Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17873


This item is only available as the following downloads:


Full Text


ANNOLXVII
TERCA-FEIRA 15 Dfi NOYEMBRO PB 1892
NUMERO 259


DIARIO DE PERNAfflDUGO
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGEIRA DE FARIA & FILHOS
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados.
Por bes ditos vencidos .
Por um armo ajiantado .
dem idem vencido. .
6J000
7&000
241000
281000
SAO NOSSOS AGENTES EXCLUSIVOS DE PUBLIACES NA FfiAN-
QA E INGLATERRA
Os Srs Amede, Prince & C, residentes em Pars34 rae de
Provence.
PARA OS LOGARES ONDE SE PAGA PORTE
Por seis mezes adiantados.
Por seis ditos vencidos.
Por um anno adiantado.
dem idem vencido.
13&500
151500
271008
311000
l'iu
Mlu!;ero da Junlif
Por decreto do 4 do corrate:
Foram declarados en diapoabilidade,
nos tirmos da art. 6o das disposigSas tran-
itorias da CoasticaieSo, at que sejsm
.proveitadoa os seu9 servidos oa aposen-
tad .'5 coz; o ordenado a que tiverem d:
roito, os juizes de direito Hercilio Luper-
cio de Souza o Jobo Frr.acisco de Qes
^valcar.t?, visto terera sido annulhdcs
03 acios da Junta (Jovernativa do Estado
de Pcroambaco, que os nomearSo para s
municipios da E3oada o de Goysnna, no
acarno Estado.
Ulnlstcrio da Fazenda
Foi naneado o inspector da alfandega
de Manos, Estado do Amazonas, Ma-
aosl A!ve3 da Silva para conferento c'a
Alfandega do Santos, Est do de S. Pau-
lo
Foi nomeado o conferante da alian-
djga e Santos Ernestino Juliano Tosca-
no Dama.ceno para inspector da de Ma-
ndos, Estado do Amazonas; e Manoel
Alves da Silva desse cargo para aquello.
Foi aposentado o 2o escripturario
Ja Theaouraria de Fazenda de Minas-Ge.
raes Frr neleeo de MagaihSes Gomes.
Foi recommendado ao American
3a;. k Note Company que providencie
sfim de seren preparadas e remettidas
com urgencia ao Tbesouro Nacional.....
2.000:000)? de notas de 10 ; 1.000 0005
das de 20 e 1.000:000(91 das de 50 todas
para o mesmo Tbesouro.
Foi nomeado SebastiSo Cameiro
Monteiro 2 escripturario da alfandega de
Urugcayana, sendo exonerado o Io ee-
cripturario da mesma Alfandega Augusto
Garlos de l'reitas por abandono do lugar,
Minutero da Agricultura
Foi exonerado o engenheiro Theodoro
Terfrenon de chefe da commissao de medi
coes de trras da colonia Lucena no Rio
Grande do Sul, sendo removido para este
lagar o chefe da commissao da colonia
Ijuby Grande, agrimensor Ernesto Mu-
zell Filho.
Foi nomeado chefe da c~mmiss3o
de Ijuby Grande o agrimensor Horacio
da Silva Lima.
Foi nomeado o agrimensor Gailher-
A'exendrino Mtyer para servir na
ino
&rt. 198 do regalamsnto dos correios, o
praticinte de 1.a classe da referida repar-
tilo, Olegario Jos Monteiro.
Ministerio da instruccSo publica, cor-
re03 e telegtapbosCapital Federal, 14
de Outubro de 1892.
Em sohigao consulta constante do
vosso aviso n. 76 de 16 de Agosto ultimo
com rel.-cSo ao recurso interposto pe'e
Dr. Jos Vicente Meira de Vascoacellos,
lente da faculdade de direito do Recife, da
deeisSo da theaouraria de fazenda do es-
tado de Pernambusb que negou o paga-
mento da gratificagSo, a que se julga oom
direito aquello lente, e no qual solicitis
seja fizada a verdadeira interpretadlo dos
arts. 61 e 56 do regulamento n. 1.232 H
de 2 de Janeiro de 1891 ; cabe me deca
rar-vos que o primeiro daquelles artigos
retere se gratificaco como parte inte-
grante do vene ment, a qual sem o exer
eicio nSo pode ser abonada, e o segundo,
contagem do tempo de servigo para es
*
commissao de trras no municipio do
oarao, Estado de Santa Catharina,
Foi exonerado .a pedido, o enga-
jhe gues de engenheiro do porto de 1 classe
do 5o districto dos portos martimos.
Foi nomeado o engenheiro Luis
Manoel Gongalves chafe de secgSo da es-
trada de ferro Sul de Pornambuco.
Ministerio do Interior
' Por decretos de 4 do correute, conce-
deram-ee medalhas de distinegav:
De 1.a classe, ao alumno da escola mi-
litar do estado do Rio Grande do Sul,
Lua Jos Rodrigues, por ter salvado, com
risco da propria vida, no dia 30 de Junho
ultimo, a um menor que estava pres'es a
afogtr-ie no arroio da Asenha, junto
ponte da ra de Saat'Anna, na cidade de
Porto Alegre :
Da 2 a classe, aos guardas nocturnos da
freguezia da Candelaria; Arnob:o Loa
reiro do Prado, Joaquim /cente da Motta
e Pasqup.lo Gavliardo, por terem concor-
rido pira a saivacSo do sen companheiro
o lorriel Ral Lopes Camillo, que se
ach.va soterrado nos escombres resultan
tes do desabamento do predio n. 38 da
ra do Carmo desta cipital, occorrido na
madrugada de 16 de Maio do correte
anno.
Ministerio da Inatruccao Publica
Crrelo e Telegrapno
Por decreto de 1 do corrente foi apo-
sentado, nos termos da primeira parte do
(ffeitos da jubilagSo, reconducgSo ou gra-
tifcaseles addicionaes de que trata o art.
58, nSo podendo por isso constituir ama
excepcSo ao preceito estabelecido no arti-
go 61.
Sade e fraternidadeFernando Lobo.
Sr. ministro de estado dos negocios da
azenda.
ministerio da Guerra
Foi declarado sem effeito a transferen-
cia do director do hospital militar em Per
nambnco, major medico de 3. classe Dr.
Jos de Miranda Curio para ebefe do ser-
vico sanitario de Goyaz.
Mandn-se matricular na Escola
Militar do Cear os alferes do 14 bata-
lhSe de infantera Alfredo Affonao do
Reg Barros e JoSo Francisco da Silva
Braga Filho.
Foram transferidos :
Arma de cavallaria. Para o 2o esqua-
drSo 6' regiment, o capitSo do 12 JoSo
Ignacio Alves Teixeira.
Para o 4' esquadrao do 12 r ag ment,
o capitSo do 6' Joaquim Victorino Ma-
ciel.
Arma da infantera.Para o 4- bata-
lhSo o major do 6- Antonio Anmbal da
Motta.
Para o 6- batalhao o major do21 Affon
so Alves de Moraes.
Para o 21 batalhao o major do 4' Joa-
quim Manoel Martina Moreira.
Pira a 2' companhia do 12 batalhSo o
capitSo do 12 Francisco de Paula Ouri-
que.
Mandou-se recolher a esta capital o ca-
pitSo do corp<"> de estado maior de primei-
ra classe MarcoB Franco Rabello, piofes-
sor d?. escola militar do Cear.
Ministerio da Marlnha
Foram nomeados :Vice-Inspector^ do
Arsenal de Marinha desta capital, inti
rinamente, o capitSo de fragata Quintino
Francisco da Costa, mombro interino do
Conselho Naval, o capitSo de mar e guer-
ra Antonio Pompeo de Albuquerqne Ca-
valcante ; commandantes : do batalhSo
naval o capitSo de mar e guerra E:ieser
joutnho lavares, do cruzador Almirante
Tamandar, o capitSo de mar e guerra
Frederic Guilherme de Lorena ; da cor
veta Amazonas, o capitSo de mar e guerra
BarSo de S. Marcos ; do couragado Java-
ry, o capitSo de mar e guerra Manoel de
Castro Meneses ; da canhoneira Canana
o capitSo-tenente Miguel Antonio Fiuza
Jnior ; do crusador Orion o capitSo-te-
nente Joaquim Nolasco Pereira da Canha
e da canhoneira Camooim, o 1* tenente
Jos Fructuoso Monteiro da Silva, ficando
sem effeito a nomeacSo de JoSo Miranda
Ribeiro Sobrinho.
Foram nomeados para embarcar : no
encouragado Riachuelo, os primeiroa te-
nentea Fructuoso Monteiro da Silva e
Francisco Marques a Rocha, no cruzador
Prnahyba o primeiro tenente Alberto
Gabaglia e para servir na flotilha do Rio
Grande Sul os primaires tenentes Alfredo
Osear Schort e Alfonso da Fonseca Ro-
drigues.
Foram mandados desembarcar com
urgencia do couracado Riachuelo o 2- t-
ente Paulo Lopes da Mendonca e de cru-
zador Guanabara o 2- tenente F/anoisco
Antonio Pereira.
Tambem foi mandado desembarcar
da canhoneira Canana o capitSo tenente
Alfredo Luciano de Abren.
Foi declarada sem effeito a ordem
mandando o capitSo tenente Miguel An-
tonio Fiuza Jnior entregar ao official
immediato o commando do cruzador
Orion devendo assnmir mmediatamente
o commaudo da canhoneira Canana o
capitSo tenente Joaquim Jos Torres So-
brinho .
Foi nomeado para commandar a
canhoneira Canana o capitSo tenente
Joaquim Rodrigues Torrea Sobrinho.
Foram promovidos no corpo de offi
ciaes marinheiro8 : a mestre o contra
mostr Raymundo Jos dos Santos, por
merecimento, a contra-mestre os guar
diSes JoSo Francisco da. Rocha por|antigui-
dade e Antonio Zaferino de Vasconcehos,
Joaquim Ferr andes da Cruz e Firmmo
Teixeira Coelho, por merecimento; a
guardiSes effectivos os extranumerarios
Francisco Ayres de BulhSes, Jos Carlos
de Araujo, Chrispim da Silva, Joaquim
Domingos de Mara, Aatonio Burity e
Antonio Duarte Monteiro.
Racommendon-se aos commandan-
tes de navios que nSo empreguem no ser-
vico de bordo os guardas marinhas, em-
quanto os meamos nSo prestaren! os exa-
mes das materias do 4' anno da Escola
Naval.
G overa o do Estado de Peruana-
bueo
EXPEDIENTE DO DA 7 DE SRtEMBBO DE 1892
Acto:
O governador do Estado resolve nomear os el-
hadaos Francisco 8iui0es da Silva Mafra e Gene-
sio Urquisa de Slqoeira Campos membros da Ia-
tendeocla de Trinmpbo, em sobstitnic&o dosci
dados Isidoro Jos da Silva Mascarennas e An-
tonio Francisco Xavier que nao acceitaram a no-
meacao anterior.
Offi lio:
Sr.'Dr. qestor policialAcenso o recebi-
meoto do officio em que relataes os tactos que
ltimamente occorreram oa cidade de Goyanna
e na villa de Canholiobo.
Da minuciosa exposico que submettestes ao
meu conheclmento dedaso qae a maior parte di s
individuos que tiguraram em os referidos aecc-
tecimentos excederam se por urna falsa compre
oeasao de sen' deveres, e, provavelmente. fortm
impellidos a taes excessos por soggestOes irre-
siativels de pessoas mal orientadas acerca das
inteDc?s e do sab sequeate procelimento do
governo do Estado.
Estou certo, confesso-o desvanecido de que o
povo pernambucano, de bonrosissimatradieces,
em occasio alguoia, por mais que para isso ten-
tem compellil o, ser capaz de praticar actos re-
veladores deiast'.nctos perversos.
Do seu corscao generoso formaram ainda os
germens fecundos dos altos fetos de sua glorio-
sa historia e do estimulo que o manteem, aqu e
fora do torrao natal, no posto de honra que Ihe
compete pelos seas sentimentos ordeiros e res-
peito as instituyes.
Dando publico testemunbo do elevado concei-
to que formo de meus concidadaos, acredito que
os tornam bem intencionados, em face da3 pro
videncias que adoplei no intuito de manter a
tranqaillidade publica e fazer respeitar o prin-
cipij da autoridade, nao me attribuirao o propo
sito de querer perseguir nem mesmo aquelles, a
quem maior respoosabilidade cabe nos graves
successos a que alluiio.
Ni administracao do Estado de Pernsmbuco
tendo manifestado o maior empenbo em ver res-
penados os direitos dos cldadaoB, faiendo-lbes
inteira jostiga, sem me parecer preoesupado ja-
mis com a cor poltica dos grupos, aqu existen-
tes.
Mantenbo e confio mantar-rae sempre nesse
proposito, umi vez que eslou crente na efficacia
do mea programma de governo.
Brazileiro, amante, esforcado do engrandec
FOLHETDI
a
ment iroral de seu paiz, observador estricto dos
dogmas fundamentaes c'a forma de governo nel-
le estatuida, lenho o rigoroso dever de conciliar
a serenidade inherente as fonccOes de meu car-
go com oa principios salutaies da moderacu.
Aseiro, desejoso de manifestar o regosijo de
que me ficto possuido pela data que o Brazil ce-
lebraboje jubilosimentee como s-lemnecom-
memoragao de um dos das mais gloriosos de
sua bi'o'a, resolv recommendar vos, do que
vos dou ceohecimento pelo presente oflicio, que
nao p:o-igaeB na3 diligencias qae iniciales para
a repres.- > des excessos platicados as local!
dades a que ote refer, silvo as que forem con-
cern.-ntea a descoberta e punlcao de crimes pre
vistes pela legislacao em vigor.
EXPEDIENTE DO DB SECRETARIO
Portara :
O Sr. superintendente da estrada de ferro do
Recife ao Limoeiro d passagens de 2* classe,
por coula do Estado, da estacao de Barauna a
do Brum, a vinte e cinco pracas do porto poli-
cial.-
EXPEDIENTE DO DU 8 DE SBTEVBRO DB 1892
Actos :
O governador do Estado, resolve declarar
que o major Sebastio Antonio do Reg Caval-
canli foi exonerado, a pedido, do cargo de dele-
gado do districto litterario de Pao d'Albo e nao
como reaa a portara de 31 de Agosto lindo.
Communicou se ao inspector geral da instroccao
publica.
O governador do Estado, de accordo com
a proposta do commandante merino do corpo
policial, em cfficio de boje datado, resolve pro-
mover ao posto de tenente ajudaote do alladidc
corpo o alferes da 4.a companhia Joao Loureoco
da Silva, e ao de alferes da 4.a companhia o l.
sargento Joao Jos dos Santos e Silva e bem
assim nomear para o posto de alferes da 3.a
companhia, Antonio Luix de Franca.Commu-
nicou se ao commandante do corpo.
O governador do Estado, resolve nomear
para o logar que se acba vago, de jais munici-
pal e de orpbaos do municipio de Cimbres o ba
charel Antonio Freir, que servir dito cargo
at que assumam o exercicio os juizes distri-
! taes que forem eleitos peles novos concelbos
municipaes, na forma da le n. 15 ue 14 de No
vembro de 1891.
Ao nomeado rica autorisado a assamir no
prazo de trinta das o exercicio de >uas fanc-
Ses independer de ti'alo, que solicitar op-
portuoameate.
O governa or do Estado resolve nomear
para os logares, que se acbam vagos, de 1.*, 2.-
e 3.' supplentes do juiz municipal e de orphos
do municipio de 'Cmbres o tenente coronel Ho-
norio Tenorio de Carvalho Cavalcanti e, os capi-
t&es Joaquim Cavalcanti de Albuquerque e Nuno
Camello de Siqueira Cavalcanti, que prestarao a
i ffirmaco do estylo no prazo de trinta das.
O governador do Estado resolve nomear
Joaquim de L -mos Yasconcellos para o cargo
de delegado de polica de Gloria de Goi'., em
substituido do actual qae lien exonerado.Com-
municou se ?o Dr. questor policial.
O governador do Estado resolve nomear
o cldad&o Artbor Machado Freir Pereira da
Silva para o cargo que se acha v go de 1.' sup-
plente do subdelegado do 1/ districto da fre
guezla da Boa-Vista desta capital.Com nuni-
cou se ao Dr. questor policial.
O governador do Estado, resolve transfe-
rir Jos Nabuco de Araujo Veras do posto de
commissario do 4/ districto da 1.a regio da
guarda local para o de alferes da 4.a companhia
do corpo policial.
Ogivernaior do Estalo resolve, nomear
para o municipio de Bom Jar Jim as seguintes
autoridas policiaes
Delegado Jos Lniz de AndraJe L'.ma.
i.* Supplenle, Francisco Mauricio da Matta
Bibeiro.
2.a Supplente, Jos Gomes de Moura.
3.a Supplente, Feliciano Joaquim Je Aguiar
Costa.
Sub delegado, JoSo Barbosa da Silva No.
1.* Supplente, Lelnmiuato Alves de Al-
meida.
2.* Supplente, Felippe Gimes Barbosa.
3." Supplente, Joao Gomes de Arajo Filho.
Qoeimadas
Subdelegado, Llndolpho Cariolano Bezerra
Cabral.
1.a Supplente, Joio Gomes da Suva.
2.a Supplente, Felicia o Martina deSouza.
3.a Supplente, Agostinho de Souza Silva.
Sflrr't Vpnip
Sub-delegado. Major Joao Florentino da Cu-
nha Azevedo. .u .
1. Supplente, Clementioo da Matta Ribeiro.
2. Supplente, Valdevino Gomes da Rocha.
3. Caesiano Hvpolito da Silva.
Bizerra
Sub-delegado, Celso de Almeida.
1.a Supplente, Joao Gapitulino de Aquino
Guerra Filho. .. ..
2. Supplente, AgnelloJo Pires de Moura.
3. Supplente, Joaquim Lopes Coelho de
Mello.
JULIO MARY
AMOR J ODIO]
SEGUNDA PARTE
EM VOLTA DE UM MYSTERIO
(Continuando)
sin
Supplico-o, aenhor, dase a Sarra-
m, qae desenvolva a maior diligencia,
nSo perca um minuto... eu estou perdi-
do. .. Minha honra e minha vida eatSo
as suas mSos. Se A tempo encontrar
mos o miseravel que praticou o crime
om elle o dinheiro que me roubou, eatou
salvo. Ao contrario, nSo sei o que ser
de mim.
E como Sarrawn olh*vc-o sem eom-
prehender e quera tranquillizal o com al-
gumas p-lavras de ccnsolacSo :
O dinheiro que nubaram devia aer-
vir para os compromissos que se vencem
d'aqui a poueo. A noite seta quasi asa-
bada... E o dia que vai surgir ver a
minha completa ruina.
NSo pode, anda que provisoria
mente, faier face a esta grande eventua
lidade ?
. J eatou individado...
Oh 1 diabo !
NSo tenho mais recursos 1 1
Eis um roubo fra de proposito,
murmurou Sarrazin... A menos, accres-
centou comsigo mesmo, que nSo venha
justamente a proposito 1
Entregaram-se ambos a minuciosas in-
vestgac5es para dcscobrir-se algum indi-
cio que os pora na pista do assassino.
NSo tardaram em descobrir debaixo da
mesa e do Bopb as forramentas de que
tentara servir se Romano Goux, mas foi
s. O Sr. Sarraaa examinou em seguida
o cofre.
Rasmungou :
__ Suppoobo que ato nSo foi feito por
um ladrSo de profissSo, ou entSo elle nSo
conhecia ob hbitos da casa. Para abrir
um cofre como elle quera, gastara a
noite inteira. O trabalho foi interrompido
pela chegada do caixa. Como que este
estava aqui em hora tSo adiantada da
noite ?
Estava preparando o pagamento do
dia seguinte. Jactel vinha s venes tra-
balhar noite...
O assassino nSo contava com isso.
O commissario eontnuava a examinar
o cofre.
E' carioso, dii elle, b os ingleses e
americanos forcam assim os cofres.
Elles que in^entaram est Bystema de
brocar ; quatro furos em quadro, de pre-
ferencia na placa do fundo, e depois de
reunil-os com a serr, a placa oaha. Mas
trabalho para cinco ou seis horas e para
do-a ou tres homens... Evidentemente
se nos, no caso presente, estamos a bra-
cos com um s individuo, qae elle
dovco. .. Que quantia tnha em eaixa,
Sr. de Soulaimes ? Conheoe o total ex-
acto ?
Satgadinho
Sub-delegado, Antonio Chrislovao da Silva
Pinto.
i. Supplente, Francisco Ribeiro de Lemos
Vascoacellos.
2.a Supplente, Tito Brasiliauo de Farias.
3 Marcelino Firmo da Caoba.
Sorubim
Sub-delegado, JoaquimEuzebioGomesFer
reir.
i. Supplente Manoel Cassiano de Souza
Barbosa.
2.a Supplente, Amaro Severino de Paula.
3.a Supplente, Jos Ferreira de Albuquer-
que.
Catlo
Sub-delegado, Captto Severino de Albu-
querque Farias.
I. Supplente, Sabino Gomes Barbosa.
, 2.a Supplente, Francisco do Reg Medei
ros.
3.a Supplente, Jos Alexandre de Souza
Barbosa.
Delegado Litterario, Dr. Justino da Motta
Silveira.
O Governador do Estado, resolve reinte
grar o tenente Porfirio Poppe Girao no posto de
commissario da Guarda Local devendo servir no
3.- districto da 1.* RegiSo.
Ao nomeado ca marcado o prazo de 6 das
para reassumir o exercicio de eeu posto.
O Governador do Estado, de accordo com a
proposta do commissario geral interino das Guar
das Locaes em cfficio n. 896 de 6 do corrente
resolve exonerar, por conveniencia do servico
publico, Vencesiu de Carvalho Paes de Andra-
de do posto de commissario do 3. districto da
1.a Regiao e nomear para eubstitailo Propbirio
Poppe Gyrao.
O gaven.ador do Estado, de accordo com
a prcposta do Dr. questor policial em officio n.
1207, de 6 do corrente mez, resolve considerar
sem effeito a portara de 2, tambem do corrente,
pela qual foram transferidos por conveniencia do
servico publico do "> para o 6 distr.cto da Ia
regiao da guarda local o commissario Francisco
Antonio Lopes, e deste para aquelle districto o
commissario Irineo Gorgomo Paes Brrelo.
O governador do Estado de accordo com
a proposta do questor policiil, em officio n.
1207, de 6 do corrente, resolve transferir por
conveniencia do servico pub'ico, o sab commis-
sario do 5a districto da Ia regiao da guarda lo
cal, Alfredo Cavalcante Ribeiro da Silva para o
6 districto e o deste Henrique de HMlanda Ca-
valcante para aquello districto.Communicou se
ao Dr. questor policial.
O governador do Estado resolve exonerar
o actual delegado iitterarir de Bom Jardim; e no-
mear para exercer o mssmo cargo o Dr. Justino
da Matta Silveira.Communicoo-se ao inspector
geral.
O governador do Estado, resolve conside
rar sem effeito o acto de 17 de Agosto nodo na
parte em que nomeou Jos Nunes de Queiroz e
Manoel Jos de Medeiros para exercerem os
cargos de membros da Intendencia Municipal de
Flores, e nomear, para servirem ob mesraos lo-
gases Alcides de Siqueira Campos e Jos Gomes
Coimbra Villa Nova.Communicou-se ao presi-
dente da Intendencia Municipal de Flores.
0 governador do Estado resolve demittir,
a bem do servico publico, o cidadSo Manoel Aa-
tonio de Azevedo Jardim do cargo de professor
publico da cadeira de enslno primario do sexo
masculino de Canhotlotn-Fizeram se as ne
cessarias communicacOes.
Offioios: '
Ao Dr. questor policial.Providenciae pa-
ra que o delegado do muuiiipio de Jaboatao, de
accordo com a intendencia promova a acqnisicao
de predio que sirva para cadeta, viPto se achar
arruinado o que all se destina a esse mister.--
Respondeu-se ao promotor publico do munici-
pio.
Ao inspector da Tnesouraria de Fazenda.
Peco que informis sobre o assumpto do reque
rimeato jnnto de Bisilides Getulio de Leiros e
Silva.
Ao mesmo.Transmitto-vos o pedido de
medicamento e drogas para o bastecimeoto da
pnarmac a do Presidio de Fernando deNorooba
alien de qae^vos srvaos de mandar ealisfazel o
de acord com as moditicaces feitas a margen)
pelo Dr. Inspector do bygiene.
Ao provedor da Santa Casa de Misericor-
dia do RecifeParticipo vos que cesta data auto-
riso o inspector de bygiene a mandar conduzir
os indigentes que forem accoaimetidos de vario
las, nest cidade, para o hospital da Sant'Aguela,
e a proceder as desinfecges precisas, am de
prevenir a propagacSo da epidemia que princi
pa a manifestar se, conforme declarou-me aquel
le fanecionario em officio de boje.
Dando-vos conbecimento deste mea acto, con
fio qae a pia institmeao. que se asna sob vossa
auspiciosa, direccao, acolher os desvalidos que
tiverem de ser recolhido aquelle estabelecimen
to, comprindo-mefjdeclarar-vos que nao pouparei
esforcoa para soccorrer e ses infelizes, caso se-
jam insuficientes os recursos de que dispSe a
Santa Casa.
os
Em valores ?
Em notas de banco, rolos de ouro e
moeda pequea.
Sabe, por acaso, o numero das no-
tas ?
NSo.
Tanto peior. Poda ser-nos til.
E continuando a andar pelo esoriptorio,
com ambas as mitos nos bolsos :
O caixa principiara a trab. lhar, disse
elle, pois a sua lampada est acesa na ea-
crivaninha e os seus livros estSo abortos.
A penoa anda est hmida de tinta.
E parando de novo defronte do cofre.
Sr. de Soulaimes 1 ohamou elle.
O marques, de p e de cabeca baixa,
scismava profundamente. Qaem havia
praticado aquelle .crime? .Impenetravel
mysterio em que seu espirito perdia-se.
Mas acabava de pensar sbitamente no
que se passra depois que sahira com a
lha para dar um passeio beira do Mar-
na at que voltrs...
Pensava n'esse individuo que vira tre
par no muro do jardim, fugindo como um
maleitor, e que a la Iluminara um mo-
mento com a sua luz baga, o bastante po-
rm, para que reconhecease Lourenco, seu
irmSo...
Lourenoo, no jardim, a tal hora 1 Lou
rengo em casa de Miguel, n'essa casa de
onde ,tinha sido expulso t Entrara alli
occultamente !... E porque motivo 1 Com
que fim, senSo para commetter novo cri-
me 1 I
Horror Lourenco, assassino Eis n
que scismava 1
O homem que, pouco a pouco, de vicio
em vicio, de degro em degro, cahira na
ignominia... o hom om que depois da pre-
varlbacSo no club, tinha cobardemente
aproveitado a affecSo do irmSo para fal-
sificar letras, com risco de arruina'.-o e
manchar-ihe a honra commsrcal, esse ho-
mem rolava no declive de todos os cri-
mes Esse homem nSo seria capaz de um
homecidio ?
Miguel a principio afastra a horrivel
idea. NSo, nSo, era impossivel... Um
Soulaimes nSo desee tSo baixo, nSo cahe
na lama e no saogoe ?...
Mas a idea voltava i-isistentenunte ..
De um falsario a nra assassino a dis-
tancia nSo grande... De um estellio-
nato a um aBBas.ino o intervallo bem
pequeo, e urna occajSo, a primeira pode
preenohel-o!...
E Lourenco era esse estellionataro 1 E
tudo demonstrava para Miguel que Lou-
renco devia ser tambem o assassino.
Apoiou os dedos nos olhos, para nSo ver
mais as terriveis e monstrusas cousas que
surgem na Sua imaginacSo. E deixou es-
capar urna oxclamac.So surda que tradusia
toda a angustia, toda a agona
Ao Lspec.or do Tbesouro dojEstado,Nos
termos de vosssa informacao n. 833 de 2 do cor-
reate, imaodae entregar ao coronel Francisco
Pedro Boulitreau. procurador de Hermenegildo
Bonifacio Lopes,a quantia de 3.0004000 que de-
positan nesBe Tbesouro para poder concorrer a
arrematacao da illuminacao publica d'eata oc-
dade.
Ao mesmoDe accordo com a vossa mfra
macSo n. 60i da 8 de Julbo ultiau d.u provi-
ment ao recurso interposto pelo Banco de Cr-
dito Real de Pernambuco isem telo -o do pa-
gamento do imposto de Reparticao estabelecido
no o. 1 da tabella annexa a Lei n. 33 de 17 de
de Desembro de 1891, visto a:har-seo recur-
rente comprebendido as disposigOas do artigo
10 da Lei n. 1788 de 27 de Juina de 1883.
Ao mesmo -l'iformae sob ordem de que-m
'ecbou-se, hoje a .repartijao da Rccebedoria do
Estado.
Ao mesmoDe accordo com a vossa infor-
mado n 863 de 3 do correte, mandae pagar
ao commandante do eqaadrao de cavallaria
capitao Jos Ottoni Ribeiro Franco e da quan-
tia de 3001000 importancia da caralgadura
e bem assim a de 240C0 diarios de forragem ca-
bendo me declarar-vos que arbitrei Ihe em___
2404000 annuaes a gratlQ:ac2o do commando.
Ao mesmoNesta data declaro ao com-
mandante geral das guardas locaes que o sold
das pracas do municipio de Gjyanna, relativo a
2a qjinzena do mez de Agosto ultimo deve ser
recolhido aos confres do Es.ado, visto naverem
ditas pravas abandonado o seu posto para se
reunirem aos perturbadores da ordem publica
daquella localidade.
Ao inspector de hy^ieneAutoriso-vos a
adoptardes todas as providencias Euggeridas em
vosso officio n. 133, de boje datado, afim de
evitar que se propague a epidemia da varila
nesta capital, devendo correr as despezas com a
condueco dos variolosos para o hospital de
Santa gueda, por coala do Estado.
Srs. membros da commiseSo encarregada
de emittir parecer sobre usinas.Pego que de-
volvis com a maior urgencia, devidamente in-
formada a peticao dos concessionarios da usina
Mara das Meri.es, remedida a essa commissao
em 13 de Junho, na qual solicitava a entrega da
2* preslac&o do emprestimo.
Este governo, em 2 de Agosto fiado reiterou
c pedido de informacao, sem que at hoje terna
delta conbecimento.
Circua: as laten encas Municipaes:
Para os fias coavenientes, remeti vos um ex-
emplar impresso do progr mera ou classifica-
cao dos ebjectos que podem figurar na expo-
sicao Universal de Chicago.
Igual ao A-senal de Marinha, Arsenal de
Guerra, Casa de Detencio, Colonia Isabel e
Fernando de Noronba.
Ao commandante geral das guardas locaes.
Declaro-voB, em resposta ao vosso officio de
3 do corrente, o. 894, que o sold das pracas da
guarda local do municipio de Goyanna relativo
2a quinzena do mez de Agosti tin io, deve ser
recolhido aos cofres do Estado, visto haverem
ditas pracas abandonado o sea posto para se
reunirem aos per u.-badores da ordem publica
daquella localidade.Remetteu-se copia ao te-
nente do corpo policial, Austriclino Paes Bar-
re/O.
EXPBDIKSTE DO DR. SECRETARIO
Oficios: m ,
Ao inspector do Tbesouro do Estado.O
Sr. govrnador do Estado maDda communicar-vos
que o Dr. questor policial, segundo participou
em officio n. 1173. de 3 do corrente, nomeou na
mesma data Jos Uchoa Sobrinho para o cargo
de amanuense da reparticao a seu cargo, vago
pela aposentadoria de Antonio Alfonso Ferreira.
Ao mesmo.De ordem do Sr. governador
do Estado communico vo3 que em 1. do corren-
te mez, o promotor publico do municipio de Flo-
res, bacbarel Jos Antonio de Magalhes Bastos
interrompeu por molestia o exercicio de s u car-
go.
Ao mesmo.O Sr. goveroador do Estado
manda commuui^ar-vos que indeterio hoje o re-
querimento de Igaacio Pereira da Cosa Graca,
sobre o qual versa vossa informacao n 835 de 2
do corrente mez.
Portaras:
O Sr. gerente da CompaDhia Pernambaca-
na d passagem gratuita de r para a Parahjba
no 1.a vapor a Joo Biptista de Moraes.
O Sr. ge-ente da Companhia Pernambocaoa
d passagens gratuitas de r do porto do Aracaly
para esta capital a Luiza Cintra e a um menor;
e a urna criada com passagem de proa, qoando
para isso se apresentarem.
O Sr. superintendente da eitrada de ferro
do Recife ao S. Francisco siiva-se de mandar
transportar, por conta do Estado, em carro de I.
classe, da estagao das Cinco Pontas de Palma-
res o promotor publico de Afogalo de Ingazeira
bacharel Arthur Barbalhc UcbOa Cavalcante com
direito a bagagem.
Igual na estrada de ferro Sul da estacao de
Una a de Canhotinbo.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
c*e sua
Meu Deus, tende oompaixSo de nos.
Foi entSo que ouvio o commissario
chamal-o.
Sr. de Soulaimes, disia o Sr. Sar-
razin. .
Elle chegou-se. Serraun designou o
cofre.
. O cofre foi aberto naturalmente,
disse elle... Tentaram arrombal o,
rerdade, mas nSo levaram a effeito...
As chaves ainda eatSo na fechaiura.
Mas o algarismo ?,
Justamente ia fallar-!he : qual era o
algarismo ?
229... "
O senhor era o nico que conhecia,
sem duvida, e Jactel ?
E' exacto.
E ambos tinham chaves do cofre ?
EstSo aqui as minhas...
E o marques tira do bolso urna cambada
de chaves.
O es3aasino devia z nhecer o alga-
rismo, dis Serrazin.
Isto impossivel. Jactel nSo o con-
fiava a ninguem.
N'esse caso, segundo pensa, Sr. da
Soulaimes, seria o proprio Jactel quem
abri o cofre ?
Talves.
n'essa occasiSo que foi sorpren
dido?
Assim creio.
E' possivel, possivel, disse Ser
raiin r. fleo1 indo...
E langou ac marques um olhar deseo-
fiado, muito longo, como se proourasse
persorutar o fundo d'aquella alma, domo
se adivinh&sse all um segredo.
O marquez todo entregue ao seu desea-
pero nao o percebe.
IV *
M A M A* I
A marquez entrara pira seu quarto, mas
nSo se deitra Tinh aberto a janella e
conservava-so estendida na sua cadeira de
bragas, deixando a brisa fresca da noite
acariciar-lhe o rosto; com o ouvido tt-
tsnto procurava apanhar todos os rumores
que p&rtiam l de baixo ; ouvia os da
ra; depois ceses rumores deaappareoe-
ram medida que a noite se adiantava.
E siiccedeuso a noite serena envolvendo
a casa, como se alli nSo tivesse entrado o
crime.
Com a esbeca apoada no espaldar da
cadeira, as duas mSos nos joelhos, ella
esforcava-se em grupar de novo os mais
es ca apparencia mais
trgica na cual
insignificantes da scena
tinha sido envolvid".
Havia muita deBordem no seu espirito e
nSo consegua coordenal-o. As reminis-
cencias, posto que recentes, das ultimas
horps decorridas, pareciam-lhe que pro-
vinham ora de um sonho, sonho delicioso,
e ora de urna realidade monstruosa.
O beijo que acreditava ter sentido seu
filho Lourengo depositara Ihe na testa,
squelle beijo e aquella lagrima, e tambem
as meigas palavras que ella sorprender
tudo era de seu sonho !... E commove-
ra se toda com isso 1...
Mas o resto o grito de Jactel, a lucta
com aquelle homem... e o nome que elle
pronunciara em vos baixa : t Lourenjo ;
isso pertencia realidade.
Em que pensava ella LoureDgo
assassino ? Que loucura 1...
Urna febre intensa queimava-lhe o san-
8ae-
Entretanto eu ouvi I
lenos

eu ouv! NSo
acho explicacSo... nSo, Miguel talves sai-
ba diser-me...
E de repente r:-se.
Doudice 1 Lourenco 1 capas de um
crime 1 Ouvi mal, o que foi... NSo
quero pensar mais em semelhante tolice...
Gomo qae pude imaginar cousa tSo ab-
surda ? Urna saspeita tSo monstruosa,
ama mSi nSo devia repadial-a comhor-
ror ?... E eis que eu sorprehendo-me a
discutir commigo mesmo!
E' que ella nSo ousava con lesear que
havia muito tempo que sua alma nSo es-
tava tranquilla. NSo se expanda com o
filho mais velho, mas tinha desasocegos de
que Lourengo era objeoto.
\
\

.-*



VM 'I
jL i'.- "I '"I

Hr--------


Diario de Pernamimco Ter^a-feira 15 de Novembrp de 1892

do Recife aoS7 Francisco d paesjfgen!, or con
ta do Estado, em carro de i." ciaase, com direito
a bagagem, da estago-ds Una a de Cinc* Poataa
a doo3 officlaes do corpa policial, e pawMenaaj
9Danto ao transporte, em emato de 2 csase, e
preces e um preso.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recifa ao S. Francisco-d passaiemrrie l.
classe, por coala do Espado, da aettcuo de Cisco
Pontas a de oa aaosab oommissiria de Gara-
chaos Vicente Tellei-Furtado, caaforre reqni-
ta o questor policial em oficio a. 12J5 de 6 tto
correte. *_*._.
Mtttitis mutandis a estrada de ferro Sul, de
Palmares a Garanbuns.
DESPACHOS DO DA 12 DI NOVEMBKO
DE 1892
Abiixo assigaadoa, pat-> de familia, re-
sidentes am Agaas Bellas, pedindo a coa-
ser vaHo do professor Hnervino Francis-
co Lobo. ''guardem a organisacSo do
magisterio municipal.
Augustj da Mo Carneiro da Silv
Bago.Deferido com offiaio d'eata dat-
ao iinpietor do Thesouro.
Adolpho Canha & C, pedindo p -roiis-
sao para venderem est&mpilhas do Esta-
do. -Informe com urgencia o inspector
do Thanooto.
Alejandre Hiplito Ver; isa, ped ndo
para ser-lbe concedido o auxio do.....
10:000$ jOO para a pablicacSo de um al-
manak que denominarse ha Almanak
Administrativo e Commercial do Estado
de Pernambuco.Informe o inspector
do Thesouro do Estado.
Antonio Augus > de Lsmos pedindo
eliminaoSo ic um "r-ilhoa da
Oomp&ahia Recife Drain.g-. latentes
no predio n. 31, ra do Ghrvaaio Pi-
res. Informe o engenheiro fisaal da Com-
pa .hia Recife Orainage.
Augusto X.7er Carneiro da Cunha,
Sropoado ao Governo a venda de um pre*
:o de -su. propriedade para servir de
quartel e c-deia em Jaboatao.Iaforme
o inspector do Thesouro do Estado.
,'omp ohia Pernambucana de Navega-
c5-j a Vapor pedindo pagamento da quau-
tia de 72jJO0O. Deferido com offiro
dBita data ao inspector do Thesouro.
Ermelida Rosa de Lima, pedindo isen-
c3o de annnidades da Companhia Recite
Dra nage.Indefarido.
Francisco Moateiro da Silva, senten-
ciado. Iodeferido, em vista das informa-
c5s.
Francisco dos Santos de Moraes e Sil-
va. Informe o inspector da Thesouro do
Estado.
Joao Augusto de ouza, sentenciado.
Indeferido, em vista daa informago'aa.
Jlo Maximino da Suva, sentenciado.
Iodeferido, em vista das informabas.
Jos Cromes Barbosa dos Santos, sen-
tenciado.Iodeferido, em vista das iofor-
macSaa.
Josepba Mara z ConcoicSo, sentencia-
ds.Informe o procurador geral do Es-
tado.
J-.a Rayaiando Ferreira da Araujo
Sald-raha pedindo cartJMdi. Gomo re
qner.
Joao Ridriguci t.1 Moura. Deferido
cot3 uffl^o danta cata ao inspector do
Tnesouro do Estado.
Luis Paasc; de Scuaa a ontros.Infor-
me o Dr. jc.a do direito do 2o ditricto
criminal.
Phyttas Adtl ao da Oosta Doria, sen-
tenciado. -Informe o Dr. ju'z de direito
do 2o districto criminal
Silva, Bastos C.Deferido com cffi-
cio desta data ao Tn so uro do Estado.
Sevsriano de Paulo Franco.Besettido
ao inspector a vista da sua tormagao n. 10.0 de 24
de Outabro fiado.
Secretaria do Governo do Estado de
Pernambuco, 14 de Novembro de 1892-
O porteiro,
Hemeterio Maciel da Silva.
Gomes doN iacim -n'.o.snbdelegiio do dl>tricto de, Sclifieada a repblica no solo da patria, cr-
S. Pedro Mrtir do municipio de Olinda. t0 qae ti errosOBes comaieito, nao oeOOt
N'o-'iB 8, JoaaasavdaB.voa a8ttva, delegis ;
do^BticialnalwaBaito.aaaaBliMaaa-de 1. sua- ee"10 taneav aj"j teasn pragrsdido continua
plasta, ente na*coaeeeoco de idta,-quaso oacrcs
.J^^S^^^^S^^S^^^ c*-*.^ re,hu rapa.iicaoo.
de 1.* aupptent*. Q i^n Jo cu ra joaea oao ilTiteenos a convide
Qimo gm<:, (faeno rgimen monantitco tiohamos a
beriba, deaoj"! dattdo, faaaaw'hoatom haae
allLaatersea epaaaiui moe por ^racas do 14."
batlta) da liana ajee se.achavam natdas ao va
go mest'e d> co'oo de policia rttlooal doa n'ea
ta data as ne.essarias provideacias para que nao
se reprodozam taes fados.
Ao sabielegalo do dislricto do Po;o da Pa-
nella recommendo que faga postar diariamente
na ra da Paltia, em Parnamerim. urna pra^a do
destacamento all estacionado, para evitar os
disturbios qou ltimamente te t :i dado.
N'jata data recommendo aos S:s delegados
da capital, qut fagam probioir, em vista ios Ta-
ctos ltimamente occorridoa, todo3 03 diverti-
menlos populares sob as denomio^gO Sum-
b;, Pastoril, Burbamea b.i,f uedevemser cassaias aaliceacaa concedidas
ara tal ti >.
Ao Dr. Aexandre Jos Barbo ja Lima,
mi digno governador do Estado
O Questor,
Julio de Mello Fdho.
Tkesouro da Estado de Per-
nambuco
DESPACHOS DO DA 14 DE N'.VEMdBO DE
1892
Fielden Brothers capitSo JoSe Pires
Ferraira, Joaquim X ivior da Silva, hacha-
re! Louren^o Caetano de Albuquarque,
Dr. Alfredo de Oliveira FoasecaInforme
o Sr. Dr. contador.
Sociedade Arion, Manoel Clementino
Oordeiro de Mello, coronel Joaquim C-
valcanti de Albuquarque, Francisco Caata-
no de S uza, bacharol Antoaio Coelho de
S d.: A'buquarque e Arthur Deaiderio
Haja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
JoSo Jos de Abreu Certifique-se.
M r.t Thereza de Jess Mchalo, Car-
miada Lopes Le aoB, Masa Rcgedora da
Veneravel Ordem Terjeira de S. Fran-
ciscoIaforme o Sr. Dr. administrador
da Recebedoria.
Manoel Henriquas da Silva Ao portei
ro para entregar ao interessado.
Recebedoria do Estado de
Pernambaco
DESPACHOS DO DA 14 JE NOVEMBKO
DK 1892
Oliveira Ctro & C, idem, Manoel
Rodrigues da Silva, Antonio Gomes da
Suva, Jos Alves de Luna, Mar-a Fran-
cisca da OoaseicSo, M&tia Leonilla S.lva
Figueiredo, Francolina Olindina da Silva,
Amorim & 0. e Antonio Paulo Oliveira
Villaa-BO.sIaforme a 1 a sac^.io.
Joe Gomes da Motta e Antonia Mariz
Fonseca OarvalhoA 1. sec93o para os
devidos effjitos.
Clotilde de OveiraCertifique-ia.
Manoel Farrsira de SoozaProve o
bupplicaote ter pago os respectivos impos-
toa.
Jo'vo da Slva SantosDeferido em
vista da documento que apresentou.
Amelia Fernanda Q-iyo', Maria Caroli-
na do Figueir-ado e Anas Ferreira da
Araujo -Diferido em vis'a das informa-
jSes.
O porteiro,
Jos L. Mocado C. Fdho
ituestara policial
SaccSo 2.-N. 257 Secretaria da
Q,uestura policial do Eatado de Pernam-
t.uco, 14 do Novembro de 1892.
CidadSo. Participo-vos que foram
reoolbjdos Caa de Detenco os seguin-
tes individuos :
No da 12:
A' miaba ordem, Jo vino Heseterio de Medei
ros, remettido pelo delegado do municipio de
Jaboatao, disposicSo do subdelegado da fre-
guezia de Santo Antonio, para averiguacSes po-
licial a
A' ordem do Dr. delegado do 1 distacto da
capital, Sergio Antonio Hypohtao da Silva, como
desordeiro.
A'ordtm do subdelegado da freguezia de
Santo Antonio, Joao de tai, como gatuno; Ang-
lica Maria da Costa, como desordeira; Joo Joa-
qun de Saii'Anna, Joao Gomes e Oliveira e
Jos Francisco do Ncimento, como gatunos e
desordeiro?.
A' ordem do subdelegado do 2* distri to de
S- lisa, Joao SimOes Pereira de Souza, por cri-
me de (en eatos ; e Antoaio Ignacio de Jesna,
po- diaiarbias.
A' ordem do sob Jelegado do distrito de Ato-
gades, Francisco Jos de Freitas, conhectdo por
Francisco Gomes, como vagabundos.
No dia 13:
A' miaba ordem. Joaquim Ferreira Lima, co-
nhecido por Joaquim das Coaves, para averigua
c6 3 policiaea.
No dia 5 do correte, s 4 horas da larde,
no logar denominado Grota Funda do municipio
de Grava irava-am lucta os individuos Ferrei-
ra e Laurindo Pereira, trabajadores da via-
ferrea de Caruaru, resultando sabir o ultimo com
um feri ment de faca, do qoal veio a morrer mo-
melos depois,
Cootra o deliuqneate. que evadio-se procedeu
se nos termos da lei.
No dia l do correte, no referido monicl
pi de Ciruar, (oi ferido gravemente com duas
tacadas o individuo Domingos Cardozo do San-
tos, tendo sido seo cil'asor Oivmpio Raymoado
da Costa, que logrn evadirse.
Foram (eitas as diligeociao legaes.
Hontem, s 4 boras da madrugada, em um
presepio no lagar Pedra Molle do districto de
Apipucos, o individuo de nome Antonio Be nar-
do travoa-se de ratOes com Manoel Clementino,
o ferio gravemente cima do peilo esquerdo
0 deliaquente evadio-ce e contra elle procede-
re na forma da lei.
= Communica o subdelegado do districto de
Angelim do municipio de Canbotlnho, qaa na
maob de 10 do correte morreram afogaras cm
m pogo tres c i ancas de tenra idade, Unas do
cidado Joao Ctoistraoo Lins da Canoa.
Sobre o fado procede se oa forma 4a lei.
Hontem, por volta de 4 horas da m drog -
da, na occasi&o de se termina- um brinquedo
denominadoBamba-meu-boina Campia da
Casa Forte, diversas pncas de liaba e de policia
travaram conflicto ao lado de urna igreja que
exisre all em ruinas, do qual resultoa eer assas
sioado Looreoco Gualberto Pereira, ferido gra-
vemente Ludgero Esteves de Carvalbo e leve
menie Francisco Cndido Carneiro Monteiro, Ma-
noel Joaquim de Bnlto e ontros paisanos.
Sobre a (acto dea o subdelegado respectivo as
necessarias providencias e procede dos termos
da lei contra os delinquentes.
Entraram em exercicio as segaintes autori-
dades poiiciaes:
No dia 12 do correle, Joaquim Luiz Vieira,
subdelegado do 1. districto do Peco da Panella,
na qualidade de 2.* supplente; e Manoel ludio
DIARIO DE PERMAMBDCO
RECITE, 15 DE NOVEMBRO DE 1892
Ao desponlar o da de boje, completam-ac tres
anuos qu i en'.re o ruido das acclama063 popu-
lares, plantou-se na grande patria' brazileira o
regnn.'Q republicaao, ha tantos anuos sonbado,
desejado, entrevisto ardenlemente por quasi to-
ca a trra da Santa Cruz que, caneada de um re
gimen que na> podia traser-lbe mais a felicida
de, aspirzva om futuro mais vasto, que palease
conter, que podesse abrigar a g?aadi03idado da
idea que tiaha em mente realizar.
A monarebia e:a urna idea perdida n ta tr-
ra, e condemaala pelos erros que bavia com
mettido Do um lado a nova idea que alastia
com a rapidez das grandes e indomaveis corren-
e elctricas, a esperanji de urna patria re-
juvenecida em moldes verdaderamente demo
orticos; de ootro lado o isQlamen'.o dessa me
narchia, anici, n'nm vasto continente inteira-
mente regido por institaic&3 republicanas, a
condexnaco formal do povo por actos de um
governo que de degro em degro ia deseen io a
cabir na nivclacSo das causas gastas e impresta-
veis ; tudo proounciava, pois, que a planta ex-
tica ieflabava a faa de seiva, e estava o pr-
ximo fm da monarcba, que j senta beijar-lhe
os ps as ondas rugidoras da colera popular.
Foi debalds que o governo monrebico appel-
lou para a generosa iei de 13 Je Maio, que veio
quebrar os fortes tentacu os do captiveiro.
O povo bem vio que a corea apenas capitulou
diante da naco, e nao se deixando levar por
es3e acto, levou avante a campanha repblica,
qne aUnal teve a sua victoria oo dia 15 de No-
vembro de 1889,essa data sublimemen'.e bella,
qu jamis se apagar cnire os grandes feilos
qae eofloram a historia patria, e quic a historia
universal.
E veio a repblica I
Oque foi esse dia, o pbrenest patritico qae
se apoderou do povo ao ver um velbo soldado
erguer-se do leito do dor para empunbar a espa
da em defeza da patria esse soldado, cheio de
louros, colbidos na campanba do Paraguay, cujo
nome era urna veneracao, e boje urna reliquia
para todos os brazileiroso que foi esse dia, di-
zemos, nioguem o pode exprimir dentro dos es-
treitos limites marcados a um artigo desta nature-
za. O que elle foi, porm, sent o ainda o po-
vo brazileiro, toda a vez que a ampulbeta do
lempo lembra-lbe maie vivamente es-e dia, em
que elle,-sempre entusiasta das suas glorias
seateo o palpitar de encontr ao corac&o pa-
triota, sent o reviver dentro d'alma Incendida,
fremante e chela de commosSo.
E veio a repblica I
O vaticinio da histeria realuou se.
O sangue derramado por esses tantos marij
rea da liberdade que morreram com os olbos ti
tos na serena imagem da patriaesse sangue
patriota que por vezes maculou o solo da patria
-nao ex'.icgulo-se, Bem evaporoa se, mas ino-
culou se n'outras veias, communicou-se a'outros
seres, a quem estava destinada a realisaco da
grande i dea republicana, qne um dia ha via de
rebentar espontanea, bella, ebeia de vida, e Im-
plantar se no teto fecundo da patria brazileira.
(Mtenda i ce'r,'rslaa(aa absorven lo todos os
atentos vltaes do paiz, ao pa?so que boje, em
pleno rgimen federativo, < as pulaacOes cardia-
cas do paiz sao i3ocbrona3, batem com igual
corapasso e forja no coragao e noa membros, no
centro nacional e as suas extremidades, acen-
sando uai- cir.u'wcio completa e regalar. >
Ao qae toca ao Estado de Pernambuco, qual-
quer espirito impircial recoaboce os largos pas-
sos que ten dado na laminosa es'rada do pro-
gresso, com a adminiatraco recta, patritica,
genuiuarae'jla republicana do Exm. Sr. Barbosa
Li'-, q -.m a'a.'Ur-sfc um 6 ap.ee to pro-
gramr.a de Otdup, mo'a'idade, progresso e m-
parcialidado q :e a si mesmo circumBcreven,
nao tem cessado de elevar os credi.tos di trra
pernambucana, tag'an tecendoa, oobili'acdo-a,
fazendo-a marchar tniaterrupta e br:lban;:s3i.na
I mete na vasliseaia entrada do prograsso tes*-
j\deratum qu? v.sam os povos modernc3 e civiil-
sados.
Q ando, porem, aiida tan'.o nao heuvessemos
coascguiio sob o regim?n republicano33se re-
gimen o mais digoo da abnegagao e sacrificio
de um po7o altruista e educado as modernas
tbeorias civillsadoras,quando na fosse lao
palpitante e dig .o de ro'.a a formt porque ha-
vemos progredido na evolu;&o da Repablica
Brasi.eiraos poucos ancos qu? temla expe-
rimentado nao autorisariam iadubitavtMmente
urna condemnaco formar dell i, nem justinca-
riam os nossos votos pela volta da monarcLi-,
que absolita nenie nao pideria saiisfazer mais
as nossasasprirages que nao polem mais Bear
adstrictas a voatde de alguns ulicos, como
sa^cedia no rgimen decahido.
Todos se lembram qoaoto sangue custou a
Franga, quanta abnegacSo foi necessaria a seus
lh03 a soadideago das instituig5es republica-
nas no seu solo. Foram ve'dadeiras hecatombes,
mutuoi di'aceramentos, qae anda boj i pun
gem a quem passa os olhos sobre a historia san-
grenta djssec tactos. Marat, Daaton, Robespierre
e tantos ou:ros nao escaparam ao golpe fatal da
gullhotina!
No entano qaa diffarenga entra n6 I O da
13 de N,vembro, foi um verdadeiro arrebol de
fljres e griaaldas, e se algumis lutas fratricidas
havevaos tido, nio se podem comparar ao qua-
dro de horror que outras ncijos nos ho offa-
recido as latas em pro! de urna idea. -
Seria, pois, muito cedo para aluam que qui-
z^ssa candemnar a Repblica 1
A nos se augura qu3 muito o pouco que te-
mos conseguido e que ds prsperos, rideaies,
Btanosos agaardam aRepublica Brasileira.
O dia ae aoje, pois nos despena n'alma o
i-.i vivo enUiaaiasmo', porque concretisa o re-
surgiaento do povo em prol da lutas da libar-
dade, em prol das conquistas santas do3 seus
direilos, syniheiicalos na formulardem e pro-
gesso-que, na expressao ;de um publicista
resume todas as harmonas da liberdade, igual
dade e fraternidade.
Odia de boje, pois como urna eciosao de luz
romptndo da sombra deve vib.ar em cala
alma, com; o grito de enthusiasmo que irrom
';.etse n'um peilo patriota.
Solve, pois, o dia 15 de Novembrc I
INTERIOR
SUL DO BRAZIL
Estado do Blo Orande do Sal
Datas at 5 do correte.
T-.'odo o goverao do Estado apprebendidu em
poder do capltao Barcellos em vlagem para a
colonia militar, corraspondencia federalista com
a noticia de conspirag&c do m^smo partido, fo
ram em Porto Alegre feitas na madrugada do
dia 1 numerosas prisOes de chefes e polticos fe-
deralistas, contando se entre estes os Srs. Vctor
Brito, Leopoldo Masson, Virgilio Valle, Emilio
Ferreir,, Chana e Josino Chaves.
Alguas presos foram sollos horas depois.
O Sr. Fredenco Haasel, gerente da Companhia
Fluvial, fo' ferido no acto de ser preso, fallecen
do ao dia 5; e a familia de.larra ter sido esse
cidado assassinado, por terem-n'e ferido trai
goeiramente pelas costas.
O Sr. Facundo Tavares, resistindo prisSo, foi
ferido; e dous Albos qne aecudiram a defende-
l-o. foram morios.
O major Pautaleao e alferes Margal, comman
dante da fo. g i que effectuou as pnses sehiram
feridos levemente.
A Reforma suspenden temporariamente a
sua publicagao.
Por motivo dos receios e boatos de revolu-
gao, muitos cidad-os lm emigrado com as suas
familia* desta capital.
No paquete Rio Pardo seguiram para o Rio
de Janeiro, os Srs. Emilio Ferreira e Dr. Vctor
Brito ,com as suas familias, e Albuquerque, no
ticiari ta da Reforma; e para a cidade de
Desterro partiram uo mesmo vapor o comueud *.
dor Bautista Gongalves Jnior e Dr. Fayet com
suas familias.
O Visconde de Pelotas e general Valle j esto
em viggero, para o Rio; e o general Norberto
Vasques parti para S. Paulo no dia 4.
Refere o Qainze de Novembro de 31 :
< Parti boje para a fronteira o Exm. Sr. ge-
neral Joo Baptista da Silva Telles, que, na Es-
tancia da Carpintaria, vae ter ama conferencia
poltica com o Sr. general Joo aues da Silva
T.vares.
Do resaltado desse imporlantissimo encontr
ntrelos dous generaes, dependem certamente
os destinos do R-o Grande do Sul, pois delle ba
de inevitavelmente surgir a paz ou a guerra.
Fazemos os mais ardeales votos para que a
misso do nosso Ilustre comprovinciano e valen-
te general seja cordada de felicissimo xito.
Acompanbam-ao al frouteira os Srs. capi-
tes Candido de Aumbuja Raogel, Jr.s Anto-
nio de Souza e o cidado Beato Gongalves da
Silva.
A demora do Exm. Sr. general Telles ser cur-
ta, devendo achar-se de regresso por estes dous
ou tres das.
J sabia se que o general que regressou da
fronteira confeccionara no Serr Largo com o
Sr. general Silva Tavares.
' Nao cheg.-am a um accordo, declarando o ge-
neral Tavares es lar emito comprometido com o
seu partido para fazrr a invaso.
Um incendio devorou a arrecadaco do cor-
po de transporte no Say :an, perdendo-se com-
pletamente todo o faldamento, munigo, comes1-
liveis, armamento, etc.
Calcula se o prejuizo em 200:000*000.
Nao se sabe a que attribuir-se o fogo.
Cimuuaicago telegraphica expedida do
Livramento e recebida pelo chefe de policia, diz
qua no dia 22 do paseado, no 3 districto da
quelle termo, tres individuos assaltaram e si
qutaram a casi commercial de Carlos Cacel,
que foi amarrado e depois assassinado.
g|0 autores do cilme, faglram logo para o Es-
lado oriental, sendo conhecido um delles, Appa-
riclo Pas, que est emigrado na Rivera.
Conectivamente rennnclaram os cargos
todos os membros do Conceibo Municipal de
Bag, eleito a 23 de Setembro.
No Rio o Jornal do Commercio noticia
que o Dr. Julio Castilhos receben por telegram
ma de Porto Alegre o contedlo de diversas
cartas approbeoddas Barcellos, e de algumas
estaawoa estas :
-Porto Al.-g.-e, 16 de OMbro de 18S2-I'lm.
Sr. Ftitppe Nery PortiatO-CaWfligiooaf.o e
aarttola t'st no domioto aaatteo, a por io
nolne ser deaconhecide qua praiecimos re'
gir contra este Governo qua totos oalas tat
acarrstado ao nosso desgraa4o*jtado.
Noo pwsivel que mosireoo os j desbna-
dos a paito de deixarmoa cornr ludo a revelia
e nao ha-oppormos a menor reasteocia. As?lm
que de accordo com meo irmo gaera! Silva
Tavares, estamos nos preparando para a lata.
Est elle no Estado Oriental, donde recebe re-
cursos, escassos sem duvida, para a forga que
tem ; mas, com os elementos iue tiver ia.-adi"
a fronteira e vira de mircha batida para o R.o
Grande, emquantoqaeeu. o Visconde de Pelotas
e o General Brrelo Leiee e ontros amigo?, j de
accordo com os coronis Vicente Gcmes e An
ionio Ignacio e mais o tenente coronel Baplsta
de S. Francisco movemos o N jrte.
E a laaaa daremos aviso por teleramna em
cifra.
Mu irmSo dar de l insirucgOes aos amigoa
queja ei o de tudo pravenitoj, desde a Ba-
cruzlhada al S. Borja, visto qua c i daqui nao
lerem)? certeza de podar faze; estas commani-
cagOes lempo, p rquo aovo Gjvarao descon-
fiado de nos cortar todad a3 commuuicagdas.
Elle ('utu irmao) de l pode fazer ludo por pro-
prios.
Nos daqoi s faremos as communicagoes ana
amigos ja citados de ca e a V. S. po: chave tele
graphlca e por proprios.
Esperamos aviso 15 das antes de ia,-. sao
apenas chegue Ihe transmittiremos.
Espero qua V. S. transmita convite aos nos-
sos correligionarios Tnimothao de ?oua FaijO e
capito Garcos para qae nos auxiliem e nao dls-
pondo eeus elementos.
Armas, cada um se se-vir das que tiver.
Quando ba boa vontade al a ccete se
briga.
Coosta-me que o Pinheiro Machado tem dous
depsitos de armas na Cruz AUa. Descobarlo o
luear do deposito, um asalto a elle* e sero
nossos.
Convem nao deixar respirar o iaimgo. As
primeiras orcas, reunidas, ji devern e-torvar a
reunido do inlmigo e perseguir os ebefes. obri-
gaodo os a fugir, se nao poderem pgalos. Sao
03 elementos da guerra ; V. S. sabe disso
mao bem, e estn certo que pora em pratica
logo.
O portador o capito Barcellos, aue pro-
m?tte-me entregar esta em mos de V. S. Si
tiver occasio de e3crever-me com spguranga,
e-pero merecer Ihe esse favor, avisando nos dos
recursos com qae conta, para nosso governo.
Poho a sua disposicJo mea limitado prestimo a
muito fazer, assignando me De V. S. corral i
giouario e amigo obngado, Jos Facundo da
Si ira Tavares.
P. S.A chave telegraphica : Nery Porto-
Cruz altaO.g. seu negocio ser at da (tan
tos ser o dia da invaso) (assignado) Correa.
Conviri comegar a reunir quatro ou cinco
diaa antes e cortar logo o tio lelagrap tico em
.i:uV('ule3 pantos. >
Porto-Alegrj, 2G de OaUobro d 1892.
Iiim. collega e amigo. Tanbo demorado a es-
crerer-lbe sati-fazendo o pedido qne faz no =eu
cartao, por falta de segura propo-gao.
Agora aproveito a qu-; vai para a Cruz Alta e promette-ma entre-
gar -Ihe esta com segurangi.
Qassal nada confereaciou comnosio, nem oro
curou a nenhum. S6 esteva com o D W.'a-
ceslo Escobar.
Aiioalsafu-se no sabbado a noile, levando a
familia, delx.indo o governo eraaraniado em
angusturas e os amigos compromettidos.
Djs delles esto na cadeia ja e o Junqnaira
incommunicavel.
Nos todos ameagados.
Nada receio. Com vsro aviso, mcu collega.
coinece a prHparar-se, porjue nao amara.-
que Ibe chegue aviso do dia da invaso.
Consta aqu-que ha desaccord,/ entre o dele
Kr.do los rombos que aqcelle tem arrecadado e maada-
do entregar ; dizem at que esto a pooto oe
pegar-se.
Ser verdade ? .
As ooticias que nos ch gam de toda a parte
sSo mn'to satisfactorias. Tadosjdispos'.os para o
prirairo aviso.
Que aoticias me dar do meo prente A ..lomo
Bonifacio ? Est bem disposto ?
Pudendo escrever-me com seguranga, nao se
i-8quega, porque muito preciso estar em dia com
os elementos com que pode remos contar.
Comprlmenta-o o camarada e ami^o Jos
Facundo da Silva Tavares.
NotaA assigoatura do telegramas ser-
Oliveira.
Abri esta para preven-o qae fomos noile
avisado que seremos presos, eu, Dr. Betten-
court, Dr. Wenceslao Escobare Apolinaria Por.o
Alegre.
Este e Bettenconrt heje ausentam-se. Eu,
porm, nao o posso fazer, porque, como sabe
tenho de dar direcgo aos amigos logo que t;-nba
aviso do general para promover-nos.
Mas desde que saiba abi que fui preso, nao
demore o movimento : ponhaa-se logo em cam-
po, reuaindo e entrando em operagOes, pois ;ao
duvide que ir logo ordem rara prender todos
es ebefes na campanba, o qae ser um desastre
para a causa que defendemos. ^
Sei que o Joca tem recebido muito armamento
e mnnigo. Esta noticia tive hontem.
Recommendo a Gaspar Brrelo para mandar
logo propric ao Joca avisando de terse allanta-
do o movimento para elle l accelerar a invaso
e vir em nosso auxilio.
Por conveniencia de ordem publica tem
liaviio movimento de tropas no interior do Es-
tarte, onde co tini a hiver prisOes polticas dos
compromettidos no plano da revolugo.
tjEm S. Jerooymo, as proximidades da minas
de carvo Arroio dos Ruos, boave um conflicto
entre legalistas e federalistas, sendo por estes
atiradas bombas de dya imi'.e, segundo relata a
Folba Nova; os federalistas foram recnassa-
dos.
A' grande numero de; alumnos da escola
militar tm sido concedidas transferencias para
as escolas dessa capital e do Cear.
Dis o Patriota* do Rio Pardo que o gene-
ral Pego terminava com estas palavras e tele-
gramma, ea que recommendava prudencia e
criterio na actual emergencia poltica ao 28- ba
talbo: nao fui, nao son e espero em Deua
uunca vir a ser politico. *
E' opinio corrente deduzida de telegramma
amistoso e congratulatorio dirigido pelo presi-
da repablica ao do Estado, qne o general Pego
Jnior, commaodante do districto militar, tem
instrucgOes no sentido de intervir com o auxilio
da-Jorga federal, quando assim o determinaren!
as exigencias da ordem publica.
0 governo tomou as necessarias disposi-
g5es para o julgamento doa implicados na malo
grada coospirago.
E' assim que nos processos respectivos fanc-
ciooar o Dr. Martina Costa Jnior, adjuncta
promotoria publica.
" Para substituir o cidado Machado Filbo,
que foi demittido, foi nomeado secretario da che
(atura de pelleta do .Estado o Sr. Olegario Fal-
co
Por decreto de 3 do corrente foi creada a
guarda municipal.
. R.'spondendo ao interrogatorio na repart-
gao da polica, .declaran Facundo Tavares.se
gundo publica a Folha Noval te* sido o p-i
meiro a fazer fogo sobre a forga que ia pren
del-o.
Disae mais que eram suas as cartas apprehen
das, esbogando o plano da revolugo aos conju-
rados.
Como implicados directa ou indirectamente no
plano de coospiracao, team sido aqui deudos
cerca de 30 cidados, nove doa qaaes j se
acham livres.
O major Pantaleo Telles, commandaote
da brigada militar, tem recebido muitos tele-
gramma de fslicitacOes, fazendo votos pelo seu
prompto resta belecimento.
Falleceram: Jos Maria de Asevedo, D.
Alice Gaspar Mascarenbas e Antonio Pint o Bn
detra.
Basado de a. radio
Datas at 7 do corrente.
O presidente do Estado convocan o Congresso
para urna aesso extraordinaria para no dia 16
do corrente.
Foi encerrado o concurso para lente cate-
drtico de direito administrativo, sendo unni-
memente approvado o Dr. Maaeel Pedro Villa-
boim, nico candidato ao lugar.
Tratam os acadmicos de resolver sobre a
commemoracao da passagem. pela academia de
A!va-es de Azevede, Castro Alves e Fagundes
Varella.com acollocagao de fres lapidas de mar
more. m .
O juiz da 2* vara commoraal profeno sen-
tenga, considerando nulla de pleno direito a
Companhia Mercantil e Obras Pablnaa de S.
PjuIo, sendo oa incorporad ores condemnados a
restituir as eatradaj realisadaj.
O referido magistrado eoviou copia dos antas
ao pro nolo.- publico, para responsbitisar cri
minalm-nte os directores.
Falla se com insistencia qae todos os dele-
gados de polic.a pediro exonerago por ques
tOas com o diractor geral da secretarla, relativas
admini8lragao interm da mesma.
0 Dr. Pedro de T.ledo j .-tedio a sua de
m ss&o do cargo -e 1' delegada de policia ; e o
D:. Peot-aado deixou o cargo de 4-.
O secretarlo do interior abri o crdito de
210 conloa para as desoezas a fazer, at o fim do
anuo, co..i os servigos qae correm pela directo-
ra de hyg ene.
Val se- construido um hospital de isola-
mento no R.o Claro.
A Id da Novembro deva apparecer um jor-
nal de oopoatcao, dirigido peio Dr. Amarico
B.-aziiieos-1.
Consta qae ser) reiactoraj Ljapollo Frailas
Aareiii.ua Cojtiabo pa-a a secgo de jurisp'U-
deacia, e Gavio Peixoto oara a tinanceira.
Apparecea o Rio Gr-.nJe, folba acad-
mica dirigida por Pires de Oliveira, Martina
Costa e Gamarcisdo R.nas.
Resignou os cargoa de verealor e inten-
dente das tinangas o Dr. Alvaro de Carvalho.
Foi inaugurado no dia 6 o viaducto do Ca
cuja oceupago pela Estado se diz ter lugar.
Deve apparecer o Sol sao a direcgo dos
Srs. Cisar Bierremoacb, Ernesto Coba e Serpa
Panto, revista acadmica collaborada pelos len
tea da Fucaldade de Direito.
A coloaia uamburgueza abri subscripgSo
para soccorrer seu3 compatriotas 'victimas do
cholera e... II cnbargo e qae estej am sem recu*-
sos.
Nao obataute nao ter sido anda publicado
o laudo, sabe se j qua o tribunal de honra na
queseo aia e Vicente Carvalbo, d raza j a
amoo3 os^coatend>ras.
A Companhia Pauhsia vai mandar para a
axposigo de Ciicago modelos de carros de pas
saga-ros e lanchas a vapor, especimens das mi-
deiras prin.ipaes do Estado.
Tudo i8to est em exposigo na casa Girraix.
Capitikl Vederal
Datas at 8 do correnteu ;
O Jornal di Oommercio publico:
Do Sr. Dr. Barbosa Limi, Governador
deste Estado, recabamos o seguate telo
gramma:
Racife, 5 de NovembroRajo publi-
cardea a seguina contastacSo :
c Li no Paiz, a 26 de Oatubro, hoja
aqui recebido, um telegramma do general
Koberto Ferraira ao Presidente da Rep-
blica. E' #inteiramente inexacto hoa-
vesse eu desrespeitado e insultado em
presenta de pa83oas gradas e em lagar
pujlico ao ofllcial do eaercito coronel Sr-
ra Martina.
O proprio offijio em qaa esse coronel
ma deu ordem de prisSo, nSo d z iaao e
sim refere-se a artig publicado no Jornal
do Recite, pelo bocbarel Tbiago da Fonse-
ca, meu adversario politiao e pesBoal, em
que elle narra aitando a verdade, que
ouvio de mim, iojuria ao citado corone!
Nem eu bavia eabido, nem ah de pa-
lacio onde me acbo disposto a aaer ro -.
pcitar a miaba autoridada do Gtaveraador,
aue nao a da capitSo sabordinado ao co-
roiiel, e espera do desaalace do groaseiro
trama de3tnado a justificar a minha do-
pasigSo.
&' igaalmonta falso quanto diz o correa-
poniente da mesma fo'ha sobre accordo
meu com o Dr. Jos Mariano
Jlet.hu-m jornal tem sido de longe se-
quer a me ajad o nem jornalista nenhum
tem sido aggradido.
Preso me de saber respeitsr o de faaer
rosjjait-'.r a liberdade de imprensa 8 de
reanimo, sendo certo que durante o meu
governo nao foi charolada aquella nem
fai jamis dissolvide a espada a pata de
oavallo reuniSo aiguma.
E'ainda falso que denha havido corre
rias de capaagas aggredindo a repblica
nos.
O coronel commandante do 14 bata-
lhao de infantera Juliao Augusto do Sor-
ra Martina foi chamado taltgraphicamen
te esta capital.
Em assembla do conselho delibera
tiro da AssociacSu Commercial do Rio de
Janeiro resolveu representar contra algu
mas dispoaioSea do projecto da lei, que
fiza receita geral da Repblica para
o exercicio de 1893.
Como proteecSo s fabricas nacionaea
de tecidos de algodSo injustifioavel, por
ociosa, a 'elevasko dai taxas actuaes a
mais trinta por canto, co-.tormo a propo-
si$So da cmara dos Srs, deputidos. As
fabricas nacionaea j eatad aufilcientemea
te favorecidas pela tarifa, competindo os
seus productos vantajosamenta com oa si-
milhares de procedencia eatrangeira.
Dir-ae-hia que a medida antea em
prol doa artefactos americanos, o assim
urna especie de prolongamenta de tarifa
Me. Kinley.
NSo tem razio de ser a elevacao das
laxas ac'.uaes sobra oa phosphoros (accen
dalhoi) importados, mxime quando o ne-
vo imposta de dea ris, por caixinha, do-
va abrangor tadoa oa phoaphoroa que en-
traram no c insumo, qualqaer qae seja a
sua procedencia.
Torna-aa imajio e odioso qualquer au
gmeuto aobre as taxaa de armasenagem,
na constancia da tremenda crise actual de
tranaportea, quando o oommercio impor-
tador j nao diapoa de eapago nos seus
rmaseos, depsitos a dependencias, para
guardar as mercadorias que retira da alfan-
dega, porm nao poda faaer expedir para
o interior, porm as estradas de forro nSo
as recebara, nem transportara seuSo com
excassiva demora.
' inadmisaivel e repugna at com as
boas normaa da legialagSo fiscal, que se
coramina, como pona da oontravenoao, a
parda (do direito que resultar do acto
ou fr comprovado pelo documente, qne
nSo pagou, em tempo, o aello devido. E'
isto. pelo munoa. o que ae 1S no art. 2*,
a. 4 da propoaioao da cmara doa Sis.
deputados.
Comprehende-ae que a falta de aello
paaaa dar lugar a impoaioBo de multas,
jmaia expropriacao o aniqnilamento
dos direitos at de terceiro, que bem p
de nem ser o contraventor,
Se vingar a nova correspondencia fiscal
o portador de urna lettra de cambio ou
d~ trra, que nao pagou em tempo o ael
lo devido, perder o aeu direito credita-
rio ; o fisco tambem perder o aello que
Ihe competa, e ainda o quantum da multa
ou revalilaco ; s nao parda o devedor,
antea ganha, porque fica exonerado da di
vida.
E aobre estes pontos que tem de versar
a recbmacao da AssociacaoJCommeroial.
Urna commiaaao, compoata do vico-pre-
sidente da. ataooiaQSo a outroa membcoa
ficou incumbida da entender-so a respeito
com o illastre oommiasSo de finangas do
senado.
Foi nomeado director da secretaria do
obras e industrias do Estado do Rio de
Janeiro o Dr. Emygdio Adolpho Victorio
da osta.
Foi nomeado o bacharel Pedro de
Athaydo Lobo Marcos Jnior procurador
fiscal do Estado do Rio de Janeiro.
O Sr. contra almirante Custodio de
Mello, ministro interino das relacSea ex-
teriores, reoebeu nota diplomtica e col-
lectiva dos ministros franoea, italiano, al-
lemSo, americano e isg'ez, podindo ao
nosso goverao a fandacaio de laaaretos em
toda a Repblica.
Baiado da Btala
Datas at 1 j do corrente
O chafa de sogurang* pubo rec.bau
telegramma de lbeos, dizendo qua di
versos individuos exaltados por causa da
revisSo e lei toral, t ai provocado desordene
e que, pretendando S3sallar a cmara, fe-
iram mortalmente o secretario da intea.
deacia.
Na mesma loca'idada tora, h ,vido tam-
bamroubos, iaceadio3 e ontros crimes.
Dis o Diario de Noticias que ac*ba
a Compauhia do Qaa de atirar um cartel
de desafio ao governador, apraaaaio-o
para, at 9 do oorrena, dar decisSo den
n.t-.va sobre a firma de indemaisagao do
seu material, seb pana e, expirado o
praso da prorogagao do contracto, no dia
9 de Fevareiro da 1891, nSo ter a cidade
illamiaaoSo e fechar a fabrica.
O governador offisiou a coogreg^gSo da
faculdaie livra de direito, afim d3 dar
urgente solucao ao assumpto, a congre-
gado nomoou os Srs. desembarraior
Mootenagro, Augusto Franga e Emy,'dio
Santos para dar conta de samelhante
misso.
Aiada polo Diario de Noticias, so-
moa informados de que a epidemia da
febre amarella vai reoraaseaodo. notn-
do-se augmento no numero de casos fa-
taas.
O collaga diz ojia esta grave sticcasso
tora causa na ausencia d,- medidas hygie-
nicas por parta das autoridades sanitarias
no desaseio da cidada e na falta de cui-
dado por parta da alguns cliaicos.
O cnsul portuguz officiou ao ir.spea-
tor do arsenal de mrinha, agradecendo
sua direclo possoal a todos os trabaihos
technicos e martimos, que trouxeram felis
xito ao deseucalh-o do vapor Alies, que
eateve em perigo immiaento por espaco
de 22 boras.
O mearan funecionario agradecau tam-
bam ao iaapector da alfaadega a coopera-
g3o do pessoai da guarda-moria na promp-
ta descarga de navio.
M utos mogos reprovados cm porta*
coz jalgaji: coji direito a rest cuico
da importancia das axas de inser-9S0
para outros examas, por nao haver dispo-
igSaa de lei determinando qua aqualla
reprevagao acarreto a parda das referidas
tasas.
O Di.rio de Noticias acoote'hau o gc-
verno a liquidar sata questSo.
Foi laaoado ao mar o brigue Piroja,
que a opiniao unaaiaia OOOSidera rn-.io um
attestado honroso para os nossos operarios
navaes e seus directores do arsenal de
marinha.
O navio deslisou rpido no -3?r<; sem
neahuma novidade e debaixo ia muitas
palmas e eathusiasmo.
Fiseram-se representar no acto a im-
prensa, autoridades civis e militares e o
governador do Estado, qua calcou sobre o
botSo eletrico, para cortar as ultimaa
amarras que prendiam o brigue 1:0 esta-
leiro.
Dentro do arsenal e lo mar era tanorme
a concurrencia de poro.
Parece estar deliberado q 13 poderSo
tambem votar as prximas elaa^oes oa
cidadSos cujo8 nomes foram eliminados na
ultima revisSo.
Cannabrara, Domingos Daarte on-
venenou o cidadSo Benedicto Souza, afim
de apoderarle de urna filba deste homem,
que eile deshonrou.
Em villa Nova de Borpela, um gru-
po de 40 individuos aggredio a forca po-
licial, ficando feridos alguns soldados.
L1TTERATDRA
15 de Sovembro
Um dia pelas plagas do Levante
Cbeia de luz etberea, estonteante
Oa Liberdade a aurora appareceu
Rideote, esplendorosa pelo co I
Era ha muito esperada I
Um povo inteiro
Patritico, grande e sobranceiro,
Entre gritos febris de enthusiasmo
Ao luzir do claroardente, pasmo,
Erguen a fronte em ancias p'ra saudal-a 1
Era sublime vel-o t
No semblante
Urna scentilha argentia, verberante
Qae illumlnou um dia a Tiradentes,
Como a luz das auroras esplendentes.,
Aclarou-lhes as frontes sobranceras I
E' que da lumba, geraejaes inteiras
D'esses man'res da densa Liberdade,
Tendo no olhar o brilbo da Verdade,
Do passado se ergaeodo poeireotos,
Porm do patrio amor ainda sedentos,
Vuaham saudal-03 junto-, u .'.f-.ito;
Pera conquista s dds seas direitos I
Salve data de luz I
Data sublime
Qa'um facto grandioso, ingente, exprime I
Salve tul qae na Historia immaculada
Para sempre sers prctolypada I
Qae as futuras geraefies vindouras
Ters beogos de certo immorredoaras I
Como a iascripco aberta no granito,
Contemplando impassivel o infinito,
Perdurars, assim, eternamente,
No vasto coraco da patria ingente 1
Recite, 1892.
Manoel Arao.
UIHOMCA THE4TRAL
De noite
NSo corresponden a eapectativa do sym-
pathioo oavalleiro Sr. Sanaone a visante
da noute da sexta-feira, e o facto de nao
aehar-aeo theatro litteralmente cheio na
noute de aabbado em que de novo foi
cantada a opera fRuy Blas de M-.rcheti,
A raaSo da pequea oonourrenoia tem
porm perfeita explioacSo, ai attendermo8
1

'
- .',. .


e
Diario de Pernambaco > Ter^a-feira 45 de Noyembro de 189
S
I*

que par quem tras a alma oheia dos tre-
chos espleodidos da eaplendida cAida,
oo pora cuam tente anda aoar nos oa 'idos
as arias e oa duoi da Gecy e Pery, nSo
pode correr pressurosa en basca de am
lagar d'onde poBsa apreciar a opera de
Marcha ti qua milito e muito abaizo esta
d'aq'elUs doas, pois qua o sea preladio
nSo tem a harmona que tem a symphonia
do fGuaraoy, nem -cenas como a da
maldig&o de Amonaaoo.
Em tedo o caso, apeaar de ser secun-
daria esta opera, a interpretado dada
aos sens peraonagena foi a maia perfeita
po?s.vel; e at o Rotol, quasi semp're
inactivo em scena,aposaoa-se de sea papel
de velho galantead* r e foi alvo de mere-
cidas palmas.
J urna vea fallando sobre o gosto que
em Pernambuco. ha pela msica, citamos
em urna de nossai pnmeiras chronicas om
trecho que embora referente a Portugal,
adequava-se perfectamente a ios.
Ei'.-o.:
t O tjoBto si elle se aiataata para al
gama cooaa ootre nos com vivas sent
maati de iuepmdelcia e de razSo,
paro, a msica, como se revela na prefe
renal- do publico pelo thcaro lyrica e no
entfau!: srao com qua appliucte nSo a
opera gentil da Marchati, mas as compo
sic5e3 severas de Meyerbear .
Hoja, porem, vernos que a opera de
Marcheti nSo tom trechos de enthusiasmar
a platea, nSo tem aceas arrebatadoras em
qne o actor possa por patente o seu valor
como actor dramtico.
A opera Ruy Blas gentil e extre-
mamente agrauavel ao ottvido, tendo per
clibretto am assampto inverosmil.
Aoropriando-se da diversos pedaoos da
opera3 como tD. Carlos, o Fausto e ou-
tros, alo pode ser considerada como urna
invoaciia ganial, e prenda ;>03 pala delica-
deza e grsjs com que o assumpto tr..-
tado.
A Sig. Vittoria, perfeita e correata
raiaba, n3o bastava ella, para nos obrgar
a applaudir a opera ?
A saa voz que de da a dia faz progres-
ad, edaeada na diccjta e na escala musi-
cal, como ella a sabe domar e dar-Ib.: a
al tu *a qi'.e mu tas vezes artista phan
tasia !
Ella, a Vittoria, que em cada nota que
soita nuna agudos esplendido?, em cada
exclamacao doiorosa qaa se escapa do seu
33o, toi-a-noa coraglo, como ella soube
apoderarse do publico e conduzl-o, como
nos conloa Jinfart:b, a se-eia prende o
inaiuto navogsnto !
dous trochos a Vittoria C3teve mv'i
do que sublimo, este/e divina.
O primeiro quando declara o amo:: a
Roy Blas :
lo t'amo... o t'amo di pari am ra-
Finora, non lo svalai
Pe?che resistere... Tu mi fuggiri
Ed a sagrato, o te segua.
O segando uo final da operi:
Ruy Blas, res-jolirni
Riy-Blas. tina Dio !
Ooicjrra moito para a belleza destu
ultima saina, a msica que 6 de urna ex
presa!.j e e-iergias axtraordiaras.
A sig. Oescati no papl que Ihe couba
de Casilda, saio-sa, como sampre bem, e
cantou com multa grasa e espirito a :
A-ra una volta una Duchessa
Vacehia, nojosa, bratta, orgogliosa
Che d'una halla, gentil donzella
Martiiisavu al giovin cor.
Retribuioo publico a gentil maneir
de cantar com urna unissima salva de
palmas.
Vilalta, como Roy-Blas, foi sampre ap-
plaudido, quar no duetto 'com a rainba
Vittoria, qaar quando chama os ministros
de trabidores e vis, ou finalmente quando
expira nos bragos da rainba.
So-abe interpretar muto bem os doas
papis de criado e marqaez, am t subs-
missSo e o outro a altivez
Verdini, o sempre appladido Verdini,
artista conBciencioso e correcto soube inter
pretar o carcter de D. Salaatio,
Com que assomo de raiva disse :
La vostra ancolia il moglie.
Darmi vo.esto voi
E per amante in cambio
Un servo mi vi do.
Soube ser a perfidia e sagacidade.
Os demais artistas, todos cvncorreram
para o xito da opera, na altara de suas
fercaa.
Nota-se cada vez mais o cuidado que o
maestro Sulli emprega na direccSo da or-
chestra que apesar de na noite de sabbado
acbar se um poaco desfalcada do primeiro
violino e de antros msicos nSo dau que-
das desastrosas e esforcou se para o bom
desemperno de Ruy-Blas.
Q'ie venha, porm, logo a Carmen.
J. P. F.
ftEVISU BlARU
Annlversarlo da llepubllca dia
de iioje marca o teceiro anoiversario <1a Rep-
blica B-aziIeira, cajo advento se celebra em
todo o Bra7.1l a esta hora.
Esta cidade se apresenta festiva, e assim
presta o sea prdto ao facto que relembra o 15
de Novemb-o.
Feriado como o dia, acbam-se todas as re-
partieres e tribuuaes do Estado e da Uniao fe-
chados.
As casas consulares com os seus^pavilbOes
elevados, os navios de estada i>o porto eraban
deirados e as repartieses e quarteis com a ban-
deira nacional fluctuando em suas faenadas.
O commercio e os estabelecimentos bancarios
cooservam-se fechados.
A' noile aver illomioagOes em difierentes
elinctos, e representao no Sania Isabel.
BoatoNao tem pro:edeacia .Igara o que
oestes ltimos das tem a espalbado nssta cida-
de com referencia a convocac&o do congresso.
Podemos asaegurar e para isto estamos auto-
rlsados, qae nem S. Exc. o Sr. goveraador pre-
tende deixar a administracSo, nem cogitou da
allndida convoca(3o.
Emprc.iimo municipal- Di Secreta-
ria do Governo remetteram aos para publicar:
' N. 16. Prefei'ura do municipio do R<;cife,
em 13 de Novembro de 1892.
Illm. e Exm. Sr.Tenho a bonra de communi-
car a V. Exc. qae neeta data foi entregue a Pe
reir Cirneiro & C, procaradores orsta praca do
Banco do Brasil, a qoantia de 6 333630 rendi-
mento liquido do mercado publico de S. J03O no
mes de Outubro cadente, por conta do empresti-
mo contrabdo pela extincta Cmara Mumcipal,
para coostrocclo do referido mercado, afim de
ser remettida ao mesmo Banco.
Saade e frsternidade.
Ko film, e Exm. Sr. Dr. Alexandre Jos Bar-
boca Lima, mu digno goveroador do Estado de
Pernambaco.Maaoel Pialo Dmaso, prefei'.o >.
Coronel CintraEste prestimoso cidadao
e 00830 particular amigo apesar de ter passado a
noite de ante bootem para bontem am tanto ia
commodado, devido a pooc? alimentadlo e posi-
cao a que est adstricto a man'.er, por prese-ip-
co medies, apresentou durante o dia de boa-
tem stnsiveis melboras,
Crescido namero de amig03 todos os credos de
pul i ticos teem ido visitaLo, revelando asBim o
sincero interesse que tomam pelo sea restabele
ctmep^Q.
Estrada de ferro de Fran cinco
X1 estacio das Cinco Pontas pana se aos respe
ctivos accionistas o 58.* dividendo, relativo ao
semestre fecbado em Janho ultimo.
Bleleoes mnnicipaes Bis o resaltado
das procedidas nos segainte3 muaicipi03 :
Belmoute
Votos
Prefeito Jos Sebaslio Perelra da
Silva 120
Sub prefeio-Antonio Cassiano Pereira
da Silva 120
Coneeibo municipal
Jos Avelino Pereira da silva 110
Melcbbeieck de Vasconcellos 110
Joio Rodrigue 8 da Silva 110
Isidoro Pe>eira da Silva 110
Manocl T. Al ves Braril 1!0
Eouiros menos votadoa.
S^igueiro
PrefeitoRomao Pereira Fgaeira Sam-
pslo 96
Clementioo ttezerra de Alba-
querque 12
Sub-prefeoJos Matheus dos Santos 81
Angelo G-.oes de S 27
Con ceibo, moni Mpal
J03 Rodriau^3 Vieira 82
Banj.imin Otboo Soares 81
Doaogu SoDCalvas Martina Pereira 80
Menandro Pereira Filgueiras 80
Brai Pereira du Souza 29
E oo troB meooa votadas.
ymnaalo PercmnbacBO-Eis o re
suitado dos exam 3 de f.an:ai havidos nease
instituto, nos termo3 do decreto n. 1389 de 21
de Fevereirode 1891.
A banca foi constituida dos conego Dr. rege
dor, presdanle ; D.-s. Antonio Jos de Moraes
Sarment e Joao Baptiata Regueira. Coila, exa-
minadores ; Dr. Olitito Vctor, bacal federal.
Octavio Araate3. Octavio logase Cavalcante
de Albaqnerque, J >ao Alfredo da Fonseca, An-
Ioo Ribeiro dv Holanda Cavalcante e Antonio
Jleacnttno Carneiro da Cun'a3, plenameate.
Francisco Joao Ribeiro de Brillo, Gaalberio
Lins da Nibrega, LifTayetto Cavalcante de Fre
tas, Joao Lalz de Oliveira Magalaaes, Artbar
Doarte, Jos: C!em?ntino Carneiro, da Cunha,
F mando -le Carvalbo Soares BrandSo, 0?car
Duarte de Barros, Jos Damio de Barros Al'-u-
querque. Antonio Angasto Correia Lima, Joao
Pinto de Carvalbo, Alfreio Ferreira da Nobrega,
Jos Pinto Hendea, Jo? Affooso de Almeida e
Francisco Feliciano da Motta e Albaquerque,
simplesmente.
Lbabilitadoa para a prova oral 4
Reprovados 2
Etcul.t XormalE3 o rebllalo dos
examea ores Olvidos boa'ea nesse es'.aoele-i
men o.
2 aano7' cad-ira
Francisco Ciraciolo dos Santos, distinego
los Estanislao di Caoha, Risa Alexandrpa
Caneca, J'.ao Bri33aat Ntto, Migofl ?. Br^k'n-
feld, Hygioo S. da Co3ta Bollo, Jos Xivier Coe
Iha. Mirla do C. S. Santiago, Pbomena Alvcs
de Soasa, plenamente.
Luiz M. Pereira da Araujo. J;3o de B. Correia
de Araujo, Jos Antonio de Miranda, Antonio N.
B. Convia, Jto E. da AliAfllda :avalcinte. Ma
na E da M. Si^ueira, Eathalia i. das M. Cru..,
Aevandrina Mandes L. de Mandonga, Adrin;.
M. p. de Souza o Elvira Mara,da Conceic>-, sim-
plesoaente.
Tres reprovados ra prora escripia.
1* snne3 cadeira
rertaliaa de Oliveira, Mana da= M. Mac
de- Oliveira e Adsliide da C. Saao Maior.dtsti.T;-
Clauiica Perura de Mello, Aara Virtuosa d-j
II Marins. Mana F. Spencer Ne'.to, Anna Cou-
oh; de O. GuimarSe?, Maria do Carmo F. Brito,
Flavtaoo Martics Viaoaa, Antonio A. da Cruz Ri
bi.-u e Sebaetiao Fab!ao do Amaral, plena
mente.
Jis. Felicio de Oliveira, M-moel E. Pires de
Souza, AHjd?o d03 hola Martins Ribei-o, Jos
Cassiano da Silva, Jos Rodrigues de Lima, El
pidi da Cri Ribeiro E ysio ?. Martios Ribeiro,
Eysa Rosa P. da Cauda, Antonia Josepbioa C.
AlDuquerque, Maria das NeveaL. de Sonsa, Lu
picina C Riguelra Daarte, Maria J. da Costa
Carvalbo, Esther Altee dos Santos, Jsabel C
de Figoeiredo Pessoa e Maria Augusta do Car
mo, simplesmente.
Quatorze reprovados na prova escripia, 3 la
vantaram-se nessa ursma prova e i reprovado3
na nrova oral.
Q.'.arta-felra continuar&o os exames ornes do
1 e 2- anuos e comee ir o prova escripia para
os 1 uvioles.
HuPibttmeut.il \a Campia da Casa
Forte bcuve no nitimo domingo am animado
bumba meu boi em que a bicada e o ca
cele tizeram as delicias dofim da festa.
Por causa de urna desavenga entre pracas do
exercito e da polica, em que tambem mtervie-
ram diversos paisanos, bouve renbida lata de
que resultaram mertes e ferimentos.
0 Dr. questor j deu providencias no sentido
de probibirem-se semelhantes brinqnsdos, qae
nao raramente sao cansa de graves desordens,
como as que se deram do faci qae acabamos do
referir,
E' pois digna daa mairr^s encomi03 a titila.
do Dr. questo- em face destes desordeiros qae
( procurar ensejo para dar largas aos seos re
provaveis srntimentos, e que longe de procura-
rem divartir-sa aesse brinquemos, fazem dees
pretexto para seus desalaos.
Trnente coronel Torres Telegram-
tr.a official do Governo Federal, communica qae
fra caseada a patete de tenente-ccronel d'a
qoelle senbor.
I. Anna Banto de AbrenEst
saa d8poaico a quantia de 105000 que bontem
foi nos enviada para ser-lbe entregue.
Crcvc dos eigarreiros O'grevistas
cigarreiro3 procararam nos para dizer qae seas
patroes os mandaram cbamar e Ibes declararam
qae fo3sen trabalbar pelo pr-co da tabella em
vigor, Bcaudosem eeito a imposicSo feita sobre
a diminuigao do salario.
So'vida assim a queslSo, 03 grevistas voltaram
ao trabalbo.
ilontem os artistas cigarreros na reunlSo que
tizeram na sala das scsses do Lycea de Artes
Ofcios, deberaram formar ama sociedade ; o
que levaram a effeito.
Club natillas IilmaRasolveu este Club
suspender o expeliente at o dia 14 do correte,
em stgiai de pozar pelo falleciro nto de Francia
co Floro, socio da banda de msica do mesmo
Club.
casamento civilForam affixados bon-
tem alitaes d proclamas dos segaiutes contra-
her.te? :
Segundos
Antonio Cezario Moreira Das Jnior, com E -
vira Alves Rosi, moradores na fregurzia da Boa
Vista.
Uiysse? Nery Cesar de Mello, com G?nuina
Maria Muuiz, moradoras na fregaesia da B n-
Vista. ~N
Bacharel Maooel Poiyarpo Moreira de Aeve-
do Janior, morador na freguezia' da Loa-Vista.
comUbaldina Tavares Cordeiro Campos, mora
dora na Colonia Orphauologica Isabel do man-/
clpto de Palmares.
Primeiros
Alfredo Bap.ista Negaeira com Elvira Correia
de Araujo, moradores: elle na freguezia da Boa
Vista e ella na freguezia da Varzea.
, Antonio Souto de Araujo com Maria da Xalivi-
dade Penna, moradores na f-eguezia da Boa-
Vista.
Igualmente foram lides no dia 12 do cor-
rente o seguiste proclama de casamento no 3*
districto :
Segundos
Casimiro Adolpbo Fiuza Lima com D. Manara
Esmeraldina Pinza Lima.
laio Tjposrapbica Faaccionando
antebontem em sesgjo extraordinaria esea socie-
dade, deliberou nao so acerca do prog'amma
que (em de observarse em sua festa de installa-
cio, como tambem sobre antros assamptos de
iateresse social, sendo resolvido qae se lan-
gasse na acta am voto de profundo petar pelo
pas8amento do socio eflectivo Joo Alves, e em
eeguida suspendeu se a sessao.
Est designado o prximo domineo para ontra
rennio extraorJiosria, a qae deverao concorrer
os respectivos associados.
Donata da Concelcao e SilvaNo
sabbado nltimo presten exame das materias qae
constitaem e 3' aano da Escola Normal a Exm.
Sra. D. Donata da Conceigao e Silva, que dorante
o sea tirocinio de estados dea as mais sobejas
provas de applicagSo e talento.
Santa as de HIerlcordlaReunir-
se na amanba a junta da Santa Casa de Miserl
corita.
Sociedade Recreativa Vympba Es
ta sociedade procedeu oa quinta fetra ultima a
eleigo de saa directora para o anao viadoaro,
qae fieou compostados seguiutes Srs.:
PresidenteAugusto Gomes.
! SecretarloJoao Tbimes.
2a DitoAugusto Miranda.
OradorEgydio Caoba.
TbesoureiroJos G>mts.
ProcuradorJoae Tbomaz.
A poste da nova directora sera no dia 17 Je
Dezembro.
Monte Pift Popular Pernambucano
- No 'kmingo ot.'oao reasou essa associagao e
comajemoragao do eu 36* anuiversario.
A's 11 hora' da anona cescido numero de
senoras, socios e commissOes de diversas cor-
poragoes eneberaru i igreja do Paraizo, cele-
brando a missa votiva o socio desta sociedade o
pad-e Dr. Lopes, Onda a qua! dtrigiram se todos
para a sede, que briibantemente decorada apre-
aer.tava um aspecto magostoso, onde teve prin
cipio a sesso magna.
D pois da alio -u-c.'io do sea director o majar
Macario de Assis, foi aberla a sessao, obtendo a
palavra o orador da casa que em sea discurso
arrascou do auditorio manifeslago de merecido
apnlausos.
U aram mais da palavra os representantes : do
Alheen Musical Pernambucano, Gosgaives Dia3,
CeotraMO Dramtico Beneticeate, Dea6 e Ha-
manidade, Monto Po Bom Successo, Artistas
ie b.nicos, Club Marc lino Cleto. Clab Ceetral
dos Officiaes da Guarda Nacional, Recreativa
C-jmmercial, Unio Ecoaoroiica da Afogados e os
Srs. Dr. Mello Gomas, Sooza Santos, Jos A. Vi-
eira da Cu ha.
Subindo de novo a tribuna o orador agrade-
cen as Exmas. Sra?. e convidados o concarao
q'.e prestaran) com suas preaengas para maior
brbo doqoelte festa de beneficencia.
Ni 2-andar do mesmo predio foi servido 5s
Sr...-. c cavalbeiros u 1 brinde em nome do Mon
te Po prolongndose al 6 horas da tarde,*
quando j 1 fflaiam nanitas pesioaa am de wtl*-
tirem a continufcao da sessao e Ladainba como
de costume se celebra.
A'* 7 horas da nae foi reaberta a ssesSo fa-
e:ioo-se onvir d^pois do orador da casa os
Srs, Drs. Mar ios Jnior. Mello Gomes, Breves,
assim como os S's. Anmalo Vieira, Paulo Viei-
ro, Affonso J.vaquim da Silva e o orador do
Clab D-amatico, sendo encerrada a sesso s 9
horas da noi'e.
Brilhaote e a illuminago interna e externo e
a. hivanj-se adornsdas a? circumviEiobang33 e
srcadas do predio, destacando se no centro da
virando as ioiciae? M P. P. P.
Ei todos os actos tocn a b nda marcial do
2- bata'.bao de infantaria.
Pernambaco Powde PactoryTer-
mina boj? o .urazo ra-a os respec vos accionis-
tas r-zerem a 4" entrada, na razo de 26-[- u
40000 por a^gao. na roa do Conmercio n. 4,.
Bem principiadoNa travessa dos Ma-
Iunyuinoo3. i'rc^'uezia de Afogados, dous Deco-
re?, por qnesioes de nonada, travaram b iga
hontem, e un d'i-.llas desfechou om tira de re-
volver soore o nutro, ao qual Trio.
O (ftVnd'do fo! rcolbido ao hos.Mtal Pedro
II, e o offensor C a de DetericSo.
M*cad de s. los O adovnistrador
-este es'.atH'lefimento mandou langar ao mar 45
kilos d->- Cine verde por nao se prestara aii
meiii'g.'i pubica.
s^rvlco policialHnje faz a renda de
o ir. ajfcrea ose G .tes.
O corpo e patela dar a3 guardas de Palacio,
DoteDcao e T soaro do Bota.
ii ir.' i 3
ratapcmiTia d.* a^iri.'f mar
simoRecite, 13 de Nov^moro de 1892.
Boltim meteorolgico
Horas Term. centi- Barmetro Tenso do Hnmi
grado (a 0\ tapor dad*
6 m. 26,4 7S9-,69 (9.69 7 7
9 6,*6 "60-68 20 64 8 0
12 27/9 738-,54 20 36 7 3
3 t. 27,'9 -:>8.05 20.36 73
6 27.l 758'04 19,85 73
Temperatura minima 25* 50.
Temperatura mxima 29',09.
Evapor^gao em 14 horaB ao sol 6,m7, & som
ors 3,m7-
Chuva lm,3m.
Direcgao do vento ESE com interenpgOes de
SE e E de meia noite at 0 h. 48 m. da tarde ;
SE e ESE alternados at 6 h. e 25 m. ; ESE com
int-rropcgOes de SE e E at meia noite.
Velocicade media do vento 6".27 por segundo.
Nehulosidade media 0,68.
Boletim do porto
Pria-marou Das Horas Altura
baixa-th>
P M. 13 ae Novemb 0-48 da I. 1-83
B. M. 13 de 6-41 da t. 0-82
?. M. 14 de 103 da m. 1-94
B. M. 14 de 7-19 da m. 0*60
LeudesEffectuar-se-hao os segalntes :
Boje:
Pelo agente Oliveira, s 11 horasr roa do
Pires, de diversas miadezas, gaitas, etc. etc.
Amaoha :
Pelo agente Martios, s i I horas, amado
Imperador n. 39 de predios.
Pelo agente Guamo. s 11 horas, ra Mar
qaez de Olioda n. 48, de capotas, chapeos e ami-
tos outros objectos proprlos para senhoras.
lasas faaofcrst-serio celebradas :
Hoje :
A's 7 horas, na matriz da Boa Vista, pela al
ma do Ignacio dos Santos Soares; s 8 horas, na
matriz do Cabo, pela alma de D. Amelia Octavia
de Godoy e Vasconcellos ; s 8 horas, na matriz
da toa-Vista, pela alma o teen te Joao Soares
da Rocha.
Amanh :
A's 8 horas, na matriz da Boa-V3ta, pela alma
de D. Amelia Candila Pessoa ; s 8 horas, na
matriz de Santo Antonio, pela alma de D. Maria
Joaquina da Rocha Cavalcante ; s 8 horas, na
Igreja de S. Francisco de Paula, em <>axang,
pela alma de Joo Firmlno Co-retra de Aranjo.
PasaagetrosSabidos para o norte no va-
por nacional JaboatSo :
Euphrasio Cunna, Jaciutba Pedro de Mello,
Manoel Joaquina, Francisco A. Lima, Francisco
G. Moreira, Antonio Leite Janior, Maria J. do
Espirito Santo, Panlilla B. do Amaral, Heliodoro
F. Barros, Adelaioe F. Barros, Dr. Jos Ignacio
Fernandos Barros, Maria C. Gomes, JoSo A. Ma
r-mhao. Jas H. Sebastian, Malaqul03 J. da Ro-
cha, lriua de Oliveira Fercandes Barros e 1
tuba, Alexandre F. A. Maranbo, Antonio Ao
gusto C. Asfora, Antonio Lima, Antonio Lopes do
Reg, J. J Mallgraf Manoel P. do Amaral. P.-riro
S. de Araujo, J. V. de Souza, J. S. Oliveira, Joo
Jos Rocha, Joao A. de Mello e sua seobora, Se-
bas'.io J. Carvalbo, 8 Glhos e 1 ennhada.
Sabidos para o norte no vapor americano
Vigilancia :
Ar.r-ur S e Souxa, Alvaro V. de Souza, Manoel
C. Correia, Joaqottr Ferraz Menes.
Subaos para o sol no vapor nacional Ala-
ga^. :
Dr. Seran.&o Carneiro, A. Vidigal, F. Ambler e
sai senhor.i, Cesar Fernandas, G' L. Carneiro,
Minoel J. C. Guim-vSer, Gustavo Water, Domin-
gos J. da Fonseca, Scrates Borborema, P. Lo
ques: Riymundo G. da Caoba e Silva, J. B. dos
Sania*, Q M. da Silva e sua senhora, Dr. An'o-
nio A. da Silva, lysses C. de Aibaqu.rque, C.
A da Silveir?, Francisco F-rreiraBaila-, 1 ora,
4 Libes e 3 criados, Jcsepha, Cosma e Julia, M.
Cbatam, Predri k A^hton, A. Diggens, J. B. C.
Almeida Jos Maria Ribas, M. F. Gnimaros, M.
Hib8iro e 1 fimo, A. de P. Alcoforado, J, B. .Al-
ves, J. G. da Silva, J. A. Ferreira, A de A. Cor-
deiro, F. C. da Cucho, Avelino Silva, M- Cm
pelle, M. Bazerra, J. Vieira. Antonio Maria, Iza
bel de Lyra, Maria de Lyra. Salviano de Lyra, P.
A da oBceiro c 1 filbo, J. L. de Barros; Dr. J
B. i!c 0. Andrade e sua seobora, Luiz de Otero,
capito A. V. dos rntos N-ves, M de S. Mafre.
Jiro F. de Asis, J. M. da Silva Neves, AC. Ri-
bsiro Coelno, Dr. Ovidio Cavalcante, Thomax
Rodrigues, Rugado Ventara, Jacintna A. Botelho,
Casa de letencao Movimento dos ore-
so da Casa de Detengo do Recife, em 13 de
Novembro de 1892.
Existiam 399, eatraram 1, sabiram 15,exis
tem 385.
A saber:
Nacionae< 367, mulheres 5, estrangeires 13
-Total 385.
Arragoados 363.
Bons 339
Doentesl9.
Loncos 8.
Lenca 0.
Total 363.
Nao boove movimentc na enfermara.
Foram visitados ca presos deste estabalaci-
ment por 115-pessoas, sendo horneas 40 e mu-
Iheres 85
botera do Estado do Cro Pard-
Por telegramma recebido pela Casa do Ouro, de
Joo Joaqalm da Costa Leite, sabemos eerem es-
tes os nmeros premiados na 4' serie da 56* lo-
tera, cxtrahida no dia H de Novembro de
1892.
3740 240:000*000
'410 10:000*000
6695 6:000*000
7674 2:003*000
8293 2:000*000
9633 2:000*003
1616 1:000*000
2062 1:00^*000
2641 i 000*000
2637 1:000*000
:,364 1:000*000
3142 l:000*OoO
725 1:000*000
7571 1:000*000
appboxmac5bs
3739 1:200*000
3741 1:200*000
2419 800*000
2121 800*000
6694 400*000
6696 400*000
Estilo premiados com 300*000 os seguinie^
nmeros :
3731 3732 3733 3734 3735 3736
3737 3738 3739
Esto premiados com 200*000 os seguinte-
nmeros:
2111 2U2 2113 2414 2415 2416
2417 2418 2419
Esto premiados com 100*000 os seguintes
nmeros :
6691 6592 6693 6694 6G96 6697
6698 6699 6700
Todos os nmeros terminados em 0 eslo
premiados com 100*000.
Todos os nmeros terminados em 1 etilo
premiados com 100*000.
A sogutnte lotera corra no dia 19 de Novem
bro du 1892 com o plano de tOO.OOGOOO.
Grande lotera dojslado da rao
PardBis o novo piano da lotera 'deite Esta-
do:
Premios Por parte Por lotera
i de 30:000* 600:000*
1 de 3:000* 60:000*
1 de 1:000* 20:000*
2 de 500* 10:000*
3 de 200* 4:000*
8 de 100* 2.003*
12 de 60* 1:000*
10 para a dete-
na do i" 20* 400*
10 pasa a do P 10* 200*
100 para a en
tena do 1 5* 100*
100 pira o do 2- 5* 100*
300 para os dois
flnaesdol. 10* 200*
300 para os do
2- 10* 2O0*
2.70) para as ter
m inacoes
do 1- Si 100*
2.700 para os do
2- 5* 100*
2 para as ap-
p rox im a-
gOesdoi- 200* 4:000*
2 para o do
2- 100* 2:000*
2 para as do
3' 30* 1:G00*
Total 6.234 premios.
Os nmeros premiados pelos dous fioaes, cao
tero dir-.ito terminagio simples.
C .o: os dou3 naes e aa terminag;s simples
do primeiro e segunJo premios s jim iguaes
passarSo os premios de'ste ao namero immedia-
tamente superior.
Esta lotera compe-se de 30.030 bifh tas 5
80* dividida em20Jiries, custando o bhete it
teiro di serie 4*000, e sublividido em quintos
de 800 ria cada um ; de maneira qie com 4*
tira-te 30 contos,com 3*200 24 contos, coa...
2*100 18 cantos, com 1*600 t2 canto?, e com
800 ri 6 contos por inteiro.
Os p'emios sao pagos integra'monte at seis
iones c'epo3 da respectiva extra /-j.
Os bilhete- rotos, iiatilisados, ou qaa coate
aham na face qaalqner declarago eslranba a
seo tbeor, oa -:ern talo de forma a nao sa po
ier conferir, nao sero pag03, nem sa atteuder
reclamages p >r perdas, s..b r, g'o, ou quai
quer oatra causa allegada.
As extraeges sao fdtas em edicia publico,
iiscalisadas por autorzales comeadas pelo ga
a. mo do Estado*.
MosaUc Pedro i -O movimento dess^
-..- ab-iedmento de caridade cargo da Santa
Can de Misericordia do Recife. do dia 13 de
Novembro,foi o seguinte:
Existiam 616
En ir aram 2
-----618
Sahiram 4
Falleceram
Existem
643
630
e
Foram viiitadas as enerrmrlai pelos se-jsw-
tesDrs. :
Moscoso eotroa is8 1/2 horas da maaMle sa-
no 3: 9.
v Barros Sobriobo entrou s 6 da maati
sabio db.o s 7.
Matauuias ea\roo la 91/2 da manbi e sanio s
10 1/2 uoras.
Sim6es Barbosa entrou s 103/4 da manoi e
sabio s 11.
Aroobio taa- ues entrou s 10 .1 manbS
esahioe 10 1/2
Lopes Pessoa entrn s 9 horas da man hS
! sabie s 10 3/4.
Vitira da Caoba entrou i.i 10 1/2 1a manbe
' sabio s 11.
1 Andrade Lima entrn s 9 ia maoha e sa-
li s 10.
O pharmaceotico ent.oa s 9 1/2 ia manhS e
sabio s 3 da larde.
O ajodante do pharmaceatico entrn s 6
horas da mauh e sabio as 4 1/2 horas da la-de.
Lotera do Estado do C*r6o-Par
\ 1.' serie da 57.* lotera, deste Estado cujo
o-emio graaae de 600:000*000, era^extrahidi
oo dia 19 de Navembro(sabbado).
Todos os bilhetes destas loteras avhim se
venda na Casa do Oaro, pertencente Joo Jja-
qolm da Costa Leite, roa Baro da Victoria
n 40.
cenalterio pnblleo Obituario do dia 12
le Novembro de 1892
Cath i a Ricci Miranda Curio, P:.zambuco,
55 annos, viuva. Boa-Vista ; pncumonia dupla.
Fartaoa'o Torquato de Aranjo Saldanha, Per-
nambaco. 26 annos, solte< o, Grag; benberi.
Jj-, Pernambuco, 20 mezes, S. Jos; qdei-
mulara.
Manilo. Pe-nambaco, 1 mez, Boa Vista ; ca-
tarrbo suffo:ante.
Joaqnim Rodrigues Campello, Pernambo:c 80
annos, cas ido. Boa Vsta; congesto cerebral.
Manoel, Pernambuco, Recife ; inviabilidade.
Manoel, Pcrnambr.co, Reci'e; iavl.bldade.
Maroela, Pernambaco, S. Jo3; nasceu raorta.
Sydraque Jos de Souza, Pernambuo 61 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; pbagedemoita.
Um feto do sexo masculino, Pe'osmbuco Gra-
pa ; nasceu morto.
13
FranaSvO Ferreira Groes, Afri:a, 60 annos,
so'.tetro, B.a Vista; taberculos pulmonares.
Antonio Alves, Por'ugal, 38 annos, solteiro,
Recife; insuulclcucia mitral.
Luiz de Fraaga Moreira, Perrambuco, 18 an-
nos, 8i.eiro, Sr.nto Aotonu ; tubercul s putmo-
03rea.
Jos, Pernambuco, 6 m-zes, Boa-Vista ; eclam-
psia.
BvarigtO, Peraabuco, 28 d!a3, Santo Anto-
nio ; ccqu'.!uha.
Francisco Jos A'exandre, Pernambuco, 68
unos, casado, Boa-Vitti; anemia.

Relatorio da Companhia Industrial
e Commercio de Estiva
Srs. Accionistas
Obedecendo ao que preceia o 6." do art. 21 dos estatutos,
vimos h -je dar vos conta do modo pelo qual nos desempCDh:mos
do mandato que uos foi confiado, no 1. anno de nessa adminis
trago comprehendido de 16 de Julno de 1891 a 30 de Juoho
ultimo.
O % 5 do referido art. n03 impona a obrigago de convo-
car unta assembla em Setembro prximo passado, isso porm,
uo nos foi possivel cumprir em conseqoencia de ser a escripia
d'eata companhia, bastante ampia e depender portante, de maior
sonima Je Irabalbo para que o sea encerramenlo fosse feito com
o mximo cuidado.
Prase avallar dal.borbsa geslo da constancia e harmona
que a ella presidio e do xito dos nossos esforgos bastan'e ana-
Ijatr-ae o Balango de Compsala, pois que elle sufficicotemen'e
exprim? o destnvolvimento commertial que no3 foi ptrmitlido
attingir.
Nao obelante, e para nv.lhor cochteimeoto dos negocios da
Comparhia, passamos a dar vo3 esclarecimentos parciaes la suc-
cino e claramente qaa uto nos for posrvel.
1.NSTALLACA0
A Compaahia foi instaliada em assemblx geral de 11 de
Julbo de 1.91, regala-isa.!a oa Junta Commerclal em 13 do mes-
mo tees principiando a fn;cionar em 16, dia em que a directo ia
tomou poese dos seus cargos.
. ACtlONISTAS
As chamadas de capital foram realisadas com a mxima pen-
tnalidade ; a pripaeira em Junho de 1891 e a segunda en, Des m-
bro do mesmo annoambas de 10% ou sejam Rs,..............
1.000.000*009.
MERCiDORIAS
D'accordo enm o contracto de cessSo das qnatro cacas' com-
merclaes que a Companhia adquiri, receben ella das mesmas
casas, mercaderas na importancia total de Rs. 308.237*350,
Beodo:
De Paiva Valente a C. 137.307*381
De J equina Amorim a C. 154.734*830
De Domingos Cruz A C. 141 486*320
De Fernando & Irmo 74.708*820
cojos Inventario?, qualidades, pregos e cambio; alm de serem
verificados e discutidos pela directora, foram ainda devidamente
fiscalisados pelos memoras do Conseibo Fiscal, encarregado*
'este trabalbo por deliberago d'aseembla ge'al de instal-
lago.
Em comprimento do mesmo contracto, a Companhia era obri-
gada a fazeria:-mediato pagamento da irrportancia u' quellas mer-
cadorias, o qae sem davida traria a necessidade 'uma aova cha-
mada de capital, mas em beneficio da Companhia, podemos con-
seguir dos cessicnariosuma espera al Dezembro do anno pasea-
do, e so ento Usemos a segunda chamada de 10 /. para assim
realisarmos o respectivo pagamento.
Re3ullon d'isto. oortanto, ama vantngem para a Companhia,
de cerca de Rs. 25.000*000.
O movimento de vendas em onze e meio mezes de 16 de Jo
lbo de 1891 a 30 de Junho ndo foi o seguinte :
Na l. Secgo i.194 267*310
Na 2.'Secglo 1.708.921*250
Na 3.' Seco 4.989.509*060
Na 4.* Secgo 1.635.067*830
Total Rs. 9.527.763*450
que deu um lucro de Rs. 546.992*820, assim dividido
109 600*320
165.878*350
148.822*060
122 691*890
(aojeito a despezas)
de
1. Secgo
2.' Secgo
3.* Secgo
4.' Secgai
correspondente a um resaltado medio
8 741 7-
Muitissimo auxiliaran: este resultado as coodicgOes especiaas
de pregos e de cambios da3 mercadorias qae a Companhia com-
proa s casas saas antecessoras, pelo que presumimos u'abi nm
lucro poaco ieferior a Rs. 106 000*000
Pelo inventario geral procedido em 30 de Janho verifica-se
que a importancia liquida das mercadorfas em ser, monta a
R3. 650.963*900, distribuido pela3 respectivas secgfies
i.1 Secgo
2.' Secgo
3.' Secf,5o
4 Secgo
SECSS
Pela insafficieacia de rameos onde
230.462*100
174 649*110
?7 823*t80
218.029*610
INCORPORAQAO
Em comprimen o da autori-ago conced ia pelot estatuto*,
pagamos aos iacorporadores d'eata Companhia, a eomma de
Rs. 130:000*000
Conseguimos qaa por conta dos mesmos ineerporadores, cor-
ressem todas as despezas concernentes a orgaoisago da Compa
nhia, como fossem : autorisago do governo federal e mais trami-
tes, sel'os, impastos, ecriptorio e todos os seus parientes, im-
pre3sos, livroe e hoaorarioa do mez de Juiho, tan'o du directo-ia
como do3 emprega'oa, com o qae ub'.ivemaa urna ecenemia de
cerca de Rs. u5: 00*000.
Por conta da amortisaco d'aquelld encargo, ere -;ta0jo
Rs. 30:000*000.
INDEMNISACAO
Pelo BontfMto feito pelos iacorporadores ci'esta Comparjhia e
os representantes das firmas commerciaes Paiva Vleme 4 C,
Joaquim Amorim 4 C, Domingos Cruz A C, e Fernando & Ilto,
cou estabelecida a obrigago de se pagar a cada urna q'ealaa fir
mas a somma de Rs. 200.000 JO^O. como Indemoisago da sua ret
rada do commerco de estiva e eommissOes, r.'esla praga e pea
cesso de suas C33a?. Sendo assim, e por renvir amortisar eU
contano mais cuito prazo p^ssi-el, L;esTio para o preprio inte
resso dos accior islas, resolvemos aiuo-tisal a na proporgo de
50 */o oo sf jam Rs. 400:000*.00. o ieto, estamos 1 erto, modificar
a'algnm molo 1 opil io d'aqaelles que foram contrarios Cornea-
nhta pclo onus da boniBrago.
COMMANDITA
Aini'a por t-ffeilo do mes^no contracto, esla Companhia ;ou
ob-igada a rubstitoirem 31 d Bezemb;o do anno passado a firma
ce Paiva Valente & C, as -ouiflBan-'Has ?ua ella tinia rain as ca-
sas ccmmeraaes de Das Tjrrs A C e Jo* Rallar d>C.
De eocomuru a cflro com o socio sc-'idario .la pri D ra qaz
entrou c'aqoella data em iquiu'jSe, ficoo a Ccmpauhia desobri
gada 'eS"! comprirsisso; e tambem nao se .ffectuou a ^ubsiitui-
gao. da co ^mandila da sexuada, pela recusa do seo soc'o soli-
dario.
Oj lucros lquidos suferidos pela firma Paiva Valente a C,
como commanditaria a'rsta segunda casa, desde Janeiro a 30 de
Junho d'este anno, na importancia de Rs. 20 036*340, j de:uzi-
dos os juros de stu capital, foram pela referida firma expcnlanea
mente passados para esta Companhia e fignram na centa de lucro:
e perdas seb o titulo de Paiva Valente & C.
CAMBIOS
Mencionamos u'esta conta nm prejuizc de 8.858*400. Si
ees fra permittido prever a sensivel baixa de cambie de 17
para a de 10, baviamos por corto providenciado de modo que,
em luga,- d'eta conta apresentar prejnizo, fOBse pelo contrario,
de vantagem.
Ainda assim fomas bastante caatelozoa, pois atlendendose
ao valor da nossa importago, se reconhecer, sem envida que
devido a regnlaridaJe dos pagamentos o prejuizo foi relativamen-
te pequeo.
PESSOAL
0 pescoal da Companhia na sha maior parte composto de
empresa Jos habis e dedicados, a alguna dos qnaes deve a direc-
tora (fficaz auxilio. .
O Sr. Jos Joaquim Dias Fernanes, encarregado das vendas
da 3.* Secgo, acceden ao nosso convite para ir vizitar os merca-
dos da Repblica, e u'esta misso tem a companhia adquirido bom
resultado pelos esforgos de to zeloso representante.
Com a mesma Bolicitade, representa actualmente esta Compa-
panbia na Europa, o Sr. Joaquim Gaedes Valente, am dos geren-
tes da 4 Secgo.
Ambos, pois, ta merecedoras do nosso reconbecimento.
LUCROS & PERDAS
f
conjaactamente podes-
semos realuar todo o movimento da Companhia, resolvemos con-
servar as casas de negocio que forsm adquiridas e subdividil as,
para meinor regularmos o modo pratico de nossa administrago,
em quairo s g -i, a teroeira das qaae3 cou exclosivamente en-
carregad? de amentos.
. CA1XA
O movimento d'esta conta durante o parlado que relatamos
foi:
Por entrada R3. 11.578:543*370
Por sabida R-\ 11.464*401*110
Em 30 de Junho dispaobamos:
Em cofre 114:142*260
Na Banco de Pernambuco 349:967*870
No Banco Emissor de Pernambuco 29:041*030
No Binco Popular 8:488*670
Total
Rs. 501-640*830
DEVEDORES GBRAES
Sob este titulo tinha a Companhia em 30nle Junhd........
Rs. 803:891*980, somma na verdade bastante valiosa, e que, ace-
zar de muito gubdividida, merece comtndo o nosso maior cui-
dado.
O prejuizo conhecilo n'esta conta, at a mesma data, de...
Rs. 6:832*640.
Entre os dsvedore3 temoj alguns remissos, mas a cobr. nga
de S'"iis dbitos est sendo feit com toda a sulicitude.
Convm ponderar qae a maior parte d'aquella importancia
est sojeita i d-ncesaSi de Descont* por Vend$ e para isso que
figura no passivo do balanco sob este titulo, o crdito de......
Rs. 66:271*080.
ACCES
Por compra que tfiactuamos aos Srs. Z-..h, Ramo A C do
Rio de Janeiro, pjssoe esta Compaabia 900 ac.Oas da Comp hia
laJustrial Pernambu'ana, cuja transferencia vamos legahsar. A
compra foi feita ao par, na mpotancia realisada de Rs. 16:000*.
Ptlo demonslrativo d'esta conta veris que o lucro liquido ve-
rificado e auferido no periodo que relatamos, foi de 615.4 6*560
ou 61.341 % sobre o capital realisado que deslribnimo3 assim :
Para Fundo de reserva 5 % 30.770*830
Primeiro Dividendo, na razo de 10 % 75 000*000
Imposto do mesmo 1.125*000
Amortisar a conta de Incorporago 30.000*000
Amortizar a conta de lodsmnisago 400.00*000
Lucro3 Suspensos 78 520*730
Sabemos qae este resaltado nos proporcionava ensejo de
ozarmos da aatorisago qaa os estatutos nes faculta para iffere-
cer aos Srs. accionistas nm dividendo al 12 o/O e por certo
assim te teria feito si a Companhia estivease int-tramente livre
de onus.
IMPOSTO DE REPARTICAO
G a.e e Injustamente tributada esta Compaohia na distribu-
gao do imposto de repartigo, a que somonte est sojeita como
empreza anooyma qne livemos que interpor cootes'ago pecan-
te o Thesouro do Estado, que nos negoa deferimeuto.
D'ahi recorremos para o Exm. Sr Goveroador do Estado e
d'elle depende agora o reconhecimento da justiga que nos cabe, r
Pela imprensa temos publicado ludo quaoto sa refere a e Aa
questo e por isso deveis saber que o Tbezouro do Estado :aca ge
nos quer cobrar o imposto relativo as sociodades anooymas, ?Amo
nos contemplon em qoalro vezes com a laxa disirbaida/pira
os maioreB eslabelermenros de es iva.
SPPLENTES DO CONSE HO FISCAL
Com rezar mencionames o fallecimento do segando
Sr. Aotoaio Pacheco Das Torres.
CONCLD8AO
Terminando, enrep-e-nos dizer vos qae as fa'tis Apje por ven-
tera se possam cfferecer oo decurso de noesa adrrAniitrago, 0-
ram invclantarias, pois nos diz a conscleccia etm todos os
nossos ac os nos preocopamo3 exclusivamente |!o) intereses da
CompanLia. No entretanto deixamos ao voseo
julgam- no do nosso trabalbo.
Recife e sede da Companhia Industrial
va em Pernambaco, 25 de Outabro de 1892.
Antonio O
Presid,
Alberto Dia
Secr
Joaquim
TI
PARECER P
Srs. Accionistas.Em-caraprim
loa o art. 26 dos no3-os Bstatntos,
corresponder a couliaaga qae Iras,
meale a escriptu'aga da compan
com a mxima correccio e aceiq,
Della se evidencia que o
*
1 w 1
V!1- 4 -. *
- &.. ,
\

I .
A

ssssssssssslpa"!!**



\
i
1
>
Diario de Peroambuco Terga-leira 15 de Novembro de 1898
nhia gubdividido pelas saag quatro sceles, attiogio em ooie e
mel mezes, desde 16 de Julho de 1891 (poca em qoe dea prlaci
pi as suas operacOes) a 30 ie Junbo deste aooo, a somata de
9.527.765*450
Dj lodos os negocios da companhia resaltoo. como se v >ias
coatas respectivas, um lucro Uqo.do de 615.416*560 que foi assim
distribuido.
Par Fondo de Reserva (att. V)
Para Dividendo dos Accionistas, 10 >,'., sobre
o capital realisado, aa proporcao da entradas, ou
3* por aceto
Para imposto do mesmo dividendo
Para amortisar a conia de indemoisacao, devi-
da as casas coramerciaes que a companbla adqui-
ri
Para amortisar a conta de Incorporado
Lucros cospensos
30770*330
75.000*000
1.125*000
0.000*000
30.000*00
78.520*730
Rs. 615 416*5 0
Como sabis, a companbla, pelo sea contrato com as casas
commerciaes qoe adquiri e que foram objectos de sua organisa-
cao constitoio-se devedora para com ellas, a titulo de indemnisa-
cao da importancia de 800 000*000, verba esta que, coaseguin 1o
se amortisar por completo, mais consolidar a couipanbia, valo-
reando ao mesmo, as suas accOes, a commissao ti;cal, por isso
de parecer : .
Io Que a directora proceden com criterio, fazendo a distri-
buicao dos lucros da maneira como cima se demonstra :
2* Q ie, portanto, sejam approvadas as coatas relativas ao 1*
anno social, lindo em 30 de Junbo prozimo pas.ado.
3- Q finalmente, seia lonvada a digna directora pela par-
cimonia, ze'.o e inexcedlvel solicitode de sua administrado.
Eacriptorio da Companbia Industrial e Commercio de Estiva
de Pernambuco, 25 de Outubro de 1892.
A commissao riscal
Joaqoim Mauricio Goncalvts Rosa.
Manoel dos Santos Aranjo.
Antonio Fernandes Pereira.
Balando da Com panela lados tr i al e Com
me re o de Estiva, em SO de luaho
de 1899
ACTIVO
Pelas entradas a realisar 4.000.000*000
IoxorporacSo :
Importancia a amortisar
Indemoisacao
Letras a pagar :
Saldo desta conta
Credores geraes :
dem, dem
Diversas coates :
Crdito
Descontos por vendas :
A conceder a devedores geraes das cootas a
receber
Primeiro dividendo :
De 3*000 por accSo
Imposto de divld ndos :
11/2 /o'/ Re- 75:000*000
Fon o de reserva :
Reserva do 5 V. s/ Rs 615:416*560, luero liquido
neste anno
Lucros suspensos :
Lucro nao distribuido
65:864*630
50:394*150
474:421*460
65:271*980
75:000*000
1:125*000
30:770*830
78:520*730
R3. 6.636:369*780
S E. O.
Pernambuco, 30 dj lunho
de 1892
Antonio Quede Valente,
Presidente.
Demonstraco da conta de lucros e per
das da Companhia Industrial e Com-
mercio de Estiva, em SO de tiinh > de
l*t.
DEBITO
Devedores geraes: Q,.,.
Prejoizo em diversas contas o 832*640
Despezas geraes :
Pelas secuintes:
Aluguel do eacriptorio a armazens
Impos'os pagos
dem, idem
Cauco da directora :
600 aeces depositadas
lor realisado
Movis e utensilios:
Pelos existentes
Me-cadorias geraes :
Em ser na 1.a Secfio
2.*
. 3.a
120:000*000
400:000*000
pelos directoresVa-
230:462*100
174:649*110
27.823*080
218:029*610
Devedores geraes :
Saldo d'esta conta
Diversas cenias :
Saldo
Lettras a receber:
Saldo d'esta conta
A" c5es da Companhia Industrial Pernambucana :
tOO Acecen Valor realisado
Banco Emisso' de Pernambuco :
Dinbeiro em conta correte de movimeoto
Banco de Pernambuco :
dem, idem
Banco Popular :
dem, idem
Caixa :
Dinbeiro em Cofre
Rs,
PASSIVO
25.000 Aceces do valor nominal de 200*000
cada urna
Paiva Yalente k C. _nn
Indemnisaco a pagar 200:000*000
Domingos Croa & C :
dem, idem 2O0:00O*C00
Joaquim Amorim & C.
dem, idem 200:000*000
Fernandes & Irmao :
dem, idem 200:000*000
Depsitos :
Da Directora
24:000*000
2:296*280
650.963*900
803:891*980
157:076*790
500*000
16.0(0*000
29:041*030
349:967*870
8:489*670
114:142*260
6.676*369*780
5:000:000*000
Drersus despezas
Honorarios:
Da directora
Di commissao riscal
Dos empr gados
Do advogado e procurador
Cambios:
Pre^u'zo em differenca de cambio
Fundo de reserva:
5 O10 si R3. 615:416*560 lucro li
qutdo
Primeiro dividendo :
De 3*000 por aeco
Imposto de dividendos:
11|2 0|0 8| Rs 75:000*000
Incorporado :
Amorusacao de 20 ,o ? 1 Rs--------
150:000*000
Indemoisacao:
Amorhsacao de 500|0 ?I Ra.....
800.000*000
Lucros suspensos :
Saldo de lucres alo distribuidos
7:328*170
2:411*70')
13:7*3*470
16:500*000
1:65)*000
53:591*160
800*000
23:163*3 iO
72:541*160
8:858*400
111:695*540
30:770*830
75:000*000
1:125*000
30:000*000
400.000*000
78.520*730 615:416*560
Rs. Ti7:112*100
Dj Reeife-Agravara te bacbarel Maacel do
Niscimen'.o Pontea, aggravado Cimillo Gonveia
de Audrade. Relator o juiz Teixeira de S. Ad
juotos os juizes Ribeiro Vianna |e Costa Ribeirc.
NSo 36 tomou conheclmento, unnimemente.
Aggravos de instrumento
De Pao d'A noAggravante Joaquim Candido
Carneiro da Silva, aggravado Mnoel Birbosa
Camello. R:lator o juis Caldas Brrelo. Adjuntos
os juizes Costa Ribeiro e Teixeira de S.Nio
se tomou conbecimeoto, unaaimemente.
De PalmaresAggravante Se veri no Saraiva
de Andrade, aggravado Domingos Marques de
FreiUs. Relator o jais Ribeiro Vianna. Adjuntos
os juizes Teixeira de S e Galvao.E diligen-
cia.
Appellacao crime
Do PombalAppellaote Joaqoim Placido M j
ximiaoo, appellada a ju.-:-ica, Relator o juis Tei-
xeira de S.Mandou-se anovo jury, unnime
mente.
PA8SAGKH8
Da juiz Teixeira de S ao jais Gil las Barreto:
Appellacao crime
De NazartehAppellaote Manoel J) quia de
Sant.Anna Jacques, appellada a justica.
Appellacao crime
Da ParabybaAppellante Antonio Gomes
Corleiro de Mello Filbo, appellado M.noel Viei-
ra Bernardes.
Do juiz Ribeiro Vianna ao ju's Domingos
Pinto :
AppellacOes enmes
Da PalmaresAppellante Man ni Clamentiao
da Silva, aopellada a justica.
Do Bom ConseiboAppellante Jjs Gomes de
Mello, appellada a justica.
Appellacao eivel
De Pao d'A'boAppelliQ a Joaqun C olido
Carneiro da Silva, appellada Midoel Barbosa
Camello.
DILIGENCIAS
Maadou-se tfe-cer ao juiz a quo as seguales
AppellacOes crimes
Do BonitoApp llanle Antonio Fernandes de
Andrade Lima, app?l!ada a jus'lca.
Do IngaAppellante Antonio Games de Al
m> ida, appellada a justica.
Encerrou-se a sesso 1 i|2 boras da tarde.
SPORT
800:000*000
24:000*000
CRDITO
CommUides e descredere:
Saldo d'esta conta
Conta de algodo e couros:
dem, idem
CarregacOes de C. propria:
dem, idem
Descont por vendas :
dem, idem
Paiva Valente & C. N|C:
Ceasao de lucros qoe como com-
manditario de J. Bailar & C. au-
ferio de Janeiro a 30 de Junbo
d'este anuo
Saldos
Mercadorias ceraes:
Lucro obtido na 1.a Seccao
2.a
c 3.a '
< 4
111:994*440
13:727*150
10:038*740
4:204*520
20:056*540
20:097*890
109:600*310
165:878*550
148:822*060
122:691*830 546:992*820
Movimeoto das pooles: Circnlaram38I, ea i'Jiwsos, isio ao pjr querer tocar, e ostro
340 e em 2 241, na somma de 2:903*003. p0r 0S0 quer^rem qne elle tocase.
. -...* ..^ 1____ Obrigiramo Piramon um f;io papel, que
4 a PareoDerby Club1609 metros-Animaos --
Premios : 400* ao 1, 80*
Rs.
727:112*100
S. E. O.
Pernambuoo, 30 da Junbo de 1892.
Antonio Reg.
CHR6B1CA JDD1GIAR1A
operlor Tribunal de Instlca
SESSAO ORDINARIA EM 14 DE NOVEMBRO
DR 1892
fRESIDEKCIA DO SB DB. FRANCISCO LUIS
Secretario Dr, Virgilio Coelho
A's horas do costume presentes os Srs. joizes
COMERCIO
em numero legal, foi abrta a sesso depois de
lida e aporovada a acta da antecedente.
Distribuidos e paseados os feitos deram-se ot
seguintes
JDL QAMKNT08
Recorso crime
Do PombalRecrreme o juiz:, recorrido Vic
tor Ferrelra Fiaegale. Relator o juiz Galvao.
Negou-ae provimento, unnimemente.
Bolsa Commerclal de Fernn
bneo
OOTAfiClS OFFICUBS DA JUNTA DOS COR
BBTOBE8
Prosa do Reeife, 13 de Novembro de 1892.
iVao nouve cotajao.
O presidente,
Eduardo Dubeux.
O secretario,
Augusto Pinto de Lemos.
Cambio
Os bancos abriram com a taxa de 13 3/4 so-
bre Londres, snbindo depois para 13 3/8 e 13 1/2
tornando a baixar de tarde para 13 3/8, sem fo-
lladores-
Em papel particular nao constou aegoco.
PBAA DO BIO
Os bancos de manb abriram com a laxa de
13 i/2, dando a taxa mais tavoravel, fecbando
per m menos rme a 13 1/2 nominal.
Em pap^l particular houveram negocios a 13
/8 e 13 3/4.
4*400
5*000
5*200
4*000
3*000
1
PBACA DO BIO DE JANEIRO
CotacSes de gneros
. Para o agricultor
ASSCAR
fiistalisado......4*2oO a
Usinas por 15 kilos. 4*6C0 a
B raneo idem idem ... 4*300 a
Somenoa, idem idem. 3*900
Mascavado idem idem 2*900 a
B.-nto idem idem.....2*700 a
Bruto melado......S*W0 a
Rtame idem idem .... 2*000 a 2*100
Algodo
Colamos a 9*500 nominal.
Pc'Vipa de 480 litros 250*C00.
Agurdente
por p tpa de 480 litro* a 145*.-0 nominal.
Coaros
Se:cos salgados na base de 12 kilos a 550 ;is
nominal.
Ve-des a 290 :is nominal.
Hel
Por pipa de 480iitros 85*000 nominal.
Borracha
Cota-sa a 20*0 90 por 15 kilos
Carnauba
ota-se da 5*500 a 11*000 por 15 kilos nomi-
al.
ABKLLA DAS ENTBA DAB D A88DOAB I AL
flCDlO
Mez de "i^ovembro ^^^^
Sxportacao
UCIFI, 12 DK aOAIBBRO DB (892
Para o exterior
ingles Manuka, para Liverpool,
571 saccas com 48,613 kilos
No vapor
carregaram :
Borstenan & C,
de algodo.
No vapor iaglea Actor, para Liverpool, car-
regaram :
J. Fuerstemberg & C. 144 saceos com caro
eos de algodao pesando 9,360 kilos.
ara o interior
Aggravo3 de petico
Do ReeifeAggravantes Pigueiredo CosU
C, aggravado o joiso. Rela'or o juiz Golvo.
Adjacitoa os jo s-:s Teixtira de S e Caldas Bar-
reto.Negou se provimento. unnimemente.
Do ReeifeAggravante Jjao Mendes Garca,
tggravado Alexandre Ferreira Pedro Neves.
Relator o jaiz Costa Ribeiro. Adjuntos os juizes
Caldas Barretto e Ribeiro Vianna.Nvou-se
provimento, unanimemeute.
Derby-Club de Pernambuco
16a CORRIDA
No domiogo realisou o pado da Euaacia essa
sua corrida.
A concurrencio nao foi co ave; pelo numero,
e u'ab reseotio-se a animaco as apostas, que
nao foi tambem consideravel pelo resultado.
Constituido esle de parciaes de pouca monta,
apenas mani'estou um total ae 18.425*000. pro-
ducto de 3.685 poules que moveram-se nos oiio
pareos corridos.
Das carreiras foi este o resultado :

1. PareoConsolaco803 metrosAnima, s
de Pernambuco que nao tenbam galbo p-emios
nos Prados do Reeife em 1892. Premios : 2i0*
ao 1', 40* ao 2 e 20* ao 3.*
Pirata, montado por Deolado, 55 kls. 1
Malaoge, idem por Luiz Pereira, 55 kls. -
Village, idem por B. Benjamn, 55 kls. 3a
Tempo : 59".
Rateio das poules : Pirata em Io 11*100 e em
2a 6*000 ; Malange em 2 5*900.
Movitrento das poules : circularam 303, em Ia
199 e em 2 104 na som oa de 1.515*000.

2." pareoAnimaco930 metrosAnim.es
de Pernambuco qo^ nao teanam ganh em di-
tancia superior a 150 metros nos P;adjs do Ru-
cifa. Premios : 200* ao 1, 40* ac Ia e 20*
ao 3
Dublin, montado por J. Marcelioo, 55 kls. Io
Talicier, idem por B. Beojamin 53 k's. 2o
Regente, idem por Deolindo, 55 kls. 3a
Tempo: 68 1/2".
Rateio d3 poules : Dublin em Ia 8*100 e em
2 5*603 ; Talicier em 2a 6*700.
Movimeoto das poules : circularam 594, em Ia
389 e en 2* 205, na samma de 2.970*000.

3.a Pareo-Liberdade1.200 cetros satanes
de Pernambuco que sao tenbam ganlio em dis-
tancia superior a 800 meiros nos praaos do R-
cife. Prem os: 550* ao 1, 50* ao 23 e 25*
ao 3.
Gamponez, montado par Nes'.or, 53 kls.
Pleade, idem per A. de Franca, 5!. kls. 2'
L'.meira, idem por De Rodo, 53 kls. 3"
TemDo: 92".
Rateio das poules: Camponez em Io UWsw e
e om 2o 3*206 ; Ploiz'e em 2 !0*Jt>0.
nacionaes o pungas.
ao 2 e 40* ao 3.*
Napolitano, montado per Pedro de Souzi
58 kls. Ia
Veloz, idem por Nicolao, 56 kls. 2a
Ninicbe, idem por J. Campos, 52 kls. 3a
Tempo : 114".
Rateio das poules : Napolitano 7*000.
Movimeoto das poules : cicularam 190 em Ia,
em que somente houve jogo, na somma de
9^0*000.
5.a PareoVelocidade800 metrosAnimaes
de Pernambuco que nao tenbam ganho no Pra-
do e Hippodromo. Premios : 209* ao Io, 40*
ao 2 e 20* e 3.
Vermouto, montado p"r P. de Souza, 53
kls. i1
Blackstone, idem por A. de Franca, 51 kls.- 2o
Garana, idem por Bla: k, 53 kls. 3a
Tempo: 57 1/2".
Releio das poules : Vermoulb em la69*lO0e
em 2a 15*700 ; Blackstone em 2a 13*0C0.
Movimento das poules :
Circularam 650, em 1* 423 e em 2 227, na
na somma de 3:250*000.

6 pareoExperiencia-859 metrosAnimaes
de Pernambuco que nao tenbam ganho em 900
metros no Dirby n-:m em distancia superior a
1.050 metros nis Prados co Reeife. Premios
200*000 ao Ia, 40*000 ao 2a e 20*000 -o 3a.
Doblim, montado por Jos M.rceiino, 51
kiis, 1.a
Tudo, idem por Deol ndo, 53 kils, 2
Berlim, idem por J. Meades, 57 ks, 3.
Tempo, 61 "
Rjteio das poules :
Dublin em 1. 6*3>0 s em 2. 5*200 ; Toio
em 2a 11*900
Movimeoto das poules :
C icularam 5i0, em Ia 338 e ea? 2 172, na
somma de 2:550*000.
C',7-" pareoPr;sp3ridade800 metros Ani
maes de Peraam'ou:o qu; na) tesbam gadbo
nesta distancia no Derby e HippoJromo e nao
tenham victoria 10 Prado. Premios : 200*000
ao Ia; 40*000 ao 2a e 20*00 ao 3a.
Pirata montado por Deolindo, 55 kls, 1.a
Dioamarca, idem por Canavarro, 51 k's. 2."
Promelbea, idem por'J. Campo3,5l k s. 3.a
Tempo 60 "
Riteio das poules :
Pirata em Ia 7*300 e em 2" 5*303 Dioamir-
ca em 2a 6*i00.
Movimento das paules :
Cirjularara 335. em Ia 24? e em 2a 96, na
somma de 1:675*000.
No vapor nacional Alagoas, para Rio de
Janeiro, carregaram :
C. D dio, 650 meioa de s-Ia.
B. Williams & C, 500 saceos com 30,000 kilos
de assucar branco.
J. M. da Costa. 1,000 cocos fruets.
P. Carneiro & C, 725 saceos com 43,500 kilos
de assucar branco e 200 ditos com 12,000 ditos
de dito mascavado.
P. Alves & C, 1,000 saceos com 60,000 kilos
de assucar branco el,060 dito3 com 60.000 ditos
de dito mascavado.
A. Ferreira, 25 caixas com garrafas de elixir
cabes i de negro no valor do 500* e 1 pacote
com raizes medicinaes no valor de 2*.
No vapor naci lal Venus, para Rio de Ja
neiro, carregaram :
'C. Guimaraes Janior, 430 saceos com 25,800
kilos de assucar branco e 70 ditos com 4,200
ditos de dito mascavado.
M. da Silva VacSes. 200 latas com oleo vege-
tal pesando 3,600 kilos.
Companbia de Estiva, 200 saccas com 14,943
* i kilos de algodo.
1*600) Goncalves & Barros,
kilos de milbo.
40) saceos com 24,000
2jL. A. da Cosa, 15 saceos com 900 kilos e
sement de carrapato e 50 ditos com 3,000 ditos
de milbo.
No lapor nacional Una, para Macei, car-
regaram :
B. Magalbaes & C, 5 caixas con vinho de
caj no valor de 50*.
Para Babia, carregaram :
B. Magalbaes & C. 25 caixas com vinbo de
ca:ft no valor de 250*
No biate nacional Victoria, para Maco,
carregaram :
J. Salgueiral C, 1 barrica com 90 kilos de
assucar retinado e 7 ditas com 710 ditos de dito
branco. ____
Urbano M. da CosU. 40 barricas com 2,610
kilos de assucar branco.
Para Vii.a de Touros carregaram :
J. Salgueiral & C, 4 barricas com 240 kilos
de assucar refinado o 7 ditas com 451 ditos de
dito branco.
Na barcaca Itajahy, para Parabyba, carre-
garam :
" E. C Beltr5o A Irmao, 10 barricas com 603
kilos de assucar refinado.
J. Sojza, 22-5 caixas com 5,175 kilos ae sabio
Na barcaca Irene, para Camara^ioe, carre
gou *.
A. Pinto, 10 caixas com 200 kilos de sabao.
a barcaca Joven Taurino, para Pilar de
Alagoas, carregaram:
M- Viegas & O, 15 ba'ris com 600 litros de
vinagre.
Na barcaca Paraguass, para Parabyba,
carregou :
Tbomaz A. Frene Andrade, 6 saceos com 450
kilos de assucar branco.
No cter Jaguarary, para Nital, carregou :
J. T. Pint) Lapa, 5 oarris com 400 litros de
vinagre, 10 Ciixas e 12 garralOes com 600 litros
de geaebra.
I
Entradas
Bircacas.....
.Vapores......
Aoimaes .
E lirada de Ferro Central
dem de S. Francisco .
Wsm do Limoeiro. .
Somma
Assu-
car
- ____
fias Saceos
i i. 12 31773
1 a 12
lili 2578
latO 1146
1 a li 21786
1 a l. .JW1
\ Wtt
Algo-
do
Saccas
662
893
318
247
55
3073
548
P. Alves & C, 1,000 saceos com 60,000 kilos
de assucar branco.
No vapor nacional Jaboatao, para Csar,
carregaram :
J, Baltar & C, 11 barricas com 1,144 kilos de
assucar branco.
A. D. Simfies & C 5 barra com 440 litros de
alcool
E. C. Beltro A Irmo, 1 caixa com 25 kilos
de doce
No vapor nacional Aguamare, para Sactos,
carregaram :
Companbia de Estira, 5 pipas com 2,350 litros
de alcool.
E. C Be'.trSo Irmo, 50 barricas com 3,000
kilos de assucar branco.
C. Peres & C, 36 saceos com 2.240 kilos de
assucar maca va lo.
No vapor nacional Irene, para Rio de Ja
neir, carregou :
A. C. More.ra, Dia3, 10 pipas com 4,600 litros
i e alcool.
Para Porto Alegre, carrecawm :
Borstelmao & C, 400 saceos com 30,000 kilos
de assucar branco e 100 ditos com 7,500 ditos
de dito mascavado.
Para Rio Grande do Sul, carregaram :
Borstelman & C, 350 barricas com 37.621 kilos
de assucar branco e 60 ditas com 5,751 1/2 ditos
de dito mascavado.
No vapor ingles Lisbonense, para o Paia,
carregou :
E. Kin'bacb, 200 saceos com 1,200 litros de
feijo e 50 barricas com 2,490 kilos de assucar
branco.
No vapor americano Vig lanc'.a, para Para,
carregaram :
Amorim Irmo & C, 2 pipas com 940 litros
de alcool.
No vapor americano l'p mema, para uo de
Janeiro, carregou : **** ,.,
J. de S Leito, 500 saceos com 30,600 kilos
de caroc -'s de algodo.
No vapor italiano Genova, para Rio de Ja-
neiro, carregou:
Pautada Alfaadcg
14 A 19 DE NOVEMBRO Di 1892
....... 530
... 520
... 90
... 500
SEMANA DI
Alcool (litro) .
Algodo em rama (kilo)
Arros com casca ui-c)
ABsncar retinado (kilo)
320
173
160
1*100
260
510
450
260
Assucar branco (kilo)
Assucar mascavado (kilo) .
3agos de mamonas (ko) .
jorracba de leite mangab.(kiloi
achaca .......
:ouro3 seceos espichados (kilo)
Zovios seceos salga'dos (ko)
:ouro3 verdes (kilo) .
Courinhos (um) ... 1*8/0
Jarosos do algodSo (kilo) ... 32
arrapateira (kilo) ..... 120
aco (kilo)....... 403
:af bom (kilo)...... 1*200
Uafrestolho (kilo)..... 1*000
Jaf moido (kilo)...... l*40>
arnauba (kilo)...... 600 _
Cera em velas (kilo)..... 640
Cera vegetal (kilo)..... 630
Cera em bruto ou preparada (kilo) 008
Canoa (litro)....... 343
Cal (litro)........ iO
Carvo de Cardiff (ton.) v 95*000
Fannba de mandioca (lito) r 50
ienebra (litro)...... 300
liraxa (sebo)...... 633
laborandy (em folna) kilo 200
Leite de mangabeira (kilo) 1*466
Mel (litro)....... 156
MUhoCkilo........ 85
Phospbato de cal da lina Rata (tone*
lada)......... 11*000
Pelle de cabra (cento)..... 187*000
Pelle de carneiro (cento) .... 145*000
Sement de carnauba (kilo) ... 45
sola (nieio) ....... 4*400
Sement de carrapateira (kilo) 100
Sebo (kilo)........ 600
Stearina em velas (kilo) .... 1*000
(L'.o)
Semetite da algodo
Tataiuba (kuo).....
Taooa3 de amarello em prancboes
(dusia)........
040
40
100*
Reudlmemtos publico a
u> un kovembto di 1892
Alfanaega
Renda geral
Oo dia 1 a 12
dem de 14
Renda do Estado
Oo dia 1 a 12
dem de {4
604.015*563
59:379*184
168:C04*591
9:123*450
663:394*747
177:728*051
Somma total
8.1:122*798
Segunda secjSo da Alfandega de Pernambuco,
14 de Novembro de 1892.
O chele da seccao,
Manoel Antonino de C. Aranba.
O tbesoureiro,
Florencio Domingues da Silva.
RECEBEDO.UADO ESTADO
Do dia 1 a 12
dem de 14
33:135*094
12:051*771
Do dia 1 a 12
dem de 14
HECIFE DRA1NAGE
45:196*863
665280
*
8 pareoPrado Pernambucano1203 metro s
4nimat8 pungas e de Peroamiiuco. Premios:
200*000 ao 1.a, 40*000 ao 2.a e 20*000 ao 3.a
Moema, mntalo por J. Campos, 52 k s. Ia
Douradilbo, idem por Ped'O de Souza, 54
kl. 2*
Piramon, dem por Amaro, 54 k's., 3o
Tempo : 86 "
Raleio das poules :
Moem em Io 9*100 e em i3 5*300 ; Douraii-
liio em 2* 6*100.
Movimento dos poules :
Jir:ularam 522, em Ia 443 e en 2o 74, na
somma de 2:610*000.
Dos inscriptos deixaram de correr no Io pa-
reo, o animal Tenebroso :, no 2, o Pygiaea-

Felces a* Bala
Desta ves estiveram mais comoslas: as pai
x6es desoidnadas nao desQguraram n'as de
todo.
Foi possivalidescobrir visivelmente presencia
dos os traeos do Du lin e do Pirata, prinpal-
mente os deste que de long? desta oingaem po-
da distinguir.
Mas, n 1 obstante a ensaboadela do Prado
Pernambucano, esse-s feicO-^s nao ti a'am bem
limpia ; ainda neilas viram-se laivos de sojo, e
sujo bem repugoante.
Qj.-m coneceo na cjrrlda do 8a pareo o cele-
brado Piraiinn ?
E le e Mo;ma, Mcema e e'le holie mifti eras
Ubi.
Nmgucm oconh;Ceu, sendoimontado por Ama
ro. depoia de pasado para iaso Jos Maree'.ao,
que, j4 di jogu aberto e jreximo a en^erra-se,
renunciou a mootarla, tiveram de, ser acommet-
t -lo dos effei:o3 da combiaacioDftte que rsina
va, po dose .e qnsreatena, fsseudo o seu for
ait. i-sia laia'do Pvgmeu, ma^ corx tatattos
d 244 toneladas capitio O G. Joyce,
e^uipageai 10, c, .-ga bacalbo a H '-
ekburn Needham a comp.
Valparaso4 3 das, barja inglesa Tkya-
tirada 96 toneladas, capitao G. Wen-
terton, equipagem 22 em lastro a or-
dena.
Marseille pela liba Grande95 das, pa-
tacho ingles Iddeslegi de 297 toaela
das, capitao Bobert Hasen, eqaipagen
8 carga telhas a Fabrica Paulista.
Navio sahido no dia 14
Santos e escalavapor, amerisano S ;gu-
ranja, commandante J. R. Beer, car-
ga varios gneros.
Mercado Municipal de >. ose
O movrmtnto deste mercado no dia 12 de
Outubro foi oseguinte : Entraran*.
40 bois pesando 6,195 kilos.
461 kilos de peixe a 20 ris
4 ditas com camares a 100 rs.
6 compart. com mariscos a 100 rs.
45 lugares a 200 rs.
21 suioos a 200 rs.
2 ditas com feijo a 200 rs.
50 cargas de farinha a 200 rs.
8 cargas de milbo secco a 200 rs.
ditas com milho verde a 300 rs.
ditas de canna a 300 rs.
6 ditas com louga a 300 rs.
2 ditas com fructas diversa; a 300 r3.
665*280
por nSo querarem qne elle lecas e.
Obrigiramo Piramon um f;io papel,
nao deve ser eocampado por escandaloso.
Lia Nmtche tender no 4- pareo ao distanciado,
nao qoer dizar nada ; v. Tres dislicetos e um
b dono yerdadeiro. usou se do direito de esco-
ma, e simplesmenlet inverteu-se a collocaco
do programma.
O meamo querem alguna que se desse no 2-
pareo onde urna caudelaria representava se com
4 animaes. Qjb o fosse, mas a victoria foi ob-
tida por um que nao podia perder; o que se lbe
avisinbava, ter a sua vez, e por ventura bem
prxima. Olbem a Moema, que alm do mais
lez apparecero Djuradilho, que desmanchou-se
em pj.-o.as para um resultado negativo por cau-
sa do menino.
Nio sabara que quem se mete com meninos
sabe.. .. sempre mal.
As Fdig23 da Rii?, pjis, nao e3tiveram lim-
pas, correctas, bi:b;iii a inglesa ; mas tive-
ram sempre u bu lavagem que tornou-as um pou-
co meos patibulares.
O Hiopolromo no domingo nao se engae.
Alerta / a cobriaba prepara-sj para o bote :
pancada de ceg.
Hlpplromo do campo
Grande
Hoje en-orra-ae a inscripcSo da corrida de do-
mingo prximo nesse Prado.
PIBUCACOES 4 PEDIDO
Iguarass
13 de IVovembro de IS99
Ha louvores que se traJuzem em vituperio 1
E' o caso.
No Diario ie Pernambuco de 12 da correte
est publicada urna man fe.- taj de louvores ao
Sr. advogado Amaral, que importa a conlisso
do estada de abaodono a qae li..;u reduzido
esse infeliz, que, orga de grandes crimas, se
da como p-efeito deste municipio.
A '.enla o publico.
En um muuicipio cuje eleoraio se eleva ao
nuaero de mil e sessenta e tantos eleitores, o
Sr. prefeito convcci urna reonio para solemni-
sar a sua posse do cirgo de prefeito e do seu
conceiba municipal, e comparucem a essa re-
uaio. coafessado pelo proprio prefeito, apenas
eeoto e tantos individuos II
N-r8a mesma reunio da cenlo e tantos ini-
iduo3, se supplicam asignaturas para a tal
mmifesiaco, e apenas cincuenta e dous a sub-
screvem.
Ainda mais : no numero desses cincoenta e
dous que assigoarsm o tal voto de lou7or, que
ji vi denoaslidr de bandeira da misericordia,
ucvem so: abatidas triota assigoaturas dos me-
sa-ios das seis secces em qoe 33 dividi o mu-
nicipio, po-que sao co-ros nos crima3 qus pra-
ticou o Sr. Amaral, no dia 30 de Setemoro ul-
timo.
Ficam redusidos os Iouvaniobeiros a vinte e
dons; e ainla devem ser abatidas os nomes dos
ubdeleg dos de polica, Jos Fraocisco Jiyme
'ialvo, Aiexaodrino Ferreira de A'cantara e
Herculano de tal; ficam, portanto, dezenove.
Distes, ainda preciso abater-se o noms do ex-
sub commissario de polica Jos de tal, o de
Francisco Cockles, o de seus blbos Alfredo F10-
ripes e Silvioo Horacio ; o de Aotooo Martios
do Couto Vianna, nomeado agora mesmo para
administrador do cemiterio ; o de Jeronyuo Lei-
to, 1.a supplen'.e de delegado de polica em
exercicio o do !)-. Fausto Gadeiha, advogado
da Inle ilencia ; o de Joo Vieira da Fraga, cu-
nliado do Sr. Aai.J. Pica, portanto, reduzido
o numera dos signatarios a onze I!
, Diga o publico sensato o que sigoiQ:a essa
peca : louver. ou vituperio ?
Pois nesse grande numero de eleitores, mil e
sessenta e tantos, apenas onze se manifestar a
favor do pretenso prefeito, e este se 14 por
louvado ? I
Nao quer essa manifestacSo patentear a re-
pulsa geral que, merecidajien:e, tem obtido
esse infeliz ?
Ainda podiam:s reiozir o nuaero dos asig-
nantes, porque ba suspeitas de que nao Qrma-
raoi eeus nones, e sioi outro3 por elles. alguns
qae'riguraai. Kxempio : o Sr. Manoel Cordeiro
Cavalcanta Galvao, que fez preced com o posto de coronel, nao coronel; Fran-
cisco Pereira da Lago, que ven ruando coa a
pai-' .te e jaoitaj, aotemta! patente O noxe
do capiio Joo r'erreira da Cimba, esta trunca-
do p r Joo da Cuaba Ferreira, et;., ttc.
Nao p.ssive'. qae qcalqaer desse-o senhares
guore qud 0S0 po '1 osar de titoios que nao lie
peru-ucem, e erre ssslgnaado seos nomes trun-
c->do-os.
P?*ece, pois qae esses onse ainda serao di-
miiii:., e que, lii.aimente Bcarao "etuzil^s a
sete ou cito, os sao nteressades oas fraude?.
Repito, para concluir :
Qae juiso se pode formar de ama individuali-
da de que soBre urna repulsa tal ?
Tudo demonstra a verdade II
A moralidade.
Movimento do Porto
Navioi entrados no dia 13
Santos e edla'/ dias, vapor italiano Rio
de Janeiro de 1244 toneladas, comman-
dante V. Aronso, eqnipagem 60, carga
vario., gneros a Blackbarn Neeiham e
comp.
Rio d3 Janeiro5 dias, vapor ioglea Ire-
ne de 286 toneladas, commandante
Henry Werbber, equipagem 28 carga
varios gneros a Pereira Carneiro e
comp.
Navios sahidos no raemi dia
Rio de Janeiro e escalavapor nacional
Alsgoas, commandante Antonio Ferrei
ra da Silva, carga varios gneros.
Genova e osalavapor italiano Rio de
Janeiro, coa mandante 7. Aronso, car-
ga varios gneros.
Maceivapor ing'es Actor, commandan-
te H. Sharr, carga varios gneros.
Rio Grande do Norte escuna allemS
Aotina, cpitao J. Burke, em lastro.
Navios entrados no dia 14
New Ycrk e escala20 dias, vapor ame
ricano Seguransa de 2806 toneladas,
commandante J. R. Beert, equipagem
82, carga varios gneros a Henry Fors-
ter e comp.
New York e escala27 dias, vapor alle-
m&o Capoa de 1480, toneladas commao-
, danto J. Merling, eqnipagem 28, car
ga varios gneros a Johston Pater e
oomp.
Trra. Nova28 dias, lugar ingiea Clutba
dita de macacbeira a 300 rs.
dita de cebolinbos a 300 rs.
5 ditas de melancia a 300 rs.
10 dita de batata a 300 rs.
2 ditas de laranjas a 300 rs
ditas com gerim a 300 ra.
48 itos com verduras a 300 rs.
2 eassu8 com gallinbas a 300 rs.
71 ditos com farinna a 4 )U
7 carga." com gallinhas a 809 rs.
31 columnas a 600 rs.
7 coTirtimentos com ressur s
a 60) ra-
46 ditos com fatendas etc. a 600 rs.
31 ditos de comidas a 700 re.
11 ditos de sumeiro a 1J
8 ditos a 7 0 rs.
44 talbos a 2*000
0*220
<40U
600
9*000
4*200
*400
10*COO
*
*
1*800
*600
*
*
1*500
34080
*600
*
14*400
*600
28*400
3*5-0
18*900
4*200
27*600
21*700
11*000
5*
88*
Rendimeoto do da 1 a 11
2.8
266*520
3*230
3 089*500
Presos do da:
Carne verde de 240 a 6*0 rffls O kilo.
Suinos de 640 a 800 r.'is idem.
Carneiro de 800 a tf ris idem.
Farinha de 400 a 480 ris idem.
Millio de 380 a 403 ris ideun
Fauo da 800 a 1*400 Man
Taporas a enerar
Mez de Novembro
Sul.......... Water.
Europa...
Sul......
Sal......
Europa...
Sul......
Sul
15
15
13
Coi-sica..........
Parahyba .......
S. Francisco....... 15
Ediclor............ 16
Valparaso,........ 17
Maranhao.'......... 19
Europa...... Tagus-............
Sul.......... Atnayde........... 20
Not........ Braztl............ 17
Europa....... Malange........... 21
Europa....... Elisa............. SI
Sul.......... Trent.........'..... 21
Sal.......... Pernambuco....... 24
Sai
Vaporea a aaoJr
Me de Novembro
.. Aguamar......... 15 as
1 b.
Exposi^ao de Pernambuco
preparatoria da de Chi-
cago.
Aprozimando.se o dia da abertura da
expoaicSo que ser a 4 do mez vindonro,
a commiasao ezecutiva vein scientifcar
aor Srs. industriaos, agricultores, artistas
e mais pessoas que tm de concorrer a
expOsicSo, que poderSo desde j remetter
os seas productos ao Lycea de Artes e
Offijios durante o dia ou mesmo a noite
ou mandar dizer para serena transporta*
dos. .
Outro sim, a exposicSo ser franqueas
da aos mesm9t expositores, desde o dia
20 do corrente mez at 4 de Dezembro,
em que ter lugar a abertura of&cial, para
a escolha du local em que quizerem espor
os seus productos, saz oraamentacSo e ais-
posicSo.
Todos os objectos deverao conter urna
nota explicativa do valor, applhaglo, ma-
tara prima do fabiico, e outra3 quaesquer
informajoo3 de utilidade commerciai.
A commissao scien'ifioa que 03 obje
ctos que vierem do interior pelos carai-
nhoa de ferro serao gratuitamente trans-
portados em virtuda da autor&arjo ex*
preasa do Exm. Si* Oo remador do Esta-
do, avisando os remetientes cemmissao
paraos mandar conduzir.
A commissao confa em que o patriti-
co concurso de todos que se intarossam
polo >;rogres80 e grandeza do Estado, da
r realce a sua expsito no Reeife, e a
sua reprodaccSo no grande concurso un
versal de Coicego.
Reeife, 7 de Novembro de 1892.
Presidente,
D/. Ermiro C. Ooutiabo,
Vice- presidente,
Jo2o Jo de Amorim.
Secretario,
Francisco Augusto Pereira da Costa.
Theeoureiro,
Antonio Gomes de Miraada Leal.
Dr. Joapim Correa de Araujo.
Major Julio Feroaudes da Alm::d",
Francisco Apoligorio Le .1.
o
Yaccioa animal
O Dr. Bastos de Oliveira rpcebe cha-
mados para vaccinacSo com Iympha ani-
mal em casos particulares.
Consultorio Ra Marques da Olinda
n. 18, 1, andar.
Residencia Ra do Dr. Joaquim N
buco, n. 2 A, Capunga.
Telephone 365.
*
IHWi 1
*~


-<
..
-




Diario de Pernambaco Terca-feira 15 Je Novembro de 1892
' <

SMIi
Pedro Jos Gordm felicita
a Ex aa. S.-a. D. Iaaura Mara-
nb3o pelo 31- aooiversario de
aeu valiosissimo nascimento.
FELICITABA)
T-vs lagar sabbado ultimo, oa ca-
pellado Gymoaaia PTruambiranc, o
aaacDenlo do I itn. Sr Dr.LuizMar-
ques de Albuque'que Maraoho com
'. a Exraa. Sra D. Maooella Doorado
3 di Conna Aievedo. Por esse fado
B auspicioso, por lo feliz enlace, de
'f. seja Ibes muitas felicidades o amigo
g A. P. M.
\5VG*TG)TdGV59ir&'
feS*"7
Ao mcu especial e dedicado
amigo Jos Fcrrelra da Silva
Lima
' coberto de praaer e satisfagSo que
T:.bo felicitar-te pela distiaocSo que fez
o Exm. Sr. Dr. Alexandre Jos Bar-
bosa Lima, actual governador deate Es
taio, nomeando te administrador tU casa
da eteocao.
m vista das coadi^Ses criticas porque
tem cate infeliz Estado passado, noces
sario qae um goverao heroico, iliustrado
e co'liecedor das necesstdados delle, como
o actaalj procure carcar-ae de horneas
ds sui inteira onfiaoja e qno nSo eete-
jam aioda viciados a poltica do odio e da
voganja.
tottanto, n3o s don-te um abraco,
como felicito ao benemrito Balvador des-
ta afeita trra, o Exa, Sr. Dr. Alexan>
dre Jjs Barbosa Lima, pela acertadissi-
m?. escolha que fez.
Recife, 1* de Novembro de 1892.
Deoclecio Reg.
\
i). CtUharlna de Riccl Miranda
Corlo
0 Dr. Jis de Miranda CoMo e Padre Fran
e } de Miranda Cario agradecem do intimo
'a mi a todos que aompaubaram, a sua
moca asss cborada me D. ^atbarina de
licci Miranda Cario durante a saa molestia e
ata a eua ultima 'morada, srieitilicando >
Ddoe a eua eterna gratido pela ca*idade da
tj isda a finada, e a elles participas qae
u qumta feira, 17 do correne aetimo di;
iu seo fallecimento s 8 1/2 horas da ma
ha cerSo resadas missas por alan na igrej:
1 i Ordem Terceira ae S. Francisco desta ct
ate.
A Einulso de Lanmann tfc
Memp preparada
Con: o oleo de figado de bacalho mais
puro, qae prodnz a Noroga f nlo semen-
t um pudoroso recojstituitivo d<.s consti-
tuicSea debis e um remedio seguro e in-
fallrvo! contra todas as molestias'do peito,
a garganta e os pulm5e, e outras em que
se prescreve o uso do oleo de ligado de
bacalho puro, senSo que tambem em ai
o agente digestivo por excellencia para os
estmagos dos eos.
Minha Esperanza
Felicito mea especial amigo Antonio
Francisco da Cruz, pola ptima acceitacSo
de sena bona cigarros, denominados
Mi ..ha Esperance, bem acceitos e procu-
rados at em Londres, d'co e tem vindo
c.-'-' .ameadas por seus apreciadores.
Mea especial amigo deve estar satisfei-
tisaimo com o resultado dos seas esforcos
em acreditar seas b>cs cigarros e tornar
aaaiai conheciio no estraogeiro um pro-
ducto da noasa patria.
Varabens pelo resultado obtido.
Manoel Francuco de Barros liego.
ra vel, apresentando pbenomenos to aaraviibo-
sos qae neata cidade do Recife do Rio de
irmeiro pouco receio causa a ebre amarella,
jesmo estando o doenle com vomito preto t
sdguineonesies ltimos periodos ento ne-
>s -ario a applicacao em alta dose, dea
t tabella aoaexa.
Este Elixir j conhecido do pat,:"o t de am
g.-snde numero de dignos mdicos e. -senta-
do para combater os differeae mcommov.." to-
los elles de carcter febril.
Por moito lempo ti vemos occasio de faier s
pplicac&o naa febree erysipeosas e com tac
iom resoltado que I i camos admirados de to al-
es effeus.
Pela pra'.ica chegaTos a conbecer qoe noi
laques ae febre erysipellosa os erjsipella como
valgamente se diz uecesaari* o uao de 10 das
lo Elixir.
Nos grandes incommodos das secboras, mena-
truacao, gravidez e nos casos de parto coa fe-
ore de om resaltado maUo certo e seguro e
jaua couposicao tao simples qa/-. nSo offerece
receio de applicar o Elixir nem mesmo em doses
'uoeriores as indicadas Da tabella iofra.
Podimoa aos dignissimos mdicos qoe desej
-em fazer uso deste Elixir em soa clnica nao s
ieitatf m tosaa prescripo, mas 3im fazer i
ioplicacao em harmona com os casos qoe dse
lrem combater, certes de que o medicamento t
ie composijao innocente para organismo poi
a ais frgil qne seja.
Modo da asar
A's criaocas at um anno 10 gota3 de 5 em 1
joras em orna colher das de sopa chei? d'a^o
'ria.
De um anno a tres 1S gottas.
Da 3 a 10 annos em diante, 40 gottaa etc.
Estas doses devem sempre ser applicadas eL
agoa fria.
Deposito*
Companhia de Drogas e Productos Chianu>-
Recife, roa do Mrquez de Olioda n. 23.
Nacional Pharmacia, ra Larga do Rosarit
i. 36.
Pharancla Oriental, ra Estrella do Rajar
i. I
Pharntacia Alfredo.. Ferreira, ra do Bario di
Victoria n. i.
Pasrmacia Martias, ra Duque de Caxias c
<8.
Para qoaiquer ioformacSo aera encontrado o
autor na ra do Rosario Eatreita o. 17.
Os noa&os frascos sao quadradoa e conta gu-
.as. N'om lado teem grlvadoElixir ante-febril
e no outroManoel CardosoPeroambuco, e to-
dos os prospectos sao assignados por Manoel
Cardoso Jnior, sendo falsos os que ao forex
asignados.
N. 15
Amigo Sr. Manoel Cardoso.
Recife, 7 de Agosto de 1891.
Estimo a sua prezada sade.
f,i.aria cem um dos maiorea deverea ae nao
viesae por meio desta carta agradecer Ihe o be-
neficio que acaba de fazer me. livrando das
garras da morte o mu filho Fiorismondq, de 12
aonos de idade, o qual achando se prostr do no
leite da cama, com orna grande lebre qne d'elle
nao se separava ba mais de qoatro das, j lendo
esgotado o que poJia fazer em remedios, tudo
me era baldado, aguardando nicamente a hora
prxima da morte ; entSo kmbrei me do eu
ccoceitaado anti febril, que tem salvado ioua
j.cras pesacaa, e immediatamente ihe escrevi
pedindo que u e mandasse urna dse, a qual
veio, e tratei de applicar conforme marca o seo
receituario. Na segunda d;e elle j nao va-
riava, na qoarta a febr~ j diminuir, e a cor
:om que elle se acbava, quasi rdxa, apresentava-
ee como indo para urna clara. Na sexta dse
lesappar^ceu, apresentando-se nesse mesmo dia
As 8 Loras ; teodo-se lindado o remedio mande
j.vameote buscar e continuei a applicar-lbe, e
aoje acha-sb cu filho reatabelecido, devido
ouicamente ao atu Sneflco elixir.
Peco Ihe qae aceite de mim e dos meas tubos
os meas sinceros protestos de estima e cooside-
iac3o, pelo beneficio qoe acaba de fazer me com
o sen elixir, salvando o dito meo filho.
No mais son
De Vmc. amigo e criado,
Joaquina Juvencio de Almeida.
EDITAES
?ogos de Caldas
Tenho ido dos pucos 6 annos segui-
dos, pelo rheomatisno e a prova do pouco
proveito, a cecesbiiladn annual que ali
ifl> tem levado.
Tomei agora oElixir M. Morato pro-
pagado por D. Carlos, e doa por fiada a
visita s agofcs, porque oElixir M. Mo-
rurocurou-mfl r-diclmenii.
E' tal a minha satisfacSo que offereco
de mota-proprio este attestado recoohecido
pelo tabeliiSo.
Campias.
Alfredo Nebiat da Silveira.
Deposito em Pernambnco : Companhia
de Drogas e Producto Phimicos.
Ra Mrquez de Olinda 23.
Curso
DE
NOVEMBRO A FEVEREIRO
Geographia e Historia
PELO
Hachare. Julio Pires Ferreira
NO
Edificio do Instituto 19 de
Abril
(telina
Minha filar. Idalina Prospera de Souza.
latera muito teiipo completamente entre-
vads, pelo r' e mutismo, tendo sido impo-
tente toda a aedicina de que lancei mito.
Forcm seis mezes de uso sem intermi-
tencias do novo remedioElixir M. Mo-
rato--propagado por D. Carlos, que pa-
r.eram minha flha completamente resta-
bjec.da.
econhego como verdadeiri prodigio
este medicamento indgena.
Rio de Janeiro
Tburcio Prospero de Sotua.
Esta Arrea reconhecida pelo tabeliiSo
Deposito em Per-.iambuco : Companhia
de Drogai e Producto Chimicos.
E 10 Mrquez d Olinda 23.
E ixir ante-febril Cardoso
SEGUNDO A FORMULA
M&aoel Cardoso Jnior
Approvado em 31 de Margo de i890 pola inspo
doria ?eral ta digna junia de higiene do Rio
de Jn?iro.
Este Elixir de composico toda vegetal pre-
i segundo as rearas pha'macencas, acn
r (Mi capacidade sdenlifica tanio nopaizedme
ao estr-ingeiro.
E i.- Elixir o producto nao s do grande es
tudo das aefioea pbyaiologica8 daa substancia
como tambem patholofricas.como tambem c re
sqH:;c!j das mmensa8 applicacCes nos diversos
leJebres de fundo palustre.
A appTicaco deste Elixir na grande epidemia
de bex;ga8 de 1890 a 1891 mais urna vez de-
monstroa a sea eficacia ; pois no principio dos
primeiroB symptoma3 a bexiga aborla, e em ca
sos mais adiantados a bexiga pasea a ser urna
ioenca febril vulgar apresentando pequeas to
mefaces que com a continuaco do Elixir de-
spparecem sem todava apresentar receios de
perlgo.
Os muito ^Restados publicados no Diario de
Pernambuco e Gazeta da Tarde* provam o que
dizemos.
Nos casos de febre amarella o effeito admi-
Padre Jacintho
O meu vizinho Roberto Dias de Andra-
de, esteve enfermo cerca de um anno, e,
tanto eu como aquellos que o trataram,
julgaram-o perdido por morphetico.
Oesilludido por alguns, tomou com par-
cimonia oElixir M. Moratopropagado
por D. Carlos, e sar u.
Deas me perd3e em dizer qae se nSo
fosse eu testemunha oceular deste ficto
poi-o-i-i em duvida.
O Elixir M Moratocura a Morpha
Benidito seja o Senhor.
Padre Jacintho E. Torres.
S. Paulo.
Deposito em Peruambaco : Companhia
de Drogas e Productos Chimicos.
Ra Mrquez de Olinda 23.
Dr. 3lello Gomes
Medica cirorgls-parteiro
57 Ra do BarSo da Victoria 57
( Defronte da ra de Santo Amr.ro)
ESPECIALIDADES Partos, febres,
molestias de ecr.horas, ds pulmhs e de
creancas ; syphilis em geral, cura radical-
menta e opora estreitamentos e mais sof-
irimeatos da uratra.
Acode d-j prompto chamados, qTil-
quer hora, e para quaiquor distancia.
Telephone 193-
Dentes artlfloiaes
S:b pressSo elstica e presea.i pneu-
mtica byst^mas novis&imcs neste eat^do,
pelo eirvrgo dentista Numa Pompilio,
ra Barao da Victoria o. 54, 1. andar,
das 8 hora:', da manhS s 3 da tarde.
Dr.
Frcitas M. nlnaraea
ED^O
Tem o seo oosultorio na ra Duqae
de Caxias n, 61, 1. andar, onde ser
encontrado de 11 1 hora da tarde e
reside no Cajaeiro n. 4.
Telephone n. 292.
Uecebedorto do Estado de Per-
nitii'uco
Edital n. 16
O admir istrador e. Roebedoria oo Es-
tado tendo e i vista o | 41 ari. 2 da le
n 33 de 10 ce Dezambro do anno pr-
ximo paleada, faz publico a quera ir te-
resaar \ asa qu acata i partilo ac!.am-te
expuatas a veudu estampilbaa dos ueguin-
tes valor* s : 250, 'oiJOOO e '32/J500; cea-
aando, portanto, d servico que era feito
na sala das audiencias e no edificio da
Associas&o Commercial relativo a cobran-
ca do imposto de sello por meio de verbas
Iue, neata data, pasea a conta do expe
ente interno.
Reoebedona do Estado de Pernambnco
9 de Novembro de 1892.
J. Ferreira de Almeida QumarZes.
O Dr. Antonio Henriqaes d'Almeida,
Jais e Direito do Commercio do Muni-
cipio de Olinda em virtude da lei etc.
Fai saber aos que o presente edital vi-
rem, ou delle noticia tiverem, qoe se-ha
de arrematar em 2.a praca depois da reB-
pec'.va anuencia deste juizo, no dia 16
ao correnle, o bem seguate :
O sitio de trras proprias denominado
Carpo Grande, contiguo ao povoado
de Beberibe, freguesia de S. Pedro Martyr
deste municipio de Oiinda, com casa de
vivenda d: tiipa, coberta dite'bae, tendo
3 jantllas de frente, portas e janellai nos
oitSes, mediado 7,m50 de largura e 12m de
fondo, dividida em duas salas, tres quar-
tos, coainha externa e estribaria.
Um armazem construido de pilares de
alvenaria, coberto de telhas, ladiilhado
de cimento, fechtdj. por grades do tabi-
que, mediado de largura 6ym80 a de fundo
10,20.
Um outro armazam coastruido parte de
tijolio e parte de taipa, ladrilbado de ci-
mento, coberto de telhas, medindo de lar-
gura 7-80 e de funio 14a.
Um outro armazem na mesma conformi-
dad e medindo de largara 12,a>20 e de
fondo 8,m5; e aioda um outro dito me-
dindo de largura 12,m50 e de fundo
7,m50.
Um no encasto de dous arm&zens, fe-
chado em duas feces de pao apique, me
diodo de largara 12,^30 e 4,n30 de
fundo
Tre casas de taipa, contiguas, coberta
da telhas e ladrilhadas; medindo todas
4,m40 de largura e 8m,80 de fundo, tendo
duas Balas e um qoarto.
' Em um dos armazens ha tres grandes
tanques construidos de alvenaria com ar
gamasaa de cimento, em outro armazem
ha dez tanques.
Ha no sitio 2,G00 ps de cacaueiros no-
ves, em vasas de cerca outras tantas e
diversas frute iras.
A< trras constam de algumas varzeas,
montes e chas algumcB sSo arenozas, ou.
tras silica argilosas. Manaaciaea que fer
tilisam as trras do sitio sSo o riacho Agua
Frrea e um affliento do Beberibe que
chama se Momo.
Ha algamas mattas as chSs, e contem
o sitio tambem planteles com bous limi
tea demarcados, conforme os respectivos
ttulos no valor estimativo de 12:00-'i5OOO
e com o abate de 10 0(Q de accorde com
o art. 24 do Regulamento de 23 de Ja-
neiro de 1886.
Dita propriedade vai a praca para pa-
gamento da execucSo que move o Banco
do Brazil contra Maaoel Mondes da Silva.
E para que chegue ao conhecimento de
todos, mandei passar o presente edital
que ser publicado pela imprensa e anisa-
do no lagar do coeturne.
Dado e passado neata cidade de Olinda
aos ib de Outubro de 1892. -
Eu, JoBo Theodomiro da Costa Mon-
teiro. eacrvSo, o escrevi.
Paga este de sello 503 ra. e emolu-
mentos 500 re. pela assignatara.
Antonio Henrique de Almeida.
Recebedoria do Esta-
do de Pernambuco
Edital n. 15
O administrador da Recebedoria do Es-
tado de Pernambuco faz publico a qnem
interessar posea que dentro, de 30 dias
atis improrogaveii contados de 22 do
-orrente, serSo arrecadados bocea do
.,.Te os impostos sobre industrias e pro-
fissSes constactea da rtlaclo abaixo e re-
lativos ao 2- semestre do exercicio cor-
rente de 1892.
Recebedoria do Estado de Pernambnco,
19 de Outubro de 1892.
j. Ferreira de Almeida Guimaraes.
Relajo
5.000 000
3000000
180S000
45O0CO3
8OCS0OO
18030CO
50,5000
50^000
33^000
350000
350000
50000'J
500000
50000
25$.>0
2650030
204000
300000
2000000
150(5000
2500000
250000
250000
2000000
a qne se refere o
tal sopn
TAXAS FIXAS
Fabrica de g^.z curhinico.
dem de galo.
dem de leos.
dem de rap.
Prensas de a'godSo a vapor.
D alistas.
Adv.-.grdos,
Mdicos.
Solicitador.
Contador e distribuidor.
Partidor e avaliador.
Agrimensor.
Engeaheirji civil.
Despachante.
Ajudanto de despachante.
Leiloeiro.
EscrivSo de qnalquer juizo ou
tribunal.
TabeliiSo.
'.orreator.
Agente de fretamonto de na-
vob.
Agente commiasario de com-
pra e venda de mercaduras
o cambiaos.
por guarda livros.
por interprete.
por director, agente, gerente
de companhia oa eoC'edade
anonyma quando remunera-
do, pagando o presidente
mais 25 Ojq se tiver venci
roentoa superiores.
3OO0COO por pessoa qne emprogar oa
pitaes em desmonto de le
tras.
55000 0 por joalheiro que mascatear
no Estado, tenh. ou nSo
estabelecimento.
6000000 por casa que vender madeira
de procedencia estrangeira
1.8000000 por casa que vender carvSo
de pedra em grosso.
lOOfOOO por caxeiro viajante.
100$000 por buhar, pagando somonte
400000 c: da urna que ex-
ceder a uoidade.
1.0000000 por cada casa que vender
bilhetes de loteras.
100$000 por casa que garantir bilhetes
de loteras do Estado alm
do imposto antecedente.
Imposto de 30 y sobre o valor locativo dot
respectivos predios na cidade
CiSas
Modas, cabelleireiros, funerarias e bar-
beiroB.
Lejas
Machinas de costara, roupa feita e tin
turaras.
Fabricas
Cu vas, vinhoa e licores.
Oficinas
Pianos, violas, alfaiafe, aapatos, taman-
cos, ouriveis, baba, carros, carrosas, fu-
nileiros, foguoteiros, tartarogueires, latoei
res, barriqueiros, canteiros, torneiros, fer-
reires, empalhador, gravador, cirgaeiros e
marcineiros.
Armazens
Movis, loucas de barro, cal, cimebto
materiaes para edificacSo, agencia de lei-
13es, carvSo vegetal, algodSo, coaro e sal.
Depsitos de qualqner natureza
Estabalecimectcs diversos
Collegios, lytographia, photographias,
cecheiras, cavallarias o olarias.
Imposto de 30 .\ sobfe o valor locativo
sobre os respectivos predios fra da
cidade
Tavernas, acougues, padarias, pharma-
cias, hoteis, olarias e ranchos
Todos oa estabelecimentos nao compre-
hendidos no 17 do art. 2* da Lei or-
namentara estSo snjeitos ao imposto de
30 V
As assisteates estilo sujeitas ao imposto
do 18 do art. 2- da mesma Lei.
Edita!
Arsenal de Harinha
De ordem do Sr. entra almirante JoSo
ftoncalves Duarte, inspector deste arse-
nal e capitSo do porto deste estado, fajo
constar a qnem interessar poasa que na
secretaria desta inapeccSo contracta-ae li-
madores, torneiroB, caldereiros de cobre,
caidereh-OB de ferro, modeladores, fundi-
dores, ferreiroB, calafates, gravadores,
carpinteiros, carapinas, torneires e opera-
rios de apparelhos e velUs.
Secretaria da inepeccSo do Arsenal de
Marinha em Pernambuco, 24 de Outubro
de 1892.
O secretario.
Antonio da S. Azevedo.
HIPPODROMO
DO
CAMPO GRANDE
DECLARARES
Banco de Pernambuco
Tenc'o se extraviado aa cauteas 08. 34 e 33
'este Baoco referentes a primeira a 25 aeses
perte- eseou-a ao Sr. A J. de So- ;a Diltoo, e a
segoeda a 5 pertenceo'es ao Sr A- I. de Sooes
Dil'.on JuoK'*, ambas coa 20 / realiados, faz-
^e a prseme cecle-asac par?, os cfTeilos legaes,
Indive par SW so?t'uici-.o, e deriOis de 30
J:as a contar desta data aJu, nouver reclamacc
lUotir. dirigida a i'ste Bateo.
Rec- !e, 16 de Outubro de 1.892
T. Couber.Presidente
Santa Casa
Casas para alagar
Na secretaria da Santa Casa alogam se as se
goiote3 casas :
Roa Bario de S. Borja o. 3, casa terrea
dem do Burgos D. 27, dem.
dem do Amorim o. 64, idem.
dem do Vigario n. 22. i- andar.
dem do Burgos o. 2, casa terrea.
dem do Dr. Ivo Meqnelino n. 9, preiio de 1-
andar.
Becco do Abren o. 2, 4 andar.
Com pa (. hia Industrial eCom
mercio de Estiva
ARREMBLEA GERAL
Convido os Sre. accionistas a reun rem se em
sessSo de aasembla geral ordinaria s 11 da
manba do dia 18 do correte na a-1 de da Compa-
nhia a ra do Amorim o. 58 para aasiatirema
leitura do relatorio. parecer fiscal e preatac&o de
contas.
Por easa occasiao se proceder tambem elei
c5j de novo conaelbo fiscal.
Recife 4 de Novembro de 1892.
A. Fernandes,
Director secretarl.
PaOJECTO DE DSOiilPnAO
Para a 28.a corrida a realisar-se no dia 20
de Novembro de 1892
1. PAREO20 DE NOVEMBRO800 metros. Animaos de Pernambuco que
n3o tenham ganho em distancia superior, pkemios : 200#000 ao
prmeiro, 40)5000 ao segundo e 20(5000 ao terceiro.
t. PAREO VELOCIDADE800 metros. Animaes de Pernambuco. pbe
saos : 200^000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 201000 ao tev-
ceiro
8/ PAREOOOMPENSAglO-l.200 metrosrande Premio Ani-
de Pernambnco que nSo tenham ganho em distancia superior a 800
metros em 1892. pbemios : 300)5000 ao primeiro, 6O/50OO ao se
gundo 30)5000 ao terceiro.
PAREO ORDEM800 metros. AnimaeB de Pernambuco que nSo te-
nham ganho do Io de Janeiro a 6 de Agosto de 1892 premios :
200S000 eo primeiro, 40)5000 ao segundo e 20)5COO ao ter-
ceiro .
PAREO -TRILHOS URBANOS-1.5O0 metros. -* Handcap rande
Premio.Animaes de Pernambuco. premios: 400)5000 ao pri-
meiro, 80)5000 ao segundo e 408000 ao terceiro.
PAREOEXPERIENCIA1.150 metros. Animaes de Pernambuco. pre-
mios : 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo o 200000 ao ter-
ceiro.
PAREO -ANIMACAO900 metros. Animaes de Pernambuco. premios :
2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
PAREOCONCLSAO800 metros. Animaes de Pernambuco que nao
tenham ganho primeiros e segundos premios nos prados do Recife.
premios : 2000000 ao primeiro, 400000 ao segundo e 200000 ao
i-
S.
terceiro.
Observacoes
De accordo com o art. 5. do cdigo de corridas, nSo poderSo ser
inscriptos nos pareos: 20 de Novembro o animal Hugnot; V locidade o animal'
Piramon ; CompenaacSo os animaes Maurity Pigmeo,Dublim e C ;loaao ; Ordem os a
nimaes Dublim, Pigmea, Maurity e Saus-Souci ; Trilhos Urbanos os animaes Pura
mon, Pyrilampo, Maurity, Maranguape, Sana Souci, Talispher e PlutSo; Experiencia
o animal Piramon; AoimacSo os meamos animaes do pareo Trilhos Urbano esma s
Taliciere Dublim.
Os pareos Compensado e Trilhos Urbajos nSo contarlo victoria,
Nenhum pareo se rea usar sem que pelo meaos se inscevam e corram 4
animaes*de 3 proprietarios differentes.
As propoatas que nSo vierem accmpanh'adas da importancia das inscriptas
nao serSo idas.
A inscripc.a'o encerrar se-ha terca-feira 15 do crrente as 6 horas da tar-
de na secretaria do Hippodromo a ra 15 de Novembro a. 55, 1 andar.
Secretaria do Hippodromo do Campo Grande, 9 de Nuvembro de 1892.
O SECRETARIO,
Augusto Silva.
Emprestimo emittido pela
Companhia Promotora de Industrias e Heihoramentos
O 4o Sorteo
Ter lugar a 31 de Dezembro de 1892, sendo o maior premio de 25:0000000.
alea dos de reis 2:0000000 1:0000000, 5000000, 2000000,1000000, 5O0COO, 400000,
9 250000.
Pre^o de cada obrigacao 20#000
Roga se aos Sra. poasuidores de obrig-icSes a virem receber os premios do tar-
ceiro sorteio effectuado 30 de Satembro ultimo, bem como os juros dos trimestres
vencidos ao seeriptorio te C Doaalns a re.', do To'-t n 42, '." andar.
Estas chrigi-cSes ach&owe a vanda nos segaintes estabelecimentos : Banco
Popu'ar a roa do Imperador n. 22, em casa dos Sra. Martina Finia & C, a ra do
Crespo n. 23
BANGO POPULAR
Assembli geral extraor-
dir ari
Saj coavidados os accio-
nistas deste banco a se re-
u ai rem em assembla geral
extraordinaria quarta-feira
16 do correle a o meio dia
no palacio da Associacao
Commercial Beceficente
para onisrem conhecimen-
to de um requerment dos
diversos Sr. accionistas
pedindo a convoca^ao de
urna assembla geral ex-
traordinaria afim de tratar-
se da altera^ao do artigo
1.* dos Estatutos, mudando
a sede do Banco para o bair-
ro de S. Fre Pedro Gon-
^alves.
Recife, 9 de Novembro
de 1892.
Albino Narciso Maia
Director-secretario
Companhia de Tecidos de
Malha
De ordem da directora, convido os seobores
accionistas desta companbia i reaiisarem a 3a
entrada d 10 O/o do capital subscripto ou 204
por accao, at o dia 10 de Detembro prximo
vindonro, no escriptorio do tbesoureiro da mes-
ma, ra 1- de Margo (antTga Crespo) o. 7.
Recife, 10 de Novembro de 1892
Alfredo A. P. Fragoso,
Director secretarle.
Companhia Exploradora de Pro-
doctos calcreos
Os Srs accionistas sao convidados a reaiisarem
i quinta entrraa do capital social na razio de
10 O/o cu 20^ por accao, no escriptorio da Com-
panbia, sito ao caes do Apello n. 73, dentro do
praso de 30 dias, coatados deata data.
Recife, 20 de Outubro de 1892.
J. Cardozo Ayres,
servindo de secretario.
Companhia Refinadora Mer
cantil Assucareira
Quinta chamada
De accordo com o qae disp; o art. S do9 es-
it' : desta compaobia, sao convidados os ac-
ibere? accionistas a reaiisarem a sexta entrada
jobre o capital, razio de 10 O/o, oo 104 por
icgi), ble o dia 15 do prximo Novembro, das
10 boras da manhi s 3 a tarde, no caes ie Ca
olbarioe, casas os. >i e 56.
Recife, 11 de OoiUbro de 1892.
Francisco Faustino de Brito,
__________________Presidente.__________
Companhia Fabrica de fs-
tp
a
Os accionistas s convidados a fazerem at o
ia 15 de Novembro a 6' ntrala na razo de 10
)0 sobro o capital ou 204U'O por a'cgo do Btn
i de Perni~,;j-;o.
Recife, lo de Outubro de 1892.
ThomazC. Grifli'b
_________Director secretario.______
Companhia
Senaria Pernambocanj
S5o convidados os nbores accionitas a rc3-
lltarem a qoarta entrada, a rezao de 10 0,0 ou
203000 por cada aegao, at o dia lo de Nt>v-m-
bro. rea do Vicario n 7.
Recife. 29 de Outubro de 1892.
Alvaro l':nuj Alves.
Director aecretario.
Pernambuco Powdre
Factorv
V
Cbamada de capital
De ordem dad rectora, convicio o?senhores
aecionistas desta companbia a fazercm at o dia
lo de Novembro prximo, roa do cmmercio
n. 4, a qoarta entrada de capital, na razilj de 20
0/0 ou 404 por aegao, fleando aaslm completos
os 75 0/0 a qoe se referem oa noaaos e-.'..Tutes.
Recife, WdeOatubro de 1892.
A. J. Barbosa Vianna,
Secretarle.
THE Al RO
Santa Isabel
Companhia lynca italana
Empresa Sansone & C.
HOJE
Terfa-feira 15
Espectculo em solemnisacSo & procla-
ma qo da Repblica Braiileira.
Beneficio do tenor VILALTA.
Dedicado a Imprensa Pernambucr-na
Baile de Mascaras
No intervallo do 2- para o 3- acto o
beneficiado cantar a romanea de AR
MENGOL a si dedicada.
Em outro intervallo ir aos camarote;
cemprimentar aoa seus convidados.
Os Srs assignantes terSo preferencia
aos seus lugares para esse esoectaculo at
boje as 11 horas.
Trena e bonds para todas as lioh .--.
A's 8 Ij2 horas,
Sociedale Carnavalesca Os
Philomomos, em 14 de
Novembro de 1892
Chegande ao meu conhecimento queetids
volta da Capital Federal o nosso prestimosd so-
cio e chariaBmo presUente eff-:ctivo Actonio
Sette Jnior, devendo aqui chegar palas 7 horas
da manb do domingo prximo vindour3. s or-
do do vapor MaranhSo, convido aos socios
fundadores eeffectivo a compare erao aeu des
embarque; a encarego muito esnecilmen';- a
todos oj menobro3 da directora, que encorjora-
d03, se achem no lugar, hora o dia indicados,
aflm de comprimental o em nome da sociFdade.
e spreseniar-lbe 03 seus p.-otestos de esfma e
conJiderago a que tem elle direito pelos seus
ment03 pe?soaes e posiglo social.
O vico1 presidente em exercicio.
M. J. dos Santos.
Estrada de Ferro de
Pernambuco do Re-
cife ao S. Francisco
Aviso
Pelo preaente s2o convidados ca Sis.
ac::on:efas desta companhia a vir rece-
ber na estaco de Cinco Pcntas o 58 di-
videndo, conoernente ao semestre findo
em 30 de Junho do corrente anno.
Escriptorio da Superintendencia, 14 de
Novembro do 1892.
Wells Ilood.
Saperntendente.
-'

___
V- < '.-..."i


Diario de Perns^bco Terga-feira 15 de Novembro de 1898
<*
THEATRO
SA^TA ISABEL
Festa artstica em beneficio do baryto-
oo ALBINO VERDDI.
Dedicado briosa mosid&de pernam-
nambucana.
O beneficiado cantar a cavatina do
Fgaro do Barbeiro de Sevilha.
Do mingo 21
Os Sra. asignantes terSo proferencia
at quinta feira (18)
Trena para Olinda e Apipucos, e bonds
para tolas as lichas.
Obras publicas, trras e col'
nlzaco do Estado
Em conformidade da deliberagSo do Sr.
Dr. Governadr do Es.ado e de ordem o
Sr. Dr. director, fago publ;co que se acha
em concurre. .;c 3 por espado de 60 das,
contados desta data, urna estrada de fer-
ro que ligue esta capital com a povoacSo
do Pinheiro, o a Covegagao fluvial em va-
pores entre esta povoacSo e a de Mos-
queiro, conforma autorisa a lei n. 69 de
5 de Setembro do corrente anco, debaizo
das obrigagSes adianto declaradas.
Repartigao das obras pubiicas, trras e
colonisacSo do Para, 13 de Outubro de
1892.O secretario, Olympio O Rocha.
Obrigagoes
O propsnente obrigado a depositar no
Thesouro do Estado 5:OOC0, para a con-
currencia, e em sua proposta dever :
1. Declarar o praso em que deve cpre-
sentar oa estndos definitivos.
2. O oraao em que deve comegar a
obra, depois de approvados os eatudos re-
feridos.
3. O prazo em que a roesma obra ser
concluida, estabelecendo o trafego e o
aervico da navegado.
4. Qual o espsgode tempo porque pede
e garanta de juros a] que tem direito so
bre o capital maximj at 1,200 contos..
5." Qaal o prego das passagens de ida
e de volta entre a capital e o Piuheiro e
entre o Pinheiro e Mosqueiro.
6." Qaal o numero de viagens dierin
entre a capital e o Pinheiro e entre o Pi-
nheiro e o Mosqueiro.
7.a Qual o iypo dos vapores que poe-
tando empregar em a navegagSo entre Pi-
nheiro e Mosqueiro; sua capscidaio e ve-
locidsde.
Obeei vagoes
Os estudos defioitivoB ccnsistirSo em :
Planta geral do linh& concedida e o perfil
longitudinal com indicacSo dos pontos
obrigados e de paesgsro, fb distancias
kilomtricas contadas a partir da origem
da estrada, a estecBao e indicagSo das
rampas, contre-rr-mpas e patamarefr, a
extanso d is alinbamentos lectos a o des-
envolvinento c r? ob das corvas.
O perfil longitudinal t-'er acompanhado
por um certo nanrero de perfil transver-
saea ra eBo:ila de 1 por 10C.
Oa p-oj?ctos d.'.s obras d'arte compor-
se-Lao ae projid.oes fconsonfaes o ver-
tieses e de certes tran^ver^aes e longitu-
dinales cas eslas de 1 por 100 oa 1
por 50.
RelagSo das pontea, pontilhSes e boei-
ros, com as principaes dimeBSoeB, posigSo
na linha, eystema de construcgo e qnan-
tidade de obras.
Tabella da quantidade de escavagdes
necessarias para executar-se o projecto
com indicagSo da classificagao approxima-
da das materias e das distancias medias
de transporte.
Tabella dos alinhamentos, rajos de cor
vas, rolas de declividades e sua exteusao,
as caderaetf-s atbentioadas das notas das
opera,oes topographicas. geodsicas e as-
tronmicas feit*s qo terreno.
Dezenhoa doa trilhos e accessorios em
grandeza de execugSo.
Condigoes technicas
As obres devem sujeitar-ae as coodigBes
technicas exigidas no decreto n. 6995, de
10 de Agosto de 1878, do ministrla
agricultura, nSo podendo, entretanto, o
raio minimo das corvas ir abaixo do com-
pativel com g bitola, nem a rampa mxi-
ma ser superior a 2 Ij2 por |,.
As prepostas serao apresentadas em
cartas fechadas e reconhecicas as fir-
mas dos proponentes, acompanhando o
talSo do deposito feito ; nSo sendo accei-
tas as propostaa que forem de encontr
as obrigagoes marcaaas no art. 2- da lei
n. 69, de 5 de Setembro do corrente
anno.
A' 12 horas do dia 13 de Dezembro
vindouro, ter logar a arrematado na
Bala das sesaSes do conseibo de obras pu-
blicas.
Thesouro do Estado
Pernambuco
De ordem do Iln. Sr. Dr. inspector desta
eparicSo, fago publico que quarta feira 16 do
correte, serSo pagos os veocimentos dos profes
sores de l' entrais, relativos ao mez de Onto
bro Droximo indo.
Ontrosim, declaro, que os referidos pagameu
tos couccarao as 10 boras da manba e termina-
ran impreterivelmeote as 2 da tarde
Pagadoria o Thesouro do Estado de Pernam-
bnco, l do Novembro de 1892.
Servindo de escrivo,
Eoamiocndas do VasccnceMos.
Atso
SSo convidados os Srs. possuidores de
cauces que por mea intermedio recolhe
rem joias no Banco Popular a virem pro
roger ou reBgatar as caug5ea vencidas
at o dia 5 de Dezembro do corrente
annv sob pena de seren vendidas confor-
me determina o artigo 2- das cor.di.o'cs
do dito Banco.
Rucife, 2 de Novembro de 1892,
Lu Vernet.
mitlvos recibos para serem substituidos pelas
devidas cntelas.
Recite, 1 de Novembro de 1892.
Jos Joaquim da Cosa Maia,
; _______ Presiden'*._________
Bishop Stirling
Ad Home
WEDNESDAY EVFNINQ sEXT AT 8. 30 P.M.
Conpanhi? Exportadora de
Alcoo e Agurdente
S'cund" ett nada
Por ielifei s a desta compannia
sao convidados o Kth rot :'' oaistas a rea-
sarem a seg: da entra la i .rttal a razao de
8 0/q oo 5*000 por | gao. at o Lia 30 de Nofc
venh.-o ccrnnip, das 10 >oraa da manhS s 3
da tarde, na roa nova de Santa Rita n. 97, de-
vendo os mesmos senbores apresentarem os pr-
MARTIMOS
Linha Benchiool & Sobrioho
O VAPOR POBTUGUEZ
Elisa
E' eeperado di
rectamente, do
Porto n: o dia
SI do corrente,
segnindo depois
da necessaria de-
mora para
Baha. Ro de Janeiro e Santo
ESTE VAPOR ENTRARA' NO PORTO
Par carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete trata-pe cem a
CONSIGNATARIA
Conpaihla Indostr!al c Com
merclo da Ks;Iva
58Ra do Amorim 58
Llojd Sraseiro
Sece&o n oavegaeo
DA
t;MPREZA DE OBRAS PUBLICAS NO
BRAZIL
PORTOS DO SUL
O paquete Maranho
Commacdrnte Guilherme de Castro
E' esperado dos
portos do suat
dia 19 de No-
vembro eguindo
depcis ds demo
ra necessrria para
Parahyba, Natal, Cear, AmarrajSo, Ma
ranhao, Para, Obidos, Santr.rm e Ma-
naos.
As encommendas serao rcebldas at 1 non
ri tarde do dia da sabida, no trapicne Barbos
10 Sarj' do Corpo Saato u. l.
Para passagens, carga, encommendas e va-
lores trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O paquete Brazil,
'omdandante o capitSo de fragata Pedn
Hyppolyto Duarte
E' esperado dos pertos do
Dorteat o dia 1 de No-
vembro seguindo depois da
liDdispecsavel demora para
Hacei, Babia, Espiri'o-Sp.nto e Rio de Ja-
neiro
Recebe carga a baldear no Rio de Janeiro
para Santos, CaDana, Igu. pe-, Paranagu, Anto
Bina, S. Francia, Itajaby. Santa Catbarina, Rio
Grande io Sol, .-iotas e Porto Alegre.
As enccinmendas serio rebebidas at 1 hora
la 'arde do dia* ta sahida, no trapiche Barbosa
ao largo do Corpo Santo r. II.
cojipaniia. par arara ou perda, (Um c- *3A
poreacrtpto ao ag?i i do j arto oa
de- carga A entro de pslso Ssalt-
sat.
Nao procedendo es-a formalidade a conpanlft
ti- snta de toda a responsabilidade.
?*ra paagagtins, batea e encooimenJas 11 -
ta ? coji oa
AGENTES
Fereira Garneiro& C.
Companhia de Paquetes
Brazil Orenal e Diques
Fluctu antes.
O paquete Athayd
E' esperado dos portes do
sollate o dia SO de Novem-
bro seguindo depois da de-
mora indispensavel directa-
mente
Para o Rio de Janeiro
para onde recebe carga.
Este paquete illuminado luz elc-
trica e tem ptimas accommodacSes para
passageiros de primeira de classe e ex-
cellente passadio.
;?Para passageiros, carga, encommecc'as va
lores trata-se com os
AGE1TES
Amorim Irmaos $f C.
Ra do Bom Jess n, 3
i; ata Real Portogseza
O paquete Malange
E' esperado de
Lisboa at odia
i do corrente,
este bem coi he-
rido paquete que seguir depois da indispensa-
vel demora para
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passsgens encommendas e valo-
res trata se com os
AGENTES
Pereira Caneiro & G.
6RA DO COMMERCIO6
Io andar
oral ibi stm Mel
O vapor Tagus
E' esperado da Europa no da
19 de Novembro seguindo de-
pois da indispensavel demora
par
Bihia, Rio de Janeiro e Santos
O vapor Trent
E' esperado dos portos do sul
at o dia da 91 Novembro se*
guindo depois da necessaria
demora para
La Palmas, Lisboa, Vigo e Southampton
Reduelo d$ pauagmt
Ida Idas o!.',
1'J.istoa 1* classe 4 V) t SO
k' Sos hampton lase 18 iS
Camarotes reservados para es passageiros a
?*rnamcuco.
Para passagens, retes. epcommendas, trata-p
.osa os
AGENTES
\mrim Irma*
.3Ra do IJcii Jesaail. 3
Fernando de Nthonha
O paquete
S. Francisco
Ccmmandante Estoves
Segne no da 1 de No-
vembro as 4 boras da tar-
de para o porto cima
___ iadicado.
Recebe carga, encommendas, passagense di-
nheiro a frete .t 1 hora da tarde do dia da
partida. _______
ESCMPTORIO
Ao Caes da Comvanhia Perwab: ueann
n. tt____________
The United States and Bni-
zilM. S. S, G.
O vapor Seguran ca
E' esperado dos
portos do norte
no dia IS do No
vembro.segoindo
depois da demo-
ra necessaria para
Baha, Rio de Janeiro e nf os
Pira carga, passagens, eneasamendas e di
nheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Heory Forster h C.
fi'Rua do C.'Kwro8
Io and.r
Piecisa se de orna engommadeira para
roupa de senbora ; a tratar na ma da Cadeia
r umero 3S.
Pereira Paria C. fatem retente que nesta
data deixon de sor sed empregado o Sr. Loiz
dos Santos Agoiar.
Precisa se de om etixrlro com pratica.da
padaria que d tiaoc de sua coadnuta : na ra
imperial, padaria Victoria.
Aviso
Antonio Helio & C. participam a sene amipjt
e fregoeies que mudaram o sen estabelecimeato
da molhadoB denominado Torre Eiffellda rna
Mrquez de Olinda n. 27, para a mesma raa n.
30, onde esperam continoar a merecer eeea
respeitaveis ordens, as quaea sero flelmtan ,
execntadas.
Olind
a
Aluga-se nos Milagres orna opma casa para
quem precisa de bannos salgados por terminar
o qnintal para o mar a tratar na ladelra do
Varadouro n. 8.
Flora Vm jobucana
Ageste Oliveira
Lello
Terca
De diversas roiudesas, gaiollas, etj, etc.
feira, 19 do corrente
A's 11. horas
Ra d>s Pires, (lugar GKriquit)
O agente cima, por mandado do Exm.Sr.
Dr. ioiz de direito e auzente3 e a requerimento
do Sr.D-. curador fijeMl do snzentes, vender
em itilo as mindezas e maij i bjeetos pe-tencen-
tes ao espolio 2 tinaco Loiz Ferreira Fialba.
Leilo
DE
FABRICA
DE
Vinbos de mesa e medicinaes,
Beb'das ebpumosas,
Licores, cognacs e agnardentts
De fructas, doces, conservas,
Fariohas, etc. etc.
Formulas approvadas pela Junta de
Hyeieae
Sabino, Moora & C.
LIUIEIRO
28-RUA DO "bEMFIOA28
Passagem da Magd?!ena
DEPOSITO PROVISORIO
2 Ana da Imperatr i
i. andar
Dercon'o van'ajoao
fERNAMBUCO
i
Gosinheira
Precisase de orna cosintira ; co 2-adar
o. 17, ra do Imcerador.
Tanoeiros
Precisa se de taaoeiro : na ruada iurcra n.
111 ou Madre de Deas n. 5. Pagase d-j 60*000
120*000 mensal:
Ssadu : 1 parte do '.u..-ra-u de 2 aodnrcs e so
tao da ra Direita n. 127, correspondente -
2:897*932.
1 sitio em Bebetice, no lugar Porto da Madei
ra. estrads de Fcrnr da Gal, com 330 palmos de
frente 650 ce funao, bairx e capim e 30 ps
de coqueiros ; no qual existe cma casa ter-
rea cota 4 jam-llas de frente.
Qnara-fi ira, i do corrente
A's 11 horas
No armszem da ra do Imperador n. 39
O ajenie artins, couipet'i.temente autorisa-
do pelos propritturics, far leiiSo dos precios
cima, podendo o pet--n!ent.s desde j ex&mi
nal oj, pois ^end'-se vre? e d"sembaragados
d qualqutr onus.
Leilo
Da capotas e ch; '? para seuheras, esparti-
Ibos, arm^Oes finas para chapeos de sel. eslei-
rs para forro, papel para embrulno, massas
brancas e amarellas para sopa, manteiga em la-
tas, caixas com cb, ditas com batatas, botoes
de madreperola e ouras mercadori>s qne serio
vendidas para feicbamento de coata.
Quarta-feira, 16 do corrente, s 11 horas
No armazem da ra Marques d Olinda n. 48
Por intervenan do agente Gusmao.
Agente Oliveira
Leilo
, Da diversos ebjecos propriosparaescriptorto,
sendo 3 cofres de Milners, prenfia, carteira, es-
pelhos, relogio e outros objeetos.
Quima feira, 17 do corrente
A's 11 horas
No escriptorio a roa do Be ni Josus n. 17, oul'ro
ra Oroz do Recife
O agente Silveira, por mandado do Exm. Sr.
Dr. ju'i substituto da provedoria, e a requeri-
mento da inventariante do finado commerciaute
desta praca Tneod. Christisnsen, levar a leilo
urna armado gradeada e eavernisada com bal-
co, 2 imporiantes cofres ioglezes do fabricante
Uilaers, 1 dito, 5 carteiras de amarello sendo 1
para 4 pessoas, 6 tamboretes pan as rnesmas,
bancos, radeiras de bracos, < stanles. jardineira
de ferro, dita de madeira, 1 prenga com mesa, 1
espelho, 1 lote te diversos livros de escriptura
cao mercantil, quartinhas, ferramentas, etc.
Agente Pestaa
Leilo definitivo
Dograrde eimportante 8'tio com cercado
450 palmos de frente e 800 de fundos, com urna
excellenle casa de pedra e cal para numerosa fa-
milia, 1 de taipa para Criados, caiad e pintada
de novo em bom estado de conservado bem ar-
bolada com mullos cafreiros, jaqueiras, laran-
geiras e muitas outras arvores froctiferes, ja
dando fructos, baixa para capim per onde passa
o rio Capibaribe, offerecendo excellente banbo,
si i Jo o seu clima o mais bygieoicos dos arre-
baldes, sitas ao corredor ae S. Joo da Varzea
sob n. 18, bavendo diversos pretenderes para
alugtr, o que nSo se tem feito por ter de ser
vendido, acbando-se no mesmo urna pessoa com-
petente para mostrar a .ualquer comprador que
qceira examinar o qne pode fazer desde ji.
Qainiafeira 17do corrente
Ao meio dia em ponto
No armazem a travesa do Corpa Santo
n. 27
O agente Pestaa vtnder por corita e risco de
quem pertencer o sitie e casas cima mancio: a
das, tendo o mesmo proporcOes para ter diver-
sas vaccas de leite.
mi
Odorico da O ma: i & C, avissm ao
commerci i que tem a venda em sen ar-
mazem a ra do Bom Jesas n. 61 ss se
guintes mercadorias, que vendem por prc-
V* s muito reducidos, a saber :
Cb verde o preto, o que ha de melunr
no mercado, vinho do Porto Adriano
(qnalidade especial), cervejas Nctar,
Lefio do Norte o Fe.dsehloas de excel-
entes qualidade|, j ierr conhecidaa no
mercado, co,servas aliemos e frarceaas
dos meibore labrieantM eur.peus, e o que
ha de mais fino m mercado; oopos de
vidro e outroa objeetos do fabricayao ame-
licana para uso domestico, caadieiros ni-
ckeladoB Je eyttema magnico e muito
olegautes,penduias ameiicaaas con o Bem
despertador, rolhus pa^a >; rafas e mei*\8
girrafa-, baldes pnra agua, ps de ferro
para tracgfio, c ment allemSo de qualida
de superior, igual ao de Portland, phospho
roB da Suecia iguaes na qualidaae.aos de
Jonkopings fabricados ezpressamente p; ra
seu estabelecimento, sendo exclusivos im-
portadores da marca **, e que vendem
por prego mdico, cieos para lubrificado
de machinismos por prego sem competen-
cia, estopa de boa quadade por prego
commodo, e mais outres artjgos proprios
deste mercado.
Tambem tocara encommendas sobre as
prayaa de Inglaterra, Fraoga, Allemanha,
Suecia e Estados Un dos da America.
Gosinheira
Precisa se de ama cos'nbeira ; na -asa n. 17
da ra 27 de Janeiro, em Olinda. ________
AIu
ga-se
Urna casa a alguma pessoa que for do matto e
qneira passar dous ou seis mezes, com mobilia
ou sem ell- ; a tratar na ra Imperial n. 267.
AVISOS DIVERSOS
Precisa se de ama ama para cosinhar.bue-
rendo ir para Olinda ; a tratar na loja das Es-
trellas, ra Duque ceCaxUs n. 6..
Na roa de Santa Isabel n. 13 lava-se e en-
gomma-se com perfeigo roupa de scchora e de
bomem._______________________________
Vende ee doaa prensas proprias de infar-
dar algodSo : a trata1- na praca do Tira Denles
numero 2._________ _____^^^^^^^^
Alaga se urna boa casa, caiada e pintada
novo, moi'o fresca, com agua, gaz e moi'os
mmodoB. dos Coelbos: a tratar all com J. M.
i, das 8 s 12 da manba.
Precisa-se t om criado que emenda de
copeiro ; a tratar na roa da Cadeia c. 35.
C avallo furtado
Da estribara do e.i um cavallo rodado, novo, castrado, crinas p*etas,
um ponco pequeo, tendo um T no queixo es
qnerdo, anda baixo e m"io com facilidade ; re
commenda se s aotoridades paga se bem no
mesmo engenho ou na estac&o de lioda.
Taverna
Vende se a taverna da Praga Maciel Pinheiro
n. 6 ; a tratar na rresma,
200 rs.!
XoTldadc
Recebemos grande poro de tijolos de doce
ie goiaba, que vendemos om por 200 rs. ; ra
,-ua estreila do Rosario n. 9,
_________Pocas Meades 4 C.
Sitio em Olinda
Vende se um pequeo sitio de cosneires na
ra dos Milagres n. 22, frenteiro ars banbos de
mar, com casa e cacimba, e junto ao ponto de
parada dos trens ; a tratar na mesma ra nu
mero 20.
Mercearia
Vende se a bem locaiisada mercearia da roa
do Rlacbuello, esqcina do Socego n. 70, terx
agua e grandes commodos pa-a familia ; a t:a-
lar na mesma.
FabricaTCa-
xias
Precisa de igarreiros.
'Cozinheiro e criado
Precisa-se de om criado para tratar de um si
tio, e de orna ama para cozlnhar e mais srveos
internos, para casa de doas peaecas em Bebertbe
tratar na roa Mrquez de Olinda n. 51, 1 an-
dar.
^e^*^
Tenente Joto toare da Boelta
t Antonio Sc-ares da Rocha e Silva,
Benedicta Mari* da Assampco da Ro
cha e Silva, Joo da Rocha Carvalbo,
Maria Joaquina de Freitas Carvalbo, Ma-
noel Hygino Carvalbo Couto, Francisca
Eugenia Soares da Rocha, Anoa Candida 6. da
Rocha, Jos Augusto Sores da Rocha, Laura
Soares da Rocha, Joanna Emiliana Soares da
Rocha, Aona Franquilina Soares da Rocha, Se
ver ana Marlyr da Ho::iu Carvalbo, Jojqoim Aa
tomo (*a Rocna Carvalbo, Mara Regina da Rocha
Carvalho, Antonio Torquato da Assnmpgao, ir
mao, irms, cunbado, mulber, Giba, sooriobo,
8obrinbas do lente Joo Soares da Rocha,
agradecem do intimo d'alma a todas as pessoas
qne acompanbaram at sua ultima morada os
restos moraos do mesmo teneote, bem assim
a torca do 2- batalbo de iofantaria commanda
da pelo Sr. tenente Soares de Mello, e de novo
osconfidam para assietirem as missas que por
sua alma sero celebradas na matriz da Boa Vis-
la, na terga feira i 5 do correnle, 7- dia do seu
passamento, s 8 horas, pelo que desde jase
confessam eternamente agradecidos.
Anaeii ^Octavia de fciou > elm-
eoneelloa
Primeiro anoiversario
Jos de Godoy e Vascoocellos. D. Maria Carlo-
ta de Pinho Borgea e Jos de Pinbo Borges man
dam celebrar missas aa matriz da Boa-Vista, na
capella do cemilerlo publico e na matriz da ci
dade do CaDO, s 8 boras do dia 15 do correte,
por alma de sua sempre pranteada esposa, filh
e irm, a inditosa Amelia Octavia de Godoy e
Vasconcelos. Para esse acto de r- ligio e cari-
dade convidam seus prenles e aongos, a quem
se ron fe s.vi aerad3idos.
JUAU-lM rLUKU Da l^VA
tObacbarel An onio Aunes Jacome Pires
agradece co-dialmenle a todas ss pessoas
que se dignaram acompanhar so cemile
rio o cadavor de seu prezado sobrinho,
Joaquim Fiero da Silva, e as convida, assim co-
mo aos irmos e mais pareute e amigos do
morto, a fazerem a caridade de asaistir a miss^
que pela alma do mesmo ser rezada s 8 boras
da manhS de quinta feira 17 do correota. stimo
dia do feo passamento, na igr-ja do Carmo.
Atten^o
Quem for dono de duas vaccas, sendo urna
tourina e outra da trra, dirija-se aos Jlmdos,
taverna de Augusto Leal & C., que Ibes sero
entregues, pagando as desposas
Taverna
Vende-se a (averna Praga de Maciel Pinheiro
n. 6 ; a tratar na tnema.
Criado
Precisa-se de um criado para compar e para
outros servigos domsticos, e que durma em
casa de eeu patro. e que d Hang .^e sua con-
ducta ; a tratar na Fortaleza do Buraco, na resi-
dencia do capitao com mandan te Cardim. '
Caixero
Precisase de um caixeiro com pra;ica ds ta-
yerna ; na roa do R-um n. 35.
Patacoes
Compra-se de todas as nages ; na rus do Ca-
bng n. 9. loja de Augusto do Reg._________
Criado
Precisa se de um criado ; no largo da Penha
n. 33, betel. ________ _____________
Jompram
Guimares 4 Valenle compram os segointes
gneros :
Milbo. *
Farioba de avndioca.
Feijo mulatiffho.
Dito preto.
Carogo de algodo.
Sement de mamona.
4 e 6Largo do Corpo Santo- 4 e 6.
Oixeiros
!f
. Jomo flimino torrelK ae 4rn Jo
1. aoniversariD
tOs Hlhos de Joo Firmico Ccrreia de
Araujo, fallecido a i6 de Novembro do
anno passado, convijfm seus prenles e
amigos assi8tireia aa missas que pela
alma d; seu sempre lembrado pai, mandam ce
lebrar &o dia 16 do corrente, s 8 boras da ma-
nba, n 1 igreja de S. Francisca de Paula, em Ca
x'iGg, e na matriz da Soa-Visti desta cidade,
b'>m como na de Gamelieira.
>. Camarina ttecci de niranda
Curio
tAlguns amigos do major Dr Jos5de
Miranda Curio o do padre Dr Francisco
de Miranda Curio, mandrm rezar urna
missa na matriz de S. Lourengo da Malla, por
alma da Gaida D. Catbarina e Recci Miranda
Curio, s 8 horas da manba do d;a 17 do corren
t?, eumo do seu fallecimaoto, e para arsistir a
.-se acto de religio, convidam aos amigos e
parentfB o'sqaplles doutores.
e Mara quina da Mocha
Cavalcante
AdolphJ Csar da Silva e sua mulher, tendo
recebado a triste noticia do fa!lecimnrj!o de sua
prezada lia, D. Maria Joaquina da Rocha Caval-
cante, convidam aos seus prenles e amigos
para assistirem as missas que por sua alma
maudam rezar na matriz d3 Saoto ntcnio.
quarta-fera iS do corrente, s 8 boras, stimo
diu do seu passetmeato, pelo qus te confes3im
gratos. ___________________
Kaan>nMHnBHsanHSmv
AOlrl'B candida t'*Mo
+ M-jt!0ii! Joaqo.tn Pessoa e nu lhas
Elvira, Elfia e Julieta agradecem as res
3 bi que acompaoharam os restos mo?;
taes ce -ua esposa e mai, Amel da pessoa, e pirtiripam que a mi3sa de 7- dia
teri lugar qoa>ta-feira 16 do crreme, pela3 8
horss da mantiS, na matriz da Boa-Vifta!_____
BBHfe
Prejlsa se de om u'uma ca*a commercial es-
traegeira de exportago, para fazer a cor.espon-
dcncii portueueza e que f lie urna das linguas
seguintes : inglez, francez ou allemo, um que
tenha alguma pratira no commercio e tome n-
teresse em fazer o cecessario para promover os
negocios da dita casa dndose bom orrieaado.
Precisa s,? taabemte um mogo de 15 .naos pa-
re o escriptorto ; a tratar na ra do Torres n.
34; 1- andar, dat 11 oras l da tarde.______
Precisa-se
De cm caixeiro que tenba pratica uc taverna,
de 14 i 16 annos ; no pa'.er> do Paraho o. 18.
Caixeiro
Precisa-se de om caixeiro que tenba pratica de
mo Ibados ; na ma de Pedro Affonso n. 2.
C aixeiro
Precisa se de um caixeiro com bastante pra-
tica de moibados ; na ra de S. Francisco nu-
mero 72.
Vaccas tourinas
Qualidade superior
Vetfdem se tres vaccas i-unna3 con crias,
otea da trra e garrotea, el.;., etc.; para ver
tratar 02 ra Feraaades Vieira n. 7.
Cosinheira
Precisa-se ce urna qoe ?aiba cosinhar com
perfeigao ; na ra Velba n. ii, 1- andar.
Criados
jr-A'J CABfiSIRJ DA SILVA BEGJ,
tAugU3ta CarEeiro convida a? pe?ons de
ua aiiizsde para assisiirea a una missa
oue manda dize- satbydo 19 dj corrente
s 8 boras, a0 lia do fallc-cimento do seu
idolatrado esposo, J0S0 C.arneiro s Silva Reg,
e desde j se confess > agradec a a todos que
as3itlrem a =sse acto de relleiAo e caridade.
t.-UtOritO U..l'.n .a Sl.'.-i, J^:!' Lll !
Veiga e Silva e Joel Annes da S.Iva con
vidam aos parentes e amigos de seu ir
mo. Joaqoim Floro da Silva, para assts-
tirem a missa de 7- dia de seu passamento que
mandam rezar na igreja do Carmo, pelas 8 no
ras da manb do oa 17 do corrente, e detde j
se confe-pum acrader-idrs.
Ama
Precisa-se de urna ama
para cosihar e engomar
pa ra casa de famil a quem
quizer dirija-se a ra da
Imperatfiz n. 24, Io andar.
Ama
Precisa-se Ce urna ama que saiba cosiBOar e
que durma em casa doa patroes ; a tratar na
roa da la peralriz v.5.___________________
Ama
Precisa se de urna ama para cosinbar; na ra
Mrquez de Onda n. 66, loja de ferragens.
Ama
Prcisa fe de urna ama p?ra lavar e engom-
mar ; na roa de Pedro Affonso n. 53, segando
andar.
A
Precisa se de urna ama que paiba bem cosi-
nbar ; na roa da intendencia n. 19 (antiga ra
do Atalbo).
.....___i________ '
Amas
Precisa se de duas amas, cma para engom
m&r t outra para cosinbar ; na ra Nova n. 7,
segundo andar.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar; na ra
larga do Rosario n. 21, 2- andar._________
Ama
Precisa-fe de urna ama para comprar e cosi-
nbar ; na ra da Imperatriz n. 44, 2- ndar.
Ama de leite
Preciea-se de urna ama da leite para ir psra
Limoeiro ; na ra do ll:;p co n. 20
Ama
Precisa se de orna ama para casa de pones
; a tratar aa ra Duque di Caxtas na
ce.o 63.
Gosinheiro
Precia i-se de um cosioheiro,; a tratar na :ua
do Cabng n. 14, de meio dia at 2 bcras.
Muita attencao
No becco dos Ferreirs a. 6, recorta-se baba
dos de (odas as qualidades e dos mais lindo;
raodellos, por pregos mdicos.
Arma$o
Vende se urna armaco envidragads, propria
para miudezas ou fabrica de cigarros : na ra
da Imperatriz d. 78, loja.
Precisa se d? doas ertaJos ; a tntar na praca
da laiependeu ia n. 2!.
Joia de valor
Na roa do Rosario Larga n. 42 d.i muito acre-
ditada relojoaria do Sr. RodolpTio Dotoy acha-
sc exposta orna riqaissima jo a cravada com 11
y timba de brilbaiites fabrica ia na acreditada
i Ojetea Co Sr. Antonio da Cooeeiffio e oiiza,
roa jbtreila do Rosario n. 23. a;,dar.
"ede-se as pessoai ce boto gos^i para visitar
este estabelecimento par-i apreciar este bonito
trabalho arsuco quo ee venda por prego bara-
issimo.______^^^
Ao commercio
Osfabaixo assignados representantes nicos
da fl-ma commercial do. Mello 4 Bizet, declaram
ao respeitavel corpo do commercio desta praga
que desde 31 de Outubro prximo passado dis-
solveram a sociedade que tinbam ecb aquella
firma; retirando se o aoaixo ass gnado Manoel
Bizet Pereira dos Rei3 pago e sati'eito do que*
na mesma Ibe tocara em partilba, e desobrigado
do psssivo, bem como de 3'Udo qoanto se re-
fira'aqoella sociedade.
Recife, 14 de Novembro de 1892.
Manoel vBizel Perttr dos Reis.
Loiz da Gama B. de Mello.
CHEGO!!!
Est na ponta
O Torrador, faz publico, r.s Ernas, fa-
milias e a todos os seus fregueses que re-
ceban um completo sortimento de fazen-
dai finas o que ha de mais chic e moder-
no e vende por menos 50 [0 do que
outra qualquer casa
A SABFR
Sedas de todas as cores a 1)9800, 2000
e 20200, covado.
Lindos cortes de cachemira reamente
bordados a eda.
Cachemiras com bollas e todas as cores
e qualidades padiSeB lindos.
Etamices diversos padrSes.
MeriDs de cores muito baratos.
Voiles de IS de todas as cores.
Lisos e avrados Damaca.
Ffaserdas de phantasia d- 240 a 800
reiB o covado.
Chitas escuras a 320 e 400 reis o co-
vado.
Zefiroa de quadres a 5CO reis o cc-
vado.
Vestuarios para meninos de todos o
tamaohoB.
Mantilhas pretaB a de cores.
NOVIDADE SEM COMPETENCIA
Madapol2o lavado de 15^000 a 100.
Dito a 81000.
Dito de 180000 a 120000 e 140000 a
pega com 20 varos.
AlgodiosinhoB muito largos a 80000 e
100000 a pega.
Bramaqte de linho com 2 metros de
largo a 20800.
Dito de algodSo a 105CO e 20OCO o
metro e muitas outras fa.-endas que
impossivel pronunciar-Be.
S ao Torrador
43-RA DUQUE DE CAXIAS-4S
Lima Coutinho & C.
Royai
fKHI
Blend marca VIAX)
Este excellente Whisky Escoce pre-
erivei ao cognac ou agurdente oann*
para ortificar o corpo.
Vende se a retalho nos m orea arma-
UD8 de molhadoB.
Pede Rojal Blend arca Vlad,
onjo nome e emblema ato regs tradoa par?
oi'o do Braail.
BRCWNS & C.

t
.
F
i.
,



-..

-
>
\
Diario de Pmambaco Terga-feira 15 d Wavembro m m
JffllISPIRl
DE
LIDGERWOOD
Mi^hinas t>. vaper
Pomteis e fizas)
Lavadores
Despopaicrea
Descascadcree
Ventilado es
Alambiques
U.
Rodos d'agua
Turbinas
Engenho de Serrs
Moendas de Canna
Moinhos de Fubi
Debulhadores
Separadores
*
UJ
O
h
LU
_J
<
^AGF^APAVEL
Se recommenda cono o melhor
remedio da sua classe a
EMULSAO
LANHAN E KEMP
COM POSTA DOS
MAI8 ESCOLHIDOS '
INGREDIENTES .
combinados scienticamente e
a todos os respeitos a melhor
preparado de
OLEO DE FIGfiO DE
BCALHAO
COM
HYP0PH08PHIT0S
DIGESTIVO
9
m
m
z
o
o
O
>
Bruidores, 3ouducores, Catadoras, aporadores a vapo" P**
de triple effjito, Vucuioa, e todos os machtriamos per encantes ao fabnu ut
Ualdeira 31 .t-.uiar para queimar bagajo ou casca de caf. Prensas Hydranoas e
orneas tooi os amachos, Carne iros Hydraahcos para levantar agca, Arados de
plantar mi&e, etc. etc. Engenho completo da fabricar farinha e engenbo complete
para beceCjiar arros.
Correia3 de sola a da borracha de qu&lidada- snperior, Oleo especial para
machinas, Perteaces ou pegas avalsas para as machinas.
BSCRPTORIO
95Ra do Ouvidcr95
Cosumes para creancas
De todas as idades encontra-se grandt
srtimento no
Louvre
134 e 136
DEPOSITO
Ra da Sauie
134 e 136
Lidfferwpod M'g1 O. JLimited
A CURA
DAS
PELO
Tribureto Granulado de Mannet
Ete o parecer que a cerca deste producto apresemou o distincto cl-
nico Dr. Ohvo de Laeerda, especialista em molestias ervosas e qa9 acompanhoa de
perto as clnicas de notaveis professores de Franja :
A aasociacao de tres bromnretos (potassio, sodio ammonio) foi considerado
pjla escola da Salpetiere como de mais effioacia as nevroses, que administraoSo de
qaa'quer d;3 brcmu.ctjs iaoladamecte.
Q jando, porro, ss (leva prolongar por muito tempo a acclo dos bramare'os
as gastrites catar-i. >.ee por acgSo irritante destee saes, os aenes, auto-intocioacSes
etc., emfim as depbraveis macieatiC.o'es do bronsisiao, tornara fraqu^ntemente o
clnico manietado para c nsegair resultado definit7o no tratamento de diferentes
molestias do syjtem.f. nervoso.
S .uve nos, porm, os ltimos estados de Bcuchard, que nos auorisam o
embrego dj agautes correctivos e preventivos^dessos, accidentes como o naphtol e
salixilato de biemuteo.
Es como juatioa o grande DUMM de resoltados colbidoa pelo tribjreto
granulalo.de M. ,:aev qui os mesma clinica con'.a evidentes e completos triumphos.
Rcconheco entretanto, ser diminuta a dose de naphtol e salixilato de bismu-
tho nessj p eparado, e por isso aeonnelho que do par com o triburet) se prescreva
capsulas cuu essas daas substancias ; systema que tem determinado em meas doentes
n2o s o desuppareciraento de aiatiitejt< ges geraea no vro ticas, como a iaeccSo dos
deploraveis accidentes do bromismo.
Jago pois o tribureto granulado de M -me pertencente ao pimeiro plano
nas nieiicao5es que especialmente se prendem s differentes modestias do syatama
nervoso.
Rio de Jane:ro, 2 de Juiho de 1892.
Dr. Alvaro de Lacerda,
Encontra-se esses preparados
PH1RHM1
M*a Wm Ugg do Bsatio-34
msnu uiRKt \msm\
NA
jbjeetos de gosto para
presentes
. Ha ncate artigo grande escolo no
LOUVRE
Chapeos e capotas
ultimas novidades de Pa;is receben a
LoaYre
Capas, jersey s e visita
Grosea iateiramenta novos acaba de re*
ber
TMDOS i)K PHAN-
TA8IA
Sendo mpossival de se descrever a
{raerte variedade de tecidos de diversas
joaldades proprios para a estaeSo actual,
*oga-se ao publico em gtral e principal
sent s Exmas. familias a finesa de vi
.itarem o
IOVEE
tina 1/ de Mar*;o n. 20 A
Francisco (argel & Irato
__ TELEPHONE N. 158
SeCas brancas, pretas e de
cores
Novos padroes e para grande esoolha,
lendo despachadas uestes ltimos dias,
LOUVRE
Esteiras da India
Branca e de fantasa de novos desenhos
aara forros de scalh'j, completo aortimento
no LOVRE
Francisco Gorgel i I?mi6
Ra 1 de Maro,o n. 20A
TELEPHONE 158
I
cortes de l,linho, seda
e algodo
Ricamente enfeitadoe, tem recebidj al
uunente e
LOVRB
Grinaldas, leqnes e chapeos
de sal
De phantasias ecabam de chegar para c
LOYRK
Pira A Companhia Explora-
dora de Productos Calca-
reos est preparada para
fornecer hoinbreirew, solei-
ras, cepos elagedos decan-
tara p?ra edifica^es e
calgamentos, bem como
pedra britada e alvnad
em qualquer quantidae.
Amostras e prepon no ar-
mr.zem da Companhia.
Caes do Apollo n, 73
Criada
Retratos de familia
Pintado; oleo e a craion de tamanh natural com
lindas molduras e cordao com borlas de lae se da por 35$
e mais precos
Qia',q""r pesada p^e facer enoommenda remetendo um pequeo retrato em car-
de visita, n5o importa que seja antigo, basta dizer a cor d >s olbos e do cabello
'legar um retrato muito perfeito e a contento de quem fiaer a enoommenda.
QUIIRiO YEftA BXPOSKJAO DK JRKTRATOS
Na Ra Duque de Caxiasn. 61
LOJA DAS LISTAS AZES
Aonde se recebe as enoommendas para todos os vapores americanos.
Jos Augusto Dias
Agente Geral.
ti
Precisa-se de urna criada
para o seivico de urna fa
milia estrangeira de tres
pessoas, prefexindo-se que
falle allemao ou iaglez.
Trata-se noarmazem do
Caes do Apollo n. 73.
Enjprestimo8
Levaota-se emprestimos
de qualquer quantia sob
caucao de ouro, prata e
pedras preciosas e tambem
compra-se cautellas do Mon-
te de Soccorro, na ra do
Barao da Victoria n. 53, re-
lojoaria.
Casa em 01 inda
Alaga se a de n. 29 rna de Bomfim, com
bone commodos para grande familia; a tratar os
Resma, ou na rna do Apollo n. 8,1 andar
Botijo
Compra ee botijera de genebra Foklnk : ni
ibrios de Yiugre d loan Fftrreira da Costa,
roa da Madre de Dos o. 10, a 000 rs. cada
ama.
A LA REINE DES FLEtJRS
Ramalbetes Hoyos
L. T. PIVEjm PARS
Mascotte
PEHFtIME FOHTE-BONHER
Extracto de Corylopsis do Japoj
PERFUMES EXQUISITOS :
Boaqnet Zamora Auona da Bengalg
Cydonia de Chine
Stepania d'Australie
Hel?oti-3pe blano Gardenia
Boucraet de 1 AsuiU-IVite Rose of K^sanlik Folylor oriental
Brisa de Nice Boaqnet ::c Keine des Prs, etc.
1 ESSENCIAS CO^CEVTRADAS H75?) QAUfltE FXTRfl
delitos nas riacii;:! 4k^.,maria, Pbarmaeiu


AU BON HArlCH
___-. ARMAZENS DE NOVIDADEO
l'ARIb. Casa Aristide BOCICADT PARS
Annuen deKoviJ.deyeuniado emtojos osseus artigo, a FolhW cpmplet., m.i. rica e m elcgwte
. -'-____ O***' dermdtr todo com diminuto lucro
e mtairamante de conflanca abiotuio no Armaniu do Ba>% HiBtn
A Casa do BON MARCH rcmetteranco, a quem o pedir, seus Catlogos
assim como ^i/ra variadas de todas i* fazendas, outrosim Albuns contendo
os seus modelos de Roupa frita de toda a sorte.
A Casa do BON MARCH possue sortimentos cdnsideraveis, taes como :
bazendas de Seda ditas de L unidas ou de fantasa, Pannos de linho, Trajos, Rouna
teita, Vestuario Chapos e Calcados paraSenhoras, Homens e Meninos, Tecidos de
ponto de meia, Camisas, Enxovaes, Mobilia, Tapetes, Artigos para viagem, rticos
de r-ans, Luvas, Rendas, etc., sendo reconhecido que ella offerece enormes vantaiens
tanto por causa da quahdade como da bartela real de todas as mercaduras.
A Casa do BON MARCH rtmetU mercadorias para o mundo inteiro e
corresponde em todos os idiomas. ,
As remessas que poderem ser feitas por volumes postaes serao efectuadas
em tantos volumes/rafuroq-uantas vezes a encommenda, paga adiantada, contiver
a somma de cem francos.
O BON MARCH (PARS) nao tem Succursal nem Representante e roga aos
seus freguezes que desconfiem dos negociantes que usarem do mesmo titulo
Ar.raazensJdo BON MARCH sao os maiores, os mais ordenados e orea-
msados do mundo; contem todo qnanto a experiencia tem produzido de til
commodo. constituindo portanto una das curiosidades de PARS.'
Jc*
Carmelitas
XTnico Suocessor Los Carmelitas
'ARIS 14. Ra de 1'A.bbaye, 14 1PA.R.I3
CONTRA:
Apoplexia
Cholera
Enjdo do mar
Flatos
Clicas
Indigestos
Febre ama/ella, etc.
Ler o prospecto no quil ral envcliido
oarfa vldro.
Deve-ee exigir o letreiro branco
0 proto. em todo* os vidres.
seja qoal fOr o taroanho.
OEPoerros kji todjs m phabkicus
do Vnirerso
ID escon.fiar
DAS
Fateifirarnrs
e exigir a Assignafira
de
ipppppppppf
SINAPISMO RIGOLLOT
Esfn amentos Dores Congestoes
[EXA-8E a A83IQNATURA, cr ENCARNADA, de'
E P de Rog
KDICMENTO APPROVOO PELA ICMSCEU DE MEDICINA DE PARIZ
O 1*6) asi ROO o verdadeiro- purgante das senAorat, das crianau e da*
ptuoas d* contMui^ao de'icada. Com um vidro de PO de ROG, fcil a levar
comsigo por toda parte, pode-se preparar na occasiao necessaria, urna limonada
de gosto agradave! e multo rerigerante.
O tr*0 DE ROO conserva-se inlinitaments sem se alterar. Emprega-se' o,
datando o contedo do vidro em meia garrafa d'agua, deixando em contacto
darakvte urna hora, ou melhor da noite para o da: rolhar a Rama ae desejar-se
ter urna limonada gaaosa. ____^__^^__
'*^^wtKd(:CUL.FRERE.CNjar1HTir,$)tt'-,1l,rM^Ml,MllZ
. VaHSJO. Sil QUASI TODAS AS PHABMACI8 db TODOS OS PAO
O NOVO THERMOMETRO
MEDICO de LEN BLOCH
O MAIS
KE. OE TOBOS OS SVSTCMAS CONHECIDOS
taMAgnatara :
PARJS, g, roa da VEntrapt 2, PARS
HO EBTBANaBlBU, KM TODAS B PEINCIPAE8 CASAS.
/MEDALHA DE HONRA
0 OLEO CHEVRJER
i dMlnlecUdo pelo Alcatrio,
tnico 9 biiunvco, o Qut multo
tugmtfia *s proprlmStdei do j
oho.
0 OLEO de FIGiDO
DE BC4LA0 FERRU6IN0S0
11 rica DreparacSo Que ptrmte
admlBlatrar o rerro aam ore-
duilr PrisJo de Venlre. mm
DIPLOMA DE HONRA
E FERRUGINOSO fi
Incommodo.
*&
DIPOSITO gpl M PiE
21, na riai-lansirtn. 21
%&%
*olloo de Cco>,V**
al Ordim "
V0
A'
RBCB1TADO POB TODAS A8
Celebridades dedicas
DA FRANCA E DAIL'BOPA
p
MOLESTIAS DO PEITO,
1AFFECgES ESCfOFLOSAS
CHLOROSIS,
ANEMIA, OEBILIDADE,
TSICA PULMONAR,
BRONCHITES, RACHITISMO
Vinho de Coca
LICENCIADOS PELA rNSPBCTOHIA DE HYGIENE DO IMPEBIO DO BRA2IL.
TNICO
ANALPTICO
RECONSTITUINTE
O Tnico
mais enrgico que devem
em pregar os Conyalesoentet,
as pHts dotas,
as 1/ulheres, as Criancas dbis
e as Pessas
frtcas de Constituigio.

COM auiNA
SUMO DE CARNE
PHOSPrATOdeCAL
Compotto
com Substancias necessrias
e indispensaveis na
formago a no desenvolvlm nto
da Carne
muscular e dos Systemat
nervosos e ossosos.
0 vinho DE VIAL a AssoclcSo feliz dos Medicamentos mais activos, para combatar a Alterla,
aCnlorose, a Tisica,a OyspepBla, as Gastralgias ou Gastritas, aDlarrheaatnica, aIdadecritica, a
FTouildaojreral-, as lonpa Convalescenclas. ete. Em urna palavra, todos queJles estados de 1 ~
CTldez, deEmmagrecimento, de Esgotamento nervoso, as quaes os temperameutus iic nje a
fatalmente pregpatos. ~ En* l.yon, Phurmaeia J. VIAL, ra ate Mtourbon. 4,
m Pertutmbueo t FRAK- M. DA SILVA k O* em t*M u MimuUi Infarlu.^
Pora a cura tfflca* e prompta da
Molestias provenientes de iny
9 pureza do Sangrue.
E' ume toncara andar a bata epe-
nencias em misturas inferiores com-
postas de dr, (linarias ou de plantas
ind.:.',. c :. flbacia nio confirmada
pera cmqiianto qu a molestia
c.1 ... ranhando terreno.
. :.:5% sem demora, de nn. re-
. garantido cuja efflcacia seja facto
assigiAlado e inquestionavelJ
O .Extracto Composto Coxcextkado
de S.vLSAPAKRiuiA de Ayer coiihecido
e recommendado pelos mdicos mais In-
telligentes dos paizes adiantados, iA
urante 40 annos,
Centenas de militares de doeates
tem colhido beneficios do seu empreg e
sao outras tantas testemunhas da s
efflcacia positiva e incomparaveL
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
IiWwlly Mass., Est.-TJDidos.
ti>miiiniiniiimimmiiig|
MKDALHASde OURO
tas EjcpnsiracH di rostir* ,tt
Paris 1878-1889
H1 DIPLOMA DE BOBi na Exposic de fin
:
]
:
illlllllllll'IIMhlllllllulf
4SM&
: I
I
Brdeos (Franca)
Depsitos em todas as vendas
de comestiveis.
SP>t!tlfllHIlMmTtTf>mili>ll!ltHl
Vende-se a preco
sem competencia:
Alfala fresca e su-
perior (pequeos far >
dinhos),
Qal branca da Ba-
ha (nova e em saceos)
Phosphoros Joko-
pings (em caixiahas
pequeas proprio
para fumantes).
A tratar no largo
do Corpo Santo n.
23, andar.
ESPECFICOS
OO CE1SBHE
Dr. Humphreys de Nova York.
Emuiv) mais do SO annos, simples segure?, cB-
axese boratos. Avnela nas l>rogarw e Phar-
aaclas principies e mais garantida-* do Mundo.
So. CURA
i. Febreit, Con^ostilo, InflamrjacSC'S........
2. Febre c Clica causadas por t>-.n.r>rJsa8..
3. Clica, Choro o Iiisoninia das Crian03..... .
4. ptarrhea de Crianzas e Adultos........... .
5- Dysni; rrin, l>6rcs de Barrica, Collc-iblosr.
6. fUiIoriii^. C'cilera-ilorbo, Vomitoa............
. TOHHp, fV,-tip!Uaq- R.>Un'd. T*- .jwlaitaa.
8. DHnie i>eia--edelara;eNevralKa.....
9. Do' de Cabeca, Enckafluega, Vertiyem....
10. Di.p(tpia Iu, Prsoo do Ventre...
11. uipresi+bo da Uegra. Kicaasa ou Demo-
rada.........................................
12. l.eucorrfaeRt Floros Tirancas, licsra profosa
l. >mio, TospoRonca. Difflculdadtde Kespiaor
a4. Hertos. Erup;<>cs. Erysipela.............
15. Kbou nat hitiu, D^rosrhiiiTmtlcas......
>!. Sezoe.N, luiclia, Febce Inieruilltente.........
17. Hcmorrboidas. AImorrcimas, Internas ot.
extemaR, simples ou sangrentas..........
IR. Ophlbnlmia, Olhos fracosou lnUammadOf.
19. Catarro* aijudoou chronlco, Defluzo........
'~0- Consteladle Tosee e^pasmodlca............
91. Hma. ''"nplracAo dlmoultosc................
22- Siij'pn rii^-ao doN (?!dos, Surdes..........,
. lHcroluluM, Inrhacoes e Ulceras............
24. DcbfHdadt- geva mi physlca..............
S. Hytirope**fa. A.iunmluroes HMas...........
. Enrao de iflarr. Sausea. Vomito*............
7, Mole*, i os onrl liarla*, Ca!--ulos ou Pedn
na Bexfea....................................
2P. Impotencia. Debilldadc nervosa, semlaid..
29. Chasnnhanna Uocca, ou Aphta..........
SO. Incontinencia do Uurina.Ourlnar-flen*
Cama..........................................
etc..
pylepHia ftial cauucu, Gottacrul, Baile de
S.Vlto.....................................
34. Dlphtherfa, Mal maligno .1c jurtranta
35. CoHiretee> CUroutca> D6rdeCabeca...
, O Manual do Dr. Humpbreys, 144 paginas soba
as nfermidads e o modo de eural-as, seda gratis
pede-se ao seu boticario ou &
HllfPHREYS' Q1EDICINE CO.-
100 Fulton Street. NEW YIK.
NICOS AGENTES
a?ra vendas b |rouoifliP:
oaabofo
f arii Sobriuho IC,
BOTICA 1)0 BOSABIO
DE
Virgili- Lopes Sf C.
SS m Um do Rosario SS
EECIFE
Completo eortimento de drogas, tintas,
piceis fnndas, uterjcilios para pharma
ciaa, photographias, pintoras, verniaes,
tintaras homceopathiess, machinas elctri-
cas, ligas, meias elsticas, etc.,etc.
Tdephww 374.
"TL- Via
Ex-prmire de Pars
Veatidoa para senfcoras e creaojas pelos
ltimos i'igarincs.
Garante elegancia de corte, perfeico o
modicidade de Drecos.
Ra Barao da Victoria n. 18,
2o andar
Libras sterlina3
Vende-se na loja de jolas de Aairasl R- ?
aa roa do Cabo n. 9.
Farinha barata *...*
Vndese no largo do mercado n. II, a 100
n. a cala, em saceos brancos a 54100 com 41
Kuos. s*aiSBfcSt*.. -i_j,r
"tr
.


.-.--.
- s
Diario de Pernambuco Ter^a-felra 15 deNoveiubro de 1892
OPINIOES MEDICAS E ATTESTADOS DE CURAS A FAVOR DO
PEITORAL DE CAMBARA'
O remedio mais efficaz para a bronchite, tuberculose pulmonar, laryngite, asthma, coqueluche, rouquidao e tosse de qualquer especie

O PETORAL DE CAMBAR
... gosa de propriedades emolientes e facilita
..- spectoracS e o considero como excellente
Vicio para alliviar e curar a tosse quando con-
venientemente prescripto. Barao de Itapitocay
(l'elo'as.)
TUBERCULOSE PULMONAR
Uloi Sr. J. Alvares de Souza Soares. Pelotas-
fendo em 1878 o meu lillio adoptivo Thomaz
Lencina, sentado praga e estando ca Porto-
Ajegre, serondo no quartel-gcneral, adquir .
urna tosse impertinente que nunca pode ser
combatida pelo medico daeufermana; em vista
isso foi enviado para o Rio Pardo onde esteve
em tiatamcnto com o Ilustre medico militar Dr.
Medeiros, e alli oi reconnecido achar se affec-
lado Je urna tuberculose muito adiantada.
Nao aproveitando nada com o tratameuto, teve
laixa do servico e veio para nnna casa em
mi- Li A
Empreguei todos recursos para sal val-o a
norte.
Mdicos de SanfAnna do Livramento, a quem
uasultei, declararam ser caso perdido e intil
qualquer tratamento, visto o estado adiantado
da doenga ; o Dr. Fialho, poreai, aconselhou me
o Peitoral de Cambar de V. S. talvez nicamente
para satisfazer me e foi com este preparado que
o meu flllio se curou
O tralamento nao foi longo: as melhoras ioram
s toalmente augmentando ; mas a medida que
ellas progrediam, os meus cuidados redobravam,
pois todos sabem como taes doentes nestas coa
dicta tornam-se mais insoffridos e descuidados
do" seu estado, como apparecimento das primei-
ras melhoras. .
Por isso, propositaimentc, obriguei-o a con-
tinuar, por algum tempo, no uso do seu pre
Sarado, guardaudo um rgimen conveniente e
i-ntro em pouco, meu fimo tornou-se forte,
rigoroso, completamente restabelecido !
Entendendo que este facto nao deve ficar igno-
rado pelos que soffrem de to terrivel enferm
dade, pego-lhe para publical-o, tendo em vista
levar urna esperanza ao corago de tantos enfer-
mos desanimados.
Aceite 03 protesto da maior gratidao do de V.
etc.Vicente Simes Filho.
Dois Serritos, em Sarandy, llio Grande do Sul,
S do Margo de 1885.
O PETORAL DE CAMBABA
... E' om excellente medicamento empregado
om muito bons resultados as molestias broncho
pulmonares. /T ,
Dr. Seratim Araujo (Pe'otas.)
CONSTIPADO E TOSSE
Minas Geraes Socego, 23 de lunho de 1889.
- Eu abaixo assignado attesto a bem da Iiuma-
uldade, que fui atacado de urna constipagao
acompanhada de tosse desesperadora, que m
possibilitava-nie de cscrever e me nao deixava
conciliar o somn. ______.
Sem ter alivio algum, lancei mao do Peitoral
de Tambar, depois de ter feito do meu estomago
urna pharmacia, e s este importante
medicamento me remoren os soffrimeiitos que
lano me atormentavam dando-me finalmente o
descanco da noite e o somno impagavel. b
devermeu agradecer ao Ilim. Sr. Jos Alvares de
Souza Soares. por to importante descoberta.
Por isso, tenho recommendado o seu prepara-
do a diversos amigos erecommendo o sempre a
todas as pessoas, que por fatalidade, sotlrerem
de molestias provenientes de constipacoes.
Olympio de Assumpgo Oliveira
O PEITORAL DR CAMBARA'
... um excellente balsmico expectorante,
e como tal o tenho empregado sempre com bom
resultado as affeccBea puTnionorcs... Dr. Vicen-
te Cypriano da Maia. (Pelotas.)
TOSSE DESESPERADORA
Sr. Souza Soares (Pelotas..) Sendo
atacada minha esposa de urna tosse desesperado
lancei mao de diversos
jjgum, e, tendo conhe-
do xaiOBe peitoral
a e de carcter grave,
'------~ "nveilo
preparauus man f-
ment dos bons resmtado^ ---* ^
de Cambara, mandei comprar dous irasco. 0
dito xarope, e com o uso do pnmeiro, loge m
eifestaram-se melhoras e, depois de ter adoente
tomado o segundo via-a completamente reatabe-
lecida.-Israel Antonio Caldeira.
Serros de Taquary, (Rio Grande do Sul).
PEITORAL DE CAMBARA'
.... tenho empregado em molestias dos or-
. gaos respiratorios o Peitoral de Cambar co-
lado os melhores resultados-Dr. Francisco
Al ves de Lima Filho. (Parahyba do Norte).
DIVERSAS ENFFRMlDADKS
Eu abaixo assignado attesto que nos cu
eomo todas os pessoas de minha familia temos
feilo uso do Peitoral de Cambar, conhecido pre
parado do Sr. Souza Soares, 'havendo colhido
e mais satisfatorios resultados as tosses, rou-
quides e mais affecges das vas respiratorias,
e por isso nao cessamos de aconselhar o seu uso
i? pessoas de nossas relages.
Rio de Janeiro, 24 de Setembro de 1889, ra
de S. Luiz Gonzaga n. 176.-Alfredo A. Pi-
jieiro. ,
PEITORAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado. com grande proveito
aas molestias das vias respiratorias.-Dr. Pedro
Correa de Macedo. Barra do Prahy.)
CUBA DE DMA TOSSB' ANTIGA
Eu abaixo assignado declaro a bem dos que
ioffrem de tosses pertinazes, que tendo jteito uso
do Peitoral de Cambara do Sr. Jos Alvares de
Souza Soares, tiquei restabelecido de urna tosse
que ha muito tempo me fazia soffrer.
S. Paulo, 30 de Agosto de 1888.-Jos J. Au
gusto da Fonseca.
O PEITORAL DE CAMBARA'
. .... tem urna acgo especial sobre a mocosa
das vias respiratorias, curando ou atlivianao
mutas molestias destas mesmas vas, o que pro
ra cabalmente a sua crescente procura e accei
tago, que ainda nao teve aqui producto algum
ofhcinal.-Dr. Octacilio A. Cmaro. (Pelotas).
BRONCHITE E REUMATI MO
Engenho Barra Nova na comarca do Bonito,
Pernamb co, 7 de Setembro de 1888.Illm.
Sr. Jos Alvares de Souza Soares. Pelotas-
Para que a buannidade soffredora teuha a cer-
teza de um lenitivo a seus males, recorrendo a
um remedio enrgico e de maravilhosos effeitos,
tomo a liberdade de noticiar-lhe o effeito que
produzo (de que sou lestemunha oceular e con-
victo) o seu to afamado Peitoral de Cambar.
O capito Antonio Dionyzio dos Santos, resi
dente no Engenho Nova Vida deste termo ho
niem maior de cincoenta annos, soffrendo de
umafbronchite complicada com rheumatismo re
correa a diversos remedios sem auferir resulta-
dos satisfatorios. Lembrei que usasse do refe
rido peitoral (porque j o havia tomado com
ptimo resultado urna pessoade minha familia),
e no decorrer de tres mezes que tem usado,
acha-se o referido capito com urna melhora
consideravel
Adepto como sou de tudo quanto pro
duzido em nosso bello paiz, nao posso ser in-
differente ao grande commettimento por V. S.,
emprehendido em bem da clnica brazileira, e
por isso pode V. S. se lhe convier, fazer desta
narrago o uso que lhe aprouver.
Sou com o mais profundo respeito e conside-
raco de V. S. etcFrancisco Benicio das Chagas.
PEITORAL DE CAMBARA
...tenho o empregado. com ptimos resul-
tados, as bronchites e molestias do apparelho
broncho-pulmonar... Baro da Matta Bacel-
lar. (Para.)
SQFFBIMSNTO DE 30 ANNOS
Frcguezia da Ba-Esperanga, cidade do Rio
Bonito, (Estado do Rio de Janeiro), 10 de
Abril de 1891. Illm. Sr J. A. de Souza Soares
-Sou profundamente grato a V. S. ; nao so
pela delicadeza de offertar-me o seu preparado
para combater urna rebelde bronchite, que me
atormentava ba mais de 30 annos, como tam
bem pelo feliz resultado que obtive, debellando
urna enfermidade que j considerava incuravel,
attenta minha avancada idade de 71 annos.
Toma-se mais digna de nota a cura operada
em mim pelo facto de achar me na. accasio
Srostrado por outro perigoso incommodo a in
uonza.Joo Coelho de Queiroz.
PEITORAL DE CAMBABA'
... Acho muito importante o Peitoral de
Cambar, nao s pela eflicacia de seus resul-
tados em molestias do peito, como tambem pL.O
agradavel sabor, que nao faz repugnar o doen-
te mais delicado de paladar...Dr. J, Lassa
la. (Pelotas.)
ASTHMA DUBNTE DEZESETE ANNOS I
O abaixo assignado criador no Povo Novo
(fioie em Pelotas), attesta que soffrendo, du
rante 17 annos de asthma com accessos terri
veis em todos os quartos de la e sem nunca
obter melhoras em todo esse longo lempo, ape-
zarda grande quantidade de remedios que usou,
muitos delles receitados por habis mdicos de
Pelotas e Rio Grande, tomou em Novembro de
1887 o afamado Peitoral de Cambar, do Sr. J.
Alvares de Souza Soares de Pelotas, e nao fo
ram necessarios mais de sete vidros para o fa-
zer curar radicalmente pois desde aquella data
at hoje, nuDca mais foi accommettido de to
terrivel enfermidade.
E por ser verdade firma o presente-Ignacio
Teixeiro Machado.
PEITORAL DE CAMBARA'
... empreguei o Peitoral de Cambar, com
grande vantagem em pessoa de minha familia
que soffria ha alguns mezes de urna laryngite,
acompanhada de accessos de tosse..-Dr.Te
lasco de Gomensoro.. (Riode Janeiro.)
TOSSE CAVERNOSA
Eu abaixo asignado declaro, que, fazendo
duas pessoas de amisade de minha familia uso
do Peitoral de Cambar, electivamente tiveram
bons resultados ficando curados da tosse caver
nosa que ha bastante tempo as aflligia. #-
Rio de Janeiro, 13 de Novembro de 1889,-_u
tabellio, Francisco Pereira Ramos.
PEITOBAL DE CAMBABA'
... tenho-o empregado coa brilhantes re-
sultados as differentes formas da bronchite e
em alguns periodos da tuberculose pulmonar...
Dr. Lopes Pessoa. (Recife.)
HORRIVEL TOSSB SECCA
Ha dous annos minha mulher soffria de urna
horrivel tosse secca, acompanhada de dores no
peito que innmeros remedios receitados por
mdicos desta cidade, nao conseguiram debel-
lar.
Casualmente, veio me s mos um folheto dos
que acompanham o Peitoral de Cambar e, leu-
do as curas realisadas por este medicamento em
doentes que soffriam do mesmo mal, resolv
fazer minha mulher experimental-c, e, gracas
ao seu uso, vi-a completamente restabelecida.
Joaquim Alves Cavalcante. (Fortaleza Cear.)
O PEITORAL DE CAMBABA*
...um heroico meio preventivo e um auxi-
liar no tratamento da lisica pulmonar.Dr.
Urias da Silveira.
CUBA DE UMA PNEUMONA
Illm. Sr, J. A. de Souza Soares.Pelotas.
Cumpro um dever scientificando V. S. de que
ha tempos, achando-me atacado de urna pneu-
mona, recorri a diversos preparados que me re-
ceitaram os mdicos d'esta cidade, sem obter as
melhoras almejadas.
Por minha spontanea deliberaco, resolv ex
perimentar o seu Peitoral de Cambara, com o
3ual alcancei o restabelecimento de minha sa-
e, pelo que dou a v. s. sinceros parabens.
Nestorio Antones Pereira. (Babia.)
a PETOBAL DE CAMBABA
... tem sido por"mim empregado em diver-
sas affccges das vias respiratorias, oblendo
sempre os melhores resultados,.. Dr. Fran-
cisco Marianno de Aguiar.
TOSSE PBTTNAZ
Atacado repentinamente de urna tosse vio
lenta, que se tornou pertinaz tendo tido por es-
pago de oito das consecutivos pela mann, v-
mitos, a ponto de ficar suffocado, lembrei me
de tomar o precioso medicamento Peitoral de
Cambara e com um s frasco fiquei restabeleci.
do.=Carls Augusto Peixoto de Alencar. (ca
pito de cavallaria, em S. Gorja).
PEITORAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado em diversos doen-
tes obtendo excedentes resultados... Dr. Pe
reir da Motta. Rio de Janeiro.
BONS RESULTADOS
Sr. J. A. de Souza Soares.PelotasVenho
penhoradissimo dar-lhes louvores pelo seu be-
nfico Peitoral de Cambar, pois tenho o appli
cado em pessoas de minha familia em casos de
bronchite, rouquidao tosse agudissima, colhen-
do os melhores resultados, pelo que sou incan
savel em recommendal o aos doentes do appare
llio respiratorio.
Acceitc minhas felicitages e Deus o recom
pense pela sua descoberta de tanto allivio para
os que soffrem.=Jcronymo Acacio S. Chuquero
(Batan.)
O PEITORAL DE CAMBaR
... um excellente balsmico e como tal
o tenho empregado nos doentes de bronchites e
affecgoes pulmonares.com grande proveito...
Dr. Antonio da Cruz Cordeiro, (Parahyba do
Norte.)
COQUELUCHE, ASTHMA E TSICA GALOPANTE
film. Sr J, A. de Sousa Soares,Tenho a
maior salisfaco em communicar a V. S. mais
algumas curas importantes realizadas nesta villa
com o seu precioso medicamento.
Tendo adoecido dous filhinhos do Sr. Arsenio
Cardoso de Aguiar, de .coqueluche, atacados de
grande febre, em menos de quatro dias ficaram
radicalmente curados com o Peitoral de Camba-
r.
Urna filhinba do inte-ligente guarda livros Sr-
Barros dos Santos que tambem suffria de urna
tosse convulsiva, acha-se restabelecida devido
ao mesmo remedio.
A esposa do Sr. Gabino Rodrigues Correia que
soffria de Asthma a muitos annos, sem nunca
ter experimentado melhoras com outros reme-
dios, est oLtendo-as com o uso do Peitoral de
Cambar e, to satisfatorias que promettem cu-
ral-a em pouco tempo, se persistir no medica-
mento.
A parda de nome Mara, criada da Exraa. Sra.
D. Mara das Dores Ferreira, sendo accommetti-
da de urna tsica galopante, medicada pelo Dr.
Henriqson salvou-se de to horrivel enfermidade,
grasas ao Peitoral de Cambar empregado por
aquelle Ilustre medico.
Sou, etc. Emydio Pinto de Oliveira.
(Agente consular Portuguez em Santa Victoria
Rio Grande do Sul.)
PEITORAL DE CAMBAS a'
... tenho o empregado sempre com muito
bom resultado as molestias dos orgos respi-
ratorios e tem a propriedade de ser um medica
ment de sanor agradavel, sendo bem tolerado
pelas creancas em cujas molesas de gran de
eflicacia.Dr. Jos Joaquim Pereira de Souza.
(Cidade do Bananal em S. Paulo.)
GBAVISSIMA DOENCA DO PEITO
Illm. Sr. J. Alvares de Souza Soares.) Cum
pre me levar ao conhecimento de V. S. os be-
nficos resultados que tenho obtido com o era
prego do seu mu acreditado Peitoral de Can
bar.
Minha cunhada D, Leonidia Vellas, estavasof
frendo ha dous annos, de urna tosse muito forte,
com dores no pulmo direito e de dias a dias
deitava alguns escarros de sangue. J muito
debilitada e aborrecida de ter tomado muitos re-
medios sem proveito, reormendei-lhe o uso
do Peitoral de Cambar, que eomprei na phar-
macia do Sr. Antonio Rodrigues de Faria, em
Jaguaro e depois de algum tempo no uso deste
remedio, achava-se completamente curada.
Levando pois mais este facto ao conhecimen-
to de v s, cumpre me agradecer lhe em nome,
de minha cunhada, a cura que acaba de reali
sar-se. Sou etc. Fileno Googalves de Medei-
ros. (Canhada de Santos, Repblica Oriental,)
PEITOBAL DE CAMBABA'
.. .aconselho sempre este preparado aos que
soffrem de bronchite principalmente asthmatica.
Dr. Gemimano Jos da Costa. (Para)
TOSSE ASTHMATICA DE MUITOS ANNOS
Eu abaixo assignado major reformado do
exercilo attesto que, soffrendo de urna tosse
asthmatica, de muitos annos, acho-me restabe-
lecido com o uso do Peitoral de Cambar, do
Sr. Jos Alvares de Souza Soares de Pelotas-
Fernando Jos da Gama Lobo. (Jaguaro)
O PEITOBAL DE CAMBABA'
... exerce acQo benfica sobre a mucosa
das vias respiratorias, pelo que tenhoobservado
em minha clnica... Dr. Manoel Alves da Cos-
ta Brancante. (Rio de Janeiro.)
ASTHMA DE MUITOS ANNOS
Sr. A. Dias de Freitas Valle.Itaqui (Rio
Grande do Sul), 6 de Maio de 1885,-Sendo V.
S. o agente nesta cidade do Peitoral de Camba-
r, do Sr. J. Alvares de S. Soares, de Pelotas,
dirijo-Ihe a presente, afim de attestar que sof-
frendo minha mulher, ha muitos annos. de as
thma, s agora e com uso constante do referido
medicamento, ficou radicalmente curada. Po-
der V. S. fazer desta minha declarao o uso
que lhe convier, na certeza de que, Do s a
minha gratidao ao auctor de to precioso pre
parado, como o desejo de prestar um servico s
victimas de enfe midades das vias respirato-
rias, me levam a attestar um facto que nao deve
ficar ignorado.Sou etc.Belizario Pereira de
Athayae. (Estancieiro.
O PITOBAL DE CAMBABA'
... manifesta sua aeco especial sob/e
mucosa das vias respiratorias, por cujo motivo,
em_ minha clnica medica, tem tido enorme
aceitaco...Dr. Jos Rodrigues Ribeiro. (Be
lm do Para.)
SOFFBIMEMTO PULMONAR
Eu abaixo assignado, negociante no Pilar das
Alagoas, declaro que soffrendo ha mais de qua-
tro annos de urna affecco do peito, acompanha
da de tosse violenta, e sem jamis conseguir
que os remedios receitados por habis mdicos
trouxessem alivio ao meu soffrer, recorri ao
precioso medicamento Peitoral do Cambar do
Sr. J. Alvares de S. Soares, de Pelotas e em to
boa, hora o liz, que hoje acho me completamen-
te curado de urna enfermidade, que. dia a da,
me arrastava ao tmuloManoel Cavalcante de
Albuquerque.
PEITOBAL DE CAMBABA'
.. .fui ltimamente obrigado a (anear ma
delle em minha clnica e julgo me hoje habi
litado para aflirmar que um dos melhores re-
medios que em minha pratica tenho conhecido
para enfermidades do peito e vias respirato-
rias...-Dr. C. Henriqson. (Santa Victoria,
Rio Grande do Sul )
BiONCHITE CHRONICA
Cidade da Serra Negra. (Minas Geraes), 12
de Setembro do 1888. .Illm. Sr, J. Alvares
do Souza Soares-Tenho a satisfaco de cscre-
ver a V. S. para participar lhe que soffrendo
en a mais de quatro anno de bronchite, trazen-
do-mc a maior parte do tempo prostrado no lei-
to, recorri ao seu abengoado Peitoral de Cam-
bar, e nao foi preciso mais de meia duzia de
frascos para me restabelecer radicalmente,
Silvino Rib?iro. (Director do Colegio de Santa
Cruz.)
PE TORAL DE CAMBAR
. ..Tenho-o empregado com assaz proveito
cm minha clnica as molestias broncho-pulmo-
nares... Dr. Francisco Augusto da Silveira
(Recife.)
TuSSE COM ESCABR-: S DE SANGUB
Illm. Sr. J A. de Souza Soares.E'-me difli-
cil exprimir o quanto lhe estou obrig ido pelo be-
neficio que colhi do seu maravhoso Peitoral
de Cambar, curando-me de urna tosse com es-
carros de sangue que ha 6 -mezes me atormen-
tava, sem contar mais restabelecer me de to
grave enfermidade. S aquelles que sabem o
que um soffrer destes, que pdem avaliar a
satisfago de que estou possuido.
Sou com muita gratidao de V. S. venerador
e criado,Antonio da Silva Pimentel. (Negoci-
ante em Porto Alegre.)
PEITOBAL LE CAMBAR
.. .tenho-o applicado em minha clinica com
grande proveito as diversas affecces das vias
respiratorias, especialmente quando chronicas.
Dr. Julio A. amacho Crespo. (Rio de Janei-
ro.)
ROUQUIDAO 8BM ALLIVIO
Illm. S. J. Alvares de Souza SoaresAtacado
de urna forte rouquidao, e sem ter allivio com
o uso de muitos medicamentos receitados, ex-
perimentei o seu xarope Peitoral de Cambar,
e em poucos dias a molestia cedeu completa-
mente. Depois deste facto tenho aconselhado a
diversas pessoas o seu remedio e todas tm lo-
grado os melhores resultados.
Queira, pois, receber minhas felicitages.
Barao de Avellar Resende. (Fazendeiro em
Minas-Geraes.)
PEITORAL DE CAMBABA
... tenho-o empregado qom o melhor resul-
tado as diversas afferces das Tias respirato-
rias, principalmente na bronchite catarrhal das
criangas quaiiio atravessam a crise da primeira
dentigaQ...-Dr. Emigdio Bezerra Montene
gro (Recife.)
ASTHMA EM DUAS CBIANCA8
Atiesto que as miaas filhas, Isolina, de 8
annos de idade, c Silvina, de 5 annos, soffriam
ha mais de 3 annos horrivelmente de asthma,
iue lhes vmha por accessos amiudados e to
urtes que eu jufguei em muitos delles ter-se
approximado o termo fatal da su'as pobres exis-
tencias.
Depois, porm que usaram o Peitoral de Cam
bar, preparago do Sr. Jos Alvares de Souza
Soares, so Silvina foi atacada de um novo ac
cesso, que cedeo promptamente ao mesmo pei-
toral. '
Pelotas, Rio Grande do SulMiguel Antonio
dos Santos.
PEITOBAL DE CAMBAR
... lenho-o empregado com resultados im-
portantissimos em diversas affecges das vias
respiratorias, sobresahindo um caso de tuber-
culose incipiente que foi radicalmete curada
por este preparado, em D. Virginia Maria Men-
des, residente na capital do estado da Bab.a.
ra S. Miguel n. 46. Dr. Alfredo Mend s Ri-
beiro. (Babia)
TORMENTOSO SCFFBIMENTO
Illms. Srs. Silva, Gomes & C-, droguistas no
Rio de Janeiro. Ha mais de cinco annos que eu
soffria de urna bronchite com tosse e escarros
de sangue, havendo dias de lancar mais de meia
garrafa de sangue, nao me deixando dormir*
noites inteiras.
Recorri a todos os mdicos deste municipio
de Cantagallo, j sem gosto, ncm forgas para
cnidar de minha lavoura; nao tinha nenhumas
esperangas da minha existencia por muito tempo
apezar de nao me faltarem recursos e bom tra-
tamento.
Por milagre de Deus, um amigo e negociante
deste lugar, nao quereudo que eu deixasse meus
innocentes filhos por criar, aconselhou-me o
Peitoral de Cambar, e eu sem f, pois que ne-
nhum remedio me poz bom,. resolv tme esse
negociante me mandasse vir da casa de Vs Ss.
seis vidros para experimentar e, (indos elles
j dormia bem, cessando de todo os escarros
sanguneos.
Mandei vir mais 24 vidros "e continuei al aca-
bar, isto at o anno de 1888, e gragas a Deus,
acho-me completamente curado.
Estaco do Bom Jardim (Estrada de Ferro de
Cantagallo), 20 de Maio de 1889.Joao Jos
Zebendo.
peitoral de cambara'
... tenho-o empregado em minha clinica
civil com resultados vantajosos as molestias do
apparelho broncho-pulmonar, sobretudo as
bronchites chronicas e na coqueluche. Dr.
Feliciano Teixeira da Matta Bacellar. (Para.)
CINCO ANNOS DE SOFFRIMENTO DO LA-
RINGE
Eu abaixo assignado, attesto que achando-sc
minha esposa, D. Engracia Guitteres Gravana,
soffrendo do laryage lia cinco annos. foi aconse-
lhada pelo Sr. Jos Lourengo Braga, estabelecido
com botica nesta cidade (D. Pedrito), a usar o
Peitoral de Cambara do Sr. Souza Soares, de Pe-
lotas,* e com effeito, tomando oito vidros desse
remedio, se acha livre do terrivel incommodo
que a persegua ha tanto lempo.Ignacio de
Assis Gravana (criador.)
PEITORiL DE CAMBABA
Tenho-o empregado em minha cliuica nos
casos de molestias broncho pulmonares, colhen-
do resultados muito satisfatorios. Posso em vir-
tude desses bons resultados garantir a eflica-
cia deste medicamento, principalmente quando
estas affecces tiverem tomado o carcter de
chronicidade... Dr. Luiz Jos de Araujo Fi-
lho. (Anta, Rio de Janeiro.)
GRAVE DOENCA DO PEITO
- Declaro que minha sobrinha Marciana, com 15
annos de idade ,achava-se gravemente doentc do
peito, sentia grandes palpitages do corago,
tosse desesperadora e dores agudissimas no pei-
to e as costas quando tomava respirago. Lem-
brei me, depois della ter usado muitos medica-
mentos sem resultado, de dar-lhe o elogiado
Peitoral de Cambar, descoberta do Sr. J. Alva-
res -de Souza Soares, e com o uso deste efficaz
remedio acbou-se completamente livre de to
terrivel enfermidade. Joanna Ferreira Cardoso
(Pelotas.)
PEITORAL DE CAMBABA'
... tinte occasio de o examinar e, com ple-
no conhecimento, aconselho o seu uso com a
maior confianca. (Extrahido do Formulario In
ternacional, do Dr. Pires de Almeida.)
BRONCHITE DF. MAO CARCTER
Illm. Sr, J. Alvares de Souza Soares. Con-
vencido por urna brilhan te cura operada em mi-
nha mulher, que havia onze mezes estava soffren -
do de urna bronchite impertinente e do peior ca-
rcter, de que o Peitoral de Cambar, coinposi-
go de V. S. se pode considerar o melhor e mais
seguro especifico at hoje conhecido para com-
bater asjmolestias dos orgos respiratorios apres
so me, a bem da humanidade soffredora, a attes
tar-lhe o facto occorrido em minha casa, afim de
tornar mais conhecido, se isso possivel. o seu
excellente Peitoral de Cambar que considero
urna descoberta de magna importancia para cura
de taes molestias.
Minha mulher acha se perfeitamente restabe
lecida da grave enfermidade com o uso de quatro
vidros do Peitoral de Cambar, tendo antes ex>
perimentado sempre intilmente, talvez cincoen
ta remedios diversos.
Sou etc. Joaquim Soares Gomes. Vice cn-
sul de Portugal Franga c Ioglaterra, m Para-
nagu).
PEITOBAL DE CAMBAR
El medico cirujano que suscribe, certifica que
el especifico titulado Peitoral de Cambar, del
Snr. J. A. Souza Soares, del Brazil, me ha dado
admirables resultados en el tratamiento de as
enfermedades del aparato respiratorio, especial-
mente en las bronchitis crnicas.Dr. Juan
Peralta R. ("Residente em Elqui, no Chile.)
TOSSE COQUELUCHE SEM ALIVIO
O abaixo assignado attesta, a bem da humani-
dade "que tendo sido atacados de coqueluche
seus etinbos Antonio e Dejanira e sem terem
podido obter alivio com o tratamento do seu n-
tustre medico, deu-lhes o conhecido Peitoral de
Cambar, do Sr. Jos Alvares de Souza Soares, e
com quatro vidros deste efficaz remedio ficaram
completamente restablecidos do terrivel soffri-
mento.
Maria Jos Rodrigues Barcellos (Pelotas)
PEITOBAL DE CAMBARA'
.. .Tenho-o aconselhado na minha clinica e
com elle tenho tirado resultados importantes no
tratamento das molestias broncho pulmonares.
Dr. Carlos Marcband. (S. Gabriel, Rio Grande
do Sul.)
FORTE BOUQOTdXo
Srs. Silva Gomes 4 C Nesta capital.
Sendo atacado de urna forte rouquidao es
bendo dos benficos resultados que continua-
mente tem proporcionado o Peitoral de (ambara,
do Sr. Jos Alvares de Souza Soares, de Pelotas,
aquelles que soffrendo do mesmo mal, fizeram
uso delle, deliberei experimental-o e apenas com
dous frascos deste acreditado xarope fiquei com
pletamente restabelecido.
Rio de Janeiro 12 de Junho de (888.Armando
Augusto Machado.
PEITOBAL DE CAMBARA*
... tenho-o applicado em diversos casos de
affecges d>s vins respiratorias e tenho obtido
os melhores resultados...=Dr. Jos de Aze-
vedo Maia- (Parahyba do Norte.)
^
OUTBO CASO DE COQUELUCHE
Eu abaixo assignado morador ra Paula
Brito n. 25, no Acdarahy Grande (Rio de Janei-
ro), destjando prestar urna homenagem a ver-
dade, tornando ao mesmo tempo publicas as
virtudes do Peitoral de Cambara, venho decla-
rar que, empregando este importante medica-
mento em urna lilhinha de o annos-de idade
presa de urna terrivel tosse convulsa ou coque-
luche, durante dous mezes, e depois de appli-
cados outros medicamentos obtive o mais agra-
davel resultado para o meu corago de pai, at
ento aflicto pela crueldade da molestia de mi-
nha liihinha, dando-lhe o afamado Peitoral de
Cambara, do Illm- Sr. J- Alvares de S Soares
de Pelotas, e dous vidros apenas produziram
to brilhaiite resultado. Jos Carlos Coimbra
de Gouva-
PEITOBAL TE CAMBABA'
. tenho obtido ptimo resultado na appli-
cago do Peiloral de Cambar as molestias
broncho pulmonares.Dr. Polycarpo A. Ara
ponga do Amar 1.(Porto Alegre).
UMA TUBEBCCLCSE AGUDA
Eu abaixo assignado, morador ra S. Pe-
dro, n. 20, no Rio de Janeiro, declaro que ten-
do urna filha minha, de 13 annos de idade,
sido accommettida de urna molestia grave, con-
sulte' os mdicos de maior reputago desta ci-
dade, e estes diagnosticaram ser o soffrimento
urna tuberculose aguda. Por espago de quasi
dous mezes sugeitei minha lilha ao tratamento
desses illustres facultativos; mas,a molestia,
zombando de tudo, progredia para o desfecho
fatal.
Nessas circumstaucias um amigo dedicado
aconselbou me experimentar o Peitoral de
Cambar, medicamento do Sr. J. Alvares de
Souza Soares, de Pelotas, e, em to boa hora
acceitei esse conselho, que no fim de- seis dias
as melhoras se foram accentuando, tendo dimi-
nuido a tosse e outros phenomenos que acom-
nanham essa terrivel enfermidade.
Minha filha tomou desoilo frascos do Peitoral
de Cambar, e hoje nde-se considerar comple-
tamente restabelecida. Durante cinco mezes e
meio frequentou os lugares mais recommen-
dados pelos mdicos, seu estado de magreza
era extremo e a febre nao a deixavn,
Convicto, como estou, de que o Peitoraldc
Cambar, um precioso remedio para affecges
dos pulmes, muilo o tenho recommendado s
pessoas de minhas relacOes.
Rio de Janeiro, H de Maio de 1887.-Joo
Antonio Pereira Santiago (Socio da firma com-
mercial, Santiago & Irmo.
PEITOB4L DE CAMBARA'
... empreguei o e com o mellior resultado
no hospital da Santa Casa de Misericordia as
affecges em que indicado, e continuo a em-
pregal o com o mesmo resultado na minha cli-
nica civil.-Dr. Israel Rodrigues Barcellos Fi-
ho. (Porto Alegre),
DUAS CURAS EM POUCOS DIAS
Illm. 3r. Jos Alvares de Souza Sonros-Tem
esta por fim scientifical-o de mais duas esplen-
didas curas devidas ao seu precioso Peitoral de
Cambar.
Por occasio de effectuar-se um bazar em
beneficio da Bibliotheca Publica Pelotense, fui
atacado de urna forte bronchite, que me levou
ao leito. Vendo me prostrado e desejando o
meu restabelecimento o mais prompto possivel,
deliberei usar o Peitoral de Cambar, e o fiz
com tanta felicidade que, no terceiro dia da
molestia pude reassumir as minhas funeges de
bibliotecario daquclle cstabelecimento.
Na mesma poca foi a minha lilhinha Julieta
atacada de urna tosse impertinente, com car-
cter asmalhico, e applicando lhe euo mesmo
efficaz medicamento via a restabelecida em pou-
cos dias. Subscrevo me etc.
Pelotas, (Rio Grande do Sul)-Francisco de
P. Pires.
PEITORAL DE CAMBARA*
... tenho o empreeado com feliz xito as
affecges catarrhaes-bronchicas...-Dr. Jos
Bernardino da Cunha Bittencourt, (Porto Ale-
gre).
OUTBAS DUAS IMPORTANTES CURAS?
Illm. Sr. J. Alvares de S. Soares.Pede-me
a minha consciencia declarar-lhe os seguintes
faclos que servem para robustecer o crdito do
seu precioso Peitoral de Cambar.
Ha pouco tempo, minha esposa appareceu
com urna tosse terrivel que nao a deixava dia
e noite, lembrei-lhe o Peitoral de Cambar e
com o uso deste remedio vlo-se completamente
curada em poucos dias.
Um filho meu. que se achava soffrendo do
larynge, molestia que adquiri depois que teve
o typho, ticou tambem radicalmente curado
com o uso do mesmo seu Peitoral de Camba-
r. AntonioSimes Pires da Fontoura. (Es-
tancieiro em D. Pedrito, no Rio Grande do
Sul).
PEITORAL DE CAMBABA
... Tenho empregado o Peitoral de Cambar
nos casos de affecges broncho-pulmonares
obtendo excellentes resultados.-Dr- Ceciliano
Alves Nazareth. Bahia).
BBONCH1T ASTHMTHICA DE OITO MEZES
Ulm. Srs. Silva Gomes & C.-Rio de Janeiro.
Felicito-me por ver annunciado em casa de
Vs. Ss. o remedio denominado Peitoral de
Cambar. Soffrendo eu de urna bronchite as-
mathica, durante oito mezes, e sem que os m-
dicos a conseguissem debellar, pois j ajulga-
vam chronica, resolvi comprar em casa de Vs.
Ss. o referido remedio e principiei a tomal-o
observando cuidadosamente a dieta e hy^iene
recommendadas e prescriptas nos impressos que
o acompanham, e no fim de pouco tempo depois
de ter tomado 18 frascos achei-me completa-
mente curado desta terrivel enfermidade. Gra-
tissimo aos introductores deste maravilhoso
preparado, pego a Vs. Ss. que dm publicida-
de a esta minha declarago, para d'ella tsrem
conhecimento todos aquelles que soffrerem da
mesma molestia.
Barreado. (Minas-Geraes,) 18de Agosto de
1888.-Joo Antonio da Silva.
muito coohecidas e consideradas.
Todos as firmas cima acham-se reconhecidas na forma da lei e sao de pessoas
O Peitoral de Cambar, soberano remedio para as molestias das vias respiratorias, acha-e approvado pela Inspectora Geral de
neiro, autorisado pelo governo federal e premiado com duas medalhas de ouro de 1." classe, pela Academia Nacional de Pars e Jury
Allem. -, ... i j
VenJe-se a 2^500 o frasco, 13#000 \2 duzia e 24$O0O a duzia as pnncipaes pnarmacias e di otarias.
E' nico agente e depositario neste estado a Companhia de drogas e Productos chimicos.
Hygiene do Rio de Ja-
da Exposicao Brazileira
23-RUA MRQUEZ DE OLINDA-23


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELUFR745M_9JWTM2 INGEST_TIME 2014-05-29T17:32:52Z PACKAGE AA00011611_17873
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES