Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17673


This item is only available as the following downloads:


Full Text
* fr
-
ANNO L. MJJMERO 289
* i

"V \ r\

PABt A CAPITALS LIIG1R 0\DE NiO SE PAG A PORTE.
Por tres mez3 adiantadoa. v v v v........ 65000
Porseisditos idem. -.-.............12*OOj0
Por urn aimoidom..................949000
Cade numero avulso ^............ ,32o
>' -;-.
SEXTA FEIBA 18 DE DEZEMBR0 DE 1874
. i r.--------------rm^r-i------------------
PABA DLMHO E FORA DA PBOVLI'CIA.
Por tres mezes adiantados.' 7........
Por seis ditos idem...............
Por note dhos idem............... .
Por am anno idem................
MUM
*!90M
PRGPRIEDADE DE MANOEL FI
' iibis
DE FARIA FILH0S
^rario Antonio Ahead Fuhoi.no Part; Gon^re. 4 Pinto, no Maranhio; Joaquim Joad de OlireiradFilho, no Ceari; MKmio de Lem<* Braga, no Aracatj ; Joio Maria Julio Carve,, no Ami; Antonio Marques da Silra. Natal ; Jo* Jon
Peretra d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio J<*d Gomel, na V|4a Penha; le'armino doi Santoi Bulcio, em Santo Antl j Doming* Joed da CoataBraga, em Haxareth,
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das Alagtts*; Aires 4 C.,na lahia ; e A. Xavier Leitti d C. d Bio Janeiro*
"' 'tutu
. J it *
Elementos tie physicn
iiVRO TERChIRO
liases
, CAPITULO II
MlSTUn.V E DISSOLUCAO DOS GAZES
Lels .las uii[iii'(isilu.ss:uM, difTu
sun. No capitulo segundo do livro s gundo vi-
raos que os liquidos, quaudo naosedao eotre elles
aecSes chimicas, tendem- a se separarem e a se
superporem por ordain de deosiiade. O mesmo,
porem, nao se da cimr os gates, que obedecendo
sempre a sua forca expansiva, offerecem nas suas
misturas, as duas leis seguinies :
1." Quaesquer que sejant suas densidades, os ga-
zes se misturam em prupurcao igual em lodas us
paries dos vasfls que oi contim. ,
3.* A forfa elnatira d> mistnra e igual a MM
wa das forfiis elosdcis dos gazes misturados.
Foi Beriollet, celebre ehimico fraueez, morto era
I8JJ, queio deierrainon a primeira lai pela s*>-
guinte expericncia Tomou dous baldes de vidro
da mesuia capaeidade, com bocais de meCal e tir-
neira, e susceptivtia de, por ratio desses bucaes,
se atarraxarem um no outro ; e, lendo enchido
urn dalles com hydrogeneo, o mais leve de todos
os gaze3, e o omro com acido carbonico, gaz mui-
to pesado, ligou os dons, collocaodo o do gaz mais
pesado em baixo, e di'pondo-os de forma que se
mantives^em u'uma pc^iQaa vertical, licando sem-
pre o de acido carbonico em baixo. Oepi-is col-
locoa elle os dous baloes nas cavas do observato
rio de Paris, cavas que sio muito profuadas e cu-
ja teroperaiura e iovariavel loto anno.
Logo que os dous balou?, ate eoUo tendo as tor-
aeiias fechadas, adquerirara a (emppratura am-
tiente das cavas, abrio Ibes elle at ditas toroeiras
po-los em communica^ao eotre si.
Ao cabo de aljrumas horas, achou-se que os
dous gazes, apezardasua dilterenca de densida-
d9, se litrtara igualmeute misturado nos dous ba-
Idea.
Da conformidade com essa experiencia, sendo o
ar uma mislara de azolo e deoxygeoeo, sua com-
posicio deve ger a mesma em todas as alturas da
atmosphera ;p que re'alraente se verifica pela ob-
*ervacao.
Da-se o norne de diffusii'i a propriedade que teem
os gazes de se misturarem espontaneameote.
A dill'usao cootribue poderosarnente para a sa-
lubridade do ar nas babitacoes e na atmosphera,
porqup, dispersandi'o'ar vwlai!i), snbstltue-o poH
ar puro.
L.oiK das misfuras dos gazes e dos
liquidos.Os gazes se misturam com a agua
e outros liquidos, i.-iu e, dissolvom-se nelles em
quantidade que varia cum a natureza do gaz; com
a pressao e cera a lemperatura.
Na pressao e lemperatura ordinarias, a agua
dissolve cerca da l/ii do sen volume de oxygeneo,
_ n volume de acido carbonico igual ao seu, e um
volume de gaz amoniaco seiscentas e setenta ve-
zes raaior do que o seu.
Em todos os cases, as dissolucSes dos gazes nos
i jnidos seacham sujeitas as ires seguiotes leis :
1.* Para uma mesma lemperatura e um mesmo
liquido, o peso do gaz absorvido e proporcional a
pressao.
i.' 0 peso do gaz dissolvido e tanlo mais const
4e\ avel quanta mais baixa e a lemperatura.
3.* A quantidade de gaz que um liquido piide
dtstolner i independents da naturezi e da quanti-
dade dos outros gazes que elle ja tiver dhsolcidos.
Km outros termos : cada gaz se dissolve como se
fosse so.
A primeira lei 6 utilisada na induslria para o fa-
brico das ig'ias itazosas artiliciaes, como por
-.'xemplo a agua de Seltz.
Cora o auxiiio de bombas de compressao (az se |
dissolver n'agna um excesso de acido carbonico ; i
e. logo apos, a dissolucao a mettida em (rascos e ;
garrafas que se fecha tiermeticamentb.
E o gaz acido carbonico em dissolucao na cer- j
veja, no vinbo do Champagne e em tod s os vi-
nhos espumantes, que, desprendendo-se quando
se destampa as garrafas, produz a detonagio que
In cojbecera e datermma o trasvasamento de
uma p*rte do liquido.
Ijioverno da provincia.
E\PBDIENTB DO DIA 2 DE SETEMBRO DE 1874.
1' seccao.
honlem, resolve demiuir do cargo da 2* supplame
do delegado do leruio de Gamelleira ao tenenle Ma-
noel Aprigio do Mora'?.
0 presidents da provincia, de conforrnidaie
com a proposta do Dr. chef* de polieia, em offlcio
n. 1,038, de hontem, resolve nomear para o cargo
de 2' suoplente do delegado de pOIicia do terrno
de Gamelleira ao cidadao Joao Manoel de Barros.e
Silva.
0 presidente da provjneia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de polieia, em offlcio
u. 1,088, de honlem, resolve Bhmeaf para o cargo
de subdelegado de p.djcia do 1 districio do tenuo
de Gamelleira ao alfres Bellarmioo Pinto de
Paiva.
Ofllcios :
Ao Exra. Sr. conselheiro presidente do tri-
bunal da relacao d S. Loiz. Tenho a honra de
accusir o recebimenl) dj ollleio de y. Esc., de
19 do corrrnte, commuoi:ando haver' no din an-
teeedente assumido o exercicio do cargo de pre-
sidente dessa relacfu, e em resposta cumpro me
kfelicitA lo pela acertada escolha de V. Exc. para
esse cargo, aproveiiando o ensejo para testemu-
nhar Ihe os sentiments d minha distincta consi*
deracao a pessoa de V. Exc.
Ao commandante do corpo de polieia Be
Vine, suas ordens para que amauha, as tO horas
do dia, se achern a bordo do vapor Jaguanbe, 5
pracas do corpo sob sen commando, alim de, reu-
nidas as 9 de linha, que vao destacar no presidio
de Fernando de Noroona, e^collarem a 27 senlen-
ciados, deste por la ate o respectivo presidio,
d'onde deverao ditas prac,.as regressar no mesmo
vapor.
3.' seccSo.
Actos :
0 presidente da provincia, tendo em vista" o
que expoz o inspector do tnesouro provincial, em
offlcio do 1 do corrente, sob n. 367, resolve con-
cedera exraeracao que pedio Manoel Jose None*,
do cargo de cobrador da c patibilidade que com elle da-se, na cargo de juiz
municipal snpplente, que alii exeroe.
0 presidente da provincia, tendo em vista o
que expoz o inspector do thesonro provincial, em
offlcio do l do corrente, sob n. 367, resolve con-
ceder a exoneracao pedida por Francisco Antonio
des Santos, do cargo de escrivao da colleetoria do
raunicipb de Panellas, e nomear para substitui l>
o cidadao Pergentino Lins Cavalcante.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria de fazendaj--
Mande V. S. enlregar ao D;. Pedro de Athayd*
Lobo Uoscoso, inspector da satlde pnblica, a quan
tia de jO^UOO, tiraJa da verb* aweorros publi-
cos, afltn'de ser applicada em sdecoro da famf-
lia de Cyrillo Cassiano Alvaresamel!o, residenle
a rua do Quiabo, em Afogados, que se acha ataca-
dada da variola e no maior estido de penuria,
conforme representou o Dr. chefe de' polieia, com
offlcio desta data, sob n. 1,155.
Ao mesmo. Recpmmendo a V. S. que provi
dencie no sentido de ser entregne ao tnesoureiro
da reparticao das obras pnblicas, Antonio Pinh^i-
ro de Mendonca, a quantia de 1:000?, concedida
pela ordera do thesouro, n. 61, de 10 de abril ul-
timo, para pintura do palacio desta presidencia.
Ao mesmo. De aeeordo com a sua infor-
niaeii',' constante do offlcio do 1 do corrente, sob
a 465, serie H, relevo D. Olympia Constanca de
Moraes Silva, da multa que Ihe Ihe foi iniposta pe-
lo collector do municipio de Jaboatio, por tiSo ter
dado a matricula no prazo legal, os doas ingenuos
Luiz e Luiza ; o que communico a V. S. para seu
couhecirat-nto e fins convenieDtes.
Ao mesmo.Remeltendo a V. S. as relacSes
e prets juntos, tenho a recommendar-lhe que
mande pagar aos negocianles Hachado & Bran-
dao os vencimentos das prar^as da guarda nacio-
nal destacalas em Villa-Delia, durante o mez de
julho ultimo, na conformidade do que soliciton o
respectivo comiuandante superior em offlcio de 3
de agosto proximo 6ndo.
Ao mesmo.Tendo autorisado o inspector
interino do arsenal de marinna, nos termos de sua
informacao de bontem datada, sob n. 461, serie 11,
a vender em hasta publica uma porclo de ferro ve-
Iho exislentes naquelle arsenal ; assim o commu-
nico a V. S. para seu conhecimento.
Ao inspector do thesouro provincial.De con-
, icrmidade com o incluso pedido da reparticao das
I obras publicas, mande Vmc. entregar ao respecti
vo thesoureiro a'quantia de 10:200J, alim ds oc-
| correr as despezas constantes do mesmo pedido du-
'- rante o corrente mez.
Ao mesmo. Expeca Vmc. as convenientes
I ordens no sentido de effectoar-se ao commissario
| de polieia do municipio de Ipojuca, o pagamento
I nao so da quantia de 602660, proveniente de sens
I vencimentos relativos ao mez de agosto Undo, mas
j tambera da de I44J400 em que importaram os
vencimentos da guarda loci
rio da marinna, no primeiro vapor que para para additaraento ao offlcio desta presideucia, de 14 de
alii teguir, uma lancln destinada a capitania do novembro da auno passado, d-tclaro a V. S. que
porto daqnella provincia. I avisia do eaposto em sea offlcio da 13 d'aquelle
mez, ponhanovamente em praea o propno nacional
I denominado Calabouco por venda.
[ Ao mesmo.Para os fins convenientes. eom-
leios :
EXPEDIENTS DO SECBBTAWO.
1." secqdo.
i munlco a V. S., qua em i do
AoExm. brigadeiro commandante das ar-
mas.-S. Ex. o Sr. presidente da provincia manda ; m03 H^BomHnThoP V* lit naZF^iLSS tZ xandrft ** dos Sao,os. ** Francisco de Souza,
li* JZS'ffiBloto.i b3ChUiii0ie Ro^ndodoBarroseSHvaJose Francisco Ramo9;
XC\q i euuiiueuiu3 ua guarua local daqaellu municipio,
0 presidente da provincia, attendendo ao ; concernentes ao periodo decorrido de 21 a 31 do
dos Santos' c"*oo mez, uma vez que a respectiva colleetoria
d5o pode effectuar semelhante pagamento.
4.' seefdo.
Offlcio :
Ao inspector da saiide publica. Reraelta
Vmc. com urgencia, a secretaria desta presidencia,
com destino ao delegado de abrobo, uma carteira
de medicament >s homeopathicos, apropriados *ao
tratamento da variola.
5.' secgdo.
Offlcio :
Ao engenheiro fiscal interino da companhia
Recife Drainage. Attendendo ao que requereu
de Oliveira, prophelario
sito a rua do Vigario Teno-
que requereu Francisco Xiviar Alves
Lima, escrivao do almoxarifado do presidio do
Farnando de Nuronba. resilve conceder-lbe 2 me-
zes de licenca para vir a esta capital tratar de ne-
vocios do seu particular inleresse.
Offlcios:
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar
mas.Sir vase V. Exc. de dar suas ordens para
que amauha, as 10 horas do dia, se apresente na
easa de detencio uma forca sofflcienle para es-
coltar da Hi ate a bordo do vapor Jaguaribe, a 27
sentenciados que se destinam ao presidio de Fer-
nando ; providenciando, outro sim, para que as 9
pracas qne vao destacar no mesmo presidio, reu ,'lennque Bernardes
nidas as o do corpo de polieia, se apresentarao a prdio n. 1, sit
bordo, eescoltera" os referidos pre'sos dnrantea rio, recommendo a Vmc. que proceda a avalia-
viaeern cao de encan.amento de chumbo collo:ado alii Jpor
1 Ao inspector do arsenal de marinha. Pode' essa companhia, visto como o referitlo Bernardes
V. S. mandar vender em hasia publica, como Oliveira ;e julga prejudicado em seus mteres-
propoe em seu offlcio de 22 de agosto ultimo, sob 8e^
n. 107, a porcaa de ferro velho existente nesse I Portanas :
arsenal, visti nao haver applicacao a dar-se-lhe' 0 Sr. gerente da companhia pernarnbueana
fa?a transporlar ao prlsidio de Fernando de Noro-
por se achar inservivel.
Ao mesmo.Expeca V. S. snas ordens afim
de qne estejam oo caes do Forte do Mattos as
lanchas preeisas afim de conduzirem 27 senten-
ciados para bardo de um dos vapores da com-
panhia pernarnbueana, com destlao ao presidio de
Fernando.
Ao director do arsenal de guerra. Yerifi-
cindo so do termo de inpe;c5o annexo ao offlcio
da Exm. brigadeiro commandante das armas. da
bontem dalado, sob n. 664, a qne foramnov;.-
rnente snbmeltidos os mancebos addidos a com-
panhia de operario? militares, Manoel Alves Car-
nha, por conta do miaisterio da justi^a, no vapor
Jaguaribe, cineo pracas do corpo de polieia, que
para alii segnem escoltando criminosos.
0 Sr. gerente da companhia pernarnbueana
de sua. ordens para que sojam transportados ao
! presidio de Fernando de Noronha, por conta do mi-
nisterio da guerra, no vapor Jaguaribe, as pracas
meneionadas na inelusa relacao nominal :
Rulacio a que se refere a portaria svpra.Sol-
dados, Benedicto da Silva Ribeiro, Joaquim Mart
| nlio llorges, Manoel Rozendo do Sacramento, Po-
tronillo Jos6 da Silva, Jos6 Severiao de Sant'Anna,
daso e Lannano Francisco de Albuquerque, acha- Francisco Raphael, Manoel Antonio de Franca, Ma
rem-se elles incapazes do servicp militar, levo nes-' noel Severino de Aranjo, Jose Joaquim da Silva.
ta data o exposto ao conhecimento do Exm. Sr. | 0 Sr. gerente da ompanhia pernarnbueana
ministro da guerra, afim de resolver a rcspeito fa;a conduzir para o presidio de Fernando de No-
como entender acertado. 0 que declaro a Vmc, ronha, por conta do ministerio da guerra, no va-
em resposta ao sea offlcio de 27 de ago;to ultimo, | por Jaguaribe, os objectos constantes da relacao
sob n. 692. junta, os quaes serao para alii remettidos pela tne-
Ao commandante do presidio de Fernando sonraria de fazenda por intermedio do correlor
de Noronha.Dd V. s. snas ordens para que se' geral Francisco de Miranda Leal Seve :
recolnam a esta capital, no regresso do vapor j Relacae a qne se refere a portaria supra.773
Jaguaribe, as 5 pracas do corpo de polieia que se- saccos com farinha, diversos volumes .com dro-
guem para esse presidio no mesmo vapor, escol-' gas, ditos ditos com ferragens, ditos ditos com as-
tando sentenciados de justica. j suear, ditos ditos com doce, 2,000 eonros de ca-
2' seccdo. bra, 800 mdios de sola, 500 raeios de vaqueiai,
Actos : objectos de igreja.
Q presidente da provincia, a vista da propos- 0 Sr. gerente da companhia pernarnbueana
la do Dr. cbefe de polieia, em offlcio n. 1,0%, de faca conduzir para]Alag6as, por conta do mioiste-
dcclarar a V. Exc., em reipssla ao seu
desta data, sob n. 668, oue fleam expedidas as
devidas ordens para serem transportados ao presi-
dio de Fernando de Noronha, as pracas constantes
da relacao que veio annexa ao cilado offlcio-
Ao Inspector do arsenal de marinha. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, tendo expedido
as necessarias ordens ao gerente da companhia
pernambneana, no sentido de fazer conduzir para
as AlagOas a lancha deslinad* a capilania do porto
daqnella provincia ; assim o manda declarar a V.
S, em resposta ao seu offlcio desta data, sob u.
124.
2." seccao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de polieia. De ordera da S
Exc. o Sr. presidente da provincia, incluso remat-
to a V. S. os titolos de nomeacao de 2* 3uppleula
do delegado e subdelegado do 1* districto do termo
de Gamelleira, de conformidade com o offlcio de
V. S., n. ,1,088, de hontem datado.
Ao mesmo.Da ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. S., em res-
posta a seu offlcio o. 1,088, de hontem, quo se ex
pediram as necassarias ordens afim de seguirem
seu destino os 27 sentenciados, de que trat i o
mesmo offlcio.
Ao commandante superiorfinterino da guarda
nacional dos municlpios de, Villa-Bella e Triumpho.
S. Etc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S., em resposta ao seu offlcio de 3 de
agosto Undo, que nasta data se autorisou o ins-
pector da thesouraria jo fazandaa mandar pagar
aos ncgociantes Hacbado & Brandao, os veuci
raentos do deslacamento da Villa-Bella, relativos
ao mez le julho ultimo.
Ao commissario de polieia da mnnicipio de
Ipojuca. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarer a V. S., em resposta ao seu offlcio
de, hontem, que nesta data foi autorisado o ins-
pector do tnesouro provincial a mandar pagar a
V. S., nao so os seus vencimentos de agosto findo,
mas tambera o soldo das pracas da guarda local
desse municipio, relativos ao periodo deeorrido
de 21 a 31 do eitado mez.
3.* secqao.
Offlcio ;
Ao inspecur do thesouro,>rovicial.8-JCsc.
o Sr. presidente da provincia manda'declarara V\
S., em resposta ao seu offlcio de bontem, s b d.
367, que nesta data foraai coacedidas as exonera
cScs pedidas por Francisco Antonio dos Santos e
Manoel Jose Nunes, este do cargo de cobrador da
colleetoria de Flores o aquelle da de escrivao ,da
de Panellas, sen-Jo nomeado para exercer o ultimo
cargo o cidadao Pergentino Lins Cavalcante.
5.' secQdo.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.De ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, commuuico a V. S. que nesta data se au-
torisou o inspector do thesouro provincial a man-
dar entregar ao thesoureiro dessa reparticao a
quantia constante do pedido mensal, que veio an-
nexo ao seu offlcio do 1 do correnle, sob n. 252.
Ao mesmo. -S. Exc. oSr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devidos
iiu, que nesta data se autorisou o inspector da
thesouraria de fazenda a fazer entregar ao thesou-
reiro da reparticao a cargo de V. S. a importan-
cia de 1:0004, destinada para pintura do palacio da
presidencia.
correnle lindou o
orphao3 dos ler-
lt<*l>!irti?fto da polieia.
i.' seccaoSecretaria de polieia de Pernambnco,
17 de dezembro de 1874.
N. 14-95.Him. e Exm. Sr.-Participe a V. Eat
qua forao hontem recolhidoS a easa de detencio
os seguintes individuas :
A* roioha ordem, Francisco Jorge de Salles, Ale-
xandre J
EXPEDIENTS DO DIA 2 DE BBT8MBRI
/.' secgao.
de 1874.
Offlcio :
Ao engenheiro das obras railitare?.Repre-
sentando-me o Exm. brigadeiro commandante das
annas em offlcio desta data, sob n. 669, que as do-
bradicas da parts da arrecadacao geral de 2" ba-
talhao de infantaria se quebraram por estarem
oxydadas e carcoraidas ; recommendo a Vmc. a
expedicao de suas ordens no sentido de serem
taes dobradicas substHuidas por outras novas.
2.' secqao.
Ac to :
0 presidente da provincia, attendendo ao
que reqnereu o alferes da I* companhia da bata-
Ihao n 54 da guarda nacional do mnnicipio do
Cabo, Francisco Rofino do Rego Barreto, resolve
designar o 2* balalhao de infantaria da mesma
guarda nesta municipio para nolle ser aggre-
gado.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de polieia.Em respasta ao of-
flcio de V. S., n. 1,087, do 1 do correnle, tenho a
dizer-lhe que nesta data ordenei ao commandante
do corpo de polieia fizesse conservar na cidade
de Goyanna oito pracas do de-tacamento do mesmo
corpo alii existente ate qne fossera aliistadas vinte
guardas locaes.
Ao mesmo.Em resposta ao offlcio de V. S.,
n. 1,090, de honlem, acompanhando copia de ou-
tro do delegado do termo de Iguarassd, em qne,
participando achar-se completa a gnarda local
daquelle municipio, pedeseja augmentadosennu-
mero ou conservando o deslacamento da guarda
nacional ; cahe ire dizer Ihe que a permanencia
daquelle deslacamento, alera do dia 10 do cor-
renle, e contra a lei, e qaanto ao angmento de
forca local, opportunamenle resolverei.
Ao mesmo.Expega V. S. suas ordens, afim
de que o delegado de polieia do termo do Bonito
mande fazer o orcaraento das barras preeisas para
o quartel da respectiva guarda local.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do municipio do Recife.Para os lins conve-
nientes, commupico a V. S., que por portaria desta
data, desigoei o 2* batalhio de infantaria da guar-
da nacional deste municipio, para nelle ser aggre-
gado o alferes da 1* c impanbia do batalhao n. 54
do municipio do Cabo, Francisco Rulino do Rego
Barreto.
Ao juiz municipal do termo de Caruaru.
Afim desatisfazer o que solicita o Dr. iuiz de di-
reito da 1' vara desta cidade, em offlcio de hontem
datado, reraetia Vmc. com urgencia a secretaria
desta presidencia, as gnias dos sentenciados Jose
Alexandre Gamboa, Manoel Antonio de B'rros,
Antonio Jose CornVi, Joaquim Alves de Oliveira,
Manoel Francisco de Almeida e Manoel Felippe da
Silva, senda que as qualro primeiros ja foram
exigidas por offlcio de 27 de raaio ultimo.
Ao commandante do eorpo de polieia.
Mande Vmc. entregar ao cabo da guarda local do
mnnicipio do Bonito, Marcelino Jose Pereira, o
numero de calcas naeessario para complelar o for-
necimento ordenado em meu offlcio de 11 de agos-
to ultimo.
Ao mesmo.Em additamento a men offlcio
de 26 de agosto ultimo, relativo a relirada do des-
lacamento desse cerpo, existente na cidade de
Goyanna, mande Vmc. conservarem-se alii oito
firacas, ate que sejam alistadas vinte gnardas
ocaes.
8.' seccao.
Offlcios:
Ao Inspector da thesouraria de fazenda Em
Ao mesmo. -Tendo se quebrado as dab.-adi-
cas da porta da arrecadaQao geral do 2* batalhao
de infantaria por estarem oxidadas e carcomidas,
autorisei nesta data o engenheiro das obras milila-
res, a mandar ;ubsiiiuir dilas dobradi;as por ou-
tras novas.0 que communico a V. S.. para os fins
convenientes.
Ao inspector do thesouro provincial.A"
commissario, sargento e pracas da guarda local do
muoicipio do Boniio, em vista dos documedtos
juntos, mande Vmc. nao so abonar um mez da
vencimentos a coniar do a 30 do eorrenia, mas
tambem pagar os venclmenl03 concernentes ao
tarapo deeorrido de 10 a 31 de agoslo Undo, e a des-
peta feita cam a condue^ao do armameoto e far-
darnento das mesmai pra;as na importancia de
13JT.0, visto nao podersatisfazer taes pagaraentos
a colleetoria d'aquelle municipio.
Ao mesmo. Remmeito a Vmc. a ioclusa
copia das b*so* e condicoes sob as quaes o Banco
Industrial eMercantil do Rio de Janeiro se encar-
reg* de aegociar por conta desta provincia, o em-
prestftno de quatro mil contos, de qua tratam as
Am* nt. I,H5 e 1,141, alim de qne nesse-thesouro
seja la-rado o respectivo contrato com o director
do referido banco. i .
4.' seccao.
Offlcio :
Ao governador do bispado. Tendo de asien-
tarae a primeira pelra do hospicio de -alienados,
no dia 8 do corrente, pelas 4 horas da tarde, em o
sitio Tamarineira, vou solicilar de V. Exc. a bon-
dade de proceder a bencao da referida pedra, on
no caso do impossibilidade pessoal, designar um
sacerdote para mioistrar esse acto religioso. Rei-
lero D V. Exc. os meus protest-as de subida cousi-
deraeio.
5.' seccao.
Aeto :
O presidente da provincia, attendendo ao qne
requereu u barao da Soledade, coneassionario da
fctriida de ferro do Recife ao Limoeiro, e ioformou
o respectivo engenheiro fiscal, resjlve nodiflcar o
art. 4' i I- docontralo de 16 de julho da 1870, per-
mittindo ao mesmo concessionario empregar na
construccio da referida estrada irilhos de aco 4e
peso d 53 libras ioglezas de jarda corrente.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.-Scientifico a Vine, para os fins conve-
nientes, que o eugeuheiro que tern de segoir em
coramissao pelo centro da provincia, devera diri-
gir-so d'aqui directainente a Papac-ica, onda en
leodeodO'Se com o capellao da collegio alii exis-
tente, procedera a deihareacao do respectivo pa-
trimonio ; feilo o que, emprebendera a commis-
sao do que v i encarragado.
Ao mesmo.-Segundo acaba da communicar-
me o Dr. regedor interino da gyaanasio provincial,
desprendeu-se uma das tesouras da coberla desse
edilicio. Assim, de Vmc, sua* ordens para ser re
pvsta sera demora.
Ao engeuneiro c'as obras geraes.Orce Vine.,
sem perda ue tempo, as rampas dos caes do Apol-
lo, Forte do Mattos, Lingoeti, Vinte Dous de No-
vemtiro e Concordia, e bem assim do primeiro da
quelles caes.
Portaria:
0 Sr. gerente da companhia pernarnbueana
mande transporlar ao presidio de Fernando de No-
ronha, por conta da ministerio da guerra, no va-
por Jaguaribe, um inferior e nove pracas do 2 ba-
talhao de infantaria, que vao escoltando senten-
ciados ate aquelle presidio, e bem. assim a mu-
Iher do soldado do 9* batalhao da mesma arma,
Jose Joaquim da Silva, qae vai alii destacar.
EXPEDIENTS DO SECBETABIO.
/.a seccao.
Offlcio :
Aocapitao do porto. S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia manda commnnicar a V. S., para
seu conhecimento, e em resposta ao offlcio de hon-
tem datado, sob n. 70, que nesta data expedio or-
dem ao engenheiro encarregado das obras geraes,
para qne sem perda de tempo orce os concertos
de que trata o seu cilado offlcio.
2." seccao.
Offlcio :
Ao commissario do polieia do municipio de
Bonito.0 Exm. Sr. presidente da provincia man-
da eommuniear a V. S., era resposta ao seu offlcio
do 1 do cqrrente, que nesta data se mandou en-
tregar ao cabo da guarda local desse municipio o
numero de calcas preeisas para se complelar o
fornecimento da mesma guarda, e bem assim nr-
csr as barras por V. S. solieiladas naquelle offl-
cio.
vindos de Bora Jardim, eorao sentenciados, a dis
posicSa do Dr. jiiz de direito das execacSes ; Da-
masio, escravo de Anionio Feijo da Melto, nor an-
dar fugido.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jose Arnto
nio Soares o Patter C. liatlen, o primeiro a reqal-
sicao da consul portuguez, e o segundo do consul
inglez.
A' ordem do de Santo Antonio, Antonia Rosali-
na da Freitas, e Josepha escrava de Anionio Alves
da Fonceca, por disturbioj.
A' ordem do da 1" districto de S. Jose, Isidro
Elesbao da Silva, preso em llagranle por crime de
resistencia e desoiiediencia, a disposicao do Dr.
juiz de direito do 3* districto criminal.
Na madrugada da hontem, os Iarapios penelra-
rara, por meio de arrombamento, na ralojoaria
sita ao areo da Cunceicao, perleucente a Manoel
Alves BarDosa Sobrinho, d'onde snbtrahiram varios
relogios da ouro e prata.
0 subdelegado respectivo procedeu a tal res-
peita nos termos da lei.
8m data de bontem, o subdelegado de Santo
Amaro das Salinas remetteu an juizo competente
o inquerito a que procedeu contra Jose Manoel
dos Santos, por crime de ferimentos.
A's 10 a meia haras da raauha deante-hontent,
a rua do Imperador, defrorite do convento de S.
Francisco, era oceasiio qua passava o pardo Jose,
escravo do barao de Muribeca, guiando uma car-
roca, foi atropellado pelo bond n. 34. resultando
disso flcar com a peroa fractorada. Fez-se a vis-
toria e prosague-ss a tal respeilo nos termos da
lei.
No dia 30 de novembro proximo findo. no si-
tio Pa> Amarello, da termo da Garanhuns, Sebas-
tilo Jose de Mello, por antonomasia Ii nao, assas-
sinou cam um tiro de clavinote a Francisco Lite,
coneguindo evadir-se.
0 delegado procedeu ao respectivo inquerito
qua leve logo o convenienta destino.
Deas guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
siendador Henrique Pereira de Lucena, digno pre-
lideote da provincia 0 chefe de polieia, Antonio
Francisco Correa de Araujo.
TELEGRAMMAS
AUK\CI* IIWVS HI I II It
COBPgRCmS
LONDRES, 16 de dezembro.
Foram hoje regulares as trans
acciit'H no mercado de cafe, e os
precos mnntiveram-ie ; venderam
se mil c dusentos saccos de cafe,
do Rio dc Janeiro fair, sobre as ua
para o coalmen to, a rasao de 9 3
sb. e O d. as 113 libras. e dous mil
e Ire/enioM saccos do de sanies faib,
sobre agua, lambem para o conti-
| ne me, a 83 ah. e 6 d. as II* libras.
O assucar 6 assim cotado : mas-
covndo bom de Pernambuco a -1
sb. e ft d.. e mascavado bom da Ba
bia a SI sli. e d. as II* libras i
venderam so Irezentos saccos do
mascavado. sobre agua, a rasao de
C3 hIi. as I libras.
LIVERPOOL, 16 de dezembro.
O mercado de a Igodao esteve boje
calmo, conservando-se os precos
sem aiii'ranio ; venderam-ie qna-
torze mil fardos. dos quaes nove-
centos procedenles do Brasll. O as-
sucar e cotado t mascavado purga-
do S3 sli.. e MaeeiO medlano SS sh.
c ft d. as IIS libras.
HAVRE, 16 de dezembro.
O mercado
calmo taoje.
baixar.
de cafe esleve muito
e os precos tendem a
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 16 DE DEZEMBB0
DE 1871
Anionio Ferreira de Aguiar. I forme o Sr.
inspector da thesouraria da fazenda.
Adriana Felicia Maciel. Eutrt>gue-se.
Bacharel Alipio Zacharias de Carvalho.Defeti-
do com o offlcio desta data aa Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Antonio Manoel do Sacramento.Intorme o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Basilio Jose da Hora. Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Companhia pernarnbueana de navegacao a va-
por.Informe o Sr. capitao do porto.
Feliciaio Jose Bezerra.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polieia.
Francisco da Costa Figueiredo.Deferido com
o offlcio desta data dirigido ao Sr. inspector da
thesouraria de faienda.
ANTUERPIA, 16 de dezembro.
Foram quasi nullas as transac-
tors no mercado de cure, sendo os
preeos nominaes.
BAHIA 17 de dezembro.
Camblo sobre Londres Sft 111 a
SO 1/S d. particular. Cambio sobre
Paris 3ftS rs. por franco bancarlo.
INTERIOR.
P1.4UH1.
THEREZINA.29 DE NOVEMBRO DE 1874.
Retira-se hoje para Pernambuco, o Exra. Sr.
Dr. Adolpho Lamenha Lins, digno presidente des-
ta provincia.
Nao se tendo dado bem no clima do Pimby, on-
de sob re veio Ihe nma grave enfermidade, que
quasi Ihe rouba a exislencia, S. Exc. anciava pelos
BaVhaTeT FnnS'do Rego Baptista.-Exhiba'' de sua provincia nataLcoavencido de que la
o sopplicanle na thosonraria de fasenda o compe-. recobrana a saude, que !a perdendo cil
tenta atlestado da exercicio, afim de poder rece- Ko governo .mper.a altendendo a la MMt-
ber o vencimento a quejallude, seja entregue o ii- **>. resolveu conceder-lhe 3 mezes de licenca com
tnlo junto med,ante o competente recibo. ., | vencimentos, para tratar de sua saiide onde Ihe
Goncalo Augusto da Graca e Mello.-Indeferido convier.
oor nio haver van Retira-se, pois, o Sr. Dr. Lamenha.
Bacharel Julio Augusto da Cunha Guimaraes I Poncos presidentes se nioi* J"gloriar. como
Passe portaria i s- Exc, de ter Perla,lrado uroa carreira de 7 me-
Joaquim Maiiael do Oliveira.-Informe o Sr. ins-, com tie assignaiados servijos a causa pu-
P1oan TmurU^da'sS'Lius.-Si..., medianto1, See verdade, como.disiao conselheiro Almeida
recibo I^reira, que as administraQoes de enrta duracao .
Jose'PachecodeMeneaes.-Indeferido, por nao ^gm JP2**J^iT!!&B2? V^iZtT^^^Z^^Jt
haver vaga.
documentada de zek> e pericia n< desempenh'
enfadesa t ire fa, qoe sobre os bom ares carrego*
Sem se moslrar teirarcene desspressado da
politica, posto qne a ella volvesse poueo ns c n-
dados, S. Exc. preferio o 'ado puraaente adtai-
isiralivo do seu governo, e mesuo as vez*s r-
rissimas que leve dc atlender a litrei ci d
ordera politica, fel-o com digoidade, e seapre c m
respeilo aos direitos adqairidos dos homens da
opposicio.
Bast; dizer que uma 6 qneixa ni> e levant :
na provincia ou fora deMa por pane do* adverts
rioc, send-i antes eerto qne o orgso hkeral m
cujas colurnnas alias s<; verte o ma > humor de s-m;
paiudo, luiis iU uuia vea tocwi-liK- iaMci4< el
gios prova evident? deque S. Exc, collocal
no caniro dos partido, ao esposou as paix< --
de nenlium defies, aena rubricou snas asibicr..
innnThdn
O Dr. Henrique Leal, referindo-seaos presides
tes de provincia, dizia en 186V, o segumte e>
se mlseravt-l papel de usgida imparcialidade eo i.
a mira nas van;ageos qae ella Dies iraa, -pa
tilba commum a todos esles eo'.es pnviiegiado -
de inodo qu-, pelo qe teobo observado jalgo a
inberente ao cargo. *
Modilicaria sem duvidA alguma o sen jouo a
illusira escriptor se, depots de des aaaos qi -
externou aquelle duro conceilo, vi>*e, codvj n< -
tamos visto, um pre-idenla novo em aooos, porei ,
adianlado no conhecimento pratico da mechanic.
administrative, susienundo sincera e nio rinfidi
imparcialidade do priocipio ao ti n da um e-lad: i
de mais de meio anno, tempo --. qae, se aa -
e sufflciente para os iauores da uma fertil adrn -
nistra^io, a d sobejo para as prova* da loiciara
e para obngar a deslivelar-se por si me-ma a mi
cara da imposlura.
Ainda que nao bos pareca de bom accord a
theoria da algum tempo a esta pane acerta e ol
servada ne.-ia provincia de qua os presidents
devem da ter uma politica sui generis, accooun-i
dada ao paladar de quautos partidas se disputai
a opiniao, porque isso equivale a diaer que ua
devem de ter nenhuma, o qua seria contranar
indola do notso syslema, comtudo e iora 4 tod>
duvida que o Sr. Dr. Lamenha Lins, newa pane.
se nao rbusleceu o partido conservador do Piau
by, distinguindo-o com actos posit.vos de decidida
e nolavel preference, lambem nao Ibe dimiaui
as forcas, nao amarleceu-ine os Drios, rebaixaa
do-o na escala da considerarao a que tem intbs
putavei direito
Fosse ou nao calculada lemtlbante abstenci
o certo e que, velada com a preoctupacio dos in
lere$8 moraes e matsriaes, sobre os quaes coc
centroa-se de prefereocia a activicads do f overn
ella produzio util diversio as lulai partidaria*. -
concitou a provin*ia a retlectir e (erqninr melh
do que mais imparts ao seu tngraud-.oment
real.
Nesle pensamento e na pn'.securio de lao lou-
vavri intuito, o Sr. Dr. Lamenha foi adunte 4
que devia esperar-se ce quem ptla primeira ve:
encetava a carreira da alia admia.slracao, as#ic
coma e de justica referir que a coaJjuvaclo pres-
tadaas vistas patriolicas de S. Exc. foi rouiio alen
do qua se prometlia o desconsoio em que anla .
provincia per causa do atrazo de snas iinancat,
do dednhaiiient) de seu c^mmercio, lav.jura
induslria.
0 ramo da adrainistra;ao qua pnmeiro solicitor
a sua attenraa foi a iustruccao publica e parti
bo tar.
Neste sentido promoveu a iaiciativa cidadi
desenvolveu na populaQio o go-u pelo irabalh
intellectual cm commum, conseguio lo levanlar em
breve tempo uma sociedade prnaiotora da in-
truc^ao popular composta de li.inens, e um
outra protectora da infancia desvalida com
posta de senhoras, arabas as quaes esta i funccio
nando regularraente. tendo ja apre lentes resultados, promettedores dc ouir maiores.
Sendo de summa conveniencia p'r > livro e n
jornal ao alcance das classes roiuos favorecida
da fortuna, as quaes, por falta de recurs-j-
acbavam-se baldas daquelle? poderosos agents d
progresso intellectual e moral, concelieu a exeeu
ton a magnifica idea da creacao de uma bttdio
theca popular, onde o goslo pela I :uura a a voca
.ao para o estudo encontrassem facil e abundan'.
repaslo. E a bibliotneca popular ergueu se, com
por encanto, ao som dos applauses de uma pops
lacao agradecida. Com cerca de l,U0 volnow
ella esta pompeando em um vasio e priawrosc
edilicio, reconslruido da proposito para receM-a
e ao mesmo tempo servir de sede a uma das es
colas publicas da capital.
Satisfeilas as necessidades do en-ino popular t
collocado o Piaohy sob esla relacai. em pe relali
vamente igual ao'das pravincias mais bem pen-:
das do imperio, S. Exc cnidou de reorgaMsar t
lyceu e de dar-lhe pessoal habilitado, poodo em
exeencao a lei provincial n 859 da II de julh
deste anno; de roodo qne nao e exagerado diter-
;e hoje qne ji temos na provincia instrarra
seconds rta, digna de tal doom, como prova
crescido numero de alumnos que se submeiteu
exame no mez undante.
as escolas pnblicas primariai rnerecerana igual
menle os desvelos do governo, que. alem de man
dar dnas dellas funccionarem em edinci prios e confortaveis, ponpando assim aat i-cir.
provineiaes o dispendio de 480 annuaes, a tod i-
abastecen de moveis e ulensilios icdrspensaveis
asseio e destino especial ae taes estabelecimen
tos.
0 eullo publico religioso, que am toda parts
considerado um daspertador salutar dos seotiowa-
tos de piedade, e um antemnral opposto as mva
sdes das irreligiosidadea, nao podia passar desaper
cebido ao presidente, que tinha ja envidado lantos
esforcos em bem do culto das laltras ; e por is*
activou elle as obras da matrix da fregoesia da
Dares, e mandon construir um soberho tempi
consagrado a S. Benedicto, cujas obras vao tm ra -
pido andamento. tendo por ora costado ao Ibssoa
ro provincial apenas l:300*000, devido isso ao va
lioso auxilio qne Ihe hao preslado a respectiva ir
mandade, e a bolsa particular dos devoun daquel
le santo.
Entre os services relevaotes de que o Piaak'
se confessa devedor ao Sr. Dr. Lameaba, aviHa
conlrato celebrado com os eugeut eiros Reis e Re
boncas, para a constrntgio de nma via ferrea aa
Ire as cidades de Amarante e Mm, e eotre esi
e a villa de Valen^a.
Terse-hia realisado da mesma oiaoeir* o re*
trato com a companhia pernsrobucana alim deiu
pott^
Joaquim Theodoro Alves.Indeferido.-
Jos6 Francisco dos Santos Barros. JDefendo
com o offlcio desta data, dirigido ao Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Jose Rodrigues de Miranda. Deferido cam o
offlcio desta daia, dirigido ao Sr. inspector da the-
souraria de fazenda.
Padre Leonardo Joao Grego. Informe o Sr.
brigadeiro commandante das armas.
Manoel Hermino Pessda de Mello.Sim.
o
falta Hies o tempo p.tci.-o pira o acurado "estudo Ja Araarragao.se a vindatsntas vezes annunetad.
das necessidades publicas, a para a confrontacao do respectivo gerente nae se tiveste adiado iadef-
deslas entre si, afim de saber quaes as mais nidamente ate hoje. Em lado yso 6 pateate a a -
monjentosas, e as qae devem ser de prompto at- ligencia empregada pelo Sr. Dr. Lamenha, no en
tendidas a vista dos recursos disponiveisnao & peoho de dolarnos com lao imp>rianie melhor. -
jienos certo qne. muitas vezes, a boa vontade, ani-. men to.
mada de recia3 intencSes,ajudada de perseveran-1 Para certos mistere* da navega<;lo a ^apcr
te esfor^o, gniada por um fino. tacto dos negoeios, rio Parnahyba, obieve 8. Exc. da governo geri.
suppre a falta do tempo, e supera os maiores obs,-1 uma lancha a vapor que se espera a cada aonan
tacolos. to, e ba deaarvir de frauds atnlliar k seefa*-
Assim uio admira que o Sr. Dr. Lamenha Lins, goveroo lobre tudo f da polieia nas sou alii
em sua passages de 7 mezes, pelas eminencias plas reUc5es, a variaias depeodeacias coat as m-
ha de servir de exetnplo e estimulo a sens succei- [ A colouia de S. Pedro 4a AleaaUra, po
fioree, ao mesmo tempo qae Ihe seri |||Ml;do eslar sitnada a W leguas de datancn aesta -
.^

..


1
,,^, 1,1 !tB,.U A4,| AM at mii f pft*^~*> ~ ST *** 18 de Dc*embroJ6JiJ^La1_i
----------------fcfltfo*------------------- tio leste como- haja aJgunf uiMivrr do* a!**?
One incntira 4tsiraila!
Lt L,
C-is da JW -
tempo, eUadotlurado, e medklas -legMativas, qne
nao c'ttHittt alcaoce da governo. So por uma
rcvisao da Tei dos impastos, e por uma rcforma
emnpleta do systeraa_da arrecadacio, lograr se-hja
equilibrar a refl
muita remato;
assembler pi"
reuoir se, ua'
seguintemeu
sel re abre a
Kntretaotol
de.'pezas inut
dio as delay m
Els, ct*su
veis da alpinist
e faztr o eligio
In iflBCTdar Lie-
Ivar iWJvioda
II4B
SO J.l
,o del
a-, e con
ysgio que
bexigas
Maria, parJa, Pernambuco, 1 aono,.Santo-Anta-
nio, cass das expostos; denticao.
J a (uim, pardo, Pernambuco, 8 dias, Boa-Vista;
AlfrqJon.rcta, feroftmbKo, T n*ze-. Hee* .
Mara, Figmind* tfusfca, braocaPw-
6 anoaa, vfcpa, Saaia AnloQip ;. in-
.-eger
mlis
do d-i
presi-
'- U:u oiu (pi sob|
is >ejrera
strador..
actja mais nota-
K f'-i1MWi euumefa) os
quern Of praHcou.
A proviocia, par sealado, nao so raosirou d?s-
Ci-nhecida aos bcnelliMos recebilos, seja islo dito
eui honra sea. Aa eVmonstracoea pessoa do Sr. Dr. Lui'i'iiha, as vnanifestagoes de
apreco a seu real merecimcolo, o recooheeimeelo
exoresso eaolemne d a bubmm dadicdQ&o com qae S. Exc se eniregou
0 Cttmpriuieute c.vicia Jr. >uas arduuadeve
res.
Q'Wntn a nos, teim's o *-:-^^. de quo nao
creamos o mecor infpeco a mrcli franca e des-
eoroecada do govenm. S'-tr.--f m coin a jusiig.i,
que nao nos foi negada, d gtiir o piano que sit ifwyiU no f.-uiur sn na sua
c*d>:ira presidencial, c tinu-.a -lamas de.bayonela
Cilada.'fenr o loin ou jCiftitni ve^ia.el'e "imprimir a diivf^'iii dos negecios, o-imo
tnalevdlrs adversario- cosfi^ain insinuar a quan
to* presidtntes aqui ohefcatn,
Condluindo, fa/eioa votos |Wfa qae o illustre
adicinr'tiador, qiw Oij oeltj!) uao voliaraa este
proviocia, va, cui outras mais ieles. juutar do-
vos E itS^s a s4i.i c.'foa de glori*.
Ouo sua eslrell* no ^mpallideja jamais, e qee,
seinpre so lado de soa int'lbgeuie e.virtuosa es
posa, o cauduza a uua fuluro risonbo, Ues sae os
ii'..-- > puios anhelos,
i(Ba VpiniSo'Conservadora).
m
RBVKTA DIARIA.
11 >\ im-nl > MtMlintoMO. iuva.liraui divrr.-.m localidades ao sul da provin-
cia d.i Paralwl)a ao Borie da de Hernajflbucv',
veiid;i- tmnesu ios palas auiofiiades e populac8s, pare
CM querer onerar ao >ul desta proviricia, mom
se ve das moii'ias i-m scgaida. O Exii. Sr. com
ini-u '- i pre-i-li'iite ila proviocia, porem. soHcilo
comini, tern ja iirovidenciads de forma a sulfocar
urn seiuelhante rnovimeut ~>, que tanto tern assus
lado a* populate-- do centro.
Oe (Barnard nos cscrevem o seguinte :
II int?in (i:l do i-orreute.) por occasiao da fei-
ra, ii est.i cWade invadila por nm grupo de 30 a
40 homens, arrr.ados, p*la inaior pans da pro
viacni da Parabyba, tindo por etiefes Mxooel To-\
Ooti' e 'Vieonw Ten-rio. moradore9 na ciinvrca
do Br.-jn da M.idre de Dcils, e por maisuin ontro
uue dizem ser'hi">radnr u'Hquel'a proinc:a. E>se
grapo, jirotngMo ;p ir p^'oas desta cidslde, ac:oni-
ineitr'.: as eaJtj da cnll-.-ctorias jreral e provin-
lial, irnmiAads B*aqneHa os wrhivos. e em se-
gaida difiiiio-fi ao paco da camara municipal,
on1 p-ii-firau.it> -jueor iysiirna roetrreoi e lan';ou-os ao depois no a^uio.
Pessoas iifi'0.w a situaijiio animavam os desor-
deiros, e tev.-ram sua perversidafda ao pontn de
ir mestrar O'lcgar em qua se acbavam oscultos
09 archivns das coMectorias.
Sao dispondo s aalori tad-9 se nao de nove
prayas do corpo de policia, que estavam de guar-
da a cadcia, onle existem mniios c iminosjs de
Berte, que procuravam arrombal-a para se en-
corporarera &> ^rupo sedicioso, uao podram
appflr ra*itaiwia alguma ans desmaodos que
praticava o grupo, que afinal se retiroa tranquil
lament" para.nm lugar pnximo, onde, depois de
algumas horas do descanco, cmsta terem seguido
na direcfao da comarca do BODilO.
Afv.n de per obices a esses desalmadns, e
preventr futuras luvasues, S. Exc. o Sr. dalor prtsii?uie di pr>vincia, ante-bontem a
tarde, fez sguir para Caruarii, Bezerros, Sa.i
Beoio p. Ii.n t", ofll-iaes de conttan^, com forca
suffi fii'.-i para emur os sedicioso.-, indo para o
pnmeirj poota e Dr. juiz municipal, qua, achan-
do-se no Recife com lioeaea, par mativo ju-to,
aculio d-- prompta ao appello de S. Exc. roaun-
cianda o reto da lieenca.
Biiu'iu. Por meio de arrombamento peoe
traram os ladrdei na relojbaria do Sr. Manool Al-
\es Barbosa S!>r,iab >, sila ua Arco da Coneeicia,
e subtraliiram dj tue^ina varios relogios de ouro
a de prata. 0 assail a dcu-se ua macirugada de
uantera.
H miici.lto. -En 30 Jo mez ultimo, Stbas-
tiao Jose d>: Uello, par antonomasia Baiao, a^sas-,
.-: lou com nm bxo Je clavina, na s-tia deQaminadd
Piti Amar^lla, d.-'termo de Garanbun4, a um indi
viJua de nom; FraKcisca Leite. 0 dslinqueul; ova-
dio se.
0 iuqaerilo paiicial, que es;e crime mo'.ivou,
teve logo o preciso deslino.
Jlnquerico iiACiuial. Foi renietlido ao
joizo competeule o que se elToctuou pela subdrle-
^acia de Santo Amaro das Salinas centra Jose Ma-
nod dos Santo-, por crime de fe.imentos.
eiiertorcs.-Foram eaplurados pela pili-
cia : Fran-iisci Hjmaa. MaAoel Francisco Coelbo
. Jose Uoclbo Muniz, pertnncentes ao i* batalhio
de inf.ntaria; e Candido Jose Arguo, a compa-
nbia de caTallaria.
vapor Parana.. Procecente do Rio de Ja-
neiro pela Babia, sahio aontem 4 tarde de Macau')
yara nossa porto o vapor brasileiro Purami. I)eve
hoje aqui amanhecer, e se..-uira a tarde para Q.
norte do imperio.
Woeiedadc Projc^adora da las*
jiuriae Pultiica Domioga (.20 ) devem
reuair-se, na rua Harsilio Dias n. S3, os membro<
do conselbo parochial dessa sociedade na freguezia
de S. J -<:. ali-u de procederem a eleicSo do novo
coaseiho director para o anno de t87o.
Derlaraeuo ne<*earia. 0 Exm. e
Jtvni. monsenlior Dr. Gregorio Lipparoni pede nos
a seguin'.e publicacao :
urn-undo ao abaixo assignado que, a sir Jiiia,
s propala qua iem elle tornado patte em publica>,
a;oes ullimamente feilas sobce a que.-ulu n-ligiosa.
apressa-s-j em declarar positivamente que para
nenbuma dessa9 publioacoes i a coucorrida dircc'.a
nem in iirejtameuU, a qua so dellai tern Udo co-
nhesiinento pela leitura dos jorsaes eiu que teem
vindo a lume, seodo que algumas vezes as leui
lido dias depois da sabida defced j^ruaes, vlsto
como de nenbum dellei e assigaante. Recife, 17
de dezerabro de ,l%7i.G>(gorio Lippuoni. a
tfjal.f Pio dos IIoiaur&rioM do Ex
/arios d i exercito existenles na proincia, selia)
m sua lotah-Jade, em gran Je parte reunidos, ius-
tallarSo solemnemente em 27 do corrnte, ao mejo
<-:.., an:.-, associajaoezeluivamente beoeficente, a
ombra da quil possarn canflar um di?, os menos
faturecidos da forlaoa, o btn estar deuas fami-.
l\M quan l:i venham elle- a fa!tar-lhe.
E* Je supper, qne o acts, que tera lugar a rua
da teperador n. 83, 3 aodar scja muitoo.ncj!ri-
do, por qae scmelbante idea e digaa de lour jr.
i, a beneficio da Saata Casa de l|i-ericardia, a qual
*e exlrabira no dia 22 do corteate.
Lellao.Haje, effectua o ageate Dias esplan-
dido !uiaa de moveis, louca e vilros em o palaee-
ie da parap la Soledade, em Saul j Amaro, rua da
Aurora n 127, casa de res'deacia de J. Roberto,
is 11 Horas da manba.
Caa de de(cn**ao.Movimento da ca=a
de detencao do dia 16 de dezembro da 1874 :
Exisiiam presos 299, catraram 14, sahiram 4,
aiistem 309.
A saber :
Nacionaes 231, muliierea 10, estrapgeiros 28, es-
ravos 37, escravas 3.-Tolal 309.
Alitr.eui:i]js a cusla das cafrcs oab!lco3 244
ikaMos^
p^cImo, pr.jHtTenUiBbitcc
n|, tscraw, parga-fio io*, Bft*W>ta
rtaumttiiM a|4a
\ HKOMCA JUUMIIAKIS
nr-HiUL DA; RELiCiOt
SESSAO EXrHAO%DINAMA EH 17 UK Dfr
ZEBRO DE 187V
priSISeScu do exm. sr. conseUTeTro
caetano santiago.
Secretario Dr. Vtrjilio Cotlho.
.A8 fdJjwiasdamaoaa, preswtM os Srn. dei-
einbacgadores Reis Sflva, Almeida Albuquerque,
UNJ Acioli, DomiaguesiSiwa, Souz* Leao a o
ju>t de direito Maaoel Clemeptino Carneiro da
CiiDha, abrio-se a sessio. H
J0L61SIE.NT0.
Habpas corpus.
Pacieote Forloaaia lioelao i'luiKiiro. Relator o
xm. Sr. coaseibeiro presidente. Conc ^oltura, per ser a priaa illegal.
-oes vwdes, estabelocidos no mercadajSiSt^^
Foram daspachadas as peticdes segoint*-: Yt\
mesa regedora da irmandade do Sanlissimo
Da
de
Sacramento da freguezia
liebwro J8d Ferre f (*>,
diuo J 36d tilva Haia, F
valho, Flateacio KudrigiNS e
Dr. ManoaT J'aaquiM da SitTeira,
mei '"
Gh
j Vig Jai
acdi^ Jlvsies i C", Dr. ftancisct
uta>*f enu|no laad da Rosa.
.fd mais ka(adft o Sr. pre.-ifcnte
Santo Antonio, de
te^B*rnar
OPle 1M< a/
irend* Fnnjo,
f bt. Manoai *'

uiar,0jmpiB tpbasliaa de Hoflani^ g
es & C, Dr. ftancisc* Soam I'a- m
ra da torda
lu da Costal
ncr**,
es
_ em ma a
sessjioA uma eraiia
l'la> Franeiaca
Manoel Jonqnim So Rcgo Albuquerque, presidente.
Jos&.Cesasia q] Mell^Xkcgduro,^(HkaitilSr*uie
Pei-HrckMa Silo*.-Jo
rar.*-Dr. ftdfode At*$4e Lbo Mtxtm* *
Encerrou-sa a sessio ao meio SESSAO ESPECIAL EM 17 BE DEZEMBRO UE
1874.
PKESIDtNUA BO EXJI. SR. CONSGLHfitK'O
CABTANO SANTIAGO.
Secretario Dr. Virplio Coetho.
A' 1 bora da tarde, presentes o* Srs. des
embargadoPes *cis e Silva, Almeida Alboquewjue,
Domiogues Silva e Souza Leao, abrio-sa aMssao.
O Exm. Sr. causelheiro presidente pa-sou a re
latar os aggravos, cajos adjuntos foram sorteadas
em sessao anterior :
Aggravos de peticao.
N. 101Aggratante Manoel da Costa Feneira,
aggravado Mauoel Pereira Uagalhaes. Adjunfos
os Srs. desembargadores Domingues Silva e Sou-
N. 103. Augravante Goes & Bastos, aggravad .
Jose do Meilo Albuqnerjae Montenegro. Adjun
tos os Srs. desembargadores Souza Lea > e Uais e
Siiva^ftiegou-se provimenio.
N..KJJ. Aggravante D. Anna Maria do Nasci-
mento, aggravado Jaaquim Fraocisco da aledei-
rast Adjuatos < Srs. desembargadoras Hew e
Silva-e Sauza Leao.Deu se proviiiieato.
Aggravo de insuumeuto.
N. 13. Aggravaute Anlero Fiancuoo da Paula
Cavjrfcaatc, aitgravado.o joizo dn direita de Cam-
pina. Adjiintj; os Srs. desembargaJoFes Souza
LUa e AlineUa Albuquerque. Kagame provl
moato. .< b I
Esicorrou-se a sessao as i haras.
VlitlARA Ht-NICIPAL.
SBS&&B EXTRAORDINARiA EM 0 M DE
DEZEMBRO DE 1874.
P BEslDENCIA HO SR. RBOO F. ALUCQURRQUB.
Ao meio dia, presentes os Srs. Gameiro, l^esario
de UaNo, TBeodora Silva a Cuaha Guimaraes,
te~io se a sesiao.
Lida oapprovada aacla da antecedent?, leu-se
o seguiuie
EXi'RDlENTK '.
Offlcios :
IM Exm. presidente da proviocia, convidando
a camara para assistir ao corteji), qua sa lem de
fazar no palacia da presiiencia a elUgie de 3. M.
o Imperador, a uma bora da tarde de 1 do corKen-
te anaii'ftr^tf JQi BjUJlirut do mftimp au^u>i^ se-
A saber
Saoa 229, anfermos IS.Total J4i.
Moyiinebw Ua enf-rmajia do dia 16 de deiem-
bro de 18?V *"'' ^ -'<
Tiveramatta :
Lncind* de Gouveia Ferrar.
Baroabi, escravo de Affca;o Pires fiampello.
ulior.Jmeirads.
Do mes.iiQ em lesposla ao ofBcio de 7 de outo
bra pnoxima paasa-lo, era qua a camara toliciia
a approvacao p**v,soria p-ira a Ubelli das tax a?,
que se deve cobrar pelas liciucas para edilicacio ;
teas a dizer que deixa de-aesaKar a respalia, por-
que, esiando proxiina a reuniao da a provincial, a ella cumpre quo seja submetttda se-
meihaute mtteria. Inttirada.
Do juiz subslituto da 1." vara civel, participando
que no dia 27 de noveiubro proximo passado en-
irou na gozo de tres mezes de licen^a, qne Hie foi
concedida por portaria do Exm. presidente da
provincia, dalada de 33 do. roesnw mez lutei-
rada. *
Do bacharel Cnslodio Manoel da Silva Gouna-
raes Junior, participando a camara que ao dia 27
de novembro proximo passado, na qualidade de
sapplente do jui* substituto da 1." vara cv?l as-
sumia o respective exercicio por ter eniiado no
j. o do licenci. o juiz substituto.Inteirada.
Ua advogado, inlormando uina peticao de (Hvti-
pio Seba tiao da Uollanda Chacon. -A' commissaa
da- negoe os judioiaea
U i mesiDo. participando qua foi intimado da
semanca proferida pelo Dr. juiz. de direito da 2.*
vara civel, qae jolgou improcedentas os embaigos,
que oppoa a penh .ra executwa rooviJa pelo es
crivai) Athaiyde para o pagamento de costas, e naa
admiilinla diti seatenca recur ji por caber na
al;a.!a do juiz, nada onus ba a fazer senao pa gar.
-Inteirada, a que se expeca ordem para o paga-
mento.
Da engenbeiro, dando informacoes acerea de
um ol.aiio apreieptado pelo director das ob_r*5 pu-
"icas para conscry ic o do_cal;amenlo da'cidade.
A* cuminissao de edifica_Qoes.
Do proenradar, pedindo Ibe seja levala em
conta a quautia^ de 23^650, que dispeadeu com
diversas qna-toes. Ap contador.
Da mesmo, remcttendo a relacSo das multas
imp'.st.s pelas lisa.es da diVcr-as freguezias.-ln-
iraJa.
[to cantador, mformrndp o requtrioieatP de
Manoel de Souza Tavares \ CMapdoUrsq oq.vir
o fiscal.
Da fiscal da freguezia de S. Fr. Pedro Gcncal
v s, remetteodo a relacaodas multas iinno-ta? por
aquella usealisacio. do dia S3 de uovembra esta
data:
Antonio Bits da Silva, em *J1, como infractor
do art. 141; entuiho em lugar pcoaibido.
Fraacisco Damingos de Carvalho, em o', como
infractor do art l'u) ; objectos na rua.
Fraocisxo Dias Marqqes, em 5/1, coma infractor
do art. 140 ; idem.
Manoel Martins, em 44, como infractor do art.
43 : casa suja.Ao procurador. '*
Da liscai da freguezia dos Afogados, participan-
do q e multou na quanlia do 3u* a. Jose Franciseo
Roque da SiUa,comp iafiaotar do arls. 7a e 91,
por est:-r cons(rt|indo nm lanco de muro na estra -
da do Remedio. Aa procuradar. -
Faram apreseutados os teguinles parecerespela
eommissao da polkiak com relacao a c.'uuapi'u-
sentada pelo s dicilador da camara :
c Examiuando a conta Innia, julgo qne deve
-er ap truvada, dada a qnita';ao, e dando se ao
supplicants a quantia de 200^, que pede para a
cortfinqaeao das despezas judrciaes.
Pa^) da camara municipal do Recife, (da
dezembro de 1*74.Joao da Cunlia Sou res Goi-
maraes. Approrado.
S io de parecer que se pagoe ao eacrivao da
sabdeiegacia da freguezia de S. Jose a quantia de
44r830, visto ser somente o que teui i> 9uppli-
cante.
Paco da camara, e;u sessao de I de dezembro
de 1874.Jaio d- Cinha Soares Guimaraas.D
Approvalo.
Com relairio ao re^oerimento do Dr. Manoel
Jaaquim da Silveira :
o Acho que deve ser aeferida.
Pago da camara municipal em sessa> de 1 do
dezembro de 1874. Joao da Cunha Soares Gui-
maraes. Approvado.
Ao requenmento do 2. jwomotor publico, Fran-
cisco Games Parente:
< Acbo que esta no caso de Paco da eamara, era sessaa de ? oe dexambrai
de 1874.'Joaa da Gunha Soares"(Juiraart.
Apurov^do. .
Ao re*u>rimenlo de Frederico de Gutro Carva-
Iho, escrivao da'delegaeia desta caplWl':' '
Junte o snoplicaoie eapl das s'enkencas,
1'aco da camara muuicipal em sessa'-. de 1 de
dezembro de 1874Joaa da Conba SOarei Gui-
Marfies -ApproVaio.
A requeriitianto"do Sr.Cunha Gaimaraqs deli-
beroo a camafj qae'fosae reslabelecida a postura
ddicioaal de 16 de ootubro de 1873, e que fosse
PARTE POiniCA
PAIITIDO CO^MUUVAUOU
RECIFE, 18 OS DEZ.EliBRO HE 1874.
Esla deQnitivameata feila aallianca dos provin-
ixanos com os jesottas.
I Nao ba Oovidar. ..
Esle facto extraordinario operou se, sendo presi-
dente do directoiM provmciano urn horntui conbe-
cido pelo paiz por suas ideas absolatistas em poii-
lica e priacipalmenle em religiao.
ij.iem igoora qua o Sr. Dr. Figueiro.l>- ensina
a seus discipulos kidas as duulrinas de Taaarelh,
a quem cbimia diviao t
Quern igaora que o Sr. Dr. FigueireJu pronun-
ciou se sempre em Javor do coadetnnado Dj. Vi-
tal?
Quem ignora que S S., coma represeataote da
oacao, procuraado demoustrar oi vicios e violea-
cias praucadas nas eleicoes de.algumas frague-
?.ias d-sta proviocia do doimnio do parti do pro-
grassita, ebamava opovopoeira?
Porlanto a allianqa dos |i'ucinc moniacot da famigeraJa Umdoe um l'ac:o que se
exphca ntturaliuente.
E quando mesmo o Sr. Dr. Figueiredo nao con-
corresse, com o pre?ligio de eliefe, para a ailianca,
a iuterossa torpe, desses iuimigos cominuns, saria
basume para o unir
E' facba averiguado pelo governo a em tempo
opportuno serao pubbcados os documentos, que a
sedtcaa que aiuda cauqea audaciosa em aossos
set toes por nimia fraqueza de algumas autanda-
des, que naa tern sabido cumprir cam eu dever, e
promovida pelo partido deuotniuado caiiiolioo, cuja
missao e destruir as bast* (oudameataos de nossa
forma de governo.
Es- pariid; que com affroma de oossos brio?
esta ain aberlauieate tramaado coolra a sobera-
ma il* ujcao, e secunlado uetos proriorinaM.ique
queraa] galgar o poder com o seu anxilio. .
I luda se quern quizer.
0 governo, repetimos, muito breve publicara os
preciasos documentos e o paiz vera a raweria e
dagradaclo de alguas le seus fitlios associaudo-se
a esa*s perniciosos eslraogeiros de roiq.^w para
aoiruir suas lets e iaslilai.fSaa.
0 paat vara que esse ceudeuinado D. Vital em
vtz d set* am cuvia la de Li. us, foi pela eaotraria,
um inslrumoato.do Sataoaz.
\ era qae esJ- haioem leuda a inissaa de a>as
centar as sta> vein is, auu-ou de sou cargo para
des trail-as e estrangulal-as.
Pernambucano legeoerado!
0 que fazem, enlretauta, os pr-vinci'inost
Procuram por todos os modos faier i-rer a pu-
bhco que a origem dasedicao e o impost <, defeu
dendo .k-sim a ciu-ad-M iiiiaig'S da pa.ria, dali
berdada
One a causa da selicaa nao e o impasto, noa o
provaremos a evideacia com factae e razoes itre
Ha dous ou ires dias, nma deftsas almas tnalfa^
zejas, que infelizmenie abundaram em todos os
tempos, tendo um colloquio cogj o diabo, este lbe
vao ao eeiebro a impudente" mealira de que
entra oa Srs. Pmta de Campos e*fe Tiniuinio
Braaliobnha havida um encfintro desagradavel
a hibliotlieca da Faculiada de Direito.
Q te iao se dissesse, a saprapahssa pela circu-
dot oafcsos a novidaaatrta, lao-e para aae se
admiit-;..tnas que dos ehareoa dls uas nase a
mcnt|ikpiaipar-sB nas paginas foTrovmeia, e
o i]u*aoare maneira h jrreraaa loda a gaate se
na I
aaaaa-tt queo laaraalada mais para 1mm-
rlsar quanto se nos informa que pessoa sizuda do
pauidu bbesal dis-ara a radaa^ao a* ffofneia
qu| naofcablieatse o fai-t >. par Sue era Msitaiao.
^iwwsdlwqnie a PHPencraesta certa, e conven-
cida. dksQ-i mas. e tal o dnaeja da atMflBBiJJaM M
adversaries, que^embora saiba que ofacto e m^n-
tiroso, totfevialbe da pabKcidade pelo prazer de
fiifr figurar' em scenas de pugilato pe^soas suas
desaffecjas, como quem diz : A calumnia qttando
uao queima tisna I
-Qae r4zer saianicol >.
Que almas damnadas I
tUta,^ de aatasj
0 indujnido.
llj,e so tratauios de tarnar paieuta os viacolos
da uniao dos procincianos com os jesuilas de ta
das as especies. |
A'tuguem se illuda.
Nao ha assampto, Lem o sabemos, mais ingrain
e mais unpopular quaoimposto; mas o po/o sabe
qua uao e somente com a logica que se governam
os esla dos.
Facto digno de atteBcao, diz o Sr. Dr. Tavares
Bastas, e que os mais piosperos, m is livrese mais
moralisadas djs povossao juLsiamsnte ainelles que
p.igain maiores impostos as suas aduiim.-if..;>.-.- Io
caes.
11.ix ;no- porem, este]assumptP parao uira oeca
siao. e examiuemos o modo porqua os prucinctatws
receberam o programma do retrogrado partido oa
ibolico.
Trauscreveado o topico da programma reiativo
ao priu:ipio da separacao da igreja e do estado
qne o Sr. Dr. Soriano naa acaiu, pqrque a separa-
Qoodu religiao da cida palitic-i de um povo e um
utlentado contra o designio de Deus, que naa creou
dous modus de vidas separaiis, diiem os procincia-
nos em sea jornal n 462
< Us nossos leitores confrontem e estudem a
questaa que e diOJcil, e-tudem a refliatam muito,
para que alioal abracem e sigara o que for mais
juri liei, maas cmforme com o grande principio
da liberdade civil e pohtioa. >
Onde se vio um jornal que se diz orgao de um
partido, em uma queslao de lauta transcendencia
dizer: estudai a questao, leitores, e abra;ai o que
vus parecer mais juridico ?
I'ais o partido liueral nao tera aiuda ideas as
seniadas sobre esta panto ?
E-tes product in<,i sao sempre assim ; a trans-
cripcao do programma do partido catholic e.a
defeza que a famigeraJa Uniiio kz ao partido li
beral (nos provincianos) em um do saus ultiiaos
numeros, foi o p.cto de uniao entreelles.
No intuito de dar arrbas a seus novos alliados
os provincianos nao duvidaram condenmar as
ideas susiealada> a principle com fervor e enlhu-
si*smo:
A coodemnacao do bispo, diaiam tiles, e o
justo ijeaaggravo da lei offendida. t>
Agora, porem, dizem que a prisao do bispo e
u n acio violento, que so ser via para irrilar as
consciencias, sem nada resolver.
.\.i la deperseguicoes as cre.cas qae se ba
seam na religiao de Jesus Christo. >
Ora, em verdade esses procincianos nao teem
pudorI
A prisao a condemn caa dos bispos foi o corol-
lario necessario do acto de i2 le junho, que dou
provimento ao recurso interoosto pela irmaodade
do Sanlissimo Sacramento do Santo Antonis.
Se isso mo resolveu a questao, como era de es-
perar, em todo o caso aa leis eram lets e deviam
ser cumpridas, lao inteiramente como ellas si ;
e ellas o serao quaesquer qua ipjain as coase-
quencias.
a A incommueicabikdade dos bispos 6 um a|-
tentado I
M..s, provincimos, dondecoasts essaincommu-
nicabmdade t
Quem vos dan essa noticia?
Como laocais assim aos ventos da publicidado,
somente com o Dm de agradar aos novas alliados,
dma falsidade dessa orde" t
E com que ma fe, com qua desazo combateis a
medida da inconimunicabilidade ?
a Caitado do Sr. Joao Al redo I
t Os padres da dioce-e de Oinda deram-lhe
uma licao de de-preso, qua nunca Ihe ba Oees-
queeer r
A licao de desoreso a qao se referent os pro-
vincianos 6 sem davida a resisteneu que conti
nut aopppr o areposto do eaodemnado D. Vital
i exertcso de ordoos legaet, recusando-sa bbsti
uadamenle a le,vantar os ioterdiclos la ;r uandades a ronfrarias ba mais de dous an-
nas !
De modo que para os provinctaaos a audaciosa
e airevida resisiepcia da gayernadar do bispadaiijs
leis do paiz, e oma li^ao da dwspreso ao ministiio
que quer.que. sej^m respeilados os dUeitoadO'Cl
dadiu brasleifo.' '' *''~
Yiluda se uoera qoi*%
Y.-ii de'Quiuvamaote foita a aMianca doe prooiit-
ciunot com q denomia*aa aartiae- awwlioo, mas
tem .s a mais pr.fohda couv.ccao qoe a vardaqa
Ha delriunphar.
a Deus quer a liberdade, alia sera iuveneiYel.
Constou ir.e boje que os irmaos Tarqninios,ator-
doadi i com a geral e boa aceitacao qne oi meus
arligos, embora immerecidameDle, bio tido por
parte da opioiao publica, escreveram no ultima
numero do pasqtum Uniao. que o reverendo pa-
dre raeslre Liparoni 6 quem me lem miqistraio
apqntaoieQlos.
Nao obstanto. julg?r desneceisaria dizer que isso
e ui;:,i mentira laa rotunda como os seas aalorei;
todavia, conhe;enlo eaqua esse' embuste, (abas
tao nroprio dos doaslartufo.-) tera por Dm tirar
qualquer merito aos meus arligos, (que em (ado o
caso cicapam 4 crilica dessas topeiras) Venbo a
imprensa declarar, por bem de terceiro que efalso
ter o dito'Sr. padra mestre Liparoni, cam quem pou-
cas e rapidasVezes me tenho avistado, a raenpr par-
te nos meus escfipios. Sobre este portto appelia para
a propria conscieocia dos Jau; irmaos Tarquimos ;
elles qne nos dias das minhas lutas com o Chris-
Wo Velko nio cessavam de elogiar, e adnnVar os
prodigios da minha erudicdo (a phrase e lleUes I).
Es-e pasquim Uniao e um dos mais depravado*
orgaos da mentira nesta terra 1 Nao e para que
se estcanhe que no seio de uma sociedade, onde se
pubheam jornaes desso .quilate, haja algum desal
mado, que, por exemplo, invente, e propale que
en tive, ha dous dias, uma lu'.a bracal com 0 Sr.
Dr. Ta'rquinio de Amaraafho, a quem b5o vejp ha
mezes I '
Vade letrq com semelhante gente I
Pinfo de Campos.
Se le na Nucao, de 12'de novembro ullirao, o se-
guinte :
Fareceres. Sobre diversos requeximentos pe-
diulo para expor a venJa ceiias medisamentos,
rratameuto de algumas molestias, etc. deu a Jun-
ta Central'de Hygiene os pareceres abaixo aspeci-
licadW':
a Manoel de Siqneira Cavalcante. paratexpor a
veada o medicameuto para a cura da trysipela e
nspilatas rcgul/xdoras,
Teve o seguinte ttespachb :
' t lafdrmando sobre a preten^a?, qoe. Itede pri-
vilegio para a venda de dous remedias, que elle
inlilula um preiervativo da erysipela, o ouira, re-
gulador da manstruacan, a Jdqta Central, de Hy-
giene Publica",. sem cantestar 03 factos rfiferjdos
no- nttestados com qae fasthie a ?ua pelijaq, en-
tende que elles nada pro'tam em favor, da accao
tberapeotica, qae se atinb .e aos d-ms indtuloilos
presero!rtivos_; ponp^anto os factos nelles refetid,03
sao commnns aas duas aifeccO-'S para que sao el-
les indicadas pela seu aul"T, vista como nio lia.
medico que nio saiba qua a erysipela t ujsa nio-
lesba, que debaixo da iutluencia de qualquer me-,
dicamento, aiuda o mais empyrico, de.-apparece
por tempo indetermioado, e eni alguns indtviduos
para sempre, reprodnzind i.-se em outros commaior
vialencia:' qne quanta ao rcgulad ir, sao tao op-
postos os factos eni qae se qaer fi;mar. sua viriu-
de, que a junta nao pode aceital-os como resulta
do de sua aceao iherapeutica.
A;sim se pronuncian !o, a junta entcnle qae
os remedios do snpph>anle, par falta de observa
cues concludenles, e feilas com os esclareciraentos
precisas para estabeleeerem a realidade da accao,
que sa Ihes attribue, ndo podem sr pritilegiados
por qualquer tempo que seji, tanto mais, qnauto
ja na aaieueia extstem raeias de accia poderosa
para o tratameijlo d; tac tnolestias, e cajos effei-
los estto scienlibcameate prbvadas. >
Fiquem, pois, acaurelados os ignorades para
que se nao deixem iHudir.
N6j abaixo assignados, habiiant's do lermo
de vTinhii 'in conheceudo de perto a> digno ba-
charel Francisco Jose de Medeiros, cuja reputacao
foi caluainiosameate ferida em a Cnrontca do
jornal Provmcim de 26 do mez proximo passado,
uao podemos deixar de protest*? contra esse pro-
codimenso revoltaote e indigno desle jornal, q.ue
so accusa capsiosamente.
Tranquillisai v s, Sr. Dr. Medeiros, nao prestai
aitau.ao a semelbauld: insu tos, que eslaq mui Ion-
ge de vossa illibada reputacao.
Recife, 13 de dezembro de 1874.
Vicente M.nJes Wanderley.
Franciso da Racba Wanderley Lins.
Adolpho Wanderley Lias.
Joao Manoel de Mesquita Barros Wanderley.
Manoel de Barros A. Lias.
Jaio da Cunlia Wander(ey.
Francisco de Paula Wanderley.
Sebasiiao Auloaio Accioli Lins Waqderley.
.11. 410. -f eliz iuuoeentc ig-
"orancia. Segondo a opiniao do fiuaUo
Sr. Astley Cooper, nenbuma pessoa devera"
sober, por qualquer ser.sa^ao physica que
sej'i. qua possue um estornago. Com tudo
aquelies que diariamente sao adinoestaJos
da existenoia desse orgfio por meio do do-
res e todos os mais concomflantes da dys-
pepsia -i-cujoi estoroagos digerem. imperfei-
tamente, seguido de certas seuaacdee indes-
criptiveis, e cujo systems inteiro sollra e
ve-se flagellado por esse membro rebelde;
a esses diremos quo experimeutem e usem
ao menos uma vez as pilulas assucaradss die
Bristol. Tao certo como elles assim o fa-
58m, suas martyrisadas existoncias encon-
traruo em breve as molhuras desejadas.
Elles entao poc sua vez, esqueoor-se-hao
que teim estornago, salvo quando o appeti-
te, criado por este. g-mial cathartico esto
rascal, Ihes lem bra que o reg'iicra lo e ro
busteciio orgao requar um certo suppri-
mento de alimento. Nio se sentirS mais
opprcSsao qu vexame. depois da comida,
doresdo lado direito, nssadelos, ou coas-
tijai;ao do venire. As curas produzidas
por este puro e rnoonaparavtl alterative ve-
getal, s9o completes e pertnanentes. Kllas
acbam-se mettidas dentro de vidriiihos, e
por isso a sua conservaeio e durivel em to
dososetimas. Em todas as tnolestias ag-
gravadas ou provententes de iropureza do
sangue, a s-dsaparnlbs de Bristol, deve de
Svet

mesmo quando a anferraidade pulmonap tenba ja
deixado impressos pas (acea, seus febria ve.-ligios,
e convertiao o corpo em uma sombra, ainda assim
mesmo, nib ha qae1 des'esperar. Suas pVoprlcda-
des curativas e reslaaradoras, podem subjugar a
molestia ate mesmo quasi a andecima bora.
Porem tenha-se em lembranca qne nao ha no
mundo am remeJio tao geralmente adult' rada,
como o genero qne de ordraario se venle cam o
oomo deoleo de flgado debacalhao Veja-se, pois,
se se aleaoca o especifico puro, faaricado pela ca-
sa de Laamao & Kemp, dos figadoe mais frescos,
e cuja conS'.Tvacao em todos os elimas se ga-
rante.

JL'KTA DOS CORRETORES
Prayu da Recife, 19 de dezem-
bro de 18941.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTACOES OfFICIAES
.Lssucar do mo tiralde do Norte 14940 por 15
kilos posto a bordo.
Cooros seccos saigados 8*4 rs. o kilo.
Gambia sobre Londres a 00 div. 26 9|I6 e 26
S|8 d. por 1*000, hontem e hoje.
Dito sobre dito a 90 d|v. 26 1|2 por 140 hontem.
Dito sobre dito a 90 div. 26 3|8 por 1*000, do
banco.
Cambio sobre Hamburgo a 3 d|v. 463 rs. por
R. M de banco.
Cambio sobre Paris a 3 djv. 370 rs. o franco,
do banco.
Cambio sobre Lisboa a 90 d|v. 102 0(0, e do
banco 105 OiO de premio
Dito sobre dito a 3 d|v. 108 0|0 de premio, do
banco.
Cambio sobre a Babia a 8 div. ao par.
Desconto da letras 12 0|0 ao anno.
Pelo presidente,
A P. de Lemos.
Pelo s^cretaric,
Antonio Leonardo Rodrigaes.
Lisboa, carreffouK S. GaiUVaos dt C MO aaixa*
eona., la'/OOOikvloa. da asaaear y-anco a 402 dims
com 30,1 j0 iiliM uedito mascavado : Amorim lr-
mlas & C. Oa') dTtos com 487KO ditoa de dito bran
co-e 890 ddos coa 61.7W ditos da dito mas-
vado. <
No brigue portugnez B Lisboa, canvgeu : E. R. Rabello A C 730 saeeos
coan 56.2q kMos de u#mr art ic ,.
Na birea portaeia Vi&ria, para o Porto,
earreg.u : Jfc >> VpraMMes de araarella S.
Gaimaraes & C. QUO c:o eaon 43,000 kt'os de
assucar l-raaco.
Na navio heapanaal Frtmi*q*'tn, Pra Mar
eeille, carragoa : A. Loyo dOtsacsos com 45,'WO
kilos de astacar OMKavada.
No navio hewaabol Bsrlan'-ii, parao Ric da
Prata, carregoa : JVP. Bah* 2" P'pas com 9,>"iOO
litros de agnarlenie ; Baltar Sobriobo 330 bam
cas com 39,6i2 1.2 kilos de assacar braaco.
Para os por'.ot do mvrior.
Para Uraguayanna, no brigue bespaaao!
Francisco, orregou : A. Loyo 270 barricas coic
22,442 kilos de assucar br aeo. _^^^^
Para o Rio'Grande do SiT, no fllvKllaeloaai
Eduzigct, carregoa. F. R. Pinui Guiaaarae* >"<
saccos com 37,500 kilos da aaseear braaea.
Par., o Kio Grande da Sul, HJMoaMorl'j-
gneza Helena, carregoa : Amotw Iraafe A ('.
573 sacc.oa com 41,250 kil s de aaeaear braaeo.
Para o Rio de Janeiro, do brig oe aacioaa!
Isabel, earn-Rou : Amorim Ifinloa 4 C 370 ae
cos com 42,730 kilas de as-acar braaco.
Para Maceio, na barcaca Ctona dot Am
carregoa : J. de Sauza Lemos I caixas eom W-
k l aa de dace.
Para a Villa da Peaha, aa barcaca Ftl.skt'lm,
carregoa : C. B. de Mrllo 1 batrica com 62 k h
de assucar braaco.
CAPATAZ1A DA ALTAM'K.A
Rendimanto d a* 1 a 16. 7 748* 14
liata do dit 17..... 7W*J7S

ALFA\i>lJA.
ta9tiattkV) do dia I a 16. .
Ham do dia 17 ......
510:118a 185
41.244#32!>
351:362*714
0.-.-carregam boje 18 ila Jezembro da 1874.
Vapor inglez Cordooa (alracalo) mere j Ja
nas para alfaadega.
Patacha dinamarquez Anna mercadarus pa-
ra alfandega.
Brigua portngu z Ligtiro III farello a cebo-
las para o trapiche Conceicao, para des-
- pachar.
Patacbo poiluguez Fausto cafe para o trapi-
cbe da corapaobia.
Palacho ainerioano 0. C, Clary fariuba ja
despachada para o eaea do Apollo.
Patacho amoricano Hen/y Trewbridg kero-
sene ja despachada para o caes doApolla.
Patacho inglez Cassandra bacalbaa ja des-
pacbado para o irapiche Conceicao.
Brigue inglez Dora baealhao ji despacbad<>
para o trapiche Conceicao
lirca iogleia Volonta di Dia dormentas pa-
ra o trapiche Conceicao, para despacbar.
Barca portogueza Lisboa padras de caiUaria
para o trapiche Couceicao, para despa-
cbar.
Patacho iuglez Lucy koreseae- para e trapi-
che Conceicao, para d.'spachar.
B..roa iagleza A moy carvae e lijalos ja des-
pacbadoa para o caea do Apollo.
Palacho inglea Si/as Qlu{ard farinha para o
trapiche Conceicao, para despadiar.
---------------
liupoitafao
Vapor oaciooal Jaguajibs, eatradi de Penedo
em 16 do carremvs c consignado a eompanhia per-
nambucaaa de uavegacao cosleira por vapor ma-
nifestou:
Arroz de casca 50 saccas a oriem. Assucar 647
saccos a Bor-teliiun & C.
Couros saigados 100 a Francisco Ganoalves Tor-
res.
Fariaba de msndioTa 212 saccos a Francis-o
Goacalvas Torres, 50 a Joao Valente da Cruz, 10 a
Pedro N. d* Mptia, 14.0 e 10 barricas a Jase Ma-
noel. da Araujo. t'arell j 31 saccos a Fraqciseo
Concalves Torres.
Oleo de ricino 50 lalas ao mesmo.
Escuna, ingleza ilargaret, eoJrada de Terra-No-
vo em 17 do corrente e cansignada a Jabn-taa Pa-
ter & C, manifestyu :
BacaIbao 1,906 barricas e 14.5 caixas aos con-
sigoatarios.
ser tomada conjunotaraente corn as pilules.
*. :t!7. -Oleo puro nae.uu iual de tl
KAlo de la 0*, uiya slmplea- lyse, ^taj tnutaa yflt
o. broiiHbMta, a ^ysiR, a *mmW WHiffl
a.,Bione>.
A tosse c o signal precursor do pptiao-qup-
aRwiaba. N*b Mm>*(t>.*U IX HMIv d'
mais. ,
Kipguqm safro ao. a. tos>e Uagen.
aera^manba ^-toaaa pjow^ia^l.eguna.
jPortanto loans deyta,saber, p-y, a fpET
dica assim o diz, qne 6 oleo de tlgaaoija,
lino, de Lanman ^J>aaip., subjugs a enfermidade,
antes que chegne a crav.ir suas ternyej*. gsrras
no centra da vida, a ceatab^esa complqtamente a.
cajxas ao Dr. Pedro A.
e 50 meias ditas a or-
Patacho portuguez Fausto, entrado do Rio de
Janeiro na mesma data, e cansignado ao capitio
manifestou:
Barricas vaaias 1,320 a Jose Francisco M nin-
& C, 1,000 a Jose Tavares Cirreiro &C, 320
quartos a Rego Irmao & C.
Cafe 170 saccos a Jase M. da Ro3a 4 Filho, 100
a J. J. da Costa Leite, 50 a J. J. Rodrigues Men-
dos, 50 a Magalbaes & Irmao, 49 a Thomaz de A
quino Fonceca & Successores, 37 a Soares de A-
maral & C, 30 a Domingos Joaqaim Ferreira Cruz,
30 a Jose A. de Olivcira Lima, 30 a Joe Maria
Palmeira.
Pipas vasias 107 a Antonio Luiz de Oliveira A-
zevedo.
Brigue portqguez Ligeiro III, entrado de Lis
boa na mesma data e consigoado a Beltri & Fi
Iho, manife.tou:
Areas de paa 50 radas a Franco da Cunha 4 C.
Azeite 5 barris a Andrade M ria Pinneiro. Azei
tanas em latas 12 caixas a Bshrao & Pilbo.
Cebolas 23 caixas a qrdem. Cal 50 barris a 0
liveira Pilnos & C.
Ervas medicinaes 1 fardo a A. Caors.
Faralo 900 saccos a Silva Guimaraes & C.
Lagedo 1,451 pedra a Joso Augasto de A-
ra ujo,
Pedras de cantarja 31
L. Moscoso.
Sardinhas 3C barricas
dem.
Vioagre 5 barris a E. R. Rabelio & C, 16 pipas
e 45 barris de quinto a Tuomaz de Aquino Fonce-
ca & Successores, 8 e 53 aos consignatarios. Vi
oho 25 pipas e 35 basris de quinto a Beltrio & Pi
Iho. 30 e 58 a Silva G-imaraes & C, 19 e 5 a
Panlino Jose da Costa Amorim A C, 16 e 55 a
Thomaz de Aquino Ponceca & Successores 14, 43
a 2 meias pipas a ordem, 32, 45 e 4 a E. R. Ra
belb Si C, 13 barris a A. Ferreira Alberto.
Pa'.acbo inglez Silas Alward, enlrado de Naw-
Vork na raasroa data e consignado a Henry Fors-
tor A C, manifeston :
Bauha 100 barris a J>se A 0. Lima, 100 a
Lebre & Reis, 6J a Paulina Jose da Costa Amo-
rim. Halachinha 100 barriqaiohas a Lebre A
Reis. Breu 158 barricas aos c msigoalario*.
Caraa em censer va 10 barris aos consigoata
nos. Candie.iros 6 caixaa. aos raetmos.
Farinha da trigo 720 barnca- ajs meiinos. Pu
mo 3 caixas e 3 auarlos aoa mesnips.
Rerozene 7.150 caixas aos mesmos, 850 a Soa-
za Basios A C., 600 a Joaqaim J >sa Lei tao 4 C,
500 a Lebre &. Rei,' 80Q a J. A 0. Lima, 400
a Paulino Jase da Coata amorim $ C.
Mercadarias dlversas 14 volumes aos consig-
natarios. Machiaas de ca tura 3 caixas aos mes-
mos. ., ,
Panoo de algoiio 3 caixas a, Ferreira & M
theus.
Tijoloa 2,caixas aos consignatarjos.
8-4Wx3
VOLUMES
a 16. .
SAHIDOS
No dia 1
>o 41. 17.
P-imairaporta .
Segjcaa porla -
Te ceir.. porta .
T vpicle Ccacav*^
m
m
SM
SS,'54(
SkRVigu MAJUTJMO
4i>araagas aascarregadas no iraiica* d
aifaaoaca.
ia dia 1 a 16 .... f*
So dia 17.......
(o irapicce Conceicao .
?
lECEKKIMJRIa DB RENl'AS iMkHMASbS-
RAFS OB PBRNAMbl.'
.scdiaianto do dia t a 16 3.:lOii.
tm do dis 47 >*< -
*l:S3J*t*'
UONSL'LALHJ PBilVIAOAi.
ndimaoto i 4;* 1 a
iti do dis 17
l(i
3::58*>3
401:890* -.
AGENC1AS MUiVIKIAES
Liqnfdr- espiritn^oa.
Mai mento de 1 a 15 1 898/.rt
234*77*
dem do dia 16
iendimento de 1
dem do dia 16
Baealhao. etc
a 15 : 410| 706
501*984
Geoerr.? d estiva,
itendimento de I a 15 3.097*104
'dem do dia l 2tO*W0
II
2:914*
3:3-. 7*
Farinha de trigo. e*e.
*eDdimento d> 4 a 15 iMHII
d-mdodial6 6*4*720
Aendimento de 1
idem do dia 16
Rendimanto de I
dem do dia 16
Pnmo, ate.
45 I 564/879
mumm
Vioagf
a l
etc.
864*194
2fe*7i6
4:i#4*-
8B6*H<
12:7o2*-V.i
Tbesonro provincial de Pernainboco, I"
de dezembro de 1874.
0 escrivao,
J. \ M. da Silva Santo*
Banco do Minho.
Joaqaim Jose Goncalves Beltrio & FHho sacra*
por todos os va pores sobre
americano S: Q. Clary, entrado de
em 16 do corrente a consjgnado a
Patacbo
Ba'tlraore .
J, hnstan Paler & C., manifestaa.:
7 Mrinfta de nrigo 2^600; barricas a?s consigoa
OBAKACHOS DE EXPORT\CAO fW,..D^ IS D-
^^ D&E^SrO DK,187t
Par.a 6s porjoi-do e&terior.
. -*. So navio inglez, ito, pan*. Liverpool, carre
;oa,;Wy. H Wt( 4. gou
til -s ae algodau.
Xo navio ingle
regou : E. A. Burle
kilos de assucar. mas.:ayadx>.
Na barca portugneza A. Uercutaw, para
sVpcb's cot^5p/(00
Anadia Evcra Moaaao
Agni a Fate Ovar
Aveiro Faro Porto
Gafa Gaarda Tavira
Bhaves Leiria Refoa
Ivas Lisboa Viaeo
Emaranl- Barcellos Fifaei
Auimaracs Coimbra L>aega
Gvilba UiraadaJia Eala:r
Coelgaco Penafiel Valea
MPo> t'alagre Villa real
Arcos de val de vez Caberira le Bastos
Celorico de Bast os Castello-ltranco
Camioba Efpoaaada
Uangualde Oliveira aa Azemei?
Ponia de Lima Povoa de Varaaa*
Povoa de Lanhosa Viaana de Caslelli
Villa nova Je Por lima Villa n va de Faaafaca
Villa da Condf;
% ilaaaaa
Madeira, S. Miguel, a Fatal a Tekeira.
SEGDROS
CONTRA 0 FOQO.
A eompanhia Inderanisadora, estabeteod*
lesta praca, toma seguros liaritimaa aobrr
lavios e seus earregamento* e contra Ic $
-.m edificios, mercadorias e roobiliaa: at
ua do Vigario n. *, paviraento terwo.
SEGUROS
Hrilim o e CMtra-ftp
GOxMPANHIA
Pheiwx Pernambucana.
RUA Wi COMMFRCIO IB.
JEo*jjllB4f Bank C Bia JoJcLvai
Iviiaeilcel.
A direc$ao fa>z sciBt que boja tern k-
:c!arado um dividendo por 'oota' 4t*l, s
sUa-'luags. par actfo) U.te. da wnposto, so
bre aOO.OOO, .apital rnusado djatla iP-
futaro.
t?AV &wrtiamn,
Secretario.
13 S'. Helens Place, London, E. C.
l;l de noTftinbro de 1874.


Diari#,fo Peraamba^!-* Seita -fen-ar 18>de Dezembro 4d H11.
se
Seguro caotra-fogo
IftE LIVERPOOL dt LONDON d GlOf
INSURANCE COMPANY
Agentcs
SAUNDERSBROTHERS AC.
11Corpo Santo41
(mpanhia"allianca
seguros maritimos e terres
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 18 70
CAPITAL 4,000:0009000.
f oraa seguro de mercadorias e dinheiro
i*co maritimo erfr navio de vela e vaporei
ara dentro e Tora do imperio, assim come
contra fogo sobre predios, generos a it
rondas.
Agente : Joaquim Jose* Goncalves Beltrii.
ca do Commercio n. 5, 1 andar.
Companhia Indeinnisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:OOOiJOOO.
Thomaz de Aquino Fonceca k. C, successive*
agtntes.
Esta companhia toina seguros maritimos e ter
restres, danilo nesles o septi-.no anno gratis aos se-
gnrados.
Run do Vignrio n. 19.
'
Navios enlrados nodia 11.
Rio da Janeiro 16 dias, patacho porluguez Fuus
to, de MS toneladas, capitao Jose Cbristovao
Valverde, equipageru 8, carga caf6 e outros ge-
neros ; ao mesmo capitao.
l.islma 31 dias. brigue porluguez Ligeiro 3.; de
276 toneladas, capitao Jose de Oliteira Nobre,
equipagem 14. earga viiiho e ouiros generos ;
a Joaquim Jose Goncalves Bellrao & Filhos.
Santos18 dias, liigar inglez Agnes Brown, de
173 toneladas, capitao William Alexander, equi-
pagem 7, em lastro ; a crdera.
Terra-Nova 46 dias, escuna iagleza Margirtt,
de 135 toneladas, capitao D. Baxter, equipagem
10, carga 1.906 barricas 145 caixas com ba-
calhao ; a Johnston Pater & G.
New-Yerk-41 dias, paUcho inglez SWas Alward,
de 219 toneladas, capitao Gates, equipagem 8,
carga farbba e oatros generos; a Henry Fors-
ter &.C.
Marselha42 dias, patacho italiano Ermida G.,
de 185 touthda*, capitao P. Pescetto, equipa-
gem 12, carga varios goneros ; a E. A. Burle
& C
Navios suhidos no mesmo dia.
Porto- Megre -Hiate nacional Olinda, capitao Joa-
qaim Marian-) de Souza, carga assucar.
Portland-Patacho inglez Ethel Bolton, capitao
Swaine, carga assucar.
EBiTAEgc
Gonsuladt) provincial.
Para sciencia dos contribuiutes do imposlo da
decima nrbana e os etftitos legaea, em seguida
publicam se 89 alteracoes verilicadas no lanca-
mento do mesmo imposto no corrente anno finan-
ceiro de 1874 a 1875, ficaodo aberto o praio de
30 dia9, nos termos do art. 38 do regulamento
de 6 de abrtl do corrente anno, as reclamacoes
que por ventura ::ossam ter a fazer os interes-
sados.
Alteracoes feitas no lancamento da decima nr-
bana da freguezia do Poco da Panella, no
exercicio de 1874 a 1875, pelo lancador Izido-
ro Tbeodulo de Maltos Ferreira.
Agua Fria.
N. 8. Monsenhor Francisco Maniz
Tavares, uma casa terrea arrendada
por
N. 12. 0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
Arraial.
N. 8. Jose Fortunito dos Santos
Porto, urn sitio coin duas easas, ludo
avaliado por
Agua Fria.
5. 16. Domingos Jose da Costa, uma
casa terrea por
Arraial.
N. 12. Marcelino Jose Lopes, uma
casa terrea por
N. 18. Francisco de Paula Macha-
1203000
120;000
500S000
138;00O
do, uma casa terrea por
N. 24. Dr. Ibnoei Francisco Tei-
xeira, uma casa tern-a por
i\. 38 Amaro Jose da Couceicao,
uma casa toirea por
N. 42. Abilio, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 46. Juvencio Aureliano da Cu-
nha Cesar, uma casa terrea arrendada
por
N. 68. Senhorinlia Maria Pereira
da Silva, uma casa terrea occupada
peia mesma, avaliada por
N. 70. Miguel iN'unes de Freitas,
uma casa terrea por
N. 9. Francisco de Paula Machado,
uma casa terrea arrendada por
N. 13. Manoel Carpinteiro da Silva,
uma casa terrea por
N. 19. Sebastiao Correia de Albu-
querque, nraa casa terrea por
N. 21. Francisco lle.-mogenes Cor-
reia de Albuquerque, uma casa ter-
rea por
N. 23. 0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
N. 33. Antonio de Sooza Olivcira,
uma casa terrea pur
Travessa do Cemiterio.
N. 12. Pedro Alem, uma casa ter-
rea por
Encanamento.
N 4. Herculano Gomes dos San-
tos, uma casa terrea por
N. 20. Joaquim Custodio de Oli-
veira, uma casa terrea por
N. 24. Joa) Baptista de Medeiros
Junior, uma casa terrea por
N. 26. Galdino Antonio Soares, nma
c; sa terrea por
N 28. 0 mesmo, uma casa terrea
arrendada por
Travessa do Marques.
N. 6. Manuel Alves Soares, uma ca-
-a terrea arrendada por
N\ 8. Antonio Cabral de Medeiros,
uma easa terrea por
Cruz das Alma?.
N. 2 A. Antonio Pedro de Alcan-
tara, uma casa terrea arrendada
por
N. 9. Jose Jacome Tasso, uma casa
terrea por
Parnameirim.
N. 1. Francisca Anna da Silva, uma
casa terrea arrendada "por
Estrada de Sam Anna.
N. 6. Alvaro Can inha, uma casa
tarre* arrendada p.*
N. 14. Mhorn* Rodngues da Cunba,
uma casa terrea p*
N. 1. Manuel D. Ribeiro e Silva,
tuna ease terrea per
N. 3.-0 me^mo, uma casa terrea
arrendada por
S- 7.-Ana Maria de Sonza, Cyme,
naartt terraa.arrendada por
N. ftl.-'PacMiilo Julio da Costa Cyr-
ne, nma eaaa terrea arrendada por
N- 13. 0 mesmo, uma casa terrea
arrendaMk-por
Largo de S. PedK. Vicente Alves
Sforeira
Coroael Suassuna. Josd Martins da
Cruz
Larga.do Roiario. Antonio Jose dos
Reis
Livramento. Joaquim Teixeira Pel-
xoto Fiilw
Rtja ito Fogo. Joao Miguel de Olirei-
ra Berajdo.
JJathias de Albuquerque. Manoel
Jcaqu m Correia de Almeida
Duque de Caxias. Juao Francisco
Mala
Sanu Thereza. Antonio Jose Vieira
da Souza
S. Francisco. Agostinho Ferreira
Jilnior
Dita. Francisco de Paula Santos
Iraperador. Jose Pedro do Rego
Marsllid Dias. Joao Francisco d'O-
liveira
Roda. Francisco Lopes Macbado
Calcadas. Tbeotonio de Barros e
Silva
20:000
JttiOOO
20*000
205000
20-.000
20S0O0
m
20|000
20*000
20*000
20*009
240*000
120J000
600-000
120*000
72.000
300;OCO
144*000
144:000
120-C00
200;000
72*000
120 000
150^000
400*000
500*000
96,000
144*000
168:000
IJOiOOO
216*000
138;000
84^000
168-000
700*000
SiOiOOO
1:1003000
150*000
96)000
72*0O
144*000
200*000
120*000
Alterj^5rificalas pelo laiacador Joaquim de
fltamto Coelho, no laacamento do impuato de
WqOO Dor inculcador de venda de escravos da
lrMfefiJfJe Santo Antonio, no anno corrente
de!87i*18T6.
Lomai Valentinas. Manoel do Nasci-
rr?nto ?ant is ;o*ooo
Dita n. 13. HyppoWto Jos6 Roberto
Dita n. 17. Fedro Emilio Roberto
Dita n. 25. Pedro Maurer C.
Dita n. 29. Manoel dos Santos Vil-
laca
Dita n. 31. Fortanato Ribeiro Bai-
Jos
Dita n. 35: Braga & Pimentel
Diu n. 37. Rodrigues Ferreira 4 (J.
Dita n. 39. Souza 4 Gnimaraes
Dita n. 45. Jose* Joaquim Dias do
Rego
Dita n. 51. Hermes de Souza^er-
reira
Barao da Victoria n. 51. Cleraente
Nunes Pachco
Dita n. 55 Antonio Joatr Candido de
Sonza
Dita n. 59. SiWa Cardoso 4 Pessoa
Dita n. 61. Dionisio T)ias Moreira
L"lte
Dita n. 6. Jose Joaquim Alves & C.
Lara ngeiras n. 16. < Francisco Gardo
so de Simas
Travessa das Grazes n. .6. Antonio
Alvei Lebre dt C.
Trwessa do Quaimado n. 1. Bernar-
do Jose-Correia
DiU n. 3. Azevelo Pires 4l C.
Dita n. 9. Fernandes & Magalhles
Lirgi Jo sr:: n. 10. Ferreira
no anno
201000
20.000
205000
soicooj
20-000
20^000
20*000
20*0(0
20*000
2O3O0O
20 000
20*000
20*000
2OH0O
20*000
20:000
20*000
20*000
20*003
20*000
20*000
20 000
20*000
20*000
20*000
Alteracoes verilicadas pelo lancador Joaquim do
Gusmao Coelho, no laocamento do imposto de
20*000 sobre stabfJecinjeaio ue tiver a veoda
oftjectos de que haja prodneto similar oa pro
viucia, da freguezia de San'.o Antonio.
coi rente da 1874 a 1875.
imperador n. IV Moraes & Motta
Dita n. 21 Manoel Duarte Vieira
Dita n. 24. Marques 4 C
.Diu a. 28. Bernardino da Silva
Costa Campos
Dita n. 30 A. Negrairos & Jrmao
Dita n. 38. Antonio Pinto da Silva
(gerente), Jose Gomes Monieiro
Dita n. 40. Bernardo Jose Pereira
& irinao
Dita n. 50. Correia 4 C.
Dita n. 54. Gnimaraes 4 01ivira
Ditan. 37. Autonio Jose Perotra da
Cunba
Dita n. 39. Francisco Maia Cur tes
Dita n. 45. W. II. Chapmann
Dita n. 51. Manoel Joaquim de
Scuza
Dito n. 57. Antonio do Souza Rego
Dita n. 67. Guimaraes & Irmad
DiU n. 71. I'rbano Nufiet MichaJo
4 Antunes
Dita n. 73. lNascimento & Medei-
ros
Dita n. 79. JoSo Walfredo de Me-
deiros 4 C-
N. 81. Francisco Josfi Leite & C.
Dita n. 83. Azevedo 4 Maia
Caes 22 de Novembro n. 34. Ma-
noel Jose Rodrigues
Dita n. 36. Joiquim da Motta e
Silva Junior
Dita n. 40. Antonio Gomei Pires
& n
DiU n. 42. Zalerino Jose da Costa
Valente 4 C.
1 da Maro n. 2. Jos6 Nogueira
de Souza
Ditan. 16. Bernardino Duarte Cam-
pos 201000
Dita n. 15. Pereira & Irmao 205000
Duque de Caxias n. 20. .Nogueira'
& C. 20*000
Dita n. 22. Nogueira 4 Filho 20:000
Dita n. 28. Jayme 20*000
Dita n. 32. Ceirao & Freitas 20*000
Dita n. 40. Joaquim da Silva Cam-
pos 20*000
Dita n. 46. Manoel Rodrigues da
Costa Magalhaes 20*000
Dita n. 50. Marcolino Dornellas Ca-
mara 20*000
Dita n. 34. Macbado & Brandao 20*000
Dita n. 58. Hemelerio Maciel da Sil-
va & C 20*000
Uita n. 56 Silva Filho & C. 20*000
Dita n. 66. Innocencio Garcia Cha-
ves 20*000
Dita n. 68. Joaquim de Souza Mi- >
randa Couto 20*C00
Uita n. 70. Jose dos Santos Oliveira 20*010
Dita n. 72. Antonio da Fonceca Sil-
va 20*000
Dita n. 74. Jose dos Santos Nactivi-
dade 20*000
Dita n. 78. Antonio Rodrigues de
Souz* 4 C. 20*000
Dita n. 1. Joao de Almeida Rabello 20*000
Dita n. 5tl Ferreira Maia 4 C. 20*000
Dita n. 77 A. Uucha Silvu & C. 20*000
lit i n. 77. Guimaraes 4 Luz 20*010
Dita o. 79. Manoel Rodrigues da
Silva. 20*000
Dita n. 89. Graciliano Octaviano da
Cruz Martins 20*000
Dita n. 93. Ferreira Guimaraes 4-C. 20*000
Diu n. 97. Manoel Jose Bastos Mel-
lo 20*000
Dita n. 113. Vianna Castro 4 C. 20*000
Dua n. 119. Caseiniro Jose da Silva 20*000
Dita n. 121. Ursulino da Cunha
Torreao 20*000
Cabuga n. 2 A. Barros & Filho 20*000
Dita n. 2 B. Maneel Ferreira Pinto
Malheiros 20*000
Dita n. 2 C. Aatonio Domiogues de
Lima 20*000
Uita n. 2 D. Ernesto & Leopoldo 20*000
Diu n. 4. Joseph Kronse 4 C. 20*000
Diu n. 8. Bento Macnado & C. 20*000
DiU n. 10. MenJes & Guimaraes 2( *0OO
Dili n. 12. Mauricio Jose dos San-
tos Ribeiro 20*000
Dita n. 18. Manoel Jo.-e Ferreira
da Cruz 20*000
Dita n. 1. Joaquio Monteirode.Oli-
veira Guimaraes 20*000
Diu n. 1 B. Hermino Ferreira da
Silva 20*000
Dita n. 1 C. Nicclao Tolentino de
Carvalao 20*000
Uita n. 3. Manoel Antonio Goncal-
ves 20-000
Dita n. 3 A. Agostinho & Irmao 20*000
Diu n. 5. Moreira Duarte 4 C. 20*000
Dita n. 5 A. Guilhermino Paes Bar-
reto 20*009
Dita n. 7. Moreira & Duarte 20*000
Dita n. 7 A. Antonio Martins Mo-
reira 20*000
Dita n. 7 D. Jose de Oliveira Mello 20*000
Dita n. 9 A. Manoel da Cunba Sal-
danha & C. 20*000
Dita n. 9. Leraan Freres 4 C. 20*000
Dita n. 11. Manoel Jose de Bri'.o &
C. 20:000
Ditan. 11 A. Antonio Serafim da
Silva 20*000
Dita n. 11 C. Jose Antonio de Mattos
Guimaraes '20*000
Rua do Barao da Victoria n. 6. An- 20*000
tonio dos Santos Oliveira 20.000
Dita n. li. Walfredo & C. / 20*000
Dita n. 20. Almeida & Vianna 20*000
Dita n 3. Jose Fernandes Lima &
C. 20;000
Diu n. 11. Antonio Jos6 de Azeve-
do
"Dte'H. 24. Jc-.-e JdaqoftvGtticatvee
dnkNN
to b. 24 A. Benjamim da Cooha
.TorrJio
i; DIU n. 24. B. Moreira Baptista 4 C.
, Ditan. 26. Joaquiaa Antunio Pereira
4C.
: DiU Q 30. foaqtjlm jp*n|r|o dp
jfab
7 DiU n. St tutreiia MooUi> &
DiU n. 34. BarlJudomen 4; C.
DiU n. 3. Frtfttttoso Marties Go-
20*000, me
DiU n. 40. Manoel ferreira doe San
ttfti
#ita n. 42. So&res Castro & C.
JiiUn. 44.. Teixeira & Primo
j)ila n. 46. Ca:tro Monleiro 4C
JiU a 18. Joaquim Soares Neves
Ilia o. 50. Amaral 4 Valente
"Dita n. 13. Manoel Pinto Alexandre
DiU O. 23. Delpbino Lopes da Cruz
Diu n. 27, Actoaio Jo6 dos Santos
-iu a. 37. Vice,ntp Centeio Lopes
to n. 37 RV Morals 4 C-
^iUfloRoiarioJA. Maia4Lan-
00
'ton. 2. Mmfuda Costa Campos
Citan. .40 A- Ne/berto Aij|oni9ios
Santos
u,PJ*.TVr^W Mira .
DiU n. 14. ManoeWa Oosfl Campos
Diu n. 40. Dionisio Dias Moreira
Leite
DiU n. 3. Joao gacundo de'CJa tr*
Menezes
Ditan. i;;. Josii Joaiuim da Silva
Guimaraes Filho
Ditan. 19. Oliveira 4 Dias
DiU n. 47. Aatonio Luiz dos San-
tos
Largo do Paraiso n. 14. Gomes Au-
gusto Gain de Miraoda
DiU n. 16. J -so Felix da Rosa
Dita n. 20. "Abel da Host Perorra
4 C.
Dita n. 30. Pinto & Salgado
S. FraBcisco a. 70. Victorino d'Al-
bnquerque Rabello
Joao do Rego u. 4. Rabello & Fi-
gueu-edo
DiU a 8. Jose Goncalves 4 Lou-
rengo
Dita n. 32. Victorino d'AlmsWa Ra.-
bello
Travessa da rua Bella n. 8. Estaois-
lao Augusto Mad:ado da Paz
Roda n. 48. Victorino de Almeida
Rabello
Travessa dos Quarteis n. 2I.Lacer-
da 4 Irmao
Calabouce Velho n. 4. Manoel Jos6
Pereira
Santo Amaro n. 2. Ferreira 4 Silva
Dita n. 6. Behrmino Gomei de An-
drade Lima
DiU n. 8. Miguel aa Silva Pimen-
tel
DiU n. 28. Jose Peaeira dos Santos
DiU n. I. Antonio Ignacio Heilor
Diu n 5 A. Jerouymo^ Francisco
Ferreira
Rua da Paz n. 2. Antonio da Costa
Almeida
Paulino Camara n. 44. Azevedo 4
Silva
Dita n. 3. Ramos & Motta
Largo do Carmo n. 2. Antonio Soa-
res Fernandes d'OIiveira
Dita n. 1. Campos Raposo 4 C.
Largo do Carmo n. 3. Agostinho
Jos6 Soares
Dita n. 9. Rabello 4 Irmao
Dita n. 13. Manoel Goncalves de
Barros
Dita n. 39. Antonio Jos6 da Gotta
Araujo
Livramento n. 38. Almeida Carvalho
& C.
DiU n. 3. Moreira 4 Braga
Dita n. 7. Miguel Teixeira da Costa
Dita n. 17. EstevSo da Cunha Me-
deiros
Dita n. 25. Miguel Arcbanjo Fra-
terno
Uita n. 29. Autonio da Cruz Ri-
beiro
Rua da Penha n. 6. Silva 4 Mania
Dita n. 33. Antonio Ferreira Praca
Largo da Penha n. 2 A. Coatt Ir-
mao
Dita n. 6. Antonio Jose Pereira
Ditan. 8. Dawd da Silva'Maia
Diu n. 10. Antonio Ferreira Al-
berto
Dita n. 12. Santos 4 Ferreira
Visconde de Iohaiima n. 6. Jos6 An-
tonio de Castro Porto & C.
Diu n. 8. Albino Jose dos Santos
Dita n. 10. Antonio Pereira de Ma-
galhaes
Dita n. 46. Manoel Soares do Ama-
ral
DiU n. 48. Boaventura Jos6 Cofilho
Diu n. 60. Antonio Jose Vieira
Dita n. 62. Braga Silva
Dita n. 1. Jos6 Tavares de Gouveu
Dita n. 3. Rodrigues Pires
Dita n. 5. Antonio Gomes da Silva
Dita n. 7. Joao Bapjista Boaventura
Rodrigues de Almeida
DiU n. 23. Santos & Sobrinho
Dita n. 37. Manoel Tavares da Costa
Ribeiro
Dita n. 39. Francisco Vieira de
Castro
Dita n. 45. Amorim 4 C.
Uita n. 49. Antonio Bento de Cam-
pos
DiU a. 57. Pinto Meudes 4 C.
DiU n. 61. Antonio Pinheiro de Car-
valho
Dita n. 67. Romjio Jose da Silva
Marques
Diu n. 69. Luiz Francisco de Al-
meida
DiU n. 73. Francisco do Couto Gui-
maraes
DiU n. 75. 0 mesmo
Diu n. 77. Bellarmino Alves de
Arocha
Travessa do Arsenal n. 5. Joao
Jose Moreira
Rua de Pedro Alfonso n. 2. Antonio
Jose de Meira & Silva
DiU n-. 62. Moreira 4 Irmao
DiU n. 84 Manoel Jose da Moua
Dita n. 1. Guilherme Jose de
Sonza
Dita n. 29. Carvalho di |ouia
Dita n. 35. Maneel Aatonio de Aze-
vedo' Morim
Uita a 43. Genuine Jose da Rosa
DiU n. 53. Jojo Paulo Botelho
&C.
Diu n. 61. Antonio de Oliveira
Freitas
Marcilio Dias n. 4. Martins C.
Dita n. & Maaoel Antonio de Al-
cantara
Dita a. 14. J*te Tavares Correa
lac.
Dita n. 16. Anton/ftGuilhermino dos
Santos
Dita n. 34. Joaquim Jose de Oli-
veira "*
Dita n. 66. Awirico 4 IraaSo
DiU as. 19 ell. Jose Ricarao de
Farias 4 C
DiU n. 23. Manoel Fernandes Maa-
Jes.Ferreira CprtUs
Lw>ttid|9'^jto.de Lou-
20*000 reirvfc'C
Dita.a. 53. Josti-Antoma de Maceflo
20*000
20:000
20*000
205000
20*000
20*000
2O4O0O
20E000
20*000
203000
20*000
20*000
20*000
20*000
10*000
to n. 75. Jqio da jlocua Senna
Diu n. 91. Joanna Xavier dp Mello
li-evessajle S. Pedrp n. 10.'^axi-
suu* n,r-Jo|o Ferrei-
8eierra 4rC
'*Mira*T\crJ
20*0GO Dita m. 7. Joaqirim Alves l Silva
SvauThereia n. 30. Joao Marlins
20*000 dos Santos
DiU n. CO. Vicente Jos6 da Sitva
20*000 Lomas Valentinas n. 15. Joao Ma-
lOiOOO diado Evangelho
Travessa do Pocinho a. 34. Antonio
20*000 Ignacio Pereira C olho
Rua do Fogo n. 20. Silva &.BraZ
20*000 Rua da Palma n. 4. Uanoel Moreira
20*000 Gomes da Silva 4 C
20*000: Dita n. 37. Joaquim de OKveira
I Pjnto
10*000; 'Dita n. 71. ^idronie Sil||t NBris
20*0001 Marque/ tfa Hcrval n. 29. D.min-
20*000' gol Gomes .Corrds & 0, *
20*0001 "Dita n. 57. lubelio Almeida 4 C.
2Q*Q0O Dita n. 73. Guimaraes '4 Ribeiro
a0*OO0J Rua dk Cadefa Mova n. II. Fran-
20.000 cisco Joae.Guedes de Lacerda
20.000 Dita u. 15 Jo-e do Rego Borges
Largo da Praceta f. *. Manoel Ro-
berto da (5ota
10*000
20*000
20*000
10*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
20*000
30*000
10*000
i Pximeira seccip do consulado, provincial, 5 de
detttfcro de tW4. r /
i O.chefe,
0 .chefe,
. Biuo/do A- de Oficeira.
0 prolurador fiscal do I'lbeloufo provincial
de Pernatrrbnco declara aos contribuinles dos im-
10*000
20SOOO
20;oco
20 000
2030G0
20 000
20:000
20:000
20.000
to;ooo
20;000
20JOOO
206000
20.000
20-;ooo
20j000
20 000
20;ooo
20.000
10!000
2O.;O00
20 OOO
20*000
20J00O
20*000
20*000
20.000
21 e ooo
205000
20*000
20;ooo
20.000
205000
20.000
20:000
20.000
20;ooo
20:000
20.000
2o;roo
20.000
20.000
20:000
21)5000
20.000
205000
20:000
20.000
20.000
20.: ooo
20;ooo
20.000
20.000
20.000
20.000
20,000
20.000
20.000
20.100
20.000
20:800
20.000
20s0o0
20.000
20.000
20J000
20.000
lOiOOO
20;O0.
20:000
20f00<
205000
20.000
20.000
205000
20S000
205000
20.000
20:000
20:000
20:000
20;ooo
tosooa
20.000
20:000
20:000
20:000
205000
m
ros e bilbar
unicipio de
ue Ihes (lea
da publica-
891. art. 53,
ruvj postos de decimal, Xe
'Jl cargo da colleqlbri^
20*000 0|in,,aido exer*
marcado o ptzi do 90 w
cio deste, to coaformldade da lei a
para solicitaram to secoao do contoncioso as,res
peetivas guias, aflm de recolberem seus debitos,
ceftos de ijue aao o fazendo dentro d*ste prazo se
precWera a cobra oca judicialmante, faiendo-ee
publioar para isto a relacao dos devedores abaixo
transcfipU.
8Mpi do onBteeieo provincial de Pernamhu-
co, 9 de dezembro-Ua 1874.
0 procurador fiscal,
Cypriano Fenelon G. Alcoforado.
Relacao da dividaactiva do exe-eicio de 73 a 74,
provenieote dosiraposlos de decimas 4, 5, e 8
i)|0, de carros e bilbar a car jo da colle Uoria de
Olioda.
Porto to Madeira n. 30. Goes & Bas-
tos
Estrada do Forno da Gal n. 2. Os nios-
mos
Olinda n. 2. Guilherme Nilleming

Aljube n. 33. H-orculano Cesar Ottoni
Bom-Successo n. 37. D. Henriqueta
Kliza Bank
Commercio n. 1. 0. mencr Hemete-
rio
Estrada da FloresU n. 31. H.'rdeiros
de Henrique Gibson
Estrada da Passagem n. 8. Os me3-
ir.os
Estrada do Sa'gadinhon. 2. Os mes-
mos
Bsberibe de Baixo u. 7. Os mosmos
Dito n. 10. Os mesraos
Igreja de Beberibe n 6. Os mesmos
Uita n. 14. Os me-mos
Dita n. 16. Os mesmos
Misericordia n. 17. Heliodoro Fernan-
das da Cruz
Estrada d'Agua Fria n. 16 Henri-
que Hermen
1
Bom Dm n 25. Irmandade do Senhor
Bom Je:us do Bom -rim
Igreja de Beberibe n. 10. Irmanda-
de da Conceicao da igreja de Beberibo
S Pdro Martyr n. 22. Irmandade
do Sanlissimo de S. Pedro Martyr
Amparo n. 93. A mesma
Misericordia n. 27 A mesma
Fernandes Vieira n. 59. A mesma
Xavier Santa Rosa n. 7. A mesma
Boa-Hora o. 14. Irmaud. do de Nos-
sa Senhora do Rosario
Amparo n. 53. A mesma
DiU n. 55. A mesma
Bom Successo n. 6. A mesma
Dita n. 8. A mesma
Dita n. II. A mesma
Pateo do Rosado n. 1. A mesma
Bom tim n. 55. A mesma
S. Pedro Martyr o. 19. Isabel Maria
das Merces
M
Santa Thereza n. 1. D. Joanna Maria
das Neves
Binlo Aiiu.ii.> n. 8. Joanna I^aqui-
na oe Freitas
Bom-Gin a. 49. D. Joanna Victoria
de Brito Conlia
Baraj da Vera Cruz n. 19. Joaquina
Marqne3 de Souza
Travessa de S. Joao de Beberibe n.
2. Joaquioa Clemencia
Mogas n. 1. Jenuino Jose da Rosa
Estrada da Agua Fria n 22. Jesuino
Tavares de Souza e Genuiao Jos6 Ta-
vares
Barao da Vera Cruz n. 6. Uerdoiros
de Joao de Almeida Lima
Dita n. 8. Os mesmos
Dita n. 8'A. Os mesmos
DiU n- 8 B. 0; mesmos
Guadalu^e n. 32. Jose Cardoso de Sa
Estrada Nova de Beberibe n. 17. Joao
Manoi-lde Farias
27 de Janeiro n. 11. Joao Goncalves
Turres
Amparo n. tO. Joao Goncalves Ro-
drigues Franca
Barao da Vera Cruz n. 7. Joao Fer-
nandes Lopes
travessa do Commercio n. 5. Joao
Luiz Vianna
Travessa de S. Joao de Beberibe n.
I. Joao Pereira Guimaraes
Duarte Coelho n. 5. Jerocimo Vilella
de Castro Tavares
Commercio n. 7. Joaquim Francisco
Alves
Dita n. 9. 0 mes.no
Triunipuo n. 9. Joaquim Francisco
da Silva Piuto
Varadouro n. 36. Herdeiro3 de Joa-
quim Miguel de Almeida Catanho
Dita n. 38. Os mesmos
S. Bento n. 38. Ios6 Antonio Lopes
Travessa de S. Joao de Beberi e n. 3.
Jose Antonio de Almeida
Regeneracao n. 6. Jose Francisco da
CosU
SanU Thereza o. 19. Jose Francisco
Ferreira Catao e Marcolino Lopes Catao
Porto da Madeira n. 15. Jose Gomes
K
Pert" da Madeira n. 17. Joe Gomes
Regeneracao n. 10. Jose Joaquim de
Almeida
Santa Thereza n. 17. Jos6 Jacome
Tasso
S. Francisco n. 2. Viuva de Jos6
Joaquim de Figueiredo
Bom Successo a. 62. Jos6 Gurjlo
BoaHora a. 24. Jose Joaquim da
Silva.
Floresta n. 5. Jose Lucas do Espirilo
Santo
Porto da.Madeira n. 10. Jose Joaquim
da Silva Araujo
Dita n. 12. 0* mesmo
E.-trada da Passagem n. S. Herdeiros
de Jose Pereira
Amparo n. 5,9. Jo.s6 de Metlo Cesar
de Aadrade
Ladeira da.Se n. 2. Herdeiros de Jose
da Siivelra tfendonca Vianrra
Pateo da igreja de Beberibe n. 2.
Dr. Jos6 do* Santos Nune3 de Oliveira]
Dita n. 4. 0 menmo
DiUfl.8. O mesmo
Bispo Couliahon.'W.Dr. Joftinim Jo-
se da Fonceca
Estrada d'Agua *ria n.-17 A. Her-
deiros de JpSo to Camboa do Carmo
-Dita d. VI B. Os mesmosi
Estrada do Porto da Madeira n. 10.
Joegbimf erelVa de Mmd fbrio'to HMeira n. 3,; JoliO'la Cos-
ta nib.Jjro
J Dita b. T.-& mesraa
Dita n. 9. O ttesflao
iu n. il. 0 mesmo
Diu n. 20. 0( mesmo
OH n. 14. i msa
Whn.-ftfc.-A-mw^o
14,126
24,325
29,430
14,715
49,050
14,126
7,063
19,620
29,430
11,772
11,772
14,715
19,620
14,715
29,430
11,772
11,772
19,720
7,063
7,063
14,126
11,772
9,4171
3,331
4,708
4,120
3,531
3,531
6,474
3,531
1,177
11,772
Dita n. 28. 0 mesmo
Porto do Urubii a. 5. 0 mesmo
Dita n. 7. 0 mesao t .
Estrada do Forno da Calli. 7- v
mesmo
apVa'no Fraatiaco
Clerical n. 4. Pao*re Lino do Mdnt<
Carmello .
Dua-te Coefte n. 25. Ludgero ^el-
te>ja Lopes
Estrada da Passagem n. 1. 0 mesmo
Dito n 2, 0 me-'uw
Dlla ti. 8. 0 mes(nd
Estrada de Olinda n. 1. 0 mesmO
Dita n. 2. 0 mesmo
Dita a. 3. O mesmo
Di(a n. 4. 0 mesmo
Dita r. 5. 0 mesmo
' Estrada nova de Mleberibe n. 12.
Lnlz Antonio Gonzaga
Alegre o. 1. Luiz Francisco Ribeiro
Beberibe de baifO a* 9. Dr. Luiz
Lopej Cast.-Ho Braueo
5. Joio n. 5.1 Tjdp
das Chagas
BispoTViUtmho i. 2. 0/mr*j
sf I w1^^ ^
6. Beoi*n. 34. JUria Pjr.aucisca Mar-
qtuadeAAwrifi H
Regeneracaoin. 5. Manoel Anton 0
d Lyra I ;
Travessa do Amparo n. 15. Manoel An-
Unjo U? N,eves .
RegeneracSo n. 14. Manoel Alveji
Nunes
Becco do FundSo n. 9. Manoel C&rneiro
Bao Bento n -tl. Marcolino Lopes
Catao
Barao de Vera Cnu n. 2d. Manoel
Clemente de Sanu Rosa
' Estrada do Canhengo n. 36. Major
Manoel Elias de Moura
Eiperanca n. 3. Manoel Francisco de
Paula
Aljube a. 41. 4Lajel Games dos
Passos
Sanu Thereza n 13. Viuva de Ma-
nodi Goncalves Ferreira
Becco do Fun-lao n. 5. Manoel Gon-
calves Boa .Ventpra
Regeneracio n. 16 Manoel Jose de
Almeida
Bica de S. Pedro n. 24. Manoel de
Mattos Teixeira Lima
Estrada do Porto da Madeira n. 42.
Manoel Pereira Brandao
Dita n. 5. Herdeiros de Manoel Pinto
da Silva
,
11,7711 Rua do Bom Jesus
11.772 3obrido.n.M....... 6O0jMt
11,772! Rua do S. Jorge
"tti-asa terrea a. 103...... !07*riP
39,2401-faem n. 108........ M8*(0r
"mn.98 ...... J4!*<00
,' v- Parnameirim.
- mv*f
a aw. #
",544'shon.l
11,972
98,100
19,620
39,140
11.772
11.772
11,771
11,772
11,7721
11,772
3,886
Oa prater denies deverao apreaentar bo n* 1_
irremat .. as suas ttancas, on coznparaeareaV
a ;oi:!paiiha-io dos respectivoa todoraa. tWveaao
pagar aJana d i reoda, o prawo to |toattia em
iue (or aeturo o predio qua coniiver eaunoi- -i-
mento Cociraerci ai, assim conio o servico da lia-
,"esa e preco dos apparelhote e ennidades.
Sftcrelarut da Sanu '".asa da Miaericordia do t
tile, 10 de dezembro de 1874.
OescriTio,
_____ Pedri Rodrigues it Sauza.
| THKSOIKAIUA DE lA/.D.M'A
Nio tendo cmcorrido nodia 9 deste tnez pro-
39,240 ponentes ao fornecimeuto dos objecux Beeessanos
ao expedients desu repartici>, eeafbrtaa ft'-ra
14,715 annnnciado, sao novamente convldades os taaerrs-
11,772 sados para apresertorem suas i-roposUs en carts
facuato aic o dia 19 deste mesmo m z, eaa in
3,886 devera ser aceto a de quem maior vant^gea ata>
recer a fazenda. As propottas devem vtr caant
nientemente sellatos, e declarer, alt in 'to* e >a.N-
39,240 c-'es do contrato, o none e resideooia Jo pioj-i-
nenle e dw sea fiador.
7,063 Secretaria da thesouraria de fazea la da P. r-
nambuco, 12 de dezeraoro de 1874.
1,708 Jueuodiano R alriguet de Oliveira,
Secretario da junta.
7,063
11,772
39,240
9,417
39,240
14.915
11,772
8.240
11,771
7,063
4,708
14,715
23,544
Edital n. 73.
11,772
4,708
14,715}
7,063
5,886
19,620
11,772
5.887
2,354
2,354
2,354
7,063
11,772
19,620
11,772
23,544
11,772
11,772
3,531
17.65S
23,544
5,886
7.063
7,063
11,772
4,708
7,063
17,658
8,204
8,240
7,063
5,886
3,531
11,772
5,886
7,063
11,772
11,772
11,772
5,886
39,240
31.335
29,43'i
19.4W
19,450
9,*W
H/7W)
Pela inspectoria d'alfandega se (az publico, que
uao iendo siJo arrematadas, por falta de concur-
rences ao valor ullicial, as mercadorias abaixo de-
claradas, annunciadas a leilao por editaes ns. 71 e
171, se transfere a mesma arremata.ao para as 11
horas da manhi do dia 21 do corrente, na porta
desta reparticao.
Armazem n. 2.
area A L B n. 3967.-Uma'caixa vinda de Li-
verpool no vapor inglez Arbitrator, descarregada
em 27 de fevcreiro do corrente anno, consiguada
a Mendonca Cirvalho & C, contenJo 6 chap6os
de palha oidinaria, enloitados, 6 pares de bolinas
de cuuro, para homem, de mais de 22 centimetros,
14 camisas de algodao com pregas e 1 par de for-
mas de madeira para olcado, tudo no valor de
109.7:6.
Idem idem n. 3968.-Uma dita idem idem, con-
tendo 18 cbapeos de seda, ordinanos e enfeitidos,
no valor de 126*000.
Armazem n. 4.
Marca M diamante. Umembrulho viudo no
navio inglez Cheeiote, descarregada em 27 de feva-
reiro do corrente anno, ignora-se a consignacao,
conlendo amostras de fcrragens, sem valor.
Armazem n. 6."
Marca H N C H triangulo. Um barril vasio
vindo de Bordeaux no vapor (rancez Rio-Grande,
descarrejado em 7 de junho de 1873, consignado
a D. P Wild & C, no valor de 2*333.
Aiundega de Pernatnbuco, 17 de dezembro de
1874.
Servindo de inspector,
Pedro Lopes Rodrigues.
Perante a camara municipal dest. cidade,
estarao em praca nos dias 18, 19, 21, 22 e 23 do
corrente para serem arrematados por quem maior
preco ctfferecer, os alugueres dos talhos e easi-
ohas existentes na ribeira da freguezia da Boa-
Vista : 03 pretendentes a taes arrematacoes, ha-
bilitern-se na rorma -i. lei.
Pago da camara municipal do Recife, 17 de de-
zembro de 1874.
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque,
President?.
Francisco Augusto da Costa,
Secretario.
0 Dr. Delfino Augusto Cavalcaute de Albuquer-
que, official da ordem da Rosa, juiz de Direito,
irphaos e ausentes da coraarca de Olinda, por
S. M. o Imperador. a quem Deus guarde, etc,
Faco saber aos que o presente ediul virem, que
por este juizo foram arrecadados os bens per-
tencentes ao espolio da finada Agostinha Maria
da Conceioao. pelo que. a requerimento do Dr. cu-
rador do referido espnlio, e de conformidade com o
regulamento de 15 de junho de 1859, mandei affl-
xar editaes ros lugares do costume, e public* los
pela imprensa. chamando os herdeiros, successo-
res da mesma finada, e todos que direito tenhara
na sua heranca a virem habilitar-se na forma do
: egulamento citado.
Olinda, 3 de dezembro de 1874.
Eu, bacharel Francisco Lins Caldas, escrivao,
i subscrevi.
Delfino Augusto Cavalcanta de Albuquerque
MUURACOES.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A HIma. juaU administrativa da Sanu Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas se9s5es, no dia 17 de dezembro, pe
as 3 horas da tarde, tern de ser arremaudas <
iuem mais vanUgens offerecer, pelo tempo de urc
i tres annos, as rendas dos predios em seguids
leclarados. _____._____
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Vidal de Negreiros.
Ca terrea n. 94.......301*006
IdiMn n. 112
Rua larga do Rosario.
!. andare loja n 24 A fechada .
1.- antor a. *4 A idem.....
Rua de Autonio Henriques.
:asa terrea n. 26 (fechada). -
Largo da Caaipina.
'dem n 11 (fechada)......
Rua do Coronel Suassuna
l* andar do sobrado n, 94
327^000
310*000
251*000
99*000
120*OfX
Raa do Visconde de Albuquerque.
400*000
101.
i
24Ii-OO0
681^000
481,000
243*000
408*00C
Casa ter> ea n.
Idem n. 91
Becco do Abrea.
Sobrado de 4 andares n. 2 .
Rua dos Pescadores
Casa terrea a. 11........
Rua de S. Bento (Olinda)
Sobrado n. .17.......T
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua do Commercio
Sobrado a. 30......800*000
Rua da Moeda.
Casa terrea a. 21 fechada).. 400*000
Becco das Betas.
Casa terrea a. 18.......421*00<
Rua; dal*pm-
^asa terrea a. 11. .' .
Rat do
Jobr.do tie 2 atmlrw n.;
Ivsa. terrea n. 34 .
Raar do Bugos.
.^aaa terrea ,n. 21. .. .Jk
Rua do Vigario.
V antor do. sobrado a. 27 (fa^aia) .-.
I* andar alo ujesrao (facnadaj j .
\s>\i do mesmo feehato. .*J- 1
Rua, do EflOMtonwato.
Sobrado de 2 aadares n. 13 (fetoado).
*ua to Sewaiia Mlha
Idem a. 16. .,-...,
0 procurad-T n<\ e dos feilos in'.erino to
fazenda nacional, fax scieote a quean ioieressar
possa, que estando a lenninar no dia 15 do enr-
rente o prazo d-. trds mezes d x edtoes que cor-
rem hnpressos nos j rnaei desu cidade, para a
arremaiacTin J.i <:um[>relieusao denomioada Bara-
co, do i-xtioi'ti via ulo de llaxnbe, sita ia <
marca do mesma nur.e, lera lugar a mesma r-
rematacao no dia (8 do corrente, on no sefokiat,
se por qualquer motivo olo se poder realisar no
dia 18 perante o puo tr.unicipal daquella coou-
ca, servindo de bom a medicio e a avalia>;Ao
feitas e con?taut^< l s refendus editaes.
Sec?ao do eopteaei -o da thesonrana de faz. n-
da do Pernambu '. i i de dezembro de 1874.
^__________IVdm Alfonso de Mello.
THESOIHAIUA DE I AZENDA
De ordem do I Im. Sr. iospector si) pelo pre-
sente intimados c ex c-Akcuit de Garanbuns J. I >
\ Ferreira Chaves, seus herdeiros ou success ores, ou
quem por qualquer mctivo o rfpresente, a qoaas-
quer outros inleressados, para virem a esU re-
particao alim de dt-clararerr, no prazo de 30 dias,
que lhes fica assigoado, se aceium ou nio o ratjl-
Udo da tomada das coutas do mesmo ex-collector.
reUtivas ae exercicio de 1809- 70, em qua ex *-
ceu o dito lugar; sob pens de serem cnn reveis, e proseguir se no processo da refcrito to-
mada de conUs, independente de qualqar n. v
ciu.ao, nos termos do art 2z do decreto a. 2,548.
de 10 de marco de 1860 : devendo d-clarar tin-
bem feu domicilio, ou con'tituirem ncsU cidade
procurador com os necessarios e basUntes po-
leres.
Thes iuraria de fazenda de lVroarabaco, 3 Ae
dezembro de 1874.
Jueuodiano Ro'rif u s de Oliveira,
Secretario da junta.
Oonsuld provincial.
Pel.) cunsuUdo pruviuc;al, faz se pu lie 3 a is
ro-jiectivos contribuinles, que do 1.* dc dezembro
vindunio por diantc ;omeei a correr prazo d>e
30 dias nteis n area los do art. 34 do reg. de
17 de junho de 1873, para a c. bran-;a do primei-
ro semestre de decima nrbana le 5 Oio sobro
bens de mao morta, no corr.rte txtrcicio da
1874 a 1875, incorre.ndo na mulu de 6 O4
aqnelle3 dos contribu ntes que nio satisfizcre
nesse Drazo os seus debitor
Consulado provincial, 27 de n<>vembro de 187*
0 admioistrador,
Antonio Carneir Macha lo Rirs.
iliilaihaodeiafaiileriaii.!'
O comelho eeonoaiico deste baulhio reeebe
pr pastas no dia 21 do corrente. ate as 11 boras
do ilia, para 0 fornccimento dos gen>-ros alim-.nt -
cios, de primeira qualidade, abaixo declaralos :
Arroz pilado.
Assucar mascavinbo reDna Jo.
Azeite doce.
Bacalbao.
Carne verde.
Dita secca.
liW em grio.
Far inha de mandioca.
Feijao mulatinho ou preto do Rio de Janeiro.
Lenha (achas)
Manteiga franceza.
Pao (kit grammas).
Tiucinho.
Vinagre.
Esses generos serao recebidas plos pesos
meditos <*o systeraa rae'.rico deiimal francez, e
postos no quartel por cmta do lurneeedor.
ijartel do Hospicio em Peruanbuco, 16 de de
zembro de 1874.
Joaquim Jorge de Mello Filho,
AI feres secretario.________
Thesouraria de fazenda.
ffao tendo cone- rrido no dia 9 d*ste met pro
ponentes ao forneciroento dos objeclos necessario-
ao expediente desta reparticii, si> nuvarrent-
coovidados os interessados paraapresenurem na
propostas em caru fechada ate 0 dia 13 e to
19 deste mesmo mez, corao ja f 1 anunnciado, j
qual devera ser aceto a que maior vanUg-em *
lerecer a fazenda.
As propostas devem vir convenientemente seto
dat, e declarar alem das dndicSes do ajaaTtaa
nome e residencia do prcp-ineote e do sea iiador.
Thes uraria ds fazenda de Pornambuco, 12 de
dezembro de 1874.
Jueuodiano Rodrigues de Oliveira,
SecreUrio da junta.
De ordem do lilm. Sr. inspector do tbesour >
provincial las-se sciente aos pn-.--iidores de a poli-
ces transferitos, qoe devem tr ateo dia 31 deste mez, afim de serem ncula< e
incluidas nas folhas do juro venci lo, neate semes-
tre, enjo pagamento lera comec> a 16 de jaoei 0
do anno futoro ; ficando excluidas desse paga.i.en
to as apolices dos possuidores, que ate aquella
data nio as tiverem trazido para 0 iim allndi 1 .
Secretaria do thesonro proviacial de Pernambu
co, 17 de dezembro de 1874.
0 secretario,
Miguel Afoaso Ferreira.
Matriz de Santo Antonio do
Recife
De ordem do nosso irmao juiz. convido a tod
os nossos ihafijsimos irmaos part no dia segnnd 1-
feira, 21 do corrente, a 5 1|5 horas to tarde, aa
reuuirem em 0 nosso consi^lorio, aGm to ae coas-
titnir a mesa geral para dar cumprimento a cm
despacho do Illra. Sr. Dr. juiz de direito e de ca-
pellas.
Consislorie da veneravel irmanlade do SS. Ja
crameato da freguezia de Santo Antonio do Reci-
fe, 17 de dezembro de 1874.
0 escrivao,
Jiaquim Antonio Caraeiro.
Aerim.
9
202*00C
oei&ooc
112*000
152*000
m
1.400*00*.
Casa terrea n.
v
209*000
WWW-
0 admioistrador to reeebeJoria de ren Us
inlernas geraes, pelo pr-sente eJiUl a visa is pes-
soas, eonsUntes to rela;io nbaixo transenpu.
tunas, por morarem fdra to cidtde, e oulra;
sa ignurar a residencia que, leu lo sido awUaias
em' virlude dos arts. 33 e 35 pels infraccao do
aiL 21 do regulamento 4,835, de l da dezembro de
1871, devem vir realisar 0 pagamento to ami*.
que lhes foi imposto, ao prazo de triaU dias, cea
Uao da priblicacao d esU nos joraaes d'eaU cidade
sob pena de so profieder i cubraaca exeea-
liva.
Recebedoria to Pernambueo, 17 de dezembro de
1874."
Manoel Carneirode Sonu Lace-da
Relacio a que so refere 0 xdiul supra.
Frapcisco Xavier Caraeiro da CutAa
ffraada, roorador no Caxaogi, arahado
em 100jtt>->
D. Maria Carolina de Araujo Fonceca, mo-
radora em Afogados, mnltada em 10*00
JoseGemea de Lyra, morador em Jaboa-
tio, muludo en NfttM
Manoel Itidro to Roeha Falcii, morador


./

^55jA-**na,'rt^^^^
^&rid de Pernambuco Sexta feira 18 de Dezembro de 1874.
i
em Jaboatao, mallado era
Jose Ignacig de Sbim Albaquerqae, mo-
rador em Jaboatloj'muUado era
0 mesmo, maltado em
Anna Januaria de Mello Mirandi, jgoo-
rd-se a residencia, multada em
Joao Francisco Correa da Araajo, raora.
dor.na fregqexia da Varcea. -
bU ,
10X000
100 HOC
100/000
100^000
10400?
^THSATRO ,
^"Xvto Antonio
aoeiedode Propagaiora dalntf-
trucclto iiublicai em S. *.
De ordem do Dr. vice-presidente do conselno
parochial desta sociedade na freguezia de S. Jose,
de novo Convido a todos os Srs. soeios para no
domingo SO do corrente, pelas 10 horas da ma-
nba eomparererem em o segundo andar do so-
bradon. 93, silo a rui DireiU, afim de elegerem
em assemblea geral o conselho qae lem de func-
eionar duraate o anno de 1875. De conformida-
de com os nossos estatutos, sera feita a eleicio
com o numero de socios que coraparecer. Secre-
taria do ceQselbo parochial da Sociedade Props-
gadora da Instiuecao Publics em S. lose, 17 de
dezembro de 187*.Jose Bandeira
-elheiro, servindo de sacretario.
frUARTA-FEIRA 23 DO CORRENTE
PeloS ce'ebres campanologos escocezes,
Ultimo
carregamento engajado, e para o resto one lhe
falta, trata-se com oi consignatarios Joaqaim Jose
Qoncalves Beltra & Filho, i rua do Commercio
n. 8._______________________.________________
Para Lisboa e Porto
Vae sabir com muita breridade o brigue poriu
gjuz Imperial, pot ter grande parte de carga
prompla. Para o resto e passageiros, trata-se
i'iiaz
cozinha independente, quartos para criados, co-
cbeira e estribaria, jardim, arvores fructiferas e
urn bom. viveiro raurado; pode ser alugaio a
qoalquer Sr. pretendenle, a quern 89x)tferc0er4
oceasiio de eiaminar no dia do referido leilao.
. Jose, i
de Hello,
con-
Massa fallida de Pereira de
Mello & C
.Oscredores podem rece-
ber oterceiro dividendo de
sete por cento, apresentando
os titulos para ser annotado.
' *"2 '"> ^*!""*Urln* Tl'.CBiai de Aquino Fcnee-'
' caTc. Snccesiereira rua do V'gwio '
Griid"e e variado espectaealo era beneucio das, _. Z T~ t
Sras D Clara,D|,pbia,DGra9ae | \(.g||j(|e |WI0.
0 programraa e composto das melaores pecas; .
de musica do repertorio, e oi interval^ serao Vende-se 0 pataehO Daciobal Afncana,
preenchidos com lindas seenas comicas. acha aacorade no qualro da de:carga da
N. B. Recebese desde ja encommendas de, aeaea | qlleln o pretender dmja se ao
camarotes e cadeiras no escriplorio do theairo. t*r examina lo, e a tratar coin sens consign*
' tnrios Amor.m lrmaos 4c C
LEILAO

SEXTA-FEIBA
/
Thouiaz de Aquino Fonceca k 6.
Successors
saccam por todos os vapores, soboc as segnintei
pracas :
Lisboa. Regoa.
Porto. Cbaves.
Braga Villa-Flor.
Vianna. Mirandella.
Viseu. Alijd.
Guarda. Favaios.
Goimbra. Braganca.
Guimaraes Lamego.
Rio de Jsaeiro.
Ha rua do Vigario n. (9. ___________^__
Companhia Fidelida e
Seguros murmmos o terrestres
A agencia .desta compaahia toma seguros raari-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos o solo livre, e o setimo anno gratuitj ao
segurade.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
Conferencias pnblicas.
De conforniidade com o resolvido em sessao de
13, faco publico que, a primeira das confe
rencias abertas sob os auspicios da ma;onaria
desta provincia, tera lugar nas salas do theatro
Santo Antonio, as 11 horas do dia 20 do corren
te dezembro.
E' orador o il!m. Sr. Floriano Correia de Brito
que dissertara sobre a questiio religiosa.
As pessoas que prctendem inscrever-.-e para
os conferencias qne se lhe seguirem, devem di
rigir-se ao abaixo assigcado e preveni lo do ob-
jecto de sen discurso, afim de que a commissao
respectiva resolva nos temos da disposicao VII
das bases ultimente appravadas.
Recife, lode dezerahro de 1874.
Joao Martins de Andrade,
Secretario da loj.v Ganganelle.
0 adminiitrador da propnedade Apipucos.
em curapriraento do disposto nu artigo 16 do3 res-
peclivos estatutos, convoca pelo presente aos con
senhores da mesma propriedade que moram fora
da cidade do Recife e seus soburbios, para a reu
niao geral ordinaria, que tera lngar no dia 10 de
Janeiro pruximo vindouro, ptlas 9 bsr.is da ma-
uha, no consislorio da capeila portencento a dita
propriedade. Apipucos, 13 de dezembro de 1874.
HOSPITAL MILITAK DE PER-
NAMBUCO.
Os senhores pharmacenticos que quizerem for
necer os medicamentos abaixo mencionados, e ou
tros que po.-sam ser precisos para o receituario do
hospital militar, no trimestre do 1 de Janeiro a 31
"de marQO do futuro anno, comparecani na secreta-
ria do mesmo hospital, no dia 21 do correnle mez,
pelas 10 horas da manha, com as snas propostas
em carta fechada. indicando os prefos Jos ditos
medicamentos.
Manna,
Hostarda.
Flores de tilia.
Fios de linho.
Rosas rubras.
Agua de Vichy.
Salsa de Bristol.
Anniduo.
Amendoas doces.
Vezicatorios de Albespepes.
Encerado de Lepeldryel.
Alcool de 36 graos.
Tintura de salsa e caroba.
Hospital milttar de Pemambuco, 16 de
dezembro de 1874.
0 escrivao iuterino,
./. Pinto de Almeida Junior.
Irmandade deN. S. da Con-
ceicao dos Militares.
A mesa regedora em cumprimento ao disposto
no 9.* do artigo 22 dos estatutos, convida a to-
dos os irmaos a reunirem se em mesa geral no
consist'.'rio respectivo, as 8 boras da manbl do
dia 20 do correnle, afim de elegerem a mesa re-
gedora que tern de servir no anno de 1875.
Recife, 17 de dezembro de 1874.
0 secretario,
CapitSo Leopoldo UcbOa.
Perante o Sr. juiz de Paz da freguezia de N.
S. da Graca, tem de ser arrematada no dia 17 do
correnle, 1 casa de taipa, terrea, sita no Campo
Grande, cum 1 porta e 2 janellas de frente, em
caixao, cozinha aberta, em chaos foreiro, avalia-
da por '--.u 3 ; a qual vai a praga com a quinta
pane de abate e por falta de quem lance, sera
entregue pelo preco da adjudicacao, para paga-
mento da execucao que meve Agapito Antonio de
Barros a CUudino de Jesus Bandeira.
Sociedade Kecrealiva Euterpe.
Por ordem do Illm. Sr. presidente sJo convida-
dos todos os socios a comparecerem no recinto
desta socidade, domingo 20 do corrente as 7 bo-
ras da manha, para em assembles geral tratar-se
de negocio desta sociedade.
0 vice-presidente,,
A. Pacheco da Silva.
ADMiMSTRACAO DOS COKHEIOS DE PERNAM-
BUCO, 16 DE DEZEMBRO DE 1874
RelaQao da correspondencia regislrada fsem valor)
recebidade diversas procedenrias att esta data,
e que nao tem sido entregue por ignorar-se as
retidencias dos destinatarios.
Antonio Gomes Pereira Junior, Antonio da Cos-
ta Rego Lima, Antonio Annes Vieira de Souza,
Bernardo Vieira de Amorim, Felix Gomes Coim-
bra, Francisco Joao ds Azevedo, Gil Alves de
Aranjo, Joio da Silva Rego, Jclo Tbeophilo de
Marsillac, Jose Mendes Vieira, Joao Cancio Pereira
dos Santos, Luiz Jose Pereira Sim5es (2), Joaquim
Soares Teixeira, Joaquim Hurgolino da Silva Fra-
goso, Jose Antonio da Silva Gnimaraes, Jose de
Meira Lima Sobrinho, Jose Firmo de Siqueira,
JoaoSilveirt de Souza, Marcolina Maria da Con-
cefcao, Maria Amelia de Albaquerqae Mello, Ma
uoel Moreira da Silva, Pedro Barb-sa Vianna.
0 official encarregado do registro^
Jos6 Candida de Barros.
LNSPECQAO DO ARSENAL DE
' MARINHA.
Faz-se publico que era data de 14 do corrente
mez foi vistoriado o vapor Gtquid, da companbia
peruambucana de navegacao costeira. e a commis-
sao julgou-o em esudo de poder continua/ no
service em que se emprega,
loapeecSo do artenalde marinha de Pernambu-
cp, 17 d dezembro de 1874.
Francisco Jose Coelno Neilo,
Tn="pecior.
Apparicao
Libras eslerliuas.
Vendem Ai^gusto t1. d'Oli-
e desappariCaO
de uma menina de 14 an-
nos, que bebe, come e fal-j
la com o espectador.
0 professor Grii d'Apremont lem a bonra d
partioipar ao respeitavel|publico desta cidade que
poss&e essa verdadeira maravilha, que agradou
exIraoTdinariamente nao so em Franca e na Alle-
manha, como aa lulia e outros paizes onde tem
eftado. A's familias nSo devem perder a occa-
siao de ver ob jecto laoxurioso.
Entrada geral 300 rs.
veira & 5.
Raa do Commercio n
42.
BAHIA
Segue com este destino, nestes qualro dias, o
! plhabote Rosila, lomando para o referido porio
a carga que Ibe apparecer, por isso quem quizer
aproveiUr, pode dirigir se aos consignatarios Joa-
quim Jose Goncalves lieltrao & Filho, a rua do
Commercio n. 5.
AVISOS !VtARlT|MOS.
Coatpanhiti de nuve^acfio a va-
por bahlana, limitnda
-fiahia, Aracajii, Penedo e Maceid.
E' esperado dos portos
acima ate o dia 26 do
corrente, o vapor Pe-
nedo, e seguira para os,
mesraos no dia seguin-
te ao de sua ehegada.
Recebe-se carga.^Tncommendas, passageiros e
d nheiro : trala-se na agencia.
57Rua do Bom Jesus57
Cnipanhla lliwiiyw
portnense
Empreza de navegacao entre o Brasil e Pot
tugal
PARA 0 PORTO
Barca pcrtugueza Joven Adelaide, a sahir com a
maxima brevidade, recebe carga e passageiros : a
tratar com os seus consignatarios Jose da Silva
Loyo & Filho________________________________
Rio de Janeiro.
Para o indicado por to recebe carga a frete a
barca portugueza Lisboa : a tratar com Tito Li-
vio Soares, a rua do Torres n, 20
18 DO CORRENTE
as 11 horas
Da di f sas mobilias de JaearandA, araarello, mogoo, cada-
que se (* avulsas, de amarello, mogno e jacaranda, gutf-
ca^7,ft.'!da lou^a, guarda vestidos, guarda ronpa de raof-
mp'smo D0 e amare"> carteiras, consolos, mesas de nedra,
" 1 ditas de amarello, camas francezas, de amarello e
jacAanda, estantes para livrttj, ditaa envidracadas,
cadeiras de balanjn, ditas de'mola, de jacHr.tndi-
cohunoJas, melas ditas; bancas de aioarelhj jg.
caranda; pna j"go,' rsvstorios de inoguo torn ne-
dra, toilette, sofas de jacaranda, ditoa de amarello,
mesa elastiea de dito. cadeiras para escriplorio,
ditas para piano, de mogno, veuezianas, cabides
igrandes e peqaeuca, diver^os eofres, sendo am
i proya de fogo, em perfeito estado, e maitos outrts
ubjectos que serao apresentados na occasiio do
leillo, assim como diversas qualiiades de revol-
vers, e espingardas para ca^a, com todas ai per-
leficas.
\'o armazem da rua do Impera-
dor n 418
pelo agente Martins.
___________No dia e bora acima.
LEILAO"
DE
niuririnia
Aracaty
0 hiate Leonilia da Cruz sahe para o psrto
acima indicado, hoje as 4 boras, da tarde : os se-
nhores carregadores queiram procurar seus co-
nhecimenlos ate ao rneio dia, a rua do Am.>nm
numero 60. -____________
COMPANIIIAP ERMMBUCANA
DE
\i\vegacuo costeira a vapor
i.IL0E.
Esplendido
LEILAO
Parahyba, Natal
Ceard,
Macao, 'Mossor6, Aracaty,
Acaracu e Granja.
0 vapor Jpojuca,
commandante Moura,
seguira para os por-
tos acima no dia 22
do correnle mez, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 21, encommendas, di-
nheiro a frete e passagens ate as 2 horas da tar-
de do dia da sahida : escriplorio no Forte ao
Mattos p. 12._______________________________
Pacific Steam Navigation Oiflpany
R. M. STR'aMER
(4.691 toneladas).
o dia 20 do cor-
renle e seguira
para Liverpool,
tocando em Lis-
b6a e Bordeos,
Eara ondc rcco>
era passageiros,
encommendas 6 dinheiro a frete.
N B. Nao sahira antes das tres horas da tarde
do dia de sua chegada.
AGENTES
Wilson Hone & C.
It Rua do Commercioli
COMPAXHIA BRASILEiRA
DE
\'a%-egucao costeira a vapor
I*oi Ioh ao none
Commanilanie Pamplona
Espera-se dos por-
tos do sul ate o dia 18
do corrente, e depois
da demora do costu-
me seguira para os
do norte.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio.
7-RUAD0 VIGARIO-7
Pereira Vianna & C.
_______________Agentes.________________
Para o Forto e Lisboa
pretende seguir com ponca demora a barca por-
tugueza Social, por ter porcao da carga engajada;
e para o res'o que lhe falta e passageir is, trata-=e
com os consignatarios Joaqoim Jase Goncalves Bel-
trio & Filho, a rua do Commercio n. 5.
fara o Ceara
egue em poucos dias o brigue allemao Colmar,
ecebe carga a frete raodico a traiar no escrip-
orio de Djmingos Alves Malheus, a rua do Viga-
rio n. S.
DE
magniucos moveis, louca, crystaes e diver-
artigos de electro-plate
HOJE
as II horas da manhS
Em o palacete do Exm. barao da Sjledade,
rua da Aurora em Santo Amaro n. 127,
casa de residencia do lllm. Sr. J. Roberts.
0 agente Dias, competentemente autorisado pe-
lo Illm. Sr. J. Roberts que retirase para a Europa
com sua Exina. familia, levara a leilio no dia, bo-
ra e lugar acima indi ados, os moveis e mais ar-
tigos proprios de casa de familia, exUtentes em a
casa de sua residencia, a rua da Aurora era Santo
Amaro d. 127.
A saber :
1.* sala.
I'm magnifico piano de jacaranda, em perfeito
estado, i caJeira paia o mesmo, 1 mobilia de jun-
'. co, composta de t sofa, i mesa de meio de sala,
\ com tampo de pedra, 2 consolos dito, 2 cadeiras
I de bracos, 2 ditas de balanc/i e 12 ditas de guar-
i nicao, 3 espreguicadeiras, 2 bancas de jacaranda
i para jogo, 2 magoiticas eitantes de jacaranda, pa-
Esoera-se doslra ''vr09 mesa de phanlasia, 1 porta-musicas, 1
oorlos do sul ate re,08' ae marmore, 2 vasos para flores, 4 sanefas,
I 2 cadeiras de balanco, amencanas, 2 ditas de en-
costo, 1 mesa granda com tampo de pedra mar-
more, i sofa de jacaranda, 1 dito dito com encos-
to de palhinha, i costureira, 1 canlieiro para ke-
rosene, diversos e booitos quadros a oleo, oom
moldnra dourada, ditoa 'om divorcao vistae, 1 va
so de alabastro, 12 tapetes diverso.', 1 ilcitifa usa-
da, 1 panno de linbo para forro da sala, 2 stereos-
copos, i leques, 2 pares do bonitas Oguras de
bronze, e 1 banca de phanlasia.
i quarto.
Uma cadeira de balauco, com descan;o, 1 tou-
cador e pcrta-joi3s, com gavetas, 1 apandor com
tampo de pedra, 1 cama de ferro com colcbao, 6
cadeiras de amarello, 1 e. | lavatorio, 1 porta tualbas, 1 caixa de musr.a, 1
! esteira para forro de quarto, tapete e oleado, 1
j burra prova de fogo e o competente banc:, 1 pro-
j ta-cbapeos, I maebioa para costura e 1 armario
com espelho.
Sala dejantar.
Uma mesa elastiea de 6 taboas, 22 cadeiras de
jacaranda, 2 cadeiras de balangb, de dito, 2 mag-
nifies guarda lou?a de dito, 1 grande e rico apa-
rador de mogno, I dito de dito menor, 2 grandes
consolos coin espelho e tampo de pedra marmore,
II dito dito, I grande guarda comida de arame, 1
I relogio de parede, 3 cadeiras para menino, 1 llllro
, e banco, quartinhas diversas, 1 encerado para for-
j ro de sala, diversas bandejas, fructeiras, garrafas,
j compoteiras, copos e calices de crystal, facas, co-
ilheres 3 garfos de electro-plate, de diversos tama
jnhes, 1 banca com deposito para cha, 4 porta fa-
I cas e diverts vasos com planta?.
2." quarto e despensa.
I Um guarda roupa, 1 banca para costura, com
espelho, diversas cadeiras, 1 deposito para fari-
nha, diversas prateleiras com cavalletes em que
assentam as raesmas, 1 encerado para escada e
varoes.
3 quarto.
Em cima.
2 caixas com chapeos de palha, 700 cha-
pe"o dos Chile, e 1 caixa com 50 resmas
de papel amizade, tarjado, para Into
SABBADO 19 DO CORRENTE
A's iO 11 horas.
Em o 1 andar do sobrado da rua do Marquez
deOlioda n. 37. I
0 agente Dias vendera, no dia e bora acima de-
signados, por coota e risco de quem pertencer, 2
caixas com chapeos de palba preta e de cures, pa-
ra homem, 700 chapeos lo Chile e 1 caixa com 30
resmas de papel amizade, tarjado, para Into.
Agente Pestana
leilao
DE
diversos objectos que abaixo se declara
SABBADO 19 DO CORRENTE
AS 11 HORAS EM PONTO.
Na rua da Iniperatriz n. 54 B, loja.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem pertencer, dos objectos
abaixo declarados, em um ou mais lotes, a vonta
de dos Srs. compradores.
M. saber:
310 bricquedos diversos, proprios para um bazar.
24 sabonetes transparentes.
18 coruetas de ftlha.
1 g rrafa magica.
28 caixinhas de espuma.
140 apitos.
1 lote com umastlva de (lores, imilacao A< Miranja,
^ dc- i melros de comprimento.
3 ca;:..i- oro soldados de chumbo.
30 cesli. guarnecidas de seda, para Baeainos.
21.espelhos soriidos, de moldura preta.
9 redomas com santos, para cima de mesa.
28 estampas com santos.
1 cao grande para cima de mesa.
2 baloes de papel.
?
A saber i_
Moveis.
Uma mobilia de jacaranda, composla de 1 sofa,
4 censofes, tampo de pedra, 1 iardineira^ Uraipo
de .jedra, 4 ca-i i grande espelho com mol lura dourada, 1 piano
de jacarauda, 1 cadeifa para o mesmo, 2 sofas de
jacaranda, com encosto de p..Uiinha, 2 cadeiras
de balan?o, austriacas,' 2 eamas de jaearanda, pa-
ra casal, 1 grando opiima estante de amarello,
para livros, I grande aparador de mogno, com
tampo de pedra e espelho, 1 grande guarda looca
de aiparello. 1 tnachina uara costura, 1 cabide ZZ
amarella, 1 cadeira de bracos, de jae&riada, i
commodas de amarello, 1 Jr.go le bagatela, 2 re-
logios para cima de ra^a, I dito de parede, 1 ban-
ca de jacaranda, goardi loupa de amarello, 2
mesas'etasti'--s ae &, (je G taboas ala uma, 4
apara^Ves de dit-, Ufneadus, 2 quirtinbeiras de
d'.Vo, t consolos p-.'incu'jj, tampo ca d*.Jcaranda para escrevi r, 7 cadeiras de 1 mesa redouda do duo, 12 ciueiras de amarello,
1 marquezao de dito, 1 secretaria de dito, I mobi-
lia de jacaranda, coraposta de 1 *(, 2 consolos,
1 mesa redonda, tampos de pedra, 4 cadeiras de'e mdo. majf qU0
bracos e 12 de guaraicao. 2 camas de amarello (c.imme il faui).
para crianca, t lavatorio At dito com espelho, ta-'
petes grandes e pequenos, alcatifas para salas e
quartos, quadros com vistas eTedomas com 8ga-
tas de alabastro.
Louja e vldros.
3 pares de jarros para Mores, 10 figuras de lou-
(a, 2 Oguras de alabastro, louca para almoco e
jaatar, garrafas, calices, copos, compoteiras, fruc-
teiras de vidro e 1 porta-licor.
Livros de medicina, diversos ferros cirargicos e
1 manequim.
Passaros. .
Diversos passaros em bonitas ga olas, e diversas
gaiolas em tamanho e goste.
IjCarros.
1 carro grande enviara^ado.
1 dito baixo para dous cavallos.
1 victoria para 2 cavallos.
1 dita para 1 cavallo.
1 cabriolet americano de 4 rodas.
Mullas,
I ontkna parelha de mnllas pa^a carro._______
Telegramma.
-*??.^bK J,;, iramereio, a rna
do o,uiiPe,cio n. 22, 18 4e deaea-
~ a* 6 hyras e 4 > miootos H
. maulia.
Prfepara-M ne.-ie e^Ubeleeintenti quatudal*
extraordioaria de
Pasteia
Rolos
Pudius
E doces
para satisfazer as exigencies do publico, sm dias
de festa qae esiao a porta.
Recebem-se encommendas para qualqaer *os
anigos acima, e mais dos aeguinles :
LEITOES (assados)
I'fcKLS
PA i
CAL1.1.M1AS
YVAXiJi
E ERLCTaS (awn ser assadas.)
for necr*ario para nm mesa
Ha tainbem siriineatu oaipleto de bebklas
Una* :
CHARTREUSE
VERMOUTH
ABS1.NT110
VINHOS tiENEROSOS
(Ageucia)
E CKHVEJAS.
Meira d Lima.

DA
armagao, f3iendas e mais moveis perten-
centes & massa falliia de Mindi-llo ves, existentes em o estabelecimento da
rua Duque deCaxias n.
SEGUNDA-FEIRA 21 DO CORRENTE
A's 11 horus da maDba
0 agente Dias, competentemente autorisado pe
lo Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, levara
a leilao no dia e horn acima indicados, a armacao,
razendas e moveis, existentes em o referido esta-
belecimento. Os moveis constant do seguinte :
Uma mobilia de jacaranda, eompo.-ta de 1 sofa,
1 mesa redonda, 2 consolos, 2 cadeiras de bracos
e 12 de guatnigao, 12 ditas de amarello, 1 apa-a-
dor de dito, 1 mesa redonda de dito, 1 par de con-
solos de dito, 7 cadeiras de dito. 1 sofa de dito, 1
lavatorio de ferro, com jarro e bacia.
0 mandado acba-se em poder do inesrai agen-
te, onde pode desde ja ser examinado pelos Srs.
pretendentes.
Agente Pestana
leilao
DE
20 caixas com superior champagne era garrafas 3
meias dias, da marca Rayer, e 11 caixas com
ditas de ditas da marca Encloye Savariw.
TERCA-FEIRA 22 DO i.OKRENTE
as li horas em ponto.
No armazem do Sr. Annes, defronte da al-
fandtga.
0 preposto do agente Pestana fra leilao, por
conta e risco de quem pertencer, de 2fi caixas
cum superior champagne em garrafas e meias di-
tas, marca Rayer, e 11 ditas com dita de dita da'
marca Encloye Savarite.
Em am ou mais lotes, a vontade dos Srs. com-
pradores.___________________________________j
Agente Pestana
LEILAO !
DE |
uma armacSo de amarello toda envidracada, pro-
pria para qualquer estabelecimento
QUARTA-FEIRA 23 DO CORRENTE
as 11 horas em ponto
Na rua de Marcilio Dias, anthja Direita c. 13.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quem peitencer, da armacao de
amarello envidracada, propria para qualquer esta-
belecimento, sita na rua Direila n. 13, onde os
Srs. prelendentes poderao ir examina-la.
0 abaixo aiguado, eredor de U. Ilernarla Ma-
ria da Camaia Unto, moraajra no engeobo Uniao,
do ter mo de Ipojaea, se achando em qoeslao
com essa senhora, para pagamento de am debilo
de mais de um co:to de reis, embarg o Ibe cm
escravo, de nome Amaro, qae lie u desos^tado
em poder da mesma D. Bcr.arla ; previo-; por
tanto a quem pojsi interessar, qae ai<> fa^a ne-
gocio com esse escravo, que nlo se acba 4 bargado e nao pod-i presen>iiiente s*r otiject'i de
transaccao.
Escada, 17 de dezembro d: 1874.
D.'i.ilal I,III' l-'riiM-i-r.i ^.iiit-if".
Alvaro Auguato s liu-il.
Maria d Castro Aliwida, sen*
lilbus e gentos, inanriain resar al-
ga'iias misr-as, de 7 iara as 8 bo-
ras da raauha, do dia 21 rcnte, na ipreja de S. Francisco,
por alma lo seu f.iliiciJ.i. u ando.
pai e laps, Alvaro Anpn-to o>
aimiversario d sea pss.-avento ,
do convidxm aos parectes e aiuigo?
do mesmo linado, pelo que desde ja anlcnpam os
seus agradecimenu-s._____________________
Almeida, 2*
para enjo a*
Paris, 36, Hub VlTlenne, D"
ih:msw medecin srtnu
BAS

FVd

OEPURATIF
da SANG
PLUS DE
COPAHU
Fara Lisboa
o lugre portuguw Cidral, capilao I. AdriSo da Sil-
va, vai sahir com brevidade : para carga e passa-
geiros, trata-se com Silva Gnimaraes 4 C, praja
do Corpo Santo n. 6.
EILAO
DE
moveis
Massa fallida de Caudido 4.1bnrto Sodre da
Motta
SEGLNDA-FEIRA 21 DO CORRENTE
Na Capunga, rua d'Amiiade.
A. saber :
L'ma mobilia de jacaranda, com i consoles com
pedra e conversadeiras, 1 piano de jacaranda, 2
grandes espelhos, i serpentinas, 2 aparadores de
mogno, 1 mesa elastiea, 12 cadeiras de junco, 2
cadeiras de balanco, de faia, 1 espelho, 1 lavatorio
deja:aranda, com pedra, I quartioheira, 3 res-
posteiros, 3 pares de cortinados para janellas, 3
nrnwDtiKi dis iiuib, *s
r.|-TtP. r ALTMAfOfS 0 UMCt.
IVi.uOOcarHdMi
I ictu.jnuluUu, **rjm,
I tarnm, comimet, *eri-
I inOHia, e aiterfu, *-
leioju do iamfm, vi-
rus. talUniioes du sangut. (Xirepe vegetal
icic mercurio). Bcparall *> i'|ei
Bairaas hmebses teaao-te d*s *
semana, seguiiido o tiaciamenio DtpurmUf: 4
emprefradn um r.esm.is molestias.
I Este Xitmc Otricto >
ferredeCHABLE.ewt
nnm^diaUnenle qul-
liuer pvrga(*o, resa-
rafat, f debitidadt,
t igualuienie us jixlios e flora brameas dat
malheres. Esta iujeccao ber.icna eraprefBM
om o Xarope de Citraeto de /err*.
HtDi*rr*liMi Pomada qne ai cara em* dias.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: oat ajeccots culaneai t cimlxin.
PI/.ULAS VECETAES DEPURATIVAS
t av Chak>le, cada (rate* vrii accaapakaas
it UM foltaeto.
AVISO A08 SRS. MEDICOS.
I Can caarrkM,
j coqutlucUt .
I nervoMf au
Chios < lodii
I dm pam, barl* aa
mi colbe rchdea data urapa D* Fi
vr. CBX&axs aa Para.
botica FratK'-za
Sirop du
fig mi) rtrtht i
Deposito
i 22 Rna da Cruz 22
0 abaixo assignv)n, t bilbete ioteiro da loleria do Riu de J^n-i-
ro, !:ti por eoatl i-2-^000 e swifeg jor
traz : e, como sbi o prenata aaa appareceu
o tendedor i..- a<]i>tna da Silva Araujr*.
previne ao pu. i > billiete. o. caso pstcj-i premiado n.i) > pa-
gue Sfiifio no abaixo asstgaado.
A K'teria e i [ cons uodu 1 i do cor-
reii'.e.
Anioaio Uoryes da Silveira Lobo.
Dua^ camas para mer.iuo, 2 meias commodas,; sanefas, 3 lanr^as, 2 pares de figuras, 1 tapete, 1
Companhia Allinca Mariti-
ma Portuense.
Empreza do navegasfio entre o Rrasil
e Portugal
Barca portugueza Victoria
Para o Porto
A sabir com a maxima brevidade. Recebe car-
ga e pasiageniros: a tratar com Jose da Silva
Loyo & Filho._______________________________
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o brigue
Isabel, tem parte de sea carregamento engajado : catif'a, S 'transparentes
para o resto que lhe falta, trata-se com o seu con-
signatario Antonio Luiz de Oliveira Azevedo, rua
do Bom Jesus n. 57.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
IWvegaeao a vapor.
PORTOS DO SUL.
1 cama de ferro com colchao, 1 mesa redonda com
tampo de pedra, i tear, 1 cadeira para piano e 1
lavatorio de ferro.
1 quarto.
Um toucador, com cemmoda e espelbo, 1 guar-
ed vestidos de amarello, 1 secretana, 1 marqueza
da amarello para solteiro, 1 lavatorio de dito e ap
parelho para o mesmo, 2 mesas com gavetas, 1
porta toalhas, 1 cadeira de fechar e diversos .ta-
petes.
Um grande guarda-ronpa, guarda-vestidos e
commodas, 1 commoda grande, l porta-lencoes,
1 deposito para roupa servida, i retreta eo trans-
parentes.
Sala do dormir.
Uma optima cama de ferro com 3 oolchoes, pa-
ra casal, 1 sof4 de jacaranda, 1 magnifico guarda
I vestidos, 1 dito guarda ronpa, ambos iguaes, 1 se-
! cretarii e commoda de mogno, .2 ditas om gave-
tas e armario, 1 mesinba redonda, 1 dita da jaca-
randa, 1 espelho para vestir, 2 lavatorios de mog-
no com tampo de pedra marmore, 2 apparelhos de
porcelana e vidro para lavatorio, 2 banquetas de
mogno para pe de cama, 2 porta-toalbas, 2 espe-
lhos, 1 apparel ho para lavatorio, 8 tapetes, lal-
e 1 bracu para cortinado.
Commandante Quadros Junior
5. quarto
Uma commoda, 1 espelho, 1 lavatorio com tarn*
po de pedra, 1 mesa e taboleiro, 1 cesta, diver-
sas quartinhas equadros, 1 silhao, 1 selim para
carneiro e 1 machina para engommar.
Cozioba.
Diversas mesas de oioho. diversas vasilhas de
madeira e estanho, trem de cozinha, e maitos ou-
tros arligos que estarao pstentes ao exame dos
j Srs. compradores.
A's 10 1 [2 horas da manna do referido dia, par-
E' esperado dos portos,.
do norte ate o dia 23 do "r*."3 estacao da rua do Brum nm bond qne con
corrente e seguira para dlu'r* 8rat'8 os Srs. eoocurrenies. dos quaes
os do sul, inclusive o da *aael!?8 que n5o poderem ir absoluUmente nessa
Victoria, depois da de- occasiao> poderao facilmento para alii se transpor-
______________ raora do costume. Ur vist0 como de Dieia em "*& hora ha bonds
Para carga, eocomroeodas, passageiros e valores 'P*^* a1aella localidade.
trata-se no escriptorio I A casa em Que deve tor lugar o leilao flea a 4
colcha para piano, esteira e panno da sala da jan-
tar..
0 agente Martins, em cumprimento a3 maniado
do Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, fara
leilao dos moveis acima, pertencentes a massa fal-
lida de Candido Alberto Sodre da Motta, existen-
tes na terceira casa da rua d'Amiiade, na Capun-
ga, entrada junto a igreja de S. Jo:e do Mangui-
nho.
Principia as 11 boras.
Agente Pestana
LEILAO
DOS
utensilios e mais objectos da reflnagao sita a rua
Imperial n. 10*
SEGUNDA-FEIRA 21 DO CORRENTE
a's 11 horas em ponto
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por con-
ta e risco de quem pertencer, dos utensilios e mais
objectos da refina;ao :cima mencionada.
Em um ou mais lotes, a vontade dos Srs. com-
pradores.
Grande
LEILAO
CAM BA NilW.
AOS 4:0004^000.
BILHETES GARANTaDOS.
I rua Primeiro de MarQo (oulr'cra rua co j
Crespo) n. tS e casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos seus fe-
lizes bilhetes um inteiro n. 1983 com 4:000*. um
meio n. 3676 com 100* e outras sorles de 40f e
20/ da loteria que se acabou de extrabir (128'),
convida aos possuidores a virem receber na con-
formidade do co-turaesem desconto algnm.
Acham-se a venda os felines bilhetes garantidos
da 22* parte da loteria a beneflcio da Santa
Casa de Misericordia do Recife (129"), que se
extrahira na terca feira, 21 do corrente mez
PREgOS,
Bilhete inteiro 4^000
Meio bilhete 2*000
En porcao de lOOA para
Bil&ete inteiro 3/500
Meio bilhete 1J730
Manoel Martins Fiuza.
cima
a
HORTIMEBTO
\1 K D ICINA
Pr'-'.irado pot
U ma A EcM
para thiai^ca
toda a qualidadn
ded< enras, quer
s'-jaiia garganU,
peito ou bofes.
Kxpressamente
'scolliidodosme-
lliorc-jfig.vlosdcs
quaes se txlraho
o oleo no banco
da Terra 5ora
purili;adochimi-
calmente, e sou
valuaveispropri-
edades conserva-
das com todo o
cuidado, emtpdo
0 frasco se garan-
te pe-feitameb-
l<" puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um examemui-
to severo pelo
cbimico de mass
talento, do go-
vrno hespanbol
em Cuba e foi
pronunciado pot
elle conter
MAIOR PORCAO DIODINA
to que outro qualquer oleo, que elle tem
exanunado
IODl^iO E UM PODER SALVADOR.
Em todo 0 oleo de figado de bacalhio, e na-
7Rua do Vigario7.
Rio de Janeiro.
Preteade segnir com muita brevidade a barca
pprtajpxfi^pF**. p:r ter a maior parte de seu
passos ao voltar a fundij-ao do fallecido Starr.
0 leilao principiara logo qua obegne 0 bond
ndieadoi.
Opalacete qne se acha em perfeito estado de dos bens que ficaram por fallecimento do Illm. Sr.
conservagao, possne magnificos commodos para Dr. Alexandre de Soaza Pereira do Carob, os mo-
, DE .
moveis, louca, vidros e ferramenta de ci-
rurgia, de diversos carros, e de uma opti-
ma parelha de mullas, propria para carro
Ter fa-feira tt do corrente .
A'S 10dj2 HORAS DA MANHA.
Em 0 2. e 3. aadacos do sobrado da rua
da Imperatriz 0. 9.
0 agente Dias, competentemente autorisado pe-
lo Exm. Sr. desembargador juiz de orphaos, leva-
ra a leilao, no dia e bora acima indicados, a re-
querimento da Exma. Sra. viuva e inveritariantes
grZK L~zi ii e ;e:n tcrraj
cm i:'.:ma
. gu.;
>H-B-
Cj'^i'j iw.i..';.' -,e xci'... -'i
CASA DO OURO
Aos 4:000?0
Bilhetes garantidos
fltto do Barao da Victoria (outr'ora yVoiw '
n. SO, e casa do costume j
0 abaixo assignado acaba de vender nos sens'
muito felizes bilhetes a sorte de 2004000 em
meio bilbete de n. 33S1 e um meio bilhete de n.
3676 com a sorte de ICO*, alem de outras sortes
menores de 40X000 e 20X000 da loteria que se
acabou de extrabir (128*); convida aos possuido- queile no qual contem a-maior aorcao desta
nrem receber, que promptamente serao mvaluavel propriedade, e o uniwmek) para
curar todas as di.encas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronchistes, asthma, catharrbo,
tosse, resfriameatos, etc
Uns poucos frascos di carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista, e divigar
a todo 0 corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina ou sciencia, *Hi taato
nutimento aosystema e irn'ommodando^aaai
oada 0 estomago.
As pessoas cuja organisacio tem sido deav
: truida pelas affeccoes das
ESCROFULAS Of RHE11MATISMO
j e todas aquellas, cuja digestAo se acha edav-
[ pletamente desarranjada, devem tomar
OOLEO DE FIGADO DE BAC1LHAO
pagoe.
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeiu
vei publico para vir ao sea estabelecimento eom-
prar os muito felizes biibetes.que nao deixarao de
tirar qualquer premio, como prova pelos mesmo
annoncio*
Acham-se i venda os muito felizes bilhetes ga-!
'antidos da 22* parte da loteria a beneficio da
Santa Casa da Misericordia do Recife, qne se ex-
trahira no dia ter^a-feira, 22 do corrente mez.
f*rc*eoa
Inteiro 4x000 ,
MMo 21000
De 1009000 para elaaa.
"* Inteiro 3#800
Meio 11760
Racife, 14 de dezembro de 1874.
lad* loaouvm da Costa Letu
^Tf Alnga-se 0 1 andar com sotao, sito a rua de
D. Maria Cesar, outr'ora Senza la-Nova, n. 37. ree
diflcado e pintado, com grandes commodos : a tra-
\H Da ;;-. iv t>.x-:r-.s kii Martfas n. '48.
l-L\iU."< i iUlf




'S-------------C .... '

- ..,-- -


Diark) de Pemambuoo Sexta feira 18 de Dezembro de 1874.
*
i
m
a
ft ii.
Salsa e Caroba
VENDEm AS PELQS PREgOS DO COSTUME
i
H^"* Attengao
Os Srs. abaixo nomeados queiram vir a ma do
Imperador n. 24, a negocio. A saber:
Antonio Joaquim da Silva Barbosa.
Antonio da Silva Prda, raarmorista.
Francisco Jose da Costa.
Fabieiaoo Napoleao do Rego Barros.
Lagos, conductor dos bonds.
Jolo Antonio I'onugal.
Jose Alfonso de Oliveira Guirnaraer
Felix Cantalice Lobo da Silva.
Manoel Jose" Ferreira Bentevi.
Quintino Moreira Dias.
Ansberto de Souza, conferente.
Jose Paulo dos Santos Oliveira. i
SJIvioo Antonio Rodrigaes.
Joao Gomes dos Santos Filbo.
Aotonio Saraiva de Aranjo Galvao.
Angasto Lobo de Siqueira Thedin.
Francisco Sergio do Rego Dsntas.
Francisco Xavier Pessoa Cavalcante.
Antonio Ribeiro Ponies.
Rufino Corrda de Mello.____________________
Imperial
Fabrica de rape areia preta una, de Moreira
& Cunha, da Babia.
Deste excellente rape, que se torna recommen
davel aos amantes da boa pitada, tem estabelecido
esta fabrica o seu deposito a roa do Commerciu n.
5, qae vendem por junto e a retalho, faiendo-se
vantagem a qnem eomprar porcao.____________
Pedro fugio.
Fugio do engenho Prado, fregner.ia de Seri-
nhaem, o moleque Pedro, crioulo, de 17 anno?, es-
cravo de Francisco Pioheiro de Menezes, senhor
do engenho acima, cuja fuga teve lugar no pri-
meiro do corrente. bste escravo veio de Pedras
de Fogo e fol alii escravo do Sr. Manoel Quirino
do Nascimento ; 6 de suppor que tenba tornado
aquella direccao e que tenba se encarainbado
pela linba ferrea, procurando esta cidade, como ja
de ontra fuga o fez : 6 preto, de olhos reguiares e
um pouco brancos, rosto oval, altura mediana,
orelhas um pouco grandes e em pe, tem no joelbo
esquerdo nraa cieatriz de um grande talbo ; quern
o apprehender leve o ao dito engenho on a rna do
Imperador n. 77, 1* andar que serarecorapensado
generosamente.
Atten^ao.
Aluga-se urn excellente sitio, na Passagera da
Magdalena, junto ao do Sr. Tbeodoro Cbistiansen :
a tratar na rua do Marquez de Olinda, n. 62. 1
andar._______________________________
Fugio do engenho Goita, do termo de Naza-
reth, era dias do mez de novembro do anno de
1869, a escrava Thereza, mnlata bem clara, de
30 annos de idade, solteira, baixa e bem refor-
cada do corpc, rosto redondo, cabellos castanhos e
annellados para as pontas, olhos amarellos e gran-
de?, nariz um pouco chato, bocca grande, tem
falta de um < u dous dentes do lado de cima, can-
gulos, braco3 e pernas grossas, pes rolicos,
dedos curtos, lava, engorama e 6 boa cozinheira,
tem sido vista na cidade do Recife, onde conser-
va-se acoitada : roga se as autoridades policiaes
capitaes campo, e raais pessoas, a apprehensio de
dita escrava, sendo entregue a seu senhor o ma-
jor Cbrinovao de Uganda Cavalcante- de Albu-
querque, no engenho Rosario, do mencionado ter-
mo de Nazareth, ou no Uonteiro, a Antonio da
Rocha A. Lios, que tera a gratificacao de cem
rail ris.
Mademoiselle Eugeraia Leconte e irraa, avisam
a suas anligas freguezas e ao publico em geral
que tbriram novamenle sea esiabelecimento de
casa de cdsturas a rua da.Injperatrijira. S, primei-
ro andar, pelo que esperam continuar a merecer
a concurrencia das jie.-soas que preci*areia de
seus sqrviyus. \
Aluga se pela temp j da lesta uma boa casa.
na eitrada da Torre, a margera do rio :
d Marquez de Olinda n. 66.
FU1VDICAO DE FERRO
I* na do Barao do Triumpho (rua do B) os. 100 a KM
CARDOSO & IRMAO
AVISAM aos senhores de engenhcs e outn.s agricultures e ao publico em geral iju
.ontinuam a receber de Tnglaterra, Franca e America, todas as terragens e macbinn s ne-
----------- eessarias aos esta beleci men tos agricolas, as raais mode.nare ntelhor obra que tern viudo
I o noercado. ,.
! v a.p01*e8 de forga de 4, 6, 8 e 10 catallos, os melhores que tem undo ao merado
'Aliigaseum moleque de 1& aiuos de idade,' | y*\Aa\-r para todo servico de casa de farailia e tarabem ,~'*wiia> de sobresaleute para vapores.
se garante o sea bom comporfcmento : a rua do \f OendftS inteiraS
Moleque.
Barao da Victoria n. 22.
Rhum nacional.
Premiado na exposicSo da Socieiade Doze
de Dezembroi
Vendese pele diminuto preen de IJOOO a gar-
rafa na bem cenhecida taberna Plot dos J'rogressos
na rua do Cabuga a. 8, confropte a miiriz de
Santo Antonio. ;. __________
Aluga-se uma casa terrea com 4 quartos, 2
sa'as, cf'Zinha fora e quintal, por 253, na Capun-
ga, Balxa-Verde n. 18 : a tratar na mesma rua
rua n, lo. ,
i

J
I
Deposito de violio Madeira em
Peniaiiiliiiro.
Tendo ja obtido o melbor acothimento nos mer-
cados da Allemenha, loglaterra e mesmo em Fran-
ca, para os vinhos das minhas propriedades e de-
positos, onde foram apre.'iadoa 6 mereceram os
primeiros fpremios em .differentes exposicSes ;
e desejaodo tornal-os connecidos igualraen-
te na provincia de Pernarabuco, onde de cer-
to serao bem aceitos, ja pela dirainuta quantidade
de aguardente que conicm, como pela sua velhico { VTfl 1 Villas
etratamenro especial, resolvi estabelecer nm de-!
poslte na casa dos Srs. Pogas & C, a rua estreita
do Rosario-p. 9, onde se encontrao sempre de
differenles precose qualidades e direetamente en-
viados.
Sio geralmente conhecidas as vantagens que
auferem aos convalecentes-' do uso do vinho Ma-
deira ;'permiltam me, porem, os Exms. Srs. medi-
cos diaiirar a sua attencao para estes, nos quaes
encontrarao as qualidades mais apreciaveis.
Henrique !'-(' Maria Camacho.
(Este documento esta reconheci-lo pelo tabelliio
da eidade do Funchal, Joaquim MochadV de
Souza)
e meias moendas, obra como ooaca aqui veio.
Taixa8 ftindidaS e baUdaa, do melbofea fabricantes
itOdas Cl agua om cobaje de terro, fortes e bem acabadai.
RodaS dentadaS de todos o tamanhol e qaalidadea.
Relogios e apitos paj* etapor..
BombaS de ferro, de repocho.
A.raflOS de diversas qaalidadea.
Formas para assucar,grWide jwquena*.
farandas de ferro fandido, france*as de diverts e bonitos gost$.
r OgOeS irailCezeS para leDha e carvao, obra superior.
DitOS ditOS para p,z.
Jarros de ferro fundido
P6s de ferro
Machina
PUNDICAO DO BOWMAN
N. 52

1
ardim.

Cabelleireiro.
Na rua de Vidal de Negreiros n. 67, pateo do
Terr;o, trabalhase.em toda e qualquer oLra ten
dente a arte de cabellereiro; por preco razoavel.
J.4RDII DAS PWSTAS
rua' da Ventura a. 95 (Capunga)
Ahi se encontrara:
Larangeiras celecla e de umbigo enxertadas a 31
Sapotiseiros e sapoteiros era vasos.de 1 a 11
palmos e ate" ja com flores para dar fructo, alem
das seguintes plantas de ornato e de fructo por
preco muito commodo.
Vluga-se
araa pequena ca;a para pouca familia : na tra-
ve?sa do Fuodao n. 5, na Boa-Vista : a tratar na
rua da lroperatriz n. 8.
Abacati.
Acacia.
Ariticum a p6.
Canella.
Casuarina.
Carolina do principe.
Condeija.
Coracao da India.
Figueira.
Flamboyant.
Fructa-pao.
Inga do Para.
Jamba
Jasmim laranja.
Laranja da China.
Uita do c6o.
Dbaia e ootras mvitas.
Laranja cravo.
Dita de doce do Para
Dita branc.
Dita tangerina.
Lima da Persia
Dita dbig.
Limao francez.
Dito doce, enxertado.
Oilicoro.
Palmeira iprial.
Parreiris.
Pinbeiras.
Romeiras.
Roeiras.
Rozeda.
Ubaia.
Aluga-se
am eacriptorio
i^immercio n 4
ma casa.
no primeiro andar da rua do
: a tratar no arrnazem da mes-
Aluga -se
nma excellente casa de campo, na Magdalena, a
raargern do rio, com grandes commodos para fa-
railia, tendo gaz, agua com deposito, tanque para
banhos, jardim, etc., etc. : quern pretender, diri-
ja se io cafe Imperatriz, que acbara com quem
tratar.__________________________________
Pona escriptorto
Aluga-se o 1* andar do sobrado a rua do Amo-
rim n. il, muito asseiado, caiado e pintado, com
iuas salas e dous quartos, por preco modico : a
iratarno arrnazem do mesmo sobrado.
Precisa-se de urn ciado
ir-ifere-se escravo : a tratar
Campos
para todo servico,
na confeitaria do
rua do Imperador n. 24.
Aluga-se
para
para mesa e banco,
para gelar agua.
para bomba e banheiro.
Correias inglezas p.^ machinismo.
tSailCOS e SOiaS com tiras de madeira, para jardim.
OoncertOS concertam com promptidio qualquer obra ou mtcbina, para o que teen
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
SnCOmmeildaS man^am v'r Pr encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uroa respeitavel casa de Londres
i com nm dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incnmbem-se de mandar assents'
litas machines, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDigAO DE CARDOSO & IRMAO.
ODILON DUARTE & IRMAO
BtLLEIRElROS
Premiados
RUA
naf
fifPERATRTZ
1.* ANDAR.'
na exposirao de 1872
RUA
DA
IMPERATRIZ
H. 82J
1." ANDAR.
dic^fies
Acauam de reformar
possiveis de bem servir
as casas da$ ruas da Ilha Carvalho n. 35, de S.
lose n. 5 e becco de S. Jose n. 1 : a tratar no ar-
rnazem do Campos, rua do Imperador n. 28.
ALUGA-SE
o segundo andar e arrnazem da rua de Pedro Af-
tonso b. 59, o sobrado de un andar e sotao da
rua do iiospicio n. 65, e o primeiro andar e ar-
rnazem do sobrado da rua do Bom Jesus n. 63 :
a tratar na rua do Vigario n. 31.
Preci?a-*e de uma mother de bons costumes
ijue se preste a ensaboar roupa em casa de fami-
a tratar na rua da Cruz, arrnazem n. 23.
4os Srs fumantes 1

Fumo desftado d diversas quali- -
dad-s. <&
.Novo-Copora'. i&
Olho de Passaro. ^P
Plor do Brasil. a^
Verdaleiro Rio novo. Wf-
Verdadeiro fnmo de Goyaz 4jk
em paeotes e latas de 2, & e 8 onc.as, '^Sf
sem compojicao algnma nociva ao fu-,,||
raador, manufactnrado, e a vend a na Set?
Ei, fabrica a vapor, na antiga rua do s*.
f) Qaartel de policia n. 21. '8'
#####:
Oollegio de Santa Ursula
Para educagao de raeninas.
Este antigo e bem coobecido collegi \ estabele-
cido no editicio n. 32 da roa da Imperatriz, co-
rnecara os seas trasalhos no dia 7 de Janeiro pro-
ximo viodouro. A directora abaixo assignada,
espara dot pais de suas alamaat, e do publico em
geral, o acolbimento que tem merecido ate boje,
promettend de continuacae a seas esforcoe na
boa edaeacio das meninas que Ihes sio confiadas,
raant6ndo assiro o credito adquerido na pratica
de mais de U annos de exarcieio.
Recife, 16 de dezembro de 1874.
A directora,
Ursula Alexandria? de Barro.;
' Alo|ae uma casa> na rua' Vinte e 'Qua-
tro de Uaie n. 21: a tratar na rna do Livramen-
to n. 23, loja de sol. _________________
PraeW-se de nm caixeiro de 12 alt annos:
jratar da rni do Livramento n. 7.
4TTENC40
Os proprietaries da Pre-
dilecta a rua do Cabuga d. 1
A, fazem sciente ao respeita-
vel publico que, tendo resol-
vido mudar de genero de ne-
gocio, deliberarain vender
todas as mercadorias exis-
tentei em seu estabeleci-
mento com um abate de 20
por 0[0 afim de liquidar a
sua casa ate o fim do corren-
te anno, e por tanto e boa
occasiao do publico se pre-
venir do bom e barato.
Dividas da massa fallida.de
Bento da Silva & C
Tendo lido no Diario de Pernambuco n. 268 de
23 de novembro ultimo um annuncio do Sr. te-
nente-coronel Decio de Aquino Ponseca, que na
qualidade de arremalante das dividas dessa massa,
pede o pagimento aos devedores da mesma, sob
pena de se empregar na cobranca todo o vigor da
lei, vi com sorpreza meu nome na grande lista dos
devedores, com a quantia de 2:752 i400.
Declare que nada devo a referida massa, pois
muito antes de fallirem os Srs. Bento da Silva &
C, minhas lelras estavam descontadas em poder do
Sr. Joao Antonio da Silva Bastos, a quem paguei-as
no vencimento, e existera em men poder com o
competente recifeo. Macabyba, 2 de dezembro de
1874.
________ Joaquim Mancio Marinho Filho.
h'annonia
Ao caes do Apollo, arrnazem n. 69, se recom-
menda acs senhores de engenho a mais superior
farinha pannonia, em meias barricas.
o seu estabelecimento, collocando-o nas melhores con-
ao publico desta illustre capital, e is Exmas. Sras. n'a-
qoilfo que for tendente & arte de ca>elleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, cnignon,
cnqnes modernissimos, tran^ss, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
rnalares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ha de rnelhor nos mercados estran-
eiros, rerebe direetamente por todos us vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
rinos de mnrl';. por isso pode vender ao -/ monc, ., uwu Huai4uci, gaiauauuu
perfeicao no trabalho, agrado, smceridade e pre^o razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos em
por^ao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro.
10 OP 00 de gratificacao.
Desde o dia 3 do corrente fugio da casa
de seu senhor, abaixo assignado, o escravo
Miguel, pardo, porem nao moito escuro,
corpo relor^ado, de 19 annos de idade,-jo
licial de marcineiro, boa altura, e um tan-
to espigado, rosto comprido, olhos casta
nhos, dentes perfeitos, cabellos ,pixainhos,
nenhuma barba (apenas bu^o), p^s gran-
des, leveu vestido calca e camisa branca-
e jaqueta parda, gosta de jogar gymnastica,
e e bastante regrista.
Quern o apprehender, leve-o i rua da
UniSo n. 43, 'ilha dos Ratos) ou na rua
da Cadeia do Recife n. 56, primeiro andar,
escriptorio de Leal & Irmao, que sera" re-
compensado com a quentia acima mencio-
nada.
Recife, 7 de dezembro de 1874.
Manoel Gomes Miranda Leal.
Manoel Alves Ferreira 4 C. mudaram o seu
escriptorio da rua do Vigario Thenorio n. 3, para
eamesma rua n. 10.
I ;axeiro
Precisa se de um com Hade de 13 a
par taverna, com alguma pratica
largo do Terco n. 3i.
15 annos,
da mesma : no
10p 0 0 de gratificacao.
No domingo 13, pelas 4 on 5 horas da tarde, l'u
gio um papagaio com ntra [das azas aparadas
quem o treuxer a ruaDuque de Caxias n. 41, 2
andar, recebera a auanlia acima.
Ao Sr. da rua do
Imperador n. 24.
Antonio da Silva Prda, nao tendo negocio al -
gum de seu interesse com o tal campeio da rua
do Imperador n. 24, declara ao mesmo que ex-
plique o seu chatiado pelo jornal (Diario de Per-
nambuco) de bontem, pois o abaixo assignado
nao gosta muito de ver o aea nome em letra re-
donda, com especialidade quando nao tem trans-
accdes com bomens poaaeninos em tudo como o
e o da roa do Imperador n. 24.
Antonio da Silva Proa.
Missas de natal. _
Quem prer.isar de nm eacerdote para c*Ie-
brar; missas de natal at6 o dia dos Santos Reis,
em algum lugar distante desta cidade 6 a 8 le-
guag : dirija-se a rua di Gloria, eaaan.82, que
achara com quem tratar.'
Aluga-se
o terceiro andar do predio n. 22 da rua larga do
Rosario, com commodos para farailia : a tratar
nosegnDdo. _______^^
Quem precisar deuma perfeita engorama
deira, dirija-se a rua de Hortas n. 82._________
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
taverna : uo pateo da Paz n. 23, em Afogados.
Fmidas Herniarias
radical-
Aluga-se a sala e a alcova do 3.* andar do
sobrado n. 70, a rna Duque de Caxias, proprio
para moco3 soiteiros : a tratar na loja. -
Aluga-se nraa casa e sitk) juntojda esta-
cao do Porto da Madeira,em Beberibe : a tratar
com Manoel Firmino Ferreira, no Reeife, rna da
Con^ordia n. 146.
ELECTRO-MEDICAES
Para ligar perfeitamente e curar
meote
as quebraduras
Essas fundas ;eslabelecidas subre os conbeci-
ment'os medicaes e anatpnicos man (6m as quebra-
duras as mais volumosbs e diffioeis, impedindo o
seu desenvolvimento. Elles teem uma accao elec-
irica que na generalidade dos casos opera uma
cura radical sem qae o doente se sujeite a pres
cripgao alguma, a excepcao do uso continuo del-
las. A cuia opera-fe no periodo de 12 a 20 Ine-
zes conforms a hernia mais on ruenos adtiga.
L'nico deposito em Pernambuco, pharma-
PHARMAQA E DROGARU
DE
Bartholomeu & C.
34Rua larga do Rosario. 34
Aluga-se
o 3 andar do sobrado a rua Maricio Dias n. 120,
com muitos coxmodos, e agua: a tratar na rua
do Imperador n. 81, das 9 boras da manba as 4 da
tarde._________________________________
Aluga-se o andar e soiao do sobrado sito a
rua do Marquez de Herval n. 61 (antiga rua da
Concordia), tem commodos para grande familia,
eora gaz. piotada, esteirada e alcatifada ; a tratar
na rua Duque de Caxias n. 53 _______^^^^
Costureiras para modista.
Procisa-se na rua da Palma n. 3i.
Aluga-se
seis casas para passar a festa, em Apipucos, relira-
das da povoacao, muito frescas e perto do banho,
assim como um quarto assoalhado, forrado e es-
teirado, proprio para rapaz solteiro : a tratar no
caes 22 de Novembro n. 32.
Ml
(Fassando o chaiariz)
IM:i)I.M AOS senhores de cnguuho e outros agricultores, e compradores de r.u-
chinismo o favor de fazeruma visit* a seu estabelecimento, para verem o iioto sortim n
to completo que ahi tem ; sendo tudo superior cm qu.di Jachi e fortidao ; o que com a i is-
truc0o pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENgAO AO NUMERO E LIKAR DE SUi FUND1CAO -
Vapores e rodas d'agua do8 mais mmlernos systemM e m ununhol cm_
venientes para as diversas. cironmstancias dos senhores proprietanos e para descarojtr
MOendaS de Canna de ,todos os tamauhos, as melhores que aqui existem.
iWXiaS uentadaS pargL animaes. agua e vapor.
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
MacMnismOS para raandioc algodao, P. serrar madaira. (^ SSSCSS
BombaS de patente. garanttdas........ taxunS.. **'
lOdaS aS maCmnaS e pe^as do que se costume precisar.
FaZ qualquer COnCertO de machinismo, a *** m resumido.
r OrmaS Qe ierrO tem as melhores e mais baratas existentes no mercado.
-EinCOmmenaaS. Incumbe-se de mandar vir qualquer machinismo a vontade d Jl
clientes, lembrando-lhes a vantagem de fazerem as cijinpras por intermeiio de pess
entendida, "e que em qualquer necessidade pode Ihes prestar auxtlio.
Arados americanos e iUSlru,nentos agric las.
RUA DO BRUM N. 52
PASSA1>1>0 O CHAFABIZ
6EL0
1X\0 HA MAIS ALT V ttF. fSSOM
AGORA HA COM ABUNDANCU
Gelo para almoco Geio para cerveja
Gelopara lanche Gelo para refrescos
Gelo para jantar Gelo para sorvetes
Gelo para ceia Gelo para remedio
Gelo para vinho Gelo para banhos
Gelo para conservar legumes
Gelo para conservar fructds
Gilo para conservar peixc
Gelo para conservar came
Ernlim, gelo paw Todos; e para qualquer Lso
NA
FABRICA NOVA DA VILVA .STARR
Caes do Capibaribe n. 38.
Aberta nos dias Dteis das 6 horas da manha ate ra S hora- da lardt, e n.s Jjiuingos e di
santos alt as 11 horas da mi,nha.
N. B. Os pedidos de quantias grandes para os vapores ou j-ara fora da cidade devem
feilos com antecedtneia.
ESCRIPTORIO Rua do Commercio n. 40.
ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
N. 7 Rua do Barao da Victoria, outr'ora Xova i N 7
O dono des;e estabelecimento tendo de ir a Europa, vtnde a prejos baratissimo* odo cssecs
trigos, como sejtm :
Calcado francez
para homem
senhora,
tueninos
e meninas,
Botas e perneiras inglezas
de montaria.
Milias de vime e de fata.
Villa de Falmares
Na padaria den3minada Maur ty, sita na pra;a
deste nome, casa de azulejo n. 2, desta villa, esta-
belecimento de Francisco SeraBco de As.ns Vas-
concellos, fabrica se com a maior perfeicao, lim-
peza e barateza, pan, bolacha e tudo quanto se
pode obter da farinha de trigo. O ancunciante
protesta servir com esmero e agrado a todos quan
tos quizerem honrar seu estabelecimento e se cons-
tituirem freguezes e consumidores.
GRIADA
Precisa-Ee de uma criada portugueza para tra-
tar de uma crianca : a tratar na rua Duque de
Caxias n. 81, loja.
Aluga-se a casa n.
Seara, antiga do Jasmim :
n. 39.
33 da rua do General
a tratar na mesma rua
Nao ha nada mais barato.
Caixas com
a 33 a caixa
n 22.
seis libras de saboneles inglezes
na rua do Marqiez de Olinda
Venae-se muito em conta, cadeiras avuisas, de
balaueo, de bracos e de dobrar.
Perfumarias.
Finos exlractos, banhas, oleos, opiata e pos den-
tritice. agua de flor de laranja, agua de toillete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosmeticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ria para presentes em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas e garrafas de differentes tamanhns
d'agua de Cologne, tudo de priraeira qualidade
dos bem conhecidos iabricaute3 Piver e Coudrav.
Bons pianos.
Ujs melhores e mais modern:.'1 models d-.
Blond.I : vende-.-f. troca sp e aluga-je.
Quinquilharias.
Artigos de difToreuten ^uaibu* r
puantbsiaa.
Espelhos, leques, luvas, joias d'onro, Jesour.nl. <
caniveles, caixinhas de costura, album, qnadroe
e caixinhas para rrtratos, bolsinhas de veilud-
ditas de couro, e cestinbas para bracos de menina;
chicotes, bc-ngalas, oculo, pince-nez, ponteiras par.
charutos e cigarros, escovas, pentet-. carteiritiba d
madreperola, tapele para lanternas, malas, bol*a
de viagens, venesianas |ara janellas, estpnoco
pos, lanteruas magica<,cosmoramas, jogos da gloria
de damas, de bagatelia, quadros com paisageo<
C.lobos de papel para iliuminacdes, macbinas d-
lazer caf6, espanadores depalhas, rralejos de
accordaos, carriuhos, mamadeiras de vidro \,;.x.
dar leite as crianras, e muitos octros ariigos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode deaejar de to
dos os brinquedos fabricado* em differnte* pane1
da Europa. para entretimentos da* criancas. tud.
;. preen? mats resumHlrv 'in- !!!"*
LOJA DE JOIAS
DE
JOSE JOAQUIM DI4S DO REtiO.
Isto situ ja nSo c liqutdacS* e queima!!
O proprietario deste novo estabelecimento aturdido com 0 inesperado t\"\Z'Jr dos griios qu>
surgem de todos os angulos desta grande cidade, annunciando a liqnidacio dos estabelecimentos de joias
e, receioso de Bear SOSINHO, apezar de bem avaliar a9 grandes vantagens que neste caao deveria an-
ferir; tomou a inabalavel resolucao de QUEIMAR todas as suas joias, com 0 unico fim de eocorporar-
se a grande caravana, e, com ella, seguir em romaria para.......& segredo I
A pyra esta ardenteas victimas aguardam brilhantes 0 momento do sacrificioto (azec
os sacrificadores. ...
Isto posto, espera se, com justa razao, uraa grande concurrencia dos amantes Jda ecoo
que nao devem perder 0 ensejo de se proverem de objectos laes; e devero-n'o ainda aasun fazer, 1
que depois de todas essas liquidates, com 0 novo anno, acabam se as JOIAS desta cidade, e wc
sera publico aonde dellas se possa prover.

nas
No collegio da Conceicio precisa-se de ui
empregado portuguez, qne saiba ler alguma
cousa.
Precisa-se de uma ama que saiba engom -
mar com perfeic2o para casa de familia : a tra-
far a roa do Duque de Caxias n. 93, loja.

Grande deseoberla
Curativo das molestias do
Este importante medicamento qne acaba de ser
reconneeido pelos distinctos Drs Zalloni e Paras-
:beva eomo nm verdadeiro especifico contra a
phtysica, aefundo provaram nos grandes nume
roa de eaaoa por elles experimentados, como se v6
aa sessio da acadgmia de Paris de 24 de marco
lo corrente aano, encontra-se unieamente bo
Precisa-ie alugar uma escrava para 0 servi-
ce externo e Intern: em casa de familia : a ira-
ir na rua do I\ *jri j da Bca-Vi;1a n 52. -
Obras de verga.
Sofees.
Cadeiras, as mais apropriadas para viagsns.
Mesas.
Cestos quadrados, para armazeos de fazendas.
Ditos para padaria, os mais apropriados para
venda de pao.
Cestinhas para meninas de eseola.
Capachos para entrada de estabelecimentos a
portas de sala.
Carriuhos para meninos.
Bercos idem.
Veudera Pdcas & C, a rua estreita do Rosario
0. 9, junto a igreja.
Veade se folba de louro a 720 rs. 0 kilo : na
roa do Rangel n. 67.__________^^
Para tratar de um peaueuo sitio, precisa so de
um homem que seja cuidadoso e eotenda do flo-
res ; e de am criado da 12 a 14 annos, para ser-
' vico de casa e algum mandado :' no caes do Apollo
PRESERVATIVE DA EMMU
BO
Bacharel Manuel de Siqueira Cavalcanti

Remedio efficaz, nSo so para curar qualquer ataqne de erysipela, 1
para impedir 0 seu reapparecimento.
Approvado pelo Governo Imperial, acha-se a disposicio do Poblwo
com as respectivas instruccoes, attestadoa de passoas riotateia, e de ""
do grande reputacao.
Recife
Rocha Siqueira.
Rio de Janeiro :
Depositos runicos.
: rua do Barao da Vic-tiria (roa -Nova
iotfria (rn* Sora) n. W, caaa io 8r.
Corte, rua do Ouvidor, n. 78.
sm -
Gh-atis aos Fobres.

M^Jm^i^....*^, i-iLr* .-* 0*Ji*+ \**S* ***S\ |W

9
Dterio de feraumpnco Sexta feira 18 de Bezoirrbre de 1374
_____________________ -____________________________________ -sr
^
^jg**fy
J Ifms 2o:oooSoeo
Blletes de loteriaa do Bio.
_____Praca da Independeneia a. 22.
E. A. DELOUCHE
24-Bna do fiarquez de Olinda-24
Esquina do beeco Largo
Participa a sens freguezes e amigos qae mudoh
o 86a e3tabe!ecimento de relojoe.'ro para a raesma
rua n. 24, onde encontrarao um grande sortimento
de relogios de parede, amerieanos, e cima de me-
sa, dot) melhores gostos e qualidades, relogios dc
algibeira, de todas as qaalida lea, patente soisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaqnet), relo-
gios de ouro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricates, eadeia de ouro, plaquet e prata. lunelas
de lod?s as qualidades, tudo por precos muito ba-
ratos.
Precisa se fallar com os seguintes senhores,
aa raa Primeiro de Marco n. 16, primeiro andar.
Dr. Candidi Vieira da Cuuha, de Sergipe.
Tito Antonk da Cunha, da Bahia.
Domingos Ulympio B. Cavalcante, S.bral do
Ceara.
Manoel Paula bap da Silva._______________
Toda attenqao
Retalha se, com frente para a raa da Amizade, '
sobre 19i palmos de fundo, nma porfiao de oplimo
terreno para edificacJo, lirada dp sitio centiguo
a igreja de S. Jo?e do Mangulnnb, d.i pteco de
** por palmo. Aqoella frente e toda rourada, j
torn como a pane posterior e a lateral extrema : i
os pretendentes podem entender se cera o Sr.*a>r:
Witruvio. _____________________________
IITITIJTO PARTICULAR,
RuadaRoda n. 48,sobrado.
Prime ras leltras, portuguez, francez, ja-
glez, desenbo linear e musics.'
Sob a direcgao do professor Herminio
Rodrigues de Siqueira funccionam ditas aa-
las todos os dias uteis.
Recebe alumnos internes, raeio pensio-
oistas e externos ; fornece todo o material
para escripta e livros aos priacipiantes, pot
prec,os muito razoaveis.
I
V
0 AP0ST0L0
j
Publicacao diarja
Este orgSo do catholicisroo na cdrte do iroperio
oomecara a ser publicade diaiiamente no proximo
met de Janeiro de 1875.
Leques gratis
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, esta
distiiiiuindo gratis aquem lbs fizer algum gasto,
am lisao leque, vis to conhecer a necessidade qae
ha deste artigo neste tempo tao caloroso.
Distraqao
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, e so
qnera tern as lindas cods ruc.ocs ou desenhos para
fo;mar diversaa vistas dos principaes ediUcios da
Eumpa, e que servem de distracoes uas horas
vagas.
Lubin
Bjnha, oloo exlrncto, cosmtlique desse afamado
hbricante : so ijuera ttm e" a Magnulia, a rua Du-
ajtte de Caxias n. S 5.
Preseutcs
A Ifagoolia, a rua Duque de C xias a 43, alem
de rcuit s ontros artigos qte tem proprios para
prestnte, acaba di> receber o scguinte :
Bouecas de cera que chau.am papai e mamai.
Bjnecas lie camurca ceoi pescico, pcrnas o
bracos movedicos.
Liu .is eaixas cm limssim > extraotos.
Bjcos rasi s com lanha e pos de arroz.
Buditas caixas pan costura.
Gesbrinas com 11 res artificiaes.
Di'.as com prepares para costura.
8>ptisados
Ricos chapeos p. sapatinhos de setini branco, de
diverts gostos, par-prios para baptisadus.
Cuticuiina
Qaera Mver nodoas no rcsio e quiz>-r Bear em
leas,l com pre ora frasco de cuticuiina, oa Magna
Boas casas de
Poco da Panella ;
Tasso.
Alugatu-se
campo, na Cruz das
a tratar com o comm
<
9
a
o
3
a.
m r> =
q. ^ C 3
2 gas's j
u 3
t Moleque fiigido.
Gratiflca-se con JO,000 re1 a quem pegar for-
tunato, moleque de 13 a 14 anno?, preto, baixo,
cheio do. corpo, ro^to e, cpbeca redendos, pa^iz
chato,- cabeHos carapinhos'e'eortadosde fresci ;
ausenlou se na tarde de 10 deoatubro do coqrente
anno, com camisa- de madapolio, calca de brim
de cur, desbotada. a chapeo de mass a preto Gra-
tiflcase na ruaTda Cadeia do BeJfe5a. 39,o na *J21? ?* J,-*illp*i P'^a.mn sustentare
raa da Aurora n. 163. defender os prnfcipids da retigiao catholica apos-
tottca ronwna, naj obalante etie se ccoupara de
tudo aaanto possa offurecer oma leitura vanala e
sticculents aos seas assignantes e intere9sar de
qnalqaer modo a prosperidade do imperio.
i 0 Apostolo content em saas colamnas as segaln-
tes secgoes, alem de outras que poderao ser ad-
mi tti das opportuMmente ;
I Redacclo (artigos editoriaes sobre as |aetBes
do dia, foer religtosas, quereivfs) ;
Seccao religiosa ;
S. c^8o Bciennftc.i ;
Secgao litteraria ;
-FolMB;
Exterior (correspondeocia) ;
Interior ((Jorreipondenciajr;
Seccao juridica (motipjlo dbe Uibonaes) j
Seeca oeoimerct*!; '
-Expediente dotepado;
>" SeeeSo aotieiosa; J c
Seccio especial (avisos): Q;
Seccio pjttloular (ptiblfcajSes pdida);
Declaracdes;
Annnaeios ; !
ADV0GAD0
BACBAREL JOAQUUi GUESSES DA
SILVA HELLO.
*3 Baa eatrelta do Bosarlo S3
primeiro aaiUr.
uqa casa oa villa de
mercio, por prejo modico
Irmaot & C.
a tratar com
Cor;
fas-
Cftli^AliO
&:
M
I
ST S
o
ft
e
B
s
s
en

O
er
CO
i
g 3
8
o
a
a
at
5
H
era
a
v
3
at
ia, .aru.: Uilju.
de Caxias is. 45.
Mod as
Coque: de cdtlh).
Settas j ora^as.
I-- |u-,s !. rrad-js.
Dtiis de -'. marfim e madrepcrola.
Meias (fe "0?i s para senhora.
Gc;\y-<:^..,. |i: ra seuliura.
v > rv'.-o
C.in'.H t.ido de me al.
Fiyel.is pretax para vesli.lo.
Briitcos le t to.
iiiltua iij !. .lruniriilo. o ninilna fiitri^i nrliff
que >6 se cncoblrari ..a Magnolia, a rua Duque de
Caxias n. 45.
Espetlios
dourados, c|uadr hnos na Magnolia, a rua Duque de ;,'axias nu
mero 45.
laEtiv js=i
nNW
,
)
Sabonete vegetal pre-
servativo do conta-
gio
venereo.
icrta de um ineio precr\alivo
tem eccupado a
a
a
o

a
a.
o
o
5?-
2
9
m
9

O S
s
3
CoDsultorio medico
DO
Dr. Hurillo.
RDA DO VIGARIO N. i, ANDAR.
Recem-chegado da Europa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
podera ser procorado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas das 6 as 8 horas da manha e
do meio dia as doas horas da tarde.
GRATIS AOS P068ES.
Especialidadet: Motestias de senhoras,
da pelle e de crianca.
ALUGA-SE
uma grande casa torrea com bastantes commodos
sita na estrada da Lucas : a tratar a raa do Vi,
mmmm^-mmmmmmmmm
CONSULIORIO |
MEDICO-CIRURGICO I
0 DO g
a Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso \
PARTEIRO E OPERADOR
^Bua do Vlsconde de AIbuquer-9
d| que n. 39. ifk
ESPEQALIDADE
Uolestaaa de ennoras e
menlnoa. ^
Consaltas das 7 as 10 horas da ma- 25
nha, todos os dias. WL Das 6 as 8 da noite, nas segundas, quar- jfe
5 tas e sextas-feiras. M
W. Os doentesquo mandarem os seus cha- >
ML mados por escripto at 10 horas da ma-
g nha serao visitados em snas casas.
Aluga-se
Vicente fugio
Na noite de 13 para 14 de marco do corrente
anoo, fugio o muUto Vicente escravo, de 20 a
22 annos de idade, b.mita ligura, barba e estatara
regular, Ievando vestido e em um sacco Jroupa de
aigodao branca e alguma flna pertencente a am,
aixeiro da ca-a d'onde fugio, e natural da fre-.
iiu'v.c, uo o.mi -,i!iM ub diantos uiz ser uvre, ma-
do em companhia da raadrinha D. Anna Luija da
Luz de quem alias fji eseravo : roga e, portan-
t liciaes a apprehensao do dito escravo e entrega-
lo oa cidado do Recife, rua do Crespo n. 10, ao
Sr. Joaqu'Gi Mcreira Reis, ou na cidade do Assu
ao Sr. Toriuato Augusto de Oliveira *
os armazens ns. 63 e 69, na praca do chafariz em
F6ra de Portas, um onde teve tenda de ferreiro
o fallecido E. Mabult. 0 outre qae esteve occa-
pado com venda de molbados, para o que 6 op
timo pela localidade e ser de esquina. ambos livres
e desembaracado3 de impostos: a tratar com o com-
mendador Tasso.
Us annuncios oa avisos pubkeadus oa sqqao ex-
ptcial pagarao por" Wnaa 400 r. A
or artigos iosertos na secpib particular pagarao
por liaba flO rs. '
A assignatara do Apostolo pur um anno na corns
e provincias 29*000.
Por seis mexes idem 10.000.
A tirada da tolba aciutImenie exeeie ja a 4,000
exemplares.
Cotnmudicande' bos eaHl^icos do imperio a re-
soluf So em que estarao de publicar o Apostolo dia
riameale, em maior formato, typo nevo bom papel
e com os melhoramentos indispensavris para o
preenchimento da sua JDtssao na iipreusabrasi-
leira, tudo esperamos do sea valioso coccurso, aQm
de que vejamos ceroada de feliz exito a empreza a
que nos abalancamos, sem olhar a sacnll?io.
0 Apoitolo, salvo oSartt^os d qoes.SeS inttWa
mente pessoaes, ainda quatdo repo&>abili$ados
legalmente, adailfiraamsuascJIdmnas tMo quan
' to um jornal serio pole sem desar aJrnii li Uesde
j quenem de leve se flra-o dogm3 catholiv e a dis
, ciplina da igreja, enjadefeza > sostaotat.i > consli
tuem o principal pregrarmma da folha i
Os artigos que a redaecao julgar de interesse
jgeral, serao aceitos e publicados oppoits-aamenta
;sem que a mesma se re5poniLilL;e pela entrega
' dos autbographos, e todos os que toa> fstiverem
'neste caso pagario o prego asHipulado para as pu-
blicacSes feitas na secqaopartieu'ar.
0 Apestolo recebera sempre com agrado e reco-
i nhecimento toda e qualquer noticia da curte e pro-
vincias, sobre o movimento politico e religioso do
imperio, desejando apenas que as informacdes se
jam daiadas e a.--ignadas per extenso pelo infur-
mante, unicamente para q ;e a redacclo tenha
seiencia d- sua procedencia.
0 Apotlolo nao tem cor politico absolutamente e
por isso mauter-te-ha sempre no terreno da mais
severa iraparcialidade.
As pessoas qae quizereaJ tomar a issignalura
poderao diriglr-se aos Srs. Gairaaraes & Oliveira,
a rua do Imperador a 54.
UOUIDACAO.
0 Paris n'Amenca esta liqaidando os calcados
peles teguintes preqos :
Botinas de durajne, le eires, com canno alto e
laco, a LuizXV aSjioOll!
Botinas de duraque, de cores, bordadas. canno
alto, a6 III
Botioas de duraque com laco a 3a.
Botinas pretas gaspeadas, canno alto, a 4*, 5* e
8X000.
Botinas U'as eeo/eitadas, ffana mtainas a 3x,
B< tioas de Suzer, de cordovio com pantaira ee
liz. para bomem a 8*. Aproveitem, qae e
barato.
i>QTM0$ ^barato
Vende se um escravo de 30 a 35 aaaos, e bara-
to, proprio para re6naoa, padaria, ou mesmo
para um sitio, por sw de boa coadoeta e sen se-
nhorrfttirr-se-para fdra : ha raa de Hortas n. 96.
Proprios up kiles.
Chegaram am boa quadra, para a loja do Raaso,
riquissunos cortts de seda com largas listras
achamalotadas e lindissimas cores ; cortes de tar-
latana com pahnaS- bordadas a prata, proprios
para oailes : so na laja do Passo. a raa Primeiro
de Mar?o n. 7 A.
Sal do Abb^i.
Tem para vender Antonio Lnii de Oliveira
Axevedo, a bordo do palhabote Johen Arlvhr : a
tratar com o capitac a bordo, on no seo escrip-
torio. a ma do Bom Jesng n- 87
que serSo gi'Doro-^ mente recompeosadds.
BaptisU

t:

A de C
da infec ao svpbm'dea
attt'U.a'. de inuitos medicos notaveis
desde ca mui remoU, a isto movidos,
tem duvida pelo desejo de pouparera a
humani'jade as funestas cunsequencias
ilit enntacto e absorpcao de um pus tao
malefleo.
0 Dr. Antonio Ferreira MouUnho, dis-
tinctr) medirto na cidade do Porto, e bo-
mem abaatado, que com n mais desin-
tens a o empenho se entregon por
longns annos ao e.-tado e ensaios para al-
tingtr urn tao louvavel quao humanitario
desi leratnm, jnlga ter descoberto subs-
tancias vegetaw, que reunidas em for-
ma ae sabonete, produzem com efflcacia
e de Uma m.neira infallivel o pretendi-
do pffeH .
Sua cojivieeao 6 tal, em vista de na-
merosaa experiencias feitas no hospit I
da cidatie d" Porto, e do bom resultado
que o pul.liro tem obtido do uso de tal
preparacAo, qne ^He effercce o premio de
um conto i)f reij- fortes, ( como se \6 no
jornal Actual'dade do Porto de 2 de
maio deste anno ) a qcem Hie provar a
improflcnidade rte sea invento.
Per aotorieaeio do Dr. Mmtinho, o
a ico otpo-ito de seas sabonetes para
esta provineia e para todas as provln- K.
cias do none, 6 a Pharmacia Central, e )
para oo-t;.r a'qualquer fraude serao con- j
i>iderad < falsiBc dos todos os sabonetes I
mja nao kvarem o rotulo deste estabele- *
") cimento.
Ph rmacia Central
38 -ruad Imperador 38
mUfiMwsi
A'ng'. so uma exeellente escrava para todo
o servicfl : aa rua da Gloiia n. 446.
Aluga-se
o_3* anlar e sotao do sobrado da rua da 'mp triz n. 53 ; a tratar no 2*, ndar do mesmo so-
brado
Engommadeira.
Precisa se de uma engommadeira para engom-
mar para riuas pessoas : a -ratar na traveisa da
rua do Vigario n. 1, das 9 horas as 4 da tarde, ou
oosegundo sitio, depois da estacao do Chacon.
Nao ha mais eabelos
brancos.
Tintura japon^za.
S6 e uniea approvada pelas a?aJomiasde
sciencias, recotihe' ida superior a toda que
tem apparecido ate" hoje. Deposito princi-
pal A rua ila Cadeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda n. 51, P andar, e em todas
as boticas e casas de cabelleireiros.
\ MA PrdCi?a se .alugar uma escrava para
**"" criada de casa de duas pessoas, assim
como de uma rapariga de 10 a 12 annos de idade,
escrava ou livre, pan andar com uma menina de
tenra idade : a tratar a* rua do Ma.quez de Oiin-
da (antiga da Cadeia n. 54. armaiem.
AMA
3* andar.
Bonsbanhos edormida fres-
ca no Monteiro.
Aluga-se alii por preco comraodo uma casa pe
quena qae tem 2 alias, 3 quartos, cozinba e boa
cacimba, e 6 perto do rio : a tratar na rua Nova,
loja n. 7._________
Precisase da ama para cozinhar : no ar-
mazem Baliza, rua d > Livramento n. 38.
MOFINA
Esta encouracado!!!
Agtaa mole em pedra- dara
Tanto da ate que a ftira.
Roga-se ao Mm. Sr. Ignacio Vieira de Mell
*scnvao na cidade de Nazareth desta prdvincia,
favor de vir a rua Duque de Caxias a 36, a con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a !
realisar, pela tereeira ehamada deste jornal, em '
nns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro
passou afevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo 6 de novo chamado para d
8m, pois S. S. se dove lembrar que este negoci
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu tiiho
chava nesta cidade.

Precisa se de uma ama (orra on
escrava: trata se na rua do Marquez
de Olinda, antiga da Cadeia, n. 52,
Ama
Precisa se de uma ama para
cozinhar em casa de homem sol-
b iro : na rua de Pedro Aflbnso
n. 29.
Precisa se contratar corn uma senhora de
bons costumes, jue se encsrregue da educacao de
ires meniuas, ditante de.-u cidade 10 minitos :
dinjamse ao largo da matiiz de Santo Antonio
loja de cirgui-iro n. 4.
- OflVr.lira se ami ama de kito sem fllho
largo do Toe' n. 2.
DO
Na rua Dir-iu n. 2, S gundo and.r, ha
p.va ?.!ug.'.r se nma escrava mor^a para o servi-
eo IDterao de ra.a rie familia.
i
VELOUTINE
ft UMA ESPECnC DB
POS m FLOR na ARROZ
MUTM
Una c9o aaadsrfW
EgpocialmpntepreparadoHcom bismut
por conBegnlnte d/t
sobre a pelle.
J5tAPH,KRSWTK e totalmente riTVt-
IX^h dand0 V** "> twsoura
midado natnraee.
lel.Pai, ARi
Ht^.a-SJetHmB
- Alnga .-e a meia -agua sua do becco da Ca-
cimba, a rua dos Prazeres n. 1 : a tratar na pra-
ca da Boa Vista n. 10.
- Precisa se de uma ama qu cozinhe perfeP
tamente : na rua da Uniap n. 29.
Lin> Ferreira da Silva
tem duas cartas na lua do Vigario n 7, primeir
andar.
- Da-se 2 200iobo a premio, g, b alguma casa
terrea : na rua de Hoi las n. 86.
Pura eas- de familia
Precisase d duas *r.ias de eonducta, nma para
ser empiegada unicamente era engomraadfl e al-
guma costura, e outra para ensabuado e servico
domestico, paya -e bem : no Manguiuho, bjrlo do
Recife o primeiro sitio de muro acmzeaiado do
lado direitu aotAs da igreja.
. Aluga-se
o segundo andar e arraazera da rua de Ped o
Affonso n. 59, o sobraio de um aadar e sotao da
rua do Hospicio n. 65, e o andar e arraazem do
sobrado da rua do Bom Jesus n. 63 : a tratar na
rua do Vigario n. 31.
Hotel de I'Europe
Aluga-se eiile vasto e magnifies ea-
tabeleetiuento a rua do Com-
merclu.n. 1*.
Este antigo e bem conheaido HOTEL, que fe-
cbou se por causa do fallecimenu do Sr. Eduardo
Tourpin, acha-se providj de todos us perlencas e
ornamentos correspondentes a lama de que sem-
pre gozoa,e estando sjtuado no lugar mais ap-
parente e agradavel do Recife como e o do oou-
uvard, defronte do desembarque de passageiros
os interessados nao achario occasiao mais pro-
picia para estabelaoer se com nm HOTEL bem
montado, em bom local e ja acreditado.
Para tratar, dirigir-se ao escriptorio de Pereira
taraeiro, a mesma rua do Coramercio n.6.
UJ1BS i
NatraTessa da rua
dasOruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
f'Ompra-se os mes-
mos metaesepedras.
'"Z-^SvZ *J?* >^>3 --'il-.'. ""'" S
O Monte Lima
tem um corapleto sortimento de gaiao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canutilhos e
eafeites para bordado. Tambem so encarrega de
todo e qualquer fardamenlo, como seja : boaets,
talins, pastas, espauas, dragonas, charlateiras, ban-
das, abotoaduras Haas e douradas, para criado
etc.; assim como um completo sortimento d
ranjas, galaofalso para ornamento, cordao de la
com borla para quadros a espelhos (conforme o
gosto da encommenda) tudo por muito menos
preco que. em outra qualquer parte : na praca da
Indeuenden;ia n. 17, junto a loja do .Sr. Arantes.
Cura das hernias, pelas fun-
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das ale hoje eo
nnecidaa.
Vende-se
na
Pnarmaela e Dresaria
de
Barlolomio dt C<
A'
34. Rua larga do Rosario 34
Vaccina. Vaocina.
Tendo b Sr. Dr. Jose Lourenco de Magalhaes.
montado na curte um completo servico deste ar-
tigo, tem aqui aberto um deposito da melbor e
mais recente, enjos tubo3 se encontram na
Pharmacia e drogaria
A*
______3i-raa larga do Rosario | 34._______
Seraentes de hortaltces
As mais n.ivas,
Couve flor.
a Bruxellas.
Sabuia.
Menciana.
Penca.
a Lombards.
Frunchuda.
t Galega.
Nalica.
< Repolho.
Brocalo.
Cenouras.
Nabos.
Rabanetes.
Chicoria.
Alface.
Mostarda.
Obolla.
Salsa.
Pepinos.
Vendera Pdgas 4 C, a rua eslreita do Rosario
n 9, junto a igreja.
Q
Eslii queimantlo
Aluga-se
Escravos higidos
Dj engenho Pagao, freguezia de Santo Antao,
fuginm us escravos Raymundo e Isabel, aquelle
com 23 annos de idade, solteiro, cdr nvjlato, altu-
ra regular, bem parecido, denies liinados, cabellos
meio soltos, ten um dedo aleijado de talho de
roda, e p6s lirapos; esta, viuva, ilad* 30 annos,
cdr fula, alta e secea, tem o rosto carnudo, na
testa uma marquinha pe^uena e pd com ridos :
quera os agarrar e entrejar no dito engenho, ou
na rua do Imperador n. 30, sera gratidcado.
Sara escnptorio, o primeiro andar e paramora
ia o segundo dito : na rua do Marquez de Olin-
da n. 4.
Atlcncao.
Precisa se fallar .im o Sr. Manoel de Siqneira
Cavalcante Junior a negocio de particular iateras-
se ;pa i a ilo Mara t. do Herval n. li.
Aluga-se
o sitio que flea crmHgue a igreja de S. Jos6 do Man-
guinho; recommenda-se por sua exeelJente posi-
eao e outras eondicdes agradaveis a sna habitacao
eoniortavel e de recreio : quem pretender, pode
entender-se com o Dr. Witravio.
AVISO
Josa Antonio Domingnes de Pigneiredo, prpprie-
ario dafabrica decigarros do Becco Largo n. 1
n It A e n. 2, avisa jos consnmtdores de seus ci-
rarros, qne mudou sua offlcina de cigarros do n
para o f andar do n. 1 e n. 1 A, por ter de
entrar em obra o de n. 2. Faz este aviso para
alguem o5o jalgar .^.-coaiawio, e seas *reguezes
ncarem scseatas le' que sd o.cupaas' 8-tolas dos
numeros acima, e o 1* andar do mesmo predjo.
DO D8UT0R WIHIAM NOfirB
r*r* rattituir progr siin-.p:ite aos oabollot
m k A SUA CORlfRIMITIVA
fclUsahsiiinecomTAiitigpm aspommaJaF parao loncador.
GUAPAHARiSriTUiRE'l POUCOSDlAJ *OS CABELLOS
A SUA COR PBIMITIVA
Bom ento iufallml desde 0. loiro ate ao preto
Supctiorlilade Inconieitivel; cmpiego laoOVnalTO.
rzarDHABIA ORIENTAL. S, rue fiercere, PABIS
DepnnJto em Perannbttco, A. PEOOBlj.
0 propnetano deste estabelecimeato tem resol-
vido vender as suas fazendas o mais barato pos-
sivel, aura de apurar dinheiro.
Carabraia branca bordada.
0 desengano esta vendendo cambraia branca
tordada aelo diminuto jrego de 360 rs. o covado
h graude pechincha.
Cortes de organdy de cores a 4 .-SOO.
Cambra-a transparente, fina, a ;a a "peca
Baptista de lindos pad/5es a 360 rs. e covado
Chitas escuras Unas, a 240 rs. o dito.
pitas claras.idem, a 2i0, 280 e 300 rs. o dito.
Lazmhas de bonitos padroes a 200 rs. o dito
Flor do bosque a 600 rs. o dito.
Camisas de cretone, fiaas, a :t< e 3*503
Madapolao inglez, fino, a 4*500, 55 o 5.500 a
peca.
Dite francez, fino, a 5*500, 6*, 6>500 e 71 a
peca
Alpacas de cores a 400 rs. o covado.
Basquinas de gorgorao de seda a 6*.
Popelinas de linho e seda a 11 e 1*500 o eo-
vad".
Cambraia Victoria a 4* e 4*500 a peca.
Gase de seda a 1* o covad.-.
Brim branco de linho n. 4, a 1*500 a vara.
Aigodao T largo e fino a 4' 4*500 e 5* a
peca.
Cambraia de cores a 200 rs. o covado.
E outras muitas fazendas que deixam de ser
mencionadas para nao se tornar massante, por
isso convida a t.das as pessoas a fazerem nma
visita a sea estauelecimento afim de sortirem se
do bom e barato para a fesla : a rua do Crespo
n. K, junto a loja da esquina
LIQUIIIAGaO
Loja de lazendas
Raa do Crespo n. 20.
Lit de cores mindas mnito boas a
meniDM a 160 200 rs. o cotafa.
La pretas. saperior, a tot rs. o covafta.
Alpacas de cores finas a 320 360 rs.
S6se vaado.
Ditas com iisins atxrlaa, Issnoda tna, a
covado.
Chitas de cores a 240 e 280 rs. o
Metins de cores mindas a Ml rs o
Cretones, o maiawr qaa tea
400 e 440 rs. o eovaia.
Cambraiu braocas, bordadaa a
mais flna qaa.aaa viada aa narcaaa, 61
de 2*000 o metro, par 1JM0 a nra ; i
chincha.
Ditas pretas com (lores mioaas a ao* rt. <
Cambraia trxnspareaaa, flna, a 3* ipsa.
DiU Victoria, fina, a *M00 a papa-
Organdy de assento braaeo de eorea,
res mindas de seda e li, a 408 ra. o
E' pechincha
Cortes de casemira aa cores modenas a
corte ; e fazenia > I*. E* pachisjeaa.
Camisas de liako fiaas, Man, a 3*d a dana, 6 f
zenda de 55*.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dim Angola, verdadeiro. a 600 rs. o covado.
Madapolao francex aerdnWra, 21 jaraas, a a* -
7* a peca.
Aigodao T, larfo e superior, a 5* a peca.
Gorgorio preto de seda para venMo e para cotte.-
a 3* o covado
Toalbas akoeboadas a 4*400 a nada.
Colcbas fraodes a ajMO ana.
Cobertas de ganga, terrida, a 3*.
Lencoes de branaate a 2* mm.
Lencos de linho, abainbatka e na rmsahai -
3*500 a duzia.
Ditas de eaca da cores aMaaados a 3*500 a ia
na>
A1|000
Cambraia branca, bordada, eosa
qoadriobos, ab rtas e tapaaas, por
grande porcao, resolvemos vender
barmos, e fazenda muito larga i
sempre se veadeu por 2; o metro, <
dendo a I* a vara : ad qoem lai
por este pre(o e Goilherme A C., raa
loja das ires portas. Dio-ae amostras.
E ontros moitos artigos qae se veade par aa*
nos do qne outra qualquer parte para se da
Sd na lorem qneiram fa var aa aaaaanaa
ecganaja de
Ginttiernie I C.
E' s6 quem vende a 600 rs.
Cambraias brancas borJadas c im listras a>
quadros, abcrtas e tapadas, fazecla muito ana
com 5 palmos de lacgara, e pjr termos grande per-
cao resolvemos vender bara"> para acabanaea ; e
fazenda de 1.600 o covado, e nos esUmos veaaea
do por 600 rs. o covado, dae-se aam^ras : aa raa
do Cres >o n. 20, loja de Gnilhena* 4 C.
Vende-se
aa raa do Vigario n. 19, primeiro aadar :
Vinho do Vorto engam'ad*, ea barris ez
ancoretas.
Cera em ve'.as, dc Lisboa, superior aaaoitda
Retroz do Porto.
Cimento Portland, kgitimn
BAZAR
DAS
FAMILIAS
Raa Duqne de Caxias n. M
1]
araa
iest.
de*:
Reis e Silva & Guiraaries, pmarietarios
bem conhecido estabelt cimcuto de fazei
c jnvidam aos sens freguezes e ;m gos a
se dos artigos indispecsaveis para a fe-ta
da ultima nk-d.-. e de fino post.., cs quaes se
dem por modico prepn.de forma qje ieual aio x
enconira em outra parte.
Afim de que o pnMieo avalie o tn levsm dik
offererem a 3na precisa con^ideracao a menjao:
Lacinbos para senborae.
Tem s nu complete sonimfato ile Ucsabos fit
seda e de cambraia b rdados qo e-lano- wu
dendo por preco muito br*t a J*, 2*iO0 3J
3^500, 4* e 8J cada nm. Sao raiiiiu liados.'
Gases de seda.
Temos nm compl-to sortimento de g-.ses fia ae-
da de seda, fazenda mnito molerra, e t> se ea
contra no Bazar das Pamilias. ,elc preco de 3C-
rs. o Ctvado. .Ningnem p, de v<>ndr.
Popelinas de linho m,
Temos um completo sortimento le popeliaas d-
hnho, fazenda propria para passar a fesu nor #
muilo barata, a 500 rs. o eova&i.
Faiai de seda de ctjrss.
Recebemos nm completo sortineoto de fatal a*
seda, fazenda inteiramnte nova que eMaaaos
vendendo per 2*, 2*200 o covado.
P.'pelinas de linfao e seda.
Neste artigo temes nm crmplfto urtimeato qua
estamos vendendo p e 1*800 o covado.
Vende-se o dominio directo de um terreno
sitona rua da Santa Cruz, em que se acha edifi-
cada a casa terrea n. 36 : a tratar ne raa do Vis-
conde de Gcyannaen. 3.
VJNoe QUINQUINA
rERfiyGINEUXdeMO!TIEH
Aluga-se
f**, Esu riaho (oi prseonLdo por toda a
TDsa nedical como undo o man podtroso
eaprtgado para curar a ClLOiosis.
MI* 0 fiUAISTACAS (O I.Kemj.
Deposito geral em Pium, U, rue des Lom-
ards, Uireacel, pbarmaceutico.
Ptrmumbucp, A. RJEGORD, ias Briiiei-
I paea pbarmaciai. ^
Armagao.
Vende-se nma armacio de touro, ingleza, para
lazendas : a tratar na rua do Crespo n. 20, loja
do Guilherme.________
Vende-se uma taverna com poucos fundo.*,
propria para principiimte, bem afreguezada : na
rua de Mathias Ferreira, em Olinda n. 69.
eoMPfifts,
a cast da rua de Riachnelo n. 9, conrbona Com-
modos para familia,. bom Jardim, agua potavel e
em perfcito estado de asseio : a tratar no arma-
tem n. is, da trivessa do Cbrpo Santo..
A 10 A.
AoQoes entre amigos
Adeum fa ineiro e ontros obiectos de.praU
22?ZkLeo>rJ6T C0,D a 3' totem du corrBfiia;
'' K1 ?M ODSbtaida para a segunda totaaia do met de
;ferere1ro proximo futnro, ^JfcnovoT piano, em
T,rlu?e'de ter deseMamliiWWo o taKo de 34,
pnmeri
Alogam-se tres casas lerreasaui raa do Co-
ronel Suassunans. 103, 193 e 19,8 com eoa>raodo =
e^ttpaade noro ; av tratar na rua -Direita a, 8.
- Ainda esti per alugar a- toja do ado
D. 2 a rua daa Laj-aiigeiras. aluga-se nor rtraoo
cnamodo: atratir *o ajuairo n. ^,'Jaato ao
hospital portagaez^ ate as 9 horas da- manhi t
das 3 da tarde e~

aa eanataatnaeato faratodos .os pwoot-tanto
anrlatas came am cah*or de todos os ttmanhos -
no pateo do Tarjo n. 51, 6 aonde se vende nwds
_ ,Cempra-se uma escrava que, seja sadia e
de bons costumes e que entends de cozinha e
engommado e mais servico de casa- de familia :
a tratar a rua de Amorim d. 5i armazem, das 9
** i
fCofre.
rador a- #3, L andar. ^

rrtr
d .. ..

-t
______
^hwapgyr41fia. do Pa4
Tempara veadflr.Aifttonto Ltth de Oliveira Ata-
vedo, no sett'tscriptbrlo, a raa do Bom Jevtts nn-
^ero 57.
Vwhos garantidos.
Cuuba Irmjl'S k G. d rua da Ma-
ttesde Dons d. M.
Figueira snpsrior em quintos e aucoretas.
Pasto idem em ditas.
Portn idem em ditas encapadaa.
Porto em quintos e aneorelas.
Po Idem superior para festas e doenles.
Hesperedina verdadeina.
Cera de carnauba boa.
Cafe do Rio bi.m.
Potassa nova em metos barris.
' i ) i| ^ i
Cura ds estpeilamenlo d'nretra
pela.ipeil wlicaA}4pJii8
SONDASOLIYAES
GOMMA ELAST1CA
as caahecidas
Assim como temos popelina branca, prcpriaaa-
ra noivas, que venderoos por I*t00e 2* o ee
Riquissimas capellas com v^ns para noivas
que estamos vendendo por 13*. IK* e 20* nma'
Polonezas de percalina proprias iara "iibIim
Temos nm completo sortimento de anlnaseas di
percalinas proprias para baabos, pr sereaa mni-
to compridas e muito baralas a t* e 5* nma ao
a fazenda importoa em muito mais do ana etna
feitas. *^
Alpacas de seda com listras.
Temos neste artigo nm completo s r1-?1"" wndendo par preco muito barato. qae !
8-0, WOO, I* e IJ200 ; sao larpas.
BaptisUs de cdrea.
Recebemos um com pit to sortimeato de bapsjs
tas, padroes mteiranjente novas, gosM aonilo bo
?iS??' .^ esBMB wntendo por fteco de M.
wjo e i.00 rs. o ccvado.
Cortes de granadine.
Recebemos nm completo sortimeato de carles
de granadine branca; com listras de cCres e pal-
mas scltas, qae estamos vendendo por 12* asa
corte.
Casaquinhos pretos de gorgxio.
Recebemos nn cempleto scrtiateata de
auinh's pretcs de gorgorio, que esUmos
o por 8?, 10*, 12* e 20) am.
S..iim branco e de cures.
Recebemos um completo Mrtimcato de
Macao, tanto branco como de cores, ana
mos por 2*200 e 2.400 o covado.
' Cambaias braaca, inaatnraale e tapena.
Temos sortimento de cambraia one vnadnan*
Ji*. 4.560, 3*. e*e 7* a paea ffinigS
1[2 varas.
Assim como, ootros artigos que aa
onbo mencionar.
' REIS E SILVA & GDIMARAKS.
taraa
Lustres, lampadas e ajcandel-
NA
cstiadrogeriade Bartholomea d C.
Rua la"rga do Ro.srio ri, 34.
las.
'Obra de gosto a mnito nan banrtri
oatra qoalquer parte. ana para
Jase Goncalves Batata ft Pino,, raa a
cio n. S.
'nilinin llli -muBLUBAMn.
cun^uc HaCMfC
Vende-se pedras de marmorea, da dimrm
maaboe, com da as pe4egante-ns*gToa4
para ntnitos mi?teres : a tratar coin
Cunha Lagei.
PAEINACADINCOHRETA
S-


p *
OiftHa^tf-'ttwawM)!!*) < e^aHfe& tt =
*
Aoslegitimos fogies econo-
taaba^'de'cltogM' a esta'tielaae os ver-^
dadeirOS fo%6^ebo^rriicoa',Ma*rhuito conie
cidos AaS'pWVinciss dft 'fHb deJaneiro,
Minas, S. Paulo, Sergipo, Rio-Grande;' Ja-!
Ma e Alafcfcfcs.'aontfe twit merecido do pu-,
blico a maior aceitacSo possivel, e sao ]&
preferidOs-dos do qaalquer outro systema, I
conhectdo prfa sua muita solidez, especia-'
lidado fla colloca8o, moderno systema,'
e sobretudo grande econoraia no corabusti-
vel ; trabalbam com lenha, coke, carvSo de
madeira; etc., etc. Ha de diversos taraa-!
ohos, proprios para casas de pouca, regu-!
lar\ de moita i familia, cottegios, hoteis, j
cases ptas, hosprtaes, etc. Acham-se ex-
poatos ao publico, aonde se darao todas as
explicates necessarias: na rua do Viga-'
on. fi '
See res Let Irmins, rua.-do Barao da Vic-
toria n. 28, ntgji rua Nora.
N.72. Rua da.Tm^n ffeB! -N. t%
EM LIQUIDA^AO.
Tendo reeebido diversas qualrdades de fazendas qne ha temdo tinham fcito encommenda e
agora estando em liquidacao resolveu que estas fazendas fceseun veadldas nas Tflesmas coBdiijoes o
que e muita vantagem para os coropradores, isto no Bazar Naeional rua da Imperatriz n. 72.
Organdys branco a 400 rs. Chales do 15 a 640 rs.
Vende ?e organdva branco com listras rauiio Vende-se cha es de \ila 640, ditos de merino
8rjo a 400 rs. o covado. I estampados a 1*600 e !*V
Pbpeknas a 1 i00f". iuij |. n>\ :Corea de-casemira a 5*. ,
Vende-se popeliaas de cores muita Buas a 1- o Vende-se cortes de easeinira de cores a 5*,
covado. i 5*500 e 6*.
Fazendas e artigos de alta
novidade
NA
L0JAO0PASS0
ftua Prinretro de Marco n.
7 A.
WTAM
A' praca circular do Apollo
vende-se:
ta-
03

Colchas para camds
Alpacas de cores a 406 rs.
Vende-se alpacas de cores para vestidos a1 400
rs. o covado.
Laazinhas a 120 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a I JO, 240,
350 e 400 rs. a covado.
Alpaca lavrada a 640 rs.
Na loja do Pavao vendese colchas de fustao
brancos, para cama a 2,500, ditas de dilQ de eor j
a 4,000, cobertas de chita e de cretooe, de 2,500
para c>ma e ditas de metim escarlate forradas com
madapoiio a 8,000 : a rua da Imperatrii n. 60,
da Felix Pereira de Si|va._____________-
Potassa nova
cnegada recentemente, verdadeira, em roeios bar-
ris : veDdem Cunba frmaos & C, roa da Madre de
Deos n. 34.
..GRANDE-
Liquidaicao
DE
Chapeos de sol de todasas
, qualidades
Mm. Falqu* conviaa ao respeiiavel publico e
particularruento aos seus freguezes, para que apro-
veltem a cccasiao desortircm sede chapeos de sol,
os qnaes e vendwn por baratis^imos precos, pois
deseja diminuir ofraada-dVposito que tern dcs
mesmos, e de todas as qualidades, come sejaai:
de seda, paono e abaca, para homens, teoboras e
meoinas. N'i nnsmo estabclecimeato ha ucn Op-
timo sorrtmenfoi de seda, alpaca, merin6 e brim
para coberla dos mesaios. Ha tambem chapeoe
de pauno com dous forros, proprios para os ba-
nbos do mar, a if 800 para aeabar.
Vende-se
No escritorio de Tboroaz de Aquino Fonceca 4
C. Siccessores, a rua de Vigario n. 19, jriraeire
andar:
Gimento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em 'gramo, de tlsboa.
Vinho Sbany.
Vinho d) Porto em caixas, GoMsimo.
Idem em baxris da quiato e daeiino, iiao,
Retroz.
Fio.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. I1), veode-se a seguinl e
Ciraento de Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, flnis3lmo, em eai
zas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisbea.
Cera em fjrume, idem.
\Vll a rua do C'raxnercio a. 14 :
verdadeira panao de aJgodao ami amancaaa
Excellente fig de vela.
"jOgaac de t* qnalidadt
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedrade todas as qaalidadpa._______'
Nova kbcssi,
\iiih \crde de Amaranle
Covida-se o apreciadores a virera apreciar o
que ha de mais excellente neste arligo; venie-
-e em d.ecimos e a retalbo, em casa de Pocai
4C, a rua estreita do Rosario n. 9, junto a
CoM'A superior
Fabrica Camacho
Ja chepou para o unico deposito, qo eschptorio
de Joaquim Jose Goncalves BeJtrio & Filho, a rua
do Commercio a. 5.
Farinha de mandioca
superior, cbegada pela barca Saphira ; tern para
vender maisbarato do que em ontra quaiguer par-
te, Joaquim Jose Goncalves Beltrao & Filho, ao
eu escriptorio, a rua do Commercio n. 5.
Vende-se alpaca lavrada para vestidos a 640 rs.
o covado. ,.
Granadina aSOOr?..
Vende segrsnadioa pretacam llstras brancas a
500 rs. o covado-
Pereales ftna3 a 400 rs.
Vende-se percales Unas para vestidos a 4C0rs.
o covado.
Chitas finasa 260 rs.
Vende-se chitas tf cdres' eseuras a 260, 2fi0 e
320 rs. o covad. -.
Cas&ai de cores a 260 rs.
Vende se'cassas fle cdres finas a 260 e 320 rs.
o covado.
Cambrafe victoria a 3:5*0.
Vende-se peca de cambraia victoria a 3-E00,
i*e")^. Carabraia transparente a peca a 3-,
3^500, if e 5*.
Cortinados a 61.
Vende-e corttaados para jhaellas a 6* e 7? o
par.
Cobertas de chita y
Vende-se cobertas de chita a if eHi5(K>.
I. C' Ichasdi- ftiftao 2<
I Vende-ss colchas d>> fuslio a 2^, it e 44.
Fastao branco, .<
Vende-se fii-lSo branco para ve.-tidos de senho
1 as, ofgandys branco Otfi a 640 o metro.
Kada polio a 3j.
V.ndf se pejas de ma^apoliiiBtfestado a
3J1500 a peca, dius di'as fun a 4^500, 5
dito francez lino a 64, 7 e 8&.
Algndaozioho.
VeniJ*-se p*rrrs de alg idao de todas as
dades'e barato.
Bramante
Vende se brarnante de
Cordciro Slmflei A C, proprietaries!
leste importaate eitabaleeimento, no louvavel pro-'
jrosito de nio desraentirem 0 eonceHo que '
ieus jumeroios fregaezes ihej lem
icabam de'receber desua conta 0 mats
imento de sedas, popeliaas, las e artigos de ol-
ima moda m Parts, e continaarao a receber
>or todesrO* paquetes da quell a paocedeccia ; por
*so chamam a attenfio de seus freguezes a o
jnvidam a flarera unr pas"seio ao sc,u estabelfci-
nento, "garanrrndo Ihes qne ettcontrarao a reali-
lade> do qbt'fiea **, r para ptwa dao um pe
lueno resumo, cnjo infallivelmente despertarl a
ittencSo dos pretendentes.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
''** "timostrssm^iaate penbtfr.
' Artigos fle aim noTidade e
; ultima moda
.. Corte* de ves.Udo de libo guamecidos de bico
Mn"* ta mesma fazenda e c6r, trazendo fivella, bolja,
I :into, etc etc.
Tijolos de mantlore, de differentes
manbos e qualidades.
Tlfolos francezes, sexto plus.
Cimcnto Portland verdadeiro.
Azulcjos grandes muito proprios
para rodape"s.
Azulcjos verdes e amarellos, tamanbo
regnlar.
Huqiiinas de desc&rogar algodao.
Cadelras de ferro, assento de palbi-
is rico sor-1 un8> preprias para campo.
Bomsapateiro
Vende-se am esoravo *apateiro de toda obra, e
de boa flgura : na rua de S.nto Amaro n 6, se-
gnnlo an>?ar.______________________
900
e It 0 metro, ditotrancado, a 14280 0 metroi
Grande liqoidadto de rnnpa feita.
Vende-se ceroulasde^algodSo a 14, ditas
a t4JO0ef*5'O:cara!sas'r3tJaTreasa 14800;
245(10, ditas de linho birfadat e UlM a
34500, psietuis de alpaca preta a 3I50O,
mesma fazenda,
meninae e senhoras, guarne-
24
34
M
^'
Chapeos
Grnade exposicao
t, Grande sortimeoto de chapeos de palha para
horaera a i&8'M e 2>, preco realmenta baraliosima
em vista da qualidado, e muito proprios para a
fe.-ta : na. rua do Passeio n. 60.
Trees.

ERA
Bonqnets de crav(re de todas'as II rcs.Capellas.
e vela- para baplis*dt>., dMwitf gos'o, pot barato
preco. e tambern recebe-.-e encomnienda*tes djas
ante- :, np pateu do Uivramenlo n. 36, loja de
cera. .1
m lia (jHcir. \{B(ia nSS fiirt*!
6ama A Biito; cdm iimazem de molha'dOs
Festejos
Grande liquidag3o de fazendas linas e do
mdhiJr grlsto, Jiara vestirT6S'de festa, na
loja n. 44, & rua Duqoe de Caxias.
Popelinas de modernissimos padroes, covado a
SOOrs.
Diias de ditos a 1*200, ,
Ditas de ditosa 14400.
Ditas de ditos' a I46OO.
Carabraiai orgarJdvs de padroes e cdres inleira-
rcento novos a inodernos, covado 320 rs, c6rtes
de cambraias brancas paca veslidee, bar dados e
com babados, a 64.
Chaptfos msleroos, gosto atlemSo, para senbora,
proprios para aeefacio da festa, a 24800.
Ditos de divenas qualidades, para hontena, pelo
barao preco de 24, 24500, 34 e 44-
Camisas france'.as e.inglezas, de diversas qualij,
dades, a 14500, 24, 2,501 e 34-
Collarinhos de llabo, lisqe e bortados a 400 rs.
Toalbaa da tinho para rcsto a 400 rs.
Lencos finos com barra, duzia (4400
Ditos ditos braacos, duzia 1?500.
Metins esc eezes, inteiramente novos, proprios
ptoaeraa mbres, covado 240 rs.
Meias tinissimas, para senhora, duzia a 3 500.
Lazinhas, chitas, cambrias, madapolues, algo-
dee3, brins, por pregos baratissimos, bem como
outros muitos art'gos qne se acham expost:s para. .
os amigos do bom e de barato, por 25 0| menos possivel : no lwito da-Santa Cruz as. 2'e 4, aima
10 palmos para Jeucoes jr2ilai"imosl chap** para senho"' d9 coreB e
a 'W^gW^SJ^j^,,, j Co,ie* de cambraia brancos com, lia* bar-
Veide se algodta. de auaa teiiaraseohMado a r ;.de itSTe9 com enfeite9 da
.n**fBol, ?:.
1. Capas de la para
las jrtas de armiabti.
Vestnarios para haftisado.; .
Riqnissimas caoiisas bordadas para seabora.
Leques de madreprrola, para Hoivas.
Kicas colchas de seda, para casimeatc.
Cortes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.,
Sedin^as de delicades padroes.
Setim Macao de'teJas as cotes.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo preto, e dam.eo de scaa.
Granadine preta e de cores.
' Filo de seda branco e preto.
Ricas basqaftias de sacfa.
Casacos de merino de cores, li, etc.
Manias brastteuaa.
I'.aytllas e manias para aoiva..
Cambrafa lie Cores, ditas mafiposas brancas, de
tores, Hsa* e ber-dada*.
44500, ditos de dito de cores a 24, caraisas de
flanella a 24, ditas de chita a 14.280 e 24-
1

-I
f Flordobosqnaijawfidade).
f^rcaJioas d4,naAdroa, IistraH, ele.
Brins de-Iinlip para vestidos.
Fustao ffe cores.
3?ia;Sorta#as para seBaora.
Grande sortimento de camisas de linho lisas
largo da Santa Crdz ns: 4"* 4. endem rrttnt'ri^a' in-
gleza em barril a 800 e 1,000 rfe par" earia 460
grammas;. v:niu> tk mav.-ii a t,2GQ a grra[a, dilo
Figueira 3.440, a garrafa, a canada. a $AQQis.,\
g&z (DevoO.riquido aiiO a garrafty, velas sfearTnas, ,.wrdadaB. para heaisni.
a 560 mae/>, veras eeeaPmrras a TBOrJ'rnftco,,1 neiaa fa cores naraLhomem, senbora, meninos
cha perola a 3,200 rs. cada 450 grammas-,- dito af- menTnas.
j.-far superior a 3,000 rs. cada i.'iO gr.Tin>is, um Sortlltwrtto'de
completo sortimepto dc biscoitos em lata-, que sa #nncm.
ven'c?em por precos baratisslnu s, hbrvffhas franocy iMeriaSs da CQ*e& para veatwlos.
sas a 640-a fata, marifelada mnfrcV flna a649 rs.'
a lata com mrtaJcilo, qneijoa frescos
Retalbos de las.
0 Pav*r< vende nma porc3o de retalnos 1 1-
para vestidos tendo grandes e pequenos, q> ) li-
quida barato para aeabar, assim como oma. por-
cao de cassas a chitas pretas qne se vende por
qaalquer preco paia aeabar : na rua da In efa-
i triz n. 60, de Felix Perelra da Silva.
! EspartUhos, a 34500, 44 e Bf,
0 Pavao vende um bonito sortimento dos mais
mode nos espartillios qne vende a 345u0. 44 e
54000.
Pe'chinca em lcnros brinen a 2"500.
0 Pavao vende duzis de Icnccs finissimos de
cambraia branca para maV>, s*udo fazenda que
1 sempre' se vendeu a 4.(00 a duzia e liqnida-se a
24500 por ter grande pon.au de duzia-, ditos ahai-
nhados a 2 ditos chine: s mnito finos e ditos
, francezes escuros ma to linos para quem toma
rape\
Cassas de cores a 210 rs.
Vtnde-se cassas de cores para vestiio a 240 rs.
0 covado : na loja' do Pavao a rna da Imperatriz
n 60.
Camisas.
Vende-se ama grande poreaa de camisas bran-
cas com peilo deiinho e de algodao, pur muito
menos do sen valor, por t.-tarem um ponco enxo-
valbadas, a;Sim como stroaras'fraacezas e de al
god-' 0 a 1-500, ditas de linho a 2 e 2;500 para
aeabar: na loja do Pavao rna da Imperatriz n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Roupa para homem para aeabar ate ao fim
do anna.
Na loja do Pa\a > liquida se nma grande por;ao
de roupa para bomeia cemo sejam : caleas de
brim d'Angola, ditas brancas, ditas de easemira de
cor de 65 at6 12.., ditas de brim cores, palitots
e fraks panno preto, de alpaca e alpacao, as
! Sim como ie -tasemiras de ceres, colletea brancos,
pretos e de cores, assim como ronpa branca,de to
I das as qualidades, nao se clha a prejuizo, 0 qne se
' quer 6 liquidar ate ao fin do anno.
. Cambraia Victoria e transparente
I Na loja do Pavao vetode-ce- um grtnae sortirr.cn
to de cambraia Victoria e transparent para ves-
tidos tendo 8 1/2 vara cada pessa de 3
,.> tendo 8 1/2 vara cada pessa de 3,600 para
elurpew d4'sel para nemens e cimai^j,, na rua da imperatriz n. 60 de Feix Pe-
! reira da Silva
Collarinhos de linho para aeabar a 4s
Dito pi eta trancida e de verio, bombazina, can-
aieite ooce i0, alpaca, etc: etc.
o kilo, dito de terceira sorte a.240 0 kilo, vinho do
Porto, em tarril, a 8fW n- a garrafa, dito enfar '
.rafailo das roareas, asrus.. acreditaCks a IjtJOO, I
^,200 e 1,500 : 0 qua p6:le haver da melfltr \
. ttldo mais avonta.de do& compradores^ ceytosd^j
outros multosrartgos"qne se acham expost;s para' 1oe encomrarlo a maior smeeridade e agrado
a duzia ;
i Damasco de li.
que em ontra qoalqaer part*,
ludo se acha em liqutdacao.
ficaliaente tudo,
Admirem
Granadina de oedn a Iof r*.
Na loja do Pavao vende-se tinissimas granadinas
de seda com lUtras assetinadaH, fazenda qne sem-
pre se vendeu a 1*200, e liquida a 400 rs. 0 cova-
do ; assim como maaguitos e goliabas de cam-
braia bordadas a 1$ cada um, e pecbincha : na
loja do PavlQ, rna da Imperatriz n. 60, de Perelra
da Silva.
Saba parrilha
Muito novae groesa.
Vende-se por barato x>reco, era porcap an a ra-.
lalho : na rua larga do Bosario n. 34._________
Cal de Lisboa
Vende-so cal de Lisboa : na praca do Corpo
Santo a. 17, 1* andar, escriptorio de Joaquim Ho
drigues Tavares de Mello.
t em-deGama <& Silva Brilo.
EsK'-rava
~
Para vender na rua, prccisa-se aJugar ueu es-
criva : r.i rua da. Florentina n. 22.
Bxioj'de liana, b/anco e de cores.
Setitrs de linaas cores com lrsttas.
Gbales de-marine de ceres e pretosi
Ditos de tauqeran e ditos de easemira
Camisas der, cbita para tooierp a rvtae d fla,-.
wlla. .
Coronlas de linho e ditas de ajgoddo.
Pannos dc crochet para aafft, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyrintho.
Ricos cortes de vestid'is- da tadaxana, bordados,
.&ra bailes, e tarlatana de.todas as cores.
Colchas de damasco de ft, e ditas de crochet.
fcpaWMw Msea'lrdtde>s4
Foulard de seda, lindas cores.
Meias de seda aara,senhoras. a menuias.
Quintal, cram refiaacao a rua do Barao do' CueB^^91^inA^JKn
gEnmnhn n. 56, t [ L0Ja ao iasso'
Rua I'rimeiro de Margo 11. U
autiga do Crespo.
AsBuear candu.
c '-
0 nsethdr e mais bonito, pr^parado e aper-
feicoado por systema n >vo, vendeim Beiirio ft
" uir.u', cm sua refiaacao a rua do Barao do
!riuuipho n. 56, ..... _____^^
0 Deseiiganoestaquei-
maiido

Rua I" de Marco n. 14
Gusmao ft Lal receberam grande quantidade de
cortea de easemira para calca, e vendem por 4?
cada corte, assim como vendem setinetas para
vestidos, fazenda tiada, por 400 rs. o covado, faien-
da de 800 rs. : so na rua 1* de Maryo. n. 14.
Lazinhas. brilliantes a 7iO rs.
0 Pavao receheu um.bonito sortitaeat) da mais.
lindas lazinhas brilhanles, sendo de rjuadrjaboo 1
mindifihos, parecenlo de nma ?6 cd,,e tettdo diffe-
renies rrtres ; Ma fatenda tem unvbrrilK* oemc
seda a bastaote- largara, e vende-se a 320>rs. o\
covado : ca rua .JiuIia,eraUiz n. 60, loja de:Pelix, o proprietario,dsto-etabBlecimenta teat resol
Pereira da Silva. vido vender as fazendas existentes em seu estate
Lazinhas modernas a 320 rs. lecimento, por raenos da que em outra qualqtjer
Q Pavao vende bonita.^ lazinhas de quadrmhos,; parte.
Nan de to-jwas coies, pei> baralo pravo da 320 j Varrzinese de seda.
ra o covado; saado fazenda que seaipresa vendaa j Veode-M- eeta, fazenda de Hndos patrdes, da lis
a SOOrs., e pecfcinc.ia : na rua da Imperatiiz n, iras ftpalmaa^nalc. diminutc-arec/>da 320 ra.oco
60, loja dc Felix, Pereira da. Silva. vado^ per ter uns toques, de m6fo, e grande pechin
Croclmts para cadeiras cba. Esta fazenJa tambem serve para luto,
0 Pavao vende urna porcl) de.panos de cro- ser toda prata ; e fazenda de2#800oicovaoo.
w
Veqde-se tray^s de. louro e qualidade; para,
ver no caes do Ramos, e trata-se com Joaquim1
Rodrigne* Tavares de Mello, a praca do Corpo
Santo n. 17, blaadw
Impejial fabrica de rape
areafiaa de Moreira & C,
da Bahia.
Deate sxoellente rape, qua se toma reeommen
davel aos amaptes daboa pilada tem estabejeci-
do esta fabrica o sen deposito'a rna do Conjmer-
cio n. 5, que vendem per junto e a retalhb, fa-
zend,o-sa,vajtoggrna qu^m. ctmpr.ar porcaa,
\ K "V'lFM^'NK o sitio junto a igre-
ja de S. Jose" dip Sarigunho, com casa de vivend*
aseobradada e outras aoommodacoes, todo mura-
do, com duas fcentes -ervi 'as par portao de ferro,
._ paimc.
d> frtmte a 64 de frzndo. A situacao e a melhor
poaawel irajra morada, e eaam <$thot edificar, tera
agna fo'rqecida por duas
;aeirfibs, nma aas oeaea a nova. A eoteoder-ie
oonno.Sn Dr. Witrovio. quem o pretender
-----far-
i
,
Coriinadoa a 9ooo.
0 PivSj vende cortina.Jos bordados, prcprio
para camas e janellas, a 74 o pap. e pecbincha
flue logo se acaba : na rua da Imperatriz n. 60
de Fellk Pereira da Silva.______________
Burro/s d venda.
Ignacio Deiro avisa a seas devedores qua esta
em seguimento para Pernambuco, onde ate" o dia
10 de dezembro espera que Ihe mandem satisfazer
sens debitos na casa de Joaquim Jose" Goncalves
Beltrao & Filhos. Condnz excellente* Lurros para
vender. Pilar, 23 de novembro de 1874.
Que a NOVA ESPKRANCA, a rua Duqne da.
Caxias n. 63, bem conhecida pela superioridaaa de
seus artigos de moda e phantasia, acaba de race-
bar diversas eacommendas da meivadoriaa.de sua
repartigau, que pela elegauci i bem mostra aptidgo
e bom goto de seus antigos corresnondentes da
fSuropa, e por esta razao a NOVA BSPER-ANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sna boa
e eonstante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreciarem ate
jnde toca o prirr.or d'arte.
A NOVA ESPERANgA nao. quer eotrar no nu
mero dos massantes (verdadeiro* azaerin?)' com
extonsos ananneios e nem preteode doscrever a
immensidads de ot'jectos que totaexpostos a, ven
da, o>que stria quasi impossivel, mas limitar-se-ha
a mencionar alguns daquelles de mais alta novidade
e toma a lfberdade de aconselbar ao hello sexo,
qne a visiteru comtaotemeato, para depois que
comprarom era outra qaalqutr parte naV> ae arre-
pepderen)) a vista do bom e escAlhjdo sortimento
que ha em dito estabelecimento, esta razao tam-
bem demoqstra que qualquer senbora do bom torn,
nao podera complelzr a elegaucia da sen toilet
sem quo de" um passeio a NOVA ESPEBANCA, a
rua Duqoe de Caxias n. 63, a qual acaba de rece-
ber os segnint s artigos de luxo e inteira novida-
de :
Hedernas- settos para prender os cabellos.
Primorosos leqnes de phantasia.
BoniUs aaJzidas de bailes pan senhoras a menb
has.
Interessantes gravatas para senhoras.
Elegaates faehas de touqnim.
Bons aderacoa de madreperola,
Oalicadps. adereco* pretos, de pafalo e, banacha
(gOStQJ,OVO).
Aos liienmos
A NOVA ESPBRANCA, a rua Duque de Caxiai
a. S3, seaba da raeeber um bom sortimento de ti-
aaa bonecas qua faliam, qua riero se e choram
tambem as tem' mndas e surdas o.u surdas-mudas
venham ver se nao e verdade.
AO SEXO A>IAVEt.
A Nova Eaperanca, a rua Duque de Caxias n.
68, toma a btierdade de, avisar ao bello sexo, que
acaba de receber diversos artigos daalta,novi-
dade, os quaes estao expostos a vunda em dito
estabelecimento, e bom que venham apracial os
para par esta forma satisfa7ereia o. cepriehos de
toas elegantes toilettes.
A Nova Esperanca, nao qperende lornar-se
raassapte, hmita se a menciohar alguns artigos
das mais em v'oga op mando das mooas, OS quaes
SSu os seguintes : '
Lindos cini s de eonro e flligrana.
Moderbos bctoes de ace para vestidos.
Novos leques, grandes, matisados.
Elegantes flvellas de a?o para vestidos.
Delicados ramos de fl ires de laraageira.
Bplsasde couro e filigraaa, propria para tra-
zer pendentes ao cinto,_____________
Venda-se o spbrado de um andar di rna da
Imperatriz a. 13, com excellentes commodos para
familia, tendo duas lojas e qnintal, enjos fundos
dao para o caes do Capibaribe : a tratar na praca
do Corpo Santo n. 6, priraeiro andar.

por
chet, proprios para encosto de cadeiras-e de so-
fas, que vende por precos barabasiuos : narua
da IuiperaXriz n. 60,, loja de Felix Pereira.; da
Silva.
Cortes de organdy a 2$i00
0 PavJo recebeu um bonito sortimento de c6rtes J
de organdy, njatisadus, para vesiMo, qne veode I
pelo baraJi'-imo preco de 2 400 o corte, e-pechin--
cba : na tua da imperatriz n. 60, loja de Felix
[.Pereira, da Silva.______________________
Lustres, candieiros e aran-
deBas paragaz.
No novo. estobetocimento, Graade Expaaicao, na.
rna do Ircpcrador. n. 35. junto ao es.-riptotio da
companhia do gai, vendem-se lustres, candieires. e
arandeHas de differentes latnanhos e moderns
gostos, tanto de vidro como de bronze, e tudo 6V>:
methores fabrisactts qne ba na IeglHterra. Tam-
bem se vendem globoa de bonitUii padroes, ehncobo
e tudo o mais que for.preciso. paja: o servigo do
gaz.. E como qs dono.s aeste e3,t3beIecimento,'njaa-
dara-vir de eonta prbprfa e se qnerem acredltar,
vendem tudo mais barato- do qne-q oat qua r oatrot'
para oque os compradores podeui esper/aientac.
Alta Doiridade.
.01
0 Baratoiro, a rua 1 de Marco n. i, acaba de
receber grande sortimento de entremeios e babadi-
nhos tapados e tran-psrentes, de todas as largn-
ras-e vende a 1,000, 1,200 e 1,500/, fazenda que
sempre enstou 2,500; a nma experencia n6s os
convidamos
G!i.HOE
O.UE.E' O.CURO m,mx MOMRCWA
COZ^TlTUCJO^Ait,?
Pelo padre
p. BEXEVENUTO ANJ^.NIO C. DE CAMPOS
Offereeido-
Aos liberaes portugueze e brasileiros
Pti^o:
It,:.-, aivchailos 1.000
Encadernados. 1^500
l.ivraria Poonlar. rua Tnfva n. 59
Damasco da la.
0 Desenpano esta- vondendo damasco da la de
lindoapadruas e de duas laiiguras, pela naratissi-
m j precp de- fi COO o covado, a fazenda da 2^500.
Aproveitem qne o Desengano. esta queimando.
CWarmirrhos de gorgorSo de 6eda.
0 Desengano estd vtndendo casaquinhos de gar-
goraa de seda, eureitados, pelo baratissimo prgco
de 6|000 cada um, e grande-pecbineka. A, lies
antej que se acabem.
Qrgarjdys a 320 rs. o coyado.
' Vendem-se Ofgandys de fistras, branco, pelo ba-
rato pteco de" 320 rs. o covado. Aprovertenr.
MadapolOes^de- 49060-a pe;a.
0 Deaetjgano esta vendendo madapel&o frencez
com. 20 varas 4& a paea ; dito muito tino, a 3/,
I 5*500, 6* e 7/ a peca ; e grande pecbincha.
Algodao marca. T, Logo, a 4* 4/500 e St a
peca..
Ricos chapeos de sol de seda, eom eabo de mar*
&tt>, a-494 asdauro ; 6 pechincba.
. Bai'tistas do lindos padroes a 400 rs. o navad.'.
Uzinhas.de, cares, bonitos padrSes.pelo diminu-
to.pre^o de 160 e 200 rs. o-covado. A ellas antes
que se icabam.
(Jam'jraia.Victaia, a 3*509, 4*, 4*500 e.5* a
Alpacas de.coiss, la, e seda, bonitos padroes,,a'Ofgandys branco com listras bonitas*r400 rs.
500 rs. o covado ; 6 grande pecbincha. j, ovaao.
Metins de cores, bonitos padroes, a 280 e 300 ra.' PopeUna de linho com listras abertas a 320 rs.
o covado.
Cbitaa dara; de lindos palroes a 240,- 2G0 e 2S0
rais.
E ontras muitas fazendas que deixa de mencio-
na-'as para nao se tornar enfadonho, por isse o
pro, rietario convida a todas as peseoas a fazerem
uma vieita a-senestabelecimetito, aura de sorti-
rem.-se do b-jm e barato. Rua do. Cr.espo u. 2C,
jnpto.a Foja da esquina
pouco enxovalhados, pelo barato preco de 45 a
duzia, seaao fazenda qne sempre se vendeu por
7-.. e pechincba : a rua da Imperatriz n. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Cfiaks de easemira a 4*.
0 Pavao vende chales de easemira com gosios
ebinezea, sendo muito grandes, que sempre ven
den a 7* e 8.-, liquida a fcj. Ditos de la, mnito
encorpados, com listras, a 3;. Ditos de quadres,
azenda muito bi'a 2. ; assim como, nm bonito
fortijnento de ditos de merino, lisos e de quadru-,
vende de lit ate Be e 6* : a rna da Fmperatriz
n. 60, loja do Pavao, de F. Pereira da Silva.
Porjelina de linho a 400 rs. 0 covado.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento das
mais bonit s popelinas Irstradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 400 rs. 0 covado, la-
vando-se nao desbotam ; asiha como, bonitas e
moderuas laz.nhas com listras de seda a 640 rs.
0 covado. Ditas transparentes com palminhas a
500 "rs., sao bonitas. Bareges- de nma s6 c6r, pelo
Larato preco de 400 rs. 0 covado, 6 pecbincha :
na rna da Imperatriz n. GO, loja de Felix Pereira
da Silva.
Cortes de vestidos para liqnidar.
0 Pavao vende a 4:, 5* e 6* corte de cam
braia branca com eufeites bordados de cor, fa'
zenda qne sempre vendeu a 7* e 8*, e liquida a
4* para aeabar. Ditos brancos de cambraia aber-
ta com listras e lavradinhas, que sempre se ven-
deram a 10*, liquidam se pi r 5*. Ditos Benoatao
com lindos enfeites de co", fazenda qne val 12;,
liquidam se a 6,. Ditos de cassa de cdres com
7 varas a 3* ; 6 pechincba : na rua da Impe-
ratriz n 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pecbincha para criancas.
Meias a 2*500 a duzia.
Toalhas de fustao para mesa a 2 500.
0 pavao vende toalhas de fustao para mesa de
jantar pelo bar; to preco de 2*500, i pechincba :
na loja do Pavao, a rua da Imperatriz n. 60,
loja de F. T. da Silva.
Brins de Angola a 2*, 2 500 e 3*.
O Pavao vende cortes dos verdadeiros bins de
Angola a 2;, 2*500 e 3* ; e pecbincha : na rna
Sa Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
dilva.
As pechifldias!
1
lua dwQueimado n. 43.
Ja to a loja da Magnolia
nOo/
Yiuho verdc.
' Especial chegade na nRiwo vapor, tem. para
vender em barns da quiato e de Col ares em
dacimos, no. aeu, asewptorio. a rna, do Coreraetxio
n. 5, Joaquim Jose Gongalves Beltrao & Filho,.
de moihadoe (a.
X&Jl
Vende se 0 estabelecimento
IV 8
Boa acijuiuic^a
Vondese um sobrado sito na palW da Sdj^m
Olinda,. ediflcado em .chjo. proprio, ccqj attndes.
aceommoda^6>s para nufnerosa jarailla, >eedip- 1^',0' d* Pav^vende-se larinhaa J*?00**^
mo eo
mm
cado e pintado de novo, com belllseima vHfe?
muito freeeo e eon* qaintal: a. tratar no/paWo
de Pedre.K^-fc Wbl>, |
SalsaparHlha nova
Cbegada no ultimo vapor do Pari.
Tem para vender Anton 0 Lniz Moreira dp Aze-
vedd : no sen escriptorro, 'i, rua' d<3 Bam- Jess
n. 57. .;
Asuoicas
na to* do
vema.Mtomarcadt
de olinda -51
Farinha demandioca supe-
rior.
Tem para vender, Joaquim Jose Goncal
ves BeltrSo & Filho, a fcrcrao do palbabot*
Rosita, fundtedo ao pa do cats- doCollegio.
e para tratar a bordo oa no seu escriptorio :
& rua do Commercio n. 5.
de.cdris mn4o roedaraas peto baraiiseimo praca
de 500 rs. 0 covado, pa|atart>M]irfWdi>^a.qd
nda, mift jaqaa,ia, se, WW W W* *
013 crnzados ; la ha ponca? : a rua da imperatrii
*V6> latfdg 'Pafto,^e-yax Pereira da Sffva.
VIAVIOlftK
Na Jaja do PaHao vendmse .maahpoJclns franca-
m inuiio inqor-wdos, com 20 jardas a 6,000 reis,
dUpmujto fln,cyCQm.i2. jardas a 3,000 e 3,500 ; as
sim como um grande sorthhento de madapoldei
teglezes de%,6W peratriz p. 60, de falfat Pereira ia Balanc/js, pesos meaYMw
do systema metrico deci-
mal.
Von Sohflteo & C^nanrnaid* Cruz a. 18, ven
dem nm completo sortimento, todo feilo na mes-
ma fabrica da Enrqpa onde foram os actnaes
padr?es existentes na camara nmnlcipa' desta
cidade.
covado.
Lisinhas a escoceza a 270 rs. 0 covado.
Alpacas de sada, gostos acbamalotados a 600 rs. 0
covado.
Ganga carlisa en nada para coberta a 160 rs. 0
covado.
Cambraias de cores-a 200 e 240 rs. 0 covado.
Chitas esouras a. 220 rs. o covado.
Chales de easemira cbinezes a it nm,
Lencoes a it nm.
Cobertas de ganga a 2 j e 3* ama.
Toalhas para rosto a 4 500 a duzia.
Cambraia transparente a M a peca.
MeUnsa280n.
O Pavao vende bonitos metins de cores para
vestidos, p*'o barato preco da 280 a 320 rs. 0
covado; assim como, um bom sortimento de chi-
ta de-todas as cores, padroes modernos e fixot,
peb barato preco de 280 ate 36'> rs. : a rna da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da. SUva-
Gros preto a it.
0 Pavio vende grosdenaples preto a 1* 0 co-
vado e.dabi para cimi, ate 4 j : na rna. da Impe-
ratriz n. 00. loja de Felix Pereira da Stlva.
Gortes decasimira a 4^8,
e WOOX).
Na loja do Pavio, vende-se cortes. de ea-
semira para calca a 49, 59 e 6A000, ditos
muito finos de uma so cOr com listras ao la-
do t fimenda que seotpje se veodeu a 99 e
10*000, litiuida-se a 6000 para aeabar :
i ma da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
PREDILEGiA
A' rua do Cabas* u t A.
Os proprietarios da Prcdilecta. no iotmlo 4a
-.onservar o bom coneeita qu( ucrn loaetitt av
espeiuvei publico, distinguindn i saa rmfciwal
mento do* mais que negi ciain no awsmo feaarc
veem scienificar aos sous bons freauezes qe p->
'eniram acs saus c(.rres(.ondcnto3 naa diveraMpar-
;as d'Europa para Ihes enviarcm por tod^s ox pa
qnetes at objeclos d* luxo e bom gottti, quo aa-
jam mais bem aceitos petas aooiadaaat etapMat
daquelles paizes, visto aproximar se o Uaue 4*
festa, em qne o bello sexo desta liuda Vaaaaa
mais ostenta a riqueza de snas toiUeOes ; ec-
mo ja recebessem pel paqnete francez 4rvcrso
artigos da ultima moda, veem patoMear algBBs
d'entre bm que se tomam mais recommaatetaia.
esperando do respeitavel pui.Ii^o a eosioattda
concurrencia.
Aderecos de tartarnga os ma.s lindos qoa taaBi
viudo ao mercado.
A!buns com ricas capas de uudraaaroia a a*
veliudo, sendo di versos umanhos e baratoa pra-
os
Aderecos completos de borrachi pr< pnoa par:.
Into, tambem sa vendem metos ad*recos mailo kc-
uitos.
Botdes de setim preto e de cores para ornate Jj
nestidos de seLhora ; tambem torn para collet
alitoL
Boisas para senhoras, exisie am bello ortaawa-
der seda, de (oiha, de ^chagrim, etc., ato, p .-
barato preco.
Bonecaa de todos os tamantios, unto *e toe,;
como de ct*ra, de borracba e de mis.-a ; ckaaaa-
inos a attenrio das Exmas. Sras. para e4e an* c
pois as vezes '.ornam-se as crianra* um poca ua-
pertinentes por falta de um ottecto qua as <
tretenham.
Camisas de Iinhc lisas e com peitos b-rdadcr
ara homem, vendem-se por prvee cofnatoda.
Ceroulai de linho e de algodie, de divanaa pra-
os.
Caixinhas com mnsica, o que ha de mais bar..
com dbtieas nas tampas e proprios para preaea-
M
Coques cs mais modernos e i* diversoa tonaa-
tos.
Chapeos para senbora. Receber; u am sonnar:^
da ultima moda, tanto para sechira, eosio pan
meninas.
Capcllas simples e com veo paii aoivas.
Caicas bordadas para meninas.
Entremeios estampadai a b r-idos, Am Use.*
tes^nbo*.
Bscovas electricas para denies, tem a propri*-
dade de evitar a carie dos dcnte!.
Franjas d? seda pretas e de otrex, exisae u i
jrande sortimento de divercas largura.- a bar....
nreco.
FiUa de saria. <*e g'.rgurao. de setim a dec u
o>lot, de diverwi larguraa e toattaa curea.
Faehas de gorgurio muito lindu.
F, w artif.ciaes. A PredifeeL. prima eat col
ervar sempre um bello e gran 1e sortinseBto aVev
tas floies, nao so para enfeite aaa cJieHoa, occ.-.
ambem para ornato de vestido de noivas.
Galoes de algodao, de li e de s< la, braacoa,pra-
os at de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e seaboras.
Laoos de cambraia e de seda co diversas cc;t
para seonora.
Ligas de seda de eaWI e braces bcrdada* par:
aoiva.
Livms pira onvir :nissa, corn -apas de tuadrv
perola, maifim, os bom.
Pentea de- tartaruga e marfix:. pan aeaat oa ci
beilos ; teem Unshorn para tirar taapaa
Port Loujoet. Um bello sortirruu'.o de mad.
perola, marnm, flsso e donrados f Porfumarias. Neste artigo esta a PredUccu hex
provida, nao so em extractc*, cjibo em ateet
banhas dos meibores odores, d. s mais afamad n
fabricantes, Loubin, Piver, Soeiedaaa Hyglaairx
Coudray, Gosnel e Rimel ; ao iuiipc*."e' pi
\ festa.
Saias bordadas para section-, por comoow
preco.
A' rua 1 de limico n. 1
Conrroote ao area de Santo
Antonio.
Conliniia veniendi suss fazendvs com 30 p;r
cento menos do que St-ns anti faz disso sciente aos seus fregutzes.
A saber :
Grande sortimento de babaliiilui e mtreoii-ii
bardados, ..ara 1*, 1*200 e 1/U00 I Qie fraaie
pe thineia.
BRILIIANTINA de cures, fa; nda sorH-nor,
mais moderno que ha, a 500 r- covad...
DITA branca para 00 rs.
CHITAS Claras e escama 24", 280 e 30? r
faenda superior.
BAI'TISTAS de cores escura- e clara? para te
a muito Gnas para 400 rs. o divide
CAMBRAIA branra Victoria e Iransparecte fina
a 4* e 4*51)0 a peca com 8 Ii2 varas ? Sim.
LAS13HAS Je g'stos allemaes a 160 rs. &
bar,-.leiro I
CRETONES escuros c claios para 300 e 4-ti r
o covado.
CAMBRAIA para ferro a 1*5-0 a peca con I
1|2 varas. E barato.
SEDA de uma so cor a 900, 1* 1*200 c
vado, fazenda que sempre enstou 14; a eUa ar
'es que se acabem.
PUPELi.NAS ie DITAS de seda de superior qnalidadc. |
os mais moiirn^s que ba, a 1*600 e 1*800 ; cr
vem maadar ver.
ES il'lAO de linho e algodao para fronhas. c -
misas, etc, etc., :om 7 jardas a 3*200 a peca.
BRIM par do trancado a 400 rs. 0 covado.
BRIM Angola, de corn bonitas e Oxa, para 50,
rs 0 eovaalo.
CHAPfDS deoasenica pace htmam a 3*000
CHAPEOS de sol la alpaca a 3;, e tomb m p.
ra .seahora,. a 2*.
DITOS de sol de seda para senhora a 3*500 e
para bomem a 10* ; mas sin paragiro.
BUM braaco. xaaaiQao a i*O0U e2*a vara, c
baratissimo
COLLSBIXBO^oa mais moderaoa qne ha, a 7*
e 7iB500 a duzia. E' linho c semp-e cu-tair 9*
PUMP"S a 62500 e 7* a duzia.
TOALHAS feipudas, faceada mnito b a a 6* a
duzia.
CORTES de c*aemir ds cares, boaitis goaM
a 7*. So" aqni.
LENCOS da llano abiinhadas, faaeadi raai c
boa a 3* e 4*200 a duzia.
MADAPOLAO franc* z c 01 20 varas boa qua k
dade e cusu 6* a pec* 1 elie, a ellc.
So no Baratoiro
A' roa Prlmelro de Mar;-' a I.
Loja de Afastinbo Ferreira da Sirva Leal & C.
Venda de terras em lolea. ale
um grande sitio ajne fax ffren-
te para a estrada de Beneri-
be e He ceo do Fnndta.
Capitulino Rodri^ues do Passo e Amaro de Bar-
ms -Correii, aquelle no hotel d> M.nteiro e ntc
enrfiaberiha':
Vendem lotes de terras de sen sitio, qoa Ui
fraate para a estrada da Agua Fri 1, para B-beri
be e peb lado nile para 0 treco do Fuadi .
seado o preens dos tetTeoc* da frent* entra f e
7* o paJmo e nas man novamenV-anarta* aalre
2e4*. Aaraaa estao aemarcadas peto Sr. aage-
nheiroSette, com ftandos snfflcientM pira peqae
nos sitios ; a plant* eti ncbiv>4 na cnara
de OMnda e ha copia* em p aVr da* pm!irHa%4.
qae mostfario aos pretend, m-.
Quem quiaer dirija-se a algum .. pro|.n-taei
ou ao ditoSt.eoenbeir" ou ai-i' R->c ia La
a Gnimariies, i rna < C'-nz n. 6______
Vende-se nm raxro de qu i{ r' Z~
boi, por commodo preco : a v-r e trt a
do General Seara, amifa d Jas in a 39
Pasto fino.
Superior -inho de nva pura em barris e anco-
retas : vende-se no primeiro andar do sobrado n.
56 da rua da Cruz.
"PS
Ma
Camisas ranceza8 para me-
ninos a 2#.
0 Pavio vende camisas fraoeezas para
de todas as idades, a 2* cada ana, 01 <
a 22* ; is'.o e para aeabar na roa da I
n. 60, loja da Felix Pereira aa Silva.


^v/-
8
jkriQ,.de ^^rnamtouoo ,-f- ,%tfa, feirft lg de Dezenjbro de 1874
LITTEMTURJL
Dialogo ontre o comic de Gar-
mag 6 l IMo go.
( Do Cid, iragedia de Corneille.)
C0NDE.
V6s emfim triumpbaU. D*Elrei a graga
A' um grdo, deviduso d mim, vos ergue;
Ayo de sua alteza nome on voz.
I). Diogo.
Este signal da distincgao, quo d minha
Familia elle doou, mostra queju^to
Os servigos pamdua pre/a era muito.
Conde.
Por maiores qne s-jam os muuarchas,
Sao sempre como n6s, ist<"> e, podem
Assim como n6s outros unganar se ;
E tfll eicolha aos cortez3os s6 prova
Que os servigos prpsentes rnal compensam.
D. Diogo
All I Nao fallemos mais em tal escolha,
Que tanto voz irrita. Tanto a graga,
Comoro raerecimento, havel a p6de.
Devomos quando um rei nao investiga,
Ao poder absolute lal resp^ito.
A' honra, que elle me fez, iuotai ouiia hoora;
f.igue sagrado elo as nossas easas :
V6s uma filha tendes, eu um filho ;
Maisqneamigos nos tornem o seu consorcio.
Sim, um g-mro aceitai, que vos offrego.
Conde.
Elle a mais altos dons aspirar deve,
Oe vossa dignidade o novo brilho
Deve-lho o peito encher do outra vaidade.
Exercei-a, senhor Sim exercei a,
F. governai o principe : mostrai Ihe
Como urge dirigir uma provincia,
Fazercurvar d leitremer os rjovns,
Encher os bons de amor, e os maos de sastu ;
Estas virtudes ajuutai dquellas
De um capitao, mostrai-lhe como cumpre .
Empedernir-se todo nos revezes,
Tornar-se sem igual na marcia lida,
Passar dias e noites a cavallo,
Dormir armado, assoberbar trincheiras,
E so ,i si dever suas victorias.
Instruio-o co'o exeinpio, e reordai-vos
Queo que ensinais-lha. por em facto urges
D. Diogo.
A' instruir-fe coo exempt o, embora a inveja,
Basta .6 que elle leia'a minba bisloria;
Ahi, d'altas acgoes era longa serie,
Elle vrd como nagoes se doma,
Pragas se ataca, exercitos se mania,
Eem grandes feitos firma-se o renome.
* Conde.
Outro prestigio teem txemplos vivos ;
Um principo n'um livro raal aprenie
0 seu dever. De mais, que fez tdo grando
Nuvero de annos que igualar nSo possa
Um so dia dos raeus ? Se fostes bravo,
Bravo eu o sou lambem ; Sim, este braco
E* do reino o esteio mais seguro.
Granada e Aragao tremem de medo,
Quando este ferro brilha ; emfim, meu nome
Serve a toda Castella de baluarte.
Sem mim a outras leis vos passaries,
Vossos amigosjtendo por monarchas.
Para mais realgar a minha gloria,
Cada bora, quepassa, me cumuli
De laureis, de victorias. Nos combstis
0 principe, d meu lado, da bravura
Escudado por'mim faria o ensaio.
Em vendo-me veneer, veneer soubera j
E, por corresponder ao seu caracter,
Viria......
D. Diogo.
Quern nao a obteve ndo a raerecia.
Conde.
Eu?
NSo merecia-a
Sim.
D. Diogo.
Conde.

Tea arrojo,
Temerano anciSo, terd seu premio.
(Dd-lhe uraa bofotada.)*
D. Diogo (empunhando a espada)
Acaba, eia depois de talaffronta
Tira-me a vida, a mim ; pois que o primeiro
Da minha estirpe fui, que soffreu'tanto.
Conde.
Com tamanba fraqueza que pretendes ?
D. Diogo.
Gastas as minhas forcas ma abandonam,
Oh I Deus l *
Conde.
A tua espaia me pertence
Mas ndo... de nada tu valeras, si este
Vergonhoso tropheo cu carregasse.
Adeus. Agora le, mdo grado a invejsi;
Da tua vida a historia, om que instruas
0 principe, que educas. Este justo
Castigo deum discurso barto insolehte
Nao de pequeno adoroo ha de servir-lhe.
(Retirn-se)
1872.
(Do Cld. de Corneille.)
Honolojo de D. Oiogo.
(do cid, de corneille.)
Velhice adverse Oh desespeso Oh raiva!
E, pois, tanto vivi p'ra tal infarnia?
E encaneci nos bellicos trabalbos
P'ra ver tanto laurel murchar n'um dia ?
Men brag-), que com pasmo a Hespanha admira,
Que salvon tantas vezes eite reino,
E que firmara do seu rei o solio,
De nada me valeu? Assim trahis-me ?
Cruel lerobrauga da passada gloria I
Obra de annos desfeita n'um so dia !
Dignidade fatal d minha dita 1
Pego onde despenhou-se a minha honra I
Triumphard de vosso brilho o conde ?
Hei de morrer sem ser vingado? Qu hei de
Viverenvergonhado? Se, 6 Conde,
Ayo de Sua Alteza ;que tlo alto
Grdo nao admite um bomem desbonrado :
0 teu cioso orgulho, muito embora
D'el-rei a escolha, por tamanbo ultrage
Fez com que eu ire tornasse indigno delle.
E tn, 6 instrumenlo glorioso
Dos rasgos meus, mas hoje adorno inutil
De um corpo eniegelado! 0' ferro outr'ora
no temivel ; e quo boje em tal offensa
De ornalo, oao de auxilio, me serviste :
Vai, deixa agora a escoria dos humanos,
Passa para vingar me a" mios mais dignas.
1872.
Francino Cismonlano.
I-'rag m onto.
(Da scena V do acto II do Mysantropo de
Moliire.)
0 tempo oSo se detera...
tor orJem de Deus, cortaodo
0 sen caminbo, d'alem
Como sdmprf e!l-o "ojde VflWf
Correndo, ou antes vo udo.
>
Teu mat, -me diz, vou curar... i
Porem, qnandVobem, qaeadoro,
Me foi do peito arrancar,
Comeoei .logo a chorar
E ao fecordal o |nda choro.
Tfcmi poV minba paixSo,
E sofTri penas tamauhas
Que inferio meu coragad
Quo uma mesma cousa sao
As minhas magoas e entranhas.
Feliz, pois, c6'a minha dor
Gritoa a alma arrependida :
Dizei ao tempo, Senhor,
a Que nfio me tire este amor :
Que fdra tirar-me a vida I

ascogitacdes de muitas horas, de muitosibem me parece felizmento traduzido. Bv-[ viija cotw etj o furar r^^.^,,^,
annos, ds vezes. acontece que o raisero au- ron. nas telodias Uebraieas' foi bem in '\^S^ ^ ^TT^t
i^T.?!.:^.ai^.0-.!^A5?Ti.. lerAre.lldPel0,?r- Dr. Rigueira Cost, j masj Jronunciar uraa
com
1872.
Francino Cismonlano.
D. Diogo.
Eu o sei, vo; servis bem ao thro no.
Vds se lutando, sob as minhas ordens
Quando a idade as arterias regelou-me,
Vosso raro valor bem substituio-me ;
Emfim, poupando digressoes superiluas,
0 que eu outr'ora fui, vos sois agora.
VSde, entanto, que n'esta concurrencia
Um monarcha differealguma cousa.
Conde.
Vos o queen mereeia aDgariastes.
D. Diogo.
Quem o angariou mais m->recia.
Conde.
Quem o cumpre melhor mais digno e delles.
D. Diogo.
Bom indicio nio 6" ser desprezado.
Conde.
foe, velho cortezao, por dolo o houvestes.
D. Diogo.
D'altos feitos o brilho, este o meu timbre.
Conde.
0 rei, antes dizei, vos honra a idade.
D. Diogo.
0 rei, qnando tal fez, pesou o heroismo.
Conde.
logo, me competia uma tal honra.
Gabam sempre os amantes sua escolha :
Cegos pela paixao, no amado objecto
Censura que fazer jamais encontram ;
Pois nelle tudo se lbe torna amavel.
Perfeigdes consideram seus defeitos,
Favoraveis epitbetos lh'emprestara.
Ao candido jasmim comparara a alva,
A negra de espantar dizera morena ;
Chamam a magraesbelta e elegante,
Magestosa no porte a gdrda chamam ;
A mesma, erma de dons, mal amanhada
Alconb.un de bclleza negligente ;
A alia uma ileosa lbes parece, a baixa
Resumo e das celestes maravilbas;
A altiva 6 digna de corda e sceptro,
Boa a simploria, espirituosa a astuta,
Divertida no genio a lAgarella,
E modesta, afinal, a que 6 bisonha :
Assim e que um amante all'ectuoso
Ama ale usscnoes du sua amada.
1874. '
Francino dsmontano
SoflTrer e viver.
{Do hexpanhol, de Don Ramon de Cam-
poamor.)
No auge da minba dor
Chamei por Deus desta sorte :
Fazei que o tempo, Senhor,
Venha tirar-mo este amdr
Que me esta* causando a morte
FOLHETIM
mm. 03S T7SSZN3S
MYSTERIOS E INTRIGAS DA COR-
TE DE FELIPPE V.
POR
FERNANDEZ V GONZALES
VOLUME I
PRIMEIRA PARTE
Am Tres Esperanfaa
CAPITU10 IX
>r COMO AS KELAgfiES DO CIGAN0 E DO GUAR-
DIA0 SE ESTREITARAM.
(Continnaij5o do n. 288)
V
Firarara s6 Bizarro, o guardiSo e Maria
1*3C0.
!>iga, irma3, perguntou oguardiioen-
chendo para si ura-prato de nacos de lebre,
ijae foi isso que dissestes de uma cigana
morta, o de que e seu o san?ue que se v6
na pateo ?
Ihde saber, vossa merce, disse Maria
Peco, enchendo um copo de vinho, queesta
lard", um poucoantes da chegada da senho-
ra princezi dos Ursinos, um cigano muito
mdu !:-igio ndoseique palavras aos senho-
res guardas, eo raalvado.semseprender com
consi teragoes, atirou um tiro ao guarda
que est.1 aqui muito mal, quebrou a cabega
a outro guarda que tambem ficou nacstala-
gem, o fugio sem quo lbe podessemdeitar a
m3o ; porque esses malvados teem pacto com
o diabo, e o diabo ajuda-os. Mas o irmio
leigo ri3o ceia?
Sim, ha de ceiar, mas depois do seu
superior. Continue, continue, irmia, dis-
se frei Jose.
0 assassino fagio, mas nao poderam
fugir a mulhere a filha.
Emataram a mulher? disse Bizarro,
com uma voz tal,
assustada & Maria
que n5o pflde conter-se.
que fez voltar a cabega
Peco.
Qaaudo o superior Mia, o leigo cala-
se, disse com voz serena o guardiao. Pelo
preceito da santa obediencia, ordeno-lhe,
irmio, que nao torne a abrir os labios.
NSo parece sendo que ao leigo irapor-
ta alguma cousa A cigana, acudio Maria
Peco n'um torn proprio de estalajadeira.
Afinal, disse oguirdiao, que engolia
nacos e nacos de lebre, nSo sabemos se
para dissimular, ou simplesment" porque a
gravidade da sitoagSo n3o Ihe ti' iva o ap-
petite, mataram a cigana ?
Ah I nSo, senhor. Que culpa tioha
ella do qne fizera o marido ? Morreu ; vi-
nha gravida, proximo da sua hora, e deu &
luz um menino morto.
0 guardiio sentio o borrivei estremeci-
mente de Bizarro.
Ah I e sesua merce tivesse. observa-
de, que pena fazia o ver outra cigana a cho-
rar edar gritos-... vamos I ainda que sao
ciganos, afinal sempre sao creaturas de
Deua. ^ -
Ah I ainda vinha outra cigana com
ella ? disse 0 guardiao.
Sim, sim, senhor. Lima cigana moga,
formosa como o sol, clara como a neve e
loura como o oiro ; e que gargantilha de
perolas que trazia, e que os olbos que ti-
nba tao azues e tlo lindos I Causava mui-
to dd.
E onde estd essa pobre cigana ? per-
guntou o guardiao com novo interesse.
Nem se imagina I levou-a a'senbora
princeza dos Ursinos no seu proprio coche,
quo nem que fosse sua filha. Que boa se-
nhora e como 6 caritativa I e que enterro
que fez d cigana.morta e d seu filop p6-Ios,
quero dkejymandou-os p6r n'um nicho do
patheon da igreja onde se enterram os ri-
cos, porque os pobres vao para o cemiterio
e para a vala grande; e a Sra. princeza foi
atrds della, forara ossenhorer guardas d'el-
Ff.ORES TRANSPLANTADAS.
(Carta a Rangel de S. Paid)
Meu caro.Vdo sorprender-te estas let-
tras, estou certissimo.
Tu que jd tinhas entoado um pesaroso
ay profundis sobre o raeu dilettantismo
itterario, que julgavas de todo agorentado
pela leitura ensossa dos praxistas, tensdeque
maravilbar-te ao ver-me com o antigo des-
pejo a trautear as velhas, arias de nosso
repertorio.
0 que queres ? Isto de rabiscar papel e
uraa rabugice, uma infeliz mania que nos
accoramette uma vez e nao mais no3 aban-
dona. E coratudo nao me Umerito por
ser maniaco desta maneira. Ha peiores
baldas.
E eu ndo sei em queo homera possa em-
pregar melhor os resfolgos das suas lidas
sendo nos passateinpos de sua maier predi-
lecgao.
Eis porque te vou hoje fallar das Fldres
Transplantadas, nome que o Sr. Dr. JoS i
Baptisla Rigueira Costa deu a um volume
de versos por elle traduzidos de algum
dos melhores poetas estfangeiros, e cujo
apparecimento registro, em falta de quem
melhor o possa fazer e o nao tenha feito
ainda.
Entre n6s, e e" jd uma banalidade repe-
petil-o", Dio s8o as acerbas vehemencias da
critica o infortunio dos livros novos : o que
os faz morrer para abi atascados nolixo das
livrarias e a mingoa de critics, nSo dessa
que se esterilisa em encomios inemeritos e
atoleimadas blandicicias, mas da que sabe
joeirar na seara alheia com probidade e in-
dependencia.
Raro, rarissirao 6 o trabalho litterario,
cujo apparecimento tenha outra mengao
ale^m das breves e eonsagradas palavras de
um noticiario, quando as tem.
E coratudo ha tanto quem escreva e tan-
to quem critique I
E' incrivel.
Parece quo d porfia trabalbamos todos
para deixar no esquecimeilto o esforco do
infeliz que, alera do arrojo inaudito de es-
crever com risco de nao encontrar Ieitores,
se aventura ainda nos mares terriveis da
pubheidade, tao cara e difficil sempre, que
e para quebrantar o animo aos mais cora-
jososf
0 agenciar um autor subscriptores para
urn livro seu e uma tarefa tao humilhante
como a do individuo que pedo pao para
matar a fome. E' menos indecoroso o ir-
se uma pessoa de porta em porta a solicitar
para a classica missa pedida.
Osque aqui subscrevem para a publica-
g8o de um livro qualquer, fazem-n'o quasi
sempre por uma especie de condoimento e
benevolencia para corn o auctor, quepo-
bre diabo. 1a mais de incommodar os fe-
lizos, que nunca sentiram pesadelos de
autoria, aleua do rol da roupa suja, 6" ainda
lastimosamente defraudado.
De feito, rara e a publicagao nessas de-
ploraveis condigoese o6s nao temos ou-
trasque naodeixe, em vez de lucro, pre-
juizo ao que a faz. E 6 facil calcular-se.
Ura livro de 160 a 180 paginas, impres-
sao pouco nitida, custa-nos 6000000, pelo
menos. Vendem-se no maximo, 200 exem-
plares d razao de 3/J000 cada um, o que
dd exactamente o prego da impressao : mas
destes 200 exemplares vendidos 50 s8o m-
cobraveis; logo: em vez de ganho que
compense algumas noites mal dormidas e
rei com as espadas ao hombro, ura homera
a tocar fagote, e o cura, o beneficiado, o
sacbristao e o acolyto a cantarem, e os si-
nos a dobrarem que era uma cousa de pas-
mar. Deus o pague d Sra. princeza I A
outra cigana ia tambem, porque. a pobrezi
nha n8o se quiz separar da mSe. Em se-
guida, a Sra. princeza, metteu-a no seu co-
che e levou-a comsigo, e os guardas feridos
ficaram aqui.
Valha-mo Deus, que tragedia tao la-
raentavel I disse o guardiao. Muitas gra-
gas, irmaa, pelo conto, e vd-se, que, se for
precisa, n6s a chamareraos.
Quando sua raercfi quizer, virei aqui
n'um pulo, servi-lo disse Maria Peco, sa-
hindo e olhando de soslaio para Bizarro,
que estava imooovel, rigido, de pe, com o
capuz calcado, os bragos crozados, as maos
occultas nas mangas do habito, e exhalan-
do da sua pessoa o quer que fosse de espan-
toso.
VI'
- Passado algum tempo depois de Maria
Peco ter lahido, Bizarro dirigio-se para a
porta, fechou-a e voltou com as maos esten-
didas para junto do guardiao. Tinha os
dedos ensanguentados.
Em quanto Maria'Peco contdra o funesto
successo que o enlouquecia de ddr, cravira
elleascompridas unbis nos braens robus-
tos.
A terra, o ee'o e o inferno, hao de pa-
gar me a morte da minha Clnta I exclamou
rugindo. Ha dous homens que sdo a causa
deete desespero, que"me devore. s entranhas:
o filho do conde de Monterey; que me o-
brigou a castiga-lo, e por causa' gir, trazendo Cinta n'um estado perigoso ;
e esse guarda infarae que matou Cinta. Nao,
D. Luiz Ddvalos n8o deve. ter morrido ; nao
morrerd. Morrer d pouco. A morte e* um
moraento. Eu quero que vivam... que vi-
vara... que vivam...
Bizarro proferira estas palavras d'um mo-
do entrecortado, rugidor e suffneado.
Pedio, humilhou-se, Btnofinou-se, e para
que ? Para pagar ao tydographo e ao com-
merciante de papel, perdeudo aldm do seu
trabalho, uma quantia que era toda a sua
carreira litteraria diffioilmonte hegard a
ressarcir. *
Perlde-rre, caro amigo, estas minoden-
cias arithmeticas, mas- punge-me a sorte
desses infelizes mineiros do pensamento,
que, como os outros miueiros, sdj marly-
res de umn civilissga-) rudimentaria de
mais para reconhecer-lbesos beneficios.
Sabes bem quo.. n2o leelaino, porque
odeio as declaruagoes, mas digo a verdade
franca e lisamerrte como a sinto fallar-me ao
cntenl mento.
E' aie'eerta ponto uraa fatalidade para o
bom tscriptor o nascer onde so falle lin-
giwgcrn portugueza.
I.magine-se o quo valciam, nao s6 pelo
lado do renome, mas tambem pelos pro-
ventos materiaes o talento e fecundia do
Camillo Casteilo-Branco, Theophilo Braga,
Josdd'Alencar, Macelo e muitissimesootios,
se por ventura o acaso, de que dependem
os maiores acontecimentos deste muodo, os
tivesse feito nascer francezps, inglezes ou
allemdes.
Na Franga o mais insignificante dos es-
criptos de Dumas Filho, grangearn lbe
sommas relativamente fabulosas. O Hom-
me Femme rendeu-lhe, se me n3o falha a
memoria, cinco mil francosj
Carlos lickens, na Iuglaterra, e Gralbe
ua Allemanha, por nao fallar em outros,
enriquecerara por meio de seus trabalbos
litterari' s.
Talvez outrem, que n3o fosses tu, me
dissesse que a gloria e inim'ga do dinheiro,
e que o escriptor bem aceito o considera-
do do publico experiraenta com isto s6
uma satisfagdo tamanha, que de cefto rao-
do o corappnsa da escascez dos lucros tem-
poraes, para dar a phrase um torn da
epoca.
E' verdade que o homera que escreve
nao creio eu que o faga movido sdm'ente
pelo espirito de ganancia, seria amesqui-
nhar a sua miss3o quo tem por alvo o
Justo e o Bem. Mas como ha de o pobre
escriptor alentar-se somente de suas gran-
des intengoes ? E por outro lado como ha
do a aceitagao publica manifestar-se sendo
comprando-lhe os livros e dando lbe o pre-
go delles ?
A gloria pura e extremma de feias mate-
rialidades ficou de todo desacreditada, de'
pois que uns certos sujeitos muitos nossos
conhecidos forara por amor della morrer
na enxerga do hospital.
Vieram-me ndo sei se ao acaso.se depro-
posito estas reflexdes quando folheava o li-
vro do Sr. Dr. Rigueira Costa, livro que
tii, como eu, doves ter lido d'um folego ;
ndo so, e principalmente, porque os versos
queo conipoera seduzem a attengao, mas
porque ate a sua forma material 6 attra-
hente.
Sem ser uma edigBo dejluxo, a das Flo-
res Transplantadas e simples e elegante.
As traducguos do Sr. Dr. Riguoira Costa
sio era geral excellentes, sobre tudo pela fi-
delidade que guarda aos autores, dos quaes
traslada.
E' isto um raro predicado no meu enten
der. Repillo o servilismo de uraa traduc-
g8o interlinear ; que de modo algum e con-
soante com o engenho do traduntor, quan-
do este 6 poeta como o Sr. Dr. Rigueira,
mas tambem nos parece cousa pouco cons-
cienfiiosa o andar-se a levantar testemunho
falso a quanto escriptor nos dd na veueta
interpretar.
0 livro contem traducgdes de Victor Hu-
go, Laraartine, Byron, Baudelaire, Musset,
Murger, Mery, Chenier, Gautbier, Beranger,
Millevoye, Schiller, Spencer, Rouget de L'ls-
ler, Lamenais, Moore, Voltaire, Petrarcha,
Potvin, Mickiewicz, Soulary, e, finalmente,
de Frangois Coppee, poeta de novissima es-
cola, e o mais positivista de quantos teuho
lido atd hoje. Ndo me e possivel apreciar
uma por uma, porque nem todaspude con-
frontar com os originaes, uns porque os n8o
tenho a mdo, e outros porque sdo escriptos
em idiomas nos quaes n3o sou versado.
Um canto da festa de Nero offerecida
pelo Sr. Dr. Rigueira d memoria do cbora-
do autor das Espumas Fluctuantes, parece-
me digna de.' especial mencSo.
0 Mergulhador, soneto do poeta da Vi-
da da Bohemia, d'aquelle excellente Mur-
ger. que tdo bons versos nos deixou, tam-
meu ver, rnghor interpretagdo teve La-
martine, talvez por affeigoarse mais o au-
tor das uonftdtneias indole poetica d do pro
prio traductor.
Cliimo a tua' altengdo para a poesia o
Reuuxo, traduzi Ja. de Baudelaireo terrivel
cultivador das Flores do Mal.
Ua um pwfito em quetmez as traduegfies
do Sr. Dr. Rigueira devam incorrer em cen-
sure, e yem a ser, um certo descuido de
arte, em que ds vezes cai, e o qual e con-
demnavel, principalraonto quando se trala
Je poetas, que, como Gautbier, prestain
maior cuidado d forma do que d idea.
De quantas versoes tenho lido da culebre
Marselhezad talvez a melhor a que se
acha d pagina 47 das Flores Trantplnnta-
das, mas assim mesrao para que occultal-o?
ndo gostei de a ver na collecgdo.
As palavras dosoberbo hymnode Rouget
de Lisle, desacompanhadas do fogo que a
musica Ihes oomaminica, e lidas agora ha
quasi um soculo do distaocia do sublime
eutbusiasmo qua as oncebeu, tornam-se
d'uma gelidez que destoa enorr.ieato com
a epigrapheque trazem.
Poesia de ocensiao, filha de uma epoca
anormal, quasi nulla de valor litterario,
so a musica tem o poder de cornmunicar-
nos o fogo da inspiragao que a produzio.
Em resumo, digo-teque as Flores Trans
plantadas s3o mui dignas de ler-se o qua o
Sr. Dr. Rigueira Costa pn>3tou um bom
servigo ds lettras patrias, quejd Ihe sdo de-
vedoras do grandes obsequios pelos seus tra-
balhos bistoricos e biographicos, lidos no
Instituto Archoiolgico desta provincia, e os
quaes pretendeautor condensar em seu li-
vro, que sord em breve dado d estampa.
Teu ex-corde,
i. de Souza Pinlo.
.______:
O aruiurio de carvalho.
(Continuacao.)
Nao ; occorreu uma catastrophe. Des-
Valor, muito valor, Bizarro, disse o
guardiao profundamente comraovido, ape-
zar db parecer bomem de pouco coragflo.
Valor, meu pobre amigo ; o que estd suc-
cedendo 6 terrivel. Vingae-vos muito em-
bora,' eu vos ajudarei. Por uma coinciden-
cia o conde de Monterey e meu inimigo e
eu tenho-o seguro.
Acabae d'abi, cbamae a criada e par-
tamos. Estou ancioso per chegar d Ma-
drid ; tarda-me ver Anna Maria. Por algu-
ma cousa a amava, por alguma cousa a ser
via ; por alguma cousa.lhe guardei afilha.
A filha I
Sim, a sua filha I filha... d'uns amo-
res... Agucena.
Ah 1 exclamou o guardiao.
Sa.beis tudo ; mas guardae-vos, guar-
dae-vos de revelar um segredo que o deses-
pero deixou sahir do peito. Vamo-nos, pa-
dre guardido, vamo-nos. Ndo nos demore-
mos nem mais um momento. Cbamae, nSo
posso disfargar a voz ; preciso ver-me em
sitio onde possa chorar sera que ninguera
veja as minhas lagrimas mais do que vfa
0 guardiao charaou pela raoga da estala-
gera, mandou tirar os machos para fora da
cavallariga, pagou a conta e pouco depois
elle e Bizarro sabiram da povoacuo.
CAPITULO X
MARIA LUIZA GABRIELA DE SABOYA.
I
A princeza chegou d Alcald de Henares
antes das tres horas da manhla.
N8o obstante a hora, esperava-a a maior
parte rfa-povoa^ao ; e, n3o obstante tambem
a disposicao de animo e.h que Anns Maria se
achava, o recebimento que a cidade Ihe fez
ndo poie deixar do li&ongea-la.
0 corregedor disparou-lhe ura discurso
pesado, mas era que se notava om verda-
deiro enthusiasmo, filho da esperanga que
todos nutriam de que a princeza com o
seu talento e a sua influencia encaminbaria
as cousas para uma situagao melhor do que
aquella em que se achavam. Us siuos re-
appareceu n'uraa manhd daquelle mesmo
mez, e desde esse dia fatal, o arrendatario
Merrywood ndo tornou a levantar a cabega.
0 desgragad) pai pareceu olvidar que live
ra uma filha. Ndo tornou a fallar-me de
Carolina ; niuguem se atreveu mais a fallar-
lbe delta, e quando no mez seguinte reco-
beu uma carta, na qual lbe dizia Carolina
que ia casar e ser uma fidalga, nobre e ri-
oa, mas adorando e respeitando serapre seu
pai... rasgou aquella carta e arremessou
os pedagos ao vento, sera pronunciar mais
do quo estas palavras : Insensata I in-
sensata I
Estava looca, effectivaraente, disse o
Sr. Benson : porque me parece que o mogo
conde nao se casaria com ella.
Ai 1 n3o, e ella nao tornou a escrever.
0 arrendatario Merrywood subio ao quarto
que pertencera a Carolina, abrio violenta-
mente o pequeno armario de carvalho onde
ella tinha a sua roupa e os seus vestidos,
despejou as gavetas no chao, e entregou ds
chammas vestidos, cbapeos, etc., etc. 0
armario era um trasle velho de familia, que
tinha pertencido a seu proprio avO, depois
d sua radi, depois d sua mulher... A ga-
veta de ciraa tinha duplo fundo, que servia
de bolsinho a Carolina, e onde ella conser-
vava todas as cartas que recebera de seu
pai quando estava uo collegio. 0 arrenda-
tario Merrywood abrio tambem o fundo fal-
so, tirou todas as cartas, tentou ler uma e
ndo pddecontinuar, porque se he encheram
os olbos de lagrimas. Passou um mez e
outro, um anno todo, eo pobre bomem nao
estava menos triste nem menos sombrio,
quando recebeu uma carta que trazia um
escudo demarquez no sobrescripto.
0 meu desventurado tio abrio-a e vio
que era do mogo conde Roger, cujo pai, o
velbo marqoez, acabava de morrer, deixan-
do-lhe todjs os seus dominios e titulos, mas
com a condigdo de que havia de casar com
a berdeira dos Rockingana. Carolina,
dizia o novo marquez, estd dotada e 6 feliz;
mas eu devo ao senhor uma reparagdo pes-
soal, porque sei que a sua foituna s? re-
sentio com < s seus pezares. Reraetto-lhe
pois, em nome de sua filha, quatro notas do
banco de 4:500^1000 cada ama.
Bembito seja Deus I exclamou o pres-
tamista. Que sujeito tdo pobre e tdo gene-
roso Dezoito contos de reis I Que fortu-
na para esse feliz pai]!
Muito raal o julga I Ah I se tivesse
picavam c( m desatino, e um grande nume-
ro de pessoas com facbos accesos rodeavara
a carruagem da princeza, os batedores via ru-
se obrigados a abrir caminho com diflicul-
dade por entre o povo, que se apinhava
para ver Anna Maria, queassoraavasozinha,
bella, com um deslumbrante trajo de cdrte,
ora d uma, ora d outra portinhola, e com-
primentava com uraa deslincgdo de rainha
os que a victoriavam, victoriando ao mesrao
tempo el-rei.
Anna Maria estremecia por effeito d'um
pressentimento que a embriagava, ao ouvir
nas acclaraagoes do povo unido o seu nome
ao d'el rei. Era uma amiga quem Luzia
de Saboya esperava, ou uma rival ambicio-
sa e occulta, na princeza dos Ursinos ?
Aquella mulher superior teria feito Jten-
g3o de ser rainha ? Pouco tempo antes
Luiz XIV sentira o prestigio do seu talento,
dos seus encantos sustentados por aquella
juventude tenaz, e a Maintenon, cheia de
ciumes, apresdra-sea envia-la d Hespanha.
antes que a sua -influencia sobre Luiz XIV
augmentasse e robustecesse, e se tornasse
superior d sua.
A verdade e que aquella ardente de-
monstragdo popular, que era a melhor base
da sua influencia, fazia sorrir a princeza de
felicidade.
II
Vio-se obrigada a apeiar-se nas Casas Con-
sistoriaes para tomar um refresco que a mu-
nicipalidade Ihe offereeia.'
Dominados pelo tacto, pela viveza, pela
amabilidade de Anna Maria, todos virara
nella mais do que a caraareira-mur da rai
nha, viram uma terceira pessoa ao nivel dos
reis.
Afinal, a princeza partio, e pelas sete ho-
rase meia da manha chegou d Canillejas.
Meia hora antes tinha se-lhe reunido o con-
de de Montellano, Orri, ministro da fazen
da, que tinha sido chamado
palavra I Depois de ura
quarto de bora de sombrio siUacio.iiiKWM
Minba querida Joanniobe, tobe comi-
go; quero qee sejas testenmnha do que vou
fazer.
Sogui-o tremendo uti ao qa*to de Caro
liua.
Aqui estao._disse-me el\, dezoito con
tos de niis, que esse infarae seductor nv
quiz fazer aceitar em nome de ninha filha.
L'eus mu livre de lbes tocar ; ndo Ih'oa de-
volve, pjr jue poden.Mn servir pcra sednzii
outra; mas... era eu ndoexwUudo... m *
filha qu > elle mo roubou esuver ao deiim
paro e na miseria, nio qw que mom de
forae j e justo que reeobre.ti pro/) da sua
honra j eiitrega-lhe o que lbe pertauoe.
!)i/"n-|o isto, abrioo fundo falso, Molteii
i as notas do banco, fecbou a gaveta c >m
so^nbrio dessespeo. eatreg^u me oalealfi
nete de prata, que serve para tocar na se-
crets mola. Meu bom tio morrow; Caroli-
na tambem deixou da existir. A quem le
vem pert^ncer os dezoitos contos de r&s
E eu que vendi o armario por d ja-
ibras 1 exclamou o Sr. Benson... Muitc
pateta sou. repito 1 Roubaram-ae I T^m
a certeza desera unica pessoa sabe lor a do
segredo ? Ah 1 eu deveria ter desconfiado
daquelle rapaz de simples aspecto, que vek
escolher juitamente esse trastc entre to-lo-
os da minha 1 ija I
Diga-me que foi comprador, tornou a
dama ; nao s6 possuo o segredo, mas ten he
tambem o alfinete.
De ot o alfinete, disse o Sr. Bensoa.
Ndo e tarde ainda para ir examinar o traste.
e vou quanto ai.tes.
Ndo, ndo; a chave qu^ro eu con* r
var. Rehavenha o armario, e era d o lea-
do, poderiamos examina-io eabri-io jantos.
uma vez que temos de repartir, a ntaaas
que ndo prefira indicar me a casa do com-.
prador, para eu me enteoder com ella.
Nao, nio, disse por tea vez o Sr
Benson ; a asneira foi minba, eu devo even
da-la. Venha a senhora aqui aoMobi cado,
pertodas nove.
Araanha cedo, perto das nova I ropatjo a
prima Joanniuhi. Boas noites.
E tornou a luetter-se ua carruagem.
0 Sr. Benson udo pod<* pragar olbo em
toda a noute, receiando que o sol a o rapa
da rua de Salisbury se levantasseia priatei-
ro do que elle.
Mal rorapeu o dia, encaminhou e para
aquella rua, e ao baterem as set* asta*a
diante do n. 2.
Antes de por a mdo na arpola, cerlific-) i-
se de levar na algibeira tres rolos da m j
das de ouro.
Espero qae a vista do ouro seduzi
modesto rapaz, e especialnente avelba
que terei talvez de indemnisar. Ora m
bem. Estou preparado. fatli.
Quem e *
Jd estd de pe a Srt. Truman I
Ainda nio.
E o senhor seu sobriobo ?
Sou eu, retorquio da dantro a
vez.
E quando se abrio a porta, at
aquelle bom sobrinbo om pessoa,
tando a sua estranbeza por uraa visi
matinal.
Mou caro senhor, disse Benson, nor
ca se madruga deraasiado para emend*
um equivoco. Coramotti-o bontera, e ni
pequeno, veudendo um armario quo
desirmanava o par. Venho, pois, pessoa:
incute desfazer o nosso negocio ; nas com
sou escrupuloso era tudo quanto e jasto, es-
tou disposto a iodemnisa-lo ate com largae
za. Pode o senhor escolher o que quixe
de toda a minba loja.
Por modo algum, naeu issigo. A m.
nha tia estd encantada com o" presente.
ndo creio que hsja nisto o mais pequeno au
gano. Ainda nio abri nem uma das gave
tas sequer, e alera disso, ba de estar lem
brado de que tudo previ... Ah, ah I tinh
graga se naquellas gavetinbas fossa au an
conlrar a minha fortuna! Estes antigo
raoveis de familia, conforme Ihe disse man
tem, teem enriquecido mais de um ber
deiro.
(Continmru-ha.)
poifco; e Mr. Amelot, que nio sabesao-
como, chegdra primeiro do que alia i Ca-
nillejas. Estes dous persooagMU ia*. acorn
pa nha dos dos seus criados frincacas i ca-
vallo. No sequito encorporj ram se Um
bem, com os seus alabardeiros e pagans,
como grandes de Hespanha, o coode d
Montellano, presidente do cooselbo da Cas-
tella ; o duque> de Montalto, presidente dV
consclbo de Aragao ; D. Fernando de Ma
tanza, marquez de Puente Mayo, corrage
dor de Madrid ; e era outros cocoes oa re
gedores perpetuos da cidade com os tirabalei
ros e os maceiros do municipto, o rardaal
Portocarrero, como coronal do regisaant
dos guardas d'el-rei, e nm dos dnas esqua
drdes deste rtgimento, que tinha fieado am
Madrid,o outro esquadrio estava asa Ca-
nillejas com os reis.
0 acompanhamento poz-se em ordesn: pri-
meiro os timbaletros e os macsiros da ci-
dade; em slguida a carruagem do regaaW :
depois os cocoes dos regedores perpsaaos.
as carruagensdo conde de Monwlassa a do
duque de Montalto.Todas eat** carraa
gens levavam as respectivas escotta*.Atras
dellas iara os trombeteiros, o* maceiros a
timbaleiros da casa real, os batedores do
corpo dos guardas, grande numero da cria-
dos com hbre da casa real e A cavallo; asa
seguida, n'uraa carruagem da ease raat* a
Snnceza dos Ursinos, levando A portiaboU
a direita, d cavallo, o cardeal Portocarraro,
na qualidade dacoronel do corpo das, acompanhado d'alguns p-Mitis
d'el rei e d'alguns dos familiares do car*
deal; d esquerda Orri e Amelot, tainborn i
cavallo, com os seus criados raoutados ; de-
pois, a escolta de guardas a os quatro ou-
ches em que iam as damas da princeza ; a
por ultimo, como escolta geral da toda a
comitiva, um esquadrio de uuardas
(Continual- se ka )
A
d Franga um
anno antes, e que, devolvido tambem con-
juoctamente com a princeza, chegdra havia' ^?o DIAR10. RUa OOQUI DI CAXU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERK4J2RZO_9X4YSH INGEST_TIME 2014-05-27T23:03:41Z PACKAGE AA00011611_17673
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES