Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:18030


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i LXY ERG ag

i

.
i

?:
::
T
i
RCA-f
ETR4
9 DE.ABRIL DE 1890
RNAMBUGO
Sf:


*
l4
Propriedade de Mano el Figueira de Faria tSs Filhos
4
PARA A CANTAL LOSARES ONDE NAO SE PAGA PORTE,
TELEGRAMAS
Mf
Por tres mezes adiantados. .
Por seis ditos idem. .
Por no anuo idem. .- .
Cada numero avulso, do mcsmo da.
12.J000
230000
0100
?
Os Srs. Ainedetprmce & C.
de Pars,* sao os nossos agentes ex-
clusivos de anmincitfs e publica-
coes na Franca e fnghaterra.
,
ssavigc u mmk um
BUDA-PESrH, 26 de Abril.
Um pnico declarou-se aqui a espeito
do 1. de Maio. ^
Um grande numero de negociantes, re.
celando desordena e pilhagens da parte dos
operarios sem trabalho, reclamaram a pro-
teccSo do governo.
VILLE FRANCHE, 26 de Abril.
Mr. Sadi Carnot acaba derhegar aqui e
foi muito acclamado pela populacSo.
PARS, 27. de Abril, noite.
Voltou aqui boje Mr. Sadi Carnot, pre-
sidente da Repblica.
PARS,' 28 de'Abril, pala madrugada.
Eis os resultados completos das eleicSee
municipaes que tiveram logar bontem :
Documentos incontestaveis provam que era
elle o mais consummado diplmala ao &mlempo
em Portugal, e pelo meaos igual u D. Lttz da
Cunta que alias o tinba naquelle elevad con-
ceito. <
< Na administrago dos negocios internos
abundara provas documentaes, di*, que Alexaa-
dre de Gusmo foi, cdbo escririp da ptiridade,
ministro rectot enrgico, liberal \ habilsimo.
(Contina)
PARTE ornciAL
Es-
de

Republicanos eleitos
Conservadores
BoulangUta
Empates (ballotages)

12
8
1
59
Agencia Havas, filial em Pernambuco
23 de Abril de 1890.
IHSTRDCClO POPULAR
Um BXSLZO&BArSIGO
DA
UTTKMTUM BRAZILEIM
KOS
TEMiP-3 'C-Qk-OaJaAJBS
(CottinuacSo)
XIX
iie\andre de Ciuama wr
Anda no^tecaliio detodo da graga real, pois
de volta ao reino foi encarregado da decifrago
da correspondencia diplomtica, que rfaquelles
tempos era toda feita por signaese palavras de
convenco ; mas renovaodo-se a perseguicio su
persticiosa dos gratuitos inimigos, que comeca-
ram a langar-lhe apodos pungentes e satyras fe-
rinas, aecusaodo o de monomaniaco, talvez por
novas experiencias do invento aerosttico^ que
elle tratasse de fazer, Bartbolomeu sentio-se to
po-suido de indignago e assoberbado de des
gostos que se retirou iDopina lamente para o rei-
no visinbo em Setembro de 1724, fallecendo na
mais completa miseria na cidade de Toledo a 18
de N'ovembro desse meso.0 anuo. Em Toledo
foi sepultado a expensas da irmandade dos Ec-
ciesiasticos de S. Pedro, na matriz de S. Romao.
Assimse tinouum dos homens mais Ilustres
que o seculo XVII produzio nesta parte da Ame
rica do Sul. Por muito lempo a memoria de
BarUioIomeu de Gusmo estere despojada da
ptioridade do invento dos aerstatos atiribuida
geralmeute ao3 irmaos Montgolfier, da Franga, at
que reivindicada e provada a gloria para Bartbo-
lomeu Lourenco deGu.-mao, gosa esse nome
hoje da mais justa admirago nao so de seus
ccmpatrioias como at mesmo dos que por mui-
to tempo lhe disputaram a gloria.
Irmao do padre Bartbolomeu Lourengo de Gus-
mo, nasceu tambera Alexandre na Villa de San
tos, em 1139o, etambem como o grande inventor
dos aerstatos cstudou humanidades no Collegio
d03 Jesutas d'aquella villa, at que ebegadj aos
quinze annos, foi enviado ao reino onde seguio
estudos superiores sob a direcyo de seu irmao,
ja formado e em brilbaale inicio da mais auspi-
ciosa carreira.
A fama da seu talento, e grande inteligencia
enriquecida par assiduos e severos estudos. e a
iriluencia e favor de que gosava seu irao de-
rara-lbe o despacho de secretario da embaixada
portugueza em Franca, mal se graduara em di-
reito civil a universidade de Goimbra.
Essa embaixada diz o Sr. conselheiro Pereira
da Silva, (1) era de carcter apparatoso e de os
tentaco de amizacje feita por D. Joo V ao fa-
moso Luiz XIV, chjo fausto e grandesas o re de
Portugal tanto procurava imitar, A guerra de
successao de Hespanha tioha acabado, accrescen-
ta Macedo ; (4) a paz geral eslava feita. e pelos
4 raudos e pelas coovenges de 1712, 1713 e 1714
.estavam resolvidas as quetes polticas ; mas
Portugal queria Armar boas relajees cem a Fran-
ja e honrar o seu velho rei, que alias morreu
pouco depois da chegada da embaixada em Pariz
no afhno de 1715.
Aproveitando a sua estada na grande capital,
3ue j nesse tempo era urna das mais notaveis
o mundo, Alexandre de GusmSo tomou na res-
rectva faculdadefranctza o grao de doutor em
direito civil, romanoe;ecclesiastico, aprofundan-
do seus estados principalmente em assumptos
diplomatieos.
Voltaodo a Portugal e.n 1720, foi Alexandre
(ommando das Armas
Quartel do Commando das Armas do
tado de Pernambuco. 23 de Abril
- 1890.
. Ordem do da n. 39
Fago publico a guarmeo que tenao-se retira-
do uatem para a Capital Federal, por baver sido
nonmdo. ajudante general do exercito o cidado
marechal de pampo que coramandava as armas
ueste Estado,-assumi nessa occasio o exercicio
interino do me;mo commando e congratulando
me com 03 officiaes e pracas desta guarnigo pe-
las eloquentes palavras de saudosa despedida
que despertaran! no varonil espirito patritico e
disciplina daquelle bravo marechal que nosso
ebefe querido e tambera urna das glorias do ex-
ercito, don seguraoca a todos os meus cama-a
das do empenho a que me ,otarei com toda re-
ligio de meu dever, deafirigir com a justica
disciplinar que faz da' instruego militar urna
corporago amiga sem descontntamenos nem
queixas, e forte pelo cnlto do amor a patria no
seu devotamente pela ordem com prestigio de
autoridade.
(Assignado)Francisco Jos Teixeira Jnior,
coronel cemmandante das armas.
Quartel do commando das armas do Esta-
do de Pernambuco, 28 de Abril de
1890.
Ordem do dia n. 64
Tendo embarcado para a Capital Federal a 25
do corrente o cidado 1 tcnente Eugenio Bit
tjncourt, que exercia acumulativamente os
cargos de coramandante da 4 batera do 5o ba-
Ulho de artilharia de pos icio e ajudante de or-
dens de pessoa do cidado marechi.1 de campo,
commandante das armas Jos SimeSo de Oliveira,
faco constar guarnicao que na mesma data as-
snmio o referido commando o alferes do 2* bata
Ibo de infanta h Carlos Augusto de Almeida
Soares, que routinuar a exercer as funccOes de
ajudante de orden3 encarregado do detalbe.
(Assignado) Francisco Jos Teixeira Jnior,
coronel commandante das armas.
_JUIggg--
tregue e sujeito Apfla,. dispeisando-llie todas
as garantas possivei? alim de qnSjiada soffra
__ 'O hefe de poiioia,
Antonio Antunes Ribas.
. Seoio'-N. .94.Secrehria de Polica: do
Estado de Peroamb,nco, 28 de AbrU de 1890.-
Foram ante-honteqjrc]hontera recOlhdos Gasa
de Detenc&o os individuos de nomesjtanocl Ge-
miniano da Rocha, Minervma Maria da Conceigo,
Ursulina Mara da Conceicao. Paulino Serapiao
da Silva, Joaquim Tavars, Joo Antonio de Souza.
Francisco Tirvarcs Muniz, P.omSo Ramos da Pai
xSo, Francisco Alves da Costa, Irineu Alves da
Silva, Amaro Victoriano da Rocha. Francisco Ma-
rinho Falco, conhecido por Abacaxi, Victer Lan-
delino Modesto. Sabino Jos Raymando de Souza,
Jos Goncalvcs, conbecido por Zeguedegue, Ma-
na da Conceicao, Anisio Jos de Figueiredo, Ge-
tulio Jos da Fonseca, Clementina Mara da Con
ceico e Antonio Francisco dos Sanios.
' Gorarauuieou rae o Dr. ;uiz municipal do
termo do Brejo, que no dia 19 do correte
ra prender e recofter cadeia respectiva; o rfo
Luiz de Farias, coedemnado por crise de feri-
mentos.
No dia 20do corrente", (oi r^ecolhido ca-
deia do termo de Goyannd o'individuo de nome
Galdino Jos Ferreira, por-haver-desfechado ara
tiro de pistola contra Maoosl Luiz de Franca.
P. lo subdelegado do t districto da Bea-
Vista, foi reraettido aojuizo competente o in-
qu'erio policial a que proceden contra Petronio
Miguel e Antonio Gongaves Torres por haverem
tentado contra a existencia de Joaquim Jo3 de
Sant'Anna.
Entrou em exercicio :
Joao Jos da Costa, delegado do 1 districto de,
Ipojuca, na qualidade de 1 supplente.
Foram propostos 03 cidadftos capitSo Pe-
dro Barbosa Leal e tenente Manoet Freir de
Menezes para os cargos de 3 > supplente da de
legaca do termo de Floresta e snbdelegado do
Io districto'do rnesmo termo.
O chafe de polica,
Antonio Antunes Reas.
PARA DENTRO E FORA DO I&IJADO
-
Por seis; mezes adantados.
Por nove ditos idem......
Por um anno dem. .
Cada numero avulso, de dias anteriores.
13*500
20,5000
26000
00
de
DE
cios do reino, e no anno seguate seguio para.j
Roma a servir como adjunto de seu ;rmao o pa-
dre Bartliolomeu, a quem nao tardou a substituir
e com mais fortuna, pois nao s consegulo o pa-
triarchado cardinalicio para Lisboa como o titu-
lo de fidelsimo para o Rei, honras e regalas
pssas que foram pagas a enria romana com mon-
tes de i raro que* Portugal enva vara as opulen-
tas minas da coliMiia americana.
o nomrado esenvo da pundade, cargo da
ais ;; t (otilanga, qu^s. pois de facto
o eru 4q ju-ivanca reaf/prque transmitUa as or
ens de O: JoSo V para toda a udministracao do
ino.
Alm desse encargo foi tambera incumbido da
decifraco da correspondencia diplomtica e au
torisado a sub-titui: nesse ramo de servico o an-
tigo sys'.ema de signas convencionaes por um
novo de sua inveocao.' At 1750, foi Alexandre
as Gusmo a intelligencla inspiradora das im
jioten'es negociacoes externas ; entre outras a
pferagativa da apresen'ta^ao de* bispos pete rei
ridelissimoa seus exforcos babilidade se deveu.
(1) VarOes illustres do Errazil. temo I
(2) Annuario Biographico.tomo U
RepartlcSo de Polica
2.* Beccao.N. 93.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 26 de
Abril de 1890.
Participo vos que fjram hootem recolhidos
Casa de DetencSo os individuos de nomos JoSo
Francisco da Silva, Manoel Joaquim de Mello,
Firmino Jos de Souza, Hermino Paulo da Sil.
veira e Jos Francisco de Oliveira.
Ao delegado do termo de Garanhuns apre-
sentn se voluntariamente no dia 24 do corrente
o reo Manoel Marques Teixeira, pronunciado no
art. 193 de cdigo crimiual.
O delegado do termo de Panellas obrigou a
assigoar termo de bem viver ao vadio Florencio J,
Jernimo de Mello.
Entraram em exercicio :
Dr. Argemiro Alve Arxa, delegado do l8 dis-
tricto da capital, na qualidade de 1 supplente.
Jos Sebastio Pereira da Silva, delegado do
districto de S. Jos de Belmoote.
Martiniano Leite da Silva, delegado do termo
de Petrolina.
Jos Brando de Carvalho, subdelegado do dis-
tricto de S. Jos de Belmoote.
Continuo a chamar a attenco das autori-
dades policiaes para o conteudo das seguintes
circulares expedidas por esta repartico :
De 17 de Dezembro lindo, recommendaodo
que nao consintam que sejam apprehendidas e
prohibidas quaesquer publicares diarias op pe-
ridicos, nem perseguidos os seus distribuidores
ou vendedores, devendo, nos casos excepcio-
nae3 ou almivos, aguardar ordens expressa3
desta chefatura.
De 22 do mesmo m^z. recoramendando que
tenham muito em attenco as disposicOes dos
arts. 205 e 209 da le n. i.129 das posturas mu-
nicipaes, empregando todas as diligencias ne-
cessarias para apprehensSo das armas defezas,
sendo os seus possuidores ptridos rigorosamen-
te de accordo cora a lei.
De 22 de Janeiro la corrente auno, no sentido
de promoverem por todos os meios a reoressao
da vagabundagem. obrigando os vadios e vaga
bundos a terem urna prosso decente e licita e
fazendo os que a isso nao se sujeitarem. a as-
signarem termo de bem vfver para serem reco-
lhidos cadeia no caso de infraccSo
De 28 do mez cima, recommendando a mxi-
ma brevidade na forraaco do3 inqueritos poli-
ciaes, a que devem proceder, sempre que occor-
rer qualquer facto delictuoso, nao deixando em
taes casos de effectuar o respectivo corno de de-
licio, sendo os ditos iqqueritos remettidos ao
promotor publico por intermedio do jui crimi-
nal a quem competir conhecer da culpa, sempre
que se tratar de um crime era que caiba a acjo
publica, e mandando archiva! os quando se trata
de qrimes de acedo particular para serem entre-
gues aos iatsressados e para que sejam pajfas as
CBStM.
De 31 aioda de Janeiro', recorameadando que
providenciem no sentido c e serem os mendigos
e especialmente os cgos recolhidos ao Asylo
de MendiciJade ou ostro qualquer estabeleci-
mento a cargo da Sania Casa de Misericordia,
rapedindo que ditos mendigos andera a es-
molar pelas ras e pontes desta capital, sal-
Thesoaro do Estado
Pernambaco
DESPACHOS DO DIA 28 DE ABRIL
1890
Jos Leopoldo Bourgard, Joaquim Can-
dido da Veiga Figueiredo, officio do juiz
de direito de Tacarat, Horacio Pires
QalvSo e outros, Pereira Carneiro & O,
Antonio Ferreira da Silva, Bernarno da
Silva Ramos, cantas do collector de Ipo-
juca relativas ao exercicio de 1886 a 1887
inclusive o 3. semestre, e dem do mes-
mo referentes ao de 1888.Haja vista o
Dr. Procurador Fiscal.
Domingos Gomes de Amorim. Com-
plete a exigenciu da Contadoria.
Companhia da Estrada de Ferro do
Recife a Limoeiro, Vctor Prxedes de
Mello, Balbino Jos de Jarvalbo e officio
do Dr. chefe de polica sob n. 754. In-
forme o Dr. Contador.
Jos Antonio Ferreira Porto e Joaquim
Jos de Carvalho. Informe o Adminis-
trador da Recebedoria.
Visconde de Campo Alegre e Anna Se-
nhorinha de Franja.Ho porteiro."
Antonio de Medeiros Carneiro e Anto
nio Moreira Reis.Informe
Contencioso.
Quanto aos boatos relativos ao estabelecimento,
era Alexandria, do patriarchado latino, cuja ju-
ri3dicgo abrangeria toda a costa do mar Verme-
Iho, o Alto Soldo, e a Abyssinia, encontram-se
:erus dffioildades, ainda que nicamente na
forma.
Accrescenta-se que a questo de convocagao
eventual de Hit conclave em Malta, no caso da
Italia esler em guerra na epocha em que sobre-
venha a eleico de um novo papa, nao f'uurava
as in3truec6es "do enviado ioglez.Sir L. Suris
n.ors ; mas que o Vaticano exprimi o desejo de
um accordo a tal respeito.
Oscard.eaes roceberam communiaigo oe uraa
bulla secreta, que tratava, segundo se diz, do
conclave em questo.
J sefapresentou ao papa o novo enviado do
imperio aHerro.
O'bisp," aUema>,--monsenhnr. Konn. voltari
deatro em by ~ fice da 'aun&d deflOlferepcia operaba de Ber-
Um, e da opniao dos altos'personagens de Ber-
lina sobre o assompto. :_
0 nafa prepara- urna enc'yclica sore esta
iuesflrejr Diz-ce que Sua 9ntidade laflciona
azerardealThon3efjhor*Kopp.
Inglaterra
Lofd^Randolph Churcbill conseguio ha lias
ser alvo dos ataques de toda a, imprensa conser
vadora ingleza, pe^us suas censuras ao governo
rie Goemao empregado na secretaria dos nego- T0 aqHel;es que forera portadores de um carto
fornecido por esta repartico aos que se acba
rem em condigoes de implorar a caridade pu-
blica.
Da mesma data cima, recommendando a ap
prehenso de todos os menores encostrados fin
abandono, afim de serem entregues aos juizes
de orphos para dar Ibes tutor e oceupago.
De 12, do mez de Fevereiro Ando, em ad-
dilamento circular expedida em 22 de Ja-
Regressando a Lisboa em 1730 foi Alexandre. ^^ chamando a attenco para diversas dis-
licoes do cdigo do prcessb acerca da vaga-
ndagim e do modo de proceder contra os
moa.
2 23 do referido mez de Fevereiro, recom
mendando aos delegados que s.' abstenham o
mais po8sivei de intervir em assumptos de di-
jeito privado, de iramiscuirem
trras, como abusivamente ta
do, com queixa jUte 4o
Da mesma datapna, rr
legados, chefea^fivico
mos, que fagaff^
exercicio dos ca ..
curso de lodos que dte
o servico.
De 6 de Margo, reco
ragao no modo de tratar o cid:
questoe de
a pratic-
doaosde-
seus ter-
ntrar em
ler do Con-
s para
Recebedoria do Estado de Per
nambuco
DESPACHOS DO DIA 28 DE ABRIL DE
1890
Maria do Carmo Maior, Raymundo Ber-
nardo Lasserre e Flix Pereira de Souza.
Informe a 1.a seccao.
Gomes Alves & C.Certifique.
Jacintba Claudina de Olinda Pocas.A'
1. seccao para os fins devidos.
Clemente Martins Ferreira da Silva e
outros e Henrique Pinto de Lemos In-
deferido, em vista das informales.
Joaquim Pereira de Almeida Deferido,
em vista das inormacSes.
Felismina Eudoxia de Araujo Pernam-
buco.Sim.
laspectoria Geral da Iastruceo
Publlea do Estado de Peruam
baco.
DESPACHOS DO DIA 26 DE ABRIL DB
1890
Donatilla de Castro Ramos. Requeira
ao governador deste Estado.
Jos Marcelino da Costa.-Abono.
- 28
Jos Felicio da Cunha.Eocaminbe se.
Jos Gongaves dos Santos e sua mu-
lber Francisca Arcelina dos Santos. En-
ea mi nhe -se.
EXTERIOR
EUROPA
Manta S
quiz as3o:iar-se s manifestagfes d
que os fleis de Pars tencionam fazer
Mousabr, quando terminar ;os seus
O papa
sympathia
ao padre
sermOes.
Su santidade enviou ao cardeal-arcebispo um
telegramma no qual d a sua beogo, que mon
senhor Richard ier aa Notre-Dame, por occa-1
sio da predica do padre Mousabr.
A imprensa catholica est bastante inquieta
com a noticia de que Guilherrae II tenciona pro-
por o desarmamento geral.
No Vaticano considera-se a retirada' de Giers
do gabinete russo como un symptoma de multa
gravidade.
Noticias de Roma dfzem que o papa pro-
jecta nomear quatro cardeaes no prximo con-
sistorio.
A nomeago recahir nos prelados Boccali e
Satolli, e nos nuncios de Paris e Lisboa.
Esta nomeago tem por flm obter maioria ita
Itoa no Sacro Collegio.
Ser tambera nomeado cardeal o arcebispo de
Rouen.
As negociagoes que est entabjladas entre
a Inglaterra e o Vaticano comprerrndem o pro
jecto da reago em Malta de uro rande colle-
gio d misslonarios.
Estas negociagOes eslo adiantadas
no debate sobre a flbmraisso Parnell.
Agora forcwa esses mesmos jornaes a prestar
lhe nomenagem, com um magoitico relaterio da
commisso parlamentar de inquerito. 'adaltnis-
trago do exercito e da marinha. *'
At a Saint James Gazette, que o tem atacado
com urna .violencia extraordinaria, reconbece
que este documento digno de um verdadeiro
hornera de estado. *
E' certo que as propostas de lord Randolph se
distinguem por urna originahdade notaveU e por
um senso pralico, que de certo ninguem espe-
rav. da parte do seu excntrico autor. Os pon-
tos mais notaveis sao os seguintes :
0 exercito e a marinha teriam, respectivamen
te, um commandante em chefe que seria offi^ial
general, escolhido pela sua proliciencia technica,
e que seria directamente responsavel por toda a
organisago e administngao das forgas debaixo
de sen commando.
Estes officiaes teriam, cm virtudc do seu cargo,
lugar na cmara dos pares; mas no gabinete s
teriam vozquado se tralasse dos negocios da sua
especiatidade.
Para estabelecer a iigago necessaria, entre os
chefes do exercito e da marraba, e entre elie e o
reato do ministerio, haveria um secretario de
estado e thesoareiro das forgas de trra e mar,
que seria um ministro parlamentar, como ouiro
qualquer, e que seria alm disso responsavel
pela contabilidade de arabos os ministerios, e
pelos foruecimentos de material de guerra de
toda a oriem.
Seria, portante, de algum modo, simultanea-
mente farnecedor e banqueiro dos outros dous,
mas oso poderia, cora a sua incompetencia tecb
uica, e os seus mesquiohos pontos de vista de
facci03ismo paridario. desorganisar as forgas
defensivas da nago.
O modo porque lord Randolph resume a form
actual de prover os lugares de chefes supremos
do exercito e da marinha, interessante, e ap-
plicavePa todos 03 pai'.es que soffrem di doenga
parlapntar.
O prwtdenjp do conselho incumbido deTWmar
o ministerio, distribue as pastas a membn rio
parlamento salientes, qb de snpposte merec-
memo. Assira acontece iovarlavelraente que
exercera o commando supremo do exercito ou
da marinha ca,valbeiro3 com poucos ou nenbuns
conhecimente3 profissionaes.
Exige-se que resol vara questes geraes e es-
peciaos de administragao naval ou militar; sao
lj em theoria respoosaveis pelas consequencias das
a oecsao do guag decisOes, e depois de alguns mezes ou an-
nos de poder, sao substituidos por outros, habi-
litados com igual falta de experiencia e de es-
tado.
Refere um telegramma de Berlimao Stan
dard que se est all fezendo para a rainha Vi-
ctoria um uniforme do regiment de dragOes, do
qual a mesma rainha .chefe honorario ; e consta
que a rainha Victoria se apresentar com esse
uniforme por occasio de sua visita ao impera-
dor Guilherrae era Darmstadt.
Dizem de Londres que reina alli grande
agitagSo nos centros da alta igreja an?licana e
do mundo catholico. Trata se de boyeotter
Sarah Beruhar Jt, quando ella for representar a
Londres.
E' um facto positivo que o clero catholico con
vida os membros das duas congregages a ab-
steretn se de assistir s representagoes de Sarali
alim de eneinarem grande actriz que as suas
excentricidades devem terminar onde acabam os
limites do bom gosto.
Como reclame de primeira ordem ; a serio,
e dito por inglezes, simplesmente urna ine-
pcia.
Os jornaes inglezes, principalmente os do
partido ory, nao podem conter o seu despeito
pela noticia de ter Emin-Pach entrado ao servi-
go da Allemanha.
Um dos facciosos defensores da idea imperial,
a Saint James Gazette, chega a lamentar que o
dinheiro e as vidas que a Inglaterra gastou com
a expedigode soccorro a Emin-Pach, tivessem
apenas como resultado dar Allemanha um no-
vo explorador, armado com urna experiencia
pouco vulgar.
Compreriende-se bem o desgoato. A exped
gao de Stanley nuneaToi destinada a soccorrer a
Erara, quedabas, em todas as cartas que conse
guia fazer chfgar EuropaJ declarava nao preci-
sar de soccorros.
O lim d,a expedigk Stanley, paro a qual 03 ne
gociantes da Cy subscie*eraai os seus raima-
res de libras, era put'ro, era ligar costa e an-
nexar ao imperio britannico a provincia qu?
Emin governava em nome de um Egypto, que ;
tinba deixado'de existir^ aooiquilado pelos pro
cessos salvadores e civilisadore da Inglaterra;
por lsso se e-colheu o caminho do Congo, por-
que urna vez conquistada a provincia de Erain,
fcil serla Inglaterra obter urna influencia pre-
ponderante sobre o Estado Livre do Congo*
Mas a desilluso comegou com a chegada da
expedigo ffregio dos Lagos. Emin nao acei-
tava a repatriago que lhe era offerecida cora a
condico de abandonar os seus subditos, por-
que o cram mais delle do que do Khediva, aos
manejo;, da Inglaterra, ou ao governo de Stan-
ley. .
03 grandes depsitos de marlim que tinha re-
unido, tambem nao via razo para os entregar
expedigo que o vinba salvar.. malgr tai.
D'an resultaram as desintelligeocias, as reqri-
rainag"P8 reciprocas -que as cartas de -Stanley
deixam percebe.-, e que sera duvida ho deaer
mais bem couliccidas quando sahir a promeltida
obra do explorador americano.
Sbese a solugao que teve a questo. A che-
gada da expedigo de Stanley, longe de intimi-
dar os mahdistas, incitou-os a novos esforgos, via diplomtica,
emquanto tirava a forga moral a Erain, abriodo D Wiiat
urna retirada aos menos resolutos da sua peque-
a guarnilo Depois de urna insubordinago
provocada' pf las resistencias de Emm s instan-
cias de Stanley, para o acompaohar costa a si-
tuago ternou-se insustentavel, e o valeate aus-
traco, cora um puuhado de corapanbeiros dedi
cados, teve de se refugiar no acampamento de
Stanley, e dirigi se cora elle-para Bagamoyo,
perseguidos pelos mahdlstas, e anieagados em
flanco por Typolyp, o cegador de ecravos, al
liado de Stanley, que a forga apparato da ex-
pedigo tinhara ajustado e tornado hostil.
Assira fallron a primeira parte do plano in-
glez. Restava Ihes, porra, urna esperanga, era
que Erain-Pacb, entrando ao scrvigo da Gr-
Bretanha, se pre3tasse a ir reconquistar a sua
anhga provincia, partindo das possess683 de
Brilish East African Compaoy. Agora tambera
essa desvanecen
Emin vai reconquistar a sua provincia, mas
para a Allemanha ; e o resaltado ser tolher to-
da a expanso futura s possessoes da companhia
ingleza.
Ao mesmo tempo npparece a noticia de que
lord Salisbury resolveu ceder s pretengoes al-
lems sobre o Stephenson Road, estrada que se
desenrola desde o Nyassa at ao Tanganoka, for-
mando a continuago do Chire, como via com
mcrcial. Esta estrada foi realmente feita pelos
isslonaries inglezes, ecom dinheiroioglez ; ha-
via, pt>i) w> mus razio para a rivladir:ireTi
como suas do que para a Makolololand, ou para
as missOes de Blantyre.
Acmantaa
A linguagem dos jornaes allemes ma3 de
dicados ao principe de Bismarck de fazer acre
ditar que bouye divergencia muito grave entre
o chancefler e o imperador.
Assiio, a Gazeta de Colm;a, que ha muito tem-
po passa por obedecer s*inspirag6es do princi-
pe, nega seccamente que a sua demisso fosse
devida incoramodos de sade, on maioria
hostil que as eleicoes enviaram ao Reichstag; a
verdade, accrescenta o articulista, que o chan-
celler nao podia tolerar a presenga junto do im-
Iierador de certos conselheiro3 extra officiaes.
nlgamos que a psssoa a quem isto se refere se-
r o Sr. Hintzpeter, antigo professor do impefa-
d ir, e que 03 jornaes francezes. ha algum tempo
j affirmaram ser o inspirador de umitas das
suas resolugOes.
Do mesmo modo a Nordenstebe Zeitung diz
que o chanceller, longe de estar em desaccordo
cora as ideas econmicas e sociaes do imperador,
foi a primeira pessoa a acooselhar, em 1883, a
convocago de urna conferencia intetpacioual
sobre o assumpto, e foi quem tomou a iniciativa
da reunio do congresso actual.
As divergeacias entre o imperador e o seu mi
nistro nao foram, pois, sobre a questo socialista,
mas sim, principalmente, sobre a respensabidade
ministerial, sobreludo quanto s relaces entre
o presdeme do con se I lio e os seus collegas.
O correspondente do Times em Berlira, com-
mentandoeste ariigo, recorda urna ordem real
de 8 de Setembro de J89, segundo a qual os
ministros prussianos seriam individualmente
responsaveis para cora a coroa.
Esta theoria nao podia agradar a Bismarck,
que conseguio na pratica, e sobretudo depois da
fundago do imperio, derrogar a ordem de 1852,
tornando se chefe responsavel do gabinete. O
imperador queria establecer as 6uas reUgoes
directas con cada um dos seus ministroj, Bis-
marck exiga que tolas essas relagas fossem
por intermedio delle. Foi este o conflicto, nada
mais e nada menos..
Agora o promenor mais interessante dado
pela Vossische Zeitung as seguintes palavras :
O imperador preoecupou se com as nego-
ciagOes entre o principe de Bismarck e o Dr.
Windtorst, e dirigio-se ao palacio do chanceller
para saber o lim rfessas negociagOes.
< E te achava se de cama no momento da che-
gada do soberano, mas levanten se mmediaia-
mente para o receber, e em resp03ta- pergunta
de sua mageatade, dase que as suas entrevistas
cora o Dr. Windihorst diziam respeito a questes
particulares ; ao que o imperador observou que
sejulgava cora'direi'.o de Saber a tempo de
quaesquer negociagOes entre o seu governo e o
chefe de um partido parlamentar; Bismarck res-
pondeu a isto que nio podia admittir interven-
gao de especie alguma as suas relages com
quaesquer membros do parlamento, e accrescen
ton que s em consecuencia de urna promessa
feita a Guilherrae I, tmha conservado at boje as
suas funeges; eslava, portante, prorapto a
abandonar o poder desde-que os seus actos
tinham deixado de merecer a approvago impe-
rial.
Depois desta entrevista, era inevitavel a
demisso do principe de Bismarck.
E'pois evidente que houve conflicto, e confli-
cto grave, apezar das honraras e distincges
com que o imperador tem procurado mostrar o
seu reconhecimento ao fundador do seu imperio.
O augmento do orgamento do ministerio da
guerra na Allemanha, em virtvtde dos ltimos
projectos, attingir a importancia de 18 milhes
de marcos, ou tanto como 4,050 contos de res
fortes.
Acccntuam-se 03 boate3 de que o impera-
dor da Allemanha, convertido ao liberalismo, vai
emprehender nos seus estados profundas refor-
mas polticas.
Segundo um fofbeto que se attribue ao Dr.
Hinzpeter, que foi preceptor do monarcha, os
artigos captiaes do programma dessas reformas
sao : suffragio universal com voto secreto, ap-
plicado eleigo das dietas dos diversos estados
como a do reichstag ; conlribuigao progressiva
sobre 03 rendmentos e sobre as successes e
augmento da tax sobre as transaeges da Bol
sa ; urna poltica, colonial imitada da que a
Inglaierra adoptou na India ; unio aduaneira
cora a Austria ; servico militar de dous annos;
tixago do tempo diario do trabalho operario, e
d'um mnimum de salario ; prohibigao do tra
balho ao domingo ; regulamentaco do trabalho
das criangas e mulberes ; introdugo d'um sys-
teraa que associe directamente o trabalho aos
lucros do capital ; creago de cmaras de tra-
balho, e d'uma reperiigao central imperial de
trabalhadores.
Alm disso Guilherrae II tenciona empenhar-se
pelo desarmamento geral.
A monarchia gloriosa, que creou a patria aile
ma, julga, pois, necessnrio, defenderse, trans-
grado com as ideas modernas, e protegen do os
inleresses e as aspirages das clas3es mis nu-
merosas.
As intransigencias auctoritarias e repressivas
da poltica allem, cujos exeraplos Iranstorna-
ram umitas cabecas fracas, vo passar historia
com o podero do principe de Bismarck, que
tantos governo3 teem querido e ainda querem
imitar.
O imperador Guilherme parti no dia 10
tarde para Wiesbadea, atim de visitar a itnpe-
ratriz da Austria.
Em conseqnencia do convite imperial s auto-
ridades religiosas pan cooperarem na solugo
da questo social, hrjla-se nos circuios cathocos
recrudescencia de aitago para o regresso das
ordens religiosas expulsas do territorio allemo.
Suppe-se possivel que seja autorsado esse
regresso, cora excepgo dos jesutas.
Assevera se positivamente que o governo
allemo examina a possibifdade de supprmir a
obrigago de passa portes na Alsacia Lorena.
Corre o bato de que o imperador Guilherme
quer manifestar as suas disposigOesipaciflcas por
no Fgaro, que Bisnarck, est
longe de ser um resignado, e que espera tornar
a entrar em sceua mesmo contra vontade do
imperador.
Suspeita mesmo que elle se prepara para o
papel de Cromwel. E, fundamettando a hypo-
these, consta que o ex chancelle dissera:
Os Hohenzollern flzeram a Prussia; que a
governem, pois, coroo entenderem. Has fui eu
3ue ttz a Allemanha ; por isso at morte hei
e vigiar pela sguranga de minha obra I
Segundo vemos referido na imprensa
trangeira por ordem do imperador Guilherm
foram chamados a Berlim todos os commandan-
tes dos corpo3 do exercito, afim de receberera
as ultimas mstruegoes sobre as medidas de f-
presso que teem de adoptar, afim de impedi-
rem quaesquer mauifestages que os socialista
projectam realisar no dia 1 de Maio.
Apezar, porra, de todas as deterrainages da
autoridade, e nao obstante es conselhos da mate-
ria dos deputados socialistas, os comits de ac-
go persisten em realisar as manifestaces que
annunciaram, e principalmente em Leipzig, Ham
burgo e Francfort sobre o Meno, Eiberfeld e
Munich sabe se que resolveram resistir at ul-
tima.
Posto isto, e conuecidas a3 ordens dadas aos
commaudanles militares, de prever que o da
1 de Maio seja assigoalado na Allemanha por
um sangreoto^ontlicto. ; *
' O Re Main, defendo as suas sessss prolongar se a
os hns. de Junho.
.Bsala
Nao fcil oifihecer-se por emquanto qual
o carcter e a gravidade dos tumultos acadmi-
cos que tem havrto na Russia, e de que o tele-
grapho nos tem dado noticia incompleta.
O que l se publica a tal respeito, se desagra-
da ao governo, iraraeditamentedesmentido. As
correspondencias enviadas prd os outros pai-
zes sao em geral muito parcas de informages
sobre os acontecimentos. -
S as de origem revolucionaria sao mais ex-
plcitas, mas trazem a mascula da saspeita.
X) que parece bem averiguado de lado quanto
sebre a materia se tem dito, o que passamos
a resumir.
Os tumultos que produziram a priso de 700
estudantes, nada tem de commum com as revol-
tas agrarias, que os jornaes inglezes tem predi-
to para d'aqui a pouco tempo.
Comegaram no instituto agronmico de Pa-
trowki, em Moscow Os aluranoi d'elle nao es*
tavam satisfeitos com o director, queixavam-se
de que elle fosse de origem allem e da sua de-
masiada severidade.
O tal director presentiu o espirito de ravolta
no animo dos estudanles, e resolveu abafa! a na
primeira ruanifestago externa.
Tsndo sido prohibido pela polica o novo roman-
ce Tolstoi intitulado-A sonata de Krentier, o
director mandn apprehender varios exempla-
rea que circulavam na escola.
Di3so resultou um motira bravo, com quebra
de vidros, carteiras e bancos.
Interveiu a polica, foram atirados alguns ti-
ros de pistolas contra 03 esludantes, e poucas
horas depois todas as escolas de Moscow estavam
em ebuligo.
Este movimento communicou se depressa s
Universidades de Karkon, de Kazan, de Dorpart
e de S. Petersbur>o.
Ne3ta ultima cidade os esludantes reuniram-
se e declararan! que para voltar s aulas, exi-
gan o seguinte :
1 Autonoma da Universidade;
2' A creago de urna justiga universitaria ;
3o Cooees3o aos israelitas do direito de fre-
quentarem as escolas publicas ;
4o Igualdade para os esludantes dos dois se-
cutes ;
5o Eleigo do director pelos professores;
6* Dirainuico das propinas de matricula.
Estavam elles dlscutiodo este programma;
quando o prefeito, o general'Gresser, chegou,
fez cercar o local da reunio, e declarou que os
esludantes presentes estavam presos por delicio
poltico.
Intervieram enlo os professores, que conse-
guiram que o prefeito cedesse declarando que
smente seriara presos os estudantes que pro-
testassera depois daquelle momento.
Seguid-se a isto um tumulto indiscriplivel; o
prefeito loi langado por trra, e teria sido tal-
vez morte, se a polica ao lhe acudisse a te npo.
Era seguida foram presos uns 400 estudantes ;
os seus condiscpulos ca mam a liberdade d'el-
les, as escolas esto fechadas, e o general Gres-
ser continua a fazer novas prises.
Tm sido tomadas pelo governo providencias
de urna gravidade extrema, que fazem suppor
que elle se arreceia de acontecimentos bastante
sri03. ?
O ministro da instruego publica pe demissSo.
O czar mostra-se muito desgostoso ao ver a3
proporges que tomara m os tumultos dos es tu-'
dantes, e julga se que aquella demisso foi con-
sequencia de iudicages do soberano.
Nao falta quem diga que ella teve origem no
desaccordo do ministro quanto ao procedimento
do general Gresser, prefeito de S. Petersburgo e
autoridade superior do districto universitario da
cidade.
Telegrapbaram ltimamente de S. Peters-
burgo para o Tunes desmentindo 'todos os boa-
tos acerca da descoberta de um trama nihi-
lista.
Austria-Hunjrrla
Ha dias, uns nfll e qninhentos operarios fize-
ram greve em Vieona d'Anstria, reclamando
augmento nos salarios e reduego de horas de
trabalho, reunindo-se no praga d'armas de Shu-
relzo e tizeram ruidosas raanifestages. A's 7
da noitc dirigiram-se para o arrabalde de Nen-
lercheufeld saqueando os rmaseos, langando
s vaietas grande quantidade de alcool, que, in-
cendiado, pegou fogo a um edificio, o qual ficou
parcialmente destruido.
Sendo intimados pela polica a dispersar, res-
ponderam pedradas, sendo preciso o auxilio
da tropa. A policia teve de fazer uso de armas
qrancas ; os soldados flzeram fogo contra a mul-
do, engrossada j i pelos populares. Dous es-
buadris de cavallaria e um batalho de infan-
tana restabeleceram por lim, a ordem, tendo
feito numerosas prises flcaudo muita gente fe-
rida.
FRICA
Daliom
O jornal ofticial da repblica franceza publi-
cou o seguinte decreto :-
t%t motivo do estado de perturbago exis-
tente no Dahora o governo da Repblica, com
o flm de impedir a importago de armas e de
muniges alli, decidi por em estado de blo-
queio, a datar de 4 de Abril de 1890, a parte da
costa dos Ecravos, comprenendida entre o li-
mite dai possessoes francezas e alleras dos
Popos (68 14 443" lattitude norte, e 0o 50'36M
iogitude oe3le de Paris) e o limite oriental das
possessoes francezas de" Porte Novo que, segun-
do a convengo franco ingleza de 10 de Aaosto
de 1889, constituida ho litoral pelo prolonga-
mente do meridiano que passP pela Angra de
Adjarra.
O ministros, reunidos em coaselho, resol-
veram enviar urna forte expedigo a Dahom
para se obter prompta repafago dos insultos
recebidos, e para libertar ou vingar os prisio-
neiros.
Neste sentido, logo qu se abram as cmaras,
ser proposte um pedido de crdito para essa
expedigo.
Diz o Petlt Journal que, se o parlamento
approvar a expedigo ao (ahorn, serio para
all enviados 3,000 senegalezes enquadrados era
800 homens de infamara de ma rinha.
fypto
0 governo turco, cangado de presenciar a oc-
eupago do Egypto pelos ingfeze, sem que
W

- i

i ;'!
m

1
1,


I
I

A
i
""*WT7^
Diario de Pernambnco-TerQa-feira 2& de Abril de 1890
estes coosintam em declarar aando teicionam
bandonar aquelto-*ats, to* agora desaterrar do
d dos archivos uat projfclo de convenci que
era lempo- fra fbtawlaa or m esetmisaano
do goverao logia*, e qoeYgoeerao etlomaao-se
recusou a asaltear. Nossa convencae-estipato
va-se que o Egipto serta evacuado dalM ha tres
aonoa. ,, ,
Se a convenco tivesae sido assiguada, estara
prestes a expiar aquella praao. O overas de
roraue moddade, con o povo, nucas de or- o oue de jnai con^oleto temo, tdo at
toa, crteras que mn a explodir a lava #o hoje.
leasa
vblco do KO patriotismo.
genbores. ao approwiioa oeenslo peae
mm vea dizer que amito ceo.no na moeiuade. i
taflerava '-dtoaabert quenas materias pettoee-j
ubicas e polucaa, ern os mocos os man me
erados, porque eram oe mala desioteressado;
aoraue n'elles uido desejo de acertar, n'ellee
ludo preoccupajo ideal do futuro, descuido da
se mostra disposto a isso.
Dn-se que a Porta nao nutre illuso algunas
a respeito das intehcoes do governo ingles, nem
espera resultado algum das negociares que
pretende iniciar. Sabe perleramente que a lo
glaterra nao abandonar voluntariamente o
govplo ; e, se o sul to ordenou que se promo
vesseai taes oegociacoes, j condemnadas es-
terilidade. porque quer por em toda luz a sem
raxo da GrS Bretanha, de sorte que em certo
momento a influencia da Allenanna se impo
nba.
^mquantotoiaSalisbUTytoei ee esquiva
do ccm a habitual mauba ingleza, a comecar as.
negociaces, allegando a sua doenga, e ter que
ir para 0 campo
6 corresponden le do Fgaro em Londres clix
para aquello jornal:
Estou absolutamente convencido de que,
n'um futuro mais prximo, do que se pensa, a
Inglaterra, j ludibriada pela Allemanha na
frica Austral, ludibriada tambem por Emiu
Pacha na frica Equatorial, vera levantarse p
rante eltoo imperio alleroao no valle do Nilo.
Se nao quizer ser expulsa dalli, ter qne pagar
isso muito caro ; ter que escolher entre o pa
pe de humilde serva de Guilherme 11 em tudo
e por tudo, e a parda do que chama o antinho
das Indias.
Zanzbar
Noticias de Zanzibar, de origem ineleza, dizem
aue nao se acredita n'aquelta cidade que Emin-
ftrch v em nome da Allemanha fazer tratados
com o regulas do Ja*a Victoria. Httnt* porm.
sim que vai simplesmente a WadeHi-buscar c
marfim que l deixou, e que Ernin juTga valer
3,600 con los de ris fortes. .
O Times publica nono* de Zanzbar di
xeudo aue Emin desejari agora quebrar con
tractos com a Allemanha, e voltar a Europa, e
nio tomar nenhuma resoluco definitiva sobre a
V*03 chefe3 Benaheri e Jeha submetteram
se aos allemes cm o resto das fo-cas, que se
conser?avam em rebellio.
Stanley, n'uma conversado que teve com
um jorualisla, guardou grande reserva sobre a
opinian queTrma do proc dimento seguido ago-
ra porEmro Pacha, a quem nao censura; nao
er, porm, que elle intente a conquista do sol
dao equatorial.
Stanley parece muito espantado com as pre-
lences dos allemes, que mostrara querer pos-
suir toda a frica ; ma3, tem aconvicco de que
a Inglaterra ha tte deitar-lhe a agua na fer
vara. .
AZIA
Chlaa
Os chinezes andam assusUdos, receianio um
ataque da Russia contra as provincias septen-
srionaes. ., -_>.
Escurado ser dizer que os nglexes j andam
mettiios no negocio, intrigando junto do impe-
rador.
U 'UO Batid C piWIUrtip^OW .ux. m, .., ----w-. -
loMtonuuopto~ptira agora eutatanur naa da material, despida da realidade abatedora do
ciaces com o gabinete inglet para se ratirtaarj eresente ; seas .ytem* POdem revfc8trfl^aad*
a referida cooveuco ; Tas parece que este nao lucta nao consolidada flos interesses egostas e
?-_..' h.^i* = ; dos intereses mais nobres pela ambicio e soffre
guido nataraes da juventude; porm ellas ao
sempre generosas, porque nao visam a urna van
tagem prxima de qualquer naturia. E. per-
mita que vos diga eu nio creio nos mojos por-
3ue aeja moco pois nao o sou bastante quanto
esejava e quinto preciso sel o, embora o tives-
sem fetto crer, por demasa talvex, os arrojos de
urna propaganda, em que certo para o observa-
dor a ardenta era mais apparente que real.
Deixai que de pormenor eu saliente, sennores,
o papel da mo^idade d'este Club, forca activa e
estimulante no seio do partido republicano, em-
bai&ada permanente dos povos aa Rio Grande
do Sul no centro da nossa patria, eempre zelosa
dos intere8ses da cjmmuuho brazeira, sempre
reivindicadora dos interesses e das glorias da sua
Ierra.
Porm eu nio me esquecerei do Dr. Alvaro
Chaves. Conheci o em S. Paulo quando eramos
meninos, e nao mais que esperancs; e de logo
pude cumprehender-lhe, atravs da meigoice dos
afectos, a energa da resoluco e a firmeza do
pensamento republicano. Acompaohei o mais
urde nos impulsos da nossa activusima propa-
ganda, e quando o vi transportar se para trra
estranba, de momento me aperceb qu sua
alma de sensitiva, magoada das miserias e das
dore3 da patria, fra buscar novos- alentos na
civilisacao das patria.* mis, de onde piovie-
Hoje, elle esUria aqu, ao nosso lado, a pedir
coinnoico urna patria cada va meihar, urna R
publica 9*d r|uibtio O Dr. Alvaro Chaves era um propagandista,
ardente, posto que moderado, sabia que a prin-
cipal qualidade do hornera poltico urna qoali
dade dos mdtiocrea, cert, raas tamben urna
qualidade dos nomens hoBestos, a firmeza ; sa
bia que o .irincipal apanagio dos estadistas a
coherencia e a integndade na sda vida; lamis
pregou sono aquillo que elle certamente havia
de realizar como governo, posto a que as suas
alus qualidades o camanam faUlmente.
Como oos, elle coninuaria a pedir a liberdade
em todas as sua3 manifestaces e capitlmente a
hberd. de espiritual, esse direito humano, que
nao exclue a resuonsaoilidade, de ludo pensar,
de tudo diier na tribuna das pragas publicas,
na tribuna doutrinana dos mestres, na imprensa
de qualquer genero, nos menores convivios par-
ticulares. '*_. ,_
E elle continuara a pedir a deaeentralisacao
administrativa, econmica e linaoceira, em urna
palavra afederago,-conforme o signihcado
desse oellissimo termo-allianca, ligaco, imm-
dade
Porquanto, elle, mais clarividente talvez, ou
perventura mais ousado e menos responoavel,
nao se arreceia^a, eonie tantos e eu proprio, de
que ama propaganda demasiado descenlralisa-
dora e federalista, pudeese traxer o desmembra-
mento precece e violento da patria.
De feilo, quem poderia allirmar que, se fOra
retardada a nossa victoria en se fra demasiado
loago o choque revolucionario e se as aspira-
coee autonouiticas se tivessem arraigado deraas
as antigs provinoias, quera podara allirmar
que a patria se nao e?phacelaria 1 Quem, que a
forma monarcbca nao seria, pela ambicio de
principes e pela iogeuuidade dos povos, nao se-
ria acceita eu aigum ponto datrra mai ?
Q iem que a harmona continental da America
uo fra adiada e mesmo perturbada p*-la couti-
nuaco do exlranho corpo aynastieo t Quem po-
derla affirmar que, para -evitar tanoanho desas-
tre nao seriamos fatalmente inogisequeutes,
obrgando subordinaco quelies meamos cujo
direito a autonoma teamos pregado ? Quem ?
Eis porque, os que podemos pare.er uoitariqs
nao fomos seno patriotas preoecupados de un-
oae nacional. Porque, ab eu nao sei, se feti-
chismo sentimental, ou coaviego philosophica,
lamis pude comprehender esta patria nos meus
das outra cousa que nao grande, unida,
lorte iniefira. grandeza das repblicas d aquem
ana'ma deixai me dizer no meu sooho de. c;
hegemona na America, e luzao mundo
uos Mtafiam w seua com
promisso fP*"al nente; a, o que mai
nobre e mievado ainek, pelo janos-
no iuiao que formam dea deveres aociaes,
pagam boo* do cofre tudo qunto com-
pram, desde o pSo at jeetos de lasco,
ufim de que, incoando bochechas, pos-
sam diuer com certo orgurbo :
__ Nao devo nada a ningnem.
Ha outros que slo exoellentes visi-
nhos.
Quando elles paasam, o moradores do
quarteirfto cantam-lhes em prosa, porque
infelizmente nio dado a todos cantar
virtqdes em-verso, as qualidades ordeiras
e o comportamentO exemplar.
__ Naquella casa parece qne nio mora
gente, diz-se de rotula para rotula.
__Elle casado ?
Disem que sim.
Anda nao lhe vi a cara da mulher.
Hontem vi urna mooinha janella.
Ha de ser filha.
Outros procuram salientar a sua indi-
vidualidade na msneira rigorosa porque
cumprem os deveres como funecionarios.
Juizea n3o conhecem am gos ou inimi-
gos, e jamis deram ama senten9a em
que a le fosse sacrificada.
A gente esta a velos e lembra se da-
quel'e Bruto implacavel, redivivo na tel*
de David, e que assistiu, sem pestanejar,
execugo de seus proprios filbos.
Empregados pblicos, vs8o os primeiros
que entram na reparticau e~oa ltimos
No livro do ponto s deixou de figurar-
Ibes o'nome por motivo de molestia grave
attewtada pelo medico, com ajirm reco-
nhecida.
Empregados particulares, nunca o pa-
trio o mais exigente encontrou motivos
para reprebendel os.
Oetros ialb*|>atriotas denodados.
Outros...
Entretanto a bonestidade nao est na
pratica parcial de urna s virtude, mas uo
exercicio constante de todas.
A honestidade como o idolo de um
pagode chinez ou como- os ministerios do
amigo rgimendeve ser feita de urna
s peca.
De que serve pagar pontualmente as
dividas, nao ouvir dtaaforos do Seixas,
quando se maltrata a esposa e nSo ae
cura da educacSo dos filhos ?
' justo adorar a familia, passando a
vida entretanto a pregar calotes ?
appli
e lembrando-me daa palavras de Stark,
Aiwm am os meus botos:
9ta, eis ahi ota meseo que uto
vehajda de microbios. .Gamo slo feliaes
_j ssaai.doentes Quaao, depois de ter
examinado um enfermo de febre amareila,
elle obagar ao quarto de am tuberculoso,
este ola correr o parigo de ser envene-
nado pelo microcoam aan'hogenicua, do
mesmo modo que o que se seguir ao ty;i-
co nao poder temer o terrivel bacOlm
da tuberculoso.

O vestuario claro seria, al m de hygienico,
preferivel ao escuro considerado sob o
ponto de vista da esthetica.
No meio do polychromismo da nosH!
natureza radiante de alegra, o bomem so
constitue a nota triste pel seu carcter
e sobretudo pojas coi*es sombras de que
se veste. -
Uma falsa eomprenensSo da seriedad
humana obriga-noa a andar eternamente
de luto!
FfiANgA Jcsib.
REVISTA DIARIA
offerecido pele mesmo capitio Jos Gemmia <* ha onveniencia na morte dos caes, facamn'a,
um copo de cerveja aos seus compaunetros de mas nao deixem-n'os expostoe pelas ras da oi-
<
ser
AMERICA
Pera
Reina grande excitafiao em todo o Per, em
resultado das eleicOes presideociaes.
O governo promuigou um decreto prohibindo
as nianiestacoes publicas polticas.
O general Nicols Pierola. ex-didador, foi
preso uo dia 6, aecu^ado de estar encarregado de
renarar uma revolu^ao militar.
Ha graves desinlelligencias entre o governo e
aiuo'aeleito al; es.a recusa-se a obedecer s
trdens do governo a admiltir na junta um mera
aro nomeado pelo prefeilo de Lima illiciumeote,
segundo ella.
O alcaide de Lima, o adjunto e mais tres mem
ros foram presos.
Nao tem havido comtudo nenhuma desordem.
mas a esquadra ingleza do Ocano Pacifico era
esperada a 8 em Callao de Lima para proteger
s nacionaes ingleses.
lado luido
Os EsUdoa Unidos vio gastar a bagatella de
Jot) milhoesde libras slerlinas com a construccao
de navios de guerra.
Entre os navios que se projectam construir, e
ue devem estar lodos concluidos n'um praso de
14 anuos, guram 10 navios de combate de
10 000 toneladas cada um; 8 de 8,000 ; 12 rte
7 000; e 5 d.- 6 000; 10 navios arietes de 3 oOO
toneladas; e 15 .ruzalores torpedeaos de 9
toneladas, e veioc lade de M us peto menos.
Tal a componico da esquadra defensiva.
A esquadra raovrl ser constituida por cruza-
dores cora ou aem touracaa, sendo 6 500 a toae-
tgem mxima dos primeiros, e por trrs navios
auxiliares especiaes. .
Dizem de Washington que as damas nobres
Vaquella cidade vio em breve dirigir um mani-
fest a todas as aenhoras dos Esudos-Uoidos.
sonvi-and as tomarem parle em uma sub
cripco para offereeer uma estatua de bronze
franca, como f-ymbolo^le amisade.
__A cidade de Propbestowir, no estado de II
linois, foi destruida jwjr um cyclone. Foram et
sontrados muitos despojos humanos.
As ultimas noticias dizem que o numero
victimas se eleva a cincoenta.
O senado dos Eslados Unidos da America
approvou uma lei que determina a inspecfio de
toda a carne de pon e loucinho destinados a
ser exportados para os paizes em qoe ba n
ipecco entrada.
A mesma lei autorisa o governo a decretar a
suspenso da entrada de gado, como providen
ca preventiva contra a epidemia.
O que acabo de dizer pode
cado hygieoe.
Morar em uma casa com todas as con
dicSes reclamadas pela soiencia da vida e
comer mal tSo ruim com i ter ama ali-
mentacSo sadia e habitar o quarto de
nauseabundo cort9o.
Um programma hygienico uma peca
inteirka.
E' preciso respirar bem, comer bem,
vestir-se bem, viver emfim como deve
viver a creatura intelligente, que procura
tirar desse dom que nos foi concedido de
pisar a crosta terrquea as maiores vanta
gens e regalas posBiveis.
Entre as mximas de hygiene citadas por
um grande escriptor Bobresai esta :
c As forcas as mais preciosas paraviver
bem muito sao a sciencia, a^emperanca
e a coatioencia.
muita
occa
vismo, uavi..- ---------
Mas a sabedoria de um governo provisorio n -
cial em bem que estabeleceu a asplracao federal
soh moldes, a principio unitarios, evitando o Ora vestir-se bem nSo como
afastamento de membros to fortes de tamanho, tfl 8Uppge e como j tenbo tido
corpo. de modo a conciliar em futu.o proxiraoa rr fr moda
M cun a mal plena autonoma individual, do --------' -^-J- -i Ho au
mastica, municipal e local, tanto mais quanto
firmn, aps uma revoluco sea guerra civil, h
....,nn r^v.,mos. o ooder de uma dictadura aaude.
lar a roupa" adaptada ao clrma do paus
em que se vive e as boas praticas da
de
TBAMR.PllOES
da
4
I
tomn.BierH^o da amorte
Or. Alvaro Chaves
(Geoda de Noticias do Kio de Janeiro)
DISCURSO DO DR. SILVA JaRDI.M
Foi reaiuieote solemne a sessao fnebre que
ba dias realisou o Clab Republicano Rio Gran-
de *e, com o fim de commemorar a morte do Dr.
Alvaro Chaves.
A's 7 horas da ooite, no salao do Lyceu de Ar-
tes e Officios, presentes muitaa senhoras e el da
daos, tomaram logar o presidente do club, o Sr
mnuisiro dos eotraugeiros sui direita, o Dr.
Silva Jardim esquerda e os membros da dir
ctoria. ,.
O presiden & n'um largo e inspirad j discurso
abri a sesso. .
. ecuparara a tribuna : o orador ofliial, br.
Pardo Santayanna, que n'um bello trabalbo his-
toriou a vida do Dr. Alvaro Gnaves; os^jfepre
sentantes dos cluos acadmicos, os 8rs.*s6 do
Patrocinio, Saturnino Cardoso. Annibal Gardoso,
representantes da imprensa e o. Sr. Silva Jar
'sendo lhe dada a palavra, este prouunciou o
icuinte discurso, ouvido com muita attenco, e
^ne publicamos omitUndo os pontos em que oi
a|no'S' cidado presidente do Cluo Repu
blinomo SSL* tollo "fog".
daos representantes do club e cidadosi repre-
iSunteS da imprensa MDborM--AcS?doriS
Su* mente ao convite do Sr. presilente do CInb
lepubiieano Rio Grandense, para que tome a
malavra na presente sesso. e o faco para juniar
arniuba mais completa solldariedadeno intuito
que a este club anima de commemorar a morte
pranteada do Dr. Alvaro Chaves..
A memoria do nosso Ulustre co-religionario
ser durante muito lempo, eu o creio bem, o
xo em torno do qual gravitar a actividade da
mocMiade acadmica. Ha mortOo vivos, ha mor
tos activos, nao menos oottveis qne quelies
enia reootdacao estende-se como ama penumbra
do passado ao presante: Alvaro Chaves um
morto vivo, um morio actim.
Cantiamaado a veneracao s sombras de Beato
Aloacatsee Bavi"" anavarro. de Tenancio Ayres,
raeottlTO untos, a nweiuadfl escolar, e espe-
oaunante rio grandense, oe repnbUcanos bella trra, ho]e Uvre. arao da memoria deAl
var; Chavea o orgfto continuo das sou asplracOes.
coaw pregavamos, o poder
provisoria das forcas de terra e mar consentida
quando nao acclamada pela nacao mteira. lis-
tamos sasfeilos.____
Estamos salifeitos ; e de mim vos afrmo,
norque deseio e quero talvez, que supponbo fe-
chada para minua patria a quadra das reolu-
C6es e mesmo fra de esperar que a das opposi-
cts sera que supponba encerrado o eyelo dos
oonselhos everos e das energas libertadoras.
E certamente lodos nos comprehendemos que,
eraoora ^eia metapbysica pueril afirmar que os
nrincipws sao ludo e os homens nada, porquan
to sao e-tes que djacobrem, revelara, dourinam
e applicam os principios, comtudo nao e menos
exacto que empre possivel melhorar os ho-
rneas, ou como orgo desses principios substi-
lud os. no bem cumraum da patria. E tambera
todos nos sentimos que embora as revoluces
-eiam um mal necessario ao orgaoismo social
co'o a molestia o ao organismo pbysico, com
tudo nao menos exacto que alias devem ser
evtalas assim como a ignorancia e a miseria,
e aue a verdadeira situaco dos homens polti-
cos nao a da detrmcao continua e sim aquel-
la era que elles ou slo governo ouapoiam digna
e independenlemente os overoos honestos.
Sao,eu nao rae arreceio do faturo de mmha
patria! Oh I a minha patria .. conheceis vos
certamente as montanhas altissimas de gelei que
Lio prximas dos polos? fois tao alva e to
oura as3im a in3dero. ____
P A minha patria amada... deixai qnena mon-
tanhas ao calor fortificante de algum sol. oo mo-
ndas de seu proprio calor se esboroem Vede
que novas montanhas.. que beUissiinas ir.ra-
Jies .. que leoces de lua.. qoe rtflexos!.. .
^ofSmeaminhapatrto. E ^P
um momento que as cordilheiras nevadas se li-
Xi... Pois a minha patria, mesme. ass.m
?e transformara na lympha llonw Jtonte *
maur a sede ue liberdade da humanidade m-
16 Senhoras, cidados, nao quero e3quecer-me da
memoria do Dr. Alvaro Chaves. Pnamo, de lon^
ca e albiniteute barba, foi pedir genuflexo, apas
a derrota, a Adultos que lhe concedesse o cada
ver dr Heitor, ttltio amado. Tres vezes ease cor-
po glorioso passeiou em terno da cidade; pou-
deafnalo pai sobre elle detra-nar lagrimas.
Pnama nio derrotado e sim victorioso, a He pu-
blica pede monarchia dracida o corpo de Al-
taro Chavea ; e elle passoiar nao tres, porm
trez mil vezes, nao em torno das cidades inate-
riaes e sim em torno das cidades ideias do nos-
so patriotismo; e sobre elle nao lagrimas e sim
8orrisos derramar a patria 1
Cidad03, cidado minisafc, minhas senhoras.
deixai que eu me curve deante d'essa bella me-
moria, deante d'esse corpo glorioso. Saudo a re-
cordaco augusta do nosso ilmstre merto Alvaro
Chaves.
Hygiene
(D' O Paiz do Rio de Janeiro)
Ha individuos que tm entre 9 seus
TOncidadlos } fM bonestos, porcrue
nunca tiveaanj rixas oom credores.
? vida fe Ib* ton* tmwaitiioM e
agite ia orno de D. Oeaar de Baflfa\
por exenrplo, ou a de algum outro glonos
caloteiro.
Nunca ninguem viu-lhes porta um
Seixas, qua no generj orodor oexoravel
Ja demonstei nos artigos paseados quaes
os tecidos que mais nos convem.
J disse o que pensava acerca da 1*. da
su^onoTlUeda e do Hubo, dando a pretere cia ala
por ser esta a que melhores condicoes
rene, para um vestuario hygienico.
Naa me ocoupei das pelles. dos velludos
e de outras fasendas de que se vestem
os habitantes do velho continente nos me-
zes em que os campes- cobrem se de gelo
e as arvores desenham em fundo cinsento
a mancha negra de seus troncos despeja-
dos de folhas e flores, porque estando sob
o sol tropical, s aquella idea seria por
si s bastante para obngar-me a suar
como... como suava outr'ora o nars de
um pobre collega meu em dias de sabba-
tinas que foram o espantolno das passa
d*8gerac5es de estudantes, e que os dis-
putadores, feliz ou infelizmente como
queiram, nao conhecem.
Ao terminar o ultimo artigo prometti
faaer alguma cousa acerca da cor do ves
tuario.

Todos os hygienistas demonstram que
os melhores vestidos sSo os brancos pelo
menos os de corea-claras.
A c6r branca refleste os raios da luz e
do calrico, e por isso mo absorvente
e-mo irradiador.
EBtas qualidades nio tm a c6r escura.
Pelo que o vestuario olaro, no dizer de
Mantegazza, conveniente em todas as
estagSes.
No verlo impode a passagem do calor
externo.
E' bem condecida a eloquente expsnen-
oia de Franklin, o qual tendo collocado
sobre a nev pedamos ignaes da mesma
tazenda, diversamente colorido, notou
depois de algum tempo que a nev cober-
ta pelas fazendas escuras ostava fique fei-
ta em maior abundancia que a que se
achava sobre as outras.

Starfc desoobrio, alm d'isto, as fazen
das brancas a vantagem de absorver aa
materias odorificas em menor abundancia;
que as de cor preta.
E' elle quem aconselha o jso de roupas
claras aos mdicos e a todos aquellos que
no exercicio de suas profiasSea estao em
contacto com materias ftidas.

Ha dias vi atravessar a ra do Ouvidor
um dos mais distinctos mdicos desta ci
dada todo de branco.
Eu que, apesar de dar conselhos sem
ter carta do antigo governo para, iato,
suava por todos os poros dentro de um
paletot negro, como o estado actual da
praoa da Buenos-Avies, e iato por nio
ter ido ajada a oorafom de tarar o pie
conceito, alias to fcil de furar, pp]*a
MeciineFoi hontem distribuido um avulso
anonymo, contendo um convite ao exercito e so
povo para se reunir em meeting ainadfca, no
largo .-aldanno Marinha, afim de protestar con-
tra o acto do digno governador do Estado, revo-
gatorio do que bavia estatuido a vitaliciedade
dos funeciouarios pblicos do mesmo Estado.
Sem querer dar valor aquello convite, cujo
autor uau leve a homuriuaue ac oooibooI-o, jai-
gamos entreten o de bom aviso aconselhar po
pmaco qae se nao preoecupe com dle, visto
como nao ha nenhuma. razo de ordem elevada'
que possa justicar um protesto eontra acto per
feitamente legal e praticado por quem tinha com
petencia para fazel o.
0 acto do honrado Dr. Albino Meira por modo
nenbum visou, nem podia visar, desprestigiar o
seu digno antecessor, raarechal Jos Simeo de
Oliveira.
S. Exc, o Sr.Dr. Albino Meira.Jtendo em con-
eideraco os serios embarajos que do acto de
19 de Abril poderiam resultar admioistracao,
mxime em temos de reconstruccSo como os
que esto correndo, considerou sem effeilo esse
acto, como muito provavel que o seu proprio
signatario o faria, se, per&Istindo o seu governo,
se sentisse tolbido, como era fatal, em sua lber
dade de aceo.
Porque, pois, julgar-3e o acto de 26 offenslvo
ao autor do de 19, quando a personalidade desse
autor nem ao de leve foi posta em jogo no as-
sumpto, e pura e simplesmente se tratou de evi-
tar cachnos nes mares da-admini9iraQo?
E', pois, insensata semelbante idea de pro
testo. 0 acto de 26 do corrente do Ulustre go
vernador do Estado correctissimo como forma
e como essenca; e tem por si a opinio dos
homens de senso, que todos comprehendem qoe
nem a classe dos funecionarios pblicos precisa
de vitaliciedade para sua garanta, que est
adstricta ao fiel cumprimenlo do seus deveres,
nem a admlnistraco se pode haver bem, na sua
alta misso, penda por uma restrieco, que, ao
demai8, nao se amolda ao actual rgimen.
E cornleffeiio, quando todos os privilegios foram
derrogados pela revoluto; quando baqueou a
dyoastia vitalicia e hereditaoiti; quando se ex-
ungi a vitalidedade do Senado, nao se com-
prehende bem uma creaco dessa mesma ordem
n'um Estado que semnre teve e quer guardar os
seus foros de demcrata.
Por tudo i aso, que aconselhamos ao povo
que nao compareca ao allodido meeting, que tem
at contra si o facto de ser feito anonymamente,
sem um responsavel.
Quanto aos briosos militares que compoem a
guarnijo do Recife, e aos quaes se fez exten-
sivo o referido convite, escusamos dizer qual-
quer cousa : o seu criterio e o sed patriotismo, j
provades e nunca postos em duvida, sao seguros
penbores do seu digno proceder nessa emer-
gencia.
Acto oJeial -Por acto de 26 do corren-
te do ddado governador do Estado, foram con-
cedidos 2 mezes de licenca ao juiz de tanto da
comarca de fiezerros, bacbarel Sebasttio do Reg
Barro3.
-Nornea cao ooaOrmada Por portara
de contera datada, resolveu o Dr. inspector ge
ral da instruccao poblica confirmar a nomeacap
de rabelina laria da Conceico, designada pelo
delegado Iliterario para reger intennameute a
cadeira mix a de Cachoeira do Roberto.
Astate do Crrelo-0 cidado Joaquina
Barbosa de Abren, foi noraeada, por portara lo
administrador dos correios, daUda de bontem.,
para o logar de agento do correio da villa da
Pedra, em subtituifio a Francisco de Assis ca
valcante, que fallecen.
ervlco mlll*ar-Hoje superior do da
o cidado major Serra Martins, e faz a ronda de
visita o cidado alteres Mascarenhas.
O 14* batatbo dar aguarnico da cidade e o
commandante da guarda de Palaeio, que ser
dada pela batera de artilhana.
Matrlside Santo Aatoalo-Celeorar-se-
bo nessa igreia os exercicios do mez de Mana.
Devem iniciar-se s 6 horas da manh do da
30 do correte.
Mentor MoaaosepatbteoRecebemos em
offerta dos Srs. Francisco Mauoel dai Silva & U
um volnme do Mentor Uomaeopathico, do Dr. Hum-
phry's que tanto nomeada conseguio nos Estados
Unidos da America do Norte, pelas curas sor-
prendentes que alli reali30U com os seus espec-
ficos.
Os honrados droguistas que tiveram a obse.
quiosidade de faier nos o presente olludido, re-
ce beram ltimamente e tem em seu estabeleci-
ment em porco susceptivel de satisfazer qual
quer encommenda, os referidos speciheos, car-
teiras para algibeira e caixas em forma de esto-
ios proprtos para casas de famila. .
Paquete Bltoe-0 paqaete inglez Elbe, da
Rqual Mai, wndo fundeado no Lamarau hontem
depois de 6 horas da tarde, nao poude dar as
malas que trouxe do sul, nem communtcou com
aterra; oque tora hoje. amanh podere
mo* dar as noticias de que foi elle portador.
Allitameaioeleltoral da Lua-Na pa-
rochia de Nossa Senhora da Luz, que faz parte
da comarca de S. Lourenco da Matta, foram alia
tados eleitores 230 cidados, incluidos nesse nu-
mero os antigos eteitores.
Recreativa snaadaleaenae -Rene se
hie s horas e local do costume a directora
dessa sociedade para tratar da eliminaco e ad-
misso de socios. _^
vaccina afclea-No dia8, nainspecto
ra de hygiene foram accinadas 63 pessoas, tra-
balhando nesse servico os Drs. inspector de hy-
giene e Pauto Soares.
Circulo Cathollco do mecIfe-Func
rona hoie, em assembla geral extraordinaria,
este sociedade. s 7 horas da noite em easaito
Rvdm. vicario da Roa-Vista, aflm de discut a
reforma dos seus estatutos.
Fregueala da lia-Communicam-nos:
. Sabbauo, 26 do correte, ao terminar os tra-
balhos da qnalincacao, a commisso distrrctal da
{resuella da Nossa Senhora da LOrM entre
giwao f juit de paz, capitao JoslJemimano de
Araujo Pinheiro, que. presidia aquellos trabamos,
uma carta em qoe desta cidade lhe participavam
a noraeacad e posse do novo governador, Exin.
_ copo de cerveja _
'rabalhos, cidados Francisco de Asevdo de
Araujo Pinheiro, subdelegado da mesma fre^ue-
zia, e Dr. Maooel Horaes de Albuquerque. no
meado pelo presidente da intendencia de S.
Lourengo da Matta, e que faziam parte da mes-
ma commisso, bem como a outros ddados
que se achavam presentes.
Foram atacados muitos foguetes nessa occa
sio em rego8ij* pela acertada escoiba do gover
no provisorio, reinando o mais sordeal conten-
tameoto nesta manifestago ao novo governa
dor.
Clab mepublicano Fre Caneca-
Como eslava aonunciada, rsalisou se ante-bou
tem a sesso de assembla geral extraordinaria
dessa associaco poltica,.fundada em 28 de Ju-
Iho de 889.
Lrda, foi sem debate approvuda a acta da ao
terior sesso.
Aos a leitura do expediente, que constou
oancios dos Clubs Republicanos de-Santo Amaro,
B -lera e Magdalena, communicaudo a sua fun
dacffb, o Sx. Thiago da Fouseca fez as tres se-
grales propostas, justificadas:
!O Clea digir ao governo provisorio ama
menaadem manifosundo-se favoravel idea da
approvaeao da Coostuigao Poltica por me]o do
Plebiscito r
2-O Club se dirigir ao mesmo governo e
ao deste Estado, pedindo a solemnisago das re-
voluces republicanas da 1710, 1817 e 18ii nos
dias 10 fle Noaemoro, 6 de Margo e 2i de Ju-
nho; *
3oO Club, por uma commisso, expressar
ao novo governador. Dr. Albino Meira os seus
sentimentos-de eslreila cordialidade e o desejo,
da iniciacfto de uma poltica enrgica e verda-
delrameate/epublicaha. r
Para esta coinoiiso e para aque tem de di-
rigir a meosagem e a representaco al ludida,
foram nomeados os consodos Dr. Thiago da Fon
seca (relator), professores Amaro Pessoa, Cyril-
lo Santiago e Joaquim Elias e cidados Manoel
Cavalcaute Mello Filbo, Melchiades Santa Rosa e
Rocha Lima (membros)
Em seguida foi discutida e votada a nova lei
orgnica do iab.
Fciou iglalmente resolvido que se tratasse dos
raeios de receber condignamente o Ilustrehefe
do partido republicano neste Estado, r. Mar
tos Juuior, de volla de sua viagem capital fe-
deral.
Be vista II lustrada Esta publicaco
quiuzenal de collaboraco dos primeiros artistas
e escriptores portugnezes, devera ter visto a luz
em Lisboa no pri neiro deste raez.
De um speciraen que temos vista e fui-nos
offerecido pela Livraria Quintas, podemos infor-
mar aos nossos leltores.-que na Rvista Utos
trada sero tratados com o conveniente des-
envolviment) todos os assumptos da vida portu
gueza ou que possam Ibe inleressar. e nomea
(mente as questes de arte, de litteratura e de
theatro, sendo que referentemente litteratura
recreativa, oesuparo urna parte importante do
jornal o romance, o canto, a poesa, bem como
as investigares e curiosidades histricas e as
viagens pitlorescas, sempre d s melhores autores
portuguezes.
Na parte artstica, seis paginas sero cheias
de soberbas gravuras, e oellas tero preceden-
ciasas de assumpto nacional e qu possam ter
o valor de um documento para affirmar a vita
Udade e o progres30 de Portugal.
A Revista Ilustrada, em formato inLlio, cons-
tar de 12 paginas, sendo 6 de texto e 6 de gra
Yuras, com duas edicoes por mez. Sua assgaa-
tura regula, moeda forte, 240 ris por mez, 720
rs. por trimestre. 1 '*40 por semestre e 24880
por anno. aceres, eudo para o estrangeiro a des
peza po3tal.
Eleico de contraria Amanh, s 6
horas da tarde, reunem se em mesa geral os
confrades do Bom Jess da Via-Sacra, da igreja
da Santa Cruz, para procederem eleico de
sua nova mesa regedora para o anno compro-
raissal de 1890 91.
Beneflcente dos Ordclacs da Suar-
da .NacionalHoje, s 6 horas da tarde, func
ciona o Instituto desse nome'para, em assembla
geral, tratar de assumptos importautes.
PaasamentoFinou-se, pela manh de an-
te-hontem, a uma agcitite prostatica, o deeano
dos commandante8 de vapores deste por'o o
honrado e venerando cidado Joaquina Jos Mar-
tins.
O finado era pal do joven e digno teen te da
Companhiade Bombeiros desta cidade, o Sr. Jos
Julio de Souza Martins, a qual fci eocorporada e
precedida de duas innoceutes criancinhas depo-
sitar sobre o seu c'aixo, casa de residencia de
sua faulia, uma linda cruz de flores artiticiaes.
envolta em crep, fazendo por essa oc^asic a
.praca n. 3 da mesma Companhia a apologa do
morto.
Aposentamos as nossas condolencias a sua
digna e desolada familia.
ciuh Keiiubiicuno da comarca de
OlindaPelo facto de ler sido no.ueado go-
veruador deste estado o Exm. Sr. Dr. Albino
Meira, presidente desse Club ficou pela seguin
te forma recomposta a sua directora :
Preiidente, Dr. Ernesto de Aquino Fonceca.
Vice-presiden te, commerciante, Jos Faustino
Porto.
1 secretario, engenhe;ro, Antonio Pereira Si-
mOes.
2o secretario, pharmaceutico, Jos Elias de
Meara.
Thesooreiro, commerciante, Alfredo Peregrino
Camello Pessoa- .
O couselho ficou composto dos segrales cida-
dos :
Dr Estevio Cavalcante de Albuquerque, coro-
nel Henrique -Gibson, Dr. Jos Antonio de AI-
meida Caoba, coronel Jos Joaqun entunes,
agricultor Manoel Alves Barboza, major Luciano
Eugenio de Mello. Dr. Frederico Chaves, major
Jos de Figueira Farias, artista Fortunato Jos
de Sampaio. agricultor Joaquim de S Cavalcan
tr de Albuquerque Filho, Or. Francisco Gomes
de Andrade Lima, Dr. Jos Joaquim Alves de
Albuquerque, capito Joo Elias de Moura, Dr.
Marcolino Dornellas Cmara, capito Miguel
Francisco de Souza Reg, capito Jos Carlos do
Rpgo Valenca, Dr. Bernardino de Senoa Das,
capito Francisco Antonio Barboza, artista Elen-
teno da Rocha Wanderiey, negociante Jos Ti-
mes Pereira.
Club Betwrblieaao da soa-Viesa-
No abbado ultimo fuaccionou em s^ss) de as
sembla geral sse Club, na qual, alm da ap-
provaeao dos novos estatutos, foram agitados di-
versos assnmptos, entre os quaes avuttou pela
significacao poltica, que tradoz, a moco de
coarianca qne o Club votou unnimemente ao
Dr Albino Meira, governador deste Estado.
No proposito de dar urna prova cabal e solem-
ne da coufianja que lhe inspira q-primeiro ge
vernador de Pernambuco, que samo das hleiras
republicanas e que neste Estado era um dos
mais eminentes representantes da idea que a re-
voluco de 15 de Novembro traduzo em fado,
resolveu o Club que aala moco toase commum
cada ao Dr. Meira por um cfficio, em que se as-
signasse a directora e todos os socios, e que o
mas nao deixem-n'os expostoe petos roas da ci-
dade ; porque tobge de procurar se am bene-
ficio, faz-se aschn um mal a poaulacao, e por
conseguate n&3 poderlo os autores eximir sa
da responsabilidade d'esse relaxamento
laceadlo to Taa>o*o Informara nos que
a 8Ubscripco promovida pela Exma. Sra. D. Elysa
da Fonseca, em favor das victimas doTaboao, na
Estado da Babia, foi esta :
D. Elysa da Fonseca
D. M. Pontual .
D. Joaquina M. A. Ribeiro
D. Theresa Borges Dinis
D. Julieta de Carvalho
D. Mara M. Rocha
Antonio Vieira
D. Dulce Ferreira de Mello
D. Josepha Bastos
D. Mara das Mercs B. de Menezes
Uma anonyma
Outra dita
Outra
Outra
Redro Antones
Guilherme Chance
Jos Joaquim Moreira
Dr. Barros Gui maraes
D-. Emilia Freitas
Uma anonyma
lOJOOt
loOOt
o*00f
oOOt
5MM
oOOf
UOM
2f000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
2*000
i)00
2*000
24O0
1*00*
l*00t
V
Total 69*00
Tribunal do Jury do Hecire fuac-
cionou bontem este tribunal com a presenca de
45juizes de facto.
A's 11 horas da manh foi aberta a sesso sob
a presidencia do Dr. Joaquina Correia de Olivei-
ra. Andrade, juiz de direito do 2o diatricto crimi-
nal.
- Foi submettido a julgamento o reo Cosme Jos
Daraio, pronunciado no art. 269 do cdigo cri-
minal, por despacho do Dr. juiz de direito do 3
distado.
O jury le senlenca compoz-se dos jurados se-
grales :
Heliodoro Candido Ferreira Rabello.
Joaquim Cavalcante Leal de Barros.
Eustorgio Austricliano de Brito.
Vicente Goncalves Ferreira da Costa Maccdo.
Manoel Carlos M. Monteiro d'Andrade.
Francisco Canuto Umerenciano.
Fabio Moreira Temporal.
Arthur Augusto de Almeida.
Joo Piuto Bandeira Accioli de Vasconcellos.
Manoel Anselmo Pereira Guimares.
Tbomaz Garre1..
Mano 1 Vicente da Silva Rhs. -
luterrogado o reo, proceieu se a leitura do
processo da formaco da culpa.
Coasta dos autos que na tarde de 27 de No-
vembro de 1888, o reo penetrando mediante
violencia, no 1 andar do predio n. 43 sito ra
do Coronel Suassuna, tirou, contra a vontade de
seu dono, diversos objectos de ouro, relogios e
roupas pertencentes a Marcionilla V.eira Gome
da Silva.
O Dr. Joo Evangelista da Frota Vasconcellos,
1 promotor publico, produzio a aecusago e pe-
dio a cooderaoaco do aecusado no medio das
penas estebelecidas no art. 269 do cdigo crimi-
nal.
Deduzo a defeza o Jurado Dr. Luiz da Costa
Ferreira Porto Carreiro.
Nao bouve replica.
0 -jury reconheceu a autora do delicio por 7
votos peto que foi o reo condemnado a um anna
de gales e mulla de 3 por ceato do valor rouba-
do, grao mnimo do art. 269 do cdigo criminal,
combinado com e art. 332 do coligo do proces-
co, instaurado pelo art-29. 1 da Jei, n. 2,033,
de 20 de Setembro de 1871.
Terminou o julgamento s 3 horas da tarde.
Foi adiada a sesse para hoje, s 10 horas.
irectorla dao obras de conaerva-
c*o dot porioo de Pernambuco-Red-
fe, 27 de Abril de 1890.
Boletim meteorolgico




a-0
Horas Pl
-C t-
H**
6 m. 23,7
9 28,2
11 29',1
3 t. 28M
6 27,0
Barmetro a
0
Tenso
do vapor
-o
739-82 20,00 80
761-04 20,39 71
760-16! 20,42 67
758-95 a3 77
739'03 _208 71
Temperllura mxima 30,00.
Dita mnima5.'00.
Evaporaco em 24 horas : sombra2,*.
Onuva 6-.4-
Direccao do vento : SE comalgumas interr up
ces de ESE durante todo o dia.
Velotdade media do vento2.-82 por se-
gnedo.
Nebulosidade media0,-59.
Boletim do porto
|3
I8-
p.
B.
P.
B.
M.
M-
M.
Dias
27 de Abril
28 de Abril
Horas
1013 da manh
5 13 da tarde
11-37
3-46 da manh
Altura
0-,9t
1-7
i-,
^ I
.
LeiiAes -Effectuar-se-ho os segutntes :
Pelo agente Pinto, s 10 1/2 horaa, ra do
Bemlica, n. 17 A, de movis, porcelanas e mul-
los objectos de gosto. ....
Pelo agente Martins, s 11 horas, no hotel da
ra estreita do Rosario n. 45, de todos os acces-
sorios do mesmo.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, a roa da
Imperador n. 44, de movis, loucas e vidros.
Pelo agente Martins, ell horas, na sala das
audiencias em Olinda, de diversos predios.
Hi**aw ruaekre-Sero celebradas :
A's 7 1/2 boras, na matriz da Boa-Vista, peto
alma de Joaquim Jovino Boeorato BaSHa,Jm
horas na mesma matriz, pela alma de Antn
Gomes de Oliveira c Silva ; s 7 horas, no con-
vento do Carme, pelo alma de Joo MarcelmoIU-
beiro.
Ts e'noras, na mairiz de S^Pedro de Olinda,
nela alma de Alberto Juvenciqdos Santos Coelhe
P paasaselroi-Chegados de Fernando de
Noronha no vapor nacional S. Francisco :
Joo Teixeira ae Vasconcellos, Ernesto Pereira
de Faria, Julio Carlos Harmes, Leonor Porto,!.
Hnber, Manoel Caetano Pereira, Antonio Jos dos
Res. Dr. Arthur G. Alves Carnauba, sua sentov
ra e 2 Qlhos, tenente Joaquim Quinao Villarua,
sua senhora, 2 irmos e 1 criado, capitao Fraj-
cisco Teixeira de Carvatho e 1 criado, 23 praca*
de Haha.6 u.uuierefl e 4 Albos. 15 sentenciados a
4 mulheres.

di inteiramente aquella oandidea detoi^e Dr. Albino Meira; e, em sigual de regosuo
Sieuase a mrew ~ Z- 7
Club encorporado acompanhasse commisso
qne foi nomea la para fazer a entrega do
intendencia Municipal do Recife -
. Rudimento de 1 a 25 24:412*307
e fallar em seu nome. i na 86 *-
Opportujamente ser annnnciada pelai im-1 d g j mvm
prensa a convocaco de uma sessio especial ** miUfi
para a leitura e conseauenie assignatura do ofr 1^,erio 2*0
ci aps o que o Club encorporado se dirigir ^*"""="
a palacio par* faz-r esta manifesUco to sigoi-
Hraiiva quanto o Dr. Albino Meira, o primeiro
governador que a provoca do mesmo Club ; o
qual ndla, alm de uma proya de coofianca pes-
sVl e politica, tradoa principalmente a satwfa-
cao que experimsotoa, vendo a administraco
deste Estado conliada a um irmo de combate,
ditincto pelo tlenlo e pe'o carcter, e que ten-
do se batido denodadamente pela islituicao re-
oubiieana, com certeza ha de zelar, tanto quanto
depender de si, as co-idiobes, e os requisitos Sent
os quaes nao oossivel urna repblica.
Ya* con vista a quena competir
Rem em nos as seguintes linhas: '
Esto envenenando os caes queso encontra-
dos pelas mas ; mas nao o fazem em beneficio da
elfiulaco publica, e aoqua parece simplesmenta
para o desewtoTTimento da peste qoe aotual-
mente gfassa tfoatocidaee. -&. .s
Osencerregados mandara *r<*e
facto: porm nao cumprem ^""2.
res, poraue deixam-n'os permanecer Bunu
wdCSomo acontecau com m^ <> :
taram na rBadaCoeqoiai d***??.**?'rS
Vista e all aeou tre Has; e ae to*"****
ndade de um dos to*iumes damesnwruaaue
hjniem mandn enterral-*, os soraaeros tenate
ujniemason"'~.-'j--.fc-ii. ment por -
21:907*4af
Cana de Detenco-Mo vi ment dos pre-
sos da Csa de Detenco do Recife Estado de
Pernambuco, era 27 de Abril de 1890.
Existiam 443; entraram 8; sahiram 1; exu-
tem 432.
L 8Ebr '.
Nadonae 421; mulheres 21; estrangejxos 10
-Total 452
Arracoadoe 393.
Bous 368.
Doentes 21.
Lonco 1.
Lateas*.
-Total 393.
' v Movhnento da enfermara
Tiveram baka:
Jos Alexandre de^ouza,
Mareos Ras da Silva Carfatt.
Jos Ricardo CoHw. *
Tiveram alte :
Jorge Joo Gaudeacio des Santos.
! Manoel Ferreira de Amorim. ^^*
Foram visitados os presos desto estaoeswi-
mento por *M pessoas, sendo : homens 1 a


Diario de Peraamhuco-Ter^feira 29 de Abril de 1890
=




i .
?
-

piut'i Pen at u moviawmo destt
stabelecimento decaridade, do dia 23 do Abril,
foi o seguinte :
Enlraram 9
Sabiram 3
Ptelleceram 3
Existem 465
Pomo visitadas as respectivas enfermaras
eios Drs. :
Moscoao s 8 1/1. ,
Cysne.ro s 10 1/4.
Barro- So >rMiio as 7 1/4.
Berardo s 10 12
Malaquias s 6 i/2.
Simea Barbosa s 10 1/2.
Pontual.
Hstevo Cavalcante.
O cirargio dentista ama Pompillo nao com-
pararen .
O )uimiai;uticu euiroa as 8 1\2 da manbi t
aio 1 da larde.
O ajudante do pcarmaceutico entrou s 7 1/2
e sabio s 5 1/2 tiaras da tarde.
i..ir* dauraP>r-A I2 serie da
31* lotera cujo oreraio grande de 299:0004,
serextrahidano da 3 de Maio, (sainado).
& A 1* serie da 36* lotera, cojo premio gran
de de 120:000*000 ser extraoiJa no dia .. d
correte.
A 2* serie da 35* lotera cujo premio gran-
de de 60:00 1*000 sera extrahida no dia .. do
correte.
Lotera do Haranho Esta lotera,
cajo premio grande de 300:000.1000, ser ex-
trahida no dia .. do correte.
O mi Ir rio PublicoObituario do dia 26
de Abril:
Mara do Carmo, Pernambnco, 9 das, Santo
Antonio; ttano dos recemnascidos.
Pinito Bandeira de Mello, Pemambuco, 62 an
nos, viuvo, Grapa; leso cardiaca.
Snneao Berna-Jo, Rio-Grande do Norte, 35 an
nos casado, tecife; varilas.
Beroardioo Antonio Ribeiro, Pemambuco, 30
annos, casado, S. Jos; enterlte.
Manoel, Pemambuco, 48 horas; ttano dos re
cemnascidos.
Mana, Pemambuco, 3 annos. Boa-Vista; va-
rila confloeote.
Julio, Pemambuco, 14 mezes, S. Jos; ente-
rile.
Emilio, Pemambuco, 17 mezes, Sanio Antooio ;
varela.
Mari. Vieira da Cunba. 20 annos, casada, Boa
Vista; cicnexia palustre.
Mana Magdalena Benigna de Maura, Pernam
bnr-o, 26 aunos, solteira, Boa Vista; tuberculuse
pnlmunar.
Manoi'1 Mendes, Hespanba, 34 annos, casado,
Boa Vista ; di:.rrlia septecemica.
ADtonio Ferreira Qjaresma, Portugal, 23 an
nos, solteir. Boa-Vista; beriberi galopante.
Bernardo, Pemambuco, 18 mezes, Grapa; ver
me3 intestinas.
- 27
Rodolpho Tertuliano da Cosa, Pemambuco,
17 annos, solteir, Santo Antonio, beriberi as-
phixico.
Sevenao Jos de Souza, Portugl, 24 annos,
solleiro, S. Jos,; tubrculos pulmonares.
Joaquim Jos Mirtins, Alagoas, 64 annos, ca
sado Santo Antonio; cepille puslralica.
Urbana, Pernaoibuco, 2 mezes, S Jos; eclam-
psia.
Francelino Antooio Soares. Pemambuco, 40
annos, casado, Grapa ; scirrbose cardiaca.
Diogo Antonio dos dantos, Babia, 47 annos,
solteiro, Boa-Vista; albuminio.
Laza o, Pemambuco, 3 mezes. Boa Vista;
eoovulsoes.
Francisco, Pemambuco, 13 mezes, S. Jos;
dentico.
Laura, Pemambuco. 20 mezes, Boa Vista fe-
bre renitente palustre.
Samuel, Pemambuco, 6 mezes, Boa-Vista; va-
rila.
Isabel Martins dos Santos, Pernambnco, 34
annos, solteira, Grapa ; tubrculos pulmonares.
Rosalina Mana na conceipo, Pemambuco, 45
annos, viuva, Boa-Vista; tubrculos pulmpna
res.
Pedro Antonio Tigre, Pemambuco, 20 annos,
olteiro. Boa-Vista ; bepatite splente.
Jos Baptisia da Costa, frica. 81 annos, sol-
teir. Boa Vista; congestSo Cerebral.
Antonio Gomes dos Santos, Rio Grande do
Norte, 40annos,casado,Boa-Vista; iufecpo pu
trida.
dante se approximava de algum condiscpulo, 2, loja de terragens do Albino da Silva
este diazia lbe logo : oY C, roa da cadeia n. 42'; loja do ferra-
Homem. j sel. Picas o mesmo, e ol! que
nao ficas mal.
Em poneos dias toda a academia sabia do caso
e mal apparecia o qobre rapaz, levantava se um
berreiro infernal:
Picas o mesmo, e olba que nao fias mal. >
A tropa foi de tal modo persistente e cruel,
que o tal Olbo do barao. que ficava sendo o
mesmo. leve de abandonar Coimbra I
gens da Brandlo 4 C, ra Duque de Ca-
xiaa n. 46.
SPORT
Uerby Club de Peroanbneo
Realisou se anie-hootem a 7* corrida no prado
da Estancia.
A concurrencia foi regalar e o jogo das poulu
esteve bastante animado, attingindo o movimea
to geral a 28:00540 O.
O divertimenio corren em boa ordem. .
Eis o resultado das corridas :

No 1* pareo ganhou a corrida de ponta a pona
o animal l'lutao. montado por^Luii de Franpa,
que vencen os 800 metros erare."!
Poule de Pluto em 1, 25*5 0 ; a 2, 12*300,
oule de Malange em 2, 12W00. '
Movime.ito geral, 4:0^5*000.
PBLICACOES A PEDIDO
1
M POUCO DE TUDO
No Rio de Janeiro perdeu se a F em Deus ;
Em Pernambnco morrea a F Esperanca Can-
iade.
Nao grapa. ......
E' um Tacto consignado as romas dianas da
Capital Federal e deste Estado de Pemambuco.

0 governo dos Estados Unidos, que j se tem
Ilustrado por tantas iniciativas arrojadas no
semillo do progresan e do iireito das gentes,
acaba de tomar urna medida inte/ essante.
O coogresso deliberou que, quando os Estados
finidos e outras potencias nao poderem terminar
urna questo pela via diplomtica, dever ella
aer sujeita a urna arbitragem.

Um ujeito idoso e urna senbora vo sos n'um
wagn, ba raais de urna bora.
O Sr. nao conversa comigo, diz por Bm a
dama ; julga talvez que eu sou alguma fra f
E' exactamente o contrario! exclama o su
jeito idoso aterrado.

Cincoenta compositores typograpbicos, que
compunbam o quadro da Companbia Nacional
Edictora, successora de David Corazzi e Justino
Guedes, dirigiram se boje aos directores da
mesma companbia, pedindo Ibes a revogacao de
varias ordens dadas pelo gerente, Sr. Jos de
Mello.
A direepao responden-Ibes que dispensava os
seas servipos, em consequencia do que os com
positores sabiram todos, lavrando um protesto,
que foi impresso e distribuido as mas e offi-
oinas typographicas.
Por este motivo foi convocada com urgencia
urna reunio na Liga das Arles Grapbicas.
*
E' de Gaspar Guimaraes:
DESENGAOS d'aLBA
(A Demostkenes de Olinda}
Mnlber I doce viso, aojo fatal
Que o vate enamorado canta e ama,
Primorosa sereia que noicoama
E em tallas de amor encobre o mal.
N'um peito de creanpa divinal
Conquistaste, poeta, o estro e a fama,
Mas a morte fugaz daqnella cbamma
Em solapos narrou me o coqueiral.
Tambero enlouqueci de amor outr'ora,
Raiando no meu ser qual meiga aurora,
Um rosto amorenaio de sultana ;
Mas a virgem trabio-toe e desgranado,
Q ian lo boje record o meu passado
Desprendo gargaloada soberana 1

No Correio de Portugal l-se esta ancdota, que
lie cla86iflca de A proposito :
O Sr. Arroyo, n'um discurso que pronuociou
ao centro regenerador do Porto, entre outras
cou.-as sublimas que disse, pronuociou estas pa
lavras: ... ..'.
Declare-vos que o bomem que bontem viste
empenhar-se-na defeza da patria e dos interesses
a cidade qne o eleeeu. o mesmo que boje ea
ootraes ao vosso lado, apezar de ter alcanzado
as culminancias do poder. .
O que fui bontem a mesmo sere ooje e ama-
ina. .
Isto faz nos lembrar om caso qne se den, ba
tem trila annos,-em Coimbra.
O pai de um estudante foi agraciado com o
titulo de Barao e o rapaz, qoerendo dar publici-
ade honrara e revelar ao-mesmo lempo o seu
desprend ment* e a ana modestia, andou a se
gredar ao ouvlda de todos os seus condisci-
pl0; > -.
Seu que es meo amigo o por isto quero
dar te orna noticia <*ue te deve ser agradavel.
Meo pai acaba de ser feito barao de ;
mas ea continuo a ser o mesuio, nao tapo mu
anca se bei de tratar a todos como at agora.
Este segredo foi passando de oovido em envi-
do, de modo que pouco depois, apenas o estu
Os 1,609 metros do 2- pareo foram percorn
dos pela egua Minerva, dirigida por Nicolao,
em 113 1/2."
Nio fot regular a victoria de Minera, visto
ter na recta de chegada desgarrado proposital
mente ao animal Atila, que. anda assim foi
bom 2.
fmle de Minerva em 1", 13*800; em 2-,
6*700.
Poule de Atila em 2". 7*200.
Movimenlo geral, 6:170*000.
Village, montado por Pedro Figueiredo, ga^
nh iu a corrida no 3- pareo, percorrendo os 850
metros em 62."
oule de Village em 1-, 35*800 ; em 2-,
9*600.
Poule de Pbariseu em 2-, 6)900.
Mormento geral, 4:855*000.
No 4- pareo coabe a Pndaro, montado por
Pedro Pigueiredo, ganbar a corrida, vencendo os
900 metros em 67."
Poule de Pindaroem 1-, 9*100; em 2, 6*400.
Poule de Faceira em 2-. 7*700.
Movimento geral, 4:865*000.
Dondon, dirigida por Jobnston, cotrpetindo no
5- pareo com Zngara, Gladiator e Alfred, coo-
seguio ganbar a corrida, percorrendo os 1 600
metros em 111 "
Mais urna vez o jockey Jos Mendes atropellou
a eeua Dondon, fiado sem duvida na impunidade.
E tem razo, porque tendo -ido nao ha mnito
lempo su-pe.iso pela directora do Derby, poneos
dias'depois foi levantada a snspens&o, nao sabe
mos sob qde fundamento.
Poule de Dondon em,l\ 7*700 ; em 2-, 6*700.
Poule de Gladiator em 2 9*200.
Movimento geral, 4:635*000.
N) 6- pareo, grapas a pessiroa partida, foi a
corrida ganba inesperadamente por Bonaparte,
montado por Amaro.
Poule de Bonaparte em 1 67*300; em 2-,
22*100-
Poule de Maurity em 2-, 13*300.
Movimento geral, 3:425*000.
A repblica actual nao ser ento nem urna
Novos horizontes
i
A revolupio de 15 de Novembro do anno pas-
sado n xperada, rpida, arrojada e feliz, est
boje **erfeitan.ente iraduzida em facto. e produ-
zio a Contederapo dos Estados-Unidos do Bra
sil.
Entretanto, quamto, inais tarde, o desappare-
Cimento da gerapo que e?ta em scena e is ac-
tuaes prepouderancia tirar todo o pretexto a he-
sitacea e conllegceDdeasfas, e a distancia do
acoutecimento permitir toda' a iaeapSo de ani-
mo, a bistjna ba dereferil o com a mxima ver-
dade e a mais completa imparcialidade.
dor que surge de sorpresa com ai arrogancias tes. sido nunca- contaminado doa rieios e
Mdicos
O Dr. Alcibiadet Velloso d consultas
das 12 s 2 horas da tarde, na casa da
sua antiga residencia, ra do BarSo da
Victoria n. 45, 1. andar.
Lr. Joo Pauloespecialista om par-
tos, molestias de senhoras e de criancaa,
com pratica nos hospitass de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do Bario da Victo-
ria n. 6'), l. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto estacao do Es-
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio i ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fora
destas horas ra do BarSo de S. Borjc
n. 22. Espe ;i al i dad esmolestia de crian-
fas, senhoras e parto. Teiephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Perora, ra da imperatriz n. 8
d consultas medico-cirurgicas todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Freitas Gfuimar8e$, mediiBO, tem
du consultorio na ra Duque de Caxias
se 57, 1. andar; d consultas nos dias uteis
as 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Teiepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignir.Clnica me
iico-cirurgica. Especialidades : moleaca*
pulmonares e partos. Ra do Marqu-* de
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
i* 2 horas e na Casa Forte (Popo da Pa-
aella) das 6 s 9 horas da marina o i
rd* Telehone n. 392
Dr. Joaquim Lowtxn medico e parte i
.-o, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 a 2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Dr. Castro Jess medico o operador
Pratica a lavagem do tero quando o oo,
no aconselhada. Consultas das 11 t
3 da tarde em aua risidenoia ra de
doa Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
andar. Teiephone n. 389
Dr. Ribeiro de Bruto d consultas de
meio Ha 3 horas da tarde, no 1. an
dar ra Duque de Caxias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados, na sua
residencia, a ra do Hospicio n. 81. Te-
iephone n. 303.
AdYogados
O bochar Bonifacio de Aragao Farw
Rocha contina a advogar. Escriptorin
roa do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseca
tem seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
Oceullsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
aes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
orasda'i meio-dia. Consultorio o resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20
Dr. Barreta Sampaio, ooculista, d oon-
inltas de 1 s 4 horas no l.4 andar da
jasa ra Barao da Victoria n. 51. Resi-
dencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela ra da Saudade n. 2.
Drogara
Faria Sobrinho db C, droguista por ata-
jado, roa dn Marques de Olinda a 41.
Francisco Manoel da Suva A C, deposi
Anos de todas as especialidades pharma-
oeuticas, tintas, drogas, productos chimi
-m e medicamepto honjeepatieQB, ra do
Mrquez de Olinda n. 23.
Tlarta de eaererer
A melhor a tinta Victoria, vende-se
500 r. moia garrafa e a 800 rs. ama gar*
rafa intoira na Livraria Comtomporanoa
do Ramiro M. Costa, roa 1*. de Marco n.
simples nsurroipan militar, sem iiliapOes e an*
leceaenles, nom a obra regular, gradual e aca-
bada de um partido ,
EITectivamente, a transjrmapo por que acaba
de pus.-aro paiz u&o foi nada diste, porque foi
[mais do que isto, parque em sua formapo te ve
tambem outi os elementos, e sua verdadeira or
gem muito mais complexa.
Urna simples insurreipo militar, sem antece-
dentes e sem apoio fora dos aquartelamentos, te
ra (icado circumcnpla e isoUda; e, por muito
que seus autores fossem um punbado de bravos
ella nao tena alastrado o paiz inteiro, nao se te-
na imposto sem protestos e or^posipo agrando
maioria de urna grande popurapao.
Tambm nao foi oha de um partido, em que
peze aos republicanas de mais' antiga data, por-
que aquelle que exista em 15 de Novembro nao
tinha ainda nem numero nem forpas para urna
victoria.
Da propria monarchia que sahiram, talvez,
os melnores elementos da revolupao, porque os
que della p:ovieram, se nao influiram directa
mente na propaganda, com certeza, arrefeceram
o eathusiasmo pelas velhas instituipoes, abrindo
espapo a urna atmospbera de sympatbia pelas
instituices aatugomcas, o que nao pouco.
Com effeito, os vclhos processos esiavam gas -
tos, os velbos moldes carcomido; o, ou conve-
niencia ou falla de iniciativa e coragem, nin-
guem pensava sincera e decididamente em me-
lhoral-os. O eximperanle, o velho banido, que
l anda pelo exilio pagan lo mais caro que nr
guem a culpa de todos, c os bomens e os parti-
dos que o ccrcaram devem repartir a respousa-
biliade entre si, pedmdo cada um propria
coosciencia que lbe assignale o quinhao que lbe
cabe.
Pilbo de urna revolupao, maior antes de tem-
pO, o es-imperador abri os olhcs para o gover-
no do Estado, vendo sabir da dissenpo dos par-
tidos um acto da maior responsabilidade e das
mais seriat. coosequencias, a antecipapo do ex-
ercicio dos seus poderes magestaticos, e cedo
comepou a estadar os bomens. Sentindo, dia a
dia, enfraquecer-se a tempera destes, e mais
traquejado que lodos, tomn se por fim o arbi
tro da poltica do paiz, e com ella jogou durante
muitos annos segundo suas ideas, muitas vezes,
talvez, segando os seus caprichos. Sao bem ra
ras as an- doctas que referem alguma resistencia
poltica imperial I Be raras as parases de
altiva independencia que ouvio o ex-impera-
don
Em taes circumstancias, eslava desiquilibrado
o jogo dos poderes no antigo systema ; e por
fim, nem D. Pedro de Alcntara unpunia silen
ci ao seu amor proprioe abria mao de urna pos-
se de longo lempo permiltida e nunca impugna-
da, nem os polticos que o rodeavam procuravam
interromppr a prescrippao de sua autonoma, e
contentavam-se com a satisfapoda vaidade<
pela oceupapo das posipoes,da ambicao do
mando, pelo exercicio deste as proporpfies em
que Ibes era consentido.
Com taes normas eram impossiveis as sita-
poos totime duradouras, o as lucias polo poder,'
muitas vezes dentro do mesmo partido, eram
mais activas e incandescentes do que as empe-
nhadas pelas ideas e principios. E era por isso
que nos partidos da monarebia os actos nao cor-
respond jm exactamente aos lemmas das ban-
deiras, e dentro de cada um, com relapo s duas
grandes tendenciasde conservapo e progresso
- havia o congrapamento inexplicavel de tem*
peramenlos oppostos e antipalbicos.
Comprehende se que de um semelhente reg
men nenbum proveito serio e real poda aoferir
o paiz; e que, na permanencia delle, o raro
triumpbo que a longos intervallos ootinba algum
notavel melboramento, alguma idea grande, era
condemnado a arras tur a leotidao al o momento
em qua a opmio publica ameapava irritar-se, si
se tratava de urna aspirapfto nacional, ou, ao
contrario; encontrava facilidades, si taes melho-
ramentos, reformas e ideas significavam urna in-
dicapao vinda de cima.
Tudo isto estragou os velnos procesaos, arrui-
nou os velos moldes, desacrediten os bomens,
gerou a descreopa e abri a porta a novas e am-
inores aspirares. Foi por essa porta que a idea
republicana, em diversas epochas e em diversos
pontos emergida suffocada, e que pareca
adormecida, reentrou a pas *os largos.
A le de 13 de Maio de 1888, a grande le da
libertapo dos escravos, veio animar o partido
nascente com o espectculo de um povo homog-
neo, irmanado, nobilitado, e fortifcalo com a
adheso de muitos ex propietarios de escravos,
seno pela siocerdade das corfviepOes, ao .me-
nos pelo numero.
Foi nesse pe que encontrou o paiz o velho ex-
imperador, e volta da Europa, convalescente de
gravi8ima molestia, depois de ter, quasi no
mesmo dia em que sua Klba assignava o immor-
tal decreto, se abeirdo da sepultura, oqde a
morte o teria ento sumido com meaos crueldad e
do que aquella com que o atiraram no exirie a
perfidia de seus conselheiros e as impaciencias
e machinapes dos interessados na successo.
Digam o que quizerem, o velho ex imperador
nao tinha emo perfeita a iotegridade de 3uas
faculdades. Quando outro argumento faltasse,
bastara a conspirapo urdida dentro do papo
com polticos militantes, uo intuito de lanpar por
trra a situapo que dominava, para tirar o fac-
to a limpo. Ninguem ousaria conspirar nem mes
moacoo'elharaaonao,.se ainda ento D.Pedro
do alcntara despoiesse das antigs energas de
seu espirito e de toda a torea de sua vontade.
E a conspirapo triumphou, e o visconde de
Oaro Preto empunbou o bastao do poder, procu
raudo disfarpar a attitude esquerda do coaspira-
de um conquista i or victorioso.
Para assumir no papo as proporpoei ae beroe,
de benemrito, exagerou as forpas do partido
republicano, e eomprometteu-se a salvar a mo-
narebia, debellando-o ; e, cheio de ambipoes,
auiaz.impaciente e hystorico, precipitou 03 acon-
tecimenlos, os escndalos e as violeneias, por
que linha preua de attingir ao alvo dos seus
planos:--inaugurar o terceiro.reinado, sendo o
seu graode chanceller.
E, porque os seu3 verdadeiros clculos visa-
vam principalmente o fazor-se forte frente de
sea oariido, eofraqueceodo todo e todos em tor-
no de si de modo a poder operar urna transfor
mapo amoldada aos seus intuitos, envolveu na
mesma guerra violenta e escandalosa os parti
dos republicano e conservador e o exercito e a
armada.
Presumi demais de sua forpa o da paciencia
das victimas. Qoerendo debellar os ioimigos
das instituipoes existentes,, pretenden tambem
aoiquillar os memores sustentculos d'estas,o
partido da ordem e a forpa armada. Esta reagio
e revoltou se, e, coofraternisando com os repu-
blicanos, lanpou a monarchia por trra.
De totre8loucado plano n8o se podia esperar
outro resultado I
O partido do visconde de Ouro-Preto flcou es-
magado pela consciencia de seu grande erro ; o
partido conservador eslava ebeio de maguas, de
dcscrenpa, de indifferenpa, Ulvez; e a repblica
foi por toda a parte .proclamada sem protestos,
sem resistencia, sem urna Vandea, e os conspi-
radores foram caminbo do exilio curtir as dores
de tardo arrependimento e expiar suas grandes
culpas.
A incessaote actividade e a forpa da- propagan-
da republicana, nos ltimos tempos; o descr-
dito das velbas instituipoes; os erros do ex im
perador e dos partidos monarchicos ; o desiqui
Hbrio dos poderes constitucionaes ; a indifferen-
pa geral proveniente de tudojso ; a le de 13 de
Maio, e, finalmente, a treslooeada ambipao e o
ysterismo potico do visconde de Oaro Preto :
eis os elementos que concorreram pasa a nova
ordem de coisas.
Foi assim que a repblica se iniciou, se forta-
leceu e se proclamou. Ella boje est consolida
da, um faci. Esto, pois, para o Brazil aber
tos novos borisontes.
preconcoits, qtfe, por um atavismo fatal,
invada at a ultima molcula os homaet
do rgimen decahido; republicano intran-
sigente desde os bancos acadmicos; pos-
Buindo a mais completa e perfeita orienta-
pao pilitica, como o demonstra o manifes
to do 11 de Desembro de 1888, do qal
foi elle o primeiro s gnatario, recae m si
todas as qualidades de um administrador
modelo, de um governador capaz de sal
var Pemambuco do estado de abatimento
material e moral a que o reduziram os
falsos e fingidos patriotas, que, visando
somonte satisfazer ao interesse proprio
ou ao d'aquelles que lhe quimvam O in-
cens torpe e podre da bajnlacSo, n&o tre
pidaram mettermaoB criminosas no amago
du coragao da"patria e d'afai roubarem-lhe
at a ultima gotta de sangue.
O novo governador, espirito esclarecido
e mdependentj ; perfeitamente oonhecedor
do meio em que vive, ha maiB de vinte
annos; completamente inaccessivel baixa
intriga-e-nao se deixando scduzir pelas
adulapSes de pretendentes pouco escrupu-
losos, ser, estamos convictos, a salva-
guarda das instituipSes republicanas e a
espada da juatica aempre desembainhada
en defesa da vida, honra e liberdade da
familia pernambucana.
Parabens Pemambuco.
O ft*.a* romfereocla
?;'
(VWB 18 8LAEA8)

Quasi que se pode dizer qne estamos em um
mando novo, e, prtanlo, nunca tanto se impoz
a necessidade das posipoes claras e definidas.
E' por isso que tomei a resolupo de escrever
com a responsoBilidade de meu nome.
E, porque assim o fapo, e porque disse no co
meco do presente artigoque cada um devia pe-
dir propria consciencia que lbe assignalasse
o quinhao de responsabilidade nos erros passa-
dos, devo declarar que, por minba parte, nao me
furto semelhante expiapo, tanto mais qaanto
diz me a consciencia que nao das maiores a
parte qne me cabe.
Electivamente, nao pode ser dos maiores cul-
pados quemnas fileirasdo partido em que militou
durante trinta annos nunca ,;oude elevarse ci-
ma do nivel em que omantiveram a pobreza de
merecimento e a falta de servipos relevantes ;
quem, depois dos aconlecimentos que antecede-
rn! ultima sitnapao poltica do rgimen pas-
sado, tinba annunciado aos amuos com quem
mais priva vaque sua adheso monarchia es-
lava limitada pela vida do ex imperador.
Recite, 28 de Abril de 1890.
JTSNClO d'AOIAB.
V virtuosa Tiara e aos Innocen-
tes Alhinhos de Antonio feo-
mes de Ollreira e SHra ao 9o
dia de sen passamento.
Os seotimentos ntimos prodozidos pela ex-
panso da dor dobram de intensidade quando
actnam directamente sobre nossos corapOes ao
lamentadnos o passamenlo de ama pessoa cara,
que nos toca de perto.
E' assim que hoje 7, dia do passamenlo que
pranteamos, ea, qae sinto os impulsos de urna
dor terrivel, tenho de restringir essaexpanso
de minba alma consternada as parases modes-
tas que tm por lira bemdizer a memoria deAu
tonio Gomes que foi na ierra um symbolo de vir-
tudes, um pai extremoso, o esposo modelo, ami-
go exemplar, a quem a sociedade e a familia la
mentam como a maior das perdas. Eu. como
guardo no peito a saudade inflada, acatando os
seotimentos justos da familia, nao posso deixar
de pe i ir a Provideucia o balsamo consolador pa
ra a esposa inconsolavel, nma benfica mo para
guiar seus innoeejtes iihinhos no camioho da
virtude... e. depor ainda urna lagrima sentida
sobre o tmuloj regado pelo pranto de todos
que o estremecem.
T. A. O.
O novo governador
Assumio no dia 2b do corrente a gover-
napSo deste Estado o Ilustrado cidado,
Dr. Albino Goncalveo Meira de Vascon-
cellos.
Parabens Pemambuco.
O momento histrico que atravessamus
um dos mais difficeis e melindrosos por
que tem paasado a nossa caa patria.
A revolupao de Novembro apenas pro-
clamou a Repblica, resta, portante, orga-
nisal-a e consoldala esta, sem du-
vida, a.taris mais pesada e mais ardua.
A proclamapao da forma republicana,
como systema de governo nos Estados
Unidos do Brazil, poderia ter sido consi-
derada o resultado de um momento de en-
thusiasmo do nosso exercito, se nao fos-
sem conhecidos os elementos de ha muito
condensados, a antipathia e desamor qne
todos os brasileiros sentiam pelas institu-
c3es decahidas, e, emfim, todos os antece-
dentes histricos, que precederam a grande
revolupao.
Nao era difficil, repetimos, proclamar a
Repblica em um paiz onde a monarchia
nao tinha nem raizes, nem um s homem
capaz de derramar seu sangue para susten-
tal-a; em um paiz onde a realeza tinha
consumido sessenta e oito annos a estra-
gar caracteres, a corromper as conscien-
cias, abalar o verdadeiro mrito, a ele-
var a ignorancia e o servilismo, em urna
palavra, a absorver todas as forpas, todas
as energas sans e dignas da alma baasi-
loira.
Difficilimo, porm, foi, o o ainda, dar
nova forma de governo urna organisa-
c2o poltica, capaz de satisfazer s nobres
o elevadas aspiracSes do patritico movi-
mento de 15 de Novembro, qae nao foi,
por assim dizer, mais do que a porta abor-
ta s instituipoes republicanas.
Para isso seria preciso que o chefe do
governo provisorio, seas ministros e at o
governadores dos Estados possuissem urna
grande iliattraccao, um elevado patriotis-
mo e, sobre tudo, a verdadeira orientapao
republicana, seria preciso que fossem bo-
mens de coracSo para sentir, de cabca
para resolver e de braco para agir.
Nao nos parecera nunca de boa polti-
ca, qne fossem investidos de altas fanccSes
administrativas os membros dos anugos
partidos que governaram durante o n
Prolongamento
Juigo de meu dever protestar contra a
asserpao de articulista do Jornal do Recife
de 18 sob o pseudonymo de Catulle M. em
que classifica de clandestino o contrato ce-
lebrado entre o governo, representado pelo
engenheiro residente Dr. Julio Viaana e
Antonio Bertholdo G-alvab, para o forneci
ment de postes telegraphicos, para a con-
servapSo da linha.
Porquanto, tendo sido dito contrato ef
fectuado no escriptorio da via permanente,
em pleno dia, a claras, tai eu em pessSa
convidado a servir lhe de testemanha e
juntamente o Dr. Raphael Correia de Oli
veira, que entSo aqu se achavn de passeio
em casa do seu cunhado o Dr. jais de di-
mito desta comarca.
Fapo esta declarapao ao publico, porque
nao posso consentir que um ann; no adul-
tere a verdade, prejudicando assim o ca-
rcter de pessoas que teem razao do sobra
para presar sua reputapSo.
Qaranhuns, 25 de Abril de 1890.
Bellarmino Dourado.
A' MEMORIA
DB
Antonio Comea de Oli veira]
e Silva
Hoje, 7. dia do infausto passa-
mento de to prestimoso amigo, do
tilho exemplar, do esposo extre-
moso e pae excessivo, vm depdr
sobre seu tmulo urna lagrima de
profunda saudade
Alguns amigos.
29 de Abril de 1890.
momomomomom
jrt
rio, porque, ou esees
homens desconhe-
ciam completamente as normas o vanta-
gens do governo republicano, ou conhe-
cendo-as, recalcitravam em sustentar, con
tra suas proprias conviccos, e rnente
por amor ao poder, urna monarchia perni-
oioaa e nefasta felicidade da patria. Os
do primeiro caso sSj ineptos e incompe-
tentes o os do segando si hypocritss e
especuladores.
E porque assim pensamos, damos since-
ros parabens ao i Estado do Pemambuco,
Sir ter a fronte de sua adnniatrapao o
r. Albino Mein, eidadao inteUigente,
Ilustrado, justiceiro e honostissimo.
O novo governador sem compromissos
nem ligaoSea com os artigos partidos; em
Effeitos da passeiata cvica
do Cabelleira no dia 20
do corrente
Perganta-se quaes foram as figuras mais
salientes pela sua altura e posicSo que
acompanharam o cajo; o B. Campello, o
J. Hygino e a claque.
Mirtano
Ora vSo vendo o italiano no sacco e o
siri roendo.
PARCE SEPLTIS
saieioIvoi
SOBBB 0 TMULO DO INNOCENTE
Tributo de venerapo a
seus paes e reconhecimento
de estima a seos avs, o ci-
dado Raymundo Lins dos
Santos e sua excellente es-
posa-
Recife, f8. Abril. 98.
A. G. de Gusmao Lobo.
Evidenciemos a demonstrapo e irrecusabili-
dade das conclusQes do dilemma proposto no
artigo anterior :
No primeiro caso, por macbiavelismo ou des-
connecimento dos mais pronunciados symptomai
vltaes de nossa vida poltica, nma tal nypothese
retrata com originatiade o pretenso brazileirit-
mo daquelle que a teaba concebido ; urna' ves
que os.actuaes exercito e a armada brazileira
ulirapassaram a norma do patriotismo, da intrans-
igencia causa da verdadeira democracia e da
abnegapo que distinguen: os militares de 7 da
Abril de 1831.
Mais explcitamente : a revolupao de 13 de
Novembro nesse caso, um acontecimento com-
plementar do que teve como consequeacia a
abdicacao forcadado primeiro imperador.
Ainda em 14 de Julbo de 1831, a constancia
dos exaltados procurara completar o seu glorioso
advento que s, de facto, fora promovido pelo
exercito brazileiro desse lempo : perto de 5,001
soldados e paisanos, reunidos no campo da
Sant'Anna, reclamavam a decretapo de medidas
francamente rspublicanas, por meio de urna
represeatapo firmada por centenas de assigoa-
turas.
Apezar, nessa epocba, do numeroso partido
republicano que na historia figura com a signi-
ficativa qualilicaco de exaltado, os militares,
representando como aioda boje a parte nacional
seleccionada, iniciaram um periodo .tradicional
e de prosperidades de grande alcance, attestados
pelo aoo addiciooal, cogido do processo e cdi-
go criminal que jamis dexaro de passar como
producto da acpo emprehendedora dos revolu-
cionarias sobre-a inercia disfarpada dos modera-
dos, correspondentes aos liberaes de hoje.
A revolupao, porem. sendo transviad em seus
principios os mais fandamentaes, nao teve urna
direepao baseada no movel que a produzlo.
O mal, nao tendo origem no proprio povo,
eslava as influencias polticas que se haviaut
collocado frente desse movimento revoluciona-
ro ; pois. como demonstran: e prevam os factos,
se tornaram incapaces de oceupar semelhante
posipo, ] pelas vistas acanbadas que lindan
de ama conceppo poltica largamente democr-
tica, j porque no peito pao sentiam laborar o
ardente fogo do patriotismo.
Mas o povo 6 como o Antheo da Fbula cujas
forpas revisoravam proporpio que-tocava i
trra : vencido em diversas tentativas para a
realisapo do ideal de seus progenitores, esne-
sinbado em sua soberana em 12 de Novembro
de 1823 e trahido em 1831, ergneu se, por fim.
mais aihletico e forte, quando a liberdade, npen-
tando-lhe o trilhado camioho de seus hroes,
mostrou lhe o destino a seguir.
E' que os Limas que nesse perodo oceupavam
as maiores posip&es militare! e dispuoham de
influencia e prestigio, tanto" como os Fonsecas
actualmente, nao senliam-lhes correr as veas
o sangue impetuoso da# familias do povo, de
onde surge a superiondade civico-moral destes
sobre aquelles, intentando a palma das magnas
emprez.s em que triumpba a causa dos oppnmi-
dos sobre a dos oppressores.
E' que Nicolao Vergueiro, -drico Mendes,
Limpo de Abren, Honorio flermeto e muitos
outrns qne, sem tino e sem crenpas altruisticas,
procuravam dirigir a rivolupao de 7 de Abril,
deixaram se esmagar pelo pedestal do throno,
contrariando tanto qnanto Ihes foi possfvel a
marcha rigorosa dos acontecimentos.
gEstavam, por conseguinte, muito e muito dis-
tanciados de Ruy Barbosa, Francisco Glycerio,
Aristides Lobo, Lopej TrovSo, Silva Jardim, Per-
uambuco e innmeros ootros agitadores, desta
transformapao os verdadeiros directores da poli-
tica actual que della brotou.
Em synthese: Evarisa-da Veiga 'e Joaquim
Rodrigues Torres nao possuiam a mesma limpi-
dez dos seotimentos librrimos qne caracteri-
sam Quintn.: Rocayuva, Benjamn Constant e
Ruy barbosa ; pela mesma causa porque a Au-
rora e o Independente nunca sero equiparados
com o Paiz e o Diario de Noticias.
Quanto a segunda proposipo, nio menos
palpavel o absurso histrico, ponderando que
desde a guerra dos Mscales em 1710 at a re-
volta de 1818, o ultimo rugido do Leo do Nor-
te ; assim como desde 170 at a paeOcaco da
tentativa revolucionaria da fundapto da Rep-
blica de Piratioin, o elemento militar existe con-
fraternisado com o povo de tal forma que sepa-
rar um concuro de outro seria o mesmo que
desligar a forpa de duas correutes qae recipro-
camente se impulsin;.m seguindo um fim ho-
megeneo.
Essa confraternisapo de se-ntiraentos demo-
crticos que no Rrasil existe entre essas duas en-
tidades inteiramente separadas em alguns pai-
zes, provem do pbenomeno bem sensivel de o
soldado brasileiro ter. em geral, sahido do pro-
prio seio do povo, soffrendocom elle os mesmos
vexames e nutrindo com a sua intima conviven-
cia os mesmos intuitos cvicos que os prenden*,
em lapos indissoluveis.
Nao recejamos que, na acluaLidade, o milita-
rismo ebegue a tentar ao menos, om ligeiro en-
saio de predominio poltico-administrativo; em-
quanto o mtia as ciraiailaacias fortuita, ou a
seleccio artstica nao vierem estabelecer urna li-
nha divisoria entre essas duas iodividualidades
appareates que na esaencia devem ser urna so.
Deixaremos de pensar assim, desde que ob-
servarmos que o militar brasileiro se diferencia
do homem do povo pela origem de familia, h-
bitos, iostruepo e outros divergentes, como por
exemplo, snecede na culta Allemanha em que
essas duas forpas desequilibradas, por essa ex-
posipo de motivos, se debatem reagindo umi
sobre a outra.
Ainda mais: nao podemos conoeber como es-
piritos, alias de alguma orientapao bem presa-
mivel, julguem que os militares peb juramente
prestado jamis deviam deixw de defender as
instituipoes, que lhe foram impostas; pois que,
at desse modo, esiavam intimamente ligados ae
governo decahido 1
Como continuar a sustentar urna forma de go-
verno, recusada pela consciencia geral da napao,
3uando os seus proprios sentimentos de pura
emocracia repelliam-n'a?!
Como sujeitar se aoma simples formula impe-
rativa, quando a ntima voz de seus proprios re-
quisitos de cidado, bradava-Ibes contra esses e
outros attebtados que ferem a consciencia dos
que sao victimas ?!
Demais: o juramento ou era pro formula, os
tinha eff. itos obrigatorios.
Como simples formula pactuante de estylo, o
intuitivo- quo nao impnnba compromissos peg-
soaes jjvisto como s os actos legalmente consti-
tuidos e racionalmente estipulados com assenti-
meoto e espootaaeidade das partes mandantes
e mandadas, podem contrahir deveres recprocos.
Como maudato obrigatorio, to improceden-
te quanto lesivo ao proprio direito He conscien-
cia individual; pois nao desse modo que urna
instituipo deve impor-se aos seus instituidos.
E, se o chefe supremo do governo, como trm-
ponsacel por seus actos, nio tinba deveres jur-
dicos para com os governados. como a institui-
po que o representava devla exigil o destes 11
Si as pretensas monarchias constitucionaes
essa pre8umppo tem o effeito do uro dogma,
atteoda-se, por coherencia, que a io de dire
correlactiva da de deveres; e que o juramenta
nao se refera smeute a urna classe, mas a todas
da populapo civil que oceupavam cargos pbli-
cos e recebiam ttulos honorficos ou diplomas
de sciencias, lettras, artes, etc.
Finalmente os que teem acompanhado a nossa
Solitica geral devem recordar-se do fundamente
essa questo, quando ,o deputado repubcane
pelo 9.* distrcto de Minas, Dr. Monteiro Manso,
agitou a na Cmara dos Deputados, em 6 de Se-
tembro de 1888.
Logo, o Sr. Jos Marianno, quando quizer
oceupar-se de assumptos dessa ordem, deve
consultar aos Ilustres Drs. los Hygino e Maxi-
miano Lopes Machado, com especialidade a este
ultimo, afim de que nao commetta apreciapoec
to despidas dos mais rudimentares conhecimeu-
tos de nossa historia poltica.
Recife, 28 de Abril de 1890.
Licmfo de-Mast*-
O baeharel
Moreira lveo, iabeUito de notas.
18^Ba do Imporadorlo
;
*




Diario de Pernambnco-Terca:fira 29 de Abril de 1890
s.
lacere Mgradeeiaaento
Me inteiramente impossivel encontrar o roeio
pelo qual poasa agradecer a todos aquelles pa-
reles e amigos, que no espaco de maia de 4 me-
ses de molestia de mea venerando pai, Joaquim
Jos Martios, me acompanharam em todos os oo
meatos e nos man dolorosos transes.
Entretanto, me dado desde ja especialisar o
eapito Francisco Solano Molina, Ora. Barros
Carneiro, Lope3 Pesfoa, Arnobio Marques e
Bxm. Fre Antonio do Coraca) de Mara.
Ao pessoal da Companhia de Bombeiros.'entao,
mais'particular ainda o mea agradecimento.
Tenente, Jos Julio de Souza Martins.
Vaccina^aQ
Contina encarregado deste servico na
inspectora de hygiene, ra do BarSo da
Victoria n. 32, o Dr. Soares, que ha maja
de dus annos o exerce sem interrupcSo,
conservando sempre em bom estado a res-
pectiva lympha, como sabe-se em toda esta
capital, e sendo ltimamente, quando mui-
to assoberbado de ondas de vaccinadas,
auxiliado pelos Drs. Cerqueira Leite e
Lopes Pessoa, sem o qua teria este traba
Iho de prolongarse di dez horas da ma-
nha at a tres au quatro da tarde ; pois o
numero dos ditos vaccinandos est fluc
tuando actualmente entre quareota e cem
diarios.
#
Promptuario da lei ,
DO CASAMENTO CIVIL
Acha-ae prestes a sabir do prelo esta obra se
guida da lei anotada onde se discutem diversas
questoes praticas e faz-se um estudo compara-
tivo com o direito antigo.
Como appensos, traz o livro as instruccSes
baixadas para a execucSo da lei e mais actos
publicados a sen respeito e bem assim o regu-
lamento do registro civil, como materia que se
prende ao assumplo.
0 livro que se compora, mais ou menos, de
200 paginas, offerece utilidades aquelles que se
iedicarem ao estudo' e execuco aa mesma lei,
bem como ao pubjico em geral.
Sendo a tiragem de poneos exemplares visto
nao poder seu autor accarretar com desperas
superiores, se dar preferencia aos pedidos que
forem feitos, para o que se indica a livraria
Parisiense i ua Io de Marco n. 7.'
Preco do volme, pagavel entrega (cale :
Brochara 2*000
Encadernado 3*000
Quantas tczcs acontece T
Urna pessoa muito onceituada roora-
doura na, cidade de Bag (Rio Grande do
Sul,) achoa se gravemente doente do peito.
Coi chamado, para a tratar, o Ilustre
Dr. Penna, mais tarde, o tambem Ilus-
tre J>r. Albano.
' O doente cada vez ficava peior: a m o
lestia, somjbando do ratamento medico ,
segua seu funesto curso.
Urna pessoa da familia, tendo confia nca
ao Peitoral de Cambar, descoberta d J.
de Souza Soares, de Pelotas, lerabrou ao
medico a sua apphcacao.
Este,, porm, que talvez nao conLeces-
A commissao acadmica, abaixo assignada,
encarregada da manifestaco ao Ilustrado mes
tre Dr. Albino Meira, convida a todos ca alum-
nos dos 1, 2o, 3o 4o e 5o annoa a comparecerem
no edificio da Faculdade, oa tres primeiros ter-
ca-feira 29 do correte, a ii boras do dia, e oa
dous ltimos quarta-feira, 30, a mesma hora,
afim de proceder se a eleico doa respectivos
oradores para representasen! n'os naqoella ftsta.
Atmeida Jnior.
* Costa Neto.
Placido Serrano.
Raymundc. Miranda.
Cassiano Lopea.
Ferreira Lima Jnior.
Joao Honorato.
Alberto Magno.
Cata cura de astanaa
De Santa Victoria (Rio Grande do Sul) remet
'. eram-noa o seguate atlestado:
En abaixo assignado attesto, a bem da huma-
dade, que tendo urna Giba que soffrera, ha mais
de quatro annoa, de aslhraa e ouiraa molestias
lo peito, foi radicalmente curada pelo maravi-
ihoso remedio Peitoral de Cambar, do Sr. J. Al-
vares de Souza Soares, de Pelotas.Delpm Jos
Rodrigues.
(A firma eat reconhecida).

se, por experiencia propria, os
effeitos de
to auberano remidi, recusou se a recei-
tal-o, continuando com outras applicacSes.
Vendo-se que o doenteSiada aproveita-
va, e que a morte qra neyitavel, man-
dou se, em segredo, comprar um vidro do
dito peitoral. e o doente principiou a to-
mar O novo remedio e a mclhorar, e no
fim de algum tsmpo achavase completa-
mente restibelecido.
Um bagttui.
Muita attenc,ao
O abaixo assignado, legitimo cesiomno dos
bens deixados por Jos Cordeiro do Reg Pon-
tea, fallecido nesta cidade do Recife, deparando
com um annuncio inserto no Diario de 3 do cor-
rete, offereceodo aquelles predios venda,
previne ao commercio e ao publico deste e dos
mais Estados Unidos do Brazil que nao facam
tranaaeco alguma com oa bens abaixo declara-
dos pertencentes ao mesmo espolio, pois que os
tnbunaes do paiz anda nao se pronunciaran!
definitivamente a respeito, e por sso, estando
disposto a bavel-os do poder |de quem os tiver
por qualquer modo, faz a presente declaraco
para que mais tarde nao se allegue ignorancia
ou boa f por quem quer que seja.
Os bens sao os aeguintes :
1 casa terrea ra Imperial n. 48.
1 dita na do Nogoeira n. 33.
i aobrado no pateo de Sao Pedro n. 3.
i dito na travesaa do Carmo n. 12.
7 armazens, travessa da ra de Pedro Alonso
aoiiga ra da Praia ns. 2 a 14.
Armazem, caes do Ramos, n. 24
Sobrado, ra Pedro Alfonso, n. 57
Armazem, dem, dem, n. 61.
idee, dem, dem, n. 63.
dem, caes do Ranos n. 42.
dem, dem, dem, n. 44.
44 apolice8 geraea dens.:
300 022 a 300.029,208. 914 a 208.913, 248 663 a
248 664.248.665a248.671,248.672 a 248.676,
162.589 a 162.593, 162 594 a 162 598, 84.346
a 84 353.
24 apolices provinciaea de ns.:
1885 a 1888,1179 a 1188, 1269 a 1278.
17 accoes do Banco do Brasil de ns.:
132.639 a 132.633.
Em lempo o abaixo assigoado declara liavcr
do mesmo modo todos os rendimentos e o mais
que at esta data tem sido recebido pelos procu-
radores de Antonio Jos Machado de Portugal,
Mcncel Roberto da Costa ru Costa iMeleiros
da ra do Amorim n. 39, nesta cidade on Je sao
situados todos os bens.
Recife, 5 de Abril de 1890.
Jos Soares d'Amaral
Dr. Silva Leal
CLNICA MEDICO CIBCRGICA
Consultorio e residencia rna do Livramento
n. 6 1 andar. Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto
Aula publica
ENSINO PRIMARIO E SECUNDARIO
BXO M t l L,I.\0
Ra da Penba n. 23, 2 andar
O profeesor publico Landelino Cmara tem sua
aula aberta ra cima, onde pode ser procu-
rado. Leccin particularmente portognei, fran-
cs e arithmetica.
Presta- se nae boras vagas do ensino a escri
pairar linos commerciaes por partidas dobradaa
esimples.
Revista do Mercado
Rkcifk, 28 dk abril de 1890.
Houve algn movimenlo nos mercados de
ambio e de algodio.
Restaurant Por tu ;uez
prlaaeiro cm Peruambuco
21 23BOA DAS larakgkibas 2123
COSINHAS
Brasile-.ra, Portuguesa e Francesa
Proprietarios : Cbarles Rozier & C.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for
mado pela Universidade de Maryland noi
Estados-Unidos, tem aberto o seu cnsul
torio, na roa BarSo do Victoria 18,1* an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Bol,
lisa
C9TAQ&B8 OFFICIAE8 DA JUNTA D08 COB
BBTOBE8
Recife. 28 ae Abril de 1800
Nao nouve cotaco.
u Dresidenle,
Antonio Leona-do Kodngues.
Pelo secretario.
Augusto P. de Lemos
Cambio
PRACA DO RECIFB
Os bancos abriram com a taxa de 20 5.8, sac-
iando alguns a 0 11/16 ate meio dia, quando a
laxa nominal foi redozida 20 1,2, sem lomado-
re, exigiodo estes 20 5/8.
Em papel particular nao houve negocie.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
' O London, pela .manh, ofereceu saccar a 20
"> 8 e os demais bancos' a 20 1.2.
O London retiroo mais tarde, fechando o mor
. ado a 20 1/2 em geral.
Aleada
Foi cotado o de I* sorte do aertao a 9*400 por
13 kilos.
A exportaco feta pela alfandega neste mez at
o dia 25, constou de 484 073 kilos, sendo 403.373
para o exterior e 80.O0 para o interior.
As entradas verificadas al a data de licje, so,
-.em a 10.599 saccas, sendo por:
Barcacas
Vapores.....
Animaes....
Via-ferrea de Caruarn.
Via-ferrea de S. Franciaoe.
Ha-ferrea do Limoeiro
Somma.
38.018 Haceos
...
2 437
4 320
38 509
i.455
84.750 5 crog
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formu a de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
giene Publica do Bio de Janeiro em 20
de Julho de 188J.,
Este depurativo' de grande efficacia as mo-
lestias ayphiliticas. empw^za do sangue ; assim
como em todas as molestias das sennoraa.
Tem curado radicalmente multas pessoas ar-
commettidas da ter'rwel molestia beriben.
MODO DE USAR
Oa adultos tomara .quatro colneres daa
sopa pela manb e quatrp noile.
A 8 crianzas Ae 1 a. 5 annoa tomarao ama co-
Iher pela manha e outra a noite, e aa de 5 a 11
annos tomarao duas colberes pelamanhS e duas
noite.
Deverao tomar banhos fros ou momos pela
manh e noite.
Resguardo regular.
Encontra se venda na drogara dos Sr?.
Francisco Manoel da Silva & C, ra do Mrquez
de Olinda n. 33.
O autor deste preparado pode ser procurado
na ra do Baro da Victoria n. 37, onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicaco
que for precisa.
Cuidado com k ful*iiicnre*

N. 111
AUastOt&oe a pedido de D Mara Vicente Fer-
reira, compre i iia.rua do Barao .Victoria n.
37, seis garrafas do Elixir depurativo, e restau
rador, preparado-pelo Sr. Angelina Jos dos San-
tos Andrade, tpara ella, atm de conseguir cu-
rar se de diversos funeios que thrfa na (lerna
direita, aos quaes'davam o nome-. de formigfliei-
ro, e conseguio reStabelecer-ae da referida ep
fermidade adquirida ha.dous annos, e rebelde
a muios remedios 4|g%.havia usado, conform
me declarou a mesmrsenhora.
Pode o Sr. Angelino, fa/er deste, attestado o
uso que Ibe convier urna vez que .um esta de*.
claragoem duvida se presta um servigo a bu
maoide.
Recife, 10 de Selembro de 1884.
Jote A. da Costa Pontee.
N. 112
Engenho Amoroso, da comarca de Agun Pre
ti, 12 de Junhode 1887.
Rlm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade
Amigo e Sr.
Communico loe que, tendo sollado em Junbo
d 1(84, de borrivel ibeumatismo, por mais
e um anno, recorrendo eu a diversos mdicos,
usando das suas receitas durante e?se periodo,
sem obter o u-ener alivio aosmeus soffrimeulos,
a molestia progredia de dia para da, a poni de
me atacar os olhos, dos quaes me perturbava
vista com bastantes dores dos globos dos olhos.
Fui aconselhado poa uui amigo para usar do
seu Elixir depurativo do sangue, e gragas a
Deus, em tao hoa hora lancei m delle, e com
o uso de duas garrafas acbome completamente
restabelecido de meus encomnudos.
Destas poucas linhas que f contcm a verda-
de, podera V. S. fazer o uso que Ihe convier.
Sem mais assumpto cu de V. S. criado.
Francisco Pacs de Luna.
N. 113
Illm. Sr. Angelioo Jos dos Santos Andrade.
Estando urna pessoa menor, de minha casa,
de 3 ara 4 annos, soffrend da terrivel moles-
tia Flores Brancas, e tendo tomado diversos re-
medios sem resultado algum ; e ebegando ao
meu conhecim a > o prodigio do seu preparado,
lancei mo delle, tomando apenas urna garrafa
ticou compltame restabelecida.
E' de lastimar que esse precioso purieador
do sangue nao seja conheeido por todos pata
bem da bumanidade.
Pode fazer o uso qu*- Ihe apiirouver desia mi-
nha carta.
Sou de V. S.
Atten: ios o e oiirigado,
Meneles Cordeiro de Ousmao.
(E
Antonio
llanto s.-llados e reconhecidas aa firmas.)
Auxilios lavoura
Pcreira arneiro & C. continuara, autorisadu.-
pelo Banco do Brasil, conceder emprestimoc
i lavoura das provincias de Peruambuco, Ala
goas.Parayba e Rio Grande do Nbrte, mediante
as condiges de que os iotereaaados serio infor-
mados no escriptorio rna do Commercio 6
das 11 horas da manb s 2 da tarde.
Revela?oes e sacreclaveatos
Poucas vezes temos experimentado urna tao
intima satisfagan; melbor diramos um legitimo
crgulbo por noticiar ao respeitavel publico que
a ceneja La Rosa Allemana urna mensageira para
o corpo tanto bebida como regalo que de
oisairr.o paladar, como infallivel na cura de
enchaqueca, ataques hemorrhoidaes, cornmen-
tos e flret brancas.
Nao alongamos consideragOes e limitamo-nos,
pois, a descobrir a riqueza da cerveja La Rosa
Allemana, j professada publicamente. A verdaie
sempre verdaie. Alm dos estabelecimentos
j annunciados est venda em outros im-
portantes estabelecimentos doa Srs. Joo 4a Cu-
nta Vasconcellos, ra do Livramento; .Antonio
Guilhermino dos Santos, ra Direita, Moreira Ir-
mao, ra de Pedro Alfonso; Jos da Silva Pcrei-
ra Lisboa, ra do imperador; Manoel Martins
Lourenco, Jaboatao; Francisco Mendes da Fon-
seca, Pilar de Alagoas. Jos Domingoa d'Olivei
ra e Manoel Ferreira Silva Vciga, Natal; JoSo
Juvenal Barbosa Tiooeo, Baptista Jnior 4 C.
e Ismael Cesar Duarte Ribeiro>Macahiba.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 as 4 horas da tarde, no Io
andar da casa n. 51 a ra do
BarSo da Victoria, excepto- nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Seto de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
. ASvogado *
O Dr. Gomes Prente mdou, seu escriptorio
para o pateo do collegio n. 7?.
{}
^1
Leonor Porto
Rita Larga do Rosario Qu-
inero ae
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficeis
fiturinoa recebido8 de Londrea, Pariz,
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de coaturas, em
em brevidade, moeficidade em pregoa e
fino gogto.
Advogado
O cidadio Ismael Marques da Silva encarre-
ga se de defesas perantc o jury da cidade do
CABO.

Dr. Mello Gomes
Medico operador parleiro
46Ra do Bar2o da Victoria46
(DEFRONTE DA PHARMACIA PINHO)
Onde tem consultorio e real-
denela i podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
lias de senboras edos pulmes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
ragea de estreltameatos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prorapto a chamados para
(ora, a qualquer diatancia.
Telephone n. 394
O advogado
(kmros
>s.
Ca roa
salgad08 40J ria, e os verdes a 230
Barcacas.
>.'apores ....
Aaimaes.....
v'ia-rerrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Va-ferrea de Limoeiro
Somma.
Saccas
10 390 Saccas
Acucar-
os precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se1
JBdoa Associlcjo Commercial Agrcola, foratB
03 sefvintes:
Camas..... 3j7oo a 4O>0
Braoeo.....' 3*3oo a ZWO
Smenos..... 2/600 a SWO
Maseavado purgado U600 a UK
Brotof..... U30O a usno
Rtame..... #M0 a usxi
A exportago feita pela alfandepa nesle mes at
o dia 15 constou de o 468J38 kilos, tiendo.......
1.WLB para o exterior e 3:963.519 para o in-
terior.
_
As entradas .valseada* a data de boje, so
bem 61.730 taceos sendo por:
gtmrdeaie
Colarte a 8J0C0, por p p, de i80 litros.
Alcool
CoU-so a 183*000 por pipa de ISO litros.
BeJ
Jota-se SSfOO por pin le i80 litros.
Pauta da Alfaudeca
SBHAN* BE 28 DC ABRO. A 3 I>B HAI X>G 1890
Vide o Diario de 27 de Abril
darlos descarga
Barca porlugueza oco Silencio, varios gneros.
Barca norueguense or, carvao.
barca norueijuease Fio, carvio.
Barca uorueguense Latona, carvo.
Barca ncruegunse Speranza, carvao.
Barca norueguense Morgengrj, carvio.
Barca iogleza Lavinia ba'.in<>0.
Bn^ue bollaades Meidem, xarque.
brigut: noruegueose Egden, carvao.
Lugar portugus Temerario, xarque.
Lugar inglez Florease, biealhao.
Palaclio norueguense Cera *rque.
Patacho francez Geneial Be; ge, xarque.
Patacho nacional D. Anno, urella.
laaportaco
Hit te nacional Aurora 2., entrado de
Macau, em 26 e consignado e Carlos An
tonio de Ofiveira.
Sal 19,200 litros ordem.
xportaco
BCIfa 26 DB ABHIL Di 1890
rara;o exterur
No vapor a\kuioMenkt,d, para Lisboa,
csrregiram :
11. Burte & C, 100 saccas com ',337 tilos de
algodio
F. da Costa & C, 605 sacca com 48,068 kilos
de algodao.
S. Ii. Amorim 4C, 330 fardos com 41,713
kilos dealgodo.
Para Haraburgo, earregaram :
Pobiioan C, 497 couros seceos salgados
com 5,864 kilos.
Para Bremeo, carregou :
V. Njeen 2,000 couros verdes coco 41,000
kilos e C8d couros seseos salgados com 6,960
kilos.
- Pa barca pertuguezs N. SUecii, para o
Porto, carrecaram :
_|M Lima & C, 120 saccas com 7,337 kilos de
algodo.
Vara o interior
No vapor inglez Turnar, para Rio de Janei-
ro, earregaram :
G. A. Gayo dje Miranda, 1 caixote com 30 kilo:
de doce.
CosU Fernandez 18 calxaa com mangaa, fruc
ta, no valor de 3/0O.
No vapor inglez Planeta, para Rio de Ja-
neiro earregaram :
E. C. Beltruo & I: mo, 250 saceos com 18,736
kilos de assucar maseavado.
No Date nacional Deus le Salce, para Cear,
earregaram :
P. Carneiro & C, 28 barricas com 2,912 kilos
de assucar brauco.
No biale Co-reio Parahybano, para Parahy-
ba, earregaram :
H. Borge8 & C, 50 saceos com farioba de
mandioca.
Na barcaga Constanca, para Micahyba,
carregou :
A. Flores, 70 /olumei com 903 litros de gc-
nebra.
Hendluicntos pblicos
HEZ DB ABRIL
Alfandega
Dr. Manoel Portella Jnior
transferio o seu escriptorio
para a ra n. 44, 1. andar. (Entrada
pela ra do Torres).
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creanas
Consultorio e residencia ra da impe
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por eacripto) qualquer hora
TELEPHOKE H. 226

Tguarass*u' '
Dr. FrancUcoX. Poe* Brrelo
, ADVOGADO
Encarrega-se de qualquer trabalho
Inherente ao seu oflicio mediante
ajuste muito razoavel
O Dr. Bastos de Oliveira
tem o seu consultorio medico-cirurgico
ra do Mrquez de O!inda, n. 1, 1. an-
dar, onde pode ser procurado todos os
das uteis das 12 a 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua resi-
dencia, A fu do Hosp;io n. 46.
' Telephone n. 365.
'SZ-
'. Advogado
-*$m
Mudou o seu escriptorio para a ra do
Imperador n. 32. pr.meiro andar, onde
pode ser procurado de 10 da manb s
i da tarde.
Residencia Ra Imperial n. 148
TelepJOBe n. 102.
Afti-
I;
156 compartimentos com farinba a 500
rs. 78*000
38 ditos de comidas a 500 rs. 2WO00
198 ditos de legutnes e fazendas a
400 ra. 794200
32 ditos de sumos a 700 rs. 22*400
18 ditos de fressuras a 600 rs. 10/8C0
18 ditos de camarOea a 900 rs. 3*600
. 75 tainos a 2* 130*000
4821340
Rendimento de 1 a 26 do Crrente o: 736*380
6:238*610
Renda eeral
Uo dia 1 a 26
dem de 28
715:151*231
2&258A559
141.679*810
Renda do Estado de Pernambuco
Do dia i a 26
dem de 28
123 111*332
5*44/8*3
128.336*1/3
Somma total 870:035*985
Segunda secgo da Alfandega de Pernambuco,
28 de Abril de 1890.
tnescureiroFlorencio Domingues.
O chefe da aecgaoCicero B. de Mello.
_____ t
Recebedoria do Estado de
Pcruaubueo
Do.dia la26 13 723*438
dem de 28 3:639*768
Pregoa do dia:
Carne verde de 240 a 569 res o kilo.
Sunos de 520 a 640 ris dem.
Carneiro de 640 a 800 idem.
Farinba de 360 a 640 ris a cnia.
Milho le 300 a 540 ris idem
Peiio de U a 1*280 idem.
Vapores a entrar
HEZ DE ABRIL
Ful............ Manos.......... 29
Europa....... Colo-ia.......... 29
Sul.......... Alagoas........... 30
Programaos da medicina
A sciencia nos d alegre? novas, aoounciando
nos que se tem Cuito um grande e importante
descoorimento, e qne as insidiosas amarguras e
soffiimentos causados pelas molestias da gar-
ganta e dos orgos da respirado, podem ser
atallndoa com o mmediato uso do Peitoral de
Anacahuila, e is'o com urna certeza e nfallihi-
lidade. at agora dcsconbecida na pratica da
medicina.
A bise fundamental deste delicioso e riqusi-
mo xarope consiste do balsmico sueco exlrahi
do de urna arvore mexicana, chamada Anacahui
ta. o nico especfico natural at boje conheeido
para asaffecces pulmonares. As esquinencias,
as bronebites e a asthma, cedem a sua acedo
com urna facilidade verdaderamente assombro
sa. Faz desapparecer a rouquido dentro de pou
cas horas, e tomado a lempo e a" horas impede a
possibilidade da thisica.
Como garzntia contra as falsiflcafoes, obser
ve se Den que os nomos de Lamman n Kcinn.
venham estamp dos em lettras transparentes no
papel do llvrinho que serve de envoltorio a cada
garrafa.
Acha-se venda em todas as boticas c droga-
rus.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Saltar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das chancas, dos orgos respirato-
rios e das seriwrasr"""*"
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser
rgidos pharmacia do Dr. Sabino,
a ra do Baro da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
EDITAES
Dr. Antonio Domingos Pinto, jure de direito e
privativo dos Feitos da Fazenda deste Estado
de Pernambuco, etc.
Fago saber a todos qae o presente virem e
delleitiverem noticia, que "peto. Dr. procurador
fiscal da Fazenda Nacional me foi 'dirigida a pe-
tieo do theor segointe :
lllm. Exm. Sr. Dr. juiz dos Ftitos da Fazen-
da.O procurado doa Feitos da Fazenda Naci
nal requer a V. Exc se digne mandar pasaar
mandado de Eequestro sobre o producto do lei-
lao effectuado pelo agente Alfredo Guimaraes,
dos bens de Joaquim Canelas de Castro, psra
pagamento de impos'.o de-industria e proflssao
do exercicio de 1889.
Oatrosim, existindo mandados executivos
contra o allndido devedor, e estando, provada a
ausencia do mesmo em lugar incerto como se
v das certiddea passadas nos versos dos referi-
dos mandados, requer que seja a citaco feita
or editaes. uo forma da ultima parle 3. art.
,*'do regulamento de 29 de Fevereiro de 1888.
Jeste? termos pt de deferimcnto.-r-E. R. M.
Recife, 28 de Marco de 1890,Francisco Magari-
no de Souza Leo.
E nada mais se continha em dita petico aqni
transcripta, a qual sendo por mim iida e exami-
nada, foi deferida pelo despacho do Iheor se-
guinte :
Passe mandado na forma requerida, cite ee
o executado por editaes. Recife, 21 de Margo
de 1890.Domingos Pinto.
E estando jus.ilicada e provada a ausencia
do executado em lugar incerto e nao sabido,
expeca se edital de citacao coa. o praso de 30
das,para todos os termos de execuco, caso nao
seja o debito pago dentro do praso marcado.
E para que chegue ao conhecimenlo de toJo?,
passon se o presente que ser publicado pela im
prensa e afiixdo no lugar mais publico do eos-
turne, sendo por mim assignado.
Dado e passdo nesta cidade do Recife, Esta- -
do de Pernambuco. no cartorio dos Feitos da Fa
zenda Nacional, aos 7 de Abril de 1890.
Eu, Jos Francisco do Reg Barros, escriv&o
privativo, escrtvi:
Antonio Domingos Pinto.
O Dr. Henrique de Barros Lins, juiz mu-
nicipal e do commercio do termo da Es
cada comarca do mesmo nome do Es-
tado de Pernambuco, em virtude da lei
etc.
Fuco saber aos que o presente edital virem
e delle noticia tiverein, que a requerimento de
Ernesto & Leopoldo, na execugo que nmem
contra o Dr. Jos Juli Hegueira Pinto de Sou-
za vae praca por arendamento trlennal, no
dia 13 de Haio prximo vindouro s 12 horas
do dia o eogenhj denominado Paran, sito oes-
te termo, sob a base da avaliaco por 1:030*000
annual, a contar do dia 12 de Maiodei891,
quanco huda-se o actual a.-ren iameuto, cujas
rend s sao para pagamento do que flear a dever
o n.-psmo executado aos exequeuUs da quantia
de 3:096*910 principal, juros o custas contados
no rosto da carta precatoria executor.a e mais
custas que accrescerern, urna vez que tendo os
mestnos exequenles Jeito penhora para paga-
mento da quantia cima, as rendas actual uo
mesmo engenho Paran, nao cheguem para o
dito pagamento as quaes s: acbam depositadas
em maos do actual rendeiro, razq por que vae
assim o referido engenho em praca publica o
seu arrendamento tnennal como cima tica men-
cionado para o predito pagamento.
E para que chegue ao conbecimento de todos
mandei passar o presente edital que ser affixa
do no lugar do costume, do qual car nos au-
tos a competente copia com a respectiva certi
do do porteiro interino doa auditorios, pa for-
ma da lei, entregue outro igual ao procurador
do exequente para ser publicado na iraprenaa.
Dado e passado nesta cidade da Escuda, aos
17 de Abril de 1890.
Eu, Antonio Carlos de Almeida, escrivo do
commercio subscrevo e assigo*.
E-:tava sellado com duas cstampilhas da taxa
cada urna de 200 rs., inulilisadas do modo se-
gu nte :
' Escada 17 de Abril de 1893.
O escrivo do commrrcio. Antonio Carlos de
Almeida.Henrique de Barros Lins.
E mar ae' nao continha cm dito edital, que
bem fielmente fiz extrabir a presente copia a
qual me reporto nesta cidade da Escada aos 17
de Abril de 1890.
Eu, Antonio Carlos de Almeida, escrivo do
Lcomnieiciorsubscrevo c assigno.
Escada, 17 de 'Abril de 1890.
O iscri'o do commercio,
Antonio Carlos de Almeida.
)



J
".*:
.

i
fe
5*
A's familias
DECLARARES

Sociedade

de
MEZ DE MAIO
Liverpool..... Merchanl....
Sul......... Equateur
Euroaa....... Kerlhe......
Europa....... Polosi......
Xcw-YorK*___ Maranheiuse .
Vapores a sabir
VEZ .t)E ABIL
Southampton. &lbef..%.*.;:+
3
3
4
4
13
Norte.......... Mandos...,.......
.santos c ase., Colgm*.. ,-... .
Norte........ Alaiqau.:..
_ .
29 as 11
29 aa 5
30 as 3
30 as 5
U
Auxiliadora da Agricultura
PcraaaabHco
- Aisembla geral
(2.* convocacao)
De ordem do respectivo preaidente, commen-
dador Francisco do Reg Barros de Lacerda,
licam convidados todos os membros effectivos
desta sociedade para, constituidos emassembla
geral na sede social, no dia sexta feira 2 de
Maio prximo vindouro, pro :eaerem a eleico
dos membros do conselho adminiatrativo e mais
fuoccionarios electivos. -
Sendo esta convocacao motivada pelo facto de
nao ter comparecido no dia 28 de Marco o nu-
mero de socios exigido pelo art. 29 dos estatu-
tos da sociedade, couetituir-se ha a asserabla
geral nesta segunda renniao com a presenca da
terga parte doa socios tffectivos, como manda o
art. 54.
Reclft, 25 de Abril de 1890.
Ignacio de Barros Barreto,
Secretario geral.
Associa^ao
Commercial e Agrcola de Pernambuco
De ordem da directora, convido os sentares
so:ios para a asaembla geral que deve ter la-
gar no dia 28 do correte, a 10 horas da manh,
na sala das sessdes desta associaco, afim de
ouvirem a leitura do relatorio, parecer da com-
missao liscal e elegerem a nova directora, con-
forme precei'.ua o art. 29 doa nossos estatales.
B. Pontual,
2- secretario.
. Companhia Usina Pinto
XXOmOGpatOa De acco.-Jo com o que preceita o art. 15 dos
\MRUA-AARO -ftA YICTOBIft 39 ^^staluos^ so convidados c s-
Piimctro andar
Ensino de primeiras lettras, por-
tuguez, francs e inglez; pelas
residencias dos alumnos, dentro
da cidade e em seus arrabaldes
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2. andar.
Collegio de N. S. da
Penlia
PABA O SEXO FEMDLNO
Sob a dlreccuo de Ani;uita Carneiro
Boa da Aurora n. 37
Segando anda r
Frederico Chaves Jnior J
J
ttas paraireuniSo de a sembla geral ordina
; ria, que de ver elTectuar se no dia 12 de Haio
17:3632iC
Heelfe Uraluage
Do dia 1 a 26 1^:786*190
dem 16:181*918
Mercado Mnnieipal de -Jos
O movimento deste mercado noj das 26e 27 de
Abril foi o seguintc :
Enrraram :
83.1/i boil posanda 9,744 kilos.
632 kilos de peixe a 20 res 12*640
36 1/2 cargas com farinha a 208 rs. 7*300
11 ditas de fructaa diversas a 300 ra 3MO0
66 columnas a 600 rs. 39/600
196 taboleiros a 200 rs, 39*290
32 sunos a 200 rs. 6*400
2 escriptorio a 300 rs. 600
Voviox-sHo d porte
Nviai entrados no dia 28
.Fernando"de Noronha 36 horas vapor
nacional 5. Francisco, do 382 tonela-
das, commandante Joaquim da Silva
Pereira, eqaipagem 30, cm lastro ; a
Companhia Pernambucana.
Naviot tahidos no mesmo da
Liverpool Vapor inglez Delambre, com-
mandante jWilliam Jardine, carga va
rios gneros.
BarbadosBarca norueguensa- Speranza,
capit&S A. Knudoen. em lastso.
Kio Formoso e ,TamandarVapor na-
cional S. Francisco, commandante Pe-
reira, em lastro.
Observaffio
Rio houve entradas nem sabidas no dia
27.
Cabera de negro
Elixir sedativo e anti-rkeuniatico, formula
do pharmaceutico Hermes de Souza
Pereira.
SEU MKUIXKIO
Approvzdj pela Inspectora Geral da
Hygiene
Este podjroso medicamento j bem co-
nheeido ha mais de 1C annos e cujos ma-
ravilhosos effeitos tem sido al 'estados por
muitos mdicos e numerosos doentes, cura
radicalmente os bheumaiismos, ebysi-
PELAS, SYPHILIS ESCRFULAS ~e todas as
molestias que tcem por origem a impure&a
do sangue.
O verdadeiro e mais antigoElixir de
cabeca de negro o da formula do phar-
maceutico Kermes de Souza Pereira, e
para aras ta dos consumidores tras elle
em seus rotules e envolueros o retrato do
autor.
Vende se a vare jo em todas as phar
macias e em atacado na pharmacia Fer-
reira, i praca de Maeiel Pinheiro, n. 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, ra do
Mrquez de Oiinda, n. 23.
prximo viodouro, na sede da companhia, ra
do Imperador n. 83, s 12 horas do dia, am de
serem apresentados o relatorio. balance, contas
e parecer fiscal do anno social lindo em 31 de
Marco prximo passado, e bem assim eljger-Ee
a commissao liscal, de conformidade com o art.
14 do decreto n. 65 de 17 de Janeiro de 1890.
Recife, 27 de Abril de 1890.
A. de Souza Pinto,
____________Secretario.________
Sociedade Refinaria e Di*ti-
]ac,ao de Pernambuco
Sao convidados os senlnres accionistas a rea-
lisarem at o da 30 do correte mez a 3.*J&6.*
entradas de 10 0/J equivalente a 40* por da
aegao, relativo a duas prestacOas, por ter che
gado todo material da fabnc conforu-e-os art?.
8 e 9. dos tstalutos, no esciiptorio do Exm.
Sr. tbesoureiro Bare de Ptroliua, entrada pela
ra do Torres n. 48,1 amtar.
Recife, 15 de Abril de.1880.'
0 presidente, ..
Joao Fernandea Lopes. *
Cl-4
Alfandega de Peroambuco
IMPOSTO PREDIAL
Segundo o decreto n. 9766 de 14 de Julho de
1887 previne se aos contrlbuintes que at o aja-
30 do corrente se proceder nesta asparUefto a
oobranca bocea do cofre do 1 semstrade
imposto predial relativo ao exercicio correte de
1890, paasando imprettrivelmente, a ser feita
depois desse prazo com a malla de lO %.
5 de Abril de 1890.
Bario de Souza Leao.


Diario de. Pernambuco-1 erca-feira 29 de Abril de 1890
NOVO E
STCKNEY E DONOYAN

I


-
a
j
m.

o
33
-<
. -
Em beneficio da celebre artista
As 8 e lj2 horas da noite
9 bellas e sympathicas damas americanas
MITAS NOYIDADES
VEXHAM COIS
ao \oo i: (Ki\i)i: circo amkr|i DE
3
O
i!

>;
E-i
I
P


S
^5
de
-
*
2 Para admirar as grande novidades artstica?, por &3
ella apresentadas ao publico
^>
Ao Circo! Ao Circo!
A admirara beneficiada em sua
noite de gala
] Ir.je tambera reapparecer na arena a sympathica artista, Misa
Blanche Edwards
a
w
o
3 PREgos
pN Camarotes ccm 4 assentos......10i50C0
^5 Cadeiras..........2*000
Plateas.......... 10000
Sempre que houver espectculo liaver trem at Apipocos. e bonds
para todas as linhas. *
Os bilbetes sarao encontrados a venda durante o da em casa do cidado j
Francisco Xavier Ferreira, raal0 de Marco n. 41, noite no Circo.
AO CIRCO! AO CIRCO g
^* Sexta feira baver um soberb espectculo s 4 e 112 horas da "^
-^ tarde, a pedido de varias e distinctas familias inglezas, residentes nesta Cw
^\ capital s quies dedica esta ospicial fuoccao. X2
Hospital Portuguez
Assembla geral extraordinaria
N4o teado'acceita-H>-l e 2-secrtanos, s-
moier e mais seis mordomos os cargos para que
foram eleitos em assemblca geral ordinaria do
i- deD convidados o enhores assoclados a reunirem
se na secretaria do hospital oo dia i de Maio, as
11 horas aa man ha. para se proceder a eleicSo
d)s lugares recusados para completar a junta
administrativa de 1890. Em vista do additivo
acs estatutos, duas horas depois da marcada, se
coustitaira a assembla geral com o numero que
se acnar pre;ente.
Recite, 28 de Abril de 1890.
O secretario,
Cesario A. S. Papoula.
A Junta Commercial do Recife convida os com-
merciantes nacionaes matriculados d'este distri-
cto a comparecerem no dia 9 de Maio prximo
vindouro, s 9 horas da manba, na sala da Asso
ciaco Commercial Beneliceote, para a eleicao
de um deputado commcrciante, em substituido
do deputado Joaquim Olinto Bastos, que foi cleito
presidente em virlude do decreto o. 198, do 1
do correte, e cuja eleicao terminara a 31 de De-
zembro do preseute anuo, devendo o novo eljito
servir gmente pelo tempe que falta ao substi-
tuido, ea virtude do disposto no art. 3D do pre-
dito decreto e na ultima parte do art. 4o do titulo
nico do Coligo Commercial.
E para constar naodou a sobredita junta fater
o presente ediul, que, assigoado pelo seo pre-
sidente, ser publicado pelo Jornal do Reufe,
Provincia c Diario de Pernaadmco e aflixado na
uraca do commercio rom a lista de que trata o
a rt 8 do decr< to n. 696 de o de Setcmbro de
1850. *
Junta Commercial do Recife, SI de Abril de
! 1890.
0 presidente,
Joaquim Olinto Bastos.
Instituto Bendceme dos Offieiaes
da torda Nac onal
De ordem do cidado presidente da as;embica
setal, convido a todos os socos para compare-
:rem na terca feira 29 o corrente, s 6 boraf
!a tarde, afirn de iraUr-se de negocios urgentes
io referido Instituto, sendo que funeciouara a
-essao da asfembla geral com o numero que
comparecer.
Recife. 26 de Abril de 1890
O 1." secretario,
Joaquim deJMedeiros Riposo.
Confraria
do SenhorBom Jess da Via
Sacra da igreja da Santa
Cruz
MEZA GERAL DE ELEICAO _
A mesa regedora desta confraria conviia a
todos os seus carissimo8 irmaos para compare-
t-erem em o consistorio da*mesroa igreja, no dia
:W do corrente mez, pcUs 6.horas da tarde, atim
de reunidos em numero legal, como determina
o art. 40 do compromisso qie nos rege, proce
der-se eleicSo da nova mesa reaedora que tem
de dirigir a nossa confraria no futuro anuo com
promissal de 1890 1891, de conformidade com
os arts. 24 31 do mesmo compromisso.
Consistorio da conrraria do Sents* Bom le3us
Ja Via Sacra, 26 de Abril de 1890."
O escrivao interino,
M D. da Silva.
Colonia Orphaiologica Sania
Isabel
30 Frat cisco Ferreita Bailar Jnior,
ot Francisco Joe da Silva Guimaraes.
32 Francisco Gurgel do Amarl.
33 Francisco de Paula Gomes.
5i Franciseo Correia de Mesqnila Cardse
56 Flix Pereira e Soma.
56 Genuino Jos da Rosa.
57 Gratuliano dos Santos Vital.
58 Graciliano Octavio da Cruz Martins.
59 Gabriel Ildefonso das Neves Cardoso.
60 Henrique Brnardes di; Oliveira.
61 Henrique Xavier de. Araujo Saraiva
Mello.
62 Hermino Egydio de Figueiredo.
63 Ivo Antonio de Andrade Luna.
64 Igofeio Bezrra Pessoa.
65 I3 Antonio Pinto.
66 Jos.Mircellino da Rosa.
67 JoFTancisC SiXeito.
68 Jos Gomes Leal
69 Jos Adorpho de Oliveira Lima.
70 Jos da Costa Pereira.
|71 Jos Fiuza de Oliveira.
72 Jos Braz da ConceiQo Silva.
73 J03 de Oliveira/Castro.
174 Jos Uoreira da'Silva.
75 Jos Augusto de ArJujo.
76 Jos de Sa Leito Jamor.
77 Jos Francisco do Reg Mello.
78 Jos Antonio Moreira Dias.
79 Jos Ferreira ila Silva.
M) Jos Feliciano Naiareib. .
l Jos Rodrigues da Silva Birroca.
82 Jos Al ves Birbo.a Jnior.
83 Jjs da Suva Loy* Jnior.
84 Jos Ferreira Biltar.
80 Jjs Candido de Moracs.
86 Jos d'Assumpco Oliveira.
87 Jos Luiz de Mello.
fS Jos Rutirio Climaco da silva.
89 Jos Luiz Goncalves Penna Jnior.
90 Jos de Brito Bastos Fiiho.
91 Jos Ferreira Marques.
92 Jos Francisco Pinheiro Ramos.
93 Jos Antonio de Araujo Livramen'o.
9i Joo Igoacio de Medeiros Reg.
95 Jo5o Bapiista Gomes Penna.'
96 Joo Fernandes Lopes.
97 Joo Piolo de Lemos.
98 JoSo Manoel da Veiga e Seixas*
99 Joao Baplista Castanba.
100 Jjo Joa da Silva.
101 Jro Jos -de Carvalbo Moras.
102 JjSo Walfredode Ijledeiros. *
103 Joio Rodrigues de Houra.
104 Joao de Aquino Foseca.
105 Joao Ferreira Lourciro.
106 Joo Pereira Reg.
107 Joao Joaquim de Mello.
108 Joo Chryso6tomo Galv.
109 Joo Vctor Alves Matheus.
110 Joaquim Olinto Bastos.
111 Joaquim de Souza Silva Cunba.
112 Joaquim Alvaro Garca.
113 Joaquim Bernardo dos Res.
114 Joaquim Lopes. Machado.
115 Joaquim Francisco das Cbagase Silva.
116 Joaquim Mauricio Goncalves Rosa.
117 Joaquim Felippe da Costa.
H8 Joaquim Nicolao Ferreira.
119 Joaquim Jos Goncalves Bellro Jnior.
1!0 Julio Ceear Paes Brrelo.
121 Joviniano Manta.
122 Jovino i'esar Paes Brrelo.
123 Jovino Bandeira.
124 Bacbarel Laurino de Moraes Pinheiro.
125 Leocadio Jos de Figueiredo.
126 Lenidas Tito Loureiro.
127 Luiz Antonio Sequeira.
124 Luiz Jos da Silva Guimaraes.
129 Luz Alfredo de Moraes.
130 Luiz Leopoldo dos Goimares Pelxoto.
131 Ladislao Gomes do Reg.
132 Luiz de Paula Lopes.
133 Ladislao Jos Ferreira.
134 Leopoldo Marques da Assumpco.
133 Manoel lgncio Pessoa de Mello.
136 Manoel dos Santos Villaca.
137 Manoel da Silva Maia.
138 Mmoel los da Silva Goimares.
139 Manoel Paulo de Albuquerque.
140 Manoel Moreira de Souza.
141 Manoel Pereira da Cunha.
142 Manoel Bernardes de Oliveira.
143 Hachare! Manoel Gomes de Mattos.
144 Manoel Jos Monteiro.
145 Manoel Joaquim da Costa Carvalh.
146 Manoel Honorato da Silva.
147 Marcelino Jos Maria d-, Almeida.
U8 Marcelino Gongalves Rosa. -
149 MalhiasTavaresdsfftlmeida.
130 Miuel Jos de Abreu.
151 Nsveieo Jos Monteiro.
152 Orympio Goncalves Rosa.
153 Olympio Frederrco Loup.
134 Pedro Joaquim Vianoa de Lima.
151 Pedro Osorio de Cerqneira.
36 Pedro Jorge da Silva Ramos.
15? Pedro Alexandrino Maia e Silva.
158 Paulo Pereira SimSes.
159 Primenio Duarte Ribeiro.
160 Satyro Seram da Silva.
161 Thomaz Teixeira Bastos.
12 Thomaz Ferreira de Carvalbo
Secretaria da Junta Commereial do Reerte-, K
de Abril de 1890.
O secretario,
Jnlio Augusto da Cnnha Gutmarat$.
Eampattljia te Seguro*
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
^osifao finanecira (Dezerubro de i88fy
Capital subscripto 3.000,000
Fundos aecumulado 3.421,000
Fteceita annual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vida 197,000
De utob > 143,000
O AGENTE,
John 41. JJoxinl.
London & Bfrasilian Bank
Limited4
Ra do Commercio n. 32
Sueca por todos os vapes,*obre as cai-
cas do mesmo banco en) -Portugal sendo
m Lisboa ra dos Capellistas n. 73. No
'orto, ra dos Ingleses.
CONTRA FOGO
lie Liverpool i London k Globe
nrsTiRAiTCE gd;;!pahy
nmm, mim & c.
Ru* do Commercio n. 3
'
SEMiftS CMTI.4 FOGO
EDIFICIOS E MERCADORUS
TAXAS BAIXAS
Prometo pagamento de prejuzo
SEM DESCONT
ACOWPAHII
IMPERIAL
HE LONDRES
Estabelecida em 1803
ilCAPITAL Rs. i,000:OOOAOOO
AGENTES BROWNS & C
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
O procurador dos. feitos da fzenda
do Estado, tendo receMdo do Thesouro a
relac&o abaixo transcripta dos devedores
do imposto de annuidades pelo servido da
Companbia Reeife Drainage da freguezia
de S. Antonio do exercicio-de '1886 a
1887, declara-aos mesmos deVedores que
lhes oca mareado o praso de 30 dias, a
contar da data da publicaclo do presente
edital, para dentro delle pagarem a impor-
Uancia de seus de bitos, oertos de que lindo
aqelle praso se proceder a cobranca ju-
dicialmente.
ecife, 27 de Fevereiro de 1890.
O procurador dos feitos,
Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
RelacSo dos devedorea de annuidades da
freguezia de S. Antonio do exercicio de
1886 a 1887 do l. e 2. semestres, que
deixaram de pagar no tempo compe-
tente.
l. de Marco n. 1. Miguel Jos
Bosa OnimarSes
Duque de Caxias n. 34. O mes-
mo
Major Agustinho Bezerra n. 35.
O mesmo
Trincheiras n. 39. Mosteiro de
S. Bento.
Estreita do Rosario n. 28. O
mesmo
Oonselheiro Peretti n. 4. O mes-
mo
Dita n. 6. O mesmo
Travessa do Carmo n. 14. O
300080
000168
30*080
355119
300080
150042
150042

De ordem da directora
desta colonia, previne-se s
mais ou tutores dos menores
despachados para serem re-
colhidos n'este instituto, de
nao os apresentar se au
guando forem chamados por
annuncio publicado nesta
mesma folha.
Colonia Orphanologica
Santa Isabel, 15 de Marco
de 1890.
i O secretario,
Francisco das C. G. Campos.
..SANTA CASA
'(AS PARA AMUSJA
m
RestauracO.casa terrea n. %i
Bom Jess n. 29, laja
demidem dem. arelar
dem idem n. 13. 2 aSdar
dem do Amorim n. 23, fcrem .
rett idem idem, 2* andar '
dem idem n. 64 armazera
dtm'do Vigano n. 23,1." andar
Ilem dem idem 2." andar
dem idem n. 27, loia
Bispo Sardinha n. II Io andar
dem idem n. 3. 2 andares e loja
D. Jraria Cesaran. 118 tefr^a-
liem 16, temo
i^mpahia Pernambncana n. 30, Ioja
Madre de Deus n. 2. armazem.
Boffgos n. 21, terrea
Imperio, n. 15*. Ioja.
Qoidro da Detencio o. 2, terrea.
dem n. 2, idem.
131000
15*000
16*660
16*65-)
loOtO
13000
2."i*000
25*000
20*000
1310 0
16*660
33*330
16*000
20*000
15*000
12*500
14*000
10*000
8*00.)
6*000
UVTA
1 Antonio Gomes Miranda Leal.
2 Antonio Gcraldo do Repo Rarroca.
3 Antonio Valentim da Silva Barroca.
4 Antonio Rodrigues de Souza.
o Antonio Gomes de Mallos.
( Antonio Seraphim da Silva.
7 Antonio Machado Pereira Vianoa Jnior.
8 Antonio Luiz Rodrigues de Almeida.
9 Antonio da Conha Ferreira Bailar.
10 Antonio Vicente de Msgallies.
11 Antonio da Kilva Ferreira Junicr.
11 Antonio Guilnermino dos Santos.
13 Antonio de Oliveira Maia.
14 Antonio Mimiz Machado.
15 Antonio Xavier Bezerra.
16 Adolpoo Francisco Lavr*.
17 Aurcliano Augusto de Oliveira.
18 Augusto Octaviaoo de Souza.
19 Alexaudre de Souza Nogueira.
20 Alfredo Gibsoa.
21 Alfredo Jo.- Ferreira.
22 Baro de Petrolina.
23 Barao da Soledade.
24 Baro da Santa Cruz.
25 Birao de Aguas Bellas.
26 Bariio de Nazaretb.
27 Corbiniano de Aquino Fonseca.
28 Clan lio Jofe de Saol'Airna.
29 Carlos Pinto de Lrmos.
30 Carlos Joe de Medtirc3.
31 Carlos Paula Lopeg.
32 Candido Jos da S Iva Guimaraes.
33 Mandilo Goncalves Ferreira.
34 Carlos de Moraes Gomes Ferreira.
35 Demetrio Acacio de Araujo Bastos.
33 Deodato Luiz Francisco Monteiro.
37 Ernesto Arcelioo de Barros Franco.
c8 Eduardo Candido de Oliveira.
39 Eatebio da Cunha Beltro.
40 Eneas Americo de Medeiros.
4t Eugenio Regadas.
42 Francisco Ferreira Bailar.
43 Francisco Antonio Gomes de Mattos.
44 Francisco Teopuilo da Rftbii Bezerra.
4o Franeuco Apollonio Bewrra da Silva.
46 Francisco Gomes de Arauo.
47 Francisco Botelho de Aodrade.
48 Francisco Ignacio de Oliveira.
49 Prancehno Rodrigues de Moara,

Companbia de Segaros
AGEKTE
Miguel Jos Alves
v. t iiim do Bom Jga-IW.J
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguios a nica companhia
esta praca que con cene aos Srs. segurados serap-
o de pagamento de premio em cada stimo
mno, o que equivale ao descont animal daeer
a-de 15 por cemo-em favor dos segurados
I! B EMWISADORA
Companhia de Segaros
MARTIMOS E TERRESTRES
BMtabelecIdstem 18Ks>'
Estado fiuaucelro dui 31 de De-
zembro de 188.
Capital 1.000:000^000
Fundo de reserva.-. U0:3?$000
Sinistros pagof_. r,77G:-683|t)0.0
44Rua doKgprBert?i#^-44
SE^W*\F(H0
Hoy al Insurance Compnj
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. Druzina &. C.
l:t lliin Mrquez de Oltnda-13
BARIT1I0S COMBA FOGO
Compiahla PkeaJx Per
nimbncana
RA DO COMMEHCIO N. 4
mesmo
Larangeiras n. 2. Manoel Jos
Goncalves Braga, parte
Dita n. 12. Manoel Jos da Cos-
ta Pereira e outro
Estreita do Rosario n. 80. Maria
Josepbina Dubourq
Dita u. 11. Motta IrmSo e outro
Francisco Jacintho n. @8. Maria
Joaquina Vianna
Dita n. 70. A mesraa
Bario de Villa-Bella 15. Monse-
nhof Mnz Tavares
Consclheiro Peretti c. SO. Ma-
noel de Souza Tavares
Dita n. 34. Manoel Jos- do A-
maral
Dita n. 11. Manoel Antonio Fer-
reira Braga
Dita n. 19. Manoel de Carva-
Iho Soares Brand3o
Major Agostinho Boaerra n. 1.
Manoel Antonio da Jess
Becco do Calabouyo n. 24. Ma-
noel Jos de Bastos Mello
Travessa das Flores n. 15. O
mesmo
Paulino Cmara n. 6i. O mes-
mo
Dita n. 14. O mesmo-
Penha n. 29. O mesmo
Dita n. 12. O mesmo
Marcilio Dias 83. O mesmo
Coronel Suassuna n. 6*>. O mes-
mo
Dita n. 70. O mesmo.
Dita n. 78. O mesmo-
S. Thereza n. 24 0< mesmo
Dita n. 26. O mesmo
Dita n. 46. O mesmo
Dita n. 58. O mesmo
Paulino Cmara n. 24. Maria
Isabel de Jess Moraes
Dita n. 26. A mesma
Largo do Carmo- n. 37. Maria
Louren90 do Rfisario
Travessa do Carmo n. 4. Ma-
noel Jos da Casta Pereira
Fogo n. 20. Maia Joaquina e
outro
Dita n. 5. Maria Bernardina
Monteiro
Travessa do Livraraento n. 7.
Jtfanoel A modo Oarapey
Penha n. "1". Maria Candida do
jRego
Visconde de Inhama n. 46.
Manoel Soares do Aiuaral
Pedro Affonso n. 80. Manoel Ma-
ria Tavares da Silva
Marcilio Diaa n. 77. Manoel An-
tonio- de Alcntara <
Henrique Dias n. 37. Manoel
Ferraira e Antonio Villas*
Lomas Valentinas n. 12. O mes
' mo
Dita n. 14. O mesmo
Dita n. 9. O mesmo
Coronel Suassuna n. 21. Miguel
dos Anjos Lins de Mello
24 de Maio n. 7. Manool Go-
mes Penna e outro
Larga do Rasarlo n. 42. Ma-
noel Ferreeira Antunes Villasa
Becio da Matriz n. 13. Maria
Joaquina da Gama
Baro da Victoria n. 63. Olym-
pia da Silva e Albuquerque
Pedro Affonso n. 16. Oympia da
Fonseca Gomes
Dita n. 18. A mema
Travessa do Pocinho n. 4. 0-
lympia Rosa de Mendonca
Largo -do Carmo n. 22. Ordem
3.a do Carmo
Dito n. 26 A mesma
Dito *. 28. A mesma 300080
Dito n. 17. A mesma 150042
Dito n. 19. A mesma I5jj-)42
Dito n. 21. A mesma 150042
Dito n. 23. A mesma 150042
Travessa da Bomba n. 12. A
mesma 150042
Fogo n. 45. A mesma 430289
Dita n. 49. A mesma 150042
Largo de S. Pedro n. 10. A"
mesma 155042
Santa Thereza n. 2. A mesma 150042
Dita n. 34. A mesma 150042
Travessa do Lobato n. 18. A
mesma 150042
24 de Malo n. 1. A mesma 300080
Dita n. 1 A. A mesma 150042
Dita n. 1 B. A mesma 153042
Dita n. 3 A. A mesma 150042
Dita n. 3 B. A mesma 150042
Duque de Caxias n. 29. A mes-
ma ; 150042
Largo do Paraizo n. 28. Dr.
Paulo Jos de Oliveira 60168
Dita n. 30. O mesmo 150042
Santo Amaro n. 2. Pedro de
Alcntara dos Guimaraes Pei-
xoto 480'! 03
Livramento n. 8. Paula Izidora
da Costa Monteiro e outro 300084
Coronel Suassuna n. 22. Porfi-
rio Mendes Martins 450126
Travessa do Pocinho n. 34. Dr.
Panlo Jos de Oliveira 150045
Largo do Paraizo n. 37. Ricar-
do Soares de Freitas 150012
Heoriqne Dias n. 39. Ricardo
Luiz da Cunba 150042
24 de Maio n. 18. Rosa Antu-
nes de Oliveira Monteiro 150042
Dita n. 28. Sebaatio Jos Go-
,mes Penna 1S0355
Trincheiras n. 29. Padre Simio
de Azevedo Campos 150042
Paalino Cmara n. 19. O mes-
mo 485003
Penha n. 1. Senhorinha 'Augus-
ta Figueiredo Vasconcellos 300168
Largo do Paraizo n. 5. Dr. Sli-
vino Cavalcante de Albuquer-
que 150042
Paz n. 30. O mesmo 150042
Dita n. 32. O mesmo 150042
Dita n. 34. O mesmo 170919
Dita n. 36. O mesmo 150042
Jlo do Reg n. 5. Thom Ro-
drigues da Cunha e outro 300084
Travessa do Livramento n. 22.
Antonio de Jess
150042
50014
360100
6?0168
450326
450326
3O0U8O
150042
150042
150042
150042
150042
150042
150042
150042
150042
155042
450126
300084
150042
300084
320961
150042
150042
150042
150042
150042
150042
150042
150042
120033
150042
3tf080
S55042
450126
320961
70521
150042
450042
150042
320961
150042
150042
150042
6O0J88
150042
450326
65446
60446
150042
340705
300080
Theodoro
Borges
Cadeia Nova n. 19. Thomaz Car-
valbo Soares Brandao
Duque de Caxias n. 18. Umbe-
lina Leoncia Diniz e outra
Estreita do Rosario n. 12. Viuva
de Joae Pinheiro da Cunha
Major Agostinho Bezerra n. 10.
Vi_va de Justino Ferreira dos
Pasaos
Visconde de Inhama n. 24. Vi-
ctorino Jos de Souza
Nova da Praia n. 4. Vctor Nee-
sen
Henrique Dias n. 25. Viuva de
Andr Goncalves do Cabe
Travessa do Lobato n. 2. Viuva
de Luiz Bezerra Monteiro Pa-
dilha
24 de Maio n. 10. Viuva de Jos
Singlot
Travessa da Concordia M*&7. Jiw*
Vctor Angelo- Gregorio de Al?
meida
Dita n. 39. O mesmo
Marcilio Da n, 51. Viuva de
Jos Teixeira de Souza
Dita n. 53. A mesma
Dita n. 55. A mesma
150042
150042
600168
450126
150042
450126
530758
155042
150042
150042
150042
150C42
150042
170919
150042
3-ecc2o do conteneioso do Thesouzo de
Pernambuco, 27 de Fevereiro de 1890
O l.# offieial,
Manoel do- Nascimento S. Bastos.
MARTIMOS


Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Equateus
Comandante Moreau
E' esperado dos pertos de
su! no dia 3 de Maio
seguiodo depois da dme
ra d coslume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de lodas as
cla8se8 que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo
Paz-se abatunento de 15 0)0 em 6vor das fa-
milias compostaa de 4pes8oa9 ao menos eque
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepfao, os criados de familias qae to-
maron bhetes de proa, gozam tamben deste
aiatimente. ....,.
Os vales postees so se do at o da ; fe Maio
co pagos de contado.
Para carga, passagens, encommenaas
nhjiro a frete : trata-se com o AGENTE-
e di-
O paquete Nerthe
Commandante Lecois+re
E' esperado da Europa no
dia 4 de Maio e segui-
r depois da demora ne-
cessaria para
P.aMa, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
cla3ses que ha lugares servados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
ria3 que so se attendera a reclamaces por fai-
tea, nos volumes, que forem reconhecidas na
0 :casio da descarga, assim como deverao den-
tr 3 de 48 horas a contar do dia da descarga das
\ varengas, fazerera qualquer reclamaco con-
jernentes a volumes que porventura tenham se-
?aido para os portos do sul, afirn de poder-se
Jar a tempo as providencias necesarias.
Batea paquete So lltumlnadft S
1 < elctrica. ?
Para ca?ga, passagens, eacommendas e di-
n eiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
g__Ra do Commercio 9
Pacific Steam Navigatin
Company
STRAITSOFMAGELLAN LDiE
O paquete Potos!
Espera-se da Europa at o dia
.4 de Maio e seguir de-
pois da demora do costme para
'Valparaso com escala por
Baha, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di-
iheijo a freve: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & G., Limited
14RA DO COMMERCIO14
COPAHI raBNABTBl'CANA
DK
%*avegac5o cosleira por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maeo, Mossor, Araea-
ty 0 Cear
O raporUna
Ufe:
Commandante Monteiro
Segu no dia 29 de Abril as 5
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 28.
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
i s 3 horas da tarde do dia 29.
ESCRDPTORIO
4? Caes da Companhia Pernambueanu
n.12
r7 Th? *
Companhia Bahiana de Na-
vegagao Vapor
Macei, Villa-Nova, Pened, Araca-
], Estancia e Babia
O vapor Guahy
Commandante Viegas
E' esperado dos portos cima
at o dia 3 de Malo regressan-
. do para os mesmos depois da
__________jdemora do costme.
Para carga, passagens, encommendas e dinhei
o a frete trata-se com o
AGENTE
'edro Osorio de Cerqueka
17Ra do Vigtirio- 17
CHARGERS REUNS
Companbia Francesa
DE
IVarega^So a vapor
Liaba quincenal entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Baha, Rio de Janeiro r
Santos.
O valor Colonia
Commandante Brant
E' esperado da Europa at o dia
29 de Abril seguind o depois
da indispensavel demora gara
Babia, K10 de Janeiro e Santos
Soga-s aos Srs. importadores de carga peles
/apores desta linha, queiram apresenter dentro
le 6 dias a contar do da descarga das al varengas
jualquer reclamacao concernen te a volumes que
aorveutura teaham seguido para o portos de
*ul afirn de se poder dar a tempo as provi-
lencias necessarias.
Expirado o relerido praso a companbia nao
esponsabisa por extravos. .
Para carga, passagens, encommendas e di-
eiro a frete: trata-se com
AGENTE
Angoste Labille
9RA DO CQMMERCIO-9
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O' vapor Alagoas
Commandante Joao Maria Pessoa
E' esperado dos portos do su!
at o dia 30 de Abril e s-
guindo depoie da demora indis-
pensavel para of portos do or-
e ate Manaos.
As encommendas s sero recebidae aa agen -
:ii at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
-es trata-se com os
AGENTES
Pereira Cameiro & C.
6Ra do Commreio=mm6
lo andar'
/ M


'- h


Para Lisboa e Porto
Segu com brevidade para cf portos cima a
barca portugueza Abro Sencio ;v para o resto da
carga que falta, trata-se com Boltar Oliveira &
C,. roa do Vigario o. 1, primeiro andar.
LEILOES
Porto
Segu com brevidade para o Porto o brigue
portugus Adelina ; para o resto da carga tra
la-se com Silva Guimaraes & G, & roa do Com
mercio n. 5. ,
Terca feira 29, demoveis e mais objectos
da casa em que residi oSr. G nde de Bricnan-
teau, na Magdalena. _______.
Leilo
Do hotel da ra Estreita d&
Rosario n. 45
Constando de mesas, sendo orna elstica,. ca>
deiras de junco, ditas de amarello, bancas para
caf, empanadas, guarda comida, fteiro, cnse-
los de amarello candieiros belgas, ditos ameri-
canos, quad'os, relogio de parede, cabides, bal-
cao grande de amarello. lampeao com retreiro,
aparador de amarello, lavatorio de ferro, louca
de jantar.'da da almoco, galheteiros, copos,
garrafas, talheres, necias e trem de cosinba.
Terca-feira, 29 do corrente, no mesmo hotel
O agente Martins, far leilao dos movis e
mais objectos do hotel cima, s 11 horas.
Ao correr do martello
Grande e variado
Leilao
De bons movis, crystaes, porcelana fina e
., dourada, tapetes forros de salas, vinhos
finos e muitos outro* artigo.
A saber:
Sala de visita
Um piano forte e quasi novo, urna mobilia de
Jacaranda com 1 sof, 2 consolos com pedrs, 2
caderas de bracos e 12 de guamigae, 2 cadjeiras
de balanco de Jacaranda, l dita com encMo de
la verde, 1 mesa ova! coai pedra, 1 <8de
bamb, 2 ditas redondas. 1 rico biombo de-case-
mira bordada a ouro, 1 espelho madeira mosaico,
5 vasos com plantas, 7 lancas com cortinados de
cretone e 6etia;ta, cantoneiras de velludo 18,1
sof de junco, 6 cadeiras de goarnicao, fditas
de balance, 1 tapete avelludado grande torro de
sala e 1 tapete no corredor.
Sala do centro
Urna mobilia de vime tanco, i mesa de
mogno com abas, 1 dita para jogo, etagerea, 4
pannos de mesa, sendo un grande, 2 tapetes gre-.
gos e 6 cadeiras de junco.
i
I
i





I
de
de
pa
al e jaatar
K Uau mesa elasUca com 4 tabes*, i aparador
com armario, 1 guarda comida, 1 apsradores
enfeitados com creloo*, iS cadenas de uarn-
cio 1 dita alia para crianca na mesa, 3 tancas i
ortinados de cretone, i relogio de parede e (
vasos para flores.
Um rico apparelbo rotbo Strasbourg.
Un liado apparelbo para coa i. Imperio, gar
rafas, ceoesT^Hce, wpsitim, mangos
wra garrafas, 1 salva de electro pate, t prats
cameles,, vjnbos finos, J esutuetts, mesa* de
coeinba e de engommar e trem de costana
Prlarim uar
Urna linde mesa secretaria, 4 etageres, i cai xa-
para cuaclos, i paras de corlm?.dos de cretone,
fcaixa para cosinra, i macbtna de costura A-
Singer e- porta lencos.
Urna cuma de ferro e lati com estrado
rame,' i cama para menino, t cabides de .
rede, 1' guarda vestido e guarda roupa, 2 mar
queies. 1 commodas, 1 toilette, 1 espelbo '
casticaes para velas.
Urna mobiia de quarto com 1 guarda roupa
com espelbo, 1 commoda, -1 lavatorio e i ca-
deiras tudo igual e obra de gosto.
ObJelm avulioi

Urna linda espingarda Blgica de canos, i
Eeca de faienda de poro Irbo, vinbos finos, 1
anco-de jardim, 1 votoojatde, i carro de mSo e
trem de jardim.
Terca-feira, 29 do corrente
Wa chcara da ra do Beaiflca
11 t. Magdalena
c 0 conde de Brcbateau. con.-ul da Italia, tendo
de fazer urna viagem -Europa com sua familia
faz leilao por nierrencao do agente Pinto dos
movis e mais objectos existentes em casa de
sua residencia, ra do Bemfica n. 17 A.
Os concurrentes que totnarem o bond da linha
da Magdalena das 10 e 6 minutos, terao passa-
gens gratis.
0 leilo principiar
As 1Q 1|2 horas
Lieilo
De mobihas de junco e mogno, espelho
oval, quadros, objectos de metal, bucas
e vidros.
Quarta-felra, SO do corrale
A's 11 hora
No 1." andar do sobrado a rna do Imperador
n.44
CONSTANDO
De 1 mobilia de junco a niedalbao com 12 ca-
deiras de guarniyao 2 ditas de brajos. 1 ditas
de batango, i sof, 2 consolos, i iardineira, 2
descansos para ps, 1 espelho oval, 4 qnadros
com moldura dourada. 4 etageres, 3 pares de
jarros, 2 escarradeiras, 4 tapetes para portas. 2
candieiros para kerozene, 4 casticaes com lan-
ternas, 1 cama franceza de Jacaranda. 1 guarda-
vestido de amarello, (obra de gosto) 1 toillete
com pedra,. 1 commoda de mogno, 1 cama de
dito, 1 berco de faia. 1 lavatorio de amarello
com jarro e bacia, 1 cablde de ferro de columna
1 banca com gaveta, 1 mobilia de mogno com-
pleta com tampo de pedra, I guarda louca, 1
mesa elstica com 4 taboas, 2 aparadores tor-
neados, 12 cadeiras de junco, i qaartinheira, 1
relogio de parede, 1 cadeira e carro pera enanca
1 mesa redonda, 4 qnadros, 1 marqjiezio. i/2
commoda de amarello. 2 e?pelho6-pepeaos, i
cabides de parede, 1 importante machina para
roliiar, toacas para almoco e jamar, copos gar-
rafas, clices, lalberes, eolneres, bandejas, 8 ba-
cas de louca pintadas, 21 tijcllas, 10 bulies, 8
latas com bolachtnhas 48 garrafas com vinho do
Poeto Uno, e muitos ontros objectos de dispensa
do aso domestico, que se acbam patentes no
acto do leilo.
O agente Gnsmo, autorisadopelo Sr. Jos da
Silva Pereira Lisboa, que retira se para a Europa,
far leilo dos movis e mais objectos cima
mencionados os quaes foram transportados para
o referido sobrado.
Diario de Pernambuco -Terca-feira 29 de Abril de 1890
Alugam se casas caudas e pintadas Jnoe
ondos de S Goncaio, a 8*flo0; a tratar na ra
a Imperatrit d. 76.
' Alaga s o 2- anuar do sobrado n. 18 da
Urna do Fogo ; a tratar na ra Direita n. 31, ar-
masen!._______
Aluga-se o sobrado da ra Baro de &.
Borja n. 28, com commodos para grande familia,
tem agua e gaz en -anados ; a casa terrea n. 18,
no mesmo correr, e o sobrado da rna Velha n
75. com commodo.-* para familia, tem agua e gaz
encanados ; a traUr na ra de Santo Amaro nu
mero 8.
Torquato LaurentirJo ~Ferreira de Mello",
professer jub lado ua I. cadeira do Recife, lec-
iooa primeiras I-ttras, portnguez e francez, por
precos razcaveis : no. patea de S. Pedro n. 3,
primeiro andar
O Sr. Epipbanio da Bocha Wanderley man
da ou nao eatregar 1
Leilo
De predios na cidade do Reciio e na de
Olinda
Sendo:
Urna meia-agua na roa Imperial n. 294.
Duas metas aguas na. 1 e 3 no becco do Ma
cedo.
Urna casa n. 2 travessa do Commercio em
Olinda.
Urna dita n. 8 na mesma travesea em Olinda.
Urna ditan. 12 roa do Aljube em Olinda.
Quarta-feira, 30 do corrate
A's 11 horas
Na porta da sala das audiencia* na cidade
de Olinda
0 agente Martins, autorsado por mandado do
cidado Dr. juiz de direilo de orpbos da cidade
de Olinda, far leilo em sua presenca dos pre
dios cima, a requerimeoto da viuva inventa-
rame dos tens detxados par sen finado marido
capiio Florentino Nunes de Mello.
Leila
ao
de 1 mobilia de Jacaranda com tampo de pedra,
1 espelho oval com moldura dourada, 1 piano de
mesa. 2 qnadros grandes com moldura dourada
1 candieiio de porcelana para kerosene, 6 jar-
ros para flores, 4 etageres, 2 p res de lanternas,
2 escarradeiras, 1 cama francesa, 1 guarda-ves-
tidos, 1 commoda, 1 berco, 1 marquezo, 2 cabi
des de parede, 1 guarda louca de amarello, 1
mesa elstica de 3 tabow, cadHras de junco, 1
lavatorio, 1 relogio de parede, 1 bafiquiotia. 2
consolos de amarello, 1 apparelbo de porcela
na para almoco. 1 dito de dita para jamar, lou
gas avulsas, garrafas para vinbo, copos, clices,
talheres, colberes e muitos outros artigos de ca
sa de fmilia.
{.uinia-f ira, 1 de Mal*
A's 11 horas
Na casa terrea sita 4 rna da Detencao n.
12K
O agente Gusmao, au'orsado por urna familia
que mudou-se para lora da cidade, far leilo
dos objectos cima mencionados.
Leilo
Agente Brito
De 1 piano do fabricante Rogez, movis, lou -
cas, vidros, 1 mobilia do magno, 1 dita de ama-
rello, 1 cama franceza de Jacaranda, 1 guarda-
vestidos 1 cama para menino, 1 marquezo lar-
go. 1 dito eetreilu, i Jiarqueza, 2 estantes, 1 so-
f de amarello, 1 commoda, 1 meia-commoda, 1
lavatorio de amarello, 1 toilette de Jacaranda, 1
bidet, 1 mesa elstica, 2 aparadores, 1 guarda-
louca, 1 mesa de louro, l jarra com larneira,
lanternas com casticaes, jairas, louca para al-
moco e jantar, copos, clices, garrafas, bandejas
e outros muitos objecios.
Em seguida vender o mesmo agente 1 ca-
vado do Rio da Pra a e 1 dito melado andador.
0 a.-ente cima, autorsado por urna familia
see retira se deste Estado, vender os objeetcs
cima declarados.
Ra da Iinperalriz u. 17,1 andar
Quinta feira 1* daflaio .
A's 10 1/2 horas
AVISOS DIVERSOS
Pre. i*., m i|. uoia ma cosinbeira na es
trada de ;oao u,- Ua.ros n. 27, collegto Pry-
tanu.
Precisa se u urna rapanga para cuidar de
enancas e que entpnrta almiraa cous* de costu-
ra: a tratar noGaainno Novo defronte da es
tacto. ___
Alosa se un casa com bons commodo t e
quintal, em SaiM'AutM de dentro n. 6; a tratar
na prmea de Pedro n. 1, escptorio.
Aluga-^^ urna refloaco nrompta a traba-
Ibar, com muito boa fregxKti, na ra dos Gua-
ranpea n. 70 ; a tratar ca ra do Bruto n. 82.
Precisa ae de urna ama ; no 2 andar do
larga do Carmen. 16.___________________
Precisa mi de ama boa cosinbeira e paga se
beaj na roa do_Vigano_& ft, araazem.
Aluga-se a casa da roa do Bartbolomeo n
na praca da Independencia n. 7:
58
Arrenda-ee ojdgenho Oourado, em Ipoju
ca, muito bom de pRntacao de canoas, moente
e corrente, a vapor ; quem pretender dirija-se
roa Duque de Caxias n. 30 a fallar com o sen
! ropnetano Luiz Pereira de Farias, que dar
todas as n brmacoes necessanas.
Vende se no caes do Ramos n. 4, ilgam
macbinismo, sobresalentes, ealdeiras, bombas
bydraulicas, etc. e c, em perfeito estado.
Precisa-se
de um menino para criado ou caixeiro ; a tratar
na roa Mrquez doHerval n. 144.
Patacoes velhos
Comprase na relojoaria David, roa do Cabu
g n 14._____________________
Do us milgTes
Illtn. Sr. D. Carlos Tomei o sen re
medio o Elixir M. Morato e foi oom
elle qao pude tarar das boubas que soffria
h- muito tempo e qne descorojoava por
nunca melhorar ; um meu visinho qne
tambem sofiu-e j largou de tudo que lhe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e bou obriga
dissimo.
Santos.
Albino Jos Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que soffremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta-
dos. Fizernos uso agora do Elixir M.
Murato, propagado por D. ( arlos, e
aarmos completamente.
O remedio, alm de ser mnito bom,
anda tem bom gosto, pois as coiancas
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sap- .
Fvrmvno Aguiar.
Perei a k laga!bk&
lleeebertore directos dos mer-
cad a da i:uropa
Apresentan os Beguintes artigos, sendo
alguns anda do auno passado, razSo justa
para serem actualmente baratiaBimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de rsto para colete a 8 0 rs.
dem de casen etas a 15000 e 10200. <
dem de casimira inglesa de c6ree a 30 e
400 0.
Algodao cr, marchetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lences, 15 e
b&Q 0 a pe9a.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 50
e 60> 0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 50800.
Cortinados bordados de crochets a 120000.
Colchas dem a 70000 e 80000.
Onnaldaa e veos para noivas a 80003.
Espartilhos modernosa 40000,
Percales claras e escuras a 2-1 i o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalhas nacionaes a 20500 a duzia.
Lencoa em liadas caixinhas a 10800 e
20800 a dita.
Metas nglezas e nacionaes a 20500 e
30000 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Cerolas b< rdadas de bramante a 120000 e
160000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 10800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 10600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 24500.
Crotones para as meamas, a 10000 o me-
tro ; o melhor.
dem mosaicos, dem, a 440 rs. o cavado
Bramantes franceses a 10600 o dito.
Casemiraa de corea, daaa larguras, a
108.0 o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. a 10800,
duas larguras.
Sargelins de cores a 200 n o covado.
Mantdhas e fich* a 10, 30000 e 50000.
Toalhas e labynntho, riquissimas, a 260 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
14/
59BA DCQCE DE CAMAS59
Attengo
Vendem-se duas caunbas na roa Imperial,
que foram do fallecido Joio Dutra ; a tratar na
roa da Santa Cruz n 38.
Mereearia Compara-
tiva
Os propietarios deeh conceituado estabeleci
ment participan! aos seus distinctos fregueses
e ao respeilavtl publico, que receDeiam nova
remessa do i mnito acreditado e especial
Vinho Douro
nicos que recebem e re tal ha m este delicioso
vinho, eicolfaido propriamente pelo chefe de
nossa casa, o Sr. Antonio darques le Ohveira ;
por isso convidamos o respeitavel publico a vlr
ao nos8o estabeledmento, com o que multo nos
honrario, e e/perimentar o quanto vale urna
pinga tjoa, viudo rsiJarga do Rosario n. 20
Marqus Spbrinho & C.
Criado
Preciea-se de um criado : no largo da Penha
n. 33, hotel.
Cope
tiro
1
Precisa-se de om copeiro de 14 a 18anuos,
dando flanea de sua conducta ; na roa do Bom
Jefas n SI.
i^*^ Farello superior
a WOO; so largo do Mercado n. .
raalquer quantidade de olhos de craveiros |)i
pegados ; na roa Pormosa n. 33.
Attenfo
Os propietarios do antigo e acreditado arma-
zem do Lima, sito roa Baro da Vi :tona u. 3,
participara ao respeitavel publico e aos seus
distinetos freguezes, que Ir nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma roa n. 9,
coti uando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o costumado e ha
bitual desempenbo.
Jis Fernandes Lina k C,
Rna Baro da Victoria a. 9
Telephne323
~ PAPEL RIGOLLOT ]
UOSTARDA EM FOLHAM para SINAPISMOS il
IMItPfNtAVEL NAIFAMIUAtl
E AOS VIAJANTE8
Ustds ao mando inteiro.
XADA DE
VBRDADEIRA
qanoltva
FIRMA
atrs
com
tinta
nciuiu
O malo
slmpleo,
o mais
commodo

o mais
fflcaz
dos
Revulsivos.
EXIGIR
esta MARCA
para evitar
as ContrafucQes.
A' rtnd em todmm ma Pharmaciar?
DEPOSITO GEHAL: AVEMUE VICTORIA, 24 i
_____________ PARS
Excel lente morada
Alnga-se a grande casa 8 sobrado do Dr. Av
cf Gama, na estrada de Joao de Barros, perto
das esta^es da En ruzilbada, das ferro-vas de
Olinda e de Limoeiro, com immensas accommo-
dac6e8, jardins, arvores fructifens da melhor
qualidade e vasto terreno, quer para plaotaces,
qner para criacao ; a tratar no mesmo sitio.
I ^MBtsi

H
->
i
-
i
-!
->
-
-i
>
-1
i
4
Prqiirado rioso depnratiTa
Approvado psk Illustrada Jauta de
Hygiene Public?, da Corte.
Auctorisade por Decreto Imperial
de 2o de Junho de 1883.
' COMPOSI9O
de
firmino Candido de Figueiredo.
Empregado com a raaior cfficacia no
rheumatismo de qualquer naturea,
em todas as molestias da felte, as
leucorrhJas ou flores brancas, nos
soffrimentos occasiopados pela impureza
jf\ do sanri/e, e finalmente as differentes
formas da syphilis.
Dse Nos primeiros seis dias int'
eolher (las de cha peta manho outra-
uiie, puramente ou diluida em agna
e em seguida mudar-se-ha para coBie-.
.-es das de 9pa para os adultos e me-
tade para as enancas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
4 duroso; devem usar dos banhos fros ou
momos, segundo o estado da molestia.
-
DEPOSITO CENTBAL
Francisco Manoel da Silva & C.
Droguistas
23 Ra Marques de Olinda
Pernambueo
,/-
V+"+,+,+,+l+-f-'+,+++ ^
Herculano Baptista de Car-
valho
Convida se a este senbor a comparecer roa
Duque de Caxias n. 65, loja, a liquidar ne-
gccio.
t
Joo Marcrlllno Ribelro
Delpbina das Cftagas Ribeiro, Marcellino Cle-
to Ribeiro, Andr A. Ribeiro, Ernestina M. Ri
beiro, Joanna Ribeiro e Maa A. Ribeiro agra-
decen] do intimo d'alma as pessoas, irmandades
e ao Club Marcellino Cielo, que fizeram a carda
de de acompanbar os restos mortaes de seu pre-
zado espoi-o pai e sogro, a ultima morada ; e
de novo convidam aos seas amigos e prenles
para assistirem as miseas que bao de celebrar-
se por sua alma no convento do Carmo, s 7
hi-ra? da manb do dia terca feira 29 do corren-
ta, por coja atienta se cofitessam eternamente
ratos
.
T
Alberto Jarenrlo dos Santn
Coelb
Rosa Francisca de Sonsa Coelbo e Elisa 3el>
mira Coelho Correia convidam aos seus prente
e amigos para assistirem a missa que pe alma
de seu p rezado llbo e irmao Alberto Ju ve ucio
dos Santos Coelbo. mand^m celebrar na matriz
de S. Pedro, em Olinda, as 6 horas da manha do
dia 30 do correte, trigsimo do seu passamen-
to. e por cojo compartimento desde j se con
fussam ratos.
O OLEO PURO
_DK-
FIGADO de BACALH
-DE-
Juaquim J. uno Hunomlo
Bastos
Leopoldina Alexaodrina Pimentel Bastos e
seus fllhorMiria Ma*iin.i dos S ntos Bastos,
ros V-cter da Silva Piawntel e seus filho3 sgra-
decem profunda mente aos sens parmi-s e pes
soas ue sua amizade que a^ou.puiibraui ao ce-
ro i terio publico os restos mortaes de seu sampre
lembrado esposo, pai Albo, genro e cunhado.
Joaquim Jovino Honorato Bastos ; e de novo os
convid-m e aos dem-is pur<-nten au.i jos a*
Gnao para assistirem a missa que sera rezada
por alma do mesmo. < 7 1/1 boras da manha,
na rnnriz da B-a-^ista terga-feira 29 do cor-
rente, stimo dia do .--eu pan-tinento. Har es e
acto de religio e candado terao eternamente
agradp'-'dog.
ila t>ose de witveira a sti*a
Emilia de Olivera e Silva e seus albos agr
decem do intimo d'alma as pessoas e irmanda-
des que fizeram a caridade de acompanbar os
restos morUe* de si n prezairo esporo e pti a ul-
tima morada, e de novo convidam a srus sswgos
e prenles para as sis ti reta aossas qae se bao
de celebrar por roa alma sa matriz da Hon Vis
la, as 8 boras da manha de terca feira, 29 do
corrente. por cuja ttencao se consideram ter
mente gratos. ______
LAUMA1T Z. EEMP
preduz efletitos anlogos a os da
Emylsao conf|ppios()8s
dos msmos senhores, no oseo do
sor preferido o tractamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
____do Palto, a Garganta e os PHiines
Aluga-se
m paleo da igeja do Poco da Panella urna casa
com 4 quartos, i salas, cosinha fra c copiar : a
ralar na roa da Imperatriz n. 76.
Alug-a
se
urna boa casa com bom sitio, no Arraial, prxi-
mo Casa Amarella (becco do Bartbolomeo n. 1) :
a tratar na roa de Pedro Affonso n. 12.
Aluga-se
a loja do sobrado n. 67 i roa do Bartholomeo.
propria para qnajqner e-tabelecimen.o por flcar
ronfronte a erande estacao de Caruar e ser
muito concorido o lugar ; a tratar na ra larga
do Rosario n 34. botica.
"Aluga-se
o sobrado de um andar e sotSo ra do Bartbo
lomeo n. r>7. com bons commodos ; a tratar na
roa larga do Rosario n. 3, botica.
Ama
Para casa de pouca familia precisa-se de nma
ama que saina cosinbar ; a tratar oa roa Conde
da Boa-Vista n. 68.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de familia
na roa da Palma n. 80.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinbeira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patres e sej matriculada ; na roa de Fernan-
des Vieira n. 29.
Ama
Pre sase de urna ama ; na ra de S. jorge
numero 89.
As maes de familias
QUERIS VOSSOS FILHOS 8EMPBK SADIOS
Adminstrae-lhes o xarope ou as
Pillas Vermipurgativas
DO DR. CALASAIH
ptimas prepararles de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsao completa, sei
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(DAS CBEANCAS B DOS ADULTOS)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
< Estas excellentes preparacoes nao n
cessitam de purgativos como auxiliare
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem et
licas, tem constantemente diarrhas, indit
posicSo, 8ensac2o de corpos que se mover,
nos intestinos, endurec ment do v entre,
s veces, vmitos. Rangem os dentes, qnaz
do dormem, algumas e pessoas expelleo
vermes com as teses ou com as materia
dos vmitos. As -criancas apresetam ai
pupillas dilatadas e napetencia.
As pilulas levam impresso o nome a
DR. CALASANS e sao cS de rosa.
1 caixa de pilulas 1026*
l vidro de varo pe 1(J20(
AS PRDCIPAES DROGARAS E
____________PHARMACIA8_____________
Bom en pelillo
Arrenda-se o ensenho SI o, sito na freguezia
de Una, comarca do Rio Formoso, movido por
agna, moente e corrente, com capan dad e para
boas safras; a tratar no Recife, roa Mrquez de
Olinda n. 18.
LU LAS
.+
AZULEJOS
-?*..
Para' freote de casas, baobairos
corredores, acongues, sendo de lindas
cores, TeUdern-se por 60^006 o mil bei-
ro, por; er um sardo, na f'ra$a da In-
dependencia o. 40.
A Jugue I barato
Visconde de Pelotas n. S
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n 17
Ra dos Gaararapes n 96
Ra do Bou Jess 2*. andar n. 47
Rua-Aguazinbas em Beberibe n. 7
Roa Coronel Suassuna N. 141, quar
Ra Itaparica n 43 1." andar.
Visconde Goyanna n. 163 com agua e gaz
Travessa do armo, loja n. 10.
Becco do Tambia n. 21.
A tratar rea de Commercio n. 5, 1 aoti
esenptono de Silva Guimar&es A C.__________
De Sorocaba
Declaro que setrri muito tempo, fazendo
ubo> de medicamentos sem resultado, e,
nsando tres aias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de urna
chronTca gonorrhea arre me atormentava.
Faca uso deste come^eJrivier.
! Antonio F. Fontoura.
Est recoQhechja a- firma pelo tabelliao.
Agentes depositarios em Pernambueo :
Francisco M. da Silva & C, ra Mrquez
de Ofrrfda n. 33._________________________
"O FUMO
Higyenico Nacional
E' isento de qualquer compo89ao
chimica e nociva.
E' escolhido das melhores qualidade* de
fumo.
Um paeote de 50 gramnus ctista 200 rs.
. Fabrica Miaba Esperanza
21- Roa larga do Rossrio 21
Tclctsfcoae l%i_______
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital para
taverna; a tratar na ra de Domingas Jos Mar
tlns n. 80.
Para e tretmatul: t prtmpta aira Sa* '
Molestias do estomago e dos
intestinos, molestias do fipado,
dispepsia, indigestos, clicas,
nauseas, diarrhea, prisfio do
ventre, tarta de appetite, incom-
modos depols da comida, enxa-
quecas e dores de cabeca chroni-
cas, rheumatismo e nevralglas,
molestias da pelle, molestias pe-
ridicas das senhoras, e, alm
destas, maltas outras enfermidades que se
classtBcio dbala de urna iuflnidade de
nomes, todas porm, oriundas da mesma
causa, a saber;
Desarranjos dos oreaos de di-
gestSo e asslmilacSo,
donde provm s impureza e o enfraquecl-
mento do sanguc, com a debllidade e con-
gesto de todos os orgo, vitaes do sys-
tema.
Procurem-se
AS PILULAS CATHARTICAS DE AYER,
PREPARADAS PELO
DR j. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-TJnidos.
Dbstokto Ojwm-
f Segundo andar
Alnga-se o da ra do Crespo n. 17, tem agua:
a tratar na loja.
Cosinheira
Na ra Baro da Victoria n. 50, precisa se de
ama perita cosinheira, para casa de pequea fa-
milia estrangeira.

Para engenhos
GIMARES & VA LENTE, parteci
pam aos seus freguezes e Illms. Stb. d
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantind tudo de primeira qualidade f
presos sen* eonpcteneia & saber
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
(Meo de mocot.
leos americanos
especiaes para macbinismos.
Azeitde gco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata.
(5 galdes.)
Kerozene inexplosiveL
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potssa dv Rmsia.
(em calzas, barriquinhas, latas grande*
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo--6

Arthur & Desiderio
ontinnam a comprar ouro e prata velhos, t
bem assim libras sterlinas e outras mondas de
ouroge de prata, e paga-se bem ; na roa do Ca-
buga n, 3.
Engenho Brilhante
Arrendase o engenbo Bnlbante, em Sen
ohem, moente e corrente ; a tratar na roa do
Bom Jess n. 23, armazem de ca).
Professora
Urna sen hora habilitada o fie rece-se para
leccionar em casas particulares, na cidade
ou seus arrabaldes, as segnintes materias:
portugus, francs, italiano, theorico e
pi tico, fallando as linguas correctamente,
feographia, trabalho de sgulba inclusivel
ores, msica e pi no.
Interessa-se pelo adiantsmento de suas
discipulas, do que servirao de prova ss
que actualmente ensina ha mais de annos.
Pode ser proenrada na Livraria Con-
tempornea, ou n* ra da Ponte Velha
n. 19.
Morada excel lente
Aluga se barato na roa do Hospital Pedro 2-
tluaar dos Cjelbos) urna casa assobradada,
;om agna, muito fre^ca, prximo do banbo
salzado, grande quintal commodos para familia
numerosa ; a tratar all das 8 s 10 boras da
manha. com Joaquim Horeira Res, que all alu-
ga tambem casas de ti, 8* 10*000.
Para cosinhar
precisa se de urna peesoa habilitada ; na estrada
de Joo de Barros n. 16, sitio.
EXPOMgAO
Mdaille rOr

IMIV1I7I
CrtiuftlTalMr
LU nUS HOTCS nCOtr'tUS
Nova CrtAsio
PRIMAVERA
E. COUDfl AY
TS yefcStao o Htm miindo.
...... PRIMAVERA
W............PRIMAVERA
Aflaa d* Tosas*, PRIMAVERA
sssaslf........ PRIMAVERA
P as Arras......PRIMA
EMNMTf 1
ISMilnSisWi mi liiliiii tmtamUm ,
*....................
Barato
SO' U LOJA DAS ESTRELLAS
Liquida Qao de todos osart
gos que ficaram passado com o a batimento
de 50 por cento, a saber:
Fazendas de le
Pecas de madapolSo americano, com toqua
de mofo, a 5<9.
Ditas de algodao T, a 5 Brama, te com quatro larguras, de 10200
por 640.
Dito de linho com 10 palmos de largura,
a h>6 .()
Atoalhxdos, lindissimos desenos, de 2(5000
por 1^200.
Guardanapos de 46 a duzia por 26200.
Toalhss felpudas e 5 por. 3|>500.
Esgaioes de 80 per 3<)50.
Pei;as de bramante com 30 varas por
100000.
Cobertores de pelucia a 800 e 10.
Colchas de fustao, brancas e de cores, de
40 e 60 por 20 e 30.
Grande quantidade de retalhos de chitas
-las, seda e brins.
Chitas, eretones, cambraias 0
fnsie*
Crotones para cobertas a 240.
Ganga encarnada para cobertas a 200 e
240.
FuStSes para cobertas de 8C0 rs.. por 320.
Crotones para vestidos, desenhos novos. a
20U e 240.
Nanzuck, novidades, de 240 rs. por 100
CasemJras e brins
Cortes de casemira de 50 e 60 por 20000
e 20500.
Ditos de fnstSo para collete a 600 e 800.
Dito de brim de 30 por 10600
Casemira fina de cores de 60 por 20000,
20500 a 30.
Cheviots americanos de 50 por 2500.
Meiton para roupa de menino a 320.
Brim pardo a 240 e 320.
Dito de c6r a 240 e 320.
Dito bronco a 5 ?, 600 e 700.
Dito de linho com o avesso. branco de 20
por 800.
Dito n. 6 de 20500 por 10500.
Merinos e cachemiras
Merino de todas as cores de 500 por 240.
Dito ottomano a SOO, 10, 10200 e 10500.
Cachemira ricamente bordada com um me-
tro e trinta de largura de 20 por 600.
Dita achamalotada, tanto pretaa como de
efires.
Teeidos dirersos
Tile de Vichy de-40, 600, 800, por 120,
200 e 2 40.
Fsguioes pardos para vestidos a 320.
Lindis8mas etamu.es a 320 e 400 o co-
vado.
Fu8t5e8 broncos, Ia qualidale, de 10600
e 20 por 500, 600 e 800.
Mimos dos Alpes de 500 e 600 por 200
e240.
Sedas
Chamalotes de seda preta de 305CO por
2000.0
Surat preto de 20 e 40000 por 10200, 20,
e 20500.
Lindissimos chamalotes de todas as cores.
Completo sortimento de todas as quali*
dades.
Cortes de velludo e seda de 2000000 por
7000.0.
Pal ha de seda com palmas bordadas de
por 800.".
Sedas de quadros e listas de 10600 por
800 e 900 o covado. .
Setins pretos de todas as cores a 800 o
covado.
Lindissimas gazes de seda.
Para noivas
Riquissimas surats lisos e bordados, gorgu-
roes e hetim.
Um completo sortimento da. capellas e
veus desde .70000 307000.
dem ce leques desde 60000 250000.
Todos os artigos necessarios para enxo-
vaes de noivos.
* Confe.cces
Lindissimos eofeites, de vidrilhos de todas
ss cores a r 00.
Babados bordados a 500, 600, 700 e 800.
Bicos broncos e de creB a 800, 10000 e
10200.
Babetes com allegoricos infantis de 30000
por 10000 a duzia.
Renda hespanhola preta e de to ias as cores,
bordadas a vidrilho.
Baleias de todas as qualidades a 240 e 500.
Anquinhas de rame.
CollarinhoB e punhos para senhora.
Renda de li preta.
CasacosJ erseys para senhora a 40000 e
50000.
Para acabar
Um completo sortimento ds plumas e flores
que se vendem pela quarta parte de asa
valor.
Artigos diversos oara humea*
Camisas superiores de 50000 por 30000.
dem brancas e de cores com pequeo to-
que de mofo a 10600 e 20010.
dem americanas novo systema.
dem de mesa a 800 e 10000.
dem de flanella a 20000, 20500 e 30OOO.
Meias para homem a 240 e 320 o par.
Lencos imitaeao de seda de 40000 a 10200.
Uravatas de gorgurSo de seda preta a 240
e 300.
Artigos diversos para meninos
e meninas
Lindissimos visturios J erseys e casemira
para meninos e meninas.
dem de fustfio branco bordados de 150008
por 50000.
CollarinhoB e golas para meninos e me-
ninas.
Casacos Jersey? para menina, de 60009
por 5?0OOO e 20500.
Tapetes e estelras
Esteiras brancas e de quadros de liJBOO t
10100 jardas.
Tapetes de coco a"0OOO o covado.
dem avajruaado a 10800, 2.500 e 20500.
dem para sof, de* todas as qualidades a
120000, 150000; 180000, 2O0OCO e
250000. .
Alcatifas a 10200, 10300 e 10400.
Um campletd sortimento "de tapetes da
todos os tamanhoB.
E muitos outros arrima que se venden
por metade de seu falo.
bj.das Estrella
N. 56Rus do Duque de Caxias N. 58
Telophone n. 1

*
r-


<
.

*


**v
-




-
-'"
:'




t






HOJA DO POYO
Icario de Peraamhiieo--Terca-feira 29 de Abril de 1890
II
Marcoil


Com este titulo cb de te abrir, i ro l.'de Marco au.lq.da ittea
BELLO sorumeoto. MuiUe de euaa fcaeodaa alio recobidae dircctamOBte.
GRANDE 1YOVIDADE
Descont de 10 Granadina, pura seda, de 108(0 a 80 rs. o covado.
Toile pura seda, de 10600 a 650 rs. o covado.
Las com. listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Ls com prepan de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de c6rea lindas a 3 Zephyr largo de 800 rs, a 320 rs. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 rs. o covado.
Cortes, costumes de cseoiira inglesa, a 12000.
Ditos de csemira ingleza de 3(5500, 4)5000 e 6)5 00.
Ditos de fuBtao para c.dlete de 600 rs. e 2(5400
Cheviot de 305 a if50 0 o covado.
Csemira cor de caf de 36000,' ltWOO o covado.
Casacos de Jersey para senhol* a 3tJOl.O e 60000.
Merino preto a 50 ', 70J e 1)1200 o covado.
Dito de cor a 400 rs o covado.
Casineta finas de 500 is, a 360 rs. o covado.
Colchas de crochet de 86000 a 3050.'.
Cortinados lindos a 6#G0u.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara. ^
Ver para crr so na
TROAMR
Cambraia branca bordad 4d000.
Atoalhado pardo de linho com matizes
brancos a 30000 o metro.
Cambraia Victoria a 20800 a pega
Esguiao de algodao a 105 0 a dita.
Crep /le algodao a 240 rs. o covado.
lo pardo a 360 e 400 rs. 2 largaras.
Cachemira de listra, duas larguras, da
20000 por 10400 o covado; de 12.
Bramante trancado, duas largara, 500 e
600 rs. a vara.
Corte de collete de fustSo.

FABRICA DE LIVROS DE ESCR1PTURACA0
WQABERNAQAO ? FAVTAQAO
M i
CQANOEL J. DE ffllRANDA
*+ 39 KA DUQUE *> DE CAXIAS 39 H
NUMERO TELEPHONICO 194
<------ sjfi^&Mfcueo m------
i
Sahlda'de hile a 10000, 10500 e 20000.1^^^2^0 .
Cretone voile a 400 rs. o covado.
CasacdB Jersey a 60000.
Vestidos para meninos a 40000 un.
LS Amazonas a 400 rs. o covado.
Cheviot preto a 20600 o covado, duas
largaras.
Bramante de linho, rq_uatro largaras, a
10600 o metro, i
Ceroulas de bramante a 140000 a duzia.
Cortes brancos bordados a 180000.
Leques transparentes a 20500.
Colcha de o res a 20000, 30000, 40000 e
50000.
Meias para homem a 50, 60000 e 70000.
Flanella azul para roupa, duas largaras, a
20500 o covado.
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Creps matisados a 440 rs. o dito.
Gazes arrendadas a 500 rs. o dito.
Zephyr de quadro a 200, 240 e 280 rs.
Brim pardo a 280, 320, 400 e 500 rs.
Camisas de flanella de 20000 at 50000.
Cortes de metim, em cartSo, a 70000.
Cortes de zephyr, bordado, a 140000.
Percales a 200 rs. o dito.
Zephyr, o que ha de mais fino, 400 rs.
o dito, muito largo.
Guarn cao de crochet, brhco e matisado,
a 70000 um.
Espartiihos Cornete a 60000 um.
Espartillios True fit a 50000. ,
Baleias a i"40 rs. a duzia.
Toalhas felpudas a 305CO, 50000, 60000 e
70000 a dita.
Toalhas para banho a 10800 urna.
MadapolSo trancado a 100000.
Popelina branca de teda.
Alpaca branca lavrada.
Camisas allemaes a 360000 a duzia.
Fustao branco a 360 rs. o covado.
Lencos, meio-linbo, em caixa, a 20500 a
duzia.
Flanella branca da 13 a 400 rs. o covado.
Ll mesclada a 400. 500 e 600 rs. o dito.
Cortinados bordados a 66500 o par.
Tapetes grandes e pequeos.
Panno da Costa a 10200, 10500, 10600 e
10800.
O Peitoratd Cambar
Sempre foi, e ser o ptu'cipal remediogarantido par- as
molestias do larynge, bronchios e pdlm&es.
A bronchite, *sthma, mal do peito, ronquidSo, laryngite, coque-
luche e qualquer tosse, por mais grave e antiga que seja, curam se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Pubbca, premiado com duas medalhas de ooro de l.1 ciaste e
rodeado de valiosos attestados mdicos e'de innmeros de pessoas cu-
radas. Exija-se a firma do autor.
J. Alvares de Soma Soares.
4

ttFLUENZA-GRlr'PE
A IAFLI'EXJE* CIUPPB. Em 1837 e em 1858 a mesma epide
miareinava em Paris, e n'este tempo foi curada com grande successo pelo Xaroe
Pasta de Naf de Delangrenier ; ainda a estes peitoraes que convm hoje recorrer.
J se sabe que o Xarope e Pasta de Naf que tem adquirido urna reputacao univer-
sal, vend m se em todas as pharmacias do mundo inteirOj_________________
b

Variedades
Extracto Rita Ssngale a 20000.
Opiata de Gcsnell a 10000
Pasta Rymodonl a 800 e 10000. .
Extracto Kil-lo do Japao.
Extracto Houbigant.
leos de todas as qualidades
GuaroicSes para camisas de ouro ameri-
cano a 10500 e 20500.
Guarda-p para homem a 60000.
Guarda-p pera senhora a 100000.
Ternos de csemira para menino, de 180
por 90000.
Bicos branco, creme, pardo, lisos e matisados.
Fichs, meias, collarinhos, punhos, fitas, toalhas
setins e casemiras.
20Ra 1. de Marco20
Casa de confiaoca
DE
Extracto Porte Veine.
Extracto Floros Andinas.
Extracto Violeta de San Remo.
Extracto Cruz Vermelha.
Extracto Fleur de Lotus.
Impermeaveis a &00 rs. um.
Sabonetes de diversas qualidades.
Luvas de seda a 20000 e 2,5500.
R( upas para banhos salgados para homem
80000, senhora 100000, menino 60000.
Colchas de damasco de la.
Bordados o entremeios.
de cores, visitas de seda,
Licenciado pela Inspector! geni de Hygiene do Imperio do BnzU
"Zed
da Oodeina pura se tohi completada com ts do l'ol e dt
le L*nr+ cereja, que hztm do XAROPE do 19rZED
I), peitoral mais enrgico em todoi o* mo de :
RESFRIAENTOS, PNEUMONA, C0QUELOC.HB8.
" TEKASES, DORES ABDOMINALES, te.
.*
Amaral <. C.

J^_
ILQUIDO impermeayel
Bmprega-s<.- Bl ESCO l'A, c ara raperbo Instro conserra-sc por urna semana eui todos os
trapos, sobre o calcado, os arrcios e todos os artigo fabricados do oonro preto. A iamatlia-sc
layando e o lustro torna a auparcccr de si-meamo. Nao deteriora o cauro c nftn mancha os
Testido*. Nublan manufacturlng C, L", & BaUron HU London, Inglatrra
Vender em -toa a parto. ____
tm
GRAGEAS
FORTN
jrf taWoa
QteWTQ, BtHMJBe9
TtfttHtMtM, 1* __
FORTN, forto a. priaielrw ^moU<-nm a *""*""'
(UBO) qna $l$twtmm Hoit*wfc Curara "
nlMlaUa m fatigar aaUmajo. mala dUoatdoa
PORTIN atatara laaaoimanitilla ooaao
, rrAjr* u, a silva o.
L/oiB0/atfo pft Itumfrtt # viril* #o lmo>*o o trazft.
CAPSULAS de SNDALO CITRIN:
Praparapo aagnaia aaela affloaa oantra a
S T I A. S 8EORBT
amouu Capsulas titUvermmtmtmte recoiggg**"* I****
que attVamoMU Capsula! ttnttwmnm*trr rreomawn.ua.i
TJma Ea (om Imtruaco cmnpletaa para a tratammto) onr gCTainwiita Jaatre i
* ... _*.._ **- *..__. ^.r.nDnr.t mrvtmm i.rvrlfRl A: wrWCB
M9v3
4 ffu* *fra:
tima aaiza loom lastniscom compinaa pan """!"'/""-'^r^^- SH^^m~^TTSmmtm
mVASH. *0*H rtJ-.em LIVERPOOL. FFIM, ItKHCIMm > W*BB, aaa LOHDatEa.
E*- TOI>A* *i
"MIMO
PAftB r-HAKafAC.
E
VER04DEIR0S GRAOSbeSAUDEdoDTRANC
lUCBNCIADOS PBLA DISPBCTOBIA GERAL DEHTOIEiE jjOTBTO >
f I J. Cntf 1* !ntn a I-alta de appctlte, a Obatrucflao, a Enxaqneca, as VerHsetXal,
V ,* |5>ontra a o '%.*, etc. Bou ordinaria .- f, i s grao*.
IV du dattsnr / oesconllar as falSiflcaC6eR. Exigir o rotulo junto Imprimido em BnMK
VS, .i-rr A* e com letras de 4 cores sondo Q ge a TJBla<, 0S FabrWautei.
*






AlUNP
kk-m. wm oo TKiunrH-44
Machinas a vapor
foendas.
Rodas d'agaa.
aixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem crava^ac
Arados
1300
Myrtol do Dr Linarix
lA\irea.do pai Vacuidad dt, Med.cin* da Patria.
O Myrtol Linarix apresenta-se aobre a forma de Glbulos empregados com
o Tiaior successo contra as
AFFECCOES CHRONICAS DO PEITO
Defluxo,, Bronchites, Catarro, Asma, oom oppressao e PalpitaoSes.
Os GLBULOS de MYRTOL LINARIX tamo-se na dose de 6 por dia :
2 pela manha, 2 ao meio dia, 2 noute.
Toda* as peuoas que tomao ot VERDADEIRCS GLBULOS DO
Dr LINARIX eo unnime em reconhectr que respirao mais fcilmente.
Exija-te os Verdaaeiros Glbulos Linarix de Clin 4 C'<>, de Paiuz
que se encoiUrdo as drogaras e >a* pharmacias.
Completo Bortimento de chapeos, capota e gorros de fantasas em todas
crtiadades.
Fitas, rendas e bico de Beda e algodao de todas as cores.
Flores, plumas, pasaaros, algrltes c bljonterle para enfeites.
Chapeos da feiiro e castor, os mais modernos, para homens e menino
Recebe por todos os vapores as primeiras novidades de artigos de
g cerfl de negocio. _
Raphael Das & C.
2 Ra do Baro da Victoria 2
sea
CMorose,-Anemia- Catharro pulmonar,- Bronchite ehromca,
jrtkarro ra Bexiga, Phtsica, Tosse conousa, Dyspens,a, Faum
Peraas semmaes, Catnarros antigs e complicados, et
l-OTUa-i-Td ncnaln. 1. ew> *AXXL o na* prtiwilrae PUa'JiaeiW^
rs. o
ccv-ado
Cretones lisos, francezes, cores fixas, pechinch! por 240 rs. o covado.
Cambraia de o8r, florzinhas e ramagens, a 240 rs. e dito.
Cambraias com menos larguras a 160 rs o covado.
Lautines de c6r, padr3es lindos com nm metro de largura, a M rs. o aito
Cachemiras lisas e achamalotadas para vistido a 200 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo preco.
21RA DO CRESPO 21
OttVEILA CAMPOS & C.
500,800 e .5*200 o covado
B. BB DBUSIN& & G.
Ra Mrquez de Olinda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc* nico
deposito da afamada, cer-
veja Phcenix de Dortmuud
do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Expsito Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danner
mann & C, S. Flix (Bhiaa).
Cosinheiro
Precisa se de um cosinheiro :. na ra de Paj-
sand n. 19. _____
Esmolas
As almas caridosas soccorram, pelo amor de
Deus, a viuva pobre e doenie, Senhorioha dos
Santos Coeino Bastos, ra das Carrocas n. 4.
E*sa infeliz vive na man r penuria, e merece o
bolo dictado pelos generosos, sentimentos de
caridade.

TNICO
ANALPTICO
RECONSTITUINTE
O Tnico
mais enrgico que devem
em pregar os Conralesoentts,
as pessoas idses,
as Muere;, as Criancas dbis
e as Pessas
freces de Constituico.
r~n~T/---r^
COM OUINA
SUMO DE CARNE
PH0SPHAT0d=CAL
Cotnposrto
com Substancias necessirias
indispensareis na
formacio* no iesennolvlments'i
da Carne
muscular e dos S/stemas
nervosos e ossosos.
O VINHO HE VIM. a AssoclcSo feliz dos Medicamento': mais activos, para combater a Anemia,
a' ruse a Tsica,a Dyspeii-i. asGasiralglisou Gastritas. aDliirrlieaatnlca, alua'lccritica, a
Frou.ii'-'i'ireral, as longas Convalcscunclas, etc. lili urna palavra, todos acuelles estados de Lan-
niiiri iip EamaeTeclmcnLo. de ~a-otamento nervoso, aos quaos os temperamentos do noje estap
&b-Mtenre fpo-tos. "* ^rl J. rtA. t_. 10 ffnro. 1_!
11 FRAN DA SILVA .("I 11
i tratarte.
i em oruueb
la tu* Aleaa^a,
es, m m*l*t
fnnnttsfm a
I tLEfl k FI_t-0
K tkUlM f*MIUCHIO>0
I a iiaB araMauta^o* rara
raVf
ulmiritlrtf^ Farro j*m
21RA DO CRESPO21
preto trancado, duas larguras, la pura de 500, M0*tfW^
ado, prto, com ramagem, padrSes de voile a 1*200 o dito; --
Merino m
Dito lavrado
Mnda aSa preta para caaacos, duaa largaras de 2j>000 e 2*500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C


)0,000^oeate4
CVIMI
EFLUXOS, TOSSE, lNSOaNIA,|
Crises ervosas
XAROPE DO 1T F0R6ET
k odti Pharmtol'do llnlnrm-
Exila-a o andarlo
36
<00,000 Doeate!
* (tratad*
nobrhea, Flores brancas
Percas seminaes,
.etc.
------ I l-MUaio SLaiinnaa,
H A B LE J DEB LIO A CE, EJGOTAM ENTO,
PARS A CURATO di 7eIro C"'
Eilla-ae o enderezo
ap lado.
C avallos de corrida
Diz pessoa entendida que o catarrho nos ani
maes devido ao capim verde, cujo mal se pode
evitar, dando-Ibes alfafa oo frno, que se vende
por baratissimo preco, a 60 rs. o kilo ; no ar-
mazem da ra da Madre de De-n. 10.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
Excede todis as outru pelo sea i
perfame exquisito.
Afamada
AGUA de COLOMIA e ATKINSON
sem riral pelo sea perfume e sua coticen-
trac&o. Excede todo* os productos simi-
lares rendidos sob o mesmo aorre.
AGUA FLORIDA-ATKION
deiieado perfume pare o leiiyo distlllado
de _ma oseolha excjv.i-ita.
Eftpmtrn-u am dt *t te.'9* :s V'V-
C/ilM f V/U"##S
J. h E. ATKIKSON
24, Od Bond Street, Londres
Marca < o Fnbri Umi Itosii hrauc* '
obre tima Ljia de Ouro '
OOm UOdoTVCO 11.1 t 'Jt4.li do.

Pataces
e outras moedas de ooro e prata, compram-se
pelo maior preco, na roa do Commercio n.4.
Precisa-se
De nm criado de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typographia do Diario de
Pernambuco.

Ilabayanna

j.V^
de
ANEMIA-CHL0R0SE
O *7*_!jR45tO
'9ts
TINTURARA
e&gigiH
2S~Kia de lalkias dAlbuquerque, anga ra das Flores25
Tingo e limpa com a _ior pereiolo toda a qualidade de estofo jocas ou em obras, cfaapoa de ettros ou de palha, tira o mofo de faaendas; todo
trabalbo feito por meio de machinismo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas-feira tinta de cores e Uwagem todos os da
BRAYAIS
Eiperimi'Ddo pelos primeiros taicos au rousdo.
passa immnHaumfr.le na Economa son ocsion;,r
i incommodos. istilue ao nofac a sna cor. rccons-
I liluimt-o ando-ihc o it$u ^co'SKahi.
Dtscontar-se atJnAWatti "/s/tC3f(5ts.
teMaliiaal'arip40*'*2,,Ri8t-L_are
a at te*i> brsuu<
Sitio na Magdalena
Aluga se nm, com excellente casa para ({rao-
de familia, toda piolada e forrada a papel, com
gaz, agua boa latrina e bood parta; trata-s'-
com Antonio Gomes de MaUos a roa da Cadeia
numero K. ___________^^^
Caixeiro
Precisase de um rapas com pratica para ta-
verca, que d conhecimento e pravas do sea
procedimeito ; na roa de Hortas n. 18.
acha-se nessa villa orna diligencia com os re-
quisitos desejaveis para proporcionar aos Srs.
passageiros um meio de viajarem commodamen
te de Timbauba Itabayanna e ao Pilar, e vice-
versa, facilitando Ibes assiro rpido transporte
lio Rei-ife Parahyba. sem os incommodos e pe-
rigos das viagens martimas.
No Recife, ra Mrquez de Olinda n. 58 em
Timbauba, no hotel U. Emilia, em Itabayanna,
no e8tabelecimento de Mello & C, e na Pa-
rahyba, hotel Parahybano, encontrarseha com
qnem tratar.
Fabrica de Luvas
Declara^ao ao commercio c
ao publico
Germain Gandin cortador da casa J.
Oerard, desde de sna fundacSo, declara
ao commercio e ao publico, que tem com-
prado ao mesmo Sr. a fabrica de lavas, a
roa do Cabng n. 1, como consta da es-
criptura de venda pessada no cartorio do
tsbelliSo Mergulblo.
Aproveita a occasiao para solieitar do
sene numerosos fregueses, a suaboacoad-
juvac&o, garantindo-lhes ao mesmo tempo
modicidade nos precos, agrado e sincen-
dade, e o artigo mais nove e fresco ueste
genero.
Aguarda, pois, as suas ordena.
SK?K. Abnl da 1890.
Germam QaucUu.
>'.
im
h


Terca-feira 29 de iibril de 189a
fe

'4.

1
J
I
i
|

I
I

Vendem-se os3|guin-
tes
**'
i nm
Lourecco, romance histrico pe:
Tavorav 1 vol. ene. 3*000
O Matulo, dito dito, pelo mesmo, i
vol. ene. 3*000
O3 Cavalbeiros do Amor, romance era
4 vols.jencs. 10*000
Lctaos de Roma, pelo padfe Gui Iner-
me Das, l vol ene. 25000
* Diccionario Biographico, por F. A. P.
Costa, i grosso volomeenc. 10*080
Voa Icaros, versos por M. Brrelo, i \
vol eoc. 3*000
Flores Fluctoantes, versos, 1 vol. ene. 3*000
Vos e'tedas, versos, i vol. ene. JOOO
Guimares, poema, 1 vol. ene. 3*000
Sons qoe pasaam, versos por Tb. Ri
beiro, 1 vol. ene. 3/000
Alberto Pimejite), Cantares, ver03, i
vol. ene. 3*000
Evangelius e Syllabus, di ama, 1 yol.
ene. 35603
Julio de Castilho -Livraria ClassiA,
Estudos biugraphicos e Iliterarios,
3 vola. enes., fiucs 15*000
Castrioto Luritano, historia nlre o
traxil e a Hollanda., 1 vol. ene,
fino 5*000
A India Christa por Pinto de Campos.
1 vol. broch. 2*0 0
Bibliothca do Povo, 15 vols. enes. 25*000
llorte de *D Joao, romance. 1 vol.
ene. 2*500
Contos de Pedro ,Ivp, romance, 1 vol.
ene.
O abandono por Julio Verne, 1 vol. -
eDC. .- 1*500
C s juramentos dos homens vermelhos,
romanee, vol. ene. 4*000
O Processo Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabriel Malaxada romance, 1 vol.
ene. 2*500
Neto do Acoitado, romance histrico,
1 vol. ene. 2*500
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 2*(XH)
Lmquinho, Encyclopedia da Infancia
por G. Bruno. 1 voL ene. 3000
Vinte leguas submarinas, por Julio
Verne 1*500
Caricaturas em proza, por Lniz Aa
drade, 1 vol ene. 3*000
C Pastor e a ovelna, obra rara e es-
gotada, 1 vol. ene 10*"00
Obirajara, lenria. 1 vcl. ene. 2*000
Amaleo Gama- Uin molim ba cem an
nos, 1 vol. ene., obra rara <6000
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2*0-0
Duro Caramur poema, 1 vol. ene. 2*000
A'.farrabios, por J. de Alencar, 1 vol.
ene. 3000
Escric Manuscripto Materno, 6
vols. enes. iOiOOO
P. de RockJoSo. 1 vol. ene. 2*080
As mil e lima mulheree, 2 vols. enes. 5*000
O rei ( andla, romance, 1 vol ene. 2*000
Contos a Ninuo, por E. Zola, 1 vol.
ene. 2*000
A caca de um baronato, l vol. ene. 1*500
Arraldo Gam-afilt' do Baldai 1
vol. ene. 3*000
Historia moral das nnjlnt-res,;i ve!.
ene. ...' 25000
Cs berdeiros de Caramur, romance
liisforiio, > vols. ene., linos 6*( 00
Facts da historia de Pernambuco. 1
vol. ene. 2*000
A igreia-e o Estado, por Ganganelli,
4 veis. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei n Afi-
ca, 2 vols. enes tinos, com grava-
ras 12*008
Eca de QueirozO enme do riadre
Amaro 2*000
Castello de Graaville, romance raro,
1 vol. ene. 23000
Leonor, D. Ambrolse. 1 vol, ene. 1*000
A:- obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30*000
T:es Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene. 31000
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
ejocoza (rara.) 1 vol, broch. 3000
Voz-s da historia pt-lo Padre Gui-
lherme Dias. 1 vol, broch. 2*500
Um mysteno de familia por F. Tava-
ra, i vol, brocb. 2S000
Um ea8Ba>enlo no rrbl broca, (mesmo autor) 25000
03 martyres I'eroambucinos victima
da liberdade. 17i0, e 1817 1 vo!.
broch (obra rara) 5*000
Guarrigue8 breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, eoc. 3*000
Biblioteca do Povo 31 caderninbos
brochados 4*000
Paulo de Kcke Barbeiro de Pariz 1
yol. 3*000
Amulher fatal o I, vol s.
matadouro, hi.-toria da Lavado-
ra Gervazia o Io o vol s. 1*500
Pauson do Ferrail A beranca myste-
rioza o 2 vol so ene
Repostas consisas e familiares por
Mr. Segur, 1 vol, ene. U000
Carta sobre a Companhia de Jezus,.
1 vul, broeb. 2*000
Carta a Pae Tobas, 1 vol. Broch. 2000
o escriptsno deste Diarto se dir quem \>n-
de lorias qstas oljras, '-' faz-se grande abat
ment a quem comprar todas juntas

Alfefa
Vende se a 70 rs. o kilo, fardos pequeos; na
ra do Amorim n. 39.
Cop
eiro
Precisa-se de um .copelro que sc-ja fiel ; na
ra de Pays ndfi n. 19.
FOLHETIM
ODIO DE TIGRE
POR
zin: tises
TERCEIRl PARTE
A PANTHERA NEGRA
= r
(Continuacio do n. 94)
XXII
E, revoltandi se contra a monatruosida-
de daquella ignominia, accreecentou cheio
de colera :
Pois bem, nSo ser assim, infame !
Ao menos qaanto a Emmy, o teu odio se
r impotente Porque te juro que a sal
vaiei, e d*ei)ra avante saberei prctegel-a
contra ti!
E
vra.
Ur- Zandog cumpno o sus pala-
"H^Hffiou completamente o sen cnsul
tavia para se conservar em Ban
BoJda
) da pobre senhora, e rodeal-a de
JKos e attencSes, camo os nao dispen-
sa a mais cuidadosa mSi.
VENDAS
Vende se'40 a 60 palmos de terreno arbo-
risado, no Caminbo Novo n. 128 lugar muito
ameno, entre 03 trena e bonds ; a tratar na mes-
nia casa. Pode all fazer-se urna casa muito
bem collocada.
Rendas
pretas, brancas, reme, beige e de corea
, Chegou um explerdldo sortime^to deste artigo
para a
Riinliada Flores
Ra Barao da Victoria o. 41
Na mesma casa encontraj urna variada col-
e ejao de titss de seda (mais de"500 nmeros),
bordados de cambraia, espartilkos, luvas, per-
fumaria, objeclos para presentes, etc., etc.
Precos baratos
RA NHA DAS FLORES
Ba Barao da Victoria n. II
1#800 o covado
Qta loj do Qampe
GorgorSo preto, seda pura, fazenda nova, a
1*800 o a va Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, m.
do Cabug n. .11, avisam os seos distinctos Ir
trueies e ao respilavel publico que receberaa
nova remessa deste especial vinho, o qnal Bf
recommendapor ser puro da uva, e sise reta
iba em seu armazem.
Joaquim Christovilo & C
Telephone 447
Libras
Vendem se ra de D. Maria Cezar n. 26-
Livraria G ontem pora
nea
tnutraaienlo* de manir,
Bomoardao, bmbardino, barytono, tromp
irombone, helicn, saxaphone. carrilon, bomb<
:aixa. pratos.clarinitas. flautas.rabecas, viIOe-
realejos, caneas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corred'
res.
Molduras
lourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, especialmen
oara rcupa de senhora e camarpte. '
Novidades
para presentes, escriptorio, toncador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA 4 C.
Boa Prlmelro de Barco n. 9
FarelodoRioda Prata
A 1^600, dinheiro prompto
Vende re no trapiche Companbia, largo do
Corpo Santo u. 19.__________________________
Vende-ge um piano
le transposio do au
tor Vignes, que preci-*
sa de concert. No
escriptorio deste Dia-
rio se informa quem
vende.
....................&IE^bOS
MUTA ATTErXClO
Os methores cigarros, que ha hoje
tanto de tumo picado como desfiado sao
osMiNHA ESPERANQA.
Olhai com attencSo jytra o envolucro dos
ciganos onde se le a palavra ESPE-
RANCA.
Ha muito quem venda gato por lebre !
No s grandes me re arias, as casas de
reYees, as tabacarias, nos sales de
cabelleireiro, vendem-se os nossos ci-
garros.
Deposito central.
Fabrica Miulia Esperanza
Ra larga do Rozarlo n. 21 A
Telophone 191.
Aniouio Francisco da Cruz
Boaacquisic,o
Vendp-se um bom esiabelecimento de mercea
rias ; a tratar na ra Coronel Suassuna (antiga
de Hcrtas) n. I. ________^^
Manteiga franceza
fina, em barril de 10 kilos, a 18#000 cada barril;
em cata de Charles Pluym & C.
Re ci fe
U0MAIS^_ __
em tadJ a art
Restabelecida a grande custo do terrivel
abalo qne sofirera, Emmy deixou se domi-
nar logo por urna dor tanto mais perigosa
quanto nao desabafava em lagrimas.
- Depois, p< uco a pouco, gracas aos esfor-
z do doutor, aquella d6r foi se transfor-
mando n'uma tristeza cheia de sustos, e
por vezes de xtasis magnticos.
Nesoas occasiSes de crise Emmy estava
das inteiros n'vima especie de hallucinaco
durante a qual, dizia, via Henriqae e con
versava-com elle.
A principio o Dr. Zandog inquietava se
pouco com eises phenomeno3, qne attri
buia a urna extrema excitado de ervos ;
como, porem, so prolongassem, julgou pru-
dente combatel os, mas averiguou logo com
terror que a sciencia nSo tinba recursos
para isso.
Eu>my, sem parecer soflFrer, enfraquecia
gradualmente, como urna lampada cujo
azeite se vai acabando.
E qnanto mais senta que se lbe ia es
va i i do a vida, maiores se tornavam a sua
lesignacao e serenidade.
Decorreram assim semanas e mezes.
O doutor luctav encarnigadomente c m
desespero, contra a tyaica que via devo
rar a saa dof .te, e apenas lograva conser
vr lhe um simulacro de forja e urnas ap-
parencias de vitalidade.
Ao cabo de seis-mezes, de gravidez, e
qaasi sem suffrimento, a pobre senhora deu
luz um rpito rachitico, exigindo que'
o doutor lh'o mostrasse immediatamente.
O recem-nascido nada npresentava de
anormal, salvo a coloragSo vermelho-escu--
ra da epiderme, o que o Dr. Zandog se
apressou a explicar como om effeito do
uascimento prematuro.
Emmy sorbi doftrosamente, sem repli
car, limitndose a abracar repetidas ve-
zea e com ardor phrenetico o pequeo ser
a quem acabar de dar a vida.
MVIDADES
1 Na laja das listras Azues
A RA DUQCE DE CAXU8 N. 61
Mosquiteiroe americanos com armacSo a
10*000, 12*000, 15)JO00 e 20*000.
Estantes de msica, para amadores, fe-
chare-Be como urna bengala, a 5*000.
Relogios espertadores oom movimento. a
6*00C, 8*000 e 10*000 e para orna-
mento de sala a 20*000.
Lapis fe caetas de onro fino a 1*5C0 e
2*000. *
Espartilhos inglezes com elsticos de seda,
ultima novidade, a 7*000, todo de se-
tim branco a 10*000.
Surah de lindas cores e gases de listras a
1*400.
Setins*ccm*listras largas e lindas cores a
I52OO: -
Tecidos de linho fino, fazenda muito lar-
ga, a 500 rs.
Morim lavrndo, pega com 10 varas,
3200 a peca.
MadapolSo americano, fino, a 6*000 e
6*000 com 20 varas.
Bramante de 4 larguras a 1*200 e de li-
nho a 1*600,
Cortinados bordados para cama ou janella
a 5*800.
Cortinados de crochet de lindas cores para
janellas a 1*600.
Atoalhados oom lindos desenhos a 1*000.
Guardanapo's fines a 1*800 a duzia.
Toalhas pequeas a 1*500 % duzia, gran-
des a 4*0C0.
Cassas de cores, desenho em matiz, pe-
cas com 9 metros a 1*600
Bordados largos para saias de crianza a
5*000.
Babados bordados, lindos patries, a 440,
500, 600 e 800 rs* .
Bicos brancos eom .ponto, novidade, a
3*000.
Fitas de cores, todas as larguras, melhor
sortimento, a 320 e 500 rs.
Baleias fortes a 180 rs. a, duzia.
Arco de ac a 100 rs. o metro.
Cortes de vestidos bordados de edres, em
cartSo, a 9*000.
Tecidos de quadrinhos a 100, 200 e
400 ra.
Percales claras e escuras a 200 rs.
Grampos para tranja novidades] a 600 rs.
Sovaqueiras de borracha para vestidos a
400 rs.
Sabonetes finos a 500 e 600 Tv
Extractos finos todos os cheiros* a 2*000.
Espartilhos courassa 3*500,4*000'e 5*0C0.
Meias cruas alcoxoadas para senhoraa a
8*000 a duzia.
Meias de cores para meninos de 6 mezes
at 8 annos a 400 rs.
CasacoB Jersey bordados pretos e de cores
a 5*000.
Para nolvas
Setins brancos, lisos, lavrados e de listras,
a 1*000, 1*200 e 1*500.
Grinaldas, com lindos veos de blond a
7*000 e 10*000.
Meias de seda e de renda a 3*000 e
1*500
Espartilhos de setim, ultima novidade. a
10*000.
Lencos de cambraia de linho, embainba
do largo a 9*000 a duzia.
Panno de linho, muito fino, para toalhas e
fronhas a 1*500.
Luvas de" seda e pellica a 2*000 e 2*500.
Colchas de crochet a 5*500 e 6*500.
Colchas de damasco com borlas a 35*000.
Leques de gazes, bordados e de renda a
6*000.
Ligas de seda nfeitadae a 1*000.
Camisas bordadas, finas, para senhora a
5*000.
Casacos bordados, peuteadores, a 2*500 e
3*000.
E muitos artigos que se vendem muito
barato e d se descont a quem comprar
de 20*000 para cima.
Novidade americana
M LINDO RETRATO DE FAMILIA
Por ***000
Qualquer familia pode ter um retratofde
um prente ou amigo em sua sala de
visita, mandando um pequeo retrato em
cart&o de visita nao importa que seja
antigo, bastante mandar dizer a cor
dos olhos e do cabello para chegar um
lindo retrato desejado. Reeebem-se en-
comendas na
LOJA DAS LISTRAS AZES
Libras sterlinas
Vende se ra do Commercio n.'44.
Cautelas do' Monte eje* Soc
Alfafa
' Vende se solta qualquer quantidade a 40 rs. o
kilo ; na ra do Amorim n. 52.
Levaram a crianca, que ella declarou
querer qne sa chamasse Nathaniel Hen-
rique.
O Dr. Zandog recommendou o mais ri
goroso socege e oceupou-se sem demora de
fazer desapparecex a crianca, que foi leva
da para a ilha de Bli por urna ama cha
ruada pressa.
Mas apenas o medico sahio do quarto,
Emmy pedio criada papel, penna e tinta.
A mulher recusou a principio, mas era
tal a insistencia da parturiente, qne, re
ceiando que a sua recusa lhe fizesse mal,
satisfez-lhe o pedido.
EntSo, apoiada sobre o cotovello, oom o
rosto horrivelmente paludo, mas cheia de
resignacao, a joven escreveu entre lagri-
mas, o seguinte :
* Mpu filho, meu bem' amado Natha-
niel, acabas agora de nascer e j a fatali-
dade me separa de ti. Quando leres isto,
haver muito que eu tenha deixado de
existir. Dir-te-hSo, mas quero que o sai-
nas por minrpropria, que morri no- meio
das mais espantosas dores, que jamis tem
feoffrido urna mSi!... Que morri por ti,
victima da mais monstruosa malvadez !...
Morro, legando-te a nica cousa que posso
deixar-te : este lenco, que ha de abafar
teas ltimos gritos de agona. a minha
bencSo... o meu coracab e a minha vi-
da 1...
c Mais tarde, quando fores homem, Be
nao te alcaocar o odio a que eu buccuco-
bo, l a confissSo que eu junto a este su-
premo adeus.
< J lga enao, e faz o que a tua con-
sciencia te aconselhar.
c Mas lembra-te de que um mesmo ho
mem, implacavel, homicida e infame, des-
honren tua mi, destruio-lhe toda a ven-
tura, assassioou, depoie de o perder, o
ente que ella adorava e cujo nome tu
usas !
WlIStf
Royai Biend arca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pro
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-Be a retallo nos melkofvs arma
zona de molhados.
Pde Rofaf Bleud marca VJado;
cujo nome' e emblema sao registrados paj'
todo Brasil.
BROWNS A C, agentes.
corro *
Supe
Comprase Cautelas do Monte-ce Soc-
corro de qualquer joia, brilhantes o relo-
gios, paga-seblm'fca ra do Cabug n
T.4. n.Loja de rejojoeiro.
rior finhertle Al-
cobac,a
O acredita'do" e andigo armazem do Luna par-
ticipa ao pnblico e aos seos freguezes que acaba
de receber nma nova remessa deste especial
vinho, escolbido propriamente pelo chefe desta
casa, tornand-se recommendado por ser purc
e de boa qaalidade. Jos Fernandes Lima & C.
ruaBaro da Victoria numero 9. Telephone3J3
Agua iparavilhosa
Com a applicaco desta agua, quero scUrer t
espiobas, pannos sardas, femdcs e vermelhido
do rosto, fleari perfeitamente curado, rtconhe
cendo-a, desse modo, como nico especifico
efficaz. Alem desses effeitos, tem ella a pro
piiedade de, tornando a cutis limpa, dar-lhe a
cor natural. A cada vidro que custa If, acom-
panba a respectira indicncao do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrinho A C, ra Mrquez de
Olipd n. 41.
Muito barato
1*000 um par
Na ra do Livrmento.ns. 19 e 21, tem urna
grandeqnantidade de sapatOes rinnos de vaqueta
branca, obra muito forte e propria para o inver-
so, epor preco baratissimo, 1*000 o par, e em
porcao tera descont._____________________
VOILE VOILE !!
A 240
Grande e variado sortimento de voile
de algodSo e Un, acabam de receber,
Bernardino Campos & C.a e vendem pelo
insignificante preco de 240 reis o co-
vado.
APROVEJTEM QUE E' PECHINCHA
Ra I. de farco n. t
Etamil 280 rs. oSd,
Valoja d Campas
EtaminarArancas- e de edres, arrendada
dres Indos, 280 rs^iannda de6^
ra do Crespo n. 21 >
Pao 'ceitei
Mello & Biset fendo recebido nota remessa de
farinha centeio, avisa aos seus freguezes que
continuara a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sexlas-feiras ; na ra larga de
Rosario 11. 40.
-
Novidade
AO PUBLICO
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
Pno, que um dos que mais ee pre3-
tara a tomar se cora leite.
VINHOS--0 Falhete sem prejuizo das
outras marcas, especialisando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brsil-
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida-
des como nao se encontram em qualquer
casa.
CARNES em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PELXEStambem o que ha de mais
variado.
CERVEJASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paulino
Bier.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, e por precos muito
commodos.
Alem destes artigos acha se o sen esta-
belecimento sempre supprido de tudo
quanto se possa dse jar. d'um bom esta-
belecimento d'aquelle genero.
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
Azulejos
Com lindissimas cores e desenhos variadissi
mos, encontra-se para vender um grande sorti-
mento desse artigo, proprios para frente de ca
8*8, corredores, cosinbas e banheiros; por pre
eos sem competencia na ra do Visconde de
Goyanna n. 45.
Cachimbos inglezes
fabrica Vendme receben um sortimento de
cachimbos patentes de madeiraFree and Kasy ;
a vantagem nao communicar a saliva ao fumo,
e o tarro bocea.
FOILE!! VOILE!! VOILE
O que pode haver de melhor e gostos
lindissimos, acabam de receber, Bernardino
Campos & C.a e vendem sem competen-
cia de precos.
Rual.0 de Marco n.
Voile de slgodao, lindos desenhos 10 covado
240 rs.
LOJA DO POVO
Alerta com a Revoluco
18Ra Duque de Caxlaa48
E' BARATISSIMO
Sur de linho a 4C0 rs. o covado.
Etamines de todas as cores a 300 e 400
rs. o covado.
Zephiros finos a 120, e 160 e 200 rs. o
covado.
Merinos de cores com duas argur as
400 rs. o covado.
Cachemira com quadros de seda para ves
tidos a 10 o covado, fazenda de 25000.
Ditas com toque de mofo a 800 rs. o co-
vado.
Cortes para vestidos, ultima moda a 70O
um.
Ditos bordados a lOyJOOO um.
Ditos bordados brancos e creme a 130000,
14*0000 e 150000 um.
Casacos de seda franceza a 20000 um.
Cort'nados bordados a 60000 o par.
Ditos de crochet a 80000 e 100000 o par.
Fichs de retroz prateado a 10000 um.
Colchas de todas as cores a 20(00, 30000,
40000 e 50000 urna.
Cobertas forradas a 20500 urna.
Bramante com 4 larguras, trancado e liso
a 800 e 10000 o metro.
Toilette para baptisados a 80000, 90OOC
e 100000 urna.
Pannos da Costa para mesa a 10200 o o
vado.
MadapolSo americano, a 60OCO a pea com
24 jardas.
Camisas de me a a 10000 urna.
Ditas de linho e. algodSo com collarinho b
20000 urna.
Toalhas para crianca a 120 e 160 rs. urna.
FustSo de c8res para costumes a 500 rs. o
covado.
Pannos de crochet para cadeiras a 500 rs
um.
Ceroulas francesas, a 10000 urna.
Atoalhado de linho com toque de mofo &
20400 o metro.
Dito de algodSo a 10200 o metro.
AlgodSo trancado para toalha a 10OCO o
metro.
Espartilhos couraca a 40, 50000 e 6000
Lencos de algodSo brancos e com barra
10200 a duzia.
Ditos de linho a 20500, e 30000 a duzia.
Nansuk fina a 120, 160, 200 e 240 rs. c
covado.
Cretones claras e escuras a 200 e 240 rs.
o covado.
Organdis a 400 rs. o covado, fazenda de
800 rs..
Setineta lisa de todas as cores a 240 rs. o
covado.
Ricos cortes bordados a seda para vestido,
de 6C0OOO por 250000 e 3O0OCO.
Costumes de Jersey para criancas a 70000
um.
Voile de algodSo a 240 rs. o covado.
Merinos bordados, de cores, a 600 rs. o
covado.
Crep, ultima moda, a!600 Cambraia de quadros para vestidos a 10800
a pega.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado.
Casemira de cores para roupa de homem a
102CO rs. o covado.
Para a qnaresma
Merinos pretos a 800, 10000 e 10200 o
covado.
Manteletes pretas a 50000 e 70000.
Fichs pretos a 10000.
Ricos cortes de cachemira preta bordado
de vidrilhos a 300000 um.
E muitas outras fazendas pretas como
sejam gorgorSo, setim e cachemira que se
vendem com o abatimento de 50 /0.
Mi esquecendo
que em sua officina de alfaiataria aprom
pta-se qualquer costume e em 24 horas
assim como tem um completo sortimento
de brins, casemiras de cores e pretas, que
vende por precos sem competencia.
A Revoluco
HENRIQUE DA SILVA MOREDJA
t Esse homem, emfim, orphanou-te com
taes requintes de vingca que as mais hor-
riveis torturas seriam punicSo insufficiente.
Chama-se o conde de Morlac, esse al-
goz!
a Adeus, meu filho, adeus, filho do meu
coracSo, adeus... Lembra-te de que fo-
ram para ti o meu ultimo pensamento, o
meu ultimo beijo !...
Metteu n'um enveloppe primeiro esta
carta o depois um volumoso caderno es
cripto havia muito tempo; juntou a isto o
lenco ainda morno das suaa lagrimas e to-
do rasgado de o ter mordido durante as
dores do parto; subscn'ptou tudo oom as
palavras :
A ME FILHO
EBte primeiro enveloppe foi mettido
n'um segundo, onde escreveu :
Pego ao Sr. Dr. Zandog, meu ultimo
e dedicado amigo, que s d estes papis
'm'ei, filho Nathaniel no dia em que o
jfilgue digno de saber o terrrivel segredo
da morte de Henrique e da minha.
Assignou e escondeu o manuscripto de-
baixo do travesBeirO*.
Emmy Van Linden morreu nessa. noite
fm agonfa e com os labios entreabertos
como se estivesse murmurando urna prece.
O Dr. Zandog, profundamente commo-
vido, acbando a carta, foi pdi-a em lugar
seguro e fez sobre o cadver, ainda quen-
te da pobre victima, o juramento de ser-
vir de pai ao orphSo.
carta de Tang, annunciando lhe a morte
de Emmy.
Ness dia, muito contente, o falso sabio,
e o seu digno acolyto embarcaram psra a
Europa, e como Toby se admirasse de 1er
no passaporte de seu amo o nome do con-
de de Morlac, disse alegremente:
De pue te admirao ?... Recupero
apenas o meu verdadeiro nome. O Sr- de
Bretigny nascera para Java e l ficou. E
parece-me que oceupou bem os dias da
sua curta vida.
Comprehendi. responden Toby, sor
rindo; e tenho a honra de*eomprimentar o
3r. cwuUe Ue Colmar, o meu novo e hon-
rado amo.
FIM DA TERCErRA PARTE
Quanto ao Sr. de Bretigny, que foi ter
com lJbv Hoortfroog a Singapura, teve
que permanecer all alguns mezes, afim de
se restabelecer da sua ferida, e gosou a
suprema satisfscSo de receber urna ultima!
OlARTA PARTE
AS GOTTAS DE SANtSlIE
Toda a longa narrcSoque precede, fura
fcita pelo Sr. de Colmar, lentamente, com
urna especie de ndifferenca irnica.
Ir-se-hia jurar que elle era absoluta-
mente estracho aos horriveis incidentes
daquella dramtica histrica, a que a sua
voz ira e trmula dava um relevo ainda
mais terrivel.
Weber, a despeito da sua feroz impassi-
bilidade, senta-se, havia momentos, sgita-
do por um estremecimento de horror que
lhe punha os cabellos em p.
J v, doutor,, que eu tinha razSo
para lhe recommendar o upas, continuou
tranquillamentc o flsjflttBp- De todos
o sortimo^o de fias verdea n. 5, ^
f, padrSes o q* ha de modernoa. \
itas lavradas com nn palmo de largu-
ra a 2$000 o metro.
Grande sortimento de gal5es, palmas, p
sas, pingcnte8 e guarnijes pretas do
vidrilho para vestido.
Lindas costureiras de velludo propria
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura.
Grande sortimento de caixinhas com ex-
tractos proprias para presentes a 20000,
30000, 40000, 50000 c 60000 urna.
Livros de missa, de niadreperola e de
velludo. p
Lindos objectos de crystal para presente
como sejam : porta-relegio, parta-extra-
cto, porta-p 86 arroz de 40500 at
120000.
Finos a'finetes para gravatas.
Grande sortimento de broches americano!
para senhoras.
Caixas com msicas a 20, 30000, 40000
at 12000D.
Pegadores de prata de tranja a 10500. *
dem de tartaruga a 10000.
Grande sortimento de galozinhos branco*
e de cores para anfeitar casacos e roupa
de criancas.
Caixnhas com sabonetes a 500, 600, 700
e 10000.
Grande sortimento de bengalas finas a
10000, 10500, 20000 e 20500, o-qtvha
de mais bonito.
Lindas chapelinas para crianca, gosto mo-
derno.
Porta-retratos a 200 e 300 rs. um.
Grande sortimento de lencos de seda a
10000, 10500 e 20000 um.
Guarnijoes para toilet a 60000 e 70000.
Lindos porta-ps de arroz a 10500, 20000,
30000, 40000, 50000 e 60000 um.
Finas, ligas com ramo de flor de larangeira
proprias para noiva a 10500 o par.
dem de toda? as cores a 10000, 10200,
10500 e 20000.
Rendas hespanhola de todas as cores.
Liem pretas com e sem vidrilho. .
Grande sortimento de bicos matisades e de
urna s cor.
Sabonetes perfumados a 500 rs. a duzia.
Lindos desenlio.- para talagarca.
Grande sortimento de biccos pretos de
seda, algodSo e de 1S com e sera vidri-
lho.
Slantilhas de seda e de algodSo preta3 s
de cor de creme, proprias para moca.
Franjas pretas com e sem vidrilho.
Collarinho para homem a 30000 e 40000
a dnzia.
Bordados de cambraia tapada a 500, 600,
800, 10000, 10200 at 20000 a peca.
dem-com 3 e 1/2 metros, de qualquer
largura, a 10200.
Lencos de linho a 30000 a duzia, em cai-
xinha.
Meias para hemem a 40000 a duaia.
dem para senhora a 40000 a dita.
Grande sortimento de pulceiras ameri-
canas. *;
Cortinados de crothet para cama 120000,
, 170000 190000.
Ditos para janella a 70000.
Guarnieses para cadeira 'j60OOO.
Pannos de croehet para cadeirji a 800 e
woo. ; ,. \
Capellas com veo para noiva a 60000,
80000 e 100000,.. ,.
Panno de cructiot^ pr sof a 20000.
Lindos enxovaes para baptisados a 80000,
100000 e 120000. .
Grande sortimento de luvas finas para se-
nhora a 10500, 20000 e 20500 o par.
dem para menina a 800 e 10000.
Grande sortimento de espartilhos par
moca a 40OOQ, 40500, 50000 e 60000. J
Linha de machina a 700 rs. a duzia.
dem idem-a 60 rs. jijcarritel.
Espartilhos para, crianca a 40000 e 40500.
Toalhas para banbp-a 10500.
dem para.rosto a300 rs.
Babadores eom inscripcao e paisagem a
LOO e a duza*a 40OO. -
Grande sartimeq^-d spelhos finos ovaei
e de canto rddndo a 40000, 50000 e
60000.
Bengallas de flauta n 10500.
103-RUA DUQUE DE CAXIAS103
Barbosa & Santos
Vende-se
o deposito de seceos sito ra da Baixa Vera.
n. 18, e o motivo da venda se dir ao compra-
dor.
V-'


'
os venenos a que me dediquei estudar l
fra, esse o de mais fcil applicajSo
Sjuelle cujo antidoto menos conhe^'do.
or isso dou-lhe o pouco que ro resta.
Use delle com sobriedade, porque na"o po-
der tslvez renovar a pro^isSo.
E depois ?... perguntou o america*
no, afim de dissimular ao seu interlocutor
o mal-estar que o apoquentava.
E' justo, disse o velho. Ainda nao
acabei a minha narrativa.
Voa* continuar. NSo havendo j razUes
para me demorar em Java, embarquei
para Franca* e vim encerrar-me neste ve-
lho palacio, bu5 o nome de Colmar, que,
contesso-lh'o agora, nao o meu.
Qual entSo o seu verdadeiro no;
me, Sr. conde? peguntou o medico com
viracidade.
De Morlac! Um simples anagrama,
como v. Eu contava viver em paz nessa
bairro socegado, suppondo que o meu odio
devia estar satisfeito plenamente. Ah !
Mas nSo contara com a doenca que adqui-
r nessa ilha insalubre. E essa cruel af-.
feccSo infiltrou as minhas veas um novo
fel. O passado reavivou-se na minha me-
moria, e eu reconheci que o que tinh fei-
to era urna brincadeira em compensado
do que tinha Anda para fazer. E'com
effeito, de gum* me vingarei eji ? Do
amante, isto I, do' m'enos'culpado, ^orqua.
elle nada me 3e^ emquanto que a irc ,
Iher adolferaTU. Era castigo sufficiente o
enceEK) aquella a "quem eu condemna-
ra ?... NSo, cem veles dao < como os
muros de um claustro a "protegiam contra
mim, vinguei me os. bastardos Fui a
Mana e foi-me fiaciL encontrar um delles,
que residia ainda >1K !
Paulo Lundi! exclamou, o doutor.
Continuar-a ha) >
Typ. do Diarto, Ra Duque de Caxias n. 42

i(--'m
1


N,
W---M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQYDJ0GQ8_HDONOJ INGEST_TIME 2014-05-29T21:46:07Z PACKAGE AA00011611_18030
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES