Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17981


This item is only available as the following downloads:


Full Text
_____
\V>\
Ai\i\0 L. MJIEISO 144
r
I
rABA A CAPITAL E L161RE 4MDB N&0 E PAGA PORTE.
a*or tres mezes adiantados. .............. 6*000
.....*. 129000
...<< 14H000
.........- '. #3i0
1 ditos idea......
foe am anno idem. .
-Cada aomero avulso ......

PROPRIEOADE DE MANOEL

1
1

:,f] r SABBADO 27 DE JUNHO DE 1874
PARA DE.ITROEFOR1 DA FROVIACIA
For tree mew* adiantados.............
Por sets ditos idem
For note ditos idem .
For am anno idem. .
. .
......
* f

69T50
.....181*00
.....969350
. .- ... ITJOOO
IR0A DE FARIA A FILH0S.
1
Gerardo Antonio AltesA Filhos, no Pari; Gon^ahes d Pinto, no Maranbio; Joaqaim Jose de Olireira d Filho, no Ceari; Antonio da Lemm Brtga, ao> Aracatj ; JoAo MVi* Julio Chares, no Assu; Antonio Marqaes da Silta, Natal ; Jose Justino
Pereira d'Almeida, em Mamangaape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Josd Gomes, faTflla da Penha; Be*armino dos Santos Bulcio, em Santo Antio ; Domingos Jose" da Costa Braga, era Baxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das Alagoai; Alves d C,na Bahia; e Leite, Cerqninho d C. no Rio Janeiro*
PARTE OFHCIAl
re*
serf* do liaaperlo.
it. 5,657d; 3 do corrente, foi con-
j aaaeoibiea (era! ordinaria, proce-
l e**e am is eleiroes dos deputados
provincias.
Em 27 ae bbsm foi nomeada him commis-
aaeorla Aus engenheiros Francisco Ferreira
, Jervwymo Rodrigues de Moraes Jardim e
i Rum da Silva, para apro9entar am
stoaw auni para o alargamen'.o e rectiflcacao de
aria* ram 4a capital do imperic. e para a aber-
un 4* iwa pracas e rus, com o lira de facili-
tara ajwht^ff e ateihorar as condicoes hygieni-
caa,4taaeo-e ao mesmo tempo mais belleza e liar-
aoooes, com instruccao para :
do rnferido piano devera a
__' i conveniencia de liearem as
_i pra.-as, on as qae tiverem de ser
is rectiSeadas, disposta- de modo qae a
-o das casas e o escoamento das aguas
i hJbbi fa*os com facilidade ; e tratara de
e os aovos alinltainentos nao exijam
eat edJArioi pablicos mais imporlan-
i aceaiM particulares de grande valor
*m geral. qoanto for possivel nao pre-
, jtnicc6es existeotes.
O araierto designara a largura das calcadas
aas lalatiin nas novas tuas e pracas, e, e
* *raaugea em serem esses passeios cober-
i areada* on porticos continues a aliura que
i eoareaha. afim de nao impedirera a in-
i a> ar livre e de abnndante luz nas lo-
^eaaaaeaaas.
s-ao indicara quaes as raas oa pra-
__ ser eesde ja abertas oa alargadas
as. aqoellas cojo alargamento e recti-
jai ser feitos a roedida qae se reedifi-
as predtos existeotes, afim de que taes ree-
1 snbordinadas aos novos alioba-
ciagiado-se as presc rip goes da
. estodara e propora todos osme-
__iqae iateressem a salubridade publi-
cj, e. esateculmente, o aterro dos pantanos, cam
ibem |oe proponha as regras essenciaes
i ser aastiradas na construccio dos edi-
do titolo de barao da Penba ao
Jaajo da Souza da Fonseca Costa, em
aos lelevantes services prestados na
Paraguay.
da araeea da Rosa o bacharel Francisco
de Si, petes relevantes servicos que tern
da ordem de S. Bento de Aviz o ca-
Maaoei Anselrao Pereira Gui-
da armada Miguel Antonio
?ec^lo dfc seienetas raodioae da fa
"eaaa do R o de Janeiro o Dr. Joao
e l
h Vinella.
eaacedidas as seguintes pen-oes mn-
ites de appro vac .lo da assemblea ge-
ral :
Be IBI. repartidaraente, as menores Marianna
teariaaa Pinto de Araujo Corroa, Jaciniha Pinto
la Araajo Correa e Antonia Pinto de Araujo Cor-
da, filaas d-i tallecido marechal de campo gra-
4aado larintho Pinto de Araujo Correa.
De '.6*. repartilaraent-'. a D Maria Augusta
Caiaairn da Canha Aranha, D. Rita de Cassia Oar-
a-xj da Caika Aranha e D Anna Carolina Car-
-> da Cnnna Aranha, irrnas do 2* tenentc do
xtr'.'.* Amaai oiympio Caraeiroda Conba Ara-
aha, taBadd!) aa eampanha do Paraguay, em con-
M lasacia de ferimenlo recebido em combate.
niaislcrio Ia justica.
Jecr^ os de 13 do correntc foram removi-
I -. a pedi 11 :
1 ^samMrtridor Francisco da Serra Carneiro,
u : '.". i> d' mttm para is S. Luiz. na tonmr-
.- Ude do art 2- 5 2' do decreto n. 2,3U de 6 de
Jo anno passado.
I :embargadjr Francisco de Assis Bezcrra
i-j Beaezes, da relacao de Bele a para a da For-
irleri m
."n 4* Jireit > Roiu.ilin Francisco de Moura,
iirca J> Aaaa*, de2' eatrancia, na provin-
l Ba Gmads do Rarte, para a do Brejo.de
-faal ea'.ran-ix, na provincia di MaranhSo
O jaii de direito Fernand > Maramense da Cu-
aia, da eomarea d Brejj de 2' entrancia, na pro-
-i%c:i d> Baran'aa), para a do Assu' da me-ma
-oVaacia, ni povincia do Rio Grande do Norte.
BMasaaa, a an podido, o juiz de direito
...iaa Easebio de Aasaaipcao, do cargo de clie-
icu da I las Alagoas.
Foi desifr.ada a eomarea de Santa Maria Mag-
iBteaa, d* entrancia, na provincia do Rio d:
itmrux, para n:!la ter eiercicio o mesmo juiz dc
airaiij Serapii> Basabaa da Assumpcao.
F . L'-tna, para o cargo de chefe de policia da pro
ar-'. das ataaaas.
F -ia Boaeados juizes manicipaes e de or-
. aanUaai Ufas Lima Junior, no termo de
- araiaaa*, na provincia dc Pernmbuco.
O Laraan! Marlinho Cesar da Silveira Garcez,
- .'... s rnnid)j d' Lar i*ni J Sergipe.
0 baehar! Jo-.- Miu)M Freire Juuior, do ter-
- J.- di Parahyba, na provincia de S.
-,-aar I Antonio PeJro Ferreira L'ma, do
larat de T as, na mesma provincia.
O kadur. I Joaquim Roberto de Azevedo Mar-
aa fBko, do terms de Jahu', na mesma pro-
O bacaarH Maaoel Duarte Ferreira Ferro, do
tanas de Itaaai,aa provincia de S. Pedro do Rio-
Uaade do ML
O bachar'd J^io Biplista de Aguiar Bello, do
t'-'on de Uraguiyana, na mesma provincia.
F j, a sen pedido, reformado na effectividade do
Ii i lafaatam di guarda nacional da provincia do
l*iaay, Beaedicto Crescencio Tavernard.
P^-i'se Bi*rce da serventia vitalicia dos officios
ae 2- taaciito e escrivao do crime, civel, execu-
do jory. do terrao de S. Jose de Mipibu", na
pnniaai a d Rio Grande do Norte, a Luiz da Fran-
ai r.'-eiBO a-imeaJo pelo respectivo presidente pa-
fa serrir provisoriamente na forma da le\
Pordeeretos e portarias de 10 c li do cor-
reate :
Prarogoo se por dous mazes com ordenado a li-
mca coucelida ao desembargador da relacao da
F-rtalfn, J^se Nieolao Rigueira Costa.
Fcrammnreados:
** \aite de direito Djmingos Antonio Alves
rteG:;tlo Ferrera deGouvfia Pimentel Bel-
a ajaa.'- de custo de 1:200a e o prazo de qua-
ateaes a eada um.
Ao juiz de direito Alfredo Jose Vieira a ajuda
ae caste de MJOi e o prazo de tres mefes.
Aa jaat de direito Cypriano de Almeida CebrSo
prazo de tres mezes.
Fcraaa deapachados os seguintes reqaerimentos :
ftiairl Romanes de Souza, official-maior da se-
ereUria do tribunal do commercio do Maranhao,
reearreado do de-pachD do inspector da thesoara-
ria de taanda, aegandi pagamento da gratifica-
^iBtaaw lefTetario do mesmo tribunal. -Nio te,m
fagar o ine reoner o sapplicante.
Bacharel Candido Alves Machado, juiz munici-
pal e de orphiioa do termo do Exu', na provincia
de Perikambuco, pedindo remocao.Ao presiden-
ts da provincia, para informar.
Em 17 do cor rente foi publicado o seguinte
decreto :
" Hei por bem declarar qae coatinua a ser con-
sidrada recurso, e nao appellaca> a provocacao'
feita para a relacao do districlo das decisdes aos
conselhos muaicipaes so! re qualificacao de vo-
tantes nos termos do artijo trinta e oilo da lei na-
mere trezentos e oitenta e sete de dezeaove de
agosto de mil oitocentos quarenta e seis, ficando
assim rectificada a disp wicio dos artigos dez, pa-
ragrapho primeiro, numero tereeiro, e cincoeota e
seta, numero segundo, do decreto numero eineo
mil seiscenlos e dezoito de dous de maio do cor-
rente anno. "
Mitaisterio da faxonda.
Por decrelos e titulos de 10 do corrente fo-
ram nomeados, para a thesoararia da Bahia :
Is eseriptiirario, o z Joao Antonio da Silva
Lisboa.
2 dito, o 3* Crato da Silveira Bastos Varella.
3 dito, o 3* da de Pernambuco Pedro Reginal-
do Teixeira.
Para a recebedoria da mesma provincia :
1* escripturario, o 2 Aureliano Augusto de
Souza Brito.
2 dito, o 3 Manoel Ezequiel de Almeida Ga-
leao.
3* dito, o 3 da de Pernambuco, Anisio Cesar
de Oliveira Vianna.
Por titulo de 13 do corrente foi nomeado 3*
escripturario da thesouraria do Pari, o praticante
Jose Alves de Menezes.
Per aviso de 17 entrou para o qnadro do pes-
soal effectivo do thesouro nacional o 2 escriptura-
rio, addido a mesma reparti^ao, Francisco Jose
Rodngues.
Por deeretos de 13 do coi rente foram no-
meados :
1* escripturario do thesouro nacional, o 2* Luiz
Jose Cnrvello.
2 escripturario da alfandega do Ria de Janei-
ro, o 3* Carlos Augusto Cesar Plaisant.
I' escripturario da thesouraria do Para, o 2
Antonio Gon^alves de Barros.
2** escripturarios da mesma thesouraria, os 3'
Luiz Cicero de Magalhaes e Euphrosino Paes de
Azevedo.
Foi aposentado o 2* escripturario da alfandega
do Rio de Janeiro, Jose Manoel de Mascare-
nhas.
iliuistferiet da guerra.
Por decreto de 27 de maio foi declarado de
nenhum effeito o de 31 de margo do corrente
anno, que nomeou professor da 2* cadeira do 1
anno do curso de cavallaria e infanteria da pro-
vincia do Rio Grande do Sul o major do corpo de
engennetros oacnarei Jose Ttiuiue Satgaao, wnfur-
tno rsqnereu.
Por portarias de 12, 13 e 16 do corrente :
Foi demittido do lugar de director da colonia
militar de Jatahy, na provincia do Parana,' o ca-
pitio reformado do exercito Antonio Jose Pinto
Bandeira.
Foi reintegrado Eduardo Carlos Rodrigues de
Vasconcellos, no lugar de praticante da reparticao
fiscal aanexa a secretaria de estado dos negocios
da guerra, que exerceu at6 fevereiro de 1870, em
que foi nomeado para o emprego que nao aceitou,
de almoxarife do arsenal de guerra da provincia
de Malto Grosso.
Foram nomeados alumnos pensionistas de ei-
rurgiae medicina do hospital militar da curte,
Joao de Freitas Rodrigues Braga e Antonio Affonso
Fortuna.
Foram transferidos :
Por portaria de 11 os tenentes Gelasio Ser-
vulo Alves de Araujo e Jo5o Evangelista Leal,
este para o 9 e aquelle para o 10 batalhao de in-
fanteria.
Por portaria de 13, do 8 para o 18 bata-
IhSo de infanteria o alferes Alberto Soares de
Azevedo.
Por portaria de 16, da Oleira para o lugar de
ajudante do 20 batalhao de infanteria, o alferes
liygino Martins de Almeida, em substituicao do al-
feres Joao Antonio da Costa Campos
Por deeretos de 10 :
Concedeu-se a graduacao de marechal de cam-
po, de conformidade com o 2 do art. 22 do re-
gnlamcnto approvado pelo decreto n.772de 31 de
maroo de 1851, ao conscllieiro brigadeiro Henrique
de Beaurepairo Rohan.
Concedeu-se ao maior honorario e capitao re-
formado do exercito, lose Maria da Fortuna Pal-
meiro, a exoneracao que pedio do lugar de pro-
fessor adjunto do curso de cavallaria e infanteria
da provincia do Rio Grande do Sul; sendo por
decreto da mesma data nomeado para substitui-lo
o major do corpo de engenheiros, Antonio Augusto
de Arruda.
Foi reformado em virtude da immediata reso-
lu?ao de 3 tambem do corrente, tomada sobre
consulta doconselho supremo militar, e das
disposi';oe3 do 3 do art. 2 da lei n. 260 do
1 de dezembro de 1811, o alferes da 2* bata-
lhao de infanteria, Antonio Raphael Floquet, visto
achar-se concludentemente provada a su* ma con-
ducta habitual, definida segundo o art. 166 do
codigo penal.
Foi transferido para a companhia de cavallaria
da provincia da Bahia o j:apitao da de Minas
Geraes, Joao da Silva Borbosa, e para esta com-
panhia o capitao daquella, Antonio Bento Mon-
teiro Tourinho.
Foi removido, a seu pedido, do lugar de direc-
tor da fabrica da polvora da Estrella para o de
director do arsenal de guerra da provincia do
Para, o major do corpo de e3tado-maior de 1" clas-
se, Frederico Cavalcanle de Albuquerque.
Concederam-se as honras do posto de coronel
do exercito, na forma da immediata e imperial
resolucao de 3 de abril do anno passado, tomada
sobre consulta do comelho supremo militar, e das
disposicoes do decreto n. i!,158 de 4 de dezembro
de 1872, ao ex-coronel de commissao Joao Bap-
tista de Figueiredo, em attenjSo aos bons servicos
que prestou no exercicio de intendente junto as
forcas em opcrai;oes contra o governo da repu-
blica do Paraguay; e as de major ao ex-major de
commissao, Nelsolympio Jefferson Augusto de Al-
meida Fortuna, tambem cm attencio aos bons ser-
vicos que prestou como r official da reparticao
fiscal das mesmas forces.
Concederam se igualmente, em attencio aos
bons servicos qae prestaram na eampanha do Pa-
raguay, as honras do posto de cirurgiSo do
corpo de saude do exercito ao Dr. Pretestato Ca-
sado Accioli de Lima, e a3 do de capitSo do mes-
mo exercito ao capitao reformado do corpo de
policia da provincia do Rio de Janeiro, Antonio
Augusto Lopes da Costa.
Por portarias:
De 8 do corrente, foi transferido do 15 para o
7 batalhao de infanteria o alferes Silvestre Gon-
calves Pessoa, e do 3' batalhao de artilnaria a pe
para o 2 regimento a cavallo o 1* tenente Frn-
cis^o Julio da Conceicao.
De 9, foi nomeado Joao Jose Fernanies da Ca-
nha para o lugar de amanuense do escriptorio
do ajndante da intendencia da guerra.
Concedeu-se licenca para residirem na provin-
cia do Rio Grande do Sul ao capitio reformado do
exercito, Joaquim Jose Baptista e ao tenente tarn-
*em reformado Justino da Silveira.
De 10, foi classifkado no 1 patalbao de arti-
Z
lharia a pe o 2* tenente Joio Baptista do 0'
Almeida.
De 11, concedeu-se ao major reformado do exer-i
cilo, Luiz Eduardo de Carvalho, a demissao que
pedio do lngar de profess r de gaoraetria do ar-
senal de guerra da provincia do Para.
Nao foram attendidos os segjjintes reos :
Pedro Celesttno dos Santos, soldado do I* bata
lhao de infanteria, c ndemnado, em virtude de
seotenca do conselho saprem > militar de justica
de 28 de junho de 1801, a clnco aonos de prisao
com trabalbo, por haver incorrido na primeira
parte do art. 14 dos de guerra.-Ji ao Azedios Ma-
chado, ex-soldado do exercito, condemnado a pena
de gales perpetuas, em qae foi oommatada a de
morte, pelos crimes de ferimento e morte.
Carne fresca, kilo-
graramo.......
Dita sea-a, idem..
- Arroz, idem.. ..
Fajao, litro......
Toucinho, kilogr..
Varinha de man-
dioca. Mtro.....
Sal, ooeas......
Lenha.. ...*....
Agua.... ......
GENEROS.
1* especic........
2" dita..........
Termo medio------
Forragens pari a
companhia de
cavallaria.
Capim, inoiho....
Milhn, litro......
vai.o a
DOSC1K-
NEROS.
74030 54800 34505 101500 134220 459.5 229.52 1*4.76 0.226 57.38
5400') 0.9 1/16 4/100
4483
44*7
4228
34256
OL'iNTI-
DAOE.
940
v&
ESPEC1ES
!.
4220
4
4C27
4
4051
4135
AO05
4023
4020
4483
4
4090
4
4131
4051
4135
4005
4025
4020
4437
4470
4570
4430
1000
de
0
- Contadoria di thesouraria de fazenda
Pernambuco, 3 de junhode 1874.
contador, Raymuulo Joao dos.Reis.
Conforme.0 1 escripturario, servindo
de secretario, Cofot Joao de. Souza Cor-
reia. *
Conforme.0 oftcial-maior Luiz
sar Moscoso da Yeitfl Pes$oa.
Sala-
EXTERIOR.
Miuiaterlo da agricultura.
Por portaria de 13 do corrente, foi nomeado
Jose Barbalho (Jchda Cavalcante, engenheiro da 2*
classe da e;trada de ferro D. Pedro II.
Mittisierlo da tuarinha.
Por decreto de 13 do corrente foi exonerado,
a seu pedido, o chefe de esqaadra barao de Angra
do lugar de inspector do arsenal de marinha da
corte.
Por decreto de 6 foi demittido Jose Jaeictho
de Carvalho, do lugar de secretario da inspeccio
do arsenal de marinha de Matto-Grosso ; e por
decreto di mesma data, nomeado Francisco da
Trindade Pinto para igaal emprego no arsenal de
marinha do Ladario.
Por deeretos de 10 :
Foram reformados os capities de fragata Cy-
priano de Azevedo Thompson e Joio Paolo da
Costa Netto no posto e com o soldo de eapitao de
mar e guerra ; o machinista de 1' elasse, 2* te-
nente graduado Guilherme Briuckman, com a
mesma graduacao e percebendo por inteiro o soldo
da classe em qae se achava.
Foi transferido da pafa a t" classe do corpo
da armada o tenente Joao Henrique de Carva
Iho Mello.
Por portarias de 6, 8 e 10 do corrente, foram
nomeados :
Os 1" tenentes da armada Affonso Estevao Ednar
do Martins e Francisco Pinto de Novae*, para ter-
vir de ajudante de ordens do commandante em
chefe da forca naval estacionada no Paraguay e
Matto-Grosso.
Antonio Marcelino de Sam'Anna, guardiao do
corpo de offliiaes marinheiro?! para servir intert-
namente o lugar de patrao-mor da provincia do
Gears.
Joaqaim Jose de Carvalho Siqueira Varejao para
o lug r de desenhador do arsenal de marinha da
provincia de Pernaratraco.
Ministerio tie estrangelros.
No dia 6 do corrente, a tarde, foi recebido pr
s. u. o imparadnr, no paQO de S. ChristovSo, em
audiencia particular de desnedida. S. Exe. monse
nhorD. Dominico Sanguigm, que ao achava acredi-
tado nesta corte como.internuncio apostolico e en-
viado extraordinario pontificio.e que ibi^chamado a imentos com que elle, do Paraguay,
desempenhar outras fuucc38s. conveniencia da celebracao do tratado definitivade
Ate a chegada do novo internnncio fica acredi- iiimites pelo Pilcomayo, parece que e destinado a
tado como encarregado de negocios da santa se, o preparar o espirito publico em favor da renuncia
auditor da internunciatura monsenhor D. Miguel eompleta do territorio que d'aquelle rio se estende
Ferrini. a Bahia Negra, ao que este governo talvez se re-
Por decreto n. 5,6c7 de 6 do corrente foi pro- signe por ora, 3e nisso insistir o Brasil com ener-
mulgado o accordo substitutivo do art. 35 e 2*, gja e firmeza.
3 e 4* do art. 29 do tratado de amizade, commer- Procedeuse hontem nesti republica a eleicao
cio e navegar^ao celebrado entre o Brasil e a repu- 'do presidente e vice-presidente da nscao. Em
2,300 barricas.
1,300
1,720
1,886
se retalhou uraa pe-
Carrcapondencla da Diario de
PeraamtRieo.
BuRNOS-Anas, 14 br jlniio os 1874.
Na Tribune de 3 do corcnte appareceu am
artigo editorial sobre aa negouac5es do general
Mitre no Paraguay, acensando t de falta de fran-
aatsa, quanto ao pensamento e iatenc5es com qae
aeaignou os limites argeatinos no tratado de alliaa-
ca, tendo entao em meote, como presidente da re-
publica, qae esies Unites se fixariam no Chaco
pelo Pilcomayo, e ignil falta nas occasides em que
por este governo fri consul tado a tal respelto, e
rndo celeorou o accordo de 19 de novembro;
ue reialtou j* divergencia entre o ministro das
reUfoes extefrtres e o plenipotenciario argentino,
unts assim eollocou a republica em uma itua peior do que estava antes das snas naaoeiacSes.
Esse artigo, censarando o procedimento do ge-
neral Mitre, sera comtudo refutar os fortes argu-
sustentou a
blica do Paraguay em 18 de Janeiro de 1872.
Governo da provincia.
DESPACHOS DA PBESIDENC.IA, DO DIA 25 DE JUNHO
DE 1874.
Antonio Carlos Pereira.Inforrno o Sr.
brigadeira commandante das armas.
Antonio Ferreira de Oliveira.Passe por- construccao de um grande passeio publico em Pa-
Baenos-Ayres os eleitores votarain unanimeraente
para o primeiro cargo no general Mitre e para o
segundo no Dr. J. Torrent. Nas provincias de
Mendoza, S. Luiz, Cordova, Eotre-Rios e Santa Fe,
os eleitores votaram por unanimiiade no Dr. Avel-
laneda para presidente e no Dr. Mariano Acosta
para vice-presidente. Por ora ainda se ignora o
resultado do escrutinlo das outras provincias.
Ja foi approvado pelo congresso argentino o
projecto apresentado pelo governo auctorisando a
Borges. Nao
tana.
Antonio Machado Pereira Vianna Junior.
Sim.
Anna Joaquina de Castro Lins. Deferido,
com olficio cbsta data dirigido d thesoura-
ria de fazenda.
Atnancio Antonio dos Santos.Informo o
Sr. director da instrucgao publics.
Arsenio Affonso Pereira
p6de tor lugar a nomeagao do supplicanto
para Gamellcira.
Candida Maria da Conceicjao.Indeferido.
Carolina da Cunha Ferreira Baltar.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Fielden Brothers.Deferido, com officio
desta data a thesouraria provincial.
Irmandade de Nossa Senhora da Soledade
da igreja do Livramento desta cidade. In-
formo o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
Jose Lopes Da vim.Sim.
Joao Simao de Almeida.-Passe portaria,
na forma requerida.
Manoel Thome do Amaral e Mello.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
Conego Simao de Azevedo Campos.
De-se.
Sebastiao Jose do Rego Barroto.Deferi-
do quanto a um dos menores, com officio
desta data ao regedor do Gymn.tsio, para
admittir, hav'endo vaga.
Comnaaudo das armasu
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMBUCO, EM 20 DE JUNHO DE
1874.
Ordem do dia n. 831. -
lermo, o qual se denominara parque de 3 de fe-
vereiro.
Consta-nos que brevemente deverao comecar as
respectivas obras, para as quaes ji se estao fazen-
do os estuios necessarios.
Foi preso ultimamente nesta cidade, quando
desembarcava vindo do Paraguay, um italiano cha-
mado Julio Sachi, fugido de Assumpcao por ter
alii assassinado a um francez, e que segundo cons-
ta de indagacoes policiaos 6 um dos mdividuos
mais complic'ados no attentado que teve lugar o
anno passado contra a vida do Sr. Sarmiento.
Com a captura de Sachi e de presumir que os
juizes encarregados do procesto possam agora
mais facilmente de3cobrir toda a verdade, que com
a morte do Segabrugo em Montevideo permanecia
rodeada de simbras impenctraveis.
0 empregado do commissariado da guerra,
que ha dous raezes fugio d'aqui roubando uma
grande soraraa de dinheiro, foi preso em G.enova,
a requi3icao do consul argentino.
Havenlo tratado de extradigao entre a Italia e
esta republica, o governo d'aquelle paiz pedio os
documento3 necessarios para ser concedida a en-
trega do criminoso.
No dia 2, a urtia hora da tarde, manifestou se
incendio em am deposito de gazolini, situado Da
rua do Uruguay esquina da de Arenales.
Todo o edificio,as3im como o material nelle exis-
tente foi eimpletaraente devorado pelas cuammas,
sendo calculados os prejuizos era 8:000 pesos
fortes. ., ....
A Verdad, jornal dedicado ao partido mitrista
ces30u a saa publicagao no flm do mez de maio,
passando os seus redactores a escroverem para a
Libertad. ... ,
Deixou tambem de ser publicado o Universal,
diario da tarde.
Corre o boato de que a provincia de Lntra-
Rios sera novamente agitada por uma rebelliao
jordanista.
Dizem que o Sr. Sarmiento on o ministro da
guerra viram uma carta de Lopez Jordan, inter-
ceptada ultimamente, era que o dito caudilho as
segara qae brevenente se pora era eampanha
para libertar a provincia de Entre Rios.
Parece corroborar tae3 boatos o ter ante hontem
partido desta capital com destino is aguas do Uru-
Saay o vapor de guerra Papon, levanao a seu bor-
o am batalhao de linha, e assegorar-so que o go-
0 brigadeiro commandante das armas faz pu verno nacional expedio ordem ao governador de
blicar para conhecimento da guarniijao, e devidoj Entre-Rios para premier tolos os jordaaistas que
effeito, a tabelia do valor da etapa para a tropa de/^e encontrera naqaella provincia.
linha, e daforragem para a cavalnada da companhia
de cavalharia desta provincia, no semestre a decor-
rer de julho a dezembro do presente anno, appro-
vada provisoriamentc pela presidencia na data de
25jd-ste mez.
(Assignado.) Manoel da Cunha Wander ley
bins.
Conforme.0 major Jose Bonifacio dos Santos
ilergulhao, ajudante de ordens encarregado do
detalhe.
Approvo provisoriamentc Palacio da
presidencia de Pernambuco, 25 de junho
de 1874.Lucena.
Tabella da avaliacao da etapa e forragem,
que tem de ser paga a tropa de linha 6
guarda nacional destacada, durante o se-
mestre de julho a dezembro de 1874, or-
ganisada de accordo com a tabella de 24
de setembro de 1828.
Pelos vapores Reebece dowel eCurser proee-
dentesde Nova-York, recebeu o ministerio da
guerra 1,120 espiogardas Remington.
Nos tres primeiros mezes do corrente anno
entraram na capital argentina 26,928 immigran-
tes.
Ao senado argentino foi presente a conven-
cao sanitaria celebrada com o governo impe-
rial. ^ .
0 ministro argentino em Pans coraraunicara
qae os encouracados que por ordem do seu go-
verno estao sendo construidos na Europa, acham-
se quasi promptos, e talvez cheguem ao Rio da
Prata no proximo mez de julho. Sao quatro ca-
nhoneiras, costando 21,000 libras cada uma.
0 governo argentino resolveu nomear D.
Carlos Calvo seu representante no congrwo de
sciancias geograpbicas e naturaes que se reunira
brevemente em Paris.
-.pyre *!* uiuma hora, que a apuracao do
,dta II u ^aioria ao Dr. Avellaneda, como geral-
I roente se eiperava. As folhas que vimos, porem,
>: apenas dlo como positiva a eleigao do general Mi-
tre por 33 eleitores em Buenos-Ayres.
Foi eseolhido senador por Buenos-Axres D.
Dardo Rocha, corn quem competio o Dr. Carlos Te-
jedor, ministro dos negoeios estrangeiros.
Noticiam as folhas d'aqui que o governo ar-
gentino comprou em Londres quatro canhoes
de aco.
Passemos a parte commercial.
A situagao geral da praca de Buenos-Ayres con-
tinua pouco satisfactoria.
A paralysacao do mercado de importagao adqui-
re cada dia maiores proporc3e3. As vendas em
geral teem sido limitadissimas e a maior parte dos
generos vao aoffrendo declinacao no3 pretos.
A pouca procura para os portos dos rios, o
avan^amento da esta^ao do inverno, a crilka situa-
cio politica do paiz, e outras causas qua teraos
apontado, nJo fazem esperar uma prompta e favo-
ravel reacclo.
Os descontos e os cmbios continuam no mes-
mo.
Quanto ao assucar de Pernambuco, enraram os
seguintes carregamentos :
Pelo Nueoa Mariana
< Mercedita
a S. Luiz
a Cacobalao
Do primeiro carregamento
Juena parte. O segundo e o tereeiro foram ven-
idos em uma so mao por preco reservado, haven-
do-se revendido da raaneira seguinte : 130 barri-
cas a bordo, a 16 reaes fortes a a r rob a do branco
de I* sorte, 15 do de 2", 14 o someno* e 12 o mas-
cavado, e o res to a 60 pesos a arroba do branco
de (* sorte.oi osomenos e 48 o mascavado.
0 mercado fica mui calmo e sem nenhuma pro-
cura.
II
Do Estado Oriental teraos noticias ate hontem.
Foi nomeado ministro das relates exteriores
o Dr. Perez Gomar.
A Tribuna publicou a resposta do poder exe-
cutivo a advertencia da camara dos representan-
tes; e um extenso documento que conclue por de-
clarar o governo qae jalgou obrar dentro da es-
phera de saa accio e por isso raantem os actos
Sae moUvaram a censura da camara, submetten-
o-se, entretanto, a algutna nova resolocao que a
assemblea geral tomar sobre o assampto.
Foram levadas tambem ao conhecimento da ca-
mara as bases do emprestimo qae o Dr. Perez Go-
mar trouxera ultimamente de Londres. Em sessio
secreta a camara tomoa em consideracao este as
sumpto, e d;pois de eonhecidas as bases propostas
para realisacao do emprestimo, resolveu qae a res-
pectiva fosse publica.
0 emprestimo alludido sera emittido pela casa
G. Thomson, J. Broner & C, por conU da republi-
ca oriental, com juro de 6 0|0 annual pagavel se-
mestralmente em 1 de fevereiro e 1 de agosto de
cada nn/\t ^ ttara autftri^ado com um foilUO d6 1
0(0 annual no principio e de 3 0(0 annual, depois
dos cinco primeiros annos. 0 typo minimum do
emprestimo sera de 73 0(0. *
Segundo calcula a Tribuna, o pre^o da emissao
ficaria reduziio a 63, nao deduzida ainda a com-
missao.
Os tratidos de paz, amisade, commercio e nav-e-
gacao e de extradicao de criminosos, celebrados
com o Paraguay, haviara sido submetidos pelo
governo a approvagao do corpo legislativo.
Foi recebido pelo presidente da republica em
audiencia solerane o Sr. Hoffer Holfenfelsr, encar-
regado dos negocios da Austria-Hungria.
No dia 4 inaugurou-se a ultima esta^ao do
telegrapho platino-brasileiro denominada Santa
Rosa, ficando em communicacao com a capital da
republica.
Por causa do forte vento e abundante chnva
que reinou em Montevideo, na noite de 3 do cor-
rente, desmoronou se uraa casa do tres andares
que se estava construindo ni praija de Caganclia.
Nao houve felizmente desgraca alguraa a la-
raentar.
Falleceu no dia 8, o coronel Gonzalez Machin,
uma das glorias do exercito oriental.
0 seu enterro foi muito concorrido, assistindo a
elle 33 principaes autoridade3 do p iz.
Com a epigrapue -attmtaios inauditos, no-
ticia o seguinte a Tribuna de Montevideo :
c Temos conhecimento de varios attentados com-
raettidos em Tacuarembo e Rivera, de que foi vic-
tima o Sr. bispo de Megara, actualmente alii em
missSes.
0 Sr. bispo ia acompanhado de ura pregador,
o qual parece queerapregou algumas phrases in-
discretas em seus sermoes.
o bso bastou para que o Sr. bispo fosse victims
ds manifestacoes hostis e grosseiras, arrancando-
so as cruzes do3 lugares em que tinham sido col-
locadas e fazendo-se torpes profana^Ses.
t Em Rivera foi peior o negocio, pois S. Exe.
Rvma. foi insultado mesmo na igreja, d'onde se
vio obrigado a sahir.
III
Do Paraguay as noticias que ha, sao as seguin-
tes:
0 general Serrano chegou a A3sumpclo de re-
gresso de sua excursao aos departamentos.
0 governo mandara agradecer-lhe os servicos
prestados na pacificacao da eampanha.
No dia 21 do corrente, devia procederse a elei-
cao do presidente e vic9-presidente da republica :
aquelle cargo era candidato o ministro do interior
Juan B. Gill.
Noticia o Standard, de Buenos-Ayre*. que foi
vendida a James Sowry e Samuel Haycroft a pro
priedade Varella, no Paraguay, a qual tem 70 le
guas de extensio e abrange um departamento e
metade ''e outro e flea cerca jle 17 leguas distan-
te de Assumpcao na direccao de Villa Rica ; passa
por este territorio o Tebicuary.
Das repuWicas do Pacifico e da America Cen-
tral teraos noticias telegraphicas de Valparaizo ate
9 do corrente.
No Chile, dizem os jornaes, que a Republica
Argentina concordoa em que a questSo da Patago-
nia seja rosolvida por raeio de arbitramento, jul-
gando se ser isto em parte devido ao frustramento
das esperancas da fallada allianca com a Bolivia,
por ter morrido o presidente Ballivian, que como
se sabe, para.ella muito propendia.
No dia teve lugar a abertura solerane do
congresso chileno, lendo o presidente da republica
uma iraportantc e bem elaborada mensagem, da
qual extrahimo3 os seguintes trechos mais inleres-
santes:
0 anno que acaba de terminar para a vida
politica da republica, importa uma novi pagina
aggregada a nistoria de seus progressos. Nossas
instilui?oes se teem robustecido, nosso credito se
tem aagmentado, e a Iiberdade e o direito se vao
arraigando cada vez mais em tolas a3 espheras da
actividade social. Nossas relacSes internacionaes
se continuam cultivando leal e amistosameote.
Espero que um accordo proximo e reciproca-
mente satisfactorio pora termo as questSes que na
aclualidade sustentamos com a Bolivia e a Repu
blica Argentina. Esta esperanga e tanto mais jus-
ta e fundada, porque em ultimo resultado nos li-
mitaremos a pedir a fiel e literal execu?ao dos pac-
tos internacionaes que empenharatn solemnemeu-
e a fe e a, fcunra dos tres povos irm|os.
pesos, dos quaes 3,249:893 correspondent a ohms
que se executant em virtude de leis especlaes e
com recursos extraordinarios que nellas se conce-
dem.
0 total do commercio em 1873 foi de 76,736:098
pesos, o que da um accrescimo de cerca de cinco
milhoes sobre o anno de 1872.
< Os trabalhos para a exposicao ioternacional
que se deve abrir em 16 de setembro de 1873, se
encontram mui avan$ados, e os convites feitos aos
paizes com quem manteraos relacoes comraerci aes*,
foram favoravelmente aceitos.
a As grandes construc(oes que se fazem para a
referida exposicjo estario opportunaraente terrai-
nadas, e sendo de ura caracter^solido, poderao de-
pois serem destinadas para outros fins.
Era Valparaizo, na noite de 3, desmoronou-
se o monte da Conception sobre o edificio da ty-
pographia do Mercurio, ficando inutilisado quasi
todo o material da mesma.
0 Mercurio esta se pnblicando em formato ma-
nor ate que se iostalle a typographia em outra
casa.
Na serra de Atacama descobrio-se uma im-
portante mina de ouro.
No Perti, foi recebido offlcialmente o Sr. Do-
minguez, miniitro plenipotenciario argentino, pro-
fenndo-se os discursos do estylo.
Era Cnzco e Arequipa eslalaram movimentos
revolucionarios, dirigidos por chefes do exercito,
com o lim de derrnbar o governo.
Arabos feram sultocados com um curto tiroteio
das tropas, sendo presos muito* rebeldes.
Os trabalhadores da estradade ferro de Cuz-
co se sublevarara e assassinaram aos engenheiros
depois de terem saqueado a eaixa da empreza.
Distribuidos em quadrilhas estao agora violand .
domicllios, astassinaodo e roubando impanemente.
Tomaram se providenci.a paraprendel-os e cas-
tigalos.
Em Lima quebrou com o capital de 2 milhdes
e meio de soles a respeitavei casa Saracondegni c\'
C, que arrastou outro* negociantes mais, alar-
mando fortementc ao commercio daquella praca.
Na Bolivia, tratava-se de levantar uma sabs-
cripcao, aiim de se comprar uma casa pira ser
offerecida a viuva e filhos do ex-presidente Bal-
livian.
A America Central esta agora um pouco
mais pacificada, e falla-se de uma reuniao dos
presidentes dos estados centro-americanos, promo-
vida em Puntarenas pelos ministros da loglaterra
e dos Estados-Unidos.
Em Gnatemala, o governo continua fazendo
rfeormas importantes. Abolio o dizimo e as ins-
tituicoes raonasticas, desamortis;u os bens da igre-
ja, decretou a tolerancia religiosa, determinoa qae
os ecclesiasticos se vistam como todos os cidadaos
e linalmente acabou cora os velhos.collegios, snbs-
tituindo-os com estabelecimentos de ensino mo-
demo.
Na mesma republica, no lugar denominado
S. Jose, o Sr. Magee, vice consul inglez, foi castiga-
do barbaramente com 200 acoitas, qae Ihe mandoa
dar o commandante Gonzalez. As tropas do go-
verno chegaram no dia seguinte e imp&dlram qae
se renovasse semelhante castigo.
0 commandante havia dado ordem para fuzilar
Magee, mas 03 soldados recusaram obedecel-o.
Gonzalez tentou depois escaparse a bordo do vapor
Arizona, porem sendo rechacado e fendo pelos
passageiro3, foi em seguida "capturado pelas tro-
pas.
Os candidatos a presidencia da Bolivia sao os
Drs. Frias e Corral e o general Quevedo.
No Chile falleceu D. Pedro Felix Vicuna,
senador e cseripto- notavel.
De S. Salvador, Nicaragua e Costa Rica ha
noticias. mas sera importancia. Apenas lemos qae
cm Masaya (Nicaragua) deu-se um incendio que
deixou sera abrigo 130 familia3.
INTERIOR.
o 0 total das rendas publicas hm 1873, foi de
15,392:337 pesos, superior a da 1872 era......
1,349:269 pesos.
RIO DE JANEIRO
11 DE JU.NHO DE 1874.
Hontem a camara do3 depatados occupiu-se
com a discussao do requerimento do Sr. Martinho
de Campo, sapresentado na sessao de 8 do corren-
te, na qual tomaram parte os Srs. Paulino de
Souza, Martinho Campos, Cardozo Janior e Diogo
de Vasconcellos, sendo o mesmo requeriment.)
approvado.
Em segundo approvou. sem debate, em 3 dis-
cussao, o projecto n. 17 deste anno, que concede
um anno de licenca com os respectivos venci-
mentos ao chefe de"seccao da alfandega de Per-
nambuco Dr. Luiz de Carvalho Paes de Andrade,
com diversas emendas.
Passando a segunda parte da ordem do dia,
continuou a V dlscussio do projecto n. 18 do
anno corrente, llxando a forca naval para 1873 a
1870.
Oraram os Srs Cardoso Junior, Luiz Carlos,
ministro da marinha e Ignacio Martins, ticando a
discussao adiada pela hora.
- 13-
A camara dos deputades, hontem, rejeitou sem
debate o seguinte requerimento :
, Requeiro que se peca ao governo copia d.^
convenio sanitario celebrado em Montevideo, e
de todas as informacoes relativas ao assumpto.
Em 11 de maio de 1874. Araujo Goes
Junior.
Approvou em seguida, em uma so discusssao, o
projecto n. 512, do anno passado, qua aulorisa
o governo a mandar admittir a exame vago das
materias do 2' anno da faculdado da direito do
Recife o estudante, Joao Augusto de Albuquerque
Maranhao, com diversas emendas.
Qccupou-se depois com a 2* discussSo do pro-
jecto n. 511, de 1873, raaadando reorganisar o
Institute dos Meninos Cegos, ao qual foi offerecido
um substi'uitivo.
Depois de algumas observances dos Srs. Ignacio
Martins e GusmSo Lobo, foi approvado o seguinte
requerimento :
a Requeiro que seja adiada a discussio, ate que
impresso o projecto substitutivo e publicado err.
avulso, possa entrar na crdem do3 trabalhos.
Gtismao Lobo.
Approvou em 2" discussao o projecto n. 300, de
1873, que releva D. Maria da Gloria Barre'.o de
Albuquerque Pinto do pagimento do alcance em
que fleou s.eu finado marido como fiador de Esta-
nislao Jose de Freitas.
Approvou tambem em 3 discussao o projecto
n. 370, anno Undo, concedendo duas lotenas para
conclusao das obras da matriz de fcanto Amaro,
na provincia do Sergipe, eorn diversas emendas.
Passou depois a 3' discussSo do projeeto n.
312, de 1873, que autorisa a creacao de uraa es-
cola de marinha, na provincia do Para.
Oraram os Srs. Martinho Campos e ministro da
marinha. fjeando a discussao adiada pela hora.
Por ultimo continuou a 2 discussao do projec-
to n. 18. deste anno, que fixa a forca naval para
Oraram os Srs. Balbino da Cunha, Luiz Carlos,
Arauji Lima e Tarqainio de Souza, ticando tam-
bem adiada pela hora esta discussao.
14
Hontem, na camara dos dep'imdos o Sr. Marli-
nho Campos fundamentou o gegainte reqaeri.
raento : .
*
!
Requeiro que os orcamentos entrem em dis-
At despair em 1873 joram de 17,06o.301 leussis todependentemente do parecer das respec-

__-----


rTt
K81 3(J Oil/. \\ M\ TS 0UA8ailia" T-*-
n forma dosjrp.;^f iTO*
i fi-aiff'inn de mosiuo regimcnto.
i If 4e laoho de 187). Martinko Cunt
Km
Onm Sri Delphini Cintra. Paulino de
i c jtfrtqr#o imperio.
few ogotado o tempo marcado pelo re-
> esta discussao, e ten Ju a cainara de
r a orient 4o dip*--* Sr. Ifcirtinho Campos
, toi aporowia, ufjiocia para e4a'.muaeao
Orarasa mais o*rs. Caaka Ffcueired Juainr,
Iraqi* Gojs loafer. Martial Campos, Duaue-
!>ora4a Ttueka, Icnritnea, Pereira da Siva,
Sin** lanins oParreira Vianaa, licaudo a Bis
It -
ramara dos oVputtdos foi apresen-
itetBella
nia dwec
laeio ao St. presicVnia do
. para coja drseossio foi de:lgnxdo o dfa
I* 4a aomoU. as t boras da tarJe :
i o Sr. atiaistro da fazenda sobre os
~fjBia*f pootos : ______
Em qae leT nriJeu se S. Etc. ran Inva
r a jarhKbcraa do peder judicial e dividir a
~ i is pruprieJade qne se agita entre urn
e a camara municipal de I'urto Ale
*r-, scare os terrenes do Camumo Noyo.
t* Se S. Ext ordeoou, e so-nao orJenoa, se
i procediraento qne aeaha de tr o pre
i da prnvjocia do Ilio Graodo do Sul, man-
sareader a icclo dos tribonaes e levan-
laaie eenfKto eem o poder jodiciario, qua toma-
ns. lerreaos. Silteira Marlins.
aa rJon do dia, e sendo approvado
l> do St. Araujo G6is Junior, pe
i> 4ispensa de membro das ! a aaemMeas provineiaes, a camara
! c*!n a oisewssao do paecer da com-
i.~sa 4* c >n-titat$a6 e poderes, quo mauda an
- iUar a elfi(i.-i qne a II de setembro -do .anno
.. io teve lagar aa parochia do S. Jose dos
"rair-
trraw tf S-s.S.|-eira Marlins, Freitas Henri-
400*. Eufrax Ctnvia e Martiobo Campos ; fi
niiad aeasoia adiada pela hora.
- 17
Sa camara 4os deouudos, hontom. o ;t. presi-
4t-jas aam'-ia lira as eoramissd>s de di| limacia,
irnacab e assembeas proviniiie>, respectiva-
mar. as Sr-. Utdrigo Silva, Caiiiilo Murta t
i 4fM Beaio.
Em tegaiaa 'reopou-fe a camara com a coali-
a> da 4iru*ao do parece. da conamissao dj
i e aideres, qu'* mania annullar a e!ei-
>a piroctiia de S. Jjse doi Pinlnes que tevr
?^*r a IV c -i:ai>r d) anno (in lo. DepiU de
dftai: *b*erv.vfci dos Sri. J>se (^Imon, Mirti-
Caai; t*jmrtmcii>:
Raas4-v> qae o pr j.-'-.o v.ill- i commisslo
4* ru:ai;i p>l>re<, ilim de cumprir se a
re* 4a$io 4a cainara dos Su. HepoU-sos de 22 da
ioaaa 4^ IS7I, lamada fobre parecer da c immis-
-i 4' p ',.-u J*- 13 do rnesmo mez e anil). i^;;i
! Ac iaaa, i I87i. -lute Oalm vi. o
pprTa aaaii :
Um 3 dkcossao o project-) a. 3-JJ de 1873, dis-
"-.-tali o laps i de tempo era irae incorreu ii.
3a.i I-aLel de Aa trade C. - sjJdi 4e sea ont-lo ma*i lo o nlferaa Leo-
: Jltaj Vcaanrio H moral j da Cosia, com diversas
iwtai.
Kaa 3.' d.ta o projecto n 300 do anno passado,
(*? reicva a vtu-a do oroael Trisli Jose Pintn,
*> P^iacnla que ihe c exigido pej* !i iiira pjr
Hto je?l4a ao pagador da pagaduria centra! do
** tf-aal; di Sal, E-Uuidao Jose de Freilas.
-" i" diii o projecto a. IS dcstu anno, q le lixa
a Hival para 18/o .a 1870, com u seguiote
i antiri-ado a fear, desae ja. uma
'^iu.< de a r.:.-. lizes mi'inlieiros n.i eijude
4e lCiio, 9este!aa:ite as pie exiitem etnnntrasJ
- m. Eai 9 ie janbo de !87i. -
-Dr .! T i .'.- ir -5.Wal Pinto.
**< : ** a camara com a i. dis-
.-> o proj-^r!-. n. 19 de 1874, quo fixa a furca
3e Jer^a para 1875 a 1876
. ih >rs. Brusqne, raini>tr) da guerra,
lieaaae^ Traio, Escragn lie Taunay e Dtiqne Ss
trala Tetxeira, ficando a discussaJ adiada pela
- 18 -
.*. laaara 3o= d'puTalis, hontem, ocjnpoa-?e
* i anc da ordem do dia com a continuarao
>-i li projef.3 n. 511 do anno flndo
* erjfaJa ubst.!jiira das commissues reunidas
a fazeuli. nitonsando o go-
wrao a reorgaaisar a impcn -1 inslituto dos meni-
mi rrpm lesta rdrte.
raai '"'Mi* a di*-ao adiada.
u aprpsea'idas as segcintes emendas :
Eenla sahrtitntiva do art. I." e sea; narac-
sonffanj m* maiorfa d, do^kW^ ?!#faWs'aW*-tor(;. ao pair-aid* S*
'"*Jl:?-1 .....BB9l MAi?*K*>1*Ali: n Hio GrAi le o Sr.
Foi da re.cusa. do tlla-tre cx^presi4erite Jarf^; tU*A*M..aiv mara, qae nasceu a idea, sOgjenda segandl aa dactjOres a Edw tto Sei; 0 abastado pro^n
dn, pelo mrfsmo sr. Leaidro,- de* ser'aprtsenOfff? ZeteYmolt*r?Srfciro ; 6 o gabJito portuguei
some do St. Paulino -em opposiejio a do can- de Man ><.
S0Jitava_ooiiio co
vaoom
^irfiifflaes .m
in de oar aqu<
aonifaistrti do
didalo dogiverao, por
certa, que entro os oaput
toi baveria que ale deii
prova de deferencia #esso!
perio.de 16 de jufto.
Sahioilies, parero, o tiro D|la culatra ;
f eto, com quanlo os desoonaertas.: bhstaute
tnomento, nera por Isso c s fet deMBkntr.
Poucos dias depoi9, em aceor9o -oii os libe-
raes, apres9aram se em apoiar com'tofo
titn requenmeuto apresentado pelo Sr. Mirtii
de Campos, pedindo jue f -s-e dadi pafa n
do dia a discussao do orcajnenlo., jndep
do parccer e projeelo da lisp^dpM cqfl
Levantoa-se animado dot at*, qn3 ab|
sesjao inti'ira, a qual licou perdida par;
vcfno, fnas ganha para a opposicao, cnta pro
po?ito 6 fazer pordrr o tempo.
No correr da disea*sao teve o Sr. Joe Bjnto
Junior de, na qualidade de membro da commissao
a qual se compfc de 9 dfputadw, ar,*gyfha?
explicac/ies c declarar o motivo porqua aceitava.o
requerimento ; e, de passagem, dl?se qtre eTaTr
muito justilicaveis.e sobies os mol^vos que teve
para separar-se do gov rno, e qua se'tinna eons-
^ragimento de lavar a ropi suja, aSo e/a por
si, mas sim por cau.a daquelles com quern es"
tivera ate" ultimamenie unido. Provocado pelo
Sr mioisiro do imperio para jue se expHcflsse e
niio guarda*se nenhuma reserva, declafi em
aparte que nSo se referia a S. Exc. o quo- em
oceaMao opportuna se explicaria.
Alludira o illustre deputado de Peruambaco
aos sous companheiros de deputaeao com os
qaaen vivera ligado, votando no mesmo sentido?
SJAs promettiaas explicagSes no-lo dirao.
B por toear nessn incidente oieorrido com o Sr.
Kigaeiredo Junior, dir-Jhe hei quo aao.tsobo gos-
tadodo mode porquea Ntiglo o tern apreciado.
Ref rindo se a asseveracao qua fizera aqoelle
Jeputido de quo nun?a pedira msAi *os minfs-
tros psra votar, dise essa foiha :
0 Sr. Jose Beolo Junior Uedaroa qtte
quanto aeompanhou o gabinete naoc'Ostnmiva ir
pedir senha aos ministro?. Nao pedis senha, e ver-
da le, e ate me?mo votava quasi sempro contra o
gabinete no e^crutinios secre'.os. mas peJia aos
ministros tin milhao de cousas, posslveis e US'
possiveis, e levava a atrasa-los dia e noite m suas
casas e nos corredores das camara?
Poucof ou muilos que sejam os pedidos feitos ao
governo por um deputado amigo, nao epor certo
o jornal, que o publico reputa sabidordo que se
passa no intimo da admioistracao, ^ue- o deve
rerelar, depois que o deputado por motiTOs de iue
so e'le deve ser o juiz, re:ira o seu apoio ao gabi-
nete.
A 'Nirao, pois, nao procede tott o deUlo- 'crtte-
no, tr.itando por e3se modo aog que ate* vwpera
qualifica Je araigos.
1874
Hioiamwi .j o/ysA
iram para P-rnambucW*TH7, o brigne
e a 18. a galera pWrfijpjfeta
pn APS
' *i Carmo da Hs 6 fav0
&W^WP\&Mi9,4*YS&m Wilifi VJeram.sepequenaspartidas do Rio
aw o sopertor e aIfliv re^ihr.
I he*-a* -"fplwo-Ude^-------
"S~
uv
= -. ..pr-.vjdan de;nto de 12 de setembro
4e Ie5i. |*e creou o in>iituto dos meninos ce-
- --
m 17 dejaibo de I87i.Aranp Lima, n
da a laaeli do sab^'.itutivo das com-
Qa4e Mlm?stra de trabalhos dasaluranas,
a4.- Oil, fatrfi:acio Wftf, diga se-orde-
^i. gra-.Ccaclo SOO^WO.
Ny 4a iara, 17 de junho d? 1871.
> .'rM
maaJ no em segaida a rgiinJa parle da
4- da. eaiaooa > discussao do projecto
** ** a- f ':*' -le terra para o anno financeiro
M7S.
Oraram o* Srs. Joij Manuel, Eufrasio Correa e
ii-.anJo a dis:ussao adiada pela
- 19
A camara 4h deputado*, hoaten. 'ccupou-se
L" dMcnssao do projecto n. 496 do auno
. 4** re'orma a actual legislacao eleito
Ta4 Mte agumas observarOes pela ordem os
>rs. "aaiao 4e Soza e Joao Meodes, o Sr. Mar-
tmtm Caaaos requereu verbalmente preferencia
pan 4isras(i9 d- projecto n. 98, de 18G8, sobre a
aaatoria.
i es Srs. Martinho Campos, ministro do
Paulino de Souza e Gomes de Castro, li-
a dtsenssao adiadt.
sgai4a a camara occupou se com a dis-
i iMerpeilieao ao Sr. ministro da fazenda,
la aa scssao de 15 do currente.
A< (!i-'*uso'>s de forcas de mar e terra ten dado
vaslo campo as questoes pofiticas, enlre as rfuaes
^ohr.'sahe a raSglosa. A rtspeilo d sta prononciou
o Sr. pi lea Jr.a> Mmoel um diseursoj-^jtre causon
sensinvj.-peW franqu'za com que o iflustre depu-
tado do Rio Grande do Norte se exprimio a res-
peito do procedimento dos bispos de Pernainbued
e Para, principalnente do primeiro, que ello nio
duvidou qoahfi;ar como motor de to-dos os males
resultantes do conflict:) que imprndentcmenio pro-
voeou.
n.>ntem deven lo entrar em la discassao o projec-
to da reform eleltoral, snseitou o Sr. _Maninho
Campos uma questao de preferencia, para qne lbs
se discntido nm projecto apreseutado- na sessao de
18S7, asignado pelos Srs. Sauza Carvalho, Paujii
node Soaza, visconde de Prados, CbristiaDo Oltoni
e outros.
O debate prolongou-se sem ineidente notatel, e
(Icon adiado, por se tsr de fiassar a 2' parts da tr-
dem At dii, que era uma internellacaj feBa pelo
Sr. Sitveira Martin* ao Sr. pre-i lente do conselno
relalivamente a am lerreno de mariaha disputado
pela camera municipal de Porto Alegre e um par-
ticular.
OJIIoMre interpellante fa lou todo o resle da
sessao e censurou acremahte o thesouro, o pfocu-
rador fiscal, a seccao de fazenda do consetho do
estado, o presidente da proviucia, etc, etc. Hoje
respond-OU IOC oSr. pratid riando a qnestao. que dala de 1817, lendo todcn os
do,?umentoj oue foram presentes ao thesouro e con-
?ellio de estaao, e juslilicando a declsao proferida
pelo governo.
Replicou ainJa o interpellante e alongou-se at6
depois de 4 horas.
Mas pondo de parte certas aperezas e exces=03
de linguagem, e preciso confessar qne revelon
grande conhecimento e estudo da materia na parte
juridica, e elevou a questao a devida ,altnra, mo3-
irand) que o governo nao tinha side bem informa-
do, e que a qu stao tinha sido mal encaminhada,
pois do.ia ser tratada peranle o poder jndiciario.
No senado discute se o voto de gracas e o pro-
jecto de lei do rccrutamenlo. Acerca do primeiro
fallou hoje o Sr. Abaete, enjo discurso era espe-
rado com curiosrdade. bizem-me que nao corres-
pondeu a ctpectaliva dos amigos.
DIARIODEPERNAMBUOO^
--------------------.___________________________
de Fura, hotas falsas de 10jl das do ultimo padrio^
a -recetiedoTla da Para' ybaoa recusca uma (lada,
em pagameatadiireite) den. 43,709, sorie 10'
A ; verrrhoiM ser falsa, porijue a tarja de tiata
verde, que eircula a nota, estava tracada juiU-
mefite fobre os olhos fas Bgitras do emMantu; of
prat i d-i earimbo omo algarismo 10, era la-,
macento, quandoaiis yardadeirase lasiroso; linat
meote, a as.ignaiora alem dc baUaut* grosseira,
irtratalligiaet, estava osCrt^ta coinMitani desbo-
tada. rv. ,
![ S.'WltLO. ...f-
A variola estava qiusiextincta era Campiaas,
f.irii-ira a ouiros pont is da prjvincia ; porem coo-
GWiiaWF^lfazer muiU3 victimas jaa RD Claro, 34-
flm Ha-popnteead ja se acaava muito diziirala.
Os 494aj>rnaes que ahi se'publicivam foraml
-strsponsn? ppr falta de itnpregados.
En Title fora arrombada, na ntite de 26 pa-
ra 27 do passado, a casa dv negociaite ilaliano Vi-
ce u'.e Florencio, senJo a iagurda vez qde
dito negociante-soffrij tal -rietaicia
Kafrando o faito, diz o Tteti :
A primaira vez wrificou-so qie foi o i drao
um soldadoklo corpalde proviseaos. Ilcje quo o
uuarlel da guarda policial esta ibfronte da casa
do dilo Ftoreact >. e por otteseqivneia am compie>-
ta seguran-.-a. quern seria o aut.T oessa nova fa-
r^nha?
-J-Kefere a Gazeta do Camrjna* :
E-feve ealre nos, na o'llna semana, o Sr.H.
E. My ring, de orrgern sflema (diefe da importab-
le casa eommprcia+de-'New-'Yirk, sob a firma H.
C Moring &Q.
i Veio achfeosso paknao '6 para pesubelec r
relacots directas entre o pu'Io di Santos e aquella
yasta rnftMpSle tfos Bstadts-Ualios,' eom respeilo
as vend.is de caf^ mas aiida para conhecer. e w-
ri'ic.r p'ssoalmeme as n'ssas.lavouras e a capa-
cidade das suas produce-as.
dnsta-n is que sanii encanta'dc do que vlo e
bservooeaara nm^ Scorel'ido captou Ihe admi-
racao exlrema aUeisuadiUao 4as nossas planta-
co-.'s, que levani vania^nr *s-mjfen*reg-)adas pe-'
la InJia e outaae p>nms doda se quiva a magni-
fica-garrnrft do tnrw.
E-n uma '.las m-ius da fazenda do Sr. Joa-
qalm na Sam]i1fioij^^pparL'ccra no 8\&i, rrfts-
daver de i'ranefsco Martrfts Hos, liorrivelmente
maltratado por iR-< Attrib'ie-se'geramentetesie homicidie ao preto
E1iaJ, escrivo de'Ag>stfh( Rodrignes, que se
aellav* NMqo.
F*l*w ewuirto 77 anajj de idde, o taaeate Joaqtnin
Jose da Silva.
Xoticthm aslomas da capitai^qua o subdito
fraiicez Jo-e Plaaal, ex-dona do hotel da Eardpa,
tendo'ide rotirar-se'para a Eiropa, resolvera atfo-
riar 10 escravos f|ue ;iossnia, Ns.tbeT : A'oxauJre,
\fa 3 i ann-n, >nt-)nio, 4*?6, PaUa,.dJd, Luia,
de 25, Jose, da 7, Tibareio, da 4, "etisa, de 2 (de-
ffctindo dis Pri-os deata qae era ingeona, ate oi
21 ann-.p), Ev.lalia, da 28, Paulina, da 26 e Ale-
xandre de 7.
A uniea ohrigacSo que impoz aos liberlados foi
servi em, durante 2 annos e meio no referido ho-
tel, que passa a ser propriedade de Carlos Shor-
cht, percebendo entretanto os re3pectivos salarios
como se ja estivessem ni gozo pleuo da liberdade.
Fallecera em Areas o cidadao Francisco For-
tunato de Carvalho e Castro.
Lif-se- no Echo Bnnanalense :
Os escravos Ottoni, sua mulher Carlota a An-
tonio Lima, av-aiiados ua execugao que o Sr. Luu
Viantia de ilermogenei move ao Sr. Dr. Marcos
Diniz Hilari) Nogueira, exhibiram emjnizo o pre-
qo de suas avaliacioes, e pelo Sr. juiz municipal !
supplente, Jos6 de Magalhaes Coalo, foram conee-
dilas as cartas de liberdade em vista da lei.
Consta no? que fora o Sr. Antonio Joaquim Goncal-
ves da Graca, depositario dos mesnios
; e a is, a galera pMmffeta FoiUuim.
as noticia< cominerci:eai4r l iaia.s da.-
Mo*tevide?,n.-Q m)vime({SoJto nossdmef-
cado ne=ta quiazena foi insignificente, nao s6 por
inda a Jtfagqs .om. uma
comofllaT sir a prenine
desfavor
tos regu
mbio fe
Si 3(8 d.
) de assucaif
das avirkdJ
y Forenck df
poss'uidqles,
uintes pr^!
sorte 2jl^cT"nfJ!I}*no3 2/20 c.
mascavo l^80c. : Ficam' por vender 3,964 vo-
i^aTJlUtWra para o a
bnco^______
A apardtjule superior) de
PPyiu, oUj*^os jKscoe 4a 80 a 84/ por 500
m boa posicao, porque a estacao
ntradas teem sido compasshdas.
de Janeiro
ar de Parnam
-Ajexisteocia e da 600 a 800 sacciis.
< .^ds seTeY enr sal def Cadiz. Oi trabalhos
i dai xarqueadis eetio terminados. Os BFeeos do
RunJooTO'iro'exjsfememcircuIacSo,no_Jait para c nsumo regularam de 8 a 8 1^2rls. fis
IJ para d ribs da II irl a 12 rls. fts. por fanga.
Venderam se pequenos lotes de fumo em rSlo
do Rio de Janeiro com aigomas coacassfjesnos frei Bento do Monte Carmello Floras, realisado
preyos. As inarcas supariures obtiveram 6450 c.
Nio hoove vendas de carne lecea. Foram
interrompidasas remassas que eram destinadas
ao Brasil e IIivana, em consaijaencia das graa-
des elnivas qne tem cabido. t> em-ie de gado ape-
nas foi de cerca de 250,000 cabecas contra 525,000
em igual periofio de 1873.
a As entradasde assacar foram de 6,173 saccos
1,150 raeios o 100 quartos. Tao grondes suppri
mentis prejudlokram muito ospreoos, quo se mos-
traram frouxos e em baixa. Parte da carga do
N. Mirmnnn Toi veodida a 16 o branco de 1" sor-
te, a 15 1|2 15 4|4 o de 2* e a ps. 60 os lotes de
difFerentes sortes reunidas.
i (J rUraatom' kouxe nos232pipa*eoOaieias,
das quaes tnelade fui vendida a ps. fs. 62, a bordo.
Houve dilBculdade em vender o restante da carga.
a Chegaraiartios, por via de Montevideo, 1^68
soccos de cafe, o que, anlcelanto, nao alterou sen '
sivelmoaeiS#re*-. lima paiUda de 40Asaccos
obtavo ps^eolX &40 e outra de 203 saccos.6JO a
615. Ocafe lavado alcancou ps. 720. 0 merca-
do osu supprido, mas os prerpi actuaes ficaai
sustentado;.
4j| grandad eniratlas de famo eni roio afrou-
xaram os precos.
Cotaraos o sal de Cadiz a rls. 9 para consarno.
As vendas de^te genera foram ia-igniticant2.-,pvr
que os trabalhos da x^rqueadas sao termiaaJos.
Os descontos fi:am de fOa 12 por cenld ao
anno. 0 cambio reg.la a ii) 1|8 e 49" d. sobffe
l.ond>es; 5.18 a 5,19 sobre Franca e a'314-por
<*oca soltre o Rio de Janeiro.))
Hio de.imuiro, 19 de junko. Nao houve aJ-
leraflao alguma no mercado de camhjo, que Se
coaservou pouco activo. EITecluaram-se transac-
cOes insfgnificadtes sobre Loa Ires a 25 d. papel
bancario. Jo 3|I6. 25 1(8 e 25 I[1 d. partlcalar:
e suyre Frau-.a a 381 r*.papel baucario.
Na.la su fei uai sobcranos e apoliccs da divi-
da pablica.'
t No mercado de,ecjoeso movimento Ilmitiu se
a veuda de lotes insigaifleantes das do Banco dp
Urasil a 233-ie 210* e das co.mpanbias de Cat'ris
de Ferio (le S. Cnristovao a 312, a diuheiro.
As Toudaide cafe e Je assucar foram peque-
nas
Nlo nos coiisloa freta:n?hto ttlgum.
'-iiAqfamiaFia^
ares dos-Santos, Joa-
qmm-Jose-da rraaea, *e 0car*de BulhSe^.
Cavalheiro da C*roa de FerrOi-CVcapitao-tenea-
te, Luiz Sa|danb,i da Gama. .
Nctenariu. Amanba. as 6 Ii2 horas da
tarde, principia o dxerdicio'do setenario (to Senhor
Bom Jesus das Chagas. Terminara o acto com a
"enciio do Sanjiaaimo Sacramaato. .^m^^^^m
I'cMiivitfaile de %. g>cilro.- Em sua
igreja desflt eidald, celobra depais d'amanha a
lrmandadede S. I'adro dos Qeriaoa, a fe>tividUde
do seu padroeir i. Oa ao EoawyttiA, o Ilvm. frei
Joaquim do Espirilo SiCt), e ao To Dtuin, o Rvd.
Antonio da Mello Attiqueriue. >ia madrugada
desse dia bavera missa rezada, e as 7 horas oatra
para cumfnanbao geral.
AmanhJ^a noite, navert Ycspern solemaes,
oraado nessaacto o Rvd. Tbenii-toclag Goncalves
de Andrade.
itapiMHiiuiu. Nt capella de S. Goncalo,
desse^os'oado, perteacento a freguezia do Igua-
rtM*fcMiie no dia dft sdtanda feira (29) a fas-
tidade de S. Pedro, com missa nova cantada pelo
^PBqneno- padre -JoaTrMarqneT do Souza, natural do Ingar,
e um dos sacerdotes ultiraamente ordenados no
bispado. do Ceara. E' orador da festividade o
Rv.i. Thenjistocles Gongjlves de Andraie.
namnih^aiiiif-. Ta matriz dessa cidade,
da provincia da I'arahyba do Nor to, celebra-se
lambem a Testividade de S. Pedro e S. Paulo.
o.-agos da luferida matriz. Canta missa nova o
padre- Joao da Co-la Bezerra de Carvalho, tam-
bem uliimamente ordenado presbj-tcro no bispado
do Ceara, pelo respective diocesano.
f*M|ii< io dn Pierfade. Tendo o Rvm.
provincial do eonvenlo do Carmo desta cidade,
*NaT#jB a fl#l9JbJm*f>ra
segaintes taxas
_ ar!3a5,4!.
depois da Ten la am
qae trouxeram o Lit-
Pernarabuco, mo-troa-
edlatano, pedeo, a
a9k\* sorte
"i-
BUIIA.
Realisoa-se no dia 20 do correote, o bai'.e
oiTerectdo pelo corp) Jo commercio ao Exro. Sr.
senador Cruz Mac'iado, sendo nessa occasilo en
kegiMSiior&.Etc. as caitas da liberdade as es-
cravas Roaiana e Jul;a, alforriadas utrra pelo Sr.
Cardoso de Castro e outra pela mocidade acade-
mics.
U Eiin. e Rvm. melropolita ficava bastanta
doente de otni febre bihosa.
Por telegramms do Rio de Janeiro, sabia-se
ter sido nomea lo secretario d> (tovoroo o 3r. baoharji Jo*o l'crrcira de Araojo Pi-
nho.
Pela presiJencia da provincia foi convocada
extraordinariamente a assembled legislativa, por
20 dias, expre^samente para a promulgagio das
leis annuas.
Foram aomeados promotores publicos: da
comarca de Karacas, bacharel Manoel Candido Ce-
sar da SUya Leao ; e da.de ..lahapube, bacharel,
Jose Jacinlho Borges Diniz.
Falleceram : o abastado agricultor Antonio
Joaquim Chives; eo presiidigilador Julio dos
Santo3 Pereira.
A alfandegaTenleu de 1 a 2 do correote
118:8214170.
Lemoi no Jornal:
a No dominjo 7 do correnti apartou ao Iguaps,
termo da Cachoeira, o Rvd. padro Sertorio, paro
RECIFE, 27 DE JUNHO DE 1874.
.\oiicias do ssi! do iaipei-i j.
<>->*< St. S;iveira Martins; e lendo o Sr. Car-
4a Coaha, requerido a prorogacio da ses-
we Ijgar nna qaes'.So de ordem em que to-
parle os Srs. Silveira Martins, Martinho
GwmSaLimQ e Ignaci) Martin*, sendo
rebra4a,2 pediJo do seu autor, aqacllc re-
e a dsenssao adiada pela hora.
-20 -
a camara dos depnlados occopou-se com
"So da 2." discussao do projecto n 19
qae aza as forcas de terra para 1875 a
Orarata os Srs. Floras e Carlos da.'Luz. Eucerra-
" 4*<>Te. a rejaenmeoto do Sr. Gusmao Lobo
si approvals o irt. 1.* do projecto e sens para
grapsns, ieaado iatarii a discassao do art. -2.
r mlUiao discitio se a mterpellacao do Sr. mi-
fizsnla, apreseniada na sessao de IS do
os Srs. presid nle do coaselho e Silveira
ieaado tambem a discussao adiada pela
fcwa.
OOsWESPOXDENCIA DO DIARIO DE PERNAM
waobx
Cine, 19 4e jnoho de 1874-
^** l*a escreii pelo vapor brasileiro de 10,
#*** cjotava com o francez Fi7/e de Santos,
!* 5^* amtancialj para o dia seguinte, e de
'**~J**2*J *3 mesrao tempo, oa antes daqtiel-
as tooao esle se demorado maito emsan-
r aaa segtundo daqui direetamente sem
por Bakua e Pernambueo, fiquei io-
ttlo granie perda, porque lam
a* aana grandes novidades a noliciar-lhe.
apenas lallar-Ibe da eJeicao da presiden-
eaman4at 4ermU0m, qae den oecasiio
combate ao miniaterio.
> am* faclo ja e ahi conhecido, nio tra-
i 4e4e, aem mesmo para aprtciar a in-
tadica A, iUualre chefe da dissidencia, de
i a sorte da urna. na esperanca
_ i com qne nao devera con-
sacaa aio obtere, apaxar de altos
tapregado*. especialmenle pelo
*a. 4no a boje o mais aeu'vo,
i e sssdmliiiiu anxiliar daqnelle chefe.
' a4on o Sr. conselheiro Goes, qae
i=;V > fi*eram da reeleigao.
. *jar~ wmo soawie nao quiz expor se a ver sen
^ J|'""ao por aqoelles que ha pouco o ha^
*M|_g>lW"*a'e eiegido, como lambem nao
" r sorrir de arma de guerra con-
TModu beta sjbia qne, n5o por
Amanhecaa lion tern em nosso porto 6 vapor bra-
siieiro ['aid,trazendo datas: do Rio da Prata 14
do Rio Grande do Sul 12, do S. Paulo 16, de Mi-
Das Gcraes 14, do Rio de Janeiro 20, da Bahia 23
e das Alagoas 25 do corrente :
Aiem do que damos sob as rubricas Parle offi-
cial, Exterior e Interior, encontramos nos jornaes
o que segue:
RIO GRANDE DO SUL
Segundo diz o Rio Grandense, os Srs Caetano
Pinto Irmao e Holtzweissig 4 C. esperavam bre-
veraente duas impcrtantes remessas de colonos
nos navios alletuaes Freikeit e Formosa.
Pel) juiz municipal haviam sido julgadas: frau-
dulent! a fallencia do finado negociante Francis-
co Jose da Cunlia, e casual a de Antonio Jacume
Villaca iSi C.
Le se na Diario de Bage :
Consta ter desipparacido raysteriosameate des-
ta cidade, o Sr. EJuardo Augusto Piuto Carloso,
irmao do fatendeiro deste municipio o Sr. Fran-
cisco Guilherme de Oliveira.
0 Sr. Eduardo Cardoso achava se morando na
casa de commercio dos Srs. Garcia & Irmao, onde
ainda existe o seu cavalh, arreios, etc Vinlia
cacarregado por seu irmao de recebar alguns di
nheiros para levar, segundo dizem, ofOOOj. ou ...
6:000x.
No dia em que desappareceu (19 do correntej
foi visto pela ultima vez na casa de negocio do Sr.
Joaquim Antonio Rodrigues, com 13 oncas de ouro
recebidas do Sr. Antonio Magalhaes, que trazia em
uma das maos, tenJo seguido dalli eai direccao ao
mercado, onde foi visto aiuda.
a Apezar de todos os empenho3 e indagacoes fei-
tas ate hoje por sens amigos e parentes, nao foi
possivel ainda descobrir o raenor iniicio de sua
pessoa.
Ha, pois, fundadas razoes para suppor-se que
die tenha sido assassinado; pjrtaato, cumpre as
nossas autondades empenharem-se na descoberta
deste mysterioso desapparecimento.
Moco reconhecidaraente honesto, tendo vindo
a servico de seu irmao, que o pratege e acata, nao
se pode pensar por outra forma da f ua desappa-
ricao; tanto mais quando de todo o dinheiro que
noba cobrar apenas tinha recebido* ate aquella
data as quinze oncas do Sr. Magalbaes.
Noticia o Diario de Pelotas :
a Q Sr. Maooel Alves dos Reis suicidou-se com
dous tiros de revolver nos ouvidos. 0 motivo qne
levou esse infeliz a tentar contra a sua exisiencia
nao nos e conhecido, o que sabemos e qoe era um
moco bemquisto e o unieo arrimo de sua familia.
a Informaram-nos que na noite do attentado
ceiara com a familia e qne antes desu accommodar-
se pergunlara se havia em casa papel para escre-
ver; tendo resposla negativa, recolhera-se ao seu
quarto e alii estlvera lendo.
a Ao estrondo dos tiros acordou a familia sobre-
saltada, e ;orrendo ao quarto do desgracado, alii o
enconlrara banhado em sangue e arquejante.
A's perganus que Ihe fizera'm sobre os moti-
vosque oinduziram a pdr termo a existencia, res-
poudeu : Uma desgraca, nma fatalidade.
a Pancas horas depois falleceu. >
Nos navies Fylla e Alayd linha chegado o resto
do material para o gazometro do Rio Grande. "-
As noticias viodas da Campanha dizem que o
frio era alii muito intenso.
Accrescentam qua am negociante de Santa Ma
na, que fora, havia mezes, para Santa Anna, aflm
de receber um contrabando, nlo voltara dalli, nem
havia noticia delle.
- espo
no do flnado Joao Raymundo Dutra, para sua li-
berdade, com a condicao de Ihe prestarem
vices durante sete annos, Gcando um deltas
desde logo.
BIO DE J WEI BO.
No senado foram apresentados os dous se
guinte* requerimentos :
informaQ6es :
a 1." Qual o destino que tiveram os projeclos de
lei approvados pela assemblea provincial do Para,
a que o presidente da provincia reeusou sanccao
por offensives da constituicao.
2 Quaes as razoes porqae os project'os em
iguaes circumstancias teem sido submeltidos a de-
cisao da camara dos Srs. deputados, e nenhum a
do senado.
a 3." Se dos remettidos do Para, durante o in-
tervals das sessSas das camaras legislativas, al-
gum teve decisao provisoria do governo, e, no
caso aftirmativo, qual foi a sua integra. Viscmde
de Souza Franco.*
Requeiro que por intermedio do rainisterio da
justica se pecam ao goverao imperial as seguin-
tes informacoes:
a 1. Qua'l o nnmeco de cadsas em f.vor da li-
berdade, intentadas nos auditorios desu corte du-
rante o anno de 1873, especialrneate sobre alfor-
ria forcada medtante arbitraments do valor do es-
eravo, pela forma prescripta no g 2s do art. 4 da
lei n. 2040, de 28 de setembro de 1871 ; e qual o
valor arbitrado em cada caso.
2. Qu.l o numere de cartas de liberdide re-
gistradas nos cartorios dos tabelliaes da capital do
imperio, durante o referido anno de 1873 ; e qual
o numero das raanumissSes averbadas na respecti-
va matricnla especial do monieipio neotro no de-
curso do mesmo anno, em execucao do art. 21 do
regulamento de 1 de dezeiubro de 1871, approvado
pelo dec re to n. 4,835.
Sala das sessoes do senado, em II de ju-
nho de 1874.-y/ont/ij Jose Tetxeira Junior.*
0 primeiro ficou adiado e o segundo foi ap-
provado.
Por dsspachos de 11 do corrente o Dr. iaiz
de direito do o districto criminal pronunciou Joao
C. Cervelto Stokman e Candido Joaquim de Sant-
Anna como inenrsos no art. 192 do Cod. Crim., e
Norberto Jose Pe^aaha, Jaciatho Galva/) de Bar-
ros Macei6 e Felippe, escravo, eomo incursos no
mesmo arligo combmado com earl. 3a. 0 referi-
do juiz nio achou materia para pronuaciar a ac-
cusida D. Firmiuo Gil de Langloig. m
Falleceram : obrigadeiro reformado do exer-
cito Joao Nepomuceno Caslrioto ; e o desembar-
gador aposentado Alexandre Joaquim de Siqneira.
Eotrara no dia 1* do corrente, prbcedente
de Londre8, o vapor nacional Bezerra de Menezes,
o primeiro dos cinco encomraendadoe pela Com
panhia MacaM e Campos. Mede de comprimento
186 pes inglezes, de pontal 14 e de bocea 23 e 1/2.
Tern capacidade para 250 toneladas de carga e
commodos para 44 passageiros a re. E' a hellce,
com a forca effectiva de 680 cavallos, e fei cons'
tniido no Tamisa. Sna machina qne e do systema
composto, fbl feita nas offlcinas dos constructores
Bavenhill Ea9tons & C.
Nos exames de clinics e de deotiitas, que ti-
veram lugar uliimamente na facnldade de medici-
na, foram approvados plenamente (em olinica) o
Dr. Guilherme Ellis, e os dentistas Francisco Ber-
rini, Fernando Julio Berenger e Branlio da Costa
Lion, e simpiesmente Joao Pifito de Miranda Ma-
galhaes, e Joao de Figueiredo Lima, lambem den-
tists 3.
ffSKSrcomplelara a *^SSS &t"S5!?S5SE^
.Ha pouco tempo o Sr. Sebas.iao lottrigaes ^^SSVSB^^^^ R"d-pa'
de Carvalho lan;ou sobre seta escravos do esno A g daMurdiba.
Desembarcando, dingiose a matriz para fa-
zer oracao, e, quando se retirava com sua familia
,*er" Ipara a casa que Ihe estava deslinada, um grande
e grupo dirigido por um official honorario do exer-
cito o desacatou com vaias, foras'fi morras, bradan-
do que o repelliam, que nao o queriam por viga-
rio, mas sim ao padre Pedro Guiaiaraes.
0 padre Pedro Guimaraes era o vigario en-
commcadado, que tinha ido a concurso, mas nao
linha obtido a preferencia.
a Algan^ fogaetes, que estavam preparados para
festejar a posse do vigario, foram feitos em peJa
cos pelo tal grupo, no qual havia lambem muliie-
res e meninos.
o 0 subdelegado procurou acomraodal-os, mas,
sem forca, ua-la couseguio.
< Recolheado se o vigario a sua casa, foi acorn-
panhado das nicsmas vaias.
a Quando retirou-sa o grupo, tooiou elle posse
peraate o Rvd. vigario da Muriiiba e mais alguraas
pessoas da localidade.
A' noite reunio se de novo e gtupo, ainda
maior, e percorreu as ruas do arraial com diver
sos instruments, entoando for as e morras ao vi-
gario Sertorio.
t Nas noiles segaintes continoou o mesmo es-
pectaculo, chegando o desacato a irem a porla da
residencia do vigario insultalo com 03 nomes
mais injuriosos, arrebantando-Ihe as vidracas a pe-
Jralas, coilondo-lbe na porta dous vasos lm-
mundos, e emporcalbando-lhe a frenie da casa.
a Tendo-^e pedido forca a Cachoeira, o delega-
do dalli enviou 5 homens e am cabo, todoa os
quaes embriagaram-se ou foram embriagados logo
que chegarara, e nenhum auxilio nem garantia
prestaram.
a Considerando 3e indefezo o Rvd. vigario, no
dia 12, mandou sua mai e irmas para a Mnritiba
com o respectivo vigario, e retirou se para a ca-
pital a pedir provideocias.
U
<
SEIMBUCO.
REVISTA DIARIA.
lutoriaafle policial.Por portaria da
presrdencia da provincia, de 23 do corrente, foi
exonerado, a seu pedido, o tenente Jose Carlos
Vital, de delegado de pohcia do termo de Trium-
pho.
Poiicia local.Por portaria da presldencia
da provingia, de 25 do corrente, foram nomeados
eommissarios e sargentos dos municipios :
Goyanna.Commissarlo, Joaquim Herculano Pe-
reira Caldas ; sargento, Sjlverio Pereira dos Anjos.
Nazareth.Commi9sario, Severiano Vieira da
Paz ; sargento, Francisco Xavier Pestana.
Pao d'Alho.Commissario, Jose Carlos Vital;
sargento, Manoel Germano da Motta e Silva.
Limoelro. Comraissarto, Antonio Jose Pestana ;
sargento, Manoel Raymundo Caminha da Cunha.
Victoria Commissario, Flavio Jose dos Santos
e Siiva, sargento, Joaquim Miguel do Araaral.
Escada e Gamelleira. Commissario, Estev>
Paes Barreto, sargento, Joaquim Fernandes de Aze-
vedo.
Condecoracoes pHirangeirao.Pelo
governo austriaco foram condecorados os seguin-
tes ciaadaos brasijeiros, membrcs adjuncios da
CQmoH&ify} brasjlfika na exposifjo de Vienna :
Commendadores da ordem de Fnncisco Jose.
Drs". Joaqalm Mbnteiro Caminhoi, e Jote Saldanha
da Gama.
Cavalheiros da raesma ordem.Dn.lcao Joaquim
nesse hospieio, silo alem do povoado oa Boa-Via-
gem, as obras qne, eom verdadeiro zelo, hav.a
alii promovido, celebra amanha, dia commeraora-
tivo da Pureza de Xossa Senhora, a bencao de
todas as iraagens, lerminanlo eom uma missa
solemno -erri acjao de jralas.
0 Rvd. Leonardo Grego e o pregador da festi-
vidade.' -
S.'Panto. Ndla30, ha a festividade da
commeraoracab de S. Paulo, o aposrolo das genles,
ila igreja de S. Pedro.
Mlilllto HifllOI'lcO P!lil->v>[)-j|(-.
P.riiamhncaiio, Segnnia fjira (29), reu-
nir-se-ha esta sociedade em sessao ordinaria as
horas e no lugar do corlume. OrJ^m do dia : 1
parle: discussao Aa, ttese do Sr. Bandeira de
Mello:
A vitukdedide do senudo kirmontsa-se com o
principle da delegaqao dos podens t
.. Eferam designarfos pela sorte para disontir esta
these os Srs: Smootbnes i'o, Meira e Adolpho
Cirne. 2' parM, deseavalviaiento da these d)
Sr. PaohecaSoare3: Co io se deve encarar ssta
maxima de D-scartes:
Nao 6 bJttante simen'e a ler-sr. inlelligsncii
esclarecidit, e preciso saber applicala.
Acham-se sortealos 03 Srs. : A. Meira, M.
Rosa e Gjraes Coimbra. .!" par^ : eleicao da
nova direcioria.
CaUesto das orplina. Os pais ou
parentes das menores abaixo menc:onadas devem
proeurar em anao do mordorao da met no collegio
das orphi<, Dr. Maaoei de Figueiroa Furia, a
oruem de enlrada para a jjelle estabelecimento :
Maria, protegida de Jose da Assumpcno Piras.
Jovina e Anna, lilhas de Sebastiana Maria de
Jesus.
Adelaide e Maria, filhas de Paula Seraphina
dos Santos Lemos.
Felieidade, filha de Maria Emilia da Paz.
Xhweza e Maria, irmas de Francisca Maria
Barboza.
MuaiBHMI de Caxiast. Esta vapor, da
companaia Bahiana, seguado telegramma de
Maceio, sahio houtem a tarde para o nosso
porto.
niiilieii-o. 0 vapor Pjrd tronxe para :
Jose Rodrigues de Sr.uzi 2:200*000
Manoel .Soares Pinlieiro 2:000500)
A. Hyveraat & C. 3001000
Misruei Ferreira Pinto 117^000
Vapor Bali in. Esle vapor, da companhia
Brasilelra, sahio li intern a tarde do Para para o
nosso porto peios das escala*.
Felicitat-a (. Com data de 2o do correnfe,
recebea a Associa.;.io Commercial Deaeficente, o
seguinte telegramma:
A Assoaacao Comaiercial de Lisboa, felicita
essa associacio pelo grande progresso realisado.
-*. falgniulaa do *. Joio. Noa
dias 23 e 24 do corrente, f jram ca;ualraente fe-
ridos, uo povoado da Torre, quarusir&o do distric-
to policial da Magdaloua : Manoel Lazaro Pereira,
por Hereulano de tal e Braziliano de tal, por Joa-
quim Cesario de Hollanda; sendo que o segundo
o foi gravemente ; a autoridade co.npetente pro-
cedeu nos termos Ja iei.
>o%o Atfaeneo. Hoje, reuuir-se ha em
sessao ordinaria, as i boras da tarde, na rua do
Imperador n. 3.
Clanganclli. Esta loja maconica, celebrara
a sua sessao de posse e admissao de socios ama-
nha, 28 do corrente, pelas 10 horas do dia, em
saa sede, a rua de Marcilio Dias n. 31, o para
esse fim, alem dos coavites expedidjs, e de es-
perar que se con'ilerera convilados todos os
macons.
A' noite desse dia sera franqueada aos visitan-
tes a sala das sessoes.
Pi-opagadora da IiihIi-uc^iXo Pu-
blica. Reunir-se ha amanba, o conselho pa-
rochial de S. Jose, as horas e no lugar do os-
tume.
Ptacnlx Dramalico. Por circumstan-
cia iraprevista, inutilisou-se uma das pecas impor-
tantes do machinismo, pelo que deixou hontem de
ter lugar o espectaculo annunciado, ficando trans
ferido para domingo e segunda-feira as 5 1[2 ho-
ras da tarde.
Diario dc Peruambaco. Afim de
nao demorar as noticias do sul, de que deve ser
portador o vapor ioglez Xeva, esperado amanha,
distribuiremos na segunda nosso numero de terca-
feira.
Vapor Xeva.- Eite vapor, da linha de
Southampton, sahio hontem as 3 horas da tarde
da Bahia para o nosso porto. Dave aqui chegar
amanha.
Processo Viagueiro. Na sessao de 10
do corrente do supremo tribunal de justica foi as-
signada a seguinte sentenga :
a Sem embargo dos embargos qae nao recebem
por sua materia e a vista do art. 46 do codigo cri -
minale41tdo regulamento a reforraa judiciaria
n. 120 de 31 de Janeiro de 1842 ; cumpra-se por-
tanto a senleoca embargada e expecam-se as or-
dens necessarias, afinade ser remettido o reo para
a casa de correcc4o da corte, onde deve cumprir
a pena, em que foi coudemnado, pagas pelo reo as
custas. Rio, 10 de junho de 1874.-Brito. presi-
dente. Simdes da Siloa, relator sem voto Bar-
bosa. Villares.-Valdetaro.-Coilo.-Costa Pinto.
Cerqueira. Uariani.
Em seguido expedb-se portaria ao juiz do 9
districto criminal para mandar recolher a peniten
ciaria o reo.
Proccsso do bispo do Para. Na
mesma sessao des.-o tribunal foi proferido, pelo
conselheiro Villares, relator do processo, o seguin-
te despacho interlocotorio :
Recebo o libello e, dando-se copia delle ao ac-
cusado, contrarie esle n > termo de 8 dias que Ihe
assigno. >
Sendo cumpriio inmediatamente o despacho,
deve ter lugar boje (27), na corte, o julgamento 0-
nal desse processo.
Supremo tribunal de Juotica. Na
sessao de 3 do corrente foi assignado o seguinte
accordao :
t Vistos, expostos e relatados os presentes an-
tos de revista civel entre partes, recorrente D.
Hortencia Anna Alves Ferreira, e recorrido Jose
Melchiades Bezerra da Silva Costa ; concedem a
revista pedida por se dar injustica notoria e con-
sequente nullidade no accordao recorrido que jul
gou pertencer a mulher do recorrido o legado dei-
xado em testamento pela fallecida D. Aana Rosa
Falcao de Carvalho na verba de 11. 16, v.
Procarando-se pelos meios legaes a verdadet-
ra intelligence da verba facilmente se conhece
que nelia se deu o erro de nome e que a intencao
e vontade da testadora foi deixar o legado a recor-
rente e nio a sua irma mulher do recorrido.
a A testadora quiz beneliciar a suas sobrinhas
que eram atilhadas, e por engano nomeou Anna
em vez de Hortencia, quando esta era anlhada e
nao aquella.
a Declarou, que Anna era Slha do fallecido Eu-
gjnio Nprberto Alves Ferreira, quanda-ella ja ?e
achava casada com o recorrido, e enlao se a tes
tadora tivesse em mente deixar Ihe 6 legado diria:
Anna, casada com Jose Melehyades.
Na mesma verba se nota que a testadara qae-
rendo benenciar a um que nao era seu afllhado
disse :- ... e ao meu sobriobo, primeiro testa-
menteirePaulino Peres Falcjo,.. > ipfwindo-se
d'ahi que de expressoes iguaes *e servirJi ella, se
quiiesw doixar o legado
que n5o era sua aGlhada.
Ama-
nando
e Jose
.*o. -
,a;v
-i* m

ordena qne <~%
entre-
se casa-
sua irma
Aana.ja era eaaMM9MtX>et<^i*',fJO conhece-se
que a. 'o.iiado-4a*e;i***ai iouJauaar o legado a
recorrente.
Assim e illegal a intelllgencia que deu o ac
:;rda-> a v.'rtm^ojtameaur a.
Rem-ttam-se os auios a mlafio da Fortaleza
que designarn para revi-ao uovo julgamento.
Hio de Janeiro, 3 de janho Je ^871 =llnto, presi-
dente. -Costa Piuto.-BatbosL *euc ni.-Cerpu.-ira, vencido.c- Bitto de Monteerrat.
Viliares. Vatdetaro.Coito.Simjes da Siloa.
Albuquerque.
Na sessao de 10 :
0 Sr coDielneiro Alboquerojo*xpoz os funda-
meatos pro e contra da revisia ehrel n. 8,506. -Da
relacao de Pernambuco. Recorrentes, D. Maria
do 0' de Jesus Barreto e seus lilbos; recorrida,
D Maria da Paz Teixeira e seus Qlhos. Feita a
exposicao, passou os autos ao Sr. conselheiro Val-
deta.ro. v
0 Sj. cbnseTieiro Siinoes da Silva expoz os fua-
damentos pro e contra da revista civel n. 8,502. '
Daquella mesma relacao.Recorrente, o barao de
In.; re:o:ndo, Jos&Jackiaae tasso^k F#^ #ex-
posicio, pasou os autos ao Sr. Measias de Leao.
Foram distribaida^ as^eguintes revistas ci-
veis :
N. 8,523. Pernambuco. R. o administrador da
massa fllida de Sebestiai Jo-e da Silva, RR- An-
tonio Valeniim da sitva-rrm'0'la, pir II I *"* 'j-
quidantes das liriuas Uarro:a i.olejajiros j Bir-
roca & Caslrc.- $t. Caito.'. 'J'l'C"
N. 8,544. PernamUucn, prinaaris-A
vel Duboureq e Antonio Dabourcq-,-
os adininisira lores da massa falliJa
Stopple da Silva. RR. i Barao dj Livr
Ant nio de Brito Baetos. I o oi^t r 'i
N. 8:527. Pernambuco Jose PoroiwUMfoei-
ra. R. Bernardo Gomes de M niri Grrafinllo fep'l
moes. i '
Na se 8,460. Recurrent* a Santa Casa 4 Mwertoirdia
Jo Recife; reeorridos Symphronkj Olympio de
Queiroz e ounlrosi Juizes relator o Sr. barao
Montserrat, e revisores os Srs. Mariaol oaiaciw-.
Silva. Foi negada arevisti, nlo votiotltwper in>
pedido o Sr. Villares.-
Na sessao de 17 o Sr. conselheiro AUmcuier-
que expoz os funlamentos pro e contra in,ce-
vista civei n. 8,508.-(De aconlaosda reiacao de
Pernaumbuco.)-Recorreute, Lino fertaira da Sil-
va ; reeorridos, 03 herderos de Joaquim Correa de
Araujo e ouiros. Feita a exposicao, passou os au-
tos ao Sr. e-inselheiro'Costa Pinto.
Jjii/i'x iiii-oEin .-- Petosaprenm tribu-
nal d* iujtici foi remettida ao goverao Imperial a
lista-de dezeseis juizes (ft dire*mais antigos do
imperio eonrorme a nltima revliao- orgaoizada pe-
la eoainiHsao raspeciiva e aoprovaUa por esle tri-
bunal :
Ant nio Henrique fie Miranda.
Joao salume Queiroga.
Francisco Rjdriguos Sette.
Ignaelo Carlos Freire de Carvalho.
J ilo da Co.-ta Lima e Castro.
Felippe Alv.'s de Carvalho.
Antonio Gomes Mllaoa.
Antoaio Buarqoe Lima.
DJnirl Luiz Rosa.
Virginio Ilenpques Costa,
Domiogos Ribeiro Folha.
Antonii AngBWo da'Sllva.
Antonio Agoello Ribeiro.
Alexandre" Pinto Lobso.
Lujz Barbosa Accioli de Brito. .
Antonio J-.s6 Affjnso'Guimaraes.
Wocieaade Propacndora 4a JnN-
trncc&o Pubfica.Pedem-nos a insercao da
seguinte dettar. ?ao :
Hivendo cossade o motive qne dera Ingar ao
adiamento do concerto vocal e instrumental que
algumas senaoras promovem em beneflclo da so-
ciedade Propagadora da fA'trncoio PnWiea, a
commissSo abaixo assignada declara as pessoas
qne se dignaiam aceitar bilbetes, qua o referido
concerto trra lugar du dia 4 de jomo virfdjhro as
8 horas da noite, no salao do ediieio do arsenal
de marinlia, onle reside o respective inspector.
Os bilhetes s.1o os que ja foram distribuidos",
e os que restam em poder da cotmnissao para as
pessoas que aiuda o nao tivtsVem.
Parochia do Poco da Panelia, 25 de junho de
1874.
Ursulina da Silva Oliveira.
OatiOida Aulraa Ue S"uta,
Carolina Ponies da Gama Dnarle.
Francisca Carolina do Andrade.
Guilhermina Moreira de M. Pinheiro.
Hissa fnnebre.Terga-feira proxima, tera
lugar na capella do gymnasio provincial uma
missa funebre que mania resar o sen director
por alma do Rvd. conego Lino do' Monte CarmeKo
Luna, para o que sao convidados todos os paren-
tes e aquelles que reconheciam-lhe amisade sin-
ce ra.
CoiiKRllio Snpremo Uilltar. -Nas ses-
soes deste tribunal, da 13 e 17 do corrente, foram
julgados os seguintes processos:
Exeirito. -SoldaJis : R-'ginal lo Jo=e dos R"is
accusado do erime de ferimento, tendo sido absol-
vilo ; foi esta sentenja refor.nala para coniemna-
rem o reo a um anno de prisao com trabalho.
Manoel Francisco de Araujo, acsusado do crime
do furto, e.sendo condemnado a tres annos de
prisao rigorosa ; foi esta seatenga conlirmad.j..
Antonio Jose Monteiro, accusado do crime de in-
subordinacao e ferimento, e sendo eondemnada ao
carrinho perpetuo ; foi esta sentenca reformada em
10 annos de prisao com trabalho.Emygdio Jose
Pereira, accusad) do crime de I* desercao simples,
e sentenciado a quatro mezes de prisao, por terse
apresentado passados tres meze3 ; foi eonflrmada
a senten.'a.Joao" Alves de Araujo, accusado do
crime de 1* desercao aggravada, e senteneTaJo a
oito mezes dc prisao, por ter-se apresentado pas-
sados tres mezes; foi confirmada a sentenca.
Jose Antonio Piraentel, accasado do crime de l*
desercao aggravada, e sentenciado a um anno de
prisao ; foi contirmada a sentenca.Bernardo Nu-
nes dos Santos, Andre Gomes da Silva, Maooel Joa-
quim Ribeiro, Josii Vicente Ferreira, Annanias dos
Santos Moreira, Manoel Jose Soares, Joao Neooinu-
eeaodo Espirito Santo, e Joaquim da Silva Gui-
maraes, accusados do crime de 1" desercAo sim-
ple?, e condemnados a seis mezes de prisao cada
um ; foram as senteocas coafirraadas: tenente Es-
tevao Ribeiro dos Santos Monteiro, accasado dos
crimes de arrombamento em uma janella do esta-
do maior, onlo se achava preso, com o fim de eva-
dir-se da prisao, e por haver escnpto palavras in-
decentes e pintu'as obscenas nas parades do mes-
mo estado maior; tendo sido absolvido- no coase
Iho de guerra, o tribunal proferio a slguinte sen-
tenca : NSo obstante, a ma condacta do reo,
cons'ante da sua fe de ouleio, confirmam a sen-
tenca do conselho de guerra, que o absoiveu dos
factos de que foi accusado, pelos seus mesmos fuu-
damentos. Soldado Hygino Pereira dos Santos,
accusado do crime de resistencia, e conderanalo a
um anno do prisao com trabalho ; foi esta seutea-
ca reformada em dous annos de prisao com tra-
balho.-Joaquim Prudencio, accusado do cr;mj de
amea;a3, e condemnado em seis mezes de prisao
com trabalho; foi reformada a sentenea para ab-
solverem o reo.Manoel Francisco da Paixao, ac-
cusado do crima de 2a deser<;ao simples, e condem-
nado a dous annos de prisao com trabalho, foi con-
firmada a sentenca. Ezequiel Antonio Batista,
accusado do crime da 2' desercao aggravada, e
coademnado a quatro annos de prisao com traba-
lho ; foi confirmaJa a seatenca.Antonio Clemen-
te Bezerra, Camillo Jose Pereira de Queiroz e Joao
Francisco de Albuquerque, accusados do crime tie
1* desercao simple* e condemnaios cada am a seis
mezes de prisao ; foram as sentences eonQrmadas.
Manoe[ Pereira da Silva, accusado do crime de
i* desercao simples e condemnado em dous mezes
de prisao; foi confirmada a seateoca.
Armada : gruraete Francisco Moreira da Silva,
accusado do crime de 3' dejer$ao simples e con-
demnado em um anno de prisao ; foi conQrmada
a sentenca.
Scdulas falsas. Na province do Hio
Grande do Snl appareceram algumas notas de
14000 da 4/ cstampa, qae, depot j de examinada
eonvenientemente na caixa de amortisacao da
c6rte, sobre ella se lavrou o seguinte termo :
i Aos 28 dias do mez de maio de 1874, na sec-
cao de substituicio do papel raoeda, procederam
os abaixo a signados a exama em uma nota de 14
da 4.' estampa n. 6025 da serie 34.', com a assig-
naturaGuilherme Fernandes de Souzaappre-
hendi la na alfandega do Rio Grande do Sul, por
ser alii considerada falsa ; e em resultado de exame reconbsjeram ser ella effeclivamente falsa,
como se e ridencia comparando com nma nota
verdadeira.
c As principaes differencas qus resultam de tal
comparacao sao as seguintes:
< A nota falsa e impressa em papel de algodae
a mulher do recorrido (pouco encorpalo, e por conseguime de raenor coo-
I ststencia : a gravtrra em sua totalidade e pouco


!
i
-
.


-.
-*>
CUM ikkdmkiWlMS^oBUW
%
p *4 nj *a!ieBt < a i .>jt
.ail)

Jo
o'emolonra do
W 4e tres agora* cjue .r
IrWi aftta, ledos *es pint nas bolts'ver-
i? jue sao da panel de Irah) eit.Vo perfeila-
|**aews iprasoaran lo os claws esouros
edistingaaBoscontornos dos diver-
14 f9o VMaes iMhb
unica parte quo, se nao iguv
se i^m> Hi i a das veril rdui-
eoea-irabo do ceatro envoiveado o nouw,
, cms tin la aznW *
a^ssigaatqra ha a declarer que de
itv amWoMhrio de notas do
oas Jo*; Ignaelo de Mes-
aa OawhaTivares, Ante-
aie Loia^Maa-fleUri^,. Joau de Caaro Walker
iMi,WUM rVrcera Bastes e Jose Bornar
P
Ui

f
la* naiaw. Ne dia lo do
pan ft* de Janeiro, fazse exporienc a de
I laanaa do ststeraa Trajano. eoaslraid
do Srs. Goepar & C. E' a primeira
i desie ayaWa eta coastruccoes de (ero.
a Uocha 40 pes de quilha, 9 de boeca, 3,0
>ineM a proa, 6 de pootal e 18 to-
didwwiila Aaehina udafor^i
4* IS eavail n. Com a preisao de 60 libras de's-
i mama de 12 mileis, e se fossem
80 kbras de press.!), a velocidade se-
lia, sefud-) an iaf irraan, de 133|4 a 14 uuln;n
laarba foi enpregado o odometro de
fHnajrfa
Ik Marti,
i das experieacias os Srs. enge-
iGmiMM e Cooper, e o 1* teneate da ar-
loaiCaHee de Carvalho, que esiudou espe-
Jieaoao de odometro roaritimo de
'"> Sr mull Carvalho, a pe lido do Sr. Reynold,
waa taraBaeewenteBMite este apparel ho, afim de pro-
per sara ialroduecae bos navies de nos a armada.
> vidi *c gucrra. -S. M. o Im-
ne dia 16 do eorrenie, as II horjs
m as formalilades do estylo, as ca-
estra* de dou vasos deguerra, reelama-
aoc^ssidaVs do servif.o da marinaa im-
K*es naviis eoastruidos. oelo syste;na
(trim deaimintdos par Saa Magestade
e Pirmakyba ; iquella e una caaho-
sara e esta nma corvett.
a* saaa bmktiso'; sio etlas: a canlioneira
re aaeae de eomprkneoto entre as per
ivts 5I~,45, de b>cca mtldada 8,54, de
*",*, sea cataao e de 3-,05; a cor vela
bW* de eomprimento entre as per
!-. dekocea mold .da IJ-,20, e
!MeAal "".44, o sea eatade e de 4~33.
A flaaTBiaaWB nmu i caahoes de calibre 70 e
asa e lU iesT>leeaa Wilhwirth ; taa velocida-
eV -^ra de 12 .nilhas, e a da Parnahyba de 12 a
in ao a-to o* Srs. ministro i\ marinlia,
dt arseaal. ajadtnte general da armada,
haaM geseraes e deoutras catliegorias da ar
iim.-Deve sahir do Rio de
i para o eosso porto, pelo da Babia, no dia
I It ju '.
.IA se no Di'irio da
i oeeasiio <*.e rer umamachina curio-
u. ae p aehi a ven la na luja dos Srs. Souza
H a FiRk>s, a ]ul cunsiste u'uma caixa de ma-
l_va en "emizal.% qae enc i-tada a urn piano, per
; j*. *>H-ar diversas pecas de rnusica par meio
4e bbu aaaaivela, a qua! poe em inovimjuto sa-
KuleCBMia uoaas p'.qaenat hasie<, qua figuram
de eiaajsia, e perreitameate os subsli-
. I raido 4iver=as p*ras d-s musica.
- A ersas pef Maas abrturas n'uin longo papelao
<^i* se eai d>iteruUod-j e passaado stbre um cy-
iaars e Odrreeea qae vai comprimindo o ar e
b iiiiiil i as kaates sobrc o teclado.
> vmn eardeaes. Una diano italiano
aaiaav-ia qoe o (>a tbj consist ri. que deve ceiebrara se brove-
wt, jif- Segaa^ *e diz, os novos cardeaes serao
niiales : Moasenh >r Merconelli, secretario
4as leMras latiaas; BMasenbor Vit llechi, scere-
rarii da ongregafio dus bispos e regulares ;
- -.-. c V.x'm i!,"-.'-t\i.ir.j do Concilio ; mon-
i ie NiB-i, sab-tiinlo do santa nffloio ; mon-
iwCel essa, arcebispo de Palermo; laonse-
har Paca : moafenhor Aggarbati, bispa de Sini-
; raonsenh >r Mtchal-p, bispo de Pi'.a
%in Jertui ej*> se gorou complelainente a segunda
i.i sin> di imperad-jr, desliuado a cathe-
dral 4e Cc4oaiae fanJiJo com o bronze dos ca-
i;..j* mti a>s franc;zes. A eommissao ea-
earrenla desta nperaci) deciJio qae fosse re-
faaflawe aiadiuma tcrceira vez. Si ua forma
:tui! e iiaa lem i :ros e 10 ceeiimetros de
ii.mitros de diametro ; o
pe>ee>t5O00 kilogrammas.
\ iarierraraa a t.tste de Dres'le, que no dia seguinte ao Pea-
fd qaeiiaad > op imetro cadaver no e.-ta-
"i de in-rinerarlo dos mortos, na rua de
raaraal Ante-da inciu"ra<;.ii, celebDU-se, como
d east an >, a ceremmia fantbre. Ve se por ist)
vai g*nhando pros.lytis esta nova idea...
reatevada.
Dnkcira para **. I'edro. Conta a Voce
A-.'.'- Yer.t < qne no primeira de.-te mez a prin
aiim'i, da family dos prinipes de Catn-
piiraBjce, \r/n a honra oe ser recebida em aadi-
, : >-aato padre^_wn enjas maos deposilou
< Ui> ^*la parte Ja condessa de
igual ofcrla tinha sido ja recebida
jlice no mez de Janeiro, sendo entregue
pjriadira e remettiia tambem pela
de ChambarJ.
de moric. O tribunal de Puyde-
!>>* acaba de coal -innar a morte um tal Char-
les CaassagpeUe, que asassinara um velho de
aaaseata e eiaco annos. sem outro motivo raais
fK e aakalo de roubar a sna victima.
A execojio ha de realisar se n'uma p'raja pu-
can:.
da Bahia. Resumo da lisla
4a 3* Joseria, em benelicio da Casa da Providencia,
ciUaaida a 90 do eorrenie :
V 1110...................... 5:O00i003
N TJ...................... 800i0l)D
n. nn..................... 5oa*t)oo
V3l...................... 200400)
V 271 J e 2763-1005 i cada am
X*. 3J16, I\7, 372, 33, 3i2S c 129l-i0 a
ealiaam.
X lt, 33i. 2316, 781, 1153, 2503, 767,
1511, 1291 e I7U-20I a ctda am:
\. 2761, 611. 1515, !5*9, 915, 3243, 3226,
1271, IW7. IMS, 2>28. 2349, 1961, 2861, 49,
S3*. 16W. 2205. 1W4 e 310510* i cala um.
I itrria do alia de Jaraelro Resuma
4a hata 4a I* Maria (511* em beneficio da bi
MMaeei Taaioense, extrahidi a 12 do eorrenie :
S. 9W1...................... *):00)|003
V 3rt...................... 10:00-)/000
N tf.................----- 4:000*000
V 3112...................... 2-.O00JOO0
ax. ter e lt -l.-OOOl a cada nm.
\s. 12W *196i, 26)3 e 5636 -800* a cada um.
\- 1 -. 1874. 2246. 2741. 3268, 3517, 4030,
fititt, 4**4i 5409 -*| a cada am.
a. M. 73L U. 1367, 1734. 2315, 2412, 256),
SJM, SMI, 3723, 3871, 3909, 4054. 4170, 4579,
Mia, Sill. 517* e 5613-10)4 a cada am.
N-. 54. 171. 327, 357, 439, 545, 612, 627, 628,
751. mi. M5X, 1065, 1161, 1163, 1194, 1274,
1467. 4666 IMs. Sl>t8, 2191, 2430, 2-581, 1699,
66S6, 6663. 3189, 3240, 3283, 3411, 3635,
1366, 3417, 3857, 3957, 4014, 4022, 4146,
4HC 1667. 4229, 42JI. 4294, 4437, 4180, M8S,
4766. 4661, 5631. 5068, 5137, 536), 552Cr 5657,
5766. 5777 5633404 a cala am.
ftesaae 4a lieu da l. loteria ( 5l3.) em
aeaaoaaa das eaca* 4a matrix de S. Curistovao, ex
araiada a 17 de eorrente:
X. 1576..... ............... 60:0)04009
K. 5336...................... 10:0001080
* 5751...................... 4:000*000
H. 5361...................... 2:0004000
A. 312: e 54321:000* a cada um.
s. 666, 1666. 3915 e4(45 -800* a cada urn.
5s. 1166. 2182. t738, 278J, 3689, 450J, 457,
4663. 6661 e 3668-209* a ctda am.
la. 563, 616. 1555, 2039, 2263, 2492, 2540,
6M7. 166% 1646, 7, Wll 4701, 4809, 5229,
5371. 5411. 5531. 5*>6 e 57-100* a cada um.
S*. n, 1W, 311, S4, 769, 81t, 1011, 10)6,
4631. 1661, ir7, 1411, 1534, 1379, 1746
fr aalt 5-"* 2& 5; .'
gj, 73, 3050,' 3144,
>, 3665, 3826, 38)8,
'rTlil CD
M| 0e6Qx?i->'r -
receliilo, deve eirrer hole no rtfq^WolrWt
i.oloria do M6:-~"X-W*m\tk
(202) :eaa!a.'>m,auq ioIid 4B uj.u
Loteria. -A n6tf6tfMB>i'ia> "* 16*^
a benelicio da igreja 4V mfc-W, WH qtttl
corre hnie
-i^rMtV*ia^-^fro]e tW'1e#Si!ra '#Vtm#>1to)#
'no arraazem di rua do Trapiche n. 44, o 6fe*li
Iversos generos de eSliva, cotifofms se-acha- afcaAn-
'ciado na sec;ao competento desl9 Binrto:
6en>a*'ageBtf) Was, a rea de lar-
qaet da Olinda a. 25, seguedo andar, de mcvais 9
mais artigos.
Casa da detencAo.Movimento da casa
Je deieacito do ala1 25 de JdtiHo d> f87%.______
Eustiara presos 333, enlrou 3, .*ahlram". 2
existem 334. m^M
A saber : I
Nacionaes 264, motbarAa 0, attrangeiros 25
sjcravos 46, escravas 3. Total 334.
Alimentados a casta dt cofres publicos 272.
Movimento da enferraaria bo dia 26de joalie de
1874.
Teveram baixa :
Manocl Lopes Vidal, gonorr
Joa.^Mfn Henriqaes de dRv'ei
Tiveraa alta :
Patricio Jo^e Ferreira.
Lniz Jos6 do Nascimento.
E. Manoel dos Santos.
David Pereira Barbora.
Passafteiros.Sahidos para o sal no rtpor
inglez Boyne:
Francisco Mamede de Almeida e saa senhora,
Clare Sewell, A. Emery e fcse Julian Car-
neiro.
Ohefrados dos portos do snl no naor brgsi*
leiro P Alf-res Damiao de n. Leite, D. Joanna Targina
de Carvalho, Joie A. DaseaWe, soa senBOra e I
crlada, Dr. Lai* Gonzaga de B. Gaerra 1 esera-
vo. Dr. JoSo G. do Albuquerque e 2 escraaroa, Ha-
noel Villas-B6as, Dr Sabino Lemos, eoameadBdor
Maooel de Amorim Leao, Venceslao Joad Baptists,
Innoceneio P. Nazareth, J- R Smith, Jose Maria
Garcia, D. Maria Torre* e 1 criado. Jusiiao de Aa-
drade, Manoel Bairao R. Reynald, Fehetdade da
G03ta e 2 ex-pracas do exercito.
Segnem para o sal:
CapitSo J. C. AcJioly, enefe de eaqaadra Pedro
da Cunha e 1 lilho, Dr J. J. de P. Seco, sna senho-
ra e 1 fllha, A. T. do Amaral, J. M. Nogaeira. Ma-
ria N. Costa e 3 filhos, Emilia J. de Jesus, 1. ca-
dete A. de Miranda, 5 escravos que acompanham
seu3 senhores.
Cemiterio publiro. Obltuario do dia 25
de junho de 1874 :
Maria Francteca da Coneeiijac, preta, Pernam-
buco, 22 anaos, solteira. Boa-Visa ; tubercalos
pulmonares.
Francisca das Chagas e Silva, branca, Pernam-
buco, 87 anaos, solteira. Boa-Vista, asylo ; trtano
espontaneo.
Leopoldina, parda, Peruambuco, 1 anno, Graca ;
entero colite.
Maria, preta, Pernambux>, 20 mezes, S. Jose ;
diarrhea.
Hermetinda, parda, Pernambuco, 1 anno, Boa-
V;sta ; cnnvulsoej.
Hermclinda Kodrigues Vieira, brauea, P#rnam-
bueo, 15 anaos, solteira, Graca ; gaagrena.
Ernestina, parda,- Pernambuco, 4 mezes, Graca ;
espasmo.
TniBVH.IL DA RKL Vl'lO
SESSaO DE 26 DE Jl'.N'IlO DE 1^74.
PRESIDENOIA DO EXM. SR. CONSEL11EIRO
CAETANO SANTIAGO.
Secrelario Dr. Viryilio Coe.ho.
As 10 horas da manha, presente3 os Sre. des-
embargadores Silva Guimaraes, LourenQo Santia-
go, Almeida Albuquerque, Motta, procurador da
coroa, Accioli, Domingues Silva, Souza Le5o e
Oliveira Majiel, chamid > para o habeas corpus,
faltando o Sr. d;s3mbargilor Reia e Silva, sbrio-
S9 a scssao.
JULGASKNTOS.
Habeas corpus.
Paciente Gratuliano do? San is
oExm. Sr. conieHieiro presidoatj.
soltura.
Recurso crime.
Dj RecifeBjcorrente o juizo de direito, re
corrido Joio Jose de Araujo. Uelator o Sr. des-
embargaJor Do ningues Silva. Sorteados os Srs.
desembargalores l/jurenri Santingo c Accioli. -
Improcedente.
Appellagces crimes.
Do Teixeira. Appellanta o jatzo, appellado
Beaedict), escravo. A novo jury._
De Maranguape.Appellaute Joao Alvesde Bri-
to e OUtro, appellida a just q.Improcedente.
Da Victoria.Appellante o juizo, appellado M r-
noel Caetano Ribeiro. A novo jury.
De Baturite. Appellante Antonio Nogueira
Campos,appellada a justica.Beforaiada a senten-
5a em parte.
Do Triumpho. Appellante Jose Birboz 1 de
Oliveira, appelladi a justiga. -Adiado.
De Alagoa Nova.Appellant! Francisco Ribeiro
da Silva, appjllaJa a jostica.A novo jury.
Do Bui |ue. Appellaaleo juizn appellado Do-
mlagos Vnlelada Silva,A novo jury.
De Tacaratu. Appellante 0 juizo, appellado
Cosrae Jose Pereira.A uovo jury.
Do LiinuiroAppellanta Antoaa Maria de Ja
sus, appellada a jastiga.A uia diligencia.
De Palmare*. Appellante 0 juizo, appellado
Goncalo de Oliveira.Improcedente.
D) Traipii. Appellante 0 juizo, appellado Apri-
gio Rodrigue3 de Albuqaar-jue.MaaJou-se vir
copia da acta.
De Ipojuca.Appellante Feliciana Maria da R>-
cha, appeHado Jose Joaquiu Duarto.A novo jury
Ee PelrasdeFogo. -Appellaute Monoel Vicente
de Oliveira, appellala a justiga. N'ullo 0 pro-
cesso.
De Goyanninha.Appellante 0 juizo, appellado
AnacletoJosede Miranda.A novo jury.
Do lagi. Appellante 0 promoter, appellado
Luz Ignacio de Araujo e ontro.A novo jury.
De Pao d'Alho.Appellante Manoel de Mello
Falcao, appellada a justica.Exigio-se uma copia
dos autos mais com pi la.
Da Bezerros.Appellante 0 juizo, appellado Ma-
noel Marques dos Santos. Reforraou-se a pena
para 0 minimo do art. 193.
De Paulo Affonso. Appellante Pompen Sidrao
de Si jueira Torres, appellada a jostica. Julgou-
se pererapta a accio.
Appellaijioes civeis.
Do Rec fe.Appelaute Joa^uim de Aquino Fon-
ceca, appellada Rita Maria Firmina de Almeida.
Confirmada a senten^a.
D 0 Ipii. Appellantes Adeodato Ferreira de
Souza e outros, appellado f Antonio Raymundo
Pires e outros.Indeferiram a peticao de fl. 369
dos appellantes e deferiram a de fl. 367 do3 ap-
pellados.
Do Recife.Appellante Diaiingos, por
Embargantes beri
^*B|lr% m
De PaLmeW. w
dB'PradS.'MSSm.
' tar^r.-dleSnnM
d^seimjS! 64 Jr b'_ _
I "'. rjAelleribs
De Carolffe.^p6aRle
rWfiao Per#e-rra.
D faleira'. -A|f)t*alMe
AiMpAro da Roc In Finiils.no
retii^WW./.-ljtO^
de Sebastiao Antoiio
]a*3 Wl^flW Constantino
'Doiningu
iLeao :
-1 ,"WI
Vihl. Relater
ConceJeram
17*3,
27di,
328i,
3852,
'875,
!St. T ". !*, 415< 4536, 4740, 46J!
46W. 5166 3WI, 5173, 5*63, 5370, 448, 9*?
56H. 9m, 3168 e 5929 -40* a cada am.
A aderia sefoado telegrafflm hontem
sou cu-
rador, appellada'Maria da Coacefcao Siares Bran-
dao.Desprezaram os embargos.
Do Recife.Appellante Joanna, por sea cara-
dor, appellado Polyoarpo J036 Layme.Confirma-
da a seateaca.
Do Ceari. Appellante a fazenda, appellado
Carlos Ernesto de M Falcao.Confirmada a sen-
tence
Da Parahyba.Appellante Francisco Jose Pe-
reira, appellado Manoel Dantas Corre a de Goes.
- Coniirmada a sentenca.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva :
Appellacao civel.
Da Recife. Appellante Salvador de Siqueira
Cavalcante, appellada Joaquim Salvador de Si-
queira Cavalcante.
Appellaglo commercial.
Do Recife.Appellante Rosa Adoar, appellada a
companhia de aegaroi Tne Liverpool & London e
Globe.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Albuquerque :
Appellacio civel.
Do Recife. AppoJIante Jose Quirino de Agui-
r & C, appeUados Tasso Irmae & C
Do Sr. desembargador MoUa ao Sr. deiembar
gador Accioli: -
Embargo* do juiz municipal de Agua-PreU.
Embargantes Jose Ailonso Ferreira e outros, em-
bargado Antonio Gomes de Macedo.
Do Sr. desembargador Acoiou ao 9r. desembar-
gador Domingues Silva :
Appellacao commercial.
Appellantes Adamson How 4 C, appellados os
curadores da massa de Manoel Joss" Moateiro Tor-
res appellantes Augusto Tapenubak. A C, appel-
lados Magalhae3 & Irmio^
Appellacoss civets.
Do Recife.Appellante AgosVinho Ferreira Ju-
nior, appellado Emiiio Pereira de Abreu.
Da Fazenda. Appellantes os berdanos de Jose.
h'giao de MJrandi, appeUada a taienda Bninal.
m CSbU Atpellanle 0 jule,i*pB*l6o tiar !eu 0 mulatinho Ma
iEugenio Vieira. nJ")
Appellantes AugustoTapehubak & C, appellados
.istwdijros,da massa de Magalhaes & lrmao.
iarjAdot Sauza [Mo at| $1. Jleif
gaaersirva GWrnataes
- .^Jplatf8f
App^HpiteJdJR d
les.
py
lie a mim
al objecto (
ulgarment
or um fo
Q-:
oca
'og
ueao trabaiho fni
ollocada a pistola,
ua, e das varan *
enciaram 0 fa>
A I'HAJfcfniv
agr mas\*atte
1 um 1
m
MJfflffi*
les, qae o Conros avariado*tO.
a pistola, loftpa 30.barricas.
(ires, feita (j Xarque i;ii*WO kilo?.
=
todo a o/dem.
r
por elle auxiTiaiTo.* Depo
lanceTtogn_. Muilas pessoas da
I Adjaceules pre-
s*ae6pi>l^-4T qKr amp
laooel
rceira
ppare-
de-envolta com uma malta
e^;on^ce^^a,3acu1T^la. _
sou fiso entre (oo^^a^fg4ja^jB/ni
niuo
justica ; appellante 0 juizo, appe
reira Barbosa.
Ao Sf. desembargador Lourenco-'Santi.
Appelhfiao cii&ytFj.
Appellant Antonio Perreirtrde ROBha,
do'Jole Gcmes Rodrigues de Albuquerque
Diligencia crime.
Ao Sr. desflmbargarlor promotorfla-justica :
appellanle 0 Juizo, appellado Constantino Bar-
"-".IB* '*!**.*&
Ao Dr. curadorgeral :
Do Recife.Appe1IaaTte3 e appellados Jose Jaco-
me Tasso 6>o Dr. CiCHiaan MBnai4jd(|ri3 Few-ira
AssigrtegTse dia para ju^anBBo Sis sagaiates
feitos : *3i odsoad
AppelMcSes eivels.
Do Recife. AflfeHante Ago9finho Fenyira Jn-
aior, appellado EtBiUo Paw ra de Abreu : appel-
lante Dr, Joaquim de A luiao Foaceca, appellada
Rita Maria F. de Almeida.
Appelfante Augusto Morton, appetfado Lindstdn
Robiliiard & C.
Appellaeoes crimes. '
De Bezewes.Appellante 0 junto, appellado Ma-
no-1 Marcos dos Santos.
De Paulo Affouso.-Appellante Pofpftn CidrSo
de Siqueira forres, apnettada a Joe Ufa.
DlSTRIBflOOES.
Appellacoes crimes.
N. 13Ao Sr. desembargador Accioli :
Do Cabo.Appellante Fran:isca.daiChagas do
Monte, appellado 0 juizo.
N. 14 -Ao Sr. desembargador Silva Gnimaraes:
Do Porto de Pedras.Appellante o juizo, appel-
lado Jose, escravo.
N. to-Ao Sr. desembargador Sonza Leao :
Da Victoria.Appellante 0 juiw, appellado Jose
de Barros Corre\j.
N. 16Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Do Cab '.Appellante 0 juizo, appellala Luiza
Maria do Espirito Sant).
N. 17-AoSr. desembargador Almeida Albu
querque :
Do Brejo.Appellaate o juizo, anpellado Manoel
da Silva Cavalcante.
N. IS -Ao Sr.de-embargador Accioli:
De Buique.Appellante 0 juizo, appellado Jose
Florencio de Souza.
Encerrouse a sessao a3 2 Boras depois do
meio dia.
a
Caus
Hanoef.
Animado pelo riso dos-eircumtantes mais saco-
eue a Bistela, daado oecastio a haver a ex
losao. > ,,' ,, ..
Nib chamei ; e neuMesso) aiaumarChamou a
chava.
Que interesse tinha ea que tal crianca se ferisse
loumorresse? -Wbd aMTaiuBfs'r ..
Quem 0 chamou para arrancar a pistola do lu-
Igaa'onde esta*atfa'jb &m-h a M- ijairtl. I
r gBdig|u6WlB prefer tal OTB)go4Bl6cmB>
A policia, como disseram Vs Ss., cumprio 0 seu
PARTE POLilICA
P.4RTIOO C;^iSKStVi!S>5aS
RECIFE, 27 DE JUNHO DE 1874.
Para antiaraaer a Proaiacia.
Estao os prov incianos todos vs dias a provocar-
nos para que responlamos ao discurso do Sr.
Paulino de Souza, en vez do nos occuparmof
com elles.
Pois bem, ja qne tanto insistem, vamos dizer a
respeito de seu pedido, a que nSo haviamos ligado
importancia algumi, uma 6palavra, com a qua!
e.-peramos salisfazel-os.
Esta palavra 6 : que leiam 03 projv'nriano.*, Ho
desejosos "de resposta ao Sr. Paulino de Sooza, 0
soberbo discurso do eminente visconde do Rio
Branco, resposta esmagadora e cabal a aquelle
"astre deputado. .^tfl
Neste Diari'h se n.\o nesta colmnivi, em outra
parte, ja fol pnbllcad > o discuo do illustrado
visconde. Leiam-no os prooincianos, que logo
eessarao de pedttuhar nos para quo respon !amos
ao discurso do Sr. Paulino de Souza, cujas. mtrw-
gens foram completameate des'eitas pela palavra
poderosa e energica do beiemerito preMdeute do
conselho de ministros.
Se com 0 seu constaoto pedido procuravam os
prcvincianos di-trahir-nos a atteagft > de saw
mazellas, com 0 que deixamos dito, temos cartado
0 triste e vao recurso de que lanearam mio.
rW
O Sr. Dr. Aiuorico Alvares
iiisiiarJEes.
0 Jornal do Cammereio, do Rio, de 24 de maio
ultimo, pablica 0 seguinte :
Ld se na Monarchia :
0 Brasil e fertil em genios : a? lettras, as ar-
tes, as sciencias adornadas com cs mais virenles
louros, cam as palmasdo triumpoem punhOjCon-
gregam-se ecarainham juntas, daudo a palria uma
gloria immorredoura que ira a proster^dade mai
resplendente de brilbo.
Quando as artes teem um Victor Meirellcs,
um Pedro Americo, um Trajano e Carlos Gomes;
quando as lettras tern um Macedo, um Magalhae3,
e tiveram um Goncalves Dias e Junqueira Freire,
Casimiro de Abreu e Alvares de Azevedo; a
sciencia de Hypocrates, que muito se tem desen-
volvido e aperfeicoado pelas louvaveis locubrajoes
dos B6U3 professionaes, tem sido notavelmente il-
lustrada por muitos medico3 entre os quaos, alem
de outros, conta 0 Brasil 0 nome do Dr. Americo
Alvares Guimaraes, eater de diversas obras como
sejam : um opusculo sobre a febre annrella e cho-
lera morbus ; a desv -.nlagem da colonisacao afri-
cana ; memoria sobre a inftnencia que os panla-
nos exereem sobre 0 pkyrico #- mor&l do liomnn ;
dita sobre a ilha e presidio de Fernando de Noro
nha; dita sobre as vanlagena di vaccina e contra
os preconceitos da liga ante vaccinista ; descrip
quo minuciosa di Cidade do Recife, seu progresso
material, moral e instructivo ; conveniencia da
adopcao dos poqos lubulares instantaneos, e seu
exlenso uso em regioes analogas ao Brasil; ideas
e instrucgoes sobre a dysenteria epidemica.
Alem das obras que tem escripto, 0 Sr. Dr.
Alvares Guimaraes exercen com louvor diversos
cargos elevalos na instruccao publica do imperio;
desempenbou com humanidade nao poucas e arris-
cadas (commiss5e3 medicas epidemicas ; occupou
importante3 posicoes de eleicao oopular; e quasi
sempre esteve a testa de estabel jcimentos hospita
lares, ou entregue a uma erescida clinica, origi-
nada pelo gosto e cuidado, que se notam qoando
exerce sua nobre proflssao.
t 0 Sr. Dr. Alvares Gunneries rovela a mais
cultivala intelligencia, e 0 mais brilltante taleoto,
que muito tem conoorrido para 0 jueto conceito
em que e tido entre os sens dignos eollegas.
a Medicos como 0 Sr. Dr. Alvares Caimaraes
honram a sciencia que professam, e s5o4ignos das
bencaoe da humanidade qae os venera.
Ainda conservando em lembran^a os dous ex-
cellentes escrlptos do illustrado Sr. Dr. Alvares
Guimaraes sobre as observac?ies e descripjao de
c uma molestia da pelle desconhecida dos patho-
Iogistas, b e acerca das a propriedades phisyo-
logicas e terapeuticaa do ve^tal-caicurii, pu-
blicadas na imprensa do RioTSrande do Sul e de
outras provincias; permitta-me 0 illustre escriptor
da Monarchia qae, anindo-me aos seus justos
pensamentos sabre 0 merlto e illustracao de^e
distincto facultativo, renfla-lhe 0 verdadeiro preno
r. vr. delegado ae"poTIc65as ma:
e urbanas com que tratdartoe.
Antonio. Bezeira
Con-istgrio da irmandlde de Santa Cecilia, erect 1
oa igreja dfe-Nosa Senhera do Livramanto, cm
mesa regedora, 2J(Wjunhode 1871.
^"r*?S^ ***** rIti*^ittJ*'>? sB' t*dos
os' men? Irmilo* a aerltteraljao ijae a mesma to-
Xde mandar publicar-o art. 7o %% 1." e 2. e os
TdtWl>d4JliB) laifciaiiaaiaronifesoi-
a Ait. 73. 0' director qua coraridar para tocar
ou cantar. pessoas quenao.partencam aitmandade
de Santa Cecilia, pagara paia 0 eofra da irmanda-
de tanto quanto perceberem "ditas pessoas, seja
uma ou mais, exceptuando ;
r A ju jlles profess ires ljuo sendo irmaos das
irmandades de Santa Cecilia nas outras provincias
do imperio, aprosentarem a esta irmanjade paten-
tes que os declare laes: m .3 que nao sejam com
tudo domicilianos nesta cidade.
3' Os discipuloa dos directores, emquanio se
acharem debaixo de seu3 dominlos e direc^fles.
Art. 7G. Qaaudo as poi^ag de que trata 0 arti-
g antecedente foreto eatflar, oa toear por obse
quio, graluitaineule, aiuda assim 0 director entra-
ra paja oxufre.n a quatma.de lanio quaoto el-
las deveria'm ga'nhar pela (abella.
A-t. 80. Logo qua por motivos jastos e provados
(or suspeuso qualqjerflKector 4a soa paten'e, a
mesa 0 fara constar a todos oa. irmaos por meio
de uma circular: e aquelle irma 1 que faltando ao
disposto neste compromisso' cOaljuvar a e-;e di-
rector suspen^o em qualqier fnnccao, pagara pa-
ra 0 eofre oduplo do qwBella 4ve percener.
Art. 18. Sera do restrielo dever de todo director
que dirigir qualquer funcgao musical participar
antes por escripto ao pr curador geral qual a fon-
cgao que vai ter lugar, para este fazer o compe-
tente assento em livro proprio para este 9m des-
tinado, sob pena, se o contrano praticar, de pagar
0 dobro da funccao que tiver occullado.
Assim como chamo a ailengio dos mesmos ir-
maos que se aeham debitados para com a irman-
dade, a vir pagar 0 seu debila no prazo de oito
dias a contar desta data, e so assim nao iizerem
verSo os seus nomes por exlenso nesti rnesma fo-
Ilia.
0 secretario,
Benlo da Silva Ramaiho.
Prejudicial no cabello.
E' par certo uraa grande loucura 0 cerrar-se os
poros do cran^o com oleos e pomadas gordareatas
e espessas que impedem a livre evaporacao que tio
essencial 6 para a saaidade do cabello. Refresque-
ce-se e viviS^ne'SO a cuticula frcquentcmente com
Tonico Orieutal, 0 qual d proinptamente absorvi-
do e conduzido as raizes dos cabellos, assemelhan
dose perfeitamenle com elles.
Fazei rlto duas vezes ao din, e 0 vo-so cabello
nunca cahira, nem tornarse-ha secco, a?pcn> on
duxo. 0 Tonico contem parto comp >ia3 de vega-
taes que na ehimica sao equivalentes a rnesma
materia da* fibras, por conseqnencia achase ad-
miravel e philoiop*hicamente adaptado para 0 fim
a que so destina.
Patacho nacioaai.fl^a^ctf, enlrado do Rio (Iran-
ftijdd^M na rnesma data e coasigaado a Balur
Oliveira A C., mankaatou ;
Gfataem bexiga 7.0)0 kilos,,
Aofcdxtfn rama 180 kilos.
Xarque 148,860 kilos /
'UaCiC -:- .
t)ESPACH03 DE BXPOHTaLAO NO DIA 25 DF
Wnii JUNHO DE 1874.
O0.ti Para. os.portos do.exterior.
No vapor inglez Fire Queen, para Liverpool,
fclfoTBgBU,: R. Schmmetlau & C. 224 saccas com
06346- kilos de algodao ; E. A. Burle 4 C. 189
bias com 13,727 ditoa dedito ; S. Brothers & C.
78 4aUs com 5,607 ditoa de dito. .
Para os portos do interior.
Para 0 Para, na barea pcrtugueza Arabella,
carragou: J. G. do Rego Pootes 10 pipas com 4,800
1-troB de alcool.
Para 0 Aracaty, oa barcaca Ft r do Jar dim,
carregou' Pinto, Alves A C. 13 barricas com
1,149 kilos de aasacar refiaado.
Para Mossaro, na barcaca Doh$ Amigos, car-
regou : Macedo, Ba*t09 & C 10 barricas com 720
kites de assucar branco.
Para Macao, na barcaca Riachuello, carre-
gou : N. Gift>ne 1 lata com 7 kilos de assacar
branco.
CAPATAZI4 DA ALFANDEGA
rtendimento a dia I a 23. 13:3224661
daoj do dia 2o ..... 708;6o5
Tavira.
Torres Noras.
Vhnns.
Vflt* da Pftra,
Thomar
Valenca.
Vwit'dV'Odlide.
Villa Real.
Villa Real in *. Antonio. Vttt* Poacad'Agaiar.
"** -'Bt*W
Villa ^ova" da
Hcspa
Madrid.
Vpgo.
'iJarcelena.
z-m.
.apital.
^undo
I j
CAMMEBOIG.
JU.\'TA DOS CORliETORES
Praca du Uccirc, SO de jaulio
dc 1894.
AS, 3 DORAS DA TARDE.
COTACOBS 0FFIC1AKS
Algodao de sorte 74600 oor 15 kilos.
Assucar Canal 1$2C0 por 13 kilo3.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 2b 1(4 e 2o 3,8
d. por 14O0i>.
Dito sobre dito a 90 div. 23 l|8.d. por 14000,
do banco.
Dito sobre dito a 90 d[V 25 3|8 d. por 1$000,
hontem.
Cambio-sobre Paris a vista 385 rs. 0 franco, do
banco. ,
Cambio sobre Hamburgo a vista 47o rs. por R.
M., do banco.
Cambio sobre 0 Porto a 90 d|v. 113 0(0 de pre-
mio, do banco,
lito sobre dito a 90 d|v. 103 0(0 de premio.
Cambio sobre Lisboa a 90 d|v. 113 0(0 de pre-
mio, do banco.
Dito sobre uito a 3 d[v 116 0|0 de premio,
banco.
Dito sobre dito a 90 d(v. 109 0(0 de premio.
Cambio sobre a Bahia a 8 div. ao par.
ii. de Vasconcellos
Presidente.
A P. de Lemos
Secrelario-.

VOLUMES SAHiDOS
No dia t a 23.....
So dia 26
Primeira porvs.....
iegunda porta.....
P^fceira port*.....
luaru porta......
T rpiche Ccfleeicae .
U:231*:ill)
17,681
74
66
265
221
18,307
SERVICO MARITIMO
uvarengas descarregadas ao trapicle da
atfarJeKa :
No dia 1 a 2 25 ....
N'o dia 26. .
Jo trapicha Conceicio ...
.
44
2
1
u
RBCEBEDORIA DE RENDAS INTi RNA9 GE-
RAJBS DE PKRNAMBUC
dim do dia 26 .... 2:03G;560
54:1794510
aO,4)OO:00O6*a>
de re^erva. 8,O00:O0O#O
Agates,
JfiHSf- tmfffatnS C
RUA DA CMSIW. W.
___ .SOBBi? .
_Aiigiislo F.d'Opr. & C.
A casa corhmercialfi toatlfearra rj>Aujrast<>
j d'Oliveira di C, a rua do fo-ftrfifercib rrs
42, encarrega-se rJeexecu?ao de orfens.
para embarque de pr6(ljctos'B dd todoi u-
mais negocios de coramissSo, quet commer-
ciaes, qucr bancarios.
Deconta lettras, e torna diabeiro a pre-
mio, cornpra carobiaes, e MCa S vista e a
jazo, & voirtade do totiMrdor, sobre as sc-
guintes pragas estrangeiras e naciorlaes :
Londres. Sobre o twios bank or
LONDON, O LONDON AB HANSEATIC BANK,
limited, e yarias casas de i.' elesse.
Paris. Sobre.os hanqueiros fould
& C, MAJVCUARD Ktimi & C. 6 A. BtiCQHB,
TlCNALd. .J i.
IIamli 11 rgo. Sobro os Srs. joIo
SCIIU BACK & FTLB'S.
Lisboa. Sobre os Srs. rOwsiCAS,
SANTOS & VI.VNNA, 0 SEBASTIAO JOSE DE
ABREU.
Porto. Sobre 0 banco oniao do poro
0 Sr. JOAQUIM PINTO OA FONSEG4-
Para. Sobre 0 banco commercu-
00 para, e os Srs. francisco gaudencio da
COSTA & FILHOS.
llaranhao. Sobre 0 Sr. jose fer-
reira DA SILVA JUNIOR.
Ceara. Sobre os Srs. 1. s. de vas-
concellos & SONS.
Dalaia. Sobre os Srs. marinhos & c-
Rio de Janeiro. Sobre 0 banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
BANQUE BRASILIENNE FRANgAISE.
CONSULADO PROYL\aA
rtdodimcuio do dia 1
'dam do ih 26
a 23
122:3714163
65164362
129.117*323
do
ALFANDEGA.
Readiraenw do dia 1 a 23.
idm do dit 26. ...
469:702*69)
27:299/674
497:0024363
Descarregam hoje 27 de junho de 1874.
Barca ingleza" Wenifrid mercadorias para
alfandega.
nacioaal Hirauez de Caxias (espe-
rsdo) generos nacionaes para 0 trapiche
Dantas.
Vapor
Importacuo.
Vapor aacional Pard, eatrado 003 portos do sol
em 26 do eorrente e eonsipwdo a Pereira Vianna
& C, ani(eslou : .
Carga do Rw do Janeiro.
Cafe 200 saccos a. Fernanda & lrmao, 100 a
Souza Bastos & C, 100 a Antonio Jose Goojes, 100
a Fragai Roclia, 10O a J. J. Rodrlguas Mendes,
100 a Antonio Luis de QUwira Azevedo> 50 a Joa-
3uim L de Azevedo. Cigarros 14 barricas a or-
Fariaha de trigo 1,000 meio3 saccosa JoSo Qae-
rino de Aguilar & C Pumo 154 rolos, 60 latas e
10 pacotes a J. J. Goncalves BeltrSo & Filho, 90
rolos a Antouio L. de 0. Azevedo, W caixas e 30
rolos a Jos6 Maria Patatewa, 82 ruloee 1 caixa a
Joaquim Jese de Axeveao, 30 oaixas a Carlos A.
Barbosa, 40 roles a Hagalaaes 4rmao, 20-cauus
aos consignatarios, 9 encapados a Bourgard & d,
8. caixas a Joao Ramos & Machade.
i Livros 9 volaaaes a E. R. RabeUo & a, 1 caixa
[de homeaagem, por haver consagrado auuelle que I, Walfredo 4 Soaza, I aJ. X. de Souza, 1 a De
COMPANHIA ALLIANCA
seguros maritimos e terreo-
tres estabelecida na Bahig
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000:0005000.
Toma seguro de mercadorias e di ribeiro
itco maritimo em navio de vela e vapore*
para dentro e f6ra do imperio, assim comt
jontra fogo sobre predios, generos e fa
rondas.
Ageuto : Joaquim Jose Goncalves Beltrao
ua do Commercio n. 5, 1 andar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companbia Indemnisadora, estabelecid*
aesta praca, toma seguros maritimos sobrt
aavios e seus carregamentos e contra fog(
^m edificios, mercadorias o mobilias: n
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias
.'retes, dinheiro a risco e Qnalmente de qual-
juer natureza, em vapores, nayios vi ela oi
niarcacas, a premios muito modicos..
RUA DO COMMERCIO N. 34.
Seguro conlra-fogo
CHE LIVERPOOL & LONDON & GLOfc
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAUNDERS BROTHERS A C.
11Corpo Santo11
Banco do Minho.
Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Filho sacam
por todos os vapores sobre
Anadia.
Aguida.
Aveiro.
Beja.
Chaves.
Elvas.
Amarante.
Gnimaraes.
Covilbi.
Melgaco.
Portalegre.
Areas de vai de vei.
Celorico de Basto.
Caminha.
Mangualde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanbosa.
?WJMENTO 00
-------------------------------------$----------------------_
Navios ertrad'.s no dia 26.
Rio de Janeiro e portos intermedios-7 dias, vapor
nacional Para, de 1,999 loneladas, commandante
!. tenente Carlos Antonio Gome., eqoipagem
62, C3rga cafe e outros generos; a Pereira Vian-
na & U
Rio Grande d-Sul-23 dias, patacho nacional
Bemfica, de 207 toneladas, capitSo Francisco
Dias da Costa, equipagem 10, carga 148,460ki-
los de came; a Baltar Oliveira & C
Montevideo-20 dias, brigoe hespanhol Enriqueta,
de 180 toneladns. capital Alsina, equipagem 12,
carga came ; a Baltar Oliveira 4 C.
Rio Grande do Sul16 dias. .-unv-ea bespanbola
Nova Eliza, de 124 toneladas, capitao M. Mans-
tany, equipagem 9, carga 133,00) kilos da car-
ne ; a Amorim Irmaos & C.
Rio de Janeiro -9 dia?, brigue inglez Erin, do 239
toneladas, capitao B. Chenooth, equipagem 7,
em lastro ; a Lidstone Robiliiard & C.
Rio Grande do Sul-i8 dias, escuna porlugueza
Christina, de 200 toneladas, CdUitao Joaquim da
Silva Loredo, equipagem 10,carga 164,435 ki-
los de carne; a Manoel da SiLa Maia & C.
Navio sahido no mesmo dia.
Lisboa Lugre porluguez Cidral, capitao Santos,
cam a assucar.
5s
^ITAEl
soe tanto erapauuar-so oelo caltivo das lettrase
pela proOssao a quo se dedica, tio raimosas, quao
eloqueotes expressSes.
F. X Lontra de Assis.
Fe0U>j 4 #. 4oJo.
Srs. redactores do Diario. Na soa Revista Dia-
ria de hoje dao Vs.' Ss. uma falsa nolicia em rela-
cao a um bek) ocaaorrida na uoilede 26, em fren-
te do meu eslneUuimento i rua entreita do Ro-
aario.
Repellindo o titulo de per verso, que tio gratuita
e injustamente ma foi lanoado, venha i imprensa
expor a verdado do que se deu-
Na tarde de 23, appareceu no meu estabeleci-
mento nm portador, quo den-me b objee to, di-
Sendo ter sido mandado -peWSr. Ildefonso de Souto
laior.
Ae oito horas appareceu este e perguntotwne se
me tinham en'.regado um objecto a sea mandado.
Evora. Monsao.
Fafe. Ovar.
Faro. Porto.
Guarda. Tavira.
Leiria. Regoa.
Lisbea. Vizeo.
Barcellos. Figueira.
Coirabra. Umego.
Mirandolla. Estarreja.
Penafiel Valenca.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
Castello-Branco.
Espozende.
Oliveira de Azemeis.
Povoa de Varzim.
Vianna do Castello.
Villa-Nova de PortimSo. Villa-Nova de Famalicao.
Villa do Conde. ,
!\'s ilhas.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terceira.
BnNCQ COMMEHGIHL DE 6RA.GA
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em virtude da ordem da presidencia, de 19
do eorrente me/, manda fazer publico que vSi a
praca no dia 3 de julho proximo vindouro, peran-
te a junta da rnesma thesouraria, a obra dos re-
paro; no empedramento e da bomba da varzea d->
engenho Tapera, na estrada da Victoria, entre o:
marcos 16 e 18,000 brar-as, orgada em 3:2455.
debaixo das condic3es abaixo copiadas :
As pessoas qae se propozerem a esta arreraata-
cio, comparefam na sala das sessoes da referida
junta, naquella data, ao meio dia.
E para constar se mandou fazer publico por
este jornal.
Secretaria da thesouraria provincial, 20 do ju-
nho de 1874.
0 official maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
Clau-ulas especiaes para a arremalacao dos repa-
ros do empedramento e da bomba da varzea
do engenho Tapera, na estrada da Victoria, en-
tro os marcos 16 a 18,000 bra$as.
1* Os reparos do empedramento e -da bomba
serao execul?dos de conformidade com oorcamen-
to, da importancia de 3:2455.
2' 0 arrematante dara principio a obra no pra-
zo de 15 dias, o a concluira no de tre3 mezes.
3' 0 pagamento sera effectuado em tres presta-
Qoes iguaes, a proporcao do trabaiho executado,
sendo a ultima e dirmitiva 15 dias depois de sua
conclnsao.
4' Para tudo mais que n5o se achar especifica-
do, sera reguladO pelo que dispoe- o regulamento
de 24 de fevereiro do eorrente anno.
Jaboatao, 9 de junho de 1874. 0 engenheiro
interino, F. R. Lieutier.
Conforrcc. Loiz Salazar Moscoso da Veiga
Pessoa.
Conforme. M. A. Ferreira.
CO
Jl
Tasso
or
W. 6* Rua do Amorim 16. St
Saca por todos os vapores qualquer quantia a
prazo ou a visti sobre esse Banco, ou suas res-
pectivas agendas nas seguinles cidades, villas de
Portugaie ilhas adjacentes e Hespanba.
A saber :
Partogal e iiuas.
Aguida. Famalicio.
dos
Lailhacar AC.
Maobina de ooslara 20 caixas a A. G. 0. Guima-
raes.
Carga da Bahia. -
CBaratos cajxas a Leal & Irralos, I caixa a
Pereiia Skaoes Oliveira.& If aw- Cigartos 5 barri-sas a ordera.
Fariaaa de mandioca "300 saccos a Antonio s>.
Ponies Guimaraes. Fazonlas 2 caixas a Fross
Brothers. 1 a Cramer Frey & G, la Monhard
Mettler & C. '
Velas de cera 30 c*i>as a, ordam.
Brigue Le3paakxH Btnriqueta, eatrado de Moa
tevideo na.mesau data e consignado a Baltar Oli-
veira & Cmaaifestat:
Xarque H1*,38B kites a of Sera.
Sumaea .Bespanbola Not* Eliza, entrada do Rio
Graade de Stl na rnesma data e consignada & Amo-
Respondi-lho
e nassa oocasiio dbsa' rim lrmao & C, maaifeslou
Amarante. Faro.
Anadia. Figueira.
Areas. Couvda.
Areo de Baulheim. Guarda.
Aveira. GuimarSes.
Barca. - Lagos.
Barcellos. Lamego.
Beja. Lisboa.
Bragatca. Leale.
Cabeceiras de Basto. Mealhada.
Caminha. Melgaco. Miraadella.
Chaves.
Coirabra. Moncao.
Coora. Oliveira de Aiemeis
Covilha. Ovar.
Elvas. Penafiel.
Extremox. Pinhel.
Evora. Ponte do Lima.
Pale. Povoa de Lanhoso.
Funchal. Port'Alegre.
Fayal. portimao.
Por. Regoa. Povoa de Varzim.
SilTOS.
0 abaixo assignado, presidente. da camara
municipal desta cidade, faz publico que em vir-
tude do disposto no art. 30 do regulamento que
baixou com o decrelo n. 5,135 de 13 de novem-
bro de 1872, deve a junta de emancipacao de es-
cravos desta cidade, reonir-se no dia 5 de ju'uo
vindouro, as 10 horas do dia, no paco da camara
municipal, afim de dar principio aos seus traba-
Ihos delerminados no dito regulamento.
E para constar faeo o presente.
Paco da camara municipal, 20 de junho de
1874.
Manoel Joaquim do Rego Albuquerque
Edital n. 186.
Pela insptctoria da alfandega se faz publico, que
nao tend.-se apresentado proposta alguma para o
fornecimento do expedieale da gnarda-moria, de
novo sao conviiado3 os senhores pretendentes a
apresentarem as suas propostas era carta fechada,
as 11 horas da manha do dia 30 do cerrente,
objectos seguintes:
Lonas.
Brim.
Bandeiras nacionaes de 2 e 3 panocs.
Oleo de linhaQa.
Tintas preparadas a oleo.
Ditas em po.
Btmi.
Alcatrio.
Vernix.
Fio de algodao.
Tijolo para limp r ferragens
Piassava.
Estepa.
Graxa de sebo.
Cera era grume.
Cadarco e.;treito.
Azarcio.
Taixa de bemba.
Cabcu de duTerentes qualidadea e grossuras.
Azeite de carrapato.
kerosene.
Lanternas. ou pharoea.
Forquetas de ferro.
Correntes de differentes groaiuras.
Ferros de differentes tatnanhos.
Remos de 12, 14 e 16 pes.
Lone* para mesa e cozinha.
AMandega d Pernimbuco, 26 de junho
de 1874.
0 inspector,
Fabio A. de Carvalho Heis*
I

1




Diario de Parwmbaco Sabbado 27 de Junbo A 1814.
resorrido Cazer de novo
fallida da firms
HflMoA C, coovoco pelo
da diu massa, pan
a pelas 11 ho-
or si, oo seas procu-
a Bomeacio de adrai-
m conhecimento de
o presente, que sera
alliiado nos lu-
1874
junho de
Maria Rodrigues do Nasci-
osubscrevi.
i 4m Bago Barros de Laceria.
300 rj___V. S. S. ex causa.
ECUMCOEt.
an municipal desta
a mesma eamara prin-
ordinaria deste anno.
icipsi do Recife, 26
0 secretario,
Praacisco Aogosto da Costa.
Santa Osa de Misericordia
do Recife.
raraat a Baa. joaaa adminisiraUva desta santa
peUs 3 horas da Urde, o
bo trimestre de jalbo a
pios a sea cargo,
II, conslanles da relacio
par base os menores pre-
ja aprrseatadas, e que podem
pel js oaeressados, na secretaria.
de wiiia 4a terra, litro
la, kflograsamo.
da Santa Casa da Misericordia
27 de junbo de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Santa Casa da Misericordia
Recife.
do
aaaae a Was jaata administrauva desta san
a, tea de m a pra;a, na sila das suas ses-
,oa 4u 2 de jalSj proximofataro, a renda do
: a patrnaonio dos orphaos, no lu-
pela maior quaulia qne for
ejoicin. pfir<-m. da a mm
i logo aue pela junta the for exigida.
da Santa Casa da Misericordia
t, 26 de junho de 1874.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
. Arch.-
ProYincial
%nt.*. c Ace/
. do I ii
do Kit
. ao Or.*
fcnre, Sob.*. 00
lo Gr.. Or. In., do
Os lAtaer.-. dos CCap.\ Seis de Marro
e tai7. Pzuletimia, Conciliacjio, Uuiao e
oaeootoria e Regeneraoao, cenvidam aos
rcOlPo.*. oatjr.-.Ma 33.*. para a sessao
da Gr.-. Off.-. Provincial,
lugar no dia 29 do corrente
as boras da roanha, a rua de Marcilio
Mas a. 31. 2.* andar.__________________
Mssjaado, lancador da recebedorta
proviacia, tern ;de percorrer as se-
Peaka, Viseonde de Inhaunia, Pe-
tarciio Dias, Viracao, Caes do Ra-
d* Areeaal e de S. Pedro, para 0
a* laocament j dos impostor geraes
istrias e proGssoes, e decima
an*aorta; e pelo que faz-se
da lei, que lhe sejam
os recabvs e cJnlralos, para que, em
se possa fixar 0 imposto, com
e local rios dos predios, sitos nas
raas, teem de contxibuir no exerci-
nan.
4e Peraambuco, 23 de junho de
700*000
6011000
4J1XO0T'
6024000
1221000
680*000
601*000
133*000
153*000
243*000
3001000
3781660
1:3001000
1:4001000
701*000
2091000
Caes da Alfandega.
Sobrado meia agua n. 1 '2:100*060
Raa de Marquez da Ottada.
Sobrado n. 33.......1:000*000
Rua da Madre de Dens.
Casa terrea n. 20 .
Becco das Boas,
Sobrado de 2 andares n. Ii .
Idem n. 39.......
Rua da Lap*.
Casa terrea n. 40......
Rua do Amorira.
Sobrdo de 2 andares n. 23 .
Casa terrea n. 84.....
Travessa da Madre de
Sobrado de 1 andar n. 19 .
Casa terrea n. 17.....
t Ruado Burgos.
Idem n. 19.......
Idem n. 21 ......
Rua do Vigario.
2* andar do sobrado n. 27
1* andar do raesrao ,. .
Loja do mesmo ......
Sobrado de 2 andares n. 25 .
Rua do Encanamento.
Subrado de 2 andares n. *3 .
Rua da SenxaHa velha.
Casa terrea n. 16......
Idem n. 23.......
Rua da Guia.
Idem n. 25........2O91O00
Idem n. 29 .-. 2011000
Rna da Crat.
Sobrado de 2 andares n. 12 800*000
Rna de S. Jorge
Casa te rea n. 100......2411000
Os pretendentes deverao apresentar no acto d*
irrematacio as snas fiancas, oo compareceren
icompannados dos respectivos fladores, devendc
pagar alem da renda, 0 premio da quantia en
qne for seguro 0 predio qua contiver estabeleei
nento commercial, assim como 0 servico da lim
peza e precos dos apparelhos.
Secretam da Santa Casa da Misericordia do Rt
Jife, 26 de junho 0 de 1874.
O escrivao, -
Pedro Rodrigues de Souza,
COMPANHIA
DO
BEBERIBE
No dia 30 do corrente, pelas 12 horas
da manha, tera lugar no escriptorio da
companhia, rua do C.abuga n. 16, a arre-
matacao dos cnafarizes abaixo declarados
Os Srs. licitantes podem com pare cer com
seus Qadores ou declaracSo dos mesmos no
mencioaado dia, ou antes no respectivo es-
criptorio, onde melhor poderSo informar-se
das condi^Oes do contrato d'arrematac&o
devendo ser estas propostas em carta fecha-
da. Declara-se aos Srs. licitantes que 0 pa-
gamento sera" feito em sedulas.
BASES SOBRE AS QUAES SE DEVE
LANQAR.
Dairro da Boa Vista.
Chafariz do caes do Capi-
baribe. Dito da rua d'Aurora
Dito da cidade nova de San-
to Amaro. Dito da rua do
Principe. Dito do largo da
Soledade. Dito da caua d'a-
gua dos Kres. Dito da praca
do Conde d'Eu. Dito da rua
de S. Goncalo. Dito de San-
to Amaro das Salinas...... 19:502^(000
Monleiro.
Chafariz dessa.povoacSo. 2010000
Apipucos.
Chafariz dessa povoacjio.. 133^000
Escriptorio da companhia do Beberibe,
25 de juDho de 1874.
O secretario,
Luiz Manoel Rodrigues Valenga.
Consulado provincial
Pela administrpcao do consulado provincial se
faz publico aosrespeeiivos contribuintes, que do
1 de junho vindouro por diante comeca a correr
0 prazo de 30 dias uteis, marcados no artigo 21
do regulamento de 16 de abril Je I8i2 para a
cobranca a bocca do cofre, do 2 semestre dos im-
poses da decima urhana, 5 0|0 sobre bens de mao
mprta, e 60 rs. por litro de aguardente consumida
na provincia, no corrente exercicio de 1873 a
1874, incorrendo na multa de 6.0/0 aquelles dos
contribuintes que os nao satisfizerem nesse prazo.
Cansulado provincial de Pernambuco, 27 de
maio de lS"i.
0 administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
THEATRO
SANTO ANTONIO.
EMPREZA
VICEiTE
Sabbado 27, domingo 28 e
segunda 29 de junho.
PrUneira, seguada a larcatva reprimaiigao i
drama-sacro em 6 actos e 8 quadros :
fts Sele Passos.
Eolram em sccna 70 peasoar.
Scenario e vituario todo novo.
Os bilbetes eslao a venda desde ia no thealro.
Os espectacalca coawcario as 8 Was em poato.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
WavegayMo eoatetra a vapor.
Fernando da Noronha.
0 vapor Jaeuaribe, com-
mandante Julio, aegui-
ra para a porto acima
no dia d* Jnlho proxi-
mo ao meio dia.
Recebe carga ate e dia
30 de janho, eacoauaen-
das, passageiros e dioheiro a frete at* is 11 ho-
ras do dia da aahida: escriptorio ao Forte do Hat-
to n. 12.
COMPANHIA HRA*llM;iR A
DE
NAVEGACAOA VAPOR
aortos ao aul
CAMPO DAS PR1HCEZAS
bompahhiaIrasileira
DIRECTOR
Antonio Carlos do Carmo.
Grande
Sabbado 27 do corrente.
Trabalbam todoa ns artistas.
0 ioven rio grandense Joao Baptista, fara ma-
ravilhas na arte de equitscao no cavallo em pello/
0 artista arabe Algibran dara salios com facas
e raais objectos.
0 distincto equilibrista pernambacano Joao Ter-
tuliano, fara prodigioa em diversas msneiras de
eqnilibrar.
Principiara as 8 horas da noite.
Domingo 28 do corrente.
Pojodoso espectacnlo.
A's 5 lit horas da lard
Segunda-feira 29.
Dia santo.
trande CHpertacuIo.
A's 5 i|* horas da tarde
Cnjo programma oonstara dos melhores traba-
Ihos da companhia.
N. B. Nos domingos e dias santos principiara
sempre
A's & 1|9 horas da tarde.
Os bilbetes vende-se no circo.
PRECOS.
Entrada geral
Cadeiras
uooo
2*000
THEATRO
mik-m PENJHTE
Domingo 28 e segunda-feira
29 do corrente.
I' esperade dos portos
do aorte ate o dia 28 do
corrente e seguira para
os do sul depots da de-
mora do costume.
7-WJAOO VIGARIO-7
tereira Vianna & C.
Li
Rio-Grande do Sul.
PATACHO
II. FRJLMIC.
Recebe carga a frete para o referido porto :
traur eoa Amorim Irmaos C
Libras esterlinas.
Vendem Airjgusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercion. 41._______
Maranhao.
Para o referido porto pretende seguir com pon-
ca demon o thate Olinda, por ter a maior parte
da carga prompts : trata-se com os consignata-
rios Joaquim lose Gngalves Beltrao 4 Fifno, a
rna do Commercio n. 5.
Ceara, Macao e Mossoro.
Para os refertdos portos pretende seguir com a
possivel brevidade o biate Rival, por ter alguma
carga engajada e para a que lhe falta, trata-se
com os coosignatarios Joaquim Jose Goncalves
Bellrao A Filho, a rua do Commercio n. 5.
Para a Bahia.
Para o referido porto segue com brevidade o
hiate Joven Arthur, por ter grande parte da carga
engajada, para o res to que The falta, trata-se com
o sea eonsignatario Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, na rna do Bom Jesus n. 57.
LEILOES.
Leilao
DA
taverna da rua do BrSo do Triumpho n.
165
uora
A'S 11 HORAS DA MANBA
0 agente Martins fara leilao, sem Iimites, a re-
querimento de Jose Jacome Tasso, e por mandado
do Illm. Sr. Dr. jniz de direito da 2." vara do civel,
da armacao e generos da taverna da rua do Ba-
rao do Triumpho e. 65, pertencente a Joaquim Jo-
se da Silva Azevedo, e peuhorada pelo referido
Tasso, para pagamento de alugueU.
s
A's 5 1,9 .horas
O drama raarltimo em
da noite,
4 actos :
4 Senliora da Bunanca.
avisos MARmwim
Companhia Fidelidade
Segaroa marltlmoa e terreatres
A agenda desta companhia toma seguros raa-
ritimos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos o solo livre, e o setimo anno gratuito ac
?egurado:
Feliciano Jose Gomes
Agente.
51 Rua do Apollo 51
0
Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigue na-
tional Isabel, tem parte de sen carregamento en-
gajado ; e para o resto que Ibe falta, trata-se com
o seu eonsignatario Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, rua do Bom Jesus n. 57.
i--;
0 lancador,
Jose Soarts d'Avellar.
A GL\ do Sup.-. Arch.-, do
Univ.'.
taeraak. Ifmnlinit e Fratenudade.
A JUa.'- La.*. Cap.*. a;redo c Amor
*Sa eiJia, ao val.e da rna do Barao da Vic-
an-t m. *, traoafere as saas ses.-. econ.-. para
i de cadi semana em horasado cos-
a correspondencia deve ser reee-
do Roaario n. 26, 2* andar.
;.j. Loj.-. Cap.-. Seajrc-
i. em 23 de junho de
0 secretario,
aftrtrv Petsoa de Laceria.
SaHTa CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Mara. Jaaaa laaaiisi Hi 11 da Santa Casa da
i da Recife, raanda tazer pnnlieo qua
one sessdes, ao dia 2 de julho, pe-
da tarde, tem de ser arrematadas a
i oferecer, pelo tempo de am
dot predios em seguida
ESTJaateuailENTO DE CARIDADE.
ara da Padre Ploriano.
".....201*000
raaKovade SaaU Rita.
_-.....250*000
Roa da. Galcadaa.
m-ao,s^W,- mtm
22UOO0
3101000
408*000
2801000
650*000
304,1000
99*000
120*000
Armazens da companhia per
nambucana.
Seguros contra o togo
A companhia pernambucana, disponao de ex-
cellentes e vastos armazens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commercio em gera]
para deposito de generos, garantindo a maior con-
3ervacjio das mercadorias depositadas, senrico
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex
clusivamente os generos de uma so pessda.
Estes armazens, alem de arejados e commodos.
jao inteiramente novos e asphaltados, isentos de
jupim, ratos, etc., etc.
As pessoas gue quizerem ntilisar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com quern
tratar. _________
Secretaria do gymnasio provincial de Per-
nambuco, 20 de juaho de 1874.
For esta secretaria se declara aes pais, tutores e
procuradores dos alumnos deste instituto, que do
dia 22 do corrente principia a correr o prazo de
oito dias, dentro do qual sao obrigados a pagar a
pensao dos mesmos, corresp.ndente ao terceiro
trimestre do corrente anno.
0 secretario,
____ Celto Fertunano Fernandes Quintella.
De ordem de Illm. Sr. Inspector da thesou-
raria de fazenda publico, para conhecimento dos
interessados, que a praca annunciada para o dia 17
do corrente, para a arrematacSo do fornecimento
de objectos de expediente desta reparticao, duran-
te o semestre de julho a decembro do corrente
anno, e que nao pode ter lugar por causa de con-
enrso que se esta procedendo, sera effectuada a
27 deste mez.
Secretaria da theseuraria de fazenda de Pernam-
buco, 19 Je junho de 1874.
0 2 escrivao servindo de secretario,
Car/05 Jo3o de Souza Correia.
Real companhia de paquetes in-
glezes a vapor.
No dia 28 do corrente espera-se dos portos. do
sul o vapor inglez Neva, com mandante West,
o qual depois da demora do costume, seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens, fretes, etc., trata-se na agencia,
rua do Commercio n. 40.
Rio de Janeiro
Para e indicado porto segue com poucos dias
de demora a barca portugueza Feliz Uniao por
ter a maior parte de seu carregamento engajado,
s para o resto qne lhe falta, trata-se com os con-
eignatarios Joaquim Jose" Goncalves Beltrao JAJFi-
sho.a rna do Commercio n. 5.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacjto costeira a vapor.
GOYANNA.
0 vapor Mandahu,
commandante Mari-
nho, seguira para o
porto acima, ne de
jnlho as 9 horas da
noite.
Recebe carga, eacommendas, passageiros e di-
nheiro a frete: escriptorio no Forte de Mattos
n. 12.
DE
Charutos de Havana.
( em lotes a vontade dos compradores)
Ditai pan meninas.
Ditas de focos para senhoras.
Ditai de ditos para meninas.
Dius de graatas para home ns.
Ditas de ditas para senh ras.
Ditas de golinhas para senhoras.
Fjpelhoe graadei epequenoe, com moldura dou-
rada.
Mantilhas pretas para senhoras.
17 duzias de oleo oriza, perfeito.
Terca-feira 9% do correutc .
No primeiro andar da rua do Vigario The-
norio n. 11.
A'S 11 HORAS EM PONTO.
LEILAO
DE
toda a ferramenta, instruments e uteusilios
da ferraria pertencente a D. Luiza Cons-
tantina Macbaupk
Terca-feira SO do corrente
as II h ras da tnanha
Em o estabelecimento u. 69 da rua do Barao do
Trinmpho, largo do chafariz.
0 agente Dias, competentemenle autorisado por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito da 2.* va
ra desta cidade, levara a leilao, no dia e hora aci-
ma designados, os artigos que abaixo te declara
A*SABER:
: 2 machioas comnletas, para furar, seodo uma
n. 4, e outra n. 7, 6 tomos patentes de bancada, 5
sufras de forjas. 2 folles com forges e todas as
saas periencas, ferramenta completa para serra-
Iheiro, 20 duzias de limas sortidas, 215 folhas de
ferro, 125 chaves sortidas, 250 libras de chuinbo
em barra, novo, 1 balanja decimal, 1 picao, 2 bi-
Sornas, 1 cylindro, 38 cepos de pedra, 10 grades,
varandas, 1,000 libras de ferro, 458 pedals de
dito novo, aco de Milao, parafusos divcrsos, gre
leas para fogao, 3 toneladas de carvao de pedra, 1
dita de ferro velho, 1 relogin, 1 carteira de araa
reilo, era bom estado, e muiios outros artieos que
etsario patentes ao exame dos Srs. compradores
Garante-se a casa a qnalqner pessoa qne pre-
tenda para continuar com a mesma offlcina, e pa-
ra qualquer esclarecimento, a rua do Marqaez de
Olinda n. 37, primeiro andar, escriptorio do ageote.

Agente Pestana
LEILAO
DE
100 saccos com feijao mulatinho, desein-
barcados ultimamente.
TERCA-FEIRA 30 DO CORRENTE
A's 11 horas
No armazem do Sr. Annes, defronte da al-
fandega.
EO preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e nsco de quern pertencer, de 100 saccos de
feijao mulatinho, desembarcados ultimamente, em
nm ou mais lotes, a vontade dos compradores.
Agente Pestana
Leilao
DA
armacjio, generos e mais utencilios da ta-
verna, sita & rua de I.omas Valenlinas
n. 78.
Quarta-feira 1. de julho
as 11 horas da mauha
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quern pertencer, da armacao,
generos e mais utencilios da taverna sita a rua
de Lomas Valentinas n. 78, em urn ou mais lotes,
aPvontade dos compradores.
Quarta feira l. de julho.
as 11 horas
A's It 1|9 horas.
No armazfm da rua do Trapiche n. ii.
Por inlervencao do agente Pinto.
Por occasiao do leilao de cerveja, cognac, tinta
e outros generos de estiva, no armazem dos Srs.
Braga Son & C.
leilao
I-**
do Rosario.
a 24 A
LI
idoCabofi.
de Amerim.
CONSELHO DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARINHA.
0 conselbo contrata no dia 27 do corrente mez,
a vista de proposus recebidas ate as 11 horas da
manha, o fornecimento de ambnlancias aos navios
da armada, assim como os services de barbeiro a
enfermaria de marinha, e a lavagem de roupa,
tanto da mesma como da companhia de aprendizes
artifices, tado durante o proximo exercicio de
1874 a 1875.
Sala das sessdes do conselbo de compras
de marinha de Pernambuco, S3 de junho
de 1874.
0 secretario
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
PROGRESS!) MAR1TIMO DO PORTO
Kmpreia portaenae de navetacao a
vapor entre Portugal e o Brastl
0 VAPOR
Almeida Garret
Commandante Tomasini
ET esperado de Por*
tngal ate 28 do cor-
rente, depois da in-
dispensavel demora
dentro deste porto,
seguira para Bahia e
Rio de Janeiro.
Passagens e fretes de cargas, encomraendas e
valores, tratam-se com os
AGENTES
E. B. Rabello A C.
48 Rua do Commercio 48
U
Henrique.
daCampioa.
DOS ORPHAOS.
deCaxias.
? e*J
11
de Marco.
7001000
2:0001000
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DR PER-
NAMBUCO, 27 DE I UN HO DE 1874.
Mala* a espedlr-te boje ()
Pelo vapor nacional Pard, esta administracao
expede malas para os portos do norte. ,
Recebem-se jornaes, impressos de qualquer na-
tnreza, e cartas a registrar, at6 2 horas de tarde,
cartas ordinarias ate 3 horas, e estas au5 3 lr2,
pagando porte duplo. 0 administrador,
Aflonso do Rego Barros.
Pacific Steam Navigation Companj
ROYAL MAIL STEAMER
CHIMBOKAZO
Espera-se dos por-
tos do sul ate o dia 5
de Jnlho, e depois da
demora do costume
seguira para Liver-
pool tocando em Lis-
boa e Bordios, pan oode reeebera passageiros,
encommendaf, carga e dinheiro a frete.
Nao sahira antes das tres horas da Urde do die
de sua chegada.
OS AGENTES
Wilson Howe C.
14PRAQA DO COMMBRCIO14
DE
generos de estiva, sendo :
10 caixas com cognac Cbanteau Ville.
5 ditas idem idem "*.
10 barricas com cerveja.
25 latas tinta azul preparada a oleo.
25 ditas dita preta idem idem.
Hoje
A's 11 floras.
No armazem da rua do Tnpicbe n. ii.
Braga Son & '., ten Jo mudado o seu arma-
zem de fazendas da rna do Trapiche n. ii para
armazem da rua da Cadeia n. 25, fara leilao
por intervencao do agente Pinto dos generos de
estiva acima mencionados existentes no armazem
velho da rua do Trapiche n. 44, onde se effectua-
ra o leilao.___________
LEILAO
DE
moveise mais artigos, e uma canda propria
para familia
Hoje
A's 11 horas da manha
Em o 2.* andar do sobrado da rna do Marquez de
Olinda n. 25.
0 agente Dias, competentemente autorisado, por
despacho do Illm. Sr. desembargador juiz de or-
phaos, levara a leilao, no dia e hora acima designa-
dos, os moveis e mais artigos pertencentes aos bens
do fallecido Manoel Antonio Vieira
A SABER:
Uma mobiiia de jacaranda, 1 dita de amarello,
1 commoda de dito, i sofa de jacaranda, 2 espe-
lbos, moldura dourada, 4 jarros para flores, 2
bancas para jogo, de jacaranda, 1 mesa redonda
do dito. 1 guarda-roapa de moguo, 1 marqueza de
amarello, 1 mesa de dito, 1 mesa para jogo, 1 ca-
ma de amarello, 1 commoda de mogno, 1 aparador
de amarello, 1 commoda de dito, 1 gnarda-roupa
estragado, 2 pares de lanternas, i candieiro para
kerosene, 1 par de esearradeiras, 1 canoa, pro-
pria para familia, e para qualquer informacao, a
agencia, a rna do Marquez de Olinda n. 37, pri-
meiro andar.
IXovo leiiao
De um sobrado n. 30, sito de de Pelotas, (outr'ora Arag5o) com as
seguintes commodidades : 2 salas, H quar-
tos e cozinha, pavimento terreo, I sala e
2 quartos, bom quintal plantado e ca-
cimba.
QUINTA-FEIRA 2 DE JULHO.
A's 11 horas da manha
No escriptorio i rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar
0 agente Pinho Bjrges, autorisado, vendera em
leilao o referido sobrido por conta e risco de quern
pertencer.
Qualquer esclarecimento relativo, o mesmo agen-
te podedar^__________^_______________
LEILAO ~
DE
fazendas avariadas
miudezas, chapeos de pello preto, diDs de castor,
pretos e brancos, ditos de seda, meias para ho-
raem, algodao azul, gravatas estreitas e largas,
chaptos para senhoras, elastico para botinas,
sapatos de casemira e outros muitos
Quinta-feira 2 de jujho
as tt 1| horas
No primeiro andar do sobrado da rua do
Bom Jesus n. 53.
0 agente Pinho Borges vendera em leilao as fa-
zendas avariadas acima declaradas, por conta e
risco de quern pertencer.
Precisa-se de uma ama
ara cozinhar em casa de
pequena familia, preferin-
do-se escrava : na rua do
Capibaribe n. 40.
CEZES
Vinlio de quinino do Dr
Este vinho preparado com Optimo vioae de
Malaga e o melhor de todoe os tonicos reconsti-
tuintes na convalescenca das mnlestias graves, e
se recommenda para a cura dos padnrimealai
do estumago e inlestiaos, febres de toda a espe-
eie, com o caracter intermittente.
vinho e xarooe de lacd aaosadtato
de cal do r. a^oeoaSe-Reeommeav
dado pelos medicos como o melhor agente re-
eonstituintA para favorecer a notricio, a for-
mafao dos ossos nas crianeas e enriquecer o
sangae.-
viniio de Boldo e ellxlr.da meMma
planta preparado por Frimaulf.
As fullias do boldo sao empregadas na Chile
como roraedio domestico, mnito efficaz, para a
cura dos padecimentos do figado, de qne a o
antidolo, como o quinino 6 das febres.
vinlio e elixir de cacao da Bolivia*
de Cirlmanlt.Tonico fortifipante, diges-
tivo e reparador das forcas exhauridm*.
vinbo de niault. t'reparado com vinho de Irttara e
pyrophosphato de ferro e soda, constitue nn>
precioso agente therapeutics para a cura da
Chlorou, dos padecimentos do estomago, po-
ire za de sangne, chlorose e as diversas moles-
lias das senhoras.
Xorepe de chloral hydratado do Dr.
Leronle.- Os medicos acontelham com
luceesso centra a gota, as aphalgias, vertigens,
hystuna, insomnia, e^ilepsia, nevralgias, tosee
asthmalica, coqueluche, etc.
t'reine de l)imulho de (-riinaull.
Contra as gastritse, diarrheas, gastralgias, dy-
senteria.
Xarope de bromureto de potasaa de
Grimaul*. -Anti nervoso e applicado com
optimo resultado no tratamento da gota e rbeu-
matismo.
Ingit da India de Cirimauli.-Cura ins-
tantemente as enxaque:as, dores de cabeca,
nevralgias e dyarrheas.
Ferro de (lirard. Proloxoto de ferro. 0
melhor de todos os preparados de ferro para o
tratamento das molestias qne reclamam este
agente therapeutico.
Paslil has de mannlla de Grim aul t.
- Empregam se como laxativas e purgativas
contra os catarrhos mncosos, falta de appetite,
catarrho pulmonar.
Oleo de flgado de bacailiaO, terra.
kimono, de tJrimault.E' um medica-
mento de uma efflcacia eonstante contra a
chlorose, pallidas cores, anemia, pbtysica, todas
as molestias dos pulmdrs, lymphatismo, es-
crofulas, etc.
PO iiiro manganico de Burin da
Baisson. Agradavel ao tomar-se, dotado
de propriedade digestivas mni aetivas, e o r>--
medio por excelleocia, na lenchorrea, anemia,
gastralgh, etc
i* a Nii ilia de la eta to de ferro de Bu-
rin da Bulsaon. Digestivas e optimas
no tratamento das menstmacoes difficeis, flores
brancas e todas as affeccoes nervosas do tnbo
digeslivo.
Clycontua Slchel. Linimento muito su-
perior aos cerotos, pomadas e unguentos para a
cura das ulceras e ferid.is de toda a especie.
Capsulas de Aplol de ferimault.
Sao recommendadas pelos medicos para recu-
lansar a menstruacio prevenir as colicas, dissi-
par as dores dos rins e ainda para as febres
inttermitentes rebeldes.
Pllulas de podopbylina de Cri-
nsault. Para a cura de todas as molestias
do (igado, para combater as prisoes de ventrs
rebeldes, etc.
DEPOSITO
PHARMACIA2 E
DE
oiiicu
31 RUA LARGA DO
DROGARIA
* C.
ROSARIO 34
Heiiiiafao.
nn
Grande
Leilao
DE
12 barricas com cimento Portland
Hoje
It 9 do corrente
A'S 11 HORAS DA MANHA
Por intervencao do agente Pinto
No armazem da rna do Trapiche n. 44.
Lisboa e Porto
Segue viagem com a possivel brevidade a barca
portugaeza^Jvoea Vencedora, recebe carga e pas-
sageiros : a tratar com Tito Livio Soares, rna do
1 Torres n. SO.
Agente Pestana
LEILAO
DE
wit ii:zas
Terca-feira SO do corrente
No primeiro andar da rua do Vigario Thenorio
n. If
as 11 horas eat pon to
0 preposto do agente Pestana fara 1 eilao dos
objectos seguintes:
I Daiias de pares debotinas par* senhoras.
Em continuacao
DE
moveis novos para liquidar, no armazem
do Sr. Joao dos Santos Coelho, & rua do
Bom Jesus,n. 44
Quinta-feira 3 de julho
A's 113^4 horas emponto
Um rico piano, i mobiiia nova da jacaranda,
composta de sofa, consolos, com tampos de mar-
more, 4 cadeiras de bracos, 12 ditas de gnarni-
Sio, 1 mobiiia de amarello, nova e completa, guar-
a-vestidos, guarda-ronpa de amarello, camas
francezas de jacaranda e amarello, 1 toilette de
jacaranda, mesa elastics de 18 palmos, ditas pe-
quena?, cadeiras avulsas, consolos, marquez as,
marquezoes para casal e solteiro, lavatonos de
mogno e amarello, bancas para jogo, cadeiras de
faia, ditas de bracos, ditas de balanco, ditas para
creancas, secretaries, carteiras, mesas para es-
criptorio, 1 aparador de mogno, 1 bagatela com
pertencas, cabides, mesas redondas, 6 importan-
tes pedras marmores, com S 1|2 palmos de com-
primento, 4 1(1 de largura e 1 1|2 pollegadas de
grossura, e uma de nove palmos de comprimen-
to, 4 1|2 pellegadas de grossura e outros moveis
que estarao patentes no dia do leilao.
Em continuacao o mesmo agente Pinho Borges
vendera joias de ouro de muito gosto, como: brin-
cos, aderecos, al6netes, anneis, relogios, 1 salva
de prata, e outros artigos do mesmo genero.
0 agente Pinho Borges. autorisado pelo Sr. JoSo
dos Santos Coelho, vendera os moveis acima men-
cionados, ao correr do martello.
O agente convida aos seus freguezes e amigos a
eoncorrerern a este leilao.
Precisa-se do batedores dc sssucar, optimos
rua do Rangel n. 43.
Attengao
Os abaixo assignados declaram pelo presents e
previoem a quera o Sr. Joaquim Tbeodoro Correia
da Siiva oflerecer uma parte do sitio denominado
Cumbe ou Cafezeiro, que nao facam negocio com
o mesmo Sr. Correia, porque este Sr. nao tem
terras nos referidos sitios tern no sitio Cumbe,
nem no Bringucl, nem em ontro qualquer que
facam parte das mallas dos sitios Lumba, Cafe-
zeiros e Bringuel, e pelo presente pratesta contra
qualquer transaccao que com o mesmo flzer qnal-
qner pessoa vifto que os consenhores dos referi-
dos sitios e matlas do Cumbe Cafezeiros e Brin-
guel, sao os abaixo asMgnadcs Antcnia Isabel do
Canto, Uelchiades Manoel dos Santos Lima, Anna
Idalina da Costa Guimaraes, Francisco Rodrigues
dos Santos, Claudino Jose Rodrigues dos Santos.
e Antonio Theodoro dos Santos Lima. -t-i**-^
Aluga-se o terceiro andar e sotao do sobra-
do de azulejo, A rna da Imperatriz n. 14, o quai
tem excellentes commodos para uma numerosa
familia, e outros gozos da vida domestica, como
agua encanada, gaz, muito fresci, e uma excel-
lent vista ; e a grande vanlagem de se achar
caiada e pintada ha pouco tempo: a tratar no pri-
meiro andar do sobrado a rua do Vigario n. 1.
AVISO.
AVISOS DVEBSOS
Aluga-se
Mao se prestando o pequeuo espaco do armazem
n. 10 A, a rua da Madre de Deos, para nm abaste-
cido deposito das diversas marcas de fnmo, que o
abaixo assignado almejava ter, acha-se d'ora em
diante aberto ontro estabelecimento sob a mesma
denominacao de
ARMAZEM DO FTMO
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcoes desejadas, e onde pode-
rao os senhores freguezes dirigir-se, certos de qne,
como ate aqni, acharao sempre a par da modici -
dade dos precos, a maior sinceridade possivel. En-
tre as differentes marcas de fumo da Bahia e Rio
de Janeiro, que tt m sido annunciadas, acaba de
cbegar tuna encommenda especial, que mnito deve
connr aos senhores freguezes. Conscieote o abai-
xo assignado de que neste genero de negocio nao
esta sem eompetidores, fara muito por evitar qne*
tambem os tenha com relacio ao pequeno lucre
qne procurara obter da dita mercadoria.
__________Jose Domingues do Carmo e Silva.
Aluga-se a casa da rua do Nascente n. 20:
a tratar na rua Imperial n- 217. A casa tem com-
naoJos para grande familia.
Villa de Palmares.
As Sras. Carroll participant aos Srs. pais de
familia, que abrirtm um collegio francex para
o sexo feminino ca Villa de Palmares, onde re-
ceberlo alumnas internas t externas. Easinar-
se-ha aldm do francez, portuguez, taglez, arith-
metica, geograpbis, historia, musica, bordados
etc, Tambem so propoem a receber alumnaa das
3 As 6 horas da laide, nor raetade do preco : pa-
ra tratar ui 2SSI!1?' villa, no Pateo da Feira
Francisco Mamede ds Almeida e aaa senho-
ra, nio undo poclido, por ineommodof saude,
despedvrem-se das pessoas de sna amnade, pedem
uma casa terrea muito fresca, a rua das Calcadas detf^M daett faluinvoluritaria ; offerecendo-
saias, ooxinhae quintal JlKe9Mngdjminutos preslimos em Baenos-Ayres,
n. 35, com 3 quartos, 2
com eaeimba ; a traur ca rua Nova n. $$7
t
'*
X

onde iia damorar -se algum temps.


")-

Dfario de Feroambuoo Sabbado 27 de Junho de ISW.
XAROPE DE CHLORAL
DE FOLLET
Pharmacautlco da Paris
propriedadea de caioaai. tern vivamente
a aUenfao das pessoas scientificas e dos medi-
caa, fae nao cessam de utilisar sua virtude nos cazoe
*afc contra oo qoaes se nlo conbecia athe esta data
ooaWa meio de accao efficaz. ~^ -. ^ .
O aw Hamas ha pouco tempo se exprimiu nes seguintes
tenaos, zu Academia das sciencias : Duas substancias
approiimativas, o chloroformio e 0 chloral, que na
" cpwea de sua descoberta foram o assumpto de muito
t profaados e serios estudoa, no poro interesse da scien-
da aaatiatte e das theorias chimicas, tomaram em
'f*iaa parte eafert as preciozos agentes da therapeu-
tica : o chloroiomio para a cbirurgia, %0 chloral para
a aaantecioa.
0 Sar Follet tendo montado uma fabrica para a prepa-
racaa tao delkada de chloral, garante a pureza absoluta
aW an praducto, e para facilitar o emprego d'este mara-
viaWte, aMdicamento, preparaa una Xarope de chloral,
at jramau de chloral em uma colher de sopa.
0 XAROPE BE CHLORAL DE FOLLET, ua
eae ordinaria de uma a duas colheres de sopa prooura
e lacilita aos doentes um somno trauquillo e restaurador
ajae aWe tax experimenter um grande allivio, reslitue-lhe as
fiarcas e o aoimo perdido e ajuda enorracmente a reac-
cae, seuaunca provocar nenbum d esses ace ideates lantas
e laa repetidas vezes produzidos pelo emprego dos opios.
EVbb coosequencia d'estas propriedades eminentemente
que o XAROPE DE CHLORAL DE
e sempre empregado com grande successo
d insomnias, nerralgiat diver sat, gotta, rheu-
, enchaquecas, asthma, bronchites, phtisica,
emUcmshepmticasououtrat, canter, eclampsia, letanos, etc.,
e aa geral, eaa todoe os caios em que uma dor aguda -
aecarrete a falta de somno.
Darante o cerco de Pahs, o Snr douctor Beranger-
ftnmL, chefe do serrico dos feridos no Val-de-Grace,
laaklicoa,nolioletim therapeuticouma serie de observances
*re os resultedos obtidos com o chloral que o Snr
Follet, linlu postoadisposicao do dito hospital; os feridos
rrdaaaaTam o sen emprego com instancia.
O Sar douctor Lecacheur, que muito se occupou do
eaaatcfa do chloral (ou hydrate de chloral) em therapeu-
tka, publicou sobre este assumpto um trabalho notavel
do aal passamos a dar um extracto :
O taaaao e nm dos primeiros e raais constantes effeitos, produzi-
Jat ado hydrate chloral; principia sempre em geral um quarto de
kan an awa asm aepois de se ter administrado o raedicamento.
0 mbm e profando e analogo ao somno normal; nSo e pertur-
aaaa far aaaaas, e nio e acompanhado nem de excitacSo psychica
aaatfa pa de agiucio musculares... 0 despertar se opera sem
accaaentes desagr-adaveu. Geralmente ot doentes, nio se queiiam
ta iarei de estomago, nem depezo de cabeca, nem de cephalgia
aaaw actateoe a maior parte das vexes com o emprego dos opios.
lata: de qne com o opio lorna-se indispensavel elerar progres-
maaea)e as dozes para qne sens mesmos effeitos se continuem a
araaanr e P o mesmo nio acontececom o hydrate de chloral.
!* a gotta, o emprego e accao do chloral so torna ex-
de

1 tremamente precioza, assim como o senor Bergeret
Saint-Legcr o demonstra pela observacjao segunite :
Um doente estaro de caina liavia ja um met, rettido per um atta-
vque de gotta, e durante oilo dias nJo podc dormir, ainda que ei-
t tcnuado pela dftr, insomnias e rigoroia dieta; tudo fazia prever
a noites tcrriveis : administrou-se-lhe de uma sd Tea duas grammas
c de chloral dissolvido em agua com assucar; e dez minutos depois
o doente adormeceu, e o somno durou trez horas; & meianoite des-
( pertou-se sem dOres de cabeca e em um estado de contentamento
indescriptivel, depois adogincccu de novo para todo o resto da
noite.
Oesde enlao coiuinua com o uzo do chloral, e as ancias atrozes e
t dolorozas bem como as contraccfies dos musculos cessaram. >
0 chloral tern tambem uma accao notavel sobre a tosse
que canca tanto os doentes alacados de constipacoes ou
de bronchites.
0 sefior douctor Offret, depois de ter citado em suas
memorias algums cazos de curas rapidas.pelo chloral,
accrescente :
o Poderia citar ainda varias outras observacSes feitas com indivi-
duos altacados de tuberculos pulmunares, em differentes grans,
i de bronchites clu ouicas c aguilas.
c Eslcs doentes extenuados i>cla tosse, privados a maior parte das
t vezes de um somno tranquillo, enconlraram no uzo do chloral um
t grande allivio, quando uiesmo a morphina nSo tenha produzido o
t menor efleito, Os suores aboodantes que opprimem todos os phthi-
sicos me pareceram diminuir sob a influencia d'este medicamento;
f a tosse se tern constantemente apaziguado por uma maueira muito
sensivel.
Os jornaes de medecina e resumos scientificos tem
publicado, os resultados obtidos pelo emprego de chloral
pelos Snr' douclores : Richardson Bergeret de Saint-
Leger Brodbury Richard Berangcr Feraud
Liebreich Westphal Meyer Bardeleben Lan-
genbeck Virchow Dieulafoy Krishaber Demar-
quay Gubler Jastrowitz Liegeois Mauriac
Marjolin Mandl Bouchut Giraldes Yerneuil
Simpson Lambert Tarnier, etc., etc.
0 XAROPE DE CHLORAL DE FOLLET e
pois destinado a prestar servicos iniportantes todas as
vezes que sc trata de calmar uma d<3r dando ao doente
um somno rcparador.
AVISO. Afim de evitar as falsificacdes ou imitacdes
que podem ser preparadas com um pro-
ducto, pouco puro, deve-se exigir sobre -jf^^
cada frasco a etiquelta de quatro cores
tendo a assignatura.
Uma instruccao rainucioza acompanha cada frasco.
Pre$o de frasco : 3 francoa.
_______ DO BOWMAN
RDA DO BRtIM N. 52
GAPSULAS WWM DE CHLORAL DE FOLLET
Estas capsulas, redondas, e do tennanho de uma er-
vilha. encerram uma dissolucao de chloral em ether. Sob
esta forma chloral pode ser administrado as pessoas raais
difficeis, o sav5r do medicamento e complectamente nullo.
Cada capsula contem approximadamentc 15 centigrammas
de chloral. A dose regular e de 4 a 6 capsulas, que 6e
devem engollir rapidamente com algumas colheres de
agua pura.
Pre$o de frasco : 3 francos.
a cd por attacado dirlglr-sc a eaza do Snr L. FBERE, 19, rna Jacob, em Paris
ESSENCIA
DE
DE
Lava se,
rua do Nogueira n.
ENGOMADEIRA.
e engoma-se, com
18.
perfoic,So a
met,.-, ^
Pharmaceulico
Pela esrola de PariH
Successor de
Premiada na expo-
sicao de Vienna d'Aus-
Iria.
MEDAL1IA DE MER1TO
ARISflDE SA1SSET E. I
BSSj
Trabmento puramente vegetal verdadeiro purificador do sangae. sem mercurio.
A STaif Tta le Carobn 6 um remedio hoje reconhecido como um poderoso depura-
para cura de todas as molestias que teem a sua origem na impureza do sangue,
: as tnclestias Sypiiiliticas, Boi:baticas b Escbofulosas, Rheumatismo, Empingexs, Dar-
I'lcebas, EacrcoES, etc. etc.
Os prodigi9sos effeitos que tem produzHo a Esaencia de Caroba, por toda parte
eflatein siao apropriadamente experimentada, a tem feilo adoplar como um dos medicamen-
rissefuros e mais energicos para a cura de todas as molestias de natureza syphilitica e
A ciaa frasco acompanha uma instruccao para a maneira de usar.
Pomada anli-darlrosa
CozMra as afTeccoes cutaneas, darthros,
linguenlo
Para cura das
comich5es, etc., etc.
de Caroba
boubas, ulceras, chagas antigas, etc.. etc.
UNICAMENTE PREPARADO POR
RODQDAYROL IRMAuS, SUGGESSORES
Botica France/a
22 Rua do Bom Jesus 22
( ANTIGA RUA DA CRUZ )
unuT^n
I)
Lindas tarlatanas de cores, de assento branco e preto com salpi-
oofc, para vestidos, pelo^baratissimo pre^o de 240 reis o covado, na
kja das coluranas, de Antonio Correia de Vasconcellos, na rua do
Oespe n. 13.
aaasaa
ATTENCAO.
Pedido.
OS
n
asttcoado pede aos senhores relojoei-,
a obsequio de apprehenderem ao Antonio Adolpho Fernandes roga a todos
Ikes for offerecer qualqaer tran-' "i8 credores de apre;enurem suas contas no pra-
zo de 8 dias, afim de serem pa gas 4 rua do Mar-
3aez de Olinda n. 13, e oao se responsabihsando
e fatnro por aUama que possa apparecer, tendo
estas apresentadas a Jetuino Alves Fernandas,
afim de verifica-las.
Pernambuco, 26 de junho de 1874.
Antonio Adolpho Fernandes.
eadeia e dous botde?, tudo de
oajectos foram fortados na ma-
da sobrado n. 85, a rua do
esssa um eslojo, conteodo duas na -
taesaarfim.
sa, lose Lonrenco da S. Milanez.
aaano asaifaaao tendo de fazer uma via-
Bia 4a Pratt, deixa como seus bastan-
i aos Srs.: CecWiano Mamede de
Aaaaaatmea 1 iucar, Antonio Baplista Xogueira
9% a Kaa 1 de Mi

r
(
randa em 3*, para gerir a
aajacio nesta praca, e onde mais
S3 se junto de 1874.
Mamende de Almeida.
ieaenvaque sabe coraprar e
a tmar aa rua do Marquez de Oiinda
MT.
Hotel chinez
RUA BIREITA In. 33.
Onde os amigos do bom peti e qnalquer qualidode de eounda, com promplidao
e asseio, tanto para avulsos como para assignatura,
por precoi comaiodo5, deeds as 6 horas da manha
>s IS da taro>,
PIANOS.
AcaLam de chegar muito bons pianos fortes e de
elegantes modellos, dos mais notaveis e bem co-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse Bi
donel, Henry Hers e Pleyel Wolff & C. : no Vapor
Francez, a rua do Barao da Victoria, outr'ora No-
va n. 7. a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractor, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma-
ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de differentes tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conhecidos fabricantes Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
phantazias.
Espelhos, leques, luvas, joias d'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de cosiura, albuns, quadros,
e caixinhas para retratos, bolsinbas de velludo,
dita.de couro, e cestinhas para bra^os de meninas,
chicotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charutos e cigarros, escovas, pentes. carteirinha de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicas,cosmoramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatelia, quadros com paisagens
globos de papel para illuminacoes, machioas de
fazer cafe, espanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e bercos para crianQas, r
outras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de to
dos os brinquedos fabricados em differntes partes
da Europa, para entretimentos das criancas, tudo
a precos mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n, 7.
Calf ado francez
A %
Btftinas para homem
Acabam de chegar grandes jacturas de botinai
de bezerro, de cordavao, de pelica. de duraque
com biqueira, de bezerro com bot5es, e com ilho-
zes a 9#000 (a escolher) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, 4 rua do Barlo de
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores, diflerentes
lisat, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de pbantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados,
SAPATOS de tapetes, chariot, castor e de tranea.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTJNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranea portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
ABOTINADOS ? sapatdes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de iraoca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pentatrub
meias perneiras para homens, e meias pemeira
para meniuos.
No armazem do Vapor Francez, a rna do Barao
da Victoria n. 7.________.____________________
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 47
da rua da Imperatriz; a tratar no segundo andar
do mesmo sobrado.
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS tenboret de engrobo e ontroa agncoliores. e eupregadorea n* m
uustoo o ftor de bom visit* a aaa aatabeldaounio, para veroia o uohu aortunentf
oipletj qoe ahi tem; sendo todo loperior em qoalidade e (ortidio; o qoe com a ins
( Masoti pode-ae verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LU6AR DE SUA FUNDIQAO
/ftnnrAo a rnHa /^tao-na do8 mai* moderQO- ys'emi earn u
TapurOS O rOUUS U OgUi* mQ^ot convenieolet part at diveraai
itrcomaUnciaa dot tenhoret proprietario* e para deacarocar algodao.
ttoendas de canna ftJSJ M u,nanh06 M-nwlhorM *
Sodas dantadas p^-oimw, M e vapr-
raixas de ferro fnndido, batido e de cobre.
ilambiques e fandos de alambiques.
HTflAiliniamnti para mandiocte algodao, 1 Podendo] todot
nnviuiuouiVR ptrttTtr madeira. fser movidot a mio
Bomb am iPr agal' "P01"-
vaHWMti de ptleole, garantidtt........ foo animaes.
TodaS aS W^MWM ip^ajdeqaetecottamaprecittr.
t?as qualqner eoneerto d6 m*chijli,ino' *pre nm rwumido.
Poi*I11&.fl dA fflrrO *M> u mUiorei e mail baratas exiatentet no mer
EnOOTI1iT1ATll1fl.fi lQcombe-te de mandar vir qaalqoer machioismo a von
**wwaii,iaa;Uaiuo ta(je jot aJientet, lembrando-lhet a vantagem de fazerem
uu compraa por interaedio de pettot entendida, e qne em qnalqner necestidade p6de
att prestar anxilio.
irados americanos m,t^^ment0,8Krico,M
RUA DO BRUM N.
PASSANDO O CHAFARIZ
ODILON DUARTE k IRMAO
CABELLEIREIROS
Premiados na^exposicao de 1872
rua
DA
IMPERATRIZ
N.|82]
[t. ANDAR.'

RUA
DA
IMPERATRIZ
H. 82
1." ANDAR.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o*E8s"melhores con-
diccSes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e s Eimas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tapete, chignon,
coques modernissimos, trances, cachepeign, tecidos, desenhos em c8bellos, quadros tu-
mulares, (lores, bouquets e todo e qnalquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directame'nte por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e Dgu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 #/o menos que outro qualquer, garantindo
perfeicio no trabalho, agrado, sinceridode e pre^o razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellds em
porcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
I
mmwwmwmw'
PH4BMACI4 NORMAL
f*F
DE
:#*:
:***
fk
&
c
JOSE EM1S B MOIJKA
17Largo do Mercado Fublico17
( liitiga ribeira de St. .lost-,)
Acaba de ser aberta e acha-se a disposiijio do respeitavel publico esta nova phar-
1
m

n
amcnln provkU do jaobpensavej 'a nm estahetecunento dewa na- g|
tureza, sem excepcao de productos chimicos e medicamentos preparados no estran- ^
trange'iro, todo novo e o melhor possivel .
As receitas dos Srs. meaicos serao sempre despachadas com a mais sena attencao.
e sempre sob as vistas do pharmaceutico que compoe a nossa firma social. A
As pessoas que se dignarem de honrar o nosso esatbelecimento com a sua conuan-
5a, podem estar certas de que serao conseienciosamente servidas, nao so relativamente ao
que pedirem, como tambem a modicidade dos precos.^__
Cabelleireiro francez
Eua do Marquez de Olinda n. 51
^^%>.
M--Roa do Narqnez de Olinda-24-
Esqiiltia do becco Largo
Participa a sens frrguezes e amigos que mudou
o sen estabelecimento do relojoeiro para 'nesma
rua n. 21, onde eneontrarao um grande si mento
de relogios de parede, americanos, e cima ue me-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios de
algibeira, de todas as qualidades, patente suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de onro. inglez, descuLerto, dos melhores
fabricantes, eadeia de ouro, plaquet e prata. Innetas
de tod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
DE
Gtrdeiro Sinioes k C.
Acabam do rcceber pelo vapor Alendoza :
Riqnfasimos cortes de gi rgurao de seda lisos e
com listras achamaloiada?.
Ditos de linho para vestidos, contendo cada cor-
te, o neecs.-ario para sen enfeite, como seja :
franjas, tranjas, t ot3e.j, Cvellas, etc.
Riqnissimo! rhapeos para senhora, ultima moda,
a rua Primeiro de Marco n. 7 A.
& Consullorio medico f?
y Dr. Xurillo. ~J
RUA DA CRUZ N. 26, 2. A.NDAR. *
Recem-chegado da Ecrepa, onde ire- U
quentou os hospitaes de Paris e Londres, C(
Sode ser procurado a qualquer hora do Q
ta ou da noite para objecto de sua pro- fy
fissao. ^y
Consultas das 6 horas da manna" as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPECIALIPADES.
Moiestias de senhoras, i\-.-. pelie e de
crianca.

-
T?\TTJAT)T?C
Na travessa da rur
i m
das Crazes n. 2, pr
meiro andar, dd-
dinheiro sobre
nhores ta e brilhantes,
qual for a quai
Na mesma
compra-se os
L-
pe-
pra-
seja
itia.
casa
mes-
mosraetaese ;pedras.
%-
iK&asiw
150/ ,ooo.
ESCRAW, FUGID4
Fueio da casa de Sf .*-__, x ^ yj> AM/*
Fugio da casa de
de cor parda clara, c
bros, beixa, cheia <*
lbe urn dente do I'
p.r um homem (pr
ma Francisco de t
da mesma cor da
,u senhor a escrava Felicia,
abellos corridos ate os hora-
io corpo, rosto redondo, falta-
do direito, foi acompanhada
aca de cavallaria) o qual se cha-
al Vasconcellos, tambem pardj,
escrava ; consta terem segmdo
,nde s5o ambos naiuraes : recom-
itoridades o capitaes de campo a
de dita escrava, remettendo-a a
.an:, i n. 3.
monda-se as ai
apprehensao
Caniboa do f
AGUA'
.NATLKALS
i. ANDAR.
Pedro Routier, official de cabelleireiro e gerente da casa de Gustave Ilervelin, cabel-
leireiro francez; tem a bonra de prevenir as Esms. Srs. familias que acsba de fazer a ac-
quisieao de um perito official vindo ba pouco de Paris, o qual esta hsbilitado a desem-
penbar qualquer encommenda de sua arte, e se acha a disposic.5o das pessoas que deseu
prestimo se queiram utilisar. Outro sim scientifica que em seu estabelecimento eneon-
trarao stmpre a Monitor dos cabelleireiros, onde se acham descriptos e desenhados todos
os penteados modernos, para soires, cassmentos, bailes etc.
Finalmente prerine as mesmas excellentissimas senhoras, que receben um corapleto
sortimento de coques, cachepaines, ban abaixo mencionados: .
Coque de cabello de 15*, 200 a 500000.
Trances de dito 10*, 120 15* a 2O0OCO.
Cacbepaine de dito 15*, 200 a 300000.
Crescentes de dito 200, a UO*000.
Tambem eneontrarao um completo sortimento recebido ba pouco
as cores e comprimento.
H. 51.Rua do Marquez de OlindaN.51.
Jinaria, na chlorosis, no empobrecinicnto do
,ue, e nas febres intermittentes. Os resultados
3 aotaveis.
de c8bIlos de todas
Joaquim Paulino Cavalcante
Uma pessoa que deseja ser util a Joaqoim Pau-
lino Cavalcante, que desta provincia seguia para
Santos, e foi encontrado no Rio, lhe offerece seus
prestimos e ate mesmo os meios de volla para esta
cidade, e pede que se dirija em carta para a ty-
pographia deste Diario, enderecada ao Dr. Felix
de Figueiroa.
Na rua da Uniao, casa n. 55,
precisa-ee alu-
e vendas. Na
gar uma preta fiel para o service
mesma casa fat-se bolos de toda a qualidade.
ENGENHO
Vende-se e tambem arrenda-se e engenho Po-
tosi, situado na freguezia de Agua-Preta, a duas
leguas da estacao do caminho de ferro, e movido
por agua, e anas obras estao novas e muito bem
organisadas, tambem tem muitas e exceUenies ter-
ras, tanto de varzea como ladeiras de grande fer-
tilidade, com muita matta e de boa qualidade com
uma legaa de fundo, e mil e tantas bracu de tes-
tada, tem proporcio para safrejar annnalmente
mais de quatro mil p5cs
inia-se '
Vieira n
Alugam-se
os armaieos da travessa dos Expostos n. 18, e da
rua de Barreto de Menezes n. 8, aotiga rua da Ca-
cimba : a tratar com o ministro da ordem terceira
de S. Francisco, no consistorio da mesma ordem.
MPEIfERAES
DE
Vichy-Cosset
nm-MK {erivci* &* d Vichy-Viciiy
amnVfe ,m,as umcas (!ue conservam todas as suas
Fnn depois e ,rasportadas.
albur Jl-?':.M'l_'-<''-u.a m?is efflcaz a anemia, na
sanp
0Dl' /dos nas diabetes sao muit. .
Fonte Elisabeth, nao se altera nunca e c a mais
y .ca das aguas de Vichy cm bicarbonato de s-da
m magnesia e recoromendada pelos senhores me-
dicos pela sua efflcacia nos engorgitamentos do
Itigado, do bago, nas affeccoe3 do estomago, do*
nns, da bexiga, nas areias e nagolla.
EXIJASE
o nomedafonie na eapgala
vende-se em caixas e a retalho, no unico da-
posito
PHARMACIA AMERICANA
Dl
Ferreira Haia rt Conipanhla
57-RUADUQUE DECAXIAS-57
Alugua-se
uma casa terrea a rua de S. Joao
tado de
n. 43, em es-
asseio, com gaz e cambrone.: a tratar
em Fora de Porta., rua de S. Jorge, casa n. 1S3,
z.' andar. '
Aluga-se
Sara mais de quatro mil pacs; qaem p
irija-se a cidade de Olinda, rna de Joao Fernandes
Ha mais de um anno fugio desta cidade do Re-
cife, e se suppoe nelia occulto on ter seguido
para a provincia da Parahyba, o escravo Jose, com
os signaes seguintes : cor preta, de altura regu-
lar, com 25 annos de idade, pouco mais ou menos,
tem falta de denies na frente, sendo porem o sig-
nal mais sensivel oma excrescencia na palpebra
que parece cego de um olho : quern o capturar,
traga-o a rua Direita n. 119, ou da Saadade n. 32,
que sera generosamente recompensado pelo seu
senhor, e protesta-se contra quern o tiver occulto,
pelos prejuizos.
o armazem e 3 andar com sotJo, sito a rua d"'
Praia n. 59, tendo baslantes commodos, e pintado
a tratar na rna do Vigano n. 31.
53 qne aebara com qnem tratar.
Na rua Nova n. 50, primeiro andar, noua
thesonraria das loterias, precisa-se alugar nm
criado para casa da familia" _______
Vende-se um lindo casal de pavdes, sendo o
macho tado branco, e a femea rajada. Sao bo-
itaoa I Mtrna daa Galcadas n. 38.___________
Alnga-se nma escrava para comprar e cozi-
nbar para casa de ponca familia, e por preco
Alnga-se o segundo andar e sotao com bone
retendei commodos, fresco, salas e alcova forradas de pa-
pel e todo bem preparado, contendo 7 quartos,
cozinha, saleta para engommado, 3 salas e quin-
tal ; na rna do Rangel n. 73: a tratar na the^
sonrana das loterias, com Antonio Jos6 Rodrigues
de Souza.
Offerece-se um moco para caixeiro de pada-
na, do qne tem bastante pratica e optima letra : a
tratar nania Direita, casa n. 8, 2" andar, cai torio
do esenvao Torres Bandeira.
Casapara alugar.
" Alnga-se uma propria pan taverna on ontro
qnalquer estabelecimento, na rua do Barao de S.
Borja, antiga do Sebo, n. 23 : a tratar com Joao
Martins de Barros, a rna da Madre de Dens
Engenho para vender ou
anendar.
Arrenda-se ou vende-se o engenho Cananduba,
, B fregnezia de Jaboatao, proximo a povoacao : a
commoao; qnem precisar.dirija-sa em Santo Ama-' traUr no mesmo engenho, ou na rua do Marquez
I to, sobrado junto do cemiterio inglez. 1 de Olinda n. 4.
0 Monte Lima
tem um completo sortimento de galio e franjas de
ouro e prata verdadeiros de tod*s as larguras,
auotoadoras douradas para offleiaes, canutiihos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega do
todo e qualqaer fardamento, como seja : bonets,
lalins, pastas, espadas,dragonas, cbarlatoiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas para criado,
etc., assim como, um completo sortimento de fran-
tas, galao falso para ornamento, cordlo de la com
iorla para quadros e espelnos (conforme o gosto
da eneommenda) tudo por muito menos preco que
em outra qualquer parte : na praca da Indepen-
dencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.


- ~ ..-. .-_ -^...
V V f "
c
T
3tftfe a* KftMttkbttcc^ ^ftfttaulo 27<*te>i*.fiho de MtC
FUNDICAO W FERRO
do Barrio do Trinmpho (rna drtipi) u .Ofi#*|h
CARDOSO 4 MB "^ I
4' ria
AVIS-M aos seuhores de engenhrs e outr, s agricultures e ao puhlico em geral que
euaiinuam a receber de Inglaterra, Franca eAwerica, todes as ferragens e macbinas ne-
easenas aos estsbelecimentos agricolas, as mafe'mode das e raelhor ob.-a qce tem vftido
*c atercado
Vapores -- saojjjohS
Caldeiras
de force de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os aelhoree que tem viudo ao BaerajJo
iso>%i ao
nr,q
awl
.09isi
::$% ,aso
if\6
.rv'9f>inj
de sobresaleute para vapores.
MoendaS lllteiraS e moias moenflae, obra como nunca aqni veio.
Tp.ixaS fundidaS e batidas, dos melhores fabricantes.
ftOaaS (1 agTia com cubaje de ferro fortes e bem acabadas.
Rodas dentadas de todos 6s tamanhos * Relogios e apitos ^ vapope,. smff
DOmDaS de ferro, derepucbo. b
AjadoS dediversas qualidades.
Formas para assucar,^* e MneMI.
Varandas de ferro fundido, franCezas de divert bonitos goste*.
F0g6eS francezeS para ieDha e carvao, obra superior.
DltOSdito8 paragaz.
Jarros de ferro fundido
Pes de ferro
Machina
Valvulas
OMfiMMJ
S^entonmado!! !
fl
. ol4JBMhBfPp* dura
TaaitjaVla ft^QUt fura
Roga-se ao.JlJm: Sr. lgnacio Vieira de Ma|l
ascrivao na clflade de Nazareth desta provinci*,
favor de vir a rna Duque cluir aquelle negoeio que S. S. se eomprometteu a
realisar, peM tertttra*ehaMaOt fesfe jornal, em
an* de dexembro de 1874, time* {aMjaaeto,
passou a fevereiro a abril do 1873, e nada euaapajo;
por este motivo e de novo chamaao para <|to
8m, pois S. S. se deve letabrar que este negoci*
de mals de oiio annos, e quando o Sr. aeo ulho s
A empreza
puhlico que
: sortimento
1 delas e gl_
'a rua do
gens frei
JL
Preci
coz nhar,
bas per
aadar d-
- Pr
livre :
a honra de annanciar ao
ultimamente um esplandido
stres de vidro, candieiros, aran-
cujas amostras estao no escriptorio
erador n. 31, e serSo vendidos aos
pelo preco mais razoavel possivel.
le de duas ama?, uma para comprar e
outra para engommar, qae sejam am-
: quem quizer dirija-se ao terceiro
typograhia, para Iratar.
ase-.o mia ana de leitev eserava ou
rua do Imperador o. 52. z" andar.
ntor ** achava neate eidade.
P^sooii3Qi^qDBsaisBa^es
Consullario medico-cirarfficfi
KW
ardirn.
Hi
fm
para
para mesa e banco.
para gelar fgua.
para bomba e banbeiro.
Correias iuglezas para machiniSm0:
KanCOS e SOfaS Com tiras de madeira, para jardim.
GonceitOS concertam com promptidao qualquer obra ou machina, para o que teem
sua fabnca bem montada, com grande e bom pessoaJ.
EneOmmendaS mandam T'r por encommenda da Europa, qualquer macbinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
tarn e dos raelaores engeuheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
--- is. f se rtppuiis ibilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RaadoBarao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
P U H D I C A 0 DE CARDOSO & IRMAO.
DE
g A. B. da Silva Maia.
Rua do VJscbnde' 9e Afbuquerque n.
11, outr'ora rua da matrix da Boa-Visla
^H DJDXS ajB
aita
B. li.
Ghamados : a quaiquer
Consultas : Aos po jes
\ horas da tarde.

Precisa-se comprar'uma Hegrinha de 9 a
10 annos de idade, que seja sadia e sen vi-
cios: quem-twere quizer vender dirija-se ao
8.' audar desta typograpbia para tratar.

u
regulariaente 2,i00pae
gario n. 31.
Engenho
Vaode-se o engenho S. Pedro, sitoado na prfo-
vincia de Ahgoas, romarea do Porto Calvo, a
naenos de uma legoa distante do porto de mar do
GaraeMa, tem nxceflentes terras, matas, e safreja
a tratar na rua do
49 Rua do Imperador 49

Ha i bdedmento o melbor sortimento de pianos dos mais afamades autores,
3BM sio : U.n, I'lejel. Hap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos, supe-
CBI,6."lai'Jados expressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
so eneon'.rarao nesta rasa.
tecebem-se pianos usados em troca.
"" e afinam-se pianos.
Ta'j.l.. a avisa-si; aos Srs.
concertadores de pianos
o mais completu sortimento de materials para coucertar pianos, como
t >. folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
, --' ., etc.

J 5J4J IMtlMPI^ilkPOR 49
COYSILTOHIO
MetKco-dnirgico
DO
Dr. Jom- Felix da Cunlia Ho
nezes.
Medico operador.
RUA ESTRETTA DO R05ARIO X. 3.
Da consultas todos os dias das 9 ho-
ras da manna as i da" tarde, dessa hora
em dianle achase prompto para qual-
quer chamado, em casa de sua residencia
a rua da Princeza Isabel n. 4, junto a
eslacao dos trilhos de Olintfa.
Das 7-as 9 horas da manha da consul-
tas gratis aos pobres.
E.SPECIALIDADES
Holeslias sj-philiticas,. via digesliva e fe
Anid d* leite
Precisae do uma ams de leite qae seja moca
e sadia : a tratar na thesowraria da9 loteria?. da
9 horas mar/hi as 3 da tarde.
Precia-se de uma para casa
de pequena to mills : a rua
Dnque de-Caxias, outr'ora das
Crnzes m
Am AM. PreC'3a-se de urna ama para cozinhar
-Xlu"*Jiira casa de pouca familia : a rua do
Cotoveliy 129.
A yy, q V Preclsa-se de uma ama para ca?a de
AlUd' auas pesseae: na rnada Moeda n. 5, 2.
andar
Precisa-se de ama
na rua da Uniao n. 47.
da ConcMia n. 10.
Piecisa-se de uma que sai
ba cozinhar, comprar e mais
ervico para 3 pessnas: a rua
rua do BarSo da Victoria n. 25.
A yyiqi Preetea-ae de uma ama para cozinhar:
A \f /! No' Corredor do Bi*po n. S,
nhar e
se altrgar uma escrava que sail
* mmar.
irecisa
a cozi-
Araa%
rua de Hi-rtas
Precisa-se de
ava. para casa de familia
uma ama forra on es
a tratar na
Predsa-sc de uma ama para cozinhar e com
prar cont perfeicao : na rua de Pedro Affooso
n. 23.
, -r
iro on cozinheira.
T Victoria n li. primeiro
" r.-*?-l :rn on i"^7tnheira.
'ava fugida
'. i dt>sde 17 de maio do cor-
Ta Maria, cor cabra, idade 26
j regular, m igr3, tem toJus os den-
falta aigama. cabelhs carapi-
i no rosto e tem um
i pooeu grande c estufado
n:e <1 um antraz que ella teve,
ssb sifatl & no meio das eostts na altura das pas,
naa e ontra pi, e ella tem o vicio de
jar, iVroo shita claia e dons chales
i \e.h i e outro novo de cor encar-
raai padrjs ; taivez ella diga em
, ..' -tu^ e-liver qoe 6 forra e troqoe o
i tern uma irma mulala, escra-
Rooraior em Tigipio, onde foi
i a 4iU merxm Maria, que e>ta fugida ahi
Jfi lagar, coajU que algnem Um ella acou-;
' ; -li, vista nis rua? desta eidade. j
i as autoriJades policiaes e capi-
<;oe a capture e leve a a rua da |
'. ijne se graliGcara.
* C^StLTOMO
"CIBCm
DO
k; Bla Rosa
<8t

ir.
an do larao da Victoria
* raa Nova n. M>, primeiro andar.
KSDLTAS das 10 horas da manhS
aw aaeio dia, e chamados oor escripto a
qaatfor bora do di e da ncite.
- ". iAUOADKS parto?. mdestias
4e (Acs e dj apparelbo respiratorio.
0
m
FscriiYo fugido
Sat
currente iota (juo esu fugido do
dc Beberibe, o escravo Luiz,
de caborlo, corpo regular ; esta
j.-liilupor ur acabado de se tratar de
RecommenJa-se a sna captura.
i oti para aJugar a loja do sobrado n
S 4a raa Aa Kaafd.a qual tem armacSo e pres-
vai pira^aakiajr nesgocio : a tratar no segundo
aalar 4a ati praiio.
LIYROS A YENDA.
So prinwiro aodar desta typograpbia em
aafa do adaainistralor, vende-se os seguin-
:- 'mITs:
aaatart* Kaperlo dialogo ins-
Iradrfa, critico, analytico, historico, e mo
vat, catre am matuto e um liberal por 509
%ds exemplar.
Bdavcr4ia Fataaillarromance, 0
eoaatserie de leituras, 2 volumes por ....
1*00. ^
Ofaanc seanaaaiaauiro para casa familia:
ari>-ae a rua do Caju n. 38.
Niha mals
brancos.
mu mm.
Ppn>Tda pelas academias de
laiinaawrida s perior a toda -que
lam ajojr* *ida aaS hoje. Deposito princi-
aat 4 rv... da Cadeit do Recife, hoje Mar-
daOawda. n. ll, l. andar, e em
e cases de eeJbeilei-
- Fugio do engenho Ajudante, freguezia da Es-
, cad3, no anno de 1872, o escravo Guilherme, com
os sigaae* sanaiau* i pardo, corn idade de S3 an-
nos pouco mais ou menos, altura e corpo regular,
, olnos grande?, cabellos cachiados, pes compridos
e seccos, rosto coraprido, algun? signaes de bar-
ba, nariz comprido e nm tanto arqueado, umas
sardas pelo rosto, faz algum movimento no andar,
desconfia-se que esteja na eidade da Parahyba.
Roga se as autoridades policiaes e capitSes de
camp s a apprehensao do dito escravo e ser en-
tregue ao sou senhor E:nilio Pereira de AraujO,
no engenho Aindante. e receberao por paca
3 Isabel Augusts Wcolla Pinto.
Manoel Jose Carneiro Pinto, con-
v.da aos parentes e amigos de sua
sempre lembrada esposa, Isabel
Augusta Scolla Pinto, para assis-
tirem a algumas missas que serao
resadas por alma da finada, no dia
27 do corrcnte, as 7 Ik ras da manha. na igreja de
S. Pedre, primeiro anniversario de fallecimento da
mesma finada ; antecipanio desde ja o seu eterno-
recon'ieci.nento a todos que mais uma vez se dig-
naem comparecer ao acto.
Jose l.ucio llcllo
Miguel Lucio de Albuquerque
Mello, sua mulhcr, filhos e nora,
tranzidos de dor pelo fallecimento
de seu caro fillio, raano e cunbado,
Jose" Lucio de Albuquerque Mello,
i onviddm a lodos os seus parentes
e amigos, e do seu sempre lembra-
di filho, para assistirem uma missa que mandam
celebrar por sua alma, no dia 27, as 7 horas da
manha, no convento de S. Frandsco, setirao dia de
seu fallecimento ; e se confessam agradecidos por
este acio de caridade.
JoBo I.iiiz CVliveira VwveJo ^
Antonio Luiz Oliveira Azevedo e Francisco Lois
Cliveira Azevedo, sua mulher Amelia de Azevedo,
Arthur Luiz Oliveira Azevedo (ausente), Amelia da
Coneeicao Oliveira Azevedo Bastos, Julio Lniz Oli-
veira Aievedo, JoSo Luiz Oliveira Azevedo Sobri-
nho, Jose Antonio Souza Bastes, irmaos e sobri-
nhos, cheios da mais acerba dor pela mcrte de
seu muito pre>ado e charo irmao e tio, Joao Laiz
Oliveira Azevedo, fallecido em Portugal no dia 2
do corrente, convidam aos seus amigos para as-
sistirem a algumas missas que mandam dizer ao
dia 2 de julho, pelas 7 horas da manha, na igreja
da Madre de Deos. Desde ja se confessaiu agca-
dec do3_por este obsequio.
Manoel Antonio de LunaTporsi e em^noHiaae
sua irma e tias, agradece cordialmente a todos os
senhores sacerdotes e mais pcssoas~que assistiram
aos ultimos saffragios feitos ao corpo de seu pre-
sado e sempre chorado irmao o conego Lino do
Monte Carmello Luna, e ignalmente, aos senhores
professores que fizeram parte da orchestra e que
nenhuma retribnicio qufzeram receber.
g liino do Monte Carmello
Luna.
0 regedor do Gymnasio convida
aos amigos e parentes do Rvm. Sr.
conego Liu*, do Monte Carmello
Luna, a que se dignem assistir a
missa qae na capetta do mesmo
Gymnasio sera fragio d'alma daqueUe illustre mi-
nistro do Senhor, na terja-feira pelas 6 horas da
manh*., ._ .__________________
CASA CA1ADA
E
Kio Tapado
Alugam-se estas propriedades, siloadas passau-
do Olinda, e antes de chegar ao Rio Dooe : a trao
tar com osen-proDrietario. o coramendador Tass
Aluga se a casa terrea n. 11, do largo da
Ribefra de S. Jose, propria para qualquer estabe-
leciraento : a tratar na rna de MarciHo Dias n
34, sobrado.
UCI11IUIIM I
Cone4
a casa terrea n*. 133 da rna de Vidal de Negrei-
ros, com excellentes commodos : a tratar na rna
do Marquez de-Olinda n. 52, armazem.
Aluga-scum moleque para o servico de casa
de familia, do que tem completa pratica : a tra-
tar na rna Duque de Caxias n. 53.____________
Na rua da lmperatriz, n. 3, 1.' andar, com-
pra-se apolices da Companhia do Beberibe.
Attengao
Avisa-se as pessoas que oompraram bilnetes da
aceao de um boi e um carro, a qua! tinha de cor-
rer com a ultima loteiia do corrente mez ie junho.
que a mesma flea transfer>da para extrahir-se com
a ultima de julho, visto como o dono nao pode
passar todos os billieles.
Fufiram do engenbo Ajudante. no anno de
1870, osasCravos seguintes: 1.* Fraueispo, crioulo,
preto, coal idade de 28 annos p< uco mais ou m*
nos, altota regular, corpo regular, olrros prande9
e brancofcj tientes perfeito?, cabfllos carapioliado
pes grosses, barba a cavaigoac, bigode e pera,
uma cicalHz por cima do olho esqneri-\ muito
conversator e risoaho. t.'Antoni', eatra, com
idade de 25 annos pouco mais ou mcao?, alto,
secco, olfcoe grandes e vermelhon, pou-a tarlia,
cabellos jMn tatrto soltos, dentes perfeiios, pes
compridoPfe setcos, ambos eomprados ao Uarao
de NazaHM. Rega-se portarrto aos capitaes de
eampo ebafe aularidades policiaes a captura dc*
me3mos gtravos, visto haver d.e>coniian(;< qae
estao ocdltos na cotuarca de Pajeii de Florea,
ou Rio de?6. Francisco, que tcrao a paga -de fi';0|
a quom otyevar ae- seu senhor no eugenho Aju-
dante, ao'dBr. Emilia- Poreira de Arauj-;
CM DO OURO
Aos :1OOr93>
Mhetes garantidos
Rua do Birdo da Victoria (outr'ora Nova
*W'S0, e casa do costnme
O abaiXB assignada aeara de Tender rws seus
anito feliiW bilhetes, a sorte de 200^000 em um
meio bilhetp de n. 3Gl7 e am meio den. 71 com a
sorte de HX)& arerrl de eutras sorted menores de
10.5000 eJO*000 da ioteria que se acabou de ex-
tralur (lOtty ;- convida aos possuidoras- a virem
receber, qtbef prorhptamenle sera^ pagos.
0 mesmp fabaixo a$*r&nado convida ao respeits
vel publicopara vir ao seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarao de
tirar qualfjner premio, como prova pelos me.'ibc s
annuncios
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
'antid03 da j>_ parte da Ioteria a benefieio da
fpxeja do Abrttf Ue Una, que se extrahira no dia
27 do ccrrente mez.
Preees
inteiro 44000
Meio 2^000
De 100$000 para riant...
Iareiro 3^500
Meio 1*750
Recife, 20 de junho de 1S74.
Joao Joaquim da CostaLeitt.
Lava-se e engomma-se
asseio : na rua da Viracao n.
de S. Pedro
com promptidao e
11 oitao da igreja
Boa casa.
Alnga-se o palacete do fallecido Custodio Jo<5
Alves Guimaraes, na ilha dos Ralos (Boa-Vista)
onde morou ullimamente o Him. Sr. Dr. lgnacio de
Barro3 Barreto : a tratar na I-ja do Passo, a rua
Primeiro da Marco (anuga do Crespo), junto ao-
arco de Santo Antonio.
Bolos
PSo
enfeitados; oousa especial;
de 16, ditoa.
bandejaS com bolinoos de *versos gostcs.
A:0S senneres d0UO9 ^botBiii
Para grandes jaatere3, luachs, etc., etc.
Pecas para centro de mesa, ditas. menores para
dita ; estes trabalhos e todos cs-maia pertencentea
a arte de confeiteiro podem ser eucommendadoa
a rua do Imperador tr. 8, perto da raa de S. Fran-
c isco, encarrega-se delles o dono da
fonfeitaria
que existio outr'ora, aenorolnaila dos
Ananazes
a rna da Cruz.
Os donps de estabelecimentos, de mplhados, one
mandarem preparar uarabres era namero elevaoo,
tsrao um certo uumera preparado de graca.
Faz
e Commercio/a mesma rua n
Alegria sextupla:
Comer e beber,
Sortes tirar,
Fogos soltar,
E' ter prazer I
MamfestaQao franca
Dos acepipes os-sabores-,
Dos vinhos as alegrias,
Dos fogos as lindascores-,
Dos ssnlos os quatrodias:
E" am immenso prazer
Que todos devem gozar,
S8m ter medo depeccar
E de ao inferno irem ter I
ExposicSo todo dia !
Entrada gratis e agua fria !
VanUgem ext-aordtnarig.
2D OjO d dinheiro
K-ealidade:
Venham vr se querera crer
A verdado- do exposlo,
ftuem n5o vier n5o t8m gosto
B tristeza ha de soffrer ;
Po 6 facto : esta provado
Do Campos a geral fama
De vender bom e barato
1_ Como se vfi do programma !
Liberdode deescolha I
IgeaWade nas qualidades t
Fraternidade nos-precos i
escravo Beneaicw, cnoulo,
annos de idade, (ouco mais ou menos,
para as bandas da Encruzilhada, Beberibe e no
Recife: roga-se a todas as aulorid.des e capitaes
de campo a sua appreheasao, remetiflfc jP"ua
Direita n.
salos.
24, qua terao (euerosamente recooipen-
b:x;i:mio
di
S. CARLOS
Venda-ae ou arreaaade o engenho S. Carlos, em
Ipojuca, moente e corrente, com todas as obras
em psrfelto estado de cbnsiivaeao, e muito bom
d'agna : a tratar na travessai da ma Duque de Ca-
xias n. 3, Is andar, com Gabriel Aattmio de Castro
Quintaes.
MEDICO-CIRliRGICO
? DO ^
I Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso jC
PARTEIBO E OPERADOR m
JSXRua do Visoonde do Albuquer-
m. aw n. 9
ESPECf ALIDADE
Haleatiaa de senboras e
mrnino8.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
nha, todos os dias.
jtt Das 6 as 8 danoite, nas segundas, quar-
S tas e sextas-feiras. ^
Wt Os doentesquc mandarem os seus cha- 9
ml mados per escripto at 10 boras da ma- jtK
5 nha serao visitados em suas casas.
Cao fugido oU roubado.
Quem der notieia, ou o levar aa casa do pateo
da matriz de Santo Antonio n. 2, segundo andar,
sera recompensado ; os : ignaes do cao sao os se-
guintes ; cor amarello, fueinho preto, orelhas cor-
tada?, com umas mancbas de rabuje em um dos
lados e em uma das orelhas,; e um signal branco
no peito e e muito manse.
Che3hire crndensed Milk.
Leite condeDsado novo,
Cerveja de Noruega.
teller &\.
'%'i
sSWW^
ClrPEIBO.
Na rua do ImpenRMrh. 3^, 2' andar, preeisa-se
de um optimo coperrfe, que Seja aettvo no servico
de me;a err cades.
Precisa se de 5:000$ a; jnros, par um anno
dando-se em garantia ^scravos em valor nwito
suterior, a contento : quem convier tal negoeio,
deixe carta fechada no escribtorfo desta typogrt
phia, ou a rua de S. Joaii n. 7 e 9, com as inieiaes
AC._____________________......
0 abaixo assignado declara ao respeitavel
publico que eomo encontrassfe pessoa com iguaf
nome ao seu, Jose Braz da Silva, nor cujo motivo,
de bora em diante assignap-se-n3 Josd Braz da
Sifta Oliveira.
aviso
Precisa-se cosnprar ddus escravos, pedreiro e
carapina, paga-se bem : a tratar na thesouraria
das Isienas, a rua Primeiro de Msrco n. 6.
Trastes.
Compra se e.vende-se trastesnovos
e usados no armazem da rua o Im-
perador n. 48
>B&-se duas pai
engenho Novo, isito na
guezia de Serinhaem, disl
te da estagao de Gamellej
3 leguas, moente e correi
que safreja cerca de 3,0|
paep,, com optima's -ten
movido a agua e bem obi
do, ]>or pre^o commodo .j
tratar com Dr. Felix de
guek<$, a rua das 0aJ"fcac
n. It, ou no arsenal
gerra%
--. -.,..-... ....... ...jnai ix > -^
Engenhos em Mamam-
Vend3-se os seguintes
Barrn.
Pregulca,
ePaWicU
sens proprietaries aetta cid
A tratar com
e para informacoes com Jba
relies Filho na mesma cida
Taseo Irmaos k C.
Pinto de
e de Mamamgu
Wilson Rowe & C. vendem bo seu annajab
rua ** Connnercio n. II:
verdadeiro panno de algodao aznl amencano.
Excellente fio de vela.
Cognac de qualidade
Vinl-io de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidades
BATIDAS FUNDIDAS
Qualidade super or

i1 i

#
*vi
vmi&.
o seu prracipal deposito no armazem Uniio
\yisiphas, LniziQhas ^ Bcmdilas
Lagrimas.
Pedro Emilio Roberto, com lejade instrumentos
de musica, a rua do Oarao da Victoria n. 17, tem
a venda as tres quadrillfas acima para piano, sen-
do as duas primeiras novas e lindissimas : compo-
si'q.o do fallecido Lilioso dos Santos. PreQo de
cada exemplar 15000.
Insignias maQonicas
Amaral, Nabuco A C. vendem insignias maQo-
nicas de differentes graos : no Bazar Victoria, a
rua do Barao da Victoria n. 2,
Preeisa-se de nm feitor para o eagenho Sa-
pucaia de Beberibe, e que seja bomem affeito ao
campo^_____
Escravo luirido
Fngio de Villa-Bella o escravo de nome Jose,
caboclo, de 30 annos de idade, pouco mais oa
menos, altura egrossura regulares, tem os peitos
abertos, cabe:lo corrida, falla bem e com motors
cao; consta que veio para esta eidade com o fun
de sen tar praca : pe4e-e, portanlo, k% autorida-
des policiaes a capitaes de eampo a aaprabensaai
do referido escravo, e entrega-lo em Villa-Bella, a
sna senhora Carolina Cavalcante de Andraee, ou
no Recife, loja de Goocalves, Irmao & C, a rua-do
Livramenw n. 21, qoe serao cqmjenaresidade te-
compensados.
Altiga-se
tKna casa com tres quartos e um peqaeuo sitio, na
Casa Forte : a tratar nafuft aaPoatevelba uu-
mero 84.
Vende-ae a casa n. 42, com boos coinodos,
sita na rua da Paz: a tratar na do Cnronel La-
menha n. 12, das 4 as 6 horas da tarde.
Vicente fugio
Na noite de 13 para 14 de marco do corrente
anno fugio o molato Vioeate. escravo, de 20 annos
de idade, bonita Ggura, barba e estatura regular,
levaudo veslida a em um sacco raaaa as algodao
branco e aigama mats fina, pertenceatB a am cai-
xeiro da casa donde fugio; e natural da fregue-
zia de Sant'Anna do Mattos, diz ser Ihrre, casado,
a tor sido criado eat campanula da aaadrinha D.
Abb* Laiza da Luz, de quom. alias, foi escravo :
roga-se, portanto, aos Srs. >capaaet de eampo
e autoridades poaeiaes a apprefcensto do dito es-'
cravo, e eutregal o aa cidadedo Recife, raa do
Cretan a. 10, ao flr. loauuim Hoteira "Rels, ou
n* eidade do Assa ao Sr. Torquato Augusto de
Oliveira Baptista, que serao generosimeute grati-
ncaflas.
Precisa-se asngar aaaa.areta escrava. oa li-
vre para vender na rtta : a tratar ua ruadoFogo
n. IS, sobrado.
'Alogasesolao da rua. as Baagsla.%t '
a tratar na rua 4e Jiortae n, 106.
Attracgao!
Pyrotechnia I
Gastronomia I
28 Rua do Imperador 28
Armazem do I'nmpox
Extasis maravilhosos I
Sorpreza e prazer
Ver para crer
Santo Antonio
S. Joao
S. Pedro
Sant'Anna.
Fogos:
Fabricantes perites I
Cores cambiantes I
Vistas rutilantes I
Effeitos prodigiosos I
Resultados inoffensivos I
Precos diminutos I
Generos :
Qualidades superiores I
Sabores agradaveis 1
Cheiros embriagantes I
Propriedide3 excitantes I
Inflaencias nutrientes I
Precos resumidosl
Importafao dlrectat
Variedade ccmpleta I
Verdade 1
Sipeertdade I
Especialidades I
Raridades I
Precisa-se deum menino de
Vende-se na rua do Commercio p. 4, cerveja
Nernega, marca M L :
Bitter Augustura.
Rum de Jamaica.
Salsa parrilha.
Nova remessa, excellente qualidade; vendeS
na rua do Vjgario n. 16. 1 andar._________
Arma^ao de amarello
Vende-se uma armacao de amarello, envtdraca-
da, com balcao, por commodo preco : a tratar na
run do Cresuo n. 20, loja das tres portas.
Farinha de milho.
Vende-se farinha de milho maida a vapor, dia-
riamente, pelos precos seguintes : grossa para
migunza a 100 re., dita para angii, pinto e passa
rinhos a 100 rs., para cangica e pao de provenSr
a 120 rs., e*para cuscils a 140 rs., ess arrotoa 6
mais barato : na rua do Cotovello n. 2S.
Vende-se
tres venesianas francezas, novas, com correntes de
ferro : a tratar na rua da lmperatriz n. 30, segun-
do andar.
TACHAS
DAS
Qealit
Syslema novo
Mais narato do quem em qualquer outra
NA
FiiiuiCaft da Aurora
C. STARR & C, EM LIQt'lDACAO
Vendem
Wilson, Rowe & C.
Era seu armazem a rua do Trapiche n. 14,
guinte:
Algodao azul americano.
Fio de, vela.
Carvao de pedra de todas as qualidades.
Tudd muito barato.
Sal do Assu
Tem para vender Joaquim Jose Gdncalves Bsi-
irao & Filho, a bordo do biate Meal ; e para Ura
tar, no senescriptorio, a rua do Comrnerrio n. 5.
ALERTA
Com o n. 43, 4 rua do
Qtteimado n. 4^
Deffcinte do bcrro do Pcixc Frit*.
Chcgaem : tJteguesn -
Lazinna., d". quadros pretos a 240 rs. o covado.
Ditas de quadros e de core3 a S40 rs. o covado.
GraBadine de listfas, a parisiense, a 16fl rs o co-
vado.
Ponpelina de seda de furta cores a \$ o covado.
Cambraa Victoria fina a 33000 a peca.
Dita transparence a 5$ e 2^500 a peca.
Lencos chinezes ton versos a 16800 a dasia
Chales de chita a escoceza, por 2/ nm.
Chitas de c*es a 210 e 280 rs. o civadj.
Brim par.lo fino a 400 rs. o covado.
Culchas para cama a 2/ e 3 j uma.
Lenc6?s de bramanie a Z&.
Cobeitas adamaseadas forradas a 3/ uma.
Meiis para homem. sendo de cores aija duzia
Toalhas muito grand Melins de listras a 360 rs. o covado.
Madapolao avariado a 34300 a peca.
Camisas inglezas a 11 e 3 uma.
Ditas di; cntone a 3i uma.
Aproveitem que estamos fazendo grande abati
raento, nnnca menos de 40 por cento. Dao--
amostras com penhor.
Armazem da es-
Unico deposito de cal bran-
ca dc S. Bento e Jagua-
ribe.
IL 6 -Cacs de Kguios-N. 6
0 dono deste armazem de materiaes contra;-
em grande porcao cal prela, p/:la medida dos for-
nos, mediante ajuste, mandando botar no lugar
competcnte, garantindo seriedade neste negoeio.
Lofres de ferro
em casa de Hawkes & C, a rna da
Vende-se
Cruz n.-4.
Vende-se
Crsz n. L
Cbafariz de ferro
casa de Hawkes &. C, a rua da
em
Cimento Poi*tiand
do verdadeiro : na rua do Vjgario b. 19, primeiro
andar.
Vende-se a taverna s U a
89!: a tratar na mesma.
rua Imperial n.
Leite.
Leite de
comprador
da Concordia, n. 04.
vacca e de cabra, tirado A vista do
a. rna do Marquez de Herval, antiga
Vendem-se dous terrenos muito bons, sendo
um na rua do Capibaribe e outro na rua diSau
dade al6 0 Hospicio, ambos no bairro da Boa-Vis-
ta : a tratar na rna Dnque de Caaias n. 88, loja.
dara caixeiro de padsria
10 a 11 aanos.
oa rua Imperial n. 204,
Fugio na noite do dia 14 para 25 do corern-
te, um escravo de nome Luiz, com os signaes m-
guintes: cor preta, falta de dous dentes na frente,
pouca barba, olhos brancos, levou ama trouxa com j
ronpa delle, anda. as vezea calcado e as vezes des-
calgo, foi comprado ao Sr. Gregorio Francisco de
Torres Vasconcellos, merador em Caruaru, porem,
consta-me que foi ou 6 natural da Terra Vermelha:
rogo as autoridades policiaes e os capitaes de eam-
po* a captura do mesmo e leval-o no Caminho
No 0, casa de Rodolpho Xavier de Souza Fonce-
c'avque sera hem recompensado.
Na raa vema de Santa Rita a. 87, precisa-sa
alugar uma preta para vepder core Uboleiro,
Vende-se alguas livros d direito, prepara-
torios e litteratura, em portuguez,francez e inglez :
cama do Cabuga n. 11, loja dejoias.
por ceato menos do valor
Fogo de artificio para S. Pedro, vende-se no ar-
mazem da bola amarella, travessa da rua do Ira-
perador, a 40 por cento menos do seu valor.
Para baplisados.
Amaral Nabuco k C. vendem veatimenta com-
pleta de cambraia de algodao e de fiaho, borda-
dos e enfeitados ; toucas inglezas e francezas ;
sapatinhos de seda e carmim bordados ; cha pre-
to a vecde : no Bazar Victoria, a rua. da Barao
da Victoria n. 2._____________________________
Luvai de pellica e de suede pa/a homens e
Beaoras. Fomo Gaporal. Meias de 15. Chaver-
* e preto. Vende-se no Bazar Victoria, a rua do
lao da Victoria B.J. ^
Sedas-a 1$280 o covodo.
Vende-se bom tas sedas de listras de lindas co-
res pelo baratissimo preco de 13280 0 cvado,
aproveitem qne esta se acabando na rua do Du-
que de Capias n. 88, loja de Demetrio Bastos.
no
m
1
Casa e terrenos baralos
gidinlio.
Antonio Jose Rodrigues da Souza, raf thesoura-
ria das loterias a rua do Crespo n. 6, vende sua
casa do taipa e terrenos de seus sities no lugar
do Salgadlnho : a tratar somente com 0 mesmo.
Nymphas e Luizinhas
Sao os nomes de duas lindissimas quadrilhas
brasileira>, para piano, chegadas ante-hontera peb
vapor Fire Queen, eomposifSo do prsfessor Lilioso
dos Sanlos ; as qnaes se acnam a venda na livri-
ria franceza, a rua Primeiro de Marco n. 9. Queas
quizer toear nas noites de S Joao e S. Pedro duas
quadrilhts de enthusiasmo, 6 ir em procura deltas
por serem poucos os exemplar es.
Trapes chineifes
S-rOOO a caixa
ISO rs. a cartu
So na ma do Barao da Victoria a. 39 (outr'ora
rua Neva), loja de ferraaens de Sanaa at Guima-
raes i as jim come reeebem encommenda* proprios para os festejos das noites as S. Pedro,
todos de boas qualidades e precos oomraades, e
tambem livros de sortes, baralhos, tarjetas, ma;
gicas, e;c.
-r----------------------------------;;-------------------.....
Fara admirar.
Popelinas de gosto 0 mais moderao que aa, de
24, por 1| 0 covado. las de liodos paddes a 320
rs 0 covado : so a raa Duque de Caxias n. 92.
Vende-se
a casa di. rua do Nogueira n. 38 :
iira com quest se trala.
na mesma
f
/.


I
*
Diaita *J6 Pdrato^c^S^iwyftAd^-2witoftmia <* ftfetfe.
UK
>iq
\'*4 ^m**" Magnolia

fazendas finas
EaaPriaMiro delUrfo a. 7 1
DE
Oordeiro Simoes esu van d*s casas qae hoje pode com pri-
m sons fregnezes um variadiasi-
Ae fiiaiin tunas para grande toi-
c hem jbsob pan aso ordinario de lodas as
c per precos vaoiajasos, das quaes fax am
d- prelendentes,
, e dao amostras
le lindas Cures,
xle lodas as Cures.
feraaoo, loo. de listras, preto, etc.
prole e de cures,
preto.
V seta, preta e*dc cures.
V *.- padroes.
preto.
it mil.
it myriad de cores, la, etc.
hraakiras.
MB srwbau branca com lindos borda-
anaaias para noivas.
de las com listras de
Fit*
lOacBres.
. ferw-as, fizas e bordadas.
i4e. hadee padroes.
, padroes detieados.
iVrcatrac oaadro?, preios e brancos, listras,
*cac
i oe fca ie e&r, prowine oara vestidos,
lebstraa.
aw de veetklo de linho, r eites da
i car, afcima moa>
i *e raaairaia de cures.
AeSftcas cores,
tata para senhoras.
ardilii para seuboras, de linho e al-
i 5a*
Sarsaacato aY-lor;? flz verdaieira fabri:a de
wiav par- toiuuu e sen! mi as.
ara saeamua.
ilnptsaeH
ipara ano.
Taaans e faariauapos adama-cados de o de
T^nra aesa.
CdkkasdfeH.
twto* k
de eanisas de hobo, lizas e
w,paraf
aas die cares para bomens, raeninos e meni-
itias eacooeza*.
v_aw*-U s*.a.*efc>
*!tk 1-ija da Magnolia, a rna Duque de Caxiai o.
; 43, encontrara sempre o respeitavel publico um
| complete tortiroento de perfnmariss flnaa, objeclu
j de pbamasia, luws de Joavin, artigas de moda e
miudezas finas, a6?ira corao modicidade nos pre-
jcoMgradoesmceridade.
Anneis elcctrioos
I A Magnolia, 4 raa Duque de Caxias n. 43, aca-
I ba de recebcr os verdadeiros anneis e voltas elec-
j iricas, proprios para os nervosos.
Meios aderecos
A Magnolia, a rna Duque de Caxia9 n. 43, re-
ceben um completo sortimento de
Meios aderecos de tartarupa.
Meios aderecos de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (ultima moda
e de muitas outras qualidades.
Botdes de aco
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, tern
para vender os modernos betdes de aco, proprios
para veatidos.
Golinhas e punhos
das mais modernas que ha no mercado ; a ellas:
na Magnolia, a rua Drtque de Caxias n. 45.
Lencos chinezes
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu uma pequena quantidarte de lencos de seda
chinezes, com lindissimos desenhes, fazenda intei-
ramente nova.
Leques
Updos leques de madreperola, de tartaruga, de
martim,' de osso, e de muitas outras qualidades:
recebeu a Magnolia, a raa Duque de Caxias nu-
mero 45.
Attencao.
A loja da Magnolia, a rua Duque de Caxias n.
45, acaba de receber os seguintes artigos :
Manual de madreperola, tarlaruga e marilm. -
Iticos albuns com capa de madreperola, cha-
gren, madeira, velludo, couro, etc.
Lindas caixas com finiaimas perfumarias.
Ligas de seda, brancas e de cores.
Voltas de madreperola.
Pulseiras de madreperola.
Ricas caixas para costura.
Vestuarios para baptisado.
Toucas e sapatinhos de setim.
Modernos chapeos de sol de seda para senhoras.
Lindos po; t-bouquet?.
Gravatinhas de velludo, etc etc.
Ultima moda.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um lindo sortimento de bico9 de guipure
de cores, apropriados aos vestidos chiques da ac-
I tualidade.
dc cLap^us de sol para ho
..i.
**r**jsra Te5tido.
, araa.aaa e ''''.5 de verao.
da: aao e algodio para to
XT
aao. branco de rfres e preta
adaf rCre* <*om MrM>
awiaw de cures e pretus.
de seta preta e de cures,
para aoxnens.
de aabo e algodao.
i de crocaet para sola, cadeir-as e conso-
^earos b rSii e de labrrintho.
ObMbb dc eaocaH.
Taristaaa da tsdas as cores.
%*&* canes de vestidos de urialana bordados
i R?, Itordados.
I de seda, liddas cores,
> de aata par* seahoras e meninas.
i Ce seda e la para senhoras.
to de leques de madreperolas e
e de cores.
panao fino preto e azul, col-
i deliatto e a.'godao, gravatas, lu-
de fceossia, "aprtes de todos os tama-
, aataas de viagem, peitos bordados para ho-
i, \cmqn de aaao branco e de cures, toalbas,
. ete, etc.
eratriz .- 72
li t Ka Outr'ora rad'do Crespo.
Rua da Imperatriz n. 60
MENDES GU1MARAES Acabatn ile fazer um grnde abatirneAtb nos preios de sfias fazendas atten-
denrlo a grande falta que ha li^je de dinheiro,^ por' isso creio que o prejo que vai men-
cionad i .igradar;! ao rospeit vej publico.
CHAPEOS DKSUL DE SEDA A '.$000.
Vende-se ch'pcus do sol de seda para se-
nhoras e meninas a 49,' dftos de alpaca Q-
nos com 12'astes a 48, ditos de r.erin6 de
duas cores a 59, ditos de seda para hon.em
6?, ditos inglezcs com 12 8Stes a 89 e t)9.
BRIM i'ARDO A 400 rs.
V>nd-se Lrim pardo escuro a 400 rs. o
covado, dito de cores com quadnnhos a
500 rs. o covado
CORTES DE CASEMIRA A 59.
Vende-se cortes de casemira de cores para
C8lc.a a 59, e 69, ditos de dita preta para
calc,a a 49, 59, f>9. e 79-
BRIM DE ANGOLA A 29 O CORTE.
Vende-se co.tcs de brim de Angola para
calr;a a 29, dito rnuito finosa 39-
ABERTL'RAS PARA CAMISAS A 200 REIS
Vende-se aberturas para camlsas a 200 rs,
ditas mais finas a 400 e 500 rs. ditas de
esguiao a 19, ditas bordadas a 29-
CIIITAS A 240.
Vende-se chitas para vestidos a 240, 280
e 320 rs o rovado, tern escuras e claras.
MADAPOEAO A 39.
Vende-se ppras de mad polSo enft-stado a
35, ditas de dito inglez a'45500. 5-5, e 69,
ditiisde dito francez lino a 79. 79-00, 89'
99000.
TROCHES A 19500.
.. croches para cadeiras a 10500
c&da um.
LAZINHAS A 200 REIS.
teride se Jfizmbas para vestido A 200,
320, 409, e 500 rs. o covado.
ALPACAS DE CORES A 500 REIS.
Vcnde se alpacas de cores' a 500, 640, J
800 rs. o covado.
GRANDE SORTIMENTO DE TAPETES A 49.
Vende-'se grande sortimento de tapetes para
todosfls timanhos a 49, 49500, 59, e 69
ca'la um.
RANDE SORTIMENTO DE ROUPA FEITA
NACIONAL.
Caicas de rtscado para traba'.bo a 10000
e 19400.
Cal?as debrimpardo a 19900,29, 29500.
Caicas de brim de Angola de cores a 29
e 89.
Cal?as de casemira de cores a 59500, 69
6 79-
Calces de casemira preta a 39500, 59500
e .79
Palitots de riscado a 19.
Paletots dc alpaca de cores a 29.
Paletuts de a paca preta a 39, 39900, 49
59.
"*~"
E baraia.
iesde-se am pequcuo si io perto da esta-
^a do Salgidmho, tendo de frente 150
e de :uodjs mats de qnatrocentos,
kgurte casa d-j taipa, acabada de
elKa ass.iada, tendo isal s, 2
. ecjdnba fora. O terreno 6" pro-
' -a ^e plantades, t awes de ^a:lo, agna de bcLer e todo cer-
i vere mats expli A'.-des, no mesmo st-
-; a a/aatqoer hora a ent':nder-se com Tris-
i>. [soa T rres, e patftratar, na the
aaavana J^loterias, rua 1.* de Marco
" PAIIAHIA
Veade^e a padxria da rua do Barao de S. Bor-
aaaja da sake, a. K, rnuito afreguezada :
i aer e tratar. com tea dono, na mesma ; o
i da veada nao de^agradara ao c mpraior
yendMF"
a rda de Barreiros, na rtta do Com-
por preco medico : a tratar com Tasso
rem2 *C
Salsaparrilha de Ayer
rial rrajriCAE o saxgcz.
Omme de qno goza ette ez-
enllmfe remedio 6 devido a milha-
res dc cons que tern operado, mi-
has das quaes fio verdadcirameuta
Mrayflbosas. Innumeros sao o
easos ea one o systhema, pareccn-
do satundo da podridao de enfev
hilm escrolulosas, tern sido
promptameste restituidd 4 saude.
As afieccdes e desordens, aggravn-
das pela contamini<;ao escroralosa,
aM produzircm dores mortificantes,
e tarn gcralmeute curadas por ellc, em
do Iaperio, qa o publico mat precisa de ser
bm Tinaaat c do nodo de nsal-o.
'rfataat e n dos mais destruidores inlmigos
GRANADLNA8
; Granadinas de seda pura, preta com listras
' de cOres e padroes os mais bonitos que tem
! vindo ao mercauo e que se veude pelo di-
i minuto preco de 500 rs. o covado, por ter
| um pequeno toque de mofo, e fazenda de
j 29000 0 covado ; e pecbincha. Dao se
amostras.
Brim branco
Rrim branco muito fino, fazenda de
29500 a vara, que se venie por 19400 a
vara, por estar com um pequeno defeito ;
pecbincha.
Meliiss franeezes
Metins franeezes, fazenda muito fina, pa-
dr6es modernos, fazenda que ja- se vendeu
por 500 rs, a 300 rs. 0 covado ; 6 pecbin
cha. Dao se amostras.
Cretones de listras
Cratonesde listras, fazenda acolchoada, pa-
droes muito lindos a 400 rs. 0 covado ; dao-
se amostras.
Madapoloes
Madapoloes com um pequeno toque de
avaria, de 3^500 a 55000 a peca ; e pe-
cbincha.
CHITAS PERCALES
Cbitas percales avanadas a 240 rs. 0 co-
vado; e" pecbincha.
SO' O
X. SO da rua do Crespo
Loja das 3 portas
DE
Gnlherme &C.
Junto a loja da esquina
A' raa do Cabuga n. 1 A.
Os proprietarios da l'redilecla, no intuito dt
wnservar o bom coaceito que teem merecido d;
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci
mento dos mais que negociam no mesmo genere
veem scieutificar aos seus bons fregueees que pre-
veniram aos seus correspondentes nas diversas par-
cas d'Europa para Ihes enviarem por todos oa pa-
quetes os objectoi de luxo e bom gosto.'qtie se-
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daquellt's paizes, visto aproximar se o tempo de
lesia, em que o bello sexo desta linda Veneta
mais osienia a riqueza de suas toillette3 : e co-
mo ja recebessem pelo paquete francez niverso
trtigos da ultima moda, veem patentear alrnn?
d'entre eiles que se tornam mais recomraendaveis,
ssperando do respeitavel publico a costumada
concurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos qne teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e d*
velludo, sendo diversos tamaubos e baratos pre-
os
Aderecos completos de borracba proprios para
tcto, tambem se vendem meios aderejos muito bo-
nitos.
BotCes de'setim preto e de cOres para ornftto de
estidos de set bora ; tambem tem para collete
0 BARATEIRO
tt inimigo acerriirio contra
a carestial
XA
Rna Primciro dc Marco n. I
Outr'ora rua do Crespo, defrou-
te do arco de Santo An-
tonio.
DAPT1STAS, lemos grande sortimento desta fa
zenda e vendemos muito barata, a 3'G0 e 400 r.
o covado.
ALCASSIANAS de bonitos deseahes e cores fl-
xas, a 4C0 rs. o covado. So no baraleiro, venhatn
apreciar.
METINS irancados, francezo-, fazenda superior
e de bonitos gostos, a 210 e 280 n. Quem'riva-
lisa?
CIIITAS de bons gostos e de cores fixas, a 240
e 260 rs. So aqui.
LAZINHAS cscocezas, padrSJes bonitos, a 180 e
100 re.
DITAS de iinbo e la?, padrdes mieiramenle no-
vos, a ^40 rs o covado, fazenda que custou sem-
pre 400 rs. So no barateiro !
CRETONES eseuros e clarosjazcnda superior a
400, 140el80 rs o covado.
POPELLNAS de seda e lmho a 900 a 14; apres-
iao a 7C0 e 800 rs. o
Sao f,
rr vi*
rancezas
PARA LIQWDAR
Granadlna preta a 500 rs.
covado.
O Pavao vende granadina preta e lavrada
pelo barato pfeco de 500 rs. o covado.
ALPACAS PRETAS A 500, ^40 E 800 RS.
0 Pavao tem um grande .sortimento de
alpacas pretas, que vende a 500, 640 e 800
rs. o covado, assim como grande sorti-
mento de cantdes, bombazinas, princezas
pretas, merin6s, e outras muitas farendas
proprias para luto.
GftMWlAU VICTORIA A 49C00, 4^00,
5 OJSOOO E 7^000.
0 Pavie vende um grande sortimento de
cambraia Victoria e transparente com
8 1/2 varas cada peca, pelos barato* precos
de 4000, 4*500, 55000, 6*000 e 7f000
a pe co, a 7#000, e pechincha.
CAMISAS FRANCEZAS A 2^000, 85500
3*000 E 31:500.
O PavSo vende um bonito sortimento dt
camisas francezas com peito de algedao, i
2^000 e 2500. Ditas com peito de linhc
de 35000 a 65000. Ditas bordadas muito
finas de 65000 a 105000: assim come
grande sortimento de ceroulas de liobo e d*
algodfio, por precos baratos, e tambem tem
completo sortimento de punhos e collarinhos
tanto de liuho como de algodao, por precm
em conta.
GORT1NADOS BORDADOS PARA CAMA r
JANELLAS, DE 75 ATE' 255000 OPAR
O PavSo vende um grande sortimento de
cortinados bordados, proprios para cama t
fenellas, pelo barato preco de 75000,85000,
10i$000 ate" 255000, assim como : colxas
de dnmasco de IS muito fina de 105000
125000 cada uma.
BRAMANTES A 15800, 25000 E 25500
0 Pav8o vende bramantes para lenc6es,
tendo 10 palmos de largura, sendo o df
algodao a 15800 e 2*000 a vara, e de linht
a 25400, 25800 e 35O00 a vara: e pecbin
cha.
Grande pechiccha a 4$000
e 5#000
CORTES DECASEMRA.
Q Pavao recebeu uma grande porcSo de
cOrtes de casimeras de cores para calras, e
Grande sortimento de bolioa* para honiem e se-
( nhora, tendo diversos go.-tos e todos os nunvros a
i por prison ainda desconhecides no mercado, para
0 homem 6:i e 7i; para seuhora 4i e Sj : ao barato
e bom cocvida o barateiro
Ao ealcado francez
loja
DO BARATEIRO.
a 200 rs. o covado.
S6 na rua do Queimado n. 43\ junto k loja
da Magnolia.
Cheguem, venham a ellas 1 !. .
LazinhJ.8 de quadrinhos a moda escoceza pa-
dr5es mrjito chiques, propria para vestidos de se-
nhoras e meninas. pelo dimiauto preco de 200 rs.
o covado.
So o 43, loja de Guerra & Fernandes.
Dao-se amostras com penhor.
Muito barato
Caixas de fogoj chinezes a 10J000 : na rua dd
Barao da Victoria n. 39, outr'ora rua Nova, jola
de ierragens de Scum & Guimaraes.
BAZAR iilRSAL
Rua do Barao da Victoria n.
DE
Carneir Viaiiua.
A' este grande estabelecimeiitu lenB -
gado um bom sortimento de macbin.s para
costura, de todos os autores mais acr.jf'ita-
dos ultimamentena Europa, cujas mactiaas
sao garantidas por um anuo, e tendo am
paliiot.
Bolsas para senhoras, existe um bello surtimen- semse aaiandar vr.
de seda, de pallia, de chagrim, etc.,-Wot, por I DITAS de.linbo e algoda
bara'.o preco. covado.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de louca BRIM pardo traB?ado a B60 e 280 rs. o covado.
como de ce"ra, de borracha e de massa ; cftatna- 86 bo baral iro I
mos a attentio das Exmas. Sras. jara este artigo,! DITO de cores; fazenda muito boa, a 500 rs. o
pois as vezes tornam-se as criancas um pouao tm- covado. ~
pertinentbS por falta de um obiecto que ae en n.CAl*lJRAfA Jfansp_arente e Victoria a 3^600 e
iretenham. (. jKcOO a'^^a
AonMlem T Ko Wrateiro I
On, iMhntfi Mr occults e traiceeiramente
o t dctnKi fraco e inenae contra molestias
Or, y%eittla a mfeccao de quo corrompea o corpo
" > uayJUmn, larra rapidamente sob algn-
famas, jk na cnti ja nos ordains
ao dapouta, muitas Tezes, taberculos
, bo coraeSo, etc., qoando nSo s man-
i SUfaas aaaaaraa, etc
ia tam aaitoiwii c tarn perfido nnnca se deve dar
> wi a n 7 auaaatc melhor do que combattel-o.
aes it aaBpnearaamos proprios ajayrtownu action,
i aaaaa aUSirii a Brg^f elui, F ns, Rheuwnatlsmo, Tumorf,
on Ii\ii0tttf; Uydropetia,
. W*fu4, Epyleptia, Jfev-
aOn i.fin an systhema muscular a
affirio usando desta SAX8ATAB-
iirNi Bio enradas com o
i out aaja. aaoecsario mais dUitado espaco da
raaar lam haapiatiaiinl.....enfeimidades.
aiiam.i, as alceracoes uteri-
mnmeres sio tambem allivla-
par sea. eCsito parinoador e
qoando oansados por accu-
se aampsa, cadein-llie facil-
o Mmt afct Ftgmdo, Ctngatao on
i, XcaCrieta, qoando ato oriundaa
.. PMUgwta, Dt*.
mcommodados com '
Machinas de descaro^ar
algodao.
Machinas de cortar fumo.
Machinas a vapor.
Machinas para limpar fa-
cas.
Deposito de ferro para
garrafas.
Macaco de estivar ou le-
vantar pesos.
Cemento Portland.'
Salitre.
Limalha de ferro fran-
ceza.
Esses artigos vendem-se
na rua da Cruz n. 4, arma-
zem de Hawkes & C.
Extraordina-
ria baraleza,
Bazar da Moda a rua NovaQ
n. 50
querendo reduzir o deposito qae tem de fazendas,
resolveu vender os seguintes artigos com grande
reduccao de precos, a saber :
Us para vestido de seuhora, de 900 a 320 rs. o
eovado.
Ditas idem de 640 a 360 rs. o covado.
Ditas idem de 800 a SCO rs. o covado.
Alpacas de cores muito largas, finas, com listras,
de U400 a 700 rs. o covado.
Ditas de i600 a 860 rs. o covado.
Ditas de 11 a 1*010 o cuvado.
Ditas de 2*400 a-f *i00 o covado.
Popelinaade 1*600, 1*800,. 2* a 8C0 rs., 1*000,
i*2C0 o covado.
Creton para vestido de senhora.
Meias inglezas para senhora, de IS a 6* a duzia.
Grosdenaple preto por 1*600,1*&00 e 2* o cova-
do de ludo se garante a boa qualidade e es-
tado.
Alem destes objectos acaba de receber um com-
pleto sortimento de setim de todaa as cores/ que
vende por limitado preco, e assim muitos outros
artigos de moda, como scjam: casacos de seda,
casemira, cbapeos a madame Angot, bctnous,
grampoi para eabega de senhora, e sedas com lis-
tras para vestido de senhora a 1*600 o covado.
Camisas de llnho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulai de linho e de algodic, de diversos pre-.
(CS.
Caixinhas com musica, o que ha de mais lindo,
com disticos c.is tampas e proprios para presen-
te
Coques os mais modernos e de diversos forma-
103.
Chapeos para senhora. Receberara um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas-
Capeilas simples o com veo para noivas.
Caicas bordadas para meninas.
Eniremeios estaaipados e bordados, de lindo*
dp.seniios.
Escovas electricas para dentes, tern a proprie-
tade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, existe am
grande sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. rie g-rrgorao, de setim e de cha-
o-i?!r.te, de diversas larguras e fconitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
de pnaiapU cura.
qpakjoer outra
do sea pt
poderi
mruini fob
d. C Aycr Cau, lxweU, Mass, E, V^
tllalin ri Kill Ammi^Hen. "r~"
__ VEXDB 8E FOB
BRAMANTK de linho de duas larguias, 1*2*0
a vara ; admira t e exacto.
ESGUIAO de linho e algodao de 10 jardas, por
4*000!
DITO de linho pure a 8* a pega. Ao barateiro,
ao barateiro I.
i MADAPOLAO francez fazenda superior a o* e
6* ; sempre custou 8*.
I B0TINAS para senhora, muito superiores, a 4*
e i*300. SAaqui.
TOALHAS alcochoadas a 4*800 e 5*000 a du-
zia. -A ellas, a ellas.
CORTES de ereton francez, bordados 5*300
e6*lt
Ditos (uso da co:te) de cambraia a 10*. Sem-
pre custou 15*.
i SORTIMENTO de chapels de sol de seda a 7*,
8* e 9*. Venham autes que se aeabem".
DITOS calio de marfim de superior qualidade,
a 11*500, para acabar.
DITOS jara senhora, a 3*500 Sempre ens
tarani C* ; eslao se acabando, venham a elles, a
! elles I
GRANDE queima para acahar de camisas fran-
perfeito artista para enstuar as mesmas, em
Vende pelo barato pre?o de 4&000 e 53J0OO j qualquer parte desta cidade, como bem as-
cada corte, na rua da Imperatriz n. 60, lja i sim concerta-las pelo tempo tambem
de Felix Pereira da Silva.
ESMERALDINA A 800 RS.
O PavSo recebeu um bonito sortimento
das mais i legantes esmeraldinas com listras
de seda, sendo em cores e padroes as mais
novas que tem vindo ao mercado, proprias
para vestidos, e vende pelo baratissimo pre-
(jo de 800 rs. o covado, a" rua da Imperatriz
n. 69.
C Pavao queima os artigos
Seguintes:
Cortes de combraia.branca, transparente,
com erft>itos bordados " Dit s todos brancos bordados a 124000 e
15BS0O0.
Ditos muito ricos a 235000.
Bonitas lansinhas para vestidos, com lis-
tras de seda, covado a 800 rs.
Ditas ditas transparentes e de muita fan-
tasia a 500, 640 e 800 rs.
Cintos de setim de todas es cores a 58000
Punhos com gollinhas de'esguiao a 500 rs.
Sedinhas de cores, sendo de listras e la-
vradas, com toque de mofo a 100.
Ditas de dita ditas sem mofo a 1-3600 9
2?J000.
Fi. r* arlificiaes. A Predilecta prima em con- ceia's ejngWzas, por todo o preco a t7*, 18*, 20*,
f i. rs* artuiciaes. a rieuuecia pruna eui tou- *i to a
orvar sempre um bello e grande sortimento des- 30*, 35*, 40* e.^48* a duz a.
as flo:es, nao so para enfeite dos cbellos, como. tem.
tambem para ornato do vestido de noivas. | GRANDE sortimento de grosdenaple de cores,
Gaioes de algodao. de la e de seda, brancos, pre- a 1*. 1*200 e 1*500 o covado. bo no barateiro t
os ei de diversas cores. Quem ousa dtier que n5o e barato ? por certo,
Gravatas de seda para homem e senhoras. nin|Ufltn.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores CHALKS de casemira com l^tras o
oara sennora derno que ha a 3*500 e 4*. fazenda
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para em qualquer partc 67. Venham a
.: qne se aeabem II Ao t om (em!
Livros para cuvir rnissa, com capas de madre-1 Alto destes outrosi oata artigos que. denta-
perola, maPrfim, 6,0 e velludo, tudo que ha de, mo^de a-py ^*** f^dTc^p'rl
Pe'ntes de tartaruga e marfim para ahsar os ca-! Sores Avista do exposV, ficaraos convictos de
belios ; teem tambem para tirar caspas. \ que virSo fazer aciUis.030 de boas fazendas por
Port bouquet. Um bello sortimento de madre- pouco pre?o
E' no barateiro que
mais mo-
que costa
elles antes
d'nm
anno sera despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha perten^as
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer pega que seja necessario. Estas rr.a-
chinas \rabalhem com toda a porfeigao de
um e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura por fina que seja, seas
pre$os sao da seguinte qualidade : para tra-
balhar a mao de 30J000, 40^000, 4JS9000
e 50$000, para trabalhar com o pd sS.o de
80?O00, 90^000, 1009000, 1105000,
1205000, 1305000, 1505000, 2005C00 e
2505000, emquanto aos autores nfio La >l-
tera^fio de precos, e os compradores podcrao
visitar este estabelecimento, que muito de-
arao goaUr pela variedade de objectQE qaa
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balance, ditas para
crianca (alias), ditas para escolas, eosjorei-
ras riqnissimas, para senhora, despcr -aveis
para criancas, detcdas as qualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
quenos, apparelhos de metal para cbi, fa-
queiros com cabo de mGtal e de marim,
ditos avulsos, colheres de metal fino.condiei-
ros para sala, jarros, guaida-comidas de
arame, tampas para cobrir pratos, es'.eiras
Diversas lansinhas para vestidos, de 240 para forrar sabs, lavatorios completos, iitqs
ate" 500 rs. | simples, objectos para toilette, e outros mm-
Colchas de fustao brancas para cama a tos artigos que muito deTemagradar a todos
que visitarem este grande
Lugar ameno
Vende-se um terreno com 60 palmos de l rente e
330 de fundo, no lugar denominate Afflictos, deita
para a estrada principal e flea perto da segnnda
estacao da linha ferrea, divide com uma praprie-
dade de Jos6 Braz da Silva, e e fechado pela fren-
te por nm muro de 10 palmos, tendo um oitao
ceicado : trata-se na c;sa de hanhos do Recife.
qi
perola, marnm, osso e dourados por barato preco
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, n5o s6 em extractos, como em oleos e
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Lonbln, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commodo
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordafios ,para bap-
tisados. .
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonrto sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Yestimentas para, baptisado o que ha de melhor
gosto e os mais moderno t recebeu a Predilecta
de or arjto preco, para ficar ao alcanoe
]ua!quer bolsa.
Rua do Cabuga n. 1
Yinho
Especialidade
piiro
e ge>
partfcular,
Bnino.
Acaba de chegar ao mercado alguns barris de
viDho do Alto Douro, especial e unicamente pre-
parado do extracto da Uva e isento de qualquer
confeccSo, Sendo muito mais brando que o da Fi-
gueira, o one o torna recommendavel pelo muito
que agrada ao paladar e preferivel a todos os ou-
tros vinhos de pasto.
Acha-se a venda nos armazens de Joao Jose Ro-
driirues Mendes, Sonza Basto & C. e Fernandes Costa & C.
Sedinhas a 1^500 o oovdo
Venham antes qne se- aeabem : na loja do Passo
a rna !. de Marc.o n. 7 A.
Ao barateiro III
Na rua do Crespo n. 1..
Angoslmho Ferreira da Silva LealC.
Vende-se grande qnantldade de tijolos grosses a
28* o mllheiro, sendo porcao se fara differenca :
a tratar na prac.a da Concordfa n. I, confronte ao
novo ediQcioEscola modello, mandando o pro-
prietario deste estabelecimento conduzir em snas
canoas ao porto qne convencionarem. ______
Vende-se uma casa sita na rua dos Clerigos,
em Beberibe. sendo dita casa de taipa, com duas
salas, um quarto e cozinhi fora ; a casa e situada
em chaos proprios e tem o; terreno 60 palmos de
frente e 600 de fundo : a tratar na rna do Barao
i da Victoria n. 33.
JA2IG0.
Arnazem pintado de preto
confronte a alfandega
Venfle-se a retatho e a dinheiro, muito ba-
rato, para liquidar.
Pogo ehlhez com lindas vistas para qtteimar eto
salas. .
Caixas com 40 cartas de traques superiores.
Batatas por arroba.
Caixas n> latas de 5 gaioes de gaz Devois.
Hanterga franceia P L G de 1874.
Arroz, cafe, ha, e mais generos de primeira ne-
cesSidade, para os rices e pobres, como ja indica-
ram, fatendo censnra ao administrador C.
Chapeos de seda.
Chapeos de seda para homem, proarios de pas-
seios, formas modernas e bem armaaoa;, com um
pequeno defeito i 2*500 e 3*000, e pechincha e
esta' se acabando na ru flo Crelpo n. 20, loia
das 3 portaa, de Gnilherme G, /onto a loja da
asquina.
B;icMhi\o de Nornega.
Ataba de chegar; hm peijoeno lote de eaixas
deste desejado bacalhao : no eaes da" alfandega,
arma'em de Tasso Irmaos A C.
Esta provado
que o cimento Poraatrfl exTkisto a venda no ar-
mazem da bola amarella, travtoa da raa do Inr-
perador, a o melhor que se encontra no mercado,
attento o competentiasimo testemunbo do perito
estucador das obras da igreja da Penba, bem como
o do exlmfo engenheiro qua dirige aqnelra per.
tentosa coastruecao.
Asunicas verdadeiras
Bichas hambuxgri;#a| -^ ^ kegtenwrato
25500.
Ditas de dito de c6r a 45( 00.
ambraias brancas, abertas, para vesti-
dos, corte a 89000.
Cortes de cambraia branca com bonites
enfeites bordados, de cOr, com figurino a
65000.
Pe^as de madapolao com pequeno toque
de avaria a 4-5500.
Ditas de algodaosinho muito encorpado,
com leve toque de avaria a 4$500.
Madapolao enfestado com 12 jardas em
perfeito estado a 3000.
Pecas de madapolao com 20 jardas a
JlftGO.
Brim pardo para roupa de homem e me-
ninos, covado a 400 rs.
Cobertas de chita para cama a 20800 e
3^000.
Bramante de linho com 10 palmos de
lagura, vara a 2#6C0.
Atoalhado com 8 palmos de largura, vara
a 1#>00.
Espartilhos brancos e de cores a 45 e
5,$000,
Cortes de casimira a 4)9 e 5#000.
Cora dos eslreitaniento dnretra
pela facil applica^ao das
SONDAS OLIVAES
DE
GOHMA ELAST1CA
As mais modernas e aperfei^oadas de todas
as conhecidas
Yendem-se
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DE
Bartholomeu & C.
34 Rua large do Rosario 34
Admira
Popelinas de gosto, o mais moderno, de 2*. por
I* o covado ; las de lindos padroes a 320 rs. o
covado : s6 u rha Dnqne de Caxiash. 92._______
rua Mar
,aii 5e ollnda n. 51
Cortes deseda
Com 21 covados a"40|000
Sem defeito algum.
Cores lindas e de goito apurado, primando cn-
trt' elbs a c6r de perola, Bismark, lyrio, ami ce-
leste e ontras. Aprevcitem poro^ue valem o du-
plo : na loja da America, a rna do Cabuga n. 10.
E' barato
Trancas de cabello
humano, natural, com nm aetro de comprimento
a 15* cada uma : so na rna da Imperatrix n. ea rj-incinaes loia de perfum&nas e beticas.
casa de Odilon Daarte IrmSo. P"u *
estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 boras da ma-
nha ate" as 9 boras da noute &
Rua do Barao da Victoria n.
22.
Para a boa conscrvaqao
VOSSOCA BELLO
'II
Elle e um preventivo seguro e certo contra
a calvice.
Elle dd e restaura forga e sanidade a" pelle da
cabe^a.
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabelles.
File dd grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle dttma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posi^So que se dese-
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
os.u
Elle conserva a pelle eo casco da cabe$a
limpo e livre de toda a especie do caspa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bran-
cos.
Elle conserva a cabega n'um estado de fres-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nao d demasiadamente oleoso, gorda-
rento ou pegadi^o.
Elle ndo deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle d o melhor artigo para os cabellos da*
.criancas.
Elle d o "melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservasSo e arranjo dos ca-
bellos das seahoras.
Elle e o unico artigo propno para o pentea-
do dos bellos e barbas dos senhores.
NENHl/M TOUCADOR DE SENHORA SB
PODE CONSIDERAR COMO COM-
PLETO SEM 0
TOMCO ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e aformose*
O CABELLO.
Acha-se 4 venda nos estabelectmentos de
H. Forster & C, agentes.
~T
m~ i





.'/
7
8
Jltrio de Pemambaoo Sabbado 27 de Junho de 1874.
ASSEMBLE* GEBAL
CAMARA DOS SRS. DEPUTADOS.
MSCUSSAO DA FALLA DO THRONO.
(Coniiaoacao.)
Ha algaats xcapgdes, mas esta 6" a re-
gra e o facto constant?. 0> adversaries
ca* qae n js temos batido de longa data,
is os aeaios ao nosso lado contra o minis-
era Ddas as outras, o nobre presidente do na tribuna di> senado ao Sr. senador Sa-
coaselho e urn sectaric constant*, infallivel raiva, me* rospeitavel amigo, granaeaase
do sim e do nio, como hootem ouvimos ao il uma grande popularidada na provincia da
lustre chefe da dissidencia ; S. Exc assim BaWa, facto que muito honra ao Sr. Cruz
foi,a ass tin ha de ser. j Macbado, e nio menoi aos bahiaoos.
S. Exc. mandou para a Bahia um presi "J 0 Sr. Araujo Goes Junior : Diffaman-
deote, sem duvida atguma respeitavel por doos amigos
Sr. pr*ii l-ate, este fict p) 1 ifia ate er
%mnvt pwa o gabinete Algumas vezes
Who-*** incliaada a crer quo os ministros
tmfca-a raxii contra a disstden -ia, Ss Exes.
ie*r -jn iiu.neJi.ita n-mt-j a minha dlusio,
J*a p64a durar muito. 0 que se
am T^*o dos oobres ministros T 0 que se
4e sat politica on todas as provincias do
>-ja-mc licito enmina-lo rapida-
araaos pela or Jem chmnologica da
^HSitoaiaa, perguntirei : qual foi o moti-
aa paMeo que saparou os nobres minis-
tros dos seas amigos na provincia das A la-
de eleigdes. Lembraram-se 03
das Alagdas em boa hora de
<5c qeoiher sens rrpresentantes no parla-
aeata. V. Exc. e a camara sabem que e este
oaa grave crime e um anachronismo im-
perfoavd. 0 direito de correligionarios
-an aaatona elettoral e eleger quem os m:-
ciatras aaanJarem.
O Sa. Teixeira da Roc.iia dd um aparte.
O Sa. Miamno Cawpos :Diz muito
tea nobre coliega, eu nao esperava
de um medico, que em politica deve
sempre a sinceridade de mo-
no exame do mat que pede allivio.
sea caracter, e par spas luzes]( apoiado,
e que pessoalmente me merece toda a es-
tiraa.
Este prosidenfojiesdea sua chegada alii,
conformo ouvio-se no senado ao Sr. bario
do os
0 Sr. Martinho Campos : Perdoe-me
V Exc. os discursos que ouvi aqui pro/e-
ridos por V. Exc. e o que ouvimos no se-
nado ; proferido pelo Sr. Bario de Cotegi-
pe convencera a todos, que de facto, o pre
umi partido e uma cousa que escandalisa-aolmo a rasponsabilidade daexactidio dos fac-
de Cotegipo, pareco dorainado por proven- sidenteda Bahia grangeou grandes applau
odes, as quaes (fago esta jostiga ao minis- 30S da populagio daquella provincia.
terio) nio p.rtiram dos ministros. (Apoia Mas, S. presidente, era tudo isto qual e
dos ). o papel quo representam os nobres minis-
0 Sr. Araujo G6es Junior : Partiram trs T Conforme no senado se perguntou,
aqui d* cdrte. '. SS. EEtc. sao chefes dos patoteiros, ou dos
0 Sr. Martinho Campos : Os factos, a se-iiciosos T
este respeito, deixarara-me a conviccio de Os nobres ministros tiveram a tenta^io
que nio partiram dos nobres ministros.! da virtu'e, e eu rendo homenagem ao no-
Ss. Exes, nio poliam querer crear para si Dre ministro do imperio, conhego-o muito
as difliculJades com que ora lutam. j de perlo, sei bonrar o sou caracter para nio
Sio atlribuidas ao digno presidente da- (crer 1^ de S. Exc. partio este eslor^o he-
quella provincia provenrues mui serias > e ro>co- Mas, que rosultado deu um tal es-
as palavras que as revelara, publicadas na^orcP Sr. presidente? A aonvicoio de
impreosa e em correspondencias, que toio, fluo o proprio ministro do imperio nio sa-
o mundo, ioclusivamenteeu.julga qua parti- D' snccnoibir a esta tentagio honrosa e
ramdo palacio da presidencia, porquoV. Exc.
sabe que um preiidenta de provincia, e" for-
gesamente correspondente do principal or-
gao da public! Jade do paiz ; imputavam ao
feliz, e, ao contrario, deixou se arrastar pela
necessidade de eonservar uma situagio po
litica, morta na opini&o de sous proprios
amigos, e sacriBcou a essa necessidade
Sr. Cruz Macbado a missio de restabelecer grandes interesses publicos.
-)
sido
Lm Sa. Dcpctaoo :Esse direito tem
eiaiid( por todos os governos.
O Sa. MiaTiSro Campos :Confessoe
b. a Jatar de 1837, elle tem sido
MtaMMa por todos os partidos com
exoeproes, ee por isto, Sr. presiden-
qe louvo ainda mais aos nobres con-
da provincia das Alagoas ; des-
ao ministerio porque nio quize-
eleger todos os que os ministros quize-
0 publics nao conhece outro mo-
tivo.
Sao e licito aos nobres ministros recorre-
reaa a oatras exphcacoes, visto que as
a* teaa trazido ao parlamento. Era pos-
I V nas Alagoas, como em algumas
proviocias, os nobres ministros pen-
reprimir grandes 'abusos que no
parti lo eaanrrador, mais que no partido
ibcnl, pi* em perigo a causa do governo e
ia km aalosa administrarlo, mas nada
araaMBiaraa a respeito, e portanto nada ha.
Sr. ptaaideiite. fallou-se da Bahia ( a ca-
aae perauttira anticipar esta idea),
e dike se que foi missio e instruc-
V*es presidente aeabar com a corruptagem
paMca e morahsar a administracio daquel
a piowia E' possivel qua os nobres ministros tives-
aa este pensamento ; em algumas provin-
as in Maperio era uma necessidade, um
V?rerparaS. Exc.; mas, se houve motivo,
apaal piano para as Alagdas, o paiz nio o
sake ate boje, irnora-o...
Seria am p-imiro e infallivel castigo in-
i*iiji : I is ioslruc6cs do governo ; a propo-
mm 4e reprinvr graves abusos que creio,
cai as nobres ministros, se tem dado em
aigaaais provincias ; mas a honra e gloria
aaaaras. Ss. E\cs.. sacrificam, e pelas con-
s d> memento tem perdido a ellas
!o o direito
b*s Alagoas vamos encontrar na santa
fac4aaaaa iiominarao unica a heroica pro-
vancia de I'eraarabuco.
Mas. St. presi lente, qualquer que seja a
da 5up*:!icie das aguas naquella pro-
1 publico sabe que reina alii tanta
vaaoaia no partido conservador como nas
; provincias. Apoiados e nio apoia-
eatretanto, como os pernambucanos
! actual situario nio tem trazi-
-. 13 paUico, como o das outras provin-
saaotitosque os separam do ministe-
imn outra opiniao minha posso
a as cousas de Pernambuco se-
qoe a admini>'.ra-.-ao daquella provincia
esta na verJa leira altura dos seus de-
\io apoiados .
I'm Srl tavraao:E' muito digno o
!! que la esta.
.liKTLsao i.ampos :Porem, mais
nit.-, Pernambuco ainda nio
teae. mais ir.cpto, m3is inbabil. Nio
-
a Ar.AMi't:Os factos con-
testant a tmnfBiQ de V. Exc
St. Martin no Campos : Factos I yuan-
i ordeai publica, as ruas varridas por
!arit mostram qual e o lino e a capa-
cadaie daqut lie presidente, ( contetagoes),
c faaxao i port? admiuistrativa, o estado
iu-.3cas ij provincia de Pcnambuco
'iaa tesJemor.ho da sua incapacidade nio
apsit^e apoiados testemunho eloquen-
taacma.
.Na Saaia, Sr. presidente, o que temos
ads vista?
v. E\c. comprehende queseo partido mi-
awlwial vive descontente na Bahia, e Per-
nambnea, que sao a chave da situarao, no
-sto do imperio nio iode estar em raelho-
ondKoe;.
Ma na Bahia realmentc coto se acham
-ni-U'iS ?
. ;r-se abu-ar d uma mais que gene-
% coadescMi'lencia para illudir a camara:
*lre presidente do conselho, porcm nio
-via boiilem a gabar-se do apoio do
hi m iores influencias politicas do seu
t, mhora a sua imprensa declare
^a* cTWinu^ a tar esse apoio, que em par-
imi a vija uas sessoes do anno pas-
a-J;.: ouvio-se da tribuna do senado ao
>r. liirio dc Cotegipe asseverar que t o
paf*1 !o conservador dessa provincia nio
paji continuar com honra a apoiar o actual
iai-4!MTO. *
mlveira Martins :Anoiado.
aaammo Campos: e' como S.
Exc. i cooserrador, entendo que nio se se-
para do part do conservador da provincia, e
ataPbio poderi tambem faze-lo com honra.
O Sk. Silveira Martins e outro Sr. de-
pcraBO :E' seu chefe.
O Sa. MaRTwao Campos : Mas conce-
e os nobres ministros possam con-
o apiio do Sr. bario de Cotegipe
; depois dostas declaragoes, depois
havidas, que forr.a da* este
ao ministerio ?
-Via coamrabando.
St. paaaalaata, na questio da Bahia, como
a moralidade da ad uinistracio na Bahia,
acabando com a corretagem politica.
Ora, Sr. presidente, para miio, adversa-
rio da situaca.), um se.nelhante programma
do presidente da Bahia nio podia deixar
de tnerecer o meu applauso.
V. Exc. e a camara recordar-se-hio que
desta tribuna accusei, o anno passado, os
nobres ministros, por serem indifferente*
a actos administrates escandalosos da pres
sidencia da Bahia ; V. Exc. e a camara se
recjrdarao que inqneri de Ss. Exes, a ra-
zio por que o publko nio recebia satisfa-
gio a respeito de escandalos administrativos
gravissimos.
A c.mara me permittira" recordar que um
delles, por exemplo, era a votacio e a sane-
cao de um projecto, decretando uma con-
cessio de trilhos e contrato celebrado, tudo
em um so dia, em algumas haras; discus-
sio e votagio na assembled provincial, sanc-
gio do presidente e contrato assignado, tudo
no mesmo dia I
Este facto foi trazido i imprensa da cdrte
no Jornal do Commercio, por outro pre-
tendente prejudicado.
Os Srs. Araujo Goes Junior e Eunapio
Deiro : Mas nio e exacto : nio foi no
mesmo dia.
0 Sr. Martinuo Campos : Nio sei ;
nenhumas informagoes foram dadas ao pu-
blico.
0 Sr. Araujo Gijes Junior : depois
a assomblea tioha competencia para fazer
a concessio.
0 Sr. Marti.\ho Campos : E o pre-
sidente para fazer o contrato e sancciona-lo
no mesmo dia I e circumstancia gravissima,
que e onde encontro justamente oescandalo
o contrato foi celebrado com umseu coo-
cunhado 1
0 Sr. Eunapio DsiRd : Mas que lei
ficou ferida com o contrato celebrado no
mesmo dia ?
0 Sr. Martinho Campos : A do de-
coro, a da decencla da admrnistracSo.
(Apoiados.)
0 Sr. Flores : E a da moralidade.
0 Sr. Martinho Campos : Note o no-
bre deputado que a lei foi votada, sanccio-
nada e o contrato celebrado com um vice-
presidente, apenas entrado em exercicio...
0 Sr. Araujo G6es Junwr : Quem
tinha feito a concessio foi a assemblea.
0 Sr. Martinho Campos : ... tendo o
presidente que bavia deixado a administra-
cio, dosapprovado a lei que o ordenara,
cojo projecto foi retirado da discussSo era
vista da opposifio do presidente...
0 Sr. Araujo Gobs Junior e Eunapio
Deir6 ; Nio apoiado.
0 Sr. Martinho Campos : ... o qual
ameagava negar-lhe sanccio se o approvas-
som nos termos propostos.
Os Srs. Araujo G6es Junior e Eunapio
Deir6 : Nao apoiado.
0 Sr. Martixho Campos : Este facto
e notorio.
0 Sr. Eunapio Deir6 : 0 presidente
esta na casa e se explicara.
0 Sr. Martinho Campos : Sem du-
vida, e desmentird o facto, se nao for ver-
dadeiro.
0 facto e notorio ; o presi lente quo tinha
precedido ao vice-presidente Couto na ad-
ministraqio, quando iniciada a medida na
assemblea provincial, declarou que Ihe ne-
garia sanccio nos termos em que ella era
proposta (contestacio do Sr. Araujo G6es
Junior). Pois declaro a V. Exc. que assim
me constou, e ainda continue a crer que
com verdade no fundo da questio.
0 Sr. Araujo G6es Junior Se tal ira-
posicio houvesse, eu e os meus amigos nio
aceitariamos.
0 Sr. MARTiNno Campos : Nio ti-
nham razio para isso ; antes ao contrario,
so tinhara que agradecer a um presidente
areigo, que procurava dirigir a assemblea e
evitar conflictos, o que outros nio fizeram
para desar de seus proprics amigos.
0 Sr. Duque-Estrada Teixeira : 0
presidente ha de explicar isto.
0 Sr. Freitas Henriques : Eu era o
presidente da provincia nessa occasiio, e
nio me recordo de haver dito isto a nin-
guem, salvo com relacio a um outro pro-
jecto de lei, que deixei sobre a mesa da
presidencia, no dia em que passei a admi-
nistracio da provincia ao vice-presidente.
0 Sr. Martinho Campos : Eu asse-
S. Exc. abrio seus bragos ao presidente
da Bahia, mas dos bracos de S. Exc. aquel-
le presidente cahio na sepultura (hilarida-
de), embora collocado no mais aito e egre-
gio cemiterio do imperio, (apoiados e sig-
naes de approvagio,)... e Sr. presidente,
para si, entretanto, S. Ec. nio escolheu
um cemiterio igual... (Continua a hilari-
dade.)
0 governo em tal questio, Sr. presiden-
te, apoiando o Sr. Cruz Machado na presi-
dencia da Bahia, manifestando a approva-
giodeseus actos, como manifestou neste
recinto (e d a isto que dou toda a impor-
tancia e nio & escolha de senador) o go-
verno, desde que apoiou e approvou o Sr.
Cruz Machado como presidente da Bahia,
era, sem duvida, este cavalheiro que tinha
e devia ser escolhido, efez tio boa escolha,
como se esta tivesse recahido em qualquer
dos outros da lista. Assim os ministros
aggravaram a sqa posigio com as explica-
gdes dadas a respeito da demissao do presi-
dente da Bahia. A explicagio nio aceita-
vel. Demitiram-n'o para ver se aplacavam
os sees adversarios, demittiram-n'o a ver se
conservavam a volagio da illustre deputa-
cAo da Bahia.
(Ha apartes.)
Sr. presidente, subtraia o governo os vo-
tes desses illustres deputados, e veri que
estari em minoria.
mais simples bom senao. (Nio apoiados.,
0 Sr. Eunapio Deir6 : Voja a Ingla-
terra.
0 Sr. Martinho Campos : 0 honra do
deputado falla-me na Inglaterra. Eu decla-
ro a V. Exc. qne nio conhego um sd ho
mem de estado inglcz nos bons tempos que
i testa do governo so faga chefe de facgao
ou chefe de partido para fazer govern < de
corrilho. (Apoiados.) Conhego, sim, ho-
mens de e-tado quoQeis is sua? opinioes e
convicgdes governam seu paiz.
0 governo e" uma alta magistratura ad-
ministrate e politica obrigada neste ca-
racter a guardar toda a iraparciali lade no
cumprimento e observancia das leis. (A-
poiados) E* o mal do no?so paiz, e uma
das principaes causas da fraqueza e ruina
dos nossos governos esquecerem muitaj ve-
zes o seu grande papel e tomarem taref*
que nio Ihes pode caber.
E' por isso que eu digo que nestas cir-
cumstancias o Sr. ministro do imperio luta
com o seu dever, com as suas convicgo s e
tem de succumbir porque se confessa chefe
do partido do governo, e tem de ser go-
verno de partido com todos os vicios, erros
e paixoes de partido.
Vollo, Sr. presidente, desta digressio ao
Para\: o nobre ministro, que alids conhece
aquella provincia, esti em situagio du nio
poder ter 14 presidente I... Nio ha presi-
dente possivel para o Para... Por que V.
Exc. n.lo nomeia desdi ji um dos pretensos
governadores dos pnsidentes do Pari Es-
colha um, e esse ao menos governara coin
a sua responsabilidade directa e pessoal, e
V. Exc. um bello dia, quando nio poder
mais supporter os seus desacertos se abra-
cari com elle e a provincia ficari livre.
tHilaridado, apoiades.)
Sr. presidente, o nobre ministro sabe
que naquella provincia ba duas fracgoes do
tos aqui neste jorn-1 apreseutados ; mas sio
factos articulados publicameole por um jor-
nal da provincia, que assevera estar prompto
a provar a veracidade de suas allegagdes ;
desafia o accusado para cbama-lo a juizo, e
nestas circumstancias, Sr. presidente, nio
me sorprenden os escrupulos do n jbre mi-
nistro do imperio em relacio a* administra-
gio do Pari.
Trocaram-se os papois, posteriormente o
accusado de 1872 e o accusador de 1873 e
1874, o por isso ve-se (e isto faz honra ao
nobre ministro do imperio) as prevengfies e
hesitagoes de S. Exc. sobre aodministragao
do Para*. Os ultiraos presidentes nomeados
para aquella provincia estao em manifesta e
notoria dissengio com o grupo desto repre-
sentante do Para" ; e pergunto eu, Sr. presi-
dente, sera abragado tambem o actual pre-
sidente do Para" cono foi o seu antecessor ?
(Apartes).
Sr. presidente, trata-se da administragio
publica ; pouco mo embaraga que o presi-
dente do Pari se chame Domingos, Pedro
ou Manoal, mesmo porque S. Exc. tem tido
o cuidado de procurar pessoas nio conheci-
das e sem pratica dos negocios para presidi-
rem uma provincia de primeira ordem, e da
isto justo motivo de queixas aos seus ami-
gos do Pari. Se o nobre ministro tomasse
antes a resolugio de mandar para aquella
pro ve itado. fi,
E' essa, Sr. presidente, a politica do Sr.
presidente do conselho no passado: se S.
Exc. for ministro duraote dez ann is, tere-
mos de volar once prorogagoes da orgameu-
to (risadas). Sim, senhoies, tudo, menos
exame de orgamento. Isto seria patentear
os segredos da administragio.
0 nobre ministro do imperio, que ainda
torn escrupulos sobre esse facto, nos convida
para ei:a;nin rmos na falla do throno os de-
talhes da administragio.
0 Sr. Ministro do Imperio di um aparte.
0 Sr. Martinho Campos :V. Exc. deu-
nos orgamento o anno passado ? e* muito
facil de iniciar orgamento no senado; tiram
nisso mais de um proveito.
Convila-nos S. Exc. para exame de factos
de administragio na falla do throno. Manda
quem pdde (risadas) ; a camara e o publico
me desculpario de ver-me obrigado a illu-
dir a sua espectativa, em vez de tratar de
um deba'e de politica geral : neste ponto
obedego ao nobre ministro do imperio.
0 Sr. Ministro do Imperio :Muito obri-
gado.
0 Sr. Martinho Campos :Acompanban-
do, Sr. presidente, a falla do throno, creio
que poderer, entretanto, satisfazer ao nobre
ministro do imperio: c Gragas i Divina
Provktencia, a tranquillklade publica con-
serve se inabalavel. E' o primeiro lopico
Demittem o presidente, porque motivo ?
Porque tinha aquelle presidente do vir to-
mar assento no senado 1 A mesmo razio
se di com o nosso coliega e amigo deputa-
do pelo Maranhao o presidente dessa pro-
vincia, e serve para ser conservado.
0 Sr. Gomes de Castro : Eu estou
no parlamento.
0 Sr. Martinho Campos :Sim, senhor,
e eu censuraria a V. Exc. se nio estivesse,
salvo casos extraordinarios.
0 Sr. ministro do imperio nio tem justi-
ficacao alguma na demissao do Sr. Cruz Ma-
chado. Foi sempre pratica neste paiz, e e"
daindole denossas instituigoes, que os nos-
sos homens mais importantes (isto no tem-
po em que o systema representativo teve
aqui forca), occupassem as presidencias das
provincias. Eu nio comprehendo que al-
guem tenha mais obrigagio de sujeitar-se a
este onus ou encargo do que os membros
do parlamento, amigos do governo. Sio
homens, cuios taleotos e capacidade sio
mais conhecidos do publico, e isto ate 6 um
ado de deferencia & nagio, ado que con-
sulta todos o interesses da administragio
publica.
A vinda do Sr. Cruz Machado para o se-
nado nio iraportava a sua demissio de
presidente da provincia da Bahia, e o Sr.
ministro do imperio bem o quiz demonstrar
ordenando a esse cidadio que continuasse
na presidencia, contra o que dispoe a cons-
tituigio, que manda cessar o exercicio de
todo e qualquer cargo publico durante a
sessio legislativa. 0 nobre ministro. do im-
perio fez um ultimo esforgo a ver se coa-
seguia destruir os effeitos de sua desastrada
resolugio de capitular 6. ultima hora com
os adversarios do Sr. Cruz Machado.
Mas este esforgo foi o ultimo. S. Exc.
quiz resistrr na sua fortalezagovernamental,
mas fez uma triste capitulagio, porque, por
fim, tudo sacriQcou ; sacrificou a fortaloza,
como commanlante, e sacrificou a guar-
nigio ; nio sei o que S. Exc. salvou...
Vejamos, porem, a posigio em que se
acham os nobres ministros e a sua politica
em algumas outras provincias.
V. Exc. me permittira", qae pela muita
analogia de circumstancias, eu salte da Ba-
hia ao Para.
Sr. presidente, se ha provincia do impe-
rio, cujos interesses devara ter sido bem
comprehendidos e zelados pelo actual mi-
nisterio, e" a provincia do Pari. 0 nobre
ministro do imperio, da presidencia daquel-
la provincia passou para o ministerio : co-
nhece, portanto, todos os segredos do Pari
a mesma luta, de S. Exc. comsigo mes-
mo, a respeito da Bahia, reproduz-se no
Pard... S. Exc. no Pari nao esteve nas boas
gragas de todos os amigos da situagio e,
pela minha parte, nesta luta eu era por
S. Exc. Fazia servigos ao seu partido e
tinha o direito de os fazer, porque sd com-
prehendo que um ministerio pode servir o
seu partido, servindo a causa publica.
(Apoiados.'
partido conservador que alii se gladiam e
se atacam reciprocamente, com as increpa-
goes as mais graves, increpagoas que im-
punhara ao Sr. ministro .do imperio e ao
Sr. presidente do conselho o dever de as
mandar sujeitar aos tribonaes corn mais
razSo que os bispos. (Apoiados.)
Mais graves sio os factos que as duas
fracgdes do partido conservador se impu-
tam no Par<4 do que os factos praticados po-
los bispos das dioceses. (Apoiados e nio
apoiados.) Eu digo, os factos que se im-
putam e que sio narrados pela imprensa
de ambas as fracgoes com a raaior sem ce-
remonia.
Os nobres deputados me permittirio que
eu me refira aquelle que e o chefe natural
do partido, o Rev. Sr. conego Siqueira
Mendes, se o reginaento me permittisse fal-
lar no sea nome.
Um jornal deste honrado membro aecusa
os seus adversarios de fa&toa gravissimos e
de haver-se abusado da posigio de mem-
bro do parlamento para extorquir dos mi-
nistros despachos pelos quaes bate-se moe-
da no Para..
Vozes : Oh I
0 Sr. Mrrtwho Campos : E' um
jornal de amigos do governo que o tem
dito, e os factos nio sio. dous nem tres.
O Sa. Gomes do Ama-ral : V. Exc.
esti completamente enganado. 0 jornal
que faz mengio destes factos nio d o orgio
do partido conservador da provincia.
- O Sr. Martinho Campos : Se a ca-
mara me permitte eu lerei, nio os factos
mais. graves, entre os quaes ha *um des-
pacho do ministerio da agricultura, pelo
qual e accusado um ex-deputado de ter re-
cebido 10:0009000.
0 Sr. Ministro ^doImperio : Oh 1 E'
bom ler.
OSr. Martinho Campos : Ha muito
tempo que tenho este jornal guardado, 6 o
Diario do Grdo-Pard de sexta-feira 1 de
novembro de 1872. E eu pego perdio,
mas nao admitto esta estranhcza^ que vejo
agora do Sr. ministro da justiga. Havia
outr'ora na sua repartigio uma excellente
pratica, na qual se empregava uma praga
do batalhao dos supranumerarios, que ti-
nha obrigagio de estractar os jornaes das
proviucias, pira que o governo pudesse ter
conhecimenlo dos factos denunciados pela
imprensa, e a justa censura que cabe aos
nobres ministros e que nunca quizeram
saber destas cousas como era de sua obriga-
gio.
Eu vou ler alguns dos factos mais peque-
nos. N. XXIV. O Sr.... servia-se da in-
fluencia que tinha com os presidentes para
pedir e obter a soltura de recrutas que Ihe
pagavam esse servigo. (Temos a relagao
dos recrutas de que o Sr... recebeu di-
nheiro.)
provincia individuos conhecidos, oora bas- desta pe.a, com que me oceuparei. A bon-
tante autoridade moral, sem escandalo po- rada com missio de resposta me permittiiri
guro ao nobre deputado que digo aquillo Eu ougo de certos annos para ci fallar
muito, fallar demais era governo de parti-
do. E' uma questio muito grave porque
V. Exc. sabe que 4 uma politica a desta
theoria que colloca uma grande parte da
nagio, declarada inimiga, sem proteegfto de
qualidade alguma. E' uma proposigio
que en nunca ougo sem estranheza da boc-
ca de um ministro de estado e deploro te-la
muitas vezes ouvido assim como o publico
desde 186 S para cd. Um ho mem de gran-
de tino politico, o Sr. Bario de Cotegipe,
. um sem numero de vezes sendo ministro
duvido, apresento-os V. Exc d camara, eu fallou aqui em governo de partido ; parece
o opplaudirei e auxiliarei com todas as mi- que S. Exc. sd visava a conservagio de seu
nhas forgas, ate* porque o unico castigo partido. Eu nio comprehendo que esta
real, que ainda resta neste paiz contra des- possa ser a missio de um homem de estado
mandos administrativos, e" a censura da elevado ao governo de uma nagio.
tribuna e da imprensa. Que um homem de estado se eleve ao
Ora, Sr. presidente, nestas circumstaucias governo de uma nagio como um homem
e com estes precedentes, o programma do'de partido, eu comprehendo ; eleva-separa
presidente da Bahia nao podia deixar de'governar com as doutrinas, com asopinides
agradar ; e assim, nio rae sorprende que ] do seu partido. Mas que um homem de
o presidente da Bahia, conforme ouvio se estado se declare no governo o chefe de
queouvi, e que a resolugio, cuja discussio
tinha sido iniciada na assemblea provincial
durante a administragio do Sr. Freitas Hen-
riques, foi entio retirada para ser discuti-
da, votada, sanccionada e precipitadamen-
te executada, logo depos que S. Exc. deixou
a presidencia da provincia.
Ora, Sr. presidente, com estes preceden-
tes que ha na provincia da Bahia...
0 Sr. Eunapio Deir6 : Eque os ha
por cd tambem.
0 Sr. Martinho Campos : ... nio
Os factos nao numericamente articula-
dos : art. XXV : Pedia d presidencia
passagens constantemente, e as vendia, co-
brando pelas do Amazonas 309 quando
ellas cus.am a 3 estado 100:}. (Temos a
relagio dos individuos que pagavam passa-
gens ao Sr...)
0 Sr. Ministro do Imperio : Quem
conhece o Sr. Siqueira Mendes, sabe que
elle e* incapaz disto.
O Sr. Martinho Campos : O jornal
delle ou do seu partido e que aecusa, e
nio e este illustre deputado accusado.
0 Sr. Araujo Goes Junior : Jd se
declarou que nao 6 delle, e o jornal nao 6
orgio do partido.
(Ha outros apartes.)
O Sr. Martinho Campos : 0 governo
nio sabe porque nio quer, porque existe a
relagio dos individuos que pagaram; o
Diario do Grdo-Pard diz que a tem.
0 Sr. Araujo Goes Junior :Sd uma
mprensa desvairada p6de dizer isto.
O Sr. Martinho Campos : XXVI. Pe-
dia tambem a presidencia nomeagoes de de-
legados e subdelegados, e recebia dinheiro
dos individuos nomeados como remunera-
gio do seu servigo. Os individuos cujas no-
meagoes policiaes foram compradas aoSr...
foram demittidos polo presidente actual.
Temos a relagio daquelles individuos.
XXVII. Temos uma relagio dos indivi-
duos a quem o Sr... vendeu postos da guar-
da nacional.
Nio descerei, Sr. presidente, a outros
factos alids mais graves, mas que podiam
nio chegar tio facilmente ao conheciraento
da administragio.
0 Sr. Cardoso Junior pede o jornal.
OSr. Martinho Campos:V. Exc. pode
acha-lo cm qualquer repartigio publica.
0 Sr. Cardoso Junior :V. Exc. articu-
lou os factos, e nds procuramos conhece-
los.
OSr. Martinho Campos :Os ministros
sabem ou devem saber.
A administragio da provincia do Pard,
Sr. presidente, devia merecer ofcuidados
do nobre ministro do imperio. Eu nio to-
diam dar elles outra inareha a administra-
gio do Pard, sem fazerem ostentagio deuma
sobranceria offensiva do caracter dos amigos
do ministerio.
OSr. Ministro da Justica : E' rauko
dignoo presidente do Para, pode ficar certo
o nobre deputado.
0 Sr. Martinho Campos .-Nio duvido,
mas direi ao nobre ministro que nio se p6Je
saltar de chefe de eleigdes de Gueratingueti,
para V. Exc, d posigio de presidoate de
uma provincia importante.
O Sr. Ministro da Justica (com forga) :
Nio era chefe de eleigdes, esti enganado.
O Sr. Martinho Campos:E' necessario
que a capaeidade de um homem para a ad-
ministragio de uma provincia importante
tenha uma certa notoriedade. Nao contes-
to o merecimento do actual presidente do
Pard, pode ser que o tenha, mas podia co-
raegar por Santa Catharina, por exemplo,
Espirito-Santo...
Uma voz :Sergipe.
OSr. Marttnuo Campos:... e outras
provincias que jd sao consideradas barba de
tdlo. (Hiiaridade). Nio eontesto a capaci-
dade, aminba questio e* outra ; mostraram-
se ate homens, confessor de certa energia, e
para prova-lo basta o facto de bcigarem
elles com o grupo que apoia o governo-
O Sr. Ministro da Justiqa :Seria me-
Ibor que o nobre deputado accusasse por
seus actos o presidente do Pard, sem depre-
ciar a sua pessoa : fui eu o ministro qne fez
a nomeagio do Sr. Dr. Pedro Vicente.
O Sr. Martwbo Campos-:Adivinhava-se
facilmente.
Eu nio puz em duvida a sua capacidade,
p do governo, os que apoiara a V. Exc. nesta
camara, e que elle, o presidente, merega s6
elogios; me inclino a crer que assim e.
Sr. presidente, nio meresta duvida queo
actual presidente do Pard serd retirado ; a
forga de que dispoe o governo nesta casa nio
permitte que elle sustente a posigio que Ihe
cumpre.
Dizem que tudo e uma calumuia de jo*-
naes; consideram tudo como questio de
nonada; mas, senhores, e uma questio
muito grave. No exame da administragio
da proviucia do Pard, os adversarios da pre-
sidencia daquella provincia terio grande
dilliculdadeemjustiucar o facto do quinino.
(Risadas).
O quinino e um medicamento precioso,
nio so como anti-periodico, mas como ex-
cellente tonico, e pddo ser que sirva de
alento ao ministerio. (Risadas). Mas em-
pregado imprudontemente em doses tio es-
candalosamente excessms podo ser fatal.
Pois e possivel, Sr. presidento, quo so na
comarca de Cametd, por maior que fosse a
inteusidade e duragao da epidemia, so gas-
tasse mais de 100:000J) em quinino?
O Sr. Gomes do Amaral:Nao foi so-
mente para Cametd, foi para o interior da
provincia.
(Ha outros apartes).
O Sr Martixho Campos :Que o quini-
no possa encarecor em epocas de epidemia,
como outra qu.ilquer mercadoria, sujeita ds
evolugoes do mercado, e suba deprego pela
sua maior procura, comprebendo eu, mas e
preciso muita corrupgio da parte dos agen-
tes da autoridade para sujeitarem-se a se-
melhante extorsao; tanto mais porque, Sr.
presidente, desde o extremo norte ate o Rio
de Janeiro, ha pharmacias que podiam
promptamente fornecer qualquer quantida-
de de (paaesquer medicamentos e por prego
muito menor do que a graado somma exigi-
da. (Apartes). E'falso I pois venham os no-
bres ministros d tribuna, defendam os seus
amigos daquella provincia e consolem o pu-
blico com uma verdade menos amarga do
que esto montio de quinino.
O Sr. Silveira Martins :Apoiado.
0 Sr. Martinho Campos :0 certo e, Sr.
presidente, que graves accusagoes pairam
sobre elles, autorisadas pela dissidencia com
os presidentes da provincia, cujos escrupulos
sao mais que louvaveis, e deveriam merecer
todo o apoio do governo.
Pego perdio d camara: nio e voluntaria-
mente que entro nestes factos, o sim por
temer nio ter outra occasiio mais a gosto
dos nobres ministros.
N6s fallamos, Sr. presidente, das Alagdas,
da Bahia, Pernambuco, Parahyba e do Pard.
Maisou menos o estado das outras provin-
cias 6" identico. Nem 6" possivel aprofundar
quaes sio os fins e dosignios do ministerio,
quando o nobre ministro do imperio nio
queria que analysassemos factos particulars
por raeio de requerimentos, e nos convidava
para faze-lo na falla do throno, debate mais
solemne, e que parecia dever ser um pouco
mais elevado e generalisado.
0 Sr. Ministro do Imperio dd um aparte.
.0 Sr. Martinho Campos :Perdde-me V.
Exc. Tio amesttado parlamentar como V.
Exc. e, devo ver nesta ordem um piano,
consultarei, pois, as razdes do ministerio e
nio deste debate. Tratariamos de um de-
bate politico elevadissimo ; mas entro no
conselho de S. Exc.
Admiro sua habihdade, vejo ainda seus
escrupulos. O nobre ministro do imperio
bem sabe que a camara dos deputados ha
de na presente sessio ser conduzida d mes-
ma extremidade da sessio passada : nem or-
gamentos hade discutir. A ordem do nobre
ministro e, pois, um aviso que deve ser
uma confissao : eu prefiro a falla do throno
ao seu projecto de resposta-; a resposta* e
tio longa e de periodos tio emaranhados.
quo algumas vezeschego a pepder-'heosen-
tido (risadas), nio a possoabsolutamente
acompanbar; assim tenho de votar contra,
e por isto ainda mais- sou obrigado a com'
mentar a falla do throno.
Trahquillidade publica. E' confor-
me o sentido que se liga a esta palavra;
se tranquilHdade publica quer diaer que os
nobres mirHstros nio tem mandado canho-
aear o povo pelas ruas risadas ., que nio
ha sedigio, rebelliio nem revolueio armada
ao imperio, e verdade r mas se os nobres
ministros querem dizer que ha seguranga
de vi la, de pessoas e da bens no- paiz, Ss.
Exes, devem ter em si provas do contrario.
(Apoiados.)
Perguntarei ao nobre ministro dajustiga :
ha tranquillidadc publica na provincia da
Parahyba do Norte e nas Alagdas ? Que
esperangas dd-nos S. Exc.?' Que esperan-
gas dd ds victimas tio nuraerosas do baca-
marte o do punhal...
O Sr. Cariro da CunnA :.Nio e
exacto.
O' Sr. Martinho Campos :... atacadas
pelos filhos de chefes de legides ? Que es-
perangas nos dd. S. Exc. de ver restabelici-
da e ordem e a seguranga publica na pro-'
vincia da Parahyba ? Basta-Ihe uma tardia
demissio do principal facinora do Porabal t
O presidenter que nada fox para prevenir
crimes ha muito annunciados, da-lhe garan-
tia?
O Sr. Carjseiro b.v Cunha :Nao 6
exacto.
0^ Sr. Martinho Campos : Haja-se o no-
bre deputado com o nobre ministro da jus-
tiga. Nio louvo ao nobre ministro as suas
providencias tomadas porque, quanto a
mim nio basta demittir um commandonte
superior cujos filhos, evidentemente por
ordem sua, assassinam publlcamente. (A-
poiados.)
Eu pego mais algaraa cousa : quero a re-
pressio e rigorosa punigio de factos desta
natureza, no interior da provincia, oa pu-
niciode um attentado tio hortoroso quio
escandaloso e que podia e devia ter sido
prevenido, se as autoridades superiores da
provincia tivessem preslado attengio ao es-
tado daquelle sertio.
0 Sr. Carneiro da Cunha ddum aparte.
0 Sr. Martinho Campos :Perdoe-me
V. Exc, o presidente daquella provincia,
que tem estado era circumstancias excepcio-
naes, n5o tem raostrado a energia e pcevi-
dencia quo se devia esperar...
0 Sr. Carneiro da CuNua : E' injustiga
de V Exc. : elle tem tornado as providen-
cias as mais energicas.
0 Sr. Martinho Campos ;... e aquelles
quo t6m disposigio para tolerar semelhante?
atrocidades, permitta Deus que nio tenham
motivo para arrepender-se.
0 Sr. Carneiro da Cuxha :Sio calum-
nias anonymas dizendo que o presidente
nao tinha forga sufficitnte d sua disposigio,
e que ainda depois do assassinato, pedindo
duzentas pragas, so recebeu muito poucas.
( na outros apartes.)
0 Sr Martinho Campos : Eu pego ao
nobre ministro do imperio quo communique
estas informagdes ao nobre ministro da jus-
tiga. (Risadas.) Jd ve V. Exc. que o
culpado e quem dispSo da forga publica e
nao attende a estes factos.
U.u Sr. Dkputado: 0 facto foi dado a
cento e tantas leguas da capital.
0 Sr. Carneiro da Cunha :A cidade de
Pombal e* um pequeno lugar.
0 Sr. Silveira Martins :E' um pom-
bal, mas os que o habitant nio sio pom-
bos. (Risadas.)
0 Sr. Martinho Campos :Sr. presiden-
te, acompanhando a falla do throno, V.
Exc. me permitti dizer algumas palavras
em resposta ao honrado ministro de estran-
geiros e actual presidente do conselho.
S. Exc. vio a sua politica criticada e bem
apreciada por um seu ex-collega do minis-
terio, e actual opposicionista, o meu hon-
rado amigo deputado pelo 3 districto da
provincia do Rio de Janeiro. N6s ouvimos
as accusagoes e as respostas mancas ; mas,
nem quanto d confederagio Argentina, que
nio guarda reservas di^lomaticas e parla-
mentares, ainda da mais corriqueira corto-
zia com os nossos ministros, e nem com
funccionarios da mais alta cathegoria (apoi-
dos) mesmo em relagio d confederagio Ar-
gentina, digo, o nobre ministro entendeu
que devia franqueza ao parlamento?
Quaes as conveniences que levaram e
nobre ministro a nio trazer ao parlamento o
conhecimento dos factos que perturbam pro-
fundamente nossas relagdes com a confede-
ragio Argentina, e que nos ameagam de
uma guerra que a S. Exc. parece infalli-
vel T Porque o parlamento nio pdde ter
conhecimento destes factos ? 0 nobre mi-
nistro, no seu relatorio da fazenda, justifi-
cou, com a necessidade de renovar nosso
arraamento, todas as dilligencias de excesso
de despezas praticadas pelo governo sem au-
torisacio legal; o nobre ministro justificou-
se com a necessidade de prover a todos os
nossos arrnamentoi do exercito e da mari-
nha.
(Continuar-se-ha.)
*
ai ^.#,
t.A '
'v

\<,

/
j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVF7421RZ_MFZ06G INGEST_TIME 2014-05-29T18:08:27Z PACKAGE AA00011611_17981
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES