignada faz lembrar aos chefes de
familia, tanto daqui como de fora, que conlinua
com sua aula di instruc.-ao- primaria para o sexo
teminino. na casa de sua residencia a rua do Ca-
nuga n. 16, oude alem dos primeiros conhecimen
tos. onsina a crammatica nacional, francez, musi-
ca, piano e danca, pois para isso tern habeis me-
tres, c quanta a trabalho de agulha, ensina toJas
as qualidades do bordados, e entre esse o de ouro
e o de alto relevo, e tiahalhos de la e crochet de
todas as quali-ladus, prnuicUe todo o disvello e ca-
nnho pnra com suas alumna*, e bem assim todo o
Oesempeano no cumpriraento do seu magisterio.
Aceita extornas e interns, e afianca commodidade
o ajuste.
.______ Forlncata Fortes.
j}0 SP.prestando o peqaeno espaco do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Decs, para nm abaste-
cido deposito das diversas marcas de fumo, que o
abaixo assignado almejava ter, achase d'ora em
diante aberto outro estabelecimento sob a mesma
denominacao de
Armazem do fumo
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcSes deseiadas, e onde pode-
rao os senbores fregaezes dirigirse, certos de
3a!> cJm ate aqui, acharao sempre a par da mo-
dicidade dos precos, a maior sinceridade possivel.
fcnlre as differentes marcas de fumo da Bahia e
Uio de Janeiro, que tem sido annunciadas, acaba
de chegar uma encommenda especial, e que muito
deve convir aos senhores freguezes. Conseienle o
aba xo assignado de que neste genero de negocio
nao esta sem competidores, fara muito por evitar
qne tambem os tenna com relacie ao pequeao lu -
cro que procurara obter da dita mercadoria.
Jose" Don ingue.- do Carmo e Silva.
***-***&*-****
m BACHAREL MIGUEL AMORIM ^
W Rua do Imperador n, 71. 0
Empreza do gaz
A empreza do gas tem a bonra de arnunciar ac-
publico que recebeu ultimamente um esplendido
sortimento de lustres de vidro, candieiros, aran-
delas e globos, cujas amostras estao no escriptorio
a rua do Imperador n. 31, e aerio vendkloa aos
seas freguezes pelo preco mais razoavel possivel.
Mell
Esta encourac,ado I! !
Agua mole empetlra dara
Tanto da ate que a fura.
Roga-w ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de
iscrivao ca cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
jluir aqnelle negocio quo S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
8ns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a.fevareiro e abril do 187$, e na a por este motivo 6 de novo chamado para dito
im, pois S. S. se deve lembrar qne este negocio
le mais de oito annos, e quando o Sr. seu lilho se"
achava nesta cidade.
Alogn se o audnr e o armazem do sobrado
da rua dos Burgos (Recife) n. Il : a tratar na rua
da Praia n f0, com Jos* Felirlauo Nazaretb.
fmamm'mmm-mmwMm
I Excellenie occasia $
Para o
<& Optimos
B A RBEIR0
Guftave, cabelleireiro, a rua do Marquez de
Olinda n. 5J, pnmeiro andar, precisa de um babil
official de barbeiro; paga se bem.
Sobrado da rua (to Marquez de
Olinia ii S5
As pessoas que teem procurado arrendar o
predio acima, onde foi estrbelecimento de louca
do finado Manoel Aatunes Yieira.queiram apres n-
tar suas propostas em cartas fechadas, no dia 9 de
maio proximo, ao men dia, no armazem da rua
do eommercio n 8, onde serao abertas ditas pro-
postas em presence de todjg os interessados. O
arrendamento e de todo o predio (armazem, dous
andares e sotau) ; os senhores pretendentes, po-
re"m, podem fazer tambem propostas de parte, se
melhor Ihes cornier, indicando os sens fiadores.
Recife, 30 de abril de 1874.
Quem perdeu um pequeno allinyte de peilo
na igreja de S. Francisco, dando- os signaes cer-
tos, ser-lhe. ha entregue ; na sellar n 18, do mes-
mo eonvento._______________________
SUZER ~~
Calgado recentemenfe chegado, de tezerro e
cordovao : na rua do Marquez de Olinda n. 40)
loja de Frederico Pint) & G.
ilco o para o pobre
terrenos para
fediflcacao*
com 400 pa linos de fur. do
^ a i sooo e too r.
M. Relalliam se os grandes terrenos que
* circumdam a esta^ao da Boa Viacem
X sao tcrrenos proprios, desenibaraQaHos e'
%9> cortados por tres estndas : a real, a de
9t [err0...e a 1U3 sp8ne da estajao para a
^ Boa^iagem, o fleam mui proximos ao
59 no Jordao
A commodidade do preco, a facllidado
do iramporte de matcriaes pela via fer-
rea, a proximidado de madefras e, sobre
gt ludo, o pnvilegio de viajar gratis no va-
X por pelo e?pago de 10 anuos, a quem edi-
Jj? Scar proximo a esla e.-tacao, ludo i^toe de
At meonteslarel vantagens e deve animar
S os pretenJentes, os quaes de?de ja se po-
3R d. rri dingir, nos dias uteis, a rua do Im-
jtt pcradtor n. 48, e aos domingos e dkis
" santos, na es!;ic5o da Boa Viagem, onde
se encontrarau com Tristao Francisco
A Torres, encarregado pelo proprietario a
2 fazer qua.'qoer negoeio.
m
m
I
m
*
*
m
*
0
0
T Oimpra-s? uma escrava qae sept boa qui-
tandeira, e cuzinhe algnma btan : a tratar no
largo do Paraizo n. 10. taverna.
Comjra-se um sellim
rua das Cruzes n 31.
e botas, nsados : na
V^NDAt.
Liquida^ao demoveis
Por precis mui reduzidos, diversas mobilias e
caaeiras de guarnicSo : vendem Cunha & Mania,
a ma do Marquez de Olinda n. S3.
Liijuidafai
EM
Grande escala
.Yenae se uma ca&oa prop'ia para capim :
tratar na taverna defronte da matriz do Barro.
Balcdo
Vendem se dous de amarello, enverriMados, con.
Ipouco uso, proprios para loja de fazendas, miude-
ias ou outro qualquer nogocio: para ver oa rua
la Imperatriz, fabriea de cigarros dos Srt. Ulysses
i Irmao e tratar eom Pocas & C, rua Eslreila do
1-isario n. 9.
O bacharel ioaqmm Ferreira Craves
Junior, advogado no fdro da comarca1 de
Palmares, iBeumbe-se de promover cobras -
fas amigavei, ou judicialneote na mesm*
eomarca.
Ruga se ao St. Joaquim Pereira Ramos, que
tenha a oonda* de eomparecer a rua 4e Mareilio
Bias d. 45, das flas 9 boras da nianha, ou 4 se-
cFetaria da saola> casa de misei iconiia, a negocio
de seu interesse.
Alugase o veude-se um escravo carrocei-
ro, idade quareula1 annos: na rua do- Hospicio
n. 81.
Preeisase d uma mucamba para- o servico
interno de uma pequena familia : na rua do Ba-
rao da Victoria n. ii-, segan4o andar, ecirada pela
rua do Cajii.
0 K&* 0*0*00
WADO.
Precisse de
tico e de quintal
na rua da Uniao n
un para todo o servigo domes-
traia-se no Passeio n. 60, o^
67.
Curso de portuguez no col-
legio da Conceiijao.
O bacharel Jorge Dnrnellas Ribeiro Pessoa este
incumbido do referido curso.
-Novo aviso dasaccoes entre
amigos
Avisa so aos possuidores dss accoes annuncia-
&i~. qae no jer'io trocada- por outras, vi>to ter
ftado as i>8 ac^oes perJidas, gramas ao bom
I.iinento da companbia de bonds, uas flcara
sempre tran-ferida para a loteria 103, visto nao
it tempo aa a.< di.~lribmr, nio so estas que se
tinbam perdMo, eono as de outras pessoas incum
se acharcm doenies. Recife, 9 de maio de
IS" :.
Aluga-se por preqo razoavel, a loja do sobra-
do n. 41 da rua do Rangel, a qual tem armacao a
presta so para qualquer negocio : a iratar no 2.
andar do mesino.
SAQUES
Carvtlhu & Nogaeira, na rua do Apollo
b. 20, accam sobre o Banco Comraercial
de Vianna e suas ageneias em todas as ci-
dades e tillas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.
vrcts do mmM
DE
Precisa-sedj uma escrava para cozinhar e
comprar : a tratar na rua Primeiro de Margo n.
23.
Piecisa-se de uma ama que saiba eozinhar
e engommar: a tratar na praja do Corpo Santo
n. 17, 3" aniar.
Aluga se uma escrava para todo sertieo de
casa : na ruado Imperador n. 50,3* andar.
i-a-.e de um bom official de barbeiro
la Imperatriz n. 82.
na
Proleslo
u>n>tando-m.), agora mesmo ijae o negociante
. ; :; ja de Pernambuco Joaquim Jose Ramos, ao
para a Europa, desconiara letras fth^ de
-os fazendeiros daquella e desta provincra, e
entre ellas uma aceita por n im, da quantia de...
3:2175380 : venho pela imprensa protestar contra
act-) criminoso, e fazer publieo que nSo acei-
Jei lelra alguraa em favor do inesrao Ramos, e
nto, falsa 6 a meaeionada letra, ou outra
|aa! |uer que ppareoa aceita por mim em favor do
mesmo socihor.
Alagois, engenho S. Salvador, 25 de abril de
im
llvzendu Lucio de Cues.
Escaadalu iuquililicavel.
Ha algunt dos trapuheiroi
Qae esla praca domin x,
Mavados pela camna,
votai, furibnnia,
Qae desasada e profuncl.i
Alimenta 3:tes matreiros.
u.'i motivo a detnonstrar
A's pracas moralisala-,
Qur eseas almas malvadas,
Vine! ndo a relnlho estao
Como qualquer venlelniio
Que tenciona quebrar.
Vendem ao rico, ao rale :
Maateiga, alhos, toncmho,
leoeirva, cerveja, vinho ;
h ttatas, macarrao,
J ijofl, cebolas, sabao,
Raiiha, arroz e cafe !
Sirvam estcs deprotastes
A um tal procediment-,
Repagnante e noj nt?,
Desse? novos jezu las.
Verdadeiras paraxitas
Ou catholicos de rabri-slos.
^______Oarmazeni negro.
AOS 4:000#000.
BILHEHS GMANTID0S.
I rua Primeiro de .Jforpo (outr'ora rua d>
Crespo' n. 23 e coaa-s do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da a" parte das loterias a beneflcio da igreja
do Terco do Recife (100*), que se extrabira na
-juiutafeira, 21 do corrente mez.
pp.Egos,
Bilhete inteiro 45000
Meio bilhete 2*000
KM ?ORv*ODE 100J5000 PARA CIMA.
Rilbflte inteiro 3*500
'i bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
Preci-a-se de uma ama para cozinhar para
uma f.msilia, composta de duas pessoas: a tralar
no pateo Ja Paraizo n. 28, 2 andar.
Precisa se de uma ama
para andar com uma crianca
e para o mais servico domes-
tico de pequena familia : trata se no Passeio n.
60, ou aa rua da Uniao n. 67.
AMA
Precisa se de
ga n. 2 B.
uma : a rua do Cabu-
Precisa-se de uma ama li-
vre ou escrava, boa co;inhei-
ra : na fabriea a vapor de
cigarros, a rua larga do Rosario n. 31.
A 1/f 1 Precisa-se de uma ama que saiba
\ iwl \ cozinhfr, para casa de pouca familia:
uLLvJ.fl na rua do V.sconde delt aparica n. 51
(outr'ora do Apollo) 1 andar
AMA
Na rua Imperial n. H4 se
dira quem precisa de uma
para comprar e cosinhar para
dues pessoas.
Precisa-se deuma ama para o servico inter-
no de pequena familia : na rua Imperial n. 102.
Ami Precisa-se de uma ama para cozinhar:
ama na rua da Uniao n. 35, confronte aos
trilhos urbanos d-r Olinda.__________
Quem precisar de uma ama de leite, escra-
va, dirija se a rua da Gloria n 154.
AM A Precisa-se. de
xxiixx COmpre na rua
homem solteiio.
uma que eozinhe e
Nova n. 6, casa de
Aluga-se uma ama para o service- interno de
uma casa de pouca familia : a tratar na rua Du-
que de Caxias n. 29, armazem de rnoveis._______
ALUGA=SE
o sobrado de dous andares e sotao, silo a rua do
Visconde de Albuquerque n. IP, com grandes com-
modos para familia e bom quintal: na mesma rua
n. 16, se dira quem aluga.
Segiiro e adnavraTcl
RESTAURADOR E TONICO
- PARA 0 CABELLQ
Concorre para 11211 fee Id e per-
IViio penteado
Torna 09-esb 11ns maciosj- brandes e lu-
sidios, perfumando-os com um aroma de
especial delicadeza, qup t2o apurado tem
sido.
Grande fabrico demarmore
de Belvoys & Sampans
(Jurti) Franca
EsU grande fabr.ca execuia quahiaer encom-
menda deste genero, como sejam : oroamentos,
chamin^s, balcoes e ladrilbos da qualquer natu-
reza e desenho : os concurrenles deste genera po-
derao ver, precos correutos, expllo eaes e dese-
nhos, e as er.commenda.-' a tratar em ca-a de Kel-
ler & C, rua do Rom Jesus n. 55.
Ricas bandeijas
Para asamentos, bailes e baptisadps.
Quem quizsr obter uma bandeiji rkamente en-
Mtada, dirijas* a Ckmfeitaria do Campos
Ja mandando ou indo encommendar, ja com-
prando alii todos os enfeites, censtaado do seguin-
te :
Bolos finos para enfeitar.
Boces saborosissimos para enfeitar
Kguras allegoricas para enfeitar.
Papeis arrendados para enleiiar.
Bouquets para noivos.
Alii
Encontra-se sempse o segnint- :
Piambres inglezes.
Budlns
Bolos- .
Paes de 16 linos.
Fatias de dito para parturientes.
Patteis em profusao.
Filhos- (soti/iris de irt'ikma).
D ices em ealda, ralado e secco.
Bolachinhas de mil qnalidades.
(Sugar Waffers vanilla) para dietas.
Gelea de moeot6, desiufectada.
Amendoas, confeitos, etc.
Cha verdadeiro das Caravanas.
Cafe de Java (vtrd deiro).
ludo isio en
CO.NFEITARIA DO CAMPOS.
Atten^ao.
Desapparecau no dia 6 da novembro do anno
passado, o eseravo Benedicts pertencente ao abai-
xo as.'ignado, com os signaes seguintes : cabra,
tlto, 37 annos de idade, Yalta de alguns denies
na frentc, falla baixo e compas3ado, tem um dos
dedos pollegares sem carapuca, olhos peqnenos,
bocca e nariz regulares, 6 nataral da cidade de
Souza, provincia da Parahyba, foi comprado a
Antonio Leite Maria de Moraes em 1802 : pede-
se as autondades policiaes c eapitaes de campo
a apprehensao do dito escravo. gratificando-se ge-
nerosamente a quem o leva- em Olinda a rua 27
de Janeiro, outr'ora Paco Caslelhano n. 9.
Barao da Tacaruna.
% Advogado.
,:-4* A. J. da Costa Ribeiro mudou sua re-
'&? sidencia para a rua da baudade; mas,
Ixjz continiia a ter escriptorio a rua do Impe-
\*& rador n. 34.
- Vende-se umlerreno com caixlo ediScado.
ndo 258 1/2 palmos de fundo e it de frente, no
ugar Camiuho Novo a. 76, tem alguns arTore-
los : a pe;soa que quizer compra-lo dirija-se a
ua do Mondego n. 55 qne achara o vendedor
20
c.
se vio
i nuler Juo liarulo fumo na run l>i>
pie rlo (n\in<< n. KO. loja Uo II
mei Os donos deste estabelecimento, estando resolvi-
es a chamarem a attencao d publico, eom espc-
i ialidade as donas de casa e pais de familia para
(conomisarem, teem resolvido vender todas as pe-
qhinchas pelo cusio, o que s6 se vendo podj se
i creditar.
; Cambraia transparente fina, com 8 1(2 varas,
pelo baratissimo preco de 2 i860.
I Cretone, o mais moderno que tem vio lo ao mer-
oado, a 360TS. o covado.
I Chita trancada, fazenda muito On* com 4 pal*
ipo? de largura, a 3i0 rs. o covado.
1 Nio & barato, madapolao francez por 5*500 e
6* a peca 1
\ Cambraia de cores, padrOes modernos, a 2i0 e
J60 rs. o cuvado.
Digam se nao e baraiissimo, lazinha? modernas,
(azenda de gosto e de la pura, a 300 rs-. o covado?
' Leneos de linho, fazenda Qna, cm uma linda
caixiufia, a 4*.
Algodatzinho de 3*400 e 4* a pega.
Chapeos de sol de seda trancada com cabo de
marflm de bons gostos, que geralraente vendem a
16*, por 12*.
! Hetins claros, fazenda superior e de lindos pa-
dr5es, a 260 rs. o covado.
! Chitas Onas a 210, 260 e 280 rs o covado.
Cambrais abertas, muito Unas e boaitas, a 7*
a peca.
Baptistas finas e de- gostos, a 320 rs. o covado.
Quem nao vira comprar f
Camisas inglczas, peito de linho, que nunca ven-
deu-se por menos de 6"*, vendemos por 38*.
Metins escuros de iistras a 300 rs. o cavado.
Convidamos a uma experiencia.
Pao-se amostras de todas estas fazendas. e man-
dam se nas casas.
S6 o n.
A' rna de Crespo, I.Ja das 3 porlas
DE
.l ll.llkXRWt
Jimta a Uja 4a
METINS CBINGZES7
Proprios para vestido-, os mais indViam Mfc
diminnto preco de 280 rs. o covado, e" pwaaMaa!
Ko-se amostras.
ORGANDYS 'JE COHES.
Fazenda fina e eom bonitjs padrees, pela fiau
nuto preco de 320 rs. o covado, C paecaiaclwi'
liao se amostras.
CHITAS COM PAW; l CRETONE.
Fazenda finissima, eom HnAw podiun. p-k. ai
rmnulo preco de 320 rs. o covado, so se *ioasV .
e pecfaincba I Dao-se aaiosin.
LAS E^COl'.bZAS
Ompleto s*>rtimcnto de Us eseocrzas, e para
acabar se vende a 240 fa. o covado e i
Dao-se amostr2e.
CASSA UlfE.
Grande sortimento desu faanda, c
boniios padroes qie tea vsnda e
mai-
eoe-
>ra.o
a -
:. I -rT T 'T T" t r -
1 | ; ; \:\\'\:r
Consiillorio medico %
\
Escrava
Precisa-se alugar uma escrava que eozinhe e
engomme, para casa de familia : na rua do Mar-
quez de Olinda n. 35.
Aliigniii-se
o 3", 4 andar e sotao (a vontade) do sobrado n. 14,
a rua do Torres, bairro do Recife, e tambem a
casa do Monteiro n. 65 : tratar nalivraria junto
ao arco de Santo Antonio.
Offerece se para ama de casa de pouca fa-
milia uma mulher de bom comportamento : quem
precisar annuncie por csie jornal, ou dirija-se a
rua do \lccrim n. 55, que achara com quem tratar.
Saude publica.
Por ordem do Illm. Sr. inspector da saude pu -
bliea, commendador Dr. Pedro de Attahyda Lobo
"w, ';-./ ->e publico que o mesino seahor exa-
minou a pharmaeia normal, sita no largo do mer-
cado publico, em S. Jos6, pertencente ao pharma-
ceutico Jooe iiiias de Moura, e achou-a provida de
inedicament'iK novos e de superior quaiidade, as-
sim como d, t-jdos os uteneilios necessarios para
o br" il sp--,|)enho do seu servljo. Do que para
Kar anunorio.
taspecejM) Aa aiidepubli;a de Pernambu:o, em
6 de ntio de 1874.
Oescr.;vente,
_____________Jos6 Eduardo de Souzi Landim.
Manoel ( avalcante de S4 Al-
buquerque
Roga-30 a ete senhor, raorador ao engenho Ta-
batiEga, p-oviDiiada Par.hyba, o obseqnio de vir j
ao escriptorio de Franc!"o da '^-ta Maia, a rua
ia Cruz n. 56, andar.
"Ml III
Os abaixo assignados fazem publico que nesta
data dissolveram a sociedade que tinham na ta-
verna sita a ribeira da Boa-Vista ns. 4 e 6, a qual
gyrava sob a razao de Coelho k Rodrigues, Scan-
do o socio Coellio com o activo e passivo do
mesmo estabelecimento, e o socio Rodncues pago
de seu capital, e desunerado de loda a respon-
sabilidade do mesmo.
Recife, 11 de maio de 1874.
Manoel Maria Rodrigues,
como procurator de Antonio Go calves Coelho.
Aalonio Ferreira Alves.
Agostinho Pacheco Raposc previne- que nin
guem faca negocio com uma lettra de um conto
de rdis do sep aeeile, a veioeor em 19 do correa-
te, d; qual e sacador o Sr. J<.s6 Bezerra de Bar-
ros Cavalcante ; porquanto, ha duvida sobre dita
lettra visto niio sal-er ler nera e.-creve'r o annun-
ciante e ter ella sido passada em vtrtude de um
ajuste de cobtas ijue tem de ser venficado em
juizo e a vista de seus livrr.s e oartas.
Engenho Barra de Floresta, C* de maio de
187V_____________________________________
0 Sr. Antonio Ribeiro Pontes que e" caixeirc
a rua Duque de Caxias, 6 convidalo pela segunda
vez a vir a confeitaria do Campos tratar de nego-
cio de mutuo interesse, visto que n5o so sabe sua,
residencia domesfica.
DO
Dr. Hurilla.
RUA DA CiiUZ N. 26, 2.* ANDAR.
Recem-ohegado da Eurepa, unde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
pode ser procurado a qualquer hora do
J dia ou da noite para objecto de sua pro-
rt fissao.
i
I
\
Allen(;ao
Precisa-se de um caixeiro com prat ca de pada-
liia : na rua do Barao de S. Borja n. 23 ; prefe-
rindo-se o de idade de 15 a 18 annos.
Vende se, ou Iroca-se por casas na Boa-vista
gu aluga-se um sitio na Capaoga, rua da Ventura
i 20, com 150 palmos de frentc e mais de 309 de
f indo, com boa ca?a, eacimba, cocheira, estnbaria,
e c, todo murado, comportao d: ferro na frente :
tratar na rua Vclha n. 102.
Chapdos paw sinhora.
A loja do Passo a rua Primeiro de Marco n.
A, recebeu pelo ultimo paquete, um rico s*^tt-
nienlo de chapeos para senhora, ultima moda t
nde por preco commodo
Consultas- das 6 horas da manna as 8 ho- M
ras, e do meio dia as duas da tarde. M
Gratis aos pobres.
ESPECIALIDADES.
Moiestias de senhoras, da pelie e do
crianga.
Precisa-se de 1 5i'0|.
em uma casa nesta cidade :
n. 33, se dira quem precisa.
a juroi sob hypolheca
a rua da Imperatriz
A luga-se
o terceiro andar do sobrado da rua do Vigario n.
5, com bons commodos para familia, e agua po-
tavel; a tratar no armazem da travessa do Corpo
Santo n. 25.
AGUAS .M1NB1UCS N\Tl'!UF.S
M
Uchy-Cttssil
Preferiieis as por serem as unicas que conservam todas as suas
propriedade^ depois de-transiiorlad'as.
Fonte S. Marie, e a mais efflcaz na anemia, na
albuminaria, na chlorosis, no erapobrecimento do
sangue, e nas fibres intermittentes. Os resultados
obtidos nas diabetes sio muitj notaveis.
Fonte Elisabeth, nao so alters nunca e e a mais
rica das agu is de Vichy em bicarbonato de soda
em magnesia e reeorrrpendada pelos senhores me-
dicos pela su.i elfkacia nos eogorgitamentos do
figado, do bago, nas affecgoes do estomago, dos
rins, da bexigu, nas areias e na gotta.
EXIJASE
o nonie Vende-se em caixas e a retalho, no unico de-
posito
PHARMACIA AMERICANA
US
Ferreira JJuia lA Coiuuaukia
57 RUA DUQUE DE CAX1AS-57
AiiENCAO
Constando aos abaixo assignado achar se nes-
ta pract o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho,ren-
deiro dos engenhos Rarra e Preguiga, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo o obzcquio de vir entender-se com os
3baixo assignados immediatamente sobre negocio
lendente aos referidos engeuhos. Rua do Amcrim
37, escriptorio.
Tasso Irmaos & C
OQnrado fhgio
No dia 5-doeorente deapparecsu o moleque
Gonrado, tendo ossigpaes segmates : idade 14 a
15 annos, mais on menos, cor preta, cabellos ca-
rapinhos, cabeca chata, p& tortos por soffrer de
rheu.natismo, leven chapeo brauco de raaasa, eal-
ca e camisa.de algodaozioho azul ; julga-se andar
elle nesta cidad* : pede-se, portanto, aa, autorida
des poiiciaes-e eapitaes de campo a sua apprehen-
sSo, e o obsequto de leva lo a,casa dos lilhos do
senalor Jacinth de Mendonea, sita a rua Formos
n. 14, quc-sarao generosamente reeompensados
Vende se uma pequena taverna, com poaaja
fi ndos muito afreguezada e com casa para mon-
d a, na sidade de Olinda; o motiv.. da vecda e
p< rque o doao se aeba doeuto e nio pode coati-
u ar : a pessoa que preiei der, dirija se i rua doJ.
nparo n. 47.
1 .polices de juro de oito por
' cento.
Vtndn se na obraodB mercado publico : a tra-
talr cm Jose Auauno ie Araujo.
Aos Srs. advrogados.
Vonde-se por modico preco a coileccao conple-
ta das leis do Brasil, desdo 1808 ate 1872 : a tra
ta na loja de Mine. Falqae, rua Primeiro d
Mirco n. 4.
Vende se uma paquena parte do sobrado de
d( us andares da rua Direita, n. 141, esquina do
beccodo Lobato: qutm o pretender dirija-se ao
iriptorio do Dr. Angelo If :nri jue* da Silva. na
n a do Crespo n. 12.
pelo diminnto prejo" de 200 rs
caiicba I Dio se anaootru.
CHITAS CLABAS
Com boniios padroes, que
covado ; e posbiacba I Dao-se
HOLUNOA.
Brim Holland*, liso o qne ha do
prio para costumes de homeas e meaisoa a -
tiios para senhoras, por ser muiu. flno Mat
puro, e se ven 'e pelo dhnioulo preco a Wn
o covado ; e pec ioeha I Din so anwava*.
BRINS DP CORES.
Brins de cures, linho puro, com boaitos pa
droes c que se vende pelo diminnto prep* #1 H9
rs. o covado ; i pecnincha Dao-se airostra*
CAMISAS bfc CRLTO.M
Camisa- do cretoae, o qu hate mais fia*-
com liadoa oaaroos e qae re veade a Manrj
duua e 3*500 cada uma ; e peebiocha so s-
veodo
Assim como nm deposito do mais fazeada* aa*
se vendem por menos do que osa oatra qaoloai
parse, como sejan :
Cortes de casemira de cores a 4* e
cha I
Idem de brim pardo lino a I ^JOO,
Colchas de rustao com baTa, amito
4i ; idem.
Idem idem brancas, idem idwn, a 34
Cobertas de chita adamascada fina,
a 3^500 ; idem.
Leocecs de bramante, idem idea, a ll
Toalhas aicochoadas a Sa'iOO a doaa i
Leneos de casa com barra a I JOOt a
idem.
Idem ileia idem branc,.- abaiotados a 2flnr>
idem.
Idem em caixinhas mail) iiadas a 3*500
duzis.
Seroulas le linho e algoaio a l> i a daaa.
Cambraia Victoria fina a 3*80)1 a peca e pe-
chincha.
Algoilao marca T larav a 4*500 e S* a peca.
Madapolao fino a 4 WHO a o'ca.
Madapolao francez muito iino a 6* a peca.
Brim pardo muito fino a 400 rs o covado '
pechineha.
Cambraia transpareate, o qne ha do nais to a
a 6* a peca.
Baptistas de cores modernas e com liaaat at-
lases a 400 rs. o covado e grande poxatarba
Dao-se amostras.
86 o n. 20
I' m do r8po, I ji fa< 3 pertas
K
C( II U#HMi: a fj
Jiiuta n lajsm 4* c<|alt
O fla>rlp-liff >i*Ii:i- < rifcrrlr
___________ifin* ta mile
Panuo de algodao da Balua.
Vende de tolas as qualidados Joa airier
Faria : na rua do fi metim n. 33.
Fumos
Da Bah a e Ao Rio vende J. ao indrhjnn d-
t a, rua do /morici n 33
<;*/
VENDE-^E
cajroco do alg dfw de i-a 3,000 arrobas, a en-
trlgar no Recife, en-aceado, ou em Una, a granel:
ir ta-se na rua da Cruz, armazem n. 16.
AITnso de Allmijuerque IHelto
incumbe-se de promover &.brancas amigavei
ou judicialmentp, assim como de oatros negbcios
concernentes a sua profissao, nos lugares prorj-
mos a linha ferrea, e nos outrosftecmos proximos
a esla. cidade; para cajo auxilio tem o annan-
ciante solicitadores habilitados e probos, respon-
sabilisando-s'e no entanto pela boa gestao e cont:i
do que the for confiado.
Mediante modico honorario acode aos chmados
para diligeneias ou consultas fora da cidadd edo
termo e incumbe-se da defeza de appeUaooes ante
o tribunal da relaeao. Fode ser procurado de
meio dia as 3 horas da tarde- em seu essriptorio
a. rua do Duque da Caxias n.,37.
CQWPBAi
AWfSO
Precisa se eoroprar dous escravos, pedreiro e
carapina, pagase bem : a tratar aa thesouraria
das loterias, a rua Primeiro de M,areo n. 6.
Aluga se uma baa casa com excellentes com-
modos, a rua do Coronel Suassuna n. 169 : a tra-
tar na mesma rua n. 171.
Caixelro
Precisa se de um menino para caix iro : a tra-
tar na padaria da rua Direita h. 8i.____________
Aloea se uma escrava para cozinhar e mais
servi^os de casa : na rua de S. Jorge n 74.
COZINBO
Precisa-se de um que seja aceiado e fiel, pre-
ferindo-se escravo : na rua do Bario da Victoria
n. 14, sobrado.
ao Illm. Sr. Jose de Barros
Lins, alumno da faculda-
quo residio, era o anno pas-
i Trastes.
Compra se e vende-se tsasteenovos
nsados no armazem da roa*. Im-
perador n. 48.

Pede-so
Albuitt rque
de de direito,
sado, na rua do CuMeireiro n. 12, o favor
de apparecer na rua do Hospicio n. 33 a
negocio que lhediz respeiti.
Cozinhar e engommar.
Precisa se alugar uma escrava que-saiba cozi-
nhar e engommar ; e para casa de pequena fami- i aa^iT "esta typographia.
lia : na rna do Vigario n. 16, l. andar. --=-----------------------
Compra se uma casa no
Sal do :Jl
A bordo do hiate Leonilia da Cruz, fandeado
eobfronte ao trapiche Barbosa : a tratar oom o ea
pi iii a bordo, oucom Antonio Alberto de Souza
<\( uiar, a rua do Amorim n. 60.
Vende-se ou aluga-se a casa terrea em
fin nte da malriz do PofO da Panella, em terreno
pr iprio, dous lado3 murados, alguns arvorelos e
cohamodos para grand* familia, sendo tres salas,
se e. quartos, dous grandes terracos, cozinba fora,
e. aais duns quartos para escravos .- a tratar em
01 nda, rua do Pago Caslelhano, com Galdino T.
C.|de Vasconcellos.
Silva Guimara.es & C
Praca do Carpo Kanto n.
Tem para vender em seu ecriptorio o
uitte :
^inhos finos do Porto
la dazia.
lito muscatel do Donro, em caixas.
>iio Walvazia iderr.
lito Carcavellos branco, c ra coixas.
;ra em velas e bugias.
regos do Porto,
'echaduras de broca e lisas.
to iriu*-ira qaalMad*
H i armazen de J Dnmmg..i d '.
rua do Aamrim n. il, voade-M ii tTu><.
retalho o melhor kerosene, da bem aTodaad..
marca de Henry Fortrr 4 C, garaoiinao-sea aaa-
lidadc e quantidad'' ceru do hsnilu Xo snessii
armazem tem p.-.ra vender os asaosiito com lur-
neiras e muito asseiadot, para caas dr boiiiia, p- r
I *5f-0 eada um.
seg-
.- in ancorttas e caixas de
Tinta preta para escrever
Vende-se linta preta (ingleia) para escrever, en
poles grandes e pequenos: Ba ma do C mrrercio
n. M.% armazem.
Parla, 38, Rua Vivlenna, D
tHifiViM ttNcn srtciu
\s nirEiiHiiiAn-s ds sexcaes, as .nccon
r.i TilBV?.
Attencao
Compra-se um Vademecum Homeopatha,
ido Dr. Sabinor, \& servilo : a t-alar no i"
-Alaga-se ou vende sea casa terrea da rna
dos Prazeres n. 26.: a tratar na rua do Bom Je-
sus n. 31, l* andar.
Traspasso de casa.
Traspa3S-.Se ate 31 de agosto uma grande oasa
bairro de Ss Vm
a tratar na ma Augusta n. 119, 2. andar

na povp*5ao de Apjpucos ecn muitos commo
"s ": a tratar no aniar do spbralo
."Jes?a da rua do vigario, n. 1, escriptorio.
,no, que seja flno e bam foito, em es
na rua da Visconde de Albuquergue n. 39.
gui,i
da tra.. j .^. Compra-se uma escrava
OEPURATir
Jn'SAlYG
PLUS DE
CCPAHU
que sirva para todo
*rvi{o : a'tralar na roa dos Pescadores n. 31.
SXTWACOW DO URS1E.
I W.OOOcurss da impin-
| I sarna, comixou, acri-
monfm, e ailercoes, vi-
__fctotas do sanyu*, vi-
rus, e aiterucoes do sangue. (Xarope vegetal
S,cmniercnrioj.erartl TeKet.el
miimmm hkehaes tomao-se dons tor
jeraana, seguuido o tracUmtmo Aaastralirs -1
jnrpregsdo .nas mesmas "WfcTttias "~^
J^Aat^asM
[ immldiatameau saal-
t lgualmenie os ^oxoj < >om taasi das
i mineres. Esta luiecrao Miiu* fnraniis
om o Xarope de cUracto dt/srroT" ~
easrrtllif) Pomada qne as cart ens dias,
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: nas ajfeccots cutaneas t ctmixtei.
PILULAS YEGBTAES DEPURATIVAS
Ohahle, csda frtieo vrsl iccoapahads
Is nm folbeto.
AVI80 AOS SRS. MEDICOS.
Cora emrrlm, mm
-taw, *t^ij
"2T^ "- aw *^
'*IW '. .o*u a* tomtm
^^iw^bMtaaodMSiSS
aiM* ^b p^rt,, ii* vMoaao, aa^
I'eposito botxa Franceza
22 Bm da Cruz 22
Vende-sc
pes de sapotas de todo* os ism.- jau*. de fir**
lualidade, o u-mpo e pr>-pri > pa .. plaou-lus ia
rua do Hospicio n. 75.
Engeub en Scriiilifipiu.
Vende-se duas partes do
eagenho Novo. fcito na fre-
guezia de Serinhaem. distan-
te daesta^ao de Ganiclle ra
3 leguas, moente e corrente,
que safreja cerca de 3.000
paes, com optimas terras,
movido a agua e bent ohra-
do, por preco commodo. a
tratar com Dr. Felix de Fi-
gueiroa, a rua das Calc.ada>
n. 14, ou no arsenal de
gu*>rra.
CHITAS
a 240 rs. o covado.
So na rua do Queimaio a. 13, detr ate da pra^
da lndt-penden-ia
S# m loja staa |H-rkiarh.
Chitas pretas e de cores cm salpjfos de cona.
sendo muito boa, a 840 rs. o c vd.
Aprovoilem fregoraos
Engenhos em Mamam-
guape.
Vende-se os seguintes
Barra,
I'rcdjlMlca.
Sirop du
f)rF0RGFT
A tratar com sens proprieuri e para informacoes c-m Joaqaan Pialo do Hot -
relies Filho aa mesma cidade do Mamasagaaa*
Tasso Innlos C________
Bow. ncgiift.
v 't.dos, sito no pateo do Carmo, esquina da rua
de Hortas n. 1, proprio para grande prograaa,
por tor dnas frentes, e o alogo'l ser maio laasa-
vel, a razio da veada e porju-: o 1 ao acaa-so
doente e tem de ir ao sertao ttatar se : aana pre-
tender, pode-se dirigir ao mesnii armaiem.
Vende-se
uma meia-agua na rna de v;iha de Sanu Mta a
90, pela quantia de-700*. quen*nde l<># auaam
a tratar na rna do Soooaa a. 31.


Dterifc dev fwntobcfco **. Sexto feira 15 de Maio de thH.

*
\ -

DE
fazendas finas
Rua PfirtWrro de Mur-jo n. 7 A.
DE
Cofdeiro SimSestftC.
E' esU uma das casas que coje pode compri-1
mazia offerecer aos Seas fregu'ezes um variadissi-
irosorfiMeOto d fiftendas fhfa's para gfatide toi-
ette, e bem assia* parifnso ordinario de todas as
classes, e por precis vanlajosos, das quaes fax um
yequeuo resumo.
Mandam fazendas as casas dos pretend'entes,
para o qfce tem pessoal neceSsarto, e dao arhostras.
oiedianto penhbr.
Cortes de seda de linda* cores.
Grosdenaples de todas as cores.
GofgurSo branco, lizo, de listras, preto, etc.
Setim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadine de -seda, preCa e.de c^res.
Popelinas de lindos padroes.
Fild de seda, branco e preto.
Mcas ba.-quina? de seda.
f.asacos dc merino de cores, II, etc.
Mantas brasileiras.
Cottes com cambraia branca com lindos borda-
Ricas capellas e mantas para noivas.
Kijuissimo sortimento de las com listras a>
seda.
Cambraias de cores.
Ditas maripozas, brancas, liias bordadas.
Naozuqaes de lindos. padroes.
Baptistas, padroes deiicadcs.
Perealira* d qeadros, prews e -broncos, bstras,
etc., etc.
BriM de Hnho de c6r, pr3or :om*arra e listas.
Ri;os cortes c!e vestido de aiesma cor, ultima mod?
Dftos de cambraia de cores.
Fuslao de Hndas cores.
Saias bordaJas para seoheres.
Camisas feorJadaS para sedhoras, de linho e al-
godao.
Sortimento de lirvas da v-jrJadeira falsrW de
-'. uvin, para hotnens e setrturss.
Vestuarios para meniuui.
Dilos para baptl^ddo.
Chapec* para auo.
Toatnas e gnaTdanapos adaraascades de Imho de
) para mesa.
Cortinados bordados.
Grande sortimento de samisas de liotio, lizas e
tordadas, para homens.
Meias de cores para tiomeDs, meniaos e meni-
a
Oitas escocezr>.
'JowJsio so.iimepto de chapeos de-sol para bo-
oicfls e seirticras.
Merino de cores para vestidos. -
Dito preto, trancado e dito de verao.
">Mbado de linho e filgodao para toal
vtoaffi'ado pardo.
Oamaseo de la.
Brins de linho, branec de cores e preto.
Setim de lindas coree com listras.
Ghales de merino de cores e pretos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de c6res.
Ditos de touqotm.
Camisas de cbita para homens.
Ditas de flanella.
Cereulas de linho e algodao.
' Pannos de crochet para sofa, cadeirw e conso-
t Lencos bordados e de labyrintho.
Colchas de crochet.
Tarlatana de todas as cores.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana bordados
para cortes.
Espartilhos lisos, bordados.
Foulard de seda, Hildas cores.
Mtias de seda para sonkoras e menin&s.
Ricas fachas de seda Rico sortimentb de leques de madreperolas e
>sso.
Damaseo de seda.
Casemira preta e de coFes.
Chitas, madapolio panno flno preto e azul, eol-
larinhos, punhos delinho 3 algodao, gravatas, lu-
vas de fio de Escossia, 'spetes de todoe os tama-
ahos, boieas de viagem, peifos bordados para ho-
niens, lencos de linho bronco e de cores, -toainas,
^pardanacos. etc.. etc.
*'
fV-* PARIS, RUA VIV']
da Gasa
Vienna 187,3.
Medalra d'b M'Eftrro.
IE1 A casa GRIMAULT e C'\ cujos Laboratories sao dlrijMos p6l& eiWinente clkyihico
DOUTOft LECdNfE
Professor da Fa^Uldade dc medldna do Paris. Ex-pfcpnrftdbi' AH dur's'i CIUMa A ATTBNgXO DE TODClS OS MF''ICOS K DO Pnri.'Co Forfltfe OS UODL'CTOS SEGUI.NTES QUE MEKECKtiXO NA EAPOSIQiO
bfl'AS fellfllBIS IVitDALHfiS FSPrCIAES DE HflNRA E WERITO
Por sua -pfflwcin cons'anlc pnivaita niio sdirlchlb iii>s UosdiiAiJs dc Paris', mas
As metrttruapftes irreftulares.
As cOres pallidas.....
O einpobreciniento do sangue.|
As complelcftes debeis. ]
V 7-|-ifVf
CnrKtf-se ton
As complete.0
0 Phosp'ialo de ferro do t>r I.tiis.
Xaro^ e Vinlio [erruginoso dc quina
de Grlinautt c C*.
i 'i r 'i,!i i- i .
lambcin nos
: -
do mundo inteiro,
As nevrrftlgias, ...,.,,,.
As diires rheumatismaes.
As ddres nerVosas, a gota.
Franca
DE VIENNA
Vienna 1873,
Meiialha de Mehito,
C'urilw so coin
0 Xarope de Moral do Dr I.ccoiite.
0 Xajftpe dc bromu^eto de potassio de
Grlmanlt e ?:
Os defluxos..........
Os catarrhos,pulmonares.
As irrltacOes do peito. .
' As rouquidOes........
' Ctirfto-s* coin J
0 Xarope e a. Pustfi de seiva de pi-
, iihciro de I As PaHKlia's dc'succo A'alface e iouro-
ccrcja dc Hrlmmili e C*.
A diarrhea ......
A dysfnteria. .
As cOllcas ......
As d6res de ventre.
0
(llI'llosOtOTll
Proloxalato de ferro de Dr Gl-
rur'd.
A Creme de bismulho dc Grlmanlt
As molestias do flgado.
As ddres de eadeiras e co-
licas ncphriticas .
ill
t
iiu so com
/ 0 Xarppc c o Elixir de Boldo de GrJ-
.... \ ma nit c "''.
I
As Piliiias aniibilinsas de Ptfdophilina
OQ Gi'ii>::>iiSt :'-.
As molestias contagiosas.
As blennorrhagias. .
< urSo-se com
As Injeccocs e Capsulas dc Malico de
Grlmanlt C Cu.
As mas digest6es ....
As faltas de appetite .
O mao gosto na bocca .
As dOres de estomago.
C'uriVo so com
As PilSjijbas de Jarl.it-os alcalinos dc
Rtiriit rfn EtdihNoii.
0 Elixir c osI'b-dtjesmosaePe/>srna.
0 Elixir,e,,o.Viiiho de coca de Grl-
niimlt c C*.

As molestias do peito....
A tisica...........
A laryjxeite...... %,. .
As aff\.C96es pulmonares.
(urilo sc com
OiUi
0 ^m-ojipde hiipopliosphito de cal de
Griiiiault c O.
As P-lu'as dc iodureU dc ferro e man-
yanei dc litiriudu Ituhson.
0 Oleo 'in rigado dc bacalhiio'/iirrugi-
DQto dc Grimoult c CJ1*.
As lombrlgas.........
As convulsoes na denticao
difficil...........
(AsPasti'ihasccriiu/u^af de :'.rlmiuS.|
C'urilo-sc com ] As Pasfirh'^s de mannita de Grl-
mault c C*.
A amenorrhea
mc nstruacao
on falta de
CnrSo-se com
As C.i[i-:i',is dc .Ij.i.'c' de Grlmanlt
I
As enxaquecas.......( CdrSo c ettiai ,0 Inga da India de Grlhiautt e >
As dOres de cabeca ,

As affecfoes da's glandulas,
do rosto. da cabeca. I
Os vicios do sangue.....,
O lymphatismo. j J
tiiriictictoni
0 Xnrpjie dc rabano iotlado de Grl-
ntanlt c <'".
0 Viiiho C o Xarope de Djioait, ao
Uulo-pliosiihuto de cal.
A asthma........' r
A oppress&o ou affrontapao
A falta de respira$ao. )
-------------
(urilosf com
Os Cigarros iradios de cahnabis indica
de Grlmanlt e V".
"
As molestias da pelle. .
As erupcoes e coinichOes.
As chagas, as empigems.
Cm no sc com
As Pilulas do Dr Caacnavc.
A Gliconina Sichel, a melhor das pom-
madas'caiman tes.
Depositos em Pernambuco : FERREIRA, MAIA fi Cu; M.-A JBARBOZA, e nas principaes Pharmacias do Brazil.
NOVIDADE
liquidacilo
de
E' barato.
Vende-se urn pequeno-siuo perto da-esta-
:ao do Salgadinho, tendo de frente 150
palmos, e de fundos mass corn uma elegante casadetaipa, acabada de
proxiimebem asseiada, tendo 2sal s, 2
quartos e ctuinha fora. 0 terreno e pra-
prio o bore ile plants(;<5es, tf ndo algums*
arvores de mactoj agua de beber e todo cer-
cado.
Para ver e mais explica^Ses, no raesmo si-
tio a qualquerhora a entender-se com Tris-
Uo Francisco Torres, e para tratar, na the-
souraria d.s loterias, rua 1." de Marco
n. 6.
Economia do-
mestica
!Na rua Primeiro de Marco n. 1.
Confronte ao areo de Santo Antonio, loja -de
Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
Laazinhas, gosto escossez, padroes inteiramente
bovos, pelo dimmato pre^o de'200, 240 eJ60 rfts
o covado,
Bapiistas lisas, >finns, e de cores a 320, 46
440 reisoeovade, is to so se vendo I
Chap6os de sol de seda, para homers, inglezes j o covado ; hapeos de velluJo e palha para senbo-
fparagon) e com 42 hastes, pek preeo de 9t e'9-i,, ra a ifi .' vestidos para menino se bapti-ar a of !
fezenda esta que sempre costou 14^, so psra'mufcelina de cor muito boa fazenda a 280 r?.;
Farello novo e
Milho pequeno
Magnolia
Na hja da Magnolia, a rua Dwpie de Caxi-
43, enconlrara sempre o respeiUve. pnbuco m.
complete sortimento de pertnmaria? finas, cbjcctoi
de pnantasia, luvas de Jouvin, artiMt oe am
miudezas flnas, assim como rrKidicidale ttn prt-
.os, agrado e sineeridade.
Anneis clectricos
A Magnolia, a rna Dnqne de Caxias n. \ J, *:?
l>i de recebcr os verdadein* anneis e voltM tlet'
tricas, proprios para os nervoso*.
Meios adereqos
A Magnolia, a rua Duque de Caxus a. 15, re-
cebeu nm complcio sorfrntnt j de
Meios aderecos de urtarnga.
Meios aderegos de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (olliai aids)
e de muitas outras quUaiBl
Botocs de a(jo
A Magnolia, a fua Duque de Caxias n. 45, le>t
para vender os medernos botoes de aco, proprit"
para vestidos.
Golinhas e punhos
das mais modtrnas que ha no mt-rrado ; _a eBaa:
na Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Lencos chinezes
A Magnolia, a rua Duque de Caxiss I
cebeu uma pequtna qnanii lade de lenC'S de Ml
chinezes, com lindisjimi? dc.-enhos, faiendantt.-
ramente nova.
Leques
Liudos lequis de madr. jcrola, de UrUracJ
uiarlim, de oss'., e de muiti- outras qoalidaBt*:
recebeu a Magnolia, a raa Duque de DOOM c;^
mcro 43.
Attcnqao.
A loja la HafBolia, a rua Duque dc Cftiaj
45, acabade rc-ctber o stgnintes ariig'is :
aaoal de madreperola, tartarug: :....r"
Ilicos albuu? com capa de madn-peroia, vL
gn-n, madeira, ve.ludo, couro, elc
Lindas caixas com fini sima? perfomams
Ligasde sed.i, brancas e de cores.
Voltas de madrei erola.
Puseiras de m;-.di<-pe.ula.
Ricas caixas para co.-tura.
Vc-slua:ios pa/;- bapli-ado.
T..ucas e sapatinlios dc .-tlim.
Modernos chape- s de so! de seda para stuc
Lindos port be uqn> t>.
Gravatinhas de vtlluJ', etc etc ...
Para
Rna 4 1-ivramrnlo n. SO.
Lazinhas dc boni;os padrdes de 160 a 240 rs ;
alpacas de todas as c^res e boa fazenda a i40 e 4(0
rs. o covado:; chitas &curas e claras a 210 rs ;
baptislas modcroas a 280 rs.; pFccales finas a 330
rs.; metins de todas as cores e de boa qualidade
a 2k0, 280 f>3iW rs ; cambraia de cores a 210 is.
noivas,
Amaral Sabnco & C. vendem leques, ligas,
nissimas aberturas de esguiao de hnho pan ca-
Da melhor quHdade no armaiem de farinba' misas, fronhas, de labyrintho e bordadas, capellas
! de trigo de Tasso Irmaos & C, na pra-.a do caes de larangeira, colcha de seda e de crochet, corti
do Apollo. nados para cama e leugos bordados, tudo propriu
para casamentos.
Mez marianno.
Amaral Nabuco A C. vendem pastilhas proprias
para incensar santuario e ladainha do mez ma
riano : no bazar Victoria, rua do Barao da Victo-
ria n. 2.
Insignias mac/micae.
Amaral Nabuco & C. vendem insijjnas maconi-
Frederico PrflWigi C, ten'lo acabado r< m i offl-1 cas de difftTentes graos : bo bazar Victoria, rua
ina de alfaiaU', t- m um gr.inde soiiimedto de Jo Barao da Victoria n. 2.
50 por cento me: os
do 'valor
aeabar.
.Na rua
Priiaeiro de Marco
Leja do barateiro.
D. i.
Farinira de mandioca
DE
PORTO ALEGBE
e superior qnahdad^ e HMb nova, ehegada
pelo ultimo r.aviu : vende-se a rua do Brum a. %2,
arroaiem de asriicar.
Co
m avaria
A -#000, #500 e 5J3O0
Madapoloes com toque de avaaie, por muito ba-
raiw praeo, em vista da qualidadb ; assim como
saias deta avariadas a 4^ quern pretender, ande:
ligeiro i rna da Imperatriz n. 60, para nao ter de.
se arrepeader.
CAFE' DE JAVA
O unico verdadeiro ven-
de-se na confeitaria do
Campos
24 Jmper&lor Vi
Por todos os vapores re-
eebe-se nova remessa.
chitas rox;sa 200 r>.; ditas prutas a 200 rs. ; ma-
dapolao a 4, 5*500, 5*800 e 6* a peca ; dito
francez a -"i^ -''<$> e 6500 ; algodao a 2oOO, Kl,
44500,5 o 61J0CO a peca; .toalhas para rosto a
360 rs. ou 4* a duzia ; di'as felpudas fina; a'8G0
rs. cada nma; cortes de casemira a 44?00; ditos
de brim t#raaco e de cores a $00 rs.. 15 e 1^30-1;
ditos de brim de liuh > branoos e de cores a J*;
algo !ao azul a 5* a peca, com 41 e 42 jardas' !
damaseo de la com duas largnrs- a 1^ o covado !
lencos de cassa pequenos a 7<)0>rs. a duzia !! du-
zia de leiHvs de In,ho, cotn^uma bonita cuixintia
por 2*300 1! cambria bra oca Ana a 3*, 4* e
4*500 a pe.; harnburgo proprio para toalhas,
lencoes e ceroulas a 360 rs. a vara algodao aaal
e m jsclado proprio para escravos a 160 r. o co-
vado ; Ci'lt-tes tie casemira preta e-ie cor a 2*oOC I
ditos dc brim de cor a 2*; lewjts brancos a
1*600 a duzia.; meias finas para senhora a it;
e outros moiios artigos a vontadedo comprador.
CIiei-res antes que e acabc.
CHA
Verde e preto superior.
Preto a 3*000 o 1/2 kilo.
Verde a 3*300 u 1/2 kilo.
Na rua do Marquez de Olinda n. 20
____________antiga da Cadeia ).
Vende-se
Cimtato Portland.
Vioaes engarrafad.'B
Madeira.
feherry, de super or gualidaie.
Porto, fino.
Cera em velas.
Cldtom: na rua do Vigario n. 19, 1 aad&r.
cina
caic.as de casenjira de cor, brim branco n 6, e de
linho de e6r, ciJkftts de casemira, got g-rao, brim
branco e de cflr, fral|ue^ de'padno, ea?i mira, me-
rino e alpncao; tcdn obm< de encomn'onda, as
quae* wndi m a dinh faw com 50 por 0(tt menos
doensto: na rua do Maiqu-.z de O'i.da n 40, i
IOFO.
E pechincha.
Brim pardo fion, com pequeno mcfu a S60 400
rs. o covado : na-rua do Q,ieimado n. 43, defron-
te da prava da liHlependcncia.
I S. CARLOS
Vende-se ou arrenda-se o engenho S (^rlos, em
Ipoiuca, moeatu -correnle, com todas as obras
empirfeito estadode conservaeao, e muito bom
d'agua : a tratar na travessa da rua Duque de Ca-
xias n. 3, 1" andar, ccfh Gabriel Antonio de Castro
Quintae?.
Vendem
Wilson, Rowe &
i
Em sen armazem a rua do Trapiche n
guinte :
Algodao azul americano.
Fio de vela.
Carvao de pedra de laiaa as qnalidade?.
Tudo muito barato
0.

nCBiNCHA
linho.
i
em eamififts ce
Vende-se camisas inglezasi de
V-ende-se una *enesiana franceja
i das Trmebeiras n. 50.
linho, mnito fi
ca.-, para homem, pelo fearstissimo preco de 35*
a duzia ; quern duvidar venha ver e c< mprsr :
na rua do llu jue de ax las n. 88, hjade De-
| metrio Bastos._______________________________i
Ultima moda.
i A Magnolia, aroa Buqoe de Caxias n. 45, re-
<- na rui j de cures, apropriados aos vestidos cliques da ac-
Uoaiidade.
- Vende-se 6n,000 lelhas, 30 mil tijolos de al-
venaria batida, deseceis mil de ladnlris qna-
drados, e 12.0C0 tijolos de tapamenk ; assim
como, jams de todas as qualidades, potes, qnar-
tinhas e vasos para flores, tudo muito barato pa-
ra aeabar : na olaria de J-^se Carneiro da Cunha,
na rua dos Prazeres n. 50.
mm mm
8 RUA DO BARAO DA V.CT0RIA-8
Veadem Lyra & Vianna os seguintes cal-
ead.-is .
SapatoS de transa marca tchave, linos, duzia
16*000.
Ditos de dita, dem, idem, idem par 1*300.
Dit03 de zasimira preta, para homem, duzia
185' 00.
Ditos de dita, idem, idem, idem, par 1*800.
Focos de cores para meuinos, 20 a 31, par 2* e
4*500.
Botinas cordovan de Pulak, para homem a 10*.
Ditas de bezerro Hem, idem, idem 10*.
Ditas de vaqueta para menino a 5* e 6*.
Ditas inglezas, idem, idem, 5* e 6*.
Ditos gaspiados para senhora 4* e 5*.
Chiquitos inglezes para crianca a 2* e 2*300.
Wil>on Howe & L. vendem no sen armazeir
rua de Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul amencano.
Exeellente fio de vela.
Cognac de 1* qoalidade
Vmho de Bordeaox.
Carvao de Pedra de todas as qualidades
VENDE-SE
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
iercio, nor preco medico : a tratar com Tasso
'rmaos A C.
eslrangeira.
Paris n'America, a ruaD
quede Caxias n. 50
primeiro andar, acala de receb i r.n
sortimento dp calcad- cstrangeiros |
senhora, vindo en'tre elles cm lind..
elegantes chiquitos, sapatinhos e I
criaggg, que tudo vend? pt pr.^'- : *th__
Asunicas verdadeiias
Bichas hamburgt .-a.; OT '' -;
ru: Marquei de .'i:nda n.-- I
Salsa parrilha.
Nova remessa. exeellente qualid.-we vc.Ie -
na rua do Vigario n. I'", 1* andar
Cambraia bordada a 2^."'
a peca.
!; < ohj lofu<*.
Cambraia com flores bordadas, com t ,. -
2*300 a peca : so na rua di Qneimado n. i
Cambraia a3|a peca.
So na rua do Qucirtado u. 43, jinto a loja
Magnolia.
Cambraia Victori;., fina e transp..rente, a
pe^a. Aproveitem__________________________
Grande pechiudia
a 400 reis o covado.
da
Baptista, fatenda mnito fi a e larga 1e
! cores, goslos eescocezes, pel,) baratissin." ,-re
j 400 rs : quem dnvidar venha ver e comprar, na
rna Duque de Caxias n. 88, loja de MBtrio
Bastos.__________________________________
Vende-se uma preta de 18 anno*, bof
' gnra, cr:a de casa, com habilidade-; o m tiv iz
i venda se dira ao comprador : qneni preu-cdei d,
rija-se a rna da Imperatriz n. 6, hja de I. ;
I.
0
a
DOS PREMIOS DA f. PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. I07t. A BE.NEIiCIO DA 1Y.REJA-DE NOSSA SENHORA DA BOA HORA, EM OLINDA, EXTRAHIDA EM 13 DE MAIO DE 1674.
JS. PREMS. VS. PREMS. NS. PREMS. N8-. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. NS- PREMS. NS. PRfiMM NS. I >REMS.jNS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS. NS. PRE
:j 4* 248 M 534 48 807 46 1048 45 1333. 45 1527 45 1804 45 2088 wm 2337 45 2036 45 2833 4* 3115 u 3333 45 3529 45 3760 45
9 53 46 20 50 45 ' 39 23 95 45 38 38' 35 23 48 30 5 68
10 01 47 21 73 54 40 24 2101 5 44 m 51 25 57 105 33 45 80 !*>
15 64 48 27 77 55 81 39 9 60 85 56 45 53 29 58 45 35 88 -
U 70 49 48 81 59 ~ 83 41 13 m . 61 45 59 55 35 ^^^ 60 36 _ 93 mmm
35 78 62 49 - 82 60 85 50 ~ IS *4W 63 63 64 36 lmm, 64 39 95 __
39 84 63 52 SB- 87 66 1610 62 16 45 68 82 65 68 ^_ 70 5 40 3806 B
61 95 85 67 89 67 13 68 <- 21 75 i 85 74 70 ^^ 84 45 48 __ 16 __
08 97 86 68 1102 74 14 71 29 85 89 84 77 ^^^ 88 75 _- 21 __
73 300 604 71 --- 11 78 005 26 76 37 - 89 94 92 m 78 _ 90 80 # 35 mmm
8'J io 25 16 74 23 *O0 90 28 86 42 __ 95 ' 96 97 80 1, 91 81 45 44 mmi.
84 46 33 17 91 24 S5 93 45 36 95 68 i 98 97 2901 87 ^ 93 -a\ 91 5i mm.
86 60 18 94 28 45 95 47 97 77 99 99 4 mmmi' 97 ^ 95 4^ 92 56 m.
SO .61 25 1O0 95 31 -*- 1403 59 lO-T 99 ! 81 mmmi 2402 2705 5 99 sbbAi 99 mmmm 3602 - 61
(3 ! 65 31 H 900 56 5 66 4* 1901 * 87 5 4 6 21 i 3205 mmam^ 3410 mmm. 4 00 _
101 -! 67 49 5 --- 61 6 *m 67' 19 89 105 . 6 9 Mi 23 m 7 ^^^ 14 _ 6 68 .
6 75 53 0 ^- 70 9 5 69 20 96 45 10 If 45 24 45 8 MM 33 7 73 4
7 79 67 19 --- 73 13 45 70 25 225 - M i5 13 28 16 4*5 37 -- 25 78 44
17 82 89 20 74 22 71 29 11 14 45 . 15 35 m 32 45 38 34 79
18 91 703 28. --- 79 26 73 31 --- 24 39 18- 37 38 42 t*5 49 4.99*6 81 5
21 09 5 30 83 28 76 37 28 41 23 m \ 45 50 M 43 45 56 45 rV; hi
i-2 .400 9. 3$ --- 84 I06 30 89 e* 42 30 51 28 45 65 51 49 5 61 88 4
30 -^ 3 io- 46 92 U 43 94 45 58 36 -^ 68 35 70 * 61 05 51 45 63 5 91 hi
45 7 ii 63 1206 50 1709 92 '.3 86 4i 88 45 67 45 53 69 44 3901
M * 8 15 74 7 56 14 93 f* 48 i 93 48 r 3004 75 - 58 45 70 4
03 " 10 20 75 9 SOA 57 _ 18 96 --- 49 99 55 --- 15 MB 76 72 79 12
09 999 11 24 79. 13 u .59 40- 20 _. *6i0 * < 51 2502 57 26 85 73 ^> 81 17
70 4# 14 31 83 24 11 45 30 e5 a'26 63 Ju 18 * 59 35 - 93 74 m 92 18
84 33 * 37 91 27 ' 36 *W5 27 64 28 *= 82 --- 60 97 77 45 93 25
201 49 38 95 28 67 37 45 29 5 38 66 65 98 78 95 29
11 55 49 99 47 73 63 _ 33 mtm 70 39 71 77 .99 83 mmmf 3701 34 i
14 61 ' 55 1000 56 76 72 45 _ Ji- 54 84 ' 83 3300- 91 mmm 10 40 *
i\ 85 * 58 **" 13 - 62 lOfc 78 73 46 lt 65 59 89 85 --- 1 3507 21 47
23 71 H 60 14 07 U 81 77 54 77 45 60 91 93 -- 6 mmm 15 23 61
27 73 Ci 25 76 86 82 63 _ 87 78 92 --- 3107 !* 10 mmmm 16 28 -- n *M~
32 87 69 34 89 90 84 69 _ 88 __ 88 93 9 45 13 mmm 17 35 74 -
38 ' ' 93 78 37 --- 1312 ~- 1504 91 74 mm*- 2300 _ 96 96 11 21 24 48 78 ""
40 509 80. 39 20 15 98 76 _ 7 2609 2810 12 _ 31 - 26 !* 58 87 *
41 33 800 fi 24 25 1803 80 23 33 24 . 14 mmmK
- *, * % -* * .
* ILEI WKfB il



8
_ YABIEDADE
A. adruinfoiracao dos correios
aa U r a -Bretxubu.
A missao dogoverno inylz no proximo con-
gresso postal ; desistencia da Franca;
opinido de tun correspondente intjlez so-
bre esta exclusao. .1 administracdo dos
correios na Jnglaloira, funiacdo, refor-
mat e-melhoramenlos. -Rtparticoes ad-
juncts ; as catxas economicas, os sequ-
rossohre vida ; o servico telegraphico.
U novo edificio do correio ; suas pro-
porcoes para o set viro de lodos os ramos
que gompdem a actual administracdo.
Segundo assegura.n as foihas francezas,
quasi todos os govemos da Europa adheri-
rarn as propostas da Aliemanha sobre a
convemeneia de e tabelecer na Europa om
systema postal uniformo. No congresso, que
proximaraente se deve reunir na Suissa,
onto talyez .0 a Franca ao se ache repre-
sentada, deverdo. ser estudados todos os
actuaesre^ulament-*, disculiudo so as van-
tagens que olferece o systerua seguido e
proposto pela Aliemanha, 0 governo in
glez, aeeitendo promptaiuente o convite,
julgoti opportuno lembrar que as grandes
reformas iutroduzidas nos ultimos annos
nos correios da Gra-Bretanha e das subs co-
lonias, e algumas dellas admittidas I .go do-
pois por outras nacoes, tendo provado na
pratica as suas excelientes vantageus deve-
riam ser estudadas, antes do S3 organisar
qualquer piano, cujas disposicoes tivessem
por fun modificar o seu actual regulamento.
Urn correspondente, quo sejulga b^ra in-
formado, diz que a Inglaterra nao pode,
nem Ihe convem aceitar todas as reformas
propostas pela Aliemanha sendo no quo diz
respnto no servico postal na Europa, atten-
dendo a que a especialidade das disposigGes
incluidas nas suas recentes reformas, nao po-
no ,'le inodo alSum ser alterada om prejui-
tu do sorvi' com ^ssuas vastissimas cok>ni?!
A Franga, accrescenta o correspondente.
julga talvez que a sua annuencia as med;,aas
pcstaes uniformesquedevein ser d'^cmjjgg
poderd de algum modo preju'^car" as uis!
posico.s de que nao tern o^uriclo afastar.se .
mas o sy-tema ui>ifor;ne 0 porte das car.
tas, quo faz parte da reforma que se pro-
folo Pr posto em Pralica dePis de
1848 o prov u nao trazer prejuizos algum
aos seus interesses. Ora, na presente emer-
gency, u unico governo que rezoavelmente
poderia eximir-se & discussao de taes pro-
jects, pelas suas condicdes excepcionaes,
era o da Gra-Bretanha, e no entanto elle
julga que seria uma puenl siisceptibilidade
ir de encoutro aos interesses do muitos,
quando aba's, elle nada perde em aceitar a
discussao, em urn terreno em que terd occa-
sido de paten tear os estudos queo assumpto
teia merecido na Inglaterra, e que podem
aproveitar ao piano projtctado.
A suscept'bilidade do governo francez
nao tern, pois, razao de ser justilicavel.
Adduzindo alguns argumentos em favor
da couveniencia de Joptarem algumas re-
formas no servico postal, alguns jornaes
francezes entendem quo o correio inglez se
acha perfeitamente organisado e em condi-
c,<5es no permittir ao governo britannico, com
mais razao do que ao da Aliemanha, o to-
mar a initiative de propor quaesquer refor-
mas, servindo-se para o estudo da questdo
das vnntagens realisadas ha annos no seu
servico postal.
Um outro correspondente, a proposito da
quesqiiao, fornece s >bre a organisacao do
correio na Inglaterra e sobre as reformas
que nelle teem sido introduzidas, alguns
apontamentos que merecem bastante into
resse.
Diario de Pernambuco Sexta teira, 15 de Maio de i
StS! ftrn^.-'SSKe E^!** *, sabeis, as leis
use0m7reidolUrbaailJade ao ze, dos donos*> Paiz dicVnhe^
Antes da ep0cha rcionada, osnegocios d.^iS^^^.jtX^
staes estavam em Inglaterra quasi no mes- um princioio de iustira an\J*E,i
no adtantamento em que se achavam nos vo d'as JKffiS ToutrS m"a
quearemessa edistn- consideraci, ,Ue o assumpto raereceu'da
bmcao das oartas oram feitas com mais ve- camera dos deputados. Isto
postaes estavam em Inglaterra quasi no mes- um princioio de iustica ao ri,
mo adiantimento em que se achavam nos v. Suf l"K.A0. re!nado.Mclus'"
oulros paizes, posto que a remessa e distri-
buicao das oartas oram feitas bom mais ve- camira dm' a^nnt^nciST a
SSsSSSSS-Si &&
.,.. gldq. ^.i,.. jss-": tTCIZTZZ^vt-'eleisic
"*v
Mi
> e
n ais
vo;os
os
n m
multiplas que depois se estende-
reforma postal, pelas posses-
vantagens
ram, com
soes britannicas, e que os outros paizes tive-
rarn o bom senso de adquerir igualmente,
mas m menor parte, seguindo o exemplo e
o irapulso dado pela Inglaterra e iniciado
por sir Rowland Hill, cu|.s trabalhos fo-
ram admiravelmente'secundados e continua-
porseuirmao Air. Frederico Hill, bomem
eminente, quese distinguio igualmente na re-
forma das prisoes ; por Mr. Tilby e por Mr.
Scudemore a quem S3 dove o destnvolvimen-
to do systema da telegraphia. Porquo nao ha
soolo um pooto de rr forma devido ao conti-
nento : reiiro-me jls cartas postaes, inveuQao
Prussians durante a ultima guerra, destina-
da a facilitar as communica^oes dos solda-
dos em cam pan ha com as suas familias e os
seus amigos, e esta invencSo foi rapidamen-
te adoptada pela administragao ingfeza.
PRECIOSIDADES AKCHIOLOGICAS.
Acabam de descobrir-so na terceira zona do
Esquilino em Komi, dous nottveis monu-
moutos, que se referem, segundo dizem,
a >s mysterios de Mitlira. 0 primeiro, mui-
to bom consorvado, 6 um grupo, de traba-
Iho delicado, representando o sacrificio do
touro. 0 outro, de u.n trabalho mais or-
dinario, e um baixo relevo de muito inte-
resse sob o ponto de vista archeologico e
reune todos os symbolos do culto de Mitbra.
comprehendendo o do sacrificio hujnano
que so effctuava mujto raras vezes,
Jtr*-
Lin'ERATDHi
Reforma eleitoral.
IDEAS CAPITAES DO PRfJECTO APRESEN-
TAD0 AO PARLAMENTO.
I
(Conclusao.)
Falte a um partido toda a disciplina, e
o vuto transferivel ndo dara" menos em re-
sultado grosseiras anomalias.
Eniregando aos loitores as linhas que vao
l^r-se, cumpria que dessemos as razoes de
convicgSo em que estamos.
Bern ou mal, mas em todo caso com sin-
ce! idade, temos cumprido este dever.
A adrainistracao dos correios na Ingla-
terra o nas suas povoagoes e colonias, diz
elle, pode dessasombradamente olferecer.se
como exemplo ds outras nacoes. Ndo quer
isto duer que esta administragSo so conside-
ra em todos os pontos perfeita, porque a
perfeicio nao e attributo do honem, e de
mais a serio continuada de reformas a que
ella tem sido sujeita, mostra que os chefes
que dirigem esta grande machina nao a jul-
gam chegada ao seu ultimo estado de per-
fei^ao, n3o descanijando tiles sobre os seus
louros, lourosalidsverdadeiramente bem ga-
nhos EUes naojacreditaui na perfeiQao.mas no
aperfei<;oamento *e na perfectibilidade infi-
nita e em rela^ao continua com as circums-
tancias variaveis sob cuja influenciateem de
exercer a sua nobre profiss3o.
Foi principalmente em 1837, sob a admi-
nistracdo desir Rowland Hill, que desper-
tou este espirito de reforma continuaes-
pirito quee algumas vezes desconhecido por
um publico impaciente, que ao rnenor, em-
baraco que encontram as rodas da machina
principia, nSo s6 a resmungar, mas a quei-
xar-se em voz aha na imprensa. Estas quei
xas sao em si proprias um testemunho indi-
rect prestado defficacia geral, dexactidao, d
FOLHETIM.
L7CSSCU B035Ii
MEMORIAS DE MUl
POR
0. Uauoel Fernandez y Gonzalez
QUINTA PARTE
LEONOR
tContinuaQdo don. 115.)
XX
DE COMO MICHELOTTO NAO DESCANgAVA.
E quem e" o teu capita ? disse La-
zaro, fechando a porta, depois de terem
entrado Leonor e Nicoldo.
Ndo te importe saber quem e" o meu
capitdo. replicou Nicoldo; o essencial e" hos-
pedar be n esta dama, e conserva-la oc -
culta.
Para isso tenho uma camara ex'jellen-
te, e ninguem meihor pode tratar d ella do
que a velha Bernabina que e muda como
um tumulo.
Leonor foi bospedada n'uma formosa
camara, em que bavia tudo quanto era ne-
cessario para o servico de uma dama.
Leonor quiz quo Nicoldo fosse immedia-
tament buscar Paulo, mas aquelle n3o o
encontrou.
Sabemos jd quo no dia seguinte recebeu
Paulo uma carta do Leonor e que se diri-
gio para a cathedral onde o esperava um
homem.
Aquelle homem era Nicoldo.
Sabemos tambem que Paulo aprazara!
(Do Rapport presente" d I'Association Refor-
mistedeGendve, le lb Janvier 1874).
N) dia 30 de abril de 1873, o ministro
do imperio, no Brasil, o Sr. Correia de Oli-
veira, apre;entou d camara dos deputados
um projecto de lei para a introduc<;ao da
reforma eleitoral, no sentido da representa-
cdo das minorias. Uma commissao de cin-
co membros, nomeada pela camara, offere-
ceu o seu parecer sobre este assumpto, na
sessdo de 4 de agosto. 0 parecer revela
um extensissimo conhecimento de todos os
trabalhos relativos d questdo; e temos odi-
reito de regosijar-nos do serem muitas ve-
zes citados os documentos da nossa asso-
ciarao genebrina. A commissao propoe
algumas emendas de secundaria importan-
ce bj projecto do ministro ; mas um dos
seus membros, o Sr. Mendes de Almeida,
formulou emendas essenciaes que consti-
tuem um projecto de minoria. A camara
deci iio que a questao seria posta na ordena
do dia das suas deliberates, no correr da
sessao de 1874. Em consequencia desta
decisao, foram impressos com o parecer o
projecto do ministro, as emendas da maio-
ria da commissao e o projecto do Sr. Men-
des do Almeida. Os deputados, examinan-
do a questao, terdo sob os olhos o todo de
taes documentos.
No estado actual das cousas, o Brasil e di-
vidido en provincias, o estas subdivididas
em districtcs eleitoraes, que nomeam dous
ou tres deputados cada um. As provincias
nomeam igualmente tres candidatos ao se-
senado, entre os quaes o imperador escolhe
um. A elei<}ao e de dous grdos ; os sim-
ples votantes designam eleitores que e'egem
os deputados. 0 direito de suffragio e ex-
tenso sem ser universal; os escravos sao es-
pecialmente excluidos, mas deveis saber que
a lei de eraancipaijao foi promulgada e que
todos os habitantes do Brasil serao bomens
livres, decorridos apenasalgunsjannos. Ha
um eleitor para 25 votantes. 0 projecto do
ministro exige que o voto se tome obriga-
torio, sob pena de multa; e contem um gran-
dissimo numero de disposictfes destinadas a
von lieur a identidade dos eleitores e a assegu-
rar a ordem das operates Os eleitores de-
vem ser chamados nominativamente, de um
em um, para depositar a cedula na uma. Sao
uma entrevista com Leonor e que ndo po-
dera comparecer a ella em consequencia
da morte de Branca.
E ndo o seguiste ? disse Leonor a
Nicoldo quando este Ihe contou o que setinha
passado com Paulo.
Sim, minha senhora, segui-o.
E onde foi elle ? perguntou com an-
ciedade Leonor.
A' pra^a de Santa Maria, d casa do
Sr. Reinaldo Albini, onde entrou. 0 Sr.
Paulo, pore"ai, era seguido por um ho-
mem.
Volta para abi, disse Leonor e ob-
serve essa casa ate" que saia o cavalleiro de
Arnesteville.
Nicoldo foi pdr-se de atalaya junto da
casa de Reinsldo Albini ; esperou, e pdde
ver que se abria uma janella, que appare
cia d ella um bomem, e saltava para a
pra$a
Nicoldo reconheceu Paulo, seguio-o,
mas ndo se atreveu a aproximar-se d'elle,
porque o seguia tambem um outro ho-
mem.
Paulo entrou para o palacio ducal.
Na praga do Grdo-duque, Nicoldo esbar-
rou na escuriddo com um homem.
Com os diabos I ndo sabe abrir ca-
minho a quem passa I
Ah I e*s tu Nicoldo, disse uma voz
que o osbirro reconheceu ser a de Miche-'
lotto.
Sim, sou eu. Mas que f iz nor aqui, '
capitdo T I
Nao e da tua conta ; eu, pel* con-
tnrio. e quo qutro sober o que fazefl por
esles sitios.
Ando alraz do caya:k-ira de Arnes-
deputados
nacionaes e dos senadores. No emtanto,
a questdo assumio gravidado pela apresen-
ta^ao simultanea dos projoctos do ministro e
do Sr. Mendes de Almeida.
0 ministro pronuncia-se pelo systema da
plural idade simples, proposto em Franca,
despe 1830, polo Sr. Emilio Girardin. Cada
votante para a efei^do primuia, e cada elei-
tor,. para a loicdo secundaria, depositardo
um s6 n me na urna: os candidatos, quo
houverem obiido a maioria de votos, serao
declarados eleitos, sem que um minimum
seja fixadn. 0 Sr. Mendes de Almeida ad-
mitte a pluralidade simples para a eleicdo
pnmaria, ist> e, para a designac^o dos elei-
tores pelos votantes ; mas, para a eleicdo
secundaria ou dos deputados, reclama a ap-
pIicaQdo do quociente eleitoral e da traos
fercncia dos votos superQuos ou insufficion-
tes, segundo o piano do Sr. Baity. Ve se
que o projecto do Sr. Mendes de Almeida u
o mais avangido na via da reforma.
Eis as suas disposicoes principaes :
As provincias do Brasil elegerao um nu-
mero do deputados, variaudo de 3 a 21.
Cada votante depositard na urna paro-
chial duas cedulas, contendo cada uma um
so uomo ; a pri ncira pjra eloitor, e a se-
gunla para supplente. Comprehendendo
que, estando muito disseminada sobre um
iiimenso territorioa pjpulacdo brasileira, e
sendo grandes as distancias a percorrer
para chegar d sede do collegio eleitoral, a
designacAo de supplontes 6 particularmonte
oportuna.
Os candidatos, que houverem obtido a
naioria de votos nas assemblers parochiaes,
serdo declarados eleitores ca razao de um
eleitor para 25 votantes; e recrberdo um
diploma eleitoral devidamento legalisado. Os
votantes que comparecerem devem corres-
ponder p.lo menos a 10 para um eleitor;
esta propcrcdodevo-d ser mantida reduzin-
do se, no acto da contagem das cedulas, o
numero dos eleitores fixado para a pa-o-
chia, guardada aquella proporgdo. Osau-
sentes, pois, se o seu numero e considera-
vel, perderdo o seu direito d representa-
gao.
Para a eleigdo dos deputados, cada can-
didate redige e publica a" lista dos outros
candidatos aos quaes quererd transferir os
votos superfiuos ou insulliciontes que Ihe
forem dados. A lista '; redigida em ordem
de prefereacia, e deve conter um numero
de DOOMS igual ao dos deputados por ele
ger.
0 numero de cedulas vilidas sera din-
dido pelo dos deputados, e os candidatos
que tivvrem obtido o quociente serao de-
clarados eleitos.
Transferem-se os votos superQuos, isto e,
os que excedem o quociente, conforme as
listas depnsitadas pelos candidatos : come-
gando pelos que houverem obtido menor
numero de taes votos. De igual modo se
operara a transferencia dos votos insuili-
cientes.
Os votos superfiuos e os Votos insufficien-
tes, transferidos a um candidato, ndo pode-
rdo ser transferidos de novo.
Se o numero dos deputados nao >'
preenchido com candidatos que houverem
obtido o quociente, sel-o-ha com os que
houverem alcangado a maioria relativa dos
votos sup.rfluos ou insufiicientes ndo trans-
feridos a algum outro candidato.
A differenca essencial entre o projecto
do ministro e o do Sr. Mendes de Almeida,
consiste em que o projecto do ministro ndo
admitte o systema da pluralidade simples,
sem minimum, e que o Sr. Mendes de Al-
meida pede a applicagdo do quociente e a
transferencia dos votos. Asubstituigdo do
voto unmominal e da pluralidade simples
no systema da maioria e um passo decisivo
no sentido da reforma; mas, tal como foi
proposto, encerra um grave perigo, porque
arrisca fazer passar o poder politico a uma
reunido de minorias, que de tal arte pode-
rdo obter um maior numero de represen-
tantes do que de facto obterd a maioria ab-
soluta dos eleitores. E' manifesto, por ex-
emplo, que, se 10,000 eleitores concentrem
os seus votos sobre um homem popularissi-
mo, ao passo que 5,000 dividem os seus por
dous candidatos, os 10,000 terdo um s6 de-
putado e os 5,000 terdo dous I E de que
modo o parecer da commissdo justifica a
adopgao desta parte do projecto do minis-
tro ? Diz, soccorrendo-se da autoridade do
duque d'Ayen e do bardo de Layre, que
ndo e" preciso mirar uma perfeita exactiddo
numerica e que os systemas nacionaes do
representacao teem exigencias minuciosas
que os homens praticos repellem.
Importa ter muito em vistaque
urgeote tornar simples eisento de exigen.ias
minuciosas o voto do eleitor; e nada
sendo isso. Ora, a transferencia dos
que remedia muto efficazmeute os defei
da pluralidade simples, ndo modifica
altera em cousa alguma a" accdo.dj eleit r.
No projecto do Sr. Mendes de Almeida, s-
sim como no do ministro, o eleitor r lo
escreve em sua cedula sendo o nome d) siu
candidato preferido : a operacdo 6 ilentics-
mente a mesma nos dous cas)s; appare e
a dilfeienca somente no trabalho da apilr
gao geral. |
Contaros vot,s, declarar eleitos os cai
didatos quo houverem obtido a maioria
ndo cuidar do resto, e em tat Jade coua
simpl.ssima. Mis, so u simples e o sico,
do verdjdeiro no estudo das obras do Crea
dor, segundo a palavra favorita do grand
Boherave, o simples ndo e sempre o signa
do bom nas institutes humanas. Oac
cressiOM de trabdho, alia* muito modera
do, quo a opjracao da transferencia irapo
am funccionanos encarregados da apuracao
pole por vontura tor balauceado com a^
coosequencias da parda de uma massa enor
mo de votos ? Nao, certamente.
A osenptura dos livros de comraercio ere
partida dobrada exige mais trabalho do que
a escripturacio dos livros em partida sim
pies ;qual e", porem, o negociante sensato
que recusa este accrescimo de trabalho ne-
cessario d regularidade dos seus uegocios ?
Nao e nidispaiisavel, semduvda, procunr,
em matena eleitoral, uma exactiddo mathe-
matica minuciosa ; mas o 'systema de plu-
ralidade simples arrisca deixar apparecer
o desaccordo do parlamento eleito e da na-
(jdo, em um sen'ido contrario ao do syst j-
raa actual, arrebatando o poder d maio.ia
real. E' uma volta das cousas deste rnon-
do em fivor das minorias ; mas ndo e" uma
volta pirfeita e completa. Esse systoma
(da pluralidade simples) trata as minorias,
ate agora opprimidas, de um modo altamen-
te cavjlheiresco; mas senlo ioteiramente
d sconhecilo dos partidos politicos os sen-
timentos da cavalleria, e de esperar que.
favorecendo exageradamente as minorias em
vez de limitar-so a fazer-lhes just q, provo-
qne uma reacgdo violenta, eque, sobre tudo
o defeito de um processo escolhido para
realisar um principio excellente ndo arras-
te a ruina desse mesmo principio e ndo rs-
taure o abuso das maiorias eleitoraes. Nao
e isto uma previsdo certa; e, porem, o co-
nhecimento claro de uma probabilidade te-
merosa que convem afastar e ndo ter por
adversaria.
Estas consideracties apparecerdo sem du-
vida, no Rio de Janeiro, no correr da sessao
de 1874 ; e exercerao a sua justa influencia
quer no governo, quer nas caraaras. Os
projectos de reforma originaram-se, diz o
parecer da commissdo, do sentimento dos
defeitos do systoma actual e de uma aspi-
racdo yeral para um piano de representa-
cao mais equitativo. ?e se deseja a repre-
sentando verdadeira, ndo se deve recusar
os meios de obtel-a com certeza, reconhe-
cendo-se que estes meios sdo tdo simples e
tdo faceis para o eloitor como o e a prati-
ca do systema da pluralidade simples ; pois
que, eu o repito, o acto, que se exige do
eleitor, e absolutamente o mesmo em am-
bos os casos ( nos dous projectos).
A adopedo do projecto do ministro seria,
sem embargo dos inconvenientes que aca-
bo de assignalar, um progresso reai e serio
na vida da justice, progresso de que se
regosijariam todos os reformistas da Europa
e da America. Esse projesto, modificado
pela introduccAo do quociente eleitoral e da
transferencia do voto, e adoptado pelo par-
lamento do Rio do Janeiro, seria um suc-
cesso de primeira importancia. Applicando
pela primeira vez um systema racional de
representacao a todos os corpos politicos de
um grando paiz, e fazendo assim da justiga
a pedraaogular do sua organisagdo politica,
0 Brasil, quejd tem tantos titu'.os d estima
e d syuipathia da Europa, collocar-se-hia
deGnitivamente, sob o ponto de vista da
reforma eleitoral, d frente das nacOes civi-
lisadas dos dous mundos.
momentos, a vussa attuncdo.
teville, por ordem da senhora.
D'onde vem o cavalleiro ?
De casa do sbnhor Reinaldo Albini.
Entrou pela porta, e ds duas horas sahio
por uma janella.
Por Baccho I exclamou Michelotto.
Porque razdo sahiria Paulo por uma janel-
la da casa de Albini t
Olhe que saltou com toda a perfeigdo.
Ndo duvido ; mas o que ndo posso
comprehender e" omotivo de semelhante
fuga. Perseguia-o alguem ?
Ndo, meu rapitdo ; depois d'elle sal-
tar, nao appareceu ninguem na janella.
Quando o seguiste, reparasteseo se-
guia tambem algum outro homem ?
Sim, senhor, um homem queo se-
guira desde o palacio ducal ate' a casa de
Reinaldo Albini.
Bern, retira-te, e diz a Leonor que
Paulo casou, segundo te disse um criado,
e que portanto 3 inutil espera-lo esta
none.
Leonor Qcou desesperada com esta no-
ticia.
Passou uma noite infernal, e no dia
seguinte fez-se acompanhar por Nicoldo i
' casa de Reinaldo Albini.
A alma de Leonor inundou-so de ale-
gria ; Paulo matara a esposa e fugira : es-
tava livre I '
I XXI j
EM QUE LUCRECIA S0UBE AF1NAL QUE SUA I
FILHA V1VIA.
Decorrerara alguns mezes. O.grao-du-
que sem saber onde ostava Paulo, Lucrecia
sabendo onde elle se occultava e estreme-
cendo continuamente s6 com a idea de que
Paulo, cangado da sua.reclusdo, commettes-
Haveria talvez meio do melborar ainda
mais o projecto excellente do Sr. Mendes
de Almeida, substituindo o voto comulativo
ao voto uninominal, como adiante explica-
rei; mas, esse melhoramento poderia ser
adiado sem inconveniente, porque sera fa-
cil introduzi-lo, em qualquer tempo, e em
cousj alguma modificaria a economia geral
da lei.
A idea da transferencia dos votos super-
fiuos ou insufiicientes, operada pelos pro-
prios candidatos que os teem obtido, foi,
salvo erro, emittida primeiramente pelos
nossos confrades de New-York : forma uma
das bases essenciaes dos pianos do Sr. Baily.
Mas, e agora, no Rio de Janeiro, .que pela
Sirimeira vez apparece em um projecto de
ei apresentado a um corpo politico. E'
este um ponto de excepcional importancia,
sobre o qual desejo fixar, durante alguns
0 processo de transferencia dos votos sus
cita objoccOes, que podeuj-se resumir na sa-
guinta formula :
Concedo a u-n candi la to o meu voto,
nao; porem, o direito de dispor d'elle.
Notemos antes de tudo quo se trata a jui
da introduccdo parcial da eleicdo dedous
grdos, processo qn tem parti listas serios,
como por exemplo o Sr. de To jqueville em
particular, e ainda ha poucos dijs foi pre-
conisado pelo Sr. Taine em om pampbleto
repleto de vigorosa argumeolacdo. 0 que
6 objeccao para uns, torna-sc argumento
para outros. Sem entrar, porem, nessa
discussdo, d posivel demonstrar, se me Bio
engauo, quo a objeccdo repousa sobre o
corapleto conhecimento do assumpto, e pir
tanto desapparecerd diante de um estudo
acurado.
A transferencia dos votos e" o resultado
necessjrio do caracter coUeclivo da accdo
de eleger, e tambem do facto de ndj ad-
mittir-se a accumulacdo dos votos parla-
mentares. Se cada deputado votasse no
parlamento com os suffragios eleitoraes que
houvesse obti lo, de tal sorte que um can-
didato eleito por 1,000 suffragios tivesse
1,000 votos, e que am candidato eleito por
2.0JO tivesse igualmente tambam 2,000
votos, o caso seria differento ; mas, desde
que se quer apenas o numero Sxo de depu-
tados tendo cada um o seu unico voto par-
lamentar, a transferencia in licada e inevi-
tavel em todo e qualquer systema propor-
cional.
Fixai, por oxemplo a vossa attencao so-
bre o systema da livre concurrence das lis-
tas : o que se passa nesse processo eleito-
rl ? 0 eleitor vota, modiante uma dupla
operacdo, por uma lista e por certos can-
didatos : se os seus candidatos ndo conse-
guera ser eleitos, o seu voto, que guarda
todo o tffeito em favor da lista, I transferido
aos candidatos eleitos pelos outros membros
de seu partido.
No systema da maioria, ate mesmo nosse,
a transferencia e realisada, mas quasi niu-
guem o nota. Observai, ant^s de tudo,
que a lei transfere todos os votos das mino-
rias para os eleit s da maioria, porquanto
estes tornam-se legalmcnte os representantes
d) corpo eleitoral inteiro. E o que se passa
no seio da maioria, qne obtem o monopolio
da representacAo ? Tomemos um exemplo
simpler: trata-se de um collegio eleitoral
francez, o qual tem somente um deputado
por eieger. Os liberaes hesitam entre os
nomes de Thiers e Remusat, e os revoLcio-
narios estdo de accdrdo quanto ao nome de
Gambetta. Os liberaes sabem que, dividin-
do-se, asseguram o successo dos seus adver-
saries, sendo caso em que a lei ndo ezija a
maioria absoluta; 6, portanto, necessario
que se harmonisem quanto a um dos seus
dous candidatos. Quero suppor que Thiers
seja o candidato escolhido; os votos desti-
lados a Remusat sdo effectivamente transfe-
ridos dquelle. Se a lei e assaz sabia para
jxigir a maioria absoluta, ese esta maioria
)ertence aos liberaes, a divisdo e sem incon-
eniente, no primeiro escrutinio; mas, ap6s,
10 segundo escrutinio, a mesma necessida-
le politica forward a mesma transferencia
[ue acima indiquei. E como se realisa a
ransferencia ? Ou um dos candidatos re-
ira-se voluntariamente (quasi sempre 6 o
aenos ambicioso que cede os seus sutfra-
ios a outrem que os merece menos do que
lie) : ou alids, a commissdo ou directorio
leitoral do partido, escolhendo entre os
(ous, obriga moralmente o vencido a reti
i a-se, e de tal arte decide da transferencia,
i Igumas vezes sob o imperio de preferen-
i ias pessoaes : quem intervem, noste ultimo
(aso, com uma autoridade decisiva, e um
(orpo que ordinariameute se institue por si
i lesmo, sem mandato algum regular. Em
transferencia legal dos votos realisa ** da-
res, b em coodicfes regnlarta, o qaa ate
agora se passa is occuhas an cood^iesa-
normaes. A objscao origins se 4a leal da
de do systems, que rostra o qaa a k aajai
ndo se via ; e, pois, deasapparaca deala qua
a' questao e bem eomprebeodida.
. E' pelo projecto da lei do Brasil o da
Sr. Mendes 4e Almei la;, qae a lea da
transferencia aberttmenteestabal^eida ia*er-
vem pela primeira vex, *u ispUl, a
um debate legislative Permitti que SM a-
prjveile desta circumstancia para indicar
como este principio favoraoena o apar aifoa-
mento do systema do voto cumulative, a da
tal arte faria deste systema (prooeaao sapj-
rico e defeituoso sob a sua forma e>4*J
um admiravel iustrumento da
propor. iona I.
Aa enrol*.
ualquer dos casos, o candidato mrnos agra-
se uma imprudencia e cahisse nas mdos dos
esbirros do grdo-duque."
Este, porem, tecd perdjdo a esperanga
de o encontrar, pareceu esquecer-se d'este
assumpto.
Leonor vivia rstirada, e soffrendo uma
agonia horrivel na casa da rua de Santa
Maria in Vado.
Emquanto a Michelotto, em v*o a grd-
duqueza tentara apoderarse d'elle.
Tonetta vivia abandonada n'uma modes-
ta casa era gEerrara, dmparada por quem
menos podia esperar.
Michelotto, que se havia tornado cruel
e terrivel, e para meihor dizer, que come-
cdre a revellar-se tal qual era a Tonetta,
deede o seu regresso d Italia, acabara por
achar pesada a companhia de Giuseppe e
de Marietta, seus companbeiros de extsten-
cia durante vinte annos, brigara com elles,
epozera-os f6ra de casa, dando-lhes anica-
mente o dinheiro necessario para chegarem
a Paris,Jonde Astolpho servia ua casa do rei
Francisco.
Marietta morrera no caminho o Guisep-
pe ndo tar Jen em segui-la ao tumulo, mi-
nado com saudades da sua esposa.
Astolpho, que era bravo como um le3o,
jurou S' bre a cruz da sua espada vingar a
morte de seus pais, e, com algumas Iibras
quo possoia, ti.uou o caminho de Ferrara
e.n usi::i de iMichelot'o. Todavia chegan-
c avol a maioria do partido corre a fortuna
( e ser o preferido.
Tal e a estado actual das cousas. Sup-
donhamos, de outro lado, que a transferen-
rencia dos votos e legalmente instituida, e
ejamos o resultado. Volto ao exemplo pre-
edente. Os eleitores nomearara livremente
biers, Remusat, ou qualquer outro can-
Jidato da mesma opinido qual delles obti-
ver a maioria dos votos do partido, esse re-
iolherd os votos dados aos outros. O medo
de Gambetta ndo limitard mais a liberdade
dos votantes na designagdo pessoal do seu
candidato preferido ; e o eleito serd aquelle
ftue verdadeiramente tiver apoio da maioria
lo seu partido e nao si nplesmeute a prefo-
encia muitas vezes arbitraria de um direc-
orio.
0 Sr. Bastiat resumio os principios funda-
Inentaes da economia politica em um pe-
[uenissimo volume, sob otitulo0 que se
)e e o que se ndo ve. Elle ahi aassignalou
:om form todos os erros quo resultam de
ido mirar-se o fundo das cousas, deixando-
e ao contrario illudir por simples apparen-
:ias. A observagdo cabe e tem applicacdo
latural ao assumpto do que tratamos. A
i a cidade n3o Ihe foi possivel encon
tra-lo.
Um dia era que passava pela igreja dos
capuchiuhos, vio sahir d'ella uma mulher,
em quem julgou reconhecer Tonetta.
Encaminhou-so para ulla, sorprehenden-
do-o, coratudo o ar de dcsolaijdo que se lia
i o semblante da pobre mulhor.
Serd tambem outra victima d'aquelle
i liseravel ? raurmurou Astolpho comsigo
i lesmo.
E collocou-se diante d'ella.
Tonetta ndo o reconheceu.
Que me quer, cavalheiro i disse
e la.
Pois que, ndo me reconhece, senhora
I abel ? Eu sou Astolpho.
Ah 1 meu filho, quem havia de reco-
n iecerTte ? Cresceste muito,. e com essa
b rba tdo cerrada e preta, e com esse uni-
fc rme de soldado...
Sim, senhora Isabel, sou um dos pri-'
meiros archeiros daguarda do rei de Franca.
Mas, como a senhora estd mudada tambem,
tdjo pallida I
Sim, meu filho, fui enganada duran-
te vinte annos, e por Gra abandonada.
Ah I tambem T
Sim... mas, vein coraigo... vem para
minha casa, que fica aqui proximo.
Em breve chegaram d casa de Tonetta,
que era um verdadeiro ninbo de miseria.
Pois a senhora mora aqui T disse As-
tolpho admirado.
Ah I meu filho, estou sd no mundo I
replicou Tonetta chorando.
E sua filha ?
A minha filha T... Perdi a, nlo sei
onde estd, e a dor d'yssa p;-rda matar-me-
h?mais depressa do q ie a miseria.
j Pois bem, disse Astolpho, eu tambem
estou so no rnundo ; unamo-nos, seja mi-
nha mai e eu serei seu filho.
Tonetta lanc,ou se nos bracos de Astolpho,
e >iao piJda responder urna unica palavra,
porque a suffocavam os solujos.
i rantaa Saa
necessidade dt^tes esubefecimentos para
f.icultar a admissdi da rauHwr nas faaatV
dades e cursos suportores.A etcali mo-
delo de Geneve, sui org^nrw^io pro-
gramma ile ensino.Rapilo ) inenlu. frequencia permittida as i
estraii(,''-irHS, divisdo de cla.
carsadas nas escolas, castigm a pwioa.
Cousequencias favoravefs sobre a ad-
carAo da mulher na sociedade.
A edui-acao superior da muliwr
tes ultimos annos receb'do nouvrw
cayoes oo sentido de Ibe proporciuoar todo
o ingresso nss escolas superiors*, acadnmias
e faculdades, permittnvlo-lbe assim dtspuUr
ao homem o dir-ito de deseia|>enhar aasaM
dos cargos e profissoes, qua duranSa raaito
tempo 1 >ra,n considerados enao saw pro-
pneda "e exclusiva.
Os pn meiros ensai-is. q'iese fizeraa aaslc
sentido, foram acorapanhados daa I
piciosos resultalos, tkan-lo ev"
reconhecido que. em identid.ide de
stancias sobre r^cursos de mstnic>0, a -
Iher p6 le vantajosainte competir cms o
seu companbeiro no desempeobo d-is baga-
res mais difGceis e para a qual M torna
preciso grande copia de conbecmier.im.
muito estudo e dedicac>o.
Iloje mesmo, depois, que na AUemanhj.
na Suissa e nos Estados Inidos e ate oi In-
glaterra, muitas sonbor.ts teem eursadj aa
academias e se teem distingoido depois, peia
sua aptidao e pratica, nos hosfataaa a aos
estabelecimentos particuUres, a aaiaaak) ao-
contra muitos adversarios a um daa arajev
mentos ultimos adduzidos em Fraar,' para
provar a inconvenierx-ia de permittir de
prompto a ad missao das mulberas nas aca-
domias pareee no emtanto fun lar-aa aaa aaaa
razao justificative.
Antes de cuidar-se no noseo paiz, diz
a Re vista da Instrucfdo, em limatar a aUe-
raanha e a Suissa, no que dis respeito a per-
mitti r-se a frequencia das mulberas us
academias, e necessario penaar aaa prepbrar-
Ihes o espirito a a educacao nas eeceiai sa-
cundarias, que sao o caminho iodcspavarH
para entrarem na carreira da saiaocaa.
Muito antes que nos LsUdos-Lntdcs sa
admittissem as mulberas nas faculdades tu
periores, foram fundadas as escol a se- n
darias, e mesmo na Suatsa estas aaaafaa ii
teem existencia longa nos cantdes aUeaaam
Concebe-se, portanto, que nos em Fraare
nao temos ainda procurado melborar a edu-
cacao da mulher e nao podemos em u n >
passo realisar esse melhoramento na iastruc
'.ao, que, ainda que reconhecidamenle ne-
cessario, ndo conseguird coliocir-nos a par
dos paizes que ha annos trabalbasa oeate
sentido.
Se nao tratassemos primeiramente de Itu.
dar as escolas superiores para as mulberes,
succederia o mesmo que boje acontece m
mogas francezas, tendo de sabir uoiatz
para beberem as noc,oes preparatonas na<
escolas soissas, preferirdo abi terminar qual-
quer curso, ou entdo teremos de admitti:
como valiosos os documentos de capacida que sdo concedidos pelas escolas superior**
estraiigeiras.
Cita a mesma folba a escola secondarn
superior de Geneve, como a que deveria ser-
virde modelo, no caso de se tomar tal re-
solui.ao; e para provar essa aecessided*
aponta o grande numero de mocos frauc:>
que a frequentam, ndo conta ndo os qu > sa
dirigem d Aliemanha e, o que e mais extra
ordinario, aos Estados-Luidos.
Apontando as razoes que torn am a aavnla
de Geneve uma das primeiras ptda sua orga
nisacao, fornece sobre ella curiosos porme-
nores, que ndo deixarao de ser lidos com
interesse.
Ve se por estes apontamentos que aescoia
secundaria superior do Geneve, dc que boje
se orgulha aquella cidado, que com razao
se considera como o seu mais bello flordo da
gloria, acha-se fundada desde o anno da
1848, tendo passado por diversas modiii;a-
Cdes, sempre com o lira de Ibe dar mais
desenvolvimento.
(Continuar-tc
No dia seguinte aqueile miseravel ca*e-
bre ndo abrigava jd Tonetta.
Astolpho oncontrara uma bonita casinb i
com quintal, proximo da porta do P6, e
raudara-se para ella.
Porem dias depois, Tonetta eatava tfo
enferma e desesperada que disse a Astol-
pho :
Vem cd, meu filho ; creio qua voa
morrer e tenho que fazer-te uma ravabx.. -
gravissima.
Astolpho sentou-se junto do leito de To-
notia e escutou com grande interesse.
Tonetta revelou-lhe todo a terminou 4-
zendo i
Persuadi-me de que Michelotto al -
raentou durante vinte anoos os projectos de
uma terrivel vingauca. Alexandrine, pois
jd sabes que e este o verdadeiro none de
Leonor, fugio de casa com um dm nawo
criados, ha seis mezes. Michelotto iaou
tranquillo sem revelar sequer ioaaafao da
a procurar ; tinhamos tudo prompto para
irmos para Franga, e quando Ibe dizi*
desesperada : a Pois que, vamos partir aam
averiguar onde para a nossa filha ? Dere
dizer que eu acabara por acreditar qua Leo-
nor ore minba filha.
A filha da grd-duqueza, raipaaduu
Michelotto com frieze e terrivel iolexdo
ndo estd perdida, mas sim muito bem guar-
dada, porque assim e^iecessario pare leaar
a eabo um graaJa projecto. Porque nAc
haveuios dc partir 7 '
i'ontmnar-teM.
a
TY'P. DO OIARIO. -RUA DCQUS DE
t


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESR86Y389_YMH89Z INGEST_TIME 2014-05-28T14:44:54Z PACKAGE AA00011611_18187
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES