Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17736


This item is only available as the following downloads:


Full Text
o
77

?
,.1
'.i

I \
t
,>
I
DE
Propriedade de Mano el Figueira de Faria efe Filhos
PARA A CAPITAL E LUGARES ONDE NAO SE PAGA PORTE
Por trea meses adiantados. .
Por seis ditos idem......
Por am sano idem. .
Cada numero avnlso, do mosme da.
6000
12*000
23f000
#100
TELEGRAMAS
a immigrago, para ser applicado como mais
convier s circunstancias especiaes do nosso Es
lado.
Felicito nossa trra pela obtengo desse no-
32271(0 FA&KCULAB SO SUBIC tave auxilio..
flra, 30 de Abril.
O ministro da' Agricultura prometten me
mandar azer os estados para a coastrucgo do
prolngamelo da estrada de ferro do Rccife i
Caruar at a ciaaae de Pesqueira.
Felicito Pernambuco por mais este servico
que Ihe presta a Repblica.
Ambas essas noticias interessam vivamente ao
Estado de Pernamblco, cojo futuro econmico
vem trazer grandes alentos:
A immigraotb, que, despeilo da boa vontade
manifestada de doos annos esta parte, nao
Ftel do _almoxanfe, Manoel Joanun^ ^hegr, a produiir ^nuos pralicos para Per-
Os Srs. Amede PrinceSc C.
de Paria, sao os nossos agenta ex-
clusivos de annuncios e publca-
les na Franca e Inglaterra.
f i ,
PARA DENTSO E ROBA 00 ESTADO

RIO DE JANEIRO, 1. de Maio, s 3
horas e 30 minutos da tarde.
Foram nomeados para o Hospital Mili*
tar de Pernambuco :
1.a escripturario, Theotonio Freir J-
nior;
2." dito, Francisco Teizeira de Carva-
lao; *
Bello.
Falleceu Jos Diaria de Campos Sal
les. filho do ministro da justiga.
bambuco,--realisada agora aquella solemne pro-
ssavij: sa a&esc satas -
CONSTANI&OPLA, 30 de Abr.
Levantou-se o estado de sitio na liba de
Creta.
LISBOA, 1. de Maio.
Os operarios do Reino de Portugal mos-
traram se socegados.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
1.' de Maio de 1890.
IHSTRUCCIO POPULAR
essaic s::l:::".a?2:::
DA
TTKttATRA BRAZILEIRA
NOS
(Continuaclo)
XX
ITr Antonio fe Sania Mari Ja
boaiao
Vio a luz no sitio denominado Jaboato, termu
da cidade do Recife, em Pernambuco e professoo
na ordem franciscana em 12 de Dezembro de
1717, devendo por consequeocu.ler nascido no
principio do scalo XViII, ou nos ltimos annos
do secuto XVII pois nao era licito professar
antes dos 17 aunos, conforme muito acertada-
mente pensa o conego Feroaodes Pinbeiro, que
discorua de Ioaoceocio Francisco que em seu
Wecioruno biWlographico d Jaboato uascid
em 1695.
Exerceu Fre Antonio de Santa Mara varios
encargos na sua ordem, entre os quaes o de chro-
nista, sendo geralmeute bemquisio pela ameni
dadee Ihaieza do seu carcter. Foi tambem
membro da Academia dos Esquecidos.
Escreyeu varias obras em prosa, destacndose
entre ellas: Orbe Serapbico, novo, brasilico,
descoberto, estabelecido e cultivado a toQuxo da
nova iuz da Italia, estrella brilbante da Hejpa-
nha, latido sol de Padua, astro maior de ceu de
Francisco, o thaumalurgo Portuguei Santo An-
tonia, a quem vai consagrado etc.A primeira
parte foi publicada em Lisboa em 1761 ; a se-
gunda couservou-se por muito lempo indita at
que o Instituto Histrico do Brazil a mandou m
primir, e reimprimir a primeira parle, as quaes
fiara publicadas no Rio de Janeiro, 1859 1861,
e n dous volumes em 8." grande.
Furnece esta ebronica, diz o conego Fernao-
des Pinbeiro, abundantes subsidios aos estudio-
sos da nossa historia ; danoo mais apreviaveis
quinto sen autor parece nao ter em mira seno
relaur fados concernentes sua ordem. Assim
por exemplo, tanto coota da fundaco dos con
ventos de Iguarass, Parahyba, Recife e Pojuca
menciona successos que dizem respeilo a guerra
hollandesa, e faltando dos bemfeitores das casas
religiosas raro deixa omissos os cargos que
exerceram e os acontecimeotos em que lomaram
1 activa .parte.
Algamas inexactides escaparam ao ebro
nista franciscano, pirte assigoaladas oo erudito
iarecer apresentado ao Instituto HisU rico pelo
allecido conselbeiro Diogo Soares da Silva Bi
var, parte apontados as nolis que addicionamos
ultima edico.
Adoecia Jaboatao do ataque gongorico e res-
sumbra em suas paginas o mao goslo seisceotis-
ta. Pura e escorreita a sua linguagem, a que o
mais escrupuloso purista nao repugnar o foro
de clapsico. Confe3samos. porm, que pouco
amena se faz a leitura de tal obra pela demasa
da extenso dos periodos, e Inflndas digress6es,
que complicam o sentido do texto e geram tedio.
Faltava lhe tambem o preciso discernimento
para joeirar os fados, escoimaadoos das fbulas
populares ; excessivaera a sua piedade para en-
tregar-Be ao olus anatmico d'oode resultara a
ruina de omitas dessas formosissimas legendas
que lhe haviam embalado o berfo.
XXI
Fre anod de Santa
Itaparica
Mara
Igoora-se a data do nascimento, e a h'liago
deste distiocto brazileiro, cujo berso foi a ilha de
Itaparica quejaz fronteira a cidade da Bahia.
Deve-se julgal-o nascido no anno de 1704;
pois que na idade de dezeseis annos professou
no convento de Paraguass a 2 de Julho de 1720.
Fre Manoel de Santa Mana Itaparica gozou
fama de orador sagrado muito notavel, e de tscla-
recido cultor d.s muzas.
(Contina)
DIARIO DE PERHAIBCO
RECIFE, 2 DE MAIO DE 1890
Estad* de Pernambnco
Hontem pela manha nos foram entregues os
dous seguintes telegrammas, firmados pelo-illus
tre chefe do partido republicano de Peroambuco
Dr. Jos Isidoro Martins Jnior, e expedidos da
Capital Federal:
Rio, 30 de Abril.
A' instancias minhas e de mais alguns per-
nambucanos, aqui residentes, o ministro da agri-
cultor* vae mandar entregar ao governador de
Pernambuco o crdito destinado as despezas com
messa do ministroentrara definitivamente n'om
periodo fructuoso. y
Sabido que as condices ecbnomjlv.cumato.
lgicas e outras varia de Esta Jo E3rado as
vastas regiOes dos Estados-Unidos do Brazil; e
sabido tambem que, difficiimente, taes condiges
sao aquilatadas com seguraoca distancia em
que tica de cada Estado a Capital Federal, onde
alias os negocios de interesse geral desviam a
attengo do governo dos negocios que mais de
perto interessam aos Esta los ; comprehende-se
fcilmente o alcance da medida lembrada ao hon-
rado ministro da agricultura, e por S. Exc. ac-
quiescida, para proveito de Pernambuco, relati-
vamente immigrago.
E' aqui, com eSeit, que sao melbor conbeci
das as circunstancias que militam, as condices
que se impem solugo do problema do povoa-
mento da trra. E' d'aqui, portante que deve
partir o impulso necessario para a creagao de
corren tes migratorias para Pernambnco.
E releva diftr que j existem feitos alguns
trabadlos ne3se scotido; sendo evidente que a
medida qaestionada, pondo larga a administra
gao do Estado, dando-lne todas as ensanchas
para agir na especie com a maior energa e toda
liberdade, facilita-lbe o proseguimento desses
trabalbos at o definitivo estabelecimento dos
bragos de que tanto carece a lavoura, ou venbam
elles de fora do paiz, ou deriven) dos demais
Estados da Uoio, on finalmente provenham do
aproveitameoto dos que, aqui mesmo, afastados
do trabalbo por causas diversas, podem ser uti-
lizados nos meneios agrcolas com vantagem para
si e para o Estado.
Assim, claro, icquestionavel que, no ponto
de vista da mmigracao e colooisaco. o illus
irado Dr. Martins Jnior prestou um relevante
servico ua trra, trra* de todos nos, obten-
do do ministro da agricultura a satistaccao de
urna necessidade que desd muito se impunba e
para implemento da qual tinham sido baldados
mullos esforgos.
A outra medida aonunciada nos telegrammas
citados,o proloogamento da lioba frrea de Ca-
ruar at a cidade de Pesqueira, um dos entre-
postos sertaoejos de Pernambuco, igualmente
de grande alcance.
A questao da viaccac accelerada ha longos an-
nos est jalgada ; e pdese dizer sem exagero
que o paiz mais feliz, sob as relages econmi-
cas, o que maior somma possoe de kilmetros
de vas frreas. Estas desenvolvem a produeco,
eslreilam as relacoes sociaes e polticas, criam
interejses novos, e portanto ceotuplicam a ri-
queza e fomentam o progresso e a ordem.
Desenvolver, conseguiotemente, a viaeco fr-
rea de Pernambuco dar lhe poderosos elemen-
tos de prospendaae, auxiliare sea desenvolvi-
mento econmico, desanavianrio-the o futuro.
Todas as nossas vas frreas carecem de des-
dobrar se e enlender-se. A do sula ferrovia
Recife a S. Franciscoprecisa attiogir o sea ter-
mino e ter ramaes que lhe aproveltem toda a
zona attractiva. A do nortea ferrovia Recife
Limoeiroprecisa caminbar para Bom Jardlm
indo at o Ceara, por intermedio da Parahyba. A
do centroa ferrovia Recife Caruarpor ventu-
ra a de maior futuro, precisa attingir o Piauby, e
o sen caminho por Pesqueira.
Foi. de certo, visando estas ideas geraes, que
tantas vezes temos externado accordemente com
distinctos "rofHsionaes, ideas que assentam em
fundamentos polticos e econmico sociaes, que
o llustrado Dr. Martins Jnior, animado do r-
deme desejo de ser til sua trra, conseguio
do ministro da agricultura a promessa de man-
dar fazer os estados do trecho frreo que condas
Pesqueira.
E a sequenicia de urna grande poltica, que
visa edeve se'extremarem conseguir ligac&o de
todos os Estados da Uniao Brasileira por meio de
linhas frreas: e, em particular, o trecho referi-
do interessa sobremodo Pernambuco, porque
vai levar aos seus sertoesmais feriis a vida que
lhe? faltd^>elo desenvolvimenio da produejao,
isto da riqueza.
Bem haja, pois, o Dr. Mariins Jnior pelo bem
que ao Estado de Pernambuco vem trazer a sna
iniciativa em medidas de to grande alcance.
Por seis
Por nove
Por um
Cada numero avulso, 4a
mesM' iuimImIm .
ditos dem. .
anno idem. ...
13(500
300000
26^000
4100
deveodo o peticionario pagar o porte n
licito des correios.
Benjamn Ismael Alves Santos.Ao Dr. juiz
de direito da comarca de Barreiros para infor-
mar.
Dclmiro Sergio de Fanas.Informe o cid
inspector eral da Instraoco Publica.
Alferes Francisco Gabriel das Chagas I
no o 1 batalhao do servico de reserva da
da Nacional para a elle ficar aggregado o Delicio
nario.
Francisco Jos da Silva.-IrJforme o cididao
inspector especial de trras e coleaisaco. ,
Gerente da Recife DrainageNao ppdendS fa
zer-se effectivo o pagamento por perencer a tim
exercicio ja encerrado, aprsente 'o pe-
nario na Tnesouraria de Fazenda, conforme opina
o respectivo inspector em oficio a. 301, tB 19 do
crrante, aflm de ser relacionada* divida de que
credora a com?anhia Racife Draioage.
GaldTno de Vasconcellos Bello. Encaminhe-se
devendo o peticionarlo pagar o porte na repart-
vSo dos Correios.
Henrique Florentino d Silva Santiago.Infor-
me o inspector do Thesouro do Estado.
Joaquim Alfredo de Aquioo Fonseca.Nao ha
o que deferir, vista do artigo 1 do decreto de
15 de Dezembro ultimo.
Joo Lina Cavalcaote de Alboquerque Sim.
com o oflicio de boje ao inspector do Thesouro
do Estado.
Jos Hoive -Informe o inspector do Thesou
ro de Estado para atteoder, de accordo com sua
ioformacao de 26 do correte, n. 280.
Jos Honorio Pires Ferrera.Informe o cidi-
do inspector geral da lostroccao Publica.
Jos Goncalves dos SantosIndeferido, visto o
parecer do conseibo luterano.
Joao Guilherme DantasO quadro da otTiciuli-
dade do corpo de polica est completo.
Julia Jacobina Borbarema de BurgosInforme
o inspector geral da Instrucco Publica.
.4lferes Joaquim Albino das Chagas e Silva
Designo o 1 batalbSo de infamara para a elle
ticar aggregado o peticionario.
Manoel Goncalves de SiqueiraAo Dr juiz de
direito da comarca de S. Bento para informar.
Mara Cavalcante de Albuqnerqoe Parias. In-
forme o cidad&o inspector geral da Instrucgo
Publica.
Manoel Lopes Machado Ramos.Indeferido,
visto que a casa o. 6 da roa da Ve nha, nao esta
as condicoes expostas como informa o engeohei-
ro Macal da companhia Recife Drainage.
Miguel GracomoAo inspector da Thesouraria
de Fazenda para informar.
Capitao Tbeolindo Augusto do Rogo.Remet
lid o ao com mandante superior da guarda nacio-
nal da comarca do Recife, para mandar passar
a guia de qce trata o o art. 45 do decreto n.
1.1 (0 de 12 de Marco de 1833.
Tbomaz de Cantuara Pires Ferrera.Informe
o cidado inspedor geral da Instrucco Publica.
Secretaria do Governo do Estado de Per-
nambuco, 1 de Maio de 1890.
O porteiro,
H. M. da Suva.
se-se a quota da cadeira de Cascar dos Orpbaos
para a de Santo Elias no Espioheiro.
j Antonio Fernando de Carvalbo.-4tto ha mais
o que deferir, em face da iotormaco do delegado
liiierario de Brejo
{MRESPOMMIAS
dos
PARTE ornciAL
io do Estado de Pernam-
buco
?en
DESPACHOS DA SECRETARIA DO GOVSBSO
DO ESTADO DK PttRTIAMBCCO, 29 D ABRIL
DK 1890
Abaixo assignados, empregadon do commer-
co de Goyaana.Deferido, com offioio de huje
Intendencia Municipal.
Abaixo assignados, habitantes do Olbo d'Agua
des Bredos.Kasse portara, transferindo_ a ca
deira mixta de Pao de Assucar para o pbvoado
de Olho d Agua dos Bredos.
Capitao Antonio Carlos dos Santos Mergulhao.
Como requer.
Antonio Duarte deFigueiredo.Encaaanbe-se,
2.*
licia
Repartirlo de Folela
seccSo.N. 97.Secretaria de Po-
do Estado de Pernambuco, 1 de
Maio de I89t
Foram hontem recomidos Casa de Detencao
os individuos de nomes Joo Sooerano da Silva,
Antonio Francisco de Lima, Jos Soares, Sera-
fina Silvino dos Santos e Jos Bello de Araujo.
O subdelegado do 1. distncto do Poco da Pa-
nella fez tambem recolber hoje aquel le estabele-
cimento o individuo de nome Jos de Lima,
counecido por Jos Burro, pronunciado no termo
de Nazareth em crime de fermentos.
Pelo sub lelegado do 2. districto de Be-
beribe foi remettido a) juizo competente o ia-
auento policial a que procedan contra Francisco
de Asis e Souza, por baver no dia 6 do mez
lindo tentado matar a Joo Francelino de Souza
e lendo levemente a Sabino da Silva Gaimaraes.
Pelo subdelegado da freguezia de Santo
Antonio toi tambem remanido ao Dr. juiz de
direito do 2." districto criminal o ioquerito a que
procedeu contra Alves da Silva e Joo Gualberto
de Castro Sonsa, par baverem na manb de 19
do mez fiado subtrabido do cidado Luiz Pereira
de Lyra a quantia de 200*000.
Communica o delegado do jtermo de Pa
nellas, que no dia 28 do mez findo foi preso, por
crime de furto de cavallos, o individuo de nome
Tbomaz Ferrera Lima.
O referido individuo, depois de preso, disparou
tres tiros de pistola contra o subdelegado Jero
nymo Cavalcante da Silva, que felizmente nada
8oreu.
A tal respeito procedea-se nos termos da le.
O chele de polica,
Antonio Antones Ribas.
. ALLIANQA, 24 de Abril de 1890.
Anda que eu nao seja missivista do Otario,
tQttttvia solicito espaco para as seguintes linhas.
O invern apptreceu por aqui, depois de mui-
to esperado, animando aos agricultores e dando
vida s plaoras, muitas das quae3 j se acravam
crestadas pelo sol.
Os vveres nao esto baratos, mas de espe
rar que em breve, qom a continiwcao -das chu
v, voltem aos precoa de outr'ora.
Tem affluido para aqui grande numero de re
tirantes, viudos flo seno, tangidos pela fonje e
secca, muitos delles vivem pelas ras deste po-
voado implorando a caridade publica, visto nao
acbarem meios de subsistencia.
Est funecionando regularmente a com-
mi?sao de qualilicagj de eleitores do districto
de paz deste povoado na respectiva capella,
sendo composta do capitao Paulino Pedreira de
Albuquerque, 4 juiz de paz, como presidente.
dos, cidados L'llysses Barbosa Gomes de
Araujo, subdelegado, Silvestre Piree de Azeve-
do e capitao Antonio Bernardo Lopes Lima, oo
meada pela intendencia municipal de Nazareth,
tendo at aqu corrido regularmente os traba-
lbos.
O capitao Antonio Bernardo Lopes Lima con-
tina como agente do correio desta povoag. E'
cidado apto e morigerado, que desde idade de
18 annos presta servics patria e sempre sa
tisfeito. Agorr mrsmo foi elle nomeado pela in-
tendencia municipal desta comarca pare fazer
parte daquella commisso dislricial.
Occupa o lugar de agente do correio ha mais
de 8 annos e tem desempenhado sempre bem os
seus deveres.
Sendo esta agencia considerada de 4* classe
s lhe d direito ao mesquinho ordenado de 20 j
mensaes. Recebe e expede amb>s as malas dia
mente, distando este povoado da estaco da
va frrea mais de um kilmetro, sendu preciso
assislir chegadi e volta do trem que parte do
Redfe Timbauba.
Acbando-se em avancada idade e a sea cargo
a agencia do correio, era justo que S. Exc. o
ministro da instrucco. correio e telegrapho
passasse a agencia para 3a classe ou lhe cooce-
desse a aposeotadoria.
Nesta comarca nao existe cidado algum que
conteste o que aqui b'ca dito sobre o capitao
Antonio Bernardo Lopes Lima, que, dispondo
de recursos intelkciuaes e apto para oceupar
Jualqoer emp-ego publico, tem exercido cargos
e con (anca di goveroo em diversos lugares e
sempre os tem desempenhado satisfactoria-
mente.
Justiga a quem merece.
AGRICULTURA
de
Thesouro do Estado
Pernambuco
DESPACHOS DO DIA 30 DE ABRIL DE
1890
Ricardo Fonseca de Medeiros, Francisca Sera-
phica de Assis Carvalbo, Francisco Jos de Mo
raes Silva, Antonio Gomes Late Elseo Maximino
da Silva Gusmo.Retistre-se e facam-se as de-
vidas notas.
Antonio Jos Moreira, capitao Joo Pereira do
Nascimento e Austricliano Coutinho Ponce de
Len.Sim.
Rosalina Maria da Conceico Oliveira, Conrado
Wachsmann, Manoel Numeriano Gomes da Silva
e Aqueiino Ribeiro da Cuaba Oliveira. Informe
o administrador da Recebedoria.
Joao Carlos de Mendonca Vasconcellos, Joo da
Silva Villa Nova, Joaquim Cavalcante de Alou-
qnerque, Joaquim Pire.- da Silva, Florimena Joa-
quina de Mello Montenegro e Companhia Pernam-
bucana coste ira por vapor. Haja vista o Dr. pro-
curador flsv-al.
Jos Victorino de Paiva, Sebaslio Antonio do
Reg Cavalcante e Joo Pires Ferrera.Informe
o Dr. contader.
Jos Leopoldo Bourgard.Pague se.
JoSo Lins Cavalcante de Albuquerque.Satis
faca-se a exigencia da contadona.
Francisco Ferreira Campos & C, Jos Antonio
Dotningues Figueiredo & CInforme o adminis
trador da Recebedoria.
DESPACHOS DO DIA 1. DE MAIO Da
1890
Henrique Florentino da Silva Santiago, officios
do inspector da Instrucce Publica sob ns. 73. 74
e 75, e idem do provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife.Ao cidado Dr. contador.
Ponto flos empregados da Bibliotheca, referente
ao mez de Abril prximo Ando.Ao cidado the-
soureiro para os devidos flns.
Inspectora Geral da Instrucco
fubllca do Estado de Pernam
bMCO.
DESPACHOS DO DIA 1 DE MAIO DE
1890
Mara do Patrocinio Cavalcante Uchoi Pas-
Resumo da conferencia
Bafcaada no dia 5 de Abril de 1890, no
sal3o da Intendencia de Campo** pelo
engenheiro Lue de Caatilho, director
da Repartilo de Agricultura e Indus-
S trias do Estado do Rio de Janeiro.
Honra-me em extremo o selecto auditorio a
que me dirijo porque elle compde se do que ha
de mais llustrado e competente no assumpto de
que vou oceupar me.
Eu nao venho aqui fazer um discurso com
esses atavos de linguagem que tanto prendem
pela esthetica.
Nao tenbo prelences a orador, nem to pouco
poflena cuidar da satifaco de semelbante vai
dade quando ten lio lio imperioso dever a cum-
plir, qual o de esforcar-me em coacorrer com-
vosco pare o engrandecimento de nossa patria),
pugnando pelo progresso de urna de.
Toas mais importantesfontes de produeco.
Tambem nao tenho a velleidade de querer
aqui doutrinar, porque sei perfeitaraente que me
dirija a um auditorio iilustradissimo, que conta
em seu seio boujeus de saber e pratica, dos
quaes at me honrara em ter sido discpulo ;
mas eslou crate de que destas nossas reunioes
resaltar grande utilidade para o fim que temos
em vista. Quantas versa aquillo que isolada-
uiente pensamos e calculamos hesitamos, entre
tanto, em fazer a devida ;'pplicaco pelo natural
receio do insnecesso, ao passo que da delibera-
co collectira resulta sempre o impulso decisivo
que converte em realidade as mais bellas con-
cepfOes
Ets como se explica a minba presenga diante
de vos, nSo como auto-idade, que tal nao me
posso julgar, mas como h'amilde collaborador da
grande obra que todos desejamos edificar.
Ha pouco tempo Uve a honra de tragar vos
desta tribuna, em mal abobadas phrases, um
esbogo geral do estado da nossa agricultura e
industria assucareira : boje trataremos mais de
talludamente dessas quesiOes que tanto carecem
do nosso collectivo esforgo para receber o ne-
cessario impulso da iniciativa particular, essa
poderosa alavanca com que se realisa o pro
gresso de todos os povos.
Todas as industrias, para que possam otl'erecez
resaltados vantajosos, devem antes de tudo ai-
tender para a qualidade e custo da materia pri
ma de que se ulilisam.
A bell i industria de oue nos oceupamos nao
se senta dessa regra : com a adopeo dos novos
meios extractivos, em substituico aos que lo
atrasados e defeituosos possuimos, j conquista-
remos cultamente vamajosissima posico, mas o
xito s ser completo e seguro quanlo pro-
dueco da materia prima presidireui tambem os
cecessarios cuidados e aperfeicoamentos.
Em relacao cultura da canna estamos muito
longe da peifeico : vemos apenas o emprego do
arado no preparo do terreno e nisto cifra-se, no
geral, a nossa arte agrcola que est, portanto,
na sua mais tenra infancia.
Predomina entre nos o systema de alqueives
ou trras em descanto, nico meio de que em
geral se servem os nossos lavradores para re-
novarlo dos terrenos.
Em cultura alguma tao prejudicial esse sysa
tema como na cultura da canna : basta conside
rar que, nao podendo ella existir sea a indus-
tria extractiva e, sendo as fabricas obrigadas a
ir receber nos cannaviaes a materia prima, em
pregando nisso custosos meios de transporte, a
i'abricaco ser tanto mais enerada quauto maior
for a rea do terreno sobre que tiver de esten-
der se a rede de viacao para transporto da mate-
ria prima.
Outra circumstancia, porm, muito mais grave
fe offerece oara coademnar semelbante syste
ma : as colheita9 obtidas do mesmo terreno dei
xado em descango vo gradualmente diminuindo,
at o ponto de nao compeaearem as despezas da
cultura
A causa des;e decrescimento resulta, como sa
beis, do seguate facto : cada colheita retira do
solo urna certa porco de substancias de que se
alimentam ou sao constituidas as plantas.Os
terrenos deixad03 em pousio nao readquirem
esses elementos ; apenas a influencia atmosphe
rica torna assimilavel a parte
mentos anda deixados pelas.
mas aSnal ua colhitas irao eseasasaado na pro
porgo do e>gotameato.dos referidas efoaeatos,
esgotamegto que ser tanto mais rpido quanto
mais promovrrmos o augmento da prodieco.
sem cuidarmos da renovacao dos ditos elemen-
tos de ferlilidade do solo.
E', pois, como*temos, um perigb empregar as
lavras profundas em am terreno sem o emprego
simultaneo dos estrumes, parque as ditas lavras
promovem a dissolugo dos saes terrosos, ex-
pondo o sub solo s influencias atm.isphericas e
as eclbeitas repetidas podem' portanto esterilisar
completamente o terrena.
Terrenos ba, porm, que inundados annnal-
meate pelas cheias dos nos receben, por essa
forma novos contingentes de saes fertwantes, e
por sso Kccepcionalmenlf conservam ama certa
fertilidade.
Fra desses, porm, a estrumaco urna ne-
cessidade impresclodivel.
Por um simples exemplo comparativo pode-
mos calcular quanto aos prejudica a falla de es
trumaco completa dos nossos caanaviaes :
No Guadeloupe, cujo terreao inferior ao aos
so, a prodoeco por Declare de 60 a80 tonela-
das, havodo exemplos de 100 toneladas e mes-
mo mais: aqui em Campos, entretanto, neste
torro privilegiado, a preduccio aoje, segundo
soa informado, de 200 toneladas por miaira oo
alqueire, medida vulgar de superficie que cor-
responde a 4 nctares e84 ares, correspondend)
portanto essa prodoeco a 41 toneladas por
heclate.
Se empregarmos aqui a estrumaco e mala
preceitos da arte agrcola, em terrenos mu su
penores, como sao os nossos aos da Guadatoa-
pe, pro va ve l que consigamos aaa prodncc)
de 100 toneladas.
Tomemos, porm, somente 80 toneladas e te-
remos um augmento de 39 toneladas sobre a co-
lheita actual.
Seja o prego por tonelada 6#, seria para as 39
toneladas 2341.
A despeza com estrumaco no Goadaioope ,
no mximo, de 250 francos por fteeUre. Seja
para n3 de 300 francos ou de 120*.
0 lacro liqaido que nos deixart a estrumaco
por bectareser de 23S -120*=-irU. ou mul-
tiplicando este resaludo por 484. uaz accresci-
mo de 5l*760 por quadra ou aiqaetre.
NasAotilbas francezas aestraucio afeitado
seguate modo: o estrume de carral caocado
nos sul eos que tm de receber a ataaca
Esta qualidade de estrumes atti sempre em
pregada, principalmente poroceasa da planta,
gao porque, alm de cooter elle ak sahstanraas
nutritivas pareas plantas, conten taathea a ma-
teria orgnica que facilita a assiaiacao dos saes
comidos no solo. '
Para obter-se a quaatidade necessana desses
estrumes faz se o gado dormir emesrraes adre-
de preparados e coastroem-se estnuaeins.
Sentiores, a agricultura aio pede ibsoluUmen
te dispensar os estrumes aaiouese. pdHuito. a
industria agrcola nao pode existir ssai a indus-
tria pastoril : ellas aaxiiiam-se mf iiian'nte, a
agricultura produz a alimeatacio sarao galo e
este fornece o adubo para as trras.
Entre nos, porm, com a favaera tfe simples
descorlinamento de trras fitgeat e sfsceaaa de
alqueires, nenboma importancia luna Rgado 4
industria pastoril: o gado qaeaoaaatstcon-
siderado apenas como um iaoa de sem atteoco i sua grande milidada caaw ele
meato renovador da fertiidade das tarra; salto
as vastas pastageris, de onde smeatetretirado
nara os m ysteres a que desusada, aia recebe
tratp.mento" algum de que te asm Cater meo
coJ
Esta pratica tem coacorrido emaaxKhnsa-
te pareo aoiquilamento das racas daooiso ga
do novino, muar e ca vallar, cuj degeaweacen
cia tanto se acceotua nos exeapiara racniucoa
que vemos por toda parte.
Os nroprioe animaes, desttaados aa servico
domestico e da lavoura, ao receben entre aos
conveniente tratameato, podendo ana servir para
demeostracSo o exemplo do gado Vtfaido ao
servico da lavoura, o quat por toda parte se
a presenta magro, raen i tico e atadas exea co
berto de vermes parsitas, seato aeceasarie um
numero elevadissimo de animaes pan Caer
tracgSa de am vehculo occapad eom bou car-
ga relativamente ridicula!
Disto tem resaltado innmeros prejoizos que
s por inadvertencia lm sido ate Uuje deapre
zados, taes como: i; o excesiw capital em
pregado em um numero ds animaes amito su-
perior ao preciso ; 2*, o tempo despendido em
dobro nos respectivos trabalbos, em conseqnea
cia da desigualdade do esforco de aaiowM en
fermos; 3% a rpida depreaago do capital pelo
aniquilamento do gado, em coasequeacia da fal
ta de trato conveniente, etc.
Para a lavragem das ierras e mais servics
culturaes deve se preferir o canda aa oo, cujo
passo pesado dispende maior tempo para pro-
duzir a mesma uni iade de trabalbo.
Para o servico de traeco tambem preferivel
o emprego de muars em vez de bois: Io,_ por-
que augmenta se com os muars a velocidade
aa traeco e, portanto. ecoaomisa-se tempo e di
nheiro; 2, porque adoptam se vehicolos mais
leves em logar desses pesados e anachrooicos
carros de duas rodas, cada ama das quaes um
elemento de destruigo para as estradas.
O gado vaceum pode sec destinado exclusiva
mente produego de leite e carne, salvo casos
ituito excepcionaes. Deve, pois, ser tratado
com esmero, como requer o nm a que desua-
do, em estabulo- e curraes coaveuieotemeote
dispostos, de modo que se ao deseure o apro-
veitament'o dos estrumes, tim principal da in-
dustria de creago exercida simattaaeameTe
com a agricultura.
Nao queremos com isto dizer que sejam sup
Imprimidas as pastagens, os campos de creago;
estes continuaro a ser de grande utilidaie jara
a estada do gado dorante o dia, porque aos
curraes o gado s deve ser recoinido noite;
aos e8tabulos s devem ser recomidas as vaccas
de leite e os bois j promptos a serein vendidos
para o corte, isto aqueiles que, tendo recebi-
do os ltimos cuidados, attingiram ao mximo do
peso.
A nenhuma cuitura toadaptavel a industria
pastoril como a da canna de assucar; nao s
porque para essa cultura eseolhem-se de prefe-
rencia terrenos planos ou pouco accidentados,
onde a cuitara das forragens pode ser mais f-
cilmente exercida, como porqae a propria palha
da canna e principalmente a olhadnra fornecem
urna atimentaco abundantissima, durante cerca
de seis raezes do anno.
Alm oisso vemos que, retiradas para to til
emprego as folhas verdes das canoas na occa
sio do corte, muito faciliu se as limpas dos
cannaviaes, sera recorrer s queimas que tm o
inconveniente de destruir o que to necessario
vida das plantas, a materia orgnica.
E' certo que as queimas tm a utilidade de
destruir os insectos prejudiciaes s plantas, mas
por outro lado aquelle inconveniente bastante
grave para que se deva adoptar esse meio, de-
vendo se estudar outros que o possam substi-
*Uir, como, por exemplo, o emprego das cinzas
provenientes das fabricas oa prodaziilas em fo-
gneiras i3oladas '(que vulgarmente cbamam-se
coivaras, etc.), etopregano se as queimas so-
mente em casos excepciona>:s.
Os estabulos construidos segando as rejtras
estabelecidas para o aproveitameoto de todos os
lquidos resoltautes da permanencia do gado.
devem ter caoalisago para as respectivas es-
trumeiras.
O gado deve ser dividido em tres classes, a
saber: a 1*, constante do gado solt as gran-
des pastagens; a 2a, constante do gado que ja
est a metupr trato, isto que se acna recomi-
do a pastagens especiaes e recomido noite a
carrees, onde recebe rago de forragens; a 3^,
analmente, constante do gado recoinido aos es-
tabulos e prestes a ser exportado para o mer-
cado.
Deste modo o gado, acbando-se perfeitamenti-
dividido em tres grupos distinctos, segundo o
sen estado e condiges de tratamento. pode ser
fcilmente tratado com os cuidados requeridos
pelo seif-estado, e o proprietrio, conhecendo
com exactidc o nemero e valor da sua criaco
ter tambem evitado todas as cansas de prejui-
zo por extrao, etc.
Parece primeira vista que a criacio feta
lei da naturesa, como at aqui temos pratirado,
deva ser a mais lucrativa, porque mu peqoena a
despeza a que ella por esse modo obriga a de-
monstragao do contrario seria fcil de produzir,
mas para que estender-mos em tal discussao :'
Os fados abi esto dispensando quaesqaer ar-
gumentos : Quantos criadores vemos entre nos
accumulando grandes fortunas, a nao querer-
moa citar algumas excepges ?
Entreunto, seahores, na Australia fazem-se
fortunas colossaes na industria pastoril pela
cultura aperfeigoada de tal sorte que, esse paiz
duas vezes mais afastado do continente europea,
enva para all os seus productos, em vapores es-
pecialmente construidos para tal fim, quando
nos com pastagens natoraes de um valor ocom-
mensuravel, nem se qaer prodazimos o suffieiea-
te para o nosso consamo, como prova o eleva-
dissimo prego a que tem attingido a carne no
nosso mercado.
Pare justificar este fado qaasi inacreditavei.
assim como a alta de todos os gneros da nossa
lavoura, argumenta-se com a secca que flagellou
o Brasil iateiro dorante os dous ltimos annos.
Para as provincias onde a seeca fez desappa-
recer os corsos d'agua a razio justa; mas por
ventura o Rio de Janeiro est em taes condi-
ges ? Ao Rio de Janeiro, cortado por tantos
ros e ribeiros fartissinos d'agua, anda as
mais calamitosas seccas. pode porventnra ser
aceita essa juslicago ?
Nao, senhores a causa' de termos soffrido tan-
to com a secca o descuido com que temos tra-
tado a questao mais importante da arle agrcola ;
la plus importante des ameliorations que ion
patata apporter aux prairies c'es l'irrigation > die-
se o eminente Mathieu de Dambasle.
Entretanto, senhores, no nosso paiz, e prin-
cipalmente no riquiasimo municipio de Cam-
pos, verdaderamente fadado para o maior suc-
cesso da arte agrcola, pela sua topographia e
eondicOes excepcional, a lavoura nada tem
feito para evitar os enormes prejoizos que lhe
caosam as seccas quando o sea terreno ba-
nhado pelo seu caudaloso Parahyba e cortado
por tantos nos e ribeiros I
Os meios os mais simples bastaro para a irri-
gaco destes terrenos: entre outros lembrar-
vos-hei o estabelecimento de moiobos de vento,
i margem dos ros, para sugarem a agua destes
e a di8tribuirem pelos terrenos em cultora.
Para a distribuigao pelos terrenos bastar a
abertura de vallas com comportas, etc.
A (orea motora para este systema de irriga-
gao gratuita e quasi constante neste munici-
pio, onde nota-se que justamente durante as
seccas reina constantemente o vento nordeste,
qoe i como que ama indcarao fei.a pela pro* ,
pria oatureza do correctivo a esse contratempo.
En peco a vossa especial alteogo para esto
ponto que ba de representar um importantissi-
papel no aperfeigoamento dos actoaes njoces-
sos de cultura. Como vedes, os meios ahi esto
ao alcance dos mais modestos haveres : com in-
significante dispendio podis vos collocr a
coberto da maior caiamidade que costuma pe-
sar sobre as vosoas lavouras caiamidade que
nao raro chega a reduzir as vossas joolbeitas a
um terco e anda menos. ,
Quando, alm das elegantes chamins que
erguendo-se aqui e all realgam a peregrina bel-
leza das margeos campistas do Parabyya, vir-
aras erguerem-se tambera nnumeros moiobos
de vento que, uraados com as suas graciosa
asas, dnro vida a esse esplendido quadro de to
graciosa perspectiva, tornando ao mesmo lempo
verdejaotes pela abundancia da seiva e frescura
dos bellos cannaviaes que ornam os campos|e ale-
grara a al na generosa do nosso agricultor, en to,
seahores, poderemos saudar a aurora de urna
oo a era de prosperidade real e solida, porqae
asseotar sobre bases laocadas segando os prin-
cipios da seieocia e preceitos da arte.
Para fazer se idea da importancia desta ques-
tao para a cultura da canna, considere se que
um bectare que pode produzir 80 toneladas de
cannas em perfeitas condiges de cultura e fa-
vorecido pela estago, baixa as vezes prodc-
elo de 20 oa mesmo meaos toneladas pela in-
fluencia da secca.
Sendo assim ha ama perda de 60 toneladas
por bectare, o que em urna lavoura de 50 hec-
trea dar um prejuizo de 3,000 toneladas que,
ap prego de 6*, sero 18:0004000.
Colculando agora a despeza a fazer-se com o
estabelecimento da obrigago nesse canavial,
teremos :
Moinho de vento e bomba para a margem do
rio 3:0004000.
Seja o terreno dividido em quadros de 1 bec-
tare, teremos para cada hectare 400 metros de
valla e para os 50 heclares20,000 metros.
Tendo os valles 0,5>(0,4==0,1202 o prego m-
ximo ser de 200 rs. por metro correute.
Logo, sero para toda a canalisagio.........
20,000 x 200=i:0000 JO
A despeza total com a irriga gao: ser, portan-
to, de 7:00050JO, os quaes deduzdos do aug-
mento da produeco deixam um lucro liquido
de 11:00050(10.
Nos annos subsequentes esse lucro ser muito
superior, porque a despeza uuica ser com, a
limpeza das vallas.
Atteodei agora a urna confiderago de bastan-
te importancia :
Na* actoaes condiges do trabalbo agrcola,
para o qual vos faltara os bracos, o meio nico
de atlrabil-os e elevar o salario, isto estabe-
lecer o i icentivo para o operario agrcola, como
se faz em todos os ramos da actividade humana.
Ora, com os nietos al hoje empregados na
cultura parece assSs prova lo que tal medida nao
pode applicar-se porque os resultados nao com-
pensaran] o aagmeuto de despeza ; urge, pois
cuidar se seriameate do aperfeigoameao dos
procesaos de cultura e todas as mais questes
que a esta se prendem.
Seobores. Na industria assucareira a qnestSo
principal a da extraego a mais completa pos-
sivel da substancia sacchanna couda as can-
oas-
No relatoro que apreseotei ao rarais'.erio da
agricultura, de volta da viagera que tiz s Anti-
Ibas para estodar a diffasn applicada caona
de assucar na usina Duquerry, dis3e toda a ver-
dade do que observei as experiencias feitas na
dita fabrica, a qaaes acomp?nhei Com a mxima
attengo, tendo em vista nao prejudicar aqui os
meus compatriotas com inforraages falsas devi-
I das ao meu pouco cuidado.
Pois bem, senhores, para vo dar ama prova
da sraceridaie da minba exposigo e do quanto
me esforcei para ser til ao mea paiz, eu voo
SI*.--*'
-
' I
/



-&**$9mw*-]
SgPSES.'
i
Diario de Pernambnco-Setla-i
aaaaaaaaa- 111
ler-vos urna carta que acabo de receber de Gua-
.deloape, assignads P* m *>* a*i*ha*' f-
bricaotes de assuear co^ueo.tivoOacaitiodo
eotreler relacoaa,w coa*QdMMqMtsta* as
ioteressantes qnistoea'Maa Mlla i*4itria. .
EU a carta :
pointe a Mire, MMeloope, l 20 Jastter
1890-
. Moa cher Mr. de CaatHbo.
Jai la svec l pas vif krtrt sst le
ai des Fabricante de Sucre autos puta* ii
soas la direction es Mr. G. Bmi, os* de
et 80 Novembre co,.le narre avtfltre rap.
au Gouveroemeal B.-slIien, sur lesessais de'dif-
fasioa effectus Duquerry. Permettez ici, saos
que votre modestie eu soulTre, que je voos feli-
i cite des conclusin* que voas en ave tir.
< Ce rapport bien que sacciot jetera, jen ai
la ferme conviction, un tel jour sor chaqu phase
de la dilTusion que les dernires bsitatioos des
icrdules tomberoot eolio.
Voas ave contribu. Mr. de Gaslho, daos
une Urge proportion a l'adoption denitive dla
diffusioa. et de ce fait, vous aves renda 4 riadas-
trie du sucre de can n es, par trop coa ti te en rou
tine.
t Je me felicite de me trouver ea paraite
communion d'idea avec vous, et la lecture de
votre rapport m'a confirm en plus la justesse
de mes observatiens.
. Assignado.B. Fignret, chefe de fabrica
tion a l'osine Darboassier.
O chele de fabricaco da asina Darboassier,
meas senhores, am profissioaai habilissimo
que tanto sabe dirigir a marcha da fabricaco oo
interior da fabrica como manejar os delicados
appai elbos no laboratorio chimlco com a mxima
pericia; reaae scieocia ama pratica iovejavel.
Elle acompanUou comraigo as experiencias da
diffusao oa usioa Doquerry.: trabalhmos juntos
noHe e dia naqoeila fabrica para nao perder urna
so das provas pro ou cootra esse systema e,
como vedes, ibegmos 4 mearaa coaclaso; a
sua carta simples e despreleocioaa, como soe
ser justamente a maneira de se expressar do
bomem coavicto, francamente vol diz.
Outros testemuohos ainda vos poderia boje
apresen lar corroborando as miabas asserces
obre a diffusao; porm eatendo que nao o devo
Porque nao vos devo eu merecer iatero cre-
Deixando familia, patria e emprego rendoso
para ir com mingoados recursos a duas rail le-
guas distante dedicar-me ao esludo de ua pro
blema do qual depeadia a principal industria do
mea paiz, tive a nica recompensa a que aspi
rava : a satisfaco de ter cumprido o mea dever,
trazendo a soluto de que a industria careca.
i 43om effeito, senhores, a soluco da questao
-o<"ieootrarei8 oo mea modesto trabalbo : a
tfftt" com defecando efectuada nos proprios va
as diffutonot. A descnpcfio ah esta eita mi
uciosamenie e, portento, desnecessano can-
sar, aqui a vossa atteocao, abosando da vossa
benevolencia. ... '_ ..'.
O segredo da diffusao da canna foi anual aes
teberto, como ah veris demonstrado, e com
muito mais vaotegem do que se coosegue com a
beterraba, pois que gopprimem se operacoes e,
portaoto slmplifica-se a fabricaco.
A questao do combustivei, comquanto seja se-
cundaria, como ja vos demonstrei em minha pri-
meira conferencia, aqu acha-se lambem perfei-
tamente resolvida, conforme veris no mesmo
rotatorio: o ibagaco espresso em moendas 6
proveitado as fbrnalhas como combostivel.
Para termioar, senhores, permUi qae eo ex-
peoda-vos urna idea que me preoccupa, ba muito
tempo. _.
Urna das causas da nossa raqueza em geral
a desuoiao ou, pelo menos, esse isolamento
em qae vivemos por toda parte, os represenian-
tee de uca mesma classe. .. :
E' da nais perfeite moralidade a fbula do
fexe de vara*, oa qual o pai demonstra a
teus filhos que;as varas que, reunidas em fexe
ao poderam el les, vigorosos e saos quebrar,
consegua, entreunto, elle, velbo e enfermo, de
atoado o fexe e quebrando as urna a urna.
Em neohuma classe Uoto se toma neceasano
a unio como na classe agrcola : os seus in-
teresses sao os mesmos por toda p?rte, as so
incoes dot> variaaos problema que lm relami
ora a agricultura devem ctaegar ao coobecimen-
lo de todos os membros da classe agrcola, para
ue innomeras expe iencias conlirmem as indi
acOes la scieocia, e, braalmente, a defeaa dos
sus direitos e interesses e pode apreseutar
vaotajosos resaludes sendo exercida pelo esfor-
o conectivo.
Coastituindo associacGes para traur dos seus
proprios interesses que a lavoura se podera
tornar forte, porque eotao as quesioes que lhe
dizera respeito serio resolvidas pelos propnos
interessados, em vez de o serem por extraohos
aos qaaes nem sempre a boa vonude suppre a
orapetencia.
Reunindo-se em sessoes semauaes ou meo
aes para a discusso dos mltiplos proolemas
de sua inleressante profisso que os agnculto
res. podero realizar os melboramemos qae a
arte em saa marcha progressiva Ibes offerece
Todos sabemos quito difficil vencer a iaercia
a que a forca das circumstencias nos tem habi-
tuado, todos conhecemos quao penosa a refor
ma de costumes ioveterados; mas tambem creio
ue hoje geral a coavieck de que essa refor
na absolutamente indispeasavel para a salva-
cao qaentes justamente da quadra de traosicao que
atravessamos, a honra, o patriotismo, a familia,
emfim, nos impem um dever: a lucu.
Laclemos, pois, senhores, mas luelemos como
bomens com as armas da civilisacfco.
Mas a civilisacao impbe o cnliio do espirito
de associacao porque a civilisacao, qae a lapi
dacio, da alma huaana, nao tem efelto seno
quaudo se exerce sor>re toda a sociedade.
Assim pensando, senhores, permilti que vos
convide para lancarmos sobre esta trra a pn-
eira sement ; aproveitando o en3tjo de nos
acharmos aqoi reunidos fandemos desde ja urna
sociedade de agricultura e industria asquea
reir.
Cumpre-rae confessar que foi este jusumeate
o tim qee tive em vista qoeodo vos convide!
para esta reuniao que, segundo vos declan-iem
principio, nao visava a satisfajo de vaidosaj
pretencOes.
Os clculos feitos a este respeito foram repro-
MMdos diversas vesos o ultiamneote no J$unal
duCiet do 16 do Julho do 1889.
' Este calculo mostr- toe ie a densidad* dos
[HteontM fosse igual a deostdade mediada
ma, butario que H3^WrOi0>*U o raio i* tr-
ra de 2.48 miUaetroo por socalo para prodatir
doraoto o msooo teams, urna aceeieracio de 1"
ofcre a marcha da Loa.
E uss aogmeoto ddsto raio de 47 millimetros
splicana a acoelerafoo secla- de 7" o qua
Meo aaU ou menos a jnaaMdade notada,
brem ineipicada por outras causas.
Ora, os meteoritos que cabem sobre a trra
sao mais numerosos do que nao se peasava ou-
tr'ora : demals a quantidade das estrellas ca-
dentes coosideravel, sobretudo durante os en-
xaxnes de estrellas que tem lugar de vez em
quando em Agosto e Novembro. Lembremos
smente. qae a 13 de Novembro de 1883 ava-
liou se em New-York o numero das estrellas ca-
dentes ao duplo do dos fideos que se v durante
urna forte chuva de nev.
Depois dos bellos trabalhos de M. Scbiaparclli,
sbese que estas estrellas sao destrocos de cau-
dao.d rsasolar; au si ib sjoiiBr
SCIEMIiS E UTTHiS
Das podra eosMieas
Na ses'o de 4 de Dezembro ultimo da Socil
Vaudoise des Sciences uaturelUs em Lausanne, cuja
acta vem publicada non Archive de* Sciences Phy
tiques el NatureUes de 15 de Janeiro, o engenbei
ro Guillemin oceupou se com a influencia das
poeiras coemicas sobre a superficie do solo.
Reproduzmos aqui o que a respeito deste n-
teressante assampto disee o Sr. Guillemin, Issim
como as observacoea feiUs pelos Srs. Dafour e
Reiievier sobre a communicaco do Sr. Guille
min.
Sr. Guillemin, engeoheiro. Osanneis de poei-
ras csmicas que cercavam a omita terrestre
nos antigos tempos, exerceram ama grande in-
foencia, nao s6 sobre o clima, mas tambem so
bre o relevo do slo. Estes materiaes csmicos,
occasiooaram em differentes pocas abundantes
enxames de estrellas cadentes oa de meteoritos,
i massa da trra augmentou. sea movimento de
rouclo atrazou-se, a furca centrifuga diminuio
e com ella, o entumecimento. Em oulros ter-
mo-i o ellipsoide terrestre a proxima-se soeces
sivameote da forma esphenca, que o corpo
apresentaodo o mnimo de superficie para um
volme dado. Por consegninle, a superficie
teode necessariamente a diminuir. Resuluram
dt-ste facto pressOes lateraea consideraveis, que
oudularam, encresparaui ou desioearam oslo,
danto lugar formaco de cadeias de monte
uba-<. Estes anneis de poeiras csmicas nao
atiingiro provaveimente urbite de Jpiter, o
que permute dar a razio da di visito dos plane-
tas em doas classes ; urna de traca densidade e
d> i otecao rap da, a outra do densidade mais
forte e de rouao leuU.
M. Gh. DufourTeoho-me ioteteosado muito
polas ideas que acaba de emtttir M. Guillemin
Entreunto devo declarar qae nao son eu quem
toBOa atlribaido o agrooiaote da velocidade
de rotacao da trra pela queda dos aerolltbos o
das estrellas cadeates ; moa precedonlmeato,
ea ibe Haba attribuido a aeceleracSo da marcha
da Laa, porque a queda deates meteoritoa
augmentando a massa da torra dera necease-ria
oBto aagmenter a velocidade de translacao de
atanteilUe.
Dos lucros lquidos
poea-atgVMHl
Para-dftiiadr dos
raafe jJBWCranooa poi
cito ds^af^ttncos
Para a aira-aiuniepal d:Paris
'T'otal
no a direccao pro-
do correte, foi noataado agoste do corrato da Fot fundada urna sociedade Propagadora da
linda Ortulano Antonio Perrelra da Iostruccao Publica, que elegeu presidente o sea
a ac-
Ao Sr. Dr. J. R. de Lacerda dirigi o Dr. Feli-
ciano Au.asto de Oliveira Penna; importante fa
zendeiro do municipio de Santa Barbara, do Es-
tado de Minas Geraes, i seguate carta, em qae
comprova com o seu lestetnanho valioso os no-
taveis resultados qae alli tem producido a vac-
cinago anti carbuncolosa.
Compre dizer que o Dr. Feliciano Penna um
dos mais iotelligentes criadores do Estado de
Minas Geraes e que foi por iofluico sua princi-
palmente que o governo eocarregou o Dr. La
i cerda de proceder a iovestigaces scientifleas
de frajroMBtoe | sobre a peste d; manqaeira, caja identidade com
de caudas de cometes, isto da materia ponde o carbnculo symptomatico foi por este demons
ravel. Nao teoho nenhum desejo de fasor aqui'
supposices, como entretanto tem se feito algu-
mas vezes sobre o peso de cada urna destas es-
trellas cadentes e de procurar apreciar o nume
ro de grammas que ellas trasera na nossa al-
mospbera ; mas qaalqner que seja o peso de ca-
da ama d'ellas evidente que o peso do seu con-
jauto com o peso dos aerolithos nao iotini
tamente pequeo. J que este substancia caa
sobre a trra em poeira, j que fique suspeosa
a nossa atmosphera, ou bem que seja arrasta-
da pelas aguas no fundo ao mar, au Importa ;
sempre am augmento de massa para o nosso '
planeta e maito possivel que estes destrocos )
que cahem em um seculo. correspondam a
augmento de 17" do raio da trra, o que expl
caria 7" de accelerago na marcha da la. lrei
mesmo mais longe. Si e^te augmento de veloci-
aade de nosso satellite pudesse ser verificado
com urna grande preciso e qae fosse possivel
indicar com certeza a parte que pode ser attri
buida a outras causas, como Laplace procurou
fazel-o; o excedeute oos dara o meto o mais
exacto de determinar qual a massa da materia
csmica que durante este tempo nos trazida do
resto do Universo, seja pela queda dos aeroli-
thos, seja pela iatrodacc&o das estrellas-cadea-
tes na nossa atmosphera.
Quanto opiniao do Sr. Guillemin, deattri-
buir queda das aerolithos o facto que os pla-
netas situados perto do sol tem urna roiaco mais
lente que os planetas, tees como Jpiter e Sa-
turno, mais atristados deste astro, ha abi ama
idea qae parece jaste. Pode-se discutir a questao
considerando a duraco
trada.
> Cidade de Santa Barbara, 11 de Marco de
1890 --
Ha muitos das tenho a intenco de escre-
ver Ibe ama carta pediodo-lhe o obsequio de
fornecer me ma pequea porcao de vacciua
para a peste de manqueira. Retinha-me a con-
sideracao de que V- nao leria telvez materia
preparada; leudo, poru, houem na Gazea de
Noticias que ; coinecou a fazer distribuico, to-
mo a liberdade le nedr-lhe qae me forneca
quaotidade que bast para cerca de 200 am-
maes.
Sei qae, em virtude do regulameato do conse
m' lheiro Loarenio dr Albaquerqu9. a vaccina tera
de ser remettida as cmaras municipaes ; este
processo, porm, muito moroso, e approximn.
se a poca em que a peste se recrudescer. Eis
a razio por qae valho me de saa benevolencia,
pedmdo loe que me forneca particularmente a
porco cima dita para o servico da minha fa-
. zenda.
Apezar da :mperfei,ao com qae foi feito o cn-
saio da vaccinacao oeste municipio, o resultado
foi magnifico e bem superior ao qus se costuui*
obter na Europa. Os interessados nao podem
rebasar f a resultados que se verificara diante
de seus olbos e clamam hoje pela remessa da
substancia com qae se faz a va xinjgSo.
Mais urna vez o felicito p<-lo successo obtido
as suas experiencias e pelos beneficios enor
mes que fez s extensas zonas flagelladas pela
; peste devastadora.
O grande Munkacsy, autor doGhristo diante
de Pilatos- urna das mais bellas obras da arte
de quaotidade, porm considerando a
dos per idos geolgicos, pode acontecer que a t _
somma destas qu.ratidades muito fracas, st se to moderna prepara outra obra prima que talvez
mal as slidamente, acabem por produzir va apparega no Salao de 1890, em Parts. E' um
lores apreciaveis como jalga o Sr. Gulliemio. quadro destinado ao Museo da Historia das artes
Mas tarde depois da questeo que me dirigi o de Vieuni. e tem por assumpto aAllegoria do
Sr. Henrique Dafour sobre o augmento do valor Reaascimen-o.
de g e as consequencias qae devem resultar para
a marcha do pndulo, eu disse:
E' incoo testa vel qae a queda dos meteorito?.
A maravilhosa tela tem 10 metros de alto so
bre outros 10 metros de largo, e represente to
das as artes do Reaascimento : no rapio, o Ti
augmeotendo a massa da trra deve augmentar ciano cercado de seas discpulos ; esquerda e
Umbem o valor de g e accelerar a marcha do no primeiro plano, Leonardo
e Raphal de p
pndulo; pc-rm este acceleracao tio traca que I conversando, mais cima, o Veroneso traba-
nao me parece qae ella possa ser verificada pe t ihando sobre um andaime; direite Miguel An-
los meios deque se dispe actualmente, certa-' guio e outros artisUs. Era urna tribuna por
mente muito mais fraca que os outros erros, dos cima do Ticiano, achara-se o papa Julio II, Bra
quaes apezar de todos os cuidados ima,'inaveii, mante, o arebitecto oe S.Pedro, e dom car
impossivel livrar-se inteiramente pela obser | deaes ; no alto de toda a coraposico o genio da
vaco do pndulo. No estado actual de nossos i arte cercado de anjos. -5
coohecimentos, creio que a melhor maneira de i Diz se que a composicao grandiosissima.
verificar o augmento damassa da trra ainda primando a am tempo pela simplicidade e pelo
a observaco da marcha da la. Este marcha natural.
observada ha mais de dois seculos no observa-
torio de Greenwich com cuidados tees que para
a questio de qud tratemos, nao parece possivel
obter ama precisao superior por observages
differentes.
L-se no Jornal do Commerdo de 13 do cor-
rente:
Por decreto n. 289 de 29 de Marco ultimo
ao qual j tivemos eiuejo de referir nos, obteve
O Sr. Henrique Dufoor acaba de aos dizer qae j a Brasilian Imperial Central Babia R ulway Com
diversos sabios emittiram a idea que o valor de paoy privilegio e garanta de juros para prolotr
g experimentava ulvez certas variaces perio- gamento da sua linha principal, partindo d
dicas. Nao o creio, porque ama Ul variacio tra oihos d'Agua e terminando na margem esqaer
dazir se bla immediaUmente por urna variaco da do Rio de ConUs ou no ponto que os estados
correspondente na marcha da loa, e nao tardara mdicarem por mais coaveniente, bem como para
a ser notada nos observatorios onde se occapam construco de um ramal que, procedeodo do
especialmente da marcha deste astro, e isto sitio Novo, se dirija s trras do Orob, termi
masrao quando este variaco fosse muito fraca nandi no Mundo Novo, ou v ter aoutro ponto
i que os estudoo dosignarera como prefer vel.
M^i>^MMr>>aiaHHMHBHBBBMaBMHaBB >--O-ov4egk>'vigorar pelo tempo que reste ao
Basu Mil l ti h i /M U L l t n da 1Q0* pnncipal e a garanta^ perdarando por
Mil4il(jAS h LUl.nLllMU :(0 anuos, ser de 6 /. ao anno sobre o capital
Z!!?L__ ____' que & Hxado at o mximo de 30:000*000 por
A-rotativa abundancia do dinheiro na praca de hiende catres favores ter a empresa prefe
Lisboa nao acompanbada da expanso na cir
culaco das notes do Basco de Portugal.
Denote se at o facto curioso de que
rencia para acquisico de terrenos devolutos
existentes margem das lionas concedidas, ef
ii, fectuando-se a venda em lotes alternados, de
todos os estabelecimeotos biocanos e o Monte-, mmBra aue cabeodo o primeiro a companhia.
po Geral trat m de fazer agglomerar as suas ficara Q sJun(1o penencendo ao Estado, t assim
caixasas libras steriinas de forma que hoje djaQie? Tal venda effrctuar-se ha pe' pre
existe um grande stock de ouro n esses bancos, mayJ10 da iei e (istriouindo a empreza os
ao contrario do que se costumava dar. fotes a immigraotes qae importar e estebelecer.
Esta urcomsUncia nao deve ter sido indiffe-, nQ (ead e(JJ reveQielos 8 estes por
rvate s resolacoes alumameite tomadas pe o ; preco^exceden'ie do xado pelo governo.
t0 j Esta preferencia someote vigorar durante a
' eonsU'U'-co das liohas concedidas. Si decorri-
1 dos cioco aonos depois de coa^luida a estrada
,' nao tiverem os terrenos sido distrinaidos a im
coodic-9 ue; que o preco equivala ao aue ffl. compaania a^quinl os ha razo
o de oaro. e, maotendo i ,*n 'vimn L \M indemnisando o estado
Banco de Portugal com relaco ao
de papel visU sobre Londres praca.
Como so sobe, o Banco de Portugal tem forne
cido at agora o papel vista sobre Londres e n
resaltara da exportarlo
assim o gotd-tomt. consegaio o .Banco evitar a
expiruco w-tuliea.
Na uluma semana o Banco fixou no Porto um
cambio ina.s de-favoravel, o que dea em resul-
ta io .. exportaco de 35,00 soberanos.
Nataralmeote outras exportejBs se seguiro,
e, se os exportadores applicam a esse Sm o ouro
do p-eco mximo da le, indemnisando o estado
da di&Vrenca qae estiver por pagar.
Logo que os dividendos excederem de 8 7. o
excedente ser repartio igualm-rate entre o go
verno e a companhia, cessando essa diviso logo
que forera embolsados ao Etftedo os juros por
este pagos.
Desde aue os dividendos exceder em de 12 %
que unhama rcumu'ado as suis propnas caixas, teP M 0 diteil0 de exigir a redueco das
o Banco de Portugal uada soffrer, e nem a ex- ~.,f 6u'ol"u -*-
portaco do ouro de assusur, porque ha sera D ; entendido que, somente depois de
pre raeio de o tomar a importar quando f6r approVadop8 pe|0 R0Verno os estudos definitivos e
preei-o. xado o capital garantido, ser tido como feito e
Falum elementos para avahar com exactidao a -iwntnfi*i'b Ha n-apvt nn rni7 mo a existencia do oaro no paiz, mas de julgar
que ella relativamente superior de outros
paizes, onde a circulaco fiduciaria est mais
desenvolvida.
Reste, pois, muito que fazer no sentido de
alargar a circulaco das notas e i3to coajuncta-
meote com o augmento da amoedaco nacional
ha de fazer diminuir os erabaracos que periodi
carnete se manifestam no mercado cambial de
Portugal.
Correspondencias floauceiras 4e Paris anoon-
ciam cena estagnacSo e negocios naquella
praca.
O dinheiro era abundante, mas os empregos
seguros d- capitaes eram poucos
A municpaiidade parisiense aproveitou se lia-
biUnetit- da situaco para eraittir ura era prestio
de 96 milhes de francos em apolicrs de 400 frs.,
e 100 frs. laxa de 3 / e a 94 % de emisso.
Os publicistas e economistes, apreciando es6e
estado da praca de Piris, indicam como meios de
melhoral o de modo esuvel : a reforma da lei
das sociedades anonymas e a reforma do regu
lamento da juate dos corretores e das cotaces
officiaes.
O governo da repblica de S. Salvador na
America Central estabeleceu um imposto de um
dollar (cerca de 2*000) por sacca de caf expor
tedo.
Os Estados Unidos exportaran) o anno passado
para a Europa 70 milhes de bushels de milho
cerca de 2,430 milhes de litros.

E' maito curioso e sobremodo inleressante o
relatorio da ompaubia Gaz de Paris,que foi dis
tribuido aos seas accionistas.
As receitas realisadas durante o anuo eleva
rara se a francos 106 644:276
e as despezas a 66.113.891
no pra30 de seis mezes a contar da entrega dos
estudos ao governo, nao se realisar o indispen
save.l accordo entre este e o contractente. quer
quanto approvacio dds estudos, quer quanto
lixacio do capitel oecessario constrttcco da
estrada.
Lucros lquidos, fr.
A totelidade das
segrales verbas :
39.528:383
despezas comprebende as
Garvo
Bespezas de fabricaco
Direccao techaica
Admiuistrato central
loBourios da direccao
Amortiaac&o do capital
loaos para a cmara municipal, na
rast de t cenamos por metro cu
Mas dagas produaido
Feriado-Amanhj reliado, e por isso nao
haver expediente as repartieres publicas e
tnbunaes de justica.
O dia 3 de Maio que outr'ora fra santificado
pela igreja em commeraorajao da invencao por
SanU Heleua, do raadeiro em que Christo fra
ci uciticado. ha tempos a mesma igreja tirou-lhe
esse carcter; e pelo ultimo decreto de 14 de
Jaoeiro prximo passado, declarativo das fsstas
nacionaes, foi elle considerado no numero des-
atas em coumemoraco do descobrimeoto do
Brazil.
(lub r<'publi-ano da comarca de
Oilnda Os das 12 e 13 do corrente mes,
datas da abolico da escravido na comarca d"
Olinda e no B-azil inteiro, serao ainda este anno
commemorados na visinha cidade, tomando a
iniciativa desses festejos o CluD Republicano.
Pelo qae nos aaaanciaram constar a crame
moracao de urna sesso solemne na larde de 12
nos sales da Intendencia, de illuminaces, pas
seata. etc., qae se repetirao ao da 13.
A alvorada desse grande dia da nossa historia
patria ser saudada por toques de ciarlos em di-
versos pontos da cidade, repiqnes geraes em
tdos os campauarios e salva de 21 tiros ao lar
go da Abolico, oode, junto do Monumento toe .-
rio as bandas de msica13 de Maio e 13 de
Novembroas memores pecas do sen reper
torio.
ibllotltcca rmiomalleaEst aber-
U em lodos os das uteis, das 11 s 12 horas do
dia, devendo os socios qae quizerem consultar
qualquer obra, dirigir se ao Instituto Pbiloma-
tico.
Dr. SabinoA Pharmacia Homeopalhica
do Dr. Si-ioo publicou e distrlbue g'ataitiman
te um opsculo sobre o Trakmenlo da Varila
1.575:578
1.057:877
300:000
8.983:250
6.790:798
O consamo de gaz fot de 312 milhOes do me
tros cbicos.
Francos
21074:720
4.364:557 pelo systema homeopathico.
' E' um excellente guia, que deve ser adquirido
e consultado.
Recommendamol o, pois, ao publico.
- Servio* allisarE' hoje superior do da
0 cidado apilio Ge.lasio ; e faz a ronda de vi-
sita o ajudante do 14 bitalhao.
A guarnicio da cidade dada pelo 2* bate
Olio.
Ag-eada de cerreioPor acto do cida-
do administrador dos crrelos d'este Estado, de
UTfta, m substituico a ThaaSsoio Cassiano Tos
* tassdte Brittovque fra oofflsdo guarda da illu-
H;2OO:0OH tnieao d'aquella cidade.
38 328:385 aaaoatoa U lancador da Alfandega, Ma-
-------noel Jos Soares de Avellar, comeos hontem a
J8-383 Tazar o lancaraento dos im pos tos de industrias e
proaases e predial st parochia de S. Prei Podro
GooWves do Recife, para o faturo oxercieio de
1891.
ulasiBaHMo Nr/umno de Panellas ful pre-
so, a 28 de Abril prximo ndo, Thomas Fer-
rerra Lima, po- crime de furto de cavallos; mas,
depois de effectaada sua priso, esse individuo
disparou tres ti-os de pistola contra o subdele
gdo Jeronymo Cavalcante da Silva, qae feliz
mente nao foi attiagido.
Vacclna publica -Foram hontem vacci-
nadas na inspectora de hygiene 63 pessoas,
pelos D's. Paula Soares e Lopes Pesaoa.
Sociedade Lie erarla Ooncaivn
DianFaaceonou hontem este sociedade sob a
presidencia do Sr. Anauias Celestino.
Foram propostos para socios effectivos os Srs.
Hettriqaed Barros e Coriolano de Mattos.
Achandff-se presentes os Srs. Jos de Oliveira
e Julio Ple'h socios recen teniente reconbecidos,
foram comprimentados pelo orador, que expli-
cou Ins os fins e o histrico da sociedade.
Para quinte feira, 8 do correte, est convo
cada urna assembia geral extraordinaria para
ter lugar a reforma do regiment interno.
Levantou se a sessfto 1 hora da tarde.
Inatituto BeneOcente dos OlHclae
da tiuarda NacionalEssa sociedade reu-
aio-se em assembia g^ral, na noite de 29 de
Abril hndo, arim de sanccionar um projecto da
actual directora, e resolver defioitivanente outros
assumptos.
Aberta a sesso, foi ido um ofcio do ihesou-
reiro teoente Heliodoro Candido Ferreira Ra-
bello, pirtieipaado ter recibido do consocio te
uente Maooel Nuoes Vianna a quantia de 0,
que fra emprestada para auxiliar a compra de
urna casa para a viuva do consocio Joaquim Ce-
zario da Rosa.
Em seguida foi submetlida apreciacio da as-
sembia este propusia assignada peta directora :
Fica resolvido conceder se indulto aos so-
cios que estiVerem em atraso, as segrales
condices:
Com o pagamento da quantia de i 000 n"
cara quites com os cofres da sociedade at o mez
lindo de Abril o socio que estiver debitado na
thesouraria deste Instituto.
Ser elininado o socio que depois do in-
dulto licar atrasado em 6 mezes.
Fica revogada a coa ;esso sobre a extraeco
dos diplomas, marcando-se o prazo improroga-
vel de 30 das para reverse taes diplomas recla-
mados-
Sero eliminados os socios que dentro do
praso cima referido nao tirarem os seas diplo
mas.
A coocesso do indulto nao prohibe ao so
ci debitado o pagamento integral do que esti
ver a dever. Abril, 29 de 1890.
Depois de discutido, correndo a votaco, foi
unanememento approvada a propost?., que pas-
sou a ser, desde logo, lei do Instituto.
Ocapitao Adolpho G-ntil propoz que fosse
conferido diploma de socio benemrito ao ge-
oeralissimo Deudora da Fonseca, em reconbe-
cimento da elevada consideraco tributada a
guarda nacional, por aquelle chefe. mandando
groblbir toda e qualquer manifestaco hostil aos
res e imprtesela de to meritosa milicia.
Este proposu foi calorosamente applandida e
approvada, resolveado-se que fosse feito um di-
ploma especial.
Em continaaco o capito Belisano Pernara
buco fandamentou a sua segrate proposta:
Propoobo que, tendo sido, como acaba de
ser, approvada a ultima eleico procedida paraos
fnnecionanos que tm de substituir os cluaes :
marque se o da e bora para a posse dos novos
eleitos, importando a falte de comparecimento
na renuncia do cargo e, em taes condicOes, na
chamada de successores immediatos em votos,
ou em nova eleico dos lagares renunciados, a
juizo da directora.
Depois de approvada, marcou-se o domingo,
11 de Mato, s 7 horas da noite para ter lugar a
posse. .
Proponhtt que no domingo ti de Maio pr-
ximo, 1 hora da tarde, o Instituto v ocorpo-
rado e unifofmtsado ai gowroador &f. Albino
Meira, compnmentel o e solicitar saa proteceo
para os as oeoelicos darociedade.
Ficoo resulvido que o Instituto -e manifestara
pela segninte commisso, sem impedir qualquer
outro ofBcial, socio ou nao, de comparecer e to-
mar parte na feticitecSo : relator o proponente
capito Behsario Pernambuco, adjunto capito
-ebastio Mauii Basilio Pyrrho, teoeotes Cou-
ceiro da Malta, Hsliodoro Candido Ferreira Ra-
bello, Joo Carlos, Santiago Jnior, Hermillo
Coutinho. aleres Jos Jeronymo Pereira da Suva
e tenente Gaspar Antonio dos Res.
Foi tambem proposto pelo capito Behsario
Pernambuco, que o Instituto procorasse obter do
propneterio do actual circo equestro, am espe-
.-tecalo gm beneficio dos cofres sociaes, sendo
uomeada a seguiuoe commisso : relator o offi
cial proponente, adjuotos o capito Adolpho Gen
til e tenente Hetioaoro C. Ferreira Rabello, ata
de ir eotaader-se com o representante da compa-
ahia acrbata.
Ceas-retaso Instructivo Pernambu
can Date o not de Abril ultimo fjr a
bibiiotheca esea sociedade risltada por 56 so-
cios que consultaram 56 obras em 65 volumes.
No mesmo periodo foram offerudis as segua-
les obras: .
Pelo socio Dr. Manoel S. de Araujo Pedrosa :
Les Martyres par Chateaubriaad, 1 vol. eac
Pelo eocioDr Manoel P. Moreira de A3VOdo
Juoior: .....
Les Natchez par Chateaubriand, 4 vols. enes.;
Precis d'un cours de Philosophie par A. Pelissier,
1 vol. ene. ; Philosophie par PaulJaonet, 1 vol.
ene. ; Bj aniqne par l'abb Ed. Lambert, 1 vol-
ene.; Cartas aun sceptico em materia de reli-
gio por James Balmes, 1 vol. eac.
Pelo socio padre Dr. Jos A de Lima e Si :
Miscelnea religiosa, 1 vol. ene. ; O Monge
pintor; Poema por J. de Lemos, 1 vol. ; Pasto
ral ie D. Antonio, 1 folheto; A Uberdade de
cultos, representago pelo bispo do Para, 1 fo-
lheto. ,
Pelo socio eflec.tivo Jlo G. Maia e Silva:
Petite bistoire ancienoe et romaine, 1 vol. ene.;
Exequias solemnes de D. Pedro V, 1 vol. ene. ;
e Historia Universal por Berqu, 1 vol. eac.
Pelo Sr. Joaqaim Ribeiro Danus :
Os Gatos, por Fialbo de Almeida, 2 vols. ;
Notions d'astronomie par Cataln, 1 vol. eje. ;
Historia do Brazil pelo Dr. Moreira Pinto, 1 vol.
ene. ; Physica popular por Andrade Corvo, i
vol.; e Grammatica ingleza pelo Dr. Ahn, 1 vol.
ene.
Pelos Srs. Theotonio Freir e Franca Pereira :
A Patria Nova, estudo litterario, critico, etc.,
pelos mesmos, 1 vol.
Pe;o socio efectivo Luiz Gomes :
A repblica oo Brazil, por Silva Jardim, 1 fo-
lheto.
Pelo socio benemrito Coste Jnior :
Poesas de Ricardo Gui maraes, 1 vol. : Idyllio
por Cassiano Lopes, 1 folheto ; L-gislaco elei-
toral, 1 folheto ; Tese apresenlada FacaldaJe
de Medicina do Ro de Janeiro pelo Dr. Joiquim
Martins Cezar de Amorim, 1 vol. ; e mais :2 fo-
Ihetos.
Recebeu os seguintes jornaes : Diario de Per-
natnbuco, Jornal do Reeife, Provincia. Luso Per-
nambuano. Epooha (pela reJaCco), O Paiz (as
signatura), 0 Binculo, A Patria, Le Brezil, O
Despertador. Diario de Alagaos, etc.
Possue actualmente a bibiiotheca 499 obras
em 642 volumes.
tiaidinu IioreloEsse nosso estimavel
conterrneo, que em boa hora desprendeu se
deste nosso meio, acba-se no Estado do Espiri-
to Santo, oode suas aptides ja foram aprovei-
tailas, e reconhecido o seu merecimeoto, dao^
do-se lhe urna coUoeaco qae o iaicio da car-
reira publica para que se preparou.
Esse conceito exteraou o a Gateta da Victoria
as seguiotes palav-as:
* Nao ba qualificativos para adornar o nome
do Dr. Galdino Loreto! Promotor publi,-o da
comarca de Iriritiba, ainda u outro dia partiu
deste capitel para Guarapary, que tem a gran-
dilnqua lelcidade|de o ter por habitante.
O Dr. Galdino como aue absorve em sua as-
piraco malor somma de oxjgeoio do qua os
que o rodeiam : infatigavel, pensando sempre
em melhorar, reformando, creando, inventando
Sabemos agora por carta particular a qae elle
j tem feito na esplendorosa localidade que o
recebeu, e sigam outros o seu exemplo, bei-
jem-lhe as pegadas, trilbem aquella senda i
iniciador-o Dr. Galdino ; vice presidente, o ci-
dado Pedro Simas ; secretarios, FronMno Ta-
rares e Olympio Moraes; thesoareiro, commea-
dador Jaciatbo Raaaalbete e procurador. Srvalo
Paraso. ,
Essa sociedade vae crear ama escola para
adultos, urna para preparar candidatos ao ma?
gisterio, e outra para meninas.
Distribuir a iostruccao e as artes, ensinar a
msica, formar Orna banda marcial, etc.: tal
o desidertum daquella pleiade organisada pelo
nosso prologo nista
Oh f Iostruccao I A quanto ebegarias se hou-
vessem Galdinos em toda a parte ? I...
Mas, ell'nao licou abi: reuoiu a Intendencia,
organisa novo cdigo de posturas, crea impos-
tes, augmente os salarios do pobre funeciooa-
rio mal remunerado, obriga boa scalisacio
das estradas, tudo dependente do governo des-
te Estado qae estemos cortos a todo dir sim,
e ainda lhe ficar obrigado.
Esta Gazeta, modesta ao circulo em que vive
sabe reoder eotretaoto preitos aos infatigaveis
baluartes do Progresso : um aperto le mo cida-
do Ilustre Dr. Galdino Loreto.
Ca* Prel CaneenEm sesso extraor-
dinaria reune-se hoje, s 7 horas da noite, este
Club Republicano.
Essa sesso tem por flm a questao da eman-
cipago da mulher e outros assumptos de rele-
vancia.
Auxiliadora da AgriculturaEsta
sociedade reuoe se hoje em sesso de assembia
geral, na sede social, afim de proceder a eleico
dos membros do conselho administrativo e de-
anals funcionarios de nomeacao electiva.
Irmandaie do Santlaslnao Sacr
ment de Santo AntonioEssa rraan-
dade, com o prazo de 60 aias, convida aos inte-
ressados a retirar as urnas de nssos de finados
Imos que existem na respectiva igreja em avul-
tade quandade emuitas das quaes completa-
mente estragadas, sendo que terminado esse
praso, ser-llies ba dado destino.
A mesma ir man lade resol veu s admittir tees
depsitos d'agora por diante com referencia
quelles irmaos, que tenham na igreja jazigos e
mediante proviso ecolesiastica.
seis de Abril No domingo prximo re
une se em assembia geral este sociedade, de
sede na cidade da Escada, afim de resolver sobre
a dis-oluco da mesma sociedade.
MovpWal Portugus Esta associaQao
beoefteente faz sesso de assembia geral depois
d'amanhpara proceder eleico dos secretarios
e de algans mordomos, cajos cargos vagaram
pela recusa por parte dos eteitcs anteriormente.
Lotera do Etado d- Pernambu-
coHontem foi recolhida ao The-ouro do Esta-
do a quantia de 8:333333 importancia da pri-
meira prestacio em beneficio da Sante-'Jasa de
Misericordia, de conformidade com o contracto
celebrado para as extraeces das loteras deste
Estado, cujo plano o seguate :
Por lotera
Nao bouve replica.
De conformidade com
as decises do
1 premio de
1
1
2
4
11
9
300:000
30:0004
12:000
4:00
7:z00
I3:i00
Por serie
13:000
l:500
600i
lina
90
. 2:400
. i:800
l:-'00 13:200 60
> 480 para a
dezena do l-> premio 4:320 244
9 360 para a
dezena do i- premio 3:240
9 > 2K0 para a
dezena do 3* premio 2*160* 12
119 > > 240 para a
terminaco de cente-
na do Ia premio 28:360 12
119 180i para a
terminaco de cente-
na do 2 premio 21:420* 9*
1080 > 120* para a
terminacho de deze-
na do 1 premio 129:600* 6*
1080 1|0* para a
terminaco de deze
na do 2* premio 129:600* 6*
2 1:200* Ap-
proximacoes do Io
premio 2:400* 60*
2 900* Ap-
proximaces do 2
premio 1:800* 45*
2 i > 600* Ap-
proxiraaces do 3*
premio 1:200* 30*
Este lotera, compaste de 12,000 bilhetes a
93*000, dividida em 20 series, send" o prego
do bilhete inteiro de cada serie 4800, ou 800
ris por cada sexto da serie.
Cuso sejam iguaes as terminaces, passar a
2* ao numero [inmediatamente superior
Os bilhetes, cajos nmeros sao premalos com
a terminaci de centena, nao tem direito ter
mlnaeo de dezeaa.
Os premios prescrevem um anno depois da
respectiva extraeco. Nao sero pagos os bi-
lhetes defeituosos, cuja legitimidade nao se pos
sa verificar.
Sociedade Pnilomatiea -Sob a presi
deacia do Sr. Drt Olyutho Vctor fuoccionou
hontem essa, sociedade em sesso ordinaria,
sendo lida e approvada a acta da sesso passa-
da com urna pequea emeoda.
Expedieote : 1 officio do socio Tbemistocles
Paiva pedindo sua eliminaco.A ama commis
fio para entender se com o requerente.
Outro no mesmo sentido do sosio Doria Itfon-
dicn. Aguar lado.
Em consequencia de ter desabado o pavilho
da sociedade, foi uomeada urna commisso para
tratar da respectiva reconstrueco, sendo eieito
tnesoureiro para a obra, o socio Castello Branco.
N'omeou se gaalmente ama commisso com
posu do3 socios Josino de Araujo Pereira, A.
Castello Branco, Djmiogos Monteiro. para redi
gir o reguiamento dos jurys, theses e confe-
rencias.
Foi lida a historia de Carlos V pelo socio
Guerra e disserteda a tbese-E' real a existencia
de Deaspelo socio Josino de Araujo. Foram
sorteados : Joo Manta, advogado de Pedro I e
Eduardo Botelho promotor do mesmo. Disser-
tan e da these-Qaanto* movimentos tem a trra
o socio Cario Paes.
E levantou se a sesso, sendo marcado o dia
8 do correte para ter lugar a subsequente.
Tribunal do Jury do BeelfeFunc-
cicnou nontem este Tribunal no julgamento do
reo Joo Francisco Paes Brrelo, pronunciado
por despacho do Dr. juiz de direito do 3* dis-
tricto, no art. 193 do cdigo criminal por haver
em 1 de Dsiembro de 1888. na ra dos Ossos,
freguezia de S. Jos, farido mortalmente com
urna facada a Luiz de Franca da Silva Costa,
que falieceu no dia segninte em consequencia
do ierimento.
A's 11 horas da manhS achando-se presentes
38 joizes de facto, foi aberta a sesso sob a pre-
sidencia do Dr. Joaqaim Crrete Je Olivara An-
drade, juiz de direito do 2' districo, sendo sor-
teados para compor o jury de sentenca os se-
guintes juizes de facto :
Antonio Luiz Teixeira Eiias.
M;noel Coelbo Cintra Ramalno.
Arthur Augusto de Almeida.
Dr. Antonio Francisco Pereira de Carvalho.
Miguel Archanjo Mindello. %
Dr. Joaquim Cavalcante Leal de Barros,
danoel Vicente da Silva Rios.
Eustorgio ustricliano de B. Machado.
Joao Ferreira Loureiro.
D.\ Manoel Carlos Mainnk M. de Andrade.
Jos Isnacio Pereira do Lago.
Manoel Anselmo Pereira Guimares.
Interrogado o reo, respoodeu que era natural
deste Estado, de 25 anuos de idade, casado, fu-1
nileiro e que sabia ler e escrever:
Que saba o motivo porque era acensado, nada |
tinba a oppor contra as testemutihas que jura- j
ram no processo e nao attribuia a aecusaco a!
motivo particular;
Qae finalmente achava se na ma dos Ossos,
quando deu-se o crime, oo tenao sido ello res-
pondente o seu autor.
Em seguida ao interrogatorio, o escrivo do
Tribunal, capito Florencio Rodrigues de Miran-
da Franco, proceden leitura do processo da
form ico da culpa.
O Br. Jo5o Evangelista da Frote Vasconcellos,
2" promotor publico, desenvolvendo a aecusa-
co, pedio a condemoacto do reo no grao ma-
iiuio do art. 193 do cdigo crimuHl por ter
elle praticado o crime noito^ com sorpresa e
fuporioridade em armas, de maneira que_ o
Hendido nao podia defender-se com probabUl-
dade de repellir a offensa.
Prodoiio a detasa do acensado o acadmico
Joo Baptiste de Medeiros.
que reconhecea por uoanimidade de votos a au-
tora do delicio com as aggravantes articulada
no l'bello, e a nao existencia de attenuantes, ft
o reo condemnado a gales perpetuas, grao m-
ximo do art. 193 o o cdigo crimidal, appellanda
o Dr. jaiz de direito, ex officio, para a Relacia
do districto.
O reo prote8tou por novo julgamento.
Foi levantada a sesso s 3 horas da tarde 8
adiada para boie s 10 horas.
"Mortalidade No ce mi te rio publico do
Santo Amaro foram sepultados em Abril:
Corpus
De 1890 N 392
De 1889 360
De 1888 334
De 1887 308
De 1886 267
A media diaria dos enterramentos em Abril
findo foi de 13,07 corpos.
Os dias de maior numero de enterramentos fo-
ram : 30, em que houve vinte e dous ; 6. em qi
boa ve de'.en o ve ; e 22 em que houve dezoito.
Os das de menor numero de ente:-raraentaa
foram: 18, em que bouve quatro; 7, em qaa
bouve seia e 3 era aue houve o to.
Asylo de MendictdadeDurante o mee
de Abril findo o movimento desse estebele-
cimento de caridade foi o segninte:
Horneras Mulheres
Existiam 137 144
En tra rain 15 16
'
Sahiram
Existem
as enfermaras
Existiam
Entraran!
Tiveram alte
Falleceram
Existem:
as enfermaras
Nos dormitorios
152
19
133
41
16
57
19
0
160
7
153
31
_7
38
0
120
133 153
Total 286.
wirectora das obras de eoHerva-
cao doa portoa de PernambucoRea-
fe, 30 de Abril de 1890.
* Boletim meteorolgico
Horas
6 m.
9
12
3 t.
6

> a
S P oo
25,2
27, 7
28,1
28',4
2o,9
Barmetro a
0
Tenso
do vapor
760-07
:6050
759-73
738-54
758-65
19,19
20.86
21.20
21,39
21,44

81
7
Ti
7
86
Temperatura mxima29,00.
Dita mnima4.7o.
Evaporafo em 24 horas : sombra2,-S.
Direccao do vento : E de meia noite at V
horas e 27 minutos da manb; SSE at 10 non
e 30 minutos ; SE com aleumas inlerrupcoes de
ESE e SSE at meia noite.
Veloeklade media do vtemb-^2* 66 por 'se-
gundo.
Nebulosidde media0,"76.
Boletim do porto

m
P. M.
B. M
P. M.
B. M

Dias
30 o Abril
-
1 de Maio
Horas
1-52 da tarde
7-49
'2-23 da manh
819
Altura
Leiie -Effectuar-se-ho os seguintes :
Hoje: .
Pelo agente Gusmb, s 11 horas, roa da
Marque/, de Olinda n. 48, de artigos diversos a
miudezas.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, traver-
sa do Corpo Santo o. 27, de 16 fardos com fa*
zendas avariadas.
Amanh :
Pelo agente Pinto, s 11 horas, ra da'So-
ledade, de movis, louess e vidros.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra Es-
trena do Rosario a 1, da fabrica de cigarros aii
sita.
mi-a- fnebresSero celebradas :
Amaub:
A's 7 horas, no convento de S. Francisco, pela
alma de Jo. quin Jos Martins.
Pasaagelros -Sahid03 para o norte n o va
por nacional Alagos:
Antonio M los Santos, Joaqaim da Fonseca,
Arthur Buarque, Ignacio Ferreira da Silva, Jos
Luiz Gomes. Loareaco Alves, Jos Vieira, Ber-
nar uno Alves, Antonio Alves, Lourenco M. dos
Santos*. Astero P. Campos, Antonio Jos Maia,
Jos da Costa Reg Monteir, Jos B. de Almeida
Braga, Joo Baptista Ferreira de Souza, Arthur
Tli. dos Santos Porto. Anna Cavalcante da Costa
Guimares, 1 fllho e 1 criada, Manoel L. Ferreira
Menezes, Luiz de Lacerda, Antonio R. de Lima,
Jos Pereira de Magalhes, Visconde de Jagua-
ribe, sua senhora, 1 tlha e 1 menor, Dr. A. R.
Bayma de Souza, Dr. Joo da Coste Cavalcante
de Albuquerque, saa senhora e 1 criada, Fran-
cisca, Octavio Santiago. Antonio de Azevedo Do-
ria, Julio Gomes arreto, Pegnoli los, Pegnoli
Josu, Elias de Soasa Martins. Dr, Hermes Ca-
valcante, Sabino Pagootl, JoSo Paguoti, P. J.
Kennolty, Jos Joaquim Dias do Reg, Francisca
Paula Pessoa, Joo da Cruz Saldaoha, Thomas
M. P. Pessoa, Raphael Das Santos e Alvaro Ri-
beiro de Souza.
Operacftea elrargleaaForam pratica-
das no hospital Pedro II ae seguintes :
Pelo Dr. Malaquias :
Hysterectomia abdominal indicada por Dita
raptara traosversa do segmento inferior do te-
ro, com sabida do feto para a cavidade de peri-
toneal.
Intendencia Monlclpal do Bcclfb

":'

Rendimento de 1 a 28 24.-648I35T
Das 29 e 30:
Mercado de S. Jos 453*42t
Matedouro 40704S
Cemiterio 95J50S
Diversos impostes imam
27:6278lf
Casa de DetencoMovimento dos pre-
sos da Casa de Detenco do Recite, Estado de
Pernambuco, em 30 de Abril de 1890.
Existiam 467; entraram 5; sahiram 8; exii-
tem 464.
A. saber:
Nacionaes 433; mulheres 18; estrangelros II;
-Total 464
Arracoadoo 99
Bons 369.
Doentes 28
Lonco 1.
Louca 1.
-Total 399.
Movimento da enfermarla
Teve baixa.
Manoel Ignacio Morques.
Tiveram alta : .
Maooel Francisco Xla Silva de OUvelra.. ,
Francisco Izidoro da Silva.
Manoel Francisco da Silva.
h ou pita i Podren-O movimento deste
8tabelecimento de caridade, no dia 29 de-Abr,
foio seguinte:
11
453
as respectivas enfermarlas

\-
Entraram
Sahiram
Falleceram
Existem
Foram visitadas
:elos Drs.:
Hoscoso as 8 1/2.
Barros So >nnho4s 7 1/2.
Berardo as 101/4.
Malaquias is 101/2.
Pontual as li.
^meataSg-aWaaiOl/a.
Nao compawalaam os Drs.
Bstevfo Cavalcante.
L
R


I
t
..i
.*
V-"*
.<>
O cirargiSo dentista ama Pompilio s 9 1/3
boras.
O pnarmaceutico entrn s 8 1)1 da nacha e
anio as 4 da Urde.
O ajndante do phannacentico entro* as 7 1/4
e sihio a 3 1/3 horas da tarde.
Lotera do wn-Pw-A 1J serie da
31* lotera, cojo premio grande deJ60:000,
era extrahida amaoh 3 de Maio, (sabbado).
A 1* serie da 36* lotera, cojo premio gran-
de de 120.000*000 ser extrahida no da .. d.
corrente.
A 3* serie da 35* lotera cojo premio gran-
de de 60:000*000 sera extrahida no da .. do
corrente.
Lotera do Marankio Esta lotera,
cujo premio trahida no dia do correte.
Cemiterlo Publico -Obituario do dia 0
da Abril <
Mara Annunciada de Albuqoerqae Cardoso,
Pernambaco, 24 amos, casada, Jaboatao ; ane-
mia cerebral.
Clara Mara Bomrim, Pernambaco, 83 annos,
Tin va, S Antonio ; consumpgo.
Jos, Pernambaco, 3 mezes, Boa Tista ; es
pasmo.
Jos Ferreira do Nascimento, Pernambuce, 10
mezes, S. Jos ; teuoo traumtico.
Plorindo Gongalves do Monte, Pernambu:o, 38
annos, casado. Boa Vista ; intVcgo puerperal
Joaqoim Coelho, Macei, 36 aunos, casado,
Recife ; varila
Maa Ualbartna de S., Pernambaco, 16 annos,
solteira, S. Antonio ; tuberculose pulmonar.
Severino, Pernambaco, 2 annos, Recife ; va-
rila.
m feto, Pernambaco, S. Jos; asphixia ao
nascer.
Bernardino, Pernambaco, 1 anno, Recife:
atbrepsia oonvuises.
Mana, Peroambuco, 30 mezes, Recife ; va-
rila.
Antonio Firmmo Barroso, Pernambaco, 60 an-
nos, casado, Boa Vista ; diarrha.
Mora J. do Espirito Santo, Pscoambuco, 62
anuos, solteira, Boa Vista ; nephrite.
Joo Francisco dos Santos, Pernambuco, 18
annos, solteiro, Boa Vista ; scirrhose.
Marianno, Pernambaco, 40 annos, solteiro,
Boa Vista ; alcoolistno cbronico.
Joaquim Cardoso da Silveira, Rio Grande do
Norte, 30 annos, solteiro, Boa Vista; varila
confluente.
Luzia Maria do Espirito Santo. Peroambuco,
25 annos, solteiro, Boa Vista; varila confluente.
Ernesto, Pernambncj, 2 annos. Boa Vista ;
qu 'madura profunda.
m feto do sexo feminino, Pernambaco, Boa-
Vista.
Joo, Pernambaco, 7 metes, S. Antonio ; gas-
tro enterite aguda,
m feto, Pernaubuco, Recife ; nascea morto.
Urna manga do sexo masculino, Pernambuco,
fraga ; nasceu morta.
A cImm typographica da cid
Porto, rene-se enm de pabli* mente
adherir cana* do typographos lisbonen-
ses. O gerente da companhia apena* epn-
seguio levar daquell oidade tres typogrs
pbos de poaco merecimento, nlo obstante
as exoel lentes vantagens offereeidas.
Em Coimbra estio tres delegados da
liga das artes grapbicas tratando do mea-
mo aaaumpto.
A imperatris da Ana ra mandn faxer
com o seu vestido de casamento ama ca-
sula e outros ornamentos pontificaes d'nma
riquesa extraordinaria, bordados de ouro
sobre fundo de Inania de prata ; e com
esses objectos presenteon a igreja de Ma-
thias Corvin, cajos trabalhos de restauragSo
segu a com rapidez, do modo que ser bre-
vemente inauguarada a mesma igreja.
a imperatris offereceu tambem urna es-
-------- -------------_._jwsmmm
O Sr. Rapbael de Barros Filho pretende trazer
a Capital Federal, para disputarem por saa con
ta os grandes premies de nacionaes deste anno,
em que se acbam inscriptos, os productos da
sna fazenda de criacao. em S. Paulo, Guaran y e
Guayan*.
Goarany estimado em 15:000*000 pelo seu
proprietario e fiador ; e filho de Sans-Pareil
e Nelegla.
Guayanas filho de Ssns Pareil e Heittie.
Ambos lm 3 annos, sao de poro sangne e es
to inscriptos ao Grande Ora seiro do Sol.
, pelos erroa da monarcbia e
tata de Nossa Senbora, em mosaico, ao
bae cuja cabeca collocou a grinalda de
flor de laranja do sen casamento.
Offerecemos leitira oa seguintes tre-
chos do lbum de um leitor: ""*
O pudor fez-se para as feias.
' ama invencSo moderna, filha do des-
preso christao at a forma e a materia.
T
wm
IRDICAQOES DTEIS
O orgulho sahe
que entra o amor.
do coragSo no dia em
cobarde.
aa de amor.
Theopho Gautier.
o traidor traidor, porque i
sempre a aemelhanca foi cou
.......sao cavallos de Franca as iras
de ama muiber; o primeiro impeto, extra-
nho, porm, ao segundo se canga, que o
te-apo todo o amansa.
A pobre honor 1 Si eres alma
del hombre, por qne te vejan
em la mujer inconstante,
Si es la mesma ligereza ?
2ir$o de Molina*
M POCO DE TUDO
A hypocr8a cresce na raz&o directa da
civilisagSo, porque onde reina exclusiva-
mente a violencia, ella intil; ao passo
que onde a liberdade respeita e deixa
viver todas essas torgas diversas e oppostas
que chamam-se interesse do indivi uo e
bem estar social; paixoes e lea ; ideali-
dad j e brutalidade; myeticsmo e animali-
dade ; levantam-se milhares e milhares de
iranaagoes rfciprocas, que formam esse
admiravel equilibrio, esse ambiente de
mutuas tolerancias que a verdadeira
hypocriBia.
para que qieixar-mo noi, se a men
tira nos agasalha no bergo e nos acompa-
nha cova; se ella nes veste, nos nutre
e nos acareeia, se nos aotrmenta quando
soffremos, nos diverte quando estamos
aborrecidos, nos faz crer todos livres, todos
bo.-.s e todos felizes ?
Ella nos des pon ta os espinhos e nos
arredonda as arestas ; nos aplaina as esca-
brosidades do caminho e nos perfuma as
materias ptridas ; eobre a fernigem com
os vernises; tapa com argamassa os bu-
racos e as fundas das nossas casas e es-
cora as paredes do templo, que ameacam
desabar ; derrama o mel no absynto; re-
fresca o calor e impede o fri ; cobre com
s# luvas os dedos, com os caleces e as
saias as partes pudendas do nosso corpa, junto, sern assemelharmo-nos.
com os ungentos as chagts, e com os i tacto urna troca,
espartilhosa deformidade; veste de phrases I
o sacrilegio e de cortesa a traigSo ; en-
direita o rachitico e desinfecta aa mil po
dridoes que uos cercam
Os sardos bao como oa maridos illudi
dos; sempre s2o os ltimos que conhecem
a sua desgraca.
Duqueza de Bourbon.
Queris ser amado ? Nao amis.
II. d Balzac.
NSo muito diffi il atacar as opinioea
alheias, mas sim sustentar aa propriaa;
porque a razSo humana tSo dbil para
edificar, como Lrmidavel para destruir.
O horror, por brilhante que pareja
urna illnslo que se desvanece proporcSo
que se aproxima ao nosso entendimento.
Balmes.
O melhor pregador aquelle que con-|
forma sua vida a sens sermaos.

Shakespeare.
Quando um menino rebelde s adver-
tencias, arrebenta um olho, o nico conse-
lho q e pode darse lbe que nao arre-
cent o outro.
E. de Girardin.
O homem se julga sempre mais do que
, e se aprecia menos do que rale.
Goethe.
Deus devia ter feito branco o vinho e
tinta a agua. Assim nSo n"s dariam o vi
nho baptisado.
Um borracho.

NSo possivel vivermos
muito tempo
Todo con-
Julia Daudtt.
}ue uos ceicaui
Se ja, abencoada esta cloalca, que es
conde as visceras mais profundas da
trra as fealdades do corpo e anda mais
fundas da alma !
Sejtf abengoada esta errata corrige, que
emenda a orthograpbia dos insultos ; cura
aa luXagCes da grammatica e do bom senso;
tinge os cabellos braucos, alisa as rugas e
colora os labios anmicos !
Seja abengoado cem vezes esto medico
piedoso, que nos fas parecer todos bellos,
todos bons, todos sabios, o que ainda
melhor, todos livres cidadaos, guana to-
dos p eran te os dogmas fallad ores da jus-
tica ; dogmas tambem falsos, porem pie-
dosa e gentilmente mentirosos com o fim
imples de oceultar feia verdade !
E seja abengoado, emfim, mil vezes o
nosso Reculo, que se peysicament- ner-
votico, moralnjente tartufo ; isto o
mais mentiroso doe seclos que passaram
e virao!

Bismark, recebendo urna deputacao ham-
burgueza, diaae-lhe entre outraa coisas,
que, agora que Cinha tempo, visitara fre
quentes vezes a cidade de Hamburgo.
Depois acrescenton :
Sou j velho bastante para desejar des
cancar. Abandonei a scena e quero agora
ver a representago do meu c maro te.
Por outro lado,_ as t Hamburger Na-
chriahten ordinaroiente bem informadas
sobre os dits de Bisanar k, contara oue
durante a testa nocturna que Jhe foi offe-
recida em Friedrichsruhe, elle responder
a quem lhe perguntou se tiuha abandona
do Berl.m para aempre.
c E possivel que eu faga qualquer dia
urna apparigSo no reich-tag, mas na mi
nha idade nao' se reoomega urna mudanga
como a que acabo de fazer.
N da ha mais perigoso e corruptor qne
fazer da lei o instrumento complacerte das
paixSes e appetites dos partidos.
A moderacao a razio poltica.
L3 Gambetta.
SPORT
Em sessp da directora do Dtrby Club de Per-
nambuco em 29 do mez rindo, foram multados
em 50*000 ndiridnalmente os jockeys Pedro de
Figueiredo Laiz de Franca e Amaro, por terem-
se maljWado na carrelra dos 2o, 3 e 6o pareos
da corrida do dia 26 de Abril ultimo.
Igualmente foi multado em 305000 o jockey
Jos Mendes, qne na ultima corrida montara o
Gladiator, e nella se condono irregularmente.
Pela mesma directora foi jnlgado improceden-
te o protesto do proprietario do cavallo Atila.
Ainfe a mesma directora, sob protesto do
proprietario do cavallo PhariEeu, consideren dis
tanewaV) na'carreira do 3* pareo o animal VHIa-
ge, sendo deferido o premio ao Phariseu e mul-
tado o jockey Pedro Figueiredo em 100*000, ta
do de accordo com a 3' parte do arl 49 do cdi-
go de Corridas.
tedeos
(9 Dr. Alcibiade* Velloso d consultas
das 12 s 2 horas da tarde, na casa da
sua antiga residencia, ra do Barao da
Victoria n. 45, 1. andar.
hr. Joo Paulo especialista em par-
tos, molestias de senhoraa e de crianoaB,
com pratica nos hospitass de Pars e de
Vienna d'Austria, d consultas de 1 s 3
horas da tarde, ra do Bario da Victo-
ra n. 6 >, 1. andar, e reside na estrada
dos Aflictos n. 30, junto eatacSo do Ea-
pinheiro. Chamados a qualquer hora. Te-
lephone n. 467, na residencia.
Dr. Cerqueira Leite, .tem o seu eacripto-
rio ra Nova n 32, onde pode ser en-
contrado do meio dia s 2 horas e fbra
destas horas ra do Barao de S. Borjc
n. 22. Espe nalidadesmolestia de crian-
cas, senhoraa e parto. Telephone n. 326
da casa de residencia.
Dr. S Pereira, ra da imperatriz n. 8
d consultas medioo-cirurgicas todos os das
das 8 ao meio dia, menos nos domingos e
das santificados.
Dr. Freitat Guimaraes, medico, tem
-da consultorio na ra Duque de ('axiaa
se 57, i. andar; d consultas nos das atis
as 11 1 hora da tarde e reside no Ca-
jueiro n. 4, onde attende a chamados em
qualquer hora do dia e da noite. Telepho-
ne n. 292.
O Dr. Simplicio Mavignier.Clnica me
dico-cirurgica. Especialidades : moletfeat
pulmonares e partos. Roa do Marques, dt
Olinda n. 27, 1. andar. Consultas uas 11
b 2 horas e na Casa Forte (Pago da Pa
ella) das 6 s 9 horas da manha e i
arde Telehone n. 392
Dr. Joaquim Lotueiro medico e partei
ro, consultorio roa do Cabug %. 14
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
ao Monteiro.
Dr. Catiro Jess medico e operador
Pratica a lavagem do tero quando e co,
rao aconselhada. Consultas das 11 t
3 da tarde em sua risidencia ra d<
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1/
indar. Telepone n. 380
Dr. Ribeiro de Bruto d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an
dar a ra Duque de Caxias n. 46, poden-
de ser procurado para chamados, na ana
residencia, ra do Hospicio n. 81. Te
lephone n. 303.
Idvogado*
O bacharel Bonifacio de AragSo faric
Bocha continua a advogar. Escriptorii
ua do Imperador n. 46., 1. andar.
O baeharel Joaquim Ihiago da Fonteco
tem seu escriptorio de advogado ra de
Imperador n. 14, 1. andar.
Oeeulisla
Dr. Ferreira. com pratica nos prinoi
paes hoapitaes. e clnica de Paria e Lon
dres, consultas todos os dias das i
aorasdao meio-dia. Consultorio e reai
iencia ra Larga do Boaario o. 20.
Dr. Barreta Sampaio, oceulista, d con
tultas de 1 s 4 horas no 1. andar da
;aaa ra Barao da Victoria n. 51. Resi-
dencia a ra 7 de Setembro n. 34, entra
ia pela ra da Saudade n. 2.
Drogara
Faria Sobrinho & C. droguista por ata
jado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manod dei Silva dt C, depoai
'Arios de todas as especialidades phsrma
jeutca3, tintas, drogas, productos chim
sm e medicamentos homeopticos, ra de
Mrquez de Olinda n. 23.
Tinta de escrever
A melhor a tinta Victoria, vendg-se t
500 rs. meia garrafa e a 800 ra. urna gar-
rafa inteira a Livraria Corntemporane*
de Ramiro M. Costa, ra 1. de Marco n.
Itusu
^
i C, roa da cadeia n. 42; loja de forra-
ens de Brandao & C, ra Duque de Ca-
xiaa n. 46.
O santo padre nao acceita a idea sugge-
rida por seus conselheiros de abandonar
Roma.
Os membros do sacro coljegio estao di-
vididos, sendo uns de opinilo v favoravel
retirada de Leao XIII e outros contra-
rios.

Os representantes da liga das arte* gra-
phicas de Lisboa teem parcorr^do as ty-
pographias do Porto e obtido en todas
ellf* nSo so o eosopromisso solemne dos
tvpographos, em nao irem trabalhar para
as officins ua comp-inhia Nacional Editara,
O Grande Premio Progresto ser disputado no
doningo, 11 do corrente, no Prado Vernanimca-
no, por animaes nacionaes at meio sangne.
Premio do vencedor 1:300*000.
Ioscnpgao a encerrar ae no da 6 deste mez.

A Semana Sportiva, em um seu editorial, chama
a attengao das directoras dos clubs hippicos para
os desgarros e oalros patlidol que os jockeys ap-
plicam nos competidor**dorante as Cirreiras.
Igual attengdo solicitamos nos das direc-
goes das nossas sociedaies ; e para autor i dar a
petico passamos para es a seceo por extracto
algumas consideragOes do collega fluminense.
Eil-as:
Dissemos que os nossos jockeys applicam
esses partidas-quasi sem consciencia da sua gra-
vidaue, e reamente tal o desassombro com
que, mesmo em frente s archibancadas, elles
embaragam-se mutuamente, descreveodo taa-
genies ora para a cerca interna, ora para a ex-
terna, que o caso de julxar se que desconhe-
cem as rigorosas diapogf5ej do cdigo a res-
peito.
E ainda mais nos leva a crer nesse desco-
nbecimentonm facto bem trizante.
Se estrea nos nossos prados om jockey re-
Dabi. eranalural, a preponderancia naliUr
mas sem exclusao do elemento paisano e pe-
pnlarr
E' e un* se dea desde a orgaaisajlo do go-
verno nrovisorie; o que ainda hoje se da; e,
si tal preponderancia pode autoriaar reparos,
qnentos e.qosjs nfto.teria o dtreito de fazer a
orga armada, no caso de caber lhe insignificante
quinhSo D0S tropbni, para conquista dos quaej
entrn com maior somma de esforgoa e de na
eos ? Nao se fax injnstiga nem favor a ninguem,
quando se di a cada am o qu seu.
E devo notar que a preponderancia a que aca-
bo de me referir, resulta da confrontagao entre
o numero dos representantes da classe militar
hoje aproveitados na direcgSo e manejo das oou-
sas publicas ej>.doaj]aeji.eramno antigo rgi-
men; pon, preponderancia ab3olota, numrica
nao existe nem deve existir, sob pena de levan'
tarem-se reclamages e rivalidades e de desal-
car-se, embora o augmento ollimamente decre-
tado, o pessoal da forga armada, que, alm d'ist >.
tem missao especial e importaotissima.
Os exemplo8 qao ha algumas dezenas de an
nos passados davam as repblicas do sul, nossas
visinbas, e algumas das do Pacifico, anda hoje,
mpresaionam mal certos espiritos e os povoam
de pbantasmas de insurreigOes soccessivas e de
desordem permanente. NSo ha razo para isto;
a extensao do nosso territorio, a ndole, os ha
bitos e a edacagao do nosso povo, alm de muitas
oatras circumstancias, nos, garantem contra
aqaelles riscos. Nos nao temos previlegios e
preponderancias de classes, nao temos am exer
sito macrocephalo, em que os milhares de gene-
rae e offlelaes de outras patentes excedem em
numero aos soldados de Qleira ; o nosso povo,
apezar de poaco activo na apreciagao das couaas
publicas, nao todava indifferente a ellas e<
pois, nao temos elementes para a lacla in'ces-
sante dos cau lilhos militares.
J se foram os tem pos em que se poda procla-
mar arrogantemente, como sentenga, que-o me-
hor mstutcao poltttca um bom exercito, e, ten
do-uette, tem-setudo o mais. Quem a proclamen
verificou por si mesmo e bem amargamente a
impotencia do seu ideal pollltco, acabando pre
so ao rochedo de Santa Helena, como Prometheu
ao Caucaso, e sentiodo o coraco rodo reos re-
moraos de uma ambicio sem reie. .,{ s; si
E' bastante instruido e patriota o exercito bra-
zileiro para, em um paiz sem edacagao republica-
na e onde estao frescaj ainda as recordagOes da
monarchia, abrir as portas reentrada desta
cjm pretengoes de dominio exclusivo ou perms
neate predomio, o que desgotaria as demais
classes e subdiridrria a propria classe militar.
Feiizmente, visivelmente, o espirito utilado e
o grande bom seoo do chefe do governo provi-
sorio nao afacam semelhante erro
A organisagao do fmeiro ministerio, as sob
stltuiges j nelle verificadas grande numero de
nome(5es feitas. especialmente, das.de goyej,v
nadores dos Estados, sao dissq uma prova ; e-
com relagao a estas ultimas, as especialissimas
circumstancias do momento, a preferencia ao3
milares seria perfeitamente explcavel At aa
tempo da monarchia as circumstancias muita
vezes acooselhavam, indioavam, impunhara a no-
meago de nm militar para presidente de pro
vincia, e, per extraordinarias qne fossem essas
circunstancias, nanea o foram tanto como as se
tuas. i*imi u-M^nurt
Quando remeto nes je apregoado miliurismo,
e Itfio, como o fiz, ha dias, em uma Revista por-
tuguesa, que: no Brasil esta dominando uma
osurreigao militarse me aflgara que os des-
contentes do paiz, embugados 9 inactivos, espe-
rando qae o man caa do co, e os monarchistas
da velna metropole, assustados diante do conta-
gio e do exemplo, quando sarrateiramente insi-
nuara receios naquelle sentido, mais querem as-
sanhar o mal do qne prevenil-o, mais vizam o
preparo de elementos que tornem possiveLuma
restauragao do que a coademnago de um gover-
no violento e antipatnico, que a ninguem p *e
convr.
E nao sem razo e
sem probabilidades de
bom xito semelhante plano.
A reaego das classes excluidas, as disseogOes
no seio da domioaote, a consequente inconsis-
tencia do poder e, por lim, a anarchia, haviam
de ensinar o caminho da salvago maiora do
paiz, e todos, certos de que este nao era digno
2, loja de ferragens de Albino -da Silvt de melhor futuro, dolorosamente desengaados,
pederiam de maos postas a voltu da monarchia.
Era o caso de pedir consolos resignago; dos
male? o menor.
Felizmente, porm, repito, nao ha exclusivis-
mo, nao ha despotismo militar.
Tanto correu-me a penoa oeste assumpto, que
reservo o segundo, de que promatti oceupar-me
hoje, para o seguinte artigo, evitando assim ex-
cessivas propirgOes a este, j de si enfadonho.
Recife, 1 de Male de 1890.
Juvbhoio o'Ag oua. ,
Novos horizontes
IV
J disse o que senta relativamente restau -
rag&o, em meu conceito, impossivel, ou de ter-
riveis consequencias, si podesse realizar-se, ain
da que temporariamente. J assignalei tambem
o erro e as pessimas coasequencias da distinego
arbitraria, sem resultado pratico, e, ao contrario,
impoltica, que pretende dividir os republicanos
em dous grupos, antes da formagao natural dos
partidos, a qual tem de vir, mais tarde e fatal-
mente, em nome dos principios. tj 0 miindo cooselho registrn na l
A estes dous assamptos filiam se naturalmente 'branca daquelles que sabem avahar os dignos
dous outros, de que von hoje occapar-me :o
militarismo da nova repblica, phantasma qne
anda apavorando certos espirites,e a excluso
dos antigos partidos, preocenpago egostica de
outros.
Nem despotismo militar nem excluso dos an-
tigos partidos. Aquelle nao existe, esta nao
deve existir.
Os factos sao de hontem : a organisagao e
realizagao material da revoluco-todos conhecem >
e os documentos posteriormente esenptos a ex-
plicara, suficientemente.
Na gaarnigo qae dea o golpe de 15 de No-
vembrp havia espirites em que dominava o pen-
Honra Justina
Na sesso do dia 13 deu o cooselho da laten-
dencia Municipal deste Estado mais uma prova
do interesse que tem pelo melhoramento de
seus municipes. O inde'erimento d'ama petigo
em a qual pediam para fazer matanga de gado
na Encruzilnada de Belm, foi om acto de jus
centemente chepudo da Inglaterra ou a Praoga, amento de revolta, apenas como protesto so-
SemTue l^l&T&SZ "porta' desesperado contra as violencias de que
e tomar a frente do adversario quando avan|aestava sendo vietima o exercito, contra os planos
sobr.-ei.il uJU- coijus pelo menos-cousas flue j e d1siuco que contra elle estavam sendo exe-
alis nguram tambem ro nos*o cdigo toftia-1 T .? ,.
se o novigo alvo aa chacota de todos os collegas! ctalos; havia outros, porm, em que a revolta
nacionaes ou hacionnliMdos, fe observa na car- era um pretexto para chegarem at repblica.
^^o\i%^X&&m* Po aiomeato solemne amr^n-se todos, confra-
Sibendoee, po:s, qae a derrota de animaes ternisaram com o partido reeablicano, que es-
fvorifns do pnbiiro multas vezes devida aos tava no segredo do pla#o, eproctmou se a re-
mas tambem protestar por eacripui contra[embracos n\>, in-^ ihe? orpC^u, <^ris pnblica
..j F" j ^7i I competidores, consatuimlo is^o, portante, uiu ,, ,.
o proceaimento do gerente daqualla com- Ljio digoo de severa sena, as dignas airelo- Isto mesmo j o disse eu no primekro artigo.
,*ti*&frud^QfiQltift.ftfflhf^Wr^fc^ffisk Afor5aarmada;***'foinC0DtefTClT
MullOS Oestes promiOr -eSmOjCTS m^TanO W SjHUCt lltl i)y-u wmi mi, kiu f'"*Tnnnwirft n maia tmnnrtnnlp far.tnl- fia rftvnlarftft-
presso., evlU, Mr V*m**K^faj^>^^
Duidos. f Jl ^ Wj BBfrlPBnIJr* -sf*" JFbbT W mM paganda republican, pela impopnlaridade do
caracteres de que se cmpOe aquelle Ilustrado
conselho.
Muitos males teria causado aos habitantes da
quelle luga- ae tivesse pretengo nao fosse ao
primeiro golpe de vista deparado pelo honrado
Dr. Francisco do Reg Barros de Lacerda cou o
seu Ilustrado parecer, prestou um grande ser-
vico ao municipio; e muito ennobrece-o a dig-
na corporago a que pertence.
Recife. 25 de Abril de 1890.
lm detinteressado.
9 sr.
e a saa
los Harlanno
conferencia
(VTVEB s claras)
XII
Circumscripto n'um circulo vioiado, o
orador f divagando de absurdo em absur-
do, at que a seu contento procurou sal-
vaguardar-se, fazendo crer que era repu-
blicano com o exercito e a armada que at
a vespera haviam servido manare a; e
que o proprio governo provisorio sentio ne
cetsidade de comporse de antigos manar
chistas. '
Pois bem. NSo procede nma tal defeza,
considerando que servir a uma causa di-
fere muito de empenhar esforcos para o
seu sustentamento; porque, a mais das
vezes, o prestimo do servico subentende o
imperio das necessidadee reaes ou conven
cionaes, mpono\ aos SbmettiJfcs obriga
cBes fortissaaa, e for So meros
e pallidos deveres, ao paaso qae o empe-
nho presappSe espontaasidade, dedicagjo
e consent ment* que, revolando seto* de
pura consc enca, constituem verdadeiras
provas de adheaao a solidaricdada.
Outrosim, nlo oompreheademos que,
nesse caso, a expressao : servir monar-
chia, sendo infundada e proprosital, seja
correspondente a esta; servir naaao;
porqaanto, desee modo, o effeito est to-
mado pela causa, principalmente quando
as altas patentes do uobbo exercito e ar-
mada representan servicos em defesa da
patria e nlo das instituigoes de outr'ora.
Um acontecimento significativo, authen-'
tico e recente vem constatar a aasercSo
por nos supra eatabelecida :
m fim de Junho do anno prximo pae
sado, os Srs. BarSo de Ladark e Viseon-
de de Maracaj, entSo ministros da guerra
e da mariaha, compareceram a ama sea-
sao do Club Militar, afim de cumprimn-
tal-o.
Achando se all presente o coronel Ca-
oba Mattos, recentemente nomeado presi-
dente de Matto-Gro8so, apresentou uma
expressiva mocao, significando o rejubib
que todos deviam nutrir com a eacolba dos
dona illustrea generaea s pastas milita-
res, com o definitivo incitamento de a
referida associacao comprometter-se em
apoiar aa imitituigSes em qualquer emer-
gencia difficil, segundo a propria expres-
sao original.
Nessa occasiao, refere-n9.,o.Novdad*s,
um respeitavel e distinctissimo official,
cujo nome sentimos nSo saber declinar,
tomou.a palavra, allegando qae no mo-
mento em que o espirito nacional deaper
ta va pedindo a repblica, nlo caba ao
exercito comprmetter se a combtela,
nem tao poaco a sustenta! a, > visto como
a propaganda republicana camnhava le-
galmente.
Depois de, no mesmo sentido, fallarem
muitos outros a proposta foi unnimemente
rejuitada, ficando bem patente a ana falta
de apoio ao rgimen, sob cujas ordena
empregava a sua actjvidade causa da
nagSo.
Sendo, porm, pelo, mesmo official que
a havia apresentado, reduzida a forma ano.
djna de um cumprimento pragmtico aos
dous referidos ministros militares, conse-
guio, apenaB, 28 "rotos contra 18.
Idntica medida foi tomada no Club
Naval, sendo equivalentes os resultados
negativos contra essa prevengSo monarchi-
ca, sem ter a proposta rejeitada merecido,
ao menos, a importancia de uma votc8o.
, O Diaria de Noticias e o Novidades,
cojos artigos chegaram nosea apreciagao,
descrevem satisfatoriamente esse episodio
militar que muito significa o estremci-
mento de confianga que entSo accentuou
Be definitivamente entre a espada e o soep
tro, ou entre o governo e os governados.
E, como o Sr. Jos Marianno, nesse
tempo ou ainda posteriormente! jamis
tivesse collocado a causa da patria sobre
os interesses da familia reinante, con-
veniente deailludir ae que nSo pode ser
republicano as condigoes que julgou sel o;
pois aa duaa entidades que, com grave in
justiga e falta de senso, tomou como or
ma, estao-lhe superiormente ili^tannja/1^
Quanto a outro ponto alludido, contes
tamol-o, como simples invectiva; porque,
acompanhando todas as oceurrenciaa de 15
de Novembro, mao cnegou-aos. anda ao
conhecimento que -o Governo Provisorio
se compozesse de antigos monarchistas,
sentindo necessidade para fazel-o.
O ministerio da proclamacSo da Rep-
blica foi composto assim :
Quintino Bocayuvaj-Ruy Barbosa, Ben-
jamn Constant, Aristides Lobo, Wanden-
kolk, Campea Salles e Demetrio Ribeiro,
sob a presidencia do heroico militar que
merecidamente est na principal direegao
dos nossos destinos.
Houve apenas, desae tempo at hoje,
duaa vagas motivadas por theorias econ-
micas e medidas administrativas : a de
Demetrio Ribeiro, substituida por Fran-
cisco Glycerio, republicano antiquissimo, e
a de AnstidsB IsW -qiser foi- -preobide
por Cesario Alvim, cujos aentimentos po
litico-actaaes revelaram-se desde a apre-
sentagSo do ministerio Oaro-Preto s Co-
maras.
Sement dona republicanos mais novos
se notam que s3o : Deodoro da Fonseca e
Wandenkolk. Mas a rija sinceridade de
seus caracteres e a estoica abnegaclo
causa do povo sobre a do re, dio Ihes
grande prioridade sobre os adhesoa de
le 15 e 16 de Novembro, em geral.
A attitude que sempre desempenharam
na qualidade de supremos directores do
exercito e da armada, e como presidentes
doa clubs Militar e Naval, um attestado
authenticamente formulado contra eatas
pretengoes de igualdade de rjpsigSo.
Em ultimo recurso, teriam a seu favor
o facto de, servindo nacao, nao hostili-
sarem o desenvolvimento das ideas repu
blicanas, por meio da propaganda ordeira
e progressiva.
, quem poder negar que o Sr. Jos
Marianno nao se pode valer desse recurso
bastante licita ?
Emquanto a Ruy Barbosa, ffirmamos
que esse illnstrado publicista e demcrata
de convicgSes sinceras, era, desde muito,
um republicano profess- que, pela ex-
pressSo de seu masclo tlente e rude
franqueza de seu carcter, jamis aujei-
toa-se s regraa disciplinares da rgimen-
tagao politica.
O proprio Viaconde de Ouro Preto re-
conheceu essa verdade, quando confessou
no seu manifest que dous jornaes,
principalmente, tomaram a ai a tarefa in
grata de promover uma sediefio militar :
eram o Diario de Noticias e o Paix, di-
rigidos pelos actuaes ministros da fazenda
e doB estrangoiros do governo proviso-
rio. > utas!
O que significa, por consequenoia, a
leitura daquelle tpico do artigo que Ruy
Barbosa, segundo confeasou o orador, in-
aerio no Diario de Noticias, no mesmo
da em que era chamado para fazer parte
do governo revolucionario de que hoje
um dos mais brilhantes ornamentos ? !
9 proprio autor destas linhaa, analysan-
do destacadamente o referido tpico,-como
foi citado, nao duvidaria aabecrevel-o, at-
tedendo a correogao de ideas e a pureza
de sentimentos que all se acham con ti-
dos.
Nao deviamos deixar de proceder desee
mddo, considerando que o quaficativo
eonttitucionae* ligado nalavras concor-
dante produsem, por ana esaencia, effete
nteiramente opposto ao que julgou desea-
brir o orador.
Analyae a palavraconstitucionaleaa
sua geneee etyraologica, faxendo abfltra-
ccXo de seu intuitivo sentido logieo os
mesmo usual, que inevitavel e fatalmente
ha de coneordar com nosco.
Todo e qualquer lexicographo etymole-
gico desfaz a duvida que lludio o orador
a aecusar, com ares de victoria, o actual
Ministro' da Fazenda ; visto que o adjecti-
vo alludido s exprime a qualidade oa
propriedade de constituigao, signifi-
cando o que legitimo e legal em coafor-
midade dalla.
' por todos sabido que a monarchia na
Brasil s. em nome, era constitucional,. coas
especialidade nos ltimos 5 meses e pon-
eos das de governo do Sr. Viaconde da
Ouro Preto, o que justifica muito bem- as
palavras do i Ilustre demcrata brasileiro.
Ai oda melhor: o emprego do verbo ser
ua forma coninuativa (tem sido) no- mo-
mento em que aa inatituigSes monarchicea
desappareciam, demonstra claramente que
falsa a conclusao tirada pel Sr. Jos
Marianno.
Outro caminho a seguir.
Recite, 1 de Maio de 1890.
Licino de Macada.
AfikfKtbiie* a o I o
II
o
Principiando a jastincacio promettida no meu
primeiro artigo, me de dever historiar todos os
factos que deram motivo s injustas aecusagoes
qae sori, mesmo porque de necessidade que
o publico em geral esteja a par do qne acebo de
soffrer e posea de perto conbeeer os tfpos da ae-
tualidade.
E' preciso tambem que o publico saiba. que
sou um homem de baixa posico, pai de familia,
e que no tempo da decahida monarcbia nem ae
menos pode ser eleitor! 1
Hoje que, com a transformagio que a nessa
chara patria acaba de passar, cojo resultado foi
o advento da ftepubucajjjazileira. posso franca-
mente dizer, que sou nm cidado brazileiro, que
a os^ss0'vis* "*-">***
Voltearos tM^89utiptOM >oi
No dia 1' de Fevereiro do corrente anno fui
empregado por um republicano distinctissimo,
como despachante da estrada de ferro do Recife
a Caruar, Ingar este que me foi preciso pres-
tar ama nanga de 200 em dlcheiro.
Logo, por todos os principios de direito, sen-
do grato a essa pessoa, nunca consent, qae nem
de leve, na minha presenga, se criticasse da
mesmo, porque na qualidade de homem pobre,
posuindo sentimentos nobres e uma devida gra-
tido. estou disposto a dar a vld< por elle e
queimar o meu ultimo cartuxo em sna defeza.
Existe na mesma repartlgo um Sr Gondim, in-
spector dos trens e dos armazens da mesma es-
trada, que na qualidade de defensor perpetuo de
Sr. Dr. Jos Marianno, eotendeu entrigar-se.
commigo, i pelo simples facto de eu nao qte
reraconpaiihar ai snag ideas, nem to'pode*
fazer parte da exaltada propaganda qae o dito
Gondim faz dentrof la, Ciepartigo pelo dte
doutor.
Por hoje termino.
Recife, 1 de Malo de 1890.
Maxhniaito FelvM Bahia
Instruccao public^
Acab de ser sorprehendido com o acto
do Sr. Dr. inspector da instrucgSo pubfL
ca Arthur Orlando da Silva, demttmd*
me do cargo de professor publico interino
da cadeira de RibeirSo, e isa pelo motivo
de ser eu de meribr idade.
Com quanto j semelhante demisaao nlo
me alcanganse no exercicio da eadetra,
comtudo preciso fazer sentir ao Dr. ins-
pector da instruegao publica do Estado
que os seus iuformantes,. movidos por sen-
timentos inconfessaveis, O enganaram.
E' para aentir que se deixasse S. Sv le-
var nesae acto, sem aquelle criterio que o
distingue. .' ^
NSo foi posto em duvida o preparo suf-
ficientementa exigido, para que desempe-
n has se os da veres do cargo.
Ao contrario, os paes dos alumnos, em
18 do andante, fizeram-me uma significa-
tiva manifeatagao, j nSo sendo professor,
confessando-se bastante satisfeitos pelo
aJwweluwoiia que timerwm-< sasuffisheis "
A base de acto da demiesio .sendo a falta
de idade legal,' devia ser provada.Aon-
de, pergunto, foi S. S. ou foram oe seus
informantes, buscar a prava de minha me-
nor idade ?
Qao o despeito, prevengSo ou oatra
qualquer paixJto aconselhasae aos meus
desafectos, v; mas, que ella sem pro-
va, fosse acolhida^ por quem nSo devia
estar sujeito, pela posigSo, aos mexiriqueirot
de aldeia, o que absolutamente nao se
pode admittir, a manos qna nSo fiquem
una e outros na mesma esteira, conceito
que jamis farei de S. S.
Affirmo ao Sr. Dr. inspector da instru-
cgSo publica que tenho a idade legal.
S por informacSo a despeito das denun-
cias ficou a principio certo S. S. dessa
verdade, hoje qne o fizeram mudar de
rumo, por documento irrecusavel, se preci-
so se tornasse, a certeza se impunh.
Em tempo opportuno e perante talves
S. S. meamo, esse documento ser exhibi-
do. E' bom que S. S. veja qne at em
actos muito prximosaos 16 a 18 an-
cos, ha, segundo ae afflrma, quem fosse no-
meado efectivamente para o magisterio,
Se a medida uma s.
Limito me ao que rica dito em alivio a
magoa que me deixou o acto a que alindo
do inspector geral da instruegao publica
de Pernambuco.
Villa de Gamelleira, 28 de Abrii de
1890.
Jos Henriques de Aranj Guarita.
Despedida
Joseph Gerard e sua senhora retirando se
temporariamente para Europa, pedem desculpa
quelles dos seus amigos e freguezes," de quera
nao ponde despedir-se pessoalmente; ontrosim,
offerece seus diminutos prestimos ent qualquer
parte onde se achar. Recife, i de Malo de
1890.
O capitSo Theolindo Augusto do Reg,
retirando-se para a, c^pjta| ^federal, onde
vai residir, nao teve tempo de pessoal-
mente despedir-se de todos os seas ami-
gos e das pessoas com quem mantm reta-
cos, o que faz pelo presente, offerecende
oa seus prestimos naquella capital, onde es-
tar s ordena.
Recife, 27 de Abril de 1890.

*
i *
s
"..'
*
.i

[ v
1



I

Attencao das ul Fromptuario da lei
- or ;03Slv dor Perda riraga, andando
tfar que vi perfilhar a >:=. enanca que tem
r.Hix fin r*ia ii
\& eira 2
Mai o dr
em'soa caa, filh de pas \n fintee, e como o
ito oowa. fat^r, prevenimos 43 autoridades ci
toar nao admitlirem Ul perfllbacao, que ten
porllm dcsheMar os seus legitimos herdeiros,
e favor do quem elle qoer per'JIr ar.
O mencionado Sr. Braga, berdeiro do uaoe
frocto di terca que Ibe deixou seo finado pai,
com a clauiula de por sua morte passar a he
rauca a seus irmos, no caso de nao ler prola.
Ora, este senhor viuvo, e nao tem fllhos, quer
de metrimenio quer aatoraes.
Recife, 1 de Maio de 1890.
L'm herieiro. ,
Res Funeraria
V MEMORIA DA I.NXOCKSTB HORSMIDA,
BOU AMIGO EBBSTO FaBIAS
riLHA DO
Teve a vida das flores da campia
o calido rubor das madrugada! ;
onhou do ceu os trmulos arpejoa
A > doce bafejar das alvoradaa.
Teve nos labios gottas de ambrosia
Doadas abelbas que o azul percorrem;
Viven to pura como um lyrio tanto
Jiorreu sorrindo como as flores morrem...
304-90.
Gonqalve Limo.
O oleo de Berthe um reconsti
tuinte de primeira ordem, de neturesa a
fortificar as constituicSes iracas, os peito
delicados.
Oom o tea u?o constante desenvolve e
& corpulencia.
E' um dos meios mais certos para faaer
desapparecer a magresa.
Merece occupar o primeiro logar no
tratamento das bronchites chroicas, das
constipacSes antigs, do osagres e engur-
gitamento das glndulas.
imndade do Di f loo Espirito
SMto do Recife
CONSELHO FISCAL
Consulta
Em face do que determina a primeira parte do
art. 68 do no8so compromisso, convido a todos
os irmos ex juies e hemfeitores, membros do
raselbo fiscal, a comparecerem no consistorio
de nossa igreja, domingo 4 do corrente, pelas II
doras do dia, alim de dar-se cumplimento ao que
dispoe o art. 97 do mesmo compromisso.
Consistorio, l. de Maio de 1890.
Domingos Jote Antunes Guimaraes,
Procurador geral.
RestaurantPortu ;uez| Auxilios lavoura
BfrCAftAXEHTO CIVIL
, Aciu se aseses a san da prelo esta obra se-
ntida da1si anantada cade se disco tem diversas
qeestOss andas e fez se um estudo compara-
xm Coas irmsh, tras o livro as instrnccoes
inisadas pata a ezecocao da lei e mais actos
pobfaoa a ata respailo e bem assim o regu
amento registre civil, como materia que se
prende ao arsampo .
O livra- ja* te eompora, mais ou menos, de
200, paas, *** nulidades aquellea que se
dedicare as talado e extcoco ua mesma lei,
bem como ao ssOii em geral.
,. Sesee a tiraje de poneos exemplares visto
nao poder sea aviar aocarretar com despezas
.superiores, se dat preferencia aes pedidos que
forern feilss, para o que se indica a livrana
Parisiense a rea de Margo n. 7.
Preeo da vteme, pagaVel entrega desle:
Brochara **T?>
Eacadernad* 3*000
Cabera de negro
Elixir i falas e anti-rkeimatico, formula
do jitwraiifi't- Hermet de Sonta
Pmmm.
m xebccbio i
Approvade pea Inspectora Oeral de
Hygiene
Este podoraatr Medicamento ja bem co-
ubecido ha asis de 10 annos e cujoa mi-
i a lilhasna HSbo* tem sido at 'estados por
mantos neeSeoa e numerosos doentes, cura
radicaloseate aa bhecmausmos, erysi
pelas, sxnaUM 5SCBOFLASe todaa aa
molestias oae teem por origem a impureaa
do aangae.
O mslsliiiui e mais antigoElixir de
cabega de megm o da formula do phar-
macentJco Hermea de Sonza Pereira, e
ara^t dea consumidores traa elle
e envolueros o retrato do
' o prlnelro em Peroasobaeo
21__28BCA DA* LABANGEIRAS 2123
COSINHAS
BraaMeira, Portugneea e Franceaa
Proprietark: Charles Roiier A C.
para
emees*
autor.
Venda se a enrejo em todas as phar-
maciaa eos atacado na pharmacia Fer-
r ira, praea da Haciel Pmheiro, n 19,
(artiga doCaadf d'Eu, e na drogara de
Frsnckco Mili ni da Silva & C, ru do
Marqnea de Cfiada, n. 23.
r
Advocado

As familias
Ensino de primeiras lettras, por-
tugus, francez e inglez; pelas
residencias dos alumnos, dentro
da cidade e em seus arrabaldes :
a tratar na ra do Imperador n.
75, 2. andar.
Pereira arneiro & C. continuam, antorisadoa
ro Banco do Brasil, & conceder emprestimos
lavoura das provincias de Pernambuco, Ala-
goaaParabvba e Rio Grande do Norte, mediaste
i
Revelace e mer t ranino por noticiar ao respeiuvel publico que i daa mais, a que possa esUr sojeito pelas
acerw/aLoosoAtemanaumamensageiraparaJleiB criminaes. '
o corpo tanto bebida como regalo que de I Art. 9A pessoa que se recusar a pa-
as condicoes deque os intereasados serfto Infor- nissimo P!*". ^hptnnrrhnirines"ramme^!g*r qualquer dos individuos de que trata
mados m escriptorio ra do Commercio n. 61 ^^W* hemorrhoidaes, commen ^ h Hq ^ ^ q >cumbr
das II horas di manba as l da tarde. ^^fflgamoslonsideracftes e limiumo-nos. ser multado em 20,5000, alem do que
O, pois, a de8Cobrir a riqueza da cerveja La Rosa jhe estVer a dever, ou aoffrer 8 das de
SR I imana, ja professada publicamente. A verdad* .-
n i temare vertato Alio dos estabelecuDemos'P"^01 .
anbunciados est venda em outroa im-> Art. 10 -A pena de pr.slo s se torna-
portantes estabelecimentos dos Srs. Joo da Cu-1 r eflectiva, qoando o infractor no prazo
nha Vasconcellos, ra do Livramento; Antonio Jc 5 g^ naX) poder ou nao quiaer pagar
Guilbermino dos Santos, ra Direita. Moreira Ir- m mntt mao, ra de Pedro Affonso; Jos da Silva Perei-
ra Lisboa, ra do Imperador; Manoel Martins
Lourenco, Jaboato; Francisco Mendes da Fon-
seca, Pilar de Alagas. Jos Domingos d'Olivei-
ra e Manoel Ferreira Silva Veiga, Natal; Joio
Jovenal Barbosa Tinoro. Baptista Jnior 4 C,
Girurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWUNSON, for
mado pela Universidade de Maryland nw
Eatados-Unidos, tem aberto o- eu consul-
torio, na roa Barao do Victona, 18, Io an-
dar.
Consultas das 10 is 4 horas da tarde.
*
MEDJCO HOMEPATA
Dr. Baltliazu. da Silveira
Especialidadefebre, molestias
das criancas, dos orgios respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do Barao da Victoria n. 43,
onde ae indicar sua residencia.

Oculista
Dr. Barrete Sampaio, oculista
\ t
ex-chefe de clinica do Dr. de
Wecker, de volta de sua via-
gem Europa, d consultas de
1 as 4 horas da tarde, no 1'
andar da casa n. 51 a roa do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Telephone 285.
Residencia roa Sote de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Telephone 287.
e Ismael Cesar Duarte Ribero, Macabiba.
30. L OQDCUC CS SOm
iea *e wenptono para a ra do
lafRiadera. 31 pr.meiro andar, onde
pode ser teetTade de 10 da manba as
ida
Dr. Eusebio Martins
Costa
tem o sen confultorio medico e residencia a roa
Barao da Victoria n. 7, i- andar, onde pode ser
procarado para os misteres de sua profisso.
Consultas de 1 s 3 oras d a tarde.
O Dr. Bastos de Oliveira
tea o sea consultorio medico-cirurgico i
ru do-Marquo de Oliirda, 1, 1. an-
dar, onde pode ser procurado todos os
das otis das 12 as 3 horas da tarde.
Chamados a qualquer hora em sua resi-
dencia, i roa do Hospicio n. 46.
Telephone n. 365.
i*.
loa Imperial n. 148
Meeaoae n. 102.
A
Advogado
O adadio Ismael Marques da Silva encerr-
a se de defesas peranle o jury da cidade do
S?0.


Dr. Silva Lea]
clnica medico cihrgica
ConsuHorio e residencia a rna do Livramento
o. 1 andar. Consultas das 11 s 3 horas da
urde. fHnT"'l"g a qualquer hora, por escnpUi
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, aasrtero trata com especiali-
iade de Molestias de senhoras e creanas
CunmihHJe e residencia 4 roa da impe
rata 1S, 1* andar.
Ooswoltaa da 8 a 10 da manhS.
Chamad* (sur eacripto) a qualquer hora
nusTBOHs n. 226
Iguarassu'
**%. Pan
ADVCGADO
EocarrsgaeB de qualquer trabalho
sea uflicio mediante
Buito razoavel
yM
{} Leonor Porto
I Ra Larga 4o Rosarle
mero
\' SEGUNDO ANDAR
! Continua a executar os mais difficeis
Hirurinos recebidos de Londres, Paru,{
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicio de costuras, em
em hrevidade, modicidaue em precos ej
fino gusto. ^
Collegio de N. S. ?
Penha
PARA O SEXO FEMDDIO
a alrrecio de AuguMa C.rnelro
Ra da Aurora n. 37
egaado aoda r
Progresa da asedlclna
A sciencia nos dft alegre? novas, aonunciando
nos que se tem feito um grande e imporUnte
deseo oriniento, e qne as insidiosas amarguras e
scffiimentos causados pelas molestias da gar-
ganta e dos orgaos da respiracao, porten ser
atalhidos com o immediato uso do Peitoral de
Aoacahoita, e isio com urna certeza e infallibi-
lidade. at agora desconhecida na pratica da
medicina. ....
A base fundamental deste delicioso e riqusi-
mo xarope consiste do balsmico sueco extrahi-
do de urna arvore mexicana!, chamada Aoacahu
ia. o nico especifico natural at hoje conbecido
para as affeccOes pulmonares. As esquinencias,
as broochites e a asthroa, cedem a sua accao
com urna facihdade verdadeiramente asaombro-
aa Fas desapparecer a rouquidao dentro de pou
cas horas, e tomado a lempo e a horas impede a
possibilidade da thisica.
Como garanta contra as falsincacoes, obser
ve-se bem qoe os nomes de Lamman Kemo,
venham estampidos em leUras transparentes no
papel d6 livrinho que serve de envoltorio a cada
garrafa. .
Acha se i venda em todas as boticas e droga-
ras.
Culto Evanglico
Ha culto publico com leitura e explica-
cao do Evaagelho, todos os Domingos s
11 horas da manba e as 7 horas da noite,
e as quintas-feitas s 7 horas da noite,
Da ra do Imperador n. 71, 1. andar. A
entrada franca.
Convida m se as familias e o publico em
geral a assistirem.
c Examinae as escripturas, pois julgaes
ter nellas a vida eterna; e ellas inesmas
sao as que dao testemuuho do riiim
Evan.de Joao, cap. 5." ver. 39.)
a multa em qne bouver incorrido.
Art. 13Pela caderoeta e placa pagar
e inscripto a quautia de 10500 ris In-
tendencia.
Art. 15As peesoas mencionadas no
srt. 1. que demorarem a entrega dos
objectos que Ibes torem confiados, alem do
tempo rasoavel para leval-os ao seu des-
tino, ou que os extraviaren!, serao multa-
dos om 200000, iu soffirerSo 8 dias de pri-
sSo alm de ficarem obrigades a indemnisar
o valor dos mesmos objectos e snjeitos as
penas em que incorrerem pelas leis crimi -
naes.
Outrosim tornase ainda publico que
continua aberta nesta reparticlo as tery^e,
quintas feiras e sabbados, a matricula de
criados, j em vigor.
Secretaria de policia do Estado de Per-
nambuco, 30 de Abril de 1890.
O secretario,
Antonio Joi da Costa Ribeiro.
Advogado ~~:
sea escriptorio
0 Dr. Gomes Prente mudou
para o pateo do collegio n. 77.
II
ima ara de aathaaa
l> Sania Vaaens (Rio Grande do Sal) remet
tersm sos o mgate* #iu-atado :
Es abano aMigaado atiesto, a bem da huma-
niuadt, qoe lesea ama fina qne softrera, ha mais
de qaalro anuos, de ahma e ouiras moieslias
do perta, lo ssdBBJsaenle curada pelo maravi-
Ihueo ressedeMasrai de Cambara, do Sr. i. Al-
vares de Soasa Soares, de Pelotas.Dd/i* Jos
HoHhfus.
(A tinua eatt reeeaaeeida).
COMERCIO
Revista do Mercado
Ricura-, 1 DE lA10 DK 1890.
O movimento na praca constou de transacces
no mercado de cambios e no de algodao
Bolsa
C3TAC$H OFFICIABB DA JDKTA 0OB COR
BETOBBfl
Redfe, 1 ae Mato A* 1860
Cambio sobre Londres, 90 d/v. SI d. por i 000,
do banco.
o presidente,
Antonio Leona *do ttodrurues.
O secretario,
Eduardo Dubeux.
laaabio
PKAQA DO EECIFE
Os bancos principiaram com s taxa de 20 3 i
d., snbiudo rpidamente para 10 7/8 e Analmen-
te para SI.
Pelas 3 horas da Urde retrahiram-se todos os
bancos para 20 3/4, recusando alguna saccar ci-
ma de 20 i/3.
O banco de Pernambuco ainda ouereceu )
3/4.
PRACA DO RIO DE JANEIRO
Houve negocio a 20 7/8 para 21 1/8 bancario
e at t 3/8 particular. .
Ao fechar do dia, os bancos cotaram a 20 7/8,
nao havendo papel particular no mercado.
Algodao
Constou vendas do de i* sorte do sertao a
>xi00 por 18 kilos.
A exportacao feita pela airandejra em Abril fin-
do at o dia 29. constou de 600.2661,2 kilos, sen
do 519.72o 1/2 para o exterior e 80.300 para o
interior.
As entradas verificadas em Abril Godo, ja co
nlieciflas sosem a 11.121 saccas, sendo por :
Barcacaa.....
Vapores *
\nimaes......
Vta-mrrea de Caruart.
Via-terrea de S. Francisco.
Vis-ferrea deLimoeiro .
AexeertacaaWta eelaallandeea em Abril fin
do at odJaR,citiude 5.8i3d3ii kilos, sendo
I 304 80 para eexlenor ei-298.217 para o in-
terior.
As entrada variSeftla* em Abril indo, j co-
abecidai, sosos a .132 rceos sendo por:
Micacas 40.337 Saceos
Vapores .
Amarare.
Via-fcma de Careara-
v u-ferrea As S. Franciwo.
la-Ierrea do Lmoeiro
2 641
4.600
42.775
1.579
taa>. 92.138 S ove
Cauro*
Coeres iiilgirtsn 400 re, e os verde a 240
ris.
Agarartfleate
Coto-se a 4*a, por pipa de 480 Htros.
Alcool
CoU-ae a iSOJOnupo pipa de 480 litros.
el
a SStm*>tor pipa de 480 litros.
da Alfandeca
CoU-
m*m Si at asaa. a 3 .majo i
Vida ltorsilt:2; de Abril
Frederico Chaves Jnior
Homoepatha
-ROA BARAO DA VICTORIA
Primeiro Andar
Aula pblica
ENSINO PRIMARIO E SECUNDARIO
iexo simulo
Roa da Penba n. 23, 2* andar
O profesor publico Laodelinu Cmara tem sua
aula aberU rna cima, onde pode ser procu-
rado. .
Lecciooa particularmente portuguer rrances a
arthmetica commercial. mediante mdica re-
tribuicao, ...
Fra das horas regulares do ensino publico
estabeleceu um curso de doutnna christa para
os meninos fllhos das familias catholicas, que o
quiserem frequentar=-independente de pagamen
W.
Prestase as horas vagas do ensino a esen
plurar lirros commerciacs por partidas dobladas
e simples.
!
:
Dr. Mello Gomes
Medico operador parteiro
46Ra do Barao da Victoria46
(DEFRONTE DA PHARMACIA P0THO)
Onde tem eonastftoria e real-
dencla podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: partos, febres, moles
tias de senhoras e dos pnlmoes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
, racoes de estreitameatos e mais soffn-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, a qualquer distancia.
Telephoue n. 334
Quasitas rezea acoutece f
Urna pessoa muito conceituada mora-
doura na cidade de Bag (Rio Grande do
Sal,) achou se gravemente doente do peito.
Foi chamado, para a tratar, o Ilustre
Dr. Penna, e mais tarde, o tambem Ilus-
tre Dr. Albano.
O doente cada vez ficava peior ramo
lestia, aombando do ratamento medico,
segua seu funesto curso.
Urna pessoa da familia, tendo confinca
no Peitoral de Cambar, descoberU de J.
de Souaa Soares, de Pelotas, lembrou ao
medico a sua apphcacSo.
Este, porm, que ulves nSo conbeces-
se, por experiencia propris, os effeitos de
to suberano rem ;dio, recnsou se a recei-
tal-o, continuando com outras applica^s.
Vendo sa que o doente nada aproveita-
va, e que a morte era inevitavel, man-
dn se, em segredo, comprar nm vidro do
dito peitoral e o doente principiou a to-
mar o novo remedio e a melhorar, e no
fim de algum tempo chava-se completa-
mente resUbelecido.
Um bagense.
O advocado
Dr. Manoel Portella Jnior
transferio o seu escriptorio
para a ra u. 44, !. andar. (Entrada
pela ra do Torres).
DECLARACOES
EDITAES
Edital
De ordem do cidado Dr. ebefe de po-
licia se faz publico para conbecimeto de
todos que do dia 5 de Maio prximo em
diante, acha-se aberta nesta reparticao,
as segundas, quarUs e sextas feiras, das
10 boras da manba s 3 da tarde, a ma-
trcula para aquellos que se oceupam no
servico de ganhadores de ra, mocos de
recados, carregadores d'agu, de assucar
e de queesquer outros objectos e mercado-
ras sem auxilio de animaes ou de carr ca
de traccao animal, occupscSes de que trata
o art. 1. da postura da Intendencia Mu-
nicipal, decretada em sesead de 13 de
Fevereiro deste anno.
Para sciencia dos interessados sao pu-
blicados os seguintes artigos da referida
lei.
Art. 5 -As pessoas de que trata o srt.
1. nao poder" o exercer a na profissto,
sem que tragam ao peito urna placa me-
tallica conteodo o numero de ordem de
sua inscripcSo, sob pena de cinco mil ris
de multa ou tres dias de prisao.
Art. 6 -Ninguem poder utilisar se do
servico de qualquer das pessoas de que
trato o art. 1., se ella nao trouxer a com-
petente placa oom a numeracZo de sua
inscripcSo sob pena de 100000 de multa,
ou 4 dias de prisao, podendo exigir-lbe a
apresentacSo da respectiva caderneta.
Art. 8Qualquer das pessoas de que
trato o art. 1. que falsificar s sua cader-
neta ou os registros nella feita* na forma
do artigo antecedente ou usar da placa
numerada sem acaar*Be debidamente in-
scripta, ou cuja numeracSo nao correspon-
Sociedade
Auxiliadora da agricultura de
Pernaaabnco
Assembla geral
(." convocacao)
De ordem do respectivo presidente, commeo-
dador Francisco oo Reg Barro* de Lacerda,
ticam convidados iodos os tnembros efivctivos
desta suciedade para, constituidos em assembla
geral na sede social, no dia sexta eira 2 de
Maio prximo viodouro, prooeoerem a eleicdo
dos membros do conselho administrativo e mais
uoccionarios electivo?.
Sendo esta convocacao motivada pelo Tacto de
'nao ter comparecido uo dia 28 de Marco o nu-
mera de socios exigido pelo art. 29 dos estatu-
ios da sociedade. coustituir-se ha a assembla
geral nesta segunda reunan com a presenta da
'. terca parte dos socios tffectivos, como manda o
-----! art. 5.
Reclft, 25 de Abril de 1890.
Ignacio de Barros Barrete,
Secretario geral.
Thesouraria de Fazenda
Tendo o Sr. Ministro da Fazenda resolvido, no
intuito de melhorar a circolaco monetaria, re-
tirar do movimento das transaccoes as notas de
300 re. e emuiir moedas de prata de 1* e 300
rs eta thesouraria esta desde logo procedendo
a e-sa substituicao, de cbnformidade com a cir-
cular do Tbesouro Nacional sob n 2i de 26 de
Marco ultimo, para o que acta se de posse de
urna remessa, vinda da Casi da MoeJa, de moe-
das dos alludidoi valore, novameote cunhaaas.
Assim, pois. o fago publico, de ordem do Sr.
Dr. inspector.
Thesouraria de Fazenda do Estado de Per-
nambuco, 30 de Abril de 1800. .
0 secretario da unta,
Dr. Antonio Jote Sant'Anna.
Monte Pi dos Voluntarios
da Patria
De ordem do Sr. presidente, convido nova-
mente aos seobores soco que esliverem quites
com o Monte Po, para a sesso de assembla
geral que ter tugar s 5 horas da tarde do dia
I de MaiO, na sede da sociedade. alto de ele-
ger-se a directora para o anno de 1890 a 1891 ;
visto como, oso se reuni no dia 24 do corrente
como foi aanunciado, na forma dos respectivos
estatutos.
Secretaria do Monte Po dos Voluntarios da*
Patria, 29 de Abril de 1890.
0 1- secretario,
M. Ferreira.
Somma.
Saccas
Aaafjear
09 precos pagos ao agrcaitor, por 18 allos. e-
gondoa Assodac*o Commercial Agrcola,foram
os seriantes:
Cimas.....
Brinco.....
gmenos.
Maseavado porgado
B ratos.....
a>MiM.....
31700 a 4*OJ0
3300 a 3*900
2<00a 2*800
1M0O 1*600
1*300 a 1*600
*00a 1*200
1890
a descarga
Barca portopsra Xmt SUettcm, vanos gneros.
Barca nacional MSrisin xarqoe.
Barca iiigh fasiiii bac-lhao.
Brigoe huUaon Mritm, xarqoe.
Brlgee paileawa lithta, varios gneros.
Lugar porta^arz Ttmermri. xarqoe.
Liar uodiooal Osas emericas, varios gneros.
Lugar iugles Den bacalhao.
Lu>mr IraMaatfrx B. R. Leembuis, graxa.
Lugar auKrios Ama, milbo.
Pauctw sol hartes ikmnka, xarque.
Caucho aer*4geease Cera, xarque.
PaUcuo franca Cama/ Btrge, xarque.
latportaco
Barca naeiaasf Mmianmnha. entrada de Pelo
tsete 294e Aasecoasigoada a Amoriru&C.,
miimfesto:
Prelo tSa sanes a ordem.
Xarqoe S2SJNB kilos a ordem.
Lucre l*uMs>s*rs M S. Lteitkeris, entrado do
Rio tirando do Sel tea. 1 do corrente e consig-
nado a Pere Catastro & C, msoifestoo :
tiraxa 9 ssaes a Pbnseca Irmos & C, 04 a
Seix**"*i
Sebo JjflBa karatas a Foesfca Irmos & C,
3ft aSwxasiC
i* 3 11 ai un i ordem.
Exportacao
RBOTB. 30 DB ABRIL DE 1890
Para o exterior
No vapor allemo MoMetto, para Lisboa,
carreeou :
A. F. de Paiva e Silva, l barrica com 100 kilos
de farinha de mandioca e 1 barril com 40 litros
de agurdenle.
Para Hamburgo, carregeo :
9. M. Duarte de Aievedo, 25 saceos com 1,840
kilos de cera de carnauba
na barca portuguesa V. Sileitcie, para o
Porto, carregou : .,.,.
A. GuimarSes, 150 saceos com 11.230 kilos d*
assucar braneo e 30 di os com 11,930 ditos de
dito maseavado.
flo brigue portugus Adelina, para o Porto,
carreaou : _^ ,
A. Guimaries, 100 saceos com 7,500 kilos de
assucar branco e 300 ditos com 22,500 ditos de
dito maseavado.
Para o ulterior
, No vapor francez Colonia, para Santos, car-
regaram :
Amorim Irmos 4 C, 400 saceos com 24,000
kilos de assucar branco e 1,600 ditos com 96.000
ditos de dito maseavado.
No vapor allemio OUnda, para Santos, car
regou :
J. J. Moreira, 500 saccas com 37,250 kilos de
algodao.
No hiati Aurora, para Mossor, carrega-
ram: '
M. Viegas ft C, 7 caixas com 36 litros de ge-
nebra.
Para Macao, carregou :
J. Baptista.-4 barricas com 434 kilos de assu-
car branco e 2 ditas com 160 ditos de dito reti-
nado.
No cter Geriquily, para Natal, carreaarain:
J. J. da Silva Campos. 10 barricas com 600
kilos de asincar refinado e 20 ditas com 1,300
ditos ae dito branco.
Oliveira de C, 11 barricas com 816 kilos de
assucar refinado.
Na nareses Feliz Sociedade, para Maman-
guape, carregiram :
R. Paiva, 10 saceos com 1,200 kilos de milbo.
A. da Silva Carvalho, 10 saceos com 600 kilos
de fio de algodao.
RemdlamesUos publico
MU DB ABRIL
Alfandega
Renda eral :
Do dia 1 18:097*719
Do dia 1
Keclfc Uraloage
91338
Mercado Municipal de 8. Jos
O movimento desle mercado no dia 30 de Aoril
foi o seguinte :
Entraram :
271/2 bois pesando 4 405 kilos. -
511 kilos de peixe a 20 ris
16 cargas coiu farioba a *W re.
5 ditas de fructas d.versas a 300 re
33 columnas a 600 rs.
m taboleiroe a 200 re,
7 8Uinos.a 200 re.
1 escriptorio a 300 rs.
67 compartimentos com fannba a soo
re.
29 ditos de comidas a 500 rs.
99 ditos de legumes e fazenaas a
400 r8- -A
17 ditos de suinos a 700 rs.
9 ditos de fressuras a 600 rs.
10 ditos de camarOes a 200 re.
31 tainos a 2*
101220
3*200
1*300
194800
20*800
1*400
300
33*500
14*500
391600
1119JO
51400
2*000
62*000
Rendimento de 1 a 29 do Corrente
2261120
6:6831220
6:911*340
Logre
em 1 de
neiroA C_ mi
Miibo tjm
Amsta, entrado de.Baradero
e eeosignado a Pereira Car-
is consignatarios.
Renda do Estado
Do dia 1
de Pernambuco
4 393*271
Somma total
22:490*990
Segunda seceo da Alfandega de Pernamauco,
30 de Abril de 1890.
O tnesoureiroFlorencio Domingues.
O cnefe da seceoCicero B. de Mello.
Recebedorla do Estado de
Pcmaaibaco
Do dis 1 1:755*224
Precos do da:
Carne verde de 280 a 560 ris o kilo.
"Guios de 320 a 360 ris idem.
Carneiro de 640 a 800 idem.
Farinha de 560 a 600 ris a cuia,
Milho de 480 a 500 ris idem
Feijao de 900 a 1*200 idem.
Vapore a entrar
HEZ DE MAIO
Sul........... Montevideo........
Sul......... Equateur.........
Liverpool..... Merchant.........
Sul........... Grnhy............
Europa...... OUnda...........
Europa....... Tiei-the............
Europa....... Potos............
Norte........ Pernambuco.......
Europa....... Thames...........
(tal.......... LaPlata..........
Sul.......... Manos
Europa.....
Sul.........
New-York...
Norte.......
Liverpool
Europa.....
Sol........
Europa.....
Norte......
Sul........
Rio Grande do Sul21 dias. patacho bespanbol
Joven Pura, de 131 toneladas, capitao Pedro
Nogueroli. equipagem 7, carga xarque e gor-
duras; a Joaquina da Silva Carneiro.
Havre e escala20 das, vapor francez Colonia,
de 1 902 toneladas, commandante E. Breant,
equipagem 36, carga varios gneros; a Augus-
to Labille. _
CardHT12 dias, barca norueguense Cari Haas-
ted, de 882 toneladas, capitao Peder S. Johau-
Be, equipagem 14, carga carvao de pedra; a
ordem.
OtiDULAS
DO
Banco Nacional
Trocase, pagando bom premio, cdula* da
emissao pagavel em outo, do Bao :o Nacional ;
no arm.zem o. 4, ra do Commercio.
Navios sonidos no mesmo dia
PelotasLugar nacional Zequinha, capitao A. D.
Ralha; carga assucar.
BarbadosLugar inglez Dora, capitao W. May
em lastro. .
Cear -Vapor inelez Sorseman, commandante H.
J. Gil: carga fios lelegraphicos.
MacanHyate nacional Bom Jess, mestre Manoel
F. de Mello; carga varios gneros.
MacaoHyate nacional .lrora 2.', mestre Joa-
qun) Jos da S.lveira, carga varios gene-
ros.
i,

BANCO SUL-AMEBICANO
Sede no Rio de Janeiro
Capital de responsabilidade.
Capital realisado. <
2O.OO~:0OO,OOO
, 4.000:0000000
Transige em saques e remessas e abre crdito sobre as se-
pracas:
Brazil
Banqueiros e correspondentes
guintes
2
3
3
3
4
4
4
4
8
8
8
9
11
13
14
14
Vtlle de Rosario...
VUle de Pernambuco.
jlaranltense.......
Para.............
Autbor...........
Paranayu........ lo
Espirito Santo......
Trent.............
Alagos........... J*
Tomar............ *>
HoTlMcnto do porto
Navios entrado* no dia 1
Hamburgo-46 das, barca alterna jferui, de 319
toneladas, capitao 3. G. Reecke, eaupagem 9,
carga varios gneros; a Fooseca Irmos 4 L -
New-York44 das, patacho americano John a.
Cordn, de 496 toneladas, capitao G. C. Nowil-
le, equipagem 9. carga varios gneros; a Fon-
seca Irmos ft C.
Rio Janeiro.
Mansos----
Para.......
Maranho..
Cear......
Macei
Caixa matriz.
Rodrigues Vieira 4 C.
Banco do Para.
Bauco Commercial do
S. R. Cuoba 4 C.
Tiburcio Alves de Carvalho
Babia". ... Banco Mercantil da Bahia.
Campos... Banco Commercial e H jpothecario.
Santos ...1
S. Paulo. \Banco de S. Paulo.
Campias.)
Curytiba ... Jos Fernandes Loureiro 4 C. %
S. Catbarlna Trompowsky 4 Helme.
R. G. do Sol Albino J. da Cunha & C.
Pelotas..... Concclcao4C. ,.,
P. Alegre. Banco ca Provincia do R. G.do Sul
Europa
Banqueiros e coneoponfenles
Londres.........The City Bank. Limited
Pars eas maiaim-j
portantes pra-(Cr(li; Lyonnau.
cas da Franca..
Bruxellas........'
Berlim........... p- ^* Krause 4 C.
urgo.......Joh Berenberg. Gossler 4 C.
' fort 8/m... Deutsche EITecten Weck-
Barjk.
Lisboa ..........\
Porto e diveaasj
localidades a*U3(:() de Portugal.
Portugal, 11 has/
dos Azores eMa-1 .
deira.......)
Recebedinheiro a juros, em conta corrente ou por
letras a prazo fixo
Desconta letras de cambio e da Ierra, olas pfomissorias e oolros
Ututos de divida
Adianta dinheiro sobre caacJto de ttulos c ineroadOrias e abrecontas correntes
com garanta dos mesmos effeitos.
Faz todas as demais operaces bancarias
38Ra do Commeripio38

<
9
I-
.. i
liji'ti^affr^1-'



Juizo dosfeitosda fazenda | Montfe d SocCHTO
-

r
No dia 9 d- Maio e dpois de audiencia do
cidadao Ur. juiz tosiitui da Tuieudu se ta de
arrematar o seguiote :
A reoda annual de sobrado de i andar a ra
do Coronel Saassuna n. 63. teodo o andar supe-
rior 2 salas, 1 quarto. cosios fra e soio inier-
noeo andar terreo satas, 1 quarto e cosinha
Jora, pequeo quintal e cicimoa, avaliaoa em
3004 pan pagamento do que deve a fazenda
provincial 8eruardino Pereira Ribero.
A renda annual do predio o. 3o ra do Jar-
dn), com pona e jauetla de frente. atas. 2
quartos pequeos, costaba fra, quintal e ca-
cimba meeira, avalialaero 168* para paramen
to doque deve a meama fiteada Francisca Mar
cetina de Souza, oulr'ora Maooel Jos Patricio.
A casa terrea mei'agua n. 85. ra do Padre
Nobrera. mediado 4 metros e 60 centmetro* de
largura e 7 metros e 40 centmetros de compri
meato, com pona e janella de frente, 2 salas, 1
quarto, cosinha interna e pequeo quintal. aa
liada em 600 para pagamnto do que deve a
mesma fazenaa Ttiemoteo Pimo Leal.
A casa terrea n. 41 a ra Vidal de Negreiros,
mediado 3 metros e 15 centmetros de. largara e
15 metros e 30 rentimetros de comprimento, com
2 portas de Irente, 2 salas, 3 quartos, cosinba
fra, quintal com poriio e cacimba, avallada em
800, para pagamento do que deve a mesma fa-
zenaa Joaquim de Souza Lima.
A casa mei'agua n. 1, na travessa da roa do
Jasmim (Boa-Vista), inedindo 2 metros e 93 cen-
tmetros de largura e 3 metros e 65 centmetros
de comprimeato, com 1 porta de frente, 1 sala,
1 quarto, tu Jo em ponto pequeo, a va liada em
1004, para pagamento do que deve a mesma fa-
.renda Caetano Tneodoro Mues Viiaca.
A casa terrea o 13 em Santo Amaro das Sa-
linas, medindo 10 metros e 20 largura e 25 metros de comprimento. com 2 ja-
oellis e 1 porta de frente e9janellas nos oi
(oes, 3 salas, 5 quarto i e cosinba iuternae I si-
tio com l-i metros e 50 centmetros de largura e
.240 metros de comprimento conten lo 2 viveiros
e diversos coqueiros, avahada por 3:0004, para
pagamento do que deve a mesma faiteada Joa-
quim Rodrigues de Amorim.
A casa terrea & ra de S Miguel n. 131, ar-
romada, medindo 5 metros e 20 centmetros de
largura, 11 metros e 30 centmetros de compri-
meato, com 1 porta e 2 janel.'as de frente, 2 sa-
las, cosinha fra e quintal em aberto, avallada
en 1004, para pagamento 09 que deve mes
ma fazenda Sidronio Ignacio de Oliveira, ou-
tr'ora Antonio Jos de Sam'Anna
A casa de taipa em mao estado na Estrada No-
va* freguezia de Afogadus, u. 112 medindo 12
metros e 60 centmetros de comprimen o e 4
metros e 30 centmetros de largura, cora duas
salas, um quart quintal em aberto, avallada
em 1004, para pagamento do que deve a mesma
fazenda a Mana Rodrigues Campe lo.
A casa de taipa cjberta com tenas, em mao
estado, solo proprio. na segunda tiavessa dos
Remedios, n. 4, medindo 4 metros e 60 cent-
metros de largura e 12 me'.ros e 60 centmetros
"de comprimento, cem porta e janella de frente,
duas salas, tres quarto*. quintil em aberto e a*
cimba, avahada em 2004. para pagamento do
que deve a mesma fazeuda Joaquim d'Aquioo.
A casa n. 24 a roa das Peroarabncanas. ero so-
lo foreiro. precisando de reparos, medindo 13
metros e 40 centmetros de comprimento e 4 me-
tros e 20 centmetros de largura; com p >rta e
janella de frente, duas -alus, dous quartos in-
ternos e um fra, cosinha fora e pequeo quin-
tal morado com cacimba, avahada em 900i. para
pagamento do que deve mesma fazenda Isabel
Mara Ferreira da Silva.
A casa terrea meia agua. n. 13. no tecco de
Santo Amaro (Graca), medindo 4 metres e 40
centmetros de largura e 11 metros de compri-
meato, com duas poitas de frente, urna sala e
tres quartos, avahada em 3004, para pagamento
loque deve mesma fuz nda Or. Ayres de Al
uuquerque Gjma, por outros.
A casa terrea de taipa n. 20. sita no Brejo'
fregoptia do Poco, medindo 10 metros e 60 cen-
tmetros de largura e 8 metros e 75 centmetros
de comprimento, com 4 jinellas de frente, duas
ditas e duas portas no oito, sala de frente e ga-
binete, tres quartos, sala de jamar, grande quin-
tal cercado, alpeodre ao lado do nasc^nte, co-
ztnha f:a e estribara, avahada em 4003 para
pagamento do que deve mesma fazenaa Igna-
cio Martins ou Luiza Harinbo d'Almeida.
O sobrado de um andar sito na travessa do
Caldereiro n. 2, freguezia do Poco, medindo 15
metros de largura e 10 metros e 20 centmetros
le comp.imento, tendo o pavimento terreo urna
perla e quatro janejlas de frente e fes ditas no
lilao do lado do nascente, duas salas, tres quar-
03. cosinha fra e nm quarto externo, e o pavi-
mento superior cinco janguas de frente e os
meemos commodos do audar terreo, cora exce
ocao do quarto externo e cosinha; tendo mais
dito sobrado um sitio pequeo arborisado, com
adraba, tanque, 4 quartos para criados e um
pequeo telheiro. avahado em 2:0004. para pa
amento do que deve mesma fazenda J 'sutno
Ferreira da Silva.
A casa terrea na Estrada Nova (Varzea) n. 81,
em-solo foreiro e em mao estado, menindu 9 me-
tros e"0 centimentros de comprimento, e 6 me-
tros e 10 centmetros de largara, com urna por-
ta e duas janeUas de frente, um quarto e peque-
10 quintal em aberto, avallada era 2004. para pa
Qameotodo que deve mesma fazenda Fruncs-
-o deCarvalho Paes de Andrade.
Beafe. 24 de Abril de 1890.
O solicitador da Fazenda,
Ricardo Henriquet da Silva.
Alfandega de PemambucD
O abaixo assignado, na presente data, da prin-
cipe ao lancameoto dos impostos de industrias
e protisses e predial, na freguezia de S. Fre
Pedro Goocalves, percorrendo as ras do Brura,
Areal do mesmo, Phar.il, f.naco, S. Jorge. Vo-
luntarios da Patria, Guararapes, Oriente, c -i
lente, Pedro I, Baraodo Tnumpao. Apollo. Vis
conde de Iiaparica, Reslauraco, O- Mara Cesar,
omingos Jos Martios, Barbosa, Cbafuriz, Luiz
Goocalves e Campello; por sse previne aos Srs.
locatario* dos predios situados em ditas ras,
que apresentem os respectivos reribos e ron .r-
elos de arrendamento, como manda a le. alitn
de evitar-se o devido arbitramento; e para que
- a vista dos meamos recibos e contractos se
poesa (izar o imposto com que cada nm tera de
contribuir para o futuro exercicio de 1891.
Alfandega do Estado de Pernambuco, i.* de
Mam de 1890. .
0 lancador,
ilanoel Jote Soares de Avellar.
ASSO JIACAO COMMERCIAL E AGR-
COLA DE PERNAMBUCO
Nao tendo tido logar a assembla geral d'esta
usociaco por falta de numero sufciente dos
Srs. socios, por ordeno da directora de novo os
convido a se reonirem'ni dia 5 do-orrente s
10 horas da manbu na sala das sessow.
O tiru da assembla geral o mesmo mencio
nado na 1.* convocaco e funecionara com os
Srs. socios que comparecerem, seja qual for o nu-
mero.
Recite. I de Maio de 1890.
b de S. Ponlual,
i.* Secretario.
Matriz de Santo
tonio
*
de 500 caixas ou
nos que foram
do Ss. Sacra-
17.443
17 445
17.465
17.550
17.5S0
17.611
Existindo nesta matriz
urnas contendo ossos de-
irmSos da veneravel i
meato, entre ellas urna gW totiantidade com
pietameote estragada, enJPP^ntindo no com
promisso disposicao alguma que obrigue a ir
mandade a ler sob sua guarda e cuidado, os
restos daquelles que foram seus irmaos, a mesa
regadera deliberou que por meio de aoooncios
fossem convidados os rnteressados na conserva-
cao desees ossos a virem reclamal os. o que o
faeo pelo presente, marcando Ibes o prazo de 60
das para este tim, Ondos os quas e nao naven-
do reclamacio se dar destino a esse o eos pre-
cedidas as formalidades legaes. Ootrosira de-
claro, que foi tambera deliberado, que d'ora em
diante s serao reoebidos em noesa igreja obsoj
de irmaos que na mesma leabam jazigos, e que
ierea aeompanhados da respectiva provisao do
averno do bispado.
Consistor o da veneravel irmaodade do SS. 8a
eramento da matriz de Santo AnliMlo do Mecife,
30 de Abril de 90.-Oe8criv
Francisco Jos dos PaMbs Goimaraes. '
i7.77
18 005
18 006
18.038
18.039
18. 53
18 211
18 245
18.249
18 416
45 leilo de joias
Este eslabelcimeutff'lara teo no dia 21 de
Maio prximo, por intermedio do agente Mar-
ti as tm sua sede na ra Bom Jeaus i. 32, s
11 horas da manb. dos objectos que nio foram
rescatados al a vespera, constantes das segun-
tes cautelas vencidas :
17 432 1 faqneiro contendo 72 coihere, 7 con
chas, 1 par de trinchantes 48 garfos,
34 facas pequeas 4 coiberes.
i chapa de ouro (oQicial da Rosa) era-
vejada de bnlhanies c diamantes, 3 bo-
toes de ouro com 3 brnantes.
1 aooel de ouro cora 1 briloante grande.
1 volta de ouro. 1 mcdalba 1 trancelim.
1 relogio de ouro para sentiora, ouro de
lei.
17.474 1 par de brincos com ametistas de pe-
rotas, 1 volta de trancelim, 1 medalba,
1 crin, 2 aoneis, onro de lei, 1 salva, 3
coiberes para cha, 1 dita para sopa, 1
fivella de prata.
17-490 1 broche cravejado de brilhantes. 2
grampos de ouro. com pecas tambero
cavejadas de brilhantes.
17.500 1 bacia e i jarro gosto intigo, prau de
lei.
4 pares de brincos, 2 alHnetes, 1 trance
lm, 1 aooel, ouro de le, 1 uulseira. 3
cordes, 2 cruses. 1 aonel, ouro baixo
i bro-he. 1 par de rozeta de ouro, con-
tando brilluntes, 2 unneis com brilhan-
tes.
17.393 24 colheres para topa e 29 ditas^ara
cna, prata de lei.
1 par de rincos, I dito de rozetn, 2 me
dalhas, 1 luneta, I cruz, 1 liga. 1 alfi-
nete pequeo, 1 annel, 1 par de bol Oes,
2 bolas de ouro, ouro de lei, i par de
argolas. 1 annel, ouro baixo.
17.637 3 pulseiras, 3 pares de rozetas, 1 dilo
de botoes, 1 cordao, 1 cruz, 1 aonel. 1
caixa de ouro para relogio, ouro de lei.
17.642 2 flus de pootas de ouro de let, 2 cora-
ces de cordutna engastadas em ouro,
> ouro baixo.
17 693 1 par de rozetas de onro contendo 2 sa
phkas e circuladas de brilhantes, 1 an-
nel com 2 brilhantes e 1 saolnra, 1 an-
nel com um brilhaote, 1 volta de ouro
com medalia. i pulseira com mosaico,
2 pares de brincos e 1 cruz, ouro de le,
1 pulseira, 2 allioetes, ouro baixo.
17-700 1 correnlo de ouro, 2 Irancelins, 1 cal-
xa para rap, 2 Hvellas, 1 par de b>-
tjes. ouro de lei 1 par de bnies, ouro
baixo, 2 salvas. I paliteires, 24 coiberes
para sopa, 19 ditas para cb, 2 conchas
para sopa e arroz, prata de lei.
17-746 6 garfos com cabos de prata, I tesoura
prata da lei.
17.760 1 par de rozetas com brilhantes peque
nos, 1 salva, 1 paliteiro, 9 coiberes para
sopa, 9 litas para cha, prata.
17.771 2 salvas, 1 paliteiro, l colher para ar-
roz, 13 ditas para sopa, prata de lei.
1 aliuele, 1 medalba, 1 cordao, 1 par
de rosetas, ouro de lei.
6 coiberes para sopa, 10 ditas para cb,
prata baixa.
1 salva 1 paliteiro, 4 coiberes para
sopa e 17 dita" para cb, prata de lei.
1 par de brincos, 1 medalha como
onisk, 1 annel ouro de lei, 1 paliteiro
prata de lei.
1 par de rozetas e 1 dedal, ouro de le.
2 pares de brincos, 1 volta de trance
lim, 1 annel, onro de le.
18.105 1 par de rozetas de onro com brilhan-
tes pequeos.
1 par de botes de ouro com 2 brhao-
tes 1 par de rozetas de ouro e 1 aonel
com brilhantes.
1 broche de ouro cravejado de brilhan-
tes. 2 pulseiras, com ditos, 1 cruz era-
vejada de ditos grandes.
18 coiberes para sopa, 26 ditas para
cb, 1 concha para arroz, prata.
18.230 1 pulseira, 1 broche, 1 par de brincos
de ouro contendo brilhantes, 1 broche e
1 par de brincos com brilhantes e ru-
bina, 1 pulseira com patas e rubios, 1
dita lisa, 1 broche com esmeraldas e
perolas. ludo ouro de lei.
1 pulseira, 2 m-dalas, 2 Irancelins, 1
corrale para relogio, 1 par de brincos,
1 alfineie e 1 annel ouro de lei.
18.326 1 moeda de ouro de valor voltas de trancelim, 1 medalba, 2 ligas
de coral em ouro e 3 teleas, ouro de
le.
Brilhantes pequeos sob papel.
1 trancelim, 1 medalha, 1 par de brin-
cos. I dito de rozetas, 3 anoeis, ouro
de lei.
Belogio ouro de lei.
1 pulseira de euro contendo 4brilban
les. 1 broche com ditos, 1 par de brin-
cos, urna cruz de brilhantes e 1 no de
1 volta de ouro, 2 correales, 1 medalba
para relogio, 2 irancelins. 1 moedinha
de ouro com lacp, 2 me dalhas, 1 par
de brincos, 3 ditos de rocelas, 2 anoeis,
2 moedas sterlinas em botoes, ouro de
lei.
i volta de ouro, 1 par de brincos e 1
aooel ouro de le.
1 redoma, 1 par de rozetas, 3 botoes e
1 annel ouro de lei.
1 relogio ouro de lei.
1 pulceira de ouro, 1 dita com rquili-
fes e corees, 1 trancelim, 2 vollas de
dito e 1 cruz, ouro de le.
1 trancelim e um passador, ouro de
lei.
1 pulseira, I medalbao. 1 par de brin-
cos com rubina e perolas, ouro de lei,
2 salvas prata de lei.
1 annel de ouro com i brilhaote.
2 anoeis de ouro com orilbaotes peque
nos. 1 fio de perolas, 4 broches. 3 pares
de brincos, 1 dilo de rozetas, 2 aooeis,
2 pecas de cintetro ouro de lei, 1 par
de botoes, 1 medalba, ouro e oniek 00
ro baixo, 1 salva, um paliteiro prata
baixa.*
18.612 1 relogio de ouro de lei, 1 salva de pra-
ta de le.
1 salva .rende, prata de lei, 1 escrivi-
ntnba incompleta, prata baixa.
1 rosario ouro de lei.
3 irancelins, 1 cordao grosso, 1 dito
fino ouro de le
18.618 1 corrente, 2 trancelins, 2 anneis, duas
cruzes ouro de lei.
18.619 1 pulseira de ouro com 5 brilhantes e 1
pedra branca. 1 par de brincos de ouro
orevejados de brilhantes, 1 alfinete para
manta, urna cruz com brilhantes ouro
de lei.
18-620 2 pulseiras e 1 urna c.rrente para relo-
gio, ouro de lei.
12 coiberes para sopa, 15 ditas para
cb. 18 ditas para creme, 3 para tirar
sopa, arroz e assucar, prata baixa.
18.622 1 pulseira, 1 par de betes curo de
lei.
1 moeda de ouro (libra) e 1 aonel com
1 pequea esmeralda.
I cordao e urna cruz, ouro de 16 quila
(salva, 1 paliteiro, t coiberes para
sopa e. arroz e 17 coiberes para cb, de
prata.
18.627 1 medalha e 2 pares de rozetas ouro de
lei.
1 salva de prata, 2 coiberes para sopa
e arroz, prata de lei.
1 relogio ouro de le.
1 correntio, 2 irancelins ouro de lei, 1
salva oitavada prata de lei.
18 638 1 trancelim, 1 cordao. 1 cruz, 1 emble-
ma do Espirito Santo, 1 annel e 2 res-
plendores. ouro de lei, 1 medalba, 1
cruz ouro baixo.
18.640 23 coiberes para sopa, 22 ditas para
ca, 3 para tirar sopa, arroz, t dita pa-
re peixe, 24 garfos, prata de lei.
18.643 2 pares de botoes para pannos, ouro de
lei.
2 pulseiras, 1 corrente dupla, pare re-
logio. urna moeda de ouro 20 000, 1 cordao, 1 relogio ouro de
lei.
1 volta de ouro de lei.
2 pulseiras, 1 corrente e medalba para
reregio, 1 relogio de ouro, para senho-
ra, onro de le.
18.656 1 broene, 1 par de brincos, 1 en, ou-
ro de lei. '
18.550
18 554
.564
567
18.571
18.583
18.588
18.591
18.600
18.604
18 606
18.607
18.610
18615
18616
18.617
18 621
1H.0Z2 1
m
6 1
18.628
18 632
18 633
18.647
18.649
18.652
18.657 ipHUewo 1
dalha e porta relogio, 1 relogio de ouro,
para sunliora, on de lei.
18 59 1 par de rozetas de ouro com onisk e pe-
quedos brilhantes. 1 medalha de onisk
com 1 brilhante pequeo. 1 par de ar-
racadas cravejadas de diamantes, 1 tran-
celim.
18.663 1 trancelim de vol a, 1 de dita, 1 pul-
seira, 1 par de rozetas, ouro de lei, 2
medalhas ouro baixo.
18 678 1 par de rozetas de ouro com brilhantes
e 2 anoeis com ditos.
18.679*1 pulseira de ouro e 1 medalha con-
tendo britbames, i volta de ouro com
laco, 1 corrente para relogio e 1 ca-
Dia.
18.680 1 par de brincos c 1 cruz de ouro com
brilhantes.
18.681 i co-reniao de ouro para relogio e re-
logio ouro de le.
18 682 1 aooel de ouro com um brilhante.
18.683 1 Pulseira ouro de lei, i salva pequea,
prata de le.
18.686 1 pulseira de ouro, 1 volta com meda-
lba, 1 trar;elim, 2 alHneles, 1 par de
brincos, 1 dito de rozetas, 1 moedi
nha de ouro (dolan e 4'anneis de ouro.
18.698 2 aooeis de ouro com Z brilhantes, i
dito com 3 brilhantes.
18.703 1 correte para relogio, ouro de lei.
18.705 1 crucirixo ouro de lei.
18.710 1 crreme com cinetes 'para relogio,
rosario e 1 luneta d- ouro de lei.
18.711 2 correntes de ouao para relogio, e trao
celim com ciuete, ouro de le.
18.712 1 annel de ouro com um brilhante.
18.7J0 I altiuete de ouro com brilhantes, 1
par de botoes com ditos, 3 alfinetes de
ouro. 1 par de brincos, 1 dito de roza
tas. i medalba, 1 luneta, i i-pi'.o de
ouro.
18.721 1 annel de ouro com 1 brilhante, 1
corrente para relogio. 1 alfinete com es
moraldus, i liga e 1 relogio ouro de
lei.
18.724 1 annel de ouro contendo urna esme-
ralda circulada de brilhantes.
18.725 1 allinete, 1 par de brincos, 1 medalba
e 1 annel, ouro de lei.
18.728 1 annel de ouro com um brilhante pe
queno, e volta de ouro e i medalha ouro
de lei.
18.734 2 caslicaes com Docaes,prata de lei.
18..736 1 par de rselas de ouro com brilhan-
tes em circuios, 1 allinete de uro com
esmeralda, 2 pulseiras, 1 par de brin-
cos, 2 pecas de dito, l rozela, 1 peca de
ouro, 1 broche, 1 passador para manta,
o-ro de lei, 1 redoma, i.cruz, Ipar de
brincos 1 dedal sV-omuJeraa do Espi-
rito Santo, ouro bakjto. i
18.737 1 par de rozetas de ouro com 2 saphi
ras circuladas de brilhantes, 1 volta de
ouro e 1 medalba, oura de le.
18.741 1 volta de cordao, i trancelim pequeo
e 1 dedal, ouro de lei.
18.747 1 aonel de ouro com pequeo brilhante,
1 volta de ouro com medalba, 2 broches
e 1 par de rozetas, ouro de lei.
18.762 1 correte e cioete para rologio, ouro
de lei.
18.766 1 corrente e medalha para relogio, ouro
de lei
18.771 1 alfinete de ouro para manta, com 1
brilhante.
18.772 1 alfinete, 1 par de brincos, 3 anneis, 1
cete, 1 tetea e 1 moedinha de ouro
com laco. ouro de lei.
18.775 1 correte de ouro para relogio.
18-77t> 1 pulseira, ouro de le.
18-796 1 volta de trancelim e 1 cruz, ouro de
le.
18.797 1 pulseira, 1 broche. 1 par de brincos
cravejados de brilbaotes e diamantes.
18 806 1 pulseira, ouro de lei.
18.813 1 par de brincos, onro de lei.
18.816 1 correte para relogio, ouro de lei.
18 820 2 anneis de ouro com brilbaotes peque
dos, 1 moeda de ouro de 20 francos, 1
pulseira, 1 alfinete e 1 par de briocos,
ouro de lei.
18.828 1 correte de ouro para relogio, ouro
de lei.
18.832 2 trancelias, 1 moedinha de ouro com
laco e 3 alfinetes, ouro de lei.
18.849 1 annel de ouro com um brilhante.
18-864 1 annel de ouro com um brilhaote gran-
de e um correnlo, ouro de lei.
18.872 i allinete cravejado de diamantes.
18.879 1 medalba, ourn de lei.
18880 1 cordao, ouro de lei.
18.892 1 volta de trancelim.; 1 medalha, ouro
de lei.
18 893 i caixa de ouro de le para rap.
18.899 2 pares de brincos e 2 anneis, ouro de
lei, i par de briocos e 2 medalhas,
ouro baixo.
18.900 1 trancelim. ouro de lei, 1 broche, 1
medalba, ouro baixo.
18902 1 aonel de ouro com 1 brilhante pe-
queao, 1 pulceira, ouro de le.
18.903 1 botao de ouro com 1 brilhanta.
18 904 1 corrente e medalba para relogio e 1
reloiiio, ovo de lei.
18-906 1 correte para relogio, ouro e pla-
tina.
18.913 1 trancelim, 1 luneta e 1 par de oculos.
18 915 t par de rosetas, ouro cravejado de
brilhantes.
18.919 1 par de briocos, 1 cordao, onro de lei,
1 trancelim, 1 liga, ouro baixo.
18.920 1 pulceira, l alfinete 1 par de briocos,
1 cordao, 1 cruz, 1 emblema de S. Braz,
1 par de boles, ouro de lei.
18.931 2 voltas de trancetim, 1 emblema da
Cooceico, 1 medalba, 1 liga onro de
lei.
18.952' 1 annel de ouro com 1 brilhante.
18.953 1 trancelim. 1 brilhaote, 1 par de ro-
zetas, ouro de lei, 1 cordao, 2 allioetes,
1 par de rozetas, ouro baixo.
18 958 1 peoa de ouro de le
18.960 i trancelim com passador, ouro de lei.
18.965 1 correte e medalba para relogio, 1
chave, 3 botoes, 1 annel e 5 letras, ou-
ro de le.
18 969 1 allinete de ouro com brilbaotes.
18.970 1 salva, i colher para arroz, prata de
lei, 12 coiberes pare sopa, 5 para cb,
2 conchas para assucar e sopa, 2 casti-
caes e 1 paliteiro, prata baix?.
18-972 i trancelins, 1 volta, 1 cordao, 1 alfi-
nete, ouro de lei.
18.977 1 alfinete de ouro cravejado de diaman-
tes, rubias e perolas.
18.978 1 par de rozetas de ouro com bnlhan-
' tes pequeos.
18-979 t correute e si nete para relogio. ouro
de lei. 1 colher para tirar sopa, 12 ditas
de sopa e 12 ditas de cb, prata.
18.984 i relogio ouro de lei.
18.988 1 par de rosetas de ouro com brilhan
tes, 1 aooel com 1 saphira circulada de
brilbaotes. 2 anneis com esmeraldas, 1
par de brincos, 1 dito i rozetas. 2
broches, 1 medalba, 4 pares de botos,
1' volta da trancelim com 3 emblemas
de imagem, 1 redoma, 1 caeta, 4
boles de ouro com 4 perolas, 1 par de
rozetas com 2 perolas e 1 relogio de
oura.
18.891 1 volta de ouro, 1 pulceira e 2 meda
Ibas, our de lei.
19.005 1 aonel de ouro cravejado de rubias e
brilhantes pequeos, 2 broches, 1 par
de briocos e 1 dito de rosetas, ouro de
lei,
19.006 1 cordao. 1 medalba incompleta, 2 pa-
res de rosetas e 1 annel, ouro i lei.
19-014 1 corrente e medalha (onisk) para re-
logio, ouro de lei. /
19.022 1 corrente para relogio, {fallando cha-
ve.)
18.024 1 corrente para relogio/e l par de brin-
cos, oaro de lei.
19.028 1 corrente e medalba para relogio, ouro
de lei.
19.031 2 vollas de trancelim e 1 alfinete, ouro
de lei- .
19 032 1 par de rozetas da ouro com 2 bri-
lhantes, 1 aonel com 1 dito, 2 trance-
lins, 1 volta de dito, 1 par de rozetas,
1 dito de brincos,, 4 peis de brincos.
2 cruzes, 2 medalhas, 2 dedaes. 1 alli-
nete, our j de le, 1 volta d. ouro, 2
pecas de brincos e 1 par de rozetas,
ouro de Ici.
19.033 1 par de rozetas com 2 brilantes e i fio
de perolas.'
19.046 2 pares de brincos, 1 volta de trance-
lim, ouro de lei.
19.049 1 correte para relogio. i cordao, 1 par
de argoleS; ouro de lei.
medalba para relojrio,
ei.
19-055 t corrate curia para relogio, 1 par de
boles, 1 relogio, ouro de lei.
19.064 1 medalha, 1 cruz, 1 annel engaste da ou
ro para cabello, ouro de iei, i trance-
lim, 1 par de brincos, 4 pares de rose-
tas, 2 aoneis, 1 palmo de cordao, 1 liga
el tetea,oaro baixo.
19 C67 1 pulceira e 1 dedal, ouro de lei.
19.073 1 pulceira composla de moedinhas de
oaro.
19 080 1 par de rozetas, 2 voltas de trancelim,
2 medalhas, 1 cruz e 4 teteas ouro de
Jai.
19.082 2 medalhas, 1 bandeira de ouro para
imagem, 1 crui, 2 anneis, 1 relogio, ou-
ro de lei.
19.088 i par de rozetas de ouro com 2 brilbao-
tes pequeos, 1 volta com trancetim, 2
ann> is, ouro Je lei.
19.091 1 volta de ouro, 1 trancelim, 1 cruz, 3
medalhas, 1 alnete, 1 par de brincos,
1 dito de rozetas e 3 anneis, ouro de
lei.
19.092 1 par de brincos cravejado de brilhan
tes pequeos (em prata), 2 broches de
ouro coatendo brilbaotes, 1 cruz com
ditos, 1 par de rozetas cora ditos e 1
fio de perolas.
1 reioglo de ouro incompleto, 1 dito pe-
queup para senhora.
t torrente para relogio, ouro de lei.
1 pa\de rozetas ue oaro com brilhan-
tes pfquenos. 1 annel com 1 esmeralda
cireaTada de brilhantes, i trancelim e 1
maalha, ouro de lei.
19124 1 pulceira de ouro com 1 brilhante, 1
annel cravejado com ditos, 1 par de ro-
zetas com 2 ditos e perolas, 4 boles
com. 4 ditos, 6 brilhantes sob papel, 2
medalhas cem diamantea e perolas, 1
breche com rubins e diamantes, 1 alfi
nete de ouro para manta, 1 cruz, 1 vol-
ta de ouro de lei, 1 corrente ,jura relo-
gio onro e platina e i cordao grosso,
ouro baixo.
19.125 2 pulceiras, 2 correntes para relogio, '
trancelim, 1 volta de dito, 2 medalba;.
1 cordao, 1 olbo de Santa Luzia novo, 1
par de briocos, 4 aoneis e 1 botao, ouro
de lei.
19.127 1 volta de ouro com perolas, 1 meda-
lho com 4 brilbaotes e diamantes, ou-
ro de lei.
19.128 1 cruz de ouro com pequeos brilhan
tes, 1 volta de cordao, 1 medalha, 1 par
de brincos, 1 dito de rozetas, 1 dedal,
ouro de lei, 1 moedinha de ouro de
meia .
19.131 1 annel de ouro com 3 brilhantes.
19 132 1 alfinete de onro com perolas, 1 pol-
ceira, 1 corrente para relogio, ouro de
le, 1 broche cravejado de diamantes.
19.158 1 corrente para relogio, ouro de lei.
19.160 l corrente para relogio, ouro de lei.
19.170 i trancelim, 1 volta de dilo, 1 moedinha
de ouro com laco, 1 liga e 1 pequea
medalha, ouro de lei.
19.180 1 par de rozetas de ouro com 2 peque
nos brilhantes.
19.190 2 pares de briocos, 1 medalha, ouro de
le
19.193 3 medalhas,! par de briocos, ouro de
lei.
19.197 2 anneis de onro com 2 brilhantes, 1
par de rozetas com ditos.
19.209 10 coiberes para sopa, 17 ditas para cha,
2 ditas para sopa e arroz, prata baixa.
19.219 1 annel de ouro com 1 brilhaote.
19-221 i medalba de oolcks, i luoeta, 1 par de
rozetas,. 1 dito de boles e 1 aonel.
19.123 1 pulceira, 1 broche, 2 pecas de brio-
cos de ouro com 28 brilhantes peque
nos, ouro de lei.
19 226 2 relogios de ouro.
19-227 1 relogio de ouro.
19 228 1 trancelim, 1 relogio, ouro de lei.
19-233 1 par de brincos de ouro cravejado de
brilhantes.
19.238 1 relogio de ouro de lei.
19.24! 1 salva e i tigeila de prata.
Recife, 24 de Abril de 1890.
O gerente,
__ Fehno D. Ferreira Coelho.
A' praga
Maooel Smo dos Santos da Figueira fas
sciente ao publico e especialmente ao comn.er-
ci, que segu no vapor Elbe, para Europa a tra-
tar de sua sade, deixando na gerencia de seus
eatabelecimentos o sen socio o Sr. Jos Freitas
[de Aadrade, e como su bastante procurador ao
clado Jos Joaquim Samrcos. Oit osim, pe-
de descuida aoc seus bons amigos e fregueses,
a quem o2o pode fazer tnas despedidas, attenta
a prestesa da sua viagem ; offerecendo ll'.e po-
rm os seus limitados prestimos em Litboa ou
na Figieira da Fs.
Recife. 17 de Abril de 1890.
Manoel Sima odoa Santos da Figueira.
Colonia Orphanologica Sania
Isabel
1
De ordem da directora
desta colonia, previne-se s
qiais ou tutores dos menores
despachados para serem re-
polludos n'este instituto, de
nao os apresentar se nao
q 11 ando forem chamados por
annuncio publicado nesta
mesma folha.
Colonia Orphanologica
Santa Isabel, 15 de Mar^o
de 1890.
O secretario,
Francisco das C. C. Campos.
Obras da igreja do Divino
irito Santo
OVO E
O
O
STKKNEY E BONOYAN %
Espi
A irmandado do Div no Espirito Santo do Re-
cife, tendo de dar principio brevemente ar obras
de que carecem os corredoras da mesma igreja,
pois o do lado do nascente ameaca desabar, e
balda de recursos para empreheoder esta urgen-
tissima obra, recorre aos sentimentos religiosos
e coraces philantropicos dos distractos mordo
moi (irmaos novos) aprovados em sesso de 2
de Juoho do anno passado e constantes da pu
blicaco ao Diario de Pernamboco de 14 do mes-
mo mez e anno, que anda nao reaiisaram suas
entradas, rogando lhes que se dignem de entrar
com a joia respectiva, que destinada a to til
nm, de cojo recebimento se acha encarregado
o cidado Joo Pinto Moreira ; certodeqoeo
Divino Espirito Santo, em recompensa, espargi-
ra sobre suas pessoas os efDuvios de sua divina
graca. Consistorio, 29 de Anril de 1890.
Miguel dos Santos Costa Jnior,
Escrivo.^__________
SANTA CASA
CASAS PARA ILltlH
Restauraco casa terrea n. 25 15JO00
Bom Jess n. 29, loja i:;#000
de.m idem idem, 1.a andar / 16J660
dem idem n. 13. 2 andar 1GI660
dem do Amorim n. 23, idem 15j000
dem idem idem, 2* andar 150t 0
dem idem n. 64 armazera 25J000
dem do Vigano n. 25,1." andar 2oJ000
dem idem idem andar 20*000
dem idem n. 27, Iota liiiO 0
Bispo Sardinha n. 11 1 aodar 16*660
dem idem n. 3. 2 andares e loja 33*330
D. Maria Cesar n. 118 terrea 16*000
dem n. 16, terreo 20*000
Companhia Pernambucana n. 30, loja 15*000
Madre *de Deus n. 2, armazem. 12*500
Burgos n. 21, terrea 14*000
Imperial n. 153. loja. 10*000
Quadro da Detenco n. 2, terrea. 8*000
dem o. 2, idem. 6*060
3
5-<
m
s
o
3
1
O
- r^ tarde, a pedido de varias e distinctas familias inglezas, residentes nesta
>""*! capital s quaes dedica esta especial faoccSo.
S Gf-Da^D(NnODS 3FXJ3NrGGAa
As 8 e 1]2 horas da noite
Amaoh e domingo haver tres grandes espectculos, sendo
um no domingo as 4 horas da tarde, sendo (os trabalhos todos variados e
noTOs.
3 9bellas e sympathicas damas americanas
ES MITAS NOYIDADKS
O VENHAM POIS
AONOTO E GRANDE CIRCO AMERICANO
DE
m STICEHEY BONO VAN ..
O Para admirar as grande ooviclades artsticas, por
g ella apresentadas ao publico
* Ao Circo! Ao Circot
A ADR IRAR A BENEFICIADA
k PRECOS &_,
^T_ Camarotes com 4 assentos .... 1O0OGO ;{
5T Cadeiras..........2||000 >
g Plateas..........10000 jg<
j^i Sempre qne houver espectculo haver trem at Apipucos. e honda
para todas as linhas.
Os bilhetes serio encontrado? a venda durante o dia em casa do cidadao
Francisco Xavier Ferreira, roa,l de Marco n. 41, noite no Circo.
Hospital Portuguez
Assembla. geral extraordinaria
Nio tendo acceitado o 1- e 2- secretarios, es-
moler e mais seis raordomos os cargos para que
foram eleitos cm assembla geral ordinaria do
I* deDtzembro prximo passado, sao de novo
convidados os genhores associados a reunirem
se na secretaria do hospital no dia 4 de Maio, as
11 horas aa maoha. para se proceder a eleic&o
dos lugarea recusados para completar a junta
administrativa de 1890. Em vista do additivo
acs estatutos, duas horas depois da marcada, se
constituir a assembla geral com o numero que
se achar preteaie.
Recife, 28 de Abril d 1890.
O secretario,
Cesaro A- S. Papoula.
Companhia Usina Pinto
De accordo com o que preceila o arl. 16 dos
estatutos, sao convidados os senborea accionis-
tas para a reuniio de a sembla ireral ordina-
ria, que devera eHectuar se no dia 12 de Maio
prximo vindouro, na sede da companhia, ra
do Imperador n. 83, s 12 horas do da, aom de
serem apresentados o rea torio, balaoco, contas
e parecer fiscal do anno social lindo em 31 de
Narco prximo passado, e bem assim eleger-se
a commissSo fiscal, de conformidade com o art.
14 do decreto n. 65 de 17 de Janeiro de 1890.
Recife, 27 de Abril de 1890.
A. de Souza Pinto,
Secretarlo. '____
Terceira prac,a
Edital n. 39
Pela inspectora desta Alfandega se faz publi-
co que s 11 horas do dia 5 do corrente mez,
ser arrematada porta desta reparticao, urna
caixa marca AS o. 75, vinda de Hamburgo na
barca allema Louue, entrada em 2t de Juoho de
1889, coofigaada a Augusto Seixas, contendo
consulos de madeira ordinaria, mediado al 100
centmetros de comprimento.
3. seceo da Al.'andega de Pernambuco, 1
de Maio de 1890.Serviodo de chefe da seceso,
M. A. Rodrigues Pinheiro.
Club Republicano de
Belem
Hoje, 2 de Maio, funeciona este Club
em Assembla Geral, portanto convida-se
todos os socios para comparecerem s
6 1(2 horas da tarde.
O secretario,
J. da Rocha Lima.
A commissao districtal da Varzea faz pu.
blL'O que foram boje enesrrados os trabalhos de
alistamento dos cidad&os moradores neste dis-
tricto da Varzea, tendo sido qualilicados 467
eleitores ; podendo nos termos do artigo 30 do
decreto n. 200 A, de 8 de Fevereiro do corrente
anno, o cidadaos que se julgarem prejndlcados
apresentar suas reclamacOes cemmissao muni-
cipal no praso de 5 dias a contar da data do pre
sent edital.
E eu, escrvao ad hoc, o escrevi e subscrevo,
Antonio Amaro Secundino de Mello.
Vanea, 1 de Maio de 1890.
Ignacio A loes Monteiro Jnior,
Presidente.
Joo Hermano Cotreia,
Subdelegado,
Aprtgio Alvet de Souza Magalhaes
Ao commercio
Os abaixo assignados participan! ao respeita-
vel corpo commercial, que de commum accordo
dissolveram em 22 do corrente mez, a socieaade
que gyrava sob a firma social de Suberto & C,
retirando se o socio de industria, Evergisto de
Uollanda Vasconcelios, pago e satisfeito de seos
lucros, ficando lodo o activo a cargo somente de
Suitberto de Siqneira Barbosa Arco Verde,
liba das Flores. 28 de Abril de 1890
Evergisto de Hollauda Vasconcelios.
Suitberto de Siqueira B. Arco Verde.
I1V D EMNIS AD OR A
Companhia de Segaros
martimos e terrestres
Entabelecl da eaa 18SS
Estad nancelro em 81 de De-
zembro de 188B.
Capitel 1,000:0001000
Fondo de reserva 110:376^000
Sinislros pagos 1,776:683#000
44Ra do Commercio44
SEGUIOS CONTRA FOCO
EDIFICIOS E MERCADURAS
TAXAS BAIXAS
Prompto pagamento df prejuizot
SEM DESCONT
A COnPAIH 1
mmiAh
BE i.ovimcs
Estabelecida em 1803
CAPITAL Rg. 1 ,000:000400o
AGENTES BROW1YS & C.
N. 5-RA DO COMMERCIO-N. 5
Companhia de Segaros
t&tliMt it fpijsboft
AGBNTB
Miguel Jos Alves
N. 9Ba do Bom Jeu-S.
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos seguros a nica companhia
i esta praca que concede aos Srs. segurados semp-
,1o de pagamento de premio em cada stimo
inno, o que equivale ao descont annual de cer-
a de 15 por cento em favor dos segurados
SEGUROS
CONTRA FOGO
he Liverpool Leodon i Globe
Ra do Commercio n. 3
SEGURO CONTRA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL 9.000:000
AGENTES
R. Druzina &. C.
13 Ra Mrquez de Olinda-I 3
SEGKOS
MARTIMOS CONTRA FOGO
Copaakla Phealx Per-
bncaaa
RA DO COMMERCIO N. 46
ampanljia ir* S>t$axo8
costea ro&o
NORTHERN
de Londres e Aberdaeo
?osicao financeira (Dezembro de 1887J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.421,000
celta annual :
De premios contra fogo 607,000
De premios sobre vidas 197,000
De uros > 143,000
O AGESTE,
John H. BoxmeU.


London & Brasi 1
Limited
Ba do ,G)mmercio 82
Saoca por todo* o* vaporee sobro as ca
ai do moamo banco eoi Portugal_ sendo
,m Lisboa ru dos Capelliataa n. 75. So
?rto, roa dos Ingleses.
MARTIMOS
COHPNHU FU*AMBICAKA
m
lavtgaci* ee>stelra por vapor
PORTOS DO NORTE
PraAy6a, fafeiZ, Macelo, Motsor, Araca-
ty e Cear
O vapor Beberibe
Commandante Pereira
.,* Segu no dia 5 de iMaio s 5
___ noras da tarde. Recebe carga at o
frdia 3.
Encommendas, passagena e diaheiro frete.
i ai 3 horas da tarde do da 5.
ESCRIPTORIO
A Cae da Companhia Pernambucanu
n. 12
COMPAXHIA PEB^AlUCCANa
DE jiflB---
aaveeaco coslelra por vapor
POR'lOS DO SUL
lacei, Penedo, Aracyu' e Babia
O vapor, S. Francisco
AA
i.-l
s s *
Segu no da 7 de Halo as
5 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 6.
-Afeete.
Encommendas, passagens e
tt aa 3 horas da tarde do dia
ESCRTP1
Ajo Cae da Companhia Pemambueand
n. 12______________
Companhie de Messagenes
Maritimes
LINHA MENSAL
O. paquete Equateur
Comandante Moreau
' esperado doa partos do
sul no dia 3 de Maio
seguindo depois dademo
I ra de cosame para bor-
! deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiroa de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
a zencia, que podem tomar em qualquer tempe
Fai-se batimento de (5 0\0 em favor .dasfa-
milias coapostas de 4 pesBoaf ao menof e que
pagaremTpa83Bgejis inteiras i\ /
Por excepjfto, os criados de lanillas., que to-
marem billetes de proa, gozam tambem deste
a batimento. Ul'U^'J
Os vales postaes s se do at o dia i de Maio
co pagos de contado,
para carga, passagens, encommendas e di-
nbeiro a frete : trata-se com o AGENTE.
JO paquete Nrthe
Commandaute Lecointre
E' esperado da Europa no
lia 4 de Mato o segui-
r depois da demora ae
cessanapara
Bahia, Rio de Janeiro, Buerue-At^e e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiroa de todas as
clasaea que ba Lagares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qaatquer tempo
Previne-se aos Srs. recebedoTes de mercado-
rias que so se attender a reclamaces por fal-
tas, nos volumes, que forem recouhecidas na
oicasio da descarga, aaalm como deverao den
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
a varengas, fazerem qualquer reclamaco con-
sernentea a volumes que porventura tenham se-
ruido para os portos do suL afirn de poder-se
Jar a tempo as providencias necessanas.
nfto .Iluminad &
lea paqufii-n *o
1 ii elctrica.
Para carga, paasageos, encommendas
n leiro a frete: trata-se com o
e di-
AGENTE
AugKStejvTVbilJ^O i A
9 Ra do Commercio 9
-~~~T-T
> 6 IR ^
Compa ohia Brasi 1 eira de
Navegacao Vapor
FORT08DOSUL
O vapor Pernambuco
Cmmandante Antonio Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do or
te ate o dia 5 le Maio e de-
pois da demora indispcBsave!
fc*>guir para of portos do sul-
nauciidas aerto recebidas na agencia
ati hora da tarde do dia da saluda.
Para carga, passagens, e ncommendas e vale-
res rata-se com os AGENTES. ..">./
>)/i \')U llf*
PORTOS DO NORTE,, t ,
O vapor Manos
Commandante o 1 ten ente Ghiilherme
Waddington
E' esperado dos portos do su1
ate o dia 8 de Maio e se-
'uiado depois da demora indis
fpeasavel para ospbrtos do nor-
te ate Mauaw. o I ff)
As encointneodag a serao recebidas na agen
ca at 1 horada tardd do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passageos ovalo
res trata-se com os
AGENTES ,-*
Pereira Carneiro & C
oRa do Commercio=^6
) anda-
_
tapor La Pa
E'esperado do sul no da 8 de Maio
segundo depois da demora neces-
aaria para
S. Vieoafe, Uafcoa, Tigo,
ReduccSo de pamagens
Ida Ida e voito
1 classe SO i 30
ampton i' ciaase 28 a 41
otes reservados para os passageiroa d
"emambuco.
'ara pasaagen?, frelea.encommendas. trata-
a j o?
AGENTES]
A morim Irmos & C.
N 3Ra do Bon JasasN
CHARGEURS REUNS
Compamnia Fraacea
DE
Waregacio a vapor
Liaba quincenal entre o Havre, Lisboa,
Pernambuco, Babia, Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Ville de Rosario
Commandanto Portior
E' esperado da Europa at o dia
7 de Maio aeguindo depois
da indispensavel demora para
iiIi
Bahia, Kio de Janeiro e Santos
\oga-se aoi Srs. importadores de carga pele.-
/aporov docta linha, queiram apresentar dentre
le 6 das a contar do da descarga das al varengaf
malqner reclamacao concernente a volumes quf
Mrveutara teabam seguido para os portos do
sul afim de se poder dar a tempo ai provi-
iencias necessanas.
3apirado o rgierldo prazo a companbia nao
eawmsafritisa por extravos.
Para carga, pasiageus, encommendas e di-
obeiro frete : tra'a-scom o GENTE.
.sn'm O vapor
Ville de Pernambuco
Commandante Houx
Espera-se dos portos do sul at
o dia 10 de Maio, seguiodO
depois da indispensavel demora
para o Havre. .
a TiSr u-
Entrar no porto
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
i offeree excelleotes commodos e ptimo pas-
eadlo.
As passagens poderao ser tomadas de ante-
nao.
Recebe carga, encommendas e passageiros-
aara os quaes tem excellentes accommodacoes.
Para arga, passageas, encommendas e as
"beiro a frete: trata-ae con o
9RA DO COMMERCIO 9
Pacific St.eam JNavigation;
Compan^
STRATTSOFMAGELLAN UNE
O paquete Potosi
Espera-se da Europa at o dia
4 de Maio e seguir .de-
jpois da demora QCOBtame|K*a
'Valparaso com fscala por
Babia, Rio de Janeiro e Montevideo
Para carga, passageiroa, encommendas e d'
heiro a freie: trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons C, Limited
14 RA DO COMMERCIO14
Roy al Mail Seam Packei
Company
O vapor T-hames
Este novo e magnifico paquele,
tende sabido ae Lisboa no dia
28 s 6 horas da tarde, espe
rado aqu at o dia 8 de Maro,
segoo"depi i da demora necessaria para
Sania, Jo de Janeiro, Monte
video e Bueuos-Ayres
LEILOES
Jompanhia Bahia na de Na?
vega Macei, 'V'illa-Jova, Pened, Araca-
j, Estancia e Babia
O vapor Guahy
Commandante Viegas
E' esperado dos portos acim
at o dia 3 de Mato regressan
.do para os meamos depois da
___ ?demora do costme.
. JEnagena, encommendas e dlnhei
ro a frete trata-se com o
AGENTE
3edro Osorio de Cerqueira
17Ruet.do Viqnrio 17
Para Lisboa e Porto .
- Segu com brevidade para8 -otffMw Sta'a
barca portagaea Hoco Silencio para oSHa
carga que falla, trata se com Hallar Qfcveira
C, ra do Vgario n. I, primeiro andar.
Sexta feira, de Malo deve ter logar o lei
lo de movis e mais objectos da casa em que
residi o Exm Sr. Visconde de Jaguaribe, na
Soledade.
0 leiao de movis, espelhos, pianos, ciys-
taes. objectos de electro pate, pratoa chiner.es.
palmeiras, paasaroa e muitos ootroe objectos
existentes no sobrado de azulejo do largo da
Soledade, residencia do Exm. Sr. Visconde de
Jaguaribe deve ter logar subbado 3 do corrente,
pelo agente Pinto.________________
JLeilao
De 286 macos de linha Roris e cabeca encar
nada, portugueza, franja com vidrilhos. pliss,
bote?, collariohos, ponhoa, gravatas, chapeos
da palha para homem, formas de palha para se-
nbora. movis, loucas, vidros, espelhos ovaef,
qaadroa a oleo com lindas paisagens, diversas
qoalidadea de bebidas r amitos outres artigoi.
Mexta feira, t do carrate
A'111 hora em ponto
No armazem ra do Maruez de Olinda
n. 48 "*
Por intervenijao do ageote
Gusm&o
pode
la ditas de guarnicao; 19 capas de bnm pardo
para cobrir a meama mobilia, 4 quadros com
molduras dourada, 4 ditos com moldara de ma-
daira, 1 albom para retratos, i espingarda, i
machina elctrica para choques, 1 bonito globo
de vidro de cor, 7 lencas para cortinados, I im
portante secretaria de mogno, 3 estantes de do
gueira, i lavatorio com pedra, 3 cadeiraa de
mogno, 1 banca prata com pes tornemos, 2 ca
deiras de balanco de vime para criancas, i dita
de raa com mola 3 geladeiras, 6 carros de mao
para conduzir gneros, 1 mangueira com 58 pal
moa de comprimento, 1 p de metal para peixe,
11 globos de diversas qualidadea, diversos ps
de ferro para* bancos e ontros muitos movis,
bem como 1 mobilia de nogueira com encost
de palbioba.
Urna linda mobilia de moco (medalhSo) com
IX cadeiras de gnaroicao, i ditas de bragos 2
ditas de balanco, 2 coosolos com pedra e 1 sof
2 escarradeiras 2 jarros linos, 2 candleiros para
kerosene, 1 bonita cama de ambrello para casal,
1 toilette, 1 tapete para cama, colx&o e iravessei
roe, 2 esttirinhas para portas. 2 aparadores de
columna, lavatorio, jarro e baca.
Urna mesa de coznba, looca, vidros e t trem
de cosinha.
exia-elra, de Halo
A's 11 boraa
No 1 e 2 andar do tobrado n. 28 da
ra Buque de Caxiat
O gente Martios, auionsado pelo procurador
do cidadao Jos Leitao d'Alroelda, far leilao dos
importantes movis cima descriptos, os quaes
sao de gosto e se acham perfeitamenle conser-
vados.
Leilao
Agente Silveira
Sabbado, 3 do corrente
Da fabrica de cigarros e charutos ra
Estreita do Rosario n. 1
A' 11 hora
O mesmo agente devidamente autorisado pelo
propnetano do dito estabelecimento far leilao
em om ou mais lotes, voniade dos comprado-
res.
AVISOS DIVERSOS
Precisa ae de urna ^ma cosinheira na es-
trada de JoSo de Barros n. 27, collegio Pry-
tanU______________________^_^____
Aluga se urna casa com bous commodoj e
quintal, em Sant'Auna de dentro n. 6 ; a tratar
na praca de Pedro 2. n. 2, escriplorio.
Aluga-se urna refinacao prompta a traba
(bar, com moito boa freguezia, na roa doa Gua-
rarapea n. 70 ; a tratar a ra do Brum n. 82.
Alugam-se casas caladas e pioladas os
nudos de S Goncalo, a 84000; a tratar na ra
'a Imperatriz n. 76.
Aluga se o 2- anaar do sobrado o. 18 da
roa do Fogo ; a tratar na roa Direita n. 31, ar-
qazem.____________________________________
Aloga-se por preco commodo o sobrado n-
155 ra Imperial, por partes oo todo, preferin-
do se aiugl-o iodo : qu-^m o pretender di rija-se
a ra do Imperador n. 36, 1: andar, direita.
Aluga se a casa terrea n. 78 ru? Padre
Xobrega, com 4 quartos, 2 salas, qoarto de en
gommado, cosinha, apparelho e agoa da compa-
nbia, pelo alUKQel meusal de 58300 ; a trdar
na travessa da Praia do Forte n. 6.
Torquato L&urentioo Ferreira de Mello,
professor job lado na 2.* cadetra do Recife, lec-
hona pnmeiras lt ttras, portuguez e francez, por
prejo8 razoaveis : no pateo de S. Pedro n. 3,
primeiro andar.
O Sr. Epiphamo da Rocha Wanderley mam
da oo nao entregar ?
Vendem se 150 e tantos palmos de terreno
ao lugar muit ameno para se collocar um cha
let para quem ti ver bom gosto; no Caminbo
Novo n. 128 se mostrar o terreno Tambem se
vende urna mobilia de Jacaranda em perfeito
estado, louceira e mis alguns objectos.
1#800 o covado
Na leja do Campna
Gorgoro preto, seda pura, fazeoda nova, a
(800o avado ; Ba ra do Crespo n. 21
a^nk ai v
Precisa-se de urna
ama para o servido
interno, preferindo-
se estrangeira, ra
do Pires n. 28.
~~ Attenco i0 !',f
Ao Sr. Jos Joaqnim C^oncalves, portu-
guez, de 14 annos de idad-, natural de
Villa Nqva de terveira, tando perdido
cesta capital o vapor, 75e, na'sna ultima
viagem para o sul roga ae o favor de
comparecer na ra da Mueda, n. 19, a
negocio de sen ntdresse.
Reoife, 1 du Maie del890.
L$is ProTiaciaes
Vendem-se collecQoer das
leis provinciaes de Pernam-
buco, dos arnos de 1875,
1880, 1881, 1882, 1883,
1884, 1885, 1886, 1887,
1888 e 1889 : no escriptorio
to Diario. k -
^--------*.
Leilao
De 44 duzias de bacas estanhadas ava-
riadaa d'agua do mar rindas no -vapor
cHumboldt.
Sexta-feira,2 do corrente
A's ti horas
O agente GusmSo far lelio no armazem
da ra Mrquez de Olinda n. 48 da mercadoria
cima mencionada que ser vendida ao correr do
martello por conia e risco de quem pertencer.
jente Pestaa
Leilao
De 16 laidos com fazendas a variadas com
agua do mar, desembarcadas do vapor
nacional Far
0 agente Pestaa far leilSo por conta e risco
de quem pertencer dos fardos com fazendas ci-
ma mencionadas.
Sexta-feira, 2 do corrente
A's 11 boros em ponto
t?o armazem travesea do Corpa Santo
n.'/7
Leilao
s
De importantes tnorea, 1 rico espelho
oval, urna secretaria de uogueira, una
marjgueira eom 58 palmo* de catopri-
mento, 6 carrol de mao para conduzir
merpadorias e l8/ge'adeye
Goostaado de ama lWa mobfll* de Jacaran-
da toda entalbada (^tyU i IMMWt -
Attenco
Os propietarios do antigo e acreditado arma-
zem do Lima, site ra Baro da Vi 4ona n. 3,
participam ao respetavei pohlieo e aos aeus
distioctoa freguezea, que tn nsferiram tempora-
riamente seu armazem para a mesma ra n 9,
coniii oando da mesma forma a receberem suae
ordens para lhes servir com o costumado e ha-
bitual desempenbo.
Jas Feroandes Lima k C,
Ra Baro da Victoria n. 9
TeJephone323
Perdeu-se
na noite de 28 do passado, entre a ra da Impe
ratriz (offina9) al a esiajao da Torre, um cru-
cidxo de marlim ; roga-se a quem o achou o
favor de entregar na ra da Imperatriz a. B, 1-
80"ar, qne ^era recompensado
Ao commercio
Joseph Gerard, retirando-se, temporariamente
para a Europa, jnlga nada de^er a pessoa algu
ma nesta cidarte outraaisn. declara ao corpu
commercial que deixa como seu procurador pa
ra todos o effeitos ao Sr. tenenie-coronel Fran-
csro Pedro Boulitrean. Recife. 1 de Ma-o rte
1890________________________.
Morada excel lente
Aluga se barato na ra do Hospital Pedro X
luear dos Cielhof) .urna cas assobradada.
com agua, muito fresca, prximo do banbo
l/ado, graode quin'a! comaiodos para familia
sumeroaa ; ;- I-nto 8-* 40 luirs da
inanba, com Jo^quia Morir Reta, qoe all alu-
tra tambem casas d t>t, 8 I0A0H0.
Segundo andar
Aluga-se o da ra do Crespo n. 17, tem agua:
a tratar na loja;
Para frente de casas, banhairos
corredores, acongnes, sendo de lindas
cores, vendem-se por 60^000 o milbei-
ro, por ; er um saldo; na traca da In-
dependencia o. 40.
Bom negocio
Admitte-se um socio com algum capital para
taverna ; a tratar aa ra de Domingos Jos Mar
lina n. 80.
Aos garrafeiros
Comprara se metas botijas vasiai a 4C0
cento ; na fabrica Phenix roa da Florentina
numero 15
Ouro $ pras
Compra-se, como tamben:
moedas, ra do Cabug
n. 9., loja de Augusto Reg.
Prei a i Magalhaes
Recebedores directos dos mer-
cad s da Europa
Apr -sentaa os seguintes artigos, sendo
alguna anda do anno passado, razSo justa
para Berem actualmente baratissimas.
Brina pardo e de corea a 240 ra. o covado.
dem trancado* superior, a 269 ra. o dito.
Cortea de fustao para colete a 8 0 ra.
dem de casen etas a 15000 e 15200.
dem de casimira inglesa de cores a 35 e
450 0.
Algodao cr, marchetado para toalhaa, a
440 ra. o metro,
dem nacional, largo para lences, a 45 e
550.0 a peca.
MadapolSo superior, com 24 jardas a 55
e 650 0.
dem Boa-Vista, verdadeiro, a 558C0.
Cortinados bordados de crochets a 125000.
Colchaa dem a 7JC00 e 85000.
Gnnaldas e veos para noivas a 85000.
Espartilhos modernosa 45000,
Percales claras e escuras a 24) o covado.
Merines de cores, urna largura, a 200 rs.
o covado.
Toalbaa nacionaes a 25500 a dezia.
Len90B em Hadas caizinhas a 15800 e
25800 a dita.
Meias inglesas e nacionaes a 2(iC0 e
350C0 a dita.
Camisas de meia, dem, superior, a 125000.
Cerolaa bi rdadas de bramante a 125000 e
165000 a duzia.
GuardanapoB com franjas a 15800 a dita.
Pannos de cores hndas para meaa a 15600
o cavado.
Cobertas de ganga, dous pannos a 2500.
Crotones para as mesmas, a 15000 o me-
tro; o melhor.
dem mosaicos,' dem, a 440 rs. o covado.
Bramantes franceses a 15600 o dito.
Casemiras de cores, duaa larguras, a
158u0 o dito,
Cheviot azul, cor inalteravel, a 25400,
35500 e 45000.
Merines para luto desde 500 ra. a 15800,
duaa larguras.
Sargelins de cores a 200 ra o covado.
Mantilhas e fichs a 15, 350OO e 55000.
Toalhaa de labyrintho, riquissimas, a 255 e
305000.
Vendas em groaso tem o descont de
14 V
59RA DUQUE DE CAXIAS59
Elixir M. Morato
PROPAGADO POR D. CARLOS
Depois de 6 annos de atroz aoffrimento
do rheumatismo, estando verdadeiramente
deacorocoado, sarei completamente usando
n=Elixir M. Morato==que declaro ser o
melhor e nico anti rheumatico at hoje
S. Paulo, 2 de Novembro do 1889.
Cetario Rodrigue Alvim^
M0MAISm________________________________
** 01.6RY -* -Unto 'm tMnmi**


Excel lente morada
Aluga-se s grande casa e sobrado do Dr. Ay
ifGuma, na estrada de Joo de Barros, peno
das esta^Oes da Eu ;ruiilhada, das ferro-vas de
Olinda e de Limoefro, com immensas accommo-
JacOes, jardins, arvores fructifens da melhor
qoalidsde e vasto terreno, qner para plantagoes,
qner para criago ; a tratar no mesmo sitio.
Juaquim Jom1 r(ln
O tenete Jos Julio ce Souza Martius e sua
mai, Julia ^andida de Sonsa Martios, agrade
eendo anda mais urna vez a todos aquel lea que
acompanharam ao cemterio publico os restos
mortaes de seu para sempre chorado pai e es-
poso Joaiuim Jos Martins, de novo os convi
dam aaaim Como aos demais parentes e amigos
para a miaaj que, pelo eterno repouso de sua
alma, ser celebrada no convenio de Francia
co, s 7 horas da manb de saneado 3 do mez
vindouro stimo dia de seu infausto paisa
menlo.
t
I. Mari Senfeorlntaa da Uva
Ernesto de Figueiredo, D. Mara Carolina de
Figoeiiedo, Dr Jeronynr Materno Pereira de
Carvalho e sua mulher, Ociaviano AuusIo de
Figueiredo (ausente) ana mullrer e seu tiiho,
agrade ;em a todas as ; essoas qoe ae digna* am
acompanhar os restos mortaes de sua prezada
ta, e de novo convidam os e ao dgaais paren
tes e aungoa para assitirem as miS.is que se-
rao celebradas na matriz da Boa Vista segunda-
feira 3 do corrente, s 7 horas, stimo dia do
seu passamento. e por cujo acto agradecen)
r ja._______________________________
f
Bodolpbo Tertuliano da Cnnba
Deoduio Terluliano da Gunba e o major Pedro
Tertuliano da Cunha agradecem do intimo d'al-
ma a todos os seus amigos e parentes que fize-
rarn o caridoso obsequio de aroropenharem o*
de co presado .... H
dtjl'j.-tio Tertuliano da cuuoa a sua Ui.una mora
da e de novo os convidain a a>8istirem a missa
de Betimo dia. que ter lugar na matriz de A'o-
gadoa, pelas 7 i/1 horas da manh do~dia 3 de
Maio prximo vindouro. p- lo qu*- ae confeasam
^taco onmT4l
PARA O CABELLO.
Augmenta, Aformosea
E FAZ CE.ESCEE O CABELLO
com assombrosa rapidez.
Aluga-se
no pateo da igreja do Poco da Panella urna casa
com 4 quartos, i salas, coainha fra e copiar: a
ratar a ra da Imperatriz n. 76.
Aluga-se
urna boa casa com bom sitio, no Arraial, prxi-
mo Casa Amarella (neceo do Bartbolomeo n. i) :
a tratar na ra de Pedro Alfonso n. (2.
Aluga-se
a loja do sobrado n. 67 ra do Bartbolomeo,
propria para qualquer estabelecimento por ticar
confronte a erande estacao de Caroarb e ser
muito concar ido o lugar ; a tratar na ra larga
do Rosario n S4. botica.
Aluga-se
o sobrado de um aodar e soto ra do Bartbo
lomeo n. fi7. com bons commodos; a tratar na
ra larga do Rosario n. 34, botica.
Aluga-se
urna excellente casa roa da Aurora n. 153,pro
xima do bood que passa na ra do Lima, tem
ptimas accommodacoes, agua, luz apparelbo e
quintal; quem desejar entenda-st a ra Mar
quez de Olinda n. 56, i andar.
9__t __
ooffiSlac
Precisa-se de urna cosinbeira ; na ruada Im
peratrz n. JO, i- andar.
Am
Precisase de urna ama para cosinbar; no es
tabelecimento ra Mrquez de Olinda n. 50.
Ama
Precisase de urna cosinbeira ; a tratar na ra
do Cotovello n. 37.
Ama
".Precisa-se de urna ama ; na ra do Camarao
numero i.
Ama
Precisa-se de urna ama a tratar na ra Baro
da Victoria n. 54, nova agencia de movis.
Ama
Precisase de urna ama qne cosinhe bem ; a
ratar na ra Direita n. 63, 1 andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de familia
ou de urna menina para servico domestico ; na
ra Formosa n. 37.
Ama
Precisa-se de urna ama para casa de familia
na ra da Palma n. 80.
Ama
Precisa-se de urna boa cosinheira para casa
de pequea familia, que durma em casa dos
patroes e sej i matriculad i ; na ra de Fernn
des Viira n. 8.________..
Ama
Precisase de urna ama; na ra de S. Jorge
numero 89.
AJuguelI barato
Visconde de Pelotas n. 5
Pedro Affon80, armazem n. 46.
Largo do mercado loja n. 17
Roa dos Guararapes n 96
Ra do Bom Jess 2. andar n. 47
Ra Aguazinbas em Beberibe n. 7
Ra Coronel Suassuna N. 441, quar .
Roa Itaparica n 43 1." andar.
Visconde Goyanna n. 163 com agua e gaz
Travessa do < armo, loja n. 10.
1 Becco do Tambi n. 11. <
A tratar rea de Commercio n. 5,1- and*i
escriptorio de Silva Guimares & C.
FarelodoRioda Prata
A 15600, din he ir o prompto
Vndese no trapiche Companbia, largo do
Corpo Santo n. 19.
Engeoho Riacho de Pedras
Vende se urna parte (kOOO*) no engenho
Riacho de Pedias ; trata-pe com Jos Goncalves
de MagalbSes, em Palmares, ou com Jos Erme-
lindo iasCnagas, na villa d'agua Preta, em cujo
termo est situado dito engenho.
} ANEMIA, CHLOROSE
4EMPOBRECIHEN70 00 PANGUE
* 0B1ES PALLIDS, COIUILESCEI(A
4 Osado dos fiospiies as Para
4 GEA-3DE DIPLOMA da HOXBI.UbjriIUI
JVINSO 30BIN ^
A 7ao/-Ht"ritYO AecoM*
Utuintt
\ GRAGEAS ROBN
npnomyito
i
*
Pirli. Htrrt
BtrcaJont
truxtllu (17^1) |
Scmttbcr
rro.eaMA
assJmlUT*l.occuioa* \
ii> prni*' u Bfla m I
. rasum qsalqnar tra-
tunanto larroglaaco, o
TemKtm m auis rapMo* *
conaUntaa. atai nanea *** I
donar droa oonaUpaca (aila d raalM).
|lfltik|a^:>VaHO,aiaaV|M(aa)
Km .mm6B0O : rrai- M. l lllVi k |
lDJecQao
Se nao morri desesperado, soffrendo
muito tempo urna molestia chronica que
ninguem poda curar; foi por encontrar o
santo remedioInjeccao M Moratoque
insta taneamente poz termo ao meu hor
rivel Boffrimento.
Taubat.
Aagueto Cintra Magalhaes.
Agentes depositarios em Prnambuco :
Francisco SL da SUvk & C ra Mrquez
de lOinda n. 23.
Cosinheira
Ja roa BarSo da Victoria n, 80, precisa se ae
urna perita cosinheira, para tsa d pequea fa-
milia estrangera.
VIGOR DO CABELLO,
DE AYER
Preparado sob bases scientficas
e physloloirlcas para o flm de
beneficiar os cabellos, restaurar
a cdr. impedir a queda, e promo-
ver seu vico e abundante cresci-
mento.
Esta apurada e excellente preparado,
sem duvida o melhor remedio at boje
conhecldo para os differentes defeitos da
cabelladnra, merece a Intima attenco de
todas as pessoas qne tm tido a infecl-
dade de perder em parte este mais rico
ornamento natural da physionomia.
Com o sea emprego intelligente tem-sc
conseguido resoltados rermente sorpren-
dentes. Em muitos casos, porm uio
sempre, a propria calvicie tem sido carada
permanentemente.
Sempre se consegue fazer parar a queda
do cabello; emquanto que para opentea-
ao das senhoras, o objecto mais utU
mais agradavel que se pode empregar.
PREPARADO PELO
DR. J. C. AYER & CA*
Lowell, Mass., Est.-TJiiidos.
< A* venda as lejas de armarinho e per<
fumarias.
DEPOSITO GEBAJ .
Para engenhos
GUIMARAES & VA LENTE, parteoi-
pam aos seus freguezes e 111 ms. Srs. de
engenho que, como sempre, tm grande
deposito dos artigos abaizo mencionados,
garantindo tudo de primeira qualidade
presos sem competencia a saber:
Cal nova de Lisboa,
Dita de Jaguaribe.
Cimento portland.
Oleo de mocot.
leos americanos
especiaes para machinismos.
Azeite de coco,
Dito de carrapato.
Dito depeixe.
Pixe em lata.
(5galoes.) ^ '
Kerozene inexplosiveL
Graxa em bexiqas.
a/
Gaxeta, de linho.
Potassa do Russia.
(em caixas, barriquinhaa, latas grande
e pequeas.)
Formicida (^panema.
.

- .
6--Corpo-Santo--6

Professora
Urna senhora habilitada offerece-se para
leccionar em casas particulares, na cidae
ou seus arrabaldes, aa seguintes materias:
portuguez, francez, italiano, thecrico e
pitico, fallando as Iinguas correctamente,
geograpbia, trabalho de gu!ha inclusivel
ores, msica e pi no.
Interessa-se pelo adiantsmento de su_
discipuh-.e, do que servirao de prova aa
que actualmente ensina ba mais de anno.
Pode ser procurada na Livraria Con-
tempornea, ou na ra da Ponte Velha
n. 19.
E* tudo bom, para bem
de todos
Os abaizo assignados, tendo feito gran-
de reducco de precos as fazendas
existentes em seu estabelecimento, convi-
dam o respeitavel publico e especialmente
a seus bons freguezes, a certificaren) se da
verdade que aqui fica dita e a aproveita-
rem a occasilo de supprir-se de roupas,
para muito tempo, e por precos insignifi-
cantes.
Como sejam :
, Vois de 13 e algodSo a 240 rs. o ce-
vado, cachemiras de quadros, fazenda de
8C0 rs. por 32.> rs. o covado, zephyros de
cores diversas a 320 rs. o covado, baptis-
tas republicanas (inteira novidade) a 200
rs. o covado, las de cores a 200 rs.
covrdo, setinetas finas a 320 rs. o covade,
merinos de cores (la pura) de urna lar-
gura a 280 rs. o eovado.
Grande quantidade de chitas finas, com
pequeo toque de mofo, de 200 a 240 rs.
o covado.
Variado sortimento de voiles de IX,
fazenda muita fina de gostos lindissimos.
Crep da China, idem, idem, cambraia
d. China, com palmas sol tas, completa
novidadej voiles com saipiuos, idem, idem.
i Chitas, chamalots, o que ha de mais
ezquisito em gosto, etamines lisas e ren-
dadas, cachemiras labradas, pretas e de
cores, fustocs brincos, crotones pretos e .
de cores lisos e com flores, baptistas de
cf.res, gostos delicados.
M.daplao americano a 5000 a peca.
Metins, idem variado sortimento.
Espantoso soriimento de cretones para
cobertas e chambres, esguiao de pur
linho, coatumes de Jersey para meninos,
capas hespanholas, pura seda a 30009
urna, cortes de vestidos de todas as qua-
lidades, fichus de 12, linho e prateadoa,
o que pode haver de mais chic.
Grande sortimento de camisas de linhe
e flanella para homem, idem, idem de
punhos, cullarinhos e gravatas e muitas
outras fazendas que seria enfadonho men-
cionar e que tuao veudem sem reserva de
precos.
Os barateiros! os barateiros!
A' RA 1. DE MARCO N. 1
Campos & C.
r
*

i


i


LOJA DO POVO
HRa l. de Marco-t
Pnm este titulo acaba de se abrir, roa 1. de Marco n., U urna loje de faaen-
^ e sen^ proPeUrio cTvida o publico' d'e.to cidade e de raa,apreciar o sea
^LO somLnto. Muitas de suasJindas s*o^ecebida^rectamente. ,
GRANDE WOVIDADE
Descont de 1(V em compra* de 20*000 para cuna.
R J era seda, de 1*8<'0 a 80i> rs. o covado.
SS um K. de *600 a 650 rs. o colado.
7mTatras preparo de cachemira, a 200 rs. o covado.
S SS p^Vcachemira a 240 rs. o covado.
Fitas de 200, 220 e 240 rs. o covado.
Setinetas de c8res lindas a 800 rs o cavado,
lepnyr largo de 800 rs, a 320 rs. o covado.
dem dem a 200 rs. o covado.
. dem dem a 160 rs. o covado.
Pnrit-s costumes de csemira ingleza, a I/0UUU.
Dito! de^semira inglesa de 3*500, 4*000 6*000.
Ditos de fustao para collete de 600.rs. e 0400
Cheviot de 3(55 A, a O o covado.
gS. csr de caf de 3*000, a 1*000 o cWo.
Oasacos de Jersey para sentara a 3*000 e 6*000.
Merino preto a 50", 700 e 1*200 o covado.
Dito de cor a 400 rs o covado
Casinetas finas de 500 s ,a 360. e covado.
Colchas do'crochet de 86000 a 3*o0t'.
Cortinados liDdos a 6*000.
Bramante de 10 palmos a 1*400, a vara. ^
Ver para crer so na
LOJA DOPOVO
I \
1
t
A VAPOR
'*---------


FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTURACO
ICAOBAIUCAO ?- "AOTACAQ
CQanoel J. de CQiranda 1
-- 39 *+ RA -* DUQUE --DE* CAXI AS
NUMERO TELEPHONICO 194
39-
_
S^NMfclfK>
w-)
A.1
CURA CERTA
... MOLESTIAS NERVOSAS .i.
XAROPE HENRY MURE
Bom xito verificado por 15 annos de experiencias nos Hospltaes de Pars
I PELA CUBA DE
Epilepsia-llantera H CaMirutsocs, Vertigenr
(liaren Crises nervosas
Hustero-Epilepsia Exaquecos, Touteiras
Molestia* do Cerebro Conyestoes cerebraes
e do Espinhaeo Insmnia
IHabete azucarado Spermatorrlia
Um Folheto muito impornU dirigido jrituimenU l milqwr pessil que 0 pedir
i HENRY MURE, em Pont-Saint-Esprit (Franca)
VKMJE-O BM TODAS AS PBJNCIPAES PHAJULAC1AS K DaOOAKIAS.


23-Roa de Mathias d'Albnquerqur, antiga roa das Flores25
Tinge e limpa com a msior perteicSo toda a qualidade de eBtofo e iazendas ea
poyas ou em obras, chapoa de feltros ou de palha, tira o mofo de fazendas; todo <
trabalho feito por meio de machinismo aperfeicoado. at hoje conhecido.
Tintura preto as tercas e sextas feira tinta de cores e lavagem todos os dia
*
V
>
l cent nenhum onfro medicamento e eetn temer accedentes, a
PAKaS 7, Boulevard Denain, 7 PARS *g
K1 Eopofcitcs JtoiwmiwiT i fuam- M- da aiLVA & C. na. principa- Pharmacia.. S
ALUIPAT
44-llA BARA0 SiO TRILS!PH-44
Machi ti as a vapor.
Moendas.
Rodas d'agua.
raixas fundidas e batidas.
Taixas batidas sefli crava$a<
Arados
I
VERDAIJBIROS
AGUAePOdeBOTOT
Os t&nicos 9enitrffcos
approvados pela AOADKMIA de MCDIOINA
Bnmqaeam os Dteles. rottiem ts ffngltt.
DEPOSITO s 17, Bu de la Palx, PARS.
Amttmmmms : MO, A Bmlat-Hoaor.
AO TROVADOR
Cambraia branoa bordada a 4*000.
Atoalhado pardo de linho com mati*es
brancos a 3*000 o metro.
Cambraia Victoria a 2*800 a peca
EsgniSo de algodSo a S*6 0 a dito.
Crep de algodle a 240 rs. o ce***0; I geda" palha"para veBtido.
Sabida de baile a 1*000, 1*500 e 2*000.^ eBC08BeM 240 r. o covado.
Esguio pado a 360 e 400 rs. 2 largara-
('achemira de liatra, duas larguras, de
2*000 por 1*400 o covado; de 15.
Bramante trancado, duas largaras, a 600 e
600 rs. a vara.
Corte de collete de fustao.
Cretone voile a 400 rs. o covado.
Caaacos Jersey a 6*000.
Vestidos para meninos a 4*000 om.
Ll Amasonas a 400 rs. o covado.
Cbeviot preto a 2*500 o covado, duas
larguras.
Bramante de linho, quatro larguras, a
1*600 o metro------ ,*,
Ceroulas de bramante a 14*000 a datia.
Cortes brancos bordados a 180000.
Leones transparentes a 2*500.
Colcha de c res a 2*000, 3*000, 4*000 e
5*000
Meias para homem a 5*, 6*000 e 7*000.
Flanella azul para roupa, doas largura, a
2*500 o covado,
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Creps matisados a 440 rs. o dito.
Grazes arrendadas a 500 rs. o dito.
Zephyr de qnadro a 200, 240 e'280 ra.
Brim pardo a 280, 320, 400 e 500 rs.
Camisas de flanella de 2*000 ate 5*000.
Cortes de metilo, em oartlo, a 7*000.
Cortes de zephyr, bordado, a 14*000.
Percales a 200 rs. o dito.
Zephyr, o que ha de mais fino, a 400 rs.
o dito, muito largo. _
Guarnicao de crochet, branco e matisado,
74000 um.
Espartilhos Cornete a 6*000 um.
Espartilhoa True-fit a 5*000.
Baleias a S40 ra. a duzia.
Toalhas felpudas a 3*500, 5*000, 6*000 *4
7*000 a dito.
Toalhas para banho a 1*800 urna.
LMadapolSo trancado a 10*000,
popelina branca de teda.
Alpaca branca lavrafo, s
Camisas allemaeg a 364000 a duzia.
FustSo brinco a 360 rs. o covado.
Lei>S0, me-lnho, em cai*a, a 2*500 a
duzia.
Flanella branca de 18 a 400 rs. o covado.
LS mesclada a 400. 500 e 600 rs. o dito.
Cortinados bordados a 6*500 o par.
Tapetes grandes e pequeos.
Panno da Costa a 1*200, 1*500, 1*600 e
1*800.
Variedades
Extracto Rita Ssngale a 2*000.
Opiato de Gcsnell a 1*000
Pasto Rymodonl a 800 e 1*000.
Extracto Kil-lo do JapUo.
Extracto Houbigant.
leos de todas as qualidades
GuaroicSes para camisas de ouro
cano a 1*500 e 2*500.
Guarda-p para homem a 6*000.
Goarda.po para senhora a 10*000.
Temos de case mira para menino, de
por 9*000. /
Bicos branco, creme, pardo, lisoa e
Fichs, meias, collarinhos, punhos,
setins e oas-mirss.
amen-
18*
Extracto Porte Veine.
Extracto Flores Andinas.
Extracto Violeto de San Bemo.
Extracto Cruz Vermelha.
Extracto Fleur de Lotus.
Impermeaveis a 500 re. um.
Sabonetas de diversas qualidades.
Luvas de seda a 2*000 e 2500.
Btupas para banhos salgados para homem
8*000, senhora 10*000, menino 6*000.
Colchas de damasco de 1S.
Bordados o ntremelos,
matisados.
fitas, toalhas de cores,, visitas de seda,
20Ra 1. de Marco20
Casa de confianca
DE
Amaral & C.
U lTgM l lasa* si BriaU.
QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debiliiade
Ou-x-a. data Febtes_____
VINH0STITUol'D0S0SSAN HENRY)
^------------------------------------- '-*
jetU < ^iftiiiH m JM*" *&**. $* aifwgw t jtctU r jornal.
A feliz rennlSo. n'este vr;prado. dos dous tnicos por cTc^lencla, a e o t'Klino. coasiitue um precioso medicamento contra a Ciiinr*, f
| pK'.lUait, Anemia, Floi-e* branra*, Vitii*tit.ii:>r* fi-ucan, etc
PARS, BAlN & FOURNIER, 43, ra d'amstardam.
Capo.iUrioa m Firmi>H I TRAM- M. 240 rs. o cevado
Cretones lisos, francezes, cores fixas, 6 pechincha! por 240 rs. o covado.
Cambraia de cor, florzinhas e ramagens, a 24'' rs. o dito.
Cambraias com menas larguras a 160 rs o covado.
Lautines de cor, padroes lindos com um metro de largura, a 320 rs. o dito.
Cachemiras lisas e aeaamalotodas para vistdo a 200 rs. o dito.
Variedade de artigos que se vendem por todo preco.
21RA DO CR5SPO-21
OLVEIRA CAMPOS & C.
NDI0A0 DE SIV
LUIZ U CjJUZ MESQUITA
66na do ai0 d0 Triumpho--e
T"1 1<'ara vender o seguinte;
""'V -^ e cmhre para fazer espirito de destallar e reatyiar.
A^ aea de cobre do antigo e novo systema com esquente garapa.
er*^sltlBia de cobre e de estanho.
, ^rapsi;aa de cobre. #
ffalxae, taixos caldeiras de cobre.
BOHbaa de todas as qualidades de repuchos, aspirantes e continuas.
Tornelras de bronae e madeira de todos os tomanhos.
f noa'de cobre, de chumbo e de ferro.
Rep artideiraa, passadeiras e escumadeiras de cobre e de ferro estn hado
Cobre em lencol e arruelas
Sola inglesa e do Rio.
Cadlahos patento e de lapis.
SIbos de 1 libra at 110 arrobas.
E muitos outros objectos.
ENCARREGAM-SE le qualquer concert e obras de encommenda, garan-
se a presteza, perfeic&o e precos mdicos, para o que tom pessoal habilitado.
TEM DE a oraso ou dinheiro com descont.
Grageas Deihazire'
Aj?s>ro-wtiaa pal* Iapaotorla de Hlyolena do Braadl
CASCARA SAGRADA
Vardadafjra SatBMHe
Contri a Prmio d Vantra faabiraai.
Oiiosito geral PWfiiaCU C OJUUZJRE. H*m*W*n*
aaajBaasa.aM Aiaka faaSr* ea ****. *" pjj
IODURETOohFERRO^CASCOA
O mmai motivo do* Jarrmnaaaa
llio produxindo a Priaao da Vmntrm.
-*
0IGESTOES
DIFFICEIS
Dyspepsia
Perda
\de AppBtite]
EDCASioSTOMAGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
ANEMIA
Vmitos
Dlarrh
chronica
TNICO-DIGESTIVO com QUINA, COCA e PEPSINA
I ADOPTADO EM TODOS OS HOSPITABS MarfafhM do OaTO DiplOWM de Honra
I pars antz- a*, ru ca Bruvre. tm tedas as Piaraaclas BBHsl
ASTHMA & CTARRlO
Curados pelos GXGtARROS ESPIC
OpvressOe* Toase Defluoeos Xevrolgtas
UCMC1AO08 PELA nirlCTOBlA M HYOIEME DO IMPERIO DO ORAXIL
ARnlra.w a fumaca aue penetra no pelto, acalma o systema nervoso.
raXaeTOWravoTls^ .
----
oOO, 800 e
o covado
ILUBDBOilla
Rui Mrquez ele Olinda n. 13
Armazem de cerveja, vi-
nhos, champagne, licores,
cognac, agua mineral, con-
servas, etc., etc. nico
deposito da afamada, cer-
veja Phoenix de Dortmund
do chocolate Ph. Su-
chard de Neuchatel pre-
miado com a medalha de
Ouro na Exposicao Univer-
sal de Pariz em 1889.
Agencia da grande fa-
brica de charutos Danne-
mann&C, S. Flix (Bhiaa).
Esmolas
As almas can'dosas BOCCorraffl, pelo amor da
Deus, a vinva pobre e doenie, Sephorinlla dos
Santos Coeibo Bastos, ra das Carrocas h. 4.
E?sa infeliz vive Da mai< r penuria, e merece
obulo dictado pelos generosos aeatimenios de
caridade.
i M i i i
Cavallos de corrida
Diz pessoa entendida qne o catarrho nos am
maes devido ao capim verde, cajo mal se pode
evitar, dando-Ibes alfafa ou feno, .que se vende
por baratissimo preco, a 60 rs. o Kilo ; no ar-
mazem da ra da Madre de Deus n. 10.
VERMIFUGE COLMET
CHOCOLATE
untura lu mi
late Venalfag-ot
Mi uAt trnlir elme
Eligir i
Parto, 36, ra da T
Cosinheiro
Precisa se de um cosuuViro : na roa de Pa>>
sando n. 19.
21RA DO CRESPO21
Merino preto trancado, duas larguras, 11 pura, de 500, 8C0 e 10000 o covado
Dito larrado, prwto, cobi ramagem, padrees de voile a 141200 o dito; fa
senda de 254.0.
Cachemira preto para caaacos, duas larguras de 25O0O e 24500 o dito.
Na RA DO CRESPO N. 21
Oliveira Campos & C
. .
08 MDICOS SBSTIT0EM COM XITO
o 0LZ0 d FIGAD0 da BACALH0 assim como o VINHOdsQUINA
ELIXIR DUCHAMP
COI EXTRACTO DE F1CAD0 DE BACaLHO COI QUIMA E CACAO
Emte CREME tie CACAO 6 um psdmsso Depurativo
incomparavel Corroborante.
VEnDA POI ATACADO : DTJOHAMP, 16, RU DE POITOU, FARIS,
SeposUtrkM m nmamtmeo nal" K. a axt v a. a. o*.
Queris cu ar-vos prompta e radicalmente de vossa enfermi-
dade pulmonar, bronchite, asthma, rouquidSo, defluxo ou de qualquer
tosse? Tomai o remedio garantido
0 Peitoral de Cambar
de Souaa Soares, de Pelotas, que se acha venda as principaes
pharmacias e drogaras deta cidade, a 24500 o frasco e 24|J00O a duzia.
Os agentes e depositarios
Francisco M, da Silva & C.
RA MRQUEZ DE OLINDA
Pataces
e outras moedas de ouro e prata. compram-se
pelo maior preco, na roa do Commercio n.4.
Precisa-se
De nm criado de 12 a 15
annos para o 3. andar da
typographia do Diario de
Pernambuco.
Itabayanna
i Acha-se nessa villa urna dilieeocia com os re-
quisitos deaejaveis para proporcionar aos Srs.
passageirus nm meio de viajarem commodamen
te de Timbanba A Itabayanna e ao Pilar, e Vice-
versa, facilitando Ibes assim rpido transporte
do Re< ife Parahyba. sem os incommodos e pe-
risos das viagens martimas.
No Recife, 4 ra Marqnei de Olinda n. 58 em
Timbaoba, no botel D. Emilia, em Itabayanca,
no estabelecimento de Mello & C, e na Pa-
rahyba, botel Parahybano, encontrarse ha com
quem tratar.
Sitio na Magdalena
Aluga se um, com excelleote casa para eran-
de familia, toda pintada e forrada a papel, com
su. apna boa latrfna e bond porta; "trata-se
cooi Antonio Gomes de Mallos ra a Cadeia
numero 48. "_______________________
Caixeiro
Piecisi ?e de um rapaz com pratica para ta-
verca, que d conbecimento e provas do sen
procedime> to ; na ra de Hortas n. 15.
GURA CERTA
ai Utas as Affeeeoespalm&juea
&
Precisa-se
de um menino para criado ou caixeiro ; a tratar
Da roa Mrquez doHerval n. lil.
Patacoes velhos
Compra-se na relojoaria David, ra do Cabn
gn 14. _______________________
Cop
eiro
Precisase denm copeiro de 14 a 18 annos,
dando flanea de sua conducta ; na ra do Bom
Jess n ii.____________________________
Arlhur & Desiderio
oontinoam'a comprar ouro e prata velhos, e
bem assim libras sterlioas e outras moedas de
onroje de prata, e paga-se bem ; na ra do Ca-
bogAin, 3.______________________________
Engenho Btilhante
Arrenda-se o engenho Bnlhante, em Sen-
ohem, moente e corrente ; a tratar na roa do
Bom Jess n. 23, armazem de cal.
#9#
0 mellwr enWrtcto
\
mpra^rada oom a
Odontalina
'mi sarttu. rattiHm turna u neu
% PillS :8imtti. 24. rotiflta
CAPSULAS
CREOSOTABAS
.FOURNIEl
Qttfau ymlwtT
. tmvfte a *r f M*
II J< -l A K4V14 I
i>unu muii
Todos aquelles quesoftem
Ido peito, devem expermentarl
Jas Capsulas do Dr. rouioinA.f
Depositarlos em Ptrnimouco:
FIIAWCISCO ttt SILVA SX
Mcrcearia Compara-
tiva
Os proprietar08 dcaU conceituado estabeleci-
mento participan) aos seus distinctos freguezes
e ao respeitayt 1 publio, que recebetam nova
remessa do i mnito acreditado e especial
Vinho Douro
nicos que recebem e retalham este delicise
vinho, escolhido propriamente pelo ebefe de
nossa casa, o Sr. Antonio -larques de Oliveira ;
por 880 convidamos o respeitavel publico a vlr
ao nosso estabelecimento, com o que muito aos
honrarse, e experimentar o quanto vale urna
pinga boa, viudo roa larga do Rosario n. 20
Marques Sobrinho & C.
Attengdo
Vendem-se dnas cafinbas na ra Imperial,
qne fortn do faecidb Jlo Dutra ; a tratar na
roa d SanU Crux n 38.

*v>

^
t

V

*^ : -'j*


y
en<
YENDAS
i
w
tes Iivros
cb por F.
Lorenco, romance
Tavora, 1 vol. eoc.
O Matuto, dito dito, pelo mesmo. 1
voi. ene.
03 Cavalheiroe do Amor, romance em
4 vols. coca.
Echos de Roma, pelo padre Guilher-
me Dia*. 1 vol. ene.
D ccionano.Biograpnico, por F. A. P.
Costa, 1 grosso volame ene.
Vos Icaros, versos por M. Brrelo, 1
vol ene.
Flores Floctuantes, versos, l vol. ene.
Voi e quedas, versos, 1 vol. ene.
Guimaraes, poema, 1 vol. ene.
Sons que passam, viraos por Th. Ri-
beiro, 1 vol. ene.
Alberto Pimeotel, Cantares, versos, i
vol. eoc.
Evangelios e Svllabus, drama, 1 vi.
. ene.
Julio de Castilbo -Livraria Classica,
Estados biograpbicos e luteranos,
3 vols. enes., fluos
Cas trio to Lusitano, bistoria entre o
Brazil e a Holianda, 1 vol. ene.,
fino
A India Christa por Pinto de Campos,
1 vol. brocb.
Bibliotheca do Povo, 15 vola. enes.
Morte de O. Joao, romance, 1 vol.
ene.
Cootos de Pedro Ivo, romance, 1 vcl.
ene.
O abandono por Julio Verne, i vol.
ene. *
Os juramentos dos borneas vermelhos,
romance, i vol. eoc.
O Processo Lerouge, romance hist-
rico, i vol. ene.
Gabriel Malagrida romance, 1 vol.
ene.
Neto do Agitado, romance histrico,
i vol. ene.
Viagem oo dorso de urna baleia, 1
vol. ene.
Cbiqoinbo, Eocyclopedia da Iofaocia,
por G. Bruno, i vol. ene.
Viote leguas submarinas, por Julio
Verne
Caricaturas em prosa, por Luiz An-
drade, l vol. ene.
O Pastor e a ovelha, obra rara e es-
cotada, i vol. ene.
Obirajara, leoda. 1 vcl. eoc.
Arnaldo GamaUm motim ba cem an-
uos, i vol. eoc, obra rara
O Dia de S. Nunca, romance, 1 vol.
ene.
Durao Caramuru poema, I vol. ene.
Afarrabhw, por J. de Alencar. i vol.
eoc. .
Escricb Manuscripto Materno, 6
vols. enes.
P. de KockJoao, 1 vol. eoc.
As miae urna malberes, 2 vols. enes.
O re i andla. romance. 1 vol. eoc.
Conloa a Niooa, por E. Zola, 1 vol.
eoc.
A caca de um baronato.l vol. ene.
Arraldo GamaO-filho do Baldoi, 1
vol. ene.
Historia moral das molberes,*! vol.
eoc.
Os herdeiros de Caramuru, romance
histrico, 2 vols. eoc, fios
Factos da bistoria de Pernambuco, 1
vol. ene.
A igreia e o Estado, por GaDganelli,
4 vols. ene.
Serpa PiotoComo atravessei a fri-
ca, 2 vols. enes finos, com gravu-
ras
Eca de QueirozO enme do padre
Amaro
Castello de Grasville, romance raro,
i vol, eoc.
Leooor, D. Ambrolse. i vol, ene.
As obras de Julio Verne, 42 vols,
eocs.
Tres Poemas em proza, e verso por
Gomes Jnior, I vol, ene.
Typos de cara dura, 1 vol, broch.
As viagens de Goliver. obra critica
ejocoza (rara,) 1 vol, brocb.
Voz es da historia pelo Padre Gui-
lherme Dias, 1 vol. brocb.
Um mysterio de familia por F. Tava-
ra, 1 vol, brocb. _
Om casamento no arrabwde, 1 vol.
brocb. (mesmo autor)
Os martyres I"ernambocanos victima
da liberdade. 1710, e 1817 1 vol.
broch (obra rara)
Goarrigues breve leitura sobre sci-
encia, 1 vol, ene.
Biblioteca do Povo 31 caderninhos
brochados
Paulo de Koke Barbeiro de Pariz 1
vol.
Amulber fatal o 1. vol s.
O matadouro, historia da Lavadei-
ra Gervazia o 1" o vol s.
Pausoo do Perrail A heranca mysle-
rioza o 2 vol s eoc.
Repostas consisas e familiares por
Mr. Srpnr. 1 vol, eoc.
Carta .obre i Coropanhia de Jezus,
1 vul. I"' .
Carta a Pe* Tobas, 1 vol. broch.
No escriptoro deste Diario se dir quem ven-
de todas t-ttas obras, e faz se grande abati-
mento a rmem comprar todas juntas
3*000
3*000
10*000
2*000
10*000
3*000
2*000
2*000
3*000
3*000
3*000
3*000
15*000
5*000
2*(K0
25*000
2*500
2*500
1*500
4*000
3*000
2*500
2*500
2*000
3*000
1*500
3*000
10*000
2*000
6*000
2*oro
2*000
3*000
10*000
2*000
5*000
2*000
2*000
1*500
3*000
2*000
6*t00
2*000
10*000
ugar muito
f.a tratar n;.
orna casa moiio
risado, oo Camioho
ameno, entre os tren* e boed
sa. Pode all faze;
bem colloeaia.
Veode se no cues do Ramos n. 4, ulgum
macbinismo, sobresaleOtea, caJdeiras, bombas
bydraulicas, etc. e c, ero perftito estdo.
Venoe se urna nieia agua em terreno pro
pno e por proco cornmoJo, no lugar da Torre,
acnominado ova Descoberta ; a tratar na ra
do Rio. tavrrna junto a padaria.
Rendas
pretas, brancas, creme, beige e de corea
Cbegou um expicndldo sortimento deste artigo
para a
Balaba das Flores
Ra BarSo da Victoria o. 41
Na mesma casa encontra se urna variada col-
e ccao de tilas de seda (mais de 300 nmeros),
bordados de cambraia, espartilhos, luvas, per-
fumaria, objectos para.presentes etc., etc.
Presos baratos
RA NHA DAS FLORES
Ba Bario da Trloria a. ti
Vinho puro de Santarem
Di quinta do Barra!
Os proprietarios do Armazem Central, a rui
do Cabug n. 11, avisam aos seus distinctos fre
goezes e ao respeitavel publico que receberam
nova remessa deste especial vinho, o qual st
recommenda por ser puro da uva, e s se Teta-
iba em seu armazem.
Joaquim Christovao & C.
' Teiephone 447
Libras
Venden se roa de D. Mara Cezar o. 26.
Liyraria Contempora
nea
Initrumeutoi de maalra
BomDardao. bombardino, barytono, tromp.
trombone, helieon, saxaphone, carrilou, bombe
caixa. pratos.clarinitas. flautas.rabecas, violoer
realejos, caixas de msica, etc., etc.
Papel pintado
para forro de salas, quara, gabinetes, corredi
rea.
Molduras
donradfg, pretas e dcuradas para quadros.
Malas
pan viacem, diversos formatos, especialmeot
para rcupa de senbora e camarote.
Novidades
para presentes, escriptoro, toucador, etc., etc.
RAMIRO M. COSTA & C.
Bna Prlmt-lro de Harcu n.
12*000
2*000
2*000
i*000
30*000
3*000
1*000
3*000
2*500
2*000
2*000
5*000
3*roo
4*000
3*000
1*500
1*500
2*000
1*000
2*000
2*000
Alfafa
Vend se a 70 rs. o kilo, fardos pequeos; na
ra doAmorim n. 39.
Copeiro
Precisa -se de om copeiro
ra de Pays; nd n. 19.
que seja fiel ; na
Vende-se um piano
Je transposio do au
tor Vignes, que preci-
sa de concert. No
escriptoro deste Dia-
rio se informa quem
vende.
"I.SDE10:0C^CI]aE"~
TIHTVB& &IYIHA
os so sssmnsuo
DORES E DeDENTES
PREPAKADO tJKICAHENTB
POB CALABANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rhenm
tiamoa, inchacSes, dores aciatieas, nevral
S'as, donnencia, etc., empregando-se er
mentacoes sobre os lugares affectadoi
Cura o beri-beri, as paralyaias e aa dore
de dentes.
Todos os frascos lvam direccSea pan
uso d'eate medicamento admiravel.
Proco 1(5200. Descont de urna duxi.-
em diante.
DEPOSITO NO BECIFE
Francisco Manoel da Silva & C.
Mrquez de Olinda n. 23
roa
a
era
Vende 3e na roa do Cabug n. 2, segundo a
qualid.de, de I* a 1.5500 a libra, e sendo de
arroba para cima, faz-se na de 2- o descont de
30 0/0, e na de 1.* de 20 0,0. No meamo esta
belecimeoto tem machinas para costura e mesas
para as mesmas por 10* cada urna.
Engenho
FOLHETIM
0M0 DE TIGRE
POR
mu isssiss
ARIt parte:
AS G0TTAS BE SANGUE
(ContinuacSo do n. 98)
II
De.eulps mais eata impertinencia,
mas o senhor. um bom bomem e est
iastandd. Ora, este pobre diabo est ge-
lado e desde pela manhl que nao come
nada. Se o aenhor podesse dar-lhe um
copo de vinho, que elie merecen o bem...
Ah Co'a broca! Tena rasao, co-
chairo. D c um copo, Lerat!
E ao meamo tempo o polica cortava urna
grande fatia, punha lhe em cima um boca-
do de pastel e eochia o copo at cima.
Toma, pequeo, come e bebe, con-
cloio elle; e quanto a ti, Jlo, ae te ap
petece..
Obrigado, patrio, j me ragalei esta'
nolte com urna boa refeicle.
"-/. oaso contame l o que te
Vende-se oo ar enda se o engeobo Caldeirei-
ro. moente e corrente, na freguezia da Vanea ;
a tratar na ra do Vigario-u. 31,1 andar.
Eia o raso, Sr. Oiniz.
O antigo spahi contou eutao rpidamen-
te aos seus dous interlocutores como tioha
encontrado Lamblin e Daviol, a far9& que
tinha representado com elles, e, finalmen-
te, de que znaneira se houve para apanhar
o local onde estava o cavao ferido.
Quanto a Lamblin, concluio elle,
desembaracei me delle, conasdo-o a dona
dos seua agentea, que o le vare m para lu
gar seguro.
Bravo .' Voc um hornero precioso,
JoZo Brunel, e gracas a si temos finalmen-
te urna daa pistas que procuramos...
-- Melbor que isso, Sr. Diniz replicou
o,cocheiro com um sorriso sardnico.
Tem mais alguma cousa a dizer me?
perguntou o inspector admirado.
Siro, aenhor, animou se a dizer o pe-
queo com a bocea cheia. Tem agora a
minba historia.
Ah! tem raz3o, meu rapaz.
Come, fedelho, eu fallo por ti, disse
o velbo soldado com alegra.
NIo preaiso dizer que apanhei este
garoto quando cahio da trazeira de um car-
ro, ao qual se havia agarrado. Quando
elle me disse quem era, leveio commigo,
e emquanto o conduzia gua madrinha.
filo talar...
Vamos...
O que elle me disae era ti nteres
saote que me decidi. Dei meia volta e
vim aua casa. Imagine se n3o para
a gente ficsr pasmado! Elie corra para a
dreita e eu galopava para a esquerda, e
fomos nos encontrar na mesma muda !>
Mas olhe que voc nEo est galopan
do, pelo contrario, vai a paeso! interrom-
pea Lerat. E ueste andar nunca chega-
re a saber !
Tem razio diss% o eccheiro a rir.
Eia o que se passou : Esta migalha de
gente foi enoarregado pela madrinha de
!Va loja das Wjtrs Jziies
A BOA DQi \XIAg N. 61
MosquiteiroB americano com armacao a
ic*ooo, i2woo, isaooo e 20*000.
Estantea de msica, para amadores, fe-
chan)-se como urna bengala, a 5|JOC0.
Relogioe es portadores couT movimento a
6J00H, 85000 e 10*000 e para orna
ment de sala a 20*000.
Lapis e caetas de ouro fino s 145C0 e
2*000.
Eapartilho8 ingleses com elsticos de seda,
ultima novdade, a 70000, todo de se-
tim braaoo a 10*000.
Surah de lindas cOres e gases de listrss a
1*400.
Setins cem listras largas e lindas corea a
1*200.
Tecidoa de linho fino, fasenda muito lar-
ga, a 500 rs.
Morim lavrndo, peja com 10 varas,
3*200 a paya.
MadapolSo americano; fino, a 5*000 e
6*000 com 20 varas.*
Bramante de 4 larguras a 1*200 e de li-
nho a 1*600.
Cortinados bordados para cama ou ianella
a 5*800. ^
Cortinados de crochet de lidas cores para
.. janellas a 1*600. .
toalhados oom lindos dasenhos a 1*000.
uardanapos finos a 1*800 a dnzia.
Toalhas pequeas a l*o00 a duzia, gran-
des a 4*OC0T
Casaas de cores, desenbo em matiz, pe-
cas com 9 metros a 1*600
Bordados largos para saias de enanca a
5*000.
Babados bordados, lindos patronea, a 440,
500, 600 e 800 rs.
Bicos brancos com ponto, covidade, a
3*000.
Fitas de cores, todas as larguras, melhor
sortimento, a 320 e 500 rs.
Baleia fortes a 180 rs. a duzia.
Arco de ac a 100 rs. o metro.
Cortes de vestidos bordados de cores, em
cartao, a U*000.
Tecidos de quadrinhos a 100, 200 e
400 rs.
Percales claras e escuras a 200 rs.
Grampos para tranca novidades a 600 rs.
Sovsqueiraa de borracha para vestidos a
400 rs.
Sabonetes finos a 500 e 600 ra.
Extractos finos todos os cheiros a 2*000.
Espartilhos oourassa 3*500,4*000 e 5*0C0.
Meias cruas alcoxoadas para senhoras a
8*000 s dusis.
Meias de cores para meninos de 6 mezea
at 8 annos a 400 rs
Casacos Jersey bordados pretos e de cores
a 5*000.
Para noli as
Setins brancos, lisos, lavrados e de listras,
a 1*000, 1*200 e 1*500.
Grinaldaa com lindos veos de blend a
. 7*060 e 10*000.
Meias de seda e de renda a 3*000 e
1*500
Espartilhos de setim, ultima novidsde, a
10*000.
Lencos de cambraia de linho, embanba
do largo a 9*000 a duzia.
Panno de linho, muito fino, para toalhas e
fronbas a 1*500.
Luvas de aeda e pellica a 2*000 e 2*500.
CoMLa8 de crochet a 5*500 e 6*500.
Colchaa de damasco com borlas a 35*000.
Leques de gases,' bordados e de renda a
6*000.
Ligas de seda enfeitadas a 1*000.
Camisas bordadas, finas, para senhora a
5*600
Casacos bordados, peuteadores, s 2*500 e
3*000.
E muitoa artigos que se vendem muito
barato e d se descont a quem comprar
de 20*000 para cima.
Novidade americana
M LINDO RETRATO DE FAMDLIA
Por S&AOOO
Qualquer familia pode ter um retrato de
um parete ou amigo em ana sala de
visita, mandando um pequeo retrato em
cartao de visita nao importa que seja
antigo, bastante mandar dizer s cor
doa olbos e do cabello para chegar um
lindo retate desejado. Reeebem-se en-
comendas na
LOJA DAS LISTBAS AZUES
nos melkores arma
. WIISIT
Iijal Blend narca YIADO
Este escolente Whisky Escoces pre
ferivel ao cognac ou sguardente de cana,
para fortificar o corso.
Vende-se a retamo
zens de moihados.
Pede Ro-al Blend marca Vlado*
cajo nome e emblema alo registrados par
todo Brasil.
___________BROWNS A C, agontes.
Cautelas do Monte de Soc
corro '
Compra-se Cntelas do Monte de Soc
corro de qualquer joia, brilhantea e relo-
pos,. paga-se bem na ra do Cabug n
l4. a.Loja de relojoeiro.
Agua maravihosa
Com a applicaco desta agua, quem soffrar dt
espiohas, pannos sardas, femdss e vermelhidao
do rosto, ficari perfeitamente curado, rtconhe
cendo a, desse ftodo, como nico especifico
efficaz. Alem desfles effeitoo, tem ella a pro
ptiedade de, tornando a cutis limpa, dar-lhe a
cor natural. A cada vidro qoecusta l, acom-
panba a respecti ra indicacao do oso.
Abaixo as pomadas
Vendem Farias Sobrinho & C, ra Mrquez dt
_____________Olipd n.41.___________
Muito barato
14000 um par
'Si roa do Livramento ns. 19 e21, tem urna
grandequaotidade de sapatOes runos de vaqueta
branca, obra muito forte e propria para o inver-
so, e por preco baratissimo, 14000 o par, e em
porco ter descont. ,
VOILE!! VOILE
A 240
Grande e variado sortimento de voile
de algodao e lSn, acabam de receber,
Bernardino Campos & C* e vendem pelo
insignificante preco de 240 res o co-
vado.
APROVEITEM QUE E' PECHrNCHA
Una I. de Marco n. t
AO PUBLICO
O abaixo assignado resolveu participar
aos seus amigos e freguezes quo contina
a ter sempre o mais completo sortimento
de :
COGNACS destacando o afamado
Pno, que um dos que mais se pres-
tam s tomarse coa leite.
V1NHOSO Palhtte aern prejuizo das
outras marcas, especialisando tambem o
magnifico Bordeaux Republique Brt-
lienne.
LEGUMESem conserva, especialida-
des como nSo se encont-am em qualquer
casa.
CARNE S em conserva, especiaos como
nunca vieram aqu.
PEIXEStambem o que ha de mais
variado.
CERVEJASonde se destaca a bem
conhecida e digna de ceiebridade Paulino
Bit-.
CHARUTOS nm grande sortimento
das melbores marcas, e por preces muito
commodoB.
Alem deBtes artigos acha se o seu esta-
belecimento sempre supprido de tudo
quanto se possa dse jar d'um bom esta-
belecimento d'aquelle genero
Ra do Imperador n. 28.
Paulino de Oliveira Maia.
Alfafa
" Vende-se solta qoalqaer quantidade a 40 rs. o
kilo ; oa ra do Amonm n. 52.
Farello superior
a 2*200 ; no largo do Mercado n. 12.
seguir as pisadas de um homem alto e ma-
gro, que tinha ido tomar informacuea a
respeito do velbo e das criancaB envene-
nadas. Urna historia que eu nSo sabia.
Eo meu homem leva-o ao Gros-Callou..,
onde ae acha o meu pequeo.
NSo possivel! exclamou o Sr. Di-
niz, cujos olbos pestanejavam.
Mas se eu lhe stou a diser, patrio.
Por signa! que l encontre o Sr.
Vamloff, a quem fchala) fallou, interveio
o pequeo com um ar trumphante.
Afioal ? interrogou o policial, que ou
va com impaciencia.
Por fim, noite, vio sabir outra vez
o Echalai, vestido de carregador, e se
gue o at a ra Peletier, a um armazem,
onde eu tratava de embriagar os assassi
nos do meu viajante! Comprehende
ra ? Por tim, emquanto eu sania com
blin, o chalas, levava Daviol,semp:
no caes d'Anjou Foi neste momento qse
o meu pequeo me cahio dos bracos.
Diniz e Lerat o'.baram um para o outro
pasmados.
De sbito o inspector levan ou-se e di
rigi se a Joao, a quem estendeu a mao
com urna cordialidade affectuosa.
Obrigado, meus amigos, disse elle
com effusao, procedern; ambos c m urna
habilidade que nem eu nem Lerat talvez
tivessemos, e, gracas a voces, tenbo espe-
ranza de que um terrivel criminoso vai,
finalmente, dar contal Justina das suas
execra veis faoanhas!
Devras !. exclamou o pequeo.
Com mil raios estou realmente sa-
tisfeito disse ao mesmo tempo o velho
soldado, commovido.
Sim comprehende Larat como tudo
iito Combina ? prosigui o Sr. Diniz com
animadlo. O envenenamento de Natty o
de soa amante, e o do Sr. Moulin, o as-
VOILE!! VOILE!! VOILE
O que pode haver de melhor e gostoa
IindissimoB, acabam de receber, Bernardino
Campos & C.a e vendem sem competen
eia de precos.
Ra 1. de Marc,o n.
Boaacquisigo
Vende-se um bom estaDelecimento de mercea-
rias ; a tratar oa ra Coronel Suassona (antiga
de Hcrtas) n. I.
Azulejos
Com liudissimas cores e desenboa variadiss)
mo8, encontrase para vender om grande sort)
ment desse artigo, proprios para frente de ca-
sas, corredores, cosiobas e banheiros; por pre-
cos aern competencia oa ra do Visconde d
Govanna n. 45.
Taverna
Vi nde-se a taverna da roa Imperial n. 158,
bem afreguezada, com bons commodos para
grande familia ; a tratar na mesma.
Taverna
Veode-se a pequeoa taverna ra estreita do
Rosario n. 36, o ponto bom, e o motivo da
venda se dir ao comprador a tratar aa
mesma.
venenamento de Herminia.... tudo isto
emana do mesmo cerebro! Unidsde de
concepcSo e simultaneidade de execucSo.
Por que ? 'perguntou o agente com
desconfianza. Que importa o fim? o facto
ah est patente, irrecusavel Um nico
homem preparou todos estes crimes e o
mandn executar !.... Ora esse homem
mora no caes d'Anjou.
Por isso, respondo eu, d:sse o co-
cheiro.
E eu, concluio o pequeo.
Portanto, conclu^ o. inspector com
auimacSo, s resta agora saberse o nome
do proprietario do palacete, designado por
JoSo Brunel.
Isso fcil, Sr. Diniz responden o
agente.
Trate disso, amanhl bem cedo, Le-
rat, e traga-me essas informales sem per-
der um minuto. Antes, porm, paase pelo
tribunal, e pega urna ordena de prisSo em
branco. Se. for preciso, encha-a e srva-
se della ; entretanto prefiro que me deixe
esse cuidado.
O Sr. Diniz esfregava as maos de con-
tente.
De repente voltou-se para Athanasio :
Dizes que alto e magro o homem
a que chamas o chalas?
Etamines a 280 rs. o covado.
Na laja do Campos
Etamines brancas e de cores, arrendadas, pa-
irees I ndof, a 880 rs. -fazeoda de640rs. ; na
roa do Crespo n. 21.
Pao centeio
Mello & Biset tendo recebido nova remessa de
farinha centeio, avisa aos seus freguezes que
continaam a fabricar este delicioso pao centeio
lodas as tercas e sextas-feiras ; na ra larga do
Rosario u. 40.
Novidade
Voile de algodao, lidos desechos 10 covado
24 rs.
LOJA DO POVO
Alerta com a Revalido
4SRus Daque de Caxlas49
E' BARATISSIMO
Sur de linho a 400 rs. o covado.
Etamines de todas as cores a 300 e 400
rs. o covado.
Zephiros finos a -120, e 160 e 200 rs. o
covado.
Merinos de cores com duas argur aa
400 rs. o covado.
Cachemira com quadros de seda para vea
tidoa a 1)5 o covado, fasenda de 20000.
Ditas com toque de mofo a 800 rs. o co-
vado.
Cortes para vestidos, ultima moda a 70000
um.
Ditos bordados a 100000 um.
Ditos bordados brancos e creme a 130000,
140000 e 150000 um.
Casacos de seda francesa a 20000 um.
Cort'nados bordados a 60000 o par.
Ditos de crochet a 80000 e 100000 o par.
Ficns de rotroz prateado a 10000 um.
Colchaa de todas as cores a 20100, 30000,
40000 e 50000 urna.
Cobertas forradas a 20500 tuna.
Bramante com 4 larguras, trancado e liso
a 800 e 10000 o metro.
Toilette para baptisados a 80000, 90000
e 100000 orna.
Pannos da Costa para mesa a 10200 o cc-
vado.
MadapolSo americano a 60OCO a peca con
24 jardas.
Camisas de meia a U'000 urna
Ditas de linho e algodao com collarinho a
20000 ama.
Toalhas para crianca a 120 e 160rs. urna.
Fust&o de cores para coatumes a 500 ra. o
covado.
Pannos de crochet para cadejras a 500 ra
um.
Ceroulas francesas, a 10000 una.
Atoalhado de linho com toque de mofo a
20400 o metro.
Dito de algodSo a 10200 o metro.
Algodao trancado para toalha a 10OCO o
metro.
Espartilhos couraca a 40, 50000 e 60000
Lencos Ae algodao brancos e com barra a
10200 a duzia.
Ditos de linho a 20500, e 30000 a duzia.
Nansuk fina a 120, 160, 200 e 240 ra. o
covado.
Crotones claras e escuras a 200 e 240 rs.
o covado.
Organdia a 400 ra. o covado, azenda de
800 rs..
Setineta lisa de todas as cores a 240 rs. c
covado.
Ricos cortes bordados a seda para ves ido,
de 6( 0000 por 250000 e 300000.
CoBtumes de Jersey para enancas a 70000
um. ,
Voile de algodao a 240 rs. o covado.
Merinos bordados, de efires, a 600 ra. o
covado.
Crep, ultima moda, a 600 ra. o covado.
Cambraia de quadros para vestidos a 10800
a pe$a. e
Brim pardo trancado a 240 ra. o covado.
Casemira de cores para roupa de homem a
^ 102CO ra. o covado.
Para a quaresma
Merinos pretos a 800, 10000 e 10200 o
covado.
Manteletes pretas a 50000 e 70000.
FichttB pretos a 10000.
Ricos cortes de cachemira preta bordados
de vidrilhos a 300000 um.
E muitas outras fazendaa pretas como
sejam gorgorSo, setim e cachemira que se
vendem com o abatimento de 50 /0.
IVio esquecendo
que em aua oficina de alfaiataria aprom
pta-se qualquer costume e em 24 horas
a ssim como tem um completo sortimento
de brins, casemiras de cores e pretas, que
vende por presos sem competencia.
A Revolucao
HENRIQUE DA SILVA MOREIRA
que pode orgulhar-se da tua precoce in-
teligencia. Voc, Lerat, sabe o que ha
de fazer.
Ficando s, o Sr. Diniz dirigi se para
o qnarto de cama.
Quando ia a entrar parou e baten na
testa:
Quem diaboy disse elle, poder mo-
rar no caes d'Anjou ?
III
Sim, senhor ; comprido como um dia
*em pao, e gordo como o para ra os de
Notrc-Dame. v
Moco ? insisti o polica.
Ah quanto a isso era preciso que
visse os seus verdadeiros esbeltos! repli-
cou o pequeo. Em casa de rainha ma
driuha tinha os cabellos brancos, e noite
vermelhos !
Bem Lerat esclarecer esse ponto.
At vista, meas amigos, e
y! anda
urna vez, obrigado JoSo, venha be>n ce
do, preciso telo mao. Quanto a ti, pe-
sassinato de'Paulo Lundi, e mesmo o en-'queco, hei de dizer a Moic. Chaboisaeau,
O hospital do Gros Caillou depende, co-
mo o Val de Grce, do ministerio da guer
ra ; por isso o elemento civil s l tem
entrada accidentalmente e em caso de ur
gencia absoluta.
O Sr. Diniz tinha usado desse direito de
excepcao, em virtude da proximidade do
hospicio e da urgencia dos soccorros o dar
a Paulo Lundi e Armi.
A autoridade militar receben os dou8
feridos co u benevolencia, e os mais dedi-
cados cuidados Ibes foram dispensados, com
habilidade tal, que o Sr. Vamloff tinha sa-
hido entbusiasmado das visitas ofliciosss
que rizera, a pedido do inspector.
Por expressa recommendacao do Sr. Di-
niz, o pintor foi recolhido a um quarto de
oficial, para evitar a atmosphera insalu-
bre dos saloes.
A sua mocidade e o seu bello rosto para
-logo dispertaram interesse no cirurgiao
chefe, que, seduzido, alm disso, pelo as-
pecto de um ferimento de extrema gra-
vidade, roden o doente da mais paternal
Bolicitude.
i No primeiro exame, houve receo de
urna perfurajao do larynge e a abundan-
cia da hemorrhagia deixava suppr que a
cartida dreita tambem tinha sido offen-
dida pelo punhal do assassino. Mas feliz-
mente as&im nao era ; apenas os tecidos
xteriorea esttram lesados, e., quando no
Lido sortimento de fitas verdes n. 5 &*
12, padrSes o que ha de modernos.
Fitas lavradas com um palmo de taraza-
ra a 20000 o metro,
Grande sortimento de galtes, p'rnp, n>.
sas, pingentes e guarnicSea pretas V
vidriho para vestido.
Lindas costureirat de ve'ludo propria
para presentes.
Lindas boleas com estojo para costura.
Grande sortimento de caixinhas com es-
tractos propinas para presentes a 20OCC
30000, 40000, 50000 a 60OCO usa.
Livros de missa, de madrep'erola e aW
velludo.
Lindos objectos de crystal para presen*
como sejam : porta-relcgio, parta-extra-
cto, porta-p de arroz de 40500 at
120000.
Finos alfinetes para gravatas.
Grande sortimento de broches americanos
para senhoras.
Caixaa com msicas a 20, 30000, 40OOG
at 12000D. ^^
Pegadores de prata de tranja a 10500.
dem de tartaruga a 10000.
Grande sortimento de galosinhos braaoo
e de cores para enfeitar asaeos erosp
de criancas.
Caixinhas com sabonetes a 500, 600, 706
o 10000.
Grande sortimento de bengalas finas a
10000, 10500, 20000 e 20500, o que ha
de mais bonito.
Lindas chapelinas para crianca, gosto *w-
derno.
Porta-retratos a 200 e 300 ra. nm.
Grande sortimento de lencos de ssds >
10000, 10500 e 20000 um."
Guarnjoes para toilet a 60000 e 70000-
Lindos porta-pos de arroza 10500, 20000
30000, 40000, 50000 e 60000 ma.
Finas ligas com ramo de flor de larangaaa.
proprias para noiva a 10500 o par.
dem de todas as cores a. 10000, 102OG.
10500 e 20000.
Rendas hespanhola de todas as cores.
dem pretas com e sem vidrilho.
Grande sortimento de bicos matisados e ds
urna s cor.
Sabonetes perfumados a 500 ra. a asi.
Lindos desenhos para talagarca.
Grande sortimento de biccos- pretos eW
seda, algodao e de 11 com e sem vidri-
lho.
Mantilhas de seda e de algodao pretas
de cor de creme, proprias para' toojx.
Franjas pretas com e sem vidrilho.
Collarinho para homem a 30000 e 40000
a dnzia.
Bordados de cambraia tapada a 500, 600,
800, 10000, 10200 at 20000 a peca.
dem com 3 e 1/2 metros, de qasiajser
largura, a 10200.
Lencos de linho a 30000a duzia, esa cs--
xinha.
Meias para hemem a 40000 a duzia.
dem para senhora a 40000 a dita.
Grande sortimento de p ule e i ras ameri-
canas.
Cortinados de crothet para cama a 120006,
170000 e 190000.
Ditos para janella a 70000.
Guarnieses para cadeira a 60000.
Pannos de croehet para cadeira a 800
10000
Capailas com veo para noiva a 60008-,
80000 e 100000
Panno de crochet para sof a 20000.
Lindos enxovaes para baptisados a 80006,
100000 e 120000.
Grande sortimento de luvas finas para se-
nhora a 10500, 20000 e 20500 o par.
dem para menina a 800 e 10000.
Grande sortimento de espartilhos para
moca a 40000, 40500, 50000 e 60000.
Linha de machina a 700 rs. a duzia.
dem idem a 60 rs. o carritel.
Espartilhos para crianca a 40000 e 40506.
Toalhas para banho a 10500.
dem para rosto a 300 ra.
Babadores com inscripto e paisageza a
500 e a duzia a 40000.
Grande sartimento de espelhos finos ovaeo
e de canto redondo a 40000, 50000
60000.
Bengallas de flauta n 10500.
103RA DUQUE DE CAXIAS303
Barbosa & Santos
Piano
Vende-se um piano de Pleyer, quasi novo ; n*
ra Duque de Caxias n. 54. loja.
terceiro da se levantou o apparelho, ve-
rificou-se que o ferido em breve estara
restabelecido.
O cirurgiao autorisou-o entio a fallar
durante urna hora e a receber a visita de
sua familia e de seus parentes.
Estas palavras fizeram vir urna lagrima
aos olhos do pobre rapaz.
sua familia! Os seus parentes quan-
do elle s tinha urna sffei;ao, a de Hermi-
nia.
Quem podia elle chamar para a soa es.-
beceira ?
Mlle. de Reynold ? Seria causar-lhe nm
grande incommodo e compromettel- a tal-
vez.
Xatty ? o Sr. Moulin ? Kerhoel ? Bons
amigos, sem duvida, mas, no estado de
espirito m que se achava, as suas mani-
festares de interesse augmentavam a sua
dr moral, sem trazer-lhe o menor allivio
sua dr physica.
Agradeceu ao cirurgiao, e se o Dr. Vam-
loff alo tivesse ido vel-o, por pedido do
Sr. Diniz, que igorava as suas relacSes,
ninguem teria sabido do terrivel accidente
de que elle tora victima.
A entrada do medico produzio-lhe urna
reacelo salutar, comprehendeu pe, ao con-
trario ,do que julgava, o amor tinha-lhe dei-
xado no ccracSoJogar para a amjzade, e
recebeu com effusao as manffesta3es de
sympathia do medico.
EjUepois pedio para ver Natty O o Sr. Mea-
lin.
O Sr. Vamloff, receiando dker-lhe a ver-
dade, limitou se s prometter lhe que Ibes
faria constar o seu desejo..
Contmuar-m -Aa)
----------
. do Diario^to Dnq de Cax

:
* C





ij
k

.-i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHMMY58GO_LUQB8A INGEST_TIME 2014-05-27T23:55:29Z PACKAGE AA00011611_17736
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES