Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17966


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANXO L. NUMERO 129
mi i *
PAR4 A CAPITAL B L.UQABE9 O.KDB NlO HE PAC A PORTE.
for tree meres adiantadon................ 69000
For sets ditos idem................... 129000
for am anno idem.................. 249000
Cad* numero atulso '............... 9320
TERCA FEIRA 9 DE JUNHO DE 1874
PABA OKVTBOE FOB! DA PBOVL\CIA.
Por tres mezes adiantados........... .
Por sois ditos idem...............
Por note ditos idem..............
Por um anno idem.................
6*7*0
189400
09MO
279000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
PROPRIEDADE DE HAN0EL FiCUEIRCA DE FARIA ft F1LH0S.
Sr*. Gerardo Antonio Aivead Piihos.no ParA; Gonsalvw d Pinto, no Maranhao; Joaqoim Jose de Oliveira d Filho, no Cetra; Antonio de Lean* Braga, no Aracatj ; JoAo Maria Julio Chaves, no Assa; Antonio Marqaea da SilYa, Natal
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose" GorJie>na Villa da Penha; Be'armino dos Santoa Buleio, em Santo Antio ; Domingoi Joad da CosU Braga, emHaxarethj
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joao Antonio Macnaeo, no Pila*da AlagOaa; AlTea d C.na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio Janeiro
Jose Justino
PAETE OFFICIAL
(oii'i'uu da |rviu<*ia ude.
KSt-EDIBKTE I*> DIA 26 DE NEVKi'.EIBO I>E 1874.
*.* StCfitQ.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro eotura.iudanle da? ar-
iiiaa. Sirva-se V. Exc. de expoJir >uas ordeus,
|iara que as 11 horas da manga do 1* de marco
proximo fataro. um batalh.o se ache pnstado em
frente ao paco di assembled legi>lativa provincial,
no Campo das Prine-zs, alim do sol^nnisar o aelo
da abertura da sessao ordinaru da mesma ?ssoin-
ble.x no corrente anno, e bem assim de provides-
ciar afim de que a foctaleza do Bruin i6 a 1 i-ora
da tarde, desse dia, a -salva do costume.
Ao inspector do arseual do marialia. Pratt*
doacio V. S. no se.:tido de que o exarae Ja vesto-
Tin foita por essa arsenal, nos vapores di corapa
oliia pernambmana, tenliara lugar petos nmios 3
dias antes da partida das mesmos, alim dt- enlar-
ge alteraglo da respectiva tabolla de viagcra.
Ao director do arseml de guo ra. Maude
V. S. satisfazer o tocluso peJidu de varies artig<>s
u .e nal.
Ao engenlieiro da^ obras militars.Organi-
se Vmc, e apresente uie o orcamento da despeza
a fazer-se com a coll );aca>, no hospital mii ur, de
alguns bicos de gaz, a qie se refere os pa;>ei? jun-
tas que deveraoscr-me devolvido.
2. ttCfSo.
Actos:
0 presiJetile da provincia, a vi do Dr. chefe de policia, de 87 do corrente, sob n.
287, resolve exonerar dj-i *argos df -2' e 3' sup
plenlos do subdelegid do 2* district)) da fregue-
zla de S. Jose desta cidade, por nao ten-m aceita-
do os mesmo* cargo?, os cidadaos Jose Gorgouio
Paes Barreto e Miguel Arcliaujo da Cruz Muniz.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefo da policia, de 27 do
corrente, sob n. 287, resolve noraear para os car-
go<> de 2* e 3" supplentes do snbelegad i do 2* di?
tricto da freguezia de S. Jose desta cilade, os ci-
dadaos seguintes, na ordam de sua coilocajao.
'OOicios :
Ao presidente do tribunal da rola;ao da pro-
\iaciade S. Pnlo. Cjiigratulaud>me com V.
Exc, pels iastallaijlo do irib-anal da reUc4j desse
district-), no dia i do sorrente, accuso o recebi-
men'xt do oflkio de 3 deste uioz, commuoicand j-
me aqaelle facto. A?rento a V. Exc, mdus vo
to? de considerai.-.io e estima.
Ao Dr. chefe de policia. Mande V. S., reco-
Iher a reparli(,ao das obras publicas, tsobj*los
aj>prehendidos polo sab lelegado de Sanio Amaro
i\ Salinas, constanlcs doseu oulcio de 27 do cor-
rinte, sob u. 290.
Ao ciiimandanlo superior da Ecala. -Con
sidere V. S. sem elTeito a or Jem expedida, em oQl
cio de i6 do orrenle, para reduiir a o p acas coin-
mandadas por t sargeuu, o destacamento de guar-
disnacionaes alii existeota, djvendo este conti-
naar com o incsmo numero, que dantes tinha.
Ao commandanle do ':>rpj de policia. -Man-
do Vmc. reduzir a 5 prag is e t sargento, a forpa
do policia que se ac'.ia desiieada no povoado de S.
J<>:e da Boa Esperao;.a, do tenno da Escada.
3 secrao.
Actos:
0 presideule da piovincia, altenleudo ao quo
requereu Anloaio Aaguslo Ferreira Lima, del do
thesoureiro do coasulado provincial, e tend) era
vista a informacao do rwpectitt almiuistrador de
36 do corrente, resolve prorogar por dous mazes,
a licenja de igual tempo quo Hie foi coiueJida
pijr poruria de 30 da d-zembro do anno passad),
com os teacini)D pider coniluir a seu tratamento.
0 presidente da provincia, considcranlo sem
effsito a portaria de 7 dj coirenie, qua numeou
Philomeno Gelulio Correa de Araujo, pira o lugar
de collector do municipu de Ipojuo, resolve no-
mea lo para o de escrivio da eollectoria provin
cial do mnnicipio de Jaboatao.
0 presidente da provmc a, resolre nomaar o
1-acharel Jose da Cunba Teixtira, para exercer in-
lerinamente a lug^r de iiscal da eollectoria do
caunicipio de Pao d'Albo, duraute o tempo em quo
f> respectivo fiscal, se acliar com pane nos traba-
ll'.os da assemblea Isgislativa provincial
0 presidente di provincia, resolve nomear o
bacharel Thomaz Argeiniro Ferreira Chaves, para-
exercer interiaamente o lugar de fiscal da .eolle-
ctoria do munieipio de Bom Jardim, em quant > se
achar o respectivo fiscal com parte nos trabalbos
da assemblea provincial.
Offlcios:
Ao inspector da the>ouraria de fazenda.
Mande V. S., pagar sjb responsabilidade desta
presidencia, caso nao haja credilo na verba
eventuaes do minislerio do imperio, a impor-
tancia constante dos recibos juntos, proveniente
le tres telegrammas expsdidos a bem do 9ervic)
pnblico.
Ao mesmo. Tendo nesta data, aboaado as
lailas dadas do 9 a 21 do correute, pelo juiz de di-
reito da omarca de Cruaru, bacharel Antonio
Buar^ne de Lima; assim o communicio a V. S.
para seu conhecimento e devidos tins.
Ao mesmo.A' vista da iaformaQao de V. S.,
de 25 do corrente, sob n. 783, serie F, o auloriso
a mandar pjssar o titulo solicitado por Gaidino
Antonio AJves Ferreira, do Urreno de m^rioha,
sob n. 31, s.io a roa Hha de Carvalho, uma vez
quo do documento juu;o se veriuca haver elle pa-
(o o respectivo laudemio.
Ao mesmo. Em resposta ao offlcio dessa
ihesouraria de 25 do correute, sob n. 782, serie F,
deciaro a V. S., que a iiscalisa^o e direccao das
obras com os oncertos do caes em freate ao forte
do Marios, compete a) engenheiro das obras ge-
raes e ao director da reparu'Qlo das obras publi-
cas o engenlieiro Victor Fournier.
Ao mesmo. Tendo o juiz municipal e de or-
phaoi do termo do lire] da Madre de Dens, ba-
cnarel Jose Alvaro Pereira do Lyra, reassauido o
> rcicio do sen cargo a 15 do corrente, assim o
<-,,mmnnlcii a V. S. para seu conhecimento e fins
e^nvenientes.
Ao mesmo. Para os fins convenientes, com-
v.uaico a V S. que o juiz municipal e de orphios
do Urmo do Caruard, bacharel Antonio Paulino
Cavalcante de Alboqaerque, tendo assumido o
ecorcicio do sei carg u 7 de Janeiro proximo pas
sado, a 18 (b corrente deixou-o navamente para
vir lomar assento na a;^^;nblea legislaliva dasta
provincia.
Ao mosmo. Tec-lo
a iatirnucao de sob n. iO'.t, aiitiiriso^Vinc. a mandar adiant.ir-lhe
I dous mt-zes de vencimcut)? a contar do iu de mar-
co vindouro para serem descontados pela ma-
5." sec(ao.
OIBcios :
Ao Dr. inspector da saude nublica. Mande
V. S. preparar e reraetta a secretaria desta presi-
doncia, uma ambulaneia de medicaraentos homea-
pathicos apropnados ao tratamento da variola afim
do serem eoviados ao delegado de policia do termo
de Birreiros.
Ao provelor da Santa Casa de Miseriorlia.
Em resposta ao ofB ;io que Vmc. ma dirigio em
27 do corrente, Ihe deciaro qne approvo a dalibe
rac o da junta adraiuislrativa da Santa Casa de
Misericordia ra.ulando entregar a Justina Maria
do Espirito Santo seu filoo lolo Nuaes da Silva,
edueando do cdlegin d.s orphans.
Ao Exm. presidente do institut) archeologico
e geographic^ pernambucarro. Tando contracta-
do a impressao das obras do flaado vigario Fran
cisco Farreira Barret i, transmitto a V. Esc. copia
das bases do coutracto, a-sim com) una nota aas
obras que vao sur impressas, afim de que o insti-
tuto archeologico, de qne e V. Exc. mui digno pre
sideuic, tendo conhecimant i desse acto, queira in
dicar-me se algama outra obra ha do mesmo au
tor alom das quo vao menciouadas na referida no
la. Seria do graade vantagem que nm dos itlus-
tres merabros do iustituto se encarragasse de cor-
rigir a impressao, preslando assim ralevaata ser-
vi:-o em materia de tanta monta e de interessa pa
culiar a essa instituted), attenta a sua oatureza e
tins patrioticos. Rogo a V. Exc. que neste senti-
Jj sa digue do intervir com a sua valiosa presta-
biliJ.de; a aguardo a resposta que o instiluto
hmver de dar-me sobre o pnmairo p into d> pre-
sente offlcio.
Ao i* juiz de paz d i parochia de Gamellei-
ra, Miguel Alexaudrino da Fouseca Galvao. Sol-
vendo a dnviia em ^ue esla Vmc, se Ihe compete
a presViencia da junta de qualificagao na quali-
dade de 4' juiz de pa;, unic i juram:at.ido, exis-
tindo nesta freguezia o I* uao jiirammtalo, teuho
a dizer-lhe que em vista d>)S avisoi de 25 de outu-
bro de i-S.6 e 8da fuvareiro de i8.3,a Vmc. co
pete a referida presideucia, visto como a respeito
dos mais votados da-so a impossibilidade m >ral de
que trata o art. 2' d i lei da 19 de agosto da 1846.
Entretanio para rem>veressa impossibiiidada, aes-
11 data nrdeno a camara municipal, que quanto
antes defira jurtmen'.o a os 1*, 2* e 3* juizes de paz
eleitos, devando Vmc. estar cert) d que Ihe com-
pete presidir a junta de qualificacao, se o 1 on
neahum oatro prast ir o devido juramanto.
- Ao presidente da samara municipal da villa
do Limoeiro.Conformando me com o parecer da
thesoura ia provincial de 20 do corrente, acarca
de despezas com cnterramaotos de prosos pobres.
fa(o ver a Vmc. que aquellas devem sempre eor-
rar polos cofrej muoicipaes, como faz essa cama-
ra com o enterramento do oreso p.ibre Amancio
de Aim -i la Niae.i, fallecido na cadeia desta villa.
Portarias t
A Illma. camara municipal do Recife. Csm-
munico a lllma. cauara muaicipal, que haven lo
numero legal para a abertura da assemblea pro
vincial, tera lugar esse acto amanha a uma h ra
da tarde ; e recomraeolo a raesma illraa. camara
que de as providencias necessarias no sentido de
eelebrar se a missa votiva do Espirito Santo, fa-
zeudo as devidas conmunicacdes.
A' camara muni ipal de Gamelleira. Re-
commendo a camara municipal da villa de Gamel-
leira, que com a m ixiina brevidade defira juia
menlo aot 1', 2' e 3' juizes de paz eleilos dessa
parochia, afim de ser presidida regu armante a
junta de qualificacao dc votantes a qae vai proce
der-sa na seguoda domiog de marco proximo. Se,
porem, neohnm d por qualmer circumstancia impravista, ou por
que a isso a reensein, cabara a presidencia da
referida qualifier;!) ao 1 juiz de paz juraraenla-
do, uma vez que a respeito dos primeiros da-se a
impossibilidade moral de que trata o art. 2* da
lei do 1* de agosto de 1816 em vista dos de 25 de
ouUbro de 18i6 e de 8 de favereiro de 18i3.
5.* secfoo.
Offlcios :
Ao euRenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Tendo nesta data expedido ordem ao
Dr. chefe de policia pa a que sejam recolhidos a
essa reparticSo di versos objectos apprehendidos
pelo sobdelsgado de Santo Amaro das Salinas,
ta8 como, grande quaotidada do ferrageos do
lampeoei da antiga illuminacao de Oiinda, duas
caixas fechadas e uma aberla com vidros, objectos
estes que estavara no antigo quartel de cavallaria,
assim o communico a Vmc. para seu conhecimen-
to a fins convenientes.
Ao mesmo.Communico a Vmc para seu
conhecimento e devidos fins, que a fiscalisacio dos
concertos do caes era frente do Forte do Mattos,
confiados ao engenheiro das obras garaes, !ka sob
a direccao dessa reparticao.
Ao engenheiro das obras geraes. Commu-
nico a Vmc. pf ra sen conhecimento que nesta da-
ta expedio-se ordem a thesonraria de fazenda no
sentido de ser Vmc. o fiscal dos concertos do caes
em frente ao Forte do Mattos, sob a direccao da
reparticao das obras publicas.
Portarias :
0 Sr. gorente da corapanhia pernambucana
mande dar passagem para e presidio de Fernan-
do de Norouha, pur conta do minislerio da guer-
ra, ao inenor Antonio Sebastiao Basilio Pyrrho,
qne segue para a compaahia de en pai, comman-
dante d tiao Jn-v Basilio Pyrrho.
0 Sr. gerente da companhia Pernambucana
mande transportar para o presidio de Parnando
de Noronha, por conta do minislerio da guerra, os
sold ados M*noel Levino do Nascimento, do 4* ba-
talharia a pe e Manoel Fraaciso dos Anjos, d > 2*
de infantaria, os quaes vao alii cumprir as seulen-
cas qua Hies foram impostas.
0 Sr. gareote da companhia Pernambucana
mande dar passagem para o presidi j de Fernando
de Noronha, por conta do minislerio da guerra, a
Maria Joaqaina da Conceicao, mulher do soldado
do S"batalhao de infantaria Feliciano Lopes da
Costa.
0 Sr. gerente da companhia pernambucana
faca conduzir para o presidio de Fernando de No-
ronha, por conta do minislerio da guerra, no va-
por que para alii largar no dia 4 de marco proxi-
mo futuro, dezoito volumes com fardamento, qae
serJo remettidos para bordo pelo director do arse-
nal de guerra.
2." secrM.
Off) :ios :
- Ao Dr. chefe de policia.0 Exm. Sr. pre-i-
dante da provincia manda d :volver a V. S. o ofl
j tica de 2t de mai tonuii-se extensivo a esla provincia, por avi o do
mesui) minislerio de 6 di
anno e que foi reraeitido
favereiro do corrente
por opia ao masra)
cio de 27 do corrente, d> ddagado do teriDda ommanlo pslo Ex.-n. Sr. com mala '-or presilen-
Escada, e communirar Ihe |ae neita data expede
jrdens, para que o 1 -stirimealo de guardas na-
cionaes daquelte term) :mtinue com o numero di'
pracas quo d'antes tm'ia(tl) e que ode policia
existenteein S. Jose di Boa-Emeran;a fiqne entao
reduzido a 5 praca* c I sarganlo.
Ao mesmo. -0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda transmitlir a V. S., as tilulos inclusos
de antoridades policiaes nomeahs por portaria
desta data, para o 2' dist *i*t) da freguezia d; S.
lose desta cidade, d couformidade com a propn-
ta de V. S., de 27 do c irrenle. n. 287.
Ao juiz de direila le Carmrd, bacharel An-
tonio Buarque Lima. -D: ordem do Ex n Sr. pre-
sidenle da provincia, co n numco a V. S qua nes-
ta data se declarou a thesouraria de fasetda, q-ia
fieavam abouadas as faltas, a qua se refere o seu
oill-iu de 21 do maz Qnlo.
Ao juiz de direito interim da coraarca do B)-
nito, Joaquim Pantaleao Xvier de Lima. -0 Exm.
Sr. pre-iaente da provincia manda accusar o rece-
bimenlo do offlcio de V. S., da 21 do corrente,
parlicipando Ur naquella data assumido o exerci-
cio das funccoes do cargo do juiz de direito dassa
comarca.
Ao batharal Aston! i Paulino Civalcmte de
Albuquerque -O Exra. Sr. preside ata da provin-
cia manda accusar o recebimento do -offlcio de V.
S., de 7 de Janeiro proxiun pavado e 18 do cor-
rente, parti'ipanio ter naquella data assumido o
exercicio do seu cargo, de juiz municipal e de or-
phaos d) termo de Caruard, e nesta data qae o
deixou novamsnte para vir lomar assent) na as-
semblea legislativa desta provincia.
Ao bacharel Joao Alveres Pereira de Lyra,
juiz municipal ede orphaos d) term) do Brejo da
Madra de Baus.-0 Exm. Sr. presi !;nle da pro-
vincia manda accusar o recebimento do offlcio le
V. S., de 18 do corrente, parlicipando ter naquel-
la data reassnmido o exercicio do seu cargo.
A) proraotor ialerino da Escada. -0 Exm
Sr. presidente da provincia manda accusar o rece-
bimento do offlcio'de V. S., da i6 do corrente, com
mani:ando ler, como adjunlo do promotor publi-
co da comirca di E-cala, no term > da Gamellei-
ra, oreslado jnraraento e assumido o exercicio
das funccoes de promotor publico dossa comarca
no dia 25 do corrente.
3.a seco&o.
Omcios :
Ao inspector da thesourrit provincial. -Dj
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da prov ncia,
communico a V. S., para sau conhacimsnto e flat
convenientes, que por portaria dc k >ja foram n >
meados os bachareis Jos6 di Canhi Teixeiia e
Th)maz Arjetnire Ferreira C-iaves, para exerce
reni interinamente, e^te o ligar da fiscal da eol-
lectoria de B>ra Jardim a aqaelle o da de Pao d'.\-
Iho, duranle o tempo em q le os effactivos fiscaes
te da provincia, em offlcio cir :ul ir de 25 de abril
ultimo, manda o lllra. Sr. oroml omnandtnte
up irior puO'icar anrBsdaca idinmm Exm Sr.
da 2 J d i corrente met, em r&ptsta a sui consul-
la de 16 tamban do c irr-.-nto, sob n. 3i.
Sjccjio 2.'Palace J pre-ideucja de Pernam-
buco, ll!Cife2lde mtiode 1874. -R-isponlenloao
offlcio da V. S., n. 34. da 16 d > corrente, p.tdiado
ser esclarecidi a respjii; da axacu^t) d > dejreto
da-24d) mirco d ami btximi passalo, tenh) a
diier he, qiU'it cia di Ri) Grand) do Sul os ma;o.*as e ajultales
si i augi'ega lo> a >s c > u nm 1 s sup shores porque
s.ti .j:fi i;i eiftctivo* ; tie outras provincias. p)-'
rtm, ein qae laes p t>>s si > concelid n em com-
raissio, os iu)sm oB:iaas tiro i n a fileira d'onde
sanir.nn, a assim ua) ficim p ivdj.- do axarci-
ciodasuas pateatas, on) suppoe V S. Qianto
a segundi parte do sju cilaio offl:io, procede a
duvida, pirqua o art. 14 li decrat) n. 5571, de.
21 de mar^o ulti:n>. cimpr.hmle os majores e
ajudinDs nn pilavras oflciaes do estiio-
miior, levenli ser aggrogal) os q ia firem ef-
feciivos e u>ru ir a sens antig h p tslas os qu? ser-
tirem emcomniisa).
Djj- gaard: a V. i.'Hftariqtu Pereira de La-
ana. -Sr. com ntnliDte superur d j rainicipio do
Rocife.
R>do!phi lod> S-w-ifa it Aluuiit,
Coronal chefe in!;rin) d e*ti I) m iior.
INTERIOR,
sem ter silo viUda a lei do orgtmento.
c Paco d) cimira dm deputvln, 2o d^ maio de
1874. Ewipio Deir6.
Esg-itados o* tres qaarti d- hora, dentro dos
quaes 6 penuitlilo a ju das mesmas colleciwias eslivarem com parte"Soi tos, requereu o Sr. D:iro a u8encia, e, sendo-lh
trabalhos da assemblea legislativa pro'in ;il.
Ao mesmo.S. Exc. oSr. presidaata da pro-
vineia manda coramiaicar a V. S, que por porta-
ria de hoje foi nomialo Philonen) G;tulio Cor-
reiads Arauj) para exercer o lugir da escrivao
da collect>ria do munieipio de Jaboata), ficanlo
sem elTeito a portaria de 7 do orreai-*, que o ao-
m:ou collector do nuoicipiode Ipojuct.
4.' tecrao.
Offlcio :
A) Dr. Joiluira Corrcia d) Olivciri Audra-
de, 1 secretario da assem')lea provincial.N. 2.
S. Exc. o Sr. p esidente da provincia, a cuj) co
nhacimento levei o offlcio Jo V. *., commuuican
do haver numero legal para a abertura da assem-
blea provincial, designou para essa acto o dia de
amanna pela uma hora da tarde ; e neste son'.ido
offlciou a lllma. camara 'municipal, atim de provi-
denciar qiant) a m ssa votiva d i B-tpirtto-sUt .
5.' sec$3-i.
Offlcios :
Ao engenheiro Vicor Fournie. -S. Exc. o Sr.
presidente da provincia lica inteirado da haver V.
S. em data da 26 do corrente, assumido o exerci-
cio d) cargo de chefe da reparticao das obrai pu
blicas. segundo commuoica em offlcio Ja mesraa
data, sob n. 56.
Ao fiscal da companhia Pernambucana.
Deciaro a V. S. que nesta data o Exm. Sr. presi-
dente da provincia expedio ordem ao arsenal de
marinha, no sentido de proceder-se a vistoria nos
vaporos dessa companhia antes do dia da partida
dos me?mos.
RIO BE JWfillW
27 dk HAH)OS 1874.
Na cmara d>s denuUlos hinum, depoii de
approvada* as autas da 2!, 2t e 25 do correite. e
da lido o expalienle. o Sr. Eiaipio Dairo fundi-
m-^ntou o sagnint" repierimeato :
Requelro qua se pac acerca do< seifiiinles assumptos :
I* Se ordenou ao presidente d provincia da
Bahia que do abartaa ascannras logidativas.
2' Que motivos de ordem oubliea inlusiram
o govern) a detarmiaar qua nao pasa nistraclo dap'ivineia ax vica-presidentes.
a 3* Se, apez ir de demittido, o presidente da
Baaia, cootinuara a exarcer a funecdes do cargo
ale transDitiil-as ao san saccessor nomead).
4 Porque encerrou a aserabl6a provincial
Dl\ 6 DE JUNI10
o 1* supplente do juiz
municipal do tarmo de Bez-rros, Joaquim Pan'a
leao Xavier.Je Litaa, vssumldo a vara de direito
da rei-'O-'ti m o nai -, 21 !> correute ; *tim o
comoiuyico a V. S. para ) Uns s uvenietttes.
Ao mium). Tando o bacharel Vicente T.i-
varea Litna, wuio adjnncto do promotor pnblico
da comarca da Escada, n) termo da Gamelleira,
prestado iurameoto e assumido o exercicio das
Funecdes de pmnolor publico da dita coraarca no
dia 23 do eorrente; assim o communico a V. S.
para os fins convenientes.
Ao mosmo. Para o.> fins couvenifintes com-
munico a V. S. que nesta data raaudo substituir e
destacamento de guarda nacioml que exislia no
termo da Escada, e que ficara composto de 1 offl-
ei9, 1 inferior e 9 pracas.
F.XPKOIENTE DO SKCBETAniO.
O.Ucii.
Ao Exn). brigadeiro commaodante das ar-
raas -S. Exc. o Sr. presidente da pruvin*ia, ten-
do provideuciado para qn sejam transporiados ao
presidi) de Fernando de Noroaha, os sentenciados
railitares Manoel Levino do Nascimento e Manoel
Francisco dos Anfos ; assim o manda declarar a
V. Exc. em resposta ao sen o offlcio de hin'em
datado, sob n. 171.
Ao director do arsenal de guerra.-S Exc.
o Sr. presidente da provincia* manda declarar a
V. Ec. em resposta ao seu offlcio de:,ta data, sob
n. 535. que flea providenciado no sentido de serem
recebidos e conduzidos para o presidio de Per-
no dia 4 de
despachos da presidencia, do
de 1874.
Abaixo assignaios negociantos estabelecidos com
casa de negocios na villa do Brejo da Madre de
Deus. Deferido com o offlcio desta data a thesou
raria provincial.
Aureliano Mameda Cordeiro. Como requer,
sendo tres mezes com todos os venciraentos.
Alexaodnna Urabelina do Freitas Uchoa.Infor-
me o Sr. director da instrncgao pnblica.
Amelia de Mello Pires Galvao.-Sim, com orde-
nado na forma da lei.
Alfredo Erailio Caluraby.-iadeferido.
Antonio Severiano de Mello Falcao.-Como ra
quer.
Braz Joaquim de Sant'Aona- Concedo oito dias.
Basilio Jose da Hora. -Informe o Sr. engenheiro
das obras militares.
0 masmo.-loforme o Sr. engenheiro das obras
militares.
Carlos Adolpho d'Avellar Alchorne.-Sira, com
ordenado na forma da lei.
Franteb'na Juliana de Jesus.--In ieferido.
Francisco Antonio das Chagas.--Satisfaca o sup-
plicants a exigencia da thesouraria de fazenda.
Francelina Pereira de Oliveira -Deferido como
offlcio desta data ao provedor da Santa Casa de
Miserieordia.
Irmandade de Nossa Senhora do Kasario da fre-
guezia de Santo Antonio desta cidade.--Informe o
Sr. inspector da thesonraria provincial.
Jose Lopes Machado.-Informe o Sr. provedor da
Santa Casa de Miserieordia.
Jacintha Adelina da Cruz.--Informe o Sr. direc-
tor da iostruccao publica.
Jose Francisco Xavier.--Deferido com o offlcio
dirigido nesta data ao comraanlante do presidio
do Fernando.
Joao dog Santos Ferreira Barms.-Iaf .irme o Sr.
inspector da thesonraria provincial.
Jos6 Antonio Cesar de Lima. -- Informe o Sr. di-
rector do arsenal de guerra.
Johnston Pater & (1-Os supplicantes dirijam-se
ao engenheiro fiscal respectivo Victor Fournie, a
qoeii) iM--u I Ha se oflicia no *nti to t>m que re-
qiliTem.
Luiza Maria Agoslinfi. -Kiitreiu-s'.
Manoel Leonard i do* Santo-'.-Concedo o prazo
de oito dias.
Manoel Pinto da Rooha.--Informe o Sr. inspec-
tor da thesonraria de fazenda.
Tibureio dos Santos Portugal. Informe o Sr.
inspector da thesonraria de fazenda.
concadida, proeguio m seu discurso.
Dsoois d ism Sr., o Sr. ministro do imperio pro-
nuncion o se^uinta:
" 0 Sr. Com-/1 ile O'icehi (ministro d i im-
parii): Sr. p-eilenle. devand) seguir se em
pmor minitosa discussao di veto de grajis, era
Sue tem cabimento o debate iniciado pelo nobre
eputado pala provincia la Bahia, so por attenjio
a S. Exc. eu darei algamas, pordra muilo breves
explicac/jss.
" Quando proferi nesta cisa algumas palavras
em defeza do Sr. Cruz Machado, presidente da
provincia da Bahia. fui orgao, Sr. presidente, de
quasi toda a deputac/io da Bahia, a quern liuua
ouvido particuUrunnto.
" 0 Sr. Araujo Giies Junior : Nao anoiado.
" 0 Sr. minislro po imp;rio : As-evero ao
nobre deputado' que fni orgio de quasi todos os
illnstres depntados da Bahia.
" 0 *r. Araujo Goes Junior: Nao apoiado.
' 0 Sr. ministry do imperto : Foi tambem de
acenrdo com a opiniao delles qua o governo en
teaden, qua nas eireunxtancias actuacs, nio con-
viuha que os vice-presidenles tomassem conta da
administrrcao.
" 0 Sr. Araujo Goes Junior : Peno a pala
vr*t.
" 0 Sr. ministro do imperio : Nao se deduza
do que digo qne o governo con'erva como vice-
presidentes homens em quem nao tem confianca ;
a camara sabe que, dadas cerlas circnmstauiias,
as provincias devem ser administradas por presi-
denies effectivos. Apoio me uas proprias palavras
do nobre deputado pela provincia da Bahia. Disse
S, Exc. que actnalmente, n-mhnm dos_ vice presi-
dente? tomaria a administracao. Razao de sohra,
porUnto, tinha o governo para entender que o Sr.
Cruz Machado devia esperar o seu successor, e
foi isto que so Ihe recommendou.
" Pergnnlou n nobre deputado como 6 que o
Sr. '>uz Machado ja tendo sido exonerado conli-
nuava ainda na administraijao. ....
0 que eu disse a camara, e repito ainda noje
6 qua o governo resolveu conceder a ex'onera^ao
que o Sr. Cruz Machado havia pedido por mais
de
- Ao iospector da tliesouraria provincial. At- nando, no vapor que para alii *ela\
tendend.) ao qae requereu o alferes do corpo de .maiajo proximo future,, os dezoito volumes com
policia, Severiano Vieira da Paz, o teado em vista! fardamento, a que allude o citaao pmyio.
nma vez. .
" 0 St. droiy'o Goes Junior : Nao apoiado.
- 0 Sr. Eunipio Deiro : 0 Sr. presidente do
consolho disse o contrario.
" 0 Sr. ministro do imperio : 0 Sr. Cruz Ma-
chado nao so disse em cart as que receberia com
prazer sua exoneragao, como pedio ao nobre de-
putado pelo Maranhao.(que se senia na mesa ),
quando passava pela Bahia, para dizer-rae que o
alliviassedo peso da administra(ao.
I' 0 Sr. Campos de Medeiros : E' exacto. *
" 0 Sr. Araujo Goes Junior da um aparte.
" 0 Sr. ministro do impen) : A communi-
cacao de que o governo resolvera exonerar o pre-
sidente da Bahia ainda nao foi faita officialmente ;
o decreto ainda nao esta publicado, e chegara a
tempo do Sr. Cruz Machado passar a almraistra-
c4o ao seu successor.
" Peruuntou ainda o nobre deputado porque o
presidente da provincia eucarrou a assemblea
provincial sem ter fido votada a lei do orca-
meat).
" Sr. presidente, peco lieenga a camara para
ponder.r que convocar, prorogar e adiar as assem-
bles proviuciaes sao attribuigoea constitucionaes
dos presidentes.que dies devem exercer com uma
ceria liberdade de accao, e confoi-mo as circums-
lancias das provincias., Nao deve, pois, o nobre
deputado querar qua o governo responda ( como
se tratasse de aclo proprio ), pel \i actos one os
praideatjs d provincia praticam no exercicio Ue
suas attribuicCas constitucionaes.
( Ha divers as apartes.)
' Seja, porem, como far, espcro que a assem-
bli'-i [,..-ie;.l reunir-se-ha fin. le*P<>_d*.v.,llar.i)
ComuiauJu superior.
QUARTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA GUAKDA
NAGIOMAL DO MUMCIPIO DO RECIFE, 27 DE
MAIO DE 1874.
Ordem do dia n. 150.
mes.u) cheg.tr a occnii), era qm, inicianlo se
o debata sobre a re nibres de^util)> eneintrarii campo vaslo para
lodas ai suis obsTViQas e cansaras. Taaho
concluido.
Ainla occuparara a atlen^o da casa os Srs.
Goes Junior e Gomes de Castro, que apresenlou a
sestiimw mo;ao :
c A camara, satis'eila com explicacoas dadas
pel) governo a respeito dos negocios da Bahia, pas-
sa a ordam do dia G>mcs di Castro.
Muttos Srs. Depntados : Votos I votos I
Outro Senhores : -Pec.) a palavra.
0 Sr. Presidente : -Em m >gao importa, no
mea mode de ver, um encerraraento.
(Nao apoiados e differentes apartes).
t 0 Sr. Paulino de Souza -Per;o a palavra
pela or Jem.
t 0 Sr. Utijw Eilrada-TciXiira : -Ja eu a ti-
nha pedido antes.
0 Sr. Presid'ii'e -Sobre en-:erra:uinto nao
ha discussao.
0 Sr. Paulino de Svaza (tin pe): -V. Exc.
nao ()6Ja recusar a palavra pala or Jem.
Vozes : -Pole, nao pode.
t 0 Sr. Presidente: -E'urncacerraraeutu. (Nao
apoiados.)
a 0 Sr. Paulino de Smzu (com for?a): -0 re-
gimento garanie-me a palavva pela orJem. Hei de
de.lau?ar(rauitos ap)iidos, muito bem), c V. Exc.
ha de dar-m'a. V. Exc esla nesta cadeira para
lomar effectiva a liberdade da tribuna assegurada
pela constitute, e nao para supprimil a (muito
bem) e sulToc-r neste recinto a palavra dos ropre-
sentantes da nacia. (Mu-t is apoiados.)
0 Sr. Presidente : -Deciaro lerminantemente
que nao posso dar a palavra p.-la ordem ao nobre
deputad).
a 0 Sr. Paulino de Soxza:-Nao posso nem
devo obedecer a V. Exc. Acima di antiridade do
presidente esta a do rosiraento, que ma assegura
a palavra. Conservome na tribuna ate exercer o
lireito qua ma pertenca e a qua na) renuncio, ape-
zir da iutimacao de V. Exc ; porq-ie esse direito
nio 6 pessoalmeata men, mas do rapresentante da
naca i.
o (Reclama?5as e apartes cruzam-se de todos os
lados.)
t 0 Sr. P.esid^nt:: -Se os nobrcs daputados
nao se coniiverem, levantarei a sessao.
Vozst: -Levante, levante.
a 0 Sr. Pjalini de Souz i: Ainda assim, Sr.
presidente, conserve mo na tribuna, pro.eatan.1o
desta forma pela offectividade do meu direito : so a
de xarei quando V. Exc. annunciar o emprego da
forca.
t 0 Sr. Presidente : Os senhores que votam
pel > eocerrament<)...
a Vozes d opposii): -Nio se nega a palavra
pela ordem a ninguem*
0 Sr. Presidente (tocanlo a campaioha): -
Ordera! ordem! (Cruzam-se apirtes detodisos
ponlos da casa e fortes reclamacocs.)
t Um i Voz : -Isto e inlolaraveL
t 0 Sr. presidmta nio podendo mantar a ordem
e crescendo as reclamacfles, levanta a sessao.
- 28 -
A camara dos deputado?, hontem. depots da ap-
provacio da acta e leilura do expedienie, rejcitou
em 2.- diseussa) o projecto que man lava pagar a
Caetano de Sauza Pereira e outros a qnantia de
663*750 como iodamnisac/i o dos prejuizos que ti-
verara na rebelliio mineira de 1839.
Em segaida approvou m iis :
Em I." discussao, o projecto qne crea na villa
de Quebrangulo, MS Alagoas, um collegio eleilo-
ral.
Em 2." dita, o projecto que concede a Pedro
Orlaniini aposentadoria no lugar de mestre de
esgrima das escolas militar e de marinha.
Em uma so discu-sao, o qua mania matricolar
na 'faculdade de direito de S. Paulo o estndante
Lucio S)ares Bernardo de Gouv6a, com as diver-
sas emendas.
Em 3.' dita qs projectos ns. 361 e 362, que con-
cedem quairo lotarias as malrizes do Praia, Lavras,
Oliveira e Uberaba, e duas a matriz e cofre da
Santa Casa de Miserieordia da cidade da Campa-
nia da provincia de Minas, e mais diversas emen-
das :
Em uma so discussao as emendas do senado
suppriraindo no art 1. do projecto n. 1 deste anno
as palaaras -li :ando elevado a 20 o numero dos
eleitores da parochia de S. Bernardo e a 10 o nu
maro dos de Nossa Senhora da f>nceicao dos Ar-
rayozes, da provincia do Maranhao.
for ultimo ocoupou-se com a discussio da res-
posta a falls do throno.
Oraram os Srs. Paulino de Souza e presidenle
do conselho, ficaudo a discussao adiada pela hora.
-29
Hontem a camara dos depntados, depois da ap
provacao da acta e leitura do expediente, approvou
um parecer da coramissao de constituicao e poder
julgando valida a eleicio de eleitores da parochia
de Coritiba, da provincia do Parana, e que alii teve
lugar a II do Janeiro deste anno.
Approvou tambem em 2." discussio e sem deba-
te os 3eguintes projectos:
!.*, qne iguala os venciraentos do contador da
camara municipal da corte aos dp secretario da
dita camara.
2.*, que dispensa do lapeo do tempo em que in-
correu D. Clara Isabel de Andrade Costa, para po-
der receber o meio soldo de seu finado marido.
3., que concede ao Dr. Manoel P. da Silva Ubi-
tuba, privilegio p )r 30 annos para o fabrico e ven-
da do extract um camis, preducto de sua inven-
r^ao.
4.*, que tambem concede privilegio por dez an-
nos a Claudio Guigon, para eslabeiecer no impe-
rio uma fabrica de tubos iguaes aos denominados
tubes Vecque J. A C.
5. e 6.*. que concedem uraa, loleria a favor da
igreja de Nossa do Amparo.da cidade de Goyanna,
da provincia de Minas, e duas diUs era beneflcio
das obras da igreja de S. Sebastian da cidade de
Manaos, da provincia do Amazonas.
Era seguida occupou-se a camara com a conti-
nuagao da discussao do projecto da resposta a fal-
la do throno.
Oraram os Srs. Martinho Campos, ministro da
guerra e Ferreira Vianna, ficando a discussao adia-
da pela hora.
Acham-se ainla inscriptos para este debate os
seguintes senhores:, ..
Contra Silveira Martins, Pereira da Silva, Du-
que-Estrada Teixeira, Theodoro da Silva, Floren-
ce de Abren, Araujo Lima, Dsogo Velbo, Tarqui-
nio de Souza, Pinheiro Guimaraes, Araujo Goes,
Cunha Figueirodo Junior, Euoapio Deir6, Eufrasio
Corrda, Josd Calraon, Diogo Vaseoncellos, Menezes
Prado. Araujo G6es Junior, Leandro Bezerra, Joao
Mendes, Luiz Carlos, Coelho de Almeida, Borges
Monieiro, Bernardo de Mendonc*, Carlos Peixoto,
lei ihin'maiuenti). o necte s^n'Tdo den o governo as ICaminna, Olympio Galvao, F. Belisark), Bario de
providencias qne d.si podiani p:\rlii'.
" 0 Sr. Martinho Campos di um aparte.
" 0 Sr. tninstro do imperio : Eu ni) podia
approvar nora roprovar o acto do presideuta da
provincia da Bahia, sera saber exactamentc os
motivos qua o determinaram. Pela confianca qua
o pre-ideute merece M governo, devo crer que se
assim proeedou. nag o fez sonio com boas mo-
tivos.
".0 -. Araujo Goes Junior; Nao couheco
entao p 4 motivoa do encerramento 1 '
, uDSr. ministro do imperio : Sr. preiidonte,
!V-o eUs as explieacda* qua por ora devo dar.
Para que louha a davida execujao uoscofpos sakj por deferencia, como disse, ao nobre aepuiaio ,
o sea commando, o decreb) do m nisterio da ju|. I para o dosenvolvimento desta questao vai agora
Penalva, Casado, Rocha Leio e Caroillo Figuei-
rodo.
A favor : Pinto Van, Cardoso Junior, Gusroiao
Lobo, Alauc ir Arariue, Joao Manoel, Pereira dos
Santos, Escragnolla Taunay, Joaquim Ben: \ Gomes
de Castro, Paula Fonscca, Bandeira do Mello, An-
gelo do Amaral. Heleodoro da Silva, Horta Barbo
sa, Horaclilo Graija, Carneiro da Cunha, Moraes
Silva, Agesilao, Ferreira de Aguiar, Miranda Os"-
rio, Mariinho da FreitavTeixeir*. da RoohsVi Eka*
de Alboqaerque e Salalbjel.
SO
A camara dos depntados hontem, approvada a
acta e lilo otXpe,iJiante, adopton em 3" discussao
os projectos, ,,u'| iguala os venciuientos do contador
da camara municipal da cdrte aos do secretario
da dita camara, e que concede duas loterias em
favor das soeiedades UniSo e Beneficencia e Uniao
Beneficente Commercio e Artes, com as *egnin:es
emendas :
. Concedam-se a Imperial Sociedade Aaxiliado
ra das Artes Mecanicas, Libaraes e Beneficente, 5
lotarias, cujo producto se converters em apobcas
para occorrer as despezas das peusoes das viavas
e orphaos.
a Igualraente sejan concedidas duas loterias
paraauxihar a despeza corn as ooras da igreja da
imperial irimn lade de Nossa Senhora da Glona
do Outeiro desta corte. Em 28 de maio de 1874.
Dr. J. Cardoso Junior.
a Ficam concedidas mais duas loterias iguaes,
em beneficio do Pantheon Litterario da capital da
provincia de S. Pedro, para o cuslcio das aulas
nocturnas de adnlto?.- Flores.a
a CoQceda-sc dez loterias para conclusao da ma-
triz da freguezia de Nossa Senhora da Coeceicj.)
do Engenho Novo. -Ferreira Vianna.it
a Fican concedidas duas loterias para as obras
da igreja matriz do Paranagua, provincia do Para.
-E. Correia.M. F. Corrtia.*
Ficam concedidas quairo loterias, que corre-
rio aqui na corte, pelo piano aduplado, em benefi-
cio das obras da igreja matriz da Nossa Senhora
das Neves, capital da provincia da Parahyba.-Dr.
Campos de Medeiros.n
Rejeilou em seguida, dep.iis de algumas obser-
vayoes dos Srs. Martinho Campos e Siqueira Men-
des, o projecto que crea na provincia do'Para mais
7 collegios eleiloraes.
Passando depois a segunda parte da ordem do
dia, occupou-se a camara com a continuacao da
discussao do projecto de resposta a falls do
throno,
Oraram os Srs. Gusniao Lobo e Silveira Martins,
ficando a discussii adiada pela hora.
V.io a imprimir os seguiotos pareccres da con>
missa i de marinha e guerra:
A commissan do marinha e guerra tendo exa-
minado a proposta do governo que fixa a forca de
terra para o anno financeiro de 1875 a 1876, e de
parecer que seja coovertida no seguinte proiecto
de lei:
Accrescente-se no lugar competente.
A assemblea geral decreta :
Arts. 1", 2* e 3*. (Sio os da proposta;
a Sala das commissSes, em 29 de maio de 1874.
-F. J. Cardoso Junior.F. R de Hello Rego. Es-
cragnolle Taunay.t>
Augustos e dig'iissimos Srs represcntantes da
nacio.Em cumprimento do precei o constitucio-
nal, e sentar-vos a seguinte proposta :
Art. !. As forcas de terra para o anno finan-
ceiro de 1875 a 1876, constarSo:
a I.* Dos officiaes das differentes classes do
quadro do excrcilo.
t *2.* De 16,0!0 pracas de pret em circumstan-
ciasordinarias, ode 32,000 em_circurastanciasex-
traordinarias. E'tas forcas serao completadas por
alistamenlo vulontario on pelo recrntamento, nos
tennis das disposicues vigentes Na in-ufliciencia
desses meios, as forcas extraordiuariaspoderaoser
preeoehidas por corpos destacados da gnarda na-
cional.
a | 3 Das companhias do deposit) e de apren-
dizes artilheiros, nio excedendo de 1,000 pra-
cas.
Art. 2.* Os voluntaries e recrutad ,s poderao
eximir-se do servico militar por snbstituicao de in-
dividuos que tenhara a idoneilade precisa para o
mesmo service ou mediante a qnantia de 1:000/1,
contanto, porem, que o faijam dentro dos seis pri-
meiros mezes de pra<;a.
Art. 3. Ficam revogadas as dispo icoes em
contrario.
Palacio do Ric de Janeiro, em 8 de maio de
1874- Joao Jose de Oliveira Junqueira
a A coramissao de marinha e guerra, tendo exa-
minado a proposta do governo qne flxa as forcas
de mar para o anno financeiro de 1875 a 1876, e
.de parecer que seja canverlida no seguinte projec-
to de lei:
o Accrescentese no lugar competente :
A assemblea geral decreta.
Arts. 1, 2* e 3\ (Sao osda proposta.)
t Sala das com nissoes, em 29 de maio de 1874.
-F. J. Cardoso Junior.-F. R. de Mello Rego.
Escragnolle Taunay.*
t Augustos e dignissimos Srs. representantes da
nacjio.Era cumprimento do preceito eonstitneio-
naf, e de ordem de S. M. o Imderador, venho apre-
senlar vos a seguinte proposta :
Art. i* A forca naval a-tiva para o anno fi-
nanceiro de 1875 a 1876 constara :
l. Dos offlciaes da armada e das deraais
classes que for preciso embarcar nos navios de
guerra e transportes, conforrae snas lotacdes, e as
dos estados-maiores das esquadras e divisdes na-
vaes.
" 2." Era circumstancias ordinarias de 3,000
pracas de marinhagem e de pret dos corpos de
mannhi erabarcados, e de 6,000 pracas om cir-
cumstancias extraordinarias.
3.* Dos corpos de imperiaes marinheiros, das
companhias de aprendizes marinheiros, creadas
por lei, e do batalhio naval, continuando a autori-
sacao para elevalos a seu estado complete.
" Art. 2*. Para preencher a forca designada no
artigo antecedonte 6 o gaverno autorisado a dar
gratificacpes aos voluntarios que se apresenlarera
para o servico, a contratar nacionaea e estrangei-
ros, mediante concessao de premies, e a recrutar
na forma da lei.
" Art. 3 Revogara-se as disposicdes em contra-
rio.
" Palacio do Rio de Janeiro, era 11 de maio de
1874. Joaquim DelUm Ribeiro da Luz."
2 de junho
Hontem a camara dos depntados, depois da ap-
proval das actas de e 30 do roez Bndo e lei-
tura do expediente, approvou:
0 parecer da coinmissio de constiluifio e pode-
res, reconhecendo deputado pelo 3* dislricto da
provincia de S. Paulo o Dr. Jose Alves dos Santoe.
Era 3*- discussao o projecto n. 500 de 1973, que
maada conkar aos oppositores das faculdades d
medicina o tempo do antiguidade desde a data do
exarotoio, com a seguinte emenda:
" Paragrapho nnico. E?ta disposicao e appliea-
vel aos lentes qne tiverem sido oppositores. "
Em 2* dila o de n. 494 do aano findo, isentando
de direitos o material que importar a corapanhia
de melhoraraentos di cidade de Nitherohy, para
abastecimento d'agua, com a seguinte emenda :
" Em lugar das palavrasisencio de direito*
para todo o material qne importar para o abaste
cimenlo d'agua da mesma codade, diga-se:isen-
cao de direitos de imporlaeao de todo o material
destinado a constrocefc. das obras exeluido o qa
se houver de applicar no fuluro a couservacao aaa
mesmas.-CunAo Ftgutiredo Junior.
Fizcram algumas observacoes os Srs. cunna ri-
gueiredo Junior e Cardoso de Meoezes.
Por ullimo oecnpou so com a continoaoao da a-
L
1
',
cuwio do proiecio da resposta a Wl*> -">
Oraram os Srs. presidente do conselho o Silvera
Manias, ficandu a diseusaao adiada jtela hora,
DUttSTDg PER ^MgTO>
HEGIFE, 9 DE JUNHO DE 1874.
\oticia*. do sal 4* hujierio
Amanheceu hontem em nosso porio o vapor ia-


it M 011/ II jtl tj UiiH fcjfift-rio de Pemambuoo Toga feira 9 de Juiilio de 1874 |f) (^MIA J M/i
Rlei Gallicia, irazendo dates : do
de Minas (taps*!?, de S Paulo
tiio do Janairft.fcSS de maio a 2 do corfente*, 6
da Bahia atgp' T(b "corrente. '
Eis o que*tertaos dos joroaes:
ro da. pn.\TA.
Era Buenos-Ayres solemnison-se com grande
pompa o anniversario da independent das repu-
bliras hispano-amejifanw. Celebrou-se urn Te
Denmt liouve i a rate de tropas, ecspeetVulo nos
diverse* theatros.,
Acravase de ragresso em Buenos-Avres o chef':
da fxpedirao expmadora in rio Ilermejo. No
porto explorado apresentara o rio pequanns obstt-
culos, tendo so rsaHsado a viagem de ida e volte
em pouco mah de am mez.
A c: pilania do porto 4e Buenos-Avres tencionava
propdr ao gotwno nacioanal o balisamento do ca-
nal do MarthWiarciav.
0 govcrno nac onal enviara ao congresso a pro-
posta da creariio de urn grande jardini publico que
se denorninara Parque Central do Palermo.
0 general Rivas fora incumbido de fazer urn re-
onhecimento ale o pnnto deuo:ninado Salinas
brandes, teado sido antorisado a mobilisar para
enle lira ale ires mil guardas nacionaes.
Corria o boato de que rebentara uma revolucao
cm Corrioates. Pizia^se que, tendo o governater
da provineia mandate prender o coronel Garcia de
la Cruz, reensara esie entregar-se a prisao, e su-
blevara-se a frente decem liomeas.
0 congresso ?rgeni'mo nao coneedeu por 48 vo-
tes contra 20 a dispense pedida pelo-Dr. Al-ina,do
axga de vice-prcsidente da rr-pu'olrca.
Ein Buenos-.-vyres linham-se dado duas fallen-
cias ; a.passivo te nma das casas era cerca de em
nulliao de pesos fortes.
Em Mouievideo a camara dos representant-'s
;'doptara nma mould-de advertent ia ao presidente
da repablica, por tor feito mndificacTies na lei do
orcaotento votadapelo corpo -legislative.
Antes disso fora o ministro do governo interpel-
lite na referida camara por ter feilo varias alte-
gi )j na polieia da capital. X'estas aileracfies,
em virtudij das quaes augmentnu se em ans casos
e liiminuio-se em ouiros os soldos marcados a cer
los gnardas de polieia, na lei do oigamente, via a
aa nara uma usurpagao das attnbuigoes legisla-
. tivas.
0 teputado Vedra propiV. mie fosse o poder
exeeutivo accu-ado perante o sendo por viola-
i'.ii da rons:iluicao. Travon-se auiinada discus-
Bin fiaalmctte, foi adoptada a moc.au de adver-
teflCfa.
C*rria o boato de crise ministerial, dizendo-se
qae so relirara o ministro do guver.o Saturnino
Alvarez
i;nistava tambem quo a casa Thompson, Bonar
& '".. ile Londres. prestar-se-hia a emittir al i o
emprestimo oriental m o qH'intnm da a:i;ortisacao
fos-e ek-va-lo d; 1 a 2 !/2 /
0 cabo que ligava o porto de Montevideo com o
d-) Iffcl-hmato partic-sa, e seria diflleil reata -!>.
- G-te taneoiaxel acatitecimento, diz a Trihuni,
c ijas c.uisas a eompanhia Uslegraphka ainda cat)
c.iili'i'e, di*ioraino ainda por algmn teinjio a com
inii'.iM.'fij hmu-iiliala eulre anossa praca e a do
Km de Janeiro. "
JONAS g-:aks.
~ No dia '21 eh'-sara a capital o bispo do Kio
r.-ili'-eora MB Ouo-Preto o negociante por
tttguez, la muito tempo a!li estube'ecido, Ra-
phael da Cot-ta GnimaiTi''?. lira geralmeiiie es-
ti:lil 11
I.e so ni I'harol, do Juiz do Fora, so!) a epi-
grapbe Cmgere :
K" esUi o no oe de u:n novo club que secreta-
meitte fonceiona em ceiUs Jias da temaua e a
me a unite, em uma easwha situada pcrtoda ponte
4 i I'.ies no caminho de Birbaeena.
!^n ira-se o lim (p.ie reune al i alguns. inlivi-
doos hvnas e cseravo*, nfio pode, porem, ser Ion-
vavel, p i< que emptagan) tod.-.s os meios para nao
ser s .ivrt-ndidos, levando a precaiicao a ponto de
amacrareja urn qerdel em roda da casa, de sorte
cfr.e qual iu*r pessoa one tente eliegar petto, es-
! !' i--o nolle ; dando o mesiso curdel signal para
o interior da casa, as Ijzcs apagam-se lodas no
maior silencio lie que o individuq se retire.
' Sofia bum qtu a pulicia desse por la um pas-
e!o alim de ucanoos sabeudo o que fazem os
MVbroi do Caugeie. "
ISefcre o Phurol:
" Baistem em oircuiaca i, em Juiz de Fu a, no-
te? (alias de 105 das do ultimo padrao ; a recebe-
dot .1 do i'arahvbuna recusou uma (dada pm pa-
gaii"n'. do dirsitot) de u. 13,709, sene IG A ;
verifieou se ser falsa, porque a tarja de tinta ver-
de, que circuta a nula, estava tracada justamente
sobre os olbos das figuras do embfema, o preto do
cariaibu com o algarismo !0, en fumaccnto,
quando nas verdadeiras e lustroso; finalmente, a
..--' yiatiiia, aleiu de ba-tante grosseira e inintel-
Ugivel, estava escripfa com tiuta mui detbotada..
I'essoade credito q;ie assislio ao exame dessa no-
t.i, alHanea quo ha mnitas ilenlicas.
LA-sn twlh'ario de Minns :
li 0\ npio de A'orea e Silva recebeu no Porto
do Cardoso para condu ir era SBfl" tropa disversas
capga! perteneeotos aos negociantes Abreu A V\
ibo. vinJai da curie.
So Indaia jl estavam os animaes carrcgados,
fdllaadu dons caixotes, que continham polvora em
latas, pando don-, cam era las, Francisco Luiz o
1 m Vci.nio. delles se aproxiUMin para tamalos
in- Itombruf.
InstMitaneaAente nuvio se um estampido hor-
riv.i uma r.uvem de fumo envolve a tolos, e elles
cihe n ii.oiia.ment.: f-ri-Jo', e assim mais um cao
e Valios animaes. Fora Francisco I.uiz, qiu) lan-
eara ao eliao um resio dc cigarro quo acanava de
27 de maio, do Ss. quo se nao eSpShaflt '.on na campanha do Paraguay, onde reMHi>u a
ferimentj uo combale de II de deztJrubro
'iMr^iorufias
;te $nte iiJo foram nomeados a cap!
lejBteM 4Ss.
Ss quo se nao ex-ponharn demas;adam*ri}<> senilo
corflo sJo, cnefeS diS ramil.a; e pare-i* miWiiift
que muito ben fariam reqafsiiasseai dui diftidt;
de trmaes He carHade para tj-atarem das quareoiii
e tanus malheres qne estao sendo tratadasupu- r,asio, d^exyruito Ant mio Mmeira da Culfclifltai
homeus no hospital. Qiiandb rdesm'o nio rosse rhSraes oaraolugar de pedagogo do
esta a sua missao, era de certo nm servico bem
caaisr agradavel a Deus, do ^ue v.veram, codbo
vivem, regaladameote no Klo e eA hi, enfiando
caraandulas, que mais tarde li.ao de vender aos
orphios, Blhos dig qne tao morrendo ao desam-
paro.
A me?m* folha diz:
t 0 Srs. engenoeiros Paula Sonia a M. Rndge
terminararn li-ntem, as 5 horas e 80 niinntos da
tarde, os trabalhoj'da locieSo da estrada de ferro
qne devo Hgar-nos com Campinas.
BK) DE JANElKo
0 senado cccupava se com a cTiscussan do
projecto de refonna da lei do recruiamento.
Pur despacbosde Side maio
arsenal iw
guerra da provineia da Bahia, e Sebastiao Anto-
nio da.Albuquerque Mellq para servir iulerina-
mente de cotdfltvante do professcr de [irimeira?
letras la comparmia d#.-*i)rt'n**e3 artirics do ar-
tena de guentda prft"rtflcia de Pernambiico.
De ^ual #ita concederam-se ao lente ialerino
da t-1 <:adeh-a do 3 anno do cqrso superjor da es-
ci la militar, rapltao Manoel PeJXoto CHrsno do
Amaiaote, tres mezes de lieenca com ntjetade do
ordenadp fpspectivo, na !< rma do art, 22ti do re-
gulamerto da rnesma escola, para tratar de nefo
cios de sen interesse na provineia de Matto Grcwo.
De 26coDccderarn-se ao efcrlptnraric da fabrics
de polvora da Estrella, Joao Geraldo Carneiro,
doni meres de ficenga, cool o respectivo ordenado,
amen
Fez-se merce de titai* dei)Mio dcCabufrio a* para tHlarsde *oa asiida onde me coavwr.
director geral da seerelaria dos negocios estran-
geiros, conseTheiro Juaq'ulm Tfiomaz do A mitral, em
attencao aos relevantes servigos que tem prestado
ao esiado.
Foram coccedidas as Uonras de pregador da im-
Jerlai capella a Fr. Joaqiiim de S. Carlos Oli
lam; r, o qual loi cahir sobre uma pcquena quan-
lidade de polvora sahila dos caixotes. Os infelizes
falleeeraa pouco depois, apezar dos soccirros mi-
cistrados. Oxala sirva isio de Iicao aos Srs. con
liuelores de tropes.
s. PAUL'),
Vk-iiraa de uma fabro typhoyde fallecera o
engonheiro l>r. Antonio I'ereira Re'boucas.
\ respeito do falleoimento do engenbeiro em
chef.; da imha ferre* sorocabaaa, Pemente Spetz-
ler, i:;e ja haviimos noliciado, diz o seguitite o
Conrkt 1'a ii list ana :
u Sua morte sobreveio em consequencia do ra-
cida enfermidade, tendo chegado ha tres dias dos
tranalhos. da linha sem iocommodo notavcl.
i-osto que variem as opinioes dos facultativos,
corro man geralmente que a c.usa da morte !oi
uma cmgestao cerebral.
Cra ainda moco, cerea de 30 anms, nassido
<-m HamUurgo e fiiho de farailia allema, qne ha
aanos reeidia nesta capital, de onde partio elle
para estudar engenharia na Europa.
omptetara sous estudos e voltara ao Brasil ba
mais ou menos sele annos, sendo ate o prosente
muitissimo apreciado por seu beilo caracter e pro
noa no ramo de estudos a qno dedicou-s1.
-Va cidade de Campinas honvo grande geada
na Quite de 19 para 20 do corrente.
;< Lci-se na Gazeta de Campinas :
Os festeiros do Espirito-Santo da parocbia da
Coneeicao, Exma. Baroneza dos Tres-Rios, o Sr.
FraniTisco Bgj'dio de Souza Aranha, reali.-aram
bontein aquella parte da festa que hade subir'pa-
risima como um cantico d'alma aes pes do Crea-
dpr. A' porta do sgun lo reunio-so pelas 8 boras
da manhi uma eumpacti rdnltidlo, que so acoto-
veilava por lodes os lados. Eraru os pobree, os>
enjeilados da fortHita, os peqaenoe de todos osj
is, que hao de fundir-se entre os maio horas do bodu celes4e.
.Mli Ihf s flcennjM> diguos festeiros, qne assim
nupehetrann do verdadeiro cgpirito evange
lieu, ii disiribtitcao de a u mil litres de feijao,
da ca'ne de 18 rezes, o de grande quanlidade de
sal, farinha e lenha. Oatrosim o produ&to deiodos
o. votos que durante a festa forem efterecidos, bem
no dinbeiro que for tirado com a baadeira, etc.,
[:, tudo tera idenliea api)ii;aeio. Ei ahi comu
se deve eomprehfnder serapre o culto religioso
|H)la r-na fiee mais bella : a car'dade.
- "Em Taubat6 contiauava a grassar a variola,!
e omesmese dava e;n Piaduninhagaba a flio-
Claro.
NesU ultima cilade, a eoiiemia atacaa com
gran Ie wrca, omo se \e da segointe noticia, ex-
tr.nii la do CorrW* &i Sertuo de Hi do corrente:
Afjie-hontem bavia no laureto 5d hexiguen-
.' s. i.no'em (stava/n resolvidcw a.eBr,ir 38 e aio
rei |v ios a entrar-UeiU'Sabe quanta.
A ehave do novo cemilerio foi entregue a com
missao no sabbado a njile, e as negras portas fo-
rm) aliertai no domingo para Jar enirada a einco
. sendo 4 de bexigaentos.
Mn meio destes liorrore* aimla-appwueem ho-
ve ira,
presidcnte do mesteiro de S. Bento da cidado de
Santos, provmefa die S. Paulo.
Foi naturalisado o snbdito allemao CuuraJo
Herbst, da provineia doEspirit) Santo.
Por lituios de 23 de maio foram nomeados
para o lugar de official de fazenda da P ciasse da
armada Julio Machado de Oliveira, Luiz Gomes
Pereira, Alfredo Carlos' Pestana, Marcelino Au-
gusto Lima Barata e Telasco Jose Kernahdes.
Per porlaria de 26 de maio foi nomeado 6
engenheiro Augusto Francisco Gongalves, para
medir edemarear terras puhhea? na provineia de
S. Pedro, com os veneiment is de engenbeiro de
3* ciasse e transporte no maximo.
Por despacho de 27 de maio loram nomea-
dos :
Comrrfendador da or Jem da Rosa, Vespasiano
August) Gomes de Castro, em attencao aos rele-
vant ;s servir-os prestados a inslruccao publics na
provineia do Maranhao.
^ Cavaihciro da ordem de Christo, o bacliarel
Fran-isco Manoel das Chagas, chefe de seccao da
secretaria de estado dos negocios da gaerfa, em
attencao aos relevantes servicos qne tern prtsisdo
ao estado.
Poi aprcsentado o padre Jnaquim-dc-Sonza Cal-
das no curato da Se, da diocese do Cuyaba.
Foi naturalisado o subdito italiano padre Hermi-
nio EMcearli, residente na corte.
Por decretos de 27 de maio foram nomeados
juizes municipaes e de orphaix :
0 hacbarel Jose Beato de Aranjo, do 'ermo
de S. Joao da B.i:ra, na provineia do Rio de Ja-
neiro.
0 bacharel Antonio Ribeiro Pacheco d'Avila,
do tenno de Pilao Arcado, na provineia da Datiia.
0 bacharel Francisco Manoel Wanderley Luis,
d) termo da Gimelleir.), n* proviaell de Pornain
buco
Obacharel Fnincisco Marcal da Silvoira Garcia,
dos term i> reunidus da Telha e S. M ithons na pro-
vineia do Ceara.
Foram reeonJuzidos os inizes municipaes e de
orphaos:
Bacliarel Samuel Henrique Hirjman, no termo
da Independencia, na provineia da Parahsba.
Bacliarel Aogelo Caetnno deSouza Cou^seiro, no
term:) de Villa-Bella, na provineia de Pernam-
bnco.
Foi designado o h battlhAo de roserva da ca-
pital da provineia do Piiuhy, para a elle ser
aggregate o major d3 guarda nacional do muni
eipie oe O.'iras, na m sma proviucia, Jeremias Jose
da Silva Mello.
0 mini-teri) da marinha, em 20 de maio de-
tirrainon o seguinte ao ajudante geueral da ar-
mada :
'' Illm. i- Exra. Sr. -Concordaado com o pare-
cer do cin-el:io naval emitiiJo em consulta n ....
2,504 de 15 deste inez. sobre a desigaacao de en
fermeiros para os naviosda armada," cmforme re-
clam ou o chefe do corpo de saud.', dilermiuo que
se observe o >eguin:e :
': l. A birdodecada um dos navios que,se-
gundo as ordens em vigor, admittir cirurgi.V), ba-
vera um ca:'ermciro, na founa do art. 81 do aviso
rftgulamentar de27de julho de 1858:
' a." Alem dis meiro o navio que seguir em viagem, ainda qne a
sua lotacao nio admitta medico.
" 3.' Os enfermeiros serao nomeados pelo cirnr-
giio-mor, do acordo com o director d > hospital
do marinha: esomente nos casos te urgent* no
cessidade, duranle a viagem, podera ser escol.mda
oma pra;a da guarnic.io para, tnmporariamente.
fa-er o servigo da enfermaria da bordo.
" |. Nos navios fundeados em porios do impe-
rio onde houver hospital, poderau ser dispensados
os enfermeiros, sendo cstes transferidos jiela auto
ridade compctente paraos navios que tiverem de
seguir em commissao, do accordo c:m o 2 do
presente aviso.-0 que a V. Exc. cuinmunico para
s devidos effeitos.Deus guarde a V. Exc Joa-
fMR Delfino llbeiro da l.uz. "
Por decrelos de 27 d9 maio foram transferi-
dos da I-1 para a 2' ciasse do carpo da aruiada os
I* tenentos ii Candido Duartc e Chudiao Jose
Raposo.
Ao promotor publico da com area do Macahe,
na provineia do Rio de Janeiro, foi marcado, por
decreto n. 5,617 de 23 de maio, o.voacimento an
onal de !:2tlOJ, sendo 800* do ordenado e 400*
de srat:ficacao.
Por d-e'ereto n. 5,044 de 16 de maio, o termo
de Santa Quiteria, na pnvincia do Ceara, foi
separado do de Sobral e reunido au de Tamboril.
Por decreto n. S,G48 de 23 de maio, sepa-
rou se do termo de Tres l'ontaso de Ddrs* da Boa-
Esperanca na provineia de Mtnas Geraes, e creou-
se nelle o lugar de juiz municipal e de orphaos ;
e ere m-se tambem no termo de Gainelleira, da
provineia le PeraMdxKo, o lugar de juiz maaici
pal e de orphaos, por decreto n. 5,(549 da niesma
data.
Por decretos de 30 de maio :
Foi reconduzido o bacharel Fraueisco G ngalves
da Silva, no lugar de juiz municipal e da orphaos
do termo de Campinas, na provineia de S. Paul).
Foram removidos, a pedido, os juizes munici-
paes e de orohaos :
Bacliarel Joao Martins Franca, do termo de Can
gassii para o de Cruz Alta, ambus na proviucia de
S. Pedro do Rio Grande do Sal.
Bacharej Francisco Xavier dos Reis LisbOa, do
termo de S. Jose das Cajazeiras para o de Co Jo.
ambos na provineia do Maranhao.
Por decretos de 27 do maio foi nomeado o
tenente relormado do exercito, Manoel Pereira de
Mesqoila, para o lugar dc almoxarife do arsenal
de guerra da proviucia de Matto Grusso.
Foram nomeados i" cirurgioes do corpo de
sai'rie do exercito, os doutores era medicina, Jose
Antonio Ribeiro de Araujo e Flavio Augusto Faloao.
Concedevi-so transfereacia para a arma de ia
fantaria, de conforimdade com o art. 0' da lei n.
1,143 de 11 re setenbro de 1861, ao i tenente
do balilhao de artilharia a pe, Candido Leupol-
do Ksteves.
Concedeu-se transferencia para a 6" companbia
do 18' batalnao de infcratena, ao major graduado
do 9* da mesma arnaa, Bento Lun da Ganja, e
para a 81 compafthia deste batalhao ao capitao da-
quelle Jeronymu Ignacio dos Santos.
Foi transferite para o'19 batalnao do infaote-
ria o majur do 20* balaHiao da mesma arma, loa-
quim Fcrreira de Pajva, e para esta batalhao o
major daquelle, Francisco de Assis Guimaraes.
Alandoa-se revcrter n priraeira ciasse do exer-
citu o 2 tenente aggregate a anna de artilharia,
Joao Baplista do 9 de Almeida, visto ter sidu jul-
gado pcoinpto era iuspeccio de saude, a que foi
submettido nesta corte a 22 de maio lindo.
Concedeu-se reforms, tie coaformidade com a
ultima parte do $ ldo art. 9" da loi n. 648 Jo |8
flPMo de 1862, ao capita.) aggregate ao corpo da
estaduinaior de artilharia, Jacratlio Maehado Bitten-
court, visfj soffiw molesti* incurave! que o torna
ineapaz de eotxiaoar no bervico era cudcujoencia
de feriment) reoebid) etn combate ; e uos ter-
mos da priraeira parte do wfefrdo ariigo o lei,
ao capita) aggregado a arma de iafaattria Manoel
Joa iinni Bello, visto solfrer inole&tia iniuraV*!
qne o torna incapaz de continual- ou mesjno ser-
vii;o
ManJ-ju se elimin&r do qaadro do exercito o
alferes do 14" batalhao de infanKTia Jose Maria
de Oliveira
Tambem de 26 foi nomeado o alfaros do lo^ba-
lalhao dc rafantertir, 1>hTioet Pinto da Srtva, para
o Ingar de quartel-roesu do mesmo cwpo, wraae^ de, #r)pried*d.do TUoine \'nceu a Garra
lerido do dito Kaurthtofan o i7 Ha tnesmo sr- S.guio.eten taCer^Wtod
ira o alferes Antonio Henriques da Fonceca Ju
nior. "
0 decreto n. 95', cilado no de a. 5,625 de 2
de maio proximo flndo, approvacdo o piano de
uuiformes para os corpus especiaes do exercito, e
""" v -ui hwj =-->hci-'* uu exercito, e a quinu, ui uisputada p r
(W J3 de"?rtcmbro de 1841,-e nao de oetdbro- Rio da Praia, fofwrni/ eSnlifiirh
eomo se publicou no Diario Official n. Ii9 do 23
do dito nuz.
Per portaria de 30 de maio foi a;protada a
plan la do iracado de lintia de carris de ferro con-
cedida a Carlos Fleniss por decreto n.-5,566 do 14
do niareo.
Por portaria da mesma data foi concedida a
Antonio Francisco Lopes, agenle da esiagao dos
Meildes, dous mezes de lioenaa para tratar de sua
ssiide.
Por portaria da mesma datadeclarou-se dear
sem effeito a de 3i de maroo< qne nomeouo batha
rel Christiho do Valle engenbeiro do 3* ciasse da
reparticiio geral dos telagrapoos.
. Pelojniirrste io da marinha foi msndado lou-
var o capitao de fragata L-.iz Maria i'iqaet. com-
m.indante da corveta Vital de Oliveira, pelo telo
a intel igencia com que desempenbou a commis-
sao d*sondagem para o langaraojtote caba tele-
graphico.
A assemblea l6gMatia da proviicia de
Santa C-itliaiiina dir gio a seguinta felicilaga i ao
gabinete 7 de margo :
Pagi da assemble* legisla iva proviuciil de
Sanl;i Cathariha, em 19 do raaiode 1874. Jll.n. e
Exm. Sr.Era sessao de 18 do corrente -resolved
esta assemblea dir,;ir ai patiolico gabiuete de 7
de mirco, na p^ssoa de V. Exc, muito noaro e il-
lustre presidente d) cnselho de minis'ros, um vo
to ile ad ho ao, maoifostindo o< sentimo.itos de
que se acha possoiJa pela altitude que t m man-
tido o govcrno imperial com reUcao a tpinstaore-
I'giosa, boOi como pela didicscao c esforgos com
que proeara difftuilir a instrucga) em tolas as
classes da soiieJtde, prestand i a esta ranu do ser
v,;.o p ittttcs aquella consideragao quo era de es
penr de seu patriotismo
A assemblea provincial rie Santa Catharina,
curtvicta de qne a paz e tranquillidade que goza-
raos. a paz iloka -WsaHe .aoeele-ado para o pro
gross > de lovlus s eletieBlbs de riqueza, sio con-
scqurneias da sa'bia pofitica do gtbinete, e do des-
envohimenlo nor elle dado aos divenos ramos do
servico pablico, maxima a-piiTlles qfla alfoctam -e
progresso intellectual e material d) paix, nao pole
deixar de diiigir-vos un> voto de tratidio e coa
lianga, c rta de que nesse louvavel empeuli pro-
segiiini o gabinete-7 de mar.}.) -illuramado pela
mesma cslrella quo o tem dirigido ale hoje, a on-
quislar maiores I uros a gratidao nicional.
Interpretcs dos sentimentos desU assemblea
pana com o gabinete 7de maro, os abaixo assig-
nados, assegurani a V. Exc. os protestos da mais
e respeito. Do-.s guarde a v.
to do Jockey Club, ficon gwha kjiffsyn-lo por isso rsai^.ricnli'iujapruva.
'((fcekey, que cahio, nao *nurrt*g)ou.
tarra^utaram o segunJo parev * MiABI'i. c-talazi, do Hi. ilO(IfitiK d-: gualro
F'<- i'.'de, pertoncent.: ao^i-Bariolo Fulqui,
'hquella do Rio de Janeiro, casfinrfa, seis anuds,
pertencente ao Sr. S. Carvalho. Ganhou a Vanda.
ra terceira eorreraini/is* Jam Leifc ,Umo;-
ambas Inglejas. k .!/,.-, Jane, qua sahi. vie-
sa> *** 'gaa alfca de tens aunos de ilade,
CinedMe-rda Sia. I>. liita Soares de C. Meueies.
lonaitksg um cavallo iaio, de ires annos de
ae, rJropricdade Je uma sooieJada de ama-
doiw.
Eniraftm na quarta corrida, Hiqieu, egua
baia, naseidi na fazenda dePisanema, provineia do
Rio do Janeiro, de 4 antos ie idade, portencente ao
Sr. Amaro Antonio de Miranda; Garni, egua ras-
sa, tambem nascida na ptovincia do Rio de Ja-
neiro, de cinco e melo annos de idade, propricda-
de do Sr. Josii C-indJdo tel'igireiroao ; i%r,ca-
vall) preto, de Montevideo, iiaatro e maio aaos,
pertencente ao Sr. conde de Herzberg; e Coquette,
egua russa, nascida em Minas, seis annos de ida-
'ikii-Mo Ou ca**lfcaa-T,r,-elo subdelegado
!) 'listneto iriulia, do fcfim. de S. B-nte,
oipreso e recMhido SYespe'cnva' tadeia Joaquim
_. meia bora, era que
hoave duas coriidas Co pequiras. A primeira foi
gan!ia por Tiriba, e a segunla por Papagaio, am-
bos pertencentes ao commen lador Francisco Pinto
da Poncecs Telles.
A quinta, fjidjspntada p r dous cavailos do
...a ^...rrio ; este de 12 an-
nos de idade, cor prcia, pertencente a uma socie-
dad: anohyma, e aqu-.Ile de'8:-nr.os, cor zaina,
pertencente ao Sr. Domintfos Jose Vieira Guima-
raes. Venceu o Solilario.
' Na sexta coflreram Golfiitho e Colchete, ambos
do Rio da Praia, este de 8 aonos de idadp, cGr cas-
tonlia, propr edhde de P. de. Mello; e aquelle da 6
annos, c6r tordilba, proprie,dado do Dr. E. A. de
C. Meneses; e Tempeslade, ftzulego, do Rio Gran-
de do Sol, 9 annos, propriedade do Sr. Joao Meges-
si de SJ Pereira. Ganhou o Galfinlu.
a A setiiaa e ultima foi dispntadapor tres cavai-
los arabes : Vermouth, alazao, qnatro e meio annos,
pertanceiite ao Sr. Francisco Montandra; Zat,
preto, cinco annos, propriedade do Sr. Francisco
do Araujo Rets Vianna, o Djiun, tambem preto,
cineo e maio annos, propriedade do Sr. Jose da
Rociu Dittencourt. Sabio rencedor o Zut.
Eis as rticifls commerciaes da ultima data :
Montevideo, 26.Sidaram Inie sobre Loadres
carca de t3,000 a 51 l/i e 51 3/8 d, sendo
aqaellatixa para o papal btneario e esta para o
particular.
a 0 inercBte de exportanlo esteve em* compJeta
paralysaeao, porque ha falta Je goneros.
Em produ'ios de irapartagao nata sa fez dig-
no do meaoionar'se.
' Santos, 36. -Csfe.-Venderaai-se 1,900 saccos
a 54400 para o lia-j do machina. As noucias re
cebidas d) exterior causarain dssaataM nos com-
praters* qne sa reliraram diraercalo. A exis
tencia e hoje de 147,000 saccos.
" Alg.jdai.Da 8,000 fardos que sahiram do
raercado nesle period 2.000 foram vendidos ahi
no Rio da Janeiro, 3,000 em uossa praca, e 3,000
foram erabarc-dos por conta dos possuidores. A
existencia 6 hoje de 52,000 fardos.
" Paula.-A desU -emana e a seguinte : cafe,
489 rs. ; algod.io, 527 rs. p tf kilograrnma.
Wo de Janeiro, 31 de miio. -A posigao do oatn-
bio, nestes ultiraos 10 dias, nao foi das mais fa-
voraveis. A laxa do papel baacario sobre Londres
sim eompvista'
Assemblea gerai.
. Presldejlte.-O Sr. D- Man.-ol SilJanha da Gj-
ma.
Secreta'riosos'Srs.'loaquirri Leite de Carvalho
1 e Augusto da Silva Ribeiro 2.
Commissao d- contasm Sm. J ise. da Silva e
Souza, Fraueisco Movaes Vonteiro e Jose Gon-;al ves
Belchior.
Direecao.
Presid9to.-Josqnim S. da Silva M rerra.
Secretario-Francisco Jose da So'nu Cardoso
T .esoufeiro. -Antonio da Costa Lima.
Vogaes-Carlos Alberto G. de Mdraes, Miguel
Francisco B. de Moraes, Dutningos Jose de Olivei-
ra Junior e Jose Aittraio Soares.
No dia l do corrente arribara o pataeho
Constantino Feliz, por causa do mio tempo.
Em Santo Amaro falleceu o antigo tabelliio
E3lanisIao Jos6 de Almeida.
- 0 cainbio sobre Londro3 regulava 25 a 25
'./8d. B -
\tV
uui
REVISTA
baixou a 3ytt e 2i 7/8 d.
e 0 papel particular
o more* Jo fecaou
alta B-msidoragao
foi nego:iaJa a 25 d. a quo
hoje.
" Os soberaoos mostraram-se fumes, durante
alguns dias, sabiado seus precis ate 9A750 ; de-
pois, foram graduahnoute baixaudo ate 9*603, a
dmhiira, preco a que se effectuaraiu as ultimas
transaccoes
As apdices geraes d)6 0/o conservarara-se
pouco BroBMj seadu negociadas aos extremis de
l:0ifi a l.OiOi a dinbeiro.
0 inercad) da acco-.-s esteve era grande apt
ii- m". /" c n-elh.0,ro visfl-indo do tma devida em partea falta de numerano e a. dif-
Bio Ranco, munstro o seerelarii de estado dos
negocios da faseuda e presidente do conseiho d
m:nislros.=0 presidente di assemblea, bacharel
Marlinlto Uomiense Pmio Br.uja.O I' secrotark),
Jose Ramos da Siwa Junior. -0 2' secretario, Er-
meliKO Jorge Je LuUiares.
Pel > iniiiistfrio da justiea -foram inkferidos
os requerimenlijg de:
Hippolyto da Silva, escrivao do civel, orphais.
crime, ausnnies, capellas e residuos do t-rrao de
Pa i d'Alhoe Ernasti Maehado Freire Pereira da
Sdv3, eserivSo privalivo do commereio da capital
de I'ernambuco, p dindo permaia dos rcspeciivos
oOieios.
Araerico Brasileiro da CosU Ouricory, l' ta-
betliare eseri adds otphios, e Antonio Piuto-do
Araujo Leitao, 2" labelliao e escrivao das exeeu-
ctes, do termo da Palmeira dos Iodios, pedindo
pennuta dos respectivos olBeios.
Jose Msuril'o de MeLo Correa, 1 tahelli&o do
termo de Alalaia, e J>a-|uim Lopes da Vasconcel-
los, 2' tabelliio do de Quebrang sio, f izen-lo iden-
tioo ped:do
--- 0 presidente da Brovinria do Rio de Janeiro
nao sancciono i o projecto de lei doorgaraeoto pro
vincial que foi approvado na sessao extraordinaria
da assemblea provincial.
As razf>ts que expendeu sdo as segaintas:
' Nio consulta as conveniencias publicas e of-
fende os preceitos rigorosos da constHuigao o pre-
sente decietu, no qu 1 se oroou a receita e se fi-
xou a despwa da provineia para o exercicio fi-
nanceir> de 1S74.
' No art. 2*, % do presente dacreto se con
signaram fundos para pagamenlo do subs dio aos
me.obros da assemblea legitlativa povinoial, cal-
calad > a razao de 25a diarios, na forma do art. 93
da lei n. 1,912 de 13 de junho da 1873, quando e
ci-rlo que a lei n. 1,788 de 20 de dezembro de
W72 marcou esse suhsidio a raaio da 10i para a
20" legislatura, que corapreb nde o biaonio de 18,'4
1875.
" 0 acto addieional no art. 22 dispoe terrainau-
temeiite, que o subsidio pecuniar o, que os me.n-
bros das assembleas prov nciaes vonoerao diaria
mente, sera marcido na l" sessao da legislatura
antecedente.
" Foi em observancia a esse nraceiti coust:tu-
cional, que a assemblea provincial votou a lei n.
1,78a
" Hivendo, portaato, lei de subsidio votada op-
portuna e competent mente, segundo a expressa
determinacao do acto adJicioaal, nao podia a as-
semble! preteri la para augmentar o proprio sub-
sidio, elevanJo-,0 pelo pad.ao mon-tario do decreto-
legi-lativ) geral u. 2,097 d- 30 da Janeiro do 1873,
de 103 a 2>i diarios. Dast'arto, com quebra do
precjilo c.institu:ional, foi prelerida a competente
lei do subsidio, sob cuja regiajan estava a masraa
assemblea c mo parte inleressada sera competen-
ce conuilucion I, nem furca moral para alterala.
" Nao illtue o principio, e nom prejadica a sua
applicacao a circumstancia de ter o art. 2, 8 1 e
o 98 do decreto, que aatorisou a abert'ura da
creditos na verba exerctcios findos, para se'pagar
o subsidio venc dj na lagslatura passada, feito re-
fereacia ,-.o art. 9 da lei n. 1,912 de 1873, por
quanta esse ar igo pecja pelo mesial view de^in
constitueionaii lade, pelo que deixou de sor exe-
entado. E assim como nao.pcHlia por esse ariigo
ser alterada a lei n. 1,515 de 24 de novembro
de 1870, n.1o podia tambem pelo presente decreto
ser alterada a lei n. 1,788, que 6 trrevogavel du-
ranle o exercicio da presente assemblea.
' A lei da subsidio nao attende ao passado. e
nem conteinpla o presente : alia rage o fotaro.
" A disposigau dos 8J l e 98 do art. 2 do de-
creto, caino o art. 9 da lei n. 1,918, qm o gerou'
tdrurahindo ao passado, e provendo o presente,
viol iu o aelo addicional, sera que juslifique a in
fraccao a forma interpretative que se quiz dar ao
acto, pols a interpreiagAo nao poJo ter, no caso,
uma nova foote de direitos, a nas leis ns, 1,515 e
1,788 nada ha de cbscuro, que merecesse ser-
clarecido; e falu absolutamenle para o caso a
competeucia da assemblea.
* incorreodo, pois, o presente deereto em cenr
sura consiituciunal, deuego a sanc^o. Palaciu da
governo da provineia do Riode Janeiro,28 de maio
de l87i.---Minoel Jostdc t'ltilm Teavatsos. "
Falleceu o mareahal de campo Jacimho
Pmt-i do Araujo Cor^eia.
Lera is at Jirnatdi Commercio, da corte j
Realisaram se bontera (31) n.) Prado Flumi-
nense e na presenea do SS. MM. Imperhes, as pri-
men as corridas deste anno n > Jockey Clab.
u a uoueqrreneia do povu foi extraor.liaaria.
Tanto as duas archibancadas como o e.-pn;o em
volta da rai.i, lesiinado aos eavalleiros e as pes
Qculdade qae houve aa raalisajao de deseootes,
cojas taxas regularam de 9 a 10 0/o ao anao, a
era parte a elevaoao da laxa dos j iros d s cau-
coas. Nesies ultimas dous dias a oondigto do mar
cudo apresantou-sa sob oaspectomais iisoageiro.
" Passamas em soguida a notioiar o movimenlo
circumstanciado dos gendros i>ue mais interesse
ollereeeia aos metcados do n irte, no periodo a que
aos referimos :
Aguardant.'.Continoou oste genera a mo-
trar-s.- f-onx-o, porque as entradas sendo superio-
reS a procura, nao per nittio que houvesse dimi-
nuigao na existencia. Cotamos : cacbaga do nor-
ta 83&; de Campos 90jl; da Laguna 2J ; canna
de Augra 90i a 05J ; de Parity 934 por pipa.
" Algodao.Cunaervou-sa ainda em cumulate
apathia.
Assuaar. Foram pequenas as ven-Jas de as-
sucar braaco, porque os refinadares achav'arase
suppndos comas compras effectuates no comoeo
deste raez e de que livemos oejasiao te foliar. Os
prefos, entretanto, (icara sustentadoj. 0 miseavo
liwra e seeco, de que ha falta, goza de boa proeu-
ra, ao passo que o baixo e liuraiJo flea completa-
meut.i desprezaio. 4s vendas deste* 10 ultimas
dias foram apenns de 800 saccos de I'ernambuco,
1,200 de Maceio, 90J da Bahia e "otinguibae 3,000
de Campos. C-ilculamis a existencia era 3,30) sac-
cos de Pernambuco, 1.400 de Maeeio, 302 da Ba-
hia e Cotinguiba, c J.^) barrioas, 180 caixas e
3,600 saccos da Campcs. Cotamos por 10 kilo-
grammes :
" Pernambuco.
Brauco de 2' so.te
a ii g*
iiiOO a :U2G9
2*723 a 2*859
2*519 a 2*587
nao lia
Barbosa, visto ter sido prisioneiro na
M ans para os quaet siio pouoos todos ns-eneomios, campanba do Paraguay em 1865, por occasiao di
c taeisij osj Srs. : Bernardo Al/es Teixeira, Er-1 invasao da proviucia'de Matto GrosM>, segundo soas qua f.oam de-eauo,'mi que nao consHzui'ram
Manuel do Amaranie, Joaquira J.)se de Si e consla da ordem do d.a do, commando do oxiiuclo lugar na arohibaucada geral, achavym-sa bttaral-
jjse Maria Paretes Carenhpz. Tomaram conta do corpo da Drliiharia'da dita provineia, n. 49deld mente eheios
de Janeiro de 1S66.
a Coacederara-so as honras do postode alferes
do exercit), na forma do parecer do conselho su-
premo inilitar, exarado em xonsulta de 18 do re-
'erido mez do maio, ao 1 sargento-reformado do
batalhao de infanteria Jos6 Simpbcio do Nas-
iilal no dia 8, e taes providencias teem dado,
que desdo cntio, ate houtem, apeoas 3 doenles alii
falleefll'Cm. Sa se jubtar a isto uma diminuicao de
- (JO| mensaes na despeza, nao obstante haver
: 11 u ordenado de 500/, qua dsaao me-
t i--e-ii:i dito- quauto a tal reapeite poderia
Juei-
primi ira e rri la, en p.irlie liee,4"\ dispu-
somenos
" Macetd.
Branco J*2i7 a 2*723
Mascavo if it a 1*770
" Carne sec:a.As entradas nestes 10 dias fo-
ram de seis cargas do Rio da Prata o de t es do
Rio Grande do Sul, das qnaes duas seguiram para
a norte do impend. 0 mercado, apezar de nao
ter lavido alteragao alguma nos pregos, mostra-sa
mais lirme. A carne da xarqueada da Sacra, da
Companbia PasUril e Agricola, tem lilo mute
aceitagio aqui, gra<;as ao seu bom prepare. Cal-
culates quo a existencia hoje sera de cerca da
747,000 kilogrammas do Rio Graude, que so ven-
dem de 170 a 200 rs. c.ida um e te 3,844,000 do
Rio da Praia, Cojo3 pregos reg .lam de 140 a 160
rs, a carne nova e a do 200 a 300 rs. a velha.
Fumo em folha do Rio Grande.Cotamos te
476 a 544 r. por kilogramoia.
Fumo em rolo de Minas. -.0 fumo com mum
obteve de 6*808 a 7*849 por 10 kilogramme.
Para o fumo em latas regularam os pregos do
11*574 a 12*2)4, cunfornte a quatitede.
" Gordaras.-O mercado nao aprosentou altera-
gao alguma, mas lica bem supprido. Ainda.es-
tao em sor as cargas de Orion, Prazeres e San-
ttimo. Cotamos:
Sebo coado 340 a 350 rs.
" socado 240 a 280 rs.
Graxa em pipas 340 rs.
" en Hugh* 340 a 340 rs.
Azeite de potro 340 a 330 rs.
" de mocoto 360 a 38 ( rs.
' Fretes.Cotamos, Ciml o tediterranao 40 a
4*3 ; Estados Unidos, norte 20 a 25. ; sul, no
minal.
" Idem2de funho.O mercaJo de cambio con-
servouse activo. Effectuaram-se traasacjoes re-
gul.res sobre Lou Ires as taxas de 24 3/4 0 24 7/8
d. para 0 papel bancario, 24 15/10 e 25 d. para 0
particular
" H da so fez era soberanos.
' As apolices geraes da 6 O/fj estivoram para-
lysadas, porque achaui-se eacerrates as traosfa-
rencias. De apolices do emprestirao nacional de
1868 oeguciou-se um pequeno lote a. 1:863* cada
uma a dinheiro.
" No mercado de accOes nada se fez.
" As vaiijas de cafe foram menis que rogula-
res e as de a^sucar pequenas para consumo.
" Nao nos conslou frcumeato algura.
A alfandega da corteroadau no-mez de maio
2,878:875*344.
Sahiram para PAraamfouco : a ^6 da mate,
pataah> porlugnez Tentatiea Feliz ; a 27, 0 paU-
chp brasiUiro Principe ; ea 31, barca portugue-
za N>va Vencedora.
BAHIA.
Foram nomeados promotores publicos das oe-
marcas : de Mararas, bacharel Beaiguo Tavarei
de Oliveira ; da Cachooira, bacharel io-e Gertna*
no Mingabeira ; e te Monte Santo, baih'irei Er-
nesto Odilon Macicl Montoiro.
A alfandega renteu no mez de maio......
5l7:2io*9l8, e a administracao Jo eoxreio.....
5:531#0OT.
0 arcebispo pilBHcou niia pastiral sobre a
cimenlo, era attencao aos bons services quo pres-' que o Jistaaemu
lada por d mis civ..li is do Rio da Prata, Botato>, jprisio do bispo 'Jo P ter Jilbo, da 9 aun lo idaio. propriedade do sr. No mez de maio foram exported = da provineia
Antonio Jo-e Bizano, e Dugue, ca.-tiub !t 7 au- 159 escravos, que pagaram de imposto......
nos, propriedad' d Sr. Leopoldo Roinaguera. j 31:800*000.
T.'iiii e.-.liido 11 ji.-k-f (le.-te,^ venceu_o lio'afoao,\__ FaUecoram : na capital, 0 proprielario Dr.
de r..nfjrm.dada com 0 re-|SaluJisno Ferreira Fron, e ?maj-ir Joaqoira Ani-
DIARIA.
I'romotoiiapublica. Por portaria da
president da provineia de 6 do corrente, foi
exoaerado o_ bacharel Argemiro Martinianc da
Cunha Galviio, do cargo de promoter publico da
comana de Cabrobd, para 0 qual fora removido
por acto de II do maio ultimo.
Jui\v l Rerifc. Compareceodo hontem
nomero suffl;iente de ju:zes de facto, foi isto com
municado ao Exm. Sr. desembargad.ir que deve
presidir a sessao, alim de que coraece a funecio-
nar este tribunal.
Termo da Cabo.-Com 0 prazo de sessen
ta dias, a contar do do corrente, aeha-se
aberta a coneurrencia para o provimento vitalicio
do ofllcio de depositario geral do termo do (;abo.
Arremataroes provinclaes. Perante
a junta da thesouraria provincial via a praea, bo
dia 18 do corrente : a ponte sobre 0 rio'Seri-
Hnaem. no iu-gar Paa Sangue. orgada em 9:370*,
a homba para 0 pivoado dos Monies, orgada em
1:980* ; os reparos urgentes na subida do Barro,
na estrada da Victoria, avaliados em 1:647*80) ;
os reparos da ponte do Trapiche, orga-Jos em...
1:630*; 0 0 fomecimen 0 de medicamento3 e
utonsis n enfermaria da casa de dclencao.
Ili!|iotHe- clftst rumiiiam. Reccbe-
mos a 5' caderneta desla importante publioagio
feiia no R:o de Janeiro, contendo continnagiodo
rdmance Acacia, scents d 1 vida dos'Estados Uni
ios, per Alfredo Assolan:. Vende-se a 400 rs. 0
exemplar.
Inetltuto Arademico. Sib es.-a deno-
minacao aeaba de recomeg.ii- a publicagao, na ca-
pital da provin.-it da Bahia, do jornal orgioda so-
ciedada 'Inttituto lirasdeiro. -Agradecemoi a re-
messa do 1 nu mro.
WHserlaw da '. actividade do Sr. Finnino Brito. subdelegado de
Santo Antonio, eslte conliados os primoiros passos
de invesligagio la verdade em um supposto cri
me de redoceao de pessoa litre a escravidao. 0
facto 6 0 seguinte :
En dias da semina passada, foi aqudla auli-
ridada chamala a casa da Sra. D. Joaquina Fran
celina flacollar Torres, miradoraa rua do Barao
Ja Victoria, alim de provilenciar acerca do d.\>li-
00 que devia ter uma escrava, qne, leva.la alii
polo corretor Joao Patriot*, para ser vendiJa,
declarara ser livre do nascimeuto, podinda siraul
tanearaento qae a protegessera di desgraga a que
tinba oliegado, desde que a haviam eaptivado. Eu
tal a accentuagaj d-a wntete com que fallava, que
o St. Brito collocoa-a logii .sab a protec;a) da
loi, confianli-a a se-juro deposit) eabrinio imma-
diatainente o respeolivj inquerito sobre 0 facto;
fal c a bistoria teinfortunada uinlher.
Seu nom ii RayraunJa Taomazia de Aquino ;
28 annos de idad, parda, solleira, filha lagilima
de Manoel Vieira te Silva e sua inulher Prmcisoa
da Coneeicao, ja falleetd ., a:nb is porem livres ;
natural ds terraa da S. Joao do Rio do Paixe, da
cidado de Souza,di provineia da i'aralnba.
Alii viveu com seus pais e mais tre'ze irmaos,
ate que, tendo m ,rri Jo sM mai, e resolvido seu
pai, atella da meio-, enlrogw seus fflhos a pjs-
soas eapazos que se qoizessem encarregar de pa-
trocinaros masmos, coaba l!ie a ella ser couTiada a
Francisco Pereira de Souza, morador no lugar.
Para a casa de Souza ea:rou Ray-m mda aos 7
annos de idade, e, ahi permaneceu ate os 25, 'endo
ate de seu protector 0 lilhos I
Pur esse tempo, Souza cmseguio seduzir Ray
mun la ao ponto de a leva-r para 0 Aracaty, e ahi
deixou-a em casa da Antonio Joaquita Seve, ne-
gociant?, a titulo da ami ou criaJa para que ij*-
rIijssc alguma cousi; que elle tornaria a vel-a.
d tempo em tempo, recoramenJando lhe, sobretudo,
que procurasse agraiw e servir bem. Nuuca mais
lhe apparcceu.
lira dia, Raymunda saiiio-se maJ em casa <\
Ssve; quiz refirar, de balde : fizeiam-lhe sentir
qae era oscrava. l*rotestou, chorou, exorou com
psixaol... nada: era escrava. Passaram dous
annos.
0 Sr. Seve vam a esu provineia, acomp rahado
de Raymuuda, e aqui vendea ao Sr. Antonio Luiz
de Oliveira Azeved >. Raymunda declara a seu
aovo sen hor que e livre, mas, niogura a acredita:
6 escrava 0 Sr. Azevedo entrega-a ao corretor
Joao Patiiota, para qne a vendaja este corao
aqnelle, Raymnnda declara ainda uma vez sua
eoudigao; coitada I era escrava I B' abi es
panoada, e por dous mezes encarcerada, sujeita a
ragoes de alimento e de cbieote. E' vendida em
seguida por Joao Patrioia, a um ^r. Carvalho, fer-
rageiro a rua do Marquez d'Oliote, 0 qual dias
depois, commetteu-a tambem a veoda por inler-
medio do mesmo corretor.
Mais uma semana ue martyrios para Raymunda ;
rope tem se os tratos, retrabalha 0 chicote, e quan-
do ao Sr. Joao Patriuta parecia a desventurada
convencite de que era escrava, vendeu a ao Sr.
Antonio Gomes de Mattes, a cuja casa ao chegar
ella, adoeceo, pelo que, depais de a ter feito,tratar
em uma ou outra, por sua vez a remelteu a Joao
Patriota, para que fosse vendida de aovo.
Terceira estacio doloros. de Raymuada I... de
pois apresentou a 0 Sr. Joao Patriota, em casa da
Sra. D. Joaquina Torres, que prelenaia comprar
uma escrava ; em seu coracao bem formado, po-
rem, en:ontrou echo e soccorro 0 grito ja quasi
humido dessa infeliz, que se nag- e ua reabdade,
como 0 declara, livre de nascimente. 6 sem duvida
alguma, urai alluciaada, e como tal igualaeute
digna de compaixao, atlenla a vida dolorusa qua
na curtido. E' ahi que foi encoatral a a polieia.
0 que deixamos dito consla do depoimento da
Raymunda; quo declara, alem do exporto, que
tem irmaos easadoa, no lugar onde nascera, e que,
0 irae mais receia e que 0 seu protector, depois
sedu:t-)r e seuli-ir, uao teiiba ven lido sens cinco
Who?, como 0 flzora a eHa.
Adiantado ja vai 0 inquurito que pela subdele-
acia de Santo Antonio se precede sobre oste faoto
que a ser reconbecido criminoso, confiamos des-
ailara contra si todas as eaergias da justi.;a.
Loavaraos o Sr. Brito pelo interesse qae ha re-
velado no esmeriihar desla questao
Ti'ifluo, -- Priocipia hoje nas igrejas de S.
Pedro e da Pen!ia, um triduo de oragoes ao Sa-
grado Coragao de Jesns,reatisaado-so a festrvidade
em ambas essas igrejas, na sexta-feira proxima.
PrftaMiea iipniiemmriii". Era nossa
8" pagioa enceumos hoje a poblioacao do relate*
rio sobre 0 estado actnal das prisoes da pravinciaj
de Pernambuco, organisado poh nosso amigo'o
Sr. Dr. Ruiia ) A.gasti) de Almeida, cm rosposta
aos quesitos propostos pela direcioria geral du
ministerio da jusiiea. Recommendamos a leitura
dnsse trabalho, digno de aprego por mais de um
litak).
Club popular. Em Cantuma;a) das
oloigflos effeetuadas nesta sociedaae, correu ante-
hontem a volaijlo para m oargos de secretarios,
oradooes e thesoureiros; resultando da respeciiva
apuragio 0 seguinte :
1 orador.
Dr. Jose Joaquim Tavares Belfort
Dr. Jo-e Mariano C. da Cauha
2 orador. .
Jose Gomes. Coimbra
Dr. Miguel'B. Vioira de Ainorun
lseerbtario.
Francisco de Assis M Pessoa
J.ise Joaquim da Costa
2* socreiario.
Manoel Antonio Viegas
Arfelim Jose da Costa Carvalho
3- secretario.
Joapaim da A-suropgtn Oie'roz
Antenio Macario do Assis
i* secretario.
Alexandra A. do Caldas Padilha
Lib-rat 1 Luiz de Freitas
Tnotoureiro,
Jeronymo Jose Ferreira
do
foi preso e reftMniJo a respecTi\'a _
Francisco. |.ronuneiate 6 n crime de furlo de ca-
vailos
Fcrlmentos graves. -No lia 4 de maio,
qo termo do Pao d'Alho, Ursula Maria da Coneei-
cao e seu irraasie TheodefoMp de Souza- No-
pueira e tun afilhado desie, epearam e feriram
grayemente com umtiro a Frageelina Maria do
lispirite Santo, po.ite-se ao depois em fuga.
AftaaNMinato. No dia f6 desse mez. no
distrieto da villa do Pao d'AJno, 0 menor Lucio
de tal, fcrio mortalraente com um tiro a Antonio
Ferreira da Ldi, 0 qual falleceu no dia 21.
Ainda assassinate. -No dia 5 do cor-
rente, em terras do engenha ffifceirii, do lerao
de Gameheira, Paulo Gomes da S*a, na occasiao
de ser lhe intimada ordem de prisao como recru-
tas, assassinou com uma punhalada a Luiz F., que
fazia parte da escolta. 0 delraquente foi preso e
esta sendo processado.
B'erisut'iilo leve. -.Na freguezia dajji^jia
do Guita, no dia 10 desse mez,|Joaquim Ignacio da
Luz, feri i leveinente com uma facada a sna ama-
sia Maria da Conceigao, tendo preso em llagrante.
Cadaver. Hunt m pela inanba ap;ifeceu
no caes do Ramos 0 cadaver do preto Gabriel, cs-
cravo de Francisco Antunes Gomes da Costa, e
tiipolante do pataeho brasileiro Salsipuedes, 0 qual
cahio casualraente ao mar, no sabbado, declaran-
do os medieos ter sido a morte produzida por as-
ph\ xia por subm< rtiio.
S'nHnajuento. Fall.'ceu na dumingo ii no>
te, e foi hontem sepullada no cemiterid publico, a
Exma. Sra. D. Isabel fernandiua te Figneircd),
consorlc do Sr. Dr. Jose Augusto Ferreira da Cos-
ta, qua por ateuiu tempo exerceu tMiar jo de de-
I'ga'io de polieia do i districto do Rbcila, vielima
de uma rapida molestia
Para a Kui-opa. --- Com 23, reeebidos em
uosso port), levou 0 Gallicia 183 passagelros.
vapored eiu viimem. -- 0 portuguez
Julio Uiniz sahio da Bahia para o nosso porto bo
domingo, a o brasileiro Parana chegou hontem a
Maceio a 1 bora da tarde; devem, aqui chegar
iiOJM.
0 ainericano S-mth America, proeedente de
New York por S. Thomaz, sahio bivtete do Para
para 0 nosso porto, devendo aqui tocar no ilia 13
do correnie.
--- 0 fraacez Eiymanthe sahio no saobaio do
Ri) de Janeiro para a Bahia e Pernambuco.
Pagadoria c*a pagam se hoje as seguintes folhas : Arsenal
d-; guerra e pensionistas.
Corveta Trajano.' 0 capitao de fragaia
Joao A tonio Alvas Nogueira, commandanle desla
corveta, qua foi para 0 sul em viagem de expe-
rien'ia, renietieu de S. Sebastiao 0 seguiute te.'e-
gramma ao capiiai tenente Trajano:
'Tem os enctntrade vento e mar pela pro); 0
navio porta-so perf^iiamente. "
As plaaaras dos AuUes. De uma car-
te, duigida do Alto Purus pelo Sr. A. 1>. Piper ao
consul dos Esudos-Uoidos no Para, extrahim-ae 0
seguinte:
' Apielle grande plateau cratral desse fonli-
nenle, que see-tea le ao lon.zi dos Anle, peia
sua eleva.;5o, con.-equeoie e agradavel clima, olTe-
rece doraicilios bons e sau laveis para miihoes do
inlividuos; e aqaelles gran les campos coin II was-
tes alus e onlulantes so esperara 0 arado do 'a-
v. ad t para dar com a maior abundancia sua ri-
117
115
126
101
IfB
104
127
104
12S
104
155
103
120
lueza agricola, e as mon'auhts vizinhas so care-
cein da pieareli di miueiro e da iulrolae.;i) da
inacutnas para enoquaaer 0 miali com sua rr-
qneza quasi f ibulusa. "
Vapor Msaper.-Este vapir ciiegado ao
Para no dia 27 da maio, sa'iio da Gravesead no ii*
2 desse BMi com os cabos da oofapaahia Central
Americ-n Telegraph, que tem te ser Collocadis en-
ire 0 Para e D:meraia.
Logo quo cstes cab is esiiverera submergiJ a, ti
cara completa a rele lelegraphica que tera de uuir
o Brasil aos E;'.ido*-lIri d>s epir easa via a Ej.-
mbs, ioatepeateateanote do cibo tcasisMteatico
lirasileiro.
O peso do cabo embarcado no Hooper excedia de
3 900 toneladas ; 6 a mais pesada carga qae ate
noje torn sido transpxtada era navios eacarregados
de i.nmergir cabos telegraphicos.
Vapor C'oHntiSS. -0 Jornal d) C'jmn:rc'>.
da corte, publica o seguiute :
' Rio Grande, 27 de maio. 0 vapor inglaz Cjs-
mo> naafragou segunia-feira a noite, cerca de i
miHias ao sol da barra, quando procurava lancar
a ponia do cabo da secg.'to do Chuy. Nao fai pos-
si\*H aos outros navio* presist lhe soeeom algura,
em consequenca do mio tempo. Tuio a bordo foi
salvo; soppSo-se, porem, que 0 casco sejt ora-
ptelnmente pardfdo. "
aiiscelaaia. 0 reeenseamente feito em 1872
no Japao, da corao total dos habitanles daquelle
imperio 0 numero de 33,240.466 habitantes. Esta
populacao subdivide-se do seguinte mode : prut-
cipes e prineezas 29 ; nobres 2.666; sh-roku ou
cla--se armada, superior 1282,167; solezu ou
elasse armada .inferior 659,074; juizes ou chishi
5,316; boudhistas 211,846 homens e 60,000 ina-
Ineres,; sbintonistas 102,477 homens e 53,000
mulheres. A 8" ciasse que eeaetitae 0 novo, coaa-
prehendo 30,866,891 individuos, subdividindo-se
do seguinte modo: 14.CO0.OO!) de cultiva-Jores,
1,300,000 commercianies, 700,000 operarios 0 ar-
tistas, c 2,000,000 que exercem diwrsas profi-soes.
A ciasse nroductiva do Japao e, pois, de 18,9.0,000
de iudividuos.
As autoridades de Nuremberg declararam
que a associapao de openrios socialistas alii exis-
tente era nma sociedada pol.tica 0 por i*so orde-
nou a sua dissolucao. Por esse motivj foram
tambem processados 700 individuos que faziam
parte dossa associacao, os quaes appollaram para
> decisao do governo.
0 sullao agraciou 0 priocipe Mil.io.da Ser via.
i-em a ordem do Osmanie, ent:egando-lhe esta
conJec ragao cravejada de bri.hantes.
Os bispos de Glasgow, de Etham e. de New-
Castie, pediram ao governo prussiano, autorisa-
cao para W'itarem n arcebispu de Colonia, na sua
prisao. porem 0 governo negou ossa licenea.
Poi a Roma nma depntagao de calholicos
notaveis d- Saine-Eiienne, para pedir a Santa Se,
a creagao de uma nova dbcese n'aquella locali-
dade.
Refere a Gazeta de Co'.om', que no dia 5 te
maio, 0 cura Hoifrich de Dipperz, fora conduzido
a Fulda, alim de soifrer a pens, a <|uc fora con-
demnate, de 10 fas de urisao, por contravengao
aas leis ccclesiasticas. Um cresciJo numero de
cathoiicos acompanharam-o. ate a cadeia, e ao
entardeeor uma raultidao de mais de mil pessoas
dirigio se novamaute a li gritando viea 0 cura, e
entoanio maitos canticos. A polieia appareceu
para dissipar 0 ajunlamento, porem foi iusultid*,
tendo por esse motive de fazer uso das armas.
Houve troca de alguns tiros, prolongaado se 0
motim ate a meia no te. A pelicia tomou raedidas
severas para impedir que elles se renovassem nos
dias seguintes.
Verdi, acaba de escrever uma missa dividite
em qnatro partes cam coros e orchestra, a qnal
de'e ser cantada no dia 22 dc maio em MHao, per
occai3o do anniversario de Maszonni. Os qaatro
salistas serjoThereza Stoll e Wahlmnnn e os Srs.
Cappohi e flaioi, crcadcres dos srincipaesfisprts
da AiHa. De\-e ser uma maravifhi.
Nottcias de Nova-York, dizem que r diques
do Misslssipi estio ja em parte reparados. As
plantacoes de assucar e arroz consideram-se irre-
mediavelmente perdidas. 0 seuado-votoo a som-
ma de 100,000 dollars para soccorrer as- victirflSB
das innndagoes.
Celebron-se no dia 8 de maio, 0 casamento
do duqae Eugenio do Wurtemberg com a gran-
duqueza Vera, segundo 0 rilo prot^taote; no sa-
lau brattco do palaeio real e em seguida" no rito
grego na capella grega do mesmo palaeio. Assis-
tiram a cerenonia 0 irapcrador da Russia e on-
ids priacipes convidados.
Ardeu complctamente a aldeia de Radwlntet,
hO'.co-dado de E-sex. Foram presas dastehtwrtraas
24 -propriedades, ficanio dutras mals on menos
damuilicates. Muitas familias fi-aram rediizftes
a mais extrema miseria.
0 santo padre, por occasiao da festa te Tio
V, recebeu um grande numero de men-age*,
respondendo as quaes disse que para alcan^ar a
paz moral e verdadeiras alliancas deviara os ca-
thoiicos p6r a sna c ntianga em Jasns.Christo im-
mortal. Fallando da situagao de Franca, a qHal
abengoon, declaron qne era preciso ^vitar os
ftxeessos da imprensa atheista e os do suffrajpo
universal, qne A rainhn do Jngl iterra, com os principea de
Galles e dc EJiinburite, ns reis da Betgic 'bi-
trn? prineipe- devem fa er este anno uma visitaa
Irlnda. P >n acio politico do novo mmtsiario
ingt^z.
Annuiici i-#e qne, mristmte duas Vcioaottas
entre os mare aes de Franca, Mac Mahon 4aal-
veu nomear para estes postos 0 general Ladmi-
raulte 0 duqtic te Aumal".
A i'<* na ingleza conffrma que mnito



i
i


flfepM*iteWi*bu$o. %$a teira,4,4*- Jw&o #4874
=^=^nz
)
Indft.
a I de
^itmfle
ctefes carlistas forra,pesos>pei>s seas proprio3
generaes, que^/riraeatfaai pl traifdo. llavia
catre elles um Mtftajldj nprec|al tie campo c
tres brigadeiros. velaseo e Navarrete cahiram
0 coude do Ghasibord yiaja .peJa. Bulg'ica a
esteve tambera n* Suissa.
0 levantamealo do c*f cp de, Bilbao foi fes-
tejado era Paris pela c,Ionia hispanoamericana
com uraa iinda illuminate das casas qua habitam,
.whando-so as jaoellas omadas tambem de ban-
deiras hespanliotos.
As noticias dos districtos vinieolas de Franca
fazein esperar uma boa colheila. A "-dos cereaes
promettetiimbflBi ser excellent*.
0 imperador. da Austria oonferio a gran-
Cfuzda ordum de Siato Estevlo ao Sr. Miiajlielti,
Mesidenle do gabinetu Itali&no e ao Sr. Visconti
flfenesla ininistro iH>3 negocios e^trangeiros.
'" 0 eatudo ilo lunel enire a Franc.a e a In
ira lor ja apresentartu, ao cpjselho geral
Isde-Calais polo Sr Ansart-Bault. A longi
jncl projetade e de 50 kiloraetros, do* quaes
sad submirinos e as despezas a fazer ascao-
pm a 500 rnUpues de fraacos, tendose calculate
ie cada kilo'ttctro custar.i apro.ximadameo.te; 4
Ja csta em vigor em Inglaterra a lei qae
rtolio.os diveitos sobre os assucares brutos; re
tivamente aos refiaados a mesma lei coraee,ara a
ffgorar do 4ia 21 do raaio em diante.
~ Na fronteira belga Jiouve ha dias am duel!o
i espada entre dous nobres francezes, dos quaes
pro era conde. Bete (Icon graveraente ferilo
I'um pulrr.ao. 0 motivo da conteuda foi uma di-
Vergencfa' lie opiniSes aeerca do pretendettte D
Cauos. qae w eoade servia aa qualidade de aju-
diaia decampo 10 cornece da insurreicao car-
lista.
0 uuinechal Mac-MaJwi maadou ao rei da
llollanda, por aecasiao do 23* auaivorsario da. sua
ulevacio ao lluaoo, um luagniliqo jarr.n de
Sevres, enoouuoeadado expro:sapaeute para ease
fun. 0 njarech^l presidents olfereccra lambera a
duqueza do Edtmburgo, como preseate de nup-
cias, dous eleganlissiraos copes, qae cstio sendo
piaiados pelos artistas da grand; fabrics na
cional.
Diz-se quo os imperadores da Russia, Aus-
tria e Allemanha, sob o psetaxto de tomarem
aguas, se reuuirao novanienia eai Ems. A
qaestao de 11 spanha nap sera aflioia a esta eon-
ferencia.
Na Hollanda festejou-se o 23- aaniversario
da subiJa ao llirouo do seu soberano. 0 reiuado
de Guilhernie III ten sido muito feliz para 03
Paizes B. ixos. Durante ella a toleranela reli-
gios'a e a educacao do povo teem feito grande pro-
gresso, tendo desapparecido tambem a escravatura
uas coloaias hollandezas sem affectar iotere3ses
respeitaveis. Ao raesmo tempo 0 pxogresso ma-
terial, a riqucza e 0 crodito tem progredido prodi-
giosaair-aie a sombra de uma paz qae nao se ia-
terrompeu desde- a luta com a Bilgiea. As duas
nacres estao-beje na aielbor li&raionia.
0 priaclpe Milao da Servia foi objeclo, du-
rante a sua viagem a Con-tantinopl'1, das mais
delioadas atlenrSe? por pa'ta do governo otto-
mnno.
A raiaha Victoria fez no dia 10 de maio,
uma bnga Vhitaa imperairiz Eug nia, eonvidau-
do-a para as feftas que IiSo de ter lugar por mo-
tivo da chegada do czar, e as quaes naturalmente
a ma sitnacao nao permilte assistir. Antes dpssa
visiia, a rainha Victoria foi visitar 0 tumulo do
imperaJo- Napoleao e depoz sobre elle um ramo
de cameiia*, iolaiad e rests. A rainha era
acompaatmla do pri.-ipe real, qjae sahira n'a-
quelle dia de W'olwich.
Na Russia vai celebrarss uma expo3i'.:ao
internacional do machiaas e instruments para 0
cullivo e Ira tame ato das plantas. A exposic.ao
devc inaugurar-se no dia 13 de juaho em S.
Petersburgo. Os premios consistem em tres me-
dal'as de ouro e -eie de praia.
Lotoria. A que se acha a venda e a 103.*
a benelicio da igreja de Santo Aniaro de Seri-
nli-iem, queeorra ao dia de Sanu Antonio (13) do
corrente.
Loteria do Rio de Janeiro.Resume-
da lisia da l loteria (310.*) em benfficio das
obras da matrix do Espiriio Santo da corte, extra
hida a 27 de maio :
N. 1070...................... 2.):0O0*OO0
N. 4212...................... 10:00i)5000
N. IS09..................... 1:090*000
N. 1276...................... 2:000*000
\>. 5133 e 5201 -1:000* a cada um.
Ns. :m, 2813, 3835 e 5*78 -8004 a cada um-
Ns. 166, 6io, 70G, 1263, 2131, 3118, 3330,1399,
5161 e 5913 -200* a cada um.
Ns. 135, 380, 393, 1118, 1283, 11*3, 136!, 2083,
2177, 2803, 3088, 3583, 1003, 4220, 1388, 3000,
3098, 5151. 5119 0 3395100* a cala um.
Ns. 37, 161, 239, 430, 163, 531, 711, 931, 961,
'.'82, 1000, 1006, 1118, 1173, 1762, 1769, 1789,
2163, 2209, 2223, 2337, 2171, 2316, 2670,
2933, 3196, 3263, 3163, 3601, 362!, 3671,
1733, 3825, 3873, 3901, 3962, 1169, 4422,
4143, 1332, 1393, 1613; 4611, 4621, 4676,
4741, 4769, 4974, 1991, 3068, 3109, 3168,
5651, 3733 e 3778 -10* a cada um.
fjeiliio. -- Hoje effectua 0 agente Martins, as
11 horas do dia, 0 leilao da laverna do paleo da
Santa Cruz n. 12,
Hospital Pedro II.0 movimento deste
-rabeleciraento, de 1 ao dia 7 de junho foi 0 se-
gointe:
K>cistiam 387, entrarara 60, sahiram 10, falle-
ceram 12, existem 393, sendo :
Homens 263 e mulheres 132.
Advertencia. '
Foram visitadas as eafermanas nestes dias :
As 9 1/2, S l|2, 8 1|3, 8 l|4, 8 l|2, 8 1/2, polo
Dr. Beltrao; as 1, II, tl, 1 1|2, pelo Dr. Sarmea-
to ; as 9 lit, 10, 9, 8 1|4, 10, pelo Dr. Mala-
quias; as i'J, 9 l|3,9 1|2,9 1|2, pelo Dr. R. Vianna.
Fallecidos.
Anloaia Maria Jose do Nascimealo ; tubercalos
pulmooares.
I >3c ; hypoemia intertropioal.
Antonio Paulo de Souza ; tetaai traumalico.
Tarcilia Maria da Coneei^ao ; epi epsia.
Mililao ; phtysica.
Florencia Gongalves de Almeida ; gastro iatestinal.
(iuilficrmina Percira de Audrade ; variolas.
Antonio Francisco dos Santos ; tuberculos pulmo-
nares.
Francisco Jose deOliveira ; variolas.
.Maria Mathilde Mill ; febre amareila.
Joao Rodrigues ie Oliveira ; variolas.
Alexandrina Maria LanJeiioa ; tuberculos pulmo-
nares.
Casa do dcten^ao.Movimento da casa
da detencao do dia 7 de juaho de 1874.
Existiam presos 316, existem 346.
A saber :
Nacionaes 263, mulheres 8, estrangeiros 23,
63cravos 13, escravas 5. Total 316.
Aliuientaic* a custa do3 cofre3 poblicos 272.
Hospital portugtiez. Movim nto das
enfermarias na semaaa de 31 de maio a 6 do ju-
nhi de 1871.
Ficaram existindo 31, entraram duranta a se-
mana 13, cahiram carados 3, Beam existindo 11.
Entra do- semana 0 Sr. mordomo Bernardino
Gomes de Carvallio.
Passageiros. -Sahidoj para 0 sal ao vapor
fraucez Mindoza:
Manoel de Siqueira Cavalcante, Br. Antonio de
Siiueira, Manoel Gentil da Costa Alves, D. A.
Meira.
Sahidos para a Europa no vapor inglez Gal-
licia :
Gotaiel ilermana, August) Bruse-h, Jose Perei
ra de Azevedo, HuiM 1 de Villa Bella, sua senhora
e 1 tilua, Malnilde Sardi, Maria fatal Nunes de
Oliveira, 2 lilhos, Joaquim Jose Tavare3 da Co3ta.
J. A Thoa, Hanry Gray. Wdliam Dockry, Joaquim
Antonio de Vasconcello3, Joao L. Salgado, Manoel
Jose da Silva Filgueiras, Joaquim Antonio Pereira
Vinagre, TaiagoPelroC de Lacerda, Jose Luiz
Fartado, Julia Adelaide do Nasciment), Diogo Vaz
Lordello.
Nao troaxe passageiros do snl.
Ccmiterio publico. Obitaario do dia 6
de junho de 1874 :
Laeiuda, branca, Pernambuco, 17 mezes, Reci-
fe ; convolves.
Rosa, parda, Pernambaco, 4 mezes, Sant) An-
tonio ; espasmo.
Joaqaim, braaco, Peraambuco, 6 mazes, S. Jose ;
espasmo.
Jose Joaquim de Almeida, pardo, Pernambaco,
52 annos, casado, S. Joss; estapor.
Francisco Jose da Oliveira, pardo, Pernambaco,
19 anaoj, casado, Boa Vista, hospital Pedro II; va-
riolas.
Jesaiaa, branca, Pernambaco, 3 anaa3, S. Jose" ;
nvenenamento.
Rogeria, hranca, Pernambaco, 4 anaos, Boa-Vis-
ta-; espasmo.
7|--
Mana Mauiel des Mill, braaea, Fraufa, 30 aanos,
A>Jteira, Boa-Vista ; febre amareila.
Joao Rodrieues de Oliveira, pardo, Pernambaco,
18 aonos, soUeiro, Boa-Vista, hospital Pedro It;
28'9,
3730,
4127,
1713,
3222.
variirla?. ,
Aloxauirioa ilaria LanJelina,,^r4a, taraimbu-
co, 3i-annos, solteira, B6a-Vis(a, Imspital Pedro
rPjiiufcariufoj ijukniinary.
. Maria, oarda. P*aarabiico, 2 anuos. Boa-Vistr;
anteriwi-V I T
Anna, brAnca, Par asthma. r* S r! r'r< 0->>-r< n 1
Marcelino, escravo, prelo, Parnambuco, 40 an\
009, -slteiro, Santo Antonio ; hypoemia.
Euclides, braaco, Pernambaco, It mezes, Reci-
fe ; ueneogite.
Joao, branco, Peroambaco, I anna, Recife ; oa-[
terite.
CHRONICTjUDKlaRUi J>(
Ti-ibuual do cmnicrcio.
ACTA DA'SESSAO DBS 6E JU.SHO DE
1874.
PRESIDK.SOIA DO EXM. SR. COWSILFIBIIO ANSBLMC
pnANCISCO PKRKTTI.
A's 10 horas da rnaaha, presentes os Srs. de-
putados secretario Olinto Bastos, Lope3 Maehado,
Alves Guerra e suppleate Sa Leitao, S. Exc. 0
Sr. conselbeiro presjdente abrio a sessao.
Lid4,.fbi depois approvada a acta da s*ssao pre-
cedeute.
EXPEDIENTS.
Oflkio3 :
Da direcloria da comonnhia IjdemnisaJora, em
resposta ao do iribnaal ie 1 it iorrenta.-Maadoa
0 tribunal qae fosse gaardado para 03 fins conve-
nientes.
Da direct',r>a ia oomfanlha d* trilhoi urbanos
do Recife a.Olinda e Beberibe, (i>fldo a informa-
540 jedida em offlpjo deste tribunal de I. do cor-
rente.- Ordenouse que fosse archrvadb para 0 lira
porque foi exigida a, ihf irniseio.
Do Exm. Sr. desembarj*dor Jose" Ignacio Accic-
.i de Vascpm.'elto.', remetfeado os papeis qae '.inha
em seu^der, csme flscaf que foi mm "tribunal.
- Inteirado.
Do conservador do commercio da Parahyba,
respontfendo ao offlcio deste tribunal de 18 de
maio proximo passado, pedindo certa iuformacao,
que foi ministrada.--Para 0 archive.
Foram distribuidos os soguintes livros :
Diario de Caetano Cyriaco da Costa Moreira e
eopiaior da cjmpanhia Streeit Brasilita Railaway.
F.SMOIOS.
ReqBeriiaeatos :
De Slignal J >& da McHa, ciJadaO brasilcir*,
aaior--da- vfcta e ain^o eBno$j casado, residend;
ttesta cidado. pedindo provimmto 10 offlcio ite"
correlor geral desta praca.Vista so Sr. desem-
bargRdor fiscal.'
De Duarte Antonio de\tirnida,solicilando 0 re-
gistro do ontrato da firma Duarte Antonio de Mi-
ranla & C- C.umprido 0 djsposto no art. 2 n. 7
3o decreto n. 1,503, volte a pelicav
0 Sr. Dr. official maior apresentou 03 papeis
quo se achavam em poder do Bxm.'Sr. desembar-
gador Accioli na qualidade da fiscal, e que lbe fo-
ram remeltidos, e 0 tribunal r^solveu que elles
fossern remeltidos ao Sr. desembargador proca-
rador da coro.i, fazenda e soberaaia naeioaal qae
adiutlneiilo tew de s*vir como fisfcal lesle- ifi-
bnnal.
Nada mais havendo a despachar, S. Exc. 0 Sr.
consolherro presidente encerrca a sessao as onze
horas e tres quartos.
PARIS POLffll~"
opi>oiif:BJita,|quaftJo .incu.deacia e.a.:ectj cooti
qua sao. mfigaos tao, deli IXayta'pea^'a.'naliyra para 'responder oSfi
Silv.jirajlJarUns.da mod.) qae, ap.was sfntou se
aqaX3P'V *$* W ?tribU"1
S. Exc, porem, teve a ptjova d9 soe.^lifl estavai
em sous bons dias.'ife r>?alidaile, os bancos da da-
putacao foram-sn esvasiando, debalde rccijiresse
elle a novos conaTeitaiiloi sobre 0' dis:urso do Sr.
barao de Cotegipe^no qua lora ja victoriosameote-
" Sil pro oratione vobeitas..."
Elle nem se quer Ilia d outra opportuniJade :
ha de ser quaQlp,ajtte3.
Repisanao has suas accusacoes ao marechal Fan-
te3, au barao So S. Barja, ao prasiden'to da provin-
cia do Rio Grande do Sal, 0 Sr. Silveira Martins
foi preencheado tempo ate quasi cinco horas da
tarde, sera duvida para sacudir a attencao dos
seus ouviutes que ja esiavam (atigados, eouclaio
forroulaudo uma verdadeira ameaca, se nao for re-
lirado de sua provmcia 0 Sr. Carvalho de Moraes.
A conflagrasaq pode eslar eminente ; os elemen-
los.nioiifaiiara ;.o e.-pirito |ubIjco..as|a ^qieto;.
ha dasgoslo universal, et., 'etc.
T#ito a*sira !...
Entrelanto 0 empretimo.que o Sr. Garva^bp de
iiofaes levanlou na provinaia, die o.Sr. jilveiri
Martins, murto il^almeata, Sm celiprto sm a hoc-
oor deenmra. '
E expuque hi a cou^a...
Rio, 4 de junho.
A sunlititlla.
3
PA91TIUO CO\SEKVAR
Caiuara ilos ileputados
Alerlal
A sessao de hoje, por mais calm a, nao foi raenos
iutere>s:mte do que as anteriorcs.
0 nobre prtsidente do conselho, dando prova
evidente de quo 0 gabiutte nao recua dianto da
discus.-ao, mas deseja pela c.mtrario 0 debate, 0
alimeota, 0 provoca, novameute tomou a palavra e
aaalysou passo a passo os discursos opposicionis-
tas dos Srs. Marlinho de Campos, Perreira Vianna
e priacipalmente Silveira" Martins.
Como 0 illuslre rio-graaden~e accusara 0 par-
tido conservador de haver subido illegilimaraente
por uma simples quest-in subre prerogativas da
coroa, 0 Visconde do Rio Branco tomou a si de-
fender 0 seu partido, e 0 fez com tanta babilidade
e fonja de argumeutapio que todos a uma 0 ap-
plaudiram, governistaSiO dissidentes.
Era de ver-se a conciliafio feita no.terreno
parlamentar e pela voz autorisada do chefe, em
quem os proprios adversarios reconhecem todos
os predicates para bem dirigir os seus amigos.
E 6 esse Mtadteta eminente, am d'>s mais in-
cansveis vultos de n^ssa adiaiinsirae.il, homem
carregado de servicos ao pai, um dos talentos
mais saheato3 que tem tido a nossa historra po-
liliea, e e3se oradir que qualquer partido consi-
decaria cdun-an iaahslavel que a dissldencia;*com
tanta facilidade quer eliminar dos conselhos da
corda, quer fazer sahir da gestao dos negoclos
publicos, e quem sabe se do gremio conservador,
por u:na simples qaestao de caprichos ?
Estamos do accordo com 0 Sr. Silveira Mar-
tins, quando diz que difUcilmenle os conservado-
res eneontrarao quem substitua 0 Visconde do Rio
Branco, debaixo de qualquer ponto de vista que
se 0 passa considerar.
S. Exc, depois de ter largamente explorado 0
terreno da politica geral, deu resposta completa ao
depulado rio-grandense sobre varios motivo* da
a vu.-a; 10 que haviam sido formulados. demoran-
do-se mais quanto a aoaieaeao do presidente do
Rio Granle do Sul e do Barao do S. Borja, a in-
jasta condemnacao do bispo de Oiinda, e a estada
de S. A. Imperial na Europa.
0 Sr. Carvalho de Moraes merece de S. Exc.
elevado coocelto : tanto mais quanto de muito
perto pode ser feita essa apreciaijao, havendo
aquelle funccionario servido longo tempo e diver.
sas vezes era missoes no Uio da Praia.
Os seus habitos, a saa intelligencia e honesti-
dade :rii podem ser postos em duvida. De todas
as commissoes de que ha sido incumbido, deu
sempre cabal desempenho, e durante mezes in-
teiros eonseguio 0 apoio moral dos proprios de-
putados que hoje 0 atacam coo tanta vebemencia.
De passagem, 0 Sr. presidente do conselho ex-
aroa am marecido elogio ao Sr. Barao de S. Borja,
contra 0 qual tanto se exprimira na vespera 0 Sr.
Silveira Martins.
Como militar valente, disciplinador, cumpridor
de seus deveres, e credor da cstiraa e do respeito
de qualquer governo, porqae elle sabe ser sol-
dado.
S. Exc. 0 via no Paraguay de posse de toda a
conliaafa de 5. A 0 Sr. coride d'Eu : os seus ser-
vices foram grandes e delles lavrou aquelle cora-
mandante em chefe a mais pomposa mencio em
suas ordens do dia.
Apenas 0 Sr. presidente do conselho quii res-
ponder ao topi 0 do discurso anterior iue se refe-
ria a coademna;ao do bispo D. Vital, romperam os
deputa'd)s ultramontanos em apartes e interrap-
?oes que muito iacommodaram o.illuUre oradnr,
obrigando-o a levantar a voz.
A-=im manifesta-se 0 espirito intoleranle e qua-
si batalhador daquelle grapo que se declara pre
fundamente clerical. E' a poder de gritoj, amea-
cas ate, qne elles qnerem irapftr nma religiio loda
de cordura, paz e resignacSo.
Tambem nao & possivel par em duvida 0 que no
meio de grande sensacao 0 Sr. Silveira Martins re-
ferira ter ouvido da bocca de um de3ses ultra-
montanos enrages :
" 0 brasil, dissera esse, ha de felizmente ter um
dia tribunal da inquisipao, e entao veremos."
0 Sr. viscoaJe do Ria^Braacj fez a justica devi
da a integridade do supremo tribunal: renden
preito de homenagem aquelle venerando cenaclo
de julgadores, alhelos as intervenc.oe3 ex'.ernas e
cujo unico juiz e 0 cumprimento exacto, embora
severo, da lei.
0 bispo, uma vez pronaociado e razoeg iodeclina-
veis para isso militavam, era um reo como qual-
quer oulro, e ahi esta/a 0 todigp crimiaal deter-
rainando a pena correspondente ao delicto.
Em identic.as circumstancias de infraccao a lei
acha-se 0 bispo do Para, e 0 processo segae a mes-
ma marcha.
A respeito desse prelado 0 nobre presidente do
coaselho traz ao conhecimento da camara que no
dia da sua ehegads, como preso do estado, haviam
ido ao arsenal de marinha varios Srs. deputados,
e ahi levantaram vivas, sem attenderem que esta-
vam n'uma praga de guerra, e qae como repre-
sentantes da na;ao e conservadores feriam de fren
te 0 principio da autoridade.
0 Sr. Ferreira Vianna declaroa logo qae tinha
side on desses e que disso tirava muita gloria.
Cm oulro Sr. deputado ufanou se de haver, de
joelhos, beijado 0 annel do bispo, ontro de haver
gritado com toda a forci dos pulmoes, oatro de
haver feito coro, etc.
0 Sr. Joao Mendes nada disse.
Ao terminar 0 seu discurso, 0 Sr. visconde. do
Rlo-Bratlco tocoa em varias questSes de finanfas,
prometteado, em occasiao corapetente, elueidar to-
das as duvtdas qu: possam surgir no espirito dos
Ao Sr. Dr. Uu>iUo.
Oabaiv) assignable, Hagiioiapte. -eslaheJeqiao a
rua de Pedro Alfonso ( qntr'ora da Praia ), n. 29,
tendq sido acommettido de um letaoo gravis.-iina
que 0 nrostrou no leito por mais de um mor, corn
soffrimentos e tortnras as maishorriTeis, vendb a
cada instante perdtjr a vida, foi com gtande pefi-
cia e contra a espectativa de todoS, satvo pMos cjtl-
dados e desvelos de seu distincto medico assisten-
te, 0 lit?!. Sr.,Dr. Mufillo, a.quem hoje, abaixo de
Deusdeve a Vrds. Queira 0 Mm. Sr. Dr. SfSirilro
acitar-estas,poucas e toscas tinha,J, como signal
da sua eterna gratidao, e ao mes'mo teWpo qjleira
desculpar, se por vantara 0 mesmo abaixo assig-
aado offender a sua excessiva mode.Mia.
Recife, 3 de juaho ds 1874.
Manoel Francisco Caroalln dos Santos.
tjiiein) e o iudividuo Iliaauingos
die *ou/,i BarraMi.
No pr-jcesso criminsl-iiistanrado contra este in-
dividuo por introiucccio de motda falsa, entre
0* coasidepaados da fesaei:a.vl 8enien-.a que 0
condemuou, cxtractambs 0 attirao, qua transcre-
vemos por ser curioso e digno da leitura do pa-
blico.
Eis 0 consideraiulo :
Consideraulo, fiaalmente, 0 quo mais do; au-
tos coasta, condemno 0 reo Domiogos de Souza
Barros a penade 2 annos e-6 mezes de gales, para
a Ilha de Fernando e raulta correspcndj'nto a me-
Ude do tempo, grao medio do art. 173 do cojugo
ciimmal, de combinagaa: com os arts. 8 e 9 da lei
de 3 de outubro de 1833 e custas. Recife, 23 do
julln de- li6$. Joio Antonio de Aruitjo FreH-is
lion ri'iues. /
Saude publica.
Por ordem do Him. Sr. iaspector da saude pu-
blica, commendador Dr. Pedro de Attahydj Lobo
Moscoso, faz-se publico que 0 mesmo senhor exa-
minou a plrarmaeia normal, sita no largo do mer-
cado publico, em- S. Jose, perteocente ao pharma-
ceuiico Jose Elias de Moura, e achou-a provida de
medicamenlos novos e de superior qaalidade, as-
sim como de todos os utencilios necessaries para
0 bom desempenho de seu servigj. Do que para
conslar annuocio.
Inspeccao da saude publica de Pernarabueo, era
6 de maiode 1871.
0 eserevente,
Jose Eduardo de Souzi Landim.
Agua Florida de Hurray &
Eiannaan.
Todas as prep' ra;oes chimicas envolvem em si
initacoes grosseirasde essencias def!ore3 extrahi-
das de mutacasta de ingrediente de uma nature-
za acre 0 revoltante ; pore'm o refrigeranle edelei-
tavel aroma que dimana do natural in'enso das
verdadeiras llores da natureza. fuando por assim
dizer, ainda n'um estado virginal de adolescencia,
sendo docemente embalada pelas gentis brizas dos
tropicos, jainais pole ser sunul.da. D'aqui pro-
vem 0 nasce toda a superioridade deste admiravel
c tao afamado perfume, a concentrada essencia de
llores, collvda? por entrees earam;dos jardina da
Florida, sobre todos os demais perfumes existente3;
e flnalmentedahi nasce essa innata tenacidado com
qua ella se apega a tudo quo toca, sem jamais va-
riar ou desmerecer.
Nao conhecemos, pots, cousa alguraa neste ge-
nero que apenas de leve se possa approximar ou
comparar em delicadeza c persistente durabilida-
de, a excepqao dos extractos mais fiaos de Paris ;
e no entanto a Agna do Florida e do boamente
preferida pelas srahoras da America Central e do
Sul, Mexico 0 Antilhas, ate mes no ao melhor del-
les, e para mais ajuda 0 seu custo, segundo nos
consta, nao chega a exceder a metade daquelles
outros.
.. :>-j.' .
J^-aa
^)MMEeie
JUNTA DOS COIIRETORKS
Praca do Recife; 8 do iuuho
de iW?t.
- AS 3 HORAS DA TARDE.
COTAQOBS OFFICIAKS. 1
Algodao de I' sorte 8{200 por 13 kilos, sab-
bado.
Algodaode Maeeid mediano 8.^300 por 13 kilos,
posto a bordo a frete de 7[8 e 5 0(0,
sabbado.
Algodao da Parabjba 1* sorte 8*330 por 15
kilos posto a bordo a frete de 3|8 e 3
0|0, sabbado.
Assucar bruto bom 1*700 por 13 kilos, sab-
bado.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 23 u. por If,
do banco.
B. de Vasconcollos
Presidents.
A P. de Lemos
Secretario.
ALFANDEGA
Readimanto do di? 1 a 6 .
dm do dia 8 .
162:3821613
26:386 J388
188.969*201
Azulejos 23 c
Farello 400 sa
maz A. Fonceca
ardo de Oliveira.
tarios, 123 a The
a Piato Morai
TliO lOSt DE
100 di-
Descarregam hoje 9 de janho de 1874.
Brigue portuguez Maria Helena mercadorias
para o trapiche Gonceicao, para despa-
char, a vinho para deposito no trapiche
Cunha.
Barca portugueza Arabella carv&o j4 despa-
chado para o caes do Apollo.
Palhabote americano S. C. Evans farinha de
trigo ja despachada para o caes do A-
polio.
Barca americana Argos Bye feno ja despa-
chado para o caes do Apollo.
Vaper aacional Parana (esperado) generos
nacioaaes para o trapiche Companbia.
ALTERACAO NA PADTA flOS PRECOS DOS OENEROS
SUfEITOS A DtnElTOS DE EXPOBTAgSo, NA 38HANA
B 8 A 13 DB JUNHO DE 1871.
Algodaoem rama ou la 481 rs. o kilo.
Couros-de boi seccos saigados 560 rs. o kilo.
Carvaj de pedra eslraageiro, toneladawDetrica
20*000.
Caroco -de algodao 20 rs. o kilo.
Crina animal era bruto 300 rs. o kilo,
Alfandegade Pernambuco, 6de junho de 18."4.
0 l". conferente Manoel Antonio Rodrigues
Pinheiro.
0 1* conferente -Jose Amancio do Ouieiro.
Approve. Alfandaga de Pernarabaco, 6 de
juaho de 1874.
0 inspeotor
Fabio A. de Caroalho Reii
|iup*>rtaca*.
Brigue portuguez Maria Helena, entrado de Lis-
boa lR de.correate e consignado a Sjlya Gui-
maraes 4 C, manifestoa :
ra & C, 25 a JorgeJ. Tas
Pedras de cvvrft T~
de Araujo.
Toucinho lOljfoJUSpes aos consignat.irios, 30 a
E. R. Rabello 4 C.
Velas de ce"ra 73 oatxas a)i consignalarios. Vi-
nagtelo pipasi e 23|3 a Tnoiliaz A. Fonceca & Suc-
cessores; 6 u-30|TF aos codsignatanos. Vinho tin;
to 32 pipas e 15|5 a Laiz Jose da Costa Amorim A
C, 29 e 53|5 ao3 coasigna'.ari .s.
Polaca nacional Marinho, oatrada da Montevi-
deo na meson data e cqasignada a Jose da Silva
Loyo & Filho, manifeslou :
Couros secos 70.
Xirquo I70j|>5| kilos a ordeai.
Hiate nacional Carneiro, entrado do Assii na;
mesma data e consiguado a Beltrao & F.l'u, ma-
niTestou :
-Sal 510 a)queires aos consigaatarios.
Hiate norte americano S. C. Erqus, entrado dej
Baltimore na mesiba, datae consignado a' Phipps:
Brothers & C, menMsroii:
Farinha de trigo 2^25 Jiarricas ioieiras
JCSiiUiu aos consighatafiajj. .' /
Bfigue inglez Andafuza, -entrado de Liverpool
em 7 db Corrente e eoasfgnado a ordorti, minffes-
ton :
Carvao da pedra 3li ioael4as a onlem.
Barca lAglata Hampton t.art.eatrada.de Cardiff
na mesma data e consignada a Saunders Brothers!
4 C., manifestoa: ... I
Carvio de pedra 469 tqijeladas aos consignali
rios.
Dr-SPACHOS DE^EXPflRTACAO NO DIA 6 DB
Jil.NUO DB 1874.
Para s portos .do exterior.
No Vapor francez ErimaMhe, para Lisb'oa,
carrcgou : J,P..de Azevedo 3 barricas Com 104
kilos de assucar Ijranco e t tyixa tJom 28 ditos do
doce.
No Vapor portuguez Julio libiiz, parao Por-
to, carrcgou : J. P. oe Carvalho la xa com 48
kilos de doc6, 2 fcai-ricas com 129tlft03 ds farinha,
3 dilas com 237-ditos ik assucar bianco e 2 cascos
com 36 litros de-afuaedante : pa(a Lisboa, F. H.
Pinto GuimarSes 860 sceos com"60,0f)0 kilos da
assucar branco e 709 ditos com 22,500 ditos de
dito mascavado.
No patacho hespaulaol Marine, para o Rio
da Prati, carragoa : A- Loyo 313 barricas cum
34,812. kilos de assucar h'rancd^
Nasamaca hesparthola Qhrimsa, para o Rio
d-a Pra a, carregW : B. Oli*eira & C. 20 barricas
com 1,360 kilos de assucar branco.
Na escuna hoJJandtza Cornelia, pan Nova
Orleans, carrcgou : Tj.. Holster & C 300 saccos
com 22,300 kilos de assucar mascavado.
Ha barca francaza S. Aitard, pafa o Havre,
carregou : 1. A. Burle & C 50 saccas com 3,820
1|2 kilos de algodap.
No vapor inglez Gallicii, para Liverpool,
carregou : J. 0. C. Doyle 1 eaixao com 14 kilos
de doce.
Para os por/os do Interior.
Para o Rio Grande do Sal, no briguo brasi-
leiro Arroio Mali), carregou : M. C. Paes Barreto
191 barricas cam 28,0i2 kilos de assnear braaco.
Para o Ilia Grande do Norte, na barcaea
Veronica, carrcgou : J. Alvei Lima 1 barrica com
90 kilos do assucar refiaado.
CAPATAZIA DA ALFANMEfiA
Readimanto do dia 1 a 6 4:713*825
d*m do di? 8 334^193
SANTOS & VIANNA, i
ABREU. j
Porto. #||ri 6 iiseo u.tiio do porto
Jose UgU3to|j Oftr. JOAQUm PINTOaDAFONSECA.
Pa*'*. Sobre o banco cojiHERCtA-
D9 para, e os Srs. fhancisco gaodenciO da
3:083*018
WtTjlEfl SAHII.c?
No dia 1 a 6 .....
No ilia S
PTimeira port*.....
Jeganda porta.....
r^rceira porta .....
Juarta porta.....'
fiapiche Ccncoi';ao
4,823
78
192
97
288
5,180
SEHVICO MAIUTIMO
i!>*renga3 -descarregadas no trapicLe da
alfaadega :
No dia 1 a 2 6 .... 7
Xo dia 8.......
*d trapicbo Uonceic4o ,
ftSGEBEDORIA DE REN DAS INT. RNAS GE-
RAES DE PERNAMHDU
teadlmeate do dia 1 a 6 15:751*981
far do di 8 5:801*155
21:556*139
CONSULADO PROVINCIAL
R^ndimento do dia I a 6 21:110*912
Mem ao dia 8 3.973J113
' 27:111*083
C0HPANHI4 ALLIANQA
seguros maritimos e terras-
tres estabelecida na Bahis
em 15 de Janeiro em 187 0
CAPITAL 4,000:0009000.
foma seguro de mercadorias e dinheiro
uco maritimo em navio de vela e vaporei
para dentro e fdra do imperio, assim come
:ontra fogo sobre predios, generos e fa
rondas.
Agento : Joaquim Jose Goncalves Beltrao
r do Commercio n. &, 1' andar.
GUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
Acompanhia Indemnisadora, estabelecidi
oesta pra^a, toma seguros maritimos sobrt
navios e seus carregamentos e contra fogr
an ediiicios, mercadorias e mobilias: n
rua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias,
fretes, dinheiro trisco efinaimente de qual-
jaer natureza, em vapores, navios \& ela oc
barcac,as, a premios muito modicos.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
AugusloF. dilliveira kC.
A casa commercial e bancaria deAugusto
j d'Oliveira & C, A rua do Cofnmercio ns
42, encarrega-se de execugao de ordens
para embarque de prodoctos e de todos o-
mais negocios de commissao, quercommer'
ciaes, quer bancarios.
Deconta lettras, e toma dinheiro a pre-
mio, compea caml)iaes, e saca a vista e a
jazo, a voutade do tomador, sobre as se-
guintes pragas estrangeiras e nacionaes :
Londres. Sobre o onion bank of
LONDON, O LONDON AND HANSEATIC BANK,
limited, e varias casas de 1.' classe.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, HARCUARD ANDRE dfc C. e A. BLiCQUE,
V1GNAL & C.
Hamburfo. Sobre os Srs. joao
SCHU BACK & FU.H0S.
Lisboa. Sobre os Srs. fonsegas,
costa & "If*VM -_ rrrx-*
MarikAkJKo. Sobre 0 Sr. jose feii-
REIRA HA'SlfcVA JUM10R. **
Ceard. Sobro os Srs. j. s. de vas-
concellos i&soss.
Bahln. Sobra os Srs. burinbos & c.
Rio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MKKCANTIL, BANCO NACIONAL e
8ANQUB BRASILIENM8 FRAN^AISE.
Ba,nco do Minho.
Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Filho sacam
por todos os vapores sobre :
Anadia. Evort. Mbnsao.
Aguida. Fa Aveiro. Faro. Porto.
Beja. Guarda. Tavira.
Chaves. Loiria. Regoa.
Elvas. Lifboi. meo.
Amarante. Barcetlos. Figueira.
Guima|ae*. Coimbra, Lamcgo.
Gov'Aht Mjraadell*. Eftarreja
Mel?aco. Benafiel. Valcn;a.
Portalegre. Villa Real.
Arcos de val de vez. Cahaceiras de Bastos.
Celoricode.Ba*to. w*tellc>-Rraaco.
CaminhA f W- E^)ozbdie.
Mangualde. Oliveira de Azemeis.
Pnnta do Jimi. Povoa de Vaizim.
Povoa de1 fjanhosa. Vianna do CasteHo.
Villa-Nova de I'oriimao. V^IIa-Nova de Famalicao.
Villa do. Coude.
Mas ilhas.
Mideira, S. MigUei, Faial e llerceira.
Sepro
frfE LIVERPOOL & LONDON & WJOI
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAUNDERS BROTHERS & C.
WCorpo Santo11
NORTHERN.
apitel.....
'"undo de roserva.
20,000:000300i
8,000:00OJOOf
Agsntes,
.If ills Latham & C.
RUA DA CRUZ N. 38.
mms m pan

Navios entrados no dia 8.
Bio de Janeiro e Bahia---7 dias, vapor ingle* Ga-
licia, de 2,119 toneiadas, commandante G. N.
Colan, equipagem 100, earga diff^reates gene-
ros ; a Wilson Rowe & C
Luboa---48 dias, brigue portuguez Maria Helena,
de 183 toneiadas, capiiao Cu.-toJio Ribeiro Pai-
va, c(ui|iagem 13, carga varios generos; a Sil-
va Guimaraes & c.
Af>u---I0 dias, hiate naeional Correa, de 53 tone-
lads?, capiiao Francisco Bezerra, equipagem 8,
carsra sal; a Beltrao & Filho.
Cardiff- 46 dias, barca mgleza Hampton Court, de
375 toneiadas, capiiao J. F. Langrbh, equipa-
gem 10, carga carvao ; a Saunders Brothers
& C.
Bahia- 3 dias, polaca brasileira Marinho, de 261
toneiadas, capitao Joaqaim Pinto Monteiro, equi-
pagem 10, carga 12,000 kilo3 de carue ; a Loyo
& Filho.
Navios sahilos no mesmo dia,
Rio de Janeira- Lugre portuguez Lima, capitao
A. If. Fernande?, carga sal.
Havre--Barca franceza Santo .indrr, capitao Ha
mel, carga algodSo e conros.
Liverpool o porlos iatermedios--Vapor inglez Ga
licia, commandante Cilan, carga a mesma que
trouxe d;s portos do sul.
Olservafdo.
Suspendeu do lamarfio para Liverpool a barca
ingleza Silver Grata, capitao Mayor, carga a mes-
ma que trouxe de Cherripe (no Peril)
0 Dr. Can:ido Valsriano da Silva Freire,
juiz municipal e de orphos da villa e ter-
mo da comarca do Cabo, da provincia de
Pernambuco, por S. M. I. e Constitucio-
nal, a quem Dcus guarde, etc.
Fatjo sab r quese acha em concurso, pela
quarta vez, com o prazo de GO dias conta-
tario geral deste termo, creado pela lei pro-
vincial n. 527, de 16 de junho de 1862, e
os concurrentes deverao aproscntar-se babi-
litados na conformidade do decreto n. 817
de 30 de agosto de 1851 e 5 de Janeiro de
1871.
E para ^ue cheguo ao conheciaiento de
todos, mairlo que este seja affixado no lu-
gar mais publioo desta vi la, romettendo-se
copia para a secrctaria do governo desta
provincia de Pernambuco. Dado e passado
nesta villa, termo e comarca do Cabo, da
mesma provincia, ao 1 de junho de 1874.
Eu Manoel Josede Sant'Anna Araujo, es-
crivao, escrevi.
Candido Valeriano da Silva Freire.
Conforme o original aQxad) no dia era
supro.0 escriva9, Manoei Jose" de %ant'A n-
na Araujo.
Pda thesonraria provincial se faz publico
que foram transferidas para o dia 18 do corrente
as arreniatacoes seguintes:
Ponle sobro o rio Serinhiem no lugar do Pao
Sangue, orcada em 9 570*000.
Obra da bomba para o povoado dos Monies, or-
cada em 1:980*OOO.
Ubra dos reparns argentes na subida do barro
na estrada da Victoria, orcada em 1:617^800.
Reparos da ponte do Trapiche, orcados em
1:650*000.
Fornecimento dos medicamenlos e ntensis pre-
cisos a enfermaria da casa de detencao.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco, 6 de JuHho de 1874.
0 offlcial-maior,
_________________Miguel Alfonso Ferreira.
0 major Autonio Bernardo Quinteiro, juiz de paz
da freguezia de Santo Antonio da cidade do Re-
cife de Pernambuco, em virtude da lei, etc.
Faco saber a quem convier, que vao ser arre
raatados por venda, em hasta publica, em tres pra-
cas coasecativas, por quem mais der, os bens se-
guintes :
50 chapeos de sol, sortidos, de al-
paca e algodao, a 1& cada um 1003000
30 ditos inutilisados a 500 r6is. 15*000
22 arraavoes de dito a 160 reis. 3*320
1 armacao envidracada. 150*000
1 armario pequeno..... 5*000
Somraa. 273*320
Os preditos bens foram peoborados a Jose
Bandoax por execucao. que contra- este move, por.
este juizo, Antonio Gongalves de Moraes.
Dado e passado nesta freguezia de Saato A nto
nio, em 2 de juaho de 1871. Escrivao, Coriolano
de Abren.
Antonio Bernardo Quinteiro.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacer-
da, juiz de direito especial do commer-
cio, nesta cidade do Recife e seu termo,
capital da provincia de Pernambuco,
por S. M. I. o 8f. 9. Pedh-o II, a quem
Deus guarde, etc.
Faco saber aos credores do commerciante ma-
triculado Olympio Qoncalves Rosa, etabelecido
nesta cidade, irapetrante de monitorta no- mere-
tissimo tribunal do eomraerolo, qae ptlo praseote
edital sao chamados para ei(wwrein perane
este juizo, aa saU'daa aadieaoia*, a 11 horas do
dia 20 do corrente nws de jooho, afim de obser-
var-se e dar se inteiro compri.diflBto^ae^pos^
no artigo 900 do codigo commercial de confurn.i-
dade com as disposicdes dos artigo* 812 e 84'7
do mesmo codigo, certos ns ditos credores. de que
nao serao admittidos por procurador sera je ta*
exhibam procuracao especial, a cjaaf. pap nodera
ser conferida a devedor do impetranU, nao po-
dendo outro sim, um so individuo represeBtar.por
doas diversos credores. e que efi navldo o- eje-
dor que nao comparcccr como adherente as re
soluc5es que liver a uiajoria- dos votos dps cre-
dores que comparecerem em nu^i ero qpe repre-r
sente dous tercps da tolalidade das dividas dpf
credores sujeitos aos elfeik)* de mesma moratona.
E para quu chegue ao conhecimento. de
todos, mandei passar o presents, que ser4
publicado pela imprensa e affixaclo nos lu-
gares do costume.
Cidade do Recife, 5 de .juolio ,tte
1874.
Eu, Secundino lleleocoro da Cunha, es-
erevente juramentado, Oies^revi.
Eu, Manoel Maria Rodifigiiee do Suei-
mento, escrivao, o subsotevi-.
Sebaslido do llego Barros etc Laceria.
mm*-
-----r-----A=
Juizo dos feitos da fa^nda,
KM-rivw) Torres Maat d>>ira. -
No dia 19 do corrente ;is it koia-s J* UiMilii,
depois da audieiiiia d i-Dr, juiz ro'isiitui') Mo a
praca por ven4a os sfgaidtee |redi')s~pra nagv
'mento da fazenda.
A casa:n. 47 da trave?sa das l!arre4rs, fregue-
zia, da Boa-Vi3la, com 31 palmo< de frenie e K
ditos de fundo, 3 saFss, 3 quartos, cozlnBai fera,
qUinlal mura*, cacfcnba, eHiffcada em terreno
proprio, avaliada em 2:000*000, pertencenft a
zacarlis dos Santos Barros.
Idem n. 1, de um andar, sita a raa da Manga-
beira, em Olihda, com 36p5lrnos d>> frento, 'if df-
tos de fundo, tendo no andar terreo 3 satas, 8
qaarto3, e no superior a mesmss a8commod;5es
e cozinha fora, avaliada em 3:300*; perUucenJe
a Henriqueta Eyiza Banks de Miranda.
Recife, 6 de junho de 1874.
0 solicitador da thesonraria. provincial,
_________ Jpao Firmino Carreia da ArpuJo.
HOSPITAL MILITA"R
0 hospital militar desta provincia. confrata copa
quem melbores veniagens offerecer, para o trf-
mestre do 1 de julho a 30 de setembrq vindouro,
os generos alimenlicios abaixo deClarados, para
dieias dos doentes e ra.oes de seus empregados.
Aletria, kilos.
Ararata, idem.
Arroz pilado, idem.
Assucar relinado, idem.
Batatas, idem.
Bolachas, idem.
Bolachinhas de araruta, idem.
Biscoutos, idem.
Cafe em caroco, idem.
Dito raoido, idem.
Came verde, idem.
Came ie porco, idem.
Came secca, idem.
'ha perola, idem.
Doce de goiaba, idem.
Farinha de mandiocn, litro.
Feijao mulatiuho, idem.
Gallinha, 1.
Lei ha em toros, cento.
Leite, litro.
Macarrao, kilo.
Manteiga, idem.
Marmeilada, idem.
Ovo, 1.
Piles, kilo.
Sal grosso, litro,
Tapioca, idem.
Toucinho de Lisboa, idem.
Vinagre de Lisboa, litro.
Vinho do Porto, idem.
Todos 03 generos sao de 1" qualidade, e no peso
da carne nao se adfflitte mais de 5' de ossos na
porcao que se pedir.
Contrata mais o concerto e lavagem da roupa
dos doenies, e sanguesuga3 de llamborgo para os
mesmos.
Tambem aceita propostas para o fornecimento
de" papel almaco pautado, pennas de aco ealiigra-
phicas, lapis, tinta preta Alisarine, obreias, papel
marca Jeves, e envoltorios para offlcios.
As pessoas que quizeran fazer ditcs forneci-
ment;s, e enearregarse da lavagem e concerto da
roupa no referido trimeitre, apresentem suas pro-
po?tas fechadas, na socrelaria do mesmo hospitil,
pelas 10 horas do dia 10 do corrente ; advertin-
do-se que nenhuraa propo:ta sera aceiia alcm
dessa In.ra.
Hospital militar de Pornambuco, de
junho de 1874.
0 escrivao,
Avelino Pereira da Cunha.
' SANTA CASA DA MiSElUCOKDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
^i3ericordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sessoes, no dia 4 de Junho pe-
las 3 horas da tarde, tem, de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
i tres annos, as renda3 dos predios em seguida
leclarados.
F.STABELECIMENTO DE CARIDADE.
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11.......201*000
Rua de Santa Rita.
Idem n. 32........230*000
Ciaco Poatas.
asa terrea n. 114....." 362IT50O
Rua da ViracSo
Idemn 74........241*000
Ponte Velha.
Idem n. 31.........156*000
Rua de Antonio Henriques.
idem n. 26........99*000
Rua do Vigario.
I.-andar do sobrado n, 27. 323*000
Eojaidem.........- 375*000
PATRIMOMO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.....: 809*00-3
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz '
Sobrado n. 14 (fechado).....1:000*090
iRua do Pilar.
Caia terrea n. 100 ^ 24t*0uu
Rua do Amerim.
Idem n. 34........' 1*000
Rua da Guia.
Idem n. 29........MVKOO
Rua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17......361*001-
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
irremata0o as suas flanjas, ou comparecerem
lcompannados dos respeetivos fiadores, devendo
jagar alem da renda, o premio da quantia em
me for seguro o predio qne contiver estabeleci
aiento commercial, assim como o servico da liw-
oeza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do H-
:ife, 17 de raar^o o de 1874.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza,
Luso-Brasileira
Em ses-ao ordibaria do conselho fiscal, e segun-
do proposta da illuitrada directoria desta socieda-
de, foi disculida a conveaiencia da reforma de
algans arligos da nossa lei social: isto posto, o
Exm. Sr. presidente e mais membros do conseln j
deliberaram que se convocasso a assemblea geral
extraordinaria, coroo manda o artigo 40 dos esta-
tutos, por se considerar negocio de summa gra-
vidade ; pelo que convido. todos ossenheres con-
socios a se reamrem na sede da nossa sociedade,
no dia 12 do vigente, a 6 horas da larJe, para o
fim aclma mencloDacTo.
Secretaria do conselbo fiscal da socieaaoo bene-
ficento Loso Brasileira em Pernambuco, 9 de ja-
nho de 1874. .
Andr6 M. Pinheiro,
________ 1 secretario.________^_
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
R*CtFE.
A junta administrativa da Santa Casa da Mi?*-
ricordla do Recife precisa conlratar o furtwpimen-
to dos generos abaixo deolarados, qin teem con>omir os estabelecimentos pios a .-eu cargo,
exceptnando o hospital Pedro II, no trimestro de
Jo'lw a setembro vindouro. Recebe propostas na
sala de suas ses5e?, pelas 3 -uoras da tarde dia 18
do corrente.
Aletria, kilogrammo.


1
'


Diario de Peraanibiico Terca feira 9 de Junho d 1674.
e
Afuardeoto, litro.
Axeitu doce, idem.
Ami, kilogramtno.
Bacalbao, idem.
Banhi de porco, idem.
Batatt, idem.
Cha bywon, idem.
Gate em grio, I em.
Came ^eea, Mem.
Obolas, cent).
FannL a de mandioea da terra, litro.
Feijao, idem. (
Fareil'i, idem.
Fumo do Hio, kilogrammo.
Ga;, lata.
Milbo, sareo.
Manteiga, kilogranirno.
Potassa, idem.
Rife, idem.
Sabao, idsra.
Sal, litro.
Tapioea, kilogrammo.
Toocinho, idem.
Velas de carnariba, idem.
Veias stearioas, mapo.
Vinagre df Lisboa, litro.
Viuho tmin, idem.
Vlnbo branco, idem.
A janU ad'ninislraUva it SanU Casa 4a Mise-
rieordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to de pio bolacha que teem de consumir todos
os estabeJecimentoa pi s a ;eu cargo, no trimestre
de julho a setembro, e recebo propostas na sida
4e 9u.is?e-6es, peias 3 boras da tarde do dia 18
do cor rente.
A jtnta administr-atrva da SanU Casa da Mi?e-
ricordia do Itecife precisa contratar o foraecimen-
4o de assuear rennMo, que teem de consorair to-
dos os esubeleciinealo9 pios a sea cargo, no tri-
mestre de julbo a setembro, e recebe propostas na
sala de suaa s.-s ees, pelas 3 boras da tarde do dia
*8 do correote.
A junta adraimstrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife precis contratar o fornecimen-
4o de earoe verde (|ue teem de consumir todos s
?stabelecimeotos pios a s-u cargo, bo trimestre do
.julho a setembro, e recebe propostas na sal a de
saas sessdv's, poias 3 boras da tarde do dia 18 do
eorrentti.
Secre-aria da Santa Caw da Misericordia
<|q Recife, 8 de junho de 187 i.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Juizo da provedoria.
Por estejuizo, esciivao fJaimaraes, irao a praca
so dia It do corrente, finda a audiencia do Dr.
jniz substituto, Joaquim Correia oe Olive ra An-
irade, e a requeritnento de Jose da Costa Bispo,
as dividas activas de sea ca-al, descriptas no in-
ventario a que se e-ta procedendo por raorte de
sua mulher : os pretendentes acharao em mao do
porteiro dos auditorios o e.-eripto con a relacao
aos devedores, e suas qaantlas. Recife, 8 dc ja-
cho de 187*.
0 escrivao interino,
Joao Tiburcio da Silva Goiaiaraes.
InstitHlo Archenl giro e tegra-
mo rernaii.liBi'aiio.
phi
Haverasessao onlinarii quinta-feira, II
do corrente junho, pelas 11 boras da ma-
nna.
ORDEM DO DIA.
I.* Expediente.
2." Pareceres de commissoes.
3." Propostas indicagoes o requerunentos.
4. Materias adiadas.
Secretaria do lustituto, 8 de junho de
1874.
No impediment do secretario perpetuo.
Salvador Henrique d'Alboquerque,
2. secretario.
Consulado provincial
Pela administrpcao do consulado provincial se
faz pulilico aos respectivos conli ibuintes, que do
! de junho vindouro por diante comeca a correr
o prazo de 30 dias uteis, marcados no artigo ?!
do regulamento do 16 de abril de 1842 para a
eobran^a a bocca do cofre. do 2 semestre dos im-
postos da decima urbana, ."> 0|0 sobre bens de mao
morla, e fiOrs. pnr litro de aguardente eoaiomiia
na provincia, no corrente exercicio de 1873 a
1874, incorrendo na rnulta de 6 0,0 aquelles dos
conlribuintes quo os nao satislizerem nesse prazo.
Cansnlado provincial de Peroambuco, 27 de
uiaio dj 1^74.
0 administi adcr,
Aulonio Garnciro Machado Hios.
Armazens da companhia per
nambucana.
^iegtiros contra a Fogo
A companhia pernamhucana, disponoo de ex
cellent(!s e vastos armazens em scu predio ao for
*.e do Stattos, offereee-os ao commercio em gera!
para deposito de generos, garantindo a maior con-
servacao das mercidorias depo*itadas, service
prompt}, precos modicos, etc.
Tambera recolheri, mediante previo accord", ex
ciasivamente os generos de nma so pessoa.
Estes armazens, alem de arejados e commodos.
sao inteiramente novos e asphaltados, isentos dc
cupim, ratos, etc., etc.
As pgssoas qne quizerem utilisar-se destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao estrifjtorio da com-
panhia pernambacana. que acharao com quen
tratar.
Companhia Fidelidade
Heguroa marl tlmoi c lerrestres
A agenda desta companhia loma Benros raa-
ritimos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultiraos o solo livre, e o seiimo anno gratulto ao
segurado.
Peliciano Jose Gomes
Agente.
51 Roa do Apollo 51
Santa Casa le Misericord in
do Recife.
De ordem da Illma. junta administrativa vai de
novo a praca de renda, no dia 11 do corrente, pe-
las 3 horas da tarde, perante si, a ilha do Noguei-
ra, pela qnanlia de 1:000*. sendo o arrematante
obrigado a fazcr os conecrtos de que prccisa o
viveiro alii existente.
Os pretendentes deveriio aprcsontar-se muni-
dos de cartas de fiancas.
Secretaria da Santa'Gasa de Misericordia 'io Re-
dfe, $ de janno de 1874.
0 c?criv3o,
P^dro HodriQivs de Souza.
TRIBUNAL DO COMMhKCIO DK PER-
MMBUCO.
Esta secretaria faz con-tar, em cumprimcoto de
resolucio do meretissimo tribunal do commercio,
qne nesla data foi registrada a escriptura ante
nnpeial e de dote c> lebrada entre D. Clara Caroli-
na da Fonceca, com assisteneia de seu tutor o do
Dr curador ad hoc, e George Carol, em coja es-
criptura iicou estipuiaio que do* bens parlencen-
tes a espose pelo fallecimento de sen pai,......
80:632jtt5l, se cortimunicara someote a matade
desta quantia, e a oatra metade constituira o dote
da conlratante, sajeitos somente os seas rendi
mentos aos encargi s do matnmenio, sendo taes
bens a alia pertoncentes iscnto* de qaalquer^onas
contrahido pelo casal oa pelo conlratante, perma-
neeendo sempre o dote quer hajam on na> filhos.
Secretaria do tribunal do commercio de
Pernarnhuco, 3 de junho do 1871.
0 olficial-maior,
Julio Goimaraes.
Confraria do JSenhor Bom Je-
sus da Via-Sacra daigre-
ja da Santa Cruz.
De ordeni do nosso irmJo provedor, convide
pela terceira vez a todos os nossos charissimos
irmios eonfrades a compareeerem em nosso con
sistorio polos 6 horas da tarde do dia 12 do an-
.dante mez, alim de que, renoidos em mesa gerat,
se eonclua a sleirao que foi adiada na sessao de
39 de abrd do corrente anno por falta de nume-
ro legal, de coiifunnidade com o qne preceitua o
artigo 40 do nosso eompromisso.
Consistorio da coniraria do Senhor Bom Je3us
da Via-Saera, 8 de jaoho de 1874.
Srvindo de esertvio,
Marcoiitw hti Pope.
THEATBO
Santo Antonio
Ouiiila fnira II dejunb.
Drama em I prologa e 5 ctos :
A cstalna de came.
Terminara o wpectacnlo fcom a repr*w;ilo
da comvdia em t cto :
Os medrosos.
Prineipiara 4s 8 1)2 fcuras.
THEATRO
PBE\I\ DRAIIAT1C0
EMPREZA
IAMV PEIUKTE
cai terrea da rua 4oHii|ue. n. 10, a qnat w-nde
'44,OOii r. p. r aiiiw.
Qs:itro dita n-cm^njento edifi.'adas em fhlos
prjprios, na E-Uad Nova do Olitida, s qii:i--s
rendem 120.000 n>.ada uma
HOJE
A's 11 horas
Por interveo^ab do agente Pinto
Em sea eseriptario, rua do Bom Jeans n. 43.
Quiuta-feira 11 de junno
2.a representa^io
do importanti^simo e mnito apptaudi.lo drama em
3 ados :
0 supplicio (liiflia nulher
No qaal deseropenhaoi os principses papeis os
artisas O. Rosa Mauhonca Bernardino.
Terminara o espectaculo com a comedia em 1
acto :
Precisa-se de uma mulher
para viajar.
AS 8 t|2 BA XOITE.
TIIMIIII
MX
0 especlacnlo em beneficio do actor Angu.-to
Cesar, tera lugar terca-feira, 9 do corrente, cum "
mesmo programma ja conhecido do paUico..
Prineipiara as 8 1)5 horas
AVISOS MABITiMOS
Rio de Janeiro
Para a indicado porto segne com poncos dias
Jo demora a barea portagaeza Feliz Uniao por
ter a major parte de sea carregamento engajado,
s para o resto que Ihe falta, trata se com os eon-
eignatarios Joaquim Jose i-oncalves HeltrSo & Pi-
sho, a r>*a do Commercio n. 5*.
PRO&RESSO M AR1TIMO DO PORTO
Empreza portnenae de navegarao a
vapor entre Portugal e o Bramll
0 VAPOR
.U'1 All 1UMZ
f ommandante Conf cntc
Esperado do -i:l
em 8 ou 9 do proxi-
mo mez de junho, de
pois da indispensavel
demora dentro deste
porto segoira para
Lisboa e Porto com escala pnr S. Thiago.
Passagens e freles de cargas, encoimnendas e
va lores, tratam'se com os
AGENTES
K. R. Rabello rt C.
48 Run do Commercio 48
COMPANHIA PER^AMBUCAfU
DE
\'avca;acilo costeira a vapur.
MACEld, ESCAI.AS, PENEDO E ARACAJU'.
0 vapor Jaguaribe, com-
maudaiite Julio, segui-
ra para os portos acima
no dia 15 d* junho proxi-
mo a? 3 horas da tarde.
Recebe carga ate o dia
13, encommenoas, nassa-
Seiros e diaheiro a frcte ate as 3 horas da tarde
o dia da sahida : escriptorio no Forte do Mat-
o. D. 12.
imoEs.
LEILAO
DO
sobrailo de Hoits andares'e nt* 4a rua do Ban
gel >a. 94, odilicado em i4ms propn w
Hoje
TOR lJiTr.HVE!NC.\0 IW XfiEMTE PINTO
Pm*eu ecriptori", a rua to Bum lesas n. 43.
LelD
ao
eonta e rlsco da quern pertetieer, | ISO barrieas
com cal virgem de Lisboa, e para techar contas,
em am ou u ais lotes, a vontade dos coropradores.
(HJABTA-FEIRA 10 MO CORRENTE
A's II horas vm pontn
No largo do Corpo baoto, trapiche da
companhia.
LSI&&Q
DA
taverna dopateo da Santa Cruz n. 12, fre-
f ezia da Boa Vista
Hje .
as i I horas da man ha
0 agente Martins fara leilio, pela segonda vez
por despacho du lllm Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, da taverna do paleo da Santa Cruz n. 12,
pertencente a Joao Marques Femandes, e arresta-
da p<'r Azevedo A Maia, no d;a e hora acima.
Agente t'estana
Leilao
DE
moveis, lou$s, vidros, crystaes, prata, ou-
ro, miudezas, v in bos, Serez, Madeira,
Rum. genehra, licores e 2 caixas com cha-
min&, 1 cofre de ferrr>, t fjito provide
fogo.
Hoje
As II horas em ponto
No armazem de agenda de leilees da rua
do Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de qnem pertencer, de 1 mobilia de
jacaranda a Luiz XV cum tampos de pedra, 1 dita
de junco nas me.- ma> coniftcdes, 1 dita de faia prc-
ta com pedra escnra, 1 gnarda-roapa, I gnarda-
vestido, 1 gnarda louca, I toillet de jacaranda, 1
lavatorio de dito, I carteira, 1 secretaria, mesas
ela&ticas de 3, i e 6 taboas, commodas inteiras e
meias, cabides. quartinheira^, mesas redondas, con-
cdos, aparadores, marquezas, marqoezio, camns
francezas para casal, sendo de amarello, mogno e
jacaranda, 1 factura de ouro, cimo seja, anneis
voltas, relogios, brincos, ;adfiis, caQoletas, salvas,
paliteiros, apparelhos para almoco e muitos ootros
arligos pertenceiites a onro e miudezas.
TERCA-FEIRA 9 DO CORRENTE
as It horas em ponto
No primeiro andar da rua do Vigario The-
norio n. II.
Agente Dias
LEILAO
DE
movi'is e oatros rrtigos dc casa de familia
QLARTA-FEIRA 10 DOCORKENTE
js to i]2 horas ifaj manhi
em o prinwtro andar ilo Subrado da run do
f.ivamento n. t7.
0 agente Dias, e inipi-ientmipnto aotorisado por
nmafaiuiHa i|ie inuda rtnjr rlilnnria. Icvara a let-
|4o, no dia 0 hora aciota iti'si/natlos, os inovei. e
mai Cm r.To piano oom pooco usu, I cadeira e i
capa para o mesmo, I mobilia de amarello enta-
lhada, com tampo de pedra, 4 eadeiras donradas,
1 sanctuario, I me*a para jogo, de jacaranda, I par
de coasolos com tampo de pedra, S quadros para
sala, 3 pares de casiicaes com mangas, 1 par de
escarradeiras, 1 cama ae amarello, 1 gnarda-ronpa,
1 lavatorio com guarnicao, 1 estante com diversos
livros, 1 binocuio, 1 colleccio de calnngas a mni-
tos oatros artigos que estario MM aoexame
dos concorrentes no dia do leilao._______
LEILAO
DE
Moveis, louca e crystaes
A SABER:
Uma mobilia de faia branca, com tampos de po
dra mar more, com 1 sofa, 1 jardineira, 2 conso-
ls, 2 eadeiras de bracos e 12 ditas de guarnicao,
2 eadeiras de ba'aoco. 1 espelbo oval, grande, 2
ditos menores, douraaos, 4 casticaes e mangas, 2
jarros, 2 escarradeiras, 2 capachos, 3 veneuanas,
2 candieiros a gaz, 2 tapetes e esteira, forro de
sala.
Uma cama franceza, 1 mesa de canna, 6 eadei-
ras de guarnicao, 1 toilette, 1 gnarda-vestido, 1
coramoda, 1 mesinha redonda, louca para lavato-
rio, I balaio para roupa, 1 cabide e I cadeira es-
tulada.
Um aparador, com tampo de pedra, I mesa de
jantar, 3 transparentes, I qaarlinbelra, eadeiras,
louca para cha e jantar, garrafas, copos, calices,
1 relogio de parede, taboa e mesa de engommar,
bacias, banheiro, trem de cozinha eoutros objec-
tos.
Quarta-feira 10 do corrente
No segundo andar do s brado da rua do
Imperador n. 35.
0 agente Pinto, lega!mente aotorisado, levara a
leilao os moveis e mais objectos acima meneiona
Jos, existentes no segundo andar do sobrado da
rua do Imperador n. 35.
0 leilao prineipiara as 10 1|2 horas.
Os referidos moveis e mais objectos deverio ser
retlrados findo o ac to do leilao e em 24 boras.
para sapatos, etc., quadros
com finas gravjuras, trans-
parentes para janellas, 1
porcao de palitos de den-
tes, quantidade de trastes
avuisos e immensos arti-
sros do uso domes" ico
OninUi feira \\ do mmwte
as 11 horas
NA
FEIRA SEMANU.
IURua (tr1a(Hfaibr-Ifi
vRMAZEM.
pelo agente Martins.
Feitor
Precf a-se de um feitor i a trafar na raa do
Bom Je>ns n. 45, segundo andar. ^______
..lAnfO
Precisa so de dr >.:- ^-aixeiros de 14 a 16 aDOqs
de idade, coin pr;>i>:. > taverna, qne de coaha-
eimento de ua <-uinit!cta : a tratar no becco do
Poucinho n. 7.
f)\iila |iarticular de iaslnu^iki
I'liMncntir
Para o sexo ferninino
J
leilao
DE
carros de 4 rodas para o s*rvico da alfan-
dega e 1 magnifico boi
QUINTA-FE1RA 11 DO CORRENTE
is I I h ra da munha
NA
FEIKA SEVf AN KL
16 Rua do Imperador 16.
AVISOS DWPRSOS
Precisa-se de uma ama
para cozinhar em casa de
pequena familia, preferin-
do-se escrava : na rua do
Capibaribe n. 40.
Bom
negocio,
n
0
Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brovidade o brigne na-
cional Isabel, tem parte de seu carregamento en-
gajado ; e para o resto que ltie falta, trata-se com
o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, rua do Bom Jesus n. 57.
Rio Grande do Sui
Seguira cm poucos dias o patacho portugnez
Judith : para o resto da carga, trata so cim Po-
reira Vianna & C, a rua do Vigario n. 7.
DE
10 caixas con peixe cavalla secca, 10 ditas
com enxova, 3 birris com pargos, e 11
ditos com postas de cavalla em perfeito
ostado.
Hoje
A's 10 1^2 horas em ponto
No armazem do Sr. Amies, defronte da ai-
fand- ga.
0 preposto do agente Pe?tana fara leilao, por
eonta e risco de quern pertencer, de 10 caixas com
cavalla secca, 10 ditas om enxova, 3 barris com
pargos, 11 ditos com postas de cavalla em perfeito
estado, em um ou mais lotos, a vontade dos com-
pradores.
Terca-feira 9 do corrente
>
ds 10 I [2 horas era ponto
No armazem do Sr. A ones, defronta da alfande: a.
LEILAO
Libra eslerlinas.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio n. 42.
(leara, Macao <; Hossorrt.
Para os referidos portos pretende segnir com a
possivel brevidade o hiate Rival, por ter algtima
carga engajada e para a qao Ihe falta, trata so
com os consignatarios Joaquim Jose Gonealves
Bellrlo & Filho, a rua do Commercio n. 5.
HESSAGERIES MARITIMES.
I.inlia utensal
ERYMANTHE
Espcra-se dos por-
tos do sul a to o dia
12 do corrente, se-
guiudo depois da de-
mora do costume pa-
ra Bordeanx, tocan-
do em Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros : a tra-
tar com
OS AGENTES
Harismendy A Labillc.
9 Rua do Commercio 9
COMPANHIA BRASIL.KIRA~^
DE
VAVEGACAOAVAPOR
Porton do nortc
DE
soleira*, arcadas, portadas e ootraa pedras
Hoje
AS H HORAS DA MANHA
No armazem n 24, da companhia pernam
buenna.
0 agente Piniio Borges levara a leilao os refe-
rides predio;, por eonta e risco de quern perten-
cer, e os pretendentes poderAo desde ja examinar.
LEILAO
DE
varandas deferro grades quadradas para
peitoris de janellas, peitoris de guarni-
cao, grades peqtieoas para peitoris, gram-
pos de varandas, bandeiras grandes e pe-
quenas, columnas de ferro, e outros
mais objectos.
BOH
as 11 horas da manba
No armazem n. 16, da companhia pornom-
bucana.
0 agente Piniio Borges levara a leilao os objec-
tos acima meneioaados, por eonta n risco deiinem
perteucer. e os senhores pretendentes podem dosde
ja examinar.
Ultimo leilao
DE
eaiiteliis vencidas, dailas em pe-
nhor
QUARTA-FEIRA 10 DO CORRENTE.
as il horas.
Julio Isaic fari o ultimo leilao, por intervencao
do acrento Martins, de tolas as cantelas vencidas,
dadas em penhor, para liqaidar, constando de re
logios de onro, correntrie*, correntes, aderecos.
trancelins e al^uos objectos de brilhante*, que se-
rao vendidos ao correr do martello, por sere ul-
timo leilao.
Na casa de penhores na travessa da rua das
Crazes a. 9.
LEILAO
DE
I theodolito.
1 mira oarlante.
1 bassola.
1 graphomelro.
Instrument deengenh-siros, tolos elles novos.
Quinta-feira 1L do corrente
AS II HORAS DA MANBA
NA
Feira Semanal
16Rua do Imperador16
ARMAZEM.
Agente Pestana
Em continuacao
DOS
generos saivados do incendio do armazom do Fer-
raz & Pereira, na noite de 53 para i\ de maio
de 1871, nor ennta e risco da companhia de se-
guros Aliianca.
demora do costnme.
E' esperado dos porti
do snl inclusive o da
Victoria, ato o dia 9 Jc
junho, e seguira para
os do norte, depcis da
""(os do sal
E' esperado dos portos do norte ate o dia 14 do ccr-
rente e seguira para os do sul depois da de-
mora do costume.
Para carga. encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio.
7 RUA DO VIGARIO 7
Pereira Vianna 4 C
a 10 horas em ponto.
Mi rua do Codornie
travessa da Madro de Deus.
0 preaosto do agente Pestana fara leilao, por
eonta e risco da companhia de segnros Aliian;a,
dos generos abaixo declarados :
19 caixas corn genebra de laranja.
7 ditas com carnauba.
13 barrieas com cerveja Bass.
6 caixas com palitos de dentes.
10 ditas com intru dj peixe em nalmoara.
2 aaeorotas vazias.
i barris idem.
Iiiiporlanle leilao
DE
moveis, louca, crystaes, prata, ouro e bri-
Ihantes
pelo agente Dias
QUINTA-FEIRA II DO CORRENTE
No armazem n 68 da rua do Bom Jesus (intiga
rua da Cruz;
A's 11 hoia.sua man ha
Se vendera mobilias do jacaranda, a Luiz XV,
com taboos de pelra, ditas de mogno, excellentes
pianos de jacaranda, com 3 cordas e dos raelho-
res fabricantes do Paris, gnarria-loucas, guarda-
vestidos e guarda-ronpas, tado de amarello, se-
cietarias de jacarania, ditas de amarello, camas
francezas, 1 magnifico lavatorio, obra perfei a o
bem acahada, commodas, meias ditas de jacaran-
da, mesas parajogos, costureiras de mogno, ditas
de jacaranda, mesas elasticas de 3 e 6 taboas, ea-
deiras para pianos, ditas para costura, qnartinhei-
ras, berccs o camas para menino?, cabides, mesas
p?ra engommado, eadeiras avulsas, -jonsolos, mar-
quezas, marquezoes, lavatorios do mogno, com
guarnicao de pedra, dito de vinhatic, e ranitos
outros moveis pertencenles, em sua quasi totali-
dado, a uma casa commercial, em liuuidacao, os
quaes serao transportados para o referido armazem,
o alii expostos aoexamo dos Srs. concurrents;
ccrlos de quo a occasiao e a mais favoravel para
se provere.ra de excellenles moveis por precos li-
mitadissimos. Assim como tambem se vendera
era continuacao diversos relogios de ouro e prata
c diiTerentes joins, como: anneis, voltas, botoes
para peitos, alfjnetes com brilhantes e scm elles.
Assim como apparalho do porcelana para Mmoco
e jantar, copos, garrafas, compoteiras, porta qnei-
jo, o quo tudo sera vendido pelo maior preco, li
vre de toda e qualquer especulacao.
Grande feira
DE
A's 10 horas em ponto.
Agente Pestana
Leilao
DE
180 b.-trricas com cal virge.n, e para fecbar contas.
Ql'ARTA FEIRA 10 DO CORhF.MTE
ds 11 horas em ponto
No largo do Guru Santo, trapiche Companhia.
Oprepi trastes de differentes quali-
dades e feitios, pianos, me-
sas para jantar, carteiras
para escriptorio, camas
francezas, grande quanti-
dade de finos crystaes, ob-
jectos de electro-plate, es-
pelhos dourados, candiei-
ros a go z, objectos de ouro
e prata, relogios de algi-
beira, de ouro e prata, miu-
dezas, entre ellas, duzias
de botoes para collete, li-
nhas de carritel, brincos
pretos, tran^as, escovas
Vende-se ou arren-'a-se o grsnfle predio
de um andar e soiao, sito na rua do Bispo
Coutinho, proximo da igreja da MisericonMa,
na cidade de Olinda, tendo duas i oas salas
de frente, um salao no sotio, seis quartus.
I espai;osos e frescos, uma grande cocheira,
I quintal todo cercado de novo, e com diver
i is arvoredns, uma boa fonte d'agua, e
leodo gaz canalisado. Achandu-;e prcpara-
do com tod s os moveis indispensav^is ;i
uma grande familia, serd assim vendido ou
s m os moveis : a tratar nesta typographia
ou na rua da Uniau n. 49, sobrado, atraz d"
paco da assemblea.
"IS
AOS 4:000^000.
8ILHETES GARANTIDOS.
i rua Primeiro de Marpo ^oiUr'ora rua /it
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo asMgnalo, tendo vendido no3 sens fe-
lizpi bilhetfs um nieio n. 76 com i:000*, am
m*io n. 3038 com 2003 e outras s 20 da loteria.qne se acabou de extrahir (102),
eonvida aos possuidores a virem receber na con
formidade do costume sem desconto alg .> : ;-.:ii-m- a veiMa os felizes l-ilheu* garantidos
la I' parte das loterias a benetieio da igreja
de Santo Amaro de Serinhaem, (103'), que se ex-
trahira no sabbado, 13 do corrente mez.
PRECOS,
Rilhete inteiro ijUXK)
Meio bilhete il<**>
w porqAode 1009000 para cm*.
Uilhete inteiro 3/500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiusa.
A urufe
se li.ibiii ad' na f"ima da lei, pretende
no dia 8 de-te Bin abrir a sua aula par-
ticular na rua do Marouez do H^rval, ou-
tr'ora da Concrdia n. 147, onde pode-
ra ser procurada ; as alumnas, alem de
se iustruirem nas materias qne romti-
tuem a lustrnrcao elementar, se habilita-
rao na arte.de agulha, bordados de todas
as espeeies, obras de la e de (lores, me-
diante graliiiracao razoavel
S. Jose, 6 de junho de 1874.
Esmpnia Jenuina Dias.
Massa fallida de Joaquim
Job 6 Gome3 de Souza.
Os administradores da massa fallida de Joaqniai
Jo^e Gomes de Souza, convidam aos respective^
credores para apresentarem os sens titulos, afirn
de serem clas em leilao dos debitosa referida massa : dirigirem-
a rna Duque de (>x:a n. 46, ; ndar, das 10
as 3 tioras da tarde.
Abreu A Vent, era liquidarfr.
Administradores.
Fugio
por estes dias, do engenho (Joelhaa, de Serinhaem,
o escravo Silvestre, prtto, alto, grosso, beicos
grossos, re's inchados, andar apalhetado, tem os
dedos dos pes pequenos, e mnit) unidos, as veies
paiece qoerer manquejar, por ler os pes doentes,
tem de 38 a io aiins d? idade, e mnito regrista e
gosla de beher, tem um irmao nesta cidade : qnem
o appreheiidef.pod*-. levalo a seu senhor, no dito
engenho, cu a rua do Imperador n. 77, segundo
nnitar, que sera recompt-n^ado.
Chapeo de sol
Nao e qoerVnda faz i ha ao senhor..., que em a noite de 7 do corrente
(domin(o) ettando tin uma reuniao familiar na
rua de Hortas, dahi levou um chapeo de sol de
seda, novo, de caho de uiarfim e castao de metal
trar.co, que nao Ibe perteace, roga-se-lhe o ubse-
in o de restitpi-Iu ao sen dr.no, podendo faze-lo
nesta typogrrphia, .ifini df licarese facto em per-
petuo sdencio. o qne s<- garante ao dito senhor....
Atteneao
Ac>na Ferrcira CatiUi, tcodo mandido vender
uma volta com ca^ileta de ouro, nra relogio com
cadeia c retrato proprio, um par de brincos ectneo
colherts tie prati por nma pessoa conhecida, a
quil retirou-sf para tora da cidade, e desejanoo
tornar a comprar ditos ubjectMt, nao pode o fazex
por ignorar aonde it-ram v< ndidos, por issn pede a
quem corrprou, se iuiz raa eslreita do RoMm n li, que achara com
quem tratar.
ill I li.llj:
Na madrogada de 6 do corrente, no lugar Tt-
gipio, fnrtaram de. uma easa iw objectos seguin-
te : 2 vans de tranrelini rolii;o, um iraocelim
chato com patsadnr. uma chave de mais de duas
pullegadas de ccmpriirienlo, um coracSo esmai-
tado, uma inedalha inn par de brincos, um ancel
com um brilliant'', uma putaoii* esmaltada, ura
alllnete de peUo e um par de rozetas igaaes, um
leque de madn-pir. la, sendo todos estes object's
de ouro de lei : roga-se a quem for qnalquer
destes objectos nfferecido, ipmira appreliende-lo,
que sera generosamente gratifleado a rua estreita
do Rosario n. 23, hotel.______________________
Roga-se d pessoa que comprou, ou to-
mou tie penhor, telvez ha mezes, utis objec-
tos du prata, conn lalheres, etc., obra do
Porto, com as i'ii.ians I', v. S. cm cadcio,
que querenin r>stituil-os ao seu proprio
dotio, dt< quem t'or reconiemente, s fa, dirija-se cm carta fechada com aqtiel-
las iniciaes a rua J-j Cabugd n. 7, loja de
ourives, que garante-se boa recompensa.
Nao se preslando o pequeuo cspaco !o armazem
n. 10 A, a rua da Madre de Deos, pan nm abaste-
cido deposito das diversas unrcas de fumo, que o
abaixo assignado almcjava ter, acha-se d'ora em
diante aberto outro es abelecimeDto sob a mesma
denominacao de
ARMiZEM DO FUMO
A' rua do Amorim n. 41
com todas as proporcoes desejadas, o node pode-
rilo os senhores freguezesdingir-se, certos de que,
como ato aqui, ach rao sempre a par da modici-
darle dos precos, a maior sincsridade possivH. En
tre as differentes raarcas de fumo da Bahia e Itio
de Janeiro, que tem sido annunciadi*, acaha de
chegar uma encommenda especial, que muilo deve
convir aos senhores freguezes. Consciet te o abai
xo assignado de que neste genero de negocio nao
esta ?em competidore*. fara muito por evitar que
tambera oj tenha com relacao ao pcqneno lucro
que procurara obter da dita mereadoria.
_________Jose Domingoes do Oanno e Silva._
D. Joanna BapUsta de Azevedo
Tinoco, sens lilhos, seu maridu
Manoel Jose Tinoco de Soiua e seu
genro Manotl Joaquim da Costa
Carvalho, convidam aos sous pa-
rentes e as pessoa? da sua amiza
do para asti^lirein as inis-as q'.'.e
mandam celobrar por alma do sua preaada mai,
av6 e sogra D. Thereza de Jesus Azevedo, failed-
da na cidade do Aracaty, no dia 27 do maio pro-
ximo pa?sado, enjo acto tera logar quinta feira
11 do corrente, as 7 horas da manhl, na igreja
da Madro Dens e desde ja coufessam s u elerno
agradecimento. _______ _______________
I
Santo
I) IU
latflio eS.
it-aa
... *er i
< v>r>
D. Maria JOuodora Barreto Ur vida aos parentes e araigns de seu finado marido
Bento Correia de Sa para assistirem no dia II
do corrente, no convonto da Penha c na igreja da
Torre, as mis-as qae mania oele.rar as 7 bo-
ras, pelo repouso do mesmo liuado, primeiro an-
niv?rsano de seu passaraento, ficando deiide ja
etertiam- nte grata.
SAMUEL GH0UR1T0,
Kste bem conhecido aitista ulfaiato parti-
cipa aos seus numerosos freguezes, quer
parliculnres, como de lo;as, que transferio
a sua ofilnina do andar da casa n. 58 da
rua Duque dq Caxias, pa*a o andar da de
n. 88, por cima do eMabelccimento de fa
zendas do Sr. Demetrio Bastos, cuja ofllcina
de alfaiate tamb.-m so acha aos seus cuidat
dos e ondo o publi-o o encontrard sempre
prompto a sdisfazcr toda o qualquer en-
commenda tendente a sua arte, para o que
no mesmo eslabelecimcnto so podo prowr
do boas e escrdhidas fazondas de gosto, ga-
rantindo, como sempre, a perfeita execucap
do trabslho.________________________
COPEIRO.
Um rapaz por aguez, ehegado ha pouco, dando
fiador a sua eocdud : a tratar na rna do Itangel
n. I, taverna.
Avisa se as familias e mais pessoas quo se de-
dicam ao fabrico das sortes e bolos, que e na
Confeltarin do Campoa
que devem proenrsr tudo qua e necessario para
o tal fabrico.
A saber :
Amenloas confeitadas para sorte>.
Castanhas ditas para ditas.
Papeis coloridna em folhas idem.
Ditos pr-spar dos Hem.
Estalos idem.
Massa de maniljoca para bolos.
Manleiga .'ina idem.
Assim como tudo mais qne e preciso para os
divertimentos de Santo Antonio e S. Joao.
A sab r :
Fogos, bctr-B, e rcrtes.
Na coofeitarla do Campos.
.%Sr. aonquini yranciMeo BitMlun.
I'ivo occasUio de I-.t a Micodi re posta qne ao
men protests den o S:. Joaquim Francisco Bastos
no Jonv.il da Recife e Warm dc Pemambnco.
Vluilo lorn dado o %"..e fazcr a cste senhor, a
pnblicaeli dos protestcs do men conconhado Ma-
noel Cav.dcant" de Mello e meu.
Rio estou arrependido rir nas ^.jluiiiu:i> do Diario de Pernambtico ; por-
qnanlo de am honrado e sba.-tadi cemmerciante
do Haceio, lira aviso flo quo na praca oo Recife
apparecera uma lelra sceita por :i im, da quantia
de 3:zl743fc0, aviso ;^te quo mo chegou as maos
rbufto antes de mo screm entregaes as cartas 'lo
Sr.Baslos, ilizi'ttdo-uic t: di?|ituiJi do funda-
men'o a nsticia do exisUreai na praca letras falsas
i*e men acefte,
I5u, pois, a;o'za. -'.-. tua ultima carta de 13 do
Cirren'.a, era one pedc a rel.'rada lo protesto, d. i-
xo dc utislaze-lo.
Quant) ao final d'-' sua rc-posia, teoho a dizer-
Iha que nao cislumo iemorar pagamentcs, o se
nao '.'.s!,i sali>fei!c, j.i o pequeao debito que exste
contra artm, e btd drvtdo a inenioradaretirada do
Sr. Ramos, e Ignorar a quem devia entrega-lo,
como ainda ignnro.
Al.igoa'. engentin -v Salvador, 25 de msio de
1874.
___________RazeivJo Cesar de Goes.
lose D^miognes do 0;ir.no e Silva, naimpos-
sihilidado do dar dra publics testemunho de -aa
gratidao o reconnecimanto ao mc.iio diguo e pros-
tavel medijo a lilm.Sr. Dr. Antonio Bruno da Sil-
va Maia, pela inccmparavel dedicajao com q
se houve juno ao leito de seu nunca assd3 praa-
teado pai, uctima da g.r,ave molestia que o fai
succumbir, cj dia 2-t it> passado, serve-se do
presents moio para v.nicamente dixer. ao mesmo
Sr. Dr. .Maia, qae M n> eorr de sua existensi*
nesto r.iuud) nnnca so Ihe t fferecer uma pr picla
cccasiio de ser lh uiil, sahcra, ao menos, sempro
lembrar-se do unit> -|UQ Ihe deve^______________
.Esciiptorio.
Aluga se a tala da fi-ente do primeiro andar ao
sabrado da rua d j Duque de Caxias n. 58, bas-
tanto fresja e bcci u>>;u.-,da para o am qne se
deseja : a tratar nt l.ja.
nfferece-sp nm homem parao sorvic. da co-
zlulieiro ou mesmo cfiado : a tratar na ma do
Imperador n. 18, Inja do marcioeiro.


i

1
/


%*c
Dfario de Pernambuco Terca feira 9 de Junho de 1874.
I
I



\
Prolcsto.
Ont*J> m, agon mo*m, qne i neforfonto
>U praea -le PwnainbinM Jo j-i:u fod R*tn<>, *.)
fugir par* Bw?*t dcacnotara lotras falsas .l<>.
diverts faz*nJ>-ir,>* daquelta e V>sta nrovlnrtu, o
entre aft* nma v>iu nor mini, da qnantia de,
3:2171380, tenho pel* imfirpitra protista' contra
esta acto criminoao, e faser public > que if3o a ei-!
tei Irtra algivni em favor on ineamo Ramoji, a |
pcrtauM, t.iiss, e a mancim tda lelra. on o/itral
qnilqaer qo* apparec* aceiU por mim em favor |
do mesmo senhor.
Alagfias, eofenhe S. Salvador, 21 de abrll de ,
1874.
TVnendo Cesar de Goes, i
Aviso.
Na rna l*rn do Ro-arlo n. I*, k'ofn-MJ on
vende-n tun plaou de Min-ii e> ox-?l!>Tiif*
! e de poae-> mo ; < turn f! i *ia de i ban i n
panlhada de praU, coin 3 i uCUl < 4u in- Ihor
* lU"r .
K.;*f19iflttt
S. CAR? OS
VtuJe-s-b on rroU.i<*se o ung..utio fork's, mi.
tpoiuca, moeote e corrente, com todas as ohm.*
em psrfeito estado de conserva<;Xu, e maito hom
d'sgua : a traiar na travcssa da rua Duque de <"
xiasn. I, i* andar, com Gabriel Autonjo de Ca-m
Quintae*.
0 absixo n mercio, qne teade de ir a nma eobranja & pro-
viacia do Rio-Grande do Norte, dtfxa como was
procuradores: tm |> lugar ao Sr. Francisco de Pi-
ho Borge*, em 2.* Antonio de Pinho Rorges e em
3." ao set caixeiro Francisco Cavilcante de An-
drade ; os qnaes Beam encarregados de to Jos os
seas nefoctos lommerciaes darante a aoa ausea-
cia.
Recife, 6 de junho de 1871.
Maisel de Abrea Maeedo.
Aloga se o armaiem da rna do Torres n.
S, proprio para deposito, escriptorio on qnalqner
ei-iabelecimento : a tratar na rna do Marquez de
Olinda, raa n. I, srgundo andar.
AlTaso de Alhuperquc Mello
incumbe-ie de promoter cr brancas amigavel
on judicialmente, assim con.o de outro* neg-cio:
cwicernentes a *na profissio, nos Ingares proxi-
mos a linha ferrea, e nos outro* termos proximo*
a esta cidade; para enjo auxilio tern o anoun
ciaute solicitadores babilitados e probos, respon
sabilisando-se no entanto pela boa gestSo e conta
do qne I he for confiado.
Mediante modico honorario acode ans chmados
para diligencias on consultas fora da cidade e do
termo e incambe-se da defeza de appellacdes ante
o tribunal da reiacao. Pode ser proenrado de
meio diaas 3 hora da tarde era sea escriptorio
praa do Daqne de Caxias n. 37.
PREPARADO POR
BARTHOLOMEO k C.
Phanuaccoiieos da easa real de S. M. F. el-rei de Portugal
Premiados era diversas exposiqoes com o primeiro pre-
mio de sua classe.
0 xarope vegetal amtricano, garantido puramfntr vegetai^ nao eontem era sua eomposiVao
am so at.-.mo de < pio, e -im omente saeeos de plantar ndigenas, eujas propriedades beneficas na
enra das mole^tias quo pertencera aos orgios da respiracao, tem sido observadas por longo tempo pe-
los medicos mais diatinctos qae ore-oraraendara e prescreven todos os dias no tratamento das bron-
fhites, tanto agudas como chronicas, as>hma, toss's rebeldes, escarros de sanguo. pbtysioa no primeiro
graoe contra as irritatoes nervosas.
DEPOSITO GERAL
34 = R%m kirga do Rosario = 34
PBRNAMBUlO.
INJECCAO DO DR. MALTERRE
Da faculdade de mediciaa de Paris, cavalheiro
da legiao de honra
UMCA
SOBERANA E INFALLIVEL.
A blennorrhagia, on pnrgacao, e nma inflammacao do canal da uretra, occasionada a maior
pirte das veies pela commnnicacao impura. Nao e uma affeccao geral, qae di5 lugar, como a syplis a
ai-cidentes --eeundarios. E' nma affec^io puramente local. Eff^ctivamente, os iLedicamentos que ha
muito tem sido applic dos interiormente cortra este mal, taes como a copahiba, cnbebas, etc., nao pro-
'luz'iii effeitosenao comrnanicando as ourinas algnraas das snas coraposicees, que, pela sna passagem
atravez do canal, se tornam araa verdadeira injeccSo.
Para que sera n cessario carregar o es omago com ess's preparacSes nauseabundas e repug-
names ? para que e p eciso fatigar os intestinos com a sna accao m ritanle f A resposta e simples :=
Nio se linha aicda descoberto amamistura qne, introduzida direc tamente no canal, produzisse os mes-
raou effeitos sem temer maos resultados. As injeec5es ao failada< ate aqm, conseguem fazer parar a
pargafao, porom pela irriucao consecntiva que produzem no canal, sao uma ameaca permanente de
aperto, affeccAo muito mais terrivel que o mal que se pretende curar. Ei< aqui porqae a maior parte
doe medicos, reensam, com ra?3o, de as empregar.
Presentemerte, este fnndado temor nao existe. A injeciao qne nos apresntamo5 ao publico,
que conu dez annos de bons resnltados, n.io iDterrom.n ot, nao e irritante. E' anti bleunonhagica
em toda a extersao da palavra. Queremos dizer e a aitmrdo mil, que ella destroe, decomponio os
eleinentos da purgacao e tonificando a mucoza c as glandulas d'onde provera a sua origem. A sua
applcacao nao e dolorosa, e se nma ligeira impre sao se seguo a sua introduccao, essa impressao
^dopoucadura, esegne-lhe uma sensapao immed ata e nao desagradavel. 0 sen iratamento nao
prerisa de cenhum outro anxil ar para fazcr parar em muito po :co tempo as | urgacSes, ainda mais
rebjldes.
Quasi sempre basta am so frssco pa-a a cura, pois nao nos eonsta qne houves?e pnrgacao que
resistisse ao emprego de dons.
SENHORAS
Ha muito tempo que as fliirei brancas, leuco> rheas, etc.. tem sido cmsideradas nas s. nhoras ro-
;no causal, a constituicao anemica, qne na linguagern vnlg r Ihes cbam-am pallidns cores, quando el-
las sao ao contrario, a cansa do enfnqnecimento, e pobreza do sangue. D'ahi prov^m o erro que
moitos medicos jommettem ainda, detratar do e?tado geral, em lugar demidar do estads local, que e
a cansa dos symptomas geraes. Nio 6 lugar proprio este de tratarmos theor icao ente o facto qne
avangaffos, mt acrediumos que basta aponta-lo para que, todo omodeo consciencioso reconbeca o
on valor.
A nossa 'njeccao tende sempre a suspender es?e3 corrio-ertos sempre rebeldes a qual^uer me-
dicameato; ma^ para obter esse resultado 6 prec so qne seja dada com o maior cui^ado, e qne pe-
netie^te nas mais pequenas pregas da rancoza, pois qno 6 ao fundo da raacoza que esta a causa da
affeccao. N6s convidamos a^ pessoas qne recorr a outra qualquer, da seringa direita, fo mada de am tubo de xidro e*o qaal a extremidade redonda
tcn.1 afanni bnraro8. Estas seringas tem sobro as outras a vantagem de abrir largameote a vagina, e
por toda a mncoza em contacto com o liqnido injectado, crndicio indispensavel para a cura.
Duas colheres de sopa da nossa injeccao lancadas n'nma quantidade d'agna sufBeieere para en-
i-her a seringa, bastam para uma injeccao, que deve ser repctida Ires vezes por dia.
A mjj injeccao 6 prophylatica, isto e, enta o mal. Uma t6 injeccao b3ta, depots de nm con-
tacto sospelto, para por ao abrigo de todo o rec io de doeuca.
DSPCSITO B0E3ASIL
BARTHOLOMEO k C.
34 Rua larga do Rosario=34
PEtiHAMBUCO.
Vkf
l*t
m
e\
JL^oio BX^
*>v
A*V
^
!!.
XAB0P1 PEITOHAL JAMES
OPTIMO REMEDIO CONTRA
TOSSES, IOLESTUS de PEITO e PliTtSIGAS
ensaiado e approvado nos hospitaes de Lisboa,
Itjgalmente auctorisado pelo Conttclho de Saude Publica,
auctorisa^ao qae te acha reconhecida pelo
Consnl geral do Imperio do Brazil.
ENGOMADEIRA.
Lava se, e engoma se, com prf..i<;3o a
rua do Koguvira n. 18.
PIANOS. ~
Xoi'.hiiin di- cli.-Kir muft.) Uqm pikitloMes e de
m^ftintes modtlli*, i(,-s ma notavew b.-ni en
itJiecirtit* t.'.brcmtc.*; eotna ?)am : xtptontpp Hi
I .ii.l. Il-i.r) Hers c IM.y.I W.-IIJ \ r. : ni Xf*
^wncejt. a *a;> J Raiau .la Vm). ri^, nlrVra No
v ii. 7. af"\j-s iniiit'i c..>iniui.di>.
Mobilia de vime.
Calfiras de bal: nco. de braco, do gnarnii;d>s,
*<.fa-; jhnlineira.-, mes.-s, conversadeiras e costu
reims, tr.do i>to muito bom por yen m foite.n e
levee, eo< mais proprio* moveis para s;.letas e ga
liiM'U- do rerreiu.
No arm.izem do Vapor Franccz, rua do Barto
da Victoria n. 7. outr'oaa Nova,
Perfumarias.
Finn? extractos, hanhas, oleos, opiata e pds den
'rifire, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divma, tl.Tida. lavande, pos de arroz, sabonetes,
i-rosmeiicos, muitos artigo delirados em peruima-
ria para presenles em frascos de extractos, caixi-
nhas sorudas e garrafas de differentes tamauhos
d'agna de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos hem conhecidos fabricantes Piver e Coudrav,
No armazem do vapor Prancez, 4 rna do Barao
da Victoria, onlr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
.4rtfga de ^ontam r
phantAzlaa.
Espelhrs, leqnes, Invas, joias d'ouro, tesonrinhas,
canivetes, caixmhas de costura, albans, qaadros,
e caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dita de conro, e cestinnas para bracos de meninas,
chieotes, bengalas, ecnlo, pencinez, ponteiras para
charntoa e cigarros, escovas, pentes. carteirinba de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanterna.< magicas,eosmnramas, jogos da gloria,
de damas, de bagatella, qnadros com paisageas
globos de papel para illuminacdes, machinas de
fazer caii, etpanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, rarrinhos, e bercos para crianc,aj, a
ontras mnitas quinqnilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade qae se pode desejar de to
d-is os brinquedos fahricados em differntes partec
a precos mais resnn.idos qne 6 possivel : no ar
inazent do Vapor Franctz, rna do Barao da Vic-
toria ontr'ora Nova n. 7.
Calfado francez
a 9^;
Botinas para homem
Acabam de cbezar grandes jactnras do botina:
Je fcezerro, de cordavao, de pelica. de duraqne
cim biqueira, de bezerro com botSes, e com ilho-
uh a 9-?000 (a eseolher) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao arnwem do Vapor Francez, a rua do BarSo ere
Victoria (ontr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS prctas, brancas e de cores, diflerentes
lisas, enteitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia cem salto, brancos,
pretos e de cures differentes, bordados,
SAPATOS dfl tapetes, chariot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadaa e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portngaezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lastre e de corda-ao,
ABOTINADOS e sapaioes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pert>ar
meias perneiras para homens, e meias perr.eira
para-meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Aiuga-se o terceiro andar e sotao do sobra-
do de aznlejo, a rna da Imperatriz n. 14, lorn com-
medos para uma grande familia, ale a do mais,
como agua encanaoa, gaz, muito fresca o excel*
lente vista, e acha se no melhor estado de limpeza:
qnem a pretender, dirija-se ao primeiro andar do
sobrado a rna do Vigario n. 1.
Pretx).
Aluga e urn preto ja idoso para todo servico:
a rua do Barao da Victoria n. 22.
Alegria sextuple:
Comer e beber,
Sortes tirar,
Fogos soltar,
K* ter prazor I
Manifestacao franca
Dos acepipes ossabores,
Dos vinhos as alegrias,
Dos fogos as Kndasc6res,
Dos si-ntos os quatrodias:
E' am immenso prazer
Qae todos dtvem gozar,
Sem ter medo de peccar
E de ao inferno irem ter I
Exposigao todo dia I
F.ntrada gratis o agua fria I
VanUgom cxt'aordinaria
20 0j0d dinheiro-
Realidade:
Venham ver se querem crer
A verdade do exposto,
Quem nSo vier nio tem go3to
E tristeza ha do soffrer ;
Pois e facto : esta provado
Do Camro3 a geral fama
Do vender bom e barato
Como so v<5 do programma I
Liberdade doescolha I
Ignaldade nas qualidades I
Fraternidade nos-precos !
UNI09 DFrrtSITO EN PEfLWMBIIC*
ARTHOiLOSSEy & /
Baa Uurya, do Rozario
c
AttracQao!
- Pyroleclinia!
Gastronomia I
28 Rua do Imperador 28
Armamcm lo Cuiiijiam
Extagis maravilhosos I
Sorpreza e prazer
Ver para crer
Santo Antonio
S. Joao
S. Pedro
Sani'Anna.
Fogos:
Fabricantes Dcritos I
I'dres cambiantcs I
Vistas rutilantea 1
Effeitos prodigiosos I
Resultados innnensivoi I
Precis diminntos I
Generos:
Qualidades superiores 1
Sabores agradaveis 1
Cheiros epibriagantet(
Propriedades excitantes
Inflnencias nutrientes I
Prejos rcsnmidos f
Importacao direeta I
Variedade ermpleta J
Verdade I
Sinceridade I
Especialidades!
Raridades
PUND1CA0 DO BOWMAN
RHADO BRDM H. 52
CVassaixlo o chafarl/)
aiuisiuu o fvj- 4a arxia visiu a ^u" etstybeiooiiarLio, p<-ra veieiu l- ^ MKHnie&K
ooapleij qoe abi teto; pefldo todo superior em qcatidade a .'ortidao; o qne r-Jtu i io-
x-^Io pessoal pode-se veriflcar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LtittAR DE SUA FtlNDiCAal
V apOi eS rOaaS a SgUa maooos eouvemeDtM para ai diteraaf
4rcamaUocia> dot aenborei proprietanot e para deacarocar algxlio.
tfoendaS dO Caniia de.,0(,0 0i ,anJaQb08' as.n>elDrea qoe aqu
^odas dentadas v*rii*mM'"
Taixas de ferro fandido, batido e de oobre.
il&mbiqnes a fdndos de alambiqaes.
T*TflfihlTiiCTrira para maadioca e algodio,! Podeodo. todoa
uavuiuiBlUUB a para terrar madeira. faer njoridoa a mSo ,
Rom han (Pr ,80' v*Por'
M*****' de pateole, garantidas........ foo animaes.
Fodatl a8 maChinaS *" de <* wcoetoma preciar.
Fas qnalqner concerto de m,chi0i8mo' ?r** moi re,n,ni,Jo
?OrmftS A A ffirPO lem nje!bor*1 e m*'* baratag exiatentea do
Sncommendas.
mer
cado.
Iocnmbe-ae de maadar vir qaaiqoer mat-biaiscio i vod
tade dos ciien'.ei, lembrando-lbea a vaotagem de fawreir
aaa eompraa por intermedio de peasoa entendida, a qoe em qnalqaer neciaidade nod-
i*i preatar aaxilio.
Irados americancs e in*l^3IDeDt0, rico!"
RUA DO BRUM N.
O CHAFARIZ
ODILON DDARTE k IRMAO
CABELLEIREIROS
Premiados na exposi^ao de 1872
RUA
M
I
[MPERATRTZ
N. 8a
! A WAR.
9
W

e\
RUA
DA
IMPERATRIZ
N. 82
1. ANDAR.
Acabam de reformar o seu estabelecirnento, collocando-o' nas' melhores con-
iicgdes possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e 6s Exmas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, topete, chignon,
coques modernissimos, trances, cachepeign, tecidos. desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, (lores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
0 estabelecirnento acha-se provido do que ba de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendns e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 */o menos que outro qualquer, garantindo
perfei^ao no trabalho, agrado, sinceridade e prego razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecirnento como fdra ; vende-se cabellos em
porcio e a retalho e todos os utensilios pertencentes a" arte de cabelleireiro.
-Afc<
PII.\RHACI\ NORMAL
>f-9<
v5
'Ok

m
DE
jrosii. Kiiias ue moura & e
17Largo do Mercado Publico17
(lntiga ribeira de S. Jose,)
Acaba de ser abetla e acha se a disposii;ao do respeitavel publico esta nova phar-
macia e drogaria, completamente provida do indispensavel a nm estabelecimcDio dessa na-
tnrera, sem excepcao de productos cbimicos e medicamentos preparados no estran-
trangeiro, tndo novo e o melhor possivel.
As receitas dos Srs. medicos serao sempre despachadas com a mais seria attencao,
e sempre sob as vistas do pharmacentico qne compoe a nossa firma social.
As pessoas que se dignarem de honrar o nosso esatbelecimento com a sna confian-
5a, podem estar certas de qne serao constienciosamente servidas, nao so relativamente ao m
que pedirem, como tambem a modicidade dos precos. W?-
REDDCCAO DE PRECOS
FABRIGAS DE CHAPEOS DE SOL
DE
MANUEL & MAESTRALI
Rua do Barao da Victoria n. 23
E S 0 U 1 N A DA CAHBOA DO CARMO
E
Rua Duque de Caxias n. 64.
Os proprietarios dostes cstabelecimentos participant ao rspeitavel publico, e a sous
freguezes, quo teem sempre um cotnpleto e variado sortimento de chapdos de sol de to-
das as qualidades e tamanhos ; tendo resolvido fazer reduc^ao nos prcgos dos mesmos,
e acham-se em condi(j6es de poderem vender mais barato que em outra qualquer parte,
visto receberem todos oe seus artigos em direitura, e achar-se um dos socios na Europa,
percorrendo as principaes fabricas.
Charaam a attengao dos senhores logistas para visitarem seus estabelecimentos, e a
vista dos precos e boas qualidades dos artigo, nao deixarao de comprar.
fj ^obrem-se e concert8m-se chapeos de sol de todas as qualidades, com promptidao
e a precos modieos.
Cheshire c ndensed Milk.
Leite condensado novo.
Cerveja de Noruega.
Keller < C.
Aluga-so una casa na rua Vinto Quairo
de Malo n. 31 ; a tratar a rua no Livramento n.
t3, loja du aol.
Cabelleireiro francez
Rua do Marquez de Olinda n. 51
l.9 ANDAR.
Pixlro Routier, official de cabelleireiro o gerente da casa de Gustave Hervelin, cahel'
leireiro francez; tem a bonra de prevenir as Eirns. Srs. fami.'ias que araba de fa/era ac-
quisi^ao de um perito official vindo ha pouco de Paris, o qual estd b*bililado a desem-
pennar qualqcer encon.menda de sua arte, e se acha a disposi;8o das pessoas quo deseu
jjreslimo^se queiram utilisar. Outro sim scientifiea que em seu estebVlecimento encon-
irar.io stmpre a Monitor dos cabelleireiros, onde seacbam degcriptos c desenbados todos
os \i nteados modernos, para so ros, casamentos, bailes etc.
Finalmente pre vine ib raesmas cxcellentissimaa aenhoras, que re* ebeu um complelo
sortimento de coques, C8chepainea, jjandos, crescentes, etc., e vende tudo pelos precos
abaixo raeDcionados:
Coque de cabello de i'St, iO# a 50^000.
Trnn^as do dito l(,g), i2# \ty a 20^0> 0.
Cachepaine de dito 15, 2(>i| a 30000.
Crescentes de dito %#, a 5(!5J(K.o.
Tambem ercontrario um completo sortimento reoebido ha p. uco, de cabellos de lodas
as cores N, 5|. Rua4o Marquea 4eOlindaN. 51.



24-Kua da Kaiqaez de Oliiida-24
F.Minirui Fo Itrrco largo
Participa sens fr< gnezes c itniigos ijue mndon
a ?eu eKabelfcimentD d.' rcli.jce ro para a mesrra
rua n. 2i. onde (nconirarao nm grarde sortimento
de relogks de paredc, atreriranot, e cima de me-
sa, dos melhores gofloa e qoaliiiad;s, rel-'gios da
algibeira, de todas as qnahda es, patente snisso,
de ouro e praia dcurada, fnle.*.do '.[.laquet), relo-
gios de onro. inglez, dtscuLerto, dus nidhorea
fabricautes, cadeia de cum, pl.tqnet e prata. Innetr-a
de todos as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratoa.
LOJA DO PA
OK
btMtn Singes I C.
Acabam do feetier pela woor Mendoz.a :
RiqaissiiaM Cortes de g'rgurao de seda lisose
coin lisiras acfaanuloUdaa.
Ditos de linho para vwiidoa, contendo cada cor-
te, a neces^ario para seu franjas, trancas, I oide-, fivelias, i-tc.
Riquifsimns chapeoji para senhora, ultima moda,
a rua Primeiro de Marco n. 7 A.
Cousitiloiio medieo
I
DO
Rr. MurlUo.
RUA DA CRUZ N. 26, ANDAR.
Recem-chegado da Europa, onde fre-
quenton os hospitaes do Paris e Londre%
pode ser procurado a qualquer hoia -
dia on da noite (iara ohjecto de sua p: -
Issao.
Consultas das 6 horai da maohi as 8 ho-
ras, e do meio dia i duas da tarde.
Gratis aoa pohres.
ESPECIALIDADES.
Moiectias dp seahara^, da pnlie e de
Tianca.
Gratiiicase a quen) ievai nas olflcmas, on d>-r
noticia certa *e nma tronxa do roupa que desap-
pare?eu no dia 22 d-j eotrente, da eslai;ao da Jjo-
ledade.
&ffcO(ti5il
B1G4MIIUCU
E
ill
DR
liranda I bni3e
\y. 37 Rua Duque >Ie Caxias .N. 37
Neste esl3be!tcin:ento enca.lernaso
ccm toda presteza, nin'dez a perfti;a,
desde o mais simples at 03 nuis pri
mcrosos trabalhos de retime e vellndo.
Pauta-se e risca-se papel para llvros
em branca, tanto para 0 coirnnrcio, como
pjja rcparlicoes pullicas, numerase, li-
vros, executase tudo quar.to e relativo a
gammographia.
Miranda & Irmao, rouniJos de boas
{) machinas, bons artistas e esceUeatea ma
I teriaes, julgam-se habHiUdus para servir
h satisfactoriamente as pessoas que quize-
f rem trabalhos tao pcrfcitos como os quo M
! vem ilo estraDeeiro. \ 1
3
)
ALUGA-SE
a casa terrea n. 133, na rua \idal de Negreiros,
outr'ora Imperial, com excellentes commodos : a
tratar na rua Marquez de Olinda. armazem nu-
mero 32.
PENHOBES
Na uraveasa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na raesma easa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
HI ^Hi IB
Engenho para arrendfi
Arrenda-se o engenho d'agua Canandui
'regoeria de Jabuatao. proximo A povoaca
terras nara safrejar 1,300 paes de assnear :
ar no mesmo engenho, oa na rna do Mar.
Olinda n. i.
Faitrica de Wmw e leeidos
na Nagdalena
Admitte alguns aprendizes de ambos os sexo.-
de 12 annos para cima. pagando mensalmentft
para comedorias :
No primeiro anno do 154 a 20(5, conforme a ida-
de, e do segando anno em diant-. mais o salario
qae merecorem, conformo o desonvolvimeuie de
gada um_____________________________
_ 2,*ffa f) e engomi a-9e com perfeicio roupa
de homem e ** m^9r BS rn* d* Aurora n- ^9-
2 andar._____________________________
i5O#00O.
ESCRAVA FUliIDA
Fuglo da cata de seu senhor a escrava F. licia.
de cor parda clara, cabellos corridos ate os hom -
bros, baixa, cheia d.t corpo, rosto redondo, falu-
Ihe nm dente do la>lo direito, foi acompanhada
p r nm hemem (praca da cavallaria) o qual se cba-
ma Fracch da mesroa cdr da escrava ; eonsu terem sefoidn
para oserta, donde sao ambos natnraes: recant-
menda se as autoridadin e capiiaes de ".ampo a
apprct.en3o de dita ewrava, remettondo-a a
Camboa do Carmo o. 3.
L W
-


Sv-
a=
;* ife l^oawnb^co -fc Terca feira a 4ft Junho de Y&1&:
Engenho
! Altiga-ae umaJjoa
; raodns a rua do Corua
T*B4e-*e ) engenho S. Pedro, situado na pro-
-lictta de -lagoaa, com area do Porto Calvo, a
mm*-' --'a uma legoa distante do porto de maT do
aifl, tern oxceilentes terras, matas, e safreia
rrfothnnentu 2,(00 paes : a tratar na rna do Vi-
gario a. 31.
Alnga-se
o arnazera e 3* andar com sotSo, sito a raa da
Praia n. 5, tendo baslantes commodoj, e pintado :
a tratar na rua do Vigario n. 31.
Sitio para alugar
Alnga-se o sitio do coramendador Rabello, no
Caldcireiro : quern o pretender, dirija-se a rua do
Commereion. 48, andar.
Alugja-ite uma casa terrea na Capunga, Bal-
sa-Verde n. 12, com 4 quartos grandes, 2 salas,
coiinba fora, cacihiba e quintal: a tratar na mea
hi run, ou ca loja de calcado a praca da Inda-
peodencia m. 13 e 13.
0 Aposlolo
Pcrioilico oatlaolico do Rio de
Janeiro.
Tendo de s;relevada a cjiatio esta folha
logo quo. o nuraero dos seus assignantes
comportem as despezas para esse Gm, como
da circular ja publicada, e neste intuito as
pessoas quo quizerem subscrever para o
rnesmo jornal podom dirigir-se ao sou cor-
respondente nesta provincia, Domingos Fer-
reira das Neves (ruimaraes, raa do Impera-
dor n. 51, livraria.
AUcncfio -
Quern liver achado um volume Ja obraMemo-
ri>s de Um Medico-cum os tignaes do "Gabinete
Portncuez, f;z grande favor manda-i > enlregar a
rua das Crazes n. 37, a Joaqoim S. P. de Siqaeira
Cavaleacie, que sera recompensado. Dito volume
foi deixadn no bonds das 4 horas da tarde, da li-
cha doe Afngadoa.
Da-se iratuitanieme para morar a um preto
ou pessoa ecm poucafamilia, um corredore quar-
to em porta de rua, raediante a prestaca) de pe-
qneaos servi-jis : a tratar na Caraboa do Carrao
n. 21, 2* andar.
a casa convaict Denies com-,!
d ua*MM>. 16rVfH
ir na. mesma ma n, 171.
m
| MEDICO-CmilRGICO
2 DO
a* Dr. Pedro d'Athayd,e L. Moscoso X
5 PARTEIHO E OPEBADOB,
ffillua do VIsconde de Albuquer-jP
que II. 3D. jgfc
ESPEC1AL1DADE
9. Molestias de eenlaoras e W
~i(S meainoi.
Consultas das 7 as 10 horas da ma-
99 nha, todos os dias.
fitt Das 6 as 8 da noite, nas -eguudas, quar-
-S Iss e sextas-feiras.
19 Os doentesquo mandarera os seus cha- i
@ mados por escripto at 10 horas da ma- A
*2 nha serao visitados em suas casas. S
$9. W
O Sr. Affonso Jose de Mendonca Junior 6
rogado a 7ir a rua e.-tr*ita do Kosario o. it>,a
negocio de partiealar iuteresse.
Na rua velha de Santa Rita n. 37, precisa-se
alugar uma preta para vender com taboleiro.
Mudanca
Manoel A. Coelho avisa a todos os seus amigos
e freguezes, que mudou sen estabelecimento de
cabelleireiro do 1 andar n. 36 a rua Duque de
Caxia-, para o 1 andar n. 44 na mesma rua, cs-
quina da travessa da ma larga de Rosario, sendo
a entrada pela travessa.
AVBMO
O Sr. Domingos da Silva Torres tern nma carta
v'ndade Loanda, na praca da Independencia nu-
mero 39.
Padeiro
Um moco hespanhol, que sabe trabalhar em pio
francez, de cujo tern bastante pratica, bem como
irabalha em masseira, ollerece se para esse fim,
podendo ser procurado na rua Direita n. 95.
Avisa-se ao commercio ou a quem inleressar
que na alfandoga acha se a venda a nova tajrifa
com o seu respective relatorio, par 5^.
Aluga se o armazem n. 9, da raa da Moeda,
com baslantes commodos para deposito de algc-
dao ou outros quaesquer generos : a tratar na rua
da Mr..Ire de Deus n. .">, primelro andar.
T
II
AttJGASE
Moll
Est-u encoitf-ftQado !
Aifoa mule em peihra dura
Tanto da ale Qileiri fnra.
Roga-se ao 111m. -Sr. ignacio Vieira de
aecrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Duque de Gaxias n. 36, a con-
elnir aquelle negocio que'S. S. S8 eomprometteu a
realtsar, pela terceira ehamada deste jornal, em
3m de docembro da 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cuajprio;
o terceiro e (|uarto andSres d pteditf'da rua do
Bara i do Triumpho, .antiga Jo Brum, n. 84.
Cozinheira
Precisasede uma cozinheira para casa de fa-
milia de duas pessoas : na rua da Uniao n. 67. >
Aliened.
Vende^a u/pa.casa.tprreaa 17, a,r|ia de S. Pe-
dro Martyr, on LaMfra da Ribeira, em Olinda,
t por este motivo 5 de novo chamado para dito hao proprio, ciHSea dobradoa, tendo 38 palmos de-
dm, pols S. S. w deve fembrar que esta negocio
ie mais de oito aonos, e quando o Sr. sea filho se
jjiaa.csta etdaja.___________________
Carva-ihtr it Sogtv>-ira, na rua do Apollu
o. 40, accam sui^o o_Banco t^njujercial
de Vianna1 e shss JrgetrcMs em todas as ci-
dades e villas de Portugal, d vista e a piazp
por tftdos os paqoetes.
X
Rr
~~
0B~$
!i" is"
Jtfio fapado
(rente, So ditos do fuudo, quictal era aberlo, em
forma triangular, a tituacao 6 sufflcientemente
vantajosa, para qnalquer eitabelecimenlo por ter
tres (rentes : quem pretender pode prorurar em
lOlieda, na supracitada rua a Luiz Pinto, e no
Recife a Antonio IVanciseo, na botica da praca
da Boa-Vista de Joauuiiu.teoacio'Ribeiro, que dl-
rao quem se acha cempeteWemente habilitado pa-
ra affectuar essa venda.
Sal cjlQ'Assu
Tem para vender Joaquim Jos6 Goncalves Bel-
I trao , tar,, no sen Scriptoria, a rtt'a do Commerrio n. 3.
i' II-------i> I'.i------------------ i.....---------- n
Aluganvse estas
do Olinda, e antes
tar com o seu pro
Pracisa se cornprar uma negriaha de 9 a
10 annos de idade, q'ue seja sadia e sem vi-
cios: quem tivere quizer vender .dirija-se ao
3." mm i iiMi.
Jii bte ?
Ja logos f li sate ?
.-
41 Rua do Imperador
I) novo pnprietario deite acreditado e bem motitado estabelecimento, com o Gm de
.-vac os creditos de unico neste genero, tem reformado e melhorado completamente
o ->'s;h > em ordein a pod. r s,-tisfazerqu8lquer pedido para ss provincias do norte e in-
ter.. (1 -la. girantirulo perfeifjSo em todasasprop-racoes, aceio e medicidado nos precos,
Bomjiativel com estc genero e'edrogas.
c-irteiras de glohulos c tinturas de 12 medicamentos ate 120, a" escolha do con>
'
>, para morde.iura de cobras.
; :( Chocolate homeopathico.
'Para bexigas comoprcservalivo. Cafe homeopathico.
*i { ;
Elor d'araruta.
T6s para dentes, inglezes.
:.-;izeiro, para intertnittentes.
ihs. para anginas.
hi] i, para queiw.aduras.
?> -.l.i, para paralysia.
kin in.ii d'arnirn, para covlusdes, cor-
*, etc.
A CHEGARK.M
(poc'eldoek d'Amica.
ite Rhus )
Jeric6, para rheumatismo.
iiatta-mutta ou jaboti, para tosses.
Espirito
ra.
de Ilahereman ou de campho-
l/Ho tie Bryonia
?para rhematismo.
Cactuc grande floras, para pneumonias
molestias do corac-do.
Arh.;-sc constantemente A testa do estabelecimente e inspec ionando todas
'Braro s o Sr. Dr. Jesuino Augusto dos Santos Hello.
as pre-
Ha-para aluga^ aama^la Aurora n. 05, ui
icrava, #rionlo, rao, lauHo robusto e habiliti-
para qualyuer ser.-ieo.
% ConsSlorir) ff!rN!rCwiffffico
m db
A. B.^da ^ilya Maia.
Rtia do Viscous Albuquerque n.
'll.ioutr'oia raa flajrrjatril da Boa-Vista
n. 11.
Chamados : a quaiquer hora. ij
O Consoitas : Aos po.ses gratis, das 2 as Q
fl i hofas da tarle.
Cozinhar e engommar.
Precisa-e alugar uma escrava qae saiba cozi-
nhar e engommar ; 6 para casa'de-pequena fami-
lia : na rua do Vigario n. 16, 1. andar.
I UxcdfeDte oceasifto 1
Para o rico e para o pobre H
^ O^timos tcrreuos |ara
a cdificaeito
^ com -lOO |>alaios de fundo
A 1AOOO cSOO rs.
S? Retalham se os grandes terrenos que
A- circundam a e-tacao da Boa-Viagem ;
*^ sao terrenos pro!)rios( deiembaracados e
19 corlados por ires estradas : a real, a de
Terro e a que see'ue da estacao para a
Boa-Viagenr, e licam mui proximos ao
rio Jordao.
A coniKodidade do preco, a facilidade
do transpjrte de materiaes pela via fer-
,rea, a proximidade de madeiras, e sobre
^ tndo, o privilegio de viajar grafrs at va ^
^ por pelo espaco da 10 aonos. a quem j9
A ediQcar proximo aestaestaeao, tudo islo
jw e de ineontestavel vantagens e deve ani-
K mar os pretendentes. os quaes desde ja se
podem diriyir, ncs dias uteis, a rua do Im-
perador n. 48, e aos domingos e dias san- >X
tos, na estajao da Boa-Viagem, ondese jR
encontrr.rSo com Tristao Francisco Tor- ,gg
res, encarregado pelo proprietarto a fa- -X
zer quaiquer negocio. '2?
Bolos para Santo Antonio
e S. Joao.
Na rua estreila do Resario n. 35, faz-se boics
de S. Joi', eufeltados, proprios para presentes e
para qualqoer reuoiao, par preyo con.modo c bem
I feitos ; prepara-se bandejas de bolinlws finos,
com armaeoes, proprias para casamentos e bailes,
por p'eco niuito commodo e muito r.sseiadcs ; na
mesma casa tem bouquets para enfeitar bolos,
de floras o de cera para lodo preco e de gosto, e
faz-se bouquets para noivas, com Ctas bordadas
a ouro, devendo vir as encommendas dous dias
antes.
0

m
V
B' somente uma preveocso para o proximo fa-
nito Santo Antonio, Si Joao e S. Pedro.
Siirl....
E' oa confeiiarla do Campos que se deve pro-
curar tudo qnanlo e necessario para drvertir se o
moral e confortar-se o.ph'ysico. Isto 6 :
o- espirito e a materfa.
E scua) vija-ii
Alera dflierroos tudo prompto para que quai-
quer famili* iuaiiJ aastaes noites acimanomea-
das alii compsar a necesssario para (e>lajn
Mm noite Mm,
'QTemos tambem accessories para o-tv.brico das
Sorle e *). l>oI
A sabir ; '
Amendos eoaleHadss.
Papcis picados-com, estaljs.
Folhas com veraalhe la nova.
Massa flna, seiJta^e-ifilva, para bolos.
Duzentos mil ovos.
Manteiga fina.
Tudo i*lo
Na eonfeitana do Campos
'i 1 luiperudor 2 1
N. B.Ace.nfeitaiia do-(;ampos fornecera vasos
gratis, a goon eamprar peld m?nos as amoidoas
para as series.
Empreza do gaz
A enaprOTftdo gaz tem a honra de annunciar ao
publico que reeebea cllimamente nm esplendido
soTtimento dejnstres de vidro, candierros, aran-
tlelas e globos, enjas amo.-tras estao no escriptorio
a raa do Imperador n. 31, e serio vendidos aos
sens freguezas peto preeo mate ratoavel possivel.
Prec sa-se de un a ama de leite, eserava ou
livro : na ma do Itnperador n. 52, 8 andar.
Ama dp leite
Precisa-seite ama ama-de leite que seja moca
e sadia : a tratar na thesouraria das loterias, da
9 horas da raanha as 3 da tarde.
m BACHAP.EI
MraBL AMORIM ^
AdvdssCdo
9( Rua do Imiwrador n, 71.
Escravos fogidos
Fugiram no dia 39 6% maio d corrente anno,
do engenbo Jundia de Cima, os escravos Salustia-
no e Francisco, com os signaes seguinles : Salus -
tiaao, de 22 annos, alto, bem feno, prtto, sem
barba alguma, apenas com pequeno duco, cara
redonda, bons dentes, p6s compridos e bem feitos;
Francisco, de 26 annos, poaco mais on, menos,
boa altura, ua bigode, tem falta de dentes, 6 tsm
pouco fulo, cheio do corpo, toeador de tlola, e
muito regrista. Salustiano e de Papacaca, e Fran-
cisco de Garanbuns, para onde se desconfla terem
seguido : roga sea todas as auloridaJes e capitaes
de eampo a apprehensSo dos mesmos, eleva-los
aonwsmo engeuho, ou nesta praca, a rua Marqnez
ile Olinda n. 86, eaeriptorio de Leal & Irnuo, oade
serao gralilicados.
E' muiio baxato,.
Tndo e de cabellos comrridos.
Tranens muito comprieas (tor 12^000.
Um par do crespos por 6#-.
Topet por 34.
Coque ere3po comprido por 18*.
K murtas outras obras que so se vendo.
Ifa.rua Duqe deCasias d. 4&.
-1- Na rua.dos Quarlersri. 16'ha seiopre pin
alugar, es^cravas para todo servico.
ae-::-------i___1____-b- .
Alugase por 134000 nma oaaaicom ,saU d
frente, 2 quartos e_cozinha, com granda terreno e
alguns pes do cooaeirus, aa rua da Fundicao d.
31, em Santo Amaro : a tratar no mesmo lugar,
rua do Lima n. 10, ou no Livramento n. 3.
Precisa-se de um caixeiro de li a 16 annos
de idade, quo de* Dador a sua conducta : dirija-se
a rua do Livramcnlo n. 7, loja dejcalcade.
mmss^BsnmmmnimasmmammmmmmmmmmammmM
COftrlFRAS.
AVISO
Precisa-se comprar dous escravos, pedreiro e
carapina, paga se.bem : a tratar na thesouraria
das loienaa, a ru* Primeiro de Marco n. &
(^cumdoDr. Salifco, er
ComprasarU*
naeio nso : nesta
qnern tratar.
Fade
lypographia
e acliaim com,
nesta lypographia'0 % folheto ds ^HOdtos
Historicos da yuetra do Paraguay, con-
tendo a vista da rendicdo de L'fBguayaaaJ
Co.i.pra^so Qrua casa terrea bem construida,
qnetenbabom qnnttal, chSo proprio, e qae sou
preco nao exceda de 5:000;, na freguezia de Saa-
lo Antonio ou Boa Vista : a iratar nopateod-
Carmo, botica.
rsnt
VENDE-PE
Engenho w\ Seriohaem.
Vende-se anas partes do
engenho Novo, sito na fre-
guezia de Serinhaero, distan-
te da estaqao de Gamelleira
3 leguas, moente e corrente,
que safreja cerca, de 3,0.00
pae*s, om optimas terras,
moyido a agwa e bem obra-
do, por preeo eonmiodo: a
tratar gueiroa. 4 rua das Calcadas
n. 14, ou -bb! iacaeaal de
guoii-a.
I-,!
Engenjiog, enj Maiftam-
guape.
Vende-se os segomtes-':
e Patricio.
A tratar com seus proprietaries nesta cidade,
e para informacoes com Joaquim Pinto de Mei-
relies Filho na mesma cidade de Maraamguape
Tasso Irmios 4 C.
Frederico Sodre da Cunha
Motta
estabelecido com armazem de fumos, a rua de
Jdariz & Barros, outro'ra Cordoniz n. 14, sob sua
firma individual, offerece aos seus freguezes os
fumos abaixo declarados, a saber :
ftoyaz, Rio Novo, Daniel, Minas,
Pomba, Descalvado, Barba Sena, Virgem,
Parahyba, S. Paulo, em rolos, em Iatas.
Garante ae m quaUidades e a njcdf ida* nos
preens.
Espeliaiidade
Vluho ;|(rtiallar. pM> e ge-
uuino.
Acaha j& chegar ao mercado alguns barris de
waho do,A|to Bouro,. ^special e unicamente pre-
Haiadot 4o Jextifeclo Ai uva e isento de quaiquer
nfec#io, s^nHo- maim'mais brando que o da Fi-
gueira, o que or torna recoraraendavel pelo muitc
qae agradi ao parladaf o^preterKel aaodos os ou-
tros vinhos do paslo.
. Aeha-se a venda nfcaiarmaaeBskle JoBo Jfcse Ho-
flriifnes Mendes, Souza Batto & C. e Fernandes da
Qjeta & C.
Baafliao de Noruci
%
Precisa se alugar uma ana para comprar e
ajudar a cozinhar para casa de pouca familia : a
tratar na ma do bnperador n. 30.
Ama Precisa-se de uma ama forra ou ea-
^xixxo; crava> para casa de fami|ja a [ralar a
rua de Hortas n. 15, ou na rua Duque de Caxias
n. 111.
A in a Aluga-.-o uma para cozinhar :
rkiiia. Direita n. 93, 1* andar.
na rua
AMA
gundo andar.
Preem-se de uma para co-
zinhar, para casa de familia :
na rua do Brum n. 80, se-
a mctade do sobrado da rua de Lomas Valectfnas
n. 100, uma parte fli casa terrea Ha rtfa-dos Pes-
cadores n. 31 : a tratar no pateo da Paraizo n. 2
Armacao dearaarello
Vende-se uma armacao de amarello. envidraca-
da, com baleao, por commodo preco : a tratar na
mi do Cresoo n. 20, loja da* tres oortas.
ao
Aluga-se
C01SSULTORIO HOMEOPATHICO
DO
Dr. Santos Meffo
Consultas pela manha, e a noite ate 9 horas
aos pobres.
i
P1IOTOGRAPIIIA

IMPERIAL
&c.


LOPES
ESTABELECIMEATO DE PRIMEfRA 0RDEM
Bna do Banlo da Yfcttrian. \i sebrado
(ANTIGA RUA NOVA)
Trabalhos premiados na ultima exposiijao
DO
RIO DE JANEIRO
Acha-se montedo sob as melhores cordicoes ('e arte, e abert i
roncurrencia publica, este estabelecimento, o primeiro, semdinida,
deatu provin-ia, no qual se tiram retratos pelos meUiores e mais
modcrnos sjstemas, empregando-se somente material de primetra
qual dade, e garantindo-se
Semelhanca, nitidez e dura^ao.
Trabalh-se todos os dias nteis e de guarda, desde as 10 horas
da manna ds qualro da tarde, nfio prejudicando 0 tempo de ehuva
ou nublado a perfeigao dos retratos.
Faz-se toda a quMidade de copiaa, augmentandoJas ou diminuin-
do-as.
ALUGA-SE
o segundo andar.-do sobrado n. 37, sito a rua da
Aurora, c terceiro dito do sobrado n. 13 da rua
do Bom Jesos* e o sohradb n. 181 da rua Impe-
rial : a tratar na rua da Aurora n. 51.
uma ama. que saiba cozinhar e engommar prefe-
rindo se escrava : na rua d i Imperador n. 28,
armazem do Campos.
Preciia se de uwa ama do leite e outra para
engommado e cozinha : a tratar na rua do Amo-
nm n. 5i, aas-9fa naaha as 4 da-tarde.
Ama Precisa-se de uma ama para casa de
u" pequena familia: na rua Duque de Ca-
xias n 5i.
Precisa se de uma ama para comprar e co-
zinhar : na rna da lmpmtriz n. 40, segunJo an-
dar.
A loja das seis portas em frente do Livramento,
cocliniia como sempre, a vender barato quead-
mira, o para que tem s"empre um completo sorti>
mento de pechinchas, como abaixo vrrao : gra
nadines de listral com palmiuhas do cor a 320
rs. o covado, ditas de lislra a 2i0, clutas escoras
e claras a 2i0 e 280 r3. e fina3 a 300 rs. o cova-
do, madapolao a 4,800, 8.500 c 6,000 a i eea, dito
francez a 6,000, 6,5(10 e 7,0(10 uma, completo sor-
timento em uumercs de chapeos de seda flna, co-
pa ;i!ta, para homm a 7,000 rs., brim Angoh a
40:> rs.. dito pardo tlao a 3*8 re. o covado.
Salsa parrilha.
Neva remessa, excellent^ qualidade ; veodeS
na rua do Vigario n. 16, 1 an|ar
Afaba de cue;ar um,pe;neno lo'e de caixas
deSte (Jesejado bcajbao :. no caes da alf.nlega,
armt^en do Tasso Irmaos &C.
CARNALTBA.
De qualidade" -upenor : na raa do Amorim n.
37, armazem de Ta-so Irmaos & C.
Baaatlsalmol
Pape! oitavo, lisq, pantad*. e para luto.
Lindas seefelarws, contends :
50 foJhas de papel.
50 eavelopes.
Preco-liCOO
100 fuHiae de papel.
106 envelopes.
Preco-?*C00
0 papel marcado gratis com as iniciaes do coai-
pradt r.
______ Livraria franceza. ,
Vende-se
Cruz n. 4.
I ofres de ferro
em casa de Hawkes AC, a rua da
Vende-se
Crczn. 4.
Chafariz de ferro
casa de Hawkes 4 C, a rua da
em
Dopoler de Luiz Jos6 da osta Amorim,
como procurailor do Domingos Jose da Costa A-
morimj extraviaram se sete apolices- de divida pu-
blica, ao ."egiindo pertencentas, ?endo uma de n.
1,043 do valor nominal de 4004, veneendo o juro
de 6 0|0 ac anno, emitiida no anno de 1828, e seis
de-ns. 64,023 a 64,028 do valor nominal de 1:000*
cida uma, veneendo o juro de OOiftao anno, emit-
tidas no anno del863, achndo-f aagos os juros
das mesmiig ate" o 1 semestre de 1871 a 1872 ; o
que tudo se fazpnblico, nfio <6 para que algnern
qneae tenha achndo asrestima, do que sera gra-
tificado, como pela necessidade de promover pe
rante a fazenda nacional o processo de sua subs-
tituicio por oulr?s.
A mm Ma Pat&) de s- i>edro n- 3 loJa- rua
no de Lomas Vaientinas n. 16, precisa-se
sempre de amas seccas e do leite, assira como de
ca xeiros, copeiros e criados.
AMA Precisase de nma ama que saiba co-
A-cv- zinliar e fazer o mais servico interoo
para casa de familia de duas pessoas: na rua do
Apollo n. 51, andar. -
AMA
milia de duas
79, ( andar.
Paga se bem a uma ama
forra ou escrava, para cozi-
nhar e comprar para uma fa-
pessoas : a tratar na rua Direita n.
Precisa-se de uma ama : fca rua do Impera
dor n. 30, loja.
I.eiaiB.
Tanques para agua
de ferro galvamsado e de diflerentes tamanhos
na rua do Barao da Victoiian. 6, precos com-
modos.
Arinazem Progresso
17 Largo da Penha 10
Vende-se:
CHOURICAS do reino muito novas a 480 rs. a
libra.
GAZ (marca Dewoes) a 280 rs. a garrafa.
E outros mais generos que se vendera mais ba-
rato de 10 a 20 por ceuto do que em outra quai-
quer parte, que e enfadonho menciona los
Se duvidarem venham ver
0
Iff
~ W;i-on Rywe.& L vendem uo seu armazcoj
rua d8 Commercio n. li :
verdade.iio pnr.no de algodao azul amenca-uo.
Excellente llo de\e!a.
Cognac de l1 qaalidade
Vinfco de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qnalidadea.
Popefteas modepaas a 800
rs. e \$ o ciiVadi).
Por este preco so ua loja da Ame-
rica a rua do Cabuga u. 10.
Oao-se aauostvaei.
E' hanifo.
Um vestido branco de cambraia Una por 3^
S.ias bordadas a hi que valein \0i
Alpacas de linho e la com listras de gase, boni-
tas, por commodo preco.
Mad poiao francez, superior, peca 6i.
Bramante de 4 larguras, muito bom para leu-
&m a {600 a vara.
Crelone francez para colchas, lindos desenhes,
cores garantidas, covado 400 rs., e faienda de
1 pUUU.
E' ver e comprar, na rna do Cabaga n. 10, loja
da America.
Alnga-se o terceiro andar do sobrado n. 45
a rua do Barao da Victoria, com grandes com-
modos a tratar na loja de joias do mesmo pre-
dio.
CRI ADO
Precisa se de am criado, livre ou escravo, pre-
ferindo-se crioulo, que seja fiel e que se queira
sujeitar ao servifo de uma casa de pouca fami ia:
a iratar a rua do Imperador n. 57, loja de louca.
Avisa-se ao publico qua furtaram hontem ( 2
de junho) da cella de frei Joao dos Marlyres,
no eonvento de S. Francisco, um relogio de ouro,
patente inglez, cohort-), algum tanto usado, n.
23,103. Roga se a quem o apprehender em tiao
de ladrao, ou souber quem o possue em boa fe",
que o mande entregar ou avisar ao sobredito re-
lijjioso, ou aqui ne*4a tvperaphia, no terceiro an-
dar.
Rua sngesn tin Magdaleua
Uma senbora franceza, dlscfbula dos melhores
prsfessores do Paris, deseja dar licoe3 de piano,
canto e francez : a tratar na sna residencia aci-
ma iodicada.
*4$
Cdilr^
duzia
8S0O0
la retratos de uma so pessoa,
em cartdes para al-
UlIM
bum.
Pura'os retratos esmaltados, colloridos, grupos.'e augmentados ba
uma tabclla de pre$os.
Tram-se retratos atd tamanho natural.
EXPO
NOITE
m
C0i\SllT0RI0
Medb-cirurgico
DO
Dr. Johc Feltx da Cunha Me-
neiei.
Medico operador.
I RUA ESTREITA DO ROSARIO N. 3.
Da consultas todos os dias das 9 ho-
ras da mtnha as 4 da tarde, dessa hora
em dianle aeha-se prompto para quai-
guer cbamado, em casade sua residencia
a rna da Princeia Isabel n. 4, junto a
estacao dos trilho* de Olinda.
Das 7 as 9 horas da manha da consul-
tas gt-atis aos pobres.
E3PECIALIDADBS
Molestias syphilitioas, via digestiva e fe ,
ores. .,,/
J WP*&gffiP i Ml '^V W
Aluga se um raoleque de muito boa conduct
ta, de 14 annos, proprio para qnalquer servico
a tratar na rua do tlangel n. 41, t* andar.
Casa e terrenos baratos ho m
o.
Alnga-se um< eeerava que faz lodo servico
de casa ejrua : n.rqa h|o Imperador n. 50, ter-
cejro apdrr.
J fia rua Direita n. 25, segundo andjr, ha um
escravo para alugar-=e, proprio para servico de
Mrtttl ou easa de familft.
Uma senhora de idade e de bons costtimes,
offerece-se para ser ama de casa de pouca fami-
lia : quem precisar -diiija se a rua de Hortas n.
106, loj?.
CASA DO OURO
\o* 4:000^000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'oraNova
n. 63, e casa do costume
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
Buito felizes bilhetes a sorte de 4:900/000 em um
meie>bilhete de p. 76 e um meio de n. 3038 com
a sorte de 200*, alem de outras sortes menores de
40*000 e 20*000 da loteria que se acabou de ex-
trahir (102") ; convida aos possuidores a virem
receber, que promptamente serao pages.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita
vel publico para vir ao seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar quaiquer premio, como prova pelos mejmc s
annuncios
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga
'antid )i da 4* parte da loteria a beBeftcio da
Igreja de Santo Amaro de Scrinhaem, que se ex-
trahira no dia 18 do ctrrente mez.
Precos
Inteiro 4*000
Meio |*000
De lOOcOOO para eiaua.
Inteiro 3*500 |
Meio 1*T50
Recift, 8 de junho de 1874.
Joao Joaquim da Costa Lett*.
Antonio Jose Rodrigues dp Souza, na thesoura-
ria das loterias a rua do Orespo n. 6, vende sna
casa do taipa e terrenos de seus sitios no'lngar
do Salgadinho ; a tratar somente oom o mesmo.
Vende-se na rua do Commercio n. 4, cerveja
Xoruega, marca ML:
Bitter Augustura.
Rum de Jamaica.__________
AiifUfeas TOfdadeira*
fcichas hamburguezas qnc vera a e=!e mercado
raa Marauer- deuhnda n.5l
Oranadine a 160 rs.
vado
Na rua do Queimado n. 43, junto
da Magnolia.
Aproveitem e acreditem.
Grande sorlimento de Granadine de list
droes muito boaitos, preprios para vestido
rs. o covado.
So se vendo II...
Dao-se amostras.
o co-
a" lr-ja
rs, pa-
a 160
Algodao azul
Algodao azul amerieano, o que ha de-melhor, a
. 20 rs. o cuvano ; aproveitem, que se esta acaban-
do. Previneseaos senhores de eugenhos.
Fustao branco
Fustao branco trancado, proprio Rara vestuarios
de meainos, a 320 rs. o covado, pechmcha ; apro -
veitem, que se esta aeabando
Cambraias victorias
Gambraias Victorias, flnas, a 3* e 3*300 a peca ;
esta se aeabando : sd 6 n. 20 da rua do Creipo,
loja de Guilherfie & C, junto a loja da osquioa.
Vende-se
uma casa*a Tawej oom bons comnwSqB, tendo i
salag, 3 quoftu, oozioha fcra e nm alpendre da
parte de detraz, l quarto para criado, quintal mu-
rado, em terreno proprio, com 180 palmos de
frente a fundo, por preg) commodo
Carvalho A Frelras, a rta
aljada
tarty mesma'.
a iratar com
lo RSngel n. 9, padnria.
E-SE
ndepencia ns. 19e2t
a tra
TAGHAS TACHAS
BATTDAS FUNDIDAS
Qualidade super or
Sysfena itoyo
Mais barato do quem em quaiquer outra -parti
RA
FimdJcao da Aurora
C. STARR & C, m I.IQnDACAO.
Vendem
Wilson, Rowe & C.
Era sea armazem a rua do Trapiche n. 14-. o se-
gumte :
Algodao azul amerieano.
Fio de vela.
Carvao de pedta ie todas as qnalidades.
Tudo muito barato.
Vende-se a loja de fazendas da rua de Mar-
ciho Dias n. 109, com poucos lundos, Dropria plra
pnncipiante : a tratar na mesma rua n. 56 A.
^
rveia
ncao.
aeuava
rs. a HWa
Vende-se cerveja preta de superior qualidade,
alama Barclay A ., a-.tambem braica, attca
Bass. j-Jibas vindaa de Londres : na rua do Cetn-
'meTcio nr22. arma*em lie Edward Penton.
a. 33, se di-
*wn. localiea^a,
. --j
!Na Hal61fM|uez de tKMt
,ra quem vendenma loja, rau'm be
com uma armJ^ao muito boa.
"Bi
Irmao, no pateo da Ribeira n. 62 A.
oa .acquisi
t&na pessoa1 ajne ee retira
cia degaja vender tMmap
trSsj)<*ar a chaVe^a"sa
tarde emdiante.
L
bk:



..\


Qiaab d fiteDinUhioo w*TTe* ifeka 9 de-Juuko ds d&SH.
7
1

\

/

fazeirdas fats
Rua I'riraoir^JarjQ, n. -7 A
Cordeiro SimoescfrC.
E' esta ami ds eazas ime -boje peffc oom pri-
anazia offerecer aos scus freguezes um \"ari* n csortimento da fazeodas iinas para grande toi-
lette, e bem assim para ufo orjlinario de lodas as
classes, e por prceos vantajosos, das quaes faz am
uequeno rercmo.
Man dam fatendas is caaa* dos pretendentes,
fara o que lent pessoal nece6ario, e duo anustras
coediante penhpr.
Cortes oe fttta- Groidendptes de todas as tares.
Gorgurao braneo, lizo, dc listras, preto, etc.
Setim Macau, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo pre;o.
Uranndirie tie eeda, preta' ejde oflres.
Popelinas de lindos padr5es.
Filo da sod;,, braneo e preto.
^icas basqiiinn? dc seaa.
Itsa'cos dc merino de cores, 15, etc.'
ttatitas bratilaWas.
i^oites co.m cambraia braoca com lindos borda-
ttieas capellas e mautas para noivas.
lii-missimo sorlinicnto de las com listras de
e.1a.
Cambreias cle ed>es.
Ditas maripozas, hranca.j, lizas e bordadas.
Naozuques do Nadoa padrSe*.
Baptirt;w,p; droes deiiwdos.
Pereal;rA* d quadros, pretos e brancos, listras,
tic, etc.
Brins de linho de c6r, pronrios oara vestidos,
eom barra e listra;.
Uicos cortas de vestido de linho. c eites da
cnesma c6r, ultima mod?
Ditto de canbraia de cores.
Fustao de lindas cores.
S.iias b^nlalas para senhoras.
Camisas bordadas para sontwas, de Imbo e al-
godan
Sortirnonto do luvas d.-> verdadeim fabri-a de
!"Uvi!i, para ht*!Wris e senhoras.
Ve?tuaJf: wainenint.-E.
niios p;ira hafltlind >.
Qiapeus para asm.
Toainas e ginrd.mapo* adama$cados de n de
r.para mes:i.
Colchas de la.
Cortinados boreal s.
Grande sortiraento do camisas de litiho, lizas e
finiad.'.s, pr.ra hemens.
Meias do cores para liomens, meninos e meni-

oi'.as escdeein-.
CoBirii?{,i .s>,iimcplu de chapfios de sel oara ho-
IB6CJ fc S8i:horS.
Meri^j d" <*/," n;ra vestioox.
Dito preto, trancad o e dito de verao.
'oaliido de,i oho e algodao para to
Atoallmdo pa-do.
Damasco de la.
Isrins de linho, braneo de c6res e preia
Sp!in>-d:- linda* cores com listras.
Chales dc meriti^ de cores e pretos.
liilos de ca-''i:iira.
Ditos de seda preta e de cf res.
Dito? Qo ion mim.
Camisas de ehita para homens.
Ditas de Hanella.
("ereulas de liulu e algodao.
Pann'is de crochet para sofa,_ cadeiras e conso-
Lenjos birddi? e de labyfihtho.
Colchas de droOMt
Tarlatana de toliis as cores.
Kicos corles de vestidoi de tarlatana bordados
ira curies.
Espartilhos li^os, bordados.
Foulard de seda, liddas cflres.
Meias de seda pare senhoras e meninas.
Hicas facha3 de seda e la para senhoras.
Ri'o sortirnonto de leques de madrcperolas e
o so.
Damasi-o de seda.
Gasemin pr?ta o deolres.
Chitas, madrpolao panno fino preto o azul, col-
larinhos, punhos delinho e a';:odao, gravaias, lu-
v.is de (io dc Eseossia, 'apetos de todns os tama-
abo>. b^!-r.s d-' vraptm, peitos brtrdndo^ para ho-
ai?ns, lencis delinho braneo e de euros, toalbas,
gi:aniar.a!n'S. etc., elc.
Ebaralo.

Una da linp^ratriz n. 72
l
~
SO o 43
DE
PARA LIQU1DAII
&QO is. o
GVl:SA^ PRAfiCtiWS A 2,60M,
3JS00O E 3;500.
:550O
dirimadlim preta a
eovado.
0 Pav3o venrle granadina protn e, Uvrada
pelo barato pre^o do 500 rs ocovaHo. 0 Pw4o.veu.le mn boutla surUraeuU> d*
Madapolao enfestailo a 3^900 airnisas fF*nc.8Js, qoni peito do alg^dao,
a peca 2S000 e 2^500. Ditas com pv-ito de J'tilu
i do 3WW a-GJZWOO. Ditas bordadas nauiU..
0 Pav5o vendo pe^as de madjpolao ethOM de CUOivO a 10^000: assini cum.
festado, pelo barato prec,o de 3.;000 a pega. igrande sortitnefito de coroulas do linho e d-
Pitas sern ser ejifestado, cam 20 jardas, a'algodAo, por pregOs baratos, e tambem tern
53JOOO. Ditas com 2^ jardus muito boa
faienda, a 6JS000, 6JJS500 e 7000.
ALPACAS PRtTAS A 500, GIO E 800 R9.
0 Pavao tem um graude sortimento de
alpacas pretas, que veudea 5)0, 640 e 800
rs. o covado, assirrr como gran ie sorti-
mento de cantoes, bombazinas, pnincezas
pretas, merhuSs, e outras muitas fazeudas
proprias parn luto.
jtedinhas a f$600.
0 PavSe vende sedas com listrinhas de
cores a tJHHH) o ooyado. Ditas com pal-
minhas a 2^009* Ditas com toque da mofo
a 13HMW s 1?400.
GAMBRATA VICTORIA A 4&000, 4^500,
0?000 E 7&O00.
fCompIetq fioftiraeato de puohos e coUariohot
tonto de linhp, como de olgodao, por pregof
em contaj .
EsparliihoA a 3?&QO, 40OUO ?
0 Pavao. veude um bonito sorliiento dt
espartilbos wodernos a :ic50 4^000 e
5S00O, assim como um bonito sortmenu
desaias brancas, bjrda^is, a 5^000 e GJiOOO.
e ditas do lSsinha de cdres a 38000 : e p&
chirmhji. .
CORTINADOS BORDADOS PARA CA.MA I
JANKIJ.AS, UM 7J> A-TK' 25l000 OPAR
0 Pavao vende um,grando sortimento dt
cortinados bordados, projirios para coma
MENBES GUIMAfeiES Atabfltn de fazer um grande abaflimento nos prer,os de suas fxzendas atten-
detifioa grAftde fa its que ha hoje de dinheiro,^ por isso creio qua o pre$o que vai men-
cibnad) agra:dnir^ *o respeiUvel publico.
fparentea 3^, 45J, e 5?, dita Victoria tapada
0 Pavao vende um grande sortimento de! janollas. pelo barato preco.de 75000,85000.
'cambraia Victoria e transparente com| *?00 ate 25000, a^sim enmo
colxat
8 "i/2 varas cada per^a", pelos baratos" precos]de damasto de la muito fina de 105000
Me 45090, 45S00, 55000, 65>00O e 7?000 1*00 cada u:na.
apcr;a. assim come, ditas de salpico bran- BRAMANTES A 15800, 25000
co, a 7(5000, e pochincha.
NOVAS LAZ1NHAS JA 560 RS.
0 Pavao recebcu pelo ultimo vapor un
E 25500
0 Pavao vende bramantes para leiQ6es,
tendo 10 paluios de largura, sendo o dt
. algodao a 15800 e 2-J000 a vara, e de linhc
elegante s rt mento das mats lindas laiznhas I a ajuoo, 25800 e 35000 a vara: e pechin
para vesti-ios, tendo transparentes com as c{ja
mais delica^as cores, e modern'ssimos pa-1
; dr&QS, que vende pelo barato pre^o de 560
rs. o covado, & rua da Imperatriz n 60.
LIQUIDACAO DEROUPA PARA HOMFNS.
0 PavSo vende um grande sortimeuto de
roupas pnra homens, sendo palitots saccos,
' ditos fraks, tan to de casemira preta e de co-
' re?, como de panno ; assim como um avul-
tado sortimento da caljas de ca=emira preta,
de cor, do brim de cor e braneo, e um
grande sortimento de colletes de todaS as
qualidades.
Tendo tambem um bom sortimento de
camisas inglezas e francezas ; assim como
de ceroulas de linho e de algodao, e vende
todas as roupas aima mencionadas pelo ba-
ratissimopreco, porqnerer liquidar, na loja
CttAMiOft BE-SOt DE SEDA- A 4JSOG0.
Vende-so chspeos de sol do seda para se-
nhorits e meninas a 45, ditcs de alpaca fi-
ww com 12 Bsles'a'4*, ditos de iWfino'de
diWcore*a'B&; dftosdeseda pararhomem
a 65, ditos inglezes com 12 asles a 89 e 95.
BfllM -FAR-BO A 460 rs.
Vend'-se brim pardo esctiro a 40O rs. o
covado, dho de cores com quadnffhos a
500 rs o covado'
CORTES DE^SBMIRA A 55.
Vende-se ottos-de caserntra de cores para
calG>'a'-5^, e* ##, drtos de dita preta- para
calija a 45, 5^; 65, o 75'.
BRIM DE ANGOLAN 25 0 CORTE.
Vende*se co:tes (ft brim de Angola para
calca a 25, dho muito ftnos a 35.
ABERTURAS PARA CAMISAS A 200 REIS
Vende-se abertura* para ca-misas a 200 rs,
ditas mais' fihas a 400 e 500 rs. ditss de
esguiao a 1^, ditHs bordaLs a 2#;
GHITAS A '240.
\''ndc-se chitas para vestidos a 240, 280
e 320 rs o covado, tem pscuras e ctafss.
)!ADAP0l.AOA 35.
Verrde-se pe^as de mad polao enfestado a
3*, ditas de dho inglez a 49900. &8, e 69,
; ditas de dito francez fino a 79. 75.00, 89,
'95000.
CASSASA 35.
Vende-se corles de cassa para vestidos a
35000.
CHITAS PARA GOBERTA A 280.
Vende-se chita para roberta- a 280 e 3G0
rs. o covado.
ALGODA0Z1SH0 A 3#.
Vende-se pecas de algodaozinbo a 39000,'
3j5t0, 49, 49500, 59.
BRAMANTE A 19G0O.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura a l^tfOO o metro, dito de linho fino
a 39, 49, eSSJS.i
CROGHES A 15500.
Tende^se croches para cadeiras a 1)5500 .
cada ucn.
LAINHAS A 200 REIS.
' Vende-se lazinhas para vestido a 200,
32', 400, e 600 rs. o eovado.
ALPACAS DE CORES A 500 REIS.
Vende se Mpaeas de cores a 500, 640, 5
800 rs. o covado.
G-RASDE SORTIME.YrO DETAPETES A 4.
Vende se grande sortimento de tapetes para
tfjdflsos' tamanhos a 49, 49500, 59, e 69
cada ura.
G-RANOE SORTIMENTO DE ROUPA FEITA
NACIONAL.
Calgas de riscado para trabalho a lsJOOO
e 19400.
Calgas de brim pardo a 19900,29, 25500.
Cal^ss de brim de Angola de cores a 29
e 39-
Calcas de casemira de cores a 59300, 69;
e 7
-
Rua do Queiniado u. 48. deftmu-
te da |irncii da lnd<|cneia
Venham ver como se queima
Cambraia transparente, fina, a 2$50o a peej.
Dita Victoria, fina, a 36 idem.
Baptistas de liaho muito larga a ^00 rs. o eo-
vado.
Cliitas pretas com salpicos a ZOO rs. idem.
Ditas de cores, bonitas, a 2i0rs.idem
Cambraias de cores, miudinhas, a t'tO rs. idem.
Brim pardo (Ino a 360 e 400 rs. idem.
LeDCoes de bramante a 2l iim.
Cobertas de chita adamascadas a 3*o00 e WOOO
uma.
Colchas de cores a 2{ uma.
Mussulina branca a 280 rs. o orada.
Percales finas de qnadros a '20 rs. idea.
Madapolao Cod a b& e bl a pe.,a.
Dito francez, lino, a 65 idem.
AlgodSo T a 3*500 e 4*o00 Idem.
E tambem outros objeclcs, por pre?os qne ad-
mira, e para apurar dinhefro S* o 43,
Grande pechijicha a 4^000
e 5^000
CORTES DE CASEM RA.
0 Pavao recebeu uma grande porfao de a 2"300 o.metro,
corles de casimeras do cores para calcas, e j ALGODAO ENFESTADO a 900 RIS.
vendo pelo barato preco de 490 0 e 59000 ^ende-s-j a'godao enf stado a 900 rs. o
cada corte, na rua da Imperatriz a. 60, loja metro, gravatus pretas a 400 e 5C0 rs. cada
de Felix Pereira da Silva. uma-
ESMERALDINA A 800 RS.
0 PavSo recebeu um bonito sortimento
das mais l^gantes esmeraldinas com listras
de seda, sendo em cores e pad roes as mais
novas que tem vindo ao mercado, proprias
para vestido;, e vende pelo baratissi^o pre-
da rna da Imperatriz n. 60, de Felix Perei- co de 800 rs. o covado, & rua da Imperatriz
ra da Silva. :n. 69.
Acba-seconstantement aberto ( &s& de noite.
Vende-se um pequenosi io perto da esta-
cio do Sfilifi'hiiho, tcaJd du frente 150
pf.!mos, o lit! funlos iinns dt qualrocenlos,
com uma elegante easa d i taipa, acabada de
proxim o li! ass-iioli, tendo isal s, 2
(pwftos o o->n,ii:a i6ra. 0 terreno e pro-
prii ii bom piMita^oee, K-ndo alguin^s
srvores do sructo, 'agua de beber e lodo cer-
C'ld ).
Para ver e mais expIicacOes, no mesmo si-
rio a -quaUjU'ir iiora a enti-nler-se com Tris-
tao Francisco Torres, t para tratar, na the-
se ur.-m a d s loterws, rna 1: de Mar^o
ii. (>.
iiapeos de seda.
Chaptos dc seda para iiomem, ; roprios de pas-
ssios, formas molernas e bem armados, com um
pequcno defeilo a 2*500 e l> jCOO, e pechincha e
esta se acabando : na rua do Crespo n. 20, loja
diw 3 portas, tie Gartherme i C junto a loja da
esquina.
Gorgor^o de seda.
Gorgorao do seda em cortes para colele e em
..(a para vftfJVr>, fawrtda inteiramente lina e se
v(nde pe)t dltninuto preeo de 3,000 r^is a covado:
n, nia do Cre>Tio n 2-' bija da tres piifasde
(^uilhermo & C, junto a loja daesqojoa.
Pillulas Catharticas
de Ayer.
Fork todoi o effeitoa d
um remedio lkznte.
Hlo ka mgartitKnte, un
remedio tarn univeraalmenta
procurado como um cathar-
tico on purnnte, e nenhnm
outro tem Bido t&o usado era
todos os paizes e por todas as classes, como estas PlllXT-
J.AB, miaves tats eetcezes. A raise t eTideate, fomaao
nm remedio midto mais certo e emcaz qne nenhum outro.
Aquclles qne os teem ensaiado sabem^tle se teem curado
j'Olo seu nso, os qne nao os ensaiario sabem qne sens amigaa
< visinhos ec tejm curado, e todos conhecem que o resultado
tirado-uma-rez, se tirtrra'todas sTeis, qbe as TILLU-
i'sAB nonca falhao por coaioqneneia de erro ou negligencia
na sna composicao.
Temos milhares sobre milhares de Oertmeados rrfereates a*
iii;tinotas ourac que hao dfoctuado ostas pillulas, nas moles*
lias qne em seapida mencionamos, por^m sendo taes enras
lonkeoidts em':odaaparteaande teem penetrado, des neces-
t ario 6 .publics l-oe aqui. Adaptadas a todas as idades e a
lodas as condic'jes, em todas as climas, nao eontendo calom-
ulano nem outra qnalquer droga delateria, eUas podem ser
lomauas por qnalquer pessoa com toda segnranca. Sna
ciij* d"Sssncar is consefTa senprc freseas, e as torna gosto-
sas ao palladar, sendo tambem pnramente vagtaai, ifo po-
dem resultar eil'eitca prejudiciaoe se por acaso ferera tomadas
em qore deSimisiada. 'O4 pel :-ada vidro leva direccdes miufcciosaB eom relacao M secuin-
tes moleslias que as PIZZ.UZ.AJS CJ.THAJIT1CAS rapi-
ilatnetMe etii*!'. Part a lyyitprpHa on ImHgett3o, X>i-
pliurmvlm, J*ng** ioma res(SJbfece*'Siutl funccios sandavwe.
l'ora as Oottfot At Fiyaiio e suas divertas symptoms*
.Enxaqtteeat BUioias, por de Cabeca, Xctericla, Col-
ico niUoso, e Tebrfs IHtnt, devem se tomar tambeaa
ioodcnaiaiiMnVi cm cado paso, f*i tmyu a accas vicioda
I'sra a T>j,,*Kter** ta JHm,rh,u, <: gawdjnente bastante
ParaRX.M.#t., doltm, ArrHai, PalpfUUSo do
CoraeZo, Dares nas Uhargat ou coitat, devem ser
:Somados contin aadamentc, aw atterar a accao dos orgSos
illsregnlados, de sorte que a molestht disappareca.
Pare a BydptUa e IncIi*o3< Hi/dropicas, t pseciso
toma-1-as freqntntemente e em porcoes assas frandus para
produzlr o eflei o de um pnrgaovo drastico. Oomo Dtgei-
llvo para o Jar.tar ou comida, toma-se uma ou duas para
promover a digestao e ajudar o estomago. Uma ou duas to-
ndss de vez em qnando, estimuUo on estomago a obrar sau-
Qualquer quu so acha regularmente bom, tomando uma
ou duas d'estas pillulas se achara, muitas vezes, decidida-
inente milhor, por razao que ollas purificam o restaurao o
ni'parelho digeitiva
P&EPABSPSS FOB
VENDE 8E POR
X' rna do Cabu^ra n. A.
Os proprietarios da Predilecta, no intuito d
ionservar o bom conceito que teem merecido do
respeitavel publico, distinguindo o seu estabeleci-
mento dos mais que negociatn no mesmo geaerc
veem scientificar aos sens bons fregnezes que pre-
veniram aosseus correspondentes nas diversas par-
cas d'Europa para Ihcs enviarem por todos os pa-
qaetes os objectoi de luxo e bom gosto, que se- Aluga-se a da rua de S. Joao, defroato' do por-
ii uiiuumiii
em camisas de linho.
Vende-se camisas ingieias dc linho, muito fi-
nas, para Iiomem, pelo baralissimo prcco de 35j
a duzia ; quern dnvidar vetiha ver e comprar :
na rua do Duque de ist'ras n. 88, loja de De-
raetrio Bastos.
CIlALtS I)K LA A 800 REIS.
Vende-se chales do 13 de quadros a 800
rs, fljtoS de merin6 6. 23, it, 4. 5JJ.
C0B?.RTASDF CHITA A I?S00.
Ven1e se cobertas feilasde cblia a 1$800,
25?, e 435.
COItttN U)03 PAHA IA?f 1'I.T.A A 7$.
Vende-se cortinadus para janellaa7)5e
8v o par.
colchas in: CORES a 29.
Vende-se colchasde cores para cama a
' 25, e 33o0n, ditas de croxd a tit.
COHTI^ADOS PAIUCASIA A 14,5.
Vende se cortinados bordados para cama
'a 14% I0e 205.
COBtillTOHES DE TELLO A 1200.
Vetidp-se cobertores do pell j a l#20O,
ditos supari'->res a I'^Cut).
CAMBRAIA BRANCA A 35J.
Vcnde-se pecas de cambraia branca trans-
Machirlas de desearoqar
algodao.
Machinas de cortar fumo.
Machines a vapor.
Machinas para limpar fa-
cas.
Deposito de ferro para
garrafas.
Macaco de estivar on le-
Calcas de casemira preta a 3-5500, 5$>500'
0 ty) l vantar pesos.
Cemento Portland.
Salitre.
Limalha de ferro fran-
ceza.
Esses artigos vendem-se
na rua da Cruz n. 4, a:raa-
zem de Hawkes & C.
Palitots de riscado a 1$.
Paletots Paletots de a paca preta a 35?, 3#o00, 45J
e 55J.
Paletots de panno preto a 5$, 05, 85, e
lOJrOOO.
Pali tots de casemira de cores sem defeito
a 45.
Ceronlis dc algodao a 15. ditss de bra-
mant a 15500.
Camisas de ch ta dc cores a 15280, e
1,8400.
Ditas brancas com peito de cores a 25-
Ditas brancas finas a 2#,2?500, 35 e45.
Ditas finas de riscadipho francpz a 35.
Ditas de cretone a 35500.
Collates do casemira decoresa25, 2550'
3fc> e 45-
Toda esta roupa se vende assim bara
para liquidar.
BRIM BRANCO A 15-
Vende-se brim braneo a 15 a vara, dito
fino a 15400 e 25.
ESGUIAO FINO A 25.
Vende-se esguiao de linh i fino a 25000,
25500 e 35 a vara.
PAZENDAS PRETAS PARA LI TO.
Merino preto fino a 25500 o covado.
Bombazina preta lina a 15C00 e 25 o
covado.
L3 preta fina a 500 rs. o covado.
Chita preta lisa e com florcs a 240 e 320
re.b covado:
Alpaca preta a 500, 640 e 800 rs. o
vadb.
Csntao preto para luto a 152' Oo covado.
Sarja de la preta propria para calcas a
640, 800 e 15200 o covado.
Outras muitasfnzersdas pretas qut se ven-
dem barato, no Bazar Necional, rua da Im-
peratriz n. 72.
MHil
Casa tcrrea.
jam mais bem aceitos pelas sociedades elegantes
daqueHes paizes, visto aproximar se o tempo de
(esta, em que o bello sexo desta linda Veneza
mais ostenia a riqueza dc suas toillettes ; e co-
mo ja recebessem pele paquete francez diverso
artigos da ultima moda, veem patentear alguns
d'entreelles quese tornam mais recommendaveis,
esperando do respeitavel publico a costumada
aoncurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos que teem
vftido ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e ds
velludo, sendo diversos tamanhos e baratos
08
tao do gaz, enm 6 quartos, cozinha fora e grande
quintal : a tratar a made Pedro Affon?o n. 8.
GRAMDINAS
Grana Jinas de seda pura, preta com listras
j de cdres e padrfles os mais bonitot que tem
pre-
ltaa do Bafto (!i) Victoria n.12.
wt
Cmm Wrnrn*
Madwpoloes
A' este grande estabelecimento tern cbe- Madapolfies com um pequeno toque
gado ura bom sortimento de machinas par*' avaria, de 35500 a SffOOO a peca ; 4
costura, de todos os autores mais acredita-1 chinoha.
dos ulumamentena Europa, cujas machiiias, CHITAS PERCALES
sao garantidas por urn mo, e tendo umj chitas cale5 ava*M(]as 240 rs. 0
perfeito artists para ensmar as mesmas, en vado 6 p'eebmeba.
Aderecos completos de borratha pr-.prios pars
luto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
oitos.
BotSes de setim preto e de cores para ornato d
estidos de senbora ; Umbem tern part collete
p ali tot.
Bolsas para senhotas, existe um bello sortimen
de seda, de palha, de chagrim, etc., ec., por
barato prcjo.
Bonecas de todos os tamanhos, tanto de lonca
como de cera, de borracha e de massa ; chama-
mos a atlencio das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes toroam-se a? criancas um pouco im-
pertinentes por falla de um obieclo que as en
tretenbam.
Camisas de linbo lisas e com peitos bordados
tara-homem, vendem-fc por preco commrJdo.
Ceroulas do linho e de algodSc, de diversos pre
Caixiahas com mnsica, o que ha de mais lindo,
com dislicos nas tampas e proprios para presen-
te
Coques os mais moder-nos e de diversos forma
tos.
Chapees para senbora. Receheram um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
meniuas.
Capellas simples e com ~t6o para noivas.
Calcas bordadas para meuinas.
Entremeios estampados e bordadoSj de lindoi
**enho8.
Escovas electricas para denies, tem a proprde-
| dSde de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, exL-te mn
-ande sortimento de diversas iarguras & baratc
prec.
Fitas de saria. d gcrgprao. de setim e de cba-
| walnte, de diversas Iarguras e fconitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Ft artificiaes. A Prediloeta prima em con-
! crv*r sempre um bello e grande sortimento des-
as fio;es, nao so para enfeite dos c^bellos, come
tambem para ornato de vestido de noivas.
ra'6es de algodao, de li e de seda, brancos, pre
' tos e de diversas cores.
Gravatas de soda para homera e senhdras.
Laros de cambraia e de &eda de diversas cores
' para sennora.
Ligas de seda de core- e 1 rancas burdaAsspan
noiva.
Livros para ouvir musa, com capas de madre
Kerola, marflm, 6s-o e velludo, tudr> rpie'ba d
rjttt.
Pentes de tartaruca*e marflm para ahsar as ca
bel'os ; teem laubem para tirar cap4. ^ ""?""""' r~- svl"aui ",' ,^^aa'c" I
.Port baauuet. Um bello sortimento de ,madr-M^" wia;fvS.dc todas as fl^Uidade^ pnM,
perofa, marnm, osso e donrados por' barato prejo.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta ben
provida, n&o so em extradtcs, cams < banhas dos melhores odores, dos mais rfAunl*?
labficantes, Loubin, Piver, Sociedade. Hygienlca,
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indipensaveis ,pwa
a festa.
Saias bordadas pnra rtnhora, pdt commodt
preeo.
Sapatinhos de la e de setim bordados,para bap
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta ura bonito sorti'
mento de diversos tamanhos, tanto para soft co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, laptisado o que ba de melbor
gosto e os mais moderno s recebeu a Predilecta
de or arrto preco, para Bear ao alcance
qualqcer bolsa.
Rua do Cabugan. 1
! vindo ao mercado e que se vende pelo di-
|aiButo.(>rooo da 500 rs. e covado, por ter
! um pequeno toque de raolo, e fa-zenda de
'25000 o covado ; e pechincha. Dao se
'amostras.
Brim towm
Hiim brtneo muito fino, fazanda de
25300 a vara, que se vende por 15400 a
vara, por estar com um. pequeno defeito |
1pechincha.
Melius fraocczes
Magnolia
Arn azem pintado de pr-to
confronte a alfandega
Vende-se a retalho e a dinhciro, nmito ba-
rato, para liquidar.
Fogo chinez com lindas vistas para qucimar em
saias.
Caixas com 40 c rlas de traques superi^res.
Batatas por arroba.
Caixas ctn, lalas de 5 galoes de rST -?
Manteiga france a P L G de If
Arroz, caffi clia, e mais gmeros
cessidade, para os ri^os e pobres,
ram, fazendo censora ao administi
Apolices a juro x
Vende se no escriplorio de Iis
Aranjo, na obra Io mercado.
1 in.1'
1 ja iuuicw -
T-C._____
' Augosto de
Para as noites de uanto An-
tonio e S. Joao.
Amaral, Nabuco & C. acabam de receber com-
pleto s; rtinwato de series francezas e alleraaes ,
para brinquedo das noitos de S^nto Antonio e-S.
Joao ; e o que se couuece de mais cngracado e
apropriado para briucar-.'e nessas noites.
Aos dignos macons
Amaral, Natuco & ''. tendo 1 m vista a graado
e pomposa tttta qtw fazem os dignos magons ao
padroeiro desta re*peitavel corpora^a'"' na noite de
S. Jo3o, participam ao; mesmos Srs. macons acabam de receber insignias do divtrsos graos, e
vendem no bazar Victoria, rua do Bario da Victo-
Na loja da Magnolia, a rua Duqne de Caxias n
45, enconlrara sempre 0 respeitavel publico nm '. ria n. 1.
completo sortimeato de perfumarias fmas, objectos | Vende-se tambem a loja de funileiro, bem
dephantasia, luvas de Joavm, artigos de mod* e afreguezada, da rua da Imperatriz n. 73 : a tratar
miudezas Dnas, assim como modicidade nos pre- Da mesma.
cos, agrado e sinccridade.
Anneis electrieos
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. &5, aea
ba de receber es verdadeiros anneis e vottas elec-
tricas, proprios para 03 nervosos.
Meios aderecos
A Magnolia, 4 rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um complete sortimento de
Meios aderecos de tartaruga.
Meias aderecos -de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (ultima moda
e de muitas outras qualidades.
Botoes de aco
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, tem
tt.iu.cu pafa verj(jer os modernos botOes de aco, proprios
pechin- para vestidos.
Golinhas e punhos
das mais modernas que ha no mercado ; a alias:
Metinsfrancezes, fazenda muito fina, pa-
dr5e*s wodernos, fazanda que ja se vendeu
por 500 rs, a 300 rs. 0 covado ; e*
cba. D&o-se amostras.
Cretones de lisiros
Cretonesde listras,iazenda aoolchoeda.paT] na Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
dcoesmuito lindos a km rs. 0 covado ; dao- LeDCOS chinezeS
se amostras.
pe-
co
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim concerta-las polo tempo tambem d'um
anno sem despendio algum do comprador, i
Neste estabelechnento tamtam ba pertencas
parra as mesmas maebmas e se.sarppne-qual'
quer peca u cbmas trabalham-ctim toda a pnfeioao de1
um e dous pospontos, franze e bc*da tada '
qualqaer costura por lira que stja, seusil
precos sao da seguinte qualidade : para tra-1
balbar a mfio do 30500, 405000, 41B5000 ,
e 505000, cara trabalhar com 0 nd slo de .**
8 SO" 0
X. 90 da rna do Crespo
Loja das 3 portas
DE
Junto h loja d* ea|iiia
......
Ays Srs. fogueteiros
1208000, 1308000, 1A080OO, iH)5OO0 ej
2508000, emquanto aos autores p5o ha al-
tara^ao da.precos, eoscom.pradoreanodei*Q ,
visitar este estabelecimento, qu,e muito de-, Limalha de aco.
veraa goslar pela varie'dade de objector qpe. 'Limalha de aco d'agulha.
ha sempre para vender, como sejam : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balance, ditas para j
crianca (alias), ditas para escolas, costurei- \
raa riquissuaas, para senhora, defpensaveis
S. Joa@ e
8. Pedro.
Limalha %e"terro.
Limalha de cobre.
Limalha deaiaco.- > .
Saiitre reoaado, barhante e euxoue.
todos de primefra quJliHade.
Vende-se muito barato
A Magnolia, a rua Duqne de Caxias a 45, re-
i cebeu uma pequena quanudade de lencos de seda
I chinezes, com lindissimos desenhos, fazenda mtei-
de ramente nova.
Leques
Liados leques de niadreperola, de tartaruga, de
martim, de osso, e de muitas outras qualidailes :
recebeu a Magnolia, a rua Duque de Caxias nu-
mero 45.
Attencao.
A loja da Magnolia, a rua Duque de Caxias in.
iSjjicaiia de receber os seguintes artigos :
Manual de madreperola, tartaruga e marflm.
Ricos albuns com capa de madreperola, cba-
fren, madeira, velludo, couro, etc.
Lindas caixas com finissimas perfumarias.
L\gas de seda" brancas e de cores.
Voltas de madreperote.
Pulseiras de madreperola.
Ricas caixas paia costura.
Vestuarkts pa
Toncas e sapatinhos de setim.
Modernos chapeos de sol de seda para senhoras.
Lindos pdrt'beaqaets.
Gravatinbas de velludo, etc etc
Ultima moda.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu Um lindo sortirtMBlo de bieos de gnipore
de-cures,.apraprUdw.aos veslidee cbiques da ac-
tualidade.
VENDE-HE
ama casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
iercio, por preco moJico : a tratar com Tasso
'miaos ft C_____________^_______^_^^
Pesos e medidas deeimaes.
Vendcm-se no armazem de Hawkes & C, rua
da Cruz u.4.
0 flfflrtOUIVBfc

Florida
.'

Artigos
PIiariMacia e
1>F.
drofejwia
ROTIft)ionm 34-fcna'Lnrga drj R*csaHo^M.
-----------------------------------------'Ml........ 1.....
pela fail applicarjfio das
i
AfJ
de ferro para homtm c crtan^as, canaxh^s,!
espelhos dourados para sala, grandes e fte^j
qoeTios'i ftppcTrlhos de metal para cha, la-!
queiros com cabO'de metal e de marfirn, -
mtos antics, cc^ftwres'de metal fino, condiei-
ros par* sala, jarros, gGarda-eomjdits de,
arame, tampas para cobrir pratos, esteiras'
parafbrrm Mtas.lavatorios completos, ditos'
simples, objecios para toilette, eoutros mm-j <* |'Ut!HIMId
Ms artigos que muito devemagradar a todos;-* **>J* a Bwboleta, rumioLI-
que visitarem este grande estabelecimento |. J^ia^nto a- 6. qiaeimaudo.
3ae searha aberto Se.de as 6 boras da ma-!v t,w|U6,? ^S^^1^ 1uc as cbaramas de' -
nbfi ate as 9 boras da noute i

DE

l
Rua do Barao da Victoria n.l u
22.
orem. tudo.
Buttfaas para senhora
Ditas ditas a 2*900
border a 4/ a libr
'a 3/.
para
W
Entremeios e babad.iihia 6)0 rs a pc^a.
Oleo Philocome frasco.
GOHMA ELASTIC*
As mais modernas e aperfeicoadas de todas
as. conheeidas
\'efHleni-se
NA
PHARMACIA E DROGARIA
. Bartbolomeu & C.
3i- Rua large do Rosario 34
Mobil i a
VenJese uma linda mobilia de jacaranda, mas-
lico, tutabada,. p.r muito commodo preco : a
tratar na travel:a da matriz de Santo Antonio,
marcineria d JoaoCancio.
apa
DE
MKfiftAl t I,4i\II4\.
Uma pura dislilla^ao das mais raras fib-
res dos tropicos. Contem, para assim In-
zer, quasi o oddr odorifero das flores do
tropicoilaAmemea, fragancia e quas
iiixb.aiista aiqda mesmo v r eor.tinuada
crapomcho e diffusae. Neste respeito 6
i.icomparavel a qualquer outro perfume
qne ha de venda para :
OESMAIOS, iUTACL'ES HEIFV660S, DOR
DE CABECA, OEBTLTDADE E
UISTEJUCOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com o bom
on, tem qenservado sua influencia para
eima de vinte e qbaco annos sobre todos os
perfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
idexico, America Central, e do Sul e nos
eom toda a oonfianca o rccommendamos
como um artigo, pelaaeu aroma muito de-
licado, riqaeza de odor e permanencia, nio
podo-ser iguaiado. Tambem faa remover
da peltei.:
ASreREZAS, EMPOLAS,
(HiBlMAfillRAS DO SOL,
SARrDAfiJ E BORRLLHAS.
Sendo reduzida "com agua, se torna uma
eaeellente misluaa para baubar a pelle,
dando um aroseado e cdr clara a compiei-
cq nuWada.-aendo applicacUt depois d<
bartwar, ov4te innitacao que geralmente
eecow-, assmtfeoiro tambem garganteaado-
se, o cheiro do cigarro desappareee, e toe-
Ihora a ortdi?aa dos dentes e gengivas.
Como bW "muitas imitacfies, as quaes n&o
possuem nenhumas d'estas propriedadas-,
deve-se tomar cuidado e contar sdmetite o
o faraeuo perfume o cosmetico do sul-.la-
America, cham
Uli FLORIDA
DE
Ml tilt \V LAiVMAm.
Sa acha a venda eto tados odrogtt-
perfumari as da moda.
I^IHH
1


8
Jtario de Perntoibuoo Terga feira 0 de Junho de 1874


urns
era a
v.;-
iLnTERATURA. _
Caiaferenela* lllterartas.
D1SCOHSO PaOFEI\ID-> PKI.0 G OSELtlElRO ).
M. PEtlEIRA D.V SH.VA, NX KEUNMVO DE 26
HE ABP.IL DE 1874.
Quuxrla confnrencia.
(Con du sao).
Os Esttidos-Unidos ndo p'ndi.rn foroisr se-
nao urns republica, o Brazil senio
monarchiji. 0 que niij fosse isto,
revnlu^do, era a an.^rdiM.
Note-se quanio fallo em monarchias o
part.cularraento na America, rid a quero
coma as europeas dos an'.tgos tempos.
A epoca tends para a lib >rlade, e para
a democrncia.
A America rica dispOi de conligCHs esp.
Ciaes que ndo sdo as da Europa.
Uuqj monarcbia na Americi deve ser ccr-
cada de instituicdos livres, distamos mesmo,
iastitnigdes rcpublicnnas; e e essa monar-
cbia quo a nosia constituicflo politics sabia-
menlQ triiQau DO spu piano admiravel.
Assim monarehia sera* republica com
todasis liberdades desta f >rma de govvrno
Elei.des livres do legislad or is, parlament >
livre, ministros tiradns da maioria das ca-
raaras, municipalidades ernanci,?aias, pro-
vincias com direitos proprios, justiea vigo-
rosa, o pavo emfim governando-se por sous
mandataries. A difference consiste em que
o pri'neiro cirgo d i Est.-ido torna-se noutro
(is lut s. aos partidos. ds faccdss pnliticas.
0 priraeiroorgo da Estido fica perma-
Hentemente lignio u sirte do paiz, heredi-
tariaraente p tssuido exorcido por uma
dynastia. Id nao cbegam as paixcVs hue
manas sempre em lulas e agitai; V. 0 chefe
do Kstsdo nao represent* ~sen?o o inteross-
geral, a opinUo uacioml no seu seutiio e
tendencies mais elevadas e sublimes.
Nas republicas e o alvo dascompelentias,
torna-se periodicamente oc;upado por urn
homnm qus representa o triuinpho de urn
partido, sem o respeito geral que cumpre
angiriar-Ihe para lhe 1nr todo o prestigio.
Um presidenle de quatro ou cinco annos
de republica nao offerecc as garan'ias de
imparciahdade, moralidado, e interesse naci-
onal, que seobserva em um monarcha, cuja
sorte e da famUia estd intima, e-.treilamente
unida A do paiz, d cujafrente se acha.
A diffeveaga estd pois na exolusao das
ambicoes partirulares aquelle unico cargo
pa-a que elle i.mponba o respeito geral.
As ambKoos dirijam-se a outros secun-
darios, convirjam para o governo politico
e administntiv!), para n parlamento, para
a influancia social.
Ora o principij monarcbico e. o que'esta
va p'antado e enraizado no corario, na
eduencai, na iniole, nos usos, nds costu-
mes, nas tendencias dos brasilairos.
0 Brasil para ser unido e- prospero nao
podia, aoemancipar-se, adoplar outra forma
de governo, annoxando-lhe todas as liber-
dades civis e politicas que se gozam em
republicas.
Felizmenle ao Brasil ndo faltaram estes
requi*itos Em 1807 NapoleSo, querendo
exp^llir de to los os port-is e territorio sen-
ropSos sens inimigos, os inglezes, e fecbar-
lhes assim o cintaeto com a Europa, en-
tenieu dover apossa'-se do Portugal. Para
11 chegar erecia de Bespiaha* Sedutio o
roinistro prep "iderante de Carlos IV, e cele-
brisalo D Eon.anuel Godoy. Lovou-o a
assignar um tr tado, celebrado em Fontai-
nebleau, pelo qua! dividia-se o territorio
portuguez em tres prrtes, a central pari
Franga, a do norte para Hespadha, e a do
s.ul p-'ra D. Manoel de Godoy. Ambas as
nacO-s. Hespanha e Franga, deviaTi simul-
taneamente lomar posse do territorio por-
tnguez, perdendo a dynastia de Bragantja
sens direitos d corda que possnia.
Assim so fez. D. Joao V[, entfio regeu-
tede Portugal, transido de sustos, fugio d-
Lisboa com tola a cdrte, f^milia e tbesoue
ros, abandonanio seu reino que nio podia
defender contra a voracidade dos invasores.
Fundou cdrte no Rio de Janeiro, tornou o
Brasil metropole dos dominios ainda existen-
tes portnguezes, e a cidade do Rio de Ja
neirosele da monarchia lusa.
Tsto praticou-se em 1808.
Os francezes e hespanhoQs tomaram con-
ta do reino de Eortugal. Os inglfzes, se-
nhores dos mares, fecharam as communi-
caffles entre.Portugal e todos os seus anti-
gos dominios. 0 Brasil ficou governando
a Africa, a Asia e ilhas dos Acores e Madei-
ra, que perteaciam a Portugal.
Quando annos depois os francezes foram
expelli los de Portugal e os povos lusos res-
tauraram o dominio da casa de Braganc,a,
o Brasil e que era a metropole, Partugal
tornnu-se colonia, mudados os papeis dos
tempos passados. Os governadores de Por-
tugal f >rara nomeados no Rio de Janeiro,
como outr'ora em Lisboa o haviam sido os
do Rrasil. As ordens e leis para serem
executadas em Portugal partiam do Rio de
Janeiro Durou alguns annos esta situa^o. raoreacy, miniaro de Luix XVIU. Ihes Dro-
0* portugowM desospwfa ?-8e com eUa, e raetteu o infante de Parma. Soffreram ain-
por i.n em 1810 praticaram uma revolu.l. da uaja decepcao, n8o obtendo este nrin-
proclamando region liberal, e chamaodo cipe. p
a cdrte para Lisboa, se alia nao qaizease! No congresso de Tuaman de 17 ou 18
perder o dominio do *>lo portuguez euro- peusaodo sempre em monarchia para o Rio
P"u. Foi taltez mesmo pnmeiro motor da da Praia, prop z-se para rei um descenden-
revolugao, noaidea libera', quec -mecava a te do> Inc, que se iria buscar &) eminen
prnpagar-se ptlo munlo, que incendiara cias dos dosertos do Peru [ritadas \ Fa-
Uespanha, Xapoles e Sardnnha, mas sim a.'lbada ainda esta tentative, nio houve recur-
ancieJade dos portuguezes dj Europa de.so mtio aduptar a fdrma repunlluflna
torem comsigoseu rei, deixarem de ser co-' 0 Mexico por seu lado, expulsos os' h.>s-
10003 do Brasd. como elles proprios se ..p- panhoes, crearam e se irnperio, e acclama-
pellidavam e restaurar a antiga monarcbia e ram Iturbide, iraperador. Mas, raiuuai se-
melropole dos es.ados lusos nboras o senhoras, sc as institutes nada
toi em 1821 obngado assim D. JoSo VI valem improvisa las, as monarchias deelei-
a deuar o Brasil. Nao q.iiz, porem, con- fro sio tarabem improvisos, que uao Dodem
Bar senSo ds mJos e autoridade de seu filbo durar !
primogenito, o principe D. Pedro de Alcan- Osjruipara terem raizes e solidos alicerces
tara porque previo q le sefaria nagao inde- precisam perteucer por direito ds dynastias
pendente Restuuio-se a Lisboa a corte, reinantes. 0 direito beraditario e sua for-
mas no Hio de Janeiro ficou tambem cdr-
t', dividindo-se a familia, 0 rei em Por-
tugal, o herdoiro do thronj no Brasil.
0 parlamento portuguez, pore"m,
quiz aceitar estisdeliberajoes do rei.
fa moral.
As el icoos e acelamac6;8 de nxmarcbas
para povos e assembleas, ate mesioo, de
nao ragas e dynastias reinantes, aj efleitos de
Pre- paix6-.\ do momento e dn entbusiasrao *,m
tendeu arrancar do Brasil com multiplica- base. As tradicdes, o direito hereditario
i legislativas o principe real, que ae denomina diviuo, sdo as uoicas- g-'
A eulonia. rautias de sua seguran^a e duragdo. As
ae paixoes e
a!im de tomar a reduzir o Brasil
u. I euro, anteven lo hear em Portugal cur- eleigdes sao mudaveis como
va lo ao jugo do parlamento, coeqo esUv*, ideas- dos bomons !
Wti pai, irntado c -ntra as injurias que os de- j E' mister ser. na phrase de am
putados portuguezes lhe dirigiamcoostante 'publicist* francez, do madeiro de que M
mente, aman Jo ja o Brasil eomj sua patria,; fa_t-io os rcis.
porqua nolle passara o melhor tempo da! I.ubirde cahio ljgo depois. 0 Mexico
ila, unio sua sorte a do sen paiz adotivo, oaeteve recurso sendj ua- repubMca.
FOLHETIM.
-ITCSECIA SOB.IA
MEMDRIAS DE SAANAZ
POR
. l xtiiael Fernan^^* y Gauzalez
quintTTarte
LEONOR
XXI
EM QlfB LOCRECIA SOUBE AFllUL QUE SCA
F1LHA ViVIA.
(ContinuacAo do n. 128}
Lacaro Casca contou a Paulo as suas re-
la^o -s com Michelotto, desde que estive-
ra o .i etle ao servico de Cesar Borgia, e
termiii )ti pela fuga de Leonor, dizendo que
aoonzyllao esperava, se por acaso elle a
qoeria ver.
Oh I sim exclamou Paulo. Lea-
xne.
Nao temos que ir looge. Ve aquella
tone? E' a da igreja de Santa Maria in
Tado ; j into d'rfea torre fica a casa onde
D. Leonor o ospora.
ApreweraO qm, dlsse Paulo.
Pouco depois chegaram a porta da casa
ebatcrara.
A porta tbrio-se e appareceu a ve-
lha Bernabal,. cam uma lampada na
m.o. r
Queme" este senhorT disse ella Se-
rd por ventura-aquelle que e I Jo desejado e
tto suspirado ?
Sim, tia Bernabela, feche a porta e
Albo-ie. Este cavalleiro entrard soiiuho;
nuo deveruos privar a senhora de uma tuo
com este proclamou a iuJcpendum-ia em
1822, cingindo a caroa imperial, e fun-
la,do a dynastia bragairtina igualm*!-fa no
Brasil e no ramo varonil e directo.
Assim p6le-sedizer que defaeco a inde-
pendencia do Brasil se fez em 1808, de dr-
r-ito o povo a pr><:!amou e.n *8i_, e Por-
tugal foi compellido a recooheceta em
1825.
As colonias americauas bespaubolas da-
tarn mais ou ineuos a sua independeneia de
1810.
Napulcao I zombdra da espauha como
trataio de Fontainebleau. Em vez de dar-
Ibd e a Godoy paries de Portugal, guver-
nou-o todo por seus proconsules. Pretex-
taudo necessidade de collocar em Hespanha
tropas francezas para comm micarem coin as
queem tinba Portugal, assenhoreou-se de va-
rios pontos de Hespanha, iucitou a reolu-
Qdo contra Carl js IV, fonaentou o filbo Fer-
nando VII a levntar-se contra o pai. Pre-
textando aplacar estas lutas intestines, cha-
in ouos to los a Bayonna, o apoderou-se de
Madrid, aiuda como aliiados do Hespauha.
Em Bayonua obrigouo pai e o filbo a abdica-
rem a corda dos Felippes em Jose Bjnapar-
te, seu irmSo, que logo collocou no thro-
no bospanhol.
Os inglezes, udo reconbecendo o facto ca-
vilosa do Napoledo I, trancaram as commu-
nicafdes entre Hespanha e suas colonias a-
mericanas. Estas acharan-se desgarradas
da metropole, e com governos proprios.
Urnas crearam juntas sua> depondo as auto-
ridades hespauholas nomeadas pelo governo
bespanbol. Outras continuaram com os
chefes europeus que as dirigiam, obrigan-
do-os a concessdes do povo.
Buenos-Ayres em 1810, e a Columbia
qua.i ao mesmo tempo entrain ua primeira
classe. As outres pertencem d segunda.
Quando Fe nando VII, voltou a cingir a
coroa bespanholi, ja ndo achou as col mias
am ricams dispostas a obedecer-lne. D'ahi
a guerra de que resultou a tot d independen-
eia das passessoes de Caslella.
Constituidas independentes, o que cura-
pria ds colonias hespanholas adoptar em ins
tituicdes e governos ? Ellas eram, como as
porlug jezas, dedicadas d idea monarchica;
nenbuma virtude ou quabdade possuiam
para serem republicas.
Foram, todavia, infelicissimas. Mo ti-
nbam principes de casas regias para monar-
chas. Homens de estado perspicazes com-
prehenderam que s6 o systema monarchico
Ihes c nvinha. Delgrano e outros espirito.
eniinentes de Buenos-Ayree prelenderam
logo em 1810, crear uma monarcbia no Rio
da Prata para D. Carlota Joaquina, consorle
de D. Jodo VI, como filha legitima de Car-
los IV da Hespanha e irmfi de Fernando
VII. A princeza aceitou, entrou com elles
em relates e convenios. Mas D. Jodo VI,
arrastado por lord Strangford, diplomata
inglez influente no Brasil, e ques6 perdeu
sua forca e predominio quando o conde da
Barca subi. ao miaisterio, negou d con-
ortes licen^a para p.rtir para Buenos-Ayres
como estava convencionado.
Ndo podendo assim tel-a para governa-
los, os povos do Prata ao principio offere-
ceram-se ao governo inglez para suas colo-
nias, e depois :nandar.im pedir a Fernando
VII de Hespanha que Ihes desse para rei
seu innao Francisco de Paula.
Recusadas suas supplicas, viraram-se pa-
ra a corte de France, e o duque de Mont-
M_'S a republica apmhara estes povos de
sorpreza, sem costumes, _em usos,sem ton
deneias d verJad-iira e real bberdade, que
6 obje-.to de ra/.do, estu o e edbcacdo e
ndo de prima feco aceitavtdv e nera hasta
estar escripta nas Ids, consignada das ins-
tiluigoes. E' procisa a scieacia dos- direi-
tos e deveres, virtude pin se conteem
os espiritos na orbita in lispeusavel da- mo
ral, da justice, da iraparciahdade, da lole-
rancte.
Tadavia sou o-prmsiroa dizerque so o
systema republieano ltios restawe, e naoba-
via remedio senao adopial-o- de coragao,
preparando a eduoacao do povo para com-
prehendel-o bero. e seriameote pratical-o.
S4o tempi conseguird. este-baueficio. Fa-
go votos para que se eduquem estes povos,
e que a experiencii e o tempo os toman
cidadaos como os dos Estados-Unidos da
America do Norte. Ndo sao virtudes pri-
vadas as necessarias. Os povos hospanh6_s
as- cultivam ; sdo iadispensavefs, particu-
Urmente para o systeaia republicano, vir-
tudes pobticas. S6 ellas moderam as arabi-
56es, s6 ellas poupam perturba$5e$, so ellas
evitam revoltase anarchias, P6Je-se pos-
suir virtudes privadas, mas faltar a> p>vo
virtudes politicas. Ahi estio para prova os
proprios Estados-Unidos da America do Nor-
te. Ha grande corrupcaona sociedade, nos
caracteres, nos homens. Mas ha virtudes
politicas em todos, que se curvara is leis,
o sera deixar offender nenhura dos seus di-
reitos, respeitam os dos outros, esubinettem-
se ao imperio da lei, calaudo-se as ambi-
$6es individuaes diante do interesse geral,.e
praticando se a grande virtude da paciencia,
para fazer-se vingar legalmente as id^as quo
se pretende. Ndo e com a desordem que se
p6 Jejformar a ordem, ndo e- com oonspiracoes
que governos se fundam novos. E' mister
adoptar as instituifoe. de seu paiz, quando
dencia para aa civis e domusticas. A anar-
chia. a violencia; a caudilhagum, as dicta-
duras, dominaram, revoluc^i.s permanentes
apparoceram umas apos outcas; constitui-
coi3s politics que escreviam um dia e decre-
tavam os coogressos, no die immediato eram
abrogadas ; os quatro vice reinidos, que
formavam quatro grandes nasoes, retalba-
ram-se em cerca de dezeseis republicas, al-
gumas tdo pequenaa e miseravet-, que. ub is-
tem por milagres d. Provideucia / 0 Rio
da Prata dividio-se em quatro: Buenos Ay
re, Paraguay, Uruguay e parte da Bolivia.
0 Peru em tres : Peru, Chile e Alto-Perii,
que e parte da Bolivia, C dumbia em Nova
Granada, Equador em Columbia. 0 Mexi-
co em Mexico, Honduras, Costa Rica, Guate-
mala o outras.
Penso quo con o tempo hdo do formw
bone governos rupubfaanos ; o fM c pre-
ciso t: .^xperien ;kr, e lucagdo, costumes, vir-
lu'les politi.np.
Custiram bsatkes sacrificios d Europa.
devemos reconhetw-'o, o des-.obrhnento,
psse e cjlonisa.;d> da America. Nao fo
ram, p Sim. e_co.u usuu, Q sas colonias se e-naucipassem, ijuanio no-
conhecKiam suas for^as proprias, qiwnd >
sorrio lliei a-idea f_ii_r de so govern rets pur
si, quan 1; p-rceberam. que tinhiin corapa-
triotas u americanos para as dirigirn., e
ndo precisavam mais dy obedecer ao ^ug-*
pesaJo das mvtropjles, qne s6 tratavaio de
locupletdr-se d-suj custe, de cbupar-ihes
ate a ultima gotta a seiw de suas eut.a-
nh-as ?
Se ua > ra sulliciente ariqiit-zi que re*e-
beram, quer em-metaos preciosos, quer em
tributos u alcavallas, com qu-: curvnvam o.-
pome colonos, quauta gloria Ibes ndo re-
sultou ? Como deseuvolveram suas indue-
trias, sen commercio, sua na*egieao e swis
art'js ? Com i pcopagaram os-conbecime
d*t seiiiiitificos ? Coin, onoyregaram o su
oor_3i> de sua populayao, que nuo tinbam
meio de vida na metropole patria ? Como
pagaram servigiis relevanles de seus varoos
illustres. com concessdes de- governo, lu>-
crativos legitimaiaente, lu^ra*ivos em e*?
cesso pt-las oxtor.oes e roubos- que commet-
tiam-*' Espanla;non' quando lomos nos
liyros l.ilinos, con* qua nos educamos, us
feitos- dos faruosos- proconsules romauo.,
que vollavam d Roma, cheios de riquezas
f.bulosas, arrancadas ds desgragadas victi-
raas, cujo governo lhe fc*a incumbido ?
Poi> ndo menos terror nos dive causar.a
uarrafdo dos vie.-MS o govoruadores e ca-
pitaes-generaes, que governaram s coloaias
hespanholas e portuguezas. Ndo atravessa-
va o oceano, r_ao soava na metropole
o gemido das vicltmas e menos ainda.
chegava aos pes dos throna. ; mas quan lo
por acaso repercaiisse alii, o que era u.n
colorio diante de __ li ialgo prepbtente?
Se perderam muito oe europeus com a
emancip_.;ao das suas colonias a nerianas,
nao devem orgulhar-se-,. particulafmente
tres ; loglaterra, Portugal e Hespauha de
haverem croado nai;6;s novas com sua pro-
pria raca, para no futur,* da civiltsaeSo, que
estd reservado a America, guard arena intac-
tas su is lingua*, suas gloriosas tradicdes,
sua Literature seu genio, seu car cter,
embora molificado palos tempos, pelas dis-
tancias, pelo china, quo oporum lenta o
progressivamente sobre tuio e todos ?
Simpartilharam-se, dispearam-se as
agradavel sorpreza.
Paulo subio a escada com o coragao agi-
tado.
Chegando ao topo parou e disse a La-
zaro:
Vai d casa d'onde sahi, bate a porta,
e diz a um cavalheiro que te ha de appare-
cer, que esteja tranquillo, pois nao tardo
em voltar.
Lazaro fingio que obedecia dquella or-
dem, mas dispoz-se a csperar pela grd du-
queza.
Entretanto Bernabela abrira a porta de
uma ante-camara e dissera a Paulo:
Entre, meu eenhor. encontrard a me-
nina fazendo as suas oraches.
Paulo entrou ; atravessou uma ante-ca-
mesmo ndo se tenha concorrido para orga-1 familias, novas casas se furioWam-mas a
nizaj-as, para polos meios legaes as ir malbo- origem 6 a mesma, e pois sejamos america-
rando, modificando e transformando. nossimma; arrancando da historia os
0 que resultou para as colonias hespanho- documentos precisos, honremos o passado
las do facto fatal de s.rera compellidas a dos nossos autecessores, e einservemos non-
aceitar um regimen para que ndo estavam rada a sua rasmoria, e respeitado o seu
ainda preparadas e educadas conveniente-l nome.
raoilte ( Eslrondosos e repeliths applausos soam
Foi que passaram das guerrasda indepen- por toda a sala.)
f-Stado actual das prisffes da pruvlncla de Peraiaauliuco.
UESPJSTA AOS QUESIT0S PR0P0ST0S PELA DinECTORtA GERAL DO MINISTER10 LA JUSTI^A.
Quesilos
i,
Qual e a extensdo da casa de deten^do ? Em que lugar se acha eollocada ? Em
quautos compartimentos 6 dividida ?
Quaes as dimensfies desses compartimentos em metros, ou palmos ?
2.*
Uma vista, desenho ou photographia dessa prisdo com seu frontespicio, norths, ja-
nellas, etc., etc.
3.
Um diagramma dos compartimentos, ou divisoes internas com distinccio, por meio
de Iettrasdo alphabeto, dos lugares em que istdo encerrados os presos conforme suas
circunstancias e natureza de seus crimes, se estdo separados.
4."
One capacidade tem ? Quantos presos p6de conter ?
5.
Os presos estdo separados ? Como ? Os indiciados e pronunciados convivom no
mesmo compartimento com os sentenciados '!
Os condemnados a prisdo simples habitam na mesrea divisao dos gales e dos sent n-
ciados a morte ? Ha algum conderanado a morte ? As mulheres estdo em prisdo se-
parada da dos homens ? Os menores, vadios, mendigos e sujeitos d penas correccio-
naes occupam lugar distincto ? Indique no diagramma.
la proviucia, o conselheiro Honorio H^rmeto Carneiro LeJo (depa_ mtrquei de Parand),
pelo piano do engenheiro director das obras publicas d aquella epawa, tfl. Jose Mamede
Alves Ferreira, e sob o orcamento de 873:o00j> 00.
Em 8 de dezembro do mesmo anno, teve lu^ar a ceremonia do assenttmeotfrda pri-
meira pedra com assi.tencia do presidente, conselheiro Jose Ildefonso de Souia Ramos,
(hoje visconde de Jaguary}.
Aos 23 de abril de 1855, ainda ndo completadas as obras do primeiro raio (o do nor-
te) foram para ella transferidos, por fait, de seguranca, os presos da antitra cadeia desta
cidaie.
C>>utiHuando com ientiddo os trabalhos de construgao, fiualisaram-se as obras do ter-
eeiroe ultimo raio (o de leste) em novembro de 1867.
Dostinada d servir unicamente de prisdo de indiciados em crimes, ate o julgamenfo
final, b provisoriarnente de deposito de senteociados, em quanto se Ibes ndo desse des-
tinp para prisdesproprias, foi esta casa eonstruiia sem a aceomodaQOes e accessories-
precisos d uroa prisao penitenciaria ou simplesmeote correcci mal.
P"rocurou-9e apeuas dar-se-lhe a sottdez, e disposi^des indispensaveis & uma casa de
simples prisdo-preventiva, ou detencdo temporaria com as qualidadeseaigidas pela cons-'
tituicaodo imperio, e com capacidade para 370 presos, divididos em tormas de 2 e de
5 lodivi-luos.
Ndo se pensotsem adaptal-ad-nenhum dos systomas-, id entdv tonhecidos ou em en-
saios.
. altani-kie por isso todos os efementos ma Nein o systema csHuUr ou (te Pbiladelpiwai nem o de Auburn, hem a- sorvidao
peHul ingleza, ne n liiKdmente, o frtand^z ou de Crofton- adiniiliJes nos E-tados-Uoir
to*, e nos prmcipaes parses da Eurpa, p6 le netla ser ensaiado, sem uma completa re*
fonna mater. no ediftrio.
Esta refOnna exignria- sommas mtrrto sup-riores ds forcaada proviucia, qua,- se^un-
do minba hu uilde opinidoj nao as dereria despender (ainda (ipaudo para tanta- tivesse
meta*), pjisentendo, qua os melhoramentos no svotema das iiosias prisoes dewm sd-
raeirte corror por conla dos cofres geraes-.
O'systema seguido nesta casa e o vamo system-v-o^ vida em commum dia e noite,
repriado pelo ntiimo congresso peniteneiario inteniaeional, coraoo mais pernicioso que
ate bop se tern conbeoido^e banido, p surianwnte da referma de suas prisoes.
Este systems e aqui empregado, nao soam relaQao aos simples detentos-em processo,
oomo tamtien aos condemnados d differentas penas, desde a prisao similes de um-dia
a e a gale- por todb-a vida.
Vi-vem uiu quasi complete promiscuidade n_s celiulas, nos psaseios e nas enferma-
n.s, nao'obstante determiuar o regulamento- promulgado em 16 da ag.>sto de 1853$ a
divisao dos duteiitoa- em 4 cteases dist nctas..
A fella de capueida le do ediGcio, que contein onimariameut. numero superior d
sua lotadio ; a fjHa de esclareetmtutos soblae a natureaa dos crimes e das penas kn-
postas aos re.s, r_ilbidos, wn sua maiorw, sem a guia de quo falla o art. 44- do re-
gnlameato n. 120 ; e ate o systema adoptado,_d_ sdmente foruecer-se aKmentagde ao preso
com .letemante i-npossibilitadj deobter por qualquer fo'rraa os meios de sub-istencia,
oppoem-se d tiel esecu<;_o doortado regulamanto.
0 numero de presos supeater a capacidade do ediBcia, con ver lido hoje em'peniten-
ciaria e tamhem en. asylo de- kwcos, obriga-a ter presos sentenciados ou proaaasiados
com s>_ples detemos.
Tem o editicio60 cellulaapara dous detentos cada uma e 5J para cinso-, mas,
dimiuuido o numero das primeiras, pda n.icessidade de applical-as ao-usj dos-leucos,
dos ebMos, e d outros services, nao chegaia as que restam para a crescido-namero
de presos, que algumas vezes oieedem de 4ifO;.principaln_*nte quando-do interior desta
provincia, por fslta'de seguraa^a das cadeiaa, se remettam grandes fevas de crimino-
sos para serem guardados ; oa-quanio do n^te e sul da irnperio cbegam dezeaas de
sentenciados com destino d Fernando de Norotiha, e aquise demoram. Aespera de-meios
de traasporte.
Nestas occasiwes impo-sival se tmia a separa^ao delles por classesvsegundoa.natu-
reza dos crimes e das penas,
A. falta de inbrmacojs sobre os crimes a punas impestas aos reos, ate mesmo acer-
ca dos- condemnados palo jury e pelos juizes-siugulares da capital, da causa d. Ganser-
vai;;'i. de sentenciados com sbapies detent >s ou prouuueiados durante todo o tempo que
se cooservam nesta. casa, suceedendo saber o administrador serem elles-sentenciados sd-
mente no a.to de receber o man la Jo de sottura pjr cumprimanto da sentence.
A obrigacaa-imposla aopreso de alimentar-se d custa propria, sempre quepoaqual-
quer f6rma possa obter raek)* para isso, da.lugar a serem reunidos em uma nsesma
cellula presos da diversos crimes, pois souobrigado i attendal-os, quando pedem para
re-airem-se, afim d% em trabalho commum, alcanfar os meios de subsistenciaw
Este systema e descoobecido inteiramente nas prisoes da Europa,.ainda mesmo nas
das cidades mais. atrasadas.
Em geral. toda pessoa. recolhida
estabelecimento.

d na prisdo racebe aliraenta^ao fomeeada pelo
Se tem meios para indemnisal-a e a isto compeHido.
Nas peuitoociarias- rws prio is correcciona -s, nas casas de trabalho para os vagj-
bundos, tiwnd'gos e vadios e semelhante despeza daduzida, em parto.dj sauwio do pre-
so, ou do produclo liqj_d i do seu trabalho.
A casa de detencdo, situada no bairro de Santo Antonio, d margem do Capibaribe
foi creada pela lei provincial n. 213 e raandada executar em 1850 pelo presidenle des"
lento, rapido, nervoso ; olhou para a porta
tromeu, levou a rado ao cora$to, buscou
apoiar-se na mesa, e ficou olhando anhe-
Inante para Paulo, que avancava lenta-
mente.
De repente, Leonor correu de braQos
aberlos para Paulo, abrajou-o e exclannu
chorando;
Oh meu PauloJ!
Mas subitamente repellio-o, accrescentan
do :
Meu, nio I da grd-duqueiai
Enganas-te, Leonor, disse Paulo, o
meu amor, e a minha vida, es tu t
Eu ? e es viuvo, viuvo de Branca Al-
bini, assassinada por ti I
U'o irssT' *,io di'""'de" -
entre-aberta, pela qual pflde ver uma mesa, v f.- _. .... ..
tendoemcimrdu_svelasacoesas,e, sentaJf0i7dT eu q -tei, duae elle,
?orntetasiUQ,ai0fenCOmQ,ttHVr0aber"i A recordacdo d'ess. mulber atterra-
Paulo estremeceu; parecialhe ter dian.!^,eXcla0QOa Leonor Mda vez irri"
te de si Lucrecia Borgia, tal era a ex-
pressdo sombria do semblante da don- Nio, ojteu furor 6 que me aterra | ro-
zella. plicou Paulo.
Leonor, parecia-se no olhar com Lucre-j 0 meu furor? Ahi nio, arao-te, sou
cia. i \ua, com toda a minha alma, com todo o
Arnesteville nunca a vira assim. | meu ser inteiro.
Ah I disse Paulo comsigo mesmo ; Oh meu Deus, meu Deus I exclamou
qua duvida horrivel I Porque razio fugia Paulo combatido por um turbilhio de pai-
Lucre.ia de mim e chamava horrivel ao seu xdes, de terrores, de tentacles e de duvi-
amor ? E porque nio sinto ou por Ceonor das.
um amor semelhante ao que senti por Lu-| Ouve, disse Leonor pegando lhe na
crecia e por Branca I Amo Leonor com rado. Queres que desappareca o meu fu-
uro amor d iloroso, com um tyrt.tr qim me ror? Vem commigo; proximo d'esta ca-
atormenia. Ob Lei dc'aelarar es.; my.-te- si fica a igreja de Santa Maria in Vado;
rio I batemoi-lhe, a porta, e pelimos ao saco-
Leonor pcrmanceia imraovel. dote que nos una, Ah I eu necessito ser
Paulo chamm-a com yozsuavo. tua qsposa para nao morrer condemnada ;
Leonor po_--o cm pe dc utn raodo \io- tenhi z.los, one zelos malditos; sfi meu es-
GravLssimo defeiio-so uota nesta aasa com rmtefjn a prisdo p. ca-mulhenes.
Nao se destinou. compartimento, ou mesmo oellulas especiaes.para ellas.
Sao encerradas no mesmo raio, em. qua estao os homens, e dtlles ndosd* sep radas
senao pela grade da porta : de maneii'a.. que se pode affirmir, qua vivem quasi em com-
mum com dies.
Oo iuconvenieules e males resultantes deste systema sao (Is- primeira iutuicao: ndo
necessito demorar-ma em sua demonstracdo.
Direi apouas, que visitei as prisoes dos principaes estados da Europi, e em uem-
bum, ainda osmais atrazados em. reformas p&nitenciarias, oncontrei tao lastimavel o im-
moral systema.
Em geral sao distiuctas das- dos homens as prisdes p>ra mnlherw. E, quando por
falta destas prisoa. sao ellas encerradas nas de homens, o raio.ou sec$So destinada & esite
fim e completamente separada ppr muros, e tornadina aocesssivel as vistas dos habe-
tantes do resto do edificio.
Alemdisto, todo oservico interno, bjm como o de vjgilancia e guarda, e teito por
mulheres, sob a inspeefdo do director geral da prisdo
Em parte alguma sao estes servicos confiados d, homens, ;omo succede eotr
n6s
Custar-se-ha d acroditar que sdo presos os encarrogados do tratamento das mulhe-
res, que adoecem nesta casa ; o quo sdo elles ob-igados a Iidar com loucas furiosas,
mandadas do Presidio de Fernando de Noronha, ou apauhidas nas ruas desta ci-
dade !
Ndo ha nesta casa enl'armaria para mulheres, nem pessoal appropriado para curar
dellas : tratam-se na mesma cellula em que estdo presas e sio servidas pelos presos, era-
pregados na enfermaria, ou pelo guarda eufermeiro.
commum com
Tambem na. ha prisao especial para menores : sdo encerrados em
os adultos.
0 que de horroroso ha nas cousequencias desta detestavel systema nao se pole bera
imaginar.
Felizmenta os juizes e as autoridades policiaes preferem deixal-o. entregues d negli-
gencia de paes degenerad- s, eaos perniciosos effeitos da occiosidade eda vagabundagem.
o mandal-os apodrecer na companhia de scelerados. E por isto tem hcado sem execu-
5ioo art. 13 do codigo criminal, que mania recolher d casas de correccdo os- menores
de 14 annos, quanio se provar, que na pratica de crimas, obrarara com desoerni-
mento. (Continuar-se-ha ).
poso, fujamos d'esta terra maldita e serei
feliz.
Pois box, sim, que importa | ex-
clamou Paulo co npletamente fasciuado.
Sim, que importa a gra-duqueza ?
disse Leonor compreheudendo mal a excla-
ma'cio de Paulo. Ella nio p6de dar-ta se-
nao um amor habituado d vergonba e ao
crime I
Na ante-camera ouvio-se um grito aba-
fado.
A perta abrio-se com violencia e appare-
ceu Lucrecia.
Ah I exclamou ella, que castigo tdo
terrivel, meu Deus t
A senhora I bradou Leonor erguendo-
se pallida, tremula, terrivel ; que vem fazer
aqui ? que pretende ?
Lucrecia lmcou-sc entre Paulo e Leonor,
pegou-lhe nas mdos c ficou eatre ambos di-
zendo :
Sane, Paulo, e tp, Alexandrine, escu
ta-me.
Enlouqueceu, senhora T Eu nio mo
chamo Alexandrina; o meu nome e Leo-
nor.*
Tens na espadua uma cruz duplica-
dai proseguio Lucrecia
Quern lhe disse isso T exclamou Leo-
nor com espanto. Esse signal s6 o vio mi-
nh~|mai.
A tua supposta rnai, porque a mdi
quo to alora, a mai que to chorou duran-
te viiiti ann is, a mdi que morre do .veu-
tura, porque te v. o porque te ouve, e su>_
cuiobe de ddr porque te ve, desgracada, a
tua mdi sou eu.
A senhora, minha mdi ?
Sim, es a minha Alexandrina, a filha
da minha alma.
E abracou-a com o rosto inundado de
lagriraas.
Leonor, commovida, transported j, cedeu
a umimpulso interno e pousou um boijo
nos labiosde Lucrecia.
Esta soltoj um grito e deixou-se ca-
hir sobre uma cadeira afogada em pran-
to.
Meu irmio I
Minha irmaa I
Exclimaram ao mesmo tempo os dous
jovens com espanto e terror.
Houve um momento de silencio.
Oh I nao, ndo node ser I exclamou
Leonor com o olhar des vai rado ; eu ndo
fui infame, naoaffendi portal raodo a Deus
Ahl disse ella por entre as lagrimas, 'para que' Deus mequeira castigar tdo horri-
reconheceste-me, abrazaste-me a alma com velmente I
o teu beijo de amor I [ Deus, amaldifoando os pais, amaldi-
Leonor cihio dejoelhos aos pes de Lu- ;$6aos filhos I disse Lucrecia com exaspera-
crecia, incliaou a cabeca no seu regajo,' cdo dilacerante.
cingio lhe com os bracos a cintura e excla- Ndo I repetio Leonor fora de si.
mou : Cjnheces alettra d'aquelle quejolga-
, Perddo, perdio, mas eu morrerei, vas teu pai ? disse Lucrecia tirando uma
porque a senhora ama-o 1 carta da escarcela.
Eu I bradou Lucrecia, erguendo a ca- j Coohaco, respondeu Leonor com an-
bec-a de Leonor e olhando para ella intensa-; ciedade.
mente. Eu nio amo sendo a minha Alexan-
drina.
E beijou-a na bocca.
E ndo qaer que a sua Alexandrina se-
ja feliz T disse Leonor.
Feliz I exclamou ^ucrecia com um
accento dilacerante; pdde nunca um Borgia
ser feliz T
Minha mii, minha mdi, eu adoro
Paulo.
Calla-te; exclamou Lucrecia tremula
de horror, pondo a mdo na bocca de sua fi-
lha. Ama-o sim, com tod) a tua alma po-
rem com um amor distincto, eom um amor
de ir na.
Porque, rninlu senhora ? Porque ndo
posso eu ami Paulo com um amor dr es-
poJa?
Tu s6 p6des ser a esposa de Deus
. Mas porqu?, porque? exclamou Leo-
nor com oilergia.
Porque Paulo o teu itmao,
Pois bem, jd que 6 forgoso, W.
E deu a carta a Ltonor.
Esta leu-a, tremula e anciosa. Depois sol-
tou um grito estridente, sobre-huuaauo, ol-
tou-se para Paulo, estendau-llie os bracos e
exclamou com voz espanto>a;
Oh I e verdade I Irmio I Irmio I
Em seguida soltou unn gargalhada agu-
da, horrivel, secca, que echoou como a m.l-
digao de Deus, nos ouviios di Lucre-
cia
Paulo apanhou a carta que Leonor dei-
xdra cabir, leu-a, o, lavando as mios d ca-
beca, fugio espavorido.
Ao chegar ao voslibulo da casa repsrou
que esiava ch.io d< geute com archotes na
mdo, o vio diante de si um personagom pal-
lido, irailo. tenivel.
Era o grio duque.
[Continuar-se-ha. J
..,:' v.MvO: -{til r.^m?ii tiE C,.\i_ka
itHaWtl J
<


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ70F1AHQ_U72XCP INGEST_TIME 2014-05-29T18:11:50Z PACKAGE AA00011611_17966
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES