Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17758


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXVI-- NUMERO 21
QEEiTA-FElRA. 29 DE MAO m 1890

-
S
DIARIO DE
.' 4
1
Propriedade de Manoel Figueira de Faria efe Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses adiantados. .
Por seis ditos dem......
Por um auno dem. .....
Cada numero avulso, do mesmo da.
60000
12^000
23>000
0100
Os Srs. Amede PrinceSt C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de annuncios e publica-
$oes na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO f FORA DO ESTADO
Por seis mezes adiantados. ...
Por nove ditos idem......
Por um anuo idem......
Cada numero avulso, de das anteriores.
130500
200000
260000
0100
_____TELEGRAMAS_____
snvxso rA&cvuB:: cus::
RIO DE JANEIRO, 28 de Maio, i 3
horas e 38 minutos da tarfle.
Foram nomeados:
Insp:ctor da Hyeae do Estado do Rio
Grande do Norte, o Dr. Manoel Aug isto
de Medeiros ;
Escripturario do Hospital Militar ]do
Estado de Alagdaa, Jos Canuto de
Aranjo; ____
Alnaoxarife do mesmo hospital, Candido
Nylo;
Ajadante de 1.a classs da estrada de
ferro do Recite a Caruar, o engenheiro
Jai) Eduardo Barbosa.
Foi publicado um decreto do gover-
no pro7sorio refo -mando os Correios da
Repoble i.
3Q7Zj3 2A AG-ESCI4 SA7AS
BELFO.lT, 28 de Maio.
Mr. Sadi-Carnot chegou aqu boje e foi
recebido pela populadlo d'esti cidade com
um eathusiasmo iadesc ip'.ivel.
Agencia Ha vas, filial em Pernambnco'
23 de Maio de 1890.
USTRDCqO POPDLAR
asbitabiliiide dos Asaos
POR
CAPITULO I
ttmwm carcter a pniloaopbia
alalCes don anillo PiIhasnran e
lenopbanr*
( Continu ac So )
II
Orpheu, o Mil antlgo escriptor entre os gre
r, foi quem, primeiro do que nenhum outro,
i transouttio aquella hypolhes?, que havia
adquirido dos egypcios.
Prodo eooservou no3 os seus versos, nos quaes
o autor dos Orphicos collocava na Loa mouta-
nhas, homens, e cidades, perfeitamente construi
das.
E' verdade que h i duvidas sobre se esUs poe-
sas, conhecidas pelo nome de Orpheu, perten-
cem realmente a este insigne poeta e philosophq;
mis, em todo o caso, con>ta, como cousa veri-
dici, a sua grande antiguidade, pois que no tem-
no de PUtSo j eram consideradas multo antigs.
III
Assim mesmo, os discpulos de Pythagora3 de-
monstraran) as soas doutrinas que cada plae
ta en um mundo que continha urna trra, um
are im elber incluindo n'estes mondos quanto
em o nos30 existe, por isso que os julgavam de
idntica natareza, em tudo semelhanies.
a escola pylhagorica, da mesma sorte que
Orpheu, como j dissemos, trooxe naturalmente
dns egypcios esta, ento como hoje, singular opi-
mao. porque sabido que, tanto o insigne poea,
como Pytbagoras, Ihes eram devedores de todos
os conhecimentos que possuiam. D'onde lgica-
mente se dedax que os egyp ;ios foram os primei
ros ace conceberam e manifesiaram aqaelle pea
smenlo.
Segundo aflirma Macrobio, a idea de suppOr
habitveis os planetas foi constante e geral na
mxima parle dos physicos da sna epocha.
Muito; dos anligos ph losophos assim o pensa-
vam, e nao s ^ppunbam babilavei3 os corpos
planetario5, como tarmem habitados por homens
e animaes. Entre el les (iguram Heracliio, Xe
nophanese Pyihagorns, como se infere do que a
este respeito diz m Stobeu, Pintan! e Lcteo
ci. ....
X- nophanes man festn, com relago A La,
a opiniao de qu- ella era habitada como a Terra,
e do mesmo modo porcada de homens, animaes
e vfgetaes.
Heredlo Heracleota, citado por Alheen, pa-
rece ter alludido a isio qunnlo declarou que as
mulheres lunares eram ovparas, e produziam
nns ovos, dos quaes se forraavam homens quin-
te vezes maiores do que i.o -
Como coorirmago na opiniao d Xenophanes,
parece existir a de nm pbilosopho, que, segn
do Plntarcho, lingio ter \isto cahir da La um
leo na Ierra do Pelopon.so.
A grsndeza extraordinaria, que os primeiros
iniciadores deste pensamento attribuiara aos ho-
mens e aos brutos lunares, tornavam n'a igual
mente extensiva s plantas Os pythagoricos
mantinbam tamb -ni o mesmo eysteina.
- Como complemento das rpinioes enr.ltidas
pelos sabios da antiguidade, e das quaes j fize-
mos ama succinta resenha, consignaremos aqu
duas notaveis passagens de Luciano ; diz urna
ellas : Tendo lleoipo sido transportado ao
globo da La, chamou o esta com um > voz clara
e afeminada, e pedio lhe que representasse a
Jpiter sobre a impertinente curiosidade dos
philosopho8, que preiendem averiguar qnanto
ella encerra no seu seio e dar a razio das suas
diversas pbases ; por is.-o que diz um que ha
btada, como a Terra ; outro que est suspensa
no espago, como um espelbo, e anda outre e
outros que toda a eua luz lhe > m do Sol. Fi
nalmente, at Ib i tomam a medida, como se
quitessem fazer lhe um vestido.
N'ootra parte diz : A La urna ilha redon
da e luzente, suspensa na ar, habitada, etc.
(ConttmaJ
Antonio Joaquim de Albuquerque Mello
Netto.Informe o Inspector Geral da
InstruccSo Publica.
Bacharel Banevides Moreira do Prado
Jnior. Encaminbe-se, pagando o pe-
ticionario o porte na repartijSo dos Cor-
reios.
Baptista & Santos. Informe o enge-
nheiro fiscal da Companhia Recife Drai-
nage.
Clementina Elyaa Monteiro. -Concedo.
Clodoaldo Aristhcu da Rocha Pereira
Cumpra o disposto no art. 185 3."
do regulamento de 18 de Janeiro de
1888.
Francisco Torquato P.ies Barretto In-
deferido.
Generosa Ramos Fernandea de Carva-
Iho.Iuforme o Inspector Geral da In
struccSo Publica.
Jos Chaves Travasso Sobrinho.D-se.
Jos Wanderley Vieira da Cnnha.
Informe o Inspector da Thesouraria de
Fazenda.
JoSo Mauricio de Abreu.Aguarde &
reforma.
Joj da Vera Cruz Campos. Indefe
rido, vista da informacSo.
Je s Marques Ferreira e seusirmaos
Informe a Intendencia Municipal do Re-
cife.
Joaquim Francisco de Mello Santos. -
Opportunamente ser attendido.
Manoel Xavier Carneiro de Albuquer
que.Informe o cidado director geral
das Obras Publicas.
Pautilla Lina Vieira Cintra.Informe o
Inspector Geral da InstruccSo Publica.
Theresa Josephina da Cunha Salles.
Informe o Inspector do Thesouro do Es-
tado.
Theodoro Jos'Tavares.Informe o In
spector do Thesouro do Estado.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 28 de Maio de 1890.
O porteiro,
H. M. da Suva.
co Marcelino do Amaral.Informe a 1.a
scelo.
Maria Francisca do Carmo. Cumpra se.
Joaquim da Silva Carralho A' 1.* sec
gao para cumprir o despacho da junta do
Thesouro. *
Epiphanio Lopes Machado Ramos e ou-
tro.A' 1/ aeccSo para os fins devidos.
Manoel de Oiiveira Amorim.Indeferi-
do, em vista 'as informacSes.
Martiniano Xaxier da Cruz.Certifi-
que se.
Marcolino Luz, Miguel Isabel & C. e
outro.A' l.1 seccSo para os fins devidos.
nUlCAS I G011EBGI0
2.
licia
Repartlfio de Pllela
seccSo.N. 117.Secretaria de Po-
do Estado de Pernambuco, 28 de
Maio de 189 '.
Foram hootem recolhidos Casa de Detenco
os individuos de nomes MatQias Pereira da Silva,
Antonio de Mana, Francisco Antonio Duarte,
Francisco de Souza Ferraz, Eneas Roque 'aval
can le Jcrge Macario dos Santos, Justina Lucio
da Mara Theresa da Conceico, Antonio Augusto
de Oiiveira e Antonio Jos do Carmo.
Fallecen honfem, a bordo do vapor naci
nal Pernambuco, victima de espasmo o menor
Antonio, tilbo legitimo dos indigentes Francisco
da Costa Pereira e Maria Marques Pereira, que
segnem em viagem da capital federal para o
eslado do Cear
Anda bontem s 8 horas da noite, suici-
dou se, ingerindo urna pocao de arsnico, o
menor de nome Jcao Barbosa dos Reis, tilho de
Fran:elino Barbosa dos Reis, morador no largo
de Saldiioba Marinho n. 15.
O subdelegado da freguezia de Santo Antonio
deu as providencias que o caso exiga. .
O delegado do termo da Victoria remetten
ao juizo competente o inqnerito policial a que
proceden contra Valerio Jos da Silva por haver
Untado contra a existencia de Joao de Fre tas
Pinto e Souza.
- Perante a delegacia do Brejo da Madre de
Deus, aseignou termo de bem viver o vadio e
turbulento Antonio Monteiro.
U chefe de polica interino,
Francisco Xavier Ouedet Pereira.
Commando superior
QUAKTEL DO COMMANDO SUPERIOR DA
GUARDA NACIUKAL DO MUNICIPIO DO REr
CIFE, 27 DE MAIO DE 189J
Orriem do dia n. 106
l.'aveodo nesta data assumido o exercicio in-
terino do commando superior da guarda nacio-
nal desta capital, por me competir, em vista da
le, e por ter de retirar se desta comarca o cida-
dao lente coronel Manoel Martins Fiuza, qne
oexercia, assim o faco publico, para conheci-
mento da m?sma gnarda nacional.
Faco mais publico qne pa?sa a commandar o
8o batalhao de infantaria o capito da 1 com
paobia Adolpho Teixeira Lopss, por ser o offi -
cial mais antigo.
Manoel Goncalves Ferreira Cotia,
Tenente-coronel commandante superior interino.
parte orriciAL
Ceverno do Estado de Peraan
bneo
DESPACHOS DO DIA 27 DK MAIO DE
1890
Abaixo arsignados, egricultores residen
tes na comarca de JaboatSo. Informe o
eidadlo Inspector Etpec:al de terra= e
coloni&aclo.
Abaixo assignados, habitantes da po-
voacSo dentinaada Serra de S. Luiz
Gonaags.Satisfacam os peticionarios as
sdgencies os arte. 43 e 44 do regula
atento de 18 de Janeiro de 1888.
Augusta Elvira Uchoa. Informe o
Inapector Geral da Instrucclo Publica.
Thesouro do Estado de
Pernambuco
DESPACHOS DO DIA 27 DE MAIO
DR 1890
Dooatilla aa Silva Medeiros.D.
Joaquim Pereira de Almeida Ao administra
dor da Recebdoria para cumprir o despacho da
junta.
Manoel Ta vares das Chagas c Turres Irmios.
Informe a seccSo do Contencioso.
Emilia de Oiiveira e Silva.-Sim*
SebastiSo Jos da Costa Trigueiro.Informe o
Dr, contador.
Padre Margal Lopes de Siqueira. Registra se
e fC >.m se as devidas notas.
- 24 -
Joao Francisco de Oiiveira e Figoeiredo St Ir-
mlo.Informe o administrador da R cebedo-
ria.
Joaqnim Bernardo dos Reis Sellado o docu-
mento volte.
Jos Paulo Botellio, Antonio Gongalves de Aze-
vedo, F.-ancisco Ferreira Campos & C e Manoel
Tavares das Chagas.-Ao porteiro.
Manoel Carneiro Leo.Informe o collectorde
JaboatSo.
Companhia Pernambucana de NavegcSo Cos-
teira por Vapor e abaixo assignados de mora-
dores no povsodo de Nos3a Senbora do 0' de
Maraoguape Informe o Dr. contador.
Jo Araerico Duarte da Gama e Antonio de
Souza Duarte Ferreira.Haja vista o Dr procu-
rador fleca!.
Recebedorla do Estado de Per
buco
DESPACHOS DO DIA 28 DE MATO DK
1890
Jos Castor de Araujo Lima e Francis-
Em sua revista commercid e Hnanceira ac-
ct ntua Jornal do Com>nercto, de Lisboa, que
para oecorrer as necessidades da industria e do
commereio em (ace dos aagmeotos de pregas,
claro, une maiores sommas de diaheiro s&o pre
cisas, do que anda tu um aono, e que por esta
raz&o o periodo de facilidade nao poder attin
gir Ss proporedes dos annos antecedentes embo-
ra a situagSo mooitaria se aprsente sob as for-
mas as mais lisongeiras.
No mercado de Londres, o dinheiro anda que
continu abundante, comtuio, pelas causas qne
pesam sobre a sltoagSo monetaria e por nutras
de ordem Hnanceira, tornou se um poaco mais
serrada
O descont no mercado livre que bavia lesci-
do a 1 l|l subi a I 3(4, e por este facto se p le
inferir qne a laxa do Banco estacionar anda
por algum lempo no limite de 3 0|0
A posigo das reservas metallicas do Banco
de Iaglatem apresentava se em 16 de Abril
mais fortalecida do que em igual periodo do
anno antecedente, acensando urna existencia de
23.503 178 contra t 22.351 289 em 1889;
mas anda que neste periodo a taxa de descont
fosse 2 l|2 OfO, e a proporgao da reserva 40 5|8,
nao nos parece, que apezar do excesso da reser-
va actual se poesa effectoar qualquer reduego
na taxa, porque as necessidades deste anno sSo
muito maiores do que as do anno passado.
No anno passado, neste periodo de verdadeira
exp.nso dos negocios, s bavla a attender s
operacoes flaanceiras, emquaoto que no presen
te ha a considerar na circulaeo interna pelas
necessilades cresceotes do commereio e da in
dustria e a perspectiva da situago exteraa, nao
com referencia aos negocios floanceiros da
Americt do Sal, mas principalmente a attunler
critica sltnacSo das relagoes internacionaes
que se esto tornando muito tensas- pela exten-
sSo de poderes que foram concedidos Coinpa
nhia da Snt d'frica, pelo governo inglez.
A posigao actual dos cambios sobre Allema-
nhii, Franca e Bollaoda desfavoravel para a
Inglaterra.e por isso a drenagem de ouro se tor-
na immineote, e ja comecou a remessa para Pa-
rs de 122,000 sbennos.
O Banco de Franca gracas a excepcional po-
sigSo qua leangou com xito da expsito con
tinua a avolumar as suas reservas metallcas, de
semana pan seasana; mas por outro lado, as-
siste imeas-ivei i diminuigSo de sna carteira de
descontos, cojas causas ser prolixo aqu repe
tir por ji a ella nos termos referido.
O cambio sobre Londres continua a baixar fi-
cando a 2515 1(2 curso este que j occasionon
a traslaco metallica qne acabamos da citar.
Dj Brasil tem o Banco recebido igualmente
sommas coosideraveis.
No mercado livre o prego do dinheiro para
descontos sabio nm ponco, regulan lo entre
2 5/8 e 2 3/4 -, e os negocios da bolsa es.iveram
bastante calmos, pela falta de compradores aos
pregas altos em que licaram na semana anterior,
sendo que a esta baixa nao escapou at o titulo
favorito da praca. que o 3 o qua! rendo
subido a 89,30. deseen a 88,45 e a custo fecha a
8905. >
Em Ber im o mercado esteve igualmente mui-
to fraco, e pjuco coocorri.io ; e a situago mo
netaria anda nao est isenta de difficuldades, o
que tem feito retardar a reduego da taxa offi
cial do descont, a qual continua a ser de 4 %
No mercado livre, o papel de primeira ordem
obtem descont a 2 7/8.
Na Bespanha o respectivo governo vai apre
sentar ao parlamento nm projecto de le para
autonsar a modificjgo dos estatutos do Banco
de Hespanba, atim de poder elevar a um biliSo
d pesetas o limite da sua circolago fi lunaria,
sob a comligo de ter aempre urna reserva me
tallica nao inferior a nm tergo das notas em cir-
culagao.
E.-sa reserva ser composta em partes iguaes
de ouro e prata, condigao esta, que difficultar
em extremo a resolugao do problema, pois que
vai obligar o banco a fazer acquisigo d ouro
em tenu onerosos e que mais aggravaro os
prejuizos resaltantes dos cursos desfavoraveis
dos cambios.
Para que o Banco de^Hespanha possa elevar a
emieso de soas notas a um bilio de pesetas,
necessiia ter em caixa pelo menos 333 mbOes
ej rooeda de ouro e prata, isto 166 i/2 mi-
IhOes de cada especie.
A reserva actual do banco de 178.200-000
pesetas, que dindem-se em ouro 78.828 000, e
em prata 99.372000.
A acquisigo dos 90 railhes de pesetas em
ouro, para completar a reserva legal, de certo a
nao poder fazer no paiz e ter de recorrer ao
estraogeiro, pelo qne poneos beneficios resulta
rao para a circulago monetaria do paiz, pois
que quanto mais ouro deverem e mais augmen
larem a cunhagem da moeda de prata, mais se
complicar a situago.
O augmento da reserva de prata. esse fcil-
mente ser obtido, pelo enorme volume da que
existe em circolago.
As condigOes monetarias da praca de Lisboa
sao boas, com relago facilidade do dinheiro ;
rn.s sao bastante embaragosas no qne diz res-
peito ao papel cambial; ao passo que se obtem
dinheiro para descontos e reportes de primeira
ordem entre 4 / e 4 3/4 / ha verdadeira dlffi
cudale em conseguir papel sobre as pragas es
traogeiras.
A abundancia dos capitaes explica-se pela he-
sitago dos capiulistas em empregar detiniuva
mente as soas disponibilidades em papis de
crdito, preferindo deixal as nos bancos a um
juro modesto.
As origens di falta do papel cambial sao.
como j temos dito, a qoasi ausencia de remes
sas do Bra il e a deficiencia das exportagoes dos
vinhos.
Estes doos {actores, qne anda hSo de dura)1
por algnm lempo, e qne nao foram atteouados
pelo producto do ultimo emprestimo do governo,
como so espera va, deteiminaram o conselho ge
ral do Banco de Portugal a suspender a venda
do papel cambial com qne coslumara sempre
abastecer as praeas de Lisboa e Porto.
Esta medida, caja alcance anda uSo .--e pode
avaliar, ter por certo como consequencta a ex-
portagSo de ouro. At agora o Banco de Portu-
gal traton de evitar mesmo por meios indirectos
as remessas de soberanos, fornecendo papel em
condigOes que tornaram a exportago intil.
Nestas circumstancias, eviten se a sabida do
ouro, pelo menos para a paga de Londres ; mas
anda assfm o Ihaco de Portugal ee vio obrigado
a importar em 889 perto de 2 milhOes de libr.s
esterlinas, das quaes um milbo e meio desap-
pareceu sem se poder averiguar para onde foi.
Hojr! em vista da deciso do Banco de Portu-
gal de nao continuar a fornecer papel, a expor
tago do ouro toraa-se iadispenavel, e resta
eaber se esta oova ordem de cousas obrigar o
Binco Emisor a importar oinda somma supe-
rior para contrabalangar as saludas.
>
I\DISTK1AS E ARTES
No dia 8 de Abril correle foi inaugurada no
Rio le Janeiro a fabrica da Companhia Cor
doalba.
Acha se a fabrica situada na ra de S. Cluis-
to vao. isto no bairro da capital qne de prefe
rencia tem sido escolbido para nelle e instada
rem varios estabelecimentos industriaes, o que
lhe d incontestavel direito a ser considerado
como bairro verdaderamente industrial.
Parece incrivelque com o capital reiativamen
te diminuto de cerca de 300:0001000 tenba sido
fundada urna fabrfcaa com as mais aperfeigoadas
machinas em nso a* Inglaterra, e fogosamente
tiveram muito que lutar os seus fundadores para
inlroduzir entre dos urna nova industria, cuja
futura prosperidade ioquestionavel e incalcu
lave).
Por ora, apenas dispoe a Companhia Cordoa
Iba do linho proveniente da Italia e da Russia,
como materia prima pa.a os seos productos.
EstabelecJa, porem, essa industria, est dado o
primeiro passo, sem duvila digno damaior aoi
mago. para que em nosso paiz se dediquem os
lavradores planlacSo e cultura em larga esca-
la das varias especies de plantas textis, quer
indgenas, quer exticas de fcil acclimago.
Poderiamos mesmo aflirmar que, attendendo
riqueza da eossa flora, nao carecemos tentar
a acclimago de vegetaes textis de outras re-
gioes.
A quem visiteu a fabrica da Companhia Cor
doalba, foi dado observar as vantagens da in-
trodcelo das machinas aperfeigoadas, em rela-
go as que eram primitivamente empregadas.
Ao passo que cada urna das antigs machinas
de liago exiga usa operario, a machina moder-
na, equivalente a 128 das antigs, oceupa ape-
nas dous operarios.
O primitivo pente de cardador, que tambera
alli existe e que exige rude trabalbo braga!, ,
com mxima economa de lempo e perfeigo,
substituido por urna machina de cardar.
Distendidos os lies, passam estes para as fia
deiras, onde adquirem a menor espessura, e em
seguida para as diversas machinas de torsSo,
algum is de mecbanismo adimravel, obtendo-se
barbantes, cordeis, linha de pesca, cordas e ca-
bos, sendo os ltimos desde pollegada e meia
at oito pollegadas.
Com o linho rnsso produz a fabrica todo o
coadeame para navios, a gacheta ingleza, coja
primeira qualidade serve para bueba de machi
as, e a segunda para calafetar.
Os cabos sao alcatroados em apparelho espe
cial.
A fabrica pode fornecer diariamente cerca de
1.500 kilos dos seus diversos productos.
0 motor tem a forca mxima de 80 cavallos,
estando empregados nos indispensaveis traba-
dlos mannaes perto e 60 operarios, entre ho
mens e mulheres.
Foram montadas as machinas pelo distncto
mechanico Sr. Wilam Brook, que mestre
da fabrica, sendo jontramostre o Sr. Alfredo
Taylor.
Pelas ultimas analyses feitas as cepas da re
gi&o vincola do Algarve reconbeceu-se qne as
raizes d'aqnellas estavam cheias de pequeos
gusanos vermes acephalos do grupo dos acaros,
que vivem e se desenvolvem nos terrenos h-
midos.
A existencia destes vermes explicou o deti-
nbamento progressivo que ha tempos se notava
nos vinhedos locaes.
*
No Estado de Minas Geraes creou se, ba pou-
co, um servigo de estatistica para tratar da ana
lyse de trras, curso dos ros, viagSo, agricultu-
ra, commereio, industria, instrucgSo, poltica e
populago.
Os trabalhos encetar-se hio dentro em breve
tempo.
tos da tarde o noroeste da Franca, se sentiram
l.geiros abalos ni Italia Foram notados em
Sinigaglia s 3 horas e 30 minutos da tarde.
Em Moncalieri, 03 instrumentos do observatorio
de pbysica terrestre indicaran! abalos longiquos,
s 11 noras e 20 minutos da noite.
A 7 de Junno sentio-se, aos 57 minutos da
manh, em Genova, ligeiro abalo ondulatorio,
dirigido de noroeste para sueste. Outro abalo
se veriflcou em .-iemee. s 10 fieras e 45 minu-
tos da uoite foi seguido 8 ou 10 minutos de
pois, d'um outro mais for, acompanbado de
ruido subterrneo. Em Moncalieri os instru
mentes ssmicos deram, no mesmo dia, s 8 ho
ras e 15 minutos da manh, tragos de abalos.
U;n tremor de trra foi indicado por M. C Sil-
van em Cavaillon. Foi a 29 de Junno, s 9 ho-
ras da noite, que o pbenomeno se produzio ; o
seo foco era provavelmente sob a alleia de Ro-
bioas. O abalo, rpido e instantneo, coincidi
com um ruido surdo; pareca que nma mina
subterrnea ucabava de fazer explosao.
Na aldeia de Robions, homens e criangasader
mecidos accordaram afiroatados; numerosos
habitantes sabiram de casa. Nos cafs, os cao-
dieiros suspensos nao oscillaram, mas foram
agitados vertical mente.
Robions urna aldeia do arrondisseaunt d'Avi-
gnon, situada perto de Luberon.
Nj campo desta commuoa, o abalo foi menos
forte ; um pastor, que eslava sobre o Luberon,
teria ignorado este tremor de trra se nao fosse
darem noticia delle As localidades para o lado
sul desta montanha foram fracamente abaladas;
as situadas ao longo da rertente norte, do mes-
mo modo que em Cavaillon (a 6 kilmetros de
Robions) houve como um ruido de porta fecha
da pelo vento. Na gare de Coult (mesma linha)
julgou se que entrava um comboio na estago.
Os alumnos d'um collegio levantaran: se e nao
quizeram tornar a deitar se. E' provavel que
este pbenomeno, partindo de Robions, se foi
perder n'um raio de 36 a 40 kilmetros.
A proposito deste tremor de trra, M. Nogus
veriflcou tres zonas de Intensidades ssmicas
diflVreutes. Na primeira esto comprehendi
dos : Cherbourg, Jersey, Guernesey ; esta zo-
na grosseiramente ellipti -a, attinge a costa in-
gleza ; duas outras curvas de iolensidade se
desenham passando pelo Havre, Lava!, Dora-
frout. Mas o que digno de attengo, que
'duas destas curvas se encontram as origens
dos vales de la Seiune e de i'Orne.
Este pheomeno relaciona se com a disposi
gSo orograpbica da regiSo. A direegao do mo
vimento ssmico designado ste oeste; esta di
reecao est em relago com as falhas do paiz, e
quasi sempre parallela ou normal direegao
das juntas stratigraphicas; estas fracturas func-
cionam geralmente como um raio ssmico.
M. Morceaux executou um calculo photog-a-
phico das curvas magnticas de 30 de Maio
noite.
Urna pequea perturbacSo coi.icidio com o tre-
mor de trra ce Nicd e Mentn em 1887, esteoo
servador iostallou no parque Saint- Maur urna
barra de cobre ligada a urna suspeoso bifilar,
cuja direegao registrada pela paotographia,
atim de saber se os movimentos dos apparelbos
magnticos sao devidos a urna traosmisso me
cbamca ou a um effeito magntica Esta barra
de cobre nao teve viljragSo algama apreciavel
durenle o tremor de 30 de Maio.
i.'e II a 12 de Junbo de 1889, as curvas obti-
as no observatorio e Porlorsk aecu^avan um
trernnr.de trra na A*ia central. em| Werny (ao
norte do lago Issikkoui.) M. H. Wird veritfcoo o
faele por meio dos apparelhos magnticos e
elctricos registradores do observatorio, que
consisten! em um magnetographu (systema Mas
cari), assim como nos registradores das corren-
VARIEDADES
SCIEMS E LETT8AS
Os tremores de trra em
t881
Como nos annos precedentes, os abalos do solo
foram numerosos em 1889. Nao indicaremos to-
dos, mas mencionaremos os mais notaveis.
A 19 de Fevireiro, nos arredores de Grenoble,
foram sintdos fortes abalos de Ierra noite, na
Tour-du Pin, nos brete, em Saint Gois, em
Pont-Beauvoisin e em numerosas communas
desta regiSo.
Neste momento, a nev cihia em abmdancia
em muitas localidades atliogia dous metros de
altura. A malor parte dos comboios foram obri
gados a parar.
U u violento abalo se sentio a 21 de Maio, s
4 horas e 21 minutos da manh, em Oran e ar-
dedores. Este abalo durou muitos segundos.
Um outro, muito menos forte, se seguio alguns
instantes depois. Segundo as indicagOes obtidas
no sinoographo da diiecgSa de artilheria, o sen
ti do do mov ment foi de sueste pira, noroeste.
Um certo numero de habitantes, dispertes em
sobresalto, fugiram de casa, semi ds. No en
tanto, houve poucos estragos. as casas da al
fandega, urna pande abri urna fenda do com
primento de 20 metros. Em al gomas partes da
cidade, as casas abriram fendas as paredes e
cornijas e algumas cbamins foram derru-
bada?.
A 30 de Maio seatiram se tres grandes trprao
res de trra em Cherbour.
Muitas cidades na Franca, entre as quaes
Paris, e no eslruogeiro, sentio se os efeitos
destes abalos.
Em Paris, foi s 8 horas e 30 minutos da ma
nha do dia 30 de Maio que muitas pessoas sen
ram o movimento do solo, durante dous ou
tres segundos na dire^ao de noroeste para
para sueste. Nos arredores de Paris, a intensi
dade dis IrepidagOes foi mais forte do que na
cidade. 0 que pode parecer singular que nao
sentissern cousa alguma na torre Eiffel. Com
todo, o guarda do pharol, que eslava no alto,
deveria ter notado um movictiento. Nao deu por
cousa alguma.
Em Gama, a durago do pbenomeno foi de 30
seguodos, s 8 horas e 40 minutos da tarde. O
mesmo succedeu em Pont-Audemar e La Hagne.
Em Guernesey notaram-se quatro abalos bas-
tante fortes, s 8 h>ras e 15 minlos da tarde.
A's 8 horas e 38 minutos, os mesmos movi-
mentos se produziram na ilha de Whigt e no
condado de Dorset, com grande susto dos habi-
tantes desta* localidades-
Em Isle-et Vi'aine, ouve dous abalos em Dol,
s 8 horas 30 minutos e 15 segundos ; a sua
durago foi de 3 a i segundos- Ouviram-se
ruidos subterrneos.
No Eure, em Tourny o pheomeno foi verili
cado na quinla-feira, 3o de Maio as 8 horas e
30 minuto3 da tarde. A direegao era de ste
para oeste.
Densa informa a Academia que, no da em
que o pbenomeno abaton s 8 horas e 35 mina
<- tes elctricas da Terra, Ua direegao norte sul
ste oeste. A' meia noite e meia hora, a 12 de
Judio, deu se urna interrupgo da marcha muito
serena de todos estes instrumentos. Eram oscil
lages de prximamente dous minutos e meio
de reo e durante mais de 10 minutos; eslas
oscillagd s distinguiam se das perturbages
magnticas e da potencial la electricidade do
ar. Pdese attribuir esta perturbaglo a muitos
abalos mecnicos da Terra, seguindo-se em
curtos intervallos de lempo ecommunicando-se
aos pilares dos instrumentos.
A 13 de Julbo, tremores da trra bastante for-
tes se sentiram em Verny, como dissemos mais
cima. A agitago do solo, que comegou a 12 de
Julbo, s 3 horas e 16 minutos da manh (tem-
po local), durou 13 minutos sem inter-upco. e
nao foi sacudido como o de 1878. mas ondula
torio. Este tremor comegou em Wtsrny aos 9
minutos da manh a 12, lempo medio de Pao
loosk.
Os abalos acccusad03 pelos instrumentos, de
11 a 13 de Julho, devem ser attnbuidos pro
pajago do tremor de trra de Werny, at Pao-
loosk. Esta opinio \ anda apoiada pelo facto
dos movimentos terem a direegao de sueste para
noroeste.
De 11 a 12 de Agosto, houve tremores de tr-
ra em Aogers Poitiers e no sudoeste.
A 12 de Agosto de 1889, s 2 horas e 15 mi-
nutos da manh, M. A. Cheux, em Angers, veri-
flcou nm fraco abalo, cuja durago foi de pro
ximamente dous segamos. Este abalo agitou
um ponco as portas e as janeltas com ruido sur
do. O co eslava coberto de cirros e de canutas
espessos; 'o vento, muito fraco, era oeste. A
temoeratura era de 12,8 e o barmetro a 0a mr
cov722m,97.
Em Poitiers, urna jutra pessoa sentio um
abalo muito violento, s 2 horas e 30 minutos
da manh. As oscillages tinham a direegao
narte sul e duraram 5 segundos.
M. Sach veridcou a produegao de um abalo
bastante violento, mas de curta durago, na aoi
le de 11 para 12 de Agosto, s 2 horas e 45 mi
nulos. Este observador foi acordado por um
ruido anlogo a urna explosao subterrnea; a
sua cabega e ps foram quasi immediatamente
projeclados contra o leito, orientado de norte
p.ra sul. Urna ouira pessoa da mesma casa,
cojo leito esteva n'uma direegao perpendicular,
rolou de um lado para outro. A mobilia oscillou
A ondulago durou de 1 a 2 segundo- e parece
ter sido de norte para sul, ou inversamente de
sul para norte.,
A 4 de Setembro sentio-se em' Nantes um
tremor de trra; reproduzio-se em Angers e
principalmente em Landermont, canto do Chau
toceoux arrondistement de Cholet. Este peque
na communa est situada sobre um planato ele-
vado bordado pelo Diveste, pequeo afnente do
Loire, cujas margeos abruptas apreseotam, em
ceitos pontos, alturas de 76 a 88 metros.
Tres abalos sentidos, durante a noite de 3
para 4 de Setembro, foram bastante fortes para
fazer fugir para fora des casas a populago as-
susiada. O primeiro foi meia noite, e os doos
outros alguns minutos mais tarde. Na mesma
noite, houve abalos em Saint Ciment, na mar
gem esquerda do Loire.
Este tremor de trra tena, pois, abracado
toda a regiSo comprebendida entre o lfttoral do
ocano e Angers, sobre urna argura de prxima-
mente 30 kilmetros.
Pelo que deixamos dito, ve se que os tramo
res de trra. verdadeiro3 calaclysmos, nao sao
felizmente, muito vulgares na Europa, mas os
pequeos abalos sao repetidos.
Por emquaoto a sciencia nao conseguio ainda
explicar definitivamente a sua causa, e quem
sabe se conseguir explical-a um dia. Os sabios
discutem anda, predominando, verdade, a
ibeoria do fugo central, mas nao est dita por
emqnanto sobre o assumpto a ultima palana.
Metaes preciosos
Parece primeira vista quo os metaes, a qne
se di o nome de metaes preciosos, isto o ouro
e a prata, nao devem desaparecer, em virture
do seu proprio valor, e porque sao sempre as
mesmas quaotidades qne, (angadas na circulago
sob formas diversas, bastam para todas as ne-
cessidades, para as necessidades das industrias
de luxo e para as da moeda. Mas n&o nada
assim. E, em primeiro lugar, o ouro e a prata
gastan se como todas as cousas, principalmen-
te pelo uso. ^
Ha ainda causas mltiplas para o desappare-
cimento destes metaes; os a varen tos sao muito
mais frequentes do que se pensa ; em casa
delles, muitas vezes, o ouro ou a prata somem-
se para nunca mais apparecerem, t&o bem es-
condidos sao, que o proprleteiio nao sabe en-
contrados ; na India, especialmente, fas-se urna
absorpgo consideravel de prata, que importa-
da sem que nunca haja exportago ; emfim, des
apparece ouro e prata nos incendios, naufragios
etc.; em compensago, a produces o dos metaes
preciosos em todo o mundo representa um peso
consideravel e um valor enorme.
Reorrendo aos algansmos do aono de 1888, u
produces3 foi de 159.490 kilogrammas de ouro ;
se recorrermos at 1885, veremos que o algaris-
mo, em (orno do qual oscilla esta produegao,
de 150 a 160.000 kilogrammas. Neste total, a
maior parte vem dos Estados-Unidos da America
do Norte, os grandes productores do ouro. Por
si fornecem annualmente 50 toneladas de
o aro, isto o tergo da produegao do mondo.
A Australia aprsenla-se com urna produegao
fnasi equivalente, qae orga por 42 toneladas,
bese mu.to bem qual a febre do ouro que se
maoifestou nestes dous paizes, quando os jan-
gua daqaelle metal precioso foram descobertos.
A Russia aprsenla um algarismo muito res-
peitavel, approximadamente 32 toneladas; em
quarto logar temos a China, que produz cerca-
de 14 toneladas. Qaanto aos outros paizes, va-
mos enumera! os rpidamente, por isso que cada
um delles representa apenas urna p arcilla pouco
importante no total.
Notaremos, porm, a frica, onde o commer-
eio do ouro tem certa importancia, sobretude
sob a forma de p, oreando por 7 toneladas a
produegao annual.
O Cbili, a Colombia e o Canad fornecem 2
toneladas cada um. A Allemanba, Austria Hun-
gra apresentam-se approximadamente com os
mesmos algarismos; a Allemanba nao attinge
ordinariamente este total.
O Mxico e Venezuela, geographicamente visi-
nhos, seguem-se depois nesla escala que esta-
netecemos, um com urna tone lada e 465 kilo
grammas, o outro com urna tonelada e 424 kilo-
grammas.
Finalmente os paizes que nos resta citar tem
prodocgSo insignificante. Japo. 564 kilogram-
mas; Americi Central, 226 ; Brazil 331; Bou-
va, 100; Inglaterra, 220 (nao figurando na pro-
duegao de 1885 e 1886) ; Italia, 160; Repblica
Argentina, onde es jazigos sao ainda pouco co-
ohecidos, 47 ; Suecia, 76; Turqua, lO-j^rf
Vejamos agora a produegao da prata. u4 "alie
Como este metal tem muito menos valor, e
d'abi se conclue qne a sua produegao maior e
mais fcil. Assim os Estados Unidos da Ameri-
ca apresentam se no cimo da escala cid 1:424
toneladas, que comparadas com a produegao to-
tal do mundo representara quasi metade, pois
qae esta de 3:427 toneladas.
Para este metal a Australia est muito distan-
ciada pois tem apenas a cifra relativamente n-
fima de 120 toneladas. O Mxico porm figura
em segando logar, e as explorages argentinas
sao muito anteriores descoberta da America e
onde os b spaohes, depois da conquista, reco-
Iheram milhees que enviaram para a metropoie;
este paiz produzio em 1888, 995, 500 kilogram-
mas de metal.
A talivia e o Chile sao tambem largamente
representadas entre os paizes productores: Bo-
lina, 264 toneladas:; Chile, 205, Per produz 75
toneladas.
Os nmeros que citamos e os que ainda refe-
riremos, provam a importancia que a America
tem na producgSo da prata. A Hespanba. *
Austria Hungra e a Franga tm approximaaa-
mente o m?smo logar na escala, orgando a sna
produegao de 50 a 54 toneladas. A Italia s for-
nece 34 toneladas, a Colombia 28, < Japo 32, a
Allemanba 23 e a Russia 14.
Falte-nos citar ainda o Canad e a Repblica
Argentina qne produzem prximamente o mes-
mo, 10 toneladas; segu a America Central 8 e
meia toneladas; a Noruega 7; a Suecia 4, 5 a
Inglaterra 6, 4 e a Turqua 1, 5. De veremos di-
zer que a frica s produzio, em 1887, meia to-
nelada, nao teve producgSo em 1888 e em i885
forneceu pouco mais de 1 tonelada.
Antes de conclu mos, e para dar idea mais
exacta do que representa esta prednego dir-
remos que a produegao annual do ouro tem nm
valor de 105 milhes de dollars e a produegao da
prata vale 242 milhes de dollars. O peso da
prata vinte vezes maior que o do ouro e o va-
lor d'este nao a ultrapassa senSo um tergo.
REVISTA DIARIA
tolegado licterarlo -Por acto de bon-
tem do Dr. governador do Estado foi exonerado,
a pedido, o actual delegado do 1 districto lute-
rano de Olinda, e nomeado, para substitui! o, o
Dr. Felippe Nery da Silva Filho.
ConamlMNau de soccrro -Por acto de
hootem do referido governador foi noraeada ama
commUso composta do juiz de direito bacbarei
Man. el Maria Tavares da Silva, do delegado de
polica cidado Francisco 11 -nrique Pires de Car-
valbo e do Revm. vigario Jcs Bernardo de Pai
va para se encarregar da compra e distribngo
de semenles de feijo e tnilbo pelos lavradores
necessitados, na comarca de Cimbres.
Praniotoria publica Por acto de bon-
tem do referido governador foi considerada sem
effeito a portara de 21 de Dezembro ultimo pela
qua! foi nomeado Francisco Torquato Paes Bar
reto para o cargo de promotor publico da co-
marca de Tnumpho, visto terse verificado nao
ser elle formado em direito.
Na mesma data foi nomeado para o lagar
de promotor de Triuuipno, o bacharel Jos Igna-
cio da Cunha Rabello.
Guarda cvica Tendo sido decretado o
augmento da guarda civica com cem praeas,
procede-se na Secretaria de Polica a eDgajamen-
lo todos os dias 1 hora da tarde, a contar de
boje, at ser preenchido aquelle numero.
Os interessados devero para dito fim apre-
sentar se naquelia reparligo com suas peiiges
documentadas de altestado de conducta, passado
pela autoridade policial do districto em que re-
sidiris.
Kervico militarHoje supeiur do dia
o cidado capito Magalhaes, e faz a ronda de
visite o cidado alferes Serpa Pinto.
O i4* balalho dar a guarnigo da cidade.
Eazeaho cen ral de TI u na Por car-
ta particular, enderegada de Londres a amigo
nosso, temos sciencia de que ao Sr. Henry Swales
acabam de ser renovados os poderes de gerente
da fabrica central de S. Loureogo da Malta, em
Tiuma.

-.

- -
.
:



: i
i
i
I
Diario de Pernambuco-Quinla-feira 29 de Maio de 1890
loe na
ltima safra, era leesperar a cootinaago do Sr.
aarv Swales na gerencia da fabrica, gerencia
- me passar a accumular com o cargo -de repre-
entanie, nesle Estado, da Companhi* Narlb
Braiilian Suear.
Os agricultores forneeadores de csaea, sjs*
aontam naquelle estima**! cavalheiro, peobor
legnro da conriaofit. trabalbo activldade, de
Tem flcar satisfeitos.
Ageste do oreo- Pac portaba do ci
dadio administrador doe-eorre dasla EsUdo,
de J7 do corrente, foi nomeade Googalo Jos
Feixoto e Silva, para exercer o logar de agente
do correio de Granito, em substituico a Jos Pe
reir de Luna, que tirn o titulo em 29 de Agos-
to de 1889 e nao assumio o exercicio.
Matriz ala Boa ViesaHontem a irmaa
dade do Santissimo Sacramento da parocfai* da
loa-Vista procedeu eleijSo dos novos funccio-
arios para o anno compromissal de 1890 a 1891
dando o seguate resultado :
Juiz, Antonio ornes de Mattos.
Iscrivo, Dr. Jos Domingues Haia Jnior.
Tbesoureiro, vigario Augusto Pranklm Moreira
da Silva. ._. ____
! procurador, Msmoel Bomwgues da Silva.
J procurador, Miguel Arcbaojo Goncalves da
Silva.
Mesi>ri08, commendador Lulx Jos da Silva
oimaraes, Jos Urbano da Costa Carvalho, An-
tonio Jos Matins, Denv trio de Araujo Bastos
Joaquim Olinto Bastos, Francisco Jos dos Passos
faituares. commendador Jos Candido de Mo-
raes, Joaquim Pereira de Freitas, Manoel Joaquim
Ribeiro, Joaquim de Souza Mooteiro, Antonio
Ano Pereira Dutra, Jos Francisco da Figueire-
e major Luu Emigdio Pinbeiro da Cmara, ca-
pitio Joo Rodrigues Moura, Virgilio Augusto
Sopes. Aadr Allanto Isabel.
Club 15 de \uveabro -Subsereveram
mu para o mimo destina lo ao Dr. Joaquim Mar-
botio, conlorme hontem noticiamos : ^^
luis Ferreira de Lima **M92
Jos f arias Macha o *
Flix Cesar de Mello }*000
tetero Barros |***{
Aaonymo ***{
V. Saldanha 300
Antonio Barbosa ">
Aaaaymoi (2> *080
eviata de loe**u*oPublicou-se o n
37 desea importante revista, orgo do Instituto
eeobeologico e Geographico Pernambucano, e
uetrespoadente ao mea de Abril. Contm alm
da acia da setso solemne do 28* anniversario
en* 27 de Janeiro do corrente anno e de alguns
dis-arsos nella pronunciados, a Expose;odo
aajor Codeceira sobre datas da h storia de Per
arabueo, oLugar da morte de Nunes Macha -
4o,artigo do Dr Max i miao Lopes Machado,
as officios sobre o Jardiai Botnico de Olmda,
aeeriplos em 1811, 1812 e 1816 e oulros arUgos
de transcendencia notoria.
Agradecemos o exeraplar com que fomos mi
leseados.
Oennaln lee Pr*feaorea Priaaa
io* -Hoje ao meio dia faz sessao ordinaria
easa sociedade.
ur lobiaN Barrete Consta nos que a
nocida Je acadmica trata de commemorar o 1*
anniversario do fallecimento desee notavel no
wttm de lettras no dia 26 de Juobo prximo.
Neste senado bavera nma reuoio de acadmi-
cos amanh ao meio dia na Faculdade de Direi
to, na sala do 4 anno. promovida pelo academi
co Tnomaz Viegas.
ffeooure HrovlucalO edificio em
ae funcciooa essa repai tigo acha se grande
ente damniricado na respectiva coberta, de
modo a exigir prompta obra na mesma coberta
afim de eviur qualquer desastre.
Por etnquanto ] se tem tomado a immediata
providencia de escorar internamente e do pavi-
awuto terreo ule o supeuor os differentes com-
partimentos, alira de entrar se, ao que suppo
mes, em reparos ; os quaes podero fazer-se
parcialmente pelas condiges da edicage, sem
deslooago da reparlico.
Sociedade Philomailca Funociona
boje as 10 horas em sessao ordinaria em sua
Bde.
Seeiedade Uniao e Ledra Rene- .
se boje no lugar do costme as 10 horas do dia. |
Tribunal do Jai y do Recite Anda!
bouteui nao pode Mr nstallada a 3* sessao or-
dimana deste Tribunal, por t baverem respon-
dido a chamada 30 juizes de facto.
Foram multados em 20*000 os que deixaram
de comparecer e sorteados mais os seguales
supplentes :
Freguezia do Recife
Dr. Jos Joaquim de Souza.
Eduardo Coi rea de Ylesquita Cardoso.
Ricardo Luiz da Cuuha.
Frtguezia de Santo Antonio
Jos Caetano de Souza Cousseiro.
Cyro Pedrosa.
Dr. Felippe de Figueira Faria.
Frrguezw. de S. Jote
Candido Jos de Torres .llmdo.
Antonio Muniz Tavares.
freguezia da Boa- Vota
Francisco Geludo de Castro Albuqnerqne.
Epaminondas P. Bandeira A. de Vasconcellos.
Feliz Antonio Alcntara.
MiMel da Silva Guimares.
Freguezia da Graca
Antonio Caetano de O.iveira Coragem.
Freguezia de Afogados
Lua Pereira M. t-'urtado.
Jos Joan da Motta Jnior.
Freguezia do Poco
Mr. Manoel Eneduio (lo Reg Valenca.
B*\ J.is Manaoao Carneiro da Cuaba.
Dr. ThOiu Alve* Aixa.
A sessao ficou adiada para boje a 10 horas.
Cadetra de uriibmeiica e (come
raEucen ou se huntm a inscrip(ao para o
concurso t|ui lora marcado para o provimento
de&sa cadeir... S se tendo inscripto o Sr. Jos
Ferreira da Cruz Vieira qun se acha, por no-
meagao do minis'ro do interior, regendo a inte-
rinamente, deixa de 'er lugar o concurso annuu-
eiado.
vaceina Pulallca Hoolem foram vacci-
naOas 76 pessoaa na inspectora de bygieoe. Ira
balbaado nesse servico os Drs. inspector e Lopes
Pweon.
V*pvrJacub)pr-A CempanhiaPernam
bucaua expede esle vapor p.ra O porlos do sul,
em vag*m extraordinaria, na prxima aegunfla-
feira, 2 de Junho.
Ciii HTiirl Te ve lugar bootem, pelas
6 horas da knde, o enterrameuto do infeliz estu
dante de prepa*alnos. Joao^arooaawdos Reis,
21
A PatriaDistribnio se hontem o-v.
d'esse semanario politizo, critico noticioso.
Piebe tradoNa tfaonwtariadas late*
rias deste astade foi pag) no dia M do cmate
obilheten. 8. t*, premiado cont a sorte grande
(M:O00OiMD) noxtracco de saneado 24do
enrnnte, Meen sido o mais kilaste vendido
pela casndes Sen. Martta FKte 4C.
fe, 27 de Mam de 1890.
Boletlm meteorolgico
oeoReci-

" o5
Sores ys^
ooEc
6 m. 24',4
9 15,'7
11 28M
3 t. 28M
6 J6',7
Barmetro a
0
761-46
761-78
761-97
759-98
761-00
Tensao
do vapor
19,81
20,00
20,03
19,56
19,05
80
70
68
73
1 mes, S. Jos; varilas
S. Ii;'.vasto
es
Temperatura mxima2**23.
Dita mnima4,09.
Evaporacao em 24 horas : sombre2-,4.
Chura-8-4.
Direcco do vento : SE de meia noite s 9
horas e 15 minutos ; E at 10 horas e 43 minu
toa da manh ; SE at meia noite.
Vetoddade media do vento2,"65 por se
gando.
Nebnlosidade media0,-82.
Boletim do porto
Horas
1048 da maaa
5-39 da tarde
11-46
6-03 da msnh
Alturi
l-,99
0-.97
1-J7
1V08
MoepMalde varloloeoe-0 movimento
do hospital de Santa gueda (para variolosos):
no dia 27 do corrente, foi o seguicte :
Hornera Mulhere Total
Exisliam 92 61 l3
Entraram 7 4 11
Fallecern) 2 2
Existem 97 66 162
Lelldee -Effectaar-se-hao os seguintes:
Hoje:
Pelo agente Pinto sil horas, i rna Formo-
sa n. 29, de movis, quadros, Vidros etc.
Pelo Agente Bnrlamaqui, s 11 horas, rna
do Baro da Victoria n. 30 de movis etc.
Pelo agente Pestaa, s 12 horas, rna das
Chontas, da armaco, gneros, etc., da tave.-oa
ahi sita.
Amanha:
Pelo agente Pestaa, as 12 horas, na travessa
do Corp Santo o. 27, de predios.
Pelo agente Martina, s 11 horas, na roa do
Conde da Boa Vista, de movis, loucas, vidros
etc.
M titeas fnebreSerSo celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, na matriz de Nazareth, pela alma
de D. Mara Aununciada de Albuqntrqoe Cardoso.
Aiuauh :
A's 8 horas, na capella do Asylo de Alienados:!
pela alma de Joao Paulo da Rosa Cesse.
Caea de DeteaedoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detenco do Recife, Estado de
Pernambuco, em 27 de Maio de 1890.
Existiam 516 entraram9, sabiram 13, existem
812.
A saber:
Nacionaes478. mnlheres 27, estrangelros 11,
-Total 516.
Acreceados 410.
Boas 375.
Doentes 26.
Loucos 6.
Loucas 3.
-Total 410.
Movimento aa enfermarla
Tiveram baixa:
Eduardo Hortencio da Rosa.
Marcelino Rodrigues de Lima.
Teve alta :
3ernardioo Antonio de Souza.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 147 peasoas, sendo 96 mulheres e
51 humen?.
Intendencia nnlrl,vi da BSrrir
Rendimeoto del a 26 24:368*063
Dia 72.
Mercado de S. Jos 227*320
Maladooro 235*3:0
:emiterio 93*500
Diversos impostos 1:132*530
Jos, Pernambuco,
confluentes.
CeeMra, Pwtu
las coaflueates.
Vicente, *%isnmhi
variles coniuentes.
Antonio, Rio de Janeiro, 47 das
pasmes,
UmfU', Peranmbef, Bo-l8ta .inviabilida-
de.
Marta FrankMam de-Aenine-Noroetaa, Ptnfay-
ba, 4nnos, casada, Greca; paralysia geral.
Felismina Mirra da Conceitfko, Pernamboco,
40 annDS, solteira, Graca; derramamento cere
bral.
Fiorontina Mara Jorge, Pernambuco, 48 an
nos, solteira. Boa Vista ; seirrhose.
Luiza Martinha do Amaral, Pernambuco, 40
aonos, viuva, S. Jos ; cancro uterino.
Florioda Barbosa, Pernambuco, 60 aonos, vm
v, Boa-Vista; tubrculos pulmouares.
Joo Baptista do Amaral, Peanambuco, 66 an
nos, casado, S. los; hepatite chronica.
Alexandrlna da Silva Camello, Pernambuco,
43 annos, casada, Boa Vista; bemateroeae.
Cecilia, Pernambuco, 7 annos, S. Jos; febre
ly. hica.
*ih!mbriiai,ano08'Dgleza,por300*' ,0 Sr, TImiU de ese-rever
J.Stt^SrF. Moreira vende aoBra. I A melh* 4 taita Victoria, v*e .
Th. Setestrom & Guimees a egna Biza, por ^Op *?** gorraf* oOO rs. urna gar-
-
M POUCO DE TUDO
26:076*933
oepltal Pedro IIO movimenio desie
istaoelecimento de caridade, no dia 27 do Maio,
foi o seguinte:
Entraram 15
Sabiram 14
Faiieceram 0
Existem 445
que ante-nontem smcidra se, ingfrrndo acido
arsenioso.
Acompanharam ao cemiterio o faHeeido. alm
de mullos amigos de tua familia, grande nume
ro de coilegas do Collegio das Arles e da Spcie
da de Litieraria Goncalves Dias.
Ao descer o fretro ao tmulo, usaram da pa-
lavra os 8rs. Alfredo Campos, per parte da So
aedade Litieraria Goncalves Dias ; Lopes de
tetro, Souza Santos, Miguel Ribeiro, A. Wau-
tbier e um outro estuiante.
la reelamaeo Constantes e reite-
radas sao as reclamacftes que nos dirigem sobre
pessimo estado em que se acha o material ro-
dante da linha de Santo Amaro da Compaubia
Ferro Carril.
Anda hontem o vehculo n. W, alm de ser
PQxado por urna parelha ingovernavel e indo-
mesticada, tinba a respectiva caixa to estraga-
da quo occasionava continuos choques, que cau
savain aos passageiros os mais terriveis abalos.
E isso depois de urna refeicio
Urge, pois, que o Sr. gerente providencie no
senfrdo de serem melhoradas as condicoes da
referida linha. __ i..,
lilao da Encarnara* Esse festejado
concertista, justamente cognominado por seus
imprtanles trabamos, o Sustenido Portugnex, e
fue se acha de passagem n'este Estado, realisa-
r no sabbado e domingo prximos, nos saloes
4o Club Internacional, dous maravilhosos con
certos.
Os trabalbos, que serbo executadoaea instro
rentos excntricos e de difficilima execucao,
agradaro certamenle ao nosso puboo, nviao de
distraesoes.
D'entre esses instrumentos sobresabem: a
fuitarra-bandurra, zitber, ladrilbos musicaes,
palbofone (instrumento de pi e palna), macar-
rones, banja, garrafas iatoraaw, e vassoure-ra-
tdb*.
E'de crer que as vastos saloes do Qnb Iitoc-
iiniimil regorgiura de eapeetadores, ana Mu
ippliatir o Sr. Lia* da Bacaroacto.
MmS* saaesaarala Dnate a ses-
sao do jury, o Dr. iui de direito especial do
commerek) dar audiencia as 10 horas da manhS,
os das do costana.
Foram visitadas as respectivas enfermarla*
>elos Drs.:
Hoscoso s 8 1/4.
Cysnetro s 10.
Barros So or ano s 6 3/4.
Bererdo s 12.
Simes Barbosa s 10 1/4.
Raymundo Bandeira s 10.
Nao compare ce ram os Drs.:
Malaquias.
Puntual.
Estevo Cavalcante.
Ferreira Velloso.
0 cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 1/4
tata,
O pharmaceutico entrn s8 1)4 da manhS e
MiioisS da tarde.
O ajndaota do pharmaceutico entronas 7 l|
e sabio s 2 horas da tarde.
aaobeens do Botado de Paenuabaeo
A 4> serie da 1* lotera deste Estado, ser ex-
trahida impreterivelmenle no dia 31 do corrento
(sabbado), 1 hora da tarde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santa:
Antonio.
L.>u-rla do rano-ParaA 3> serie da
37* lotera cujo premio grande de 60:000*,
ser extrabida no dia 31 de Maio, (sabbado).
Lotera do Haranbao A 19* serie
desta lotera cujo premio ser extrabida no dia 4 de Junho.
A 14* serie da 31* lotera cujo premio gran-
de de 250:000*000 ser extrabida no dia .. do
corrente.
Al* serie da 36*lotera, cojo premio gran-
de de 120:000*000 ser extrabida no dia .. de
corrente.
Coitnrlo poblleoObituario do dia 27
de Maio :
Adelina, Pernambuco, 1 armo e meio, S. Jjs ;
e*. pasme.
Mana, Pernambuco, 18 tnnoa, Boa Vista;
abeesso glandular.
Claudimira Rusa de Barros Lios.Macci, 24 an-
nos, solteira, Santo Antonio; varilas bemor
rhagicas.
Innocencia Mara da Conceico, Pernambuco
36 annos, solteira, Santo Ajtjnio; varilas he
morrbagicas.
Innocencia, Pernambuco, 2 annos, S. Jos;
vahlas confluentes.
Arcelina, Pernambuco, 4 mezes, S. Jos ; va-
rilas confluentes.
taepha, Pernambuco, 2 annos e meio, S. Jos;
varilas confluentes.
Joao, Pernambuco, 19 meses, Greca ; varilas
confluentes.
Manoel, Pernambuco, 18 meses, S. Jos ; va-
rilas confluentes.
Jo, Pernambuco, 18 mezes, BoaV.sta ; va-
rilas conentes.
Tberesa Marta da Coucetcao, Pernambuco,
16 anno, solteira, Boa Vista ; varilas confluen-
tes.
Joanna Mara da Conceicio, Pernambuco, 32
annos, tolteira, Boa Vista; varilas eooftuen
tas.
Hemenegildo Pereira da Uva, Pernambuco,
Sanaos, setteiro, Boa-Vista; varilas confluen-
tes.
Fraueisoa tarta de Monte, Pernamboco; 45
annos, solteira, Boa Vista; varilas confluen-
tes.
A partida de Bismarck tomn proporgCes de
nm acontecimento histrico.
Urna hora antes da partida do comboio era
grande a multido em todas as ras que elle de-
via atravessar para ir para a estaco.
Logo que as carruagens, ambas abrtas, sabi-
ram do pateo do palacio de Wilhehustrasse, foi
um enthusiasmo indescriptivel; o principe ia na
primeira carruagem com o con le Herberto, este
paizana. Saltn para dentro da carruagem o
cao histrico. O principe levava a farda pe-
quena de general dos couracetros, mas nao as in-
signias do seu novo pesio de marechal de cam
po.
Durante todo o trajecto nao cessou de cortejar
o povo que varas veses quiz tirar os cavados
carruagem.
A pnnceza segnia na segunda carruagem com
o conde e a eondessaGuilberme de Bismarck.
De Wilhehustrasse at eslacao nao havia me-
nos de 100,000 passoas, era urna moralha huma
na. As senhoras do corpo diplomtico tinbam
obtido liceBCa la fazer collocaras suas carrna
geos entre a Wilhehustrasse e a avenida -Unter
den Linden.
Bismarck solucava. Beijavam lfae as mos, e de
todas as janellas Ine deitavam flores. A impera
triz Frederlco eslava na embaixada de Inglaler
ra e viram n'a agitar o lengo.
Antes do wago.i partir o povo grita va : A Al
lemanba primeiro que todo, fique, tiqne. ^Bis-
marck acenou negativamente com a cabeca. A
princesa tambem disse que nao voltariam, que
estavain contentes de sabir 'aquella inquietarao.
A'ebegada aFriedricksrube Iiouve o mesmo
oelirio:
Bismarck foi a p, encostado ao fWiOi te-ao
seu castello. |
Dizem que o imperador tenciona vir no vero
a Friedrickaruhe.

O bario de Tres Estrelltnhas casado com
urna formosa muliier, mas diablicamente ciu-
menta e impertinente.
Queixando se da sorte diante de nm amigo,
diz Ihe este:
Nao tens razo 1 a mulher a mais formo
sa melada do mundo, e a toa de todas a mais
engaitadora I
Pois sia 1 murmnrou o baro. Mas des;a
encantadora metade bastava que eu tivesse a
quarta parte t

A celebre Alboni, ha tantos annos retirada da
sceoa, acaba de apparecer inesperadamente em
publico, alcangando um xito triuraphal
Foi n'um concert dado pelo Sr. Miltan, em
Pars, que a famosa artista fez essa agradavel
sorpreza ao publico.
Mademoiselle Cajderson incommodada re
pentinamante, parti :ipou ultima hora que nao
poda tomar parte no espectculo, como eslava
annunciado. Alboni, que eslava na sala como
espectadora, offereceu-se ao Sr. Matn para sub
stituir a estrella que Ihe faltava.
No palco collocou-se nma cadeira e a grande
artista canlou sentada n'ella, com o seu estylo e
a sua voz incoroparavei*, a aria O mo Fernn
do, da Favorita.
O publico fez-lhe nma ovacSo doida.

0 imperador da Allemanha creou urna nova
condecoraco chamada Allegemeines Ehrenzei
chen(testemunbo de honra universal), de ouro,
que ser concedida s pessoas civis ou milita-
res, que j possuam a Allegemeines Ehrenzei-
eben e mere^am nova dislincvo honorfica.

N'um baile:
Dizem que a condes sin !:a de X urna
viuva inconsoiavel I
Sim, como a lenba verde, que chora de um
lado e arde do outro.
Acaba de ser vendido em Nova-York um
cofre de joias de marm que foi dado pela ra
nba Isabel de Hespanba a Cbristovo Colombo.
O cofre chegou ao preco de 1,125 dolan ou....
1:012*300 ris.
e
As cifras estatisiica? que a prefeitura de Pars
aprsenla, acerca dos casos de alienaco, pravo-
cam urna .-ensacao verfadeiramenteassustadora.
O augmento de 30 por 100 que acensa em quinze
annos, faz receiar que, si esse movimento se es-
tende sor todas as partes, em breve ser a hu-
manidade um immenea asylo de doudos.
Eis aqu alguns dados de comporaco:
Boa Vi*BK va- XenaBnon e Espectation ; e o 8r. Queiraz erf
VolsBbi coudelaria Porvr.
*
ra, ha lempos, na faasnda de criapio
do SrvaarSo de Mesqata, os afamados gara
nboec*Bjillefer e Presiden!.
E' asna perda importante para a c.-iacao na
cionai.
TambTn ha das leodo trazidj o Sr. Joppert
do Estado de Minas Geraes dous potros, um por
Warrent Point e outro por Taillefer, quandOjIaca-
va o fllho de Warrent Point, que estava mnito
bravo, o potro ergueu se nos ps e, perdendo o
equilibrio, cabio desastrosamente, dando com a
cabeca n'uma pedra.
Sobreveio Ihe immediatamente urna ongestSo
cerebral e apesar de se Ihe terem applicado to-
dos os 8occorros o potro morreo minutos depois.
No Prado Fluminense executou no dia 20 de
Abril ultimo a sua primeira corrida, na serie
deste anno, o Jockey Club do Bio de Janeiro.
E antes de comecar a corrida, o Dr. Vieira
Souto, presidente da sociedade, reuni na sala da
imprensa os jockeys contemplados na lista dos
vencedores de {889, aos quaes era conferido o
premio de 5 0/0 sobre o valor das victorias al
caneadas nesse anno ; e depois de um bello dis-
curso cheio de incitamentos a trilhar sempre
o caminho do dever, as corridas,. procedeu
entrega das respectivas quotas "ajuelles que se
acha va m presentes.
Com o numero de montaras e de victorias, a
importancia total dos premios levantados e o
saldo das gratihcac&es a seguinte a lista dos
premiados:
rata inteira na Livraria Comtemooranea
de Ramiro M. Costa, roa Io. de Jarco n.
2, loja de ferragens de Albino da Silva
4 C, ra da eadeia n. 42; loja de fera-
gens de BraadSe A C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
m
NOMES
Fraacisco Luiz.
Arnold .
GeorgeLufl .
Lourengo .
Marceliino. .
Joo Goncalves
George. .
Jjaquim Bastos
U. Cousios. .
H. Day .
Artbur .
A. Toon. .
Beales .
Bento Marque?.
Julio Figueiredo
Manoel da Silva
George Bates .
Firmino .
Jaikson.
Joo Moreira .
Balbino. .
Tliomaz Dood .
Augusto Fonseca
Horacio da Silva
-3
c:
B S
a fe
I-
36:400*000
13:700*000
13:600*000
30:3>0*000
8:300*000
8:350*000
6 500*000
6:350*000
5:050*000
2:800* 00
-700*(X!0
6:500*000
2:300*000
I:800i00
2:700*00^
1-300*000
1:300*000
1:200*000
1:100*000
600*000
600*000
600*000
1:400*000
700*000
3*
1:250*1:00
685*000
680*'00
517*500
415*000
337*500
325*000
267*500
252*500
140*000
135*000
123*000
115*000
90*000
85*000
65*000
65*000
60*000
55*000
30*000
30*000
30*000
20*000
14*000
Perderam integralmente as suas graiiricacOes,
por multas impostas, os jockeys Jos Baptista,
Strugoel, Alberto Teixeira e Francisco Rodri-
gues ; e pelo mesmo motivo soffreram descont
as respectivas gratifica$Oas os jockeys Looren
Co Alcoba, de 300* ; Joao Gonjalves, de 80* ;
Jo :qoim Bastos, de 80* ; Alfredo Toon, de 2 0* ;
Julio de Figueiredo. de 50* ; e Augusto Fonse
ca, de 50*, quants essas que j se acham de
dnzidas na tabella cima.
O total das gratificices dadas deste modo aos
jockoys em virtud da sabia medida tomada
pela transacta directora do Jockey Club subi
a 5:7n9*000.
INDICARES TEIS
Anuos Houoens Mulheres Total
1872 1.693 1.389 3084
1876 1 682 1.448 3.230
188 J 1.932 1.552 3.484
1884 2.313 1.813 4.126
1888 2.549 1.900 4-44
Como se v, levam os homens 55 por-44 de
vantageai contra as mulheres.
A paralysia geral. o alcoolismo e a lucia pela
existencia sao as causasprincipaes da loncura.
A mana, a melancola e o delirio chronico
sao mau frequentes na mulher que no homem
O alcoolismo predas a terca parte dos casos
registrados, como comprovam os seguintes da-
dos :
Triensio3 Homens Mulheres Total
1874-76 314 66 52,66 367,33
1880-82 399,33 53,3 494,66
1886-88 604.33 725,33 629,66
A proporco das loucuras alcoolicas progride
mais as mulheres que nos homens, posto que
em 1872 ere:
Annos Homens Mulheres Total
1872 04,i6 52,66 367,33
1888 604,32 129,33 729.66
Os alcoolicos industriaes produzem a iotoxi-
cacao e um violentissimo delirio com symptomas
suicidas.
A paralysia geral produz a morbidez do in
dividuo que padece d'esta loucura, e participa de
urna cifra no total geral de i 2 27 por 100, sendo
3ue no anno de 18Z4 foram 174 os registrados e
45 no anno de 1888.
SPORT
Estao venda os seguintes animaos da coudela
ria do Sr. Domiogaas Seara na Capital Federal -
Mauve, cuja esptandida victoria ha poneos das
no Derby serve lne de honrosa recommendacao.
Boulanger, cavallo resistente e de boas pravas
especialmente em tiros longos.
Spencer, cavallo de 3 aunes de esplendidas
qualtdades, pelas pro vas que tem dado em cote
jos, e qne gosa da vanlageu de -nao ter corrido
quasi aos dous.
Famauco, esplendido especialmente para ga-
ranbao, pela na robustissima coostituicSo e
alm di aso pelas boas qcalidades que todos Ihe
reemhecem.
Tambem acham-se venda, as coebeiras dos
Srs. Th. Sedestrao t fiuiaares, os aniaaes>Bas-
tora, Mellon, Embargo e Biscaia.
Foram vendidos em leille ltimamente :
Lol, maio sauflue nac.onal. por D. Quixote e
Papillote, por 400*, ao Sr. B. E. Andrem:
Epopa, inglese, por .Cmbalo, 360*, ao Sr.
Jos Goisaaries ;
Protimack, panga, por 260 ao Sr. Couto Ja-
nior;
medie**
O Dr. Alcibiadet Velloso d consultas
das 12 s 2 horas da tarde, na <*sa da
sua anttga residencia, ra do BarSo da
Victoria n. 45, 1.* andar.
Dr. Joao Pidoespecialista em par-
tos, molestias de senhoras e de criancas,
com pratica nos hospitaas de Pars e de
Vcnna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, raa do -Baro da Victo-
ria n. 60, L. andar, e reside na estrada
dos AfBictos n. 30, junto estacao do Es
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia a 2 horas e tora
destas horas ra do Baro de S. Borjc
n. 22. Espe iiaKdadesmolestia de crian-
fas, senhoras e parto. Teiephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8
d onsultas medico-cirurgicas todos os dias
das 6 ao meio dia, menos nos domingos e
dias santificados.
Dr. Freitas Guimaraes, medico, tem
dess consultorio na ra Duque de Casias
57, 1." andar; d consultas nos dias uteis
as 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Teiepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
iico-cirurgica. Especialidades : molea-as
palmo nares e partos. Ra do Mar qu.-* de
)linda n. 27, 1.* andar. Consultas uas 11
is 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa
ella) das 6 s 9 horas da manhS e
arde Telehone n. 392
Dr. Joaquim Jjowteiro medico e partei
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 as2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,-
Pratica a lavagem do tero quando e co
no 6 aconselhad&. Consaltas das 11 a
i da tarde em sua risidenoia roa do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.*
uidar. Teiephone n. 389
Dr. Ribeiro de Bruto d consultas de
meio dia a 3 horas da tarde, no 1. an
dar a ra Duque de Caxias n. 46, poden-
de ser procurado para chamados, na sua
residencia, ra do Hospicio n. 81. Te-
iephone n. 303.
Adrogados
O baeharel Bonifacio de Aragao Faria
Rocha contina a advogar. Escriptorio
roa do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseca
tem seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
Occulista
Dr. Ferreira. com pratica non prinoi-
oaes hospitaes e clnica de Pars e Lon-
dres, consultas todos os das das 9
aorasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Dr. Borreto Sompaio, oceulista, d con-
saltan del s 4 horas no 1. andar da'halho
PDBLICACOES A PEDIDO
Inleresse publico
Peco a attenco de quem se inleressa pelas
cousas da nossa Ierra, para o que se segu ex-
Irabido do relatorio apresentado presidencia
da provincia em 5 de Fevereiro de 1883.
Muita gente pensa que o emp.vgado publico
nao deve receber remuneracj porque nao Ira
balha. Aclio cu que n'isso vui urna grave iojus
tica, porque os ordenados no nosso paiz sao to
tesquinhos. que por pouco trabalbo qne se faga,
sempre elle rica-mal remunerado.
0 mil, porm, nao est n'isso: est em nm
axioma muito antigo e que creio que em parte
alguma do mundo est em tamaoha actividade,
como entre n?. Db miximis non curat Prcetor!!
Ditero os que nos gcvernam a respeito de inul-
tas cousas, que sat, na verdade, de grande im-
portancia e ellcs alias nao Ibes applicam ne-
nbuma attengao.
No rgimen transacto, que Deus Ihe falle n'al-
ma, a preoecupacoera a materia eleitoral. Tudo
converga para ella ; todos os elementos de ven-
cer se punbam em aeco : trata va se soaiente da
eleico e varias vezes urna ou outra questo por
pouco3 momentos prenda o espirito de qoem ti-
nba na moo leme da nao do Estado.
Sande publica foi sempre materia que nao me-
reca applausos de nioguem que governava. De
vez em quando revia-se o regulamento e reforma
va-se sempre para peor, at que em reforma
separou se a sale publico da do porto e ticaram
ellas iudependentes urna da -outra. e com auto
nomii propria I t Creiite, Pisones!I E qnando
isso nao era anda sufficienle, quasi que se ex
lioguio a repartico da vaccina 11
Nu:guem pen>; que eu tallo assim porque a
dio repartico da vaccina estivesae muito be o
montada e prestando os relevantes servicos que
repartieftes d'esse genero preslam exuberaute-
meate em outroe paizes que nos suppomos mais
adianiados do que o nosso.
Nao foi s isio. 0 prurido de reformar para
peor nos collocou tm urna posigo pouco decen
te, humilde mesmo, porque n&o tendo nos. falta
de mdicos de elevado merecimento, Seamos su
jeitos por quem confeccionan o regulamento a
soff'erxosoque nao era nem de justici, nem de
razo.
E a prova nao pode ser mais evidente, porque
de vez em qnando apparecem coergoes sobre os
navios de nossa marinha mercante, sera que al
o presente por nossa parte, lenham sido bita*
vexacOes aos navios das Republicis do sul. e-
nhum cidado deve deixar de sentir se profun
damente quando se faz algura mal por pequeo
que seja sua nacionalidude. Se todos os mais
povos tem orgulbo de peitencereiu a sua naco,
nos nao mereceramos o nome de povo brazileiro
e livre.se por acaso soffressemos e nao reagisse
mos. Civis braziliensis sum,bradaremos com todas
as forcas. E' questo de admmistraco, e por isso
nao nos emaranbemos nella,porque estamos cerlos
que o nosso governo, patritico como se occu
para d'ella em tempo, e como julgar couvenienle.
E' urna lembranga apenas, que nos suggerem as
noticias que tm ebegado ao nosso conhecimento
acerca da execuso que se tem dado ao regula-
mento sanitaria expedido em consequencio do
accordo. Vamos adianto...
Do citado relatorio chamamos a attengao para
o segointe capitulo:
VACCINA
Al a presente data nenbuma providencia ha
sido-tomada com o um de melhorar, no que est
ao nosso alcance, esse importante ramo de ser-
vico publico, pelo qual hoje tanto se preoecupam
e uleressam os governos europeus, prioc pal
mente os da Allemanha e Inglaterra, como tam-
bem o da America do Norte, onde se trata com
especial altenco d'esse preservativo, cuja i fiiea-
cia at o presente nioguem se abalancou a con-
testar.
Nao obstante as repetidas recamacOes que
havemos feto acerca de objeclo de tanta pondera-
cao, que parece nao haverem sido jamis toma-
das em consideracao, nao desarrimaremos nunca
e continuaremos a pedir, a instar mesmo para
que se pense no grande numero de victimas que
ha toios es annos n'este extensissirao Imperio
do Brazil, no numero incalculavel de bracos
creados no ameno clima do nosso territorio, ade-
quados ao pesjdo servico da iavoura sob um sol
abrasador e ao mesmo tempo vivificante, que se
perdem, e conhecer se ba, sem.muita difficulda
de o prejuizo que soffremos gastando somruis
fabulosas de dioheiro em mandar vir a escoria
das cidades europeas, entretanto que a verdadei-
ra economa estara em empregar a maior sem-
ma de capitaes para estabelecer o servico da vac-
cinaco, e outros as melbores condigOes para
tirar d'elle todo o proveito possivel.
Ha mais de cinco annos, que depois de urna
tregoa de tres a quatio anuos, apparecu de no-
vo esse tremendo flagello da bexiga, c princi-
piando pelos alojamentos dos retirantes da secca,
e em poneos dias desenvolveu se as casas, nos
hospitaes e em toda parte.
D'ahi para c, o seu reinado tem sido inces-
sante, e sempre com alternativas para maior
e menor i itensidade, e deseavolvendo se em
alguas individuos com tal gravidade que logo
po segundo ou terceiro dia se pode fazer um
joizo, se o juizo humano pode ser infallivel,
acerca de sua terminaco fatal.
E na verdade a bexiga purpura ou bemor-
rbagica, parece devida a urna alterago do san
gue ainda mais profunda do que a da febre ama
relia grave.
N esta com effeito, ainda depois de estabele
cidas as exhalacdes sanguneas com todos os te -
cidos em que ellas commummente apparecem, al-
gn s doentes, depois de insano trabalbo, con-
seguem resuscitar, emquanto a bexiga purpu-
ra nem d tempo ss vezes para se demonstrarem
as hemorrhagias; a acgo destruidora do prin-
cipio morbigeno ao mesmo tempo enrgica e
rpida.
Nao ha remedio, por mais brando ou heroico
3ue se considere, qne seja capaz de curar um
oente de bexiga purpura ou hemorrhagica.
Parecera que o melhor alvitre a seguir nesses
casos, que podem ser chamados desesperado?,
era alimentar o doente na proporco de suas
forgas e necessidades, e prodigalisar Ihe todos
os cuida 03 at a soluco final da molestia.
Nao faltam todava especuladores que incul-
quem rem dios poderosissimos para curar infal
livelmente a bexiga ; tambem nao faltam alguas
que venham afiangar que experimentaram esses
maravilhosos elixires e qne curaram grande nu-
mero de doentes : a nos s nos resta o triste
desconsol de confessar, que entre muitas cen-
tenas de doentes atacados de bexiga purpnra ou
hemorrhagica, um s nao tivemos a felicidade
de salvar. Os cuidados e o tratamento apenas
teem conseguido prolongar o marlyrio das infe
lizes victimas.
Ainda muitas outras observaces a respeito
da varila se acham, em resumo, estampadas no
dito relatorio, e que mereeem ser lidae nesta
poca, mas que delxo de transcrever para nao
cancar o leitor, se qne aUuem nao se oceupa
a lr nos Diarios seno esses artigos que se oc-
cupam da poltica da nossa trra I!
O m priucipal desta publicaco mostrar ao
publico que, se nos nao gozamos, ha mnito tem-
po, dos beneficios que nos poda Drodigalisar
urna vaccina pura e indemne de vicios orgni-
cos, como a extrabida dos peitos das vascas,
a culpa nao foi nossa ; trabalhmos com a me-
lhor vontade ; gastamos amitos dias nesse tra-
afanoso e incommodo, mas fomente o
entra-
jasa roa Bario da Victoria n. 51.
dencia a ra 7 de Setembro n. 34,
da pela ra da Saudade n. 25.
Dragarla
Faria Sobrmho A C, droguista por ata-
jado, na do Marques de (Minea n. 41.
Francisco Manad da Silva A C, depoai
tarioa de todas as especialidades pharma-
oeutioaa, tintas, diegao, prodacaoa cbimi-
oas e medicamentos homeepatieos, roa do
Marquei de CHinda n. 23.
p,.; labandoamos quando o nosso paternal governo
nfOD, como costuma ordinariamente : Nao
:ta dinheiro 11
Quera o governo que, alm do nosso trabalbo,
ainda comprassemos as vilellas e as susteotas-
semos de leite e ovos, para no m de cootas
nem nos mandar agradecer, como era seuinve
tenido costume ; pois alm do servigo eleit ra
nada mais se reconhecia, como tal.
Temos, pois, que publicar o resultado de nos
so trabalbo que nao foi pequeo, alm de ser
mullo iocommodo, pois lineamos de andar pelas
cocheiras a examinar ps de cavaltos e depois
examinar u tetas das vaccas que nao estavam
domesticadas, e por consegniote nao se presta-
vam com maosido ao exame que era de necea-
sieade fazeimos.
Ha ooucos dias vimos publicada nos jornaes
asna declaragio do governo provisorio, rtcom-
meadando s intendencias muuieipa?3 qne en-
vidassem seus eefor^os afim de obterem o con-
pox natural ; e se nao o Qieseem se Ihe retira-
ra a prestaglo para isso destinada. No caso da
ter a loiendeneia de dedlcar-se a esse servigo, i
meio caminho andido o que nos flzemos e con-
sta do seguate relatorio :
Relatorio apresentado Presidencia da provincia
de Pernambuco em 27 de Novembro de 1872,
pela commisso medica nomeada para fazer as
pouiveis experiencias afim de conseguir nesta
provincia a vaccina natural (cow poxj.
Illm. e Exm. Sr.A commisso incumbida
a 27 de Oezembr* proxino passado de fazer as
possveis experiencias para conseguir nesta pro-I
vincia a vaccina primitiva cow pox, vrm dar!
parte a V. Exc. do qne praticou nesse intuito,!
do pouco que at hoje ple conseguir e d'aquilla
que na sua opioi se deve praticar para haver
sempre nesta cidade vaccina animal.
Cumpria em primeiro lugar a esta commis-
so verificar qual era a molestia dos ps dos
cavados, qua to diversos nemes tem as outras
liogoas, e cuja deaominaco poda variar as
diversas localidades do Brazil, capazes de pro-
duzir a vaccina animal.
As descripgfjes .:essas molestias dadas pelos
escri plores europeus convenceram e.-ta commis-
so que devia ser a que nesta provincia se cha-
ma geralmente arestim En contando, um casj da
arestim, anda no periodo vesicular e por isso
as melbores condiges para a inoculago, nSe
conseguio a tempo novilbas, nem vacca alguma,
em que praticasse essa operagao. Succedeu, po-
rem. que um seu auxiliar, incumbido de achar
arestim, ino;ulasse esponti.neam.-nte no ante-
brug3 esquerdo as lymphas do arestim com um
alnete e qu ; no lugar da inoculago se desen-
volvesse una ppula circunscripta, dora e acu-
minada, que pareceu a esta commisso um caso
de vaccina espuria ou falsa. Quando ebegaram
as duaa vaccas postas por V. Exc, disposigo
desta commisso, j. tinha passado o periodo ve-
sicular do a estira, e deraais as vaccas magras,
velhas e sem a conveniente alimentaco e trato,
uo aprejentavam condiges favoraveis do bom
xito tiestas experiencias.
Animada, nao obstante, pelo que havia suc-
cedido no braco do stu auxiliar, homem de
maior idade e que havia sido vae ;inado, e nao
tendo esperanga de conseguir vitellas, novilhas
ou mesmo vaccas em melhores condiges. ino-
culou as testas daquellas duas vaccas a lympha
do arestim, raspando as codeas que haviam sub-
stituido as vesculas, e conseguiudo urna lym-
pha genuina, como indica va o seu ebeiro e a
sua consistencia pegajosa. a
J a commisso havia perdido a esperanga
do bom xito desia sua primeira tentativa em
que alias pelas razos ex postas pouco contava,
quando no duodcimo dia da inoculago, em sea
ultimo exarae das tetas das vaccas, des obrie
entre dous dos iiur.ro bicos da teta de urna del-
tas, urna pstula com todos os caracteres de
coto pox, mas com a lympha j concreta por na
ter s:do vista a tempo de su aproveitar.
Desde ento nao pJe esta commisso en-
contrar um s caso de arestim nesta cidade,
nem em seus suburbios, e pelo que Iho afir-
mara pe-sois entendidas s no rigor do invern
se poder eocantrar.
< .Nao sendo mais duvi loso para esta corn-
xissSjqucc Ijmptta da Molestia dos cavallos
chamada arestim oesta provincia, inoculada as
tetas v.icas produz o cow pox ou vaccina pri-
mitiva, e tendo pouca esperanga de obier nesta
cidade arestius e vitellas ou novilhas em condi-
g63 favoraveis ao bom xito das experiencias,
redigio as instruegss que V. Esc.-manden pu-
blic de gado dos mais alustrados, dos quaes dous
sao mdicos. *
E' tie esperar que aqueiles cidados, con-
sejos da importancia do servico que podem pres-
tar provincia, tendo pelo grande numero de
cavallos e vaccas de quoidispem todas as faci-
lidades para urna txperimentago regular, se
dm a etse irabalho, que as instrueges da com-
misso Ihes facilitam, e ae que resultara com
certeza a conservago do cow pox na provincia.
Estando anda distante a ooca em que
se podero encontrar arestins, resolveu esta
commisso, no mez de Fevereiro, maudar vir
da Europa a vacc:n i animal que all se conser-
va em varios estabeleesmentos pblicos, pare-
cendo-lhe que se pegasse as vaccas da trra,
contribuira para se conservar na provincia a
vaccina regenerada. -
De Lisboa, ultimo porto da Europa em que
tocam os vapores transatlnticos, receben cjm
17 dias de extrabida, dous tubos de vaceina ani-
mal, que a Cmara Municipal d aquel la cidade
conserva por meio de vaccinages semanaes de
vitella vitella.
Esta vaccina foi inoculada em duas vaccas
tambem magras e em condiges de alimentaga
e trato apropriado ao seu destino.
< Em urna deltas na^ceram tantas pstulas de
vaccina quina, quantos foram os pontos inocu-
lados. Na outra uo se desenvolveu urna s
pstula, e as daqoella em que pegou a vaccina
animal, nao mmaram desenvolvimento idnea
para a sua propagago.
Est, pois, convenc la esta commisso, que
tanto com a lympha e o arestim dos cavallos,
quanto com a vacna animal da Europa, se
poder fcilmente obter nesta cidade o des-
envolvimento da vaccina degenerada, mas que
isto se nao poder realisar de um modo perma-
nen'e e de utilidade pratica sem que primeira
se organise nesse intento um servico regular.
Esta commisso toma a liberdade de indi-
car a V. Exc. o modo que mais efficaz e mais
econmico Ihe parece para se conseguir o deso-
jado resultado. A Cmara Municipal fcilmente
poder consegrar dos marchantes que vo com-
prar s feiras o gado que vem para u matadour
que Iragam urna ou duas vitellas ou novilhas to-
das as semanas.
Estas rezes descansadas etratadas como -rais-
ter para o bom xito da inoculago, quanda,
Sorm, vendidas ou tratadas dabi a doze ou quinse
ias-bo de ter um valor superior ao eeu custo,
que reduzir a lespeza a quasi nada, se nouver
fiscalisago.
Ellas devero estar sol a inspecgo do me-
dico da cmara e do coramissario vaccinador da
provincia, que se-o incumbidos da inoculago e
conservago da vaccina animal, e aos quaes se
remetiera o cow pox espontaneo ou artificial que
vier do serto, assim como a vacema regenerada
da Europa.
' Esta commisso tem promessa de duas vi-
tellas novas, sadias, em con lices de alimenta-
go e tratamento favoraveis ao desenvolvimento
do cow pox e s espera encontrar algum ares-
tim para inocular; mas a nao estar j ento or-
ganisado o servico indicado, anda quando coi-
siga o eeu intento, o que ihe parece summamen-
te provavel, nao ser possivel a conservago da
vaccina animal.
Com o que fio a exposto prova esta commis-
so quanto deseja a renovago da vaccina pri-
mitiua nesta provincia ; mas attendendo aos re-
conbeerdos preconceitos de grande parte do nos*
eo povo contra a vaccina humana, nao pode dei-
xar de lamentar que se exagerem a insufficiea-
cia preservativa e os inconvenientes possiveit
da actual vaccina humana.
Esta commisso nao concorda com a opinio
manifestada no officio Ja Academia de Medicina
do Rio de Janeiro acerca da ineficacia preserva-
tiva da vaccina jeneriana ou actual vaccina hu-
mana, nem julga provados os inconvenientes
que Ihe empre3tam. NSo verdade para esta
commisso %m<* finad preseavaliva da actu
vaccina sqMMdrxoi aoAtwu.crjftoeelnoof-
cio que V. Exc. Ihe remetleu por copia.
. Muito pelo contrario, a experiencia accorda
de centenares de escriptores e de milhares de
observadores, mostra que se nao ha, nem houve
nunca um preservativo absoluto das bexigas,
como o nao foi o coto pox em algumas das vacci-
nages do immortai Jenner e como nao sao as
proprias bexigas inoculadas ou espontaneas, a
vaccina humana preserva completamente agran-
de maioria dos vaccioados, e a reoeptividade das
bexigas rica por tal modo diminuida nos vacu-
nados que mui poucas vezes elles tm bexigas
graves, e rarissimos cao os que suecumbem. E"
isto que esta commisso em dilatados annos de
pratica tem observado at boje, e tambem se
estas algumas des concluses do luminoso rela-
torio que o sabio acadmico Dr. Serres- fes a
Instituto de Franga acerca deste importante ai-
sumpto. Conservar, pois, a vaccina h imana, e
ao mesmo'tempo reprodtwir a vaclas primitiva,
compara a eficacia relativa das duas vacoi-
f
>..'
t
" i
*
i
I
k



Diario de PeTOambuco--Qumta-feira de Maio de 1890
I

h
f
v
i
-V

aas e recorrer & melbor de que te poder dispr,
Meo proeedimeoto que mais prodente parece
a esta commissio.
> Deus guarde a V. Exe Illm. e Exm. Sr.
aonselheiro Diogo Velbo Calateante de Alba
Suerqae.
Recife, 5 de Abril de 1871.(Assigoados)
Br. Jote loaouim de Moraet Sarment, Dr. Pedro
4 Athagde Lobo Moscou, Dr. Ernesto Feliciano da
Stlva Taare.
Ora vejare la. Passaram se 19 annos e oada
mais se (es eai Pernambuco para obter um re
aludo de tanta utilidude pratioa, de tanto pro
veito para o doto, este aiylbo'ue que tanto fal-
lam 03 patrilas quaodo estao em jogo seas in-
teresses e a quera nuaca se lembrara de fazer
beneficia alguna, quando ella se acba sob o peso
tas neceasidades, dos soffriuientos e das do
res II!
Ha poucos annos soffremos cora resigoaco
evanglica una epidemia de bexigas que camou
aorriveis estragos na populacao. Depois ela
appareceu no Rio de Janeiro, oude atacou indis-
Suciamente todas as cla'ses da sociedade, fa
sendo innmeras victimas I!
Consta pelos jornaes e pMas cartas e gente
tue dalli vinhi, que era in<1i^ :riptivel o pavor
de que a populacao estiva alT,;etada em conse-
cuencia damortaodade que a%iava disimando II
Ha be o quatro anuos que um ou outro caso de
varilas tem apparecido, depois que o governo
creou u hospital de S ma gueda, para onde ten
sido removidos os affectados d'e-sa molestia 11
Porm para baver sempre alguma cousa que
tuse exiranhcza, a epidemia de varila tem se
desenvolvido com iotnsidade no bairro do lie
fe, onde, comquanto as coniieoes hygienicas
em nada excedam as dos outros bairros, todavia
a populacao meaos aglomerada, porque, bair
ro commercial, em algumas ras as casas du-
rante noite poucos amadores aboletam.
Mas, quem nos di raque a epidemia v se pro-
pagando pelos outros bairros, porque nao ba
meios de isolar dos saos aquelles que vio adee
endo ? Todas as vetes que se d. ixam os f .eos
tornarem se mais activos, o que acontece porque
a maior parle dos doeoies rica em suas casas, a
propagaco se ba de fazer com mais energa e o
aumero dos contagiados ba de ir crescendo.
Innmeras veze tenbo dado a inii ba opinio,
fue nao tem grande valor, bem o conheco mas
fue, por ter sido desprezada, assim como todas
aquellas que d izem respeito a negocios de hygiene
publica, as cousas lea continuado no mesmo es
lado, e continuar, porque nao se empregam
meios conducentes a melho-al as.
Ja por ma s de urna vez tenbo dito em relat-
nos ofnciaes qu nao no momento em que ap
parecem as epidemias que se trata de medidas
preventivas. D'etlas preciso estar a autoridade
sempre prevenida e affastando tudo quanto pode
ser prejudicial populago. O que se ha frito
at o presente ?
Quo providencias se ha tomado a respeito das
Musas em abundancia existentes n'esta cidade e
fevcreeendo o desenvolvimemo das molestias ?
Falla se muito, promett-se muito n'ais, porm,
obra nenhuma app .rece.
Em outros paizes, como algumas das cidade
a Aliemanhi e dos Esta los-Unidos, a bexiga
lem quasi totalmente desapparecido. Deve se
sso ao em pendo cjm que se est fazendo a vac
inacSo obrigatoria, e principalmente a revacci-
nacao ; e anda mais ao isolamento que se pra-
tic, seja com quein fr que apparega affeclado
de bexigas.
Por mais de orna vez tenho dito :a vaccina
preserva da bexiga. Se apparece um individuo
afTectado d'essa molestia, que declara que foi
vaccinadu, inlague se minuciosamente, como foi
essa vuccioae elle da que fizeram lhe tres ino
eulacOes em cada braco e ao tira de dous das
appareceram urnas pequeas borbulbas que logo
sara ara Isto nio quer dizer que o individuo
fosse vaccinado e principalmente se elle nao
aprsenla no; bracos alguma marca que Ibe dei
xasse a vaccina verdadeira. que, alm de cara-
cterstica, persiste por toda vida; e anda quan
do o individuo nao saiba contar a historia dos
soffrimenios que leve quando foi vaccinado, a ci
catriz por si so falla bastante.
Nao sou dos que mais impresionados vivera
com os contagios, infe c-.s e microbios. Ha
alm de tudo isso urna causa invisivel, impalpa
vel, e que resiste a todos os meios de investiga
cao, e que se acba oceulta no mundo atmospbe-
rico ou tellurico e que di origem as epidemias ;
e que qu indo ella cessa a epidemia decresce r-
pidamente por mais consideravel que seja o nu
ero dos oentes affecados. Emo cessa o con
tagio, aaiq 'ase a iufecgo e morrem lodos os
microbios qu eraram aquella especie.
Eis abi como se explica a razao porque quan-
do a epidemia est em seu maior auge e que pa-
rece que todo o resto da populacao vai perecer,
ella desapparece quasi instantneamente.
Cada um que pense como quizer, porque eu
nao quero de maneira alguma obstar ao pensa
ment ulbeio, apenas que'o que me deixem pen-
sar, como eu posso, vista de tantos aanos de
observaco, que -e fossem reunido a um grande
talento e a uuia robusta ntelligeocia, como Deus
foi prodigo com alguns e mesquinho commigo,
eu lana outra figura, que nao tenbo feito, por
que tambera me tem faltado a audacia com que
outros se apreseotam ao publico.
Mas, voltemos para traz. Os carangueijos an-
dana tamb m para diante como para a recta-
guarda E' o que me acontece agora porque
alonguei-me em consideraces e perdi a trilha.
Ha pouecs dias li no Diario de Pernambuco um
artigo do Dr. Franco a respeito da vaccina bu
mana e animal, trabalho que honra ao seu autor
j bem conbecido as lettras e as scieocias.
Se a municipalidade ou o governo tem de se oc-
cupar d'este assumpto que tanto interessa bu-
manidade, tem all um facto, nao digo de lus
elctrica, mas de luz pratica, sciencia, estudos
prolongados e coosciencia pura, para por elle se
guiar na organisaco de um servico, que tantos
agradecimentos ha de receber da humanidade
resta parle do norte ds Brasil.
Bem dizia o venerando commendador Figuei-
roa, hoatem de muito tino e criterio, e memore
trompto em prestar seus proficuos servio- -n
i n da humanidade, que quem lia todos os dias
Diario de Pernambuco nao tinha necessidade de
livros, porque nVH- a^-itrava sempre materia
instructiva, porqjo ^W o /azia escolba do me
lhor que havia em todos os jornaes estrangeiros
e naciooaes c alimentava o espirita com mate-
rias que o illastravam.
Comprehendi que o respeitavel anciao fallava
aon-cieneiusimente e nunca deixei de ler o Dia
rto todas -s man has, au les de entregar me aos
meus irabilhos e sempre acho com que augmen
tar alguma c rasa o p raco que tenho podido ajun
tar nos annos que tenbo dedicado ao estado e
observaco.
A' Intendencia Municipal do Recife recom-
iendo o artigo do Or. Pedro Affonso Franco, que
vem inserto no Diario de 8 do corrate, pois elle
traz proficuas licoes a respeitj da. vaccina e de
outros motivos qae inte essara s intendencias
municipaes. Descolpem a lembranca. Ninguem
obrigado a tomar conselhos, mesmo pediodo,
quanto mais se Ihe dando sem os procuraren).
Recife, 28 de Maio de 1893.
Dr Lobo Moscoto.
< da populadlo brasileira, todo mostra
c que est destruida a civilisacSo poltica
f do paia.
E o governo provisorio ouaa preten-
< der qae commette todos estes crimss
< contra a libardade por motivos de sal-
c va^So publica Mas, se os brazeiros
c todos adheriram a Republiea, como o
< governo annuncia para a Europa, qual
a dsseulpa para esse confisco da l.ber-
c dade ? N3o ser difficil descobril-a. >
Quaea foram os < cidad&os tmmwentes
tramportado pela ra entre a* hayone
tea offereceado assim a popalaclo bra-
aileira um espectculo at entilo desconhe
cido? Quiaeramos que o Sr. Frerlerico
aos citasse os comes. Porm, preveni-
mos logo que oto aos traga D. Pedro,
Ouro Preto, o Silveira Martina, etc. ; por
que esses foram logo deportados, a bem
da tranquillidade publica, da ooosolidacSo
da aova ordena de cousas. E como fazel o
sem destruir os empecilhos que se anto-
lhassem ao governo ?
Demais aquelles cidadSos presos e de-
portados nao atravessaram as roas do Rio
de Janeiro, u m de cidade alguma, por
entre as bayonetas; neahum.
Em polticae o r. Frederico bem o sa-
be todos os principios sao puros, todos
os regimens sSo honestos, todos os rao
violentos sao libertadores, todas as ideas
sao verdades, quando triumphantes, e per
dem todos esses bellos e sympathicos pre-
dicados quando derrotados. Equemtriam-
pha a3o se limita sement a presenciar o
facto simples da victoria. Emprega maior
esforjo em garantir, manter, consolidar
as suas conquistas. E se assim nao fosse,
oSo vemos vantageos em vencer.
Os movimentos triumphantes julgam to-
dos os meios de consolidacSo, bons, lci-
tos, e abrem pouco os olho3 a muita vio-
lencia ; e as vezes degenerase em verha-
deiro despotismo, brutal e tyranico. Mas
para esses casos a reaccSo cao se fas es-
perar. Ningiem se deixa truoidar sem
protesto. Ora, as vezes acontece que
urna violencia se torna preciso a bem da
manutenySo e ordem do principio que se
erigi em no me de governo e qae aasceu
de urna vi< lencia. E' como as grandes
potencias da culta Europa se conservam
sob o mais colossal, poderoso e forte ar-
mamento para fazer urna gue:ra em favor
da paz.
O que precisa, porm, da parte dos che
fes do m vimento, sensatez e tino para se
nSo deixarem levar por paixSes ou egos-
mos inconfessaveis, e facam tudo mudar-se
em terrorismo. Isso n&o. E' um pessy-
mo systema, condemnado por si mesmo
a pouco tempo de existencia. '
Ora o Sr. de S. que tem mostrado gran-
de animosidade aos principios jacobinos,
seguramente porque ama e applaude a
monarchia, responda aos urna pergunta.
Figuremos a hypothese gratuita, j
se v de operar se no Brasil urna tran-
sformagao aos caracteres e seatimentos da
maioria da cacao, e Be effectuasse um
movimeato restaurador, movimeoto que
triuraphasse e, oa voltasse o velho D. Pe-
dro de Alcntara, ou sua illustre familia,
ou seu augusto neto. Os primeiros actos
do aovo rgimen eram a deportagSo, senao
a forca e o fuzilamento dos principaes
chefea republicanos, quer da capital do
imperio, quer das outras provincias. O
Sr. Frederico verberara com a mesma
acrimonia esses actos de violencia, com
qae agora quer importunar os brazeiros
republicanos ? NSo, estamos certos disso.
Portaato, deixe-se de paixBcs. E ee
quer escrever urna Historia, v aprender,
primeiro critica histrica; se porm,
urna simples chrooica t que fez inserir na
Revista de Portugal, entao deixe-se de to
tices e nSo nos queira aborrecer com cri-
ticas desasslsadas. E' muito melhor para
oes e mais commodo para S. S.
No trecho citado porm, ha verdades e
bem severas. O publico que as descran
ne das ioexactidSes. Applauda o escri-
ptor portuguez oaquillo que elle merece ;
e censure o pelas inverdades que escreve
e dos manda. Ha mrito o'uma e o'outra
cousa.
Continuando o Sr. Frederico faz urna
muito criteriosa e bem exhibida censura, a
determinacao dos elevados ordenados do
chefe do goveroo e dos mioi." .s. E'
esse um dos actos do goveroo rovisorio
que sempre te ve as nossas r ovacSes, e
que em conversas taxams de indecen-
tes.
Com fraaqaeza nunca esperamos que
oaci aes ministros da Republiea, como
madi rimeiras questSes, tratessem de
elevar a- bro o subsidio que sempre per
ceberam os u^chores ministros do impe
rio.
A quem faziamos essas nossas obser-
vares, procura va justificar o acto de
nossos compatriotas faaeodo ver o dia
pendi grande de um ministro na capital
do Paiz e o pequeo ordenado de um
cont de ris,
Nunca achamos plausivel casa razio.
Entilo nos exultaramos de praser e
rir-nos hiamos s bochechas do Sr. Frede-
rico de S., se vissemos os cosaos minis-
tros prestar os seas servicos a Repblica
do Brasil gratuitameote, at a orgaaisacSo
da CoostituicSo, oa de um goveroo defi-
nitivo. EotSo enxergaria uos ahi um pa
triotismo superior a todo elogio.
Comegar, porem, a Repblica com a de-
terminacao de um enorme ordenado para
o chefe de um governo qae provisorio,
e logo depois applical o, para um cidadSo
como outro qualquer da grande commu-
ohao politice, e dobrar os dos cidados
mioistros, oSo mereceu seao as oossas
queixas, perdidas, verdade, do mare
magnum das convaleSes revolucionarias do
Paiz. Perdoem-nos os cidadSos do gover-
oo provisorio, porem aodaram mal e...
desgostaram muita geote.
Passa entlo o Sr. Frederico de S. a
aaalysar a reforma eleitoral e a epo ha
marcada para a reuniSo da Constituate..
E nisso elle anda magnficamente des-
astrado, maravilhosameote infeliz e per-
feitameote desageitado. Ser objecto de
nossas apreciares em o prximo aumero
de oossso trabalho.
(Contina)
Recifa, 27590.
lyrso de Lewbcn.
Dado que seja, como eremos, que a
A Repblica Brazllelra e a Re-
vista de Portugal
(PROTESTO AO SR. rRBDBBICO DK 8.)
VIII
Para melhor explicacSo e organisacio
do oosso trabalho citaremos aioda algamas
palavras do Sr. Frederico de S. Eis ama
asseveracSo que este escriptor fas e cuja
inser$2o aqui se faz preciso.
c Todas as institaicSes representativas
c estao abolidas. A liberdade do cidadSo
est confiscada. Hoje ao Brasil, nlo ha
tribuaaes, alo ha leis que protejan o iu-
dividuo contra a violeacia quando ella
vem do goveroo. O cidadJo preso, de-
portado, sujeito a todas as aggress3es
4 offijiaes, sem ter recurso oenhcm coa-
a ira ellas. O poder, armado dos solda-
des e dos marioheiros, alo tem outro
< limito alm. da saa vontade. E o regi-
mea. da saspeHa, da delaclo, as soeoas
de perseguicSo poltica, cidadlos emi-
ntes transportados pelas roas entre as
asTonetas, espectacalos esconhecidos
despeza de um ministro seja muito su-
perior a sua receita, oSo estova na mora
lidade civica e administrativa dos Ilustres
cidadlos, nao Ihes permittia o decoro po-
ltico, marcar a si mesmo um ordenado
pele dobro do que exista nos idos tempos
da monarchia.
Por muito diminuto que esto fosse, in-
significante mesmo, elles deviam refleotir,
e reflectr muito, que todo brasileiro tra-
vessava urna ense seria, urna phase de
reparaclo e recoastrueco da 66 annos de
imperio e esbaojameotos dedois gabinetes
pouco moralisados ; e que era dever de
todos, e principalmente daquelles qae to-
mavam aos seus hombros o pesado en-
cargo de dirigir e classificar os trabalhos
de resonstrueco regeneradora, sacrificar
desde os seus commodos at as suas pro-
prias vidas.
Isso oSo sZo idealidades platnicas.
Reflectissem nisso melhor os cidadSos
mioistros, e peasaasem tambem qae elles,
commissionados p la NacSo, oSo podiam
receber determinagdes de honorarios sen So
della, representada por ama assembla
constituioto.
E demais, se os Srs. ministros do Sr.
D. Pedro II podiam pasear com um cont
de ris, manteado o fausto e ostootacSo
que exige a magnificencia da monarehia;
os cidadSos ministros do r-idadia general
Deodoro, com a despretenciosidade de-
mocrtica, caracterstica da Repblica, po-
da pastar at com a metade.
D. Hara Amella de luclroz
(Continua<8)
VI
A importante Oazeta de Noticias, da ca
pital federal, em sua ediccSo de 15, deu
da seguate forma, noticia da recepcSo da
ultima conferencia pronuuciada por essa
digna conterrnea:
c Cbegou actehoctem do corte no
Valparaizo a Exma. Sra. D. Maria Ame-
lia de Queiroz, distincta propagandista re-
publicana que tem feito diversas conferen-
cias em alguos pontos de Pernambuco.
S. Esc. teve a gentileza de iazer-noa
pessoalmente a entrega do exemplar da
ultima coufereccia que pronunciou.
VII
O Diario da Bahia, urna das acredita-
das folhas d'esse Estado escreveu o se-
guate, em sua edicjSo de 30 de Abril do
corrente anco:
c Fomos honrados hoctem com a visita
da Exma. Sra. D. Maria Amelia de Quei-
roz, distincta pernambucana, que chegou a
esta capital antehonte.
< Essa illustre senhora salientou-se mu
io oa sua trra natal durante a propaganda
abolicionista e presten boos servicos cau-
sa republicana, cootribuiudo por sua pala-
vra na tribuna das confereccias publicas,
para a divulgacSo das novas ideas.
c Dedicando a estas causas os dotes do
seu espirito, a Exma. Sra. D. Amelia de
Queiroz tornou se lisongeiramente conhe
cida em Pernambuco o em outros Estados.
c A talentosa propagandista pretende
demorar se poucos dias aqui, seguindo para
a capital fed-ral.
Cumprimentamol a cordialmeote, a
gradecendo-lhe nao s a visita com que aos
distingui, como a offerta de exemplares
das suas applaudidas conferencias. >
VIII
A mesma citada folha, em sea camero
de 13 do corrente, escreveu as seguintes
linhas:
< Seguio para a capital federal a
Exma. Sra. D. Maria Amelia de Queiroz,
distincta cultora das lettras.
c DesejamoB a S. Exc. prospera via-
gem.
Cicu.
(Continua).
A o partido republi-
cano
Para evitar que caiam em
riladas os republicanos in-
cautos, declaro a todos os
correligionarios que nao sao
autorisados por mim os con
vites particulares que tem si-
do feitos a diversos membros
do partido para assistirem a
urna reuniao do mesmo par-
tido.
Recife, 28 de Maio de
1890.
Izidoro Martins Jnior.
Ao publico
Devido aos meus afazeres s agora me
foi possivel responder a correspondencia
do Diario de Pernambuco de 14 do cor-
rete assigaada pe o talentoso Antonio Cam-
pello de Albuquerque.
Sim seohor... S. S. escreveu bem, nao
ha duv'ida, que impreaso agradavel pro
duziram as suas phrases espirituosas, isto
, espirituosas, mostran e j conhecimentos
jurdicos como se nota d'aquelles quatro
quisitos, foi ama linguagem potica, assim :
por exemplo : o deaalinho das facuidades
intellectuaes. Conbece se que S. S. estova
elevado ao mundo ideal, onde va a vir-
gem de seus soncos (a ignorancia) com os
cabellos soltos, as mos postas emplomado
ao santo de sua devocSo que nSo consec-
tisse S. S. apartar-se d'ella; j demons-
trando um genio puramente demcrata
como se deprehende d'aquelle termo pe te-
ca onde mostra S. S. estar relacionado
com aquelles que o empregam para expri-
mir pedrada.
Mas oSo foram somente estes termos
qae me impressioaaram, e sim tamhem o
modo pelo qual S. S. diz um Adolpho
Augusto Paes Barretto, como se estivesse
referiado se a um de igual cathegoria,
quereudo compararme comsigo, felizmen-
te sou muito conbecido. Porm; nSo jul
gue S. S. qae termaoa-se a minha im-
pressSo, nSo, ella estendeu-se muito alm,
por eu alo descobrir como S. 3. apreadeu
escrever too bem em too pouco tempo t
NSo leve a mal o qae voa dizer, preste
atteacSo; sabe o que me veio a mate
quando li aquelles epittetos com que me
mimozeou: aquella fbula, onde a filha
diz chame lhe mSi antes qae Ihe chame,
conhece ella ? Com cortesa, pois filha
da gente da esphra de S. S.
Agora o caso serio, vou fazer um pe-
dido a S. S. e eatou osrto que oSo me ce-
gar. E' provavel que esto artigo cao fi-
que sem resposta, e entSo peco-lhe que se
estenda mais sebre o direito, estova tSo
bom aquelle pedacicho dos quisitos, que
me veio agua a boca, prm, pelo amor de
Deus ? NSo v offender ao juiz.
Diz S. S. que escolhe o terreno legal e
que o'elle lhe encontrarei ; muito bem, Uto
.que homem o mais petta; quer o ter-
reno le jal sustentando ama queatSo que
s encontr apoo em um cerebro dajaaa-
rado oomo o de S. S.
Engenho S. Miguel, 28 de Maio del
1890.
Adolpho Augusto fam Batx**.
Respeito e gralido
A Thomaz Ferrelra de Carralho
e aua Kxm-i. fmula
Ao sea presado irmSo Thomaz Ferreira
de Carvalho e sua Exma. familia, dirigem
JoSo Ferreira de Carvalho e sua familia
presente carto em signal de respeito e
dor que com elles partilham pela perda
de seu sempre lembrado BOgro, pai e av,
JoSo Christiaoi.
Recife, 28 de Maio de 1890.
asi --cV'OT^a-sKraaEBiasEossisri
A'S YICTMAS BAS PEBRES
O Elixir nti-febril Carduao. appro-
vado em 21 de Marco deste auno pela inspectora
Geral de Hygiene do Rio de Janeiro, vem hoje
apresentar-ce humanidade soffredora do mun-
do inteiro, como taboa de saivaco que ao infe-
liz naufrago Ibe enviada por mao omnipotentet
O Elixir anti febril Cardo*o, appli-
cado em muitissimos casos de febres, tem, como
por milngre, levantado do ielto da dor a comple-
tos moribundos.
Este remedio, composto somonte de vegetaes
inteiramente inoffensivo, anda mesmo na mais
mimosa e tenra crianca.
As senhoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo de incommodos naturaes, podem usal o
sem receio algum.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva
& C, ra Mrquez de Olind n. 23.
Pharmacia Martins, roa Duque de Caxias
n 88.
Pharmacia Oriental, roa Estreita do Rosario
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, ra do Barao da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, ra da Imperatriz
n 49.
Para qualquer explicacSo podem dirigir-se ao
autor Manoel Cardoso Jnior, ra Estreita do
Rosario n. 17.
Dos innmeros attestados que temos, damos
em segni la principio a sua publicacao ; e isto
bastar para que sejam conbecidas as virtudes
do Elixir anti febril Cardoso.
Attestados
N. 21
lllm. Sr. Manoel Cardoso Jnoior.Declaro que
a sua tintura anti-febr um excellente remedio
para curar febres, tenho experimentado em dif
ferentes casos as cinco gottas de seu remedio em
quinze grammas d'agua para tomar esta dse de
duas em duas horas, nos casos de febres adyna-
micas, gstricas e tnflammatonas, em poucos das
bearam os doeatse-cou.pl<-tamente restabelecidos,
pelo que Ibe agradeco a offerta que me fez de al
guns vidros Ue sua tintura.
De seu amigo obrigado -Adclpho Farias.
Recife, 28 de Janeiro de 1890.
N 22
Illm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.E' com pra
zt que lhe participo que seu preparado denomi
nadoElixir antifebrilapplicado pelo Sr. Dr-
Miguel Tuemodo Lessa na pessoa de meu irmo
Jos que se achava atacado da febre amarella
confirmada por dous mdicos d'esta cidade, foi
de urna eficacia a toda a p ova, pois censeguio
restabelecel o no espaco da oilo dias.
Pode Vmc. dar pubhcidade a estas linhas, caso
Ibe conreaba.
De Vmc. attento venerador e criado Joaquim
Antonio Ribeiro.
Ricife, 26 de Abril de 1889.
N. 23
Recife, 10 de Marco de 1889.
Amigo e Sr. Manoel Cardoso.Grande satisfa-
cao tenho em dar-lhe o presente certificado por
pensar que poder ser de benefi io bumanida
de soQredora. Tomei somente quinze grammas
do seuElixir anti-febril -administrado com as
prescripces exigidas por Vmc, o quanto foi
bastante para curar-me de urna febre intermit-
iente que ha cinco dias me persegua.
Pode Vmc. fazer d'esta o nso que lhe convier.
Sou de Vmc amigo e criado attenciosoor
berto 6uimaraet Filno.
N. 24
Illm. e amigo Manoel Cardoso. Recife. A pre-
sente tem por tim testemanbar lhe o mea grato
reconbecimento, por ter empregado o seuElixir
anti-febrem urna menina de quatorze anuos,
tutelada de mioba familia, que sendo accommet-
lidade febre typhoide apressel me em chamar o
mea amigo e illustre clnico Dr. Miguel Themndo
que, com a atleacao qae Ibe peculiar, adminis-
tran tao bem o sea poderoso invento que no flm
de tres das sal vou a minha doente de to tiorri-
vel mal.
Pode Vmc fazer em qualquer tempo o oso qae
lhe convier d'este meu humilde attestado tribu
to da mais alta gratidao.
Sen amigo e criadoJorge Cooper,
28 de Jonhi de 1889.
Culto Evanglico
Ha caito publico com leitura e explica-
cSo do Evaogelho, todos os Domingos s
11 horas da manhS e s 7 horas da noite,
e as quiotas-feitas s 7 horas -da ooite,
na roa do Imperador n. 71, 1. andar. A
ectrada franca.
Convidan se as familias e o publico em
geral a assistirem.
c Examinae as escripturas, pois julgaes
ter aellas a vida eterna; e ellas mesmas
sSoas qae dSo testemuuho de mim >
Evan. de JoSo, cap. 5." ver. 39.)
Taes e taes doeneas...
NSo s dizer se: tal remedio cura taes e
taes doeneas...
E' preciso que essas curas ee provem por meio
de attestados firmados pelos proprioa pacientes,
e preciso que esse remedio seja consagrado
pela experiencia de Ilustres Blhos da sciencia.
cima de todos quantos se apreseotam por
ahi a reclamar a cooaideracao publica, podemos
bole apresentar um remedio que foi approvado
pela suprema autoridade medica do paiz, auto
risado pelos poderes competentes e consagrado
n&o s por Ilustres facultativos nacionaes e es
trangeiros, como por um grande numero de pes
soas curadas.
Referimo nos ao Peitoral de Cambar, que,
como multo bem diz um illustre medico da ci-
dade de Pelotas, o Sr. Dr. Octacilio Cmara,
pelos effeitos que exerce sobre a mocosa das
vas respiratorias, cujas molestias cura e allivia.
goza actualmente de urna crescente procura e
aceitac&o, como anda nao teve producto algum
omcioal n'este paiz.
Os igentes, Francisco M. da Silva i\
Leonor Porto
Ra Larga do Rosarlo nu-
mero 9
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficei8( j
nVurinos recebidos de Londres, Pariz,< >
Lisboa e Rio de Janeiro. ( )
| Prima em perfeicio de costuras, em
>em brevidade, modicidaae em pregos e
) fino fc'osto.
Cabera de negro
Elixir dativo e anti-rheumatieo, formmki
do pharmacsmtieo Humes de Samsm
Ptreira.
SBM HBRCOBIO
Approvado pela Inspectora Qtrtl de
.Hygiene
Esto poderoso medicamento j beareo-
nhecido ha mais de 10 annos e cajos aav
ravilhoaos effeitos tem sido a( 'estado por
muitos mdicos e numerosos doentes, na
radicalmente os bhema i I8M0S, BBiai-
PELAS, 8YPHILI8 58CR0FDLA8 e todas 8
molestias que teem por origem a imporesa
do sangue.
0 verdadeiro e mais aotigoElixir de
cabeca de negro o da frmala do phar-
maceutico Hermes de Souza Pereira, e
para aras ta dos consumidores tras elle
em seos rotlos e envolueros o retrato do
autor.
Vndese a varejo em todas as phar-
macias e em atacado na pharmacia Fer-
reira, praca de Maciel Pmheiro, n 19,
(antiga do Conde d'Eu, e na drogara de
Francisco Manoel da Silva & C, rus de
Marque de O inda, o. 23.
Promptuario da lei
DO CASAMENTO CIVIL
Acha-se prestes a sahir do prelo esta obra se
guida da lei annotada onde se disentem diversas
questoes praticas e faz se um estudo compara-
tivo com o direito antigo.
Como appenso3, traz o livro as instruccOes
b xadas para a execucSo da lei e mais actos
publicados a sea respeito e bem assim o rega-
lamento do registro civil, como materia que se
prende ao assumpto.
O livro que se compor, mais ou menos, de
200 paginas, offerece utilidades qnelles que se
dedicarem ao estado e execucao aa mesma lei,
bem como ao publico em geral.
Sendo a tiragem de poneos exemplares visto
nao poder seu autor accarretar com despezas
superiores, se dar preferencia aos pedidos que
forem feitos, para o que se indica a livraria
Parisiense ra Io de Margo n. 7.
Prego do volume, pagavel entrega deste :
Brocbura 20O0
Eacaderaado 3J00U
A's familias
Ensioo de primeiras lettras, por-
tuguez, francez e inglez ; pelas i l
residencias dos alomaos, dettro \ }
da cidade e em seas arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2." andar.
Dr. Silva LeaJ
clnica medico ciruboica
Consultorio e residencia rna do Livramsato
o. 6 1 andar. Consultas das 11 s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por escripto
RestaurantPortu ;uez
O primeiro em Pernambuco
2123BA DA8 LABANGEIRAS 212u
COSINHAS
Brasileira, Portugueza e Francesa
Proprietarios :Charles Rozier A C.
I Ra da Gloria 39
Medico
Dr, Ribeiro de Brlto
participa aos seus clientes e amigos que pode
ser procurado para os misteres de sua ptoflsso
ra do Hospicio n. 81. e na pharmacia Miner-
va ra Vidal de Negreiros n. 7.
Telepnone a. 303
N. 28
Eu, abaixo assignado, declaro que um meo R-
lho de oito para nove annos, estando com urna fe-
bre extraordinaria, e que disiam ser febre ama-
rella, lhe appliquei oElixir aott-febrildo Sr.
Manoel Cardoso Jnior e no ospaco de seis horas
desappareceu a febre sem mais remedio algum
lhe applicar, das depois dea a febre da mesma
forma em urna oulra minha filha de quinze an-
nos e applicando-lhe o mesmoElixir antife-
bril-do mesmo senhor, no espaco de vinte e
quatro horas flcoa completamente boa, sem mais
remedio algum lhe applicar, pelo que em f de
verdade me assigno.
Pernambuco, 18 de Maio de 1889. Leonardo
Jote' Rtbetro Hpgalhes.
(Estavam selladas e reconbecidas as firmas).
X

MEDICO HOMEPATA
Dr. Balthajar da Silveira
Especial dadefebres, molestias
das criancas, dos orgSos respirato-
rios e das senhoras.
Presta- se a qualquer chamado para
era da capital.
AVIVO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.

'j 0 Dr.
< > das 10 h
(J tarde, re

Varila ou bexiga
Lobo Moscoso, todos os dias,
horas da manh at 1 hora da
receita gratuitamente e d os re-
medios homeopticos precisos a tolos
os doentes que o procuraren), para tra
lamento das bexigas.
Dr. Bastos de Olivein
tem o seu consultorio medico-cirrugico
ra do Marqu.z de Olinda, n. 1, 1.'an-
dar, onde pode ser procurado todos os
dias uteis das 12 s 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua resi-
dencia, ra do Hospicio n. 46.
Telephoue n. 365. .
Dr. Eusebio Martins
Costa
tem o seu consultorio medico e residencia rna
Baro da Victoria n. 7,1- andar, onde pode ser
procurado para os misteres de sna proflsso.
Consultas de 1 s 3 horas da tarde.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, partoiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e oreanas
Consultorio e residencia roa da impe*
ratrian. 18, 1 andar.
Consaltas de 8 s 10 da macha.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TKLKPHONB N. 226
Despedida
Hermn Lundgren, retffaudo-se com sua la-
milla temporariamente para a Ewopa. e n&o
tendo podido, po: falta de tempo, des pedir-se
de todas as pessoas de sua amlaade? o fas por
este meio, e Ibes offerece o seu-.prestio sm
Hamburgo, para onde segu.
Cirurgio Dentista
DR. BOBERT P. BAWUNSON, for
made pela niveirriade da Matysaa no
Estados-Unidea ton aborto o seu cnsul
torio, na roa Bario do Vietoria 18,1* an-
dar.
Caaaultas das 10 s 4 hora da tarde.
Revelares e mere cimento
Poucas vezes temos experimentado urna tao
ntima satisfaco; melhor diriamos nm legitimo
crgulho por noticiar ao respeitavel publico que
a ceneja La Rosa Atlemana urna mensageira para
o corpo tanto bebida como regalo que de fl
nissimo paladar, como infallivsl na cura de
enchagueca, ataques hemorrhoidaes, corrimen-
tos e flores brancas.
Nao alongamos consideracoes e limitamo-nos,
pois, a descobrir a riqueza da cerveja La Rosa
AUemana, j professada publicamente. A verdade
i sempre verdade. Alm dos estabelecimentos
j annunciados est venda em outros im-
portantes estabelecimentos dos Srs. JoSo da Cu-
nha Vasconcellos, roa do Livramento; Antonio
Guilbermino dos Santos, ra Direita, Moreira Ir-
mo, ra de Pedro Affonso; Jos da Silva Perei-
ra Lisboa, roa do Imperador; Manoel Martins
Lourenco, Jaboalao; Francisco Mendes da Fon-
seca, Pilar de Alagoas, Jos Domingos d'OIivei-
rae Manoel Ferreira Silva Veiga, Natal; Joo
Juvenal Barbosa Tinoco, Baptista Jnior
e Ismael Cesar Dnarte Ribeiro, Macahiba.
*C,
Notice
Britlsb subjeets are informed that, by a Decree
of lhe Provisional Government of Brasil pu-
blished on fne 15* instant, they can, should they
not vrish to be considerad brazilian citixens as
notitied in the naturalization Decree of tbe 15a
of December 1889, malte the declaration of na-
tionaljty required by tbe last mentioned Decree
at the office of tbe plice delgate or sub-dele-
gate of any district, or before the undersigsed:
and tbose wbo have alresdr made or may make
tbeir declaration of natlonality befor any local
anthority can enter thair mues at tbis Consu-
lata,
BrttlsB Consulals.
PrnmBe JO* Ma? 1W,
';*vwia%,
H. TL Soiial
A praga universal
Em todas as regioes e entre as pessas
de todas as oceupacoes eprofissSes, preva-
lecem as eofermidades pulmonares. Por-
taato, o grande e admiravel remedio con-
tra ellas e que produz a sua completa ani-
quilacio o Peitoral de Anacahuita, o qual
as deve perseguir e em seu devido tempo
as perseguir indefectivelmente at no
mais remotos cocaos do mundo.
O soldado eos acampamentos, o mineiro
cas micas d'ouro, o coloco as fronteiras,
o lavrador, o viajante por mar e por tor-
ra, e especialmente todas, as pessas su-
jetas a padecerem de tosse, constipares,
resfriamectos e catarrhos, bronchites, asth-
ma e outras afec^Ses co menos afBictivas
da garganta e dos orgaos da respiracSo,
que to fcilmente se deseovolvem e pro-
pagare nos lugares hmidos, inclemencia
da atmosphera ; achar&o com a mais gra-
ta satisfaclo, no Peitoral de Anacahuita,
um remedio irresistivel e absoluto, para
completo sabjugamecto de tSo perigosaa
eofermidades. Compre se em tempo, pois
bom estar-se prevenido.
Como garanta contra as falsificarles,
ou '-se bem que os nomes de Laamam
& Ke. "enham estampados em lettras
transparen uo papel do livrinho que ser*
ve de envoltorio a cada garrafa.
Acha-se de venda em todas as boticas e
drogaras.
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do BarSo da Victoria46
(defeonte da pharmacia pinho)
Onde tem conanltorto e resi-
dencia i podendo ser encontrado e
recebendo chamados qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos piilmes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
racOes de estreitamentos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telepnone a. 31A

Denles
Termina a horrivel dor de dentes asaada
o excellente preparado de Manoel Cardse
Jnior.
As cartas que lhe tem ido dirigida
pelos jornaes de maiorcirculacSo, atistala
a eficacia.
Depsitos :
Drogara dos Srs. Francisco
Silva & C, roa do Marquen
n. 23.
Pharmacia Martina,
Casias n. 88.
Pharmacia Oriental) rna
Rosario n. 3.
Pharmacia Alfredo Ferreira, raa da
Bario da Victoria n. 14 ,_
Pbarmaoia Laporatris, ras da m^*
ratria a. 49,
Manoel da
deOliaJa
Duque da
Estreita aa
-W
I


Diario de Pernambuco Quinta-feira 29 de Maio de 1890
4iutu' ?* nemmtece
Urna nloa*ta)uito concei toada roora-
doura ni cidad de Bag (Rio Grande do
Sol,) aofcoaao gravemente doente do peito.
Foi chamn.do, para a tratar, o Ilustre
Dr. Peana, maia tarde, o tarobsm Ilus-
tre Or. lbano.
O doente cada vez ficav-i peior: a mo
lestia, Bombando do rat ment medico,
segaia aeu fu 3 esto curso.
Orna pessoa da familia, tendo confn nca
no Peitoral de Cambar, descoberta de J.
de Soasa Soares, de Pelotas, lembron ao
medico a ana apphoacSo.
Este, porm, que tal vez nao conbeces-
se, por experiencia propria, os effeitoa de
to soberano rem dio, recusou se a recei-
tal-o, continuando com cutras applicacSea.
Vendse que o doente nada aproveita-
va, e que a morte era iuevitavel, man
don se, em segredo, comprar um vidro do
dito peitoral e o doente principiou a to-
mar o novo remedio e a melhoFar, e no
fim de algum tampo achava se completa-
mente restubelecido.
Um bageme.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, oculista,
ex-chefe de clnica do Dr. de
Weeker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 as 4 horas da tarde, no 1*
andar da casa n. 51 na do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
Dr. Joao Rangel
MEDICO
Pode ser procurado para os misteres de sua
profissao roa do Bom Jess n. 45 1." andar.
Coasaltasde meio da at 3 Loras da tarde.
Chamadosa qaalquer bora do da ou da noite.
Telephone b. 160
Dr. Coelho Leite
participa a seus clientes e amigos que inudoo
sua residencia para a roa Bario da Victoria o.
61, I' andar, e contina a dar consultas de 1 ?
3 horas da tarde, no seo consultorio, ra Duque
de Caxias n. 57.
EDITAES
Edital n. 42
(I. praea)
Pela Inspectora desia Alfandega se faz publi-
co qe as 41 horas do dia 29 do corren te mez
serao arrematadas a porta desta repartteo as
mercaderias abaixo declaradas :
Um caixa raarc Paulin, n. 98. vinda do Ha-
vre no apor francez Vle de Montevideo, e lira-
do em 5 de Abril ultimo, coatendu 66 kilogram-
mas de caixinhis de papelao vasias abaldona-
da ao3 direitos por Paulino de liveira Maia
Daas laminas de vidro polidas quebrada par-
te da clisa, marca T G, n. 5,637, abandonadas
aos direitos por Jn. Gr?nd.
Urna caixa marca M P n. 239,. vinda do H-ivre
no vapor francez Culcina, entrado no corrente
mes, contendo obras impressas de nraa c0-, pe-
sando broto no3 envoltorior 49 klograinraaa
abandonada aos direitos por Francisco Manoel
da Silva C.
Urna caixa marca M A P n. 246, vinda d> Ha-
COMMERCIO
Hevista do Mercado
RkCIFK, 28 Dtt MAIO DE 1850.
O movimento constou de traosaccOes do mer-
cado de cambios e vendas de pequeos lotes de
aigodao.
vre no vapor francez Ville do notario entrado em
8 do correute mez, contendo obras impressas
em urna cor, pesando liquido <7 kilogrammas,
abandonada aos dir.tos por Maaoel Alves Bar
bosa.
Diferas amostras exisleales no archivo desta
repartiese
Segunda seocao da Alfandega de Pernambuco,
26 de Maio de 1890.
O chefe,
_________________ Cicero B. de Mello.
Obras publicas
E8GOT08
Em virtude do que determina o decreto o.
135, de 11 de Abril do corrente anno, e de or-
dem do cidadao director d'esta reparticio, de
claro em concurrencia, por es paco de 4 mezes,
contados da data do presente edital, o estbale-
cimento de urna rede completa de esgotos para
a capital d'este Estado, de accordo com as se-
guintes
nstruccoet para a concerni de um privilegio para
o estabelecimento de urna rede completa de esgo
tos contoante os principios technicot e clausulas
abaixo deterptat.
Concurrentes e propostas
1.* Os proponentes devero ter pleno conhe
cimento de todas es circunstancias locaes e
dispr dos recursos necessarios para iniciar e
ultimar os trabalbos e apresentarao garantas
para fiel e completa execugo das obras.
As propostas e todos os papis que a acompa-
nharem deverao vir sellados e recoobecidas as
firmas.
Os proponentes assignaro as propostas com
os nomes por extenso, indicando a sua residen-
cia.
As propostas devem ser acompanbadas :
I. De um conbecimenlo de deposito da quan-
tia de dez contos de ris ces da divida publica geral ou d'este Estado, nao
se tomando em coosiderac&o as qne omtttirem
este conhecimento.
II. Dos documentos que provem ter o propo-
nente a necessaria idoneidade proflssional.
III. Das tabellas das laxas que devero pa-
gar semestrulmente na mesma occasiao da co
branca da decima urbana e sob as mesmas con-
dicoes, todos os predios existentes ou que forem
construidos dentro dos limites da cidade e su
burbios frvidos pela rede de esgotos, segundo
seu valor locativo, para occorrer ao custeio do
servico, remunerado e amortisacao do capital
efectivamente (n-pregado na coostruccao. Es-
sas laxas serSo arrecadadas pela repartiedo com
ptente do Estado, conjuntamente com a decima
urbana, as mesmas coouicoes e entregues
companhia ou empresa que se organisar, por se
mestres vencidos
IV- Da redueco das ditas taxas no caso em
que seja dada companhia ou empreza a isen-
ci dos direitos de imporlacao para o material e
I rramenta importados do estrangeiro.
V- D> praso, para aprtsentacao dos estudos e
planos definitivos das obres, e de todos os deta-
Ihes das mesmas que sejam exigidas pela dir
doria das obr.s publicas, pelo esgenbeiro fiscal,
etc., e bem assim os prasos para o inicio e con
cluso das obras.
CondicOes teihoicas, coostruccao e saneamento
t.' 0 auto projecto e a memoria descriptiva
das obras a executar. que acompanharem as
propostas, espccificaro com o mximo de deta-
Ibes:
I- Os limites da cidade e suburbios aos quars
se estender o servico.
II. As canalisacdes principaes e secundarias c
suas ramilicacoes as vias publicas com indica-
gao dos respectivos dimetros, espessu-a e decli-
vidades, e a natureza das materias, tendo em
vista urna pr pjlacao urbana e suburbana dupla
da actual.
III As canalisacoes a construir nos predios
terrenos, assobradados ou de sobrados, pblicos
ou particulares, existentes ou que forem cons-
truidos at concluir se a execucio dos traba-
mos dentro dos limites dacidadt-, com iulicaco
idntica do n. 11; descripcao dos apparelhos
interceptores dos gazes as derivaces do colle-
ctor geral. para os predios, thamins de ventila
cao, sua colocacac material, etc., e altura sob
o ponto mais elevaJo do predio ou dos predios
v mohos.
17. O lypi e a natureza das latrinas inodoras,
reservatorios d'agua para ellas, I acias, ralos,
tanques de carga para lavagem das galeras e
encanamentos e *yi>hes interceptores, appare
Ihos separadores das ruatrras gordas das cos-
nbas, chaioines de arrjamento e mais apparelhos
necessarios ao func ionanuato regular e bygie-
nico do fysiema poposto.
V- As eslncSes de servico, suas diroen.-ocs e Palacio do governo do E-tado Confederado do
y-t-ma de construccao, localidades onde serao!Para, II de Abril ae 1890, 2* da Repblica.
Bol
sa
por
COCA0 OPPICUES da justa dos cor
BBTORKS
ee, 28 te Maio de 8<0
gemente de carnauba, a 400 rs. lo tilos.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 20 7/8 d.
IJOOO. do banco, hontem e hoje
u presidente,
Antonio Leona-do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
Cambie
PRACA DO RECIFE
O banco de Pernambuco cffereceu saccar a 20
7/8, recusando os deraais bancos saccar cima
de 20 3/4.
Papel particular foi passado a 21 d. e a esta
laxa foi procurado ao fechar do dia.
PKACA DO RIO DE JANBIRO
CoU6es inalteradas fechando, potm, o mer-
cado Din ponco frouxo.
TBELL8 FFIXAD8
As entradas venn radas, ate a data de hoje so-
bera a 5.f97 saccas, sendo por :
Barcacas. .... 947 Saccar
Vapores .... 147
taimaes..... 721
Via-rerrea de Caruar. 28
v"ia-ferrea de S. Francisco. 1.098
vu-ferrea de Liraociro 2.486
Scmrcs.
3.697 Sacess
z
1

3
. s S.
S "g
2
. .
a.
' 2
c
. p
i
TT
5
ti
i
3.
o
o-
a
JO
-
1 i
1
!
3

je
' n,
1
r*
CO
tssacar
Os pn-cos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gando a Assocajio Comoicrcial Agrcola, foram
o setruintes:
Usinas..... 3*700 a 400
B-anco..... J..0J0 a 3,6 0
Smenos..... 2*500 a 2*700
Mjscavado nurgado i*600 a 1*700
B-utos..... 1*300 i 1*500
Rume ... U900 a 1*2)0
Aexoortago fcita pela alfandega nestemez at
o da 26, constou de 4.8-ii 534 kilos <>endo.....
1093.i80jara o exterior e3.?j7 334 para o in-
terior.
As entradas veritic-idas at a Jala de hoje so-
bem a 44 7a7 f accos sendo por:
construidas, numero, dimesoes e especie de
unques para juntar, dcsi fectar e filtrar os pro
doctos dos esgotos, lypo e torca das machinas
meios de desinfeccao e pontos de nivel aas em
bocaduras das galeras.
VI- Systema de latrinas e mirtorios pblicos,
stu funecionameolo, limpeza e saneamento.
VIL Systema de lavagem das canaliscOes ge-
raes e secundarias e do respectivo fornecimen'.o
a'agua.
VIH. Systema de ventiiacio da rede de cana
sacio publica e particular.
IX Systeoa de ligacao do esgoto de cada
predio, para a caoalisaco das ras.
X. Systema da consoiidacSo do terreno para
proteccao dos conductos e para evitar a depres-
sao do solo.
XI. Systema de ca_alisac) quaodo tenha de
utravessar pantanos combinado com o n. X.
XII. Indicagao das precancOes a tomar quan
do as canalisacOes teobam de passar sob muros,
predios, etc.
CondicOes geraes
3." O contractanle extender, sempre que o
governo exigir, o servico de exgoto a novos
bairrosou a novas ras situadas fora do perme-
tro em que se obrLjar pelo contracto a execu-
tal o desde logo, urna vez que a renda corres-
pondente, em vista do orgamento organisado
pela empreza e approvado pelo governo, seja
equivalente a 7 "[ ao anno sobre o valor do dito
orgamento.
4.' O servigo de exgoto dos eslabelecimentos
pblicos e dos pos, sustentados ou auxiliados
p;lo governo, ser feto gratuitamente.
3.* No numero das obras reclamadas pelo
.y-'.ema proposto e que o contractante, empreza
ou companhia 4 obngalo a reconstruir sua
costa, estio tambem nc'uidas as seguintes :
I Todo o encannmento dentro dos predics para
os exgolos das materias fecaes, ?guas servidas
e pluviaes, dos pantanos e reas, calgadas e o
foroecimento de urna latrina (lypo approvado
pelo governo) em cada paviment do predio,
cem a respectiva caixa. d'agoa e um ralo com
sypbao por cada rea ou pateo, urna chamin
de veuti'agSo e o apparelho interceptor dos ga-
zes da caoalisagao geral para o da do domici
cilio; pagando, poiem, o propietario, que qui
zer outros encanamentos e apparelhos, a impor
tancia do material e mi de obra, por tabella
que ser approvada pelo governo.
II. O fornecimento completo e assentamento
das latrinas e mictorios pblicos.
III. A con-truegao dos tanques de carga para
a lavagem des encanamentos e galeras, segun-
do o lypo e dimensOes approvado?.
IV. foroecimento e assentamento de nma
baca e sypbao as estalagens denominadas cor-
tiges para cada grupo ou fraego de cinco ca-
sas.
6." O governo do Estado concede o privilegio
empieza o. companhia que se organisar at
50 anoos e garante os juros de 6*[ ennuaes so
ore o capital que fr xado; tratndose no
contracto final das disposigoes relativas amor-
tisacio da renda liquida, do modo do pagamen
to de juros, etc.
7.a Findo o prazo do privilegio, todas as obras
revertero ao dominio da muBicipalidade desta
capital, sem indemnisaco alguna; cabendo,-
poiem, ao contractante, preferencia em igual
dade de condigoes para o arrendamento do mes-
mo servigo, se nao convier dita municipalida-
de exccu'al o administrativamente, e indemni
sas todas as quanas que o Estado tiver des-
pendido no servigo e garanta de juros.
8.* Ao contractante o governo do Estado con-
ceder o direito de di-sapropria^o. oa forma da
le, para os terrenos, predios e bcmfeilprias que
forem necessarias execugo do servia con
tractado.
9. O governo do E obter, a bem da empreza, mas sern porisso as-
sumir r< sponsabilidade at^uma, isengo de di
reilos de imp^-rtago do material, ferramenta,
machinas, carvo de pedra, proiuctos.chimicos
e apparelhos necessarios ao servico-conlr-ictado.
10. O contractante, a companhia ou emprrzn
rccolher ajs cofres da Thesoararia do Estado.
no principio de cada trimestre, a quantia qu-
de accordo com a mesma empreza fr pelo g>
verno (ixada para o pagamento da liscatisaydo
do contracto.
ti.* O propouente preferido de ver a signar
o contracto dentro do prazo de 33 das, coniu
dos da data em que for publicada no jornal e:i-
carregado das puucages offiaes de.-te Esta-
do a ai i itagao de sua propsta, soi, pi.na 1<-
perdar a caugo.
Monte de Soccorro
43 ie.lo de jolas
Este estabelecimento fura leilo no dia 11 de
Justo Leite Chermont.
No dia 6 de Setembro, as II horas da maob,
na sala do palacio do Joverno deste Estado
onde funeciona esta repcrtifao, o eonselho com- Juoho prximo, por intermedio do agente Mar
ptente tomar conht cimento das propostas lins tm 8Ua 8Je aa rua Bom Jess s. 3, s
apresentadas. 11 horas da manila, dos objectos que nao foram
Todas as pessoas residen* em Franca, lo-, resgatados at a vespera, conslantes das seguin-
glaterra, Portugal, Estados L'n'dos da America, te8 cautelas vencidas :
do Norte e em outros p.izes onde ebegar o co-. i7 432 i faqueiro contindo 72 coiherez, 7 con-
nhecimento deste edital, bem como as que resi- chas, 1 par de irincbantes 48 garfos,
dem neste e nos uifferentes Estados da Repu-' ** 'aCas pequeas p 4 colheres.
blica Brasileira, que se quizercm propor, podem 17-413- 1 chapa de ouro (oQicial da Rosa) era
L'zel-o, apresentando se ou fazendo ec represen-
tar por procurador legitimamenle constituido, I
no da e hora marcados para apresentaco das, 17-445
propostas, instruindo estas com as clausulas. 17.465
constantes das instrueges cima ditas.
RepartigSo das ebras publicas do E.-tado do I
Para, 6 de Maio de 1890.O a manoense secre- 17-474
tario, Olimpio Antonio VazieLitm.
declaragoes
Thesouraria de Fazeoda de
Pernambuco
0 inspector faz sciente ao Sr. contador, para
os lios convenientes, que d'ora em diante devem
ser separados dos pe (idos de gneros e mais
artigos para supprimento do almoxarifado do
presidio de Fernando de r-'iKonha. loios o i que
nSo eetiven m contraclados para seren forne
cidos, mediante annuncio de arrenalacao con-
junta, cando comprend Jo nessa regra todo
e qualquer foroecimento qae unlu de ser feito
por esta Thc.-ouraria. salva caso moito urgtnte,
precedendo ordem superior, e tena a compra
por correlor da prar/a, sob a tiscalisigSo da
mesma Tnesouraria.(Assignado)
Dx. Democri o Cavalcacto de Albuqoerque
1 )erby C lub
Tendo si io autorisaaa em as^e/nbla geral de
14 do correte a emisso de debentures para a
consolidago da divida desta sociedade, previno
em nome da directora aos Srs. accionistas que
acba-se encarregado dessa upmco o correlor
geral desta prag'i Pedro Jjs Pinto, com quem
os Srs. accionistas po.lem tratar a espmto.
Secretaria do Derby C'ub, :7 de Maio de 1890.
O secretario,
Monocl Mteint.
JE DULAS
DO
Banco Nacional
Troca se, .-agando bom premio, cdulas da
misso pagavel em ooio, do Baa Nacional,
no armazem n. 4, rua do G mmercio.
Thesouraria de Fa-
zenda
Fago publico que o Sr Dr. inspector, de boje
em diante som-nte dai audiencia de meio dia
as 2 horas da tarde, salvo a pessoa* que venhsm
de ordem do S.-. Governador do Estado, ao ios
pector ou empregados da alfandeea devidamente
autorisado3 ou c.)inrai-isicn.dos pelo m-smo e a
collectores e esflrvet de culiectoras, sobre o
objecto de servigo publico. Antes e depois
daquetlas ho as, durante o i xp- diente, deverao
os loteressadcs entender se cura o abaixo asig-
nado.
Thesouraria de Fazenda do Estado ile Kr
nambuco, 28 de Maio de lfO.
0 -ecri-tati) Ja janti.
Dr. Antwo Jo- -. SanTAnm.
17.490
17.500
17.550
17 50
7 593
17 611
17.637
17 642
17 693
Dnicas com 12,751 k:'os de
coiu 8.451 khs
de
iarcagas .... 20533 Saarcs
/apores..... ...
trmaes.... 1 132
/ia-ferrea de Garuar. 2 044
'ia-ferrea de S. Francisco 20 62J
/ia-ferrea do Limoeiro 426*
Secuta.
i.757 S CMfl
s s
B

8' *..
,
HsHi5
se *
JUL
Algod*
Boave pequeas vendas do de 1' torte do ser-
io aa lazao de 9*000 por 15 kilos.
Aexportacao feita pela alfandega neste msate
odia2*. CMMtou de 3.669 1/2 kilos, sendo....
1M.7M 1/2 para o exterior e 84.870 para o inte-
rior.
Courfi
Couros salgados 40J ris, c os verdes a 240
ris
agurdenle
Cota-se i 94*00^ por pipa de 480 litros.
CoU-sc a 190,'000 por pipa de 480 litros.
Hel
Cota-se a 55O0O por pipa le iSO lirros.
Patata da llfuadesa
smaiu di 26 a 31 de maio ub 1890
Vide o Diario de 25 de Maio
Marios descarga
Barca nacional P. da Costa, tartana ae trigo.
Barca norueguensu Galera, farinlia de trigo.
Barca noruegueose Oler, carvo.
Barca norueguense Cari Haatted, carvo.
Barca nacional Jfai'tanninAa, xarqae.
Barca allemS Mana, varios gneros.
Brigue holtandez Meidem, xarque.
Escuna DO'ueguerise Gefion, xarque.
Lugar ports^UHz Temerario, xarque.
LujardinamarqH-z Arken, xsrque.
Lugar nociocal Daat Americas, vamsienero?.
Lugar hollandri t. R. Leembuis, graxa.
Patacho nacioiial ilannho 2., xarque.
Patacho hollaudez Henrika. xarque.
Patacho holltidez Voowaaits, varios gneros.
Patacho portuguez Mmdeao vinho.
Patacho ameri'rano John H. Cardn, varios gi-
eros.
Patacho hespanhol /ovPuro, xarque.
Exporiaco
asciri, 27 di maio j 1890
J'ara o exterior
Nlo honre exoortacSo.
fara o interior
No vapor nacional Pernambuco, para Cear,
carregiram t
CLudio DabcDX, 2 barricas com 130 lulos de
assucar n finado.
P. Carneixo 4 C 23 harneas com 2,650 kilos
de a ispear branco.
Para P R. P sso, 150
asquear brauco.
M. F. Cate, 98 barricas
assucar branco.
V. da Silvoira, 102 barrica- cm 6,324 kilo;
de assucar branco.
Amorim IrmSos 4 C, 50 borricas com 3,739
kilos de assucar braceo t 50 barris com 4,8'X)
litros de agurdente.
C. M. aa Silva, 45-J barricas com 30,017 kilos
de assucar brauco.
ara llantos, carregou :
H. Oveira, 0 barris com 480 litros de agur-
dente e 15 barric s com 1,335 kilo de assucar
branco.
No vapor nacional Mrquez de C x-as, para
Penedo, carregaram :
M. Borges *. C, 1,400 saceos com farinba d
mandioca.
Maia Rezendc, 390 saceos com farinba de
mandioca.
P. Caroeiro A C, 540 saceos com fafinba de
manioca.
Para Aracaj, carregaram :
P. Carneiro 6 C. 300 saceos :om farinha de
mandioca.
Para Villa Nova, carregaram :
P. Carneiro & C, 500 sacejs com farinba de
mandioca.
- No vapor francez V. de S Nic loo, para
Baha, carregou :
i. de Ma.edo, 9 volases com 3'iO kilos de
queijo do serto
Para Rio Je Jjieirj, carregoa :
A. de Ol /eir Maia, 5,000 cocos, fructa.
No vapor inglez Cometa, para Santos, Cir-
regaram : '
P. Carneiro & C, 1,230 saceos com 75,000
kilos de assucar branco e 1,000 ditos com 00,000
pites de dito mascavado.
Para Rio de Janiiro, carregaram :
P. Carneiro & C, 27 pipas com 12,660 litros
de agurdente.
No patacho portuguez ilondego, para Porto-
Alegre, carregaram :
Amorim raos 4 C, 1,540 volume3 com-----
lio.439 kilos fl assucar branco e 380 barricas
com 48,257 ditos de dito mascavado.
No patacho nacional Industrial, para Villa
Nova, carregaram :
M. A. de Senna 4 C 6 barricas com 340 kilos
de assucar refiaado.
No vapor austriajo Zichy, para Rio de Ja-
niro, carregou :
J. Bernaraes, 6,300 cocos, fructa.
ti iahciio
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Pernambuco pura :
Natal 3.130*000
Maranho 2.0Oi0XI
Para 2.000*000
Confniria d ; S. Juse
d^g'onia
De ordem da mesa regedo*a roado t tj I03
os irmos acomparecprmdoirii>|- t>e Jusho.
em n.isso consistorio, iK-ias 3 Was du lar le.
para riU'orporados. a oiripa
la S- ntissima Triodade, para a qa^l tiremos
conviie.
Manoei Fraziaco das Sanio Silva,
Kcrffr ii rr litase
Do di-I a 7 ):Sj,'Ii
dem di
23
3ii.:73*
S:746-0C8
Hercado lfuu!cp2l .le A.
O aormento deste mercado so da i
foi o seguinte:
Entraram :
261/2 bois pesando 3 G.3 kilos.
321 kilos de peixe a 20 res
8 cargas com farinba a 300 rs.
8 ditas de fructas d verbas 3tt) r*
33 1/2columnas a 600 rs.
105 tabolei.-os a 200 i?,
6 sainos a. 200 rs.
t escriptorio a 300 rs.
61 compartimentos cornerinas a 300
fos
Je Maio
6 4iJ
l*60t
2*4'0
17.700
17.746
17.760
17.771
7.776
18 003
18 006
18.038
18. OJO
18.063
18.105
18 211
18 245
18.-29
18230
18 416
18 520
18 330
18 534
18.504
18 567
18.571
O.>100,J8 583
1*000!
1*200 18 588
3ou|
18.591
ra.
39 ditos de comidas a 300 rs.
98 ditos de legurnes e 'uzeadas a
400 rs.
17 ditos de solos a 700 rs.
8 d.tos de fressuras a tMt rs.
3 ditos de camarOes a ioO rs.
33 Uihos a 2*
Rendimento de 1 a 26 ii Cbrrcnie
30*300 18 600
15*000
39;20O; 48.604
48>0 (8 606
600;
66*000
-----------'18.607
221 020 18 610
6.027*4201
Precos do dia :
Carne verde de 240 z 480 rew o kto.
Sainos de 560 a 800 ris tom.
Carnciro de 640 a 900 idera.
Farinha e 50J a 360 ris a cata.
Milho ic 44-J a 430 reis dem
Feijrio de 900 a 1*203 itm
Vpporcs a forr.r
MEZ DE MAIO
New-York .... Fin-nce...*.......
6.248*440
Readlineutos publico*
MBZ DI ASHIL
Alfandega
Renda eeral :
Oo da i a 27
dem du 28
Renda do Est.
Oo dia 1 a 27
dem de 28
822.482.569
37:673*484
o de Pernambuco
149:364*613
6.433*865
M9.154$0
HEZ DE JUKHO
Sul....... .... Guaky...........
Europa....... Campias.........
Europa....... JohnEtder........
Sul.......... Xerthe............
Sul........... Valparaso......
Europa....... Orenogue.........
t"Ul.......... Advance..........
Europa...... V. de Ltenos-Ajres.
Europa....... Magdalena........
Sul........... Thames.........
Sul........... Para..............
Norte......... Espit ito Santo.....
Europa....... Ville de Ceat.....
Europa....... Tagus............
Sul........... Trent-----.........
23
t
i
1
2
2
3
3
4
5
S
7
8
lo
21
23
18.612
18615
-8.616
' 18.017
1
18 618
18 619
18.620
18.621
18.622
18.623
18.623
18 626
I8.G27
Vapores a safcJr
HEZ DE MAI
santos eesc Finance ..........31 as 3 b 18 628
155 998*473
omina total 1,016:154*531
Segunda seceo da Alfandega d? Feruamouco,
28 de Maio de 1890.
O tesoureiroFlorencio Dcmiugues.
O chefe da eeceoCicero li. de Mello.
Reeebetoria m Estado de
Feriaaibae*
Do dia la 27 48 402*808
dem de 28 8 242.4860
Horimculo do porto
Jacios tahidoB no dia 28
New Yo-kPatacho americano John H.
' randon, capitSo G. tro.
18 632
18 633
18 638

vejada de brilnantes e diamantes, 3 bo-
tes de -uro com 3 brilhai'tes.
i annel de ouro com i brilbante grande.
1 volta de ouro. i medalha i tranceln),
1 relogio de ouro para senbora, ouro de
le.
1 par de brincos com ametistas de pe-
roias, 1 volta de tranceln), 1 medalha,
1 cruz, 2 anneis, onro de lei, 1 salva, 3
colheres para cha, i dita para topa, 1
fivella de prata.
1 broche cravejado de bri'.hantes, 2
grampus de ouro, com pecas lambem
cavejadab de brilhantes.
1 baca e 1 jarro gosto aoligo, prata de
lei.
4 pares de brin.3, 2ulfiue:es, 1 trance-
lim, 1 annel, ouro de le, 1 pulseira, 3
corJes, 2 cruzes. 1 annel, ouro baixo.
1 broche, 1 par de rozeta de ouro, con-
tend brilbur.es, 2 anneis com brilhan-
tes.
24 coilieres para sopa e 29 ditas para
cha. prata de lei.
1 par de neos, 1 dito de rozeta, 2 me
dalhas, 1 luneta, i cruz, 1 figa. 1 alti-
nele peqaeno, 1 annel, 1 par de boiO.s.
2 bolas de ouo, ouro de lei, I par de
argolas. 1 annel, curo baixo.
3 pulseiras, 3 pares de rosetas, 1 dito
de botoes, 1 coido, 1 cruz, 1 annel, 1
caixa de ouro para relcgio, ouro du le
2 11.8 de ponas de ouro de lei, 2 cora
cOes de cordulina engastadas em ouro,
ouro baixo.
1 par de rselas de ouro contendo 2 ra
pbiras e circuladas de britlianus, 1 an
nel com 2 bnlh.intes e 1 satura, i an
nel com ux brilhante, 1 volta de ouro
com nicdalia, 1 pulsei'a com mosaico,
2 pares de brincos e i cruz, curo de lei,
1 putseira. 2 alfineles, curo baixo.
i corrcuij de ouro. 2 iroceliiis, i cai-
xa para rap, 2 Ihellas, 1 par de b)
toes, ouro de le 1 par d?. Ii 16. s. ou'O
.bjixo, 2 >alvas, 2 palileiras. 24 colheres
para sopa, 19 dltjs para cha, 2 combas
para lpa e anoz, pia'S de ki.
O.garfos com cabos >'e prata, I tesoura
p- ta da le.
1 par de rozcla* roto brilhantes pfque
ros, 1 ralva, 1 palitci., 9 coltieres para
topa, 9 utas paratli-i. pzvla.
2 safras, 1 palit i.-o, cj.'hcr para arr
r> z, 13 ditas para -0,3a, prata de lei.
1 alfilete, I :i:edal.i-i. 1 conlo, 1 par
de rozetas, ouro de lei.
6 colheres paru sopa. 0 ditas para cha,
prata b-iixa.
1 salva 1 palitetro, 4 coilieres para
sopa e 17 dila para c prau de lei.
1 par de brin os, 1 ujedallia como
onik, 1 aom-l ouro de lei, i paliieiio
prata de lei.
1 par dr- rtz-'tas e I dedil, ouro de Ip.
2 par'-s de briucuS. 1 volta dt trance
lira, 1 annel, ouro d- le.
1 p,;r de roz.Us de euro co brilhan-
tes pequeos.
I par de iict :s de ourj rom 2 bri'han
les 1 par de rostes de otilo e l annel
com brillantes.
1 b?o. he de ouro orv ja lo re brilban
tes. 2 peUeiras, Ci:;i uitos, 1 cruz era
vejada de do= g andes.
18 colheres para .-6>a. 26 ditas para
cha, I couclu para arroz, piala.
1 pulseira, 1 broche, 1 par i'e brincos
de ouio 'cneiiio brilhantes, l liroche e
1 par de brincos cem brilh.n!*s e ru-
bins, i pulseira com op.las r rubios, 1
da lisa, 1 broche aun esmeiuldas e
perolas. ludo ouro de lei.
I pulseira, 2 m dalas, 2 t-sneelinc, 1
rorrfnte rara relogio, i par de brincos,
1 aluete e 1 ann-l curo de lei.
1 luoe.la de ouro de valor e 5*000, 2
voltas de trencelln, I medalha, 2 ligas
de coral cmouro e 3 teteas, ouro de
lei.
Brilhante piquenos s< b papel.
1 irancelim, 1 medalha, 1 par de orlo
cOi>, 1 dito de rozetas, 3 aun i?, ouro
de lei.
Retrgio ouro de l?i.
1 pul-pira de ouro contendo 4 biilhan-
-U!. 1 broche com d.tof, 1 p*r da b.iu
coi, urna cruz de brilliautes l 3o dr
p-.rolas.
1 volta ds curo, 2 traie#. I afilall a
para relogio, 2 iraacrlins, 1 noedir.ha
du euro cora laco, 2 inrd.llui, 1 par
de briocos, 5 ditos de rozetas, i nn*i,
2 tLoedas strrlinas tm bo'Oes. ouro de
lei.
1 volta de euro, 1 par de brisas e 1
annel ouro de le.
I redoma, i par de rozetas, 3 botOes c
1 annel ouro de lei.
1 relogio ouro de lei.
i pulceira de ouro, I dita cem riquili-
fes e coraes, 1 trancelim, 2 vollas de
dito e 1 cruz, ouro de le.
1 trancelim e um passador, ouro de
le.
1 pulseira, I medslbo, 1 par de brin-
cos com rubios e prrolas, ouro de lei,
2 salvas prata de lei.
1 annel de ouro cem I b ilbante.
2 anneis di ouro com arribantes peque
nos, 1 lio da p trolas, 4 broches 3 p.:res
de brincos, 1 dito de rozetas, 2 anneis,
2 pecas de cinleiro turo de le 1 par
de botoes, 1 medalha, ouro e oni.k ou
ro baixo, 1 salva, um paliteiro prata
bjixa.
1 relogio de ouro de ei, 1 salva de pra-
ta de lei.
1 salva -ranJe, prata de lei, icscrivi-
nlnha incompleta, prata baixa.
1 rotario curo de le.
3 trancelins, 1 corde grosso, i do
fino ouro de lei
1 correute, 2 trancelins, 2 anneis, -roas
cruzes ouro de lei.
1 pulseira de ouro com 5 brilhantes e 1
pedra banca, 1 par de brincos de ouro
cravejados de brilhantes, 1 allinete para
niaota, ama cruz com brilhantes curo
de li i.
2 pul.-eiras e i urna c rrenle para relo-
gio, onro de le.
U colheres para sopa, 15 ditas para
cha. 18 ditas para creme, 3 para lirar
sopa, arroz e assucar, prata baixa.
i pulseira, i par de b.ifcs cur de
lei.
i moeda de ouro lbr) e i annel com
1 pequea esmeralda.
I cordo e urna erez, ouro de 16 quila-
tes.
1 salva, 1 paliteiro, 2 colheres para
sopa e arroz e 17colberes para cha, de
prata.
1 medalha e 2 pares de rozetas de ouro
lei.
i salva de prala, 2 colheres para sopa
e arroz, prata de lei.
i relogio curo de le.
1 correnlo, 2 trancelins ouro de lei, 1
salva oilavada prata de lei.
1 irancelim, 1 cordo. I cruz, l emble-
ma do Espirito Santo, 1 annel a 2 rus-
plendores, ouro de lei, 1 cie!aiii, 1
cruz ouro baixo.
18.659
18.663
18 678
18.679
18.680
18.681
18 682
18.683
18.686
18 698
18.703
8.705
18 710
18.711
18.712
18.720
18.721
18.724
18.725
18.728
18 734
18.736
56 445*708
Bahia e escalaVapor nac'oiuJ Marques j
de Casias, comicaniian'e Jos Born r g gj-j
do de Souza, carga vanos gonerot.
Santos e escala Vapor usiriavco Zychy, 18-647
corana andan te Deborch, carga rarios
gneros.
Rio Formoso e Tmnandai Vapor osco-
na! Jaculiype, coraruirdanto Esteres
Jnior, em lastro.
(Qbtervo-c,ao)
Nlo houve entrada lo an 28.
18.64* 23 coiteres para sopa, 22 citas para
'I
cha, 3 para tirar sopa, arroz, t d'.ta pj
ra peixe, 24 garfos, prata de lei.
2 pareB de boiO^s para pannos, ouro do
lei.
2 pulseiras, l correte dupla, para re-
logio. urna moeda de ouro de valor de
20 000, 1 cordio, I rtl.'gio euro de
lei.
1 volta de ouro de lei.
2 pulseiras, 1 corrate e medalha para
relogio, 1 relogio de curo, para seno-
ra, ouro de le.
10.6">6 1 broche, 1 par de brinco, 1 crjz, ou
ro de lei.
18 649
18 652
18.637^ i pulseira de ouro, i correte com me-
dalha e porta relogio, 1 relogio de onro.
para seabora, ture de lei.
1 par de rozetus de ouro com onuke pe-
queos brilhantes. 1 medalha de onisfc
com I bullanle ptqueoo. 1 par tfe ar-
recadas cravej.idas de diamantes, 1 traa-
celitii.
1 traccelim de vol a, 1 de dHa. 1 pol-
seirc, 1 par de rozetas, onro de ha, i
medalbas ouro baixo.
1 par de rozetas de ouro com brilhantes
e 2 anneis com ditos.
1 pulseira de ouro e 1 medalha cos-
iendo brilbanjes, 1 volta de ouro com
laco, 1 corrente para relogio e 1 ea-
1 par de brincos e 1 cruz de onro can
trilbautes.
1 correniao de ouro para relogio e re-
logio ouro de lei.
1 ancel de ouro com um brilbante.
1 Pulseira ouro de lei, 1 salva piqueas,
prata de lei.
1 pulseira de ouro, 1 volta com meda-
lha, 1 tracelim, 2 allinetes, 1 par de
brincos, 1 dito de rozetas, 1 moedi
nha de onro (dolan e 4.anneis de ouro.
2 anneis de ouro com 2 brilhantes, 1
dito enojas brilhantes.
i corrente para relogio, ooro de leL
1 crucitixo ouro de lei.
1 corrente com cinetes para reos, i
rosario e i luneta d.- onro de lei.
2 correles de ouro para relogio, e tan-
celim com tete, ouro de lei.
1 annel de ouro com um briltiasie.
i aifiuete de ouro com brilhantes, 1
par de botOes com ditos, 3 alOnelcs de
ouro, 1 par de brincos, 1 dito de role-
tas, 1 medalha, 1 lutita, lNapio de
ouro.
1 annel de ooro cem 1 brbnte, I
corrente para relogio, 1 allinete crin es-
meraldas, 1 figa e 1 relogio onro te
lei.
1 annel de ouro cooUndo urna esme-
ralda circulada de brilliaotes.
1 alliueie, 1 par de brincos, 1 me&ifaa
e 1 annel, ouro de lei.
1 anoel de ouro cora um brlbautc pe-
queo, e volta de curo c 1 medalha ouro
de lei.
2 casticaes com bocaes, prata de tei.
1 par de rozetas de ouro com brilnan-
tes em circuios, 1 allinete de oan> com
esmeralda, 2 pulseiras, 1 par de brin-
cos 2 pecas de dito, I rozeta, I pf-tB.de
oiiro, 1 broche, I passador para ru.i;'.-,
0 ro de lei, 1 redoma, 1 eras, i pa- de
brincos i dedal c 1 emblema do Espi-
rito Santo, ouro baixo.
1 par de rozetas de ouro com 2 r-a.-hi-
ras^irculudas de bii rumies, 1 volla te
ou'O c i medalba, oun de lei.
1 volta de cordo, 1 trancelim p< quezo
e I dedal, c uro de lei.
1 anuel de ouro com pequeoo brimacA*,
1 volta de ouro com med.dha, i brues
e i p ir de lozetas, turo de lei.
1 torrente e cete para relogio, core
de lei.
1 corrente e medalha para relogio, coro
de lei
1 aluete de ouro para manta, coa S
brilhante.
1 allinete, 1 par de brincos, 3 anneis. I
cete, 1 lotea e 1 mot-diuha de .-aro
com Ico. ouro de lei.
1 corrente ue ouro p ira re'ogio.
I pulseira, ouro de le
1 volta de trancelim e 1 eras, onn ite
le.
1 pulseira, i broche, I par de biincc*
cravejados de biilhames e diamante?.
i pulseira, ouro de le.
1 par de brincts, ouro de lei.
1 corrente para relogio, ouro de fc-i.
2 anneis de ouro coui btiibantcs penar-
sos. 1 mutila deouio de 20 francos,!
pulseira, l allinete e 1 par de brroa,
1 correute de ouro para relogio, c tro
de lei.
2 tranceli s, 1 moedinha de onro cem
laco e 3 alflnelcs, ouro de lei.
1 annel du ouro com um brilbante.
1 anuel de curo com um brabante r.n-
de e um torren ao, ouro de lei.
I alli.iele cravej.ilo de. diamantes.
1 medalha, ourn de lei. i
i cordo, ouro de. lei.
1 volta de trancelim 4 1 medalh?, ooro
de lei.
1 caixa de cu o de le para rap.
2 pies de brincos e 2 aunis, oarr, te
le, 1 fiar de brincos u 2 med^ii^,
ouro baixo.
1 trancelim, ouro de le, 1 faro.-be, 1
Hieda lili, ouro baixo.
1 annrl de ouro com l bullante pe
queno, 1 pulceira, ouro du leu
1 bollo de ouro com 1 brilaauta.
1 corrente medalha para relogio 1
re.oiiio, o*ro de lei.
18.906 l co-ieute para relogio, onro e ala-
lina.
1 irancelim, 1 luneta e 1 pardeocnk>s.
1 par de rosetas, ourc cr..vejado brbaatea.
1 par de brincos, 1 cordio, ouro de hti,
1 trancelim, 1 liga, ouro baixo.
1 pulceira, I allinete 1 par de brinco?,
1 cordo, 1 cruz, 1 emblema de S. &.-<*.
1 par de botOes, ouio de lei.
2 vollas de trancelim, 1 emblema a
Concetco, 1 medalha, 1 liga onro e
lei.
i annel de ouro com I brilhante.
1 trancelim, 1 brilhante, 1 par de ro-
zetas, ouro de lei, 1 cordio, 2 alfinete*,
i par de rozetas, ouro baixa
1 pena de ouro de le
i trancelim com passador, ooro tt&.
1 corrente e medalba para relogio, 1
chave. 3 botOes, 1 annel (. 5 letras, e-
ro de le.
I allinete de ouro cora brilhantes.
1 salva, l colber para arroz, prata de
lei, 12 colheres para sopi. 5 para cha,
2 conchas para assucar e sopa, S casu-
caes e 1 paliteiro, prata baix?.
2 trancelins, i volla, 1 cordo, 1 aI5-
ocie, ouro de lei.
I alOnete de ouro cravejado dediasas-
tes, rubios c perolas.
i par de rozetas de ouro com brilhan-
tes peqoeooi
l corrente e sinete para relogio, onro
de lei. 1 coiher para tirar sopa, 1S ditas
de popa e 12 ditas de cb, prata.
1 relogio ouro de lei.
1 par de rozcias de ooro com brilhan-
tes. 1 annel com 1 sapbira circulada de
b ilhantes. 2 anneis com esmeraldas, i
par de brincos. 1 dito d-> rosetas 1
broches, 1 medalha, 4 pares de boto,
1 volta de irancelim com 3 emblemas
de imagem, i redoma, 1 caeta, 4
botoes de ouro cem 4 perolas, 1 par de
rozlas com 2 pe roU-s e 1 rttogio de
o;d.
18.891 1 volta de ouro, 1 pule, ira o 2 medi-
Ihas, curo de lei.
19 003 1 annel de ouro ciavcjado de rubios e
brilhantes pequeos, 2 broches, 1 par
ic brincos e 1 dito de rezetas, ooro de
lei,
19 006 i cordo l medalha incompleta, t pa-
res de rozetas e 1 unnel, onro d- lei.
19.014 i corrente e medalha (ouisk) para re-
logio, ouro de lei.
19.022 1 correute para relogio, (faltac/o cha-
ve.)
18 024 1 corrente para relogio c 1 par de brin-
cos, ouro de lei.
19.028 i corrente e medalba para :elogio,0B
de !ci.
19.031 2 vol tas de trancelim e 1 aitir.ete, ooro
de lei-
19.032 1 par de rozetas de curo com 2 bri-
lhantes, 1 aunef com 1 dito, 2 traiice-
lins, 1 volta de dilo, 1 par de rosetas,
1 dito de brincos, 4 pecas de brincos,
2 cruzes, 2 medalliar-, 2 ded-'ies. 1 alfi-
lete. our> de lei, 1 vola d ouro, A
pecas de brincos e i par de rosetas.
ouro de lei.
19.033 I par de rozetas cele 2 triaL'.es e I fio
de perolas.
19.046 i pares de brincos, i vdta de tranee-
I Um, ooro de li.
8 737
18.741
18.747
18 762
18.766
18.771
18.772
18.773
18 77
18.796
18.797
18 806
18 813
18 816
18 820
18.828
18.832
18 849
18.864
18.872
18 879
18 880
18.892
18 893
18.899
18.900
18.9 2
18.903
18 904
18.913
18 915
18.919
18.920
18.931
18.932
18.933
18 958
18.9.0
18.935
18 90
18.970
18.972
18.797
1-1.798
18.979
18.984
18 988
>
c
fe
i


Diario de Pernambueu-Quinta-feira 29 de Maio de 890
*-

I
te
i
19 050
19.055
9.06i
19 (67
19.073
19 080
1 correte pan relogio, 1 con-So, l par
gofus, ouro d lei.
2 correles e 1 laedulba para relogio
coro de le
l frrente curta para relogio, 1 par do
LiotO-'s, 1 relogio, ouro de iti.
t medulha, 1 cruz, 1 aonel encaste de ou
E-Jilal n. 43
(Prase de 30 das)
1 Praca
PWa inspectora desta Alfendega se fez publico
que as 11 horas do da 28 do mez de Junho pro
a cabello, bur de le, 1 ,raDC8. ^''odouro serio arrematados porta desta
Jim 1 par de brincos, 4 pires de rose i ^"T"5*0 as "ercador.as conlida* nos volunes
ta" 1 armis, 1 palmo de cordao, 1 liga f.^1" ""ooadas nos tormos do ltalo 5 cap-
e 1 teta ouro b ixo i conaclidacJo dus leis das alfandegas e
1 pulceira e 1 dedal/ouro de lei. w*wu de rend_- se*eu> d0?0 ou consignatarios
I polceira composta de moedinhas de ,nc'M^pacbaremc as retirareo dentro.:iopra
so de JO das a contar da dala deste edal sub
' pena de Ando o mesmo prase serena vendidas por
ouro.
1 par de rozetas, 2 volias de trancelim, i -.
2 xedalbas, 1 cruz o 4 teteu ouro do, 8Ua,conta <*m ' cintra os eneilus desta venda.
19082
1-J.038
19.' 91
19.092
19.093
10119.
11719.
19.12
lei.
2 uiedulhas, 1 bandeira de curo para
imsgeiu, 1 cru, 2 armis, 1 relogio, ou
ro de lei.
1 par de rozetas de ouro rom 2 brilhan
tes pequeos, 1 volts co:n trancelim,
ann1 is, ouro Je lei.
1 volia de ouro, 1 trancelim, 1 cruz, 3
medaihas, 1 altinetc, 1 par de brincos,
1 dito de rozetas e 3 anneis, ouro de
k-i.
1 par de b.-iucas cravejaJo de briihan
tes pequeos (cm prata), 2 broches de
ouro conieodo brilhanies, 1 cruz com
ditos, 1 par de rozetas com ditos e 1
lio de peroias.
1 relogio de ouro incompleto, 1 dito pe-
queo para senhora.
1 < o: rente para relogio, 0L.ro de lei.
i par de rozetas de ouro cou brilh ri-
tes pequeos, 1 aooel com esmeivi ..>
circulada de brilhantes, 1 trancel;m o I
ruedaIha, ouro de lei.
1 pulcein de ouro com i brilhante
annel cravejado com ditos 1 par de ro
zetas com 2 ditos e porcias. 4 botes
com 4 ditos, 6 biilbiutes sob papel, 2
raedaluas com diamantes e peroias 1
breche com rubios e diamantes, 1 al
nete de ouro para manta, 1 cruz, 1 vol-
ta de ouro de lei, 1 correte ,,ara relo-
gio ouro e platina e 1 cordo grosso,
ouro baixo.
2 puleciras, 2 correntes para relogio, t
trancelim, 1 volta de dito, 2 inedalb.j.
1 cordo. 1 cilio de Santa Luzia novo, 1
par de brincos, 4 aunis e 1 botio, ouro
ue lei.
1 volu de ouro com peroias, 1 meda-
lliao com 4 brilhantes e diamantes, ou-
ro de lei.
I croz'de ouro com pequeos brilkan
tes, 1 volta de cordao, 1 raedalba, 1 par
de brincos, 1 dil i de rozetas, 1 dedal,
curo de lei, 1 moedioha de ouro de
meta .
i annel de ouro com 3 brilhantes.
1 alflneti! de uro com peroias, 1 pol-
ceira, 1 correnle p:ira relogio, oro de
le, 1 broche cravejado de diamantes.
I correte para relogio, ouro de tei..
1 correnle para reiogio. ouro de lei.
1 trancelim, 1 volta de diio, i moedioha
de uuro com laco, 1 flgt el pequea
mcdllia, ouro de lei.
1 par de rozetas de ouro com 2 peque-
os brillantes.
2 pares de ferincos, 1 medalha, ouro de
le.
3 medalha?, i par de biincos, ouro de
lei.
2 anneis de ouro com 2 brilhantes, 1
par de rezetas com ditos.
10 colhcrr para sop t, 17 ditas para cha,
2 ditas para .-opa t arroz, prala b2ixa.
1 annel de euro com 1 brilhante.
1 medalh i lie onl< k-. 1 luneta, I par de
rozetas, 1 dito de bulos e 1 acnel
i pulcein, 1 broche, 2 pegas d brln
eos de curo ron 28 brilhantes peque
nos, ouro de ki.
2 relogio? de oaro.
1 relogio de curo.
1 trancelim, I rr.kgio, ouro de ki.
I par de biincos de ouro cravejado de
b; Hilante*.
I relogio de ouro de lei.
I salva e I tigella de prata.
Bedfe, de Abril ue le90.
O gerente,
Felino D. Feneira CotUio
19 123
19 127
19 128
19.131
19 132
19 138
19.ICO
19 170
19.180
19190
19.193
19.197
19209
19.219
19.221
19.223
19.226
9.227
'9.228
i?23J
19 238
19.241
PROJECTO DE N30RIPCAO
Para a 3.* corrida a realizar e rw quinta-
feira, 5 de Junho de 1890.
NO HIPPOUBOMO DO CAMPO GRANDE
1. pareoAbolilo200 metros, corrida
a pe Rap*ze at 16 annos. Pre
mios: ao primeiro urna ,oia a ai
seguido um obkcto 'arte.
2 pardoH'ppodnomo do Campo Grande
700 cetros. Pequiraa este
Estado, de ln28.c, miniados por
amadores. P.emios: ao primeiro
urna jola e ao segundo um obja-
cto d'arte.
3. pareoTrezc de Maio100 metroa,
corridas a p, por renies at 12
annos. Premios : ao primeiro urna
joia c ao segundo um objecto
d'arte.
4. pareoClub Etgrima 800 metro*.
Anim-es que nao tenbam sido io
scri.-tos no* prado* rio Recife,
mantado* por amadores. Premios:
ao p* iroeiro urna joia c ao segue-
do oKj cto d'arte.
5* p&re i Q-iiuza de Xovcn&ro -200 me-
tros, corrida de carneiro* monta-
dos por menino* at 12 annos.
Premios : ao primeiro urna joia e
ao segundo um objecto d'arte.
t.' pircoExperiencia 2.000 metros.
Anicaes d'este Estado, cm esqu-
i ado, montados por amadores.
Premios : ai primeiro urna joia e
ao segundo um objecVi d'atte.
7 e sarco -S ecple chase 9 X) metros. Ani-
m.cs d'esU Eitado. Premios :
ao primei "o urna j >ia r. to segun-
, o urna dita.
- p: co Tiro Federal 20 metros, cor
rida com obstculos, por mocos
me 2.) annos. Premios: ao pri
meiro ama joia e ao segundo um
objecto d'arte.
'-baerYacdta
A nsoripcjo encerrar se-ba no da 3u
de 31a i o c.irrente, s 6 boras da Urde na
secret..!-i i do Hippodromo ra do Impe-
rador.
As i;iterr,<;'es pagarSo 5i5"CO.
Fica resrvala a directora o direito de
recusar qualquer proposta cu alterar o pro-
jecto.
Ptr^ qualqner explioajao a ra do Ro-
sario da Boa Vista n. 36.
Recic, 24 de Maio de 1820.
O gerente.
J. M. Lemos Duatie.
Armuzem o. 2
Marca G F em cima e W em haixo. um pacote
n 77 86 vindo oe Liverpool to vapor inglez Ma-
riner, entrado em 26 fie Oatubro de 1889, nao
consta do manifest, cootendo amostras de esto-
pa.
Marca A M em cima e W em baixo, um dito n
47.48 dem, idtm, nao consta do manifest, con
Undo amostras de estopa.
Marca R S em clx-a e J M em ba'xo, qnatro
rodas de ferro fundido, pintado, obras r.o das
cilicadas, pesando todas 9 k logra-. Eus, ns ...
2i6;24, dem, ca 30 em, a ord. m.^
Marca diamante, 11 0 en ciioj. R 5 o centro
e 4 c em baixo, urna barrica n. 3 Ueui dem, a
ordem, coniendo sppardhos de buc de |. fte
pedra n. 1, |.eFani. 2.3 kilogrammu; 3 1.2 ki
lograromas de obras nao classilicadas de cobre e
sua- ligas, simplesl 7 kili'gramnias de obr^s
Dio classtri^adss de Ierro fundido eslanbado.
Urna dta n. 4 dem idem, ordem, cootendo
22 kilogram.-Las de ferro fur.di-io pintado, 10
j kilogramas de obs no ctas.-ili ada?, de c.bre
e soas ligas.
Marea R & S em cima e J ii C no b-ixo, orna
dita o. 58, idem, em 31 idem, a ordem, contci.do
obras de ferro fundido simples, nao classificadas
pesando 360 kilogrammas.
Armazem o. 3
Marca M & C, urna caixa n. 242, de Nw-Yu k
no vapor ingles Cearense em 13 de Setembro
idem, nao consta do manik-to. cootendo um
livro de estampa?, para modelo de artes e offi
cios, encaderoado em capas de papeao, pesan
do 7 k logrammas.
Marca R & S, oiteuta alados ns. 6I|I40. idem
idem, a Res & Santos, coniendo 2.0 e 11 w d-
mao ou -iterro.
Marca S P J orna calza n. 28, do Hav no va-
por francs Ville de Babia* em 7 de Junho de
1837 a Samcel Jonhs'on, coniendo 37 kdogram
mas de limalha em frascos.
Marca ln.ngulo e S O oe centro, urna dita
sera numero idem. no vapor franoz Ville ue
Montevideo em 7 de Abril de 1888, a Goncal
ven IrmaoD, conrendo amostras.
M irea M & C urna ".dita n. 24, o90, idem no
vapor francez Ville de Santos em 30 de Julb*
idem.
Marca M 4 C a Mcdeiros & C. contendo 12
kilogrammas de lapis para escrever e 23 k lo-
l" mmas de ditos de borrutha.
Lima dita n. 24 802, idem dem aos mesmos,
coot("hdo32 kilograi^mas de lima (liquido) para
escrever e 28 kilogrammas de goma arbica (li-
quido J
Marca Alves de Brito & C. um pacote sem
numero idem, no 'spor Irano-i Bueuos Ay.-es
em S de Setembro idem, coniendo amostras.
U:u dito sem numero idem so vapor francez
Ville de Sanios em 27 ;de Outubro dem, cos-
iendo amostras.
Marca triangulo M S em cima e A c no centro,
um dito, de Ilambuigo no vapor aetnao Ar
g-utino em io de Njvimbro idem, a Miranda
4 Scoza contendo amostras.
Marca Alves de Brito 4 C, dots pacotes sem
numero idem idem contendo atLOttr.
M.rca diamante P A em cima A no centro e.
M G um dilo sem numero idem idem, a Pe
dro Antones 4 C.. con leuda Amostras.
Urna caixa n. 23 ('22 idem. em 19 idem
a Medeiros & C, contendo 66 kilogrammas de-
capas para carias.
Marca H P, orna dita n. 3830 idem, no vapor
alleaio Paranajfu mi 7 de Margo de 1*89
ordem ctnteodooJ6 k'lo^ramaus de molduras
douradas.
Marca diamante D G 1124 no centro e II P cm
baixo, doas ditas ns. 1.2 e urna grade n. 3, de
Liverpool no vair ingles Sculptor em 13 e 12
dem ordem contendo 96 k'kgr.mmas dech
e 21 ditos de ILudres pintado.
Marca diamau e, D G em cima 112o no centro
e H P, tres fiixa? n?. IfJ idem, em 13 dem
ordem. ccoteido 03 kilogrammas de cha. 27 di
tos de latas pintadas.
Marca diamante, D C em cima II ? em baixo,
o. 143 no ceutro. Duas rades os. 1/2, idem ao
vapor inglrz Dmx. em 3 qaira Ouarte SimOes 4 G eontt ndo 200 k;lo^ram
mas pcfo liquido de cb.
Marca d:amante.D C em c.ma, II P em baixo.
o. 1431 do ceutro. Duas ditas ns. 1/2 idem,
idex acs mesmos, contendo 162 k logrammas de
cha.
Letieiro igoglinho Santos 4 G. Din pacole
n. 100, do lUvre. no vapor francez Ville dt S.
Neolo. em 24 d Setembro idem, nao consta do
manifeelo, ecote^do amostras.
Mrca A A C. Tres raizas ns. 17 4*3 17 ilem
no vapor frarcez Ville de Ciar, cm II de Ontn
bro, idem a Jacinibo Je Azevedo, onlendo 80
espingarda* de um cano p.ra raca.
Dez ditas de deus canos, 3 bolea? para caca, e
104 pistolas de um cano.
Marca RS. S a Res Santos, cintcu-J. 60 pi.-tolas de um cano,
loO rspingi-rdas de om cano, para ce--
Marca J D 0 A. Q uno cixas ns. .909, 4910,
1033 c 1054 idiin iiem a J.c-n lio de Azevedo
cont-ndo 10 kikgrammas de o'jra de ferro ba-
tido.
32 diUs de parafa.~os de mais de 10 nume-
ro?.
34 ditas liquido rea! de ralladuras de duas
voltas e trincos.
24 ditis i lera de. dcbadigas.
15 ditas de pujadores.
30 ditas detcbis de ferio (andido simples.
16 i tas idem de cobre.
49 ditas de p^rafusos de ferro ate 10 nume-
ro? .
43 ditas de carteados de ftr.o.
10 ditas de dob adica* de fe ro.
20 dita? de obra? dt lltndres simples.
o ditas de obras de krro balido.
Armazem n. 6
Marca A D Lima. Duas di as, sem numero, va-
stas, que contiveram fructa?, vindas de Souiham
pton no vapor mgkz Turnar, eu'.rado em v3 de
Outubro de 1889 e nao consta do niaoifeslu.
Marca A A I* Gaia d.ta u. 17 4!4 idem no va
por loglez Elbe, em 11 iiein a Jacinlho de Az*
vedo 4 G., contendo li kilograxuias de e-pol
tas em cartucho &m caiga ue. bala.
Armazem n 7
Marca A B D. Utna caixa sera numero cem-
pli lamente vasia. constando da entrada do mrsino
armazem icr entrado a dita caixa asiia vasia,
vidda de Liverpool uo vapor inglez Lascll, em
14 de Novembro i'l'm.
2 recto da A.fandega de Pcrnaubucc, 27 de
Mato de 189. .
O chefe.
Cicero B. de Mello.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Companhia AJagoana de
Fia Convidamos os scnborej subsenptores desta
ccrapanhia para, de aceordo com os a>ls. 9 e 10
do.- e laatos, realiarera at o da 14 de Juiho
prximo futuro, a 10." entrada na raiao de 10
0 0 do valor de soas accoes no Canco de Per-
n'cjmhuc:. Macei, 14 de aio de 1890.
Os diiectores
Jo Telxirir-: Mactiado.
o> Janoario P. de Garvalbo.
Propicio B-rreto.
, Derby Club de Pemambuco
casa, de.cro ser ap:eaenudas propostas para o Tvodo-se exonerado de director desta rmpre-
arrendameolo. par teinpo leum i ties annos, |sa o Sr. Gados Jj= de Medeiros, e ochndose
da proptedade Miiueira, perte-cente a mesmajimposeibilitados .os imtsediatos etn votos, con-
santl casa. furme declararan; p*l prenU' convido os Srs.
As propostas de.vvrao ser em 'attas fechadas e accionista para se reonirem em assembka geni
sellada-, e sri p.-tkrid. aqulla que miIbores extraordinaria no dia 29 do expirante mez na
vaatage: s off lecer, tomando por base o i reco ,ede da sociedade, ao mcio dia. sfim dt ser pu-
do aosi arrendteeolo, que i de 120^000 .ni henchido o dito cargo,
uaes. ecrelaria do Derby Club de Pernambaco, 23
Secretaria da Santa rsa da Misericordia do, ^ Ha|0 de 1890.
Redfe. M de Maii de 1890. Huu* Yed'irot,
O escrivao, Pedro Rodrigis de Soma. secrttario.
Hospital Fortuguez
de Beneficencia em
Fernambuco
ASSEMBLEA GERAL
Po.s e da nova juna
Sao convidados todos os
Sr?. associados a reui>irem-
se domingo, 1. de Junho,
na secretaria do Hospital
Portuguez, s 11 horas da
manha,para sedar cumpri-
raento ao que determina o
17 do art. 39 dos estatu-
tos.
Secretaria do Hospital
Portuguez, 26 de Maio de
1890.
O secretario,
Cesarlo A. s*. Papoula-
MARTIMOS
R. Consolato d'Italia
porto a conoscenza dei suddili ilaliani residen
ti in questo dktretto Consolare che. possono fare
la loro dkhiarazione de nazion.-lita voluta dal
Decreto del Gitverno provisorio Brasiliano delli
15 Noven be 1889, non solamente naoti la
Camera Municipale, Delegazia o Sob Delegazia
di polizia n< I luogo di loro domicilio, ma anebe
in questo Consolato.
Peroambuco, 27 Maggio 1890.
II Consol Reggente
_______________________A Cohn.
Cl ub Rrpublicano Fe-
deralista da Grac,a
Amteinbli'a (eral
De ordem da directora sao convidados todos
os socio3 dc=te club a se reunirem no dia 1 de
Junho. s C horas da larde, na ra de S. Elias
d. 4 (Espioheiro) adra de em sessio de assem
bla geral discutir-se assumptos geraes, de te-
cordo com os intuitos do club.
Secretaria do Club Repub'icano Federalista da
Graja, 25deMiio de 1890.
O I- secretario,
H. Hnllanda dos Santos.
Companhie de Messagerie^
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nertke
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sui no dia 2 de Junbo
seguinde depois dademo
ra de costnme para bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
a enca, qne podem tomar em qnalquer tempe
Faz-se abatimento de 15 0)0 em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e qne
nararem 4 passagens inteiras.
Por excepeo, os criados de familias qne to-
marem bilhetes de proa, gozam tambem deste
a atimente.
Os vales postees so se dio at o dia 31 de Maio
co pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas
nhjiro a frete : trata-se como AGENTE.
e di-
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E' esperado da Europa no
dia 3 de Junho e segui-
r depois da demora ne-
cessana para
PaMa, Rio de Janeiro, uenos-Ayre* e
Montevideo
embra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes qne ha logares reservados para esta
agencia, qne podem tomar em qnatqner tempo
?revine-se aos Srs. recebedores de mercado-
ras qne so se attendera a reclamacOes por fal-
ta, nos volnmea, qne, Ipem reconhecidas na
o :casiao da descarga.idnm como deverao den-
tro de 48 boras a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qnalquer reclamacao con-
iernentes a yolumes que porventura tenham se-
;aido para os portos 3o sal, aflm de poder-s
Jar a tempo as providencias necessarias.
rJnited States and Brazil
M. S. S. C.
O vapor Finance
E'esperado deNeirYors.
at o dia 30 de Maio
o qnal depois da de
mora necessaria seguir:
para a
B JUa, Rio de Janeiro e Santo*
Para passagens carga, encommendas e di
aeiro a frete:. trata-se cornos AGENTES.
O vapor Advance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 3 e Junho
o qual depois da de.
mora necessaria seguir*
para o
Maranho, Para, Barbados, s.
Thontaz. Hartlnlque e Sew-
York.
'ara carga, passagens, encommendas e di
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8J2uo do Commecior8
.____________1'andar_________________
COMPANHIA PERXAMbVcaXA
DE
aregacSo costeira por vapor
POR.IOS DO SUL
Sacei, Pencdo, Aracaju e Babia
Viagem extraordinaria
O vapor Jacuhjpe
Commandante Esteves
Jtrtk
r K 9 \
Segu no dia 2
,.5 horas da tarde.
gs at o dia ...
de Junbo ar
Recebe car
lonja fina e vidros, candieiros e lustres para gaz
e velas, fdrro de tapete para Balas, etageres, fi-
guras de bbxuit, e 2 prelos Micerva, com 38
fonies de typos, machina) para aparar papei e
curvar linhas, alen de mullos outros artigos
que estarao vista dos Srs. lidiantes.
?gente Pestaa
Leilo
De predios llvres e desembara-
zados
Excel lente emprego
de capital
Sexta-feira, 30 do corrente
A's J2 horas em ponto
No armazem travessu do Corpo Santo
n 27
Da grande casa terrea com sota, commodos
para numerosa familia, quintal grande com ca-
cimba, sita ra da Palma n. 92, rendendo <"i
menaaes, a qnal ser entregue pela t Berta de
2:895#000, Do bavendo quem melhor lance of-
fereca.
Um sobrado de um andar sito ra do No-
gueira n. 23, com dous grandes quintaese ca-
cimba, rendendo 40000 mensaes, o qual ser
entregue pel oferta de 2:4654000, nao haven
do quem malor lance offereca.
Os dous predios sero vendidos livres e des-
embaracados de qnalquer onus e pelo maior pre-
co que derem.
Leilo
Katea paquete*
I leclrlc.
ao lllumlnado a
Companhia de Segares
AGENTE
Miguel Jos Alves
X. tEiii do Baoi Jonum X. t
seguros martimos e terrestres
.N'estes ltimos seguios a nica companhu
esta praca que concede aos Srs. segurados iscmp
o de pagamento de premio em cada setime
.ano, o que equivale ao descont annual de cer
j de. 18 por cento em favor dos segurados
SEGlOS
iAR'TlH0S COXTRA FOtd
C^^pankla Phenlx Per
nantbneana
RA DO GOMMEHGIO N. 46
SEGUROS
CONTRA FOGO
he Liverpool Lendon i Globr
INSURANGS CD.PA3TT
suasear. mim &:.
Ba do Commcrcjo n. 3
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os rapores sobra as ca
as do mesmo JMnco em Portugal senda
m Lisboa ra dos Capellistas s. 75. Na
"orto, ra dos Inglezes.
SEGUROS COMBA FOCO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXIS BAIXAS
Prompto pagamento de prejuixot
SEM DESCONT
A ( OHPA1IIA
IMPERIAL
de i.o\ mus
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rl. f ,OOO:OOO*0OO
AGENTES BROWNS & C.
N, 5-RDA DO GOMMER 10 -S. S
Companljia t Seguro?
::s:s ro&o
NORTHERN
de I^ondrca e Aberdaen
'osifSo fiuanccira ('Oczerubro de 1887/
Capitel subscripto 3.000,000 '
Fundos aecinpulados 3.421,000
ttecclta annual :
De premios centra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros 143,000
O AGENTE,
John H.Boxine.
SEGURO COMISA FOGO
rloyal Insurance Companj
de Liverpool
CAPITAL. 9.000:000
AGENTES
R. Drusina &. C.
13-Rna IBarquez de OUnda-fl3
AGENTES
M D EMNISADOIU
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRF
Bstafcelecida em 1SS
Estado Unaneelro cm SI de De-
zentbro de M*h9.
Gipilal l,0U0:000|000
Fundo de reserva 10:'<76|i000
Sinislros pagos 1,776:683000
44Suji do Commercio44
Para carga, passagens, encommendas
a leiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
9 Ra do Commercio 9
e di-
ompanhia Bahiana de Na-
vegado a Vapor
acei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
ju, Estancia e Baha
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardes
E' esperado dos portos acinu
at o dia 1 de Jonho regressan
do para os mesmos depois da
_____ demora do costme.
Viira carga, passagens, encommendas e dinhei-
r i frete trata-se com o
AGENTE
Pedro Osorio de Cerqueira
17Ra do Vigario 17
-.. ______-:_________:---------------
CHARGEURS REUNS
Ctmpanfels Fran
WJE
Kurega^So a vapor
Lisha quinzena! entre o Havre, Lisboa
Pemambuco, Babia, Rio de Janeiro t
Santos.
O VAPOR
Ville de Buenos-Ayres
Commandante Le Bourkis
E' esperado da Europa at o dia
4 de Junbo segnindo depois
da iedispensairel demora para
a Jaaaire Santos
toga-se aos Srs. importadores de carga peta
acores desta linha,ueiramapresentar dentro
le 0 das a contar do da descarga das al varengas
,a!uer raclamacio conceraente a volumes que
orrautnra tetham segeido para os portos de
.i afta ds se podei dar a tempo as prori
lenciai necessariag.
'ixpirado o relerido prazo a companbia nao
sponsarjilisa por extravos.
?ara carga, passagens, encommendas e di
i|>*irs a frete: trata-se com o
AGENTE
Augusto, Labille
- RA DO COMMERCIO 9
Pacific Steam Navigation
Compan^
STRAITSOFMAGELLAN LDE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o dia
I de Junho e seguir de-
"poip da demora do costnme para
'Valparaso com escala por
Baha, Ro de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e di
itieiro a frte: trata-se com os
AGENTES
Encommendas, passagens e dinheiros frete
tt as 2 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
o Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
mm.\ss;
Companhia Brasileira de
Navegacao a Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Commandante Roberto Ripper
E' esperado dos portos do sn
at o dia 7 de Junho e se-
guindo depois da demora indis
ipensavel para of portos do or
- at Manaus.
is encommendas s serio recebidas na age;
:ia at 1 hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens, e ncommendas e vale-
res rata-se com os AGENTES.
PORTOS DO SUL
V^apor Espirito-Santo
Commandante Antonio^Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do or
te aif o di. 8 de Junho e de-
pois da demora indispcnscve.
eguir para ot portos do sul
A.s encummeudas sero recebidas La agen :a
at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passngens e vaio
es trata-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6 -Ra do Commertio***6
l* andar
Ro de Janeiro, S*n*os, Kio Grande do
Sal, Pe!o.a8 e PortoAlegre
O vapo inglez Cometa
Seguir em pon
eos das para os
portos cima in-
dicados,
e passagens,
laMST K
Sobre car^a, encommendas
ta-se com os
AGENTES
Pereira Carneiro & C.
6RUADO COMMERCIO6
I- andar
Ira-
LEILOES
Qointa-feira, 29, deve ter lugar o leilo de
mov is, annunciado ptlo agente Pin'o, para a
casa da ra Formosa n 29, a qual e?ia para aluj
gar se. _______________________
Agente Pestaa
Be motis d? junco e de amarello, e5pe!bost
louca, vidros e 1 piano forte
Constando de ama bonita rcobilia imitan-Jo
bano com encost de palhinha, consolos e jar-
dihelra com pedra, 2 bonitos jarros de porcela-
na, 2 pares de lanternas com pingenles, 2 cadei-
rai de bataneo de junco, 2 escarradeins, 1 ta-
pete para sof, 6 ditos pa^a ponas, i bonito es-
pelbo de vidro bi.-oule c 1 lustre de crystal de
nuatro bicos.
Um bom piano do fabricante Gaveau. i cadei-
ra pa-a pi no, 4 ps de vidro.-l guarda-vestidos
de amarello, 1 toilette dito. 2 lindos jarros para
toilette e 1 cofre de lamanho regular para ioias
(prova de fogo).
Um guarda louca de amarello. 1 me?a elsti-
ca de laboas, i aparadores de columna, 1 sof
de junco, 21 cadeiras de dito de guarnico, 1
cadeira alta para menino, 2 ditas p?quenas para
escola. 1 relogio de parede, 1 despertador, 1
quartinheira e 1 lavatorio, i cama de ferro para
menino, 4 cabidesde mola, camas de lona, ban-
quinbas de amarello, louca, copos, clices. 1
guarda comida de rame, barias, trem de cc-zi-
nba, urna bonita secretaria de amarello, 1 es-
taute envidracada pira livros, vinnos engarrafa-
dos, arandelas e 1 lustre de 2 bicos.
Sexta feir 30 do corrente, s 11 horas,
na casa da ra do Conde da Boa-
Vista n. 24 E
0 agente Hartins, autorisado pelo procurador
do com mend ador Jos Augusto Alves Guimaaes,
far leilo dos movis existeates na casa onde
residi o mesmo commendador, cujo3 movis se
acham em pcrfulo estado de conservaco e se
rao vendidos ao correr do marlello.
0 bond de Pernandes Vieira, que parte da es
taco do Brum s 16 boras e 20 minutos, dar
rassagem gratis aos concurrentes ao leilo.
Agente Stepple
Leilo
De joiis, movis, roupas novas e us .das,
e grande quanti ade de garrafas de Elixir
de Angelina, diversos depsitos ebeios
de liquido, rolos de salsa e barris ora
vinbo do porto fino, e outras mais be-
bidas.
Seita-fclra, de Juaho
A's 11 boras
A' ra de Paulino Cmara n. 19, e as oioi -
as roa da Flores em freote travessa da Paz.
O agente Stepple. por mandado e assistencia do
Exm.Sr. Dt. julz de direito deorphSos e ausen-
tes, a requerimento do Sr. cnsul de Portugal,
levar a leilo os bens pertencentes, ao espolio
do finado subdito portuguez Angelino Jos -dos
Santos Aodrade.
Os Srs. pretendentes desde j podero v:r exa-
minar o mandado que aeha-ie em poder do mes-
mo agente.
ATEOS DIVERSOS
Vende se nma casa propria para laverna
por j ter armaco, no lugar das Areias, estrada
de Jaboato n 97, tendo a casa 2 salas, S quar-
tos e cosinha, sendo construida de lijlo e boas
madeiras ; a tratar na ra larga do Rosario nu-
mero 27.___________________
Precisa-se de urna ama ; na ra do Range
numero 19.
- Precisa-se de urna ama para cosinbar
ra de Pedro Aflonso n. 2.
na
Leilo
da armado, geoeros e mais utensilios da taver
na sita ra das Crcoulas (Capunga), perten-
cente a Joo Pereira Bastos.
Quinto Jeir, 29 do corrente
A's 12 huras em ponto
O agente Pestnna far leilo, por mandado e
assistmcia do Exm. Sr. Dr. juiz substituto do
rcmtnercio, da taverna cima mencin e.da
Vnisoo, Soos C, Limited
t4BA DO COMMERCIO14
Roy al Mait Steam P?.9ke.
Company
O vapor Magdalena
Espera-3e da Europa ateo dia 5d
Junho, seguiudo depois da demo
ra indis ptnsavel para
(tabla, Rio de Jauelro, Monte
video e Buenos-Ayres
Para passagens, frete* e encommeodas trata
se com os AGENTES.
O vapor Thames
E' esporudo do sul no dia 5 dt Jo
iihc- eeguiado depois da demor* ne
cessana para
S. Vicente, Las Palmas (Canarias), Lis-
boa, Vigo e Southampton
Reducc&o de passagens
Ida Ida s colu
i Lisboa classe 20 t 3
i Southampton 1*classe t 28 lil
Camarotes reservados para os passageiros >
Pernambaco.
para passagens, fretes. encommendas. iraa-s-
asi os
AGENTES
A morim Irmos & C
N.3Ra do Bon JesnaN. 3
Leilo
De movis, qnadros, jarros, candieiros,
loucas e vidros.
|nlnta-fclra. 99 do corrale
A's 11 horas
Agente Pinto
No sobrado da ra Farinosa n. 29
CONSTANDO
De 1 linda mobilia a Lulz XV, com 1 sof, 2
_dontk' rques, 4 oadeiras de bracos, 18 de guar
aico, 7 pares de cortinados de cretone,' i jar
ros para flor s, candieiros a gaz, 1 relogio, 2 ca-
deiras de bataneo e 2 tapetes.
Urna cama de Erable, 1 marquezo, 1 toilette.
2 commodas, 2 guarda vestidos, 2 espelbos. 6
cadeiras, 2 bids, 2 consolos, 1 mesa de cos-
tura e 1 thear.
Urna mesa elstica, 2 aparadores, 1 guarda lou-
ca envidracado, 1 thiffonier, 12 cadeiras de jun
co branco, 1 relogio de parede, 1 qoartinheira.
1 guarda comida, louca, vidro, trem de coriuha
bacias, e (landres, 1 mesa com estante pequea,
1 mobilia de pcarad, I mesa oval, 2 cadeiras
de balanco, e muitos ou'ros raovei3 existentes
no
Sobado da roa Formosa n. 29
Qniata-felra, 9 de Maio
Aluga-se a referida ca.-a. a qoal tem om-
inados para grande familia, et limpa.tem agua
e gas.____________________________
Agente Burlamaqui
Lei ao
Quinta fe ira. 99 do corrale
A's 11 horas
DE BONS MOVIS
Nos 1* e 2 indares do predio ras do Bario
da Victoria n. 30
0 agente cima, autorisado pela Sra. D. Ma
ria da Gloria de Souza Soares, que re ti ron se
para o Bio Grande do Sul, vrndera es bons mo-
vis existentes dos 1 e 2* andares do sobrado
cima, cojos movis esto bem conservados e
sao veo.lid js ao correr do martello : :em ama
bonita mobilia de Jacaranda, pino, suarda ves
tidos. dito guarda Ruca, qnadros, espelbos, jar-
ros, toilette, (avalnos, cabids, mesa tlattica,
Permuto-se orna casa sita roa de S. Bea-
to em Olinda, com 3 salas, 4 quartos, agua e
gaz, por outra em algam dos bairros do Recife :
a tratar na ra do H spicio n. 15.____________
O Sr. Sautos Lima nao veio.
O Sr. Costa Ferrara
3 prximo.
prometteu para o dia
I'ergunta seaoSr. Manoel To qaato A*faajo
Sal lanha onde se pie eocontral o, e o que diz
daquellts negocios, entre os quaes o da padaria.
Precisa se de orna ama para lavar e co-
finhar para ca .a de pouca familia ; na ra da
Princeza Isabel n. 1. ^____
Precisa se de um criado de idade de 15
annos, para todo servco de casa de pouca fami-
lia ; na roa de Lomas Valentinas n. 74._______
Precisa ce de um menino para caixeiro :
na ra da Florentina n. 34.
Alugam se casas catadas e piniaaa& los
ndos de S Goncato, a 8*000; a tratar na ma
41 Impcratriz n. 76. __________________
Aluga-.e por preco commodoo sobrado n-
15. ra_ Imperial, por partes ou todo, preferin-
do se alugal-o todo : qujm o pretender dirija-se
A ra do Imperador n. 36, I- andar, direita.
Precisa se de urna boa cosinheira ; na ra
do Vigurio n. 5, armazem.
Patacoes e outras moedas de i uro e pra:a,
compra-se pelo maior preco ; na ra do Com-
mercio n 4.
"Tendo se extraviado um conhecimento da quan-
tia de 1.380*000 correspondente a igual quaotia
que retolhi ao cofre do Tbesouro deste Estado
aflm de arrematar a obra des reparos da pente
de Afogados ; peco a quem o achar queira en-
tregar ao abaixo assignado qne ser gratificado.
Jofio Lins Cavalcante de Albnqoerque
Prtcisa-se arreodar um engenho
em bom estado e prximo a algam.i
das linhas frreas. A tralar na Iravessa
da Madre de Deas n. 1.___________
Cimento Aisen, dez kilo* por 700 rs. na
roa do Brum o. 65.
Professor
Off- rece se um bomem solteiro, com 50 ana-.
de idade, para ensioar instruccao primaria em
ulguma povoaco ni centro do Estado, ou em
algum eagenbo : quem precisar pOde tratar na
roa Duque de Caxias o. 77, loja.
Ao
commercio
0 abaixo a9signado tendo de retirar se psra
fra desta cidade, pede aos sesb res que teem
transaccOss com elle de remetter suas contas
at o dia 20 do corrente, roa do Imperador n-
51, i. aodar, _.
Ar Jinr de Mello.

IIU
t
r^


**.
Diario de Pemambuco-Quinla-feira 29 de Maio
IC
1890
Fltserotto coitri a nM*
aiptoir ludustrlel Fraatt?ais
PrecaucSes contra as epidemias
Utae o vaporador inhalador Bobotuf
Est provado pela soiencia que as epi-
demias sao ge ralas pelos microbios ou fer-
memtos (seres vivos), os quaes absorvidoa
pelas mucosas communicam s molestia
pelo o gaos respiratorios; evidente que
qnalquer agente asss poderoso para des-
truir estes fermentos pochr livrar-nos dai
molestias de que sao elles a causa origi-
aal.
O VaporUador Inhalador Bobasuf por
sua disposicSo simples e eDganhosa, um
appareho commodo para espalhar na at-
mosphera em forma de vapor, o agente
anti sceptico e anti microbio por excellen
eia, Pherol Boboeuf ou qualquer outro
desinfectante.
No Comptoir Industriel Francais, ra do
Imperador n. 32, 1. andar, faaem se ex-
periencias diariamente, e vndese a reta
feo excepcionalmente a titulo humanitario,
visto que a varila rebeldemente est gras
sando n'esta cidade do Recife._______^^
Vendem se duas casas
terreas
sitas na estrada do Matumbo, em Beberibe,
ttndocada urna duas Janellas e urna porta de
frente 2 salas e 4 qu. rtos internos, cosinba e
i auarto fra, muro e poriao na frtnte, tudo em
kom estado, com sitio contendo allomas arvo
re* fructferas ; as casas estao alugadas e ren-
de m 30*000 mensaes ; a tratar na ra do.Lom-
mercio n. 31, das 10 as 3 horas da tarde.
Patacoes velhos
Comprase na relojoaria David, roa do Cabu
ga n 14.
SANTA CASA
CASAS PARA ALITCAR
Restauracao casa terrea n. 17 14WO0
Lapa n: I 14*000
Bom Jess n. 19, loja 'l*^
dem idem idem, i.* andar 16*660
dem idem n. 13. 3o andar 16*660
dem do Amorim n. 13, idem 15*000
dem idem idem, 1* andar 18*000
dem idem n. 64 armaaera 15*000
dem do Vigario n. 15. i. an4ar ***!!X
dem idem idem i." andar 10*000
dem idem n. 17, loja 15060
Bispo Sardioha n. 11 1* andar 16*600
dem idem n. 3.1 andares e loja 33*303
D. Maria Cesar o. 118 terrea 16*000
dem n. 16, terreo 10*000
Companhia Pernambucana n. 30, loja 15*000
Madre de Deus n. 1, armazem. 11*500
Burgos n. 11, terrea 14*000
Imperial n. 153, loja. 10*000
ESPECIFfthet
SO CELXMUt
Dr. Humphreys de Nova York.

Carlos aguato Carneiro Mentel-
ro Ftlno
1- anniverario
D. Maria Isabel Tavares Carneiro Monteiro,
Carlos Augusto Carneiro Monteiro, D. Olympia
de Carvalho Carneiro Monteiro, D. Olympia Car-
neiro Monteiro e Jos Cecilio Carneiro Monte ro
Sobrinho, anda sob a impresao inais doloro
sa do fallecimento de sen idolatrado e nunca
esquecido esposo, filbo e irmao, Carlos Augusto
Carneiro Monteiro Filho. convidam aos pi rentes
e amibos e aos do tinado, para assistirem as
missas, que pelo de-canco eterno de sua alma,
mandara celebrar na ordem terceira do Carmo,
as 8 horas da manha do dia 31 de Maio, 1- an-
aiversario de seu fallecimento, pelo que se con
fessam eternamente agridecidos a todcs que
comparecerem a este acto de religiio e cari
"ade. _______.^^_^_^_^_
Em uso mate de 80 annos, slmp
aun e barata*. ATenda na Di .
mafias princJpaese mate garantidas do Mundo.
ko. cuna
1. Pebre, Coneeatao, Inflammacoea^^^.^......
2. Pebre e Callea, causadas por Lombrtgas....
8- Clica, Choroe InsomniadasCrU
Crtanoas.
los....
a, Dores as nmgi, Col
leriaa, clera-Morbo, Vomito,
ae, Constipa-" ~
' r Dente*
1 de Cabecil
epata. Indi
f. TeVae'OiatSaao. ^ftutdoiaronome
Dar
Dor
10 Disaepala, ldliestao, rVteSo de Venti. .
- da Berra Escassa on Ocaso-
lente* e de Cara, e Kv
ii. Suppreii da
faUlaV............................................
16. lirsftrn. Malerta, Febre Intermitiente.........
17. Ueairrksisii Almorrelmaa, internas oa
externas, simples ou sangrentas............
18. OahtbHlBtla,01nos traeos oalnflanunados.
H. Catarra, acudo ou chronico, Defluxo........
2a i'oqaela-ae. Toase esoaamodlca..............
Jj-Aaiaia.: 'otayaodlDfcultgsa ...............
S. appn-n,v-a do* C eaVBorasaj............
B. Sacrolalia, Inchacoes eticaras.............
a. DebllUade sera., ou phys}ca_..........
Zl. MoTeatlaa os
28. ImpoteoHa,'bedidc nervosa, seminal..
29. Cbaa-alahe* na Borca "u Apjta ""
80. Incontineocia dfc Onrina. oorlnarae na
Cama
. BpvIejMt
34. DIphtheria. Mal maligno de O"?"- -
83. CaaceatSes Chranlcas, DAr de Caneca....
O Manual do Dr. Hnmphrers, 1M paginas tobre
as Enrermldades e o modo de coral as,oda gratis,
pede-se ao seu boticario ou a
HUMPBKBYS' MBDICINB CC
109 Falta Street, NEW YORK.
nico deposit o para yendas em
grosso na imperial droga ra de F.
Manoel da Silva & C, ra Mr-
quez de Olinda n. 23
Criado eopeiro
Precisa-se de um criado para eopeiro e outros
servico3 internos, sendo matriculado ; na roa
Mrquez de Olinda n. 54
Criado
Para o eslabelecimento da praca da Indepen-
dencia ns. 11.14 e 26, precisa se de nm criado
que nao tenba tidal guia na familia._________
Attencao
Vende-se a taverna sita ra do Rosario da
Boa-Vista n. 11, esquina
trata se na mesma.
do becco do Tambi
Bom empreg-o para
capital
Vende se o extenso armasem n. 51", no caes do
Apollo, em frente da nova ponte Buarque de
Macedo, com capacidade para recolber de 9 a
10,000 barricas de farinha de trigo ou outra
mercadoria em proporcao, e dous sobrados con
tieuos com frente para a ra Domingos Jos
Martin;, no todo constituindo urna boa acquisi-
c5o : trata-eecom Matheus Austiu & C, ra do
Commercio n. 18.
Bom
negocio
Precisa-se de um rapaz com bastante pratica
de molbados ou algum capital para foco de nma
taverna em boa localidade, na freguezia de San-
to Antonio ; a tratar na roa da Detencao n. 19.
D'-C*:
Excellente morada
Aloga-se s grande casa e sobrado do Dr. Aj
tiGama, na estrada de Joo de Barros, peno
dasestacOes da En ;rnzilbada, das ferrj-vias de
Olinda e de Limoeiro, com immeneas accommo-
dases, jardins, arvores fructiferes da melhor
qualidade e vasto terreno, quer para plantaces,
qner para criaco ; a tratar no mesmo sitio.
Rendas
DOEN$AS
-DO-
ESTOMAGO
E IJO
FIQADO.
AS PILUUS DE BBISTOl
PRAMESTE YEGETiES
s5o o melhor Purgante e o Remed*
mal cfficaz contra os ditos males
Regularizan!
PUR1F1CAM A BILIS
e curam radicalmente
A DISPEPSIA.
REMEDIO DO DR, AYER
CONTRA
AS SEZES OU MALEITAS.
dad
JoSo CkrisHanl
Fanny Reymond Christiani, Ricardo
Alberto Ohristiani, William Edmond Chris-
tiani, Julieta Christiani Carvalho, H=lene
Christiani Barza, Adele Christiani, Cons-
tantino Barza e Thomaz Ferreira de Car-
valho, feridos de profunda dor pelo pre-
maturo passamento do seu idolatrado es-
poso, pai e sogro JOO CHRISTIANI,
agradecem do imo .l'alma a todos o=> pa-
rentes e amigos que se dignaran acempa-
nhar-lhe os restos mortaes at sua ultima
morada.
De novo lhes pedem o caridoso obse-
quio de aasistirem missa que mandam
celebrar por su'alma no dia sexta feira,
30 do corrente, s 8 12 horas da manha,
na igreja matriz da Boa Vista.
Desde j prottstam a todos o seu pro-
fundo e eterno reconhecimento.
Ao commercio
Os abaixo as signados declaram que nesta data
dissolveram amigavmenie a sociedade com-
mercial que gira va sob a firma de Pinto & Costa,
licando o socio Justino Antonio Pinto nnico res
ponsavel pelo activo e passivo da dita firma, re-
tirando se o socio Manoel Gome da Costa pago
integralmente de seu capital e lucros.
Recife, 11 de Maio de 1890.
Justino Antonio Pinto.
Manoel Gomes da Costa.
Precisa-se de urna casa
com gaz e agua encanada e
bastantes commodos para
pequea familia.
A tratar na ra do Mr-
quez de Olind, 13.
Attencao
Caldlnoda Rosa
Mara do Carmo Rosa, Hermenda Francisca
da Rosa, Adelaide Macrina da Rosa (ausente)
irmaos e sobrinho do finado Galdino da Ros,
convidam a todos os pareotes e amigos do fina-
do para sssistirem a missa do stimo dia, que
ser celebrada na matriz de Santo Antonio, s 7
Moras da manb de sexta-feira 30 do correte
agradecer desde i a odos que se dignarem de
assistir a esse acto de caridade e religiao
t
slofto Paulo da Basa Cesuse
Os empregados do Asylo de Meodicidade, de
sejando dar nma prova de apreco e caridade
memoria de seo fallecido companheiro Joo
Paulo da Rosa Cesse. faro sullragar sua alma
com urna missa, que ser celebrada a 30 do cor
rente (sexta-feira) pelas 8 horas da manb, na
capella do mesmo estabelecimeoto ; e para es e
acto de rerdadeira e pledusa amizade, sao coa
vidados os parentes e amigos do finado.______
Aluga se um bom sobrado na ra Direita dos
Afogados n 1 i, tem commodos para grande fa-
milia, tero muito bonita vista, muito fresco e
saudavel e o aluguel barato ; tratase na mesma
ra n. 96. ________________________
Ao commercio
Os abaixo assignados declaram que dissolve-
ram desde 1- de Janeiro do crreme anno a so-
ciedade comroerdal que girava sob a firma de
Silva Fernandes a C, fleando o socio Hermes
Dias Fernandes responsa'el pelo activo e pas-
sivo da dita firma. Recife, 16 de Maio de 1890.
Hermes Dias Fernandes.
Gamillo Lellis da Silva.
pretas, brancas, creme, beige e de cores
Chegou um explecdido sortimerto deate artigo
para a
Rainha das Plores
Ra Raro da Victoria n. 41
Na mesma casa encontra se urna variada col-
eccao de fitas de seda (mais de 500 nmeros),
bordados de cambraia, espartilhos, luvas, per
fumaria, objectos para presentes etc., etc.
Precos baratos
RA NHA DAS FLORES
Ra Baro da Victoria n. 41
JJSDnikM^^
TIHTB& BIYIHA
mn SQ BSS1CATZS1CS
DORES DE DENTES
PREPAKADO NICAMENTE
POB CALARANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheoma-
tismos, incha95es, dores sciaticas, nevral-
gias, dormencia, etc., empregando-se em
fomentarles sobre os lugares affectades,
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de dentes.
Todos os frascos levam direcc5es paia
uso d'este medicamento admiravel.
Preoo 15200. Desfpnto de urna dmia
em diante.
DEPOSITO HO RECEFE
Francisco Manoel da Silva & C. roa
Mrquez de Olinda n. 23
AO PUBLICO
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e fregueses que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
Pno, que um dos que mais se pres-
tam a tomar-se com leite.
V1NHOSO Palhete sem prejuizo das
outras marcas^ especialisando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brttt-
lienne.
LEQUMESem conserva, especialida-
des como nao se encontram em qualquer
casa.
CARNES em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PEIXEStambem o que ha de mais
variado.
CER VE JASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paulino
Bin.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melhores marcas, e por preces muito
commodos.
Alen destes artigos acha se o seu esta-
belecimento sempre supprido de tudo
quanto se possa dse jar d'um bom esta
belecimento d'aquelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
O Remedio do Db. Ayer, descoberta
vegetal que nao conten a quina nem o
arsnico, nem topouco outro ingrediente
nocivo, um remedio infallivel e prompto
para toda a qualidade de febre* intermit-
tentes oa maleas. Seas effeitos sao per-
manentes e certos e nenhura mal abso-
lutamente pode advlr do seu emprego.
Da mesma forma torna-se o melhor
remedio possivel para todas aquellas
doencas que provm dos effeitos dos
miasmas, qae se desenvolvem nos lagares
pantanosos e Infectados, e que geralmente
caracteriso-se pelas affecc5es do
fijado e do baco.
O Remedio de Ayer corar sempre,
mesmo nos casos peiores, toda a vez qae
f6r empregado convenientemente e se-
gundo as direesoes.
PREPARADO TELO
DR. J. C. AYiR & CA,
TowelL Mass.. Est.-Unidos.
OIDAEAOS
MOTA ATTE1VCA0
Os melhores cigarros, que ha hoja
tanto de fumo picado como desfiado s*
osMINHA ESPERANCA.
Olhai com attencao para o envokero doa
cigarros onde se l a paUvra ESPE-
RANCA.
Ha muito quem venda gato por lebre t
as grandes merciarias, as casas de
eficSes, as tabacarias, nos ealSes de
cabelleireiros, vendem-se os nossos ci-
garros.
Deposito central.
Fabrica Minha Esperanza
Ra larga do Rozarlo n. 21 A
Telophone 191.
Aluga-se
em Afogados urna casa terrea, muit) limpa, com
bons commod >s para familia, na ra Direita,
junto a antiga est?cao da? diligencias ; a tratar
na ra estreita do Rosario n. 9, junto a igreja.
Alugam-se
as casas n. 63 ra d Gloria, hoje Visconde ds
Albuquerque, com 3 quartos, 1 salas, quintal,
apparelbo e cacimba de muito boa agua, e a de
numero 11 travessa do Corpo Santo, embas
caiadas e pintadas, por precos commodos; a
tratar na ra Direita n. 43, sobrado.
Tnico Ju-Mutamba
Este tnico, preparado com plastas de pro
prledades
tnico, preparado
coDhecidas pelo nosso publico, e a
Ama
Precisa se de urna boa cosinheira
de pequea familia, que durma
roes e se] a m
es Vieira n. 29.
patres e sej i matriculada
de
para casa
em casa do*
na ra de Fernan-
um grande terre6 p
para cocheira de gado ; na estrada
Barros n. 16 se dir onde .
a-se
to da cidade, proprio
de Joo de
Ao commercio
Benendes Goncalves Barbosa participa ao cor-
po commercial e a oarticolares, que comprou
ao.- Srs. Oliveira & Irmao a sua taverna sita
ra de Hortas n. 41, livre e desembarazada de
qualquer onos. __________^^_
Diestra de piano
Precisa se de urna mestra para piano, em um
engenbo ao p da estacao Ribeirao, na linha de
S. Francisco, alim de leccionar a urna menina :
quem quizer, enienda se com Lea) & Irmao, a
ra Marqnei de Olinda.____________________
Aos agricultores
O bacharel Petronillo de Santa Cruz Oliveira
continuas encarregar-se de levantar empresli
mos para auxilio da lavoura sob bypotbeca de
propriedades e penhor de safra ; na ra do Im-
perador n.69, i' andar.___________________
Ao commercio
Alexandre Antonio da Silva Oliveira declara
a quem interesssr possa. que tendo comprado
ao 8r MapoelFraacisco de Almeida, a 1 do cor
rente, o hotel denominado Aocoradouro, ra
Mariz e Barros n. 9, livre e desembarazado ; pe-
de a quem ejulgar credor de presentar suas
sontas para serem pagas.
t
D. Clara Maria d Bocuflm
Celebra se urna missa na igreja de S. Pedro
desta cidade. s 7 1/1 horas, e outra s meemas
horas, na matriz de S. Miguel de Taip. na Po-
rahyba, por alma de D. Clara Maria do Bomlim,
a quinta-feira 29 do corrente, trigsimo dia do
sea bllecimento. ___________^______
t
Julia dos Saasoa Cosa
Sabbado 31 do corrente celebrarse bao mis-
sas por alma de Julia des Santos Costa, fallecida
a 16, no engenbo Inhama, em Bonito, s 7 ho-
ras, na igreja da fr'anta Cruz, e na capella do
Bovoado de Benedicto._______________
Jet Jtaqaim *le
1- aniversario
Maria Libania de Oliveira Alves e seus Glhos
sonvidam seus parentes e amigos para assisti
rem as missas qne mandam celebrar pela alma
de sen prezado esposo e pai, Jos Joaquim Al
Tes, sexta-feira 30 do corrente, s 8 horas da
manha, na igreja da veneravel ordem terceira
de S. FrauciBco, 1 anniversario de seo fslleci-
awato. Antecipam os seus sinceros agradec
a todos que se dignarem w'mparecer.
Ir illas tiomc Ferraz
Oa empregados da Estrada de Ferro
lio Eacife ao S. Fraacico, mandam ce-
lebrar ama missa no dia 31 do corrente
s 8 horas da manhl na matria de S.
Joae, por asma do leu prosado compa-
beiro Andr Dias Comea Ferraz, 7. dia
de tea passamento, e convidam oa pa
reotea e amigos do finado pera aasistirem
aaM otodt reBtiio e earidade.
MARAVILHA CURATIVA
do aman
Dr. Humphreys de Nova York.
A Verdadetra Maravilha do Secuto.
APPEOVADA E LICEKCIADA
Vla. Iaactarla GeraJ de Hyglrne da
Isavcrto da Brasil.
a MaraTlIaa Caratlra remedio proaipto
pan ai Pisaduras, Machucaduras. Contse**, Tor-
caduras. Cortaduras, ou Laceracoa*. Allrlaador,
tataruT o saagaa, taz parar a wflammegaft redas
a Incnacao, tira o desooramento, e fas aarar aterida
como por ei
A MaraTlIha CaratlTB aniTio
cara rpida para Queunadnras,
Qoelmadura do Sol,
remedia
e superior a qualquer
loras, a
aroatro
A MaraTlIha Cara tija .mpagarl para
todas atHamorroaglas. seja do Harta, das GsoarVa,
dosPulmoes. do Estomago, ouMHemorrhoklaaoa
aJmorrelmascura sempre e nunca (alba.
A aVuiVTlIha CaratlTa mnarrio
CaDrde Denles, de OurUoa, da Face.
Face e Nerralgla.
A miaTlIhm CarmtlTm orecono
a precioso para Dores rbenma ticas, Alalj
Rindes mu Juntas ou Peraas.
A MaraTllfca Caratla o gran*iramedlo
para Eaoolnencla. Angina. Amgdalas luchadas oo
Ka.JSJ^iii. ..im.istaairo.Bepiprfefneas.
A MaraTlIha CaratiTa < impagaral para
pa4SrK.ifea.^aA*^5^s^,rt0
PissdtoaaeEtoladttTSfcConns8e,i^ceracoes,*e.
Btpedallladaa do Dr. Hmnphrtys.

ragaeata Msrsrtlaess,
aadlaa SyirBlllt lea-.
VMeriaatriaa.
peda.
a ao sea boticario coi
HPMPHatsYfj' am>rcimc co.,
et Fmlta StMM, KKW YO..
nico deposito para venda em
gres sa imperial drogara de F.
Manoel da Silva 4C. roa de
MarqeuOlinda n. 23.
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compra-se Cautelas do Monte de Soc-
corro de qualquer joia, brilhantea e relo-
gioa, paga-se bem na rna do Cabug n.
n.14. Loja de relojoeiro. *.______
Casa e sitio
Aloga-se a ca3a n. 1, na estrada velha da Pas-
sagem, com bailas d( capim e muito terreno
para i-lantaco, doos grandes viveiros e muitos
arvoredos de fructo ; offerece muita vantagem a
quem liver negocio de vacas oucarrocas ; faz-se
arrendamento por tempo que se convencionar :
a tratar na ra Visconde de Goyanna n. 157, ou
ra da Madre de Deus n. 7.
Roa narqiipz de Olinda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phcenix de Dortmund
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann & C, S. Flix (Bahia).
Criados e cosinheira
Na /na Direita n. 74, andar, precisa se de
criados que tenbam pratica de vender, e de um;
boa cosinheira que saiba trabalbar bem em bo
seo em outras iguarias de vendagem.
AMLEJ0S
Para frente de casas, banhairos
corredores, acongaes, sendo de lindas
cosre, vendem-se por 604,000 o milhei-
ro, por ser um saldo, a Iraca da In-
dependencia n. 40.
Para engentaos
GUIMARES & VALENTE, parteci
pam aos seas fregueses e lllms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionados
garantndo tudo de primeira qualidade e
presos sea competeticla a saber :
Cal nova de Lisboa,
Da de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocte.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5gal8ea.) /
Kerozene inexplosivel.
Graxa em bexigas.
Gaxefa de linho.
Potassa do Russia.
(em caixas, barriquinhas, latas, grandti
e pequenaa.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo6
Dous milagres
Ulna. Sr. D. Carlos-Tomei o seu re
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle que pude sarar das boubas que soffria
ha muito tempo e que deecorocoava por
nunca melhorar ; um meu visinho que
tambem soffre j largou de tudo que lhe
receitaram e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo conselho e son obriga-
dissimo.
Santos.
Albino Jas Couto.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que sofFremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta-
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. Carlos, e
sarmos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
ainda tem bom gosto, pois as coianyas
bebiam com facilidade, misturado com
agua.
Sapo.
Firmino Aguiar.
Aos sapateiros
Acaba de ebegar para a loja da ra do Livra-
mento n. 19, um novo sortimento de formas
francesas para calcados de bomens, senboras e
meninos. o mesmo estabelecimento os senbo-
res sapateiros encoatraro sempre um completo
sortimento de aviamentos para fabrico de caiga
dos e por recos sem competencia ; e no Bazar
do Lvramento n. 19._____
Attengdo
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
tem do Lima, sito ra Bario da Vi :toria n. 3,
participa^ ao respeitavel publico e aos seus
distinctos fregueies, que tr nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suas
ordens para lhes servir com o costumado e ba
bitual desempenho.
Jes Fernandes Lima & C,
Ra Bario da Victoria n. 9
Telephone323
inelbor de tedas as preparaces at boje deseo-
bertas para impedir a queda dos cabellos, dissi-
par as c?spas e es conservar no mais formoso
estado, alm de ser um magnifico perfume para
a toillete.
Encontra-se venda em todas a3 pnncipaes
oharmacia8 e loias de miudezas.
Duzia 10/000 | Vidro 1*000
Depo*lto
Pharmacia Martins, Roa Duque de Caxias n. 88
Urgente
Vende-se um sitio arborisado e com boa casa
je morada, na estrada do G qui ; trata-se na
dna do Imperador n. 61, andar.
Muito barato
NA RA DO CRESPO 21
Na lojo do Campos
Cintas escuras c6r de cal, a 2C0 rs. o
covado.
Ditas brancaB, panno de cretone a 250 rs.
o dito.
Ditas de cSres, finas, de 240, 280, 300 e
320 rs. o dito.
Baptistas de c6res de 160 rs. o dito.
Ditas idem, finas, a 200 n. o dito.
Nazuhus de cores finas, a 240 rs o dito.
Merino de c6r, liso, 12 pura, urna s lar-
gura, a 280 rs. o dito.
Ditas lavrados duas larguras, boas efires,
a 500 rs o dito.
Las de cSres, lisas, listras e de quadros, a
200 rs o dito.
Ditos com quadros de seda, a 400 rs. o
dito.
Ditas achamalotadas, 500 rs. o dito.
Cretones lisos, a 200 rs. o dito
Sargelins trancados, todas as efires, a
200 rs. o dito.
Etamines de cSres, tudo phantasia a 400
reis o dito.
Zephiros de quadros, a 160 rs. o dito
Linho pardo para vestido, a 400 rs o dito.
Cambraia Victoria transparente de 30000
a peca.
Atoalhado para mesa, fazenda de gosto, a
10400 rs. o metro.
Fichus de todos os tamanhos, qualidade e
presos.
Toalhos para mesa a 20000, urna.
Colchas brancas, portuguezas, fazenda de
100000 a 50000.
MeiaB, sortimento completo para homein,
sen hora e criancas.
Lenjos de algodao, brancos e de coree,
linho, e grande sortimento em seda.
Cortes de calca para homem, um corte
10COO. .
Gravatas, fichus, voile e 15 o que ha de
mais em novidade.
Setins, surah, sedas de cores e pretas
Ama
Precisa se dt urna ama para cosinhar e faier
mais servijos domsticos, que durma. em casa t
esteja matriculada; .. tratar na ra Duque de
Casias n. 48
Ama
Precisa-se de urna ama para cosiobar ; a tra-
tar na ra Conde da Boa Vista n. 68.
Ama
Precisa se de urna ama par casa de pouca
familia que cosinhe bem ; a tratar na ra es-
treita do Rosario a. 9, junto a igreja.
Precisa se de urna ama para engommar a fa-
ier algum servico interno de casa de familia:
a tratar na praca Conde d'Eu n. 3, segunde
andar.____
Ama
Precisa-se de nma ama para cuidar de duas
criangas : a tratar na ra Bario da Victoria nu-
mero 54.
Ama
Precisa se de urna ama para cosinhar e mais
servicos, para casa de pequea familia, a tratar
na ra Imperial n. 1, sobrado.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com bastante pratica
de taverna e que d conheclrnento de sua coa-
ducta: na ra de S. Sebastiio n. 14 em Olinda
________.....
Ouro o prate
Cmpra-se, como tamben)
moedas, a ra do Cabug
n. 9.,;loja de Augusto Reg.
O FUMO
Higyenico Nacional
E' isento de qualquer composicSo
mimica e nociva.
E' escolhido das melhores qualidades de
iumo.
Um pacota de SOgraramas casta 200 n.
Fabrica linha Esperan^
__ Ra larga do Rosario 21
Telepkone f !
merino preto, lisoo e lavrado, granda
quantidade de artigos que vendemos poe
todo preco.
LOJA DO CAMPOS
CRESPO21
Criados
Precisa-se de um criado e de urna ama de
meia idade, para cosinhar ; no Paco da Patria
n. 5, quinta casa. _______. ______
Attencao
Vende se cm bom piano de Doerne & Sohn
quazi em perfeito estado; na ra da imperatr
o. 47, 1 andar.___________________
Bom negocio
Na ra de Marcilio Dias n. 74, vendem se tres
cavallos de corrida.
Prooisa-so
De nm criado de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typographia do Diario de
Pernambuco. .....
Prata de lei
Compra-se ra Duque deCaxias n. 91____
\
i
-l
-J
-J
-I
1
jklftBL
Preparado vinosa itpnitiw
-}
-}
-
-}
-)
1} AuctorisadoporDecreto Imperial
i
-1
-I
i
"7
-I
-
4
4
4
-i
i
4
-
4
4
<
-r
-t
4
Approvado pela mostrada Mta de
Hyglene Publica da Corte.
de 20 de Junho de 1883.
COMPOSI9O
de
firmino Candido de Figueiredo.
I
Empregado com a maior efficacia no
rheumatismo de qualquer natureza,
em todas as molestias da pee, as
leucorrhJas ou flores brancas, nos
soflrimentosoccasionadospela impuresa
do sangtu, e finalmente as differentes
formas da syphilis.
Dse Nos primeiros seis dias nma
colher das de cha pela manha e ontra
i noite, paramente ou diluida em agua
e em seguida mudar-se-ha para colhe-
res das de sopa para os adultos e me-
tade para as criangas.
Rgimen Os doentes devem ab-
ster-se apenas do alimento acido e gor-
duroso; devem usar dos banhos fro ou K*
momos, segundo o estado da molestia.
BB0BT0 OnfTlai
iFranciaco Manoel da Silva ft C.
Drocnlsta*
23 Ra Marques de Olinda
Pernambuco
De Sorocaba
Declaro que soffri muito tempo, fazendo
uso de medicamentos sem resultado, 9,
usando tres dias apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de urna
chronica gonorrha que me atormentava.
Faca uso deste como convier.
Antonio F. Fontoura.^
Est reconhecida a firma pelo tabelli
Agentes depositarios em Pernambu
Francisco M. da Silva & C, ra Marq
de Olinda u. 23.
Novissimo livro de inleressantes sortea
para recreio das festivas noiles
DE
Santo Antonio
S. PEDRO
POR
olivero jusrioa
CONTENDO:
ma linda e variada collecsSo de sortea e da
iogos de cartas, como o E'cart e de sociedadea
como os PROVERBIOS.
% Em acfo, urna immensa colleccSo de receitaa
uteis e de perfumara e cosmtico, um utilissin
kalendario agricola, urna enorme quantidade a
logrogriphos, enigmas, charadas ePblemaa-
urna inflnidade de contentes balatas, fabuiaa,
modinhas, lunds, anexins, anedoctas, roman-
ces instantneos, defioicoes espirituosas, poesiaa
e outras cousas msis, arn de urna nova e saia-
tante polka de compo8iao do festejado profeasor
Claudio da Cama
o inspirado autor da Stella, A Horeninha, Is
Sim/Sensivel, Risos de Amor, V Eotrandt,
Tais toi mon coeur T, Nao Creio T, Marieta, Riso*
de Yaya, e tantas outras polkas e walsas que da
continuo se tocam e se dansam aos son a das mes-
mas, constituindo delicia doa melhores saloea,
denominada-O Tena Kncaaioi! eHe-
recida ao bello sexo pernambucano e editada
pela LIVBARU PRANCEZA roa i de liare.
n. 9, Peraamboco de J. W. de Hedelra.
Preco de nm volume oitidamente impresso
l*contendo 111 paginas, ncluaive a
84000 (II)


l
' .. .


liiario de Pernambuco-Quinla-eira 29 de Maio de 1890
m
7

GUERLAIN DE PARS
**# PERFUMARA DE LUXO, Bm tota Patx, i *##
neos 1 I0DA especiaimbhtb rbcommehdum
. Aianiaaarada, para lenco. _
ertm$) pan barba. Gramo de miiiiiiam te
icns.- tabnorteuiilmU afln"
i da cabeo. Ana de r
1!
y

LOJA DO P0V0
HBa l, de MarcoM
Com este titulo acaba de se abrir, ra 1.a de Marco n., 11 ama Ioja de fazen
das e sea proprietario convida o publico d'esta cidade e de tora a apreciar o seu
BILLO sortimento. Multas de suas fazendas s2o recebidas directamente.
GRANDE NOVIDADE
Descont de 10o/0 em compras de 205900 para cim3.
Granadine, pura seda, de 10800 a 80J re. o covado.
Toile pura seda, de 1(5600 a 650 rs. o covado.
Las com stras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las 'om preparo de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 ra. o covado.
Setinetas de cores lindas a 300 rs o covado.
&spbyr largo de 800 rs, a 320 rs. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 rs. o covado.
Cortes, costumes de casemira inglesa, a 12000.
Ditos de casemira inglesa de 34500, 40000 e 6C00.
Ditos, de fusiSo para collete de 600 rs. e 400
Cheviot de 306OO, a 20030 o covado.
Casemira c8r de caf de 3^000, a 15000 o covado.
Casacos de Jersey para sen hora a 3(5K)GO e 6-5000.
Merino preto a 500, 700 e 10300 o covado.
Dito de c6r a 400 rs. o covado.
Casinetas finas de 500 rs., a 360 ra. o covado.
Colchas de crochet de 86000 a 30500.
Cortinados lindos a 60000.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
LOTERA -
3O0O
ESTADO DE PERMMBUCO
# EM BENEFICIO DA
Santa Casa 4$ Misericordia do Rooifo

E' hoje a casa que vende niais barato!
^3-

1
'
CAPSULAS
athey-Oaylus
Preparadas pelo DOUTOR CLIN Premio Montyon
1
As Capsulas Itfathey-Caylus com Envoltura delgado de Gluten nao fatigao nunca
o estomago e sao recommendadas pelos Professores das Faculdades de Medecina e l
OS Mdicos dos Hosijitues de Pars, Londres e New-Ycrk, para a cura rpida dos : B
Corrimentos antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Biennorrhagia, a Cystito |
da Collo, o Catarrho e as Molestia da Rexigas e dos orgaos genito urinarios. ,
IIH Unta expJJoaco detalhada acompanha cada Frasco. j
Exigir tu Verdaderas Capsulas Matbey-Caylas de CLIN & C1*, de PARS.
que te achao em cota dos Droguistas e Pharmaceuticoi.


FABRICA DE LIVROS OE ESCRIPTURAfAO
MAMMIASAO PAMTAQAO
CQANOEL J. DE ffllRANDA
s^stcss ma mm&$ "'
- 39 E A -* DUQUE *- DE CAXIAS -*~ 3 9 *>
NUMERO TELEPtONICO 194
ENTEGRAES
A quarta parte da 1/ lotera deste Es-
tado ser extrahida impreterivelmente sab-
bado 31 do corrente.
Todo sos pedidos de bilhetes desta lote-
ra deyem ser dirigidos thesouraria ra
larga do Rosario n. 9. I. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.
** ti ri u r s ti (i ii KIJS
AGABO-SE GOM AS DURES DE DENTES!
PBLO USO SO
Elixir, P Pasta Dentifricios
dob
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOTJIjAO (Grixoxxcle)
Don IHAOUELONNE (Prior)
OIELHORCRATIfl
E 0
iw PRESERVATIVO
DAS
AffeCtoes Dentarias
SnKK
!
INVENTADO do AHNO
1373
PELO
Prior Fierre BOURSAUD


5AUDE PARA TODOS.
PL U L A S H O L LO W AY
Ai Piluias purificad o Sangue, corrigen) todas as desordems de Estomago 9
dos Intestinos.
Fortalecen! a saude das constitu^oe delicadas, e sao d'um valor incrivel para todas as enfennidade ,
peculiar* ao sexo feminino em todas as edades. Pata os meninos assim como tamtem para F"
pessoas de idade avancada a sua efficacia e incontestaveL
tssaa median Jo preparadas somenle no Eslabelecimento do Profes.or Uoi-lowav,
78, NEW OXOBD STREET (antes 683, Oxford Street), LOSDRES,
vndeme em todas as pharmacias do umvwso.
*TOs camoradorca to coadf.dos respeitosamente a eraminar os rtulos de cada caixa e Pota M nio MBS 3
c va vj-v direwao, 533. Oafard Street, sao talsificasoes.
*.'
. ti

EXTRACTO DA NOTICIA
A formula de FIERRE BOURSAUD e setu procesaos primitivos sao escrupulosamente reapeltadoa.
Este gltxlr dos nossos Padres goza das proprlcdaaes mais preciosas. Prever a carie dos dentes qoa
torna alvos ao mesmo tempo qne os consolida. Expcllc o sangue das gcagivas que tonifica e reorca a
diaaipa toda incha;lo. Purifica o balito e sanea a bocea em que deixa una frescura deliciosa e duravel,
Prevem e cura a> dores de garganta, as rouquidoes, Inoammacoes, as aphtas e irritaoMa da toda especie.
N'uma palavra, o usoquotidiano do TJ|l|r
dos >B> PP. Benedictinos asse-
gura a aande porpetua da Garganta v&EjpJlgk O'-p *. M^tn.,,.\ '
e da Bocea. Como ve-ae, o especifico cinco ES Ha Cwt5^t'^(^^*^'
veces secular dos nossos Reverendos Padres
nada lem de commum com os productos
nicamente agradareis espalhados no com-
mercio; tTelIes distingue-se tanto por suas Vfilggl HKaw ^'dom* K
virtudes preventivas como por sua \jfo"|!y C accSo curativa, enrgica, rpida a p^Vff-
osrta.
-------------------: AGENTE QERAL : A.SEGUIN, BRDEOS

Acha-se era, todas as Perfumarlas. Pharmaclas e Drogaras do mundo lntelro.
FazenuPs de novdade
Crep de algodSo a 240 rs. o covado.
Cambraia branca com salpicos a 40000.
Crep matiaado a 440 o covado.
LS Amazonas a 400 rs. o dito.
LS escosseza a 240 rs. o dito.
Voile a 18 a 800 rs. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito.
Zephyr com padrSes de voile a 640 rs.
Cretone voile a 400 rs. o covado.
Chitas percales a 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 20800 a peca
Gazes arrendadas a 440 rs. o covado.
Cachemira de listra, daas largaras, de
20000 por 10200 o dito.
Vestidos para enanca a 40000 um.
Baptistas finas a 260 rs. o covado.
Setim do JapSo a 240 rs. o dito.
Cortes de metim, em cartao, a 70000.
Cortes de zephyr, bordado, a 100000.
CorteB brancos bordados a 18/5000.
Casacos Jersey a 60000 um.
Popelina branca de feda.
Setins de efires a 800 rs. o covodo.
Brilhantina de listra a 600 rs. o dito.
Atoalhado pardo de linho com matizes
brancos a 30000 o metro:
Mantilha e seda, creme e preto a 40500.
Capas, visites Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e seda).
Grinalda para noiva a 1O0COO e 120000
Toalha felpada para rosto.
Lavas de seda a 20000 e 2500.
Palitots de seda palha.
Merino de duas largaras a 40000 o covado.
Ricas caixas para presente.
Corte de collete de fustao.
Bicos de cores e brancos.
Extractos e leos.
Suspensorios americanos.
Variedades

Camisas allemSes a 360000 a duzia.
Cortinados bordados a 60000 o par.
Ceroulas de bramante a 140000 a dazia.
Meias para homem a 30500, 40500, 50000,
600 e 70000 a duzia.
Madapolao trancado a 90000 a peca-
Mirin preto de 800 rs. a 20000 o covad*.
Fustao branco a 380 rs. o dito.
Leques transparentes a 20000.
GuarnicSo de crochet com matizes a 70000
MadapolSo com nm metro de largara A
60500.
Camieas de flanella a a 40000 e 50000.
Bramante trancado de duas largaras A
500 rs. o metro.
Panno da Costa a 10200, 10400, 10600
10800 o covado.
Lencos, meio-linho, a 20500 a duzia,
Lenyos com barra a 10400 a dita.
Toalhas para banho a 10800 urna.
EeguiSo pardo a 360 e 400 rs. o 'covado.
Tapetes grandes e pequeos.
Baleias a 40 rs. a dazia.
Colchas de c res a 20000, 30000, 40000,
50000 e 60000.
Colchas de damasco de 13.
Sahidas de baile a 10000 urna.
Ramos para peito e cabello a 20000.
EsguiSo de algodSo a 305'0 a peca.
Vasos para p de arroz a 10500.
Punhos e collarinhoB de celuloide.
Abotoaduras americanas.
Palitot de alpaca preta.
Espartil.os a 50000 e 60000.
Baptiste de cores a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 30000 o metro.
Bordados e ntremelos.
Etcovas e pentes.
Regatas c tacos.



Completo sortimento de cachemira
E OFPICINA D2 ALFAIATE
20Ra 1. de Marco20
Amaral & C.

' XAROPE DE PA&LIANO
Depurativo e Regenerador do Sangue
Privilegiado pelo Governo de S. M. el Re d'Italia

xo nto:
<>x
II 11
es cj ci n >
_>L

Gardoso & Irmao
Ru* do Baro do Trhmphons. 100 a 104
Roeb?ram novo sortimento de vapores dos acreditados fabricantes Bobee
Mtiineon para trabalhar com fogo de assentamento, moendas, taxas, forma de assa
e todas as mais ferrageos precisas agricultura.
1'IDICM lERAl
uiiriT
44-R14 BAB40 110 TRIliFH-44
vf achinas a vapor
Moendas.
Rodas d'agua.
Faixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravaejac
Arados
K
SS anuos ti uccesso. Premio Grande. ExpOMicao Universal, Pars 1889. WK
14 Diplomas de Honra, 18 Medalhas de Ouro e 6 MVwfa/has do Prata. ^
FARINHA LCTEA NESTLJ
CUTA BASE 6 o BOU Z,B**B
UpW
I Hala luoMNor do tofunto Profeaaor JEHONYMO PAQLIANO, M tHll !!
VXMDB-SB EXC'.USIViMENTB EM
aples, 4, Calata S. Marco (Casa proprla)
A CASA DE FLORENQA EST SUPPMMIDA. 0 Sar. ERNESTO PAQLIANO poue
todas $t receitas escripias pela propria mo do difunto Profusor JER0NYM0 PASLIANO,
uu to, outroum um documtnto qu* o dtu'gnt oomo nico luectuor :
ERNESTO PA GUAMO.
aepositos em Pemmmbiee i r*an- ac m uva a o,
B KM TODAS AS PBJNCIPAES PHARMACIAS DO Bra*l
___
2Roa de Natillas d'lboqnerqee, aatiga ra das Flores2S
Tinge e limpa com a maior perfeico toda a qualidade de estofo e fazendas ea
aocas ou em obras, chapeos de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo o
trabalho feito por meio de machinismo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas feira. tinta de cores e lavagem todos os diaa.
E" o mclhor alimento para as crlanoas de lenra idade. Supprej
insufflelencia do lelte maternal eAcintao desmamar. Com seu
uso uo hadiarrhea nem vmitos esua digestao $ fcil e completa.4fe
Emprega-u tambem tartajosamente como aJifnento pan o Z
Adultos a Conralascantes que tm estmagos delicados.
Sleite condensado NESTLS
verdadeiro X.XZTX PTJBO BB vaccas stTZSSAB tendo conservado seu aroma eflg
todas suas qualldades nutritivas. Alm dos grandes servidos que esta conserva presta a Frota.D
4>o Exerclto e aos Hosptes, eUa tom ganhado sua posicSo na aUmentacae dos particulares, jp
a ques ella assegura um lelte agradavel, saudavel e natural. sv
ExlfK i Flrata : MXMMX XUTL a Mire dt FaJrlcj ; BIBHO BB passaBOS. W


O Peitoral de Cambar
,
as
A casa Bonri Kestl nao tem mais, como outr'ora, um nico agente para, o Brasil \
seus productos acham-se as prlnclpaes casas Importadoras, drogaras, pharmaclas e lujas -
BRONZE
CARDOZO a IBMAO
Ra do Baro do Tnumpho ns. 100, 102 e 104
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para vender seguate: ,
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dir?jpara o ou fogo de aaset
I
m
MOENDAS de todos os tunaaho.
RODAS d'agua.
RODAS de espota e angulares.
GBJVACOES de differentes tamachos.
TAIXAS de ferro batido e fundido.
LOCOMOVEIS de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavallos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e nnalment
a ferragens precisas_para a agricultura deat provincia.
ENCARREGAM-SE de qualquer concert e mandam buscar por enoommej
da, odiante ajuste previo ou urna mdica commissao qualquer machinismo.
MACHINAS de desoarojar algodlo.
VARANDA8 de ierro fundido e batido.
CONTRACTAM fornecimento de apparelhos para Ofisas, garantindo a b
^I^J-J^ e bom trabalho do meamos, o que poden provar com o bom resultad
flrtJfl- # as "m USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
Ide comestlvels.
HENRINESILteinVEVET. { ^ SS2 TraS ffl2*IN* 2
*****************
Completo sortimento de chapeos, capotas e gorros de fantasias em todas
qualidades.
Fitas, rendas e bico de seda e algodao de todas asc6res.
Flores, plumas, passaros, aigrttes e bljonterlea para enfeites.
Chapeos da feitra e castor, os mais modernos, para homeris e menino
Recebe por todos os vapores as primeiraa novidades de artigos de se
genere de negocio.
Raphael Dias Su C.
2 Ra do Baro da Victoria *L
Sempre foi, e ser o piucipal remediogarantido -para
molestias do larynge, bronchios e pulmSes.
A bronchite, asthma, mal do peito, rouquidSo, laryngite, coqe-
luche e qualquer tosse, por mais grave e antiga que seja, curam se esm
o Peitoral de Cambar, medicamento approvado pela Junta Central de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de 1.' classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pessoas cu-
radas. Exija-se a firma do autor.
J. Alvares de Sonsa Soares.
Aluguel barato
Visconde de Pelotas n. 8
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Largo do mercado Ioja n. 17
Ra do Bom Jess i. andar n. 47
Ra Agu.ar.mnas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 141, quar
Ra Itaparican 43 1. andar.
Traveasa do Carmo, Ioja n. 10.
Beoco do Tambia n. Si.
A tratar roa de Commercio n. 5, and*
escnptf-rio de Silva Gunaraes & C._________
A 500 rs. a pefa
Bordados e ntremelos, cambraia fina com um
pequeo tcque de avaria de 600 rs., 600, 800 e
1,1000 a peca ; na ra do Crespo n. SI, Ioja de
Campos.
PILULAS BLAIR
GOTA .Es RHMATISMOS
0 Cthbirlmo rtmatfrb infltz para
Creta, Rheomatismos, Sciatica,
Lumbago Nevralgias.
Acoriselha-se a todas as pessoas qae padeceraa
ai BolMUas icina, netnl* oo antigs, qne
owai al Pl LULAS BLAIR CONTRA A GOTA
E OS RHEMaTISMOS, por serero esta, pilalai
coasleradM o reraedio mais seguro e effieu qa
jamaii foi aprewnUdo ao publico, sendo empre-
adas oobi obiiro erilo ha ji largos anuo. Unto
na Eiropa cono na America.
Estas Pillas, alias perfeiumente lnoSnTas,
nio eiifm dieta al|uma. Vendita, m taixas
delJOdOe 11500 res. Acham-saam casa de todo,
os PtiaraaoMtieo, oa DrtcaUUi o moSle anUiro,
IvawllajiaiMPrrnambiica.rT-a.iiiJrttAfr.
Gal virgem d Jagna-
ribe
Depoeilo no Caes do Apollo n. 5 8
Esta afamada c, p.opria para o fabriss
de assocar, continuase a vender pelo mag-
ui prego e abatimeato do costume. No ms-
alo armazem vend mu todas as mais qoal-
dades>de cal de Jaguaribe branca e preta, es
p, assim como todos os materiaes proprios
para construc56e3 e reconstraces por precos
menores do que em outra qualquer parte.
VINHOdeQUINIUM
LABARRAQUE
approvado pela Academia de Medicina de Pata,
4 o resumo, a condensacao de todos os prin-
cipios activos de quina. Algn* qrammm
tU Quinium produtem o rnstmo affeito qm
earios kilo* i* quina. (Robiquet, lente 4s
Escola de pbarmacia de Pariz).
Tendo procurado por msifo tempe NM
ttmot poeroto, encontrei-o no teu quiemm
s *fuu eoneitiero como o rettaurador jtsr
omilmoia iat conttuicoes exhautla*
a Dr Cabaret >
O Vinho de Quinlua
Labarraque i o mai* utii eompi*>
ment 4a quintma na t*atam*ntoiia*f*+*m.
O* tffeito* too particularmente "ai
ai /Sores antiga* de accetto e n*eaohe*m
paludoso. (Bouchardat, lente da Aoademiy
m todas aantaamacne Fabr. L. Frere, a, tai
asas, reta
,
l :-l

ni
. \.\ .v'l'
. I' ...L .VI,,
*"


YENDAS

i


-

i
J
M
I
I
*t
%
tt
**
*
Preciar.-iC
Cemiira o. 2.
do uc
ca ru'i Paulino
#/
Engenlio
Vende ;e urna parte cu a meia accao de nm
"engenro moente e corrente a agua, qialro
Jcgo;- da estacSo de Palmares, com capaciJade
Apara sar.jar mais de 2,000 pan. pdenlo o
tccuiu comprrdor arrrndal o ; a tratar na ra
Marqu-z do Heival n. 144
Saboaria
orna pe-
margem
a Ira'.ar
Vende st- ou permuta se por predio
quena fabrica prompla a trabalnar, a
de rio e demanda de pequeo capital;
na ra Ja Madre de Pena n. 16.____________
Livraria Gonteiupora
nea
loatraineatot de mutlea
Doatardao, bombardino, barytono, ti oro.
troaibone, helicn, saxapbone. carriloD, bomv
cais>, pralos.clarinilas. Gautas.rabecas, viole*
realejo?, caixas de msica, etc., etc.
Papel
pmtaao
-a forro de salas, quartos, gabinetes, correa
rea.
Molduras
entrad: s, pretas e dourdas para quadrus.
Malas
par viseen:, diversos formatos, especiaime
para re apa de senhora e camarote.
Novidades
par presentes, escriptoro, toncado-, etc., et
RAMmO M. COSTA A C.
Raa Prlmriru de Barco a. 9
Ce
ra
segando a
e sendo de
Vende e na ra do Cabog o. 2
quehd de, de lf a 1*500 a libra,
arroba para cima, faz-se na de 2* o descont de
30 0/0, e na de 1.a de 20 0 0. No mesmo esta
b rlecimecto lem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cada urna.
Pao centeio
Helio & Biset ten do recebido nova remessa dt
farinba centeio, avisa aos seas fregaeies que
codtinuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na raa larga do
Rosario u. 40.
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, rn.
do Cabuga n. 11, avisam aos seus distinctos fre
gnezes e ao respeitavel publico que receberan
nova remessa deste especial vinho, o qual s>
recommenda por ser puro da uva, e s se reta
loa em seu armazem.
Joaquim Christovao 4 C.
Telephone 447
Vende-se
urna boa machina de nunifrar e diversos cifres,
sendo um muito grande e que foi da antiga ihe-
souraria das lotera? ; a tratar na ra .Mrquez
deOlicda n. 4, 1- andar.
Vendem-se os segu n
teslivros
l/urer.co, romance histrico por F.
Tcvora 1 vol. i 4*000
O Matute, dito dilc, pelo mesme, 1
4*000
ij- Cavaiheirodo Amor, romance em
kvcl.cq 12*000
E bes de Roiaa, pelo padre Guiluer
me Di.?, 1 io ene. 20OO
U ccionaro Bio$;rapbico, por F. A. P.
Co;:a, i grosso volme eoc. (0*000
Vos Icaros, versos por M. Brrelo, 1
vol ene. 3*000
Flores Fluctoantes, versos, 1 vol. ene. 2*000
Vos e quedas, versos, 1 vol. ene. 24000
Guimaracs, poema, 1 vol. ene. 3*000
Sons que passam, v.rsos por Th. Ri--
beiro, 1 vol. ene 3*000
Alberto Piruentel, Canta-es, versos, 1
vol. ene. 3*000
Evangelius e Syllabus, dnma, 1 voJ.
ecc. 35000
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos oiographicos e Iliterarios,
3 veis, enes., fiuos 15*000
Ca>trioto Luzitano, historia entre o
Brazil e a HoUanda, 1 vol. ene,
fino 5*00
Bibliotheca do Povo,S12 vols. enes. 25000
Morte de D. Joio, romance, 1 vol.
ene. 2*50
Centos de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene. 3*000
0 abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ecc. 1*500
O Processo Leronge. romance nieto
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabriel Malagrida romance, .1 vol.
ene. 3*000
Neto do Acoitado, romance histrico,
1 vol. ene. 3*000
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 3*000
Cluquinho. Encyclopedia da Infancia,
por G. Bruno, 1 vol. ene. 3*000
Caricaturas em proza, por Lniz An-
drade, 1 vol. ene. 3*000
O Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado hispo D. Joo, 1
v. ene 15/000
0 birajaia, lenda, 1 vol. ene. 3*000
Arnaldo Gama- Um motim ha cem an
nos 1 vol. ene, obra rara 6*000
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol. *
ene. 2*0C0
P. de KockJoao, 2 vol. ene. 4*000
As mil e i.ma mulheres, 4 vols. enes. 8*000
O rei i'andla. romance. 1 vol ene. 2*000
'.'ocios a Niea, por E. Zola, 1 vol.
ene. 2*000
A caca de um haronato, l vol. ene. 1*500
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene. 4*000
Os herdeiros de Caranruru, romance
histrico, 2 veis, ene, finos 6*CO0
A igreia e o Estado, por Ganganel,
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes linos, com gravu-
ras 12*000
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2*000
Castello de Graville, romance raro,
1 vol, ene 2*000
Leonor, D'Arabolse, 1 vol, ene r i*000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene 3/000
Typos de cara dura, 1 vol, brocb. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
ejoceza (rara,) 1 vol, brocb. 3*000
Voz-s da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias. 1 vol. broch. 2*500
Um mysterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, brocb. 2*000
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor) 2*000
Goarrigues breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene 3*<"00
O matadonro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o 1. o vol s. 1*500
Ponson do Terrail A heranca mysle-
rioza o 2. vol s ene 2*000
Repostas consisas e familiares por
Mr. Segur. 1 vol, ene 1*000
Carta sobre a Companbia de Jezus,
1 vnl, broch. 2*000
Carta a Pae Tobas, 1 vol. brocb. 2*000
No escriptoro deste Diario se dir quepa ven
de todas estas obras, e faz-se grande abali-
mento a quem comprar todas juntas
Alerto con a Revoluco
48-Raa Daqac de Casia I *
320
SnnJi de linho faz jnda muito l^ga a
rs.~o covado.
Etaminc-s de c6rea a 28 ^ e 300 rs. o co
vado.
Zephires de core a T20 e 16C r. c co-
vado.
Lindas 12s de core s*2 0, 240, 300 e
320 rV o covado.
Cachemira de quadros com liatras de seda
a 1(5000 o coiodo.
Merinos Iavradoi a 500 rs. o covado.
Voile de algodSo a 240 ra. o covado.
dem de 12 ultima m da a 80, rs. o co
vado.
Cortes de metim par vestidos de duas
cores a 6J000 um.
Ditos broncos bordados a 120000, 140COO
e 150000 um.
Ditos de cachemira bordados a25/JCOO um.
Cortes de cambrai branca de cuadros a
10800 um.
Cort'nados bordados a 60000 e 70000 o
par.
Ditos de crochet a 80000 e 100000 um.
Fecns de todas a cores de retroz
10000 um. .
Colchas de c6res a 20COO, 30000, 40000 e
50000 urna.
Cobertas ferradas para casal a 205O(
urna.
Toilettes para baptisados a 60000, 80OOC
e 100000 um.
Camisas finas de mein 1*000 urna
Toalhaa para enanca a 100 e I20rs. ama.
Ceroulas franceeaa, a 10000 urna.
Pannos de crochet para cadeiras a 500
rs um.
Atoalhadu de linho de 40400 o metro por
20400
Dito de algodSo a 10200.
Algodao trancado para toalha a 100(0 v
metro.
Bramante de algodSo com 4 larguras, a
800 e 10000.
Lenjos de algodSo a 10200 e 2000 a
enana.
Ditos de linho a 30GOO a duz'a
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
(.'retoes escuroa e claros a 200 rs o co-
vado.
Madapolao americano', tom 24 jardas a
50000 e 60OGO a peca
Cobertores broncos d IS para acabar a
20COO um.
Bramante de linho, faaenda de 30000, a
20000 o metro
Panno paro mes a 10200,10400 e 10600
o ce vado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado
V< stidos de Gersey para cranla a 60000
um.
Camisas de linho para homem a 20000,
30000 e 40000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
i Jostumes de cachemira fina para homem de
200000 a 150000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
4*000 um.
Cortes de fustao para collete a 800 rs. um.
Gtuardanapos c m franja a 20OCO a duiia.
Espartilhoa de todas as qualidades e n-
meros por preco baratitsimo.
muitas outras fazendas de lei e moda
qen vende por prejo tem competencia,
em vista de seu proprietario querer acabar
com o estabelecimento.
S na Revolu^ao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
E tui!ot)om, parabem
de todos
O abaixo asignados, tendo feito gran
de reduefao de prejos as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi
dam o respeitavel publico e especialmente
a seus bons freguezes, a certificarem se da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occ&siao de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por presos insignifi-
cantes.
Como sejam:
Voilcs de IS e algodSo a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
8C0 rs por 32.) rs. o covado, sephyroB de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira covidade) a 200
rs. o covado, las de cores a 200 rs. o
covado, setiuetas finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (IS pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de 12,
fazenda mnita fina de gostos lindissimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completa
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de maie
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fuBtocs broncos, cretones pretos e
de cores lisos e com flores, baptistas de
cores, gostos delicados.
M dapolao americano a 50000 a pee,a.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sorlimento de cretones pro
cobertas e chambres, esguiSo de puro
linho, costumes de Jersey para meninos,
espas hespanholas, pura seda a 30000
urna, cortes de vestidos de todas as qua
lidades, fichus de 12, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, cullarinhoa e grvalas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
preco.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Beiwdino Campos C.
P<
Recebe ff ores directos m ner
cades da Epropa
Aprsentarx os seguidles artigos, sendo
algOas anda do auno passado, raa2o justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o ce vado
dem trancad), superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustSo pra colete a 8 O rs.
dem de casen etas a 10000 e 10200.
dem de casimira ingleza de cores a 30 e
400 0.
Algodlo cr, marchetado paro toaihas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lentes, a 40 e
500.0 a peca.
Madapolao superior, com 24 jardas a 50
e 600.0.
dem B6a-Vista, verdadeire, a 508CO.
Cortinados bordados de crochets a 120000.
Colchas dem a 70COO e 80000.
Grinoldas e veos para noivas a 80001
Eepartilhcs modernosa 40000,
Percales claras e escuras a 24 o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalbas nacionaos a 20500 a daaia.
Lencos em lindas caixinhas a 10800 e
20800 a dita.
Meias inglesas e nacionaes a 20500 e
30OCO a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 120000.
Ceretas tardadas de bramante a 120000 e
160OCO a duzia.
Guardanapos com franjas a 10800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 10600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Cretones para as mesmas, a 10000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, idem, a 440 rs. o covado
Bramantes franceses a 10600 o dito.
Casemiras de cores, dnas largaras, a
108i.O o dito,
Cheviot azul, cor inalterovel, a 20400,
30500 e 40000.
Merines para luto desde 500 rs. a 10800,
duas larguras.
Sargelins de efires a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichs a 10, 30000 e 50000.
Toaihas de labyrintho, riquissimas, a 250 e
300000.
Vendas em grosso tem o descont de
14 /..
59EA DUQUE DE CAXIAS59
_1M
Vlanequins de Bazar
Para modistas
Para familias *
PRECO DO MANEQUIM COMPLETO
250OCO
Qualquer senhora por mais gorda ou
vagra, alta ou baixa que seja, pode fazer
seus vestidos sem prova e sem auxilio de
outra pessoa.
EXDE-SE
Na loja das Listras Azues
A' ra Duque deCaxias n. 61
Superior vinho de Al-
cobac.
a
0 acreditado e autigo armazem do Lien par
ticipa ao publico e aos seas fregueses que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo chefe desta
casa, tornando se recommendado por ser puro e
de boa qualidade
Jos Fernandes Lima & O, ra Baro da Vic
toria n. 9
Telephone 323
Mo-veis austriac 8
Ha nm riqoiss mo e variado sortimento de
movis austracos de diversas cores, lisos, tor-
neadas e entalbadoe, para vendas em porco ou
as pecas avulsas, bem como ricos espelhos para
salo, camas de ferro com lastro de ac para
meninas, soldaros e para casal, e magnficos ta
petes avelludados, os melhcres que-veem ao
mercado ; no armazem roa Mrquez de Olinda
numero 54.
FOLHETII
Ma m&sm
PB
PULO D'AICREIONT
RLMFJRA PARTE
? andorinha
Con'iDuagSo do n. 120/
V
NA GASCOGNE
N2o, senhor, em nenhuma.
Frei Theotonio ainda 6 vivo?.
N3o, senhor, morreu ha dous annos,
na casa que possuem os carmelitas em Ba
gures de Bigorre.
E squi, no convento, haver algum
religioso que o tivesse condecido ?
Sim, senhor, ha um, que hoje pre
cisamente o superior, homem de grande
talento, frei Cyriac.
Greliche sabia, ou antes, nao sabia de
cousa aiguma do que desejava saber ; per-
suadido, porm, de que a Sra. Dupin nSo
conheci* tao pouco patavina de toda a his-
toria, dirigi se ao convento dos carmeli-
tas.
O agente j nio tinha a menor duvida.
A mulher que confiara a criaoca a Ce
mencia Foulon, quer essa orianca fosee
sua filba e frncto de ama falta que era
preciso dissimular, qner ama menina rou-
Veade-se
mero 8.
A rmaijo
barato a da loja do Livramento nu
Alfafa nova
Solta 30 rs. o kilo, em fardos 60 rs.; ven-
de se no armazem ra da'Madre de Deus nu
miro 10.
Farlo novo superior
Saceos de 42 kilos a 10800
Vndese no Corpo Santo n. 6.
wisif
Roya! Blend marca V1AD0
Este excellente Whisky Escoces prb
erivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar e corno.
Vende-se a retaino nos melhores arm;-
zecs de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado
enjo nome e emblema s2o registrados par
todo Brazil.
BROWNS &. C, agontos
tMMUU
*0 IBAIS,___
imitande
.

NOVIDADES
VENDE SE NA LOJA DAS LISTBAS AZES MAIS AS SEGUINTES
EspertadoreB e relogios com movimento.
Tesouras finas quese do bram, a 10500.
Porta lanterna para theatro, a 10000.
Vende-u en tadi i r"
bada familia, por estar algum grande in-
teresse ligado ao seu desapparecim-^nto,
essa mulher era urna penitente ou urna
amiga de frei Theotonio, e era por seu
intermedio que Clemencia a havia con he
cido.
As difficuldades tornavam se agora maio-
res, quasi insuperaveis.'
Como. erT divamente, descubrir um ves-
tigio em pessoas impenetraveis por dever,
e que, errando de urna eztremidade ou-
tra do mundo/ mudando incesjantemente
de trra e de lugar, ten retacos, deve
res, factos da sua vida impo si veis de des-
cobrir?...
Foi, apezar de tudo, procurar o supe-
rior, acompanh.do de R selin, a quem
apresentou, depois de se ter dado a conhe-
cer.
Frei Cyriaco pareoia de facto homem
extremamente intelligente, com o seu fino
rosto de asceta, coroado, como por urna
aureola, de uma fronte esplendida, cerca
da de tenue franja de cabellos castanhos.
O o'har dos olhos azues, muito claros, era
leal ; a physionomia, comquanto fria, era
berta.
Dous meio3 de saber da verdade se apre>
sentavam : ou expr francamente o caso,
ou empregar a astucia, procurando lutar
com as armas da inteligencia e da pers-
picacia com aquelle homem que devia, en-
tretanto, saber, como ninguem, dissimular
as suas impressSes.
Greliche tentou, nSo obstante, a ultima
bypothejc: vendo, porm, dentro em pou-
co que perdia o seu tempo, preferio por o
irade ai corrente do que o levava alli.
To fri, impenetravel e grave se con-
servara o rosto de frei Cyriaco durante todo
o tempo em que o agento mentira, quanto
se tornoa animador e aberto qnando este
se resolver a fallar a verdade.
O senhor vem procurar me, disse
elle, finalmente, com bella voz grave e pu
Farello superior
a 2*000; ao largo do Mercado n. 12.
ra, no cumprimento de um duplo dever :
em primeiro lugar do seu, que levar a
bom xito a : iss&o que Ihe foi confiada, e
depois do de seus chefes, que querem viu-
gar um crime, e restituir provavelmente
uma pobre crianca roubada uma familia
desesperada Para isso hypotheco Ihe o
raeu conc.rso, na medida da6 minhas for-
cas. Mas por emquanto nSo sei de nada.
Grthche fez um gesto de desanimo,em-
quanto, ao contrario, brilhava um clarSo
de alegria nos olhos de Roselin.
O frade percebeu essa dupla expreBso
to dififerente.
Comprehendeu a no agente, mas nao no
seu companheiro.
j Por que ficou o senhor tao satifeito
com a minha ignorancia? perguntou elle
ao provenga!.
Este explicou-se sem se faser rogado.
Quando elle contou por que super6t-
980 maternal Laura queria conservar e
criar a orphizinha, urna grande emocSo
desenhou se as feicSes sympthcas do
monge.
Excellente senhora 'disse elle. O seu
procedimento admiravel. Tratarei desse
negocio. Tratarei del le infatiga vel mente,
at que haja d -scoberto aiguma cousa, no
seu interesse sobretudo, Sr. Roselin, e no
de sua mulher, afim de que, quando tira-
ren] criado a menina, e quando Ihe vota
rom grande affeicao, nao venha uma se
paracSo c.uel despedagar-lhes os corado s
delioadoj. V ao nosso convento da ra
Vaugirr.rd, vi l de tempos a tempos ;
quando me apparecer tlgum vestigio ou
algum indicio, Ihe direi.
Entao, pergunteu Greliche, goro
nao sabe de nada?
E camo elle Ihe fizera o retrato da des
conhecida t&o magnficamente bella, frei
Cyriaco reflictia.
Essa mulher nlo daqui, disse elle
finalmente, ju a conbeceria, pois toda a
Sabonetes para pannos e sarda.
Grampos, novidade, para trancas.
Lapis-caneta de ouro romano.
Ca: i ve te s de duas*a quatro folhas finas.
Oleados com repartimentos para mesa.
Sabonetes para 1 impar ouro e prata.
Albuns para retratos, a 30000.
Bordados finos, pega de "4 1/2 metros.
Fitas de todas as larguras e cores.
Biccos e rendas hespanholas.
Espartilhos de setim para noivas.
Meias de seda para senhora.
MadapoISo fino, pe$a com 10 varas.
Morim Lavrado com 20 varos, > 50000.
Percales claras e escuras a 200 e 240 rs.
Setim bronco e todas as cores com listras.
Surak, todas as cores, a 10409.
Velludos pretos com contaa e palmas.
Cassas de ramsgens com lindas cores.
Tecidos arrendados broncos e de cores.
Cortes bordados em cartlo a 90000.
Cortinados bordados e de crochet.
Colchas braceas e de cores, a 20000.
Crochets para sof e cadeiras.
Bramantes de linho e algodSo.
Atoalbados lavrados em releves.
Guardanapos grandes e pequeos.
Aos compradores de 200000 para cima da se descontos e muitas vantagem
para vendedores.
A' ra Duque de Gaxias n. 61
LOJA DAS LISTRAS AZES
Peitos de celuloide com bordado
perfeitamente linho.
Collarinhos modernos duzia 50OCO.
Cara trnbnlbo Caixss de inhss de cores cem mcsclade
dourado a 10000 e um roveJlo 100.
Punhos para homem a 60COO a duzia.
Lenjos brancos para creanca a 10000 a
duzia.
'rara baile
Lindos romes de flures artificiaos de seda
e com hastes de borracha.
Lindo e grtnde sortimento de Boutache de
todas as cores para enfeitar vestidos de
croanja.
rara aa Sraa, modlaian
Bicos de cores broncos de algodSo a 10500
e 20COOape5a.
Bicos de seda de diversas cores a 50000 a
peca.
Porta tranca de prata, tartaruga e massa.
Punh< b e collarinbos de celuloide.
E pelhoB caro dura 400.
Para liquidar grande quantidade de fita
modernas abatimento de 25 .
Fitas n. 9 a 400 o metro,
dem n. 5 a 200 o metro.
Lavrada para faxa a 20OCO o metro,
dem para faxa n. 30 a 30000 o tetro.
Espsrtil' os para 40000, 50000 e 60OQO.
Para nolvaa
Caf-ellas de cero,
dem de flores de larongeiros.
Ramos francezes e nacionaes, veos, Iequea
e luvas.
Enchovr.es para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e passeio.
Cintos de chagrain para senhora, largos e
estreitos a 10000.
Grande sortimento de galSes, palmas, ro-
sas, pingentes e guarnieres pretas de
vidnlho para vestido.
Lindas costureiraa de velludo proprias
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura.
Grande sortimento de caixinhas com ex-
tractes proprias para presentes a 20OOC
30000, 40OOC, 50000 e 60000 uma.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindos objectos de crystal para presente
como sejam : porta-relegio, parta-extra
oto, porta-p de arroz de 40500 ate
120000.
Finos alfinetes para grovatas.
Grande sortimento de broches americanos
para senhoras.
Caixas com msicas a 20, 30000, 40OOC
at 120003.
Grande sortimento de galSzinhoa broncos
e de cSres para enfeitar casacos e roap*
de criancas.
Porta-retratos a 200 e 300 ra. um.
Grarde sortimento de lencos de seda
10000, 10500 e 20000 um.
GusrnicSes para toilet a 60000 e 70000
Lindos porta pos de arroza 10500, 20000
30000, 40000, 50000 e 60000 nm.
Finas gas com ramo de flor de larangeiro
proprias para noiva a 10500 o par.
dem de todas as cores a 10OQO, 10200,
10500 e 20COO.
Lencos de linho a 30000 a duzia, em ca
xinha.
Grande sortimento de pulceiras amen-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 120OO,
170000 e 190000.
Ditos para janella a 70OOO.
Guarnieses paro cadeira a 60000.
Pannos de crochet para cadeira a 800 e
10000
Grande sortimento de lavas finas para se-
nhora a 10500, 20000 e 20500 o par
dem para menina a 800 e 10000.
Linha de machina a 700 rs. a duiia.
dem idem a 60 rs*o carritel.
Toaihas para banho a 10500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores eom inscripcSo e paisagem a
600 e a duzia a 40000.
Grande sartimento de'espelhos finos ovaet
e de canto redondo a 40000, 50000 e
60000.
Bengallas de flauta a 10500.
103RA DUQUE DE CAXIAS10?
Va Ceas tourinas
Vendem se vaccas tourinas com crias, dando
leite, por seu dono ter de retirar se para fra do
Estado por lncommodos de sade ; na cocheira
da roa Sebastiao Lipes n. 33. Para informacOes
Bom negfocio
.,. ^>-^... u.pv, ,,. .uunuafcucn Admitiese um socio com algum capital para
na roa do Pires n. 31, u venia, defronte da auti- taverna ; a tratar aa roa de Domingos Jos Mar
ga caixa d'agua. 'iBB fi
Libras
Vendem se roa de b. Mara Cesar n. 36.
tinsn. 80
aristocracia da trra frequenta esta casa.
Acredito antes que fosse aiguma hespanho-
la que frei Theotonio conhecesse na sua
patria ou talvez em Bagnres de Bigorre.
Mas talvez o sen cor podesse, meu
padre, obter esclarecimentos, dirigindo-se
s diversas casas da sua ordem...
Vou tantal o. Todava, podem exis-
tir motivos de discrigao, razSes de forca
maior que fechem as boceas.
Mesmo para vingar um crime ? -
Frei Theotonio nSo poda aseociar-se
um crime. Era um fidalgo e um reli-
gioso. Respondo por elle. Talvez ajudas-
se a dissimular uma falta. Isso estava no
seu carcter e no seu dever.
Mas talvez elle fosse mettido no ne-
gocio, gracas aiguma babil comedia...
Nao o creio. A sua perspicacia era
grande. E se tal cousa se tivesse dado,
Clemencia Foulon, que o descobriria for
cosamente mais tarde pelo procedimento
da mulher, tel o-hia advertido.
Que quer o senhor izer ? pergun-
tou Roselin.
'S Que e mpossivel que Clemencia Fou-
lon tivesse confundido uma mBi, coafian-
do-lhe sui. filha, mesmo como fructo de
uma falta, com uma mulher que houvesse
roubado essa crianca a. uma familia com
fius srdidos. Ora, no momento da sua
descoberta, Clemencia, que eu conhecia,
que era urna mulher honesta e leal, feria
advertido o seu director espiritual, eatou
certo.
Mas acredita que frei Thotonio haja
denunciado antao essa desconhecida ?
NSo. Taes denuncias nao se coadu-
nam com o carcter de nm religioso. Nes-
gas condifOes, porm, elle nSo morreria
cem confiar a causa a qualquer dos nossos
irmaos. E' isso que vou tratar de saber
E que nos dir? perguntou o agente.
.Sim, responden francamente o mon-
ge, se o senhor puder fazer sem offender
, a c?ridade christS em primeiro logar, e
j em segundo lugar a honra.
Greliche tinha confianca
Levantou se e retirou se satisfeito.
Roselin, ao contrario, trema.
Emquanto o agente voltava a costas,
dirigindo-se para a porta do locutorio, o
machinista trocou um rpido olhar com
frei Cyriaco.
Roselin dizia nesse olhar :
Supplico Ihe, faca com que nlo arre
batem do poder de minha mulher a crian
9a que ella adora !...
A papilla eloquente e calma do carme
lita responda :
Nao tenha receio. Em descobrindo
qualquer cousa, ser o senhor o primeiro
prevenido.
VI
NEGOCIO ARCHIVADO
A devassa continuou em Pars, muito
intelligente e muito activa.
Djpositava se em Eugenio Greliche, na
prefeitura de polica, grande confianca;
assim, em'vez de aguardar os esclarec
montos que frei Cyriaco ficara de remet-
ter, mandarom de novo o agente a Bagn
res de Bigorre, ao conventa que all pos-
suem os carmelitas descalcos.
Greliche, porm, nSo encontrn l Oho
mem intelligente e sympathico qu* encon-
trara em Agen.
Foi-lhe aberto o locutorio do convento e
mais nada.
R sponderam Ihe em bonhomia evasiva,
mnito polida, muito doce, mas com vonta
de inabalavel de nao dizer consa aiguma.
Frei Theotonio?... Tinha morrido,
sim!... Mas conhecera elle a pessoa em
questSo?.. Ingoravamn'o, tendo cada
religioso o direito e e dever de guardar o
mais absoluto segredo sobre o qne dis res I
peito s suas direcefes espirituaes.
Mercearia
Vende se ama mercearia bem localisada e pro-
pria para principiante por ter poucos fundos.
para informacoes na ra Mrquez do Herval nr>
mero 73.
Leitura s Selectas
Pelo Dr. Julio Barbalho
Acha-se no prelo e brevemente ser exposta i
venda, a 3a edicSo deste importante livro para
leitura e outros exerclcios as escolas.
Em todo caso, elle podia ter procurado
fazer bem a essa mulher, culpada on nSo
quanto a associar-se a uma obra u, nun-
ca 1
Mas frei Theotonio teve com certeza
amigof, confidentes, directores espirituaes
tambem ?...
NSo existem amisades particulares no
claustro... As.confidencias to pouco...
Quanto aos directores espirituaes, era cou-
sa com que os outros nada tinham que
ver.
E nada mais.
Nem um olhar, nam um estremecimen-
to, nem uma palavra que podesse esclare-
cer Greliche.
Gracas a Marcello Barrer, elle possuia
um crogu muito semelbante da desconhe-
cida, tal qual ella estava na noite do in-
cendio.
Mostrou-o, com grande babilidade, em
Bagnres de Bigorre em primeiro lugar, e
depois em Agen, onde voltara.
Ninguem Ihe pode dar o menor esclare
cimento.
Frei Cyriaco tem razao, disse com-
Bgo o agente, ella deve ser hespanhola.
Tem alias o typo dessa nacionalidade.
Ah 1 se Roselin Ihe tivesse dito que na
manh* em que regressavam juntos de Cas-
telnau d'Auzan, en ontr-ra essa mesma
desconhecida do incendio, n'um Iandau, '
atraveasando a ponte da Bourguerie, em
Coudom, Greliche teria localisado as suas
pesquisas, e com o retrato feito por Mar-
cello Barrer, talvez descobrisse a pista
tao desejada.
Roselin, porm, nao desejava que as
pesquisas de Greliche alcanjassem bom ra-;,
saltado, por muitas razSes.
{Contimar-M-Jta,)
Typ do Durto, Roa Duque de Gaxias a. II

I

M
1
Ti.
^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF0ENOBOX_TIG5JZ INGEST_TIME 2014-05-29T22:06:36Z PACKAGE AA00011611_17758
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES