Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17756


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO LXVI NUMERO 119
TJJRCA-FKDU 27 DB MAO T)T? 1890

DIARIO DE PERNAMDUG
Propriedade de Manoel Figueira de Faria cft? Filhos

PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
-

*&
.
\
-
r-
4
Por tres mezes adiantados. .
Por seis ditos idem. .....
Por um anno idem.......
Cada numero avulso, do mcsmo da.
65000
12*000
23ji000
5100
Os Srs. Amedce Prince & C.
de Pars, sao os nossos agentes ex-
clusivos de ann uncios e publica-
^oes na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO E F0RA DO ESTADO
Por seis mezes adiantados. 13)9000
Por nove ditos idem...... 2O|00O
Por um auno idem...... 26)9000
Cada numero avulso, de das anteriores. 1100
TELEGRAMMAS
SSB7I5Q PA5IICULAB SO llLlll
RIO DE JANEIRO, 28 de Maio, s 3
horas e 45 minutos da tarde.
Foi nomeado ir.sp ctor da Alfindega do
Eattdo do Ce9r, Luiz ("arlos da 8ilvaPei-
xoto.
Realisoz-se hontem a distribuicSo das
medaihas commem.rativas da campanha
do Paraguay, offerecidas pelo governo ar-
gentino aoS officiaes braze ros.
O acto teve logar no campo de S. Chris-
tovSo, a de formn toda a tropa.
Immenaa foi a concurrencia.
Foram concedidas honras de generaes
de brigada a todis os ministros paisanos.
sktx;s sa l:u:i um
MONTPELLIER, 24 de Maio.
O presidente da Repblica chegou aqui
hoje. Organisam se festas universitarias
em sua honra.
BEKLIM, 2G de Maio.
Acaba de dar se um accidente com S_
M. o Imperador Guilberme que, a nao ser
urna grande emocao, nada mais soffreu
digno de nota.
Os cavallos, que puxavam o carro em
que ia S. M., dispararan e o carro foi
violentamente atirado ao chao.
S. M. o Imperador cahio sobre o braco
direito, sem comtudo ferr se gravemente.
MOSCOU, 26 de Maio.
Chegou aqui ho > S. A. R. o principe
de aples.
LONDRES, 26 de Maio
S. M. o Rei Leopoldo sihio para Bru-
xellas.
PARS, 26 de Maio.
Mr. Sadi- Jarnot chegou em Besancon
onde foi recebido por seiscentcs chefes
de municipalidades (maires).
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
26 de Maio de 1890.
INSTRCQiO POPULAR
asas:ts:::::: :::::::.::
POR
JOS MOR2EH CAPITULO I
Novo carcter da pbilonopbia
Opimo, s dos antlgo* Pllhasor-. e
Ieaophanei
I
A sciencia philosophica deve ser, entre todas
as demais, coin preferencia cultivada pelo ho-
rneo) pensador. Ella abre Iba un carainho se-
guro, urna via perfcia e salularp:iraa investiga-
cao de ludo aquilo a que tenha de applicar mais
tarde a sui intelligencia.
O.' anligos comprebeml-ram sem duvida toda
a sublimidade d'esta sciencia q ic a chave ge-
ral de todas, e, semeihanca do astro vivificador
do dia, o centro comrnum, cujos raio3 divergen-
tes abrangem e lluminam tudo, quando a bapti
sararu com o nome de sibedoria e assim raesmo
chamaran) sabios aos qu? se dedicavam ao seu
nobre e profundo estudo.
Pouco lempo depois, parecendo talvez a Pytha-
goras demasiado altiva e petulante a dita deno-
minarn substituto a pela de philogophia, islo ,
amor da sabedoria appellidando alm disso de
philosophos. qner dizer, amantes da Babedoria,
aquelles espirito* fortes que seguiam e estuda
vam as suas admirareis leis e os eternos prin
cipios.
(Contina)
y'
PARTE OFFICIAL
Actos do poder execulvo
Decreto n. de 10 de Maio di 1890
llanda cobrar as alfandegas e mesas de rendas
habilitadas urna porcentagem dos direitos de
consumo em moeda de ouro, pelo valor legal.
O mareehal Manoel Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio constituido pelo exercito
e armada em nome da nacao :
Considerando a conveniencia de facilitar ao
foverno a acquisico do ouro necessar.o para as
espezas que sao pagas nessa especie ;
Decreta :
Art. i.* Do Io de Julho do corrente anno em
diante, ser cobrado as alfandegas e mesas de
rendas habilitadas, urna porcentagem dos direitos
de consumo em moeda de ouro pelo legal, em
cada despacho de importacao de gneros estran-
geiros.
Art. 2. A porcentagem ser de 20 / emquan-
toataxa docamboxoconservar-se entre 20 e 24 ;
. de 10 /0 entre 24 e 27, cessando logo que estiver
pir, on antes, se o governo o entender acertado.
1 Art. 3. Quando a referida porcentagem fr
t. inferior ao valor legal da moeda de ouro, poder
er feito o pagamento em papel moeda.
Art. 4." Podero serrecebidas nos pagamento s
m ouro todas as moedas indicadas na tabella
annexa a este decreto pelo valor legal nella
arcado.
Aat. 5 Fico revogadas as dlspo3ices em
ntrario.
Sala das sessoes do governo provisorio da Re-
publica dos Estados Unidos do Brasil, em 10 de
Maio de 1890, da Repblica. Manoel Deodoro
l Fcnsec. Ruy Barpota.
TABELLA DAS MOEDAS DE OURO A Q0B SB EEF2BE O DECRETO X.
DE 1690
DE 10 DS MA10
Ouro
Ouro
Ouro
Ouro
Ouro
Ouro
Denominacpes
Moedas francezas :
100 francos
50 ditos .
20 ditos .
Moedas da Blgica,
depois de 1862 :
100 francos
50 ditos
20 ditos
10 ditos
5 ditos
Peso em
grammas
Moedas hespanbo-
las :
Onca hespanhola .
Dobroes de Isabel
100 reales
Moedas da Italia:
20 francos. .
Moedas portugue-
sas :
10*000 .
Moedas dos Estados
Uuidos:
Aguia dupla ou 20
dollars .
32-258050
16.129025
6.45161
Titulo em
millesimos
O.OO
26.794921875
8 336
6.45161
17.735
33435
0.875
0.900
0.900
0.916 *Jt
0.900
Valor
Par
351315.46*
17*657.73
7*063.092
281519.90
9*125.675
7*063.092
19*775.64
36*604.272
Observacdes
As de 10 e 5 francos em
proporcao.
Peso, toque e valor igual
ao das moedas francezas
As de 10 e 5 francos em
proporcao.
As de 5, 2 e 1* em pro
porco.
Decreto n. 391 de 10 de Maio de 1890
Altera o numero, classes e vencimentos dos em-
pregados das alfandegas e da nova organisa
cao forca dos guardas.
O mareehal Manoel Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio, constituido pelo exercito
e armada em nome da nacao :
Considerando a conveniencia de extender se
s outras alfandegas da Repblica a reforma por
que passou a desta capital, attendendo ao des-
envolvimento do commercio e da navegaco qu<
exige urna fiscalisaco mais activa ;
Decreta :
Art. 1 O numero, classes e vencimentos dos
empregados das aifdndegas da Repblica e da
forja dos guardas das nemas repartirles, sero
os constantes das tabellas que acempanham este
decreto.
Art. 2 Fica supprimida em toda) as alfanle
gas a classe dos officiaes de descarga, cesando
os servicos que Ibes incumbem pelo art. 117 da
Consolidadlo.
Art. 3 Ficam extensivas s alfandegas da
Repblica as disposicOes dos arts. 4*, 5", 6" e 7*
do decreto n. 2,248 de Marco do corrente anno.
Art. 4 Extincla a classe dos vigias externos
das alfandegas, ficam os que existirem actual-
mente eocorporaios forca dos guardas e inclui-
dos no quadr j que a este decreto acompanba.
Art. 5- O officiaes de descarga extinctos.eai
qnanto nao forem aproveitados em outras cas
ses, percebero os vencimentos da tabella J U
nexa a este decreto.
Art. 6- As tabellas que acompaoham este de-
creto comecaro a vigorar de 1 do mez seguinte
quelle em que ebegar em cada repartirlo a
noticia offiVial daquelle acto.
Art. 7.- Revogam-se as disposigoes em cen-
tran).
Sala das ses Oes do governo provisorio da Re-
publica dos Estados-Unidos do Brazil em 10 de
Maio de 1890, 2' da Repblica. -Manoel Deodoro
da fonseca.Ruy Barbosa.
Tabella a que ie refere o decreto n. 391 de 10 do
con-ente
A TabeLa do numero, elasses e vencimentos
dos empregados das alfandegas da Baha e
Pernambuco.
As de 10,5,2V ou >/ em
proporcao.___________
1890, 2. da Repblica.Manoel Deodoro da Fon
seca.Ruy Barbosa.

> >~ 1 ti
>l^i0*X h. O y zo-.ts I "
-z >> a s- v n> 03H *V*t 7Q5" I
= a = 5 2? -* fc=.^ SE.-B I
: a i
i. ..M.fr. Ji.
^
I-^
Q.
a
8
*-
f..
u O
n


a
.......
.* ^. 1 t 14 l ^^tofiCO^*
||llil^iglll
(881
1 1* t 1 i I -i-
ii ii ,- i i s 1 r. u c -j i i
C^ as ^ *. ^ --,
ltMn-*ueUil9>lt91MWWAl9
K i-r, ^" ^"> ^K ^^ ^> ^ -^ -<- .^~i ^^ i^*. "i ^i
C 6 5. -^.te.s't>
8s8oSsS8SgSsSSs.8S_
rtl
t i OI*4-;Ci!*l;*'M3'.ltCI'.0"-Kl>
|l'

SIS328c8sS~5588S5S2
Capiaf federal, em 10 de Maio de 1890.
Barbosa.
S
~
o a.
w a.
S
g
a.
Ministerio do Ulterior
Foi exonerado o major Jos de Siqueira Me
nezes do cargo de 3."vice governador do estado
de Sergipe
Foi exonerado, a pedido, o Sr. Dr. AntSo
Goncalves de Faria do cargo de 3. vice governa.
dor do estado do Rio Grande do Sul.
Foi nomeado 2. vice-governador do estado
do Rio Gran le do Norte o Dr. Amaro Bezerra
Cavalcanti, sendo declarado sem effeito o decreto
que nomeou o Dr. Manoel Andr da Costa para o
referido cargo.
Foi nomeado 3." vice-governador o Dr.
Alcibiades Draco de Albuquerque Lima.
Foi exonerado o Sr. Dr. Julio Castilhos do
cargo de secretario do estado do Rio Grande do
Sul, sendo nomeado para este cargo Frederico
Ximenes Villeroy.
Pelo Ministerio do Interior foram expedi-
dos os seguintes avisos, com data de 6 do cor
rente mez :
Por lelegramma de 19 de Abril lindo, consul-
tastes a este Ministerio se, nos caso3 de que
iratam os arts. 1., 3.9 e 4." do ait. 76 do regu-
lamento do registro civil, approvado pelo decreto
n. 9,886 de 7 de Marco de 1888, podem os pa
rentes mais prximos supprir o impedimento
do conjuga ou pes3oa impossibilitada, pela ddr
moral, de fazer a communicaco de bito all
determinada.
Em resposta declaro-vos que as lisposicO \s
dos ns. 1.*, 2., 3 e 4. do citado art. 76, enten
didas segundo o seu intuito, obrigam as pessoas
nelles mencionadas a providenciar sobre a com
municaco do bito, mas nao exigem que a fa-
gan pessoalmente, quando pbysici ou moral-
mente impedidas ; o essencial que a commu-
nicaco 8eja feita por pessoa fidedigna, no pru-
dente conceito do ofi ial do registro.
Saude e fraternidade. Jos Cesario de Faria
AlvimSr. governador do estado do Para.
Com officio de 13 de Fevereiro ultimo, sub
meltestes ao Ministerio a mea cargo o que em
data de ii de Janeiro dirigi ao chefe de olici i
desse estado o subdelegado da freguezia do Rio
das Pedras, consultando se, apesar de se nao ter
procedido na dita freguezia eleic&o de juizes
de paz, deve o escrivo da subdelegacia funecio
nar como escrivo de paz e installar-se o regis-
tro civil dos nascimentos, casamentos e bitos.
Em resposta, declaro-vos que, emquantq nao
se realizar aquella eleico, nao poder funcionar
como escrivo de paz o da subdelegacia, nem
ioslaliar-se o servico do registro civil, visto que,
nes expressGB nos termos do art. 2." do regula-
ment de 7 de Marco de 1888, o mencionado ser-
vico deve ser feito sob a immediata direceo e
inspeceo do juiz respectivo, a quem cabe deci-
dir administrativamente quaesquer duvidas que
occorrerem.
Sade e fraternidade. Jos Cesario di Faria
Alvim.St. governador do estado de S. Paulo.
-Ruy
DECRETO N. 395 DS 12 DE MAIO D8 1890
Declara sem effeito o decreto n. 367 A de 30 de
Abril do corrente anno, aparte em que alterou
os arts. 9.' e 24.' dos estatuios do Banco Sul-
Americano de Pernambuco.
O mareehal Manoel Deodoro da Fonseca, chefe
do governo provisorio constituido pelo exercito
e armada em nome d nacao, attendendo ao que
Ihe requeren o Banco Sul-Amercano de Per-
namboco, por 8)us incorporadores, resolve de-
clarar sem effeito o decreto n. 367 A de 20 de
Abril prximo passado, na parta em que man-
dn modificar o art. 9. dos estatutos do mesmo
banco para que, no fim de cada trimestre, fosse
deduzdo dos lucros brutos 3 % para o fundo
de reserva; e soppnmir do art. 24 dos referi-
dos estatutos as seguintes palavras : poder
negocial-os antecipadamente, sempre que o en-
tender conveniente.
Sala das sessoea do governo previsorio dos
EUdos-Uoidos do Brazil, em 12 de Maio de
ttJnisterlo da lastlca
Es' nomeado chefe de polica do Rio irn-
de do Sul o bacbarel Antonio Antunes Ribas,
que deixa igual cargo no estado de Pernambuco,
senlo ahi substiiuido pelo bacbarel -rnesto
Aquino da Fonseca.
Foi removido, a pedido, o juiz de direito
Augusto Bo.borema, da comarca de Vitjia, do -'
entrancia, para a de Ponta de Pedras, de igual
entrancia, ambas no estajo do Para.
Foram nomeados : o bacharel Alfredo Ri
poso Barradas, para o lugar de juiz de direito
da comarc de Curuca, no estado do Para. Mean-
do sem effeito o decreto de 14 do corrente mez,
que o nomeou para a de Itacotira, no estado do
Amazonas; e o bacharel Joo Evangelista de
Souza Franco, pora o lugar de juiz de direito da
comarca de Muan, de 1* entrancia, no estado
do Para.
Foi declarado sem effeito o decreto ds 14
de Fevereiro ultimo que nomeou o bacharel
Tbeodoro Reicbert Jnior, para o lugar de juiz
de direito da comarca de Formosa, no estado
de Goyaz, visto nao baver acceitado a nomea-
co.
Foram nomeados :
Juiz de direito da comarca de Mau, de 1* en
trancia, no estado do Para, o bacbarel Joo
Evangelista de Souza Fran.-o ;
Juiz de direito da comarca de Carnea, de igual
entrancia, no mesmo estado, o bacharel Alfredo
Rapso Barradas, Hcanao sem effeito o decreto de
14 do corrente que o nomeou para a comarca de
Itacoatira. no estado do Amazonas ;
Juiz de direito da comarca de Paulo Alfonso,
de Igual entrancia, no estado das Alagoas, o ba
ebarel Eduardo Correia da Silva ;
Juiz de direito da comarca de Porto Nacional,
de igual entrancia, no estado de Goyaz, o hacha
re Manoel Tolentino de Albuquerque Montene-
gro;
Juiz de direito da comarca de A!to Solimes,
de 1' entrancia, no estado do Amazonas, o ba
charel Belarmino Pereira de Oliveira ;
Juiz de direito da comarca de Formosa, de
igual entrancia, no estado de Goyaz, o bacbarel
Gabriel Gomide, Meando sem effeito a sua ante-
rior oomeaco para a de Porto nacional, no mes
no estado.
Foram removidos :
O juiz de direito Manoel Jos Mendes Bastos,
da comarca de Gurupa, de 1* entrancia, para a
de Santarem, de 2' entrancia, no estado do
Para.
Por conveniencia do servico publico :
0 juiz de direito Antonio Augusto de Carva-
llio, da comarca do Triumpbo, de 1* entrancia,
no estado do Rio Grande do Sul, para a di Pao
dos Ferros, de igual entrancia, no do Rio Gran
de do Norte, flcando*em effeito o decreto que o
removeu para a comarca de Caogoaretama, no
mesmo estado.
O juiz de direito Luiz Duarte da Silva, da co
marca de Santarem, de 2* entrancia, no estado
do Para, para a de Itacoatira, de igual entran
ra, no do Amazonas.
O juiz de direito Felippe Honorato da Cunba
Menina, da comarca de Itacoatira, no estado
do Amazonas pare a da Viga, de 2' entrancia,
no do Para, Meando sem effeito o ddereto que o
removeu para a comarca do Alto Solimes, no
do Amazonas.
A pedido :
O juiz de direito Augusto Borborema, da co
marca da Viga, de 2' entrancia, para a de Pona
de Pedras, de igual entrancia, ambas no Estado
do Para
O juiz de direito Jo.; Manoel Pereira Cabral,
da comarca de Caconde, de 1 entrancia, no es-
tado de S. Paulo, para a de Lajub, de igual en-
trancia, no de Minas Geraes.
O juiz de direito Jos Sachado Ribeiro Lima,
desta para aquella comarca.
O juiz de direito Joaquim Cavalcante Ferreira
de Mello, da comarca de Pao dos Ferros para a
de Canguaretama, ambas de 1* entrancia, no es-
tado do Rio Grande do Norte.
Ministerio da Fazenda
Por decreto e titulos de 12 do corrente foram
nomeados:
AmazonasAlfandega-Foi nomeado ajudante
do inspector o Dr. Aprigio Martins Menezes.
SergipeAlfandega de AracajForam Ho-
rneadas Io escripturario o 2" da thesouraria de
fazenda Manoel Pereira de Oliveira Coelho, e 2"
escripturario Jos de Barros Paes de Almeida.
ThesourariaIo escripturario, o praticanteRi-
cardo Vivianos de Gouva.
E-pirito santo! Thesouraria Foi nomeado
praticante Jos Carlos da Silva Junio.-.
AlfandegaForam nomeados 1" escriptura
rios, o 2 da mesma alfandega Godofredo da
Silveira, e o 1* escripturario da alfandega da Pa-
rahvba bacharel Belmiro Milanez de Loyola.
2" escriturarios, os officiaes de descaga ex-
tinelos Francisco Arthur ae Azambuja Meirelles,
Ernestino Francisco do Nascimento, Antonio Ri- formidade
beiro Pacheco Jnior e Servulo Jacintho de Cam-
pos e o 3o da alfandega do Para, Ignacio Pinhei-
roTeixeira.
ParAlfandegaFoi aposentado, a seu ped
do, oofficial de descarga extincto DimasFrancis-
co de Oliveira.
Foram nomeados :
ConfeTent--, o inspector da alfandega de Santa
Catharina, Pedro Caetano Martins da Costa.
2" escriptararios, os 3o* Augusto Joaquim de
Carvalho Filhoe Joo Leandro da Costa Jnior,
e o 2o escripturario da alfandega de Manos, no
estado do Amazonas, Herminio Rodrigues de
L^ureiro Fraga. .
3" escriplunos, o praticante Hilario Pedro Gur-
jo e os officiaes de descarga extinctos Augusto
Hamos Proenca e Sizisnando Antonio Martins
Teixeira. ...
Praticantes, Alfredo Juliano Civalheiro de Ma-
cedo e Paulino Felippe de Placencia.
Cear-ThesourariaForam nomeados:
Coatador, o escripturario Francisco Fonte
nelle Bezerril.
1" escripturarios : os 2' Antonio Sergio de
Souza Fjrtes e Jos Apollonio Collares.
Alfandega-Foi nomeado ajudante do inspec
tor o coutador da thesouraria Celso Augusto de
Lima.
Rio Grande do NorteThesouraria-Foram na
meados:
2o escripturarios, Joo Olyaipio de Oliveira
Mendes. .
PraMcantes : Jos Antonio Viveiros e Raphael
Archanjo de Freitas.
AlfandegaForam nomeados:
1 escripturario : o 2o Bonifacio Francisco Pi
nheiro Ja Cmara.
2" escripturarios : Mathias Carlos de Vascon-
cellos Monteiro ; os praticantes da tbesourana
de fazenda, Manoel Ignacio Barbosa e Francisco
Xavier de Freitas ; e o cfficial de descarga ex-
tincto Jco Andr de Backer.
Piaohy-ThesourariaFoi nomeado praticante
Francisco Pinto de Mesquita.
Alfandega da Parahyua -1" escripturario o 2o
Antonio Augusto da Rocha Tote.
2-' eccriptararios: officiaes de descarga extinc-
tos Joo Bjptista Fereira de Vasconcellos, An-
tonio Galdino Saraiva Nicod e Jos Antonio de
Miranda.
Pernambuco -AlfandegaForam aposentados:
o Mel de armazem Joo Baptista Cesar e o oflicial
de descarga, ex'incto, Leoncio Godofredo^do
Nascimento Feitosa.
I0* escripiuranos, os 2M Manoel Riheiro de
Carvalho Jnior e Joaquim Elviro Pereira de
Magahies.
2-' escripturarios os 3o" bacbarel Manfredo Ba-
rata de Almeida, bacbarel Thomaz de Lemos
Duarte e Silverio Fernn les de Araujo Jorge
Filno : 3'* o praticante da recebedoria, extinc
lo, Leovigildo Samuel da Silva Costa e o da al-
fmdejaCvro PedrOsa.
Praticantes : Segio de Si LeUo, Augusto Zv
carias de Goes Telles, Pedro Tertuliano dos San-
tos Cordeiro e Arthur Martins Saldanhi.
Alagoas Alfandega de Macelo Foram no-
mendos ; Ajudante do inspector, o chefe de sec
cao da alfandega do Cear Vulpiano Cavalcante
de Arajo.
3o escripturario. o praticante da thescuraria
Ernesto Eduardo Costa Palmeira.
Praticantes: Maaoel Candido Rocha de Andra-
de Ftlho, O yinoio da Fonseca e Silva e Antonio
Aguiar Cascaes Telles.
3o' escripturarios : os officiaes de descarga,
ext-ncios, da do Penedo, Antonio Jeronymo Mar-
ques Filho e o do de Macei Cypriano Jos de
Barros.
Conferentes : os 3M escripturarios los Candi-
do Monteiro de Lima e Francisco Joaquim Tel-
les.
Alfandega de Penedo2 escripturario, o pra-
ticante da thesouraria da Baha Hercilio Augus-
to da Sitia.
ParabysaThesourariaFoi nomeado prati-
cant Arthur Carlos de G uva.
Alfandega 2" escripturarios 03 officiaes de
descarga extinctos Adolpho Pereira Bailar, Joo
de Bnto Lima e Moura e Joaquim Leobino Fmza
Lima.
MarantiaoAlandegaForam nomeados :
3 escripturario o praticante da thesouraria
Artbur Alvaro Ewerton.
Praticante Benevenulo Emiliano dos Res.
O Sr. ministro da fazenda dirigi, em 16 do
corrente, aos inspectores de thesouraric3, o se-
guinte aviso:
< Roy Barbosa, presidente do tribunal do Ihe
souro nacional, ordena aos Srs. inspectores das
hesouraria de fazenda que facam cessar anas al
fandegas sob sua jurisdieco a cobranca da taxa
da tarifa movel, sempre que o cambio estiver
abaixo de 2! i/2 dinheiro3 esterlinos por !*.
Ruy Barbosa .
As instruccoes que acompa.iharam o aviso
do ministerio da fazenda em relaco ao servico
de deposito de mercadorias em entrepostot p-
blicos e trapiches alfan legados, de que demos
noticia, sao as seguintes:
t' O dono ou consignatario de mercadorias
i'esti adas a deposito dever apresantar, junto
ao rejuerimento em que pedir licenca para de
posital-as, urna nota orgamsada de accordo com
o modelo A, onde fe achem descriptas, sem
ementas nem rasuras, na columna da entrada
com todas as declaracdes exigidas pelo regula
ment, as mercadorias que pretender depo-
sitar.
2* Esta nota dever ser acompanbada de urna
relaco das mesmas mercadorias em papel avul-
so, na qual estejara tambem discriminadas as
marcas, nmeros, especie e quantidade dos vo-
luntes, bem como a natureza das mercadorias
que elles contiverem, o njme do navio que as
transporlou e a data da entrada.
3' O mencionado requerimento e a nota e re-
laco annexos sero levados ao empregado do
manifest para verificar a concordancia das de-
claracoe9.de tees do;uraentos com o que se achar
manifestado.
4* Concedido pelo inspector o deposito, ser
aquella nota datada e assignada pelo dono ou
consignatario da mercadona, entregue na Ia sec
gao ao empregido encarregado desse servico, o
qual laucar no lugar competente o numero que
he tocar, segando a data do despacho da ins
pectoria, na escala dos depsitos para o trapiche
a que ella se referir, e depois de rubricada pe-
lo chefe da seceo servir de termo de deposito.
5* 0 mesmo empregado notar o numero des-
te termo Da relaco annexa, a qual ser tambem
rubricada pelo chefe da seceo e remettida em
seguida para o lugar do deposito, em substitu
cao da guia de que trata o art. 237, do regula-
mento de 19 de Selembro de 1860.
6* Os termes assim formulados substituirlo
para todos os effeitos legaes, os livros esoeciaes,
a que sa refere o art. 238 do mesmo regulamen-
to, para o que (carao sob a guarda da 1* seccSo,
e sero encadernados por exercicios ou semes-
tres, numerados e rubricados separadamente pa-
ra cada trapiche.
7* O dono ou consignatario de mercadorias
depositadas, que pretenaer despacha! as para
consumo, apresentar as notas devidamente or-
ganisadas no armazem de deposito para averbar
a descarga e entrada das mercadorias, levando
depois as mesmas notas 1* seceo para terem
a entrada no respectivo manifest.
8 Pbgo o despacho, e ap3 a averbaco de
sabida no manifest, ser apreseotado aoempre
gado, a cujo cargo estiverem aquelles termos,
juntamente com um bilhete organisado de con
com o modelo B, e no qnal a parte
dever mencionar as declararles do despacho
requeridas pelos dizeres do mesmo modelo.
9* O empregado encarregado dos termos de
deposito, depois de conferir o bilhete com o
despacho e de preencher as declaraces relati
vas ao termo de entrada, a que o mesmo bilhete
se refere, averbar no dito termo na columna
competente a sabida da mercadona depositada.
10* Este bilhete, que dever ser assignado pe-
lo referido empregado e rubricado pelo chefe
da secgo, servir de bilhete de sabida e sob
stituir a ordem mencionada no art. 250 lo re
gulamento das alfand gas.
Ao governador do estado das Alagoas diri-
gi o ministro da fazenda o seguinte aviso, com
data de 8 do corrente :
Declaro-vos, em resposta ao vosso oflbio de
23 de Marco ultimo :
i, que o governo nao ple nomear fiscal dos
emprestimos lavoura desse estado sem que na-
ja abi bancos a isso destinados ;
2, que nada ha a providenciar, por parte do
governo, acerca do capital a emprestar pelo Ban-
co do Brazil. po'qnanto semelbante capital j foi
Mxado em 400:000* pela clausula 7* do contrato
celebrado entre o governo e o dito banco em 9
de Outubro de 1888;
3, que nesta data 83 officia ao Banco do Bra
zil, a respeito da capitalisaco por trimestrd ci
vil e da exigencia de contratos de penhor agri
cola por meio de escriptura publica ;
Respondidos assim os pontos capitaes da-
quelle voso officio, communico-vos que o servi
co de emprestimo lavoura passar a ser feito
em breve prazo, pelo novo banco emissor da zo
na desse estado, cuja fundac/o acaba de realizar-
se. Ruy Barbosa .
V regimentA tenente coronel graduado, o
major Luiz Gomes Caldeira de Andrade.
5 regiment-A major, o capito Octaviano
Augusto Monteiro da Fonseca. por antiguidade;
a capies, os 1" tenentes Adolpho Augusto de
Oliveira Galvao, para a 2* batera; Godofredo de
Mello Brretto, para a terceira; e Antonio Pereira
de Albuquerque e Souza, para a quarta.
2' batalbo -A coronel-commandante, o len-
te coronel Marciano Augusto Botelb) de Maga-
Ihes, por merecimento; a capito, o Io tenente
Jos Goncalves de Almeida, para ajudante.
4" batalboA capies, os i0' tenentes Aristi-
des de Oliveira Goulart, para a 2* batel
Mircal Figueira, para a quarta.
Quadro extranumerarioA capito, o i len-
te Augusto Cincinato de Araujo.
Foi promovido a capito o i teaente de ar-
timaa Jos Bevilacqua, para o 5' batalMo da
mesma arma.
Foi declarado sem effeito o decreto que pro-
moveu ao posto de alferes o particular 2o sargen
to Antonio Francisco Bederodes de Andrade, por
estar submettido a conseibo de guerra quando
foi promovido.
-- Foi transferido para o quadro .extranume-
rario, de conformidade com o art. 28 do regula-
mento que baixou com o decreto n. 330 de 12 de
Abril nltimo. o tenente do 18a batalho de infan-
tara Adolpho de Albuquerque Bello
Foi promovido a general de divlsao gra-
duado o general de brigada Izidoro Fernandes
de Oliveira.
Foram transferidos para o estado-maior o
tenente coronel commandante do 1 regiment
de artilharia Luiz Felippe de Souza Reg e o ma-
jor do 5> regiment Joo Carlos Marques lenri-
ques ; para o 5 regiment o capito do 2 Co-
riolano de Carvalho e Souza, para oquadro extra
numerario, o capito do 5o regiment Jos de
Souza Braga e o Io tenente do 1" batalho Jos
Floreado de Carvalho.
Arma de cavallariaPara o 4 regiment o ca-
pito do 9' Antonio Carlos Fernandes Leo para
o 2o esquadro, p. ra o 8o regiment o capito do
7o Flonano de Castro Lavor, para ajudante, para
o 9 regiment o capilo do 8' Antonio Facundo
de Castro Menezes, para o 4 esquadro.
Governo do Estado de Perm
bneo
EM ADDITAMENTO AOS DESPACHOS DO DIA
30 DE ABEIL DE 1890
B icharel Alfonso de Albuquerque Mello.
Prejudicado.
Capito Francisco Pereira do Lago.
O peticionario foi prvido por acto de 20
do corrente.
Jos Alvos Pereira Lima. Prejudi-
cado
IDEM JE 6 DE MAIO
Abaixo assignados, moradores no po-
voado de Nosaa Son hora do O' de Maran-
guape.Informe o Inspector do Theaouro
quaes os vencimentos que percebe a pro-
fessora da cadeira de Nossa Senbora do O'
de Maranguape, transferida- para os Re-
medios, na freguezia de Afogados por
acto de 16 de Julho do anno passado.
17
Pedro Pereira de Souz Lemos.Infor-
me o Inspector Geral da InstruccSo Pu
bhca.
- 22
Manoel da Paixao Ramos. O peticio-
nario, tendo pordido a patente de tenente
da guarda nacional, nao pode obter o que
requer.
Ministerio da Agricultura
Fizeramse as seguintes alteracOes no pes
soal da estrada de ferro de Baturit, por proposta
do direelor engenheiro chefe :
Promovido o engenheiro Antonio Theodorico
da Costa Filho, do lagar de ajudante de 1.* ckssa
para o do engenheiro residente;
Exonerado o cidado Antonio Cyrillo Freir,
do lugar de contador;
Promovido o cidado Joo Severiano Ribeiro,
do lugar de guarda-livros para o de coatador;
Nomeado o cidado Guilberme Perdigo para o
lugar de guarda-livros.
Hl ais te rio da H arlaba
Foram transferidos para o quadro da reserva
da armada, por terem opiado pelos lagares de
professores do collegio militar, o capitao-nenente
Alfredo \ugusto de Lima e os 1.* tenentes The
mistocies X'.'gaf-ira Savio e Joo Maximiliano Al-
gernon Sidney Schifiir.
O Sr. ministro da marinha dirigi aos ca-
pies dos portos a seguinte circular:
Ministerio dos negocios da marinha3.* sec-
goJircular- X. 1.209 s capitanas dos portos
dos Estados da Repblica, onde ha praticagem -
Ri) de Janeiro, 15 de Maio de 1890.
Cunpre que sobre as bases do regulamento
annexo ao decreto n. 79 de 23 da Dezembro do
anno passado, organiseis o regulamento attinente
ao servico da praticagem ahi, tendo em muita
attengo as conveniencias da localidade e o mo
vimento d'esse porto.
Concluindo esse trabalho, em que embrega-
reis o maior cuidado, para que seja na pratica
proveitoso aos navios que procurara e friquen
tam a barra e porto d'esse Estado, o remetiereis
a esta secretaria, afim de ser approvado depois
de examinado.
Sdde e fraternidade.Eduardo Wanien-
kolk.
ministerio da Guerra
Foram promovidos na arma de artilharia :
Estado maiorA lente coronel, o teaente
coeonel graduado Antonio Fraucisco Doarte, por
antiguidade; a major graduado, o capito Joo
Leocadio Pereira de Mello.
i greimentoA tenente coronel commandante
o major Antonio Fernandes Barbosa, por mere
cimento ; a major, o capito Bello Augusto Bran-
dio, por merecimento.
2 regiment A capito, o 1* tenente Joto Ha-
noel de Bruce Jnior, para ajudante.
3 regimentA capito, o i' tenente Joaquim
Balthazar de Abreu Sodr, para a 3a balera.
DESPACHODOS DO DIA 24 DE MAIO
DE 1890
Abaixo assignados, commerciantes esta-
belecidos na povoacSo de Cha de Alegra.
Deferido, com officio de hoje Intenden-
cia Municipal da Gloria de Groyt.
Abaixo assignados, machnistas devda-
me te habilitados. Os peticionarios j
foram attendidos com o officio dirigido em
13 do corrente Capitana do Porto.
Antonio Jos Bruno.Informe o Inspe-
ctor do Thesouro do Estado.
Antonio Augusto de Oliveira. Entre-
guem-se somonte os documentos, mediante
recibo.
Arcclino de Hollanda Chacn. Ne-
nhuma razo de utilidade publica justifica
a alteracSo da portara do governs deste
Estado de 26 de Dezembro do anno pas-
sado, e por isso indefiro o presente reque-
rimento.
Antonio do Carmo Almeida. Informe
a Intendencia Municipal do Recife.
Antonio Pereira de Oliveira Coelho.
Informe o Inspector Geral da Instrucco
Publica.
A. M. Veras & C.Prejudicado, vista
do acto de 22 do corrente.
Bacharel Antonio de S Cavalcapte de
Albuquerque.Concedo os 60 das de
licenca, seado 53 com o respectivo orde-
nado e 7 sem vencimento algui. '
Tenente Bartholomeu Geminiano de
Anchieta e Silva.Informe o Inspector
Geral da Instrucco Publica.
Bellarmino Fernandes da Cunha Almei-
da.Ao commandante do corpo de polica
para attender.
Companhia Pernambucana. Certifi-
que se.
Charles Bosier. -Indeferdo, em visto
das informales.
O mesmo.Prejudicado, em vista do
despacho desta data.
Delmiro Sergio de Farias.Aguarde
reforma.
Enedina Floresta dos Santos CorJeiro.
Informe o director da Colonia Isabel.
Bacharel Fausto Cavalcante de Albu-
querque G delha.Sm.
Dr. Francisco de Paula Soares. Nesta
dato me dirijo ao ministerio do interiora
respeito da reclamac&o do peticionario.
Francisco Zeterino do Nascimento.
Iaform? o cicLdao Inspector Espacial de
trras e coloniBaoo.
Francisca Delfina de Salles. Requeira
ao director do Arsenal de Guerra, n
forma do art. 168 do regulamento de 18
de Outubro de 1872.
Francisco Beltrio Gomes Silverio.lar


1 *
-1
:'



4




Diario de Peroambuco-TerQa-feira 27 de Maio de 1S90
forme o Dr. jai de direito do 2* districto
criminal d comarco do Recife.
Francisco de Hollando Cavalcante de
Albuquerqee.Informe o orAaiao director
-feral das Obras Publioas.
Francolina de flousa Areoje-"Informe
a Intendencia Municipal do Recife.
Generosa Ramos Fernandos de Carva-
llo. Entregue-eey mediante recibo.
Jos Joaquisr d Soasa Marinho In-
fcrme o cidadao inspector especial de tr-
ras e colonisacSo.
Joaquim Francisco de Mello Santos.
Jaemettido ao director da secretaria da ex-
Anota Asseaibla Provincial para entregar,
mediante recibo.
Jos Adolpho Rodrigaes Lima.Infor
me com urgencia o inspector da Tbesoura
na de Fasenda, ouvindo o da Alfandega.
Miguel Ferreira do Mente.Informe o
i dad Jo inspector especial de torras e co-
lonuacao.
Manoel CaeUno Xavier.Informe o ci-
dadao inspector especial de torras e col-
sacio.
Prudencia" da Silveira Quintarles.In-
forme o director da Colonia Isabel.
Henrique de Siqueira Figueiredo. Di-
rija se Intendencia Municipal do Recite,
a quem competo tomar conh.cimento da
reclamacao do peticionario.
Abaixo assignados, foreiros do patrimo-
io da villa de S. Beato.-Deferido, por
efficio de hoje Intendencia Municipal da
Tictoria.
Cumpanhia jPernambucanaInforme o
v inspector do Tnesouro do Estado.
Joao Galdino Moreira.Informe o Dr
. wia de direito da comarca de S. Lourenco
- da Matta.
Secretaria do Ooverno do Estado de Per-
aambuco, 26 de Maio de 1890.
O portoiro,
H. M. da Suva.
Repartff 3o e Felicia
2.* seceao.N. 115.Secretaria de Po-
-, Ucia do Estado de Pernambuco, 26 de
I Maio de 189J.
ti Foram tnle-bootem e hontem recomidos
. tosa de Deteoco os individuos de nomes Jos
y Francisco dos Santos, Antonio Manoel de Jesas,
Jos Francisco do Carme, Jos Antonio dos San-
ji toa, Gaidino Lias do Espirito Santo, Mara da
Conceico, Maria Josepba da Aaounciacao, Vir
> finia Mara da Concetcio, Jas Fraaceliao da
Silva, Maria da Conceico, Joao de tal. Manoel
Antonio de Almeida, Maooel Vicente da Silva
Irancisco Ferreira de Soasa, Antonio Ribe.ro
Severiano, Antonio Gongalves Magdalena, Urba
ao Jos de Saot'AaQa. Francisco Antonio da Sil
a, Antonio Cirios de Lima, .uiza Agostaba
Paula da Costa, Jos Joaquim Beserra, Vicente
ferreira de Mendonca. Manoel Clemeatino Al
tes. Fran trico Jos da Silva, Francisco Ferreira
de Lima, Jos alaquias Cmaro, Jo Fraucis
st> do Nascimeato e Ismael Rodrigues de Al-
eida. .
Com destino ao Asylo da Tdinarineira foram
i. tambem recomidos os alienados Ernesto Po de
ello Liu8, Luu Mjreira Res e"Jj: Alvej da
tosa Das. ,
Comraunica o delegado do dHtricto de La
ahottnbo correte, por occa
cio de se reunir no qaartel do destacamento
ama forca de paisaaos,-que traba de sabir eni
perseguico de criminosos, acooteceu canir urna
listla que seachava na dotado paisano Alto
alo Jos, a anal dispa-aade ompregaram -e os
irojeotis em Fraucisco Antonio do Nascimeato e
.. .Jsatooio Velloso, que azarara lev-\n :nle feridos.
O delegado p.-ocedeu a tal respeito na forma
' le-
i Pelo subdelegado do distrtcto de sen-
i aaae.n, foi cemettido ao juiso. Competente o in
-.querito policial a que procedou cooina Manoel
Fraacisco do Nascimento, eonhecido por Pe^o
legra, como incurso as penas do art. 237 da
cdigo criminal.
Na madrugada, de boje pen^traram os la
. dnoes, por meio de arromoam :to. ua^easa de
, Jlerencuna de SBrrelo, sita no lugar Alto d-
Torre, e roubaram diversos objeetos de loucu e
rata que enconlraram uo quarto que serve de
dispensa,
. O subdelegado respectivo tora ;u conheciraeo-
to do (acto e abri o competente inqoerito.
O chafe do poheia interino,
Francisco Xavier Qmdet Pereira.
Th
OHPACHOS
da
fa-
lto Estado de
iftsfnnrrr
DO iMA>26 D 18 90
Mara -Ignacio de Jes os e Manoel
Costo. Pereira Filho.Registre se e
fcf ftm^e as devidas notos.
Rodrigo Oarvalho da Citaba e Adolpln
Firmo-de Olivera. Iefonne o Dr. con-
tador.
Geni rosa Hereolraa da Burros Correia.
Pague-se.
Anna Senhorinha de Franca.A' Rece
bedona para iaformar, com urgencia.
/, Manoel Tavares das Chag.s. A' sec-
. co d> Contencioso p^ra cimprira cUspa-
i -abo da justa.
Recebedoria d Estado de ler
UE8PACir08 DO DA 26 D MAIO DB
1890
<" Mell Correia. ^fildofeHdo, em vista
das informaeSes.
'Leal IrsaSo e Francisco1 Fabo do
Monte.Infrmela 1.* 8eoc>o.
Luis Lopes1-Ferrara.-*A' 1.*'seceso
para os fina devidoa.
do comboio que levara o Dr. Cavalcante, foi ne
cessario dar ingresso grande massa de povo,
que se afitava nos snvdores da estacae, ts va-
rias commissoes e aos representantes s-wver-
sas soci Oade8.
IMBosMsde da ctsttat tia-se digoarat* re-
prt'SMHaoa, e do alte MMStaoM tremalavam en
faoadas, oomo um stmboto d*>pai, a# bandeiras
cblle:ia efcrax leira.
A' 1 i/toora da tarde, guando ebegou oeom
bom, quscooduiia o Dr. CaTalcante, prorompe-
ram eslrondosos e repelidos vivas, eojos eebos
por ana ves provoca vara gaccesslvss occlsma-
coes.
Numerosos grupos de cavaloetros adiantiram-
se para saudar o nosso ministro, emquaoio as
bao las de msica executavam o bymuo naci
si.
O nosso representante seguio depois para o
salo de honra, e ahi rebentaram de novo o*
apulausose asacdamacOes da multid&o.
Foi saudado com as phrases mais amistosas
por Hen ique Gallo, em nome da mocidade, e
pelo representante da clssse operara de Santia-
go, os quaes Ibe lestemuauaram os vivos sent
mentos de .estima com que todos alli presen es
considerara Os seui irmaos do Brazil.
O Dr. Cavalcante, commovido por essa explo-
so de seuti neatos tao espontneos, saudou a
uaco chilena, e, quando subi para o carro, o
povo em massa pedio Ibe que permittisse des-
atrelar os cavallos do carro para poxal o mao.
Poi forcoso acceder, e aquella compacia multi
dio tomou a Avenida das Delicias, prorompendo
a cada passo em accIamacOes.
Na ra Caacabuoo dirigi Ihe s palavra o mi
nistro Bruno Larrain.
O nosso representante, viJtonado durante todo
o trajrcto, recolheu-Si ao hotel Oddo, sendo ahi
vivamente accUmado pela multido, que ainia
o sau lara da maneira mais sigaiftcativa.
Poucos dias depois foi olTerecido um especia
culo de gala oo Theatro Municipal, recitando se
discursos, poesas, etc.
No dia 18 de Abril, com as formalidades do
estylo e com apparatosa recepcao, fui'deposta
pelo Dr. Barros Cavalcaati em maos do presiden-
te da Repblica a credencial que o acredita no
carcter de enviado extraordinario e ministro
plenipotenciario do Brazil no Chile.
O Sr. presidente da Chile, respoodenJo ac
discurso do nosso ministro, disse que esperava
que o suitimento de viva affelco. que vai tor-
nando cada ves mais estreias as rc.acoes das
duas naces, se mantera ioalteravel entre po
vos qoc commungam urna amizade sincera e
verdadeira.
Ao retirar-se, o nosso representante fo: tocia
mado pelos numerosos circumstanles, ouvindo
se repetidos vivas ao Brasil.
O Sr. Dr. Barros Cavalcanli tem siJo acomido
com as mais i-xpressivas maaifestac6es de ami
zade para com o nosso pas.
Foi-lhe offerecido, oo dia 27 do m-iz passado.
um suraptuoso banquete na casa particular do
imnislro Mackeuoa, ao qual estiveram presentes
o corpo diplomtico, os ministros de estado e
ootras pessoas da mais elevada oierarchia so
cial.
Poucos dias depois La Uutim pablicava o se-
guinte artigo a respeito de um* secreta allianca
offensiva e defensiva, que se dizia ter sido cele-
brada eotre o Brazil, a Repblica Argentina e o
Pern:
Foi boatera tiieina de todas as converjas a
noticia de um pacto secreto, celebrado entre o
Brazil, a Repblica Argentina e o Per.
Essa noticia, como era de esperar, produ
zia a sensago e a sorpreza, que sempre dis
,erta a suspeita de traico do amigo mais estre
mecido.
Ninguem, comtudo, pdde" dar intair> crdito
ao que se assevera e oo para o^oracao chile
oo considerar como inimiga a uaco brizileira ;
es fra da ordem natural das coasas admlu.r
se essa brusca e p .enomeaal transformacao que
se anuuocia entre os dous povos.
Nao obstante, todo isso se impfte iiiaosente
nos-a consiseravao, e preocospum aos os gra
visiraos rumores que circulara, ha dias, cora vi
sos de verdade..........-
tos, somatas gastas em Has estranhos i erapre- grandeoimento da patria, animada peloca do corpo policial do Rio de Janeiro,
atfs^j^lSiiluff de conoilicio fraternidadeque,|que para alli^inia seguido sob ocomman
dWtoiJtsOWinsilllMise's^lS ist08"'"grav.da-' d>'-Bituacao prestmte, a nica norm do do cpitle Firmo, para reforcar o des
k# unotoga. d%na de conducto de todos os braxiielros.; tacamento dosse lugar.
< As palavras do eminente
-flaiwOj***poslB*no siMbario Mctorque
levatars Se aecusacoes, sccretarifl*A> costos, jl^^ tnSZ B
dor,'diversos chefes'dasofficinas.^asorlenanT *
cas ao seroso do k-direetor oas oa tres car- airpeio multido, que ievantou os mais
reosoOies*jMe, otata-se.'haviaw cosdmido mo- *---
voti e objiltos da estacao pjra a casVparticu
lf do accotodo.
Ettre os-'tfsdos forneidos )ela conlardoria, fi-
gura urna verba de 25,000 pesos empreados em
ao illostre yencedor de
o maaiftstantefl a entrar
rio-gran-, O -Conflicto foi provocsdo por grande
applaudi numero de libertos que, entrando no dia
13 do corrente no arraial preparado para
as festos, aggrediram pessoas do lugar e
destruiram todos os ornatos. O povo reu-
ni se, armou se e reagio contra os ag
EXTERIOR
Pelo
, tieiss
AMERICA DO SUL
paquete Tomar tivemos as seguales no
Batas al ti de Abril.
., ,. as etoas da,Ctols din nonato 4s racapcao ex
oepcional leu i Dr. Barros Cstalraute por oc
.sssiao desua ebegeds. :
Im, qMsesSbsJbMHnsansgoamotKiada
tdiToo nosso represntenlo* s .populacio inteira
. da. caoital, leuda pon essa irresisrel corrente
de BTmpalhi* que Ugoo oMgtt pm sempse,
om tacos iodestructiveis,as duas naciestangos,
viomouse ds sai moseriplsveiostBostoso para
.oa-sigBiear s os>issssiros^Mossoa do
amo rmressotale. osmo maso sincero, des-
ida de vistosos elslsos srtUktosi lottopendea
te .das latervenco wojiaude, ooMBailllsiiMiisii; las-anos. une
vSOao ooom do Brasil, dis orna das Jomas do
capital, tesaos visto setassoopMStit tomar se
At i*> lodtonal eatoontosto.r0irssosde oe de.
"OjissiUI i.....ii|iMhjUI silsstHiiy
tono aquellas
3
Sabemos de foate autorisada que o goveruo
den ordeos pelo telegrapbo an mioutro chileno
em Fraaa para que apressasse a coasiroccao dos
quatro crssa-lores que ahi se estao preparando
para a nossa armada.
Ignoramos se essa o'dem lera algaras rea
cao com o pacto em qoestao.
Suppoado-se que o pacto ja esteja Armado
pelos representantes das tres potencias, falta-
Ihe otretanto a sua ratiricacao pelas respectivas
cmaras, e pae se esperar, com fandameato.
que o Coogresso Brazileiro, cuja fot ser a ex
presso eouioa des sentimeotos de ura povo
que sempre se raostrou nosso amigo tao sincero,
nao prestar o seo apoio a esse pacto.
O Diario Oficial, de Santiago, desmeollo, no
dia M de Abril, esses boatosScom orna declara-
cio do Ministerio das helacoas Exteriores, e a
esse respeito El Ferrocarril pubtico no dia im-
mediato as seguintes observarles:
A declarado chga em occaBiSo propria.
Os remores e coojecturas de perturbsco que se
vinhara propalando, exgiam nm esclari^iraeiit
official urna-declaracao autorisada do govern-;
que desvanecerse alarmas infnndados e tnqaali-
ricaveis sobre o estado daVnossas relacoes nter
controentaes.
A oiogoera se pode occultar os inconve-
Dientes-de semeHtante propa>rpnds e a deplora
vel inflsencta que pode exercer sobre o espirito
publico a apreciaco falsa dos successos Interna
cionaes.
Nocas, o especial que nos oceupamos, era
ainda mus Imperioso ease esciareciraento offi
cial, desde qae se tratava de rumores qoe po
diam perturbar a corrente- de mutua sympathia
que sempre corren raalteravel no passado tradi
cional do Brazil e do Chile.
t Para ninguim segredo a cordial harmona
qae encontr/u Uo fundas e espontaaoas raizo;
uo sealimeoto popular das duas nac6es, e que se
traduzio em maorfestacoes inequvocas do maia
cariohoso apreco.
Nae possivel olvidar que esses vnculos
de uniao se formaran, nao por meio de comb
nacoes diplomticas, mas pela tendencia hatural
e epjntaaea dos sentlmentes popalares, por essa
eslima demaco para nacao. que germittou por
si mesraa e foi Qelmente interpretada Ipela atti-
tude reciproca dos seos governos era todas as
pocas da historia.
TJo lisoogeira sitoacao creada a' pelas coa
dicOes da posicSo geegraphica, ma no Alian
tico e ouira no Pacitko, nunca teve nuveas de
divergencia territorial oo de outro genero, como
as legadas, aiada qae pacificamente resolvidas,
pela fatal coaftso d lmites "era" repblicas
formadas no vasto e antigo dominio bespa
nhol.
E' essa ama circametancia to feliz como
excepcional, que convrn ser perpetuada para o
interesse reciproco dft ambas as nacoes.
DevemM faz-;r votos para que "essa sitoacao
se maoteoba inalteravet d fellcilaf nos por se te
renr^desvauecido os tnfandados rumores de per
turijacao que se vinham propilan.'o. Este es
clareciraento tanto mais importante, quando
89 acab de verificar dula transfornvicao radical
na^insriroijflesie-no pdSBoal dtflgovernd Rra
sil.
.Uae/maisi'do que nunca, son vm qoe o es
pirita publico esteja conveoieotemeote esclare
rio pararqoeo bomogenetdade poltica 'da Ame
rica, completada com o advento- da hova Repu
biiea do Brasil, ganbe Hrinesa e se fortifique
osero espirito de coafratanudade que convrn
tos-iateresses otmmeus.
-O Jornal do Commerzio do Rio de Janeiro
pblicos este tnlogramma :
Heiporauo, 17 de Maio
Acna-se gravemente doentc de ema poeomo
oia diDr. fiaasJeaote de Lacerda, ieiMro brasj
Mo.
la Prosa
charutos comidas, carros e outros gastos anlo-
gos no anno de 1889.
O sumraano eslava sendo feito em segredo, de
sorle que nao se poda anda connecer a concia-
&o final.
A alfandega da Concordia deteve cinco caixOes
de cartuchos com baLs explosivas e que tinham
sido despachados em Montevideo como ferra
gem.
Julgou se que segaiam para o Paraguay, na-
turalmente como maaicoes bellicas dos revolu-
cionarios.
Affirraava se com certa insistencia que o mi-
nistro da fazenda estava resolvido a cobrar os
direilos aduaneiros em ouro, provavelmeote obe-
deceodo s observacOes dos economistas Leroy
Beauleu e Courcelle Seneuil.
O projecto deve ser submettido a urna da- prl-
metras se sOes do congresso.
Da mensagem do presidente da Repobca
Argentina ao congresso, extractamos estes tre
cos:
Relacoes exterioresCom o Om de entrar em
urna transaeco decisiva sobre o territorio liti-
gioso das Mis.-oes, ajustn se com o goveroo
do Brasil a coovencao de arbitramento de 7 de
Selembra anterior, para o caso de nao ser pos-
sivel chegir a una Uansaccao directa.
Haam se dalo os primelros passos neste
senado, quaudo se operou a revoluco demo-
crtica qae transformou d improviso a forma
monarcoica do imperio pela repblica represen-
lative.
O goveroo provisorio dos Estados Unidos
do Brasil aceitoa sem restriccoes os compromis
sos taiernacionaes do goveroo imperial.
Sob tao favoraveis au*picioj, a oeOiiacSo
chegou ao seo termo, rmando-se em 25 de Ja-
neiro ultimo era Monievideo, o tratado detaitivo
de limites da mais antiga das uossas qaestes
teiritoriaes.
Era virtude de to importate ecootecimen-
to, o ministro das relacOes exteriores do Brasil,
Dr. Quioliuo Bocayuva, veio capital Uruguaya,
a dedois de firmar o tratado, visitou a nossa
repblica, de onde, estou certo, levou a mais
gratas impressOes por ter contemplado a reali
dade os uass a progressos e a grandeza do
nosso porvir, como naco.
Opporiunameate ser enviada cora a meo 1
sagem do estylo a transacc&o de limites celebra
da, a qual poz lermo as nossas Jiscusses com
a Repuqlica do Brasil. >
ImmigracoAs entradas geraer, segundo a
reparticio de immigracio, attiogiram em 1889 a
239,01 i mmigranles, dos quaes 100,48 vieram
com passa^em subsidiada e 188,7t6 por cuota
propria.
CommercioSao estes os valores represea
tat vos da imporlaco e exportagao, no aooo de
1889:
Iraporugao 173.993.187 posos.
Expo'taco 131.027,814 pesos.
Receita e despezaAa rendas gerae3 da na-
, o. calcula las para o ano j de 1889 em.......
6o.24,0O0 pesos, uroduzrara elfeclivaraente...
71,849,989. >
As despezas oreadas em 61,761,428, ficaram
redsztdas a 30,687,344 pesos, somraa em qu
addiciouada a de crditos especiaes, deU o re
sultado total de 93,900,933 pesos.
Divida publica0 estado actual da divida
publica a seguinte :
D.nda d' 6 ;. em circulaeo aa Europa
i 1,703,016 ouro.
DiviadeSy cta circula$o,-na Europa
i 60.994.962 dem.
D:vida de 4 l|20|o em circularle, na Europa
i 45,899,784 dem.
ruidosos vivas
AMidaban.
^Convidados
as salas do Sr. general Pacheco, foram 'gressores acudindo a forea policial que na
levantadas pelos r-.dmiralores do Sr. Vis-'. da pdde fazer por ser em numero dimi-
conde de Pelotas outras eothusiasticas sau-' uta.
day3es, a que S. Exc. se mostrou profun-! < Quando chegon a forca, o que se deu
da e sinceramente recouhecido. i no mesmo dia, j estava terminado o
Pouco depois das 8 horas da noite, o: conflicto, estovam presos 17 dos aggres-
capi-
14 e
Sr. Viseen :e de Pelotas, acompanhado dos
manifestautes, da ofScialidade da guarni(3o
e da immensa multido, dirio-se paaa o
Theatro Sete de Se em jro, cuja porta se
dissolveu o prestito.
< S. Exc. assistio apenas primeira
parte do concert, e depois, acompanhado
pelo Sr. general Pacheco, por outros com
panheiros de armas a distinctos cavalhei-
ros, diiigiose para bordo do paquate
Aymor, no qual seguio hoje para a
tal do estado. >
O nresmo jornal em data de
sob a epigraph
guate :
c Desde hoje pela manha, corriam na
cidade boatos de acootecimentos graves
occorridos houtem na capital do estado.
< Nao tendo recebido nenhuma commu-
nicacao do nosso correspondente, procura
mos obter informaeSes, e conseguimos ave
riguar que, na realidade, hoatem teve lu
gar em Porto Alegre urna grande manife3
tac&o contraria ao vice-goveriiador, a qual
deu lugar a um conflicto, logo felizmente
reprimido, e motivou a deposicao do mes-
mo vice-goveruador, assumindo o Sr. ge
neral Carlos Machado de Bittencourt o
gorerno do estado.
Sobre os successoa os nicos pormeno
res, que podemos colher, sao os seguintes
transmittidss cm tolegramma a um cava-
lheiro desta cidade:
t Hontem foram feridos gravea eate Dr.
i'assal e mais quatro pessoas.
Deposi Tavares, pioclamado governa-
dor general Bittencomt. Presos tenente
coronel Alves Leite Salgado, Cunha M^t-
toB e Leonel, paisanos Noborto Vaacon-
cellos e Henrique Hasslocker.
Tudo pacifico. Povo, exercito e ar
mada unidos.
t O Sr. '-general commandante desta
guarnicao recebeu do Sr. general Bitten
court o telegramma que abaixo inserimos
e que S. Exe. teve a bondade de nos au-
tor8r a publicar:
c Ao general Rocha Otario, comman-
dkMte da guarniq&o.Rio Grande
Por motivos superiores manter or
dem publica evitar effusao de sangue foi
deposto vice-governador Tavares assumin-
do eu governo estado at chegada gene-
ral Candido Costa.
Ordem garantida populacho satisfeita.
Continuo com camarad-s prestar inteira
obediencia governo provisorio o nosso obe-
ivida de 312|8 emeireulaco, na Europa-fe Deodoro com quem Sempre somos
13,270 622 idem.
Divida d3*|. era circucao, i Mfzroia
4 414,792 idem.
Total i 122 ^,176 idem.
Divida de 3"o em papel em. ctfculico do
pas, 1 153,197 va/a.
A cooiiaissao nomeada pelo pjdor exeeulivo
para reguUment. r as operaces da Bolsa, linha
terminado o projecto do regulameoto.
Constava em Monievideo. as rodas mili
tares que o general Salvador Tajes renunciara
o cargo de chele da fronteira sul da repblica,
com que ltimamente fra agraciado pelo go
verao. .
No anno transacto a importafiao da Repblica
Oriental exceden aexparucao em mais de.....
12,000,000 de pesos.
No Rio de J ueiro foram publicados os se-
guintes tete*; aminas:
Buenos Ayres, 13 de Maio
0 Diario continua os seus arligos violentos
contra as autoridades da* fronteira do Rio Gran
de do Sul cuegaudo a tratar os juises de pre-
varicadores.
O governo apreseitou um projecto de lei a
cmara dos deoutados para cobraren os direi
tos da alfandega metade em papel, metade em
ouro.
16 de Maio
tiouve iNOri o? da Unio Cvica em La Plata.
Deu-se um duello a pistola entre Valentim,
redactor da ytr.a iUOmm, e Magrini, director
do jornal Aoai; o priaeiro coa ferido grave-
mente. *"
Buenos- Ayres, 19 de Maio
A cmara dos deputados adoptou. o projecto
apresenlado pelo governo para que d03 direilos
da alaudega sejara combradoj 50 "( em osro.
Montevideo, 19 de Maio
O eucouragauo brasileiro Bahta sabio hoje
para o Rio de Janeiro
Os banqueiros Babriog prepoem se a fazer
um em presumo de nove milhes de pesos.
INTERIOR

estavam litteralmeote
MSMfitos antes da cbagada
Datas at 14 de Maio.
Tinham causado grande impresas j em Boe-
nos Afrs &em La Plata ss graveo destmeias
CsrSMrtadas peto director <*> prtofeiro' defsrta-
sfitoito-NlBrferreas da' provincia,' Aadlpho
dMco, contra ff^x^direOtor^ftistor TaOa^^
Essas aecusacoes \W, #>UMls,- SorrOOoradas
oortunin uriwwrtfrfByiOisa, otrlit qtiaei
tfacmn 9 o Dia
O gomukd&f oott wrpodto om Iusmo-bq
meando director gera d '-|ls#-Woi#dd^ro
nJHS*osd1beg,^oe d%n tosoi compd
tioie Itsotsusiot habitantes
repcosstaule do Brazil.
'OOtSo-s sr ssttao-c.n^
' troordwosii U ponea
i ctaioa. do paso),
dtffetoaus.p.010 lYm i 7ipi01 iiiVWiirr itmmiT-------^ mml**** souo sorvleos e nio- Mondo
^eto desojo de tornasjnai-, *m*n*wj>tllo*aniodi iWrtWtt res- iatatow s sua*mbiytL do descansar das
~1ftm^mditmr\o. ijj- nubEcos/contihuara a trtboinar Dar
Os tpicos eseitoes das aecusacoes dirigidas uatw P?. j j T. fcr""B,a*r P
coaira o ex director sao: votacao dos orcamen consoudaclo da ttopubca e por o en-
NOltTE iJ'lHtAZIL
O paquete Turnar, antehontom chegado
do su!, troux as seguintes noticias:
Botado do Silo Crsnde do al
Datas at 15 de Maio:
Na noite de 11 reezou-se na cidade do
Rio Grande a nanifeetacSo promovida em
honra do'Sr. Visconde de Pelotas.
O ^Irtisfa de 12, deaci-ev-o-nesteo ter-
mos :
Os manifestantes reunirant-se na praca
Municipal, e s 7 horas da noite o presti-
to, precedido das bandas do 3." de arti-
lharia e 12. de intentara e lu de ro-
gos de bengala, dingio-se a residencio do
Sr. geteeral Pocneco.
A multidlo que acompanhou os ma-
nifestantes e se apinhou n'aquelle looaJ, foi
extraordinariamente ndmorosa.
t A' chegada do prestito popular e ao
asomar a unta dos jaoeUaa o Sr. Tisoonde
de Pelotas, saudando a 8. Sao- jjoooon-
etoo ama brsve e expresoiva ertoofc> o
rllostre advogdo desta foro Sr: Cembeim
Filho, o qual dec'arou que a manifestacao
nao era dirigida ao homem poltico, mas
ao militar glorioso, que ennobrecia o pa-
tria 0 ao cidadio abnegado, cajo civismo
amo garanta da pas e da ordem.
Agradecendo-a hemenagem popatar,
o Sr. Viscodd de Pelotas leclarbu, que
tendo prestado o seu apoio e o seo esfor-
90 glortoso trformrclo operada no
pas, difficuldades qoe nao pode perst o
tinham forcado a retirar-se do posto que O
rovaluolo lhe confiara e aoonselbado a re-
colher se vida privada; mas sondo re-
sores, dos quaes falieceu um, que foi gra
veniente feido.
t Prosegue a autoridade em rigoroso
inqoerito para descobr ment da verdade
e punicSo des autores do altendeodo.
L-se na mesma folha de 20 :
t O Sr. marechal Deodoro da Fonseca
recebeu, oficialmente, hontem, s 7 ho-
ras da nouto no palacio do govorno, o Sr.
Quilherme Senane, enviado extraordinario
e ministro plenipotenciario da Repblica
do Per.
* Assistiram troca de credenciaes os
Os tuctotos, refere o se Srs. ministros das relacSes exteriores e do
interior. >
L se a'O Paiz de 20 :
S. Exc. o Sr. ministro da nstruccao
publica, cerreios e telegraphos e interino
da guerra, communica nos o seguinte :
Be. jamin Constaut Botelho de Ma-
go lhSes ao paizDesejando dar a maior
publicidude declaracao por mim feita em
sessao do conselho de ministros e constan
te da respectiva acta, reproduzo-a aqui:
c Declaro que nao sou candidato a car
go algum no prximo pleito eleitoral, e,
se por qualquer circumstancia fosse eleito,
o recusara.
Por esta declarac&o feita ao digno
chefe e mais merabros do governo pro vi
sorio, como a muitos outros amigos meus,
antes do da 15 de Novembro de 1889,
i esse dia e depois del'e, tracei a conducta
irrevogavcl a que me impuz.
Oapital Federal, 19 de Maio de 1890,
2 da Republiea Benjamn Coastant.
Estado da Baha
Data at 3 de Maio :
Foram creadas as aeguiutes comarcas :
De Andarahy, c mprehendendo o termo
nome e o de Santa Isabel do Para
gas, desmembrados das Lavras Diaman
tinas ;
A de Bom Conselho,, comprehendendo
o termo deBse nome e o do Coit, des-
membrados da de Ccremoabo ;
O termo de Entre Rios, elevado a co-
marca deBmembrando-o do de Inham-
bupe.
L-se no Diario de Noticias de 21:
Falla-se que o commercio desta ci-
dade vai reunir-se no edificio da Associa-
50 Commercial, para protestar contra o
acto do Sr. ministro da fazenda mandando
cobrar 20 0[0 em ouro-nos direitos pagoa
as alfandegas, conforme noticiamos por
telegramma do noase servieo particular.
Balado de iiajoai
Datas ate 25 de Maio:
Comegara o concurso para praticantes
do Correio.
Le se no Oidtemberg de 24 :
Segundo lemos no Trabalho, tem
chovido abundatemente n'aquella cidade,
pelo que os agricultores e creadores nu-
trem as melhores esperanzas de prximas
abastanzas.
Naquella folha encontramos as se
guinteB novas :
c No dia 28 de Abril falieceu neato
cidade, de febre, acompanhada de vomito
preto, um homem de Matta Grande, ce
neme Emygdio, filho de Emygdio Jos
Joaquim, offijial de juBtica naquel'.a villa
f Consta nos que, da mesma molestia,
nesta cidade teem fallecido ltimamente
diversas pessoas.
Na villa do Bello Monte no dia 22
de Abril, afogaram se, tomando banho no
rio^dots meninos, sendo um filho do nosso
amigo capitao Candido Machado e o outro
do Sr.. Domingos Feitosa.
Os cadveres foram encontrados e
sepultados ao dia seguinte.
N0SSO8 -psames aos pais dos pere
cidos.
temos.
Mantenha ordem publica.General
Bitte-icourt.
tetado do Paran
Foram publicados no Rio de Janeiro
os seguintes telegrammas:
Coritta, 18 de Miio
A directora do Club Militar resolveu
dirigir urna mensagem ao generalissimo
Deodoro, agracedendo a escolha do mare-
chal Floriano Peixoto para o cargo de
ministro da guerra e do genoral Benjamn
Constaat para o de ministro da instrucclo
publica.
Coritiba, 18 de Maio
O club presidido pelo brigadeiro- refor-
mado Oardoso Jnior foi outr'ora creado
para defender os iateresses da classe mi
litar; entretanto boje est desnaturado
sen rim, e composto, na maioria, de po-
lticos estranhos ao exercito.
Contra o tolegramma passado hontem,
em nome da guarnicao, ao governo e
imprensa pelo mesmo brigadeiro reforma-
do Cardo'so Jnior, e deliberado em re-
uniao que o mesmo Cordoso Jnior con-
vocou e qual nao compareoeu nem o
commandante das armas nem a oificialida-
de, protesta solemnemente a guarnicao,
por isso que nunca estove separada, e es
s manifestacao de adheaSo aos eminen-
tes generaes Deodoro e Floriano Peixoto
d a entender isso, consoante com a for-
ma dos convites insertos no Diario do Pa-
rama e aasignado por Francisco Jos Car
doso Jnior. A guarnicao deste Estado
tempre foi e ser solidaria com o inclyto
generalissimo Deodoro da Fanseca e seus
dignos cosopsaiheiros e' seos delegados.
Amirico Lobo. General Ewbank.
Capital Federal
Datas at 20 de Maio.
Lomos no Jofnal do Commercio de 18 :
t Consta-nos que o Sr. minhtro da
agricultura, para o fim de facilitar
elle 8*ja feito ao ar hvre e era certas e determV
nadas condicOes do espirito.
O caminba um dos exercicios mais geraes
de toda a musculatura.
Caminhaodo ao ar hvre. mudamos de lugar s
cada passo e damos ao pnlrao a nulricao que
Ibe convrn.' '
Temos nesta cidade meia duzia de jardins, in-
cluin&'o deus que honram a capital e qoe os es-
traogeiro8 adm.ram boquiabertos, ja pelo vico
eterno da vegetacao que os orna, ja pelos varia-
dos panoramas que a cada passo elles nos offe-
recem.
Bses jardins est&o entretanto sempre vasios
Somos um povo de hachareis.
Ser bacbarel trabalbar muito com o cerebrs
e digerir mal.
Ora quem trabalba cora o cerebro e mi\ d;'ge-
re, deve seguir o que dizia Rousseau, que alera
de fallar de cadeira, fallava por experiencia pro-
pria :
O camiobar tem alguma coasa gue anima s
fortifica as minbas ideas ; naVt posu quasi pen-
sar quando estou paralo ; preciso que o men
corpo esteja em movimento para que o espirito
esteja vontade.
E nisto elle andava de accorJo com Cicero,
que muitos scalos antes j liavia dito :
Quidquid conficto aut cogito, m ambuialtonit
fere empus confero.
Quando veremos os noesos jardins transfor-
mados naquella academia da velba Alhenas, on-
de se encontravam sombra do arvoredo os
poetas, os philosophos e os artistas ?
Seria a idade de ouro da hygiene.
A hora a mais oportuna de caojiibar en-
tre o almoco e o jantar, e duas ou tres boras de-
pois deste.
Em regra geral o exercicio moderado ulil a
todas as horas.
Os hygienlstas, porm, aconselham aos indi-
viduo? muito frdcos e aos convalescentcs qus
n3o se cansera antes das refeicoes, vito como
as suas forjas exhaustas nao seriam bastantes
para a digrst&o.
E' um erro, por tanto, grave em que caem mui-
los individuo, alarmando que se deve fjiar ex-
ercicio aps as comidas.
Se queres conservar, leitor, o dom precioso da
saude, recosta te depois do almogo e de jantar
a urna boa cadeira, conversa trauqnillamente so-
bre cousas agradaveis, e orna hora depois vai
dar o teu passeio ou jogar a tua partida de M
Ibar.
Olha para os irraeionaes.
Como elles conservara se quietos e ccc-hilaos
fehzes apenas enebem o estomago.
Toma o exemplo do teu ca-horrinho de estl-
macao, que mais sabido do que tu nestas cou-
sas, e viveras sem amargores de bocea, affron-
tacos, empasiiameatos e sobretudo se.11 qus
passe pela tua mente a existencia da camomilla
e do elixir paregorico.
A corrida tambem um exercicio conve-
niente.
Os hy-'ionisia?, porem, acooselham a somenls
s enancas e aos mogos.
E a razo porque ella accelera demasiada-
mente a respiraco e a cnculagao, e ode pro-
duzir congestes perigosas nos polffloes, oo co-
ragiio, no ligado, no cerebro, etc.
Ha veJhos entretanto que correm lanto coms
os mogos sem prejuizo do Organismo.
Ha tres annos vi correr en nm club athletics
um distlncto cavalheiro, que onheci na miaba
ifaocia, sendo elle alias ho i.era j maduro.
Ora tu sou contemporneo c.a primeira estra-
da de ferro do Brazil.
Imaginera que idade nao deve ter o sujeito.
Pois bem, na tal corrida elle che ou na ponta^
no meio dos hurrahs I de urna porgo de ingle-
zcs, L-ix n 1o na bagagem ujeitos que nao esta-
vam ainda as condigOes dos que do o zcu qui-
uho ao vigario.
*
Nao menos conveniente tambem o salto.
O salto, poim, um 1 xercco violento e qae
exige a coutracc&o eaergica da maior parte dos
msculos do corpo.
Quando o sores cae sobre o solo, as veceras
e especialmente o cerebro e o ligado experimen-
tara um choque violento, que cjnvm desfazer
em parte cabindo na ponta dos ps c com os
merabros inferiores semi curvados.
Urna queda cora os calcanbdres pie produzir
a morte instantnea.
O salto, pela mesma razo da corrida, 6 um
exercicio para criancas a mogos.
No prximo artigo tratarei de demonsliur que
o exercicio muscular e sobretudo o passeio deve
ser feito sob uoas impressOes do e-pirro.
Vonfa Jnior.
1 il__l
VARIEDADES
Uygieae
Ha por este mundo uns sujeitos que entendem
que a sociedade deve sempre caminhar na linha
recta.
Ora a linha recta na opinio des mathemati
eos, que sao os bomens que nos deram e sem
pre nos bao de dar leis, o mais Curto caminbo
de um ponto a outro.
Digo na opiniao dos mathematicos, porque na
do poetas ella o caminbo ma3 agradavel en-
tre dous pontos, como bem a defini Alphoose
Karr, omUguo cinzeldor' das' Quepis e mimo-
so cantor das s/Jst *i/n"nifcM e das vilelas de
Paran.
Vocife. ando contra os erros dos semelbantes
e atacando sem do nem niedade todas as maze
"! las due nfeslam o meio Onde vivem, o perign-
REVISTA DIARIA
clacSo e o emprego das letras hypothe-1 ar a^9earstijeit03 por este mundo um verda-
carias, fomentando por tal modo as optra deiroS^i^docftoem prolll virlude.
Qbem os" otive "ffiit gravej e siindos, irrfl
prioensivlm'ente atidlodos- em rorjpaa escova
das, citaado a cada passo como exemplo o seu
passado e o sea presente, diz convicto: .
Slm, anhor, isto am homem s direitas.
Vardos fazer 0 que elle'diz, porque adoillo que
elle'*s rq^illoqu-ene^at, iftd o direito
e o"bom.
Basta, porm, raspar qualquer desles suieitos
1 para ver mmediatamente que elles sao na pra
ticaafeatimesedo:q>ep'gam.
E' axOnbecIda historia de^ret Thomaz.
Nas-mesmas'eonlcoeff'lcn me" unoje^lei
lores. --,>_ !_
Vnho-doente converear c coratfgo acerca de
*rtrjgiehe. ,
Eu que mal posso supportar o dardoogudo
de urna nevralgia intercoetal, que ainda nao
ooes que ellas representam projecto esto
belecer que os referidos ttulos pdssam
sar receidos pelo' seu valor nominal as
nances- que houveram de prestar os func-
cionaiios dependentes do mesmo -ministe-
rio, be ra como as caucoes que1 houverem
de ser constituidas por concurrentes, em-
preiteiros, etc.
f Para emeloante effeito ficarao as di-
tos letras no p de perieito igualdade com
M apolices da divida passiva do Estado e
'intuitivo qae, em tal rgarra, tehderao
a tornarse mais apreciadas Cont seguro
instrumento de oollocaelo de capital.
, .. \T. i, ~mTraeTos"para livrar me della, tenho entre-
t j providencia utilissima que, sem Ulo a pni(^0 d vir daMe conserbos acerca
nenhum domno para a garanta do Esta-' ta hygien* tos msculos I
o. imprimir a4or aotividade-ao merea Este aqu a escrever, sabe^ Deus 'como, a
udird beBehcomente aa atomiisacao ao' t0a opino-, nao 'bastate pira corar todos os
valor da torra Considerassol a mesmo; mi!es f Anda, applica a tua tfteolia, os teus
Be-posta 6. rclamaro do com-
reaDa secretaria do governo rtmstteu-
se nos o seguinte telegramma expedido pelo Sr.
mib-strrj dVFfc.'nda:
^'ttepai^^o'geral'do'telfegt-ptio?.' E.Lcilo.
Recife, 23 de Maio de 1890. TeTegrammi *.
3749. Procedeote do Rio.^ Eqderego Recife.
"Go'verhado.-.Deploro "4u a Vbcigao Com-
mercial desse Estado seguisse caminho to coa-
tra'rio aos'lHtreBses do paiz e potica- repara-
dora do go verbo provserio.
O acto, contra que se reclama, nao raeu,
mas do governo todo, absolutamente solidarle
commigo, e nasceu de necesaidades imperiosas
que rro possivel evitar.
J respond .issociago Commercial de
Rio Grande, declarando-lhe impossivel revoga-
gao. A Associago Commercial d'aqui nao pus-
tua com essa agitag&o, sendo alias commercio
desta prag. mais interressado no a?.-umpio. Ba-
sa agitagao nao tem razo legitima de ser.
A medida nao opprime comme por acto meo se acba agora liyre da tariTa addi-
cional de vinte por ceoto, epode, portan to, coa-
tribuir com este contingente mnimo para as
exigencias do Ihesouro. Repblica precisada
resistir esses impulsos inliscijlina que torna-
riam o paiz ingovernavel Be o governj nao t-
vesse bastante firmeza e consciencia djs seus
actos para mantel os.
A reovgacao seria um desastre que cu ais
aconselharia nem subscreverei nunca.
Compre appellar para o patriotismo do com-
mercio es clarece I o, preservaado-o de entregar-
se a este declive perigoso, a medida ora coa-
dunada j vigorou sob o ministerio Zacaras e
quan o cessosi fci substituida pelo addicionai de
quarenta por cento era 1885 a commiesao pads,-
ai'-ntar de inquerito aconselhou a cobraega toral
dos irapostos de importago era ouro, asignas-
do esse parecer, ntre outros, Manojl Jos Sos-
res, do Banco do Commercio, e o Visconde se
viderJfflffsemeniahte' em^cara^Bnilo maior
quando o commercio se debate nos maiores ant-
ros.
A nossa medraa; pois, extremamente
nigna e representa abenas urna peque
d graVam' de ^que lf acaba de' der
dopod
qstvti^Soo^dlimsteriaoB, que'sgmentou de
mtrHd rfpWiW* Mes ?Hs^.'proporcio
to importante peo sen oleatieo economi [coosemos a essa or, que? te acabrunfta. roe
n jiu 1 .itn ilMMM. iiiiLtu 'rttohlftitor n A- *& motimento esses muscBlo donaos. Uevan
3 jt T !T5?r^ S^T^? fU-w codo. "Ptr* o P-a n01*. ann,eDi
gejo de que se torne eXtonsiva s flancos.1 t^e irmlrfta.
e concsso'es epend jotes-de todas as re-1 *
'Mui'Mfeorfei coFIqWie<*a
..
teas1
vem rettttardhr. *
Sob o tittfto Cohfii&o un Macuco
disse a mesma folha de 18 :
s Rogreteou hontem do Macuco a for-
acautelados cassem, por teto,- os inters^ (f^je"taX
seo fiseaet ^le- as fiaacas e eauceea '*e-|
toqoeoiadldoo se movs, sendo necesssrio
para que o movimento aproveite eaode, que
oentefce-
scmbarO-
car-se
Nao uraa reforma e um'acto de tepsdleo-
te adminlstrtlvoque aocriaembrago nenhuat
impirlago, apenas1, obriga' a exercer a 4u*
impirlago. .
funecao natural de fisclrsdora
adO mer'c-j
ccao na
. llalm de
Seria'
. heto"e d
cuar de tal pssb.nuy^
farojsa.
do cambio qus
olaco.
o ossoW
flteparlloeo du- Teleajraplio* DeoM
nos obsequiosam.-n (eco nman reata
_jaC .dos elearaphos'.Estajee
W de Maio del8.-0.-Hlm. Sr.
reparUgofi
:. SRgoiOte
,. Reparticlo
do Recife.Em
. Circular da Directora Geral dos Telegraphos,
em 9 dHaio d WO. -Promulgado por decrefs
n. 3TJ A de 1 do corrnte-met o novo regtUa-
mento paresta reparticS, compre por tooxo-
cacSoa tarifa annexa-aoines&o regulamentei
o que dever-ser feito, de conformidade coroj
aurarisacSo do cidado ministro da Instrndt
Publica, Correlot CTetegroobos-, a parttr de fie
Junho findonro.
jptadt para^s^sto-
'Auoidaile de
graramas do se
t
'
i*
t-.
1.'..

.5
l
. "S
,
. Cada grupo de*!iar> sJ||jiVimosV''"biMMo
como urna palavra.
O servieo telegraphico da irapreosa gosa q


Diario de ^eniamHncoTerg-feira 27 de Mi<> de 1890

propria
sedecco de 80 / sobre a taxa adoptada do ser-
vico interior.
Os enderecos registrados na forma do art.
X=2 regulamento ioternaciooal, pagaro a
Wxa de 10*000 nnnaalmente.
A unidade da taza, adoptada pelo novo reeu
lamer/o, equivalente a urna reducto de 30 0
obre a anliga tarifa, vigorando o mesmo calcu
O de distancia. -(Assignado) loao N Baptixta
director.
Bo*pu.-ti rortaiuei-No domingo p-o-
xim i ser* empossada a nova junta aesse estabe-
leciniTio pi, em sessao celebrada na
secretaria pelas II horas do da citado.
Tiro casual -So districto policial de Ca
mhotinh i e no dia 17 do corren te dea-se uai caso,
origina*) pela habitual imprudencia com que se
anda ra as armas de fogo.
Tendo de ir urna forca de paisanos em perse-
inicio t!e nos criminosos que infestavam a? cer
oanias d'esse logar, snccedeu que urna pistola
pe se achava na cinta de Antonio Jos cahisse,
disparan 1o inmediatamente e iodo emprear 8?
projeclil em Prancisco Antonio do Nascimento
Aatoiio Velto, que Acaran feridos, anda que
levemente.
juerlt Pela subdelegacia do 1." dis-
Oicto !e Seriohaera foi reraettido ao juiz compe-
tente o iniuento policial procedido contra Ma
oel Francisco do Na-ciraento, roohecido por
Pega Negra, como incurso as penas do art. 257
do Cotillo Criminal.
Sortl naent*-Na madrugada do dia 26 os
cuj< netreesn, por meio de arrombamentu na
isa onde reside D. Merenciana de S Brrelo,
tita no logar Alto da Torre e roubaram diversos
tojacto^ d'j prata e de louca que se achavam na
dispen?.i
At hoje. que nos conste, ainia nao foram en-
tOBtrados 03 ditos, apezar das rigorosas oves
Sgaco>s a que esta procedendo a polica local.
A vea fe I* crrelePor portara do ci
dadao administrador dos correios deste Estado,
de 26 lo torrete, foi uomeado S^verino Sera
leo Perora Palma para exercer o cargo de agen-
te de Timbaba, em substituido a Aquilino
Francisco da Silva Gusrao, que nao aceiotu a
orne-cj anteriormente feita.
Conromio de liceacaNa secretaria
da lu.-t-ucgao Publica Qcou bontem regiscrada
a portarla, pela qual resolveu o cidado over
ador do Estado conceder 3 meses de liceoca,
afi.n de tratar de sua sa-de, ao professor da ca
deira de e.osinb primario da villa de Cabrob,
Jos Fr neis :oFlorencio de Souza.
Sociedade II de Agosto-Na sexta fei
ra ultima sob a presidencia do socio Medeiros,
ninccion >u essa sociedade com assistencia de
todos os socios ; e depois de lida e approvada a
acta da sessao antecedente, entrn em julgamen
to o p*rsonagem Felippe da Macedonia, servindo
de promotor o socio Arnaldo Bastos e de advoca-
do o socio Sampoio, sendo absolvido.
Disser'ou sobre a! tbese Alejandre Magno faz
calar Napoleo ? o socio Boulitreau.
Foram sorteados os socios ti. Cezar e Medeiros
ara promotor e adtogado do personagem histo
rico D Miju 'I e o socio Tranquilino para criti-
car a poe.-ia I'iah.
V* i mesa um requerimento do Ral Gomes
Lal Irado a sua deraissio como socio, tendo
olucao negativa o mesmo requerimento
l tina PialeAgradecemos a fineza da re
messa de ora exemplar do relatorio da respert
va directora, apresentado asserobla geral em
esso de 12 do correte.
Club fcepiibiirn.no 1S de Noveaaar
de Tisipie -Nouoeouesse Club uma coramis
lac, compela dos Sr.j. Joo Martins d'Andrade,
Felb: do Amaral e Dr. Moo'eiro Lopes, para pro
mover orna subscripgo nos povoados do Peres,
Barro T pensa beato, que lhe foi communicado por ofhVio
circ:;! r lo governador dest*- Estado, e aventado
pelos republicanos da capital federal de fazer-se
um presente a< distincto clnico Dr. Joaquim
Martn).
O pretend lo presente tem por motivo uma
demont-tracao de publica gratidao quelle et-
lico pv haver salvado a preciosa vida do
inclyio generaliasirao Deodoro.
Fallerimrnlo Falleceu era Olinda, onde
residia, o tenente Thomaz los das Neves, com
76 annos de idade.
O tinado era considerado n'aquella cidade e
ahi foi vereador da cmara muuicipal e ererceu
eutros lugares de eleicao popular, deixando
viuva e .toas tilho, cujo futuro soube garantir
cora u-ua certa abastanca que Ihes deixa.
Ncleo artstico Iaatractlve E-sa
as80ciacio iraanh pelas 7 horai da noite faz
nma s-sso solemne em commemorac/io da data
de 13 de Mam.
tomi>anbia Heller -Consta nos que no
sabbado prximo ebegara a esta capital essa
coropmbia de operetas ; a qual por ultimo ira-
blhou no Polytheama Bahiano.
Itineraria S de MaloSoba presidencia
do Sr. Kn i cisco d'Assis Cr.valcanti S e Albu-
querque funecionou essa sociedade no dominio
ult.ra i. discutindo se na mesma sessao em jury
histrico o personagem Julio esar, que teve por
fatron a Benedic'o Formiga e por acousador a
amuel Ha rima o, sendo atinal absolvido.
Ao levantar a sessao, o presiden e convocou
otra extraordinariamente para o dia 29 s 11
horas d'amanh.
Nieva fabrica de cigarro- No dia 1
de Junho prximo abrir s--ha a raa do Mrquez
de Oli ida n. 33 uma fabrica desse preparado de
fumo, sota a denominacao de Apollo.
Cartao de visita-Em uma das vitrinas
da Livraria Francesa, a ra 1 de Marco, acba-se
exposto un carto de visita em ouro e prata fos
oa. que tomo trabalbo artstico notabiiisa-se pela
aprimo'ada execugio, que honra ao artista, cujo
talento e osto revelam-se na obra.
Informara nos que esse carto destina se ao
illustrauo Sr. Dr. Martins Jnior, e lembraoca
de um rea amigo, que Ih'o offertar.
variolosos-O Sr. Dr. Paula Soares, que
aoba-se encarregado 0Q5 rialinente do tratameoto
de variolosos indigentes e da desinfeccao das
respectivas casas.-nesta freguezia de Santo Anto
nio pode para esse fim ser procurado a ra do
Maqu /. de H>rval, n. 32.
Os laraplos EstSo em actividade, e nao
peniem occasi&o.
Anda noute de 23 para 24 do correte, po-
eram penetrar no <;dicio do Collegio Prytaoo,
"estrada de Joio de Barros, e d'ahi levaram.
alm de 70140 em moeda, grande numero de
pecas Ue roupa de homem e senhora, e outros
objHttos de valor.
Feto o trabalbo, pozeram-se ao fresco; e o
Dr. delegado do 2 districto que tomou conheci
ment do tacto, diligencia o descobrimento dos
autores do delicio.
Varrlnario- O nosso rafomanledo Recife
dtz no-< o seguinte :
Ara a ne.-ta freguezia vaccinou no sabbado
e domingo o Dr. Souza a 26 pessoas mais; e esta
aferrado a esta humanitaria tarefa de modo que
parece emquanto permanecer a varila concentrada e
honver dispotifSe$ mdaiduna particolares ao
mal. isto tmquanto a varila nao se destruir
por si mesma; pois nao a-redito que com insuf-
ficientes applicacfte? de regras hygienicas posta
ella extinguir se.
A therapeutica funda se puramente sobre as
regras bysrtenicas, e a cura dos symptomas e das
eumplicaces. De uma cura directa nao vem
a peHo tallar se; nao faltara as tentativas, mas
com xitos bem pouco satisfactorios.
> Basta por boje.
Paveada de Mea tetro Teve lugar no
domingo a sagracao do sioo que deve collocar
e oa igreja de s. Pantaleao desse povoado. re-
ceben to a benc&o religiosa com sotemnidade e
arande "oncarreocia de fiis.
Tociu durante o acto a maslca do 14- batalbao
e foram poltas muitas girndolas de foguetes e
subiraro ao ar algnns bales.
Taectaa pabites No dia 26 d< correte
foram vaccinadas oa inspectora de bygieoe 84
pessoas pelos Drs. inspector e Lopes Peaso.
Varleleees O Dr. Barros Sobrinbo, en
carregado na freguezia da Boa Tiata do trata-
Meto de variolosos e da dearofeeeio, recebe-
chamados para wse servlco, qoer em soa resi-
deicia ra do ViS'.oode de Goyaooa n. iw,
oer a ra do Barao da Victoria ns. H e le,
Praca da Independencia ns. 12, 24 e 26 e roa do
Yigario Tenorio n. 4
bra da caridadFazendo eaeaMiobar
vieva'aoarecarregad* de 4 filos, de nm ar-
Usta. aue na poneos dita (alicea em completa
enana, quantia de 64000 que pan ene finaos
#". o- um anoDymo, invocamos a nos* o turno e
como uos pede o mesmo anenymo. caridade
publica em alivio da miseria daqaella riuva, qne
ora a,taos Copiares, a ntrala, da roa do
ianan em 8. Jos o. 14
ervlco aatiltar Hoje superior do dia
o eldadao ma.rar Serra Martins, e faz a ronda de
visita a cidadao ajuJanie do 14."
O 14* batilho dar a guarnico da cidade.
Tribunal do Jury do Beetfe. Nao
pode ser hontem insultada a 3.' sessao ordina-
ria -leste tribunal falla de juies de meto em
numero legal.
A's 10 horas da raanb, presentes o Dr. Sigis-
mundo Antonio Goncalve8, juiz de direito presi-
dente do tribunal, o Dr. Mmoel Antonio Pereira
Borba. 1 promotor publico e o 2* escrivio inte-
rino Jos Joaquim Das do Reg Jnior, proce-
deu se a veriticaco das cdulas e a chamada
geral a que apenas responderam sete juizes de
facto.
Foram multados em 204000 os jurados notifi-
cados que deixaram de comparecer e sorteados
os seguiotes supplentes :
Freguezia do Recife
Januario Jos da Costa.
Dr. Silvino Cavacote de Albuquerque.
Domingos Bruno.
Manocl Joaquim da Costa Carvalbo.
Eduardo Duartc Rodrigues.
Freguezia de Santo Antonio
Manoel Gomes da Silva.
Jos Francisco Borges.
Dr. Francisco de Assis Rosa e ?ilva.
i andido Eustorgio Ferreira Chaves.
Aprigio Braz de Oliveira Lima.
Freguezia de S. Jos
Jos Placido Lucas Bioo.
Dr. Jeronymo M. Pereira de Carvalbo.
freguezia da Boa- Vista
Firraiuo Candido de Figueiredo.
Francisco Antonio GouaIves de Medeiros.
Jos Joo de Araorim Jnior.
Jos de Barros Pim^ntel.
Francisco Americo Das Barreto.
Dr. Jos Joaquim de Oliveira Fonseca.
Domingos Pinto da Motta.
Danoel Duarte Pereira.
Dr Jos Vicente da Silva Costa.
Jos Jeronymo Rabello.
Pedro Jqs Pinto.
Francisco Genuino Simoes.
Dr. Antonio Pereira Simoes.
Ismael Vctor Pereira.
Freguezia da Graga
Amaro Affonso de Oliveira
Joaquim Vicente de Mello Pinto.
Jos Bernardioo Rosas.
Francisco Ferreira Tavares.
Jos Joaquim Borges Uchoa.
Antonio Bezerra de Mennes.
Freguezia de Afogados
Antonio Valenlira da Silva Barroca.
Jos de Mello Albuquerque.
Antonio Mend-s da Cu ha Azevedo.
Htrmelino Eiiseu da Silva Canaca.
Freguezia do Pogo
Antonio J>?aquim Mendes Bastos.
Jos Ferreira Dutra. .
Dr. Joaquim de ('astro Loureiro.
Joaquim do Reg Barros Pesso.
A sessao ficou adiada para hoje s 10 horas.
laceadlo ao Paa-0 Jorna do Commer
co do Rio de Janeiro pnblicou este telegram
ina :
Belm. (Para), 19 de Maio
- Na noite de boje ura violento incendio des-
truio o predio em que foneciona a typographia e
a red icgao do Demcrata. A polica abri in
qcento.
A Estacdo Recebemos o n. 9. de 15 do
crrante do jornal de modas A Estacdo. publi-
cado no Rio de Janeiro pela casa H. Lombaeits
a ompaohia.
A'm de uma folha de moldes e de um figuri-
o collorido, traz numerosos especimens de eos
turnes para criancas e senhoras e para diversos
[raoalhos de agulna.
A parte litteraria e recreativa est variada.
wirectena das oaras a* ceaserv**-
ro dos portosde PeraambacoReci-
fe, 25 de Maio de <8i>0
Boietim meteorolgico
Hoje
ts raaebre*Sero celebradas
1 a0 i
Horas! I i j Uaroraetro a 0 TeosiV) do vapor ^^______^___ s a a
6 m. 2S,9 761-90 19,04 76
27.4 763-06 18,59 68
ti 28,2 762*32 1956 68
3 |. 28o,3 26,8 761-47 18,93 66
s ! 761-65 19,05 73
3.
Temperatura mxima28.75.
Dita mnima*5.-50.
Evaporajo em 24 horas : sombra3
i>nuvanulla
Direcco do vento : SE e ESE variaveis du
rante todo o dia.
Velocidade media do vento3 -37 por se
Sebulosidade media0,-53.
Boletira do porto ^^__^^_
la i P|| Das Horas Altor
P. M-f 25 de Maio B. M.! > P. MI B. M 26 de Maio 820 da manafi 3 -07 da lar!e 9 01 3-31 da niEOhi 2-,02 0-,95 1-.90 1-.I2
Casa de Oeteateae Movimento dos pre-
sos da C*sa de Detencao do Recife, Estado de
Pernambuco, em 25 de Maio de 1890.
Existiam 507, ent arara 21, sabio 1, existem
527.
A saber:
Nacionaee 490 mnlheree 26, estrangeiroa 11,
-Total 527
Arracoado* 398
Sons 365.
Doentes 23
L Loucas 2.
-ToUI 398
Movimento oa enferman^
Tiveram baixa: t
Manoel Joaquim de Santa Anna.
Manoel Alexandre da Silva.
Beroardino Antonio de Souza.
Teverara alta :
Vicente Ferreira de Souza.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 231 pessoas, sendo 108 mulheres e
123 horneo.-.
Hospital redro II -O movimento deste
-.Ubeleemiooto de caridade, no dia 25 ie Maio,
foi o segrate:
5
2
3
445-
s-respectivas, enfennams
Entra ram
Sabiram
Falleceram
Existem
fonal visitadas
-los Dre.:
Moscoso s 8 i/2.
Uysneiro s 7 1/2.
barros Soorinno s 6 3/4.
Be .-ardo s 12.
Malaquias s 9.
Raymuodo Bandeira s 7 1/2.
Nao comparececam os Drs.:
Simee Barbosa s 10 11
Pon'al.
stevo Cavalcante.
Ferreira Velloso.
o etrorgO denttBta Numa Pompilio s nio
com ps recen.
u yiuirraaceutico entroa s 8 1\4 da manb e
ahio s 5 da Urde.
O ajudante do pharmaceuttco entrn aa 7
e sanio fts 3 1/2 horas da tarde.
Matadearo Publico da Cabaaga
Foram ab tidas para o eensamo de hoje 43 re -
tes, perte¢es a diversos marchantes.
fcealdee Effectar-se-bAo oa Mgulniea:
- Hoje:
Pelo agente Pinto s 11 horas, oa armazera
Livramento, de alfafa em fardos.
Pele agente Gusmao. s H horas, no-tarso
do Corpo Santa a. 10, de 27 barril da vioho.
Amaob:
Pele agente Stepp'e, I hora, na Cmara de
Olmda de nm sobrado, ama com a sitio m m-r-
ma cidade e de ao malta em Goyanna.
feto afete **,. ^ii- baMO, i ro* do
Bom Jesns n. 45, de moveio, loucoi e ndro*.
Peto asete Gosmfco, as II oras, ra do Im-
perador n. 44, d* oiobiriata* Janea e jaaarMKtt,
Pelo ageste Stopole, 4 4 bars, asi Cmara
Maoicipal de Olinda, de um sitio e casa so Ca-
xaost.
A's 7 horas, na izreja de S. 6 incale, pela alna
de Antonio Eleosipa d'- Lima; a-t8boras.ua
matriz da oa-Vista, pela alma de Antonio Gon
calves Ferreira Caac&o.
Amanh:
A's 8 boras, no convento do Carato, pela alma
de Joaquim Jos Maros; s 8 horas, na matriz
da Bi Vista, ocla alma de Antonio Gaacalves
Ferreira Cselo ; s 8 horai, na igreja do Goa
dalupe em Olinda, pela alma do tenente Thomaz
Jos das Neves.
PassaffetrosChegad'8 do sul no vapor
ingles Turnar :
B. D. Arrastroog, Luiz Felippe de Souza LeSa
Junio-, Antonio Ramos. Joo Flix, Sal Peres.
Clemenlitio, A. Neves Coutinho, Lo loa Ge 1ro,
Alfredo Peters, J. Cox, Antonio R. Teixeira e a.
Dance.
Sahidos para a Europa no mesmo vopor:
James Bewy, Artbur Lyndch, Paulino Barrse,
W. F N8Worthy Godfrey Otto skelton Arrold e
1 lllho. George W Ison, Clemente Lima e Mara
da Conceico Nunes.
Chega.lus do sul no vapor nacional Pernam
buco :
Dr. Joo R. de Brito, Dr. Joo Lina de Albu
querque, Piragibe Ua^iss. Jos Joaquii/. da Cos
ta Valente, Joo Carlos Goherres, Olindina da
Fooseca Brito, Dr. Eparaioondas Barretto alferes
Jos Amando da Cunba, Jorge Uira e soa senho-
ra, Jorge do Nascimento Bocha, Manoel Rodri-
gues Seixas, Maria F. da Silva e 1 tilbo, Alfredo
Almeida e 3 menores, Albe to. Julieta e Jodith,
Dr. Raymondo A. Monteiro, Dr. Jos Leoncio de
Medeiros, sua senhoru e 8 lilhos, Licano Erna
Carolina Mara da Cobcqo, Pernambuco, 301
anuo, solteira, Reoific, vario!-" coofluofli-s.
Mara Joseph* la Conceico, P.rahyba 30 jjj<
uos, viuva.Boa Vista; lubercu'rn pulmonare
Mara dos Prazeres. Periamtiu'o 46 annos.t
solle-a Boi Vista ; heroorrh'gia cerebral.
Constantino Joj6 d-> soiriio aruo, Peni
buco, 18 antios, splteiro, Boa-Yiil-i; inberculos.
pulmonares.
Manoel Vicv.te de Sant'Anna, Pt'rnaTihuco. 30
aonos, solleiro, Bia-Vista; vanlas caiifluentes.
Joaquim Theobaldo Correia, Peruambueo. 28
annos, soiteiro, Boi-Vista ; varilos confluente-.
Claudino Francisco de Moraes, Peroambuco, 29
annos, soiteiro, Boi-Visti; varilas confluente.
Luiz do Franca, Pernambuco, 12 airaos, soi-
teiro. Boa Vista varilas confluentes.
Pedro Marques, Pernaebuco, 30 anoos,soiteiro,
Boa-Vista; varilas conflueutes.
Manoel de Jess da Paivo, Pernambuco, 20
annos, soiteiro, Boa-Vista ; varilas coofluentcs.
IHDICACOES TEIS
-
SPORT
llip.MHiromo do < ampo Grande
Realisu se no domingo ultimo a 15* corrida,
sendo regular a concorrencia e o movimento da
casa das apostas chegaDdo a 19.780*000.
O Grande Estados Unidos do Brazil, que cor-
reu no ;.* pareo, foi dispotado b 'llmente, e com
preci.-ao deu se o qoe assgoalamos nesta secefto
oo oroprio dia da corrida.
Saris Souc montado por Felippe, pode tomar
a pona, correo bem, enthusiasmou ; mas nao
logrou a victoria, que lhe foi galhardamente dis-
noel Pedro Pascboal, Jos Gongalves, Baro e \faUd'A0oe,l***, "r J^^ montado por
B.ronesa de S. Miguel, Joo M. M Cavadar e Jo- iul2A^reflra\5a?el^^,.D! *?*.?!*
as de Mendonca.
Cbegadcs <*o sul no vapor nacional Mrquez
de Cfixias:
Francisco Gongalves Barros, Dr. Francisco do
Reg Barros, soa seohora e 1 criada, Maria Ar
nalda e 1 filho.
Chegados do sul no vapor allemo Olinda:
Francisco Augusto Pacheco e Fernando Cou-
cbot.
Che0'alo da Europa no vapor francez Vle
4$ S. tcolo:
Charles Louis Sauvage.
Chegado do sul no vapor inglez Cmela:
Frederico Weller.
Chegado de Pelotas no lugar nacional Ti-
gre :
Adolpho Barcello? Maia.
Lotera do rao Para -Eis os premios
ia 2.* serie da 37.* lotera do Gro-Par, ex
tratada em 24 de Maio de 1890:
7205 60:000*000
5910 6000*000
1434 3:000*000
1167 1:200*000
66U 1:200*000
APPROX1MACOES
7204 600*000
7206 600*000
5H39 300*000
5941 300*000
1433 180*000
1435 180*000
Esto premiados com 600*000 os seguiotes
nmeros:
214 2997 6100 6540
Esli premiados com 300*000 os seguintes
numero: __
389 2818 3423 4359 6133
Esto premiados com 120*000 os seguintes
aU 7208 7209 7210
Esto premiados com 60*000 os seguintes n-
meros :
5931 5932 5933 5934 5935 5936
5937 5938 5939
Esto premiados com 30*000 os seguintes nn
036 ros *
1431 1432 1433 1435 1436 1437
1438 1439 1440
Todos os nmeros terminados em 05 esto pre
miados com 60*000, excepto o da sorte grande.
Todos os oumeros termioados em 40 esto pre-
miados com 60*000, excepto o da sorte imme-
diata.
Todos os oumeros terminados em 34 esto pre
miados com 30*000.
Todos os nmeros terminados em 5 estao
premiados com 30*000, excepto os termioados
em 05. _
Todos os nmeros terminados em 0 estao
premiados com 30*000, excepto os terminados
A seguinte lotera corre oo dia 31 de Maio
com o plano de 60:000*000.
L.ot-rin do Estado de Peraambaeo
-A 4 sene da 1* lotera deste Estado, t,era ex
trahida impreterivelmente no da 31 do corrento
(sabbado), 1 hora da Urde, no consistorio de
igreja de Nossa Senhora da Rosario, de Santa
Autonio. .
botera do firam-Para-A 3> aerieida
37* lotera cujo premio grande de eu:uuu*.
serextrahida oo dia 3! de Maio, (sabbado).
A 14* serie da 31* lotera cojo premio gran-
de de 250:OO'*000 ser extrahida no dia .. do
corrente. :'
A 1* serie da 36* lotera, cujo premio gran-
de de 120:000*000 ser extrahida no dia .. de
^iloterla do Maraabaa A 19* ferie
desia lotera cujo premio ser extrahida no dia 4 de Junho.
Ceaalterlo publico -Obituario do da 24
de Maio: .
Auna CavalcaDte de Alboquerque, Pernambu-
co, 23 anoos, soiteiro, Boa Vista febre rem
^Thomaz Jos das Neves, Pernambuco, 76 an-
nos, casado, Olinda; f-bre perniciosa.
Manoel Ferreira da Silva, Peroarabuco, 24 an-
nos, soiteiro, Recife; varilas cooflueotes.
Manoel Pedro da Silva, Peroamboco, 23 annos,
soiteiro Boa-Vista ; varilas confluentes.
Innocencia Maria da Conceicio, i'ernamboco,
26 aonos, solleira, Boa Vista; vanlas hemor-
Zuimira, Pernambuco, 21 mezes, Santo Anto-
nio ; varilas confluentes.
Joo Candido da Silva, Pernambuco, 27 anoos,
soiteiro, Boa-Vista ; valilas conflueotes.
Goncalo Joo Pereira, Pernambuco, 29 anaos,
soiteiro. Boa-Vista; varilas confluentes.
, UrcBlina Mana da onceica, Peroambuco 26
annos, solteira. Boa-Vista; varilas confluentes.
Valentim Jos de Moraes, Pernambuco, 25 an-
nos Boa Vista ; varilas confluentes.
Ura feto, Pernambuco, Boa Vista; varilas con-
fluentes. : _. _" __
Gerlrudes Maria da Cooceico, Parabyba, 75
aooos. viuva, Boa-Vista; diarrha.
Sevrloo Jos de Almeida, Pernambuco, 2b an-
nos, soiteiro, Graca; febre typhica.
Laurentina Mana Muniz Mendes, Pernambuco,
35 anoos, casada, S. Jos; cystite aguda.
Luiz Francisco de Medeiros, Pernaorbuco, 3z
annos, solleiro, S. Jos ; leso cardiaca.
Isaura, Petoambuco, 2 metes, Boa-Vista; fe
bre palustre. __ .
Julia da Cuoha, Pernambuco, 67 annos, viuva,
Boa Vista; cachexia cancerosa.
JoSo Jos de Sant'Aooa Avelios, Alagoas, 3
aonos so leiro, Boa-Vista; cachexia cancerosa.
Sabina Luiza de Albuquerque, 50 annos, casa-
da, Graca; gastro eoterite.
Joo Chrisiiani, Aliemanha, 68 annos, casado,
Graca; palifibrose arterial.
W. Pyper, Holianda, i7 aBOos, soiteiro. Boa
Vista; febreamarella.
H. Vath. Allemaoha 22 aooos, soiteiro. Boa
Vista; febre amarella.
25 -
Elpidio de Araujo Ferreira Jacobina, Pernam-
buco, 26 aonos, soiteiro, Santo Antonio; escro-
r bulse.
Fraocisca Pelismioa de Barros Falco Lacerda,
wrnambuco, 81 annos, solteira. Grapa; entorile,
Paulo, Gernambuco 4 metes, Afogadot; ente-
rite.
annos, solteira, Boa Vista; cachala cancerosa.
Mana Annuociada da Costa Pacheco, Peroam-
buco, 39 anoos, casada, S. Jos; bepatite.
Maria Joaquina de Jesos, Pernamooco, 31 an
nos, solteira, Graca; tubercalas pal mona ras,
Btolvina, Pernambuco, 2 annos, 8. Jos f va'
rilas confluentes.
Maria, Pernambuco, Graca; ao nascer.
Leonardo, Peroambsco, i anoos, S. Jos; va-
rilas.
Severioo, Peroambux, 21 mezes, Graos: en-
torito
Luii, Pernambuco, 2 uteoes.-o. Jos*; hroa-
ehlte.
roar de felicidade, ganbando tres carreiras nesea
jornada sportiva.
Em geral foram boas as carreiras dos pareos,
e dellas sabiram vencedores aoimaes que regu
larmeole podiam ginhar. Mas pan perguntar
o que foi fazer raia o Banubio, que fasia parir
do 6 pareo ?
Para criar raizes, nao sahtodo partida e fl-
cando parado teria sido menos feio que nao sa
hisse ue sna estribara e deixasse em paz o
Cbnspim, que leve o trabalbo de leval-o simples-
mente raia e de l assistir impassivel a car-
reira.
A corrida de 25 assignaloo anda duas reivin
dicages oas victorias de Cuby sobre Saos Soo-
ci, e de Galiileu sobre Atilla : Martins Ferreira e
Pedro de Figueiredo podero ioqaerir si as suas
condicOes sao outras que as de Felippe e Luiz
de Franca, que tambem perderam as carreiras
sem se Ibes poder ira. utar infidelidad*! ?
E'a sciencia de nm dia atraz de outro.
Eite foi o resultado das carreiras :
i* pareo -15 de Novembro800 metrosAni
maes de Peroambu o que oo t-oham gaobo oo
Hippodromo em 1890. Premios : 200 ao 1>,
40* ao 2* e 20* ao 3*.
Maraogoape 1.
Talispher 2*.
Lucifer 3 .
Na corrid Maranguape, montado por Luiz de
Franca, sem ter vantagem oa sabida, oo teve
oo entretanto moito costo em adquiril-a e sus-
teotal a at o veocedor.
Tempo, 60".
Poules. Maraogurpe em 1 19*700, em 2
7*400 ; Talispher em 2* 6*200.
Movimenio das poules, 677 ; seu producto
3 385*000.
f preoCommercio850 metro.Ani maes
de Pernambuco qoe oto tenbam ganho em dis-
tancia >upenor a 900 metros oo Hippodromo.
Premios : 200*0>0 ao Io, 4d*000 ao 2* e 20*000
ao 3*.
Cauby 1.
Pharlseu 2*.
Mauri'y3.
Na faina de tomar a ponta, sabiram empare-
dados Humille e Maunty, assim guiza dos ir
mios siunezes ; correram d'este modo em pro
teceo, ai que Pnariseu rompe o cordio sanita-
rio e adianta-se a Maunty na grande curva. Mas,
antes de sabir na recta, Cauby, montado por Luiz
Pereira, que o tem encaraiobado de alcance, as-
soma ni ponta e assim chega ao vencedor
Tempo, 63".
Pooles, Cauby em 1 13*400, em 2* 8*300 ;
Ph-.riseu em 2 10*300
Movimento das poules, 733; seu producto
J: 665*000.
3 pareo Esperanea700 metros. -E^uas de
Peroambuco que nao tenh im ganho no Hippodro
rao em 1890 e pequiras at l."30 no mximo.
Premios : 130*000 ao P, 30*000 ao 2* e 15*000
ao3*.
Iovic'a 1*.
Fantina 2.
Boulanger 3.
Invicta, mootada por Jos Marcellioo, sahindo
oa ponta, oo ceden a mais, apezar de procurar
tomar Ib'a Boulanger, que immediatameute a se-
guir e na recta perde o segundo lugar para
Fantina.
Tempo, 55".
Poules, Invicta em 1* 26*800, em 2* 14*900;
Fantina era 2* 13*60 i.
Movimento das poules, 497 : seu producto
2:485*000,
4 pareo-Estimulo-800 raetris.-Aoimaes de
Peroambu) que nao tenbam ganho no Hippo-
dromo. Premios : 200*000 ao 1, 40*000 ao 2
e 20*000 ao 3*.
Talispher 1.
Potos 2.
Rio d'Ouro 3".
Vivaz teve as honras da partida com Potos ;
e ajusta las as suas contas, bem como liquidadas
as de Porto Alegre, resultou como saldo o gaobo
de. T-ilisplier. montado por Antonio Metra ; Rio
d'Ouro mestrou que os extremos se tocam : I100
lera primeiro, boje terceiro.
Terapo W".
Poules, Talispher em 1 10*500, era 2 7*400;
Potos em 2" 8*100.
Movimeoto das poules, 478; seu producto
3:755*000.
5* pareoGrande premio Estados Unidos do
Brazil1400 metres.Animaos de Peroambuco.
Premios 1 400*000 ao 1*. 80*000 ao 2 e 40*000
ao3*.
Cauby 1.
Sans-souci 2*^
Colosso 3".
Saus-ouci seguido de Mouro puxaram a car-
reira e assim na primeira volte passaram em
frente arebibancada, seodo lbe logo aps to-
mada, porm, essa posico por Cauby, babilmeo
te dirigido por Luis Pereira, que Dio perdeu-a
mais, nao obstante os esforcos de Felippe para
reconquistara posico deque descabtra o'uma no
tavel competencia, em une pelos aoimaes n'ella
empeobados e pelos jockeys que os montaram, a
victoria de CauDy foi um auccesso ose afere a
fores real do animal e a iuteiligencta da direcco
que lbe foi dada.
Foi uma bonita carraira, que eraocioaou ao po
blico ; e o vencedor, levado raa acompanbado
de msica, ahi recebeu sympathica ovajo.
Tempo, 109".
Poules, Caubv em 14*500, em 2* 7*000;
Sans souc em 2* 7*700.
Movimeoto das poules, 922; seu produc'.o
4:610*000.
6'pareo -Redempco1609 metros. -Aoimaes
naciooaes at meio saogue. Premios: 300*000
ao 1, 60*000 ao 2* e 30*000 ao 3*.
Galiileu 1*.
Atila 2*. ,,-
Na sabida tendo Galiileu golgados ponta, foi-,
lbe esta tomada por Atita, qua por pouco sstr
tentou tal vantagem, despertadora de to appe
lite que nao teve satisfaclo. Galiileu, dirigido
por Luiz Pereira com pericia, parecen ter feito
o'aquella fagas vantagem uma coocessfto da
brinco; pois, quando soppos occariao, i
Medico*
O Dr. AldbmdeM VdUm d conau'tas
sos 12 s 2 horas da tarde, ns essa da
sua sntiga residencia, roa do BarSo da
Victoria n. 45, 1 andar.
ur. Joo Paulo especialista en par
tos, molestias de senhoras e de criancas,
com pratica nos hospital de Paria e de
Vieona d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do Bario ds Victo
ria n. 6 \ l. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto estacSo do Es-
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n 467, na residencia.
Dr, Cerqutira Leite, tem o seu escripto
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado rio meio dia s 2 horas e ton
destas horas ra do Baro de 8. Borj.
n. 22. Espe calidadesmolestia de crian-
Vas, senhoraa e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8
d (insultas medico-cirurgicas todos os das
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
das santificados.
Dr. Freitas Ouimarea, medico, tem
dess consultorio na ra Duque de 'axias
. 57, I, andar; d consultas nos dias uteis
naa 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
lico-cirurgica. Especialidades : moler ^a
julmonares e partos. Roa do Marqn-* de
Olinda n. 27, 1. andar. Consaltas aa l'i
.9 2 horas e ca Casa Forte (Poco da Pa
iella) das 6 s 9 horas da manhS e i
arde Telehone n. 392 -
Dr. Joaquim Loweiro medico e parte 1
o, consultorio ra do Cabug u. 14
L. andar de 12 s 2 da tarde; residenci
is Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador,
Pratica a lavagem do tero quando e c -
no aconselhad?. Consultas das 11 sa
! da tarde em sua risidencia ra di
r>om Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
radar. Telephone n. 389
Dr. Rikeiro de Bruto d consultas de
l."
an
para fazer compachia a Fluminense.
Tempo, ilS".
Poules, Oalllleu em Io 6*700, em 2" 5*200;
t^^J^t^S^&SP^SSi:. k%%W*2-V*~. W; sea producto
1:880*000
O 7" e ultimo pareo
adiantamento da hora
deixou de correr por
Clsib BsfHats
Moja damos o proiecie de doscripcio
club, psfs a I-sssrids, oas
desse
tea de resHoat-se
Campo Graoso
Estado
meio dia s 3 horas da tarde, no
dar a roa Duque de Casias n. 46, puden-
da ser procurado para chamados, na bus
residencia, a roa do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
AdTogados
O bacharel Bonifacio ele Arag&o Faric
Rocha contina a advogar. Escriptoric
ua do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonseca
;em seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
oculista
Dr. Ferreira. com pratica nos princ
oaos hospitaes e clnica de Pars e Lor.
dres, consultas todos os das das f
lorasdao meio-dia. Consultorio e resi
enca rus Larga do Rosario n. 20-
Dr. Barreto Sampaio, oceulista, d con
mitas de 1 s 4 horas no 1. andar da
tasa ra BarSo da Victoria n. 51. Resi-
tencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra
ia pela rus da Saudade n. 25.
Drogara
Faria Sobrinho A .. droguista por ata
sado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva di C, deposi
arios de todas as especialidades pharma
wticas, tintas, drogas, productos chimi
j e medicamentos homeopticos, ra d<
Vlarquea de Olinda n. 23.
Tiula de escreTer
A melhor a tinta Victoria, vende-ae t
MX) ra. meia garrafa e a 800 re. uma gar-
rafa inteira na Livraria Comtemporane*
de Ramiro M. Costa, ra Io. de Marco n.
i, loja de ferragens de Albino ds Silv*
i C, rna ds cadeia n. 42; loja de fer
jens de BrandSo & C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
PUBLICACOES A PEDIDO
Novos horizontes
XI
J teoho dito, e nao cessarei de repetir, que a
intervenco dos govemos, necessaria, indispen-
aavel, nao deve, entretanto, ser discricionaria e
sem limitas ; ao contrario, por isso mesmo que
ella pode fcilmente degenerar em oppresso,
precisa ser limitada, inteligente, moderada e
discreta. Fra destas normas, toda a interven
cao perigosa, porque ameaca a justiga, aves-
sa liberdade, sem por lado nenhum nem a
oingnem ser proticua.
A interveoco que excede os justos limites em
que se deve manter, si ataca os partidos e o
povo, em vez de dirigil os, degenera em despo-
tismo si se langa nos bracos de um contra os
outros, cabe no vicio d > vvlho regimeo, fuzeodo
de qnem a eserce ebefe de partido.
Os geveroos devem ser antes conciliadores
que reactores; devera se manter em uma posi-
co, at oode fr possive), equidistante dos ou-
tros agentes e factores da ordem social. lelo
noquer dizer. entretanto, que ellos sejam mar-
eos miliarios, iodiffereotes, impassiveis, oSo;
mas o seu movimeoto. a sua flexibilidade deve
ter por bossola a opiniao publica competente e
livremente manifestada. Ai! do paii, ai I da
sociedade em que o governo o incumbido de
formar e fortalecer os partidos, de dar o lamir
e afinar a opinio ; com certeza, oesse paiz e
aessa sociedade nao dominar o rgimen ds 11-
berdade. Os partidos formam-se e fortalecem-
ae oatural e legitimameote pelas ideas, pelas
crensas, pelas aspiracOes, pela discnss&o e pe
ios services; qoaodo s&o artificialmente consti
luidos pela indebita iniciativa e prepotentes es-
forcos de nm governo, nao t d, nao podem ter
a necessaria consistencia, desapparecem com
quem os constituio e, s vezas, at antes deile.
E tudo isto se d, porque os verdadeiros par-
su-a, e por quasi nada i distanciando a Atita, ^ot nj0 gj0i o} devem ser, aggregac6es in
diffei-entes, incoloros e sem sigoiflcaco, de io
divdaos apese movidos por aneieoes peisoaes,
Inleresses particulares e sympatbias por nomes
proprios 1 mas, ao contrario, a colligacio desio-
teressada e patritica, em non dos inleresses
genes, por adheso a principios definidos e em
torno de ama bandeira oode se lea nm lemma
no qual sejam recoobecidos e proclamados aquel
les intsresses e principios.
1 Quando os partidos assim se constitaam, em
tervirem entre elles como simples mediadores.
A nossa posico especial, me diro. estamos
Iniciando uma aova ordem de cousas, e, env
quaoto os partidos nao se formara regularmen-
te, especiaos devem ser tambem a raisso e a
conducta do governo. Engao l Razo de mais
puraque o governo respeite e--crupnl^amente-
os limites qne lbe sao tracalos emquaote um
perigo real da ordem publica nao lhe impoe
coodncta different}.
Felizmente, acredito, sao estamos ameacados
dessa misso e conducta especiaes, porque, fe-
lizmeote tambem, nenhum perigo real ameaca a
ordera publica.
Nao ha aiada partidos regulares, verdade ;
partidos regulares e definitivos s viro depois
da pronulgaco da coostituico geral daUnio
e das constituicOes parciaes dos Estados ;. mas-
estudemo3 os nsgocios de casa com franqueza, ,
observemos a familia pernambu;ana, e o que
que vemos ? 0 partido republicano que,-como -
tal j exista, quaudo foi sorprodido jielo mo-
vimeoto de 15 de Novembro, profundamente di-
viJido e minado de divergencias e despostes 1
o p,'s.-oal dos antigos partidos da mooarcbia no
mesmo estado, constituindo quatro grupos di-
versos ; e o partido catholico, formando-se, ar-
regimentando se e levantando se imponeote.
Comprehende-se que, mandatario do governo
provisorio, em nome da repblica, o governo
deste Estado nao pode deixar de ter preferencias -
por quem fr republicano; mas si os antigos .
partidos adheriram repblica, si republicanos .
somos todos, na phrase do illustre governador
do Estado, em sua circular a imprensa, nao ha,: -.
oo deve haver risco de qoe o geverno teoba <
nma iotervenco diversa de que lhe cabe.
Mas... mas at que ponto verdadeira a
phrase da circular, que acabei de referir me ?
No sou suspeito. porque j externe! decid-
d-iraente a miaba adbesio e os votos que fago
pela coosolidaco da nova ordem de cousas; ,
ueste sentido tenbo a scripto serapre, sem re-
servas, com a maior franqueza.
Somos todos republicanos, todos os partidos ad-
her ram ninguem protesten, ninguem reagio ;
mas quem observa o nosso acampamento polti-
co, v era torno da barraca em que est o esta- 1
do maior, o goveroo, diverses abarracameotos :
em todos rerala o pavilho da repblica, at
mesmo n'aquelle em que par do pavilho se-
mas em todos o movimento
oa maior parte delles, armas
combateotes observara, espe-

no dia oVoosho prximo 00 Hippooeoaw. do. u* rgimen de liberisde, os goveraos sentem a
proprii Impoteaeia pare capitanalos e ingerir
O isesaf-Aitooio de Fraitt-iio seguio par. *W ooiomla domesttea, 11 limita ni
itadedePar cerno tnexsotosaon se poblicoo. aceitar os cooselbos da opmio publica para jn
.

ergue uma cruz
oo o mesmo;
eosarilhadas, os
ram.
A' paite iraageus 4e allegorias ; precise di-
zer a verdade sem rodeio e sera veos.
E' iiuompreheosivel, errada, aventurera e
sem orientago essa poltica de des:onanga
contra os antigo 1 partidos, essa pretenco de
mantel os em i.stncia. profanos que nao podem
se approximar do altar junto do qual ; che zam
as vestaes incumbidas de maulero fogo sagrado
Nao fallo por mira, oo tenho pretengoes ; .
contentarme hei com ver os mais competentes
do que eu fazerem parte da tripolacSo que tem
de Icar o baico a porto de salvamento, e que,
para isso, precisa ser muito numerosa e experi-
mentada.
Nada se tem feito no sentido de unificar os
elementos que ahi esto para a formaco de um
graode partido; oeobom trabalho de seiecco,
de escolba, de aggregao; entretanto, taes ele-
mentos !m a irresistivel tendencia para a uniao,
que pode oo ser a melhor, qnando for aconse-
jada pela urgeocia e pela exigencia do mo-
mento.
Muito se engaara aquel le poltico qoe, em
uma siiuaco como a que atravessamos, ioexpe
nenie e embevecido oas promessas de om plano
julgado sagaz, mas pouco proprio pira Iludir a
pratica e a experiencia alheia, pretendesse eu-
treter para adiar, adiar para fazer caminbo a sen .
modo, e acreditase poder dentro de limitadissi-
mo praso sopprlr om coogragamento geral por
desaggregacOes parciaes e escassas.
Uma semelhante poltica, em face das circum-
staocias actuaes, oo naufragara deotro de pou
co lempo, eotregue aos seas proprios recursos,
ou, para man ter se, precisara de um auxilio di-
recto, de uma intervenco franca, do braco po-
deroso do goveroo. e este oo deve dar tanto. ,,
Quando todos os dias se tiram, se vio buscar
ttulos de gloria para a repblica no modo por
que foi ella aceita, na adheso com que foi re-
ceida, pdese razoavelmeote pretender o afas-
tamento dos antigos partidos ? Si estes, adhe-
rindo, oo sao boo- republicanos, oo merecen
contianga, como se tira de sua adheso argu
ment em favor do modo glorioso e incruento
por que foi proclamada a repblica ?
Semelhante poltica previne e aasusta, em ves,
de unir e popularisar; diante della os goveraos
sentem-se esquerdos, si querem se manter em
seu verdadeiro papel, ou tiopecam de erro enn.1
erro at se eofraquecerem, si preferem contem- ,
porisar e condescender. E o povo, qoe ioimigo
oatural de toda a excluso injusta, de toda a
prepotencia excusada, que j vai se compene-
trando de sua misso imporiaote e do valor que
tem no novo rgimen, qoe, agora, mais que uun-
ca, tem a sua vlvula de desafogo, o seu ele-
mento de intervencSo oo ampio exercicio do di-
reito de voto, oo pole impressiooar-se favora-
velmente com uma poltica em que os ioteresses
de maior numero sao pos tos margem.
Eu d sse que as circumstancia? polticas que
atravessamos sao orna razo de mais para que
goveroo se maotaoba em seus justos limites, e
que a especialidade dessas eirenmstencias na 1
justifica especialidade para a' conducta do mes.
mo governo.
Com effeito, sejmbre aL'uem deve ella reflec- -
tir, sobre os partidos, sobre os directores da .
poltica; o governo regula, pondera; o fiel
da balance. Aquel les agitem a opinio, fcen-
os, para que este oella se iospire e por ella seje i
guiado. Invertam-se os papis, e a opiniao qne
se formar e a sitoaco que della proer ser*
too contingentes, tao inconsistentes e trsosita-.
ras como o seu auotr; e a obra Acara mal co-
mecada, trar vicio de origem.: nao se-odioaoo.
de cima para baixo.
Recife, 25 de Maio de 1890.
JWIKCIO D'AflBUS.

:

'
-
I
> J
m
Hetliod de lrllura d Bario de
Maruhabaa
opunZo da iMPsrasA
O Sr. Baro de Macahubas.abri so-tyyce
Litterario Portngsez um curso psraenejssM
lr pelo sen methodc, e bontem, ^^[f"*^!
moBitrsr o adiantamento qne em oito licoes ti
tido osaeas dUdpulos, eonilaea para strirti
essa prov a imprensa da corte, J em so-asr*
Jfl3sf,enr numero de oD os diteipulos do Sr:-
^3
..' *\
rJ
I


Diario de Pernambuco-Tertja-feira 27 de Maio de
1

BarSo iWIacahubas, que pira o cur;o entraran
analphabetos e que hoje conhecera as lettrms, a
bem quaes os sena sons, juntara as syllabas,
formam patarras e leem mais ou menos corree
tamente.
A prova apresenlada hontem pelo Sr. Baro
deMacahubas deixou ptenles as vantageng do
seu methodo e os resoltados que delle se podem
colher.
(Da redaego do Jornal do Commercio de 17 ue
Junho de lfe86.)
A aula, que iniciou no Lycjo Litlerario Portu
guei o Sr. Barao de Macabubas, lem produzido
resaltados satisfactorios.
Pelo S3U novo methodo de en-ino lem conse-
guido o illustre prafes sor, era nito lindes, fazer
fer a individuos que eram analpbabetos.
(Da redaego do Paz).
O Sr. Bario de Macabubas deu ante hontem
no Lyceo Litterario Portugus, nma provn lo
methodo de leitura abreviada de sua inven
cao. .
Oito ligoes apenas de urna hora cada nma na
viarn sido dadas, e j a maio- parte dos seus
sessenta discpulos lia com facilidide.
Nao deve flear no olvido que os discpulos
eram operarios adultos e aaalphabetos, como
verificaran! na primeira ligai varias pessoas
distinctas, entre as quaes o Sr. comraendador
Pinbo, director do Lyceo, e o Sr. Dr. Victo-
rio da Costa, director geial da instrocc&o pu-
blica.
(Di redaego da Gazeta de Noticias.)
Din ante hontem o Sr. Barao de Macabubas,
no Lvceo Luterano Portuguez, ama prova da
proflculdade do seu methodo de hiiura ein ses
sao experimental destilada a imprecisa.
A prova nao poda ser nem mais satisfactoria,
nem mais cabal, pois coai oito ligOes, le urna
Dora apenas cada urna, a maior parte dos alura
nos, em numero de cerca de aesseuta, lerara
com promplido e seguranga, gra ide numero de
palavras e de phrases.
O metholo pereceu nos naturalisstraa e de
summa facilidade, condigo esta que concorrer
para sua generalisago, universalisando o co
nhecimento da leitura.
Por tal methodo os mestres ambulantes po-
dem levar o ensino a todas as localidades que
nao possam ter escolas publicas ou subvenc.o-
nadas.
Os alumnos do curso, cuja proxa assistimos
So adultos e alguns de mais de 50 annos de
idade, e eram iodos analpbabetos quando se in
screveram.
Comprimentamos ao incan?avel educa lor da
mocidade pelo seu felii invento, com o que mais
um valiosissimo servico prestou ins'.rucg&o na-
cional.
( Da redaego do Diario do Braza )
O Sr. Barao de Micahubas, que tanto se tem
dedicado ao ensino entre nos, acaba de iniciar
no Lyceu Litlerario Portuguez urna aula, onde
explica um novo methodo de leitura por S. Exc.
organisado.
Hontem, noite, eca presenca de nao peque
no nutn-ro de pessoas, entre as quaes se acha
vam representantes da nossa imprensa, proyou
S. Exc que em oito das, pode tazer 1er indivi-
duos que eram completam-nle analphabetos.
(Di reiacgo da Gazeta da Tarde.)
A convite do Sr. Bario de Macahub.s, reun
ram-se ante-hoatem, no Lyceu Litlerario Portu-
guez, var03 representantes da imnrensa, p.ra
assistirem a ama prova da eficacia de seu me
taodo de leitura rpida, depois de oito lice.-
diarias de ama hora cada urna.
Na real idade. sorprendedora foi a prova. por-
quanto quasi todos os alumnos, opera-ios a lu
tos. sem a miuim cultura intellootuat, em nu
mero sup rio: a sessenta, tendo se raatri aliado
no curso inteiramente analphabetos j sabia u
ler.
E' extraordinario o resulta lo conseguido pelo
Ilustrado peiagogista, soraeu'.o com o emprego
da imprensa esa lar do seu Appansllo E-colar
Mltiplo!
Com a genera isago de iao f. liz methodo
simles, nzoavel e natural, e porUnto faciilimo
de ser applicado por qual-juer professor. pode
se dizer qae dentic em breve o numero de anal-
phabetos ficar muito reduzido.
O Methodo Macahubas deu em oito horas um
resultado qae ate hoje nao consegro me tiodo
algum.
iDa redaeco do Diario de Noticias.)
O incausavel e Ilustrado Sr B-ira de Mica-
habas cnovidado po Sr. minisiro da guerra,
abri no quartel do Campo da Acelaraagao um
corso do seu methodo de leitura, para soldados
completamente ana'phabetos.
Em 15 ligos o Sr. Bario de Macahubas oble-
ve taes e to sorprendentes rebultados que j
hoje, pode, em prova publica, assisiiado o Sr.
conselheiro Alfredo Chaves, mostrar as vaola-
gens praticas do systerna de sua invenco.
O infatigavt-1 propagandista do enseno i dos
Sae nunca reposou sombra dos louro colin-
os.
(Da -edacglo do D.ar'c do R o de Janeiro, de
24 de Novembro de 18^6.)
Perante os Srs. consentiros ministro da guer
ra, ajudante general Viscoiidc da Givea. cora-
mandantes e ofii-.iaes dos 1" e 10 batailis de
infantaria, deu bontem o Sr. Barao de Macahu-
bas, no quartel do Campo Ja Aeclamago. orna
prova do aproveitamento que t u (ido u pracas
analpbabetas do ditos batalhOes mairirulad js
no curso de lectura, que abri al l este mez o
me3mo Sr. Baro.
Somonte cora 17 ligo-.'S. alternadas enlre os
doas batalhoes, raetade das pracas que frequ.r.
COMMERCIO
Revista do Mercado
Rscifk, 25 DE MAIO l)B 18VtO
O movimento limitou se a traoracgCes no mor
cado de cambios.
Bolsa
C TA^OeS OmCIAES DA JUSTA DOS COR
RETOBES
Recife, 26 ae Maio lie 18'jQ
Nao nouve cotaco.
o nresidenle,
Antonio Leona-do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dobeux.
curifcM
PBAfA DO REC1FK
Os bancos mantiveram a taxa de 20 1/4, recu-
sando saccar cima daquelie algarirao.
Em papel particular nouve negocio a 21 e 21
1/1*.
PRAGA DO RIO DE J* SEIBO
Mercado firme a 20 3.4 e 20 13/18 ban:ario,
sem tomadores.
Algodao
Cota se o de 1* sortc do serto a 9*000 firme,
sem transaeco.
A exportago feta pela alfandega neste mez at
o dia 23, constou de 2*3 49( kilos, sendo 138 3iC
para o exterior e 81.870 para o interior.
as entradas verificadas, at a data de hoje so-
taran) o corso leu com proraptidao e desemba
rago.
Assistiram tambem, alera de outros Srs.
officiaes. os Sr. m jor Duarte, ojudante de pes-
soa do Sr. ojudante general, e oalferes Peixoto,
ajadante de ordem do Sr. ccoielheiro ministro
da guerra.
(Da Gazetilha do JorwU do Commercio da mes-
ma data.)
bem a 4.645 saccas, sendo por :
Barcaca.....
Vaporea ....
Aaimaes.....
Via-rerrea deCaruar-
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro
Sotmr.2.
- Astucar
Y^recos pagos ao agricultor,
gan^oa Asaociafiao Commerciai
onegsiutea;
Usina ..,..
Branco ......
gomaos.
Maecavado porgado .
Bndo
Betune

947 Saccas
137
721
2-J8
1.03B
1.06
443 he4M
jar (SJlUos, se-
Agrcola, forara
3700 a IOjO
3.0 a 3D
* a 2i700
U6(X> a U700
U300 i !iHJ
ilfooa i2
D. Hara J Mella de Quelroz
No intuito de tornar conhecido, neste Estado, o
modo pelo qoal a imprensa do lo receben essa
nossa digna patricia, coraegamos a transcrever
as noticias que teem sido publicadas as princi
paes folbas da capital federal.
Fazendo a discripgao das festa; do dia 13 de
Maio, o Pai'z em data de 14, escreveu :
Carros com alumnos doCollegioMiverva:
de um d03 carros D. Mana Amelia de Qaeiroz
recitou urna inspirada poesa em fente redac-
go do Paiz arrancando frenetios applausos.
II
O Novidades, importante diario, que j conta
4 aunos de existencia, era suas columnas edicto-
naes, escrevea, no dia 15 do correte, o honroso
artigo seguinte :
O dia de hontem ficou entre nos registrado
como urna data celebre, pel honra que tivemos,
recebendo a araavcl visita de u na senhora, que
allia ao talento fulgurante que a distingue, urna
vasta illustrago.
Referimo-no< distioctissima oradora per-
nambucana, a Exma. Sra. D. Mara Amelia de
Queiroz que tanto combateu na sua provincia
pela nobre cansa dos que eotao eram escravos e
pela realizagao da i lea republicana, que alcan-
gou cantar victoria afina! a 15 de Novembro do
anno passaio.
Fazem hoje 6 mezes que t.'l acon'.ecimen'o
se deu, por isso nos pa-abens que dou minha
pa'.ria por se haver to dignamente libertado do
tbrooo. nao posso deixar de saudarquem tam-
bera enntribuio com a sua palavra ardente, como
se fosse com um i espada de ouro, ornada de
diamantes, pira o engrandecimento e para a
completa ruhabihtago e descravisamento do
Brazil. Honra, pois, a impeterrila senhora que
trocando o. acn megos do lar, os carinhos da
familia, pelos amargores e decepgOs da poltica,
tem procurado honrar a sua patria, trabalhando
por ella denodadamente
O tira que teve a Sra. D. Amelia de Qaeiroz
visitando nos. foi na s curapimentar-nos pelo
que esta follia j a seu respeito escreveu, como
tambem miraosear-uos cora ura exemplar da sua
ultima conferencia realizada na Victoria e ele-
gantemente impressa em Pernambu:o.
a mesma o--casio dignou se a brilhante e
talentosa propagandista, que, infelizmente para
nos, pouco se demorar na capital mostrar-nos
duas bellissimas medalhas de prala que he f >
rara offerecidas em Pernambuco, merecidissima
homenagem ao seu talento, e frajuissima retri-
buigo p'los servigw que tem prestado massa
popular com o seo verbo iraagiuoso e radiante
como ama aurjra boreal.
Mais de espag) apreciaremos detidamente o
folheto com que nos presenteou. Precisamos
el o com o vagar qu-: devecn ser saboreadas as
iguarias luteranas, pira depois pjdermos enlo
bordar os nossos periodos cora aquello que de
melhor nos fomecer o nos Agrade eraos pcnhoralos araabilissicna
llcrata e inspirada orad jp. brazileira nSo f o
favor, sem qualiiliativo, de sua olT:rta, como a
geotileza enorme de sua visita, para nos nema
ravrl.
(tk)ntiu i).
C iva.
Protesto sobre o casamento
civil ao governo do Estado
Em faca da grande repun-ncia e aver
s3o manifesta, que o de reto do casamento
civil, tem imprimido na s consciencia do
povo cathoco desea parechia, a ponto do
moverse asa repulsa com a maldifSo
de muitos, e o coastrangimento de todos,
at mes rao as lagrimas, e o saciitiio
d .quelles que forgados pelos principios e
doutrinas que tem abracado, at eotao,
correm apressadamenta por entre as mua-
rs difficaldades da* riiciimstancias e do
lempo, para casarem os sena filiaos, pro-
curando deste modo honroso e louvavel, a
ultima hora em que possam anda resalvar
Ibes o legitimo e sagrado direito sobre os
seus bens, e descancarem tr.nquilloa no
lar domestico, unidos pelo lago sacramen-
tal da sociedade conjugal e na relegiSo
dos nossos antepassados.
E' deste modo que os nossos crentes
procurara com razo fugir accao de urna
lei que sabinio estemporanearaer-te das
ruinas era que giram as leis universaes
qu: regocu a sosiedado cid acgSe3 e di
reitos, boje porjm atira se sobre a liber-
Aexponagao lena pela alfandega nestemez al
o da 23, constou de 4.61 '.403 kilos sendo......
1.095.160 jara o exterior e 3.522.223 para o in
terior.
As entradas verilee tuas at a data de hoje so-
bem a 4J.081 -accos sendo por
arcacas .' 20.147 Baccos
'apores.....
vnimaes.... 1 068
'ia-ferrea de Carnir. 1.905
'ia-ferrea de S. Francisro 19 598
ia-ferrea do Limoeiro 365
Souirna.
13.081 S e
Cauros
Couros silgados 40 > ris, e os verdes a 2V0
'lS
Agurdente
Coia-se a 94iy<>J, .par- pipa de 480 litros.
fool
CoU-se a I90i00upor pipa de 480 litros.
ncl
Cota-ne a 55000 por ipa ie. 480 litros.
I'aut da 4 Ifandes
O>t DB 2G 31 DB MAIO D( H90
Vede o Oiario de 25 de Maio
\'.ivIo descarga
Barca nacional P. da Costo, f.iriiiha de trigo.
Barca noroeguense Galera finnlu de trigo.
Barca noruegueose Gler, carvSo.
Barca naruegueose Cari lluttel, carvo.
Barca nacional Marianninha. xarqne.
Barca allemi Mana, vaiios gneros.
Brigoe hollaudez Meidem, xa.-.iue.
Escuna ooueguensu Ge/ion, xarque.
Lugar portn^uez Temerario, xarque.
L^ardinamarq-ccz Arken, xrque.
Lugar nocioaal Dr.ax untertcos, vari03 gneros.
Lugar hollande //. R. Leembuis, graxa.
Patacho nacional Murinho 2.; xarque.
Patacho hollandez letirika, xarque.
I'atacho hollandez Vootcaartt, varios gneros.
Patacho portoguez Mmukoo v nho.
Patacho ameriuaao Jokn II. Cardn, varios g-
neros.
Patacho hespanhoi /ove* Para, xarqne.
eiDortac*
sscira, 24 m mo d 1890.
i'ra o txlerur
- m vapjr aliento 01 niu, para Lisboa.
^S^flSraei & :., 53 saccas com 4,047 kilos
deaigodlo.
dade di consciencia do oidadSo, a obr ga
co do aasamento civil, para reconhe er o
directo dos fihoj.
Entretanto l vem a luctuosa data do
dia 24 de Maio de 1890, com todo o seu
apparato official para embargar judicial-
mente a santa libardade de consciencia de
urna ebristandade que prensa ser mais
livre e independente da accao dos poderes
pblicos temporaes.
Por tanto, isto importa o inverso de ou-
tras datas felizes e gloriosas, em que cen-
tenares de martyres e operarios do pro-
gresso levados pela senda do patriotismo,
vinham sobre o altar do sacrificio, espe-
decarem o jugo da oppreesSo. E estas
foram as immortaes datas de 1817 de
1824, de 1848 e ltimamente 13 de Maio
de 88, assim como tambora a gloriossima
data de 15 de Novembro de 1889, epocha
da nossa restauracSo ideal poltica can-
tada por tantos filiaos dedicados a nossa
religiao e nosss patria.
Por conseguinte entendo que um go-
verno patritico inteiramente dedicado a
prosperidade civil e miral dos povos,
devia suspeoder e extinguir e execu^o
de um decreto que Ibe poder valer a
sympathia mais decidida da Nsc;So Brasi
leira, substituindo o dia 24 de Maio de
1890 pelo dia da restauracSo da libardade
de consciencia.
Peco venia ao meu respeitabilissimo
governo diocesano, e juntamente a volio
sissima cooperaclo aos Rvdms. Srs, colle-
legas parocbos, afim de protestar ao go-
verno do Estado contra ama lei qae, per-
turba asi c nsccencca dos meus paro
chianos.
Freguesia de Santa Aguida de Pes
queira, 16 de Maio de 1890.
O vigario, Joclo Eneas Ferreira Campos.
Estrada de Ferro do Recife
ao S. Francisco
O abaixo assignado, tando oceupado o
cargo de conductor do trem de Una, d'esta
estrada, por espaco de 3 annos, .foi forja-
do a pedir sua exoneracao por motivos
compativeis a si e a sua familia, e faltara
ao mais sagrado dever se deixasse de vir
em publico agradecer aos muito dignos
directores desta linha frrea, os Srs. aupe
hntendente H. H. Corrick, chefe de tra-
fego Agricio Lins, Julio de Mello e Clian
se a confianca e maneiras delicadas que
como superiores, e immerecidamento, Ih-
dispensavam.
Aos meus collegas um saudoso adeus,
a todos abrago, protestando-Ibes minha es
tima e offerecendo-lhes o limitado presti
mo que em mim possam visar, n'esta c
dade de Palmares, onde continuare! resi
dindo.
Nao deixarei em olvido os imnumers
passageiros que traasitavam em meu trem,
offerecendo a todos minha estima e consi
derago.
Cidade de Palmares, 26 de Uaio de
1890.
Gervasio Pereira.
Prfidos ou imbecis
Foram estas as palavras que nos vieram ao?
labios, qoando lemos o editorial com que A Epo
cha de autehontem investio contra o govo nador
deste estado a proposito do acta de ^KMo cor-
rente.
Todo mnodo se lenbra de que o p'iraeiro acto
do D". Albino Meira, depois que assnmiu o go
verno de Pernambuco foi revogar o e-lebre de
creto da vilaliciedade, cora que o ruare, hil Si
raeao bavia pretendilo coarctar a liberdade do
seu successor no tocantij a de nisses de empre
gados pblicos.
Todo mundo sabe tambem, quo A Epoc'ia ap
provon aquelle acto do novo governador.
Agora o Dr. Alnino Mei.a reclama para f i,
pelo acto de 17, a fa ral ia le de nomear livre
mente esses mesmos funcionarios ; e eis que,
com pasmo geral de todos os boraeus sensatos.
A Epocha grita : Aqui d'el ra. esto nos rou
bando, eslao suspensas todos as nossas giran
tiasU
Eis ahi: Hontem o governador proclama va
a liberdade, de demittir, isto 6, fazer o mal, e A
Epocha applaudia. Hoje o goverriador rpciam i
a liberdade de nomear, isto 6. fazer o bem, c A
Epocha pbe a bocea uo mundo I
lato nao serio.
Ou sao imbecis, ou sao perlidoi; ou, melhir,
sao urna e outra cousa
E a perfidia se revela revoltante no nal do
dito edictorial, oade A Epocha procua enxer
gar contradiegao entre o auio de 17 e aqoelle
F. da Costa C, 603 saccas com 48,766 1/2
kilos de algodao.
J. J. Alves C, 23 saceos con 1,853 kilos de
l& barriguda.
F. M. da Silva & C, 20 caixas contendo 20
dazias de f riscos ne cajucubeba.
Rossbach Broiliers, 500 couros seceos salgaaos
com 6,000 kilos.
Para Hamburgo, carregaram :
Poblmau & C, 450 couros seceos salgados cora
5,400 kilos.
P. Carneiro A C, 1,030 couros seceos salga-
dos com 12,000 kilos.
fara o interior
No vapor nacional Beberibe, para Araaj,
carreearam :
P. Carneiro & C, 1 490 saceos com farinha de
mandioca.
Para Penedo, carregaram :
Goimare8 Valeute, 200 saceos com f rfnU
de mandioca.
Para Villa Nova, carreearam :
Guimares a Valeote, 253 saceos com farrali i
de mandioca.
No vapor allem&o Proc-da, para Rio de Ja-
neiro, carregou :
M. I. dos Santos, 50 pipis com 24,030 litros de
agurdente.
Para Santos, carregou :
M J. dos Santos, 40:) saceos com 2'tO'O kilos
de assucar branco e 800 ditos com 49,oO > ditos
de dito mascavado.
No vapor francez V. de S. Nic Ido, para
Santos, carregou :
A. Labille, 20 pipas com 9,600 litros de agaar-
denle.
No vapor nacional Alagoas, para Rio de Ja
neiro, carregaram
S. Njgueira & C. 1 caixa com 18 kilos de
peonas de ema.
No patacho nacional Industrial, para Villa
Nova, carregou :
J. de Sa Leitao, 1,340 saceos com 100,300 kilos
de carogos de algodao.
Na barcaca Cecilia, para Alagoas, carre-
gou :
Euclides A. Monteiro, 1,000 litros de sal.
Uluhelro
BECEBIDO
Pelo vapor nacional 'Pernambuco, do sul
Sira:
irtins Fiuza k C. 6.000.0
Barnardiao Lopes Alneiro 2.OC0j.0O0
EXPEDIDO
Pelo vapor nacional Alsgoa, para :
Rio de Janeiro 4.000*030
Pelo vapor nacional Beberibe, par:
Penedo iO.OOOiOOO
Aracaj 2 796*400
> ft**M o: M
pelo qoal o governador prcrorou Itaaltsar as no-
meacoes de escrivaes u tabelliaes, que h-viam
sido feitas s Nao ha nenboma contradiegao.
As leis, que estabelecm o modo de prover os
empregos provinciaes, sao proiinsiaes, e como
taes poaeni ser revogadas pelo governador. Mas
as leis, que regalara o provimento dos oflicios
de justiga, escrivaes e tabelliaes, sao gems, e
como taes o governador nao as ple dispensar .
todos os actos que elle praticar com prelerigao
deltas saonullos.
Isto que todo mundo eotende, A Epocha nao
entendeu I
Uu sao imbecis, ou sao prfidos.
Estado de Piaubv
O telegramma dirigido ao Sr. D \ Bar
ros Ouimaraes pelo Sr. Dr. Thaumaturgo
de Asevedo merece, para o noaso publico,
absoluta cenfianca.
Os pernambucanos conhcu fundamen-
te a mquebrantabil Idade de carcter do
illustre governador do PUuby, festejado
sempre neste nosso Estado palos seus ac-
tos de impecavel correegao.
Suspendam, pois, at positivos esclare
cimejtos, qualquer juizo sobre negocio
t2o transcendental.
O Sr. BarSo de Urussuhy, naturalmen-
te nSo encontrando malleabilidade no hon-
rado militar, procura convulsionar o solo
em que este firma o imperio da lei e da
justiga, e os seus alevantados crditos.
O Sr. Dr. Thaumaturgo tem como bro-
quel e para Iluminar todo o scenario de
8jas luta3 urna estrella de primsira gran-
deza :o seu nome sem macula, impollu-
ta, que sempre soube guardar n'um par-
antho sagrado como o tabernculo sant)
da sua honra e de sua onsciemia.
Esperemos.
Jupyn ano.
Club popular republicaoo
de Belm
A commissSo de redacgili de te c!ub
lendo a Epocha de 24 do cor- e uc, depa-
rou com um annuncio onde mus un>a vez
o 2o i'lub Republicano de Bdra, procu-
ra confundir se com o de qu ella tea p irte
pois fez-se annunciar de um madu ideute-
co, e nSo conhecendo o motivo qne obri
gou-o a assim proceder, vera pedir-Ibe
que justifique-se afim de em umi di.cis
sao clara e digna de horneras de bem, pos-
Sd o publico conhecer e distinguir os dou*
clubs.
Appellando para o carcter da club a
quem se dirige, -spera ser attcodidi.
Kecife, 26 de Maio de 1890.
Vasco de Albuquerque Gama.
Arthur Attico de Soua Mtgalhles.
Jos Francisco Ribeiro Machado.
Falleeimento do r. loa
Chrlstlaoi
Falleceu na sua residencia. n.i C uninho N >v i
o bcra conhecido cidadSo Sr. Jao Chriiian,
cora idade de 68 annos e dous raezes e meio, s
7 Vz horas da noile do dia 23 Jo correte.
Sua viada esta prorncia, hoj; ejtadj, che
gando aqui do Arucaly, teve lugar ha mei) ?e
culo, uaquelle bom lempo ant:g>, quando ura
illustre hornera de integridade, o Bar) da Boa
Vila (mais tarde C.nde) f.ii presidente da pro
vincia, quando em das de jala n3o rusUvi i r
era parada 4 a o 000 pragas de gua-da iririoa !
de to-las as armas, bem disciplinadas n farda
das, qsando o comaercio da prov-n ii II ni.-ceu
u eslava adiante do da Babia, lao rorao o nu
mero da popu.laraj, c quando a c ubriaguez foi
limitada quasi a pralica de negros e certos rs-
tranitein 8.
Uestro de su ofGcio, inJutrio.'o, fcugal c
oontual em todas as cousas, o f-'Ilc:idj \\ de
longos anuos ee achava era circucnstancias af
fluentes. e deixa ura espolio -imporunt-, ssim
como uraa familia numerosa, sua nculher, filn s
rillias, gaaros, netos e netas, -obrrahos c tobri
"b-'S.
H unem serio e dotado cora boa ntelliccicia,
lacnbein leve urna disposigao bvndo-a. Foi bom
cidadao e amigo da ordem, bom espo-o, pois a
habiiago em qu collocou sua inulher e liilios c
um padrao de nitidez ecoratm los. e raras vez's
se tfaslou de casa as horas depois d > janta^.
Foi bom pai, dando a seus lillios e fluas ura
bem da primeira impar'ancia. urna excellenu*
educagao, e mais tarde oa raeios para tolos,
tanto eoino os genros, sj- ai h irera em posigOs
de vida bem solidas c coraiuo las.
Foi bom am'go, sycnpathico c cari loso, e nao
pequeo o numero daquelles a quera far falla
a -ua dissoluco.
Consolagao a sua familia. Paz sua alma I
Pernambuco, 2o de Maio de 1890.
Kcudlinculos |iihleos
Renda eral :
Do dia 1 a 24
dem de 2 i
uaz DB AUCCIL
Alfandega
748 963.-831
3J:378li7J'
783 3i2506
Renda do Estado de Pernambuco :
Do dial a 24 135:157/160
dem de 26 7.779*200
-------------- lii 9J"6i460
Somma total 9J1.299t6
Segunda secgo da Alfandega de Pernambuco,
26 de Maio de 1890.
O thesoureiroFlorencio Domtugnes.
0 chefe da secgoCiccto b. de Mello.
Reeebedoria do Estado de
Pcrnambueo
Do aia 1 a 2v 3i:599i2d7
dem de 2(J 7 6541259
40 253526
Recife Orainage
Do dia 1 a 24 8:341*67-3
dem d: 23 817*293
93S8970
Mercado Municipal de S. lose
O movimento deste meicado nos vx 24 25 e de
Maio foi o seguidle :
Entraram :
63bois pesando 9,017 kilos.
939 kilos de peixe a 20 res 13; 180
30 1/2 cargas com farinha a 200 rs. 6*100
12 ditas de fructas diversas a 30U r* 3*6X0
66columoas a 600 rs. 39.600
269 taboieiros a 200 rs, 3*800
36 suinos a 200 rs. 7*200
2 cscriptorio a 300 rs. 6'JO
114 compartimentos com farinha a 500
rs. 57*000
60 ditos de comidas a 500 rs. 3O*00u
196 ditos de legumes e fazeudas a
400 rs. 78*400
34 ditos de suinos a 700 rs. 21*8-0
16 ditos de fressuras a 600 ra. 96 0
13 ditos de camares a 200 rs. 2*600
74 UIo a U **
Rendimento de 1 a 23 do Correpte
479.480
5 320*420
5.799*900
Precos do dia:
Carne verde de 280 a 4,80 ris a kilo.
Suinos de 560 a 640 ris idea.
Molina e SIyIM
Eis o que atiesta um conhecido mora-
dor de Pelotas com referencia a dous ca
sos de asthma :
c Atiesto que as minhas filhas Isolina e
Sil vina sofTriam, ha mais de tres annos,
horrivelmente de asthma, qns lhes vinha
por accessoj amud eu julguei em muitos d'elles, ter se appro-
ximado o termo fatal de suas pobres exis
ten .ias. Depois, porm, que usaram do
Peitoral de Jambar, p: e para gao do Sr. J.
Alvares de Souza Soares, s Silvina foi
atacada, ha quinze dias, de um novo ac-
cesso, que cedea promptamente ao mesmo
peitoral.
< Miguel Antonio dos Santos. >
(A firma est reconhecida.)
*em contestaco
Principiamos a publicar hoie urna sene
de attestados em favor do Sr. Jos Alvares
de Souza Soares, sobre as prodigiosas cu
ras que tem feito o seu acreditado e po
pular Paitoral de Cambar.
Ha tempo um dos redactores d'esta fo-
lha, sendo atacadado de urna forte e per-
tinaz tosse, e depois de ter usado diversos
xaropes sem resultado satisfactorio, fez
uso do Peitoral de Cambar e ficou com-
pletamente restabelecido de 3ua alterada
cade.
Particularmente nos disse o Sr. Dr.
Ilenriqson, quando aqui esteve ha pouco
tempo, que esse importante remedio era
muito procurado em Santa Victoria e que
elle receitava-o a seus doentes, sempre
com vantagem sobre qualquer outro, pois
que a cura era radical.
(Extr. do Diario de Pelotas).
Despedida
H-jrman Lundgren, retirndose com sua fa-
milia temporariamente pata a Europa, e nao
tecido pjdido, pr falta de tempo, desnelir-se
de todas as pessoas de sua aratzade. o faz por
este meio, e lne* offerece o seu presumo em
Hamburgo, para onde segu.
Preoccupado com os negocios de viagem, nao
rae foi posiivel despedir me pessoalmeolo dos
meus amigos, o qne fago pelo presente offere
cendo-lhes a niinbi boa vontade em servir, na
Caoital Federal.
It;cife, 24 de Maio de 1890.
Major Esp'rdo Santo.
Os focos d*s febres.Em quasi todas
as localidades, por pouco que haj* panta
nos ou aguas esi-igoadas, os germes das
febres existem era permanencia. Em to
dos os climas quintes, ou na estacao de
calor em todos os paizes, estes mos ge
evos pullulacu com dupla intensidade. No
curso de quasi todas as febres, os mdicos
receitam a quina. Nao conhecemos pre-
parago de quina, tao commod* de se to-
mar, come 8 le chlorhydrato, de bromhyirato, de vu'
leriaoato de quinioa do Dr. Clertan, ap-
provadaa pela Academia de Medicina de
Pars,
Convindo mais especialmente aos tem
peramentos nervosos, o bromhydrato e o
valcrianato de quinina.
as convalesceogas das febres e como
preservativo, o preparado que mais con-
vem, o mais cfficaz e o que mais recom-
mendado o vinho de Quinio de A- La-
barraque, approvado tambem pela Acade-
mia de Medicica de Pariz.
Com a anemia, o sangue enfraquece, as
faces desmsiam, e os ervos ficam irri
taveis ; para reanimar as forgas e resti-
tuir ao sangue a sua riquissima cor, e
vioho toni nutritivo de Peptona Defresno
produz resultados maravillosos
A'S YICTIMAS DAS FEBRES
O Elixir anct-rebrll Cardvso, appro-
vado em 21 de Margo deste anno pela Inspectora
Geral de Hygicne do Bio de Janeiro, vem hoje
apreseotar-se i humanidade soffredora do mun
do ioteiro. como taboa de salvago que ao infe-
liz naufrag Ihe enviada poraao omnipotente!
O Elixir un i f brll Cardlo, appli-
cado era muitissimos easos de febres, tem, como
por railagre, levantado do lelto da dor a comple-
tos moribundos.
Carneiro de 640 a-800 idem.
Farinha de 50) a 560 ris a cnia,
Milho le 4V) a 500 reis idem
Fcijo de 900 a 1*200 idem.
Vapores a entrar
MEZ DE UAIO
New-York___ Fwnce........... 29
Vapores a sabir
HEZ DE MAIO
Santos e esc Ville de S. Nicolao.. 27 as 4 h
Norte.......Pernambuco....... 27 as 5 b
santos e esc.. Finante'.......... 30 as 3 h
lovluienlo do porte
Navios entrados no dia 24
Liverpool e escala20 dias, vapor inglez
Dnate, de 870 tineladas, comman-
dante J. Eaton, equipaggm 27, carga
varios gneros; a Blaekburn Needham
& C.
Rio de Janeiro9 dias, barca norueguen-
se de 436 toneladas, cap i tao
I. M. Bbrahansen, equipagem 11, car-
ga farinha de trigo e farelo ; ordem.
Manos e escala9 dias, vapor nacional
Alag6as, de 1.999 toneladas, com-
mandante Jo3o Mar Pessa, equipa-
gem 60, carga varios gneros; a Pe-
reira Carneiro & C.
Cear3 dias, vapor ingles Norseman,
de 826 toneladas, com mandante liobert
Gil, equipagem 55, carga fios telegra
phicoa ; Compauhia Submarina.
Rio Grande do Norte8 dias, hiate nacio-
nal Giriquity, de 45 toneladas, mestre
Joaquim H. da Silveira, equipagnm 4,
carga toros de mangue ; Manoel Joa-
quim Pesada.
Pelotas24 dias, patacho nacional Ma-
rinho 2., de 248 tonelzdas, capitao
Francisco Jos Astoriano, equipagem
4, carga xarque; a Maia & Rezende.
Navios sahidos no mesmo dia
BarbadosPatacho ingles Loyalist, ca-
pitao J. M Vroom, em lastro.
MaceiVapor ingles Ahimore, com-
mandante James Watson, carga assu
car.
Barbado*Lugar ingles Peggy, capitao
G. Prouse, em lastro.
Porte-Alegre e escalaVapor nacional
Camillo,i commandante Jos Fran-
cisco de Oliveim, carga Tsrios gneros.
Rio de Janeiro e scslaVapor nacional
Este remedio, com posto smente de-vegeta6*"
inteiramente inoffnsivfj, anda mesmo namai
mimosa e tenra orianca.
As senhoras, no estado de paridas, ou no pe-
riodo de incommodos uaturaes, podem osai o-
sem receio algum.
Depsitos
Drogara dos Srs. Francisco Manoel da Silva
& C, a ra Mrquez de Oliod i n. 23,
Pharmacia Martin?, roa Duque de Caxas-
n 88.
Pharmacia Oriental, a roa Estreita do Rosario-
n. 3
Pharmacia Alfredo Ferreira, a ra do Barao da
Victoria n. 14.
Pharmacia Imperatriz, a ra da Imperstria
n 49.
Para qualquer explicagao podem dirigirse ao
autor Manoel Cardoso Jnior, roa Estreita do-
Rosario n. 17.
Dos innmero? attestados que temos, damos
em segni ia principio a sua publicagao; e isto
bastar para que sejam conbecidas as virtudes-
do Elixir an febril lardoso.
Ademados
N. 21
llm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.Declaro que
a sua tintura anti-febril e ura excellenle re.ce-.no
oara curar febres, lenlto experimentado era dif-
ferentes casos as cinco gotias de seu remedio em
quinze gramraas d'agua para tomar esta dse de
duas era. duas horas, nos caras de febres adyna-
micas, gstricas e inflammatonas, era poucos das
ticaram os doentes cou.pl.-lamenie resiabeleoidos,
pelo q je Ihe agradego a ofEcirta que rae fez de al-
guns vidros de sua Untura.
De seu amigo obngado Ad pho. Parias.
Recife, 28 de Janeiro de 189(X
N 22
Illm. Sr. Manoel Cardoso Jnior.E' cora pra-
ztr que Ibe participo que seu preparado denomi-
nadoElixir antifebrilapplicado pelo S\ Dr.
Miguel Tnemudo Lessa na pessoa de meu irmao
Jos que se achava atacado da febre amarella
continuada por dous mdicos d'esta ctdaoe, foi
de uraa eficacia a toda a pro/a, pois coa^eguio
restabelecel o no espaco ds oilo dias.
P Je Vmc. dar publicidade a estas liabas, ceso
Ihe convenha.
Di Vmc. atiento venerador e criado -Joaquim.
Antonio Ribeiro.
R.-cifj, 25 de Abril de 1889.
N. 23
Recife, 10 de Margo de-1389.
Amigo e Sr. Manoel Cardoso.-Grande saiisfa-
gao lenlio Pin dar-lhe o presente certificado por
pensar que poder ser ue beneli io humanida-
de soflredora. Tomei someote quinze grarama
do seuElixir anti-febril -administrado con as
prescripges exigidas por Vmc, o quanto foi
haslante para curarme de uraa febre intermit-
iente que ha cinco dias me persegua.
P le Vmc. fazer d'esta o uso que Ihe convier.
Sou de Vmc. amiiro e criado attencioso-A'cr-
berto Guimaraes Filho.
N 2i
Illm.e amigo Manoel Carioso. Recife. Apr-
sente tem por lim testemunhar Ihe o meu arato
reconheciraenra, por ter ecnpregadoo seuElixir
anti-febrilem utna menina de quatorze annos,
tutelada de minha familia, que sendo accotimii't-
lida de febre ly.'hoide apreesei me em chamar o
meu amigo e illustre dioico Dr. Miguel Themu !o
que, com a atlengi que he 6 peculiar, adminis-
tros tao bem o seu poderoso invento que na lim
de tres dias salvou a minha doente de to h rra-
vcl nial.
Pode Vmc. fazer em qualquer tempo o u?3 que
Ihe convier d'este meu humilde attestado irsa-
lo da mais alta graiido.
Seu amigo e cria inJorge Cooper,
28 Je Juch i de 1839.
N. 25
Eu, abaixo aseignado, declaro que ura meu 11-
lito de oito para nove annos, estando com ucr.a fe-
bre extraordinaria, e que dixiam ser frbre ama-
relia, Ihe appliquei o-Elixir anti febrildo Sr.
Manoel Cardoso Junio.' c no espato de seis horas
desappanceu a ftbre sera mais remedio algum
Ihe applicar, dias depois deu a febre da merma
forma cm uraa orara minha filba de qu'nze an-
nos e applicandolhe o mesmo-Elixir anti fe-
bril do mesmo seuhor, no espago de vicie e
quatro horas :ou completamente Loa, sem mais
remedio algum Ihe applicar, pelo que era fe de
verdad'; me assigno.
Pernambuco, 18 de Maio de 1889.-i.cjn.into
Jos Ribetro Magalhaes.
(Estavain melladas e reconhecidas as lirma-)-
Elixir anli-ebril Cardoso
Manoel Cardoso Jnior, autor do Ex r
ante febril Cardoto, Ieodo, no Jornal do
Recife de terca-feira, 20 do corrente, um
communicado sob a epcgraphe O Elixir
Antifebril e as varilas,aconselband i o
a prestar gratuitamente aos varioloios pe-
bres o seu Elixir anti-febril, em virtude
de produzir tambem n'eita molestiaac-
ci benfica; vem declarar solemnemente
que nunca recusou dar aos desvalidos o re-
medio de sua invengao, especial para le-
bres,O Elixir anti febril Cardoso; pelo
que nSo se Ihe poder argir falta de ca-
ridade para com os seus se mechantes.
Alagoas, commandante Jo2o Maria
Pessoa, carga varios gneros.
Bahia e escalaVapor nacional Bebe-
ribe, commandante Joaquim da Silva
Pereira, carga varios geteros.
Navios entrados no dia 25
Batra eescala-7 dias vapor nacional Mrquez
de Caxias, de 500 toneladas, commandante
Jos BernarJe de ;ouza, equipagem 27, carga
varios gneros ; a Pedro Osorio de Cerqneira.
Santos e escalabdas, vapor allemBo Olinda
de 1734 toneladas, commandante J. Biher-
raann, equipagem 49, carga varios gneros; a
Borsielmann & C.
Pelotas17 dias, lsar nacional Tigre, de
252 toneladas, capi&o Antonio Nunes de Cam-
pos, equipagem 10, carga xarque; a Baltar
Oliveira AC.
Buenos Ayres e escala-11 dias, vapor ingles
Tamar, de 1706 toneladas, commandante
C. Rigand, equipagem 99, carga varios gene-
ros ; a Amorim Irmos & C.
Havre e escala 16 dias, vapor francez Vale
de S. Nicols, e 1556 toneladas, comu.an-
dante Esnol August, iqupagem 36 carga va-
rios gneros; a Augusle Libille-
Porto Alegre e escala14 das, vepor inglez
Cometa, de 718 toneladas, commandante
David Ogg, equipagem 30, carga varios gne-
ros ; a Pereira Carneiro & C
Montevideo-20 dias, patacho a lemao Apoll,
de 306 toneladas, capiao A. A. i'acker, equi-
pagem 8, carga xarque ; a Maia & Rezende.
Fernando da Noronha-60 hora9, vapor nacional
Jacohype, de 382 toneladas, commandante
Joaquim Jos Esteves Jnior, equipagem 30,
em lastro; Companhia Pernamoucana.
Navios sahidos no mesmo dia
Southarapton e escala Vapor ingle Tamar,
commandante C. Rigaud, carga varios gneros-
Santos e escala-Vapor sllemao Procida,
commandante J. Foodt. carga varios gneros-
Navios entrados no dia 26
Rio de Janeiro e escila6 dias vapor nacional
Pernambuco, de 1999 toneladas, comman-
dante Antonio Ferreira da Silva, equipagem
60, carga varios gneros ; a Pereira Carneiro
AC
Pelotas36 dias, patacho hespanhoi Ballester
de 148 toneladas, capilo Francisco Mengual,
equipagem 10, carga xarque; a Joaquim da
Silva Carneiro.
Navios sahides no mesmo dia
Hamburgo e escala Vapor allemo Olinda,
commandante J. Beber-mana, carga vrrios g-
neros.
MacoPatacho noruegueose Ceres. > capitao
J. Olsen, em lastro.
MacaoHiate nacional Victoria. mestre Ma-
noel Trajino da Sirva, carga varios gneros.
*,
i



' I
E



i
I. .......
mmm
m



Diario de Penuimbuco-Terca-feira 27 de Maio de 1890
5

--

-

-.
Tenho f mecido gratuitamente dive--
8quatro mil cento e vinte e seis fras
eos,de lgramrnas cad um, do referido
Elixir, inclusive doze frascos Santa Casa
de Misericordia, como provo om o docu-
mento ab&ixo transcripto.
Por isso o autor do commun'cado a que
no refiro parece nao er conbecimento do
ten proceder para com a humanidade des
Talida, nem mesmo o poderia ter, desde
ana nao cos'.umo fazer ostentsciJo de meus
actos.
Reeife, 21 de Maio de 1893.
Manotl Carota Jnior.
Santa Casa de Misericordia do Reeife,
27 de Dezembro de 1888.
Illm. Sr. A junta administrativa desta
Santa Casa, por meu intermedio, agrde-
se a V. S. o donativo que fez de 12 vi-
ros com o Elixir anti febril Je sua com
posicao, os quaes foram remettidoB para o
aospital Pedro II.
Deus guarde a V. S.Iilm. Sr. Manoel
Cardoso Jnior.O provedor, Joaquim
Correia de Araujo.
ter oulros encamenos e spparWhos, a impor
(aucia do material e mi de obra, por tabella
que ser appiovada pelo governo.
II. O fornecimento ccmplelo e a.-fentamento
das letrinas e inicinos pnblicos.
III. A con-lro'.c8o dos tanques de carga para
a lavagem des encanameotos e galeras, segun-
do o tvpo edimentes pprovado?.
IV. O fornecimento e assentamento de una
baca e fypbao Das estulegtns denominadas cor-
tices para cada giupo ou frac vau de cinco ca-
sa.
6.* O goverco do Estado concede o privilegia
empieza o ccrapanhia que ce organizar at
50 annos e garante os juros do 6'|. i uouaes so
bre o capital que fr lixado; tratandj-se no
contracto final tas disposicOes relativas A amor-
tiaco da renda liquida, do modo do pagamea
to de juros, ele.
Devedores da Fazenda
Por esta scelo ae faz publico que,
fica marcado o prazo de 8 dias, contados
da data da presente declaracSo para os
devedores do imposto de industria e pro
fissoes, relativo ao exercicio de 1890,
virem pagar os seus dbitos amigavel-
mente, certos de que, en nSo o fizerem,
serao as respectivas certidSes enviadas ao
juizo dos Fetos para a cobranca execu-
tiva.
Alfredo Francisco da Silva 57/5503, An-
tonio de Oliveira Maia 560359, Alfredo
Lopes Guimaraes 490450,
1 lata de folha para ca' moido, de 5 kilos y .,, ^ ^
3 ditas grande para aparar caf para 100 praca3.| AriIltlIlCI&Cle
y marmitas de fulba pira conduelo de rancho.] DO
1 temo de medidas de folha para lquidos, at 4 CCJ C_ i i
, '"ros. bIS. bacramen toda matriz da
lo monnques de barro com pratos.
8 oleados egpessos para mesa de rancbo.
4 ourne8 de louca.
ED1TAES
De ordem do cidaaao Dr presidente e para eo-
ahecimento de todos e a mais rigorosa obser
ancia, faco publico que as multas impostas aos
eidaduos ju z-s de fado serao desta data em
dianle mradas executivamenle. E para que
cidadao algum se chame ignorancia, manda o
mesmo Dr. presidente publicar pela imprensa e
ifiixar o presente nos luga:es mais pblicos
desla cidade e demaiB povoados do municipio
rom a necesaria antecedencia. Pago da loten
deDcia Municipal de Jaboatao, 20 de Malo de
O secrelaiio.
.-Inferno Ilenrque de Almeida Jnior.
Obras publicas
ESGOTOS
Em virtude do que determina o decreto n.
i i, de 11 de Abiil do curenle anno, e de or-
dem do cidadao d:rectur d'erla repariicso, de
claro em concurrencia, por espato de 4 mezes,
contados da data do presente edital, o estable-
cimento de urna rede completa de esletos para
a capital d'este Estado, ae accordo com as se-
enintes
**/' ueces para a concesto e um privilegio para
estabelecimento de urna rede completa de efgo
los consoante os prinepios technicos e clausulas
vlauu desenptas.
Concurrentes e propostas
I." Os proponeutes deveio ter pleno conlie
menta de todas es circunstancias locaes e
dispr dos recursos necessarios para iniciar e
altimar os lrai>alhos e apresentaro garantas
para lid e completa execuco das obras.
As propostas e todos os papis que a acompa-
abarem devero vir sellados e reconhecidas as
armas.
Os proponentes assignaro as proposlas com
as aones por extenso, indicando a sua residen-
.
As propostas devem ser acompanhadas :
I. Dd um conlieciiuemo de deposito da quan
Sa de dez contos de r(is ro dinbeiro ou apoli
ses da divida publica gacel ou d'este E*lcdo. no
lomando em consideracao as que onit irem
esle conh- cimento.
II. Dos documcolos que provem tero propo-
aenle a necessaria idooeidade pu fl.-sional.
lil Das tabellas das taxas que devero pa-
sar semestralmente na merma oceasiu da co
ranea da drama urbana e sob as mesmas con-
dijoes, todos os predios exisieutes ou que forem
construidos dentro dos limites da cidade e su
berbios servidos pela rede de esgotos, segundo
se varar locativo, para occorrer ao cuteio do
aervico, remunerado e amortisacao do capital
ffeilivamente en pregado na c onslrucco. Es-
sas laxas serao arrecadadas pela reparlicao com
.jtente do Estado, conjuntamente com a decima
urbana, as merinas comiicScs e entregues
eoropaohia cu empieza que se orgamsar, por se-
aaesires vencidos.
IV. Da reduego das ditas taxas no caso em
oe seja dada companliia ou empreza a isen
jio dos dircitos de importacao para o material e
ler-amenta importados do estran^eiro.
V. D> praso, para apresentaca dos estudos e
glanos detinitivos das obms, e de todos os dela-
Jfcea das mesmas que sejam exigidas pela dir
etoria das obr. s publicas, pelo e-.genheiro liscal,
He., e bera assim os prasos para o inicio e con
too das obra?.
&>ndicoes technicas, constmecao e saneamento
2 O autoprojecto e a memoria descriptiva
das obras a executar. que acompanbarem as
propostas, especiticaro com o mximo de deta-
lles :
1. Os limites da cidade e suburbios aos quacs
se estender o servido.
ti. As canal:.-ai,es prlncipaes e secundarias e
iaas ramificacovs as vas publicas com indica-
;-o dos respectivos diametios, espessura e decli-
iidaries, e a natureza das materias, tendo em
ista urna prpulacao urbana e suburbana dupla
-ia sctBl.
111 As canalisayes a construir nos predios
terrenos, assobradados ou de sobrados, pblicos
ae particulares, existentes ou que forem cons-
:rBid03 at concluir se a execucao dos traba-
hes oentro dos limites da cidade, com iudicaco
enlica do n. II ; descripcao dos apparelbos
lerceptores do3 gazes as derivacOes do colle-
tVir geral. para os predios, chamins de ventila
jao, sua coiloeacao material, etc., e altura sob
ponto mais eleva lo do predio ou dos predios
limbo--.
17. 0 typ c a natureza das latrinas inodoras,
mervatonos d'agna para ellas, bacas, ralos,
:aaqu-.-s de carga para lavagem das galeras e
ncanamentos e syphSes interceptores, appare-
fcos separadores as materias gordas das cos-
abas, chamins de arejamento e mais apparelbos
aecessarios ao func.-ionam-.-nto regular e bygie-
s#M do eystema p-oposto.
T. As estacoes de servico. suas dimenses e
>ystema de construccao. localidades onde serao
j&sitruidas. numero, dimeosoes < especie de
lasaaes para juntar, desi fectar c filtrar os pro-
netos dos esgotos, typo e forca das machinas,
eios de desinfeceo e poatos de nivel das era-
bo^aduras das gnleria:-.
VI. Systema de latrinas c mi-torios pblicos,
Ht funrecionamenic, limpeza c saneamento.
Vil- Systema de lavagem das cana I i?; {Oes ge-
xtts e secundarias e do respectivo fornecimento
'agua.
VIH. Systema de vmt-licao da rede de rana-
jacio publica e particular.
IX Systeoa de ligacao do esgoto de cada
jndio, para a canalisaco das ras.
X. Systema da consolidacao do terreno para
aroteccao dos conducios e para evitar a depres-
io do so'o.
XI. Systema de caaalisago quando tenha de
itravessar pantanos combinad) com o n. X.
XII. Indieaco das precaocOcs a tomar quan-
Jo as canalisacoes tenbam de passar sob muros,
predios, etc.
Condic6e8 geraes
X O contraclanle extendera, seropre que o
^eterno exigir, o servido de exgoto a novos
ioirrcsou a novas roas sitalas foia do perime-
o n que se obrigar pelo contracto a execu
tal o desde logo, ama vez que a renda corres-
pondente, em vista do ornamento organisado
pela empreza e approvado pelo governo. seja
tquivalente a 7 "(s ao anno sobre o valor jj dito
r tsenlo.
k* 0 servico de exgoto dos eslabelecimenlos
pabiieos e dos pos, sustentados ou auxiliados
jeto governo, sera feto gratuitamente.
X* No numero das obras reclamadas pelo
cyteuia- proposto e que o contractante, empresa
m companhia i obngalo a reconstruir sua
anta, estao Umbem inc'uidas as seguiotes :
I Todo o encaoimento dentro dos predios para
w cigoto* das materias fecaes. aguas servidas
a pbjvia-es, dos pantanos e reas, calcadas eo
jferaeeimento de urna latrina (typo approvado
pl governo) em cada pavimento do predio,
cea a respectiva caixa a'agia e um ralo com
vfpbio por cada rea oa pateo, urna cha min
d vctatilafao' e o appareibo iaterceptor dos ga-
ita 4b canalisaco geral para o da do doniei
Np; pagando, poiem, o proprietario, que qui
7.' Findo o prazo do privilegio, todas as obrjs f,X7tC\ n ParlA"iTi+ln',,.* 0flA7F-
verte.ao ao dominio da muSicipalidade desta i 2.? j' n'"ik t m? -S? *?*'
(Eduardo Coelho Lemos 57(oOO, Galdino
Jos Barity 56(5350, Dr. JoSo Pedro
Maduro 28*750, Jos Rodopiano dos San
tos Filho 115JCO0, Joaquim Pedrosa da
Costa Moreira 3 10875, Jos Antonio Pe
reir 745630, Dr. Jos Zefenno Ferreira
Velloso 28*750, Marcolino Lopes Catao
,574599, Oliveira Tarares & C. 405250,
Santos & Silveira 315625, S jares Quima
rSes 74J96), Dr. Simplicio Mavignier
re
capital, sem indemnisaco alguma; cabeodo,
p-irem, so contrac.inte, preferencia em Igual
Jad; de oalic3;s pa~a o ar.vndanenio do mes
mo servigo, se nao convfer dita inuaicipalida-
ie exequial o aljunistrativane ilc. e indemnt-
us tolas as qtnmias qie o Eialj tiver des
p;id Jj no servicJ e garanta dii ju\>3.
8.' Ao contrastan!! o gjvcrao do Sita lo con-
ceder o direttj A i ii lei, para os terrenal, predio- e bemfeitorat que
forem necessarias i execucao dj servgicoa
tractado.
9.* O governo do Espado se coaiprom-lie a!2S3750.
oble-, i hem da empreza, mas sera por isso as f SeCj0 i0
sumir n-sponsabilidadc al^'U'iia, iencao de di I, *' ,
reitos de importacao do nnienal. ferraraenla, de tienda do Litado de Pernumbuco, 21
macliinas. carvo de pedra, proluctrs chimicosjde Maio d-j 1899.
e apparellios necessarios ao servigo ccutraclado.
jntencioao da Tbesouraria
10. O conlractante, a companhia ou empreza
recolber aas cofres da Tliesoararia do Estado,
no principio de cada trimestre, a quantia que
de accordo com a mesma empreza fr pelo go-
verno Gxada psra o pagamento da liscalisaco
do contracto.
U.* O proponente preferido dever asignar
o cotiacto dentro do prazo de 30 dias, conta-
dos da data em que for pnblicada no jornal en-
carregado das publicacoes ofDciaes deste Esta-
do a ar.eitacao de sua proposta, sob pena de
perdar a cauco.
Palacio do governo do Estado Confederado do
Para, li de Abril de 1890, 2o da Repblica.
Jimio Leite Chermont.
No dia 6 de Sote obro, s II horas da rtanhS,
ni sala do palacio do Joverno deste Estado
onde funeciona esta repsrtic,ao, o ccnselho com-
petente tomar conbecimento das propost.s
a presentadas.
Todas as pessoas residentes em Franca, In-
glaterra. Portugal, Estados Un dis da America
do Norte e em ouiros p;ize onde chegar o co-
nbecimento deste edital, bem como as que resi-
dem nesle e nos dilTerentes Estados da Rep-
blica Brasileira. que se quizerem propir, podem
f lar por procurador legtimamente constituido,
no dia e hora marcados para apresentaco das
propostas, instruindo estas com as clausulas
constantes! das inslruccoes cima ditas.
Repartirn das r Ikhs publicas .do Estado do
Par*, 6 de Maio de. 18900 a manuense secre-
tario, Olsmpio Antonio Yaz de Urna.
O 1. escripturarjo,
J. Gomes da SHua.
DECLRACOES
Hospital Portuguez
de Beneficencia em
Pernambuco
ASSEMBLEA GERAL
Pos.o da nova junta
Sao convidados todos os
Srs. associados a reunirem-
se domingo, 1. de Junho,
na secretaria do Hospital
Portuguez, s 11 horas da
manha,para sedar cumpli-
ment ao que determina o
17 do art. 39 dos estatu-
tos.
Secretaria
Portuguez, 26
1890.
do Hospital
de Maio de
O secretario,
Cesarlo A. *. Fapoula.
124 pratos fundos, de loocas.
121 ditos razo?.
60 ditos fundos, de metal.
60 ditos razo, idem.
21 ditos travessos, idem.
3 relogios ameri"anos para parede.
2o saceos de algodo grosso para c03r caf.
1 sacarolha de ferro.
1 serrle para carne.
8 sopeiras de ferro agatba.
2 sinetes com armas nacionaes.
6 talhas de ba*ro com lampa.
1 dita de dito com torneira e tampa.
8 terrinas de ferro agatba.
2 tigelasde louca.
6 toalhas de algodo grosso pare mesa de raucho.
entestado.
38 toalhas de algodao para limpar lonja,
4 travesseiros cheios de l,
30 ditos cheios de palha.
8 urnas de folha para cal.
Observaces
Previne-se que nao sero lomadas em consi
der.icSo, as propostas que nao forem feitas na
forma do art. 64 do regulamento de 19 de Outu
bro de 1872, islo em duplcala, com referencia
a um so artigo, mencionando o nome do propo
nenie, a indicacito da casa commercial, o proco
de cada artigo, o numero e marca das amostras,
declaraco expiessa de sujeitarse e multa de
5 % no caso de recusar assignar o contracto,
bem como as de que tratam os artigos 87 e 88 do
citado regulamento.
Outrosim, previne se mais qce todos es9es ob-
jecin sao de prorapla entrega, excepto, porm,
aqueiles que forea precisos manufacturar.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 23 de Maio de 1890.
O secretario,
Jos Francisco Ribeiro acedo.
Arsenal de Marinha
Concurso para provimento effectivo dos cargos
de amanuense da secretaria da iuspccco des-
te arsenal e escreventes das directoras de
machinas e construccoes navaes.
Oe ordem do cidadao capito tenente Frede
rico Guilberme de Souza Serrano, inspector
deste arsenal, foco publico aos interesados, qne
no dia 4 do mez vindouro ter lugar nesta Ins
peccao o concurso para o provimento effeciivc
dos cargos de amanuense da secretaria da ins
peceo e escreventes das directoras de machi-
nas e conslrucgfjes navaes deste arsenal, de
accordo com o disposto no. art. 64 do regula
ment que baixou com o decreto n. 622, de 2
de Maio de 1874.
Secretaria da insperco do Arsenal de Mari-
nha de Pernambuco, 20 de Maio de 1890.
O secretario
Antonio da Silva Azcvado.
Bra-Vista
Mea geral
De ordem do irmo juiz, convido aos nossos
irmaos a comparecerem em nossa matriz s 6
horas da tarde de hoje. terca feira 27 do corren-
te, pela segunda vez, para procedermos eleigSo
da nova mesa regadora para o anno compromis-
sal de 1890 a 1891. visto no ter comparecido
numero legal para a mesma
Secretaria da irmandade do S5. Sacramento
da Boa-Vista, 26 de Maio de 1890.
0 escrivao iottrno.
__________Augusto F. Mjreira da Silva.
SEGKOS
MARJTIM0S contra fogo
Cowpauhia Phenlx Per
nambucana
_______ROA DO C0MMERC10 N. 46
SEGUROS
CONTRA FOGO
fhe Liverpool & London & (ilobe
HTSURAITGE CD./CPANY
Ra do Commercio n. 3
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
cas do mesmo banco em Portugal sendo
im LisbSa ra dos Capellistas n. 73. No
*orto, roa dos Jnglezea.
'Ompanhia Bahiana de Na-
vegagao Vapor
Macei, Villa-Nova, Penedo, Axu-
j, Estancia e Babia
O VAPOR
Mrquez de Caxias
Commandante Bernardos
Seguir par i
portos cima
indicados no dia
28 do corrente s
4 horas da tarde.
Para carga, passagens, encommendas e dinlwf'
r y a frete trata-se com o
AGENTE
*edro Osorio de Cerqueira
_______17Ra do Vigario 17
Rio de Janeiro, Santos, Kio (irande do
Sol, Pelotas e Porto-AIegre
O vapor inglez Cometa
Seguir em pon-
eos dias para os
portos cima in-
dicados.
Sobre car^a, encommendas e pasagens, tra
ta-se com os
AGENTES
Pereira Cameiro &C,.
6RA DO COMMERCIO6
! andar
COMPANHU
IROJECTO DE INCRIPgAO
Para a 3.a corrida a realizar-te na quinta-
feira, 5 de Junho de 1899.
NO HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE
1. pareoAbollcd.o200 metros, corrida
a p Rapaze* at 16 annos. Pre
mios: ao primeiro urna }0a e ao
segundo nm obiecto d'arte.
2 pareoHippodromo do Campo Grande
700 metros. Pequiras deste
Estado, de l"'38.'', mmtados por
tinadores. Premios : ao primeiro
urna joia e ao segundo um obje-
cto d'arte.
3." pareoTreze de Maio100 metros,
corridas a pe, por meninos at 12
annos. Premios : ao primeiro urna
joia e ao segundo um objecto
d'aite.
4. pareoC7u6 Esgrima 800 metros.
Aniroaes que nao tenham sido in-
scriptos nos prados do Reeife,
mantados por amador es. Premios:
ao p- imeiro urna joia e ao segun-
do orji-cto d'arte.
5. pareo Quinze de Novembro 200 me-
tros, corrida de carneiros monta-
dos por meninos at 12 annos.
Premios : ao primeiro urna joia e
ao segundo um objecto d'arte.
pareo Experiencia 2.000 metros.
Animaos d'este Estado, em esqu-
podo, montados por amadores.
Premios : ai primeiro urna joia e
ao segundo um objecto d'arte.
pareoSteeple chase9X) metros. Ani-
maes d'est Ettado. Premios :
o ao segun-
Faculdade de Direito
Por esta secretaria se faz publico que na quar-
U-feira 28 do corrente, s 2 horas da Urde, en--
cerrar se ha a inscripeo para o concurso ao
lugar de professor substituto de aritnmetica e
geometra do curso preparatorio, annezo esta
Faculdade.
Secretaria da Faculdade de Direito do Reeife,
26 de Maio de 1890. O secretario,
Bonifacio de Aragao Faria Rocha.
Correio geral
Malas a expedir-se hoje
Pelo vapor brasileiro Pernambuco esta admi -
nistrago ex|>ede malas para os portes do norte,
recebendo impressos e objectos a registrar at
2 horas da tarte, e cartas ordinarias at as 3, ou
at a entrega das malas com porte duplo.
Administracao dos Correios de Pernambuco,
27 de Maio de 1890.
O administrador,
Alfonso do Reg Barros
Companhia Aiagoana de
FiacSo e Tecidos
Convidamos os senbores subscriptores desta
companhia para, de accordo com os arts. 9 e 10
dos estatutos, realisarem at o dia 14 de Jocho
prximo futuro, a 10.* entrada na razao de 10
/O do valor de suas acces no anco de Per-
nambuco. Macei, 14 de Maio de 1890.
Os directoies.
Jos Teixeira Machado.
Jos Januaro P. de Carvalho.
Propicio Barreto.
SEGUROS COMBA FOGO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXA8
Prompto pagamento de prejuizot
SEM DESCONT
A COHP.4HIA
IMPERIAL
DE lOMIHlS
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rs. ie,OO0:0OO000
AGENTES BROWNS &.C.
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
Pfr:R.v%JHB(-c.ax\
DE
avega^o costelra por vapor
PORTOS DO sra
Tamandar e
Praso de 20 dias
R. Consolato d'Italia
Porto a conoscenza dei sudditi italian residen
li in queslo dtretto Consolare che, possono fare
la loro dlcbiaratione de naziooalil voluta dal
Decreto del Governo provisorio Brasiliano delli
15 Novembre 1889, non solamente nanti la
Camera Municipale, Delegazia o Sub Delegazia
di polizia ni I luogo di loro domicilio, ma aache
in questo Consolato.
Pernambuco, 27 Maggio 1890.
II Consol. Reggenle
A Cohn.
6.
7.
ao pnmei-o urna ) >ia
do urna dita.
8. pareo Tiro Federal 20 metros, cor-
rida com obstculos, por moyos
at 20 annos. Premios: ao pri-
meiro urna joia e ao segundo um
objecto d'arte.
Observaces
A inscripc3o encerrar se-ha no dia 30
de Maio corrente, s 6 horas da tarde na
secretan i do Hippodromo ra do Impe-
rador.
As inscripcoes pagarSo 501CO.
Fica reservada directora o direito de
recusar qualquer proposta ou alterar o pro-
jecto.
Para qualquer expcacao a ra do Ro-
sario da Boa Vista u. 36.
Reeife, 24 de Maio de 1890.
O gerente.
J. M. Lemos Duarte.
CDULAS
DO
Banco Nacional
Troca se, pagando bom premio, cdulas d
emisso pagavel em ouio, do t>an:o Nacional,
oo armazeo n. 4, ra do Commercio.
Celestial contraria da
SS. Trindade
De ordem do prestirooso irmio provedor. par-
ticipo a todos us nos jos cari* irnos irmos e
irmis, que ter lugar a fesu da SS. Trindade e
a pro.isso no dia 1 de Junho prximo futuro, e
faltando os recursos mesa regedora para (al
fim, venbo implorar dr vs o vosso obnio, e t collecgo de traslados de calligraphia.
cojj especialidade dos irmos e irms que nao 16 conchas Je metal para sopeiras e terrinas,
foram cartiados por cao saberse de suas mora- [ 1 concha grande de ferro para caldo.
das ; espero, pois, que os carissimos irmos, 400 enxerges vasios de algodo rscado.
mandaro levar as suas esmolas as mas de S
Francisco n. 6, I andar ; Hoitas n. 158 ; Cal
deireiro n. 50, c Jardim n. 42 ou ligaras para a
procissao no dia j mencionado, no convento de
S. Francisco, pelas 2 1/2 horas da tarde.
Arsenal de Guerra
O conselho de compras deste arsenal recebe
propostas no dia 28 do corrente, at II no: as da
manh. para a compra dos artigos seguiotes :
3677-25 de algodaozinbo.de 80 82 centmetros
de largura.
234 metros de algodo msela.
183-25 de algodo rscado.
5737"75 de bnm escuro de linho trancado.
1.144 metros de brm branco liso.
100 bonnets do eervico interno.
38 bonnets do servico interno, para operarios mi-
litares.
31 bonnets de forma tura para os mesmos.
33 cobertores encarnados.
102 metros de cadarco para coz (largo)
14-82 de chita para calcas de enriar.
20 carnizas de inorim.
20 colchas de chita adam-scada.
438 grvalas de couro envernisado.
8 metros de ganga encarnada.
110 metros de hollanda de torro.
3 nares de meiasde l.
17. i ares de meias de algcdo, sem costura, de
ii. 9 a 10.
10 metros de inorim p ra fronbas.
731 pares de snalos de couro e bezerro, de ns
39 40 e 42.
4 aventaes de algodo trancado pira consi-
nheiro.
I arreio completo para traeco de carrocinha.
1 bat i e jarro de ferro rstanhado.
1 baloca de cima de mesa, com pesos, at 10
k logrammas.
2 balancas decimaes, com pesos, at 100' kilo
grammas. <
8 molheira8 de louca
16 bandejas de folha para farinha com, capaci-
dade para lOpragas.
1 banbeiro de folha.
1 bule de louca para amostra de rancho.
2 bules de folha para caf.
2 cadeiras de jacarandi com brajos e assento
%de palhinha.
15 ditas de dito sem bracos e assento de palhi-
nha.
l.caldeira de ferro batido para 100 pracas.
2 ditas de dito para 25 pracas.
1 caixa de folba para amostra de rancho.
1 caneco de metal branco para tirar agua.
11 ditos de ferro es'anbado com corrente.
1 carrocinha para condueco de rancho.
i castiga 1 de lato
8 cestos de palba para faxina.
113 casaes de chicaras e pires de louca, grandes.
60 casae9 de chicaras e pires de metal, grandes.
96 pares de chinelas de cooro bronco.
112 colheres de metal para sopa.
20 ditas de dito para cha. -
Primeira prac,a
Edital n. 41
Pela inspectora desta alfandega se fat publi-
co que s 11 horas do dia 12 do mez de Junho
prximo vindouro nos termos do 3- do art
280 da :onsolidaco das leis das alfandegas e
mesas de rendas, serao arrematadas porta
desta repartirlo, as mercador.as abaixo men-
cionadas :
Arraazem n. 7
Marca MC, 6 caixas sem numero, viadas de
Liverpool no vapor ingiez llolbom, entrado em
10 de Janeiro de 890, cosiendo 240 caixinhas
com passas, pesando liquido 413 kilograramas.
Marca C&C. 2 ditas sem numero, idem idem,
contendo 16 caixinhas com passas, pesando li-
quido 128kilogrammas.
3.a seceo da Alfandega de Pernambuco, 22
de Maio de 1890.-0 cliefe,.
__________Domingos Joaquim da Fonseca.
Vice-conslado de Hespa-
n lia
Paco publico para conbecimento dos subditos
bespanhes residentes ueste dislricto consular
que, no dia 14 de Junho vindouro, expira o pra-
so marcado pelo governo provisorio do Brasil,
para os cslrangeiros aqu domiciliados que quei-
ram conservar a sua nacionahdade fazer, nao
somente oerante a cmara ou intendencia muni-
cipal e delegada e subdelegada de polica do
lugar do sen domicilio, como tatnbem perante o
consulado dt sua nacao a declaraco que Irata o
art. 1 do decreto n. 58 A, de 14 de Oezembro
do anno (lodo.
Pernambuco, 23 de Maio de 189).
Francisco Affonso ilonleiro.
Encarrega o do vice consulado.
A rsenal de Marinha
Venda de ferro cilio
De ordem do cidad> capito-tenente Frcde-
rico Guilberme de Souza Serrano, inspector
desle arsenal, faco publico que, na secretaria
desta inspeceo, receDe-se propo.-tas em cartas
fechadas at as II horas do dia 28 do corrente,
para a venda de 36,275 kilos de ferro velho exis-
tente oeste estabelecimento, devendo ser por
kilos os precos das proposlas.
Secretaria da Inspccgo do Arsenaf de Mari
nba do Estado de Pernambuco, 22 de Maio de
1890.O secretario,
Antonio da Silva Azeredo.
ompanljta Ibt Sbegaxas
OTA F0&0
NORTHERN
de Londres e Aberdacn
Posicao finaoceira fDezembrode 1887;
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
ccela auuual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas
De uros
O vapor S.Francisco
Segu no dia 28 de Maio s 5
.horas da manh. Recebe carga at o
Encommendas, passagens e dinheiro frete
i8 3 horas da tarde do dia 27.
ESCRIPTORIO
Ao caes da Companhia Pernambucana
n. 12
607,000
197,000
143,000
O AGENTE,
John H.Boxine.
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. Druzina &. C.
13-Rna llai-ouez de OUnda-13
AGENTES
CJnited States and Brazii
M. S. S. C.
O vapor Finance
E'esperado deNewYork-
at o dia 29 de Maio
o qnal depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de laneiro e Santos
Para passagens carga, encommendas e d-
heiro a frete:. trata-se com os AGEATES.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos do
sul at o dia 3 de Junho
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para o
flaranho. Para, Barbados, 8.
Thomaz. Hartlnlqae e \cw-
York.
Para carga, passagens, encommendas e di- '
aheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
M D EMWIS ADOR A
Companhia de Segaros
martimos e terrestrf
Estabelecida em 1866
Estado ffnance!ro em 31 de Oe-
zensbro de 1889.
Capilal i,000:000#000
Fuodo de reserva 110:376^000
Sinistros pagos 1,776:683^000
44Ra do Commercio44
Pacific Steam Navigation
Compaiuy
stratts of m agellan LDE
O paquete John Eider
Espera-se da Europa at o da
1 de Junho e seguir de-
sos da demora do costme para
'Valparaso com escala por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiros, encommendas e dj-
heiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
LEILOES
MARTIMOS
Secretarla a Celestial confraiia da SS. Tiin-
dade, 19 de Maio de 1890.
Joao Guedes de Lacerda,
Secretaro.
16 ditos cheios de palha de dito.
2 ditos cheios de la.
3 espasadeiras de ferro.
4 Cacas para cosinba.
5 frigidtiras grandes de ferro estanhado.
S ditas pequeas.
3 faois de folha para 1/3 litro.
S garfea grandes de ferro.
5 lampees grandes para candieiros a kerosene.
Derby Club de Pernambuco
Tendo-se exonerado de director desta empre-
sa o Sr. Garlos Jj iie Med-irs, e achando se
impossibililados os immediatos em votos, con-
forme decararam ; pelo presente convido os Srs.
accionistas para se reunirem em assembla geral
extraordinaria no dia 29 do expirante mez na
sede da sociedade, ao meio dia. afin de ser pre
henchido o dito carpo.
Secretaria do D.-rby Club de Pernambuco, 23
de Maio de 1890.
iianoel Veduros,
secretario.
Santa Casa de Misericordia
do Reeife
Perante a junta administrativa iesta santa
casa, deverao ser apreseniadas propostas para o
arreodameolo. por lempo .le um a tres annos,
da propriedude Mirueira, pertejeente a mesma
santi casa.
As propostas devero ser em -arlas fechadas e
sellada e s vantageas off-recer, tomando por base o i reco
do actual arrendamenlo, qne de120<0JO .n-
nuaes.
Secretaria da Santa ("asa da Misericordia do
Reeife, 2i de Maio de 1890.
O fscrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
Club Republicano Fe-
deralista daGraca
Asaembla (ral
Oe ordea da directora sao convidados todos
os socios difc club a a reunirem no dia I de
Junho, s 6 horas da larde, na rw i* S. Elias
n. 4 (Espinheiro) afim de em sesslo de assem
bla gerl disculir-se assurnptos geraes, de cc-
cordo com os intuitos do club.
Secretarla do Club Republicano Federalista da
Graca, 2S de Maio de 1890.
V secretario,
H. Hollanda dos Santos.
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Nerthe
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sul no dia 2 de Junho
seguindo depois dademo
ra de cosiume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes qne ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempe
Fax-e abatunento de 15 0[0 em favor das &-
mias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarein 4 passagens inteiras.
Por excepcSo, os criados de familias que to-
marem bilbetes de pra, gozam tambera deste
a tmente.
Os vales postaes s se dao at o dia 31 de Maio
0 pagos de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o AGENTE.
O paquete Orenoque
Commandante Mortemard
E'esperado da Europa no
dia 3 de Junho e segui-
r depoi3 da demora ae-
cessaria para
P.aMa, Rio d Janeiro, Buenot-Ayre* t
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
cla3ses que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores da mercado-
riasques seattender a reclaruaces por fal-
ta i, nos voluntes, qne forem reconhecidas na
o ;casio da descarga, assim como devero den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
a rarengas, faierem qualquer reclamacao con-
sernentes a volumes que porventnra tenbam se-
guido para os portos do sul, arim de poder-se
Jar a tempo as providencias necessarias.
Terca-feira 27 o de 3.300 Tardos de alfafa
nm ou mais lotes, no armazem Visenle do L
vramento. caes da Companhia Pernambucana.
Quarta-feira 28 leilo de urna linda mobilia
Luiz XV e muitos outres rao .ei.
Salea paquetea
1 s elctrica.
afto lllamtnado &
Para carga, passagens, encommendas
o eiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Auguste Labille
8 Ra do Commercio 9
e di-
Leilo
De bons movei-
CONSTANDO DE:
Marquezoes para casal, ditos para solteira,
mosqueteiros, colxoes. travesseiros, sofs de
amarello, ditos de Jacaranda, meias commodal
da amarello, commodas inteiras, ditas de jaca-
randa, consolos de Jacaranda com pedra, (Titos
de amarello, cadeiras de bataneo de amarello
cadeiras de guarnico de amulelio, ditas de
braco de jacarand.. ditas de guarnicao de jaca-
randa, palha da liba, lavatorios de amarello, di-
tos de ferro, mesas para jogo, d -Jacaranda, ditas
de amarello para cabeceira, ditas redondas 4t
amarello, mesa elstica de amarello, dita parajaa-
tar, de amarello, mesas, banquiahas, jardines-
ras de amarello, cadeiras de junco, cabides da
columna, ditos ce pareae, ditos americanos.,
thear para bordar, cavalete para pintora, apara-
dores de amarello, loucadores de Jacaranda, J-
peles grandes, ditos pequeos, espelhos grandes
domados, ditos menores, guardi comidas 4t
rame e amarello, guarda roupa de aitarella4
guarda-vestidos, quadros de oleograpbia, es-
taute para livros, biombos, relogio desp
macbioa de costura, jarros de alabastro,
de mesa, escarradcrias, porta-toolhas boni
ricos, do Cear, candieiros de gaz, tabns
piobo para divises e muitos outros movis.
Terca-feira. 99 do corrate
As 11 horas
Na ra do Visconde de Goynna n. ft),
sitio que volta para o Camj.l.o Novoy
O agente Martins, competentemente autorisa-
do fara leilSo de todos os movis existentes ct
sobrado u. 90 roa do Visconde de Goyaooe.
Ao correr do martello
As 10 horas e 1|2 ha ver bonde especial pela
linha da Magdalena que dar pasagem gistes
aos concurrentes.________________________
Agente Stepple
Leilo
De urna casa e solo, silio e urna grande baxa
de capim de invern a verao. sita ra <&
Baro de Vera Cruz, sob n. 28. na comarca
de Olinda, e urna dita na ir e.-ma ra sob a
30.
(enarta-fclra, 8 do corrale
A' 1 hora em poeto -
Na Cmara Municipal de Olind*
O agente Stepple por mandado e assisteaeta
do Exm. Sr. Dr. juiz de direito da comarca de
Olinda, a requenmenlo do inventarame dos besa
deixados por Jeronvmo Justiniano Fieueira de
Mello, levar a leio o importante sitio COM
urna grande baixa de caplm.
Os Srs. pretendentes desde j* poderfia Ir ele-
minar o referido Eitio e caes.




M
LeiUu
?
o>:q..as f junco e de amarello, esperaost
loaca, vidros e i piaoo forte
Constan Jo de urna bonita mobilia imitando
fano c a encost de palbfhha, consolos e jar-
Bnelra coin pedra, J bonitos jarros de porcela-
na t p-,res de laaternas com pingeutei, i cade i
5 de bataneo de junco S escarradeiras, i to-
lete para sof, 6 ditos para ponas, i bonito es-
pelha de vidro bisoul e i lustre de cryaial de
Matro bicos. .
Um bon pino do fabfioule Gaveau, i cadei
ra pi-a a\ no, 4 ps de vidro. I guarda-vestidos
de amarello, i toilette dito. S lio tos jarros para
Blette e l cofre de tamanho regular para joias
(prova de fogo).
in gi^.-da louca deamarello i mesa, elaati
M de taboas i aparadores de columna, i sof
de junco. 4 cadeiras de dito de guaroisaa, 1
deira alta para menino, i ditas p quenas para
escola l relozio de pare le, 1 despertador, I
artinheira e i lavatorio, 1 cama de ferro para
menino 4 cabidesde mola,'camas de lona, bao
ttinha0 de amarello, loaca, copo9, clices 1
guarda comida de rame, bacas, trem de co
fea, urna bOBita secretaria de amarello, i es-
tante envidrajada pira livros. vinhos engarrafa-
dos, arandelas e 1 lustre de J bicos.
Bsrnta f i-a 30 do corrate, 11 horas,
na casa da ra do Conde da Boa-
Vista n. 24 B
0 agente Martins, autorisado pelo procurador
de coi: nendador Jos Augusto Ivs Guimares,
tara p'a.i dos movis existentes na casa onde
residi o ; esmo commendador, cujos movis se
ttham era perftito estado de conservacSo e se-
rlo vendidos an correr do martello.
O bonri de Fernandes Vieira, que parte da es
laco 1o rtrum s 18 horas e JO minutos, dar
passag.m gratis aos concurrentes ao leilo.
Agente Burlamaqui
Lei'ao
Raala feira, 99 do correal
A's li horas
DE BONS MOVIS
Nos Io e t andar- do predio rui do Baro
da Victoria n. 30
O agente cima, autorizado pela Sra. D. Ma
ri* da Gloria de Souza Soares, que atirou se
para o Rio Grande do Sul. v ndera os bons mo-
tis existentes no9 Io e 2o andares, do sobrado
cima, cujos movis estao bem conservados e
atu ven lid s ao correr do martello : .em urna
bonita ma^ilia de Jacaranda, piano, euarda ves
lides, dito guarda I uja, quadros, espelhos, jar
106, toilette, lavatorios. cabides, mesa elstica,
tenca Una e vidros, candieiros e lustres para gaz
e velas, forro le topete para salas, etageres, fi-
guras de biscuit, e 2 prelos Miaerv, com 38
Entes !e typos, machina) para aparar papel e
curvar obas, aloa de mullos outro3 artigos
ae e?tnrao a vista dos Srs. licitantes. ______
Leilo
Agente Brito
De movis, loucas, vidros e um piano
Urna mubilia de iaiarandA, 1 dita de june?, 1
coma franceza de Jacaranda. 1 dita de amarell ,
i marqezao largo, 1 dito estreito, 1 guarda ves
tido, I toilette, t meia commoda, i Iwatorio com
pedra. I dito de amar-lio, 2 banquinha?, I mesa
elstica com quatro taboas, 1 dita grande de
amarello, 1 guarda louca. 1 aparadores, 1 guar-
da comida, 12 cadeiras de junco, 10 ditas de
araareo, 2 ditas de braco, ditas de balanco
Jcabid"- de columna, 2 ditos de parede, louca
para almoco e Jartar, clices copos, talheres,
jarros, 2 serpentinas, 1 tapete para sof e outros
0uito3 objectos,
O agente cima, autorisado por urna familia
3ue mudouse para a Capital Federal, far leilo
os objectos cima declarad >s._
Ra da Imperatriz n. 5, 2o andar
Tere i-felra. 99 do corrate
Leilo
n.
29
De movis, quadros, jarros, candieiros,
lonjas e vidros.
tuiata-feir, 99 do corrate
^ A's 11 horas
Agente Pinto
No sobrado da ra Formosa
CONSTANDO
'f De 1 linda mobilia a Lulz XV, com 1 sof, 2
I duockerques, 4 cadeiras de bracos, 18 de goar
aico, 7 pares de cortinados de cretone, 4 jar
ros para flor s, candieiros a gaz, 1 relogio, 2 ca-
deiras de balango e 2 tapetes.
Urna cama de JErable, 1 uiarqoezaj, 1 toilette,
I 1 commodas, 2 guarda vestidos, 2 espelhos, 6
cadeiras, 2 cabides, 2 consolos, 1 me3a de cos-
tura e 1 thear.
Urna mesa elstica, 2 aparadores, 1 guarda lou-
ca envidragado, 1 chiffonier, 12 cadeiras de jun
co raneo, 1 relogio de parede, 1 quartinbeira,
Iguaria comida, louca, vidro, trem de cosinha
bacas, e flandres, 1 mesa com estante pequea,
1 mobilia de Jacaranda, 1 mesa oval, 2 cadeiras
de balango, e muitos oufros movis existentes
o
Soorado da roa Formosa n. 29
tliiinta-feira. de Halo
Aluga-se a referida ca.-a, a qual lera c^m-
modos para grande familia, est limpa, tem agua
egaz._________________________________
Agente Stepple
Leilo
Be joias, movis, roupas novas e usadas,
e grande quanti >ade de garrafas e Elixir
de Angelino, diversos depsitos cheios
de liquido, rolos de salsa e barra com
vinho do porto fino, e outras mais be-
bidas.
exta-feira. O de Jnnho
A's 11 horas
A' roa de Paulino Cmara n. 19, e as ofici-
nas ra da Fiores em frente i travessa da Paz.
O agente Stepple, por mandado e assistencia do
Bxm. Sr. Dr. juiz de direijp de orpbJos e ausen-
tes, a reuerimento do Sr. confu de Portugal,
levar a leilo os bens pertencentes, ao espolio
do finado subdito portuguex. Angelino Jos dos
Santos Andrade.
Os Srs. pretendentes desde j poderao vir exa
minar o mandado que icha-se em poder do mes-
bo ageqje.
Leilo
Diario de Peraambuco--Terca-feir 27 He Maio He 1890
11 i
No 1-
Impe-
De mobilias de junco e Jacaranda, espe-.
Iho oval, quadros a oleo, loucas e vi
dros
Quarta feira, 29 do corrente
A's 11 horas da manh
andar do sobrado ra do
rador n. 44
CONSTANDO:
De I mobilia de junco, medalho, com 12 ca-
deiras de guarnico, 4 ditas de bracos, I sof e
2 consolos com pedra, 1 espelbo oval moldura
dourada, 2 quadros, a oleo, 2 ditos de paisa-
gens, 4 etageres. 6 jarros para flores, 2 ca-ti
caes com lanternas, i escarradeiras, 1 caLdieiro
para kerosene, 6 capachos, 1 cama, para casal
1 guarda vestidos, 1 toilette, 1 lavatorio, 1 com-
moda, i marqezao largo, 1 dito estreito, 1)2
commoda de amarello, 1 cama para menino, 1
cabide de parede, 1 banc con gaveta, l mesa
elstica de 3 taboas, t guarda lonja, 2 aparado-
res, 12 caderas de junco, 1 relogio de parede'
1 mobilia de Jacaranda completa, 1 caudieiro bele
ga de suspeosSo, 1 sof de Jacaranda, 6 cadeiras
de pao carga. 1 lavatorio de ferro com. jarro e
baca, 1 machina para gelar bebidas, 1 carro
para menino, loucas para juntar e almoco, copos
garrafas licoreiros, talheres, colheres, bandejas
e muitos outros objectos
O agente GusmSo autorisado por urna familia
que relirou se para fora do Estado, far leilo
dos movis e mais objec'.oi cima mencionados,
os quaes foram transportados para o referido
sobrado.
Leilo
de movis, quadros, jarros, candieiros, loucas e
vidros.
Quarra-f. Ira, 8 do corrente
Agente Pinto
Agente Stepple
Novo leilo
da matla Pitanga, na comarca de Groyan-
na, p-rtencente ao espolio do finado
coronel Joao de S Cavalcante d'Albu-
querque.
Quaria-feira, 28 do corrente
A' 1 hora em ponto
Va Cmara Municipal de Olinda
O agente cima, por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito da comarca de Olio
:a, a requerimento do inventbante levar a
leilo a matta cima desenpta.
Os Srs. pretendentes desde j podero ir exa-
minar a referida matta.
Agente Stepple
Leilo
De um sitio e casa em Caxang no lugar
denominado Ilha do Caxang, cuja casa
acha-se edificada em terrenos rendeiros
aos herdeiros de Francisco de Paulo
C-rreia de Araujo.
Quarta-feira, 28 do corrente
A 1 hora em ponto
Na Cmara Municipal de Olinda
O agente cima, por mandado e assistencia do
Exm. Sr. Dr. joiz de direito da provedoria da
comarca de Olinda, a requerimento de Flix Ari
quind Lieutier, inventartante dos bens deixado
por seu finado tio Joo Luiz Vctor Lieutier, le
vara a le ao a iu.portante casa e sitio no lugar
denominado liba do C x ng freguezia da Var
sea.
Os Srs. preteodentes desde j podero ireixa-
minar a referida casa e sitio.
Leilo
De cerca de 3,300 fardos de alfafa
Em um ou mais lotes vontade dos com-
pradores *
Terca feira, 27 do corrente
A's 11 horas
Agente Pinto
{o armazem dos Srs. Livramento 4 C.
outr'ora Visconde da Silva Loyo
AVISOS DIVERSOS,
Vende se urna casa propria para taverna
por j ter armaco, no lugar das Areias, estrada
de Jaboato n wf, tendo a casa 2 salas, 2 quar-
tos c cosinha, sendo construida de tijolo e boas
madeiras ; a tratar na ra larga do Rosario nu-
mero 27,
Precisase de urna ama para lavar e co-
sinha r para casa de pouca familia ; na ra da
Prioceza Isabel n. i.
Alagara se duas casas nas na roa Direitc
de Afogados prximo a ponte, sendo urna com
muitos commodos para urna familia, e a outra
propria para negocio por ser em caixo ; a tra
tar na mesma roa, i a padaria do cidado Justi
no Moura.
Alugam-se casas caudas e pintada* nos
undos de S Goncalo, ? 8#000; a tratar na ro
fa Imperatriz n. 75.____ __________
Aluga-se por preco commodoo sobrado n-
155 roa Imperial, por partes ou todo, preferin-
do se a luga I o todo : qu^oi o pretender dirija se
ra do Imperador n. 30, 1 andar, direta.
Precita se de orna boa cosinheira j na ra
do Vigario n. 5. armazem.
0 Sr. U..T a. 8. ba diae nolbe vejo, nao
se trata de rslituiclo de ordenado, m'ssim
daquellas apolices, do cordo, do recio* Jaquel
le ancio. do faci da padaria, et reliqua, nao
obrigne a usar se dos meios irregulares.
Sr. Jo francisco da Costa Fernira
praliran'e do Correio, appareca para restituir
aqaella...
PataccVs e outras moldas
comprarse pelo maior preco ;
roerClo o 4.
de i oro e pra'a,
na ra do Com-
Agente Stepple
Leilo
de um sobrado de dous andares sob n. 30
ra de S. Pedro Martvr, em solo pro-
8rio e muito, fresco, na comarca de
'linda.
Quarta-feira, 28 do ^corrate
A' 1 hora em ponto.
Na Cmara de Olinda
O agente cima, por despacho e assjsteacia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphaos e usen
tes, levar leilo o importante sobrado acia,
ertencente menor Mara, herdeira instituida
ao testamento do finado Domingos da Silva Tor-
Os Srs. pr tendentes, desde ja podero ir exa
atinar o referido sobrado. A chave acha te em
poder do mesmo agente.
Leilo
De 17 barra de 5.* marea C O coa vi*
abo Akobaca, para (chamento de con-1
taa
Terea-felr, IJ da rerreite
Tendo se extraviado um conhecim. nio da quan
lia de 1.350OOO correspondente a igual quantia
que recolhi ao cofre do Tbesouro deste Estado
aBm de arrematar a obra dos reparos da ponte
de Afogados ; peco a quem o acbar queira en
tregar.ao abaixo assigoado que ser gratificado
Jop Ijns Cavaleante do Albaqeerqae.
Precisa-se arreodar im engenho
em bom esudo e prximo a algama
das linbas frreas. A tratar na travessa
da Madre da Deus n J.
o commercio
Os abaixo asignados declarara que uesta data
dissolverjrB amigavelmenie a sociedadu cora-
mercial que gira va sob a firma de Pinto A Casta,
Hcando o souo Justino Antonio Piolo nico res
ponsavel pelo activo e passivo da dita firma, re-
tirando se o socio Maooel Gomes da Costa pago
integralmente de seu capital e lucios
Recife, 12 de Maio de 1890
Justino Antonio Pinto.
Maooel Gomes da Costa.
Prcisa-se de urna ca6a
com gaz e agua encanada e
bastantes commodos para
pequea familia.
A ti atar na ra do Mr-
quez de Olinda, 13.
Attenco
Aluga se um bom,8obrado na ra Direila dos
Afogados n 21, tem commodos para grande fa-
milia, tea, muito bonita vista, muito fresco e
saudavel e o aluguel barato ; trata se na mesan
roa n. 96.____________________
Precisa se de um caixeiro ; na refinaco
da roa de S. Jorge n. 118.
Alu^a-se
a casa n. 121 ra da Aurora, com commodos
para grande familia, tendo agua, gaz, quntale
jarlim bem plantado ; a tratar na ra Duque de
Caxi8 n, 74, andar. ___-
-r- A pes.soa que deixou por e-quecim. nio um
chapeo ae sol em bom estado, junto a ponte do
Recife, pode apparecer a typographia do Diurio,
que pagando importe do annuncio he era en
trege. *
Ao commerci >
Os abaixo assigoados declaran) que dissolv
ram desde 1 de Janeiro do crrente anno a so-
ciedad* romuier ;ial que gira va sob a firma do
Silva Fernandes 4 C, ficando o socio Hermes
Das Fernandes responsa'el pelo activo e pas-
sivo Ja dita firma. Recife, 26 de Maio de 1890..
Hermes Dio Fernandos.
Camillo Lellis da Silva.
o commercio
Beoendes Gonjalves Barbosa participa ao cor
do commerciat e a Miriicula-es. que comprou
aoe Srs O'-veir-j & Irmo a sna taverna sita
ra de Hortas n. 41, livre e desembaracada de
qualqueronu3.___________________________
Precisase de urna ama para cosinhar ; na
roa de Pedro Affonso n. 2.
Ama
Precisa-se d- urna ama para cosinhar e fajer
mai servigo? domsticos, qu
esteja matriculada
Canas n. 48
tratar
durma em casa e
na ra Duque de
Permu'--se urna casa sita roa de S. Bea-
to em Olinda, com 3 salas, 4 quartos, agua e
gaz, por outra em algum dos bairros do Recife :
a .rata- na roa do Hospicio n. 15-
Ama
a tra
Precisase de urna ama para cosinhar
tar na ra Conde da Boa Vista u. 68.
Ama
Precisa se de urna ama par- casa de pouca
familia que costabe hem ; a tratar na ra es -
treita do Rosario n. 9, junto a i reja.________
Alugam-se
as casas n 63 roa d, Gloria, hoje Visconde de
Albuquerque, com 3 quartos, 2 salas, quintal.
apparelho e cacimba de muito boa agua, e a de
numero 11 travessa dot'orpo Santo, embas
caiadas e pintada?, por preco's commodoi; a
tratar na ra Direita o. 45, sobrap.
--------------------------------------------,_-----------------------------^ ?-;- *--------------'-----------------
Attencaq
Vende se cm bom piaoo de Doeroe & Sohn,
qtazi em'perfeito estado; na roa da Inperatris
n. 47, 1 andar.
f
Jaaqnlm 4*a Martina
Jos Julio deouza Martina e sua mai Julii
Cundida de Souza Martin, convidara aos paren
tes e amigos para amisst do trigsimo diado
fallecimento de seu chorado p-ai e esposo Joa
quira Jos Martin, s 8, huras da manh de
terca feira x7 do corrente, no convento de N. S.
do Carmo, confestanio se desde j agradecidos
aos que all quizerem apparecer.
orla Annunciada de Albuqucr
que Cardnso
FaMiiio de Albuque qoe Cardoso convida a
todos M pa'ent. s e amigos para assistirem as
mismas que manda rezar i a matriz de Nazareth
e no engenho Contra Acude, em Jaboato, no
da 29, s 8 horas, trigsimo do passamento le
sua inditosa esposa, por cujo acto de caridade
e religio se eonfessa eternamente grato.
Joo Chrlaiiaai
Fanny Reymond Christiani, Ricardo
Alberto Christiani, William Eimond^hris-
tiani, Julieta Christiani Carva'ho, H lene
Cbristiani'Bansa, Adele -'.'bristiani, Cons-
tantino Barza e Tbomaz Ferreira de Car
valho, feridos de profunda dor pelo pre-
maturo passamento do seu idolatrado es-
poso, pai'e sogro JOO CHRISTIANI,
agradecem do iraa i'alaaa a todos os pa-
rentes e amigos qu-: B| ga*r im.u mpa-
nhar-lhe os rest'.s mortaes at sua ultima
morada.
De novo lhes pedem o caridoso obse-
quio de assistirem m.ssi quo mandam
celebrar por su'alma no dia se*ta feira,
30 do corrente, 8 1(2 horas da manhS,
na igreja matriz da Boa-Vista.
Dsde ja protc-atm a todos o seu pro-
fundo e eterno reeonhecimento.
Tenente Thoma?. don dn*
IVevea
A su.i familia manda dizer missas ra igreja
de Guadelupe. na cidade de Olinda, quarta-feira
28 do corrente, s 8 horas da minh, stimo
dia do seu fallecimento, e desde ja agradece aos
que comparecerero a este act> de caridade.
I :
Francisco de AnhIm Migu Casta
Mana Diniz da Costa, sua mil, convida aos
seus prenles e amigos pira ouvirem a missa
do stimo dia. que ma; d rezar por alma de seu
fiibo Francisco de asss Miguel de Costa, pelas
6 i/2 horas da manh do dia H do corrente mez,
na igreja do Terco, e aproveita a occasiSo para
agri:djcer a todo* que se prestarem a este acto
de caridade.
Caixeiro
i'recis.'.-se
Cmara n. i.
de no menino ; na roa Paulino
Criado copeiro
P a r a e
GUIMARES i
ngenhos
VA LENTE, parteci
No treajpka
A'sUhorm.
da Civyv&p.,
Corpo uto .. 19
WJwgp.40 ;t
POR DTPEBVENCAO DO AQHNTE M*f a>"' puros oeste aereado.
. ~ A' ra Larga do Umrid 1
Gusniao
pam aos seos fregueses e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionadoe
garantindo tudo de primeira qualidade (
presos sero competencia a saber
Cal nova de Lisboa*
Dita de Jaguarbe.
Cimento portland.
Oleo de mocte.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 galoes.)
Kerozene inexplosiveL
Graxa em bexigas.
Gaxetdi de linho.
Potassa do Husma, '
(em caixas, barriquinhas, latas grande
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-SantoG

Aluga-se
o 2." andar da casa a roa de Domingos Jos
Mari ns n. 138, rom muitos commodos para
grande familia, com agua e apparelbe, muito
becn conservada e em estado de asseio, muito
.bvgiemca por'ser de oitao e tendo tres vistas
linoissimas, por preco muito commodo ; a tra-
tar no armazem n Ri, roa Mrquez de Olinda.
Attenco
Os proprietarios da Mercearia Comparativa
aartdsam aos seus disiinctos freguezes e ao
respeiUvel publico que receberam pelo ultimo
vapor Paranafu urna grande remessa de am
Mpecial
Vlnho CUare
qoal se pode experimentar que nao tem alcool,
o puro de uva e tem um tabor agradavel. pois
nao ba igual para a fande. Beceaem tambeai e
jabam conhecido e acreditado
Vlnho uonro
A eJI que anica casa que recebe e rwtalba
trga ao tutano n.
Marquea 3bripJw Q.
20
Antonio tomcalie Ferreira
Caacfto
Antonio Goncalves Ferreira, sua molbjer e
fllhbs, Canriido Goocslves l-erreir, tseaou
Iher, Arlhur Goncalves Fer eir Casero, sua mu-
Iher e filhos, Jeronyme Carnelro da AUaufoar
que Maraobao, sua mulhar e ios Joto aaJl-
va Paria, sua mulber e fiibos e Carlos-d* Wva
Faria, sua mulber e filhos, confessam-se esu
mmente agradecidos aos prenles eaogee que
se digr&ramaoompanhar at a uliim morada
os restos mortaes de seu. sempre lembrade pal,
sogro e avo Antonio Goncalves Ferreira Cascao
mandam rezar missas na matriz da Boa- Visa
pelas 8! hars da manbi do dia *7 do corrente
stimo do fallec ento.
Precisase de um criado para copeiro e outros
servijos i Hemos, sendo matriculado; na ra
Morques de. Olinda n. 54.
Criado
Para o estabelecimento da prapa da Indepen-
dencia ns. 22 24 e 26, precisa se de um criado
que nao tenha fidalguia na familia.
Attenco
Vende-so a taverna sita ra do Rosario da
Bo -Vistan. 11, esquina do becco doTambia;
trata se na mesma.
Bom emprego para
capital
Vende se o extenso armazem n. 51, no caes ao
Apollo, em fr. n'e da nova ponie Buarqoe de
Macedo, com capaci'iade para recolber de 9 a
(0,000 barricas, de f-.nnha de trigo ou outra
mercadoria em proporca-', e dous sobrados ron
Iituos com frente pa-a a ra. Domingos Jos
Martins no todo constituindo urna boa acquisi
CSo : trata-secom Matheus Austin & C. ra do
Commercio n. i8
Precisa-se de urna ama : na roa do Rangel
numero 19.
B
em negocio
M FIOPB
DE
Murray S Lanman.
0 MAIS EXQUESITO
DOS
Perfumes do Toucador.
Perfuma o Corpo e
Vivifica a Mente
NO BANHO.
Superior a Agua di Celo-
i,pela delicadeza de seu
aroma e a durabilidade de
seu perfume
H LEHQO.
MOSM&C.
Ras Mrquez de Olinda n. f S
Armazem de cerveja, vi-
ohos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmuud
e do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposi^ao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann & C, S. Flix (Baha).
Criados e cosinheira
Na na Direita n. 74, 1- andar, precisase dt-
criados que tenham pratica de vender, e it um;
boa cosinheira que saina trabalhar bem em bo
seo em outras iguarias de vendagtm.
Alug'am-se barato
o 1 e 2- andares a roa de Bemtra n. (Pasea
gem da Magdalena) com muitos commodos, agua
e gaz encanados, bom banho doce e salgado,
porto do fundo, asseiados ; a tratar na pbarma-
cia Conceicao, ra Marqu?z de Olinda.
Sitio na Magdalena
Aluga se um, com excedente casa para eran
de familia, toda pintada e forrada a papel, con
gaz, agua boa latrina e bond porta ; tratase
com Antonio Gomes de Mattos roa da Cadei:
numero 5.
Ao commercio
Alexandre Antonio da Silva Oliveira declara
a quem interesser possa, que tendo comp-ado
ao ^r. MaPoelFranci8<-o de Almeida, a S do cor
rente, o hotel denominado Ancoradouro, roa
Manz e Barros n. 9, livre e desembarcado ; pe-
de a quem .-ejulgar credor de apresentar suas
'ontas para serem pagas.
Aos agricultores
O bacbarel Petronillo de Sania Cruz Oliveira
con linda a encarregar se de levantar empresti
mos jira auxilio da lavoura sob hypotbeca de
propriedades e peohor de safra ; na roa do Im-
perad rn. 69, 1 andar.
Aos sapateiros
Acaba de chegar para a loja da roa do Livra-
mento n. 19. um novo sortimento de formas
franceziis para calgado3 de bomens, senhoras e
meninos. >o mesmo eslabelecimento os senho-
res sapateiros encoatrarao sempre um completo
sortimento de aviamentos para fabrico de calca
dos e por recos sem competencia ; s no Bazar
do Livramento n. 19.
Attenco
9
Os proprietarios do antigo e acreditado arma
sem do Lima, site ra Barao da Vi -tona n 3
participara ao respeitavel publico e aos seu;
distinctos freguezes, que trtnsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n 9,
contuuando da mesma forma a receberem suas
irdrns para lhes servir com o costumado e ba
bitual desempenho.
J s Fernandes Lima tC,
Ra Baro da Vicio ra u. 11
323
Teleph
<>ne-
Precisa*se de um rapaz com bastante pratica
de motilados ou albura c tpilal para o io de urna
taverna em boa ocalidade, na f. oguezia de San-
to Antonio : a tratar na roa da etencao n. 9.
Excel lente morada
Aluga-se i grande .asa e sobrado do Dr. Aj
uGama, na estrada deloSo de Barros, perto
das estacOes da En :ruziwada, das ferro-viae de
Olinda ede Limoeiro, com immensas accommo-
daces, jardins, arvon s fructifers da melbor
qualidade e vasto terreno, quer para plantacoes,
qner para criacao ; a tratar no mesmo sitio.
AO PUBLIC
O abaixo assignado resolveu participar
aos sens amigos e rregueees que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de:
COGNACS destacando o afamado
Pn->, que um dos .que mais se pres-
tara a tomarse coa leite.
VINH0S--0 Palhete sem prejuizo das
outras marcas, especialisando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brs-
lienne.
LEGUMESem cooaerva, specialida-
des como nio ae encontrara em qualquer
casa.
CAENE em conserva, especiaes como
nunca vieram aqu.
PEIXES tambom o que ba de mais
vanado.
CEBVEJAS ondo se destaca a bem
iconhecid. e digna de eelefcridade Paulino
Bier
CHARUTOS nm grande sortimento
das roelhores marcas, e por praoos mnito
conmodos.
A!ev destes artigos acha se o seu atar
peleciment sempre supprido ide tudo
q-.iauto se possa dse jar d'um bom esta-
belocimento d'aqaelle genero -
Ra do Imperador n. 28. .
Paulino d Omira Mata. .
Patacoes velhos
Compra-se ns relojoaria David, ra do Cabo
gaj 14. _______________________
Onro frafc
Compra-se, comoatuben
moedas, ra du Cabug
n. 9.,'loja de Augusto Reg.
Atterifo
Hiidnine Fanny Silva, costureira e
modista francesa, -ecuindo brevemente para
Paris. a- fazpr no 'as compras, vende por precos
de liqudagSj, lindissimo? vestidos feito?, de
seda e I para baile e passeio, assim como cor
tes de seda, darnass. foulards e moitas outras
novidades. iJNDOS CHAPEOS E CAPOTAS.
Convid as E&mas. familias a aproveitarem esta
occasiao nica de comprarem a precos sem
competencia.
Contino a refeccionar toda e qualquer
toilette para baile, passeio e casamento^, com
mxima pontualidade, elegancia e precos mo
dicos Luto em 24 horas.
Ra Barao da Victoria n. 15,
sobrado
___________Telephone 193__________
Urgente
Vende se um sitio arborisudo e com boa casa
jp morada, na estrada do G.qui ; trata-se na
dua do Imperador n. 61, 1 andar.
De SorocaI)a
Declaro que soffri muro terrpo, faiendo
uso de medicamentos sem resultado, e,
usando tres das apenas daInjeccSo M.
Morato sarei completamente de urna
ebrogica goaorrhea que me atormenta va.
Faca uso deste como convier.'
Antonio F. Fontoura.
Est reconhecida a firma pelo tabelliSo.
Agentes depositarios em Pemambaooc
Francisco M. 4a Silva & C, ra Marque*
d Olinda u. 23.
Para a cura tjjtca* e prompa das
Molestias provenientes de im-
. pureza do Sangrae.
E' urna loucura andar a fazer expe>
riencias com misturas inferiores com-
postas de drogas ordinarias ou de plantas
indgenas cuja eficacia nao confirmada
pela scicncia, emquanto que a molestia
cada vez vai ganhndo terreno.
lancera mfio, sem demora, de nm re-
medio garantido cuja eficacia seja facto
ossignalado e inqnestionavel!
O Extracto Composto Concentrado
de Salsapakiliia de Avkr 6 conhecido
e recommendado pelos mdicos mais in-
telligentcs dos paizes adiantodos, j&
durante 40 annos,
Centenas de milhares de doentcs
tem colhido beneficios do seu emprego e
sao outros tantas tcstemunhas da sua
eficacia positiva e incomparavcl.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER &. CA,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
DEPOSITO r..RAL
Aluga
-se
em Afopa 'os urna casa terrea, muito limpa, com
bons commod >a para familia, na ra Direita,
junto a antiga eslacSo das diligencias ; a tratar
na la estreita do Ucsario n. 9, junto a igreja.
Ama
Precisa se de urna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durmu em casa dos
patrOes e seja matriculada ; na ra de Fernn-
des Vieira n. 29.______________________^
Amas
Pr* ]'?a-se de duas amas, sendo urna para co-
sinhar e outra para engommar. para casa de fa-
milia ; a tratar na ra Conde da Boa Vista n.
24 A en i ra Duque de Caxias n. 93.
Ama de leits
Precisa se de urna ama dr leite para criar
urna menina, que tenha bom e abundante leite,
stja sadia e cp.rinbosa ; a tratar na ra liara
do Triumpho n 68.
Bom negocio
Na ra de Marcilio Das n. 74, vendem
valles de corrida.
b tres
Gal virgein de Jagua
ribe
Depualto no Caes do Apollo n. VS
Esta afamada cal, propria para o fabrico
de assucar, continua se a vender pelo mes-
mo preco e abatimento do costume. No mes-
mo armazem vendem se todas as mais quali-
dades de cal de Jaguaribe branca e preta, era
p. assim como todos os materiaes proprios
para con.-truegoes e reconstrurgOes por precos
menores do que em outra qualquer parte,_____
Dous milagres.
IIIm. Sr. D. Carlos -Tomei o seu re
medio o Elixir M. Morato e foi com
elle que pude tarar das boubas que soffria
ha muito tempo e que dencorocoava por
nunca melhorar ; nm mea visinho que
tambem soffre j largou de tudo que Ihe
rece i tara m e est tomando o seu mesmo
remedio.
Agradecido pelo comelho e bou obriga
d8simo.
Santos.
Albino Jos Coulo.
Illm. Sr. D. Carlos. Eu e todos de
casa, faz muito tempo, que soffremos hu-
mores de boubas, com dieta sem resulta-
dos. Fizemos uso agora do Elixir M.
Morato, propagado por D. (arlos, e
s.ramos completamente.
O remedio, alm de ser muito bom,
ainda tem bom gosto, pois as coiancaa
bebiam com faciiidade, misturado com
agua.
Sap.
Firmino Aguiar.
Precisa se de um caixeiro do 12 a
14 annos, 'oro. pratica de molhad'>s, a tra-
tar na ra das Orazes, n 4, hotel.
Muito barato
NA RA DO CRESPO 21
.\aloj lio lampos
Cintas escuras c6r de caf, a 2 0 rs. o
covado.
Ditas brancas, panno de cretone a 250 rs.
o dito.
Ditas de cores, finas, de 240, 80, 3t)0 o
320 rs o dito.
Haptistas de c5res de 160 rs. o dito.
Ditas dem, finas, a 200 te. o dito.
Nazuhns de cores finas, a 240 rs o dito.
Merino de c6r, liso, la pura, urna s lar-
gura, a 280 rs. o dito.
Ditas lavrados duas larguras, boas corea,
a 500 rs o di o.
LSs de cores, lisas, listras c de quadros, a
200 rs o r'ito.
Ditos com quadros de seda, a 400 ra.
dito.
Ditas achamalot*das, 500 rs. o ditot
Cretones lisos, a 200 rs. o dito
Sar..elins trancados, todas as cores, a
200 rs. o dito.
Etamincs de cores, tudo phantasia a 40f
reis -o dito.
Zepbiros de quadros, a 160 rs. o dito
Linho pardo para vestido, a 400 rs o dito.
Cambraia Victoria transparente de 3f900t
a peca.
Atoalhado para mesa, fazenda de gosto,
10400 rs. o metro.
Ficbus de todos os tamanhos, qualidade
pr eos.
Toalhos para mesa a 24000, urna.
Colchas brancas, portug lezas, fazenda de
10000 a 5AO0O.
Meias, sortimento completo para horneas,
senhora e enancas
Lencos de algodao, brancos e de cores,
linho, e grande sortimento em seda.
Cortes de calca para hornera, nm corte
1,9000.
Gravatas, fichus, voile e 18 o que ha de
mais em novidade.
Setins, surah, sedas de cores e preta,
merino preto, soo a lsvrado, grande
. qoantidade de artigos que rendemos por
todo preco.
LOJA DO CAMPOS
CRESPO21 .*
? .
'



--
i. l


iario de Peiriambueo-Ierca-feira 27 de Maio de 890

-
LOJA DO P0V0
HBa l, de NarcoII
Com este titulo acaba de se abrir, ra 1. de Marco n 11 urna lojade fazen
4m e sea proprieta rio convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o sen
BELLO sortimente. Muitas de suas fazendaa sao recebidas directamente.
GRANDE IVOVIDADE
Descont de KV em compras de 200000 para cima.
Granadine, pura seda, de 15800 a 800 rs. o covado.
Toile, pura seda, de 10600 a 650 rs. o covado.
Lis com listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Las com prepan de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 20, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de cores lindas a 300 rs o covado.
Zephyr largo de 8U) rs, a 320 ra. o covado.
dem dem a 200 rs. o covado.
dem dem a 160 ra. o covado.
Cortes, coatumes de casemira inglesa, a 12000.
Ditos de casemira ingleza de 30500, 4)J000 e 60000.
Ditos de fuetao para collete de 600 rs. e 20400
Cheviot de 305'u, a 20000 o covado.
Casemira cor do caf de 350011, a 30000 o covado.
Caaacoa de Jers y para seuhora a 30OoO e 60000.
Merino preto a 50'>, 700 e 10200 o covado.
Dito de cor a 4 Casinetas fint.8 de 500 is a 360 rs. o covado.
Colchas de crochet de 8OOO a 3)550 .
Cortinados lindos a 60000.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr s na
LOJA DOPOYO
!'^
DO
ESTADO DE PEONAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa i
FABRICA OE LIVROS DE ESCRJPTURACAO
NtAtMNAMO ? MUTA9A0
Qamoel J. de CQiranda
39 ** KA DUQUE DE *- CAXIAS -* 39 -
NUMERO TELEPHONICO 194
INTEGRAES
A teicera parte da 1.a lotera deste Es-
tado ser exlrahida inipreterivelmente sab
bailo, 24 do corrate.
Todo so. pedidos debilhites desta lote-
ra deveni ser dirigidos thesouraria ra
lurgci do Rosario n. 9. l.aadar.
PELOS CONTRASTANTES
Be. na dio Lopes lheiro.
(Aviso aos reguezes
lilUkiliili
TROVAM!
E' hoje a casa que rende mais barato!
Fazen^s de m vida de j Variedades
PRODUCTOS
d.a
Uiuflj
l. m
Place de. ls* Aiaclelelne ? PARS
antio-amento S07, rea o Saint-Honor*.
m tffSUM ES$*t8!Z* OSHALfiCT' GRM ORIZA
OSZA-VELOUT > OfflfrTONiCA ORIZMfMe SASAOORZA
\ DEVEM U SED GRAKD2 XITO BEM COMO 0 FAVOR DO PUBLICO :
>r' i* Ao cuidado perfeito corr que estfio sendo fabricados.
2" A' sua qualidarie inalteravel e suavidade do seu perfume.
): nAs.COKO SECV.2'CON't'K^FACQRSD'ESTES PRODUCTOS ORIZA
com inaito e viv-r itiim 3 caifa de fama de que gozam,
pdmoi de sobreaviso 01 Ireguczes no fin ue se nao deixem engaar.
MMCIRM PWD"JBTf3-?Sr[!T!M EM TOD.'S AS EOS CAZAS DE PERFUMARA E DROGARA
Manda-se'.'Ptri
**
an
NEVRALGIAS
Pilulas do Docteur Moussette
As Verdadeiras Pilulas Moussette acaimso e curio ai
Neuralgias mai9 rebeldes, a Enxaqueca, a Gastralgia, a Seiatica, as Affec&m
rheumutismaes agudas e dolorosos que resistirao a qualquer outro remedia
As Verdadeiras Pilulas Moussette devem ser tomadas as
refeicoes. No primeiro dia tomaf-se-ha tres pilulas; pela manria, ao almoco e .o
jantar. Si nao se tiver experimentado allivio tome-se quatrd pilulas no segundo
dia, duas pela manba, urna ao almoco e oatca no jantar. S' preciso nao tomar mais
qutro pilulas Moossette por dia.
Exija-se a* Verdadeiras ululas Moussette de Cijn O, de PAJUZ
que te comprae em lodo* a* drogara* e pharmaciae._____ __
i.: :cgo ilJ-uatrad-O framcoilporte.
Mia de late .d'Albutiuefque, antiga rur das Flores25
Ti-ge e fimos com p. maior perfeicSo toda a qualidt.de de estofo e fazendas ex
-..;: ~n i'm obr; f. chfJ de (filtros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo
ahH-. fftito por meio de macliiniaip aperfeicoado, at hoje conhecido.
T'if&r^u y.r-U' naa torcas e sextas feira tinta de cores o lavagem todos os di?..-
VINHO DEFRESNE
TONI-NUTRITIVO
COl
I
PEPTONA
AOMrrrnA
HA MAIMHA I
MINTIS K PARS
O rtnhe de Jsjsew 9/*fut* o mtli preatoso dos tnicos, contem a
fibra muscular, o ferro bemaUco e o pbospoato Je cal da carne de racca, o nico
recotuUtulnte natural e i
ileto.
que desperta o appetlte, restltue as forcas ao esto-
' lncomparaTel, que por ltso que
Cardoso & Irmao
Ra do Barao do
a
104
Triumpho ns. 100
Rceberam novo sortime-ito de vapores dos acrfditadoB fabricantes fiooee
tUtnnm para trabalbar com fogo ra asse-tsment'. moendas, taitas, forma de assn
c todas as mais ferragens precisas agricultura.

eomplfl
Bete l>eliea# Tin**, (,_.
mafo e melhora a dgeetio, como reconititulnte I
eacerra o elemento plaadoo dos mscalos que ius a cormpco. color
sangue dyserastado peta anemia, prenne os dsrrtos da columna rerteOral.
O Winhe <*t> *mtnm 0e/Veana mpOe-se em todos' os casos de affeceses
das Tlat digestirs o de eofenmdsdse de forma deprimente, agudas ou chronicas,
como as dTVpepstas, ulceras do estomago, etc e no marasmo, chlorose, dlarjete,
cacbexla, Usloa pulmonar, ato. Devem usal-o egualmenle as pessoas de constltuicio
dbil, as crtancas cuja saude posta em risco pelo creaelmento rpido, as maens
cujo rigor e eompromettno pelo trabalho do aleltamento.
DEFRESIC o primeiro preparador do Tinh <*e P*t*na,Cuidado com u imilacSea.
ViaiM! feu M MTtiUdl v. /-S
tawiwciu de rrof
socar

^
Ji
E
CAPSULAS THVENOT
Tratamento das doencas do peito
a todos os degros.
A leatrao.
Alcatro Creosotado e Tol.
lOOtOrmlO (rther ie^obrrnado).
1 Grsc?3?". ftx.cr~~r.:cda.
w Gr:n"o*z rr? m?.
1 ::.;.... iji- .'.'*BfeSiA/ tfistito.
i &ulsam icos cyuosn t o o >.

Depoattaric-'em'PliBHAll'bCOr "*Jttr v da SUVA 4 Ola.
-\

,i*
6
^
Gamm mao
lia de aro do Itanpfa is. 100, 102 e 114
Deposito rua a Ap'oik) lis. 2 e 2 B
Trm ptt> rrurr 0 nrgnlmte:
VAPORES V'divw-sos fsfjricantes para fop> drstpara o on foge de Msr.
. MOENDAS e1 todos os tamanhos.
RODAS d'agna.
RODAS de espera e angulares.
CRIVACOES de differentes tamanhos.
TAIXAS ^e ferro batido' e ftmdido.
LOCOMOVHS'de 2, 2 1/2, 3 e 4 cavalbs.
ARADOS'americanos.
BOMBAS de todas as qaalTdads com o respectivo encanamento e finahaen'.
- "^irWsi fefragea preesasipar* 'agricultura desta provincia.
ENCARREOAMlSE de qnalqder concert a mandam btiscar por' endotame
bk, msdiaih foss prfcHft otf omjf mdica eommisslo uale/uer rtachinismo.
MACHINAS etsdeToa^algodlo.
* ''VARANDAS'ferr-Andido e batido.
GMTifcA<3fPAM foitie^freiltO1 de mppartUwi p*ra !, gsranaado bo
issvdade e bom trabalbo dos^m^imoS, o qne odem provar com o' buumegultkd
2MrV eom- as doas SDAS montadas ltimamente a saber:
affHtrPao^lia e Joao Alfredo
Ysndem a praso ou a dinhsiro com desoonto.
' '&'*
-;.>
m
;tarhinrjs a vapor
VI-> ?

:
;.i.

-'; mih
;,

M
sa
ata
mt
UandaiM reto tuptrurt A* Ijjtw* Aa Jwetrit t> tmiL
QUINA E FERROf
Chlose, Admia, Debilidade

t~.

1RY
ffito mtairm 4Mem-e aiH, w-t hBatMUm ns jimia .^atruena.
A tej< ;.~j..!'.., Eftnte ;;,-* "i'j dw '"' 'oir.r.uv p<>T exf'-lfjiK-ta.
I ;. !"(). ,-.,. m..(. tifrl pr'Wfiti/rrftKifrtmWUi-'irtlrn >*'1 ''.-.^ii
I i* :.. .? t,i'-t->Kt.'t'loreri 8r
Crep de algodo a 240 rs. o covado.
Cambraia branca com salpicos a 4 Crep m tisado a 440 o covado.
L2, Amasonas a 400 rs. o dito.
La escosseza a 240 rs. o dito.
Voile a 1& a 800 rs. o dito.
Linn de ramagem a 600 rs. o dito.
Zephyr com padrees de voile a 640 rs.
Cretone voile? a 400 rs. o covado.
( hitas percales a 200 rs. o dito.
Cambraia Victoria a 2(5800 a peca
Gases arrendadas a 440 rs. o covado.
Cachemira de listra, duas larguras, de
20000 por 10200 o dito.
Vestidos para crianca a 4)J0OO um.
Baptistas ficas a 260 rs. o covado.
Setim do Japao a 240 rs. o dito.
Cortes de metim, em cartSo, a 70000.
Cortes de zephyr, bordado, a 100000.
L'orteB brancos bordados a 18|$000.
'asacos Jersey a 60000 um.
Popelina branca de reda.
Setina de c6res a 800 rs. o covodo.
Brilhantina de listra a 600 rs. o dito.
Atoaihado pardo de linho com matizes
brancos a 30000 o metro.
MantUha ce seda, ere me e preto a 40500.
Capas, visites Pelerina e mantilhetes (ca-
chemira e teda).
Grinada para noiva a 1O0COO e 120000
Toa!ha felpuda para rosto.
Luvas de seda a 20000 e 2500.
Palitots de seda palha.
Mern de duas larguras a 40000 o covado.
Ricas caixas para presente.
Corte de coilete de fustSo.
Bies de cores e brancos.
Extractos e leos.
Camisas allemles a 360000 a duzia.
Cortinados bordados a 60000 o par.
j Ceroulas de bramante a 140000 a duzia.
i Meias para homem a 30500, 40500, 5(5000,
60C0 e 70000 a dusia.
' Madapolio trancado a 90000 a peca
Mirino preto de 800 rs. a 20000 o covado.
Fustao branco a 380 rs. o dito.
Leques transparentes a 20000.
Guarnicao de crochet com matizes a 70OO#
MadapolSo com nm metro de largura a
60500.
Caninas de flanella a a 40000 e 50000.
Bramante trancado de duas larguras a
500 rs. o metro.
Panno da Costa a 10200, 10400, 10600
10800 o covado.
Lencos, meio-linho, a 20500 a duzia.
Lencos com barra a 10400 a dita.
j Toalhas para banho a 10800 urna.
! Esguiao pardo a 360 e 400 rs. o covado,
j Tapetes grandes e pequeos.
Baleias a 40 rs. a duzia.
i Colchas de c res a 20000, 30000, 40OOO,
50000 e 60000.
Colchas de damasco de 1S.
Sahidas de baile a 10000 urna-
Ramos para peito e cabello a 20000.
EsguiSo de algodSo a 305 0 a peca.
Vasos para p de arroz a 10500.
Punhos e collarinhos de celuloide.
Abo toad n ras americanas.
Palitot de alpaca preta.
Espartilhos a 50000 e 60000.
Baptiste de cores a 160 rs. o covado.
Renda hespanhola a 300Q o metro.
Bordados e ntremelos.
i ECovas e pentes.
Suspensorios americanos. Regatas c lacos
Completo sortimento de cachemira
E OFFICINA DE ALFAIATE
20Ra 1. de Marco20
Amaral & C.
S'ASOSi &iW^+<3*%mWR .3, rua
ihku, evf.
'Acustord&m.

rnAM- M. dB SILVA O.
O Peiturl** nbr
Sempre foi, e ser o pi K cipa) remediogarantido para as
molestias do larynge, bronchios e pulm5es.
- A bronebite, asthma, mado peito, rouquidao, Uryogite,' ceqe-
lucbe e qualquer tossO, por maii grav e antiga que seja, ouram se esm
o Peiirai de Cambara,medicamentdpp^vado pela AnrtatGer.tral de
Hyrfne Publica,-premiado'conf dtaes-i&etMlhas'd onro- *el;*'ctae e
odedo.de Valiosos atteStados*medros e"le ifln'umeres'^de' pessoas cu
*radss. xija-se a firma do atr.br.
J: *//lvat~e$ de Sousa Soares.
~ *\AIAIS DORES de DCju^
aj k\.^J __ pk mo no n Elixir, P e Pasta dentifricios T*
sos
I. PP. BENEDICTINOS
da AB3ADIA deSOEAC (Gironde)
DOM ItlAGUELONNE, Prior
2 .Vetfalhati de Ouro : Bnixalles 1880~ tonare* 1884 j
AS MAIS ELEVADAS RECOMPENSAS
wvmtado I OTO r" rr
KO asno | 9 # O Fierre SOI
O uso quotidiano do Elixir Dentifricio
-fo Prior
Plerre 30UXSAU9
qu
Pl
dos RR. f>P. Benedictinos, com dose de
algumas gottas com agua, |>rerem e cura a carie
dos dentes, ombranqueceos, fortalecendo e tor-
nando as gengiras perfeitamente Badias.
Prestamos um vordadeiro serriea, asfigna-
lsiiJ" aoa uoseos lt>itorei este antigo a utilia-
armo preparado, o melhor curativo -e o nico
preservativo contra as AeccSes den-
tarias. >
Agente geral: SEGUIN, BORDEAUX
Acha-ae em todas as Perfumaras, Phannacias e Drogaras do mando inti iro.
4> PISADO FRESCO de BACALHO, IIA TUR AL
rTasartBto ases SO AHMOS, a Franca, la(lairn, ~
Iteiyboaa Bsiaao-Amartcanaii. P;"*
MiOIGIMAL

Alugiiei barato
Visconde de Pelotas n. S
Pedro Alfonso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Ra do Bom Jess 2o. andar n. 47
Ba Aguazinhas em Be her be n. 7
Ba Coronel Suassuna N. 141, quar
Ra Itaparican 43 I." andar.
Trave9sa do ('armo, loja n. 10.
Boceo do Tarabi n. U.
A tratar a ra de Commercio n. 5, 1
ascriptona de Silva Guiraares 4 C.


*Deflffir cYido de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typogrphia do Diario de
Pernambuco.
i j
Administrafto : PARIZ, 8, doulsnrd Hontmartra.
otiand; GRILLE.-Air.'cnV< Ivmph.Ui-as, I)ocn.|
I /i-as lasvi.'.s Jgestiras.Obstruci^esd-'Ufado doba^o.
I 01ulror( s vis"roas, CoDWeces c:il IHOPITAL. ABV5VS das tias ..'cslivas.Inriimroo' I
<-' l< niomVr/o.'-Digeii'Si 1M': InT'fetrnpia' |
;. ."'.'. .. :'> '.- ."-..'. ; c-:. ..** r-
.- : 1 ; .:>.: .. J
X ; T v l-'i- : I -..'H
M c-ci.i-ivr.i- -1 < ; ii.....-(.., ai-. :] !j ;N
Prata de lei
Compra se vo;-. Duque deC Bom negocio
Admitte-se um Bocio com algnm capital para
(averna ; a tratar aa ra de Domingos Jos Mar-
tins n. 80
As maes de familias
(CEBIS VOSSOS FILHOS 8KMPBE SADIOS
Adminstrae-lhes o ZAR0PE ou aa
BO
Pillas Vermipufgalivas
L--.'
FS
. .... .. -y

i
:: >-- -. -X' '... Hj
ti ........ ^
'; ;:' ?: ..,:.:, .--_; t.,r, ,?. M
5;;0 <*.'<' p'-'fa
tf .v;n-, ;. i r, ..i -. tfi -. i'ifrqj
'i- i .....fin '600 ^-t).
M.i ra i'o ii;c.-jjj u. 2f, Kja do
. i .). i ii.
I4i o n (,- :
1 ;i!in,' .
Hez raes, olto veas
Irrs&as a 'aSrufXK oos>
mprevo 4m>sj*om de tsrestothUas do
rm&B preparacoes de mastruz
bo, para a expulsao completa, seat
dores nem incommodo, dos vermes
intestinaes ou lombrigaa
i I '(sVASreB^SOAS S 'DO ADtros)
BElS;'AIOS D!SDCOBSS01
Estas exeellentes preparacSes nao no-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas. >
As peSSOaa que tm vermes senCLl CO-
licas, tem constantemente diarrhas, india-
posicSo, sensacao de corpos que Be move
nos intestinos, endurecime'nto do ventre,
s veses, vmitos. Rangem os dentes, quas-
lo-^orroEm, c aJgirojas."pessoas expellea
-ermes nom as i'ezes cu com as materasj
ds vmitos. As crea;icas apresentam asi
pupillati dilatadas e inapetencia.
As pilulas levara' impresso o nomo 1*
0R. CALASANS e sfto cor de rosa.
i caixa de pilulas 1)J2Q
vidro de r^.rnpe 112QP
PKINCIPAES DROGARAS j
PHARMACIAS
Mil lili I II
AS
r
SDALHA rJBOTJB>0
D. aclDaVU NACioNAl.
DO DOUIOB..
VIViEN
'*Ol EfftlMO DE
nCftM-ferBMtHA0
I
I
i
i


i*m


.!..-j

:i
iTm

i

.*


o
Difiri uco 1 erQa-fftira 27 de JVlaio VENDAS

f
I
a
I

Venda-se um pequeo estabt'leciatnto de
quitan ta 4 ra do Bom Jess a. 53 ; a tratar na
mema-
Engenho
Venie se urna parte cu a meia aceito de um
engenho raoente e torrente a agua, quatro
legoaa da estando e Palmares, com capacidade
para sarejar mais de 2,000 paet, podenio o
mesmo comprador arrt-ndal o ; a tratar na ra
Mrquez do Herval n. U4.
Saboaria
Vende se ou permuta se por predio urna pe-
Snena fabrica prompta a trabalhar, margem
e rio e di manda de pequeo capital; a tratar
na roa da Madre de Deus n. 16.____________
Livrara Contempora
nea
nilramenlot de mollea
BomDardao, bombardino, barytono, tromp
trombone, helicn, saxaphone. carrilon, bombe
caixa, pratos.clarinitas. flautas,rabecas, violoe
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de sala3, quartos, gabinetes, corredi
rea.
Molduras
dou:ads, pretas e don radas para quadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, especialmen.
para icapa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA 4 C.
Bu a Primeiro de Mareo n. 9
Cera

Vende se na ra do Cahug n. 1, segundo a
qualid de, de U a 1*500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de V o descont de
30 0/0, e na de l.' de 20 0.0. No mesmo esta
balecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cada urna.
Pao centeio
Mello A Bisel tendo recebido nova remessa dt
farinha centeio, avisa aos sena freguezes que
coatinuam a fabricar este delicioso pao centeio
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.__________________________
Vinho puro de Santarem
Da quinfa do Barra!
Os nropretarios do Armazem Central, ru
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
guezes e ao respeitavel publico que receberan
aova remessa oeste especial vinho, o qual st
recommendapor ser puro da uva, e s se reta
Iba em seu armazem.
Joaquim ChrstovSo & C.
Telephone 447
Vende-se
orna toa machina de numerar e diversos cofres,
sendo um muito grande e que foi da antiga the-
souraria das lotera? ; a tratar na ra Mrquez
de OQda n. 4, 1- andar.

Manequins de Bazar
Para modistas
Para familias
PRECO DO MANEQUIM COMPLETO
25*000
Qualquer senhora por mais gorda ou
magra, alta ou baiza que Beja, pode fazer
seus vestidos sem prova e sem auxilio de
outra pessoa.
VEXOG-iE
Na loja das Listras Azues
A' ra Duque de Caxias n. 61
Uim'lOJ
Vendem-se os segutn-
tes livros
Loorerio, romance histrico por F.
Tavora, 1 vol. ene. 4/000
0 Matuto, dito dito, pelo mesmo, 1
vol. ene. 4*000
O Cavalheiro; do Amor, romance em
4 vols. enes. 12*000
Ecboa de liorna, pelo padre Guilher-
me Dfli 1 vol. ene. 2000
D.ccionano Biographico, por F. A. P.
Costa, i grosso volume ene. lOJOCO
Vooa loaros, versos por M. Barreto, i
vol ene. 3J000
Flores Fluctuantes, versos, l vol. ene. 2*000
Voi e qudas, versos, 1 vol. ene. 2*000
Guimaraes, poema, 1 vol. ene. 3*000
Sons que passam, versos por Th. Ri-
beiro, 1 vol. ene. 3*000
Alberto Pimentel, Cantares, versos, i
vol. ene. 3*000
Evangelius e Syllabus, drima, 1 voL
enC. 3*000
Julio de Castilho -Livraria Classica,
Estudos biographicos e litterarios,
3 vola. enes., fluos 15*000
Castrioto Luzitano, historia entre o
Brazii e a Hollanda, 1 vol. ene,
fino 5*W0
Bibliotbeca do Povo,I12 vola. enes. 25*000
Morte de D. Joo, romance, 1 vol.
ene. 2*500
Contos de Pedro Ivo, romance, 1 vol.
ene. 3*000
O abandonado por Julio Verne, 1 vol.
ene. 1*500
O Processo Lerouge. romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene. 3*000
Neto do Acoitado, romance histrico,
1 vol. ene. 3*000
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 3*000
Chiquinbo, Encyciopedia da Infancia,
per G. Bruno. 1 vol. ene. 3*000
Caricaturas em preza, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene. 3*000
0 Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada pelo finado hispo D. Jjao, 1
v. ene 15*000
Obirajara, lenda, 1 vol. ene. 3*000
Arnaldo GamaUm motim ba cem an
nos 1 vol. ene, obra rara 6*000
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2*000
P. de Kock-Joao, 2 vol. ene. 4*000
As mil e tima mulherea, 4 vola. enes. 8*000
0 rei Candla, romance, 1 vol. ene. 2*000
Contos a Ninon, por E. Zola, 1 vol.
ene. 2*000
A caga de um baronato.l vo!. ene. 1*500
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene. 4*000
Os herdeiros de Caramuru, romance
histrico, 2 vols. ene, finos 6*C00
A izreja e o Estado, por Ganganelh,
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes, finos, com grava-
ras 12*000
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro 2*000
CasteJlo de Grasville, romance raro,
1 vol, ene 2*000
Leonor, D'AmboIse, 1 vol, ene F i*000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enc3. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 1 vol, ene 3000
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra crtic?
e joceza (rara,) 1 vo!, broch.. 3*000
Vozs da historia pelo Padre Gui-
llierme Dias, 1 vol, broch. 2*500
Um mysterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, broch. 2*000
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
broch. (mesmo autor) 2*000
Guarrigues breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene 3*C00
O matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o i?, o vol s. 1*500
Ponson do Terrail A heranca myste-
rioza o 2. vol 86 ene 2*000
Repostas consisas e f miliares por
Mr. Segur, 1 vol, ene 1*000
Carta sobre a Companhia de Jezus,
1 ral, brocb. 2*000
Carta a Pae Tobas, 1 vol. broch. 2*000
No escriptorio deste Diario se dir quem ven-
de todas estas obras, e faz-se grande abati-
mento a quem comprar todas juntas_________
Superior vinho de Al-
cobaca
O acreditado e autigo armazem do Lim par-
ticipa ao publico e aos seus freguezes que acaba
de receber urna nova remessa deste especial
vinho, escolhido propriamente pelo chefe desta
casa, tornando se recommendaao por ser puro e
de boa qualldade.
Jos Fernandes Lima & C, ra Baro da Vic
loria n. 9
Telephone 323
Movis austriaers
Ha um riqusimo e variado sortimento de
movis austracos de diversas cores, lisos, tor-
neados e entalbados, para vendas em porc&o ou
as pegas avulsas, bem como ricos espelhos para
salao, camas de ferro com lastro de ac para
meninos, solteirus e para casal, e magnficos ta
petes avelludados, os melhcres que veem ao
mercado : no armazem ra Mrquez de Olinda
numero 54.
A rmacao
Vende-se barato a da loja do Livramento nu
mero 8.
POB
PAULO D'IUHKHOXT
R1MEIRA PARTE
A andorinha
(CoctinuagSo do n. 118)
V
NA GA8COGSK
Pois bem, tenho a conviccXo de que
e&M menina confiada a Clemencia em cir-
cumstancias tSo misteriosas, e por urna
mulher que tSo hbilmente sonbe conser-
var o incgnito, nSo o fructo de urna
falta.
Ora essa !...
E' antes algoma crianca, que se li-
aba o maior interesse em fazer desappa-
recer, mas nlo um interesse moral, um
interesse pecuniario.
Em que se baaeia o senhor ?
Na mulher que foi fazer a Ce
mencia Foulon a propoata de tmala ede
crala. E' nma dama da alta roda, sim,
e o retrato que della me fea o cura, co-
mo vulto, ae nlo como physionomia, co
corda muito bem com a desconhecida de.
Marcello Barrera, para qoe nao aoja a meJJ,
a mulber.
Homem, verdade! retrucou Rose
lin, nSo tinba pensado nisso.
Essa mulher, continuou Greliche, fez
primeiro desapparecer a crianca, sem ou
sar supprimil-a de todo. Levou seis an-
nos a habituar-se cem a idea do crime e
mais tarde, no dia em que deitou fogo
taverna, tinha conseguido o seu deside-
rtum. Urna mSi que quizesse occul-
tar a sua falta, urna parenta mesmo, qual
quer que fosse a sua resoluclo, a sua
cnorgi, nSo ommet'eria tal crime por in-
teresse moral.
O senhor tem razSo ; porque a po
bre Mara, que encontr! no meio do fo
go, com ps e mSos abarrados, eslava ir-
remediavelmente condemnada morte.
O fogo foi ateado em casa de Cle-
mencia Foulon, com o fim exclusivo de
dar cabo da cransa.
Mas a pequea Maria era notavel-
mente intelligente. Ella ha de fallar quan-
do ficar restabelecida da sua febre. Oir
o nome da incendiaria, daquella infantici-
da!...
Se a conhecer!...
Entao ?... o seu crime ficar impu-
ne ?
A menos que nao a encontremos por
estas bandas. Porque .espero que o se-
nhor me ajudar.
Certamente. Mas previno lhe de que
nSo son forte nessas cousas.
Far-me ha companhia, e conversan-
do ctmsigo, desembaralharei as lambas
ideas, como me diaia ha pouco.
Oh desta forma,' cont-Inteira-
mente commigo. Mas diga me c, cama
rada, o aenhor falla emr procurar a mu-
lher ; voltemos entSo amanhS a^ Castel-
nao.
.. (ireche abrrio.
Aqu, respondeu elle, sena intil. A
desconhecida com-qae o padre enoltrou-
-J f -f aua|
t xi#a
Alerta com a Revelado
48Raa Diqoe de CaxlaM*
Surah de linho fazenda muito larga a 320
ra. o covado.
Etamincs de cSres a 28 D e 300 ra. o co-
vado.
Zephires de cores a 120 e 160 ra. o co-
vado.
Lindas 13a de cores a 2.0, 240, 300 e
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a 1003 o covado.
Merinos iavrados a 500 ra. o covado.
Voile de algodao a 240 rs. o covado.
dem de la ultima m da a 80 j rs. c co
vado.
Cortes de metim par veatidoa de du&a
cores a 60000 um.
Ditos brancos bordados a 12,5000, 14C00
e 15*000 um.
Ditos de cachemira bordados a 25/JC0D um.
Cortes de cambrai branca de quadros a
1*800 um.
Cort:nadoB bordados a 6*000 e 7*000 o
par. ?
Ditoa de crochet a 8*000 e 10*000 um.
Fecns de todas aa coiea- de retroz
1*000 um.
Colchas de c6res a 2*00, 3*000, 4*0Q0 a
5*000 urna.
Cobertaa forradas para caBal a 2*500
urna.
Toilettes para baptisados a 6*000, 8*00C
e 10*000 um.
Camisas finas de meias a 14000 urna
Toalhas para crianca a 100 e 120rs. orna.
Ceroolaa francesas, a 1*000 orna.
Pannos de crochet para cadeiraa a 500
rs um.
Atoalhado de linho de 4*400 o metro por
2*400
Dito de algodao a 1*200.
Algodao trancado para toalha a 1*0C0 o
metro.
Bramante de algodSo com 4 largaras, a
800 e 1*000.
Lencos de algodao a 1*200 e 2J000 a
dozia.
Ditos de linho a 3*0OOaduzia.
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.
Cretones escuros e claros a 200 rs. o co-
vado.
MadapolSo americano com 24 jardas a
5*000 e 6*0L0 a peca
Cobertores brancos de 12 para acabar a
2*C00 um.
Bramante de linho, fazenda de 3*000, a
2*000 o metro
Panno para mesa a 1*200, 1*400 e 1*600
o ctvado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado
Vtstidos de Gersey para creanja a 6*000
um.
Camisas de linho para homem a 2*000,
3*000 e 4*000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
(Jostumes de cachemira fina para homem de
20*000 a 15*000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
4000 um.
Cortes de fustao para collete a 800 rs. um.
Guardanapos c m franja a 2*0C0 a duzia.
Espartilhos de todas as qualidades e n-
meros por preco baratsimo.
E umitas outras fazendaa de le e moda
qen vende por preyo aem competencia,
em vista de aeu proprietario querer acabar
com o estabelecimento.
S na Revolu^ao
HENKiyUJ DA S1XVA MOKE1RA
Alfafa nova
Solta 30 rs. o kilo, era fardos 60 rs.; ven
de se no armazem ra da Madre de Deus nu
mero 10.
Farelo novo superior
Saceos de 42 kilos a 1*800
Vende-se no Corpo Santo n. 6.
- Boyal Blend marca VIADO
'Este excedente Whisky Escocez pro
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar e corpo.
Vende-se a retalio nos melhores arma
zens de molhados.
Pede Royal Blend marca Vlado
cujo nome e emblema aSo registrado par
todo Brazii.
BROWNS A C, agentes.
no Hl AIS.
P<^ *?LRY Vsnde-sa ta toda a oar"
Farello superior
a 2000 ; eo largo do Mercado n. 12.
se urna tarde na igreja, a que deitou fogo
ra de Fontaine-au Roi, nSo destas
bandas.
Rectificou:
Destas bandas, uSo digo bem; nao
desta trra, o que eu quero dizer. Creio
que ser alguma pessoa que Clemencia
foulon conheceu quando estove alugada,
no tempo da sua mocidade, em Coudom
ou em Agen. E' ahi que nos devemos in-
formar. Talvez consigamos colber alguna
indicios. O oommissario de policia de Con-
dn) pareceu me ser um homem muito in
telligente, elle talvez nos possa auxiliar.
Nesse momento o cavallo que corria
velozmente, descendo um morro bastante
ingreme, tropecou n'uma grande pedra col-
locada no meio do caminho e cahida sem
duvida de alguma carrosa qoe conduzia tal
materl.
Fez-se ouvir logo um ruido sei'co, e o
vehculo pareoeu dobrar-se e enterrarse
no chao.
Eugenio soltou urna praga enrgica.
A cacamba quebrou se, disse elle.
A alguma distancia, situada sobre urna
pequea eminencia, adivinhava se urna al
deia pelas luzes que brilbavam na escuri-
d2o da noite.
NSo ha remedio senSo apear-nos,
disse o agente dando o exemplo. Esta ma-
nila vi urna officina de seges na entrada da
aldeia, aqu na estrada; vamos l mandar
reparar este accidente. O cavallo, que
est fatigado, descansar e depois conti-
nuaremos n no i so caminho.
Dados alguns pasaos effectivamente, elles
encontraran] a pequea casa, no alto de
cuja porta agitava-se ao vento urna tabole
ta de lona pintada; ao lado, debaixo de
vasto telbeiro, viam se moirSes de madei
ra, a que se amarravam os bois para se
ferrarem.
E' aqu, dis:e Greliche.
E' tildo bom, parabem
de todos
Oa abaixo assignados, tendo feito gran-
de reduegao de precos as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi
dam o respeitavel publico e especialmente
a seus bons freguezes, a certificaren! se da
verdade que aqu rica dita e a aproveita-
rem a occasiSo de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por presos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 15 e algodao a 240 rs. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 320 ra. o covado, zaphyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, lSs de cores a 200 rs. o
covado, setinetas finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (1S pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de 13,
fazenda muita fina de gostos lindsimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completa
novidade; voiles com salpieos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fustScs broncos, cretones pretos e
de cores lisos e com flores, baptistas de
cores, gostos delicados.
MadapolSo americano a 56000 a pesa.
Metins, dem variado sortimento.
Espantoso sorimento de cretones p-ra
cobertaa e chambres, esguiSo de puro
linho, costumes de Jersey para meninos,
capas hespanholaa, pura seda a 3*000
urna, cortes de vestidos de todas as qua-
lidades, fichus de 1S, linho e prateados,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, collarinhos e gravatas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e qoe tudo vendem sem reserva de
presos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Bernard.no Campos & G.
Perei a & Magalbes
Recebedore directos dea mer-
cad a da Europa ^^
Apn-sentan) os seguintes artigos, sendo
alguns anda do anno paseado, razSo justa
para seren actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 rs. o covado.
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustao para colete a 8.0 rs.
dem de casenetas a 1*000 e 1*200.
dem de casimira ingleza de cores a 3* e
4*o:o.
Algodao cr, marchetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lensoes, a 4* e
5*0.0 a pesa.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 5*
e 6*0:0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 5*8C0.
Cortinados bordados de crochets a 12*000.
Colchas dem a 7*C00 e 8*000.
Grinaldas e veos para noivas a 8*003.
Espartilhc8 modernosa 4*000,
Percales claras e escuras a 240 o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalhas nacionaes a 2*500 a duzia.
Lencos em lindas caixinhas a 1*800 e
2*800 a dita.
Meias mglezas e nacionaes a 2*500 e
3*0C0 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 12*000.
Cerolas bordadas de bramante a 12*000 e
i 16*000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 1*800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 1*600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2 500.
Cretones para as mesmas, a 1*000 me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, dem, a 440 rs. o covado.
Bramantes francezes a 1*600 o dito.
Casemiras de c6res, duas larguras, a
1*8C0 o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 2*400,
3*500 e 4*000.
Merines para luto desde 500 rs. a 1*800,
duas larguras.
Sargelins de cores a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichas a 1*, 3*000 e 5*000.
Tcalhas de labyrintho, riquissimas, a 25* e
30*000.
Vendas em grosso tem o descont de
14 V0.
59RA DUQUE DE CAXIAS59
MVIDADES
VENDE-SE NA LOJA DAS LISTRAS AZUES MAIS AS SEGUINTES
Espertadores e relogios com movimento.
Tesouras finas quese dobram, a_ 1*500.
Porta-lanterna para theatro, a 1*000.
Sabonetes para pannos e sardas.
Grampos, novidade, para transas.
Lapis-caneta de ouro romano.
Caaivetes de duas a quatro folhas finas.
Oleados com repartimentos par.mesa.
Sabonetes para limpar ouro e prata.
Albun j para retratos, a 3*000.
Bordados finos, peca de 4 1/2 metros.
Fitas de todas as larguras e cores.
Biccos e rendas hespanholaa.
Espartilhos de setim para noivas.
Meias de seda para senhora.
MadapolSo fino, peca com 10 varas.
Morim Lavrado com 20 varas, a 5*000.
Percales claras e escuras a 200 e 240 rs.
Setim branco e todas as cores com listras.
Surak, todas as cores, a 1*400.
Velludos pretes com contas e palmas.
Cassas de ramagens com lindas cores.
Tecidos arrendados brancos e de cores.
Cortes bordados em cartSo a 9*000.
Cortinados bordados e de crochet.
Colchas braceas e de cores, a 2*000.
Crochets para sof e cadeiras.
Bramantes de linho e algodSo.
Atoalhados Iavrados em releves.
Guardanapos grandes e pequeos.
Aos compradores de 20*000 para cima da se descontos e muitas vantagens
para vendedores.
A' ra Duque de Caxias n. 61
LOJA DAS LISTRAS AZUES
Va ceas tourinas
Vendem se vaccas tourinas com cras, dando
leite, por seu dono ter de retirar se para fra do
Estado por incommodos de sade ; na coebeira
da ra SebastiSo Lipes n. 33. Para informagOes
na ra do Pires n. 31, taverna, defronte da anti-
ga caixa d'agua.
Libras
Vendem se ra de h. Maria Cezar n. 26.
Vende-se
urna taverna, afreguezada e de pouco capital : a
tni'ar na ra do Barao do Triumpho n. 62, an i
ga do Brum.
Um tenue filete de luz coava-se por de-
baixo da porta.
O agente bateu.
, Entre gritou urna voz gasconha,
admirada de ver bater n quella trra da
confianza, da familiaridade e da boa cama
radagem.
Greliche obedeceu e achou se em pre-
senja de urna familia inteira, anda senta-
da mesa, diante dos restos da ceia.
Em que lhe pedemos servir, senhor ?
perguntou o chefe, reconhecendo um es-
tranho.
O agente explicou o que acabava de
acontecer.
E tm muita pressa? perguntou o
individuo, que era ao mesmo temjn fer-
reiro, ferrador e carreiro.
Temos, sim, respondeu Roselin, que
estava ancfoso por ver a mulher. Deve-
mos estar esta noite em Coudom.
Esta noite nSo posaivel. A cousa
demorada; mas vamos, apezar de tudo,
deitar j mSos obra, eu e meu filho.
E o cavallo?... NSo haver aqui
urna estribara em que se lhe d de co-
mer?
^NSo ha necessidade de estribara, se
nhor. Nos temos aqui um lugar em que
recolhemos os animaes que trazem gente
nos dias de feira. Podemos accommodal-o
l, emquanto nSo ae concerta o carro.
Perfeitamente, obrigado.
Ser preciso dar-lhe aveia?
Sim, tudo quanto for necessarie, aveia
e feno.
Onde est o carro ?
A dous passos d'aqui, na estrada de
Castelnan.
Os carroceiro, pai e filho, foram rpi-
damente levados l, guiados por Greli-
che.
Agora, perguntou este ultimo, po-
dem nos indicar um lugar, hotel ou hospe-
dara, em que ociemos convenientemente,
porque morrenos de fome ?
Sim, senhor, subam o morro, e l
em cima, na aldeia, que se chama Mon-
tral encontrarSo um excellente hotel e
urna casi: ha melhor ainda.
E' diffieil de descobrir esse hotel ?
NSo; na propra estrada, que a ra
principal. Mas o meu peqoenito vai le-
val-os l, ser mais simples.
Smente muito tempo depois, o vehi
culo concertado ficou em estado de prose
gur a viagem.
A ceia fora excellente, um verdadeiro
banquete, como s a cozinha gasconha sa
be produzir.
O vinho fora julgado delicioso ; mas tu-
do isso r.So compensava para Roselin o
tempo perdido, esse tempo durante o qual,
em Pariz, Laura viva devorada pela an-
gustia.
Finalmente, o cavallinho, repousado das
suas fadigas, galgou a estrada franca com
o seu trote rpido, atravessando os rami-
lhetes de bosques, os trechos de trra la
vrada de fresco, os vinhedos em flor, cu
jos perfumes subtis e delicados assemelha-
vam-se aoa de resed.
A noite estava esplendida ; a la, que
se havia levantado, permittia distinguir
com grande nitidez os melhores detaln.es
da paysagem encantadora que desenrolava
se dos dous lados da estrada, era cujos va-
los as violetas selva?ens, os botSes de ou-
ro e as begonias bebiam a frescura da
sombra.
Urna faixa de luz pallida que illuminava
o horizonte, a briza um pouco mais fresca
que fazia tremer os olmos do caminho,
advertiram Roselin e Greliche de que o
dia nao tardara a despuntar, quando che-
Sivana ao alto das col linas que dominam
oudom e o deslumbrante valle, no qual
ella est construida.
lili
Peitos de celuloide com bordado mi,
perfeitamente linho.
Collarinhos modernos duzia 5*000.
Para tmhullio de crociii ete
Caixas de linhas de cores com mcaelaia
dourado a 1*000 e um novello 100.
Punhos para homem a 6*C00 a duzia.
Lencos brancos para creanja a 1*000
duzia.
Para baile
Lindos rames de flores artificiaos de asas.
e com hastes de borracha.
Lindo e grande sortimento de soutacba de
todas as cores para enfeitar veatidoa da
cranla.
Para aa Sraa, modlslas
Bcob de cores brancos de algodao a 1*5CR
e 2*000 a pega.
Bicos de seda de diversas cores a 5*008 a
peca.
Porta transa de prata, tartaruga e sume.
Punh< s e collarinhos de celuloide.
E.-pelhos cara dura a 400.
Para liquidar grande quantidade de fitee
modernas abatimento de 25 *#.
Fitas n. 9 a 400 o metro,
dem n. 5 a 200 o metro.
Lavrada para faxa a 2*000 o metro,
dem para faxa n. 30 a 3*000 o metra.
Espartilhos para 4*000, 5*000 e 6*0GC
Para nola
Cape lias de cera,
dem de flores de larangeiras.
Ramos francezes e nacionaes, veos, ley
e luvas.
Enchovaes para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e a&atco.
Cintos de chagrain para senhora, larga c
estreitos a 1*000.
Grande sortimento de galoes, palmae, ra-
sas, pingentes e guarnieres pretas a
vidrilho para vestido.
Lindas costureiras de velludo
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costara.
Grande sortimento de caixinhas coas
tractos proprias para presentes a 2*0GC
3*000, 4*000, 5*000 e 6*000 moa.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindos objectos de crystal para preaaa
como sejam : porta-relegio, parta-extra-
cto, porta-p de arroz de 4*500 al
12*000.
Finos alfnetes para gravatas.
Grande sortimento de broches
para senhoras.
Caixas com msicas a 2*, 3*000,
at 120003.
Grande sortimento de galozinhos
e de cores para enfeitar casacos e
de crianzas.
Porta retratos a 200 e 300 rs. um.
Grande sortimento de lencos de
1*000, 1*500 e 2*000 um.
Guarnieres para toilet a 6*000 e 7*0GC.
Lindos porta pos de arroz a 1*500, 2*Q0G^
3*000, 4*000, 5*000 e 6*000 om.
Finas ligas com ramo de flor de
proprias para noiva a 1*500 o par.
dem de todas as cores a 1*000,
1*500 e 2*000.
Lencos de linho a 3*000 a duzia,
xinha.
Grande sortimento de polceiras
canas.
Cortinados de crothet para cama a 12fQGc
17*000 e 19*000.
Ditos para janella a 7*000.
Guarnieres para cadeira a 6*000.
Pannos de crochet para cadeira a 890
1*000
Grande sortimento de luvas finas para at-
' nhora a 1*500, 2*000 e 2*500 e par...
dem para menina a 800 e 1*000.
Linha de machina a 700 rs. a duzia.
Id m idem a 60 rs. o carritel.
Toalhas para banho a 1*500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores eom inscripsSo e paisageai
500 e a duzia a 4*000.
Grande sartimento de espelhos finos ovm*
e de canto redondo a 4*000, 5*008
6*000.
Bengallas de flauta n 1*500.
103RA DUQUE DE CAXIASB
Mercearia
Vende se urna mercearia bem Iocalisadaeasz-
pria para principiante por ter poucos faoaasr.
para informales na ra Mrquez do Hernia*-
mero 73. _______________
Leitura s Selectas
Pelo Dr. Joo Barballio
Acba-se no prelo e brevemente ser ex,..
venda, a 3* edic&o deste importante livre
leitura e outros exerclcios as escolas.
Dentro em pouco o sol illuminou aa ca-
sas altas da pequea cidade, a sua catae-
dral semelhante a urna gallinba no okec
dos seus pintos, o seu rio. o Baise, capri-
choso e murmurante entre as margena flo-
ridas, sobretodo o seu valle fecundo, eaav
posto de prados espesaos, entrecortados de
pontes rusticas, construidas de pranchSee
cobertos de musgo e hera.
J o bairro da Bouguerie inha aiac
atravessado em toda a sua extensSo; j
Greliche galgava a velha ponte que separa
essa parte da cidade da propria Coudda,
quando ao lado da antiga e admiravel ca-
pella, tranformada em deposito de agur-
dente, os dous amigos viram passar
landau magnficamente tirado por
trotadores andaluzes.
Um homem e urna mulher, jovem. aav
bos, oceupavam o fundo do vehculo.
0 homem, antes deitado do que recosta-
do, dorma, e pareca um cadver, tS pal-
udo, tSo livido estava.
A mulher, ao contraro, com a cabega"
envolta n'uma mantilha de rendas braoeac,
reBpirva saude, mocidade e vida. Eca
admirave!mento bella, morena, com eapee-
sa franja de cabellos castanhos que caano-
do-lhe at as sobrancelhas, fazia pareoar
mais bellos e mais profundos dous oaos.
nicos, negros e brilbantes como duaam-
tes, de expressSo voluntariosa e decidua.
Recostada, pensativa e preoecupada, aa-
recia respirar com delicias o ar pora da
manhS.
Ao seu aspecto, Greliche estremeseaz
Esplendida creatura exclamen efie^
Nunca vi mulher tSo bella!
Roselin reflectia :
Maa oode vi o esta sujeita ? am-
muroo elle. Aquelle rosto nao me iea-
conhecido.
(Continuar-ie-ha.)
Typ. do XHarw.|Kua Duque de Caxias n. U
.
; fc
1 T
Ir*.'
1 (
.<

.
* '


)'
j


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI1Q5IRUJ_8LVZAT INGEST_TIME 2014-05-28T01:24:33Z PACKAGE AA00011611_17756
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES