Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18183


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO L. NlMEfiO 105
.mi

- 001
rl
a;
V
PARA A CAPITAL E 1.1 (.AltIvS OM1K .VlO SB PACtA PORTE.
Por tres mews adiantados. v ,............ 69000
Por seis ditos idem. .'................ 129000
Por at* anno idem................... S4&000
<*da nuuaero btuIso .......*.......... 9320

SABBADO 9 DE MA10 DE 1874
PARA DE.HTBO E FOR A DA PROVINCE*..
Por tres mezes adiantados................
Por sets ditos idem................
Por nove ditos idem .... .......
Por am anno idem................
1
it ..
PB0PRIE0ADE DE HANOEL FICUEIRGA DE FARIA & FILH0S.
10*
-------
------------
..... 'j
Sri. Gerardo Antonio Alvead Mhos, no Para; Gon$alves d Pinto, no Maranhio ;
Pereira d'Almeida, em Mamauguape ; Carlos Auxencio Monteiro da F
Joaquim Jose de Oliveira d Filho, no Cearl; Antonio de Letm* Braga, no Aracatj ; Jolo Ms/ia Jaiio Chares, no Assn; Antonio Marques da SiWa, no JSatal; Jose Jt
ranca, aa Parahjba ; Antonio Jose* Gomes, ha Villa da Penh*; Be'armino dos Santos fiulclo, em Santo Antio ; Domingos Jose da Costa Braga, em Haurath t
Antonio Ferreira,de Aguiar, em Goyanna; JoJo Antonio Machaeo, no Pilar dAAlagda ; Altea d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro.
PASTE OFFICIAL. MSSeS
Govcrao (In provtmeim.
kxpkdieni :; DO DIA 3 DK FKVKREMO DK 187V.
/.' secQuo.
Acto :
O presidente da provincia, tendo em vista o
termo de examo annexo por ertifa ao offlcio do
inspector do arsiml de marinha, datadn de 3 do
.orrcule, sob n. *i2, do ifutkl consia haver Jose
do Souza Reis prestado exame, na couformidade
do art. 3. do regulamento ana baixon com o de-
creto n. 1.3M, de. "> de fevereiro de 18ii, e sido
approvado pleniment-, para servir de 3.* marhi-
uista de barcas a vapor, deiennina que pela se-
cretaria da presi lencia se de ao examinado a
oompetente earta de lial)i itacao, confonoe o dis-
posto no art. o' :l>*iiistruce5e.* mandadanb*ervar
pelo decreto n. 2,000, de 2 de juuho de 186'J.
Offlclos :
Ao inspector do ar.-enal de marinha. -Tendo
nesta data, a vista do lento de exame annexo
[or copla ao seii offl :fci de 3 do :orrente, sob n.
824, do qoal con*ta tor Jose de Sana Reis sido
approvado plenameute para 3. machinist! da3
barcas a vapor, d. Serminado que se Ihe passe car-
ta do habilitacao ; a-.-im o communico a V. S.
para sea conuecinento e em resposti ao citado
cfficio.
Ao presideo'.e do conselho de compras do
arsenal de guerre.Rostiiuiido a V. Exc. as pro-
postas qne vieram annexa* ao seu olllcio do o do
corrente, acceitis pelo eensslho de compras do
arsenal de guerra em sesscies de 26 e 28 de de-
zembro nltinto?, para fornecimento de varios ar
tigos ; aotoriso o me* no conselho a etTectuar, de
cooformidade mm as d^tas propostas, os respecti-
vos eontraetos
Ao director do arsenal de guerra. Fica V.
S. aulorisado, eomq solicita em seu offlcio de 3 do
conente, sob n. 372, a coroprar 1,000 tijolo* de
aiveoaria batida, para serem empregados no ladri-
llio, taoto da entrada da companhia de aprendizes
artifiues, com- > da aala de primeiras iettras, o qnal
precisa ser substituido em grande pane ; polendo
ser esse servico Incantbido aos- operarks desse ar-
senal.
2.' seccao.
Actos :
0 president da provincia, aitoudendo ao
(jiie reqoereu Lydb Mariano de Albuqmrque,
r- solve conceder-!he a exoneranao que pede do
cargo de adjunto do prom-itor public < da comarca
de Goianoa, no lermo desse mesino uome.
0 president'! da provincii, aitendetfdo aoque
requerea o capitao da 3." coinpanhia do batalhao
n. 17 de infantirii da gaarda nacional do munici-
pio de Pao d'Alho, Aneonio da Costa Pereira, e a
vista do que mformou o respeclivo commandaDte
superior em olHcio de 30 do mez proximo passa-
j.-i resolve, de cooformidade com q aisposto no
srf. oo aa lei n. tlii, de 1V> de setembro do 130,
. >rma-lo no mesniu posto.
0 presidenle da provincii, aitendendo ao que
: jjerea o bacharel Luii da Silva Gusmao, juiz
municipal e de orphios do urmo do Buique, re-
s Ive concede! I he it) Jias de lieenca, com venci-
(uentos, na forma da lei, pra iratar de sua saiide
oade Ihe convier.
OIBcios :
Ao Dr. cliele d* policia. Com.O parecer junlo
pur copia, da eenUdoria da tbesouraria provin-
cial, respondo ao oflicio de V. S., n. 615, de 16 do
ii.ez proximo passa>io ; devecdo o adminUtrador
di casa de delem;au -a'isfazer o que exige a mes-
ma thesouraria uira poder tor lugar o forneci-
mento do livro qne ,wde.
Ao coalman l.nte do corpo de pntfeia De-
signe Vmc. o conselho qne tem de julgar a praca
do corpo sob o seu com m\p lo, Manuel Joao r'r >u-
cisco dos Santos, de -me trata o seti oflicio n. 72:3,
de29 de dezembro uroximo passado.
').-" sccnto.
(^lllcios :
Ao inspector leudo concedid.. at director do arsenal de guerra
a auforisacao que -...liciiou em oOl^io de 3 do cor-
rente, sob n. wl% para comprar -I,'00 lijulos de
alvenaria batida, .'in de serem empregados no
ladriHto da enirada da companhia dos educandos
t la re?pectiv. aula, o qual precisa ser substitui-
dp em grande pane, sendo esse servico feiu
pelos operario^ do mesno arsenal ; assim u jo/n
niunico a V. S. para seu couhecimento e di-
recgao.
Ao mesm j. Te do deferido o requerimento
de Silvestre lloJrigues Pinto, no qual recorre para
esta presidencia do acto do collector do Rio For-
moso, qne o multoa por nao ter averbado em
tempo seas escravos, Luiz, Francisca, L.uiza, Bene-
dicta, Amaru e Paula, transmilto a V. 3. para os
devidos fins a sua peticao e mais papeis aunexos.
Ao mesmo.Cmimuoico a V. S. que a 3 do
rrente assuinio o ;uiz substiluto da I.' vara ci-
vel de3ta capital, bacharel Jo=o Hygiuo Duarte Pe-
reira, o.exercieiij pafcial da dita vara no impedi-
mento do Dr. juiz de direito respeclivo.
Ao raesnic i'mdo nesta data autorisalo o
conselho de compras do arseoal de guerra a con
iractar, de eonfonniJade com is propostas recebi-
das era sessoes de .6 e 28 de dezembro, de cujos
actos remello cupia, j fornecimento de varios arti-
aos para snppriment) do respeclivo almoxarifa
do; assim o communico a V. S. para os fins coo-
venieotei.
Ao mesm -. I'ara salisfazer ao aviso do ini-
i:-.-terio do imperio, de i'* de setembro ultimo,
cumpre que V. S. : metta com a maior brevilade
ura quadro demonstrativo das ren las provinciaes |>
dos municipios de PIrolina, Boa-Vista, Ouricury,
Salgueiro, Cabrobo e i.\u durante o aano proxi-
mo passado, discriminaudo as ren-la* de cada urn
desses municipios. Mutatis mutandis ao inspe-
ctor da thesouraria provincial.
Ao inspect' r da thesouraria provincial.
Commnnico a Vino, que, tend) em vista a sua in-
formacSo de lC de Janeiro iindo, sob n. 30, ccuce-
oi por despacho de 3 do corrente a permissao jo-
'.tada pela mesa regedora da ordem terceira do
'.armo deita cidade. para despender com as obras
.t > respectivo hospital ate a importancia do beneQ-
cio da 10.* parte di lotena n 78 extrahida em 10
de dezembro ultimo a favor de taes obras, e rece-
bel-o depois que presar as contas das despezas
^iue flzer.
Ao mesnij -Djclaro a Vmc. que, tendo era
vi-ta a informa;-l j de.-sa thesouraria, de 24 de se-
tembro do anno passado, sob d. i!7, concedi por
despacho do !.' de dezembro ultimo a autorisa-
iio pedida pelo !lvd. Jose Luiz de Queiroz Barros,
vigario coilailo da Ireguezia de Santo An'onio, do
Cabo, para d-.-:i- nler ;i m ciwta, tita a ohra da
:.atrizda ir: :;.. frjuii, al a i nportancia do
beneflcio deposiiad-i ne*sa reprirtieao, provcnienle
da 1.* part' Ua loteria derretada para aqueila
obra, e recebei-o depujs que prestT as contas das
despezas que tlzer.
Ao mesmo.Tendo nesta. dalaprorogado por
mats seis mezes o praso quo fdra concedido ao
contractante da fabrica de liacaj e tecidoa, Anto-
nio Valentim da Silva Barroca ; assim o commu-
nico ar Vmc. para sen conhecimeuto e fins conve-
nientes.
4' secyw. i
Actos :
0 presidente da provincia, aitendendo ao que do em considerar a consolidacao do setenado,
reqoereu Francisco Silverio de Farias Junior, pro-' cono uma violaQlo da lei de 19 de n'overabro que
fessor pnblico de Santo Amaro de Serinhaera, o prorugon os poderes do marechal Mac-Mahon.
ultimamea".e removilo para a cadeira da cidade I As relacoes diplomalicas entre a Franca e a
conceder-lhe tres meses de
de Janeiro ultimo, com von-
cimentos na forma da lei, para tratar d; sua saii-
de undo Hi- 'onvicr-
D presiiente da provincia resolve cunceder
tres mezes de licenca, sem veneiiuentos, ao pro-
ii'NMii' de Nossa Senhora da Gloria do Goita, Joao
ins* Rodrigues.
OfH :i.: :
Ao prove lor da Santa Ca*a de Misericordia.
-Para ter cuminmento o aviso do ministerio da
fazenda, de 30 de dezombro ultimo, e segundo re-
quisitou o Dr. inspector da saiide publica, faz-se
precise que Vmc. informe com urgencia : 1.
Qual o nu nero de ialividuos exlstentes em caia
inn dos estatielecimentos dessa Santa Casa; 2
Quaalas mudas recebem annualinente e qual a
rptalidade das fazeadas ; 1.* Q te quantidade de
roapa tem sido feita em cada urn dos tres ul'imos
aanns.
5.* secqiio.
Acto :
0 presidente da provincia, attendeado as ra-
zo 's que a iresentou o c-iatraclante da fundacAo de
tabnoas Je fiaoa> e tecidos desta cidade, Antonio
Valentim da Silva Baflroca, resolve prorogar por
mais seis mexei o praso de dons annos concedido
a i iiwamo contractante para funceionar a primeira
fabrica.
OIBcios :
. Ao adinintstrador dos eorreios. ^ao tendo
ate hoje essa repjrtujio dado cura;iriraenlo ao que
recomrhenlei em offlcio -de 8 de novembro do an-
no find>, de novo re-: imraendo a Vmc. qne com
urgencia preste os dalos precisos e que estiverem
ao seu alMRcSj alinde qun esta presidencia possa
confecciorar o relatorio que tem de ser apresen-
tado a assemble! legislativa provincial em sua pro*
xima Sessao.
Ao mesmo. A' visi* do que Vmc. expoz em
offlcio de i-do corrente, sob n. 61, acerca da re-
messa dos medicamentos homoepathlcos ao dele-
gado htterario de Cruangy, autoriso Vmc. a raan-
dar leyar essas medicaraenios ao sen destino por
urn pede-tre extraonltnario.
KXPKOIg.NTK DO SF.i:ilST.\BtO.
l.' sic^ao.
Offlcio :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas Tendo o Exm. Sr. presidente da provincia
por despacho desta data concedido ao recruta 3e-
ferin > Velloso da Silya 10 dias de praso para pro-
var isenc.ao legal; assim o communico a V. Exc.
para sea. conhecimento.
2." secqaa.
OIBcios :
A? cunmanJaote superior de Pao d'Alho.0
Exm. 5r. presidenle da provincia manda declarar
a V. S., para os devldos fln, qae por poftaria de
hojefoi'reformado no mesm? posto o capitao An-
tonio da Costa Pereira, iln quern trata o son offlcio
de 30 do mez proximo passado.
ao oacnarei jose nygmo uum x ru.ciro, juii
substituto da varacivel. -OExm. Sr. presidenle
da provincia manda accusar o recebimento do offl-
cio de V. S., de 3 do corrente, em que partieipa ter
assumi 11 o exercicio parcial do cargo do juiz de
direito da 1' vara civel no impedimento do ef-
fectivo.
4.' secgao.
Offlcio :
Ao admini ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
remetto a V. S. urn exemplar irapresso do regu-
lamento de 17 de dezembro ultimo, sobre o ser-
vico mortuario e de carros funebres, conlractado
pela Santa Casa de Misericordia com Agra A C.
5.' seccao.
Offlcio :
A' commissai censitari* da freguezia de S.
Jose de Ingazeira.0 Exm. Sr. presidente da pro
vincia maaJa e mimuniear a Vv. Ss. quo nosia
data expedio ordem a thesouraria de fazenda no
sentido de pagar a ca la urn dos agentes recensea-
dores dessa freguezia, que nio renunciaram a gra-
tificacao pecuniaria pelo seu trabal' de 23*000.
com
para
ksparhos da fbesiokncia, do dia 7 de haio
ok 1874.
Augusto Marcal Vaz Gerquenho. -Deferido
offlcio desta data a thesouraria de fazenda,
pagar .10 supplicaute a quaniia de 100i.
Andre Alves Gama. -Informe 0 Sr. engenheiro
chefe da reparticao das obras publicas.
Antonio Caldas da Silva.-Informe 0 Sr. inspec-
tor da tnesourana de fazenda.
Antonio Caldas da Silva.Certilique.
Antonio Francisco Gaiio.Informe 0 Sr. com-
mandante do corpo de policia.
Amador de Barros Cavalcante Lins. -Sim, na
foraia da lei.
Francisco Ignacio de Moura Gondim.Informe
0 Sr. Dr. chefe de p.iiicia.
Francisco Luiz Wanderley. -Jnnte o supplican-
ts 0 certificado de recebimento da obra.
Francisco de Paula Barreto. Informe 0 Sr. di-
rector do arsenal de guerra.
Joaquina Maria da dneeicio. Sim, pagando a
supplicante a despeza de sui passagem.
Manoel Martins Pires. Deferido com offlcio des-
ta data a thesouraria de fazenda.
^j-^
DURlUUEPERtfiMBUOU
RECIFE. 9 DE MAIO DE 1874.
\olicia.** daa Uuropn.
Hontem amanheceu em n,.s-o porto 0 vapor
fraocez Ecymanthe, trazeudo datas de Lisboa ate
23 de abrii. .
Dos jornaes ecartas colhemos 0 quese segue :
FHAXCA.
Parece facto dejeedido que na reabertura da as-
seiublea nacidaal'o presidente Mac-Mahon Ihe di-
rigira uma mensagem, em que 0 setenado sera
t-rmin.inu-uieiiti afflnnado, como um poder pro-
prio e indepeudenle, excluido de qualquer outro..
Espera-se que em consequents desta mensagem
os partidos desejem consolidar-se, e urupar-se de-
cisivamente, sem e^ierar por uma nova ioiciativa
do governo.
0 facto da evasao de Rochefort que tinha
sido posto em duvida, e m smo negad > peloi jor-
naes offlciosos de Paris, foi confirmado oor aviso
do governo iaglez.
0 duque de Broglie ja deu parte deste aconteci-
mento a commissaode permanencia.
0 duque de Broglie deu explicacao a commis-
sao permanenle, sobre 0 decreto, ponuo em estado
de silio a communa de Alger ; mis as explicacdes
lnniiain se a conGrmar que 0 jrivemalor julgou
que diMfia recorrer jbjiplicacaodii regimen excep-
einnal porq-ie ha> ^-'tv.i poder obter por um
processo regular peranle 0 jury a codemnacA
dos jcrnaes .ostis a administracao.
0 iniuistro guarJasellos dirigio uma circular
aos procuradores geraes, intimando-os a assigna-
larem ao governo os jornaes que discutissem 0
setenado.'
0* jornaes legittmistas nao se mostrara-n intirai-
dados pelas prescripgdes da circular.
A Union responae que detende 0 direito, e jue
esta na legalidado, que nao e ainda do aprazimen-
to do governo, e que tod* a direita esta de accor-
repu'ulica raexicana, vao ser hem depressa resta-
belecidas. 0 ministro do cotnmercio da Franca
declarou a camara commercial do Havre, que 0
ministro da Franca nos Estados Unidos cecebera
instruccoes e poderes necesrarios para reaUr as
relacoes offlciaes com 0 noverno do Mexico. Disse
mais que iulgava.taiub.au proxiuu-***>uaUis*ode
uma convencao postal entre a Franca e os Estados
Unidos.
U n artigo do tralado de Francfort estipula
expressamente que os governor da Franca e da
Allemaoha se entendera > para fazerem cessar os
ioconvenientes que resultant da jurisdigao di.ee-
sana do arcebispo de B*saneon e lo bis1"1 de Nan-
cy, sebre as partes de sua* dioceses reuuiJas a
Allemaoha.
Ultimamente uma pastoral do bispo de Nancy,
3ae os euros dos territorioa alsacianos da sua
iocese leram do pulpito, e qne ontinhi con-iJe
racoas que 0 governo allemao considerou, wrao
injeitas a applicacao das leis penaes.
Diversos jornaes francezes iudicaram que a
Santa Se a quem esta questao havia sido submet-
tida se recusava quilqner concessao. A 5a-
zeta de Spener, porera. afflrma que a Santa Se tinha
informado ao gjverno francez de que se nao oppu-
nha a uraa nova delimitacao das dioceses da iron
teira, mas que sobre este assumpto esperava res-
postss definitivas, que examiaaria com. Imparcia-
lidade.
Accrescenta-se mais que 0 governo francez se
oecupa de um projecto ue uemarcaQao, que sera
proximamente eaviado a Roma, h que s? preve
uma solueio facil Afflanca 0 lBesm.0 jorn.il que
tolas as ver5es em cootrario nao teem 0 manor
lundamento.
Corria 0 boato de que 0 con le de Chambord
in.1 a Franca no come.-., do mez corrente, em
quanto durar a deliberagl) da assemblea sobre 0
questao monarcaica.
RUSSIA.
Assegura-se que a chegada do imperador da
Russia a Berlin) esta Qxada para 3 de maio. 0 mi-
perador Alexandre sera acompanhado pelos gran-
duques Alexis e Constantino e pelo chaaceller,
principe D. Gortschakoff. '
Foi assignado em S. Petersburgo no de abril,
pelo principe de Gortschakoff, e pelos plenipoten-
ciarios do governo francez general Leflo e conde
de Bourgoioirumlratado de cotnmercio e navega-
00; uma convencao consular e uma coavencio
para regularisar as successoes.
Estes. trata dos e convenc^es tornavam-se urgen-
tes para regolarisar as relacoes internaciooaes
entre a Franca e a Hussia, e estabelecer os di-
reitos dos snbditos d'uma nacao no territorio da
Russia.
ALLKMAXHA.
Na Allemaoha as ferias parlaraentares parecem
ter di-posto os espiritos a encarar a questao mill-
tar sob um ponto de vista mais coaciiiador. Tanto
no uorle como nos estados do sul produz-se um
movioieato em favor do proieciq dojzoverno. Em
Leipzigrem ^luugan ffein outros pontos. leaxie
reunido os eieitores para voiareai resoluooes leh-
dentes a empenhar os seus representantcs no r-M-
chstag a votarem pelo proje;tode lei, conjuran-
do-os a evitarem toda a especie de conllicto que
nao aproveitaria seuao aos immigos do interior e
do exterior.
Teem sido dirigidas ao parlameoto innuraeras
peticoes neste sentido e cobertas de milhares de
assignaturas.
A convicc.ao da necessidade impertosa de estar
completaraente organisado, e armado para a de-
feza da nova ordem de cousas, faz-se sentir por
1 -da a parte e ate mesmo na Baviera.
Trata-se agora de achar 0 oiote desta concilia-
cao, isto e, de tixar de um modo permaneote 0
estado das forcas defeusivas do paiz, segundo a
proposta do governo, sera sacrificar 0 direito da
legislature 3e volar anuualmente os creditos,
necessariamente variaveis, pedidos pelo governo.
A deliberate do conselho federal teve os r3-
sultados previstos: a Prussia declarou a sua adtie-
sao ao compromisso tornado com a maloria do
parlamento ; e os representantcs dos outros gover-
nor pedir..m~ novas instruccoes aos seus governos,
as quaes nao podem deixar de ser muito favo-
r;.veis.
A eraenda ao projecto de lei militar, convencio-
nada pelo governo e pelos partidos parlaraentares,
foi proposta pelo presidente da camara dos depu-
tados 0 Sr. de Benningsen, e 6 concebida nesles
termos:
a 0 elfectivo do exercilo era tempo de paz e
lixado em 401,639 boraens, a partir do 1 de Ja-
neiro de 1873 ate 31 de dezembro de 1881.
a Os voluntarios de ura anno nao serao conta-
dos nesta cifra. >
Este accordo assegura por ura lado a organisa-
cao do exercito por seis annos, e oor outro lado,
uao tira aos corpus legislatives 0 direito de fixarern
esse effect!vo, e de votarem os orcamenios cm-
petentes, segundo as necessidades politicas e fi-
nanceiras do imperio.
\ adopcao desta emenda parece segura.
A sessao do parlamento sera adiada por mai3 15
dias.
0 ministro da guerra general Kamecke decla-
rou, em nome dos governos federaes aceitar a
emenda proposta.
Depois da adopcao desta lei, deve 0 parla-
mento allemao occupar-ae do projecto de lei sobre
a iraprensa, cuja iniciativa Dertence ao mesmo
parlamento. e que a commissao federal approva
com algumas emendas ; as principaes emendas
consistem em restibeleeer certas disposic5es que
continha 0 projecto primitivo, disposicoes que 0
governo teve de retirar peranle a opposicao geral
que levantava; inconveniente que 0 actual projec-
to do parlamento queria remover.
Seguir-se-ha depois a lei do casamento civil
obngatorio para todo 0 Imperio, a qual a Baviera
se oppoe para nao excitar 0 descontentamento dos
partidos naquelle paiz.
0 tribunal prussiano de Ratibor condem-
nou 0 principe e arcebispo austriaco d'Olmitz na
multa de600 thalers.
AU8TRO 0 Cffro Verraelho que*p coude de Andrassy vai
apresenuras delegacies austro-huogaras, qne de-
vera reunirse com brevidade, contera meuos da-
eumeotos interessantes, do >|ue se dizia.
Dizem de Vienna que-nesteliyro nao se encontra
anota do conde de Andrassy reHativa a ultima Ency-
clica do papa, mas que estanota sera apresentada
em separado a delegacio do rercsrath cisleithano.
Tambem se nao encontram, como se esperava,
os ducumentos relativos as racentes complicacoes
da Bosnia em que a intervencao diplomatic.! da
Austria foi coroada do mais corapleto resullado.
E' uma re3erva de que a Porta Otlomana ficara
reconlfti'.i-l.i ao governo austro hungaro.
Os pr.iti|.is Ji fjiisC'ijia-ii" austriaco contra as
leis c jfifi'ssiiiu-tes uau tem silo tlo :ilnolnt. coinu
os protest is dos hispos pru-sianu reuinJos ua
conferencia de Fuida.
Esta inodencao mesmo poe de sobre aviso a
opiniao liberal.
Parece receiar-se que os bispos achando-se im-
potentes para impedir a votacao destas leis, medi-
tem em paralysar Ihe 0 effeito, obtendo de condes-
cendencia do governo regularaentos de execucao
que tornem 0 seu effeito puraraente illusorio.
A imprensa ultramontana ja desvendou a sua
tactica, gritando : f raorreu a concordata I viva a
concordats t
Desenvolyendo ossem principio? dizem que as
leis confessionaes vao oncher 0 vacuo deixado pe-
la abolicio da concordah, para se regularem as
Iaci5es entre a igreja e 0 estalo, por meio das
was lei ecclesiastioas, eujos rajulameotos serta
inveniente fazerem se de accordo com 0 chefe
iprem da igreja ; isto e, pela negociaraj de uraa:
iva concordata
ft partido liberal aio esta perfeitamenta seguro
m posifio que torn ira 0 actual ministerio.
Na camara dos soohores a- leis coufessionaes
foram discutidas e vctidas na sessao de l-'l 'le
abril.
i bispos abanlonarara a sala, n; ra rniento em
qae se abriram os debates.
DKi'AMARCA.
0 rigsdag da Oinamarca encerrou se no dia 1
de abril depois da votacao do orcamsnto pelas duas
camara*. apezar dos votos reiterado* da samara
dos deputidos.
A camara dos deputados depois da deciaracio
da eoroa, oio pi lend) esperar a de nissao do mi
nisterio, a nao ser pela resus.i lo orcamento e
nio querendo-collicar o paiz em amaposicao bas
tante crtlica preferio ceder por esta vez
P lo sen lado o miuitterio aproveitm iargimen-
te- de.-ie.- escrupulos la camara, e fez um verda-
Jeiro desafio a repr*enta.;ao proclamando uma
doutrina que nada tei de constitucional.
A questao palpitante dos ultimis anno*, disse 0
ministro, foi de saber se a Oinamarca devia ter
am governo inlependente en fice do rigsdag, ou
ura folketlnng ointiiponlente,.
E' esta nltim 1 doutrina que 0 governo coraba-
leu; 0 iiovorao n.to procuroa timidamente evitar
um coutl.cto. mas por outro lado nao quiz provo
cal 0.
A experijneia tem serapre demon*trado, quanto
e pernlcioso para um paiz ter uma representacao
omnipotent- ao lado de uma realeza impotente,
nem uma, nem outra, deve ter d uninaote nem do-
minada.
IN'GL.VTERR.V.
A luta travada em fnglaterra entre os renleiros
ooj o^erarios agrieolas, tomi no* ronlado? de
lestp, um aspeclo ihquietador.
De ambos os lalos parecem decididos a nao se
fazerem concessoes, e e de receiar que os pruden
tes avisos do Times e d'outr s joroaes liberaes, nao
sejam m.iis bem acolhidos n'ura campo do que no
oniro.
0 effeito natural desta estagnacao do trabalho,
e dos descontentam -ntos de t >da a or Jem que ella
sii-cit.i, e precipitar a emigraca) dojoperario* pa-
ra paUes em que 0 trabalho e menos rude, e a
vida mais facil.
E*te des onteniameiito a:centua se todo.; oS dias
eaineaca tomar proporcoes assnsladoras para 0
porvir destas provinei is.
E n Newmarket hoave nma des*as manifesta
i^des toruadas quasi quotidianas; ddus ou tres
mil operarios vindos dos arredores atravessaram
a cidade, sem se entregarem a meio algum de vio-
lencia, 0 consiituiram-se em meeting ; o Sr. Dun
can agente da emigracao para a Nova Zelandia,
fez ura diienrso pondo em contraposicao a vida
zniseravdl d.) operario dos campos era Inglaterra.
0 effeit.i deste discurso foi immeuso como afflr-
ma 0 correspon lente do Daily News, e podera se
prever os clteitos immedialos delle.
Ao mesmo tempo os rendeiros celebravam tam-
bem um meeting em que resolviam nao mudarem
em nada a sua imha de.comportamento.
E' pois uma luta desesperada com todas as con-
sequencias desgracadas, a que alludimos.
A luglaterra vai accrescentar as suas numero-
sa* posses 3es um novo archipelago.
0 rei Cacabon cedeu formalmente a luglaterra
a sobcrauia das ilhas Fiji, e 0 Sr. LayarJ, consul
britannico, aceitou esta cessao reservando todavia
a ratiflcacao do governo britannico.
As flaancas das ilhas Fiji estio era estado de
bancarota. Durante os dous ultimos annos as
despezas elevaram-s: a I2'i mil libras sterlinas, e
as receitas ua> excederam a 42 rail libras.
A adminisiracaj achou-se na impossibilidade de
pagar os juros dos emprostimo* que contrahk).
Formouse uma administracao provisoria, espe-
rando a dscisao do governo da rnetropole.
Ha murtos annos que esta questao da annexa-
cao do archipelago Fiji as possessors inglezas na
Polynesia se dispute.
No anno passado foi esta questao discutida no
parlamento. 0 Sr. Gladstone oppondo se a uma
decisao precipitada, declarou que este negocio me-
recia toda attencao do governo e encarregou 0 Sr.
Layard e um offlcial da marinha ingleza de toma-
rem nas localidades todos os esclarecimentos ne-
cessarios.
E' provavelmenle em consequencia deste inqne-
rito que 0 consul inglez consentio na concessao
que 0 rei Cacaban acaba de fazer.
ResU poreai saber se 0 novo gabinete aceitara
a bfferia.
0 Standart vola pela aceitacio, e diz que nao 6
de modo algum necessario consultar qulnze rail
iodigenas que formam a popalacao destas ilhas,
pois que de facto se acham sob de tres ou quatro
milbrancos, attrahidoi ao archipelago pelas pers-
pectivas de um commercio lucrative
Sao os recem chegados que e3'.abeleceram nes-
tas ilhas uma specie de governo constitucional,
e rodearam 0 chefe dos naturaes, de instituicoes
modeladas sobre as da Inglaterra.
Acorescenta o slandart que 03 naturaes nao
tem nada que ver com estas innovajSes; e que a
annexacao e favoravel aos prbprios naturaes, por
qne o archiptlagp tem se tornado 0 asylo dos fli-
busteiros que nestas paragens fazera 0 commer-
cio vendenio os infelizas ilheus ; e termina dizen-
do que no dia em que aquellas ilhas tiverem pas-
salo ao dorainio da fnglaterra, se vera cessar ra-
pidamente este trafico de carne humana.
'0 Tinvs pes.i maduramente as razoes que mill-
tam em favor da medida, e as que Ihe sao con-
trarias : e vena annexacao uma origem de des-
pezas nnvis e de inconvenientes de toda a casta,
mas deixa-se prender com a especlaliva de termi-
nar em'breve 0 trafico de eseravalura.
0 orcamento foi apresentado ao parlamento.
As receitas estao calculadas em 78 milboes ster-
linos, e as despezas em 72 l|2.
Os dkeitos do assucar foram abolid 3. 0 im-
posto sobre os rendimenlos foi reduzido de ura
penny. Ficani disponiveis 462:000.
ITALIA.
De Roma dizem que 0 papa se resolveu flnal-
mente a atmuir a rectificacio das dioceses na fron-
teira franco-allema. Em breve serao publicadas
as bullas necessarias.
SL'ISSA. -
Nesto paiz venceu 0 partido que aceita a re-
visao da c sao 280:000, contra eita 141:000.
Os cantdes que aceitarara foram :
Z'iricn, Rerne Glaris, Soleure, Bale-Villa. Bale-
Campagne. Sch&ffhonse, Appenzell exterior, St.
Gall, Argovia, Tunrgovi.-i, Tessino, Vaud. Neuchi-
tel, Geuobra e tafez Grisoes.
No jorual mtiiulado o talholico Snisso, leem-
se as seguiales linhfts:
1 Ultimamente rennio-se em Soleure a commis-
sao central da associaclo suissa dos catholicos li-
beraes, para examinar o projecto da igreja consli-
tucional, assistindo 16 membros a esta importante
deliberacao, presididbs por Mr. Simon Kaiser, eon-
selbeiro nacional. Estnvam alii represeatados
mui os cantSes.
a 0 estatato fundamental da igreja chistS ca-
tholica da Suissa, porque e este 0 tiiulo proposto,
foi adoptado depois de duas sessdes em que houve
discussao moito importante.
D
Antes de ser submsttido a sanccao d) con*
gresso dos delegados saissos, aquelle project) sera
communicido ao* uaotoes, para que aprcsentem a
este respeito as observacaes necesMhas. Depois
e que o congress,) se ha de reanir para deliberar
em ultima instancia. Mis pox erauuantu o qne
se pole estara em perfeita harmonia com as disposicoss
legiilativas em Genebra. Os cidadaos da Suissa
allema acompanham com attencao e sympathia
este movimento de reforma ; teem pela sua par-
te testemunhaJo de uma maueira nio eqmvoca,
a sua satisfaca) por vorem Genebra liberal inau-
gurar uma obra nova, da qual a Suissa aleancara
dentro em breve a sua prosperidade moral e intel-
lectual
TURQUIA.
0 govern 1 ottnmano, nnpellido por inlluencias
cootrarias, e obedecendo talvez tambem a roolivos
intessalos, nao ou*ou levar atlm 0 sen projecto,
em preseuca da resistencia declarada dos lus-ou-
nitas a respeito da sanla igreja de S. Salvador em
Constantino,ila. Deu ordem positiva para pie Ihe
fossem .mtregj.es aj ehwes da igreja. e declarou
.que ate nova ordem as aio entregaria nem aos
hassounitas, nem aos armenio -catholicos.
E' um meio engenhoso de cortar as difflculdades,
mas que tem o grande defeito de descontenlar a
todos.
Parece que os catholicos allramontanos, a quem
chamam hassounitas. do nome do seu chefe Mr.
Hassoun, se senliam tao segqros com 0 npoio da
embaixada franceta que era precise, para por fim
a sua resistencia, que chegava a revoita declarada,
recorrer aos grandes meics.
A '1 phmacia .Mr .pea commovida oor ettas
complicacoe*, collocou se em auxilio do governo
do saltao, e da parte ontraria da embixada fran-
cez a.
Chegou ja a Contanlimpla um novo pro vicA-
rio da Santa Se, em substituteao de Mr. Pluym, nl
timamente fallecido. 0 que prova qne a curia nao
abandon hi nenhumi das suas reclamacoes.
Em telegraminas de Con*tantiaopla, de 6 de
abril, dizem :
(i 0 gr3o-vir fez ir a sua presenca oito catho-
licos uotaveis, e tornoa-os pe*soalmente responsa-
veis pela reeistencia da populacio christa. Decla-
rou-Ihe qne 0 govern 1 queria a sua igreja, mas
que esperava er ob.'decido. Amea^ou-os com at
mais sevens penas. Elles resistiram. Reina gran-
de agitacao.
Keuniao de 300 notaveis chefes de eorpora-
fdes operarias armeoias. Decidb-se a resistencia
as ordens do governo. A agitacao coraeca a ga-
nrhar toda a colonia europea. .
*RRTIA.
0 principe Milan da Servia sahio de Belgrade no
dia 7 de abril, dirigindo-se primeiro a Bucharest,
onde vai visitar -1 principe Carlos de Roum inia, e
donde erabarcara em Varna, n' um uavio do esta-
do, que 0 sutlao mandon por a sua disp isicao.
Em Constantinonla pri>ra se ao principe da
Sori, um acolhimento sympathico.
ROLSANIA
Falleceu em Rueharest, victima de uma escarla-
tina, a liilia uaica do principe I'.arlo*; contava
apenas 3 1|2 annos.
HBSPANHA.
Sobre este paiz escreve no*o correspondente de
Lisboa :
Nao romperam de novo as hostilidades em
frente de Bilbao 0 pessirao tempo que tem rei-
nado nestas ultimas semanas, e sobre tudo, a ne-
cessidade que tiveram 03 liberaes de erear um
novo corpo de exercito, afim de poderem affrontar
as excellenles posicoes carlistas, e ainda mais as
occurrencias politieas havidas ultimamente, sao
cousa desta suspensao.
t Talvez que este adiamento influa no espirito
das tropas, abalendo-lhe 0 espirito e os impetos,
i que oaturalmenie animam 0 soldado no estridor
|daspelejas. Entretanto, todas as aoticias recebi-
bas dio a en tender que 0 seu espirito nao pode
ser melhor. E' certo que 0 tempo paralisa a ac-
pao guerreira ; mas e ver lade, tambem quo para
semelhante demora, contribue poderosamente 0
facto de esperar que chegue a Somorrostro 0 ul-
timo reforco esperado, que sera formado de 20,000
homens.
Chegou ja aos campos de Bilbao, 0 celebre ge-
neral Concha, raarquez del Duezo. Vai tomar,
como disse na minha ultima, o commando do 3"
corpo do exercito, 0 qual, segundo as ultimas no-
ticias tem 0 importante fim, de cortar a retaguar-
da carlista, e assim impor-lhe um a-sedio que
obrigara 0 exercito sitiaote de Bilbao, a capitular
ou retirar para a planicie, forcando 0 a am com-
bale, peito a peito, que deve decidir da sorte de
Bilbao, e mesmo da situacao future dos carlistas.
As ultimas noaioacoes que se Gzeram no exer-
cito, em virtude das notaveis accdes de 23, 26 e
27 do passado e ultimamente a escolha do general
Concha para tomar parte nas operaeoe* do norte,
teem alvoracado de tal modo os partidos politicos
que se perdem e contradizem em conjectures, so-
bre a attitude que tomara 0 governo de Madrid,
logo que termine a guerra do norte.
Os republicanos exaltad>s desconfiam qne
aqueila escolha seja 0 prenuncio de uma restau-
racao monarchica. Depois a nomeacao de Marti-
nez Campos, desterrado ha pouco tempo para as
ilhas Halear .'s, por causa, como disse em tempo,
d is suas declaracoes contrerias ao governo repu-
blicano, mantido desde 3 de Janeiro, reforca Ihes
a opiniao; fallando nos principaes circulos politi-
cos Ja noraeacio do principe Affonso para rei de
Hespanha, ficando com a regencia 0 duque de
Montepensier.
c E certo que no proprio gabinste de Madrid
ha divergencia entre os seas membros, celebran-
do conselhos por muitas vezes, e ultimamente in-
to 0 pruprio general Topete a Madrid, decidio, se-
gundo dizem, da importante questao que alii se
ventilla.
f Tem-se fallado ate na modifieacao do actual
gabinete, indigitanlo-se para ministro*, M gene-
rae* Topete e Pa via, ficando 0 primeiro com a pre
sidencia do conselhe e a pasta da marinha, e o se-
gundo com a da guerra. 0 certo e qae Tupele,
logo que chegou 2. Madrid, sem entrar, sequer
em sua casa, dirigio-se logo ao ministerio da guer-
ra, onde teve larguissiraa- conferencia com 0 ge-
neral Z aval la ; em segnida verificou-se um con-
selho de miiiistros. e que nio assistirain Marios e
Ectiegaray. Topete assistio, manifestou a opiniao
de que nas circurastancias actuaes era impossivel
formar novo ministerio, porque is-o iria ferir^mai-
tas susceptibilidades. Que era esta a opiniao do
generatSerrano, esperando qae o conselho a ti-
vesse em consideracao. Disse mate, qae Zavalla.
devia contmuar a frente do ministerio da guerra,
continuando a merecer a conGanca do duque de
!la Torre.
1 Entretanto, Marios continda a nao appareeer
em conselho, e a crise politica continiia, portanto,
no mesmo pe, tornando-se notavel a falsa de har-
monia enlre os membros do ministerio.
: < Topete, vendo as cousas em semelhante esta-
'do, voltou para o norte, Ie.vando,a Serrano 11 oviJa-
des muito agradaveis, 0 que parece assentado,
^ que as cousas cratinuarao no pe actual ale que
Bilbao seja soccorrida. Depois ha de maolfestar-
se por forc-a, uma ci ise politica que na opiniao de
rai'.ita gente sera a restauracao da dynastta often
Siva.
I Estes receio* echoaram forteraente nas pro-
vincias ; ubrigando os respeclivo* governadores a
publicar bandos.
i A esle re3peitq 0 govsrnador de Valladolid^
fez saber quo{ '.uiiofisAdj pelo presidente da rapu
blica, itesm-nte ot nwwr de an conveaio no arr
te. e fix saber qae todos m qae prop*larm tae-
boatos, sejam eonsiderados como pmiBilwdtHei 4a
ordem publica e entregues a ooaeiho de faarra -
A artitberi* liberal nu nnlinnnin os aetu
logos cootrr.Tr ponctsi cariisUs seat faa
respondam, 0 que indica muita falta de 1
Continuava a apreventacao de soldaeei .
aos commandante* dos differentes corsa* 1
cito liberal, afim de se aprov-iiarem d> iaaa\*4e
crctado
Observa-se uma circumstaori* ootavei n
hospitaes do? oxerritos beiligeraatea, Fianaaifi
a maior parte do* f-n ios liberaea at earam een
rapidez, tstando a mai .r p irto em c mvileeeaBea e
promptos a retomarem 0 -eu posto no caste* A>
combate, pela maior parte teem sncromMsW nes
fenment's, tendo-se inatilixado xiteota por Mam
do* fendos. Isto, qae sem dunda d-ve ser eeass
do enfraquecimento do exercito carlista, eapHca 1?
pela naturcza do armament.. repubteasM e pela
in-truccio dos saMMea.
Accresce tambem a cirrumstancia iiaeartea-
te de que os carlista* uvm |aiu no* seat aesei-
taes, e amhulaaciu d >* pnoripaes medinnteato*
e mesmo de operadores e rliniro* de ripiriteis
E' assim que *e define, 0 esur Bilbao aiada em
sitio. pots, os carlistas carecam de metos para ala-
ca-la, porqae as suas espiegarda* de aaaa serrara
tendo sepullado em seu* maros os projeUs qas
tanta falta Ihes fazem oas trincheira* de SooMr-
rosiro.
E' certo qae a maior parte dos feriks d >
exercito carlista, sao enviados a* suas caa, ein
de serem tratados por suas faimlias e a sot casta
t 0 cabecilha Saball* dinge-sc a S. rVro
Abanto,
t 0 duque de la Torre, como general emraait-.
remetteu ja ao miaisterio da guerra a* pmaosU'
dis recoiii eaeM dos nlDrues de divnrsa? csilwgo
ria* que mais >e dislioguiraiu eos a*iqu-*eeV.
26 e 27.
Sabe-se ao certo qae as baixae de asu e e>
outre parte naqueiles torriveis dias urnadcia 1
seis mil.
No ministerio da fazeada estuas-se ua ara-
jecto para a creacao de uiaa guard* v.-waUria.
que durante a guerra aclutl rubre as castes e
ironteiras, actuatineole de todas ilrrgnira*cida
com a distraccio das forcas de carabioeirtn, sjae
io-am chamados aos campos do aorte.
< Os diarios carlistas da fronteira. anoneciaai
re D. Affonso de Este foi nomeado por ssn irmio
Carlos pare 0 tuodo de Ddas as hnntai carlis-
tas de Araffio, Catalunha e Valeocia.
Os cabecilbas celebraram ulUmameute am
conselho, onde obteve m litos votos o aaeaeaae ao
silio de Bilbao, e so se Ihe oppoz a irm*
cao de Au iechaga, que ameacou itoaaesair a 1
sa do pretendente c*>m as suas forcas
se tal acto fos*e praticado.
T:imluio fUa a'um soavusio aatre D. Car-
los e o governo liberal. Nio e certo semelaaatc
boaio, comoaciuu lies referido.
o. Ca>tu tm *cia*linenie 0 seu qaartel feae-
ral.em Portugal le. Apenas s comacou fai.at
na formacao do tercetro cwpo*. -.T^-eiio ,1^ q^f
te, os carlistas fazem grandes trabalho* 1, roirio.
cheiramenlos na estrada da Victoria, eaire fi,'
bla c Miranda, cem o tin de interromper as earn
nianicacGe* entre as duas cidades. Os cantata.
guipuscoano* continuant a exercer grand*- rifi
iancia nos camiahos. impediodo a fiassagam a
luauta* pessoaes apparecem. nio indo inuutda* ic
competente passaporie
il..ntiuuam por tod-. 0 modo posivel a dilli
cullar a marcha das tropas liberaes. inlerceptandi
as vias ferreas, e estabelecendo de improviso. bs-
terias bem guarnecidas, nos pantos domioaates.
No quariel general de D Carlos tretoa-se da
-uli-iitiiii-.io dos chefes Olio e Kadtca. retained) a
elei(ao, nao por unanimidade, seni-> depois de
acaloradas phrases, no velho Carasa, e ao aalig
e celebre offlcial Radi, chefe lo roovmieato a>
1870, que Ihe valen a- diatribes e o* mai> iacri-
veis anathemas da maior e mais importante parte
do carlismo.
< Todos os partidos mais importanles qae va-
gueavara pelas dillerenies provincias, teem deeaa
parecido, send) opiniao geral que foram encorpo-
rar-se as fileiras carlistas, qae defeadetn as posi-
eoes de S. Pedro Abanto.
1 Do ministerio da guerra de Madrid, foram ex
pedidas ordens para o acampamenlo do aorte.
com 0 fim de restriogir a liberdade de accio aos
correspondent's, qae alii teem os jornaes, I salo ea -
ejeaeas como estrangeiros. Vai, por isso, ser moa
lada, no guartel general, uma imprensa de cam
panba, donde sahira um boletim official ua aiarv.
da guerra, pare servir de norraa aos denseis ae-
riodicos.
t A infeliz cidade de Cartha.ena esta ae nero
ameacada dos furores do cantonalismo. N am do-
proxunos dias derem-se nas obras do porto alguas
gritos subversives, e parece qae alguns dos des-
terrados de Oran (Argelia) estao a.-iualmeate na
provincia.
Toda a imprensa hespanhoia e, pois, ananiiae
em pedir ao governo uma guaraicao competeate
afim de evitar males que sera difficil mais tardr
prover de remedio.
Uma das ultimas commanicacoes do serrtr.
postal diz qae continuava a harmonia dos eiemea -
tos do poder, assegurando os mooarchieos am*
combaterao 0 carlismo a todo 0 traase e peU
sua parte os republicanos aflirmam o mesmo com
relacao as imprudencias cantonalistas qne possam
maiiileslar-se
c Accrescenta qae fore batida em Uamtaaajai
s partida carlista capilaneada por Dtego Rao, qae
se achava defeodida por posicoes favoravets, sea-
do morto 0 cabecilha, tomando-se prisioneiros,ar-
roas, municoes e uma carteira com dxameatos
importanles.
Da faccao Villar, derrotada ha poucjs lias
em Pedra Bueoa. apresentaram-se JO-t carlistas a
ioduito.
a 0 thesouro liespanhol entregon no dia 17 1>
corrente cinco milhoes de reales para gaslos 4a
guerra. Esta confirmado pienam-ote que loaas
as forcas carlistas da Catalunha, Valencia e Ara-
gao se concent ram na Biscay a, para resistirem sr
proximo ataque.
No dia 17 celebrou-se no ministerio da fa
zends a conferencia dos represenlautes das aanc*.
de provincia que tinham assignado o arolseto
contra o decreto qae creou o banco nacioaal. Pa-
rece que nio rhegaram a nm accordo
c 0 /roraeftaf, jornai de Bilhay danoticiM ca
riosas acerca dos soldo* no exercito earteu
Elio, que 6 o uaic<* qne os carlistas cmidaramca
pitao general, tem 4,000 reales nor max (180*000
fortes aprnximadamente ) ; os teaeasss-aeaeraes
3,000 ; os marechaes de campo x.OBO; as ari-
gadeiros 1.000 ; os conmeis 600 ; o* iaaires 440
os cap,ties 300 ; os teneute* -<); os alfcrr*
100.
Accresctota a referida Ut\\ que estos soldo*
sao so nominae*. porque muitas Teae* n*o ha dm -
heiro para os pagar.
Ua despacno de hontem (21) da n.rfina d--
que nm d tstacamento de cavaliaria de Talavera
UaasimasVi entre Victoria e Miranda, carregoa
urn gni|M)s carlistas, ocrnsinnando-lhes 5 mersss,
4 fendos e 28 i>risioneiros.
< 1)0 uorle, nada por em maiiio, ain 1a ?aa e
aa especlaliva d'uma batalha campal.
laaiaaala
Em 23 de abril escreve aosso coinmiadiate as
Lisboa :
t Comeca-se a estrsnbar qae 0 yorerav *>
IILaaOl WL


S3
tome ertergieas mefcias para HHvato*J^fc-pi)a,] to coneedor
visio que i gnerra civil em HceanMl *a#%jhfiw>' c$tats^.mpMli~'
lao vastas pw^>is, e ainda oiuite r >nte se quer "
persnadir qas aaptaiao o fcii to-rhmarmente obri-
gar a gaarBBjjtBvjtomo deve as nossas fronleiras,
para o que terjrto'rcado aochara'amento Has re-
sarvas. EstaynmaHas slo tie absolute necessida-
de. nao so pelas ponaerosas consideracoes da se-
garaaca interna do reino, undo a ser verJado o
qae se alBrraa, se esta orfeipirantla pertinaz e In-
cessantemente par f*rte du-uarlWo mi$nflista ;
ma? tambem porqjaa a newralidade qua careee-
mos de manter cam a Hespanha, nao se obiem
com as fronteiras abertas a passagem ulandesihia
de atraamentos para as rekeldes, sera fitter d'eii
tras eveutualidades qae nos Modem gravemento
eoaproraetter com a governo dessa naeao.
Algans asseveram quo" safes reviver fl." i>oa
ros dias am convenia com o gabinete da Gra-
1181 M OU| M C OUMU/'' Z{v:i0 ^ Pernambuco Sabbado 9 de Maio de'187i
' =" ---------------------------------------------------------------------------------------------------=-- ^ =--------------------------------------------------------------- :
8ii oft; '
5la.djiUa(;5*i, (jpajdJ a^OtthMio pois d-\ qua o dostapou e *e sentou nolle, finrae- divteso dos priori", se
mMMMW- dial?inftntn tirou nrna caka de phosplijro* para
le ppiiicaa, revelan FijWflhnW home* de baa), clizia < lie. 0.
antes de en:crrado p parlarnent-i, lerja o-en}*al:
nedido a sua cadeira'de depuiado. Maso que
Dcmparfece certo" c que 6 Sr. 0. kuir I, rtem^poYJ
radole, nem por earacter. mem por educacao, new
por sua propria conveBiencia u de sua familia e
ilynasiia, concebeu jamaisa ex Ira vaf ante e ar-
riseada idea, qne Ihe quermn aitrilMrtr,-de queref
proToear a apiniao pablicaP aas sua* demonstra-
coee do particular aiecto -a homeas que preste;
ran como a barao de Zezere, relevantes aervicoj a
causa da libardado, mas qua*- nem sera pre soufee-
ram coaciliar a sua liana de conducte cdm as exi-
gencias de am p.vo ora dociletrnquillo.
As exageraroca sad mas, porqae se urn cecto
grupo teima aprasentar-nos quoudiauamertte o
chefe de estado, como chefe de um phriido, ou
Breuoha, para o casom qu.e dadas certas cir- casdillio de uma fa^-So-pelHtea, amanha- esses ho
cumsUncias, o governo de Portugal haja de assu-
mir oiaa attitude decisiva, como lora para desejar
que o Jivesse feito ha muito mais tempo.
AGase<'i de Gaya, folha liberal, re fere n'um
ds aeas nliiiniu buiruius, --tae-um per4onge8
do pariido realista Ihe aflSao^u, sob sua palavrj
de hoora, que o tilho primogenito do fallecido ex-
infante de Portugal D. Miguel, se acha aclualmen-
te^a*nrilrf do D. Cm-Ios, eia He^anha, qae so
resolvera toraar parte n i presen e luta daqnella
narao, no intuit) nao si de irttrahir nlli, desde^a
os realisias porlnguezes quo se resolvessem a
coajuvar o pretennente hespanbol, e crear as.-im
uijicurpo d: excrc'to purluguex mais oa mertos
uHTtreroso; martanrrrera para, euiTiccaaao oppor-
u:u o dada a victoria .lj- c.irl.sia-, poder mais
fjcilrueute, 6 c.mi exercito Seu, peuetrar, com
aji no do D: Carlo.-, no iiossoterriturio.
a Cbegaram de GGa oa cor "eta portagueza D-
Judo I os restos mortaes do sjguii lo bari) de Sa-
Bro'so.'.'SimJo Inf.mte de Laccraa de Souza Tava-
Ki, qua bontero pelas i UorJiS da tarde, foram so-
leronemente con'duzidos ao cemilerio dos Prazeres.
0 Bftadjoera" do coaselbo de sua magestade, .nogo
tid::!go cwa exefcicio no paro, coinmendador da
i.:! 'ii AS Christ,), cavalheiro das nrdelis de Aviz
Ji Cm.:en;io. ullkial da Torre Eipada, conde-
Ciiradj e.im a me hlha das 4 campan'ias da guer-
ra p'enlosulaf, b'rTgadeirj do exercito e goveraa-
dor geral da India.
<-'Sascera' ostii' jistincto official de cavallaria a
1 de liovemncn de 1793 e entrara, logj q, Ih'o
p.'rmittio a Made no exercito ijue su org'anisou
p.ira. repellir ,l Portugal os f.auceze?. A In d-
te*difo de I8a cisbii'coin tr." Maria Ant nia de
Magallies Pizirro, afafata Ja rainha D. Car Iota, e
sobridha do visconde do njbeia. En' 18JS e;ni-
grou para Franca, d'oude pass ou" para Inglaterra e
d'ahi para a illia Terceira, viadoa I'ortugal com a
expeliflode 1). Pedro.
Jlonseuror Pinto'de Campos foi ao Port) e a
Braga, acomp;nhado pelo nosso fecunlo roman:
cisti Camillo Casiello Branco. E;ta se imprirnin:
d) cm Liaboa a sua viagem a Jerusalem. A im-
preasa its WrtdgJ ii iinanime em (ribiitar as Je-
vi lis Iwnen igo.is do respite ao illastre peruam
fcusiin.
T-yn sjutinua-Io a subscripcao di) paitido his-
DrieO pira amparq da familia do notavel tnhjno
Santoi SiiVa, Je cpjo funeral dei no'.icia na minlia
ie 15 Jo cofren'.e. Eleva se a a'^uns contos dc reii
N-i Port), ii director da attmi-ga.'o Sr. H-redia,
ta nbem prumoveti uma subscxipcAo, que exce-fen
a um cintj de reis. a caunfa'municipal de Lis
i:'.'- "ff'recu n jazigo p:ira os restos mortaes <]o]
il!'js!re orad.T.
a IoVj Chrysos.t>mi deAbreu e Sou'.a, canto aefl
e-:ila d assoeri'io dos eo|cnhiros civis, cttm
tinta iafelici liwle que partio um ante braco e; des-
loctu um tDinbro, s ilTren lo alem dissp muit'is" cm-
taMuw
CoHlin-.-.Y-Ti a tir da America do Sol-dunMl-
v,.i e>a*di'ihii'i para o iiima-rcTrtj prrij^wa*1} aos
iienJ.'*Me!:loi(i, pela cmmiss'io 1' de Dezembro.
St.* muito f.'n;>-jr!.iiites pela s'.ia alt's^nilic.lcao
pirri)tic4 e iiii oktds [iof*s sommn*. A c^flfm'is-
-a. I- lhiMeobfMr(a"de 3?contos de ri\>{ em inerif^oes
J't aiw(>ntam6ni,'Com a deetarncaa> exarada- ub
rerso .Ks diios titrH-w e ar.mivada nos' wgltros
>ia junta do eredtto publieo, de qne ?6podem ser
aj>plieadas as niesinas inscripcoes e"seus- juros
para se erigir o iminameMo an's her aeguado aintencttt do* sub-sriptores.
tg B Talsissiao; q ie haja qnalqner deliherac'io
t :!: la, uuaal > a a: |uisicV> ail velho e Mstorico
pjlaeio J ) i:on ii;v cl*A iimdps '( UJo
!:>;i) para Casef consisrtr no- d:t-> palacio o *enia:-|
deiro "sonumento. Aidea-nads-tem de absar-
da ; mas nao passou de urn alvitro Jo irtgans vu
t-aes quo nem discuti lo foi in la, porter no portaoo todo *r<"*Tliier debate ou decisive a
efl. ra**1*!* _
. \ cumnissa) e^niral de DweTibro apenas
,.)inf._>.i receder donativos em Portugal. Os
ne'iros subscrrptores no reino, foram "s morad >-
sffoaiL)
.'7^;^ma*sarafnse sTOr.i. o rnferi I. iajML
ittfpedindu-d de {ousaiinuar a su. projoctaJlk'^bra.
I
RBVISTA DUllIA.
res da veneranla praca de Arroncies, na frontei-
ri, eujas vet:i-tas e quasi desmorona-las muralhas
paasaaftianMi dorawe as gnerras da independen-
c i, oi ma is heroico* e glriosi sacrificios.
S.' n a oimnxfit cn'nl saber de que s>n-
raa piulera iisy.ir para u projectado monummto,
na i abnea cm.-urs) para ns pianos respectiv>s.
wA-!-!!) o i; meorso, e f-ita com a< devjdas f>r-
:\ didades a esc il!,i, nZ'.o e que precedent, se-
tn 1) as ivMi nns que tiwr arrecadaio oara este
.i Ha iarmt) graada inal'iria-dui subscriptores, a (VinstruccSo
do maaaaaenio que deve attestar aos estranizeTo-,
f na usierid.ide aas viodmiru, qnaj a grati la dos
portugiezus de hoje..pelos r-levantes servicosl
iiaeao nosso paiz presuram os restauradores da
iadepeaik|p6ia pirtugneza.
H-js.quiaia-leira, realisa-se em Li-txia a- fuoc-
c*u reJ^wsa mais slagae e po-f.poa Ie qnanias sc
eeaaUDan celebrar. E' a prnoissao de NossaSe-
nhora da Saiide, qae data de um vaio fetti pelos
moradores Ja apltar*eal tempo da cMamitnsa eai-
demia. De anno para anno tern angmeotado o
laiaaieatfl das arma;.6es dos predios das ruas de
transito. A rua Augusa esta um verdadelro jar-
oiin : fesii.es do :1 r, colgadaras ri jui'si.n is,
baloes, baii.leir.is, tlimolas, mastros eogrinalda-
d>)s. as mais fomoau damas ni.s ^aneJIas, as mais
custosaa galas ernliai, tud I oncorre- para qno es-^
ta rua e as outras por oade passa a festiva pro-
eissao, apresentem um aspeeto deslumhrante.
A imagem da Vicfemo3antisiina a-procedida
ie todasas bandas regimentaei da guarnieao de
L'sboa, de delegates de todas as irmandade", de
r preseolantes de todas a*asociacoes operarias;
d.is sociedades philarmonicas vao as inasJcas, e a
coapeneio dos artitheuvs a cajo.-oarg est.i o
-u to de Nocsa Seahora da Saiide, ceream oan-
dap. E' a festa da primaera christa -t catnolica
em todo o seu eeplendor. LisbJa neste dia povoa-
-e de innumeres -faroilias provincianas e 4os ar-
redures, quo vem juoUr a sna deveta curiosidade
a dos bons moadores desta lidehssima cidade
que da Je barato os aaiinas dos tttilantes do
M superior com algura dos seas lemes mai>=
tiiramonrano, comtanto que a deixem g>ar em
sanla paz e amtercplacao beatiflca da esplendi-
da< demonstrafoes de reNfiMM affectos na desde
s.*ul-'9 se tribnta oeste dia .a l.nmaeulada Mai
dot Hymens.
A camara municipal, de accord) com a sua
erniaencia o c irdeal ^patriarcha de Lib6a/ oMeve
que fdmente -e penniltam, nesta ci lade as pnn-
cipaes procisso-s, que *Ai a do Corpo d". Deus, a
di .S^nliirdos Pa-sos da Graea. a dos terceirosdo
Canoo, esta le X>--a 6'eofiora cla fiadde, e ereio
!i-: uma | tana Jo nopfo Je Noeea Senbora das
M-rc-s snpjtrim n io t'jias aa dniais
>oe^.
proJK-
aaeas e esse grupo que hoje invectiva a torto e a
clii.it > a pessoa e aetaa do suberano, inu(Uisa-sd
para aceitar de suas mios as insignius dftJoder,
como ja tlzeram os refofmfstas, a (juem e'sleu me
referindo. -----
Vao rauito adiantados em Paris as trabalhos
para a organisacao da companhia que vai explo-
i ar as riquissimas cameras de phosphonta de 1,0-
grossau. *i
Representa a empreza em Lisboa a casa de
L. Pi lipperLeite & Irmao i99 ftio da" Prate? 0 Sr
rendamento foi por 99 aouos aoseu proprietario,
residente em Extfemr-r, c- Sr. J. ffodVignesTjeha.'
Diicm os jornaes de huntem, queAesperado
cm F.isboa D. Emilio Caftcltar dentrrrem ponijos
dias.
t l'\ t nomeado xonsellieiro do tribunal de con-
tas o miniatro de etado bonorario Carlos Bedto
da Silva, o-qnal ja tomou posse do seu lagar.. i
< Ho]e, pelas 10 boras da manlia, celebrousenft
igreja d Nossa Senhora dos Manyres, em Ltsboa,
aiatas missa por -alma da Sra. Duqaeza de Ca-
xias,
No dia 3o deve ser entngue a el rei 0. Luiz
I, por urn.i commissio de Caste Ho de Vide, o-aulo
da iuauiiiiraran do moDUmeato que alh fm ha
aaMBjai uiezes erigido a memoria do St.- D.- Pe-
dro V.
Foi ooncJuso ao juiz relator o Sr.'S'oa'ieca
Telles, o procesBO da lenlaliva de revolta. 0 jul-
gamento no supremo conselho dejustioa militar,
deve verificar-se de 38 a 30 do correate.
a Refere uma folha da pmvincia, que do M olio
e Traz os .Montes tem viodo muilos miguelittas
para Lisboa, alim de eelebrarem conoiliabulos.
ffalla-se outra vcz em -/'ornatliz.de--pai eitam-se raes.no -ja os npmes dos Srs.'Ba-Vargas,
Viscooda dos Olivaes, Garlos Ferreira, Francisco
Coamico, Antonio Anjos e outros argealarios dee-
la praca.
c Falleceu o Sr. Antonio Lodi, cunhadodocon
de jle Farrbbo. Tinha' quasi 80 auuos ; Sjiuejgo-
eiaalo mnitoetnprehoeadedor.
. t Tambem falleceu o Sr. Mazzioti, antigo depu-
tado, e ric vroprietarto dc Glares (censeih.r de
Ciatra) Tanto um como outro eram geralinente
apreciados por suas iipalidades possoaes.
Umafilha do-fallecUo escriptorportagoeaSc-
bartiao Ribeiro dc .;ii, a Exim Sr.* 1). -Ania Bi-i
beiro de Sii, acaba de publicar o romance .Haihildt,
a que a eriliei-impareial tece os nviis cgradiwis
louvores. Como aiuda o-Ba'ih.-'Tiada posse dizer,
sen.io .joe os eseriptos desf damaeraui ja taait.)
cstimados pelo talento que re-ela e st-brelado.
j.'.-Ia saavidade do seaestyllo correcto e vigorosn.
-Sabo para a Guine-portugueza o-hiala de
guorra, Mu-iuha Gr .(i>,afim de con luzir. madeiras
para o arsenal do maxiaha de LUooa. Este .vaso,
mede liO metros cubicos Ue uaelagera Faz es
cala p)r S. Thiago de Cab) Verde, para oade e a-
diu uma ;i'r.;ao Jo canlaria-drstinada ao edilicio
da aova- aiuadega da oida.le da Praia
# Foi resolviilo. pelo -governo portaguez que fuse
posto a ven-la publica, o 1." volumo da hijtoria
pjhuca o miliuir de I'ortugal, escriplo pek/illu-tro
aeaderaieo -p^.-tuguez o Sr. latino Coelho. 0 Iivro
custa 15000.
m A-cavallariap)itagiezasta sesvrtindo do ca-
vallos, p;ira complelar a sua remonla no presente
anno.
0 governo dj Ura*il ctmfirmoa "a nomeacio
do Dr. Francisco Pciaeto di Silveira, para seu
consul- na ilha do S. Miguel.
Foram paWicadis na f.dlia o:lici..l, 0- ftilatu
tos da sociedade luodada om Lisboi, com o tilulo
\& Banco do-Poca. 0 seu fin. j *4Hgir o capiial
necessario par i auxiliar aa asapciacue* do ,traba-
lto, ascooperativaa d todas a dashes, ospeque
nos estabelecimenws de injuiina ii^nlcular, c-
do'banco 6 de 8j:0,'0j0000, dividido em a emis-
soes do o.OOOiOOO.
a Cada emissao sera de i.'iOO aicoos do valor
de 2^000 cada uma.
Foi conlinnada inferiormente, aaentenga pro-
iferida pelo director das alfandegas de Lisboa, coi-
tra o capitao lo vapor Mwilla, por ter, em 30
de Janeiro do anno prssado, infringi Jo os regula,
mentis iisca..-s, edes.ibedeciloas ordenseiatiiua-
coes que Ihe I'oram feiias pelo posto.fiscal.
A sentenca obrigara o capilao ao .pagamento
de iOOaO.-U, d) multa Esta quantia, send) de
posiiada, quando o reo appelkw, foi no dia 17
competentemente dividiJa pelos competentes em
nregad-i-i da alfandega ; cabeado ao cbefo da 1.'
roparticao I .'!!> i l.'i. e ao cofre dos guard-.-
MfiM.
Foi approvado, e ratifies Jo o traspasse feito
com o c oi .'essioiiari i dj camiaho do ferro do Por-
tO' a Pos'oa de Varzirao, e a coaipanhia fonnada
para o couslruir.
0 engeaheiro direciar do caminho do ferro do
Minho, j.i receoeu o material comprado para au
xiliar a coastrueca-) da |ueila liana, e que estava
em deposito na estacio de eaminho de ferro dp
none. Parte dalle, eomo urna locomotiva,ealguns
wagons, foi construido aasodicinas dacompaahia
do norte: e leste.
CUegou a l.;-lvia, um agente d'uma casa b. I-
ga. coin o lira de pedir ao governo portuguez o
priviiegio de appiicar as esti-adas a macaad'nn,
lueoin zein quo pretende desde ja, applicor o seu syste-
ina de viacSo, B.a estrada real pela pane de Coim
bra -a Briri lUa., teraiiiando em Colon-
CO.
c 0 numero de kilometres das lianas do norte
e leste, do i'ortugal, e os de suesto anda por 813 J
(J producto aaoual, p^r kilemetrO) nas 1. ;;, ao-
tualinente, de-2:99U330, e nas de 2." de.......'
C263i333. O acao passado foi o productodas ul-
timas de 7!>5578d.
Ja foram assi^a* I -s as cartas de lei, autori-
eando o goverao de Portugal a cr.traiar o estab*
lecimenti das lintus ulegrapbica. .suomariuas,
entre as ilhas de Csbo-Verde, e as possessoes por.
ttgue.zas da eosta uooidental de Africa ; e do ooi-
tiaente do Portugal aos Estados-Unidos da Ameri-
ca, tocando nas ilhas dos a cores.
*Eiu-ineiado de mai devcm cbe;aFaCabo-Vrde
os uaporesquevao levar e cabo suimarinoatePer-
nawbuco, o qae aos Joi communicado aqui por um
te4erauina recebido a li do corrente.
Sera, ioisrumdia fastivo para no* portugae-
zes,aqelle emuue a ttkgraphia alectrica houver
(upptunido a distancia que nos fepara dos brasi-
leiros e do nossos irmaos- alii resiJentes.
Si* aqui esoerados as vapores: Jaoje ouama
nha, o ^'agjez lAtbomnu para o Para. Maranlia 11
Ceara ; a 3 ou 6 de in mo, o inglez Jeronne, para
os mesiaos portos ; a 13, o inglez'.V/e. para Per
B3xnbueo.; e do1G>18, o segundo vapor da liaiia
entre Liverpool e Mauaos.- *
tNwnai^a provtnrtal.Hontam innc-
cioncu ai 27 stnhorta depuUdos, sob a presi-
dencia |o Sr. Dr.-AgulaaT
Apprtwada a acta da aessao anecedente o Sr
1 serratario leu a segninte expediente '
n^H^'if "*! I*"3 *ffMi1 <^finro
11,03 de. "el|o, pedmdo para ser admittido no
gyraa"sio aai sep OHm den*e Simplicio.-A'|
coranrtsiio de pelicdes.
Outra do Hyfarlo fjibano da Silva eslfrivao
do. termo da-Escada, padiato pagaroeiHo.de-oaa-
tas a commissao de orgamento municipal
Foram Ipjo* a approwdo^ os ftaguintes. pa
ceres, que concluem por projectos e vao a im
prunir: da eominteaao dapostnras e ner-jcioe de
camaras, dous, approvando um as po.-turas da ca-
rnal a municipal da-- villa- da Boa-Vista e outro as
addicionaes da camara icuDicipal de Buique ; da
ewnraissao da cironel Agostinho Beeerra da Silva CavalcaiiliJ
direi tor do asrto de itretrhridade r da de nntlrSe?,
datermdo os requerimeatoa da*rmandades do S.
Lbrispim e S. Chrispiniaao, do convento do ai.
rao,e JJosaa Senhora da Boa Ilora da itreia do
l^osario, ambas desta cidade.
Foi jufgado objecto de deliberacfio e mandoar
se.imprimir.ura proj cto assignado por di versos
Srs.. depuudosv-couiedondo. uinaloteria de 120
ami. s de reis a igreja-de Nossa Senhora da C)ii-
cenjao do's Miliiares.
Passando a ordem do dia. foram approvados :
cm (^* di6Cussao o projecto n. H deste anno, au
torisando o pagamento da iiuaniia de 2:100*000
ao Dr. Felippe Nery. G0IU90-; em v 0 de n. 28,
aue-concede um anno de licenoa ao Dr. Imciano
Xaiej'de Moraes-Sasmento.
-Ffcaramadiados: a foquerimento do Sr. iGon
calves Ferreira, cm 2' discussao, 0 prjecto n. 45
de^te ann', qua aitera 0 art. tt-t da lei n. 473
do" 18v0, e a. reijuerHnento .lo Sr. Alelo Hego,
o den. 67 de 1870, que concede aoadminwtra-
dor da casa de deteucao a grstificacao annual de
30U/, depots de orar o Sr. Kalis e Si|\s,iqtteoffe-
reccu uma emenda, fazendo rxtensiro o*ogmento
aosajujrdas daquelle estabe'ecimento. |
E/itrando em 2* discussau 0 orcamento muni-
cipal, rorem olferfcidas diversas emeadas 1 ao arL
2., que foi aoprovai* com ama emenda de 8r. Dr.
Manoel do Rego, 0 adiada a discussao do 5] 40. do
niesmo artigo a reqnerimento do Sr. Toleiitinode
Cirvalho.
E foi levaatada a *essao.
A ordem dodiapara aojee : oonliauacaa da
ontecedente' e 2" discussao do projecto n. 40 deste
anna,
um paiacipio ewni. Caroa o4aatr
CUI da ardem pnli'ica ? "CflhsfrWcao
Rnobitb -Acerca desta aYWft,"sobrj a qual
traascrevomos em a oitava pafltea'dusie Maria,
ha dias, um interussant; escriuiov-Bscacveu-nos 0
.Sr. Jaeintlio Scares de Menezi'i,.r#alJente em Ga-
foelleira, as seguiotes linhas :
Gamelleira, 7 de maio.de 1874. ~ Srs. redac
tores. Lendo bontera. na oitava pagina do sea
coaceilulio Jornal, a descripjao da aware afri-
ca ta denimlaada linobab, oeoerrau-rae ascrerer-
Ihe, allm de scientificar Ihe de que laxistem em
Pernamboeo algans espetimn9 de tio notavel
raembro do reino vegetal.
ha
" Possno am des.ce3 especimens do meu sitio
denominaio da Passagam, cm-Da as Barras, perto
do via-ferrea do 6. Fraaeisco, o qua! especiaien
me foi dado aelo meu llftado amigo Antanes Gui
maraes, ex chanceller do cousulado portu Rjcife.
Proveio esse epecimeu de uma de Ires se-
das aquelle meu flnado'amigo, pela commaodante
de um navio mercinte que navegava para a Afri-
-f-ea.-e^das-quaes semeules apenas mednram duas.
Quando- racebi-;-o presante, era elle apenas
oai^eauentBiJlnu4 aewpeica de um palmo de
allura, e agora, que dezoito me:es sao decorndos,
ja representa uma peqnena arvore de 10 patmos
de allura e 32 pollegadas de diametro na base !
-t-Creto 'que esse deseavblvlmcnto serla ainda
nibis notavel se porventura as forraigas soubat
Ihe' nao' tiv*setn cansado'graves damnos, fa at
guns -mez>, prejudieaod* ihe o crescimenlo e
lemorando-lhe o engrossamento.
Ra>i obstantei ploque-levo dito, ^e tii nia
a iB'rvoro em quesiao tj irealmente ^igaatesca. e
digaa de estadu e apreciacao.
Talves' kinda- exista o ouiro especimen no si-
tio qno fioi do meu finado amigo Antuoes Gui-
marses.
Jti8siBra a"BOS8a 8i* pagiaa ido presente
niKBer0tlames9a descripcao das ultimas rnodas de
Paris, trazidas pelo vapor francez chegado hontem.
Heeomrhertiiumofi sua leitura.
1 BoC-erfst ^le'iaiantWd.-'Uilacao dos nume-
ros mais preimados aa e.xiracca > vrilii'ada, hoje
21 d abril :
* pcrmanen'.e
Consorvafiio do trem
, rodante.
Adrainistracilo :
Directoria:
Gerente
Foro:
Advogado
Procurador
Escript-orio :
Guarda-lirros
Escreventa a pagador
numere para votar-se,
Jury to Recife. Presentee, hontem 39
juries-d.y facto, lioou oeonsellio de sentaoca, sor-
tead.v eo'np.sio dos njuiotes Srs :
Sebastian Jose Gomes Penin, Joaquim deiSonsa
iMonteiro, Regino Ferreira d* Carvalbo, Candido
Jose da Silva Guimaries, ioao .Gonoalves Ferreira
e .'ilvak l.uiz Manoel RoJrigues Valeacai Jo3o Z.
Rangel de Sampam, Carlos A..Lins de .-ouza, Jose:
Luiz Ssalgado Accioli, Taoinaz Barreto Lins' de Bar-
ros, llonorio Hermetic Cimh de Britto, Joao Pau-.
Imo Marques
Foram. migados os teos 'Malhias- Ribeiro Fer-
nandez e Manoel Antonio de Andrade ; tendo por
advogados, o primeiro 0 Dr- Luia Eiuilio -ttedri-
Sftis Vianna, e n,ogomlo o'academico Adnano
l- rancisco Ferreira Xeves. *
Poram absolvidos, a vista das conelu-5es do
jury.
Kta cm "oiiiiia. -Em 11 do raes odo
foi ciptudadw a recohidoa cadeia de S. Bento,
Francisco Alexandre, prononciado no tennode
CaruarU per. crime de ferimentos.
Iiiqueriio iiuiiritti. Foi reraettido ao
respecu vo juiz muaicipal 0 quo eBVctuou a dcla-
gacia de Garanbuns contra Joao Salgado, i>r cri-
me da tentativa de uiorte pratieado contra Fran-
cisco Jose da Gosia.
' IMnhciro.-U vapor Ptir.uui levou deaossa;
praca-para : .
?fthu"------- .lrt):40:**OO,
Mlhia 9:IO.'>A'.90
RudeJaaeiro 4:0J0i0J0
0 vapor francez Eryminthe levou de nossa
praca para a do Rio.de Janeiro 7:000*000.
B'.tm < sui do inapcrio. -Cm I rece
bido em nosso porto, levou o h>ynanlhe 173 pas-
sageiros.
i>Ataonia.-E-te vapor, da linha do Paci-
lico, sahio hoatem a lardo da Bahia para 0 oosso
parto, deveodi) aqui ctiegar domingo.
PaHNamenla. -Falleceu e sepultou-seante-
huntem no cemiterio publico 0,ca;.iiao aposeatado
do corpo de pulicia Joaquim Fernaudes de Aze-
vedo.
Scieiii'ia e projtrexun. Havera aoje ses-
sao extraordinana as.3 1/2 boras da tarde, 00 lu-
gar do costume.
Beiicao. Amanha, pelas 10 horas do, dia el
fectuar-.se-ba na igreja de Santo Amaro das Sa-
Imas, a da imagem de S. Gmcalo de Ama-
ranths.
Club (Iraniasiro. -Havera sessao amanha,
pelas 3 horas da tar le, aa rua do-Soctigo n. 9.
Monte Flo Santo Ammo. ,
Ns.
Pesetas
N-.
10:817........ "80:000 21:488.......
I2:597v..,..,. 30:000 fi:809........
14:100....... t0:000 16:590........
23;9I2........ 10:000 28:876........
13:322....... 5:000 6:771......
2:133........ -1:000 MM8........ - 2:500 24*92........
*>.3ia........ 2:500 iSt6l3..-.......
I7:2i8.___...- 8:300 92:304..'......
26:8i3........" 2:500 299........
12:8i3.,.....Ji t MO0 MM........
-SMtie.v.**...' VMM 25:463........
I3:467..e...... r.m 20:264..____
1:239........ 2:300 7:088........
30:193____.... 2:300 ? 1:096........
mmui*..... -2:500 23:661........
MN..v..... 2:300 1 8l.......
i:*3.j.,...... :500 *:667........
S:433....... 1 2:500 26 823.......
Pesetas
:300
m
2r500
2:500
2-500
2:800
2:500
1:300
1:500
1:600
2:500
2:500
2:600
2:500
- 2:500
2-600
2:300
2:300
.laonie Pio Santo tmi.ro. -. Havera .rio Gnnnalu Jos^ AsToiwf
sessao de assemblea geral amanlu, as boras, BSVNl6wS!u
Kcunlftcn dc ivaiaudadcH. -Amanha
devem reuair-se em assembiaa geral as irmanJa-
des : de Santa Rita de Cassia, para a elcicio-do
conselrm deliberativo; do Bom Jesus da Via-Sacra,
para a eleicao dos novoa funccionarios ; daSantis-
sima Trindade e do-Espirilo Santo, para iual
tim.
MocledAde ILuMo-BrowMeiro. -Tam-
bem amanha, as 10 horas do dia, deve reunir-se
esta sociedade para proceder a eleifio dos novos!
funccionarios.
AHMociarao T.vposraphica. Ainla
amanha deve reunir-se esta corporaca-* para con-
- terce[ra discussao dos rovos esiatutos,
sessao a noi:e, se chegar vapor pela
' Pr-isegue si na f.iina.eIailof.il.; d3o se lil\x'j)i,
i--d "
:aoem se raerc^s honorifi :as, elevam s>.
1 -.-- insigoitjcantes" a gracdeza destes t>
crea-
_ gracdeza destes remos,
1 :""!V'i? .tul' qaaotj o c-jfre das giauas p6de
'interaaaalofas vaidadas e ri-Ji;u!as prosapias
e m mo q u triurnphe-m as .-anJidaturas govfu-
namentaes. n
E' c ir.tiji d costume, velba, safada, aerpsa'
b:>r, ciiaia e petulante. De toda asu manipulaeao
(a-ijuero-saas vez-g e mesmo quasi uerapre re-
l".i2n-in!e) sahe um pastel jue vai no dia 2 d->
Janeiro de 1873 (u nio for antes dis^u) ernpa/e'
zar-se nas cadeiras do S. Renlo...
E' sabltl) que nas vesperas do u-ua eleicao go'-
ral poucos si) oseandila!oj que tem a .oragem j 1
-j i -'iiiio. Qafti till aquella chusma e mi-
nislerjal dos q iatro costados,. por que ssmi e.-p--
rarq contar com 0 apoid. das autoridades adminis-
'r-i':-".s qae 0; gjvernos tern alii aos seus no^tos
para exexeerera ao disfarce, ou se:n rebuco, ^jnais
Uesenfreada galipiaagem.
No systema chamado repreaaiifcitivo 0:1 de re-
pr,:-mt ao a o dedia |ae se representa e esta in
vanavelmente,
Continuam as felhas da opposicao a estranhjr
a el rei 0 ter agraciado com a* gran cruz da
Torre e Espada 0 general barao do Zezere, com-
man.anie das gaardag municipa;s, e querem to-
mir este aeto, iwmo luva lancatla a opiniao do
Piz. Creio que ha exag<>ra tPfMaf a facto. RI rei n5o Vitk'ia* dalmcnVa.
Pjf via de Lisboa recAbemos as segtiiates :
ESTADOS-UxioOS.
X.U'ias telegraphicas de Philadelphia, di'zem
qae esta immiaentemente mna aioJi:i,-.i;.ae no pes-
soal do gabinete de Washington
0 ministro das Bitancas Sr. Bii'hacdson
abacionaria a aasta da fazenia ; mas os aiiimos
telegr.uumas b.Vj citptn aiudi u noine da pessoa
We < subslituir.
E.o Washington a camara. a,'>su;ii vivo de-
bate, a liou a discu*i sentado por Mr. Mayaard, true estabelecia a lib>r-
dado-dos bancus e a circui.ica.i do papel moeda
nacional.
As.tropas feder.v.s, no estado de Arkansas,
teado a sua freale Brook*, impe liraio um conflic-
to entre os democralas e republicanos, que se ia
dando logo depois qua Brooks democrat;! assumb
0 cargo degjvernador, oxpellindo 0 repubiicaao
que exercia 0 cargo, e que recorrcit desse acto
par.t o presidente Grant.
- Espra-so em tod) 0 paiz.graaJe colheita.tlei
ttigo, cuja cultura augments 8 B-Jr cen'o
Em cynsequencia de tuna tempestade, nau-
fragou 0 vapor Amerigue, de New-York, salvan
do-so muttos passageiros.
Ha poucos dias, :efere uma fglha, apresen-
tou-se um homem no salao das sessdes da camara
dos senadores de Laisiania com urn barril de pol-
vora/rjue coUpcoa eom todo 0 socgo no chSo de.
cluir a
sendo a
manna.
imposio itcNNoai. B'no correate mez
que deve ser pago, livre de multa, 0 2* semesire
do exercicio do 1873 '1874 deste- impo>to.
* in-ivir-ca do tnwiiBii. -A cf:mecar
de amanha eao supprimidos os seguintes Irens'do
passageirjs, nos domingos e dias sanlilicados, du-
rante o mvarno: do Recife pa* Caxanga dae 3 e
b horas dajarde e do Caxanga para'o Iteeife das
4 horas e 3o minulos e das 7 e 33.
t Mu-.aiiuia PernambHwiiw. ,Na
sede da empantua paga-se o 9" dividendo, na ra-
zao de ires por cento.
Mo dia 22 do corrente tormina 0 prazo de 30
dias, uiareado para a realisacao da enirada de 20
por ceato sobce 0 valor subscriplo at segtinda serie
de apolices emiuidas.
IjuiIi crsario. Hoje e 0- dia aaniversario
da restauragao di Itahia do dominio liollandez.
ailHMa ftanebre. -Terca-feira ( 12) os Srs
Dis, Adelino A. do Luna Freire a Aadre Cavalcan-
ie de Albuquerque mandam celebrar, B i natriz
" laV'' ,.d'\;l*b>' missas P"u f*"* JjDr.Joao
A veS Meigulliao.
Telejtramma roi
beiitos huntem 0 seguinte :
uondres, 22 de abril asShiras da tarde0
algodio rtgular de Pansimbuco en >cr a 8 J/8 o
da Parahyba 8, e 0 lie Maeeio 8 8/16 rTrmel rj as-
sucar mascavado de PernarabUco. juaiiJaJo regu"
lar, em Liverpool, 1.9/9 flrme, e carregajnento.de
I'ernarnhi'o nelo Sultan* a *)- F. Toi(/ B
Cruzeiro doSul.-Sahio hontem a'tarde
de Maceio, este vapor da comoanhia nraileira c
deve amanhecer bojo neste porto
Mex miiriaiin<.,-i;ii 30 do niez ultimo co-
mecou 0 exercicio rsbgioso do mej manaaao na
igreja de Santo Amaru das Salinas, sob a direc'cao
Grego j as 7 horas da noite prin
Santa Ciisa de Uis<-i-i. oi-.tin. as. Pes-
soal de enfewnos a edncaad noa-extabeleelmentos
pios a cargo Ha Santa Casar, em abri> ftndo.
Ilo-p tal Pedro lb 370, iWnos de oafermos 11;
hospital dos Lazaros 40, hospimo d-vwhonados 8V,
asylo de meudiciJade trft-Viflollegio dos orphios 83
caia diis expo.-tos 93, meninjs euycriacao 73. '
1 Loterfus -*A ane seiacba' k beneflcio d*j igreja de -Nossa Senhora da floa-Hor*
em Olioda, a qual -c-.m: 110- di a 13 do-ctfrrente. I
Casa de detuca Je detenoao de dia 7 dc mai-i da 1874.
Kxistiam preeos 372, entMTMn J, saftiram 48;
-.'xis-ein :YS,.
'A'-saber :
NatMoaaas>-i214,'>nanUfares '.V, lawaMgeiros 25,
escravos 34, escravas-4: Tola!-326.
'AlreWado* MttM4|a cofre* atiHicos -:j06.
Movimenlo da eafermaria no- dia 7tfe maio de
1074
..Teverafflvalla :
Joao Luiz Nepomuceno. I
Joe Alexandre da Luz,
J)f Bezerra da Lima.
Manoel Joaquim do Mascim-nto.
Uenedictn Gomes da Silva.
MtavMjMpM.^Sahidos p.ira 0 sul, no va-
ijor Parana, tm 7-de-roTrentc :
. ^^r.^tAWMO- tatsnunas oc-uirr-mtinr, 'iMiimr rt.
wariins, conegu'vigitria Francisco' PeixoW Dbsrte,
major Haymundo Gouvea,- Aulonio-, lim, Carlos Klein, Manoel A. d Agur; Antonio
Jose Martins, Manoel E. de Jesns, 40 escravota
entregar, Alexandre A. de Prias Villafl Junior e I
escravo, Dr. F. Moreira Guerra, D. I l.iliin B. de
Oliveira, 2 tilhos e I criado, Gustavo H. Ilumma-
cher, Manoel C Carneiro Monteiro.iAlbanoCha-
i.anbere e 1 criado, Marcelina e Felicidade(livi5),
Joao Parente, 1-deserter da armada,'-Jose 0: Pe-
rcira de-Matto?s Maria J. do Sacramento,.-Manoel
Ift da Silva, Polycarpo Jos6 Layme e 1'criado, Dr.
Francisco M. da fiunlia^Beltrao e 3 escravo-i An
tooio J. d3 Moraese Silva e I criado, Dft-'ioao'B.
de Aguiar Bello, Bellarminn G. de'Albuqnerqae,
J se VoIIojo Soares, padre Joao Manoel e 1 crkido.
E^tevio A. E. Bezerra e 1 escravo, Vital-'Josei
da M. Janior, 2.ft9argentfi-Francico C. da Veiga,
apreudizes marirmeiros Srlveslre, Grillo A. Perei-
ra, Mariano Francisco Salao.
Sahid.vs para 0 norte no WApofJiftnaribe :
Antonio da Silva, Antonio idos S. Goelho e I
criado, Felippe Estella, caattao- Jsnino da Silva
Figaejredo, Ismael Franeisao-'Sobir,' Minoel F. Du-
e 1 H:riado, B. Dereson,
ma, Manoel Ferreira de
Araujo, Francisco A; Brilo de Oliveira, Dr. Her-,
mogenes Ji Barbosa Tinoeo, Joao Jose'de" A^naida
Lima, Primo iPuBorges, ieeiit3'coronel Jerenvmo
Jose F. de UeHo e Lcriado, J. Hi A.'d* Aftuquer-'
que, Eloy C. de Souza, Jose Joaquim Dias do Rego
Junior, Jose da C. Oliveira,-'Antonio Dias'Pin-
to, Viotorino Jose1 Hafiow,- Antonio J. de St'a SiWa,
Aatonio Pefeira da Farias, AinJraoSt'breifaj'Aflrio-
mo S. T: da Rocha, Auneliano de A. Galvab, F.
Pires dos Santos Almeida, Manoel J. de Oliveira
Lima.
Sahidos para Fernando no vapor Giquia :
Joaqaiire Quirino Madeira, ."aadtdo AgosliahO'
Pacheco, Bornardino da' Silva Campos,' Jose Joa-'
quim Alves Cnutmho, Antonio Friarjclfco de Me-
deiro?, D Maria V. P. Pynho, 1 cnada e I eriado,
I menor de-*iaa"nw>) JoaqninsiMariadaConeeioao.
Vindos da.diuropa no vapor fraaces Ery
.manthe: sil
Jo-e A.-Henriques/'Atrgusio T. da Silva-, Anto-
nio Luiz, Vioente'Maincne, Franc scoPugtia e J
-menores.
Sabido para 0 sul-no in^ama vapor:
Roberto Campbell Grant,-Joso-da Gorfa'Dias. 1
Sahidos -para b Porto na bare* portufueza
Litbox :
JouoBaptisU Rodnigue-, Franci-co Martms.
. Cemiterio publico. Obiluario do dia 6
de maio de 1871 :
Manoel Jose da Silva Maia, branco, Buntfugal, 31J
annos, solteico, Bv*-Vista ; bypertropnia no coi-
racao.
^Maria Rosa da Conceicao, parda, Parnambuoo,
19 aanos, soiteira, Recife ; tuberculos pukno-
nares.
- Maaoel Felippe dos Reis, ,bnaniu, 19 aanos,
soiteira, Boa-Vista; variola cqaflueote.
Maria, preta, Pirnambuco, 3 meaes- Recife ; en-
tente.
Pago por conta dos
mezes aatenores
Pago a Aogato Fre-
derico de Oliveira
A C, por saldo
Diversas flespezas :
Materiaes, azeite, ob-
jeetos da escriptorio,
impostos, consumo
d'agua e gaz eTip-
* tras despezas
Diogo Baptista* Fer-
nandes solicitador
dinheiroentregue
por adiantamenlo
para occorrer as
- despezas com as
questdes da eompa-
nhia
I Obra nova :
jDespeadido com a te-
- legraphia electrica
Pagamento de depositos
Ba'ldo que passa para 0 mez seguin-
te
60*773
1531123-
80.1^113.'

200*000
90x000
8/334
200/1000
80*000
879*418
2:219/010
882*710 4:0111138
681334
3:888*315
176*200
274000
14:485408?
Escriptorio da companhia de trilhos urbanos, 30
de abril de 1874.
O thesoureiro,
Luia Jose Pinto da Costa,
10:10 2 3653
2004000
10:3024*53
4: 82#43i

a.
P
n
I
a
5 -t
oo
00
-J
O
'XI
! *- ~ O
a ia g
h tt e.
m * *> ffi
-4 0 ^j = i*" O >:
.4
&
ct)
B*

r^
1
I
il 2C

p
to l*~
a a
00. .i.
w a
J -j
u


88
Da
St"
o
It
ii
Ci

5
5
CO
-- I
CO
3-
o
N
o
p
p
p
o
a-
CD
CD
P
0
GO
w
CD
CD
1'
C^
o.
3
a-
p
c
Cu
-t
O
P
H
CD
CD
CD

e-l-
P
D-
P

3
t
9
B
X
9
2S*^
o
3
1 1 ?
% j?
o
CD 3
tefg
s-l
o
m
'ItUJk#,|)*fqi^a*irn#rs*K/6 ot.iria n-lioiii baas para a eiaraila rarlisia Pi I
men is, moslram aqui que sabem servir Ix-io .
um jtreletidrnte.
IVk-ja m Hi t. ma **ri*ro aqui, em ni-.me
da liberdada dos puvaa, aara nelbor irucila-
rem-na, qn:ndo no poder.
Ah 1 sabidof, qu.-m vos conhecer qne tos easD-
pre.
Bnctcis colamaas de aaclaanedcs b- mbaslic--.
e aio articuiais um facto, ama arguifio seria
contra a administr*cao do beaenerito pernamba-
cano, a quern estao coafiados os de?linos da pro-
vmcia!
Tripudiais no desaspero pelo poJer, qne em
boa hora vos rnglo, pelo muito qae deile abusast^-.
a vindes com area de cond< leaeia fazer lamurias
em nome do povo, que entra em v.wsos calrulo
como Pilalos 00 Cred ., eiquecidcs de qne a l.-nsa
experiencia de vossas governanras teem paten-
teado por demais a vossa ft punica.
Ainda e*tao muito frescos os desirocos a> vos*./
ultimo dominio ; e e justamente por islo qne I
uma guerra pessoal c mesquinha ao cidadao ilia" -
tre, que lent n purintismo e abnegacao MMa-
sarias para, despresando os aamm tmrnn, lar
mente em visla a pirsperidade de sna terra na-
tal, a qnal dedica todos os seus etforc -
E vo;, 0 que Tizesteis ? O qne faz-jj ag
desnaturando deste mode a miss.ii d m .
nistas '
Ah tartufos, tartufos 1
Tendo sldo tnvoeado mm testcmunh-) a pr
posito de um facto praucado-peJoecadjuet'T pr
parocho de fpojuca, eque f.-i narrad-- no Dun
de hoje, corre me o dever de vir a :niprec?a a>-
clarar 0 qne sei a i;.l respeito.
Mas antes de o fazer, seja permittido -li.- r
duas palvaras a S. Hvma.
Nunca importei me com o comporlamen-o I. :n
ou mao deS Rvma.
Sei deste facto, hem ccmo de culms mai-, 1
rent nunea-alieei minha vox- para cen^nra lo, air.
da mesmo quando S. Rvna., quasi ma deaafiou,
aitribni.ido a mim a paternidade de nm art .
puldirado no Jornal do Recife de IK do pasaa*>.
Mas agora qne tnlo esla desvendado, e ime >
publico ja sabe das boasobrasde S. R.ma., aV >
diser-lhe que, se bem que soubeSM' do fac! a
respeito daqual se iavoca men testemunh-, t -
davia htinca o publiquei, sei deste facto mm
haver rev. lado um homem official de fftrn.-
ctiamado Man-el, nVirador no eDganho Agua .
e amasio da fallttida, e que nao faz n vsten 1
0 revelar, arcreeentando qoeS Rama", rero-- 1-
se a cnafersar e rasar sua amasia monbnada, |*.
fstar entrelido cm uma pescaria.
R' o qaetenho a responder ao Chrita>.
Itecif:, 8 de maio de l74.
AHpia Jose ia Coal a.
P ST PI-
CD-
O
3
p-
CD
p
2-
P
1
CD
3-
CD
P
O
3
3%
3s
o
Oa*
P
cr
p
&
O
in
-s. upgi&-l: -;
PARTE FOLITIGA
PARTIDO GOISERVADOR
stEUFE, 9 DE MAIO DE 1874.
imertiait.- R-e
do Rvd. padro
diptara o a,-iu.
HiKarloria de fa/.enla. -.Nt-sta eslieSo
pagam s) hoje as seguintes folha- :
11 ispilal tnilita/ e todos 03, demais luaccionarios! ^ipresso's
quo rece bem por meio de recibos i.uls.i, e tam
Deoveaeia Maria .tfa-Cuncaicav parda, Pejoam-
buco, 23 annos,1 solleira, Santo Antonio ;-4lnola.
aotilde, branca, 1'eruambuco, 2 1/2 aonos, Boa-
Vista ; queimadura.
Estrada; de'fetto- iky Recife a
. Olinda e Beberibe.
MOVIMtNT.) DA CA1X.V KilHESLMO DA COMPA-
NHIA DOS TB1LHOS fKB.A.10S DO RECIFE A
OL>iDA E BEBERIBE, nKl.ATlYAME.VTE AOJ
MEZ PE AUaiL i>E 1874.
Entrada.
ileceita :
Oilhetes
As.-ignaturas
Carga e lastro
9:3584730
1:2634000
4134470
-104000
de receber nos dias,
Mullas.t empregados 04IG6
Deposito dos ompregados
bem aos qu-: deixaram w icueuer nos uiaiiflae
Ihes furarn'marcados.
liiMlilutu) Hiieri<- PhiloKopiiiro
C'ei-H^iuiMx-aiKt. -Amanha fuueciona-acia
sociedade emasessao ordinana'as boras 0 no Ju JiftiJo Jo aez demarco ultimo
gar d.) costume. Ordem do tjia : b parte enatb
Onacao da discusao di these. /
0 priuefpio ila-heneditarledaso no gorerno ra
narcliico repre8entaiivo.-era|*:npati\v-i onia
digoidade de<-uma aaciio ? 2Mparle, deienvolvi
mento pelo Sr. Frederic 1 #rg\ da'seguinte
these: .
-41:4404200
2904000
11:5144366
2 9404719
14:4834085
Sahida.
QnJattadM e ferias:
iMovimentQ 11:9864666
EstagSes l:i?0i290
' OS-ftOMEHS S\0 DAS ARAUIAS.
0 Barao de Villa Beila, nao era presidente da
provincla, no tempo do' contrato Mdrnay, c sim
exercia :esse cargo, como vice-presidente, 0 Sr.
Dr. Manoe! Crementino, actual depntado do par-
Udo conservador. Qaanto a Draynage, ja esia
provado que as irregularidadcs de boje nao sao
lilhas da -contrato celeferado oa prestdencia Para-
r|gua, e sim da falta, de fiscalisacao em sua
execa^ao.
! Esses provincianbs, nao eonqnistam a palma de
h|er6es. porque nd embuste nao pode haver herois-
mo. Nrnjuem Ihes negara, eniretanto, os foros
de flibusteiro- politicos, uma vez qae 09 esperta-
Ihoes, aeobertados com 0 manlo liberal, primam
e(o aleive e ha cavillacao que e um gosto.
i Giles sabem que a bandsira eobre a earga.
: Sao uns capadocios: largam a peta e riem do
elfeito.
-. /Eriste. effeito I
, Entao oi ooatrato- Mornay, que motivou serio
(iamna aos cofres, foi 0 primitive, celebrado pelo
Or. Manoel Clementine, ou foi a ranoni^ao do
lassrao contrato feiu em 6dc novembro de 1867,
provincianos, de quatro eostados ? !
j Quern era,- direi. quern era o pres-idenle em 0
de novembro da 1867 ?
! E quereis assim illaquear a Optoma papular, em'
nomeimfcqnat'ds'.TBwejais todos os dias !
Dizeis qne 0 contrato Draynage, nio e grawso
erar niaiessancia, e sim otein sido a sua execn-
'.a-
Wsiunftrneaiis Forte insama !
0 contrato rme fez da provincia um pr#posto do
empreaario,- otwigarido-a a pagar-lhe todas as con-
t:.s de apparelnos e annnidadesv para 1 depois ir
Haver oimporta dos parliculaTes, e nm contrato
decenle, senkores procineianos f
-Ignorais-'aeaso qne esta condirao nao so aviltau-
a provincia ante umatmpreza, oomo della resal-
tam os males de que nos-rquercis tornar respon-
saveis?
0 que dirieis e 0 que sirecederia se nao se
Jdesse cumpriment- ao contrato, que fizesteis, em-
hora reebnhacamos que tile tem empenhado-os
dreditos ffit-provlncia t
A9 contas da comoanhia sao pagks a bocca do
Cofre, e nistoJa I* ae*tem ido mair de 600.000i,
(foe..-a provincia ainda vai cobrar de porta em
por-ta, gracas ao contrato, de coja sseencao fallam
hoje 03 liberaes da terra. r .
B elies a fallarern em ma execn^b I
A ma execucao sera 0 ter 0 Expi Sr. co nmen-
dadur Lucena,. descoberto a vergrfhosa melftuira
da falsificacaa palente.do contrato, fa!silicacae que
tornouasse contra to ainda mais oaeroso a pppnla-
5aa.c0m um iucro.indebito da mais de 400:0004
para 0 coBeessionario ? x
(Sera 0 acoordo com qne S- Exo.-, sempre solicito
pel interesso da provincia, fez laverterem aos aos
cofres- deaenas de notitos de res ?
Realmente, uo alcorao profinciaao MM desta
ordem sao um aueniado .oatra os pensamentos
regressistas.
I Fallais em deficit, em horror pa'avras bombasticas preiendeis tevar a conta da-
daaclual jituacao polaica #ra-astaio de eonsas,
julgando por em- esqueamenta qne e elle 0
resuilado dos contratos e innoracues roinwas que
fitastiis. .,
|B- com qua coragem, desailraados, atiuis am
desafio para a discussio desses ccntratos I
S irrisorio 1 ^
E' muito para ver 0 propr J!
viaciauos buscam illudir aims
alias ja bem certa das arlimanhas truanesea com
qae eneobrem as-maaellas progressistas.
Qual e a ma exeoucio que se tem dado ao cm-
frn to Drayawge ?
'Porqae nao apontais em iiue consiste essa ma-
exeencao i t
Dar-se-ba que.tandes,' .toleresse em oceattnl-a?
-Nao 0 aereditamos. t
Pois nao temo9 (antes razes, e sera coalestacao
seria, protado o IVjis-.bem. Dizeis'qne somos os -Broaocadnne.-\
a vos cabe a defeaa : apreseolai vosses artigos,
ique teremos vista dosaotos.
.l^'ue Impanhoiadas teem sses provincianos I
' pens que pao habiiem ,d0 oplpj |a!0 do
Vivo |iroli-Nln.
Cliegando di ttio Grande do .N.-rte ea M
assignadi), herdeirodo linado meu sogrolgoa'-
Albuquorque Maranhio, deparei n<*sle jornal c .;i
um aiiTincio de leilao, convidando a concorr.
para a arrematacao de um sobrado e ski., ao lu-
gar Santo Amaro desta ci-lade ; pt edi esse,
faz parte do arervo do dito meu sogra e que n 1
respectivo inventario foi avaliado por IO:OUl) jOi*.
tendo custado 2i>004000.
Foi reraerida no jnizo da refrridu invmui
(term.i do Pajury, eeraarca de S. Jose 4e Mq
uma licenca pelo-proeiimdar do teMament.-r
para poder esta -wader dito predio.
Sabendo an dista oppcrtuaamenl*, reqneri d 1
juiz de orphaos, baobarel Luiz asasamB Ferreir.
Souto Junior, que me concedesse vista dc tal aet.-
cao p ra oppor-me, aMetanda desde I go ser sW
necessaria e muito prejudicial a venda
Aquelle juiz recebu minlia peticao no dia 2 1
de fevereiro ultimo, teve-a em seu pr>der seis dia.'
para dar tempo, a sa-preparar 0 alrara e vir aara
aqni.
Quando eaesperava deierimenl), ja qae ex-crti
eio nao mandava o mesmo juiz oBvir-aae. cm >
campria, despachou elle, exigindo proenracao '
E assim despachou depois de dada a antori-.
fai 1 I
Por caut.-la mandei antes publicar no* Dearie ii,
Pernnmbneo de 2 e 3 de raarco deste anno, nm 1 r
tesio r.Hiii... vcuua preienaida, aliegaado e pr -
vando entao com as verbas li minurtwlji m ri-
o fandamento em .pie se iirmoo o jnir para coak-t-
der a hcenca, e nao vbstante eorrea a arara p
rem deix-m 0 predio de ser arrematad >, vis'
ter apparecido quem offerocesse mais da 6i 001)4
em conspqitencia da falta de numerario, qne sem
originarto maa-arise inedonha.
Sendo pots natural, qne isas inllua para mbmi
0 preco a uma quantia mais r dicula e snbsisijn. :
as mesmas razoes de meu protesto anten .r.
nao foiiiiapusroado, veaho de novo pratest
tra a alienacao .le tal propriedade, qne. madid
ou raelhoradas as eircuButan ias, po Ie en-
quem M por ami seu jusio valor, emheaeti.-i > a:o
d-.-s orphans co-herdeiros.
A' vista do exposto, previno ao publico para aja
na comparecj ao leilao annunciado, sob pen a de
nuilidade: tanto-mais nao estan-Jo jalgad.p-.i
seotenca o inventario, que e uma verdaieira m [ imsidade juridica e nao pode deixar de -er aV-
clara-Jo nullo pelo honrado Dr. juiz de direi: 1 ..
qurm se acha concluso.
Merece todo 0 meu reparo o engaao com qo
se fez o aafnancio para o leilao. occultis i<>- >
nome do ultimo propri tirio a ligurand) 0 ia aa-
tecessor destj, talvez como medida de pMCaajcao
para poder passar desapercebidamenle a > 1 1
alienacio.
- iXeste- senlido vou reqoerer ao Exm. Sr. desen
barendor-juiz d'.irpbaos desta comarca, em <;
esp ro encontrar justic,a.
Hecife, 6 do maio de 1874.
Antonio Felippe de AibHaHeiqne MaranAn...
com que ospio-
-.-.-.-ifncia publics.
Dequciro quo, <]uantn antes, a soe.edade sVk
Anisias Meenaaieos e Liberaes, a eiempio das ai
tistas da corta,que crearam a l.igi itpnwrhi, pr-
enre congregar am Peroambaco todos os ar:
e todas as sociedades artisticas em ama ii
ciarao, creando se para cada class.- em parti
um comelho de craeo membros, sendo a du
ceatral exercida pela sociedade em ? ral.
As classes cm p.irtieular elegerio 0 sen c 1
Ibo, e este a direccao central, qne devera aaan. -
pelo- menosj um' meatbro de cada conselho.
Convidtm-se para esse Om todas as soeie4ad -
aeluaes, as qoaes deverao reprasemar-sa per aaaa
eommissao da tres uiaaibrn*, atim de declararem
sendherem en nia a fnsao ; sen Jo aquellas qor
nio c- rresponderem a' esse ennvite coasiderada*
como nao adtserindo a idea.
PumtameBt as ratoes leste reqaermMMa ca
que a unido faz a farea, e por coajsaaamMe a
economia quo resulia a todas as s riedadae fama-
rem fnnceirmar era nm s.i edificio, em maior
disrifndio.
Sendo aoprovada este reqnerimento, iKseie
Nlsu sociedade uma commissai ce ciaro mem-
bros effectivos, afira de, com plenc-s p->dere, cob-
vidar desde ja os artistes mais nouvei*. qaer na-
rioaae*. qoer estraageiros, aqui residente?, aiada
mesmo qua nio parteoram a e.-ta sociedade aa a
outra qualquer, alim de eluridar se 0 prnjerlo aV
uniae sccial-ariiMica
ladwe qua aa fnsio das sociedades tiquem eon-
siderados socios da Imperial Sociedade 4-s Artm-
ta< Mechaaicos Liberaes todos os qne actnahBeaia
forem sociis de qualquer aVilas.
As mensalidades devem ser recoltidas em nm
so cofre, e havera am so thesoureiro, em aaammja
do qae em cada ama scrcao havera am ftok
Noaso de qne este projecto scja approaaao.
cleger se-ha no acto da fnsao uma cominissae a>
15 iiemhros ( na qnal devera l.-mar part- aaane
nos am socio de cada extracts soceJade 1 para
inaditramente e com nrgeacia dar novos eslatajasa
e regulamontos, os quaes -aarau Mas aaaja~tc.
t-rganica da sociedade ; ficando, norera a rada
sucio 0 direiio de apresenlar qual^oer reHaaio
ante a mesma commissao, mas nao di-ratira, vino
que os 15 membros sao us unices cimpeseaars.
Em conclusao apre.-*nto 0 seguiate BrahMa -'
Art- ( A Soriedade dos Artistas Mrrfcalm
e Liberaes se compora dc teaaa as s-iritiaiat a
artistas nacionaes e esirangciros, sojettos a aan;
disposicoes de estatulos.
Art. 2* A fasio de ladaa es artistes a iada
aa associaToes artisticas tin uma so soewmsaa da
direiio aee privileging de qae geca a saasamma da
Artistas Mecaaaicos.
Art. Cada socieaaaV em particular
nessa fusao com todos os bens de qne
antes de eolligadcs, qaer movei?, qaer f
qu-r semoventes, os qnaes ficario *
Sociedade -Mechanic.!.
Art. 4 Fcrao f.rmulaJos -timm
orgaaisncao social.
Art. 3 Ficmn rovogadas, elc.
?a!1 d J Uj-enal Sociedade aos Ar-
entrara

i


[
JJiftMo de-i^atobttc0i^ J&bbads 9 4$j Maio. de 4#T4
mm:i ,-ii .....
tistas Meahanieas- e Llbersea, en
1871. .-, .
T R dt P.
28 do bril de
.!'
mv.
Socvo provecto-.

Culdaifu /cjmu"-** cnliscus!!
As folaas teem o seu tempo para canir, e ai
(lores teem urn so verao de exi-jlencia; porera o
cabello uma vez judiciosamente cultivado devera
ilurar toda a vida. Nutrido euidadosamente com
o Tonico Oriental elle duri.ra para aempre. Nao
pode perder sua vitalidade e formosura, com taoto
libras que o ab orvem
As senhoras nelle achar.'io o melbor de lodos os
prevealivos contra as cans e a ealvice, ortogand >
ilies alem disso um farmosD brilho as suits trancas
e madeixas ; e para as suii;as e bigodes dos cava-
Ibeiros, e de todas sb prepmcOes a mais adraissi'
vel e agradavel.
iHiMMlRCIO
JUNTA
I'racn do
Assucar
DOS CORRETORES
Recife, H ile imiio
de"18*4.
AS 3 HORAS BA TARDE,
coTagass; offi'jaksj .
- mascavado 'pnrga*> 13900 por 15
kilos.
Cambio snbre Londres a -90 d|v. 25 d. por
1/000.
Cambio sobre Lisboa e Porto a 90 d[V. 110 0(0
de premio'.
Dito sobre dilo a 3 dp/. 118 0i0 de premio;
do banco.
Catebio sobri Lisboa a 3 djv. 117 0|0 de pre^
mio, do banco.
Dedarafio.
Foi ne3ta data declarado pelo correto'r qua
lnnte-m fez a cotacSo de algodSo Fair era fardos,
tiH) d. pjr libra e 50|0.
iS. de Vascoiicellos
Presidente.
A P. de Lemos
Secreurio!
4.LFANDRO*
he idiraedio do dH 1 a 7 '.
lx do du 8 .
211:4671013-
34:6183638
246:083*631
Para o Rin de J*uto'U}*flo vapor national
{ffnfi can-cgou-: A. 8. CpjplKteaooaiaastam
4'!WKiros(ledoceV
Para o AneaoaJ a* bane nacional Joao-
Vaik, carregoo rCarpioaeiro Pilho A Sobrlnllo 14
barricoeomvftG kilos da-awneai branco,
> Pjra"MirtovnahKa(a Tret frmJv earre-
Sou : J. C da Rego Paulas 2 pipas com 960 liiros
e .agaardente.
Para Mossoro, na barcaga Rainha dos An-
jos, carregou : J. C. FigneJra 15 fipas co;n 7,200
litros de aguardiente.
Para o Uatal; ma barcaca Flor do Recife,
carregou : Braga "A Rocha 1 nartil :om 48 litros
de alcool e 2 saccos com 441 kilos de assucar
branco. Ji&&
CAPATAZU
itandimanto'di- dia 1
i*in- do dia 8
OA ALFA.NDKliA
a 7
5:453*393
7994173
6:252*766
VOLUMES SAHIUOS
No; No dia 8
ttuneira-porw.....
iagnnda poa .1
fareeira poru .
Qnartaportav.....
frapictM* Gcnee;****
7,619
254
39|
253
SEUVJCO MAKl'tlMO ?
vi>4TLrf* descarrogadas no trapicte da
alfandeca ::'/
Nosfliadia7......
Na(dia*8:. ......
NostrapirtiaHjuaeatow. .:.
20
HKCEBEUOIUA DS REND AS INT. UNAS GE-
RAES DK PKRNAMBUCv
tendimento do d!a 1 a 7 i0:SS'i!l2
d-yMo dia 8 .- l:8Q8*t73
~12:7Ja*133
CO.NSL'LADO PROVINCIAL
Heufliiueuio A<, dia 1
Idem iio dia 8 .
a 7
Ursearregam hoju 9 d" oialo de 1874.
Vapor fraucez Erymantite mercadorias e
bagagens para aUndefa e trapich Corf-
ceicao.
BarL'3 franceza Santo Andre telhas e lijolos
para o trapicbe Conceigao. para despa-
char.
Pitacbo allemao Elue farinha ja despacbada
para o cne^* &o Apollo.
pattebfl inglez Gerda mercadorias pjra al-
faniega. .
Pata^ho amarieaiw -Vfater Wicth -farinha ja des-
pacbada para o i* ponto.
lui|iortacllo.
Vapor franooz ErynmlJte, entrado dos portos
a Ha-
- n.'.iiy tic Labille, manifestou :
Carga de LislKii.
Impresses 1 caixa a Silva Cardoso & Pessoa-.
Carga de H.imburgo.
Mant:iga 12 eaixas a BrownToomoson & C
Carga de Paris.
Amontras 1 volame a Cromer ^rey & C. Cal-
cades 2 caixas a Patents Vianna Js C, I a D. M.
Marlins, 1 a Lvra & Vianna, 1 a Hosquita & C*r-
doso, 1 a Vaz Junior & C Chales de la 26 a Luiz
a. Siqaeira. Chapeos 1 caixa a Costa Maia & C,
1 a Mesi|uita, Cardoso & C. Couros 2 caixas a
Parente Vianna & C, 1 a Vaz & Leal. Conservas
alimedlicias 2 caixas a Francisco de Paula Ra-
mos. *
Jornae* e cigarns i caixa a D* Lailhacar & C.
|,ivros e objecth para escriptorio 6 caixas a
WaMredd 4 Souza, 4 a J. N. de Sauza
MeJicamenlos e roupa ii caixa a Rego Batros de
Souza-Leao. Miu.lezis l caixa a Soaza & ?a
A C I a Joaquim M. d a Santos Aguiar. 1 a C
P. Tavares, 1 a Vaz Panels 1 caixa a C C fi.iedes Alcofjradi, b a
Carvalbo Pereira C.
Oaalrts 1 caixa a irmi Viala. -
Tecido3 1 caixa a E. A. Burle & C, 1 a Cra-
! t Prey & C, 2 a Roller, ditos para chapeos de
. I caixa a M. Haestroli.
Vinlio 2 barns a 11. N'uech.
Cirga de BarJ-aux.
Amostras I volune a M-.rr.-.iio, C-egino &-u.
Azeite drf Olivcira 50 caixas a MonH.ro Junur &
. -rnandes, 2 a Cbaix,
Cilcalos 2 ciixas a i. Gibson, I a J. P- Aran-
tes, i a Mcnl-s, Loho i C 1 a Monteiro, Grego-
n i \ C. 1 a D. M. Martins, cerveja 25 caixas a
Cirvalho, i'ereira& C. 2D a E. Turpin. Confei-
los I caixa o Ferreira Maia V C.
Farinha de trigo 25 barricas a Keller & L. PI-
las de seda 2 caixas aos mesmo'.
Garrafas vazia? 34 caixas a L Antonio ds Si-
Legumes I caixa a E. Turpin. Licores 7 caixas
a. mesmo. Livros 1 caixa a V. Fournic, 1 a Wal-
(redo & Smiza.
Macbioa para araolar l em 1 caixa a ordem.
Hassaa 30 caixas a ordem. Miudezas 1 caixa a
M. Paulino de Siqueira.
Qu-iins 7 caixas a Keller & C, 2 a E.Tur-
pin.
Saaffoeaagas caixa a ordem. Sementes do her-
talica 1 caixa a E. Turpin.
Tecidoa I caixa a ilonhard, Mettler i (>.
Viniio 30 caixas a Manoel S. Faria & C, 13 a
B >hres, 12 barricas a E. Turpin. 4 a ordem,
1 a A. Caora, 1 a Cramer Frey i C, 1 a Monhard,
Metier & C
Carga de Lyon.
Object. : para C&apeis de sol 1 caixa a ir.adame
V. Falque. ...
Teoidos de fdda I caixa a Monhard, Mettler
-
Carga de- Rotherdam.
(ijeijos 50 caixas a A. F. de Carvalho, 45 a
i ./. Bast'js & C, 33 a Cardoso Martins & C, 32
a J. Marc.lin i da Rosa & Filho, 27 a BeltrSo & Fi-
I ho. 211 A. F Corga, 17 a Lima & Silva, 17 a D J.
P. Cruz, l a Lebre & Ri'fs, 6 a J. Joaquim Alves
& e. .
I'atacho nacion.I Joven Correa, entrado de Rio
Grande do Sul, na mesma iala e consignado a
ilaltar, Oliveira & C, manifestou :
Gebolaa 2,0'i0 reateas. Couros saccos 70.
Se^o coado 23 barricas com 2,58) kilos.
Xarque 223,320 kilo
Patacho americano Water Wi'tc'i, entrado na
iiia data de Baltimore, consignado a 11. Porster
it C, manifestou.
Banna 20) barris:
Farinha de tngo 2,373 -barricas inteiras, 130
meias aos consi.^natarios. (
l) O'.PA .HOS DE EXPORTACAO NO OIA 7 DB'
ABIUL DE 1874.
Para os porln do exterior.
Na'barca ingl.eza Belli; pin Cronstadt, car-
regou : M. Lathan & C. 101 saceas com 7,546 kilos
de algodao.
No brigue francez Intrepide Corse, para Li-
verpool, carregou : T. Christiansen 5,000 pontas
de Dot.
No vapor inglez Patagonia, para Liverpool.
.rrcgou ; J. F. de Albuquerque 2 volumes com
112 kilos de cafe c dace.
Na barca inglezi Eliza Campbell, para Li-
verpool, carregou : J. Pater & C. 2,000 saceos com
130,000 kilos de assucar mascavado.
Na barca portuguer.a Harmoma, para o Por-
to, carregou : Carvalhi A Nogueira 78sacc-;s com
5,230 kilos de assucar mascavado e 720 ditos com
34,000 ditos de dito branco ; T. A. Fonseca k C.
Successores 100 saceas com 7,579 ditos de algodio
Na barea portngueza Njvo Silencio, para
o Porto, carregou : A. Cordeiro 752 saccos com
56,000 kilos de assucar branco e 247 dims com
18,523 ditos de dito mascavado, e para Lisboa 600
No brigue portuzuez Cotele, para o Rij da
Praia, carregou : A. 'Cordeiro 50 barris eom 4,800
litros* de aguardente.
Para os portos do interior.
Pan o Rio Gran le do Sul, no patacho na-
cional Africans, carregoi: J. J. Ferreira 24 pipas
com 12,520 litres de de aguardente ; L. Duprat
25 barric9 com 2,457 kilos de assucar branco e
22 dltas1 cam 2,538 ditos de dito mascavado.
PaM-o Part, "no briroe franeea Brasileiro,
carregod i Araorim Irrnlos 4 C. 20 pipas com
9,600 lilroa de aguardema e 200 barricas com
6,938 1| kilos de assucar branco ; M. J. Gomes de
Amorim 600 diias com '15,262 ditos de dilo.
22:670*503
3:! 38*268
- 23:808*373
GhateS
Coimftra
Cotlr*
tofl CoviThl
' Ela
Eztfemoa
ftmalicSo
ro ,
Figueira
Guarda
Guimaraea
Lagos
-' Uainego-
m
BTI?
51
>r
Porte"rt5o-
Port*
Povtla de Varrtm
Rego*
Tavira
Vatenja
Vianna J
Vinhaes
Vizen
Villa N. da eerveira
Funohal
Anana.
AgnWa.
Aveiro.
Beja.
Chaves.
Elvas
Auiarante,'
Goimarae*'
CovilhJ.
Mergae>.
PortaiegF*..
564VAfee Evofa..
Fale.
Fara
Guarda.
Leiria.
Lisboa.
Barjel<)s.
Coimbra.'
Mirandella.
Pehaflel
Bmoo do Minho.
Joaquim Jose GoncaJves Bellrlo & Filho sacam
por'todOTos vapores sobre :
Monsao.
Ovar.
Porto.
Tavira.
Regoa,
Vizeo.
Figue^a.
Lamego
Valencr
Villa J^uaL
Cabefc*ratT'de B'aslos.
C*3|fUir Uuc.
te?v
Vilta^^rVaH^Potftfcftaof 'tllSWovS* WFalnMicaoJ
^4-iMf
U&fllfa %upJ,tFatalie Terceirai
de 100^000, par atb5s((abr|itaai'i>fn paiz eslraa
ge:ro, que aeixaram de pag^r' seus debitps no
*erefe?o de" 1872-re73;-a carg* do consnlado
nrOrlBisl-nne rbes ick"mareadoo'prazoi'mpV()-/ iMatcl
rag**t de 30s'aronwr da pnblicaeSo(fcsfena F
odrfV>ia lei n. 981, art.'53, pari solicila-
r^ern da secgJodo conlencloso as rospectivas goias
para pagamento de sens debitos, eertos de que se
nio.o fizarem dentro do praao,marcado, pcoca-
dMfcelWfa cotnxtwt lud!cdlniie6|' puHwaa*-sc
par* istd a fAh*4e'db9 tleed*4s5*b*ko h-afcsr.
cripta..
Sec'jJo do contenciosQ provincial de Pernambn-
co, 1 de roaio de 1874.
0 ihfispureiro fiscal interinb,
Miguel Josi de Almeida Pernambuco Fillio.
Relacao dos devdHores do impasto-de 10)4000, por
artes fabricadas-em paiz"es|rageiro, que deixa-
ram de paga* t!ns dsbilos Bo e
a 1873.
A
Ruas.
Marcilio Dias n. 47.
da Costa e Silva
1." de Marco n. 18. AndradeeMdlo
.)H"n. 7 B. Aore Delsuc
Juuue de Gaxlu'n. 56. Antonio4e
Souza Oliveira
Cabuga n. 26. Antonio Domingues
rtte vti:
9:081 m$ ^
MangttaWe.
Ponf? dd liinw.
Povoai dv- LinhoSa ,
exercicio de 1872
Antonio Gomes
Debitos.
109*000
i09ioor>
iviim
109*800
RECIFE DRAINAGE..
iendiracnto do dia 1 a 7 .
(di?fn do dia 8......
2:094*343
2:094*343
1I.\IHTIS
Nation er.tt4do$-AU> dia &
BoVdeatt* por tiftoa' f8 'dia*, sen'lo do^ultimo
porlo 14, vapor francez EntiHutUte^Q 4>343 lo-
neladas cammandante*lit>afHesVeqb]page;ii
93, crga varios geBeros.;,aIijrismendy & Lai-
billW:5'-
Rio Grande.4o Sul 16 dins, patachoi naciooal'^o-
ven Cnrrea, de28 Wrtelad-ss,' -capitao-.-Mflwel
Correaidos SantQs, epaipag^m 9, carga 14,888.syvrawesto b.
arrobas dc carne secca; a Baltar, Oliveira
& C.
Montevidee-^l-dias, patacha heSpaiihol Elvira,
de 153 toneladas, capitao Juan Juli, equipageip
12, carga 166,000 kilos de carne sacca; a or-
dem.
Baltimore -44 dias, pataeh americano Wo/er
Witth. do 235 t-melada.-:, cai.ilao John. Wansm
equipagem -8, carga 2,375 twfricasyeom farinha
de trigo; a Henry Feraer^C.
Navios sahtdos no Wiesmo dia.
Portos do su -Va(for frabcei nErymanlhe, cora-
mandante Luiz ?3cq"ue's, carga parle da que
trouxe da Europa. .
Porto Barca portugueza Lisbon, capitao Antonio
Jose d'Azevedo, carga assucar e outros gene-
ros.
Barao da Victoaa ,-. Anton o dos
Santos OiiveiHa J -
Dita-ih 20. Almeida &- Viann*-
Dita n. 36. AruiinicWipC.
Larga do Rjsarip. |. 19. Anlbnio
Maia de BKt# \,
Livrameuto n. 9.' Aureliano Luiz
Alexandre
Dita n. 35. Antonio da Cruz Ribeiro .
ImperaWrz n. 56. AraUjo Braga <;.-
Bispcr'Saritaha'n. 3: Antoniolgna-
: cio Martin.-
Marques de Olinda a. 0 A- Ber-
nardino IVreira de Aze\edo Maia
Duque de Caxias n. W .] -Benta da
Silva A C.
Cabuga-n. 8.- Bento Mm/Kb &G..
B^rao da Victoria:*. 48 0. Bfezerta
i Irmao
Dita n 33 Braga & Pimentel
Larga do Rosartb n. 24. Benjamim
4 Irmao
19. Balthazar Pinto
de tienveia
Imperatriz n. 68. BeriiardiniD Perei-
ra Maia de Azeredo
Duque de Caxias ns. 59 A 63. Cal-
das & C.
Lerga do Bosario n 22. Ghava? 4
Vianna
Dita n. 42. Custa &;Soares '
Travessa da Matriz-h. 2. Casimiro &
{ioar-e*!
Iwperalriz n. 3. Castro & Antunes
*; -
IndependenCia n. 8. Elesbao Joa-
quim Dias
CONTRA 0 FOGO.
A companhia iBdemnisadora, estabeleoidi
aesta praca, toma seguros maritimos sobn
fiavios e seus carregamontos e contra fog(
txa ediGcios, mercadorias e mobikas: ui
us do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Augjisli) F. -d'Hliveira iC.
A casa commercial e bancaria deAugusto
A d'Oliveira & C, i rua do Co nmercio ns
42, encarrega-se de execQio de ordens
para embarque de prodoctos e de todos o-
mais negocios de commissao, quer commer1
eiaes, quer banearios.
Deconta lettras, e toma dioheiros a pre-
mio, compra cambiaes, e saca a vista e a
jazo, & vontade do tomador, sobre as se-
guintes pragas estrartgeiras e nacionaes :
Londres. Sobre o union bank or
LONDON, 0 LONDON AND HAN.SEATIC BANK,
limited, e varias casas de l.e classe.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, MAKCUARD ANDRE & C. e A. BL.CQUE,
VIGNAL & C.
Hmubiirgu. i Sobre os Srs. joio
SCItU BACK & F1LU S.
Lisbon. Sobre os Srs. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, e SEBASTIAO JOSE DE
ABREU.
Porlo. Sobre o banco uniao do porto
oSr. JOAQUIM PINTO DA FONSECA.
Para. Sobre o banco commercia-
DO TARA, e OS Srs. FRANCISCO GAUDENCIO DA
COSTA & FILnOS.
UaranhOA. Sobre o Sr. jose fer-
reira DA SILVA JUNIOR.
Ceara. Sobre os Srs. j. s. de vas-
concellos & SONS.
Bahia. Sobre os Srs. marinhos & C.
Rio do Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
BASQUE BRASH.IENNE FRANCAISE.
gompanhia'allianqa
maritimos e terretv
tres estabelecida na Bahifc
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0009000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
nco maritimo em navio de, Yela e vaporei
para dentro e f6ra do imperio, assim comt
:ontra fogo sobre predios, generos e fa
ondas.
Agente : Joaquim Jose Gomjalves Beltrao
m do C.ommercio n. 5, l'andar.
. COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias
;rtes, dinheiro a risco efinalmente de qua!-
aer natureza, em vapores, uavios \i ela oc
larcagas, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO R. 34.
Seguro coDlra-fogo
THE LIVERPOOL d LOXDOH d GL(/
INSURANCE COMPANY
A^ontes
SAUNDERS BROTHERS d C
11 Cor'po- SntO11
NORTHEBN.
.... -20,000:00000t
de reaerra. 8,000:60000t
Agentes,
Milis Latham & C.
RUA DA CRUZ N. 88.
iQ*im*
V
0 Dr. Sebastiao do il'ego Barros de Laterda,"
juiz de direito especial do commercio n?s
ta cidadti-do-Recife e seu termo da capi-
tal da provincia de Pernambuco, por
S. M. imperial e constitutional o Sr. D
Pedro .11, a qucm Deus guarde, etc.
Fa$o saber ajs (de o preaente edital virem, que
por cste juiz) esjecial do commercio eorre uns
autos de exe:ncio de Ridrigues IrinAo 4 Gu;ma-
rae.", contra Antraio Duart; MXcbado. E tendo-
se feito penhora em dinneiro existente nodeposilo
publico pertencenle ao executado, fora pelo solici-
tador Joao B irbosa Cordeir>, procurador dos exe-
i|uentes feito o reauerinnnto seguin'.e :
Aos 7 de maio de i874, na eidade do Recife, cm
public.! audiencia que aos (fitos e partes dava o
Dr. juiz especial d> omniircio sebastiao do Rego
Barros de Lacerdi, nella pelo sjlicilador Joao
Barbosa Cordeiro, procurador dos exequentos Ro-
dngus Irmao & Guimaraes, fora accusada a pe-
nhora /eita em dinheiro- existente no deposito pu-
blico perbmceute a Antoni; Duarte Matbado, exe
eutado, e reqnereu que iicasae designa io os sets
dias "da lei a penhora leila, o dez dias aos credores
incertos, passandose elitaes, a que ouvido p>do
juiz houve a penhora por feita e accusada os seis
dias da lei p ;r assignados e tambem os dez aos
credores iacerbM, e o mais por deferido dt-pois de
mandarpregoar pelo porteiro dos auditorios que
o fez na forma do ejtylo, do que ffz o presente ex-
trahido do protocollo 'das audienc.as, ijantei a car-
ta precatoria eon termo do penhora e procura
gao que seguem : eu Sicnndino Heliodoro da Cu-
nhs, escrevente juramentado o e-'crevi.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nascimento es
crivao o subscrevi.
Por forca do m>u despaeho o escrivao fe/. pa--
sar o presente pelo qual, cham6 cito e hei por inti^
mados os credores incertos do executado para
que comparecam neslo juizo dentro do prazo de
dez dias, aHm de allegareit o que for de jus-
tiga.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do N'ascimento, es-
crivao o subscrevi.
Recife. 8 de maio de 1871.
Sehastiao do Hegi Bnrr->s de L cerda.
0~ ridadao J)io Francisco Attunes, capitao da
do
seguros
Capital
Jnndo
BANCO COMMEAC AL DR BRAGA
Jorge Tasso
Sacca sobre ste banco e sua3 agenda?
guintes cidades e villas :
Portugal.
Amarante .
Anadia -
Arcos
Aveiro
Barca
Barcelloi
Beja
nas se-
Lisboa
Mirandella
Moric.ao
Pena-flel'
Pinhel
Ponte do Lima
ridadio Jjio Francisco Attunes, capitao
guarda national, juiz depaz en exercicio
primeiro dislricto da freguezia do Sanlissimo Sa-
cramento do bairro da Boa-Vista> dt ciJade do
Rjcife de Pernambuco, em viitude da lei, etc. .
Faco saber que por parte de Jo$6 Correii Braga
me foi feita umapetigao pela qual me pedia que
o aJmittisse a juslificar a aus;ncia e in-erleza do3
credores de Antonio Gom^s de Mendonja, para o
que Hie mandasse passar carta de eliUis para se-
rem citados, afim do virem a p imeira deste juizo
que se flzer, passados os dez dias da lei, para faze-
pern prevalecer p direito que Ihe assiste a quantia
de 120/100 que se acha recolliiJa aos cofres pu-
blicos, por execugao pelo supplreante encaminha-
da contra o mesmo Antoni j Gomes de Mendonca ;
pelo que cito, ebarao e requeiro ajs predilos cre-
dores incertos aflm de virem a primeira audiencia
deste juizo que se- fker, frado dito termo, seodo as
audiencias as tercas e sextas-felras de toda- as se-
manas.
E para constar, mandei passar a ure.-ente que
sera affixada los lugares do costume.
Primeiro dislricto do juizo de paz Ida frega. zia
da Boa Vista, 4 de maio de 187 i.
Fiz escrever, subscrevo eassigno.-O escriviio,
Alvaro Paulo IS'oblato.
Jodo Francisco Antunes.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacer-
da, ju z de direilo especial do commer,
cio, nesta cidade do Recife e seu termo
capital da provincia de Pernambuco-
por S. M. I. o Sr. D. Pedro II, a quern
Deus guarde, -etc.
Faco saber aos eredorc* do eornmerciante ma-
trieulado D mingos Jose da Costal Lages, estabe-
lecido nesta cidade, impetrante de moralona ao
merti8*lmo tribunal do commercio, que pelo pre-
sente -a i chamados para comparecerem perante
este jui'o, na sal a das audiencias, as II horas da
manh* do dia fl de maio proximo, aflm de respon
derem a moratona nos termos dos artigos 84?,
844 e" 847 do codigo commercial, eertos os ditos
credorei |ue nae serao admiitidos por procurador
sem que este exhiha procuracao especial, a qual
n8o podera ser conferita a devedor do inpeiran-
te, uao podendo, outro sim, urn so individuo re-
presentar por diversos credores, e que sera havi
do o oredor, que nao comparecer como adherenfb
as resoluc58 que tomar a maiorla de votos, dos
Sue comparecerem, representando ella a maioria
e credores em numero e dous tercos. da tntali-
dade das dividas dos credores sujeitos aos effeitos
da moratoria
E para que chegue ao conhecimento de
todos, maudel passar o presume que ser^
publicadc-tpela inoprensa e afflta^di noslu-
gaws do coitaina.
Cidade do Recife, 25
1874.
Eu, Francisco Xavier de Souzi Ramos,
escrivfio intBrino, subscrevi.
Recife .de 25 abritde 187 4.
Sebastiao do Rego Barros de Lacerda,
Ao sello 3t0 rs.V. S. S. ex causa.
Barros de Lacerda.
procurador fiscal interino da
de abrfl de
- 0
provincial, declara aos contribuiutes
thesouraric
do tapes to
Marques de Olinda n. 43. Francisco
Antonio Pereira & C.
Duque de Caxias n. 62 FrancirCo
Pe:cina de iimil jhu
Independencia n. 7 e 31. Francisco
Jo^ Gjncalves Barao da \ ictoria n. 21. Franci*co
Jjse Germain
Larga do Rusario n. 38. Ferreira
Lima Irmao & C
Dita n. 21. Felippe Santiago de
Aquino
Estreita do Rosario n. I. Ferreira &
Marlins
Livramento n. 39. Ferreira Junior
& Rodrijues
Marcilio Dias n. II. Francisco Fer-
reira da Silva
Invpera'.riz n. 65. Francisco Rodri-
gues dos Santos
-
imperadorn. So. G. Rigasp
l." de Marco n. 7 A. Guinaraes
Ponies i C.
InJependencia n: 17. Guiihermino
Rodrigues do Monte Lima
Dujue da Caxias n. fc8. Goes &
Baslos
Diu n 77 A. Guimaraes & Luz
Estreiti do Rosario n. 12. Geraldo
lleuiique de Mvr-a
II
Duque de Caxias n. 58. Hemeterio
Maciel da Suva
Barao da Victoria n. 1G. Hermino
Pereira A. Lima (Si C.
Dita n. 13. HypoKto Jose Roberto
Marcilio Dias n. G. Henrique Jo?e
Pereira
J
Arco da Con:eicao n. 2 Jose da Con-
cei'.ao Oliveira Figuei:edo
Estreita do Rosario n. 10 A. Idem
Marquez de Olinda n. 41. Joao Jose
da Silva
Imperador o. 47. Joaquim da Costa
Ramos
22 de Novembron. C. Jose Ferreira'
de Amorim
Duque de Caxias n. G8. Joaquim de
Souza Miranda Coulo
Dita n. 107. Joao Antonio de Olivei-
ra & 0.
Dita n. 109 Jose Joaquim Ferreira
Lima
Independencia n. 2o Joao Capistrano
(ft Oliveira
Barao da Victoria n. 36. Joaquim
Ferreira da Costa a
Dita n. Co. Jose Remigio de Albu-
querque
Livramento n. 37. Joao FrflfeiKo
Ferreira Junior
Marcilin.Dias n. 76. Joaquim Antu-
nes da Silva
Diia n. 45. Joao H. de Souza
Coronel Suassuna n. 1. Joaquim
Vieira Coelbo e Silva
Imperatriz n. 52. Joao Francisco
Parades Porto
Dita n. 74. Joaquim Francisco das
Chagas e Silva
Dita n. 86." Jose Bernardo da Motta
Dita n. 17. Jacques Victor Guave
Largo de Apicucos. Joaquim An-
tonio de Paiva F inceca
L
Independemeia n 22, Luiz Aleran)
Bandeira de JMio
Marcilio Dias n. 32. Ladislao Rodol-
pho de Arauf? Cesar
Dita n. 53. Leonidas Tito Loureiro
imperatriz n. 16. Luiz de Farias
& C.
Dita n. 70. Louren?o Pwoira Men-
des Guimaraes
Dita n. 7. Vinva Leeomto
II
Marquez de Olinda n. 24. Marcos de
Almeida Lima
Dila n. 32. Mendes Lobo & C.
Dita 11.23. Manoel Antonio Vieira
Caes 22 dc Novembro n. B. Mar-
ques Santos & C
1.' de Marjo n. 14. Monteiro Torres
ckC.
Dita n. 3. Meres Careeiro & C
Duque.de Caxias n. 50. Marcolino
Dornellas Camsra
Dita n. 54. Machado & Brandao
Dita n. S1). Manoel da Costa Azevedo
Napcleio
Diia n. 61. Moreira Pontes & C.
Dita n. 97. Manoel Jose Bastos de
Mello
Dita n. 111. Miguel Ferreira da
Luz
Imperador n. 38. Mattos Leraos & C.
Dita n. 19. Manoel Joft dos Santos
Cabuga n. 12. Jdinrteio Jose dos
Santos Ribeiro
DiU n. 1 B. Moreira Baptista & C.
Dita n. 3. Manoel Antonio Gon-
caives
Dita ns. 5 e 7. Moreira & Duarte
Barao da Victoria n. 34. Manoel
Victor de Jesns da Malta
Diia n. 38. Monteiro & Silva
Dita n 46. Moura A C.
Dita n. 48: Monteiro Santiago & C.
Dita n. 23. Manoel & C
Estreita do Rosario n. A. Maia &
Landelino
Dita n. 4. Miguel Luiz Sony
Livramento u. 10. Manoel Foncis-
iiriB
109*100
lo'Jioqo
109<-T)
io9#oqo
109JCQ0
. eo Ojff-dfdr- 0. [ n* A^* 109*000
Dita u. 32. MonteiroARibeiro 109^000
LDila f. $. Morats 4 Pinto 109*000
mobiii n. 65. Mgae. Bernardo
OuinteTro" 109*000
Coronel Saassuna n. 15. Manoel Mr-
tins Gmes 109*003
Imperatriz n. 40. Mendes. & Car-
vallio 109*000
Diia n, 78. Minoel Joaqalm Dias 109*000
Dita n. 3!. Manoel Jose Tefxeira
Pontes K 9*009
Dita n. 63. Miguel Alexandre Ma-
cedo 109*000
IV
Imperador n. 30 A. Nogueira A Ir-
m5o 109*00.)
Cabuga n. 1 D. Nicolao Tolenlino de
Carvalbo 109*000
O
Barao da Victoria n. 24. Oliveira
Carvalho & C. 109*000
Livramento n. Ii Olympic* Goncal-
, ves Rosa A Cruz H 9JO00i
P
duque de Caxjas n. 29. Pacheco &
Azevedo 109*000
Barao da Victoria n. 14. Pantaleao
& Innan I09*OOJ
Livramento n. 33. Paulino Onofre
Nunes IO9*0Q0
Imperatriz u. 2. Paulo Guelf 109* 00
Dita n. 48. Paulo Ferreira de Mello
Guimaraes 109*000
R
Irimeiro de Marco n 14 A. Ricar-
do & C. 109*000
Duque de Caxias n. 77. Rocba Sil-
va A C. 109*000-
BarSo da Vletorm n. 27. Rodrigo
LPinto Moreira 109*000
Dita n. 37. Rodrigue* Ferreira &
C. 109*000
Visconde de Innr.uroa n. 2. Ray-
mnndo Pereira de Siqueira 109*000
VarcBio Dias-n 12 Ris 4 Xasci
. mealo 109*000
8..
Marquez de Olinda n 06. Silva ^
Alve* 109*00)
Duqne de Caxias- n 45. Sa Leitao
Foneeea A C lOBiOOO
Viscoode de lohadma u. 26. Soua
Gomes &. 109*000
T
Marcilio Dias n. 61. Tranquilino
Cardoso da Silva 109*000
Dita n; 93. Themistocles Cannto de
Agui*r ir9*OoO
Cae- doApollo n. 45. Tasso & Ir-
109*000 maos 109*000
109*000 U
Imperatriz u. 15. Ulvsses A Irmao 109*OlW
109,5600 V .
} Imperador n. 49. Victor Preale 109*000
Duque de Caxias n. 115. Vianna A
Casiro 109*000
109*100 Barao da Victoria n. 29. Vicente
Ferreira de Souza Reis 109*000
\%
IO94000 Imperador n. 45. W. H. Oiapnnann 109* >O0
Seccao do contencioso provincial de rernambu-
1094000 co, 1 de abril de 1874.
0 1 official,
101*00 Haracio Walfndo I'ertfirino da Sdca.
109*000
109*000
109*000
109*000
iO&OQO
109*000
109*000
10:'*000
109*
109*
pOJ
M
donjingo, 10 do eorrente, pefta
nhi, afiui de coutinureej a mill ie
geral, e loco depob 0 ceBefie aWWal a.
dos arts. 55, J* e 57 dos etilaaw j
que nao pode v^ttr e ser volado aeaa q
maw de tree reeasalidede', ejw
bendo KtccorToe da
SecrcUria do coaeetke aVral, a* 1
O
inn.
Marc m Fiaariwo 4 l'aa
warn a-
ompanhia dc aprendiacs
marinheiros da proviiM'ia
do Rio-Chrande do tfortc.
0 conselho de aaiayaa
trata o lorneeimeaio 4o far
do para suppriani 1 d
trimestre de jnlboastleakt*^
saber :
Calcas e canM* de briea, ral^a*
algodao americaao a rat, aatfat
ho ami encorMda, camiea* *>
nets fardas de pao, loaaat 4
de couro On bezerro pretm.
Os senhoras qoe concorrereat a 1
fardamentc eenm meociooad >.
tir a capttaaia eV> porto AMa
15 de junbo prozieno futuro, it'NI
nha. as sum proaveta*, em caru 1
oompetentes araostras : as
era duppJicata e decUrar o_pre em sepnr.ilo, sem o que nao serin arritav; -
sim com", mifajtil pH> ropn > \>r ;> -a.tar.
que d vera campareoer, oa 6w -jepriminit
competentemente m oceai* da ea.
tar-se as muUas e mais c> ndica^s c-i
no regalamenlo em vigor
Previae-se qua e frdiin-ato e de<
de com o planod. s nniiunnes.
Quartet da compaaaia de tprrunv* mttnnn-
ros da prnviaeia do Rio Graade 4a Sort; eta >
de uiaiu d-. 1874. ^
Jom d Paul* NaaaaaaaW,
_______________ Official de fazeaaa._______
SANTA CASA DA MMtRfO/K DIA lh>
RECIFE.
A Hiuia. junta adnnnistrativa da aaaat caaa a*
tfisericordU do Recife, manda fai
1a aala de suas seesoes, no dia 7 de
las 3 boras da taaie, ten.da sar iiiiimi a
mem mais vanlagens oflerecer^Mlo teiaaa a> a
1 tres annos, as reodas ds prllios aa
1094000
109 ,(000
looiooj
loglooo
logio/w
i09lx)o
1091000
109, ,000
109, ,000
mm.
109
109
000
109J)000
109,1000
109 1600
109,1000
109,1000
000
109, .090
1
2184600
1C9
109
109, 000
109
109
000
000
>000
000
UOMPANUIA- rERNAMBLCAKA
DE
Vitvesncito cosleiran vapor.
DIViDEN DO NJXO.
Esta comoanhia paga 0 seu nono dividendo, a
razao de 3 OjO.
Conrrarin de> Mania liila do Caain.
do Roctfo.
Tendo deixado de haver a reuniio do collegio
represcntativo no dia 3 d 1 corrente por falia de
numero legal, convido novamente a !>! os ir-
maos desta confraria para comparecerem no dia
10 do corrente as 11 horas di manhi, no consi -
torio de nossa igreja, aflm de eleger-se 0 novo
conselho a iministrativo.
Domingos Jose Ferreira,
Secrelario.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Caxanga.
A prinripiar do dia 10 de
corrente, nos domingos e
dias santificad s. durao'e 0
inverno. serao supprimilos
os trees de 3 e 6 horas da
tarda do Recife, e o< de
hoias e 35 minulos, e 7 e 35
do Caxanga.
Escriptori'. da companhia, 6 de maio de 1874.
K. C. Bmtehee,
(ierente.

rianna
i56*onri
99*d
375*aja
109 &000
109J*000
109 iOOO
109*000
109 tOOO
109*000
109 SOJO
1091*000
109g000
1091*000
1091000
1095000
109*000
1
109J*000
i09|000
I09JS0J0
109J*000
IO9U0OO
109 S'^OO
1091000
109 1000
1011006
109)000
1C9 1000
109 1009
109)1000
109
109
BaiHBBBBB
1000
1091000
109 1000
1091000
1O9S00O
109 1000
109 1000
1091000
1091000
1000
218 1000
1091000
109 1000
109 1000
109 1000
109.000
109 1000
109 1000
Pela recebedoria de rendas inlernas geraes
^e far Cer* que t neste met de maio que tern de
ser pjgo, sem multa, 0 imposlo pessoal, relativo
ao 2.' semeslre do exercicio corrente de 1873
74, depots, do que sera pago con a multa de 6
por cento.
Recebedoria de Pernambuco, 7 de maio de 1874.
0 adninistrador,
_________Manoel Cirneiro de Souza Lacerda.
CoiifrurhloWi'iihir Bom Jpmix
da %'la-sncra tin igreja dc San-
ta Cruz.
Nao se tendo concluido no dia 30 do mez find"
a cleicao dos novos funccionarios, couio mandam
os artigos 24 a 3, e 33 do compromisso qne rege
esta confraria, s.lo de novj* convidrdos todjs os
nossos irmaos cocfrades a comparecerem ein o
nosso consi.-torio no dia 11 do corrento, pelas 6
horas da larde, aQra de que em iue3a geral se con-
clua dita elei;ao.
Consistorio da confraria, 7 de maio de 1874.
Ser>indo de escrivao
________Marcolino Jose Pupe.______
0 Ur. director geral interino manda oeclarar
aos professores publicos que os attesiados passa-
dos pelos dclegados litUrarios para pagaraento dos
seus vencimeutos, que nao estiverem juntos a re-
querimentos, esiao isentos de sello, conforme ex-
plicou 0 thesouro naci -rial a thesouraria de S.
Paulo, em 6 de fevereiro ultimo, respondendo 0
officio de 3 de Janeiro anterior.
Secretaria da instmcqao publtca de Pernambu-
co, 6 de maio de 1874.
0 secrelario
Joaquim P. da Silva Guimaraes.
Inspecffo do arsenal de
inarinka
Tendo esta inspeccao, em virtude de ordem su-
peri >r, de contratar em offlcina particular, que
melhores condicoes offereja, a construccjao de duas
boias parao balisamento do porlo. e barra da pro-
vincia da Parahyba, devendo uma daa referidas
boias ter 2m, 43 de diametro c Im, 70 de altura,
armacac para 0 sine e guar< igao de espelho, qne
podera ser e 4m, e a outra Im, 82 de diametro e
2m, 50 de altura, aleni da competente baste com
mira ; convida 0 Illra. Sr. inspector a quem coa-
venba dito contrato a apresenur a sua proposta
ate 0 dia II do corrente mez.
Iuspecgao do arsenal de martnba de Per-
nambuco, 4 de maio de 1874.
0 secretario
Alexandre Rodrigues dos An)_____
leclarados.
ESTABELEClaKNTW DE CARIDADE.
TravoM* at S. Joe.
Casaterrean.il.......iaOB
Rua deSaata Rita.
Idem n. :i...... 25rt|f>*
Idem n 34...... 2<*)a.M
Ceaaa Pouus.
asa terrea n. 114......
Rua da Aleeria.
dem n. 31........
Pom: Vclna.
Idem n. 31.......
Rua de Antonio 11- nn :,;-,
idem n. 26........
Rua d, Vigari 1
I.* andar do subrado n. 27. .
Eojaidem.........
PATRIMOMO DO6 ORPIlA >i
Rua da Senza'la *i\.
Oasa lerrca n. 16.......
Bocco das B,;
Sobrado n. i8 ..... 12IJMB
Rua da Cru.
-obrado n. 14 (fechado). lOOT-JOtt
Rua d> P.iar
Qria terrea n. 100 2il*4D0
Idem n. 34........!**?
Rua It Go
Idem n. 29........>9lVflt
Rua 1 s Ur.in, ..a
Casa terrea n. 17. .... M4*+
Os pretertdentes iwrie apr^"B:ar th) aria da
trremata^ao as soas Has,
icoi.-.paihaaos d. s resp-oti'--s ftiJerey
^agar alem da renda, 0 pretcio da quaaia ca
iue for seguro 0 prcdio ,|ue r.ativer eaMMan
nento commercitl, assim em 1 Tviea Aa Sa
peza e precos dos apparel:
Secretaria das^nU cjs:. lit c. i*
ife, 17 de inarco 0 d' ll
0 eesnva
Peli,' Bodr-fl .- ./ S. .: .
Armazens da companhia per
nambueana.
*9e*(iiro.< rentra for*
A companhia pernambaraaa, dnaaaa> dc ei-
:ci;-.'ites5 e vactee arauiM em sea prHi" a f
te do Mattos, offerece os a" omtwrci > nn nt\
para deposito de gene-;. f ,rintmdo a laai'rr r>
servacio das nem!>n '-''-. "
prompto, precos mod'
Tambem reolliera, weiiiint- pr--vi. ac<* at ,tr-
clusivamenle os gener s de ami so y^'m\.
Estes armazens, al.'-ni de arejido e ceaead j.
a 1 inteiranifn!" r, "-.. -; .;
enpim, ratos. ft^., e'.c.
As pessoas (ju>- aaizerem uiiluac ea aaaaaar
aiazens, pederao imajr-at 11 <- r,.i r. .
jianhia
Tatar.
pernanibucai. que arhara > .-ocr -r^rr
Companhia perna ubucana
lie nav^gacao costeira a
vapor.
De ordf m do conselho da-dirac^ao, canvidc aos
Srs. accionistas da nova emissao de acooes desta
companhia, que somente realisaram a primeira
preatacao de 20 (. sobre 0 valor subscriplo, a fa-
cer segunda entrada a mesma razao, deairo do
prazo de 30 dias, a contar de hoje, no escriptorio
do Porte do Mattos.
Recife. 23 de abril 1874.
Jhornas M. Connan,
Gereate interiao.
Socedade Beneficente Luso
Brasileira.
Tendo de se pfoceder a elelcio. da nova dmi
nistra^lo desta soeiedade, de oraatn do Sr. presi-
dente, convido 'os senhores socias a comparecerem
Companhia Fidelidade
WeffuraM niariilaiOM r terreotirt
A agenda desta raaaaaan 1 aa -<-gur a--
ritiroos lerretfrar, a praa >-i, aalo w>j*
uliim'.so solo Ihrre, 1 fiim MaV erat!*a'
segurado.
Matal I *>
t m \
51 Rua !< tpiai Si ____
Cunapankla do* Irilkoa urhaiaa
do ReeiTe a Olinda e HrW-
ribr.
D,
asaaaMea g>-ral 4a
nbia acima e eraaar
tra'Tdinanaaienie ii
tunbH-a paM > -ia *av m
I r \: futor.' a nx *..
afimdeproceaer-sp a H
de um membro da eoTmo-a de rata qn *r'
no corrente trieanio, \ istn ter p. ** aVsotoi ;a
cargo um dos a-tuae* awaaaros, em i
afazcres e ter do r. lirar s^ pan a Eornpa. \ r^r-
niao sera no lugar do eostamc
Recife, 30 de abril le 1874.
0 Mctatanc
l.jix Lopes Caatidtn atra;
faz ;
ara rxrani* .
Pela thesoararia provincial
que no dia 13 do currente. vat a p:r
junta da mesma aaawarafia a otora da paul*
bre 0 rio SehnhSem, no lugar Pao Saagar -r.
da em 9:370*.
SecreUria da theaooraria provincial de P*a*at-
bnco, 4 de maio de |c74.
0 oflkia! nwi r,
MtfQ'l Afttn>> Perreiia.____
Irmandade do Divino Espiri -
to Santo
De ordem da mesa rafedora. e da coajJavSad
como nosso compromaso, convid) a t*AW <** k
maos a eomparacarcat an aaaaw coon*** ..
mingo 10 do corrente,*; 8 l|2aora- aa aaatta.%
de reunidos en mesa garal tanarem pane na
cio dos membros da nesa regeoara para e ann*
anno de 1874 7S Espare o conanrecun
todot.
Secretaria da irmandade. 6 de naie a> l*7.
0 eacrivao m
Jeiuino Jose da R
>-a
Sociedade beneficente dos
typographos em Fernani-
buco.
Domingo, 10 do conanta, as 9 aoraa do dia
casa (Jo coatume, havora sessio. para a qua
convidadoa todoa ot nanbros desU KKAa-A- a
tomarem parte aa 3 discu-sao do* estatut
Sale dat anaaae d aa-naio de 1974.
0 f secrcUr,.>
Belmiro Fmeirnin fmcrcattiit'
N. B. Sa chef ar vtpor aala maaaa, 1 1
a seasio as 7 aoras da aoite Ao man
Irmandade da SS. Trind..
doconvento de Santo An-
toaio.
De ordem do irmao joiz *ao coav dad



'
DUrfo de Parnambaoo Sabbado 9 de Majk> 4e 1S?4*
ratios part que eomparecam no usistorio da f
rmandade, uo ilia 10 do crrrente, p~-las 10 bora*
da manhi, anm dereuaidcs em mesa goral,, ele-
eer-se a nova mesa qae tern detunrcionar i
futuro anoo de 1875, conforms deterniioa o art.
77 dos estatutos._______
Secretaria do tymiiasio Provincial do Per-
narobi-:o, tie iriaio He 1874.
Por esta secretaria se declara a quern interes*
ear pom, os nnrues dos nlumnos quo faliaram as
respectivas aulas dnrante o mez do abril prouino
Undo, e o nnmero das falta* dadas por eada nm
delles ; sao os seguintes :
fleliarmloo C.nedes Cesar Gondim, 9 em lingaa
uarional,* em fraueez e 4 faV^eographia ; AnM
mo Pereira da Costa. It ea> lingua nackmal ; Jose
AoaeJuw de Figoekedo Saiaiayo. 9 em latim e 8
em francex ; Arluur .\ap, !., ardoso A v res, 3
em msiruccao priraaria ; Manuel Caeti.no Cv.neiro
de Almeida e Albuquerque, 13 em latim e'l-i em
arithmetic* ; Antonio Dias Barroso Junior, 13 em
IT*0**! Anloo>o da Silva Cabral, 6 em francei:
Bduardo Correia do Rego Barros, 9 em geogra-
pbia, 10 em rhetorica e 8 em philosophia; To-
rt*00 L>"" Meira de Vascoeello, 10 em arilhme
tica; Godofredo Moscoso da Veiga Pe*soa, 3 em
instruct primaria ; Joaquim Pereira do Re :o, 3
em anthmetiea ; Pedro lloseoso da Veiga Pessoa,
6 em instruccao orimaria j Maooei Clementioo de
Olivelra Scorel, 3 em rhetoric*
0 secreUrio
Celso Tertuliano Pernandes Quintella.
THEATRO
Santo Antonio
KKPBXXJL
Sabbado 9 k. mail.
Uoica representaeao a noite da magnifica co-
media-drama em 3 aetos, ornada de musica :
A cigana de Paris.
DenominacAe.
L aclo.- 0 dia de Santa Perpetua.
%' A casa de jogo.
3.* 0 haiie de mascaras
4 f -A casa d'adela.
5.* A cigana e o agente de policia.
Terminara o espertaculo com a e<.media em
aclo :
I ma expcriencia
Principiara as 8 1|2 horas
COMPA^niA Hit A*11M%IRA
DE .
MAVEGACAOAVAPOR
- I'ortos do nortr.
V.1U:ZE11U) BO SHI,
Commandante Gnilherme Wa-
it
K' esperadc ,los por-
los do tul ate n dia
9 do corrmie e segui-
ra para os do uorte
depois da demora do
costume.
Para carga. -encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio.
7-UUA 0 VIGARIO 7
Pert-ira Vianii* & C.
"li iM;i.t
Deve seguir em poucos dias a e-euna portu-
gueza Aguia ;'para a .carga que Ihe rail*, traia se
com E. R. flaberlo & C. a ma do Commercio a.
48
Rio de Janeiro ;
Para e iadicado porto segue com poucos dias
de demora a barca portogueia Feliz VniSo por
ter a maior parte de sen carregameoto engaiado
para oJwto qne l*e falta, trata-se com os con-
eignatario* Joaquim Jo mo, a n'i do Unnmercio n. 3.
Para o Rio-Grande do Sui
Pretends sjhir bievemente a patach, purluguei.
Martial, por ter ontralada grar,de pane da sua
carga ; para o restaote trata se p>" K. I\ Rahe
e ',' a ma do i)mrnerci n. 48
forme foram expostas em leilie de dia 7 do cor-
rente, *o resto na importaBcia de 147:183^673^
serviede de base a offer ta de 170*000.
Dedara-se em tempo qoe a venda sera definiti-
ve e de eonformidade com as -condicSes que esU-
rao palenles no acto da arrenalacao.
Grande feira
DE
1 rico annel com oa brilhante.
Quarta-feira 13 do corrente
Am il h*ra*.
J. Rigas, lendo de retirar-ae para a Europa, fa
ra leilao, por inwrvencao do agente Pinto, dos 4
pianos, I annel com brilhante, o diversos ohjectos,
un dus uiiin-ili.'i de sua orflciua tie pino.-, a ni.i
d linperaiinr n. S5._________________
l
Jara.
Companhia Franccza de \avejja
tl a vapor
IAnha mensol entre o
Havre, I.isboa, Pernambueo, Rio d
Janeiro, (Santos, somente na vol
ta > Montevideo, Buenos A yres,
(com baldeacao para oRosarlol
STEAMER
Para o in com a p .ssivel- bruvjdaile (^latmln, p..riu
gu<:z Azi/nini, pur wr a mainr party 'lu sW
carrtj^aiuuiito eag.ijaJo o p rn u rc-slo qpi
Ike fal'a trata-se com os conigtiaUirtos
Joaquim Jo.-^ ftonr;alves Beltrfto dc Filho
A rua do Commercio n. 5.
IEI10ES.
Leilao
*'* A horas da (artle
A camedia-drama em 5 acttos :
4 cigana de Paris.
minando o espectacnlo com a comedia |
n nm acto :
03IRMJOS DAS ALMAS
tHEATRO
ffl IIL
LIMA PENANTL
Commandante Cpelle
E" esperado dos portes do snl ale o dia 10 do
corrente, seguindo depois da indispensavel demo-
ra para a Europa.
Com aviso previo, se podera segurar lugares pa-
ra passageiros e praca para carga, para Lisboa,
Havre e Antuerpia, e nor baldeajao para todos os
portos do cominente : trata-se com
OS CONS1GNATAR10S
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA & C.
2Rua do CommercioEntrada pela rn
do Torres.
DE
chapeos de sol de seda e de panno, botinas
para senhoras, sapatos de cbarlote pac
bomnns e senhoras, ditps de merind pre-
to, murr quins, camisas. collarinbos,
camhraias e diversas fazendas
HOJE
AS 11 HOKAS DA MANHA
Rua do Bom Jesus n. 63.
A requerimentodo curador fiscal e por mania-
do do lllm. Sr, Dr jaiz de direiio especial do com-
mercio. o agenle Pinlio Burgea vendera em leilae
as referidas fazendas, pertencentes a raassa faHida
doPereira, Mello & C, no sobredito armazem.
LEILAO
DE
Leilao
DE

Sabbado 9 do ccrrente.
(Ini|irc(erivelmente)
Re<-i(a em benclli io do arlitu Maria AerloH.
Representar-se-ha o apparo>a drada em nm pro-
inga, i ados e sole quadros.
Nnocs Machado
A hcraiica in CdHdefflaadi.
nalisara o eapeetacnlo com a linda sceria
i, reprepniada pclo actor Lyra.
0s effeilos do \inlii novo.
PACIFIC STEAM NAHCAT1 COM-
PANY
ROYAL MAIL STEAMER
PATAGONIA
Commandante C. C. Brougli.
espera-se dos portos do sul ato o dia 10 de mail
e depois da demora do costume, seguira para
Lisboa, Bordeos e Liverpool, para onde receber.i
passageiros, encommenda.% carga e dinheiro a
frele.
S. B. -Nao sahira antes das ire* horas da lar
de do dia da sua ch'gada.riJ) .
D
e obras de ouro
Hoje
Sendo : mobilias de junco e de amarello, 1 ex-
eel lente piano de mogno, lavatorios, camas fran-
cezas de amarello, marqnezoes, marquezas, I toi
lette, 1 importable commoda e secretaria de jaca-
randa, 1 guarda-louea, eadeiras avuUas, conso-
los, 1 meio apparelho de purcelana para jantar,
jama e outros mnilos otyeclos de ouro que, serao'
vendidos
AO'CORREK DO MARTELLO
pelo ageute Martins
armazem da rua do Impc>
rador n. 4H
A's 11 horas do dia acima.
mobilias, aparadores, espe-
ihds, camas franeezas, se
cretaiias,carteiras, eadei-
ras debalanco, commodas,
guardaci.midas, marque-
/oes, pianos, objectos de
ouro e prata, relogios'de
algibeira, I fogao de ferro,
crystaes. guarda louca, ca-
bides, relogios deparede
e de cima de mesa, qua-
dros com finas gravuras,
mesas para advocado, e ?'* *"? wS.' sSo.' S am, ml',
^ anaieiros a eaz, machi- !S- 306-3,,6S. m^3(W7. *. 3105,
3108, 3li*. 3117, 3122. 3126, 3128 3129 3132
3142, 3.3i, 3165, 3166, 3168, 3171, 3176. 3 33,'
e 747 -, cujas cantellas podem ser reformadas ou
re?gatadas ate o baler do raartello..
PIANOS.
Arabam de eliegar mnilo bens pfean larlet ( 4
elegantes modelkis, due maw Mtavril e htm e*-
.\o dia 15 'lo ivtrri-nie, a>l I tmr da inanhfi, lu
lio Izaac, ivj'm casa de pcnhor^< a ir.ives>;. do Du
que de Caxis n. t, pr intervencSo do ag. nle Mar-
lins, fara leilao dos pt-nhores ronsiautrs das cau-
tellai aliairo d. claradas, vaueiilaa e ino reforma-
das, a saber:
Canl-llas.
JS*. Hm, Vm, loO.i. 1604. 1073, 1803. 1835,
1896, 1923, 1936, 20*8, 2050, 2143, 2.92, 2254,
2256, 22(19. 2282, 2303, 2333, 2339, 2342, z3io,
2397, 2448, 2454, 2481, 2539. i 62. 260,, 2(107.
2609, 2612, 2614, 2617, 2627 2M8, 2652, 2670
?6U6, 2687, 2691, 2695. 17- 0 27. 5 2712 t/13
2718, *724, 2729, 2730, 2733, 2734, 2736', 17*)!
|752, 2760, 2765, 2766, 2772, 2775 2779 2780
2793 2797, 2807, 2820, 2822, 2828, 2833 2842
2853, 2858, 2859. 2861. 2864, 2865, 2869, 2872.
2890 2894. Z896. 2899, 2900, 2909, 2916 2918
2927, 2936, 2937, WX4, 2959, 2969, 2955 2972'
nhecidos (abricaate*;
donel, flenry Hers e Plerd WoMT 4 C. : no Vail
France*, a -ua d.i llaiaoda Vis-ioria, ontr'ora Xi-
va n. 7. a prc$w rauit > roonuodus.
Mobilia de vime.
Caltiraadcl, ,tr. dc brar... de rnarn>coe-,
*ifas, jaidineir:. iiies.s, mntrrsadoira-i e coattl-
reiras, I...I-. M imiku I, ; ,, r .crern forter e
leves, eo-uiiu pM.,111.., u.,.vei; ji^r.-, a|^tas epa-
bineles de ncreio.
No MMaaen du Vawv Fran.-t r, rca d* iviv
la Victoria n 7 outnoa V<>\;.
nas de costura, e immensos
objectos do uso domestico.
que serao vendidos por
conta de diversoi (ainda
que ch6va)
oo correr do martetto
Terca-feira 12 do corrente
A's 11 hQras < a m^nha
KEIKA SEiVlANAL
IGRua do lpTHlor-W
ARMAZEM.
pelo agente Martins.
leilao
\o
Leilao
DAS
divides activasda massa falliJa de Joaquim
I'rMicisco d- Mello Santos, la importan-
cia de 10:~8i-5021
0 agente Martin? fara leilao das dividas acirrft,
por mandadu do lllm. Sr. Dr. iuiz especial do
commercio.
C\ V
No armazem da ma Jo Imperad-ir u. 48, as 1
horas do dia
eo-
pera-8e da Europa ate o dia 24 do'corrente. >. de
poia da demora do costume, seguira para BaUa.
Rio de Janeiro, Montevideo, Bu o.>s Ayi<>< Valna-'
raiso, Arica, Islay e Callao, par* ..,n'ic raeeberi
passageiros, encommenda.' f dinheir > frete. '
Nao sahira antes das lies horas da tarde do dia
de sua chegada.
OS AGENTES
Wilson Howe & C.
14RUA DO COMMERCIO 14
rtu J AS 8 1|2 UA NOITE. v
O beneliciado pede proteeeao e anieripa os sens
agradeciinentos.
Domingo
.l's 5 t[i horas da tarde.
-'raitiic fOHtn dor> ai vi'iroK
Comedia em dous actos :
E 0
Cl
1"'
A aria do
Mascate italiano.
Os effeitos do vinho nevo.
6 a comedia
0 caixeiro da .(mmi.
%'s S 1|9 horas da tarde
< Oil 1*11,111 \
MESSAGERIES HARITIMES
Llnha mensal
RIO GRANDE
Espera-se dos portos do sul ate o dia 10 do
corrente, seguindo depois da demora do cos
tuirre para Bordeaux, toeando em Dakar (Goree)
e Lisboa. '
Para passageiros, encommendas, etc., a Iratar
:om
SANTO ANTON [0.
0 beneficio do a^tor Bernardino tern lugar quio-
a-feifa 14 do corrente.
0
dia.
program^a sera annunciaJo nos jornaes do
lyisos
HMOs
CS AGENTES
Harismendy A I.abille
1> ttua ilo Commercio 9
eh
trio
Lisboa
Vai sahir earn brevidade a veleira barca Lkhon.
Recebe carga e passageiros: a Iratar com Tito
Livio Soares, ma do Torres n. ?0.
Segue impreterivelmenio no dia 12 do cor-
rente para y Aracaty o hem conbecido hiate Deot
te Guarde : quem nelle quizer carregar ou ir de
passagem, dirijase a rua da Madre de Deis n. 2
a tratar corn Barlholomeu Lourenco, ou coin o
mestre, a bordo.
COMPANHIA PERNAM3UCANA
DE
liave^acilo costeira a vapor.
MACEI6, R8CALAS, PENEDO E ARACAJll'.
0 vapor Pirapama, com-
mandant* Silva, segui-
ra para os portos acima
no dia to do corrente as
> horas da tarde.
Recebe carga ate 0 dia
13, encorcinendas, passa-
geiros e duheiro a frete ate as 2 boras da tarde
do dia da sahida : escriptorio no Forle do Mat-
< COMPANHIA PKRNAMBtCANA
DE
\itvesnc5o costeira a vapor.
RIOFORMOSO ETAMAMIARE.
"V-^_^_ ^-. 0 vapor MawlnliH,
commandante 'Mari-
nho, segnrra para os
portos. acima no dia 15
do corrente as 9 horas
da noite.
Recebe carga, encommendas, p;issageiros e di-
tilieiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
0 12.
COMi'ANHlA PERNAMBICAN4 '
DE
HavegarJto eosteira a vapor.
FERNANDO DE NORONHA.
0 vapor Gequia, comman
danle Marlins, seguira par?
0 porto acima no dia 7 de
raaio as 11 horas da mania.
Recebe carga ate 0 dia-i,
encommendas, passageiros- e
inheiro a frete ate as 10 horas do dia da sabi-
dad: escriptorio no Forte do Mattos n. 12
LEILlO
DAS
divides da massa do Manoel de Sonza Car-
neiro I'impao
Hoje
i.s I i Ii ra, da uiauha
0 agente Marlins fara leilao por conta do arre-
matantedas divida d" Manuel de Souza Carnei-
ro Pimpao, de dilas dividas. em vakrde ceiva de
,40 0004000.
No_armazem da r a do Impcrador'n. i8.
" LEILAO
, DE
um gr^nde predio de i andares n. 37, silo
a rua Daq.ua 1leC-.xr.1s, outr'ora das Cru-
zes, com as seguintos commodiilades, 1
andar, 2 sal '8, 4 quartos ecozinha, 2
andar, -2 salts, 3 quartos, sotao ecozi-
iiha, andar terreo," um grande armazem
SEGUNDA-PfilRA II DO CORRENTE
A's 11 horas).
0 agente Pin'.ioJJorges, ba-taute autorisado, fa-
ra leilao do referido predio, por conta e risco de
quem pertencer, no sou escriptorio, a rua do Bom
Jesus n. li-\, l." IfnJar.
Os Srs. pn-lendcntes pedem desde ja examinar,
i algom esclareciipenlo 0 mesmo agente pode dar.
DO
grande sobrado amarello de 3 andares e
sotSo da ma da Imperatriz, esqu na da
do Hospicio, e em frente d matriz da Boa-
Vista
Terca-feira 19 do corrente
as H 112 horas em ponto
Por intervencao do agente Pinto
Rl'A DO BOM JKSl'SN. 43.
Agente Bias
LEILAO
DE
um preJio e sitio murado em Santo Amaro
das Salinas, no pateo da igreja, cujo si-
tio foi do fbllecido commendador Jose
Candido de Barros
TERCA-FEIRA 12 DO WRRENTE
AS II HORAS DA MANHA
No sobrado da rua do Marquez de Olinia
0. 37, primeiro andar.
0 agenle Dias, competeutemenle autorisado por
mandado do Exin. desembrrgad. r juiz de orphaos
levara a leilao no dia e horav acima designados,
0 predio mencionado, o qual contein. andar terreo
esot^a, duas f rentes e janclla* ein ambosos oi-
loes, 2 graiides salas e- o quartos, e coin 0 acabi-
mento do assoalljo na sotea fka esta cim accommo-
dactus de um andar, coziuiia fora, quartos para
criados, cacimba, gallinheirc, etc. etc.
0 sitio lem vi-eiro-s diirerenlos arvores fruc-
liferas e 6 todo murado, lem dous portoes, sendo
um de ferro.
E^ta casa t'irna se recvymiiiendavel por ter sido
solidamenie construida c a vantages de ter agua
perto e parar os bonds proximo a el hi. Os pre-
lendentes podem desde ja examina-la, e para qua!-
qucr esclarecimento a rua do Marquez de Olinda
n. 37, escriptorio Ua agenda, onde lera lugar 0
referido leilao
"-se o gr n'e predio
sito na rua do Bispo
Vende se ou arrenJ
de um andar e soiao
Sardinha. proximo da igreja da Micricor fa,
na cidade le Olinda, Undo does i.oas salas
de frenti', um salan no sotao seis quarto-
espacosos e frescos, uma grande cocheira,
quintal to.io crcado de novo, e com diver
50s arvoredos. uma boa fonte d'agtfa, e
lendoi/az canalisado. Achando -e prepara-
do com tod s os moveis in lispensav is a
uma grande familia, serd assim vendido ..u
m os moveis : a Iratar n bu na rua da Uniao n. 49, sobraoo, atraz d<>
3aco da assemble*.
Leil
LEILiO
LOS
m
ve*s, lonca, armarao ilos quartos, can-
dieiros 0 rnais pertencas do oxtincto ho-
tel que foi denominado de Londres
SEGUNDA-EE1RA 11 DO CORRENTE
as 1 I horas No sobrado da ma do Commercio n. 7.
0 ag.mte Was, c impetentemonte autorisado, le-
v?ra a leilao, 110 dia e hora aeinii designados, os
moveis e mais perteucas acima mencionados. Ga-
rante se a casa, que e vasla e apropriada ao mes-
mo genero de negocio.
ao
Do sobrado e sitio da Cspunga 'chaos pro-
prios, rua das Crioulas n 2Q, que foi da
fallecida i>. Florinda, e cm que morou 0
Sr. Albuquerque, com casa grande de
pedra ecal, quartos f6ra, sitio com cor-
ca de 1.000 palmos de frente e 2,000 de
fundo, com arvoredos, viveiro, 2 cacim-
bas com boa agua de beber, em frento da
qual pas-ara breve os trilhos di linlia dos
bonds
TERCA-FEIRA 12 DO CORRENTE
Vs 11 horas em ponto.
Por intervengao do agente Pint?.
Em sen escriptorio, a rua do Bom Jesus n. 4:1.
ftVlSal
i^>U
u
HSOb
Bom
negocio,
Escrava coziiilieira
3a#ooo
Precisa-se com urgencia
de uma perita cozinheira e
ompradeira para casa de
uma pequona familia, pa-
^ando-se a qiia-utia acima :
i tratar no pateo do Paraizo
1. 28, I. 2." iindares.
\ f. aiiiiiv
1 ,onfroute n
de pr^to,
minar
ajfandega, armazem pintado
que curiosos acabam de deno-
Jazigo
0 admimstrador dtste etabelecimcnto, a bfm
is interesses daqnella li>ma, vend> a diuhiiro a
sta :
Batatas paratiasimas.
Feijao mulatinho muito claro e tenro. em sac-
c*s, baratissimo.
Latas com cmco galo.es de gaz. Devofe, a
Arroi sanenur a 2o00 a arroba.
Caixas com 40 carlas de fogo da China superior
Manleiga franceza nova de 1874, da marc. PLO.
740 rs. a linra.
Os mais generos qae exi-tem do mesmo esiabe-
le limento, faz se a elles prec.11 proporcionaes
Perfumarias.
Ki.im vir..| i-, iai.lifi. !.- j"iu e fin doa-
irilk", agua .1- l|.ir 4r l'aij::. n?n* iWt loiMe,
ilivina, |] .rida. braale, |mh m an 7. ukdMNk,
.|tismetic>, mu na para presentes em frascos de extraetus, eai li-
nhas sortidas o garrafas de diflercoMa taaaabw
d'agua il Odogtie. mdo de primeira amalidade
dos l No anuazeui do vp*.r Fraorcz. a rua do Bara
da Victoria, r.utr'ora Nova 1.. 7.
Quinquilharias.
Arti^os de dlflereates gotoi e
phnntnxlM*.
Espelh s, NMnn, luvas, joiasd'ouro. tesourinlu,
eawretes, camnha-; dc rostnra, albnns. qnadna,
4 caOtinlia* para retrains, bolsinhas de vWrodo,
dita.de eour-, r restinhas para bragosde mpiriaas,
chic a<'s, i,i ngalas, clo. pencin-z. ponteiras p;r
eharttni e rifatna, etcovas, penles. carteirinlia de
i...iln-p.-i'..!.i, iap.-ie para lanlernas, mala*. ho|as
de via^cn*, vpneinna> para jant-llas, esleriotr-
po-:. laiii.Tiia* in.>gira-,'.-u-.it>ratnas, [ogris dagtor a,
de daim- de bafateu, quadros com paisafeas
globos dt: papd para illiimiaacoes, machinas 4a
fazer cafe, wniaadore* p.ilhas. rralejn* de W,
accorda..s, rairiniios, ? aereai para criaa-as
outras muilas quinquilhari i".
Brinquedos para men inos.
A maior varieda-lf qu.- a pode desejar de to-
dos os brinquedo fai em diir.rnie part->
da Europa'para 1 atretiineatua da* crianca>, tulo
i praeH mas reran i I >> que > a -ivd : ao ar-
mazem d Vapor Fraucez, ma d., tario da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Calcali Irancez
A 9*
Botinas para homem
Aeafeam de ekaaw grandes jarturas de Ixiun-.'
debez-rr--. de erlavao. de pelica. de duraqi,.
coin h- in, ii :,. do braerre com bellies, e com Ba-
les a 9-y)00 (a escoilwr) par ler vindo graace
quantidade por conu e onaaa do* fabricant- :
ao armazem do Vapor Francez, a rna do Barao dr
Victoria (outr'ora emm) u 7.
I'ura -uliora.
BOT|\'AS pretas, hran-a e de cores. di:i.ren;<
li-a, enleiiada- c bordadas.
prplos e d- rArw dilTerentes, b.-idadjt,
SAPATOS de tapetus. ehai l 1. castor e d<- trtnci.
Pra iiM-uinNs.
BOTINAS pretas. aaaacai a Je eorei differeolen,
iisa-, iif-ita.lase bordadas.
ABOTINADOS de d rersa -jualidadea.
.-APaTiis de tram> 1 ortnauezes.
Para lurniuaMa.
BOTINAS de hovrro. lu-i-- d* corda i,..
' ROl'IN \DOS e J 1 ,".-. I /-rro.de quahdailc.
SAPATOS d' tra-ic
Botas de liiontaria.
Bolas a Napileao
meias p-rn, iras para
para meninos.
Noaiinamn d,. Van n Fra a ma do
la Vfeturia 7
ii
: iin:i.'ii-rme, p rua"
met .' meias pernei-a
I
at nelles declarados.
Alugase
ass terrea com erandtscommodos para familia,
ex emo quintal murado e arborisado, e outras
m itas enmmodidades, no melhor local do patei
da I'az, (Afogadosl : a fallar ao sacristao da matriz
a vc-la, e no Becife. tialar ii rua das Cinco-
0 iras n. 31.
1(1.0 mm
Oaabalso -?ifoaJo? ;"./:, pil.lico que 1
prarau u ettaiK-lecijient 1 de aiuthadam >it<> a ,
de Gerrasio Pirn a. ''*. iu g)Taa .d a raz-i
social t> Cyprian 1 da : -u VI aeida Jt (1, ftcas-
do os ni-nii< abaixo a>siun., I.- respon^aveis p '
activ-i ;ia->;vo do m--1 esululneiaii nto, lica?-
do 0 Sr An: mil ..ip.i U S.lva lir.i,, qae' -
na parta la data aoeiedal i.....amis dr m. I-
iu-;r debitn .11 ras| m^itdidade qne linha
' etabelarimn>o, i; i n aai diauie.
a firm* sod il -:. v UomMi
ReCil K d< .
i ,11 um i ,- i 1 Silva Figuein...
Cypriano da Oo-ta Almeida.
Iia-s- i:r..t:- n r.ir. nm corredor
am |Krta m-. ,. m qniatal a cariaiba :
na Oam'oa do ilarun n. il : i-xige-se cntao a'..
gni.- paqaenos servic <*, Tie Jep aderia deajo-ti*
jwr"'Tr.
lUCHTO
fit&i
Agente Dias
u
Mnnoel Jon- Oa si I va Maia.
Bernardino Jose da Mlva Maia
convida aos sens amigos e aos de
feu finaJo irmao Manoel Josi da
Silva Maia, para asMstirem a DJasa
do setimo dia de sen passaimnti,
que tera lugar ho convento de S.
- Framisco, sesunda-feira II do eer-
ie, as 7 horas Ja manha; e desde jase aaa-
eternamentc grato, nao -o a e^-tes, mas
i|bem aquelliM que acompanluram os reslos
mottaes a sua ultima morada
DE
LEILAO
Libras esterlinas
Vendem Pereira Carneiro
& C.
Rua do Commercio n. 6.
segue com toda a brevidade a barca portugue-
za Harmoma, por ter dou> tercosda carga promp
ta : para 0 lesto da carga e passageiros, trata-*e
com os con^ignaurios Thomaz de Aquino. Fonseca
A C. Successors, a rua do Vigario n. 19
II
iiuii vii!
Sahira com brevidade 0 patacho
guez Lulador, por ter quasi loda a
prompta ; para a que lhe falta e passaeei-1 bem connecido hiate Jofo Valie, para" carga'a
ros, trata-se com E. R. Rabidlo & f a frete a traur com Joao Jose da Cunha Lages, na
mt,-;n n a "' 3 fM do Vjgarto n. 33, Is andar, on com 0 mes-
1 tre a bordo em freDte ao irapicbe Danlas.
I
portu-
carga
PAR! 0 POIITO.
Seguira brevemente a barca portugueza llegriu.
por ter engajada a maior jiarte do seu carrega-
mento. Para 0 resto e passageiros, trata-se com
E. R. Rabello & C, a rua do Comiiiereio n. 48
ou com 0 capttao.
Porto
BO
vapor Parahjba
SENDO:
casco em perfeito estado, amarras, mastros,
vergas, cabos e mhis pertenr.as do referi-
do vat or
TERCA-FEIRA 12 DO CORRENTE
as 11 horas
Em frente ao edificio da companhia per-
nambucana.
0 agente Pinho Borges, autorisado, vendera 0
vapor acima declarado, 0 qual se acha ancorado
neste porto, em frente a companhia pernarubu,:a-
na, onde os Sr-. prctendenles podem desde ja exa-
minar : e -m continuacao 0 mesmo agente vende-
ra uma porcao de pedras, a saber : sileiras, por-
tadas. areadas e differentes pedras de diversos
formates e taruaohos.
P
edio
Para 0" Aracaly vai sahir com muita
brevidade
rua do Commercio n. 48.
, Terceiro e ultimo
Leilao
DO
resto das dividas da massa faliida de Bastos
iV I.emos
TLRCA-FEIRV DO f.OBRE.NTE
A's 10 1 [2 horas em ponto
0 agente Pinto, levara novamenlo e pela ulti-
ma vez a leilao, di eonformidade com 0 despacho
do Dim. Sr. Dr. quiz especial do commercio, em
virtude da ioformacao do administrador da mesma
massa, 0 resto das referidas dividas, sendo diffe-
rentes dividas em lotes de divida por diviJa, con-
TEHCA-FEIRA li DO CORRENTE
;is 11 horas da raanha
Rna do Marquez de Olinla n. 37, primeiro andar.
A SAB ER:
0 agente Dias, competentemente autorisado,
levara a leilao os seguintes predios:
Um sobrado na rua de Lomas Valentinas n. 64,
de 2 andares e sotao, reedificado nao ha muito e
com grandes accommodates em qualquer dos an-
dares, e alem disso duas lojas e um sotao, com 2
salas e 3 quartos. Este predio possiie uma boa
escada de volta que se eslende do pavimenlo ter
reo ao sotao, de modo que ate esle pode ser ala-
gado independente.
JJma casa em a rua do Visconde de Inhauma,
outr'ora rua do Ranged n. 19, com 2 salas, 2 quar-
tos, cozinha fora, Esta casa acha- em uma optima rua commercial.
Um sobrado de um andar e sotao n. 17, a rna
de S. Jorge, ouir'ora rua do Pilar, com a frente del
azulejo, com os seguintes commodos : 2 salas, 3
quartos, solao com janella< para as duas frente* e
ioja, com 3 salas. quintel todo murado com cacim-
ba e portao. '
- Os Srs. prete.ndenies podem desde ja examina-
Jos, e para qualquer informacao a rua do Mar-
quez de Olinda n. 37, primeiro andar, escriptorio.
do agenle., _,
Ao* Srs. proprietarios se offerece occasiao de
possuir predios que dao optima venda, e que se
vendem somente em consequencia de ter 0 seu
dono transferido sua residencia para a Eurona.
Dr. Joao Alvei* McrKitlliao.
Jbaquim Bernardo d, Mendonea manda celebrar ,
uma raissa por alma de seu fallecido amigo 0 Dr.
Joao Alves Mergulhao. e convida ais sens ami-
gos< e ais parentes e araigvs i Oaada par.i
assistireni a este a.tod- earim d, .jue tera lugar
segucda-ieira, II do crorenie, na capella da Con
ceii,^'> d-is Cnqueirns, as 7 horas.
BVftianMBaBaaaBaaB'iBBH^iBHBiani^HafliiMBaBH^^^M
^""^^aaBaaaawaaanaaa^aaa^aBl
Gertrudes l.ropolriina de Mello,
seas filbos, fillia^, (rennis, irmioa e
ennhado", agradecem a tod.is as
pessoas que se dtgnaram acompa
mW 09 restps mottaes' do seu fal-
lecido maiido, pai, sogro, irmSns e
cunhado Joao Antonio dc Millo, e
os ronvidnm a asui.-tirem as raisssu que mandain
rnzar, no dia 9 do correnu, as 0 hcr^s da inaulia,
ea .^reja do Terco, pelo uue se confesam gratos.
Oabelleireiro.
Joaquim Mureira Dias avisa aos sou- numero
sos freKuezes ijue acha-se trab.illiaudo na ma
das Ci'nzes n. 'Jo, .oja do Sr. Luiz Auguto de
Pacheeo, e que se acha prompto para (|uaesquer
trabalhoj de sua profissao, como sejam : pentea-
dos, cachpaignp, eoques, caheiteiras, topeites
todos 09 feiiiu-, cruscenles, etc., elc. ; para tndo
isto acha te munido de cabellos.
Ultimo leilao
" por liquidacao
de pianos novos e usa>los
, suciiilo :
1 piano novo de Erard.
1 dito dil> de Blonde!
1 dito dito de Broodoad.
1 dito u ado de Bloodel.
1 espingarda de 2 cannos, de Lo Fonche.
1 sofa de jacaranda. -
\viso
1
.\.C(;ao entre ainigos "
Avla-sa as amigns que sao pnssuidores dc ac-
pies do um optimo piano de armario, um alfinele
com 'res bnlhantes ornados de perelas, e outros
object is. que dpjxa de correr essa accao coin a
ldteria 99*, visto terse perdido cincoenta e tanias
acc5es ; outro sim, avisa ?e tamhem que s*ra ex-
trahija cum a loteria 103; e pede-se aos pos.ui-
dores das antigas accdes, que se dignem apreeen
ta-las para ser^m irocadas, c,i?o nao apparecam
aa perdidas.no prasa de tres dias: n.ga.-se a
qualquer pessoa que acb 01 nao so essas accoes,
como duas cadarnela9 aBcripturadasi e quatro car-
las, as quaes foram perdidas desde a casa de
leilajflo agente Pestana a: a Boa Vista, o obse-
quhrde eotrega-la* na ma da Cmt do Recife, u
verna do Andre, que sera recompensaJu geiiero-
samente.
[11 m n \
Escrava
Procisa-so alqgar uma escrava que coaira*M e
engomme, para Casa de fami''a : na rua do Mar-
quez de Olinda n. 33.
I'rcpatado \ .?
' a;iman d" Kcmd
f-.ira (hisiw
toila a qualidaus
'ledoetn;*s, qn- r
'.)* na gargar-.r,
! -itoou bofes.
Kxpressameriia
olhidodosme-
ilinrosfigadosdos
quaes se extrtiH
1 dIco no ban 1
la Terra Roa
.iu rilicado chiiT.i-
taltnente, e sans
vnluaveispropTi-
lades consertf-
K-is cum todo
nidado, emtoo;t
;lrascosegaraj>-
ti-perfcitamer-
' puro.
Este oloii to-m
-1 io submetti- >
a iiinoxamemo>-
lo st'vero, pei>
himico r> mais
talciito, do g-
\crno liespanb 1
in Cuba e InrJ
prouunciado p r
II-: a cont*r
MAIOR I'ORCAO DIODLNA
'-' que ouiro qualquer oleo, que ell^ u.n
:\amjuado
I0DLN0 E LMJ'ODFB SALVADOR
!'m todo 0 oloo de figao., taManate, e nr-
quuile no qua] oonlow a itiatar ^rgio deeia
invaluavel peopriodiilo, o o unicn meio Mm
curar todas as d, encaa dc
GARGANTA, PEITO. BOILS, FIGADO.
Plitysica, brcnchisti's, asthma, catbarrl, ,
tosse, resfrimciitos, etc.
Vhs ponens frasco- .la csrnes ao muito
magro que scja, clarfa a vista, edi vigor
a todo :.< .xirpo. Nenhum mitro artigo co-
nhecido na medicina ea > n-ncia, di Unto
nutimento aosyslema e in"-iiimoxlandoqnaii
uada 0 eatontotfo.
As pessoas i-uja nfgautaayio tern side des-
truiiia pclas 0 7ei?ots la-j ^
KSCROKi;i.AS 0!. UHEUMATISMC.
e tolas aquella-:. cuja digestio se acba coro-
pl< unnente lesarranjada, 4c\em tomar
.O1.E0 DE FIGADO DE BACALHAO
UK
LA.nMAM KEMP





Diario de Parnambueo 3aobado 9 tie Maio de 1874.
41 Rua do inifierador II
0 novo proprietario de.-te acreditado e bem montado estabelecimento, cni o Pirn He
conservar os credilos de unico neste genero, l< m reformado e mclhorado rompletamente
o mesmo em ordem a poder satisfazer qualquer pedido para as provincias terior desta, g mntiudo pt-rfeic.ao ero tod.'sas prep* rac,6t s, aceio e modicidailc ri"S pieeos,
compativel com este genern de drogas. ,
Espera a todo momento uma grande reinessa de pharmacia homeopathico de J.
Epss & C, de Londres, composU de medieamentos, carteiras, pocolotes, Opodoldock de
Hhus, de Bu vonia, de A mica e de pos especiaes para denies.
Tem & disposicao dos amantes da homeopathia a excellente, obra do Dr Mure mc
dieo do povo, ja" em 3.* edicao.
Tem carteiras de globulos e tinturas de 12 medieamentos atd 120, & escolha do com-
prador. ".
-
Plumeria, para ro6rdedura de cobras.
Seracena ( Chocolate homeopathico.
I Para bexigas como preservative. homeopathico.
Vaccina ( :
China cruzeiro, para inWrmittentes. JJ.or d'arai"uta-
Schynus, paraittginas. ,P6s Para dentes ,n*lezes-
Calendula, para queimaduras. ... ,
Taranlula, para paralysis J"**. t* r.hVl"}atvmo-
Tintura maid areica, para contusdes, cor- Mattamattaou jaboti, para tones,
tes, etc i
Mimiiiru Espirito de Hahereman ou de campho-
A LllbbAKLM ; ^j
Opodeldoc* d'Arnica.
Dito de Rhus 1
>para rhematismo.
Dito de Bryoniaj
Acha-se constantemente a testa do estabelecimente e inspec iouando tudas as pre
paracdes o Sr. Dr. Jesuino Augusto dos Santos Hello.
C0NSULT0R10 HOMEOPATHICO
DO
Dr. Santos Mello
Consultas pela manha, e a noite ate 9 horas
Gratis aos pokes.
mum immmi
0 INEXHMGUIVFX.
^ fi
Cactuc grande flflrus para pneumonias
moleslias do coracdo.
I
33
, III P
Constructor e aliiiiidor de pianos
Rua do lmperador
33
Ex-afinador das antigas e afamadas casas Pieyel & Bert, e antigo director das offlci-
oa casa Alphonse Blondel.
Tem a honra de declarar ab respeitavel publico desta cidade, que tem aberlo sua casa de
concertos e afinacoes de pianos, qualquer que seja o eslado do instrument.
A mesma casa acaba de receber urn grande sortimento de pianos dos melhoi-es fabricantes
''' Paris, como Erard Neyel, Henri Herz e Alphonse Blondel) todos os pianos sahidos da casa
' ibaut sao garantidos.
Compra-se e recebe-se em troca os pianos usados.

PHOTOGRAPHIA
IMPERIAL
LOPES & C.
ESTABELECEHEKTO DE PRIMEIRA ORDEM
Rua d; Barao (ANTIGA AUA NOVA)
Trabalhos premiados na ultima exposieao
DO
. RIO M JANEIRO
Acha-se montado sob as melhores cordieoes i!e arte, e aberto a
ooncurrencia publica, este estabelecimento, o primeiro, setnduvida,
uesta provincia, no qual se liram retratos pelos melhor. s e mais
modernos sjstemas, empregamlo-se somente material de primeira
qua! dade, e garantindo-se
Semelhanqa, nitidez e duracjio.
Trabalh-.-se todos os dias uteis e de guardn, desde as 10 horas
da manha ds quatro da tarde, nao^prejudicando o tempo de i-huva
ou nublado a perfeicfio dos retratos.
Faz-se toda a qualidadede copies, augmentando-as ou diminuin-
do-as.
I ma duzia ae retratos de uma so pessoa, em cartoes para al-
bum.
Para os retratos esmaltados, colloridos, grupos/e augment8dos ha
uma tabella de precos.
T ram-se retratos ate tamanho natural.
EXPOSICAO DE NOITE
DOENQAS das CRIANCAS
DE GRIMAULT E G* PHARMACEUTICOS EM PARIS
Sufcstitue artmirsvelmente o oleo de figado grwulHS vantagems ; I" Em doses iguaes cuutem mais Jodo : 21 Sou sabor he sumamente
*nadavel; 3* Tt>do o'lmindo e sobre hido as eriancas o tomao spiii a inenor repugnancia.
E m dos mais pnderosos acenl" conhecidoa para ni-jdificar os teinperamentos lymplia-
ncos e curar rapidamente t.!i.s a* moleslias qoe tiran sua oriwm nos vicios do sanguc,
omo o rachit-sni'i. patlidez, etc.... A sua ettfeaeia ho exlr.iordlnaria noe cuidados tao
oraaMKM que exigen: aaaadff -las criam-as, osua a.:i,ao corkliKa be. pro.lisfiosa nas moles
tia ao peito. e da pelle nos enfartes das glandulas.
XAROPE d'HYPOPI
GRIMAUtlKEvG'? phArWU6&u*qos M PARIS
Hoj- c*ro a ra! sao ;is !>asi>* sonciaes dc.cjualquer producto desti-
>ifcdo arecdmtituir |arganhin n *fia\rltar s tubeioulos d .spulmOos.
(Join tudo I <|iv u-)iji- tpje. par." i(ue.:stas pi-ejKra<^es i-roduzam o effeito descjaJo, he ne-
O'tsario que fefto afHttitnsjiente puras, -omti. -Ho que nehhiiiua casa po que a nossa, cujoo dti-wtur sciciunico he o jllu-lro ehyinlco O'l^econte, professor da Faculdade
de McJii i.'u e preporadof do cuiso de ])h)'>soiogia lie C'laudio Bernard, no Collc.'io de Franca.
Os Hits medicos e o* doeatcs que qufzerrni eomparar 0 nosso xarope run oa demais
oonhc-idos ate hojc nos Jsrao iitamente a peefereueia sesdo a sua effkAcia superior a de
(O'los os oiitros, no carativo daf affeccoes puhuouarcs.
Ellc cahaa a lossc, faz desappareccr os s:iore nocturnos, cura a bronchites, os catarrhos
pulmoiiaros, a titica, c corta a febre^nta quo detroe asforcas do doente.
Deposlios em Perrambuco : FERREIRA, MAIA C; M.-A BARBOZA, e nas prin.
iipaes phar ^c)*s d i
A celplti'o ana Florida
DE
Ul Btit \V ft B.WIIA^.
lima pura dislillacao das mais raras (L-
rtA dos tropicos. Contem, para assim ui
zer, quasi o oddr odorifero das (lores ac
tropico da America, e sua fragancia 6 quas
uioxbaustA aiuda mesmo por continuads
c/aporacso e liffusao. Neste rcspeito e
i icompnravi'l a qualquer outro perfutm
qne ha de vends para :
UKSMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOH
I)K CABECA, DEBIUDADE E
nVSTERICOS.
E um certo o ligeiro allivio. Com o bom
.m, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
perfumes, nas Indias Occidentals, Cuba,
aiexico, America Central, e do Sul e nds
com toda a confianga o recommendamos
uomo um urtigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riquuza de odor e permanencia, nio
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUEIMADURAS DO SOL,
SARDAS" E BORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se tqrna ume
exi-cllente mistura para banhar a pelle,
daudo um aroseado e cdr clara a complei-
cao tmlilac1 a. sendo applicada depois d(
barbear, evita a irritacao que geralmentt
occorre, assim como tambem garganteando-
se, o chciro do cigarro desapparece, e me-
Ihura a condicae dos dentes e gengivas.
Como ha muitas imitates, as quaes nao
possuem nenhumas d'estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar s6raente,o
o famoso perfume ,i cosmetico do sul da
America, cham
kWk FLORIDA
DE
III tilt AY ft I. .WMA^.
Svs acha & venda em todos odrogu
pfrfumari as da mo da.
DE
RBISTOL
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS
A SAFSAPARR1I.HA DE BRISTOL pur.
fica a massa do sangue, expelle para 6r
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
rcgula tudas as secrecdes, d^ vitaliaade e
energia a todos os orgaos e da forga e vi-
gor ao systema afun tir a todos os ataques da enfermidade. E'
pois este um remedio constitutional. Elle
nunca distroc afim do poder curar ; porem
constatitemente ussiste a natureza. Portant(
em todas as doencas conslilucionties e em to-
das as tnolcslias locaes dependente d'tnn es-
lado vicioso e imperfeilo do systema em ge-
ral, achar-se-ha que a Salsapamulha di
Bristol e um remedio seguro e eflicassissi-
mo, possuindo inestimaveis e incontestaveif
vrtuiles.
As curas milagrosas de
liNcrofulns. .
Ulcerns,
(lianas ant ifja i
RNPERMIDADES SYPHlLIi(CAS
ERYSIPELAS,
RIIEUMATISMO,
NEURALGIAS,
ESCORRUTO,
ETC., ETC., ETC.,
que tem grangeado e dado o alto reiiome
Salsaparrilha de Bristol
por todas as partos do universo, sao tao so-
mente devidas UNICA LEGITIMA E ORIGINAL
Salsaparrilha de Bristol
PHARMACIA CENTRAL
Paris, 36, Rua Vlvienne, D
IH:M:iM 1IEDECIM 8PCIAL
DEPURATIF
du SANG
PLUS DE
COPAHU
DiS EKFRRMmADAf DBS KXOAH, IS AFFICCOI
C'TAtF.AS. P ALTBHACOF8 DO SABGDE.
1^30,000 curas das imptn-
I gem.puslulai, nerpei,
I larna, comteo#, aeri-
I monia, t alter foes, vi-
________________Jctonu do sangue, vi-
rus, ealUiatoes Uu angue. (Xarope vegetal
sem mereurio). Separattvaa >eiuei
aw unnuEa tomao-se dous por
lemtn*, seguindo o tractamento Depuralivo .* t
empregado nas mesmas moleslias.
I Este Xarope Citraeto d
ferro de CH ABLE, cart
imrn^dijtamenie qual-
quer ;iurgacao, rela-
\xafao, e debilidade,
t iguaiuieute os jiuxos e /lores Lrancat da*
mulheres. Esta iujeocao benigna empregasis
eon o Xarope de Citraeto de ferro.
eMrr*Uaa>Pomada que as cur a emt dial.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: nas affeccoes eulaneat l comixoei.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do Ohakle, cada fraseo vrai accumpabade
de tun folheto.
AVISO A08 8R8. MEDICOS.
Cora caiarrhoi, touts
coqueluchts, irritacott
nervtsmt sas dM troa-
ehios I todas as iotstcm
i in doptiso;bastaaodoonts
ama colhe rcbdea dwU xarope IV Foscit.
Dr. smhWtm mb Pull, rmm titIcwm, .
Deposito bot ca France/a
2 Rna da Cruz 22
CASA DA F0RTU\A
AOS 4:000#000.
HILIjKTKS (;ARA\rniH>S.
1 ri... Pr-in, fi, ,lf .1/,irril tnitlr orii nxi rt
' Tiij'ii '. :' r/rsaa ti"'OStWH9.
O ulnlv. .,.-,_.,,: | ,| .,.|,.|:,|,i no- -'!!- I'-
I"- lillll i| ., (,|. |. I. S('> i .'.,11 7-"l Mil in-
Uir.. n i-'.'.-o ...in i:u i.iki- rvrtri Uc it)i
%)S da luii-r i qnc -i! icaiHtu de exirahir (08),
onvida ans |in.*-ui.lorcs a virem rccebcr na cou-
fnrmiilatlo do roiuuie som drscojitu algam.
scii.mrsi a vrnua n> felizes tiilhetes garanttd''?
ta 1" [Mirte :1y |..t'Tia a heuellcin da igreja
ac Xowa-Si'oh.Ta da Ba H -ra cm Oliada (99*),
que se exlr^hira na uuarta feira, 43 do correate
met.
PRECOS.
Bilhete inteiro 4*000
Mri.i bilhote 2*000
KM PORCAO DE (009000 PARA CUU.
Bilhete ioteiru 3ASO0
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fittza.
I Evcelleole occasia |
W! Para o tico e parao pobre fm
Wk Optimos terreaes para 0
0 ecliflcacA* 0
*m, com 400 palmos de Hiudo w
a 1000 e SOO ra.
TM Retalham-se os graudes terrenos qne J
^ circomdam a ettacao da Boa Via gem ; ^. sao terrenos proprios, desembaracados e .
%)( cortados por tros estradas : a real, a de 9t
m ferro e a que segue da estacao para a A
^ Boa-Viagem, e fleam mot proximos ao ,
rio Jordan
ffi A commodidade do preeo, .a facilidade 3K
5J do transporte de materiaes pela via fer- 3>
rea, a proxiraidade de madeiras e, sobre W
i tudo,, o pririlegio de viajar gratis no va- A
cS por pelo espafco de 10 anaos, a quem edi- cE
9 Dear proximo a esta estacao, tudo i.-toe de fSk
ql incoDtestavel vantagens e deve aoimar jM
5 os pretendentes, o quaes desde ja se po- 5J
9t dem diiigir, uos dias uteis', a rua do Im- 9
j>X porador n. 48, e aos domiogos e dias f
2 santos, ua estacao da Boa Viagem, onde SJ
0 se eucoutrarao com Tristao Francisco jgr,
A Torres, encarregado pelo proprietario a J0
2 'fazer qualquer negorio.
s^S^. ^*r\ ^k^. ^tr\ ^s*\ ^k^ ^k^^s^x ^1^ ^s^ ^|P\^i^ ^|P\^iJP\
mm.
Precisa-se de um para todo o servico domes-
tico e de quintal : trata-se n. Passeio n. 60, o^
na rua da I'niao n. 67.
Ricas bandeijas
Para asamentos, bailes e baptisados.
Quem quizer obter uma bandeija ricamente en-
feitada, dirija-se a Confeitaria do Campos
Ja mandando ou indo eneommendar, ja com-
prando alii todos os enreites, constando do seguin-
te:
Bolos finos para enfeitar.
Doces saborosifsimos para enfeitar.
Figuras allegories para enfeitar.
Papeis arrendados para enteitar.
Bouquets para noivos.
Alii
Encontra-se sempre o seguinle :
Fiambres Ingleees.
Budins >
Bolos >
Paes de 16 flnos.
Fatias de dito para parturientes.
Pasteis em profuslo.
Filhos (sonh'-s de mnlvina).
Doces em calda, ralado e secco.
Bolachinhas de mil qualidades.
(Sugar Walters vanilla) para dietas.
Gelea de mocoto, desinfeclada.
Amendoas, confeito?, etc. ,
Chi verdadeiro das Caravanas.
Cafe de Java (verd deiro).
Tudo isto na
CONFEITARIA HO CAMPOS. .
MOFINA
Esta encouraqado 1 1
Agirn mole em |i T:;t( il:t UtO *|ll<" > fawn.
Ili-t^-atUo Iiiii,. .-..' ifimi- \'"'ili (I- '-I l|
grifnln n cuii.i.' :'.- .v. i/.-irrtih il tutu** \ir ( rua b suir i-tu-'ili- iipus* |ii" s -.- -nj.F M"t:.'U i i
fcallsar, (. I;. iif.L-.r i cii-madi <[.- jmuai, en
ins de deietnbro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevfreiro e arril de'!87x,e nada cuwiprio,
i por este nuitivo 6 ie novo chamado para diu-
im, pois S. S. se deve leir.war que ttto aegocio
Je mais de >ito aiinus, e quando o Sr. seu nlho st
tchava nesta cidade.
Alug.vse o 1* andar e o armjsetn do sobradn
da rua dos Burgos (Hecife) n. II : a tratar na rna
da Praia n 20, com Jose Fel-viano Nazareth.
Ha mais de um anno fugio desta cidade do Re-
cife, e se .-uppde nella occnlto. o escravo Jose, com
os signaes seguintes : cor preta, de altura regu-
lar, com 23 annos de idade, pouco mais ou menos.
tem falta de denies na frente, sendo porem o sig
nil mais sensivel uraa escrescencia na palpebra
qne parece ceg> de um olho : quem o captnrar.
traga-o a rua. Direita n. 119, ou Saudades n. 32,
que sera generosamente recompensado pelo seu
enhor.___________________________
Precisa-se de um eaixeiro com bastante pra-
lica de laverna ; e que de" flador de sua condn-
cta : a traUr na rua \Telha de Santa Riu n. 0.
T
Manoel Jose de Magalhaes, subdito portuguez,
vai a Portugal tratar de sua saiiJe, deixa por
sous procuradores, em primeiro lugar seu socioi
o Sr. Bernardo Goncalves Maia, em 2." o Sr. An-j
tonio da Silva Ramos, e em 3. o Sr. Manoel Jos6
de Maltos.
0 bacharel Joaquim Ferreira ('.naves!
Junior, advogado no fdrr, da comarca de
Palmares, incumbe-se de promover cobran
fas amigavel, ou judicialmente na mesma
comarca. ______________^_____
AttenQao.
Precisase de um empregado de conQanca, que
de Cador a sua conducta, para tomar contt da es-
cripturacao e caixa, e mais servico da loja da tin-
turaria franceza, rua la Imperatriz n. 5a : a quem
convier, dirija-se. a mesma.___________________:
Cozinhar e engommar.
Precisa se alugar uma escrava q.ue saiba cozi-j
nhar e engommar ; 6 para casa de pequena fatni-
lia : na rua do Vigario n. 16, 1.* andar.
Roga-se ao Sr. Joaqnim Pereira Ramos, qua
teniia a bondade de comparecer a rua de Marcilid
Dias n. 43, da* 6 as 9 horas da manha, ou a se-
cretaria da santa casa de misencordia, a negoctq
de seu inleresse.
Aluga-se ou vende-se um escravo carrocei-i
ro, idade quarenta annos: na rua do Hospicio
n. 81.
Echo litterario
Os assignantes deste periodico que ainda nio
receberam suas folh.s, queiram ir busca-las na
rua da Soda n. 27, e deixar ahi a rua e numero
onde residem, afim de as receberem de outra vez|
com premptidaoJ___________________________
Desappareoeu de casa do -abaixo assignado,
por occasiao de sua mudanca da rua da Impera-
triz para a do Barao da Victoria, uma caixiaha
das qne servem para peonas d'a-.-o, contendo um
an net de ouro com esmalte preto eJegendaRe-
cuerdo formada em pequenas porolas ; e mais
uma madeixa de cabellos negros engastados, em
ouro: a quem apprtheoder 6u achar estes objec-
tos e os levar a dita rua do Barao da Victoria n.
44, segando'andar, sera graiilicado.
Emilio Xavier Sobreira de Mello
10$200
Nao seja vi lhaco por uma quantia tan diminu-
ta, quem nao pode pagar champagne, nao offerecc.
_________________A sombra da Paraen:e.______
Aluga-se o 2. andar'da casa da rua do Tor
res n. 18, e os armazens da rna de Barreto de
Menezes n. 8, e da travessa dos Expostos n. 18:
a tritar com o ministro da Ordem Terceira de S.
Francisco, no consistorio da mesma ordem.
arv. EiiHino em rasas par- ff\
W iiculai-4'M. Vp
j, Pe^sna liabilitada ensina em sua casa ^tv
v e em easas particulares, o porluguer, xy
latim, franrez c arilhmetica : a rua a
estreita do Rosario n. il, 1." andar. o*
m & ^ e>- r &&&
I
I
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na ma do Apollo
o. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agendas em todas as ci-
dades e villas de Portugal, & vista e a prazo
por todos os paquetes.
Consoltorio medico
DO
Dr. Murillo. -
RUA DA CRUZ N. 26, *. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
pode ser procurado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas da* 6 horas da manha as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pdbres.
ESPECIALIDADES.
Moiestias de senlioras, da pclie e de
crianca.
i
Devodores.
Os propii.'i. i- Ij do Crrmp t 4
rua d.i Im|.'j*iJ : n. -.', ; 1. to MM seasd-vr4ore<
i|ue tem sirlti (t-misso*, -i Li'-i de viuin pa^art c
.'iliiios al*5 0 ilia 8 de abrtl prnximo vmdonr
aviMtni "" iki--rn-- ; i-
liv- |> t-i -;ilil.-..-. v. 1 "... ;. : rWi Hf-'
-rill -I : II <' I,- |..-jhi
<*v

24-Roa (!oKarqtifide(IIMt-SI
l'.^<|iiina do here*: l.:.iftn
Parlicipa a sens fr gn zis ; sUfM cue n
0 ren eatabeleciir.ewo A-. >. 1. ,. ro put t mesita
rua n. 24, onde rwctitmlo S9 ;r;.r:'ie i de relr <;i. dp rarrde. ; n 1 nr.i,..-, e cima rte rr -
sa, dos n'tlln.rcs g*t< 6 qi.'Ja4-.s, reiisios ie
algibeira, de todas a* qualt.is in, i>:: nte n
de ouro e prata iowaat, Uimta ii'laqoei', uIj-
pioa de nir". irpi .. 1 dres
f:ilricaDte.<, cadi ia at 1 UN, pttt,\M 1 < ; rjii-. ''.: rt s
de tnds a> <|ualida-. ui.i.. c r |ircr<>s bu.ttka-
ratns.
CASA DO OURO
Aos 4:0002>000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. 63, e casa do costume.
0 abaixo assignado acaba de vender nos sou?
aiuito felizes bilhetes a sorte de 700*000 em um j
mok bilffeie de n. 863, e um meio de n. 338i com
a sorte de 200*, alem de oulras sortes menores
de 40*000 e 20*600 da loteria que se acabou
de extrahir (98*j: convida aos possuidores a virem
receber, que promptamente serau pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeit?
vel publico para vir ao seu ostabelecimento jwm
prar os muito felizes bilhetes^que nao deixarao de
tine qualquer 1 remio, como prova pelos mc.-m.- s
annuncios
Acham-se a venda os mui'.o felkes bilhetes ga
'antidos da 1' parte da loteria a beneficio da
igreja de N. S. da Bo* Hora, em Olinda, que se
extrahira no dia 13 do correntc mez._
Ppc^o* .
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De tOOSOOO para cima.
Inteiro 3*500
Meio 1*730
Recife, 29 de abril de 1874.
Joao Joaquim da Costa Lett*.
Mi
tardeiro Slaves & L
Aeabm do rccel.ur pelo vapor Hem! -;n :
EtionissiBH* c.it. d<* e.rsntSo e nrjBiVne
com lislras ni'liamali-!a Ditus de litilio fan Wti*kw. r r.tendn rada cor-
te, 0 MMmrto para u rnfalte, MM ieja :
franjas, mapM, lu.oe-. iivduis. eir.
Riquissimos dutjw pan MIMa, ullintRMii,
a rua Primeiro de Mar;' u. 7 A.
Arreruia-se 0 cn^eiili", Saltiafa da frc
guezia de Una, moeotc eorreate. Uit >
engenho e bom d'agtta, dwla &*m icgiss
portos de Tamamlari- < Rio Ki.nn so, e Xna
terms para ssafiviai I.6O0 >. 2.'J, pSfs
aiiiuiacs: a tratar ;i tiiifinn cuwnlifi coin
o coDsenbor II< nripie '..-'. 1 Milet, ou 1.
Recife com Leal di i: nan. rM do M rquc-
de Olinda 11. .'is.
RuaDuque de Caxias.
O Pr. Antnnio Ribeiro PoMes, caixeiri- a rna 4^
Duque d Caxia=, queira vir :i rua in I acralcr
n 42, a negocin do nwtao interes?e, Ml f'->~ r
ignornr sua" residrncta dome Mica.
Escravo fiiindo
Desappareceu ao amaTili"-r tb dia 4 dn HT-
rente, escravo de nome lose li irecs, : cstre de : ^nc-,
lendo os sign;., 'rpoinles: ralm,
Bans poMo nais ineao*, l ... Hy i 1
grossoe espadaii!, 1
gomma na junta d. ; > j utJo : roga ^ a t
as autoridade.se eaJMii la eawpa, *iaritw *j
prchender ditoneravo e I >al-o ae lef-iM -np--
nlio. aa nesia pra.,i a CNivfirt FillKil A C. I.
do Corpo Santo n. 19, q'i" -er.n ; ma-1.
recompensados
>y*rr\ -f? ---
-p.?
pe-
Sirop du
D'FORGET
4ff nso dc Alhoquerqne Mello
incumbe-se de promover cobrancas amigavel
on judicialmente, assim con.o de ootros negecios
conc.-rnentes a sua prolissao, nos luga^es proxi-
mos a liuha ferrea, e nos outros termo? proximo?
a esta cidade; para cujo auxilio tem 0 annun-
ciante solicitadores habilttadns e probos, respon
sabili-ando-se no entanto pela boa gestio e conta
do que I he for confiado.
Mediante modico h norario acode aos chmados
para diligencias uu consultas f6ra da cidade e do
termo e incumbe-se da defeza de appellacdes ante
0 tribunal Ja relacao. Pode ser procurado de
meio dia as 3 horas da tarde em seu escriptorio
a rua dp Diwie de Caxias n.37.
Precisa-se de nma mucamba para 0 servico
interne de uma pequena familia : na rua do Ba-
rao da Victoria n. 44, segua4o andar, entrada pela
rua do Cajtl.________________________________
Jaao Mendiboure, retirando-se para Enropa
com a sua familia, deixa procuracao bastante aos
Srs. Hwsmendy'& Labille._______________^_
Precisa-se de uma senhora de bons costu
mes para ensmar primeiras lettras a uma meaina,
lora da cidade : na rua do lmperador n. SO, ler-,
ceiro andar.
Precisa-se de um menino portuguez, de 12 a
14 annos, para tavcrna, que seja de boaconducta ;
a tratar na rua do Calabouco n. 4.
Attencao.
Desapparecen 00 dia ,6 de novembro do anno
passado, 0 escravo Benedict'), pertencente ao abai-
xo as.'jgnado, com os signaes segnintes : cabra,.
aim 37 annos de.idade, fslta de alguns denies'
na, frente, falla baixo e compassado, tem um dos;
dedos pollegares sem carapuca. olfios pequenos,
bocca e nariz regnlares, e natural da cidade de
Souza. provincia da Parahyba, foi comprado a
Antonio Leite Maria de Moraes em 18C2 ; pede-
se as autoridades policiaes e capitae.- de campo
,: apprehemlo do dito escravo. gratificando-se ga-
nerosamente a quem o leva- em Olinda a rua 27
de Janeiro, t'Utr'ora Paco Castelhano n. 9.
Barao da, Tacarnna.
CollegiodeS. Sebastiaopara
0 sexo feminino
A abaixo assignada scientiflca aos senhores pais
de familias e a quem mais convir possa, que as
aulas de seu collegio cmtinuam a futiccionar em
a casa da rua Direita n. 36, 2 andar.
__________Manoella Augusta de Mello Bego.
Aluga-se um moleque de 18 annos ,
a tratar na rua, Primeiro de Marco n*
18.________________________________________
Casa terrea
Aluga-se a rua de S. Joio, defronte do portao
do gaz com 6 quartos, cozinba fora e grande
quintal : a tratar a rua de Pedro Alfonso n. 8.
Pugio no dia 3 do conente uma preta de
nome Luiza, crionla, bem preta e bem parecida,
alta, representa ter 32 annos de idade, tem sido
vista na Capunga e no Recife, e qne tomou o ca-
minho de Caxanga, consta que foi sedozida por um
pardo escravo, niorad r no Recife : roga-se a po-
iicia e capitaes de campo a sua apprebensao, e re-
mette-la para 0 Recife, a casa 0. 1 da rna da Ca-
deia-vclha, que se gratilicara.
PENH0B;
Na tT&veee* da i ua
dasCnizes n. 2, prj.
meiro andar. ^^.s
dinheiro sol- tTQ,
nliores de cr dTOi r
ta e brilha ^tes. mj*
qual for p. MUantia!
^a n jesma casa
compi*'4.se os m8S.
n}osT jrietacsepedras.
na refinacio di
Vrrejis*-se>
rna Direita n. 1;.'.
de liated I
Aluga-se
o segando andar e solao do sobrado da rua de S.
Jorge o. 38 : a tratar na praca do Conde d'Eu n
19, bolica.__________________________________
Qnem perdea nm pt'iueno alfinete de peito
na igreja de S. Francisco, dando os signaes cer-
los, ser-lheha entregue : na sella n. 18, do mes-
mo convento.
Engenho
Vende-se o engenho S. Pedro, situ.nd" na pr-
viocia de Alagoas, -omarca do Porto GmN^ .
menos de nma legoa distante do porto d u.ar .
Gamella, tem oxcellentcs tf rras, matas. t safr. .
recnlarmnntc 2/00 paes a tratar na rna dn \ -
garion. 31.
- Uma pessoa vinda da Bah.a. precisa faHar r-,
o Sr. Antonio Jose de FreiU*, r>g portara o f -
vor de apparecer a rua d Cruz n 6. arrnarea.
Aluga-se a sala e aleova da trrmt d" >-
ceiro andar do sobrado n 70, a rua Duqoc de j-
xias : a tratar na loja.
*
m
*
i
m
m
m
m
I HEDIGO-GIBliRGIGO
* DO
*l Dr. Pedro d'Athayde L. Mosroso
PARTEHO E OPEBADOR
W"u Vlnrondo Ae *!
m
COZINHEIRO
Precisa se de um que seja aceiado e flel, pre-
ferindo se escravo : na rua do liarSo da- Victoria
n. 14, sobrado.
Os abaixo assignados declaram ao respeitavel
publico e especialmente ao zorpo'do commercio
que nesta data dissolveram amigavelmene a so-
ciedade que sob a razao ne Cunha A Mania gy-
rava nesta praca, tieando o socio Antonio Pram
do Cunha, exonerado de toda responsabilidade, e
a cargo do socio Joviniano Mania, todo activo e
passivo da mesma sociedade.
Recife, 30 de abril de 1874.
Antonio Pereira da Cunha.
Joviniano Manta.
Jose da Costa Dias, tendo de segujr breve-
mente para Montevideo, no primeiro paquete e
nao tendo tempo para so despedir pessoalmenle
de todas as pessaas que o honram com a sua
amisade, offerece-lhes alii o seu limitado prestimo.
ou eta qualqner parlo a que o levar o destine

'A- i- *
Advogado.


A. J. da Costa Ribeiro mudon sua re
sidencla para a rna da saudade; mas,
continda a ter escriptorio a rna do lmpe- j.
radorn. 54. ^


le n. 39.
ESPECIALIDADE
Ylolowlinw dc ei
nienlMS.
^nnsnlta. d" 7 i< in tmra da ma
nha. iodo< Das 6 .i? 8 d.i:, 'ite n.-! quar
las e sextasf.irar
Os docntesque mandarera os sens cha
mados por eacriplo at 10 l.oras da na-
nha serao visiladss em aas rasas.
O Dr. Sanneiito Filho mu-
diXu-se para a rua da Aurora n.
61. I.* andar ; entrada pelo oi-
tao.
Al!LtPIJBLIC>
A primeira caJcira la aula puMca para ami
femiiiioo da fregueaia de Suto AnWvo, rVi'-r,-
no 2* andar da rua Jo Ra'ac da ^Iclori.' a 4i.
entradi r*:a rua das F.sns.
BBRj



Dinhein ajnr.is
De i:0OO5 a 2:0505, nu:s ou menos, com hypo-
feeca em casis aqui na cidaJe : te dira qnem da
nas vnas da Imperatriz ii. 38, hja, oa Imperial
aomero ;>'.
^
lienviDiio lugio.
No dia 21 do cor rente fugio o escravo
aeima, tendo os signaes spguintes : idade 25
annos mais ou rr.enos, cdr fula, cabcllos
earapinhos e um pouco crescidos, cabeca
ebata, estatura regular, uu tanto magro, e
tern no rosto bastantes signaes de bexigas
sa do cbap^o da couro, e levju calcas I
caraisa de algodaozinho : roga se a todas afe
autoridades e capitaes decairpo, queirarri
apprehcuder dito escravo, e leval-o & rua da
Madrede Dcus n. 5, l". andar, das'9 a"s 4
boras da tirde, ou d rua da Imperarrrz n.
4, L" andar, qae serno recorapensados.
-.casa u mm
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:000$00fl.
0 abalxo assignado tern ssmpre exposto a Ten
a bilhetes da loteria do Rio, caja extraccao an
snnciara pek>s jornaes.
Precos.
Inteiro 244000
Meio 12^000
Quarto 64000
Manoel Martins Fiuza.
AllOllfiil).
Precisa se de a ma senhora jue esteja habilitada
para ensinar 0 portuguez, fi-ancez; piano, costnras,
berdados, etc., etc., e qne qut>ira ir para nm en-
genho perto de uma das e?tac5es do Recife a S.
Francisco, para ensinar a umas meninas que ja
estao principiada*, paga-se i 000$, e gratilka-se
fradaando : a tratar nas Ciaco Pontasji. 82.
Arrenla-seo engtnho Jussaral-grande, no
lermo dc Serinliaem, 0 quai esta sitnado a legoa
e meia da est.icao da Escada ; e bom moedor com
agua, e de moito boa produecao, tanto de canas
como da mar.dioca : a tratar com 0 proprietary
it mqsTio, m cngcnho California, em Serinliaem
Aluga-se nm preto para todo servico, inclu-
resi eozinha, por t imbem enteader : a tratar na
praca do Coruo Santo n. 17,3* andar.
Nao se prestando 0 pequeno espayo do armazem
d. 10 A, a rna da Madre de Deos, para am abaste-
cido deposito das diver;as marcas de fumo, qae 0
abaixo assignado almejava ter, acha se doraem
diante aberto outro estabelecimento sob a mesma
denorainacao de
Armazem do fumo
A' ma do Amorim n. 41
com todas as propor'coes desejadas, e onde po3e-
rao os senhores fregoezes dirigir se, certos de
one, como ate" aqni, aeharSo sempre a par da mo-
dicidade doa pre$os, a maior sinceridade posaivel;
Entre as differentes marcas de fumo da Bahife
Rio de Janeiro, qae tern sido annnnciadap, aeaba
de chegar uma encomniemfa especial, e quemuitd
deve convir aos senhores fregueies Consciente o
aba xo assignado' de queneste genero de negocio
nao esta sem eompetidorf3, fara moito por etitaf
qne tambem os tenha com relacio ao pequeno lu-
cro que procurara obter da dita mercadorfa.
Jose Domingae- do Gannon Sirra.
m BACIIAREL MIGUEL AMORI&r 2
Advogado
Wf IJua do Imperador n, 71.
Empreza do gaz
A empreza do gaz tern a bOnra de annuneiar ao
publico que reeebeu nlthnaraenle um esplendtdb
sortimento de lustres de vidre, candieir-os, aran'
delas e globos, cajas amostras estao no escriptorio
a rua do Imperador n. 31, e" serio vendidos aos
sens fregaezes pelo preco mate razoaveT posSlVeK '
Muita atten^ao
Hatehdo sido subtrahida ou extraviada do- po-
der da Sr. [>. Isabel Lucas da Silva, uma letra
e seu aceito, na importancia de 1:2604000 e
saccada pelo Sr. Manoel Scares Pinheiro, e isto
quando diti let'.ra ja bavia sido resgatada pela
aceitante, deciara-se pelo presente meio que mais
renhnm alor icm scmelhairte titulo, visto ja ha-
rer sido remida a obrigacac por ella representa-
da, e qne por consepuinte de nenhum proveito
sera para aqaeHa pessoa, em cuja mflo porven-
tnra ella se ache, protestando se procedr cnmi-
aalment! contra quern qurr qne tenha sido 0 sub-
tracter, ou qne de ma fe preieoda utilisar-se da
mendnnn.is f. ttra.
Recife, ?I de abril de 1871.
Aos paisde familia
A abaixo asalgnada fax lembrar aos chefes de
tai.lo daqui corro de fora, que contimia
:;i! de instrue.S) priinaria para 0 sexo
i. ;,.< casa de sua residencia a rua do Ca-
' : oude alem dos primeiros conhecimen-
his r-n iioi il n^a. puis para i-so tem habeis mes-
' q inh) a traballio de agulha, ensina tolas
!.i :<-9 do bordaoVfe, e tnire esse 0 de oord
; leTO, e tiahaihus de la e crochet de
iu;ili>!ades, pronietle todo 0 disvello e ca-
ii 1 com soaa alumna?, e hem assiin todo 0
ii-'iih-i n > cumprin-entu do m-u magisterio.
iiernas einternas, e afianca commodidade
.-' >
Fortuaata Fortes
Vicente fugio.
Na noite de 13 para 14 de marcV dd corrente
innofngio 0 mulato Vicente, escravB, de 20'kfthos
ie idade, bonita figura, barba e estatura regular,
evando vestida e em um sac;o roupa de algodSd
branco e algnma mais (ina pr-rtencente a um cai- ^
xeiro da caa d'onde fugio ; 6 natural da fregue-
zia dc Sant'Anna do Mattos, diz ser livre, casado,
e ter sido criado em companhia da madrinha D.
Anna Luiza da Lnz; de quem alias foi escravo :
roga-se, portanto, aos senhores capitals de caropd
e autoridades pohciaes a apprehensao do dito es-
cravo, e entrega-lo na cidade do Recife, rua dd
Crespo n. 10, ao Sr. Joaquim Moreira Reis, oana
cidade do Assii ao Sr. Torquato Augusto de tti-
veiraBaptista, que serao gtnerosarnenfe gratifi
cades.
II\HBBIR0
iCAO 1)0
RUA DO BRUM
1.
'IB
$2
(Passando o chafariz)
PEDCM AOS senbores je sngfDbo e ontros agrknlioreg, e empregsd.jrej diic
ainismc 0 favor de oms visita a seu ejt?bdecimeniu, pr verero 0 lovo sortimentt
otncilel qne'ati torn; iead'^ lad.i snpirior em qoal'^adf 1 'ortidS'o; 0 qiw com a inf
.^'.cio pew pod ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LtCAR OF SfJA FUNDICAO
ircomstaacias dus sennorei pr prietai
Hoenda^ &fr canna
qoe aqo>
_-!es para a* diversas
ircpmstancias dos senhorei pr prietariw-el p.ra- des.ar.^ir slpod3o.
d lodes os leuunuos, asjmelijOirof--
exisiejoa. -
&o4aa^'d6nteda' p3r3 8ni,:'c?-,?l *" ***
Taix^* ie. ferro fundid^ batido q de cobrd,
[IHmWques a fundolde alambiijties.
B1.
l'odndD todos
ser maf'iitss mao
por agtw,,. vapor,
0e^>tleot,trVrtrB8^..... \ o toiajaesw:-
Todaa as" "m&chinas *pBC** **' ^ '" m******'-
FOiZ qMtqtt^^OOneert^ de *******'"**"*<*. mar resamWo.
ForiliaS d faiTTv' ,iem 3i t0c*ore' e m'" tirjiasexisteuies do roer-
caQw""
Incomte-se de maodar vir-qiajquer matb>ni*tBo a von;
' latt#''rfo-c!ieuie8, lembrjado-lhes a vaoiagem da faiererri
qji compras por interaedio .'de'peis'da eoleodida, e qce em qwlqoflr-flecfssldade' p6d<
!*ei preewr auxilw)-.
e luslrnmeator agiiC6iat.
Kncomm-aadaB.
RBA DB BRUM E 52
mamis
AVISO
Precisa se comprar dons escravos, peJreiro e
carapina, paga te bem : a tratar na tbesouraria
das loienas, a rua Prirheiro de Marco n. 6.
Trastes.
G
ran
escala
oCompra se e vende-se trastes oovos
e usados no armazem da rua o Im-
O^ perador n. 48.

Compra-se uma caaa ale a quanlia de900* :
a tratar, na rua do Rrum n. 37.'

Compra-sc um Vadethecurn H-.-^m^opa tha,
do Dr. Sabino, jd servilo : a tratar no 1
andar desta tvpographia.
um par de fr&nhas graridey'de ftbjrHrtnO' e nm
ontrj pequeno, que seja lino b9m feito. em ea-
guiSo : na rua da Visconde de Albuquerque n. 39.
VrNDAS
Gu-tave, cabelleireiro, a rua do Marqaez de
Olinda n. 51, pnmeiro andar, precisa de um habil
official debarbeiro; paga se bem.
v ;i:-.fi'SM-ra publiea d. Maria i andida de
hi, coihpetentemente habilitada pela di-
rm jivral da iDStrnecao publiea .ij licoes de
fi.iu :< ;.>. nas terras e sextas-feiras de todas
\n, (':< ''. :i- "' fini-.i- da tarde, n ;i casa de sua
- >':.:, a rua estreita dc Rosario n. 24. 1
r.
o abaixo a-signado tenlo de seguir para o
J oeiro, e nao podeodo em razao de seu3 in-
modos d" sa'de despedir-se pessoalmonte de
I das as pessoai de sua amisade, o faz pelo pre-
. offercce Ihes o seu diminuto prestimo na-
rjUella corte. Recife, a de maio de 1874.
Dr. A I de sleraes Silva
Nobrado da ma do llarquez do
OtinJa u. .
As pessoas que teem procurado arrendar o
prcdio acima. tnde foi estabeleciu;eiito de loMga
do finado Manoel Autunes Vieira.qneiram apres n-
tar suas propostas em cartas fechadas, no dia 9 de
maio proximo, ao mei i dia, no armazem da rua
do coinrr.ercio n 8, onde ser3o abeitis ditas pro-
postas em presenga de tod y os interessados. 0
arrendameuto e-de todo o predio (armazem, dous-
andares e sotao) ; os senhores pretendent- s, po-
re m, p'ldiin fazer lainbem propostas de part<', 56
melhur Ihes convier. indicando os seus fiadores.
Recife, SO de abril de 1874.
1
Curso de portuguez no colJ
legio da Conceieao.
0 bacharel Jorge D >niellas RibCiro Pessoa este
incumbido do reforido curso.
Aluga-se por preco razoavel, a loj.i do sobra-
do u.4l da rua do Rangel, a qual tem armacAo a
presta se para qualquer negocio : a tratar no 2."
-andar do mesmo.
Patiaiia.
Precisa-; ede um socio com capital para uma
padaria bem afreguezada, tanto para a matto co-
mo para a terra, ou vende-se e faz se quaiquer
negocio : no pateo do Terco n. 63.
Traspasso de casa.
IVaspassa-se a'e 31 de agosto uma grande-casa
iafao de>Apipncos e com muiios coramo
a tratar no .! andar do, sobrado da tra
--a d:i rua do vigario, n. 1, escriptorio;.
Engonhos em Mamam-
guape.
'eade-se os seguintes :-
Harm,
Preguica,
c S'ati'icio.
A tratar com seus proorii tarios nesta cidade,
t para informajoes com Joaquim Pinto de Mei-
Ktues Filho, na mesma cidarle do Mamamgaape
Tasso' Irmios C.
ConMando aos abaixo assigaado achar-se nes-
".a prpci o Sr. Manoel Fernandas de i^arvalho, ren-
fieirc dos engonhos. Rarra e Preguica, em Ma-
manguape, pro\incia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo o obzcquio de vir entender-se com o?
abaixo assignados^ imnieJiatiniente sobre negocio
;endente aos referid >s engeahoa. Rua d^ Amorim
37, escriptorio.
Tasst> Irmaos & G.
- Aluga se o s[tio do Gnado Dr. Jacintho I'e-
reira do Rego, perto da esla,ro do Montei o, com
excellente casa de vivenda, jardim e estribaria :
a tratar Cum Francisco Ignacio Pinto, na rua do
Rom Jesus n 43, i. andar, entrada pelo becco
da Lingueia n. 9, ou na rua do Imperador n. 13,
segundo andar."
Aluga se uma boa casa com exeellentes com-
modos, a rua do Coronel Suassuna n. 169 : a tra-
tar na mesma rua n. 171.
('oziiilieirc*
Prccisa-se do um caixeire com prat ca de pada-
ria : m rua do Rarao de S. Rorja n. 25 ; prefe-
rjndo-se o de idade de 15 a 18 annos.
Vende-se
cma roeia-agua na rua de vatha de Santa Rita n
'ij, pela quantia de 700*, qua rende 10* mensaes:
a tratar na rna do Sooego n. 32.________
Vende-se c;bola do Rio ilrande,;muito boa,
evada e camirao secco : no armazem n 10, na
rua de Pedro Alfonso.
Venl'-^o, para esta provincia, um preto de
22 annos de idade, crioulo, bonita figura e cozi-
n'ieiro: o qual achar-se-ha a vi-ta, as 11 horas do
dia li do e irrente, no primeiro andar do scbrado
u. 36, a rua da Madre de Deas.
cento
. Hi.
Sebolas a 1,3000
no armaz;m da rua da Madre de .Deos
Ejiihijiliiii
Quen preci$3r alngar uma cozinheira. e tnten-
dida em todo servico domestico e de rua, dirija-se
a rua do Hospicio n. 61, 2 andar.
Precisa-sedj uma escrava para cozinhar e
comprar : a tratar na rua i rimeiro de Marco n.
23^________________________________________
Piecisa-se de uma ama que saiba cozinhar
e engommar: a tratar na praca do Corpo Santo
n. 17, 3 andar.
Aluga se uma escrava para todo servico de
casa : na rua do Imperador p. SO, 3* andar.
Precisa-se de uma ama para eoziuhar para
uma familia, composta de duas pessoas: a tratar
no pateo dw Paraizo n. 28, 2f andar.
Ailia Hp lei'te
Precisa-Se de uma ama de leite sem filho : na
rua do Cotovello n. 129._____________*_________
a -km a Precisa se de uma ama
/% /A para andar com uma crianca
^~-.+.lM.j:^L. e para o mais servico domes-
tico de poquona familia : trata se no Passeio n.
60, ou oa rua da Uniao n. 67.
Precisa-se de uma amaqnecozi-
nhe, compre e engoipme para casa
de duts pessoas : na rua do Vigario
n. 3(, segundo andar, casa da esquina.
110
rua do Baran do Triumpha (rua do Drum) ns; 100 a IM
GABDOSO & IfiMiO
AVISAM aos senhores de engehhos e outr.s agriculDres e ao publico em geral que
contihuam a receber de Inglaterra, Franca e America, todas as ferragens e mactiina s ne-
cesssrias aos estabelecimentos agricolas, as mais mode, nas e melhor obra qae tem vindo
so mercado
\^ apOreS de forca de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores que tem vindo ao meraio
UaldeiraS (|e sobresalente para vapores
MoendaS intfelfas e mcias moendas, obra como nunca aqai v-io.
LaiXaS jllllidlaaS % batidas, dos melhores fabricantes.
KodaS d agua COm cubajede ferro, fortes e bem acabadas .
CVOdaS deiltadaS de todos os tamaiihos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores
DOmbaS .leferro, de repucho.
jiraQOS ,jB diversas qualidades.
Pormas para assucar,grandes e ^muas.
Varandas de ferro fundido, francezas de diversos i mo gostes.
cOgOeS rranceZCS p-.Pa ie,,|,a e carvSo, obra superior.
DitOS ditOS p3ra gaz.
Jarros de ferro fun
res ue ieiTo para mesa e
Macnina para gc]ar ,j,Ui,
ValVUlaS parai bT)mba^e boMrfeiro. '
Correias inglezas p3ra macWnismo.'
DanCOS e SOmS com tuas-de madeira, para jardim.
OoncerfoS (;0llC4rtflJn c,,m promptidao quaiquer obra ou machm*, para o que Hsvat
sua fabnea bem montada, com grande e bom pessoal..
EnCOmniGUdas maildam vir Por encommenda da Kuropa, quabquer machinismo,
para o qufise correspondem com uma respeltavel casa de Londres
scom uiu dos melhores engenbeiros de Inglaterra ; iicumbfcm-se de mandar asseiHar
Iitasmachinas, e, se responsabilisam pelo bom trabalho dis mesmas.
Rua doBarao do Triumpho (rua do Brurri) ns. 100 a 104
F D.lilMCA-0 H:j.aHHOSO d I R M A O.
para jardim.
banco.
Liquidaoao de-moveis
Por preCo rnui redazi4a<> diversas aiobllw e
caaeiras de /uarnicao : vendem Cunha & Mania,
a rua do Marquez de Olinda P. 23.
Para principiante
Algnma pessoa que qneira comprar uma laver-
na em um dos melhores lugares do bairro do Re
cife, e bem afreguezada, annuncie para ?er procu-
rada.
L
J
A
Jose Viriato Figueira ie Saboia espera no va-
por Pirapama, proximo a chegaf do norte, 2,7P(
nieio- de sola de superior qualidade, com destino
ao portodoRio de Janeiro ; porem achando se de
presente nesta cidade, oflerece aos compradores, a
quem venders pof prefoa commod-os: a euleider-
se na rua da Imperainz b. 4, on Marquez de Olln-
da n. 20. ___________
Venoe seomaeanoa propna para capira : a
tratar na taverna defronte da matriz do Barro.
Premiados
DDARTE k IMAO
EL'r
Vendem se doas de amarello, envernisados, con.
pouco uso. proprios para loja de fazendas, miude-
sas ou ouiro quaiquer negocio : para ver na rua
la Imperatriz, fabriea de cigarros dos Srs. Ulysses
ii Irmao e tratar com Tocas & C, rua Estreita do
Rosario n. 9.
NOVIDADK "
Grande liquida^o de
itua do l.ivi-a:nri>to n SO.
Lazinha's da boditfts padroes de 100 a 240 rs ;
. Ipacas de todas as c xes e boa faznda a 210 e 400
rs. o covado; chilas escuras e claras a 2i0 rs :
baptistas modernas a 280 rs.; precales finas a 320
rs. i matins de todas as cores e de boa qualidade
a 2i0, 280 e 320 rs.; cambraia de cores a 240 rs.
o covado-; chapeos de vellndo e pallia para snho-
ra a \ s veslidns para menino se baptisar a 5* ,'
muscelina de c8r muito boa fazer.da a 280 rs.;
chitas roXi.s a 200 rs.; ditas pretas a 200 rs.; ma-
dapulAo a 45, 3^500, 5^800 e 05 a reca ; dito
franrez a o'J, (is e 65500; algodao a 24500, 45,
41500, 55 e 55500 a peca ; loalhas para rosto a
360 rs. ou 45 a duzia ; di as felpudas finas a 800
rs. c.-ida uma; eortea de casemira a 45-500; ditos
de brim branco c ile'eOrei a 800 rs.. 15 e US0';
ditos de brim de linh > brancos e de cores a 25 ;
algo lao azul a 55 a pe.;a, com 41 e 42 j.irdas I I
damasco de la com duas largutt* a 15 o-covado !
lencos de cassa pequenos a 700 rs. a duzia !! du-
zia He lencos de hnho, com uma buuita caixioka
por 255001! cambria branca fina a 35, 45 e
4*500 a peca ; hanibnrgo proprio para loalhas,
leneoes e ceroulas a 360 rs. a vara a'godao azul
e m sclado proprio para escravos a 160 rs. o cc
vado ; e-ileftS de casemira preta c de cor a 25500 r
ditos de brim de cur a 25; lencis brancos a
15600 a duzia ; meias finas para senhora a 45 ;
e ontros muiios artigos a vontade dc comprador.
Chegncui antes quo se aenkn.
S6 o n. 20
k' m do Crespo, loja das o Mrlas
DE
<-rn IIIRMF c.
Junto h loja da miiig
METtNS CHHHSBI;
Proprios para vestida, os mais moleri, pel..
diminuto preco de 288 rs. o corado, e pwlwMfct ?
Uao-se amoatrag.
ORGASDTS DE COHES.
Fazenda fina e com bonitos padroes, pelo dinu-
nnto prefo de :r!0 rs. r> covado, 6 pecchincha !
CWMS CO* l*A!(>M DREtOHC
Fasend* -fMnsiav boo* M *>*, ptla ii
minuto prmn'te 3jK) rs. ocavad,, ui it *>.
i nechinckv! Wo-se amc*rra-:
LA? RSfTvCttAS
Gompleto sortimento de las escoceta?, > fara
acabar se vende a 240 rs. o covado : I peehiicna!
Uw-se uirtw.
AfeA IkW.'
Grande sortimouto desta fazenda, cm oa a*i
bonitos padrOes qne" lent vindo e qne" femtl m
pelo diminuto prejn de 200 rs. o eov48;' t pe
ebinehafl bio wnnwi.
CdlTAS CLARAS. I
Com booitos padroes, quo se vende a S60 rs. o
covado ; e pecKacha I Dte-ae aowtlras.
HQLLkbD/L.
Brim IT .Ilau 1 liso, o qae ha de mais In0, pro-
prio para costuttie* de norttens e menitios e ve -
lidos para senhoras, nor tr. fnattu fiw' # Rfeho
puro, e se ven *e peK dimi! prefo de Ma* r
o covado; e pec incha I Dao se amotra.
BRINS DE CORES.
Brins de cores, Iraho puro, com bonitos pa-
droes e que se vende pelo diminuto preco de lit
rs. o covado ; 6 peehincha t Uao-se amoatras.
CAMISAS DE CRET05E.
Camlsa de cretone, o qua ha de mail mi* \
com linlrts padtfles fe qn e vende a 405000 a
duzia e 35500 cada uma ; peehincha 1 i6i
vendo
- Assim eomoum tivposMo de mais (azesdas qu
se vendem por menus do que em outra qualqj i
parte, como sejam :
Cortes d" casemira de cores a 45 ; e pect-ia-
cha I
Idem de brim pardo lino a 15800; idem.
Colchas de fustao com ba*ra, muilo grande- a
45 ; idem.
Idem idem braneas; Idem idem, a 35 ; idem
Cobertas de -hita adamasrada fina, idem i
a 35500 ; ideal.
Lenroes ie bramanle, idem idem, a 25 : idem.
Toalhas alcochoadas a 55500 a duzi* idem
Lencos de ca-sa com barra a I50>0 a dozia
idem.
Idem i Jem idem braneas abainhadrs a 250>'O
idem.
Idem em raixinhas muito lindas a 3tZ>*
duzii.
Seroulas ie linho e algndao a 185 a duzia.
Cambraia Victoria fina a 35809 a peca : e
chincha.
Algooao marca T largo a 45500 e 55 a peca-
Madapolao flno a 40800 a p'^a.
Madapolao f.ancez muito tino a 85 a peca.
Brim pardo muito fino a 400 r< o eovadi ; e
peehincha
Cambraia transparente, o que ha de mah< I
a 65 a peja.
Hap'tistfls oe cores modern*? e c>m lind s |a-
drSes a 400 rs. o cuvido e grande p
Nn-ae amostras.
S6 o n. 20
V m do CrespnJ JifaStirfff
K
(.1 II III KNI A C.
Junta a loja da rs|uia^
O rKlabrlerimeal* acIim-h^ afcrrln
ilrtH <; fiorH da annntii'i mn 9
lioran a* noilo
Panno de algodao da Bahia.
Vende de tolas a- qualidades Joio Rodrffne^,'
Paria : na rna do .'.morim n. 33.
Fumos
Da R;.l> .\ d I'.: i vende J k V h roas de v .-
|-a a. rna d' j- m irim n 13
\>nd -e papvis ttM Leatatal pi-a
sorb's : in rua da Croi ti (>.
i\\l
\ Af A Precisa-se de
iHJlil ga n. 2 B.
nma": a rua do Cabu-
AMA
;.ga ja
S,t e-t.'1 I.npiaa Jiia,
r-i #1 prrji r-a ,
n o antei do dia.
_________________________Jazigo. _______
E| Beseja-se fallar com o Sr. A. F. B. na rua do
Marquez de Oifula n 51, 1 anhtpi, a negocio de
u p.. 'ir interesse, no prazo de tres dias, fio-
do-os q.nes, veri seu nome por extenso. Recife,
1874.
aadar,
X
Na rua dj R.idi n. (7, 2 aada'r, ba dou-
aoieqnes com ^ratica de hotel para se alogar. -
Pelo-so w Illfh.'SrrJoic de Barros
Albii|ii rqui- Lins, alamno da faculda-
de djdiralo, qaeresilib, m o anfto pas-
oi|i. d?j rua do Galdeireiro n. 12, o favor
no sppareoer na roa do H legocio que lhediz respeito.
Precisa-se de uma ama para cozinhar e en-
gommar: a tratar na rua Direita n. 26.
Precisa se de uma ama para coznlur.em
casa de homem solteiro : na rua dc Pedro Aff n-
so n. 22_________-__________f
Precisa-se de um4 ama, forra ou escrava,
que saiba engommar: na rna Nova n. 7.
Precisa-se de nm* ama lT-
vre ou escrava, boa coitihei-
ta : na fabriea a- vapor de
cigarros, a rna Targa do Rosario n. 21.
Precisa-se de uma ama que saiba
. cozinhar, para casa de pouca familia :
fl- LTJ. -l na rua do Visconde delt aparica n. 51
(outr'ora do Apollo) 1 andar *
A's autoridades da provincia;
I'revinese as autoridades que para o cenlro
desta provincia andam alguns vendedores de ouro
falso, subtrahinio o imposto proviucial, ,e enga-
nando a populacao daquelle centro; cuios trafi
cantes sao brasileiros, e teem a sagaeidaie de nao
venderem em lug res de villa, e sim em lugares
mais remotos : caidado com esa sucia de saltea-
dores.
na exposieao de
JREiBOS
1872
I'. IA
OA
IMPEKATRl/
K. 82-
I.* ANDAR.
RUA
DA
IMPERATttt*
N. 82
I.8 ANDAR.
Aca'Mrn de refiirmar' o seu estabelecimento, collotaado-u nas melburcs coti-
lic^des possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e is Exmas. Sras. n'a-
.quillo que for tendente & arte de cabelleireiro.
Fazetrwae cabelleiras tanto para homensoo.no para senhoras, tupete, chia^fon,
ooqties modernrssimos, tran^as, cachepeign, tecidps; desenbos em cabellos, quadros tu-
mulares, (lores, bouquets e todo e quaiquer trabalbo'imagiiwvel ern cabelto.
0 estabelecimento acha-se provido do qUe^ha. de melhor nos mercarTW9 estran-
ge iros1, recebe directamente por todos os vapores da Eu*6f)a, as suas encomniendes e figu-
rinos de modns, e por isso pode vender 20% menos qae outro quaiquer, gararttindo
perfeicao no' trabalho, agrado, sineeridade e precd raittnYel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimotito oonno fora-: vende-se cabells6 em
porcSo e a retalho e todos os utetwilios pertencentoil% arte'de cabelleirWrn.
Chapfus para sniihora.
A loja do Passo a rua I'rimeiro de Marco n.
7 A. reeebeu pelo ultimo paquete, um rico sorti-
mento de chapeos para senhora, ultima moda e
vende per preco commodu.
Terrenos baratos.
Vende-se dons terrenos na estrada de Joio de
Barros, logo adiante da capella de N-i&sa Senh.ra
da Cnncei>;3o, onde passa o caminho de ferro de
Olinda e Beberibe e am eslacao na frenle das
mesmas,cuja e" logo a outra passando a da capel-
la ; um tem 45 palmos de frente ao norte da
e ;rada e 40 palmos no ftindo para a rua de S
Juaquim, tendo 420 palmos de comprimento de
rua- a rua, dividindo pelo lado do poeute com o
Sr. Leoncio c pelo sol com o Sr. Gurjao, e o ou-
tro tem 185 palmos is frente para a rua de S.
Joaquim e com a mesna largura no funlo qu
faz frente para a rua projeotada que fi:a ao sul,
tendo de comprimento 600 palmos de rua a rua,
dividindo pelo poente com diversos e pelo nascen-
te cum o Sr. MangericAo : a tratar na rua Primei-
ro de Marco, antiga do Crespo, junto ao arco de
Santo Antonio, loja do Passo.
! primoirn qua I Ida#>.
Nu arouwn de J I) lining .s do'^trino e Silva.
rua do Amorim n. 41, vende-se em i
retalho o melh .r Lerozene, da bem .irradfeh:-.
marca de Henry Forstrr AC.,garantind -sea ju>
lidade e quantidade rerta do linnido. 5o mt-tn
armazem tern para vender n. cl.ix.~i: cmi
ncirase muito asseiad-is. para casa* de familia, a
15300 eaiaum.
Vende-se
p6s de sapolas de todos cs tamanhos, de < paana
qualidade. o leanpfi e preori > pa a plaata-kw : a<
rua d>> Hospicio n. 75.
Vende-se nm piano de me=a, pc-fenu, pz^fjri
para prineipi nte, eiu muito bjui e>u
p r i r
Vende-se um terreno com caixao edilicado,
tendo 258 1/2 palmos de fundo e S2 de frente, no
lugar Camiuho Novo n. 76, tem alguns arvore-
dos: a pessoa que quizer compra-lo dirija-se a
rua do Mondego n. 5-5 que achara o vendedor
0 abaixo assigaado declara ao publico e
com -especialidade ao corpo do commercio que
nesta data comprou livre e desembaracado, aos
Srs. Borges taverna, sito na'Capunga. 4 rua das .Pe.rpan-.bu-
canas n. 38 ; se a'^nbm se julgar com direito ^o
mesmo apcesente-se no prazo de tres dia', findos
es quaes nao se atlehdera' a reclama^'ao ilgilmi,
a contbr desta data':
Recife, 9 de maio de 1874.
Sera lira Boueon.
i_Jiwfc-
-__
-----------_i_
-------
% Rua do Imnerador 49
o sobrado de dpni anqarW e. so.taor
Visconde de Alnnqa'erqud ri. 18, Com
niodorpara familia e botn quintal ::na
n. 16, se dira quem aluga.
ji.rua do
Ha nes'to estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos uiSis afanrados autores,
como sao : Here, Pleyel, Flap,-etc* Oflerece-Se tambem uma qualidade de pianos supe-
ripres, mandados expregsamente construir parti este clima, o qu3l qs ama'dofes cos
beta's pianos sd enconirafdo nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca. '
Concertam-so e afinnm-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
eoncertadores- de pianos
que ha serrjj/rn o. mais coiirj^to sortimento de materiaes para coiicertar pianos, come
sao : cepos, foimr'^arll *
marfifrt, etc., etc.
Vender (ao linratii como na rua O
qne dc.CaUas n. VO
melda Dtaarle A. C.
Os donos deste estabelecimento, estando resolvi- ff
i i chama^m a aiten^M d11 pnhiico com espa-
Pl*i ilil*rtri 'i ^ Hr.'nr A,-\ ,o*n ciahdMe as do'nM do casa i* pais do familia
11- >nouirar?w, teem res'elviJo vender todas a
rhoi*na" rela cusfo, o que. so se vendo pode
acrajfcar.
Dawibrafe transparente Ana, com 8 1[2 varas,
pelo i i pre;o de 25806.
Crates*, n mais moderno que tem vin io ao mer--
cado; a 360 rs. o covado.
Ctiila irancada, fazenda moito Una com 4 pal-
mos *e largura, a 310 rs. o covado.
Nao 6 barato, madapollo francez por 5*500 e
G5 a pega ?
Cambraia de cores, padroes modernos, a 210 e
260 rs. o covado.
Digam se nao e baralissimo, iazinztas modernas,
ftzenda de gosto e de Ii pura,a 300 rs. o covado?
Lenfos de linho, fazenda doa, em uma linda
caixuha; a 45
! AlfldSozitihd de 35400 e 45 a "peca.
ChpeoJ de sol de aeda tranc,ada com cabo de
marfinvde.bona gostos, que geralmente vendem a
co modic.i: a tratar ria rua de Santa IsaM u..'..
Engenb en Scrinhaeiii,
Vende-se duas partes do
engenho Novo. sito na fie-
guezia de Serinliaem, distan-
te da estacao d > Gramelleira
3 legua?, inoentc e eorrente
que sifreja cerca de 3,00C
paes, com1 optima s tents
movitio a agua e bem obra-
do, por preco commodo. a
Ntioca se vio
^nTarTe"%tratar com Dr. Felix de Fi-
o, estando resoivi- gueirda. a rua das Calcada^
^nMico com espa-
5 do familia para
reiB I *id5' vender todas as piat-
"a i?:
n. 14. oil
guerra.
ik ar*>nai de
bs" m^mos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordasj
165,_wrl55.
SreRns clarr
df8a,; a 260' rs. -o covado.
ms claros, fazenda superior e de lindds pa-
a 320 rs. o covado.
Chitas finas a 210, 260 e-280 rs o covado.
CanrHrns abertas, muito flnas e boattas, a 7*
Baptiiias finas e de gostos
Que* nao vira comprar?
(Camrsas inglozas, pelto de Uqho, que nunea ven-
MeHW-esen'roS-de Ijaftfas a 3'!0 rs. 0 cavada.'
Convidamos a um>"6xperieDcia.
na#4se''amwPtrls, dam se nas casa*.
Calcados haratos.
Botinas de pbanlasia, caad alt-, cob aaMaairaaV
couro de lustre bordadas, para senhora a 55 I-
tai ditas gaspeadas com conro die aaatre da ran-
ma cur da fazenda a 44800 F>ihw. pretas liaa a
gasneada< enfertada* a 35, 3*800 e | E* nan
coaapteto sortiment-> de calcados franeeae*, 1
zes e nscionaes, para homens, soaHofas. m
e meninas, ^ue se vendetio p.^r precis iaieira-
mente resnmido* a rua do Livramento n IX I -
> de M. F. PQcaa & C.
Libra v esterthaas.
Vendem Augusto F. d'oirterrn 1 t :-ma do Caac-
mercio n. it. ,
CHITAS
a 240 rs. o covado.
So na'raa do Qaeimad.) n. I3r d:fronti da praca
da Independcacia.
Sa mi laja aaaw rr Itlaiaii,,
Chitas pretas e de cores com laMMi at c
sendo mUito boa, a 240 rs. 0 ovaaW".
Aproveitem freguetw


ft

l>
i



1

tlTfJI^BlOTr
DF.

fozendasiimas
Rua Primeiro do Huso- n. 7 A
DE
Oordeiro Simoes <& C.
K! esurnrfla'dfcseasase.ne: hoje pode com pri-
raazia offereeer aosiseuS'freiwczesnmi tariadissi-
mo sortimento de faiendas-finas para frande toi-.
leite, e bem a'ssim para usowdinario dp lodas as
-lasses, 6 por'rjree/is'vaBtajoiios, das quaes faz um
pequeno resumo.
Mandarn fazendas aseasas dos pretendentes,
para e-qua tern pessoal nece.isario, e d3o amostras
nediaate penhor.
Cortes de seda do lind'a* bites.
trofdenapJes de todas as-cores.
Oorgttrio branco, lizo, de 'istras, preto, etc.
Setim Macao, preto e.de cores.
Grosdenaples prtto. |
Velludo preto.
Granadine de seda, preta e,de tores.-
Popelinas de lindas padroVs.
Filo de geda, branco e preto.
vicas basquiaas do seda. |
"sacos de merino de ceres, la, etc.
-itanias brasileiras.
Cortes com aambraia branoa convlindos borda-
Rieas capellas e mantas para noivas.
r.iquissimo sorttmento de las com Ifstras de
seda.
Cambratas'tie cores,
i Mias maripoia*, tirtura-, lizas -bordadas.
. Nanzuqucs de Irodos padroes.
P,aptistas,'padri>es deiicados.
I'ercal:*1*" d qaadros, pretos tiraueos, listras,
el&i etc.
Brins de finho de corj pnMM oara vestidos,
com barra e Kstras.
Ricos cortes de vestido de liafto. c eites da
mesnTa cor, ultima mod?
Prtos_de caror-raia de cores.
Fustao de lindas cores.
Saias bordadas para senhoras.
Camisas burdadas para senftoras, de liobo "3 al-
godao.
Sorlimento de luvas da vsrriadeira' fabriea de
touvin, para homeos e sertlimas.
Vestuarios para menials.
Diios para bapt:;.ado.
' Chapeos para ouo.
Yoainns'epniirdanapos *dama*c*dos detinhode
tor, para mesa.
".>iclra> de la.
Cortinados bordados.
I'.rande'sortimento de caniisas 'de linho, lizas e
bordadas, para homens.
Meias de'cores |ra hemens, reeninos e meni-
-a
oitas eacocezas.
j)itfr'i:':o s;i.timept0 dV chapeos de sol para ho-
auias -sefhnoras.
sleriDj' de cores para vestidos.
i'm preto, fancado e >JitD de verao.
o'lihaio de linho e algodao para-toai
itoa'fhado pa; do.
Oamasco de IS.
Brins de linho, branco de -ores e preto.
Setim de lindas cures com listras.
('bales de merino de bores e pretos.
Uitos'de ca-emira.
' Prfos de. seda preta ede cores.
Ditos delouqtiim.
Camisas de chita para horaens.
Ditas de flanella.
Ceroulas de linho. e algodaa.
PatmosdeertclieVpara sola, cadet ras e conso-
<:encos:ialH Tolchas do "crochet.
Tarlatana de toJas as cores.
Ricos cortes de vestidos d-i tarlatana bordados
para cortes.
ESpaThlhos' lisosv bordados.
Foulard de seda, liddas cores.
Meias de seda para'senhoras e meninas.
Rica9 fachas de seda e 15 para senhoras,
iJi'-b sortimento de' leques de niadreperolas e
*so.
Damasco de seda.
'iawmira preta edecflres.
Chitas, rnadapolao' parmo fino preto e azul, col-
'arinhos, punhos delmho e algodao, gra*atas, In-
vas de fio de Escossia, *apetes delodns os tama-
ii+tos, b.ilsas de viagem, peitoa bordados para ho-
mens. tennis delinho branco e de'Cores,-tealhas,
gi:a:;tanalios. etc.. etc.
MSNDA8
t
! .:
PUA.V:.!7.AS A 2^000,
3^000 K'3r5UU.
J50U
ESpartilhos u 3S500,
SiOOO.
4roo
PARA L1QUIDAR
Orataadina preta a
covmlo.
O Pav'SrJ vendo graoadina preta o lavrada [
' pelo barato prc^o de 500 rs o co'vado. Q Pflva ven ,e u,n bomttf -soHimenio .it
UndanoMo enrestado a :l?00O camisas fraticeias com peito de alg*,dao, t
a neca 2?ti0 e *f 500. Ditas com p ito dw Y de 3J9000 a 6000. Ditas bordadas muiU
OfavSo vendo per^as dc rrtadapolai en- liuas. de 6JJ0t0 a 10J)iOOO: assim'' corn<
festado, pdft barato precodo 3ff000a per^a. 'grande sorti^ientp deceroulas delinho e d
Ditss sem ser enfestado, cam 20 jaMas, a algo:18o, por precos baratos, e tambera tern
5JW00. Ditas com 24 jardts muito boa coinpkto sortimentode punhos ecollarinbos
fazenda, a 60OO, 6JS500 e 75J000. [tanto de linho como'de algodao, por precos
ALPACAS PRETAS A 500, 6i0 E 800 RS. !em conta.
0 PavSo tern arfli gratide sortimento de
alpacas pretas, que veodea 500, 640 e 800
rs. o covado, assim como grande sorti-
mento de canWes, bombazinas, princezss O l'avao vende um bonito sorttmento dt
pretas, 'merinos, e outras muius fazendas' espBrtilhos modernos a 3rSOi>, 4^(000 t
Iproprias para luto. 5J000, assim como um bonito sort menu
irdinhas a l$tfOO. de saias braiwas, bnrdadas, a 53000 eG^OOO.
OPavSovende sedas com listrinhas de Ie cores a t$600 o covado. Ditas oom pal-
minhas a 29000. Ditas com toque de tnofo
8 19000 e IJlOO.
CA^IBRAIA VICTORIA A 4$QOO, 4500,
O'COOO E 79000.
0 Pavao vende um grande sortimento de
cambraia V.ictoria e traosparerate com
8 1/2 va-ras-cada pe^a, pelos baratos pretos
de 49000, 49i0', 59000, 63000e 7C000,
a pefa, assim como, ditas de salpico bran-
co, a 75000, e pechincb.
NOVAS LAZLNHAS A 560 RS.
0 Pa-vile recebeu peln ltimo vapor un
elegante s ttik mento das mats lindes laiznhas
| para vestidos, sendo transparentes com as
j mais delicadas cores, e moderiussiroos par
droes, que vende pelo,barato prego de 560
rs. o covado, & rua da fmperatriz a 60.
UQL'IDACAO DEROUfA PARA HO.MENS.
0 PavSo vende um grande -sortimento de
roupas para liomens, sendo pa4itots saccos,
j ditos tfrats, tanto de casern ira ipreta e de co'-
res, como de pauno ; assim como um avul-
1 tado sortimento daxal^as do ca;emira preta,
' de cor, d brim de "cor e branco, e um
j grande s.irtimento de ebrletes de todas as
qualidaoVs.
Tehdo tamTiem u"m" bom sortimento de
camisas ingleras e francezas -, assim como
{ de ceroaJas de linho'e de algodao, e vende
j todas as roupas a ima mencionadas pelo ba-
i ra'tissimo prer^o, por querer'iiquidar, na loja
A -N'ovB'Esparanta, cna.iDijqiie.dfl-Ca\ia8 a.3,
ipressa-se em'convidar.a seua,fregu pec'iallflttde aorbe116ae'xtf' a virem apn-ciar os se
g*mres'hrtfgore^pMtds a-vtnda e Iboos p^r.'prft?o'i
Icommbdosi come' fejam :
, FHNAB :itOJiECA|5> mansa? e-chori-nas.
B0N1TAS E E^GffACADAS villas para teno^
^^eMMO&AS'LATAS para guardar cha.
'EUEOANTBSH30I.SAS para$enhoras e meaiuai
BONITOS YiASOS com ; flna banha e jCbejrosq
eilractos, tr/Tzcndo cada frasoo am none, uma in
cialou 'um'dlslico.
TTNASSEfAS Dfi SEDA,-vindo fniredlas coi
de came.
'Para quein guslar.
A' Nova Esperanfa a roa Duqne de Caxiaa 4
63,'acaba de receber teotds e caixas para o iogo di
Voltarette. T
.toqiuMiSitTi'cdas |.i-rnas.!
A Nova Esperafif a, a rua Duqoe i!e Caxias
63, acaba de receber as procuradas meias de bo
racha para quern sofTre das pernas. i
FLORES ARTI^ICIAES
A Nova Esperanca, a rna Duque de Caxias |
63, acaba de, receber um Undo e complete sorti
mento de flores artificiaes das mtlhores que ten
vindo a'o'mercado
A ellaS antes (jne se acabem.
Costumes yjara crianca.
A Nova Esperanca, a rua, Diiqne 63, acaba de receber bonitos costumis para criaag*
e esti se vemdendo por1 precos razoaveis.
Magnolia
Vend
e-se
Na loja da Magnolia, a rua Duque de Caxias a.
i5, enconlrara. sempre o respeitavel publico um
complete sortimento de perfumarias Unas, objectos Cknento Portland,
depnantasia, luvas de Jsuvin, artlgos de moda e I Viohos engarra(ad $
uriiudeeas Qnaf, assim romo modieidade nos pre- Madeira.
508 Anneis electricos 5^...
A Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 48, aca C Idtom : na rua do Vigario n. W, t* adar
ba de receber.os virdadeiros anneis e voltas elec-1 p .
tricas, pioprios. para os aerypsoa. xara I101V8S,
Af^ios fldftrftPOR Amaral Nabaco & C. ve.ndem lenae-s ligis, I-
B V' ls nissimas abertnras de esguiio de l.r.ho pur* ca-
Duque de Uxias n. 4.5, re- mjMJj fronhas, de labyrintho e bcrdalat, capeH
A Maguolia, a rua
cetieti um-complete sortimento de
Meios aderecos de tartaruga.
Meios aderecos de inadreperola.
Mi-ios aderecos de seda bordados, (ultima moda)
e de muitas outras qualidades.
Botoes de ago
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, lem
para vender os modernos bct5es de aco, proprios
para vestid< s.
Golinhas e punhos
da* mais modernas que ha no mercado ; a ellas :
na'Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Leneos chinezes
A Magnolia, a rua Dnqne de Caxias n. 45, re-
hru uma pequena quantidade de leneos de seda
chincha.
CORTINAOOS BORDADOS PARA CAMA fc
JANELLAS, DE 79 ATE' 253000 OPAR
0 Pavao vende urn grande soHiitfento dt
cortinados bordados, proprios para cam a t
janelUs, pelo barato precjo de 79000,'8500(),
10)5000 ate" 253000, assim como : colxai
("e dwoasco de la myito1 fina do 109000
l?9r00 cada uma.
BRAHANTES A 4fe*00, 23000 E 23504*
0 Pavao vende fcrnmantes para fe^edfs.
tendo 10 palmas delargura, sendo o algodao a 13800 e 22000 a vftra, e de lin*).
a 43*00, 23800-e 33000 a vara: e pechin
cba.
CA-SEM1RAS A 49000? 69000 E 73000
0 Pavao Yeh.de cortes de-casemiras par*
calgas, sendo psdrOes modernos, pelo bara
to preco de 5jje00, 63000 73000 o oertt,
essim como : pennos pretes dos mefchore*
que tern vindo .ao rhercade, de 43000; 3*
103000.
ESJIERALDliNA A 800 RS.
0 Pavao reotbeu um bonito 'sortmento
das mais ( bgeKtes esmeraldinas com -listras
de seda, sonde em cores e padroes as mais
novas que teta vin-tln a<> wfercado, pwpnas
para vestidos,
A N.iva Esperanca, a rua Duque de Caxias u.
63, recebfu urn pequeno sorlimento de:anneis t
pulseiras electricas, propriaspara qaem scffre do?
nervos.
GRANADI^AS
Oanadinasdcseda pura, preta com iistras
vindo ao mcreado e que se veade pelo~di-
ininuto prcco do 500 rs. o 'covado, por ter
am pequeno toque de mofo, > fizenda de
23010 o covado;* pechiceba. D*o se
arrrostras'.
Brim liranco
-' Rcim brf nco muito fin >, fazenda de
23500 a vara, que se vnvJe p.ir 13400 rf
on, porestarcom um pequei!<>'defeito ; e'
pechincha.
Meltas franctws
Metias francezes, fazenda icoito fina, pa-
droes modernos, fazenda que ja se vendeu
por 500 rs, a 3C0rs. o covadn.-, 'e peebjn'
cba. Dao se amostras.
-Gretonesd^listr: s
'Cretonnesde'ltetrasifazertda jk: ichoada, pa-
drodsmuita bndos'a' 400'rs.o ntvadOVdao-
se/'afhostras.
"MadapoloeH
MavIapoltiPS' <-m om>peo(ii toque
p*ca ; e
chinezes, com liadissiraos desenhos,
ramente nova.
Leques
Lindos leques de madreperola, de tarlaruga, de
martlro. de osso, e de muitas outras qualidafles:
reccben i Magnolia, a rua Duque de Caxias nu-
nrro 43.
AtteiiQao.
A loja da Magnolia, a rua Duque de Caxias n.
"i5, acaba de rrctber o" seguinfes artigos :
Manual de madreperola, urtaruga e marflm.
Ricos aibon< com capa de madrep^rola, cha-
gren, niadeira, veludo, couro, eic.
Lindas caixas com fini simas perfumarias.
L-ga= dp >cda,br.iccas e de cores.
Voltas de madrerrerola.
Pu'seiras de madreperola.
Iticas caixas para co.-tura.
V'(.-suiarios para baplisado.
Tuiicas e sapatinhos de setim.
Mbdernos chapeos de sol de seda para senhoras.
Lirfdos port bouquets.
Gravatinhas Grandcs pechinchas!
,. SO' NA
de larangeira, eoleba de seda e de crochet, eorti-
nados para cama e leoc,' s b rdados, tado prbpri*
para casamenlos
Mez marianno.
Amaral Nabnco k C. vendvra pastdhas f-r.prias
para incensar santuario e ladaint.a do met na-
riano : no baiar Victoria, rua do Barao da V. -le-
ria n. 2.
Insignias maconica?.
Amaral Nabnco & <". vindem iociznas mac *i-
cas de diffi-reriie;' graos : no bazar Victoria, r.a
do IfjrSn da Victoria n. 1.
Vende se 6",0 venaria batida. desereis mil de ladnlhos jna-
drados, e 13.0(0 lijolos dc tapamento ; a--;3
uar-
fazenda intei- i como' Jarras de loda3 ** Qualidades, poles, qt
tinhas e vtsM
ra acabar : na
na rua dos Prazeres n. 50.
para (Ions, tudo muito barau ps-
i olaria de rn- Carneiro da CJika,
I
m
em camisas de linho.
Vende-se candsas inglecas de linb"., mint) fi-
nas, para li< l.-ip, p !' baratissiiiM prcco & :"J
a duzia ; quem dnvidar venlia rr a compiir :
na rna do lu |M ir.etrio Uastos.
' Wil in Howe A C. cendt-ni bu m-u'li'Diue*
rua dw Coimnerei" n. li :
verdadeiro pr.nno de alg<-dai. az;:i arntncai*.
F.xcelleide fio de\l.
Cognac ile 1* qualidade
Viubu Bordeaux.
Carvao de Pedra de totes as ^aaiidadc* ____
| Vende-se, ou trnca-se por MM na ioa-
ou alnga-se um Mlio na Capuoga, rua Ja Vei 'or*
n. 20, com 130 palmos de frente miis 4* 300 de
(undo, com boa caja, eacimba, eocbrtra, pstntir.a .
' etc., todo murado, com poriao d feirj na irenie -
4 tralar na rua i< lha n. 102.____
r^TTTrH i n i TT C\ ~ Venle->e ou aluga-sc o C..ugue d* :.- I.
SULTANA 1)E PARIS.>?dUmhC** O,mo: ** pM"ndtr'
A'
se a mesroa rua n. i.
Rua da Iiii|iM-lriz n. 5 1.
Matibel Ferrcira de Oliveira, dono deste novo
estabelecttnento, scientifica ao respeitavel publico
iiue acaba de.receber um eoraplelo sortimento de
fazendas finas de lodas as qualidades, tanto de la,
como de linho.. seda e algodao, o que ha de mais
moderno e do melhor go-to, e portanto convida as
Exmas. familias,' amigas da economia domestica, {
a virem ou mandarem -a^ULTANA DE PARIS, e
verao que compram fazendas bomtas e haratas por
menos i,re<;o que jamais compraram.
Como spjam :
Popelinas de seda com listras muito modernas a
13800o covado.
CHA'
Verde e preto superior.
Preto a 3io00 o 1/2 kilo.
Verde a 3*500 1/2 ki'o.
Na rua do Marqiii-z de Oiinda u.
MMiga da Cadeia ).
i>
Vendem
Wilson, Rowe & i\
._ ii vendo-peto baratissiinop.ro- Sv!iTlt_ ,iP 3jfioo a 5:000 a
da ma da tmperatnze. bO, de telix l'erei- ko de 800 rs.o covado, & rua da Impftratriz lchinccw
ra da'-Sitva. |4 60.
Acha-se' cOns'ttntemente abertof < ci.-n.-n-o do f A VAO. u 6 tioras da fj^nii*
is% de noite.
de
pe
<:'H
SO' 0 BARATEIRO
NA
A' rua do CabuRU a. 1 A. p -, m
Os pro^netarios da Predilecta, no intnito. dt- Ktla 1- Oe M&rCO P. 1-
conservar o bora conceito que teem merecido do C^ottfrnnte o area pNNfal.
Vende-se um pequeno si io perto da esta-
jao da Salgadinhi>, teni!o pslmos, e de fundos mais de quatroceotos,
com i.ma eleginto casa d-; 'aipa, acabaUa de
proxim i o born asseiada, tendo sal 6, 2
quartos eoziiiba Mra. O terreno e pro-
prio u 4f0m do plantar^Oes, Undo algum;s
arvores do .Tiictov agua de beber e todo cer-
ctdo.
Para vcr e mais explicates, no mesmo s*-
lio a qualquer hora a entoeder-se corn Tri6-
tao Francisco T" rres, e para tratar, na the-
sottraria d s lutorias, rua 1.', de Margo
!^_______________________^___________
S. CARLOS
Vende-se ou arrenda.-se o engeaho S (iarlos, em
Ipoiaca, moente ccorrente, com todas as obras
cm biffeito' estado de' Conservaeao, ^ mcitd bom
d'agua : a tratar Ha'travessa-da'reaikiquede Ca-
xias n. 3. ti'ttndaryeom Gabriel Antonio-'de Castro
Qaintaes.______________________,__^ '
Salsa parrilha.
Nova retoessa. excpiient.* quatidade- vende-se
r.a ma dfVicariori. 16, I" iirirtar.
Vigor do Cabello
DO
Dr. Ayer.
Para a renovacSo do ca-
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci
mento dos mais que negotiant no mesmo generc
Teem seieatificar aos seus boas fpeguezes que pre-
veniram aes seus correspondentes jaas diversaspar-
cas d*Eaw>pa para Ihes enviarem por todos os pa-
iuetes os objectos de luxo e bom gosto, que se-
jam mats bem aceitos pelas sociedades elegantes
daquelles- paizes, visto aproximar se o tempo de
festa, em que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenta a riqucza de suas totllettes ; e co-
mo ja reeebessem pelo paquete fraocez diverse
artigos da ultima moda, veem patentear algnns
d'entre elles que sefornam mais recammendaveis,
esperando da respeitavel puMieo a eosrumada
.oncurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais Iiados qua teem
vindo ao meread.i.
' AlbubS Com ricas capas de madreperola e d
vBHrlo,5end'4iYersos laroanbos c fearatos -pre-
os
Aderecos cotoaletos de borracha prcprios para
Icto, tambem se vendem meios adereeos muito bo-
oitos.
BotSes de sotim preto e de cores pararnato d
vestidos de serJiora ; tambera lem para -coliete
palitot.
Bolsas para senhoras existe um bello sortimen-
deseda.'de palha,def Criagriro. etc., etc.,' por
aarato pre^o.
Bonecas de todoe os tamanhos; tanto de'Jooc*
c-.co de cera, de borracha e de massa ; efaama-
mos a attencio das"Exmas. Sras. para este artigo,
pois as \'ezes totnam-se as crian^as um pouco im-
pertmentes por Mta de um dbiecto que as en-
(retenbam.
'-!aruisas de linho iisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
'leroulae de linho e de algodao, de cfiversds1pre:
cos.
' Galxinhas com musica, o rrae ha de mais lindo.
com disticos nas tampas e proprios para presen-
!6
bello, restrtuieSo de sua cor -Wenhos.
e vltalldade primltiva e nat-
ural*
O Vigor do Cabellc e* uma preparacio ao
mesmo tempo- agradavel, saudavel e ezBcaz park
conservar o cabello. Por meio do seu uso o
cabello ruco, grisalho, e edfraquecido, dentro de
pouco tempo revolve a cor que lhe e natural e
primitiva, c adquire o brilho e a fresc'ura do
c"4belIo: da juvfefftude; o cabello raid se torna
dense e a carvici mtiitai vezes, posfo que nao
cm todca os'Oasos e netitralteada.
Nao hav nadai qme'jxKle peformar o cabello
depot* dos folliculos tstiirem destruidos, e as
gkndes caneadas e-idas, mais se ainda1 reetarem
idgiwns podem eer nalvf^las e utiliaadas pela
applicatao do Vigor. Libre de essas subeta|iciao
deleterias que tornam mnitas pseparaooes de este
fenero tam nocivas e destructdvas ao cabello, 0
igor s6mente lhe e berieficial. Urn vez de
suj.ar o cabello e o fazer pegajoso, o conserVa
limpo e forte, embellizando o, ittpedindo a' queda
e 6 tornar-se rttco, e' per conseqUlnte,,:pWtine a
calvicie.
Para uso da toilette nSo ha nada mais a deae-
jar; nSo contendo oleo :aem tintura, n5o pode
manchar mesmo o mais nlvo lenfo de cambraia;
perdura no cabello, lhe da um lustre luxurioso,
c um perfume muito agradavel.
Para reformar a cor da barba, e necessario
mais tempo de que com c cabello, porem se pode
appressar o effeito, envoh'endo a barba de noita
com um lenco molhado no Vigor.
PBEPA3A1K) FOB ^
Dr. J. C. AYfiB & CA., LoweU, Mass,
Estados T.Tnido8,
Chimieoa Jfractleo.i r Analytical.
VBNDB E fOR
Coqnes os mais modernos e de diversos forma I T?imas linho do Port
tos. "dozia-
Chapeospara*enhora. Beceberam um s6rtrment<
da ultima moda, tanto para senborai como para
meninas.
Capellas simples e com veo' para noivas.
Caixas bbrdadag -para meninas.
Eniremeios estatnpados e' bordados, de lrndo*
Sscovas electricas para denies, tem a proprie
Franjas de seda pretas e de core*, 'exi.te um
jrahde'Pdttiffiento de divercas iargnras e barato
ipreco.
Fitas de sa'ria. rt ?rgprao. de setim e de cba-
alr>i?, de diverts, larguras e tonitas cores.
Fachas de gorgurao murto lindas.
Fi r* aWifictaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre nm bello e grande sortimeato des-
as Cores, nao so para enfeite dos c^bellos, come
tambem para brcato de vestido de noivas.
Ga!6es de algodao, de U e de seda, branebsj pre
tos e de diversas cores.
Gravatai de seda para homem e senhoras.
-I.aco3 ao cambraia e de seda de diversas- cores
para rem.ora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas par?
ttjva.
Li-vroi para onvir-missa, com capas de madie
pSTola, marfiiD, os^o e velludo, tudo qne ba -dt
bom. ..
reujes delariaruga e marfim p'ari alisar os ca-
hel'bs J'teem fambem para tirtr1 ca'spas.
Port bouquet. Um bello sortimento de fliallre-
rierela, marfim, 6sso e dourados por barato pre^o
Perfumarias. Neste artigo esta a.Rreddeeta bem
Erovida, nSo so era extractos, corrig em^oleos1 k
annas dos melhores odores, dos' male 'afamados
fabrifcabtes, LobbiB, Ptver, Sociedade "Hygienic*,
Coudray, Gosnel e Rfmel ;'sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commode
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
' tisados.
I Tapetes. Becebeu a Predilecta um bonito'sorti-
. rre.nto de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
1 mo para entrada de saias.
Vesiimentas para, baptlsado o qne ha de melhor
gosto e os mais mr jer-nc t recebeu a Predilecta
de or ar;to preco, para ficar ao alcance
I ,jualquer bolsa.
i Rua do Cabugan. 1
Eslu Tendeado nikin fazendas - 30 por ceaaio mea que cm u(ra
qnalqner pii i-1
A saber :
Madapolao com toque de mofo. pelo t arato pre-
oo de isi'OO e oi
Oito francez.liuspo e de superior qualidade, por
5*500, 6*OC0 e 6 Algddao marca T,' largo, superior qualidadte, a
4fco(X>, H, 3300 e 6*000.
Grande sorlimento de lazinhae degostos inteira-
mente escosseses, pelos prices de 200, 240, 2C0 e
440 rs. ; so se vendo poder se ha acreditar.
Baptistas, lisas 'e com flores, fazenda qne sem-
pre custou 400 e'800 rs., estamos vendendo pelo
preco de 320 rs., para aeabar.
Ditas finas, padroes matisados, a 400 e 440 rs.
o cova o.
Cretone frarJcer, escuros e claros, 6s mais no-
vos que tem vindo ao mercado, a 480 500 rs. o
covado.
Anroveitem em quanto nao se acabam.chapeos de
sol ae seda trahc,ada (paragom) 12 hasteas, inglezes
sntteriores, pelo insignificante pre^o de 8/ e 9/ ;
sempre vendemos pnr lifOOO.
1 Ditos par*'senhora, de merino, a 3$ e 3500.
Ditos de seda, cabo de osso a 4O0O, e pechin-
cha.
' Ditos de alpaca de cfires, forfadoS'corri'seda,
e 6 cabo fingindo aengala, o mais moderno qua
bay a-USOO a it I -r
f'ortimento de chitas clara.s e escuras, boa fa-
zenda, para acabar, a-240 e 280 rs. o .covado.
' Pcqteliria de linho e algodao, go.-t6s fnteirarriette
nevoa e dd-cores bonitas a 800 rs. o eovadd, sem-
pre custou 1J400.
Camisas de cretone, fraBcezas, modernas e su-
periors a 3* e 3*300.
Ditasbrancas a2je iloOO.
Ditas de linho a 3*D'(0 e 4^000.
rto iltSCO e 8*000
CHtTAS PESGi'LES
Cbiias percale* avarudas a -.''0 rs. 0 oo-;/
vador-e pecb'ihoba.
s'O- o
HP. >' da "rua do Cr.ospo
Loja'das'3 jxutas
' DF.
Junto ctirloja da <|uina
Era sec armazem a rna do Trapkhe r IV
SetiaT'lTacao'de diversas cores a 2*500 o covado. j guinte^
Grosdenaples de todas as c6res.
Fachas de seda para senh ra a 10*000 cada uma, j
e grande pechincha I j
Colletes enfeitados para senhora, muito modernos l
a Sao^O cada um. |
Lasinhas de cores em grande quantidade de 2b0
a 500 rs. e covado.
Petas de cambraia tran3parente de 3*000, 3*600,
4*000,4*500 e 6*000. 8MA DO BAKAU DA N ICTORU8
Dital Victoria para todos os precos. Vedem L;ra & Viaau os fnint Gravatinhas de seda para senhora a I *000. gados .
Chitas de cores de 240 a 320 rs. o covado. i Sapatos de tiansa marca .chavex, fin..?, dnia
\ i
uma casa na villa de Barreiros, na rua do'Cora-
.ercio, por preco modico : a !tratar cord' Tasc
f'tnaos a C
Roado Ibrao da Victwia o. 22.
' A' este gf*hdlj*'e*tnteteelment6 'tem'cbi-
''gao;6 nm'bdm^rtimeW de mchiri8Svatf!
Algodao azul ainericana
Fio de v. la.
Carvao de pedra d,: lodas as faafid id?.
Tudo mnite I arato.
tmm mm
Pecas de madapolao com 20 varas a 4*600, 5*200 16*000.
' e 6*000 a pega.
Drlo fraceetcum 20 jardas a P*600.
GRANDE PECHLNCHA I I I
Chapeos de sol de seda de lodas as cures, para se-
nhora, a 4*0f 0! I
Ditos para homem, de 12 hastes,.cabo de marfim e
Mdatrancada a 12*000, so na SULTANA DE
PARIS! i
Collarinhos de linho, lisos e bordadis a i*0 i
5*000 e 6*0(0 a duzia.
BRIM DE ANGOLA I I
Vende-se brim de Angola verdadeiro, o melhor
3ue tem vindo ao mercado pelo diminulo prego
e 640 rs o covado, s6 na SULTAN V DE PA- j
RIS, a rua da Imperatriz n 54._________]
idim, idem j^ar l*5M.
pret?, para homem, dtuU
Economia do-
mestica
Na rua Primeiro de MtfiCO n. 1.
Confronta ao arco de Santo Antonio, loja de
.Agostinho Ferreira daSilva Leal ^C.
Lanzinhas, gosto escossez, padroes inteiramente o covado ; estamos
novos, pelo diminuto preco de 200, 240 e260ireis grande 'abatimenlo.
Dilos de di'a, den.
Ditos de easioara
18#' 00.
Dilos cie dila, nit in, idem, idem, par 1 >>- \
FoC03 de C'-n > pan menin'S. 2" a 31. ;... 24
4*: 00.
Botinas c-rtfoYap da IVbk. pari h lacn a !0i.
Ditas de beierni i em, .d. m. id- m 10*.
Ditas dc faqutta pan luauuia a -"> 0 j.
Ditas iiiglcza^, iJcui, idem, 'i* 6*.
Ditos gaspiados para senhora 4* e 5*.
Chiquitos inglezes para crianca a 2* e I#T00.
Ao barateiro
Grande liquidaeao de camisas ingleias, f;*i-
cezas e suissa-^. de laaaa as qualidades e gos'.cs ,
a 13*, 174 e t8* a dazi* E' para admirar.
Sortimento ccmpleto de camisa de linh>->. m
pequenos dcfeitn<, par t*o bomb .ii.iliiro |
Faz se miller virem apreciar u grauJe an
a ellas a ellas.
Chapeos de sol de seda para son ana, a '* !
dar-se ha o caso |m- nao acreditem I
Melins francezes, escuros, traaatao,* JV):r-is
acal>*ndo, e.-lam.s faituij
o covado.
Baptistas lisas, finas, e de cores a 320, 400 e
440 reis o covado, isto so se vendo I
Chapeos de sol de sdda, para homens, inglezes
(Caragofl) e com 42 hastes, pelt preco de 8* 6 9*,
fazenda esta que sempre enstou 14*, so para
acabar.
Na rua Primeiro de Marco D. i.
' Loja do barateiro._________
Farinhr de manrfioca
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ultimaraente na Europa, cujas ,macbinas
Ditas felpndas a 7*. 7*500 e.8*000., ?ao gaWntWa^ pdi nnf anno, '^ tendo, nm'
Esguiao com 10 jardas, pelo preco de 4*500 ; S peffelto artista part ensinat as rnesmas: em
baraio com efTeito I j qualquer parte desta cidade,v'cbrrid nem as-
Oc^raia;^clori tran^arente> faz*Bda fina'sirh coric'erta-las 'belS'tempo1 tamriem d'um
*Kr?.L^'t^m8rrWcor, .1-, e'^no W despm&d a^dtn ^compradoj,
brancos a 2*. ., Neste estabeleci mento tambem ha perteilcas
Ditos de linho, ananhados a ^6O0'e'3*800V'paWsk hiesmas rdalcfhinas' e'se'supcire qual-
"nna' .1 .; :.:... .. iauerpeca que'seiA rietessario. Estas ma-
Grande sortimento de brins de oorep, padroes t v l. *^
de esala a 440 e 500 rs.
chinas trabalham "com toda I a perfei^So de
ume dous'fKttpontos;;.'frame e borda toda'
qmaiquer costura por fina'qne seja, seus
proprios para menmos
oovado.
Botinas para1 senfrora, pretas o de core?, per 4*.
fazSm'breco Pf 'ermS EfMde "k^6, se^precossao da -segomte qualidade: para..*ra^
"bramiA linho, duas largurasfclpel(i barato jbriba^a m8o de 30WM)0, 4OJSO00, 455000
pre?o de 1*"2(0 a vara, e somente para acabar. '
Muilos oufros artigos que deixamcs'ljp''rnenci6'-.
e*<>f000v.para traba}har com o pe^sio de1
- 80W0O, i^ooopo, t<*ot000, ,110*000?;
SdenTsSrpresS^^^^^
DJo-se amostras. s 2ftt>(l00, emqoanto aos autores naoMual-;
. So o barateiro quer queimar tera^ao de precis, e(os compredores poderSo
Para'rlval nSo'cnconirar. visitai*este estabeiecimentq, 'one muito de^
,o* Pnmeifo de Ha r con. l/arftlg* do Cres-'
po
De superior qualidade e muito nova, chegada
pelo ultimo cavio : vende se a roa do Drum c. 92,
- -rnazem de a'ssucar.
ar;
azem c
c
So na rua
teiro..
Primei-o da Mar^o n. !,
!*!
Para aboacouservaqao
DE
VOSSO CABELLO
om avana
Elle e" um preventivo seguro
a caivice.
I Elle di e restaura force e sanidade & pe.le da
, 4^0UU e OjpOl/U File de prompto faz Cessar a rius.la f-ema-
' MarlapolSes com toque deavaria, por ranito ba- tura dos cabellas.
rate preco, em vista da qualidade ; assim cotao File d&'grande riquera de lustre aos ca-
ttjias da la avanadas a.4i ouem.pretender, ande Kpllns
iigeiro.a.rua da Imperatriz n. 60, para nao ter de I -, a
se ajrepehder. j Elle doma e faz preservar os cabellos, em
0i^KSQ-5SK>C'O^a5S3 Qjt^C!0 qualquer forma ou posicio quo se dese-
o^^^fnflannlan finn "' Je' num cslado forn:oso- Uso e macio.
MaaapoiaO nno B Elle faz cresce* os oabcllos bastos e cotnpri-
nn rua do Crep n. IO. U e os.
i;
i'i'f iif madkpaino fino e1 D jEjle^ tonserva a pelhs e o casco da|c.,ibeca
V i limno e livre de to*'
largo, com toque, a 4*, 4*500,5* e o*500v
fazenda superior e larga. n i. o
. Atpnra de seda de cores, lavra-
das e muito finas, fazendo modcrnissima
500"rs. o covado.
^iSSSO^XfL^ t gT 2S 80str pel, variedade de^bjectol fM ,
i_i!,ffL--------1-----------:i------- ha-'srarpre para vender, .'coma ^pjam : cao?r- ffliCbjnpba, i
-.'(.Sit ^oi.fctaft t*J^'^1**r**.^J!^J|^^^si6^.j^
'rfiypata-sales, dStasidebaWrjQo, diiaB-pBra
{'t^laftr^a (altas), ditHi'para-esacles, !ctelu*ei-
| raS Ti oJjft.crjanws, d^^pdasasoUjaUdad^Sj^ camas
senhora, vindo eutre eiles^m lindo sortimento de ros para sala,, jarros, .^rMa-ccruida^de
elegantes chiquitos, sapatinhos e botinas para' grame', tampas para cobrir {rafo$, e^tjeiras
criangas, qqe ludo^vende por precos razoaveis. I p,r> forrar m1Mj lavatorios compj^tos, djStos
Ultima moda s'mpks, objectos para toilette, e outros mni-
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-',tos artigos que, muito devemagr^ar a tojos
cebeu nm lindo sortimento de bicts da gnipora. 4U^ visitarem .este,grande estabelecimepto
de cores, apropriados aos vestidos cb'ques dac-.que seacfaa abtrto desde as 6 boras da ma-
tu alidade
nbi ate* as 9 boras da n'oute i
As Ulricas vertladeiras Rua do Barao da Victoria
22.
n.
Richas haraburguezas rrnc vptt a este theread
ru. JIarquez de -juaaa a. 01
m^
CarnMaa die, iinh com toque
U'OO eii cada uma, e pe-
isto so na loja n. 10, a rua do
.CAFE' DE
limpo e livre de toda a especie de caspa.
| Elle previne os cabellos de se tornarem brtjo-
cos.
j I Elle conserva a cabeca a'um estado de frea-
e X cura refrigerante e agradavel.
: tile nao. e" demasiadamente oleoso, gord*.
rente ou pegadico.
Efle n8o rleixa o menor cheiro desagrada^
vel. i
Elle 4 o melhor artigo para os cabellos dn
criancas.
Elle e" o melhor e o mais aprasivel artiga
' 0"'UmC0 verdadeiro V^n-1 para a boa conscrvacao e arranjo do!; ca-
de-se "na confei'taria do'^^,Jj**W*..*-
naTYinAG do dos cabellos e barbas dos seohonc.
UdmpOb uNElSr11M TOUttDOll DE SENHORA SI
Vi Imperailiir l\ pode consideiur como com-
r. 4' -i PLETOSEMO
wte-senovSarLZreSre"i tOWCO 0111ENTAL
ucoe-be nova remtssa o ml preser>a> limpaf fortific<1 e aformosea
Farello novo e ft f AftELLO
Da melhor qualidade no armazem de fannha ; g porster "^ cm azotes. E em todas
principaes loja de perfumarias e bsticoa.

de trigo de Tasso IrmSos db C. na praja do caes,
do Apolh.

.wmmmmM


'
8
Diario de PeraambuiM) Sabbado 9 de Maio dt l%7i
YABEEDADE
MODAS.Do Joint,I do Commercio, de
I.isboa, extrabiraosa eguinte desciipcdo das
. ultimas inodas de Paris:
a Decididamente, as'saias lisas e sem tu-
nica nan licam senhoras'do terreno, apezar
das numerosas tentativus que se tem feitoem
Paris, so pinto do tilguejp ousar trazor pels
rUa vestidoscompridos. o que c ridiculissimo,
e o mais dosag aoavel d visla. Uma saia
coniprida, ou mesrao si)mi-lo/g, na rua ou
ein passeio A t&jgainjM da todas as pri-
meuas eidades de Inglaterra, Franca e AhV-
- manha baoio-a dp ku greirriQ ; quem a usa
ve-se "brigadoa segura-la, e eis logo perdida
toda a graea no an.lar. as saias eompridas
rese; .ara-se hoje uiiicamcnlepara as s.ilas,
ou para os toucad-res: e nesto caso dd-se-
Ihe geralmente a forma princezu, com collelo
e guami^oes em forma do avental.
Como as saias de passeio, ndo sdo pos-
siveis sera enfeites, contioiia a existir o de-
ouviremos dizer o mesrao d lournures, que ddo uma ccnfiguracdo tio naf.
pouco natural ds mulheres? Segundo refere um ioroal ioglej, no
Lontinua-se a suppnmir toda a proerai- M$ de abril desabou sobre a cidade de
nencia das saias por diante; apertam-se aS Lendres uma violenta tempestade, a qual
lebaixo e as de cirnn, o mais possivel, por causon algumas desgracas pessoaes e darani-
io de elasticos, de maneira que, a mnitas fici^s.em diversos edificios, estei
meio
normnado costume p.r.. snl.ir, e continuara
este verdo. compondo-se de saia enfeitada
bastaute alto por detraz, onde a tunica deve
ficar muito curta, u de umu romeira man-
telehi, on mesmo ile veste mais ou meuos
justa.
"Para a disp sicdo deste trajo servem
principalmente as f sas. A do riscas so sao bonitas u.isiuiadas
com as fazendas .lisas; um costume ou fato
int iramente de riscas tern ares de trajo de
peloaco; ao mcsmo tempo que ossasfazen-,
das mtsturadas com as lisas prestam-se a
muitas e bonitas coudiinacdes. A moda
pende moito p sra a reuniao de teeidos diffe-
rentes, pouco mais ou menos da mesraa cor;
mas ndo se cententa, como se via nos annos
precedents, coin saia do um genero e polo-
neza do outro : exige agora quo a mistura se
eneetue em cada partc do trajo.
A granadina so e bonita e elegante com
m comiicdo de dt-stacar sobre outra fazenda.
Uma saia de granadina, ;i3o importa de que
quslidade, e por mais enfetada que seja,
compittada com tunica, ou qualquer peca
de vestuario igual, tern sempre apparencia
pesada e quente; (pole-se bem quo em todo
o caso a saia de baixo, de seda, e iudispen-
saveli ; ao p.isso que folbus de granadina,
disposto-. sobre saia de glaci ou de foulard,
altnrnando com enfeites que condigain coin
o vesti'J.), apresentam ligoiro e elegante as-
pect Kallamos indifftronte ueuto de gra-
uadma preta lisa, brochada, de riscas ou de
salpicus.
A novidade da estafiio e o panno de li-
nho bordad-.> com las de cor. Para o cam-
po, o costume de panno de linho cru, cujas
disposicoes serao bordadas coin* flores, do
caiopo, acompanhado por um grandechapeo
pannmamuito alto de f6rma. e com
largas abas, constituira, s^gundo nos refere
uma illustre corrrspondeute, um todo dos
mais distinctos, muito simples, e de maneira
alguma deslocado mesmo no jardim do pa-
iacio mais aristocratico.
Continuam os bordados ; os pannos de
lir.ho, as percales, e os foulards, enfeitam-se
hoje, ainda muito mai, com tiras de bro-
dreie aaylaise.
Os vestidos de orgiudi e de percale ar-
ranjam-se'muito bem. sem tunica, s?uarne-
oendo a s.'ia por detraz e por diante com
foltios ate acima, ou com plisses e tuyotes. a*
antina ; isto para menina, porexemplo ; pe-
queno mantelete chamado bonne-femme, de
glace preto, ou de musselina branca ; fichu-
ifilet oil lenco detres pontas lra$add adiante
na cintara, e imitando collete, de glace, ou
de crepe da China, vulgo touquim, acompa-
nhado por uma larga vcharpe ou charpa,
sem esquecer o chapelinho de palha de Ita-
lia, eis uma deliciosa c fresca toilette de
menina, para qut-m e, tio impropria a tuui-
ca, como ridicule e de mao gosto o pentea-
dq alto.
Nas corridas de (.'.hantilly, appareceram
alguns modelos inteiramente novos, que na
tribuna dos principes de Orleans Qzeram
gran le furor.
Um delles, princip^lmente, foi adopta-
do pelas jovens de bom gosto, modestas e
elegantes ; e o verdadeiro toucado d Maria
Stuart: a roda da copa molle muito elevada
tern em p'egas ou em canudos ilma larga
tira di' faille, ou de renda. forrada ou nao.
A tira forma atraz um grande bavolet, e
adiante serve de passe; alguns teem no
meio da tira uma fivella que a prende ; com
este ctiapeo, ou especie de toucado, s6 p6de
usar-se uma aigrette, e algumas flores, fica
muito bem a"s senhoras jovens.
Para viagem usa-seo feltro montanhez,
que perfeitamente acompanha os paletots de
homem, de fazenda impermeavel, que so
traze.n obre costumes de linho, nos cami-
nhos de ferro.
Os poufs parecem abandonados. Veem-
se poucas polonezas levantadas. Qusndo
, esteudendo-se
senhoras, aid Ibes cusia entrar para as car- a uma grande parte do Reino-Unido Di-
ruag. ns. 0 genero chato, enfreado e justo, versos navios quo iam pari a Inglaterra nau-
conquista campo ale ds ilbargjs ; felizmente fragaram nas costas e Kerrye de Clare
que para abi a invasfio... Non plus ul-lt A acadomii das sciencias de Berlim,
-* segdhio um aununcio do seu secrehrio, o
.UCPI..I.vri c~ .. Dr. Emiliodu Bos Reymond, offcrece um
Ml&LtLARlA. beguudo noticias de Cons- premio de 200# (moeda portugueza), a quern
tantipladc 9 ilo abril,. terminou o conflict explique satisfactoriamente os phenomenos
suscitado entre a Porta e o patriarcha inon- do aSo esfriado, logo depois de aquecido
seuhor Hassoun, por motivo de querer o go- As raemorias correspondents, que poderao
rarno apoJerar-se da igreja de S. Salvador, se; redigidas em qualquer dos idiomas tlle-
dc que os armenios estavam de posse. Fo- mao, latim, francez ou inglez, devem ser di-
ram vntrpgu.es ao govern, as chares daigre- rigidas d rrfenda academia atd ao i" do
ja em vntude da ordcrn terminante do gran- man;o do 1876, enferindo-se o premio no
vizir, que prometteu nao as entregar a ne- seguiute mez de julbo.
nhum partido, accrescentando que ndo se X Em Paris dedica-se ba pouco uma com-
tirard aos hassoumstas nenbuma das igrejas panbia a f.br car um cmbustivel inventado
da provmria. lelo Sr. Pagliari, composto de uma mistura
odia il de abril rcuniram-se em de petroleo, cblor.iformium, p6 de car\5o
Paris os delegados da sociedade de sabios. vegetal e de pedra, serradura de madeira c
0 discurso que por essa occ;sido pronunciou gesso. As oxperiencias certificam que 1,0 >u
o Sr. Tourton.-nao continhi nenhuma aliu- kilogrammas desta nova composicaa dio o
s" P"lilica. 0 ministro felicita os mem- mesrao resultado que a triplice quanlidade
bros da sociedade pelosseus trabalhos,- e de- de carvdo do pedra. Tain bem se acaba -le
pois r?a man.-ha constante do progresso em conslituir uma sociedade escosseza prestdid*
toda a parte, recomimmdou ais membros pelo duque deSulterland, para fabricarcom-
daquella corporarao que evitassem dedieir- bustivel com as miudezas, p6s c outros resi
se a cstudoo denasiado geraes e tambcm aos duos do carvAo de pedra, que se amass uu e
excessiTameitto e?peciaDs, eque nao se occu- solidificam com asphalto. 0 processo para
passem do poUtica, pois e*ta arrebatdra o fabricar este combustivei e suas vantageDS-
br. Uuule. 0 Sr. Fourton disse em termos veem publicadasem umdos ultimos numeros-
geraes, quo neiihiim governoseacha ao abri-, do Engineer.
go das revolufO. s, e quo o destino da Franca _
nao deveria Jepender de nenbuma classe de' SINGULA A I\VE.\i;"V.O Kntre Saint
const.tuicao. Servan e Saint-Malo estd fuaccionando uma
- hffectuou-seem Madrid a solemnidade po.Uo-girante, que offeree novidade, que
rebgiosa promovida pela associagdodesenho- e engenhosissima, e uma veaprovada, como
ras daquclla cidadn, para pedir a Deus a estd, a p,s*ibilidade ,1) uso de tal systema
termiBacao da guerra. Segundo uoticia a'em muitos serd adoptada.
tpoca, as ruas immeiiatas ao templo de j Os dous p.utoi a que nos-referimjs, estdo
Daily chronicle.
de 1/26.)
( Este ultimo exisle des-
Santo Iz.doro achavam-se chnas de carrua-.situados na embocadura da Ranee, e sepa-
ge-ns das m^is distinctasfamilias. 0 templo r.dos por u-n estreito braeo de mar, tat-
ostava todo occupado, tanto por senhoras da manda um corredor por aode
mais selecta sociedade, com) por pessoas de entrant noporto.
cundicdo humilde, havendo mesas de ped:-| ,. j .._
os navios
um para outro la do
s.g?J, propc,l.I,,.1.sr.r,rraSco,,5s %zr^*?z>xr* mu"
agua varia
cerca de quatorze raetros, e duas- vezes em
viute e quMro horas, chega e fuodo a ficar
FOLHETIM.
L7CSECU SOS&ZA
MEMORIAS DE MM
POR
D> Hi* -ri ix'l Fernandez y Gonzalez
QUINTA PARTE
LEONOK
XIX
COMO SEU PAI E SEU TIO OCCULTARAM
PAULO.
[Continuacdo do n. 115.)-
Imagino que nao 4 de tal maneira
grave o que te succedeu que ndo tenhas
vontade de comer, por consequencia fui
traz-ndo a ceia, e vou fazer-te companbia,
porque e esta a rainha hora de comer.
A cja era um recurso de que se valera
Gabriel para provocar uma explicacao sem
neeessitar fazer perguntas indiscretas.
Emquamo fallava, ia collocando a toa-
Iha S'broa mesa, tirava do cesto pratos,
copos, uma 8ve aSsada, um prato de con-
sz-rvas, outro de fructa e outro de queijo.
E' t^o grave e tdo iterrivel o que me
acooteco, disse Paulo, quo estou certo de
quo o cmer me causaria tanto damno co-
mo u in veneno.
Acabas por me tirar a vontade de
comer e aflBanco-te quo ndo tonho pouca,
porque tenho andado todo o dia por fora
a tratar dos negqpios de meu irmdo, e
quando voltei tfve que cuidar delle, porque
nmguem Ihe faz as-cousas mais dsuatfp-
tade do que eu. |
. Ceie, tio, ceie,\)orqe as minhas I s-l
qual anathematisou as discordias civis qu
assola n aquelle d sventurado paiz,~entoou-se
uma solemne supplica, terminando nela ben-
cio apostolica dada pelo Sr. patriaVcba das ~E2L*Tg* ^^ S? ^.UC *
Iudias, autorisado previamente pelo papa. I mm$- .^"-a ^ aproveUar este ensejo,
N'um dos momentos em que o oralor,^ qU~ %W* ""^^ de ******
voz commovida, patenteava as crueldades de
uma luta fratricida, foi necessario tirar da
igreja uma infeliz mulher, que exclamava
por entra dolorosos soIuqos : filho unico 1 *
A' ceremonia assistiram tambem diversas
autoridades, que para esse fun tinham sido
convidadas.
Uizem de B'-rlim que e possivel que o
Sr. Camphausen, ministro da fazenda da
Prussia seja nomeado vice-chanceller do im-
perio allemao e chefe responsavel do gover-
no allemao durante a doenca do principe de
Bismark. Este ultimo ro-pondeu no^seguin-
tes termos ao telegramma do rei da Baviera
felicitando-o por motivo do 60." anniversa-
rio do seu nascimento :
Os bons desejos e a bondosa recorda-
5do da V. M. neste dia eausaram-me grande
prazer. Levaria a bem vossa augusta ma-
gestade aceitar os meus respeitosos agradeci-
mentos ? Espero que com a ajuda de Deus
podprei voltar em breve ds minhas tarefos,
para cujo cumprimento serao indispensaveis
a boa vontade e a confianca de V. M.
Em um leilao de gravuras que houve
em I.ondres, foi vendido um retratode Aren-
tino, gravado no seculo XVI, pela somma
de 3:ol03J ; desta gravura ndo seconSecem
sendo dousexemplares, este e o que possiie
o museu britannico. E' este o preco mais
elevado que tem tido uma estampa, excepto
a celebre Pec^a de cm florins, gravura de
Rembrandt, a qual na venda da colleccAo do
Sr. Ch. Price foi adquirida por 3*5(0$ (moe-
da portugueza), pertencendo hoje ao Sr.
Dutuit, amador francez.
Estd terminada a pendencia que oxiv
tio entre a cidade de Genebra e o descen-
dente do duque de Brunswick, que se disse
querer fazer rVclam3c,6es contra a lieranr.a
deixada pelo finado dquella cidade. Segun-
do as negociacftes entaboladas entre a cidade
e os representantes do duque, aquella poderd
agora tomar posse definitiva da magnifica
heraiiQa que Ihe foi legada.
Morreu em Paris o aniigo ministro do
interior, Beuld. A morte foi repentina, por-
que gozando perfeita saiide, appareceu mor-
to na cama. 0 finado era a personificacao
do trabalhador infatigavel e insaciavel. Dei-
xou muitas obras importantes. Ndo contava
ainda 50 anuos e attribue-se a sua morte d
ruptura de uma aneurisma. Era membro
gracas, por muito que assinta, nao de-
vem ser causa de perder a vontade de co
mer.
Vou servir-te, disse Gabriel ; esta ave
estd muito bem assada, a pobre Genoveva
e uma axcellente cozinhejra e tdo nossa
amiga que ndo se casou s6 por nao deixar
de tratar de Ludovico.
Paulo tinha um braco estendido sobre a
mesa, a cabeca pendida para o peito, com-
pletamente abatido. e ndo respondeu a Ga-
briel, que acabava de lha servir uma parte
do assado.
Isso agora e demais, meu sobrinho,
dissi Gabriel elevando a voz, parece-me
que ndo ouviste o quete disse.
0 que quor, senhor ? respondeu Pau-
lo ; imagine que boutem vi morrer envene
nado aquelle que julgava meu pai, e que
mais tarde matei o pai da mulher que araa-
va ; que esta noite, ca a ndo com ella e
que, amando-a com todas as forcas da mi-
aba alma, matei-a tambem.
, Estas palavrss tiraram toda a vontade de
pira S-int-Maio, ou vice-versa, tinham de
fazer o trajecto descendo e subindo umas
escadarias perigosas para vencetr uns onze
melros de altura, e depois segutr em plauo
horisontal, humido, escorregadio, e arris-
cado, ainda para as pessoas mais fortes e
para os me&ores equilibristas% Durante a
mare cheia, fiizia-se a passagera em barcos
que davam po ica commodidade e ndo dei-
xava de se correr a contingencia de um des-
as're.
No intuito- de obviar a tae& inconvenien-
tes, o Sr. Leroyer, architecto da cidade de
Saint-Servant, imaginou a ponte giiante e
poz por obra a sua idea.
Compoe-se a ponte de uma plataforma
assente sobre travejamento de fierro que
descapija sobre rodas, e fuocciona em ciraa
do cams solidamente assentes no fundo do
corredor qe liga os dous estremos deste.
A plataform i tem ao eentro um wagon
fechado para quem quer abrigar-so das in
temperies^ e aos lados v&o cavall is, vehicu-
los atrelados e mercadortas, havendo tam-
bem lugar para quem" quer ir ao ar li
vre.
0 embarque opera-se directamente dos
cdes, pois ao nivel delles estd a ponte e
ate alii ehega.
Ndo gyra s6mente a ponte na vasauto,
sendo- tambem na mare" cheia ; e asseveram,
que sem o menor perigo, por isso quo
as hastes de ferro sobre as quaes assenta a
plataforma, estdo combiuadas de modo a
offerecer grande solidez e ao mesmo tempo
offerecem i corrente, que corta transversal-
mente, a menor resistencia possivel, assim
como aos golpes de vento que alii preponde
r.iin nos equinocios.
De feito, o pu-blico perdeu o medo de-
pressa, e muitas pessoas, por simples goso,
tomam passageta na ponte girante.
A IMPRENSA PERIODICA EM INGLA-
TERRA.0 Almanack das direcfoes e guia
de annuncios, da imprensa brilannica, aca-
ba de apparecer a publico no seu 38 an-
niversario. Delle extrahimos as seguite in-
formagdes;
Era Loudres, publicam-se 285 folhas
periodicas, sendo apenas 17 folbds diarias.
Destas 17, onze apparecom pela manha,
quatro a tarde, duas teem odigao dupla, o
Standart e o Loyd's Leist and tymercial
Dous, o Times e o Daily Telegraph,
tiram, s6 elles, mais exemplares do qiue
t)dos os j irnaes do Berli.n reuniios.
Uma circumstancij mui curiosa, e" que
se publioa era Londres, um jornal impreSso
n'um# unica pagiha, tendo as costas em
branco; e" o San and Central Presss e is-
sim facilita aosjornaes o simples golpe do
tesoura, 221 purioJicos sdo semanaes, 9
appareoem duis'ou tres vezes por semaria,
e sd um quatro vezes por semana ;* outrjos
sdo destinados ds colonus ou expeJidos dis
colonias, segunlj as chegadas oj as par i-
das das malas.
Todas as cores pirtida.ias. alii esti q
representadas. Alguiii tem mais cum an-
005 de existencia. A maior parte delta
ndo custa mais do um penny p r cada ul ,'
mero ; alguns mesmo meio penny, e o a
geral os pre^os elevain se ate un sai-
lings.
N is proviucias do Inglalurra, appan-
cem 880 jornaes, e r^vistas talvoz quo ma,
do, um iluzia ; m.iis a rwpeko destes na i
ha esolarecimeuio exactos. '
0 almanack a quo oo$ referimos, d -
vidi-os do sogiiinte modo: i70 libaraes,
1G;J coiwe.rvador.-s, 30 lib jraes-eouservad -
res, 172 ndop- u-lontes, 8 inlopendonU i
libera s, 2 liber es iiidep -uk'iites (6 as
si-n qu i elles sio desiguado* no -catala
go), u a lory, uio protestante, e dous ra
dicaes.
A pequeua illw de Wiglrt ndo teak
menos lo -dez jornaes. Oxford possuo um;
Oazet official da universidade.
Ojiaiz de 'iallesreom o restoda popu
lacdo cdtica quo alii se rcfugiiu, nuo ten
senao d jus jornaes diarios, sois que appa
rec m duis vozesr-por semaiia, 51 qfie si<
semana.es, e 5 qu- se imprimem n* vespe
ra em lingwa gjuleza.
A Escocia estd representada pop onzJ
jornai'S diarios; publicando ciuco tambem1
edico s samaines. Entre-os outros t3 ap
pwecera Iujs vezes por semam, doiw sao
tri-hebjdo.n.darios o 118- hebedomadanos
A Gazda'de Edimburyo- data de HJOO
De.todos os j irnaes inglezes a Gazela di
Londres e o mais- a,itigo
A Irlaulb publica 110 jornaes. sendcj
23 diarios, e outros tantos- bi-hebddomada
rios-, seis tri-ljeuedornadarios; e 8' sdr
mais- do que centunarios.
A pequen* ilhi do Mil faz inp-imiiJ
cincoj irnaes, sendo um unico dia.-io, e os
outros semanaes%
Ni ilha-do Guernecey publicara-se-cin-
co jornaes, e na- ilua de Jersey nove, sendo
tres em lingua franceza- que apparecem
tres vezes por seman.. As revistas e ma
gdsines sao ennuimero ifc;-630. Xeste nu-
mero, 250 sao publicayoes religios s men-l
saes. As socieddes de temperanca eon-
tam quinze jornaes. 0 tabano tem por ad-
versario encaraigado uma- revista mensal,
emquanto que^el igiado per um unico, o
Coper Tobac o Plant. 0 es, iritualismo
tambem tem os seus -defensores, em pe-
queno numero, e verdade. especialmeute
em comparagao com a Ameria, onde se
publicam ceatenas de jornaes destinados
dquella especialidade.
corner a Gabriel que exclamou com uma
sereniJade terriv. 1:
Quer isso dizer que mataste aquelle
que julgavas teu pai, o pai da tua noiva e
a ella depois de ser tua mulher, tudo om
vinte e quatro horas ; pois bem, ou esids
doudo, ou & um monstro.
Doudo estou, monstro ndo sou, res-
pondeu Paulo. Meu pai /oi euvenenado,
nao sei porque, por um miseravel que se
chama Michelotto e a quon conheci toda
a ruinha vida, julgando-o primo de meu
pai, peli? nome de Pierre de B-Wa p.
Micheldlo h mf no sTrvi lor le Ce-
sar B >r_i. Fui el seq| du\ ida, segundQ
too p,->i .s;i-;ifi! hi sqrap>, ijue, toman In o
rui:n.' I: Uogiera d lloiiforfe, to roubou
ugftn. lajct'itu e Ics.ipp-.roceu comU'go !
Diga-me, atalhou Paulo, que ndo es-
quecia Eleonora, meu pai teve amores com
a grd-duqueza ?
Teu pai foi seaipre muito reservado
em assumptos ainorosos e nada posso di-
zer-te.
Necessitava saber se meu pai tinha
uma filha da grd-duqueza.
Para que ? .
- Porque fui amante, respondeu Paulo,
mentindo para aterrar seu tio e obriga-lo a
dizer a verdade, de uma lormosissima jo-
ven da minha idade, chamada Eleonora,
ou como a grd-duqueza lhe chama, Alexan-
dria, que foi,ro*aJa por Michelotto na
raesma epoca em que me roubou a mim:
Diga-me, pois, se meu pai teve alguma fi-
lha da grd-duqueza, porque sobre todas ss
minhas desgracas atorra-me a idea de ter
sido incestuoso.
Traquillisa-te ; meu irmdo uuoca te-
ve filhos da gr3-duqueza. Essa joven deve
ter menos idade do que tu e provavelmente
6 filha de Pietro Bembo, que substituio
meu irmdo no corac&o da grd-duqueza.
Sim ? pois arrependo-me de ter tra
^ tado tdo mal esse Sr. Pietro Bembo so pela
(ide"a de que pode ser pai de Eleonora ou de
(Alexandrina como lhe chama a grS-duque-
(za, c sobre tudo sinto-me cam menos peso
(sobre o 'coracdo porque juro-!he que em
todas essas desgracas que succederam no
curto espaco de vinte ^ quatro horas, nao
entrou a minima parcella da mini) i vjn
tade.
Disses'to me que tinhas morto o pai
da tua n iiva, que esta, apezar d'isso, ca-
sou comtigo, e que depois, mataste-a tam-
oem.
Pode matar-se alguem sem querer ?
; Ess j caso estd previsto nas, leis o cba ,
I'M CRIME ATROZ.-Dizem de Rous-
chouk, que todas as altengoes daquolla pro-
viocia estao voltadas para o listricto do Sis-
tow- (Turquia). Eis aqui a uarfacao do
crime atroz a que nos referimos, praticado
em Sistow,. e quo encheu da maior conster-
nagao todos os habitontes daquoila cidade.
Ha alguns an nos-que um maacebo bul-
guro abandouou os-seus velhos pais e sua
irma, para ir procurar forluna. no estran-
geiro. Depois de muitos anoos. de traba-
Iho, fezuma pequeua fortuna, a rosolveu-se
a voltar ao seu paiz natal para, poder pres-
tar apoio a seus velhos paks. Ha pouco
tempov cbegou esse mancebo a, Sistow, mas
antes de procurai: sua familia, tr^tou de se
informar qual era o estado em que se a-
chava. Soube deste mo lo que seus pais-
aiuda viviam, a- que sua iiaa tinha casado.
Dirtgio se, pois, d casa desta ultima, fazea-
do-se reconbecer por ella. A irmd, trans-
portada de alegria, quia ir logo prevenir
seus pais.
Nao, lhe diz seu irmdo, receio de uma
sorpreza. To ma Id uma moela de oiro, e
leva-a a meu pai, e dz-lhc que um estran-
geirocoota ficar esta noite em sua casa.
A irmd, julgando a idea boa, foi d
casa de sens paes, eevecutou o que seu ir-
mdo lhe tinua ordenado. Teraendo ndo
poder ser senhora de si, e tra>r a pequena
conspira^ao que havia tramado com seu ir-
mdo, a rapariga voltou logo para sua casa,
promottendo voltar uma ou duas horas de-
pois. 0 velho e a velha receberam o es-
trangeiro com o maior respeito. Estavam
longe de reconher o fiihoj Depois de
tantos annos de ausencia, as fadigas e uma
barbaespessa tinhaip-lhetransformado com-
plctamento as foigdes.
Apeoas avistou seus pais, o joven bul
garo teve desejos de se Ihes lancar nos bra-
c s, mas desgracadamente para elle conte-
ve se; e em pouco conhecereis a razdo p r
que digo desgraca^meflte.
Depois do mnitas perguntas, os dous
velhos perguntam ao estrangeiro quantos
aoius tem ; a idade coincide, como se pode
suppor com a de seu tilho amado. Com a
record iQdo do filho apoderou-se 4a mai ve-
lha um pensamento diabolico. Tinha per-
Cebido que o estrangeiro trazia oiro comsi
gu-Oove, diz ella ao marido, chaman-
dn-o de parte, nao tens vij.o a grande quan
t.idado .dexdinjieiro que aquelle homem tem
:omsigo ?Nao poderiamos n mo nos delle para o maudar a nosso filh(,
s quora aquella somma poderia permiltir
que volt see a Sistow.T-ns razao, respo -
deu o velho, mas como e ba defezer ? 0
negocio e muito diflicil.Ndo e ^o difficil
como te pan-ee, replicou a veltia, nao tens
a li aquelle naachado, do qual m nico
golpe 6" sullicieirte para o lancar por terra !
Perfeitaineute de accordo, replicou- o ve-
lho pai, e tanto mais justo quanto e um es-
trangeiro, e ninguem uotard a sua Wta,
waquantoque nos faremos a fortuna de-nos-
so- lilh >.
0 joven bulgaro estava entdo occupa-
do' em examiuar os moveis antigos do quar-
to em que tinha passudo a sua iufancia ; es-j
lava inteiramente entr-guo ds recordacoes
do seu passadn, julgaudo ao mesmo tempo
haver cbegido ao termo- dos seus soffn.neu-
tos. Pobre mancebo T
Nessa occasido, o velho pai lanca mdo
do machado, e, Seguif)o-pela velha, avanca
furtivaiaente pela parte de iraz do seu filho.
Alguns instantes depois um terrivel golpe
fazi < rolarpelochao acabeja daquelle dquem
tinha dado a existencia. .
Apenas este crime so havia consumma-
do, entrou a irma em casa de seus pai*.
Foi tal a< prpssa com que procurou saber
noticias de seu irmdo, que ndo se aperce-
beu do seu cadaver, nem notoa o, sangue
sobre oqoo\ an Java. Algumas palavrasde
seus pais foram sufficientes-para a pdrem
ao corrente-do crime atroz-.quo estes ultimos
acabavam de co nmetier.
Oi seas gritos : ,'desgraQadtK tendes
matado vosso filnoJ altrahiramo* visinhos.
que vierami encontrar os pais- hocrorisa los
sobre o corpo inanirarfdo daquelle pobre rj-
paz. 0 velho e a velha foram immediaca-
mente presos, e esperam nas p<-isoes de
Roustschouli-, que a justkja oumpra o seu
dever I
ma-se homicidio iuvoluntario ; porem ex
plica-me tudo isso.
Conheci na corte a formosa Branca
Albini. .
Ah I sim, e verdade : hontem d noite
foi assassinado, sem se saber por quem, o
cavalheiro Reinaldo Albini.
Assassinado, ndo ; morto, sim ; inju-
rioo-me, perdi a cabeca ; ferio o a minha
colera e ndo a minha vontade.
Mas o que deu causa ds injurias desse
homem ?
Os meus amores com sua filha.
Amores que certamente mancharam a
sua honra
P-orlm ou reparava a offensa pedin-
do com toda a minha alma a mdo de
Branca.
Um" pai ultrajado tem direito a tudo.
Mas a colera 6 como a polvor'a* e
desgracado d'aquelle que lanca sobre ella o
fogo dos insults mais terriveis.
Essa desculpa de nada Valeria n'um
tribunal de justi$a ; a tua accdo poderd ter
sido um crime descdpavel, mas nom por
isso deixa de ser um crime. Como foi qae
essa mulher consentio em unir-se com o
matador de seu pai ?
Ah foi. urna tragedia horrivel I
Unio-se a mim para se envenenar e para
me envenenar, a lira da que morressemos
juntos.' fc
E tu quo poiRste impedir o seu crime
julgirle te autorisado para a matar ?
Amlws bebeoioa o venono. ,
Cumo E ella morreu e tu nao ?
cxiliimou Gabriel, luv.intan !>-se pullido e
convulso. Feristo-a depois de saberes que
te tinha envenenado?
Meu tio, istoe uma historia do ?aii-
naz. (Juando Branca me revellou que sa-
biasereu o mats .'or de sou pai ; que ao
A CARRL'AGEM PCLMANaliltimamente
appareceu.na gare do camiuho deferro do
norte em Paris, uma carruagem amrricana
chamada carruagem pulman. A eompa-
Ahia Pulman e" uma companbia a-mericana
que fez construir carruagens d& eaminhos
de ferro,. asquaes offerecem toda a quali-
dade de cofforto. Teem saloes, resta-iran-
tes, gabinetes de toilette,, e canwras para
dormir. Nesta carruagem fazeia-se agra-
davelcnente as rnaiores viagens,. e sem que
estas causem a menor fadiga. No trajecto
do caminho de ferro do Pacifico chega a
haver saias de banhos bos--wagons.
A companbia Pulman estabeleceu-se em
Inglaterra, e organisau naqWHa cidade
uma ollicina de construccfto. Modiante uma
cornperisacao obteve das companbias do ca-." capella auleuto.
"jinho de ferro que fizessemj circular as
suas carruagens, e aluga-as, poc pregos que
vanam, segundo a distancia, aos viajantes
que se prestam a pagar os supplementos-
descriptos nas tabellas.
Uma carruagem que 03ta uo camiubo
do norte e destinada aos eaminhos de ferro
italianos ;. tem o comprimeuio de tre* car-
ruagens ordiuarias, e e dividida em duas
partes.
A primeira parte o uma saia guarnecida
de bancos tran&versaes que deixam uma
passage.1 pelo eentro. Sao como outros
tantos compartimentos separados por meio de
convenientes divisoes.
A' noite abaixa-so uma das divisoes do
tecto ; os banjos aproximam-se e estabele-
cena-se duas fileiras de camarins. 0* criado
que estd de servico tira de uma especie de
armario, que se vt> em um dos extremes, os
colchoese asroupas. necessarias, e-foz as ca-
mas, que assim ficam dispostas. absoluta-
mente como camas ordinarias. Grandes
cortinados que partem do tect) formam a
especie de alcova para duas ,camas, uma
sobre a outra.
A segunda parte da carruagem e" dividida
lem duas camarras para dormir, as quaes oc-
cupam todo o compriraento da carruagem,
excepedo de um corredor pelo lado qce
pemitte o acoesso naquollas caiaras. Tara-
aem nestas se preparam colchOes, e roupas
)ara cama. Entra-se na carruagem pelas
iuas extremidades, e proximo das platafor-
raas prt9parara-s8 w lavatorios.
A carruagem,' em consequencia do seu
comprimento, estd montada em doifi trims;
daqui resulta que s5 pode st atreiada a
trens que circulam em eaminhos de peque-
nss curvas.
0 systema Pulman (em, ba ja alguns an-
nos, alcangado grande exito nos Estados-
Unidos j acaba de ser ens iado era Ingla-
terra ; mas os viejaates, no seu paiz nao se
m >stram dispoatos a sol citar a sua applica-
cdo. Seria necessario que a opiuido geral
se pronun iasse a favor deste iavento, para
que elle poles etersahida.
1TNERAL DIPT.OMATICO. -Por occaUo
dos funeraes de Mr. de Balan, enviado -
traordinano e ministro pleuipoteociagio
de saa inageslade o imperador da Alljina-
ntya, em Bruxelkis, reconheceu-se que
nao havia lei que prescrev sse aa bon-
ras que na Belgica se devem prestar aas re-
pr'sentftntes das p teaciasestrangeirasqMau-
lo morrem no exeretcio da sua missao, e
na resideitcia en que estao acfeditados. Poi
isto qum se coaqirovou em uma obra trata da* honras, dignidades e precedential,
publicjda em lSf2, pjr.Mr. Gerard, eotdo
substituto lo auditor geral ..junto do tribunal
superior miiit ir. Regutarant-se pelos pre
codentes, pelos usos, ou p*)a tradicao, se
assim o quizerem, no ceromomal que so
obse vou para se presiarera- i ultimas ho-
menagi ns iKi'diplomata de que se trata.
0 caso deu/se pela primeira vez na Bel-
gica, com a morte do genera!1 Billiard, mi-
nistro pleoiputenciario de suit magestade
Luiz Filippe I., rei dos franceiesi em mi&sdo
jMtraord naria junto do sua magestade o rei
Leopoldo I, roi dos belgas.
Foi em 185W no c im>-co do reinado do
fuudador da dynastia. 0 general Billiard
ftdl'ceu de repeute.
Prestara:n-se aos seu* restos mortaes as
honras funebres- m litares, devidas a um ge-
neral de divisdoy (pie morreu em actividade
de sorvico, na oabeua de 'listricto du seu
commando. O- o rpo diplonanhco condu-
zio o sarcophagi em concurrenan- com os
membros da faioiila do finado e com os mi-
nistros do rei
O corpo foi depositado pioviseriamento
iKicemilerio de Darken, e foi transportado
depois para Pansj onde ficou enterrado ao
Pere Lachaise, no tumulo do marecbal Sa
diet, duquede. Albuf ra. Um embaiudor
da Austria, e unia- dous pu tres enviad;s
em missdo', que raorrerarn depois era Br-j
V' lias, tiveram as mesoias honras.
0 corpo diplomatico assistio as fuoeraes
preeedido do nuncio apo^tolico, ncarrega-
do de pronunciar a oragao funebre, e na
fait* do nuncio do-uiinisterio pbnipotencid
rio mais antigo, segundo a data > da 6trega
das- su s credaoeiaes.
N.a" actu.-ilidade, o membro de oorpo di-
plomatico mais antigo em Brusellas,. 6 o ba-
r":n de Fabrice enviado extraordinary mi-
nistro plenipoteneiariode Sa\e-Roya4, acre-
ditado em Bruxeltas, desde 2fi.de srterabro
de-tfW
O corpo de Mr. de Balan, ministro pie-
r.ipetenciario do-imperador da AJsmnanha
foi> i-o;; lu/ido da casa da sua ;esidencia
Djftca a gare do oamiubo do norte, assistindo
todas as tropas da guarnicao, e a guard j
civil de Bruve directamente para Berlim, n'.uu nem espe-
cial, era um wagon, quo se traosformou
ver-se deshonrada e enamorada de mim lhe
sra necessario tornar-sa minha esposa, e
que havii preparado o veneno que devia
natar-nos a ambos, porque lhe causava
wrror pertencer em corpo e alma ao ho-
nicida de seu pai, notei eu com horror que
i veneno comecava a operar n'ella os seus
ffeitos, emquanto que eu ndo sentia cousa
ilgaraa.
Tu bebeste do mesrao liquido ?
Sim, na taca hereditaria da sua fa-
tnilia.
E como se comprehende que o ve-
ieno operasse n'eila os seus effeitos e ndo
(m ti ?
Porque eu ia preparado com um an-
tidote
N'esse caso ou suspeitavas que po
las ser envenenado por Branca, e devias
dvita-lo sem um crime, ou te tinha convida-
c o a ceiar intempestivaraente um dos illus-
t es cardeaes que temos em Ferrara, ami-
g o tal vez de Pietro Bembo a quem maltra-
I Mb.
Nem uma cousa nem outra.
Entdo n5o comprehendo, meu i
hrinho.
Esse antidoto foi-me dado a beber
pJ3la grd-duqueza.
A proposito de que ?
Por Ihe eu ter dito que beijara a fron-
ts inundada de suot do cadaver d'aquelle
qlue julgava meu pai, o qual, como Ihe
disse,'morreu envenenado
Ah pois tanto l9irpo dura a acfilo
ojenefka d'esse antidoto.
^ Ass m jiarece.
E onde le den a beber a grd-duqur-za
esse elixir mar.ivilboso?
' No aposento que. eu OCflttpsva no pi-
lario como capitdo da oscolta dos grdos-du-
qir.es.
A FOME NA INDIA.-O. Tinus publicou
r> seguinte despacho de Calcuta, datado de
5 de abril :
0 ultima relatorio hebdomadario dd
algumas esperansas, mas deelara que ha
grande necssstdade de chuvas abundautes
no Trihoo!,. para a proxima colheita e para
tu. uece.- a- agua precisa aos mananciaes.
Meio milhdo de individuos re:ebem
soccortos. na parte nordeste do districto.
Sdo ao todo 707:492 as- pessoas que traba-
Iham nas obras de soccorro, e esperam-se
ainda mais 'epois das ceifas.
Apuntam-se mais dez ou doze cesoS de
mortev attribuidos directamente d fome. 0
Sr CL Campbell deelara que asorganisa-
coeimais fracas ^uccumbiram, mas era pe-
queuo numero, u'v Baheyra.
i Polos districtos que soffrem reparti-
ram-se 381-.Sid toneladas.
De um outro correspoudente, o Times
recebeu o despacho seguinte :
Atravessel todo o districto do Trihool,
os pocos e mananciaes estao seccos por toda
a parte. Homens e cavallos soffrem mui-
to. A cultura das terras baixas estd sus-
pensa. A chuva e muito necessaria. Apor
tam-se tres casos causadas pela fome.
ALMIRANTE FALLECIDO.-O veterano
da armada britannica, almirante Wedehou.-
se acaba de fallecer repentinamente. A
marinha ingleza perde nolle um dos seus
mais illustres cuofes.
a grd duqueza ia ver-te no teu apo-
- E
sen to ?
Sim, ha uma escada secreta que po j
em communicacao aquel e iposento com a
camara da grd-duqueza.
Vi-to isso es seu amante I exclamou
Gabriel com repugnancia e horror.
Deus ndo o quiz, replicou Paulo com
vehemencia.
Jura-mo pela tua alma.
Pela minha alma e pela alma de mi
nha mdi, juro.
Ah l sei quanto necessitava saber, a
agora posso dizer que tirei um grande peso
de sobre o coracdo. Continua explicandc
o resto.
Paulo contou a seu tio tudo quanto lhe
acontecera desde que cbegou a Ferrara.
Quanlo acabou, disse-lhe Gabriel :
Podias e devias t-r mais valor para
reprimir a tua colera, no entanto devemos
tratar de satvar-te. Quando se applacar
mais o furor do grao duque, sahirds distsr
eado de Ferrara e embarcaras pare Prance.
Agora, descanca ; ate araaphd.
Ate a manha, meu tio, e Deus mede
f rcas para soffrer n'este lugar o horror da
minha situacdo.
Gabriel sabio, e, aproximando-ie do let-
to de Ariosto, esteve fallando com elle duas
horas.
E' triste e horrivel o que nos succede,
disse Ariosto, mas, mais horrivel nos leiia
sido o que eu temia.
Gabriel deitou-sc n'um leito proximo do
do enfcnnu, o p nico depois era silencio
aquella casa.
C'o;i T^. dq d'apkk w\ rrQr-s w CKKIaJ
'
%
\



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ7QF9KB6_CUY5PI INGEST_TIME 2014-05-28T17:29:14Z PACKAGE AA00011611_18183
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES