Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18184


This item is only available as the following downloads:


Full Text

?
ANNO L. KEKB9 106
PARA A CAPITAL B LLG1BES O.^Bfe N,iO SB P16.1 FOBTK
Por seis dito*. idem..........,........ 129000
:Por um anno idem.........., _......341*000
Cada numero avulso.................. 9320
SEGEMJA FEIRA fit DE MI0 DE 1874
PAH A 1MB1TR* B POBA BA PBO! 1\I*.
Por tres Inezes adiantados..............
Porseb ditos idem...............
Por nove ditos idem.............. ...
For nan anno idem. _...........
t97M
139600
09250
279000
PROPRIEDADE DE MANUEL FIGUEIROi DE FARIA ft FfLHOS.
firs. Eerarao Antonio Alves 4. Filhos, no Pari; Goncalves d Pinto, no MaraaMo; Joaquim Jose de Oliveira d Fiiko.oo Ceara"; Antonio de Lean* Braga, no Araeatv ; Joio Maria iuito Chaves, no Aaso; Aatonio Marqnea da Stlra* no fiataij Jose Justin*
Pereira d'AJmaida, am Mamanguane ; Carlos Auxoncio Montaiao-da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose Gomes, na Villa da Penba; Be'armino dot Santos Bulcio, em Saato Antio ; Domingoa Joan da Costa Braga, emflaa*hi
Antonio Ferreira de Aguiar, em Gov anna; Joio Antonio Machaeo, bo Pilatr daa Alafctaa; Aires d C., na Bahia ; e Leite, Cerqninho d- C. no Rio de Janeiro.
PARTE OTPICIAl.
Miniaterio do iiuperie.
-? Foi jabilado o Dr. Manoel Ladislao Aranha
Dantas no lug ir de lente li cadeira de palholagia
extorna da faculdade de medicina da Bahia, cum
todo o seu vencimenlo.
Foi exonerado o J;se.u iirjr idor Luiz Gon-
z*ga de Brito Guerra. do cargo do 5' vice-presi-
dente da proviucia do Ro Ganlc do Njrte, vislo
ter sido nomeado presidaote da reUja) da de Mi-
aas-Geraes, para onde trausfeno a sua resideacia.
Foram nomeados :
1 vie: presidente da pnvincia do Rio Grande
do Norte, o baetiarel Joio de Albuquerque Mara-
nliao ; sendo transferido do t* para o o' lugar o
viee-presideu:e Francisco Cletaentiuo do Vascon-
eellos Chaves.
0idem da Mosa. Commendador : o coronel da
guarda naciooal da provin:ia da Goyaz Manoel
Barbo de Siqueira, por seme -s prestaJos ao esta-
do e em reiacao a guerra do Paraguay.
Cavalheiro.0 professor Jose Gomes de Souzi,
da provincia do Rio Graade do N >rte, e.a attencao
aos servico* prestaJos a iustracj ao publiea.
Ordem it S. Bento d'Aviz.-Cavalheiro. -0 ca-
pitao Paulo Antonio Ferreira Lisboa e o capitao-
tenente Carlos da Silveira Baslos Varella.
Em 21 de abril foi expadido o seguinte
aviso a presidencia do Rio dti Janeiro :
< Mm e Exra. Sr. Em sokicao do offlcio de
V. Bxe. de i) do mez fiudo, nc qual expSe as irre-
gularidades prali :ada ua fonnacao da junta de
"qaalificacao de votaules reunida em 31 de agotto
do anno passado, na fregaezia de Sant'Anna de
""* Cebolas, declaro a V. Exc. que, davendo terse
procedido a nova qualiii a;.io na mesma fregue-
zia em Janeiro do correnle anno, em virtude
do disposto no art. 2,'j da !oi de 19 de agosto de
1846, nem am elTeit > pole aquella produzir ; mat
junta e procedido a nova qualifi :acao, campre
que V. Exc. marque immediatamente dia para tal
fira, obserrados os prazos da lei. Deus guarde
a V. Exc.-/oao Alfredo Coneia de Oliveira.u
Foi couoedida a pensao mensal de 18J>, sem
prejuizo do meio soldo que psreebe, a D. Felismi-
d\ Maria Weideigr, viuva do alferes Francisco
Augusto Weideigr, repartidamente com sens filhos
-' uienores Jose Francisco Weideigr, Alfredo Angus
:o Weideigr e Anna Fraucisca Weideigr, sendo
nnto aos doos primeiras ate a sua maiori-
e.
Em 23 eoneedeu-se pennissao ao bispo do
Ceara para se aosentar de sua diocese, afim de
tratar ae sua sadde em qualqier ponto do impe-
rio oade lbe convier.
Pelo decreto n. 5",C00 de 23 de abril foi reor-
gaaisada a escola central, passando a ser denomi-
nada Escola Polytechnica.
Por deipacho de z A corrento :
Fez-se merce do titulo de barao de Embare ao
coronel Antonio Ferreira da 8jlva,etn attencao aos
relevantes servicos que tern prestado ao estado, e
a bumanidade por occasiao da epidemia da febre
amarella que grassou o auno passado na cidade
do Santos.
Ordem da bosa. Em attengao aos relevantes
servicos que tem prestado ao estado :
Official. Antonio Alves Machado de Andrade
Carvalno, consul geral do Rrasil na Holland*.
Cavalheiro. FraucU';o Udefonso Emerenciano
China, subdelegado de poliiia dodistricto de Utin-
ga. provincia do Rio Grind.; do Norte.
Ordsm dk s. bento d kva Cas'alheiro. 0
! tenente da armada, Pedro Pinto da Veiga.
Foi exouerado o bacharel Manoel Ferreira de
* Mello, do lugar de secretano do goveroo da pro-
vincia de Santa Citharina, visto tar sido nomeado
juiz municipal de termo de S. Sebastiao das Ti-
jucas.
Ministei'io du lazouda.
Por decrttos de 29 ds abril foram nomea-
tfoe :
1 escripturario da thesanraria do Maranhao
o 2* Mauoel Duarte Godinho, e para este lugar o
3" Joaquim Harianno de Azevedo Perdigao.
2* escripturario da thesouraria de Pernambuco
o 3 Joao Zeferino Itangel de Sampaio.
-J" escripturarios da alfandega do Rio de Janei-
ro os 3 Francisco Teixeira da Rocha e Antonio
Ecnilio da Silva Mai;;.
Foi .-iposentado o 2" eseriptarario da mencio-
nada alfandega, Pedro LeopMdino dos Santos
Marrocos.
Por titulo da 2o dc abrii foi nomeado Vicente
Aarelio da Silva e Oliveira. para o lugar de prati-
cante da alfandega do Rio de Janeiro.
Em 23 de abril foi demitlido Olympio Jose
Pereira da Silva, do lugar de praticante da alfan-
dega de Rio de Janeiro.
Seb o n. 5,59i e data de 18 de abril foi pu-
blicado um decreto dispondo assim :
< Convindo estender as provincias os beneficios
que se tem colhido da eaixa economica e do
k monte de soccorro, fuuJ.iu j- nesta curie em con-
formidade da lei n. 1,0?3 de 21 de agosto de
i960:
a Hei por bem, de accordo com o pensamento
da cilada lei de 1860 e a de n. 1,307 de 26 de se-
tembro de 1867, em seu art. 36, 1*, crear nas
apitaes das provincias eaixas economicas e mon-
ths de soccorro, observandose para esse fim o
regulamento que com este baixa, assigoado pelo
visconde do Rio Branco, conselheiro de estado, se-
nador do imperio, presidente do conselho de mi-
mstros, ministro e secretario da estado dos nego-
cios da fazenda e presidente do tribunal do the-
jcuro nacional, que atslm o tenha entendido e fa^a
executar.
Foi demittido em 2 do corrente, o praticante
da recobedoria de Pernambuco Joao Paulo Pacheco
de Med9iro.
Miniateria da jimtica.
Por deretos de 2i> d" abril :
Foi, a pedido, aposentado o desembargador da
reiacao da corte Jose Caetano de Andrade Pinto,
com o ordenado proportional ao tempo de servico,
ua forma do art. 29, 10 da lei n. 2,033 de 20 de
-i.'-mbro de 1871.
Foi reconduudo 0 baiharel Alfredo Affonso
Ferreira no lugar de juiz municipal e de orphaos
do terrao da Esca la, na provincia de Pernam-
touco.
Foram, a pedidos, removid-js os juizes munici-
paes e de orphaos :
fta :harel Lino Leoneio da Assumpcao, do termo
de Valenca para o de BarvJo, arabos na provincia
do Pianhy.
Bacharel Jesuino Jow w Freitas, do termo de
llarvao para o in Vaiciaja,' ambos na mesma pro-
viacia.
Bachsrel Misael Ferrerra Penna. dos termos
raunidos da Victoria e Espirito-Santo para o
de Itapemirim, todos ua provincia do Esptnto-
For'am nomeados joizee municipaes e de or-
Bacharel Joao Lopaa de Aguiar e Silva Muriti-
ba, do termo de Sajaarem*, na provincia do Rio
da Janeiro.
Bacharel Antero Pernandes Cassalho de Oliveira,
do termo de Cabo-Frio, na mesma provincia, fi-
caado sem effeito a nomeajao anterior para o tar-
mo de Uruguay anna na provincia do Rio-Grande
do Sol
Bacharel Epipbanio Werres Domingues da Sil-
va. dos termos rcanidos de Victoria e Espirito-
Sanlo, na provincia do Espirito-Santo.
Bacharel Manoel Quintiliano da Silva, doe ter-
mos reunilos de Missio Velha e Barbalba, na
provincia do Ceara.
Foi deelarado de nenhnm ftTeito o decreto de
13 de dezembro do anno pa*sado qne nomeoa o
bacharel Antonio Rodrigues Monteiro de Soaza,
para q lugar de secretario da reiacao de Cuiaba,
por nao ter aceitado a nomeacSo.
Foi nomeado Joaquim Jose Rodrigues. Calnao
para o lugar de secretario da mesma reiacao.
Em 22 de abril prorogou se por tres mezes,
com ordenado, a licenca cmcedida ao juiz de di
reito da comarca do Serro, na provincia de Minas
Gerae<, bacharel Leocadio de Andrade Pessoa.
Em 23 :
Fez-se merce da serveutia vitalicia dos ollicios
para que foi provisoriamente nomeado pelo res-
pectivo presidente :
A Esychio de Barros Bezerra, do de 1* tabelliao
e escrivao do jury, das executes cireis e crimes,
do evento, de capellas e residuos, do termo de
Muricy, na provineia das Alagoas.
Foi declaralo sem effeito o decreto de 17 de
maio do anno passado, que fez merce da serventia
vitalicia dos ofBcios de tabelliao e escrivao do cri-
me, civel e execucoes do termo de Pedro Segundo
na provincia do Piauhy a Segisnando Pinto de
Mesquita, nomeado pelo respectivo presideule para
servir provisoriamento.
Nao foram agrariados os seguintes reos :
Aristides Marques de Carvalno e Joao Manoel de
Mello, ex caletes do exercito, condemnados em
virtude de senteuca do conselho supremo railitar
de juslica, o priraeiro em 28 de fevereiro de 1872
a 10 annos de pnsa* com trabalho e o segundo,
era 1 de outubro do anno passado a 2 annos
tarabera de priaao com trabalho em uma for-
taleza e a eer excluido do exercito, visto ha-
voren incorrido, este nas penas de que trata
os arts. 7 e 10, combiuados com o 21, tudo do
renulamento de infanteria de 1763, e aquelle nas
de que trata a seguada part* do art. 1 dos de
gnerra.
Luiz Jose de Freitas, conderanado em 13 de
fevereiro de 1853, a pena de gales perpetuas,
em virtude da decisao do jury da villa de Ba-
naneiras, na provincia da Parahyba, por crime
de homicidio commettido em 11 de dezembro de
1852.
Por decretos de 2 do cjrreate mez : Foi
aposentado, a seu peltdo, o juiz de direito Fran-
cisco Loureaco de Freitas, com o ordenado pro-
poreionai ao tempo de servico, na forma do art.
29. S 10 da lei n. 2,033 de 20 de setembro de
1871.
Foram nomeados :
0 juiz de direito Feliipe Ranlino deSouza Uchoa,
para um lugar de desembargador da reiacao de
Cuyaba.
0 bacharel Joao Feliciano da Costa Ferreira,
para o lugar de juiz de direito da comarca da
Franca, na i rovmcia de S Paulo.
Antonio Pereira CataJina da Silva, para o lugar
da escripturario servindo de secretario da policia
da provincia de Matto-Grosso.
Foi removido o juiz de direito Jose Quintino de
Castro Leao, da comarca de Breves, de 2' entran-
cia, na provincia do Para, para as varas de or-
phaos e da provedoria de capellas e residuos da
capital da mesma provincia, de 3* entrancia.
Foram reconduzidos os juizes municipaes e de
orphaos :
Bacharel Joaquim Antonio do Amaral Gurgel
no termo de Botucatu, na provincia de S. Paulo.
Bacharel Geminiano Brazil de Oliveira Goes, nos
termos reunidos do Lagarto e Campos, da provin
cia de Sergipe.
Foi removido, a seu pedido, o juiz municipal ode
orphaos Salustiano Gomes da Silveira, do termo
da Palmeira dos Indios, na provincia das Alagoas
Jara o do Rio Claro, na provincia do Rio de
paneiro.
Fez se merce da serventia vitalicia dos offlci s
para que foram provisoriamente nomeados pelos
respeclivos presidentes.
A Torquato Mirtins Fontes, dos officios de ta-
belliao e escrivao de orphaos, ausentes, capellas e
residuos, civel e crime do termo de Riachao, na
provincia de Sergipe.
A Porfirio Alves do Silva, dos de 1 tabelliao
e escrivao de orphaos e rnais annexos do termo de
Ipojuca, na provincia de Pernambuco.
Foi commulada :
Em dous annos e seis mez s de prisao com tra-
balho a pena de doze annos de igual prisao, im-
posta ao reo Belchior dos Reis Pavao, em virtude
de Jecisio do jury da capital da provincia de
Pernambrtco, por crime de homicidio.
Miniaterio da giierru.
Por decretos de 18 de abril foi exonerado
do commando das armas da provineia do Ama-
zonas o coronel de estado-maior de artilheria,
Hermenegildo de Albuquerque|Portocarrelro, sendo
nomeado para o refendo commando o tenente-
coronel do corpo de engenheiros, Dr. Francisco da
Costa Araujo e Silva.
Por decretos de 25 foram transferidos :
Para o 7 batalhao de infanteria, o major do
18* dito Jose Maria de Almeida da Gama Lobo
d'Eca.
Para o 16 dito, o major do 7" dito Joao Pinto
Homein.
Para o 18' dito o major do 16 Antonio Jose
Baplista Caraaeho.
Foram promovidos no corpo de saiide do exer-
cit >, os seguintes offlciaes :
Para pharmaoeuticos tenentes os pbarmaceuticos
tenentes graduados Antonio Ribeiro de Aguiar e
Theodoro Vieira do Couto.
0 pharmaceutico alferes Reginaldo Jose de Mi-
randa.
Passaram a aggregados as armas a que per
tencem :
0 capitao do 16' batalhao de infanteria, Manoel
Joaquim Bello, de conformidade com a imperial
resolucao de 20 de julho de 1870, tomada sobre
consulta do conselho supremo mititar.
0 1* tenente graduado de 2' batalhao de arti-
lheria a pe, Joaquim da Silva Gusmao, em vista
das disposicSes do art. 2* 1\ raotivo 3* do de-
creto n. 260 de 1 de dezembro de 18ii.
Por porurias de 24, 27 e 28 :
Foram tran-feridos do 1* regimento de cavalla-
ria ligeira para o esquadrao da mesma arma da
provincia do Parana, o alferes Myltharistides La-
fayette Augusto de Almeida Fortuna, e deste es-
quadrao para aquelle regimento, o alferes Manoel
Gomes da Rosa.
Concedeu-se lirenca ao' alferes reformado do
exercito Jose Antonio Baptists, para residir na
provineia d > Rio Gran.le lo Sal.
Conceder.en-se qu area la diu de licen.a, coin
o re-pe-tivo ordenado, ao amanauri ria das tropas da cOrle, Antonio Jose Alves da
Fonceca, para tratar de sua sadde.
Por aviso de 28, foi nomeado para servir
do arcbivo militar o major graduado do 18* ba-
talhao de Infanteria, Eudoro Emiliano de Carvalno
Castello Branco.
0 decreto n 5,599 de 25 de abril autorisou
o ministro e secretario de estado dos negocios da
Suerra a transferir de umas para outras rubricas
a despeza do mesmo ministerio a somma de....
1,089:616*329.
Nao foram attendidos os seguintes reos :
Jose Maciel de Araujo, ex-alferes honorario do
exercito, condemnado pelo conselho supremo mi-
litar em 11 de outubro de 1871, por haver iacor-
rido no crime de qae trata o art. 18 dos- de guer-
ra, a 4 annos de prisao com trabalho.
Maria Thereza de Jesus, em favor de seu Qlbo
Alexaandre Antonio da C".-ia,~ soldado do- deposits
de aprenlizes artiiheiros, conderanado a 2:anuos
de prisao com trabalho, coino in?urso na art. 1*,
parto 2' do titulo 4 da ordenacao de 9 de
abril de 1865.
Leopoldina Carolina da Conlu Dias. em favor
de seu filho Ignacio Joio Dias, ex-praca do 1 re-
gimeoto de cavallaria, conlemnado cocao iocurso
na 2*. hypothese da 2* parte do art. 8 dos de
guerra.
Segismundo Augusto de Mendonca L >bo, alfe-
res do 7 batalbao de infanteria, condeiaoado em
virtude de sentence do conselho supremo militar,
em 28 de marco deste anno, a 6 raeies de prisao
era uma fortaleza, por ter incorrido nas penas de
que trata a 1* parte do art. 8* dos de guerra.
Joaquim Manso Bispo, ex-corneta do 10* bata-
lbao de infanteria, condemnado em virtude de
sentenca do conselho supremo militar, em 2 de
agosto do anno passado, a 20 annos de prisao
com trabalbos corao incurso nas penas impostas
n) grao medio do art. 193 do codigo penal e nas
do art. 10 do regulamento de 1763.
de
de
Miniaterla da agrleuMaara
Foram approvados, por decreto de 23
abril os eslatutos da companhia da e.trada
ferro e melhoramento do porto de Paranagua.
Segundo os eslatutos approvados, a companhia
constraint uma via ferrea de bitola estreita, que,
partindo do Porto d'Agua era Paranagoa, va ter-
minar na cidade de Morrete.', e fara, outro sim,
no referido porto, a estacao maritima com suas
dependencias.
A sele da companhia sera nesta corte ; saa du
racao 60 annos: sen capital 2,000:000*0JO re-
presenudo por 10.000 ac^oes de 200J000 cada
uma, formando duas series de 5,000 accoes cada
uma. -
Ao presidente da provincia do Parana foi
dirigido o aviso seguinte :
a Dire;toria central. -1' seccio. Rio de Janei-
ro.Ministerio dos negocios da agricultura, com-
mercio e obras publicas, em 14 de abril de 1874.
N. 11.Illm. e Exm Sr. Recommendo a V.
Exc. que com urgencia mande proceder a coas-
truccao das pontes necessarias as commnnicacoes
dos emigrantes estabelecidos em praaes situados
alem do rio Ponta Grossa e outros com a seJe da
colonia do Assunguy, e bem assim abrir novos ca-
minhos e melhorar os existentes, enjo estado diffi-
culta o Uansito e motiva jostas queixas dos habi-
tantes da mesma colonia. E corao a de toda a
conveniencia, segundo determina o art. 32 do re-
gulamento de 19 de Janeiro de 1867, que aos eo-
lonos se proporcione trabalho em que, sem pre-
juizo de sua lavoura, reeeba n salanos, cumpre
que reitere ordem ao director do estabelecimeoto
para emprega-los nas obras que ahi se estio exe-
cutando, de preferencia a trabalhadores externos,
devendo' V. Exc providenciar para effectuar-se
com promptidao e pontualidade o pagameote res-
pectivo. Con vein igualmeale que com a possive!
brevidade seja orcada a despeza necessaiia a uma
casa de oracio para o cult > evangelico e edificios
para residencia do capellao e pastor protestante,
enferraaria e duas escolas nos lugares mais coin-
modos a frequencia dos alumnus. Ou'trosim man-
dara V. Exc. quanto antes orcar as despezas que
se tenham da fazer com a estrada entre a colonia
e Coritiba em proporcoes de meia rodagem, assim
como as que deem facil e comraodo transito para
Castro, Apiahy e outros municipios, cujas com-
municacoes mais aproveilem a Assunguy, e espe-
cialmente exarainar a praticabilidade de outra
que va ter a Cananea, da qual ja fizeram-se al-
guns esludos e exploracSes. Da execucao das
indicadas obras dependem a prosperidade e
desenvolvimento da referida colonia, e o governo
imperial esta disposto a acceleral-as, de ma-
neira que brevemente se aufiram as vantagens
esperadas.-Dens guarde a V. ExcJose Fernan-
dez da Costa Pereira Junior.
Miniaterio da naarinha.
Por decreto de 25 de abril foram promovi-
dos :
A ofliciaes de fazenda da 1* cksse, os da 2" clas-
se : Innocencio Ferreira Braga e Bartholomeu
Jose Moreira.
A offlciaes de faznda da 2' classe. os da 3*
clasce, Guilherme Pereira Nunes, Balthazar Fer-
reira de Andrade, Januario Manoel de Santa The-
reza, Innocencio Jose de Medina e Antonio Jose
Muniz de Almeida.
A ofliciaes de fazenda de 3 classe, gs da 4' clas-
se, Francisco Teixeira de Oliveira, Antonio Maria-
no Barreto Pereira Pinto, Joao Sibastiao da Silva
Lisboa, Heleodoro Jose da Silva Pereira, Antonio
Vicente da Cunha Pinto, Clemente de Alcantara
Toscano, Antonio Emilio de Faro, Antonio Luiz
de Souia, Francisco Alves da Cnnha, Romualdo
Rodrigues Seixas, Joaquim Jose Ferreira Guima-
rii.'s e Jose Francisco do Sa Junior.
Por de ;retos da mesma data :
Foi transferido da 1' para a 2' class) o 1' te-
nente Joao Egydio de Castro Jesus.
Foi nomeado 2* cirurgiao do corpo de saude da
armada o Dr. Raymundo Jacintho de Sampaio.
Foi exonerado, conforme pedio, o 2* pharma-
ceutico Joao Goncalves de Carvalno.
Pelo decreto n. 5,603 de 23 de abril foi al-
terado o decreto n. 2,439 de 13 de julho dc 1859
relativo ao fardamentodas pracaa do corpo de im-
perials marinheiros e companhias de aprendues.
Por decretos de 2 do corrente :
Foram promovidos ao posto de 2* tenente da
armada os guardas mariaha Alberto Saladino Fi-
gueira ds Aguiar e Cyrillo Goncalves de Negrei-
ros, e reformado na z* cla-se o imperial mari-
nheiro Joao Muniz de Faria, ficando sem effeito
o decreto de 11 de setembro do anno proximo pas-
sado.
C-over no da provincia.
KXPKDI8STE DO DIA 6 DK IEVEBB1R0 DE 1874.
2* seccao.
Actos:
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o alferes da 4.' companhia do corpo de
policia, Pergentim de Miranda Pimenlel, resolve
prorogar por mais 30 dias a licenca que lhe foi
concedida a 13 do mez proximo passado, para tra-
tar de sua saude.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que expoz o commandante superior da guarda na-
cunal do municipio de Caruaru em offlcio de 19
de Janeiro proximo passado, quant > ao extravio
que houve do offlcio de communicaQao dos offi-
cials n<>mr>ado por purtaria de 3 de outubro ul-
timo para o batalhao n. 57 do muni-ripio.de I'a-
dajlaa, reiqlve pr>rogar per 43 dias improrogavew
o praso legal para pelos nomeados serem tiraj:*-:
as respectivas patentas ; ficando assim dispousu-
dos do lapso de tempo em que incorreranv
0 presidente da provincia, attendendo ao
Jue requereu o bacharel Jose juliau Regueira
into de Souza, juiz municipal e de orphaos do
termo do Rio Frmoso, resolve coaeeder-lhe tres
mezes de ilceoca, com vencimentos na forma da
lei, para tratar de saa aaude onde lbe oonvier.
Officios:
Ao Dr. cbefe de policia -Inteirado do que
expoz V. S. em seu offlcio de 4 do corrente, sob
n. 158, teono a dizer-lhe que o delegado do termo
de Panellas deve enviar uma oopia aulheatioa do
contracto de arrendaaisoto que diz ter feito da
nma casa para servir de prisAo ao dito termo, no
qual deve set. esiipulado o praso do dito arrenda
meato, nunea inferior a umtriennio, obrigando se
o proprielario a fazer no predw as obras necessa-
rias para que elle offereca as segorancas precisas
ao dm a que e- destinado.
Ao mesmo. -Opportuoamoote sera attend ido
o pedido qae fax V. S. em offlcio de 5 Jo c >rrente,
sob n. 1&), de nma forca de 12 pracas para des-
tacar em liwaahuns.
Ao commandante do corpo de policia. -Ten-
di> sido julgados aplos para o servico militar, como
const* de sea offlcio de 4 do corrente, sob a. 55,
os paisanes, Manoel Igaacio de Souza, Antonio
Honorato da Silva e fhimoteo Ferreira da Silva,
pode Vmc. engajal-os no corpo sob o seu com-
mando
AO nesno. M"inde Vmc apreientar ao Dr.
chef de pclieia 1 inferior e 6 pracas do corpo
sob o sea commando, afim de escoltarem ate os
termos de Floret e Triumpho 2 criminosos que
teem de rospnder ao jury nos ditos termos.
Ao meimo. Expeca Vmc. as conveaientes
ordens, afim de que se recolham ao quartel do
corpo sob o sea commando as pracas que com-
poem os desiacameatos de Bezerros e de Nossa
Senhora do O' de G-)ianna, e bem assim 6 das id
que se acham m Bom lardim.
a." seccao.
Acto :
0 presidente da provincia, tendo em vista o que
expoz o inspector da thesouraria provincial em
offlcio do 4 do c rrente, sob n. 69, resolve proro-
gar por mais 3 mezes, a eontar da data da com-
muaieacao em cada municipio, o praso marcado
pelo regulamento de 9 de setembro do anno passa-
do para o eucerramento da matricula de gado ca-
vallar, creada pela lei n. 1,115, de 17 de junho do
mesmo anno
Officios :
Ao inspector da thosouraria de fazenda.
Maade V. S. pagar a empreza da illuminacao a gaz
desta cidade a quanlia de 244*800, constante das
inelusas contas em duplicata, proveniente do gaz
consumido na companhia de aprendizes artifices
e na de operarios do arsenal de guerra durante o
trimestre de outubro a dezembro do ap.no pas-
sado.
AomesmxPara os fins conveoientes com-
munico a V. S. que o juiz de direito da comarca
de Itarabe, bacharel Joao Francisco da Silva Bra-
ga, entrou no dia 5 do corrente no gozo da licen-
ca de 30 dias, com e respectivo ordenado, que lhe
foi concedida pelo Exm. presidente do tribunal da
reiacao.
Ao mesmo Comraonieo a V. S. que a re
particao das obras publicas esti autorisada a en-
tregar ao thesoureiro dessa reparticio a quantia
do 41*109, proveniente da obra feita uo ehafariz
do Campo das Princezas ; como solid la o inspe-
cter do arsenal de marinha em offlcio de 4 do cor-
ronte, sob n. 813.
Ao mesmo.Respondendo a consulta de V.
S. em offlcio de 5 do corrente, sob n. 628, serie
F, cabe-me dizer-lhe qae, prevalecendo para pa-
gamento dos vencimentos dos juizes municipaes
os attestados passados pelos presidentes com os
searetarios das camaras municipaes, do mesmo
modo devem elles prevalecer para pagamenlo da
eongroa dos parocnos.
Ao mesmo. Attenieodo ao que requereu
Joao Antonio da Silva Pereira, 3. escripturario
removido da alfandega de*sta provincia para a de
Santos, recommendo a V. S. que, si nao houver
inconveniente, mande abonar a ajuda de custo a
que tem elle direito para effectuar o seu trans-
porte.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Mande Vmc. abonar ao alferes do corpo de policia,
Laurentino Felix de Oliveira Lima, delegado de
Ouricury, a quantia de 130* de ajuda de custo
dc ida e volt.i aquella loealidade, e bem assim
adiantar ao mesmo alferes e a uma praca que o
acompanha quatre mezes de vencimentos, a con-
tar do 1." de marco proximo vindouro.
Ao mesmo.-Communico a Vmc. para seu
conhecimento e fins convenientes, que dea-se or-
dem a reparticio das obras publicas para entregar
a thesouraria de fazenda a quantia de 41*109,
despendida com a obra feita no ehafariz do Campo
das Princezas.
Ao mesmo. Tendo por acto desta data
prorogado por mais tres mezes, a conlar da data
da communicacao em cada municipio, o praso
marcado para o ehcerramento da matricula de
gado cavallar, creada pela lei n. 1,115, de 17 de
junho do anno passado ; assim o declaro a Vmc.
para seu conhecimento e fins convenientes.
Ao mesmo. A' empreza da illuminacao a
gaz desta cidade mande Vmc. pagar a quantia de
110*700, constante das inelusas contas, prove-
niente do gaz consumido no quartel do corpo de
policia e guarda da Ribeira nos mezes de outubro
a dezembro do anno passado.
Ao mesmo.Ao tenente do corpo de policia,
Joao Pires Ferreira, mande Vmc. abonar a quan-
tia de 56* de ajuda de custo de ida e volta ao
districto de Timbauba, onde vai exercer o cargo
de subdelegado. .
Ao mesmo. Em vista do que sohcitou o
commandante do corpo de policia em offlcio de 10
do corrente, sob n. 56, recommendo a Vmc. que
mande pagar a Florindo Nepomuceno Ramos a
quanlia de lOJMJOQ, constante da inclusa conta,
proveniente do enterro da praca daqueUe corpo,
Pedro Pereira da Cunha, fallecido no termo do
Cabo, segundo se ve dos documentos tambem
juntos.
4.' seccao.
Ado :
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Philomena Paulina da Silva, profes-
sora publiea da povoacio da Ponte dos Carvalhos,
resolve conceder-lbe 30 dias de licenca, com ven-
cimentos na forma da lei, para tratar de sua saii-
de onde lbe convier.
Officios:
Ao Dr. inspector da aaude publiea. -Remetta
V. S. a secretaria desta presidencia e com ende-
reco ao subdelegado do districto de Capoeiras uma
carteira hommpathica, propria para o tratamento
da variola, bem como as respectivas instruccSes.
Ao I.* juiz de paz de Quipapa, Izidoro Fer-
reira Bolelho. Respondendo a consulta que faz
Vmc em offlcio do I.* de Janeiro ultimo, tenho a
dizer que nao ha incompatibilidade no exercicio
do commando superior da guarda nacional com a
presidencia da junta de qualificacao de votantes,
na qualidade de l. juiz de paz, em vista do aviso.
u. 94, de 18 de fevereiro de i860.
Portaria :
A' Illma. camara municipal do Recife.-Re-
comraendo de nova a Illma. camara municipal do.
Recife que remetta quanto antes um quadra de-
monstrativo da receita qne arrecaiou durante o
iriennio |tr desta presiden'ia, de 13 .l outubro do anno
passado, alltn de ter cumpriuiento o avi-o cip'.ubr
do ministerio do imperio, de 23 de seteinUfu da
1873. Mutatii ataHMfkl as camaras raunioipaes
de Pao d'Alho. Nazareth, Goianna, Iguaraasu. Es-
cada, Serinhiem, S. Bento, Garanhuqs, Buiquel
Flores, Triumpho, Ingaaetra, Boa Villa, Ouricury
e Granilo.
5,* ucciio,
Aeto:
0 presidente da provincia, attendendo aoque
requereu Juatino Jose de Souza Campus, empresa-
rio das obras do encanameato d'agua potavel a
illuminacao a gaz da cidade de Goyanna, em visia
da informaijao do director das obras publicas, de
r
.-
31 do mez de Janeiro proximo findo. sob-a< 29-, e
de acordo com a? oadicdes 12* e 25* dos- res-
pectivos contractes, de 11 e 14 de fevereiro do
anno passado, resolve eonceder qae o praso mar-
cado para comeeo das obras do encanamento d'a-
Sua seja contado da data do dia da pubiicacao do
ecreto imperial, qae approvoa os eslatutos e con-
cedeu autorisaoao para fnn:cionar a companhia
de illuminacao a gaz da cidade de Goianna, m-
corporada pelo mesmj emprezario.
Offlci os i
Ao engenbeiro ehefe da reparticao das obras
publicas. A' vista do offlcio do inspector- do arse-
nal de marinha, de 4 do corrente, sob- n. 821,
mande Vmc. indemaisar a thesouraria de fazenda
a verba arsenaesdo ministerio da marinha, no
corrente exereisio, da quantia de 41*100, con
stante da conta junta em duplicata, em que im-
portou a obra feita no ehafariz do jardira do
Campo das Princezas por ordem desta presi-
dencia.
Ao mesmo.Tendo o Jornat do- Recife noti-
ciado na Gazetilha de hoje que, ha >raoos, foram
laneados por terra uns frades de pedra do caes
Santa Isabel, e ainda la se conservam, mande Vmc.
providenciar afim de que sejam elles eollocados
nos sens lugares competentes, fazenlo-se o concer-
to necessano.
EXl-KDl+I.S.TK DO SKI :ftKT\Kil>.
i.* seccao.
Officios:
Ao iospector do arsenal de marinha.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. quo nesta data se expedio ordem a re-
pirticao das oNras publicas no s ntido do offlcio
de V. S., de 4 do corrente, sob n. 823.
Ao director do arsenal de guerra.S. Exc
0 Sr. presidente da provincia manda communicar
a V. S. que nesta data se expedio ordem a tnesou
raria de fazenda no sentido de ser paga a quantia
de 244*800>; como solicitoa V. S. em offlcio de 5
do corrente, sob n. 573.
2.* stccdo.
Officios :
Ao Dr. cbefe de policia. De ordem de S.
Exc. o Sr.-presidente da provineia, transmitto a
V. S. o titulo junt j de nomeacao do alferes Felix
Antonio de Alcantara para o cargo de delegado
de policia do termo do Triumpho, de conformida-
de com a proposta da V. S. em offlcio n. 139, de
30 do mez proximo passado.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vineia manda aooosar o recebimento do offlcio de
V. S., de hontem datado, remettendo as informacoes
que lhe foram pedidas em offlcio de 21 do mez
proximo passad?.
Ao mesmo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
viacia manda declarar a V. S., que nesta data se
expedio ordem ao commandante do corpo de po-
licia para mandar apresentar-lhe a escolta de
qne trata sea offlci3 n. 156, de 4 do corrente.
Ao mesmo.-0 Exm. 8r. presideote da pro-
vincia manda declarar a V. S. qae fjcam expedi-
das as convenientes ordens no sentido de qae tra
to o seu offlcio n. 167, de 5 do corrente.
Ao commandante superior 4e Caraaru.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S, para os devidos fins, que por portaria de
hoje toi prorogado por mais 43 dias, a eontar
desta data, o praso para tirarem as patentes, os
offlciaes nomeados para o batalhao a. 57 par por-
tal la de 3 de outubro ultimo.
Ao juiz de direito Joao Francisco da Silva
Braga.0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da accusar o recebimento do offlcio de V. S., de 5
do corrente, participando ter naquella data entrado
no goso da licenca de 30 dias, com o respectivo
ordenado, que lhe foi concedida pelo Exm. presi-
dente do tribunal da reiacao.
Ao commandante do corpo de policia.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S., era resposta ao seu offlcio de 3 do
corrente, sob n. 53, que nesta data se expedio or-
dem a thesouraria provincial para abonar ao te-
nente desse corpo, Joio Pires Ferreira, a quantia
de 50*000 de ajuda de custo de ida e volta ao
district* de Timbauba, onde vai exercer o lugar
de subdelegado.
Ao mesmo.-S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para seu conheci-
mento e tins convenientes, qae nesta data se ex-
pedio ordem a thesouraria provincial, no sentido
de ser paga a Florindo Nepomuceno Ramos a
quantia de 10*000, constante da conta annexo ao
seu offlcio de 4 do corrente, sob n. 36, provenien-
te do enterro da praca desse corpo, Pedro Pereira
da Cunha, que fallecera no termo do Cabo em 19
de dezembro ultimo.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S. em resposta
ao sea offlcio de. 4 do corrente, sob. n. 57, qae
nesta datase expedio ordem a thesouraria provin
cial para abonar ao alferes desse corpo, Laurenti-
no Felix de Oliveira Lima, delegado de Ouricury,
a quantia de 150*000 de ajuda de custo de ida e
volta aquella loealidade, e bem assim para adian-
tar ao mesmo alferes e a uma praca que o acom-
panha 4 mezes de vencimentos, a eontar do 1* de
marco vindouro.
1 IB8PACH0S DA PBESIDBNCIA, DO DIA 8 DI MAIO
DE 1874.
Padre Antonio Joaquim Soares.Juute o sup-
plicante sea orcamento, especificando as despezas
a fazer-se, e organisado por raestres de officios.
Auspicio Crespo. -Informs o Sr. director interi-
no do arsenal de guerra.
Companhia Recife Drainage-. -Nao tem lugar o
que reqaer a sappkicante, visto nao ter a presi-
dencia aatorisacao para isso. As apolices emitti-
das e as que a companhia tiver de reoeber em
pagamenlo, serao amortisadas logo que for con-
tranido o emprestimo.
De Lailhacar A C Nego provimeoto ao recurso
interposto pelos supplicantes, em face da lei e do
regulamento que interpreta o verdadeiro pensa-
ruento do legislador provincial.
Domingas Paulina Ayres.'ndeferido.
Fielden Brothers.Deferido com o offlcio desta
data a thesouraria provincial.
Francelino Ferreira Crespo.Concedo a aatori-
sacao pedida, com a condicao de prestar o suppli
cante opportunamente contas na thesouraria pro-
vincial.
Padre Francisco Lopes de Carvalno.-Defen-
do com offlcio desta data a thesouraria provincial.
Joaquim Dias Faloao. -Informe o Sr. director
interino do arsenal de gaerra.
Joao Keydio de Castro Jesus. Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Joao Manoel Ferreira Maia. -Indeferido.
Jose Ignacio d'Avila. -Deferido com offlcio desU
data a thesouraria provincial.
Jose Fernandes Lima.Indeferido, em vista da
informacao da lilma. camara municipal.
Padre Manoel da Silva Cid. Deierid> com o
offlcio desta data a thesouraria provincial.
Manoel Gomes Silverio.Infarme q St. inspector
da thesouraria provincial.
RECIFE, 11 DE M410 DE 1874.
Naticias do m^\ da ianperla.
Sabbado ejioa^,, caegara[n 0s vapores franco-
tea wary ,/eR,0 grande, inglez Patagoniai e
or^,'.,e,ru cruzeiro do Sul, trqzen<|o dats: doPa-
,CJ0co ate 39, do Paraguayate 19, tfoi8 da Praja
I
T I*
ate 28 e d; Minas Geraa ate 26 do panada, de S
Paulo ate 2, de Santa- Catharina 1, do Rio de Ja-
neiro 5 e da Bahia 8 do corrente.
Alem do que damoe sob a rubrica Parte official,
encontramos mils aos jornaes e cartas o qae se-
gue :
RBPUBUCAS -BOPACinO-,.
Sobre estes paizes diz ncsso ccrrespondenie
em Buenos-Ayres :
No Chile, bavia ehegado o principe de Sabova.
qne, como se site, esta riajaado pk Antrica.
Na capital lhe foi feita uma brilbanle recepcao.
c Nao *e confirma a noticia da nomeacao do Sr
Ibanez para ministro plenipotenciari> em miss.io
especial no Rio de Janeiro e nos Estades Unilos.
0 Mercurw de Valparaiso diz, qae segundo
consta, sera nomeado para desempeahar essa com -
mistao o Sr. Diming i Santa Maria, presideate do
supremo tribunal de jpstica.
a No dia 20 se inaugoroa o trafico da estrada
de ferro entre Chi Ian e Coocepcion, com asaislen-
cia de todos os mioistros- de estado
No dia 21 houve um graade inceadio na roa
da Victoria, sendo os prejaizos avaliades an 18,000
pesos fortes.
Na praca de Valparaizo a ultima quiaaaaa foi
mi para os productos do paiz, por causa daa ao-
ticias desfavoraveis da Earopa e pela falta de na-
vioi para carregar. 0 marcado moneiaria eenti-
nua critico.
Lemos o seguinte em am periodice de San-
tiago :
Encontra-se aojoi, chegada do Mexico, ama
roulher que, conta 20 annos e que e verdadeira-
mente extraordinaria. Sua altura nao pasta de
30 centimetros, nao tem bra?os, e possae-soaieatii
uma perna, que descancx era um pe que arenas
conta tres dedos. As demais fonnas do corpo
guardam proporcio com o seu porte. Perem este
pbenomeno, a quem.a natureza privou de tantos
membros ind.spensaveis a vida, saba- bem aprovei
lar-se de sea pe, pois com elle come, babe, cose,
penteia-se, veste-se, borda, engomma, etc.
< No Peril, o ministerio nae parece se encontrar
em estado solid j. Oi ministros da. juslica e de
obras publicas apresentaram sua* renuncia* ao
presidente Pardo, o qual se bavia. negado a acei
ta-lis.
t Mediante ama denancia, fii descoberta ama
conspiracao contra o governo da republica, a qual
devia estalar no forte de Santa Cktalina.
c Foram presos alguns complices, e a policia
trata de deacobcir os verdadeiro? chefes, para pu
ni-los severamente.
A Bolivia vai eoi paz. A politiea do sea nova
governo tinha tornado uma attitude energies com
reiacao ao Chile. Em La Paz. se organieava nma
sociedade para defender a iakegridade do tarrito-
rio boliviano, que dizem ameacada.
< 0 governo eoncedea ao Sr. Carlos Wilson pri-
vilege por dz annos para estabeleeer no littoral
am auchinismo qae coaverta a agua salgada em
potavel, por meio da accao do sol
0 conselho de gaerra reunido em Viaeaa,
para julgar ao* offl.-iae* aecisados desedica-i, sen
tanciou ao sargento-maior Cornelio Oaaea a 4 an-
nos de presidio na fortaleza de Orvro e a desti tui-
cao de sea emprego ; ao capitao Guraecindo e ao
sargento E-cobar a destitaicao, e ordenou qne
Narciso Noriega seja posto a dispoeicio do jaize
civil.
RBPUBLtCA DO 1-A RAUL VI.
A carta do nosso correspondent em Bue-
nos-A> res diz o seguinte smre o Paraguay :
a No dia 1* de abril teve lugar a abertura das
camaras paraguayas, lendo n'essa occasiao o vi-
co-presidente da republica uma extensa mensa-
gem.
a 0 ministro das relacoes exteriores Sr. Can-
dido Barreiro renuncioa no dia 6 o seu cargo, e
foi nomeado para substiiuU-o o Sr. Hygino Uriate.
c A elei^ao do novo presidente da republica.
que se devera proceder brevemente, occupa a at-
tencao da imprensa do paiz.
a 0 candidate que por ora conta com probabi-
lidades de ser eleito e o Sr. J. B. Gil, actual minis-
tro da fazenda.
Con ft rm a- se a noticia de ter sido cassado o
exequatur do consul argeotino em Assumpcao.
Eis o decreto do governo :
< 0 vke-presidente da republica em exercicio
do poder exeeulivo.
Consideranio : qae os agentes consnlare*
nao teem outras altribuivOoj senao as de prote-
ger o commeroio dos paizes que representam.
sem qae nennama circumstancia possa justificar
que tomem parte activa na polttica interna do
paiz em que resident;
< Consideraado : que nao e jnsto nem equitati-
< vo suppor que nas resolupfles destes, qaando
altrapassam aquellas, tenham parte sens respec-
tivos governos ; e que ao contrario, prccedem
< era discordancia com a lealdade que se deve
< suppor nos mesmos ;
a Considerando : qae a conducta obiervada
a pelo consul geral argentine nesta republica Dr.
< D. Miguel Gallegos, esta em contradicclo com as
relacoes amigaveis que conservam entre si am-
t bas as repablicas.
a Considerando : que nao ha lei que esteja aci-
< ma do direito quo o Paraguay tem a sua pro
a pria conservacao, cujo direito nio importa nem
i remoumente a idea de offender a digaMaae
do governo e da nacio argentina, e ouvido o
< conselho de ministros, decreta :
Art. 1* Cessa o exercicio de suas funccdea o
a Sr. consul geral argenUno Dr. D. Miguel Gallegos.
Art 2* Communique-se esta disposicaO ao go-
verno da Republica Argentina, e leve-se ao sea
< conhecimento as razdes qae a explicam e jus-
tificam.
i Art. 1 Communique-se a quera competir.
publique-se, etc
t Assumpcao, 6 de abril de W74. -Jwe/unoi.
-H. Uriorte.
< Continuam os emissarios argcnlinns a forjareoa
revolacdes no Paraguay, procurando por todos os-
meios chamar a odiosidade do povo contra o go-
verno nacional e contra o Brasu.
As lorcas do ultima movimento revoluciona-
rio, perdeado os sens chefes principaes, por cau-
sa do accordo que se fez, ahandonaram a capital
sem se quererem dasarmar e se inlernaraa pek
interior da republics, com o dm de soblevarem a
gente do campo e continuarera a lular contra o
governo do Sr. Jovellanos, apresentando o general
Caballero, (que bpje faz parte do dito governo)
como candidate a presidencia.
c Acrram-se a frente de taes forcas dous iadivi-
deos daaconhacidos charoados Motla e Davalos
< 0 general Vedia, depois de asim bem dispor
as cousas, para ver se consegae os fins qae 4ea-
ia o sea governo, embarcou-se para a disaatada
villa OscidenUl, acompanhado de seu e*udo-ma*or
a das lorcas argentiuas que commanda.
0 *rs(a| do Cmmercio da corte, accreaoentt
o seguinte : ___
So Prraguay parece ter cotnecado nova revo
lucaa. Como previaraos, o ministro Escobar nao
dispersoa os intitulados salteadores quo faziani
'l9.rSKa^2X^ Davalos. subtevaram a,
iropas parsguayas da capital, a que logo reaai-
ram-.e alguns g.upos de avenlureiros e #Vnn
nara a campaohj, toraando a direccao de Para-
mary 0 programma dos revoliosos e destaJUiicio
So presidente Jovellanos e proclamacao de Cabal -
To general Vedia rtlirara st com as tropas
argenlinas para a Villa Occidental.
m*


-=*.>-
klEi M: UiLL Ai. i. /UUi lA&JySP. de Pernambuco Begunda feira II de Maio de 1874. j (>///
a Nab ha raais porrrtdioras, porflue o
portador das nolidas, deixou As
em qne coinaiiflirNlfevolia. *
jJB^V DA PIIATA.
Em 23 offifffiL^screve nosso corresponlentJ
de Buenos-AjresMraSguinle solrre a'Republiea Ar
genliua: 'W1 VI
Comecawmos notidaud:>, quc seguudo nos
consta, e cemo previmosna missiva at\ierior, o Sr.
Tejedor respondcu a uUinn Beta do no*so iuini>tro
plenip'iteociario com uma liuguageai moderada e
evasiva e em sentidoaalliatiaa, desiliieirio-M cm
parle do que e>cref*fa f.om eerta arrogtueit em
sua nota preiedeate.
. Usandn dessa poHtica nneniavdii'a, ao qne se
prepoa claraunnte ngoverao argentino, me o
Brasil o julguo agora mais dispoeio a teYminar
araigavdmente a qaestao paraguaya, para assim
ganhar tempo e avilar um rotapimeato nas-actiiaea
cireumstancias'desta renulrftca, que sao aa verda
de bastaate criticas.
Mas,factosainda recentes, ahi estio parades
mentir semclhante embuste ; porquo este paiz.
co no sesabe, de um lado foment* revolucSes no
Paraguay, 6aowtrtte~de-*lMieAr eqedieja
e de outre emprega todos 05 raeios de que dispee
para bem -as armar e taMumtu 0 pessoal do St u
exercito.
Agtrt raesmo sabtaios com seguranija, fat
hos ulliraos vapores chegados da Europa vierarn
* itah'anos engajados :pelo gaverho argentine
f-'ranrcotadoaj sobre a lo

Smerra a 49
II a 5 fa
aterra a 49 e 49 1/8
603
para 0 servico das armas, figa^ando entre elles
alguns offidaes.
'E de cert j que uao c para mauler a pa* de
seja^ei eora e^* setts pAGificcs ^rrsrcrhos, qne este
paie com sacrificio lane* mao de todos os reeorsos
imaislnavel?, para conse&ir a orjranisariio 0 0 ar-
irtaraento de amexordia fte 8f),000 hoinens, eorao
aonunciara osjoruaes desHa thuja Je.
Amda se igndrt 0 veriaaeifo resultadd do
BWIo efeiYofth rfe ft do eoiVe&le", pdhq'iie a'rnbos os
partidos se dizem vencederoi- e festejam a victoria
com estrondosas madire$ia"eis publieas.
Or oTaritR nilfrisrts" aifffWiam que 0 sou par-
tid> venceu em Buenos-Ayres, .\fendoza, Santiago,
San Juan, La Rioga, San Luiz, Corrientes e Cata-
inarea, e qua assim 0 seu candidate oonla com ISO
vjt; para p-e side ate, isto 6, mais 83 dc's que sao
neceisarios para ser eleito, e os avellanedistas ga
rantem qiie 0 sea paftido veaceu em todos fis
pjutos (h RcpuWica, e que clesle modo 0 seu caar-
Jifati te'm anaoimidade de votos,
a Bsra duvIJa e fadecisJo ha de permanecer ate
a et-icso "secundairia em 12 de juaho, ou ulvez
memo alti ser feita a apuraijjo geral pelo con-
gfess-, porque ambo's os partidos conlara cjm 0
recurso fepublfciao das falsliica^Ses e da corapra
de voto-*.
(Js mitrf?tas, t.'mendo rfoe os saus adversarios
venhaih etrecnVSMe'rile a friumphar por causa de
algumas a Has faJsas; que diiem existir, ameajiam
e-m p-.tutancia pela imprensa fazer uma revolu
<;i> sital aconlecer; e 03 avellanelistas, reoeiaa-
Jj qaeo su brao dh cjnsciencia doi eleiioras lhes.
pi>s>a pre]u3icar, decrararam lonnuiantemeote na9,
column is da UepMicx. que c eleitor do seu parti
Jo -(tie Bver A ousadia do votir no general silre
pigar;i com a vida seraBlhanle Iraitjao.
c Dito'sa CondffSo f pifosa jente'!
E-la".ft* em mire chela cfe elii.;oes nosla bem
aventuraaa te'rfa.
f!i;e amli tamps outrae.nBueaos-Ayres, que
e a de serfadores e depuudos proviaciaes.
0< milristas se reu'rara'm do ptoito, allegando
qae a qualificacao tsta falsicada.
\ Trii.um puhlicou ultimamente ura qiadro
<11 divi la de-!e paiz, que in js'tra bem 6 e^tado pre
cario dft suas (inahgas.
.< Eta repuMica, segaal) 0 dito quadro, rcqie't
to para Loodres annaalmentj a quantia de, lihras,
1,11 >:78>, para loagaraedlo d.s jurog e araortisa-
iU) d; sias e.nprestiuiw, samiui na terdade mui-
t) IfHpofua'O e qne ultrapassa consile'ravelmente
ao que paga 6 Brasil.
E dlgam ainda que os goveraos republicanos
sao econdmico'i
So ilia 12 do correhte os raoraJores da paro-
caU He S. ,\ic laj firam tri.i.eiiicnto studireeBfli-
doJ eom hma desgfaca que succedeu a jmia fa
milia que ualxtava na rua das Aries n. 2i0.
Por VjJta d i horas da tardo achaadosea
dita familia, que se c ..apuuli.i de 3 senh ras e 3
iiuaiuas, ua varaala da casa, tsta qne era de ma-
oeira ae abateu subitkm'enle e cahio a rua com as
pessoaa queesiavarh nellas, as quaes ficaraia teri-
da> e contusas, correudo perigj de vila uma das
sealniras que so ach'ava gravjdi.
Cora a epigrapiie um vunimo miliiohario le-
inos 0 ieguiote ni Triiuna de 19 do correhte :
0 O^anco da prjvincta co,nc,cou honteal aWfi-
*'ai sa]acs S0Dre Londrer", 0 qua causou na rraca
ndi graadb moviidenld cotumfircial. 0< bancji
particalaras, cm visla de semelltanie acontecimen'
to, saspanderara suas* tsansaccoes de- cambios, V4u >Ptatet, siji* dft coramendador Fidelia NeDO
. Palle ."(5ra na capital D. loaquina Vi|
Ctra^ao de Jesus, dcixando livrcs sem c3
d<-;uia oj -auatit} unicos osrravos i|n> rt>';-uift
fpram cs*es mtsnos libcriadus que can::.iram'
ciixio a',e o rcniiieri.).
Palteceram : n.i capital D. Vnna da'
a profisslo de meadig.), e qual apezar de sens
achaques e velhice, vivia quasi ao ar livre, psis
0 quarto era que morava nno tiaha teeto.
Logo depjis da morie desle homem s.mbo-se
da for'.uua que deixou, pus dous filhos delle, quo
os inandou buscar ultimamente, se apresentaram
com j herdeirjs de uma ma^uifica chacara om S.
Jose das Florc- e outra e;a Barracas, as quaes
esta avaliadas em ura milliij e meio de pesos
(l2J:OOJiOOO).
Ganba ocCuItava a tolo 0 munJoa fortuna que
tin.na, fazia viagens a Montevideo c alii e onde pe-
dia esraolas; aqui vinlia d? lies em ires mezes, e
mudand) de traje cobrava os alugueres de suaj
eaias.
Sua tnortd toi devida sobaeote a miseria e des-
amparo em que vivia.
A aiunij.iade fez conduzir 0 seu cadaver ao
eemiieric da Cliacarita e enterral-o no fosso dos
pobres
.No interior da republiea se esta senlindo uma
forte secea ; pnneipalment>, nos campos do oeste
e du sol.
As cavalhadas e 0 gado se dispersam diaria-
mentt; procurando pasto venle e agua.
ftX/lrar"r.rne diz um rn*' '* morreram mais d
S'JO.oot) cabe-.-as de gad.., victi nas da escascez de
aliraeotos.
o i>M.\ lo dos campos reieridos
m ate deploraveL
" Nc port) de Santa Fe nouve aa semana pas
sada uau esplos3fl no vapc-r dc reboqiie Luisa
propnedade do Sr Jorge Suares.
to nao poderem presenteraenle corapetir com 0
banco da provincia.
" De*de 0 mez pissado trxw se de loWlar aqui
uaia sociedaianonyma, p.)rlcc8es, ctm 0 fim da
assegttrar aos proprietartos a renda dos Lens de
raiz.
A idea & da surama utiKdade t parecc que
para os empreaarios seti uma *t9 inexgotavel de
reidiraento, porque sem duvida tmlo proprietario
1 aj se esquivara dc pagar uma pe iuena porceata-
gempara ter garantido os alagaeres de suas ea-
sas.
0 capital cto soeiedade de 49&,08ft pata-
ooes.
Sobre 0 Estado Orieatal eserereosso*felo-
so collaborador:
0 goveroo nacioftal rfrftpSa 33 suas reTncoes
dtj>lomttom-*-RpuWiea AfgenUaa, por eausa
da questao da abertura dos portos, poblicaodo a
seguinte nola dirigida ao consul era 6uenos-Ay-
res :
1 1 Montevideo, ft de abril de 1874.Sr. consul.
Resultando desta nota (1) e seus autecedentes
qne o governo afgeaiino recasou dar as expliea
roes satisfactorias que se lhe pediram reiterada-;
meate, acerca do deereto do feahanteiMo'dtB por-
i lo3, datado do I.* de marc/j, no qaal. sem_razae
algutua, sedeclaiaram cerrados seas portos para
as precedeacias' deata repablica, chegando ate a
devoiver ao consul oriental a ultima n,ta que diri
gira sobre este aesurapto, apezar d'elle invocar as
ordees de seu g.tverno, e oio usar nenhum termo,
cuja tnconvenieacia autorisaese tal raedida, e coa-
sideraado que 0 descomediaiento e ofTensa que
ta.-s actos envoivem nao se puJem consentir sem
raeaoscabo da diguidade nacioaal, respoade-so ao
3r. consul que seu governo resolve : Suspeader
as relacoes diplomaUcai com a Republiea Argen-
tina, ale obter as salisfacdes neccssarias pela inso-
lita conlucta ob.-ervada a sea respeito ; deendo
dor consequetcia limifar-se d'ora eta drante a ges-
tfi) dos negoci.iB iadispetsareis para a devida
proteccao dos iateresses commeroiaes que estio a
sieu cargo.
Era Monte vide), depots da cliegada do vjpor
ingle: Tiber, correiu ram,re- alarmantes de ser
inevitavel a guerra entre 0 Brasil e a Republiea
Argentina.
Por causa do deseavolvimento da febre ama-
rella no Rio de Jaaeiro, foi reslabe ecida nos por-
tos orientals a qaareateaa da 10 lias imposta aes
navios procedentes do Brasil, a conlar do dia da
sahida do ultimo perto.
c 0 Bjoco iSavta tiuha soffndo uma forte corri-
da, p jrquc graode numero dos possuidores de
suas cedillas finham id troca-las; mas, isto nao
causou alanoa ao commercio, por se saber que a
euiissao nao era avultada.
0 banco pagou integralmente todos os bilhet*s
nipreseatadus-.
t Os joraaes de Montevideo rioticiara que Pal-
mer, Bergara e outro3 heroes do assalto do Por-
tt*a, invadiram com forga armada o territ.jri.x
ujrienlal, e se.aeham nabarra deSarandi, 8 loguas
distaoie da villa de Artigas, igaorando-se cam quo
lira.
O governo fez marchar para alii alguma tro-
pa de linha, cm ointuito de bate los.
PqUS GERAES.
0 Monitor Sttl-ilineiro, desta cidade, nolicia 0
seguinte :
Na noite de 19 de abril, Gabriel, escravo do
imp'Ti-mie lavrador da freguezia do Carmo da
Christina, Aurelianj) Gomes Nogueira, sahindo a
mandado deseu senbor para oatresar umascartas
de couvite para 0 eoterro da senliora do raosmo
lavradir, enc mtrou em caminho com Manqel Car-
los de Meuezvs e desfechou sobre olle um tiro, que
fehzmente nao 0 offendeu porque as spmbras da
nuilc-o protege ram ; depois, veudo passar pela es-
trada am tnoteque, espaacou 0 barbarameate, dei-
xiindo .0 desgraca*) era misero esUio ; em se-
;;tiida foi bater em o.isa de um aggregado de Jose
Laiz Gonjalves, e como nao a abrirara, foi po-ta
abaixo a porla dessa casa,,onde estava de pouso
um pobre hoinem, morador no.leweno de It -ijuba
e pai do uumeru-a familia, .da qual estava ausente
hivla dbus.. dormia 0 infeliz e a facadas deixou-o morto !
Per ullitoo partio 0 assassino a eatregarse
a jusiiiji da Christina, confejsando tuao quanto
praUcara.
j o Presume-se que 0 desgracado perpetrara este*
crimes em ura accesso de loucura, porque seoipre
foi um escravo raorigerado e pacilico, e nem ao
menos conliecia ajuellcs contra cuja vida atteu-
tara. ..
ceno Prates e fillia do barao de Antonina ; 0 capi-
lao Join Baptista dc Moraes, empregado do cor-
reio ; e 9 octo]pHrio ouego Claro Fraaeisco de
Vasconcenos ; em Mogytnlrim o Dr. Alexandrian
Leonel Marques de Saullago, juii tfe direito da-
quella corharoa.
Do Ypmemti de 21, liramos 0 seguinte :
t Uotucat*. -Recebemos de um auiigo aotsa,
residente aaquella localidade, uma carta, da qmal
fueni'X 11 seguinte exlracto :
1 No dia 4 do corredte, 0 pow desia villa "es-
tava renatodo-se para dirigir-se a casa do padre
Franewco Jose d? Mradt, afim de lntima-lb para
incontinenti retirar-se desta villa juntamente com
seu Iwspede, o padre GandiJe Corrda ; a pedido,
pore.a, de algons cdalaos imporiaates, qne opi-
nararn que se representasse ao bispo, dfspersoo
se^eitej imirmataod-i of a os dons padres, e-abi
trati hi se da representacao. ^_^ ^
Os habitantea desta locali Jade estao resolvidos
a uao aceitar oulro qualquer padre para seu viga-
*io, a nio seT 0 itosse humilde d bondadoso padre
U-cio Augusto Ciiefal.., que satisfaz a lodos sem
di-rttactao de pettlica e classe.
1 Na ailudida tjepresentaca.1 estap assignados
cidados dos fres partidos pWitfcos, pelo qne se
vu que oao e a politica que nos move, mas sim 0
nosso bem cstar 0 0 de nosstra corieltalsoi.
SANTA CATHAR1NA.
0 6'oroador de 29 de. abril, diz o se-
guinte :
< A epidemia da variola esta grassando aa Lagu-
na com bastaate mlensidade.
A' rcquisicSa d 1 camara mumcipil daquelU
locaiidade aoaba 0 Sr. president* de man Jar pre-
parar uma casa onde sejam tratados as pobres
accomraettidos dessa eafermidade, nomeatdo para
essc lira 0 medico Dr. Francisco Jose Luit Viao-
aa. >
RIO DC JAMBIRO.
No dia do correate teve lugar a sessao
solenme da abertura do parlameato brasilalro.
FaUeceBi em Santos, D. Francia de Assis
Lisbot, viuva do tenente general Heoriqae de OB-
Teira Lisboa.
0 actor tragrco Saflvibi tai reprereniar bo
theatro & Pedro
Morrea repentinameWe, aas obras hydrauli*-
oas da alfandega, Maaoel da SHva NuSes, porta-
guez.
No dia 28 de abril safeio para Peraarabuco,
0 brigae brasileiro Isabel.
No mez de abril a alfaudega arrecadou....
3,46;'.93U-33i.
-* Soioilaram-se : 0 allemao Einilio Koioi,
cam veneuo que tomou a'um copo do cerveja ;
o portuguez Manoel Francisco da llocha, atiran-
do-se dentro de 11m poco.
Leuros no Jurnal do Commercio :
Oativemos mais algumas infornacaes a respei
todaterrivfel toundifao, de que sob este litulo
demos noticia bonlem.
a Pessoa que assistio ao lerrivel aconteeimento
diz-nos que passaram, enroladas nas agaas qua,
em grande massa, preeipitavim-se priactpalmente
rJela estraila elha da Tijaca, mais outras pessoas,
alcm das da familia do Sr. desetnbargador Castro
Menezes.
Alguas homens destemidos, e dignos de loa-
i^a na .1
-nh ria do General Polydoro, 0 Su. JUa*io Pi-
rat> sua familia, foram socortWS.!t!T H6-
)Wrugada. pelo Sr. VHeMj de Smu
ueo3 maadou c.mduzlr^MPasua caaa-
1-0 tambem 03 memluqjK *, ar.cieJade
lieaeto de Botafogoi oiiras. familias fo-
igualinente salvas.
* Em S. Clemente a inunilacio nJo foi raeDor e
os estragos sao innumeraveis.
Na praiade B-.tafogo uma parte do oaes, era
freete ao hotel inglez, desabou e algumas trvorei
cahiram. As casas e chacaras Dcaram eomplet
mente alagadaa.
< Ma rua do Seaaior Vera^teiro taaibem muitaa
casa sollieram igual iuuiulaeio.
< Xo liio- Com pi 1.I1 algumas f-.milias passarara
a noite em Mare, pareo&nlo-lhes que, a tedo 0 mil
mento, as casas se abatiam.
Em Catajway, 0 rio trasb-rJou, senJo niuitia) turados.
casas inunifadas, e os mo'radrjre? "levaram toda ,1
noite a salvar os moveis, roupas e 0 raais qqe Ihel aggravo
peftencia.
No bairro das Laraojeiras, sae tambem ex-
traordinarios- os estragos.
-t $) alto da rua do Cosme-Vethi vieram as
aguas, arrastaado madeiras e pedras, que, danda
de eaebnaro a ohm grandb vifa na cocheira do
Sr. Laic Mendes Ribeiro, arrancaram-lhe 0 portaol
e arremessaado-se de encdntro a porta da cozinha
arrombaram-a, e entrando com toda a unpeiuosi-
dade lautfdarach toda a casa, refugiando-se a fa-
milia era casa do liscal da freguezia. Mais abai-
xo, penetrarafrt petos rondos-da casa onde ftlora V
Sr. Br. Rego MHBteiro.
Na esquina da rua do morro do Inglez e da
aova da Caixa d'Agfla, desabou uma grande por-
Sao do morro sobre 0 qaal esta edilicada a casa
0 Sr. Jose Hibeiro da Silva Qaeiroz. Na chacara
do Sr. Bezerra e n'urna casa da Sr. Qaeiroa 08 es-
tragos forafli igualmente graodes
Na chacaras do Sr. Manoel Bento da Crnz
veio abarXo pane da murallia qae sustenUtva as
terras a margem do rio, e, dabi em diante, tronte-
rain as agaas tuao qaanto eocontravam, 0 unindo-
se com as do rio, no lagar denominado A real, de-
positaram ahi grande qaantidade ie terra, areia e
pedras. Neese poata, Ma um boad atolado e lion
tern ao meio-dia aioda la se achava. Us carrfts da
compaohia, que c^stomaTam BObir ate 4s Agaas
Ferreas, na-i puderam la b", e por isso os passaged
ros do Cosme Velho desceram om carrocas ate 0
poulo onde.estatam os boflds. No logar chama-
do Jardim 0 CTescimento das aguas foi tal que ot
moradores aodavam dentro de casa com agaa ate
a ciotura. Ahi veio abaixo uma porcSo do morro|
trazendo uma grande arvore, que Ikon sobfe os
trirhos. 0 pWedSo da Ilhota, pertencente a ca?a
em qiW mora 0 br. Vicente Marques Lisboa, desaJ
boo era graode parte sobre a estrtda ; se aao acu^
direm a tempo, vira alaixo a casa. Qoasi todas
debgoniia acaptiira do d^to Pfndea-
cio,-e de Frxnc:sco, (e-cfavo* do Dr. loarfuim'Te-
Icsphorj > qoR'tambem fti um dos autores dolior-
rorasa attenudo, como, alein do unlraa provas, re-
sulta explicitamente de onfissio do assas=ino
preso.
< 0 Exm. Sr. presidents da provincia e 0 Dr.
caefe de policia t*ew recebtdo eonstantemento le-
leerammas a respeita do faclo, a, segando .-.onsla
Oos teem etpedido oldens lerminantes naquelie
[dcniido.
a liistaura-se 0 inaaerito respectivo.
t Serio dignas de SaaTor toias as aaloridade-
que envidart-m esforatn para coilocar sob a infle-
fivel e severa ac^ao da jo-tija t3o iiaportantes cri-
minosos, coaw aao 09 escravos Prudaacio e Frans
Cisco, quc iufeticinente ainda bio poderam ser cap-
A lei e a soctedade reclamam prompto des-
~"avo.
Con-ta aos que os referidos escravos planeja-
vaia uma cilada ao Dr. lel.japhoro no intuito de
assassina lo, escapando elle por nag poder ir na
occasiaoa casa do capilao Joao de Lima, sob cujo
norae fora chamado, quaudo la ser assassinada a
seohora do mesmo capitio; pretexUndo um djs
assassinos acbar-se esta doeate e precisar do soc
^orros medicos.
_-
Bl
ASSEMBLEA PROVINCIAL
Emendus o/ferecidat ao orcamenlo provincial em
2.' discussSo.
N. 43. 26.Substitua-se por 40 por cento
sobre a renda em quo* toe de commercio em grosso, e 30 por cento sobre
a renda em qae se acharem os estabelecimento?
de commercio a retalho, armazens de algodao,
fabricas de rape, casas de drogas, boticas, arma-
zens de vender madeiras 0 outros materiaes, e de
photographia, salvo a isencao creada pela lei n
390, ate mesmo quanto ao augmento deste im
posln ; vigoraado a ullima parte do N do art
43 da lei a. 8oi.-Tibarcio de Magames.-T. de
Arruda.Joao Barbalko.Pinto Pessoa.Attico
Leile. Goes Cavalomte. -Amaral. Cuuha Ca-
va4oattte.-Camboiin.Alipio Costa.-Gomes Pa-
rente. Joaqnim de Arruda.
N. 46.-J32 do art. 15.-Em vez de 1.000* por
casa de eompra 0 venda de escravos, diea-se
20O*.-S. W-Figueiroa.
N. 47.Art. 15 43.Subilitua se 1:0004 por
joalheiro que mascatear na provincia, nao excop-
luaodo aaheiles que tiverem estabeleeimentos col-
os ponies fjram fev'adas pela correnteza. Na mi !eeta,1o* em algum lugar e desta:arem sens ob-
jem alJ Jectos P"-* sereqi vendidos em ootros em que nao
e completa-
A coherba do vapor voou a, grande distancia
leita em pedafos e com ella um'rapaz,ijue ia como
passageiro, 0 qual nao se encentrou mais. 0 re<-
to do vapor foi imniedia lament i a pique sem dei-
xar dentro cm poucos momentos nenhum signal
de tao lamentavel catastrophft
0 machinista e um dos tripoiantes ncarara
gravemente fendos.
Um incendio horrivel e lamentavel teve lugar
no doming j passado nopovojdo deaominado izul
o qual c assim descripto por um jorual desta ci-
dade:
v Unia.de*gra;a treraenda acaba de succeder no
povoado do Azul.
o Seus preciosos edificios publicos, qae e3tavara
ja se conclmndo, acabam de ser devoraJos com,
p.etameute pelas chammas.
'_ Pouco depois de meia noite de domingo pro
luzio-ne nelles um fogo tao suramameule violonto.
que um quarto de, hora depuis de ser descoberto
era am voleao, e duas horas bastaram para re-
duzir a cmzas todos oe ediflcios, ficando somenle
em pe as paredes.
Os habitantes /o Azul estavara suraraiaiente
contnstados por essa desgraca.
Ainda nio se, averiguau oxno se prodazio 0
\i jis as portas estavam fechadas e a casa,
corapletamente s.
Terna se que uma mao esiranha haia pred'u-
i\ 1) tal dam/i? mtencionalrnenfe. Na^j cremos quo
um homem possa commetter s^uelhante infamia
mas se assim 6, que a raai3 treraenda da maldieoes
caia sibre e/lc. j
S. PAULO.
A presidencia mandara pagar umi letra de____
80:OD0i que 0 thesouro provincial devia ao B^rao
de Itapetininga.;No corrente anno tem-se pago ate
hoje2l0:000i da divida provincial, que esta re-
duzida a 430:0005000.
No dia 19 de abril dora-se a eleicSo da nova
directoria da companhia Ituana, sahindo eleitos os
ci ladaos: Dr. Estevao de Rezende, Dr. Francisco
Xavier Paes de Barros, Dr. Franci.-cj Emvgdio da
Fonseca Pacheco, Francisco Fernando di Barros e
Jose Estanislao do Amaral. 0 primeiro nao acei-
tou, e foi eleito parasubstituilo 0 cidadao Anto-
nio de Barros Ferraz.
Fallecera na capital Joao Antonio Mendes Pe-
retra, antige e conceituado negociante.
Termioa'.am a id as provas de concurso a
uma cadeira vaga na faculdade de direito, sendo
propostos os ires candidatos inscriptos na seguinte
ordem: Dr. Joaqumi lose Vieira Je Camargo, Dr.
Jose Rubino de Oliveira e Dr. Joaquim Augusto de
Camargo.
N) dia 30 realisou-se na mesma faculdade 0
acto solemne da coliacao do grao de doutor em
direito ,-.o Sr. Jose Luiz de Almeida Nogueira.
A epidemia da variola, que cominuava a
grassar era S. Joao do Rio Claro, considerava se
extincta em Campinas.
Le* se no Cor reio Panlistano :
Referem-nos que ha poucos dias cahio um
raio nas imraeJiacSes da freguezia de S. Miguel,
matando 12 rezes que estavam juntas e um ca-
racara que se achava pausado sobre uma deltas I
Em menos de um apice a exiravagante faisca
lulmmou nada menos de 13 villas !
Do Correio do Serlao, de S. Joao do Rio Cla-
ro, transcrevemos 0 seguinte :
0 cidadao Manoel de Oliveira Campos assis-
tio ao passamento de sua mulher e quatro filhos,
para cahir ante-h.,ntem, atacado, como todos os
seus, pela epidemia reinante. Desta familia, qu
podia dizerse numerosa, resu apenas uma fio
ihiaha de 8 annos Ficara ao desimparo na-
0 permitta Deus.
Desde 1 a 13 de abril corrente, falleceram e
loram sepnitados no cemiterio catholico 24 in-
dividaoa, 0 que qoer dizer que vio morrendo cinco
I por cento ao mez, dos nossos habitantes.o
Diz a mesma folha :
Hontem, das i pira as 3 horas da tarde, ca-
nio sabre esta cidade uma vtolenta trovoada. De-
pois de meia hora de chuva torrencial e rijo
vento, cahio por espapo de um quarto de hora
uma furiosa chuva de pedras, sendo uma grande
p.rtedelias superiores em volume a uma bala
de onca. Ate a hora em que escrevenjos. nao nos
conttam prejnizos, que.sao para receiar, nos ca-
fezaes '
Fallecera no dia 13 nessa ,eiade, victima da
variola, 0 cidadao Tobias Bueno de Aguiar e
Castro. Foi mais uma victima da dedicacao n|0*
seus semejhantes. PresUndo-so a acudir aos "en-
larmos unto aa cidade como
-----------rvm^m w nos hospitaes de
bexigueatos teve em remuneracioo com agio da
raolestia de que mama
Diz 0 Pindemonfi'inijabcnse :
m'Jnicacoe"
. em qae narra cwsas verJaleiramea-
Je ennosas.
Diz elle 0 seguinte :
. 0 cholera acaba de estar nas barracas .dos
radios proxira)g a esta fnnteira.
0< selvagens foram atorraentados peh llagello
de um modoatroz ; em 12 diai morrreram 200
bavendo mnitos casos fulminantes.
' Alguns indios do3 poucos que flcaram, era
numero da 85 emtgnram para ootras barraea
(emLeucoco), e alii os q-ia eslavam para se
preservarem da enfermidade, llzerara uso de um
preservativo descanhecido ate agora nos paizes
eivHIsados : cortaram as rabecau detodoibs que
ymham dos lugares infestados e o enterraram
immediatamedte I
Ouauto a3 noticias commarjiaes, puco pile-
mos seireaeenur ao que dissemos oa raossa ullima
miss.ra, -porque so no* dias 13 e 29 6 qae se pu
mram aqni at revistas mercantis.
=' "ra,.?5nl o.astado da praca de Buenos-Ayres
nao e satisfictorio, influindo bastaate para isto
grave questao polniea que ora
paiz.
a As a|tta do-Parahyba, na semana flnda. m
airam extraordinarrimente, ao ponto {de intercep-
tar a passagem ; mas, ri^e, fali?meoi-% eomecam a
descer e em poheos dias tera desapiiarecMo* esse
obstaculo -
Co-ista-nos que pouoos aaqaea para 0 exte
,-.m.^.'.e8in feito J"r Wto de accadores. As
oucas transaccdes de cambio quo je (Iectuaram
aos transenates.
a E'U gramle eochenta e devida a eftbiosas
charas quenouve para o* lados da eidade 'e S
Lniz, e que causarara graodes prejaizw, seguado
soraos rf.,rraa.los, conta'nd^sa entre dlea a laat
Iraicao cie algooias ponies de crescido valor, como
seja a do I'arahybuua. na estrada de (Jhataba,
obra esta que se distinguia ealre as demais pela
ua solidez e perfeigJo. >
. Fallecera era Lorena 0 cidadao Antonio Xa
v'or Gincalyes, neg ..ciaoto no bairro do Pi'.juete.
R^ere 0 Jorn ,1 ~itf Povj, de Guaratingueta :
No dia 11 do corrente,. no bairro dos Rides
deste manieipij, fi ss-assinado Joao Antonio de
Oliveira por sea enteado Pra:ici9co de tal. Con-
tase que 0 assassino, vendo sua miii barbara
tni|ne espancada por sou pa-lrasio, procurou nor
todos 03 rafios Nan-la das joaos date ; porem.
freoecupa todo ol-baidados os seus esforeos, l^ncou mJtrdene erimi-
noso wiremo. a
vor, t-mtaram salvar esses infelizes, entrando u'a-
gua araarrados com cordas pela datura, mas so-
meato conseguiram tirar da enxurrada, ainda vi-
vos, oma preta, que depois fallecen, a senbora do
desembargador Castro Menezes, e este, muito cou-
tusos. A desventurida raeniua D. Emilia, cujo ca-
vader foi tambem por elles reoolhido, estava embai-
xo de urna taboa, coinprimida entre pedras, areia
e uma ports, que igualmente viera na correnteza.
< Diz-nos pessoa liledfgna que pelo rio que
atravessa os fundos da casa do Sr Chrislovao Jose
dj3 Santos, passara 0 corpo de uma mulher, ctfjaJ
condicao e c(Jr nao se pole verificar.
Quanto aos trabalhos executados, ante-honlem
mesma, pdog operarbos da inspeccio das ohras |m-
blicas, hontem escrevea aos o Sr. Dr. Moraes Jar*
dim :
c Quaudo cliegaei a Tijtlca, ao raeio-di*i \i \a-
via 0 engeniietro reunido todos os tratoalbadores do
seu distrielo, e, com elles, divididos em larmaa,
procurava desviar as enxurradas das estradas, nos
pontos era ine podiam continuar a ciasar malores
estragos; alcancar e por em segaranca os enca-
namenios d'agua nos lugares em qae a eacheate
os tinha descoberto, ameacjindo a sna estabilida-
de ; e desohstruir 03 acudes e ciixas de agua da
enorme qaantidade de pedras, paos e barro que so
bro ellea tinham sido arrastaJos pelo rio, tras-
bordando fora do seu leito.
Reforcado 0 pestoal com cerca de 30 homens,
que da cidade levei com a ferramenta precifa, !iz"l
Jar muior impnlso a todos"esses trabalbos, e prin-
cipalluente a limpeza dos acudes e caixas, os quaes
somenle a noite loram desobslruidos completa-
menre, apezar de terse trabalhada ate essa hora
sem descaiico.
Amda nio recebi a parte detalhada do enge
nheiro do districto, de raodo que nao me e possivel
por cmquanto assignalar outros trabalhos por elle
executados antes da minha chegada.
Trato de restabeleeer 0 tranjito pela eslrada
ao a ou de rodagem, o qual foi interrompido por
um grande rasgao, feito pelas aguas transversal-
mente no seu leito, 9endo necessario construir-se
ahi um pontilhao provisorio de madeira ; e tam-
bem de ligar de novo 0 encanamento d'agua, que
foi partido pela qued* de uma muralha que sus-
tentava 0 aterro da estrada. Para esse lim ja fiz
seguir esta maahl 0 material preciso e alguns car-
pinteiros.
Continuam hoje as reparacoe3 das estradas.
estando empregados neste servico nao so 0 pes-
soal do districto, composto de mais de sessenta tra-
balhadore3; como tambem uma turma, que daqui
ii.'. segUir pela mabha.
0 Sr. presideate da Illma. camara municipal
e 0 respectivo engenheiro 0 Sr. Dr. Foneeca Lessa,
que no dia do desastre haviam seguido-para a Ti-
juca acoinpaohado3 de 40 homens, que consegui-
ram desobstruir aiguns boelros qae difflcultavam
a passagem das aguas, e restabdecer a communi-
cacao da estrada nova com a velha, limpando as
sargetas na extensao de 2,700 metres dc ambos os
lad.is, voltaram hontem para ver 0 que mais falta-
va fazer e reparar. o
a .\a noito de domingo (26) para segunda feira
aitua cahiram ehuvas torrenciaes que produziram
numeroros estragos ncs arrabaldes da cidade.
Beproduzirara-se u. Tijuca os mesmos factos
d> dia'24, ainda que com menor intensidade; as
aguas que haquefle dia haviam chegado ate 12
palraos de altura, ante-nontem chegaram a 10 pal-
mos.
Trasbordou de novo 0 Maracana, sem com-
tndo eauMr prejulzo rias caixas d'agua.
a Tendo-se conseguido ante-hontem a tarle res-
tabeleeer 0 encanamento partido. depois de muito
trabalho. chegcuse a receiar que fosse de novoar-
rastado por nao se ter tido tempo de 0 resguardar
eonvenientemeute; consegoiose, porem, eviiar
que assim aconlecesse, desviando-se a tempo a<
enxurradas daquelle lugar.
Comquanto 0 Sr. 'major Freitas tenha empre-
gado actividade nos concertos mais urgeates, con-
llmia-se a receiar outro desmoronamento na estra-
da que circunda a chacara d) Sr. Paridant.se as
chutas nao cessarem. E, neste caso, fioarao in-
terrompidos nao to a estrada como os encanamen-
tos d'agua.
Os recursos de que as obras pnblicas e a Illma
camara possani dlspdr, para alii devem principal-
mente convrgir, aBqi de evitar-se im tempo a
inteiTopeao da agua-qne abastece a eidade, 0 qne
spra a maior das eafamidades.
Os boeirss das pontes dnvem ser desobslruidos
quanto antes e vigiados eaftstantemente, para qne
nao se reoroduza a eltravasacao igual a do dia 94
que principalmeate foi cansa dos estragos da es-
trada nova.
0* empreiteiros de calcaraentos da Illma ca-
mara; que devem ter operari certos do que as estradas Utceswam, talrezpu
ilessera prcstar grande anxiHo a repartieao das
obras^pablicas, cujo dessoil, potto que crescido
aid pode ddxar de ser insufrlciente em circums-'
lancias anormacs como as em que nos achamos.
a Os bonds de Tijuca interromperam as suas via-
gens desd'-ante-hontem as 8 horas de nolle aid as
7 da manhii de hontem.
Grandes eslraos derara-e igualmeale em to-
do o bairro da Lagna, S. Clemente e'BiMafojjo.
'No-logar das 'Ires fenitns, era frentea uma
ohria, desabou uma poreao da nioatanha, qe in-
tejrrompen a passagem. .
t As raas do.s Voluntaries da Palria, General Po-
lydoro e Passagem. e as que'lhes s|o rraasverSaej,
flea ram redozidas a Verdadeiros rio, conservan-
do-scassimata
depow'dasinwrasda mabhade
__---------------- 'hontem, Os moraddres das-cisas de-saliradd'oao
H) Refere-w a ultima nota do gp. Tejeflor acer fpodfam salilr fara a 'rira, e oS'-das ffrwap so tra-
ca da qaes:ao. J (ayain de salvar 0 rjae possufam.
do Conselheiro Pereira da Snva houve tambem al
guns pretaar* nao pequeuos.
Era Santa Tbereza deram-se diversos desrao-
rooamebtos aa estrada que acompauha 0 Aqueduc-
to, 0 qual foi destraido na extensao de 20 mais ou
menos, interrompendo-se 0 abasteeimeoto de agua
delle dependente; iraballuram alii com alineo os
empregados das obras publieas durante todo 0 dia,
proenraado remover 0 eutulh0. Os trabalhos do
viam continuar hontem a noite, alim de qae nos
ebcanamentos di cidads haja 0 sufJkieate forneci-
raento de agua.
i'oram obstratdos de novo os acudes do mor-
ro lo Inglez, de Macacos a Andarahy-Grande, sem
con tudo causar isto serio embaraco ao abasteci-
mento da cidade.
Petto qtie as ehuvas dales-altimos dias te-
nham sido desconimunaes 0 laes como ha maitos
annos nao se preseneeia, cumpre reconhecer qae
outras causas concorrem para tao grandes inun-
daodes ; entre estas cauias a valla a falta de nivel-
lamenlo da cidade, 0 descuido Cora que se fazefli
os calcameatos aiteando-se on rebaixaado seruas
sem 0 menor crrterio, e o pouco cuidado presja-
Jo a limpeza das vallas 0 boeiros. infelrzmente,
oassados estes dias da asafama, tudo voltara ao es-
tado antigo, td qae novas ehuvas e novos desas
tres venham mostrar qne a experiencia entre nos
pouco aproveila. a
Do Rio da Praia recebemos folhas ate 29 do
passado.
Carreram tfanquillamente na cidade do bue-
nos-Ayrea as eteicoes de senadores e deputados da
uroviacia ; a partido miirista absteve-se de votar.
Na mite de 27 a legislatura provincial approvon
as referidas deicdes.
Corria 0 boa to de qne 0 governador de Jujay,
Placido Bosftamante, fora assassiaado quando pre-
tendia eaaucaa < 0 seaador Joan ft. Gomes apreseniara a res
pectiva canrara, em Montevideo, am projecto an-
torisaado 0 pujer execulivo a localisar a divida
publica da na.-.io nas pra^as de Buenos-Ayres, Rio
de Janeiro, L-radres e Paris, estabelecendo nellas 0
servico da amortisacao e pagamento de juros.
a Havla noticias do Pacilico ate 13 do passado.
0 ministro inglez em Valparaizo reclamara
23,000 de indemnisacao, pela iudebita detencao do
capitao Hyde, accusado de ter infringido lets da
republiea.
a 0 ministro chileno na Bolivia cheg.ira a Yal
paralzo ; nao e sabia qual 0 motive da sna
vinda.
Eis as noticias commerciaes da ultima data :
0 mercado de cambio mostrou-se hoje activo,
ma3 em completa frouxidao. Effectuarara-se tran-
saccoes regulare3 sobre Londres a 23 l|4, 23 l|8 e
23 d., papel bancario 23 i\\, e 23 1|8 d., papel
particular.
Negociaram-se lotos iosignificante; a 'JiiS 1 a
dinheiro e importantes a 9^190, 9J5O0, 9J520,
9j530 e 9io't0 a dinheiro a aos dous ultimos pre-
cos a entregar ale 0 dia 20 do corrente.
Uma parlida de nncas da patria alcancou
3OJI50O a dinheiro.
As a polices geraes de 6 por cento onserva-
ram 3e firmes a 1:0404 a dinheiro.
a 0 mercado de accoes apenas nos conslou a
venda de um lute das do Banco do Brasil a 240*
cada uma a dinheiro.
, As vendas de cafe foram menos que regula-
res e as de assucar pequenas para consumo
So nos eonstou hoje 0 frctamento de um na-
vio para Hampton Roads, cafe a 27 s. 6 d. e S
por cento de eapa.
B 111 A.
Encerraram se no dia 30 de abril os traba-
lhos da assemblea provincial, por nao ter a presi-
dencia da provincia querido conceder prorogacio,
ficando a provincia sem as leis annuaes.
Nos ultimos dias poucas aSBsoes houveram.
No mez de abril renderam :
Alfandega OllMUll^
Mesa de rendas 97:7324312
RecebedOria 73:4394899
Correio 6:0084923
No mez do abril foram exportados 173 escra-
vos, que pagaram 34:6004000 do imposto respec-
tivo.
No dia 26 de abril foi inaugurado 0 servico
de transporte de passageiros em 600 metres de tri-
Ihos de bonds na cidade de Nazareth.
Cessou no todo a oeste da variola na villa da
Barra do Rio de Contas.
Falleceu 0 medico Dr. Jose Tbeotonio Mar-
tins.
No dia 3 do corrente foi. collocado, com toda
a solemnidade, no largo do Conde d'En, 0 omble-
ma annunoiader dos foslejos do dia 2 de julho.
Fallecera 0 coronet Jose Carlos Ferreira, ai-,
moxarife da repartieao das obras publieas, vetera-
no da independent.
A Sra. D. Maria SimpHcia de Souza Hondim
alfornou gratultamente a ^ua escrava'Jovita.
0 cambio sobre Londres regulava 24 7i8 a
23 d.
Lemos no Jcrnal:
Ante he-ntem (J8) a tarde apresenktu-se om
rjardo em uma loja de fazendas as Grades de Per-
to, e comprou objectos no valor de seis mil e tan-
tos rds, para eojo pagamento offereeen uma eeda-
la de 304, de estarapa branca, como-aado tbesou'-1
ro. A eerfnla, porem, foi rejeilada, por ser consi-
derada falsa, 0 0 individuo nao levou as fazendas
por nao trr, -egnrhlo disse, Senao dinheiro dtqutlie.
' Inspirando suspeitas, porque, aorecolher a
celula, pareceu as pessoas preseotes qae elle a
mistnrava earn um peqaeno masso de dinheiro,
cornevaram a fazer lhe perguntas, mas nao pods-
ram saber ao certo donde era n individuj, que a
prineipio dijse ser de Santo Amaro, e depois que
era do Rio Vermelho ; e retiron-se.
Seguado 0 rapiJo exame que poderam fazer
as pessoas que v ram a eedala, acharam*~a amludo
igual as do tliesouro, eam^aanto airaprsasao.fos-
se rtais earregada, aao teado pordm o quasi im-
pere#b*tel n. 30 na parte ioiaeiar da tigura do
lado-' direito, e j present mdo o'I'da palavra cin-
Cttenta, eollocftda-a etsquerdadou. 60 natirj*.ixi;
ferior, sem os brar^os da leitra, de modo que re
presentawa mais um I do que um T.
AtXAooaa.
I^mos no Jorual:
FclpTesfi o;eeravo Vicaate,
que
estejam os mesmos estabeleeimentos.Alipio Cos
ta.~Atti6D Leile.-Manoel Peretti.-Joaquim de
Arrtuia.1iburcio de Magilhaes.
N. 48.Art. 13 60.Em vez de 2004, diga-se
300*000.
N 49.f 64.-Era vez de 3 por Cento, diga-se
20 por cento.
N. 30.S 38Substitua-se 3i por escravosTe-
sidentes nas cidades, villas e povoados, nao empre-
gados aa agricultura, exceptuaade-ae os possuid
res qne tiverem um so escravo.Tibttrrio de Ma-
galhdes. Pinto Pessoa.Joao Jiarbalk-j. T. de
Arruda.Attico Leile:-Alipio Costa.Joaquim
de Arruda.
N. 3k-Art. 13 s 61.Em vez de 8O4, diga-se
lou* S. R.Amaral.
N. 52.Additivo ao art. 15.Sobre cada guia-
daste assentado nos caes publicos desta cidade
1004. AHpio Costa.Pinto Pessoa.Cunha Ca-
vakante.-T. de Arruda. ~ U. Cavalcanle.Mr.
Manoel do Btgi.-TiburciB de MagalMes.-C.
Camboim.Amaral.Figueiroa.-Jo iquim de Ar-
1 uaa. Yieira dr Melkx
N. 53. Ao art. 15 2. Em lugar de 3 porj
ceafo, diga se -2 3/i.
N. 54.-Sappntna'se 0 *.
N. fi3.-Ao 7"-Em lugar de 1004, diga-se
-304
N. 56.-8 19.-Era lugrde :-e a eidade e vH
la ate 0 lira do mesmo diga-senascidadis
e villas; e nas povoacocs dos constraidos de pe-
dra o cal e coberlos de telhas.
N. 57.Snpprima-se o ti.
N. 58.0 22 substitua-se pelo seguinte :
304 por venda de escravos, eXceptuados os me-
nores de einco annos qae forern vendidos com
suas mais ; e 3 por Cento ao reaptotivo valor,
Juando a venda for em parte, e sobre a ditierenca
0 preco nas permotas.
0 imposto de 304 sera duplicado qaando a ven-
da for feita por procurador.
N. 59 23.Accrescente-se-e accessode-
pois de jubilacio.
N. 60.- 26.Em lugar de 23 por cento, diga-
se 20 por cedto.
N. 61.-Supprima-se : ededescontos ; sup-
primam-se raais as palavras-agendas on.
Em Ingar de 5003 por casa, etc., ale 0 fim, di-
ga-se 3004 por estahelecimento ou escriptorio na
cidade do Recife, em que se agencic a venda de
polvora ; 504 por casa em que se vender esta a
retalho e 104 por pequenos deposilos fora da ci-
dade.
N. 62. 30.-fJ'jpprimam-se as palavras134
ate 0 Om.
N. 63. 32. -Depois de leiiio, diga-se -1:0004
por cada caixeiro ou corretor, etc.
N. 61. 38Supprimam-se as palavrase
54ate o Mm.
N. 68.$ 39.Accrescentese :na cidade do
Redfe e seus arrabaldes.
N. 66. 41. Accrescente se : exceptuidas as
carrocas de conduccao d'agua potavel.
N. 67.-0 42 substitua se pelo seguinte :8
por cento sobre 0 valor do capim vendldo na ci-
dade do Recife.
If. 68. -Ao 8." do mesmo art. 13, accrescen
te-se :-ficando sujeito ao imposto sibre tabaco
fabricado e rape importado para consumo em
barricas, fardos ou outro qualquer involucre.
.W. da Silva.
orlreft*4o ?#Mtor e 4 Sr. fflyafllo Marques, q ic
offerecea diversas eineadaa ao projecto e bem as-
sim .. de 11. 36 deste anno, que supprime as agen-
das liscaes da diitras provinclas e as creadas ij .
provincias hmitMpHe^, i requ Thmito doSr. M>!
lo Rego, Jeiiois de orarem o-te saaMar e 0 Sr. Tj-
leotiBO de Carvalho.
Continuando a 2' discussSo do orcamenlo mat.,-
cipal. Beam approvados diversos p do art. qie
nao feram vutados aa seisao aaterior e 0 art. f.
Teado dado a hora passou se a > parte da cr-
dcra do dia, e .-ontinuandj a 2- diacussao do art.
13 do erg^mento provmeial, foram apresenladaa
diversas emendas, s.< a,aae, a reqaerimenlo lo
sr; I'orlella, vao ser impressas no jorml da casa.
iieando por issso a discoasao adiada.
E proseguindo se n\ dis.-ussao do orcamenlo
municipal, lamliem a reqoerimento do Sr. Porlella
foram approvados sem debste os arts. 4- a 23 e
ura additivo marcandoas despezas da camara mu-
nicipal de G.yanna. E tendo dad> a hora, 0 S-
presideute levanlou a sessao.
A ordem dj dia para hoje e : I4 parle, com -
nuacao da anlecedenle ; 1> discussio daa arojac-
tos n<. 57 e 58 do corrente anna ; 2J parte, orc>;
mento provincial.
Jury iio H- ire. Compareccndo no sab-
bado 38 jaizes de facto, foram sonead s oa Sr-.
seguintes para 0 conselho de sentnc Joao Pau-
lino Mar.Hies. Jofc Joao de Am..rim". Ju.-e Gon^al-
vos Ferreira. Balbinode Moraes Piuheiro, Vicen'e
F. Coimbra. Ulysses da Costa Spinola, Jose E da
da Silva, Joaquim de Gusmao Culao, Anlaa^j
Maia Cortes, Manod J Carlos Joao de Souza C-irreia, Dr. Liviaa Pin .
Inodao.
Foi julgado 0 rci Joi.) de Dens Eufmio, couhi
cido pir Joao mulatinho, pronnnciado no art. 2 '<
do codig 1 criminal. Teve p ir advogado o Dr. L.
E. Hodngues Vianna.
Em vista da decisao do jury f .i condemaal
reo a 3 annos e 6 mezes ie pri-.ao simples e mai-
ls crresoondente a metade dj temw.
\ ia-f.i..-n da <.loria do -!.
Dam os em seguida 0 parecer do Sr. eogeah'-.r..
V. Fnirnie aeerea desta via ferret :
Pernambuco. Repartieao das obrae pnWica*.
eni 2 de maio de 1874. Dim e Earn. Sr.
Convidado per uma resolu.;ao da aiseo.biea l*gir-
laiiva provincial do 1* de abril daeurreate ar.:.
0 por ordem de V. Kxc, de 6 do mesmo me*,
para emittir minba i.pini.io sobre a utilidade ta
via-ferrea, enja c-xploracao requcr /iro Livia Sca-
res, na peticao de 19 de marco do correata ann i,
do Recife ale a freguezia de Nosta Senh ora da
Gloria dc Goita, e bem assim, ae a linha aroiecta-
da olfenle as outras ja conslroidas, enjo privilegic
cumpre re-peilar; tunfao a boon de reapoaeW 1
eguinte :
saria, segnnd-i 1
Santa Luzia e Lot. -
A via-ferrea prcjeetada pass
ticao, por Lucas, Varzea, Santa
Errata
No discurso do Sr. dep.utado Manoel do Rego,
proferido na sesstlo de 21; deratn-se os dous se
guiates engancs, que em tempo ratificamos, as
linhas 21 e 22 em vez de numero da ca-
pital Ith-se servico da capital ; e as linhas
141 onde 16 se jalgo esDecial que lea-it
- julgo essencial que, etc.
peti
termmaria na Gloria do Goita.
c 0 petieknario pede um pnviiegio de W) .n
nos, e a concessao de precos basaaaos d>s i!a
tabella da estrada do Limoeiro.
1 A zona em qne 0 petidonario prelende esta-
belecer a linha-ferrea, comprehends 58 engenb >-
divididos pelas Ires freguexian, da Varzea IS. di
l.iiz 28 e da Gloria de 'ioita 15, mas o-e aome-
ro, duos tares acbam se mais proxrmos dos dr-o
caminhes de ferro ja coneedid.js, do Reufe a Li-
moeiro e do Recife a Victoria.
Vinte eni!enli'.s, qaando maito, se utilrsari&m
da nova linha podida ; e para esses vinte tag -
nhoe, essa linha privaria do trafego correfpoc-
.ii-nte as daas linhas ja concedidas, a qtu arima
allude.
c Sob 0 ponto de vista techrrico, naa camirr
e sabisse peia margem direila do Capibanbe, nio
encoatraria dilliculdade de terrene at* a Lot, f)a
Lui a Gloria de Goita, 0 terrene vai ae toroandc
montanhoso a medida qne nos a fa-tamos do Capi
barrbo e aproximamo-nos do seu maior aQkieMe.
o Tapacura, o qual atravessa a frcgnezta da Gloria
oa oirecrao de Santo Antio.
1 Data ponte de 33 a 40 metroe, seria, pois, a
obra d'arte mais iraportaote a constroir *t.
Penso que a linha pedida p.uca probabilida-le
tem de sustentar se por si mesma. Amda que aaav
segnisse reuuir os capitaes necessario- para a sc.i
construccao, ella nao eonseguiria moaa do qae pre
judicar as duas linhas concedidas, do Limoeiro a
Victoria,
E-tas dnas ultimas cram ntds e necessario
ao desenvolviraento da prosperidade do paiz. 1
aova linha pedida de raodo algum satisfaz as taea-
aias condifdes.
Para servir as dnas povoacdes da Luz e Glo-
ria de Goita, nao ba utilidade em construir-se um*
linha de 50 kilometres de extensao.
Converia antes ligar a Gloria a \ictoria por
um ramal de 15 kilometres, e Luz a Sao Laurence
por outro ramal do 10 kiloraetros, quo dan
uma extensao do l"> kilometres em Ingar de '
Estes ramaes serao naturalmente concedidos a*
corapanhias encarregadas das linhas prienp..'-
e 0 paiz ficaria rauito mais bem scrvido com
dous .ramaes.
Por sua direccao perpendicular al linhas pnn
cipaes, estes dou^ ramaes seriain verdadeiraineni-
0 comeco de duas juoccoes, que serao sem d.iviou
uteis mais tarde, entre as ledes das duas c..vi>
corapanhias.
Por esses motivos, sou de parecer qne aao
coo vem conceder a.i petiewnario 0 privilegio qu<
solicita da assemblea provincial. D.ms gnarde a
V. Exc. lllm. e Exra Sr. Dr. Henrique Perein.
de Lucena, presidente da provincia. Vki .
Fournit, engenheiro chefe.
Acto naoritorio-----Os Srs. Joaquim Lo-
pes Machado, Augusio Frederico dos Santos Por-
to, Jose Jeronymo da Silva, Dr. Antonio Clodoald 1
de Souza. Jose Nicolao de Souza, Pedro Safltuel
Annes Jacome Pires e D. Rita Deidata de Souza
Monteiro, filhos, netos e genros da finala D. Joan-
na do R. Guiraariiss Ma:hado, por occasiio do an
niversario de seu fillecimenu e era testemunho de
REVISTA DIARIA.
Assemftlet Kerni l<-KiiaiKn. Se-
gundo telegramma recebido na Rahia, no dia 7 do
coftenlte, Bo dia 3 tivera lugar a abertora do par-
lamento brasileiro, proaanciando S. M. 0 lmpera-
dor a falla flo estyle, na qual:
Annuncia a gravidez de S. A. a Princeza Impe-
rial.
Pede apeio parlamentar contra os txcesssos da
autorldade ecclesiastica.
Recommenda a creacao de estabeleeimentos de
credito para a lavoura.
A refortna eldtoral.
A da lei do recrutamento.
E 3 desenvolvimentoda eduencao popular.
Diz finalmenie que 0 governo imperial espera
se resorvam paciflcamente as- qttestees entre a Re-
pubiiea Argentina e 0 Paragaay.
Admira jue este aconledmento, telegraphado
Opportunamente para a Batiia, aao o fosse tam-
bem para aqui ; se por nossa parte 0 n5o recebe-
mos direetamente, isto oceorrea, uao porque des-
curassemoe de nrevenir no mso, mas porqne a
pessoa, por nws iiicumbida de o fazer, alii chegan-
do dias depois do facto, preauraio que ja foasa die
conhecido etn todo 0 jjorte, visto como uao era de
esperaf morosidade siqoer oaitransmissao de no-
ticia tao anciosamenle aaperada. Esperamos qae,
d'ora avante, nao nos aeontaca 0 taesmo, com re-
laca > ao conheeirneeto dos factos importantes que
alfi occorrerem.
Por telegramma de 6*do correate, sabia-se na
Baata que o Sr. senador viseoade -de Abaete, teh-
do tido eleito pre.-ideate do senado, renuneiou 0
cargo, sendo nolle substituido pelo Sr. visconde de
Jaguary.
A>*Hitiblea provincial. Ante-honlem
a assemblea funceiunou com 26 Srs. deputados,
sob 3 presidencia do Sr. Dr. Agiiiar.
Aopravada a .aeta >1a> setsao aateceJenewe, 0
Sr. 1.* Mcretsrio deelarou nao haver oxpedtonte,
pelo que passouse a tratar da i' parfce.-da ordem
do dia, e foram approvados:
in:* dircussao, 0 projecto n. 3i desta aao, I ihaeii^ Ktilhuria da guajda ^aadon.
i
/jaa.inarca limites ealre asfregaezias-de Af^adoa pio
?J,i^ALe.!n.".,3B]l!*. diseH8sifl o,(je.n.*9, daw
mnoitipar
veneracao a sna meraoria, concederara gratuita
mente a liber-lade aos seus quatro escravos. lead,
de 80 annos de idade ; Luiz, de Co annos ; Dom.n-
gos, de 30, e Felippa, Ce 27.
liiit!<-ir<>0 vapor Cruzeiro do M MB-
it para:
Joaquim Jose Gon;alves Deltrao &
Filbo 15:0004ao
Araorim Irmaos & C. 30004CIX)
Joao Pedro de Mello 1:796/000
Joaquim Antunes de Oii.eira 1:12040'^
Fortunata Ribeiro Bastos 83746ft 1
Henrique Jose Goncalo 700400.1
Antonio Gomes Nelto 7004000
0 mesmo vapor levoo para :
Maranhao i86JtiK)
Para 40.0004000
*. batHlhu* de infaiiterla.Chejo-
no(7m:r mando daquefle batalhao de linha, 0 Sr. coronet
Joao de Souza Fagundes.
Harojuez d- (axlax. Este vapor da
companhia babiana, que era esperado em nosso
porto ate 6 do corrente, era consequencia de ma-
la carga que levou para Maeeio, sahira hoje a
tarde para aqui. onde deve chegar amanha ; e
voltara para a Bahia pelas escalas no dia 13 a
tarde.
1 )<-K>apiiia c lecarira. Tendo om~
cluido a cuuipauhia dos trilhcs arbanos do Reci.'-.
a Olinda e Ueberib., 0 as tegraphico da esUcio da rua da Aurora a Encra-
zilhada e d'ahi a Olinda, franqueia ao publico oe
seus services a hiesna campanaia, de accordo com
os arts. 53, 54 e 53 do reguUmeoto de II de 1 u-
tnbro de 1872, que vio na sec?ao compelenie pu-
blicadw a m ir>dado da mesma companhia, c para
o que ebamainos a atten^ao de nossos asaigaaotta.
MuaeMI*. -Seguado commonieacao do aub-
delegado da Magdalena, AdalbertooVHolland* Ca-
valcaote, alii malouse com um lira de rewolver,
as 7 boras da noil.' de 8 do correate. A polica
procedeu como e de lei em taes casos ; e e do at-
thbuir 0 facto a alienacio mental de quc padeeia
0 infdiz, havia algum tempo ja.
nqnerito polieial. Ao Dr. juiz de direi-
to do aespectivo districto criminal (ci enviado cm
9 do oorrenle, 0 que se realieeu, pda subiebigacia
de Belera, contra Joanna Maria da C-nedcio, ae-
tora do ferimento praticado na pessoa de Anna Ma-
ria da Gonceicao.
Biapo do Para.De telegramma que M-
c hemos do Para, no sabbado a tarde, con-la tar
e.rabarcado no vapor amerioaao, com destine a
etirte, 0 Exra. Sr. D. Aotoao;de 13 a 14 do car-
lreate 0 tertmos de pas-agem par aqni.
Ma ntFuMtava0 koaroa. Sob este i,-
lOlo, publicamos hoje, n.i seeffio cmpeleot-*, a qjBc
,'*i preUJa pela duuacl* o|B>**kdade do 1* bjU-
-' do maaici-
W73, que approva posturas da camara
ils villa de l'idli?.
J Apos aales entcou tiu.4iscu.ssio o*"de n. 47, des-
, que com 0 defclMano, quo approva as poaiuras da oamsra mu-
ooma ProdaniQ,.assaasiaaram os seus sonhores o|iu*ipal de Cimbres, a ficou o mesmo adiajlo por
capitao J0S0 Evangelist d ^vn e sua rnnlhr.r. ga 118 Imra? a re.]iieriuiepto ^0 Sr. Amaral, depois de.
. do Recife, iC ?eu ex-emmandante, 0 Sr. b-
_nto.roBel Daatode Aguio kouca,ao ierrt-
farma lo no p dezembro do anua proximo wuk).
Omo a offarta que Ibe fizaeaja-tw fnaMaJido
uma das bandoiras do batalhao, symbolisaaia..
muito qua ede do mesmo mereccraaor todo oaaan-
po era qn? 0 comraindara, cxprimio aqudla off


^ r
'

:
-V



I
-


**** WflaAto^

eil\H*e 4o nude Mb is olo*DtL aJMbfcest-) a
traiicca.< merit jria que >. dd,relouibr;ir serapfo"
laolUj bauiiao'o- bibo do coronel D.
10 de AlJUino Fonceca.
Ltttf ratnra -C nn o moaeBto tit nio do /)<#.;
SretenciosdS C01U04, aca'w do publicsr 8r. J. Z.
angel de "S. rafo, am interessaate livra coatendo
Wilhelm'n>t eSimples h.'sloria. 0 primairo am que
o autor re/ela ura bom estudo d.s costumes
oceamoos, geographia, histuria, ele., fitia-se a novb
escola ulilitafia, de que tcrao3 as melhores provas
nas, obras de Verne, urn dos seu3 digoos reore-
sentantes. H
Ha de ser bem su-cedida esta publicaclo, por-
que o morece, e porque o norae de seu autor es-
ta sufflcientemenle reooramendado por seus traba-
Ilws litterarios publicados na imprensa dasprin
cipaes provincias.
Recommendaraos a leitura desse livro, que se
acha a venda em lodas as livrarias, a WOW eada
exemplar.
Vaporeg a salilir.-No dia IS do corren-
te : o Mandihu para Rio Formoso e Taujandare, e
6 Tirapama para Aracajii e cicalas.
< -Jsaotoab. -0 Sr.Di. Joaquim do Aquino Pon-
ce :a nos eovia o seguinte :
a Srs.rrt-iebrtit.-'bihti.} tia meu sitio, a rna
do Hospirlo 0..34. alguns pas daarvore Baobab, oa
glganle do cnegal, Tnascidas de sememes trazidas
por rtfim de Dakar, cog* d'Africa, em 1872, po-
derei dar alguns delles a quern ot quizer remo-
ver, como ja os dei.paca serein plautad is na Casa
Forte.Dr. Aquino Fonteca.
Publicarilo jaaconica.Na provincil
f.< Para acaba do sahir a lui, sub o tilulo -Guia
) apr.:, camp.: t mesti:: da corporacuo wifji
oica, um folheto de cerca do eem paginas, coutea-
do ideas geraes do que seja a raaconaria, sua ri-
gem, sens fins e como se procede nas suas solem-
mdadcs. Agradecendo a. ollerta do exemplar que
oji foi romettido, recommendamos a sua leitura
aquelles qua fazoin parte dessa eorporacao.
lllutra<'So Lu^iimiui Heaa-
iiliuln.- Doste iutores.-aula jorual acabaui do
chegar os ns. 13 a li, contendo :
Toxto :Cerumen da Hkulracao j revista s ge-
cads pelo msrqaez de Vallo Alegre a D. Peregrino
Cadena; explicates das gravuras ; o roraantismo
russo, por E. Castellar; a aova praca de commer-
cio em Bruxellas, por D. Angelo Rios ; criuca
tlieatral, por D Peregrino Cadena ; costumes po-
pulares da Galiza; o Xovanta e ties de V. Hugo,
por D. Manoel Revilla etc.
Gravuras: Hetratos de Victor Hugo, de mon-
senhor Ledochowaky, do Dr. do Lesada, medico
era chefe do exerciu do uort-i do Hespanha, e do
D. Valent.m Zubiaure, autor da opera D. Fernanlo
el Emplizado; o prestito funebre de D. Olozaga,.
em Uadrid ; typos de classes passivas em Burgos;
porta principal do palaeio do duque do InfantaJo
em Guadalajara ; vistas divcrsas da gnena civil
hespanhola; guerra dos Ashantees na Africa ;
lotte de Christiansfor0' j c palaeio de Cbapultep6c
no Mexico, etc.
ContinQa a assignar-se na respectiva" agencia,
livraria de Silva Cardoso A Pessoa, rna do BarSo
Aisembl<>a pro*iinoial cfa Hahia. -
Hccebeinii e agradecemos o exemplar dos Discr-
* rio Sr. deputado Dr. Arthur Ceznr Rios, pro-
uuneiades nas sessoes do 15 e 17 de abril, e que
niotivarara as ultimas occurrencias havidas naquel-
h crporagao.
Tliiiuiiiidaiii*. Tambein recebemos o agra-
docemoso exemplar do BoM'un adminislralh-o da
aisooiacao brasiloira do saguros e bmioBcios am-
tuo;, donoaiinadii Huluaitdade, corrospondeute ao
irimealre de jauoiro a mareo, do qul se evidencia
queo credito c desenvul-.-imeiiio desta associu^ao
projridem de forma admiravel, quer e:n relacao
i segOEM de vida e contra fogo, e quer a :aixa de
oomias mutuas.
0 balancote do trimeitre liuJo eat 31 de
apre^euta o seguinte:
1,903 apolicesS''guro sobre vi-
da : capital subscript>
279 apolices -Seguro contra fo-
go : capital degaraniia
-':i depositantesCaixa tie eco-
nomias: quantias realisadas
Juros e multas (ealiiadjs
:ta*jStem.' QMW-fyt-
presweajo da ra)acao at Bmtt.
Exc.-^jfdjjorf Antcnio 'JXaarVe-
mareo
4,'t3o:080400fJ
li,I21:8.->0^000
48i:7O63i0G
il:iG0i771
Totaj 19,053:097177
~~-~_^
Caoilal reafisado : dopositado no
banco nacional e valores em
'^ucoes 233:!98|450
Capital realisaJo : depositado e
cm valores por conta da caixa
de economias C7:i3ia93i
Capital realisado : depositado
pur juros e multas 8:3i2983
lAiHencia 310:976*387
Hetiradas p/c de depositos e
juros 417:27 IJiSS
11 ipital subscripto, segarado e de
aarantia 18,32i:8i9j3;18
19,031:097* 177
EaWWIttB do terra. Polos decretosns.
3,i5'Jli e 5,698 de 23 de abril, nos termos da lei de
21 de selembro do anno passado, concedeu-s-o fim-
i;a de garantia dejuro provincial e garantia de
juro a* cstralas da Fortaleza a Uaturile, da Para-
i yba a Alagua Grande, e a do norte da provincia
de'S. Paulo.
A' empreza da estrada de Baturite foi garantido
;. juro de 7 0|() sobre o capital addicional de 1,400
contos durante o prazo de trinla annos, e fian^a
da garantia provincial sobre 2,600 contos.
A estrfda tem cerca de tOOItilometros e deve
paswr pelos impo.-tantes territorios de Pacatoba,
Acirap'1, Maranguape, e tenniuar no muito Tertil
e opulento mtnicipio do Baturite, constituindo o
tronco da viacao ferrea da proviocia do Ceara
A' empreza da estrada de ferro da Parahyba
oncedida Gan<;a de garantia dejuro provincial
- ibre ii maximo capital de 3,000 conto.-, durante
0 prazo de trim < annos. Esta estrada tarn 142 ki-
1 i.netros de extensao. e aproveita a parte mais
i.nportantsda provincia da Parahyba, e deve tor
como ponto de partida a capital di mesma pro-
vincia.
A' estrada do norte de S. Paulo foi eoaoedida
liaaca ds garantia do juro provincial de 7 0|j so-
bre o maximo capital de 10.C63 contos durante o
prazo de triod annos. Esta estrada prolongase
da Cachoeira, ponto terminal da de D. Pedro II,
ate a de SantC3 a Jundiah/ janto a eidade do S.'
PjuIo, com a extensao de 213 kilometres.
Addicionaram se as clausulas dos contratos aro-
vinciaes outras, nos termos do regularaento de 28
de fevereiro proximo flndo.
Ficam sujeitos ao oxamo e liscalisagao do go-
verno as verbas quedevem formar o capita! sobre
o qual foi garantido o juro de 7 0|0 ; polenlo ser
glosados os qua nao merecerera sua approvagao
por nio consliluirem despuza? que devara ser rea-
liiadas.
Fmuo o prazo do privilegio, que durara noven-
ta annos, tem o governo odireito de resgatar, nao
pelo prec.0, vhto que o pode fazer passad >s os
quinze priraeiros annos da concessa), mas pelo
quo represnntarem as obras e o material fixo e ro-
dante no estado era que so acharem, deduzidoj os
juros que o thesouro tiver pago e de que nib for
embolsado pela participacao nos lucros excedentes
a 8 0!0.
Foi, alem disso, decidido o qua se devera entcn
der por despezas de custeio da estrada, dando-se
providencias a respeito de um fundo de reserva
para reparos completos, augmentoi e reaovacio
do material lixo o rodante, etc.
Estas e outras clausulas nao alterarao em sua
esaencia as disposicoes dos contratos provin-
iriaes.
-JiiriMilici-i'to admtniHtratii a dug
aihunai'n do commercio. -0 mini-lerio
da justica, em 24 de abril expedio o seguinte avi-
so ao presidente da provincia do Para :
Ulna, e Exm. Sr. Foram presentes a S. M. o
l.aperador a consulta do presidente da relacao de
B!l6m, e a dectsao de V. Etc., juntas porcopia ao
!3;ioa. 10 de 10 de raaroo ultimo, sobre as se-
goiotes duvidas : se, depois de suppriraida a ja-
risdiccao contenciosa dos tribunaes do commercio
pelo decreto n. 2,342 de 6 de agosto Jo anno pas-
sado, continda o tribunal do, commercio do Mara
nhao a comprehender em sua jurisdiccao admi-
nistrativa as provincias d,.. Amazonas e Para, ou
- as fonecoes administrativas da juelle tribunal
dc-vem ser exereidas uessa provincia por uma sec-
<;io da relacae com o nomo de junta do commer-
cio, na fdrma do art. 72 do decreto n. 738 de 23 de
noverabro de 1830. E o mesmo augusto senhor
(uaada deelarar a V. Rxc. que, nos termos do art.
V do deerrto n. 1,597 do 1- de miio de 1853, a
jurisdicrJo administrativa dos tribunaes do com-
mercio e exercida somente na respectiva provincia
e que, exceptuando os catos do art. 6, nos quaes
essa jarisdicclo se eitendn a todo o distrtcto dos
tribauw, as suas fanccfes administrativas nas
provinciasem que os nao 1 a. pertencem aos eonser-
vadores do commercio, de conformidade com o
art. II, que supprimio as juntas do commercio e
in*. e
ftl. coa
easM
ixtecem. .
oraclaog laforioreii dogcrtorca.
0 miaiiterio da gaerra, em li de abril ultimo,
remefteu ao ajudaute-gaaetai $i exarcito o se
guiote avf3o:
a Illm. e E'cm. Sr.Em solucao a coasultafei-
ta palo coroncl com-ninJahte du batalbao da en-
genheiros, sobre o procediraento que le dtve ter
om relagao aos ofDciaes iaferioras e cabos de es
quadra qne desertam e sio recouduzidos, eu vo-
luntariamente se apresentam, e se devem ser ou
nio rebaixados do posto antes mesmo de Tespon
djr a conselho do guerra, ou conservar as gradua- \
f5os s:e quesejam definliivamente Jdlgados, com-
munico a V. Exc, para seu conheajmento e fins
convenientes, que S. X, o lraperalor, por su i im-
tnediata e Imperial resolu.-So de ri do correnta,
toraada sobre consulta do conselho supreon mili-
tar, houve por bem deelarar que, sempre que os
referidos offlciaes iaferioras e cabas de esquadra
forera qqalifliadoj deserures em coaselho da dis-
eiplina, devem aer rebaixados dos respective* pos-
tos, ssniolhes estps restituidos, uma ve*,^uese
justifiquem e sejara abiolvfrjos em superior utsJan-
cia : Dcaodp, porem, nessas graduacoes para an
trar nas primeiras vagas gue se derem. Deua
gnarde a V. Exc. foao JoM de Oliveira Jun-
queira.
Conacilio Nupremo uiilitai'dojuM-
tlrn.-?(as scssocs" deste .trlbanaf, de 25 e 29 da
abril, c de 2 do corranto, toram julgados os se
guintesprocessos :
Josrj Aotonio de Sant'Amia, accusado do crime
de tres desergrjes simples, a conlemnado pelo con-
selho de.guerra a sei3 mez^s de prisao com traba-
Ibo ; foi essa Rantcnca co .flrraada.
Jose Antonio da Silva, accusado do crime aclma
e coodemnado pelo conse.'h) de guerra A masata
pena; Toi conflrmada a sentenga, applicando-se,
porem, a pena cm conformidade da carta regia de
19 do fevereiro de 1807, e decreto de 13 de outu-
bro de 1827.
Benedicto Joao Saraiva, accusado do crime do
primeira d:serQao simple), condemnado pelo coa-
selho de guerra a seis raezes de prisao; foi essa
sentenca conflrmada.
Agostinho Ferreira da Cunha, accusado do raes-
mo crime acima e condemnado pelo conselho de
gaerra a dons mezes de prisSo; foi esta sentenja
connrmaJa.
Gaudencio Jose Ferreira, accusado do mesmo
crime, e condemuado pelo conselbo da guerra
a 6 mezes de prislo; foi essa sentenca conflr-
mada.
Jose do Souza Guitnaraes, accusado do mes-
mo crime, e condemnado pelo conselho de guerra
a 6 mezes de prisao; foi essa sentenca coaOr-
mada.
Joaquim Marinho Borges, accusado do mosm)
crime, e condemnado pelo conselho de gaer-
ra a 6 mazes de prisao; foi conflrmada a sen-
tenca.
Francisco Pereira, accusado do crime acinn, e
condemnado pelo coaselho de gaerra a 6 mezes de
pjisao; foi e3sa sentenca conflrmada.
Olegario Jose Alves da Siqueira, accusado do
mesmo crime acima, foi condemnado pelo conse-
lbo de guerra a 6 mezes de pri33o; foi essa sen
tenteaca conflrmada.
Amaro Benedicto, accusado do crime de segun-
da desercao simples, e condemnado pelo conselho
de guerra a dous annos de prisao com trabarhos ;
foi essa sentenga conflrmada.
Lconcio Jose Diniz, accusado pelo crime de pri-
meira desercao aggravate, e condemnado pelo
conselho de guerra a um anno de prisao ; foi con-
flrmada a sentenca
Antonio Alves Carvalho, accusado do crime de
terceira desercao aggrvada e condemnado pth
coaselho de guerra a 6 annos de prisao com tra-
balho ; foi conflrmada a sentenca.
Alferes Araerico de Albuquerque Porto Carreira
accusado do crime de fenmento e absolvido pelo
conselho de guerra; foi conflrmada a sentenca
Cadete Manoel Augusto Pereira de Garvalho,
accusado pelo crime de fuga de presos e condem-
nado pelo conselho de guerra a 2 mezes de prisao;
foi renrraada a sentenca para o fim de se impor
ao reo a pena de ires mezes de prislo em for-
taiezi.
Soldados : Malvioo Joaqnim do .\ascimento, ac-
cusado do crime de la desorcao simples, e con -
demnalo pelo conselho da guerra a dous mezes de
prisSo; foi conflrmada a sentenpa.
Bernardo .Antonio da Silva, Agostinho Fernan-
das d sardo Felix da Cruz, accusados do crime acima e
condemnados pelo conselho de guerra a seis mezes
de prisao ; foi conflrmada a sentenca.
Manoel Xorberto da Gosta, accasado do mes-
mo crime acima, e condemnado pelo conselho de
guerra a mesma pena ; foi conflrmada a sen-
tenca.
Antonio Francisco Bjjdrigues, accusado do cri-
me de 2a desercao em tempo de guerra, e condem-
nado pelo cousellu de guerra a pena de morta ;
foi rafurmada a sentenca para condeainar o riio a
.ciuco annos de prisao com trabalho.
BaymunJo Matliias de Souza, accusado de 1*
deser<;ao simples, e condemnado pelo conselho de
guerra a quatro raezes de prisao; foi conflrmada
a sentenca.
Manoel Autonio Simplicio, accusado do crime de
1" desercao aggravada, e condemnado pelo conse-
lbo de guerra a ura anno do prisao ; foi reformada
a sentenca para imporem ao reo as penas decre-
tadas no art 1 tit. 4 corabinado com o | 5 do
artigo uniio das desergoes aggravadas por cir-
cumtanciass relativas as segundas desercoes sim-
ples de ordeuanca de 9 de abril de 1803, o que
aggrava as penas ; esta desergJo c a segunda,
a vista dos assentament03 do reo.
Francisco Juvencio de Carvalho e Joaqim Jos6
do Andrade, accusados pelo crime defuga de pre-
sos, o conselho de guerra condemna o primeiro a
tres raezes de prisao e absolve o segundo ; foi re-
fo-mada a sentenca para condemnar a cada um
do* reos a dous mezes de prisao com trabalho.
Firmino Jose Ferreira, Malaquias Ferreira da
Costa, Antonio de Pinho e Calisto Jose da Costa,
accusados pelo crime de fuga da presos e con-
demnados pelo conselho de guerra a pena da par-
te 4" do art. 23 dos de guerra do regulamento de
infanteria de 1763 ; foi reformada a sentenca para
conderanarem es r6os Malaquias Ferreira da Costa,
Firmino Jose" Teixwra e Calisto Jose da Costa a
dous annos de prisao com trabalho para cada
um ; e a Antonio de Pinbo dous annos somente.
Manoel Jose Damazio, Manoel Bitii Chaves, Jose"
Evangelista da Silva, Bernardo Amancio Monteir e
Francisco Joaquim dos Santos, accusados pelo cri-
me de (urto com arrombamento, o looselho de
gueara declinou de sua competence, por nao con-
siderar o crime militar. Voltoa este precesso ao
me.-mo conselho do guerra, para julgar como
militar o crime de qua sao os r6os accusados, em
vista da legislacao em vigor.
Do cabo lgnacio Albertino Salles, accusado do
crime de insubordinacio, condemnado pelo conse-
lho de guerra a 30 dias de prisao simples ; foi
conflrmada a sentenca.
Jose Gomes da Silva e Antonio Jose da Silva,
accusados do crime do furto e condemnados pelo
conselho de guerra a 4 annos de prisio com tra-
balho e raulta de 20 0/o do valor fartado ; foi re-
formada a sentenca para impor-se a cada um dos
reos 4 annos de prisio com trabalhj.
Jose Adriano do Nascimeato, accusado pelo cri-
me da aggressao, e condemnado pelo conselho de
guorra nas penas do art. 1 dos de guerra ; foi re-
formada a sentenca para condemnar o r6o a 6 me-
zes de prisao.
2 tencnte Felisiano Barbosa, tando sido con-
demnado pelo conselho de guerra a 13 dias de
prisao, por crime de falta de respeito a seu supe-
rior ; foi esta sentenca conflrmada.
Soldados: Joao Rodrigues Seara, accusado do
crime da falta de respeito ao seu superior, con-
deoaoado pe'o eonselbo de guerra a seis mezes de
rjgorosa prisao ; foi esta sentenca reformada para
conderanarem o reo a um mez de prisio com tra-
balho.
Elias Rodrigues de Souza, Izidro de Carvalho e
Jeremias Rodrigues de Miranda, accusados do cri-
me de 1' desercao simples, e condemnados pelo
conselho de guerra a seis mezes de prisao ; fo-
ram coaQrmadas as senteacas.
Joao Raymundo de Preitas e Vicente da Motta,
accusados do crime de I* desercao simples, e ooa-
demnados pelo conselho de guerra a dous mezes
d prisao ; foram coofirmadas as sentences.
Daniel Cordeiro de Sant'Anna, accusado do cri-
me de I5 desercao simples, e condemnado pelo
conselho de guerrti a quatro mezes de prisio; foi
esta sentenca conflrmada.
Antonio Jose Varella, accusalo do crime de 2'
deserjao simples, e condemnado pelo conselho de
guerra a doas aunos de trab.lhos publicos ; foi
esta seotenga coDflrmada.
Joao Jose de Souza e Jose Felix do Nascimento,
accusados do crime da desercao em tempo de
gaerra, e condemnados pelo coaselho d > gaerra a
morte. foramreformadas as sentencas para con-
deranarem a eada am dos rtos em o aaaos de pri-
hi '.',;
ttq cora-'tribjrfho. J.
E do imperial marinheiro, Antonio Jose" Bacoril,
accusado da crime de 3' desereao wmalas, oon-
demnado pelo conselho de guarra a um aauo do
prisAo ; foi esta sentanja cqafirraada.
Huprcmo tribunal d.- juttien.-Na
sessio de 2 do correale'foi romettida por este tri-
bunal ao governo imperial a segaiote lista Jo*
miis antigis jnises da dlrefto, para a escolba de
um desembargador
Aatooio Henrtque de Miranda.
Francisco JiOureueo de Preitas.
JoSo Salom6 Quefroga.
(Francisco Rodrigues Sette.
lgnacio Carlos Frtire de Carvalho.
Felippe Paulino de -Souza UchOa.
Joao da Costa Lima e Castro.
Feliope Alves de Carvalho.
Antonio Gom^s yillaca.
Antonio Buaruue Lima.
Daniel Luiz Rosa.
Virginio Henriqaes Costa.
Oomingos Ribeiro Follia.
Antonio Angnsto da Silva.
Antonio AgneHo Hieeiro.
Alexandre Porto Lobao.
Nessa sessao foi jotgato a revista commercial
n. 8,14? (Jda ttAufZa de Pernambaco).Recorrente
Joaquim Eneas Cavalcanti de Albaquerqae, recor-
rido Joaquim Atraldo Bastos. Julzes, T'elator 0
Ujs^^amUmmJtAmti a miinasn Iw iimi>es
da Silva e Messiaa de Leaa tieiatada, negaram a
revista pelas mesgut nzSee das aatecedentos
Dr. Hnscaru. -Por deuuncia iladapela juo
ta de hygiene puhlica, foi processado pelo Dr. 2.*
delpgado depolicia. da (#3rte, A. Srascaro, por exer-
cer a medicina sen aprasentar titslos He babilita-
cao, coado conrienanndo polo Dr. ion do direito
do 8." districto crimioal oa multa de 200J, como
ineursonoart 46 ^e regulamento da 29 de setem-
bro de mo.
o maestro Cariog csojmeg.Uemos no
Jornal do Commercio, da ourle :
Uma nossa amavel patricia, que reune a in-
telligence e ao espirito a leitura e o saber, escre-
ve-nos de Paris com data de 6 de abril, para .iar-
nos aotieias de Carlos Gomes e dos novos loUros
que ello acaba de collier. Os nossos leitores nao
deixarao de ler Com prassr a carta da nossa inte
ressanta corrospondonte. Die assira :
i Brasileiros, viajando na Italia, tivemos em Ge-
neva uma das mais doces enoedss assistimns ao
ensaio da Silvador Bota, nova opera do noseopa-
tricio i) maMtro A. Carlos Gomes. Na Italia, nes -
ta patna das belhs artes, saotimo-nos orgulii >sos
vaodo a freula de sraa (Meiada da anistas o nosso
compatriotn,'em cuja fronte, prematuramente eo-
canecida pelas lutas da vida de artistie de ar-
ti-la em terra estrangaira -brilha o sello do ge-
nio. O ensaio da opera aos arranrou pahuas de
admirac.io pela belleza, origiaalidadg-% ariwjo da
uiusica. Imagiaamos Jo elleito qaa proJuzira eoi
scena eata obra prima e sentimos nao podermos de
morarmo-nos em Geoova para juntarmos as nossas
palmas as que colhera ograole maestro. Seoti-
uios taoio mais, quaoto nao poda' deixar da oom-
mover-nos a reflexiio feita tristemente por elle, de
que total nao iiouvesse no tiieatro Gailo Felice,
am sii brasileiro para applaudil-o, oa noite da pri
maira representauao.
Par uma feltz coincidencia assistiamoi ao en-
saio da granda p-irtitura do maestro brasileiro,
na Italia, patria da nossa qoerida iraperatriz, ao
dia 14 de margo, diacharo aosnassoB coracoesor
ser o aiinivtrsuno natalicio da mai dos brasi-
leiros.
P- 3.Depois de eseriplas estas linlias foi nos
r
honktu
soa^Bj'3 olesultadoda qae-saeffectuc
ffl a irrasniad* da Saaskslraa Triadade,
eracta Bonveat de ftioto Antonio: jnizfraD-
ee,j}>&> d ^anricp de Oliveira Guinnraes; thesourdlro,
AntoMg-lfaia de Brito ; proeurador geCal, Marco-
ho Augusto da Silva Villar.
dursgprudtnscia. Na sessio do Instituto
aos Advogados da B*hia. de 3 do correote, q Sr.
Dr. Marques dos Saatos prop :
1 Que, sando recoohecida a neeessidade de
melboramento qualquer no processo segoido nas
lelacSes para as decisbes dos aggravns, qua) o
im
-......; *." '....." ')">.....e
mares.
Joaquina Maria da TriaJade Ontra, branca,
Peroambnco, 72 annos, selleira, Santo Aotonio ;
broncbite.
Mariana Isabel de Majialhaes, branca, Pernara-
buco, 27 annos, soiteirfc, S. Jose ; gastro hepa-
tite.
Manoel Cesar do Ebpirilo Santo, ptrdo, Pernam
bu.-ir, Hi annos, casado, Bos-Vista ; entente cbro-
nica.
Joao, branco, preto, Africa, 70 annos, Boa Vis-
ta, hospital Pedro II

. dyarrbea.
Procopio, preto, escravo, Parnambuco, 3 anrs,
prescripto conwsamente nos arts. 32 e 33 do rqgu- Santo Autonio ; hepatite
auienio de 3 de Janeiro de 1833, visto qne o ijela- Procilki Maria Joaaui
tono verbal do juiz do feito nem sempre preenjebe
o fim que teve em vista o tegislador," o Insti uto
representasse ao poder competente sobre a pr ivi
grato ler no jornal fftulte, de 26 de mari^), pu-
blicado em Roma as seguintes linhas :
a Sabbado passado, brilbante successo da nova
opera Saloator Rosa, no theatro Carlo Felice, de
Geneva. 0 maestro Carlos Gomes foiehamado a
scana 35 wzes. Repetio-sa o duetto d'araor anlre
o_tensor e a ppiina duaa. Na segunda roprcsonta-
cao foi C. Gomes novaraenta ciiamado a sc^na ra-
petilas vezes e pedio-se repeticao da aria do pri
meiro acto. A exeeue*o foi nauito boa. A Sra.
Paotaleoai, os Srs. Juuca e Gilardoni foram muito
applaudidos. 0 scenario esta sofirivelmente ri-
co.
Proccggo i'oiit'4 Viggueiro. -Neste
processo, as sessao do supremo tribunal de justi-
ca, da 29 de abril, o.Dx. Franklin Doria requereu,
como aivogado do r6o, relerindo-se-aos autos, que
constando destes haver sido proferilo a 28 de fo-
vereiro proximo pass do, ovenerando mterlccuto-
rio do Exm. Sr. conselheiro juiz relator, coLce-
daado 60 dias iiuprorogaveis ao reo, para fazer e
trazer do M-irauliao sua prova tcstemunhal, so foi
a|uelle despacho iotimad) a seu clionte no dia 4
de marc-), e assira ve se qua so a 4 de uialo pro-
ximo termina o prazo coueedido. S. Exc. coucor-
dou nesta ialelltgencia, e licam as diligeacias fl-
oaes do lulgara-jaio para depois de 4 de mmo pro-
ximo fulnro.
AHNoriaciia Cnlliolica Fllliuiucngc
Ld-se no Diarto do Rio de Janeiro :
a Rcnnio-se no consistorio de Santo Antoaio a
assemblea geral da associacao Catholica Flumi
aeaae, achaudo se presentes cerca da 90 merabros
alem de grande nuinero de assistentes.
a Depois da leitura de uma exposicao apresenta-
da pelo Exm. Sr. conselheiro Zacarias, das causas
que moiivaram a demora da installacao desta as-
sociate, S. Exc. declarou-a inaugurada, seaio as
palavras de S. Exc. vivamente applaudidas por
toda a assemblea.
Em seguida passou-se a eleger a mesa c o di-
rector^, que ficou composlo dos seguintes senho-
res :
c Presidente, conselheiro Zacarias da Goes e
Vascoo cellos.
Conselho directir: senador Candid) Mendes,
senador Figueira de Mello, Or. Antonio Ferreira
Vianna, conselheiro Autrau da Malta s Albuquer-
que, conselheiro lgnacio da Cunha Galvao, Jose
Rodrigues de Azevedo Piuheiro, Dr. Souza Reis,
senador Firmino R)drigues Silva, Dr. Fraucisco de
Paula de Oliveira Borges, Dr Antonio Manoel dos
Reis, Dr. Francisco de Menezes Dias da Cruz, Gui-
llierme Morrissy, Dr. Joao Jose d> Monte Junior,
barao de S Francisco Filho, Dr. Joao I'edreira do
Coulo Ferraz, Antonio Jose de Mello, Manoel de
Ponies Caraara, Dr. Costa Ferraz
Degaatreg marlltmos. No dia 12 le
abril eatrou no porto da Horta (Acores) a barca
americana City of B mgar para deitar era terra os
naufragos da barca noruegueza Panama, que foi
a pique em viagem da Inglaterra para Boston,
Eutrou no porto de Santa Craz das Flores a
escuna allema ,W trie com agua abena, da Per-
nambuco. Na manha do dia seguinte so sa viram
fragmento dos mastros da mesma escuna, nao ha-
vendo vestigios da tripola.a quo se compunln de
14 borne us.
Egcoln iioiviccimidi Para execucao
da lei n. 2,261 de 24 da maio de 1873, art. 3- n. 3,
foi reorgaoisada, por decreto de 25 de" abril, a es-
cola central, que passa a denorainar-se escola po-
lylechnica, e se compora da um curso geral e dos
seguintes cursos especiaes :
1", eurso da soiencias physicas e'naturaes ; 2*,
curso de sciencias physicas e mathematical; 3*,
curso de engenheiros geograpno3; 4, curso de
engenheria civil; 5*, curso de minas ; 6, curso de
arti's e manufacturas.
Cabu traiiMuiiami< o para o RraglI
-*- Occorreu aovo contratempo nos trabalhos da
immersao do cabo que dave ligar o Brasil a Eu-
ropa.
Depois de collocada a segunda seccao, que vai
da Madeira a S. Vieeale, a qua! trabalha admira-
valmeate, voltou o eommandante Hatpin para a
Madeira com o flm do ievantar e concetlar a pri-
meira seccao (a de Lisboa a Madeira) que se que-
brara era novembro do anno passado.
Chegado a Madeira no dia 28 de mareo, o eom-
mandante Halpin encontrou tao mao tempo que
resolveu voltar para Inglaterra com os dons vapo-
res sob seu commando, e adiar a operacao al6 ae
poder contar com uma soric de dias de muito bom
tempo.
Longevldade. Falleceu Rosa Maria da
Conceicio, com 109 annos de idade, achando-se
no gozo die todas as suas faculdades.
Nascera no antig) aldeameato de caboclos de
S.- Lourenco, de Nitheroy. Sua mat, que se cha-
mava Maria Soares, morreu ha pouoos annos com
123 janeh-os I A velba Rosa, conhecida geral-
mente por Sinhd Rosinha deixou uma grande pro-
le em quarto e quioto grao.
Ha dous ou tres mezes, foi a Lagoa assistir ao
nascimento de um flloo de tuna nets de uma ne-
ta I
Era muito bem quista par causa de suas boas
qualidades e morava em casa do Sr. Theotonio
Meirellas, u'licial de mat'inha e rasidenle at refe-
xida fregaazia da Lagoa ; mas teado a familia des-
se official saliido de casa por eausa dai nltimas
inundacies, a vatha Rosa foi para a campanula de
um bisaeto, e alii raorrau rapantioamante.
Ca*o lelecrapbdo*. Qt j^roaas da o6r-
te paUioam a seguinte telsgramma :
a Barda do vapor down, 88 de abril. Esta-
mos levaodo para a terra a pouta do cabo tele-
graphico que ]iga o Rio Grande as. provincias d
norte.
cisca j'ereira.
Antonio .lose da Mesquita, cora Alaxaudripa
Maria da Coaceic^o.
Martiniano Gomes dos Santos, com Esmerald'.'ia
Maria da Aununciacao.
Oclaviano Augusto de Figueiredo, com Joaquia
Flora Viegas.
2.' denunciacao.
Guilhermino Rodrigues da Fonceca, com Amelia
Lina da Barros Pinto.
Alexandrino Luiz de Farias, coin Felisraina Ma-
ria dos Praceres.
Hermes Dia^ Fernaados, com Candida Maria da
Caaba Fonceca.
J iao Doningues da Silva Pinto Guimaraes,
com Igoez do Rego Barros Guimaraes.
Manoel Uomualdo Raytista, com Hisliberta Olin-
d na da Cunha Moreira.
Joaquim Pauliuo Niceas Muniz, com Harmina
do U"go Costa.
AI fares Domingos Jose Farreira, com Amalia
Avelina Maciel da Silva.
3.' denunciacao.
Laurindo Francisco da Silva, cora Petronilla das
Dores.
Eugenio Francisco do3 Santos, com Auraa Be-
nedicta da Conceicao.
Jose Duarte da Silva, com Alexandria Maria
de Oliveira Me|lo.
Joao Manoel Ferreira Maia, com Luzia Maria de
Lepo.
Pa-oicgto dc icii'a. 0 escrivao do-
protestos Jose Marianno, esta da semana. Cartorio
na rua Bella, loja do sobrado n. 37.
Lo4criaA que se acha a venda e a 99." a
beneflcio da igreja de Nossa Senhora da Boa-Hora
em Olinda, a qual corro no dia 13 do corrente.
ltciluo. Amanha (12) effactiia o agente Pin-
too ultimo leilao das dividas da massa da Bastos
4 Lemos, entre as quaes ira ura lote de.........
147:183*675 pelaofferta de 170*.
Casa de deteu^ao.Movimento da casa
de detencao do dia 8 de maio de 1874.
Existiam presos 320, entrarara 5, sahiram 4,
exisiem 327.
A saber :
Nacionaes 2)2, raulheres 9, astrangeiros 25,
ascravos 37, escravas 4. Total 327.
Ali.nentados a custa dos cofres publicos 266.
Movimeuto da enfannaria no dia 8 de maio de
1874.
Teveram baixa :
Jose Vicente de Castro, cephalalgia.
Jovino Nunes da Silva, embarago gastrico.
Passageiro. Chegados dos portos do sul,
no vapor brasileiro Cruzeiro do Sul :
Ileliodoro L. dos Santos, Francisco R. L. dos
Saatos, alferes Sebastiao G. da Silva e sua senlo
ra, coronel Joao de S. Fagundes, saa senhora e 3
escravos ; Maria da Conceicao, Remvinda Maria
Barbosa, Victorino, 4 pracas do exerclto, mhalo-
nario Luiz Gosuald, Charles Pernel, Jo-o A. da Sil-
va Marques, Dr. Fernando A. Ferreira, major
Joao T. Cardoso, capitao C. G. Bastos, Pedro B.
da Silva Falcao, Pedro Bostherman e sua senhora,
tenente Benlo Jose Ribeiro, Henrique da Cunha
Rodrigues, David G. Ribeiro.'H. Conoly, Antonio F.
Mai*, Adolpho Dryfrio, Francisco J. Moreira, Ma-
noel I. F. da Silva, Pedro Bertoliao, Christiaoo de
Almeida, Manoel L. da Silva Agrelli, Antonio de
Padua.
Segaem para o norte no nasm) vapor :
GuizeppeBartholoraeo, I. D. da Cosa, Maria da
C. Montetro, 2 pracas e 1 raulher, Augusto I.
Marques, Guilher.ne A. do Lago, Cecilia Ferreira
e sua irraa Rayujuada, Dr. Antonio Uarmeaagildo-,
saa seahora e 1 irraa nunor; Dr. Antonio M. Al-
ves e saa seahora, teneoto Luiz G. Catdeiras, .al-
feres Aatooio I. da Silva Lobato, F. de Souza, Ma-
noel I. dos Sant03 Galvilo, Jose Joaquim A. Bar-
reto, Jose C. Botalho, alferes Antonio B. R. Cardo-
so, Carlos A. Copper, 2 escravos a entregar.
Chegados dos portos do sul ao vapor iaglez
Patagonia".
Ezeqnilel das C. Galvao, e Helm ra Serebolk.
Chegados dos portos do sol, no vapor frau-
cez Rio Grande :
Francisco Pereira, Pesson Henry, Beset Fran-
eoes.
Sa'iid is para a Europa ae vapor frantei
Henry IV:
Joao Kapeller, saa seahora e 1 crianca.
cmitrio public*. -Obituario do dia 7
de maio de 1874 :
Miguel Ferreira dos Anjos, pardo, Pernambu-
eo, 42 annos Boa Vista ; tuberculos pulrao-
dencta de taes recursos passa7em as maos do cda
u'n "os juizes adjuntos, da uma audiencia a oa Ja,
anm de conseienciosamente se inteirarem do ti in
po, caso, e merecimento do aggravo, e dai em
entao a sua ultima palavta.
2 Que para distiuguir os membros do Inslilato
pelos boos Berviees, quepodera prcstar a bem da
adqunislracao da jastiga, o Institulo requeresss ao
P*0,*1* c m. 393 de 23 de novembro de 1844 Bra feita ios
membrps do Instituto dos advogados da oiirte \*ra
Mm de veste lalar, e a faeuWade de te. >m
assento, do exercieio do seu oDlcio, dentro dos
ceosaikos dos tribuaaes.
Foram noawados sara examinar a proposta os
Srs. Drs. Teixeira Seares, A. Mendes, e C Garaia.
, ^*erla da Bhsa de Jaaelr.Rasu no
oa Iwada f0. loteria da provincia, para indemhi
aacfto ds despezas com a acquisigao da via fen ea
de t.anugallo, exlrabida a 23 de abril:
? 2542.................... 20:0104000
5- tw...................... letoooii'X)
- *W9...................... \-joo J- *803...................... 2:0OOi0P0
Ns. 1169 e 20071:0004 a eada um.
Ns.3016, 4412, 50S3 e 5334-8003 a cada n n.
Ns.8,843, 4031. 1088; liOJ, 1-473, 2J64, 23/12,
4480*5031-2005 8 cada um.
Ns. Ji, 978, I (Ml, 1403, I76i, 8329, 2710, 2887,
29i8, 3456, 4110, 4293, 4434. 60i, 4812, 48i I.
5383, J164. 5330 e 5375 -103* a cada um.
Ms, 18, 40, 119, 178, Jfcl. 293, 433, 777, 713.
933 1233, 1278, 1338, 1667, 1707, 1810, 19" 7,
1943, 4009, 2027, 2031, 2062, 21*2, 2311, 26(0,
2968, 2974. 2998, 309G, 3279, 3M), 3630, 37i I,
3749, 4303. 43*8, 43H, 4129, 4494, 4503. 458 1,
3633, 47i4. 473;i, 4771, 4787, 4843, 4S96, 49*8,
3071, 508i, 5134^5211. 5440, 5625. 8647, 5783,
8790, 3811 e 587'J-40i a cada um.
- l'lisumi da 71.* loteria, oncelida ao raelho-
ram mid do estado saaitario, oxtrabida em 1
maio de 1874.
' N. 4876...................... 2):00)
N. 248. .v................... 10:03 )JS<
N- 4473..................... 4:0091
N- 1102..................... 2:000*
Ns. 726 e 5fiOQ -1:000^ a cada um.
N. 1299, 3433, 3772 e 43318004 a cada u
Ns 67, 437, 53 i, 1316, 1403, 2258, 2994, 32
3793 e 39122034 a-cada um.
Ns.
3100.
489
.%. 51, 106, 133, 391, 597, 640, 647, 989, 1006,
1028, 103i, 1493, 15l3. 1531, 1621, 1828, 1839,
1845, 1871, 1978, SQ3L 2211, 2U4, 2609, 27TO,
2896, 2070, 3169, i"8i, 3614, 36i", 3u7il, 3728,
3730, 3825, 4227. 4441, 4536, 4379, 4590, 466",'
4781, 4904, 4910, 4931, VJtS, 3162, 3191, 5203
5270, 5)30, 53G7, 5412, 3413, 5i0, 3>6l,- 57719'
5879, 5946 e 3961-404 a cada um.
Proclainas. -Foram lidos na igreja do Rjo-
sario, que serve da malriz da froguozia de Saito
Antoaio, no doraiago 10 de maio, os seguin-
tes :
1." denunciacao. .
Joao Pereira da Silva, com Petronrlh Soares de
Brito.
Emygdio Celostino de Moraes, com Josep'oa da
Lima.
George Canoll, cous Clara Carulina da Fon-
ceca.
Dr. Joao Augusto do Rego Ilarros, cn Beneme-
nta da Silvaira Lins.
Joio Leopoldiuo do Rag), cora Maria Crispiuuna
Ribeiro.
Augustino Luiz Al.'es de Brito, Com Petronilla
Maria da Albuquerque Mello.
Manoel Virginio da Gama, com Joauna Theo-
dora de Sant'Anna.
Jose Autouii Cudriin, com Maria Joaquina do
Espirit) Santo.
Jacob Antinio Vieira, cora Rosa Ignacia Frap-
oaquraa dos Prazeres, par-
da, Parmrabuco, 18 aanos. soltaira, Santo Anto-
nio ; dyarrhea.
Isabel Maria Coimbra, pretar Africa, 60 aanos,
soltaira, Boa-Vista : hydropisia.
Joaquim Fernandas de Azevedo> Jwanco, 45 an-
bos, solteiro, Bbi'Visla ; congest** cerebral.
8
Maria, braaca, Penwmbuco, 1 aer, S. Jose ;
eataro colile.
Felinto, pardb, Perawnbaco-, 2 annos, Graca ;
rermes.
laria, preti, escrava, Pernambaco; 27 annos,
soheira, Recife ; variolas.
Jbaquira Jose Rodrigues, pard>, Rio de Janeiro,
24 annos, solteiro. Boa-Vista ; splemle cbxoaica,
Jo4, Peroa uboco, 9 mezes, Boa-Vista-;. eate-
flte.
Aona, branca, Parnambnco, 6 annos, Bt-Vi<-
ta ; Itemirrhagia cerebral.
CIRONICj! JtiMTIAXIi.
i aim \ii. i>4 ki;lii;io
SESSaO DU DE M.UO DE 1874.
paEsiDENcu do exm, sn. conselueiru cab
TANO SANTIAGO.
Se-.retaiio Dr. Virgilio Cotlho.
As 10 boras da nimbi, presentes os Srs. des-
embargadores Lourenco Santiago, Almeida Albu-
querque, Motta, procurator da" oroa interiuo,
Accioli e Domingues Silva, deixando de compare-
cer ot Srs. desambargadores Silva Guimaraes,
presidente do jury do Recife, e Souza Leao, por
por incommodes da saule, abrio-se a sessao.
JULGAMKNT03.
Recarsos crimes.
De Palmeira doi IndiosRecorreate o juizo,
recorrido Antbnio LoureaQo da Soaza. Juizas os
Srs. desembargadores Almeida Albuquerque, Do-
mingues Silva, Accioli e Loureoc,o Santiago.-Im-
procelente.
Recurso de faHeocia.
Recorrente o juizo especial do Recife, recorrido
Joaquim Vieira Cofllho da Silva. Juizes os Srs.
desembargadores Accioli, Domingues Silva c Lou-
renco Santiago. Deu-se proviraento para despro-
nunciar o recorrido
Recurso de rcsponsabilidade.
Do B>m Jardim Recorrente o juizo, recorrido
Francisco Mauricio da Motta Ribeiro. Juues os
srs. deseuibargadores Aee4i, Louremjo Santiago,
o Boraingues Silva.Iraprocadente.
A,ppella5*o civel
Do Itambi. Aopellante Virginio II >racio de
Freila-, appellado Joaquim Monteiro Guedes Gon-
dim.Reformada a seotenca.
PASSA GENS.
Do Sr. desembargador Loarenc) Sanliagi ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque:
Appellacoes crimes.
De Itambe.Appallaute o juizo, appellado Ma-
noel Nery Teixeira Borba.
De hesqawra, Appellants o juizo, appallada
Maria Magdaleni.
AppellacOes eiveis.
Do Recife. -Appellanles e appallados Joaquim
Jose BaptUla e Fraucisco da Silva Rago ; appeilan-
te-Josc Maria Sodre da Motta, appellado Dr. Sym-
phronio Cesar Goulinlio.
DeS. Miguel.-Appellanles Guilher.ne Ferreira
Ferro e outros, appellada a baroneza de Giquia.
Ao Sr. desembargador AccioU :
Aupelkcao crime.
Do Recife. Aopellante Jose Soares da Silva,
appellada a jutiea.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Accioli:
Appellaciia crime.
De Souza.Appellante o juizo, appellado I'edro
Fernandas do Rego.
Da Independoncia. Appellante o juizo, appella-
do Jovino Coelho da Cunha.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Accioli.
Erabargos remettidos.
Fmbargaoto Antonio de Souza Braz, embargado
Josu Alves Barbusa.
Ao Sr. desembargador Dimingues Silva :
Da Imperatriz. -Appellante Antonio Barrozo Va-
lente, appellado Jose Furtado- Barbosa.
Ao Sr. dc3embargador Souza Leao:
Da Fazenda.-Appellanles herdeiros dc Jose Hy-
gino de Souza Peixe, appellada a fazenda.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar
gador Domingues Silva:
Dj Recife.-Appellante o pardo Galdino, por seu
enrador, appellado Antinio Machad; Pereira
Vianna.
Ao Sr. desembargador LourcaQ) Santiago :
Do Recife.-Appellante Aristidss Duirte Carnei-
ro da Cunha Gama, appellado Joaquim Francisco
da Albuqierque Santiago.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago :
De Campina. Appellante Manoel da Costa Tra-
vassos, appellado Domingos Trigueiro Castello
Branco.
Diligeacia crime.
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Appellante o juizo, appellado Qiirino Bispo de
Oliveira.
Encerrou-se a sessao ura quarto depois de maio
dia.
RESUMO DOS BAIANCETES DA. RECEIA
E DESPEZi DA C.4.MAR4 MUNICIPAL DO
RECIFE. NO TRIMESTRE DE JANEIRO
A' MARCO BE 1874.
Exercieio de 1873 d i874.
Saldo do-mez de dezembro
proximo Qndo.
Receita arrecado oos mezes de
Janeiro a mar;o. .
18:4519075
34:^169342
53:267ff417
Exercieio de iS73 a 1871.
Importaacia despendida nos
mezes de Janeiro a raarijo 3G:0609^26
Saldo que passa para o mez
seguinte......16.606JW91
-53:1670417
9 de maio
Cauara municipal do Recife,
de 1872.
0 proeurador,
lo$i Simplicio de Sd Esleves.
1MIITIUO COHSEBVADOn
ECIFE. 11 DE MAIO DE 1874.
Os erustaoeas plitic.
VIII
No tempo cm que os celobres crustaceos faziam
suas correrias pela secretaria de palaeio, ura gra-
po mais luzidio dosses bichacos se achava emp$-
leirad) na celebra casinha do Forte do Mattos, de
presada memoria.
Foi nesse velho pardieiro que os jovens crusta-
ceos flieram a sua aprendizagem a onde deram
prooas exubsrantes de bam dirigirera os desti-
nos da provincia em seu beneQeio e de sous apa-
niguados politicos.
One estudos profundos oao flieram esses bicha-
cos ao passarera-por essa njva encrustacao t
Quo turbilhoes da id6 is nio perpassarara pelos
estomtgos famintoi dis erustaceis que avidos
procuravam um melboramento que celebrasse a
sua grey, pelo benoGcio qua se devia fazer a pro-
vincia, de maneira qua roflectisse em sea proprio
proveito ?
Cada esiamago, cada seatenca, como diz o ribw
dos crustaceos, porque e no estomago desses ani-
maas onde esta o prineipio vital, e o censro de to-
dos os sens moviaeotos politicos
A inftaeacia e o predorainio que essa orgio Imb
sobre os outros, deu origem a muitas oogtttoies a
a muitos estndos serio3 sobre os wrdVsdwrw me-
Ihorameuios da provincii.
Assim, pois, tralava-se dc procurar mirrer o
problems, e a todo transe se dfscotia a solncSo qae
deveria ter.
Para esses crustaceos pqaro ImgwTars
problems trvesse uma solucao neiaiiva, com mmo
qne fosse positiva no que dissesse respeito ,
ranlos de seas amigos a c irreligtotnnos pel
Eis aqol o pomo cardeal da quest*:-
Corria o tempo e nada se consegila, viito com
o problema nao era tao faci', como se ssppoaaa.
porque era precise salvar aa apoarenrtas im ma
teria tiij meliodrosa.
Nio se julgue, porem; qae tod-x, de qirrw torn
punha a camirilha oialacama. tivessi-ra geaV)
habilidade para estudos qae tinham carta :iMda-
do com o orgio da gastronomia.
Facase nisso complcta justice. A resorcffri
Ho momenloso problema iM somente emflada
aonelles velh crastaceos, cuja coarapi e*lcarea
estova a prova de boraln. pvra exMMr,io de r*i-
vas-bem authent'ieas, d J*s a) tirocioio do saa
vida palitica.
Apez rei'eradoff estndos e cojsnttas entre s
membros mais proeminenles da ta| cawniriflia, de-
liberco-se uma sessao sircreta, de s irte que cada 9m
expoiease om-meio de < uopm a Broriocia co.n
am melttoramealo de uma orJni tal, ;ue a iM
fosse tao fallaz a iraapDjcao d 1 povo, is maaeira
que abraqassa em toda a saa pL-mmde, mersceado
esses patrious terdnlelrot iftolo de bmtnurtt)*
pelo real servigo queliw dtunUmt*iaimte iam
prestar a provincia.
Chegado o-momeato dfesta sessio. araa meia da
zia dos mais finori is se raunio. e fKia g sto aer
como se cogitava am raeio de se rlver 0 tal
problema.
Depois de oma brave d.scussao, mrio pjrecii
reinar intaira Irarmonia, hoove am sikrarj pr-
fuado, 0 qual foi r 1:11 A 11 per* vox eatrlJentj de
um pansudo craitaceo qua gritav.1 : I. iraka,
Eureka.....................,..............
Signaes de verdadeira e espansiva alegiia a*
somava ao mesmo lemp) a phvviommia d!> rnir.
que boquiabarto esperava 0 re-ulud da^uelUs
smtoras palavras...-.........................
0 problema estava rasolvido; tod is as :ogoi-
tas tinham um valor certo e determiaado. ein-
lu?io era appareuleoeme da uraella.tj sorpiohmi
dente.
Nao f .i poruntc 0 tempo perdidu : 0 tral/Obe e
se.npre trabalho, quer elle prodou bem efTeit).
quar mao, e por isso esse desejo servo de resaira
na opiniao dos crustaceos politicos.
No dia immediate dasse reacfire, am project>
dc arramba se iia na caaiarilha, ao qua! 0 |tovo<*
crbismou por projecto da rede das tramiiat.
Na verdade 0 nosso povo tem boas lembr.ia{a.
esabe fazer chistosas applicacocs, como 1 ue ja
prevendo 0 resultado de semelhante project >.
Approvado pela tntili tade dos membros, (i pro-
jecto que creava um i rede de tramway pelo interior
da orovincia, a impreosa geme sob as lautacoes
de tat momeutoso comraeUiraento, qae breve iria
abrar o appetite dos crustaceos politic js, digit. Qae
breve iria abrir as nossas ricas c Ifuulosa* flo-
restis, ao som do silvio da locomotiva, aurora do
progresso da nossa agriculture.
Nos annaes da defunl 1 ligi pri gramma ilguna
foi tao festejado como u da rede da caminbus de
ferro, constantes desse sedu"tor project).
Por muito temp) fii a ordim do dia essa falla-
da tramoia ; e mil e um pretendentes faziam valer
os sous marecimentos pjliticos, no lempj das elei-
coes de 1863
Quanlos compromettimentos, quant)s cat-lkn
em Hospanha nao fuaram os beocies que ainda
acrediiavam nos mauas do dnseito; quanta* dis-
illusu js. quantas blasphemias os interesscs iacoo-
fossaveis nao fizerara choc^r naquella babel de es
taltas pretengiies qie cram aeompanhilas ile ri-
ses sardonicis, dos crustaceos, que vtam cm jifB
seu nefaudo piair *
E coma toda medailii t?m rewrso, nio tardou
muito tempo que a tramoia fosse perfeitaioonta
elaciJada e posla a calva a mo?tra dos sens aa-
tores.
No artigo seguinte mostraremos que a rnrismt
que 0 povo fez de rede de tramoiis a) proje:
arromba, nao foi sera fundament), e que ana pr -
visao de que 0 projecto seria uma verdadeira re
de de tramoias, na qual flcariam eng.i- fadas o*
cofres da provincia, se reali-ou, perdenl) a pro-
vincia mais decem contos da reis earn o Ctlebre
contrato Mornay.
Detado isso se conclnc qne US viscera? esto-
macaes Jesses celeberrimos arastweos ha n.^si:-
rios insoudaveis..............................
O Z00U ;>.
filCBt'S A PEO
Sr. radtHw. Peco-lbe 0 obseqnio en nraa
das columnas do v sso on-'itoi 11 j ,r;ul piWi-
car as seguintes linhas.
No dia 8 d> corrente deparoi com um in-ijrniii
cante annuncio ( de algun parazita tilv n>
Jornal do Recife, chauriodi a atteneao 1
Dr. delegado da capital para areeefcr 1 1 irfM 4*
delicto la pessoa de uma paraguaya m.-rad n oa
rua de Santa Rita n 30, que dizia 0 til auuurciau-
te (chimado I'ma testeana) e^tar cl!i es-
pancada por mim. No Jornal de '., Sr. re 5 rtor,
dirigi-me taiiibom por um peqaano artigo d :>; tlm-
do a cssc homem sem dignidade para arran.-ar a
mascara qn? Ike pesari a cari e vir pcrante mim
e a policia justiflcar aquel.a catnmnia ; elle nio
tem querido demiscarar-sc tc:n c -at n ivi 1 com
0 tal annuncio as?ignalo -I ma t"t -m 1 !i 1. En
porlanto venho de novo lizer a e>s asajeia in-
cognito e sem nome qae se elle e homem e tem dig-
nidade, 0 que eu reuito duvidi I d asm is
Appareea e se de a onhecer, para entio 0 pabli-
co ficar conhacedor deste denuaciant-e falo e de
mim.
Recife, 10 de maio da 1871.
Joao Caro'ino d> WMcaanN1,
capitao.
MauifestapA* hamrmsM.
Dim. Sr. eoraael Deem de A | tin > Fiamera.
0 governo imperial, no inluito d> dar puMiro
reconhecimento an iraporttat-- rnees p
do3 por V. S. em bem di ordam poWica t- 1 -
mais elevalos inlaress's s iciacs, hoove por
reformar V. S. no pos.o de coronel, por d*-ret
de ii de novelnbro do anno que flniou
Semelhaote acto do govarno imperial, Illm -
coronel, apezar da sua alto signi*caco. : inli
assim esta muito a quem dos merecimento. d>
V. S., quer 0 eonsiderem comj p rticu'.ar, por-
que na sua vida intuna >e rav;laram samjir-
dotes da mais pura a cordial nobreza : fa
estndem como ho nem public), p irqu n 1 t
escabroso do dever hgal e do dever d) v*
V. S. soube tractr, e ahi ficam os molles mai*
sublimes do eidadio prestimoso, d) amigo leaJ,
do chefe idolairado.
A cortezia, a estima, a pregmi'.ica. a H, fjos
impSem 0 dever de vir sauiar a V. S. pelo mo
tivo que dictou 0 decret) de 11 de norembr i 1
anno passado, raotivo a qae V. S. tinha in: >a-
teslavel direito : mas, a priva.-io que me art
do governo nos impoz, a nos offlciaes do I" l-ati
lhao de artilhetia do municipio desta capital 4
nos*o querido e iJulatrado chefe, referve em
sas almas e por isso nos permitta V. S. a pala-
vra da frauqoeza para podermos deporni ait r
da amizada 0 juramento de que fotnis f
na nossa mais doco asparen.-a de uma taaattaaj-
cia proloogada; na aossa mais chara afle>rt<
cootrahida com V. S. pela A- cura da palavra,
pela franquata 0 sinceridade aos seas aetot.
Assim 6 que, ao cumprirmos 0 derer de sao1.tr
a V. S. pela sua elevacao ao posto dc eoion?l.
nao e menos ntoroso 0 dever de exprimir a^su-
dade, triste legado que fica aqaelles a quem V. 5.
tao digoamenle comman*u. a orphan Iide d) 1*
batalbao de anilh^ria. qne pode sahir ae riai>>r
conceits de disciplina militar pelo estimada, eaer-
gia e ordem que V. S. soube-ltM imnriaiir
Nio e" o egoismo que nos d imiaa. Mm. Sr. ee-
ronel, mas a grati Uo, esa mais notre oraaateaae
do coracao hummo
Beleve V. S., que a jn*tiaqoemes, que a n<>*
6 salisfacao immensa memorar, 'escrever nsatm
paginas de saudosa despedida n* l.-o ate lio
intimamente nos prendaram a pessee de V. S.
Ea 17 de novembro de !8fi7, V. S per or
sido antwormente nomaal^, assamio 0 comaar?
do deste batalhio; e. d'ahi, ameae ae tram, at-
teacioso e siaeero. V. S. omar.00 a majarar
eslima respeito da oil'ialidade.
Despido oomplettmeot- de r
sentimaoto que se a*soberba earn a pe.-kn;
de qoaifMr car(o qoaado talieoa awsacnawik.
pet toil, V. S. insiouou com a aaiavra wi
immediato ezemplo as regras da devw, dr
as mais rigorows dispasi-edes da M aaderaa im
raeil e relit axeroaia.
Nunea V. S. Uve 0 rigor ton* mais. aanaa a
injustica como arma : as, f V. 9 aem d-
pressa coastitaido 0 deaosaurii da emnc. Ii
estima e do amir del ^dm 03 w far*-


IXario de Pornambuoo Segunda feira 11 fie Maio da 1874.
4oe, desda o mais gradnado ate a ultima prs r*
do corpo.
Do qua deixamos ligeiramente exposto, fie
chefe subio maia alto na estiffia, no cespeito e da
gratidio doi sens comm ndados 1 ,
Neahum f >6s o d'zemos ccnn Grgulho a f ace
do pair, e, insuspeitos proclamamos V. S. c< no
urn dos maia nobres aruamento* dessa milicia -
vica que tio importantes services na preat a-lo
dentro do imperio o no estrangetro.
Que aquelle a quera for dada a hoara do S' ibs-
tituir a V. S. saiba ao menos conservar a gr; ode
obra que acha.
E aos, a oflleialidade do 1 batalhao do art'Ibe-
ria do municipiu desta capital, solemne em que, vimos dar a V, 8. esU mine1 tada
preva de aossa graUdio e o s.braco de sau 4i*
despedida deuuluo aocordo ; como-curapriroito
de nm dew sagraaa offeroiewos a V. S. tuna
4as bandeiras do batalhao que '.V. S. tin dims-
mente comaandou, eomo pec nor da aniiza-le e
saudosa recardacao de todoa o:i sens raembro I.
Recefea, pois, Mm. Sr. coroiiel, eesa offerta que
exprirae asaudadedo batalhao, eac eada am
de n*s.
Somos earn o maiar reapeito eeonsideracao de
V. S. amigos attentes, veneradlores -e obrigados
criados. Jeronynw Emiliaao de Miranda Cas-
tro, major.-Dr. teacio Aloebiades Vellozo, f
tenente caYorgiao.Sabino Joauiiai da Silva Cora-
do, capitao.-Eustawiio Zeferiao da Silva Braga,
capitao.-JoaqHios Pedro da Costa Moreira, capi-
tao.-Francisco Joe Jay me G!ilvao,aniUo.Mar-
oelinoJose Goocalves da Foutn Jaoior, 1 tenente.
Caetano Jose Gooealves da Fonts, ** tenente. -
Jose Francis .*o Cardoso Ayrea, tenente.Pan!
Pereira Sirodes, teaente.Jcao Antoaio da Costa
Moreira, 1* tenente.-Manoel Domiogues da Silva
Junior, tenente.-Francisco de Paula Cardoso
Junior, capitao Candido Alberto S. da Motta Ju-
nior, 2 tenente. lose Domiogues do Carmo e
Silva,3* tenente.Frederico Sadre da-Cunha Mot
ta, 2* tenente.Domiogos Antonio da'Silva, 2* te
nente.Manoel da Silva Maia, 2* tenenle.
Recife, 10 de Janeiro de 1874.
Meua charos amigos e Srs. efflciaes da bata-
ibao de artilbaria da jruarda nacional do munici
pio doecile.-^Tinba en sobejas provas da estima
e consideracio qne seuapre me votarara meas mui-
to cbaroe e distinctos amigos, Srs. offlciaes do 1 ba
talhao de artilbaria da jruarda nacional deste mu
nicipio, qoasdo recebo a carta qae me dirigiram
em data de Ml do rrante (hontem recebida) na
qual, ao passo que revejam a mais inlima amisade
apresentais-me com dotes superiores ao men me-
recimente.
Certo doa seotimento* que ganerosamente dedi
carara-meos Srs. offlciaes, que tanto me honra
ram, respeilarara e elevaram, nio poderia eu dei-
xar de retribuir-lhes com estiina iguai a que urn
pai consign a sens fijhos, roconhecendo sempre
o quanto Ines sou grato.
Para mats eteriiisarem, porem, a minha gralidao
offerecem-me os Sr. offlciaes, aeompanhando a
carta. qua aeima alludo, a rica bandeira do 1
batalhao de artilberia feita a suas expensas, como
penhor de saudade por deixar eu o commando do
mesmo batalhao.
0 valor da offerta e tal que, aceitando-a sinto-
me cheio de satisfacao, ao considerar que esco
lheudo-o para penhor dra vossos* gentimentos a
men respeito. vus me julgaslefi digno de poasuir
tio sagrado symbolo.
Pois bem, Sr.-. offlciaes ; eu saberei guardal.o
como se guards o mais precio- o thesouro ; como
saberei conservar no amago do coracao a profun-
da amisade que aos liga, emquanto conceder-me
Dens existencia.
Circumstancias ha em que a expressito por mais
sublime que seja, parece pobre para exprimir o
nosso sentir. Eis porque debalde procurarei ma-
nilestar-vos a minha gratidao : tudo quanto dis-
sesse ficaria aqucm do que sinto.
Estou eonvencido, porem, que vds compreheu-
der-me-heia, e nao exigireis p;lavras, quandoes-
tas nada podem dizer.
0 modo porque acabais de honrar-me Srs. offl-
ciaes, nao me permitte desejar mais nada.
0 vosso elevado apreco 6 o men orgulho; a
vossa verda leira estima e a minha felicidade.
Recife, 31 de Janeiro de 1874.
0 coronel, Decio de Aquino Fonceca.
\o\> protonto.
Chegando do Rio Grande da Norto eu abaixo
assignado, herdeiro do tinado ineu sogro Ignacio de
Albuqnorque Maranhao, deparei neste jornal com
nm annuncio de leila->, convidaudo a concurrencia
para a arreraatacao de um sobrado e sitio no lu-
!;ar Santo Amaro desla cidade; predio esse, que
az parte do acervo do dito men sogro e que no
respectivo inventario foi avaliado por IO:)0030lX/,
tendo custado 24:000*000.
Foi requerida no juizo do rcferido Inventario
(termo de Papary, comarca de S. Jose de Mipibu)
nma licenca pe'lo procurador do testamenteiro
para poder csto vender dito preiio.
Sabendo eu disto opp.rtunamente, requeri do
joiz de orphans, bacharel Luis Antonio Ferreira
Souto Junior, qae me cjncedesse vista de tal peti-
ao para oppor-me, allegando desle l.go ser des-
necessaria e muito prejudicial a venda.
Aquelle juiz recebeu minha pelicao no dia 20
de fevereiro ultimo, teve-a em seu poder seis dias
para dar tempo a -e preparar o alvara e vir para
aqui.
Quando eu esperava deferimenlo, ja que ex-offl-
io nao mandava o mesmo juiz ouvir-me, como
cumpria, despachou elle, exigindo procuracao I
E assim despachou depois de dada a autorisa-
caa I I
Por cautela mandei antes publicar nos Diario de
Pernambuco de.2 e3de marco dejte anno, um pro
testo contra a venda pretendida, allegando e pro-
vando entao com as verbas testamentarias ser falso
o fundamento em que se urraou o juiz para conce-
der a licenca, e nao obstante correu a praca j po-
rem deixou o predio de ser arrematado, visto nao
ter apparecido quam offerecesse mais de 6.000*,
em consequencia da falta de numerario, que tern
originado uma crise medonha.
Sendo pois natural, que Isto influa para baixar
o preco a uma quantia mais ridiuula e subsistindo
as mesmas razSes de meu protesto anterior, rjue
nao foi impugnado, venho de novo protestar con-
tra a alieoacao de tal propriedade, que. mudadas
ou melhorad'as as circumstancias, pode encontrar
quern di! por ella seu justo valor, em beneficio ate
dos orpbaos co-herdeiros.
A' vista do exposto, previao ao publico para que
nan compareca ao leilao annunciado, sob pena de
nullidade; tanto mais nao estando iulgndo por
senlenca o inventario, que e uma verdadeira mons-
truosidade juridica e nao pode deixar de ser de-
clarado nullo ,pelo honrado Dr. juiz de direito a
qneiu se acha incluso.
Merece todo .o meu reparo o engano com que
se fez o annuncio para o leilao. occultando-se o
nome do ultimo prqpri tario e tigurando o do an-
tecessor deste, talvez como medida de precaucao
para poder passar desapercebidamente a lesiva
alienagao.
Neste sentido vou requerer ao Exm. Sr. desem-
bargador juiz d'orphaos desta comarc;, em quera
espero encontrar jU3tica.
Recife, 8 de maio de 1874.
Antonio Felippe de Albuquerque Marqnhao.
sente alvari. Dado o passado nesta Villa Imperial
de Papary, aas 17 de fevereiro de 1874. Eu^ Jose
atio Bererra -de Trindade, esedvao d'orpbaos, o
escrevi. Luiz (Aitmio Ferreira Souto Janior.
Ao publico
O abaixo assignado jalga nada devcr nesta pra-
ca neui fora delta; comtudo. se a4gaen se juigar
sea credor, qaeira apreseour sua coot*.-,'- rua do
Commercion.JS, que sendo ex act a, str* immedia-
tamer.te paga.
Joio Antonio 4e S|qeira.
Kespontkiodo ao Novo protesto d<>
St. AntonioFelippe le Albuqucrifue Marn-
akao, publicado no Diario de $ eorren-
te,.B. parte iiue diz : Merece te-to 0 meu
rcptiro o ei}ijano com qne st f$M luauiicic
para 0 leitfuc, occu'lando-se a nome do ul-
timo proprietor 10 e fiyurawlo o' anleees-
sor dteste. talvez como mediila hie preca-i
cdojtara poder passar dempercebidamtntc
a lesiva alienacdo; devo dizcr ao mesmo
Sr. Antonio Felippe que ommiUindo 0 no-
me do ultimo proprietario 0 deelinando 0
do nteces-or deste, so tive ens vsti tornar
mais coohecido 0 sitio que tern de ir a
leilao, afim de ser a concurrencia dos Srs.
pretendentes a mai r possivel, e nao preju-
dicar de.forma algurna aos interesses de
quern quer que seja, como so deduz do to
pico da publicfl^ao a que alludo.
Recife, 9 demaio de 1874.
Joaquim Dias Santos,
Agente de leiloes.
Enrermldades ninrtaea.
Quando um doente morre, qualquer pode dizer
de que morreu. Nao e, pois, justo que, quaado se
cure, todo o mundo saiba com que curou r E no
entanto militates de molestias mortaes sle cura-
das com a Salsaparrilha de Bristoi, e ningaem 0
sabe.
Os casos qae se .approximam a nma sublimida-
de milagrosa como 0 do joven Jay me Wickoff, 0
qual foi luteraln^me arrancado das garra* da
morte, quando ja se aebava raeio devorado pelas
escmrulas-sao os que natural 1 nente se publicam,
e tah-ez um ceotenar delles teem assombrado a
sociedade que os teem lido, tanto nas prioeipaes
folhas como nas publicacoes medicas. P> rem a
Salsaparrilha de Bristol, teem conseguido miibares
de enras, quando ja os medicos meneavam a ca-
beca e diziam : a nao ha esperanca / Em lodas
as partes, durante todas as estacoes do anno, pao
duz maravdbas em silencio. Oxala que, a bem da
humanidade, se conbecesse nniversalmente a ver-
dade relativamente as suas admiraveis qualida-
des.
COMMERCIO
JUNTA DOS CORRETORES
Praca d Ilecife, 9 de mai*
de 1994.
A3 3 HORAS DA TARDE.
cotacSks OFFICIAKS.
Aigodao de l sorte 8*400 e 8*300 por 15 kilos,
hontem.
Dito de dita para Russia 8*700 por 15 kilos,
hontem.
Aigodao mediano 7*600 por 15 kilos, hontem.
Aigodao de Maceid 1" sorte 8*8u0 por 15 kilos,
posto a bordo a frete de 7|8 e 5 0|0,
bontem.
Aigodaode Maceio mediano 8*300 por 15 kilos,
posto a bordo a frete de 7$ e 5 O|0,
hontem.
Aigodao da Parahyba l sorte 8*550 e 8*600
por 15 kilos posto a bordo a frete de
5|8 e 5 0|O, hontem.
AccSo da compauhia de Beberibe 75*000
cada aecao, hontem.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 25 e 23 1|8, e
do banco 24 7|8 d. por 1*000, hontem.
Dito sobre dito a 90 d|v 23, e do banco J4 7|8
d. por 1*000. boje.
Cambio sobre Paris a 3 d|v 388 r. 0 franco,
banco, bontem e hoje.
Cambio sobre o Porto a 90 d[v 110 0(0 de pre-
mio.
Cambio sobre Lisboa a 3 d|v. 117 0(0 de pre-
mio, do banco.
ii. de Vasconceilos
Presidente.
A P. de Lemos
Secretario.
rs eeadeiras 3 calxas a Soau e Si A C. Boosts
caixa a Amaral & Motta. Boiracba 1 caixa a
FranctseoRMMs. BotSes t dita ao mesmo.
Cartas 1 caixa a Manoel Jose Tinoco Souza &
C (Smento MO barr;cas a Soares do Amaral &
C MM a liebre A Reis. Cera I caixa a P. Man
rer k C. Caaella 10 caixas a T. de Mello A C
ChaaeoB< caixa a Monteiro A Salva, i a Taborda
A Santas, :1 a Amaral A Moa. Cevadinha 50
garraASee a;Jje Correia Rraga. Cevveja 3 caixas
a 0. itoares. Cevada 200 garraW >s a P. Ferreira
6t C Cbrdas 1 caixa a Vaz & Leal, I a Sa Leitao
k Cmmtora. Cbapas de marmore 9 eaixas a Cunlu
& Maota.
Drogas 8 caixas n Taborda & Santos, 6 volumes
a Manoel da Silva Faria A C, 3 a Monhard ttttler
Sj C, 6 a-Francisco ltam<*. rtl:es 1 caixa a
Fraueiseo ttanms.
K's. E*|v>leta<
1 caixa a D. T. Baste, I a Bouchard & C, a
Bastn Ohaeira 4 0,2a Parentc Vienna & Es
eovas 1 oaixa a Sa Leilao C^tiBifcra Enxofr.
:M) raixii.;,.-; tl.-illnl.-iv & C
PtaMtM >niiw 0 gigas a P. FaWMTa A C
Forrajjean/T caixas a Parxiite Viaoiw; C. 2 a S
Leitio A Coimbra. Prase is 1 caixa a F. M.mieir.p
di C Foga da China 12 fardos a Parente Vianna
n C Fazendas de aigodao 2 caixas a Keller A C.
Pitas de :la I caixa a Soaza e Sa & C Ritas de
papelao J.caixa a P. Maurer & C Fio 1 caixa a
Pereira Simoes A C.. Facdes z caixas a Souza e
Sa tC
Genebra 150 caixas a Luiz Jose da Costa Arao-
rim A C, 200 a Jose Correia Braga, 4*0 frasquei
ras ao mesmo, 50 dita? a Fernandas Irmaos.
Lupnlo 1 fardo a P. Ferreira & C. Linho 3
caixas a .Keller & C
Meias 1 caixa a Parente Vianna 4 C., 2 a Ama-
ral 4 Motta. Miudezas 1 caixa aos raesmos. Ma-
chinas de costura 21 ditas a Victor Prealle. Miu-
dezas 213 volumes a 0. Bobres. Machinas de
costura 6 caixas a Souza e Sa & C. Mobilia 20
caixas a Bocha Lima & Guimaraes, 14 a Pacheeo
& Azevede, 7 a Cunha & Mania.
Oleo de linhaca 6 barricas a P. Maurer A C
Oleo de figado de bacalhao t barriea aos mesmos.
Objectos de madeira I caixa a Souza e Sa & C.
Ditos de papel I caixa a Parente Vianna & C
Panel ae embruiho 9 fardos a Anton 0 N. Mon
teiro, 48 fardos a A. F. de Carvalho, 17 a Leio
Rocha 4 C. 150 a Luiz Jose da Costa Amoriro &
C. Phospnoros 3 caixas a Leao Rocha & C, 30 a
Tito Lirio Soares, 10 a Soares do Amaral A C 10
a J. J. Leilao A C, 10 a Ferreira rmaos, 10 a
J. Martins Barros Filhos & C, 10 a Magalhaes Ir
maos, 10 a Luiz Jose da Costa Amori m &C, 3a
Moreira Halliday A C, 10 a Jose Correia Braga,
1 a Faria & Irmaos, 10 a Jose M. da Bego A Fi-
lhos, 60 a Parente Vianna & C. Pincas l caixa a
Taborda A Santos. Pao de Campeche 1 fardo a
P. Maurer A C. Palhinha 1 fardo Pereira Si-
moes & C. Pregos 20 caixas a Moreira Halliday
A C. Perfumarias 1 caixa a Vaz Junior A C. Pa-
pel 1 caixa a 0. Bobrw.
Botulos 1 caixa a J. J. de Azevedo.
Saccos de tapete 1 caixa a Amaral & Motta.
Trancas 1 caixa a Francisco Ranos.
Vellas stearinas 50 caixas a F. G. Basto e Sa,
200 a L. J. da Costa Amorim & C-, <00 a Maga-
lhaes Si Irmao, 50 a M. Monteiro, oO a Pereira Si-
moes 4 C, 20 a Fernandes A Irmao, 50 a J. J.
Leitao A C. Vidros I caixa a J. A. de Araujo &
C, 6 a M. Monteiro A C, 1 a Ferreira Maia A C,
8 a Francisco Ramos, 1 a Moreira Halliday & C.
Dito para vidraca 3 caixas a S. P. Johnston & C,
10 a Parente Vianna cv C, 1 a Manoel da Silva
Faria & C, la M. J. M. das Neves, 4 a J. A. Pe-
reira A C.
8 DI
Readimento do
cm do dij 9
ALFAVDEOA
dis < a 8 .
246:085X681
47:213*076
293:298^757
Descarregam hoje. 11 de maio de 1874.
Patacko allemao Sicolaus raercadorias para
alfandega.
Barca franceza Santo Andre" telhas, tijolos 0
materias inflamaveis para 0 trapiche Con-
ceicao, para despachar.
Patacho allemao Elise farinha ja despachada
para o caes do Apollo.
Patacho americano -Wafer Wic/n- farinha ja des-
pachada para 0 5 ponto.
Vapor nacional Marquez de Caxias (espe-
rado) gencros nacionaes para 0 trapiche
Dantas.
ALTEHACAO NA TAUTA DOS PBECOS DOS GBNEROS
SUJEITOS A DIBEITOS DG EXPORTAQAO, NA SEMANA
DE 11 A 16 DB MAIO DE 1874.
Aigodaoem rama ou la 500 rs. o kilo.
Assucarmascavado 111 rs. o kiln.
Couros -de boi seccos saigados 366 rs. o kilo.
Carvao de pedra estrangeiro, tonelada metriea
20*000.
Carogo-de aigodao 20 rs. o kilo.
Crina- animal em bruto 300 rs. o kilo.
Alfandega de Pernambuco, 9 de maio de 1874.
0 1* conferente -Jose Araancio do Outeiro.
0 1 conferenteManoel A. R. Pinheiro.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 9 de
maio de 1874.
0 inspector
Fabio \. de Carvalho Reis.
InaportacSo.
Patacho hespanliol Elvira, entrado de Monte-
video em 8 do corrente e consignado a Jose da
S. Loyo & Filho, manifestou :
Xarque 139,182 kilos a ordem.
DSSPACHOS DE EXPOriTACAO NO DIA
MAIO DE 1874.
Poro ot vortos do exterior.
Na barca ingleza Grecian, para Liverpool
carregou : T. 'Ihristiansen 400 saccos com 30,000
kilos de assucar mascavado ; Viuva Bastos 100
ditos com 7,500 ditos de dito.
No patacho inglez Spring Brid, para o Ca-
nal, carregou: J. Pater A C. 114 saccos com
8,550 kilos de assucar mascavado.
No brigue francez Intrepide Corse, para Li-
verpool, carregou : S. Brothers & C. 1,916 saccos
com 143,700 kilos de assucar mascavado.
No vapor franc* z Henry IV, para o Havre,
carregou : A. V. da Silveira 1 barriea com 83
kilos de assucar branco.
Na barca portugueza Nooo Silencio, para
o Porto, carregou : Carvalho A Nogueira 60 sac-
cos com 4,500 kilos de assucar braaco e 40 ditos
com 3,000 ditos de dito mascavado : para Lisboa,
A. Cordeiro 200 ditos coin 15,000 ditos de dito
branco.
Na barca portugueza Harmomt, pa.'a o Por-
to, carregou: T. A. Fonseca A C. Successores
100 saccss com 7,500 kilos de assucar mascavado
e 300 ditos com 22,500 ditos de dito branco.
No brigue portuguez Gotete, para o Ri) da
Praia, carregou: A. Cordeiro 40 pipas corn 19,200
litros de aguardonte.
No patacho nacional Paraguassu, para o Rio
da Prata, carregou : P. M. Maury 45 cascos com
24,000 litros de aguardente
No vapor francez Rio Ortndt, para Bor-
deaux, carregou : M. B. de Meilo 1 caixa com 18
kiios do pennas.
Para os po'tos do interior.
Para oR>o Grande do Sul, no patacho nacio-
nal Marinko II, carregou : A. Loyo 430 barricas
com 56,219 kilos de assucar branco e 100 ditas
com 11,801 ditos de dito mascavado.
Para o Maranhao, no vapor nacional Cruzei-
ro do Sul, carregou : J. Ramos A Macha lo 15 bar-
ricas com 1,645 kilos de assucar branco.
Para Mossoro, na barcaca Rainha dos An-
jos, carregou : B. Gomes & C. 4 pipas com 1,920
litros de aguardente.
Para Mossoro, na barcaca Tres IrmSs, car-
regou : Carneiro & C. 6 pipas com 2,880 litro? de
aguardente. f
W. Bakr, equipagem
a Domjngos A Ma
de 1*1 toneladas, capitao
7, car^a varios generos
theus.
Portos die -snl-^ dias,-vapor nacional Cruzeiro do
Sul, de t;1tl tononfckdas, commandante Wad-
dington, equipagem 04, carga varios generos;
a Pereira Vianna'&-C
MMias<4ahid&i no mesmo dia.
Havre enertos intermedios-Vaper franoez Henry
IV, commandante Capella, carga a mejma que
trouxe das portos do sul.
Porto -iurea portugueza Lisboa, capitao Manoel
J. de Azevedo, cacga assucar e outros generos.
Navies nr.tradr-s no dia 10.
Rio de Jaaeiro e Bahia6 dias, vapor inglez Pala
gonia, de it,823 toneladas, cominandenle C. C
Krnugh, equipagem 103, carga varios generosf;
a witatu Rowe^ C
Rio Grasde do Sul -18 dias, Urique naoional Silky,
de 210 toneladas, capitao J. J. de Mulitt, equiua-
gem II,carga:liii,820 kilos de earner a Amo-
rim Irmao A C,
Rio de J.iii'-iro e ISahia 6 dias, vapor francez Rio
Grande, de.1,593 toneladas, enmuuudaate Dela-
liarre, e.|ui|>H}.'ecn 96, carga varios geaeros ; a
Haibsmeadv & Labi lie.
'Navio tahido no mesmo dia.
Bordeaux e portoe intermediosVapor francez Rio
Grande, commandante Delabarre, carga a raes
ma que .trouxe. dos portos do suL
EDITAES.
CAPATAZ1A
ttendimento do dia I
dom do dia 9 .
DA ALFANDEGA
a8
6:252*766
340/502
6:793/208
RopuKln ap iii'otcxio.
Ao qua diz o Sr. bacbarel Antonio Felippe de
Albuquerque Maranhao temos apenas a oppor o
alvara de licenca infra, do qual se ve" a terminajjte
a clarissima dis'posi^ao do testamento do finido
Ignacio de Albuquerque Maranhio acerca do dee-
tino a dar-se ao seu predio e silio em Santo Ama-
ro das Salinas. Eis o alvara :
0 Dr. Luiz Antonio SoutoJJunior, juiz d'orphaos do
termo da villa Imperial de Papary e anne-
xes, etc.
Faco saber aos que o presente alvara virem, e
conheoimento delle tiverem, que attendendo ao
que me requereu o commendador Henrique Ber-
nardes d'Oliveira. testamenteiro e inventarianle dos
bens do finado Ignacio de Albuquerque Maranhao,
pedindo autorisacao para vender o silio Santo
Amaro, do termo da cidade do Recife, provincia de
Pernambuco, perten-ente ao acervo do mesmo fina-
do ; conformando-mo cm o parecer dos enradores
geral e adlitem, anendo em vista a determinanto
di?posicao do testameBto, que e do Lheor seguinte :
De .laro mais, que para o meu primeiro lestamen-
eiro ficar munido de dinneiro para o que occor
rer, vendera o meu sitio Santo Amaro,-desta ei-
dade, dando-se-lhe o valor que elle merecer, com
tanto que defenda de yjalquer opposicao que se
faca ao ctrmpri ento desta minha verba, e autD
riso o meu testamenteiro a Cazer as despczas cum
advogido e procurador e outras quaesquer judi
iiaes que Ibes serao tomadas em conta no inven-
tario sem qued'penda de approvacjo Ihe conce-
di a refenda autorisacio como effectivaraente a
concodo, para qur possa vender o mtneionado sitio
pela forma e para o fim de erminado em dito tes-
tamento, fieando mesmo tostamento obrigado a
prestar BOOtas r, ,,ortnnamente do 080 qu;;
fizer. Para o que mandei que se liurasse o
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, entrado dos
portos do snl em 9 corrente e consignado a Pe-
reira Vianna & C, manifestou;
Carga do Bio de Janeiro.
Cafii 91 saccas a Jose Joaquim da Costa Leite,
2 a J. J. Rodrigues Mendes.
Fumo 75 rolos a Antonio Luiz de 0. zevedo,
70 pacotes e 9 caixas a Jose M. Palmeira, 52 cai -
xas a Pereira Vianna A C, 8 engradados a D. A.
Malheus, 4 fardos e 2 surrSes a Pereira Sim5es
& C, 2 encapados e 2 surroes a Joaquim B. dos
Reis, 3 encapados e 1 caixa a Bourgar! A C.
Musicas impressas 1 caixa a Antonio Jose de
Azevedo,
Papel o caixas a alfandega da provincia.
Tinta violeta 14 barricas a De Lailbacar A C.
Carga da Babia.
Cafe 4 saecos a A'eller & C. Charutos 13 cai-
xas a ordem, 8 a Domingos da Costa Ferreira.
i Iiapeos de sol 2 caixas a Oliveira & Irmao, a 1
Mme. V. Falque.
Fazendas 3 caixas a Simpson & C. 1 a Cramer
Frey \ C.
Oleo medieioal 1 caixa a Menbard MeCler A C.
Patacho allemao Nicoldo, entrado de Hamburgo
em 9 do corrente e consignado a Domingos Alves
Malheus, manifestou :
Assucar candi 2 caixas a Taboi -'a & Santos.
Alvaiade de zinco 10 barris a Augusts oaors. /gu-
Ihas 1 caixa a Bastos Oliveira & C. Aral ultra
mar 1 caixa a Taborda & Santos, 4 a Monhard
Me tiler &, C. A mo.-Iras 1 caixa a F. Monteiro A
C, 1 volume a Francisco Ramos, 1 a Amaral 4
Motta, 1 a Papouia4C, 1 a Jose Marques dos
Santos, 1 a Manoel Jose Tinoco de Souza, 1 a Leao
Rocha A C, 1 a Fernandes & Irmao, 1 a J. G.
Leitao di C, 1 a F. G. Bastos e Sa, 2 a Luiz J >se
da Costa Amorim 4 C, 1 a Magalhaes Irmaos, 1 a
Cunha & Mania, 2 a Antonio Manoel Monteiro.
Agua de Seltz 1 barriea a Taborda A Santos.,Ara-
me de lalao 1 caixa a Vaz Junior & C. Armas 3
VOLUMES SAHJDOS
No dia 1 a 8-.....,
No dia 9
Brunei ra porta.....
Ssgonda porta .
r&rceira porta.....
Quarta porta......
fiapiche Gcneeicao .
9:081
100
144
126
350
9,801
SERVICO MARITIMO nwrengas descarregadas do trap! alfandeca : No dia 1 a 8..... No dia 9....... o trapicbe Conceicio . cLe da 20 1 21

0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacer-
da, juiz de direito especial do commer-
cio, nesta cidade do Recife e seu termo
capital da provincia de Pernambuco,
por S. M. 1. o Sr. D. Pedro II, a quern
Deus guarde, etc.
Faco saber pelo presente que no dia 2i do eor-
rente mez de maio se ha de arrematar em praca
publica deste juizo, depois da audiencia respectiva,
os bens seguinies:
1 armacao com todas as suas pertencas por
300*000; i earleira tie madeira de amarello por
13*i'00 ; 1 burn de ferro por 40* ; 17 pecas de
fitade seda n. 172, a 100 rs., 1*700; 108 ditas de
lita de seda n. 1 e l|2 a 100 rs.; t08 ditas ditas di-
tas de ditas a 100 rs., 10*800; 31 ditas n. 4 a
320 rs., 9*920 ; 1 pequena mesa por 2*000 ; 100
pecas de lita de la, para sapatos, a 80 rs., 8* ; 25
caixinhas de linbas do gaz a 300 rs., 7*500; 28 e l|2
macos de altinetes a 1*, 28* ; 14 caixas com gram-
pos de passarinbos a 200 rs., 2*800; 40 caixas
com colchetes de ferro a 300 rs., 12* ; 13 duzias de
cartas para jogar (franceza") a 1*, 13* ; 5 ditas di-
tas a 500 rs., 2*500; 12 caixas de papel amizade
a 200 rs., 2*400; 12 ditas de envelopes, sortidas,
a 200 rs., 2*400 ; 6 resmas de papel de peso a 1*,
6*; II inaco de linba em cartao a 50 rs., 550 rs;
4 duzias de cartoes de colchetes a 300 rs, 1*200; 5
ditas de grampos a 100 rs., 500 rs.; 3 cartoes com
canelas de pao a 300 rs, 900 rs.; 17 ditas de pen-
na d'aco, em caixa de metal, a 100 rs. 1*700; 1
carlao com renda franceza por 20* ; 25 macos com
agnlhas inglezas a 300 rs; 1 dito irancez por 700
rs, 7*500; 28 caixas de iihoses para sapatos a
200 rs., 3*600; 14 duzias delinha.em carritel.a
300 rs., 7*200; 6 caixas com botSes, sortidos, para
paletot a 200 rs., I *200 ; 4 macos com botdes ditos
800 rs.; 6 ditos de perolas a 400 rs., 2*400; 3 e
i|2 macos de botdes de louca para camisas a 1*,
3*500; 1 caixa com botdes de pnnho por 1*400 ;
57 grosas de lapis, sortidas, a 300 rs., 17*5U0; 4
duzias de ditos linos por 1*200; 37 caixas com
brincos ordioarios a 100 r<., 3*700; 4 e t|2 duzias
de tesonras a 1*300, 6*750; i duzias de cani-
vetes ordioarios a 400rs., 6*400; 3 tesouraspara
costura a 50J rs., 1*10i: 5 ditas a 400 rs, 2*; 4
ditas grandes, ordinarias, por 2* ; 2 macos com
deJaes de latao por 600 rs.; I duzia de realejos
de louca por 300 rs.; 14 macos de loteis de metal
por centenal, a 4*200 ; 18 macos de rosario a 800
rs., 14*400; 50 duzias de phosphoros de seguranca
a 100 rs., 5* ; 14 duzias de espelhos ordinarios a
100 rs., 1*400 rs.; 8 macos combaralhos estragados
a 50 rs., 4U0 rs.; 74 pares de brincos dourados,
era caixa, a 50 rs., 3*700 ; 1 duzia de oculos d'ar-
macio, sortidas, par 2*; 1 cartao com franja preta
para sapatos por 800 rs; 10 duzias de corda de
viola a 50 rs. 500 rs.; t jrosa de caixas com
obreias por 1* ; 3 e 1|2 macos de linha de meada
a 1*, 3*500 ; 208 pecas de galao de cores a 100
rs., 28* ; 34 macos de tranca de aigodao a 100
rs- 3*400; 2 ditos ditos de la de cores a 200 rs.,
400 rs.; 24 pecas de fita de la e eascarrilha a 50
rs., 1*200; 1 cartao com bicos e renias por 10* ;
5 grosas de botao para colletes a 2*, 10*; 2 duzias
de pentea de chifre a 1*. 2* ; 13 ditas ditas para
coc6 a 1*, 15* ; 22 esco7as para dentes a 200 rs.,
4*400 ; 200 varas de bico doraba a 30 rs., 10* ;
50 ditas de galao de stida a 20 rs., I* ; 70 latinhas
coin banha a 30 rs., 300 rs.; 3 maco3 de linha de
meada a 100 rs., 300 rs.; 2 cintos com fivcllas
por 2'JU rs.; 3 caixas de chumbo para rape a 200
rs., 600 rs.; I raaco com irincos de chumbo por
500 rs.; 1 dito com pente de marrafa por 500 rs.;
1 duzia de pente de chifre, ordinarios, por 200 rs.;
142 e 1|2 libras de linha de novello a 8u0 rs., 114*;
7 e 1|2 libras de retroz ordinarios por 53 ; 25 ma-
cos do missanga a I*, 25* ; 17 peneiras de cabello
a 600 rs., 103200 ; t9 raspadeiras para tanoeiro a
800 rs., 15*200; 19plainas de molde a300rs,
5*700; 28 duzias de verrumas, ordinarias por
3*600; 10 bracos para balanca por 8* ; 45 facas
de ponta a 300 rs., 13*500; 2 thunbulos de latao
a 2*, 4* ; 2 duzias de asas para bahu, de ferro
a 1*. 2* ; 4 ditas ditas a 2*, 8* ; 6 puas de ma-
deira, em mao estado, por 600 rs.; 5 Dacias de es
tanho a 2*. 10* ; 4 duzias de feichaduras singollas
a 3*, 12* ; 8 e lj2 duzias de canivetes a 1*200,
10*203; 32 macos de tacuas de bomba a 120 rs.,
3*840 ; ii macos de correntes de ferro a 800 rs,
8*800; 8 jogos d pistola a 2*, 16* ; 4 e lr2 ma
cos de livellas a 300 rs., 2*250; I espelao ordina-
rio por 200 rs., I folles para ferro de engommar
400 rs, i *60j ; 6 ma$os de argolas por 2* ; 6
saca-rolhas a tOOrs., 600 rs. ; 1 raaco dc dedaes
por 200 rs.; I maeo de cruzinhas por oOO rs.; 18
escumadeiras de estanho a 200 rs., 3*600 ; 5 ma-
cos de ta has para salto a 500 rs, 2*500; 3 ditos
ditas de ferro a 100 rs., 300 rs.; l raaco de anneis
por 20P rs.; 90 macos de parafusos a 100 rs., 9* ;
is, 5*400; 7 pares de esparas a 600 reis, 4*200;
bridoes de metal a 1*000, 4*000; 5 pares de
fstribos a 600 reis, 2*500; 1 par de correntes
ara balanca, por 2*008; 3 picadeiras a 400
reis, 1*200; 4 pares de macaneias de vidro a 3*
12*000 ; 1 assneareire de vidro, por 500 reis; 5
caixas de ferro para earca a 1*000, 5*000; I
eampainha, por 400-rtis; 3 macos de argolas para
chavos a 1*000, 3*060; 2 canivetes de mola a
400 reis, 800 reis.; 2 rewolvers a 12*000, 2V*O00;
8 macos de caseaveis a 500 reis, 4*000; 7 pega
fores para papel a 500 reis, 3*500 ; 4 machinas
ara cafe a i*56, 6*000; 9 ferro* para ounves
(bnril) a 100 reis, 000 reis; I dito parte nozes,
?or 200 r6is; t chapa para ourlves, por 1*000 ;
trinqoete de latao, por 500 reis; 81 enchadas a
300 rei, 24*300; It) duzias de colberes ds me
tal do principe a 23' DO. 20*000 ; I dita de dita
sortidas, por 1J500; 2 dnzias de conchas a 2>>000.
t*000; 17 macos de colheres de ferro a 1*000.
17*000; 4 duzia* de colhens metal branco a
1*000, 4*00-1; 13 rnacos de dobradica. de canto
i l*UK, 13*000; -W ma "os de fcrro para .-arpin
leiro a :*00O, 7tf*KKi; 2 nuchadus a 500 reis,
| *000; C b.leiras, por 600; J% iu.tfus de suvclas
a 1*000, 38*008 ; 3 enchiies para earapinas a 1*.
2*000 ; 4 ditas para tanoeiro* a 80) reis, 3*200;
4 macos de aldabras para portas a 1*000, 4*000;
8 macos de trinqaes a 2*000, 16*000; 4 b.ilan-
eas de argola a 2*000, 8*0(N>; 4 agarras para
ounves a 500 reis, 2*000; 4 cestadores de a na-
me a 100 reis, 400 reis; 2 macos de compassos
de mola a 2*000, 8*000; 22 macos de limas a
1*000, 22*000; 4 ditos de agulhaa para cozer
lardo a 500 reis, 2*000 ; 12 compassos de volta a
500 reis, 6*000,' 7 facas de pontas a 200 reis,
j*4 ferros para peias a 1*000, 7*000; 3 serrotes pe-
quenos, por 500 reis; 18 grelnas para fogareiros
a 200 reis, 3*609; 6 parafuzos grandes a 200
ijeis, 1*200 ; 34 for mas para fogio a 1*000.
34*000; 28 pesos para halancas a 200 reis, 7*000;
20 ditos para ditas a 200 reis, 4*000; 91 pedras
para moinhos a 1*000, 91*000 ; 7 ditas grandes
aj 2*000, 14*000; 7 pares de dobradicas de espi-
gjao, por 1*4C0; 19 ditas de cruz a 300 reis,
i*700 ; 1 par de argola grande, por l*('O0; 12
barricas de pregos sortidos, por 25*000 ; 2 duzias
de martellos para sapateiros a 1*000, 2*000 ;
5 martellos para carpinteiro*, por 1*000; 2 fer-
s para cortar capim. por 4o0 reis ; 19 encboes
500 reis, 9*500 ; 9 ciscadores grandes a 600
is, 5*400; 2 correntes para canoa a 2*000,
4*000 ; 1 oren^a de copiar cartas, por 4*000 ;
. pas de ferro a 1*000, 3*000 ; 2 torradores de
cbfe, a 1*000, 2*000 ; 1 bygornia, por 3*000;
2!pecons pequenos a 1*C00, 2*000; 6 ditos gran-
des a I 500, 9*003 ; 5 martellos para pedreiros a
200 reis, 1*000; 9 fechadnras a 200 reis, 1*800;
5|descancos para lerro de engommar a 100 reis,
I WOO; 1 ferro de engommar, por 500 reis; 0
ft rros de cortar capim a 200 reis, 1*200; 1 pi; de
c bra pequeno, por 320 reis ; 1 porta para fogio,
pir 1*000; 2 pedras para araolar a 500 reis,
1 1000; 1 ferro para capim, por 200 reis; 4 co-
n letes com aco a 2*000, 8*000; 7 assadeiras
e tanhadas a 200 reis, 1*400. 15 feixes de arcos
a 2*000, 30*000; 1 machina de ferro oor 4*000;
i taboa com amostras, per 5*000; 20 ferros pe-
d exes a 500 reis, 10*000; 2 caraas de ferro para
lo la a 2*000, 4*000; 1 concha para balanca, por
I 000; 1 bacia pequena de cobre, por 5*000; 18
c; ixas com capsulas para rewolvers a 3*000,
o *< 00 ; 1 porr.io de ferros era varoes, por
2( *000. Cujos bens forara penhorados a Antonio
di Souza Oliveira, por execucao que Ihe move
V in Sohsten A C, e acham-se depositados em po-
dt r do depositario geral Manoel Goncalves Ferrei-
r; e Silva.
E na falta de licitantes que cubram o preco da
ai aliacao, sera a arrematacao feila pelo preco da
ai judicacao com o abatiraento da lei. E para que
el egue ao conhecimento de todos, mandei passar
o presente, que sera afflxado nos lugares do cos-
turae e publicado pela iraprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife do Per
narabuco, aos 9 de maio de 1874.
Eu, Francisco Xavier de Souza Ramos, escrivao
in erino, subscrevi
Sebastiao do Rego Barros de Lacerda.
lAo sello 300 reis, V. S. S.. ex-causa. Recife,
le maio de 1874.
Barros de Lacerda,
SKCEBEDORIA DK RENDAS INTFRNAS GE-
RAES DE PERNAMPUCi.
teadimentc do dia 1 a 8 12:733*233
flam do dia 9...... 3:368/531
I6I0U814
CONSULADO PROVINCIA.
Rendimenjo do dia I a 8 .
lnen do dia 9......
RECIFE DRAINAGE.
Hendiraento do dia I a 8 .
dem dodia 9......
25:808*773
12:573*565
38:382*338
2:094*343
*
2:094*343
MOVIMENTO M ?6RT0
delta caixas a or Jem.
pre-' Bonecas % caixas a Sa Leitao dj Coimbra. Ber-
"Sj'.W Navios entrados no dia 9.
New-Zealand170 dias, pescando, galera america-
na Adelina, de 353 tonelatas, capitao A. J. Mar-
vin, equipagem 20, carga azeiie de peixe ; ao
mesmo capitao. Veio refrescar.
Santos pelo Rio de Janeiro e Bahia10 dias, sen-
do do ultimo porto 48 boras, vapor francez Hen-
ry IV, de 940 toneladas, commandante Ca-
pella, equipagem 30. carga varios generos; a
A. F. de Oliveira & C.
Rio de Janeiro26 dias, patacho hespanbo) Espe-
ranza, de t2o toneladas, capitao Pedro E*tra-
der, equipagem 10, em lastro ; a Pereira Car-
nein di C.
HamburgoW dias, patacho alleman y.^.fiu*
3 feixes de espingarda a 500 rs., 2*o00; 14 macos
de tachas de ferro a 120 rs., 1*680; 3 macos de
tachas de cabeca dourada a 1*, 3* ; z ditos ditas
ditas a 1*500, 3* ; 2 ditos de escopula de latao a
300 rs., 1*; 2 ditos de espelhos de embutir a 500
rs., !*; 3 puas a 1*300, 4*500; 1 caixa de espe.
Ihos fpara gavetaj 3* ; l8 folhas de lixa a 20 rs.,
370 rs.; 21 pratos de folha estanhada a 100 rs.,
2*tOO ; 1 escala por 200 rs.; 6 macos de tornei-
ras estanhadas a 2*, 12*; 5 foices de ferro a 200
rs., I* ; 6 grelhas de aramo a 200 rs.. 1*200 ; 15
macos de pregos francezes a 2' 0 rs., 3*; 13 esco-
vas'para sapatos a 100 rs., 1*300; 3 e 1(2 duzias
de irado de rosca a 3*, 16*300 ; 4 ditas de ditas
de colher a 2*, 8* ; 4,700 cravos para tanoeiro a
200 rs., 94*; f caixa de pedra fuzil por 500 rs.;
1 balanea decimal por 16* : 8 enchoes a 200 rs.,
1*600: 1 caixao de caixa de chifre por 2* ; 1 dita
dita eoraareia azul por 1* ; Idita dita com gom-
ma lacrre por 10* ; 8 chaleiras a 2*, 16* ; 14
caldeiroes a 2*. 28* ; 6 cassarolas de porcelana a
3*, 18* ; 6 assadeiras ditas a 2*000, 12*000;'
1 frigideira, dita por 2*000; 12 .peneiras de
stida, a 800 reis, 9*600; 3 ditas ditas por 2*400;
15 macos de caixas para oeulos a 1*000, 18*000;
3 duzias e 3 pedras para navalhas, por 6550>;
9 ditas de boiao de tinta, por 4*500; 7 raeios
raacos de fio para sacco a 1*5 0, 115230 ; 19
serrotes a 1*000, 19^000; 3 macos de craion a
400 reis, 1*200; 10 palmatorias de latao a 400
reis, 4*000; 2 macos de areia d'ourada a 500
reis, 1*000; 10 macos de ferro pedrez a 800 reis,
8*000; iO brides de ferro a 500 reis, 17^500;
16 macos de esporas, por 20*000; 10 macos de
esiribos de diversas qualidades a 3*000, 30*000; j
2 macos de esporas de aco a 3*000, 6*000; J |
macos de ferro pedrez a 3*000, 9*000;. 13 duzias
de fechaduras a 2*000, 26*OuO; 5 moinhos para
cafe a 1*500, 7*500; 2 duzias de fechaduras para
caixas a 1*000 a duzia, 2*000; 1 maco de segu
radores, por 600 reis;. 7 ditos ditos a 600 reis
4*200; 22 fechaduras de broca a 1*100, 24*200;
19 cnaves para parafuzos a 200 r4is, 3*800 ; 1
maco de facas para sapateiro, por 500 reis; 1
maco de chaves para portas, a 500 reis; 5 tor-
quezes a 500 reis. 2*500; meia duzia de dobra-
dicas. por :*500; ie, meia duzia de fecoaduras
para portas a 3*600, 5*i00; 1 duzia de abridores
de latts, por 2*500; 14 macos de fecaJuras a
800 reis, 11*200 ; 3 macos de cadeiados a 1*500,
4*500; 21 macos de ferros para earapinas a 1*200,
25,-200; sete ditos de ditos a 1*200, 85400; 32
macos de dobradicas pequenas a 500 rei*, 16000j
2 mac^s de correntes de latao a 1*000, 2*000; 25
macos le dobradicas a 1*000, 25*Oo0; 5 macos
de caixas para oculos a 200 reis, 1*000; 3 dfios
de brochas ordinarias a 3*000, 9* 00; I maco dd
verrumas por 2*500; 1 mac de cordinbas, por
1*000; 14 fechaduras linas a 2*000, z8*("0; 2
fachaduras a 500 rdis, 6i000; 18 cadeiados a 300
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Laierda,
juiz do direito especial do commercio nes-
ta cidade do Recife e seu termo tal da provincia de Pernambuco, por
S. M. imperial e constitution* 1 o Sr. D
'edro II, a quom Deus guarde, etc.
'aco saber aas que o presente edital virem e
del|e noticia tiverem, que por este juizo especial
do cimmercio corre un* autos de execut;4o de
seqtenca de Carvalho di Nogueira, contra Domin
gos Martins de Barros Monteiro. E tendo-se feito
pehora em dinneiro, em poder de Bernardino
Gomes de Carvalho, perteneente ao executado, fo
ra ipelo selicitador Joio Barbosa Cordeiro, procu-
rador dos exequente; feito o requerimento se-
guinte :
Aos 7 de m: io de 1874, na cidade do Recife,
era! publica audiencia que aos feitos e partes diva
o Dr. juiz de direito especial do conrnereJo Se-
bastiao do Rego Barros de Laeerla ; nella pelo
sollcitador Joao Barbosa Ordeiro, procurador dos
exquentes Carvalho & Nogueira, fora acosada a
peahora feita em dinheiro era poder de Bernar-
dino Gomes de Carvalho, perteneente ao execu
tad)o Domingos Martins de Barros Monteiro, e re-
quereu que ficasse assignado os seis dias da lei
4 | enhora feita, e dez dias aos credores incertos,
paisando se editaes, e em vigor ale serem encon-
tralos outros bens : o que ouvido pelo juiz, houve
a j enhora por feita, e accusado os seis dias da
lei por assignados, e tambem os dez dias aos cre-
doi es incertos, e o mais por deferido ; depois de
ma l-Jar apregoar pelo porteiro do juizo que o fez
na forma do estylo, do que fiz o presente, extra-
hit o do protocollo das audicncias,e juntei a procu-
racio do3 exoquentes e entregaei ao procuralor
dec larado o mandado de penhora para continua-
ca< da penhora. tudo na forma requerida. Se-
em dino Heleodoro da Cunha, escrevente jura-
me itado, o escrevi. Eu, Manoel Maria Rodrigues
do Vascimenti, escaivio, o subscrevi
I or forca do meu despacho Hi o escrivao pas-
sar o presente. pelo qual chamo, cito e hei por
inti nados os credores incertos do executado, para
qut uomparecam neste jul'.o dnntr-3 ,!o prazo de
10 lias, afim de allegarem o qua for de justica.
I ecife, 9 de maio de 1874.
Eu, Manoel Maria Bolrigues di Nas^imemo, o
sub icrevi.
Sebastiao do Reno Barros de Lacerda.
lo sello 300 rs.V. S. S. ex cau*a.
Ba rot de Lacerda.
SANTA CASA DA MISER1COHDU DO
Mare.
A Rlma. junta aeVnaistntrva 4a i
Miserkordia do Recife, maada
aa saia de suas ssaadea, w> Am 7 it
las S horas da tarde, ten. ntsnr
-rnem mais vantafeos offererer, nafe Man* na am
i tres annos, as reoda* do predfas am
leelarados.
KSTABEI-ECIMPNTO DC CABIDADE.
Travcr*a de S. *n?e.
Casa terrea n. 11. .
Bua de S-aatt
Idem n. 32........Ml***!
Idem n 34........mnjflnrt
Cnco Pontaf
asa terrea n. 114......IfitlTW)
Rna da Mrfria
dt-m B. 31........37t*8H
Pont" Velha.
Idem n HI.......IK***)
Run de Antonio lrenrifi*.
idem n. 26........9f>0m\m
Rua du VigM-tu.
!. amlar do sobrado n. 27. 1W*880
Eojaidm.........37S*MP
PATRIMOMO DOS ORPBAOS
Rna da Senzalla verka
Oasa terrea n. 16.......MfW
Beccn das leias.
>obrado n. 18.......42l*08Ci
Rna 4a Cm
Sobrado n 14 (ferbado).....I:
(Rna 4o Pilar.
Caia terrea n. 100.....
Rna do Arnerim.
Idem n 34........l*OfX
Rna daGnta.
Idem n. 29........M*0OO
Rna das Uranaatraa.
Casa lerrea n. 17.......34*f8
Os pretendentes deverio apmMntar no arto 4a
trremataeio as suas nancas, na
tcoinpanhados dos respectivos fla4ores,
aagar alem da renda, o preraio 4a
rue for segnro o predio que cnnirver eaUMnei-
neoto commercial, assim como o servico 4a Hn>-
peza e precos dos apparelhos.
Secretana da santa rasa da mi-eriordia do Rn-
afe, 17 de marcn o it 1074.
0 escrivao
_____________**4rt Rodrtfme* de .Santa.
Arraazens da companhia per
aambucana.
Segnro*. centra n> Tmff
A companhia pernainbucana, disnsssw 4s ss-
jellentes e vaslos armazens em sea srenin ao for-
te do Mattos, offcrece-os ao commercio em geral
para deposito de generos, garanunoo a maior cm -
servacio das raercadorias depositada*. stti.o
prompto, precos modicus e.
Tambem recoibera, mediante previo accortVi, -
clusivamente os generos de nma *<> asson.
Estes armazens, al^m de areja4os e comm-4*,
*ao inieiramtnl' novos e aspnaMaoos, isssMo* As
L-upun, ralos, etc., etc.
As pessoas gue qnizerc-m atiilsar-ss 4estes ar-
mazens, pederao dihgir-se ao earristono 4a com-
panhia pernambucana. qne aenarao com qnem
tratar.____________________
Companhia Fidelidade
neigstmn marts! e> U i>isln
A agencia desta -ompanhia toma segun nu-
ritimos e lerrestres, a |>rerois razoavets, dando m
ultimos o solo lirr\ e o selirao anno gtatni! i>
segurado.
Feliciano Jose Gome*
gente.v
51 Raw lo Apollo 51 ^^^^
Pela thesourru provincial se fez pnbh- ,
que no dia 13 do corrcoie, vai a pi ara prrante a
junta da mesma awaita a obra da |"-o'e -
bre o rio Serinhaem, no lugar Pao Sangue. orca-
da em 9:570*.
Secretaria da thesouraria provincial de Pemi-
buco, 4 de maio de !f>74.
0 oflkial-maior.
________________Miguel Affonso Ferreira.
pnnhlit ds> trllhs>n sir km i
si* Recife a liaslsi e
ribe.
4* i?!aSf?5SH
raz
se
ser
ao !
74,
por
R
DECUBAOOIES.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
BE
.'tlavcgaciEo costef ra a vapor.
DIViDENDO NONO.
Epta companhia paga o seu nono dividendo,
de 3 0|0. ____
Tendo cnnclnido
panhia n <*enlamens 4a -
nhaleietiraplnra da estaca a
Aurora a Encrazilhada
dade de Olinda. franqneia an
pullico a mesma cnananbia
os sens servico>, de a;cordo com os artnjos s
54 e55 do regularoenn de II de outubro de Is":.
abaixe transcriptos :
Art. 53. Que pe!a expedicio dos telegraom^.*
particulares, cobrara a \>mpanhia os sefnin*- -
precos :
I.* De qual rue- cr-no da linha ate a
cruzilhada 300 m p-.i* ^ ori u-ira* nalavr;.
frac;io deiUs, ,. r cala 10 palavra*
fraccio das mosraas, i|OS accresesr.
2.* De qiulqaer extrenW ao ootm ( ender
comprehend do) ;y)3 r*. p^las 2i) orimrtras pal.-
vras ou fraccao Ja- -ma*, e -?oO rs. p r eada
10 palavras ou htascin jue accre*cer.
Art. 54. A cimpanhia para entregar os Me*
grammas no domoili das pessoa* a qae forea
destinado* cobrara o ^a^'araenn de SHO rs. par*
o portador, uma vez qu o dito domkilio se acv
dentro dos limits* da a 11le do Recife, de Olmda.
e povoado de Bebenl*. nos mais nonlos dent-
do circulo tracado c .i o raio de u.n kilometr .
tendo como cer.tro i estacaa de-tinataria d" te -
gramma,
Ar. 55. No MH la UM o domkilio is dcsNaa-
Urio se ache fora Am 1 miles tracados no art. a-
tecedente, nao I a o:npanhia obrtgada a traxtr -
mittir os totegraiiuu*, a so o fare mediante a sa-
ga que conveuci.mar cot. i. expedici wario.
E-vriptorio de-ta eoniuitMi, 9 de maio de Ifr".
Laurentiao feai de Mirand;
Gereote.
Pela recebedoria de rendas interuas geraes
fhz certo que e neste mez de maio qne tem de
page, sem multa, o imnnsto pessoal. relativo
semestre do exercicio correnie 'ie 1873 a
ttepois do que sera pago con a multa de 6
!ento.
cebedoria de Pernambuco, 7 demaio de 1874.
0 adminisirador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
| 0 Dr. director geral interino manda declarar
aos professores publico* que os attestados pa*sa-
dos nelos delcgados lit! rarios para pagaraenio dos
seus'vencimentos, que nao esiiverem juntos a re-
querjmentos, estio isentos de sello, conforme ex-
pltcoji o thesouro naci >nal a thesenraria de S.
PauliJ, em 6 de fevt reiro uhimo, rospondendo o
offlcio de 3 de Janeiro anterior.
Secretaria da instrucjao piblica de Pernambu-
co, 6 de maio de 1874.
0 -ecretario
Joaquim P. da Silva Guimarae*
Companhia perna nbucana
(Je nav-gacao costeira
a
vapor.
De ordf m do consslbo da diree^iio, cenvidc aos
Srs. accionistas da nova emis>ao do accdes desta
companria, que somente realis?ram a primeira
prestacao de 20 "[, sobw o valor subscripto, a fa-
zer segunda entrada a mesma razao, den;ro do
prazo de 30 dias, a contar de hole, no ascnutorio
do Forte do Mattos.
Recife. 23 de abril 1874.
Jhomas M. Connan,
Gerenfe interino. i
Capitania il porin ale Peraasss-
Imco. Je snaia ale ife* *
Para seiencia dos naveganti^. manda e?ta <'-..
tania publicar o* segnintes avisos :
Ministerio da mtratka, arist ao* naregante.
Pela secretaria de saUnt dos aegocios da soar
nha se publicam is seguinies inslrucroe*. organ -
sads pel i capita I de iragala a Tambunm. a hor-
do da canhineira Ir-wiry, tm cnmpnmeolo 4)
aviso n. 1,635 4a W ue julho ile 1ST I.
InstruccOe* para demandar s porto da Bahia, n
provin,-ia do mesiao n "me, avistando se o pfcar'
It ipoii.
Os navio* iae,>oli lil-rgoediN. demana
rein o porto da Bahii s ivntaraa a piiar I 4e lu-
po.a, luz lixa, c r natural, -ituado por Ir, 17'. :f '
de latitude sul e 'i*. i' JO" de longilade E. d"
Rio de Jam i.-o. \ v !.^ ..'; milha* <1< di-Iancii
navegarao de mod-: a marfa-lo p< r j6* NE. aa-
gnetico, e puxando J.-pois para a barra Me
teoham o pharol Ja ;n;,u de Santo Antoc
por 72, NO, mjoirio ibra elle, c mservaadc a
luz um pouco aberta nor EB. par dontro da am
ra ; a pa?sar bordando i* pedras dessa poat-a
tendo o cuidado do nao sa apartarem mnilo della-.
se a mate for de vasante para nao serem levad ~
solire o c.be co N '. baas i.
Montada a" poula .!: Saato Antonio navegai
conveuienteinente pira anciradouro.
0* qne tiverera !; passar ao sol do banco Ir .
tario de <-on pharol de Itapoa de 50* >
N, e Una vez 4anwran4o o de Santo Antonio pir
22* NE magnnti- nav gaiaotsnta elle.
'anhoneira Araptary, 10 dc setembro de 1ST-
Antonio Joaquim i' Well 'inntkarim, capitao of
fragata. Confom" >". /-'. "e$so>i, direcUr -
ral.
fejaraefjasi para ]'mandar porta de S Franc
60, na provincia Ut 4U|Oas, avhlanao sr j
pharcl de S. FraaoaKO.
0 pharol du ri > S. Francisco, de lu< fixa, soil -
cado no pontal do narte da barra por 10*, S9', XT
de latitude sul e C', 45' *<2" dc longitude E do IV'
de Janeiro e visivel em tempo claro de 10 a '2
roilhas de distan-ia.
Os navios que daman Jar, m essa barra devw^
logo que avistare:n 3 pbarol, navegar de modo a
marca-lo pelo N 4 NO e N'XO magnetfeo, e conse .
vando-o a esse mm-a par asaa ooda le 6 e 7 b'^-
cas areia; esperar ahi : pratico.
Caohoneira AragitJi 14 d.> sel>mbro de 18"
- Antonio Joaquim i' Mrlh Tamhnrim, capttao de
fragata. Conf rme>. E. Pessoa, director f -
ral.
Instrnccfies para demandar o porto de PernaaL -
co, na provincia di DMMM Dome, iTJMiaao ""
o pharol de Olinda.
0 pharol de Oliuda, girnnte, de lampeios, silo-
do por 8, T, 35" de latitude S. 8 16", 5' de longt-
/


I
\


I >
Diario /
>

v
Inde E do Rio do Jaaeiro e por 46 SO" mag'detico
da ponta de Pao Araarelb e visivel, em tetr.po cla-
ro de 10 a 12 railhas de distancia.
Oj navios qua viodosdo N. demandar dePernarabueo, avlstand"- esse pharol ao sul por uiru sonda de 7 e 8 br.tc-u ale marc**
)o a O 4 N.O, e navcgando depqi*. ao S 4 SOt
S S 0, A ter o pharol Jo Pic:io do 0 N 0 ao N 0.
correr scbre eWe para fundeac no lamarao em 3
on 7 bmca*daaut, qnvidi tj phiml dt i):urfi
estiver oNl XE ni4gn;.,ofe,v
Yrtdo *t*al ser ^r *'*.* P*1? ^l?Site,r '"' ur*s *m,1o o
pharol do Picao da 0 S '0: N (X.
Caahoneira Aranary, 22 do setembro de 1873.
Antonio Joaqinm r Afej/o Taaaona., -capitao de
*L*U" CoohWie.-S. B. tea*, Erector ge-
tnstrncQoes p*ra demandar a porte da Paraftvba,
na provincia do mesmo no me, avistando-se o
pharol da Pedra Saw:.*.
0 pharol da Pedra Secca aa -brrra do rio Para-
tybado Nc-rte, deecitpso, cdfaaiurai, collocado
por SO" NO magnetico do extromo norte da restln-
P*n Cabedello, a NS com ot Daixos de Lacena,
visivel de 10 a IS milhas am tempo elaro.
Aefca-se por '-W-30" de latitude sal e8
1-7 45" de longitude E. do Rio de Janeiro.
Os narioa qaa tiverero de demandar aquella
fcarra deverao navegar d* modo a marear o pba-
tqI da 0:0S0; a neua ptsicao, em sonda da 5 1|2
* 7 bracas, araa e lama, fundeando oa pairaado,
osperarao pratico.
Canhooeira Araguarq, 5 de outubro de 1873.
Antonio Joaquim de Melh Tamborim, capitao da
fragata.Conforme, S. E. Pessoa, director geral.
fastruccGes para demandir a barra-velha da Igaa-
rassd, na provincia de Piauby, *vlitando-se o
pharol da Pedra do Sal.
0 pharol da Pedra do Sal, de lot fix*, colloca-
do na ponta salieote da Iha Grande entre a bam
velha de fgnarassa a das Canaries, na bocca do
no Parahyba, e visivel de 10 a 41 milhas da dis-
tancia, a previne da existoncla do rochedo Pedra
do Sal qae corn; ao NNE magnetico dessa ponta
na distaacia deuma milba.
Acha-se .por *-W-" de latitude S. e l
23 3", 3 de'longitude E. do Rio de Janeiro.
Devom os navios qae demandarem a barra >da
Amarraoao, on barra velha de Iguaraisu coaser-
var-se a barlavento doptiaral, em dislancia de5
milhas proximamente, e marcando-o do NO 40 a
0 NO magnetico randear em 5 bracas de agua,
areia a -lodo, a esperar priittco.
Canhoneira Araguary, 30 de ontubro de 1873.
intonio ioaquim de Meilo Tamborim.Capitao de
fragata. Conforms.S. E Pessoa, director geral.
Conforme.0 secretario da capitania,
________Dtcio it Aquino Fonseca.
THEATRO
SANTO ANTONIO.
0 henefleSn do artnr Bcrnafflno Sera tagar quin-
ta-feira \\ do corrctie.
O programma u-ra atMnnci^'to B08 joroacs d>
dia.
COMPANffl\ PERNAMBUCASA
DE
i\ave|raeil osteira vnpvr
ACEIO, WClttAS, PENEDO R aRACAJO*.
0 vapor Vimpmmt, com-
mandante SiKa, se^ui-
ra para os portos acuna
no dia to do corrente as
5 horas da tarde.
Racebe targa ate o dia
13, flacommendas, passa^
SBiros o diaheiro a frete ate as i boras da tarde
d dia da suhida : escriptorio no Forte do Mat
tot a. 11
MPANHIA PERNAMBUCANA
M
IVNregfS* cjawOelra a vapar.
RIO FORMOSO ETAMANDARE.
0 vapor Mmddhu,
commandante Marr-
nho, segoira para os
Sortbs acima no dia 15
o correate as 9 haras
da noite.
Reeebe carga, encommendas, passageiros e di-
aheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
a. IS.
zes, com as seguintes 'commotlid8des, 1*
amlar, 2 $n\~s, 4 quartos ecotinha, 2"
an-lar, 2'sains, 3 quartos, floAilo eoozi-
t'hn, .-iii'lar lerrcn, um graade armazem
Hojo
4 > 11 haras.
0 tCt-ni.- r-iilio Rorgos, ba-taiit'i autorisado, fn-
ra WUo .lo rcferido predio, por eonta e risc d>
pwnt ptrK-nci r. no sen escri|.torio, a raa do Run
).>u.- H. K."). i. nalav.
Hi Snt. ;ir u-ndeaies pctlem desJe ja examinar,
e algum esuiarecimento o mesmo agente podedar.
:i
LEILAO
Edital n. 160.
Pela Hiapectoria da alfandega de Pernambaco se
faz publics, que acbando-ee as mercadorias con-
tidas nos volumes abaixo atencionados, no caso de
serem arrematadas para coasarao, not termos do
cap. 6do tit 3s do regularr.euto de 19 de satembro
de 1860, os sens donos on consignatarios deverao
despachalas no prazo de 10 dia;, sob peaa de,
findo eHe, serem vendidas por ana conta, sam qne
Ihes fiqae competindo allegar contra os -effeitos
desta vend a :
Trapiche Ccnceicao.
MarcaP C I 17 caixas com queijos, vindas da
Bordeaux no vapor francez Erymanlke, descarre-
gadas em 10 de fevereiro do corrente anno.
Alfandega de Pernambaco, 9 de maio tie 1874.
0 inspector,
_____ Fabio A. de C. Reis.
PARA 0 PORTO,
Sahira com brevidade o patacbo portu-
guez Lidador, por ter quasi toda a carga
prompts ; para a qae lhe falta *e passagei-
ros, trata-sa com E. R. Rabello & C, a
rua do Commarcio n. 48. _______
Nil LISBIIA
Deve segoir -n poucos dias a escuna portn-
gueza Agwa ; para a carga qae the falta, trata>so
com E. R. Rabello & C A rua do-Commercie n.
48.
COM-
Hospital .militar.
0 hospital militar desta provincia eontrata com
quern melh ores vantagens cifferecer a fazanda na-
cional, para o trimestre qne tern de Qndar em 30
de jnaho do corrente anno, os generos alimenti-
cios, abaixo mencionados, .|ara dieUs dos doentes
e racdes de seas empregades.
Aletria, kilos.
Ararnta, idem.
Arroz do Uaranhao, ides.
Assocar refinada, idem.
Batatas inglezas, idem.
Bolacbas, idem.
Biscoatos, idem.
Cafe em caroco, idem.
Dito inoido. idem.
Carne verde, idem
Diu secca, idem.
Dita de porco, idem.
CM perola, idem.
Doce de goiaba, idem.
Farinha de mandioca, litro.
Feijao preto ou mulatinho, idem.
Gallinha, 1.
Lenha, achas graodes ou toros.
Leite. Utro.
Manteiga ingleza, kilo.
Macarrao, idem.
Marmelada, ilem.
Ovo, .1.
Sal grosso, litro.
Tapioca, kilos.
Toueinho de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinno do Porto, litro.
.-As pessoas que quizerem fazar dito forneeimen-
to^presentem suas propostas na secretaria do ditc!
hospital, no dia 14 do corrente, pelas 10 boras da
ma'nha : advertindo, que alem dessa hora nenbu-
ma.proposta sera mais aceita., qae todos os gene-
ros devem sr de primeira qualidade, e final mente
que ao peso da came que se pedir nao deve con-
ter mais da quinta parte em ossos.
Hospital militar de Pernambaco, 9 de maio de
1874.0 escnvao interino
_________Joaqaim Pinto de Almeida Junior.
CONSELHO DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARLNHA.
0 eonselho proraove no dia 11 do corrente mez,
a vista de propostas recebidas ate aa 11 horas da
manha, e sob as condicdes do estylo, a compra dos
.-eguintes objectos do material da armada :
800 kilos de graxa do Rio Grande, 800 kilos de
eatopa de abrodao, 4,008 folhas de lixa de esmeril,
400 sacc is de conduccao, 40 resmas de papel al-
maco paatado, 400 canetas, 2<) cadernos de papel
matta-borrao, 20 resmas d papel alnaco liso, 20
duzias de limas de 0,m 35 a 0,m 55, 400 kilos de
tinta branca de zinco, preparada, e 1 encerado
para chao com 9,24 metros.
Sala das sessfies do eonselho de compna
de marinha de Pernambuco, i de maio
de 1874.
0 secretario
Alexandre Rodrigues doe Anjot.
PACIFIC STEAM NAVIGATION
PUT
'ROYAL MAIL STEAMER
LUSITANIA
sspera-sedaEaropaateedia 24do corrente, ede
pou da demora do costume, segaira para Babia,
Rio de Janeiro, Montevideo, Baenos-Ayres, Valpa-
raiso, Arica, Islay e Callao, para onde recebera
passageiros, encommendas e dinheiro a frete.
Nao sahira antes das tres horas da tarde do dia
de saa cbegada.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C
14RUA DO COMMERCIO14
DO
vapor Parahyba
SENDO:
casco era perfeito estado, amarra^, Ttasftros,
VcTgas, cabos e mais perten.cs Jro referi-
do \aror
IBRCA-FEIRA 12 DO COHREISTE
^a 11 horas
Em frente ae ediftcio da compatmw per-
nambucana.
0 agente Praho Borges, aatorisado, vendera o
vapor acima declarado, o qnal se acha ancorado
neste porto, om frente i cempanhia pernambuea-
na, onde os Sr. pretandeates podera desde ja exa-
minar : e em continuacao o mesmo agente vende-
ra uma porcao de pedras, a saber : soleiras, por-
tadas, areadas e difierentes pedras de diversos
formates-a Umanbes.
Terceiro e ultimo
Leilao
DO
rest das dirkias nia massa fallida tie Bastes
$; Lemos
TERGa-FEAl2iBO CORKENTE
A's 10 l|2 horas em^onto
lO agente Pto, levara novamente pela uhi-
iaeia leifiOj-doconforaiidade com o despaeho
-do Illm. Sr. Dr. jniz especial do commercio,-em
virtude da infonaaeao do administraoor da mesma
aiassa, o resto das referidas dividas, sendo diffe
rentes dividas *m lotes Me dlvida pet divida, ton-
forme foram expostas em leilio do dia 7 do cor-
rente, ao restona importancia de 147:183*675,
servindo de base a offcrta de 1791800.
Declara-se -em' tempo qae a venda a defi-vas iojt
va e de conformidade com as condicSes qae esta-
rao patentes ao acto*tia arrentttacao.
Graiwie feka
DE
Lisboa e Porto
Vai sabir com brevidade a veleira barca Lisboa.
Reeebe carga e passageiros: a tratar com lito
Livio Soares, rua do Torres n. ?0._________
Libras esterlinas
Vendem Pereira Carneiro
& C.
Rua do I'.ommercio n. 6.
PAR10 PORTO.
Seguira brevemente a barca portugaeza Alegria,
por ter engajada a maior parte do seu carrega-
mento. Para a resto e passageiros, trata-se com
E. R. Rabello 4 C, a rua do Commereio n. 48,
ou com o capitao.
Porto
Segne com toda a brevidade a barca portugae-
za Harmonia, por ter dous tercos da carga promp-
ts : para o resto da carga e passageiros, trata-se
com os consignatarios Thomaz de Aquino Fonseca
AC. Successores, a rua do Vigario n. 19.
AHACATY.
Para o Aracaty vai sabir com rauita brevidade
o bem conbecido hiate Joao Valle, para carga a
frete a tratar com Joao Jose da Cunha Lages, na
rua do Vigario n. 33, 1. andar, ou com o mes-
tre a bordo em frente ao trapiebe Dantas.
mobiltas, aparadores, espe-
ii%o^, ca-mas fruncezas. se-
crataiia^, carteiras, eadei-
ras -de balanoo, commodas,
giaardacomidas, marque-
noes,/pianos, objeofcos de
ouro e prata, relogios de
jgiboirai, 1 Fogao de ferro,
crystaes, guai'da louc^a, ca-
bides, relogios de^parede
e de oima de mesa, qua-
dios *eom liaas gravuras,
mesas para advogado, e
candieiros a gaz, machi-
nas de costura, e irriiuensos
objeetos do uso domestico,
que serao vendidos por
conta de diversos (ainda
quechova)
ao correr domarteUo
j.TerQa-feira 12 do corrente
A's 11 horas da manha
NA
FEIRA fiELVIANAL
16Raa do Imperador-.O
AfiMAZEM.
pelo agente Martins.
Agente Dias
LEILAO
.predios
rLKCA-i-'Ei', ; i no couRENTr;
ai 11 uo.as da umiu&
Rua do Marqviez de Olinia n. 37, primclro snlar.
A SABER:
i O agerjta Dia*, competentemente sstorisado,
levara a leilao os seguintes predios :
I Fm sobrado na rua de Lomas VaWtinas n. 84,J
! ae i audares e sotio, reedincado. nao ha muito V
com grandes accommodacSas em qaalquer dos aa-
ares, e alem disso duas lojas um aotio, com \
e 3 VMWlos. Este prmo possue uma boa
escada de volla qne estc^e >o pavimente tar-
reo ao solao, de modo qae ile este pode sec ala-
gado indepcndente.
Uma casa em a rua do Yisconde pahihauma,
outr ora raa do Rangel a. 4S, com t salfcs, i quar-
ts, cozmba for*, qrdntat marado com cacimba.
a-sta casa acha-ae em. peffako estado. e e situada
em uma optima rua commercial.
um soorado de raa aaaar e sotia n. 17, a rua
de b. Jorge, outr ura rua do Pilar, ctttn a frente de
Muiejo, cob os -wguiaies commodos : z salas, 3
aoailos, Kao com janellas para as duas frentes e
loja, convS salas, qurrJtal todo nmrado com cacim-
ba e portao.
Os Srs. pretoDdames podem desde ja examiaa-
los, e para qnalqner Infonnaoio a rua do Mar-
d^6 Mnt *" 37, vriat^n *ndar e9c'iPt("'i0
Aoa Srs. praprietarios se ^fferece occasiio de
psssoir preoias qaa dao optima venda, e que se
vendem somene em consoaoeneia de ter o sea;
doao transfer*) sua residencia para a Earona. i
- hWLM
m
moveis,s|eu5as, \idros, crystaes, miurJezas,
perfumarias, i Mlbar inglez uma ma-
china para coriar fumo
Tca^a-feiira 1 da corrente
as 11 hvtrasda manha
NO l? ANDAR DA RUA DO V1AR10 THE-
TWRIO N. 11.
Qprepoito ae agente Pestaua tuk leilai, pori
coau-^nsco aenem perteooer.tie'l mbbilia do
jacavaada a-Lai^XV, com tampoe e pedra. U
puna inglez ae jacaranda, 1-toiieKe e dito.com
tampoa de pedra. l mobilia do Yam, i pf:a, com
lampos de pedra, 4 guardaroapa -do amareflo, 1
gaBrda-louca do 'drto, 1 apparelbo para jantar, t
apparelho de oleoa-o-plate, I mesa elasticalotfU
taboas, 1 dita de4 ditas, 1 coamoda de amaJreUo,
1 meia diUide dita, U cadekas deamarello, as, cabidaa, mesas redondaa, consdios, sofas,jaaa-
radores, nurquezw, marqeeeoes, camas de aroa-
rello paracasal, etc., 65 datias-de carritel &4L-
nha Alexandre,41 ditas de alereoas pretos, H di-
tas de pentes do travessa,-3 macos de soutach, 11
oachioets deUSmt pecas, de Us de ditas da algodao, S ditas de dita preta, com
vilrilbos, 6 casacos de tiio de-eeda, -7 ditos dte^e-
da preta, IS laeas para senhora, 6 corpwhos de
cambraia para senhoras, 1 (apete para 4 eadirras,
24 cbapeas pretos de merino, 12 ditos ftrapcos,
uma porcao de,gcarnicoes de-camisas, de metal,
uma porcio de bo toes de aarfia para nanhe^-zO
duzias de coroaUs de aiaao, a moitos oatros ob-
jectos qae se acharao patentes no aeto do
aos concurrootes
lerca-frtra It 4a corre
A'S 11 HOR.AS DA MANUi
No 1. andar da ruia ao Vigario Vb>
a. 11.
H
Devedores.
- na tJuiiyitvi
O.rabuU Son to Maior.. com tanta 'urii de metier
nacadcia o autor da publicac-o de raa vh lades,
pratita&as com o maior desearamento, foi (Kir si
mesmo me'tiflon* r;r?eiirV;neSca par mtwtftm, e
rro>!rj'l.itv>MM -Jf *,* .no !,. i-i-- |ara i ex-
l^'.lien^o ''.aHean'i:- rfe, r Hif 1 sri-r t .'/;/>').
mutn < liti>~.-r-.i r-, -tvf ill hcca tfl*& vor.- i-r.-r.
tn. ; 'l-f^Tftitj '] joi/o ..r<\i'i :i i.-u resin i? P' I
jx inst>vCMI K pard as lun.-coes at dekgado iittcrr da Se, onde sV acha em exercicio lijca'isaiido coin
teaACtdade as supposUs falfis do professor, con-
tra -queui ae tern faitn gramit ialmigo perasgai
dor e instrumento docil de ofjucw, ao paao qae
%a dispensado dias de escola de outro professor,
Sorqoe vai assistir-lbe com dedicacao a rabeeeira
a cama sens pangentes soiTrimentoslll Nao se
pretende dar era tiomeiii deliado; como porem tem
petsistido ainda a provocar a qnem, com vantagem
deseobrirasaasmaxellas, trate deievanlar sequanto
antes para aer, nao so accionado pela companhia
Santa Theroza sobre as despmas dd canalisacao de
agua e gaz, que ha mais de Gnuzes nao tem pa go,
e por isse ja fei-lhe cortado o fornecimento ; c.mo
tamaem para assistir o dopoimento da slestemonhas
qae vaojarsr de face a face sobre o empenho do
reiogio atgibeirado Dr. S... qae fkera contra
sua vontade por 100(900, quando alias o reeebe
ra parra levar ao concerto a am certo e deternnm-
do reiojeeiro pelo sea proprio donn, e ni'
quern Is* empenhado Ainda no leito de d ir,
pareceouvir-se este rabula dizer :Delegacia
nha muito amain e procurada, qnanto me < .<
largm-ie, ou perderte'.U Tu, qne mc .it-
eettt algumat dutraccdes do servifo ia the '-aria
para ir u Praia passear a carro puxa cavallos a custa do Sr. director, men .ho, pn
ao eprotector, queret deixar-metl .ao, nao :
ainda que paralytieo, na cama imr jupapeis, e
os remetto pela ordenanca da pf cia, que tire a
rainfta disposigao para que nio ietxe desei res-
pofuabitisado quern iescobrio tniuhas cternas rer-
gonkas 11 Quero antes morrer como magon im-
penitente, sent padre H'cabeceiru, embcral Com
lanto que seja comitmnvio pelo tribunal do santo
oflicio mazeUas I...
Oassombrado das pedras.
aatraiiceo.
Gertifieo ser xaoto ter o advogado Christoviio
da Roeha Souta-Mawr recebido de minhas miios em
contianca o processo entre partes anlor : Vicente
deOliveira Leila, reo o tenente Jeronymo Car
neiro Borges da ^Fonseca, e com vista o processo
entre partes: atrtorGaspar Jose dos Reis, e reo
Bento Jos6 Beberra, afim de recorrer da sentenca
nelle proferida,, recebidos ambos os proceesos em
li de marco be 1872, sem qae ate esta data te-
nham sido ryoelhidos ao cartorio, a despeito de os
tiaver por drwersas vexes cobrado do reforido advo-
gado, e ate mandado pelos officiaes de jnstica o
protocoiio para os receber, e riscar saa assignatu-
ra, nada tem sido possivel I'M 0 referido e ver-
dade, e dou fe. Olinda, o de maio de 1874.0 es-
crivao do crime e jury-Joaqaim Hermillo Candi-
do das Caogas.
PersBta-8e
se, aehando no Recife no leito de dores o rabula
Soulo maior em casa de um bemfeitor caridoso,
em vec da de sea primo, continda ainda a exercer
as faiiccoes de delegado litterario do Carato da
Se ?". i'tr-eja saber
. __________O amigo da fustica.
Os proprielarios da Cnnfwlartm in Camps a
rna do kmyrmimt n xl, p^m ae seaane4orV
quo tern sido ramtaat, fa..r de vit+mpaean o<
o;bitos i<-o aa 8 de abnl -rox-mo viaduaroa
aviam ao* nK- liv.fiii al-l... vi|'(c m, a "axis w-te j.m.
."hi li-'rw- '>< -ie nif '.i'i

<&-&
i\M doMaiqufidfOliife-'l.
Eaqalaa d brrra l>arga
Participa a sens frrgnezes a anugoa qae u odoc
o sen estabelecimebto do re*j<)e ro para v -im
raa n. 24, onde racontrario nrn graade tr imrito
de relogios de parade, tn ikr.. ?, a ciaa r. u:e-
sa, dos melbnres gost(ts e qnaiMadis, rel?v< d-
algibeira, de todas as qnalida c*, patrate Maw,
de ouro prata donrada, foleado -plaqnet'. ia>
gios de onro. ingtez, dtscnbertn, aos a"'bof*
fabricantes, cadeia de euro, plaqn:t a prata. aMav
de tod's as-|ualidades, tadopur prfcos mtii- b>-
ratos.
L0J\ DO P\SSfl
JLgeiite Dias
Ultimo leilao
por liquidacao
do pianos mows e usados
^
1 piano novo de Erard.
1 dito dito do Blondel.
1 dito dito de Broodoad.
1 dito n-ado do Blondel.
4 espingarda de.2 eannos, de Lo Fonche.
1 sofa de jacaranda.
1 rico anaol com am brilhaute.
Quarta-ifeira 13 do corrente
aa MA horas.
J. Rigas, teado de retirar-se para a Europa, fa-
ra leilao, por intervengao do agente Pinto, do? 4
pianos, 1 aonei cam orilhante, a diversos objectos,
4iso dos utensilios de sua officiaa de pianos, a rua
da fmperador a. S3.
Do Corga jaz o eadaver
S b osta lapida fria,
Foi idiota perjnro
B morreu antes do dia.
Epilapbio
Jazigo.
Jazi
mm
Cniein simftes k t
Acabtm do receber pelo vapor M-vioza :
RKTui?sinios earaa de gorgmao de seda hsose
NBjMh achamalotadas.
DHos de linho pr.ra vesttdos, niendo cada tor-
te, o neces>ario para sea enfeite, como scja
franj.is, traacas, I oioe.-, livelias, etc.
Riquissimos chapww para senhora, nltima ^-.oda,
A raa Primeiro de Marco n. 7 A.
Arreoda-se oengcnb>. Saitinb guezia de Una, moeotc e corrente. Di*o
engenbo e bom d'agua, dista duas legoas dos
portos de Tamandan- e Ka f'urmtso. tem
terras para safrfjar 1,600 2,000 paes
annuacs: a tratar no mesmo enstenho rorrt
o consenhor Henrique Aafaalo SMat, Recife com Leal 4 Ir:nao, rag do M .rque?
de Olinda n. 36.
P
Das trevas sabio o Corga
Reaeg3c a hypocrisia,
Perjoros sio os macSes.
Foi patent-; a luz do dia.
____________0 adminislrador do epitaphio.
Arreuda-se o engenho Barra nova, um quar-
to de legoa distante da estrada Aripibii : a tratar
no ongenho Minas-novas, annexo ao mesmo.
leilao
mm
Santo Antonio
Quarta-feira 13 de maio.
Primeira representacao do important* drama
em aetos e 6 quadros, original francez de De-
nery e Edmond, traduceao do Dr. Joao Climaco
l.obato :
Rio de Janeiro
Para eindicado porto segue com poucos dias
de demora a barca portugueza Feliz Uniao por
ter a maior parte de seu carregamento engajado,
s para o resto que lhe falta, trata-se com osoon-
eignatarios Joaquim Jose (joncalves Belt rao & Fi-
sho, a ri'a do Commereio n. 5.
Para o Rio-Grande do Sul
Pretende sahir brevemente a patacho portuguez,
Marcial, por ter contratada graDde parte da sua
earga ; para o restante trata se com E. R. Rabel-
lo & C, a rna do Commereio n. 48.
Para.
.DO
grande sobrado amarello de 3 andares e:
sotao da raa da (mperatriz, esqu:na da
do Uospicio, e em frente a matrix da Boa-
Vista
Terca-feira 19 do correate
as 11 1[2 horas emponto
Por mtervencao do agente Pinto
RUA DO BOM JESUS R. 43.
DE
Leilao
Para o indicado porto pretende seguir
com a possivel brevidade o patacho portu-
guez Azurara, por ter a maior parte de seu
carregamento engajado e p*r o resto que
lhe fal'a trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Filbo
a rua do Commereio n. 5.
LEItOES.
P'rsonagena. Aetore?.
A duqueza D. Manuela
A marqueza D. Olympia.
Joanna D. Emilia.
Branca D. Bernardina.
Germata D. Josephina.
0 duque Sr. Bahia.
0 commendador Sr. Thomaz.
Sr. de Moamarcy Sr. Santos.
Biasson Sr. Florindo.
Um imvndente Sr. Philadelpho.
tairof, Tiados, etc.
Epoeaa, Bm do ?ecnlo XVIIL
A empreza pede a attencao do publico para
este drama, nra dos mais importaotes do reperto-
rio francez.
Principiara as 8 1|2 horal
LEILAO
Do sobrado e sitio da Capunga chaos pro-
prios, rua das Crioulas n 26, que foi da
fallecida D. Florinda, e em que moron o
Sr. Albuquerque, com casa grande de
pedra ecal, quartos fora, sitio com cer-
cado 1,000 palraos de frente e 2,000 de
fundo, com arvoredos, viveiro, 2 cacim-
bas com boa agua de beber, em frente da
qual passara breve os trilhos da linha dos
bon-^
TERt.A-FEIRA 12 DO CORRENTE
As' 11 horas em ponto.
Por intervencAo do agents Pinto.
Em s.'u escriptorio, a rua do Bom Jesus n. 13.
diversas acooes
SENJiO:
19 accaes da estrada de ferro do Recife a Olindb,
valor-tOOj cada uma, realisadas.
5 ditas da companhia pernambucana, valor i(Xj
cada uma, realisadas.
60 ditas da companhia Santa Thereza, valor oflj
cada.uma, retal^adas.
Q.UARTA-PEIRA 13 DO -CQRREWTE
A's 11 koras
Rua do Marquez de Olinda n. 37, primei-
ro andar
Por ieterveneio do agente Dias, qae competen
mente autorisado, levara a leilao as referidas ae-
cSes, no dia e hora acima designados.
Fugio de llaiiiarac
o escravo de nome Antonio, a 3 de abril proximo
passado, com os signaes seguintes : idade 22 an-
nos, cor cabra, rosto compndo, alguns pannos na
cara e-mnitos pela nnca, pouca barba na ponta do
qneixo, nariz afilado, bocca regular, denies intra-
melados, tem uma das maos foveira de fogo, e me-
tade de um dedo de menos, tem lambem o umbi-
goaberto e grande : quem o apprehender, diri-
ja-se ao Sr. Francisco Solano a Cruz Bibeiro,
nesta capital, rua do Padre Floriano, ou em Ita-
maraca, a casa do annunciante, que sera bem
recompensado.
IttOFINA
Estd encouragado I !
Agaa mole em pedra dura
Vaato da ate qne a fura.
Roga-se ao nim. Sr. Ignacio Vieira de Meli
ascrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rna Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aquelle negocio qae S. S. se compromettea a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
9ns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 187z,e nada cumprio;
e por este motivo e de novo chamado para dito
ftm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mats de oito annos, e qoando o Sr. sen fllho it
achava n^sta eidade.
Rua Duque de Caxias.
0 Sr Antonio Ribeiro Pontr-?, caixeiro a roa d
Duque de Cax.aS queira rir a rna do laprrador
1*8, a negocio de MM interesse, is/r vrr tgttarar sua residencia domestica.
Escravo fugido
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarra de Govanna
escravo de nome Jose Borgw>, mire de ancar
tendo os signa.-- segninte*: rabra, idad. de 0'"
annos pouco mais ;'i meno, boa figura. am taat
grosso e espadaudo, tntm o signal mais vi-ivel ;
gomma na junta do p.i esqnrrlo: roga se a if^a.
as antondades e capitSes de camno, qu?iram o-
prenender dito escravo e leval-o no refcrioV. mmc-
nho eu nesta pra.a a Oliveira Filhos AC
do torpo Santo n. 19, qne serio
recompensados
larg-
geoerosamen'-:
J
Agente Dias
LEILAO
Leilao
DE
dous bilhares de mogno, com suas perteneas, bides, quadros, relogioe, mesas, com tampos de
padra e mais pertenras de uma sala de hilhar
SEXTA-FEIRA 13 DO CORRENTE
as 10 1)2 horas da manha
Por intervengao do agente Pinto.
Na raa de Santo Amaro n. 42.
Aluga-se o andar e o armatcm do sobrado
da rua dos Burgos (Recife) n. if : a tratar na rua
da Praia n 20, com Jose Feliciaao Nazareth.
Precisa-se de um caixeiro com bastante pra-
tica de taverna ; e que de" fiador de sua condu-
cta : a tratar na rua tfelha de Santa Rita n. 60.
10^2})0
Nao seja ve lhaco por uma quantia Uo diminu-
ia, quem aao pode pagar champagne, nao efferece.
.______ A sombra da Paraense.
u
Na iravessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, d4-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos raetaes e pedras.
Precisa-se de Latednres
rua Direita n. 10.
Gn.-.cio
LEILAO
DE
COS
moveis, lou^a, armac^o dos quartos, can-
dieiros e mais pertenras do extincto ho-
tel que lot deuominsJo de Lundres
as l J horas (fa manha
No sobrado da rua do Commereio n. 7.
0 agente Dias, competentementa autorisado, le-
vara a leilao, no dia e hora acima designado9, os
moveis e mais pertenras adma roencionados. Ga
rante-se a casa, que e vasta 9 apropriada ao mes
mo genero de negocio.
LEILAO
DE
um grande predio do 2 andares n. 37, sito
a* rua Duque de Cixias, outr'ora, das Cru-
DE
um predio e sitio murado em Santo Amaro
das Salinas, no patoo da igreja, cujo si-
tio foi do fhllecido commendador Jose
Candido de Barros
TERCA-FEIRA 12 DO CORRENTE
AS 11 HORAS DA MANHA
No sobrado da rua do Marquez de Olinda
n. 37, primeiro .andar.
0 agente Diasrcompetentemente autorisado por
mandado do Exra. desembrrgadrr juiz de orpliaos
levara a leilao no dia e hora acima designados,
0 predio mencionado, 0 qual contem andar terreo
e sotea, duas frentes e janellas em ambos os oi-
loes, 2 grande3 salas e 5 quartos, e com 0 acaba-
mento do assoalho na sotea lica esta com accommo-
dacoes de um andar, cozinha fora, quartos para
criados, cacimba, gallinheiro, etc. etc.
0 sitio tem viveiro*, differentes arvores fruc-
tiferas e e todo murado, tem dous porlSes, sendo
um de ferro.
E>ta casa torna se recarameniavel por ter 9ido
soiidamente construida e a vantagem de ter agua
perto e parar os bonds proximo a elta. Os pre-
tendentes podem dosde ja examiua-la, a para qual-
quer esclarecirnonto a rua do Marquez de Olinda
n. 37, e-.crintorlg da agencia, onde tcra lugar 0
referido leilao I
No dia 15 do corrente, asli horas da manha, Ju-
lio Izaac, com casa de penhores a travessa do Du-
que de Caxias n. 2, por intervencio do agtnte Mar-
tins, fara leilao dos penhores constantes das can-
tellas abaizo declaradas, vencidas e nao reform a-
das, a saber:
Cautellas.
.Vs. 1K02, 1303, I060, 1604, 1673, 1803, 183a,
1896, 1923, 1936, 2028, 20o0, 2143, 2l92, iioi,
2256, 2269, 2282, 2303, 2333, 2339, 2342, 2345,
2d97, 2*48, 2454, 2483, 2539, 2-N62, S0t, 2C07,
2609, 2612, 2614, 2617, 2627, 2638, 2032, 2676,
2687, 2691, 2693, 27n0 27t'5, 2712, 2715,
72i, 2729, 2730, 2733, 2734, 2736, 2750,
2760, 2765, 2766, 2772, 2773, 2779, 2780,
2797, 2807, 2,820, 2822, 2828, 2833, 2842.
2838, 2859, 2861. 2864, 2865, 2869, 2872,
2894, 2896, 2899, 2900, 2909, 2916, 2918,
2936, 2'37, 29M, 2939, 2969, 2955, 2972,
2978, 2373, 2988, 2993, 2998, 3009, 3013,
3016, .3023, .1026, 3032, 3041, 3043, 3049, 3055,
3050, 3080, 3>65, 308*, 3087, 3099, 3101, 3105,
3108, 31i2, 3117, 3122, 3I26,3128. 3129, 3132,
3142, 3134, 3165, 3160, 3168, 3171, 3176, 3W,
e 717--, cojas cautellas podem ser reformadas ou
resgatadas ate 0 b^ter do martello.
Aluga-se 0 2." andar da casa da rua do Tor-
res n. 18, e os armazens da rua de Barreto de
Menezes n. 8, e da travessa dos Expostos n. 18:
a tratar com o ministro da Ordem Terceira de S.
Francisco, no jonsistorio da mesma ordem
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
e. 20, accam sobre o Banco. Commercial
de yianna e suas agencias em todas as ci-
dades e villas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.
Engenho
Collegio de S. Sebastiao para
0 sexo feminino
A abaixo assignada scientifica aos senhores pais
de familias e a quem mais eouvir possa, que as
aulas de seu collegio cintinuam a funccionar em
a casa da rua Direita n. 36, 2 andar.
_______ Manoella Augusta de MelloRego.
it 686,
2718,
2752,
2793
2833,
2890
2927,
2973,
:r
4v!Su^0v: hSOS
$! PVScisarse de ama senhora de bons costu
mes para efjsinar primeiras Ultras a uma menioa,
fbra da cidade ; na rna do Imperador n. 30, ter-
ceiro andar.
Aluga-se um moleque de 18 anuos ,
a tratar na rua Primeiro de Marco n*
^_________________________________
Casa lerrea
Aluga-se a raa de S. Jo3o, defronte do portao
0 ga; com 6 quartos, cozinha f6ra e grande
ointai ; a tratar a rua de Pedro Alfonso n. 8.
Fugio no dia 3 do eorrente uma preta de
home Luiza, crionla, bem preta e bem pareeida
ilia, represenla ter 32 annos de idade, tem sido
Vista na Capunga e nj Recife, e que mmou 0 ca-
minhn de Caxanga, consta que fui sednzida por um
pardo escravo, morad. r no Recife : roga-se a po
licia e capitaes de campo 3 sna appreh' i^ao, e re-
mette-la para 0 Recife, a casa n. 1 da rua da Ca-
deia-velha, que se gratificara.
Aluga-se
\ende-se 0 engenho S. Pedro iiitnad" na ir
vmcia de Alagoas, ^rnirci do Porto Calv,,, ,
nienos de nma lepoa fiattrte do porto de mar *
lamella, tem oxcellentes terras, matas, e *afrtr.
ganon?'6 ^ : a M rua do *
-Lma pessoa vinda da Bahi.i, preci>a fallar o-
0 sr. Antonio Jose de Freitas, r.ga p)rtartn o ft-
vor de apparecer a rua d Cruz n 6, armazf m.
_ Aluga-se a sala e alcova da ireaa du te.--
ceiro andar do sobrado n. 70, a rna D-nne de ca-
xias : a tratar na loja '----------
S EONSULIflfilfl *
MEDlCO-CIRURfJCO I
4> DO
gk Dr. Pedro d'Alhaydc L. Moscoso
1 PARTEI-0 E OPERADOR *
Raa do 4 mroadr t Ikiiqurr-bV
quo n. 39.
ESPECFALIDADE
Moletia ae aciihoraa
ronsnltas das 7 ia 10 hora= da
nha, todos os dia-.
Das6as8d-r-ip.nir
tas e sextas-feira? 4
Os doentsqne manduem sen* cha- I
mad0S por ewteto at 10 ham da ma- ga
nha serao visitados em nas rasss.
*
m
ma
m
:
0 Dr. Sannento Filho mu-
dou-se para a rua da Aurora n.
61. l. andar ; entrada pelo ot-
tao.

0 segundo ndar e sotao de sobrado da rua de S.
Jorge 0 38 : a tratar na praca do Conde d'Eu n
19, botica
Na raa da Roda n. 47, 2- :.udar, ha doc=
moio]utis com pratica de ^->tel pa;4 se alogar.
'.I!. PUBLIC*
A primeira cadeir* da anla publica par v
fenimirc da iregneria da Santo Antoaio, a
no 2 ap-^ir '% n" > Bario da Victori. t> I,
"itrsda ph> ru:, : Fior*.


6
ats^^w*^ toM-
Diujiciri) i\jr,s
De 1.000,5 a 4:0*0*, mri on menos, com hypo-
Iheca em ca?a nas run* da Imperalriz n. 38, loia, oa Imperial
oumero 5.
Beiiiviiitfo fiigio.- ~
No dia 21 do corrente fugio o escravo
acima, tendo os signacs seguintes : idado 25
annos mais ou menos, cdr fula, cabellos
carapinhos o um pouco crescidos, cabe^a
cbata, estatura regular, utn tanto. raagro, e
tam ho rosto.bastantes signacs de bexigas,
usa de chapeo de couro, e levou calcase
camisa de algodiozinho : roga se a todas as
autoridades e eapitaes deearrpo, queiram
appreacuder dito escravo, e leval-o a ruada
Madre de Deus n. 5, 1. andar, das 9 4"s 4
horasda tarde, ou a rua da Imperarriz n.
4, 1. andar, que serao recompeosados.
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:1
O abaixo assignado tem sempre exposto a ven
4a bilhetes da Ioteria do Rio, cuja extraccao an
auneiara pclos jornaes.
Precos.
Inteiro 24*000
Meio 12*000
Quarto 6*000
_______ Manoel Marlins Fiuza.
Alleiic&o.
Precisa se de ama senhora que eteja habilitada
para ensinar o portuguez, francez, piano, costuras,
berdados, etc., etc., e que queira ir para am en-
genb>! perto de uma da3 esiacoes do Recife a S.
Francisco, para ensinar a umas menraas que ja
estao prineipiada>, pnga-se 1.000$, e gratiQca-se
gradaando : a tratar nas Cisco Pontas n. 82.
Arrenia-se o engtnho Jussaral-grande, no
termo de Serrahaem, o qual esta situado a legoa
e maja da estacao da Escada; e bora moedcr com
agua, e de muito boa produccao, tanto de canas
como de raandioca : a tratar com o proprietary
do mesrao, no engonlio California, em Seriph aem
Aluga-se um preto pan todo servico, inclu-
vesi cosinha, por tambem entender : a tratar na
praca do Como Santo n. 17, 3* andar.
Mnita attencao.
Havendo sido sublrahida ou extraviada do po-
dor da Sr. D. Isabel Lucas da Silva, ama letra
do sea aceito, na importancia de 1:260^000 e
eaccada polo Sr. Manoel Soares Pinheiro, e isto
quando dita letlra ja havia sido resgata-da pela
aceitaute, declara-se pelo presanto meio que mais
nenhum valor :em scmelbar.te litulo, visto ja ha-
ver sido reinida a obrigacao por ella representa-
da, e que por conseguinle de nenhum proveito
sera para aquella pessoa, em cuja rnio porven-
tura ella se ache, proteslandose precede crimi-
nalmente contra quem qner que tenha sido o sub
traeior, on que de ma fe prctenda utilisar-se da
raencionada Icttra.
Recife, 21 de abril de 1875.
Nao se prestando o pcqueno espaco do armasem
n. 10 A, a rna da Madre de Deos, para am abaste-
cido deposito das diversas marcas de fumo, que o
ahaixo assignado almejava ter, acha-se d'ora em
diante aberto outro estabelecimento sob a mesma
denominacao de
- Armazeni do fumo
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcoes desejadas, e onde pode-
rSo os senhores fregnezes dirigir-ee, oertos de
3ne, como ate aqul, acharao sempre a par da no-
icidade dos precos, a maior sinceridade possivel.
Entre as differentes marcas de fumo da Bahia e
Rio de Janeiro, qae torn sido anmioetada<>, acaba
de chegar ama encoramenda especial,* quffrouito
deve conviraos senhores fregueses. Conaeieate o
aba xo assignad* de qne neste feoero" de negocio
nao esta sem eompetidores, fara muito por evjlar
qne tambem o? tenha com relacio.ao pequeno iu-
cro qua procurara obter da dita mercadoria.
Jose Dominaoes do Carmoe Silva.
S* Bli*F?fliSS%offi^*j||
Atlvpgado
W. Rua do Imperador..n. "i.
Empreza (
A empreza do gaz tern a honra de Mmmeiar an
publico qae recebeu ultima meat e um esplandjdo
sortimento de lustres-de vidro, caodieiros, aran-
delas e gJobos,. cujas amostras estao bo eseripiario
> rua do Imperador n. 31, e serio vesdidos aos
seus fregneies pelo preco mais razoavelposaivel.

iceirte iu$K).
Na noite de 13 para H de mar^o do corrente
inno fugio o mulato Vicente, escravo,"de?0 annos
ie idade, bonita Bgura,. barba e e3tatara regular,
evando vestida e em um sacio ronpa de algodao
branco e alguma ma's flna pertencente a nra cai-
xeiro da casa d'onde fugio ; e.natural dairegue-
zia do Sant'Anna.do Mattos, diz se'r livre, casado,
e ter sido crfado em companhia da madrinba D.
ABna Luiza da Luz, de qaem alias foi escravo :
roga-?e, porta^to, aos senhores eapitaes de campo
e autoridades poliriaes a apprehensao do dito es-
cravo, e enirega-lo na cidade do Recife, rua do
Crespo n. !0>o Sr. Joaquim Moreira Reis, oana
eilade do Assil ao Sr.'Torquato Augusto de Oli-
veira Baptists, que serao ginerosamenta gralifi-
cados. *
Confrunte ,a aUafldega, ermazem pintado
de prato, que curiows acH>am de dqno-
cainar
J
azigo

Aos pais de familia
A abaixo assignada faz lembrar aos chefes de
familia, (a^'o daqui cntr.o ds fura, que contimia
com sua aula de instruc<;ao primaria para o sexo
fcmiainp, na casa de sua residencia a rua do Ca-
bnga n. 1C, oude alom dos primeiros conheciraen
tos eosina. a pramniatica uacional, francez, musi-
ca, piano c danca, pois para issj tem habeis mes-
(|-i:ir.to a trahalho de agulha, pnsina tolas
a> n-i'id i s de bor.lados, e" entre esse o de ouro
>m ivli'fu. e tialialhoi de la e crochet de
nuaC lafles, promette todo o disvello e ca-
i para com .juiis al.umuas, e bem assim todo o
nho no cumprimento do seu magisterio.
Aceii exlernas eiutcroas, e afiauca commodidade
,___________ Fortunata Fortes.
|.i\ ftssora pablica n. Maria andida de
i compelentemenle' habilitada pela di-
1 geral da insinicrau publica da licfies de
i aceza, nas lercas e sxtas-feiras de todas
das 3 as .'i boru A., tarde, na casa de sua
sd icia, a rua estretta do Rosario n. 24, 1
i
Gu-tave, cabelleireiro, a rua do Marquez de
Olinda n. 81, primeiro andar, precisa de um habil
ofllrial do barbeiro; paga-se bem.
Sobrado Oiin a ii g.i
As pessoas que teem proeurado arrendar o
predio acima. onde foi estabelecimento de loitca
do finado Manoel Autunes.yieira.queiram apres.-n-
tar suas proposUs era cartes fechada?; no dia 9 de
maio proximo, ao meio.dia. no armazem da rua
do cornmcrcio n. 8, onda serao abertis- ditas pro-
postas cm presenca de tod.is os interessados. O
arrendameuto e de todo o predio (armazem, dous
andares e sotao) ; os senhores prelendentes, po-
rem, podem fazer tambem propostas de parte, se
melbor Ihes convier. indicando os seus fiadores.
Recife, 30 de abril de l7i.
Curso de-portuguez no ool-
legio da ConQei(jao.
0 bachand Jurge Dvnellas Ribeiro Pessoa este
incumbido do referido curso.
Aluga-se por preco raioavel, a loja do sabra-
do n.4l da rua do Rangel, a qual tem armacao a
presta sn para qualquer negocio : a tratar no 2."
andar do mesmo.
0 administrador, deste estahelecimento, a btm
dos interesses daquella firma, venfle a dinheiro a
vista :
Batatas, baratissimas.
Feijao mulatinho muito claro e Xenro, em sac-
cos, bar-atissimo. i
Latas com cinco paloes de gaz, Devois, a
Arroz sujiOjior a 2*500 a arroba.
Caixas com 40 .cactas de.fogo ia China.aaptrior
Manteiga francezanova.de 1874, da mate* PLG,
a 740 rs. a libra.
X)s maisgeneros qae existent no mesmo estabe-
lecimento, faz so a alles precos proporcionaes
aquelles declaradoa._____________
/Vviso
Aocao entre amigos
Avisa-se aos amigos-que sao possnidores de ac-
foes de um optimo piano de armario, um alfinete
com tres bnlhantes ornados de perelas, e outros
objectog, qae deixa de correr easa accao com a
Ioteria 99', visto terse ptrdido cincoenta e tantas
accoes ; oatro sim, arisa-se tambem que 6tra ex-
trahlda com a Ioteria 103 ; e pede-se aos possui-
dores das antigas accoes, que se dignom apreeen-
ta-las para serem trocadas, caso nao apparecaip
as perdidas, no prazs de tres dias : roga-se a*
qualquer pessoa que achou n5o so essas accoes,
como anas cadernetas escripttrradas, e'quatrocar-
tas, as quaes [oram perdidas desde a casa daf
leilSodoagenie-Pealina ate flfloa-Vista, o obse- '
quio de antrega-la.s na rua da Crui do Recife, ta
veraa do Andre, quo sera recompansado genero-
samente.
lazer qualquer negocio.
Fraociseo
proprietario a
Preeisa-se om pgiicw;*^0^aiVrB^aoS^
de uma perita coKkihefrft e 1 'InVSSXST^
compradeira para casa de
uma pequena familia, pa-
gando*ge a quaDrtk acima :
ta4ratar no pateo do Paraizo
n. 28, 1. 2. andares.
rfXcellenle occasia .
Para o rjco e para.o pobro ^d
Optimo* terrenos para ^f
odiUiueao 0
com lOO palmos de (undo X
a 1.S000 o SOO ra.
Retalham-se os grandes terrenos que Wt
ml circumdam a esta.ao da Boa Viagem ; |
3^/sao terrenos pcoprios, desembaracad'os e '
JR cortados por trei euaadas : a real, a de SR
XK ferro o a jjue segue da estacao para a A
S ^0aiVKlhm' 'fl6am niUI pr"ximos ao I
sem os moveis : a tratar nesla tvnogrflnhia X n PAriiL,ra i '^f
jpvgrspii a 0 A cammodidade do preco, a facilidade A
S do transporte d* maferiaes pela via fer- S
5K rea, proximidado de madeiras e, sobre
; tudo, o prini^io^de.viajar gratis no va-
35 por peto e^paco de 10 anno*, a quem edi-
SX pear proximo a esta.eitacao, tudo istoede
,m wcontesiavel vawigans e deve animar >K
2 os pretendentes, os .quaes desde ja se po- S
dim dmgir, nos ai.is utei?, a rua do Im- 9
negocio. f
Vende jc ou arretv'a-se1 0 gr,n'e predio ]
do um anair e 6QSar, fctfo; na rua do Bispo *K
Sardinha, proximo da igreja da Misericordia,! Wt
na cidade de Olipda, tendo duas boas salas'&
do frente, um.salao no sotSo, seis quartos
espafosos e frescos, uma graade cocheira
quintal todo cercado de novoj e com diver-
sos arvoredos, uma boa fonte d'agua, e
tendo gaz canalisado. Achando-e prepara-
do com tod a os moveis indispensavtis &
uma grande familia, sera" assim vendido ou
ou na rua da UnUo n. 49, sobrado, atraz do
CQ da assemblea.________
.iscnn miakm
30#0fli0
mm.
Precisa-se deiam paraitodn 0 serri?o domes-
two/e'deqaintal : trata-se-n* Passeio n. 60, o"
na rna da Uniao n. 67. y7
LU t

AVISO
Preeisa-se comprar dous escravos, pedreiro
carapina, paga se bem : a tratar na thesouraria
das loterias, a rua Primeiro de Marco n. 6.
Trastes. f
Compra se e vende-'se trastes novos
e usados no armazem da rua 0 Im-
& perador n. 48.
Compra-se uma casa ate a quinlia de900j :
a tratar na rna do Brum n. 57.
Atteacao
Compra-rse um Vademecum Homeopatha,
^do Dr. Sabino, ja aatviJo : a tratar no l"
andar desta typographia.
Ricas bandeijas
.Para 6meptosbaile8.ebaptisados.
Quem qaizeT obter uma baodeij& ricamente en-
feitada, dinja-se-a ponfeilaria lo Campos
Ja mandiadoi'eujigao ^encojemendar, ja com-
prando allKtaoos oe aifoitep, constando do seguin-
te :
Bolos linos para enfeitar.
Doces saborosisstmos para enfeitar
Figuras allegeciess para enfeitar.
iPapeia arrendados para enteiiar. .
Bouquets para noivos.
Alii
Encontra-se sempre 0 seguiute :
Fiambres inglezes.
Budins
Bolos
Pdes de 16 finos.
Fatias de dito para .parturientes.
Pasteis em prqfusSo.
Tilhds (sonkos de mnhina).
Doces. era calda, -ralado e.sccc'o.
Bolachiphas de mil qualidadcs.
(Sugar Waffers vanilla) para dieias.
Gelea de mocotd, desinfectada.
Amendoas, confeitos, etc.
Qii verdsdeiro das Caravana--.
Cafe de Java fvevd deiro).
Tuda isia ua
CONFEITARIA DO CAMPOS.
um par'da fr6nhas grandes cfe Mbyrintho e um
oulro pequeno, que seja flno -t bem feilo, em ea-
g4iiao : na rna da Viscoode de Albuquerque n. 39.
'Compra se uma casa no burro de S. Jose-:
a iratar na rua Augaau n. 119, aadar.
Grande escala
S6 0 n. 20
A' rua rio Crespo, loja to 3 Mrtas
DE r
-l II.UEBME C
J ii a t a Uj -w -iimb'iuj.
HETINS CHIKiEZEs"-
Proprios para vestido*. os mats aoienoa.
diminuto preco de 280 rs. o covado e
Dio-so amostras.
ORGANOYS DE COHES.
Fazenda Gna e com bonitos padrSea,
nuto pre^o de 320 rs. o covado, e p
Dao-se amostras.
CIIITAS COM PANJtO l>E CRETOjrE.
Fazenda finissiina, own lados>oa do, d aw* .
*:>.
Liquidacao de move*
Por procos mui reJuzido-. diversas mobilias e
cadeiras de guarnielo : iendem Cunha &Manla
a rua do Martinez de OWada n. 23.
SOLA
Jose Viriato Figueira de Saboia espera no va-
por Pirapamn, proximo a chegar do norm, 2,791
meioi de solade superior quahdader com destino
ao porto do Rio de Janeiro ; porem achando se de
presenle nesta cidade, offerece aos compradore?, a
quem vendera por precos commodos: a entender-
se na rna da Imperatm n. 4, ou Marque* de Olin-
da n. 20.
qi
W
0 abaixo assigoado tendo de seguir para o
Riod-: Janeiro, e niopodend-i em razao deseusin-
: dos de sai'de despedir se pessoalmente de
as pes^oas de sua ainisade, o faz pelo pre-
=enle, e offeree-lhes o seu diminuto prestimo na-
jaeila cone. Recife, 3 dc mao de 1874.
_^__^^_^ Or. A J do Miraes Silva.
.aspasso de easa.
Ti is| aesa-se ale 31 de agoslo uma crande'easa
na p..voafao de Apipucos e com muiios commo-
dos : a iratar no andar do sobraio da tra
vt.-.-.i da rua do vigario, u. 1,escripiorio.
Precisa :ede um socio com capital para nma
padana bem afreguezada, tanto para a.mattb co-
mo para a terra, ou venda-se e fazse qualquer
negocio : no pateo do Terco n. 63.
Aluga-se o sitio do finado Or. Jacintho Pe-
reira do Rego, perto da estacio do 'Moqteico, com
excellent? casa de vivenda, jardim e -estrlbaria :
a tratar com Franjisco Ignacio Pinto, na rua do
Bom Jesus u 43, l. andar, entrada pelo becco
da LngneU n. 9, ou na rua do Imperador n. 13,
segundo andar.
Quem petdeu um pequeno alfinete de peito
na igreja de 8. Francieco^naBdo os signaes cer-
los, ser-lhe-ha,enlregue : na sella ji. 48,jJo-raes-
mo'convento.
Calgado recentemeirte chegado, de bezerro e
cordovao : na rui do Harquez de Olinda n. 40,
loja de Frederioo Pint>& Cv
Aluga se umi boa casa com excellentes com-
modos, a rua do Coronet Suassuna n. 169 : a tra-
tar na mesma rua n. 171.
Precisa-se d 2 uma'escrJfVa para cozinbar e
comprar : a tratar na rua Primeiro de Marco n.
23.
Piecisa-se de uma ama quo saiba cozinhar
e en?ommar: a tratar na praga do Corpo Santo
n. 17, 3 andar.
0 bacharel Joaquim Ferreira Craves
Junior, advogado no ,foro da eomarca de
Palmares, incumbe-se depromover cobran
fas amigavel, ou judicialment'j na mesma
eomarca.
Roga-se-30 8r. Joaqaim Pereira Ramos, que
tenha a bondade de comparerer a rua de'Marcilio
Dias n. 45, das 6 as 9 horasda manha, ou a se-
cretaria da santa dha de raiseiicordia, a negoo;o
de seu interesse.
Desappareeau no dia 6 de novembro do anno
passado, o escravo Benedicto, pertencente ao abai-
xo asiignado; com ,es signaes seguintes : cabra,
alto, 37. annos de,idade, falla de. alguns denies
na frente, falla baixo e compassado, tem um dos
dedos pollegares sem carapuja, olhos pequenos,
bocca e nariz rcgulares, e natural da cidade de
Sonza, pronncia da Parabyba, foi compra do a
AfMonio Leite Maria de Maraes em 1662 : pede-
se- as antondades poiiciaes e eapitaes de campo
a- appreherrsao do dito-esoravo, gratincando-se ge-
nerosaraenle a quem u leva: em Olinda a rua 31
de-Janeiro, oolr'ora* Paco Castelhano n. 9.
Barao da Tacaruna.
(JOZHRO
Precisa-se de om que seja aceiado e fiel, pre-
fenado-se escravo : na rua do Barao da Vicloria
n. 14, sobrado.
Venae seumacanoa propna para capim :
tratar na taverna defronte da matriz do Barro.
Ualcao
Vendem se dons de amarello, envernisados, con.
pouco nso, proprios para loja de fazendas, miude-
sas ou outro qualquer negocio : para ver na rua
da Imperatriz, fabrica de cigarros dos Srs. Ulysses
& Irmao e tratar com P6ras & C, rua Estreila do
Ujs.ii io n. 9.
Terrenos baratos.
Vende-se dous terrenos na estrada de Joao de
Barros, logo adiante da capella de Nossa Senliora
da ConseicSo, onde passa o caminho de ferro de
Olinda e Beberibe e com estajao na frente das
mesma*, cuja 6 logo a outra passando a da capel-
'.a; um tem 45 jpalnoos de frente ao norte da
estrada e 40 palmos no mndo para a rua de S.
Joaquim, tendo 420 palmos de comprimento de
rua a rua, dividindo pelo lado do poeate com o
Sr. Leoneio e pelo sul com o Sr. Uurjao, e o ou-
tro tem 185 palmos ds frenta para a rua de S.
Joaquim e com a,raesaia largura no funlo qae
faz frente para a rua projeclada que Gca .ao cul,
tendo de coinprinjento 60J palmos dc rua a rua,
dividindo pelo poente com divcrsos e pelo nascen-
te com o $r. Mangerinio : a tratar na rua Primei-
ro de Marco, antiga do Crespo, junto ao arco dc
Santo Antonio, loja do Passo.
Aluga-se uma escrava para todo servico de
casa : na rua do Imperador n. 50,3 andar.
Lonmndo aos abaixo assignado acharse nes-
la praca o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho, ren-
ieiro dos engenhos Barra e Preguiea, em Ma-
maneuape, provincia da Parahvba, veem rogar ao
mesmo o ubztquio de vir en'tender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
;endente aos referidos engenhos. Rua do Amorim
ii, escnptono.
______ Tasse Irmaos 4 C.
Precisase de uma ama para cozinhar para
uma familia, composta de duas pessoas : a tratar
no pateo da Paraizo n. 28, 2 andar.
,,_ !j,,cfjja.se fallar com o Sr. A. F. B. na rua do
-Marquez de Olinla n. 51. 1 andar, a negocio de
ralar interesse, no prazo de tres dias, fin-
doos quaes, r seu nome por extenso. Recife,
9 de maio de 1874. '
A "MB" A Precisase dc uma ama
, *-"-- -^3^- e para o mais servico domes-
tico de pcquena familia : traU sc no Passeio n.
60, ru oa rua da Uniao n. 67.
Aluga-se ou vende-se am escravo carrocoi-
ro, idade quarenta annos: na rua do Hospicio
n. 81.
Precisa-se de uma mucaraba para o servico
inlerno de.unia pequena familia : na rua do Ba-
rao da Victoria n. 44, segundo andar, enlrada pela
rua do Cajii.
Jaaoi Meadiboure, reiirandu-se para Europa
com a sua familia. deixa.procuracao ba?tante aos
Srs. Harismendy & LabiHe.
Precisa-se do um menino portuguez, de 12 a
14 annos, para taverna, que seja de boa conducta :
a tratar na rua do Calabouco n. 4.
Os abaixo as.-ignados declaram ao respeitavel
pdblico e especialmente ao ;orpo do commercio
que nosti ;data dissotveram amigavelmone a so-
ciedade que sob a razao ne Cunha & Manta gy-
rava nesta praga, ficindo o socio Antonio Pereira
do Cunha, exonerado de toda responsabilidade, e
a cargo do socio Joviniano Mauta, todo activo e
passivo da mesma sociedade.
Recife, 80 de abril de -1874.
Antoni^Pereira da Cunha.
Jovioiano Manta.
Advogado.
A. J. da Costa Ribeiro mudou sua re- PX
~- sidencia para a rua da Saudado; mas,
2? contimia a ter escriptorio a rua dolmpe- g!
Ml rador n. 5i. 5^'
Vende-se um terreno com caixao ediiicado,
tendo 258 1/2 palmos de fundo e 22 de frente, no
lugar Camiuho Novo n. 76, tem alguns arvore-
dos : a pe>soa que qnieer eompra-lo dirija-se a
rua do Mondego n. 5 que achara o vondedor

I
l'ede-so
ao lllm. Sr. Jose de Barros
\ oaiu rque Lihs, alumno da faculda-
de do direito, que residio, em o anno pas-
sado, tsa rua do CalJeireiro n. 12, o favor
de apparecer na rua do Hospicio p.. 33 a
neg.-icio que Ihediz r^speit".
Aluga-se
Precisa-se de uma ama que cozi
nhe, compre e engomme para casa
de duas pessoas: na rua do Vigario
- 33, segundo andar, casa da e.-quina.
AMA
4 IVf A Precisa-se de uma : a rua do Cabu-
AJ1-a ga n. 2 B.
Precisa-se da uma ama, forra ou escrava
quo saiba: engomnxw-: na rua Nova n. 7.
Precisa-se de uma ama li-
vre ou escrava, boa cofinhei-
ia : na fabrica a vapor de
cigarros, a rua larga do Rosario n. 21.
AMA
AMA
a casa terrea com grandts commodos para familia
exienso quintal murado e arborisado, e outras
muitas commodidades, no mclhor local do patei
da Paz, (Afogadosj : a fallar ao sacristao da matriz
para vela e no Recife, tiatar a rua das Cinco-
I I'll in S ll. f)I,
Precisa-se de uma ama que saiba
cozinhf.r, para casa de pouca familia:
na rua do Visconde delt aparica n. 51
(ontr ora do Apollo) 1 andar
Offerece-se uma ama para casa de homem
solteiro, para cozinhar : na rua do Nogueiranu-
mero 37.
'anocl JoHt- da Wilva Mala.
Bernardino Jose da Silva Maia
convida aos seus amigos e aos do
seu finado irmao Manoel Jose da
Suva Maia, para as.isUrem a missa
do setimo dia de seu passamtnto,
que tera lugar no convento de S
Francisco, segunca-feira 11 do cor-
rente, as 7 horas da manha; e desde ja se con-
reasa eternamente grato, nio sj a e^tes mas
tamDom aquelles que acompantiaram os 'restos
raoriaes a sua ultima morada.
Cabelleireiro.
Joaquim Moreira Dias avisa aos seus numero*
sos frcguezes que acha-se trabalbando na rua
das Grazes n. 35, loja do Sr. Luiz Augusto de
Paebeco, e que se acha prompto para quaesquer
trabalhos de sua proGssao, como sejam : pentea-
dos, tacbpaigne, coques, cabelleiras, topettes
todos os feitios, crescentes, etc., etc. ; para tude
isto acla-se munido de cabellos.
A's autoridades da provincia
Previnese a3 autoridades que para o centre
desta provincia andam alguns vendedores de euro
falso, subtrabindo o imposlo provincial, e enga-
nando a populacao daquelle centro; ctrjos trafi-
cantes sao brasileiros, e teem a sagacidade de nao
venderem em log.res de villa, e sim em lugares
mais reinotos : cuidado com essa sucia de saltea-
dores.
IA F0RTHL
AOS 4:000^000.
BILHETES GAMNTIDOS.
4 rua Primeiro de Marrio (outr'ora rua d.<
Crespo) n. 23 e co.sas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos seus fe-
lizei bilhetesium meio n. 63 cam 700$, um in-
|eiro n. 2980 com 100/, e-oniras sorles de 40* e
20.5 da Ioteria que se acabou de extrahir (98),
convida aos possuidores a virem receber na con-
fortnidade do costume sem desconto algum.
Acham-se a venda os felizes buheies.garantidos
la 1* parte das loterias a benelicio da igreja
de Nossa Seahora da Boa Hora em Olinda (99')
que se estrabira na mez.
PREgos,
Brlhete inteiro 4*000
Meiocilhete 2*000
KM PORQlftDB 1099U00PARA C1MA.
I'.ilhete inteiro 3fifm
Meio-Mheto If750
Manoel Martins Fiuza.
(Imisallorio s^dico %
do a
Dr. Hurillo. U
RUA DA CRUZ N. 26, 2. ANDAR. G
Reeem-chegado da Eurepa, onde fre- C
J quentou os hospitaes de Paris e Londres, 5
Q pode ser proeurado a qualquer hora do O
dia ou da noite para objecto de sua pro- (5
fisslo. 'M.
Consultas das 6 horas da manhS as 8 ho- f/\
ras, e do meio dia as duas da tarde. jA

Gratis aos pobres.
ESPEOALIDADES. Q
Moiestias de sanhoras, da-pelie e de Q
crianga. Q
I
AO COMMERCIO
Os abaixo assignados participam ao publico e
especialmente ao commercio, que teem diasolvido
amigavelmente a sociedade que tem gyraio nesta
praca sob a lirma de Lemos & Guerineau, reti-
rando-se o seeio Gueridean exonerado de toda
responsabilidade, e a cargo do socio Lemos todo
o activo e passivo da referida 6ociedade.
Carlos Pinto de Lemos
Vi.-tor Guerineau,
Nuiica se vio
VcsijSci- iiio barato ronio na rua Dn
que lc Ca^iaH u. t>0. loja do AI
i:i'ii!si Diiavlo A C
Os donos deste estabelecimento, estando resolvi-
jdes a chnmarem a altencao do publico com espe-
'cialidade a donaa do ca*a e pais de fam*a para
econninigarero, teem rcsolvidn vender toda3 as pe-
i:hinclias pelo cueto, o que so se vendo pode se
acreditar.
Cambraia transparente flna, com 8 l|2 varas,
pelo baratissiaio preco de 2*800.
Cretone, o mais moderno que tem vinJo ao mer-
cado, a 3C0 rs. o covado.
Chita trancada, fazenda muito fina com 4 pal-
mo? de largura, a 340 rs. o covado.
Nao e barato, madBpolto francez por 5J.'IOO e
6* a peca ?
Cambraia de cores, padroes modernos, a 240 e
260 rs. o covado.
Digam se n4o e baralissimo, lazinhas raodernas,
fazenda de gosto e de la pura, a 300 rs. o covado?
Lencos de linho, fazenda flna, em uma linda
caixinha, a 42.
Algodaozinho de 3iioo c ii a pe^a.
Chapeas de sol de seda trancada com cabo de
marlim de boas gostos, que geralrnente vendem a
16j, porl2^.
Metins claros, fazenda superior e de lindos pa-
droes, a 260 rs. o covado.
Chitas Unas a tiO, 260 e 280 rs. o covado.
Cambrais abertas, muito finas e bomtas, a 7*
a peca.
JJaptistas Unas e de gostos, a 320 rs. o covado.
Quem nao vira comprar ?
Camisas inglozas, peito de Tinho, que nunca ven-
deu-s6 por menos defi"*, vendemos por 38*.
Metins scuros de listras a 300 rs. o cavado.
Convidamos a nma experiencia.
Dao-se amostras de todas estas fazenda?, e man
dam se nas casa?.
miuuto,preco 4e 320 r. o coi
e pechincba Di"-io anua
US JiSCOCWAS
CMMtteto sorumoalo .de lit
acabar.ae vade a 2M) ra. o eovado ;.(
Dao-se arnouras.
C4SSA LANE.
Oraade eertmiento deatafueoda, eea os aa -
bonitos padroes que Mm rindo m foe rtmi>-
palodimianlo preco de-200 n. o covado; e pr
chincba I Diose amostras.
GttiTAS I'.URAS
Own bonitos padroes, <\ae se v^ade a'ttO rs. o
covado ; e pechiocha 1 Dio-se amostrav
HOLLAKDA.
BrimtTollanda, liso, o qae ua demais il,Tr
prio para costumes de hoaaens satataos e ve* -
tidos para senhoras, por ser muilo too liafe
puro, e se ven !e pelo diminuto prea da JsJaTn
o covado; e pectiincha I Dao se amostras
BRIRS BE CORES.
Brias de cures, Jjinho puro, easa boailri pa-
droes e rs. o covado ; e pecoincha Dao->e saNsssas.
. CAMI6AS DE CHETUNE.
Camlsa* de cretone, o qae ha de omm In- -
com dados padroes e qae ?c veade a MpUt a
duzia e 3*500 cads asse ; e paiaiaUsi t so se
vendo
Assim como am depoatto de mais li_
se vendem por menus do qae em ouira
parte, como seiam :
Cortes de caseuiira de eores a If : 4 pechi;
chat I
Idem de brim pardo flno a 4*500, idem.
Cokoaa de futio com ba*ra, muilo
id ; idem.
Idem idem brancas. idem ideas, a i+
Cobertas de chila adamascada aaa
a 3*500 ; idem.
Lencoes de braraanle, idem idem, a S*
Toalhas alcoohoadae a 5*500 a duzia ; tdess
Lencos de ca-sa sow aarra a 1*ojo a iaaia
idem.
Idem i Jem idem bra nets sbaicihados a 1*4K
idem.
Idem em caixiohas muito lindas a JJJQO
idjMU.
Seroolas ie tinho c algodso a la* a daaav
Cambraia Victoiia fina a 3*tt0U a peca ; d ae-
chincha.
Algodao marca T largo a 4*500 c 5* a peca.
Madapolao fino a 4 *8tlO a pca.
Madapolao Iraacez muito flno a la* a peca.
Brim pardo muito lino a VOO rs o Covad
pechincha.
Cambraia transparente, o que ha de mais Be.
a 6* a peca.
Baptistas de cores modernas e com liadds pa-
droes a 400 rs. o covado c grande pedu&ch:
Dao-se amostras.
So o n. 20
A'm.oCrespMjftta-if4rta<.
DE
(I II.IIIHM^ <
Juntn n lojn tin otqutn^.
CMlabolocimcBfo afha-ac
da* O iioru* <;a Buanlia d
linniN da nniir-
iden
K
o
TI*
Panao de algodao da Bahia.
Vende de tolas a* qoaJidades Joao Rodrifoes ds
Faria : na rua do Amorim n. 33.
Fumos
Da llah a e do Rio vende I So I! >drigues de ia-
a a, n:a do .-.n.oriin n. 33
Vende:se pajcis com ^estalos pa'a
sorb-s : im rua la t'.ruz n. 6.
m
Ie lirimclra qualidasfe.
.No armaze-n de J. Oummgos do Carrao e Mva
rua do Amorim n. 41, vende-se em (rosso e
retalho o melhor kerozeoe, da bem arredilad
marca de Henry Forster 4 C, garantindo-sea qua
lidade e quantidade certa do liqaido. No mi
armazem tem para vender os deposito* com lor-
neirase muito asseiados, paracasas de familia r. -
1.5"00 cadanm.
Vende-se
pea de sapotas de todo* os Umanhos, de op tar
qualidade. o tempo e praprij pa a planu-los : ni
rua do Hospicio n. 75.
Piano.
Vende-se vm piano de mesa, peqo^io, prppri
para principhn'.e. em muito bom e*t*do, p>r pre
co medico : a tratar na roa de Santa Isabel a 9
Atton^ao
I Precisa-se deum caiseiroi!ora pfatica de pada-
ria : na rua do Barao de S. Borja n. 25 ; prefe-
do-se o de idade de 15 a 18 annos.
Aitencao.
ddjil?Sisa'?fl de nra erapregado die confianpa, que
lifior a sua conducta, para toinar contd da es-
0 abaixo assignado declara ao publico e
com especialidade ao corpo do commercio que
nesla date comprou livre e desembaracado, aos
brs. Borges taverna, sito na Capunga, a rua das Pernambu-
canas n. 38 ; se alguem se julgar com direito ao
mesmo apresente-se no prazo de tres dias findos
es quaes nao se attendera a reclamacao aleuma
a contor desta data.
Recife, 9 de maio de 1874.
______ Serafim Boucon.
ALUGA-SE
o sobrado de dous andares e sotao, sito a rua do
Visconde de Albuquerque n. 18, com grandes com-
modos para ferailia e bom quintal: na mesma rua
n. 16, se dira quem aluga.
Escrava
caixa, emairservico-daloja-dTtrn"- wJoSTJirSS dTfaS"nf/uSMa?
Sn^r.TrSfir-ifir^ W : a qUem, ^zde6irndan.35.efam",a-narUad0Mar-
Jose da Costa Oras, tendo de seguir breve-
rnente.para Montevideo, no primeiro paquete e
n3o tendo tempo para se despedir pessoalmenw
de todas as pessoas qme o nonram com a sua
amisade, offerece-lhes alii o seu bmitado prestimo
ou em qualquer parte a que o levar e destino. '
Coziuiiar e engommar.
Precisa se alngar ama wcrava que saiba cozi-
iar e engommar ;T> para casa ds neaaena fami-
: na ma do Vigario n. 16, !. sndar
CASA DO OURO
Aos 4:OOOrOOO
Bilhetes garantidos
Rua do JBar&o da Victoria (outr'ora IVova
*. 69, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender aos sem
muito felizes bilhetes a sorte de 700*000 em am
me bilhete de n. 863, e um meio de n. 33 com
J"??^*0*" alem >e outras sortes menSS
de 40*000 e 20/000 da Ioteria que se Sn
de extrahir (98; j convida aos possuidores avirem
receber, qae promptamente serao pages.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita
vel publico para vir ao seu estabelecimento com
prar os muito felizes Wlhetes,que nao deixarao de
tirar qnalquer premio, oomo prova pelos me-mes
anauncios
Acham-se a venda os muito lelizes bilhetes ca-
'aottdos da parte da ioteria a beneflcio da
igre>a de N. S. da Bos Hora, em Olinda, one se
eitrahira no dia 13 do carrente mez.
Precos
Inteiro 4*000
Meio J*000
De lOOrOOO para eima.
Inteiro 3*500
Meio 1*780
Recife, 29 de abril de 1874.
JoOo foaqum da Costa I^fa,
Os abaixo assignados fazera putlico que com-
praram o estabelecimento de molhados, sito a rua
de Gervasio Pires*. 54, que gyrava sob a razao
social de Cypriano da Costa Aleieida & C, (lean-
do os mesrnos abaixo assjgaados responsaveis pelo
aclivo e passivo do mesmo estahelecimento, fican-
do o Sr. Antonio Joaquim da Silva Brito, que fa
zia pane da dita sociedade, defonerado de qual-
quer debito ou responsabilidade oue linha em
dito estabelecimeolo, flcando d'ora em diante, sob
a firma social de Figueiredo & Almeida
Recife, 8 de maio de 1874.
Joaquim Jose da Silva Figueiredo. I
_________ Cypriano da Cesta Almeida.
,
Vende-se
uma meia-agua na rua de vslha de Santa Rito n
96, pela quantia de 700*, que rande 10* mensaes:
a [tratar na rua do Socego n. 32.
J Vende-se cebola do Rio Grande, ;muilo boa,
ceVada e camarao secco : no armazem n 10, na
rua de Pedro Affonso.
Da-se, gratoilamente para morar, um corredor
em porta 4e rua, enxuto, com quintal e cacimba :
aa Lamboa do Carqjo n. 21 -; exige-se entao al-
guns pequenos servicos ,que dependerao deajuste.
* Vende-se, para esta provincia, um preto de
2* annos de idade, crioulo, btinila figura e cozi-
n'jeiro: o qual achar se ha a rkta, as II horas do
dia 11 do corrente, uo primeiro andar da scbrado
n. 3G, a roa da Madre de Deus.
i----------------
I IjiraiMle pechincha
a 400 reis o covado.
Bjaptista, fazenda muito fi a e larga de lindas
?, gostos e escocezes, pelo baratissimo preco de
rs : quem duvidar vstha ver e comprar, na
Duque de Caxias n. 88, loja de Demetrio
Cor
40
rua
Baslos.
50 por cento menos
do valor
Frederico Pinto & C, tendo acabado eom a offl-
cina de alfaiate, tem um grande sortimento de
caleas de casemira de cor, brim branoo n. 6, e de
linho de cdr, colletes de casemira, gorgorSo, brim
branco e de cor, fraques de paaao, casemira, me-
riao e alpacao ; tudo obras de encommenda, as I
quaes vendem a dinhriro com 50 por 0*6 menos pr
docuato: na rua do Marquez de Olinda n. 40, Jr* o
Cambraia bordada a 2#500
a peca.
I E' com toque-.
Cambraia com flores bordadas, com toque a
**op0 a pepa : to na rua do Queimado n. 43.
Cambraia a 3$ a peca,
Sfna rua do Queimado n. 43, junto a loja da
Magpolia.
Cimbraia Victoria, ina e transparente, a 3* a
poca]. Aproveitem. '
MOFO.
E pechincha.
in paxdo fino, com pequeno mofo a3d0*00
covado : na rua do Queimado n. 43, defron-
p raca da Independencla.
Engcnliu em Serinbuen.
Vende-se dnas partes do
engenho Novo, &ito na fiT-
guezia de Serinhaem, distan-
te da estacao de Gamelleira
3 leguas, moente e corrente.
que safreja cerca de 3.000
paes, com optimas terras
movido a agua e bem obra-
Ao, por preco commodo: a
tratar oom Dr. Felix de Fi-
gueiroa, a rua das Calcadas
n. 14, ou no are nal de
guerra.
Libra v eslcrlinas.
Vendem Augusto F. d'Oliveira 4 C : rna do Cm.--
mercio n. 4$.
CHITAS
a 240 rs. o covado.
So na roa do Queimado n. 43, defrosrte da praca
da Independtsacia.
So lafa das pnartaifcaa.
Chitas pretas e de cues eom salpttus da cores,
sendo muito boa, a 240 rs. o ovado.g
Aproveitem fregneies
Engenhos em Mamam-
guape.
Vendese os tefuintei :
Barra,
Pregulra.
A tratar com seas proprietarios .
e para informacoes com Joaqaim Piaio
relies FUho, na mesma cidade de Maa
Tasso Irmaos A C.
-i
J
.J


WT
i
-V
.
Diarife de Ffettiambuco Segtmda feira 11 der Mafc 1)8
fazendas finas
Ra DE
eordewo Simoes K' esta uma das casas que hoje pode com pri-
mazia offereeer aos seas fregnezes um variaflssl-
330 sortimento de fazendas Aims para grande toi-
lette, e Hem assim para uso ordinario de lodas as
Masses, e por precos vantajosos, das quaei fax am
pequeno resumo.
wandam fazendas as casas dos pretendentes,
para o que tem pessoal necessario, e d5o amostras
mediante penhor.
Cortes de soda de Iindas cc>res.
Grosdenaples de todas as cores.
Gorgurao branco, lizo, de listras, preto, etc.
Setim Marao, preto e de cfjres.
Grosdenaples preto.
Veiludo preto.
Granadine de seda, preta e Popelinas de lindos padrSes.
Fi!6 da sadh, branco e preta-.
*icas basqumas de seda.
Cisacos de merino de cores, II, ete.
Santas brasileiras.
Coite's com cambraia brsuca com lindos borAa-
Rica? capellas e mantss para noivas.
ltiquissjmo sortimento de las comj listras de
teda.
Carobraias 0*6 cores.
I)itav*iaripozas, brancas, lizas e bordadas.
Nantuqnes'de lindos padrfcs.
Gaptistas, padroes deiicadoa.
Percabra* d qaadros, pretos e brancos, listras,
etc., etc.
Brins de linho -de cflr,- pfsorioe dt vestidos,
com barra e listras.
Ricos corte3 de vestido de 1mho. c cites da
mesma cflr, ultima mode
Ditos de c3it&raia de cores.
FustSo de Hndas cores.
Saias bbrdaias nara senfeoras.
Camisas berdadas para seiftforas. de linho e al-
godao.
Sortimento de luvas da vordadesra fabriea de
Jouvin, para tiomens e aenhuras.
Vestftarios para menial.
Ditos para bapl::..io.
Chapeospara quo.
Toainas e guardauapos adamascados de Iteho de
zdTj para mesa.
Colehas de la.
Cortlnados- brrrdados.
Gradae sortimento e camisas de linho, iizas e
Dordadas, para hnm'eas.
Meias de cures para homoas, meninose meni-
a*
i'itas escoceza0.
tJonw!9to sj.umepto de chf,peos de sol para ho-
ai6as t sdbncraSi
Merino de cores para vestiaos.
Dito preto, tranrado e dito de verao.
">wia#o d* linho e algottto para toal
toarhado pardo.
Damasco de la.
Brins de linho, branco de cures e preto.
Setim de Hndas cores com listras.
Chafes de merino de cores e pretos.
Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de cores.
Ditos de touqoim.
Camisrs de ctiiia para hemens.
Ditas de flanella.
Cereuhts de linho e algodlo.
Pannes de crochet para soft, cadeiras e conso-
i Lencos bordados e de labyrintho.
Colchas de crochet.
Tarlatana de todas as cures.
Ricos cones de vestidos de tarlatana bordados
para cdrtes.
Espartilhos iisos, bordados.
Foulard de seda, liddas cflrds.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Ricas fachas de seda e la pjira senhoras.
Rico sortimento de leques de madreperolas e i
osso.
Damasco de seda.
Casemira preta e de cores.
Chitas, madapolao panno fino preto e aznl, col-
arinhos, punhos delinho e algodao, pravatas, la-
vas de fio de Escossia, >a petes de todos os tama-
nho?, bolsas de viageni, peitos bordados para ho-
mens, lenfts delinho brancoe de cores, toalhas,
guardanarms. etc.. etc.
r i
T
VI
LOJA DO PAVAO
Rua
Gruiiiullnu
1U
da imperatriz
PAM LIQUIDAR
n.
60
X1
A Nova,F.speranca, aruaDqquede Caxias n. 63.
atire&ja;su em canvjdar a.setis.fregui-zes. com es-
Pjeciajida/le an beJIp s'exo "a, virein aorec
cuintesartieos expostos a venda e toaos p
H
ciar os se
&OO p. o CAMISAS
Flt\NCi:Z.\S A 2600*.
35000 K 3^500.
5J?500-
preta a
covado.
0 Pafao vende granadina preta c lavrada
pelofbarato prc^o do 500 rs o covado. 0 Ta^o vende um betiito sociirjietito di
fakdapolJCo enfestado .I^OOtt I camrsas francezas com pe.ito du alg*dao, *
a peca ^?090 e 2^500. Ditas com pcito de linh<
I de 35000 a G?!K)0O. Uitas bordadas muitc
0 PavSo vende pe$as dc madapola* n-jfiwas de Rj?000 a 1055000: assim comt
festado, pelo barato preco (fe 3J000 a pega. |grande sortimenlo Je ccroulas dc liuho e dt
Ditas sem ser enfeslado, com 20 jardss, a.algodao, por pregos baratos, e tambetn tem
5^000. Ditas com 24 jardas mutto boa complcto sortimento de punhos e ccllarinaos
fazenda, a 6??000, 65500 e 7$000. | tanto de linho como de algodao, por precos
ALPACAS PIIETAS A WO, 610 E 800 8S. I em conta.
0 PavSo tem bid grande ,sortimerrto de
alpacas pretas, erne -vendea 500, 640 eSOO
rs. o covado. assira como grande sorti-
mento de caotfles, hombazinas, pmicezas
pretas, merin6s, e outras muitas fazendas
proprias para lilto,
Sediniias a l-r0.
0 PavSo vendo sedas com irstrinhas de
cores a 15600 o covado. Dtla com pal-
minhas a 25000. Ditas com toque de uiofo
a 15000 e -15400.
CAMBRAIA VICTORIA A 45000, 45500,
05000 E 75000.
0 Pa-vao vende um grand* sortimento fle
cambraia Victoria e transparent com
8 1/2 varfts cada peg*, pelos baratos pregos
de 4550OCi, 45500, 55000, 65000 e 7*000
a pe$a. aasim como, ditc de salpico 4>ran-
eo, a^OOO, 6 pechincba,
NOVAS LAZlKftftS |A 560 RS.
4i PtrvSo recebeu pele ultimo vapor un
eiegaote 'irt mento das*mais liadasliiznhas
pare vestidos, $endo 'transpareotes com as
mais oklicadas cores, modero'ssiinps pa-
droes, qtie veodo pele barato preeo de 560
rs. o covado, i rua da Imperatriz n 60.
Llt>ODACAO DEROiiPA PARA HOMERS.
0 ^av^o vende um grande sortimento de
roupas para homerts, sendo palitots saccos,
ditos fraks, tanto de casemira preta e de co-
res, omo de jwrmc ; assim como urn tado sortimento de-calces de oaemira preta,
de cor, de brim de cor e braneo, e t
|jgrade sortimento de colletes de todas ac
Walidades.
Tendo tambera nm bora sortimento de
r eemi9as inglezas -e franceza*; assim como
I de ceroolas dettnho-e de algodao, e vende
todas as roupas ecima mencienadas pelo ba-
pattssimopreco.iporqaerer hqnidar, na loia
da wa da Imperatriz a. 00, de Felix Pre<-
ra da Silva.
Acha-se oenstantemerrte abertoj
h% de noite.
Espartlthos n 3r.*0. 45000 0 PavSo vende um bonito sortimento dt
espartilhos modernos a 3550i, 4/JOO0 t
55000, assim como um bonito sortimento
desaias branoas, bordadas, a 55000 c 05000.
e ditas de tasinha de cdrts a 35000 : & pe-
dhuicha.
CORTINAOOS BORDADOS PA*A CAMA %
JANELLAS, DE 75 ATE' 255000 0 PAR
0 Pavao vende am graade sartimento dt
cortinados bordados, proprios para caraa t
janellas. pelo barjrte preco de75000,85000,
100000 ate 255060, assim como -."oolxai
e'e de*masco de It rauito tisa de 1OJW0O
1*5000 cada uma.
BR1MANTES A 15800, 25000 E 25500.
PavSo fende brimantes para lencdes,
tendo 10 pirVnos de lagura, sendo o dt
algodSo a 15800 e 25000 a vara, n de linho
a 25^00, 25800 e 350CO a vara: e
guintesartigos expostps a venda e todos por precoi
commodos, ebmo tejam :
PINA6 LONECASmansas e choronaa.
BONITAS E KNGBAQADAS vistas para steriQV
copios,
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES I10LSAS para senhoras e menina*
BONITOS VASOS com ftna banha e cheireso*
t-xiiacius, trazendo cada fiasco um noaie, uma ini
cial oa um dislico.
F1NAS MEIAS Dfi SEDA, viado enlre ellas coi
de came.
Para qne goslar.
A' Nova, Espenmja a rua Duq^e de Caxiaa u
63, acaba de receber leutos e caixas para o jogo d
Voltarette.
I'ara quern s fire das pernas.
A Nova Esperanca, a raa Duque de Caxiaa
63, acaba de receber as procuradas meias de bor
ractia para quem soflre das pernas.
FLORES AETIFICIAES
A Nova Esperanca, a raa Duque de Gaxias
63, acaba do receber um liodo e compblo sarti
raento de flares artificiaes das melboros que fna
vindo ao mercado
A eHas antes qae se acahem.
Costumes para crian^a.
A Mt^a Espertnca, a rua Duque de Caxias .
63, acaba de receber bomtos costumes para criaac
e esta se vendendo por precos razoaveis.
km KER80S
A Nova Esperanca, a raa Duque de Cax.ias
*S3, racebeu um pequeno sortimento de auneis
iiulseiras ctectricas, proprias para q-ieiu soffre dtv
nnrrnc
Magnolia
Na loja da Magnolia, a-raa Duque de Caxiaa a
iS, eqeojntrara seroprf arrespeitavel publico um
Vende^se
conjpfeto sortiraenlp'dejjeriumarias Unas, objectos
de phantasia, luvas fte JOuvin, artigos de moda e
Ciueato Portland.
Vinho^ engarrafad *
miudezas Tinas, assim como modieidaie nos pre- Madeira.
vos, agrado o sioceridade. J.hrry, de super or qualidale.
Aniieis electricos 'ra%i"eu..
A Magnolia, a raa Duque de Caxiaa n. W, aca- 'CUiom: narua do Vigarmn. W, Iaadar1_ _
ba de receber os verdadeiros anneis e voltas elec- \ Pqra TlOl VI ^
Amaral Nabuco & C. vebdem ie^ues. lipas, B-
nissimas abertura* de efgniio de 1 i t; j >ra ca-
misas, fronhas, de labyrintho e b-r ladas. capelaa
de larangeira, colcha de seda e de crr,tt, corti-
nados para cama eleocos bordadus, tu'.o pnaaM
para casanientos.
Mez marianno.
Amaral N'abuco & C vendem pastiPaas propria*
incensar santuario e ladainl.a do mex sa-
nervos.
CASEMfRAS A &5000, 65000 "E 75006
0 Parao ^ende c6es de casesniras ppart
calQas, sendo padroes modernos, pelo 'bara
to preco de 55000, 05000 e 75000 o'edrte,'
assim como : pannes pretos Hos Tftdlhoreaj
que tem ^indo ao mercado, de 45000,"3>*!
1050O0.
GRAxNAUINAS
Grsuadinas de -seda pura,preta com listrajs
de cSrese padroes os mais bonitos que tem
vindo ao ineroado e que se veade pelo dj-
mrnuto preco de 500 rs. o covado, por tar
urn pequeno toque de mofo, e fazenda qe
35000 o amostras.
Mm brails
Rrira "fcrsneo rriho fino, fazenda de
pecbiti- 25300 n vara, quese vende por 15400,a
vara, por estar com urn pequeno defeito ;j e
pechincha.
tncas, propnospara 03 nervosos.
Meios adereqos
A Magnolia, a raa Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um completo sortimento de
Meios aderecos de tartaruga.
Mpips adereevs de madreperola.
M^ias. aderegos de seda bordados, (ultima moda)
e de mtiitas oufras qualidades.
Botpes de aqo
A Magnolia, a rua Duque do Caxias n. 45, tern
oajra, vender os modernos botSes de aco, propnos
pax a ves lidos.
Golinhas e punhos
da mais modernas que ba no mercado ; a ellas :
na Magnolia, a rua Duque de Caxias a. 45.
Lenqos chinezes
A Magnolia, a rua Duqne de Caxias n. 45, re-
cebeu umapequena quanUdade de lencps deseda
cMneies, com
ramente nova
Leques
Lindos leques de madreperola, de tartaruga, de
marttm, de osso, c de muitas outras qaalidaiies
recebeu a Magcstia, a rua Duque de Caxias nu-
Taero 45.
Attenc,ao.
A loja d*. Magnolia, a rua Duque de Caxias n.
\a, acaba do receber os seguintes. artigos :
ManUaK de madreperola, tarlaruga e marfim.
Bieos alhuns com capa de madreperola, cha-
graa, madeira, veHudo, couro, etc.
J.lndas caixas com Uni simas perfomanas.
Li$as de ie'ia, brancas e de cores.
Veitas de madreperola.
Pnlseiras de madreperola.
Titcas caLxas paia, cotlura.
Vesluarjos para baplisado.
para
riano
ria n.
no baiar Victoria, rua do Bari0 da Victo-
Insignias maconicar.
Amaral Nabueo & <'.. vndem insignas mac cas de diffirontes grao?. ao bazar ftOaria. raa
do Dario da Victoria n. 1. ___
Vende se 6",0O0 tebaa,
venaria balida, deseceis mil
drados. e IJ.000 tiiolos
quena quafluuane ue I como, arras de todas as qualidades. M
hQdissjmos de.-enhos, faienda imei : ,jnha^e va;0S para n^,,, lndo maitair-
na nlaria de J M
ra acabar
na rua dos Praicres n 3).
:to mil 1 i I I i.-
de ladrilhos pa-
de Ispam'-nto ; assiai
aaar-
tor.fcipa-
Carnci'oda Cunha,
NIYI PHlffl
em camisas de linho.
Vende se camisas ingleias dc linh-;. mm 0 ir
nas, para nomero, pelo baralbsim.. ^e>, d ? 3..*
a duiia ; quem dnvidar venha we ciirprir
na rua do Du iue de 'ax-as n. 8^, h>ja m
inetrio Bastos.
Dt
- Wllron Rowe & C. vendem M
rua de Commercio n. IS : _
verdadciro panno dc algcdao azu!
Excelleute fio de vela.
Cignac de qnaiidade
Vinho de Bordeaux.
-.'U apnisea
:r.>'Ti' ",'
MXn^XpSohsde solle'seda para senhoras. \ rarvao^^dTa de todas as gna.M,*_=
Lindos port-bouqnets.
Gravatinhaa de veiludo, etc., etc.
E' barato.
Vendc-sc um pequeno si io perto da esta-
cao do Salgaditiho, tendo de frente 150
palmos, e do fundos mats de quatrocentos,
com uma elegante casa d-; laipa, acabada de
croxim 1 e br-m asseiada, tendo 4sal s, 2
qasrtcs e cozinha f6ra. 0 terreno e pro-
prio (i bom arvorcs de "raeto, ngua de beher e todo cer-
cado.
Para ver e mais explicates, no mesmo si-
tio a qualquer hora a onU'tider-se com Tris-
tao Francisco Torres, e para tratar, na the-
souraria d s loterias, rua 1 de Marco
u. 6._________________________
S. CARLOS
Vende-se ou arr^niia-se 0 engenho S Carlo", em
Ipoiuca, moente e corrente, com todas as obras
em psrfeito eslado de conscrvacao, e muilo bwo
d'agua : a traiar na travessa da'rua Duque de Ca-
xias n. 3, 1 andar, com Gabriel Autonio de Castro
Quintae?._____________________________
Salsa parrilha.
Nova remessa, excellent'? qualidade ; vende-se
na rua do Vigario n. 10, andar.
Salsaparrilha de Ayer
PARA PITRIFIOAB O SASOrE.
O rename de qne gom ete ex-
f ellent.' remedio 6 devido a milha-
res de cures que tem operado, ma-
im das quaes sao Terdadeiramnte
marav.lhofas. Innumeros 5o casos cm que o syslhema, parecea-
do satnrado da podridao de enfee-
midados .Sioromlosa?, tem aid*
promptamente rcstituido i saude.
As av eocGes e desocdetu, aggrava-
dae pela contsminacao escromka,
aM pr -xluzirein dores morttficantes,
tem sido tarn radical e tarn geralinento oucadas por elle, em
todos os pentos .do Imperio, que o publico mal precisa de ser
mformado das raas Vmudes e fa- modo deusal-o.
0 eneno escrofuloso e um don mais deatraidoras mimigoi
da raca humana. Ora, senhorca-se occulta* traicoeiramenta
do nosao organismo e deixa-o freeo e iaerme contra molestias
tatae-. Ora, patenteia a mfeccio difue coirompeu o
entao,m momento oppartuuo lavra rapidamente sob
na de anas hediondas-forma.**, ja na'cutis ja nos orgams
vitaes. Nestc ultimo caso depw ita, muitas vezes, tubaroulos
nos pulmoei. no figado, no corac&o, etc., quando aao se man-
ja>rta em .--.-coos, tumoats, etc.
A.inimv') -..- |>erigoso tarn perfido r.iinca se dtve dar
Crlda, c j>. v,: o e aempre roelhor do que combattel-o.
im. ante.- d- ( ppureocreia. os proprias a/nipthowtat actnot,
o un da BAI.S4''At.RIJ,miL DE AXER pod era eritar
reeultados funestos. 3
As peasoas qua sofl?>m d Er>fHp*laM, Eega dt S. Aw
tonio, Dartros, Empigtntr Khtumatismo, Tutnorrs,
Ulcerat, t sensibilldade doWMsa nos onvldof. oHio, tco.%
dor nos osao)| J>ppemrtm ou .Tndigettoe* ; Mudrojxiia,
MtttMtiam do CoraeSo e do Figado, Epylfptia, Xev-
ralffla e de varias outras affecc-5es do systhenja -niusctilar e
ncrvoso, acbario seguro allivio ucaodo desla. 6AZ&J-PJM-
HJZBA DE AYER.
A syphltii on MoUtUat Vmtrtot sao curadai com o.
seu uso, poato 'i para snbjugar tarn impennentes*uferniidadB6.
A l.rucnrrhra. on llort.1 Erancas, as ulceraeCesutert-
1K c m gera! as molestias das ;ualhere tan tambem aHivia-
4m e nUariormente cmada* poi.seu efttitQ purificador
vigoratH'O.
O Rheumatism* e a Oaf mujai^es de inatorias extnnoas ao sangne, oedcm-lhe.ftfil-
mente, de mesmo modo 0 Xal do Figado, Congettao on
Inflammnran do jfigndo, Icierioia, anandosSo orinndo
de maus residuogjjo sngne.
A Salaaparrllfaa e nm excellent^ rrstaurador im
foroa c vigor do synthema.
Hkttns [rallies
Metins frarrceaes, fzenda inurto-fiBB, na-
"" vend
pech
HSMKRALBIM A WO RS.
por'900 rs, a'30Ors. o covado-; e
cha. Daose amostras.
Cretenes de listr: s
Acetones de li^trHS, I'aaecda.acilulioada,
0 Pavao recebeu um bonito sortrmertto [**>wHlo lindos-a WO rs.^3 eovalo ; (d
das mais elegantes esmeraldtnas 'com-listras l'n>fstras.
de.seda, sendo em cores e padroes -*as mais ; 3fa(klf>ol*
noras qe tem vindo ao mercado, proprias
para vestidos, e-vende;pelo bar.-itissimo pre-
co de-**tO rs. 0 eovado,a-ra da impwitrii
n. 69.
1 ci -ant* do-PAVAO, das 6*oras fttWMaoui
lOVlMBE
feude liquiiiaeao de
Rua do liivramctito n. SO.
larinhas do bonitos padr3e de 160 a 240 rs;
l*lpacas de todas as cores e boa faienda a 2*0 e *0O j
Its. o-covado; chilaa escuras e claras. a 2i0 rs ;
a^"""' "----. -- '""/,"" V JT -IfeftDtistae modernas a 280 rs.; precales finas a JzO|
drocs modernos, fivzerrda que jd se vendfeu. J JJ" "Z\ins de todas as cores e de boa qualidade;
Vende-se, ou lroca-se pr casas pi H v> ;i
ou alnga-se um sitio na Capunga, rua >* njira
n. 20, com 150 palmos de male a n m
fundo, com boa c-a-a, cacimba, cn?!i^ira, -.-:' w*
' etc., todo mnrado. rota portao d' iVrro na : -en*
, a tialar na raa ? lha n. 102.______________
Venle-se ou aluga-te o ac -ugue I
2 da CambOa do Caimo : qn:m prvt nder, (imii
se a mesma rua n. 3.________________
CHA"
19
D
OB
A' raado Cabugai n. f A.
Os proprietaries da Predttecta, no iaurisc de
eonservar o bom eonceito que teem merectdc -do
respeitavel publico, distinguindo o sea eetabersei-
aieiKo dos mais qne negociam no mesmo geaere
veem scientifiear aos sens-boas freguezes queare-
veniram aos seus correspondeates nas divefaas \-p.s d'Europa pare ihes enviarem por todos-oapa-
rmeies os objeetos de luxo e bom gosto, <|ae -se-
jain mais bem-aceitos pelas eeciedades elegaate*
daquelles paiaes, visto aproxioiar se o tempo de
rests, em que o -hello sexo 4esta linda Veaesa
mai3 ostenta a riqoeza de suas toillettea ; e-co-
mo ja recebessem pelo paquote francez diversa
artigos da ultima-raoda, veem patenlear algucf
d'entre elles queee tornam mate recommeodaveis.
e^peraEdo do reepettavel pabiico a cc*tumadi
coDCurrencia.
Aderecos de tartamga os mats lindos qoe teec
vindo ac mercado.
Albuas com
veiludo, sendo oiversos tamaniioe e caratos pre
09
Aderecos completos de borraeba prc-prioa para
koto, tambem se vended meios aderecos muito bo-
.nitos.
Sotoes do setim pretc e de cores para oraato dt
vestidos de sethora ; tambem tem ,para collete
alHat
Balsas para senhoras, exi9te um ballo sortimn-
de eda, de palha, de barato preco.
Booecas de todos os taraanhos, tanto de lonca
como de cera, de borraeba e de massa ; chama-
mos a attencio das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornarose as oriancas nm pouco im
pertineates por (alta de um objeeto que as en
tretenham.
Camisas de linho lisas e cam peitos iordados
para homeoi, .vendera-se por preco commodo.
Ceraulas de linho e de algodar, de diveraos pre-
cos.
Caixinhas com mnsica, o -que ba de mais Undo,
I com disticos nas tampas e propriog para presen-
"',e
Coques os mais mGdernos e de diversos forma
ios.
Chapeosparasenhora.Beeeberam um eortimectc
da .ultima moda, tanto para senhora, eomo para
MBJaaa,
Capellas simple* e com ve"o para noivas.
Caicas bordadas para meainas.
^niremeios estampados e bordados, de lindoi
*snhas.
Sseovas electricas para denies, tem a proprie-
dade de vitar, a carie, dos, dentes.
Franjaa de seda pretas e de etires, existe am
srande sortimento de divercas larguras e baratr
>preco.
dFitas,de aaria- d g-j^tirao. deaetim a deeha-
oaite, de div^rsas largnrae e bonitaa cores.
Fachas de gorgurao mnito lindas.
F/. tm* artificiaes. A Predilecta prima em con
ervar asmpjre ura-bello e, grande sortimento des-
,as Cores, nao so para enieite dos c^bellos, come
tambem para ornato de vestido da noivas.
GaWes de algodao, de is e de seda, brancos, pre'
toa adediversaa cores.
Gravatas de seda para horaem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas core*
para aeanora.
Ligas de seda-de eores e brancas bordadas par
awva.
Livros para, ouvir missa, erola, mariim, 6sso e vjeTludo, tudo que ba df
om.
Pentes :de tartamga e ma*fin> para alisar os ca-
beim j teem .tambm para tirar caepa?.
' Port bouquet. Um hello sortimenlo de madre-
perola, marnm, 6sso- o dqurados por baralo prego
" Perfnmarias. Nesle artigo esti a PrerlilecU bem
provida, nto--*6 em- evtraotos, rotno era oleos. e
banhas dos m-'lhores odores, dos mais afaraados
fabricantes, Lonbip, Piver, Sociedade Hyienica.
Coudray, Gosnel e Biroel ; slo indispensaveis pan
* festa.
Saias bordadas para -sanhora, por eommodc
preoa.
Sapatinhos do 11 e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta nm bonito sorti-
mento de diversos tamanhos. tanto para sofa co-
NA
R=ua l.de Mar^o n. i.
t'oafronte o ai-ro de Knnto Au-
tonio.
Kta vrndcnUo hiih CajEOndaa com
SO |Hir rcHlii nii-noN ijuc i-in autra
- iiiiufqiiei- l)iu-tc
A:aaber :
Madapolao com toque de mofo, pelo barato pre-
co deUWOeS*
Dito francez, limpo e de superior qualidade, por
SJtfOO, 6*000 e 6^500.
Algodao marca T, largo, super^r qualidade, a
4^300, a*,, oa00 e 6*000.
Grande sortimento de lazinhasdegostos inteira-
mente cscosseses, pelos precos de 200, 240; 100 e
440 rs. ; so se vendo poder se^ha aereditar.
Captislas, lisas a com flores, fazenda quo sem-
pre custou 400 e 800 rs., estamos -vendendo .pelo
rieas Par acabar.
diversos wmantw>c e baratos,are- Ditas Qnas> padroes matisados,a 400 440.
oeova'o.
Cretone :francer, eseurcs e claros, os mais no-
wos que tem vindo ao mercado, a 480 e 500 rs. o
covado.
AproveUemm qnanto.nio se acabam.cbapeos de
(sol de seda trancada (paragom) H faaateas, iDglezes
superiores, paio insignificante preco da 8* e 9* ;
sempre vendemos por 14*000.
Ditos para senhora, de merino, a 3* e 3*300.
liitos de seda, cabo de osso a 4*000, cha.
..Ditos de alpaca de cores, forrados earn seda,
e o cabo fingindo bengala, o mais moderao que
ha, a 1*500 e 2*1
Sortimento de cbitas claras e escnras, boa^fa-
zenda. para acabar, a 240 e 280 rs. o covado.
Popelina de linho algodao,. nastos inteiramente
novos e de cores bonrtas a 800 rs. o covado, sem'
pre cusmu 11400.
Camisas 4e cretone, fe-ancezas, -modernas a sa-
periores a 3* e 3*500.
Ditas brancas a 2* e 2*300.
Ditas de linho a 3*500 e 4*000.
Toalhas de linho do Porto a 7*300 e 8/000 a
dnzia.
Ditas felpudas a 7*. 7*500 e 8*000.
toes
com um pequeno toque
pef-a ; e
?dadapoloes
avaria, de 3(5500 a 3?^O0 a.
hincha.
mm PERCALES
Chitas pwaales avartodas a 240 rs. a-
"Io; e peebincha.
90'-O
.V ZG da niM^le Crecpo
' L^a tias "3 portas
DE
Junio loja da esqaina
n-
a-
o-
de-
toe-
co
a 240,280 e 320 rs.; cambraia de cores a 210 is. ]
o covado ; ehapeos de veiludo e palha para senho-1 ,-
raa4* I vestidos para menino se baptisar a 5* I
Verde e preto superior.
Preto a 3*000 o li ki!<
Verde a 3*500 c. ..* kilo
Na rua do Marquez de Oln.Ia n.
anti da Cadpir- ).
I
AS^-casa na villa de Barreiros, na rxa do, Com-
*arck>, por preco modico: a tratar com Tasso
Jrmaas a C
i i4* vestidos para--------------
inusoelina de cor muito boa fazenda a 280 rs.;
cbitas roxas a 200 rs.; ditas pretas a 200 rs.; ma-
dapohlo a 4*, 5*500, 53800 e 6* a peca ; dito
francez a 5*, 6* e 6*MX); algodao a 2*500, 4*, I
4*500,5* 5&50O a peca; to!has para rosto a' gui"'
360 rs. ou i* a duzia ; di:as fclpudas linas a 8C0
rs. cada uma; corles.de casemira a 4*500; ditos
de brim branco e de cores a 800 rs., 1* e 1*.*>00 ; I
ditos de brim de linho brancos e de cores a 2* ;
algoJao azul a a* a peca, com 41 e 42 jardas I !
damasco ,de la com duas larguras a I* o covado !
lencos de cassa pequenos a 700 rs. a duzia .'! da-;
zia de lencos de linho, com uma bonita caixioha
por 4*500 I I cambria branca Una a 3*. 4* e'
4*500 a peca hamburgo proprio para toalbas,'
lencoes.e ceroulas a 300 rs. a vara I algodao aznl
e m ssclado proprio para escravos a 160 rs. o co
vado ; colete3 de casemira preta e de cor a 2*500 !
ditos de brim de cor a 2*; lencos brancos a
1*600 a duzia ; meias Unas para seobora a 4* ;
-e outros muites artigos a vontade do comprador. ,
4J|ieguc,tn antes ,|iae ate acaba.
Vendem
Wilson, Howe & V.
Em sea armazem i rua &> Trapiebe n ''..
Economia
mestica
do-
Algodaii >'ul americano.
Fio de vela.
Carvao de pedra 9>- todas as aaaU '
Tudo motto baralo
8RUA DO BAItAO DA VCTOMl
Vendeaa Lyra A Vianna os sofuinf: -
cados .
Sapatos de transa marca >chave, fin> da?
16*000.
Ditos de di'a, dem, idem, idem par l*5f*3.
Ditos de catimira preta, para ho.mi, .1.-^:-.
lSi'OO.
Ditos de dita, iui in. idem, idm. par liwa.
Focos dc cons para meoinos, 20 a 3t. pir 2* '.
Bolmas corduvao de IMak, para hon,t. a 10/.
Ditas de Lezerr.i iJcaa, Meat, iu- m 10*
Ditas de vaquela para menino a >* e 6^.
Ditas inirlezns, idem, id-.-m, 5* e 6*.
Ditos gaspiados para senhora 4* e 5*.
Cliiquiios ingle?.- paia orianca a 2* e 2<,*>
ftua do.Bar^o da Victoria n. 22.
Carueiro Vianua.
,A' este grande estabelepime^ito tem che-
gado nm bom sortimento de m a chin as para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos,uiUmarneiiie na, Europ,a, cujas. machinas
[siO/^arantidas por urn,anno, e tendo um
* ensinar as mesmas, em
cidade, como bem as-
i,tempo tambem d'um
Lencjisdecambraia com banade cor^ ai*. e.anno sem despendiO a^gum do comprador.
Na rua Primeiro de Marca n. I.
Confronte ao arco de Santo Antonio, loja de
Agostinho Ferreira da Silva Leal & C
Lanainhas, gosto escossez, padroes inteiramente
novos, .pelo diminuto preco da 200, 240 e260 reis
o covado.
Baptistas lisas, Unas, e de cores a 320, 400 e
440 reis o covado, isto so se vendo I
Cbapeos de sol de seda, para bomens, inglezes
(paragon) e com 12 bastes, pek. preco de 8* e 9*,
fazenda esta que sempre custou 14*, so para
acabar.
Na rua Primeiro de Marco d. I.
Loja do barateiro.
Ao barateiro
camisas inplezas. iraa-
Farinha de mandioca
DE
PORTO ALEiiBE
De superior qualidade e muito nova, chegada
pelo nllimo cavio : vende-se a rna do'Brum o. 92,
armazem de assnear.
Grande liquidacao de
cezas e snissas. de todas as qnalida l.
a 15*, 17* e 18* a doaia E p..a a Sortimento rompleto de camisas dc \ak ana
pequenos defeitos por Uo pouco Oi'ihiD I f
Faz-se mi.ier virem apreciar o gran Jo q:it.j4
a ellas a ellas.
Cbapeos de sol de 5. Ja para sen' oras, i .'* |
dar-se ha o caso qn? aim acreditem *
Metin? francezes, escuros. traasala, a 2'*-) reis
( o covado ; eslamcs acabando, e?Um fucado
grande abatimento.
S6 na rua Primeiro di M.irfo a. I, a i Bara-
tero.
Para aboaconserva'
DE
YOSSO CABELLO
H
c
om avaria
Neste estabelecitneato tambem ha pertepcas
tpara.as mesma6 macbinas e. se suppre.,qjual-
quer pe^a aue seja necessdrio. Estaslma^
chinas trabaiham com toda .a,perfeicsi; del'
um e dous pospontos, frame e borda oda '
j qualquer costura,por 'fina qne sf^ja, iqus
brancos a 2*.
Ditos de linho, abacbados a 3*600 e 3*800 a
dnzia.
Grande sortimento de brine de cores, padroes
propri.* para meniaos deescola a 440 e S00 rs.
o covado.
Boiinas- para senhora, pretas e de -cores, por 4*
e 4*500, Isto por lermos grande rraantidade, ae I
fa ste.praeo. 4 ipre^ossao da seguinte quandade: para h-a
licamanie de -liuho, duas lajaaras.pela .batato balhar a mao .de 309000, 405000, 455^00
preco de 1*200 a vara,-e somente.paraAcjibar. e fiOJfOOO, para trabalhar com o pd" Saoi de
- Muilos outros artigos que deixamos de mencio- 80000, 905,000, iOOffWO, 1102)000,
nar para nao massar nossos f regoezes;'ia qua T,^^ ,,!-nI'ft aterLann annZaKi
avta dalles esteo praeeates. -| 1285000, 130JJ000, 5p*000, 2Q0500p e
Dio-se amostras. ,2505000, ernquan.to aos autores n$o.ha al7
...So o.^AteirpjOuer quejrnar texacfio de precis, e os compradores'podejao
A- rnT^elr^t^tn^.-antiga do Cres-' ^f *? estabelecimento. ,ftue mpito de^
po, de>Agoatinbo-*erreira da 8ika J.eal, &.'C. i verScy^pstar, peja tajiedade de Objefitos que
ha sempre para-vedjjer, como sejam: cadei-
ras para viagem, malas para vlagem, cadei-
ras,para saias, diU6 daJjalapco, ditas, para
A WOO, 4^500 9 5^500
Madapoloes cam toque de avaria, por mnito ba-
rate preco, em vista da qualidade ; assim como'
saias de la avariadas a 4* quem pretender, ande !
ligeiro a rua da Imperatriz n. 60, para nao ter de '
se arrcpender.
Madapolao fino
na rua do Creapo u. IO.
P^a de, madapuiao fino e
largo, com toque, a 4*, 4*500,5* e 5*500,
fazenda superior e larga.
Alpacas de aeda de cores, lavra-
das e mnito fin as, fazendo modernissima
a 500 rs. o covado.
Caaaisaa de liutao com toque
de suio, a 1*500 e 2* cada uma, '
chincha, isto so na loja n. 10, a
Cresoo.
CAFE' DE JAVA
cslranoeiro
cciaj^ca (alta's), dita^jjara escolas, costUFei-1
ras jiqvnssimaSj.para sepjiora, despensareis
para crianjas, de todas as rj/ialidades, camas
PariR n'AmprW A mo Dn."e {$*6 p8ra nomemecrtancas, capachos,
JT^rib n iimeriCd, a rua Ull' espeihos donradps para sala, grandes e pe^
quede.Caxks.n^SO
Assim, todos os qne soffrewm languor, PMegma, Dem,
ti.aios, Insomnia e qne sao incommodados com Appre-
hensors e Temorei Jferwosos oa qualqoer ontrsaffeccao
provenieata da DaWHrfade, achsraodosea poder renovador mo para entrada de galas,
o mau sagnro ejipedjente da proinpta cura. \ estimentM para, baplisado o que ha de melhor
PBEPAaADA pob 8Psw e os mais morjerno s recebeu a Predilecta
J. C. Ayer & Ca. Lowell, Km* E. V. | ^u^tSi^ **' *"* DW ? a'CanC6
> ^^^^TiT'- 1 Rua do Cabugdn. 1
erlancas, que fudo veade por precos razoaveis.
qnenos, apparelhosde metkl para chi,
andar, acaba* .-da reeeber um,completo SPeiE0S ^0ra ca^ Aetai fade marfim,
sortimenlo de calcados esirangeiros para.homem e duos a^nlsos, colheres de metal nno, condiei-
senhora, vindo cntre elles cm Undo sorlimento de ros para sala, iarros, guarda-coroidas de
ihos e botin i para arame, tarapas. para cobrlr pratos, esteiraa
para forrar saias,lavatorios completos, djtoc
Ultima moda.
J simples, objectos para toilette, e outroa roui-
A Magnolia, a .raa Duque de, Caxias n. 45,re-ltos *^gs que oyjitodevernagraidar a todos
cebeu um liodo sorlimento de bicos de guipure de cores, apropriados aos vesljdos chiques aa ac-! qae se acha aberto de-.de as o toras da ma-
,aa,ldade- !Juia4as.9^rasdaA0Ute^
Elle 6 um preventive seguro
*. i a calvice.
/J Elle da* e restaura furca e samdade i ptiiia oa
I cabeca.
Elle de prompto faz cessar a queda nreaca-
f^i tura dos cabelles.
. File d^ grande riqueza de lustra os ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar us cabelles, en
qualquer forma ou posicio qae s dasa>
je, n'um estado fonuoso, lis<) e mai k>.
Elle faz crescer os cabdlos bastes e co-nprv
e os.
Elle conserva a pelle e o casco da cibeca
limpo e livre de toda a especie de Elle previne os cabellos de ae tornaretn brat-
cos.
0 unico verdadeiro ven-iEIleconserT*caben'um estado d.h*-
cura refrigerante e agradarH.
Elleuao 6 demasiadamente oleoso, grda-
rento ou pegadico.
Elle nio deixa o menor cfaefro dnaaraaa
vel.
os cabellos im
eonfeitaria do:
de^se ira
Campos
24 iniperador -'M
Per'todos os vapores Te-\mJ^h0T artigopar'
CebeHBe tnOla remeSSa. jEllee o melhor e o mais aprasivela
_-__-----_------_---------,------------------------ i para a boa conserracao e arranjo dos e
FarellO nOVO e "C1108 ds senhoras.
w.ii, j Elle 6 o unico artigo proprio para o pe ja*
MimO pequeno do dos cabellos c barbas dos s*nbon.
Da melhor qualidade no armazem de farinha NElfHUM TOITADOR HE Sl^S'HORa <
;de trigo de Taaso Irmaos fi C., na praca de caes I PODE CONS1DERAR COMO COM-
dcApo,K I PLETOSEMO
As unict* y Biabas hamburgueza.? qn" t me Sfarquez .ie ijl:nd"a.81*
Chap^is para soohora.
.A loja do Passo a rna Primeiro de Marco n.
7 A, reeebeu pelo ultimo paquete, nm rico sorti-
menlo de chapeas para senhora, ultima moda e
vende por preco commodo
Rna do Barao-da Victoria n.
22.
o cento
n. 16.
Sebolas a 1^000
no armazam da rua da Madre de
T0N1C0 ORIENT-1,
o quid preserva, limp*, fortifica eafonafltn
O CABELLO.
Acha-se i venda aos estaWecaaaalaa da
j^n H. Forstcr A C, age rites. 4 an tnaat-as
i principaes \> ja de perfumarias e batieas.


'
Ai


8
i*
Diario de Ptfnambuoo Segunda feira 11 de Maio de
187^
^RIJDADE
E_
0 NUJPRAGIO b. NIt- Esowem de
Marselha para Paris, dand, P-WBore
compkmentares^obre o. Mafr?8' do Nil :
0 padeiro e os dous l nir,uhe"'os qua
i roort salvarau so Sobre as
escaparam
capoeiras de galu'nhHs,
A s-ibmersao do aavio fiU "P'da
quo nao houve' tempo do langar ao mar as
caddis. Era noite escuri quando o v',Por
eacalhou em rocifes muito cenheciJos, 8
que am tempo ordinario se evitariam facil-,
mente.
Todos os empregados eram da Proven
ca, mas a maior parte dos mar nbeiroseram
de Saint-Brieoc
0 capitao Mr. Samat, tenento na ma
rioba do estado, pertencia a uma excellen-
te familia de Marselha. A" primeira noticia
do s.nisfro, o director das Messageries e
todo o pessoal saperior d'aquella importaa-
te administrate), foram visitara familia de
Samat. OestaJo-raaior do Nil era um dos
melhores da nossa marinha commercial a
vapor. Ha via uiasica a b rdo e a maior
parte dos ofliciaes eram distinctos amido-
res.
f 0 quo causa do, si5o as scenas qtre t >-
dos os dias se passam na caixa das Messa-
geries, em Joliette
Como se sabe, no fun de cad a mez a
admiuistracao paga 4 bocca do cofreos sa-
laries dos msrinheiros 6 empregados ;
qnm lo marinlieiros e empregados aadam
em viigena, deixam aos pa rentes uma pro-
curac'V) para receberem todo ou parte do
seu salario.
A 31 de marco, as familias dos raari-
nheiros, do NU apresentaram-so no escrip-
torii, o quando se Ihes disse que toda a
gente da bordo havia morrido, rebentaram
queixu nes e prantos de todas as paries.
!I rare que fachar o escriptoria par al-
gam tempo.
\vilia-se em 3 railho )s de fran ;os a
per la i-ausada. por este naafragio, e que as
co'ipmbias de seguro ter4o que paga". A
pr. sente, as Messageries possuem 79 p-
quetes que sulcam os mares ; com o Nil
co'iUva oitenta. A Iuglaterra nao tem
compnnhia mais poderosa.
0 naafragio teve lugar as onze horas
da noi'.e.
de saber a que, sobre a astronomia, tinham igreja, e os seus mint'stros, mas conserva a
cbagado os gregos. sua alma, nao opprimas a liberdade, que e
na^, ~~ a altna da i?rej
PROVIDENCWS NAVAES.-Os proprie- Este diseorso, despido das formulas
i de um navio denominado Nim rod mysticas e tbeologicas habituaes
- >..., ua.w uniuiuuiiw "" ujjsuuaa u mcuiogicas naoituaes no s
i Tarn multados era Inglaterra em 7500000 padre, quer dizer que o papa aceita c
^raoeda portug ieza) cada um, por necessi- tual estado do cousas na Italia, e expli
tar esse oario das condicoes necessarias motivo noraua finnn no Vntinn
santo
o ac
ica o
para navegar. Na
condicdes necessarias motivo porque flcon no Vatica'no.
Iuglaterra est4-se to- Pio IX considera a liberdade da j*reia
manuo grande empenbo em impedir que se como a unica cousa verdadoiramente essen-
racam ao mar navios raercantes faltos das cial, e e precisamente o que o governo
devidas coodicoes de seguranca para o car- italiano garanle, pe!o meuos em princinio
regamento e especialmente para a tripola- E1 verdade que est4 muito longe deestar
C a |d accordo sobre a applicacao ; mas quan-
Os numsrosos simstros quo se tem dado {do se e,U de accordo no principio o ac
nWs ulfraos annos, muitos dos quaos cordo sobre os factos torua se p'ossivel
foram *devidos alfalfa de soLdez do casco ou embora feji difficil. '
dexagerVJa dsjproporcjio das suasdimen-. Nota-se effectiveraente que Pio IX re-
fdos, priiC.oiararajii a despertar a atten-fclama a liberdade da igroia, nSo com
^ao e n camp'auha emprehendida pefo Sr.' -
l'limson contra os abffios nas construccoes
navaes mercantet." de Inglaterra, tera feito
cam que a opuiiaVo puWrea d'/qnelle parz
se fixe em to rajportante assunapto. OSr.
Plimson publics via sua obra Our Sea-
men* repeal, abtrndantes dados aeerca da
qacstik).
FAI.SO DEPOIMEKLO.0 ji celebre ca-
pitio Brown, uma das priticipaes testemu-
nbas em favor do supposto barSo Ticbbor-
ne, compareceu de novo ante o tribunal
correctional de Bow-Street, accusado de
falsa testemuubo.
EXI'OSIC'VO EM LONDHES. -No dia 6
de abril inaugurou-se em Londres, sem
poinpa official, a quarta exposigao das que
alii se succederam durante sate annos nos
j ardins e galerias denominadas do Principe
Alb^.-.a. e que sao durante a primavera um
novo attractivo d'aquella capital, assira co-
mo um estimulo 4 inJustria e 4s artes.
Cada anno sao difforentes as catbegorias de
artigos que flguram n'aquella exposi(;ao.
FABRICACAO DO PAPEL. Le"-se o se-
guinte na Epoca de Madrid :
A fabrica<;3o do papel e" t5o importante
para a indastria, cultura intellectual e ou-
tras applicaijdes, que a ninguem deixard de
offerecer interesses todos o* adiantamentos
relativDs a produzir o referido artigo por
prero baixo e de boa qualidade.
Agora annuncia-se, segundo vemos em
uma re vista scientifica escripta pelo Sr.
fluelin, que e facil e vantajosissimo apro-
veitar cada anno, alim de fabricar papel,
uns^S.OOO milhoes de kilogrammas de
uma mat<*ria hoje quasi sem applicacjio, e
que se produz em Hespanha de um raodo
extraordinario, em Cuba e outros pontos.
A referida raateria u o bagafo, residuo
que fiea da canna doce depois de esprimida
para extrahir o assucar. Ate agora esse
residuo s6servira de combustivel, mas vio-
se que e raais proprio para fabricar pasta
de papel a frio, a qual se obtem com pe-
queoa quantidade de alcali e acido, care-
cendo de pouquissimo cloro, para bran-
quea lo e muito meuos de diversos reagen-
tes chimicos que exige a pasta feita com
esparto, palha, madeira ou outros produc-
tos vpgetaes.
Spgundo as experiencias e calculos jA
feitos, ve se que a pasta feita com o men-
cionado bagaco pode produzir-se pelo me-
nos, pels ter^a parte do custo a que aseen-
de a fabricacao de quantas ate hoje se ob-
tem com maior barateza.
Calculando que em cada anno se fa-
iaricam ern todo o mundo 2,000 milhoes
de kilogrammas de assucar de canna, o que
corresponde de 30 a 40 milhoes de tone-
ladas de canna doce, obtem-se d'ellas 2 a
3,000 milhoes de kilogrammas de bagar.o.
Os fabneantes de assucar na Andaluzia,
Cuba e outras provincias hespanholas, bem
como os de outros paizes, podem aproveitar
esse bagaco para produzir o papel e alcan-
<;arfio por esse modo importantes ganhos. 0
preco medio de cada 100 kilogrammas de
pasta de papel branqueada e de umas 60
pesetas e da nSo branqueada vende-se a
fne>ma porcSo de 35 a iO pesetas.
0 processo para converter o bagac.0 em
pasta de papel e" muito simples.
QUADRANTE ANTIQUISSIMO. Nas ex-
c^varo 's feitas durante o ultimo anno pelo
Sr, 0. Rayet em lleraclea de Latmos, foi
tac'octrado em um ediQcio que provavel-
r.iente dove ter servido para o senado, am
quadrante solar conico t3o completo, qoe
so Ihe falta o gnomon ou estylo. Esta des-
coberta e tanta mais importante quanto
ate hnja nao se tinham encontrado mais do
que fragmentos de relogios de sol d'esta
classe em Om-el-Awamtel. (Fenicia). E'
pois o quadrante de Heraclea o primeiro
exemplar descoberto da classe dos conicos
que menciona Viturbio, mas que nlo dts-
creve em nenhumi das suas obras.
0 referido quadrante e formado de um
pedng-o de marmore de 44 centimetros de
grossura, sendo o lado que forma a sua
secc/Va longitudinal de 39 centimetros e de
51 gn'ms no angulo agudo. Uma das bases,
paralella ao equador, serve de assento ao
r ''ill.-, recto da base circular, cujo interior
tonstitue o quadrante pmprismente dit
D duz-se de uma inscripjao que tem es-
culpida. que foi dedicado ao rei Ptolomeu
por Apolonio, Slbo de Apolodoto, e cons
tfoido po' Temistagoras de Alexandria, fi-
rie Meniscos, nomes que, 4 excep^ao
niHguem transmittio 4 his-
MODO& DE VERIFICAR A KORTE.
Um opulf nto aristocrata (rancez, o conde
de Ourcbes, offerecei* am premio* de 50
mil francos a quem consegaisse deseobrir o
meio effica de venficar a morte era* todos
os casos, afnivde p.vitar ?s- sceaas horrorosas
que succede-repetrretn-se de vez emqowdo
com os infi.li4"s que sao enterrados sem- es-
tar m >rtos, ainda que o part-Cam.
A solugao d'e-te grave proialema e o esti-
mulo do premie fez cam quo se empenbas-
sem muitos boraeus estudiososem tao ardoa
tarefa, e em uma das uliimas- sessoes da
acadeniia das sciencias de Pans examina-
ram-se os meios propostos pelos que ti-
nham concorrido ao certamen.
Por infeiicidade-nmguem adiantoa nada
ao ja sabido, e como muitos propozeram
meios de um cancter todo comigo, esta
dolorosa questSo foi desprezada.
Um dos cftourrentes lembrou a colloca-
gao, no' caixao mortuano, de campainhas.
electricas.
Out u prefario uma trombeta collocada
na bocca do delanto, afi n de que a sua
primeira respirag4o ao voltar isio pozesse
em eommunicacjao com os vivos, fazendo-
Ibes saber que era dos seus.
Outro, tinalmente, propoz a collocac&o
de um tubo que permittia a entrada do ar
no caixao, e de um cordel preso a uma
campaiuha para que a victima respire e
possa cbaraar.
Ao dar conta um chronista d'estas inven-
eoes, lembra ama anedocta, que comqaanto
nada tenba da scientifica, por mais que se-
ja philosophies, nij deixar4 de ser lida
com agrado.
Um conde tinba uma esposa a quem
amava com delirio. Um anno depois do
casamento ella cahio doente e morreu. Vi-
via o conde em uma casa proximo de uma
collina onde estava o cemiterio. Ao acom-
panhar o feretro trope^ou um dos homens
que conduziam o caixao, este cahio, e um
grito que sahio de dentro d'elle fez fugir
espavoridos os con luctores.
A condessa recuperou a vida era conse-
quencia da queda, e a felecidade voltou ao
lar triste e enlutado.
Passou muito tempo o doze annos depois
a resuscitada tornou a morrer.
0 viuvo affligio-se, mas nao tanto como
da primeira vez. Ao verificar-se o enterro
perguntou-lhe o mordorao :
V. Exc. teoa alguina cousa a orde-
nar-rae ?
Simrespondeu o condequero qoe
os con iuctores vao com cuidado ao subir a
collina, para que nao deixem cabir o cai-
xao.
OPERACAO DIFFICIL. Noticiam os
jornaes irancezes, quo o Sr. Lasseur, cai-
xeiro dos armazens de modas denominados
A Primavera, em Paris, teve a infeiicidade
de engolir um garfo, sendo por esse motivo
recolbido ao hospital da Piedade, para lhe
ser extrahilo.
Fizeram-se j4 tres operagoes, para uma
das qaaes foi necessario fabricar am instra-
mento de forma especial, porem nenhama
d'ellas dea resaltade
No dia 12 de abril fez-se dorrair o doente
para se praticar com mais seguranca a son-
dagem, porem o individuo acordou antes
da operacao ser ter mi nada. As operacoes
teem assistido muitos dos^medicos mais cele-
bres de Paris. 0 ultimo telegramma rece-
bido, dizia que ainda nada se podera conse-
gair, e que o estado moral do doente era
bom.
0 qoe dea caasa ao caixeiro engolir o
garfo, foi o ter apostado com algans arai-
gos, o s garganta aem se ferir, o qae j4 tinba feito
por maitas vezes. Na occasiSo era que
executava a sorte, deixou escapar dos de-
dos o cabo do garfo e este, escorregando,
cahio no estomago, com grande admiragao
das pessoas presentes.
direito natural, mas como um direito de
ong^m, o pertence sd a igreja, com exclu-
9o de todos os outras.
Ainda qaer o discurso pontificio tenba
sido muito longo, e tenha sido pronu-nciado
por oevasido de uma manifestacao nacional
praticada era honra do rei, nJo se eneontr.
n etle mnburaa allusao directa ou inhrec-
ta aquette principe.
Da perte de Pio IX-, e" oo acto lison-
gfiiro ; podo ver-se all* tamhem a confirma--
jiode uma opiniao g..Talmeate acreditadtv
ao publico. Existem eatre osoberano poo
tifice e o rei *r Italia dissidencfas politicas-
moito graves, mas nao ba aaimosidade pes-
A mesma noticia chegou esta manh
de Londres com m unica da pelo governo in
glez 4 nossa embaixada em Londres.
0 governador da Nova Caledonia, qu
eiitava fazendo ama vesita de inspecgao n-f
momento da faija, mandoa logo que cho
gou, proceder a uma severa syndican
cia.
Logo que principiaram a circu'ar os pri-f
meiros boatos 4cerca da evisJo, o ministra
da marinha encarregou um general de ir
Nova Caledonia com os poderes nocessariosj
para totnar as disposicoas que exige um!
facto tao grave.
0 conmissario do governo partiri no va-|
por-correio de 1 i do correnle.
Rocbjfort dizem que se embarcou no
dia II em Melbourne, com destiuo 4 Cali-
fornia.
GRKGIA.-
que O'con-
ITALIA.N'uma carta de Roma, le se
o seguinte :
Como e sabido, o papa recebeu no Va-
ticano uraa deputagao da nobreza roraana,
no mesmo dia em que Victor Manoel cele-
brava no Quirinal o vigesimo quinto anni-
versario do sea reinado. A mensigem foi
apresentada pelo principe de Campignano,
pertencente a familia de C.higi.
Pio IX respondea em am discurso, era
qae se nota a seguinte passagem. Depois
de ter reprovado a venda dos bens eccle-
siasticos, o santo padre disse :
0 qae a igreja reclama sobre tado, e
QfJBSTAO RSLIGIOSA NA
Dizem as foi has- estrangeiws
flicto cpue surgio entre a 1'ortae "monsenbor
Hassouii. patriarcba de Constantinople, pelo
motivo de querer & governo- ottomano to-
mar posse da- igrefo eatholica armenia, con-
tinua a aggravar se. No dia 4-do corrente
houve em Consftntinopla uraa reuniAo de
300 notawis chefes- de corpowijoes-opera-
rias armeoias, na- qual' si decidio pela re-
sistencia. A emoc*o- principioa a prc-pa-
gar-se na colonia europea.
No dia 5 o gran-vizir mandoa cbamar
oito catbolicos dos raais notaveis^. e t>r-
noa-os responsaveis pela rasister.eia da po-
pulagto, declarando-lhes qae o governo
queria a sua igreja e que estava- dectdido
a fazer-se obedecer. ComquantO fossem
ame.icados severamenter os catholkos per-
sistirara na sua resisteneia e roceta-s& que
d'isso surja algum conflicto.
UM ACTO DE MORAUDADE.-Em um
dos tribunaes de Paris acaba de ser con-
demn ado a tres mezes de prisao um indivi-
duo, por usar indevidaiaeute a fita-.da Le-
giao de Honra.
Esse homera, que era o Sr. Tabaurot,
havia sido eoodecorado em 20 de Janeiro
de 1871, por se ignorar que elle era ne-
gociante fallido nao rehabilitado, e que,
por ter a falleneia culposa, fora condemna-
do a oito annos de prisao.
Tendo chegado este facto ao conhecimen-
to da repartic.ao competente, foi lavrado
decreto dando por na!lo o que tinha confe-
rido a condecoracao, e ao desagtraciado se
intimou o texto d'aquelle documento ; inti-
mai;ao com que o home-m nao se preoccu-
poa maito e continuou usaudo o enfeite na
casa do casaca.
E* am acto de moralidade retirar as cou-
decoragoes a quem d'ellas se torna indigno
oa quando um engano as fez conceder;
um castigo severo, porem merecido e qua
deve produzir no animo do bomem ainda de
todo corrorapido raais inQuencia que outro
qaalqaer genero de puuic,ao.
MAOS INSTINCTOS.Era Montigny^sar-
Loing urn individuo havia coraprado am
cavallo de boa apparencia, porem com a
mania de se pegar a todo o instante. Met-
tido n'am carro oa dando cavallaria nin-
guem podia fazer nada d'elle- 0 dono do
bicho desesperado polo logro de que havia
sido victima e furioso contra o cavallo,
atoa uraa corda delgada porem forte 4 lin-
gua do animal, esta corda foi depois atada
a dous tirantes do apparelbo de outro ca-
vallo possaate e esperto, o qual, fustigado
forternente por um chicote, empregara gran-
de esforeo para avanjar, era quaato qae o
oatro teiraando em nao dar am passo atiroa
comsigo ao chao.
0 oatro cavallo continaando a .empregar
esforgo para avangar, resaltoo da opposigHo
das forgas, sei arrancada pela raiz a lingaa
do teimoso qaadrapede.
No lugar ergueu-se grande animosidade
contra o dono d'aquelle bello exemplar
bippico e vai ser-lbe instaurado processo
por ter maltratado t4o craelnente o animal.
Quem e capaz de praticar tamanba selva-
geria, nao esta longe de mostrar os seas
rains instinctos qaando, ainda por motivos
insignificintes, soqueira vingar de algaraa
pessoa, e n8o p6de deixar de ser considera-
do como am ente perigoso :
SALTEADORES.Por ama carta de Na-
poles iaserta na Perseveranza, se v6 qae
na Sicilia a bringandayem esta lon^e de
total extincgJo.
Ainda ba poaco foi seqaeslrado o barfio
Porcari, qae teve do pagar com bom di-
nbeiro o seu resgate.
Proximo a Palermo bouve nos fins do
mez passado um recontro entre ama parti-
da de bnadidos e uma forca de carabineiros
e infanteria, morrendo d'estes tres e ficando
feridos dous: dos bandidos morreram tres
que se bateram a cavallo.
Sao geraes as queixas contra a gente das
aldeas qae enganam a tropa, nao lhe dan-
do nanca informagoes exacta sobre o para-
deiro dos malfeitores.
As povoBQ/aes preferem padecer nos car-
a liberdade, e com]o risco de desagradar aos: ceres algans mezes, por enganar os agentes
nossos adversaries, devo repetir qae Jesas da aatoridade, a denanciar os malfeitores,
Christo disse so aos apostolos, e aos seus por saberem que a vinganga da parte d'es-
saccessores, e nao a outros : ide, 6 ins- tes 6* carta e inexoravel.
trai todas as nagds I
A FUGA DE ROCHEFORT.0 Diario
Official francez conQrma, nos segaintes ter-
lho
do primeiro,
toria.
A forma, disposigio
e eiitructura d'esta
A igreja, pois, reclama a liberdade de
ensioo, a liberdade de escolha de entre os
seus rainistros aquelles qae forem mais mos, a noticia da evasio de Rochefort e
proprios para trabalbar na vinha do Se- de raais cinco deportados da Nova Caledo-
nhor, a liberdade de escolha entre os man- nia :
cebos, para os inscrever enfre os levitas, | t 0 governo recebeu telegrammas data-
sera que n'issosejara impedidos por certas dos de Noamea era 2 de abril e de Sidney
obrigagoes do serviga militar ; e 6 este am em H, aeerca da evasao dos tres condemna-
dos naiores argumentos para demonstrar a dos 4 deportacio simples e de oatros tres
tyannia das revolacoes, tyrannia que che- condemnados 4 thportagao em um recinto
goa a fazer da carae bamana carne do fortificado, entre os qaaes figuram Rochc-
aQougue._ fort, Paschoal Grausset, Joard e Bail
Aqui 1'io IX referio a histoj-ia-de Job, liere.
que l)-us entregoo ao dempofa, com a
condigAo porem de que pouparia a saa
vida ; c depois tecruscentup :
lVi.dja.iios conlianga na b-andade de
Os telegramma; nSo transcrevem com cla-
reza os nomes dos outros doas.
Estes tres condemnados fagiram a bor-
do de um navio inglez que partio de Noa-
Dcus, que diz hoje 4 revolucio, essa fiiha mea para a Australia e chegaram a Sid-
quad ante, d4 uma perfeila ld^a do gran-ide SaUD? :Permitto-te que despojes a ney
CRISE OPEKARIA.Um aoio coaflic-
to ameaja em Inglaterra as industrial do
ferrj e do carvflo, tendo-se agora decla-
rado em cprhve os fabricautes e proprieta-
rioa- de mmas, em quanto que os opera-
rios u4o aceita in uitta redtt:gao de sala-
rios.
Em Glasgow esta questio produzio j4 a
cessagao'db trabalbo e receia-se que succe'
da outro tanto em todaa Ingla-terra, da
qae resultaria anra alta notavel nos pregos
que obteem hojir os carvoDS- e ferros, os
q.oaes nte agora se mantinbam com uma
jtendeneia para baixa.
HABINH* INGE ETA.Noiifciam os- jor-
naes- estrangeiros qne foram sancoionados
em! Londres os orgamentos da marinha. A
verba votada^e de 8,29^:000 liiris; 0*tiu-
raero actual de mariahetros; sol dados e mo-
cos- a bordo das esq')dras e nos-arsenaes
e dfe 60)000. Ciaco novas fragatasencou-
rajadas corstruir-se-bao em Chaltham,
Pemb'oke o Portsmouth; Entre etlas o In*-
ftexiixl ser4 um-inavio da novo modelo e
de primeira ordem. No proximo anno cons-
truir-se-hao tambemalguns navios- encou-
ragado> mais pequenos-.
A HESPANBAVNA EXflOSIC^O DC LON-
DRES L6-se o seguinte- na Epoca*
Vinteou viata duas-provincias de lies
panha, ou por outra, todas- as que teem al-
guma- importaaeta come producto?as da
vinbOf corresponderam as activas a plea-
siveis excita^pes-do minister?, do-fooaento^
e orgauisaram alawndantes-coWecgoes- desti-
uadas-a. proximaexposigao de Londres.
a Parece que-sereuniramj4mais.de...
6:O0 garrafas e 250 bapri*. qae comeca-
ram a ser enviadiea para aqaella capital.
t 0 Sr. iniaistro do iomento consegaio
a arapbac4o do espago destinado aos-nossos
vinhos, de mod* que estes fignratao tao
bonrosameote.como mereeem, no proximo-
csrtamen do Londres.
folha. 0 artigo era -do Mr. Naphtaly, e
produzio tao' gran le effdito, qae, tira las
maitas edicdes do San, nio podoram todas
ellas satisfazer a curiosidade publica, e mui-
tos aamaros so venderam pelo preco incrivel
de i dollars e mais.
Depois di to dirigiram-se Mrs. de Young
ao escriptorio do Sun, arraados com o seu
tradicional rewolver. Mr. Naphtaly esta-
va aiisenle, mas o seu associado Mr Fitzge-
rald, solfreu o primeiro ehoqae. oi Ful-
trajantemente at8cado, e os rewolvers j4 se
tinham disparado, qaandj elle couseguio
fugir.
Entao Mrs. do Young apresentaram um
manJado decaptura, que bavam solicitado,
e obtrdo de am joizaao s6 contra Mrs. Nj-
phtaly e Fitzgeralf mas tambom, to qae
torna ainda mais comico este negocia, con-
tra os proprios typography que tinham
compasto o artigo difematorio contra o*
distribuidorea que tinham- levado o nuraero
do ^u(-qu4 o continha, e raesnw contra
todos quautos- so pod.>ssein encontrar n s
escripforios daquelle jornal.
Achava-se am eerto najiero de passoas
nos escriptorios quando chegara-n Mrs. de
Young, e todas tiveram de ser condurfdas
perante o ja'Z' da policia.
Naphtaly e Fitzgerald foram postos em
liberdade com Gauge; 0 primeiro sahio
do'tribunal, aeoaipanbado' de usa ofiT;it
de-policia para irbuscar a somraa necessa-
riav- mas foi encontrado- nessa oceasiao p >r
Gusuvo Young; o qaalr tirando da algibei-
ra ura rewvalver, o disparou coutra elle, 0
edaetor do Sun desatou* a correr quanto
Maude; foi perseguido, porem, pelo seu ag-
gressor, fazendo este fogo contra elle, atd
) lancar por terra, s6'entao pou le sercon--
lazido 4 prisao.
Os seus dous irmSos e q foram buscar
a importnncia dafianca ; um-destes tambein
rmado commra revolver fez-.fogo sem--ces-
ar, e com diflicul lade consegairam agar-
fal-o, assim como Gustavo,, e sea irmao
i Carlos, aoqaal se eneoatroa igoalmente uma
pistola casregadi. Afinal entraram na ea-
deia todos- os cineo adversaries; r
pu-
qu
ESPOMANE1DADE DO;.Si;.FFRA&10 PO-
PULAJJ.0 'Bhnes, pablicoa sob-o titato-
de Election -expenses, uma reseaha do quan-
to. custaram as-eleigoes aos candidatos que
sapropuzeram por Belloa.
Os Srs. Hick e Gray ^conservadores) des-
Sauderarn mil e qitatro libras, tveze scheiA
ngs e U'e& pence:, os.Srs. I. 4% Cross e
kjiowies (liberaes) noveeextos trinta. e noye
libras e dezenovc schillings. Ns-conserva-
dores pagarara mais 383. libras- e 5,schil-
lings e os liberaes 37.JJ. libras e fattischelliags
para os agentes de votos para tomes e ba-
bes e para carruageus.
Na eleigao da City em Edimburgo, o Sr.
M, I. a real's poz f6ta.do bolso oitocenlas q^ia-
renta esele libras.;. o Sr. Miller's, mil. du-
zenta&e cincoenta e-cinco Itbraseuns po-
sinhos; o Sr. Cown's mil trezentas elrin-
la e uma libras. e uns mendos.; finalmen-
tc, o Sr. Macdoiwld's, 7nil selecentas e cin-
coenta libras,, dez scliellings e onzs e meio
pence.
A esta ultima addigSo achamos graga pela
oxactidao com que vem meacionado o meio.
peany.
O PRETENDENTE TICUAORNE.^Nos
dias 9 e 10 de abril foram j,utgados ao tri-
bunal central criminal a capitao Brown, e
Joao Line, t-stemunhas do defeza do pre-
tendente Tichborne, accusados de perjurio.
Joio Line, no jialgameato do pretendente
Tichborne declarou : que tinba sido despen-
seiro de am navio chamado Osprey, e que
no dia 24 de abril de 185i tinha salvado no-
va pessoas do navio Bella, que uaufragou
na costa do Brasil ; que entre os naufragos
ia Tichborne, o qual foi recolbido a bordo
do Osprey, e conduzido a Melbourne, sendo
o mesmo que estava pres- nte no tribunal
Queen's Bench. Provou-se que essa teste-
manha nao se chamava Joao Line, mas
sim Joao Landgren, que nao era dinamar-
qnez, como elle dizia, mas sueco, e que no
tempo em que affirmou que estava no Bra-
sil, e a bordo do Osprey, andava embarca-
do em oatros navios o a'ootros lagares ;
descobrio-se qae estava carapriudo seaten-
da n'uma prisao, e qae ainda nao havia
terrainado o tempo da pena, mas qne obti-
vera licenga para sahir, e qae era bigamo.
N5o constava dos registos, nem havia no-
ticia de navio algam denominado Osprey,
que tivesse estado nos portos indioados pela
testemunha.
0 capitio Brown depoz como testemu-
nha no processo Tichborne, affirmando :
qae tinba conhecido Rogero Tichborne no
Brasil, e qae o vio erabarcar no Rio de Ja-
neiro a bordo do Bella em 20 de abril de
1854, eqae o reo em julgamento no tribu-
nal Queen's Bench era o mesmo Rogero Ti-
chborne, qae elle conheceo. Provou-se qae
esta testemunha na epocha em que dizia
que seacbava, no Brasil estava em outros
lugares.
0 jury respondea que os dous accusados
eram criminosos.
A accusagao de bigamia contra Joao
Lundgren foi aban ion a da.
Joao Line ou Joao Lundgren foi condem-
nado a um dia de prisao e a sete annos de
trabalbos forgados, o capitao Brown foi
condemnado a cinco annos de trabalbos for-
gados.
OQUEE' OJORNALISMOAMERICAN
A cidade do S. Francisco esteve ultima men-
te na maior commogio durante alguns em-
pos, em consequent dos factos escandalo-
sos que alii succederam.
U jornal inlitulad) a Chronica publicou
um ailigo minto vi'dento contra o- directo-
res proprietaries do Sim, e especialmente
contri um d lies, Mr. Naphtaly. Nesse
mesmo dia, o Sun, que se publica de tarde,
respondia 4 Chronica ainda com muito
m ior violencia, levada ao .\tremo deata-
car em termos grosseiros, a n4i e"as irmSs
de M. Mr. YQUng, directorrs desta ultiiga
sul, on'Jo cbafaraa 14, M
Dalli o coroool dingio se para o
dos turcmanos Eoull chares, onJe qi
todas as habitafaa*.
Os youmolos, os soWndoarej
onergia dos russos, padiraai perdio, s 4i-
cilaram que Ihes poupassoia m Cldaiiaa, fa-
i?ando ao mesmo tempo uma parte 4a in
demnisagio de guerra qoe o general Kauf-
man Ibes tm'iii ioipostos Os imraly tm-
bem fizeram a sua submissio, e 0 cororel
transporsau-sn a Yiaut Porason. onde, im>
tempo de Pedro, o Grande, o principe B*-
koiTilch-Tcherkassky pereceu, traioaeiri-
meot.: ass issinado com as tropas qae coci-
mandava.
O coronel Iwanow fez bonrar a tl
daq.ieiles bravos por meio de uma Iripti -
salva, e transportoa-se na dnvcgaf do li-
go Tcbagat, e d'alti para Krptcbak, eouo
no Amou eoroecava o deg-lo. o rro padia
atravessar a 24- tie Janeiro. O apa-irecrmen o
prompto das fropas russas, espaHi > ale~-
ror entre os turcmauos ; pozeran> puis Ota
liberdade os krghizes da tribu Daore karav
de qne acaba vamde se apoderar, assim oa>
oatros prisioneiros. 0 bey de kiptcbil,
euj.i attitude s t mostrou panco leal, foi 4a-
mittido pelo khan, a pediao do corond
Iwanow. Os turcmanos, e os ouglek*, to-
rnados pelos russos, fora a eutreguea an
kban para os fazerem punir 4
E' esta a bistoria das ultimas- expedioees
moscowitas naquellaaparageiis.
CHRONIflACONJBGAL. S> Patrie
bbca os seguintes dados es-aftasticos,
sio muito curios-as :
jj Oanno- de 187C nat foi av4o para e
^amentosjapezar da-guerra,- da comrnu-
.ttta -e de todos os desastres, que acompanba-
J m e seguimm ; maa4arabem bouve mui*
indisposi^oes de familia, Segando o re-
torio apcesentado pelo guaria sellos ao
esidente da republiaa, os tribunaes tivo-
am que se- occapar de 1:711 pedidos de
[:eparagao, sendo destes ItiOOf de horaens-j
! |ue tinham. filhos.
Quatorzo destes pedidos fotam motiva-'
os pela coadeainagao de um das dous es-i
sos a araa pena iatamente ^64'por a-1
ulterio da inalhero qae nao e poaco I I
: 8 pelo do roari Joos raaridos-sao serapre
nais babe is, sen4o raais fieis^ e todos- os
( utros por sevieias einjurias graves.
a I)aquelles 1:714: processos de sep&ra-
4o, 1:1.71 fora.n admittidos,. 1*U rejsita-
> os, e os demais foram retimdos. em son.
dos esnasos se tarem recoaci-
mmujuqm do pre'Iochtk *.
A revisao da constitui<;ao federal, rejeitt-
dn pelos cidadaos helveticos a 12 de maio
de 1872, por insiguiGcante maioria, mim
obatoa a qae oconselho national, flerto aV-
poia dessa data, se dedicasse a discubr ot
tra reft>rma,.qne tem de ser submettida ao
ptebiscito do dia 19 de abril d'este anno.
r. Julgamos- inU-rersante a prodamafao 4a
p-esidente da confederagio ao povo sotwc,
dando conta d'este facto. Eil a i
a Fieis e c.rosconfedoradoa.0 primeira
s iqueacia
1 ado.
Quanto a durac4o do casamento entre.
Os queixosos, varia elle de apenas algans
rpezes,. a mais de meio.seculo I Tomare-
os os extremos:;em 11 casos, o casamento
orou. menos de um anno ; em i> casos,
ais de cincoenta annos. Qual teri.sido a
avidade do motivo quelevon os esposos,
i setenta aanos de idada pelo meuos, a se -
pbrarem-se depois.de terem vivido. mais d&
njieio seculo ^pntos T
I Em 18^, os espiritos parociam raais
t ianq,uillos, ou os caracteres e os. costumes
ssmostraram mais brandes. De 372:568
a anilias q^e existiam em Paris naquelle an-
r o, o tribunal recebeu apenas- 482 pedidos
c e sepasacao, quando no anno anterior ti-
tba havido, como indicamos, t:71t I Ha
pois, uma diflfeenca de \:ii9. a favor de
I JT2\ Se cootinuarmos nesta proporg4o,
c legaremos a nao ter uenjaum. pedido da-
(juuLia naturoza.
Accrescentaremos que em 1871 linba
havido unicamente 12:928 casamentos, mas
eiu 1872o numero etevou-se a 21:373.
A idade dos maridos varia tanto como
e darac,ao dos casamentos. No noraero das
fi milias ex stentes. em 1872, contara-se
d ms adolescentes; havia dezesete com de-
z tito annos Estes tiveram bastaate pres>
s Tambem se contavam dous cenlena-
r os, o que prova que ^a vida conjugal e
a ;radavel em todas as idades.
EIS AOLT UM PROGRESSO.Era Utre-
c it acaba de se fundar uma nova instituigio
n uito util. E' uma cozinha economica
pira osoperarios viovos, e para os caixei-
n s solteiros ou outros empregados em cir-
c imstancias identicas. 0 edificio ter4 vinte
e um compartimentos, que serao alugados
ni razao de 1,25 florins por semana. A'
n)ite o pensionista ter4 4 sua disposicao
u na sala commum.
E' PARA IMITAR.A sociedade dos o
p irarios de Groniugae acaba de pablicar
o prospecto para am emprestimo de 40,000
fl arins a 5 0/0 araortisavel em cincoenta an-
n>s, oqnal servir4 paraseconstrniremuraas
c ncoenta casas para operarios. Devem es-
te s ser primeiramente alagadas, e depois
v ndidas aos proprios operarios. A cons-
ti axgao deve ser coaveniente e o seu custo
o mmodo.

RUSSIA.No Invalido Russo encon-
trhm-se pormenares a respeito da expedigao
d i coronel Iwanow, chefe militar da pro-
vi acia d'Amou Daria, contra os turcmanos,
0! quaes aproveitan'o-se do inverno, se
ti ibam levantado em massa para saquear o
te -ritorio russo, e o do Khan de Khiva.
P oximo do brago de Amou chamado Lan-
d. n, ate kiptrchak, reuniram-se seis mil
tt rcmanos a pi e a cavallo : outro bando de
m 1 boraens havia atravessado o gelo, o
A nou, proximo de Kiptcbak para se dirigir
ac territ .rio dos kirghvizes Daoo Kara.
0 coronel Iwaaow, 4 frente de ura desta-
cajmento pouco con side ravel, passou sobre o
gtlo, na margera esquerda do Amou, infor-
m indo por uraa carta o Kbasn qae devia
in pedir os Ouzbeks que fizessem causa com
m ira com os tarcmanos. Estes ultimos ti-
nt am como chefe a Kazy-Moarad, da triba
di Kara Dial a. Quando as tropas rassas
se aproximavam dos habiiautes daqaelle si-
tu, encont-araui aas lesertas. 0 coronel
rt sso levoo o sea reconhocimenlo ate aos
m rates de Konba-Tan ; raas os tarcmanos
tit ham inundado o paiz, cartanlo osdi
qi es dos canaes, e os rassos tiveram de se
re irarpara a cidade do Mongyt, sitaada fcOifvpTDO DURlOr^W
projecto de revisao da constituigao feeeriJ
foi re^ritado a 12 de maio de 1872 por umi
pequena maioria do povo helvetico, e por
treze cautoas contra nove.
Os-ooDselhos da confedarafio nccuparaai-
se de resolver comocurapria iiiterpretarem
decisno sober ana-
Entendia o povo helvetico dever rejei-
lar em principio qaalqu w reforma di neaea
lei fundamental, ou quiz stmplesmente siaj-
nificar que as autoridades legislatives se en-
ganarara aeerca dos votos da populagao ou
os excederam ?
O renovamento integral do conselbo na-
cional no fim do mesmo anno respondea a
este quest to.
Apezar do resultadc de li de maio, o
povo honrou outra vez com a sua coiifianca
os homens que nos doue campos peiejarao:
nas priraeiras fileiras.
. Era forooso conclair que o povo nac
era de todo o ponto advtrso a quaiqner re-
visao constiUicional; mas que o projecto nac
o havia satiafeito.
A assemblea federal nao besitou em at
triauir esta significa^to 4s eleic.oas de ou
tubro de 1072 ; por isso, a 20 e 21 de 4e-
zembro decidio ella, por maioria, quasi
equivalence 4 unanitnidade, convidar o con*
selbo federal a apresentar-Iho de novo am
relatorio e propostas sabre a revisao da
constiti-.jgio federal.
Nos debates que se segairam, tio pro-
fundos quanto cons:ienciosoa,. os coaaelbo-
legislatives da confederacac. convenceram-sa
de que o unicu.meio de aUiogir um resulu
do satisfactory era entrar na via da conn
cilia^ao, inspirar-se de aim sentiraeitto da
coLi'raternidade federal.
c Mo podia escapar a qualquor obaeiva-
dc< imparcial que o povo helvetico.divide-se
em dous partidos, q .:.-.. castes partidos teem a peito o bem do paiz .
e que, sotido iguaes, ou quasi iguaes teemjos
a ser do mesmo raodo attendidos.
Teudes agora 4 vista, charos cfieis con-
federados, o resultado das deliberagoes, e
sois chamados a decidir soberauaineute, a
19 de abril, se quereis adoptar a nova cons-
tituicao federal em lugar da qua ainda vigo?
r, sob a egide da qual a Suissa ha sido ie"
liz e considerada durante a a periodo da
25 annos ; mas qae deixou, todavia, desor-
responder 4s necessidades actaaes.
Esses 25 annos fizerain envelbeccr mai-
tas cousas, porque contam por mais de um
secalo na historia do progresso.
Nao e nossa intengio entrar cm miiu -
cioso exame do projecto que vos e sabmet-
tido ; devemos lunitar-nos a tornar salient*
alguns pontos proprios para caracterisar oa
principios que guiaram os conselhos da ua-
gao ou assas importantes recer attengao especial.
A nossa organisacdo militar reclama
reforma essencial, se se quer que a Suissa
esteja habilitada a defender a sua liberdade,
a sua independencia e repellir victoriosa-
mente qaalqaer pretencAo injusti ou offen-
sive.
tcNeste particular a necessidade de uma re-
forma e incontes'avel ; e de ba maito reco-
nhecida, nao so pelos homens mais compe-
tentes, como pelas n assas jovens e corajosas
milicias.
Sem perder de vista o fim a attingir,
assira como as condicdes essenciaes de uma
boa o:ganisac4o militar, o projecto actual,
attendendo 4s susceptibiliJades caotouaea,
afasta a idea de uma centralisacio absoluta e
deixa aos cantdes certa ingerencia na aduai
nistragao militar.
As difficuldades foram maiores na
questao do dtreito. 0 projecto de 1872
fandava-se no principio da unificacio com-
plete do direito.
Muitos cidadaos acar ciavam a idea de
qae n4o devia haver na Saissa seueo um s4
direito, assim como um so erercito.
Essa idea o4o achoa echo em conside-
ra vel porg4o da populaga i
N ) intuito de verefica. uma aprotima-
g4o, conveio-se era n8o attribuir 4 cor4e4e->
racio outro direito qoe Bio foace o 4* la>
gislar sobre os interesses que dizem dt-
rectamente respeito as relacoes comroirwaai,
e que vistas as novas necessMaies, n*o pe-
dem ser abandonados, sem grave prej nao
para todos, ao livre arbitrio de ftf| ran-,
tao.
'Co>i'-.n\-ar-sc-l, VVQVl: UE UXiaJ





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERRU1TXIR_E1O1GG INGEST_TIME 2014-05-28T17:03:19Z PACKAGE AA00011611_18184
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES