Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17741

Full Text

LA L


H
Propriedade de Manoel Figuera de Paria *Sc Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por tres meses adantados. .
Por seis ditos dem......
Por um anuo dem......
Cada Damero avulso, do mesmo da.
65000
120000
23*000
0100
Os Srs. Amede Prince & C.
de Pars, sao osnossosageates ex-
clusivos de annuncios e publica-
res na Franca e Inglaterra.
PARA DENTRO E F0RA DO ESTADO
Por seis mezes adiantados. .
Por nove ditos dem......
Por um anno idem. .
Cada numero avulso, de dias anteriores.
TELEGRAMAS
ssBvi;c mmm so izaeic
RIO DE JANEIRO, 7 de Maio, s
horas e 50 minutos da tarde.
Foi nomeado engenhairo residente do
Prolongamento da estrada de ferro do Re-
cife ao S. Francisco, o engenheiro Hero-
nides Costa.
130500
20)1000
260000
100
SBB7I5C U A&2ICU HA7AS
ROMA, 6 de Maio.
Apelar da opposicSo do governo, o Se"
nado italiano adoptoa por 98 votos contra
76 a conservado do art. 87 do projecto
de lei conceraente s obras pas.
Em vista d'esta votacSo o conselho de
ministros est deliberando.
PARS, 6 de Maio.
A grve dos trabalhadores das fabricas
de aclo no departamento do Norte est
diminuindo.
Um certo numero de operarios j vol-
taram para o traba lho.
BARCELONA, 6 de Maio.
A ordem publica acha ss restele
cida.
.. ROMA, G de Maio.
O' Senado italiano repellio a segunda
parte do.art. 87 do projecto de lei sobre
as obras pias.'
Mr. Crisp, presidente do conselho, de
clarou'no Senado que um conflicto entre
a Cmara Alta e a dos Deputados obriga
ra o governo a fazer appello aos el si-
to res.
BERLIM, 6 de Maio.
Hoje teve logr a abertuia do Rei-,
chatag.
A falla do throno declara que o gover
no da Allemanba procurar sempre man
tur a paz na Europa e esforcar-se ha por
conservar a trplice allanc> na defen-
siva
Em seu Aonuario biographico diz Joaquim
Mancel de Macedo :
Natural da provincia de S. Paulo, oude nas-
ceu em 1711 na villa depois cidade de Santos,
Gaspar que no claustro tomou o notne religioso
de Madre de 0us, foi Ribo legitimo dn coronel
Domingos Teixeira de Azevedo e de D. Rosa de
Cerqueira Menionca, de familias nobres e ricas
da en i o capitana.
Orpho d pai anda em lenra idade, sua ze
losae digna mi deveu solicita educacao at que
aos dezesete anocs desprezando a riqueza e a
e a condico nobre que tantea gozos e grande
zas Ihe promettiam na tocia, recolbeu se ao claus-
tro benedictioo, e actdrpanhando o provincial
Frei Antonio da Trindade veio ao Rio de Janeiro
e seguio para a Bahia, ande com outros entrn
no noviciado a 4 de AgvJRo de 1731, sendo abba
de no mosteiro Frei Joa Baptisia da Gru, sea
lio avo pelo lado materno.
Professou e seguio severamente os estudos do
mosteiro. A 10 de Agosto de 1743 abri como
lente de tbeologia a sua aula : distinguio-se no
magisterio, e nao menos na tribuna sagrada ;
pregando muitas vezes de improviso e com ad-
mirada erudico e eloquencia.
Renunciou a abbadia em S. Paulo e o lugar de
definidor para o qual foi eleito em 20 de Feve-
reiro de 1756.
(Contina)
O cidado Izidoro Jos da Silva Mascare-
nbas assumio no dia 25 do mes ultimo o exerei-
cio do cargo de delegado do termo do Trium-
pho.
Communlca o Dr. delegado do 2o districto
desta capital j haver sido remettido ao Dr. jniz
de direito do 4 districto criminal o inquerito
pela rnesma delegacia procedido contra Jw Au-
gusto Alies de Carvalno por ferrmjntos leves
fetos na pessoa de Severo Hanoel do Nasc-
rnento.
O chefe de polica,
Antonio Antunes Ribas.
de
DE
ftoverno do Estado de Fernn
baco
DESPACHOS
DO DIA 6
1890
DE MAIO DE
PARIS7 de Maio.
ser no
O general de Miribel ajaba de
meado chete do estado-maor ao Ministerio
da Querr.
ROMA, 7 do Maio.
O Conselho de Ministros abandonou
idea de dissolugo da Cmara e deixou
cont'nuar a discusso do projecto de le1
consernente s obras pias.
LISBOA, 7 de Maio,
minutos da tarde.
s 6 horas e 30
O governo fez ama nova declaracJo no
a rlamento, a resoeto das negociacSes en
ir Portugal e Inglaterra, dizendo que e s
tavam bem cnciminhadas e que espera-
va se ama soluglo prxima.
Agencia Ha vas, filial em Pernambuco,
7 de Maio de 1890.
HSTRDCCIO POPULAR
21JSAIC SIBLIO&SArSICD
DA
LITTKRATRA BEAZILEIRA
NOS
TOCTOS COIOHUUBS
(Contin uacSo)
xxin
Fre aspar a Madre le Besa
FACUKDIS
Al que galante cousa I
D. CLORl
Eu nao quero mais remedio, que os famos do
Alecrim.
D. NIZE
E eu os de Mangerona.
SIMICUPIO
Nao seja essa duvlda. anda que nao sou desse
voto couitudo cada um senhor da sua vida, e
se pode curar como quizer, I vai a receita : (can
ta Simicupic o seguate)
Si in medicinis
Te visitamos.
Non asniamus.
Sed de Alecnns,
El Maogeronis
Recipe quantum
Satis ana.
Credite mibi
Qui sum peritas.
Non mediqaitas
De cacaraca.
Alexandre Agrlpino do Niscimento. Encami
nhe se, com os ducumentos a que se refere o
peticionario, que pagar no correio o devido
porte.
Antonio Jos Fernandes.Informe a Intenden-
cia Municipal do Recife.
Antonio Francisco Corga.Sim, mediante re
cibo.
Rellarmino Augusto de Athayde.Informe o
inspector da Theeouraria de Fazenda.
Bacbarel Braz Florentino Heoriquesde Souza.
Iaformeo inspector da Tnesourana de Fazenda.
Compaabia Pernambucana.Nesta data auto
riso o Tbesouro do Estado a escriptnrar a divi-
da de que trata peticionario, visto referir-se a
exercicio fiado.
Eduardo Antuues de Albuquerque Mello.Re-
medido ao director da secretaria da extincta As-
sembla Provincial para entregar, mediante re-
cibo.
Francisco Pinto de Magalhes Informe cir-
cum8tanciadamente o cidado inspector do Tbe-
souro do Estado.
Franklin Mioervino MartinsComparega na
secretaria do governo para receber a guia, pas-
sando o competente recibo.
Julia Canuta de Mello.Indeferido.
Joanna Carolina de Araujo Figueiredo.Re
mettido ao regedor do Gvmoasio Pernambucano
para mandar admittir o menor, na qualidade de
alumno interno granulo, quando houver vaga,
sem prejuizo dos que se acbam inscriptos.
Jos Pelici) da Cunha. Indeferido, em vista
da informacao.
Joao Lourenco de Ges e Vasconcellos.Sim,
com recibo.
Bacharel Jos Marianno Carneiro Bezerra Ca
valcante.Atteodido, e depois de notado na
secgo do archivo da secretaria do governo, re-
meta Be este requerimento ao inspector da Tbe
souraria de Fazenda para os fios convenientes.
Bacharel Luiz Eraygdio Rodrigues Vianna.
Re jueira Intendencia Municipal do Recife, a
quem cabe o eonbec ment do aasumpto.
Major Leopoldo Borges Galvo Ucha.Pre-
dicado, em face da portara de hoje, pela qual
foi revogada a lei n. 4.135, de 9 de Novembro
de 1889.
Luiz Affoaso Ferreira.Sellado conveniente-
mente, volte quereodo.
Maria Eulalia Fernande3,Indeferido.
Mara Carolina de Almeida Bello.A cadeira
nao tem qnota.
Cpitao Manoel de Camino Paes de Andrade
Gouvim.Encaminhe-se.
Bacharel Tobias Gajrel de Oliveira.Sim,
sendo dous mezes provisoriamente e sem venci
m en los.
Temoleo Peres de Albuquerque Maraobo.
Prejudicado.
Theodoi-o Jos Tavares.Iaforme o inspector
doThesouro do Estado.
Luiz Antonio Cavalcante de Albuqoerque.
Como requer, sendo, perm, tres mezes cora or
denado, e os outros tres com_metade do orde
nado smente.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 7 de Maio de 1890.
O porteiro,
H. M. da Suva.
Theaenro do Estado
Pernamhuco
DESPACHOS DO DIA 6 DE MATO
1890
F. P. Boutreau, Manoel Francisco de
Medeiros, abaixo assignados dos cartearos
e serventes da secretaria do governo,
Pedro Jos Pinto e Medeiroa & C. In-
forme o Dr. contador.
Luduvico Q. mes da Silva, Eugenio de
Siqueir, Luiz Leopoldo dos G ai manes
Peixoto e Castro, Lemos & C.Informe a
seccSo do Contencioso #
Herdeiron de Hermino Ferreira da Sil
va. Ao porteiro.
Manoel Raptista do Amaral e Jos
Jaointho dos Santos.Informe o admi-
nistrador da Recebedoria.
Ponto dos empregados dn secretaria da
extincta assembla.Ao cidadlo theseu-
reiro para os devidos rins.
se de ves em quaodo; de tirar nos desta a'onia
que nos atrophia, dando nos noites de agrada
veisdistrarcOes.
T-im ltimamente chavido por aqu bem re-
gularmente, o que tem satisfeito aos agricultores
desta zona ; no entanto os gneros de reir como
farinha, feijao, railbo, etc. etc. teera sido pouco
abundantes e por prego3 muito altos.
A commissao d.strictal ja terminou a sua
qualibcaco eleitoral, tendo sido alistados 74
uovos cidados votantes.
Fica pacifica e calma a villa. Antes aim :
Una ou outraque3to d3 fra em nada alte-
ra a paz.
A' outra vez.
S. VICENTE-4 de Maio de 1890
Recebedoria do Estado de Per
nambuco
DESPACHOS DO DIA 7 DI MAIO DE 1890
Jos Luiz Gonzaga da Silveira. Infor
mea Ia seccSo. *
Andr Busson.Indeferido, por n2o ter
fundamento a reclamacSo.
Eugenio Samico.Deferido, oom rea
980 ao 1. semestre do corrate exer-
cicio.
Joaquim de Oliveira Borges. Defe-
rido, com relacSo ao exercicio corrente.
Jeronymo de H. Ja valcante Filho, Au
gusto Jos da Costa e Jos de Mello Sal-
gado,
fina.
A' 1.a sec^So para os devidos.
Repartleio de Folela
2. seccao.N. 101.Secretaria de Po-
lica do Estado de Pernambuco, 7 de
Maio de 1890.
Forana hontem recolhidos Casa de Detenjao
os individuos de nomes Manoel Jos Guilaerme,
Jos Bernardo dos Santos, Benedicto Goncalves
dos Santos, Jos de Souza, Jos Flix da Silva,
Valentim Gomes de Quei.-oz, Joaquim Nunes Luiz
da Silva, Manoel Francisco dos [Santos, Jaciotbo
Jos de Andrade, Tbomaz Reis, Christiano de
Souza Leal, Manoel Pedro da Silva, Jos Heme-
te de Ass s e Bento Jos de Lima.
Commuaica o de.egado do termo de Naza-
retb, que no dia 1 do corrente foi encontrado as-
sassinado no rio Tracunhaem, em trras do en-
genho Babylonia, um bomem de cor branca,
coja identidade nao pode ser reconbecida.
O delegado mandou faxer o corpo de delicio e
procede as diligencias da lei aflm de descobrir
o autor do crime.
No dia 28 do mez lindo, foi tambera eneon-
trado morto, entre as maltas dos eugeobos S.
Maooel e Saltinho, do districto de S. Gangalo de
Una, o individuo de nome Luiz de tal, conbeci-
do por Luiz Bagaceira.
Das diligencias a qae procedeu o delegado
respectivo, veriticou-ee ter sido a morte casual.
No dia It do mez ultimo foi preso em fla-
grante no termo de Triumpho, por crime de roc-
ho pratlcado na casa do cidado Feneloo Gon-
calves Lima, o individuo de nome Joio da Cruz,
que est sendo processado no juizo competente.
No dia 3 do corrente foi capturado no ter-
mo de Garanhuns o reo Pedro Jos aa Costa,
pronunciado no termo de Aguas-Bellas no artigo
193 combinado rom o 34 do cdigo criminal.
Pelo subdelegado do districto do Brejao do
referido termo deGaranbuus, foram presos em
flagrante no dia 3 do conecte, como ocurso as
penas do art. 257 do cdigo criminal, os indi-
viduos de nomes Jos Loureoco da Silva e Pedro
Pereira dos Santos. .
Contra os delinquentea abrise inquerito.
O subdelegado do districto de Canhotinbo
obrigoo no dia 27 do mex Ando a assignar ter-
mo de bem viter ao vadio e desordeiro Maooel
Juliao das jautos.
Iospeetorid Geral da Instrueefio
Publica do Estado de Pernam
baco.
M8PACHOS DO DIA 7 DE MAIO DE
1890
Jos Faustino Barbosa de Qaeiroz.
Paase.
Jos Gon9alves dos Santos e sua mu-
lher Francisca Arcelina dos Santos.En-
caminhe-se.
Mura Francisca de Barros. Como re-
quer.
Alberto da Silva Miranda. Justi-
fico.
Americo Pereira BrandSo.Justifico.
Francisca de Mendon$a Pinto. Enca-
minhe-se.
Do Diarlo de Pernasabuco
GAMELLEIRA, 1 de Maio de 1890
No cumprimento da missao que nos impuze-
mos, vimos dar-vos algamas noticias desta villa
que grasas ao advento da Bepublica, vai cami-
nbo do pregre3so.
Vamos gosando da amenidade do clima, mais
puro agora do que outr'ora, devido limpeza das
ras, que tem sido operada pela polica, empre-
Sado os vagabundos no asseio e remocSo do
ixo da villa, procurando assim certadamente re-
primir a vagabundagem.
A' frente dessa polica, acha se anda o activo
delegado oapifo Ernesto G. Pereira Lima, tendo
como auxiliar o subdelegado, cidad&D SeraQm
Tavares, qae ltimamente assumio o exercicio.
A commissao oomeada pela Intendencia
para examinar o archivo da ex cmara, terminou
a sua missao, apresentando o seu relatorio, onde
demonstra um desfalque de 4:754*66" quaolia
pela qual sao responsaveis diversos cidados
qualincados. Eis, portante, posto s claras o
desmazeto da extincta municipalidade.
Em sua ultima sessao a lnteudencia nomeon
ama commissao para confeccionar as respectivas
posturas que at eutao nao existan), composta
dos cidados Austricliano de Andrade, pmfessor
Ernesto Miranda e tenente Joao Flix de Caval-
cante. Presumimos que multo far essa coa -
missao a bem deste municipio-
Continua a servir de cadeia e quartel o
immundo e imprestavel predio, contra o qual ja
temos reclamado. Este mond um dia desaba-
r ; entao os poderes competentes tratarlo da
aequistefio de outro predio as condigOes conve-
nientes e bygienicas para urna cadeia.
Para um facto que aqu presenciamos sem
pre, e que nada nos agradaval, chamamos a
attenco da Intendencia e da polica, attm de
corrigil o.
Eil o :
Existem no barraco da feira diversas tarimbas
qae servemnos agougues e em cima das quaes
cortam a carne verde. Pois bem, ah mesmo no
leito dessas tarimbas temos visto individuos feri
denlos, immuodos mendigos dormirera dorante
as semanas e aos sabbados, os senoores mar
chantes naquellas mesmas tarirabaj immundas
talbam a carne que tem de abastecer villa, sem
ao menos lavarem-nas.
lito, que anti hygienico, consideramos como
o cumulo do... luxo...
A .escola publica desta villa, regida pelo
professor Ernesto Miranda, vai com urna frequen-
cia que nunca aqu observamos ; o que prova
proveito que dalli tira a infancia que a f.-equen
la. Est&o, pois, os pas de familia satisfeitos
com o joven professor pelo interesse que elle
desenvolve no progresso inteirectual de seus
olbos.
Esteve aqu entre nos dando-nos, tres agr-
daveis noites de dutracco, o hbil prestidigita-
dor Bacellar, que muito agradou nos trabalhos
que exhibi.
A proposito de distraccOes de que esta villa
se rescente, vai o Recreio Dramtico Pamiitir Ga
melteirMse, levar scena proximente um es-
pectculo composto do drama Voluntario da hon-
ra e da comedia E1 melhor nao experimentar.
Anda bem que os mocos do Secreto lembram-1
Poneos sao os factos que desta vez temos a
registrar, mas como somos d'aquelles que gos-
tara de dar cumprimento aos seus deveres, an-
da mesmo com sacrificios, por isto nSo impor-
tando ot poneos assnmptos que ora temos, va-
mos somente cumprir o alto encargo do que nos
revestimos.
O numero de migrantes nesta freguezia. aco3
sados dos sertOes pelo secca, augmenta todos os
dias.
J estamos no auge do desespero, sem saber
o que fazer.
Oj cereaes a proporco que escasseiam em
nosso mercado, vao augmentando de precos.
Onde ir um infeliz pae de familia buscar
^OOO para dar por um decalitro de milho?
Quem dar ama esmola a um retirante, de
2*809 para este comprar um decalitro de feijSo?
Nioguem, porque 03 meios nos vio fallan
do, eas3irn vamos por certo cahir no abysmo.
Deus nos valha
Tem dado algumas chuvas, mas os agriculto-
res nao eem mais semen tes para fazer plan
tajOes, e nem dinheiro para as comprar.
Existe nesta povoacao um individuo aleijado,
e que desde muito vive de esmolar. E' um en-
te que nao faz mal a urna formiga. Chama-se
Peixinbo.
Xj di 19 do mea passado, mesmo sendo Pei-
xinbo como descrevemos, foi victima das faca-
onas de um tal Jos Caboclo hornera que d-se
ffo vicio da embriaguez. Peixinho foi descamado
por Gboclo que de3carregou-lhe algumas ca-
cetadas.'
Cabocto foi preso em fligrante pelo tenente
Joo Francisco de Moura. 0 sub-lelegado 3o
supplente tomou conbecimento do facto.
Fez-se'o corpo de delicio e inquerit j, e quando
suppunhamos que Caboclo seria; remettido para
a sede da comarcarle foi posto em liberdade.
Como e quem explicar este fado?
No dia 26 por occasio da feira ia-se dando
um glande conflicto entre o poro e a polica,
isto paisanos notificados, mas por feheidade
nao temos a lamentar desgracas.
Todos nesta freguezia conhecem um individuo
pdfltopellido Chico Marroquim, todos sabem
q*Ta sua profls98d embriagar se e approvei
tanda-se disto, faz'>r trocas de cavados ; emfim
um individuo tal, qu-: se existisse aqu ama
autoridade que curapnsse o sen dever, ja estara
n?. cadeia.
Paitbe:; no dia cima indicado, Marroquim
coroprou 'em nm estabeleclmento um pouco de
bacalho, (elle fazia se embriagado como era de
costme^ ; mais tarde nao quereodo o bacalho,
atirou-o sobre o dono do estabelecimento, o qual
pediu aos muitos de sem fregaezs qae retiras
sem-no do seu estabelecimento.
Marroquim resistiu, e nesta occasio soffreu
urna pequea cacetada descarregada por Jos Pe-
queo.
A autoridade compareceu no estabelecimento,
e fez prender Jos Pequeo. Espalhada a no-
ticia entre o povo, este reuniu-se, e tentou to-
mar Jos Pequeo das mos da polica. Travoa
se urna pequea lucia.
0 povo Tomou o preso, mas depois a autori-
dade auxiliada por diversas pessoas, effectuou
novameote a prso, e tambera a de um filho do
preso e mais doas pessoas do povo. Todos fo
ram postos na vergonhosa prisic-fe S. Vicente
o tronco.
Depois de os nimos se apasiguarem, disse-
ram nos, que Jos Pequeo, na lucta, perder
50*100.
A razo de tanta cousa ? Falta de nm desta
camento, que a pesar de terem sido destinadas
algumas pragas para aqu, anda nao cliegou- E
o desrespeito s autoridades, pois muitas vezes
vemos entrar no estabelecimento do subdelega-
do 3o supplente, individuos armados de faca, c-
celes e al pistolas.
A graule vagabundagem. para a qual anda
nao huuve aqu urna autoridade que procurasse
reprimil a.
Em vista disto pedimos ao inclyto governador
deste Estado, o cidado Or. Meira que lance sues
vistas sobre esta freguezia.
J nSo pedimos a S. Exc. um auxilio para
matar a fome s infelize= victimas da secca, mas
contentamo nos em S. Exc. fazer reprimir a va-
gabundagem, diminuir o oso de facas, pistolas,
etc afira de que possamos ter ama vida tran-
quilla.
Graade terror se tem apoderado do nosso po-
vo por cansa do casamento civil. Imaginem-se as
concluses que tiram tantas intelligencias nao
cultivadas t _
0 qne certo, que ba nm anno e tanto, hai-
xou o governo decreiu do rcgicir.i civil; o povo
sempre ignorando, hesitava em cumprii o; fo-
ram vivendo sem novidades, conforme diziam,
constando apenas do archivo civil de Janeiro a
30 de Abril, 1 bito, nascmentos o, casamento
zero.
E' para admirar tal resulado 1!
Consta nos ter sido uomeado fiscal destapo
voaco o negociante em nossa praca Francisco
Jos Soares da Fonseca. Se se confirmar a no-
ticia, agradecemos Intendencia desta comarca
pela boa escolba que fez.
N) dia 24 do mez passado, fallecen em seu en
genho Palma de Monte Alegre desta freguezia,
cercada de seus estremecidos lilho3, oras ene
tos, D. Joanna de Moura Borba.
A mostr finada era viuva do capito Jos de
Barros Pereira de Andrade e contava 76 annos
de idade.
0 que mais caracleri3ava D. Joanna era a
pratica do bem, e o fazer a caridade. N'ella, a
viuva encontra cousolaco, o orpbo encontrava
asylo, a 0"ph. o amparo, o faminlo, arrimo, em
flra todos tinham em D. JoanBa, nao urna pro-
tectora, mas urna verdadelra mi.
Deixa urna numerosa prole, constando de 9
filhos, 40 netos e 4 bisnetos.
Seus restos mortaes foram encerrados no ce-
miterio de Mont'Alegre, depois das exequias
que foram celebradas. Grande numero de ami-
gos e parentes comparecern! ao sen enterro,
dos, comtudo *havemos de fazer o que nos lor
possivel.
No dia 30 do mez Ando, comecaram os exerci-
cios do mez de Maria. Esto encarregadas da can-
loria as Exma-. S-s. OD. Elvira Santiago, Joan
na de Barros, professora Ny npha Tavares e suas
alumnas.
Al outra vez.
Tem feito graade impresso na classe'com
mercial em Inglaterra a publicaco do relalorio
acerca do trafgo mercantil no mez de Margo,
pelas consideraveis dimiouigOes que n'elle se
acensara em relaco a igual mez do anno pas
sado-
A principal differenca consiste na dimiauico
das exportacoes, na3 quaes se nota um decres
cimo def 1.069:000 em relaco ao mez de Marco
de 1889, isto cerca de 4 %, e por isso nao
admira que este facto sobresaitasse a opioio pu-
blica, e viesse comprovar a importancia das re-
clamaces parciaes que desde o principio do
anno se teem levantado, por parte de algumas
associac5es commercias e dos centro3 fabris
mais importantes.
Analysando as estatisticas do conselho geral
do commercio, verificamos que foi na seco da
industria metallurgica e na textil que se deram
em maior intensiiade essas deficiencias. Assim,
por exeraplo, a exportago dos lecidos de li,
algodOes e sedas, que no mez de Marco de 1889
havia sido de 4 9.891:972 desceu a 8 330:386
no d'este anno, o que representa ama diff-reoca
de 16 %
as machinas e oulras manufacturas metall
cas a diaiinuico toi de 9
As causas que determinaram esta to sensivel
diminulco attribulda aos effeilos emergentes
das grves as docas de Liverpool, e aos aug-
mentes de pregos das materias primas, cjmo
consequencias das alterages com que foram be
oeficiados os salarios dos operarios.
Esta depresso no movimento mercantil foi
tambera aggravada com a subida do prego do
diobeiri, que se sustentoa durante seis mezes, o
que produzio graves damnos ao commerc o e
indu3tria, cujos effeilos agora se fazem sen'.ir na
elevago do casto das manufacturas.
A repercusso dos effeitos econmicos nlo
immediata, principalmenta quando se trata do
commercio, pela razo d'este se maoter com um
previo stock, que chega a ser de ponderosa im
portancia, e por isso. embra os salarios tives-
sem augmentado e subido o prego do dinheiro,
nos precos correles nao se fizeram as altera
gOes e s se tornaram seneiveis ap3 o esgota-
ment do stock adquirido pelos pregos mais bai-
xos. Aiada que, no relatorio a que nos estamos
referindo, se procure desviar a importancia do
facto reconheiido, por se dizer que anormal,
pois que o movimento do primeiro trimestre
acensa urna insignificante differenga em relago
a igatl periodo do anno passado, comtudo, os
negociantes ingleses, preoecupam se seriamente
do assumpto, porque as causas qae determi-
naram o relrahimenlo das exportagOes sao de
gravidade e nao podem ser resolvida3 immedia-
tamente.
A lacla da concorrencia vai adquirindo pro-
porg&^s gigantescas, e por isso, e com razio,
nos centros fabris de Inglaterra pro;uram rea
gir coatra este estado de abatimento, para nao
verem os seus aotigos e classicos mercados con-
sumidores invadidos pelas industrias de outros
paizes.
Esle periolo de lenso em que se encontra a
opinio publica em Inglaterra nao pode ser io-
differenle no nosso paiz, em vista da attitude
que tomou de ir fazendo derivar para outras na-
gOes a importigo do3 artigs que carece para o
seu consumo.
Os fundos de reserva e amortisacSo re-
presentan! se em 111:657^169.
Esta emissSo foi autorisada pela assem-
bla geral extraordinaria de 31 de Marco
de 1890, com o fim cima dito de ampliar
a officina de tecelagem em harmona com
o sugmento, que ltimamente se efiectuou
na officina de fiacSo, a qual foi elevada a
mais do dobro.
Os dvidendas distribuidos nos ltimos 4
annos regularam da forma seguinte:
Em 1886 105000 rea por accao
1887 12J0C0 c c
1888 120030 c c
t 1889 12(0000 c c
Com o movimento que as industrias ora
toraam em Portugal em razao do conflicto
anglo portuguea a operacjfo autorisoda
deve ser muito proveitosa a companhia e
mesmo ao paiz.
Trata se de fundar no Estado de S. Paulo urna
sociedade anonyma, com o tituloUaio do Com
mercio do Estado de S. P,uIo.
A durago da sociedade ser de 30 annos e o
4*ea capital de mil cont03, dividido em 3,000
flcgOes de 200*000 cada urna.
A sociedade tem por fim comprar e vender,
por coota propria, gneros, manufacturas, fazer
iguaes transacgOtS contra outrem mediante com-
missao; encarregar 83 de liquidages comraer-
ciaes e de herangas, cumprimento de ordens,
levantamento de capitaes, adiaatar aos commit-
tentes dinheiro at 70:000*000 sobre o valor real
das mercadorias, e, li taimente, emittir deben
tures quando a assembla geral determinar.
Sao encorporadores da sociedade importantes
negociagoes da praga do referido Estado.

Di3 operagOes financeiras, que se acbam pre-
paradas, a que parece ser primeiro offerecida
snbscripgo publica, a de um novo empres -
limo de 4 railnes de libras, com desuno s
construcgOes de caminhos de ferro e obras de
irrigago na colonia de Victoria.
O governo da colonia de Victoria encarregou
os bancos de Londres e de Westminster de col-
locar este emprestimo, que ser do typo de
3 1/2 /
O emprestimo ser adjudicado aos arrematan-
tes que maior premio offerecerem por cada titulo
de 100.
O juro d'este emprestimo ser coatado desde o
dia l de Janeiro ultimo.

O Jornal do Commercio, de Lisboa, tratando do
erapresiluj j poriuoupi. assim se exprime :
O emprestimo de 126.300 oDr8asc i
do
a tai toma-
firm a 415 francos por obrigago.
Estas obrigagftes, tomadas a 415 francos, foram
emittidas a 435 francos, dando por 1S30 um lacro
bruto de 20 francos por obrigago.
Para conbecer o lucro liquido por obrigago
basta deduzir 7,5 francos, que a tanto montam as
despeza.; a favor com a emis^o.
E d'aqui se conclue que esse lucro liquido foi
de 12,3 francos por obrigago ou 283:975*000.
Para 1.200 coatos indicados pelo Correio vai a
pequeoa differenga de 916 contos 1...
Convm ainda notar qae o lacro liquido, ob-
tido pelos tomadores do emprestimo, co-respon-
de a 3,55 p. c, e qae anda nenhum ministro da
fazenda realizou emprestimo em melbores con
digOes, a nao ser quando a operago era feita em
grande parte para realizar converges.
INDUSTRIAS E ARTES
A machina americana B nsack para
fabricar cigarros urna verdadeira revo-
lucao na industria cigarreira.
A machina, que urna maravilha mec-
nica, foi introduzida pelo Sr. Jos Maria
Vasques, industrial chilen > ; e j acha-se
priviligiada polo governo.
Na pr.meira seccao da machina, em
urna peja em declive, enllocado o fumo
que passa por diversos cylindros : o pri-
meiro faz a pasta, o segn lo limpa o fume,
o terceiro impeli-o at a mortalba de
papier sana fin.
Ah ficam feitos os cigarros, sendo
automaticamante collados como gomma de
arroz.
O cigarro entra tambem automtica-
mente no tubo de cortar e sai aparado
para o cesto receptor.
Todo este trabalho, porem, feito em
menos tempo do que o necessario para a
mais lige-ira discripglo.
A machina prodaz 280 a 300 cigarros
por minuto !
1 Feito o devido descont para as paradas
eventuaes, a producglo media, em 10
horas, de 100,000 cigarros, o que cor-
responde a um traba'.ho de 60 homens no
mesmo espago da tempo !
E para fazer esta machina trabalhar sSo
apenas necessarias duas pessoas.
A machina fabrica cigarros, com fumo
distribuido om egualdade, falos unifor-
mes e promptifcaos em poucos momen-
toe, nao esperdigando nem o fumo, nem o
papel.
Pode fazer cigarros de todas as di-
mnades e grossuras com a qnantidade de
fumo que se desejar, com o fumo desha-
do, molhado ou secco, fino ou grosso, com
a qualidade do papel qae fr escolhida.
Nao ha necessidade de peneirar o fumo
nem de pulverisal-o as mSos, o que
constitue ainda urna outra economa, as-
sim como tambem constitue ama outra
economa, a vantagem do papel que nSo
se esperdiga, pois o papel para dois ci-
garros feitos mo d na machina para
tres, o qae produz um lucro annual de rs.
1:810*003.
Apezar de estarmos na trra de fumo,
nngnem no Brasil pode ignorar que o
costo de preparacSo de 1 kilo de fumo,
na machina, de 138 rs.; esta rnesma
quantidade de fumo preparado mo,
segundo o systema actual, ouBta 25620.
Da modo que o fabricante de cigarro
por machina pode ter, sobre o que fabrica
mSo, um lucro certo, cujo resultado li-
quido de 20482 em cada kilo.
Nraguem pode hoje vender um pacote
de 20 cigorros a 23 rs. de um fumo em
folha cuja qualidade custe 400 rs ; pois
bem, fetos por machina, podem venderse
a 20 rs. para ganhar-se 87 r0, demonstra-
do da maneira seguinte :
Um kilo de fumo ($400
Preparaba interesse do ?
capilal, papel, etc. #138 J
Venda: 50 pacotea de ci-
garros, igual a 1 kilo
de fumo a 20 rs.
538
10000
Resaludo liquido 462
Todos estes clcalos podem ser- de-
monstrados e provados & vista do trabalho
d* machina.
A companhia da Real Fabrica de FiajSo
de Toomir, em Portugal, procede emis-
bao de novas acg3es para, com o producto
dessa emissSo, ampliar a officina de tece-
lagem a fim de satisfazer o progressivo
reodedo assim um preito de homanagem e gra- desenvolv ment de encommendas de ar
lido
Est em exercicio de subdelegado, o cidado
Jos Joaquim Rodrigues de Araujo, digno 3
supplente-
Ainda nao sabemos o numero de cidados que
foram alistados como eleitores, porem no nossa
prxima missiva daremos ama noticia mais ou
menos circunstanciada.
Parece nos que ainda este anno, nao pascar
desapercebdo o faustoso dia 13 de Maio, 2 an-
iversario do desapare;imen lo da escravido em
nosso sol-
os festejos nao sero como os do annos passa
tigos fabricados naqaella officina.
A emiBsao que de 500 acgSes, faz-se
a 1800003, sendo as mesmas acgSes pa-
ga veis em 10 preatagSe* de 1800.0 cada
urna.
A referida companhia foi fundada em
1789, sendo urna sociedade anonyma de
responsabilidade limitada.
O capital realisado de 400:0000000
res.
MEDICINA
Bxeerptos de nm trabalho do
Dr. Pedro Alfonso Franco
SOBRE
VaccinagSo animal
Vaccina animal
Chama-se vaccina animal a fornecida pelo cote-
pox on korse pox naturaes, cultivados em vitel-
los, sem nunca ter deixado esse terreno de cul-
tora.
A origem desta vaccina pois, a mesma da-
jenneriana, havendo entre as duas a identidade
do comego, isto a inocolagio do coto pox pri-
mitivo, mas sendo cultivada a jenneilana no no-
mem, e a animal no-; vitellos.
Nao fallamos propositalmente da cultura da
vaccina n03 cavallos, porque essa deve ser col-
locada de lado como pengosa. Nao possivel
uesses aoimaes esia- bastante garantida contra
a tranamisso do mormo, molestia que, em suas
formas larvadas, escapa ao digaostico do veteri-
oario mais hbil.
A vaccina animal foi institnlda em aples por
Negri em 1840, d'alii se espalhou pelas outras
cidades da Italia, e mais tarde por todos os pai-
zes da Europa e da Ame. ica.
Recebida com graade enthusiasmo, leve de
lutar, entretanto, com adversarios apaixonados
e passou por provas rudes.
Nos primeiros tempo3 da vaccinagSo animal,
hoove notavelmente grande numero de insucces-
sos: o methodo era novo, ainda nao se na va.,
adquirido delle snfficiente experiencia.
Loglos adversarios aprowltaram-se a


*

D "
: .'




Diario de Pernambuco--<
B
on

fado e deram o alarma, asseverando qoe a vae-
cioa animal oso poila ser comparada jame-j
riaa. O mximo da opposicao por este motivo
teve lagar em Franca de 1870 a 187i,^or oeea
sio da graode epidemia de varila.
Em seguida, porm, dense a reaccio ; procu-
rou se estudar as causas dos asacceMoa daioo
culago, e proporcao que a techuica da vicel
mcao animal fea progreasos. comegou-se a per
ceber o immenso recurso propbyiacco que ella
fornece, e de doto foi aceita em trunca, Me
boje largamente feita.
Para mostrar o progresso obtido do sucseaso
das ioocalaces, em cooseqaeacia dos melbora-
meatos techoico- da vaccioa animal, bastar ci-
tar o que se passoa na Hol anda, segundo Car
aten : em 1868 os insuccessos eram de 168 por
mil; em 1869 de 183 por mil; em 1871 a 1879
de 16 por mil, em 1880 de 3 por mil. Desde en-
to ticou provado que os successos das inocula
ges eram, seuo superiores, iguaes aos da lym-
pha humana.
Din outro progresso realizado neste sentido
foi o estudo dos modos de preparacao e conser-
vago da lympba animal, que deram em resulta-
do poder "eeu ser conservada activa duraste
muito tempo.
Obtidas estas vantagens, a vaceinaco animal
acbou entrada franca na pratica, e a rapidez
com que em todos os paizes se procurou fundar
estabelecimentos para a sua cultura, prova bem
a importancia que foi a ella lgala e a prepon-
derancia da opinio daquelles qoe Ibe eram fa-
voraveis sobre os seus adversarios,
Com effeilo, seado este methodo muito mais
dispendioso e difficil, exigiado mais cuidados e
despeas, o fado da generalisago dos estabele-
cimentos de cultura indica bem a importancia
que foi ligada peles governos dos diversos pai
zes a este meio propbylactico.
Depois do de aples, foran instituidos di ver-
los estabelecimentos desta cultura na Italia, e
boje abi existem 18 jautas de vaccina animal.
De Paria irradiou se pela Franca, pela Belgi-
aa, pela Allemanha,"pela Austria, Hollauda, Sois-
a, Russia e Hespanba principalmente.
Na Inglaterra tambem foram fundados estabe
lecimentos congneres, e dahi passoa o methodo
para a America do Norte.
Na America do Sul existe o grande estabsleci-
mento de Santa Catalina, em Buenos-Ayres, que
um modelo no genero.
Em toda a parte erom excepto entre ns, at
agora, se recorre vaccioa animal, que *ai pre-
stando releva otes ser vicos.
A vaccina animal tem vantagens incontesta
veis.
Alm de ontras de que falleremos depois, a
auperioridade de seo poder preservador resalta
da compareci dos seos resultados.
Emquanto em todos os pizes os individuos
vaccinados de braco a brago nao sao em absolu-
to poapados pelas epidemias de varila, nos pai-
xes em que, como na Hollanda, na Blgica e em
lapolis, a vaccina animal quasi exclusiva
mente adoptada, nao se observara esses factos.
Warlomont. pag. 260, diz o seguinte :
Sur plus de 10.000 edlants vaccins Bru-
xelles de goisse bras de 1865 1870 et ayant
essuy la terrible pidemie qui en 1870 1871 a
affray le monde, n'en a pts t signle un seul,
ama connaissance, comme ayant t atteint par
le flau.
E mais adiante:
c Les reserves faites em 1865, rdamaot une
ipreuve de 0 aooes, sont done bien prs de
devoir baisser le pavillon. La vaccine anmale
en est sa dix-baitime anue, et elle ne s'est
pas escore un iustant dmerrtie.
Ciando, pag. 63. assim se exprime :
Tem se o direito de auppr que a vi rinde
preservadora do cote pox de auraco oais Ion
ga, e as estatisticas .jla Italia demonstrara hoje
que realmente a vaccina animal tem ama virtu
de preservadora superior vaccita humana,
tanto em relago aos que sao atacados pela mo-
lestia, como em relaco aos mortos.
C'est c qui explique, contina elle, poar-
uoi la vaccination animale est si rpandue en
ltalie, et pourquoi le |{ouvernement italieu a
design par dcret la vaccination anmale com
me moyen offlciel de prophylaxie.
Cansen, no congresso de Genebra, disse o
segrale: .
Depuis l'inlrodudion de la vaccine aux Pays
Acuidades do trabalbo desta vaceinaco ; im-
poasibil idade da coaservacao da lympna animal
e despesaa considerareis com compra e a mu
trico doa vitellos.
Basta a aimplet expoacao desta serie de de
fais apontadee na vaeca animal pelos eus
aagoeist**, para comprewsder se sua inuwr
tancia nulla.
Para qoe todos esses defeitos .desappareeain,
sumeieote que ae dispoaoa dos meio i neoessa-
rios para acauisicio e tratamento dos viteilos,
s que se tesina os conbecimentos hoje adquir
dos pelos progressos de tecboica da vaccina ani-
mal, aflm de poder executar bem o trabalbo da
vaceinaco e de preparago da lympna, de modo
a dar Ibe a durabilidade oecessaria.
Neste ponto diremos qoe a setnela se acha to
adiantada, depois que se descobrio o micrococ
co quadrigemino da vaccina, que este microbio
j foi isolado e cultivado, por certo periodo de
tempo, sem perder a sua activi Jade.
O secundo grupo de defeitos comprebende os
insaccesaos da vaceinaco.
Por este termo insuccesso referero-se os auto-
ra diflkuldade que era encontrada enobter
formaco de postlas vacemiess depois da ino-
colacio.
J tivemos occasio de demonstrar, com opi
nies abalisadas, que esta falta devia ser levada
a conla, antes da impericia dos vaccinadores. do
qoe da qualidade da lyraphi empregada.
Hoje, o bom resultado das raoculages da lym-
pba animal igual, ssno superior, ao da boa
lympna humana.
O terceiro grupo refere se possibrlidade da
traosmisso de certas molestias dos aoimaes bo
vinos ao homem.
As principaes molestias apontadas sao: o mor
mo, o carbnculo, o typbo, a molestia aphtosa,
a erisypela e o tubercuto.
O receio da traosmisso destas molestias
quasi chimerico.
Um vittllo com focinbo roseo e fresco, diz
Vaillard, com olbar vivo, alegre, com pelle una
e flexivel, com o pello macio, rene as qualida
des necessarias para um oom vaednifero.
O mrmo, o ca-bnoculo, o typbo e a molestia
aphtosa do a estes animaes um aspecto triste,
to abatido, e diio lugar a manifestaces para a
pelle, lo daraa, que s por g-aale desattengo
se pode tomar um animal nessas condices para
a vaedna. N^sse cao, o defeito seria do vacci-
nador e nao do methodo.
Qaanto erisypela. hoje considerada muito
mais eommura aepois da inoculago da lyrapha
humana do qoe da lympba animal. Disto nos da
certeza a opinio do eminente professor inglez
Drysdale.
Tratemos, pois, de examinar a queslo da tran-
smissibilidade do tubrculo.
O fado verificado por Villemin da inocnlab h
dade do tubrculo veio dar certa apparencia de
razo a este argumento.
Entretanto, nao nos ser difficil demonstrar
que a tuberculoso nao pode ser traosmutida pe
la lympha animal.
As razes que temos para o asseverar sao as
seguintes: -
1* O tubrculo s se transmute por inocuia-
co profunda nos tecidos;a vaceinaco nao
poder, portauio, servir de meio de traosmisso
do tubrculo ;
J Os viteilos da idade dos que sSoeuprega
dos para vaccioiferos nao sao sujeitos tubercu
lose ; e, quando em rarissimos casos ella ob-
servada, localisa-se nos ganglios mesentaricos e
produz dyarrhea caracterstica qoe far rejeitar
o individuo para a vaceinaco.
*Em 21.320 viteilos mortos em Augsburg, Adam
nao eneontrou am s com tuberculose.
Em Munich encontrn se am vitello tubercu-
loso, sobre 100.000.
Em Lyoa foram acha los oor Leclerc cinco vi-
teilos tuberculosos sobre 400.00J;
3* Nao existe um t faci de traosmisso de
tubrculo pela vaccina animal ;
4* Finalmente, as experienct?8 de Lothar,
M^yer, Bollinger, Chauveaa, Josserand Straoss
e Vaillard dnmonstram qoe a lympba tomada de
individuos claramente tuberculosos nao trans
mitte o tubrculo aos animaes em que foi ino-
culada.
Strauss em ama coramunicago feita em 1815
sociedade medica dos bospitaes de Pariz e ba
seado no exame microscpico do cooti-do das
cilios, e era inoculages negativas que
coelhos, chegon s segrales condones :
L'iofection tubrculo vaccinale est improba-
ble, presque cnimrique, et cela poar les raisons
cumulatives qui peuveut se rsumer aiosi :
Io i' cause d l'age des vaccinifres : les
toutjeuoes enfaots sont tres rarement tubercu
ex.ils nesaaraient done transmettre ce qu lis
n'ool pas (cette con-idration s'applique rigou-
reusement aux jeunes sujets de l'espce bo
vioe). .
2' Levaccini're ft-il tubercoleux. la sro
sit de la pustole vaccinale aurait cependant les
plus grandes chances de ne pas renfermer de
germes tuberculeux.
3 Si cependant. par mpossible. le vaccio
enpluy renfermait le g.-rme tuberculeux le .no
d- d'iusertion auquel en a recours. le peu de
profondeur de U plaie accinale seralt encor
mi'iemment dfavorable au dveloppemeot de
oe germe
Do que acabamos de expor, se concloe que { Ipobre moco, e veio a verificar qoe nove
Ba;, on ne connait pas d'exemple qoe des per- postulas vaxinicas, no qual' nio encontrou b^-
lonnes soumises a vaccination animal aient rltoa < nm inneular-'s negativas au
t atteintes de la varile, pas mme Rotter
dam en 1870 et 1871 o 1,765 personnes sont
Borles de varile. *
MoQteil8, pag. 267, diz o Beguinte, trataado
da preservaco d i varila :
Le cote pox est plus sur, e ses effets prsr
vateors bien pas durables. On peut mme dir
qu'il est ausi absojument prsrvateur qu'on
uisse le dsirer. C'est rfe seul, du rente, qui
t rellement demontre prJrvateur absolu de
la varille humaine. par lea expnences directes
de Jenner et de quelques uos de ses prmters
imlateurs. *
Seria longo enumerar todos os autores que sao
desta opiniao; contentamo-nos, pois, cora as
eitajes feilas.
Ora, como para nos o tow pox e sempre idntico
a si mesmo eo degenera na vacca. opioiao que
armamos as de Walomont eNegri, as raaiore-
au'oridades em vaccina animal junto das qoaes
quaesquer outras nao tem valor, v se, pois.
sue a vacriua animal deve ser cmsiderada supe
or em effeit preservador vaccina humana
No seguinte artigo apreseotarea.os as objecies
que tem sido feitas vaclna animal e a icnne
riana, e fartmos o parallelo entre as dnas.
IV.Objecces vaccina aoimal
Esludando os argumentos que tem siJo apre
sentados para combater a vaccinagio animal
vamos ter occasio de melhor poder compre
ender a soa importancia.
Entre os detractores da vaccina animal se en
ootrara alyuns numes illustres, como, por
exemplo, o de Gurin, em Franja ; roas, era
geral sao noraes pouco? conhe.idos na sciencia.
Paro a, que se mostrou partidario da vacina
humana, um pouco apaixonado, apresentia lisia
completa de IOjOS os adversarios da vaccina ari-
mal. e scu capitulo a resuelto doate a*uuipUi
po-ltr o estai- a meus antagonistas um servico
immenso, p?rmittindolhee amootoar cila';es
leu favor,>asendo se em opioifies, por Cira.
>das quaes tem boje perfeitami me passado a vac
Cia animal, tendo a pratica. o estudo e a expe
rienda mostrado que nao eram verdadeira.
Antes de enumerar os argumentos apresonta
ioi contra a vaccina animal, por seus adversa
ros, devenios fazer primeiro urna observaco.
Es a observaco deco-re do sejiointe facto :
E' de consenso unnime entre tolos os medi
eos que a vaccioa humana precisa ser re:empe
rada meiiante o tow pox originario, para ter
bjst.nte energa prci-ervadora.
Eaia, ,orm, demonstrado de un mo'o mcon
u-so que o cowpox cultivado nos viteilos nao
diff.M- du cow pox original.
E^te facto pode ser fcilmente verificado de
nm modo exoerimental.
Tomando urna vacca nova e recentemente
panda, inoculando Ihe prximo s telas por
piradas o virus cultivado de longa data em vi-
teilos. oblem se ama erupcSo de caracteres tao
perfeitamenle idencosaoc do com pox denomi-
nado exoonttneo, que o mai> hbil veterinario
do mundo nao capaz o> decidir si se trata de
um caso de cok pox originario ou si de inocu-
lad...
Os effeitos deste coic pox sobre o organismo
bomano tema mesma virulencia e energa do3
do cow pox chamado xpontaneo.
E-'te experimento, que j tizemos, demonstra
claramente que a pequea dfferenca de cara-
cteres e de energa que existem entre as postu-
las do coir pox cultivado nos viteilos e as pu tu-
las do coif -pox dito expontaneo, depende sim-
plesmente das condices orgnicas do ubre das
vaccas novas no comeco da lactaco, o uo da
egeneraco do viras vaccinieo transmittido de
viiella em vitell .
Devese, pois cencluir que. i
A demoastraco foi tao dar e os factos to
evidMM Mo sabio Bieord, ooj* ostolsp nes-
ta materia tactupeits, tes a seguinie dsdsra-
co:
J'ai d'aBawl repooss la f osbilit de Ir
traasmisio.T Je la vrile par la vaccination;
les falta ae reproduisaat el devenaat de ptu en
plus conlirmatifs, j'aiaccept avec reserve et
mme avec repugnauce ee mode de transmisin.
Aujourd'hui je n'bsite pas k en proclamar la
refut.
Leodo attentamente esta declaraco, v se a
lula que se estabelecea no espirito do sabio pa
thologista entre a idea la trans oissibilidade da
ypbilis pela vaccina e da imposxibilidade dessa
transmi8sao, e percebe se bem que para arrau
car daquelle carcter inabalavel, daqu^lle espi-
rito erameatemente observador e illustrado,
essa declaraco, tmhi sido necessario enorme
forga de provas e de evideoca.
Nao vamos aqai repetir todas as observag^s
que tn sido apresentadas de traosmisso ia-
concussa da syphilis pela vaccina.
Basta lancar os oaos para o livro de Dpaul
publicado em 1865, La syphilia vaccinale ,
para ah en ;ontrar ama lista immeoaa de fados
que nao poderio ser oagados.
Destacaremos desta serie algumas observa-
ce3:
A' pagina 3 contado o facto de ama menina
de tres mt-zes, de boa apparencia, com cuta lyra-
pha forara inoculadas 46 erisufiaa. Destas, seis
escaparara ao contagio, mas 40 tiveram ulceras
>yphiliticas nos pontos inoculados e raorreram
19, salvando se as oatras, tomadas extrema-
mente fracas e conservando os signa es de io-
fecgo syphilica.
Iluitas amas e mis das enancas foram por
estas afeccionadas.
A pagina 4 refer la a observagSo de Cerioli,
de ama crianga com excellente aspecto de
saode, rosada e sadia, qoe pareca, pois, oas
raelliores condiges para ser vaccioifera, e da
3ual se retiroU a lympha para 46 criangas. To
as eiias forara atacadas de -yphilis; 8 crian-
gas falleceram e 2 raolberrs que amaraentavam
tiveram a mesma sorte. Indagada a causa, sou
be-se que os pais da primeira crianga erara sy-
pbiliticos e que esta portaoto tiaha a sypiilis
latente.
Mis adiante citado o fado de urna menina
forte, de apparencia perfeitamente sadia, cuja
vaccina transmittio a syphilis a I pessoas. Essa
meaina teve mais tarde rosela ayphilitic e fal-
leceu em seis das. V se que ella tambem ti
nha a syphilis oceulta, qeando servio de vacci-
nifera.
Emllra, o livro de Dpaul est completamente
che,o de factos semelhaotes que provam nao s
a iiipossibilidade da syphilis pela vaccina, como
tambera a irap;ssibilidade era que est o medico
de, pelo exame da enanca que lhe fornece a
lympna, evitar o contagio.
O aspecto sadlo, a robustez e a pelle perf i-
tamente limpa de algumas criangas, tscondem
algumas vezes urna conslituicio contaminada
pdi syphilis latente prompta a transmiltir essa
ternvel uoestia aos individuo* era que fr ioo-
culado a vaccina por ellas produzida.
Parola enumera tambem um grande numero
de factos de transmisso de syphilis.
De entre estes fados destacaremes o de Rival
la, referido pslo professor Pacchioti, e que teve
graode echo na Europa. Eis i facto :
Coggioia, oflicial de sade, iaoculou urna me-
nina chamada Chiabrera, de 11 mezes de idade,
de saie Qorescenie. sem vicio coiislilucional,
apresemando desenvolvimento corpreo satisfa
clono, e 10 das depois tirou a lympba dessa
o enina e vaccinou 46 criangas todas perfeita
mente s&, 39 desta sene se apresentaram com-
pletamente syphilitlcas.
Warlomont refere o facto do Dr. Millard, fado
que foi verifiado por Hardy, Dpaul, Ricora e
outras notabilidades medicas.
O facto o seguate:
Un mogo de 27 aonos, naac teado tido acci-
dentes sypbiliticos, foi 'evaccinar-se Acade
mia de Medicina de Pars e soflreu seis inocula
g5es de lympba de urna crianga de seis mezes,
no da 19 de Agosto de 1865.
Teve quatro pstulas de bom aspecto. Um
mez depois, nos dous pontos em qie falhantm
as noulaces, formaram se dous botes que se
cobriram de er-tas.
A 20 de Outubro comegou a sentir dores de ca-
bega, principalmente noite, que nao o deixa-
vara dormir, e dores vagas no peito.
Appireceu lhe ama erupeo de placas aver-
inelnadas pelo corpo, e enio o doent* dirigi-
se ao Dr. Millard que o examioou.
O resultado des se exame fof a descoberta, nos
dous bracos, de duas crstas de rupia syphili
tica nos logares va-calos. Os ganglios axilla-
res j engurgitados, erapgo ppalo vesiculosa
Eiulim, o mogo eslava com-
operago ser executada com extremo cuidado de
evitar s mistara do aaapss.
* I*to inteiranente contrario idea at gora
laseita por varios escriptores nglezesqae adrait
tlam foe a lympha vacciniea s propafava te-
cina, ser mais infeccionado que estiveeae o in-
dividuo fornecedor da lymptea.
as Lettontaa lectores ornme mootpoiuts m
the nttural hutory of sjpkilu (1886 vol. I) o Dr.
Jona'lua Uuicninson diz o seguinie :'
fitas questo qua ora ba alguns aaaoB con-
trpveras, s saber: si era possivel inocolsr a sy-
pbtlis pela vaccina perfeitamente transparente,
acaba de ser infelizmente decidida.
A crenga de qoe era necessari' a presenga
do sangue, ou pelo menos de seus corpsculos
brancos, na lympha, para dar era resultado a sy
pbilisago, nao pote ser mais sunrauda.
Um dos nossos collegas da proflsso. cora
aquelle enlhusiasmo pela sci'enoia que Hunler
mostrou em experimento anlogo, fez se victimo,
e eolio -ou os factos alm de quai|uer,duvida.
Os factos relativos ao caso sao provavelmente
conhecidos de muitos dos colleg is presente,
ra is como podem ser novos para al^uus, eu vou
referil os.
Esses factos foram por mira veriScadosKmas
por obvias razes nao meadonarei os Domes.
A pessoa a quera me retiro vacsinou-se de
criangas syphiliticas, tendo extremo cuiiado em
todos os experimentos de usar s de lympha
para
as primeiras vezes falhou a tentativa, mas
na ultima formaramse cancros syphiliticos com
o acompanaamento natural de sy uptomas coa-
stituconaes.
O periodo de incubago durou dias ; as pi-
cadas se infiommaram ao 13. da e estavam en-
durecidas bo 41.
* E' impossivel nao admirar a dedicago e a
perseveranga que presidiram a esta experiencia.
Si a repetigo dos experimentados nao ti-
ves.se tido lagar, e~si ae tivesse ununciado o
resaltado depois das primeiras tentativas, como
nao ee fortalecerla a creoga de que a lyrapha
pura nao traosmitte a sypbilis ? Entretanto, que
a repetigo da tentativa veio demonstrar o con
trario.
Quantas vezes a nossa sciencia nao tera re
- gistrado factos falsos por motivos semelhaotes ?
A' vista, pois, do qae acabo de expr, lica pro
vado que a vaccioa humana, mesmo isenta do
sangue, transmitte sypbilis, o que conslitue um
perigo sempre imminente para aquelte que usa
da vaccina de braco a brago.
Faremos o parallelo entre as duas vaccinas no
prximo artigo.
. Oa transportes pagos assim se descrimioam :
Ordinario Por conta do gov.
'Viajantes 28:2I5 1:155
Bagsgens 756:760 kils. 18:632 kils.
j Animaes 5:020 S3
' Mercadorias 90.418:671 1.891:160
i Treos especiaos 18
O movimeoto de mercadoriaa fez se assim :
Da capital para o interior
Do interior para a capital
Em trafego intermedio
Total
19.835:582 kils.
63.8-10:909
6.782:180 >
90.418:671
A despea com a garanta de juros, segando a
| liq idagao das coatas~~effec'uada neste Estado,
' foi esta :
'Juros garantidos 962:515556
Menos saldo verificado 446:870*913
PERNAMBUCO
Eaglish Bitnk of Rio de Janeiro
(LlMited)
Capital do Banco em 50.U0 ,
accoes de 20 cada urna 1.000,000
i Capital realisado.......... 500,000
Fundo de reserva......... 150,003
BALANtJO DA. CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO,
km 30 de abril de 1890
Acpo
Letras descontadas............. 51:771*140
Emprestimos e coalas cauciona- fiCfiMnn
(ja3._,..................... 997:ooo#sUO
Letras A receber............... 2 5l!
Garantas e valores depositados. 2oO:2Joo30
i Mobilia, etc., do banco......... Jti^kn
! Diversas contas............... 1 34.73"9i0
Caixa....-................... 469:526*780
3.426:249*800
Passivo
Contas correles
simples....... 397:524*240
Depositos*a prazo
rfetras1"806 2-183:542*880 2,581:067*120
Letras a pagar................. *:.jj[*"{;
Ttulos em caugao e deposito... 2ou.235*o0
Diversas contas............... ^590:787*940
3,426 249*^00
S. E. 4 0.
Pernambuco, 7 de Maio de 1890.
A. /. P. Clarkson, maoager.
J. K. Eddowes, accoununt.
REVISTA DIARIA
Dr. Ma
vaccina animal com os aperfeicoainentos que
lera adquirido pela pratica ura preservativo
do vanla, seguro e sent de pengos.
A pratioa seguida era Bu-raos Ayres, e em on-
tros paizes, de sutopsiar os viteilos antes de
erapregar a vaccina por elles produzida, um
lox i de preaogo qoe pode serdeixaio de lado
O propri Parola, terminando o extenso arti-
go era que procura combater a vaccioa aoimal
disse : .
La vaccaation animale est une precense
conqule .
A vaccioa animal pois, ama conquista pre
ciosa.
I c nvenientes da vaccina humana
As objeeges feilas vaccina humana dizem
lespeito principalmente transmisso de mo-
lestias pelo virus -accinico.
Ji sabemos que a lyrapha vacciniea, trans
raut.da de braco a Drago, acaba por degenerar,
e este defeito serio colloca a yaccina jenanan
sobe a dependencia constante da vaccinagao
animal.
Seria tombem fcil de demonstrar a penara da
vaccioa humana, a qual em pocas de epidemias
enlloca os vaccinadores era serlos embaraco?
para acudir de prompto s populages ameag i
da- do lerrivel flagello das bexigas.
A falta da cri-ingas em boas condiges para
vacciuif ros e a repugoaacia natural dos pas
era prestar seus nihoa para a extraegao da vac
ciua, a p.-quena proJocgo de lympha das pus-
tulas bumaaas sao as condices iosuperaveis
que explicara a falta, algamas vezes absoluta, da
boa vaccina humana.
Nao insistiremos, porem, sobre esses dous
graves efeitO, pan nos oceuparraos principal
mente da possibtlidaie da iran-misso de
tas affecges pela lympba vacciniea usada para
a inocuUco.
A sciencia nao disse anda a sna ultima pa-
lavrs subre a trausmissib.lidade de certas mo
lestias pe s lquidos produzido3 pelo organis
mo contaminado.
Sena uno?o indagar, por exemplo, ae entre
algumas de oossas poraagOas a inoculagao vac
cinica nao pode coocorrer para explicar celtas
endemias, orno, por exemplo, a da lepra tu
berculosa oo morpha, tio geralmente observa
da em alguns lugares, co io na provincia de S.
Paulo, por extraplo
a elucdaco desle ponto poderia, semduvida,
Irazer vantagens consideraveia para a nossa po
pul a gao,
Muito* autores tra attribuido vaccina hu-
mano a desvantagera de inocular a escrophula,
o escorbuto e o racbitismo.
Nao procuraremos, entretanto, aventar ques-
lea indecisas, e nos liraitaremoo a expor o
no tronco a bracos.
pletam^nte infec--ionado pela syphdis eo exame a cheKa ^^ a e9le Estado
completo de lodo o organismo mostrou que a'
porta da entrada tinha sido a inocalaco vac-
cinal.
Foram chamados os profess' res Hardy e Rl-
cord que concordaram plenamente no diagnos*
tico, e que prescreveram o tratamento conve-
niente.
' professor Dp ral abri um inquerito sobre
os outros vaedoados a 19 de Agosto com a lym
pba do mesmo menino, que traba servido aquel le
' re moco, e veio a verificar que aove criao-
gas tinbam tambem sido vaccinadas com a mes-
roa lympha, e p ie dellas encontrar seis com-
pletamente syphiliticas. Das tres nao acbadas
fot verificada a morte de duas e urna nao foi
encontrada.
Eis aqui um f icio tanto mais importante quan
to se trata da inoculngo vacciniea feita na ca-
pital do mundo, em Pars, e na primeira socie
dade mlica dessa cidade, oa Academia de Me
dicina, on ie ba o mximo respeito e o mximo
cuidado pela vida e sade do povo, onde, por-
tan to, nao ha o descuido, a relaxago e a igno-
rancia que sao observados em outros paizes.
Pois bem, apezar de todas estas condiges, o
pb-e mogo tlcou desgragado pela syphilis e
nove innocentes criang-is jagaram um tributo
pesado decantada vaccina humana.
Nao termioanamos nunca se quizessemos re
fenr todos os fados verificados de cootaminaco
de fypbJlis p>da vaccina humana. Paramos,
pois, aqui, e varaos discutir a preteogao daquel
les 4U^ jul ara -possivel evitar este desastre com
cena- precauges.
Aventarara alguns a idea que a iooculago sy-
philuuia ^ podia resultar da lympba misturada
com sangue do vacinifero, e que po tanto tendo a
precaegao de evitar o sangue, a lympha s nao
podia >er vehculo da sypbilis.
Para de prompto destruir este arsfiirnento tan-
las sexos repetirlo, ramos citar expenetias fei-
tas ltimamente na Inglaterra e que dsBtroem
peJa ba;e essa preiengo.
Vejamos o que diz o British Medical Journal,
de 1884, vol. I; pag. 1053 sob o titulo Dr.
Cor's vaccinieo syphilis exueriments :
With a desirs to setilj lor himself tlie ques-
retemperar o virus vaednico procurando parajqUe ha de estabelecido na sciencia, restnngin
isso o cow pox original, esle resultado pode ser dn-niu a demouslracao da iuoculabilidade da
tac e perleitamenle obtido peU vaceinaco ani
mal.
Vetamos, entretanto, quaea sao os defeitos que
os antagonistas da vaccina animal tem celia
encontrado.
Esses defeitos podem ser resumidos em tres
grupos principaes :
i Difienldadea da execuco ;
2 Insoecesso da vacdnago ;
3 Posaibidade de traosmisso de certas mo-
lestias dos animaes bovinos, por meto da lym- [
pba-
Mo primeiro grupo, sao apontados os seguin
les difficudade de obter animaes convenientes
e eir numero suficiente para a vacetoacao ; di-
do-noa demonstrdgo da iuoculabilidade
syphilis com o virus vaccinieo.
A Academia de Pars tinha dito em 1830 :
Vdcuarz sao craiote. vaczwez toujours, car
de virus vacein puls ebes les sojecta atletots
damalsdies susceptibtea de se communiquer
par contagioa, comme la syphilis, ne se cbarge
dans aucun cas, d'autres principes, et ne donne
que le sacan
Este dogma apresentado vela sabia co franeexa moslrou-ee, entreunto, fallivel.
Counearam a apparecer casos de traosmisso
de sypbilis, e quaodo em 1864 foi aborta no seio
da Academia Francesa a discusso sobre este
sssumpto, flcou demonstrada a pussibilidade da
traosmisso da sypbilis pala vaccina.
artin JnniorNo paquete o Pla-
c illustre ebefe do
partido republicaoo Dr. Jos Izidoro Martms J-
nior, que. regressa da capital federal, para
oode o levaram os ioteresses polticos de Per-
nambuco.
O digno cidado Tez all valer esses ioteresaes,
e presiou relevantes servigos soa trra uatal
cooseguiodo do governo provisorio a promessa
formal de diversos raelhoramentos que dizem
respeito ao desenvolvimento econmico, ao go-
verno de Pernambuco.
.seja bem vio lo o illustre cidado e pre3ti
moso cbfe do partido republicano, a quem sau-
damos cordialm -ote.
R^vocacau de lelaPelo Dr. governador
do Estado foi expedido o segrate acto:
4.' seccao. Palacio do Governo do Estado de
Pernambuco, em 5 de Maio de 1890.
< O governador do Estado, considerando que
a creagao das cadetras de que tratam as MU
tanccionadas a 25 de Outubro do auno passado,
nao eonsultou as condigis de cada localidad^;
Considerando que a3 escolas publicas one-
rara os cofres do Estado e, portaoto, o o devera
ser por este maotidas, quando nao comprehen-
deroa urna necessidade real io ensino;
Resolve revogar aquellas lels, salvo as que
comprehenderem cadeiras j providas.-Dr. Al-
bino Meira. -. _m
F.mrada de ferro do as clre o s.
Francisco-No prximo rindo aono de 1889
foi este o batanen entre a receita e despeza dessa
liuha frrea :
Receita
Deapesa
l .016:9U991
569:3i0*678
Saldo
446:S70*913
A despeza absorveu 56 % da receita.
A receita proveio das seguintes fontes, oesta
proporgao:
Viajantes
tion vrhether, vaccinelymp'i take i frora a-sypbi Bags. e eocommendas
lili.- persoo, if unmixed with the btooi of lhe vac Animaes
cinifer. do?s not contaio ihe syphilitic viros and Mercadorlas *
is ncapable of imparttng syphilis by its inocu- Trens especiaes
lation, Dr. Cory made at intervals four seprate Telegrapho
expenraents on bimself vritli lyraph derived fron Arinazenagem %
obviously sypbilitic children. Rencas eventuaes
Ttie fourih expeiment was successful; aod j
Di. Cory uad to endure, in the cause of scen:e, i Total em 1889
.. V ;.. ._j______i.? .. Ltlt*_ r^___ tJ..M IQQU
Receita
'23795 '*660
35:14U120
9:625250
715:472*400
1:629.400
6:4143600
2:136*680
8:132*481
1.016:2U*5M
1.186:274*771
Porcent.
22.89 ;
3,29
0 94 .
69 a5
0,16
0.63
0.21
0,23
100,00
iv npn migbt be denvel. DTerengas de cambio
" Eis o que diz o jornal britannicp : .
Com o tim de decidir por si mesmo a ques- Total em 1889
to, se a lympha vacciniea sem a preseoga do dem em
Despeza
l:433*5il
12:1:338*306
16:527*700
163:509*415
187:814*477
59:411*567
2:309*2i6
974*476
11 the "pains and penal tos of syphitic inocu I dem em 1888
His expements concl3ivfly prove, io the I Menos em 1889 170:06:1*180
opinin of the coramittee. woich coosistedofDrs. I "5TT2T------. .. n.
Bristowe, Hurapbiy, Huichinson, and Bollard, A despeza assim se ubdividio, nesta propor-
Uial i. is posible mr sypbilis to be coramuniea gao
ted in vaccination from a vaccine vesicle on a '
sypliilitic per3on, nolwithstandin tbat the ope-, Admmistrago
ration be perfomed wiih the otmost carc to avoid Trafenro
the admixture of blood. This, it will be obser- j Telegrapho
ed, is a new absolutety oew departure from' Locomogo
hitherto accepted vi- w of english writers, tbat! Yia permanente
vaccine lymph could by itself propgate oothing Irapostos
bof vaccio, frora h wever diseased a aubject tbe, Ponte do Pirapama
28
21,7
29
28 7
330
10.3
0.4
02
569:340*678
576:802*239
100,0
Meos em 1889
sangue do vaccioifero poJia transmittir a syohi-
lis, o Dr. Cory fez sobre ai mesmo qnatro expe-
rimentos, tirando a lymp: a de criangas eviden-
temente syphiliticas.
Aquarta experiencia foi seguida de resul-
tado, e o Dr. Cory teve de aoffrer, em beneficio i Viejaotea, pagando frete
da sdencia, as dores e incommodos da inocula- Dtws, gnatuitos
cao syphtlitica. B^gagem, pagando frete
A commissao compoata dos Drs. Bristowe, Ditu, gratuita
Humpbry. Hutcbio8ooeaotlard decid* que su Animaes, pagando frete
experieotna pronva coucludentemente que a Mefcntoriaa, pagando frete
syphilis pode ser commonicada pela Ijmpba Ditas, gratuitas
vaccnica de urna pessoa syphilitica, apezar da Treos especiaes
6:521*561
O movimeoto do trafego foi este no auno pas-
sado :
293:770
2:667
775:411 kils.
fto:7$i
6:043
93.309:831
23:178
18
Juros a pagar 515:6444643
Disse3 juros per ten ,-em :
Ao Governo Federal -5% 429:988*711
Ao Governo do Estado de Pernam-
buco-2 7. 85:655*932
Total 515:644*643
* A renda liquida do anno de 1889 representa
40,4 / da garanta de joros.
Releva di cr que 03 calculo! sao feitos ao cam-
bio par de 27 d. por 1*000.
Noto grande circo americanoEsse
importante circo tem continuado era seus espec-
tculos, cujo3 trabalhos por sua excelleocia de
execugo fazem a admirago do publico que a
elles concorre.
Hoje ha urna recita em beneficio da familia
Phaloo, e o nosso publico ne deixar le ir
apreciar o merecimenie artstico d'esse grupo,
que se destaca notavelraente do pessoal da com
panbia por seus trabalhos gymnastico o de ve
locipedes que nada decam a desejar n'essa es-
pecialidade.
drnalo dos Profesaorea Primarlos
Rene se esse gremio ero sesso ordinaria
boje, ao meio-dia.
Club Republicano Federalista *
de Peverelro Por urna commissao com-
posta dos Srs. capito Gracindo Lobo, major
Pr.xedes Gusmo, eugenbeiro Castro aongalves,
tenente Wiberto de M^lo Reg, Soaza Couto e
Abilio Cmara Lima, fez bontem esse club apre
sen'ar ao 0 governador a seguate roogo de
conaanga que o mesmo club presta ao illustrado
governador.
c Cidado governador-O Club Republicano
Federalista 2 de Fevereiro, representado pela
commissao abaixo mencionada, tem a subida
honra de eongratular-ae comvosco por ver-vo3
sentado na corl administrativa d'este Estado,
onde vo.'8os talentos pouco vulgares e illuslra-
gao reconhecida sao o mais seguro penbor da
estabilidade, da melhor conaolidago do bem e
do til de que tanto carecen as novas normas do
governo actual.
Certo de que tendo vos a sua frente 03 po-
deres pblicos, ludo ser propicio ao bem estar
eo.nmum, o Club Republicano Federalista 2 de
Fevereiro, prev que uo raro se evidenciar
quanto de esperar de vossa benfica direegio,
a qual segu caminho ovante de futuros louros
que lhe estio reservados.
Cercado, como sois, de todo os requisitos
que se tornara precisos a execugo de tt one-
roso encargo, e que sao coagenitos.a vossa per
sonalidade, o mesmo club se dedica aoxiliar-
vos 00 que. relira ao metior deseovolvimeoto da
aeco publica, e para o qae nao poupar esfor-
503 no louvavel tentaojen que faz toda a vossa
justa percepgo.
Podis, pois contar com esse diminuto e de3-
pretencioso concur30 qua os nosso3 associados
vos offerecem, e que esperara fagis bem apro-
veitar ao feliz advento repiWicano brazileiro.
Sade e Fraternidade.
Sala das sesses do Club Republicano Fe
deralista 2 de Fevere.ro, Tegipi, 4 de Maio de
1890 Ao cidado Dr. Albino Gongalves Meira
de Vasconcellos, dignissimo governador do Es-
tado. .
A commissaoCapito Antonio Gra'inrro de
Gusmo Lobo (relator), engeobeiro Luiz de Cas
tro Soncalve8, tenente Wiberto Brrelo de Mello
Reg, major Prxedes da Silva Gusmo, Fran-
dsco Lino de Souza Couto e Abilio de Albuquer-
que Cmara Lima.
Club .Republicano Fre Caneca
Essa sociedade, a.-sociaodo-se ao jobito geral cau-
sado pelo feliz regresso do illustre ebefe do par-
tido r.-publicno d'este Estado, o Dr. Martins Ja
nior, ira assstir ao sea desembarque, eotr gan-
do lhe n'essa occasio um riquissimo mouogram-
raa com as niciaes d'esse club, de que esae nosso
illustrado patricio socio benemrito, e dous
lindos bouquets de flores art lieiaes, a que acom-
pooha urna bem elaborada Men^agem congratu-
latoria.
Alera da resolsgo ooaolraemente acieita de
que todos os associados comparecero ao acto,
ficou assentado que uraa eomoiiss' represen-
tal os ha peraote o illustre ebefe, commissao essa
compsta do noeso companheiro Dr. Thiago da
Fonseca (relator) e dos cidados Dr. J.)o de Oli-
veira, Amaro Pessoa, Pedro Brazil, padre Pedro
Paes e Pai va, Joao de Souza, Francisco Borges de
Santa Rosa e Rocha Lima.
HonrosoEm sua ultima reunio o Club
Republicano Fre Caneca conferio o titulo de bo-
cio benemrito ao nosso collega Dr. Ftlippe de
Figueira, redactor ebefe d'este Diario, pelos ser
vigos prest* dos causa da democracia na phase
de reconstruego nacional que atravessamos.
E' ura acto que muito dos alegra por visar o
oosso chefe que realmente muito tem coneorndo
directa e indirectamente para a propaganda das
ideas triumphantes no da 15 de Novembro.
Nos o felicitamos por esse faci.
FallecimenloAntebootem, s 8 horas e
3/4 da ooite, soecumbio a um accesso pernicioso
o joven estudante Pedro Gongalves Pereira Lima,
filho do nosso particular amigo Manoel Gongalves
Pen-ira Lima. .
Tinha o finado apenas 20 anuos, e era intelli-
gente e estudioso, salieotando se entre seus com-
panheiros de classe.
O seu corpo foi sepultado hontem tarde no
cemilerio de Santo Amaro, depois de terem sido
feitos os suffragios da igr.ja por sua alma, as-
sistindo a ambos 03 actos muitos amigos de seu
digno pae.
A este e em familia apresentamos pezames,
tomando parte na sua dr.
Varila noBecifeO nosso informante
sobre tal assumpto, miada nos o segrate a res-
peito do qu lhe foi contestado :
Receben urna rectifieago ao que tenho dito
sobrests bexigas do Recife,- l vai. a resposta
que ella merece. Si nais nao me. esteado, e vai
nisso um tanto de laconismo, porque somos
camaradas e nao cibe ao rectificante culpa no
que tem havido :
Eis a resposta :
Si reclaraago, damo-nos por satisfeitos
cora o que diz o zeioso subdelega io do Recife
acerca do emprego doj-meios desinfectantes no
tratamento dos bexiguentos, si concordar com-
nosco que taes medidas s poderam etfectuar-se
hontra ou dia antea.
13 de Malo \ redaego da Patria, de que
faz pane o cid,.dSo Fortunato Pioheiro. segundo
elle no3 communica, tera de commetnorar o re-
ferido dia rom urna ediego espe.ial do mesmo
neripdico, que ser dedicado ao corpo acadmico
cujo coniurso para esse fim solicita em colla-
borago aquella redaego.
As oficinas da Patria estaro Illuminadas.
noite d'aqoelle faustoso da.
Tbeatro de 8. Anlonlo No domingo
prximo vai scena nosse tbeatro urna nova
comedia em 2 qudro3, eomposigo de Gregorio
Jnior. ,
Denomina se o Desfecho do fechamento.
O espectculo dedicado ao commercio.
La Plata Por telegramraa recebido do
Esudo da Babia, consta que esse vapor partir
d'aili em demanda deste porto tarde de ante
hontem, deveodo por conseguate ebegar aqui
hoje pelo meio da.
A bordo desse paquete regreasa o Sr. Dr. Mar
tins Juoior da capital federal; e recolhenao se
Ierra natal o prestigioso chefe republicano, o
povo pernambucano acorrer por certo a rece-
bel o ao seu desembarque, no. Arsenal de Man-
nha, dando lhe asim urna prova do mmto em
que tem a ana lategridade de carcter poltico, e
da Rympatb de que goza entre os seus conter-
rneos. _._
Club de Fevereiro Esae Club repu-
blicaoo federalista fas se ^ presentar por urna
commissao hoje 00 esembarque do illustre d-
dado Dr. Martins Jnior.
A commissao consta dos Srs. Dr. Jos Oaval-
cante Ribeiro da Silva, eogenheiro Luiz de Gaa-
j tro Gongalves, major Prxedes Gusmo e Venan-
cio Flores.
asseciacao Medleo-Pbarnaaceutlcb
Hoje, s horas e no logar do costme, funeciu-
nara essa Associagao em sesso ordinaria.
Captura Hontem, no Tribunal do Jnry,
Ioi capturado o reo Alfredo dos Santos Andrade,
pronuociado no art. 205 do cdigo crimioal pels
joiz de direito do 3o districto.
Eslava elle assisiiodo aos debates quands,
sendo reconhecido, foi preso, e mandado reca-
Iher Detengo por ordem do presidente do Tri-
bunai e disposicJo J'aquelle juiz.
ervico militarHoje superior do dia
I o cidado cipito Carvalho, addilo ao 2* e faz
I a ronda de visita o cidado alferes Serp-i Pint.
j 0 2 b dalho dar a guarmgo da cidade.
1 Academices e estudantea de pre-
paratoriosA' vista da demora da chegada
do vapor inglez La Plata, em que deve vir o Or.
Jos Izidor.. Martins Jnior, effectaar-se ha boje
s 11 horas do da e nao s 6, como fra annun-
ctado, em frente ao edificio da Faculdade, a reu-
nio desse3 mogos e.-tudantes que teem de ir,
I encorporados, assstir ao desembarque, no Ar-
senal de Marraba, daquelle illnstae doutor.
sociedade PbllematleaHoje funeco-
na esta sociedade s horas e no lugar do co.- turne.
A ordem do dia ser : Leitura d;> historia de Pe-
dro I, p lo socio Jos Franja ; dissertaco da
tbeseQuantos movimentos tem a trra t pela
socio 'arlos Paes de Oliveira; e discusso e jul-
gamento do jury historico-Carlos V-pelos so-
cios promotor Abilio Vctor c advoeado Olinla
Vctor.
vaccina publica-No dia 7 do correnta
foran- vaccinadas na inspectora de hygiene pelos
D s. inspector de hygiene, Lopes Pessca e Paul
Soares 103 pessoas.
C ngresso Instructivo Pernambu-
cano Rene se araanh, s 10 horas do dia,
00 Lyceu de Artes e Oficios, em sessSo ordina-
ria, a directora des:a sociedade litteraria.
Recreativa l'nio Rrasllelra IS de
OutubroEsta sociedade, procedeDdo boatem
eleigo para a nova directora, que tem de ad-
ministral a oo aono de 189091, chegoo a esta
resultado:
PresidenteEmilio Joaquim Gcngalves.
Vice-presidente -Antonio Embelle Silva.
TbesoureiroAlfredo de Oliveira Mello,
Fiel do tbesoureiroEduardo C. Rodrigues
Sette (reeleito).
OradorEduardo Monteiro Lopes.
2o oradorManoel Lopes de Almeida.
i* secretarioEdaardo C. Rodrigues Sette (re-
eleito).
2o secretarioLeocadio Pinto da Silveira (re-
eleito).
Io procuradorMiguel Lopes de Aodrade.
2' procurador-Jos Machado de Oliveira.
Zeladores Eduardo Sette e Miguel Lopes.
Commissao de coalas e syudicanciaAlfredo
de Oliveira, Raymundo Rodrigues Pinto e Manoel
L'pes.
A posse da nt-va directotia effeduar-se ha
a 13 (lo correte..
Tribunal do Sary do Recife Fanc-
cionou ho.item este tribunal sob a presidncia
do Dr. Joaquim Correia de Oliveira Andrada,
juiz d- direito do 2o districto.
A's 11 hora3 da manh, presentes juizes ds
facto em numero le^al, foi aberta a sesso a
submettido a julgamento o reo Cypriano D Espirito Santo, pronunciado no art. 193 uo Ca-
digo Criminal por despacho do Dr. juiz de di-
leito do 4* districto, por haver no dia 6 de Ja-
neiro de 1888. em Santo Amaro das Salinas as-
sassinado a Eitevo Freir da Boa Morte.
Occupou a tribuna da aecusago o Dr. Joao
Evangelista de Frota Vasconcellos, 2 promotor
publico, e a da defeza o Dr. Luiz Drummond.
Funccionaram no con3elho de sentenga 03 ju-
radoa seguales:
Eustorglo Austricliaoo de Britto Macedo.
Dr. Francisco Oaooto Emerenciano.
Antonio Luiz Teixeira Elias.
Francisco de Paula Piudeacio Machado.
Joo Ferreira Loureiro.
Francisco Augusto Paes Barreto.
Eduardo Duoeux.
Manoel Anselmo Pereira Guimares.
Joo 1 inheiro Catle.
Manoel Vicen:e da Silva Rios.
Manoel Osmundo da Ca nara Pimente!.
Frederico Ulysses de Almeida Albuquerque.
O Or. promotor publico pedio a condemaaea
do reo as penas do ro mximo do art. 9S
do Co ligo Criminal, visto ter concurrido na pra-
tica do crime a cirumstancia aggravante da
art. 16 o do dito > :odigo.
O patrono do reo, foz -udo largas considera-
ge3 no sentido te provar que o seu constitus-
te praticara os ferimemos em defeza pr jpria,
nos termos do art. 14 2 do Cdigo Criminal,
pelio a soaabsolvigo.
Em vista das deei oes do jury, que reconbe-
ceu por 11 votos a autorit do crime com as ag-
gravotes articuladas no -ibello e atteouante ds
art. 18 10 do Congo Criminal, e oegoo a jui-
lilicativa articula >a pelo defensor, foi condemna-
do o reo pena de 14 annos de priso, grao me-
dio do art. 193 cominoado com o art. 49 do dits
cdigo.
O patrono do acensado appellou da deciss
do jury para a Relaco do districto.
Foi levantada a se-sao s 3 1|2 horas da tarde
e adiada para hoje s 10 horas.
Club Litterarlo Pinto Jnior -Rea-
ne-se hoje esta sociedade em sua sede social, j
Directora das obras ole conserva-
eo dos pono de PernambucoRed-
fe, 7 de Maio de 18S0.
Bolettm meteorolgico
i
Moras m Barmetro a 0 Tenso do vapor i
I H 19,81 a
6 m. 24.6 761-43 85
9 25,2 76z>75 19,82 81
12 27M 762-21! 21.66 M
3 t. 25',8 760-79! 21,29 84
6 26', i 761*02: z0,6i 1 80
Temperatura maxiUM27,50.
Dita miniraa 4,^25.
Evaporago em 24 horas : sombra1,"8.
Chuva-5".9.
Direcgo do vento: E com interrupges ds
ESE, SE e ENE durante todo o dia.
veioddade media do vento2,"03 por se-
gdCdo.
Nebuloaidade media0 "77.
Boletim do porto
1 i i
3 e *<}
I sa
B. M.
P. M
3. M.
P. M.
i
Dias
6.de Maio

7 de Maio
Boras
11-09 da manh
6 -02 tarde
0-24 da manh
700
Altura
lietift? EHVctuar-se-ho os seguintes :
Hoje :
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, ra For-
mosa n. 31, de movis, ougas vidros.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra Es-
treita do Rosario n. 1, da armaco e mais per-
tenci's ah existentes.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra Mr-
quez d Olinda, n. 48, de sardiahas em barril a
cerveja.
Araauh:
Pelo agente Martins. 3 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 60, de boas movis e qualros,
Pelo agente Pinle, s 11 hora3, ra da
Matriz da Boa-Vista, de movis, vidros, quadroi,
nassaros, espelhos, etc., etc.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra Eg-
treita do -tosario n 8, de um preJio.
Hlssas fnebresSero celebradas :
Araanb :
A's 7 horas, na Ordem 3* de S. Francisco, pela
alma de Anastacio da Silva Lorega.
Passageiros -Sabidos para o aul no vapsr
nacional Pernambuco:
1. C. Araujo, tenente eoronel Vicente Aires
Aguiar, Firmino Guimares, Miguel Qmena Fi-
lho, Manoel Gaudencio e Luisa Francisca da
Abreu. J. H. Borwell, Theogenea Jatmaro de Oli-
veira Dr. joaquim Francisco Leal, soa seohora,
1 fllho e 1 cunnada, Joao Francisco Prisco Pa-
raiio, Tulia Rey, Francisco Cox, Idalina Airui

/J


incisa PauU M
Waa
-*-


I
I
. i:
i Al ves
de Oliveira e i tilho, Aalooio Domingue* Son-
io Marianno Alvares, Artliur Gjuvea Costa, Jo-
t Joaquina Castro Xedeiroa o soa senhora, Vir
gima T. d" Castro, Marta M. de Meodonc-i Dr.
Alfredo de Mediros e eaa tenbora. Jote, l>r
Bernardo Liodolpno Mendonca, cadetes Francia
co J quina Mara da Silva Neves, Ari^tides do
lego Monleiro, Gervasio P. de Farias, Francieco
Frer* Fetosa, Joao F S. Medeiros Sobriuho, Ma
noel Lucio Alves da Silva. Heorique de Oliveira
Cavaquinbo, Leandro A. C. de Albuquerque. Ho
racio de Oliveira Sicaoira. JosPereira de Aguia:
c 7i pravas do exercito.
-ahidos para os portos do sul no vapor S.
Francisco:
D. Uiria I-abel Camargo da Silva, D Eponioa
da Silva, D. Amelia da Silva, A'lao Alves Barbo-
ta e sua s.-uno a, Augusta Fran tisc.i dos San
toa, D. S*imiramis da Conceico Catador, Mara
Francisca da Silva e i pr,\$a de poli ya.
lolrndrnrla Monlclpal do Bceire
BendimentO de i a 5 3:886*332
Da 6.
Mercado de S. Jos 23S00
MaUtouro I9*42
Cemiterio 94iK)U
Diversos impotos 428*460
T52*212
Caa e Delinco -Mov me no dos pre
os da Osa de Dett-ncao do Recife, Estado de
Pernambuco. md 6 de Maio de 189J.
Exisliam 476; entraram 14, Babiram 11; exis
em 490.
A saber:
Nacional 457 mulberea 19 estrangeiroa 11 ;
-Total 487
Arracoatlo4l9
Hons 395.
Doente-s 21.
Lomos 2.
Looca 1.
-Total 419.
Movimeoto aa enfermarla
Teve baixa.
Joao Mendes dos Santos.
Foram vistalos os presos de9te estabeleci-
Bcnto por 178 pessoas, sendo : homens 65
emulheres 113.
Hwnpiuti i'edrn 11 -O movimento destt
stabe!ecimeuto de caridade, no dia 3 do Malo,
foio seg inte:
Entraram 8
Sab'o *
Falieceram 0
Existem 463
Foram visitadas aa respectivas enermarlw
pelos Dr.:
Moscoso as 8 12
Cysne.ro as 10 1/4.
barroSo 'i inos 7.
Berardo as 10 1/2.
Mataquias s 9 1/4.
Simes Barbosa as 10 1/2.
Nao compareceram os Drs.:
Ferreira Velloso.
Baievo Cavalcante.
Pjntuai.
O cirurgio dentista ama Pompilio nao com
aareceu.
O pfiarraacentieo entrn s8 1^2 da mauba t
labio s 3 1/4 da Urde.
O ajudame do pnarmacentico entrn as 7 J/2
SiinosS horas da tarce.
Haladouro Publico da Caban*-
Foram abtidas para o consumo de hoje 41 re
es, pertencentes a diversos marchantes.
Lon ri do Estado de Pernamboco
A l serie da 1 lotera deste Estado, ber ex
a-ahida impreterivelmente no da 10 do corrente
(sabbado). .
Loi-rla do 4Jrm-ParaA 13' sene da
31* lotera cujo premio grande de 250:000*.
era extrahida no dia 10 de Maio, (sabbado).
A 1* st-rie da 36* lotera, cujo premio gran
de de 120:000*000 ser extrabida no dia .. d
torrente.
A 1* serie da 37* lotera cojo premio gran-
de de 60:001*000 ser extrahida no dia .. do
torrente. ,
Lotera do Maranhio Esta lotera
tujo premio jraode de 3u0:000,f000, ser ex
rahiaa no dia do corrente.
cemiierio publicoObituario do da 6
de Maio: -.. .
Jos, Pernambuco. 2 annos, Recife ; vanlas
tonfluentes.
Jos Henriques de Souza, Pernambuco osan
aos, viuvo. S. Jos; hydrocepbalo agudo.
Geraldo Severino do Nasciraento, Pernambuco,
25 annos, solteiro, S. Jos tuberculose pul
aionar. ,
Zacaras, Pernambuco, 3 annos, Boa Vista;
too-umptao. .
Miguel Roberto da Silva, Pernambuco, 24 an-
aos. solleiro. Boa Vista ; va iolas.
Manoel Francisco Alves, Pernambuc ', 35 an
aos, soUeiro, Boa-Vista; varilas.
Raymundo Joo, Peroambuio, 26 annos, sol-
tero, Boa-Vista; varilas
Senhonnba Mana di Conceicfto, Parabyba,
25 annos, solieira Graga ; enterite ebronca.
Francisco de Paula Carlos de Araojo, Per
aambnco, 47 annos, solteiro. Boa Vista; as
Antonio Sebastio, Pernambuco, 18 annos, sol-
teiro, B a Vista ; tuberculose pulmonar.
Savenoo Jos de Souia, Pernambuco, 36 an-
nos, casado, Boa-Vista, entero-colite.
Mara da Coocei solteira, Boa Vista; tubercul-se pulmonar
Flor pe Xavier dos Santos, Parahyba, 22 an-
os, solteiro. Recife; varilas confluentes.
Josepba Mara Joaquina de Jess, Pe.nambu-
co, 60 annos, solteira, S. Jos; dyarrna.
Pedro, Pernambuco, 6 annos,S. Jos; vanlas
confluentes.
Joao, Pernambuco, 2 mezes, Grafa; sarampao -
m feto, Pernambuco, S. Jos.
iumo estasSo de!
Silva, da estrada de ferro D. Pedro II. a 20
metros Oeste de Ouro Preto, presenclei a queda
de um r io globular.
Em direceo quasi que perpendicular e pro
curando um d08 postes da hnha telegrapnica
que ttca entre a referida estaco e a casa do en-
genhero residente vi deacer das nuvens que
estavo bastante elvalas cima do horisonte,
com nm trajelo de poueo mais ou meaos de 7
segundos, um globo variavelmen'e luminoso
que .o tocar o poste rebentou. deixanlo sabir
do multiplicidade consideravel de faiscas elctricas,
escudo axiropunh'ido por nina detonaco nio
muito violenta semelbante de urna gran Je
bomba. .
O que ba de mais interessante ne3ta minha
ob-ervaco que algumas pessos que all se
acl avam viram, no raesrau momento, esse phe
nomeno tal qu.il arabo de exur, e outras ditem
que o lobo luminoso desceu e cabio na mesma
linba l<-iesrapnica, porm em u urna distancia do pnmeiro de 50 a 6' metros, o
que me leva a crer que u raio globular, a urna
certa altura j se tioha dividido em duas partes
tomando estas as directo^s in tiradas.
E ta suodivisao do raio globular facto
que j foi observado em Darkiog (Surrey) a 16
de Juino de 1750. *
Miquel, examinando quanU>3 microbios pode
ra conter o leite mais puro e mais f'esco, che
gou aos seguintes resulta los: em urna primeira
experiencia, o leite, extrahido s 6 horas da
manila, continua duas huras depois, por centi-
nutro cubico:
Ctiegado ao laboratorio . 9 000 bateras.
Urna hora depois 31050 *
Deas hoias > 36 250
Sete a 60000 >
Nove 120.000 >
Vinle e c-nco horas depois 5.600,000
Em outra experiencia, o numero de bateras,
primitivamente 9,500, elevou se no flai de 8 o-
ras a 230 000, e a 3 500.000 no Hm de 25 oras.
Em urna experiencia em que o leite, extrahido a
tarde, tinha sido sujeitado a diversas tempera-
turas, o numero de bateras anda subi mais:
A 15 A 25 A 30
Depois:
De 15 horas 1000,000 72.185.600 155 500.000
De 21 horas 6.065,500 28u.000,000 180.00j,000
Tratando se apenas de um centmetro cubico,
estupendo I Em cinco ou seis horas, o nume
ro das bateras pode ser triplicado ou quadru
plicado, e no fim de 15 horas cada centmetro
contm um milho e muitos milhoes depois de
24 horas, qoando ceno que o leite, logo depois
de extrahido n&o contm nenhum germen.
E.la multidio de micro-organismos provm
do ar exterior dos vasos que contera o leite, etc.
E'intil dizer que se trata de microbios com
muns inoff nsivos ; e preciso que nos affeigoe
mos idea de que vivemos juntos e no meio de
urna densa populacho de micro-organismos de
toda a natureza.
SPORT
UM POUCO DE TUDO
Assevera se que Stanley,, ao voltar a Ingiater
ra, tomar novammte a nacioualidade britann
ca, que elle abandonou ha 35 annos. quando
chegou aos Estados-Unidos. A rainha Victoria
deseja conferir-lhe grandes honra.

Refere o lguaptnu : .
Nos8o amigo, o cidadao Gregorio Leandro
Pereira. nos mimoseou cora um verdadeiro pne-
nomeno que urna borboleta de pequeo tama
nbo, tenuo itas azas multicores aureolas doura
das, no centro das quaea esto inpressos os ns-
-88.
Esse nosso amigo j o anno passaqo nos re
metteu, no mez de Maio, urna outra borboleta,
que conlinha as azas a dala de 1888, us nao
nos foi entregue porque o portador abri a cai-
xinha em que ella eslava e o vento a lanjou ao
mar.

Fixando na placa es posices relativas das es
trellas apparentemente vizinhas, e permitiindo
medir as leves deslocaces que o gyro da trra
roda do sol determina as posiges das estrel
las mais prximas do nosso pianeta. em relago
s ma aiasiadas, m.nistra a photo^raprna po
deroso meo de chegar determinacao das dis-
tancias de taes astros.
O astrnomo Pritcbard, da universidade de
Oxford, ttru-se dado.com auxilio desae meio. ao
rude e diflic.l trabalho da dttermmaf;ao de taes
distancias bavendo recentemente avallado por
este modu o lempo que a luz gasta para traos-
por o eepaco que separa da ierra as segunites
estrellas :
Pular 49 annos
B. "asaiopa 13
A. Cattiapea 49
M. Ca^siop(H| 49
C. Caseiopa 318
A luz caminha rom a vilocidade de M) OU
k>lometrts por segundo.

Do Sr. Jo. Vctor Gomes recebemos a se
guate couiuiumcaco du o /orna/ do Commercto
do Rio ce Janeiro: .
Dando V noticia, na gazt;lba do Jornal a>
Cammeico de '5 do corren..-, joe
globular por rauu u.tiuiaunruws piui.ju>.u..u
com inulta raz&o notoo a oaincao do dia em que
se deu eae to raro phenomeno meteorolgico.
< Em nossos annaes scieetibcoa be ai poucaa
obtervatoes desta natureza (em sido at boje re-
gistraiia-, por conseguate jnlgo intereesaute fa-
zer aiada a V. a seguate communicacio :
Corre no -grande premio Progresso do Prado
Pernambucano o animal D. Quixote, que ha pou
co- das viera do Estado aa ahta para disputar
o mesmo premio.
E' liiho de Tangible e Araponga esse meio
sangue uacional, e perteuce Coudelana Inter-
nacional d'aquelle Estadj.
Acompanhou o o jockey Pereira Filho.
*
E' engragada e edificante a noticia que segu,
dada pela Semana Sportiva sob titulo de Miau,
Miau :
Afflrma-se, com muitos visos de verdade,
que ullimameate desembarcaran! em Santos pa-
ra um distinctQ cidado do Estado de S. Pan
lo, potrilhos franeexes de anno e meio de idade.
At agora o privilegio de mandar vir da Eu
ropa animaes .. nacionaes parecia periencer ao
Estado d Bio de Janeiro ; se S. Paulo tambem
se d a essa excentriiidade, o caso de enior
hymnos ao progreaso da industria frltzmackia
na.
Miau... miau... miau... -

Dentro em pouco lempo, diz urna folha da ca-
pital federal, os sportsmen tero sua dispo-
sicao mis dous esplendidos prados.
O Turf Ciub, cujas obras achara se a cargo da
C3mpanbia Nacional de Construc{6es, talvez al
melados do prximo mez de Juotao possa func
cionar. tal o adantamento dos trabalhos.
Nao menos activamente proseguem as obras
de copstrucco do Hippodromo Nacional.

De bellos artigos do Sr. L. Pascault, estampa-
das na Semana Sportiva, extractamos o se
guinte : .....
O histrico do cavallo inglez impelle nos fa
talmente a fallar do cavallo rabe, sendo aquel
le, como originario deste.
A raga ca vallar arabo teve por berco o centro
da Asia, que tambem, segundo a tradico biuli
ca, o do geaero bumano. Essa rapa passou
da Persia para o valle do Wil, na Syria, e de-
pois para a Ara'iia, de onde tomou o nome.
. Em pocas mendf remutas certas emigraces
levaram n'a Argelia, Grecia, Italia, Bus
sia meridional e Hungra.
Finalmente, sob o imperio da expansao mu-
sulmana, ella espalhou se pela Hespanha e pelo
norte da Pranca.
Vimos j como os inglezes foram os primeiros
que tiveram a idea de apropriar-se do lypo ara-
be; fizeram-n'o espalhar em seguida, sob o
nome de puro sangue inglez, por todo o conti
nente europeu e at pela America. Antes delles,
os hespanhoes, quando descobriram o Novo
Mundo, tinhara intrortuzida o cavallo rabe na
America Meridional.
Ao mesmo lempo, porm, que esse cavallo u
cou sendo o cavallo de trabalho dos povos mais
vrimilivos da trra da eua origen, tornou-se o
motor de luxo as nacOes mais civilisadas, que
empregam esorcos constantes para mantel o e
reproduzil o no estado de pureza, ou para me
Inorar, com seu auxilio, as cavalhada3 indgenas.
Emsumma, se a raca rabe conservou se pura
na Persia. na Sy.-ia ti no Egypto, ramitliou-se em
numerosas variedades, multo differentes entre si,
pelo tamanho e pela elegancia das formas, de
pendendo isso ao mesmo lempo do clima, da
fertilidade do solo eda educuco dos iodividuos.
As variedades rabes mais importantes sao :
a Barbe que habita a Argelia, a Tunisia e Mar
reos; a variedade iugleza de corridas ; o ca-
vallo Tarbe e o Limousin, que teem por patria a
Franca ; a variedade rusa, os trotadores d'Or
loff e a variedade hngara.
O cavallo rabe, isento de toda allianca hete
rogenea, o typo perfeilo da belleza artstica
Em nenhuma outra raga avallar se enconira mais
bem realisado o coojunclo harmnico de todas
as regies do corpo. O physico e o moral, tudo
nelie superior; possue a uobreza e a gruja
liuJas ao vigor e fi?xibilidade; elle realisa,
emtim, o modelo ideal do cavaq, de sella. A
sua physiooomia a mais bella de todas ; a sua
estatura mede ordinariamente um metro e cin-
cuenta centmetros e muito raramente excede
de um metro c sesenta.
O seu corpo esveito, flexivel, elegante, ner
voso, o porte nobre e altivo ; a sua enna com
prida e tina ; os seus membros, secco3, vigoro
sos, bem talhados ; os cascos pequeas e sol
Tem as narinaj ampias, muito abertas, os
labios delgados, aa orelhas pequeos, rects
afamadas, muito movis. Os seus olhos, flor
da testa possuem o olhar vivo e energieo. Quanto
s euas aptides, ao seu alto grao ue pcri-
eiab.a bC peL modo Je edu ufia a que
metiido. Eff-ctivamente o defensor do Eslam
nao conhece ouira vida a nao ser adoguerreiro.
EU* "So noderi ser apartido Jo sen cavallo.
Axl -
partcTiGtegrante da familia. E' o -ompauliero
estimado, r>cebe caricias e opjecto de con
ataste rolicitmie.
as coudices naturaes do ciimasecco e
qaente-e nos solicitas cuidados de todas as
turas, encentra se a (xplicago das qu?lidades
n o "ovII" zrv\
la para a America mendionai pelo
conqisudores do Novo Mondo. A raca indi
geoa do Brasil nao tem outra origem. om-
tanlo muito degenerada, ella conserva anda
na physionomia o cunti dos teas ascendentes,
cuja sobnedade e cuja rusticidade herdou.
Es-e grao de parentesco, a identidade dos cli-
mas facilitaran! in lubitavelmente o meihora
ment d raga ca vallar brasiletra, te lhe propor
ciooassetn. bons garantices rabes para o cruza-
mento.
IWDICACOES BTEIS
Hediu
O Dr. Alabiada Velloto d consultas
das 12 s 2 horat da tarde, na cuta da
so antiga residencia, ra do BarSo da
Victoria n. 45, l.8 andar.
Lr. Jo&o Pendoespecialista en par-
tos, molestiat de tenhoras' e de enancas,
com pratica nos hospitaes de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do BarSo da Victo-
ria n. 6), l. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto estaban do Es-
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te
lephone n. 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio rna Nova n. 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e for
destas horas ra do BarSo de S. Borjt
n. 22. Espe alidadesmolestia de crian-
cas, 8enhora8 e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatria n. 8
d consultas medico-cirurgicaa todos os dias
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
das santificados.
Dr. Freitas QuimarSet, medico, tem
du consultorio na ra Duque de Casias
se 57, I."andar; d consultas nos dias uteis
as 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde atiende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.CYm\ca me
iico-cirurgica. Especialidades: moler -ai
pulmonares e partos. Ra do Marqu^t di
31inda n. 27, 1. andar. Consultas uas V
ta 2 horas e na Casa Forte (Poco da Pa
ella) das 6 s 9 horas da manha e s
ardo Telehone n. 392
Dr. Joaqnim Loweiro medico e parte;
o, consultorio ra do Cabug u. 14
l. andar de 12 s 2 da tarde; .residencia
io Monteiro.
Dr. Castro Jess medico e operador
Pratica a lavagem do tero quando e co,
no aconselhada. Consultas das 11 *
1 da tarde em sua risidencia ra d<
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.'
andar. Telephone n. 389
Dr. Ribeiro de Britto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an
dar a ra Duque de Caxias n. 46, puden-
do ser procurado para chamados, na sua
residencia, a ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
.adTogados
O bachard Bonifacio de AragSo Fario
Socha contina a advogar. Escriptoric
ua do Imperador n. 46., 1." andar.
O baeharel Joaquim Ihiago da Foneeco
:em seu escriptorio de advogado ra do
Imperador n. 14, 1. andar.
Oceulisla
Dr. Ferreira. com pratica nos prnc
iaes hospitaes e clnica de Paris e Lon
dres, consultas todos os dias das f
lorasdao meio-dia. Consultorio e resi
{enca ra Larga do Rosario o. 20
Dr. Barreto Samjtaio, oceulista, d con
taitas de 1 s 4 horas no 1. andar d
asa rna Barao da Victoria n. 51. Resi
lencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra-
da pela ra da Saudade n. 25.
Drogara
Faria Sobrinho A C, droguista por ata
ado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manad da Silva & C, deposi
arios de todas as especialidades pharma
euticas, tintas, drogas, productos chim
jas e medicamentos homeopticos, roa de
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de cscrever
A melhor a tinta Victoria, vende-se s
OO rs. meia garraa e a 800 rs. ma^gar-
rafa inteira na Livrria Corntemporanet
de Ramiro M. Costa, ra 1. de Marco n.
2, loja de ferragens de Albino da Silvt
4 C, ra da cadeia n. 42; loja de fera-
;ens de Brandao & C, ra Duque de Ca-
sias n. 46.
PUBLICAC8ES A PEDIDO
Novos horizontes
VH


jura Oo Ifjec iuo au
pidos. O dono o habita pou&j a pouco a eup
porUr sem soffrimento. a sede- e a fome, condi
coes indispensaveis dos acasos da vida nmade.
Em urna palavra, erBa raca o typo por ex-
ceileocia dos cavallos de trabalho e dos de
guerra.
Eu disse no artigo anterior que era meu pro-
positi fazer questaj princi al da instrueco do
povo, como a primeir, a mais imperiosa, a mais
inadiavel e esaencial das reformas reclamadas
peto novo rgimen. Nao pois, de mais insistir
no assumpto, e para muito d elle.
No drama, cujas scenas actualmente se desen-
rolam dentro do paiz aos noasos olhos e at aos
olhos le todo o mundo civilisado, o povo um
dos mais importantes personugens. Que muito
, pois, que me mereca elle particular attenco
e demoradas eoasideraces ?
Um dos grandes erros da monarchia foi a pou-
ca importancia do elemento popular,vproveaiente
principalmente da falta de instrueco do povo e
dos syatemas eleitoraes, retrgrados uns e defl-
cieates outros.
Houve tempo, nao taa muitos annos, acendeu-
se urna verdadeira febre com relago instruc-
tu publica ; mas dentro em pouco baixon nota
velmeuie a temperatura nesse ramo da publica
administraco, nao sem deixar erros e inconve-
niente), pois, durante o ultimo periodo de sua
t-levaco, tudo quaBto ganDou a instrueco su
perior loi a desordem e a perturbado, cujos ef"
feilos estamos geutindo anda. Relativamente
eli icOes, si deu-se um passo para a frente, /foi
elle tncorapleto, porque deixou a ultima reforma
em meio do camua, cjrcedaau i xtessivamenle
a inlervenfio popclar e provocando, por isso, o
plaDOs e prelencCes de fraude, a qual chegou a
.um o n partidos, de
cuja realisaco te jaotavam aie -eus promotores e
;es.
m nov .pode ser refractario s solicilacOes
do progre8so e tardo na aspiracao de emanci-
nda no ultimo le refer ao Pa-
i ma e s India8
(agiras; m povos fatal, providencial: queBtfio de lempo,
de opportonidade, a vezea, de um simples pre-
texto.
E tao teirivel o povo, qoando reage contra
era os impetos e adoca oa instinctos, qua
cordato, moderad e methodico nos trabalhos
que antecedem sua bertacio, e nobre e ge-
neroso no da em que a realiza.
Por iaDma, por humilhante, por abjecta e op-
primida que seja a condic&o de um povo, elle4
tem sempre no fundo d'alma o iastincto natural
da liberdade, um germen de aperfeicoamento ; -
l que est a fagulaa que pode prodasir o in.
cendio.
No futuro de todo o povo, do meio de jodos os
seus males e soffrimeotos, ha sempre uns Grac
chos generosos e ledicadoi a se levantarem,
como os martyres de urna regeuerajao possivel,
de urna libertaco pro/av. 1.
Que venhara me dizer qie os goveroos consti-
tuidos t.n obrigaco de obedecer ao instincto
de conservaco, de nao serem os ob reros da
propria eliminaco e da orientaso de seus pro
prios demolidorea... Idea eatreta! Politica
egosta e antipatliica aos destinos,da bumanida-
del
Sejam lgicos e prevideoles os que assim pea-
sam; mandera queimar, na prac publica, na
mea'ma fogueira, os livos, os joruaes, a eflige de
Gulteuberg, pois, que elle j nao vive, o o mais
sublime de toaos os reformadores e progressis-
taso Crucificado. Para que nao reste mais
onde 1er e apreuler, fecuem o grande iivro uni-
versal, destruam a obra do grande archUecto, a
natureza, e, porque a guerra contra o reino
animal, anniqulem o mioeral e o vegetal, apa-
guen! os attros que pjvoam os es pacos, porque
em todo isto ha eloquentes licOes e exemplos de
modifica cao, evoluc&o, transformaco e aperfei-
coamento. Queimem, emtim, si tanto poderem,
a alma humana, com os seus sentimentos, suas
aspiraces e suas faculdades.
Que importa o desspparecimeoio do que exis-
te, si o que tem de vir melbor e mais perfei
to?
Si, quando D. Pedro de Alcntara disse que
nao duvidariasero presidente da repblica caso
o ilrazii quizesse fazerse republicano, o que lbe
vaieu inultas censuras, visava o bem e a felici-
dade de sua patria e nao a conservado do pri-
mi-iro posto entre os seus concidadaos, revelou-
sc um graade e desinteressado patriota.
Aquelle instincto de conservaco, a que cima
me refer, por parte dos governos constituidos,
um embargo injusto e violento ao aperfeicoa-
mento das instituices polticas e felicidade
dos povos, porque ninguem tem o direilo de im-
pedir que mais se aperfeicoem os que ] pare
cem perfeitos e mais se felicitem os que j sao
felizes Nao o caso de appl car a lei econ-
mica de que a amontoacao em poucas mos de
grandes cabedaes e fortunas um mal para a
riqueza geral.
Ao contrario, o desprendimento dos goveroos
oeste Bentido a realisaco de um sublime al-
truismo, que nSo duvida aceitar o propno sacri
(icio em favor da conquista da felicidade do
maior numero.
Desenganem se os que se mostrara assustudi-
os diante dos avancos do progresso. Na altura
em que vai a humanidade na sua marcha provi-
dencial, iocessante como a do eterno caminheiro
da legeuda ; diante dos exemplos e das licoes
da historia, e do ponto a que j chegaram a ex
perieqcia deixada pelos seculos e as locubra^es
pacientes e n5o interrompidas do espirito huma-
no, conceber a lda de oppor se torrente da
evoluco geral, querer imprudentemente es-
barrar a queda de um monolitho que rola pelas
inclinagOes da montanha, ter a estulta Tellei
dade de contercom as palmas das mos as -gu.s
do S. Francisco as cacboeits d3 Paulo Af-
fonso I
Sim, repito, foi um dos grandes erros da mo-
narchia nao ter sabido preprrar no povo um ele,
ment de resistencia em seu favor, que difBcul-
tasse o caminho e as victorias a propogandaa
subversivas, e demorasse ao menos, a substi-
tuido d s crencas c do objectivo das adhesoes.
Na pallidez e frouxidSo destas e na ausencia da-
quelle preparo, o povo representava urna massa
de fcil transformaco, um terreno adobado para
diversas culturas.
Aproveite, pois, a repblica a lico, que edi-
ficado, e que tanlo maia a deve impresslonar,
quanlo o nosao povo, em geral, si nao tinha
crengas fundas e enthuiiasmos no antigo rgi-
men, trouxe delle hbitos, costumes e tradicOes,
que precisara ser modificados e substituidos. ,
Nio instrua o povo, ea republicstao ter nel-
Je um etteio, ora sustentculo, maia do que isto,
um collaboradjr consciente e intelligente, e,
n'um dia de lifficuldade, vjr-se-haisolada, como
a monarchia, que, no momento solemne e supre-
mo da queda, 60 teve em torno de si o retrahi-
meuto e a indifferenca.
Lutbero, o audaz reformador, teve urna per-
feita intulcSo dos beneficios e grandes resolta-
dos da instrueco do povo, teve urna feliz pre-
viao, quando, ho 8eu tempo, sentio a necessi-
dade das escolas christs ; loi um propbeta,
quaudo disse que supportar a ignorancia era
fazer causa commum com o diabo e quando
accreeceutou o que faz a prosperidade de urna
cidade, nao sao os thesonros, as muralhas
fortes, as btllas casas, as armas brilhantes ;
sua verdadeira riqueza, sua salvaco e sua
forca contar muitos cidados instruidos,
honestos e bem educados. Os factos o jus-
tificaran!, teve continuadores a grande obra de
sua iniciativa, e, modernamente, entre outroa.
E. Laboulaye. o grande propagandista das in-
stituicoes e ideas livrea, affirma que : a liber-
dade tem como conlico principal a educado
de todos os cidados e que urna democra-
cia ignorante urna democracia condemnada.
Iaapirem-se governantes e governados uestes
avisos e conselhos de grandes autoridades, e,
sem necessidade de muito alongarem as vistas,
vcltem-se para os Estados Unidos, nossos viai-
nhos, e l esto magnficos exemplos Os esta
belecimentoa de instrucc daquelie grande paiz
quasi que excedem s necesaidades da popula-
cho, que immenaa, to graodes sao em nume-
ro e em luxo. Aoode chega o explorador, o co-
lono, no seio das maltas, no meio dos campos-
nas solidOes do deserto, vencidos os obstculos
da natureza e as lucias com os selvagens, levan-
tam-se immediatamente urna casa, urna igreja e
urna escola ; e, proporco que augmeata o
numero des habitantes, esta ultima e a primeira
eSo seguidas de muitas outras, e dentro em
pouc l eclia e penetra o silvo e o penacho de
fumo das locomotivas. Sao esses hbitos, esaa
iniciativa, essa educacSo, tasa instrueco, em
fim, que fazem dos americanos do norte umpovo
maaculo, exhuberante de vida, repleto de far-
tura erfqueza, e cheio de independencia, lber
dade e patriotismo.
Foi dessa educacSo que proveio aiqda um
dos cidados deste paiz, e
no qual estes podern encontrar incentivos e des-
tilo* para te instruirem independenlemente da
tu:ella e iniciativa aos goveroos. Refiro me
forca de vontade, coragen e teoacidade com
que os antigos escravos, depoia da grande guerra
all bavida por amor de sua emancipaco, e
lutaado por muito lempo anda contra a m von-
tade, os obstculos de toda ordem e at as per-
seguicOes do partido que batalhra contra elles,
conseguirn! fundar escolas, estudar, aprender,
logrando, por flra, como bjje um facto, elevar
o sen nivel moral, e erguer-se muito cima da
condico humilde de que acabavam de sabir.
Nao fosse essa educago, que comeca com urna
pequea aggregaco de familias, e, s vezes, com
umafamilia s, urna casa, urna igreja e urna esco-
la, como j disse; que se desenvolve com o aug
ment desses elementos e sua transformaco em
municipalidades ; e se aperfeicna, por fim, com
a instrueco, a proporco que estas se vo con-
veriendo em graodes centros populosos, nao
fosse essa educacao, e os cidados dos Estados
Unidos nao teriam bem definidos o espirito de
familia e o espirito municipal, dous grandes ele-
mentos de liberdade, na opinio do abbade Mar-
tinet, em sua Sciencia Social, muito ultramon-
tana, verde, mas muito verdadeira neste ponto.
Reservo para o segrate artigo outra ordem
de' consideraces.
Recife, 7 de Maio de 1890.
JvtNcio D'AGoua.
Martina Jnior
Povo pernambucano, nao se trata aqu de fe-
mentidas propagandas das quaes nunca auferis-
tes proveito algara, nem To pouco se cogita de
receptes do condes e de outros tantos corcon-
das realistas e hoje adhesos farcistas da rep-
blica ; trata-se da recepcao d'um cidado feito
por si mesmo, de cuja roupagem nao sabe poei
r*; de um cidado modelo da presente intuigo;
do cidadSo Marlins Jnior, de quem nada temos
que a-guir, seno que admirar em todo seu ti-
rocinio republicano; trata-se finalmente da re-
copcao de um nosso compatriota sem foros de
(dalgo, sem oligarchia, to simples e puro quan
to por isto mesmo o chefe escolhido da rep-
blica deste Estado.
Eia, pois, cumpre-nos de todo coracao feste-
jar a boa volta deste nclito cidado ao seio de
sua e nossa pat la.
Maio, 7 de 90.
Joaquim S. P. Siqueira Cavolc-inte.
Engenheiro Joaqoim Per-
nambuco
A bordo do vapor La Plata, deve ebegar hoje
a esta capital o denodado propagandista repu-
blicano Dr. Joaquim Jos de Almeida Pernam-
buco.
A idea vencedora em 18 de Novembro teve
sempre nesse eminente cidado e dlstincto per-
nambucano um dos seus mais extremosos pro-
pugnadores.
Desprezando as posigOes ofliciaes, que teria, se
quizesse, no rgimen monarchico por achalas
inconciliaveis com os 8eus sentimentos de repu-
blicano puro, preferio arrostar as privacOea do
os'racismo poltico desde o Ministerio Sraimb.
Perseguido pelos inimigos da repblica, Joaquim
Pernambuco apparecia cada vez maia destemido
e onde quer que algum dos seus correligionarios
fosse victima das violencias dos pseudo defenso-
res do throno. ahi se apresentava o intemerato
campeo das liberdadea publicas, fazendo frente
aos tteres da monarchia, muito embora compar
tilhasse as mesmas violencias.
Por maiores que fossem os labos laucados
aos republicanos, por mais atrozes que fossem
a3 ameacas dos governos monarcuicos, quelles
que trabalhavam pela regeneraco da patria por
meio da propaganda democrtica, nunca Joa-
quim Pernambuco recuou um passo de seu
posto, o mesmo em que se achou collocado a 15
de Novembro, ao lado dos filustres cidados a
quem cabe o maior quinho das glorias pelo
advento da repblica.
Jornalista, sua peona jamis tragn urna linha
que nao fosse em prol da causa santa que de-
fenda.
Orador, suas palavras Eo ouvidas com o res-
peito devido aos grandes batalhadores de urna
idea. ,, ,
Cidado, o seu caracler inquebrantavel e in
vejav el perseveranca o poem a salvo de qual-
quer investida.
Seja, pois, bem viodo trra natal esse nosso
filustre comprovinciano em quem vemos com
satisfaco, um dos seus mais dilectos filhos.
Saude e fraternidade.
Recife, 7 de Maio de 1890.
Um pernambucano.
Conclnslo da receita de obulos p
concert e melhoramento da capella-mr
j da mesma Senhora, desde Janeiro a i
00 do mesmo aano. Concorreram os se-
guintes senhoret:
Francisco Augusto Pacheco
Bartiolomeu Lourenca, mais
Joaquim Ferreira da Silva (re-
finacSo)
D. Margarida Machado, mais
01 J. C. M., promessa '
D. Maria da Gloria M. Rosas.
promessa
Padre Joas Batinga, mais
Calisto Jos de Mello
Antonio Joaquim Cavalcante,
mais
Um devoto (para a chave do
sacrario)
C. Dr. Maia
D A. E. de Oliveira
Tenente Manoel Frazao
Um devoto
D. Bellarmina
C. M., mais
Julio C. Paes Barreto, mais
Pelo Sr. Joaquim Luia.Teixei-
ra, Luiz Barbosa
Po$as, Mendes & C.
Kaebellin -
Jos Mafia de Andrade
Alexandre Lopes de Medicis
Urna devota (promessa)
Um devoto
Ricardo
Miguel Motta, mais
CapitSo Silvino de Mello
Continuo, mais
Alfredo Pessoa
Chaves
Dr. Ameidd Conha
Um anonymo
Um sacerdote
D. Maria Alexandrina A.
D. Francisca M., mais
Lanriano J. de Barros, mais
D Felicia.
Urna devota
Um devoto
Resultado das caizinhas :
No mez de Janeiro
No mez de Fevereiro
No mez de Marco
No dia da passagem da ima-
gem
De lenha verde ao capitSo
Silvino
Resultado da cera
No dia da Festa
Pela companhia dos Trilhes
de Olinda
Parabens ao Dr. Barros
Carneiro, pelo seu feliz an-
niversario natalicio.
Recife, 8 de Maio de
1890.
2000003
50^009
200000
200000
200000 ~^^l
2O0OO
1O0OO
1O0OO
10000
100001
50000
50GOO
50000
50000
50000 v
- 50OOt
50000 s
50000
50000
50009 %
50000
50009
60000 ,
60OCO
20000
20000
20000
20000 j
20000
20009 1
20000 . .
20000 ***
20000 $
20000
20000 1
20060 4
20COO
10000
10000
540760 i
220760
300220
170620 1
60400
1000900
1990910
2000000
Total 1:0950470
Pelo Sr. Jacintho D. Gomes do Reg,
proveniente de cartas e j publicado nos
Eiarios de 31 de Agosto e 3 de-. Outubrt
de 1889 80000, sendo os seguintes se-
nhores:
Joaquim Fradcisco B. Uchoa 10COO
Manoel Jos da Silva 10000
Jos Themotheo P. Medeiros 10000
Pedro Goncalves de Arruda 0509
Luiz Bezerra dos Santos 05'JO
Antonio de Castro 0500
D. Anna Flora M. Lobo 0500
D. Julia Josephina C. 0500
Alfredo Lucio de Castro 0500
D. Paulina Francisca de Siqueira 0500
E. S. G. (devoto)
Joao Bapiista Ferreira
Um devoto
0500
0500
0500
Somma 80000
Declaro ao respeitavel publico, que em
consciencia o resultado fiel da receita
desde o da 19 de Marco de 1889, a
Margo de 1890, segundo a nota fiel e es-,
crupulosamente publicada e conservada.
Em breve lavis de ver o resultad
nao menos fiel da despeza, como j tive
occasiSo de declarar pela respeitavel a
bemtazeja redacclo deste Diario, que Ha
bons rervicos tem prestado a grande causa
da Senhora do Monte.
Olinda, 24 de Abril de 1890.
Clrigo Jnvenal.
Agradecimento
Maria Moreira de Araujo Livramento e
seus filhos, Viscondessa do Livramento,
Carolina Soares de Amorim Moreira e sua
filha Anna Marques de Amorim e seas
filhos, Jo&o Moreira de Araujo Livramen-
to, sua mulher e filhos, Dr. Francisco de
Assis Rosa e Silva, sua mulher e filhos,
Candido Affonso Moreira e sua mulher,
Francisco AuguBto de Araujo e sua mu-
lher, viuva e filhos, mSi, sogra, av, r-
maos, cunhados e tios do finado Jos
Antonio de Araujo Livramento ngradecem
do intimo d'alma a todos os parentes e ami-
gos que se dignaram acompanhar os res-
tos mortaes daquelie finado para sua eter-
na morada e a todos confessam sua eterna
gratidao.
Recife, 7 de Maio de 1890. _____
Club de Santo Amaro
das Salinas
A directora convida aos Srs. assocados
deste Club a rennirem-se hoje no Arse-
nal de Marinha, afim de assistfrem ao
desembarque do distinct^ chefe republi-
cano Dr. Jos Izidoro Martins Jnior, e
d'ahi acompanharem-no c.sa de sua re-
sidencia, em banda*especiaos.
A reuniSo ser na occasiSo em que
chegue a este porto o vap >r La Plata.
0 vinho vivien de extracto puro de liga-
do de bacaibio, nao carece ser recommendado
por meio de pomposos chamarizes. Conhecido
e receitado ha muitos annos tem elle prestado
therapeutica os mai3 assignalados servjcos.
Os mdicos gabam lhe a provada efficscia, e
admirara lhe o preparo scientificamente dosado.
Os enfermos sabem'por experiencia que um
poderoso reconstituinte. As enancas tomam n o
fcilmente por causa do gosto saborosa que tem,
dissimulando a sua preparacio o cheiro dea-
agradavel e o sabor nauseabundo do oleo do
figado de bacalho, cujas virtudes possue ne
mais alto grao.
Hospital Portogow
Assembla geral extraordinaria
Nao se teodo reunido (tal-
vez, em vista do tno tempo, t
nao por indiferenca) numero
razoavel de socios, sao de
novo convidados a reunirem-
se na secretaria do Hospital,
no dia 11 do corrente, s 11
horas da manha para se pro-
ceder a eleicao dos membros
da junta que tem de preen-
cher as vagas dos qu regei-
taram os lugares para que
foram eleitos em assembla
geral ordinaria no dia 1 de
Dezembro de 1889.
Duas horas depois da mar-
cada se constituir a assem-
bla com qualquer numero
que se ache presente.
Secretaria do ospital
Portuguez, 5 de Maio de
1890.
Cesarlo A. S. Papotda,
Secretario.
Collegio de N. S. da
Penha
PARA 0 SEXO FEMININO
sob at dlreccio de Angnaia Cmrnetf
Ra da Aorora o. 37
Segando anda r


f-
1

1
1
EleicSo da mes
do Senhor Bom Jmt m> V*v3*or*,
igreja da Santa Cram, aue tem de re-
ger a mesma contara no anno com
jromisaal de 1880-1891.
Provedor
O irmio Adolpho Antonio Alves Gaima-
rtM
Etcrivlo
Justino dos Santos Vieira.
Thesoareiro
O ralo ex provedor Joaquim Martins de
Oliveira,
Procuradores
O irmio ex-thesoureiro Domingos Goncal-
ves Villa Verde.
O irmio Jos Joaqaim da Cunha Maia.
Definidores
Ob irmaos ex-provedores :
Manoel Domingues da Silva.
Jos Joaquim Alves Pacheco.
Victorino Francisco Rodrigues da Silva.
Adalberto Jos de Paiva.
Os irmaos ex-procuradores :
Jos Goncalvea Martins.
3ebasti2o Lopes GuimarSes do Amaral.
Matheos Ramos da Crua.
Os irmaos:
Antonio Gregorio Chaves.
Jos Gomes de Oliveira Piedade.
Joao Alendes Martins.
Jos Francisco Angeiras-
Manoel Jos de Ase ved o Maia.
Provedor*
A iimi a Exma. Sra. D. Mari a Fernn-
des Marcos Costa.
Escriv!
A irma a Exma. Sra. D. Mara Flazer
Valoogeiros.
Definidoras
As irmaa as Exmas Sari. DD. :
Silvana Jannara da Silva Agr.
Adelaida Josephina de Mira Conralo.
Urbana J. R. da Silva Baptista.
Francisca Ephigenia Soares da Rocha.
Aatouia Maria do Espirito Santo -
Anna Brezidia da Cunha Paiva.
Alexaudrina Farias Vieira Nayre.
Candida Raposo Chaves.
Candida Mara de Abreu GnimsrSes.
Candida Augusta da Silva Gouveia.
Km'l'* Maria Luisa Dously. _
Elisia Ambrosios Martins.
Felismina Maria de Carvalho.
Genoveva Mara da Fonseca Ventura.
lelliodora Bastorff.
Francelina Duartc Vidal Menezes Farias.
Florinda Adelaide de Azevedo Maia e
Silva.
Francisca de Paula Figueiredo Gama.
Francisca A. Mares Botelbo.
Maria Senhorinha Pessoa Datra.
Othilia Mendes Martins.
Maria Bernardina Ramos.
Estephania Maria Ferreira da Cunha.
Umbelina Mara Carneiro de Moli.
Consistorio da confrara do S. B. da
Via-Sacn- na igreja da Santa Crus, 30 de
Abril de 1890.
Servindo de escrivao,
Manoel D. da Silva
Vigario, Augusto Fratdin M. da Siloa.
t
:liii Amo J. IS .LUIDA BABCELLOS
Dia l de Malo de ISO
$.< ANIVERSARIO DE SEU PASSAMEXTO
- S Deus eterno.
Tuiio mais illaso.
CELSBBAM-SE M1SSAS rOB SU ALMA
ai uauk be Eli rais
O advogado
Dr, Manoel Portella Jnior
transferio o seu escriptorio
para a ru do Commercio
n. 44, 1. andar. (Entrada
pelania do Torres).
pelan
COMERCIO
Revista do Mercado
Ruare, 7 dr maio de 18S0.
O movimeolo na praca limiton se a transac
(oes no mercado de cambios.
Cambio
PRACA DO EECIFK
Os bancos abriram a ti 12, recusando sac-
, car cima daquella laxa al t horas da tarde,
quando o Engtieh offereceu 21 5.8 para a 1*
mala.
Em papel particular nio bouve negocia.
PBACA DO RIO DE JANEIRO
Mercado inalterado, continuando o Nacional a
saccar a 21 5/8 e os demais bancos a 21 i/2 no-
minal.
0 movimento foi pequeo.
'TBELLS PFIIAD8
"9

**
I
*l
*~ i
5>
O
I e*
sis.!
s s 8 ? 21 F
5- -J -J I

!
g s
* e
3H w i
co
1
Bel
sa
'J'jTAyES OFnCIAES DA JUNTA DOS COR
HKTORK8
Recife, 7 e Meto de 1890
Cambio sobre o Rio de Janeiro, 30 o 60 d/ v com
o descont na razo de 8 0.0 ao anno.
Diogroes C*Ito da Nobrega t*tiran te e d tempo de despedir se de todos os
seus amigos, o fu pela imprensa e pe all
disposico dos mosmos os seus ser vicos.
Recite, S de Maio de 1890.
Prompluario da le
DO CASAMENTO CVIL
Acba-se prestes a sabir do prelo esla obra se-
guida da le annolada onde se discatea diversas
questoes praticas e fas se om estado compara-
tivo con o direilo antigo.
Como appensos, tras o lwro as instruccOes
biixadas para a execoco da le e mais actos
publicados a seo respeito e bem assim o regu-
lamento do registro civil, como materia que se
prende ao assumplo.
O livro que se compora, mais ou menos, de
200 paginas, offerece utilidades queiles que se
dedicarem ao estado e execucao a mesma lei,
bem como ao publico em geral.
Sendo a tiragem de poneos exemplares visto
nio poder seu autor accarretar com desperas
superiores, se dar preferencia aos pedidos que
forem feitos, para o que se indica a livraria
Parisiense ra i" de Marco n. 7.
Pr'eco do volume, pagavel entrega deste :
Brochura M000
Encadernado 3*000
. Isollna e Silvias
Eis o que attesta um conhecido mora-
dor de Pelotas com referencia a dous ca
sos de asthma :
c Attesto que as minhas filhas Isolina e
Silvina soffriam, ha mais de tres annos,
horrivelmente de asthma, qna lhes vinha
por accesso amiuddos e tSo fortes, que
eu julguei em muitos d'elles, ter se appro-
ximado o termo fatal de suas pobres exis-
ten :ias. Depois, porm, que usaram do
Peitoral de Cambar, preparaclodo Sr. J.
Alvares de Sonsa Soares,. s Silvina foi
atacada, ha quinae dias, de um novo ac-
cesso, que ceden promptameute ao mesmo
peitoral.
c Miguel Antonio dos Santos.
(A firma est reconhecida.)
Kcvelaces e merrcimento*
Poucas vetes temos experimentado ama tac
intima satisfaco; melbor diriamos um legitimo
i rgulbo por noticiar ao respeitavel publico que
a cerveja La Rosa Alimaa 6 urna meosageira para
o corpo tanto bebida como regalo que de fl
Qissimo paladar, como iollivel na cora de
enchaqueca, ataques hemorrhoidaes, corrimen-
tos e flores brancas.
Nao alongamos consideracoes e limitaroo nos.
pois, a descobrir a riqueza da cerveja La Rosa
Allemana, j professada publicamente. A verdaie
sempre terdade Alm dos estabelecimentos
j annunciados est venda em ontros im-
portantes estabelecimentos dos Srs. Joao da Cu-
aba Vasconcellos, roa do Livramento; Antonio
Gailhermino dos Santos, ra Direita, Moreira Ir-
mo, ra de Pedro Affonso; Jos da Silva Perei-
ra Lisboa, ra do Imperador; Manoel Martins
Lourenco, Jaboatao; Francisco Mendes da Fon-
seca, Pilar de Alagoas. Jos Domingos d'Olivei
rae Manoel Ferreira Silva Veiga, Natal; JoSo
Javenal Barbosa Tinoco, Baptista Jnior & C,
e Ismael Cesar Duarte Ribeiro, Macabiba.
Dr. Silva Leal
CLNICA MEDICO CIROBQ1CA
Consultorio e residencia roa do Livramento
n. 6 1 andar. Consultas das il s 3 horas da
tarde. Chamados a qualquer hora, por eacripto
Dr. Coelho Lei te
participa a seus clientes c amigos que mudou
sua residencia para a ra Bario da Victoria n.
61, i- andar, e contina a dar consaltas de 1 as
3 horas da Urde, no seu onsultcrio, ra Duque
de Caxias n. 57.
Paranngu
O honrado cidado Sr. Joaquim Soares
Gomes, vice-eonsul de Portugal e Ingla-
terra, em Paran8gu, tratando da cura de
urna bronchite de mau carcter, em eua
esposa, dia o seguate:
,.. Minha mulher acha-se perfoitamen-
te restabelecida de sua grave enfermidade,
com o uso de qnatro vidros do Peitoral d-t
Cambar, tendo antes experimentado, sem-
pre intilmente, talvez cineSenta remedios
diversos.
Joaqnim Soares Gomes.
(A firma est reconhqpida.)
} p esidente,
Antonio Leona do Rodrigues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
tlgodo
No bouve vendas.
A exportado feita pela alfandega ueste mez at
o dia 5, constou de 40.000 kilos para o interior.
As entradas verificadas, at a dala de hoje so
bem a 588 suecas, senda por :
Barcacas..... 130 Saccas
Vapores ...
iaimaes..... 200
Via-rerrea de Caruar. 15
V.a-ferrea de S. Francisco. 59
Via-ferrea de Limoeiro 183 '
Somma. 588 Saccas
Elixir depura-
tivo vegetal.
Formula de Angelino Jos
dos Santos Andrade
Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
fiene Publica do Rio de Janeiro em 20
e Julho de 1887.
Este depurativo de grande eficacia as mo-
lestias syphiliucas e impureza do sangue ; assim
como em todas as molestias das senioras.
Tem curado radicalmente muitas pessoas ac
commettidas da terrivel molestia beriben.
MODO DE USAR
Os adultos tomaro quatro colneres das
sopa pela manh e quatro noile.
As enancas de 1 a 5 annos tomaro urna co
iber pela manh e outra noite, e as de 5 a i i
annos tomaro duas colneres pela manb3 e duas
noite.
Devero tomar banhos fros ou momos pela
manb e noite.
Resguardo regular.
Encontra se venda na drogara dos Srs.
Francisco Manoel da Silva 4 C, ra do Mrquez
de Olinda n. 33.
O autorjdeste preparado pode ser procurado
na ra do Baro da Victoria o. 37,onde ser en-
contrado para dar toda e qualquer explicado
que for precisa.
Cuidado com ralaiflcnrca
N iil
Atteslo que a pedido de D Maria Vicente Fer
reir, comprei na.rua do Baro da Victoria n-
37, seis garrafas do Elixir depurativo e restau
rador, preparado pelo Sr. Angelino Jos dos San
tos Andrade, para ella, am de conseguir cu
rar se de diversos fenos que tinha na perna
direita, aoa quaes davam o nome de formiguei-
ro, e con8eguio restabelecer-se da referida en-
fermidade adquirida ba dous anuos, e rebelde
a muilos remedios que havia usado, conforme
me declarou a mesma senbora.
Pode o Sr. Angelino, fuzer deste attettado o
uso que Ibe convier urna vez que com esta de
claraco sem duvida se presta um servico bu
manide. .
Recife, 10 de Setembro de 1881.
Jote A. da Costa Pontes.
N. US
Engenho Amoroso, da comarca de Agun Pre
ti, ti de Junbo de 1887.
Illm. Sr. Angelino Jos dos Santos Andrade
Amigo e Sr.
Commuoico Ibe que, tendo sotfrido em Junbo
de E84, de borrivel rbeumatismo, por msis
e um anno, recorrendo eu a diversos mdicos,
usando das suas receitas durante es se periodo,
sem obter o menar alivio aos meas sotfrimentos,
a molestia progredia de dia para da, a ponto de
me atacar os olbos, dos quaes me perturbava
vista com bastantes dores nos glo'ios dos o!uos-
Fui acooselhado poa um amigo para usar do
seu Elixir depurativo do sangue, e gracas a
Deus, em tao boa hora Uncei ms delle, e com
ousodeduas garrafas acbome completamente
restabelecido de meas encommodos.
Destas poucas linbas que coniOm a verda
de, poder V. S. faxer o uso que lho convier.
Sem mais ascumpto seu de V. S. crido.
Francisco Pues de Luna.
N. 113
Illm. Sr. Angelino Jos dos Sanios Andrade.
Estando urna pessoa m.-nor, de minha cafa,
de 3 i ara i anuos, f olTrrndo da terrivel moles-
lia Flores Brancas, e tendo tomado diversos re
medios sea resultado algum ; e chegando ao
men conhecimenlo o prodigio ao seu preparado,
lancei mo delle, tomando apenas ama garrafa
fleoo compltame restabelecida.
E' de lastimar que esse precioso purieador
do sangue nao seja conhecido por todos para
bem da bnmanidade.
Pode fazer o uso que Ibe approuver desta tai
aba carta.
Son de V. S.
Altencioso c obrigad,
Antonio Meneles Cordeiro de Gusmo.
(Estavam sellados e reconhecidas as firmas.)
Esmolas
As almas caridoras soccorr; m, pelo amor de
Deus, a viuva pobre e dornte Senhori.iha dos
Santos Coelho Bastos, ra das Cirrocas n. 4.
Essa infeliz vive na maior penuria, e merece
o bolo dictado peU>s gem ros 8 senlimentos de
caridade.
Notice
Brilisb suhjeas are informed that tr.e declara
tion required by the oataraliziition act, decreed
by tbe provisional Government of Brazil on the
15,h of December 1889, shonld be complied With.
A. Cohn,
H. B. M consol.
Assuear
. us precos pagos ao agricultor, por 15 kilos, se-
gando a A&iociaco CommerciaJ Agrcola, foram
os seguintes:
itnas..... 3*700 a iOJO
B-anco..... 34300 a 3*9<0
Sjmenos-..... i*600 a 2800
Mascavado purgado 14600 a M800
Brutos..... 14300 > 14600
Rtame..... 4900 a 14300
Aexportaco feita poja alfandega nestemez al
o dia 5, constou de 69a P6 5 Kilos, sendo 60.000
para o exterior e 615.966 para o interior.
As entradas verilicauas at a data de boje so
bem a 7.i93 rceos sendo por:
Barcacas..... 3.122 Saceos
Vapores..... ...
^nimaes.... 201
Via-ferrea de Caruaro. 535
Via-ferrea de S. Francisco 3 588
Via-ferrea do Limoeiro 46 i
Navios t descarga 4
Barca portugueza-A'oro Silenao, varios gneros.
Barca naciooal Marianninka xarqne.
Barca ingleza Lacinia bar. Iho.
Brigue hollandez Meidem, xa.-que.
Brlgue portuguez Adelina, varios gener03.
Lugar portuguez Temerario xarque.
Lugar nociooal Duas Americas, varios gneros.
Lugar inglez Dora bacalbo.
Lugar hollandez H. R. Leembuis, graxa.
Lugar americauo Anna, milho.
Patacho troflandez Hennka, xarque.
Patacho norneguense Ceres Xrquc.
Patacho francez General Berge, xarque.
ImportacS
Lugre inglez Muiha,. entrado de Terra Nova
em 6 do andante e consignado a Blarkburn
Needbam & C. mmifesloa:
Bacalbo 3.000 barricas e 1.C90 meias ditas
ordem.
Ha caito publico com leitura e explica
cao do Evaagelho, todos os Domingos Sis,
11 horas da mahha e s 7 horas da noite,
e as quintas feitas s 7 horas da noite,
na ra do Imperador n. 71, 1. andar. A
entrada franca.
Convidam se aa familias e o publico em
geral a assistirem.
c Examinae as escripturas, pois julgaes
ter nellas a vida eterna; e ellas mesmas
sSo as que dSo testemuuho de mim >
Evan. de J0S0, cap. 5. ver. 39.)
Ensino de primeiras lettras, por-
tuguez, francez e inglez; pelas
alumnos, detiro
seus arrabaldes :
do Imperador n.
residencias dos
da cidade e em
a tratar na roa
75, 2. andar.
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballhazaf da Silveira
Especialidadc febres, molestias
das criancas, dos orgZos respirato-
rios e das s en horas.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
I
3K
i
Leonor Porto
Ra Larga do Rosarlo nu-
mero to
SEGUNDO ANDAR
Contina a executar os mais difficeis
taurinos recebidos de Londres, Pariz,
( ) Lisboa e Rio de Janeiro. ,
( Prima em perfeiclo de costuras, em
! em lirevidade, modicidade em precos e
( ) flno gusto.

i
Adrogado
O Dr. Gomes Prente mudjQ seu escriptorio
para o pateo do collegio n. 77
Dr. Eusebio Martins
Costa
tem o seu cooFnltorL? medico e residencia ra
Baro da Victoria a. 7 I- andar, onde pode ser
procurado para os misteres de sua proflsso.
Coosuit is de 1 s 3 horas da tarde.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parte i ro trata com especiali-
lade de molestias de sechoras e creanas
Consultorio residencia ra da impe
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manh.
Chamados (por escripto) qualquer hora
TBLKPHOKK N. 226
EDITAES
3 Dr. Joaqaim da Costa RiUf iro, juiz e uireiio
do civel desta cidade do Recife e sea termo
capital do Estado de Pernambuco em virtude
da lei etc.
Paco saber aos que o presente edita! virem ou
delle noticia tiverem, qoc findos os 20 dias d>
prrgo e tres pracas da lei. ser arrematado por
quem mais der e maiir laoce offerecer, depois
da audiencia deste juizo que ter lugar na dia
17 de Maio do correte anno, o immovel peno"
rado a Virginio Horacio de Freitas e sua mulher
para pagamento do executivo por cusas prorao
vido pelo bacharel Antonio de Lellis e Sousa
Pontes. o qual Immovel foi avaliao pela forma
segnin
Urna casa de pedra e cal no logar denominado
- Cabangada fregoezia de S. Jos, a qual tem
ama perta larga no oito do sul, sem reparti-
mento, tendo tres tanques para curtir coaros,
mediado sete metros de largura e dezeseis me-
tros e dez centmetros de comprimento, avaha-
da por JWOOOO.
Pelo que toda a pessoa que em dito immovel
quizer Tancar o petera fazer nos dias de praca.
E para que chegue ao conhecimenlo de todos
raandei passar o presente que ser publicado
pela imprensa e alxado no lugar do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 7
de Abril de 1890.
Eu, Felicissimo de Azevedo Mello, escrivao Rz
escrever e subscrevi.
Joaquim da Costa Ribeiro.
DECLARACOES
Matriz de Sanfo An
tonio
Existindo nesta_ matriz cerca de 300 caixas ou
urnas conlendo o'ssos de individuos que foram
irmaos da veneravel irmandade do SS. Sacra-
mento, entre ellas urna grande quantidade com-
pletamente estragada, eno existindo no-com-
promisso disposigao alguma que obrigue a ir
mandade a ter sob sua guarda e cuidado, os
restos daquelles que foram seus irmaos, a mesa
regedera deliberou que por meio de anouncios
fossem convidados oj Interessados na conserva
cao desses osso3 a virem reclamal os. o que o
faco pelo presente, marcanJo lhes o prazo de 60
dias para este rim, findos os quaes e nao baven-
do rcclamacio se dar destino a esses o eos pre-
cedidas as formilidades ltgae3. Outro;im de-
claro, que foi tambem deliberado, que d'ora em
diante s sero recebidos em nosa igreja o;so
de irmaos que na mesma lenham j zigos, e que
iereo acompanbados da resptciiva proviso do
governo do bispado.
Consistor o da veoerav l irmandade do SS. -'a
cramenlo da matriz de Santo Antonio do He:ife,
30 de Abril de 1890. O escrivao,
Francisco Jos dos PasFOS Guimaraes
Fac
u
le
Dir
ei
Somma-
7.493 S ccof.
Couros
Couros salgados 400 res, e os verdes a SAO
res.
Agurdente
Cota-se a 94J0U0, por pipa de 480 litros.
Alrool
Cota-se a 190^000 por pipa de 480 litros.
el
Cota-se a 35#O00por pipa de 480 litros.
Pauta caAlfaudcea
savAVA s J a 10 de maio di 1890
Vide o Diario de i de Maio
Logre ioglez Peggy. entrado de Terra Nova,
em igual data e consignado a Blackburn Need-
bam & C., mauicstou:
Bacalbo 2.025 barricas e 3.022 meias-ditas
ordem.
Vapor nacional -Guahy.. entrado dos portos
do sul ern 6 do andante e consignado a Pedro
Osorio de Cerqueira. manifestou :
Cera 2 caixas a Albino Silva C.
CordiS 2 amarrados a Rossback Brothers C.
Mercaduras diversas 5 volomes a Joseph Li
tham.
Oleo 40 cai\as a Pohlmaon A C.
Ferragens i caixa e 18 volumes a W. Black
burn.
Pelles 79 fardo3 o Rissback Brothers & C, 81
a Abe Stein A C.
Panno de algodo 80 fardos a Ferreira Irmc3
A C 70 a Silv.- Guimares & C 50 a Rodrigues
Lima & C.
Saceos 20 fardos a Pohlraann & C.
Tamancos 7 fardos u Francisco Ferreira
Eiportaco
ascira. 6 de maio di 1890
Fara o exterior
No vapor inglez Tkames, para Mj-terid5
carregaram :
B. Oliveira 4 C. 7 saceos com 330 kilos de
cera deornaba.
No vapor ameiicano Allianr-a, para New-
York carregoo:
J. C. Levy, 27,013 pelles de cabra.
No vapor francs V. de Pernambuco, para
o Hivre, carreeou :
Lima Braga, 1 barril com 81 .ilroi de aguar
dente.
No brigue porlugucz Adelina, para o Forlo,
carregaram :
L. Lima, i? saccas com 19 OiO kilos de algo-
do.
F. J. fi. de Carvalho, 1 aixa com 60 kilos de
doce.
com farhha de
!>ara o interior
No vapor naciooal Fernambuco, para Para-
nagu, carregaram:
P. Carneiro C. 75 saceos com 4,500 kilos de
assucar branco e 25 ditos com i,-00 ditos de-
dito mascavado.
Para Rio de Jaaeiro, carregou :
M. F. Leite,130 sacaos com 7,800 kilos de
assucar mascavado.
No vapor nacional S. Franeisa, para Ma
cel, carregaram :
F. da Cosa & C, 1 barril com 86 litros de
alcool.
Para Baha, carregaram :
M. A. Senna & C, 64 barricas com 4.057 kilos
de as-ucar refinado.
A. C. Moreira Dias, 50 barris com 8,000 litros
de mel.
P. Carneiro A C, 400 saceos com 30,000 kilos
de assucar branco.
F. Casco A Filho, 15 barris com 2 400 litros
de mel, 41 barricas com 5,122 kilos de assucar
mascavado e 9 ditas com 1,093 ditos de dito
branco.
Para Pendo, carregoo :
M. G. da Rosa, 300 saceos
mandioca. .
Para A^acaj, carregaram :
M. G. da Rosa, 1,000 saceos com farinba de
mandioca.
Guimares A Valent, 300 saceos com farinba
de mandioca
So vapor nacional Guahy, para Baha, car
regou :
M. G. da R >sa, 500 saceos com farinha de
mandioca.
Fara Penedo, carregaram : .
P Alves & ('., 100 barris com 16,000 litros
de mel. -
No vapor fatocez V. do Rosario, para Rio
de Janeiro, carregaram :
P. Piolo A C, 100 pipas com 48,000 lilros de
agurdente.
No vapor allemo Olinda, para Rio de Ja
aeiro, carregaram :
A!-de Albuqaerque, 400 saceos com 2i,0"0
kilos de assucar branco e 100 ditos com 6 000
ditos do dito mascavado.
A. de Oliveira Maia, 10.005 cocos, fructa.
Pa>-a Santos, carregaram :
M. Borges A C, 1,000 saceos com 60,000 kilos
de assucar branco.
No patacho norneguense Ceres, para Rio
Grandt do forte, carregou :
M. G. da Rosa, 300 saceos com farinha de
mandioca.
No hiato Geriquity, para Rio Grande do
Norte, carregou :
M G. da Rosa, 1,000 saceos com farinba de
mandioca.
No hiate Deus tt Salce, para Aracaty, car
regaram ;
Kernandes AJrmSo, 13 barris coa 1.780 litros
de me' e garrafes com 73 ditos le genebra.
No biate Rainha dos Anjos, para Maco,
carregou :
Thesouraria de Kazenda
Tendo o Sr. Ministro da Fazenda resolvido, no
intuito de melhorar a circulacao monetaria, re-
tirar do movimento das irantaccoes as notas de
500 rs. e emiitir moedas de prata de l& e 500
rs esta thesouraria est desde logo proced ndo
a e ea sobstituico, de cenformidade com a cir
cular doThesouro Nacional sob n 22 de 26 de
Marco ultimo, para o que acba se de posse de
orna remessa, vinda da Casi da Moeda, de moe
das dos alludidos valore.-, novamente entibadas
Assim, pois. o fac) publico, de ordem do Sr.
Dr. inspector.
Tbeseararia de Fazenda do Estado de Per-
nambuco, 30 de Abril de 1890.
O secretario da junta.
Dr. Antonio Jot de San'Anna.
A o commercio
Os abaixo assignados participam ao respeita-
vel corpo comm> rcial que de commum accordo
dissolveram em 22 do corrate mez, a sociedade
que gyrava s ib a firma social de Soilberto & C.
retirando se o socio de industria, Evergisto de
l'ollanda Vasconcel os, pago e satisfeiio de seus
lu:ros, licando lodo o activo a cargo somonte de
Soilberto de Siqneira Barbosa Aico Verde.
liba das Flores. 28 de Abril de 1820
Evergisto de Iloltauda Vasconcelos.
Suibei tj d>! Siqucira B. Arco Verde.
N
Club Republicano Parochial
da Boa-Vista
De ordem da directora, convido os socios
deste club a eomparecerem ao desembarque de
nosso Ilustre chele Dr. Martins Jnior, que deve
chegar no dia 8 d i corrate, da Capital Federal,
bordo do vapor La Plata.
fleste dia haver carros a disposic'io dos so
os, oa ra do Hospicio, defronte do predio em
que fuocciona o club.
A's 6 horas da macha os socjs devera estar
reunidos.
Recife, 6 de Miio de 1890.-0 secretario,
Rodrigues Vianna.
Arsenal de Guerra
De ordem do cidudao caiito, direc:or inte-
rino deste arsenal, dislribue--se costuras no
dia 8 do corrente mez, com as costureiras ios
suidoras das guias de ns. 226 2i2 de con-
urmidade com as ordens em vigor.
SercSo de costaras do > rsenal de Guerra do
Estado de 'ernambuco, 6 de Maio de 1890.
Flix Antonio de Alcntara
Alteres adjunto._________
Club Esgrima
Sao convidados os socios deste Club, para as-
sembla geral, no dia 9 do corrente, s 6 horas
da tarde, roa do Rosario da Dda Vista a. 36.
7 de Maio de 1890.
O Ibesoureiro,
Caldas Paddka.
Por esta secretaria se fas publico, de ordem
do cidado eoosemeiro director interino, e de
cenformidade com a portara do governo provi-
sorio da repblica, de 19 de Dezembro ultimo,
que se acba a berta do dia 6 a 24 do mez coi ren-
te, a inscripcSo para os que pretenderem fazer
exames de preparatorios na poca marcada na
mencionada portara (1- de Junbo 15 de Jalbo
desie anno).
Declarase outrosim, roe ditos exames se fa-
ro, de accordo com o decreto n. 9647, de 2 de
Outubro de 1886, excepcao feita do seu art. 3 -,
que por aviso n. 741, de 30 de Dezembro do anno
prximo passado, ticou suspenso al citerior
deberaco ; pelo que aero admittidos a qnaes-
quer exames os edudautes que os requererem
acntro do praso cima fixado.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife,
o de Maio de 1890. 0 secretario,
Bonifacio de Aragao Fana Rocha.
Companhia Usina Pioto
De accordo coro o que preceila o art. 13 dos
estatutos, sao convidados os senhores accionis-
tas para a reuniio de a sembles geral ordina-
ria, que dever effectuar se no dia 12 de Maie
prximo viodouro, na sede da companhia, ra
do Imperador n. 83, as 12 horas do dia, am de
serem apresentados o relatorio, balanco, contas
e parecer fiscal do anno social lindo em 31 de
Marco prximo passado, e bem assim el'ger-se
a commisso fiscal, de conformidade com o art.
14 do decreto n. 65 de 17 de Janeiro de 1890.
Recife, 27 de Abril de 1890.
A. de Sooza Pinto,
Secretario.
Thesouraria de Fa-
zenda .
Cvallo* A venda
A' vista do officio do Sr. governador do E-!a-
do e de ordem do Dr. inspector, fago piAlico qoe
no dia 10 do andante, pelas 12 horas da manh,
em frenie do qoaitel ta 4. batera do 5." hata-
liio d-i arlharia de posico, ao Campo da Re-
publica, sero vendidos em hasta publica 14 ca-
vallosqne se acham inutilisadis para o servico
ia meso a batera.
2.Thesouraria de Fazenda do Estado de Pernam-
buco, 5 de Maio de 1890.O secretario dajjunta,
Dr. Antonio J. de San'Anna.
farinba de
M G. da Rjsa, 400 saceos com
mandioca.
Na barcaca D. Sinhi, para o Natel, carre-
eou :
M. G. da Rosa, 100 saceos
maadioca.
Companhia ae Fiacio e Tecidos
de Pernambuco
Eapr estimo
A companhia de llaco e tecidos de Pernam-
buco, animada pelo resultado oblido com os i-
vos machiuismos da fabrica da Torre, e desojan-
do alargar a produegao, aproveitando se da fcil
sabida que tem tido sem tecidos, resolveu n; o
so augmentar os toares da fabrica da Torre como
tambem oa da Magdalena e substituir nesta
algn i macbinismos do velbo sy'tema por outros
novo?.
Para esse Om a a;semblea geral dos accionis-
tas deliberou em tusso de >9 de Margo ultimo,
contrabir um emprestimo de 300000*000, a ju-
ros de 7 por cento, por meio de obrigacoes ao
portador, pirte das quaes devero ser passadas
ao par.
Os juros sero pagos por semestres vencidos
em Io de Outubro e Io de Abril.
O re-gate das obrigigoes ser feito ao par,
por sorteios.
O enearregado da emisso do emprestimo o
corrector Pedro Jos Pinto.
Concurso para preenchimento de dous lo-
gares de praticante e um de carteiro,
2.* classe.
Faco publico que durante 30 dias, a contar
desfa data, acba se aberta nesta adur.nbin.eao,
das 10 horas da manb s 2 da tarde, a inscri-
pcSo para o concurso ao provimento de dous lo-
gares de praticante e um d carteiro, 2.* classe.
De conformidade com os 4 e 6.a do art.
166 do Regulamento vigente, as provas ver-
saro:
1." Para os logares de praticante sobre as Ma-
guas portugueza e franceza, geographia geral com
desenvolvimento quaato ao Brazil, e arithmetica
al a tbeoria das proporcoes inclusive, devendo
ser motivo de preferencia o conhecimenlo das
'tinguas ingleza eallem.
2.a Para os logares ue carteiro sobre leitura e
escripia corrcCas e as quatro oper?cOes funda-
menlaes da arilbmetica.
No act j da ioscripeo o candidato apreseatar
com o sea requerimeiito, certido de idade, ou
documento que legalcente o substitu, e bem
assim attestado de que gosa boa sade, de que
est vaccinado, e que tem bom procedimento
passado pela autondaJe policial do logar onde
residir.
Os candidatos aos logaras de praticante de
vero ter mais de 18 e menos de 25 annos fe
idade, e os candidatos ao logar de carteiro mais
mais de 18 e meos le 30 annos de idade.
Os candidatos podero apresentar documen-
tos que comprovem suas habilitacOes e servicos,
sem ccmtudo dispensaren! do concu-so o candi-
dato, quaesquer que sejam taes documentos.
' Administraco dos Correios de Pernambuco,
em 7 de Maio de 1890.
Q administrador.
Affonso do Reg Barros.
com farinha de
Dlahelro
- BECEHIDO
Pelo vapor nacional Guahy,
Maia & Rezende /
Martins Fiaza & C.
para
1.9i9600
400*0 0
Keiidlineuto* publico*
MEZ DB ABRIL
Alfandega
104.986*239
49:75S#835
Renda geral
Do da 1 a 6
dem de 7
134 745074
Reoda do Estado de Pernambuco
Do dia 1 a 6
. dem de 7
23:785*802
7:835*316
31:621*118
Somma total 186:366*192
Segunda seceo da Alfandega de Pernambuco,
7 de Maio de 1890.
O tnesoureiro- Florencio Domingues.
O chefe da seceoCicero B. de Mello-
Recebedorla do Estado de
Pernambuco
9 ditos de fressuras a 600 rs.
5 ditos de camaroes a 200 rs.
34 talhos a 2*
Rendimento de i a 5 do Crreme
5*400
150 0
68*000
219*500
1.163*280
1.392*780
Do dia 1 a
dem de
10.490615
1:686*311
12:176*926
Recife Drninage
Do dial'a 6 2:902*073
dem de 7 547*901
3:449974
Mercado Municipal de 8. los
O movimento deste mercado no dia 6 de Maio
foi o seguinte :
Entraram :
25 bois pesando 3,820 kilos.
475 kilos de peixe a 20 ris 9:500
IX cargas com farinha a 200 rs. 2*400
3 ditas de fructas diversas a 300 rs. 900
33 columnas a 600 rs. 19*800
106 taboleiros a 200 rs, 21*200
10 suinos a 200 rs. 2*000
1 escriptorio a 300 rs. 300
66 compartimentos com farinha a 500
rs. 33*000
29 ditos de comidas a 500 rs. 14*500
99 ditos de legumes e fazeodas a
400 rs. 39*600
17 diWs de suinos a 700 rs. W'JO
*>
Pregos do dia:
Carne verde de 280 a 560 ris o kilo.
Sainos de 520 a 560 ris idem.
Carneiro de 640 a 800 idem.
Farinha de 500 a 560 ris a cuia. ,
Milho le 440 a 480 ris idem.
Feijo de 900 a 1*200 idem.
Vapores a entrar
MKZ DE MAIO
Europa...... Vdle de Rosasio..... 8
Europa....... Tkames........... 8
8ul.......... LaPlata.......... 8
........ Allianca.......... 8
......... Yule de Pernambuco. 10
Norte........ Advance.......... 12
New-York..... Maranhense....... 13
Norte......... Para............. 14
Liverpool..... kuthor........... 14
Europa....... Paranagii........ 16
Sul...... ___ Espirito Santo...... 17
Europa....... Trent............. 24
Norte......... Alagoas........... 24
Sul.......... Tamtr............ 2
Sul........... Pernambuco----... 27
Vapores a sabir
Soulhamoton.
Santos e esc .
Buenos-Ayres.
New-York
Havre' e esc..
sul.........
Sul..........
Sul..........
Norte........
Buenos-Ayres.
Southarapton.
Sul..........
Norte........
HEZ DE MAJO
La Plata..........
Ville de Rosario ....
Thantes...........
Alliang a..........
Ville di Pernambuco.
Advance..........
Para..............
Paranagu ........
Espirito Santo.....
Trent............
Tamar...........
Alagoas...........
Pernambm
8 as 11 h.
8 as 9h.
8 as 12 h.
9 as 3 h.
11 as 9 h
13 as 4 h.
15 as 5 h.
17 as 2 h.
18 as 5 b.
24 as 2 b.
25 as 11 h.
2* as 28 as 5 h.
5 h
.Movimento do porto
Navio entrado no dia 6
Babia, 6 dias-Patacho ingles Loyalist,
de 347 toneladas, capito I. H. Vroon,
equipagem 8, carga milho, a Blackburn
Needham di C.
Navios sahidos no mesmo dia
Santos e escalaVapor allemSo Olinda,
commandante J. Behermann, carga va-
rios gneros.
Baha e ccalaVapor nacional iS. Fran-
cisco, commandante ilbtco Vaz, carga
varios generoB.



5- V-
*
'

- '

t

-i
ft
l

M


s..
1
-1
i
I
)
17.611
17-C37
II 693
1770O
17745
17.760
17.771
17.776
18 006
18.038
18-039
18.063
18 211
18 245
Monte de Soccorro
43 leilo de jotas
Este estabeiecimento tai leilo no dia 21 de
Maio prximo, por intermedio do ageule Mar-
lias, ern saa s Je na ra Bom Jess 3. 32, as
11 horas da mar.ha. dos objectos que nio foram
rescatados al a vespera, consianles-das seguin-
tes cautelas vencidas :
17.432 1 faqueiro contmJo 72 coihere?, 7 coa-
chas, 1 par de machantes 48 garfcs,
24 Tucas pequeas e 4 coiberes.
17.443 1 chapa de ouro (odicial da Rosa) era-
vejada de brilhaires e diamantes, 3 bo-
lees de ouro cora 3 brilhartes.
7.445 1 aunel de ouro cooi 1 brilhante grande.
7.465 1 volla de ouro. 1 medalba. 1 trancelim,
1 relogio de ouro para senbora, ouro de
lei.
17.474 1 par de brinco* cora ametistas de pe-
rolas, 1 volla detraocelim, 1 medalha,
1 cruz, 2 anueis, onro de lei, 1 salva, 3
coiberes para cha, 1 dita para sopa, 1
fivella de prata.
17.490 1 broche cravejado de brilhantes, 2
grampos de ouro, com picas tambem
cravejadas de brilhantes.
17.500 1 baca e 1 jarro gosto antigo, prata de
hi.
17.550 4 pares de biia;os, 2 alfiuetes, 1 trance-
lim, 1 annel, ouro de le, 1 pulseira, 3
cordes, 2 erase*, l annel, ouro baixo
17.560 1 broche, 1 par de rozeta de ouro, con-
tend bnltirales, 2 unneis com brilban
tes.
? 593 24 colheres para fpa e 29 ditas para
cha, prata de lei.
1 par de rincoa, 1 dito de rozeta, 2 me
dalbas, 1 luneta, 1 cruz, 1 ftga, 1 al Ji-
nete pequeo, 1 anuel, 1 par de botes,
2 bolas de ouro, ouro de lei, I par de
argolas. 1 anuel, ouro baixo.
3 pulseiras, 3 pares de .-ozetas, 1 dito |
de botrs, 1 cordao, i cruz, 1 annel, 1
caixa de ouro para relogio, ouro de lei.
17.642 2 u\>8 de ponas de ouro de lei, 2 cora-
cites de cordulina tngastadas era ouro,
curo baixo.
1 par de rezetas de ouro contendo 2 sa
pbiras e circuladas de brilhantes, 1 an
nel com 2 brilhantes e 1 saphira, 1 an
nel com ux brilhante, 1 volta de ouro
com mcdalia. I pulsera com mosaico,
2 pares de brincos e i cruz, ouro de lei,
1 pulseira. 2 Heles, curo baixo.
1 corrento de ouro, 2 irancelins, 1 cai-
xa para rap, 2 livellas, 1 par de b>
(Oes, ouro de lei 1 par de b 'loes, ouro
baixo, 2 salvas. 2 paliteir3,24 colheres
para sopa, 19 dlUs para cha, 2 coochas
para topa e arroz, prata de lei.
6 garios cora cabos de prata, 1 tesoura
pr;ta da lei.
i par de rozelas cora brilhantes peque
nos, 1 salva, 1 paliteiro, 9 colheres para
sopa, 9 lilas para cha, prata.
2 salvas, 1 paliteiro, l colher para ar
ro, (3 ditas para ropa, prata de lei.
1 allinete, 1 medalha, 1 cordao, 1 par
de rozelas, ouro de lei.
18 005 6 colheres para sopa, 10 ditas para cha,
prata baixa.
1 salva. 1 paliteiro, 4 colheres para
sopa e 17 dita para cb. prata de lei.
1 par de brincos, 1 medalha como
oni: k, I annel ouro de lei, 1 paliteiro
prata de lei.
1 par de rozelas e I dedal, ouro de lei.
2 pares de brincos, 1 volta de trance
lim, 1 anuel, ouro de lei.
18.105 1 par de rozelas de ouro com brilhan-
tes pequeos.
1 par de bet ;s de ouro com 2 bri'han-
tes i par de rozcl?3 de ouro e 1 annel
com brilhantes.
1 broche de ouro cravejado de brilhan-
tes, 2 pulseiras, com ditos, 1 cruz era-
vejada de dit03 grandes.
18.249 18 colheres para tupa, 26 ditas para
cha, I concha para arroz, prata.
18.250 1 pulseira, 1 broche, 1 par de brincos
de ouro conteni brilhantes, 1 broche e
I par de brincos com brilhantes e ru
bins, 1 pulseira com opalas e rubios, 1
dita la, 1 broche cora esmeraldas e
perolas. ludo ouro de lei.
18 416 1 pulseira, 2 m'dalas, 2 trancelio?, 1
correte para relogio, 1 par de brincos,
1 allinete c 1 aunel ouro de lei.
1 moeda de cur de valor < e 5/000, 2
voltas de Iranoclim, 1 medalba, 2 ligas
de coral em ouro e 3 teteas, ouro de
lei.
Brilhantes pequeos sib papel.
1 trancelim, 1 medalha, 1 par de brin-
cos, 1 dito de rozetas, 3 anueis, ouro
de lei.
Relogio ouro u'c lei.
i pulseira de curo contendo 4 brilhan-
tes. 1 broche com ditos, 1 par de brin-
cos, urna cruz de brilhante* e 1 rio de
cerolas.
1 volta de ouro, 2 correates, 1 medalha
para relogio, 2 tranceln!, 1 moedinha
de ouro com lato, 2 me dalbas, i par
de brincos. 5 ditos de rozetas, 2 anaeis,
2 moerias su rimas em bo'Oes, ouro de
lei.
1 volta de ouro, 1 par de brirnos e 1
annel ouro de le.
1 redoma, l par de rozetas, 3 botOes e
1 annel ouro de lei.
1 relogio ouro de lei.
1 puletira de ouro, i dita com riquifi-
fes e coraes, 1 trancelim, 2 voltas de
dito e 1 cruz, ouro de le.
1 trancelim e um passador, ouro de
lei.
1 pulseira, I medalbo, I par de brin
eos com rubios e perolas, ouro de lei,
2 salvas prata de lei.
i annel de ouro cem i buhante.
2 anneis de ouro com brilhantes peque
nos, 1 lio d> perolas, 4 broches. 3 pares
de brincos, 1 dito de rozetas, 2 anneis,
2 pecas de cinleiro ouro de lei, 1 par
de botes, 1 medalba, ouro e onhk ou
ro baixo, 1 salva, um paliteiro prata
baixa.
i 8.612 1 relogio de ouro de lei, 1 salva de pra-
ta de lei.
1 salva rande, prata de lei, leecrivi-
oioha incomplela, prata baixa.
1 rorario ouro de lei.
3 irancelins, 1 cord3 grosEO, 1 dito
fino ouro de lei
18.618 1 correte, 2 trancelins, 2 anueis, duas
cruzes ouro de lei.
18 619 1 pulseira de ouro com 5 brilhantes e 1
pedra b anca, 1 par de brincos de ouro
cravejados de brilhantes, 1 alQnete para
manta, urna cruz com brilhantes ouro
de lei.
18.620 2 pulseiras e I urna c.rrente para relo-
gio, ouro de lei.
1 roiheres para sopa, 15 ditas para
cha, 18 ditas para creme, 3 para tirar
sopa, arroz c assocar, prata baixa.
1 pulseira, 1 par de botes curj de
lei.
1 tnoeda de ouro (libra) e i annel com
1 pequea esmeralda.
1-cordo e urna cruz, ouro de 16 quila
tes.
1 salva, 1 palitejto, 2 colheres para
sopa e arroz e 17 coiberes para cjja, de
prata.
1 medalha" e 2 pares de rozetas ouro de
lei.
1 salva de prata, 2 colheres para sopa
e arroz, prata de lei. \
i relogio curo de le.
1 corrento, 2 trancelins ouro de lei, 1
sajva oilavada prata de lei.
1 tranceJiaj, IgcrJio. 1 cruz, 1 emble-
ma do Espirito Santo, 1 annel e 2 res-
plendores, ou de lei, 1 meJalna, 1
cruouio baixo.
18.64') 23 coiteres para sopa, 22 ditas para
cha, 3 para tirar sopa, arroz, i dita pa-
ra peixe, 24 garlos, prata de leiv
18 643 2 pares de botes para panhos, ouro de
lei.
IS.617 2 pulseiras, 1 corrente dupla, para re-
logio urna moeda -de ouro de valor de
20 000, 1 cordio, 1 relogio ouro de
. lei.
1 volla de ouro de le.
2 pulseiras, 1 corren,e e medalha para
relogio, 1 relogio de ouro, para senbo-
ra, ouro de Jet.
J8-6: l broche, I 'par de brincos, 1 cruz, cu-
ro de lei.
18.657
18.659
18.663
18.678
18679
18.630
18.681
18 682
18.683
18.686
18.698
19.055
LM^^H
OtliitQ t pul i j rci"^iOT I IrOgi UC OUru
rara senhora, ourj de li
1 par de rozetas de ouro com onisk e pe ^,
qnenos brilhantes. i medalha de onisk^
com 1 brilhante pequeo. 1 par de ar-
recadas cravejadas de diamantes, i traa-
celim.
1 trancelim de vol a, 1 de dita, 1 pul-
seira, 1 par de rozetas, ouro do lei.,2
medalhas ouro baixo.
i par de rozetas de ouro com brilhantes
e 2 anneis com ditos.
1 pulseira de ouro e 1 medalha con-
tendo brilhanies, i volta do ouro com
lavo, 1 corrente para relogio e 1 ca-
e.a.
l par de brincos e 1 cruz de ouro com
brilhantes.
I covento de ouro para relogio e re-
logio ouro de lei.
1 annel de ouro com uro brilhante.
1 Pulseira ouro de lei, 1 salva pequea,
prata de lei.
1 pulseira de ouro, 1 volta com meda-
lba, 1 tracelim, 2 allinetes, i par de
brincos, 1 dito de rozetas, 1 raoedi
nha de ouro (dollar) e 4.anneis de ouro.
18.703
18-705
18-710
18711
18.712
18.720
18.721
18.724
18.725
18.728
18.734
18.736
18 526
18 550
18"554
18,564
18 567
18.571
18 585
18 588
18.591
18.600
1-3.604
18 606
18.607
18 610
18.615
18-616
18.617
18.621
J8.622
18.623
18.623
8.626
18.627
18.628
18 632
18 633
.18 638
18 619
8 32
2 anneis de ouro com 2 brilhantes, i
dito com 3 brilhantes.
1 corrente para relogio, ouro de lei.
1 cruciflxo ouro de lei.
1 corrente cora cinetes 'para relogio, i
rosario e i luneta di ouro de lei.
2 correntes de ouro para relogio, e tran
celim com cfnete, ouro de lei.
1 annel de ouro com um brillnnj.
1 alflncte de ouro com brilhautes, 1
par de botes com ditos, 3 allinetes de
ouro, 1 par de brincos, 1 dito de ruZd
tas, 1 medalha, i lutia, 1 apio de
ouro.
1 annel de ouro com 1 brilhante, 1
corrente para relogio, 1 allinete com es
mentidas, 1 liga e 1 relogio ouro de
ll
1 aoael de ouro contendo urna esme-
ralda circulada de brilhantes.
1 allinete, 1 par de brincos, i medalba
c 1 annel, ouro de lei.
1 annel de ouro com um brilhante pe
3ueno, e volta de curo e i medalha ouro
e lei.
2 casticaes com bocaes, prata de lei.
1 par de rozetas de ouro rom brilhan-
tes em circuios, 1 allinete de ouro com
esmeralda, 2 pulseiras, 1 par de brin
eos. 2 pecas de dito, a^roztta, 1 peca de
ouro, 1 broche, 1 passador para manta,
o.ro de le, i redoma, i cruz, 1 par de
brincos 1 dedal e 1 emblema do Espi-
rito Saoto, ouro baixo.
i par de rozetas de ouro com 2 sa pbi-
ras circuladas de brilhantes, 1 volta de
ouro e 1 medalba, ouro de lei.
1 volta de cordio, 1 trancelim pequeo
e 1 dedal, curo de lei.
1 annel de ouro com pequeo brilhante,
1 volta de ouro com medalba, 2 broches
e 1 pir de rozelas, curo de lei.
1 corrente e cinete para relogio, ouro
de lei.
1 corrente e medalha para relogio, ouro
de lei
1 allinete de ouro para manta, com i
brilhante.
1 allinete, l par de brincos, 3 anneis, 1
cinete, 1 tetea e 1 moedinha de ouro
com laco. ouro de lei.
i corrente ae ouro p:ra relogio.
1 pulseira, ouro de lei
1 volta de trancelim e i cruz, ouro de
le.
1 pulseira, 1 broche. 1 par de brincos
cravejados de bilibante* e diamantes.
1 pulseira, ouro de lei.
1 par de brincas, ouro de lei.
1 correte para relogio, ouro de lei.
2 anneis de ouro com brilhantes peque-
nos, l moeda de ouro de 20 francos, 1
pulseira, 1 allinete e 1 pgr de brincos,
ouro de lei.
1 corrente de ouro para relogio, curo
de lei.
9 trancelhs, 1 moedinha de ouro com
laco e 3 allinetes, ouro de lei.
1 annel de ouro com um brilhante.
1 annel de ouro com um brilhante gran-
de e um correntio, ouro de lei.
I allinete cravejado de diamantes.
1 medalha, ourn de leu
1 cordao, ouro de lei.
1 volta de trancelim : 1 medalha, ouro
de lei.
1 caixa de ouro de le para rap.
2 pares de brincos e 2 anneis, ouro de
le, 1 par de brincos e 2 medalhas,
ouro baixo.
1 trancelim, ouro de lei, 1 broche, 1
medalh i, ouro baixo.
1 annel de ouro com 1 bi libante pe
qu*io, 1 polceira, ouro de lei.
1 betao oar* com 1 brilbanta. .
i corrente a medalba para relogio e 1
relogio, ouro de lei.
18.906 1 corrate para relogio, ouro e pla-
tina.
1 trancelim, 1 loneta e 1 par de oculos.
1 par de rosetas, ouro crsvejado de
brilhantes. *
1 par de brincos, 1 cordao, ouro de lei,
1 trancelim, 1 liga, ouro baixo.
1 polceira, 1 allinete 1 par de brincos,
1 cordao, 1 cruz, 1 emblema deS. Braz,
1 par de botes, ouro de lei.
2 voltas de trancelim, 1 emblema da
Conceicao, 1 medalba, 1 liga, ouro de
lei.
1 annel de ouro com 1 brilhante.
1 fraocelira, 1 brilhante, 1 par de ro-
zetas, ouro du lei, 1 cordao, 2 allloetes,
1 par de rozetas, ouro baixo.
1 pena de ouro de le
1 trancelim com passador, ouro de lei.
1 correte e medalha para relogio, 1
chave, 3 botes, 1 annel e 5 letras, ou-
ro de le.
1 allinete de ouro com brilhantes.
1 salva, i colher para arroz, prata de
lei, 12 coiberes para sop, 5 para cb,
2 conchas para assocar e sopa, 2 casti-
caes e 1 paliteiro, prata baix?.
z trancelins. 1 volta, 1 cordao, i alQ-
nete, ouro de lei.
1 alflnete de ouro cravejado de diaman-
tes, rubias e perolas.
1 par do rozeta* de ouro com brilban
les pequeos.
1 corrente e sioete para relogio. ouro
de lei. 1 colher para tirar sopa, 12 ditas
de sopa e 12 ditas de cb, prata.
1 relogio ouro de lei.
1 par de rozelas de ouro com brilhan-
tes, 1 annel com 1 saphira circulada de
b ilbanles, 2 anaeis com esmeraldas, i
par de brincos, 1 dito di rozelas, 2
broches, 1 medalha, 4 pares de botes,
1 volta tle trancelim com 3 emblemas
de imagem, 1 redoma, I canela, 4
botes de ouro com 4 perolas, 1 par de
rozetas com 2 perolas e 1 relogio de
oaro.
18-891 1 volta de ouro, 1 polcara e 2 meda-
lhas, ouro de lei.
19.005 1 annel de ouro cravejado de rubios e
brilhantes pequeos, 2 broches, 1 par
de brincos e 1 dito de rozetat, ouro de
lei,
19.006 1 cordao. i medalha incompleta, 2 pa-
res de rozelas e 1 annel, ouro d lei.
M9.014 1 corrente e medalha (onisk) para re
legto, ouro de lei.
19.022 1 correte para relogio, (fallando cba-
*&) .
18.024 -4 correle para relogio e 1 par de brin-
cos, ouro de lei.
19.028 1 corrente e medalba para relogio, ouro
de lei.
19-031 2 voltas de trancelim e 1 allinete, ouro
de lei-
19 032 1 par de rezetas de ouro com 2 bri-
lhantes, 1 annel com 1 dito, 2 trance-
ln*, 1 volta de dito, 1 par de rozetas,
1 dito de brincos, 4 pecas de brincos,
2 cruzes, 2 medalhas, 2 dedaes. 1 alli-
nete, ourj de lei, 1 volta d, ouro, 2
pegas de brincos e 1 par de rozelas,
ouro de lei.
19.033 1 par de rozetas com 2 brilantes e i o
de perolas.
19.046 2 pares de brincos, 1 volta de trince-
Itm, ouro de lei.
19.049 1 corrente para relogio. 1 cordao, 1 par
de argoles, ouro de lei.
19 67
19.073
19 080
19.082
19.088
19.091
19092
19.093
19.401
19.117
19.124
18.737
18.741
18.747
18.762
18.766
18.771
18.772
18.775
18-77
18.795
18.797
18 806
18.813
18 8(6
18 820
18.828
18.832
18.849
18.864
18.872
18.879
18.880
18.892
18 893
18.899
18.900
18.9.12
18.903
18 904
18913
18 915
18.919
18.920
18.951
18.952
18.953
18 958
18.960
18.963
18 9f9
18.970
18.972
18.977
18.978
18.979
18.984
18.988
2 correntes e 1 ra
curo de lei.
l corrate curta para relogio, 1 par de
botes, 1 relogio,.ouro de lei.
t medalba, 1 cruz, 1 annel gozaste de oo
ro para cabello, otero de lei, t trance-
lim, i par de orinos, 4 peres de rose-
tas, 2 anneis, 1 palpo de cordo, 1 liga
e 1 tela, ouro tapo.
1 polceira e 1 dcnl, ouro de lei.
1 polceira coraposta de moedinbas de
ouro.
t par de rozetas, 2 voltas de trancelim,
2 xedalbas, i cruz e 4 teteas ouro de
lei.
2 medalhas. 1 bandeira de ouro para
imagem, 1 cru, 2 anueis, 1 relogio, ou-
ro de lei.
1 par de rozetas de ouro com 2 brilban
les pequeos, 1 volta cora traoce'im, 2
anneis, ouro Je lei.
1 volta de ouro, 1 trancelim, 1 cruz, 3
medalhas, 1 allinete, 1 par de brincos,
1 dito de rozetas e 3 anneis, ouro de
lei.
1 par de brincas cravejado de brilhan
tes pequeos (em prata), 2 broches de
ouro contendo brilhantes, 1 cruz com
ditos, 1 par de rozetas com ditos e 1
lio de perolas.
1 relogio de ouro incompleto, 1 dito pe-
queo para tenhora.
1 orrente para relogio, ouio de lei.
1 par de rozetas de turo com brilhan
tes pequeos. 1 annel com 1 esmeralda
circulada de brilhantes, 1 trancel'm e 1
medalha, ouro de lei.
1 pulceiri de ouro com 1 brillnnle. 1
aQnel cravejado com ditcs l par de ro-
zetas com 2 ditos <- perolas. 4 botes
com 4 ditos,0 biillnnles col) papel, 2
medalhas com diauiuutcs e perolas, 1
breche com rubios e diamantes, 1 all
nete de ouro para manta, l cruz, 1 vol-
ta de ouro de lei, 1 corrate ^a-a relo-
gio ouro e platina e 1 cordao grosso,
ouro baixo.
2 pulceiras, 2 correates para relogio, 1
trancelim, 1 volta de dito, 2 medalhas,
l cordao, 1 olbo de Santa Luzia aovo, 1
par de brincos, 4 anneis e 1 botao, ouro
de lei.
1 volta de ouro com perolas, 1 moda-
IbSo com 4 brilhantes e diamantes, ou-
ro de lei.
1 cruz de ouro com pequeos brilban
tes; 1 volla de cordao, 1 medalha, 1 par
de brincos, i dito de rozetas, i dedal,
ouro de lei, 1 moedinha de ouro de
meia ~
1 annel de ouro com 3 brilhantes.
1 alQnete de euro com perolas, 1 pol-
ceira, 1 corrate para relogio, ouro de
le, 1 broche cravejado de diamantes.
1 correte para relogio, ooro de lei.
1 corrente para relogio, ouro de lei.
1 trancelim, 1 volta de dito, 1 moedinha.
de ouro com laco, 1 figa e 1 pequea
medalha, ooro de lei.
1 par de rozelas de ouro com 2 peque
nos brilhantes.
2 pares de brincos, 1 medalha, ouro de
lei.
3 medalhas, i pa: de brincos, ouro de
lei.
2 anneis de ouro com 2 brilhantes, 1
par de rozetas com ditos.
10 colheres para sopa, 17 ditas para cb,
2 ditas para sOpa e arroz, prata baixa.
1 annel de ooro com 1 brilhante.
1 medalba de onkks, 1 luneta, 1 par de
rozetas, 1 dilo de botes e 1 anuel
1 polceira, 1 broche, 2 pecas de brin-
cos de curo com 28 brilhautes peqoe
nos, ouro de ki.
2 relogios de ouro.
1 relogio de ooro.
1 trancelim, 1 relogio, ouro de lei.
1 par de brincos de ouro cravejado de
brilhantes.
1 relogio de ooro de lei.
1 salva e 1 tigella de prata.
Reeife, 24 de Abril ae 1890.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelho.
NOVO E
19.125
19.127
19128
19.131
19 132
19.158
19.160
19.170
19.180
19.190
19193
19.197
19.209
19.219
19221
19.223
19 226
19.227
9.228
19.233
19.238
19.241
(JKANDE B VARIADA FNOCAO
Desta importante coinpaolra
No seu proprio pavilho ao lado do
THEATRO SANTA ISABEL
As 8 e 12 horas da noite
9 bellas e sympathicas da oas americanas
Novos cavallos de puro sangue, amostrados em alta escola.
Difficeis e sorprehendentes actos. Grandes novidades artsticas.
Grande beneficio da celebre familia
Thalon, onde o poderozo Hercules exhibi-
r muitas novidades. r
Programma novo e variado
Definitivamente
Domingo 11 ltimos espectculos
PREQOS
. 1O0OCO
20000
14000
cidadSo Francisco
Xa-
SEtlitO C0KTR4 FOUO
ttoyal Insurance Companj ldoVilarTa20.
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGKNTK8
R. Druzina &. C.
I 3-IIiia Mrquez de Olinda-13
Cempanhia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
N. I-Bnm do Bom JemW. V
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
.Vestes ltimos segaros a nica companhu
esta praca que concede aos Srs. segurados tserap-
;Co de pagamento de premio em cada stimo
inno, o que equivale ao descont annual de cer
a de 15 por cento em favor dos segurados
Ilf D EMIf IS ADOR A
Companhia de Segaros
martimos e terrestres
Eciabelerldaem IS&6
Estado naocelro em 31 de De-
zembro de 1899.
Capital 1,000:0001000
Fundo de reserva 110:376^000
Sinistros pagos 1,776:6831000
44Ra do Commerco-i-44
CONTRA POGO
he Liverpool k Leodoo i Globe
INSURADTGE CD./rFANY
slasshm, mim & C.
Ra do Commercio n. 3
Companhia he j&egaxo
COHIBA F0&0
NORTHERN
de Londres e Aberdaen
Posigo financeira (Dezembro de 1887j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
Reeelta aanual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros > 143,000
O AGENTE,
John H. Boxine.
SEGUROS COMBA FOCO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXA8
Prompto pagamento de prejuizoi
SEM DESCONT
A COMPAA
IMPERIAL
de i.OMut i:s
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rs. 18.000:0000000
AGENTES BROWNS & C.
N. 5-RUA DO COMMERCIO-N. B
Camarotes com" 4 assentos
Cadeiras ........
Plateas .........
Os bilhetes se venderSo durante a semana em casa do
vier Ferreira, rualde Margo n. 4, e noite no Circo.
llavera depoia do espectculo trem al Api pucos e bonds para todas as linhas.
TRABAMOS ESPBGIAES E NOVOS
Ao Circo! Ao Circo!
Sociedade Uniao Beneficen-
te dos Machinistas
Aasembla geral extraordinaria
De ordem da directora convido a todos os as-
sociados a campa recerera quinta feira, 8 do cor
rente, alim de tratarse de negocios urgentes de
alta importancia, s 5 1|2 boras da tarde, ra
O 1" secretario,
Manoel dos Santos Siqoeira.
Sociedade Litteraria U. e
Lettras
So convidados todos os socios para a sesso
que ter tugar quinta feira 8 do corrente, ni ra
da Matriz n. 36, s 10 horas. Os que nao com-
parecerem e nio mandarem participlo serao
eliminados.
Club Militar
Por ordem do cidadao presidente, eonvido os
cidadaos socios para a sessio ordinaria, que ter
lugar no dia 10 dj correute, s b oras da
tarde.
O i- secretario,
R. Nuno da Costa.
CDULAS
DO
Banco Nacional
Troca se, pagando bom premio, cdulas da
emissao pagavel em outo, do Ban:o Nacional
no arra zem n. 4, ra do Commercio.
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
tas do mesmo banco em Portugal sendo
>m Lisboa ra dos Capellistas n. 75. Nc
*orto, ra doa Jnglezea._____________
SEGUROS
MARTIMOS CONTRA FOGO
C_pauhia Phenlx Per-
nambucann
RA DO COMMERCIO N. 46
Roy al Mail Steam Packe*
Company
O vapor Thames
Este novo e magnifico paquete,
teodo sabido ae Lisboa no dia
28 s 6 boras da tarde, espe-
rado aqui at o dia 8 de Maio
segoinpo depols da demora necessarl para
Baha, Rio de Janeiro, onte
video e Buenos-Ayres
O vapor La Plata
m........
United States and Brazil
M.;S. S. C.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
sul at o dia 8 e Maio
o qual depois da de-
mora necessana seguir
para o
Maranho, Para, Barbados, 9.
Thomaz, Mart ni que e ~Iew-
York.
Para passagens carga, encommendas e di-
heiroafrete:.trata-se cornos AGENTES.
Ovapor Advance
E'esperado deNewYork-
at o dia 12 de Haio
o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Par carga, passagens, encommendas e di-
aheiio a frete ; trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commecior8
1* andar
Jompanhia Bahiana de Na-
vegacao a Vajbr
Macei, Villa-Nova, Penedo, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Guahy
Comm&ndante Viegas-
Seguira para 03
portos cima
la indicados no dia
do corrente s
'4 boras da tarde.
Paracarga, passagens, encommendas e dinhei-
ro a frete trata-se com o
AGENTE
'edro Osoriode Cerqueira
17Ra do Vigario17
LEILOES
Quinta feira. 8, deve ter lugar o S e ulti-
mo leilo de 4.000 fardos com alfafa, servindo
de base a mair offerta oblida ; s 11 horas, nos
armazens Angelo e Tra vassos, caes da Companbia
Pernambucana.
..--------....------------___..___-_--------....-....-....................a.
Sexta feira, 9, de movis, louca e vidros no
lobrado n. 24 da roa da Matriz da Boa-Vista.
Sexta feira, 9, s 2 horas da tarde, deve ter
lugar o leilo de 3 vaccas de raca tourina, em
frente ao sobrado da ra da Matriz n. 24, onde
bavera leilo de objectos de electro pate, pratos
cbinezes, jarros de crystal, espingardas, seins,
candieiros a gaz, cadeiras de junco e muitos
outros movis.
Agente Silveira
Leilo
Da armacSo, balcSo, fiteiros, repartimen-
tos, vitrina, candieiros, encanamento de
gaz e registro, do estabelecimento sito
ra estreita do Rosario n. 1.
Qnlnta-felra. 8 do correte
A's 11 hora
O agente Silveira, autorisado, levar, a leilo o
que cima est mencionado.
2.e
Leilo
E' esperado do sul no dia 8 de Haio
seguindo depois da demora neces-
sana para
S. Vicente. Lisboa, Vlgo, e t*on
thampton
ReducccLo d pauagen
lia liaevolto
V Lisboa 1 classe 20 i 30
A' Southampton t* classe t 28 t 42
Camarotes reservados para os passageiros da
Pernambuco.
Parapassagenp, fretes. encommendas. trata-st
an os _
AGENTES
Amorimlrmos & C.
N.3Ra do Bon JessN. 3
de 4,000 fardos de .alfafa existentes nos arma-
zens Angelo & Travassos no caes da Companbia
Pernambucana, servindo de base a maior offerta
obtida.
Qulnta-feira, 8 de Halo
A' 11 horas em tonto
FOR INTERVENCaO DO
Agente Pinto
Leilo
De 50 barra com sardinhas novas e di
versas barricas com cerveja ingles* en
meias botijas.
Qulnta-feira. 8 do correte
A's 11 boras
No armasem ra do Mrquez de Olinda
n.48
O agente Gusmo far leilo por corita e risco
de qoem pertencer das mercauorias cima, em
lotes, vontade dos Srs. compradores.
Leilo
CHARGEURS REUNS
Franeeia
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
Terca-feira, 13 do corrente
GRANDE GALA
. A actriz Rosa Maobonca prepara para seu be-
neficio um drama de grande espectculo, para
commemorar o 2.' aoniversario que extingui a
esrravido no Brazil.
Ser urna brilhante festa que ella olferece aos
seus convidados
Em tempo ser annunciada.
MARTIMOS
Companhia da Hala Real Porta-
goeza
O vapor Majange
E' esperado de Lisboa ale o dia
18 do corrente seguindo depois
da demora do costume para a
Baha, Rio de Janeiro e Santos
Sobre fretes e passageiros trata se com os
AGENTES
Pereira Carneiio & C.
6-RA DO COMMERCIO-6
l,>andar
Companbia
DE
Naregaco
Liaba quinzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O vapor
VUle de Pernambuco
Commandante Houx
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Maio, seguindo
depois da indispensavel demora
para o Havre.
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
i offerece excellentes commodos e ptimo pas-
;adio.
As passagens podero ser tomadas de ante-
no.
Recebe carga, encommendas e passageiros
para os quaes tem excellentes ac-ommodaces.
Para carga, passagens, enconunenaaa e di-
iheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
Angoste Lable
9-RA DO COMMERCIO-9
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
^apor Espirito-Santo
Commandante o 1 tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do sul
at c dia 12 de Maio e se-
guindo depois da demora indis-
ipensavel para o portos do nor-
te at'itaaos.
As encommendas so sero recebidas na agen
;i i at l hora da tarda do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagen3 e vale
es '.rata-se con o-.
AGENTES
Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=rs6
1 andar
De bons movis e quadros
Constando de urna mobilia de amarello com
12 cadeiras de guaroico. 2 ditas de bracos, 2
ditai de bataneo, 1 sof, 2 consolos com pedra, 1
tapete para sof, 2 escarradeiras, 1 espelho oval,
2 lanternas, 2 jarros finos, 2 candieiros para ke-
rosene, 2 grandes e bonitos quadros, 3 transpa-
rentes, 1 cama de ferro com lastro de molla para
casal, 1 lavatorio de amarello, jarro e bacia de
louca, 1 espelbo, 1 cabide de columna, 1 mar-
quezo, 12 cadeiras de junco, I mesa de jantar,
aparadores, 1 marqueza, 1 mesa de louro, louc,
vidros e muitos outros movis que seio vendi-
dos
Ao correr do martello
Sexta-feira, 9 do corrate
A'8 11 horas
No 2 andar do sobrado da ra do Mrquez
de Olinda n. 60
O agente Martins far leilo, por ordem de
urna familia que se retirou deste Estado e corita
de quem pertencer, de todos os movis existentes
em dito sobrado.
Leilo .
De 2 espelho8 grandes dourados para con-
solos, 3 pares da cortinados de cretone,
cadeiras de junco e muitos outros mo-
vis.
Sexta-felra, do correte
A's 11 horas
Agente Pinto
Por occasio do leilSo de outros movis, no so-
brado da ra da Matriz n. 24
Em eoitinuaeao
Urna vacca tourina
Pereira
Agente Silveira
2. Jeilao
Da casa terrea com sot3o ra Paulino
Cmara n. 33, terreno proprio
Sexta-felra, O do corrente
A's 11 horas
No armszem ra Estreita do R.sario n. 8
O agent-j Silveira. por mandudo e com assis-
tencia do Exin. Sr. Dr. juiz du diieito da prove-
doria, a requerimento da invenlariante des bens
de seu (Dado marido, Manoel Jo- de Almelda
Catanbo, levar a leilo a referida casa. Oi Srs.
pretendaote3 podem examinar.
Em continua cao
0 mesmo agente por mandado d'aquelle juis
levar a leilo urna casa de taipa, edificada em
terreno proprio, sita travessa que segu da
praca Visconde Loyo para os Afflictos, medrado
de frent(T35 palmos e de fundo 202; espolio de
Thomaz da Costa.


1
?
I:

..,:


.


-
..:?
*
\

,
..









-
^




V
'!
i
i

!
-1
j
- 1




LJ



T

Leilo
De tree vaco tourinea, bovb e sem
chaqus
Sexta-felpa- *-*
_'2 Aoro* da tardo
_m frente ao sobrado o. 24 da ra da Matriz
da Boa Vista onde havtr anteriormente leilao
de bons movis, por intervencao do
Agente Pinto
Leilo
*De movis, vidros quadros e pasearos
A akr i
Urna linda mobilia com i sota, S duokerquee
com espelbos, 4 cadeiras de bracos e 18 de Ruar
nicao (perfeita) 2 qaadros grandes, 2 candieiros
com doae torcidas. 2 jarros para flores, tapetes
1 sof a Lmz XV e 2 cadeiras de balando.
Urna cama franceza, I guarda vertido, 1 lava
torio, 1 toilette. 6 cadeiras. 2 marquezCe* 3
bids, 2 mesas pequeas e 1 estante para msica.
eUglres, looya para cha e jantar copos, clices,
carrafas coiupoteiras, i linda froetnra de crya-
tal e electro pate, onjectos de ajmtba, trem de
cosinha e muitos oulros oDjectos de casa de a-
Dous jarros com oes, 2 ditos grande* cor de
rosa urna mesa jardineira, 1 prato chinez gran-
de 4 eU^eres de baintfu, 1 portajoias de crystal,
i lavatorio, urna mesa dourada, urna quartinbei-
ra canteiros para jarros, 1 revolver, orna ben
gala, duas espingardas com periences, 2 s ellins,
urna peca para centro de mesa. 2 jarr.s de me-
tal para agua, 2 frocteiras de metal, 1 porta-car
tao, i licoreiro. 1 cabide d p, urna cama para
crianca, 1 colxo de mola, 4 cadeins de ferro,
uas de palba e 2 candieiros t*lgas.
Seita-felra, 9 do corrente
Agente Pinto
#o6rado da ra Matriz da Boa-Vista
n. 24
O leilo principiar
As 11 horas
_*_ lu. 1
Uva Mrquez de Ol-da 18
Armazem de eerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmund
e .do chocolate Ph. Su-
chard de Neachatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann&C, S. Flix (Bhiaa).
Viro
Compra-se, como tamben
moedas, ra do Cabug
n. 9., loja de Augusto Reg.
Herculano Baptista de Car
valho
Pede se a este senbor para vir ra larga do
Rosario n. 27 prestar coates das cobranzas que
fez em Setembro do anno Bndo, em Couro d'An
tas e Matia Virgeui.
No
Leilo
Agente Brito
De movis, lonjas e vidros
TJma mobilia de junco, 1 dita de amarollo, i
ama franceza, 1 feoai da vestido, 1 toilette, 1 com
moda, 1 lavatorio. 2 banqumbas 2 marquezes,
i cabide de columna, 2 ditos de parede, 1 cama
para menino, 1 berco i mesa elstica, i guarda
ouca, 1 guarda comida, 2 aparadores, 8 cadei-
ras de junco, 10 ditas de amarello, jarros, linter-
nas, ouca para almoco e janlar, callees, copos,
garrafas e outros mu1 os objec os.
O agente icima, autorizado por urna familia
que retira se deste estado, far leilo dos obje
ctos cima declarados, cujos movis foram trans
portados do Arraial para a roa Formosa n. 31.
1." andar.
Kabbado, IO do corrate
A's 10 1/2 hora
O'
MUITA ATTENCO
Os melhores cigarros, que ha hoje
tanto de fumo picado como desfiado aZo
osMINHA ESPERANQA.
Olhai com attencSo para o envoh'cro dos
cigarros onde se 1S a palivra ESPE-
RANgA.
Ha mnito quem venda gato por lebre !
N.-.s grandes merciarias, nns casas de
refYcoes, as tabacariaa, dos ealoes de
cabelleireiros, vendem-se os nossos ci-
garros.
Deposito central.
Fabrica Miuha Esperanza
Ra larga do Rosario n. 21 A
Telophone 191.
Antonio Francisco da Cruz
Madalhas < Ouro ni ExpoiicSaa Universes '
9 nuua r% p__ _* rxMB w

BRDEOS
Leil
>
Da armacSo, balcSo, generoB, cofre (prova
de togo), carteira e alguna movis
Sabbado 11 do corrate
A's 11 horas
Ra do Livramento n. 16
0 agente Slepple por mandado e parecer do
Exm. Sr. Dr juiz de direilo especial do com
mercio, a requerimeoto do depositario da massa
fallida de Manoel Bento Borges Cmara levar a
leilo o que aci'iia se declara em um ou mus
lotes, .yontade dos Srs. compradores.
0 balance em poder do mesmo agente
Imperador n. 39.
Excel lente morada
Aluga-se a grande casa e sobrado vio Dr. aj
(Gama, na estrada de Joao de Barros, peno
das estatOes da En -razilbada, das ferr -vias dt
Ohnda e de Limoeiro, com immensM accommo-
daces, jardins, arvores fructifer; s da melhor
quudadc e vasto terreno, quer para plantacOes,
qner para criacao ; a tratar no mesmo sitio.
ra do
AVISOS DIVERSOS
Aluga se urna casa com bons commodoi e
quintal, em ^aot'Auna de dentro n. 6; a tratar
aa praca de Pedro 2.' n. 2, escriptorio^______
Alugam- se casas caladas e pintadas no.-
rnndos de S Goncalo, a 8*000; a tratar na ra
da Imperatrit o. 76.______<_________________
__ Aluga-se por preco commodoo sobrado n-
155 ra Imperial, por partes ou todo, preferin-
do se aiugal o iodo : qujm o pretender dirija se
a ra do Imperador n. 36, 1 andar, direita.
Aluga .-e a casa terrea n 78 ru Padre
Nobrega, com 4 quaros, 2 salas, quarlo de en
gommado, cosinba, apparelho e agua da compa-
nha, pelo aluguel mensal ae 28*300 ; a trUar
na travesea da Praia du Forte n. 6.__________
Alaga te a ca bel, com agua e gaz. muo fresca ; a tratar na
ra da Aurora n. 85, taverna. ____
Aluga-se o 2- andar do sobrado n. 18 dfi
largo d Terco, tendo 2 salas, 2 quartos, terraco,
cosinha quarto de apparelbo, muito fresco ;
aluga se por 254 mensaes.___________________
Precisa se de urna ama para pequea fa
nilia: no largo do Carmo n. 16, i andar, pa-
ga se bem.______________________________
Precisa se de una boa cosinbeira para
asa de familia, que durma em casa t seja ma
triculada ; a tratar na ra Nova n. 39, segundo
andar._________________________________
Precisa se de urna ama ; na ra do Ran
gdn^lS._________________ _______
fferece-se nm casal sem li'hos para fei-
tor ; quem presisar procure na ra Pormosa nu-
mero 7._________________________
de turoe pra'.o,
na ra do Com-
PatacOes e outras moedas
compra-se p-lo maior prego ;
Bierclo n 4.
Torquato Lanrentino Ferreira de Mello,
professor jub lado na 2. cadeira do Recife, lec-
ciona primeiras 1 ttras, portnguez e francez, por
precos razoaveis : no pateo de S. Pedro p. 3,
primei'"1 andar
v- Ven le se um sitio no Caminho Novo, com
msito terreno, duas casas de morada, onde pb
dem morar duas faailias ; o terreno tem a qua
bdade de ser muito botn e de poder edificar ee
um grande cLalet : quem quizer dirija se.lojj
do Cvsiie. roa la Imperatnz, ou ra Marqn< z
do Hrval n. 23, qne saber quem vende ; o lu
gar e mais fresco e o mais sadio que pos
ai\el._____________________________________
Acha-se venda na loja do Povo, roa 1 -
de Mu reo n. II, um complet s~rtimen'o de so
bretudos de be rracha, o que tem vindo de me -
Ihor a es'.e mercado, e se vende por barato
Prego._____________________________________
Cariribos de borracha
Recebeu.-.e encommenaas e fnzecn-se carim
os de borracha de qualqur formato e para
marcar roupa em 24 oras ; na Livraria France
za, ra t. de Margo n. 9._____________
I
Boya! Bleod marca VIAOO
Este cxcellente Whisky Escoces pr*
terivel ao cognac ou agurdente de cana
para fortificar o corno.
Vende-so a retalho nos melhores ara__
zer.s de molhados.
Pede Roval Blead marca Vlado
cujo nome e emblema s2o rftgistradot par*
todo Brasil.
BR(iWN8 & C, agontea.
O FUMO
Higyenico Nacional
E' isento do qualqur compos5_o
chimica e nociva.
E' escolhido das melhores qualidades de
fumo.
Um pacote de 50 gramm_s cuata 200 rs.
Fabrica flioha Esperanza
21 Roa larga do Roaario 21
Telephoae IB i______
Herculano Baptista de Car-
valh
Convida se este Sr. a comparecer & ra Du-
que de Caxias n. 65, loja, a liquidar negocios.
Vende-se
Urna taverna sita na ra de Paulino Cmara n.
3 ; est bem afreguezada ; o motivo da venda Ee
dir ao comprador._______________
Movis austracos
Ha nm riquissimo e variado sortimento de
movis au?tr acos de diversas cores, lisos, tor-
neados e entalhados. para vendas em pnrcao ou
s pi'cas avulsas bem como ricos espelhos para
salo, camas de ferro com lastro de ?co para
meninos, soltelros e para casal, e magnficos
tapetes avelludaaos, os melhore- que veem ao
mercado ; no armazem ra Mrquez de Olinda
nnmiro54. _________ ___
Declaracao
Antonio Nogueira Castello Branco faz scieote
ao publico e especialmente ao commercio,. que
d'ora em diante passa a assigaar s Antonio de
Padua Nogueira. Recife, 5 de Abril ae 1890.
Astooto d_ Tadua Nogueira.
Ao commercio
Manoel Francisco ae Almeida, tendo vendido
a 2 do correte ao Sr. Alexandre Antonio da Sil
va Oliveira o hotel denominado Ancoradouro,
silo ra Mariz e Barros n. 9. livre e desemba
racado julgando nada dever. pede a quem se
jolgr seu credor, apres-.nlar suas contas para
serem pagas
Prwisa-se
De nm criado de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typographia do Diario de
Pernambuco.
NA RA DO CRKSPO 21
Na lojo de Campos
Cintas escuras edr de caf, a 2C0 re> o
covado.
Ditas brancas, panno de cretone a 250 ra.
o dito.
Ditas de c8rea, finaa, de 240, 280, 300 e
320 ra. o dito.
Haptistas de cores de 160 ra. o dito.
Ditas idem, finaa, a 200 rr. o dito.
Nazuhus de cores finas, a 240 ra o dito.
Merino de efir, liso, 1 pura, urna so lar-
gura, a 280 n. o dito.
Ditas lavrados duas larguras, boas cores,
a 500 ra o do.
Las de crea, lisas, listraa e de quadros, a
200 rs o dito.
Ditos com quadros de seda, a 400 ra. o
dito.
Ditas acbamalotadas, 500 rs. o dito.
Cretones lisos, a 200 rs. o dito
Sargelins trancados, todas as cores, a
200 ra. o dito.
Etamines de cores, tudo phantasia a 400
re i s o dito.
Zephiros de^uadros, a 160 rs o dito.
Linho pardo para vestido, a 400 rs o dito.
Cambraia Victoria transparente de 3(J000
a peca.
Dita fina com salpicos a 45000 a dita.
Atoalhado para mesa, faz en da de gasto, a
li>400 rs. o metro.
Fichus de todos os tamanhos, qualidade e
pr eos.
Toalhos para mesa a 25000, urna.
Colchas brancas, portuguezas, fazenda de
10(5(000 a 500U.
Meias, sortimento eompleto para homem,
senhora e enancas.
Lencos de algod&o, braceos e de c8res,
' linho, e grande sortimento em seda. .
Cortes de calca para homem, um corte
10000.
Gravatas, fichus, voile e la o que ha de
mais em novidade.
[.Setins, aurah, sedas de cores e pretas,
merino preto, liseo e lavrado, grande
quantidade de artigos que vendemos por
todo preco.
LOJA DO CAMPOS'
CRESPO21
eiu todo o caso de
RHEUMATISMO
mpnrezas do Sangae, Erapsoes, Escr&-
fulas, Ulceras, Siplis -
e toda a_bccSo de natureza
eruptiva cu venrea
SLSAFAHBILfll
DE BEISTOL .
0 Remedio de rnula por excelleocial
Aluga-se
no pateo da igreja do Poco da Panella urna casa
com 4 quartos, 2 salas, cosinba fra e copiar : a
ralar na ra da Imperatriz n. 76. ____
------------------
Aluga
se
urna boa casa com bom sitio, no Arraial, prxi-
mo Casa Amarella (becco do Bartbolomeo n. 1) :
a tratar na ra de Pedro Alfonso n. t.
Aluga-se
Casa e sitio
Alagase a casa n. 1, na estrada yelha da 'as-
sagem tem bastantes commodos e gra de sitio
com muitus arvoredos, dous grandes viveiros e
muito terreno para piantago de capim, offerece
grande vantagem .para quem tiver neg :io de
vaccas ou de carrosas, e ee faz arrendamento
por tempo certo ; a tratar na rui Visconde de
Goyaooa n 157, ou ra da Madre de Deas n. 7.
AlimentoiCriangas
Para remediar a fraqueza das crlancas, desenvolver
as suas /breas e prescrval-os das doencas aa toad*
tenra, os principaes Mdicos do Parts, membros
da Academia de Medicina de Pars, receilao com
ptimoexito o vcidelro
Bacahiot iat Araba Delanprenler, dt Vari*
Este agradavelallmento.compSstocom substancias
ve,'etaes nutritivas e fortalecedoras divld_aa_t^eco-
noma tuda, e, pelas suas proprlcdadcs atHHPMcas,
aMlboraacomposlcodolcltedassunliorasoueama'
mento, e acorda as torcas lnguidas do estomago.
51. ru TiTlenie, tua. Bepasitu a Pbiniiciu do luto eiWn.
Ao cominercio
Alvaro, Pinto A C, declarara que nesta data
compraram o cidadoJos Francisco de Mllo e
Silva, seu eetabelecimento constante de molha
dos, miudezas e ferrageng, sito rna de D, Jos,
desta cidade, fob n. 35, livre e desembaracado
de quaesquer onus.
Garanhuns, 30 de Abril (te 1890.
Alvaro, Pinto C.
a loja do sobrado n. 67 ra do Bartbolomeo,
propria para qualqur e-tabelecimcn.o por ficar
.'onfronte a grande estacio de Caruar e ser
muito concar'ido o lugar; a tratar na ra larga
do Rosario n. 34, botica._______________*
Aluga-se
o sobrado de nm andar e solio ra do Bartbo
lomeo n. 7. com bons commodos; a tratar na
ra larga do Rosario n. 34, botica.
Aluga-se
urna excellente casa ra da Aurora n. 153,pro
xima do bond que passa na ra do Lima, tem
ptimas accommodagOes, agua, luz apparelbo e
quintal ; quem desejar entenda-s< ra Mar
qnez de Olinda n. 56,1 andar.
Copeiro
Precisa-se de um copeiro
ra de Paystnd n. 19.
que seja fiel; na
Alfafa nova
Solta ; 30 rs. o kilo, em fardos 60 rs.; ven
de se no armazem a rna da Madre de Deus nu-
mero 10.
Vende-se
Primavera
Aluga-se por commodo prego um sitio no lu-
gar Torre, defronte do caes da Ponte de Uchoa.
tendo casa de sobrado com mnitos commodos
fc-inJieiro, baixa par. piantago de capim, 100
ps, pouco mais ou menos, de coqueiros. etc .
te. j-a tratar na ra |ao Imperador, n. 3a loja
Ladrilh' s de mosaico
Vndese excellente mosaico em desenhos e
gosts os maib variados e modernos, sem com-
petencia no mercado, e aos mais razoaveis pre
ii-i ra Mrquez d>- ('linda n. 54.
o commercio
Al-xanu e Antonio d. Sha 'livefra eclaia
a quem nter 3, que tendo comp adi-
do ^r M .poal Fraocis'o de Almeida, a 2 do cor
rente, o hotel denominado Ancoradouro, a ru
Mariz e Barros n. 9, livre e desembaracado ; pe-
d a quetu e julgar credor de apresentar sua?
las para serem pagas.
0 abaixo assigoado vem do alto da imprensa
agradecer a todos qoe o coadjuvaram na extinc-
go do priucipio de incendio de que foi victima
em a noite de 3 do correte evido expo sao
de um candieiro de kerosene ; todo3 o meu
profundo reonhecim-uto, e particularmente aos
caixetros do Sr Eraldo.
Primavera. 6 de Maio de 1890.
Pedro Salvianoda Costa Machado.
Criados e cosinheira
Na ;na Direita n. 74, 1- andar, p-ecisa-se de
criados que lenbam pratica de vender, e d> um
noa cosinbeira qu<> saiba trabalbar bem em bo
los e em outras iguarias de vendagtm._______
Cosinheira
Na ra BarSo da Victoria n. 50, precisa se de
urna perita cosinheira, para asa ue pequea fa-
milia estranpeira.
Flores
I ahilas
Sementes das mais raras qualidades : vendem-
se ra do V gario n. 19, armazem.
L*is Pro vinias
Veodem-se collecc.oe* das
leis provinciaes de Pernam-
buco, dos annos de 1875,
1881, 1882,
urna boa machina de numerar e diversos cofres,
sendo um mnito grande e que foi la amiga the-
souraria das lotera? : a tratar na ra Mrquez
de Olinda n. 1, 1- andar.
Vacca tourina
A pessoa que annanciou vender urna v cea
tourina, a tratar roa Costa Gomes, dirija se
praga do Corpo Santo n. 19, aimazem, que acha
r comprador. _____
Cosinheira
Precisase de urna ama para cosinha ra do
Visconde de Goyanna n. 66 e tambem trata-se
no armazem da ruu do Vigario n. 19.
Cozinheira
Precisase de urna cosinheira para casa de
pou:a familia ; no Pago da Patria n. 5, quinta
casa.
Santa Casa de Misericordia
do Recife
Elias Haptiaia da Silva
A junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife far celebrar no da 10 do
corren e, pelas 8 horas da manha. na igreja de
N. S. do Paraizo, urna missa solemne, acooipa
nbada pelas mogas da casa dos expostos, Dla
alma do bemfeitor Elias Baptista da Silva, sti-
mo anniversario de seu fallecimento, e para esse
acto solicita o com parec ment dos parentes e
a mi jos do finado.
Secretaria da Santa Tasa da Misericordia do
Recife, 6 de Maio de 1890.
O f scrivo,
Pedro Rodrigufs de Souza.
Marceara Compara-
tiva
Os proprietarios dest conceituado estabeleci
ment parlicipam aos seus distioctos freguezes
e ao respeitav l publica, que receDeiam nova
remessa do i muito acreditado e especial
Vinho ouro
nicos que recebem e retalham este delicioso
vinho, esclito propriamente pelo chefe de
nossa casa, o Sr. Antonio arques de Oliveira ;
por isso convidamos o respeitavel publico a vlr
ao nosso estabelecimento, com o que multo nos
honrarn, e experimentar o quaDto vale urna
pinga boa, viudo & ra larga do Rosario n. 20
Marques Sobrinho & C.
Pai_ frente re casas, baDhairQS
corredores, ncongues, spndo de lindas
cores, vendem-se por 6O&000. o milhei-
ro, por er um saldo, na raga da In-
dependencia n. 40.
VERMIFUGECOLMETli
1880,
1884,:
J888e
J885 1886,
1-883,
1887,
d Diario.
1889: no escriptorio
Xaroped.Repaiil(l
urna preparaoio de goato nm.ro e m um
efiioaoia puente contra aa moleaas do* bron-
cbioa e do peito. Sena principios activo* alo
tirado* das plantas medicinaes que tem pro-
priedades proprias para aliviar e corar a toas*.
Bastam duas a tres oolberea de Xarope de
Regnauld para calmar a tosae de irrilagto,
das constlpacoes, do i defluxo epidmico, do
oatarrho, da bronchite, da asthma, etc., seu
oocasionar parda do appetite. Prepara-se esta
producto em casa de L. Prere, rea Jacob, n 19,
ud Pariz. A' ?anda em todas as pharmacias
de 1 orden. Com qua Instruccfio sobre o
artlasut,
jo Perelra da Coata
Anna Rita Pereira di Costa e seus filnos, Ju-
lia A. Pereira da Costa e seus lhos, Joao Perei
ra da Costa, sua mulher e Albos, Nuno Alves da
Fonacca esua mulher Manoel Gongalves Sstella,
sua mulher e seus cunhados, Jos Lourengo de
Oliveira, sua roalber e filha, agradecem sincera
mente a todas as pessoas que se dignaran acom-
panhar ao cemiteno publico o cadver de seu
sempre chorado esposo, pai, av, sogro e cunha-
do, Jos Pereira da Cosa ; e uinda pedem a to-
dos os seus parentes e amigos e aos do finado o
caridoso obsequio de assistirem as missas do
etimo dia do stu faljecimeoto, que mandam re-
za,- por alma do mesmo, no dia 10 do correte,
as 7 1/2 horas da manha, na matriz do Corpo
Santo, pelo que antecipam seus agradecimen
io=. __________
t
CHOCOLATE oom SANTONINA
HirALLira pan lltrilr U LMBIUGAS
lst< VermlftifO e resuunfedi pelo
ei ukr ign4ivai t eoutrra^o indefiaii.
tt(ir s assi'nafu-.T / \J^
Pars, 36, roa da Temple t nal principis Pilrmelas.
ON,Nfl>,St
Cosinheiro
Pr^cis *e de um cosinht iro
and Di 19.
na ra de Pav
* aLacoc vcllij
Comprase na relojoaria David, ra do Cabn
a a. 14.__________________________________
Farello superior
a SsSSOO ; no'largo do Mer-ado n. 12.
o comnne ^co
O abaix do. ti-nno de retirar se para
fura desta eidade, pede aos senbores que teem
transiicgOes com elle, de remetterem suas con-
tas at o di.- 20 do corrente, ra do Imperadcr
n. 61, primeiro andar.
Arthur de Mello.
Jo<- Antonio de Araujo _lvraa
atento
Stimo dia
Maria Moreira de Araujo Livramento e seus
lilhos, Viscondessa do Livramento, Carolina Soa
res de Amorim Moreira e seus filhos. Anna Mar
ques di Amorim, Joao Moreira de Araujo Livra
ento, sua mullier e filhos Dr Francisco de
ssis Rosa e Silva, sua mulher e tilho, Dr. Jos
Marctlrino da Rosa e Silva, e sua mulher, Can
dido Affonso Moreira e sua mulher, Francisco
Augusto de Araujo e tua mulher, viuva. mi,
sogra. av, irmos, cunhados < tio do finado Jo.-
Antonio de Araujo Luramento, eonvidam a to
aos os amigos para as&istirem as missas que
v&o ser rezadas s 8 horas de sabbado 10 do
corrente, na matriz do Corpo Santo, pelo que
desde ja tli .- icimem un vuio de rati-iao
Anastacfo da Milva _orfga
D. Ma ia RarAos da Silva Loieca, Mieuel Ma-
remittri
restos morluea de seu sempre lembrado espoo e
coobado Anastacio da Silva Lorega e de novo
convida as a assistlrem a missa do 7* dia, que
lora lugar no da 9 s 7 horas da manha, na
Ordem 3' de S Francisca___________________
Aluga-se
a casa terrea sita ra de Joaquim Nabuco n.
30. reedificada, com accommodages para gran-
de familia, com agua, baobeiro, bom quintal, de
Sreco commodo, a tratar na mesma ran. 28, ou
ra do Mrquez de Oliada, n 51.__________
Aluga-se
o I- andar do sobrado ra do Imperador nu-
mero 27.__________________________________
Aluga-se
o 2- andar do predio n. 30 ra Mrquez de
Olinda, por 16* por mez ; a tratar na pharmacia
franceza ra Baro da Victoria.
Precisa-se de urna ama que cosiuhe bem ; na
ra Imperial n. 17.
Ama
Precisase de *Bma cosinheira para casa de
pouca familia; no pateo ao Livramento n. 22,
segundo andar_____________________________
Ama
Precisa-se de urna boa cosinheira
ra da Unio n. 8.
a tratar na
Ama
Precisase de urna ama para andar com crian-
cas ; na ra Visconde de Goyanna n. 167, casa
encarnada confronte ao coilegio das irmas de
carldade.
Ama
No becco da Lingoeta n. 3, precisa-se de orna
ama [.ara casa de pequea familia, para cosi
nhar.
Ama
Precisa-se de orna ama para com irar e cosi-
nbar para urna s pessoa; a tratar na ra do
Imperador n. 79, 2- andar.
Ama
Precisa-se de urna ama que comore e cosinlie
para casa de peuca familia ; na ra Mrquez de
O, inda n. 34,2- andar.
Ama
Precisa-se de urna cosinlie ira
do Cotovelto n. 27.
a tratar na ra
Ama
Precisa-se de orna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patrOes e seji matriculada ; na ra de Fernn
des Vieira n. 29.________
Ama de leit-e
Preci=a-se de urna ama de ieite ; a tratar na
rna da Unio n. 5.
Ama e criado
Precisa Be de urna ama e de nm criado ; na
roa do Camaro n. 1.
Al ligue! barato
Visconde de Pelotas n. 5
Pedro Affonso, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. i 7
Ra do Bom Jess 2a. andar n. 47
Ra Aguazinhas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 141, quar
Ra Itaparica n 43 1. andar.
Travessa do ''armo, loja n. 10.
Becco do Tambi n. 21.
A tratar ra de Commercio n. 8, auds
esenptono de Silva Guimar&es C.
Ao commercio
JosepbGerard, retirndose temporariamente
para a Europa, jolga nada dever a pessoa algu
ma nesta cidade outrosim, declara ao corpo
commerciai que deixa como seu procurador pa
ra todos os effeitos ao Sr. tenente-coronel Fran-
cisco Pedro Boulitrean. Recife, 1 de Maio de
1890.
Pao centeio
Mello & Bisel tendo recebido nova remessa de
farinba centeio, avi?a aos sens freguezes qut
continuam a fabricar este delicioso pao centeiu
todas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientficas
e physiologicas para o fin de
beneficiar os cabellos, restaurar
a c6r, impedir a queda, e promo-
ver sea vico e abundante cresci-
mento.
Esta aparada e excellente preparado,
sem duvida o melhor remedio at boje
conhecldo para os diferentes defeltos da
cabelladura, merece a intima attencio da
todas as pessoas que tm tido a infelicl-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sea emprego intelligente tera-se
conseguido resultados realmente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm nao
sempre, a propria calvicie tem sido curada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
dos cabellos; emquanto que para opentea-
ao das senioras, o objecto mais ntil
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA,
Lowell, Mass., Est.-Unidos.
I A' venda as lejas de armarinlio e per'
ftsm arias.
DEPOSITO GER_ I ~
--- bw vea % "' 'i. '&.
Para engenhos
QIMARAES & VA LENTE, parteoi-
pam aos seus freguezes e Illms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaixo mencionado*
garantindo tudo de primeira qualidade e
presos sem competencia a saber:
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaquaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito de peixe.
Pixe em lata.
(5 galoes.)
Kerozene inexplosiveL
Graxa em bexigas.
Gaxeta de linho.
Potassa dn Russta.
(em caixas, barriquinbas, latas grande!
e pequeas.)
Formicida Capanema.
6--Corpo-Santo--6
Arlhur & Desiderio
i-oDtinuam a comprar ouro e prata velhos, e
bem assim libras sterinas e nutra? moedas d<
Jtirojo de pruta, e paga-se bem ; na ra do Ca-
bugaj, 3. _________________
Morarla excellente
Aluga se barato ni ra do Hospital Pedrol
lugar dos Caelhos) Bina caaB asnobradada,
-xMB-agua, muito fretca, prximo do beoho
oleado, grande quintal cenunodos para familia
aumeroaa ; a tratar all das i s 10 oras da
manh, com Joaquim Mo eir Reis que alli alu
t. Hi IftOftil
liada
Precisa se de um homem on toulBer qne saiba
fazer upeiro e 03 ootros de casa de
lamilla, e ,u<. jain de oon rostumes e matri-
< ulados na polica ; na rna da Aurora a. 37, J-
andar.
Professora
Urna senhora habilitada offerece-se par
leccionar em casas particulares, na cidade
ou seus arr&baldep. as seguintes materias
portuguez, francez, italiano, therrico e
pratico, fallando as linguas correctamente,
geographia, trabalho de agulba inclusive
ores, msica e pi no.
Interessa-se pelo adiantamento ue suaa
discipul-.s, do que servirlo de prova as
que actualmente ensina ha mais de annos.
Pode ser procurada na Livraria Con-
tempornea, ou ni ra da Ponte Velha
n. 19.
A's maes de familias
QUERIS VOSSOS FILHOS SEMPRE SADIO8
Adnrutrae-lhes o XAROPE ou as
Pillas Vermipurgativas
DO DR. CAL AS A1T S
ptimas preparacSes de mastnlz
e rhuibarbo, para a expulsao completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinaes ou lombrigas
(DAS CKEANyAS E DOS ADULTOg)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO!
c Estas excellentes preparayos nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares
visto serem purgativas por si mesmas. >
As pessoas que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis-
posiclo, sensac&o de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre,
a vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormem, e algumas pessoas expellent
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As "creancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas Ievam impresso o nome de
DR. CALASANS e sSo cor de rosa.
1 caixa de pilulas 102GO
1 vidro de xarope 102OQ
AS PRINCD7AES DROGARAS E
PHARMACIAS
Attenyao
Hdame lanuj Silva, costureira
modista franceza, .enuindo brevemente par
Pars, a fazer no'as compras, vende por pregoa
de liqui'lagao. lindif>simos vestidos fritos, de
seda e I, para baile e pusseio, assim como cor-
tes de seda, datnass, fo^lards e muijas outras
novidudes. tL\D0^ CHAPEOS "E CAPOTAS.
Convido as Extnas. fariUa.-1 a aproveitarem esta
occasi uuica de comjjrarem a precos sea
competencia.
Contiun a roofrccionar toda e qnalquer
toilel_ para baile, paseio e casamentos, com
mxima. pontualidafle, elegancia e piejos m-
dicos Luip em ziho.as.
Ra Barao da Victoria n. 15,
sobrado
Telephone 193______^
MOMA
^ *5L_BV Vw4e- ta to a tift
-v1 '

I

t
1

I _H
i wm 1 ^


Otario de Pernambueo-*Quinta-feira 8 de

at
"
LO JA DO .POYO
IIRa l, de Marco11
Com este titulo acaba de se abrir, roa 1. de Margo n., 11 urna loja de faaen
das e seu proprietario convida o publico d'esta cidade e de fra a apreciar o seo
BELLO sortimento. Muitas de anas fazendas sao recebidas directemeute.
GRANDE WOVIDADE
Descont de 10,/0 em compras de 200'XX) para cima. s
Granadine, pura seda, de 14800 a 80 > rs. o covado.
Toile, pora seda, de 14600 a 650 rs. o covado.
L8b com listras, preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
Lis oom preparo de cachemira a 240 rs. o covado.
Chitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de cores lindas a 300 rs o covado.
Zephyr largo de 800 rs, a 320 ra. o covado.
dem idem a 200 rs. o covado.
dem idem a 160 re. o covado.
Cortes, co8tumcs de c-.semira ingleza, a 12(S000.
Ditos de casemira ingleza de 30500, 40000 e 64C00.
Ditos de fustao para cllete de 600 rs. e 20400
Cheviot de 305' O, a 20OX) o covado. a
Casemira cor de caf de 35000, a 14000 o covado.
Casacos de Jersf.y para senhora a 30OoO e 60000.
Merino preto a 500, 700 e 10200 o covado.
Dito de cor a 400 rs o covado.
Casinetas finas de 500 rs a 36!) rs. o covado.
Colchas de crochet de 8O0O a 30500.
Cortinados lindos a 6000o.
Bramante de 10 palmos a 10400, a vara.
Ver para crr so na
LOJA OPOYO
FABRICA DE LIVROS DE ESCR1PTURACW
HOABUNAtAO *> FAUTA9A0
CQANOEL J. DE ffllRANDA
> 39 RA -*- DUQUE DE *- CAXIAS -fr 39
NUMERO TELEPHONICO 14
a S^Mfetf0O M--------
I
Xarope e Pasta de Berth
OBI Pharmnonico, Lmartado pelo* Hompitaoa da Paria.
O Xarope e a Pasta Berth de Codeina pura, possuem umaefficaciaincontestavel
nos casos de Defluxos, Broncbites, Catarro, Asma, Molestias da Gar-
ganta, Znsomnias, Tosse nervosa e exhaustante das Molestias do Paito e
para acalmar as Irritaces de qualquer natureza. As pessoas que usam do
Xarope ou da Pasta Berth experimenta um somno calmo e reparador que
nunca seguido de pezo na cabeca, perda de appetite, nem de constipacao.
as receitas especiflque-se bem Xarope ou Paita Berth e como garanta exja-
se a Assignatura Berth e o Sello Azul do Estado Francs.
Pajuz Gasa CLIN A O* e por intermedio de qualquer pharmacia.

-
m czitp jgpn tjgn
m
1
2;-Hn;i de Matulas "Albuqutwi|iic. antiga rui das Flores2S
Tinge e limpa com a maior perteicSo toda a quahdade de estofo e iazendas en
aseas ou em obras, chapeos de f el tros ou de pal ha, tira o mofo de fazendas; todo <
JBbalho feito por meio de machinismo aperfeicoado, at hoje conhecido.
Tintura preta as tercas e sextas feira tinta de cores e lavsgem todos os diai
SAD5 PARA TODOS.
Pl LULAS HOLLOWAY

Al Pilulas puriftcao o Sangue, corrigen) todas as desordems de Estomago
dos Intestinos.
Fortalecem a saud das constitusoes delicadas, e sao d'um valor incrird para todas as enfermkiades
peculiares ao sexo femiuino em todas as edades. Para os meninos assim como tamben para as
pessoas de idade avancada a sua efficacia e incontestaTeL
cdicinas sio Dr-oar-uias sosente do Estabelecimeoto do Profesor Hollowav,
it, HfW orPOHO 8TEE,!T (antea 533, Oxford Street), L0NDB.2S,
E vndense ern toda as pharmacias do universo.
I Jff Os'conpradorea A* coavidr.dos re&peitosasnerite a na minar os rtulos de cia canea e Pota as nao tCCtL 3 I
dirr-joao, 533, Oxibrd Street, sao talsificafioes.
laUtSmRSONSI,
I
44-4114 m
??.M
II
44
Machinas a vapor.
Moeadas.
Rodas d agua.
raixa? fundidas e batidas.
Taixas batidas sem cravatja/
Arados
COM AM A?A0
PARA DORMIR OCMMODAMENTB
a. a -H I
_ en o s c
O
VENDE SE NA LOJA DAS LISTRAS AZES MAIS AS SEGUINTES
IsOVIDADES
Espertadores e relogios com movtmento
Tesouras finas quese do bram, a 14500.
Porta-lanterna para theatro, a 14000.
Sabonetes para pannos e sardas.
Qrampos, novtdade, para trancas.
Lapis-caneta de ouro romano.
Caaivetes de duas a quatro folhas finas.
Oleados com repartimeatos para mesa.
Sabonetes para limpar ouro e prata.
Albuns para retratos,. a 34000.
Bordados finos, pe^a de 4 1/2 metros.
Fitas de todas as larguras e cores.
Biccos e rendas hespanholas.
EBpartilhos de setim para noivas.
Meias de seda para senhora.
Madapolao fino, peca com 1Q varas.
Morim Lavrado com 20 varas, a 54000.
Percales claras e escuras a 200 e 240 rs.
Setim branco e todas as cores com listras.
urak, todas as c6res, a 1?400.
Velludos pretos com cuntas e palmas.
Cassas de r amigeos com lindas cores.
Tecidcs arrendados brancos e de cores.
Cortes bordados em cartab a 9fJ000.
Cortinados bordados e de crr.chet.
Colchas brancas e de eflres, a 20000.
Crochets para sof e cadeiras.
Bramantes de linho e algod&o.
Atoalhados lavrados em releves.
Ouardanapos grandes e pequeos.
Aos compradores de 204000 para cima da se descontos e ti. uitas vantagens
para vendedores.
A' ra Duque de Gaxias n
LOJA DAS LISTRAS AZES
BRONZE
DE
CARDOZO 8: IRMAO
Ra do Baro do Tnnnpbo os. 100, 102 e 104.,
Deposito ra do Apollo ns. 2 e 2 B
Tem para Tender o ttegnlntc:
VAPORES de diversos fabricantes para fogo dirfjtpara o ou fog de asaer
amento.
MOENDAS de todos os tamanhos. -
RODAS d'agua.
RODAS de espora e angulares.
CRIVACOES da differentes tamanhos.
TATXAS de ferro batido e fundido.
LeCOMOVEIS de 2, 2 l/2f 3 e 4 cavailos.
ARADOS americanos.
BOMBAS de todas as qualidades com o respectivo encanamento e finalmen
odas as ferragens precisas para a agricultura desta provincia.
ENCARREGAM SE de qualquer concert e mandara buscar por encommei
a, mediante ajuste previo ou urna mdica commissSo qualqner machinismo.
MACHINAS de* descarocar algodSo.
VAKANDAS de ferro fundido e batido.
CONTRACTAM foraecimento de apparelhos para usinas, garanundo a bo
axlidade e bom trabalho dos meemos, o que podem provar com o bom resaltad
btido com as duas USINAS montadas ltimamente a saber:
Santa Filonilla e Joao Alfredo
Vendem a praso ou a dinheiro com descont.
no
ESTADO DE PERNAMBUCO
EM BENEFICIO DA
Santa Casa de Misericordia do Rodfo
INTEGRAES
A primeira parte da 1.a lotera xleste Es-
tado ser extra ida impreteri belmente sab-
bado 10 do corrate.
Todos os pedidos de bilhetes desta lote-
ra devem ser dirigidos thesouraria ra
larg-a do Rosario n. 9. I. andar.
PELOS CONTRACTANTES
Bernardino Lopes Alheiro.

Completo sortimento de chapeos, capotas e gorros de fantasas em todas
qualidades.
Fitas, rendas e bicc de seda e algodao de todas as cores.
Flores, plumas, passaros, algrtles e bljoaterle para enfeites.
Chapeos do imlim e castor, os mais modernos, para homena e menino
Recebe por todos os vapores as primeiras novidades de artigos de
g*mrc de negocio.
Raphael Dias & C,
2 Ra do Baro da Victoria 2
seo

CAPSULAS THEVENOT


r *'C0Ot u
Enfermidades nervosas'de qualquer natureza
Antipyrlna.
Bromureto b Camphora.
Bromureto b Potassio.
Ethsr. ithaBr ".e Valeriana.
Apil (Amenagogo, regulador do sangue).
Sulfato de Quinina.
SEMCHEIRONEM SABOR
OepoalUxio em PEKNAMBUCO :
L%*
v^>V
^
M. da inva *. Ola,
BALMORAUf
GLOSS
PARA 0 CALCADO BE SENHORAS E CREANCAS
lao Cnto uta toldo m alcokai, i anacii o coa'o. 4>n||ia-se ota 3 saaaj lUda i reiin
Nublan Manufg Co, t-id, Gneai Safron Kill, tondon, Engiand.
Vone-ie ca toda a parte.
O Peitoral de Cambar
Semprc foi, e seri o p; cipa) remediogarautido para as
molestias do larynge, bronchios e pulmftes.
A br.>nchite, asthma, mal do paito, ronquidSo, laiyugite, coque-
luche e qu Iquar tosse, por mais grave antiga que seja, curara se esm
o Peito.-nl de Cambar, medicamento appmvado pela Juuta Ce tral de
Hygiene Publica, premiado com duas medalhas de ouro de l.1 classe e
rodeado de valiosos attestados mdicos e de innmeros de pessoas cu-
radas. Exija-se a firma do autor.
J.'Alvares de Sonsa Soares.
NDKUO E SINO 8 B BtONZ
DE
LUiZ Da CHUZ MESQUITA
66ra do Baro do TriumphoR
tevn para vender o seguiote:
achinas de cohn: para fazer espirito de destillar e restillar.
Alambiques de cobre do antigo e novo systema oom esquente garapa.
SerpcnliDas de cobre e de estadio.
Carapn^as de cobre.
Taixas, taixos caldeiras de cobre.
Bombas de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Torneiras de bronze e madeira de todos os tamanhos.
< no de cobre, de chumbo e de ferro. ,
Re*|>arldelras, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estanhado
Cobre ero lencol e arruelas
ola ingleza e do Rio.
t';i MlBO de 1 libra at 110 arrobas.
E rouitos outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualquer concert e obras de encommenda, garan-
se a presteza. }frfeic> e precos mdicos, para o que tem pessoal habilitado
YlSUiaM! raso ou dinheiro com descont.
Fabrica <1
PRODUCTOS ES0L0GIC0S
de l YSSE ROY, em Poitiers (Fpartja)
Entile PROUST, Suir- & Genro
a^SKMJtyfr.

1. Perfume enantico dos Vinhoe va sobral 2QO fc
de Medoc................ osBWfraaoos
. Rancio.u.aaenciau6Cognac,osXOJimsoos 600fr.
3. Perfumes mu todos os Licores os lee-frascos 300 fr.
1 Es3nciadeRnumouiteTafia,oilOOfrscos 600T.
Em Pernaubuco: FRAU" M. da SIVA 4C\
Itabay;
inna
QI3ID
ADiMNIdTRAgAO :
PAHIZ, 8, Bonlsvard Montmartre, PAUZ
PABTILHA8 DISBaTTIVAS fabricadas em
Viohy coui os SaesexlralwlotcUit Fontes. Sao |
de eosto aeradavel e a sua cco certa con-
tea a AMa e os Dgeetta Airfltv.
\ SAE8 K VHalr PIBA BMH08. Um roto para ana baaho, para as pessoas quo r.5o podem ir a Vitajc i
Para evitar as ietitarfet esnatr em todos os producios a
TVTAltOa. t>v OOMP. DE VICKY
tactos astaaa srst il sai casas i* SULZIH ROSCMLIN,
as. rus da Cmi. Aua. LABlLLt.
acba se nessa villa lima diligencia com os re-
iiuiito desejaveia para proporcionar aos Srs
paettfleiroB um m^'io de viajarem commodaraen
te de Timbaiiba Itabay..nna e at Pilar, e vice
versa, facilitando llies as^iiu rpido transporte
lo Kc Ife & P;i.ahy'.>;i. sei fg iuommodos e pe-
riges das v&taens martimas.
No R-< -f. .- na Mjrq'iez de Qlioda n. 58 em
rirobBuba, no hotel D. Emilia, cm Itabajanr.a
no estabelciment de M?Ilo & C, e na Pa-
a!.yh;i. hr-ti-l Psra&YbaDo-, eaccmraf-seba com
quem tratar.
u
un negocio
AdirittP-se um socio com algom capital para
taverna ; a tratar na ra de Domingos Jos Mar
tin? n. 80
P Hog,
oa

medicamanto approvado pela Ac*
demia da Medicina da Parta,
verdadeiro purgante das san horas, das
crtancas e das pasaos* ds ooostituicio daM*
cada. Com um vldro Ns> R*9*\ **&
Isvar comsigo por toda parta, pode-ae prepaisf
aa oocasilo necesaaria, urna limonada da
fosto agradaval s mao refrrrante.
0 P^iUjdaaustrsss lnflaltameate asa
asaltarar.
Bmprega-ss' o, dottaado o oonteAdo do
vldro em aaU ftrram d'agua, datxando sa
oontaoto durante urna hora, oa malbor da
aso* pan odia; roraar afarrahsa sssiar n
lar aaaa Umonada aasoaa.
Pabrtea a vanda por atacado: Casal*. Prora,
ras Jacob, 19, Parts. A varejo, sat qnoaf
so phsrasolas do todos os polsos
o FERRO
BRAYAIS
UsTliDdo as experienclao dos mai conhecidot mdicos
f tem urna acc~o immediAta sobra a Ecoi-oroia sem uo
d'ah resulte a menor porturbacao, o do motmo paaso
qae reatltue ao sangue a sua cor natural da-lb o visjor i
i meislio recODstituindo-o.Outraqualldade tom tam-f
{vm o ferro BraTali que d nSo eoegrecw oa dantes |
Waja fotfa a cat/fa/i com aa /miapoa ou
Contri f'co.
Exigir a flrma-t^Bl^VAlS,iinprtiiii(UT6rmeIha
DETOarTO NA UmX PAJLT DAS PHiRHACIAl
. Vbhda por Atacado : 40et 42,r.St-Laiar*, Paria J
Criado
Pr.
no- : i ira* ir uu roa
m .
i. 'u.ie d' 2 n
mmu
7y%>-
Eced todos os outraa pelo sea
perfume exquisito.
Agua afamada do
LAT8BA INGLEZA de ATEI8308
e outros muitoa coofaeoldos perfumea
pela sua qualidode e odor daleitavel e
exquisito.
Fasta Oriente.Oestes Aousob
sem rTal p.ra alvejar e embelecar os
dentes e preservar as gengivas.
Cmaitnit em Cata dt (Moa os Itto-
cllntu s Fabrictnttt
J. A E. ATKINSON -
24 Od Bond Street. Londrf
ManadeValrrica Urna" Bttbranca'*
obre uu Lrra da Oats "
ansanes aatMatkkds,
Sitio na Magdalena
- *>! se Bm, eom ectlleott Casa par (fri
de tetis*, toda, pintada e forrada a pand- '
gaz eua boa tatrina e hond i porta trav
ooa- An-onio Gomes de Mattos a n a da a-J
ana o -i>.


itten

Os proprietarios do aoligo e acreditado arma
zem do Lima, rito a ra Bario da-Vi Jtoria n. 3,
Sirlicipam ao respeitavel publico e aoa seus
Btinclos freguezes, que tn nsferiram tempora-
riamente aeu armaxem para a mesma ra n. 9,
continuando da mesma forma a receberem suas
ordens para Ibes servir com o cosiumado e ba
bituat desempenbo.
Jos Feroandes Lima i C,
Ra Bario da Victoria n.
Telephone323
Cautelas do Monte de Soc
corro
Compr-M Cautela do Monto da Soc-
corro de qualquer joia, brilhantes e relo-
gios, paga-se bem na ra do Cahug n
j4. n. Loja de relojoeiro.
tes livros
VENDAS
Vendem se 150 e tantos palmos de terreno
ao lugar muito ameno para se collocar um cba
let para quem tiver bom gosto; no Camiobo
Noto d. 128 se mostrar o terreno Tambem se
vende urna mobilia de Jacaranda em perfeito
estado, louceira e mus alguns objectos.
Agua maravilhosa
Com a applicago desta agoa, quem soQrer dt
fipiohas, pannos eardxs, femdas e fermelnidSo
do rosto, Acara perfeitamente curado, rtconbe
cendo a, desse modo, como nico especifico
efficaz. Alem desses cffeitos, tem ella a pro
riedade de, tornando a cutis limp;., dar-lhe a
cor natural. Acida vidr j quecusta l, acom-
panba a respecti 'a indicago do uso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrioho & C, ra Marques dt
Olipd n.41.
Livraria Conten pora
nea
iMlrninealoi de msica
BomDardao, bombardino, barytono, tromp
tromBone, helicn, saxaphone. carriloo, bomlx
caixa^ratos.clarinitas. flautas.rabecas, violoe.
realejos,caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quartos, gabinetes, corredi
res.
Molduras
dourads, pretas e douradas para quadros.
Malas
para viacem, diversos formatos, especialmeni
para roupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptorio, toucador, etc., etc
RAMIRO M. COSTA & C.
BM Prlmelro de Barco o. 9
Rendas
pretas, brancas, creme, beige e de corea
Cbegou um esplendido sortimento deste artigo
rara a
Rainha das Flores
Roa BarSo da Victoria n. 41
Na mesma casa encontra se urna variada col-
ecco de titas de seda (mais de SO nmeros),
bordados de cambraia, espartilhos, luvas, per-
fumaria, objectos para presentes etc., etc.
Precos baratos
RA NHA DAS FLORES
Ra Bario da Victoria n. 41
Attencao
Na.ra do Imperador n. 39, tem urna pessoa
habilitada a vender predios nesta capital.
A' venda
t piano i>lynm, novo, 1 mobi'ia de iunco en-
taibada, 1 cama, 1 mesa elstica de jaotar, 1
esleir para grande sala, cojos objectos lm
poucojiso ; na ra. Duque de Caxias n. 54,
leja.
Attenpo
Vende-se urna pequea armacao com alguns
gneros, jtropria para um deposito de seceos : a
tratar na travessa do Oovidorn. 1._________
Gasa e terrenos
Vendem-se: a casa terrea 3ita roa de Joa-
qnimNabncon. 21, com grande quintal cercado,
em bom estado de cooservacao, presentemente
alugada ; dous terrenos a mesma ra, sendo um
do lado norte com urna grande baixa de capim e
um abundante coqueiral e ootro do lado sul,
murado no lado da frente, sein portao; a tratar
roa Mrquez de Olinda n. 54.
FOLHETIM
0D0 DE TIGRE
POR
ssrsi TZSSIES
Ql'ARTi PARTE
AS GOTTAS m SANGUK
== <*
. (Continuagao do n. 103;
III
Comecava assim:
c -Minha senbora. Quaudo receber es-
tas linhas, ji eu tere i deizado de existir,
o que, eston certo, ser para si de urna
grande consolarlo.
Ora, afim de neutralisar, tanto quanto
posso, essa alegra posthuma, quero coni-
municar-lhe o que a senhora, sem duvida,
ignorava, isto o que en fiz depois da
nossa brusca sepsracSo.
Leia, pois, que lhe affianco que ha de
interessal a esta leitura.
Tendo posto os seus filbos, nao digo
os meus, e a senbora bem sabe porque,
em lagar seguro, informei-me do paradei
ro do sen apaixonado e soube que elle
partir para Bitavia.
< Fui at l."* E pude convencer-me de
que o amor que elle to frisantemente lhe
provara a si, longe de ser eterno, nao re
sistira mesmo viagem ; porque pouco
mais de um mez depois da senbora eairar
para o convento, o conquistador Van Lin-
den esta va casado.
f Para o desculpar at certo ponto, de-
vo accresoentar que ra adoravel a mulher
a quem elle uni o sea destino.
t Desembarque! em Java, em plena la
de mel, resolvido a vingar a todo prego, e
3*000
000' D;
Lourecco, romance histrico por F-
Tavora, 1 vol. ene.
0 Matuto, dito dito, pelo mesmo, 1
voL ene. 3*000
Oa Cavalbeiros do Amor, romanee em
4 vols. enea. 10*000
Ecbos de Roma, pelo padre Guilher-
me Dias, 1 voi. ene. t*000
D.ccionario Biograpbico, por F. A. P.
Costa, 1 grosso volme ene. 10*000
Voos Icaros, versos por M. Barreto, 1
vol ene. 3*000
Flores Fluctan tes, versos, 1 vol. ene. 9*000
Voos e quedas, versos, 1 vol. ene. 14000
Guimaraes, poema, 1 vol. ene. 3/000
Sons que passam, versos por Tb. Ri-
beiro, 1 vol. ene. 3/000
Alberto Pimentel, Cantares, versos, 1
. vol. ene. 3*000
Evangelius c Svllabus, drama, i vol.
ene. 3*000
Julio de Castilbo -Livraria Classica,
Estudos biographicoB e Iliterarios,
3 vols. enes., fluos 15*000
Castrioto Luzitano, historia entre o
Brasil e a Hollanda, 1 vol. ene,
fino 5*000
A India ClirisU por Pinto de Campos,
1 vol. broch. MOCO
Bibliotheca do Poyo, 15 vols. enes. 25*000
Morte de D. Joao, romance, 1 vol.
ene. 2*500
Gontos de Pedro Ivo, romance, 1 vcl.
ene. 2*500
O abandono por Julio Verne, 1 vol.
ene. 1*500
Os juramentos dos bomens verraelhos,
romance, 2 vol. ene. 4/000
0 Processo Le rouge, romance hist-
rico, 1 vol. ene. 3*000
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene. 2*500
Neto do Acoitado, romance histrico,
1 vol. ene. 2*500
Viagem no dorso de urna baleia, 1
vol. ene. 9*000
Cbiquinho, Encyclopedia da Infancia, J
por G. Bruno, 1 vol. ene.
Vinte leguas submarinas, por Julio
Verne 1*500
Caricaturas em prora, por Luiz An-
drade, 1 vol. ene. $ 3*000
O Pastor e a ovelha, obra rara e es-
gotada, 1 vol. ene. 10*000
O birajara, lenda, 1 vcl. ene. 2*000
Arnaldo Gama- Um motim ba cem an-
nos, 1 vol. ene, obra rara 6/000
0 Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene. 2*000
P. de KockJoao, 1 vol. ene. 2*080
As mil e urna mulheres, 2 vols. enes. 5*000
0 rei Candla, romance, 1 vol. ene. 2*000
Con tos a Ninon, por E. Zola, 1 vol.
ene. 2*000
A caca de um baronato.I vol. ene. 1*500
Arraldo GamaO filho do Baldai, 1
vol. ene. 3/000
Historia moral das mulheres,;! vol.
ene. 2*000
Os herdeiros de Caramur, romance
histrico, 2 vols. ene, finos 6*CO0
Factos da historia de Pernambuco, i
vol. ene. 2*000
A igreja e o Estado, por Ganganelli,
4 vols. ene. 10*000
Serpa PintoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes, finos, com gravu-
ras 12*006
Eca de QueirozO crime do padre
Amaro 2*000
Castello de Grasvjlle, romance raro,
1 vol. ene. 25000
Leonor, D. Ambroise, 1 vol, ene 1*000
As obras de Julio Verne, 42 vols,
enes. 30*000
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, 4 vol, ene 3/000
Typos de cara dura, 1 vol, broch. 1*000
As viagens de Guliver, obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, broch. 3*000
Vozes da historia pelo Padre Gui-
lberme Dias, 1 vol, broch. 2*500
Um mysterio de familia por F. lava-
ra, 1 vol, brocb. 2*000
Um casamento no arrabalde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor) 2*000
Os martyres Peroambucanos victima
da liberdade. 1710, e 1817 i vol.
broch. (obra rara) 5*000
Guarrigues breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene 3*C00
Biblioteca do Povo 31 caderninhos
brochados 4*000
Paulo de Koke Barbeiro de Pariz 1.
vol. 3*000
Amulber fatal o 1. vol s. 1*500
O matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o 1. o vol s. 1*500
Pauson do Ferrail A beranca myste-
rloza o 2. vol s ene 2*000
Repostas consisas e f miliares por
Mr. Segur, 1 vol, ene 1*000
Carta sobre a Companbia de Jezus.
1 vul, broch. 2*000
Carta a Pae Tobas, 1 vol. brocb. 2/000
No escriptorio deste Diario se dir quem ven-
de todas estas obras, e faz-se grande abati-
mento a quem comprar todas juntas
a senhora bem sabe que nestas cousas nao
son mesquinho, a minba honra ultrajada.
Isto je en sei, disse o americano,
voltando urnas poncas de folhas. O meu
respeitavel amo acabou de contar me esta
edificante phase da sua laboriosa existen
ca
, p rcorrendo o manuscripto com um
olhar rpido, acerescentou :
Emquanto ao resto... o drama
em que elle me distribuio um papel que
me pago com cinco milhoes. Bom ne-
gocio. Passemos adianto.
< Bem v, minha querida irmS, que
cumpri a miaha promessa.
t Repare bem para o portador .desta car-
ta. Por urna infernal antithese? da natu
reza, elle se parece muito com urna pes-
soa que a senhora conheceu, para que pos -
a eoganar-ae.
c Peca-lhe, alm disso, que elle lhe
mostr o braco esqaerdo, e tome bem sen-
tido no que vou dizer. O signal que ahi
existe o fiar reconhecer. E accrescento
que o escolhi por causa desse signal.
f Foi elle que mandn assassinar seu
filho mais moco, Paulo Lundi; que man-
dou o veneno ao velho Moalin, e fulminou
o mulato Van Linden.
c J assassino e'fratricida, e, como o
conheco bem, estou certo de que amanhl
ser parricida. Chamase Petrns Weber.
Eu Jorge de Morlac denunciado
como parricida e fratricida !
So mesmo momento abri se aportacom
um ruido ainistro e urna voz imperativa
disse :
Em nome da lei !
Com a rapidez do raio, apanbou os pa-
pis dispersos pelo chao, armou-se de um
punhal, que penda da parede, e, de um
salto, dirigio-se para a porta de um gabi
nete que communicava com a escada de
servico.
A porta, porem, abri se e Lerat, ar-
mado de um revolver, disse :
Por aqu nao se pasee.
O medico recuou, livido, espavorido.
O commAsario e o Sr. Diniz entraram
no quarto, viram o cadver do conde e di
rigiram se para. Web?r, que recuou.
Dr. Weber, em nome da lei, est
preso 1 prouunciou lentamente o magis-
trado.
O americano estremece a dos ps i ce I
beca, os olhos injectaram se-lbe de sangue'
2*50^'
48Ra Duque
Surah de linho fazeuda muito larga
rs. o covado.
Etamines de cores a 283 e.300-"w. o co-
vado.
Zephires de cores a 120 e 160 rs* o co-
vado. m
Lindas las de cores a 2 0, 240, 300 e
320 rs. o covado.
Cachemira de quadros com listras de seda
a 1(5003 o covado.
Merinos lavrados a 500 rs. o covado.
Voile de algodao a 240 rs. o covado.
dem de 12 ultima meda a 800 rs. o co-
vado-
Cortes de metim para vestidos de duas
cores a 60000 um.
Ditos brancos bordados a 124000, 14*000
e 15*000 um.
Ditos de cachemira bordados a 25/JC03 um.
Cortes de cambraia branca de quadros a
1*800 um.
Cort'nadoB bordados a 6*000 e 7*000 o
par.
Ditos de crochet a 8*000 e 10*000 um.
Fecns de todas as cores de retroz
1*000 um.
Colchas de c6res a 2*C00, 3*000, 4*000 e
5*000 urna.
Cobertas forradas para casal a
urna.
Toilettes para baptisados a 6*000, 8*00ff
e 10*000 um.
Camisas finas de meB8*a*'l000 urna.
Toalhas para crianca a 109 e'120rs. urna.
Ceronlas francezas, a 1*000 ama.'
Pannos de crochet para cadeiras a 500
rs um..
Atoalhdo de linho de 4*400 o metro por
2*400
ito de algodao a 1*200.
Algodae-traneado para, toalha a 1*0C0 o
' metro.
Bramante de algodSo com 4 larguras, a
800 e 1*000.
Lencos de algodao a 1*200 e 2*000 a
duzi?
Ditos de linho a 3*000 aduzia
Batistas de cores a 120 e 160 o covado.^
Cretones escuros e claros a 200 rs. o co
vado.
MadapolSo americano com 24 jardas a
5*000 e 6*000 a peca
Cobertores brancos de 15 para acabar a
2*C00 um.
Bramante de linho, fazenda de 3*000, a
2*000 o metro
Panno para mesa a 1*200, 1*400 1*600
o cevado.
Brim pardo trancado a 240 rs. o covado
Vestidos de Gersey para creanca a 6*000
um.
Camisas de linho para homem a 2*000,
3*000 e 4*000.
Granadinas ultima moda a 360 o covado.
Costumes de cachemira fina para homem de
20*000 a-l5*000.
Cortes de cachemira de cores muito finos a
40000 nm.
Cortes de fustao para collete a 800 rs. um.
Quardanapos c m franja a 2*000 a dusia.
Espartilhos de todas as qualidades e n-
meros por preco baratiesimo
E muitas ontras fazendas de lei e moda
qen vende por precio sem competencia,
em vista de sen proprietario querer acabar
com o estabelecimento.
S na Revoluto
HENBIQE DA SILVA MOREIBA
Vendem-se
cinco casas no becco doQuiabo (Afogados) ns.
1S, 17.19. 21 e31 ; a tratar no pateo da Santa
Cruz n. 16.
Cera
Vende se na ra do Cabog b. 2, segundo a
qualid-de, de 1* a 1*900 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de 2a o descont de
30 0/0, e ua de 1.a de 20 0,0. No mesmo esta-
belecimento tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cada urna.
Para quem gostar
Pao quente (trigo) as 8 horas em ponto da
noite, na padaria Pombal.
e precipitou-se para a frente de punhal na
mao, como se quizesse lancar-se sobre os
seus perseguidores.
Mas ao mesmo tempo, e antes que ne
nhum dos assistentes podesse approximar
se delle, tirou da algibeira o frasco do
upas.
Entregar me, eu ? !... gritn elle
n'uma inflexao satnica, rheia de feroci
dade. Nunca !
E approximando o frasco dos labios, des
pejou-o de um trago.
O Sr. Diniz precipito se para elle, mas
en j tarde.
O polica e o commissario olharam se
com espanto, emquanto que Van Linden,
inclinado sobre o cadver do conde de
Morlac, "murmurava em mixto de colera e
pozar: Morto I
O Sr. Dinii curvou se sobre o corpo do
americano, e o Dr, Yamloff imitou-o.
Oh! disse o9 inspector ao medico :
Para este, dispenslo de empregar o seu
contra-veneno.
E, arrancando d'entre es maos crispa-
dos do assassino e suicida a carta e o tes-
tamento, percorreuos rpidamente com o
olhar.
C est! codcIuo elle.
O qne ? perguntou o commissario.
A prova da criminalidade destes mi-
s^raveis! Mas. prosegqjo o Sr. Diniz, sus
pirando, prometti a alguem, que respeito
mnito, abafar a todo o custo este negocio,
e felizmente a morte dos dous malandros
torna me fcil satisfazer esse compromisso.
E esta testemunha ?... articulou o
magistrado, indicando com o dedo Toby,
que jazia algemado no meio do quarto.
Entregue-m'o, sensor, disse Natty,
em voz vibrante ; este homem pertence
me, em virtude do mal que fez a todos os
meus, e eu quero entregal-o justica do
seu paiz, que o condemnou morte.
Assim seja, concedeu o Sr. Diniz.
Emfim, foi um trabaihinho damnado,
resmoneou Joao Brunel, contra o seu eos
turne mnito palhdo, mas acabou tndo co-
mo devia.
EPILOGO
Seis mezes depois estova em festo o fau-
bourg Saint Germain.
Os sinos da igreja de S. Francisco Xa-
vier repicavam alegremente.
^'S^^sbbbbbbbbbbbbbbbbbbb^bbbbbbbbBH
ro, moente e correr i a da Vanea ;
a iratar na ra do Vigario n. 31, i- andar.
E' tudo bom, para bem
de todos
Os abaixo assignados, tendo feito gran-
de reducc3o de precos* as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi-
dara o respeitavel publico e especialmente
a cus bons freguezes, a certificarem se da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occasiao de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por. precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
Voiles de 1S e algodao a 240 ra. o co-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
800 rs. por 32.1 rs. o covado, eepbyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, las de cores a 200 rs. o
covado, setinetas finas a 320 rs. o covado,
merinos de cores (12 pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o covado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de 1S,
fazenda umita fina de gostos lindissimos.
Crep da China, idem, idem, cambraias
da China, com palmas soltas, completa
novidade, voiles com salpicos, idem, idem.
Chitas, chamalots, o que ha de mais
exquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras lavradas, pretas e de
cores, fustocs brancos, retoes pretos e
de cores liaos* e com flores, baptistas de
coras, gostos delicados.
' SJTdapolSo americano a 5^000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso sor! i ment de cretones p;ra
cobertas e chambres, esguiSo de puro
linho, costume? fle Jersey: para meninos,
'capas hespanholas, pura seda a 3*000
urna, cortes de vestidos d todas as qua
idades, ficnus'ae 13, linho e prateados,
o que pofle haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linho
e flanell para homem, idem, idem de
punhos, collarinhos e grvalas e muitas
ontras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tudo vendem sem reserva de
precos.
Os barateiros! 03 barateiros!
A' BA 1. DE MARCO N. L
BerriartfiDo Campos
AO PUBLHJ8
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes que contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
Pm, qne um dos que mais se pres-
tan) a tomarse coa leite.
V1NHOSO Palhete sem prejuizo das
ontras marcas, especiaLsando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brtil-
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida-
des como nSo se encontrara em qualquer
casa.
CARNE 5 em conserva, especiaes como
nunca vieram aqui.
PEIXES tambsm o que ba de mais
CERVEJASonde se destaca a bem
conhecida e digna de celebridade Paulino
Bier.
CHARUTOS nm grande sortimento
das memores marcas, e por precos muito
commodos.
Alem destes artigos acha se o seu esta-
belecimento sempre Bupprido de tndo
quanto se possa desojar d'um bom esta-
belecimento d'aqnelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
Alfafa
Vndese solta qnalquer quantidade a 40 rs. o
kilo ; na ra do Amorim n. 52. .
O orgSo fazia ouvir o sen som grave e
solemne e 03 suissos, fardados de gala, fa
ziam alas, empunhando as suas alabar
das, aoB personagens Ilustres que sshiam
a nave.
Parecia concorrer all naquelle dia toda
a oobreza da Franca.
E o paralytico, acocorado sob o prtico
do templo, gema se n cessar na ana voz
dolente e commovedora:
Meus bons senhores, pelo amor de
Deus, nSo se esquecam do pobre velho !
De sbito urna carruagem brazonada ti-
rada a urna parelha de puro sangue, che-
gon a todo o trote e parou junto dos de-
gros alcatifados.
Na almofada, erecto, digno, magestoso, o
chicote apoiado na cxa e a redea firme,
JoSo Brunel, radiante de alegria e pere-
ceado anda mais vermelho sob a cabellei-
ra empoada, governava hbilmente a fogo-
sa pajalha, dard,ejando sobre a multidSo
um olhar de supremo desdm.
Qnd4o paeou m frente da igreja,
saltaram em trra lestamente dous grooms
trajando vistosa libr, e Atbanasio, mais
rpido da que o seu carnerada, abri a
portinhols e abaixou o estribo.
O duque de Reyoold apeou-se lesto e
radiante e offerecen a mo a Hermina que,
com os olhos s?mi -cerrados e o roBto in-
cendido em rubor virginal, era incompara-
velmente mais linda com o seu longo veo
a sua grinalda de flor de laranja.
Depois o principe de X... que, tendo
sabido do prooedimento do inspector e os
servicos que elle prestara familia d'Hau-
tefort, tratava como igual o exceHente
polica e o obrigara a descer pnmeiro do
que elle.
Jo2o Brunel retirou a carruagem dando
urna volta magnifica, e um outro caleche
veio tomar* frente do passeio. '
Deste segundo trem sabio Paulo Lundi,
isto o conde Henrique de Morlac, e de
pois urna mulher alta, magra, ainda no-
tavelmente bella, qual o mancebo esten-
deu os rayos com a mais evidente affei-
co.
Viva, condessa gritou alegremente
o velho duque.
A condessa de Morlac, porque era a po-
bre reclusada Visitaclo que vimos encon-
trar aqui, vestindo urna esplendida ti ilette,
i
sa, tomou o brao de seu filho; Herminia1
Recebedore* di
cades da Enropa
Aprjsentam os seguintes artigos, sendo
alguns ainda do anno passado, raa&o justa
para serem actualmente baratissimas.
Brins pardo e de cores a 240 ai. o covado.
dem trancado, superior, a 26 J rs. o dito.
Cortes de fustao para colete a 8.0 rs.
dem de casenetas a 1*000 e 1*200.;
dem da casimira inglesa d cores a 3* e
4*0C0.
Algodao cr, marchetado para toalhas, a
440 rs. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 4* e
5*0C0 a peca.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 5*
e 6*0C0.
dem B5a-Vista, verdadeiro, a 5*800.
Cortinados bordados de crochets a 12*000.
Colchas dem a 7*000 e 8*000.
Grinaldas e veos para noivas a 8*O0D.
Espartilhos modernosa 4*000,
Percales claras e escuras a 240 o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalbas nacionaes a 2*500 a dnzia.
Lencos em lindas caixinhas a 1*803 e
2*800 a dita.
Meias mglezas e nacionaes a 2*500 e
* 3*0C0 a dita.
Camisas de meia, idem, superior, a 12*000.
Cerolas bordadas de bramante a 12*000 e
16*000 a duzia.
Guardanapos com franjas a 1*800 a dita.
Pannos de cores lindas para mesa a 1*600
o covado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Cretones para as mesmas, a 1*000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos, idem, a 440 rs. o covado.
Bramantes francezes a 1*600 o dito.
Casemiras de cores, duas larguras, a
l(J8lO o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 2*400,
3*500 e 4*000.
Merines para luto desde 500 rs. a 1*800,
duas larguras.
Sargelins de c6res a 200 rs o covado.
Mantilhas e fichs a 1*, 3*000 e 5*000.
Toalhas de labyrintho, riquissimas, a 25* e
30*000.
Vendas em grosso tem o descont" de
14 V0.
59BDA QTJQCE DE CAXIAS59
Piano
Vende-se um piano ,qua de Pleyer novo ; na
ra Duque de Caxias n. 54. loja._____________
Libras
Vendem se ra de D. Mara Cezar n. 26-
Farelo novo superior
Saceos de 42 kilos a 1*800
Vende-se no Corpo Santo n. 6.
Vende-se um piano
de transposigo do au-
tor Vigiles, que preci-
sa de concert. No
escriptorio deste Dia-
rio se informa quem
rende. ,
Vinho puro de Santarem
Da quinta do Barral
Os proprietarios do Armazem Central, ru>
do Cabog n. 11, avisam aos seus distinctos fre-
gueses e ao respeitavel publico que receberam
aova remessa ueste especial vinho, o qual sf
recommenda por ser puro da uva, e s se reb-
ina em seu armazem.
Joaqnim ChristovSo & C.
Telephone 447
, Muito barato
i#ooo um par
Na ra do Livramento ns. 19 e 21, tem urna
Srande quantidade de sapatOes riunos de vaqueta
ranea, obra muito forte e propria para o inver-
so, e por prego barati8Bimo, 1*000 o ar, e em
porcao ter descont.
tomou o do duque e todos quatro entra-
ram, finalmente, na capella, seguidos de
quatro testemunhas : o principe de X...
e o Sr. Diniz, por parte da noiva, o Dr.
Yamloff e Eerhoel por parte de Panlo.
O Sr. Diniz jurara, verdade que um
pouco ao acaso, a sror Maria Jos, que
dentro em dias lhe dara noticias de seus
filhos.
A Providencia nao quiz que elle uzease
um juramento em vao, e na manha do ter-
ceiro dia,cousa sem precedencia at en-
tlo, e que causou viva impressSo no con-
vento,um bolitineiro entregava i con-
dessa um telegramma concebido nos se-
seguintes termos :
c Sen marido morreu, mas eu encontr!
seu filho Henrique, digno da senhora e da
ternura que por elle tem tao heroicamente]
conservado. Estarei amanhl em Man.
Diniz.*
O duque de Reynold, a quem o Sr.
Comtois e Herminia tinham contado os
terriveis acontociinentos ouccedidoa nos l-
timos dias, mandeu chamar o inspector e
nSo quizconfiar a ontra pessoa o cuidado
de preparar a ventura de todos os hroes
do quadrapulo drama da noite de Natal.
A pedido do Sr. Diniz, acompanhou-o
ao convento da VisitacSo a ver sror Ma-
ria Jos, e ambos a levaram a cabeceira
de Paulo, convalescente.
Oo hospital do Gros Caillou, mai e filho
foram directamente ao palacio do boule-
vard dos Invlidos, donde nao mais deve-
sahir.
Peitos de celuloide com bordado imitando
pereitamente linho.
Collarinhos modernos dozia 5*000.
rara irabalbo de erochi ele
Caixas de linhas de cores com meeclade
dourado a 1*000 e um novello 100.
Punhos para homem a 6*000 a duzia.
Lencos brancos para creanca a 1*000 a
duzia.
Para baile
Lindo* ramos de flores artificiaos de seda
e com hattes de borracha.
Lindo e grande sortimento de soutache de
todas as cores para enfeitar vestidos de
creanca.
Para aa ra*. motlala*
Bicos de cores brancos de algodao a 1*500
e 2*000 a peca.
Bicos de seda de diversas cores a 5*000 a
peca.
Porta tranca de prata, tartaruga e massa.
Punhrs e collarinhos de celuloide.
E-pelhos cara dura a 400.
Para liquidar grande quantidade de fitas
modernas abatimento de 25 .0.
Fitas n. 9 a 400 o metro.
dem n. 5 a 200 o metro.
Lavrada para faxa a 2*000 o metro.
dem para faxa n. 30 a 3*000 o metro.
Espartilhos para 4*000, 5*000 e 6*000."
Para noiva*
Capellas de cera.
dem de flores de larangeiras.
Ramos francezes e nacionaes, veos, leques
e lavas.
Enchovaes para baptisado.
Tocas e capotas para baptisado e passeio.
Cintos de chagrain para senhora, largos e
estreitoa a 1*000.
Grande sortimento de galoes, palmas, ro-
sas, pingentes e guara.ic.oes pretas de
vidnlho para vestido.
Lindas costureiras ,de velludo propriaa
para presentes. /
Lindas boleas com esjojb para costura.
Grande sortimento de caixinhas com ex-
tractos propriaa para presentes a 2*000,
3*000, 4*000, 5*000 e~6*000 urna.
Livros de missa, de madreperola e de
velludo.
Lindos objectos de crystal para presente
como sejam: porta-relegio, parta-extra-
cto, porta-p de arroz de 4*500 at
12*000.
Finos alfinetes para gravatas.
Grande sortimento de broches americanos
para senhoras.
Caixas com msicas a 2*, 3*000, 4*000
at 120003.
Grande sortimento de galozinhos brancos
e de cores para enfeitar casacos e roupa
de criancas.
Porta-retratos a 200 e 300 rs. um.
Grande sortimento de lencos de seda a
1*000, 1*500 e 2*000 nm.
Guarni$5es para toilet a 6*000 e 7*000.
Lindos porta-pos de arroz a 1*500, 2*000,
3*000, 4*000, 5*000 e 6*000 um.
Finas ligas com ramo de flor de larangein
propriaa para noiva a 1*500 o par.
dem de todas as cores a 1*000, 1*209,
1*500 e 2*000.
Lencos de linho a 3*000 a duzia, em ca-
xinha.
Grande sortimento de pulceiras ameri-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 1 ?$000,
17*000 e 19*000.
Ditos para janella a 7*000.
Guarnieres para cadeira a 6*000.
Pannos de crochet para cadeira a 800 e
1*000
Grande sortimento de lavas finas para se-
nhora a 1*500, 2*000 e 2*500 o par.
dem para menina a 800 e 1*000.
Linha de machina a 700 rs. a duzia.
Idsm idem a 60 rs. o carritel.
Toalhas para banho a 1*500.
dem para rosto a 300 rs.
Babadores com inscripcSo e paisagent a
500 e a duzia a 4*000.
Grande sartimento de espelhos finos o vaos
e de canto redondo a 4*000, ^5*000 e
6*000.
103RA DUQUE DE CAXIAS103
Em harmona com os seus compromis-
808, o Sr. Diniz andn em tudo to bem
que nada transpiran dos crimes commetti-
dos pelo Sr. de Colmar.
O conde'foi declarado morto de doenca
e os jornaes noticiaram que o americano
se suicidara em consequencia da ruina a
2ue o tinha levado a sua existencia per-
ularia. m*
Natty, finalmente, desposou Branca e*
retiran se para Batavia no mesmo navio *
que conduzia debaixo de boa escorta o
condemnado Toby Hoortfroog.
riam
Esmeralda, por instigares do inspector,
que lhe exageran as consequencias das
suas relac5es com Weber, assignou, sem
ler, urna escriptura para o Rio de Janeiro,
onde um ricasso a cobrio de mais diaman
tes que de applausos lhe dispensava o pu-
blico.
JeSo Brunel, chamado pelo duque, via
realisar se o que elle julgava o mais in
sensato dos seus sonhos : subir a um lan-
dau de oito molas, guiando urna parelha
de cavallos inglezes.
Mas nSo consentio em separarse de La-
ghouat uem do Su?(ao, e obteve de seu no
vo amo, que lhe concedesse, como pensSo
ou reforma, as abundantes pastagens do
castello de Reynold.
Quanto a Athanasio, deixou o avental
de pastelleiro, para vestir a flamante libr
da casa Hautefort.
Acabara a missa nupcial.
A nova condessa de Morlac sabia da
igreja pelo braco de seu marido, rodeada
de urna moltidXo compacta de convidados
e pessoas intimas.
O duque de Reynold, muito direito,
muito cheio de si, dava o bra$o a sror
Maria Jos.
Sob o prtico, o duque e a condessa
pararam para coutemplarem embevacidos
os noivos, que Joao Brunel te ve a honra e
a alsgria bem merecidas de reconduzir a
palacio.
De repente o Sr. de Reynold, voltando
se para Eliana, disse lhe com o olhar ra-
diante de alegria : %
Como elles sao gentis 1
A pobre mSi nSo responden.
Estava verdadeiramente extasiada.
E estendendo ao Sr. Diniz a sua mao
fioamente enluvada, disse lhe :
E' ao senhor que devemos todos a
nossa telicidade!
O inspector inclinou-se, corando como
urna collegial.
NSo fuja agora, cavalheiro, disse-lhe
jovialmente o duque ao suqir para o cale-,
che ; venha para aqui. que eu aO almeco
lhe farei o mea sermao.
Na vspero do casamento de Paulo e de
Herminia, o prefeito de polica, a quem o
duque de Reyoold tinha ido pessoalmente
communicar o que o Sr. Diniz e Lerat ha-
viam feito, pedio ao ministro urna conde-
corajSo para o digno inspector e conce-
den ao agente um emprego largamente re-
tribuido.
Nessa noite ao entrar em casa seguido
pelo fiel Lerat, o Sr. Diniz abracou, cho-
rando de alegra, sua mulher e filhos.
___________________FTM___________________
Typ. do Diario, Ra Duque de iv n u. 11
t
i-
I
'
t
I
i
Y -
I
i