Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17852


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i In. Gerardo Antonio Alvesd Filhoi.no Pari; Gon$alTe 4 Pinto, no Maranhio; Joaqoim Jose" de Oliveira d Filho, no Cear
Pereira i' Almeida, em Mamangaape ; Carlos Auxencio MOnteiro da Franca, a a Parahjba ; Antonio Joan Gome*,
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna ; Joio Antonio Machaeo, no Pilar d4 Aldai
PARTE OmCIAL
Goveruo da proviucia.
KXPEDIKNTE HO DM I." DE JINHO DE 1871.
1.* seccao.
OfHcio:
Ao director interino do arsenal de guerra.
Mande Vrac. satufazer o incluso pedido que fat
< commandante do 9 batalhao de infantaria, de
St) cinlurde- de couro euvernisados para musicos,
seis cadeiras de amarello coin asseuto do palhiuha,
urna marqueza e urn tamborete de amarello, tam-
tam com palhinba, em tibstiiui;ao de outros qua
par e.'tarem em mao estado forum dados em con-
sumo.
2.' seccao
Aetos :
O presidente da provincia, a vista da propos-
U do Dr. chefe de policia em oflicio n. 673, de 30
de uaio proximo liudo, resolve exon rar a pe-
dido do cargo de 1" Mipplente do subdelegado da
freguexiada Boa Vista, desta cidade, a Elysio Al-
t'rto Silveira
0 presidents da provincia, de conformidade
con a proposia do Dr. chefe de policia em oflicio
i.. 673, de 3'' de maio proximo findo, resolve no-
raear para o cargo do r sauplente do subdelegado
de policia da freguezia da Uoa-Vista, desta cidade,
0 respectivo sojpplente, Jose Candido An Mo-
i aes, e para 2 o 3", capitao Ernesto Vieira de
Araajo.
0 presidente da provincia, de conformidade
rom o art. 22 da iSi1, resolve norjear para o cargo de pronotor
publico da romarca de Goianna o bacharel Se-
Iistiao CorJeiro Coelho Cinlra.
Por portarias da mesra? data nomeou o ba-
charel Dario Cavalcante de Albuquerque promo-
tar pnblico da comarca de Pao d'Alho, e o bacha-
rel stevao Casimiro Cavalcante de Albuquerque
l. icerda para a do Panellas.
Por portaria da mesma data removeu o pro-
motor publico da comarca de Itatnbe, bacharel
1 'st- Cavalcante de Albuquerque Uchoa, para a de
Nataretb, e o de- ta, bacharel Manoel Barata de
Oliveira Mello, para aquella ; e flnalmente exone-
r?u do cargo do promoter da referida ctmarca de
Pao d'Albo o bacharel Antonio Domingos Pinto
lunior, por ter side nomeado juiz de direito da
comarca de Taca-atti.
O presidente da provincia, attendendo ao que
lequereuo bacharel Augusto Egydio de Castro
Jssus, juiz municipal e deorph Serinhiem, resolve conceder-Ihe trinta dias de
l.cenca, com ordenado na forma da lei, para
tratar de sua saude onde lhe aprotiver.
Officios :
Ao Dr. chef'! de policia. Afim de que
V. 8. tome na devida consideracao, incluso remet-
t >-lhe por copa o oflicio de jaiz de direito interino
da comarca de Tacaratu, de 11 de maio proximo
:;ndo, c >oimunican J j o facto de haver no dia ante
cedente o inspector e liscal da villa Antonio Joa-
juira Barboga desfechado urn tiro no capitao
Mariano Francisco Souto.
Ao promoter publico da comarca de Taca-
.u'i. Hecoromeulo a Vrac. que sem demora
traceda na forma la lei contra Antonio Joaquim
Barbosa, inspector de quarleirao e fiscal dessa
villa, aulor de um tiro desfechado na pessoa do
capita.) Mariano Francisco Souto, no dia 10 de
maio proximo passado, segundo cons a do officio
do juiz de direito interino dessa comarca, de 11
d" referido mez, melOsOS por copia.
Ao promoter publico da comarca de Goianna.
Km resposta ao ouch de Vmc, de 58 do mez
proximo findo, con promoter publico luteiioo oompreheudt: os cargo*
de fiscal da colleeloria e de ajudantc do procura
dor fiscal, teuho a diier-llie que o prlmeiro da-
quelles cargos o exercido pelo juiz de paz do
districto da collectiria no iuipediinento temporario
oa ausencia do Ii-;al, em quaoto pela presidencia
nao for nomeado qaem o sirva intennaraente, e
qoe o 2, aciiamlo-re anuexo ao 1", deve na
hypothese ser e&ercido pelo mesmo substituto.
Ao eommatilante do corpo da policia
A rim de ter prompta execucao a sentenca proferi-
da pela junta do jastisa cuntra o t-abo de esqua-
dra desse corpo Mauricio Jjsc da Silva, incluso
remelio-lne o respe:tivo processo.
Ao mesmo. Pode Vmc. climinar do corpo
.< .-6 seu commando o cabo de esquadra da 5*
i jmpanbia Jovenao de Oliveira Andrade, como
olicita cm seu oflcio n. 337, de 30 de maio pro-
x;mo findo.
5.* secfuo.
'Jflieios:
Ao inspecto: da lhe?ouraria de fazenda
l\>r conta do cndiii de 2:00'i-', concedido pela
. rdem do tnesouro, n. 61, de 10 de abril ultimo,
mande V. S pagar a Guimarae^, Irmio & C, a
vista da conta jujta em duplicata, a quantia da
!'7<000, provenimte de artigos que forneceu
para decorajao dipalacio desta presidencia.
Ao mesmo.Para os tins convenientes com-
juunico a V. S. que por portaria desta data foram
nomeados prom'tores publicos : da comarca de
Goianna o ba:hirel Sebastiio Ccrdeiro Coelho
atra da de I'ao d'Alho; bacharel Dario Caval-
cante de Albuquerque; e que r,a mesma data
f->ram removidos ) promotor publico da comarca
de Nazareth, bacharel Manoel Barata de Oliveira*
Mello para a de 1 :ambo, e o desta, bacharel Jose
Cavalcante de Albuquerque Uchoa, para aquella ;
linalmente qne foi ainda na mesma data exouera-
do do cargo de promot r publico da comarca de
Pao d'Alho o ba-.harel Antonio Doming is Pinto
Junior.
Ao mesmo. Tendo nesta data, de acc^rdo
com a informa^ao da V. S.,'datada de 30 do met
froximo passado, sob n. 0i8sene G, relevado An
toolo Salgado de Castr j Wanderley da multa que
lae foi impo9ta pelo collector de Jaboatao, por cao
Wf dado no praso legal a raatricula a ioganua
Vurgarida, filha de sua escrava Bemvinda, e o in
g^nu > Francisco, ri.'ho da escrava Bosa, pertencen-
t a Ignacia Leopoldina de Barros Campello, da
q lal e procurad>r ) mesmo Antonio Salgado de
Ostro Wanderley; assim Ih'o communico para
<*'. conhecimento e !in9 convenientes.
Ao ine-m,' lYaosmitto a V. S. a inclusa
i r Jem do mmisterio da guerra, de 23 do mez
proximo findo, relnivamente a importancia qne
d?ve ser abonad.-i ao alferes do '.'' batalhao de
)Sfantaria, Odilon Fiock ttomano.
Ao mesmo. Transmitto a V. S. a folha
e prets juntos em duplicata que me remetteu o
brigadeiro commandaote das arnm com ctlicio
d? boje, sob n. 130, afim ae que mande pagar
04 venciracntjs doa official,- pra^ni o calcetas
empregad^s r.o deposito de recruta?, concoraeotes
%& mez de maio proximo fin Jo.
Ao meroo. Transmitto a \. S. para os
' devidos fins 39 inclusas portarias de Mattel do
Na>cimeaioSa.Tpaio e Esluvao de Albuquerque
Mello Mootsnei{ro, agente e ajud.inte nomeados
para o correio c:a villa do Salgueiro, desta pro-
Tlncia.
ao inspector da thesouraria provincial.
Mande Vmc. en'jegar ao Rvm. vigario da villa de
Barreiros, Jeao BapMata Soares, a quantia con-
stante do benellcii de uma loteria ultimamente
extrabida, conctdicla a respectiva matriz, prestan-
do o mesmo vigario as precisas contas, nao so do
primeiro beneflcio ja extrabido, como deste, do-
poia oe coorluilis as ob-as a fazer-se ; segundo
o meudespacho lar:cad> no requerimento qae lhe
Ao mesmo. Em relacao a informac^o dessa
thesouraria, de 2o do aez proximo passado, ob o.
231, -obre o ufficio do director da colonia Izabel,
freiFidelis Maria de Fognano, declaro a Vmc. para
os devidos fius que as casas existenle* no quadro
da antiga colonia s&o dependencia actualmeote do
institute ; seodo por isso isentas do pagamenlo do
imposto de decima.
Igualm.'ntK declaro a Vmc. que na referida co-
lonia acba se detnarcada uma area deslinada a
oova povoacao, cujas casas logo que forem edifi-
cadas ficarao sujeitas ao mencionado imposto.
4.* secqao.
Oflicio:
Ao proved or da Santa Casa de Misericordia.
Fico sciente do que me communicou Vmc. em
ofJBcio de 29 de maio findo, sob u. 923.
5.* seegSo.
Officio :
Ao Bvd. frei Fidelis Maria de Fognano, di-
rector da colonia Izabel. Em solu.;;io ao que
V. Rvm. trouxe ao raeu conhecimento em 30 de
margo ultimo, relativamenle ao cobrador do im-
posto da decima, que appareceu oessa colonia, le
nho a declarar lhe que nesta data oflicio a thesou-
raria provincial, fazeodo-lhe ver que as casas exis-
tentes no quadro da antiga colonia sao dependen-
cia, a:tualmente, desse Institute ; e por isso nao
estao sujeitas ao pagamento do dilo imposto.
EXi'EDIENTE DO SECRETARIO.
1.' seccao.
Officio :
Ao Exra. brigadeiro commandaote das ;ir-
mas.-S. Exc. o Sr. presidente da provincia man-
da declarar a V. Exc. que nesta data se auteri-
sou o fomecimente ao cominaodante do 9' bata-
lhao de infantaria, dos object >s constantes do pe-
dido que vein annexo ao seu officio de 30 de maio
ultimo, sob n. 428.
2." seccao.
Officio :
Ao juiz de direito interino da comarca de
Tacaratu, Francisco Cavalcante de Albuquerque.
0 Exm. Sr. presidente da provincia man la ac usar
o recebimento do officio de V. S., de 11 de maio
proximo findo, e declarar-lhe que, a vista do que
expcz, opportunaraente so ordeoara o concurso
para o provimente do officio de 1* tabelliao do pu-
blico, judicial e notas desse termo.
4.' seccao.
Officio :
Ao 1 secretario da assemb'ea provincial. If.
120.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia reaetto a V. S. o quadro supplemenlar
da divida passiva de exercicios findos, apresentado
pelo inspector da thesouraria provincial.
5.' seccao.
Offlcios :
Ao administrador dos correios.De ordem de
S. Exc. o Sr. o presidente da provincia, declaro a
V. S. para.conhecimento e devidos fins que nesta
data foram remettidos a thesouraria de fazenda as
portarias de nomeagao de Manoel do Nascimento
Sampaio para agente do correio da villa de Sai-
gueiro e de Estevao de Albuquerque Mello Mon
teougro para ajudante do mesrao correio.
Ao Rvd. Fr. Fidelia Maria de Fognano.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, re
met to a V. Rvma. 35 exemplares impressos do re
gulamento da Colonia Agricola e Industrial Orpha-
nologicaIzabel afim de dar -Iheso cons-eniente
deslino.
EXI'KDIK.NTK DO DIA 2 DE IDNBO DK 1874.
i.J seccao.
Olficios :
Ao Exm. brigadeiro commandanle das ar-
mas. P .le V Exc. remetter para a cdrte no va-
por Para, e neste sentido ficam expedidas as tie-
cessanas ordens, os soldados recrutas consiantes
da lelacao nominal annexa ao seu officio desta
data, sob n. i3ti, com excepcao do d* nome Ma-
noel da Mora Oliveira, a uuem por cfiicio de hoje
determinei seja posto em liberdade por ter prova-
do isengao legal.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar por
em liberdade o recruta Manoel da Hora Oliveira,
que proven isengao legal.
Ao mesmo.Constaudo do oflicio do Exra.
presidente da Parahyba, datado de 30 de maio ul-
timo, haver naquella data seguido para esta pro
vine.a o lencnte do 2 batalhao de iniantaria Jose
Ignacio Ribeiro Roma, encarregado da conduccao
do fardamento vencido pelas pragas do dito bata-
lhao, que se acham em diligencia no alto sertao
daquella provincia; assim o cummunico a V. Exc
para seu conhecimento.
Ae mesmo.Convenho em que seja iucum-
bido ao canoeiro Aleixo Marques da I'.oza pela
quantia de I0000, como propoe o commandanle
da f.irtal -za de Itamaraca no officio annexo ao de
V. Exc, ae hontem dataJo, sob n. 433, o calafeto e
pinlura de qua para sua conservacao precisa a
canda empregada no servigo da referida forta-
leza.
Ao mesmo.Participando-me o Exm. presi-
dente da Parahyba em officio de 30 de maio pro
ximo Undo, sob n. 2oi>8, que fizera embarcar com
destino a esta provincia, no vapor chegado hoje
dns portos do norte, o 1 cadete do 2 batalbSo de
infantaria Joa> de Siqueira Cavalcante, o qual,
conforme s- w. do incluso termo do icspeci;ao de
sadde, nao pode continuar no service, e o soldado
Raymundo Manoel do Nascimento por ter apreseuta-
douiu comportamento prejudicial adisciplina mili-
tar ; assim o declaro a V. Exc. para seu conheci-
mento.
Ao mesmo.Em resposta ao seu oflicio do
26 de maio ultimo, s b n. 421, referente ao que
lha dirigio o director interino do hospital mililar,
commucicando a falta de comparecimento de quem
se propuzesse a fornec-r os generos alimenticios
necessarios para as diotas c ragoes dos doentes e
empregados do mesmo hospital, tenho a dizcr que,
estando a expirar este trimestre, e na i havendu
apparecido pessoa habilitada para contractar o dito
foroecimento, d*ve elle continuar a ser feito pelo
almoxarife como se faz actualmente, conviodo que
o referido director interino envile sens esforcos
afim de que no trimestre de julho a setembro pro-
ximo vind uro se consiga contractar o sobrodito
fornecimento.
Ao mesmo.Sirvase V. Exc. de fazer che-
gar as maos do soldado do 2 batalhao de infanta-
ria Tertuiiano Francisco Nery as in lusas infer
raacdes em original, prestadas pelo Exm. presidente
do Para, em satisfacao ao qne pedio a referida
praca no requerimento qne devolvo para tarabem
ser lhe entregue.
Ao inspector interino do arsenal de marinha.
Sirva-se V. S. de mandar receber do comman
dante do vapor Ipojuca, da companhia pernambu-
cana, e conservar nesse arsenal ate que possam
r remetfidoa para o presidio de Fernando da No-
ronha, a que pertsneera, uma balieira com uma
vela, quatro remos, um leme, quatro forquetas e
um pedaco de cabo, objectos estes que foram ap-
prehendidos na praia da Ponta de Mel, na provin-
cia do Rio Grande do Norte, a quatro senlenciados
evadidos ultimamente daqnelle presidio.
Ao director interino do arsenal de guerra.
Mande Vmc. satisfazer o inclnso pedido que faz
novamsnte o commanJante da forlaleza do Brum,
de vinle bracas de cabo de linbo patente de 1 l[2
pollegada de diamelro, com as pontas agucadas
para enfiar nos cadernaes, afim de serem empre-
gadas no tiramento das pegas velhas que se acham
espalhadas pela plata-forraa, visto como o cabo de
linho anteriormeote fcrnecido para aquella Gm
estalon-se em diver-as partes, por se achar rauito
reseqcldo, conforme declara aquelle comman-
danto
qua
j Antonio de Lemus Braga, no Aracatj ; Joiu Mria Julio Chf ai, no Amu; Antonio Marque* da Silva, Natal; Joti Jostjaa
Villa da Penha; Be'armino dos Santot Bui cao, em Santo Ant< ; Domingos Jota da CoU Brag a, em Haxareth \
l Alve* d C.na BaMa; A. Xavier Leite d C. v Rio Janeiro-
Ao mesmo.Nao havendo na caixa do ran-fcamara municipal da villa de Serinhaem em 23
cho do 9* batalhao de infauUria, conforme decla- lie ourco ultimo, assim Ih'o coininuuio para seu
roa o brigadeiro commandaute das ariuas em offi- Bpnheciraento e tins constanntes do officio de 16
cio de hontem datado, sob n. 135, quantitative* le setembro do anno proximo passado ; o que
para a compra de marmitods da folha, constantes lambeiu faco coostar a camara de Gamelleira am
do pedtdo Junto, os quaes sao indispenaavais para is recommen lagoes uecessanas, am ordem a se
a conduccao do raucho as re*p^ctiva pracas era rem re-p^titados us direitos de Jacinth) como le
^mMunMmmmk: diariod pernambuoo
servifo da cuarni^ao, recommende a Vmc.
mande satisfazer o dito pedido.
2.' seccHo.
Offlcios :
ao Dr. chefe de policia. Devendo reaoir se
na primeira dominga de agosto proximo vindou-
ro o Conselho de qualilicac io da gnarda national
daparochia do Tnumpbo, expe^a V. S. terminan-
te ordens as respectivas autoridaies policiaas,
afim de que sem falta nem demora fornecam ae
me.-mo conselho as listas de que trata o art. 12
do decrete n. 722 de 25 de abril da 1850.
Ao commaudanle superiir de Tacaratu.
Nao teudo funccionado na primeira dominga do
muz proximo findo o conselho da qualiiieacao da
guarda nacional da parocnia do Triumpho, em
conseqnencia de nao lhe serem enviadas as com-
petentes listas, como pa'ticipouo respectivo capi-
tao presidente em officio de 11 do referido mez,
queira V. S. providenciar para qua o mesmo con-
selho se reuna na primeira dominga ao mez da
agosto proximo vindouro, ficando inteirado de que
nesta data se expedem terminantes ordens afim
de que as mesmas listas sejam opportunamente
fornecidas por quem competir.
Ao commandaote superior da guarda nacic-
nal do Benito. Para satisfazer ao que solicita o
brigadeiro commandants das armas em officio de
hontem datado. sob n. 434, sirva-se V. S. de cxi-
gir do commandante do batalhao n 26 da guarda
nacional desse municipio que informe si o guar-
da do dito batalbio Manoel Joaquim da Silva,
quando desigoado para o service da guerra con
tra o Paraguay, apfe.-entou se voluntariamente ou
nao para marchar ; convindo accresceota, que esse
individuo, segundo declarou, era raorador no dis-
tricto de Bezerros ao tempo de sua desiguaca >.
Ao juiz d< direito da Esda. -Nao se refe
rindo as iuforinaco s, que por esta presidencia
foram exigida? de Vmc era officio do 1 de maio
proximo passado^os inveutarios procedidos por fai
jecimento dos senhores do eugenho Aripibu', ma-
jor Antonio Jo.-6 dos Santos e sua mulher, de que
tratam os offlcios de Vmc. e do juiz municipal des-
se termo, de 26 daqnelle mez, porem ao inventa-
rio respective por Irancisco Antonio Pontual, do
acervo que constltue a successao vulgarmente de-
norainaaa Frecheiras, p-rauto o juu dos orphaos,
sob a inventarianca do comraendador Joao Felix
dos Santos, queira Vmc. ministrar a este respeito
as inforraaciSes que lhe foram solicitadas no pre-
dito oflicio.
3.* see^So.
Acto :
0 presidente da provinsia, attendendo ao
qu requereu Antonio Iguacio de Torres Baoddi-
ra, 3* es^ripturario da thesouraria provincial, e
tendo em vi-ta a informacao do respectivo ins-
pector, de 27 de maio findo, sob n. 2,31, resolve
conceder lhe Ires metes de licenca, com ordenado
na forma da lei para tratar de sua saude onde lbe
convier.
Ofllcios :
Ao iuspector da thesouraria de fazenda.
A' vista do que expoz a contadoria dessa thesou-
raria no parecer de que trata o officio d V. S., de
29 do mez findo, sob n. 638 serie G, o auloriso a
mandai pagar ao consslheiro Francisco de Paula
Baptista, sob a responsabilidade desta presidencia,
nos terraos do decreto n. 2884 do 1 de fevereiro
de 1862, a quantia de 32j903, a que tem direito
o mesmo conselheiro pela dilferenca havida entre
os vencimentos de lente cathedratico e os de di-
rector interino de faculdade de direito, de 25 do
abril aie 4 de maio deste anno.
Ao mesmo. -Devolvo a V. S. os recibos que
acompanharam o seu officio de 23 de maio ultimo,
afim de ter lugaro pagamento recoramendado per
esta presidencia a 15 daquelle mez, visto estarem
disenminados os ministerios a que pertencem os
telegrammas de que tralani 03 mesmos rpcibos.
Ao inspector da thesouraria provincial.Ao
thesoureiro da reparticao da policia Caniido Au-
tran da Malta e Albuquerque, man le Vine pagar
a quantia de 24, despendida com a conduccao de
oito presos que dos termos de Triumpho e Flores
foram remettidos para esta cidade. conforme soli-
citou o Dr chefe de policia em officio o. 679, de
hontem datado.
4.' seccao.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da provincia do Para. -
Mandei para o jornal official desta provincia o edi-
tal que V. Exc. remetteu para esso fira era oflicio
de 19 de maio proximo findo, que lica assim res-
pondido.
Ao mesmo.RecebieserSo eneaminhados na
primeira opportunidade os tres offlcios que V. Exc.
remetteu em 25 de maio proximo pas-ado com
destino aos ministros brasileiros em Franca, Bel-
gica e Roma.
Ao Exm. presidente da provincia do Piau-
by. Accuso recebidos os dons exemplar.> im-
pressos da colleccao de lets promulgadas nes-a pro-
vincia no anno proximo passado, que V. Exc. re
melteu com officio de 18 de maio findo, sob
n 126.
Aoprevedor interino da Santa Casa de Mise-
ricordia. Em re;posta ao seu officio de 19 de
maio proximo findo, sob n. 1>1I, tenho a diz^r que,
ouvido o inspector da thesouraria provincial, ficam
dadas a rejpeito as providencias necessarias e de
modo consentaneo ao estad" dos cofres.
Ao juiz de paz aa parcchia do Triumpho.
Recommendo a Vmc. que forneca ao conselho de
qualilicacao da gnarda nacional dessa parochia as
informaijoes que lhe forem solicitadas, como por
lei e obrigado a fazer.
Ao t juiz da paz do districto do Altinho.
Era resposta ao sea officio de 20 de maio ultimo,
em que Vmc. diz ter remettido o mappa das con-
ciliates havidas nesse juizp no anno de 1873, pa-
ra cumprimento do decreto n. 3,572 de 30 de de-
zembro de 1865, declaro-lhe que tal mappa nao foi
enviado ; e portanto enmpre que Vmc. o mande
quanto antes.
Portarias :
A' Illma. camara municipal do Recife.Ten-
do o engenneiro fiscal da companhia Recife
Drainage communicado a esta presidencia em
officio de 27 de maio ;ultimo, sob n. 2, achar se
em estado de funccionar a latrina publica situada
na praga de Pedro I no bairro de S. Frei Pedro
Goncalves : assim o declaro a Illma. camara mu-
nicipal do Recife pira sua sciencia e fins conve-
nient.
. A' camara municipal da villa de Gamellei-
ra.Recommendo a camara municipal da villa
do Gimelleira que nao opponha obstaculos ao ar-
rematante Jaciniho Soares de Menetes, na cobran-
ca dos respectivos rendimeutes durante oexerci
cio corrente, visto como elle os arreraalou legal-
mente perante a camara de Serinhaem, a cujo
municipio entio pertencia o terrilorio que hoje
conslitne o de Gamelleira. A camara de Seri-
nhaem tera de indemnisar os direitos arramatados
que couberem a essa camara, a datar de sua ins-
talacao, e neste sentido estao dadas as ordens ne-
cessarias. Cumpre, portanto, que essa camara con-
aidere do nenhum effeito igual arremata^lo a que
porventura tenha procedido.
lirao arrematante do9 respectivos impostos mu
:ipaes durante e orrente exercicio.
A' camara municipal da v Had) Triumpho.
Devendo reurir-se na primeira dominga de
to proximo vinaouro o couselho de ijualifica-
aoda guarda nacional de:s. parochia, recom
iendo lhe que sem demora nem falta mande for-
ecer-lhe uma copia authentica da ultima lista
e votantes da mesma parochia, como por lei e
inc. obrigado.
5.' seccao.
Offlcios :
, Ao engenlieiro chefe da reparticao das obras
publicanIncluso reraello a Vrac. o requerimento
t mais papeis relatives, do corouel Jose iJavalcan-
le Farraz de Azevedo. contraclante das obras do
acudc da Victoria, pedindo rescisao do respectivo
eontrai to, afim da que essa reparticao informe
com a possivel brevidade sobre a materia do mes-
mo requerimento.
Aogerente da companhia pernambucana.
De Vmc. auaa ordens para que o coramandiute do
vapor Ipojuca entregue ao inspector do arsenal de
marinha o escaler com perienfas que recebeu da
;apitauk do porto do Rio Grande do Norte, o qual
fora appreheudido a quatro sentenciados evadidos
nltiraameote do presidio de Fernando de Noro-
nha.
Portaria :
Os Srs agentes da companhia brasileira de
navegacao a vapor mandem dar transporta para a
djrte por conta do ministerio da guerra, no vapor
Para, aes soldados recrutas constantes da inclusa
relacao nominal.
Helafdo a que se refere a portaria supra.
Emiliaoo Ferreira Curado, Hilino J .=> da Silva,
Jose Francisco dos Santi s, Leenel de Souza Ferraz,
Vicente Coimbra da Silva.
EXPEDIENTE DO SECUET.VB10
1.' seccao.
Officios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.Communico a V. Exc, de ordem do Exm.
Sr. pre-idenie do provincia e em resposta ao seu
offi.'io da hontem datado, sob n. 435. que nesta
data -e mandou fornecer ao commandaule do 9*
bata'hao da infantaria os marmitdes de folha por
elle pedides para a conduccao do rancho as res-
pectivas pracas em service da guarnicao.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia u.auJa declarar a V. Exc. que nesta data
se autorisou o f rnecimecto ao commandante da
forlaleza do Brum, da 20 bracas de cabo de linho,
consiantes do seu officio de hontem datado, sob
n. 432.
2.* secgao.
Officios:
Ao Dr. chefede policia.0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar- a V. S. que
nesta data so expedio ordem a-Utoauuraria provin
ciai no sentido de ser paga ao thesoureiro dessa
repartica- a quantia da 24*000, conforme soli-
eiiou V. S. era officio n 649, de hontem da-
tado.
Ao presidente do conselho de qualificacao da
guarda nacional da parochia do Triumpho. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S que lica iuteirado lo conteiido de seu offi-
cio dc 11 de maio proximo finJo, comtnunicando
o motive por que deixou de funccionar o conselho
de qualilicacao da guarda nacional dessa paro-
chia.
Oflicio :
- Ae inspector
De ordem do Exm.
3' secqao.
da t'nesouraiia provincial.-
Sr. presidente da provincia,
communico a V. S. para seu conhecimento e fius
convenientes que a 27 de maio fiodo assuinio in-
teriniinenH ) exercicio do cargo de fiscal da col-
leeloria do muniiipio de Palmares o juiz de paz
Alexaudrino Olympio de Hellanda Chacon, confor-
me participou em officio de 29 do citado mez.
B' sec$ao.
Officios:
Ao engenheiro fiscal da companhia Recife
Dr.-.iauge.S. Exl. o Sr. presideute da provincia
manda doclarar recebido o officio de V. S., data-
do de 27 de maio ultimo, sob n. 2, no qua! com
munica achar se em estado de funccionar a latri-
na publica, situada na piaga de Pedro I, na fre
guetia de S Frei Pedro Gonealves, e bera assim
que nesia data officiou a Illma camara municipal
do Recife a esse respeito.
Ao engenneiro fiscal da companhia de trilbns
urbanos do Recife a Olinda e Beberibe. De or-
dem de S. Exc. Sr. presidente da provincia, ac-
cuso recebido o relatorio do estado das obras dessa
estrada, datado de 13 do mez proximo passado, sob
n. 12.
Aos agentes da companhia brasileira de na-
vegacjio a vapor. -S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia flcou inteira lo de haver chegado dos por
tos do norte do imperio hoje, e seguir amanha as
5 boras da tarde para os do sal, o vapor Para ;
conforme Vs. Ss. parliciparam em data de hoje.
DKSPACIIOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 19 DE 0UTLBR0
DE 1874.
Bacharel Antonio Domingos Pinto Junior.Pas-
se portaria.
Coronei Agostinho Bezerra da Silva Cavalcante.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Barao de Nazareth Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Carolina de Almeida Torres. -Indeferido.
Candido Emygdio Pereira Loho. -Deferido com
o oflicio dirigido nesta data ao Sr. inspector da
thesouraria da fazenla.
Joao Jaime Martins Chaves.Informe o Sr. ins-
pector do thesouro provincial.
Maria Emilia de Moraes. Seja posto em liber-
dade.
Maria Magdalena da Natividade. Passe porta-
ria prorogando a licenca' por mais 30 dias.
Manoel Antonio dos Santos Ferreira.Junto a
patente.
Murillo Mendes Vianna.Informe o Sr. prove-
dor da Santa Casa de Misericordia.
Manuel de Siqneira Cavalcante.Passe portaria
na forma requerida. .
Bacharel Pergentino Saraiva de Araujo Galvao.
Passe portaria concedendo 15 dias de licen$a,
com ordenado,na forma da lei.
Severiano Vieira da Paz.Passe portaria.
Bte|>aI'liyito ; da policia.
I.' secgao__Secretana de policia de Pernambuco,
20 de ontubro de 1874.
N. 12D2.Illm. e Exm. Sr.-Participo a V. Exc.
quo foram hontem recolnidos a casa de deteucao
os s guiutes inc'ividuos :'
A' raiuna ordem, Matheus, escravo do tenente-
coronei Joaqnim do Sa Cavalcante de Albuquer-
que, vindo de Sergipe como fogido.
A' ordem do Dr. juit de lireito do 1* districto
criminal, Paulino Antonio do Carmo, como indi-
ciado era crime de roubo.
Dens guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. cora-
mendador Henrique Pereira deLucena, digno pre-
sidente da provincia 0 chefs de policia, Auto-
A' camara municipal da villa de Serinhaem. -
Tendo nesta data deferido o requerimento do b*'o Francisco Correia ae A'raujo.
Jaciniho Soares de Morfezcs, sobre quo informou a I ------
(AGENCIA TELEGRAP1UCA HA.VAS-REUTER.)
IfomftM Mb. !%\*%\
I'aiiM SO de oiiluhro. \;i eli-i
cues do deputadoit :i assenablea
nacional conseguiram victoria os
eaadiilatos eleitoraes nos departa-
naentos dos Alpes Marllimus e do
Weine et Oisc.
Rio de Janeiro ZO. Checaram o
pat|uete In^lez da real mala BOYNE,
proredente dit Rio da Praia, e o ia
por CITY OF PEK1S. ftahirnna boje t
para Pernambuco pela Bahia o
pauurle Inslez. da linha do Pacill
co, ACONCAGUA, e para os portos do
norle do imperio, o paq[uelc brasi-
leiro CEARA.
Kiihla SO. U vapor Ingles GALILEO
e porlURiics ALMEIDA GARRET sahem
amanha para Pernambucn. 41 pa
quele lu-asili-ii-o BAHIA sahio hoje.
COHMKHC i\i;.
Londrea 19. Consolidados de 3
O/O, FOB ACCOUNT* a 99 5/8. Fundos bra
sileiros de r, o/O. do anno de ls;r..
a !>s i ditos do Uruguay de G O/O. do
anno de 1891, a 05 i dilo* ar
--lino* de 6O/O, doanuo de 1891,
a SS. Hercado do cafe lii-nn-. Mer-
cado ill- assucar inalterado.
Xew-1'ork 19. Cambio sobre Lon-
drea 4 85. Oiiru I to. Cafe do
RioiAin a i 1/8. e good a 19 cents
por libra. Algouao mediano UPLANDS
a 15 1/8 enrrs por libra i as cbega-
das de hoje aos portos america-
nos elevam-se a dezeseis mil far-
dos.
Liverpool 19. \ mercailo de
algodao offereeem-se francamenle
todas as qualidades i elevam-se a
doze mil fardos as vendas de boje.
sendo mil e seiscentos de proce
denria da America do Sul i o fair de
Pernambuco e de Haceio a H d.. e
o de Santos a 9 t/8 d. por libra.
Hercado de assucar inalterado.
Anluerpla 1 !?. Sierra do de cafe
quieto : o dc Santo* bom ordinario
(le IS a 4.9.
Havre 19. Mercado de cafe Qr-
me.
Bio de Janeiro to.-Cambio sobre
l.ondres t0 3/8 d. bancario. e SO
3/4 d. particular
llahia SO. -Cambio sobre Londres
'Hi 1/9 d. bancario, e *!; r. s cular. Cambio sobre Paris 300 reis
por franco.
(AGENCIA AMERICANA.}
Buenos-Ayres 19.Ainda naJa de posi-
tivo, relalivamente ao ataque da cidade,
que se d'u ominente ha cerca de tres dias.
EstlLnie parecendo mesmo que nao serd tao
cedo, pois agora veciSco, por inlormagoas
exactas. que os rebeldes estao ainda acam-
pados 17 leguas distante desta capital. En
cerrou se o congress". 0 presidente da
republica, Dr. Avellaneda, recebeu ante
bontem o corpo diplomatico que o foicum-
prirnentar pela sua ascens5o ao supremo go-
verno do paiz. Foi pubiicado um daereto au-
torisando a quem quer que seja a capturar
os navios que tiverem a bordo armamento
ou munie/ies para os rebeldiis, ftcando-lhes
pertrioceiulo o navio e toda a sua carga,
sera consideracao i bandeira que bastosr.
Outro decreto concede o premio de 120
contosde r6is a quem capturar a canbonei-
ra rebelde PARANA'.
Montevideo 19.0 governo propoz ao
congresso emittir i.OiHi.OUO de pesos pa-
pel. ^0 vapor enmprado pelos iusurgentes
argentinos, sabio durante a noite de hon-
tem, levando a reboque dous hiates com
armaraeoto e munigoos de guerra. Sahio
ante-hontm para Pernambuco a polaca
hespanhola MODEST A, com i,500 quin-
taes de carne secca.
Madrid 19 de outubro.0 governo aca-
ba de ordenar a mais rigorosa appiicagao
do decreto de 21 de Janeiro deste anno
contra os carlistas. Estes tentarara ante-
hontem tomar de sorpreza a cidado de iie-
rona, mas foram repellidos com grande
perda. Nao podettdo tarabem eutrar na
cidade de Pamplona, cortarara o encana-
inento das aguas. na esperauga de forgar os
babitantes a renderera-so pela sede; mas
estes preferiram beber a agua insalubre do
rio, e assim o estao fazendo.
Paris 19.As contributes directas, du-
rante os nove ultiraos mezes deste anno,
apresentaram um excesso do seis milboes
de francos. Terraiuaram as eleigoes dos
departamentos, para membros da assem-
bled. No Seine eOise o candidato repu-
bhcano obteve 58,000 votos e o bonapartis-
ta 4i,000. No Pas de Calais o repubh-
cano teve G 1,000, o bonapartista 6,500,
e o legittmista 17,000. Nos Alpes tnariti-
mos vencerara as candidatures chamadas
francezas.
Lisboa 20. 0 soldado que assassinou o
alferes Brito se & provavelmente fuzilado.
Liverpool <9.Algodao : mercado firrae;
venderam-se hoje 1,600 fardos de proce-
deiicia,brasileira. Assucar : sem alteragao.
Couros : afrouxando.
Londres 19.0 mercado, tanlo de gene-
ros como monetano, conservou-so inalte-
rado.
Havre 19 Cafe : vendas dc hojo 3.V00
saccos, sendo 1,100 do Brasil. Algodio :
venderara-se 800 fardos ; o de Sorocaba de
91 a 92 e o de Pernamuuco a 94. Cacdo :
calmo ; cotou-se de 68 a 69. L8s : Qrme.
Rio de Janeiro 20. -Cambio sobre Lon-
dres 26 1|2 bancario e particular, Sahio o
paquete CEARA' para 9s portos do norte.
ftF.ChVE.2t DE OUTUBRO DK I87i.
\oticias ds sul do iutperia.
Aimnhpceu hontem era oosso porto 0 vapor
francez Vilte de Bahia, truemto jorn<-> do(Ri-
de Janeiro o> II, 12 e 13 ao corrente. Deiles extra
hiino* a* noiieia* que vao publicadas sobre* a ru
brica Recistu Diaria, e mais as seguintes :
RIO DA PR ATA.
D.imos em seguida mais alguns docunient;
sobre a presente re^olucao argentina :
0 mJQutrj italiano dirigio ao.< seu* compathota*
uma iToclama.;;i-i, na qual re:oramenda<4ne*:
Que a emergencia em que se encootra Bue
nos Ayres e cbeia de amear 13 e de perigos.
Que a attitude dos eslranieiros nesta grevn-
srna situi.ao esta indicala pela ODciencia oo-
bons e peU? lets em vigor nit republics.
Que acolhidoi pelo povo argentino, como ele
meoto ue ordem e de ri>|ueta nacional, sejam
quaes forem a* visis.-i'.tides politics do paiz, m
devem elles preoccupar se com o seu traba-
Ibo.
< Elemento de paz e de ordem, diz 0 mioatrc
italiano. 0 estrangeiro esta convidado oaturalmeue
para iolluir pelas suas t ndencias c oservadoras e
para mitigar os damnos reulintrs das convulsfies
politicas que pert'irbem a genero^a nacio que os
hoipeda.
Os italiauos, que por seu numero e c,odici.es
sociaes, represeutam aqoi uma for.;a poderosissima
e estao ligados por granies e multiplos interesses
ao povo argeouoo e a sorte do paiz, deve manler
se ua linha de proceder que Ibes e mdicada pelcs
>eus interesses e precedentes, pWa sea cosdicic
Je otrangeiros pelas leis locaes e pel* viva es-
perao^a na qual se associam ao pervir politico
econumico da (lepublioa Argentina.
Conftiluindo elles 0 maior numero de resi-
dentes estrangeiros, devem ser os pnmeiros em
Jemonstrar com 0 exemplo qu amain as institui-
edai do paiz, que buscam minorar os males de qne
elle f victnua, de ra >do que a autondade cons-
tituida possa descansar e confiar nelles, 00 seu
respeito as leis e na sua rigorosa absteo-
cao.
aos ilalianos prejuizos e males inalcoUveis e dere
commendar-ihes a mais ,-tn -ta neutralidato.
<( Italianos I Allendamos aos BM js interests,
nao tenhamos a minima mgerencia nos partido>
pvltticos que tem caracter essencialmente local,
nao tomemos parlido nem pelos guelfo* nem pe-
los gibeHinos; respeitemos a auloridade local e as
leis do paiz; deste modo nem os vence lores nem
os veucidos poderao queixar-se de nos.
O governo da republica expedio os seguintes de-
cretos:
a Secret tria do governo. Buenos Ayres, 27 dt
setembro de |87*. Aos cliofes de regimenlos, ba
lalhoes e e-qu.i Iroes da guarda mobilisada da ca-
pital.
Communico a V. que 0 governo r^solveu or-
denar as coimnissuea que rondam a cidade que se
absleoham de conduxir aos quarteis as p ssoa.*
que constar pertencerem a outra nacionalidade,
son pena de responsabilidade se e.-te abuse conti-
nuar. Ueus guarde a V. A. del Voile.
Buenos -Ayres, 27 de setembro de 1871 Rt*-
particio d governo. O poder executive d* pro-
vincia resolveu e decreta:
Art. !. Todo o sargento, cabo, ou soldado
da guarda nacional, que tenna feito a campa ba
do Paraguay, e tenba isen^ao do ser-ico. recebera
um premio de mil pesos m/c, se alistar se espoo-
taneamente e u quaiquer dos balalbdes mobilisa-
dos, conservando o seu eareCBf de guarda nacio-
nal e a sua isencao, logo que de novo sejam li-
ceociados.
< Art. -'. C^mmunique-se ao commando geral
para que de a ordem do dia correspondents, pu-
blique-se e insira-se no It. O.-Barik*, .1. del
Valle.
t Buenos-Ayres, 27 de setembro de 1874. 0
poder exeoutivj resolve e decreta :
Art. 1.* A coo'.ar desta data, 0 commando
superior da guarda nacional, podera aceitar estrao
grirosem subslituirao dot guardas, que coosulere
terem molivos especiaes para nao podcrcm coacor-
rer ao service diario dos quarteis.
0 Art. 2.* Esses estrangeiros sera > consid-rado*
de linha, e deverao coatratar-se pelo tempo qoe
durar o service da guarda nacional.
Art. & 0 commando da guarda nacional pora
a disposicio do governo, diar ameote, os estran-
geiros admiltidos.
Art. 1." Coininuni |ue-.-e, publique-se e 1 ult-
ra se no K. 0. -Barros, A. del Valle.
0 Sr. Mitre y Vodia, Hlho do general Mitre, Die
foi preso, e contiaua a exeicer 0 cargo de consul
do Estado Oriental, como se v.'- dos dous oocu-
mentos segmnte>:
c Consulado geral da Republica Oriental do
I'nguav. Buenos-Ayres, 29 de setembro de
1871.
Senbor ministro : Dediquei 0 dia inteiro .de
uontem em fazertodo 0 esforcu para livrar.do serTi-
;o das arm as aoscidadaos orientaes que naviam side
ainda que indevidamenle, aprisionado* pelas patro.
Itias ^ue percorrem esta cidade e seus arrabaldes.
relirando-ue para meu domicilio depoisda meia
noite, eem ter cooseguido maior resullado do qae
a formal promessa das autoridades, de que t ima-
riam uma medida geral, tendenle a eviur no fa-
turo taes abusos.
a Sorprendido agradavelmente esta raaoUa. com
0 decreto que em copia legalisada aeompanhoo.
sahi immediatameato a percorrer os quarte s para
certiQcar-mc do cumprimento, pelo que respeita
aos orientaes deiidos, do qoe nelle se dispr<, aQji
de reclamar ante quem corresponda, para qne em
acto cootmuo sejam poslos em liberdade.
a Sando a V. Exc. com a mais distiocta consi-
deracao, subscrevendo me 0 seu mais attento S. S.
-B. Mitre y Vedia. t
c A S. Exc. 0 Sr. ministro das relacdes exlerio-
res da Republica Oriental do Uruguay.
"i 0 consul geral da Republica Oriental do Uru-
guay, a seus concidadaos residentes na Republica
Argentina. -Compatriotas. -0 vosso dever sagra-
do nas actuaes circumstancias e permaneeer wu-
traes na contenda que se inicia, sem tomar parte
directs nem indirecta nossuccessos politicot, evi-
tando ate as apparencias de alistamento em parti
do algum, procurando nao dar motivo da se tor
nar suspeito, absteodo-so de ferir soscepUbiiidades
o amoldando strictamente a vossa eonducta com as
leis e disposic5es vigentes.
t Fazei isto, e sereis respeitados em vo*sas p<
soas e ioteresses. Segui este caminbo e se fords*
maltratados, vosso governo aceudira solicilo e
pressuroso, por meio da sens represenuntea a
prestar-vos decidida proleccao e a fazer viler os
vossos direitos.
Obrai por oulro modo, tomai a menor parti-
cipacao nos successos que se dssenvolvwn, ajsnuv
uma attitude, sequer, duvidosa na uta, e de ada
vos valera depois o iitulo de oiientaes para eva-
dir-vos da responsabilidade de vgssos aclos. Vos-
so consul geral t amigo. B. Mitrt y Valid.
C0YAZ.
Dalas ate de setembro.
Fallfcera 0 cap'tao Francisco Joso de Barros.
L6-te no Correio Official:
a Ho dia 31 do passado deu por xtmcU a sec-
cao de estatistica e concluidos ot trabaUsos do w-
censeamento na provincia.
t Na mesma data e em vi-ia da reaoluiiao |M-

r


Diario de Pernambueo
v'mcial n. Mi de 10 de i/aeho do corrente, cieoa I lido para a colonia
09 dous lugares da olaeie! maior e afudanto do ar- dia 24.
cbivista, seWo omeado' para o t* o Sr. Joaqnim
Augusto Teixeira de Carvaltio e Silva, qua era ar
chivista, e serve reparticao desde o anno de
1856; e para o !' o Sr. Joaqnim Manoel Corrda.
Para o Ingar de'nrchivisia foi nomeado o Sr. Jose
Gantagi Socrafc* de Sa.
RIO GRANDE DO SH1L.
Dates ate 6 to corrente.
Ja'se achav; de volta a-capital o pressdante
to drversos estabefeeimentos do Pelotas e do Rio-
irande.
Healisara se a inauguracao J is trabalhos da
lesobstruecao do Sangradoaro, coin a assislencia
lo presldeute da provincia, de diversas autorida-
dei e grande numero do seuhoras e cavalheiros.
Tambem fora inaujurada a illuiainacao a gax
<3a cidade do Rio-Grande.
. 0 tribunal da reJacio, depots de haver conee-
dido ordam de knie-TS -corpus, resolveu mandar por
em liberdade as muckers Catharina e alargarida
Sehn.
Lc-s'e no Jornal da Commcrcio de Perto Ale-
I 0 Sr. Joss'Pmira da Silra Port), qae residio
pDr muito tempo nesta cidade, e ultinnmento era
uma das ilhas fronteiras, snjcidou-se enforcaado-
se.
0 iofefe soffiia ha algara tempo do desarranjo
mental, e to seu suicido nao sc pode attribuir ou-
ira causa.
Cons*! nos qne pr 5. Exc. Rv.na. o Sr. bispo
iiocesano foi negada encorumendacao ao seu cada-
ver ; mas, como o iitfeliz era irmio das almas, le-
va sepultura em sagraito, em um:t das catacumbas
Jo cemiierio daqueilu ir:andade.
Em deftaitiva, os (wjudicados foram os <3aio-
lumentos saceril ittjs
Tambem sui:idou-se nacilale do Alegrete,
dando um tiro d* rew-.'wr no ouvido, o alferes do
i batalhao de in'antaria lacirrtho Godinho Valdez,
aatu-al de Porto Alegre.
Motivoasemalhauto acto de loucura o lor se
lesfeilo o contra'.) de < lament a do referido alfe-
res, por pane da fiiui'ri da iioiva.
K' de lamon'ar (tit* par lad futil motivo, um
joven que enaetava unn carrelra brilhunte arras-
aasse saa proprif. existen :ia e com ella as mais do-
ces esperancas do sua deolada familia, que neste
momento prant"-1 a perda do ente caro que tao
prosaicamente abaalcnoa este muudo.
Das fulbas da capital copiaraos a seguintc
noticia:
Ante hontetr, 85, havendo um bade em casa
de um individuo de nome Alberto Mayuo, residen-
te na pra<;a da llarmouia, perto da fahrica de cleos,
a nao tendo sido convidado para cssa festa o alio-
aiio Cart filha desse individuo, licou ello tao desesperado
que foi a dita ca^a o disparon u n tiro no seu fu-
:uro Siigro, ferin lo-o gravemento.
A lonsequereia d<-sse acto de paixSo ou Ion
'lira, como quizerem, lui ir Carlo? direitinlio para
a policia, onde e:da re=pondendo ao inquento.
Carws Valla!!), s'.gundo declarou ao Sr. dele-
gad" de policia, f xercia a prolissao de ateiteiro.
A camara municipal do Pelotas conceiou a
liccaca que solicitor a companhia de ferro carril e
oaes de Prlota, para esteader- seus trilhos pelas
ruas de 9: Miguel e Impcrador, com a claasula,
portal, da serem cullocados a um la-Jo da rat, de
forma a nao estorwr o esgoto das tgaas.
l'enlo sido, porpirtaria di seorettrit do bi?-
pada, suspenso do exercicio de suas funcroes, por
tentjio indetermiaado, o Rvd. vigario da parocbit
da cidade do Rio Grande, padre Ibsc Maria Laina
^io de Mattos, o irtisti, puldicou o segorate :
a S. Exc. Hvma. o Sr. D. Seba^tiau Dias Liran-
j-ira acaba de re:on?iderar, jnljanlo de nen mm
effeito, o scto quo su^ponJia das func^oes ss>cer-
dotaes o iilustrado vigario Sr. Damasio de Mai'os
Para isso eoacorre), a!cm de plena justifiet
flo di; sua inoocencia, umi rcpreseat.i';ao da ?e-
neravel ordem lerceira doCarma, que ten t'avora-
vel dtrerimenlo.
Apraz-uos actieiar o facto, porque importa em
am acto de jasti; a, em uma mordaca inposta aos
c^lumniadores e invejosoa do laleoto daqu'ille illus-
ire userdote, a cuem, omo amigos, cordialoiente
"elicitamos. i
Le se no AcUita do Rio-Grande :
Joao Menino era um africano que falleiera
on !COann)s. A M&a que da esta noticia ac-
er-:enta:
E' realmento um caso notavel morrer um me-
mini com a ninliaria da 100 annos, porqae, se che-
gas^ a velhice, com quo idade morreria clle ?
Diz o Join.I di Commcrcio de Pelotas:
Assuiiga'y, regressara no, Foi trsnsrerido da I* oor l1atalhao
de infantana para a I* comj,ann>* da H \U owi
Rnassamira ocirgo d rtefo depoHna'ti
Dr. Salvador Pices dc Carvatoo aAlbuquarqua Ja-
niof.
Lti so ao Dextnove ie Dezembro:
t'Um telegramma' de Antoniaa noticia nos qae
acaba ds ser descobetta aaquelle districto, por
Jose de Assts Teixeira Benedicto Cruz, uma im-
portante mina de ferro, a que donominarara Novo
Mundo.
hriose urai aula nocturna -com 12 alum-
nos, regtda gratuitaraente pelo professor Nivaldo,
em Voluverava.
Fa-Hecera nacadeia da capital 3 alienadj Je-
ir arms, o'oapilaa Lino August. Ue Girva!hs
Cone*loraiu- p.wM de maj >r di
exercno o capiae Tefonuado do mesmo exercito
Jos6 de Mello Pacaeca da Receade. em titencao aoa
guay e de. eonfortnidade com a tramediata e impe-
rial csolurao de 30 de seterabre ultimo, tomada
sobre consllt do conselho supreme railitar
Foram csacedilas, aa forma da iaamediata e
imperial resolucao de 5 de abril de 1873, tomada
sobrecoawlu do conseloo supremo militar, e das
disposicoes do decreto a. 5,IS>8 de 4 de dezembro
de 1872, as hporas dos poslos militares, abaixo
' declarados, aos segaintos individaos :
5tiina do Coulo.
As reoarlicoes Qscaes de Paraaagaa rende-i De capitto. Ao caprtio em eoramissao, 2" offi
ram: a alfandega nosmeies de junho Ii:183j868, cial da reparticao fiscal jtato adivi-ao estacionada
julho 13:833j7S1, agosto 23:78i*990 ; a coliecto-' no Paraguay, Jose Guilherrae Rodrigues Pereira,
ria, no3 mesnto3 mezes, junho 4:467^323, julho, em attencao aos bons servi^os que prostoa na ul
4:6904314, agosto 7:823*881
Tem saaida crva matte de Janeiro a 17 de
setembro para o Rio da Praia 5,916,619 kilogram-
mas, para Valparaizo 2,483,704 ditos.
tima campanba e aos que cootiniia a prestar na
qoeHa reparticao.
Do tenente : ao ex-tenente graduado 3 ofQcial
da pagadoria militar do 1 corpo da exercito em
0 mercado da capital renleu no mee de se- opera:5t!s, Laiz Pereira Marqnes Pilho, em atten
tembro 336*450. cao tambem aoi boas servicos qne prestou aa cam
Diz o Dezenove de Dezembro do Parana : panha da Paraguay.
l'e.'a? mesmas razoes (jue molivaram a stis-
peasao do Rvd. padre Josd Maria Dama-io de Mat-
us, vigario desta parochia, fji suspenso o Sr. pa-
dre Jo?6 Rernardo Cairo Quinterio, vigario da fre
guezia do Roqueirio.
Fallecera do hexigas, na capital, o preso B.?r
nardo, escravo de tenente Marianno lose Pinheiro,
condemaado a pona do morto pelo jurv da Encra-
zilhala, a 18 dc abril da 187!.
Segand) ania corrospoadeneia do Novo Mun-
do a > Bote de S. Leopollo, grassa c m inteatidade
naqaelle lagar a epidemia das bexigas, tenloja
Jallecido, alem d-j ositros, victimas dessa terrivel
enfermid ;de, tre;o filhos e netos de Jacob Mailer.
As folhaa da Jagaarao dao as seguintes noti-
cias:
t No dia 27 c Dr. Rufiiio Tavares de Almeida
<>\ acommettido por uma praja de policia, que se
acbava em cumrleto estado de embringuez.
0 facto deu se as 2 boras da madrugada, ho
rj em que se retirava aquelle doutor do um sarao
Pacheco, e do*qual pode .-ahir incolume, vulundo
depola de acomnettido para a casa de onde tinha
valiido.
0 aggressor, p fern, o perseguio, o qae deu
lagar a que divcrsas pessoas tenlassem prende-lo,
e entre ellas o i-ffendo Sr. brigadeiro Pacheco,
qae com difli^ullade conseguiram.
t Antes deste fact) ja essa pra^a tinha tido um
copflicto com um Bernardino, ex alferes do J ba
talbio, e targeato Aluerto do a" regimento.
Naquella afgressao estava essa praca armada
de ama espada, de que occultaa:e;ite lancou mao
ao quarlel.
Tinha appa.-eeido no paijo da Areia, cm irente
a chacara do fioado Raphael de Scuza Neto, o ca
oaver de um homes), que representava ser ainda
raoco.
0 delegado de policia, tomanio conlieeiinenlo
do facto, procedeu ao competente examo cadave-
rico, cuja identi Jade aSo pode veriGcar se.
Resultuu des.ve exarae que o faliecimento foi
por asphyxia por subrnersio. Fi encontrado em
-ua algibeira uma carta escripta em francez e da
Franca, pur seu irmao. Foi eocontrada tambem na
algibeira uma c.irteira e denlro endereco3 de car
las a Joao ',aiz Aathonard. E' pestoa desconhe-
cida naqueila cidade. Dessa crla prccuraremos
esclarecimentos para transmittir aos aossos leito-
res. Esse cadaver parece occultar osegredo.de
um mysterio. i>
A grande alllueasia de bolivianos (aeeit de
prata assim denominada), que eirculava aa praci
de Pelotas, occasionava algumas diflicuWades ao
commercio. E. iquant) uus negociautes obriga-
vam se a reeeber aqueila tnoeda no valor de40
reis, allegandc a baixa de pre no que se Ihe dora,
outroa a recebem n valor de 800 reis.
Falleceram, no Rio-Grande, C. Uaril das
Dores da Trindade Mello, vuiva de Joaquirn Miooel
da Trindade, e a*6 do Dr. Emilio Vaientira Bar-
rios,, na idade do 84 annos: D. Maria da Ci ncei-
3ao Fernandos Riseiro. esposa do capitio M.noel
Jose tecnande* Ribeiro, commandaote do ucstaca-
mento do linha, a D.Joaquiua Maria de Lima Ger-
mano, esposa do cidadao Antonio Leoaardo Ger-
raano ; em Pelotas, o cidadao Reduzido da Silva
4>rui; e em Jaguarao o primeiro partidor do iuizo
do orooios, Angitsto Pereira de Carvalin.
MOtAt-OOMB.
Refere o Fharol dc Juiz de Foia, e:.i data de
11 do corrente:
Apppareceu nesta cidade e apresenton se aoj
delegado de policia, pedindo soccorro, uma e.scra-
va de cdr preta, idade 20 annos mais ou m-mos,
coberta de andrajos eirazendoera unit perna uma
pega do ferro pe lando eerca de S kilogrammaa.
a Apresentava em todo o corpo, compreheaden-
do bracos, perna?, maos o cabecs, aignaes de cas-
tigos excessivos, recentes eantigos, (eilos com pal-
matoria, chicote, etc., etc.
. Nas Dtdegas ate as curras, apresentava ex:o-
riacfies profundaj, quo inspiraam horror aoa es-
pectadores.
0 delegado de policia mandon proe^dor ao
auto de corpo de delicto.
SANT^ CATJUBIMA."
< Datas ate 8 do corrente.
Por sentenca do jaiz de direito sabsJitaio da
comarca da capital, (oi declarada nuila a sentenca
do abertura de fiUloocia do negociante Jaeiotbo:
yam da Lui, por incompetent do iuiio. em ra-
zio da alcada. '
PABANA.
Datas ate 9 do corrente.
t Appareceu morto em sua ca=a a raa das Flo-
res o ourives Candido Carneiro Lobo.
Este individuo ha muito que se havia imbuida
da crenca da descobrlr o motu coatinuo, alira de
fazerjus ao premio que na Europa se offerecia
a q icna inventasse es^e engenhoso conmetti-
mento.
Abaadonanlo familia o Lea', applieou se de cor-
po e alma a essa erapreza. A idea que o preoc-
cupava tornou-o inoaomaniaco e nesse estado o
veio encontrar a morte. Trabalhava so ate dez
horas e dava ao corpo ligeiro repouso para reco-
megar no outro dia sua ingloria larefa.|Foi o can-
sa^o aggravado sua Jindigencia que poz terrao
aos seus dias.
A autoridade policial procedeu a corpo de de-
licto.
s. PAULO.
Fallecera na capital o cidadao Izidoro Jose
Pereira, rosjor da guard* nacioaal, director do in-
ternalo Izidoro e ahi professor de diversas ca-
deiras.
Lose na Imprensa, de Santos :
a A Sra. baroneza de Embare fez doacao de an
orgao harmonico para o sorvico religioso da ma
triz desta cidade, qua na opiniao dos ealomlidos 6
uma dadiva preciosa para o iim que foi destiuada.
Nos assim ponsanda acompanhamos ao Sr. vigario
no agradecimento que em nome da sus paroehias
nos tez na mesraa matriz no dia 4 do corrente, na
estajao da missa, onio tambem ouvimos os soas
harmoniosos do orgao offerecido.
Diz a mesma fi Ilia :
No dia 30 do passado, ashando-se granle nu-
mero de macons e oatras pessoas na igreja matriz
para tssistirem a missa que a loja lua^onica de-ta
cidade inandava celebrar por alma de seu irmao
Dr. Joaqaim Xavier da Silveira, o Sr. vigario Sci-
piSo pr ihibio o Sr. pa Ire Luiz Alves da Silva d -
rezar a dita missa, allegando ter sid) ella encom-
raendada gela maconaria, por ella aununciada, e
a missa nao f>i celebrada.
' Assim pois, um Sicerdote christio prohibio
saffragar-se a alma de outi'o cflrfstio !!!!
Adrairarads qae o Sr. Scipiab, ainda ligalo a e<-
ta sociedade pelos seus iarament)? (porqae ainda
nao abjurou) fosse o primeiro a disparar o tiro
contra es'a inst tuicto, cuj is lias S R^ma. bsm
conh.'ce, nao s6 por ter estado ligado a loja* mui
tos annos, mas tambem par ter nellas exercido
cargos importantes.
Escrereram de S. Rojue :
A variola qae iavadir.i esta sidaa*, lean, mas
fatalmenti*, apos enganadora remissao por alguas
dias, rearudesceu com extraordiqaria intensilade.
0 povo esta 3terrado e com razao, nao sd por
ser a primeira epideraia quo ajui se descnvolve,
como pur sua* proporcdes vastas e assustadoras.
H )uve momentos de desanimo, em quo os ca-
daveres quasi Oearam insepultos!...
t N i meio de goral desolucao e agralavel ro
gistrar alguns ittos, assis dfgnos do louvor- 0
Revl. vigario, nao sd prohibio os dobres de sino
(rn-dida de alta convenrfneia em uma quadra cpi-
deroica), mas ainda tem percorrido as ca*as dos
eafermo*, levando-lhes a santa consolacio das pa-
lavras de Deus.
" 0 oommendador' Fleury, apezar de urgente
nocesslJa le que tinha da ir a corte, renun^iou a
lieenfa quo obtivera para este Cm, e reassumio a
jurisdie;ao de juiz de direito para nao abanlonar
a sua comarca ni hara do perigo. 0 presidaote
da camara Sr. Lima, o engenheiro Dr. Horacio de
Magalhaes eo Sr. Goata Hunit, abrazados no sin
to fogo da caridade, promoveram uma subscrip-
Qao, que ja se elava acerca de 2:000*090, para o
tratamento dos indigentes accommettidos da va-
riola.
a 0 Sr. Maylasky, presidente da companhiaSo-
rocabana, ao saber que esta cidade estava con
verlida era vasto hospital, telegraphou de Soroca
ba ao Dr. Hondo, ofl'erecendo 200,,000 e a con-
tinuacio de seus valiosos servigos. 0 Dr. Bora
cio, alem da quantia que subscreven, declarou
que, esgotada a snbscnpcSo, reservara do sea or-
denado de engenhanheiro da compauhia Sorocaba
na a quantia que for restrictamonte Indispensavet
para as sua a despezas mensaes, e dara o resto pa-
ra soccorrer oa pobres variolosos.
a Outro cavalheiro tambem declarou a eommis-
SM que elevara a sua assignatura al6 2:0005000,
logo que necessario seja. 0 dig'no provedor da
Miseri^ordia, o commendador Manoel Ionoccncio
maudou para o lazareto camas de ferro, colchoes,
etc. 0 Sr. Villaca, nomeado pelo presidente da
camara para director do lazare'.o, tem desempe-
nhado esta arJua inissao comzelo eaclividade inex-
cediveis.
No Amparo o Dr. Francisco de Assis Peixo-
to Gomidee tenente Antonio Pires de Godoy Jorge,
tomando so'o sua protec^ao a escravasinha quasi
branca, de nome Ambrosina, de idade 9 annos,
mais ou menos, que fora aqaella cidado esmolar
para a -ua liberdade. reaniram em pouco tempo a
importancia pedida para a alforria e a depositaratn
judicialmente.
.Voticia o lpanema do Sorocaba em data
de:
Hoje 30 de setembro, aprcsentou-3e ao dele-
gado um pardo de nome Simao, escrrvo de Anto-
toaio Martins, deste municipio, em mi-ero estado,
teado as nadegas apodrecidas pelo excessivo cas-
tigo que soiTrera, pelo que fogio, vinJo apre-ten-
tar-se a autoridade M.s, ao qua suppoe se cons-
Undo a este que o senhor do escravo o oatras pes-
soas estavam de emboscada, na sahida da cidade,
e b^o se commiserando do estado do escravo, qae
mal podia anlar disse-lhe : Nao poso Jar provi-
dencias, esse negocio nao e comraigo, va ter com
o juiz municipal qae se acha na chacara, va que
nada Ihe succede, o menino ira com vosse. E
effeetivamenle o menino segue a Simao a casa do
juiz, e perto da residencia deste foi e:le agarrado,
amarrado com brutalidade e conJuzido para o si-
tio quasi a rasto. Diz se qne o delegado sabia da
emboscada quando mandou o escravo.
Fura preso em Campinas, no dia 4, um indi-
viduo chamado Francisco Jose Bernardes, por
ttntar maeular uma menina de 6 annos, que lica-
ra gravemente offendida.
0 director da colonia do Avanhandava es-
creveu em 23 do passado :
Temos estado aqui em maitos sobresaltos por
causa dos bugres, puis ja mataram am bomem ao
carainho da roca, e teem apparecido em diversos
lugares: o povo qne ja andava um poueo desani-
mado, agora esta completamente, e as mudaneas
dao se diariamente, pois nao ha seguranca pes-
soa!.
Fizeram-se doas reconhecimenlos a noder de
miobas instancias e despezas a rainha cast's, e ve-
riflpu-se que a tribo de bugres e muito grande,
e sao djus partidos Chavantes e Gaaranys. Eu
fui a maa dessas expedicoes o achamos doze ar-
rancharnentos proviaorios, varios objectosdeixaios
em camiaho, e o chape j do bomem que elles ma
tarom ; emfim, e uma deeordem. Hojaettou ren-
nindo a poaca gente que re-ta para fazermos ou-
tro reconbecimento em outro p auto, qua supponho
ser occupad.. pelos Coroados.
RIO os j a skip. a.
Foi nomeado cavalheiro da ordera da Rosa
o engenheiro Roberto Cunningham, em atteneSo
ao relewnto servieo qae prestoa ae Estado na exe-
euca-i do novo dique da ilba da Cobras.
Por portaria de 12 do corrente, foi nomeado
o agrimentor Rodolpbo Coaracy da Fonseca,. para
servir em commissao na eolonia de Santa Leopolds
na, provincia do Espirito-Santo.
Por portaria da mesma r.-ata foi exoneraoo,
a sea pedido, o agrimensor Luiz Cabral de Mene-
zes, da commissao em que se achava na colonia
de Santa Leopoldina, na provincia do Espirito-
Santo.
Poc- decretos de 7 do corrente :
Foi promovido de conforraidade com o decreto
3,168 de 29 de
borfa servlcos tpts prestoa na campaaha do Para- nuenio das construccSes navaes modernas, bio po-
- dia ser illudida coaa uma doca de estacas lateraes,
pela natureza do leito do mar na direccSo do mes-
me diqae, que e de rocha tambem.
Procura-se remover este inconveniente aug-
mentando o comprlmento do dique Imperial, que
e actualmente de 300 pes, e qae por contrato com
os emprezarios citados vai ser elevado a 420.
t Nao basta esta diraensSo. Pode elle ter de
compriraenta 450 pes, enlrando-e apenas em pou
ca distancia pelas raaralhas da fortaleza onde se
acha o hospital de marinha, e as vantages pro-
venientes de um dique capaz de reeeber os navios
que actualmente frequentam em grande namero o
s?0 borto, e que tem de comprimento de 430 a
450 pes, assim como os nacionaes de guerra que
io rojeados a acorapanhar os progressoa da cons-
trueQao naval, estao acima dos escrupulos ou re
ceios 4e peuetrur um pouco em uma maralha que
por isso nem fica enfraquecida.
t Comparando o dique Santa "Cruz ao dique
Imperial tiveraos o prazer de notar progresso real
e melhoraraentos da maior importancia.
A seccao transversal do diqae foi ^stabe!ecida
segundo os principioa da s;iencia moderna. Nio
ha espaco algum inulil; as paredes do dique
acompanharn, tao proximamente quanto e possivel,
a forma do casco do navio I
t D'ahi resulta notavel econoraia de tempo e de
combustivel nas operacSes da esgotar o di me pa-
ra p-or a secco o navio.
Foi tannbeiu com rauita razao sapprimido o
dedalo de escadinhas do dique Imperial, tao inu-
teis como Incommodas para o servieo.
. Era lagar de uma absoleta porta caixao, pesa-
da e difflcii de maoobrar, tem o dique Santa Cruz,
como ja dissemos, uma elegante porta-batet no
cientifico typo, estudado pelos engenheires do
porto militar do Toulon a pela primeira vez appli-
eadoa aos famosps diq"es de Castigneau.
Em todo o seu projecto o systema de execu
ca\ o dique Santa Cruz pode rivahsar com os
mais bellos drques de Toulon, da Brest, de Cher-
burgo e da loglatern, tendo sobre todos a vanta-
gem de ser cavado no bellissimo granilo que o
Creador deu geaeroaamente a bahia do Rio ae Ja-
neiro.
0 diqae Santa Cruz faz honra ao engenheiro
Robert J. Cunningham, que se illustrara ja como
engenheiro residente do dique Imperial e como
engenheiro era chefe do dique do Commcrcio ; e
a par dessa honra sobresahe ainda como prova de
merito do engenheiro Robert J. Cunningham o seu
excellente systema de ensecadeira, moldada em
uma sd pe^a, que empregoa pela primeira vez no
dique do Commercio e agora no dique Santa Cruz:
este systema constitue quasi uma Invencao na ar-
te de conslruir, e cumprimos ura grato dever dan-
do ao illustro engenheiro os nossos mais cordiais
parabens, assim como aos demais empreiteiros.
Noticia o Sete de Setembro do Cantagallo :
Um nqsso assigoante, pessoa de criterio e
verdade, da nos a seguintc intercssante n ticia :
No lagar denominado Santa Barbara, munici-
pio de Santa Mar a Magdalena, mora a Sra. D. Ro-
sa Peixoto, que, n5o contando a idade dos patriar-
chas anli-diluvianos, todavia ja percorreu o longo
estadio de seus 93 annos.
i Saa existencla nem sempre corren placida e
feliz: porem a senectude traz Ihe uma como que
rep.tracao aos amargores da vida.
D. Ro-a casou se aos 14 annos e enviuvou aos
30. Teve 6 lilhos e 50 netos, 25 bisnelos e 1 ta
taraneto : ao todo 82 descendentes.
Depois de viuva esteve alienada por espaco de
13 a.inos e completamente cega.
t Hoje rejuvenesceu. Cose sem oculos; vai a
roca a pe; admini-tra regularmeute seus bens :
na") tolera que Ihe faltem ao rcspeito, e di seu
passeio a cavallo ate a villa, a duas leguas de dis-
tancia.
0 Monitor Campista noticia :
Saograades os estragos pro luzidos pela longa
secea nesta municipio.
A3 plaotacoes em geral estSo aniqoiladas. Nao
ha mais pastageus para os animaes, e em muilos
lugares ja escassea a agua.
Achara-3e seccos inuitos brejos que nunca
seccavam.
0 nosso caudaloso Parahyba tem baixado a
uai ponto a que, dizem muitos, nunca chegou.
< A navegacao das barcas e vapores ja se faz
com muitos emb3racos, aendo preciso reduzr-lhes
a carga a menos de metade.n
0 Sr. Francisco Rodrigues Terra, vindo de sua
fizeada, ao atravessar a ponte do Parahyba, lora
accommettido de um ataque apopletico, de que
viera morrer tres dias depois.
Tinha 8i anaos e deixou, seguado coasta, 15
filhos.
A alfandega da corte arrecadou de 1 a 12 do
correute, 1,263:470:159.
Eis as noticias iommereiaes da ultima data:
0 mercado de cambio conlinaou a mostrar-se
na mesma posicao em que fechouse no sabbado.
Os bancos sustentaram a tasa da 26 1|2 d. so-
bre Londres em papel da praca, de que ha falta,
pouco se fez a 26 5|8 d.
Sobre Franca passarara se sommas regulares
a 357 r* por franco, papel particular sobre Paris
e a 334 rs. sobre Bardeos.
Negociaram se dous lotes insignificantes do so-
beranos a 9*230 e 9*260 a dinheiro.
As apolices geraes de 6 por cento liverara pe-
queni raovimento a 1:040*, prego a que o mer-
cado fechou firme.
Uma partiJa de apolices do empreslimo nacio
nal de 1868 obteve 1:045* a dinheiro.
Nada se fes no mercado d) accdes.
As vendas de cafe foram pequenas, e as de
assucar menos que regulares para consamo.
< Nao se elTectuou fretamento algum.
rninn das eorrentes d'agaa, que te ramificam part noram que uteis e proveitosiasiraosservieos pedem
pouia NO da ilha, nio perroittia dar ao coman-
inento do mesmo diquo mais de 309pes, quo seria
enfretaiUo a dimensao proparoioial a sua Uocca e
seccao da leito, o esta circum-Uacia q^te impaz di-
mioata diaieasao longitudinal, atteoto o compri-
Por portaria de 3, foi tran o 18 batalhao de infantaria o tenente liygino Joae
dos Anjos.
De'5 r foram tran^feridos :
Do 2 para o 3* regimento de cavallaria ligeira
o tenente Juvencio Jos6 Fraga, e do 3' para o i
dito, o tenente Francisco Manoel da Azevedo Ja
niof.
Do referido 2" regimento para a compaohia da
masma armada provincia de Pernambuco, o te-
nente Francisco de Castro da Costa e Mello.
Do 10 para o 7* batalhao de infantaria o alferss
Joao Candido do Azevedo Brito. e do Id para o 10
dito, o alferes Joao Daoclecio Ribeiro.
De7 : foi transferido do 17 para o 21 batalhao
de infantaria o alferes Jouquim Antonio Correa de
Fana, e do 21 para o 7" dito, o alferea Joaquim
Ant onio dos Santos Lages.
De 8 : Foram nomeados ;
0 coronel do corpo de estado maior de l* clatte
Sebastiao Francisco de Ohveira Caagas, para pre-
sidir a commissao ehearregada da passar os diplo
maa da medalha geral da campanha do Paraguay.
Joao Ferreira Villela, para exercer iaterinamen-
te o lugar de escrivai do hospital militar Ja cdrto.
^Concedeu se exoneracio do lugar de amaouense
da enfermaria do deposito de aprendizes artilhei-
ros ao I* sargento do masrao deposito Gustavo
D uniiigos Michado, send) nomeado para sutst
tui-lao 1 sargento do dito deposit), Anjuslo Fer-
nanles do Al neila Brandao
De 10 : foi transferido lo V para o 18 batalhao
de infantaria o alferes segisraunJo Augu*to de
Menionca Lobo.
Nao foram agraciados os reos :
Aatonio Domingues Nonas, condercnado em
8 de julho de 1871, a pena le 12 annos de prisao
cam trabalho, em virtuda de decisao d) jury da
capital da provincia do Para, por crime de ho-
mieidio, comraettida a 18 de sctembr > de 1870.
Estevao Ouofra Pereira, coniemnado en 20 de
agosto do 18)3, a pena de prisao perpstua com
trabalh em virtu le da decisii) do jury do termo
do Principe Imperial, na provincia do Piauhy, por
crima de parricidio, commettido a 25 de fevereiro
de 1883.
Rayraunda Maria de Brito, coDdamoada cm 18
de dezembro de 1872, a pena do prisao perpetua
com trabalho, em virtude do deeislo do jury do
termo da capital do Piauhy, por crime de homi-
cidio, commettido a 5 ie uovemhro de 1871.
Augmeotoa se com mais 500*000 a ajuda de
custo arbitrada ao juiz do direito Damragos Anto
uio Alves Ribeiro.
Por decreto de 9 do corrente foi designadj o
ministro e secretaire de estado d>s negocios da
guerra, conselheiro Joao Jose de Oliveir^ Junquei-
ra para exercer interinamente o cargo de ministro
e secretario de estad) dos negocios da iastiei, du-
rante o impedimento d) conselheiro Manoel Au-
toni) DuaFte de Azevedo.
Por decretos .do 7 do corrente mez foram
nomeados : Antonio lose da Rosa, para o lugar
de soiicitador dos feitos da fazeoda da provincia
do Para ; August) Paranhos da Silva Velloso para
o da 2 couferente da alfandega da Porto-
Aleire.
Foi r-afornaado, a seu pedid), o marinheiro da
alfandega do Maranhao, Francisco da Costa Frei
Us.
Por litub de 10 foi nomeado lose Carlos Dan:.'!
Vamosy, para o lugar de ajudante do guarda mof
da .alfandega da cidade do Rio Grande, provincia
de S. Pedro do Rio'Grande do Sul.
Lemos no Jornal do Commercio :-
a Cora o nome de Santa Cruz, inaagurou so
hontem (10) aa ilha das Cobras, o segundo di^ue
qae possaimos aberto em rocha viva.
a Dispensa rellexoe* a i.nportancia desta obra
eierna era am porto como o nosso, natural erapo-
rio da America do Sul, p'T sua posicao geogra-
phica a sem igual nas iia^oes do gobb por saas
diuionsoes, profnndidada e abrigo.
t A 1 hora e 15 rainutos da tarde, em nm altar
levantado no leito do dique, procedeu-se a
bencao do me-mo dique, Ao lado do clero
que no altar celebrava a sagragao, estavam o 1m
perador, os rainistros da marinha, fazenJa e agri-
oultura, generaes da armada e altos funccionari.s
civis do Estado. Nas alturas, dominando este a:to
-olemne, estava postado, de ura l fiuileiros navaes, do outro familias e cavalheiros
da m is alta gerarchia social ; unseoutros si!a-
closet, attentos e com a reverencia devida as pra
ticas religiosas.
Eram massas huraana^ marginando aexcava-
>;ao aberta e lavrada no granito com todas as re-
gras e bellezas la arte, con'emplando Deus, rei e
governo
* Terminada a cereraonia da bencao, e desarma-
do o altar, foram abertas as vavulas da porta La-
tel e a agua da bahia, que comprimia esta contra
os batentes da entrada do dique, fechando-o, po-
da se assim dizer, hermelicamente, passando atra-
vez da mesma porta por compartimentos ate entao
estanqaes, lancava-se em catadupas sobre o tan-
que, que em honra do dia devia reeeber a nado a
ca nil-in ira Forte de Coimbra.
Duas horas (oram bastantes para estabeleoer
o mesmo nivel entre as aguas iuterlor e exterior
do dique.
Durante este tempo foi servido a S. Mo Ira-
perador e aos convidalos ura profusoe delicado
copo d'agua, offerecido pelos emprezarios da obra,
os Srs. lmenes,*Moraes e Cunningham, achandose
presentes 03 dous ultimos, a cuja aclividade, intel
ligencia e desvelo se deve o complemento da obra
e o bnih '. ordem e magnitude da testa
i Uma mesa de 150 talheres fui collocada no
ediflcio destinado para a casa da machioa, que de-
ve esgotar em tres horas os dous diques simnlta-
nea ou parciaimente, conferme as necessidades de
occasiao
Colloeados entre o diqae Imperial e o de San-
ta Cruz, o lmperador e os convidados contempla-
vam da mesa os trabalhos que ao mesmo tempo se
executavam nos dous diques: era um para a en-
trada do vapor Ceard qne nelle ficou encerrado
para reeeber os necessarios repsros, em ootro pa
ra o alagamenio que se fazia ouvir como o ruido
de cascatas.
A'g 4 1/2-horas da tarde, retiraram-se S. Ma-
gestade, 03 rainistros e alguns convidados, por oc-
casiao euirtgando o ministro da' marinha ao Sr.
Cunningham o decreto que o nomeava cavalheiro
da Rosa.
c Quinze minutes depois fluctuava a porta-ba-
tel deixando completamente aberta e deserabara-
cada a entrada do dique, nao se realisando a da
canhoneira Forte de Coimbra, por estar ja avanca-
da a bora para'se ex ecu tar esta manobra com one
devia terminar a festa da inauguraeao.
Sio as dimensoes do dique Snafu Cruz
REVISTA DIARIA.
com que
n. 3,168 de fi de outubro de 1863, ao posto de
major por merecimento para o corpo do cavallaria
I de guamicao da provincia d->. Goyaz, o capita-* do
0 presidente da proving que havia par t?o Malto-Gro:-so Pedro Jos6Rofino.
Comprimento !58,3 pes.
Bocca, na bacia 70
Largura, no fundo
Altura
Canal da entrada
Seccao do fundo no canal da entrada
Banquetas no interior do diqne
Eseadas praticadas nas banquetas, 1 ;
proa e 3 de cada lado
Moirdes de espias
Cabrestantes para ajustamento da porta
Picadeiros.
lunel de esgoto com adufas de ferro
Altura do tonel 7 aes.
Porta batel de ferro do piano e systema
Trajaao, com 4 secedes horisontaes
a prova d'agaa, offerecendo a vanta-
gem de qnalqaer das facas servir
para o eacerramento do dique i
Arganeos para amarracao 52
a A roelia mi em que foi esoavado o diqae Santa
Cruz e de Ul botiogeneidade e compacticidade,
que alem dos tres* elementos constitntivos do gra-
nito, contem ferro en: quantidade que garante eter-
na dura cao a obra, nap havendo fendas nem ex-
traetos no leito por onde" mine agua
238,:j
' 70
35
28
53
:W
I
7
8
43
1
J
Kectiflcacsio.Por portaria da presidencia
da provincia de' 19 do corrente, foi sanado o enga-
no de que se resseolia a de 7 deste mesmo mez,
nomeando para delegado de policia du termo de
Triumpbo, a Manoel Zeferino dos Santos, era vez
de Manoel Zeferino de Magalhaes, como deve ser.
Sociedade dos .4rtiatas llechani-
cos e Iiitoeraes.Por titulo de 6 do corren-
te, que se acha na thesouraria de fazenda, para
ser entregue a quem se mostrar autorisado, bouve
por bem S. M o lmperador conceder o titulo de
Imperial aqueila scciedade fundada nesta ci
dade.
Jury do Recife Ainda hontem compa-
receram apenas trinta Srs. juizes de facto, pelo
que foram mais sorteados :
Recife.
Antonio Jose da Silva Brasil.
S mfo Antonio.
Joao Ferreira Vilella.
Joao da Silva Barros.
Antonio Soares Brandao.
Dr. Francisco OJilon Ta'vares Lima.
Jose Mendes Pereira de Vasconcell as.
Boa- Vista.
Ernesto Erailiano de Mello Tamborim.
Thomaz Barreto Luiz de Barros.
Jose Januario Paes de Andrade.
Carlos de Paula Lopes.
Dr. Antei-o Manoel de Medciros Furtado.
Duarte Borges da Silva Jnnior.
Jose Vicente da Barros.
Dr. Joaquim Macedo da Accioli.
Antonio Bazilio da Silva Guimaraes.
Nossa Senhora da Gfar.a.
Sabino Jos6 de Almeida.
Afogados.
Carlos Pinto de Lemos.
Pofo.
Jose Felippe Nery da Silva.
ileparti'cao do eorreiu. Foram no-
meados : Francisco de Salles Aguiar, para o lugar
de agente do correio da estacao de Ipojuca, Misael
Norval Fernandes de Souza, para igual emprego
no da villa de Bom-Jardim e Manoel Rodrigues de
Oliveira Seixas para o lugar de ajudante d > correio
de Bui qae.
Arebiro publiro. Em a oitava pagina do
nosso namero de hoje, encetamos a transcripeao
do bem elaborado e eurioso relatorio qne, em 10
de marco do corrente anno, o digno director do
Archivo Publico do Imperio, o Exm. Sr. Dr. Joa
quim Pires Machado Porteib, dirigio ao Exm. Sr.
ministro do imperio, expondo-lbe o estado daquel-
la interessantissima reparticao ; as phases porque
tem passado, e dando uma suocinta idea de cabe-
dat de doenmentos Jegislitivoi, adminbtrativos,
historicos e judiciarios que se contem nesse esia-
belecimento.
Haveado ainda hoje, nroitas pesoa3 que nio sa-
j bem avaliar o qne e e o qae p6de ser ura tal es-
prostar os dacumeutos conlidos nesse repiMtorio
deantiguafhasaos historiad^res e litteratoa, que'
almiajniestar do posco da veri.de iateira ibs
factos e a-aontecirasntos sobro que escrevera ; nao
e fora da proposito a transcniicao que fatemos,
anirnados, como estambs, pelo desejo de qne sejam
bem exploradas as rijaezas accumuladas no Ar-
chivo Publico.
Alem dessa razJo, outra ha que semelhante-
raente nos demove a fazer a transcripeao apontada ;
e e esta o facto de se achar a testa daquelle im-
portante estabeleoimento publico um nosso com
provinciano distinct), que alii, como em outras
commissdes praticou, e-ta preslaado va'iosos ser-
vieo-ao estado, revelando sempre intelligencia e
criterio nao vulgar, e desl'arte honrando o nome
de pernambucauo.
Referindo-se ao Archivo e ao trabalho do seu
digno director, o Exm. Sr. ministro do imperio in
serio algumas iinhas no seu relatorio, lido a as-
semblda geral legislativa, na sessao do correate
anno, lianas que, coastituindo um reconhecimen-
to dos talentos do Sr. Dr. Joaquim Pires Machado
Purtella, nio sera a lidas sem interesse e satlsfa-
Qao por todos quantos se regosijam Cum os trium
phos colhidos pelos filhos. desta terra onde quer
que o destino OS cmluza.
Eis essas Iinhas, cuja leitura recommendaraos,
bem como o fazeraos em relacao ao relatorio em
questao. que vai na oitava pagiaa :
Por decreto de 29 de outubro ultimo foi no-
meado direct )r deste Archivo o Dr. Joaquim Pires
Machado Portella. Suas distinctas qualidades e
conhecidas habilitiQoas, comprovadas no exercicio
dos altos cargos quo tern occupado, as^eguram
que na direccao dos trabalhos deste estabelecunen-
to prestara tambem os melh-ires servicos.
a Tenho tomato providencias, ni) so para qua
se reeolham ao Archivo Publico todos os documen-
ts, existentes em nossas reparticoes, que nelle de-
vem existir, como tambem para se a iquirirera (em
original ou por copia) os q e porventura se achem
em archivos de paizes estrangeiros, e possam inte-
ressar-nos. Deste trabalho encarreguji o director
da bibhotheca publica, aproveilando sua estada na
Europa.
a Concluiram-se as obras, cuja execu^ao orle-
aei para se accommodar pelo melhor in )do possi-
vel o Archivo no ediQcio public > em qn3 actual-
mente se actaa ; mas a este, ainda assim, faltam
algumas condicSes que so sc poderao cjaseguir
construindo-se ura predio especial.
a No annexe G esta junto o relatorio que apre-
senton o mesmo director, e no qual, expondo o es
tado puuco lisougeiro era que se acha aquelle es-
tabelecimento, e as diligencias que tem ja empre-
gado para melhora lo, faz consideracoes dignas de
atten'jao sobre a necessidade de dar-se-lhc ordem,
desenvolvimento e importancia, de que carece pa-
ra preencher cumpridamente o sea liar.
Com quanto se encontrem no mesmo relatorio
algumas iudicacoes a este respeito, agnarde mais
completos trabalhos do digno dire:tor, para for-
mular o projecto de organisacao do archbo qua
tenciono submetter a vossa eonsi-leracao.
I-;. Itoininiri. -Eate'celebre arlista drarna-
tico fara Benafieio amanhi com o Fr. Luiz de Sou-
za, de Almeida Garret, encarregando-se elle do
ntes Caadird e Curupjrt
Uruaim. Jodfl Hr da C-j
a A direcjJo do eixo do'dique em relajao ao tabelecimento, e bem again rauitas outra? quo ig-1
desempeaho de Manoel Luiz de Souza.
0 que sera a noite de amaoha no theatro Santo
Antonio ?...
Nada diremos; E. Dominici e um genio ; quan-
do a terra Ihe negasse o que tem de mais puro, as
llores ; o ceo nao Ihe negara o que tem mais
bello, os asiros.
A concurrencia sera enorme, o applauso in-
men3o, o trinropho complete
Insllluto Hlstorico Pbilosoplilco
Pernauihucano.-Rcunir-se-ha em sessao
extraordinana de encerramento, na proxima quin-
ta-feira (J2).
UUt Brasileira. Hoje, as 7 horas, no
lugar do costume, havera sea ao d t directoria pan
ioiciagao dc sacioa. Canvila-se os caodiJaDs ap-
provados.
Vllle de Bahia. Eate vapor francez, da
linha do Havre, sahe hoje ao meio dia para a Eu-
ropa.
Declaracao ucceMsai-ia. A poeia,
quo hontem publicaraos em nossa 8." pagina, e do
Sr. bacharel Silvio Romero, que oulr'ora se assig
nava Silvio Ramos.
Poeslas* Era a nossa 8' pagina damos
hoje algumas poesias da nossa distiocta compro-
vinciana, a Exma. Sra. D. Joanna Tiburtina da
Silva Lina, as quaei nos foram obsequiosamente
offertadas por um amigo para darmas a luz da
pub i idade. Rrcommeudamos a sua lei'.ura.
Mepbtatopbelesi. Recebemos o n. 16
deate apreciado jornal critico iilustrado, que se
publica na corte do imperio.
Myslerlos do Rio de Janeiro.Tam-
bem recebemos houtein a 8' caderneta dos Mystc
riosdo Rio de Janeiro par Nicloslrategii3, contendo
as paginas 63 a 72 des-e interessaiite roman e,
que e editado pelo Sr. E. Duponi, livreiro a rua
Goncalves Dias n. 75, no Rio de Janeiro.
Ai-iiMiii nolioel. I. como con=ilcra^os
o mui di'stincto artlsta porlaguez, Antonio da Silva
Proa, esculplor em marmore, com offlcina na tra
vessa da rua Du |ue de Caxias n. 6.
Dessa oflkina, a primeira v sta humilde, teem
sabido trabalhosimportantes, como: um pulpito
para a igreja da cidade da Escada; os jazigos
mandados erigir, na igreja do Corpo Santo pelo
Sr. Anlooio Ferreira Coimbra, para sua familia ; e
na de Nossa Senhora da Conceicao dos Militares,
pelo commendador Sobreira da Meilo, para sei fi
Iho ; uma uma para ossos de uma criaaca, era for-
ma de livro, obra executada para o Exm. Sr. Dr.
Manoel Portella, que a estima em sabilo preco : os
quaes em marmore revelam a pericia genial de An-
tonio'da Silva Prfta, c mm esculptor; sob seu ciozel
o marmore torna-se cera e sua concepcao chega a
real idade.
Sacerdote e^l'orcado-d'irte o Sr. Proa, porsim
pies am ar ao trabalho, e para fugir ao ocio torna-
do a que sentem-se mais ou menos condemnados
entre nos, por falta de gosto artistico, artistas de
seu quilate, tem em exposicao na sua offlcina, a ser
examinada e pretendida, por quem por ventura a
deseje possuir, visto como e obra de exercicio, e
nao de encommenda, uma urna funeraria de mar-
more branco, de proporcoes vastas, e de um traba-
balho de escuiptura tio delicado, tao caprlchoso,
que foge a qual juer analyse, e a vista somente
delle poJe-se ajuizar.
As pessoas entendidas e amantes das ballas-ar-
tes devem procurar conhecer aquelle artista e o
seu trabalho, allra de que a este se pague o tribu-
to de admiracao que Ihe e devido, e aquelle o da
animacao de que e digno, por amor d'arte, que il-
iustra, e pelo contingenle de instruccao teebnica,
iju nos traz nessa offlcina, obscura hoje, mas
onde, de um moraento para outro, assim a bafejem
as auras d. consideracao publica, poderemos con-
tar ura centro de trabalho e amparo as voca
goes especiaes a semelhaate apphcacio da activi-
dade humana.
Brazilian Submarine Telescaph
Company. -Em 12 de agosto ultimo, e sob o n.
5,705, foi expedido o seguiute decreto :
a Attendendo ao que me requereu a Brasilian
Submarine T legraph Company Limited, devida
menle represenlada, hei por bem declarar que as
disposicSes do 1 do art. 6* da concessio feita
pelo decreto n. 5,058 de 16 da agosto de 1872,
somente se eutenderao com os telegrammas re
cebidos do governo ou da seus praposlos, on de3-
tinados ao governo ou seus prepostos, sempre que
assim convenha ao iroverno ; mas os telegrammas
mandab- p -o11' '''rs ou firman comraer
ciaes oa -.-.- j-:. ; u serao recebidos on entregues
directameute pela companhia, por inlermedio de
seus empregados. J)se Fernandes da Costa Pe-
reira Junior, do meu conselho, ministro e secre
tario de e tado dos negocios da agriculture, com-
mercio e obras publicas, assim o teoha entendido
e faea executar. Palacio do Rio de Janeiro, em
12 de agosto de 1874, 53 da independencia e do
imperio.Com a rubrics de S. M. o lmperador.
Josi Fernandes da Costa Pereira Junior.*
Exploraeao de minas. Sob os ns.
5,715 e 5,728,"e datas de 19 e 27 de agosto ul-
timo, foram expedites os seguintes decretos:
c Attendendo ao que me requereu o engenheiro
Guilherrae Francisco da Cruz, hei por bem conce-
der-lhe perraissao, por dous annos, para explorar
minas de carvao e de ouro nas terras do f acaja,
comarca de Breves, na provintia do Para, sob as
claasulas que com este baixam, assignadas por
Jose Fernandes da Costa Pereira Junior, do men
conselho, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da agriculture, commerii e ooras publi-
cas, que assim o tenha entendido e faca exesutar
Palacio do Rio de Janeiro, em 19 de agosto dc
1874, 53 da in lependencia e do imperio.Com a
rubrica de S. M. o Impera or.Jose Fei"nandes da
Costa Pereira Junior.
a Attendendo ao qae me reqnereu Jose Joaquim
Aotunes, hei por bem declarer qua a area, qae
Ihe foi concedida pelo decreto n. 5,437 de 15 de
ontubro do anno 'proximo undo, para explorar mi-
nas de cobra e outro* mineraes, a margem do rio
Capim e seus aflluentes, na provincia do Para, e
a comprehendida antre o rio Capim e seus afflu-
o $ta araaet;-
C-mM Kreira Jc
oior, do n^H : inisiroe secretario de e--
udo dos uegdens di agricnltart, commercio e
obr.is pubiicav ?-i u o tenaa edWlido e fa;v
exe.:utar. Fajtcb do Rm de Janeiro, em 27 de
agosto de 187*, 53 da independence e do impe-
rio. Com a rubrica de S. M. o lmperador. J. -
Fernandes in Costa Pereira Junior*
Declaracao de entranrla de co-
marca. -0 decreto n. 5,759 de I do corrente.
Jeclarou de segonJa entrancia a comarca de A -
cobaca, creada na provincia da Bahia.
Vencimento de proaaotor publiro
0 decreto a. 5,760, da mesma data, marcon au
promotor publico da referida eomtrca o venc -
ment, annual de l:'00#, sendo 800a de ordenado
e 600i de gralitiea',-ao.
Beuniuo de termos. Na mencionad i
data, o decreto n. 5,761 reanio to termo da Pa
mei'a o de Qiebrangulo, na provincia das Ala-
goas, e o de n. 5,762 reunio ao de Itabaiacninba
o de Campos, separado du do Lagarlo, e a e.-te
do Riachao, todos na provincia deSergipe.
Dlrcttos i> runaumo.-O mini-terio da
fazenda, em 18 de agosto ultimo, deel rou a alfan
dega desta cOrle, em respo-ta ao ofDcio n. 430 -
20 de julho proximo fin-Jo, que as macbinas de
costura estao isentas do pagamento dos direito
de consumo e de exp dienle, por se acharem com-
prehenlidas no art. 4", S i'i, das disposicdei pre. -
minares da tarifa das ai'andegas, ora em vigor, e
no art 1.2l5 da mesma tarifa ; vislservir-m n..-
offlcinas de alfaiate, sapateiro, charelciro, c -
choeiro, etc. ; nai deveodo, eotretaulo, >er ic-
claidas n is supracitadas disposivdas at machina- -
uteociliu.-, como as de engoiumar b.ii-aJos, I'.rap: ~
facas, cortar pao, p:c.-r fu.no e oatras para u- -
eii).-iiiaui-s, da que trata o art. 1,216 da d.ta U-
rifa, as quaes por torem na ureza e fins diii-rso-.
pagam uireitos ad cihrem na razao de 30 p-.r
cento.
Apuraiuealo do censo. 0 total tp3-
rad.i na directoria geral da estatistica ate o d
8 do corrente e de 8,663,742 habitautea em todo <
imperio.
**iiojjios. Em 17 de junho ultimo, >
governo imperial expedio os seguintes despachus
N. 5,665, approvaodo o de n. 3.018 da 24 de ju-
lho de 1872, qua conceJeu priviiegio por cioru
annos a Vicente Elijah K-egan para introduc>.- i
e vunla no imperio de preparacao de uma pol(>a
extrahida dc maleira c destinada ao (abrico "
papel.
N. 5,665, concelenda ao bacharel Franei
Lobo Leite Pereira. priviiegio por 10 annos, para
fabricaci) e venda de um insiruraento de sna ic-
veucao denominado Clinometro, e destinado e-
peci'almente ao trabalho de exploracio e lo:ar.".
de estradas de ferro.
N. 5,667, concedendo t Albert Marcius Silb.-
privilegio por 10 annos, para vender appari-K.
ora inelhoraimntos de sua invencao. dedioaJi -
a illuminacao c usos culinarios
N. 5.6U^,'Cuncedendo a Manoel Joaqnim \ aienti o
priviiegio por 5 ann&s para um s>>teroa de na
i:.vcn;an. destinadu a suspender brincos ou Lieu -
da adurno de seahoras.
N. o,6o9, concedendo priviiegio a John G>mjjr-
por 10 annos. para introduzir no Imperio um aat-
chiuismo de sua invencao, destinado ao fabneo .
gelo.
N. 5,670, concedetdo a Alphonse Allain e Al-
bedo Riviere Di-joan priviiegio por 10 annos, para
introduzir no Imperio o appareih > qua iuventaran..
destinado a Uvagem das aliuvides e terras aur.
feras.
E em 22 de julho tambem deste anno, os < -
guintes :
N. 5,697, concedendo a Manuel Intonio i
Souza privilegio;por 8 annos, para fabrieare ten-
der no imperio uma machina de saa invenca
destinada ao fabrico do pao.
N. 5,638, concedendo a Marcos Armando priv -
legio por 5 annos, para conslruir e veniar cat-
rocas de sua invencao, deslinalas a faciiitar .
descargadas mercad<>rias.
DeciHocs eleltoraos. 0 miiii-'-r, d
imperio, em 1 do corrente. expedio os seguin'. -
avisos :
a Illm. e Exm Sr. Com o offlcio n. 77 de 3 d
junho ultimo submetteu'V. Exc. a approval
do governo imperial o acto pelo qual resolv- i
qua dos seis collegios eleiaaraes da parochia d'
ujtucaid, donde foi desmembrada a du Rio-.Nov
pertencessera dous a esta, ficando aqaella cor.
.juatro Verilica se, porem. que na parochia dr
Bolucatii, antes de ser dividida. havia 827 votac-
te3, dus quaes Ihe couberam 429, e 39 a do R> i
Novo : despretada, pois, a dilferenca entre i s
doas uuraerus, por muito d minuts. corresponde..;
os votantes a tres elaitores para cada parochia.
Naste sentido convem qua V. Exc. re forme o at
acto. Dens guarde a V. ExcJoao Alfredo C-
ria de Oliveira.Sr. presidente da provineia c-
S. Paulo.n
a Illm. e Exm. Sr.-Sobre a re,resentac.lo qu.
acompanhou o olllcio de V. Exc, de 3 dedezerc-
bro de 1872, e a V. Exc. dirigirara Antonio Al
Ferreira Filho c outros cidadaos residentes r_
municipio de S. Burja. contra a eleicao a que *
proeedea para vereadorea e juizes de pax na fr -
guezia do mesmo noin:-, foi do parecer a maior i
da seccao dos negocics do imperio do consell <
de estado, que nao prccedem os fundament-ta 6*
mesma representacao. vi-to que se nio acba pr -
vado o facto allegado contra a vaUdade da qual -
._:u> pela qual se fet a eleifio, dc ter fci
pane da junta qualificadora ura cidadao a que: i
faltava a idade legal. Ao qae accrcsce a rir-
cumstancia de aehar-se este cidadio qualities
ccmo votante. E lendo-se conformado com es r
parecer o goveruo imperial, assim o deelaro t
v*. Exc. Deus gmrde a V. Exc. -Joao Alfred j
Corria de Oliveira.Sr. prtsilente da provin i
da S. Pedro do Rio Grande do Sul.*
Mupremo tribunal de juxiir N i
sessao de 10 do correate o Sr. couselh-iro Braf .
axpoi os fundameotos da
Ka vista crime n. 2.182De accordaos da rei.-
cao de Pernambuco.Recorrente, Bernardo Gom
de MouraCoulioho; reorriJ^s, Agoslioho Nun
de Andrade e outros.
Feita a exposicao, passou :s autos ao Sr. Va
detaro.
Conselbo supremo militar. Nase?-
aie de 10 do corrente foram defimlivamente ju.
gados os seguintes processes :
Exercito.-Capitaes Antonio Nogueira Pinto
Joaquim de Catanheda Pimentel, cabo de esquadr.
Jos6 Pedro Marinho, e o anspecada Lino do Sacra-
mento Guimaraes, accusados do crime de bavereiu
espancado a dous paisanos ; teudo sido abtolyi.c-
no conselho de guerra ; foi reformada a Mataaca
quanto ao reo capitio Aotonio Nogneira Pinto para
o condemnarem e r> um me', de prisao em uma for-
atleza ; e confirmada a sentenca qnantoa os oulr.-s
reis. Soldado Joao Francisco Pereira, second.)
do crime de ferimento, e condemnado em am ai;-
de prisao, e molla correspondent a metade do
tempo; foi reformada a sentenca em seis metes .i-
prisao com trabalho. Dito Joio Jose do Bspiri >
Santo, accusado do crime de ferimento, e condom -
nado em seis mezes de rigorosa prisao; foi coatlr-
mada a sentenca. Dito Francisco dos Santos, accosa-
do do crime de ferimealo, e coademnado em dor -
annos de prisao; foi reformada a sentenca em au
anno de prisao com trabalho. Ditos Loareuco Ma-
noel Gustavo, Fabricio Fiorindo da Costa e Jos -
Roqae de Oliveira, accusados do crime dt deixare: i
fugir doas gales, e condemnados cada am em bin
anno de prisao com trabalho; foi reformada t
sentenca oaracenlemnarara cada am dos rent, a
dous annos de prisao com trabalho. Ditos Viceoti-
Ferreira da Silva e Raymuado Beierra, accusados
do crime de deixarein fagir doas soldados, e con-
demnados a sercra postos nc lugar dos fagilivos .
foi reformada a seateaca, para condemnarem a
cada um doa roos em seis mezes de prisao com tra-
balho. 2.* cadete Jose Victorino da Costa Areas.
accasado do crime de primeira desercao simple-,
e condemnado em 4 mezes de prisao, por se ter
apresentado voluntariamente passados tret meze-.
foi confirmada a sentenca. Soldados Cypriano de
Souza, Joaqaim Alexandre de Oliveira, Gaidino
Correa Barbost da Silva, Joio Evangelisla PiMo e
baquim Alves Ribeiro,accusados do crime de pri-
meira desercao simples e condemnados cada am
em seis mezes de prisao; foramc onfirmadas as sen-
lencas. Ditos Marcoiiao-Ignacio de Uma e Aoto-
nio Jose da Silva, accusalos do crime de primeira
deserjao aggravada, e condemnados cada
umannode prisao com .trabalho; foi coabrmaaa a
sentenca. Dito Joao Francisco Mendes, accused 3
do crime de seguada desercao aggravada eeon-
Jemnado em quatro ano s oa prisao com traba-
lho ; foi cooflrasada a senlanca. Dito JoaoChr:-
postomoda Silva, accasado do crime de tercetr*
desercio simples, e condemnado em seat tatoes
de prisao cos trabalho ; foi condrmada a tee*
f JVfl 11
Knonurarada Bahia. Du o loma
Comntrcio, do Rio de Vaneiro, de 13 do carreote,
qae o eucouracid > Bahia estaa receoeodo tropa
e mantimentos, a am de seguir para- a pro vie: a
do Rio Grande do Sal, inlo nelle come i
dan.e o capitio tenente Maurity.


L_
i I


IKario de (BarniaibtifiO ^ Quaiij*. Jejra 21 de Outabro de 1871
__
>
-,_


Damon em seguiTa os .telegraruinas recebldos
vela directoria oo Rio de Janeiro :
f Madrid iO.. A Gaz-.la publican hoje a noti-
eia de duua vicfwlas, Uma na NavtTra e outra no
Aragao. 0 aaguad) corp) do oxercito do norte
que so tinha nmido para alem do Lodosa,- mar-
dos 03 carlistas commaadados pe.'o general Dorre-
garay. A balalha lave lu^ar na maJrugala do
d'a 8, devendo 03 liberaes a victoria a superiori-
de de sua artilharia. A derrola dos carlistas foi
eompieta; as faocjcs reiirarara se em desordom.
deixaodo u carapo mail os feridos e
do armarajato. No dia segainte as forces carlis-
tas quo liuharn entrado era La Giardia, sabeodo
do movimento operado pelos liberaes, abaadoua-
ram esta villa. Xo Arajiio o eombate Uve lugar
perto de Ciiuiavieja, eatre as fae;.5es commandadas
aor D. AfToaao, e a columna liberal de Terucl, re-
foreada com a guaraielo dafueMa praca. Os car-
tolas abanclonaram o camp1, deixando em poder
dojnimigo 131 prisioneiros feridos. Morreu ua
uccao o celebre brijaueiro Posas qae tomou parto
aa revolta do Ferrol. Estas noticias prodnziram
effeito favoraval na bolsa. Anauaciam se modi-
ricagdes no gabinale. 0 jornal El Gibierno diz
quo o general Montero Gabuto sabstituira Serrano
Bedoya. a
Paris 10 A victoria do parlido republicano
uas e'.'-icot* para os coaselhos geracs, tem dado
lugar a uma ronhida polemica na imprensa. 0-
joraaes boaapartiitas dizem quo o processo clei-
toral, em muitos departamentos, nao pode ser
oonsiderado legal, porque influjo no Tesultado
;t vergonhcsa intervon^ao das autorkladaJ. 0 de-
putado Richard coatestou estas accusatives fazeolo
ver qnal o procedimeoto das autoridadas durante
o ultimo imperio, exercendo pre3sao sobre os
eleitoraes. Apontoa as vergonhesas machioacSes
preparadas pelos bonapartistas para derrubar a
republica. 0 Socional, n'um arltgo muito viru-
lento, faz kleffticas accusacflcs contra os defeasores
do imperio e applaude as declaracoes do depu-
tado Richard, umtiniia a lavrar a desiutelligen-
cia no part do bonapartista, por causa da esculha
dos candidatos para as proximas eleicoes. 0 co-
mite control declarou formalraente que nao acaita
a candidatc.ra d) principe Carlos. Corre quo por
este motivo o principe Jerjnymo Nipoleao e
o algaas djs seus amigos estao decidido a adhe
rir a republica. 0 marechal Mac-Mahon teve boa-
t.-m oalra oonferencia com o enviado do governo
dinamarquez. Parccc que as explicates dadas
pelo gabioite de Berlim a Dinamarca sobre a
questao do Schleswig nao forani bem aceites pelo
parlamenlo de Copenhague. 0 cura Santa Cruz,
que foi expulso do torritorio da Brlgica, chegou
.'intern a Suissa. <
a Londres 10. Uma notieia de Berlim. diz
que o arcebispo de Colonia foi mandalo pur em
I'.berdade. 0 facto causou aqai estranheza, por
nao encontrar facil explicarao. Tinha-se dito qae
o referido preladq la partir para Roma; a sua
soltura era portanto um acto ja resolvido. Tain-
bem con^ta que o principe de Bismark visitara a
Italia nu mez proximo e pedirj uma audieocia a
Pio IX. Esta offlcialmente declarado o accordo
eatre os governoj da China e d> Japao, desfa
zendo-seos reeeiode ama gaerra. I'arere qoe
0 govern) dos Estados-Uaidos tera couvidado para
?ervir de ;.rbitro nas bases esiabelecidas neste
accordo. 0 conde do Arnin, ultimamente erabai
xador da Prussia em Canstantinipla, foi preso e
proQcociadi) em Berlim. Tenl> pelilo para ser
exafflloado jwlos medico?, por ser muito grave o
sou esiado de saule, foi-lhe hontem pjr Littid >,
sob palavra, s;.hir da Prussia. 0 processo fhou
.".diado. Goailou hoje que se dirige para Franja.
Dizem do Cipenhague que apezar das esperincas
annunciadas no discurso da eorda, a camara nao
j'lrece satisleita com as explieacde9 d,i governo
prussiano. As tropas ebinezas evacuanm o ter-
litorio de Kishgar na Asia Central.
Londres 11.Coostanos que se estao prepa-
rando alguns vapores mereantes para segair para
o Rio da Praia. A viagem do imperalor Alexan-
dre a Crimea tera lagar na semana proxima. Diz-
so que por ejta occasiao o czar visitari a Grecia.
Vai reunir-se outro eongivsso em Bruxellas. 0
ontro emprestirao do que se falla e para uma d;s
repoblicaa do Pacifico.
Paris 11.Foi hcntem assignado nesta cida-
de, pelos coinmissanos da Pranea e da Al!e nanha,
o protocollo quo estabeloco os limites nas dioceses
la Alsacia e da Lorena. As cidades de iletz e de
Snasbourg fleam sendo a sodo dos dous bispados,
^ebaixo da jurislicg.io do papa. Continiia a dis-
eosslo ni imprensa entra repnblicanos e bonapar-
tisUs a propjsito das elei^uos. Alguns dos con-
-.l.'ieiros eleitos tem mauifos'.ado a sua alhesao ao
septento. 0 conde de Arnia pedio pira explicar
0 seu procedimento na questao La Marmora pe-
ntite n parlamento. Coasta que esle diplomata
i btevo licenja para fazer uina viage-.n ao sul da
Europa allegaalo o seu estado desauK Dizem
le G'-nuva que o cura Santa Cruz recebera ordem
1 ra sahir da Suissa. >
Madrid 11.Esperava-se hoje notieia de se
tar dado unv, grando balalha proximo de Batella.
N'ao se tem fallado u'outra coosa; nada se sabe
liada. As fa icoes com.nandadas pelo general
Dorregaray retir.iramse para alem da linha de
Dicastilb. Ante-hontem houve uma grande ex-
tlusao na fabrica de crtuchos que os carlislas
em em Azpeitia. Mor.-eram 18 pessoas e fii'.aram
^ravemeuto feridas. Aealisoa-se o emprestirao
ue se eslava negociando com alguns banqneiros
Berlim. 0 capital 6 di 1,500 milho^s de pe-
0 governo deu onto garantia a renda das
ufandegas e do tabaco. E' aqui esperado hoje o
oinistro da Russia. Noconseloo de miniuros <|ue
. 've hontem lugar parece ter sido debatid i a ques-
tio das eleicoo?. Antes de ser evacuada a Navar-
ra pelos carlislas e restabelecida a ordem nas ou-
tras provincias, nao se tratira da reuniao da as-
-emblea. Di/.-se ser esta tambem a opimao dos
mbalxadores estrangeiros coasultados p-!o pre*i-
uente da republica.
a Rio Gran le do Sul 12.-Os rebeldes qua se
>cham a bordo da eanbooeira Parand, parecem
lispo3tos a n io seguir no n.vio e esperam licenja
UA8 autonJa.'es para desembarcar. Corre que era
ul caso serao ioiernados, fi>an>lo debaixo da vi-
-ilancia das autoridadas. A canhoaeira esta re
laranlo, mas julga-seqie nao saiira dj porto.
II ije ja desembarearam algumas pessoa3.
Bahia 12.0 Dr. promoter publico deu denun-
i la contra o administrador da typograph a do Cor-
> tin da Bahic, e contra o proprietario da livraria
Catilina. 0 deputado Araujo Goes requereu ao
juiz competente, para sc-r igualmeate pro^essado,
como mania a lei, vista ser elh o proprietario de
typographia.
c Paris 12.-A declaraeao de algnns membros
do parlido republicano, manifestaQdj a sua adhe
-i) ao septenMj, tera concorrilo para raolifioar o
programma eleitoral. 0 mar jue? de Noailles pa
L-licoa uma circular dtferdendo o seplenato. Cor
i so a versao do que e to diplomata pediri a sua
demissio do lugar do embaixador. G Monilear
D >ga o facto. Tem chegado alguns oilbiaes es-
trangeiros para assistir at manobras do exercilo.
Dizem de Berlim que o imperador da Allemanha
-:!'.ara para f.astain. 0 bi-po de Muaster foi con-
demnado a uma multa de 4,700 thalers, por des-
be'ieacia as leis ecclesiastic is. 0 arceOispo de
I'osen recusara-se a pedir a sua demissao, prefe-
rindo s.ffrer o castigo que tem sid) impost j aos
culros preladoa.
Madrid 12. -Che^aram noticias d) norte. Ate
dia 10 oao se tinha travdo a batalha que se es-
. araVa. As for;as do 1 corpo linham-se coacen-
trado entre M randa e Oleiza. 0 objectivo de^le
iiioyimeato parece ser a marcha sobre Paenta la
i -lina, onde o t carlistas tinhara reunido 18 bata-
lHoea epreparalo recursos de defeza. Algumas
. >rcas dos liberaes estavam a vista de Mendigoria.
A impreusa eontioua a protestar contra o proce-
dimento das au'oridades francezas na fronteira dos
Pyriaeos, por coasenurem que os carlistas lenhara
rjcebido muni,-oas por Hendaye. A deputacio
(oral da proviiicia dd Guipazcoa pede .que seja
poslo em vigor o traiado do 1859, assigaado eatre
a Franca e a Hespaaha. Este iratado estabeloco a
neatraudade do rio Blxassoa ale um limitu deler-
minado. .Alguns jornaes tinham assegurado qu3
o impejio do Brasil resalvera reconhecer o governo
Jo marechal Serrano. A Gaceta parece confirmar
esta notieia, anaunciando que o rainistro brasileiro
s.;ra recebido aa qaarta-feira pelo pre3idante da
republica, para apresentar as saa3 eredeaciaes.
Montevideo 10. Bueaos-Ayres continua em
e^Udo de sitio. As prisOas repetera se todo3 03
dia3. Alguns empregados do ministerio da guer-
ra. anu-bonu ra demetlidos, joram depois reco-
Ihidos 4 prisao. 0 presidents Sarmiento fez pi-
hlicar utna proclaraa?ao, expondo a emergence
em que se ve" o governo legal de defender os di-.
reitos qae the, foram couforidos pela nagao para
I'azer/qmejiajr as leis. Suscitoa-so um conflicto
eatre-'o governo niclonal da republica e o gover-
no provincial, par causa das medidas de rigor que
tam sid a toma das pelo primairo. com refereucia
ao estado de iatio em qae se acha a capital. Foi-
aceita a deriissao dada por Alsiaa de commaa
tiaate da guarda nacioaa! cm cimpiaia, em cuja'
mi:-a> jl foi sabstitaido. 0 general Mitre publi
eoa um manifesto, ao qnal declara que vai por-
se a fr*nle.das fo*sa rebeljes, aceilaniTo a ,tes
ponsaliilidade e as eonse.|uencias de qua ni) pretenle apvssar se do poder, mas so
raene oppor-se a que sejailludida a vontade do
pan para cuja Oeeisao vai appellar. Se Ihe for
favoravel a lorto da guerra, *etirar-se ha a vida
privala, qual juer qae seja o resoltado do escru-
tiaio a que se deve proceder. Devia sahir boje
da C iloma para torair o commaodo do exercito
rebel le. Todas as estagoas lolegrapbicas do Bue-
nos-Ayres estao debaixo da vigilancia das autori
qiHntidade fdadea. A esquadrilha do governo aoda em persegui-
jlo dos navios dos revottosos. A todo o momeirto se
esperam aqai noticias importaates, porque estava
imminento um combate entre as for^as legaes e
a colu i na de Rivas. Os commissarios dos rebel
des cenlinuara a fazer acquisicao de todos os re-
corsos quo enconiram em Montevideo.
Montevideo 11. Corre agora aqai a notieia
de que hoje de manha se empenhou um combate
entre as forcis do governo legal, commaodadas
pelo coronel Rocca, e as dos rebeldes, coramanda-
das pelo coronel Arredondo. Accrescenta se qae
os mitristas foram derrolados : a notieia nao pa-
rece duvidosa. Foi hoje recebido pelo presidente
la republica o Sr. Rodriguez, encarregado dos
negocios de Hespaoha nesta republics, o qual
apri'-ent )u suas eredeaciaes, manifaslando o seu
desejo de ser bem succeiido na missao que Ihe
foi confiada. 0 cnefe do governo manifestou
idanti'^os sentiraentos e agradeceu. Os commis-
saries dos rebeldes estao era ajnstes para a com-
pra de mais um vapor.
Rio-Grande do Sul 11 A canhoneira argen-
tina Parana ainda aqui se acha. 0 pedido leito
pelo seu commaodante para Ihe ser coacedido
mais algara tempo de mora, foi como disse no
nieo ultimo telegramma, communicado ao presi-
dente da provineia. 0 eommandaute da canho-
neira rebel de allegou, a'e n da neceasidade de re-
ceber carvao e mantimentos, precisar o navio fa-
zer alguns reparos. Parece que foi adiado o pra-
zo da partida por mais ires dias. Disseram me
que os tripolantes do navio se recusavam a se-
guir, receiando ficarem prisioneiros da esquadra
legal. As autoridades parecem resolvidas a fazer
curaprir as le s da neutralidade, mas aqui nao
exists navio algum da nossa esquadra.
liOieria- A iua se acha a venda 6 a 121* a
banelicio da raatriz de Afogados, qae corre hoje,
21 do corrente.
Leilas. Hoje, 21, effectua o ageote Pinto,
ao meio dia o leilao dos generos do estiva, boles,
objectos de ouro, vinhos e majs objectos existentes
no armazem da rua do Commercio n. 24, perten-
centes ao e;polio do Unado E. Turpin.
Amanha, as II hora3 em ponto, dove ter lu-
gar, por intervencjio c em o escrlptorio do mesmo
ageata Pinto, o leilao de predios, conform} se
acha aanuB'iiado.
A's 2 heras da tarde d'amanha, 22, vendera
o mpsaio agente a bacaaca Zurich, de 2 mastros,
servinio 9e base a maior offerta ja obtida.
Lotcria do Rio de Janeiro. Resu-
rao da lista da 120. loteria (531") era beneficio do
Monto Pio geral dos servidores do estalo, extrahi
da a 10 do corrente :
N. 323.................... 21:0103000
N. 4816...................... 10:00.05000
N. 3253...................... 4:0003000
N. 767...................... 2:000^000
Xs. 21-J7 e 39371:0005 a cada um.
Ns. 108, 541, 2169 e 3921-8003 a cada um.
Ns. 410, 592, 1131, 1177, 3126, 3813, 3363,
4206, 4587 e 5113-2005 a cada um.
Ns. 183, 382, 939, 997, 1411. 1438, 1479, 2017,
2200, 2817, 2892, 3047, 3678, 3830, 3916, 3917,
4163, 4873. 4938 e 5802- 100" a cada um.
Ns. 48, 71, 237, 446, 48'i, 533, 600, 68i, 905,
903, 1104, 1331 1436, 148), 1688, 1705, 1727,
1912, 2313, 2329, 2389, 8403, 2423, 2843, 2318,
2806, 2378, 2885, 2383, 29:3, 2983, 3143, 3188,
3232, 3362, 3384, 3638, 3863, 3940, 4112, 4160,
4244, 4262, 4326, 4408, 4800, 4863, 4880, 3087,
5103, 5261, 5275, 5379, 5565, 5673, 3743, 5761,
5779, 3807 e 1861=403 a cada um.
Hospital Pedro II. 0 movimento deste
e-tabclecimento, de 12 ao dia 18 do outubro foi o
soguinte :
Existiam 393, entraram 38, sahiram 20, fallc-
eeram 9, existem 402, sendo :
Homens 24! e mulheres 160.
Advertencia.
Foram visitadas as eafermarias nestes dias :
A's 7, 6 1|2, 6, 6 l|2, 6, pelo Dr. Ramos ; as
1, 12, pelo Dr. Sarmento ; as 10, 8 1|2, 8, 9, 9,
10 l|2, pelo Dr. Malaquias ; as 9 l|2, 10, 10, 9,
11, pelo Dr. Murillo Vianna.
Fallecidos.
Franeisca ; fraqueza senil.
Paul) Ribciro daSilva ; variolas.
Joanni ; 3<*irrose do. figado.
.Gmrudis Jeroayma do Patrocinio ; nlceracoes sy-
philiticas.
Bi'iiano do Oliveira Mello ; cachexia.
Joaquim Ferreira de Alhayde ; taberculos pulrao-
nares.
Anna T^.ereza de Jesus ; tubcrculos pulmonares.
Candida Maria da Conceicao ; tuberculos pulmo-
aares.
Josepha Floriolados San'os; tuberculos pulmo-
nares.
Ca'a de df.tPis^a1?.Movimento da casa
de detencao do dia 19 de outabro de 1874 :
Existiam 329, entraram 2, sahiram 9, existem
322.
A saber : nasionae-3 232, mn'acres 7, estraa-
geiros 27, escravos 36.-T.tal 322.
Alimentados a custa dos cofres publicos 270.
A saber Saos 236eenfermis 14.Total 270.
Mn'imento da enfermaria do dia 19 de outubro queira Cavaleante,
de 1874 :
Tave baixa :
Antonio Ferreira de Lima, bronchites.
Tiveram alia :
Antmio Jose Rufiao.
Jos6 Francisco do3 Anjos.
Manoel da Conceicao
Joaquina Maria da"Conc?i;ao.
Antonio Ferreira Marques.
Passageiros. Sahidos para os portos do
norte no vapor nacional I'drand :
Jjse Maaoel Coelho da R)iha, sua senhora, 2
Mhos, 1 criado e 3e;cravos, Iialina Coelho de
Souza, Lucilio Coelho de Souza e I escrava, John
G. Gamble, desombargador Antoaio Buarque de
Lima, sua seuhora, 7 filhos, 1 ama e 2 escravos,
Gustivo Bott, Jose Rufiao Souza Rangel e sua
senhora, Joao Alves Carapello, William Jones,
Jse Brando, 4 pra;as de policia que acompanham
os crimiaos >s, Joao Feli.ipe Bazerra da Abreu e
Fraaceliao Gomes da Luz.
Cemiterlo pnblieo. Obituario do dia 19
do corrente :
Maria Carolina Revoredo dos Santos, branca,
Pernambuco, 15 aaaos, solleira, S. Jos6 ; turber-
cules pulmonares.
Maria, parda, Pernambuco, 9 dias, Santo Ao-
taaio ; espasmo.
Carolina, preta, Pernambuco, 2 aonos, S. Jose ;
marasmo.
Joaquim da Cunha, preto, Africa, 80 annos, sol-
teiro, Boa Vista ; fraqueza send.
Francisio, preto, Pernambuco, 15 dias, S. Pedro
Martyr.
i.-CUNICA JCJJWIASIi.
TRIBUNAL DA BELACiO
SESSAO EH 20 9E OUTUBRO OE 1874.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. COXSELHEIRO
CAETANO SANTIAGO.
Secretar.io Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manha, prosentes os Srs. des-
embargadores Silva Guimaraes, Lourengo Santia-
go, Reis e Silva, Almeida Albuquerque, Motta,
pDeurador ia coroa, Accioli, Domingues Silva,
e Souza Leao, abrio-se a sessSo.
Em seguida o Dr. secretario precedes ao sorteio
dos adjuatos para os aggravos de psti;ao :
N. 8. AggraVaatas Corga 4. Irraao, agjravado
Fraocisco Jose" de. Campos Pamploaa. Foram sor-
taados os Srs. desembargadores Almeida Albuquer-
que e Domingues Silva.
N. 9. -Aggravante Joaquim Rodrigues Tavare3
de Mello, aggravado Antonio Correia de Araujo
Jc.nior. Foram sorteados 03 Srs. desembargado-
res Reis e Silva e Souza Leao.
JULOAMENT05.
Habeas corpus.
Pacieato Amaasio Bispo CordeiroConcederam,
ordenando ao Juiz processante At as iofjrmacues
ate o dia 3 de noverabro future
Recursos crime.
pa Baaaneira8.Recorrente o joizo, recorrido
Maaioel Barboza da Camara. Relator o Sr. des-
sembargador Almeida Albuquerque. Sorteados
os Srs. doiembargadores Souza Leao e Reis e
Sil va.Imp rocedente.
De Palmeira dos Indto3.Recorrente o juizo, re-
-c&rrido Justino Lucio Santiago. Relator o Sr. de3-
erabargador Accioli. Sorteados os Srs. desem-
bargadores Silva Guimaraes e Souza Leao. Im-
^irocadehte.
r Do R:ifJ.Rseorreate o juizo, recorrido Ma-
sM4J'Mfaiia.-do-lNsotaMoto. Jlaiator e Sr.
embargador Souza Leao-. Soriaados os Srs des-
em bargadores Almeida Albuquerque e Accioli.
Improccdente.
Proropcao de inventario.
laventariante Jose Hygino Goncalves Gaerra.
Adjuuctos sorleados os rs. desembargadores Reis
e Silva e Souza Leao.Concedefam o prazo de 6*
mezes.
Appellagao crime.
De Palmeira dos lodios.Appellante Joao Calls-
to CorJeiro, appellado o juizo.A novo jury.
Appellate* civeis.
Do Recife.Appellante Augasto Octavauo de
Souza,appellado Manoel Fernandes da Silva.Re-
ceberara os embargos.
Do Recife.Appellanles e appellados janla
mente Jose Jacome Tasso & irraao e Br. Ciciliaao
Mamede Alves Ferreira e outres iConQrraada a
senteni.-a.
De Maceid. Appellante herdeiros de Antonio
Bento Barboza, appellado Antonio Bento de Arau-
jo Lima e outros.Reformada a sentenca.
De Maceio.Appellants Lucrecia de Araujo Re-
go e outros, appellada Umbaliaa Maria de Jesus.
Coafirmada a sentenca.
Da Imperatrz. Appellante Joao Francisco de
Carvalho, appellado Joa) de Albuquerque Caval-
cante.Receberam os embargos.
Da Macei6. Appellaute Manoel Joaquim da
Silva Leao, appellado Dr. Jose Angelo Marcio da
Silva e a fazeada. -Desprezarara a petieao de de-
claracSo.
De Alagoas. Appellante a fazenda, appellado
Jos6 Paulino de Albuquerque Sarmento. Coalir-
mala a sentenea.
De Bananeir< Oliveira, appellaio Maaoel Fernandas de Mello.
Nulio.o processo.
Appellacao commercial.
Do Recife.Appellante Antonio Joaquim da Sil
va Itios, appellado Jose Cypriano de Araujo.Des-
prezados os embargos.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva :
Appellacao civel.
Do Recife.Appellante Jose da Costa Bispo, ap-
pellado Baziliano Henriques da C. Cavalcante Al-
buquerque.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Reis e Silva :
Appellacao crime.
De Pao d'Alho.-Appellante o juizo, appellado
Raymundo, escravo.
Appeuafao civel.
Do Recife.Appellante Mathias Lopes da Costa
Maia, appellado Jese Joaquim de Casiro Moura.
Conflicto de jurisdicgao entre os juizes de direito
da fazenda e o do juizo do coramereio.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque :
Appellacoes civeis.
Appellante o juizo de tfoceft, appellado Ooofre,
escravo.
Do Recife.Appellante Joao da Cuaha Soares
Guimaraes, appellado Joao Antonio Gomes Guima-
raes.
Embargaute a viuva e her'eiras do bacharel
Juvea rio Alves Ribeiro da Silva, embargada Feli-
ciana Maria Olympia.
Appellajao commercial.
Do Racife.-Appellant* Jose Antunes Guima-
raes, appellado Manoel Jose Guedes Magalhoes.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta.
Appellacao commercial.
Appellantes os curadores da raassa de Antonio
Jose Gomes, appellada a compauhia imperial Fire
Assurence, por seu agente.
Appellacao civel.
Do Recife.Appellantes Pereira Carneiro & C,
appellados Aristides Duarte Carneiro da Cuuha
Gama e outro.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva :
Appellacao civel.
Do Reeifu. Appellante Jose Joa |ium Gomes de
Abreu, appall ilo Dr. Antero Manoel de Hedeiros
Furtado, eeisionario de Eluardo Jjsii Teixeira.
Appellacoes crimes.
De Palmares. -Appellante o juizo, appellado lea-
quim Columbino, escravo
De Murici. -Appellante Marvel Jo:e das Naves,
appellada a justi.;a.
Do Sr. desembargador Souza Leio ao Sr. des-
embargador Silva Guimaraes :
Appellacao crime.
Appellante Epaminondas da Rocha Vieira, ap-
pellado Pedro Joaquim da Silva Caxp.cumba e
outro.
Appeliacoes civeis.
Appellante Jose Mouieiro de Siqueira, appellad)*
Rodrigues Irmao & Guimaraes; appellantes Ma
noel Fernandes da Costa & C, appellada a fazen-
da provincial.
Diligencia crime.
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Appellanle Olegano Saraiva do Carvalho Neiva,
appellada a justice ; appellaute Miguel Peraira de
Carvalho, appeluda a justice ; appellante Philo-
meno Jose de Souza, appellada a justica
te o promotor, appellado Izidoro, escravo do pa-
dre Manoel Marques Bacalbao.
Assignou-se dia para o julgiraento do3 seguin-
tcs feilos :
Appellacoes civeis.
Appellante o juizo, appellado Joaquim, por seu
enrador ; appellaute Jose Dias Guimaraes, appel
lado bacharel Joao Ferreira de Almeida Guima-
raes ; appellaute Antonio Jose Telles, appellado
Manoel Joaquim Maia ; appellante Salvador de Si
appellado Joaquim Salvador
Pessoa de Siqieira Civalcanta ; appellanle JoSo
Alves da Cruz, appellado o preto Manoel, por seu
curador.
distribuicSes.
Recursos crimes.
Ao Sr. desembargador Domingues Silva :
Do Recife.Reco^ rente a justica, recorrido Ma-
noel da Silva Medeins.
Ao Sr. desembargador Souza Leao :
DeBanaueiras.Recorreata o juizo, recorrido
Claudino Meirelles Ribeiro.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes :
Da Imperatriz. Recorrente o juizo, recorridos
Caudido Valeriano do Medeiros e outros.
Ao Sr. desembargador Loureaco Santiago :
Da Victoria.Reeorreate o juizo, record Jo Fe-
lippe Maaoel Jorge da Silva.
Ao Sr. dese nbargador Reis e Silva :
De Bananeiras.Recrreate o juizo, recorrido
Aatoaio Cosme de O.iveira.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do Recife.-Recorrente o promotor, recorridos
Emilia Xavier Sobreira de Mello e outros.
Appelia;oes crimes.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes :
De Prelohna. Appellante o promotor, appella-
dos Felismino J hi: Custodio e outros.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago :
Do Recife.Appellaute a justica, appellado Joao
Biptista Alves Monteiro.
Ao Sr. desembargador Reis o Silva:
Do Pilar. -Appellante AnDnio Pereira Maciet,
appellada a justica.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Da Bon-Jaidim.-Appellante oju'rz\ appeliado
Custodio Loureaco d'Oliveira.
Appellacoes civeis.
Ao Sr. desembargador Souza Leao:
Do Rocife.Appellanle Marceliao Joso '.Goncal-
ves da Fonte, appellada a ma3sa de Jose Francisco
Biltencourt.
Ao Sr. dasemuargador Silva Guimaraes :
Do Recife.Appellante a conpanhia pernambu-
cana, appellado Francisco Tavare3 da Co3ta.
Encerrou-se a sessao a3 duas horas.
tfMTACBOS.
' Reqaenmenlos :
die Loqrenco Ga.pr Basios, pedjodo eiiiowac3o
aafflOfaejcioiOe seu caixeiro Anienio Cavalcante
Acc.vHi.-De.ie a baixa pedida.
De Tnpmu de Aquino Fonceca & C, 8ue:casa-
res, -tol. casa ile Augnaio Frederico de Oliveira, o qual foi
subsliluido por um outro do banco commercial
para cau;ao da companhia Indemaisadora, de que
sao os supplicanles .gemes. lnf>>rme a secreta-
rla.
De OetaTios Holmes, reqaerendo que se registre
a sua uomeajao de caixeiro da casa commercial
de Sraglebur.-i & C Seja registrada.
Inforraacao da secretaria dada em cumprimento
do despacho de 15 do corrente, proferido a petieao
de Henrique Xavier de Araujo Saraiva de Mello.
Satisfaca o parecer fiscal. Foram veaoidos S. Exc.
o Sr. coaseliielro presidente e o Sr. aupplente Sa
Leilao.
Idem da mesma, em obediencia ao despaeho do
tribunal de 15 do presenle mez, exarado na pati-
cao de Henrique Rodrigues y Cao a outros. Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
COM 0 PARKCBB FISCAL.
De Jose Antonio Sa Leila---, Simplicio Xavier da
Fonceca e Viviano taldas, registro do seu distrato
social.Como requerem, satisfeita a exigencia do
parecer fiscal.
De Julio de Mello Salgado e Frederico Alves Pe-
reira Pinto, ragktro do distrato de sua sociedade.
Registre se nos terraos do decrelo a. i,394.
De Jose Lopes da Silva Guimaraes e Jose Ant)
nio de Souza, registro do distrato da firma Souza
4 Goimaraes.Na forma requerida.
Do barao de S. Jose, Pedro Goncalves Pereira
Cascao e os herdeires.de Joaquim Goncalves tas-
cio, registro d di.-lrato da sua sociedade.Pro-
ceda-se ao registro em cooformidade do decreto
n. 4,394.
fte Aut inio Francisco dos Saotos e Antonio Jose
Moreira, registro do seu coutrato social aoaexo.
Diga a secretaria.
Nao havt-ndo mais n da a despachar, S. Exc. o
Sr. conselheiro presidente encerrou a sessao as 11
hora- e 3|4 da manha.
PARTS POLITICA
agosto
a elei-
actual
Tribiiiiai uo
ACTA DA SESSAO DE
oamuaerclo.
19 DE OUTUBRO
ANSBLMO
1874.
PRES10ENCIA DO EXM. S3. CONSELffiflRO
FRANCISCO PERETTI.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. de-
putados secretario Olinto Bast03. Lopes Machado,
Alves Guerra, e o Sr. sappleate Sa Leitao, S. Exc.
o Sr. conselheiro presideate ah rio a sessao.
Lid a, foi depois appro vada a acta da sessao pre-
eedente.
BXPEMEMTE.
OfQcios:
Do secretario da presidsneia desta provineia,
remettendo dou3 exemplares das leis provinoiaes
do corrente anno.0 tribunal resoiveu que se ao-
cusasse o recebimento do offlaio o das colleccoes.
Do presidente e aectetario da junta 'dos correto
res, ramelleado ,o boteticn das ^^tac(5es ofllciae* da
semana de 12 a 17 do corrente. Mandou-se ar-
caivar.
Da mesma junta, communicando hater o geren-
te da companhia da Santa Tbereza dado a junta,
pane da transferenwa da 11 accSea da mesma
companhia ao par.0 tribunal ficou inteirado.
Foi distribuido o livro "diario de Jose Garpmlairo
da Silva.
1 % ItTlDO COMSE VIIIDO it
RECIFE, 21 DE OUTUBRO DE'1874.
A elelcao indirecla.
Os partidarios da l-lelcio directa nao tiveram
ainia a coragem e-tranqueza de dizer ao paiz
como e porque meios praticos desejam ver redu-
zida a lei es a tlo decantada e proclaraada uspi-
racao ti'icional, eleicao directa -a que se agar-
raram como meio de embair a opiniao publica e
por outro lado sopitar o patriotismo do ministerio
7 d>= marco.
Quern, porem Ihcs disse, oa Ihes deu aulorisa-
cao para declararem que a aa;ao quer a eleicio
directa ?
Como, e em que tempo fizeram elles propagan-
da para estudar e conhecer as tendencias e espi-
rito do povo, pro ou contra essa reforma ?
Por ventura e teem elles demonsirado, tint) na
tribuua como na imprensa nomeadarhente as van-
tagens e resultalos praticos que o systema directo
tem de trazer em favor da liberdade ?
Teem elles provado com a forca da d'wleeta se-
cundada pelos exemplos, que com a eleicio di-
recta as assembleas se lornarao a verdadeira ex-
pressao nacional r
E' vi-rdade que os politicos opposicionistas teem
dito eescripto que a eleicao directa 6 um meio de
salvar a liberdade do voio, e torna Io uma realida-
d) nacioaal; mas isto, qua apenas tem sido din
por um ou outro, que tjm a velleidade de se coa-
siderar a parte docente do paiz, nao e o quo se
charaa propaganda ; quando muito consilerar se-
ha um ensaio, um passo para fundar se uma es-
cola, e nada mais.
Nao basta dizerse que a eleicao directa e o
meio de legitimar so a repr.sentacao nacional
nao ; o que e sobre ludo convenieiite e necessario
e que pela diseusaao franca se torue cla-o e evi-
dente ais olhoa do todo povo, o porque a eleicjfa)
par um so graj ha de dar ao paiz camaras patrio-
licas.
Apontera nos os Srs. liberaes e conservadores
dissidentes o signal ou symptoma social que po-
nha em relevo a propeoslo d >s brasileiros para a
aceilaeSo d? scmelhante reforma, par que tere-
m'oseiitao occasiao de dizer-lues tarr.bem que as
camaras municipaes sao feitas por eleicao de um
so grao, isto e, pelo systema directo, mas nem poi
isso deixam da ser algumas vezes o resultalo do
,viio e da cabala e chicana elaitoral.
Tara'em os juizas de paz sao eleitos por uma
so eleic-ao, isto 6, o cidadio vota logo em ontro
para um cargo sem ser necessario um intermedia
rio para isso, e por tanto o elege directamente.
A lei que regula a eleicao para esses cargos e a
seguiute :
a A eleicao dos juizas de paz e camaras muni-
cipaes sera feita.de 4 em 4 annos, no dia 7 de
appellan-p3etembro em todas as parochias do impario. Qoal-
quer que seja o nnmero de distncto3 de paz da
parochia, e embora se contenh^.ra nella cipellas
curadas, a ele>cSo terd, umi sd no mesmo lugar,
etc ( artigo 92, titulo 4, lei 387 de 19 d)
de 1846.)
Digam nos os liberaes o qu1 querem, se
Cao directa, t imando se por base o secso
da conslitiiicao, ou alteranlo-se este para mais.
Pronuaciem-se franca e lealmante sobre a ma-
laria, porque o povo em cujo noma dizem fallar,
quer entende-los e nos queremos saber se as suas
opiniSes sao collectivas ou indlTidutes.
D) mesmo m)do a opposicao nao Jtem dasenvol-
vido o sea peasaraealo ; pelo contrario tarn havilo
de sua pane um retrahimento ou silenclo tanto sob
o ponto de vista do direito publico philosophico
jure constitujndocom) sob o po .to da vista do
direito public.) positive -jure conslituto.
0 que quer e o qua pretaade a opposicao ?
o Assira como ha um liberalismo qua pede o
sacriQci) da liberdale, a que com rasio se cha-
ma liberalismo negativo qae nio passa das extre-
mi ladas do earaiobo, uo quil dave eatrar o desem-
volvimento social ; assim tambem ha um libera-
lismo positivo ou organisador, que 'nao se limita^a
afastar os obstaeulos, porem, que tomando a razao
por gala, prapara o terreoo para o desenvolvi-
inento da liberdade, adquirida, seguad* as leis ou
costumes constitucionaes existentes, diz um es-
criptor de nota.
Parece qae essas palavras foram ditas para terem
applicacao aos partiJos no Brasil.
Sim, ellas se appli-am ao Brasil, onde a politi-
ca chamada liberal quer levar o paiz ao abysmo,
arrojando-o a commettimeatos, para os quaes elle
n.to se acha com disposic*o ; ao passo que a poli-
tica conservadora, inspirando-se no bem e na ver-
dade e com aquella prudencia que Ihe e peculiar,
leva-o ao verdadeiro melh'ramento, da 1 tie os
meios de prosperar, sem que d'ahi re3Ulte sacrifi
cio e coinproraettimento para a ordem e liberdade9
publicas.
Eotremos. porem, na questao, e vejamos se o
paiz arabiciona a sua solucao como ensinam os li-
beraes, ou corno entenderaos nos conservadores.
Por duas faces teraos de encarar a questao elei-
toral, e discutil-a como deve sel o : em primei-
ineiro lugar a consideraremos pelo lado puraraen-
te dos priucipios da sciencia, e em segundo lugar
pelo lad)constitutional, isto 6, poraote o n9ssi
pacta lunlamental.
Diz se que as tendencias e pendor do povo bra-
sileiro para a eleicao directa e um phenomeno
que esta na consclencia da toios, sendo por isso
claro e evidente qua a reforma quo neste sentido
se tenha a feaer, deve importer o systema directo.
Aqaelles que assim se proounciara, das duas
uma : on oao teem estudado es causas qse o produzem e as relacoes qae unera es-
tas aquelle, on desconheceia completamente o que
seja eleicao (Hreeta.
A sociedade assim como o iadividtio apreseat a
phenomena, cujo estuio e conhecimento partence
a philosopbia, e por Isso um phikwoptio querendo
provar a sociabilidade do bomem, comecou por
raostrar que a sociedadse oproprio homem : so-
ciabjli.laie, moralidade, liberdade, poder, justica,
obdiencia, eis toda sociedade, eis toda huraanida le,
eis o propfio homeoi di3se o philosopho, a que
alludimos.
Outro phj.lpaojiao, refarinao-nos a M. Buenez,
fallando do progcesso dos povos, disse que este.
suppoe a existoacia : < d'uraa actividade dotada de1
vontade, de liberdade e de iotelligeacia. o
Comoreheade-se, portanto, que o method) ou
o systema que se deve empregar n^ descobrimen-
to da verdado e do bem em reTacaD aoi individaos,
deve sel-o tambem empregado no .mesmo sentido
em jeUtSap aos seus collecUvos.
Para ter:sa coajieeioento segftco e, verdadeiro
da aspiraeso e vontade do pdve brasileiro, no
tooaaie a reforma eleitoral, precise se fat em uma
Lobservacs* profaadae datiea de sea deseavol
vmeato, quar sob ponto de f.viita ?partiecdar
quer sob o ponto do vista geral.
DE
Ainda assim e preci-V nao perder de vista a
forma governamentai, por-jn?) como muito bem
disse um escriptor, cada povo 'cm sna eonsti uicao
sua natureza, resuliado de mil I'irenmstani-ias an-
leriores, assim como cada corpo tem sen tempera-
menlo proprio, e os habitos e costume* governali
vos do um povo muito preponderant oo espirito
dos logisladore*, ainda os mais reformistas seropre
que se trata do dar uma lei, que affecla a sua
onslitaicao politics e os respeetivos poderes, que
sao verdadeira delegacao do povo.
Proudhon, que nao pole ser suspeito aos refor-
mistas exagerados, se expressa, trataodo da rejei-
Cao da lei do ensino na Belgica assim : fin po-
litica toda reforma te liga necessarumenle a um
systema de ideas que antes que tudo deve ser re
conhecido afim de que o legislador, a quem a re-
forma e submetiida, e que tem por sua vez um
systema, julgue se 6 conveaiente rejeita la ou
convene" la em lei.
Assim, os partidarios da eleicao directa, se qai-
zerem estudar o movimento e evolucao da socieda-
de brasileira, e se so derem a este trabalho hao de
reeoabecer que 6 difficil senao impossivel, ao me-
nus por emqaanto, general isar o sen time mo do
povo eia favor de semelhanle reforma.
Um golpe de vista geral sobre todo paiz, uma
analyse em cada movimento e effervescencia que
cada uma das orovincias apresenta e ba-tante,
processo por demais sufficients para conhecer se
o pronunciameuto gerl contra a eleicao directa,
nao porque esta eeja ma, mas porque e inoppor
tuna.
Em uma ou outra provineia, a imprensa liberal,
depois que o inini.-i-rio 7 de mar.;o, apresentou o
projecto eleitoral, agilou a questao da eleicao di-
recta ; porem, duas ou mesmo tres provincus nao
sao o paiz inteiro.
Qaem aos disse isto e um dos chefes do parlido
liberal, e o Sr. Saraiva qae respoadendo a feiici-
laflQ qae os seus pa'.ricios Ihe lizeram, fe* a se-
guiate revelacao : Seahores, sa, como vos disse,
nao teinos coaseguilo muito, iauto quanto pode-
riamos ter conseguido-e que todas as provincial
nio tem feito o que tendes praticaio na Bahia
por meio da imprensa e das reanioes. >
Fizcsse-se o mesmo em todas as provincial e
com certeza o poder nao teria .remedio senao ren-
der-se aos legitimos clamores da opiniao, reconhe-
cenio impossivel viver divorciado da nacao, resis-
tinlo a s-us aohelos.
0 Sr. JoSo Carvalho :Mas o rei e surdo.
0 Sr. Conselheiro Saraiva : Os reis sao sur-
dos somente quando o gritos da opini.l > ioteira
nao Dies chegam aos ouvidos: elles, portanto,
quando a o; iniao cstrondosamente se cnuncia, de
mod) a conveacer que ha aella a'voz da nacao ia-
teira, compretienlem que eimpossivel nao ouvi-la,
attendo la e dar-lhe setisfa;ao.
Senhores, nao posso crer que 03 estadistas do
meu pair, mesmo aquelles que militam nas tileiras
i|ue u is sao contrarias, nao se inspirem, alinal
no patriotismo, nao se envergonhem de se presta-
reua a resistir a opiniao geral; quando se liver
ella accentuado de modo a se impor a todos os es-
piritos, ainda 03 mais recalcitrautes ao iofluxo
das ideas. >
A' nos, assim como a qualquer leitor, a consc-
quencia, que logicamente se deduz das palavras do
Sr. Saraiva e facilima, e vem ao espirito rapida-
Inente.
Eti consequeneia ti: que apenas na Bahia se
tem feito propaganda para a eleicao directa ; e que
esta nSc e a aspiracao da na.-.i i ioteira, porqie a
opiniao publica ainda i:a> se pronunci >u estrca-
dosainen-e de modo a conveacer que ha nella a
voz da nacao ioteira.
Portant i e o proprio Sr. Saraiva, um dos chefes
libera s, que eonfessa clarameale que a epoca nao
e da eleifio directa, porque elle nao pole crer jue
03 estadistas do -en paiz, mesmo aqm-lles que mi-
litam nas fileiras que ihe sii) contrarias, nio sa
inspirem alinal no patriotism), nao se envergonhem
de se prestarem a resistir a opiniao geral, quaal)
se liver ella ;.ccentuado de mjdo ase impor a to-
dos os espirito?.
Claro esta, pois, que no Brasil a narao na> quer
a eleicao directa.
Cumpre eatretanto registrar, que mesm) o pro-
auueiameato por parte da imprensa liberal da Ba-
hia a.io pole ter essa voga qae por ventura Ihe
queiram dar, porque (oi uma questao filha do des-
peito, que ao3 liberaes causou a reforma apre-
senta la pelo actual ministerio, e lal pronuncia-
meuto nao so merece reprovacao, nao so nao pode
inspirar iuterasse e fe, mas ainda traz em si o ca
nho da iavaja, oa uielhor do egaisrao.
Assim como 6 individual, a opiniao deumdos
mombros do e rpo social, em relacio aos denials;
da mesma sorle e individual a opiniao de uma
prov.ncia em relacao as outras.
Ora, sa 6 a Bahia qua apauas tem feito propa-
ganda, ou duutrinalo uo sentido da eleicao direc-
ta, e claro, nao padece duvida que nao podemos
dar a essa propaganda o djutriaarismo, o carae-
ter da geoeralidado, ou sollectidviade; e se isso e
impossivel, porqu; sa ha de dizer que a naQi) a -
pira e insta pela eleicao directa ?
Se en o corpo social, disse urn e3criptor de di-
reito natural, bem como uo corpo physico do bo-
mem, em quanto esta nao tem attiogid) o seu dis-
envolvimento complet i, as differentes paries, os
differentes membros uao se encoalram em justas
relacoes; e se na inf.racia da siciedade, a83im
como na infancia do corpo physico, certas paries
do corpo tem ama prepoaderancia excessiva sobre
as outras, prepoa.'eraa.-.ia que todavia vai sempre
em decrescimeoto, a medida que o corpo avaa
fa em sen desenvdlvimauto, como ainda alRrma o
memo escriptor. sague-se quo para oeslabeleci-
moot) do uma I :i, qua mirea um passo no cami-
nho do prograsso, deve-i-e ter em vista os outros
niuos de desenvotvimento, guardanJo se a justa
proporfio.
Assim e inconveaionto e contra a boa razao que
ao Brasil, paiz ainda na infancia, e que ainda nio
tem altingido o desenvolvimeato em todas as suas
paries, se queira a lei da reforma eleitoral palo sys-
tema directo quando e cerlo qua o seu progresso
moral e material nao sa coaduna e nem se concilia
com semelhante lei, mais propria para os piizes,
em que o elemeato arislocraiico tarn progredido
maito mais qae o tie n n'.o democratico.
Enlretanto, bem pode ser que a opposicao tenha
descoberto um meio de promover esse consorcio,
essa alhanja, sen lo cerlo qua tudo depande do
censo, e por issoquizeramos que ella nos dissesse,
se a eleicao directa no Brasil deve trazer alleraao
ou nao do censo marcado pala constituifao
Esia questao, a quanto n6s e a priacipal na mate-
ria, porque della dependa a cohereacia ou inco-
berencia dospolitiios reformado-res.
Na artigo seguinta nos occuparemos da materia
relativameate ao direilo constilaido.
^mtmm % pedido
lo publico.
Constaado ao abaixo assigaado, qua sob sua as-
signatura fora pnblicado no periodico desta cida-
de intilulido 0 Encouracado a. 2, uma poesia,
apressa-se em declarar que 6 inteiramente alheio
aquella publicacao feita com abuso do seu nome.
Recife, 21 de outubro de 1874.
.lnfonio Dubeux.
O ex-juiz de direito de Aaadia.
Acaba de partir-de Anadia para a cidada de Ca-
ruan'i, era 'ernamquco.o distincto e muit) honra;
do juiz de direito Dr. Joa) Francisco Duarte, para
esta comarca removido ultimamente.
Estimando a;.=as o accesso com que o goverao
geral distioguio o honrado raagisirado, elevando-o
de primeira para segunda entrancia, sentirnos to-
davia a separaf.au do cavalheiro que nesta provin-
eia soube por suas eminences qualidades conqui?-
tar nao so a estima de seus comarcaos, senao tam-
bem a alfoicao dos homens jus:os e honesto3 s-ara
dislin 'eio de cor politiea.
0 Ia n. Sr. Dr. Duarte dehca nas Alagdas aHo
pequ io nurnero de araigo, angariaios somente
com o seu bello proceder.
Como juiz elevou sempre seu nome, que escoi-
mado de macula passara a PernambucoTH'onde ti
natural, tem familia e amigos.
Nesta provineia S Exc. exerceu os cargos de
ohefe de policia interiao e primeLo yice-piesi-
dente.
Per sent relevantissimos services prestados a
causa publica foi diguamente galardoado earn o
offkialalo da Roa, ja sendo par services bumaai -
Urios cavalheiro da masma ordem.
A oomarca de Caruard. deve-se repu'.ar muito
fella cam a remocao do Exm. Sr. Dr. Duarte. Toa-
ciliador e escfupulos) no cumprimento de seus de
veres, S. Exc. nao transigo com sua coosoieacia.
Anadia e uma prova eloquente de sna conduct);
se alii deixa alguraa desaffeicao, nio foi e bomem
quem a ganhon, foi t> mag'istracto, que pa feca
de sau daver nao quiz torcer a lai, nam eoaspur-
car a toga de nobra raag'ntrado.
*esejarn mflia \xm\ viagum feuz, twataada em toio tempo j
com seus amigos da Alagoes.
Maceio, 9 de ontubro de 1874.
r p.
(Do Jornal das Almfdes)
K. 4M.-Fse ama rraade e in
???*"*? Ueer |M aaaioeolai qua-
lidades mediciaaes da AnacahuiU, arvore-esU qae
cresce nas immediacoei de Tarapiao, ao Mkico
0 Peiloral anacahuila, composlo e f>repirada com
o balsamico sneco de dita arvore ; lem aaeoido >
muado de vspaoto e admir.cao. Os proprios Me-
dicos cofessam que nuoca ia Ibes havia eattado
oa idea, de que se podeiM exlrahir de oeaaam
produeto da terra, am especinco tao marAVilao-
so e eompleto para a enra das enfermidadM da
gargaBt* e dos orgaos da respiracao. A toe*o>
um caraeter o mais confirmado e violento, desap
parece sob a sua magiea mfloencia, daatre *hi
poucos dias, e as vezes mesmo daatro de atf a nas
horas, depois de se haver tornado aou gMra-
fa do mesmo. A rouquidao por aaais cav-
nosa e profuoda que seja, proraplaoonle aedos
vaoece e a voz deotro em pouto reeobra t adqaii-
rc toda a sna costamada clareza e sonoridada. Os
bronchites se ali.viam medianle o seu um. Car*
os pulmoes feridos e inflamiuados. Os |aoaado-
cera de asthma prineipiam por reaairar com de*-
afog) e regulandade, logo depois de te haver to-
rnado as primeiras dotes. 0 catarrbo declarado
iocuravel desapparece de orJinariamente ao rabo
de uma semana. Emi.m, a sna exeeUeacia e
grande efficacia nao lev, nao tem e oea ktra
igual por meio de todas as- mais medicinal t
tes para o mesmo tiro.
S9MMERCI6.
JUNTA DOS ORKETORF5
Prafa da Kucti>, * do IS34.
AS 3 HORAS HA TARDE.
cotac&i> okki 2 a as
Algodao da Parati>ba 1- sorte 7*300 por I*
kilos poslo a Iwrdo a frete de 3(4 e
5 0iO.
Assuear bruto bom 3 j'kSO por IS kHos.
^amtuo sobre L-inirw > UO d|T. 16 5|8 tt por
UGOO, hontem e bete.
Dito sobre dito a SW d(v. <; ||2 por 1*000, do
banco
Cambio sobre Paris a 3 d;v. 367 rs. o franc-,
do banco.
'Iambi > sobre o Rio dc Janeiro a 8 drv. ao par
r>. de Vasconcetlo*
Presidente
A P. de fcciflos,
Secretario.
ieaonafto
ima d' 1.;
aLFANiMnu.
ao < I.a 19. .
0 .
499.387.861
30.615113!
oiO.002 99'
Descarregam noju 21 dc outubro de 1874.
Vapor inglez-^/(ce-mercalorias para alfandega
e vinho paradep:siti na irapiche Dar
bosa.
Lugar inglez Sedtretl Jane bacalliio jadespa-
"chado para o trapicbe (vnceicao.
Palbabola americano/j/*h Rosefariu'.a ji des
nachada para o o* ponto.
Briguo au.s'.riacoGiroluno-f;rinha ja despacha-
da para o ca-s dopnl!x
Biigue h.jllaodazJ'in Aneoon fsrinha ja despa-
cliaia para o caet do Apollo.
)EtPALH08 DB BXPORTACAO NO M 19 I1*
OUTL'BRU LF 1874
Para os pales /> txiwtor.
No navio haspanlnl Netaa. para Barxlo-
na, carregou : Martiuiaco Fernaodes 1 barn I com
90 litros de agusrdenie, 10 barricas com 6W l|J
kilos da assuear brineo, 1 dita com 113 difcs de
dito mascavado, e 50 saccas com 3,681 diloe da
algodao ; A Loyo 5 dilas com 387 ditot da dito.
So vap >r inglez Galileo, para Liverpool, ear-
re^nu : Goncalves Irmao & C. 108 taccaj cum
7,980 l|2 kilos de algodao.
No brigue hetlaade: Cornelii, para o Ri da
Praia, carregou : Amorira Image 4 C. 31 pipasa
60 barris com 20,610 litros da aguardente.
No lugar inglez H'be, para New York, car-
regou : Phippt Brothers & C. 5,000 saccos com
375.003 kilos de assuear mascavado.
No vaoor portuguez Almeida Gmrell. part
o Porto, carregou : F. G. da Castro Albnqaorque
4 birrkas com 231 1|2 kilos de assuear braae>.
N) navio portagaez 9. Lsmrewft, p-a a II a
da S. Miguel, carregou : T. A. Fooceca A. C. 8a
cessoros 10 barris com 1,200 litro3 de mcl.
Para os porto- do tn:$;i w.
Para Maceio, no vapor brasileiro GotlSo d
Orleans, carregou: J. A. G>mes Peres Jani.r I
barril com 96 litros de alccvl
Para o Aracaty, no Inate naci< nal Nar <(
Jordan, carregou : Caetano Fontes I barrica com
62 kilos de assuear branco.
Para Mossoro, no Uate nacional I. djs .!-
jos, carregou : A Oliveira (Jt C. C barri as ; m
380 kilos de assuear /efinalo o 10 latos.eaal 11
ditos dc does.
CaI-ATAZIA DA ALK.'.NDi.
t-.L-.:.iaiento d.a dia I a !. '.i.C9S;vi>
-;ji do da 2') 4 58;6i'.i
VOLUMES &al i
19
No dia I a
Mo dia 20. -
>n kigunda poru .
ferceira porta .
rispicba CcaeeiQao
9 536,877
22,215
18
--.
M
m
i
SERViGO atrtKUiao
*t>arscgs descarregadas u trapicbe da
aUaMat*.
So dia 1 a 19.....
So dia 20.......

17
*
I
RAES DE PERNA! Uadimento do dia 1 a 19 34:81S,
d*m do dls 20 2:536?7i>
37:355il3i'.
CONSULADO PROVINCIAL
!t*odimento do dia 1 a
..--. a da dia 20
19.
RECIFE DRAINAGE
Rendiuieuto do dia 1 a 19.
Idem do dia 20......
40:872*7..'
1:78a**!*'
42:651-:^
4:8'6P;.
1:469, iM
6:306.-zi-
AGESCUS PROVlUqiAES
Liquidos espirituoso*.
RecSmentode la 17 f:958ljlt
!d*a do dia 19 399*204
Bacalhao. etc.
ftondimento de 1 a 17 2:7011332
(dam do dia 19 **81572
Generos de estiva,
fteadimeato de I a 17 3r?^0oi
Idem do dia 19 4l9*flifc
Farinha de irigo, etc.
3:769*716
Rondimento da 1 a I'
Idem do dia 19
814*416
Fumo, etc.
Rondimento de 1 a 17 1:924*807
Idem do dia 19 58*091
Vinagre, etc.
'.aadimeato. de 1 a 17 482*644
Idem do dia 19 *
3.3)2*911
2:929io;
3 674i 4:o84IUl
imw*
18J*644
Thesooro poYineial de Peraamneo, ?


Jiano de Pernambuou Quarta feira 21 de Outubro bro de 4874.
Oesortvie,
Joto Carneiro H. da SHva Santos.
Bunco Commercial de Braga
Jorge T**so.
37Rua do Amorim37
Saca qaalquer quaniia a prazo cu a vista so-
ore este Banco on nas respectivas agendas Das
seguintes cidades.e villas de Portugal, ilhn adja-
centes e-Hespanba, a saber:
Araarante. Guarda.
Anadia. Gaimaraes.
Arcos. 6ouveia.
Aveiro. Lagos.
Agueda. Lamego.
Arco de Baulhe em ca- Li>boa.
beceiras de Bastos. Lou 16.
Barca. Melgaco.
Barcellos. Mir ndella.
Beja. Moncao. i
Bragauca. Mealhads.
Chives. Monte-mer o velho.
Goimbra. Oliveira Oo Areraeis.
Coara. Ovar.
Covilbi. Penafiel.
Castel|o Braflc*. Pinhel.
Cammba. Ponte de Lima.
Elvas. Portimao.
Estreraoz. Porto.
Evora. Povoa do Varzim.
Esposende. Port'Alegre.
Famalicle. Povoa de Laohoso.
FaTo. Regoa.
Figueira. Silves.
Fafe. Santo Thvrso.
Thoraar. Villa Real.
Tavira. Viahaes.
Torres Novas. Vkeu.
Valenca. VHla da Feira.
Vianna. Villa Poaca de Agu;ar.
Villa do Geode. Villa Real de -S. Antonio.
Villa Nova da Cerveira Hoimenta da 'Beira.
Xibas.
Fuucbal. Fayal.
Heapanlia,
Madrid. Cadiz.
Barcellona. Orense.
Vigo. Corona.
Pnenteaveas Badajoz.
MOVIMENTO 3S PORTO
I096 Francisco
subscrevi.
do Rego^Barros, escrivSo, o
Seccao 4". -Secretaria da prjesidencia de Per-
nambuco, em 19 de outubro de -1874. Pelo pre-
sente ediial convida-se-Joaquina M ria do Amaral,
viuva do arteres Man >el Vicente Ferreira Caouto,
a comparecer nesta sesrelaria por si ou por pro-
curador,-atim de tratar de negocio de sea interes-
se, referente a petiole que a mesma viuva ende
reeou a S. M. o Imperador. -0 secretario, Joao
Dmiz -Ribeiro da Gvnha.
Navios enlrados vodia 20.
Rio de Janeiro7 dias, vapor irancez Ville de Ba-
hia, de 817 toBeladas, commandante Robert,
eqoipagem 39, curga varios generos.; a A. F de
Oliveira & C.
New York 4o dias, barca ingleza Hermione, de
383 lonelalas, capitao Lavaro, equipagem 43,
carga differentes generos; a Johnston Pa-
ter* C.
Navio sahido no mesmo dia.
Bahia o escala Vapor brasileiro Gastao de Or-
leans, commaadante A E. Costa, carga varios
generos.
DSBB
0 Dr. Sebastiao do 'Rego Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do rommercio, nesta cidade
de Recife de Pernambuco, por S M. o Impera-
dor, a qnem Dsus guarde, etc
Faco saber aos que o presente edital virem, que
por parte de D. Carolina Soares de Amorim Ho-
rerra, como tuiora de seus fllhos mmores, me foii
drrigida a petigao do theor seguinte :
III Sr. Dr. juiz do c-mmercio Die D. Caro
l!na Soares de Amorim Horeira, corao tutora del
seas Dittos menores, que sendo credora de Fran I
Cisco dasCttagas Aranjo,daqunntiade 4:S37A456,
provenience da letra junta, sacada pelo finado
mariJo da supplicante a 31 de utato de 1869,-e
aceita pelo upplicado,|com o prazo de seis nrnzes,
nao> tendo este at o presente paga a dita letra, e
estando -a lindar o praio fatal da prescripoao,
quer a supplicante como incutnbe a lei, para res-
guardar o direito futaro de seus tilbos, inierpor o
competeate protesto, alim de que eja interrompi*
da a mesma prescripcio e salvo o direito de seas
filr."s pera naverem o principal ejuros e per isso
reqoer -a V. S. se digne rnandar tomar o sea pro-
testo e iotimal-o eo supplicado para sua sciencia ;
e porqoo este esteja ausenie em logar iacsrto que
e nao sabe, requer a supplicante a V. S. se.digue
admiltil a a justibcar a auseocia do suppicado para
ser julgado por sentenca e iRtimado o protesto
por carta edital, passando-se o mesmo com o pra
zo da lei, para o refendo fun.
Pedc a V. S. deferimento e rccebera merce\
Recife, 6 de oumbro de 1874. RodolDtao Joao
BaraU de Almeida.Estava sellada com uma es
lamptlhade 200 re'is, lega Imente inutilisada na
f6rma da Jei. Na qual dei odei o despacho se
quiute :
Distnbui Ja, sim. -Recife, 6 de oatubro-de 1874.
Barros deLacerda.Em virtude do qual foraa
petigao distribuida ao escri"ao deste juizo Manoel
Maria Rodrigues do Nascimento, o qual taviou o
terroo de protesto seguinte :
Termo de protesto.
Aos 7 de outubro de 1874, na cidade do Recife
c car-tor", compareceu D. Carolina Soares de Amo-
rim Moreira, corao tutora de seas fiihos menores,
por sen ba-tante procurador e solieitador Rodol
pno Joao Barala de Almeida, e disse peranle mim
e as testemunbas infra, assignadas._ que redazia
EDITAES.
FACULDADE DE DIREITO.
Da ordem do Exm. fir. consefheireiro director,
visconde de Caraaragib?, se faz pubiico, que do
dia 16 aie 24 do correrte, e>U aberta a segunda
matricula de encerramc-iio, de conformidade com
o artigo 65 dos eslatutos, podenoo desde ja ser
effectuado o pag^mento la laxa, no lugar compe-
tente.
Secretaria da faculdado do direito do Re-
cife, 12 de outubro de 1874
0 secretario,
J0.16 Ho not to B. de Menezes.
A camara municipal da cidade de Olinda
faz constar que os foros de terrenos pertencentes
ao sea patriroonio, e ben as-im os lauderaios de
vidos pela transroissao dodominio util dos mesmos
terrenos situados no municipi < do Recife, devem
ser pagos a t-sta raunicipalidade, de conformidade
com o disposto no artigo 39 da lei provincial n.
1,156 de 13 de junho do corrente anno, que reco
nht-ctu o direito desta i uoicipalidade sobre taes
terrenos, e isto em virtude da consulla do conselbo
de estado de J2 de marco de 1867.
Paco da camara municipal de Olinda, 13 de
outubro de 1874.
Barao da Tacaruns,
Pre- Marcolino Dias de Aranjo,
Secretario.
protesto e conleiid > de sua peticao retro a qua
offereceu, como parte do presente que -Pica sendo
ii de ci mo a-sim o diise e protestou, lavrei este
termo, no qual depois de lido, te assignou com as
ditas testemunhas. Eu, Manoei Maria Rodrigues
do Nascimento, escrivao, o escrevi.Rodolpho Joao
Barata de Almeida, Luiz Francisco de Meilo Tava-
res, Francisxi Jo-quun Pere-ra. E tendo a 5up-
plicanie produzido suas testemanhas qui juraram
estar o supplicado ausmte em lugar incerto e nao
sabido, sellados e preparados os autos, me fez con-
clusos; nelles proferi a sentenca seguinte :
Hei por justiGcada a ausencia do sunplicado, a
quem se intimara o protesto de fulba- p< r edi-
tae>, com 30 dias de prazo, aulxados e publicados.
Custas ex-causa. Recife, 13 de outubro de
1874.Sebastiao do Rego Barros de Lacerda.
Por fnrca da qual o escrivao fez passar o presente
edital, pelo qual chamo, cito e hei por intimado o
suop icado Francisco dai Chagas Araujo, para que
compare^ Desie ju>zo dentro do prazo de 30 dias,
alim de allegar o que for de justica.
E para que chegue ao conbecimento de todos,
mandei passar o presente, que sera publicado pela
i.'npren.-a eafBxado nos lugares do costume.
Cidade do Recife 19 de outubro de 1874.
Eu, tlanoel Maria Rodrigues do Nrsciinento, es-
crivao, o subscrevi.
Sebastiao do Regt Barros de Lacerda.
Tfeesouraria de fawsnda.
l^amCa Cam de H1serloor41a da
Beetle
De ordem do film. Sr. inspector, *) declara qoo.4 -___. ,i-k... .V^* *. .
no diaS dedez-mbro proximo rtndonro se reVl *^eL,,fa'^ dia '?, a6.trren.te! R6"
berio nesu reparticio, proposUs m cartts fer>. ^s 10 boras ^da manh^na cape la ao hospital Pe
das sobre. ftiitaSai. de^s para o rtA-1 &2 28JLL2S0 i? *?vS!lntf?
tiva expediente, constantes darelacio quo desde
ja podera ser coosultada pelos interessados na se-
cretaria de-U mesma reparticSo.
Secretaria da thesonraria de fazenda de Per
aambmco, 16 de outobro de W74.
Jucundiano Rodrigues de Oliveira,
Secretario da junta.
DECIARACOES.
COMPANHIA
DO
BEBBRIBE.
Previoe-se aos Srs. concessiouarios de
penuss d'agua, moradores na Passagem da
Magdslena, a amrtir do sobrado proximo a
ponte grande daquelle arrabalde, que tendo
de cessar o fornucimonto d'agua feilo pelo
antigo encanamento, em virtude deja" so
achar proropto o qoe foi ultimbtnente cons-
truido, bajara de providenciar sem perda
de temp >, no sentido de serem amarrados
ao cano gerel as deriva^des de suas pennas,
alifij de nao vircn a soffrer ioterrupQio.,
Escriptorio da companbia, 20 de outu-
bro del8T4.
0 secretario,
Luiz Manoel Rodrigues Valenga.
Inspeccao de satide do porto de Pernambaco,
S de outubro de 1874.
Por ordem do lllm. Sr. commendador Dr. Pe-
dro de Atfaayde Lobo Moscoso, faco seiente que
os navios que tiverem de carregar eoaros veraes
ou outra qualquer substancia que exhale mao
clieirq, on descarregarem carvao de pedra, nao o
poderao fazer senao no ancoradouro, perto do
pbarol, e que nenouma reclamacao sera attendi-
da para deixar de ser cumprida esta ordetn a
pretexto de ser p-quena a carga on descarga.
0 qae se faz pubiico aos senbores ionos ou
consignatarioi de navies, para a devida execucao.
G secretario,
Felix de Cantalice da Silva Lobo
daquelle estabelecimenlo, de ornem da Illma. jun
ta administrativa coovido a todos os Srs. irmios
para assistirem a csse aclo.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 16 de outubro de 1874.
0 escrivao,
? __________Pedro Rodrigues de Sou/a.
conslruccAe tin pentc pxra alfan-
dea i>ro%lnvia do Para.
De ordem de lllm. Sr. inspector da thesouraria
de fazenda desta provincia, se faz pubiico qae es-
ta em ooncarreocia a construccao da ponta per-
manente desti ada a descarga de mereadorias na
alfan lega desta eapital, conforme a planta e orca-
mento respective, que se acham na secretaria da
junta da mesma thesnurana, e poderao ser con-
sultados pelos pretendentes ; cujas obras foram
maad&das executar pela ordem do thesoaro na-
cional. n. 73 de 11 de agosto Undo, no total de
299:359*400.
Os pretendentes, quer desta proviucia, quer das
do Rio de Janeiro, Bahia. Pernambuco, Ceara e
Marannao, deverao apresentar suas propostas em
cartas fechadas, as quaes serao abertas em ses
sao da junta de 17 de dezembro do cadente anno.
Thesouraria de fazenda da Para, 19 de setem-
bro de 1874.-Rayraundo daSilva e Cnnha, secre-
rio da junta.____________
Obras militares
A 27 do corr-nte, ao meio dia, sera aberta a
concurrencia para a execucao das obras e concer
tos do quartel das Cinco I'ontas, na importaneia
de 1:344*970 : os pretendentes apresentem-se na
reparticio das obras publicas, onde se acba o or-
c&mento, munidos de suas propostas era carta fe-
chada. Recife, 19 >le outubro de 1874.
0 engenheiro das obrat militares,
Chrysolito F. de Castro Chaves.
0 lllm. Sr. inspector do thesjuro provincial
manda fazer pubiico, qoe em cumprimento da or-
dem do Exm. Sr. presidenie da provincia, de 3 do
corrente, vaia iraga no dia 22, perante a junta do
mesmo thesouro, para ser arrematada a quem por
menus lizer a obra dos renaros do quartel do cor-
po de policia, orcada em 8!r7*820, e debaixo das
condicoes abaixo declaradas :
As pe^^oas que se pnonzerem a esta arremata-
55o, c mparegam na aala da sessoes d. referida
ja ta, no dia acima mdcado, pelo meio dia, com-
petentemente h^biliiadas.
E para constar se macdou publicar pelo presen-
te jorual.
Secreiaria do thesouro provincial de Pernam-
buco, 13 de outubro de 1874.
0 secretario,
Miguel Alfonso Ferreira.
Clausulas especiaes para a arrematacao dos repa-
ros 1i> quartel do corpo de p&!icta.
!
Os reparos do quartel do corpo de policia serao
executado:* de conform dado com o orcamento ap
provado pelo Exm. Sr. presidenie da provincia, na
importaneia de 897*820.
2.
OaF7ematanfe dara'enneco as obras no prazo
de oito dias, e as concluira no de dous mexes.
3."
0 pagamento sera effectuado em duas presta-
coes iguaes, na proporcao do servico executalo.
4.*
Para tudo mais que nao vai especiflcado nas
rpesent s clau9ula-<, observar-se ha o disposto no
regulamento de 24 de fevereiro do corrente anno.
Conforme.M. A. Ferreira.
0 eng-tihi-iro ajudante,
Francisco Apolinario
iviu Hi-'- iti o provincial se faz pubiico que
/oram transfeiidas par* o dia 22 do corrente mez
as seguintes arremataedes ;
Obra da bomba do Fragoso, na eatrada do nor-
te, orcada em 840*0*7.
Obra da ponte de Moes sobre o rio Tapacura, na
eslrada da Victoria, orcada em 1:483*.
Imposto sobre o capim de planta consumido na
cidade do Recife, e forneeimento de alimentacio e
dietas aos presos pobres c a casa de detencao.
Secretaria do thesoaro provincial de Pernamba-
co, 14 de seicmbro de 1874.-0 secretario,
Migoe' Alfonso Ferreira.
0 Dr. Joaquim Guit^-alves Lima, juiz dos
feitos da Cazenda desta provincia, por
S. M. Imperial, a que Deus guarde,
etc.
Fago saber aos que o presente edital vi
rem que, era cumprimento da ordem do
thesouro de 30 de dezembro de 1865, e
das instructs que com a mesma baixa-
ram, findo o prazo de tres mezes a contar
da data da publicagao deste, sera" vendido e
arrematado em hasta publica celebrada na
comarca de Itambe, i quem maior prego
offerecer, a* vista ou a prazo atd 11 annos
quando muito com juros do 6% ao anno
pelo tempo da demora a comprebensao de-
oaminada, a Baraco doextincto viuculo
de Itambe, sita naquella comarca aqualse
acfaa avaliada em cinco contos de re'is e
content segundo a medic,ao a quese proce-
deu e consta dos autos a extensao spguinte :
do lado do leste 1,110 bragas, do lado do
norte 4b9 brakes, do lado do noroeste 682
bragas do lado do poente 411 bracas e do
lado do sul 681 bra?as, sendo todo o ter-
reno proprio para a culture de mindioca e
ontros legumes e ficando certos os interes-
sados de que, tanto por tanto sera referido
o lan^o do posseiro respectivo, na confor-
midade da ordem do thesouro, n. 15 de 28
do Janeiro de 1874. -
Recife, \b de w|enibro de 1874.Eu,
0 Dr. S-'ii t. 11 i do Kego oarros Je Lacerda, juiz
de direito especial do c mmercio desta cidade
do Recife de Pernambuco, por S. M. o Impera-
dor, que Deus guarde, etc
Faco saber aos que o presente edilal virem ou
delle noticia tiverem, que Antonio da Silva Gus
mao Junior dirigio-me a peticao do theor ac-
curate :
lllm. Sr. Dr. juiz de direito especial do com
mercio Diz Antonio da Silva Gusmao Junior,
que sendolhe devedoro bacharel Luiz de Souza
Monteito de Barios, da iiiiportancia de 130* de
uma letra vencida n ia 10 de novembru de
18b9., e como se acha de proximo a prescngao da
mesma letra e o supplicante tem em vista o artigo
443 do codigo commercial, vem ne.-tes termos pro-
testar perante V. s., na conformidade do artigo
433 3." do mesmo codigo, contra o supplicado,
afini de se inttiromper a presetipeao e licar sal- j
ao snpplirault em todo tempo o direito e acgao
contra u mesmo supplicado ou seus herdeiros, na
cobracca de d ta quaniia, nao so do principal co-
mo os juros estipnlados em dita letra, e assim
vem o u;i.'i.c.nt.- reifuerer a V. a. se digue
maudar I he tomar por teimo o .-eu protesto, sen
do eale iolimado dep is da justiftcaca ao suppli-
cados por caila de editos, visto acbar-se clle au
senle em lugar inctrlo e nao >ab,do. tudo na forma
da lei e do estjlo. Nestes termos pede a V. S.
de.ferimento.-E. R. M. Itecife. 26 de setembro de
1874. Antonio da Silva Gusmao Junior. Estava
sellada com uma estampilha inutilisada na forma
da lei.
Despacho.Distriboida, como requer, juntando
a letra. Recife, 26 de setembro de 1874.-Barros
de Laceida.
Em viriude deste men daspaiho, fora a mesma
peticao distribuida ao escrivao Manoel Maria Ro
driguss do Nascimento, o qual lavrou o termo do
theor seguinte :
Aos 2 de outubro de 1874, na cidade do Recife
e cartorio compareceu o supplicante Antonio da
Silva Gusmao Junir, por seu bastante pro-urador
o solieitador Bernardino de Senna Dias, e disse
perante mim e as testemunbas infra assignadas
que protestava e reduzia a termo o conteudo de
so* peticao, a qual offered* como parte -do pre
smte que Uca sendo, e de como assim o disse e
protestou, lavro este termo, no qual depois oe lido
se lirmiiu com as referidas testemunhas. Eu Ma-
noel Maria Rodrigues do Nascimento, escrivao, o
escrevi, Bernardino de Senna Dias, Francisco Joa-
qaim Pereira, Secundino Heleodoro da Cunba
E tendo o supplicante proJuzido suas testemu-
nhas, que juraram acbar-se ansente o bacharel
Luiz de Souza Monteiro de Barros, em lugar incer-
to e nao sabido, sellados e preparadis os autos, su-
hiram a minba conclusao e nelles proferi a senten-
ce do theor seguinte :
Procede a justiQcacao e ao supplicado ausente se
intime o protesto de de prazo, afflxados o publicados. Custas ex-cau-
sa. Recife 13 de outubro de 1874.Sebastiao do
Rego Barros de Lacerda. Por forga desta minba
sentenca o escrivao fez passar o presente edital
pelo qual chamo, cito e bei por intimado o bacha-
rel Luiz de S uza Monteiro de Barros, para que
compareca deste juizo no prazo de 30 dias, afirn
de allegar o que for de justica.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
man iei passar o presente, que sera publicado pela
imprensa e affixado nos lugares do costume. Re-
cife, 19 de outunro de 1874. Eu, Manoel Maria
Rodrigaes do Nascimento, escrivao, o subscrevi.
Sebastiao do Rego Barros de Lacerda.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A lllma. junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer pubiico que
a* salade suas sessoes, o dia 22 de outubro, pe-
as 3 boras da tarde, tem de ser arrematadas a
mem mais vantagens offerecer, pelo tempo de am
a tres annos, as rendas dos predios em seguids
declarados.
ESTABELECJMENTO DE CARIDADE.
Rua do S. Goncalo.
Casa terrea n. 24(fechada). 260*000
Rua das Calcadas
Idem n. 36........221*000
Vidal de Negreiros.
Casa terrea n. 114....... 362*000
Idem n. 94.........301*O()6
Rua larga do Rosario.
2* andar e loia n 24 A.....310*000
I.' andar n. 24 A.......408*000
I.' andar n. 24 A. 231*000
Itua de Antonio Henriques.
Casa terrea a 26...... 99*000
Largo da Campina.
Ideron li(fechada)...... 96*000
Rua do Coronel Suassuna
1* andar do s hrado numero 94 386*000
PATRiMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).... 400*000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......421*00(
Rua da Lapa.
Casaterrean.il.......202*000
Rua do Amorim.
Sobr.do de 2 andares n. 23 602-SOOO
Casa terrea n. 34......2 2*0oC
Ruar do Bugos.
Casa terrea n. 21.......133*000
Rua do Vigario.
I' andar do sobrado n. 27 243*000
! andar do mesmo..... 240*000
Loja do mesmo.......300*000
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*4)06
Rua da Senzalla velha
Idem n. 16.......209*000
Rua da Guia.
Casa terrea n. 23 209* idem n. 29......201*000
Rua da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada). 800*000
Idem n. t4.........600*000
Rna de S. Jorge
Casa terrea n. 100 (fecnada) 241*000
Idem n. 103 ... 207*000
Rua do Amparo )Olinda)
Casa tercea n. 18 (fechada)....
Os pretendentes deverao apresentar
arrematacao as suas Bancas,
acompanhados dos respectivos
Soeiedade Propagadora da
Instrucqao Publica
Nao se tendo reuoido numero sufficiente de so-
cioi para (unccioaar a assembler geral, no dia 15
deste mez, 6 novamente convidada a mesma assem
blea para o dia 22 do corrente, no lugar e bora ja
sahidos ; e funccionara com o numero qae com-
parecer. Recife, 20 de outubro de 1874.
0 2' secretario,
V. de M. Mello.
ADvtl.NISTRA AO DOS CORREIOS DB PER-
NAMBUCO, 17 DE OUTUBRO DE 1874
Provimento de um 1 gar de praticante
Faco pubiico que a e o lia 18 de noverabro do
corrente anno se acha aberta nesta adminisiracao,
das 9 horas da manna as 3 da tarde, a inscripgao
para o exame des canlidatos a um lugar de pra-
ticante.
0 exame tera lugar no dia 19 daquelle mez, as
10 horas da manha, e versara sobre as seguintes
materias : exercicios de calligraphia e orihogra-
phia, arithmetic* elementar, comprebendendo o
uso do systcma metrico, e nogdes geraes de geo-
graphia.
0 conheciinento das linguas estrangeiras dara
direito a preferencia.
Os candidatos devem apresentar certificado me-
dico de boa saiide, e provar com certidio nao te-
rem meno de 18, nem mais de 30 annos de idade.
Affonso do Rego Rarros,
Administrador.
THE&TRO
PH1NIX DRAftlATICA
Uuarta reira St do corrente
Grande especlaculo em benn/icio do Pon-
ies e do seu amigo J. B. F. G.
Represents >e-ha o drama de sublime concep-
gao de Ernesto Biester, em 4 actos
As macs aiwpendidas
Tomara. parte osartistas Augjsto, Emiliano, Pon-
s, Ayrosa, Ponies Juoior.;Penante, D. Isabel, D.
COMPANHIA PERNAMBCCANA
DE
\avrg*ce ctelra m v
AIUHYBA, NATAL, MACAO, MOSSOP.o'.'aRACA-
TT,ClABA,ACAtUCD', GRANJA E MARANHiO
0 vapor Giguid, comman-
dante Martins, segturi pan os
portos acima no dia 22 do
corrente as 8 boras da tarde.
Recebe carga ate o dia 21,en-
commendas, passageiros e di-
oheiro a frete at6 as 3 horas da tarde do dia da
sahila : escriptorio no Forte do Mattos n. 11
Para Li
A barca portugue.'a Pereira Borges, capitao An-
tonio Alfredo Borges, recebe carga e passageiros:
a tratar-se com Silva Guimaraes &. C, praca do
Corpo Santo n. 6, segnndo andar.__________^^
4 11%It(.11 IKS REU.HIS
COMPANHIA FRiNCEZA DE NAVE-
GACAOA VAPOR
LINHA MENSAL ENTBE 0
Havre, Lisbon, Pernambuco, Bahia, Rio de
Janeiro e Santos.
STEAMER
Commandante, l. Robart.
Segue viagem hoje 21 do corrente ao meio dia
para o Havre com escala por Lisbon.
STEAMER
VILLE DE RIO DE JANEIRO
Commandante A. Flenry
E' esperado da Eu-
ro pa ate 23 do cor-
rente, seguindo depois
da indispensavel de
mora para os por-
tos do sul de sua es-
cala acima referidos.
Para fretes, encommendas e passageiros, trata-
se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA 4 C.
v2Rua doCommercioEntrada pela ru
dp Torres.
Barca Santa Maria ao Para
Ja tem engajada a maior parte da carga a frete
para o dito porto ; e para o resto trata-se com os
sens consignatarios Amorim Irmaos & <;.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
\AVEGACAOAVAPOR
Portos do sul
CERVANTES (fretado)
mora do costume.
E' esperado dos portos do norte
ate o dia 25' do corrente e se-
guira para os do sul, inclu
sive o da Victoria, depois da de-
Portog te
Li-opoidina e D. flenriqueta.
Seguir se ha a rrpresentacao com
tejada sceaa comics, representada
artista Flavio, <\ae obsequiosamente
210x000
no acto da
ou comparecerem
fiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quanta em
que for seguro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como o servigo da lira
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da Santa Casa da|Misericordia do Re
cife, 17 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
____________Pedro Rodrigues 4e Sous a.
Companhia Fidelidade
sogwros maritinios e terrestt-es
A agencia desta companhia toma seguros ma-
ritlm s e terrestres, a premios razoaveis, dando
aos ultimos o s6lo livre, e o setimo anno gratuito
10 segnrado.
Rua do Visconde de Itaparica, antiga do Appolo
n. 51.
Feliciano Jose Gomes,
_____________ Agente.
a sempre fes-
pelo distincto
se presta
0 SI. 00MING0S FORA 00 SERIO
Teniiin ira o especlaculo com a nova comedia
em 1 acto
A MLTLHER DE DOUS MARIDOS
Tomam parte os artistas D. Isabel, D. Henriqne-
ta, Augusio, Hontes Junior e Penante.
0 beneGciado ainJa esta vez recorre a proteccao
do pubiico peruambucano, certo de sua hospitali-
dade, antepondo a sua mais sincera gratidso.
Principiara as 8 horas.
Para
trata-se
E' esperado dos portos
do sul at6 o dia 27 do
corrente e segnira para
os do norte depois da
demora do costume,
carga, encommendas, valores e passagens,
no escriptorio
7RUA DO VIGARIO-7
Pereira Vianna & C.
_______________Agentes____________
(teal companhia dc paquetes in
jlezes a vapor.
Aieodia26docor-
ren'e espera-se d*
. Europa o vapor iu-
glez Bouro, comman
dante Thwaite, o qual
depois da demora do
costume seguira para Ruenos-Ayres, tocando nos
portos da Bahia, Rio de Janeiro e Montevideo.
No dia 29 do corrente espera-se dos portos do
sul o vapor inglez Boyne, commandante Reeks,
o qual depois da demora do costume, seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens, fretes, etc., trata-se na agencia.
ua do Commercio n. 40.
J genie Peskma
P Leiiao
DE
viote fardos com muito superior
fumo da Babia.
HOJE
As 11 horas em ponto
So armazem do Sr. Annes.
Ao correr do rnartello.
0 preposto do agente Pestana, corapeten-
temente autorisado por uma pessoa da Babia,
fara" leiUo de vinte fordos com muito supe-
rior fumo em folhas, da safra velba, as
quaes tornam-se recommendaveis pela sua
espcialid de, t^ndo vindo pelo ultimo va-
por, as quaos serSo vendidas em am oa
mais lutes A vontade dos Srs. compradores,
80 correr do rnartello, o para fecbar cont.
LEIUO
DE
moveip, louca, vidrosr pia-
nos, miudezas, ouro, di-
versas obras de plaqu6 e
uma porcao de latas com
manteis:^.
No
Hoje
AS II HORAS EM PONTO.
armaz-m a rua do Bom Jesus n. M
[anliga Cruz..
0 agente Dias fara leiiao por conta e risco .V
quem perten ;er, de uma mobilia de jacaranda con
lampos de pedra, 1 dita de dita, 1 dita ds amar- -
lo. camas para casal, marqu zoes, marqaexas, r>-.
fas, cadeiras avulsas, ditas de balanco, goarda
louea, 1 santuario dejaciranda, coMureiras *^
mogno, commodss, quadros, mesas redondas, mea
elasticas, cousolos, aparadoies, candelabros, prec
sas para copiar, t mtchina para costara em p*r-
feito estado, secretarias, eartsifM, cadeiras par*
meninos, diversos cdries de vestidos de la e cam-
braia, manteletes de >ed.i. e muitos < ulros obje.
t'js que estarSo patentes ao acto do leiiao.
Santo Antonio
COMPANHIA DRAMATIC! ITALUHA
EMPREZA
Monte pio portuguez
De ordem da directoria sao convidades os Srs.
socios qne se acham em atraso a satisfazerem as
suas mensalidades, como determina o 2 do artigo
11 dos estatutos, para que possa organisar-se o
quadro dos socios effectivos, e mesmo para nao
ser eoagida a dar execucao ao 2 do artigo 13,
qua e o seguinte : perde os direitos de socio ( rt.
13 2') o qae deixar de satisfazer as suas men-
salidades por mais de dous annos, sendo Ihes pe-
didas, nao podendo depots ser admittido sem pre-
viamente pagar o que estiver devendo, e nova joia
como se nunca tivesse pertencido a associacao.
Secretaria do Monie Pie Portuguez, IS de outu-
bro de 1874.
0 1* secretario,
J. H. Vieira Ligo.
Quinta-feira 22 do corrente.
Beneflcio do primeiro actor
E. Dominici
Cm o magnifico drama em tres actos, origi
nal portuguez do visconde Almeida Garret :
Fill IJZ III Mi
E a linda poesia pelo benericiado .-
0 artista ilaliano no Brassl.
A's 8 horas.
se ensaiando o grandioso drama.
N. B. Esta
original italiano de
Jiacometti
Crislovao Colonibu.
AVISOS WARITIMO^
Thesouraria de fazenda.
De ordem do lllm. Sr. Inspector, se faz pubiico,
que acham-se a venda, nesta' the our ana, as col-
leccoes de .lei o decis5es do governo impe-
rial do anno de 1873, pela qnantia de 9.500, cada
exemplar, podendo desde ja os pretendentes se en-
tenderem com o cartorario desta mesma reparti-
cao.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
baco, 16 de outubro de 1874
Jucundiano Rodrigues de Oliveira,
Secretario da junta.
Thesouraria de fazenda.
Tliomaz de Aquino Fonceca & C.
Snccessores
saicam por todos os vapores, sobre as seguintes
pracas :
Lisboa. Regoa.
Porto. Chaves.
Braga Villa-Flor.
Vianna. afirandella.
Visen. Alijo.
Gaarda. Favaios.
Goimbra. Braganca.
Gaimaraes Lamego.
Rio de Janeiro.
Na rua do Vigario n. 19.______
Pelo presente sao convidados, de ordem do lllm.
Sr. inspector, os Srs. Joa uim Maria de Carvalbo,
ex-lhesoureiro da recebedoria e os herdeiros do fl-
nado Joaquim Jose de Miranda, tbesoureiro qae foi
da alfaodega, para virem a esta repartlcao receber
os titolos de qnitacao de suas contas com a fazen-
da nacional, a sber:
Ao do primeirri relalivas aos exercicios de 1837
- 1858, 1858-1359, 1859 -1860, 1860-1861 -
e 1862 -1863, e as do segnndo correspondente aos
de 1862-1863-1863-1864 e 1864-1865.
Secretaria da thesouraria de Pernambaco, 16
do ontubro de 1874.
Jucundiano Rodrigues de Oliveira,
Secretario da jama. '
Santa Casa da Misericordia do Recife.
A junta administrativa convida pelo presente as
pessoas qne se acbam a dever renda de predios e
raensalidade de pensionistas, para qne no prazo
de 15 dias tratem de aaldaf os seas debitos, visto
qae se dentro desse prazo o nao fizerem, sera ella
a seu pezar, obrigada a Intentar a competente ac-
cao contra cada am delles, fazendo publicar seas
nomes por este Diario.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 16 de outubro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
COMPANHIA PERMMBUCANA
DE
\ avegaciio costeira a vapor.
Fernando de Noronha.
0 vapor Jaguaribe, com-
mandante Julio, segui-
ra para o porto acima
no dia 3 de novembro, ao
meio dia.
Recebe carga ate o dia
2, encommendas, passa-
geiros e diabeiro ate" as 11 horas da manha do
dia da sahida.
Escriptorio no Forte do Mat'os q. 12.
Pacific Steam Navigation Company
ROYAL MAIL STEAMERS.
Ilha de S. Miguel
*egne com brevidade para S. Miguel o palha-
bote portuguez Novo S. Lourenco, para onde rece
be carga e passageiros : trata'se com Pa consig-
natarios Thomaz de Aquino Fonceca & C. Succes
sores, rua do Vigario n. 19, andar.
Libra esteiiiiias.
Vendem Augusto F. d'Oli-
veira & C.
Rua do Commercio D. 42.
Para Lisboa.
Pretende seguir com brevidade o Itigar portu-
gnez Julio. Para carga e passagiris, trata-se com
os consignatarios Thomaz de A^nino Fonc-ca &
C. Snccessores, a rua do Vigario n. 19, primeiro
andar.
Rio de Janeiro
0 novo patacho brasileiro Rival recebe carga a
frete para aquelle porto : a tratar no escriptorio
dos consignatarios Balthar, Oliveira &C, a rua do
Vigario n. 1, 1 andar.
DOS
vinhos, licores, conserves, moveis, um bo-
te, uma lancha, o meis objectos do ar-
m8zem de fornecirnentos de navios da
rda do ComniTcio n. 24, quo faz MM*
do e?polio do linadn
IMiiiii'iItt Tm-pin.
CONSTANDO DE :
Uma armacao, I balcao, 2 armarios, 1 repan-
mento de escript no, I hurra, 2 carteiras, 1 bva-
torio com deposito para agna e torneiras, 2 re:
gios de parede, 1 mesas, I deposito para gelo, pi-
pas, tabtias, escadas, rsltiras, balanrja-, copos, ca-
lices, charutos e papel para cigsrros.
Vinhos de B'.rdeanx, Reino, S. Julien e mjii-
outras marcas e qualidadea de vin'ios em banis a
garrafas, conservas, peixes em conservas, Diolh'ii
e muitos outran generos.
Sendo:
!.0 arrendamento da rferida casa a rna Jo
Commercio n. 2i, que expir.i em Mm de dezem-
bro de 1876.
!Todas as mereadorias da mesma casa, MB-
pondo se dos generos e objectos acima mencion*-
dos.
Hoje
a 1 hora da tarde.
0 agente Pinto, autorisado pelo gerente do c<
sulado de Franca, levara a leiiao, em dous ou mui-
tos lute-, a von:ado dos compradores, em present
do chanceller do me-mo consulado, os gener
moveis, vinhos, conservas e mais objectos perten-
centes ao espolio dj ii. ado Eduardo Turpin e exi-
tentes no armazem da rua do Commercio n. Si
onde so eflecluara o leiiao a 1 hora da tarde
dia acima dito.
Leiloes
ii Mim
0 brigne portuguez Triumpho, pretende seguir
:om muita brevidade: para carga e passageiros
irata-se com os consignatarios Thomaz do Aqnino
"onceca 4 C, successores, rua do Viaario n. 19
Aconcagua
Para o Para.
^Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote Joven Arthur, tem parte de seu carregamen-
to engajado, para o resto que lhe falta trata-se
com o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo, a rua do Bom Jesus n. 57.
POIl
latcrvcnriio do n^enlc Pinto.
A s lr :
QUARTA FEIitA ii DO COnRENTE
Di trmacao, balcio, buira, carleira, mov
vinhos, licores, conservas peixes em lata, balaa
Qas, I hote, I lancha, e m >is pertenca do arma-
zem da roa do'.'Commercio n. 24, do failed In
Eduardo Turyin.
QUINTA-FEIRA 22 DO CORRENTE
Dos sobrados da rua do Bom Jesus ns 6t e :.
da casa lerrea da rua d- linperatriz n. 60, das Ii
meias agnas da rua do Camarao n. 9, do silio da
rua de Riachuelo (outr'ora Corridor do Bipo) n.
61 e do sabradj-amarello-da esquina da rua io
Hospicio.
SEXTA-FEIRA 23 DO CORRENTE
De moveis, louea, crv-taes, musicas, livros, ol: .-
do ouro e prata no 2' andar do sobrado da rua
Primeiro de Marco (outr'ora rua do Ctespo) n.
Em continuacjao
LEILAO
de 44 pares dc sapatos para banbo salgado, IS
duzias de caiices, 6 ditas de c >pos, 8 caixas de
papel para cigarros, cachimbos, palitos de den-
ies, phosphor -. ca xas com -ab.'u, ditas com *-
bo e rolbas.
Latas com liDguss, chourigas, hervilhas, peixes *
conservas.
Potescom m>stardas, frascos com doses em con-
servas e balaios.
Garrafas com azeite doce, vinagre, azeitonas, bit-
ters, agua de Vi:hi, absynto, canna, vermoutti,
hircks, charlreoses, santerne, e muitas ontra*
qualidades dc vinho.
Hoje
Ao meio dia
No
armazem da rua do Commercio n. ->.
do 6nado F.. Turpin.
LEILOES.
Carvalho A Nogueira
saccam qualquer qoantia, a vista ou a prazo, por
todos os paquetes, sobre Lisboa, Porto e todas as
mais cjdados e villas de Portugal; assim como,
para Galiu e Unas dos Andres.
(DE 4106 TONEADAS)
Espera-se dos por-
tos do sal ate" o dia 25
do corrente, e depois
da demora do costu-
me seguira para Li-
verpuol, tocando em
Lisboa, Bordios, para onde recebera passageiros,
encommendas, e dinheiro a frete.
N. B.Nao sahira antes das tres boras da tar
de do dia da sna chegada.
AGENTES
Wilson Bowe A C.
tiPRACA DO COMMERCIO14
Para Lisboa
Seguira com brevidade o brigua portuguez Bella
Figueirente, rapitao Hilario Rodrignes : para car-
ga e passageiros, trata-se com E. R. R bello & C,
rua do Commercio n. .17, entrada pelo largo do
1 Pelofiiuho.
LEILAO
DE
moveis, louea e vidros
hoje
AS 10 HORAS DA MANHA.
No primeiro andar do sobrado da rua do
Bom Jesus n. 8.
lira piano novo e forte, 1 mobilia de jacaranda
completa com consolos de tampos de marmore, i
dita de faia, envernisada de preta, composta de :
I sofa, 2 consolos, 1 mesa, 2 cadeiras de bracos, 2
ditas de balanco a 12 ditas de guarnicao; 1 mo-
bilia de mogno completa e em bom estado de con-
servacao, 1 costureira, 1 secretaria de mogno, 1
jardineira de pedra, vasos e jarros finos, lanter-
ns', espelhos, tapetes, cama para casa I, toilette
gnarda-vestido, jruarda-roupa, marqueiao, mesa
elastica, 1 guarda-louca de amarello, novo, cadei-
ras americanas, 1 machina para costura, cadeiras,
sofas avulsos, mesa e ontros artigos qae estario
patentes aos concurrents.
0 agente Pinho Borges, autorisado, vendera em
leiiao os referidos moveis, no I* andar do sobrado
c. 8 da rua do Bom Jesus, por conta e ordem de
nma familia qoe mndon de residencia. '
Agente Pestana
leiiao
DE
30 caixas com genebra bollandeza, em cai-
xas de uma duzia e 18 duzias do lioti-
jas de dita
HOJE
t%S 11 hora*
No armazem do Sr. Annes, defronle da al-
fand'ga.
0 preposto do agente Pestana fara leiiao, ix*
conta e risco de quem pertencor, de 30 caixas
com genebra hollaodeza. em caixas de uma dor -
e 18 duzias de botijas de dita.
Em um on mais lotes, a vonude dos Srs com-
pradores.
Agente Pestana
LEILAO
DE
diversas gigas de louea sortida, desembn-
cadas ultima mentA. e para fechar contas.
ds 11 boras em ponto
No armazem do Sr. Annes, defronle da al-
fandega
O preposto do agente Pestana fara leiiao, por
conta e risco deqnem perlencer, de drversas
gigas com loaca sortida, desembarcadas oltima-
mente.

*
;i
mm


"1
/
I I
Oiario de Pernamouoo Qaarta teira 21 de Outubro de 1*74.
Em um on mais Votes, a vontade dos Srs. cora-
pradores.________^^
LEILAO
DE
um rtlogio de ouro para slgibeira, I din de prnta,
1 cadeia de cure, l annel. butoes de punhos,
coilele e peito de ratnisa, 3 earteiras para cha
rutos, | e?piogarda (Le faucheaux) e 1 simile
de marim.
(Bens pertencenles ao flnado E. Tarpin )
Hoje
Wo armazem d> run do Commercio n. 2i.
Age te Pestana
Leilao
DE
50 caixas com massa estrelina para sdpa
As 1 It horas em ponto
No arnia tem do Sr. Annea
0 preposto do :>genle Pestana fara leilao por
conta e risco de quern pertencer de 50 caixas com
massa estrelina para 6pa.
Em nm oa mais totes, a vontade dos Srs. com-
pradores.
leilao
DA
barcaca Zurich
QUINTA-FEIRA 22 DO CORRENTE
As 2 boras da tarde
-No caes "do trapicbe Alfandega Velha (outr'ora).
0 agente Pinto levara a leilao, precedida a com-
petent autorisacio, no dia e hora acima meneio-
nados, a barcaca deoominada Zurich, de 2 mas-
tros. a qual carrega 600 saccos com assucar, tal
qual se acha (undeada em frente ao antigo trapi-
cbe Peloorinho, onde poderao os pretendentes
desde ja examina-la.
com arreios, miudezas, 1
cavallo, caixas com charu-
tos da TCahia, um lustre de
4 luzei paragz carboni-
co, fiteiros para lojas, ca-
deiras de balanco, cabi-
des, relogio 3 deouro e pra-
ta, muitos trastes avulsos
e immensos artigos do uso
domestico quo serao ven-
didos a troco do barato,
per conta de diversos
Quinta-feira 22 do corrente
tl 11 h rasda man ha
NA
FEIRA SElYIANAL
1(; -Hua do Imperadfir16
pelo agente Martins.
LEILAO
DE
Agente Pestana
leilao
DA
armacSo, generos e mais ntensiiios da ta-
verna sita no largo de Nossa Senhora da
Paz n li, freguezia dos Afogados
QUINTA-FEIRA 12 DE OUTUBRO
AS 11 HORAS EM PONTO.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, d'armacao, gene-
ros e mais utensihos da taverna acima mencio-
aada.
Em um ou mais lotes, a vontade do3 Srs. com-
pradores.
Novo leilao
J DA
arma$3o, generos; e mais utensilios existen-
tes em o estaMecunento n. 8, da traves-
sadarua Duque de Caxias, edeumi ca-
sa terrea em a rua da Roda n. 86
QULNTA-FEI.RA 22 DO CORRENTE
as 11 horas da manna.
0 agente Dias, levara novamente a leilao, por
despacho do Exm. Sr. desembargador juiz de or-
phaos, no dia e hora acima indicados, a armacao,
generos e mais utensihos do estabeleciraento n. 8
da travessa da rua Duque de Caxias, e a ca a ter-
rea em a run da n ula n. 56, perlencentes aos bens
do fallecido Jo e ilu Rjgo Pacheco.
Os Srs. -pretendentes podem desde ja exaramar
a referida casa, e para qualjuer esclarecimento,
no escript rio do agente, a rua do Marquez de
Olinda n. 37, !. aDdar.
LEILAO
moveis, louca, vidros, livros,
musicas e obras de ouro
e prata,
COMO SEIAM :
Uma boa colleccao de operas, musicas e phanta-
sias.
Uma dita de estudos e exercicios de agilidade,
duetos de Ernani, Forza del destino, en., etc.
Uma dita de polkas, walsas e qnadrilhas moder-
nas.
Uma dita de operas para janto, romanzas italianas,
duetos, estudos o exercicios.
Um livro de solfejo de Rodolpho e 3 livros enca-
dernados com musicas difflceis e faceis.
Uma colleccao de livros ir.glezes, comprebendendo
os poemas de C' wper, Shakespeare, historia de
Inglaterra e biographia geral.
Um diccionario italiano, as prisSes de Silvio Pel-
lico, nm diccionario fraocez, historia de Portu-
gal, da Grecia e de Roma, da idade me"dia e an-
tiga, e outros livros.
Um relogio de onro esmaltado e corrente de bom
gosto, propria para senhora; uma corrente de
ouro (double) e com um medalhae ; u a cordao
de ouro do Porto, de 20 quilates; uma pnlsei-
ra, uma medalba para retratos, um medalhao
com perolas, 4 anoeis de ou o, sendo um com
brilhanie e muitos outros objectos.
Uma mobilia de jacaranda (massica) com um sofa,
2 consclos, 2 cadeiras de bracos e 12 de guar
ni$ao, uma cadeira de balanro e uma conversa-
deira de jacaranda.
Um piano forte de jacaranda.
Uma mobilia de junco, propria para gabinete.
Um guarda-loufa envidracado, um aparador com
gavetas, cadeiras, mesas, marquezas, marque-
zoos, lavato ios, commodas, luuya, vidros, 2 ca
mas de ferro para menino, e muitos outros ob
jectos proprios para c-i-a de familia.
Sexla-feira 93 do corrente.
No 2 andar do sobrado da rua Primeiro de
Marco n. 14 (outr'ora rua do Crespo).
0 agente Pinto, autorisado por uma familia, que
muda de residencia, fara leilao dos moveis e mais
objectos acima descriptor, existentes no 2* andar
do sobradi da rua do Crespo n. 14.
0 leilao principiara as 10 1|2 horas em ponto,
por serem muitos e differetes os lotes.
M- A SABER:
137 frasqneiras de genebra, 18 ditas de dita 01-
ditotn, 91 ratal cum vinho Bordeaux, II ditas
co^i genebra aiomatica, 9* barticas com rert j,
mteiras e tneias, .) Ijhras de cha preto, 15 caixas
com Vinho Madeira JO d.tas com liror Iraticez, 5
dius com augnae,:] saccos c .in alfazetua, !! ar-
rafdes cum Brv^dinha e sagu. I ealxa coin palrtos
para denies, 313 rmu de pa pel para c Abrulho,
i barns i|>> 5. com vinho Pigneira, llfi canislras
c-in allKM, 14 garrafdei com gonebra aeional,
00 labs de 4.* com sardinhas, 3 t\\* torn cha
verde. 1 .lit.i cum dito miudinlio, G Irasuiieirli
coin genebnt Vi,l. Eterua, 2v> saccos com eiva do-
ce, ein mao e com fructas em calda, t3 saccos com cominnos.
LEILAO
DE
um sobrado de 3 andares, sito a* rua do Bom
Jesus n. 23, o 2 e 3* andares proprios
pa a familia, e o i para escriptorio, e
um grande armazem, bem localisado e
rendoso
SEXTA-FEIRA 23 DE OUTUBRO
.I'm tO 1|S horas.
No escriptorio, & rua do Bom Jesus n. 53,
is 11 horas da manha
' 0 agentd Pinbo Borges vendera em leilao o re-
ferido sebrado, por conta e risco de quem perten-
C6F.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examinar,
e qualquer esclarecimento o mesmo agente acna
se antonsado a dar.
Leilao
DE
1 barris com came de porco e de vacca
Sexta-feira 23 do corrente
ao meio dia
No trapicbe da Companhia.
0 agente Pioho Borges vendera em leilao, no
lugar designado, os barris com carne, por conta e
risco de quem pertencer.
0 mestLo agente onvida os Srs. capitSes de
navio a concorrerem a este leilao.
Companhia
wlificailora !n pro- St
Tiiicin
de Pcrnitivlmco.
Tenho o sentitnento de levar, pel" presente, ao
conhecimentu de todos os aciuaes e'fn'nros sn^s-
: ipt'iri-* du ar^oej da i-onipanhia crtilicadi.ra la
provirivia de Prrnamhucu, qun uio liuha chegadu
aopoderdi Exm. Sr pre,Hnte da provincia atn
. do cornnie asolnej > da pel (iii dirigida ao go
verno imperial, cm 21 de ap-sto de rW3. sub n.
,/, rilativa a apjirova^au ilu* esluiutos da com-
panhia edilicadora da provincia de Ptrnambuco,
da qual F. M. Duprat e incorporador.
A vista desta inesperada demnra e da nrgente
necessidade que esia praca tem de ver funccionar
o mais breve possivel a giandiosa e utilitaria era
preza de edilicacoes da provincia de Peraambuco,
a qual em pouco tempo lara augmentar de quinhen-
tos a dous mil centos de rs. o movimento finaneei-
ro e commercial desta praca, e contribuira rela-
tivamente a fazer desapparecer a crise financeira
actual que ha mezes desola esta praca, bem digna
de meluor sorte.
Tive a occasiio de saber na seeretaria da pre-
sidencia, era 7 de ontubro corrente, que S. Exc.
o Sr. commendador Henrique Pereira de Lucena,
com oi dm de obter prompta solucao, agora que
os trabalbos das caraaras estao concluidos, diri
gio : em 2 do corrente um offlcio a S. Exc. o Sr.
BWWWJ da agricultura, renovando-lhe o pedido
que Ine Ozera era 15 de jnnbo proximo passado,
da solucao da petiQao ja citada e remettida em 21
de agosto de 1873, sob n. 77, acabando assim de
dar uma nova prova do interest que toroa e do
desejo que tem de ver dita empreza assentar a
primeira pedra da pr meira ediUea(2o qne fizer,
e cuja acta desejo que seja assignada pe'o actual
presidente da provincia, datando desse dia os 40
annos das dispensas de desimas concedidas pela
lei provincial n. 535 4e 20 de junho de 1862.
Recife, 9 de outubro de 1874.
_________^_________F. M Dilprat.
Aluga-se
.
ST Sl>*
O ^ n \
9 8 s-'Si
a excellente ca^a da rua Riachnrllo n. 9. com bons
o grandes comraodos para familia, e jardim na
frente a tratar com Joagnim Lope- Machado.
Casa em 01 irid
Aluga-se ou vi-n.le-so pnr l.arato i.rcco. a%
rale de pedra e c.il cum 2 qijailj) p 2 wlas, is r
n-d t e' isinlia terrain pruprn c coin espr.e.
para te fjzer uotia Krande *a, grant,- .piim.l!
e raoik) ptitj dus bum..- salgid.*, de>Uciu,
agradavel vista para o ma- e iiioiu (reoca. Quem
a pretender dirija--e ao conven-.o do Carom do
Recife, I* ordem, cella n. Iti, a tra-ar com e dmo
damesma, ou deix.-.r nita para ?er procurado.
Nestoo Joso da Fonceca, encontrando seu no-
me na lista dos devedores da massa do Thomaz
Fernandes da Cunha & C, que (A leilao, como
devedor da quantia de seiscentos e lantos mil reis,
vein por meio de-te. declarar que so se julg de-
vedor aqaella massa, da qir.ntia de 397^995, por
tanto protesta contra tudo mais.
Recife, 19 de outubro de 1874.
Aluga-se o segundo andar e sotio da rua
larga do Rosario n. 3", 'com coramodos para fa-
milia, e hem assim o primeiro andar, mais pro-
prio para escriptorio, visto hao ser repartida a sa-
ia da frente : a rua Nova de Santa Rita, ribeira
do Peixe n 19.
Aluga-se
uma mulatinha d- -r, a n t ,!a ij4 jc piTt oser-
vlco lolerno de uma ca rua du Viscmle de r, lynnna n. 14
>'a rua da AI ptia n. w, precisa >e de mil
rial.) que anrcarnU: i.Urlal,i de :ua conducta
T<>* l .-
!< tii ini'iitui para raixeiro : n
.ii'-,- e. :>.
1
y xi'fu
r-rm ** -I i:a -..;\ :-,, ,;!). t.-ni,,i a%ni
'-.! paia iiitiai de ro-io em uma taverna : na
n. 139, > dira quem preciia.
rua Uireit;
i'rotesto.
o s'g-i
crsr o,=- -i
CO
rr* v &
leiiao
Di
armacao, fazendase pertencas da loja de fa-
zendas da rua Duque de Caxias n. 44
Massa fallida de Francisco Guimaraes & C.
Sexta-feira 23 do corrente
0 agente Martins fara leilao, por mandado do
Iljm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, d'arma-
cao, fazendas e pertencas da massa fallida de
Francisco Guimaraes & 11
V 11 hoaa do dia acima.
Os pretendentes podem examinar o mandado em
poder do agente.
S* 2.3
" 3 M
a-a" S1
0 _
1 3.S-S
III
goB
< B 5*
2 3 a-
B? = |
o.2.Si5
o wo
B
a> g n
= B3,
4 01
II
sr
i
B^ 1
LEILAO
DO
sobrado amarello de 3 andares e sotao
da rua da Imperatriz, em frente a" matnz
da B ia-Vista, serviudo de base a offerta
d 11:000 6"00
Quinta feira 22 do corrente.
Ao iiicii dia
0 agente Pinto, orapetentemente autorisado, le-
rara novamente e pela ul ima vez a leiiao, servio-
do de base a offerta de 11 contos de reis, o sobra-
do da rua da Imperatriz, esjuioa da rua do Hos-
picio, edificado era eaios foreiros, gendo que dita
venda sera effectivaiiente realisada no di e hora
acima mencionados com quem melhor vantacem
offereeer.
Os novos pretendentes poderao desde ia exami-
narein dito sobrado e concorrerem aoactodo. lei
lao, no escriptorio do agente Pinto, rua do Bom
leens n. 43.
G ande e importante
LEILAO
DE
predios
Al saber :
Um sobrado de :i an tares ediQcado em chaos
proprios. a rua do Bom Jesus n. 63.
Um dito do I andar lambem era chaos proprios
na raesma rua n. 61.
Uma casa terrea na rua da Imperatriz n. 60,
em chaos foreiros.
Dezeseis mei.-agnas da rua do CamarSo n. 9,
tambem em chaos foreiros.
Um grande sitio na rua do Riachoelo (outr'ora
<]orredor do Bisp ). n. 61, chaos proprios, com
grande casa de sobrado, o qual flea perto das li-
nbas da eatrada ce ferro, assim como da dos
hoeds.
ijniiila
i-feira 22 do corrente
A's 11 horas em ponto
No escriptorio do agente Pinto
RUA DO BOM JESUS N. 43.
0 administradores da massa fallida de Pereira
de Mello & C. levarao a leilao, de conformidade
com o alvara de licen^a do Illm. Sr. Dr. jniz de
direito especial do commercio, e por intervencio
do agente Pinto, os predios acima mencionados,
para pagamento de hypothecs as 1 i boras do dia
acima dito.
Os pretendentes p- der.ie desde ja examinar ditos
predios, os qnaes lornam-se reeommendados, ja
por sens reodimentis, ja or serem edificados em
mas comoierciaes, procur-ndo obterera qualqner
informacio dos alministradores, ou mesmo do
agente, e concorrerem ao acto do leilao, no dia e
hora acima mencionados
Feira Semanai
Agente Pestana
LEILAO
. DE
moveis, louca, vidros, crystaes, ouro, pra-
ta e bnlhnit- s
SEXTA-FEIRA 23 DO CORRENTE
an 11 tiorus em ponto
No segundo andar do sobrado sito d rua do
Cabuga' n. 16.
0 preposto do agente Pestana, competentemente
autorisado por uma familia que se retirou para a
Kuropa, fara leilao, por conta e risco de quem
pertencer, dos moveis abaixo declarados.
Sala de visita.
Uma rica mobilia de jacaranda, com pouco uso
coastando de 12 cadeiras de guarnicao, 2 ditas de
bracos, 2 ditas debalango, 1 sofa, 1 jardineira com
oedra, 2 cunsolos tambem com tarapo de pedra, 3
espelhos dourado9, 1 tapete, 1 rico candieiro a
gaz, 2 pares de lauternas, 2 pares de jarros com
pingentes e bouquets de cera, 1 relonio de cima de
rae>a, 8 qiadros com flnas gravuras, 1 par de es-
carradeiras, 1 machina para costura e 2 pares de
quartinha*.
Primeiro quarto.
Uma cama de amarell >, 1 lavatorio com pedra e
suas pertencas, 1 ctbide, 1 bidet, 1 guarda vestt-
do de amarello, 1 toilette de mogno e 1 espelho.
Segundo quarto.
Um marqaezao para solteiro, 1 meia commoda,
1 santuariocom imagens lavatorio el cabide.
Sala de jartar.
Uma mesa elastica de 4 taboas, 1 gaarda louga,
2 aparadores, e sofa de amarello, 12 cadeiras, 2
mesas para jogo, 2 cadeiras de brago, 2 ditas de
balanco, 1 quadro a'oleo 1 relogio de paride, I
quartinhei'a, 1 apparelho para jantar, 1 dito para
almaco, pares de garrafas, duzias de copos, ditas
de calices, compoleiras, etc.
Cozinha.
Uma mesa para eogoramado e pertencas de C3-
zinha nere*sarios para uma casa de familia.
SEXTA-FEIRA 23 DO iZtWEKR
as 11 horas em ponto.
No seguudo andar do sobrado sito a" rua do
______ Catiuga" n. 16.
um annel
Ibante
DE
com um grande e perfeito bri-
de l.a qualidade, prestando se
para alfinete e botfio
SEXTA FEIRA 23 DO CORRENTE
No segundo andar do sobrado da rua Primeiro
de Margo u. 14
____Por intervencao- do agente "into
LEILAO
DE
uma casa na rua Azul n. 34
Sexta-feira 23 do corrente
pel) a^ctile Marlins.
\o arniazem da'rna lo I mpera-
dor n -tH
Ao meio dia.
MISOSDBfcBSOS
Massa fallida de Pereira de
Mello & C.
Os credores podem rece-
ber o 2. dividendo de sete
por cento, apresentando os
titulos para seannotarem.
O V
If
S.SS"
X 3 w
= 21
Eli
oS's
g B
0
s sr
a- 5
a & m
fi! m
f>B g-
B?
.
si
3.B
f-s
2 3
ct>
!
&<
a> 1
Q a
^ set
X e>
P3
Aloga se uma escrava para tado o servico :
na rua da Gloria a. 146.
Boa moradia.
Vende-se um excellente sobrado, com uma
casa pequena contgua, sites no Poco da Pa-
nella, rua Real n. 3o, com bons commodos
para uma familia grande, tondo diversas sa-
jas grandes e muitos quartos, todos com
janellas; quartos para criados, cocheira,
esiribaria, grande copir, casa de banho
e jardim de cada lado. A casa esla" em
perfeito estado, e e situacao e a mais fresca
o saudavel possivel :a tratar com a proprte-
taria D. Maria Purcell Raulinson, na mesma
casa.
0 abaixo assignado, filho lepitimo da finada D.
Maria Gomes Coutinho do Amaral, sabendo qne
os ben- deixado por sna mai, dos qnaes e o anlco
e legitimo herdeiro, estio justos para serem ven-
didos pelo nullo testamenteiro lian el Lais da
Silva Guimaraes, previne que ninguem fica ne-
gocio com o sitio e casa* da Varzea nem com ontro
qualquer bem, vMo cmno nao antoriscn a nin-
guem para vende Us.
Recife, 14 de ontubro de 1674.
Thomaz-de Aquino Coutinho do Amaral.
Alugi-se o primeiro andar da rua estrei'.a
du Rosario n. 21: a fallar no pa too do TerQi n. 31-
Uuga-se

P
CD
s. e
- ?? "'

9Q
B
0 ;*
CO
i\
IK
PARTICULAR
Rua da Roilan. IS, sobrado
Primeiras lettras, portuguez, francez, inglez,
desenho linear e musica.
Sob a direccdo do professor HVrmino Ro-
drigues de Siqueira, funcionam dilas aulas
todos os dias uteis.
Recebe aluranos internos, meio pensionis-
t8s e externos ; fornece t >do o material para
i seripia e livros aos principiantes, por pre-
cos muito razoaveis.
Com Francisco de Paula Uchoa Cavalcante,
cobrador, prei'isa-se fallar com urgencia : na rua
Primeiro de Marco n 16, 1* andar.
- Aluga-se o primeiro andar da casa da rua
do Torres n. 8, propria para escriptorio, ou pouca
ta qnez de Olinda.
Aluga-se o armazem de recolher, do sobra-
do da rua dos Burgos n. 11, por detr z da rua do
Vigario : a tratar com Jcse Feliciano Nazareth,
rua da Praia n. 20.______
Precisa-se alugar uma escrava que seja boa
quitandeira, para vender fructas ae um sitio, pa-
gandose mensalmente 30* : qiem isto Ihe con
vier, dirija se a rua Duque de Caxias, loja de
trastes, das 9 horas do dia ate as 2 da tarde.
Aluga-se uma casa na Capunga, rua
das Pernambuc-inas n. 52, a qual tem
duas salas, seis quartos, cozinba f. ra, ca
cimba, tanque para banho egrrnule quintal
murado, com muitos arvoredos a maior
parte laranjeiras : trata-se na rua do Impe-
rador n. 28.
Aiuga se o 1* andar do subrado da rua do
Padre Floriano n. 69 : a tratar na praca da In-
dependencia n*. 18 e 20.
Aluga-se a casa terrei n. 19 da rua do Co-
tovello, na Boa Vista, e tal vez a mais baixa da
quella rua, pore.-n ao eutrar nao se desce, sobe-se,
icba-se bem tratada, 6 alegre e arejada, tem duas
janellas e uma porta de frente, e no interior duas
salas, duas alcovas e cozinha, chaguao com cacim-
ba propria, e atravez do quintal dons inartos um
dos quaes e occupado pelo apparelho Drainage,
quintal murado, e no centro um pequeno parrei-
ral, sapotiseiros, romanseira, goiabeira, tudo dan-
do fructos : para ver, acha se a chave na casa
junto, e para tratar sobre o aluguel, queiram en
tender-se com o dono, na rua larga do Rosario n
36, loja.
uma mobilia de jacarandtt,
1 reatejo, camas france-
zas, commodas, aparado-
res, espelhos dourados,
guardas louca, estantes
para livros, objectos de
brilliante, ouro d prata, di-
versos passaros cantado-
res,entreellesuraa arapon
?a,l carj-oca para cavallo,
moveis, elouqa
ao correr do marteUo
Sexta-feira 93 do corrente
Uma mobilia de jacaranda a Luiz XV, com pou-
co uso, 1 dita de amarello, 1 guarda vestido de
mogna, 1 dito de amarello, 1 guarda roupa, 1 toi-
lette de mogno, 1 dito de jacaranda, cadeiras de
amarello e jacaranda, marquezas, consolos, ma-
quinas de costura, 1 mesa elastica, 1 dita inleirica,
espelhos, aparadores, camas de amarello.
Louca de porcelant para jantar, garrafas, co-
pos, calices, jarros, 1 nrna para cha, diversas fa-
zendas e outros muitos objectos do uso de uma fa
milia, que se' ao vendidos ao orrer do|martello.
Pelo agente Martin*.
No armazem da rua do Im-
perador n. 48
Ao meio dia.
%MLM
DOS
generos de estiva como abaiio se raencio-
nam, existentes em o armazem da tra-
vessa da Madr? de Deus ,2 perlen-
centes 6 massa ta'.,,ida de Jo* Tavares
Cordeiro & C.
Sexta-feira *S do Corveatc
A'a 11 horas da mania..*
0 agente Dias, camprintfo o reapeitavel def,"*"
cbo do lllm. it. Dr. juiz especial do commercio,
fara leilio no dia e bora acima indicados, dos gene-
ros qas abaixo se mencionam, os quaes serao ven-
didos em um ou mais lotes, 4 vontade dos Srs.
pretendentes, e pertencem a massa dos fallidos
acima indicados,
^reasase
alugar uma escrava para vender na rua
na ruade Hortas n 61,
trata-se
Aluga-se a casa do Matumbo, em BeDeriUe,
oa estrada do Porto da Madeira, pertencente aos
herdeiros do capita* Martins. A casa achi-se
caiada e pintada de novo : qnem a prelender, en-
tenia-se com o Mello, em Beberibe.
Jose Antonio Domingues de
Figueiredo
para o fim de evitar incommodos aos seas fregue
ze de virem tao longe comprar cigarros, resolveu
abrir um deposito no bairro de Santo Antonio, a
rua estreita do Rosario n. 16, esquina da rua das
Laringeiras, ahi encontrarao os consumidores de
todos os cigarros manufacturados era sua fabrica,
tanto em grosso como a retalho, pelos mesmos
precos da fabrica.
Atten^ao
Fugio no dia 7 de setembro o es xo assigoado, com os sigoaes seguintes ;- Egidio,
cabra, idade de 20 annos, cabellos carapi"hos,
olbos aboticados, altura regular, r&s'o um tanto
cnupado, beicos grossos, bocca regular e um
tanto biendo, cabeea pequena. orelhsa regulares,
bracos, a mesma cousa, pernas regulares, tendo
a esquerda e o pe inchado, por lhe dar erysipela,
nariz regular, 6 b.>m trabalhadur de olaria. e
tambem e boleeiro, e natural desta cidade do Re-
cife, e foi comprado ao ex-capitan do prto drsta
provincia, Jo.-e Joaqim da Siiva Jacq.es : roga o
abaixo assignado as autoridades policiaes e ca-
pitaes de rampo e de navios, a sua captura e le-
varem-no a p> voagio dos Afogados, que serao ge-
nerosamente recompensados. w
_______________Jose Buarque LCisboa.
Umapreta de.30 anuos, fue cozinha e en-
gomma bem, precisa da quantia de 450/ para
sua liberdade, cmtratando seus servigos com a
pessoa que queira fazer este negocio a pagamen-
to da dita quantia, no pateo de S. Pedro n. 26,
na mesma casa vende-se 2 escravas que cozinbam
e cngommam, uma dellas por 6004
Boas casas de
Poco da Panella ;
Tasso.
Alugam-se
campo, na Cruz das Almps e
a tratar com o commendador
Triumpho da
os armazens ns. Co e 69. na praca do chafariz em
F6ra de Poitas, um onde t-ve ten 1a de ferreiro
o fallecid > E. Mabult. 0 outro qne esteve oeca-
pado vim vrnda de m ilhados, para o qne e op-
tinio pela localidade e ser de esquina. ambus livrcs
e desembaracados de imjiostos: a tratar com o com-
mendador Tasso.
Divine Service in English
Every Simday evening
at. 6.45
Run do luipoi-niloi- u. 13 I eat. leor.
Vinho superior
r Xa rua da Imperatriz n. 67 acabase de receber
excellente vinho do Porto, em barns de 30, 75 e 150
garrafas, e ende-*e muito baralo, paranliado-se a
qualidade.
Precisa-se da quantia dc -eiscentos mil reis
a jnros. dando-se por garanlia uma escrava moea,
bonita tlgura, perfcita engnmmadeira, boa eozi-
nheira e cose : a pessoa que quizer fazer este ne-
gocio, dirija-se a rua do Cornel Suassuna n. 187,
3. andar.
Escriptas
Ima pesso-1 com habilitacnes, disp'r.do ainda
de algum tempo, sc propoe" a fazer algumas es-
criptas, ou sejam por partidas dotradas i u sim-
ples, ou sejam por effectividade en mesmo tempo
rariamente. A muita pratica adqnirida MtM
exercicio, garante a perfei^.io de seu trabalho, e a
sua assiduidade, sein duvida, salisfara a qn-m Ihe
conliar sens servigos : quem precisar utilisar-e
de seu preslimo, pode deixar nota na loja do Pass",
indicando o nomo e lugar para s.t procur do.
Fugio a 18 do c irri-nte n nlaimho <:asem'-
ro, de idade ti anno*, m?is on ksbo*, cor alva-
centa, cabtllos carapinhos, ik'-s maos pw -
olhos e orelbas grandes, rosto Urfo, e e taaMM ;
suppoe-se ter ido pel-- istr.da d" Caxanja, em
alburn combuy do centro: gratif.ea-aa L.m ni
Passagera, entrada para a fabrir.i de fiafao.
Jezuino Ferreira da Silva nuidou a Mia re-
sidencia para o largo do Paraito, sobraJo n. 26,
e por issoa'nga o predio de si brad > cem slio ar-
borisada e ajardiuado, no qual moron, no lu.-ar
denominado CaWeireiro, freguezia do Pot da Pa-
nella ; cujo sitio Oca tres minntos disUnte da es-
tacao da via-frrea do Recife ro Caxanga.
Aluga-se a casa terrea sU i na beira do r.3
do Poco da Panella, com Mtio arbonsado e ajardi-
nr.di, e :om caenrba de apua de beber, pm.ir.i
para passar-se a festa : quem a pretender, inten-
da se cm odi-| noliaute da aifradrjia J<-zuino
Ferreira da Silva.
AO PD8L1C0
0 abaixo as-ignado, vendo annunciado a leilao
para quinta feira 22 do corrente mez, a armacao e
generos da taverna sita no pateo da Paz n. II,
freguezia dos Afoga 1o, vem declarar ao publjco
qne so pod- ir em praca os generos da mesma, e
nao a arraagao, pois e pprtencente ao proprielarlo
Afogados, 20 de outubro de 1874.
_________Francisco Ignacio de Jesua Mendonja.
AVSMft
A casa n. 18 do becco do Pocinho acha-se by
pothecada desde 1873.
Precisa-se
alugar uma escrava para vender doces e bolos
d^cerv" : D8 d Reg0 n* ^ fabrica
Escriptorio
Alnga-se o andar do sobrado n. 19, a rua I*
de Mary), proprio para escriptorio.
laixeiro.
Allencao.
jBoa moradia
No dia 3 if: noverabro proxino vindouro, do
correote anno, vai a pra^a por arrendamento o
engenho de fazer assucar, Sebaslopol, sito na co-
raarca do Cabo, uma legoa distante da estagao do
Cabo, e meia da de (pojuca, bom d'agua e boas
terras: quem pretender, ajpareca em pra^a, na
comarca do Cabo, em casa dss audiencias, no dia
acima indicado. ___________________
Ao publico
Lendo boje um aonuncio de leilao do espolio do
finado Edouard Turpin, venho declarar que o ar-
rendamento da casa n. 2i expirou por falta de
cumprimento das condi;oes aceitas por Jian Men-
debou, e que tendo este considerado-o Undo, ar-
rendei a casa aos Srs. Leger & Botelho. Faco
esta declaracao para garanlia dos interessados a-
flm de nio allegarem ignorancia.
Recife 19 de outubro de 1874.
Frei Jolo de S. Jose Paiva, D. abbade do mos-
teiro de S- Bento.
Aluga-se o 1 andar do sobrado n. 12, sito a
rua de Marcilio Dias, outr'ora rua Direita : quem
quizer, dirija se ao 2* andar do mesmo sobrado.
- Precisa se de um caixeiro, na rua Direita o,
lo, que teuha pratica de taverna ; prefere se de
32 a 15 annos.
Em tem pos modernos nenhum doscuL.i
mento ope uromaior revolu^ao no modo 6>
curar anteriormente em voga do que o
f
Aluga-se a casa
ma, em Santo Amaro
n. 54, padaria.
terrea n. 8, a rua do Li
: a tratar na rua da Guia
Precisa-se de nm caixeiro de idade de 12 a 14
annos : a tratar na ma de Santa Rita n. 50.
mento n. 6
Por
aluga-se q 3 andar da casa sita a rua do Livra-
a tratar na mesma rua, loja n. 13.
Attengdo
Cede-.*6 a nma pesoa de procediroento idoneo
nm grande arto da frente da graS.de casa da rua
da Pal ma n. 34 .' quem quizer, tera ateS? de ou
tras commodidades, cjaita agua para lado.
Aos furnantes
Jose Antonio Domingues de Figueiredo, proprie
tario da fabrica de cigarros do becco Largo (Re
cife), previne aos apreciad res de seus cigarros,
que a'Tio um deposiio a rua estn-ita do Rosario
n 16 (Santo Antonio), esquina da rua das Laran
geiras : ahi encontrarao os sennores furnantes um
granJe e bem escolhido sortimento de ponteiras
para charutos e cigarros, cacblmbos de mnitissi
mas qu lid des, bolcas, etc., etc, charutos de Ha-
vana e da Bania, de todas as qualidades, e tambem
dos manufacturados na provincia, e cigarros de
moitas qualidades, tanto dos manufacturados em
sua fabrica, como n > Rio do Janeiro, e Manilha,
tanto em grosso como a retalho, garantindo se sin-
ceridade, proraptidao e agrado.
Novo iHundo.
Cora o n. 48, cbegado pelo Merrimack, cotnp'e-
ta o 4 anno. 0 prejo da assignatura do 5 anno
sera de 15J. Ate eniao esta folba tiaiia 16 pagi-
nas; agora trara 24 e capa ; tornndo-se muito
mais recommendavel, porqne nem $6 dara supple-
mentos gratis e repetidos ; como tauibsm publi-
car-se-ha leituras r ara farailias. e gravuras espe-
ciaea para senboras ; evitando aasignar-se um
ontro jorna! |Jara modas.
LIVRaRU fraceza
TANTO NO TRATAMLNTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
RouquidSo, Resfriamentos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturacao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfei mi
dades da Garganta, do Peito e do
Orgilos da respiraeffo, que tant
atormentam e fazem soffrer a humanidade
I maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicagao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir cmpolhas ;
cujos differentes modos de curar, nao faziam
senSo enfraquecer e diminuir as for^as dt
pobredoente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruigao inivitavel de sut
victima I Quam differente e" pois o effeito
admiravel do
FEITOSAL IE AMliHUUA!
Em vez de irritar, mortiiicar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor,
Allivia a irritagfio,
Desenvolvo e entendimenlo,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapid*
ate o ultimo vesligio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europe, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim-
testiticam serem exactas e verdadeiras estas
relacdes analogicas, e ale"m disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Ucspanhola, as quaes foram curadas com
PEITORAL DE ANACAHLTTA I
Deve-se notar que este rcmedio se acha
inteiramente isento de venenos, anto mine
raes, como vegetaes, emquanto que algum
destes ultimos, e particularmente aquellei
que sio dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes tio fa-
cilmente se engana a crodulidade do pu
blico. A composiQio de anacahuita peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafadt
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dose que se
toma e" s6 d'uma colher pequena, basta
geralmeute & applicacao d'um ou dous fraa-
cos para a effectuacAo de qualquer cura.
I Acha-se a venda em todas as boticaa
|H. Prosters d C, agentes.
Aluga^e p->r fesla, uma graadd casa e sitio
na estrada da IVirre, a m'argem do rio, p'-rto da
linba dus bonds na rua do Marquez dc Olinda
u. 66._________________________________
l'recisa-se do uma pessoa que eut-nda d?
acougue para en carrega r se de am, danlo l-e
hadores a sua conducta, pan ter metade ns lu-
cros: pode dirigir se cm earta lochada a eta
typopraphia, 'om as iniciaps'A B. C.
Escravii fiifida.
o
Josepha ansantoa se da ra-a de sua senhora
no dia 5 de outubro e tem os si?nos egiiinl"s :
crioula, r/-r preta, representa I r ';.> BMoa MNMt
mais ou menos, t-m os deta da mao riir.'ita
cortados, levou o lab -leiro em quo and.-r .. MB-
dendo cangica e continua a andar > om o >11r. u-
boleiro com toda Imica para nao ser acarrada.
levou saia de chita coin um babado estri'ito rm-
baixo, traja camisa com labiryntho no talho e le-
vou abated preto : roya sc as autoridades poli-
ciaes ou eapHiea i: campo, a ipprebeosao da
dita e-crava e leva-la ao Caminho Novo, sitio n.
liO, a sua senhora, ou na rua da Cacin ha, pri-
meiro andar. a entregar ao Sr. J-ao PraMMM
Leite, que sera gcrusamenl^ recompensa to.
Maceio.
Bacharcl I.our^uro de \lbu-
quiTque
Advogndo
IRaa do Rosario n. I.
,.- 21-Rua de Panino amara-21 A
} DR. MANOEL Nil INO R. VAi.ENC.A *
Modiro
Oonsultas das 7 as 9 I \i horas da ma- M
a qaalquer hora do dia oa W
OS,


I
nhia
Jbamados
da unite.
E-pecialidades-nwlestias dos polmoes I
e do coracao. ^(r
mm*$m-mmm*mmmmm
CBNSULTOBIO *
MEDICO-CIRURGICO S
M DO X
^ Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso ]
PARTEIKO E OPERADOR
o Vlscomle rtc Ubuqaer-#
m^ que n. 89. 2
ESPKCI ALIDADE
Molestias di- M-niK.<: e ^r
BeniBM.
Consnltas das 7 as 10 boras da ma-
nha, todos os dias. ^
Dac 6 as 8 da noite. nas segnndas, quar- m
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os sens cha- Wt
mados por escripur at 10 horas da ma-
nha serai visitados em suas casaa.
J
i Cousultorio meilico
DO
Dr. MarilU.
RCA DO VIGARIO N. 1, f ANDAR.
Recem-cbegado da Europa, onde fre-
qaentou os bospiUes de Paris e Londrea,
^ podera ser procurado a qualquer hora do
JL dia ou da noite para objecto de sua pro-
' nssao. .
Consnltas das 6 is 8 horaa da aaaahi
do meio dia ia duas horas da tarde.
GRATIS AOS POBBES.
Bspecialidadet: MoteMUa de seaiorat,
1 da pelie e de erianea. .

' I


Skrio de FfcmataDaco ~ Quaiift leir: 21 do Outnbrc 4e 17_
*
Baa moradia. -
/f-f o sitio <1a e-trada de Agua Fria n.
e ki e*.*.i p-'ra numerosa familia e excellent.;
fiairtn an niiri-n I tti1 perto da estacao do ca-
ante _t ferro: a tratar na ua Primeiro do Var
&*-&._______________________________
(lam listantaea
GrHBtiiosa rfpscoberta II!
Novldade importantissima III
Ottsn rjaoti.liaro GEN^'ROSO >\w -e vende no 1" andar do sobrado
n 5*. a roa da Cruz, tem a propriedade de subs-
titntr en- grai.il* vantagem e extraorjinaria eco-
noroia, os fipun.tivos tao apregoados e conheci
don pi* saiqa > caroha, etc. 0 medicameato qne
anwinciaiio-, tin rura todas as moleslias como
meets}* as paoaii ias que se aonunciam, acompa-
{__<_*> Beatteswoos; todavia, restabelece itnme-
diitaniCTiio as ( rgas, e pnrifka o sangue, sem a
des'raBKiffem de ser nocivo a saiide.
Banhos e dormida fresca no
Ittonteiro.
Alaga-se alii duas casas pequeuas, tendo cada
___, tar _a roa Nva, loja n. 7.
Iia noio rival!
Para area aid id* tao populosa como a nossa, 6
per *r< in lilll n n e a existen ia de urn unico
state If virii iitit no genero daquei'e que se deno-
xmsa* >'.i uf' itaiia do Campos.
E uii ii in.itivo porquo acaba de ; brir se a
cod -urre,.ii.-. i.ui.lica no bairro do Recife a rua
do ''mm m- .i i>. 22, uma casa comnioda e de-
Ocouj, aob ii titul i de Assembled do Commercio
oml- o r--j>i ivel pubbco encontrara sempre
qae preta^.-.r, u r.ecessario para :
Urn ea-aoieui".
Urra soiree.
Um baptisade e
Cm lanche.
Ha tan i'- ri :
Gfoii U- i >la!.: de blbidas finas.
O''!..: ; rimi'Dto de dc-ces para embarques.
U >'.:'. 8.-tiido* e fructas de delicado sabor.
Baivtejas cj ?Bel samente preparada3.
Fiamb:-.:? e iaue w a qualquer bora.
Tu tatkos. .
22 Ha- do Commercio 22
Meira & Lima
Assemblea do Commercio. __
ESOilVO FUtilDO.
I_C/t *
Fugio i!
fioMrm, no armi
JBOblO cm.; Hi a
on mi1:; >s. Itura
azn.->. ror '>m
eacei.hO Auilaya.
na freguezia de .^e-
t'.e 1865, o eseravo Franciseo,
is anrms de idade, pnuco mais
e corpo regulares, olhoslrasos e
lara, cabellos boris, denies per
fcitiis, nanz alilado e carlo, feicao bonila, sem
barba, n u;' mmierado, pes seccos e bem feitos.
Odito rscravM f-i do Sr. cmrnendador Antonio
d m '. i. P uttu d) senhor do engeoho Cabe^a de
'.>C( ii e : : > so r.rretjr CHiveira, morador
Da Reetf*.______________
PayHi d. i-tigeaho AjudaDte,,na freguezia da
Ea^ada. do aamt de IS72, o eseravo Guilherme,
Coffl os si!."-a"- -cgaint'.'s: pardo, com 25 anno-
BVid'i'ic, p uc istis on menos, altura e corpo
i ca.i> II cache ados, olbos grandes, rcsto
, en iguns signaes de baroa, nariz
e i".- i "ito arquerda, dc-tt.'S porfeito
i ."d.i- |.'!e r.'.-to. e f.iz movimento no
a, e
- t
na uva.-iao dc cumprnien
iv a o chaplo por cima da
r
"
t/gtv
l -,i a r: iguarii:', a muito alegre e diver
'.-. i e qne esteja n:s cidadeda Hara-
no mi >aaareth. 1'or tamo, roga-se a
'-. I.- r a '8 e aos capitaes da rmpo a
lit.is escravos e serem entregnra
:' Rinilio Pcreirt de Araujo, to rtfe-
':'.- i-i-iii lerno a paga ds 300|000
m. N B. U eseravo Guilher'ne tem
' re cma robraocelha.
Ailonio dc Azeveilo Villariiueo.
Peio presents sao convidados os afilhados e aft
lb das de Antonio de Azevedo VHlarouco, falle
cido em Portugal no mez de oulubro de, 1873, a
apreseotarcm dentro do prazo deCOdia-, aeon
1ft de-ta data, a cerlidao de scu nascimenlo, em
ca;a do abaixo assignado, testamenteiro instituido
pelo dito fallecido, afnn de que sejam devidamente
attenditlos na paitilha a que tem de proceder-se
com a iincira igualdade, de accordo com a d'spo-
sicao testamenlaria. Recife, 10 de setembro de
1871.Man el Azevedo de Andrade.
Exmas. noivas.
Chamao os a vossa alitncao para o novo esta-
belecimento que acaba de abrir-se a rna do Com-
mercio n. 22, denominado ASSEMIILEA DO
O'MMElt '.10 onde se preparam neat bandejas
com grande variedade de bulinhos caprichosa
mente enTeitados, tambem se aprumptam bou-
quets.
Assemblea do Commercio
Meira & Lima
22 Rna do Commercio 22
frecisa-se
alugar uma escrava para vender na rua
na raa do Cabuga> n. 3, 2* andar.
a tratar
HOTEL
Restaurant de Bordeaux.
Abcrto to da a noito, nos dias de especta-
culo dacompauhia italiana.
Escravos fugidos
Continaam a estar fugidos desde o anoo da
1870, os escravos seguintes : Francisco, crioulo,
com 28 annos de idade, pouco mais on menos.
altura o corpo regulares, olbos grandes e brancos,
denies perfeitos, cabellos carapinbados, uma ci-
catriz por cima do olbo esquerdo, barba a Cava-
nhac, maito conversador e risonho. Antonio, ca-
bra, com 23 annos de idade, pouco mais ou me-
nos, alto, secco, olbos grandes e vermelhos, ca-
bellos um unto soltos, pouca barba, denies per-
feitos, pes compridos e seccos ; atubos foram com-
prados ao barao de Nazaretb. Descoafia-se que
os ditos escravos estao oecuitos ua comarca de
Pajeii de Fires, ou no Rio de S. Franeisco. Ro-
g.-se, portanto, as autaridades policiacse aos ca-
pities de campo a captura dos mesmos escravos,
e serem cntteguesa seu sea seubcr, Emilia Perei-
ra de Araujo, no engenho Ajudante, na fregue-
zia da Escada. de quera teiao a paga de 300^000
por cada um.________________________________
PBNHOBBS
Na rravessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
ALUGA-SE
uma grande casa terrea com bastaotes commutes
sita na estrada do Lucas : a tratar na rua do Vi-
gario n. 31.
AMA
w, Para comprar I cozinhar :
a tratar a rua Nova n. 12.
loja.
AMA
Precisa-se de uma ama para
ongommar e ensaboar : a rua da
Concordia n. 43.
MOFINA
Esta enooura^ado! I!
Agna mole em pedra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacso Yieira de MeO
jjcritao na cidade de Nazaretb desta provizicia,
favor de rir a rna Duqne de Casias n. 36, a eon-
aluir arraetle negocio qne S. S. se eompromettoB a
realisar, pela terceira chamada deste joroal, en
9ns de dezembro de 1871, e depots para janeirs,
passoa a.fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo 6 de novo caamado para d
dm, pois S. S. se deve lenibrar que este negoci
de mais de oito annos, e quando a Sr. sea filtao
achava nesta cidade.

Prccisase de uma ama para cozi-
nhar : na travetsa do Corpo Santo n.
23, arrtazem.____________________________
Ama
AM/V
n. 16.
Precisa-se deuma ama que saiba
cozinhar : na rua do Hospicio nume-
Precisa-se de uma ama para co iohar e en-
saboar : na rua de Lamas Valentinas n. 15, ta-
verna.
Ama de leite
Ama
Precisa-se de uma ama de leite : na rua da
Praia ou Pedro Affonso a. 45, 1 andar.
Precisa-se de uma ama forra on cap-
tiva para coziobar e comprar, para casa
de pequena familia : a tratar na rua das Floras
Precisa-se de uma ama para en-
gommar, para easa de familia : a
tratar aa rua do Hospicio n. 46, casa terrea de
bolas amarellas.
Grande liquidaqao.
de miudezas e chapeos : no novo Bazar, rua do
Marque?, de Oliada n. 53. ______^^^_
Vende-se
' No escrffoffo de Thomaz de Aquino Fonceca 4
C. Successore*,' a rua de Vigano n. 19, primeiro
andar:
Cimento Portland verdadeirov
Cera em velas e em grumo, de Lisboa.
Vinho Sherry.
Vidho do Porto em caixas, Dnissimo-
Idem em barris de quinto e decimo, fino.
Retroz.
Fio.
Yende-ff&
uma casa na fifia de Barreh-w, aa rua do Com
mercio, por preco modico : a tratar com Taaso
lrmaos & C.
Cal de Lisboa novissima
Vende se em grandes e pequenas porr;5es :
rua Direita n. 14.
sa
Cal de Lisboa
IMA
AMA
Precisa se de uma ama forra ou
captiva, para casa de familia : na rua
de Horta- n 15.
r



oiugi
s-i^atoa se da rasa de-seu Sf nhor ao
tHfi .. e tem os .-iguaes seguintes :
: ,-. preserna ler 33 annos de idade,
n is, tem algumas sardas
..' r.
'I :
<
v- i i .H31; aos Srs capities de c^mpo
I ii e reme te lo a rua do Bon
. i .''> -aadar, que serao generosameate
-. i
ou
, pei grandes e calcaabares to-
encoMiid -, tambem tem uma ci
l-.s oroveniente de uma queimadu-
.:::ai in QQia das peraas : roga se as
esp.". e lilba
pttuas
fueio.
'atiianna
igosto praxkno passado, aasen-
., a in il tem sigaaea soguin-
.- ii ixa, rostn r lond,> i-reta, pe>
. i, o.'va vend r leite, -* n sempre
:, iua II o serve de an par sof-
.:. iuo, |a ( ii'-a e de uacao Cam-
in ncontrar, peg ;-a e leve-a no siuo
. : ,da de 1 to d i Baeroa, qne sera
. | |
\f it-i
!..., i
to [wpftn '01
'
irri i:;i- llente sitio no Man
bstsjao, liorr grandes rom-
trili iria e gaz : a tratar na rua
n. 8:j, 2.' snl'sr.
ha \,i a-signados fazem publieo a quern
< -
> aliei r ." razio -::! que g"ria os
rrs a tirnia, nus Oca dede esta data
' i *l Beltrao c\ Quiatal, e aprovei-
-i'. ... ra deelararem qne a nova fir
i a coparse dos mesmos negocios
m- i iii di-dicado, sem qua a altt-raean ha-
tfl I i iv nfinm modo a responsabilidade e
: :- .pcracoe? commerciaes.
h -n |S de ooiobro de 74
Aarei Qoiatal & C.
Capellas
Porto & Bastos, a pra^a da Independencia n.
39. acabam de reccber pelo ul imo vapor, lindis-
simas capellas mertuarias com diversas inscrip-
;oes prop ias para tumulos e catacumDas, as
quaes vendem por precos muito modico.
' irf it ii'i itm -i-iV -'-.aite-i-Sfti iriaa'rMMat
Atlt'n^o
I>ai*a dia de Haados.
Na rua estreita do Ro.-ario n. 35,
primeiro andar, tern a vender-se
bodas capellas para anjof, doDzel-
tas e defuutos, do rosas, sandades.
eravos, perpetuas roxas, brancas e
retas, com letreims lembran^a
de ininiia mai, de meu pai, men
minha esposa, irmao, irma, avo, avrj, flluo
tambem quern quizer maodar as per-
para se armar cauellas, pode mandar tres
dias aates: Vi-nde-se tudo pur muito barato preco.
.....ss^^ssass^---:,^^^^*
l>r. Ci:i*inati> Alven C. t'amboim.
Francisco A. C. Camboim e Henrique A. de Se
queira tJavaleaute, tendo de mandar dizer uma
missa por alma do Dr. Ciocinato Camboim, no
convent a do S. Fraucisco, as 8 boras da manna
do dia 22 do crrente, 30' do seu passamento, con-
vidam para assistirem a ella os seus parentes e
nmigos ______________^___^
l.nir. Autoiitw da Sil:i Pereira.
Maria das Virgens de Jesus, Fo
lix Paes da Silva Pereira, Joio An-
tonio da silva pereira e Manoel da
C. Pereira., mai e irmaos de Luiz
Antonio da Silva Pereira. agradecem
do intimo do coracao a todas as
pes?oas queassistiram as exequias,
feitas ao cadaver de seu presado fllho e irmao : e
de novo as convidam p-ra a mis?a di 7. dia que
tera lugar pelas 7 boras da manha do dia 22
qointaJfeirs, na mesma igreja do convento de S,
Francisco. Aos Illms. Srs. Manoel Goncalve* Agra
e Francisco J.isc dos Pas9os Gaimaraes protest&m
sua eteraa gralidao pela boa vontade e desiate-
rcs?e que prestaram a meainria de seu fallecido
emigo, nao querendo recebcr a importancia da
a era e armarao._____
Csrlos Adolpho de Avellar Alcborne
Antonio Domingos Pinto, gra'o a memoria de
;eu amigo Carlos Adolpfio ae Avellar Alchorne,
fallecido cm Lisboa em 21 de setembro ultimo,
eonvida nao so aos parentos e amigos do finado,
como tambem aos sens, para assutirem a algumas
missas que por alma do mesmo manda celebrar
no convento do Carmo, quarta feira as 8 horas da
manha, trigesimo dia do seu passamento. Desde
ja agradecc aquellas pes-oas que se chgnarem as-
sistir a PS5C acio de verdadeira rebgiao e caridade.
Aluga-se 2 casas muito frescas, na Capuaga
com commodes para familia : a tratar no mesmo
ingar a rua das Crioulas n. 5.
Vende-se cal de Lisboa : na praea do Corpc
Santo n. 17,1* anaar. escriptorio de Joaquim Ro-
drignes Tavares de Mello.
E. A. DELOHCIIE
O Monte Lima
tem um completo sorlimento de galao e franja de
ouro e prata, verdacfeiro, de fbdas as larguras,
abotoadnras douradas para officiaes, canatilhos e
enfeites para bordado. Tambem se encarrega de
todo e qualquer fardamento," como seja : bonets,
talins, pastas, esaadas, dragonas, charlateiras, ban-
das, abotoadttras lisas e douradas, para criado
etc. y assim como um completo sortuneato d
ranjas, galio falso para ornamento, cordio de Ii
com borla para qaadros e espelhos (conforme o
gosto da encommeada) tudo por muito menos
preco que em outra qualquer parte : na prac* da
Independencia n. 17, junto a loja do Sr. Arantes.
Eseravo fogido.
Fugio do engenho Ajudante, na fn-i-iezia da
Escada, bo ma de junho do orrente anno, o
eseravo Martiobo, de cor pretn, com -Ji annos
de idade, pouco mais ou menos, altura n corpo
regulares, olhos grandes e brannos. cum principfc
de barba, denies perfeitos, cabellos earapiabados;
pes grosos e compridos ; anda um pouco decli-
nado para frente, com a vista lirmada para o
chao ; e muito cantador e offlml de carreiro.
Desconfla-se que o dito eseravo esta oceulto em
terras do engenho Para, na freguezia dc Ipojuca,
pelo que, incorrera nas penas da lei, quern o liver
occulto. R<'ga se as autoridades policiaes e aos
eapitaes de campo a captura do dito eseravo, e
ser entregue a seu senhor, Emilio Pereira^ de
Araujo, no referido engenho, de quem terao a
a paga de 50*000._________________________
Novo Mundo
B4PT1ST4S
A 400 e &OO re is o covu do
SO' NA RUA DO QUEIMADO N. 43
Junto a loja da MaKnolia.
Baptistas de linho com 4 1|2 pa I mo s de largura,
pad roes modernos a 400 reis o covado,
Ditas de dito bordadas com bonitos desenhos a
500 reis o covado; foi fazenda da 1#500 o co
vado
Aproveitem, so o 43 e que tem. Dio-se amos-
tras com penhor.
200 reis a covado.
Sao lasinlias!
E' fazenda de 400 reis
inn* do Quelmader i. 43.
LSsinhas de quadrinho sa escosseza com padrofii
chiques a 200 rdis o covado.
So o 43.
_____________So tem peeinchas._____________
Vende-se uma carroca para cavallo, propria
para sitio, com arreios, e um cabriolet de dnas
rodas, tambem com arreios : na rua do General
Seara n. 19, fabriea de carros, de Carlos Leimig.
IT Km do Harqiez de 01iBda-2i] JSE%FSZSnsa
Esqnina do beeco Largo
Participa a sens freguezes e amigos que mudou:
o scu estabelecimento de relojoeiro para a mesma
rua n. 24, onde encontrara um grande sertimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melbores gostos e qnalidades, relogios d.
algibeira, de todas as qualidaiies, patenie suisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de ouro, inglez, daseuberto, dos raelhores
fabricantes, cadeia do ouro, plaquet e prata, lunetas
detod?s as qualtdades, tadoper precos muito ba-
ratos._____
Periodico illusirado brasileir--' do progresso. O
em lingua
portugueza. A principiar do 5 anno, no mez de
outubro presente, este, jornal que tem silo ate
aoje de 16 paginas, Bcara sendo de 24, com mol-
des e figurinus para senhoras. Preco por anno
15/000.Silva Cardoso 4 Pessoa.
Livraria 'popular, rua Nova a. 59.
Vigor do Cabello
DO
1
Dr. Ayer.
Para a renovacSo do ca-
bello, restituicao de sua cor
e vitalidade primitiva e nat-
ural.
Aluga-se ou vende-se uma grande casa terrea,
em Olinda, propria para grande familia;.tem gaz
e agua encanada, sita a rua do Aljube n. 31 : a
tratar na rna da Imperatriz n. 86, 1." andar.
Aluga-se por anno ou festa o sobrado de dous
andares nosQuatro Cantos, e.u Olinda, com com-
modos para grande familia, agua encanalisada e
cano para despejo, muito fresea, perto do bacho e
das e>tac5es : a tratar na rua da Uniao (tlha dos
Ratos) n. 53, detraz do Gvmnasio.
-mm
i
(
Aft* nso Jose de Oliveira, profeswr ju-
bi!ado da cadeira de gei graphia e his-
toria do ex-liceu de:ta cidade, tem de
novo aberto, seu collegio de instruc<;ao
primaria e sooun.laa na rua da Impe-
ratriz n. 18, offle eontintia a receber
alumaos interuos, oxternos e rc6io pen-
sionistas.
O Vigor do Cabello 6 uma preparacSo ao
to tempo agradavel, saudavel e efficaz para
.var o cabello. Por meio do seu uso o
sabrlio ruco, gnsalho, e enfraquecido, dentro de
peace timpo revolve K cor que lhe e natural e
primitiva, e adquire o brilno e a frescura do
car>ello da juventude; o cabello ralo se torna
. e a calvicie nauitas vezes, posto que nao
fcodos os casos e neutralizada.
is: ba nada que pode reformar o cabello
depc do3 lbllioulos estarem destruidos, e as
giQ J.*a. is pftdem ser salvadas e utilizadas pela
applicant do Vigar. Libre de essas substancias
dtdettrias quo toriam muitas preparacoes de este
gciK-rj tam noci^as e destructivas ao cabello, o
Vigor somente Ibe e beneficial. Em vez de
*ij o cabello e o fazer pegajoso, o censerva
: *;. e forte, eml>ellizando o, impediudo a queda
en'^aiMt nao V* por couaequinte previne a
.. ie.
l*ra uso da toilette nao ha nada mais a dese-
|arj n5o contmdo oleo nem tintura, nao pode
Kjaaehar mesmo o mais alvo lenco de cambraia;
furduni no cabello, lhe , Kin perfume muito .agradavel.
JPi..-a reform;..- a- cor da barba, e juecessario
ataie tempo de Tjue com o cabello, porem e pode
^pi.esaa.r, eavolveadoa. barba de noite
oiM vsr leaco jnolhiido no-Vigor.
iOK. J,C A x im & CA., XoweH, MR8S.,
F.t tadoa tTnidoe,
CU^^-o* ttucticei o A.nilyti(9l,
Aluga se a casa a. 34, na Capunga, rua da
Veatara ; o 2* andar da casa n. 3, rua da Penha ;
o pavimento lerreo da csa a. 41, rua do Rangel:
a tratar com o proprietario, no 2 apdar desta ul
lima casa. ____________
Eseravo fugido
Fugio no dia 6 de maio do corronte annn, da
casa de sen seuhor, o eseravo Hunorato, crioulo,
de cor fula, altura regular, cabellos cara;iiQhos,
pouca barba, pes grossos, sendo grosso tambem
do corpo e tendo os peitos empinados para a
frente e representa ter 45 annos : roga-se as
autoridades polioiaes e aos eapitaes de campo a
sua captura e entrega lo a seu senhor Joao Ma-
laquias Soare3, na villa de Barreiros, on na rua
larga do Rosario a. 38, no Recife, loja dos Srs.
Ferrelra Lima Irmaos & C, que sera recom-
pensado. Consta que o mesmo eseravo esta na
iridade do Recife, on nos arrabaldes, em algum
sitio na ^apopga.___________________
David fugio
No dia 27 de setembro passado ausentou se esta
eseravo, o qual tera os signaes seguintes: crioulo,
de idade 36 a 40 annos, estatura baixa, cor preta
rosto redonlo, nariz um tanto chato, sen dentes na
bocca, tem um pequeno bigode e pouca barba no
queixo, pes apalhetados e tortos, com signaes de
fendas, tem as maos calejadas, quando anda e todo
troncbo, 6 muito fallador, e das partes de Una, e
foi eseravo de um engenho do Sr. Paulo de Amo-
rim Salgado : roga-se as autoridades policiaes e
eapitaes de campo a apprehensao do dito eseravo,
e leva lo a rua de Harcilio Dias n. 129, que serao
gratiflcados._________________
-~ Alirga-se o2 andar e sotao do sobrado
da rua do Rangel n. 73, todo reconstruido e
asseiado, com bastantes eornin >dos, escada
independeote do 1." andar, e bem assim o
quintal; sendo ruuito fresco e 4om excel-
leote vista para a nova praga do mercado :
para veras chaves, estio ao eslabfilecimen-
fHo de molbadosjdo aiesroo predio, e para
tratar ra thesuuraria das loterias com Atito-
boaio 4os6 Rodrigues de >Sf)UM (seu pro-
prMario,)_______________________
'\r- Os Srs. Joao Paulo de Soriza d Jose' Maria do
Azevedo ou seas repiesentente*, queiram ter a
boadads de apparecar no#seriptorto da. compa-
qhia peraambucana, ao Recife, a negocio do xeu
particular interesse.
Carros de luxo.
CE' inquestionavtl qtie a cocheira da roa do Dom
Jesus n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, 6
a que tera as melhores berlindas, caleches, raeias
caleches e Victorias de luxo, proprias para qual-
3uer noWado, visita da eliquela, bailes, e actos
a acaderoia, sendo os mesmos ajaczados de ex-
cellentes parelhas de animaes, arreios luxosos e
bolieiros com fardamentos do ultimo gosto, para
o que se eonvida ao publieo a vir por si mesmo
scientificar-se da verdade do que deixamos dito,
certcs de que nao encontrarao pomada e sim rea-
lidade, e eommoJos preg-a _^___^^___
Botinas Suzer
chegadas pelo ultimo vapor da Europa. Ha um
completo sorlimento de bezerro e cordovao : a rua
do Marques de Olinda a. 40,1 ja de Julio de Mello
fralgado.______________________________^_
Sitio.
LIQUDACaO
NA
Lojade fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores miudas muito boa* para rtupa 4
meninas a 160 e 200 rs. o covado.
La pretas, saperior, a 400 rs. o covado.
Alpacas de cores aaas a 320 e 380 rs. o ecrrado
So se vendo.
Ditas com listras abertas, faaeada fina, a 600 r.:
covado.
Chitas de cores a 240 e 280 rs. o covado.
MetiDs de cores miudas a 280 rs. o covado.
Cretooes, o arerbor que tem viodo ao mercado >
400 e 440 rs. o covado.
Cambraras brancas, bordadas abertas, fazeodi
mais fina que tem vindo ao mercado, e faxend.
de 2*000 o metro, por 1*000 a van ; e po
cbiacha.
Ditas pretas com tores miudas a 200 rs. o covado
Cambraia transpafeate, Rna, a 31 a peca.
Dita Victoria, fiaa, a 4*000 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, ecm Ac-
res miudas de seda e de la, a 400 rs. a covado
E' pechincha. ^
Cortes de casemira de cores modernas a 5#680 c
corte ; e fazeada de 8 E pechiacba.
Camisas de linbo fiaas, lisas, a 33* a duzia, I fa-
zenda de 55*.
Brim branco de linbo a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 60 rs. o covado.
Madapolio francez verdadeiro, 24 jardas, a 8* >
7* a peca*
Algodae T, largo e snperior, a 5* a peca.
GorgorJo preto de seda para vestido e para eouei*
Toalbas alcocboadas a 4*800 a dcaa.
Colchas graades a 3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes de bramante a 2* am.
Lencos de linho, abainhados e en eaixiuhas
3*500 k dnzia.
Ditos de caca de c6res abatabados a 3*500 a du
na.
E outros muitos artigos qne se veade por me
nos do que outra qualquer parte e para se de*
So na lorem queiram mandar ver as amostra!.
enganaja de
Guilherme & G.
compra;
Offerece-se uma raulher para casa de bo-
raem solteiro, qua faz todos os servieos de cozinb
com perfaicae : aa rua da'Sscza:la Velha n. 1
No asylode rneodicidade compra se um bol
qae sirva para carroga.______________________
Compra-ae um balcaoe um caixao de pada-
ria : na rua Imperial a. 1.7.
VNDAS.
Sedas de listras
em cores Claras, a i*n00 o covado.
Mendes, Lobo & C.
Rua- do Marquez de Oliada a.32
E' chegada a oeeasiao de comprarem por psaco
dinbeiro as mais linJas faz^adas proprias para
vestidos, como abaixo vorao.
Aos 18,000 eovados
de phelinevhes alsaeianoi de la e seda, fazenda in-
teiramente nova ao mercado, e pelo dimiuuto pre-
co de300 rs.; vale 1* o covado Ml
Aos 10,000 eovados
de cambraias de cores fixas, e liudissimos padroes,
a 240 rs o covado! I
Aos 5,000 eovados
de popolinas havanezas,fazenda a gosto nunca vis -
to, e pelo insignificante p ego de 400 rs. o covado;
vale 1*200 III
So na loja das Ires estrellas, rua-
do Livrameuto a. 26.
Terrenos proprfos
Com 400 e 500 p&lmos de
fundo
A Oit o 13 o |ii lino
Coatiatia a relalhar se os grandes terrenos que
circundam a estacao da Boa Viagem.
A boa posicao e vaotagens ganntidas pelo go-
verno e pela companhia da estrada de ferro a
.;uem edificar proximo a esta estarao, sao bem
conhecidas.
Em todos ci domingos e dias santos podem os
prelendeates dirig.r se a mesma estacao, que acha
r8o pessoa habilitada para tazer as oompetentes
demarcacoes.
Para nao [ficarem prejudicadas, iSo rogadas to-
das aquellas pessoas qae encommendaram terre -
nos, a virem quanto antes tomar posse deGaitiva
de sens lotes.____________________________^_
Para dia de finado
Recebe se encommendas de capellas para este
dia, feitas com flores naturaes, rosas, eravos, sau-
dades, perpetuas e sempre-vivas ; tranalho este
que deve agradar muito mais que as de coatas : a
pessoa que precisar, deve maqdar a rua da Cruz
n. 11, armazem. ____________
Gusmao & Leal, estabelecidos com loja de
fazendas a roa Primeiro de Marco n. 14, fazem
scieate ao publieo e a sens freguezes, que se ai;ham
na gerencia d dito seu estabeleciuieato, e na ad-
ministrajao de todos os sens bens, esperando como
dantes a concarrencia de um e de outro.
Na estrada de Joao de Barros confroate a
capellinha, aluga-se o grande sitio n. 21, com mil
palmos de frente e 2 e tanto de fundo ; uma ex-
c llente casa com 4 grandes salas, 8 quartos, co
zlnba fora e quarto senarado para desnensa, um
grande terraeo sobre columuas e gradeamenlo de
ferro, estribaria para 4 caVallos, casas para crta-
des e escravos, 9 cacimbas com excellenje agua
para beber e lavar roupa, boa casa de campo,
grande numero de arvoredos de diversas qnalida-
des de fructas: quem pretender, dirijaise ao mes-
mo sitio, das 6 as,-8 da juaaba ou das 3 ()2 da tar-
de em diante.______________________________
Aluga-se a loja do sobrado a. 1 da rua do
Aragao : trata se com sea .proprietario, a fuaido
Hospicio ja. H.
'
Wilson Rowe & C. vendem ao sea armawr
a rua do Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodao azul azaencano.
Sxceltente fio de vela.
Cognac de i* qualidade
Vinho de Bordeaux,
(larvao de Pedra de todas as qualidades.
Vende-se no Arraial, perto da estacao, a posse
de um terreno foreiro com 180 1|2 palmos de lar-
gura, 588 de fundo por um lado, e por oatro 388,
com 142 pes de arvoredos de fructo de 28;quali-
dades, e espaco para a continuajao, esta todo o
terreuo pla tado de lavouras que ja dao rendi-
mento, tem mais de 600 palmos de latada com
uvas, abobora e maracuja assii. 0 dono eacarre-
ga-se-de faftr casa ao gosto docomprador.se
exigir : a tratar no Arraial, segundo sitio do lado
esquerdo, partindo da estacao da Estrella, em di-
reccao a ea
A 120 rs. o covado.
Na rua da Imperatriz n. 60, vende-se para aea-
bar ama grando quautidade de las, restos dc di-
versos scrtimeetos, desde 120 rs. ate 500 rs.; no-
tando-se que, quando havia sortimentos comple-
tes, se vendiam a 1^290 e 1*600 o covado, ba
grande vari-dade em padroes, os que primeiro
chegarem melbor pecbucha farao, a ella a rua de
Imperatria a. 60.____________________________
Aos 5,000 eovados dela
A IBO m.
Na loja do Pavao vende-se lazinhas de muito
bonitos eostos c delicados padroes. fazenda uova
no mercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
um covado ; quem deixara de fazer vestidos de
15 tao bonitos e por tSo pouco dinheiro? Forne-
cem se as amostras: na rua da Imperatriz nume-
ro 60.
-r
Para o fabrico de chapel
A NOVA ESPERAXQA reccbeu o arame propr.
para armagSo de chapeos.____________________
BAZAR
i
Camisas.
Camisas francezas brancas de algodao flno con
frizo de cor a 2*000 uma, em duzia a 23*000
e pechincha : Ba rua do Crespo a. 20 loja do Gui-
lherme 4 C __________ -________
Vende-se dous sttios, sendo um no povoado
do Peres a outro no do Barro, tendo o primeiro
uma casa com accommodates para grande fami
liia e duas menore3, estribaria, cocheira, bastan-
tes arvcredos fructiloros, etc. ; e o segundo duas
casas grandes, e tambem bastantes arvoredos : a
tratar no caes do Ram n n. 28, prensa de algodao.
Chapeos pechincha para se
nhora
Vende-se cbapeos mo lernos para senhora, gos-
to de. praca, por 3* ; orgaadis de listras, covado
a 320 rs. : aa rua do Passeio a. 60.___________
Perdeu-se boje, por volla das 9 horas do dia,
duas chaves em uma correute, desde as Cinco
Pontas ate a rua Direita : quem as achou, que-
rendo restitni-las, leve as Cindo Pontas d. 71, que
sera recompensado.
_tf*fi
No engextho Jiazar#, cbatigno a Villa de tgua-a
rassti, appareceu umjie.vJIho grande, e desconhe-. Chitas de cores a 14v c
cWo ; a pessoa que liver ttireito ao mesmo pod< Toaahas algpchortase Maadas a 0Q ^. uma.
So o 43
Rua do Queimado n. 43, jun-
to a loja da Magnolia
Sao paohincbas 1.1
Cambraias de cores com barras boaitas a 240
rs. o covado.
Or-gaodis branco com listras boaitas a 320 rs, o
covado.
Lazinhas escossezas a 200 rs. o covado.
Cambraias Victorias, fiaas, a 3* a peca.
Baptislas lisas, padroes cbiqaes, a'_40 rs. o co-
vado.
Merino azul, da \duas larguras, proprio para
cusUmes4e bamans e .mcuinos, a 2, o covado.
Brim PVdofnM 320.eAOi) rs. o covado.
SadapofeTbern a30diT 4* e 4*500 a peca.
I Chales de Ii a escqsaea ,a f}. om.
Leosoes. de bramante a 'f^um.
I1!- ."
apreseatar os sigoaaae tarro no iaeshjo'efleenho,
para lhe ser eotregne.
E' muito barato
E' s6 com as noivas
NO
BAZAR DAS FAMILIAS
A' RUA BO DUQUS DE CAXIAS N. 60 A.
Riquissimos veos de blond bardados a c&da com
sapella, proprins para noiva, o mais moderno que
tem vindo ao mercado 1
Riquissimas cauellas de flores de laraDJeira, pelo
diminuto prer;o de 3.-^00 uma.
Lindissiraos lacin'aos com fivellas, proprios para
senhora3, a 2:500 um.
Lindissimas gravatinhas de seda com bloads,
proprias para senhoras, a 3SOO0 uma.
Riquissimos alfiaeles com uma flor, proprios para
o peito-de seuboras ou para a cabeca, pelo dirai-
nnto preco de 2 800 um.
ISi-jf* c **Ii\ft ii Guiiuai'ges.
ALMANAK"
DE
GARICATURAS
Para I87S
i:_
RAPU.VEL BORDALO PIXUEIRO
Conteado numt rcsas caricaturas Jiotreca-
lado .no texto.
r
DAS
FAMILIAS
Raa Dupe de Curias n. 00
Grande queima.
Cerram a pechincha t...
Riquissimas sai.idas de baile, de II, para senh.
ra. Verdadeira aovklade no mundo elegante !
Capinhas de la e seda para senhora. Cou--
inteiramente nova I
Excellenles cachiaeis de la c seda para sen!
ra?, por 5*300.
Casaouinhos de gorg .rao preto de seda, ri'.
mei'te bordadas, pelo diraiauto pre^o de 10*0"
Excellente acquisicaco I
Chales de seda a 12*. BanUiasiiao !
Grosdenaple preto a 1*200 o covado.
Popelinas de seda a 2* o covado.
Faia de seda, fazenda modernissi aa, pelo c
modo preco de 2*200 o covado.
Popehoas de seda, objecto da ultima mada, :.
1* o covado I
Ditas de linho com listras e agradavc;s f"'-
droes, a 4i0 rs o covado.
Cambraias traosparentes, fazeada mui fina e d
grande procura, a 5*500 e 7* a peca.
Alpacas de seda a J* o covado. Grande pecn:'-
cha I
Granalinas de cires com listras assetioadas
800 rs. o covado. \ ellas emqoanUi resUm !
Cambraias bordadas a 1*1'O'o metro.
Ricas r-olinaiscs, bordadas com esmero, a 3->
cada uma. .
Tapetes para scfa, graades j peqeeacs. Padr
especiaes 1
Ditos para por'.as.
Ditos para cama.
E outros artigos para homeos, seahora-
criaafas, os quaes artigos nao se meacioaam pa: -
nao massar-se a benevola atteacao dos ieitore- <
leitoras, amantes do bom e do barato, e entb.
siai-ias da grande virtude domestica a eco^
m;a t- i
Corram quanto antes a grande pccbincua,
freguezes 1
Vinde ver, comprar e admirar I________
Para concertar meias
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Cax:>
a. 63, recebea desta aece-saria linha.___________
Chocolate do Maranhao
Unico deposito nesta cidade, em casa de Ji
Tavares Carreiro & C, rua Direita a. 14, oade
veade pelos precos e vantagons da fabriea._______
Preco ^u rs.
Livraria Popular
Rua Nova n. 59.
paose amostras: noba.qaeqinaocompre
Aos legithnos fogoes eeono-
micos.
Acabam de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogoes economicos, ja muito conhe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo,.Sergipe, Rio-Grande, Ba-
bia e Alsgoas, aoade tem merecido do pu-
blieo a maior aceitacao possivel, e sao ja
preferidos aos de qualquer outro systems,
conhecido pela sua muita solidez, especia-
lidade na collocscjao, moderno systema,
e sobretudo grande economia no combasti-
vel ; trabalham com lenha, coke, carv5o de
madeira, etc., etc. Ha de diversos tama-
nhos, proprios para ensas de pouca, regu-
lar, e de muita familia, collegios, boteis,
casas pias, hospitaes, etc. Acham-se ex-
postos ao publieo, aonde se darSo todas as
explicac;5es necessarias : na rua da Cruz
ARMAZftI SffASSOT
p.ra(ja circular do Apollo
vende-se:
Tijolos de marmore, d,a differeates ta-
manhos e qualidades.
Tijolos francfj/eSt seituplos.
Cimento -Vortland verdadeiro.
> A^w'.'ijps grandes muito proprios
P'f^rodap^s.
\_ulejos verdes e amarellos, taminho
regular.
llaquioas de descaroc;ar algodao.
Cadrira^ de ferro, assento de palhi-.
aba, proprias para campo.
Fazendas
muito baralas psn
a..
i
s&<
3
2*50"
S#00t
E' irem depressa antes que se acabem
Cambraia de cores, orgaadsy, covado a
Algodao azul, idem idem
Idem de listra ideal idem
Chita preta muito Boa, idem a 260 e
Meias para mcaiaas, a 2* a duzia e
Chales de merino
Colietes dc brim e caseraira a If, UoOO
23 e ^^
E muitos outros arligcs de faieadas e roapa-
feitas por muito meaos de sen vale*, por se one
rer mudar de sorlimento : a rua do Barao da Vic
toria n. 14._________________________________
Alpacas a 400 rs.
0 Desengano esta vendendo pelo dirainato pre^
co de 400 r< o covado, alpacas de Ii e ae*a, d
lindos padroes, fateada mnito fioa e larga, J*
sempre se veaieram per UMO o covado, e pari
acabar; a elhs antes que se acab-m : aa ra:.
Primeiro de Marco n. _>, jnnto a lc)a da wn__
Asunicas verdadeiras
Bichas aamhurgueias qne vem a estemerca* :
aa rna do Marines de olinda'-.'
Vende-se um terreno no lugar denomiaad>
Caboco de baixo, {ngooata do Piico da Parella
com a freote para o rio Capibariba : quem u pre
tender, entenda-se com o procurator Joaquin-
Josd de Abrau, ou com o despachaate Jezuiao F.
da ilva. ^^_______,
Vinho superior
Na rua da Imperatriz n. C4, ha para V9aler vi
aho de Lisboa de superior qualidade, em barns at
50, 78 e 125 garrafas. Preens mai barates.
Farinha demandioca supe-
rior.
Tm para vender, Joaquim Jose Gon^al-
ves Beltrio & FMho, a bordo do palbtbot
Rpsita, fundeado so pe" do caes do Collegio.
e para tratar a bordo oa no sea csenptorto
d rua do Coramejrcio n. 6.
Paiinb* igijjali de Murioeoa.
Tem r^B, sender, ioaquim JoseGoi -
qalves. Bcltr3o & PHho, a bordo do fwlba-
bote Itesifa, fiwd#f ao pa do c_e <3o
Cfllegio, e para tratarabordo ou no-W es-
criptorio ; rua 4q Ooftmerr^o n. 5.
_ -.


Diario de Fernambuo Quarta feira 21 de Oulnbro de lfc74.
*
1
EL
-
Fastendaa o artigos de alta
novidade
NA
loja so nm
Rua IVniieirii de Marco n. 7 A.
fCordelro Slm8c A C, proprietaries
ste imporiante estabelecimento, no louvavel pro-
prosito de nlo desmentirem o conceita que os
seas Bumsrosos freguezes lbes tern dispensado,
icabara de receber de sua coula q mais nco sor-
.irnento da ?edss, popelinas, las e artigos de ul-
:ima moda em Paris, e cbntinuarlo a receber
por tudos oi paquelas daqaella procedeucia ; por
sso chamam a attencao de seus freguezes e os
wtnvidam a darem am passeio ao sea estabeleci-
mento, garantindo bes qae encontrarao a reali-
Jade do qae fica dito, e para prova dao um pe
queno resumo, cujo infallivelmente despertara a
:teocao dos preieo ienles.
Mandam fazeodas a casa dos fregaezes, e dao
amostras mediante penhor.
iVrtfgas do alta novtdaue e
uitiina moda.
Cortes de vestido de linho guarnecidos de bico
la mesma fazenda .5 cor, trazendo flvella, bolca,
:rato, etc etc. '
Riquissimos chapSos para senhora, de cores e
pretos.
Cortes de carobra*a braacos com lindos bor
lados.
" 'de cores com enfeites da mesma fazenda,
nrino, etc. etc.
Capas de Ia para meninas e senhoras, guarne-
:idas de arminbo.
Vestuarios para hapiisado.
Riquissimas camisas bordadas para senhora.
Leques de madreperola, para noivas.
Ricas colchas de Mda, para casamenlo.
Cortes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.
Sedinhas de delicadas padrSes.
Setim Macao de to.las as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo preto o dimasco de seda.
Jranadine preta e de cores.
Filo de seda- branco e preto.
Ricas basquiuas de seda.
Casacos de merino de cores, 15, etc.
Maiitas brasileiras. -
Capellas e manias pa/a noiva.
Cambraia de cores, aitas mariposas brancas, de
ores, lisas e bordadas.
Flor do bosquc (novidade).
Percalinas de quadros, listras, etc.
Brins de linho para vestidos.
Fustlo de cores.
Siias bordadas para senhora.
Grande sortiraento de camisas de linbo lisas e
aordadas. para homem. .
Meias de cores para homem, senbora, meninos
meninas.
Sortinwito de chapeos de sol para homens e
if Merinas de cores para vestidos.
Dito pieto trancado e de verao, bombazina, can-
io, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linho c algodio para toalhas, e dito
pardo.
Damasco de li.
Brim de linho branco e do cores.
Setins de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de tonqnim e ditos de casemira
Can:isas de cbita para homem a Mas de ila-
oella.
Ceroulas de linho c ditas de algodao.
Pannos de crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyrintbo.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana, bordados,
para bailes, e tarlatana de todas as cores.
Colchas de damasco de la, e ditas de crochet.
Espartilhos lisos e bordados.
Foulard de seda, lindas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
Popelinas.
Neste artigo temos u.u varialissimo sortimento,
aao so em gosto como em qaalidade.
l.titi
oom listras de seda, ditas com pal Das bordadas,
'itas ffansparentes e de outras muitas qualidades.
Iiuvat
1e pellica brancas e de cdres, do verdadeiro fa-
oricante Juuvin.
Finalmente :
apetes para sola, cadeiras, cama, entrada, etc..
-ambraias brancas, chitas de tcdas as qnalidades,
nadapolSes, esguiao, t retanhas, bramantes, algo
Joes, collarinhos, punt: s, meias para homem i
enhora, punhos e collarinhos brancos e de co-
es para senhora?, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
>res, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
Janapcs, panno fino, els., etc.
Loja do Passo
Rua Primeiro de Mango n. 7 A
antiga do Crespo.
Grande liquidacao de fazenda s
NO
a
N.72.Rua d
l
Ira
PE
riz-N.7 2
Mendes Guimaracs & Irmaos.
Tendo os proprietaries deste estabelecimento resolvido diminuir o grande deposito de fa-
zendas, entenderam fazer esta grande liquidacao, comose ve* dos precos abaixo mencionados :
ND'E-SE
Chitas largas a 160, 200 e 280 reis.
Vende-se chitas francezas e finas a 120,280 e 320
o covado.
Lazinhas a 120 re is.
Vende-se lazinhas para vestidos a 120, 240, 320 e
400 reis o covado.
Chitas para cobertas a 280 reis.
Vende-se chitas para cobertas a 280 e 360 reis o
covado.
Alpacas de cores a 640 reis.
Vende-se alpacas de cdres, Unas, para vestidos de
senhoras, a 640 reis o covado.
Metim de cores a 320 rei.
Vende-se metim de cores para vestidos de senho-
ras, a 320 reis o covado.
Cassas fiuas a 280 reis.
finas a 280, 320 e 360
Vende se cassas francezas
reis o covado.
Cambraia Victoria a 35000
Vende-se cambraia Victoria para-vestidos a 31,
3J500 e 45000 a pec'.
Cambraia transparente a 2 e 3*000.1
Vende-se pecas de cambraia transparente a 3i.
33500, it eSt.
Cortinados a 145000.
bordados para camas a 14*'
Vende se cortinados
16/ e 185.
Ganga amarella a 400 reis.
Vende-se ganga amarella para vestidos de senho-
ras e roQpa parameninos. a 400 reis o covado.
Brim de cores a 400 reis
Vende se brim pardo e de cores para ca'cis b
400 reis o covado.
Toalhas para rosto a 700 reis.
Vende-se toalhas de linho para rosto a 700 e 800
reis cada uma.
Chales de 13 a 640 rt'is.
Vende se chales de la de quadros a 640 reis, cha-
les de metim a i #160 reis, chales de merino
lisos a 25, e chales de merino estampados, a
35600, 45 e 55.
Aberturas a 2$009.
Vende-se aberturas de linho bordadas, para ca-
misas, a 25 e 35500. Ditas de algodao a 200 e
400 reis.
Cortes de casemira a 55000.
Vende se con s de casemiras ."mas para calcas a
55,55580 e65
Cmies de brim a 15400.
Vende se cortes de brim de cores a 15400. Ditos
de brim de Angela a 15?00 e 25500.
Cobertas a 25000
Vende se cobertas de chitas de cOres a 25.
Colchas a 25000.
Vende se colcha9 de fuslao para cama a 25, 35 e
45-
Paletots a 3,000 rs.
Vende-se paletots de alpaca preta a 3, 3,60
o.OOO rs. ;'calgas de casemira prelate de core
le:es de casemira preta e de cores, e ontras
tas roupas feitas baratas e fazendas que est
qnidando no Bazar Nacional, a rua da Im
Iriz n. 72.
N.a.nia. do Vigano n. iq( vende se o seguinte :
Limebto de Portland, em pririieira mao.
Vipho do Porto, engarrarado, finissimo, era eal-
Mt dl dlizia,
Dito dito em barris e ancoretas.
))t ^nerr>'' iD6lM' 8m caixas de duzia.
Vinho Collares erri ancoreias.
Ceta eravelas, de Lisboa.
Ccm em grume, idem._________
j Na.loja do Pavao vende-se mad apoi5es fraace
zes maito incorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
' dito muit) fino com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as
sim como um grande sortimento de madapolSe*
inglezes de 4,500 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
peralfiz q. 60, de Felix Pereira da Silva.
Colchas
0 DESENGAJSTO
Kua Primeiro de Marco n. 35,
jnnto a loja da csqniua.
0 prr>pr etario desie estabelecimento tem re-
solvido vender suas fazendas por p^ecos muito
resomidos, (como abaixo verao) para apurar
dinbeiro :
Meting %
Vende-se mafias de lindos padrSes, a 280 e 300
reis o covado. Dio-se amostras com penbor.
Cambraias
Vende-se cambraias transparentes, de 25500.
35000 e 35500 a
di
A' rua do Cnh:ijsra n. 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, no intuito
conservar o bom ccnceite quo teem menecido
respeitavel publico, disticguiudo o seu estaboieci-
mento dos mais qne negnciam no mesrao generc
vecm scientificar aos seus boas freguezes que pre-
para camas
Na loja do Pavao vende se colchas de fuslao
br,a?> Para.cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de cbita e de cretone, de 2,300
para cma e ditas de metim escarlate forradas com
madapolao a 5,000 : a rua da Imperatiiz n. 60,
de Felix Pereira de Silva.
Pentes girafe.
Pentes girafe, prop-ios para senhora, ( ultima
moda): a Magnolia a rua Duque de Caxias n. 45
e so quem tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as boneoas de cera que cha-
mam papai, mamai, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rua^Duqae de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Doque de Caxias n. 43, re
cebea gaiolas de aracne de lindissimos modelos,
proprias para passaros; a ell is antes quo se aca-
bem.
--------------------------!-<. ----------------------.--------------------------------------------------------------------------
Ru i do Aiiioriia n. 57.
Presunlos inglezes para fiambre.
Queijos londrinos.
Ostras em laias.
Ovas de bscainao em latas.
Lagostas em latas,
Azei'onas hespanholas em fra;cos.
Azeitonas francezas era frascos.
Saucissas de Oxford em latas.
Velas de cera branca de Lisboa.
W E IWE-^E osiiioju&to a igre-
ja de S. Jo9e do Mangu nho, com casa de vivenda
assobradada e outras acomraodac5e9, todo mura-
do, com duas frentes tervi las pof portab de ferro,
dando para a rua d) Amizade e para a do Man
guinho. Tem de terreno proprio 194 palmos de
largura e 354 de fundo ; e a casa m- de 52 pain os
de frente e 84 de fundo. A situacao e a melbor
eossivtl para morada, e quem qui.-.er eiiGcar, tera
astante terreno para isto, pelo lado da rua da
Amizade. Tem a'gumas planlacSes de gozo e re-
creio, havendo bastante agua foroecida por duas
cacimbas, uma das quaesenova. A entender-se
com o Sr. Dr. Witruvio quem o pretender.
Chocolate hespanhol
mnito fino, tem para vender na Asseroblea do
Commercio, Meir" & Lima, rua do Commercio na-
mero 22.
Cortes bordados.
Vende-se cortes de cambraia, bordados, bran-
cos e de cores, pelo baratissimo preco de 55 cada
um, fazenda que muitos vendem a 105, e gran-
de pechmcha ; a elles antes que se acabem : a
rua do Crespo n. 23, loja do Deseogano, junto a
loja da esqnina.
E'BOM SAKEB-SE
Que a NOVA ESPERANCA, a rna
Catias n. 63, bem conhecida peJa >\3w\
seus artigos de moda e phantasi:. iraba 4
ber diversas encommendas de dht dorvnt 4$
reparticao, que pela eleganci i b<>m mmn ;
e bent go to de seus antigos enri^n- n Europa, e por esta razao a NOVA ESPERaBCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, ennvida a hn
| e constante fregaezia e com especiat;4ao> m tto
I amavel, a visiiarera na, alim de a;-r ci.-.r-w att
onde toca o prinior d'arte.
A NOVA ESPERANCA naoqoere irar mbb-
mero dos massantes (verdadeir- azuprm.*) evm
extensos annnncios e nem pret^nlf iettttmm a
immensidade de cbjectos que tern expii da, o que serfa quasi impassive!, rrm* Kmtar s* ks
a mencionar alguns daquelles de mi' alu n-n-4m4e
e toma a liberade de acon?*:lh:"' m btlb *^M,
que a visitem onstantemente, para deri ^at
comprarem em outra qualquer parte i* + acr*-
penderem, & vista do bom e e.-cl!*" s '(i-rw-ato
que da em dito estabelecimento, Ma razin boa-
bem demonstra que qualquer stnb r.< d- M,
oao podera completer a elegance de >.-a Iniet
sem que de nm passeio a NOVA E>l'R8ANCA,a
rua Duque de Caxias n. 63, a qual rata ie rre-
ber os seguint s artigos de Inxo e iiiu-i a o-mfa-
de :
Modernas sc-ttas para prendcr os cattllos
Primorosos leqnes de phantasia.
Bonitas sahidas de bailes par mJkani e si-
nas.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegantes fachas de touqnim.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderecos- pretos de paMa e bom^ha
(gosto novo).
12 Rua doOabuga12
LIQUIDACVO
de joias de ouro, prata e pedras
Ouro de Ici.
JJ* rCorrentes do ultimo gosto, a oitava
Alfinetes para retrato, circulado
perolas
Idem idem idem esmearladas
Idem idem idem robins
de
preciosas.
35500
veniram aos seus correspondentes nas diversas car- i
cas d'Europa para lhes enviarera por todos os pa- 5e;?os de Prata.bem parados, de 135 a
. quetes os objectos de luxo e bom gosto, qae "se-
) aPpefa. M *'][%$ J&L"?fiS pelas sociedades elegantes
500 a
Alpacas pretas
Vende-se alpacas pretas emuito finas de
600 reis o covado. E' grande pechincha.
HatlapolAes
Com pequeno defeito a 45000 a peca, dito lim-
po,_ francez, e inglez a 45500, 55500, 65000 e
65i>00. E' baratissimo. AUodaosinho marca T,
largo e fino de 45000 a 45500 a peca. E' para
acabar. Chitas claras e escuras, a 260, 280 300 e
320 reis 0 covado, ditas roxas mofadas, a 200 reis
paizes, visto aproximar se 0 tempo de
festa, em que 0 bello sexo desta linda Venesa
mais ostenta a riqueza de suas toillettes ; e co-
mo_ ja recebessem pelo paquete francez diverse
artigos da ultima moda, veem patentear alguns
d'entre elles quo se toraara mais recommendaveis,
esperando do tespeitavel publico a costnmada
concurrencia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos que teem
vindo ao raercado.
535000
605000
6350 0
305000
805000
0 covado. Cretone's escuros e de boni\os padrSeV a .JSSPJSl J1-033 ca?.as de kmadrePerola e d
360 reis 0 covado. Lanzinhasde lindos Padr5es! 'M' Send d'VerS0S tamanh9 e Eara,0S VT*
a 200 reis 0 covado Cambraias de cores a 240 e
E' com as senhoras.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, par
cipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu
'opa, um completo sortimento de artigos de ulti-
ma moda, e como acha desnecessano fazer um
nfadonho anuuncio, por ja ser bastante eonhe-
:ida, e caprichar sempre em ter bons correspon-
entes, sendo a primeira que apresenta 0 que ha
-le mais moderno e por precos mui razoaveis, por
sso limita-se a descrever somente 0 seguinte:
Settas douradas.
Bicos de cores, tanto de seda como de guipure,
.eqnc* dourados, de madreperola, marfim, tar-
taruga, osso, etc.
Kauidas de bai'e.
Presentee, diversos artigos proprios para pre-
sentes.
eolinnas e punhos.
"annul para missa, :om capa de madreperola,
tartaruga, marfim, velludo, etc.
Snp.'KinlioM de setirn para baptisado.
Camisas bordadas para senhoras.
Lisas de seda.
Franjas mpsaicas.
Aderecos de tartaruga.
voltas'de madreperola.
rnlselraS de madreperola.
Ltndas (lores para cabec,a.
Solsas de velludo.
Perfumarlas dos melbores e mais afamados
fabricantes.
Chapeos de sol para senhoras.
Pitas de velludo de todas as cores e larguras.
Moscas.
Quereis livrarvos destes malditos inssctos? com-
: rai uma machiua de matar moscas por 35000
na Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia*, a rua Duque de Caxias n. 45, ven-
ae 0 verdadeiro Vigor de Ayer, qne impede a
-ahida dos cabelles.
Sardas epanos.
So tem sardas e panos quem
Magnolia, a rua Duque de Caxias
quer; porque a
n. 45, tem para
vender a verdadeira Cuticuleria, qne faz desappa-
ecer estas manchas em poucos dias.
Aproveitem
0 PARIS N'AMERICA, i. rua Duque de Caxias
n. 59, primeiro andar, esta vendendo ealcado pelos
seguintis precos:
Botinas de duraque para-senhora a 3.500 reis.
Ditas de dito preto a 4,000 reis.
Ditas d8 dito com bol5es lado, a 4,000 reis.
Ditas gaspeadas, caao aho, psra--55ttiarfr, a
5,000 r6t.
Ditas de pellica, ingleta, ai.000 reis.
Ditas de duraque bordado, para senbora, a
5,000 rera.
Ditas de duraque, de cores, para meninas, a 35.
Em quanto e tempo
aproveitem.
Taverna dvenda
Vendes* a uverna 11. 88 da rua de S. Jorge,
em;F6ra de Portas, ben afreguezada e com pou
cos fandos, propria para principiante : a tratar
. mesma taverna.
280 reis 0 covado. Aproveitem antes que se
acabem.
Irlanda
Vende-se esta fazenda muito propria para vesti-
dos de senhoras pelo diminuto preco de 600 rs.
0 covado.
Brim branco
Vende-se brim braaco de algodao, a 320 rs. 0
covado. E" grande pechincha. 1
Ciase de seda
Vende-se esta fazenda de lindos padrSes, a
15200 0 covado, faienda que sempre se vendeu
a 25500 0 covado. Aproveitem.
Sonrceasacas alSSe 154000
Vende-se sobrecasacos de panno fino pelo bara-
lissimo preco de 125 e 135 ca'a nm e grande
pechincha : a elles antes que se acabem. Cami-
zisinhas com punhos e collarinhos, para senhora,' 1
pelo diminuto preco de 25 cada uma. Meias para !
senhora, fazenda muito fina e um ricas caixinbas, '
pelo tanto preco de 65 a duzia. Aproveitem.
Colchas adamascadas
Vende se colchas adamasca las brancas ecom
barra de cores, muito grandes, pelo baratiss-mo
preco de 45 cada uma, fazenda que sempre se
vendou por 75 uma. A ellas antes que acabem.
E
menc
certifijar-se, e por isso os proprietarios convidam
os
AderScos completos de borracha proprios para
Into, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
nitos.
BotSes de setim preto e de cores para ornato d
psstidos de sechora ; tambem tem para collete
valitot
Bolsas para senhoras, existe um bello sortimen-
de seda, de paiha, de chagrim, etc., etc, por
barato preco.
Bonecas de tcdos os tamanhos, tanto de loaca
como de ceYa, de borracha e de massa ; chama-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as crianras nm ponco im-
pertinentes por falta de um objecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho lisas e com peitos bordados
para homem, vendem-se por preco commodo.
Ceroulas de linho e de algodao, de diversos pre-
cos.
Caixinhas com musica, 0 que ha de mais Undo,
com disticos n*.s tampas e proprios para presen-
ts
Coqxies os mais modernos e de diversos'forma
tos.
Chapeos para senhora. Receberam um sortimento
da ultima moda, tanto para senhora, como para
Rektgios para senhora, de ouro, do 405 a
Rices aderecos com pedras finas com
50 0(0 de abate.
Bonitas pulseiras do ultimo gosto com
50 0|0 de abate.
Brincos de phantasia dos mais bonitos
que tera vindo ao merca-'o, de 155 a 605000
Voltas com unt bonito lajo, por menos
do que se vende em outra parle.
Bonitas cacoletas, tanto para senhora
como para homem.
Anneis de diversos feitios, de 25 a 20/000
Pulseiras de cobra de coral por 50 0(0.
de abate.
Tendo 0 proprielario desie estabelecimento rece-
bido uma grande porcao de joias dos ultiraos gos-
tos de Paris, e por precos ja resuraidos, participa
a todos oi seus freguezes, bem como ao respeita-
vel publico, que se acha sem; re' prompto a servii
com toda a exaclidao como costuma; certos de
que passara um recibo, pelo qual fica respoosabi-
iisado pela lranacco.
Laazinhas baratas.
Na loja do TavSo, para liquidar, vende-se
uma potcao de laazinbas de cdres para
vestidos, tendo de 320 rs. para cima ; as-
sim como ditas com listras de seda muito
bonitas a G40 rs. 0 covado ; alpacas de cd-
res com listras de seda de GiO rs. para
cima : i. rua da Imperatriz n. GO, de Felix
Pereira da Silva,
a taverna sita a rua
muito afreguezada :
Rosario n. 40.
do Barao da Victoria n. 61,
a tratar na rua cstreiu do
E' economico.
Graxa glycerina propria para a conservacao do
cordovan; vende a NOVA ESPERANCA, a rua Du-
que de Caxias n. 63.'
outras muitas fazendas que se torna enfadonho meninas-
lencional-as, e que so 0 freguez vendo, podera Capellas simples e com veo par
>rtinVr-ip p. n.-,r in na nrnnrintormo J..Vt4.. I Calcas borGaaas para meninas.
ara noivas.
a todas as pessoas a fazerem uma visita a seu es-
tabelecimento afim de convencerem-se da verdade. aft?,eDn03-
?as bordadas para
Entremeios estampados
e bordados, de lindoi
RUA PRIMEIRO DE MARCO N. 25.
O baraieiro!
A' rua 1 de Marqo n. 1
contintia vendendo suas fazendas com 30 0/0 menos
do que em outra qualquer parte, a saber :
Amazonas, recebemos esta nova fazenda, com
bonitos desenhos e cores flxa3, propria para bai
les, passeio, etc., etc., e vendemos a 500 rs. o co-
vado.
Baptistas, temos bom sortimento desta fazenda,
com bons gosto?, para 300 e 360 rs. o covado, sem-
pre enstaram 400' rs.
Panarri, desta fazenda temes grande porcao, e
por querjrmos dispdr del!a com presteza, vende-
mos por 440 rs. o covado.
Cretones francezes, escuros e claros, com boni-
tos desenhos a 300, 360, 400 e 440 ; so aqui.
Popelinas, tmos grande sortimento desta fazen-
da, muito lindos gostos, e vendemos a 15 o cova-
do, sempre cu-tou 15600 ; quem deixara de com-
prar ? por certo ninguem.
Chitas claras e escuras a 240, 260, 286 e 300 rs.
o covado ; e" barato, aproveitem.
Cambraia Victoria com 8 !|2 varas a 35500
peca.
Dita transparente, muito fina, para 45000. 55 e
65000.
Madapoloes para diversas pecas a 45500 e 55 a
dito francez a 6#.
Bramante de linho, duas larguras, a 15 avara
so e barato ; a elle, a elle.
Brins de Angola, com bons gostos e cores Sxas,
proprios para roupa de meninos, a 500 rs. o co-
vado.
Brim pardo tranrado, lino, a 400 rs. o covado.
Esguiao de linho e algodao, com 7 jardas a
35500 a pega ; sempre custou 45500.
Toalhas felpudas a 65 e 65500 a duzia ; sempre
custaram 8*.
Chapeos de scl de alpaea para senhora a 25 ; e
barato I
Chapeos de sol d seda para senhora, cabos de
osso, a 35500.
Ditos para homem (paragon) 85500, de duas
cores a 95.
Dites de alpaea a 35500.
Ditos de'merind a 45500.
Botinas para senbora a 45500 e 85000 ; 6 pe-
chincha I
Casemiras de cores a 35400 0 covado; sempre
custoa 45500; a eilas, a ellas I
Camisas de cretone, francezas, superiores,
255OO ; qne lindos gostos I
Lencos de linho, abanhados, em caixinhas, a
35 a duzia.
Ditos de dito muito finos a 45500 a duzia ; so 0
barateiro. Sao fines.
Meias para hoxem a 35500, ditas finas a 55 a
auziallt
Colchas alcoehoadas a 35.
Grosdenaples de cores verde, cor ae rosa, en-
carnado e car de cravo a 900 rs., It e 1*200 0
ctv5* ; so aflnl.
Selecia a 305 a pega eom 15 varas, porem fina.
Atoalhado para toalhas de mesa a 1*440 a
vara.
Brim branc), exposiclo n. 5, a H a vara,' one
boa fazenda.
Grande sortimento de lazinhas, e de gostos no-
vos, a 140, 160 e 200 rs. (Ill 96 na barateiro.
Brilhantina branca a 400 rs. 0 covado 7 e sim.
Ao barateiro, ao barateiro I
Alern destes, outros muitos ar'igos, que nao
mencionamds, mas que vendemos por limitados
precos. Confronte ao arco de Santo Antonio en-
contrareis sortiraento.
l.%5Sotinlio Ferreira Leal C |
Escovas eleclricas para denies, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, existe um
grande sortimento de divercas larguras e barato
preco.
Fitas de saria. de gcrgurao, de setim e de cba-
n!nt9, de divcrsAS larguras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Ft-m artificiaes. A Predilecta prima em con-
ervar sempre um bello e grande sortimento des-
tas flotes, nao so para enfeite dos Ccbellos, come
ambem para ornato do vestido de noivas.
Galoes de algodao, de la e de seda, brancos, pre
os et de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
Lacps de cambraia e de seda de diversas cores
para sennora.
Ltgas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madre-
Kerola, marfim, 6so e velludo, tudo que ha de
om.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar os ca-
bellos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, marfim, osso e dourados por barato preco.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, nSo so em extractos, como em oleos
banhas dos melhores odores, dos mais afamados
fabricantes, Lonbin, Piver, Sociedade Hygienics,
Coudray, Gosnel e Rimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commode
preco.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta nm bonito sorti-
mento de diversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimentas para, baptisado 0 qne ha de melhor
gosto e os mais moderno recebeu a Predilecta
de or an.to preco, para Bear ao alcanca
qualquer bolsa. ___________
PARA LUTO
Vende-se chitas inglezas pretas com pintas a
200 rs. o;covado, dita francezamnltb fina,tanto lisas
com Com pintas de 320 rs. para Bfma ; eantao
preto a 800 rs. e muito r'no a 1,000 rs ; bomba-
zinas, prineezas e alpacas de todos os precos;
lazinhas pretas lisas de 400 ate 500 rs. ; assim
como nma grande porcao de retalhos tanto de
chitas pretas como de las, qae se vendem por
Srecos baratissimos ; tambem uma grande parcao
e chales pretos de las a 1,000 rs. por estarem um
pouco russos : a rua da Imperatriz n. 60, de Fe-
lix Pereira da Silva.
Grande descoberla
Curativo das molestias do
peito pelo
\aropc de sulphito de soda
A. BERIVET
Este importante medicamento que acaba deser
reconhecido pek distinctos Drs Zalloni e Paras-
cbevas como um verdadeiro espec!6eo contra a
phtysica, segundo provaram dos grandes nume-
ros de casos por elles experimentados, como se v6
aa sessao da academic, de Paris de 24 de marco
do correnle anno, eneontra-se unicamente bo
Deposito da pbarmacia e drogaria
d. *
Bartholomew 4k C.
N. 34 Rua larga do Rosifjo N. 34
Bramante para lenses
a 1$800 2^000 e 2^500
Na loja do Pavao vende-se superior bramante
para lencdes, com 10 palmos de lurgnra. que ape-
nas precise de '1 vara 1/4 para nm lencol, sendc
de algodao a 1,800 rs. a vara, dito mais en
corpado a 2,000 rs., dilo de linho puro a 2,500 e
2,800 rs.; assim como atoalbados superiores, tan
to de linho eomo de algodSo, porprfifos muito em
conta, e pecas do algodSoziuho para lengoes e toa-
lhas, tendo de 4,000 rs. para cima : a rua da Im-
peratrizn. 60, de Felix Pereira da Silva.
Salame de Lyoo
A 1.4SOO a libra
So na Asspmblea do Commercio n. 22, rua do
Commercio, Meira & Lima,_______^_^__
Grosdenaples
. Vende-se grosdenaple preto, fazenda muito fina,
e que sempre se vendeu por 35500 o covado, a
15800 rs.; aproveitem, so o Desengano, a rua 1*
de Marco u. 25, junto a loja da esquina.
Salsa parrillia
Muito novae grossa.
Vende-se por barato preco, em porcao ou a re-
talho : na rua larga do Rosario n. 34.
Ceroulas e camisas.
Na loja do Pavgo, vende-se ceroulas fran-
cezas de todos os tamanhos para homem a
1?J600, e ditas de linho a 2#00, 2500 c
35000.
Camisas brancas com peitos de algodao,
fazenda fina e por estarem um pouco en
xovalhaclas a 20(5000 a duzia, ou a Iff800
cada uma, ditas com peito de esguiao d
linho a 3$000 e 3$500 cada uma, ditas
com peitos e punhos de c6r a 2$000 e
25J50O: a rua da Imperatriz n. 60, de Fe-
lix Prroira da Silva.
Cura das hernias, pel as fun-
das de borracha.
As meihoros e mais aperfrijuada; da-, alt fc ,; '.
ohecidas.
Vctide se
na
Pii.irmaoia Dro.arEk.
de
l.'arlolomeo A C.
A'
34. Rua larga do U-'sari i 3 |.
Vaccina, Vfusewa.
TenJo o Sr. Dr. Jose Louren-" tm
montadu na cdrte um completo Mr* qh ar-
tigo, tem aqui aberto um depo-ii.. .t.- oMMTo
mais recenie, cuj-is tubos se en>irram I z
l'haraacia e drogacia
A'
_____ 34-rua larga do Rosan<> 34.
Vende-se a taverna da rua do Range! n. 8,
s^ndo a armacao toda invernisada e envidracada,
qae muito bem serve para qualquer outro negocio
por ser em bom ponto._____________________
Vejam e admirem.
A 500 rs. o covado.
0 barateiro da rua da Imperatriz n. 60,
vende popelinas pretas com listras asseti-
nadas pelo baratissimo preco de 500 rs. o
covado. para acabar.___________
Lustres, candieirose
arandellas.
A empreza do gaz, tendo recebido ultima mente
uma quantidade de lustres, candieiros, arandellas,
globos etc. etc., tudo obra de gosto e d? primeira
qnalidade ; acha se em posrcao de suppnr a seui
freguezes, por precos men^res do que antigamen
te. Para verem as amostras, dirijam-se a rua do
Imperador n. 31.
GRANBE
LI0UIDA0A0.
Gama & Silva BritJ, eon armazc ik rf' I .aioi
no largo da Santa Cruz n?. 2 e 4. I- ("'; J. 1
dar a firma social em edMpnrii d lui 4s
socios t3r de retirar te, Miulmina wtm '-r > g-
neros existeutes em seus armazin- i.i.i- .
0|0 do que em outra qualquer part -, > ehaaBM a
attenea do lespei avel public cedores das despencas f;nM!iart *. itecaaHi
Srs. negociantes em peguena met'*, rt > '.
encoLtrarSo a maior sincertfatV r :>>rad |
vel Deixamoiide MMW o gi-i J warn n te
gencros qne compoe o grande s< rtn .'. irtjB
isto se tornaria enfaden^o, limii?n !. no* apraw< a
menci >nar m.intoigi tagMB en. tun* JW f.
e IJ!0(i por cada 450 gramm;:-, d i. fraat ix i
8(K) rs. dita ingleza cm bias de u. i k Ut 14 30
aproveitem em quantu c tempo : b la Croi ns. 2 e 4, tansCH de Gains & ^il a Si,
to, cm liqaida;ao
Sitio
c casa
Vtnde-se um sitio com uma ean Ma*, Ka I
sitio 800 palmos de frente e 1.1 to <1e fno i >, a ease
edilicada com bons commode e but eacr>al*,M
estrada nova de Ueberibe, peril <\* m -ru'.ilba a,
o que se torna commoio p r wr *i rs par r
na 1' ordem, no trem da via fctT*t; ha -a d-.-
occupado : quem pretender, diriia m a rua iargi
do Rosario n. 20.
para senhor s
Espartilhos.
Na loja do PavSo, vende-se espartilhos
dos mais modernos a 39500 e 49000 cada
um ; assim corns bonitos cintos com lagos
de setim a 59000, e sedinhas lavradas com
toquo de mofo a 19000 o covado : & rua
da Imperatriz n. 60, de Felix pereira da
Silva.
Aos Minos
A NOVA ESPERANCA, a rua Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber um bom sortimento de fi-
nas bonecas qne fallam, qne riem-se e choram;
tambem as tem mudas e surdas ou surdas-mudas
venham ver se nao verdade.
Engenhos em Mamam-
guape.
Vende-se os seguintet:
Barr*,
Preguica,
e Patrleio.
A tratar com seus proprietarios neata cidad*
e para informacoes com Joaquim Pinto de Hei
relies Filho na mesma cidade de Hamamgoapi
sso IrmSos *'C.
uioPAMmraos
Venfle se Hnhe liso e arrtndado, lineTos padroes
a 400 rs. o covado, fazenda esta qne sempre ven
dea se a U ; venham a elles antes qae se aca-
bem : na Ijja do Passo, rua Primeiro de Marco a.
7 A, antiga do Crespo. .
Liquidacao de roupa feita
Natojai-doPavte liquid* se uma grande por-
cao de roupa para homens e meninos,como sejam:
calcas de casemiras pretas e de cores, para todo*
os precos e qnalidades ; dita* de brim de An-
gola 1>*r* dtderenies precos ; ditas de brim de
cores, pardos e brancas; pBdetots saocos, casacos
e fraks de panno preto e de casemiras de cores
coleles de todas as qualidas, por precos bara-
tissimos, assim como grande porcao de' camisas i
ceroulas por menos 3 0|o do sen valor s6 part
acabar : a rua da Imperatriz a. 60, do Felix Pe-
ejra da Silva.
Aos eigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende papel de liako
proprio para cigarros, de dlversaslargoras.
E
com as doi
A NOVA ESPERANCA, rua-Itaqoe d\ Caxias n.
36, acaba de receber boa* meias de sea* proprias
para noivas, e os apreciavefs ramos de lircangeira iriz n. ft), de Felix Pereira da Silva.
Casemiras
Na loja do PavSo vende-se nm grande sortimen-
to de casemiras de cores e meseladas, tanto claras
como escnras, proprias para calca; paletots e co-
letes por sreoos maito baratos, assim como no
mesmo eetabelecimentos se manda fazer qualquer
obra tendente a alfaiate, com a maior presteza
por precol muito raioaeis : a rua da Impera-
Cortinados para camas
Na loja do Pavao vende se um grande sortimen-
to de cortinados bordados proprias para camas e
janellas, pelo barato preco de 8, 9 e 10,000 rs. o
par, assim eomo colchas de damasco para camas
de noiva a 10 e 12,000 rdis6 pechincha: a
rna da Imperatriz n. 60, de Felix Pereira da
Silva.
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavao vende-se lazinhas japonezas
de cores muito modernas pelo baratissimo preco
de SOO rs. o covado, para acabar ; notando-se qne
e fazenda que jamais se venden por menos de
dois cruiados ; ja ha poocas : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do PavSo, de Felix Pereira da Silva.
Gorgurao
0 barateiro, a rua Primeiro do Marco n. 1, esta
vendendo cortes de gorgurao preto para colletes a
23000, fazenda que sempre custoa 7 ; a elles,
antes qae se acabe : confronte ao arco de Santo
Antonio.
Pechincha
Odilon Duarte & Irmao receberam pelo ultimo
vapor um grande e variado sortimento de coques
de cabello humano, 0 que ha de mais moderno, e
vende-se pelo baratissimo preco de 10* eada um ;
a elles, antes qne se acabem.________________
Lustres e arandelas de vidro
para gaz
Na grande exposicao da rua do Imperador n.
38, jnnto ao escriptano da companhia do gaz, ven-
dem se os mais bonitos e modernos lustres e aran-
delas de vidro para gaz, a- que se torna necessario para esse fim, sendo tudo
dos melbores fabricantes que ha na Inglaterra. Os
precos sao mais baratos do qne em outra qualquer
Siarte, e com a vantagem que e 0 dono do estabe-
ecimento mandar assentar os lustres ou arande-
las no lugar que 0 comprador quizer, sem qne para
i9so pagae algama eousa. Tambem se compra on
troca se lustres e arandelas ja usadas, mas qae
estejam em estado de podef servir.__________
Cortes decasimira a 4$
e 6#000.
Na loja do Pavlo, vende-se cortes de ca-
semira paTa calcn a 4*, 59 e 65000, ditos
muito fines de uma s6 c6r com listras ao la-
ck), fazenda que sempre se vendeu a 99 e
109000, liquida-se a 6&00O para acabar :
i rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Cora d.is eslreitamoali d'nretra
pela facil applicac,ao das
SONDAS OLIVAES
DE
. GOHMA ELAST1CA
As mais modernas e aperfeigoadas de todas
as coDhecidas
Yendem-se
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DE
Bartholomeu & C.
34 Rua larga do Rosario 34
Cortes de cambraia
Na loja do Pavao vende-se cortes de cambraia
transparente com babades largos, Unto brancos
como de cores, por baratos precos, por terem al-
gum pequeno defeito: a rua da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira da Silva.
Como sao lindas e modernas a* gr ja*
a Magnolia, a rua Duque de Caxi..- n ',5, acaba
de receber I
Aos nervoson
A NOVA ESPERANCA acaba d- rmlHt aqne!-
tes railagros^s anneis electricos, cur* infaflNW dot
nervosos.
Salsa-parrilha do Pari
Tem para vender Antonio Luiz 4a QfcMM iz*-
vedo, no seu escriptorio. a rua do Hum i-i- tstr
mero 57.
Vende-se
na rua do Vigr.rio n. 19, primeiro odar
Vinho do Porto engarrafado, an batti e ear-
ancoretas.
Cera ero velas, de Lisboa, superior qnalidade.
Rrtroz do Porto.
Cimento Portland, legitimo
E' \mb
As almofadas bordadas de la mans-..'-.- qne re-
cebeu a Nova Eaperanca, a rua I r.oua da
Caxias r-- '"'
Chap6os para senhora.
A loja da Passo, a rua Primeiro de Marco a.
A, recebeu am rico sortimento de -kapaui
raesna horas, pretos e de core*
Chapeos para senhora, leques
e punhos, manguitcs bran<-ns e dp dre?.
gravata de, seda. perfumaria cinto it
couro.
Vendem Amaral, Naiioco & C, no Bazar (Ma-
ria n. 2, rua do Barao da Victoria.
Fumoexporte best Birds Eije
Amaral, Nabuco & C. vendem fumo mgles para
cachimbo : no Bazar Victoria, rua d> MM di
Victoria n. 2.____________________________
Sedinhas a 1#500 o cot da
Venham antes qne se acabem : na Kja Pas*-
raa 1.* de Marco n. 7 A.
Qual e a loja que vende ba-
rato ?
E' na rua do Livrament n. 4.
0 que vende ?
Queira ler para saber.
I'azendai, ch.tpcoi c roupa* fettaia
Perfeito sortimento para todas- cla.*sw
Pannos finos e casemiras, brins de licho braar
pardo e de cdr, ditos de Angola, diios de algodao
bran do e de ccr, gauges de linh e de algodao
de cor e amareilo, madapolio de diversas mat.
dades e precos, algodao branco de listras e an
de varias marcas e precos, chita-, metio-< e per-
cales, baptistas brancas e de cores, br.lb*otiaa<
alpacas de lindos desenhos, ditas om palaa? de
seda e listras de seda, ditas pr-us e br,.aea*
chapeos de sol para homem e senbora, memaoaa
meninas, dito* para cabeea de homem Msai-ra,
meninos e meninas, ha grande vride *"*
se ve os da caator a 11 e If. carui>as &* todas
as qnalidades e precos, para bomeai -s uiiahM,
ditas de meias, eeroulas de precos de cm a tres
"toil reis, calcas, colletes e paletots, haven -.,. graa
de quantidade par* eeolher a voou4e ; tamtam
ha cambraias branca* e de cdr> iwaaai.
muitos outos artigos que deixamos de (.ahacar :
cheguem ao amigo do bom e barato, a raa ia
I.ivramento n. 4.
AHe-CuO.
Vende-se a taverna a a casa i
estaciodo Caxaoga : a tratar na mrami
uuio |
Escada
Vende-se na cidade da Escada, por i5->i a caaa
da raa da Virajlo : a tratar na me^ma oaad: co n
o Sr. Joao Baptista.
-*-.



8
Jiario de Pernambuoo Quarta feira 21 de Outubro de 1874.
LITTERATm
V espernncH.
Eu sonhei-a, meu Deus, beila e formosa,
Flor que erabriaga, talisman gentil 1
Sonhei-a lin ia como e linda a rosa
Que a brisa embala nas rnanhds de abril.
Sonhei-a pura como a fonte amena,
Onde 0^ favonios a brincar se agitam ;
Sonhei-a led9, festival, serena ;
Astro onde os lames do prazer crepitam.
Sonhei-a envolla nas gentis roupagens
"Das uuvensondas do superno oceatio ;
Sonhei-a fade, nasstbtis viag-ns
De meu futuro a devassar 0 arcano.
Meu Deus, mas hoje do sonhar despeita,
Lugubre scena meu soffrer revela :
Minh'altna triste a s lucar d-serta
Sem ver da esp'ranca a bonancosa estrella.
Recife, 3 de Janeiro de 1871.
Minim i> 111.
Outrora live uma lyra,
Onde cancoes hem scntidas
Modu lei;
Hoje a pobre jaz partida,
E meus tdo tristes accordes
Olvidei.
Ah que ao tange-la, a venlura
Vinha de encanto os meus dias
Inuudar;
Entre enlevos e delicias
Eu passava longes horas
A scismar.
Desse tempo tao fagueiro
S6 me n-sta triste pranto
Derramar,
Tndo por unico allivio
Minha iyra espedar^ada
Contomplar !
Recife. ?6 de abril de 1871.
Muoi.'t as do prosrriplo.
Out' destiuo cruel I sem lar, sera patria,
Longe d')s soiihos ceo da juventude
Que sorrindo ante via !
Que resta hoje d risonha esp"ran<;a,
Oue u.n dialouco a'iraentei tao crente? !
Um echo de agonia.
Echo fatal que soa em minhas noites.
P Em ancias infernaes I
Meu Deus quo sina triste, a do proscripto!
Taj longe, alllicto, a derram.ir mil prantos,
Que nao findam jamais !
I.onge, oh I longe dos risos da venture,
De tyrannos eroeis sotlrendo mudo
A sanha da viiiganca I
\ccusado de amar a minha patria !
His 0 crime pur que fni castigado,
Desde rnuito crianija !
Oh I porella, meu Deus, por minha patria,
Por esse diadema do universo,
Mil tropheos conqtiistdra;
Minhas veies contentes rasgaria
Mas, oh ceos, apos esse sacrificio
Mais yrannos acbara !!
Recife, 19 do maio de 18GD.
Radiva.
Ondapor ti eu me arrojdra & terra j
Ave por ti 0 ninho abandondra;
Astropor ti 0 brilho nao quizera ;
Flormeu perfume junto a ti deixara.
Vidapor li eu me torndra ceo ;
(A,me curvdra d tua fronto linda ;
Geniovodra muito alem dos Andes
P'ra dar-te os louros de uma gloria infinda.
Mas onda nao sondo, nern geniO, nem astro,
.Nem ave, nem ceo, nem vida, noin flor,
r.orisagru-te os sonbos de minha existencia,
Minh'alma rcpleta de crencas de amor.
Recife, \ de fevereiro de 1871.
Mote.
No mundo nunca encontrei
Cousa que mais me custasse
Aonr borrachas hem finas.
Que a earner nao estourasse.
(ALEXANDRIA MaKI.NHO/.
FOLHETIM
JOANNA
UM JOGO DE PAIXDES.
POR
George Sand.
(TRADUCgaO DE X. X. X.)
PARTE QUARTA
(Continuagao do n. 240).
1
Na manbaa seguiute senti-me como ani-
:.ilado, enam aomenos pude escrevera
minha mdi, nao obstante ler consciencia de
que era esse 0 meu primeiro dever.
Toda vie sentei-me dsecretaria, e, ahi de-
tarando coma carta de Joanna, por um
rcomento im.tinctivo, arremessei-a ao fundo
j gaveia, cditjo fazem os italianos supers-
tici "* quando occultam a imagem da Vir-
gei*.
Encontrei sir Richard bastaote calmo e
como que absorvido em reflexoes a que eu
era estranho.
Durante 0 almo^o elie interrogou-me
sobre cousas insignificantes, que se passa
ram na sua ausencia ; mas ignoro se elle
ouvio as minhas respostas.
N'essa plscidez glacial havia para mim
um quer que fosse de ternficante.
Lojjo quo ficamos as6s, disse-meelle :
Meu nmigo, fallemos agora de cousas
positives. Hontem esgotamos 0 capitmo
do senti'nentalismo. Poucos dias me res-
tam a passur aqui. Apenas 0 tempo pre-
ciso para repoucar, e depois partirei. E'-
Ihe possivel mar a epoca era que devo vol-
tar para cousagrar sua felicidade ?
E 0 senhor ainda quer partir ?
E' nbsolutamente preciso que eu par-
ts, e, ao menus d'esta vez, levo a grata cer-
teza de qu.i nmguem te aborrecerd aqui em
mit.ha ausencia.
Aqui., durante a sua ausencia, nin-
GLOSA.
Foi senapre minha existencia
Era dedalo indescriptire',
A lutar corn a prepotencia *
Do d>stino mais terrivel.
Parece incrivel, pois i
Verdade, digo-o com 16,
Debalde risos busquei,
Onde bebt-sse aiegria :
0 amor, a sympathia
r *No mundo nunca encontrei.
Tenlei debalde, 6 loucura,
Descort nar 0 porvir 1
Sonhar alem a ventura
No mais ditoso sorrir,
Em vez de auroras paues,
Em vez de IIores e luz
Vi somente quem chorasse
A' falta de amor profundo.
Oh I meu Deus, nao vi no mundo
Cousa que mais me custasse.
Mas alfim desenganala
De ver a vida sorrir-me,
No ermo desalenteda
Deixei a ddr consumir-me.
Lutei, soffri, e" verdado ;
Mas se doce f'lici lade
Nao vi do ceo nas campinas
Achei a doce poesia
De e.n suave companhia
Abrir b orrachas bem finas.
Hoje vivo salisfeita,
Esta grata occupac,ao
Enleva, prende, deleita
Meu itiMiz cora^So.
Son fe!iz, pois n8o e vejam
Que em quanto todos alrnejain
Deste affan o desenlace,
Eu f-ilgo no ver minha prima
Nao fazer uma s6 lima
Que a encher nao estourasse.
Recife, 13 de marco de 1871.
Joanna Tiuurtina.
O proi idcnclalismo perante *
histvria.
CONFKRENCIA PUBI.ICA NA ESGOI.A DA OLOIIIA,
PEM) DK. LOIZ DE ALMEIDA ARAUJO CAVAL-
CA.NTE, NO DIA 9 DE AG0STO DE 1874.
(Conclusao.)
.... Oh 1 glorinsa raissao da America.
Em breve realisar-se-hSo as prephecias que,
ha quatro dias, faziam accordes no parla-
meuto britannico us dous ch fes eminentes
dos dous grandes o bem disciptinados par-
tidos qurt hdo felicitado a Inglaterra, e, en-
tdo... Ob I santo< destinos do Novo Mun-
do I Elles estao decifrados uas paginas da
historic.o Memo pieraa das grandiosase-
vulucoes, cujos heroes sao Deus e a hurna-
oidade, que surgem a cada passo nessas
paginas bnlbantes, em que se le o fadario
das naoionaliilades e dos continentes ; fla
historia, a inexoravel potestade, ante a
qual curva.n-se reverentes as pompas e
m.ign liceucias, que indicara opulencia e
ran 1 -za, ou cahem desraoronadas e desap-
paretem esmagidos "8 atidrajos que envol-
vem o corpo macilento e cadaverico da po-
breza ; da historia diante da qual desvenda
se o passado das sociedades e ostenta-se ful-
gente a estrella polar do porvir da humani-
dade, porque ahi nesse imraenso livro, exis-
te a glorilicacao constante de Deus pela
Providencia e a rehabilitacao pr.tgressiva
do homem pela liberdade. (Bravos repe-
tidos e applausos pro'ongados. 0 orador
e" felicitado por grando numero de especta-
dores ecuinpriincntadj por S. M. o Impe-
rador.)
Ai-ehivo pnblico.
REI.AT0RI0 DO DIRECTOR, APRESENTADO EM
MARQo DE 1874.
Arcbivo pubheo do imperio. Rio de
Janeiro, em 10 de marco de 1874.
lllm. e Exm. Sr.Curaprindo as ordeus
em vigor, tenho a honra desubmetterd con-
sideragdo de V. Exc. a presente exposigao
sobre o estado deste estabdecimento, acom-
panhando-a de nlgumas refloxdes que me
tem podido sugg^rir o pouco temp? que
conto de exercicio.
0 arcbivo publico do imperio nao e um
estabelecimento, cuja creacau tenha sido de-
tf.rmin^da por alguma lei or.iinaria ; a sua
existencia foi pres ipposta ou estatuida p^la
nossa onstituicdo politica, quando no art.
70 prescreve que, assiynada, referendada e
sellada a lei, sc guards o original no ar-
chivo publico, e pelo acto addicional, quan-
do no art. 18 o raesmo determina em rela-
5*o is leis ou resolu^oes das assemblers pro-
vinciae?.
Quando nSo fdra ta* positivo preceito,
bastaflte seria para deter ninar a fundagao
de tal estabeleciraeuto, e com a devida im-
portancia, a coniideragao, serapre respeitada
por povos ant gos e modernos, de que os
codices de leis e os donumentos cominemo-
rativos dos fastos nacionaes devem ser re-
unidos, depositados e cuidadosaraente guar-
dados em lugar condigno de taes pre-iosi-
dades ; tanto assim que na antiguidade so
nos teraplos e nos p.ilacios regios se conser-
vavam, e sob a guarda dos sacerdotes e dos
soberanos.
Entretanto somente em 1838, quando re-
gente o liuado senador Pedro de Araujo Li-
ma, depois mar^uez do Olinda, einiiiisiro
do imperio o tarabem liuado s-nador Ber-
nard > Pereira de Vasconceilos, fji que por
decreto de 1 de Janeiro se tratou de estabe-
lecer o arcbivo publico, daudo-se the ua
mesma data um regulnraento, e mandando-
se por aviso de 14 de abril de 184(1 obser-
ver umas instructs para o sou regimen in-
terne.
Estibelecido provisoriamente na secreta-
ria de estado dos negocios do imperil, ten
do como empregados alguns fun :cionarios
da mesma secretaria com pequenas gratifica-
50es, della foi depois desligjdo pelo decreto
de 25 de abril de 18.0.
Por espago de 20 annos assim perm m-
ceu sem reorganisacdo ou, antes, sem defi-
nitiva organisHC&o, ate que, sendo mmistro
do imperio o conselheiro Judo de Almeida
Pereira, foi reorganisado pelo decreto n.
2,541 do 3 de marc^o de 1860, tendo regu-
la-nento da raesraa data, que e 0 que se
acha em vigor.
Feito este rapido historico, passarei a tra-
tar desta reparlicdo em rel.ic.ao a Ires pon-
los: o que e archivado ami le, e por quem,
isto e\ arcbivo propriamenle dito, casa e
pessoal.
Alem de livros e cadernos de registro- e
de escripturacdo do expediente existe nesCe
arcbivo o seguinte: 1,204 livros manos-
criptos, e971 raagos e cartdes, 69 caix.w
de folha, 1 area e dtversas pastas-, contends
tudo autographos de- leis, decretory regula-
raentos, bullas, documentos e diffirentes-
papeis. Ex.stem mais 1 livro e 255 cader-
nos manuscriptos de indices. Ha tambem
417 obras impresses em- 814 volumes enca-
dernados ; e em brochura 372 volumes tie
oreamentos, balan^os e rnlatonos de ditto
rentes ministerios, 98 doe annaes das caraa-
ras legislatives, 165 das actas das raesmos,
t,437 relatorios de presidentes de provin-
ea, 927 c'ollecgoes annuaes de bis provin-
ciaes, e 45 mappas e cartas geograpbicas.
Conhego que ndo e por este raodo que
eu devo dar conta a V. Exc. do que aqui
existe archivado ; cumpria-rae ser mais cir-
cumstanciado, declarando quanto possue ca-
da uma das secgoes legislaiiva, admiiKstrati-
va e bistorica, e o que em cada uma per-
tence ds tres epocas Brasil-colooia, Brasil-
reino-umdo e Brasil imperio.
Mas nao na uma classificacao geralcora o
respectivo catalogo, do qual possa eu man-
dar extrahir um quadro synoptico nem em
tao pouco tempo que tenho de exercicio
podena organisa-lo, maxime tendo estado
em desordem esta reparttijao por causa das
obras e pintura que nella se fizram
E' verdade que a maior parte dos macos
e caixas teem rotulos; mas nao tem havido
systema fixo na classificicao, nem regulari-
dade na disposieuo material ; era uma cai-
xa, por exemplo, em que estao bullas e al-
guns breves pontificios, eocontram-se tam-
bem outros documentos, que, embora rela-
tives a negocios ecclesiasticos, devem estar
em outro lugar ; na area, era que sh acham
depositados os origiuaes da constituicdo po-
litica do imperio, do acto addicional e do
projecto de const.tuirao pela assemblea
ciin-titain.e, acbem-se tambem correspon-
dencies do marquez de Pombal, cartas au-
tographas de divrsos soberanos da Europa,
livro de terraos e bomenageus, etc., d.icu-
raeutos esses de diffe<-entes secedes e diver-
sas epocas, e cuji guard i na raesma caixa]
s6 so explica por raelbor acondicioaamento e
seguranea quando houve a mudan^a do ar-
cbivo.
Nem mesmo me tem sido ainda possivel
conh-cer e eximinar a mai-ir pane dos do-
cumentos imp ii Unites, que aqui ha, taes
como : a capitulagao do alrairante francez
Duguay Trouin ; relatono do vice-rei mar-
quez do Lavradio ao entregar o govorno do
guem terd vontura que pissa prejudicar a
sua.
Elle ergueu-secom uma ejpecie de colera
e disse :
Entao I Ainda? o senhor persiste em
crer .. Serao ciumes ? Com que direito o
senhor rae suppde capaz de tingir um pezar
que nao tenbo ? Por ventura ndo me ex-
pliquei bontera as-;l~ clararaente ? Minha
pala v a jd nenhum valor tem para o senhor ?
Ah isto e fatal trate-se do uma mulher,
e, se nao nos acautelarmos, acabaremos por
nos odiarmos. Partirei amenhda.
Sou eu quem deve partir, disse eu
com firmeza. Quanto mais paixdo o senhor
ostenti no seu legitirao orgulho, tanto
mais me epercebo de que sou culpado, e de
que do inti.no d'alma o senhor me despreza.
0 senhor contiou-me Helena, a quem cha-
mava minha Helena Eu nao devia olhar
para ella, ndo devia aceitar suas confiden-
cias, ndo devia commover-me, e fioalmente
ndo devia enamorar-me d'ella 1 Saiba, pois,
que condemno o ineu crime e que quero
absolutamente ser punido por esse delicto,
embora me venba a custar a vida tao su-
premo esforco 1
Deixo-o ; aceite o meu adeus, e perdoe
a Manoela. Ella ndo 6 culpada, visto que
am iva-o, e fui eu quem a fez repudiar esse
amor como se fosse uma desbonra ; sim,
fui eu quem, com essa perversidade de
egoismo que o desejo cego e violento sugge-
re ds melhores consciencias, a fez corar ante
a sua situacio, quem, affectando desdenbar
d'ella. a fez comprehender os ciumes, e por
consequencia a paixdo que me devorava.
E. deraais, essa Dolores, que a governa
e a quem odeio, arremessou-nos contra a
n ssa vontade para os seios do abysmo. Foi
ella quem conseguio persuadir-nos que o
senhor dar-se-hia por feliz de se desligar das
proraessas que fizt-ra ; e o despeito, sim,
muito provavelmente- o despeito lin^ou-a
nos meus bravos. Mas o senhor sabe tudo;
e, visto que nos observou, deve Saber que
oaotrucamos scnao palavras...
E beijos I accresc^ntou sir Richard
sorrindo ; muitos beijos 1
Sim, beijos ; mas beijos que o senhor
bfm pode esqucer assim como esqueceu o
que se passou em Parapelune. S6 o senhor
conhece bem Manoela, suas boas emds qua-
hdades, sua irrellexao, sua espontaneidade,
os poi igos do seu isolaroento ; e pois s6 o se-
nhor pode Ser de uma indulgencia absolute.
Perdoe lhe o senhor, como Th'o pe^o, ode
certo ella, esquecendo-me, ama-Io-ba ain-
da I...
Se o senhor ndo livesse o peito op-
primido e a voz cbeie de solucos, respondeu
sir Richard enternecido, eu julgaria que se
arrependeu dos compromissos que. hontem
tomou para com ella ; mas bem vejo que
ella lhe 6 chara e que o senhor quer corres-
ponder ao meu pretendido herobmo com
um real e verdadeiro hero is mo. Vamos,
tranquillise-se, meu filb >, Dolores e uma
mulher mais util do que prejudicial. Em
raeio de sua espionagem ella tem uma qua-
li daJe que deve angariar.-lbe o perddo : e
uma ligacdo verdadeim, um devotamento
sem lunites a sua joven araa. -.' esse de-
votamento que, quando mister se faz, dd-
lbe a coragem da franqueza, coragem que
levou-a a ndo meoccultar que tioha traba-
lhado contra o meu casamento, porque que-
ria fer Manoela ligada a um homem que
estava enaraorado d'ella de preferencia a
ve-la unida a um velho que o nao estava.
Por causa d'esta declarando concedi lhe toda
a minha confianca, e por intermedio d'ella
| sube de todos os detalbes dos seus amores
com Manoela. Sei que o senhor resistio
como 6 provavel que com a sua idade eu
ndo tivesse resistido. E', pois, graces a
ella que eu o ebsolvo completamente, eque
lhe prohibo de tornar a fallar-me de seus
remorsos, que de certo me tornario ridiculo
quando penso que nao mereci se-lo.
Era preciso aceitar asdenegagoes de sir
Richard ou offende-lo cruelmente.
Ueclarei, pois, que qao aguardava sendo
as sues ordeus relativamente ao meu casa-
mento, mas que todavia ndo desejava ir
alem antes do obter o consentimento de mi-
nha mdi.
Ah I Ah I disse o Sr. Brudnel, que ndo
pdde occultar um movimeoto de gatisfacdo ;
sim, eisum obstaculo I Sua mdi ndo foi
estado do Brasil ao seu successor Luiz de
Vasconcellos, e o deste ao conde de R-zen-
de ; as notes diplo.naticas de lord Strang-
ford; o registro de document s relativos d
conquista e adrainistragdo de Cayenne de
1809 a 1813; os processos politicos por oc-
casido de rebellido em algumas provincias ;
os 17 volumes, de 31 queeram, da devassa
da re.volugdo de 1817, e outras preciosida-
des historicas, em cuja leitura politicos, bis-
toriadores, ou simples cunosos udo gastardo
tempo iuutilmente.
Ainda muito falta ao archivo para o que
deve ser, e raesmo para o qu^ jd podere e
devfira ser. Houvesse para aqui sido envia-
dotudo que d-dermina o regu-la-.nento de 3
dd marjo do I860, tivesse havido da parte
de todos boa vontade e interesse por tdo util
estabelecimento, que jd estaria elle (iguran-
do honrosamente entre os demais desta ca-
pital.
Longe estd do meu pensaraento fazer a
menor censura a alguera ; cumprindo, po-
rem, o dever de relatar o estado era que se
acha esta reparticjio, nao posso deixar de ser
franco e fid na exposicdo.
Ndo desconheco que, em relacdo aos do-
cumentos que pare equi devem ser reraetli-
dos, di-posisdes ha no regulamento que ndo
podem ser curapridas, ou s6 serdo, e outras cuja efeeogto, denotando
pensamento muilo centralis.i lor relativa-
mente ds provincias, se nao offendem inte-
resses locae9, nd j deixam de contrariar sen-
timent is bem naturaes de affeieio.
Ndo desconhetjo tambem que nem todos
os papeis devem ou podem vir das reparti
cdes com brevida te e presteza. Alguns- be
que sic, por assim dizer, os materiaes d >
trabalho dierio, ou que, por terein relacdo
com acto* recentes, ndo podem duixar de
estar serapre d rado : devem, pots, alii con-
tiuuar, em quanto ha essa necessidade ou-
prestsm essa utili tade', mas depois-cu npre
que sejara para equi enviedos. it respeito
de outros de natureza especial, como os con-
cernentes ds relagdes diploraaticas, ou reser
vados de certa or.lein, seria conveniente que
se raarcasse uroprazo meisou menos longo
para a de nora nas respecrivas ropartigd^s,
ou se resolvesse sobre a sua perraenencia
delimttva nellas.
Nenbame destae consideragoes, porem,
podem intluir para que ndo venhara promp-
tamonte para o arcbivo os onginaes das leis
como preeeiliia o art. 70 da constituicdo,
contra cuja disp sic,do ndo poiJe prevalecer
regulamento algum ou lei ordiaaria. Quan-
to a documentos de certa natureza, quo se-
gundo o regalaraeiito-devem ser i-emettidos
das provincias, me parece que serie bastan-
te virem copies eutbenticas, e ndo os origj-
naes. Alguns s6 terfto valor ou interesse
local, e outros, muitos talvez, perpetuando
reoorde^oes, e preudendo-se por diversos
motivos e releases ao estado politico e civil
daa provinces, eos lugires e as femilias-,.
constituent uma especie de patrimonio pro-
vincial, de que ndo e justo priva? o seu pa-
trioiismo.
Por assim pensar quanto a certos docu-
mentos, ndo- se segue que a respeito de ou-
tros eu ndo- reconhege a conveniencia a-
mesmo necessidade de possuil-os este arcbi-
vo, vindo dalli os qae tiverera interesse
tanto gerel como unicemente local.
Eis porque nuo s6 rae tenho empenhede<
por compleiar a collec.mo das leis- provin-
ciaes e dos relatorios dos- presidentes, pedin-
doate cOpios manusenptas quando me res-
pondent) nao ex.stirem> disponiveis exem-
plares impressos, como tambem so icitado a
remessi dos jornaes otiiciaes era que se pu-
blicam os actos des administra^o'S provin-
ciies, e os almanaks quo era algumas pro-
vincias se knprimem, visto-que, ainda quan-
do incutnplutos, sao ura registro nominal
dos seus funccioiiarios publicos- e tra/om
a enumera^do dos seus estab^lecimentos pu
blicos e particulars, CorpoMBjtas, empre-
zas, etc. Pela mesma razao tenho iuvoca-
do o auxilio de alguns institutos historicos
provincMts; a todos os quaes parece-me
razoavel prestar se animagao, remetteodo-
so Hies copias do quo aqui houver que mais
possa interessar-lhes.
Quento ndo seria de estimar o applaudir
que as provincias carassem com solicitude
dos seus archivos, e enviassem c6pia dos res-
pectivos catalogos, afim de que no archivo
publico do imperio houvesse um vasto in
ventario, em que se deparassera indicatives
para certas investigates em todo o peiz
Os archivos sao, por assim dizer, uma
collecrao de provas authenticas de historia
de uma nafdo. Toda a diligencia, pois,
consultada. Pois bem convem saber...
Uma mat como a sua nao deve s6 consen-
ts, deve tarabem approvar. Parta, pois ;
mas ndo ; esperf-me ; partiremos, juntos
ouentdo... Ndo, espere, espere ; dir-lhe-
hei d noite o que convem fazer.
Pareceu-me que elle fazia-me signal de
deixa-lo s6 ; e pois disse-lbe ainda :
Oua-me mais alguns instantes. Visto
que o senhor fella de minha mdi.. ha u na
couse era que, assim como eu, elle nunca
consentird I
0 que o senhor quer dizer e que elle
nunca consentird em que eu de um dote a
suanoiva ; ndo d isto?
Precisamente, e nem mesmo uma dis-
posigao de outra. especie, ura donativo oc-
culto, ignorado do publico.
sim, comprehendo ; e preciso que a
pobre Manoela seja punida por ter Udo con-
fianca enrtnim. Pois s-ja assim I Levard
o senbor o seu escrupulo ate o ponto de re
cusar-sea viver com ella ao pe do mim ?
Infelizmentd, sim I cheguei ate o re-
ceio do que se dird.
Ndo, ndo o supponho tdo burguez
mente meticuloso I.ouronco, diga a ver-
dade, o senhor tem ciumes do mim 1
Ndo, agora. Estimo-oe respeito-o ;..
mas bem sinto que se-lo-hei depois. Ella
amou-o, pelo menos assim m'o disse, e seu
dtsejo de agradar lhe foi a principal causa
da sua rehabilitate. Neda de mais simples
nem de melhor; mas o amor 6 somDrio, in-
justo, irreflectido..
Sim, bem o sei ; por tanto serd pre-
ciso separarmu-uos... Como tudo isto e
triste e mal arranjado 1 Eu devia ter re -
gressado um dia antes. Ndo lhe censuro
cousa nenhuma, Lourenco ; mas o seu
amor transtornard muita cousa na sua e na
minha vida...
Eu bem o sabia, mas nao obstante senti.-
rae fulrainado ante essa sentence je ami-
zade.
Sir Richard/QeiI0u.ra0. En sshi sentindo
uma ddr projfjnda, e, caminhando, resumi
mentalmeo^ todas as alegrias e desgostos
da minhifsituagao.
EstyiHo a dous passos de distancia de Ma-
, deve empregar-se por enriquecel-os.
Nestd iutuito seria de grande proveito a
nomeac&o de uma commissdo coraposta de
pessoas competentes, com auxiliares nas
provincias, afin de percorrer, obtidas as
devidas perraissoes, os cartonos e archivos
das reparticdes publicas das cathedraes, dos
conventos, tribunaes, camares municipaes.
e obter os originaes ou copias authenticas
dos documentos quo encontrassem impor-
tantes. Que colheita ndo h -veria de pre
ciosos papeis, que por ahi jazem estenlmen
te occultos, quijd descoubecidos de seus
proprios donos, e servindo de pasto d tra-
?a Que perdas irreparavois naosievite-
raim em bem de trediQties historicas, de in
teresse do Estado, e mesmo dos particu-
lars 1
Considerando a utili lade historica dos do-
cumentos dos archivos foi que em 1834 Gui-
zot, quando miuistro da iustruc;ao publica
na Franga, noraeou uma commissao encar-
regada de examinar to ios os archivos da
capital e de correspoii ier-se com todas- as
sociedades litterarias dos departamenfo*; e
cxcellente foi o resultado de taes buscas,
declarando aquelle estadista aj reiterem-se
achado documentos ineditos os mais curio-
sos e interessantes.
Da profieui lade de seraelhantea pesqui-
sai jd houve prova quemlo, ha mara de 2o
annos-, foi o :>r. Antonio Gongalves Dias in-
cumbido de explorar os archivos das eapi-
taes de algumas provincias ao Norte.
Para a acquisicAo, em outros paizes, de
docuinentos relativo9 ao Brasil, pareoe-me
que, conforme tive a honra de olQciar e
V. K\c in ui to conveniente seria he ver por
intermedio do ministerio dos negocios es-
trangeiros peconmend55o aos nossos egen-
tes diplomaticos nos estidos que mais rele-
goes tem ttdo com o nosso paiz, pare com
toda a s.di 'kudi; promoverem o descjberla
e a acquisiao de taes documentos. '*
Para igual lim tomei na raesraa occasido
a liberdade de propor a V. Exc, e V. Exc.
d*gnou-se de annuir, que o Dr. Benjamin
Franklin Ramiz (ialvdo, que jd hevia sido
incumtndo de visitar diverses bibliotbeces
da Europe, viytasse tambem os archivos
dos Estados qua fosse percerrendo. K em
carta particular minha ao mesmo doutor
invoquei a sua attengdo para os da Hollan-
ds, H'.'-pinha, K > na, e pnncipalraente
para a Torre do Tombo em Portugal.
A esse njt;< vet archivo de fortugil pode-
remos dar, era troca de outros que nos di
gam respeito e muitos devem id exislir, al-
guns documentos- que aqui estao e interes-
sa.n mais dquelle reino.
Tretando de acquisigoes para o arcbivo,
cabe aqui raencionar que parcas sao as que
se fizeram durente o anno. Ate dezeiabro
recebeu-se o seguinte : 7 relatorios de mi-
nisterios,. 28 de presidentes de proviade,
22 colU-CQoes dc leis provinciaes, 1 alma-
nak, 28 volumes de annaes do senado e da
camera dos deputados, 1 relatorio da re-
parlicdo de estaWstica. E de Janeiro ate
hoje : 25- relatorios de ministerios, td de
presidentes de provincia, lOcolieccpes de
leis provinciaes, 9 volumes dos annaes do
senado, 1 synopsa dos respectivos trabalbos,
4 alraenuks provinciaes, 6 relaroes nomi-
naes e cbronologieas de govemadores e pre-
sidentes de provincia, 193 decretos expe li-
dos pela secretaria de estado dos negocios
estrangeiros-desde 1852, 597 actos do po-
der legislativo desJe o .rano de 1858, e 62
actos do poder esecutivo desde 1866 expe-
didos pele secrstarie de estado dos negocioi
do imperio; e tambem um maco de diver-
sas felicitar-oesdirigidas a S. M. o Imperj-
dor e outro de-decunentos relativos ao pro-
cesso de Joaquira Jose da. Silva Xavior (o.
Tiradentes.)
Ndo basts, porem, ter o archivo docu-
mentos- e ir recebeado novos, i preciso- q.ue
sejeai olassificedos o coordenados methodi-
cemeote.
Classificegao regular aqui ndo .ha: se hou-
ve, nao existe; o que provavelmente e devi-
do ds muitas mudinces que tem soffrido o
archivo, o d verdadeira toballeaQao por que
passou, qualdo inaetiiliou-seo edilicio conti-
guo ao em que se acbava na rua da Guarda
Velba.o que deu lugar ao director.era oQicio
de 1 de julho do 185i dizer ao governo que
parecia lhe poder aflirmar que, sc porventu-
ra alguns papeis. se perder&m, nao foram
por certo de grande velor ; masque lasti
inavi a p rda do aturado trabalho de 12
annos, por isso que era corapleta a confu-
sao em que ficara o archivo.
0 que ha sao indices parciaes, e mesmo
separacdo e tal ou qual coordenacdo de al-
guns archivos especiaes ou colller$6es.
0 indices que existem sio : 1 graoda li-
vro encadernado das carta* regies dead*
1662 ate 1822, e 255 cadernos, senio 13
do arcbivo do vice-reioado, 13 do da mesa
da cousciencia e ordens,,23 do do dewbar-
go do pico, 149 do da cbancrllaria-afc de
imperio, 15 da pbysicatura-m6r, e 36 do
registro gerel das merces.
No anno de 1873 coorienaram m : chro-
nologicamente aco'respondenni official das
provincias dos ennos de 1807 a 1857, os
avisos dos dill-rente ministerios dos annos
de 188 a 1849 ; e eiphebaica raente, os
decretos de condecora^o -s dos ordeos da
Christo edeAviz de 1804 a 18 '4, do Cru-
zeiro de 1822 a HGO, e de S. Tiago, Con-
ceigdo e Torre e Espada de 1808 a 1940.
Paciente e longo trabalho e prcosaafio
para fazer uma classificacao regular, rtrn-
dindo as secedes em classes, serirs. colfct-
i,6es, e para organisar os indices alplabeti-
cos e chronologicos. os catalagos, e um in-
ventario geral, com o seu repertorio, d*
modo que ndo s6 se s-iba tu-1 > qae possue
o archivo, como em qualquer tempo e de
prompto se ache o que se iesjar.
A proposiio tie classificacdo, cafte aqui
mencionar que meus antec -scores fsin re-
clamado a criw;ao dc mats uma seecio
com o titulo de jvtdieiaria.
Nao posso por ora eraittir juizo sefuro
sobre a vantegen. pratica da muitas aecc^s
era um archivo qua ainda ud conta aviita-
da ci'ipia ieducumeutos. Wji que o ar-
chivo publico de Eran^a, imraensamcnte
superior ao nosso, tioh;i G seeco-'S : legiiia-
tiva, administrativa, historica. topograpbi-
ce, domimal e judiciaria ; e flepois passtou
a ter 3 : historica, administrativa e judi-
ciaria.
Todavia, consi lerando que aao poierd
este arcbivo deixar de ir teulo daseav.lvi-
mento, e que port into convem desde jd as
fen tar definitive raente nas bases ou v sterna
de sua classificacdo, evitand se assira pos-
teriores altere^oes, o qie e sem pre um ia-
convemente; e consioeraouo, outrosun.
que, a adoplar-se urae me li la tarab^oi re-
claraade por meus an*--ce passarei a fellar, serd iilispen>ovs! a sec-
(do judiciaria; opino pela sua crea;3o.
Parece-me entretanto ser mais razoavel e
adoptavel ndo so o nuroero corae-a deoo-
raina^do das sec;oes do arcbivo fraaeez,
visto c imo na accep^do lata de adininis-
nistracdo dd um paizse oomprabeadea
sua parte legislative.
A tuedida a que me eeferi e a de serem
recolbidos a este arcbivo os eutos uu pro-
cessos de causes civeis ficdas, que os eseri-
vdes sao obrigados e conser*er]s6iente por
30 annos, e que depois deste prazu custumam
inutilisar, ou exigir avultada quaatia pelas
certidoes de algum que reservem* A sua
guarda depois desse tempo no archivo seria
ndo so de grande vautagem para a sorta de
muitas families, que aqui teriarav f >rue a
que recorrer para a prova de seus direitos,
como tarabem de lucropara os-cofres do
tbesouro, com os emoluments pulas bus-
cas e certidoes, como estd acontscanda com
os-livros aqui archivedos de coacessdes de
sesmarias.
Depois de se concluir a clasetfica^ai) ge-
rel, de qua jd fallei, para caja ex'-cni.So
mais regular e pro npta e indispeueavel a
ddmissao temporana dedouscoa rjuvaniei
quesejam. habilitadus o trabalha lores, ou
que por algum tempo sedestaquem de al-
guma rcpariicao menos onere la jous era
pregados habeis e HI gentes ;. ter se-lu de
procedet- a uma cscolha cuida losa de to li>
os papeis, que nao tennam valor algum (e
muitos cxistem,, e de reiaetter uma rAt-
r<\o delles ao governo pedtn para serein vecdidos ou rautilisados, a rim
de udo estarem atomar espa^o iuutilmente.
providencia essa que-, como na Earopa,
devera ser lepetida depois de certo trait.
de tempo.
Tambem, coriclm la fi classificacao, serd
de utilidr,de ndo so para os historiad ires e
estudiosoe, como para a administrate- pu-
blica e para os politicos, publ care.n se os
citelogos ou ao men os seus extraclos pela
impreasa.
Se este archivo parece nSo ter provocado
o interesse publico u porque muitos na i co-
nbecera a utilidade que afta po le offerecer,
e quasi todos ignoram o quo elle contnm, f
os documentos que possue de tal o tal gene
ro.
noela, iuterdissera-rae ndo obstante ve-la a
sds.e regosij-ime com isso, porque de rerto
nao lhe teria podido occultar a minha tristeza
e. o meu espanto. Mas, quando vi approxi-
mar-se a hora em que o Sr. Irudn>-1 tinha
por costume apresentar se noaposento d'el-
la, voltei precipitadamente como que entre
gue ds furies do chime.
Entrendo no pelecete ndo sube o que fa-
zer, nem que attitude tomar, nem ainda
que pretexto dar a meus escrupulos e ciu-
mes.
Como quer que eu vagasse no vestibule
inquieto e agitado, Dolores approximou-se,
e mostrando-me a pequena porta do jardim
aberta, disse-rae :
Ella estd alii, e espera-o.
Estd com o Sr. Brudnel ?
Nao ; elle mandou-lhe dizer que nao
iria hoje.
N'esse caso nioguem me espera,
respondi, e subi para o meu quarto.
D'alli eu vie Manoela ii'ura d'aquelles lu-
gares descobertos que muitas vezes me ti
nbam permiltido ve-la, risonba e alegre,
com sua aya e seus animaes familiares.
Os animaes, entdo abandonados, procu-
ravam-n'a em vdo.
Sentada n'um banco, com os olhos fitos
na minha janella, ella sorrio apenas me vio
cbegar alii, e ficou immovel sem dirigir-
me o menor signel de impasiencia ou de
censura, mas pallida como um lirio e triste
como um tumulo.
Ndo pude resistir d inquietagdo. -. P^ir-
guntei-lhu por signaes se ella soffria do co-
rajao. Ella respondeu-me pela mesma for-
ma que nao sabia. lnsisti em ar de auto-
ridade a Dolores, que veio em seu auxilio,
disse me ptrr mritt do pantomtnas que sua
ama estiva muito doente.
No mesmo instante, o som de uma cam
^painha fez-se ouvir, o um minuto depois
John entrou no meu aposento.
Esse John, do cara impassivel de trajo
correcto, pareceu-me estar menos empoado
que de costume, e deixou-me ver na acen-
tua^do da voz, serapre respeitosamente cal-
ma, um quor que fosse de mais glacial que
deordinjrio,
{Continua.1
Ere ao mesmo tempo criado e amigo de
sir R chard ; e eu pensci que, saben Jo tudo,
elle estava descuimnte comign.
Perguntei lhe com inquteta^io se seu
amo estava doente ; e elle disse-me, sem
responder d minha perguuti:
Sua h nra deseja ve-lo ; e ac resceii-
toujdn'um torn que de certo naJa Uuba
de imperativo, mas que ae irritou secre
tamfnte.
Era tal o meu estado que julgando-me
rebaixado a todos os olhos, tuuo parecia
picar-me ou ferir-me.
Encontrei sir Richard lendo, perto da ja-
nella, uma carta, que dobrou logo. Jul-
guei-me victima do uma allucinacao i era a
lettra de Joanna I
Disse de mim para mim que eu sonbava
acordado, e aguardei suas ordens.
Etitdo, que u isso ? perguntou-me elle
sorrindo e olbando para a janella ; porque
razdo, negligente doutor, ndo vai ver o se-
nhor a doente ? Disseram-lhe por signaes
que ella soffria ; apresente-lbe os meus cua>
priraentos. Tenho muitas cartas que MM*
ver, e por isso nao posso acompanha-lo.
Eutretanto ndo irei ter com ella sem
o seobor; respondi-lhe eu.
Porque ?
Porque a agitato que sinto far-me-
hia fallar mais do que convem ou pouco.
Quero Bear senhor de mim mesmo ; e de-
mais cada palavra dita fora da sua presence
parecer-me-hia aggravar ainda mais a mi-
nha culpa.
Pois bem meu Glho, respondeu elle
com bondade ; uma vez que a paixdo d tao
violenta e sua altivei Uo escrupul.*a, va-
mos juQtos ver a doente, e estfjamos ale-
gres afim de que ella se tranquillise. Es-
creverei mais tarde.
Elle tomou o palitot, den-mo o braco e
entrou risotiho no jardim.
Ten !o beijado a raao de Manoela, tomou
Dolores d parte, o afaslou-so com ella aom
de, segundo disse ndo embaracar o exame
medico.
(Con(intiar-M-na.)
int' Uo DlAt;ia>tti'AUt,H^S DV t^JUai
.-
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7DZGBDX6_RGIIZI INGEST_TIME 2014-05-29T18:44:52Z PACKAGE AA00011611_17852
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES