Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17667


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I

ANNO t. MJMERO 283
FAR A A CAPITAL B LVOARE9 e.UDE NlO SE PAG A POHTE.
For tres ra
Por seis ditos idem
Por urn
Cada numero avulso
69000
139000
949000
9320
IARI0 DE
ARTE OFFICIAL.
I de quartei ao respectivo destacamento ; segnndo
solicitnu o Dr. ebefe.de policia era offleio do boa
t-m datado, sob n. 1,057.
Goveruo da provincia.
BtlOBRI DO dia 99 ds AOOSTO DE 1874.
1.' seccao
Offi:ios :
Ao Ex n. brigadeiro comruaadante das ar-
mas. -S)br'e.sieja V. Exc. m remessa para a corte
dj recrala Jose Evaristo do Nascimento.
Ao mesmo.Inteirado pelo offleio do direc-
tor do hospital miliur aouexo ao de V. Exc, da-
iado de 22 do corrente, sob n. 632, dos mutivos pe-
los quaes o respectivo coaselho econoruico rejeilou
a proposta do oegociauteManoel Joiquira Alves da
Costa para o foroecicnento de generos alimenticios,
destiaados as dietas dosduentes e racoes dos empre
gados do inesmo hospiul.teDhoa dizer a V. Exc, pa-
ra o fazer constar aquelle director, que deve cha-
mar nova concurrence para lit o f orneciraento, de-
vendo, em quanto se nao realisar ocootrato, conti-
naar a providencia ja em execucao de serem as
compras feitas a diubeiro pelo almoxarife, a quern
se delerniinara que na j couipre objecto algum ao<
ex-foruecedores, e procure obtel-o em oulra
parte.
Ao me'smo.Sobr'esteja V. Exc. na reraessa
para a corte do recruta J aquini Dias Manias.
Ao inspector do arsenal de marinha. -Tendo
uesta data incumbido a ageucia da Companbia
Brasil'ira de navegarao a'vapor de mandar condu-
irr pelo proximo vapor esperado do sul, a laocba
destiuada a eapitania do porto do Hi j Grande do
Norte ; dou assiin solucAo ao seu offleio de hon-
tom dat.ido, sob n. 109.
Ao director do arsenal de guerra. Visto
3ue o edacando Manoel Olyinpio da Silveira, ten-
o attingido a idade de mancebo, nao po le passar
para a companbia de operarios tnililares, em con
aequencia de ter sido eui inspecclo de saiide e n-
siderado incapaz de servir no exercito por solTrer
a perda da visio do olho esquerdo, proveoiente
de opblalmia puralenla de que furaaccorametlido,
aatoriso Vmc a mandal-o desligar da companhia
a que pertence e entregal-o a sua familia.
2 ucqao
Acto* :
0 presidents da provincia, a vista da pro-
posta do Or. chefe de policia, em offleio a. 1,035'
de bontera, resolve demiltir dos cargos de 2 e 3
supplenles do subdelegado de policia do I* districto
do termo de Ipojuea a Jose Francisco de Souza
Leao e Joao Bai bosa de Souza.
0 presideute da proviacia, de oonformi lade
com a proposta do Dr. chefe de policia, eaTolflcio
o. 1,055, de hodtem, resolve nomear para os car-
go*, de 2a e 3 supplenles do sobdelegado de poli-
cia do I* districto do termo de ipojuea aos eida-
dios Jose Francisco dos Anjus e Manoel Severo
Cavalcanle, na ordem em que se acbam.
0 presidente da provinci?, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia, em ofBcio
a. 1,056, de bontem, res Ive nomear para o cargo
de 1* suppleute do subdelegado de policia da fre-
guezia de Taqaarelinga, do termolde Limoeiro, ao
alferes honorario do exercito Joaqaim Francisco
de Torres GallinJo,
0 presidente da provincia, alttendeodo ao
que requereu o tenente da 5' companbia do 15*
tiatalba > de iofantarla da guarda naciooal do mu-
nicipio de Itambe, Trajano Evaristo Ferrao Castel-
lo-Branco, resolve designar o 3* batalhao de infan-
taria da guarda nacional deste inunicipio para
nolle ser aggregado.
OfBcios :
Ao Or chefe de policia. Respoudendo o of-
ticio de V. S, de 19 do correute, sob n. 1,027, le-
nbo a dizer Ibe que para resolver sobre o aug-
mento do aluguel da casa que serve de cadeia no
(ermo de S. Bento, convem que me seja declarado
em quanto orcam os reparos de que faz mencao
o respectivo juiz municipal.
Ao mesrao.Sirva-se V. s. de, lendo as io-
clusas petlcSes, que me serao devolvidas do re-
erula Joaquim Dias Martins, informar a respeito
com o que the occorrer.
Ao mesmo.Declaro a V. S., em resposta ao
seu offleio de 19 do corrente, sob n. 1,035, qua
seudo exagerado o pre;o por que f->ra alugaia a
nova casa que tern de servir de quartel ao desta-
camento do termo do Cabo, convem que o respec-
tivo delegado entenda se com o proprietario della,
afim de obler a reduccao de tal preco.
Ao mesmo. Tendo a companhia pernam-
bacana de fazer segnir no dia 3 de selembro pro-
ximo findo, ao meio dia, o seu vapor Jaguaribe,
para o presidio de Fernando-^le Noronba, conlor-
me eommunicou o respeclivo gerente em offleio de
bontem datado ; assim o declaro a V. S. para seu
coobecimeoto e devidos fins.
Mutatis mutandis ao juiz de direito da 1*
vara da capital.
ao juiz municipal do Triumpbo.Respondo
offleio de Vmc, datado de 27 do mes Undo, em
o qual solicits o pagamento da quantia de 1015000,
abonada por Francisco Barbosa da Silva, as pracas
de policia que vieram em diligeocia dessa villa
para esu capital, eom a inelusa copia do offleio do
commandante do corpo de policia, datado de 22
do corrente, sob n. 250.
Ao eoramiisario de policia do Limoeiro.
Em resposta ao offleio de Vmc, de 17 do corren-
te, consul taodo se pode prestar jaramento e exer-
cer o cargo de vereador da camara dessa villa,
tenbo a dizer-ltie, era vista do parecer, por cojtia,
do desembargador procurador da corua e sobera-
nia nacional, de bontem datado, que pode Vmc.
prestar jaramento, nao assim exercer aquelle
cargo por ser incompalivel as snas funccQes com
as de commissario de policia pelos motivos expen-
didos no citado parecer, com os qnaea me con-
fornio
3.' see^ao
Offlcios :
Ao inipeelor da tbesouraria de fazenda. -
Communico iV.S. para os devidos effeitos, que
o governo imperial acaba de reconbecer o cban-
tre Jose Joaquim Comello de Andrade como go-
vernador do bispado, em cujo exerritcio se acha
etle detde o dia 3 de Janeiro ultimo, devendo
aabsiituil o em qaalquer impedimento, em 1* In
gar o Rvd. Sebastiao Constantino de Medeiros e
em segunde o Rvd. Dr. Joaquim Graciano a'A
rtajo, qne entretanto c >ntinda no exercicio da vi-
raria geral e provisoria. Outro igual ao ins-
pSc^r do tnesoaro provincial.
Ao mpsmo- I'ara os 6ns convenienles corn-
manico a V. S. qne em 18 do corrente o ba-
charel Jose Maria Moscoso da Veiga Pessoa eu-
trqii no exercicio do cargo de jaiz de dtreilo da
ceJttarca de Bulque, para onde fora removido da
do Teixeira, na provincia da Parahyba, por de-
sreto de 6 de maio ultimo.
Ao mesmo. Para os fins convenientes eom
munico a V. S. que em 18 do corrente o bacba-
rel Luix da Silva Gasmao reassnmio o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orpbaoi do termo
de Boique.
Ao inspector do tbesouro provincial. A'
vista da conta junta em dnplieata, mande Vmc.
pagar a Joaquim Ferreira Alves a quantia de
:t0^000, proveniente da 3 mozes de aluguel da
cm* qne na freguezia do Poco da PaaelTa serve
Ao mesmo.Ileraellidniio a Vmc os. inclusua. fmne5ou de uu tmfK
docunienlos, auioriso o a mandar eatregar ao Dr.
Iguacio de Barros Barreto a quantia de G.OCOj,
iraportancia da 2" prestacao do seu contrato, em
apolice- de 7 0|0 ao par, na coofoimidade das in-
formai.oes desse thesouro, a que se refere Vmc
em seu offleio datado de 21 do currents, sob n.
347.
4.' secqao.
Aetos :
0 presidente da provincia [resolve declarar
de oenhum etfeilo a purtaria de 20 do corrente.
que nomeou c Dr. Joaquim Cjrreia de Araujo
para o lugar de vice-provedor da Santa Casa de
Misericordia, era eoosxquencia da exoneracao que
obteve o barao do Livramento.
0 president da provincia resolve remover :
a Bfofessora Maria do Rosario Piubeiro da 4' ca-
deira do sexo masculino da freguezia de Santo
Antonio do Recife para a do sexo femiBino de Gi-
quia i a professora Maria Candida de Figueiredo
da cadeira do sexo masculino dos Coelbos, para a
4' do mesmo sexo da freguezia de Santo Antonio
do Recife ; a professora Cosma Elvira de Araujo
da cadeira de Giquia para a do sexo masculino
dos Coelhos; ficando de nenbum effelto as por-
tarns que rtmoverara ditas profe^soras, na ordem
em que estao inscriptas, para as cadeiras, 4* de
Santo Antonio, dos Coelhos e de Giquia.
Itesolve ainda remover : a professora do Alti-
nho, Guiliie iniua da Silva Cunha, para a cadeira
de Guipapa ; o professor de S. Caetano da Raposa,
Galdyio Eleuierio Teixeira do Barros, para a Bar-
ra de Serinhaem ; o professor da Barra de Seri-
nh.i-m, Antonio Victoriano de Almeida Andrade,
pira Santo Amaru de Serinhaem.
0 presidente da provincia, altendendo a > que
requereu Amelia Carolina da Silva Ramos, pro-
fessora publica de instruccao primaria da cadeira
do sexo feminioo da cidade de Olinda, e em vista
da inforaiacao da iaspectoria da inslruccao publi-
ca, de 13 do corrente, sob n. 217, resolve prorogar
p r mais ires meies a licenca que lbe fui concedi
da, sendo dous mezes com metade do ordenado e
nm sem vencimentos.
; Offleios:
i Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Tenho por acto desti data resolvido declarar
de nenhnm effeito a portaria de 20 do cot rente,
que nomeou o Dr. Joaquim Corrda de Araujo para
o lugar de vice-provedor dessa Santa Casa, em
consequencia da exooeraeao que obteve o barao
do Livramento, assim o communico a Vmc para
eu e< nhecimento, cumprindo que quanto a se-
melhante Ihgar se observe o que dispoe o compro-
mise da weema Siuta Casa.
Ao mesmo. Em vista do informacao de
Vmc era offleio n. 97, de 21 do corrente, auto-
riso-o a mandar inscrever no respectivo qnadro
a menor Amelia, filha de Emerenciana Tavares
de Andrade, para ser admittida no collegio das
orpbas, quando houver vaga. Acompaoha a esta
a certidao de idade da referida menor.
Ao mesmo.Mande Vmc. inscrever no qua-
dro respeTtivo os nomes das duas menores filbas
de Isabel Carmelinda de Gosmao e Silva, para
serem admillidas no collegio das orpbas, quando
houver vaga. Assim respondo ao seu offleio n.
99, de 21 do corrente.
Ao mesmo.Mande Vmc. inscrever no qna-
dro respeetivo o nome da menor Francisca, filha
de Alexandria Ludovma Dnarte Anlunes, para
ser admittida no collegio das orphas. quando hou-
ver vaga. Assim respondo ao seu offleio n. 98,
Je 21 do corrente. Acompanha a este a certidao
da referida menor.
Ao mesmo.Respondendo ao offleio n. 95,
de 21 do correate, que Vmc dirigio-me, Ibe de
claro que approvo a deliberacao tomada pela
junta administrativa dessa Santa Casa de mandar
entregar ao bacharel Manoel Henrique Cardim,
sua enteada e papilla Emilia Petrolina de Salles,
educanda do collegio das orphas.
Ao mesmo Approvo a deliberacao tomada
pela junta administrativa dessa Santa Casa, de
mandar entregar a Thereza Maria de Jesus, seu
filho Jose da Silva Pereira, educando do collegia
dos orphaos, conforme pedio Vmc. em offleio n.
181, de 21 do corrente.
Ao Rvd. Fr. Antonio dos Anjos Machado.
Remetto a V. Rvma. uma carteira acompaohada
de instruccdes contendo medicamentos bomeopa-
Ihicos, para serem applicados aos individuos des-
validos atacados da variola, e assim tambem qua-
iro lubos com lympba vaccinica para aquelles a
quem ainda nao se liver ionocutado esse util pre-
servative.
5.' secqao.
Offleio :
Ao engenbeiro encarregado das obras ge-
raes.Orce Vmc. as despezas necessarias a segu-
ranea do predio denominado-Convento do Carmo
na cidade de Olinda, pertencente a fazenda na-
cional, arrematado por Oscar Destibeaax.
Portarias:
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navegagao a vapor deem suas ordens para que
seja condnzida ao Rio Grande do Norte, pe r conta
do ministeno da marinha, pelo proximo vapor es-
perado de sul, uma lancba que pelo arsenal de
marinha desta provincia 6 remettida a capitania
do porto daquella.
0 Sr. ger- nte da companhia pernambucana
mande dar passagem para o presidio de Fernan-
do, por conla do minisierio da justica, a Maria
Thereza de Jesus e sua filha menor de nome Joan-
na, familia do sentenciado Joao Baptista do Nasci-
mento, que para alii segue tambem.
EXPEOtKNTK DO SBCRETARIO.
2." secfao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.Para os fin? eon-
venientes commonico a V. S., de ordem de S
Exc o Sr. presidente da provincia, que neeta data
offlcioa-.e ao tbesouro provincial mandando pagar
a Joao Ferreira Alves, a iraportancia do aluguel
de tres mezes da casa que na freguazia do Po;o
da Panella serve de qnartel ao respectivo desta-
camento, na conformidade do sen offleio datado de
hontem, sob n. 1,057.
Ao mesmo. -De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, inciuso remetto a V. S. os
litulos de uomeacio de 2* e 3* supplentes do sub
detegado de policia do 1* districto do termo dr
Ipojuca, e de 1* supplente do da freguezia de
Taquaretlnga, do termo deL'tnoeiro, de conformi-
dade eom os offlcios de V. S., ns. 1,055 e 1,056,
de bontem.
Ao commandanta superior do Recife. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
communico a v. s. qrfc por portaria desta data foi
designado o 3* batalhao da guarda nacional sob
esse commando superior, para nelle ser aggregado
o tenente da 5* companbia do municipio de Itam-
be, Trajano Evaristo Ferrao Castello Braneo.
Ao jniz de direito da comarea de Bniqne.
0 Exm. Sr. presidente da provincia maada accu-
sar o offleio de V. S., de 18 do corrente, eommani
cando haver na mesma data assamido o exercicio
do cargo de juiz de direito dessa comarea, para
onde fdra removido da de Teixeira na provincia
da Parahyba.
Ao juiz municipal. 0 Exm. Sr. presidente

da provincia inanda aecuasar o recebimento do
offleio de V. S., de 18 do corrente, couimunicando
haver na mesma data reassuraido u exercicio das
SEXTA FEIRA 11 DE OEZEHBRO DE 1874
PARA DUMBOE FORA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados. t 7.......... C9TM
Por sets ditos idem................. 1 S9&o#
Por nove ditos idem................. ^fiftM)
Por am anno idem.................. STfOtt
RJVAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FlIUEIROA DE FAMA ft FILHOS.
9f Ira. Gerardo Antonio Alveii Filhos.no Par!; Gonjahres 4 Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose" de OlireiradFilho, no Cearlf JUitonio de Lemus Braga, no Aracaty ; Jolo Maria Julio Chr*dt, no Asid; Antonio Marqnei da Silra, NaUl ; Jose" Jnatra*
Pereira d'Almeida, em Mamangaape ; Carlos Anxencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose" Gomes, na Plla d Penha; Be'armino dos Santos Inlcio, em Santo Ant* .; Domingoa Joai da Costa Braga, em Saxareth j
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna : Joio Antonio H>chaeo, nrt Pilar dasmTftf>*: Aires A C.na Bahia ; A. Xavi8r Leite dt C. p Rio Janeiro-
3' secqao.
Offleio :
Ao inspector do thesouro provincial. De or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia, remetto
a V. S., para os fins conyenientes, 50 exemplares
impressos do regularaento baixado era 23 de jolho
ultimo, para a arrecada^ao da taxa de herangas,
legados e sua quota, 30 ditos do additamenlo feito
em 18 do corrente, ao regulamento das agendas
arrecadadoras dos impostos de consumo e 20 ditos
da Aodificaeao feila era 8 deste mez ao regula-
mento expedido a 24 de fevereiro do corrente anno,
para a reparticao das cbras publicas.
5." secQdo.
Offleio :
Ao eugenheiro chefe da reparticao das ob'as
puLlicas De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, remetto a V. S. 10 exemplares im-
pressos da portaria datada de 8 do corrente, em
additamento ao regulamento dessa reparticao.
DESPACHOS DA PBKSIDKNCIA. DO DIA 9 DK DEZKMBHO
dk 187a
Antonia Francisca Vieira de Souza.-InJefe-
rido.
Antonio Jose da Costa e Josephina de Souza Fer-
reira. Indeferido.
Enule UldaricMazeron.-Deferido cod o offleio
desta data ao regedor inlerino do gymnasio pro-
vincial.
Francisco Joaquim Machado.-Deferido com of
fieio desta data, diri^ido ao Sr. inspector da tbe-
souraria de fazenda.
Joso Cardozo Vargas. Entregue-se, niediante
recibo, nao bavendo inconvenienie.
Jose Marinho de H>llanda Faleao. Indeferido.
Jo.'e Francisco Sanfag>. Dir.ja-se aoSr. direc-
tor do arsenal de guerra.
Commenlador Manoel Camello Pessoa Cavr.l
cante.Deferido com o offleio desta data, diri
gid-j aoSr. inspector da ihesouraria de fazenda.
Manoel Ferreira Garrido. -Informe o Sr. pro
vedor di Santa dsi de M>sericordia.
Manoel Felippe da Silva. Cooceda se.
Mnoel Francisco de Almeidi.-Indeferido.
Tenenie-coroael Sebast.ao Autonio do Re^o Bar-
ros. Forneca-se.
0 mesmo.Forne^a-se.
Vicente de Mora Pessoa Cavalcanle.Deferido
com i- offleicio desta data, dirigido ao Sr inspec
tor da ihesouraria de fazenda.
Zeferino Alves de Barros.Deferido com offleio
desta data, dirigido ao Sr. inspector da Ihesoura-
ria de fazenda.
TELEGRAMMAS
a(;i:\(ia II.VVAS Itl I UK
POUTICOS
LONDKES, 5 de dezembro.
Tendo-se inullllsado, com o aau-
tragto do vapor /. ( .'7.-11'.1, o cabo
submarino quo devia pdr em com-
muoicacao o Rio Cirande do siul
coin Montevideo, a companhia Wes-
ter and Brasilian Telegraph dirl-
arlo se aos Mrs. Wlemens iTeres, e
com elioM contratuu u Cabrlco de
um uovo cabo submarino, que de
vera ser enireguc no Rio (irande
do Sul ate o dia 8 de fevereiro do
anno proximo
BEIUJM, 9 de dezembro.
Encetou se o julgauiento do pro
cesiso mandado instaurar ao conde
Ami in. antigo embaixador allemao
em Paris, pelo foverno do seu pals,
nepols das formal!dades do costu-
me, o accusador publico eneeton
a Ieltura do libello. no qual o con-
de Arnlm e arrusado de ter sub-
tranido um eerio numero de docu-
mentos pertencentes ao estado,
qnando acnava-se exerceodo o car-
go de embaixador allemao em Pa-
ris. O libello acrusatorlo meoeio-
na as dim-rentes pecas que faltam
no archlvo da embatxada de Paris,
desappareclmento que fol deseo-
berto pelo prlncIpe de Hohenlobe.
os quaes o conde Arnlm declarou
querer conservar em seu poder, por
consldera-los documentos prlvile-
giados. O accusador publleo dts
correu larganente sobre a recusa
do conde. rasendo notar que nun-
ca se deu. na carrclra dlplomatlca.
um semelbante facto, e conclulo
pedindo ao tribunal que Imponba
ao reo o maximo da pena alxado
na lei ; addleclonando que o gover-
no allemao ordenou o comeeo do
processo bastantemente contrarla-
do, e somente quando vlo esjjota
dos todos os meios brandos ante
a recusa formal do conde. Km se-
gulda a Ieltura de libello nerusa-
torlo, proeedeu se ao depotmento
das testemunhas. Muppoe-se qne
esse processo. que e sea;uldo em
Berlins com extraordinarlo Inte
resse. e que tern ani caasado pro
funda sensacao. so esteja conelui
do sexta-fetra on sabbado (11 on
).
MAURI3, 10 da dezembro.
Os boletins medicos pnbllcos ne-
nhnma melhora menctonam no
estado de saade do marecbal Ser-
rano. '
MAORIS, 10 de dezembro.
Bealison-se bontem uma reuniao
do eonsolho de mlntstros. na qnal
forana dlscutldas as medldas a to
mar para dar aettvo tmpulso as
operaeoes contra osearllotaa. A' as-
hid* do eoaaelho o naareehal Ser-
rano partio para o norte. O coverno
vai facer aeajalr para o norte novos
reforcos. Esperam-se brevemente
Importantes ffeltos d'arsaas.
LONDRES, 10 de dezembro.
As observaedes feitas pelas coaa-
mlssoes sclentidras eavladas para
exaaalaar a passaseaa do plaaeta
Venns. no Earjpto, nas ladias. na
Australia, e no Japno, deraaa os
mals satUfatorios result ados.
COZ2BECXAE5
NIDRKS, 9 de dezembro.
O mercadq de assucar esteve bas-
Jlnte calnio lioje, e os precos com
tandencia a baixar t vendeu-se o
carregamento do COLIBRl, a bordo.
all sb. e O d. pelas IIS libras.
com destlno a Copenlragne.
NEW YORK, 9" de dezembro.
Cambio sobre Londres 1-85 1/S.
OSro 111. O mercado de caftt esteve
n aim mi o, e os precos encerraram-
se flrmes i o do Rio fair 18 1/4. e o
good 18 3/d cents por libra- Algoduo
mediano uplands 14 1/9 cents por li-
bra j as ehearadus de hoje aos portos
amcrieanos elevaram-se n inte e
dous mil fardos
LIVERPOOL, 9 de dezembro.
Hoje venderam-se doze mil fardos
de alsodao, sendo mil e duzentos
procedentes do Brasll. O mercado
de assucar esteve calmo. mas os
precos mantiveram-ac sem alte-
racun.
HAVRE, 9 do dezembro.
As trniisncciK'H no mercado de
algodao foram quasi nulias. e os
precos nomliia< s.
MARSELHA, 9 de dezembro.
O assucar de Pernambueo foi
lioje cotado a SO francos os so kl-
logrs.
ANTLERPIA, 9 de dezembro.
Esteve desanimado o mercado de
cafe t os precos continuant a mos-
trar tendencla a baixar.
RIO DE JAMEIRO, 9 de dezembro (re-
tsrdadoj.
Cambio sobre liondres SO 1/1 d.
iKiiioarl.i. e SO 1/4 a SO 3/8 d. parti-
cular. Cambio sobre Paris SOI reis
por franco.
Cbesjarana boje os vapores < In-
gles KEPLER, da companbia Liver-
pool. Bra*i! and Hirer Plate | e
francos HENRI IV, da companbia
Chargeurs Beuuis t Ignora-se ainda
quando sabirao.
LISB0A, 10 de dezembro.
intron boje aqnl o paquete In-
gles SORATA, da companbia do Pa-
cilit-o. procedente da Anaerica do
8ul.
BAHIA, 10 de dezembro.
Ixada se fes lioje em transacrdes
cambiaes. O vapor la^lez GREAT
NORTHERNER, da linba telegrapbl-
ca submarine, sahe hoje para o
norte. O vapor Ingles WALES, da
companhia Liverpool. Basil and
River Plate, cbegoti boje do 8ul.
e sahe anaanba.
(AGENCIA AMERICANA.j
Paris 9. Os governos d'Austria, da Alle-
madba, da Franks e da Ittlia mandaram
commissarios para S. Petersburgo tomar
parte no congresso interuacionsl, que tern
de estabelecer regras a observarem-se em
tempo de guerra.
Berlim 9. Comeco o processo do con-
de Arnim. E'bem provavel que nao fac,a
o ruido do processo Bazaine.
Rio de Janeiro 10 as It h. da manhS.
Sahio para os portos do norte o paquete
nacional PA RAW. Cambio sobre Londres
26 Ijibancario, 26 3|8 particular.
Bahia* 10 ii 4 b. da tarde.Mercado
inalterado.
lueionario onde arada se conserva nesse caracter,
couferenciando coia o governo. Dizem que ha
esperancas de qoe o governo aceite por*estar Ho
nroximo da capital o grosso do exercito rebelde.
P'>r emquanto nada se sabe de definitivoa nao ser
liairl.vs e telegrammas falsos adrede prepara-Jos e
publicados. 0 Banco da Provincia adiaalou urn
milhio de pesos fcrte* ao governo.
A's 5 horas da tarde. Corre aqui o boato
it'.- que foi periurbada a ordem publica nos depar-
tamentos do littoral do Estado Oriental. Diz-ae
<|iie estao a freute do movimenlo os coroneis Ma-
ximo I'erez, Fortunato Flores, Coronado b ou- .
tros. O governo acaba de mandar preparar para ; cia*
s.ibir o Rio Uruguay, levando reforjos de iropa.
Segue tambem no mesmo vapor o minislro da
guerra, corooel Vasques. Insiste-se em que o
I minislro da fazenda, Bustamante, oAareea sua
1 demissao por nao cbegar a nenhnm resuludo com
| os seus pianos iinanceiros.
< Montevideo 2. Conlinuam os rum re* so-
bre a revolucao. Os pontos em que ell a rebentou
ainda s.T> aqui ignerados. 0 telegrapho platino
foi cortado pelos revoltosos. 0 governo fechou os
portrs do littoral. Aqui tem-se tornado raedidas
energicas. Nos deparlameaios visinhos lodos sio
unanimes em apoiar a ordem. K' opiniao geral
que terminara promptamenle.
a A's 4 horas e -10 minutos da tarde. Em
uma situacao t to grave, como a que atravessa a
Hepublica Argentina, nao se pode dar credilo as
noticias que a cada momento chegam de varios
pontos Por um Iado o governo declara pela im-
prensa, que a missao Lanus, e pedir a cipnulacao
indullo para o exercito da revolucao. Por outro
Iado o Comile aQirma, com documentos, que o
governo falsifica as paries offlciaes e telegrammas ;
que as ultimas noticias .recebidas annunciam qne
Arias e Levalle estao prisioneiro* dos revoluciona
S. PAI'LO
Afim di ageoeiar dooativos enlre a popala i>
parao asyl) d; utsn-iicidade a camara munici >a!
di capital nomear* uma cnainissao c >:np >u Srs barao Silva Gameiro, desembargador It rnaid.
Gaviio, coronel R idovalbo. teneite-coronel Alea
Pereira ecommendador 1 Rocha.
Em uma das saias do paca da relac"o reali-
se grande numero de advogados, convocados oeljs
Drs. Joaquim Aogusto de Camargo e Americ Ba
zilieose de Almeita Mell.i, e foi iml.ild-( o Ini'i-
tuto dos adtogndos dt S. Panto, pr-M linl) a ra
niao o Sr. cooselheiro lUmalho.
noaia 1 devia abnr-se uma aula ncluraa l*
escripiuncao mercantil la capital.
O Sr. conselhetro Joaquim Ignacii I! inn h
publicou uma onra iotilulada Imstitmiqoes armua-
nologtcat, offerecida ao Sr. coaseilieiro Joio Osris
piuiano.
L6-se na Iraaas Ampartnse de 56:
Consta-nos que, in dia 28 do c--rr-nt'. pre
sentes t Srs. presidente dt coro^iahia da "tr.1i
de ferro tfogyana, eng->nheiro-ctnfe e os J- sec. i>
do Ampiro, os empreiieiro< das ebras do tsaael
pretendem franqaear cotnpletamaote a passai^
rios e que a revolucao progride triumphante. Es-!sQbterranea, tendo-se ja, com) nnieianw*. cosse
taudo o (el grapho em poder do governo e sob gujdo a perfuracao
sua immediata Qicalisacao, naoe possivel que um; Fallsceram. em Mogymerin. Joaiuim Alvea U
it despacho daquella procedencia traga ennho Almeida Saga: em ltd ataooe: da Luz (.otr*
de imparcialidade. Accresce que o governo t-m em s.7rocaba, D. Maria Can Ma de Barros eapw
aqui agentes seus empregados em fazer circular do cidadio Cesar Ferr-lra Pinto
os seus despachos e boatos. Hontem aqui chegou \ minas geraes.
o cidadao Pepe Paz, ex redactor de La Prensa, em; y0 dja 3.5 je noemhro deixara 0 car*0 de e!a-
oma commissao especial do general Mitre. Por j te de policia da provincia 0 Dr. Francisco Maria
elle sabe se que todo o sul da provincia de bue- Cor,*, de Sa e Benevide, qae devi isBbT para
nos- Ayres esta em poder da revolucao, excepto j esta cdrte, entrando em exereicio, em mS lorn- a
Dolores, e que 0 exercito abt existente, iem de desembargador Joaquim Francisco de Faha/oc
ser superior a 8,0 0 homeus e 40,000 cavalios, esta I Tjjado para u( nm La, p:H|](DU da prov.n
perfeitamente armaao equipado. Este exercito Cja.
e commandado por Mitre, Rivas, Morales, Cazares,
Ocampo e Borges. Alem destas f rcas, diz-se tarn
bem que existcm cerea de 11,000 h .nuns no nor*
te sob 0 c mmando de ArreJondo e Taboada. Em
ambos os exerciios existe artilbaria de campaoha
e alguns eanhTJes Krupp, tornados is forcas do
governo. Com e3tes elementos de guerra nao se
pode dar credito is noticias qoe e-tiu circu-
lando sobre nm d^sfecbo immediato. Em ex
Iremo coutradictorias sio as noticias bontem e
hoje recebidas sobre a revolucao argenttna. 0
govern > de Buenos Ayres publicou bontem as 8
horas da noite um Bolettot, declarani > que 0 ge-
neral Mitio e 0 seu exercito tinham-se rendido a
D1ARI0D PERSAMBUa'
RECIFE, 11 DE DEZEMBRO DE 1874.
" \otIdas do sal do Imperiu.
Amanheeeu hontem em nosso porto 0 vapor
francez Rio Grande, trazendo datas : de Goyaz 24
de outubro, de Miuas Geraes 28 de novembro, de
S. Paulo !, do Rio de Janeiro 3, e da Bahia 8 do
corrente.
Alem do que damos sob a rubrics Recista Dia-
ria, encontramos 0 seguinte nos jornaes :
Kin OA PRATA.
Relativamente a revolucao argentini, as de
Buenos-Ayres continuam a asseverar que Mitre
fugia diaute das tropas do governo, levando apenas
1,500 homens, e navia quem Ibe desse muilo me-
nus ainda.
Em Blanca Grande a guarnicao que alii deixara
0 gen rai Rivas snblevou se ao approximar se 0
exercito de Julio Campos, e 0 sea commandante,
major Paebla suicidouse para nao sobreviver a
vergonha dos revolucionarios.
0 major Arias occupoa a povoacio 25 de Maio,
e sabeodo que os insurgentes se reliravam na di-
reccao de Verde, destacoa ama for^a para perse-
guil-os.
Quanto ao coronal Roea, estava em S. Lnii
aguardando a primeira occasiao de bater 0 gene-
ral Arredoado. Nestes lermos os boletins offlciaes
declaravam que a revolucio estaria extincla em
menos da um mes, para 0 que bastava aitender
a que 0 governo tinba em armas 50,000 homens,
que ooniando bem podium elevarse mesmo a
62,000 para bater 4,(.'00 ou 5,000, qne era 0 mais
que ai:;J.-. po liaiQ ter os revolucionarios.
Estes, pelo seu Iado, continuavam a snstentar
que Arredondo tiaha derrotaUo Roea, q'm na
provincia de buenos-Ayras as forcu do goveruo
1 eelavam muitj reduijdas, qne este nem saoia onde
astava Mitre, e que 0 exercito de Julio Campos
se retirara oara 0 Azul.
Na cdrte foram recebidos os seguintes tele-
grammas :
Montevideo 1*. JLpezar de que 0 governo de
Buenos-Ayres afflrma estar 0 exercito revolucio-
nario prestes a render-se, 0 Comiti aqui afflrma
3ue 0 resto que ficon da divisio do coronel Arias,
epois do com bate que teve lugar em Laverde
no dia 25 do passado, esta todo sitiado pelas forc,as
da revoln;ao; e que 0 grosso do exercito, com-
mandado pelo general Mitre, esta eotre as povoa
cdes de Chivilcoy e ao de Maio: e flnalmenta qne
0 cidadao loao Lanns foi enviado a Bnenos-Ayrea
para offeracer a paz em noma do exercito revo-
Fora aposentado, por contar mais de tnsta aa-
nos de servi^o, o official raaior da tecretaria sa
aasemblia provincial, Jos* Jaeuario oa Cer-
qaeira.
IUO DC JANEIRO
S. Ma.'e-t ile 0 Imperador ao dia 4 do ctr-
rent?, potico depois do inei > dia, aconpaotudo >e-
los seus semanario', embarcoo na galeota im>-
rial, que estiva alrac .dj. ao caes do arsenal Of
marinha, e dirigio-se para bordo da corveta
coura^ada, franceza, La Galissonwrt, qae s*l> ju
ao avi,tar a galeota.
Sua Magestade perco reu todo 0 navio. exa ai
nando detidamente os sens coraparlimeatos e pe
discrijao hontem ao meio dia, em Juam, depois irechos bellico*, e dignou-se ace.Ur um a>lie-d.>
de um pequeno c.mbate eom as forgas de Arias. |COpo d'agua, que Itie f ii off-Tecido, retiranJo-M
Duvidosa pela sua origem, logo que esta noticia de bordo as 3 l|2 horas da tarde.
aqui chegou, espalhou se rapidameote, acreseen-
tando cada pessoa por sua conta um commentario.
O Comile Revolucionario negou irumediatamente
a veracidade desla noticia, classificando-a de ab
Por esta occasiio tornou a corveta a salvar.
repetindo a salva ao perder de vista a galeota in
perial.
Ao passir esta pelo Dayot. tambem navio d
surda. De posilivo, porem, nada se sabe e inesmo guerra irancez, a tripolar;io, subindo a ensarcia.
por ora a nada se p .de dar credito sen conllrma-1 repetio sete vezes o grilo de viva 0 Imperador 4 >
?oes. j Brasil.
Montevideo 3. O governo eontiniia a tomar; a Galissoniere, com 0 almirante Perifot a
meJidas rigorosas para suffocar a revolucao. Os bordo, deve sguir hoje para 0 Rio da Praia IV
portos do littoral acabam de ser reabertos. Dizem cifico.
que no Salto sublevou-se um batalhao de linha,
matanda o seu commandante. a
c Montevideo 4.-Cbegaram durante a noit;
mais noticias telegraphicas da capital da republi-
cs vizinha, dizendo que 0 governo de Buenos-Ay-
res publicou hont-::; a noite um Boletim declaran
do que as condicoes do submettimento dis forcas
da revolucao commandadas pelo general Mitre sa>
as seguintes: 0 exercito depfie as armas. Os
offlciaes, da capitao para baixo. Scam ao servico
do governo, reconhecendo este seus graos. Os
generaes revoltosos, i excepcao de Machado, Mur-
gos, Ocampo e Gonzate-, abandonarao 0 paiz dn-
ranie um anno. O governo paga os prejnizos
causados em ambos os exercitos. Da revolugao
oriental na la mais se sabe ate este momento.
< As 10 horas da manha.."Nada se sabe de
definitive sobre 0 que se tern passado entre o go-
verno de Buenos-Ayres e 0 exercito da revolugio.
A desconfianga em todos e geral por estar 0 fio
transmissor em poder do governo e dos seus agen-
tes. Logo que as noticias da capitulacao foram
aqui divulgadas, mil versdes correram e ninguem
quer acreditar nos telegrammas hontem e hoje re-
cibidos. O Comiti nada recebeu, nada sabe.
Diz que nao e possivel 0 que se tern dilo e pu-
blicado. Allega que Mitre, ao sahir de sua casa,
dissera a sua familia que ao tomar 0 commando
da revolucao, estabelecia como di visa : Veneer ou
momr:
Que tendo debaixo do seu eo nmando um gran-
de exercito bem armado e equipado com chefes
cajos brios e bravura eram cmtiecidos em toda a
republica, e senhor como estava/ de toda a cam-
panha, nao podia ir pedir a paz mas sim offere-
cel a, atim de evitar derraraameulo desangue.
Qne vultos proeminentes estavam seriaraente com-
promettidos com seus nomes e haveres. Oatras
pessoas melnor informadas dizem que Mitre capi-
tulou com condicoes extraordinariamente favora
veis; que sen exercito depoa as armas segundo
a convencao que ficon eslabeleeida em segredo
com o goveruo, cbrigando-se esle a renuneiar 0
poder depois de nm praxo determinado a que como
garantia do cumpnmento de sua palavra deixava
0 exercito de Arredondo em campo ?em perse-
gull-0.
Correm tambem ontras versS. Uma dellas e
qne 0 governo teve do general Mitre a sna pala-
vra de plenos poderes para declarar que 0 sen
exercito rendia-se a discricao, aflm de nao ver-
se 0 governo bumilhado em frente da nac. to no
momento em que lha fosse preciso ir ao congresso
renanciar 0 poder e pedir uma nova eleicao. Ou-
tra, porem a peior de todas e qoe se Miira trahio
aos seus eompaoheiros, a sna banieira e a causa
pela qual estava em campo, merece de todos os
partidos e filhos da republica a condemnac.ao Igna)
a que teve R-iznine em Franca.
GOTAZ.
t Caucus.Para not da capital, ellas Urn,an-
dado cercadas de um granle ceremoaial, que dos
euston longos dias de am caior e fumtg* de as-
pnyxiar. Annnnciadas em 13 de selembro, des-
appareceram de tod), ate qae a 10 do corrente
vieram sem forca; e as'im te n iJo ate hoje em
p-quenos chuotsqueiros de oito a oito dias, sem
jue se pursa dizer que 0 inverno e*li comeca-
do.
Diligencia ao norte da provincia.Chegou, na
manha de 21 do corrente, a esta capital. 0 Sr.
capitao Agostinho Ribeiro da Fontoura, da dili-
gencia em qua se acbava ao norte da provincia.
Trouxe comsigo alguns recrulas, poqcos volonta-
rtoa a nm preso de lustica. >
t Fallea'menio.Registraows Q do capitao Sal-1
Por decrelos de 3 do corrente. lorara nome a
dos para 0 coaselho fiscal da caixa economic*
raonte de soccorro da provincia de S. Panlo :
Presidente, 0 Dr. Clements Faleao de S na
Filho.
Membros, Bento Jose Alves Pereira, Aatonn
Prost Rodovalno, Dr. Joaqaim Jose Vieira oa Car-
vallio, e bacharel Antonio de Aguiar Barros.
Por deeretos de I d) corrente :
Foi declarado avulso n jaiz d dir it da comar-
ea da Palma, na proviacia de Goyaz, bacharel Jo-
se Aagasto do Nascimento Pereira, por nao ter
reassumido 0 exercicio de sea cargo, depois da
Gnda a licenca qne Ihe foi altimamenle cooeesida
Por ducreto de 3 do corrente foi transforidu
da 2* para a 1* classa do qnadro 4a armada o 1*
tenente Djmingos Jose de AzeveJo Junior.
Por portaria de 3 do correot-, foi aoal>
0 agrimensor Adolpbo del Pico Zambaccari par*
servir na colonia do Mucury.
Por igual acto da 4, foram concedidos oca*
mezes de licenca ao caixa da astrtda de ferro, aa-
nodl Jose Nunes, para tratar da ana saiide.
Por deliberacao do presidente da praviaria,
datada de hontem, foi prorof ada a sessio oa aa-
semblea legislativa provincial, ale 0 dia 12 do cor-
rente inclusive.
, Por titalos de 30 de novembro, foram aasjav
dos agriraeowres, Manoel Alexandre Guliaa, Ci-
cero da Costa, nlfredo Eaiho Pachwo os Hallo -
Julio Pedreira de Freitas.
Lemos no iomal do Commerao :
Resuludo do* exames, na faeaMade de saJi-
cina, no dia 1* do corrente :
a 1.* anno medico.Vicente Ferreira de Alaoi-
da Alves Cuaaa, approvado pleoaaieale ; Aasaav
Alvea de Souza Junior, Jose Lais Alves de Arsaic
Dias approvadoa simplesmente. Hoave doss r-
provados.
< 3.* anno medico.Houve doos reprovadoa.
t 5.* anno.Cornelio Pereira da Msgilhioi, ap
provado com disiincca); Antaaio Vieira so le-
zende, Manoel Antonio Fartado, Joio Lagies Cor-
re"* do Rego. approvados plenamf nte.
< Resaitado dos exames, na OKola polytachaca.
no dia 1* :
t 1.* anno, 2* turma. Argem.ro Parraira sa
Loyola, approvado plenamente Lait Ao
Pinto, approvado simplesmanta. Itoava na 1
vado.
a 1.* anno, 3* turma.Genesis da Sooxa Caav
poa Barros, approvado pleaamaata Fortaaat
Aagusto de Paula Toledo a Joaqaim Cyriaco Dsar-
te do Amaral, approvados sitnplssaeste. Ha*
am reprovado.
t t.- cadeira do 3* aooo.Theodoro Faraasde*
de Sampaio, approvado plenameaie Joio Cain
Gutierrs, Francisco Lniz Lmreiro da Aatrasa a
Felix Eraanual Bourget, aporovaoaa sir
t 1* cadeira do 4* aaaoi | Pastatoao
Cosu a Sonxa a Joaquia Rodriiaa AafaaJaj-
nior, approvados plenamente ; Joao Bom* Pw-
rax, Manoel Ignaeio de Lacarda wr*^>",5"
nio Machado da Franca Riboiro a Joa*
Siqueira Oxito, approvados jira.Oeianai.
1.* cadeira do 3* anno. Masoel
Silveira, Joed Osorio Nogoeira da Silva,
Alberto d Castro Nasetmenio, Errw,io
Ussanoe Ganha e Lacreeio An|s*o Marsant Ri'
beiro, approvados plesiaaste.
c Dasenho do 2 anno.Pedro Veraiaaa,aaara-
vado pleaameote ; Joio Evanfaiatt Carsotra a
Cunha e Jose Leopoldo Balfort Daara, aajri-a-
dot simplesmente.
Dasenho do 4 anno.Caries Aafosto t*J-
lei Barrio, ftanciaco 49 Mia It**, ^ ^*
/_
r
vador J. Ferreira Rios, advogado, residents as ci-
dade de Catalao. >
Outro.Con>ta nos qae failecea-oa cidade de
Palma 0 cidadio Garcia Leiic d- Oliveira, *. sap-
i plente do juiz municipal.
Md diligence. -O delegadj da ci | tali), expadiado ordem para ser preso 00 distrir-
j to d* Sant) Antonio J > Rio Verde, sssa resdia,
I criminoso Manoel Alexanlre da atht, este re
sistio a ordem de pnsao. do BM B result)! a
raorte.
o A autoridade proiegue aa syadicaacia sa-
cessaru para qualificar a sBBfaa da resist a



Oiario de Pernambuco Sexta teira 11 de Dezembro d6 1874
a ser
sa-
motheo da Costa, Franklin Jacinfho da Silva BY
telho, August) Fomm Junior. Hsraldo Pto pim^nta
Bueao e Cnstedio Dijgj de Faria, approvados pie,
namenle.
i Rennio se hoatem (1) a corporacao de cor-
retores desta praca, aQm do proceJer a eleieao da
juiiij, qne lem de servir no anno de 1875. Obli-
verain maioria de votos os Srs. Luiz Ribeiro Gi-
nies, Jjse Ptdro dc Souzt Meirelles, Alfredo d:
Barros, Henrique David e Anaaio Montetro dos
Santos Pereira.
Em comeco de Janeiro future o aovos mem
bros teem de rennir-se para efegereBj (Tenlre si o
presidents, secretario, thesoureiro e adjuutos
A' uma bora da raadragada de 30 do naisad i
falleceu em Tneresopoli i, e Li alii sepullado, o ca
4jitao honurario Dr. Augtrsto Dias Carneiro, lente
da e.-cola polyt-chtuca, on le exereou o rnagisterio
jiur man de 20 ann >s Era natural da provincia
do Maranhac, cuntava 53 annos de idade, e forma-
ra-se na nossa autiga escola militar. 0 Dr. Dias
Garnciru tornara-se disiinMo pelo seu amor to es-
tudo e regidez de principles eomo professor, L-ga
pobreza a sua viuva filhos. >
II utem '
pxtrahida a lot-ria n o'W da corte aconteeeu
fair duas vezes segu dn da r >di o n. 301V.
Suspendeu-su logo a extraccao e inandou-se
chainar os Srs jiii'., li-c.d e th-'Soureiro das lute
Has, qua se acnava-u aiisentes C rapareceud i
elles as 11 boras, iicou a-seuttdt que se cousiie-
rasse sem elTeitu a dtiplicatt it i uuiuero referidi e
continuasse a exlraegao. Prusegaie, pois, eita
StgunJo iius in I. nil mi ii cscrivao da* loterias,
encoblrarain m |nt-ier inroi-iid' in os 5 Uuplicatis
de numeros das dez-in* >le 3SJ4 a 3060.
t Diz no< oine-ui) mf iimaute qm extrahidos
us 1,800 premios que esl.vhu naroda competente,
ordeuou o juiz ipw se ti/.es-e o mesmo com u>
4,2tll) uumeros re-tniie-, n!v;and i-se por e-se
Dodo qae noa 6,001 qne In'inn sido pj-i'- na
roda, nao se aenwa uenbaiil das 3 dezenas de
3 3 It a 3360 e e-tavam repetilas toda* a- das de
3.031 a 3,(160.
0 Sr. the-'oureiru nai nos re n tt-u a lis'a da
tod-is os nu.iiens pro nhntos b somente a dos pre-
mios ale 104, que dam is em segnila :
Nnmeros dis premios d-i 20:000$ a;e" 1005.
N. 4204 20:000*009
A. 3056 i0:(VJ()i000
N. S3 4:t)004000
N. 5B3H 2:000*000
Ns. 3292 e 4387 1:0003 a cada urn.
Ns. 228, 278, 1178 e6.2 -80 U a cada ma.
.vs. libs, low, rot), iai), 2917, 4970, oi99,
S833, 5SS6 e 59339004 a cada am.
Ns. 4.10. 471, 710. 1133, 1168, 1399, 1874,
23%, 279*. 3044, 3M7, 3952, 4l2d. 4848, 4974,
SU68, :>i00, ."ii60. 5484 e 5739 -1005 a c.ida um.
Ns. 6i, 175, 217, 301, 302, 329 361, 361 6 3,
608. *8i 97V. 981, 1676 17o2. 1826, 20'3, 2113,
2114, 2i00. 2524, J34I, 2533, 273a, 274 i, 23o2
2!i:t6. J938, 3232, 3i!J, 3478, 3317. :J5';6, 3861,
3S72 3916, 4126. 4173, 4318, 4332, 4411. 4560,
4660. 4693, 47:6, 4780, 4991,3030, 5067, 5ini,
5311,54-8,5561 6645, 683, 5744, 3791, 5880,
38;n; e 5923 -40 a cada um.
Si lupir denoiiiinado Catanho, fregn^zia de
Jacarepagua, a pra;a invalid! do exer.-ito Joaquim
la Melio foi assassin i la a ficadas e pauldas, na
lirde d) dii 29 do inez findo.
o 0 suNJelegido re-pectivi proccdeu a corpo
de delicti cum o Dr. hot aulo da Gouv.'-a eo
pharmaceuli.'O Jo-6 Kerr-ira da Silva, e pelus in
lerrngatoiius e pesquizis que fez veriiicou *i s-
irainte:
Juaquim de Mello, que co.-tumava abusaf da-
bebilas alenilija<, estivera nesse dia bastante em-
unagado n'uma itjda do lugar, em companhia de
u:n deseTfor, bem conhscido alii, e emu ello reii-
rou-se na melbor barmoala para easa de sua re
IdSBCia, a pe|ueaa distaucia da venda
j. I'aucas horas deuuis o infeliz foi fncon.rad >
} iiisainl na esfada e poude apen.is declarar ao
tu-pector do quarteirao damella freguezia, que
I'-gj compareceu, que fora o mencionado desertor
quern o ferira do nwrte no terreiro da sua casa,
tvadindo-se logo.
A's tl boras da noite Joaquim dc Mello era
cadaver. >
Para cemmemorar o anniversario natalicio de
8. If. o linperador, o Sr. Antonio Furtado de Bar-
cellos, alturriou por 400^000 a pardioba Euqueria,
de 6 acios de idade, cscrava do Sr. Mauoel Joaqaioa
Vieira de Carvalho. A carta, datada de ante-hon
tern, foi registrada no cartorio do tabelliao Cunba
Juuior.
i No da 1 do corrente, das 9 para as 10 horas
da nmt.', a esposa do Sr. iwi Maria do Amaral
ltibf;ro. inorador na rua da MisericuMia n. 112,
den a luz com felicidade ires crian;as perfeitts,
que se a.-liam nas mellures condicoes. Duas sito
do si xo maseoliBO e uma do femiuino. >
t Resultado dos exames, na faculdade de medi<
cina, no dia 3 :
i* anno medico.-H mvequatro reprovado?. Re
tirou se nm por inc.ommodado.
5." anno. -Maaoel Rolrigues de Carvalho, ap-
provado eo n di?tiue^io; Am. uio Teixeira de Sou
za Mag.lbaes, approvado pleoamente.
3* anno pharuiaceutico (exame pratico).
Carlos Fraocisco Xavier, approvado com dislinc-
cao; Francisce Ferreira Coato, Venancio Jose da
Silva, llaymundifcFeneira de Oliveira Mello Junior,
approvados plenamente; Jose Carlos Feru?ndes
Eiras, Francisco Jose Pereira de Castro, Manoel
Soares deMeirelles, Guilhertue Barbosa de Olivei-
ra, J-iSP da Silva Lazaro, Auguito Pereira da B->
cba, Manoel Maria da Fonceca e Gota, Joaquim
(landido Soares de Meirelles, approvados simples-
mente. >
RCsulladodos exaraes, na faculdade de aedi-
cina, no dia 4 :
1 anno medico.-Vicente Ferreira de Sooza e
August') Ce-ar de Gliveira e Silva,approvados pie
namente.
a 3* anno pharmaceulico. Luciano Constantino
deOiiv^ira Carleton, approvado simplesmeale.
lloiive um reprovato. d
&t Resultado dos exames, na escola polytechnica
no dia 4 :
1 anno.-a* tarma : Andre Gustavo Paulo de
Frenleu, approvado com distiuceao; Luiz Irenio
Pereira da Silva, approvado simplesiuenle. Houv >
dons reprovados.' Um lendo lirado ponlo, nao
compareceu.
1" anno.3' turnia : Jose Maria de Saldanba
Bittencourt, approvado plenamenle; Carlos Cas-
iello e Antonio da Costa Guimaraos, approvados
siinplesmenle. Hoove um reprovado.
1* cadira do 3* aano: Lucas Teixeira de
Souza Magalbaes, approvado plenamenle ; Antonio
Marques Baptisla de Leao Junior, Jo.-e de Castro
Teixeira de Gonvea e iosi Manoel de Siqueira Con-
to, approvades simplesHiecte.
c 2- cadeira do 4* anno : IMo Aagusto Franco
de Almeida e Jorge Desmarais, approvados sim-
plesmenle. H-we qaatro reprovados.
2* cadeira do 5 anno : Joio Eugenio Barbosa
Cotlho, Antonio Borges da Costa, Ludgero Ernesto
Lassance Cnnha, Joaqaim Jcs6 Ignaeio de MpIIo e
Frrneisco Ferreira Ponies, approvados plena-
neDle.
a Desenho do 2anno: Alfredo Auguito Cam-
pos da Paz e Arlhor ioaquim Pamphiro, approva-
dos plenamente ; Oscar Neval de Gouvga e Ame-
rico Baptista da Mello Brandao, approvados sim-
plesmenie.
Destmho do 3* anno : Alfredo de Paula Frei
las, Felix Emmanuel Bourget, Antonio de S.itnpaio
Pires Ferreira e Antonio iP.nlo da Silva ValleJa
tiior, approvados pbnameate; Joaqaim Saldanhi
Marlnho Jaoior, Francisco Luiz Lourelre de A0-
drade, Jtaquuo Jose" Barrao, Joa-(uim de Almeida
Ribeiro, Octavio de Sampaio e Jose Praxed&s Ratel
Jo Basins Filho, approvados simplesmente.
Desenbo do t. anno : Alfredo Joaquim Corrdi
da Silva, approvado plenaraeote; Francisco Barreto
Pieaofo da Costa, Joaquim Guilherme Leitio Mal-
donado e Manoel Igoacio de Laeerda W'erneck,
approvados simplesmeale.
Eis as nolicias cjramereiaes da uilima
data:
< Nao houve boja cota(s.>s ofllciaes.
a 0 movimento do nv>sso mer:ado monetsrio
limitoa-se a transaegoes regulafes em cambin so-
bre L'Odres a 36 1(4 d. papel hancario, 26 3,8 J
particular, e sobre Fran.a a 361 e 362 r*. por
franco.
Em apolices, soberanos e accSes nada e
fez.
As vendai de cafe forarn menos que regulares
e as de asucar para o eonsurao local.
a Fretou se am navio para Santos e Ltsboa a or-
dsm, cafe a 55 s. e 5 de capa a
A alfandejia da carle arredadio de-1 a 4 do
corrente 376:596*640.
BAHIA
No dia -6 do ooxfeDte edeoluou-se,
na facul laJo d medicina cerctnonia
s i em na da cullufSo do grao aas alum-
n quo cotiditrratn -nestfl anna o res-
peDtivo-carso......
Ao iweio di, estanio presantes a con-
giegagio dos lentos, Ss. Kxcs. os Srs pr i-
sidente da privincia e rigft'io c.ipitular,
divorsas autoridailes civis e mililares,
graade ouia^ro de 69avH<*o, iaclusrvo
seahoras, e extraurd^sario eioacurso 4->
esoe;.Udores, quo enchiam litleralnieate
o amphiflieatro dii sa4a> oobra d fa
euldade, cortw^ou neste a* careroonia, que
termiuou ii daas boras da ta-de.
Na freote do adiliuia estiva postaia ama
guarda de lioara do 18 toatalhdo da linha,
e no amphitaeatro a musica de policia to-
Cava escolhidas pe$as emquanto os novos
doutores prestavame jurameato da lei.
Fin f) o ac(o 0 coaselheiro dire -tor da
faculdade pronunciou o dis urso do estylo,
an qual saguio-se o do orador do anno o
Dr. Joao Carlos Bilt'aasar da Silveira.
RaceJjeram o grao do doulor os seguintes
senhores:
Aotonio Joaquim da Silva, Atisncio Jua-
quina Pereira Caldas, Liurentino Argio de
Azambuja, Alexandre Freira Main Biiten-
coart, Sitvinu Pacheco, Clarindu Alolpho
de Oliveira Cbaves, Antonio Mooteiro de
Carvalho Junior, Virg lio Tavares de Olivei-
ra, Jo3e K.'i 11 iC, il;ii'hi, Aurelio Beoigno Cai-
tilli i, Luiz Jos) de LemosGonzaga, Kulalio
de Lellis PieJad), Manoel Perejra do Ms
quila, Alexandre de Abreu Fiallio, J ao
Ladisldo de Cerqueira Biao, Antonio Au-
Usto 'la FigueireJo Pitta, Manoel Marques
la Silva Acauan, Valontim Antonio da
dacha Bittencourt, Antonio Jose do Castro,
Antonio Jose da Araujo, Manoel Goncalves
Theodoro, Aristides Guedes Cabral, Abdon
Bapiista, Joao Cirlos Battbasar da Silveira,
Manoel Jose Hibeiro da Cunlia, Antonio
Jose Pereira da Silva Araujo, Arthur Cir-
valho da Costs, Epiphanio -ia Silva Lourei-
ro, Joaquim dias Laranjeiras, Asceiidino
Angelo dos Ruis, H ifnuaido Martins Alves,
Agrippiti" Ribeiro Pontos.
Coucluiram tambern o curso pharma-
ceulico os senhores :
Jose Estates da Fran;n Pinto, Francisco
Rodrigues do Albuquprque Junior, Manoel
Alvellos Bottas, Joa* Evangelista da Silva,
Pedro Leite Chermont, Joao Sabinode Li-
ma Pinho, Joao Aotmio Nat tins Novaes.
Dmnysio Joso da Silva.
Deltas nao estiverani presen.es ao acto da
collacao do grao os Srs. Francisco BoJri-
gu:s de Albuquerque Junior, JoaoSabino
de Lima Pmho e Dionysio Jo 6 da Silva,
(endoos demsis prestaJojurainenlon'aquel-
11 occasiao.
Lemos no Jornal:
a 0 Sr. Ir. Mamel Jose Ribeiro da Cu
nlia, ja 1*0 distincto entre seus coll"gas que
concluiram esto anno o curso medic), aca-
ba de distingiiir-se tambem no inodo de
festepr o dia solomne era que Ihe cingio a
frotite a virente corda conquistada por sua
vigorosa intelligeocia no campo vastissimo
da scieocia.
Hontem, depois de concluida na facul-
dade a ceremonii da cd'acao do grdo, eu-
tregou elle, ao chenar & casa de sua residen-
cia, carta de liberdade a sua es<:rava Joa-
quina, ooe sempre bom o servira durante
lodo o tempo de seus estudos nests pro-
vincia.
'. A seu pedido, a carta tintia si lo pre-
viamente mandada da provincia do Mara-
nha-i, d'onde 6 filho o Sr. Dr. Ribiiro da
Cunba, por sua Exma. i'.tmil a.
t Honra, pois, aquelle que tao a propo-
silo soube ajutitar is (lores que ja lhe en-
nastram a fronte outra de nao menos per-
fumes e quo lhe valera sempre um primoro-
so titulo de reconhecimenlo para a causa
da liberdade.
No dia 4 arribou ao porto d'esta capi-
tal, por ter aberto agna, a escuna norue-
gueza Adjuvaves, que ia de Araoaju para
Falmoutb, com uarregameDto de assucar.
Hontem (7) as 11 horas do dia passou
o Sr. general Pedra o exercicio do eargo do
commandante das armas d'esta provincia
ao inspector dos corpos, brigadeiro gradua-
do Pedro Maria Xavier de Csslr.t.
tT-..
TKSWAlBUCa
REVISTA DIARIA.
Promotor pablf co.Por portaria da pre-
sidencia da provincia, de 10 do corrente, foiremo-
vido o bacharel Jos6 Vicente Meira de Vasconcel-
los de promotor public> da comarca de ltambii pa-
ra a de Olinda.
(amiira municipal da Recife. -Em
9 do corrente foi expedido o seguinte acto :
b 0 presidente da provincia, attendendo ao quo
representoa a lllma. camara municipal Jo Becife,
em offlcio do !. do corrente, n. 105, resolve man
dar continaar em vigor os artigos de postura ad-
dicional approvados provisoriamente, por acto de
16 de outabro de 1873, relalivamente a> nomero
de saccos de assnear que deve conduzir cada ve
bicnlo puxado por am boi ou cavallo. Henrique
Pereira de l.ucena. >
Mubstitalcao doa juices de dirclto.
Por portaria da presidency, de 25 de novembro,
de conformidade com o art. 4 do regnlamento
que baixou com o decreto n. 4,824, d; 22 de no-
vembro de 1871 e art. 211 S 10 do regnlamento n.
120 de 31 de Janeiro oe I8i2, foi declarada a or-
dem da sabstt'.uicio dos jaizes de direito das co-
marcas desta provincia pela f rma seguinte :
Recife.
A substitai^ao da 1* vara civel, sera era I* logar
feita pelo jtiiz de direito da 2* vara, em 2* pelo
juiz de direito e de orphaos, em 3" pelo dos feitos
da fazenda, em 4.* pelo do cummercio e em 3*
pela provedoria de capellas a residuo*.
A da 2* vara sera em l" logar pela do comraer-
cio; em 2* pelo da I* vara, cm 3* pelo da de er
phaos, em 4* pelo dos feitos da fazenda e em
pela provedoria de eapetlas.
X da provedoria de capellas e residuos sera em
1* logar pela de orphaos, em 2* pelo da f vara
civel, em 3" pelo da 2" vara, era 4 pelo do com
mercio, em o* pelo dos.feilos da fazenda.
A dos f-iios da fazenda sera em I* logar pelo
provedor de capellas, em 2* pelo da 2* vara civel
era 3* pelo de orpna- s, era 4* pe'o do'comoeuid e
em 5* pelo da 1* vara eivel
A de orphaos, em l))gar sera pelo da 1* vara
civel, em 2" pelo do< feitos da fazenda. em 3 pelo
da 2" vara civel, em 4* pelo do comuercij e era 3*
pela provedoria de capellas.
A do cummercio sera, em 1* logar pel> dos fei-
tos da fa'.en la, em 2* pelo da urpbaos, em 3* peln
Ja vara civel, em 4 (fclo da 2" ara e em 5"
pela provedoria de capellas.
Ma mesma conformidade se regalara a reeiproca
im juizes substitutes da mesma eemarea.
Ollndu.
0 juiz de direito deisa coaarsa sera snbu't:ii-lo
p^lo respectvo juiz suWtitalo e DO lftipedta*enk)
deste |Mos seas sup .leutes.
Igu irasiu'.
O jail de direito sert abstiaWo pelo aabstituto
respeclivo e e-te pelos sans suppleuiej.
Oi juiaes de direilo das comaroas de Pao d'Albo,
G<>yaona, Itaraba, Nasaretb, Victoria, Pilmares,
Barreiros, Limoeiro, Born Jtrdim, Paaailas, Gara-
nliuui, Buiqae, Brejo, Gimlires e Ouncury, serio
era cada comarca ^abajiioldos pelos respeclivos:
afzes maaicipaeso de orphaos e em fa*a fcQes- ". i; q i
ip-dos seus supplenles.
0 juiz de direito do Cabo sera sulislMaM* t*
logar pelo j lie municipal e de orphans' de ^ejrKa,
em 2' pelo do termo do Cabo e era fata deMDs po
los seus sunplentes na mesma ordera.
0 juiz te direito da comarca do Rio Formo*o
s ra subslituido em 1* logar pelo juiz municipal e
de orp lies do termo djsse'nome, em 2' pelo de
Seriahaem e am falta dees pelos sans enpplen-
les.
0 de Escada- em iogar pelo jufimuniclajje d%
orphaos do termo desse n iiae, em 2 pelo do de
GamelleSra e em falta dalles pales re-pecnvjs sup-
plenv.'s aa mesma ordMn.
0 de Bonitoiera sabstituido em 1* logar pelo
juiz rauniciii il e de orphaos do termo desse some,
em t* pelo do de BaiefTos e em falta deltes pelos
seus sapplentes na mesma ordem.
O de Caruara sera snb-utuido em I* logar pelo
juiz municipal e de orphaos do termo desse nome,
em if i*el i da de S. Bento a em falta delles pelos
seus suppleatas.
0 de Bom Cooseiho peio jaia mnniclpal a de
orphaos dos termos desse nome e de Aguas-Bellas
c em falta delles pelos seus supplentes na mesma
ordem.
0 de Flora*, em i" logar pelo juiz marrtcipal e
de orphaos do termo desse nome, em 2> peio do de
Ingizeira e ni falta delles pelos seus supplenles aa
mesma ordem.
0 de Vdla Bella, em 1" logar pelo juiz muoici-
pal e de orphaos do termo desse nome, em 2* pelo
do de Triumpho e em falta delles pelos seus sup-
plentes na mesma or Jem.
0 de I'ac ratii, em 1 logar pelo juiz municipal
e de orphaos do terao desse nome, em 2* pelo do
ed Fioresta e em falta delles pelos resjjectiyjjs sup
plentes na mesm3 ordem.
0 de Boa-Vista, era 1 logar sera subslituido pelo
juiz municipal e de orphaos do termo desse nome
e em falta delle pelos seas supplentes.
0 de Cabrobo, em 1* logar pelo jaiz mnnleipal e
de orphios do termo desse nome, em 2* pelo do de
Safgueiro e em falta delles pelos seas sapplen-
tes
Instltuto Arche pliico.R3Uu;ose hontem essa associaeio, sob
a presidencia do Exm.-coiiselbeiro monseabor Mu
mz Tavares, e com a.-si-ieucia dus Drs. Soares
d'Azevedo, Tavares Belfort, G. Campello, Jaciotho
de Sampaio, e dos Srs. Gorreia de Brilo, Torres
Bindeira, Augusto Cesar, maj-ires Codeceira e Sal
vador Henrique e cirutgiao Ferreira d'Almeida.
E' lida e approvada a acia da anlecedeuie.
0 Sr. se.-i'euno perpetuo moueioua o seguinte
expediente :
Ii ii olHcio d- Ars ciaeio dos Empregados do
Commercio, coavidando o institnto a assislir a fesla
de seu 2 anniversario, no dia 8 do corrente. Por
a i ter havi o sessao auies deste dia, deixoa de ser
o laslituto represeotado.
ui ro do Sr. Mauoel da Coneei;ao Olvmpio da
iUa, off-Ttaudo em iroms doRvd. Sr. paslre Ig-
nacio deS matica da lingua grega trabalhada para es alwn-
dos do Gymnasio Provincial.Inleirado, sendo re
cebiJa a offe la com especial agrado.
Outro do Dr. Joil Franciico Duarte, raagistra-
do em Caruaru. de vjlla da proviacia das Ala
goas, onde residira 12 annos, saudaaJo respeilisa-
mente o laslituto, de que 6 socio correspondent,
pond i a sua disposicao lodos os seus recursos, e
olferecendo a esta associa'.-a i 7 documentus origi-
aaes, jue provam os miporunies services qae ao
lu-iiiuio Arcbeologico das Alagois, prestara o Sr.
Dr. Duarte, ja como infatigavel escriptor, ja oomo
encarregado de colltccionar e expedir as reliquias
eocontradas na jazida indigsna de Taquara. In-
leirado e que se agradecesse.
0 mesmo Sr. secretario perpelao aa coats das
seguintes offertas: Varies nomeros do Diario de
Pernambuco. pelo consocio Dr. ngacifui, algun*
ns. da Provincia, Apostilo, Nacao e Correio do
Asm', pelas respeclivas redaet/tes; uma cupia de
autoameuto d'uma portaria da junta da fazeada,
do an 10 de 1832 a que acompanhou o invenlarii
do hospieio ds N. 5. da Peaha, afim de]se dar posse
doi bens e altaias nelle deseriptos, ,a commissao
nomesda para os Iio-pitaes de cari lade ; offeflada
pelo consocio Augaslo Gesar. Um volume sob o
lilul i -Flores Transplanladai, versdes poeticas do
Sr. l)r. Kigueira Co=ta e pelo mesma uffertado ;
varios exemplares do Ahnnnock de Da/tholotata
A C, para o anno de 1873, olleriados "peft> conso-
eio o Exm. Sr. barao de Santa Crui Dilas offer
tas sao recebidas com agrado e raaodou-se arcai
var.
0 Sr. major Salvador II mrique, obtendo a pala-
vra, declara que acha-se na casa a lapida inscrip-
tiva do antigo Calabouco do quartel de policia, ob-
sequiosamenle orTeriada ao muzea do inslilulu pel >
>r. Tho.naz de Carvalho Soares Brandao Sobri
nho.
0 Sr. presidente, em conseqnencia do offlcio do
Sr. I).-. Aprigio Gaimaraes, lido na sessao anterior,
nomeia para exercer inierinamente o cargo de ora-
dor ao Sr. Dr. Tavares Belfort; o qoal, aceitando
a nomear.io, occupa o respectivo logar e dirlge
algumas patavras de agradeeimento ao Sr. presi-
dente, proraellendo etnpenhar todas as saas forcas
para bem corresponder a confianca nelle posta
0 Sr. Dr. Sampaio, obtendo a palavra, procede a
leilura de uma sua memoria sobre o fallecido bispo
des:a diocese D. Jose Maria de Arauj, finda a qual
o Sr. presidente dirige-lbe palavras de leuvor e
agradecimemo, senio cumprimenlado pelos sociui
presenles.
Nao havendo mais nada a tratar, levanta se a
sessao.
reii^ioMU Consla-nos qae o
Rvm. Rocha Pinto, jesuita viado da provincia a
I'arahyba, declarou, no interrogatorio a qae res-
pondea perante o Sr. Dr. chefe de policia, entre
oulras cousas, que elle com o porte de nma carta
para Roma tinha consegoilo mais do que o gover-
no brasileiro com as quantias despendidas; e qae
6 yerdado ter elle mandado convidar o Rvm. Dr.
ibiapina para vir fazer uma missio na freguezia
de S. Loureric, i da Malta, com o fim de eneorajar
aquellas pessoas do povo que ainda se canservara
iiinoraas Id
Ville de Santos. Hontem ao escarecer
fundeou na lamarao esse vapor francez, da linha
uo Havre, que sabio de Liiboa a 22 de novembro ;
pelo que nada adianla em nolicias.
Dinhelro 0 vapor Mundahu trooxe para :
fallcccu a mSi de S. M. I. o Sr. D. Pedro
/
Miguel Jose" Alves 3:717*000
Joaquim J. Goncalves Beltrao & Filbo liOOtaooO-
Jose Maria Goncalves Peieira 8 iOJOOO
Pedro Osorto de Cerqueira 300*00,1
Apbrodizio Vidigal lOOiOOO
0 vapor Conde d'Eu levou para:
Maceid 53:000*000
Babia 1:898*710
Rio de Janeiro 312:400*000
sendo desta parcella 300:000*000 para o tbesouro
oacioial.
Para a F.uropa. Com 18 recebidos em
nosso porto, levou o vapor Girande 130 passagei-
ros.
Mavia de ;ierra.-ProcedeDte do Rio de
Janeiro pela Bahia, chegou hontem pela manba a
corvela brasileira Trajano, do commando do Sr.
capiiao de fragata Joao Antonio Alves Nogueira.
Companhia Prrnambncana-O va
por Giqmd deve sahir no dia 15 do corrente para
o Aracaju pelas escalas.
fury do Recife Deixoa hon.em de func
cionar, pir so lerem uomparecido 33 joizes de
facia.
Exames.-Na 2* escola publics primaria da
freguezia de S. Jos6. regida pelo professor Ben-
jamin Constant da Cunba Salies, prestaram exame
os alumnos segniales: Joao Bapiista de Albuquer-
que Salles, Luii tfoncalves Agra FiHro, Aristides
Jorgo da Silveira L ibo, os qnaes foram approva-
dos com dl-tlocQd); e Affonso Eunock Pereira da
Silva, que o foi plenamenle.
-* Na da Casa-Forte, regida pela profesjora D.
Rita de Cassia de Oliveira Lobo, pre-taram exa
me a alumnas seguintes : Joaqaina da Rocha
Rego e Eaorina d > Carmo Paes, qae forau plena-
uieut" approvadas.
Nas de Swito Amaro das Salinas, regidas pe
los profsssores Manoel R ibaato de Carvalho Gai-
maraes e D Jysephina Jovita de Oliveira, presta
ram exame o< alumnos ,-eguintes : Jtse" Barbisa
de Oliveira, Sympafnaio Fernaodes Sonto, Maria
Ve-cia Barbosa e Fraoei-ca Gerraaaa Barbosa
senda bim e owra^ ip -ravados p/enaueaie.
Varaaea Heapitntiires. Na livraria P.i
ptrtar. ra do bariio da VicLria b. dos 8rs.
Silva Car loso & Petsoa, acha se abert* a a*>lg-
Bitort-pafa os jofnaes bnmiaB^a's Mod-i Me-
ff o anno to um eom / outro.
Sao dous beui- jornaes, digao* da aprejo a de
proteccao.
Avnlver0aa*ia.-CoraplfliflM-se tja 48 an-
Hyatcrios do Rio de Janeiro. Aca-
bamos de rcceber as tl." e 12* eadernetas dessa
inteaessanta puhlicagao, ediuda.pelo Sr. E. Du-
pont, do Rio de Janeiro.
Honte Plo doa honorarioa do exer-
c'*- Domingo deve reunir-se essa assoeiacio,
ameio dia, na rua do Iraperador n. 83, terceiro
aa*ar, dude eleger as AeMMfssde* que deaem
raiar am kistallacao da mesMt.
Hvaplltl Poalu;uM e enefleeu
la. Foi irausferlda pa* dwaiago (13 da cer-
reu'e), as 11 horas da [rtacK, a retaiao da assem
bie.i geral dos membros doaea a-seeiacao, para o
fim dag*aceder-se aele*;a\> dos netos funeaiona-
rios.
vit hontem oa-treas ordtearioi lets* linfya ferrta, que
partiaa da estacao da Varadoara is 5 !|2 hoH da
manha e as 2 1|2 da tarde, passarara a partir d
estacao do Cirmo eineo rainatos antes dessas horas.
i*agauoria (|e f.ocisa Nea ettaoao
pagam se hoje as seguintes folhas: liotpital mili-
tar, e lodos os Jeuuis funcciooarku qua rece-
bem por raeio derecibos avulsos e tambem os que
deixaranj de receber nos dlos qae Ibes foram rcar-
cados.
Alandada nao euaiprido par con-
sul estrangieiro.0 ministerio da justica, em
27 de novembro dirigio o seguinte aviso ao Dr.
juiz de direito da 2" vara civel da cSrte :
Foi presente a S. M o I nperador o offloio de
Vine, de 19 do corrente, solicilando providencia do
governo pelo facto de hiver o consul de Hespanha
se recmado a cumprir mandadoi que, com pr6via
comiiiunica<;,io official, reiterou esse juizo, a reque
rimeolo de Fausto Rodrignes, para ser embargada
a quantia de 2:0OJ*000, perlencente ao espolio do
subdito hespauaol Antonio Balthazar Solla, e exis-
tente 'm poder daquelle consul. E o mesnf) Au-
gust isenhor manda declarar a Vrac. qae as dis-
posieoas dos arts 17 e 21 do regalamen'.o aonexo
ao decreto n. 853 de 8 de novembro de 1851, e
daeisaa do aviso de 17 de dezembro 1857, sob n.
465 offerecem a e;se jaiz) os meios necessarios
para a s duc/Io do ease, que perteo.e a jorispru-
dencia dos tribunae*, nao cabendo a intervencao
do governo imperial, por nao se venn;ar alguma
das hypotheses previslas no art. 18 do regulameato
citado. Diusguarde a Vine. Manoel Antonio
Duarte de Azevedo. a
Praduetoa braaileiros nas pracas
eslranseiras. 0 miuisterio di fatenda expe
dio, era 15 de selembro a seguinte circular aos
consutados :
a Dssejando o governo imperial ler perfeito cr-
nlnciraento daposkjao mercantil de nossos princi
paes productis nas pracas com qae mantemos re-
lagoes Camnerciaes, sirva-se V.... rainistrar-meas
raais exactas inlorr.iagSes sobre o preco era que elles
sao alii tidos, seus valores e quaes os meios de qae
poJerio os produetore> e os exjiortadores lancar
mio para melhorar Ihes as cmdicjoes e augmen
tar Ihe3 a procura. -Deas gaarde a V.. ..-Viscon-
de d) Rio Brnnco.
0 consulado do Brasil no Porto, em 19 de outu-
bro respondea nesles lermos :
lllra. e Exm. Sr.-Tenho a honra de aceasar
o recebimsnto do despacho circular qae V. Sxc.
se servio -lirigir-me em 15 de selembro ultimo, or-
dea n Io me que eu inforraasce ao governo imperial
sobre 0 preco era que aqui sao tidos os prinoipaes
prodnctos da nossa iodustria agricola, seus valores
e quaes os meios de melhorar-lhes aa condicoes, e
angmeolar Mm a procura.
a As relago commerciaes enlre esla pra^a e as
do imperio lio tem ti lo o aogmento qne era d
sfparar de tao longo periodo cramercial mantido
entre os doos eudos, e dos habilos da soa popu-
lacao no consomo dot nossos geoeros.
< A difference para menos nos precos de algnnsj
productos estrangeiros similares aos nossos, os for-
es Jirei'.os a qae elles estao snjeit >-, e a imperfei-
?ao no fa'-rico de alguos, comparados com os de
omras procedencias, dao causa ao pouco desen-
volvimento n raercados.
0 assuear, os couros e o algodlo sSo os ar-
tigos mais valiosos qae esta praca importa do
Brasil.
t Ds assucares das colonias ioglezas e hollande-
zas apresentam se em melhor estado de pureza, e
por menor prec-o do que os no.sos snperiores typos
nesse genero.
O melhor assucar hollandea custa astualraente
2*0)0 ; e o nosso de igual qualidada 2 300 pir
cada kd'jgfamraa, captivos aos direitos de 1*300
pela mesma quantidade.
t Pernambuco exporta o assucar mais bem fa-
bricado, emquanto que a Bahia, Maranbao Ara-
cajii nao mandam se nao assucares imperfeitos, por
espurgar, e que so serrem para a reflnacao.
Se fosse possive! a divisio dos dous ramos que
con car, a pane propriamente agricola, a cargo do la-
vrador, e a manufaetareira, por ooota do iBdivT'uo,
on sociedade que se propuzassa a essa indoelria
com o emprego de apeffelrjiameiatoj nsados era
outros paizes, anxiliando-se bem assira essa eomo
outfas culturas, qae fazem a nossa fiqneaa, com a
isencio on limitarjao de direitos que pagam, quan
do exportados, persuadome que os b-ossos pro luc-
tos poderiam competir em tado com os de oatras
procedencias.
Os precos do algodio torn rega'alo altiraa'nen-
le de 170 a 190 rs. a libra e os cooros de 230 a
290 rs. tambem por cada libra.
nossa cullura, tem aqui am consumo limitadissimo
se attendermos a populagao do paiz na parle qae
delle se supprs neste mercado.
A concurrencia do sea similar das colonias
portngaezas, muito favorecidas nos direito', a taxa
elevaia qne paga o nosso (1'fiOO por cada 15 ki-
logrammas) ea ffande que o adaltera com cenieio
on cevada. quando torrado, faz com qae nio
se tenha generalisado o seu uso por todas as
clafses.
0 sen prego tem rcgulado de 5i a 5'500 cada
arroba.
a A importacao do cafe brasileira no anno eco-
nomico de 1873 a t874 foi apenas de 6,681 ar-
rob; s.
a Os valores que aqui tenho mencionado sao to-
dos em moeda porlagueza.
i Julgand i ler par este modo salisfeita, ainda
que imperfeitamenla, por ca-eocia de dados, as
or dens da V. Exc. ,ouso esperar da sua benevolencia
desculpa, attenia a boa vontade com que desejei
obedecer-lhe.
l'revale;o-me deste ensejo para apresentar a
V. Exc. os prolestos do men profundo respeito e
mais alia coasideracao.Illra. e Exm. Sr. visconde
do Rio Branco, do conselho de S. U. o imperador,
etc., prtsideute do cooseiho de minislros, ministro
e sjcralario de estado dos negocios da fazenda.
Manoel Jose Robe lio.
0 consul geral em Assumpgao, do Paraguay,
dirigio ao ministerio da fazenda, em 29 de outubro,
o seguinte oQjcjo :
a Illm. e Exm. Sr.Respondent: ao ofDcio cir
cular que V. Exc. se dignou dirigir-me era 13 de
selembro findo, pedindo a e>le consulado geral in-
forma^Ses exactas sobre a posicao mercantil dos
principals productos do Brasil nas pracas com que
entrelera relacoes commerciaes, o apreco em qae
sao tidos, seus valores e quaes os meios de qne
poderAo os productores e os exportadores langar
mao para melnorarem as conduces o aogmenlar-
Ihes a proiura, tenho a honra de declarar a V.
Exc. que n'io maotendo esta republica relacoes
commerciaes com o Brasil, por se achar muito
afastada dos centros produrtivos e tambem pelas
ditli :ul Jades da aavegafio dos rios Parana e Para-
guay, que poucas vezes offerecom livre transit.)
aos aavios de alto bordo, nenhuma tem sido aim
portacao desses productos nos annos decorrido*
depois da terrainajao da guerra. Apenas sao intro-
duzidos por via de Montevideo e Buenos-Ayres os
geoeros para consumo de nossas forgas de mar e
terra, e nesses se out am o cafe emgrao, e assucar
braaco e a farioba de mandiooa. 0 demais gene
ros de consuma vem do estrangeiru, e sao forne
cidos pelos raercados do Praia, que por serem o-
raais viziuhos, esiao ialimameute Lgailoscomo
desla republica, especial mente o de Buenos-Ay res.
a Seus productores da provincia de Matlo-G.-osso
caidasse/n com mais intefesse na expnrlasao de va-
rios jjroduclos da porviucla poderiam forneeor a
oste mercado assucar. ajuurdeiUo e Catuiha de
raaadioca. A navegacao d aqui para Coruraba nao
e difflrii, e a dauUHia u 0 commercio do gado vacuum poderia ser de
gawde midade, aeeaertadarrt araadiiMiiToOns-
truir entbarcapoes a pMp)ila pm eodn?il-o.
Ouasi todo o gado eoaiumido aelas haMlsaies do
ante desia republica e im^rude da aiesffla pre-1
toooo gado vaceuna eonsuaiido no Paraguay, i
ranfe e depots da ^aerra.
Esse gado, atra-vessaodcenormef diflandas e
passando pormuit s rios,chega aq ii am lal esta I >
que os tropeins se veem obrigados a invernal-o
por cinco e seis mezes. E' t-oudo nas estancias
correntinas por oito e dez pesos f irtes por cabaca,
e aqui se tem vendido por trinla e quareota
pesos.
cPequeaa e a distaucia eaire Marandaea villa da
Concepcim, e aes-e irajecti, ajae padnia fa-
zer um vapor en aeteau horas; pouco sofln-ria o
gado.
a Apreveito a ensejo para rciterar a V. Exc. as
protesiaesss de minha particular eslima e ,1a
consi ietaeoio. IHra. e Exm. Sr. eonselheiro viscon-
de do Ria Braneo, mim>tro e se*reiario de est do
d s nejoeiaB da fazenda. Judo Antonio Mendes
Totla Filho.
Monunaealo a margeai do rlo Mi-
randa. 0 presidente da commissao de liraites
entre o Brasil e o Paraguay dirigio, era 31 de ou-
tubro, o segaiate offlcio ao ministerio da guerra :
t Illm. e Exm. Sr. 0 monumento a memoria
des bonemeritos commandante e immediate das
forgas brasileiras, qae operarara ao sul da provin-
cia de Malio Grosso, acha-se levantado a margem
esquerda do rio Miranda, junto ao passo do Jar
dim, no alto de uma colina e a 10 leguas do passo
da. Bella Viita, no Apa.
a E' de mar more e a sua base dc pedra e cal.
a A lapide, que esta asseulada em piano indina-
do sobre quatro pec is tambem de marraore, olha
para a estrada da retirada das forgas, que pa< a a
50 metros de dislancia, e conlem a seguinte ins
cripgao :
n A' me noria dos beneraerit is coronel Carl s
de Moraes Camisao e tenente coronet Javencio Ma-
aoel Cabral de Menezes, conmaadante e immedia-
te das forjas em operagoes ao sul de?la provincia,
tallecidos em 29 de raaio de 1867, na ra -moriwl
retirada das mesmas forgw, o goverao imperial
mandoa erigir este moaomento em 1874. >
a As sepulturas estavam intactas e nao tinham
sido aberias, como me informaram; firam reco-
uhecidas por Gabriel Lopes, sobrinho do fallecido
pratico Jose" 'raneisco Lopes, que mora actual-
mente na fazenda do Jardim e acompanhou as
forgas.
0 monumento esta divklido ioleriormente era
dous comparlimento', conten lo nra os restos in or
taes do commanJaote das forgas e o outao os do
immediato.
t Assignala esteco^partimenlo nra frasco, den
iro do qual se acna um castello de m -i.il dourado,
qae mandei collocar ao lado dos ossos, cmo dis
linctivo da corporagao a Ma pertenceu o tl ostre
finado.
Ni oatro compartimento mandei collocir nma
grauada de calibre 4 a la Hitte, qae ahi enconirei,
como distinctive da arma do distincto commandan-
te das forgas.
a Ao lado do monumento mandei f izer uma se-
pullnra de pedra e cal, e nelld foram deposilados
os restos do deslimido pralico das forgas, J>s6
Francisco L-pes, conforms os desejos de sua
viuva.
Entre os dous jazigos Uz conslruir outro e de-
po-it ir nelle os ossos que se achavam espalbados
de outros brav-s que ahi falleceram.
Mandei cercar as sepulturas com miiroes e
levaotar no Venice desia construcgao uma graode
eraz de madeira de lei.
Um pequeuo cemilerio a?signala, pois, esse
remote lugar, onde su^curnbirara taulos valenles
defensores da patria.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm. Sr.
eonselheiro Joao Jose de Oliveira Junqueira, mi-
nislro e secretario de estado d is nego;ios da guer
ra. 0 coronel Rufino En6as Gustavo Galvao
ncamipallbllldade. 0 ministerio da
|u3tiga, em 28 de novembro, dirigio o seguinte
aviso a presidencia da provincia de Minas Ge-
raes :
Illm. e Exm. Sr. Havendo iriiompatibilida-
ie entre os cargos d^ supplente de juiz municipal
e vereaJor, e entre o primeiro delles e os de agen-
te do correio e da collectoria, o govern) imperial
approva a solucio que neste sentido deu V. Exc.
as dnvidas proposlus pelo juiz de direito da co-
marca de Pilangui, eomo declara em offlcio n. 273
de 17 do corrente, que assira fica responlid).
t Deus fguarde a V. Exc. Manoel Antonio
Duarte de Azevedo.
Cabo lubmarlno. Por telegranma par-
ticular sabe-se que o vapor L\ Plata sahio de Lou
dres a 26 de novembro trazendo um resio do ca:o
para a companhia Platino Brasileira.
a E' a porg'o que esta ainda por lancar entre o
Rio Grande e o Cnuy a emronear com o cabo qne
vein de Montevideo.
Caixa rroniimiiM e moiite do SOC-
corro da Bahia. Por decreto de i5 de no
vemuro foram nomeados para o conselho fiscal :
presidente, o barao de Cot^gipe ; membros. Ma-
noel Jose de Figueiredo Leite, Jose de Barros Reis,
Dr. Victor de Oliveira e Luiz Rodrigues d'ljtra
Rocha.
Licences. Concedeu-se :
De 20 diai, com soldo simples, para tratar de
seus ioteresses onde lhe convier, ao 2 tmente do
2 regimento de artilhariaa'eavallo Antonio Maria
Quartira.
De 2 mezes, com soldo e elapa, pan tratar de
sua saude onde lhe eonvier, ao alferes do corpo de
estado maior de 2" classo, e tenente honorario do
exercito, Caodido de Amorim Tavares.
De 40dias, ao cabo do 7 batalhao de infanta
ria Jose Felippe, para ir a provincia de Peroam
buco ver sna familia.
De igual tempo ao soldado do I9 regimen to de
eavaltaria, Antonio Ribeiro Pae3, para ir a provin
cia das Alagdas, tratar de negocios de sea inte-
resse.
De 30 dias, com soldo e etapa, ao capitao do
18 batalhao de mfantaria Epifanio Manoel de Car
valho, em prorcgagao da com qae se aeba aqneHe
oil! rial, para Iratameuto de saa satide.
Por mais um mez, com ordenado, a do jaiz de
direito da comarca da Maioridade, na provincia
do Rio Grande do Norte, Vicente Candido Ferreira
Tourinho.
Por 4 mezes, com soldo e etapa, em prorogacao
da com que se achava, o coronel de engenheiro-"
Tnomaz da Silva Paranhos.
Ao 2* jirurgiao do corpo de saude do exercito,
Dr. Manoel Gomes Be fort Duarte, por 15 dias, pa-
ra ir a provincia da Bahia tratar de nego-ios de
sen interesse.
A alferes Raphael Augusto da Cunha Mattes,
do 6* batalhao de infantaria, tambem por 15 dias,
com soldo simples, para tratar de negocios de seu
interesse.
Por 2 mezes com soldo simples, para ir a pro-
vincia das Alagdas, ao alferes do 10' batalhao de
infantaria Theodosio Mauricio Wanderley.
Prorogou se:
Por mats um mez, eom ordenado, a eoncedida
ao juiz municipal e de orphaos do termo de Bar
reiros, na provincia de Pernarabaeo, Joao Carlos
de Mendoaca Vasconcellos.
Por mais dous metes, a eoncedida ao t* tenente
Adolpbo Paulo do Bomsnccesso Galoardo, para,
tratar de sua saude onde lbe eonvier.
Por dous mezes, com soldo simples e sendo des-
ligado pr jvisonamente da escola militar, ao alum-
no do 3* anno do curso superior da mesra. esco-
la, capitao do 10* batalhao de infantaria, Firmino
Pires Ferreira, afiin de ir a provincia do Pianhy
visitar sua familia, etralar de nogocioi de seu in-
teresse
Fabrlco de gas 0 decreto n. 5,804 de
23 de novembro conceden privllegio a William
Denny Rack para introduzir ni imperio o appa-
relho de sua invengao, destinado ao fabrico de
gaz.
Prazo. 0 ministerio da justica marcoo o
de ires mezes para o juiz de direito Francisco Jo
sd Cardoso Gui u'ries a?sumir o exer.-icio do car-
go de chefe de policia da proviacia do Minas Ge-
raes
Ajuda de cut-to. 0 mesmo ministerio
augiuenlou 150J a ajuda de cu-to do juiz muni
clpal e de orphaos bacharel Antonio Coiombano
Seraphico de hssIs Carvalho.
0 mesmo ministerio augmenlon com 20P.a
ajuda de casto do juiz municipal e de orphaos dos
lermos de S Sebastia e Villa Bella, aa proviacia
da Parahyoa, bacharel Joaqaim Francisco Vieira
irMMiB,
Monitor Wolinases Foi nomeido com-
maxdagte deste monitor a capitao da fragata Mel-
lo Tamborim qae o deve conduzir para o nosso
MM
Crearao de jnlao muatotpal. 0 de-
creto a a.803 creou o lugar de juw msaicipal e
de orpbi is ao termo do Soceorre, aa paovlnoa de
Sergipe.
Tiburcfo Valeriano-da SI va Tava'es, rec'aaMr.-
do pro vi Jeucii* aiotra- a senleoea de g dis p< rp< -
lii.'s. quell f ii ini,'0 lo jury dc Sast'\nna d- Matto, na provisiia de
Rio Grande do Norte. In-iiua a nti;a n lei
ino-i do de:reto a. 2,500, da 28 de marco de
I860.
Majir Jose Polyrarpo de Fre las. escriao d;
*os d> mcaw do Liflioeiro, si proviacia ds
*iiibuoa, paiio !o prorogagio de iiceijca.Ir-
dein-ilo.
rremlMa valaalsrlas da patria.
0 ministerio da guerra em 23 de novembr > di
rigi-i a preideneia do Ceara o teguinie aviso :
Illm. p Exra Sr.Com offlcio a. 127 de 7 44
oaiubro ultimo, rem^tlea raa V. Exc. copiat d
ipie lhe dirigiram a tbesouraria do fazenda dent
provincia e o conmaadante do 15" bitalaao de in
lantaria. on-'ultando acerca do premio a qae ten
direilo o voluntaho da pairia qne. aepan 4 tut
minada a guerra, foi cscuso d > servie.) e pa-sad >
algum tempo a-sentou pragaom> v duntanu d-
exercito. Em Miluci > a duvida da thesorana d
fazenda a semelhanie reapeito, dVcUro a V. Ex--
qne as diso^icoes legislativas e o art. 6* do ae-
crelon 2,171 de I de in.no de 1838, e-t.iv l-ce:n
de aodo expliriio qne, para -e eaaceMT o enga
jament i e aboaar se o rtspeclivo jr-nie aa 4'f'i
nio 6 essennal que haja eoniinuacaona > iiiterrio
oida da praga, mas que o individjo tenha ant-'
servido naqiietla i|'ialilad', ;nT i- que continiiam noservivo, hyp itlicse kgura la pd..
diia iie-ouraria. ha a di-p isig.a > as art 17 I
tado decreto. Q unto a consulla do c laaaua ln
te d'. in -ncion.id i batalhao, declan outrnsim a V
Exc, a lira de lhe faaer constar, i:sn os v,.lunia
rios, land) do I'xercit.) como da ; oblido eseusa. e que po-t-rijrmenl m quetr^n
engajar, ou que me-m) em servie.i o dei^j-ui fa
zer, deprj |. rompb-tarem o tempo a que f?ta
vam obrigados, | nos tennos da ultima parle do> art-. 6 e 17 d
decreto de I de maw d; 1858, acima nidi -ad<
Deus guarde. a V. Exc JuaoJote qaeira.
Miitrn nni-lnnal F.-prv e Sr. IH-. Li
dislao Nelio, ao Jomtl dt Comme-cit do It.o d
Janeiro :
Nas mais iapcr.ants quesldVsqn>> se agitam
in lad-iratori i das sciencias nainr<>s lem Snj;
primeiro e coaspicuo lugar a anthropologa. Hu
siieo-na, pnrdm, qae mat agora se dtspreae* do*
envolucros da infancia, nao f,lhe >u sent pa*t-*
ipena do grand-- arrhivn da natu'ez', b-.a p r
ejia d-se arehivo e p ir cerlo o solo do Ira
que os professionaes do velho c miisfit*. ma.
eropenhalos oeste cer am-o, detfjam a priia qo-
se Ibes desate em ihesoaros, com qne mat* afou
t-)s prosigatn no estado do h unein primi iva R^
correm. pi, ao saiaa mn*'u, > qal pia at'
desmereeer os credit >s, de tem|os a ~it ann
eaMtaaaMM eonquistad is, forcejarei, po' qae en
tao apurada cir -u nstancia t^nha na pr -pria fr
qnau quant i valor e posse se lite attriim-.
Por em pj.tnto prendo men* 4esj-a>i a aim.
eoHee^ao de craneos que represeat*m I >4a a-
iriDus de noasos antocbihoaes, objeetas de faci
acqui-igSo para aquelles que babuam junto ao-
antigo cemiierios ia Jig>-ns, que, cmno V. ti
em algun p-ivoados o eratn a- m--mas t*^as.
Para eases mais pariicularnvete eren) en
estas hohas, por lembrar-me deque setvgi a> la
manha valia em pruveito deste mnsea e das serto
ciss naturae-- raro ha de lombrar a qjem roitti
nol-o pole prestar. Tenho escripto psra nvnta* ga-
rageas, e em cinco d- nos*as pruvinciaa esvio m--
tu.tlmeiite algnns empregados e nio pmc asii
gos inciimbid is de-la tarefa ; m *, como s-*r-
deficieut'-s s:io demas ado tardio esles reetw"-
f-orga me e soccorrer-me da rmprema duria, par-
qui* mais de promote me sejam reraettid-x, e aa<
esies objectoi, f> menos, esciareerni-nt s pet>js
quaes nwis f iibn-nte os m-ande bnscar.
Se ao craneo de eada iodividui fir p>-vl
reunir os ossos dos pes e das ma >-, dopio valci
assim t-ra esla eolleecao, qae em tomando certa
amplitude, eomo desejo, estim que marta laz ail-
fundira sobre os my-terio- que ainda hoje vrlam a
historia do homem imericaao.
l.oicrijt. -- A que se a-ha a vrnda e a fSN-,
a benetkio da Santa Casa de Misencordia, a enai
ae extrahira no dia 14 do corrente.
I-eilao. II ije ell-ctua o agent.- M irtins,a 11
horas do dia, nm important" Hlio de caui-la-
coustaodo de objectos de oaro, bril "antes, rattign*,
cadeias, dados em penhor no sobrado da rai das
Crates a. 2, travr-ssa para a rua des Qaartefs.
Il'j- effectaa oagenie Dias t^ilao a> drver-
sos terrenos e easas em S.mi'Anaa, de eerca d>
1 2"0, atalejos e 16 figuras proprias pan jr-
dim : em o 1* andar do sobrido da rn do
Marquez de Caxias n. 37, as 11 horas da ma***
en oonto.
Hospital Pedro II. -0 movimento der
estabelecimento, do dia 30 de novenibro o d-a
6 de dezembro. foi o seguinte :
Existiam 394, eutrarara 15, sabiram 41, fattr-
ceram 3, exislem 389, sendo :
Hoinens M e mnlheres 153.
Adrertencia.
Foram visitadas as enfermarias nestes dia* :
As 6, 6, 7, 6, 6 l|2. pelo Dr. Ramos ; as 7,
7, 8, 8 l|2. 7 l|2, 7 l|2, 8 l|4, pel-i Dr. Pifrira
da Silva ; as 9 l|2, 8 1|4, 9 l|2, 9. 9 Ii3. 9 Ii2, pelt
Dr. Malaquias; as 9, 9 l|4, 8 1|3. 9 1(2, 9, 9 Ij3,
9, pelo Dr. Murillo Vianna.
FaJlfcidos.
Antonio Felix dos Santos ; anemia.
Jose Baptista Frincisco ; anemia.
Noberta Maria ; tubercnlos pnlmonares.
Tnemoieo Gome' de Andrade ; variola* hemorrba-
gicas.
Modeste Postal ; hepatite ehronira.
Leoncio typho.
Manoel Vicente Ferreira ; variolas eoeflueates.
Salustiano ; anemia.
Joaqoim Justiniano ; cachexia.
Passagelres. Chegados dos ponos da sal
no vapor francz Rio Grande :
C. R. Jnle, P. P. Geovanni, F. A Gaiseppe, R
C. Souza, II. R. B. Souza, J. de Albnquerqaa C
J. Pietro.
Chegados no vapor naeionil ilandakm', i
Aracajd e escalas :
Antonio Diniz Badreto, Gregorio Gomes MWa,
Joaqnim Alves da Silva, Antonio Joaqaim de Sea-
nae sna sen bora, Manoel Ednardo do Naieiaaaa-
to, Joao Jose Franca, Jose Pereira de Seaaa, Sere-
riano L. T. de Mendonca, Severiaa Maria da Con-
ceigio. Joanna Maria, Joao Boyle, Henaat Beck
Joao Ferreira, Innoeeacio Jo d, Manoel, 3 pracas
de policia e tres^preso* de justica.
Sahidos para a Eoropa ao vapor fraaeea Jko
Grande :-
Beageo P'ederico e nm filho, B Vieeaae, IVfr
Carmora, Colemo lo V'ieenzo, Vieento Piudafaoa,
Gulseppe Frederico, Carmine Frederico e aai a-
Iho, Bertha Eleomole Jacob, Jose IWbeiro
ler, Jose Antonio Barbosa, Grahea, Manoel R
Carvalho, Karl Hermes, Alolpho Doreyfes,
Goncalves Agra, Maaoel Jose Nofoeita, a
Fcederieo.
Cemlterio pabllco. Obitnario do Ma I
de dezembro:
Salastiana, parda, Pernambnco, 5 annos, S. Joad
coqueluche.
Henrique, escravo, preto, Africa, G6 annos, aal-
teiro, Boa Vista ; encephahte.
Josd, branco. Perns mbaco, 7 annos, Boa VMa ;
esmagamenio aa perna.
Marraho, prdo, Pernambaco, 3 annos, Santo
Antonio; variola
Laiza Maria do Rosario, branea, Pernaadmco,
74 annos, viuva, S. Pedro Martyr; erystpeta.
7
inllrii dajsstlca.-Por essa minis
vis :n* e vem por terra ale a villa da Conception. I terio foram deapacbados os seguintes fequarrmen-
a A provlaaia de Corrtawas d qoa wm foraecido | hw :
OHKOMCA Jl UM UHX
IRIIIIA II, DA RKIAf'AO
SESSAO ESPECIAL EM 10 DE DEZEMBRO BE
1874.
PRESIDENOA DO EXM. SR. COSSELIUtO
CAETA.NO SANTIAGO.
Secretario Ur. VmrfUm aTaaiaa.
A's 10 haras dz manha, pra-enlas oa Srs. daa-
anbargaioras Almeida a Albnqaeriae,
Souza Leao, e Domingoes Silva, ario m a
0 Exm. Sr. cinseiheiro preadeete pa.son in-
latar os aggra*e?, enjus adjunios foraat
em sessaa anterior :
Aegravoeaeaelieia
N. 90.Aggravaaae Franeisco Narj dos i
aggravado o juito de aeseetea. Mjuat desembargadore* Dumiagaes Silva a Sanaa Mia.
Den se geirtiiiaeato.
N. 93. Angravan-.' o ro nmend idor Ja da Cunba, aggravt.i. Luiz A ad an da Swu M-
ueira e outrw-. Ad|uut is es Srs. deseaabirfadaan

Dormagues Sriva e Acci-ifc.-lfega-ea pr
N 96.Aggravanie D Deoknda Mara Maia, ag
gravada Egidia, aaerava. Adjnatas oa Saa. 4a*


Diaria^lBornambuoO fr Sojqta ^eira 11 Ae Dezemko dp Ijtfl
embargadores Damiugists Silva e*VfcL!i.-Den se
proviraento.
iV 9J.-*\gMavante L ,uren.vCiPr t S*t*
& c, agravado Firmiuo Correia Pessoa de Mello.
Adjuntos os Srs. oesflmranrgaaores Almeida Al
bujaerque e Setua Leai. -Deu-se provimento.
If. 8. Aggravate Joaquirn Severiano N'ogueira,
aggrivado Tasso Irtnao. Adjuntos 03 Sn. des
embargadores Souza L1S0 e Accioli. Negou- e
provlmaatoj '
Eueerrou se a sessi) a I Inra da larde.
0 dia 14 de malo do 1873, escrevi Jinha alguma
para a PronkAi.
Ainda mais, te ha bafkntes maze's deixei on nSo
de frequenlar 0 *V*lOfOjda fwvincia.
Pretendo em apuejsliisl vTiyailmprensa e entao
com mais vagar aemonstrarei a calumnia qae se
roe levantou.
iftecife, 10 ds dezr-mbm de 1874.
/eao Baptlsta Pinheiro Corte Real.
0*ifipaos Tarquinios, e .us eomparsas, propo-
zeram-se revolver 0 terapestuosissiino probleraa da
separacao da Igreja e do E?tado Este problema,
qaeme parecia iusoluvel, pelos absurdos qae en
cerra, marcha em via de realisar-se entre mis I
0 aatag onisrn \ profun lo e rancoroso qae esses
novos- qualiflcadores do santo oCQcio aespanbol hi 0
cavado efltre .0.-estado civil e 0 poder espiritual, ja
ncgando, e combatendo a sua influencia recipro-
ca, ja vasando dun labios successivas torrentes de
satyra fremenle, desbragada contra 09 supremos
poderes danagao, ja procunndo, com obsliaado e
crirainoso erppeuho, auastar loda a idea, toda a
possibilidade de uni .aocordo eutre a Santa Se e 0
governo imperial... tudo iaso, e tuJo 0 man, que
fdrraa 0 complexo de desaxin-s c loocuras, que en-
iretece a nistoria d j deploravel conlliclo, qae, ha
dous aunos, 6 motivo de angustias para os verda-
nem_ por causa dos cabritos, que no Qm do mundo
se hao de separar das ovelbas, desampararei 0 re-
banho do Senbor ; nem (So pouco, em ratio dot
vossos feitos para igoomipia, 0 alTronta, me rau-
darei da casa do Senhor.
Recife, 9 de dezoxbru de 1874.
Pinto de Campos.
Protestos.
Eu ab.ii.xo assigoado, Haooel Gomes de Barros e
deiros creates e fonte 4n espeeulacao para os cor-' Si|va vice-presidente do directorio liberal da fre-
sarws do cath -lieismo, ua> podo deixar de pro- '" de Gamelieira, e os mais abaixo assignados,
lliacao. So a-Jim liouVd*se^n corrida as consas, ba
muito que 0 deploravel conflicto estaria terminado I
E 0 qde tern feito os IrmSos Tarquinios, e sens
eoraparsas ? Oh I basta ler os sens jomaes, e
conlieoer as ardidaras lenebrosas, qne hao tecido
em Rome para saber se qae de miles iaes desal-
mados instigadores nio tern feito, particnlarmentir
a esta diocese I '
E 0 mais curioso de tudo 6 ve-los no sea pasrjuini
I a UiuHo revelaudo, a cada mstante, as mais eo&'->
tradictorias tendencias, e illacoes. N'uma pagina 5,-, redactors Quatrain iaserir em sea con-
vrbram dardos sobre dardoa no principio da aat.ji ceitaado' jornal, as se^intte linhas :
riJale civil ; n'ouira fazem votis pela compleui Seudo taennasado foe o lal iAnii.ncio Gon-
udiSo da Igreja, e do Estado I Esa dansa ma' cjjves- dos Santos para ir m elle eateadorme a
cabra fa?, lembrar aquelle celebre dito de Planto respeito do cumpnmeuto di dm moa never para
a re-'ueito do hypocrita, que tendo na mao direlta > torn elle e do qne tedho sirfo remisso; Venho pelo
uma pedra, na esqnerda offerace a-n pao I ^'fpr^eate declarar qab desaf/o e prbvoco a es^se
ttra manu lapidem tenere, panem offerre altera. I fcljaor a quem, recordci-me de ler lido a icfefcei
E do entanto ell^s que prosigara eH pintar ma jaaftj de eonhece lo, qnando en Crianca e estudan
co;no bosiil aos interesses da Igreja, que en rhei te aqui, afim da que lance mao dos raeios qae
irei dando como uoica resposU e>U balla, e apro- qu^zer e liver para compeHir me ao camprfmento
priada passagem de Santo Agoslinho : t Nem. desse dever. sendo qaa folizmente para mim sou
por amor da palba deixarei a eira do Seahar ; nem Dem conhecido nesta capiul, onde ate manteubo
pelos maos peixes romperei as redes do senhor ; 1 relayoes commetciaAs.
Recife, 9 daiembro de 1874.
Isabel, earwion : A. Loyo 400 saccos com 30.000 Londres. Sobre 0 cnior bank oj
kilos de assuoar branco. _. ^_
- Par. aAraciiy, no Mate iacfoflil leonilla, w*0. LOWDOIf AND HANSEATIC BARK.
carregon: L. 1 Marques de Aranjo id barricas limited, e varias casas de 1.' ciasse.
cam i J55 kilos de assucar franco. Pari. Sobre os banqueiros rouu
Para 0 Natal, na barca;a Dons kmigns, car- '.* r niRrnaan Ltnni <* r 1 m irni'B
regoa : A. S. de plivelra II bwricas com 635 C" '
kilos de assucar brand) : b'ara Macao, Frsga &
llocha I-dita eom 90 dltos de dito.
1 Para Mo3?or6, na bareata Hiavhuelo. carre
gou : B. Gomes & C I oarriea em 60 kilos de
!tsacar refinado: pjlr^. Mkcio, A. Dliveira & C.
0 barris com B0 ulrul dl agmrfeJe.
Para M:ica"o, no hfite* manual A del;no del
An.'os, carregon : A. Oliveira AC 10 barris com
960 litres de aguardsnu.1.
CAPATAZ1A
RendimeD'.o Bo dia 1
Idas ao di. 10.
DA Al.FANDKGA
a 9 3 711*298
. 630*785
4:373*081
diwir uma cri6o oheia de abalos e perigos nas re-
lafd8s entre a Igreja e 0 Estado ; uao pode, erafim,
deixar de tornar impreterivel, inadiavel, a ioicia-
Sio de leisex'Jepciouaes, qua venham romper lo-
os os vinculos d.; paz e amisade, que ate hoje hao
ligado a Igreja e 0 Estado do Brasil I
Sim, mugiieir. tern trabalhad> tanlo para a se-
para;ao da Igroja do Estado, como a nova escola,
em que sao uecuridds os irmaos Tarqnioios I No-
cios, que vendados pela paixao e pelo interesse
pessoat, nao comprehendem, qiae3 maripojases-
tont-'S'las, que as consequeacas necessanas das
doutnnas que pregam, bao de ser as calamidades
que a logica esta prevendo ; hio de ser as leis es-
poliaJoras dos dirritos da Igreja I
Dosde que esses desasados pregoeiros das im-
munidades da Igreja ch?gam ao exiremo de eon-
testar absolulam^nte as prcrogativas do poder ci-
vil ; desde que niio admittem uenhuma coueiliafao
possivel entre os interesses das duas sociedades
espirilual e temporal; desde que supprimem a pri-
ineira parte do precuito divino, que ordena Jar a
Cesar 0 que e de Cesar, as collisoes sera0 inevita-
veis, eso 0 Estado perde com 0 rompimento da
comraunbao dos priu^-ipios commune, a igreja ne-
ces>ariamente ha de perder tambem.
Tao eytdeute e eta con^ij-fi >, que-o sintissimo
padre Pio IX, gairda vigilaute do deposilo da fe e
das vfrdadea ev ingelicas, em allocuiio de 57 de
seiembro de 1863, conderauou a seguinte proposi-
cao : A Igreja deve ser separada do Estado.
Na verj*!*, mdo o bom catholico, direi mesmo,' Feruaado Lourenco de Almeida,
lodo ohomemde sao rriterio, hade re'oobecer i ^'r'niuo.Alv*3 p,menl,el- ..
nao so a'lietorudoxia dssta proposicao, como a sua | Bellarmmo D'rotheo Kodngue3 e Silva.
irnpratKabilklado absoluta. Srparar a Igreja do! )!e ojaresde Mello.
Estalo.seria operacao tao difhcil e arriscada, como: tranc^sco A de Hallos Lius.
separar o muodo morol do inuodo physico I So-; \* l aul|U0 -|a allva-
ria separar* a" alma do corpo; seria a morte da so- Jel'PPJ PaeS Barretto.
ciedade catholira I lJ,'4j "udngues da Silva Duarte.
0 insuspeito Lamanais diz: A socielado re- {0&0 d? Siqueira Bnto.
ligiosa e civil, a Igreja e 0 Kstado, sao por sua na-1 Manoel
icembros do mesmo directorio e raais bberaes, vi
mos do alto da imprensa protestar contra 0 vil a
reorovalo proceJimenlo do jornal i-Provincia,
em rel i$io ao nosso distincto correligionario Or.
Frau'.-iseo Jos6 de Medeiros, 0 qual se acha coll>-
cado acima das offensa* que Ihe dirigio aquello
jornal, e que so podem tisnar aquelles qua as es-
creveram.
Fiqnem convencidos os Srs. daProvincia, que
0 seu prooedimento nao nos imomwoda ; vota-
mos-lhe despreso solemne, e estamos dispo tos a
acompauhar u nosso amigo Dr. Medeiros ate 0 sa-
crilicio, por isso qae 0 eonsiderarnos e sabemos
apreeiar os seus merecimentos politicos, como ver-
dadeiro liberal.
Villa de GameJIeira, 1. de dezembro de 1874.
Manoel Gomes de Barros e Silva.
Francisco Geouino Corrda
Umbolino de B. Accioli Luis.
Henrique Cavalcante Wanderley.
Pedro Nolasco do Garros.
JoajU'm da Silva Pinto.
Manoel Maria Men les da Silva, thesoureiro do di-
rectorio.
Antonio Anacleto do Mello Lins.
Francisco Pinheiro de Mener.es
Ernesto Carneiro da Cunlia Pinto.
Joao Soares de Mello.
Joaquim M. da Fonceca Guimaraes.
Jose l.ucio Bezerra.
Pedro Na^cimenlii de Oliveira.
tureza iusepuraveis, devem viver uniias como a
alma com 0 corp), e nisto consiste a ordem. .V
turellement la societe religiente et civile, I'Eglise
el CEtat, soul inseparables ; Us d ivenl elre unis
comma fame et Ccorpt: coda I'ordre.
Se interrogarmos os iunovadores sobre 0 que
preteadem ellos eom a roparaeao da Igreja d^> Es-
tado, ou nao saberao dizer 0 que qu rein, ou se-
rao for^alos a recouhecer quo querem uma im-
piedade !
Pretenderao por ventura que as accSe; do cida-
dao nuuca sejam moraes ?
Uma tal pretenfao seria absurda. Seria como
se so prettmdesse que as ac,-oes livres do homem
nuuca Ine fossem imputadas. E se e indubitavel
qae as accoes entram muitas vezes no dominio da
consciencia, at>a\c prelendem separar a Igreja do
Estado, onde todos recoobecem na Igreja a direc-
loria, e mestra das consciencias ?
AJuiittirei, por hypolhes'e, asepara;ao do seguiu
.te modn, a saber, so a Igreja se c>ntentas>e em
dizer: 1 Tal acgao e rouraliucnte hi meate obrig^tona. E 0 K-tado, p T 9eu locno, se
coatentasse em ord.tn-ir outras aoc/ieB, como uteis
ou eileru'imente necessarlas para a ob-ervan-.-ia
do direilo, que a Igreja julgou moralmente obriga-!
torio. Mas, ilida a occasiao em que a mesma ac- i
cao, que e moralmente prohibida pel? Igreja, seja :
ordenada p;lo Estado como exieinain nte utd, a
separate se t jruara impossivel, e 0 ciiadao dove-
ra escolher entre 0 hone>to e 0 ulil, entre a Igreja e
0 Balada, e a que se reJuzira a prelensa se^iara-
cao?
E' uecessario reeonheeer, do uma vez para sam-;
pre, quo a ut->pia da soparagao da Igreja do Esta- j
ao e urn inigma iuiiscifravei, ou mn absurdo ridi-'
culo para qaem en'en ie ipie goveroar seres intel-
lig ules uao e o iiisiiio quoairotear um campo,
aii'in da impoasibilidade aii-uluta de di-^crimiuar,
ou desconfundir os actos do homem espirito dos
do buineai corpo I I
K ta iJeada st-paragao da Igreja do Estado e
tao absurda, tao irrealisavel aa pralica, que a pro-
pria Internacioiial, qui e 0 syinbolo da devasta-
Agostinho lli n. de Jesus.
Jose Gabriel Gomes Junior.
Pedro Alexaudriuo da Costa.
Manoel Gomes de Moura.
Joao de AzeveJo Roliigues da Silva.
Jose Caudido Dordheo e Silva.
Francisco Dorotheo Kodrigues e Silva Jnnior.
' Fraucisco Dorotheo Rodngues e Silva.
; Francisco de Paula Pinto.
j Manoel Baptista da ConceiQao.
Ignaeio Kibeiro Callado de Mello.
I Jose Germano Pereira Lima.
Francisco Coelho de Moraes.
' Fraucisoo Antonio Bandeira de Mello.
I Felix Jo;e Velloso.
Belisano Paes Barreto Fdho.
Pedro do It^go Daatas Monteiro.
liacliarel J .se Eugenio da Silva Ramos.
: Teueute coronel Cincinato Velloso da Silveira.
I Jesii Maria de P. Albuquerque.
Francisco de Sa e Albuquerque.
iTueodomiro Luiz Pireira.
Fraucisco Jose da Silva.
G>*nu!no Jose de Oliveira.
Jose Zofenuo de Vasconcellos.
1 (As urmas estao raconh-.cidas.)
Os abaixo assignados, habitantesdo municipio de
Gamelleira, indigua los com 0 infamj prot-edimen
to da rediccao da fotba iutitulada aProvincia,
com relaciio ao Sr. Dr. Francisco Jose de Medeiros,
por ter ello naqujlijaie de representante da ca-
niara municipal felicitaio ao Exm. Sr. conselheiro
Joao Alfred0 Correi de Olive ra, era sua passagem
por e?ta localidade, veem do alto da imprensa pro-
le-tar cootr* as imputnoes falsas e express5es
grossciras dirigidas por aquelle jornal ; 0 mesmo
Dr., e dignas somimte de arreeiros ou de quem as
eserevtu. Villa de Gamelleira, 1.* ete dezembro
do 1874.
Coroucl Franeiseu Manoel Wanderley Lins, presi-
deiite da camara municipal.
Frurluoso Dias AKv-s da Silva, vereador da cama-
ra municipa
iymuoio na uevasia-: --',,,'. ., .. ..__
(ao em ludos os generos e sc.ii.dos, aeaba de pro- Bacbarel krancisco Manoel Wanderley Lins Junior,
per que seja ella eliminada do seu progr:imma I | |J?e L,,'J,t 'aes u"re!-
Cousa pasmosa I Aqullo que a Internacional: Jao Laval -ante Simo.-s.
julga ab.urdo, e irrealiavel, os irmius Tarquiui s, Ludgero de1 Paula Meira Lima.
esius comparsas, van Ion jo artcs de lomar, quan-1 **J.n ,le u'rrosWau,,;rIey-
do meaos, objeelo de t-ntativas perigosas I | ioao Bernardino Names R.be.ro.
iNaoe menos admiravel acviuciJencia, que se Joao Mmoel Wanderley Lins.
da entre os exagerados de hoje, e os ao seculo J'iao S8"*0" t.ll.ho- 0 ,
XIII. Val-se ver pelo confronto dos factos, que era Manoel Helem Rodngues dos Santos.
Joao Manoel de Barros e Silva.
' Silvestre P S. Guimaraes.
Francisco Honorio de Oliveira.
' Manoel Ferreira d. Sdva Vianns.
Copstaiitino Sa Barreto.
Austri.liano P. de A. nndrade.
Misael da Rocba Carvalno.
; Joaquim Ferreira da Silva Vianna.
Jose de Vasconcellos Pinto.
; Jose Fraucisco da Silva.
I Roberto Borges Pereira.
, Is .en .rol Acinduo Cavalcante Simoes.
' J ise Caalcaute Ribeiro da Silva.
i
todos os tempos hoove deturpadores da doutrina
da Igreja, ou in lividuos que se tern querido f izer
mais catholicos que 0 proprio Papa I
Qaando Bonifacio VIII, na constancia de snas
duerelas coin Felippe u Belli, publicou a bulla
Unam sanctam, para logo os exagerados onzonei
ros comecarara a ensinuar que nesse documento .
aposlolico 0 Santo Padre havia proscripto 0 poder Jelipoe Sant.ago de Larvalbo.
oiv.l, definindo que 0 papa, em qualidade do mo-! anjel FraDe'srC0 de 0. Airuda.
narcha universal, pode dar, e llrar tbrouos, e qae, Fraac!icof T- Waadrrlay Lins.
por con-egninle todos os soberanos temporaes Ihe Joaquim LourenQoaa tsitva.
estao sugeii'j
Bonifacio dosu-se tant desta interpreta^ao, que
se apiessoa em destruir os seus maos efleitos no
animo dos fl..is, e ds restabele^er a doutrina da
Igreja, no tocaote a existencia dos dous poderes,
dizendo em ecosistorio de 1302 : a Ha quarcnta j
annos que versamos 0 direito, e sabemos que exis-; Antonio j'ie rrag'io.
tern dous poderes ordeoados por Deus. Quem, Bacharel joaquioi Francisco Paes Barreto.
pois, podera crer que tao grande loucura, e taraa-; J,J2 **? Barreto,
nha inepCia me podem cntrar ao espirito la Qaa- i **> Heur.qae ?acs Barreto.
dragmta anni sunt quod s&mus experti in jure el {^ \" Oo .Araul, ."inia-
scimus qa-d dwe sunt putestates trdinatae a Deo. Jo-
Quis ergo debet credere vel potest, quod tant a fa-
tuitiis, t-atta insipientia sit vel faerit in capite
nostro ?
E nao foi i*to 0 qae a Igreja sempre ensinou t
Ella diz aos povos : Hi dous poleres, anibos
dlvinos na sua origem : omnis potestas d Deo ;
mas, em razao de sua natar.eza, e lius, exisie eu-
tre arabo.s reciproca e necessaiia subordina^ao. A
obediencia e devida a cada um delies na esphera
respectiva : t Dai a Cesar 0 que d Cesar, e a
Deus o que t de Deus Das duvidas que se I u
vantam aobre 0 uzo, ou abuso que faz Cesar da sua a"?j 2L*?n Wr'ey'
Jttari&uh .ni.tr., iL ... Qlm ,w Manoel Laroenha R. Lids.
Man el M. d An ir.da e S Iva.
' {.Antonio Pedro da Costa.
Por ootro lado, diz a Igreja aos reis e magistra.'J"^jf~* dd *$ ...
dos supremos : Escripto esta nas sigradas pa- B -ua-
ginas qae devemos obedecer a todos os poderes
estabeleciJos. Assioi, pois, estamos sugeitos aos
poderes bnmauos. Mas, se todo o poder deriva de
Deus, por forca de razao deriva aquelle, qae foi
prepfl*to para 0 fover ao das iwnscieacias. Como
quer qua seja, obedecei a Deus em nos, e nos
Ihe obedecereinos em vos.a
Joao Baptista de Oliveira.
Mauoel Anlouio Rimos.
Francuc0 Manoel de Araujo.
Luiz J .se da SiWa Ramos.
Francisco F. da Silva Pinto.
Eueas de Carvalho Stares Brandao.
Pedro C Cavalcaute Wanderley.
Martmbo Hodrigues da Silva.
Migoel Alexandriao da Fouceca Galvao, juii de
paz.
Audre Avelino de S'.uza Guido.
autori Jade, nao sois v6s os juizes, r
dous poderes, que
direitos.
discutirao em familia
sim os
os seus j
Pompon de C. Soares Braudao.
i (Tudas estas firmas estao retonheeidas.)
Rigoberto Barbosa In Silva.
l. t. pivERj^pbarrx2r^.
Doctor fit Absentia
Os professpres em artes.Jetras e scieocias, roem-
bros da clero e magistrados ; todo o- medico, ci-
rirgiao, deotista e artist 1, que desejam obler 0
uttulo e diploma de doutor, ou bacharel honnrario
podem dingW se a Medicns, raa do Rei, 46, em
Jersey (Inglatem) 0 qual Ihes dara gratuitamen-
te todas^ qua'esquer fnforraacSes sobre a Uni-
versidade.
JUNTA BOS COURETORES
Praca da RccITe, IO de dezombrc
de 1894.
AS 3 HORAS DA TARDE.
cotacSks ofticues
\lgodao de sorte 7AJ00 por 15 kilos.
Assucar de Goyahna 13960 por lo kilos poslo
a b jrdo, ho item.
Cambio sobre Load res a 3 djv. iSSfi d. por If,
do banco, hontem.
Oambio sobre 0 Rio dc Janeiro a 10 div. ao par,
hontem.
Dito sbbre dito a 8 d|v. ao par.
Desconto de letras 12 0|0 ao auuo.
a. oe Vasconcellos
Presidente.
A P. de Lomos,
Sec.retario
WLUMfW SAHID08
j *a 1 a S......
No dia 10. ...
Primeira port* ....
Seganda porta .....
Terceira porta.....
Trvpicre Ccnea'cao -
6.969
173
63
16
3,370
10.591
SERVICE MAR1TIMO
4i>*raofaa dsscarregadas no traft alfanfega.
io dia 1 a 9 .....
So dia. 10......
30
1
1
32
tSCEBEDOBlA OH RE.NDA-S ll^tRNAS GE
RAES DE PERNAMftCO-
uudimento di, dia 1 a 9 13:277*114
r.*:o do di* 10 2'420j3>-6
15:697/500
CuSULADO PMOVINClAi.
".auiUiea'.o
J;:i do dia
do dia 1 a 9
10
44:132^651
5.285^665
49:418/316
.tondimento de
!: n do dia 9
AGE-NCI AS i'ROVlNClAES
Liquidos espirituosos.
I a 7
858*411
i
858*411
4LFAM>KU%
Aeaflimemo do dii I a 9 .
Idn? do dia 10
275242 560
46.765/523
3220085083
Dosearregam boja 11 dedeie-nbro de 1874.
Patacho allemao Colmar (atiaeado) merca-
dorias para alfandega.
Barca francezaS. Andri mercadorias pra al
fandega.
Patacho ioglez Juventa mercadorias para al-
fandega, cimento para 0 trapicbe Concei-
cao, para despachar.
Barca portngueza Lisboa vintto para deposito
no traoiche Cunha e varios generos para
0 trapicbe Coneeicao, para despachar.
Barca portugueza Imperial vinho para de
posito no trapiche Cnnha e varios gene-
ros para 0 trapiche Coneeicao, para des-
pachar.
Pata bo allemao Marie & Sophie farinha ja
despacbaita parao caes do Apollo.
Barca ingieza Jane Maria carvSo ja despa-
chado para 0 caes do Apollo.
Barca ingleza A moy carvao e tijolos ja des-
paehados para o caes do Apollo.
Vapor nacional Maniahu generos nacionaes
para 0 trapiche da corapanhia.
litsportacSo.
Patacho inglez Lady Mary, entrado de Terra
Nova em 10 do correute e cousigoado a Sauaders
Br theis & C, roanifestu :
Bacalbao 2,726 barricas aos consigaatarios.
Liipar ingler Corissande, entrado de Terra Nova
na mesma data e consiguado a Johnstou Paler &
C, manifestou :
Bacalhao 2,980 barnca3 aos consigna'.arios.
Vapor nacional Mandnhu, entrado do Aracaju
na in sma data e con^nado aco:rpanhia per-
nambucanade navegacao costeira por vapor, ma-
nifestou :
Aguardente 20 pipas a M. Jos6 Alves. Assucar
103 barricas e 51 saccos ao mesmo.
Barricas vasias 413 a Jose da Silva Loyo & Fi-
lho.
Farinha de mandioca 50 saccos a Doiningos da
S. Torres.
lendimento de
dem do dia 9
Bacalhao, etc.
a 7 I:3i7i384
58/504
Sendimento de
dem do dia 9
Generos
1 a 7
de estiva.
1:271/454
216/604
dendirrmnto de
(dem do dia 9
lendimento de
idem do dia 9
Farinha de trigo, etc
1 a 7
Fumo,
a 7
I
208/720
etc.
285/310
269*860
HoO'liment) dc
'dem do dia 9
Vinagre,
la 7
etc.
303/322
I
1:385/888
1:488/058
208/720
555/170
303/322
4:799/569
__ I Coelgaco
Patacho rmericmo Henry Trctcbridge, entrado U?.u!lalc?'
de New York na mesma data e consignado a
Jjhn.-ton Pater & C. maoifestou : I
Farinha de trigo 30) barricas aos consignatarios.! Caminha
Kerosene 2,100 caixas a ordem, 1,500 aos con- f Mangualde -
signatarios. i Hnte de ,'ima
Medicaraentos 7z volumes a Barth.loraeu & C, | Po,oa de Lanhosa
SO a Mauoel Alves Barbosa.
jjfTbesouro provincial de Pernambuco, 10
ie dezembro de 1874.
0 escrivao,
J C. M. da Silva Santos.
Companhia Itidemaisadora
do Porto.
CAPITAL 2,000:0000000.
rhomaz de Aquino Fonceca Sl C, successores
agentts.
Esti corapanhia toma seguros raaritimos e ter
restres, dando nestes 0 septtmo anno gratis aos se
gurados.
Bua do Vigarlo 11. 19.
Banco do Minho.
Joaquim Jose Goncalves Bs'trao & Filbo saccam
por todos os va pores sobre
Evcra
Fate
F:.ro
Guarda
Leiria
Lisboa
Barcellos
Coimbra
Uirandella
Penaflel
Anadia
Agui a .
Aveiro
Ceja
Bhaves
lvas i
Eaiarant;
Auimaries
Gvilha
AtlCllCHO.
Cora sorpreza e pasmo, sat)\mitesie'intptnt*, de
pessoa insuspeita, que se disse p_jran'e 0 Sr. Dr.
Qae formosas the^rits nio sao esias 1 Que fe- cbefe de policia que 0 capataz de Itamaraca, de-
licidadna advira aos povo* coristaos do perf-it > |clarara que eu Ihe main foroecido prbclamac3es
fKfuWbrto nas relacees entre a Igreja, e 0 Estado 1' para serein entregaes nio sei a quem, em aqaella
>6 fflias pelitieos, e pessimos catbulicos poderao' ilba.
iomentar, e radicar a divi^ao entre os dous Po-1 iVgo. ter eniregue taes proclaraacoes e nem del-
^'Wr ^. llWttK^cia, e nem, ijo, pouco coohefiP l
Qfte/, ca'iBpria a todos os nona cattiolicos tazer ; capataz.
da^na'r'ecHD^Dto do presente qoufllclo ? La.sti-1 As pessoas, que as kra feito fspj scitncia- e con-
mar 0 raopinado damn) ; apptycar lodqs 0' meios;sciencia,qua jauwus pactoaV com ideas de pro
de aeprta* o iapoadw ; eviUr todos os preJettOs clamac^es.
is tfemMias de parte a parte ; nao. perder ease*! Appello do alto da imprensa para 0 cavalheiris
} s 94 Hter ctegir ao PWr Sa- de Roma as) too do men collega e amigo Dr. Jose Mariano
ajjgostia* do- (1^1*, tfot-ij i" ;er>s peh- recunci- Carr.fr > da Cnnha, para que declare v: eu lesde I
Vapor francez Rio Grande, entrado de Buenos-
Ayres na mesma data e consiguado a Harismendy
& Labille, manifestou :
Chape"os 4 caixas a Joao Christiani & C.
OESPACHOS D? EXPORT AC AO NO DIA 9 Itt
DEZEMBRO DE 1874.
Para os por 11s io exterior.
No vapor francez fl-o Grande, para 0 Havre,
earregou: R. Ft rster 1 volume com 16 abacachis:
para BoMeaux. A. Drufus 2 caixas com 35 kilos
ae pennas : para Lisboa, J. R. Arrabalde 2 barri-
cas com 87 ditos de assucar branco.
No navio inglez Jane Ho id, para 0 Canal,
carregoa : F. Cascao & Filbo 20d saccos 00m
15,00 kilos de assucar mascavado.
No palacho ioglez Eihel, para Portland, car-
regon : H. For*ter C 790 saccos com 57,670
kilos de assucar mascavado.
No navio inglei Mary, para 0 Canal, carre
gou : J. Pater & C. 2,000 saccos eom 150,000
kilos de assucar raasoavado : para Liverpool, F.
Catcao & Filho 2.890 ditos com 216,750 aitos de
diio.
No navio inglez Rio, para 0 Canal, earregou :
J. Pater 4 C 1,000 saccos com 75,000 kilos de as-
sucar mascavado.
Na barca ingleza P. Alice, para Liverpool,
carregon : A. Loyo 500 saccos eom 37,500 kilos
de assucar mascavado. .
No lagar nortngaez Julio, para Lisboa, oar-
regou : A. B. Nigueira 150 saccos com ll,:80
ki'os dips de dito mascavado.
No brigue portngnez Bella tlgiutirense, para
Lisboa, earretfon': Sa Leiiao Irrtaos BT conros
salgados cort-684 kilos.
No brigae portrtj?aez Rio Vouga, para Lis-
boa, carregbtt: J. F..Ba|tar 504 eburos salgados
com 6,048 kilos.
Na barea portamMs Viet via, para 0 Porte,
qsrregou : Tetxe-n fj.Primb 16 saccos eom 1,950
kilos de aswear roatravado: '
Para t portord* interior.
Part Qntttfcfuiflii no UrigUe hespanhnl
J^nei^'aarreiWtt't'M. L. Paes arretoKO bar
ricas com 14,4'w les de aMucir branco.
Para 0 Rio GraHde do Sal, na escana porta-
gaeza fJWrtia, cgwtH. J B. Moreira Junior
1,000 eoebs)(Weh)7
JPara owa'Graudedb Sul, no-navio aHeasCp
Primus, earrefw:''* IT. ttw Gulm-raaS 3
Monsao
Ovar
Porto
Tavira
Regoa
Vizeo
Figuei
L- mega
Eslarr
Valen
Villa real
Cabecira de Bastos
Castello-Branco
E-po?.ende
Oliveira ce Azemeis
Povoa de Varzim
Vianna de Castello
Villa nova de Porliraa Villa nova de Famalicao
Villa do Conde;
Nas illias
Madeira, S. Miguel, e Faial e Teiceira.
Arco3 de val de vez
Celorico de Bastos
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
K companhia Indemnisadora, estabelecidi
aestn prar^a, toma seguros uiaritimos sobrt
aavios e seus carregamentos e contra fog(
jm edificios, mercadorias e mobilias: n
rua do Vigario n. 4, pavimeuto terreo.
CI
EGDROS
oe coatra-fogo
COMPANHIA
Phenix Pernambucana.
RUA DO COMMERCIO N. 34.
Scgaro coMtra-logo
ffflR LIVBRPOOl, A LONDON* 6L0*
iflSDR^DCE OOVilT
Agenios
SAUNDERSM0THEKS4 G.
It Corpo 8e>ntO 41
Angoslo f. dM\nm A IL
4 (^cbmrperct>t ebancaria deAu^trsto;
j d'01iirjra,(5.C., irrft*. do C,0^erip. me
43, eaionrrega-se 00 eowcu^ao da organs
vignal ik c.
Ilamburgo, Sobre os Srs. joa<<
senrj BACK tft filh s.
I*Wboa. Sobre os Srs. fonsecas,
sxamos-tfi vianna, e sebastiao josi db
ABRBU>-
Porto. -- Sobre 0 BArWo uniao do r
0 St. joaquim pinto da fomseca.
***. Sobre o banco comukrcu-
uo para, e os Srs. francisco saudencio n
COSTA 4 F1LHOS.
COMPAMHIA~ALLIACA
ieguros mantimos e teneH
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 18 7 0
CAPITAL 4,000:000*000.
Toma ssguro de mercadorias e dinhesro
uco maritimo em navio de vela e vaporei
ara dentro e f6ra do imperio, assim coan
lontra fogo sobre predios, generos a fa
onVlas.
Agente : Joaquim Jo6 Goncalves Beltrio
ua do Commercjo n. 6. l'andar.
mmmrn m n

Navios entrados no dia lo.
Bjo de Janeiro pela Bahiao dias, eorveta nacio-
nal TrAjano. commandant* capitao de fragata
Joio Antonio Alves Nogueira.
Terra Nova 40 dias, lirgar Ioglez Corisande, ao
187 toueladas, capitao Tho-nas Gardner, equi-
pagem 10, carga 2,930 barricas com bacalbao ;
a John.-ton Pater & C
Terra Nova34 dias, patacho inglez Lady Miry,
de 167 toneladas, capitao M. Rex, e<(nipagem 8,
carga 2,720 barricas com bacalhao ; a Sounders
Brothers & C.
New Yoik -41 dia=, patacho aroerieano Hinnj
Ti-owbridge, de 172 toneladas, capitao Crocker,
euuipagem 8, carga dillerentes goneros; a Jo-
hnston Pater & C
Rio de Janeiro e Bahia5 dias, vapor francez Rh
Grande, de 1,773 toneladas, commaodaBte De
labarre.
Aracaju e portos intermedios -5 dias, vapor na-
cional Mandahu, de 222 tuneladas, commanlau-
te Uarinho, equ'pagera 16, carga difTerentes ge-
ueros ; a comoanhia pernambucana.
Navios sahidos no mesmo dia.
Portos do sul -Vapor bra^ileiro Conde d'lut, com-
man i.-iiite AnJre A. da Fiinceca.
Canal Escuna iuglezi Jane Hood, capitao P.
Keng, carga assucar.
imiK
0 adtn nisrador da recebedoria de rendas
internas gerae-, pelo presente avisa as pessoas,
constantes da relacao abaixo transcripla, omas
por morarem fora da cidade. e outras por se ig-
norar a residencia, que tendo sido ranltadas em
virtude dos arts. 33 e 35 pela i fraccao do arU 21
do regulaoieuto n. 4 833 de 1 de dezemb ro de
1871, devem vir realisar o pagamento da oiu ta
quo Ihes foiimposla, no prazo de 30 dias, contado-
da putilicdrpo destc, nos jomaes desta cidade, sob
penadese procedor a cobran^a executiva
Recebedoria de Pernambuco, 28 do novembro do
1874.
Manoel -.Carneiro de S)uza Lacerda.
Relacao a que se refcro o edital supra.
Candida Covalcante de Miranda Vare-
jiio, ignora-se a residencia, multa-
da em 10,100
Caetano de Carvalho de Mendoncjt Va-
rejSo, morador em Afogados, mul-
tado em 10 000
Candida Lourenca de Lima, residen-
nos Remedios, multada em 100 000
Umbellna de Carvalho Miranda Vare-
jao, residente em Afogados, multa-
da em 10 000
Paulino de Carvalho Miranda Varejao,
residente em Afogados, muttado em 10 000
Francisca Moreira Iteis iLobo, residen-
te na rasa Forte, multada era 10 000
Amelia Maria da Rocha, residente em
I'onte de Uehoa, multada em
_________10:000
0 Illm. tr. inspector oV thesouro pmvincia-
era virtude da ordem da presidnicia, de hoje, de
Icrminando o resgate da^ apoliees provinciaes de
n. 1 a n. 320, Aerie A, emiltidas para pagamento
Ja companhia Recife Drainage, convida aos pos-
suidores de ditas apoliees a comparecerem neste
tliosiuro a rrceberem a importancia das mesnias
i' os juros ate esta data, scientiQcando-lhes que
desta mesma data em diante nio venoerao afiafl
mais juro alguiH, cm ob-ervancia dj regulamen
to resppetivo.
Secretaria dn tiiesouro provincial de Pcinac,
buco, era 30 de novembro de 18*74.
0 secretario,
Migu> I Affonso Ftrreira.
0 Dr. Joaquim iioncalves Limi, juiz d)S feitos
da fazenda dasla provincia, por S. M. o Ioipera
d r, a quem Deus guarde, etc.
Facu saber aos que o presante edital virem, que
em cumprimenlo da orde.o do thesouro, de 30 de
dezembro de 1863, e das instruccoes que com a
mesma baixaram, fiulo o prazo de tres mozes. a
cootar da data da publicagi) de?te, sera vendido
e arrercalado era hasta publica celebrada na com
marca de itambe, a quem maior pre^o offerecer, a
vista ou a prazo ale II annos, qaando muito, com
juros de 6 0\q ao anno pelo tempo da deraora, a
comprtsen-ao deoominada Buraco do ex-
tincto vihculo'de Itambe, ^sita naqnella con area,
a qual se acha avaliada em 5:000000 e contem
seguniio a medicSo a que se prccedeu e cnnsta
dosautos a extensao srguinle : do lado dolesie
1,110 nragas, do lado do norte 409 brac.as, do ladu
do noroeste 6St braeas. do latjo do poente 411 bra-
gas, e do lado do sol 681, sendo todooterreno pro
proprio para a cultura oa maudioca e outros legu-
mes, b ficando certos os interessados de que, tan
to por tanto sera, referidoo la nco do posseiro res-
pectivo na conforraidade da ordem do thesouro u.
13, de 28 de Janeiro de 1874
Recife, 15 de setembro de 1874.-Eu,Jose Fran
Cisco do P.jgo Barros, escrivao, o suos^revi.
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacerda, juiz
de direito especial do coinmercio de.-ta cidade
do Recife de Pernambaco, por S. M. I, a qu ;m
Deus guards etc..
Faco saber, que no dia 19 do corrente mez e
anno, as 11 bora's da manha, na sala das auii'-n-
cias devea ttr lug.r a reuniao dos crvdores da
massa fallida de Guilherme Carvalho & C, para
procederero a tomada de contas dos admimstradores
Via dita massa frllida, certos dc que nao sorao a1
mettidos por procuradores, em que estes exnibaro
procurajoes especiaes, as qoaes nao poderao ser
wnferidas a devedores dos fallidos ; nao podeuuo,
outrosim, um s6 Individuo represenlar por don*
diversos-credores e que sera havilo o credor que1
uao comparecer como adhereute a quitaflo plena-
dos fallidi'S, nos termos da lei.
E para que chejae eo cynjjecimento de todo,
mandei passar o presente qaesera affl.tadonoslu
gares do c storae e publicado pel is jornaes
Rcife, 8 de dezembro de 1874. Secundino
Heliodoro da Cuiiha.
Sebastiao do Rego tiarrot.&e Laceria
Guim-raes
barr'idit eorh^f^W Ijrwjos o> assucsr braoco ft
120, dius cjm 2,35U*i^^ diib rnsscavMff.
barricu com 14,797 kilos d afewlr t*id*;' I. | rtrt Sftntbe, iu espjte* Hi^npte, ea- puu** tbttrui e-.tOJWt ,6iohairo fter
mio, cooipra cambiaes, e
P Carneiro MM le^C. I''so*1dom
kiloe d* asaucar hrabco e 4B0 ditos com
JB ditesd* #tfo mascavado.
Par^T).RiQ.'ie Jaoeirt), n~ Irigne QACJonal
saca i tiett e
jazo,, i toirtade do tomador, srjl^re as 9^-
?".&* jw^w, ?IOngiits. e na*iana& .-
Idem J P B 10 dito* ditos, viuio) do Port*
vapor portugnez Julio Dims, decarreado eta
19 de maio de 1874 e cuasignadot a E. R. RaMto
& Companhia.
Idem Virgcm Donro 4 ditos idem idea 1 Jm.
Alfandega de Pernambuco, S de dtieaa-
Lro de 1874.
Serviniode inspector,
Pedro Lopes Rodrigoe*.
HOSPITAL MILITAR DE PER-
NAMBUCO.
Contrata-se o firaecimenro dos ibjeetos ahano
declarados para o expedients detta repartifi^._a
trimeslre do f de Janeiro a 31 de niarfo de 1875.
Pa pel almaco pantado Kiume, resma.
Dito, marca Jesii, folha
Dito mata-borrao, idea
Obreias, paes
Canelas. nma.
Lapes, am.
Caniveles, orn
Tmta preta, garrafa.
Qusra qaizer (azer ditj fonaeetaMato apreaaaW
suas proiostas eta cartas tec had as ne-:a ria, no dia W do correate, pela* 10 ras 4
manhi.__________________________________
Contrata-se o I rat-cimentj d (tuerot ali-
menticios para di-f*s d<> aoenles e ra^Je* do*
empregados. no lri,iif*lrc do I* de Janeiro a :!
marco de 1873.
Aletria, kilogramme
Ararota, idem.
Assucar retina-Jo, i laaa.
Batatas, i 'em.
Bolachinhas, idem.
Bolachas, idem.
Biscontos, idem.
Cha bassoa, idem
C'fe moid-, idea*.
Dito em caroco, i Hu).
Carne verde, idem.
Dita de pore >, IJria
Dita secca, iden.
Farinha de bmo4 ea, iitro.
Feijao prd), idem
Gallmha, uma.
Goiabadi, kilogramme.
Leite, Iitro.
Lar-nja, uma.
Macanao, kilogramrao.
Manteiga iogieza, ideui.
Marmellada, ideoi.
Ovo, um
Paes do 114 e 762 gramma*, kilofnnaao.
Sal grosso, Ltro.
Tapiora, kilogrammo.
Toucinno de LUboa, idem.
Vinagre de Lisboa, Iitro.
Vinho do Porto eagarrafado, idem.
Lenha em lOros, cento.
Todos estes generos devem ,-er da nelbor qaa-
lidade que houvcr no mer^adi : qnem qaizer fa-
zerdito fornecimento, a present-! sua- prrposias era
cartas f^chadas, na secretaria dst*> hospital, bj
dia <6 do eorrent'*, peUs lo boras da man hi.
Ilospit.il milttar de Pernambuco, 10 da
dezembro de 187.
0 escrivao interino,
J. Pinto d'. Almeida Junior.
O utrala-se a lavagem e concerto da roopa
dos donates dr.-te hospital, para o tnmeatJI do I-
le Janeiro a 31 de in.> r. Je 87-*>.
Qoem quizer se ineuuibir de sem'laanle servi
co, apreaeaai suas oroco-ta< em ca,U fechala-.
na si.-cretaria de mesmo hospiul, no dia 16 d
oorrente, pelas 10 honsda manha
Hocpilai inUitar, 10 de dez nibrode 1874.
0 escrivao inurino,
Joaquim Pinto de Almeida Junior.
Contrata-se o fom-cira-mio de sanguesufis
de Hambnrgo paia serem applies !as r.os doeaies
do mesmo hospital, no trimes:re do I" de Janeiro
a 31 de marco de I87>.
Quem quzer (azer dito fornecimento, aprrsaata
suas proposus em cartas fechadas, n-ta secreta-
ria, n dia 16 do correate, prla 10 horas da
manha.
Hospital militar, 10 de dezembro de 1874.
0 .-envao inlerieo,
Joaquim Pinlo de Alm-iJa Jnnior
Juizo dos feitos da t'azenda.
Escrivno Turrcn llani!elr
Sexta f-ira, II do rorrente, depois da auJieacia,
serao arremalados os seguiM.-* | redios :
Sobrado n. 39 da Urg > do Carmo, fivcuezia a>
Santo AalOBio, cujo andar lerr.- leal 2 sala", 1
quarto, e pequeno quintal, o superior, 2 salts, 2
quartos, pfiueno solao com c.iinha, mede 64
p.i'ur-s de fuuJo e 13 de vlo, avaliado eu.....
1:300*000.
'^sa> terreas, ns. 22 e 24 da rua de Mcluc< !--
bo, em Afogad s, leudo a iu- la, 2 portas e I ja-
nella, 2 salas, 2 quart".-, czioha iut-rna, quintal
murado, cacimba, mede 6-t paUiir>s de loado, I*
de vao, avaliada em t:*OOj, e esta, i p rta-. 2
salas, 1 gabinete, 2 qu>t.s, c >*in!ia exttrna,
quintal n-.urado e cacimba, mede 68 palmos de
(undo e 30 l|t de vao, avahada em r.iOO Ou,
cuj-is prrdioa .-ao elilicadu cm lo foreir.i, e va .
a prafa por execuca da fazenda proiinrml. ca-
tra Joaquim da Silva Coata como flaJ. r de Ma
n^el Pedro Kvaog-n la ; assim C"ioo o d n 4
da rua da Prate-Velha, bajMal da Biia Vuu,
com 31 Batatas de frt-nte, 69 de milus, S salas,
3 quarto-, cozinha fora, qoinUl mural a e raciav
oa, avail da em 2.000-S a qual vai a irac,* p"-r
execucao da fazenda contra Anna Carolina i> *
Passos.
Eui aditameut) a) edital : a casa n. '6 do U
co do Tambia, cm 24 palmos de (rente e lit d-
fuodo, 2 salas, 2 quartos, coiinha fora, qu.nt..i
murado e cacimba, em mao e.tJ.>, avaliada an
700j, p( r execucao da fazenda contra a irmaadi-
de de If. S. da Con cieao de Bel*nbe.
Recife, 1.* de dezemoro de 1874.
0 solicitador da f ;eola proiincui,
Joan Firmino Correia dc Arauja.
Segunda-fera, 14 do c<-neritr, tin da a n-
diencii do Exm. Sr. d pbaos, vai a praca por arrendamento e pelo terrr-i
Je3 annos o predio deum andr. silo a ra d.
Imptnirlt n 46. a razao de 1:830* annuaos. n-r
vindo de base para a arreraatacao dita qnaaiia ;
vai a pra;a a reqnerirneoio do coasenhor Anl aiw
Rs.'irlques Rodrigoas._______________________
Monte-Pio dos Honorarios
do Exercito.
Edital com prazo de 30 dias,
Pela inspectoria da alfandega de Pernambuco
se faz public.), qne achando-se as mercadorias coa-
tidas ncs v luraes abaixo mencionados, no caso de
serem arretnatadas para eonsomo, nos tcrmos do
cap. 6 do tit. 3* do regulaino*j de 19 de fetembro
Lie i860, os seu denes ou coastaivitarins aeverio
despacha las no prazo de 30 dias, sob-pena de,
findo elle, serem vanWbi (pdr- sua eonla, sera que
ihes tique competiooo aUegar contra os efleitos
Trspiohe Cunha
Marca al llftfi 13 pipas, vinaA$ de Lisboa no
navio p irtuguez Colete, d^scAiregauas em.28 de
abril do 18^4 e-aonWgnadas iloajiym toe Gon
c^UesBeltrae &FilRrj.
, ld=m i*Lm; Wis. ^ 5m>"tv ba i Por ordem do Sr. pr<-*idente sa roaTaaaa*
Srs. socios a comjar cerero domingo 13, ao aw a
dia, a rua do bnperador a. 8J, l-r-ero andar.
O Sr. presidente pede com iusUatia o eutap<
reeimento d-.-s Srs. socios a presaale saaaio, *i-
to uelia ter de se iralar das *>a>mi**a>s aaa tern
de ser nomeads para a sess-io de imailaea .
que devera euVetaar-se no dii 27 desle mez.
Recife, 9 ds dezem'ro de 1874.
O 1 .ecretafio,
Siita.
Consuld provincial.
Pelo c^nsulado provine.al, fai-se pailico os
respectivos cootrihuintes, que do I.* de duosatr
vindouio por diante coaieji a correr o prazo do*
30 dia* uteis, rraroados no art. 34 do iff. de
17 de jwnho de 1873, para a c< branca dn phnvi-
ro semestre de decima orbaaa e 4e 5 tn sotn>
ti-u* de m?o niona, so correule exerocio aa
1824 a 1875, inwrrendo na mnlu de 6 <|0
aqoelfes dos coanibniaies qaa nio satisnieTtas
nsse nrazo os seaa o>bito. ___
Consulado provincial. 27 de nnveaa>ro e> fit*
0 admiotatraior.
- Aattmio Camearo Macaaap Wea.
tkmwi de Aqoiao fonceca k .
Suw^sswes
sa:caia por todos os vapores, sobre at
oracas :
Lisboa.
Porto.
BMP
Varna*.
VIMB.
Guard*.
Cotmbra.. .
Gaimarios
Rio de Jaaetre.
S> raa Vigarian. 19.
Rejo*.
Chaaai.
Villa FJor.
ATI)*.
Favaios.


MMMMKB
Diano de Pernambuou Sexta feira 19 -de Dezembro de 1874.

Arrematacao.
Segunda-feira, 14 de deiembro, depois da au-
dieocia do Exm. desembargador juiz de orpbaos,
vai i praca de venda a parte de mais de meiade
do sobrado n. 78 da rua da Imperatriz, de om an-
dar e sotao, no valor de 7:7104156, a requeriinen-
to do ravenlarwnte dos bens da linada D. Rosa
Maria do Espirito Santo, para pagamento de lega-
do e dividas._________________________
Companhia Fidelida e
Seguros roaritimos e terrestres
A ageneia desta companhia toma seguros man-
liraos e terrestres, a premios razoaveii, dando nos
ultimos o solo livre, e o setimo anno gratuit> ao
segurado.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
Hospital portuguez de bene-
ficencia em Pernambuco
Nao e havendo reunido no domingo, 6 do cor-
rente, numero legal de socios para, coastiiuida a
assembles geral, eleger a juna adminislrativa e a
commissao de conias qua teem de funccionar no
proximo anno de 1875, sao novaraente convidados
a rennir-.'e para esse Dm, no domingo 13 do cor-
rente, as 11 boras da manha.
A assemblea sera eonsiituida com os socios qae
compareeerem.
Secretaria do hospital portuguez de beneficencia
em Pernambaeo, 7 de dezembro de 1874.
I.uiz Dnprat,
________________________Secretario.______
. Foram appreheodidos e aehain se deposita"
dos nesta snbdelegacla, dons cavallos, am russo
sojo, e outro vennelho : qaera se achar com di-
reito aos mesmos, provando, Ibes serao enlregues.
Sobdelegacia de policia do segunlo districlo da
villa de Santo Amaro de Jaboatao, 30 de novem-
bro de 1874.
Antonio Carneiro Rodriguez Campello,
__________________Subdelegado.__________
Commando das arm as
0 ex-cabo de e-quadra Eugenio Jose Martins, e
o ex-anspeQida Jose Domingues de Oliveira, sao
pelo presente chamados ao quartel general, para
objecto de sens partical res interesses.
Secretaria do commando das armas de Pernam-
buco, em 7 de dezembro de 1874.
0 corrael graduado secretario,
Francisco Camelio Pessoa do Lacerda.
Via-ferrea de Olinda e Bebe
ribe
Para maior commodidade dos Srs. passageiros,
deliberou a gereneia que do dia 10 do corrente
em diante, os trens que partem da tstacio d-
Varadouro aso 1|2 horas da manha e 2 l|2 da
tarde, partirao da estacao doCarmo as 5 horas e
25 m. da manha, e 2 e 25 ra. da tarde, assim
como para Beberibe todas as noitos as 9 1(2 horas.
Esta alteracao ura vigor ate ultima deliberate.
0 gerenle,
Laurenlioo J. de Miranda.
TllfcSOUIlAMA DE FAZENDA
De ordem do lllm. Sr. inspector sao pelo pre-
sente intimados o ex collector de Garanbuns Joao
Ferreira Chaves, seus herdeiros ou successores, ou
quem por qualquer motivo o represente, e quaes-
quer outros interessados, para virem a esta re
particlo aliin de declararen', no prazo de 30 dias.
qne Ibes flea assignado, se aceitam ou nao o resul-
tado da tomada das contas do mesmo ex-collector,
relativas ao exercieio de 1869-70, em que exer-
ceu o dito lugar ; sob pena de serem eonsiderados
reveis, e proseguirse no processo da referida to-
mada de contas, independent de qualquer niva
cita;ao, nos lermos do art. 22 do decreto n. 2,548,
de 10 de roarco de 1860 : devendo declarar tam-
bem procurador com os ne:essarios e bastantes po-
deres.
Thesouraria de fazenda de Pernambuco, 3 de
dezembro de i874.
Jucundiaoo Rodrigues de Oliveira,
Secretario da junta.
Sabbado, 12 do corrente, Bnda a audienaia
do Sr. Dr. juiz de direito da 2' vara civel, tern de
ir em pra^a as 10 horas do referido dia a armario
com todas as suas uertenc.as e os generos existen-
tes na taverna n. 30 do largo do Terco. tudo ava-
liado em 5755480, penhi radi a Manoel Antonio
Pego, por execucSo gque contra o mesmo en'a
minha D. Anna Ft-lisarda de Souza e Silva.
Madame Louise, Irma Adour
Rua de Fernandes Vieira n. 2, na
ultima estacdo dos bonds
Madame Louise Irma Adour, educada em Paris,
avisa aos Illms. Srs. pais de familia, que vai abnr
no dia 10 de Janeiro de 1875, urn collegio para o
ensino do sexo femrain-v
Madame Louise Irma Adour, duranle sete annos
esteve no engenho Limoeiro, educando as filhas do
Exm. Sr. barao da Escada, e durante doas annos
as do Exm. Sr. barao do Aracagi.
0 collegio e muito bem collocado, tem um sitio
bastante grande, e agua eocanada p:.ra os banhos.
Os ramos de ensino tao :
Instruccao religiosa, leitura, calligrapbia, arith-
metica, bisloria, geographia e desenho, lingua na-
cional, lingua franceza, lingua ingleza, musica e
Jiiano, canto e daoca ; e bem assim todos os traba-
hos manuaes, proprios de uma senbora, comn :
feordados, crochet, etc ,etc. A lingua qne se falla
diariamente no interior do collegio, e a franceza.
A pensao para as internas pelo anno escolastico
'de 400?, as meia-pensiomstas pelo anno escolas-
ico e de 2404, as externas pelo anno escolastico e
de 1204, pagos adiantados por trimestres.
As licoes de piano e de inglez, serao pagas em
separado, sendo 10: por mez pelo piano, e 5:000
por mez pelo inglez. Para tratar, na rua de Fer-
nandes Vieira n. 2, na ultima estacao dos bonds.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Mima, junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer pub I ico que
na sala de suas sessoes, no dia 17 de dezembro, pe-
las 3 horas da tarde, tem de ser arrematadas i
qnem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
atres annos, as receas dos predios em segnida
declarados. '
ESTABELECIMENTO DE CARIDADE.
vidal de Negreiros.
Gass terrea n. 94.......301*006
Idem n. 112 .... 327000
Rua lasga do Rosario.
2.' andare loia n 24 A fechada 310^000
3/ acdar n. 24 A idem 251*000
Rua de Antonio Henriques.
Casa terrea n. 26 (fechada). 9*00()
Largo da Campina.
Idem a. 11 (fechada) 120*000
Rua do Coronel Soassnna
4* andar do sobrado n, 94 406*000
Baa do Visconde de Albaquerque.
24i4O00
681gO00
481,000
243*000
408*000
Casa terrea n. 101.
Idem n. 91 .
Becco do Abren.
Sobrado de 4 andares n. 2
Rua dos Pescadores
Casa terrea d. 11..... ...
Rua de S. Bento (Olinda)
Sobrado n. 17.......
PATBJMOMO DOS ORPHAOS.
Baa do Cemmercio
Sobrado n. 30 800/000
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400*000
Becco das Boias.
Casa terrea n. 18.......4Sl*00f
Rua da Lapa.
Casa terrea n. 11. ...... 202*000
Rua do Amorim.
Sobrado de 2 andares n. 23 602*000
Casa terrea n. 34......112*000
Roar do Bugoi.
Casa terrea n. 21.......153*000
. Rua do Vigario.
f andar do sobrado n. 27 (fecbala) 143*000
1* andar do mesmo (fechada) 340*000
Jja dc mesmo fechada.....300*000
Rua do Encantamento.
Sobrado de 2 andares n. 13 (fecbado). 1:400*000
Rua da SenzaUa velha
Idem n. 10........209*000
Rua da Guia.
Casa terrea n. 25 tO9*00<
Idem n. 29.......201*001
Rua do Born Jesus
Sobrado n. 14........600*000
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 103......207*000 |
Idem n. 108........208*000
Idem n. 98.......241*00.) I
Parnameirim.
Sitio n. 1 ... o 590*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
irromat as snas fiancas, ou eomparecerem
acompaLhadoi dos respectivos fiadores, devendo
pagar alem d \ renda, o premio da quantia em
que for se^ uro o predio que coutiver estabeleci-
mento commerci\L assim como o servico da iim
peza e preeo dos apparelhose e nnaidades.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do R
cife, 10 de dezembro de 1874.
Oescrivio,
Pedro Bcdrigvet de Souza.
Libras eslerlinas.
Vendem Augustxo F. d'Oli-
veira & 0.
Rua do Commerci" a 41.
BAHIA
Sociedade Propagadora da
Instruccao Pablica.
Parochla da Boa-Vista.
Pelo presente sao convidados todos os socios a
se reanirem no dia 15 do corrente as 6 boras da
tarde, na ma dos Pres n. 17, aflm de se proceier
a eleicao dos membros que deverao funccionar
em o anno proximo vindouro.'
Recife, 10 de dezembro de 1874.
0 secretario,
lose F. R. de Souza.
Segue com este destino. nestes qnatro diat, o
palhabote Rosita, lomando para o referido porio
a carga que lhe apparecer, por isso quern quizer
aproveitar, pode dirigir se aos nonsiitnatarios Joa-
quim Jose Goncalves Beilrao A Filho, a rua do
Hnmrnereio n. 5.
Coinpnnliitt > !liii uiari iuia
portnenso
Empreza de navegarao entre o Brasil e Put
tugal
PARA 0 PORTO
Barca porlngueza Joven Adelaide, a sahir com a
maxima brevidad*, recebe carga e passageiros : a
tratar com os seas consignations Jose da Silva
Loyo 4 Filho. ___________^_______
Para o Aracaty segue com brevidade o hiati
nacional Leonilia da Cruz : para carga e pasza
giros, trata-se com Antonie Alberto de Sosu
eSuiar, a rua do Amorim n.60.
OKREIO
llelarao das cartas que deixaram de seguir
a seus destinos por falta de franquia
A. J Gomes Netto, Antonio Correia, Antonio J.
dos Santos, Antonio Jose de Brito, directores da
compannia Allian^a Maritima Portuense, Domin-
g03 Francisco Rios, Emilia Rosa Gomes, Estevao
Jose Brochado, Francisco Sales Mendonca Silva
Carvalho, Jose Marques de Farias, Joaquina Jacin
tha, Joaquim Adriao da Rocba Sobrinho, Joaquim
Antonio Vieira da Silva, Joaquim Jose Marques
Guimaries, Joao M-ndes de Araujo, Jose Bis Bar-
reto, Maria Seguodo, Maria Therezi, Manoel de
Cerqueira Pinto, Manoel Gomes dos Santos Senna,
Manoel Jose Daotas, Thereza de Jesus Minhava,
Tneotonio Auguslo de Lima, visconde de Bella-
Vista.
Correio de Pernambuco, 11 de dezembro
de 1874.
0 encarregado da expedi^ao,
A. II. de Araujo Pernambuco.
Cnmpaiiliia de uavegacao n va
por bahiana, llmitada
Macei6, Penedo, Aracajii e Balm.
E' esperado dos portos
acima ate o dia 12 do
corrente, o vapor Valeria
de Sinimbu, e seguira
para os mesmos no dia
segninte ao de sua che-
gada.
Recebe-se carga, encommendas passageiros e di
nheiro : trata-se na ageneia com
Antonio Luiz do Oliveira Azevedo.
57Rua do Bom Jesus57
Companhia pernamhncuna.
Porto do Aracaty.
A carga que de hoje em diante for embarcada
nos vapores da Companhia Pernambncana com
destino ao porto do Aracaty, sera entregue na ci
dade do mesmo nome, sendo transportada da bar-
ra, (onde os vapores costumam fundear), em lau-
chas de propriedade da mesma companhia, inde
pendente de qualquer exigencia de pagamento
por este servico
Da mesma forma sera transportada a carga
que for embarcada no porto do Aracaty para
qoaesquer outros portos da escala.
Recife, 16 de novembro de 1874.
Santo Antonio
Domingo 13 do correnteo
A'.s 5 horas.
Para este dia preparam os artistas Penante e
Gilda um espectaculo para rir, que oflerecem aos
amadores dos espcctaculos da tarde e assegurara
que as 8 horas estara concluido.
0 espectaculo e intransferivel a vista de alga-
mas pessoas terem tornado a si algous bilhetes
afim de melhor animar a festa dessa tarde.
,0 prograrama sera acnunciado opportunamente.
A's 5 boras.
Apparicao e desapparicao
de uma menina de 14 an-
nos, que bebe, come e fal-
la com o espectador.
0'professor Gris d'Apremont tem a honra de
participar ao respeitaveljpublico de.ta cidade que
pos-iie essa verdadeira maravilha, que agradou
extraordinariamente nao SO era Franca e na Alle-
manha, como na Italia e outros paizes onde tem
estado. A's familias'nSo devem perder a occa-
siao de ver objecto tao curioso.
Entrada g.-ral 500 rs.
Rua da Imperatriz n 1.
Para o Rio tie Janeiro
preteode seguir com muita brevidade o brigue
Isabel, tem parte de seu carregamento engajado :
para o resto qae lhe falta, trata-se com o seu con-
signatario Antonio Luiz de Oliveira Azeveio, rua
do Br>m Jesus n. 57.
LEU

LEILAO
DE
400 grosas de phosphoros do gaz, em per-
feito estado, para fechamento de factura,
tendo cada caixiuha 25 grosas
HOJE
fe9 11 horas da manha
Nj trapiche da Companhia.
0 agente Pintio Borges fara leilao do que acima
declara, por conta e risco de quem pertencer.
LEILAO
mm mmimm
C0MPAN3UP ERNAMBUCANA
DE
iVavesa^ito costeira a vapor.
Mjcei6, escalas, Penedo e Aracaju'.
0 vapor Giquid
commandante Man n-.
seguira para os por-
tos acima no dia 15
do corrente mez, as 5
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 14, encom aendas, di-
nheiro a frete e passagens ate as 2 horas da tar-
de do dia da sahida : sscriptorio no Forte do
Mattos n. 12.
Para Lisboa e Porto
Vai sahir com muita brevidade 6 brigun portu-
guez Imperial, por ter grande parte de carga
prompta. Para o resto e passageiros, trata-se
com os consignatarios Thomaz de Aquino Fonce-
ca & C. Successeres, a rua do Vigario n. 19.
Venda de navio.
Vende-se o pataebo nacional Africana, que se
acba ancorado no quadro da descarga da came
secca : quem o pretender dirija se ao mesmo
oara examina-lo, e a tratar com seus consigna-
tarios Amorim Irmaos & C
COMPANHIA BRASILEiRA
DE
itiavegaf So costeira a vapor
PORTOS DO. SUL.
Wa-
Commandante Guilherine
dlagton.
E' esperado dos portos
do none ate o dia 14 d*>
corrente e seguira para
os do sol depois da de-
mora do costume.
Commaaaante Pamplona
Bspera-se dos por-
tos do sul ate o dia 18
do corrente, e depois
da demora do costu-
me seguira para os
do norte.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
Iran te no escriptorio.
7-RUA 00 VIGARIO -7
Pereira Vianna 4 C
_________________Agentes.
se men
cerca de
DE
diversas casas e terrenos, como abaixo
cionam, de 16 nguras para jardim e
1,2(0 azulejos.
ii o.i i;
AS 11 HORAS DA MANdA
Em o primeiro andar do sobrado da rua do Mar-
quez de uiinua n. 37.
0 agente Dias, competentetnente autorisado, '.-va-
ra a leilao no dia e hora acima indioados.'uma casa
terrea elificada em terreno lendeiro, em Sant'An
na, segunda de grades e portao de ferro na frente,
depois da i--iara,i desso mesmo nome, a
qua) tem 3 salas de frente, 1 para janlar, 4 quar-
tos e grande cozinha, guarnecida de azulejo, com
janellas em ambos os oiloes, 1 porta e 4 janellas
de frente. Essa casa que e con>troida com ele-
gancia e solidez, e ccmpletamente nova e falta lhe
apenas o ladrilho de duas salas e pintura.
Uma pequeua casa terrea edificada em solo
proprio, em a rua do Coronel Suassuna, antiga
Augusta, n. 223, com duas salas e 2 quartos.
Um terreno f^reiro em Sant'Anna, com 200
palmos de frente e ceica de 400 de fundo, conti
guo a casa acima nu-ncionada.
Um dito na mesma lotalidade, proprio e no
funio dest- com 100 palmos de frente e cerca de
800 de fundo.
16 bonitas figuras, proprias para jardim,
cerca de l,2(-0 azulejos.
Os senhores pretendentes polem examinar os
referidos bens, sendo que a < figuras e os azule
jos se acham depositad s na casa de Sant'Anna,
e para qualquer esclarecimeoto de que precisarem
no escriptorio do referido agente se dira.
Companhia Allinca Mariti-
aia Portuense.
Empreza do navegag.ao entre o BrasU
a Portugal
Barca portugueza Victoria
Para o Porto
A sabir com a maxima bievidade. Reeebe car-
ga e pasiageairos: a tratar com Jos6 da Silva
Loyo & Filho.
DE
JOIAS
Hoje
No dia 11 de dezembro proximo, se fara lenao
por inlervcnc.ao d > agente Marlins, de todos os pe
nhores conslantes das cautelas setuintes, visto ter
se flodo o prazo das transac^des e seus donos nao
as reformarem.
A saber:
N. 1502. 1503, 1565, 1583, 1784, 1835, 1868,
1936, 2050, 2091, 2095, 2192, 2254, 2256, 2282,
2342, 2397, 2436. 2418, 2458, 2481, 2617, 2712,
2737, 2738, 2750, 2799, 2802. 2807, 2867, 2871,
2896, 2929, 2945, 2972, 2987, 3007, 3023, 3034,
3037, 3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3096, 3110,
3149, 3151, 3174, 3175, 3185v 3190, 3193, 3194,
3195, 3197, 3205, 3206, 3207, 3211, 3213, 3218,
3220, 3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 32?0, 3251,
3254, 3260, 3262, 3265, 3273, 3277, 3280, 3285,
3288, 3293, 3298, 3300, 3304, 3309, 3312, 3318,
3320, 3321, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 3354,
3358, 3366, 3373, 3384, 3394, 3397, 3399, 3406,
3410, 3415, 3419, 3432, 3444, 3460, 3468, 3480,
3493, 3500, 3508, 3517, 3527, 3529, 2533, 3553,
3556, 3572, 3579, 3589, 3596. A' travessa da rua
do Duque de Caxias n. 2, 1* andar, podendo di-
tae cautelas serem reformadas, pagando o premio,
ou resgatadas ate o baler do martello.
Novo leilao
DE
3 taveroas .pertencentes a* massa fallida do
Antonio 7m4-Yiei.ra
Sabbado 12 do corrente
A' 11 horas na da rua do Rangel n. 60, ao meio
dia na da rua do Coronel Suassuna n. 196, e a I
hora da tarde na da rna Imperial n. 182.
0 agente Dias cwnprindo o respeitavel despacho
do lllm. Sr. Dr. ink especial do commereio, leva-
ra novamente a leilao, .no dia e hora acima indica-
dos, as armacoes, meeeadorias, movels e mais
olensllios existemes em as .3 tavernas acima men-
eioaadas, pertencentes a masaa fallida de Antonio
Jose Vieira.
0 mantado coaleud) os eidwecimentos preei-
sos, acba-s^jem podex 4a aget. .onde desde )i
podeer,ex^msrt,> prfi^^' tfj>fmto!.
Agente Pestana
leilao
DE
4 tnachipas para costura, novas, em perfei-
to estado, o 90 1|2 caixas de charutos,
para fecbar contas
SABBADO 12 DO CORRENTE
as 11 horas ens posit*
No armazem de agendas de leiloes, A rua
do Vigario Thonorip n. 11.
0 preposto do agente Pestona fara leilao. por
conta e risco de quem pertencer, de 4 macnioas
de costura, novas, e 90 1|2 caixas com charutos,
para fechar contas.
Em nm ou mais lotes, a vontade dos Srs. com-
pradore>.
LEILAO
DA
arma^ao, generos e pertencas da taverna da
rua das Crioulas n. 33, na Capunga.
Massa fallida de Jose Pedro
Borges.
SEGUNDA-FEIRA 14 DO CORRENTE
0 agente Marlins fara leilao, por mandado do
lllm. Sr. Dr. juiz especial do commereio, d'arma-
cao, generos e pertengas da massa fallida de Jose
Pedro Borges.
A's 11 hoas do dia acima.
Os pretendentes podem examinar o balanco em
man do agente.
Pedro fugio.
Pugio do engenho Prado, freguezia de Serl-
nbaem, o mole que Pedro, crioolo, de 17 annos, es-
cravo de Francisco Pinheiro de Ueneies, senhor
do engenho acima, cuja fuga teve Iugar no pri-
meiro do corrente. bste escravo veio de Pedras
de Fogo e foi alii escravo do Sr. Manoel Quirioo
do Nascimento ; e de suppor que tenba tomadu
aquella direccao e que tenha se encaminhado
SBla linba ferrea, procurando esta cidade, como ja
e oulra fuga o fez : e preto, de olhot reguiares e
nm pouco brancos, rosto oval, altura mediana,
orelhas um pouco grandes e em pe, tem no joelbo
esquerdo uma cicatriz de um gran e talho ; quem
o apprehender leve o ao dito engenho on a rna do
Imnerador n. 77, 1* andar que serareenmpensado
generosamente._________________________
Missa fallidii de Henio da Silva k C.
0arremalanled peli ultima vtz aos devedores lanto desta cidade
como aos de fora e de outras provincias, que o
unico autorisado para re<*ebrr e fazer trausaccoes
com diias dividas 6 o coronel Decio de Aquino
Fonceca, ou quem o mesrao coronel automar, as-
sim tambem que nenhum recibo sera aceito porim*
portancia de letras que nio forem escriptas nas
mesrnas, nem outras que se veriGcarem em certas
datas combinadas com os autos de fallencia, sendo
queemjuizo os devedores que coostam do li
vrns e relac5es, e aquelles que tem deciarado nada
dever apresentarao suas provas.
Ja havendo provas mais que sufficientes do mais
bem classificado estelionato praticadj porqiem
nao podia e nao devia receber e faztr transaccao
com as dividas da massa : vai ser intentada a devi-
da accao criminal, e as n cessarias, contra os que
aceilaram taes transaccoas que pagaram, ou Qngi
ram ter pago. _________________
",
LEILAO
DE
diversos moveis proprios para escriptorio
dous cofres de ferro, prova de fogo.
SEGUNDA-FEIRA, 14 DO CORRENTE
Ao meio dia.
Era a rua do Torres, armazem n. 8.
0 agente Dias, levara a leilao no dia e hora aci-
ma indicados, a requerimento de D. Thereza Maria
Fennely e por autorisacao do Exm. Sr. Dr. juiz de
orphans, o seguinte, pertencente aos bens qne fi
caram pr fallecimento de W. G. Fennely.
A SABER :
1 csrteira grande, 1 Jita menor, 1 mesa para
escrever, 1 dita de amarello, um armario para
papeis, 1 banca e prensa para enpiar, 4 cadeiras
de bragos, um cofre deferro, prova de fogo. e 1
banco, 1 dito menor e di o, um balcao de amarel-
lo, 1 lavatono, diversas carleiras, 1 cabide, 1
candieiro para gaz carbonico, e am armario de
pinbo.
Car-
LEILAO
De diversos artigos para escriptorios,
Como sejam :
Uma caixa de ferro; prova de fogo, propria
para guardar livros, diversas carteiras, algumas
mesas de pinho, algumas grades de madeira para
repartimento, e venesianas
Segunda-feira, 14 do corrente, as 10 1(2
boras da manha.
por intervencio do agente Dias, na praca do
Corp> ''anto, armazem n. 2.
DE
uma casa terrea n. II, sita a rua 27 de Janeiro,
outr'ora Par > Castelhano, na cidade de Olinda, a
qual tem 58 palmos de comprimento e 29 1|2
de largura, coin porta e jane:ia na frente, porta
e janella no oitao, 2 salas, sendo a de detraz as-
soalhada, sob a qual existe uma loja, 4 quartos,
cozinha interna, quintal murado coral 60 pal-
mos de extensao, cacimba, um terreno ao lado
do norte com portao.
Qiiarta-feira IB do corrente
AS II HORAS DA MANHA
No escriptorio da rua do Bom Jesus n. 53,
primeiro andar.
Por ordem do lllm. Sr. Dr. Jose Antonio de Fi-
gueiredo, tes amenteiro do fioado Dr. An onio d'As
surapcao Cabral, o agente Pinho Borises fara leilao
da supradita casa. Qualquer esclarecimento com
o mesmo agen'.e.
Cornroendador Joaquim Senpiao de
Talho.
DelQno A. Cavalcanle de Albu-
querque manda resar as 8 boras da
manha do dia 11 do corrente, em S.
Bento de Olinda, uma missa pela
alma- do seu ami o o commendador
Joaquim Serapiao de Carvalho, e
pede aos seus amigos e aos do i I lus-
tre finado o csrido-'o obsequio de estartm presen-
tes n^sta occasiao.
Avisa-se ao respeitavel publico, qae nao ef-
fectue transae;io*ali;uma com o sitio denominado
Pedra Mole, que demarca com Silva Brasil, cujo
sitio esta na posse da Exma. Sra. D. Carolina Ma-
ria do Rego Mel! i, viuva do Sr. Jose Francisco do
Rego Barreto, que tendo morrido deixeu orphaos
e nao foi invenariada a mesma propriedade que
acha se pro indiviso e qne deve pertencer ao te
nente-coronel Urbano Jose de Mello e ao abaixo
assignado.
Reccfe, 7 de dezembro de 1874.
Manoel Francisco de Souza.
Aluga se a casa a 65 da rua da Palma, re
edificada, com bons commodos e fr- sea: a enten-
der se na rua da Imperatriz n. cO com seus pro
prielarios.
Chapellerie des dames.
Acaba gde receber um variado sortimento de
chapellinas e chapeos pra senhoras e meninas.
0 Sr. J ao Alves de Luna, tenha a bondade
de apparecer no armazem n. 18 a rua nova de
S nta liria, ribeira do peixe, para receber uma
carta para elle recomrnendada.______________
Uozi nheiro
Precisa-se de ura cooinheiro : na rua da Cor-
doniz n. 1._____________________________
Rhum nacional.
Premiado na cxposir^ao da Sociedade Doze
de Dezembro.
Vende-se pelo diminuto preco de 1*000 a gar-
rafa na bem conhedda taberna Flor dos Progressos
na rua do Cab ga n. 8, onfronte a raatriz de
Santo Antonio.
Livraria pupilar
li'Illnstraeloa Espaaaola j
Aiuericana.
Ette jornal illu-trad.i com as mais finas gravB-
ra que se conhcci-m, e cnllaboredo peios distiac-
tos escriptores hespanhoes Emilio Cas dlar- D.
Antonio de Trueba-Camp.amor- Palackt Mar-
ques de Molins Duque de Rivas Laratf, eie^
etc., etc.
La Msda Elegante lllustrada.
Jornal exclanvo para senhoras.
As modas mais modernas represeoudas peks
melhores Ggurinos coloridos que te connecem, as
explicacdes mais deulbadaa que e podem oaejar,
a m ralisadora leitura de novellas e artigos. fa-
zera com que esta publieacao nio teona rival
nem mesmo no estrangeiro.
A empreza off'recc aos assigna^tes de an-),
um bnude.
Assigoatura.
Moda Elegante (um anoo) 304000
lllustracion Espanola (am anno) 3O0COO
A assignatura de ambos 52J00U.
Em qualquer dos casos o assicnante tem direi-
to ao briude.
Affeaela geral
para todo o imperio do Brasil.
Livraria Popular
_______tm Wua gsfs *.________
Gratificacao de 50j^
Fugio da casa de seu senhor, no dia 25ed no-
vembro proximo passado, o escravo de nome Pau-
lo, preto ful >, de 21 annos de idade, mais ou me-
nos, altura regular, tem parte d > dedo mioimo de
um i das raaos cortado, e omas cicatrizes giiaUei
no braco esqnerdo e nas pernas. prsSSBBi de
gomas, tem uma marca grande do lalbo nas cos-
las em cima da pa direiia, anda ligt-iro e e muito
esperto, sabe engommkr, enzinhar e (az todo e
qualquer servico domesiico : r. g* t a qu*m o
pegar, que o leve a roa do Conde da l..a-\i>\,.
outr'ora Forrrosa, n. 8, que sera r>cj.mrwpsaio.
b
Cocheira.
Aluga se a cocheira da travessa do Marquez do
Recife n. 12 : a tratar a rua do Imperador n. 14,
armazem Fidelidade._______________________
Franchoes de amarello, fur-
tados.
Na noile de sabbado para domingo passado,
furtarara dos fundos da serraria da rua nova de
Santa Rita n. 31, de Vicente Alves Machado, 5
pranchoes de amarello, marca I II, que se acha-
vam amarrados era uma corrente. Sera bem re-
compensado quem der n ticia delles, e se dosco-
brir quem foi o ladri', dando provas reeebera
cem mil reis : na rua nova de Sacta Rita ns. 31
e 33.
0
Publieacao diaria
Este orgao do catholicisiuo na corte do imperio
comecara a Ker.publicado diariamente no proximo
mez de Janeiro de 1875.
Sendo o seu principal programma sustentar e
defender os principios da religiao catholica apos-
tolica romana, nao obstante elle se occupara de
tudo quanto possa offerecer uma leitara vaftftda e
succulenta aos seas assignantes e interessar de
qualquer modo a prosperidade do imperio.
0 Apostolo contera em suas columnas as seguiu-
tes secedes, alem de outras que poderao ser ad-
mittidas opportunamente :
Redaccao (artigos editoriaes sobre as questoes
do dia, quer religiosas, quer civis) ;
Seccao religiosa;
S c$ao scientiflca ;
Secgao litteraria ;
Folhetim ;
Exterior (correspondencia);
Interior (correrpondencia);
Seccao juriiica (raovimento dos tribunaes) ;
Seccao commercial;
Exp'ediente do bispado;
Seccjio noticiosa;
Seccao especial (avisos);
Seccao particular (publicacSes pedidas);
DeclaracSes ;
Annuncios;
Us annuncios ou avisos publicado3 na seccao es
pecial pagarao por linba 400 rs.
artigos insertos na seccao particular pagarao
por linha 60 rs.
A assignatura do Apostolo por um anno na corte
e provincias 20*000.
Por seis mezes idem 10'. 000.
A tirada da tolba actualmente excede ja a 4,000
exemplares.
Communicande aos catholicos do imperio a re-
sol urSo em que estamo > de publicar o Apostolo dia-
riameote, em maior formato, typo novo, bom papel
e com os melhoramentos indispensaveis para o
preencbimento da sua nfissao na imprensa brasi-
leira, tudo esperaraos do seu valioso concarso, afim
de que vejamos coroada de feliz exito a empreza a
que nos abalancames, sem olhar a sacnficio.
0 Apostolo, salvo os artigos de quesides inteira-
mente pessoaes, ainda quando responsabilisades
legalmente, admi'.tira em suas columnas tudo quan-
to am jornal serio pole sem desar admitti-, desde
que nem de leve se fira o dogma cat hoi ico e a dis-
ciplraa da igreja, cuja defeza e sustentacao consti-
tuent o principal programma da folha.
CM artigos que a redaccao julgar de interesse
geral, serao aceitos e publicados opportunamente
sem qae a mesma se respouabilise pela entrega
dos aattwgraphos, e todos os qae nao estiverem
neste caso pagarao o preco estipalado para as pa-
blicac5es feUas na seccao particular.
0 Aptttolo recebera sempre com agrado e reco-
nbeciraento toda e qualquer noticia da corte e pro-
vincias, sebre o movimento politico e religioso do
imperio, desejaodo apenas qae as informacoes se-
jam datadas easaignadai por extenso pelo infor-
mante, unicamente para que a redaccao tenha
scieocia d> sua procedencia.
0 Apostolo nao tem cor politica absolutamente e
por isso manter-se-ha aempre no terreno da mais
severs imparcialidade.
As pessoas que quizerea tomar a sisignatara
poderao dirigir.se aos Sra. Guimarae* & Oliveira,
a fraa do Imperador p 84.___________________
Precisa- je de ana mdlher de jjons costumes
,-e se preste a ensaboar roupa ea casa de tami-
I K#*r na rua da Cruz, armazem & 13.
AtteriQao.
Aluga-se ura excelleote sitio, na Passagem da
Magdalena, junto ao do Sr. Tiii-ud.ro Cbistiansen :
a tratar na rua do Marquez de Olmla, n. 62. 1*
andar
Manoel Jose Alves
Tem uma c.irta vioda de Portugal, tendo de
pagar as despezas deste annuucio : na rua do
Bom Jesus n. 7, andar.
Jornal das Familias.
Assignaturas para 1875.
12$000.
Livraria Franceza.
Moleque.
Precisa-se a 1 ugar um moleoue de 14 16 an-
nos, para casa de familia : na rua do Barao da
Victoria n. 38, loja.
Collegio de Santo Amaro d
rua do Hospieio n. 10
Galardoados os meat esforcos e os dos distiue-
tos professores deste collegio pela approvacao de
todos os collegiaes que no mez de novembro fize-
ram exarnes de linguas, nao posso deixar em es-
quecimento essa animadora circumstancia, visto
como fornece-me ella o ensejo de, baseado dirigir-
me aos senhores pais desses alomnos approvados,
pedindo lhes que me auxiliem La ardua tarefa da
educacao de seus fllhas. Desejo erguer o colle-
gio, do qual sou director, a altura de um estabe-
lecimento digno de nota ; mas sinto-me fraco,
vendo em torno de mim uai pequeno numero de
edueandos; necessiio de numero maior para fazer
face ao men piano de melhoramentos; e como nao
tenho a quem recorrer, appello para os senhores
pais de mens collegiaes, que muito podem auxi-
liar me na acquisicao de meninos por sua inter-
vencao on de seus parentes e amigos.
0 director,
Padre Augusto Adolpho Soares de Kusew-r tier
A((enc
Aluga-se o I* andar do s> brido n. 40 da rna da
Imperatriz, preparado de novo, e com commodos
para granJe familia : a traivr na mesma roa n.
86, 2" andar.
C5
Precisa-se
fallar com o Sr. Ant.mio Eo2eni Alves Ferreira.
a negocio de sen interes- : a rua de Pedro Al-
fonso, outr'ora da Praia n. 36.
Aluga-se o teceir. andar e mS do sobra-
do da rua da Imp^raTiz n S3 : a tniir no ae-
gundo andar do m;smi, ou ni rui di Barao da
Victoria n. 57.___________________________
Aluga se p na estrada da forre, a rairg.;m d> a : ni rua
d. Marquez de Olio la n. 63_________________
Ha para ilagar-se, tu tnvessa di rua do
Principe, no Campo Verde, urns casa terrea, nova
e com ftcommodicdes para pe piena familia.
Precisa se de um ca xeiro c m pratica de
taverna : no pateo di Paz n. 23, Afogad s.
Aluga se um moiejue de 15 annos de Mae*,
para todo s-rvifo de ca-a de familia c. tambem
se garanie o seu b.un comport.mento : a rua do
Barao da Victoria n ti.
Perdeu-se.
uma volta elastics com um coracao de oaro de
finagram, na noite do fogo do arco da Conceicio,
desde o diu arco pelo cars d > Apollo ale os r-
mazens de farinha do Sr. T*sso : Riga se a quem
a tiver achado de a levar a roa do Vigario n 33,
primeiro andar, qne seri gratiiicado pat sea do
na Joao Jose da Cunna L g^s
Aluga se uma casa nos Uaatri '.antos, na
Capunga, para familia : a tratar na rua do Vi-
gario n 33, primeiro andar, com JoSo Jose da
Cuuha Luges.
Fugio
Mademoiselle Cugemia Leconte, e irma, avisara
a suas antigas freguezas e ao publico em geral
qne abriram novamente sea estabelecimento de
casa de costaras a roa da Imperatriz n. 5, primei-
' ro andar, pelo que esperam continuar a merecer
' a conenrrencia das pessoas que precisarem de
sens servicos. _____________
Alugj
ja-se
nm escriptorio bo primeiro andar da rua do cem-
mercio n. 4: a tratar no armazem da mesma
casa.
Aluga-se
o sitio que Oca conligno a igreja de S. Jose do Mao
guinho ; recommenda-se por sua excellente posi-
cao e outras condicdes agradaveis a sua habitac">o
confortavel e de recreio : quem pretender, pode
entender-se com o Dr. Witruvio.
Caixeiro
Precisa-se de nm caixeiro, na padaria do pateo
do Terco n. f'3.
Da cusa de seu senhor fugio, desle o dia
3 do corrente, o escravo Miguel, pardo, de
19 annos de idade, altura regular; levou
vestido calca e camisa branca e jaqoeta
parda : gosta de jogar gyrunastica : quem
o appreheivl'T, leve-o a rua da I'niao 'ilba
dos Ilntos) n. 43, que serA recnmp*-nsado.
CASA DO OURO
Aos 4:0003000
Bilhetes garantidos
Rua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. SO, e casa do costume
0 abaixo assignado acaba de vender nos seas
uaito felizes bilhetes a sorte de 1004000 em
meb bilbete de n. 3350, alem de outras sorte*
menores de 40*000 e 204000 da loteria qae s*
acaboa de extrahir (127") ; convida aos nossaiao-
res a virem receber, qae promptaroente serao
0 mesmo abaixo assignado convida ao mpetta
vel publico para vlr ao seu estabelecimento eon-
prar os muito felizes kilhetes,que nio deixario de
tirar qualquer premio, como prova pelo* menses
annuncios
Acnam-se i venda os muito felizes bilhetes ga
-antidos da 21' parte da letmia a beoelcio da
Santa Casa da Misericordia do Recife, qae se a-
trahira oo dia segunda-feira, 14 do corrente me
Prr^oa
Inteiro 44000
Meio 24000
De lOO^OOO para elaaa.
Inteiro 34800
Meio 14780
Recife, 28 de novembro de 1874.
Joao Joatutm da Cease Leila
COZINHEIrU
Na rua do Cabaga n. 16, I* andar, precisa sa
de uma cozinheira que entenda ben da soaarte a
seja limpa, po te ser livre on escrava.__________
Aluga-se a casa terrea defronte da gaaa-
melro, no fim da rua de S. Joao, eon toar-
toa, cozinha e grande quintal murado a (nor
a rna de Pedro Aflosao a. 8.______________
Na rua das Trincbeiras n 39, pradn-M
um hemem Portufuez, pira tomar eosu se na
sitio
]T)ATA TNCQRRETA
/





Diario de. PernambuOQ Sexta feifa 11 de Dezembro de 1874.
GUIA PRATICO
PlBl OS DOENTES
REMEDIOS ACONSELHADOS

Uma combinacao especial nos permitte de indirnr ao publico
algums remedies francezes os metis apieciados no mundo inteiro, e
preparados em Pariz debaixo dos olhos dos inventores. Ninguem
ignora os cuidados minuetosos com que se preparam em Franca os
remedios. A merecida farm a"estes produces, desinvolveu a inveja
dos contrafactores os quaes deiramam, principalmente nos mercados
do Brazil, productos contrafeitos, dssemelhando-se muito com os
verdadeiros, vendo-se o envolto e a tarja dos frascos, mas quasi
sempre, deploravdmente preparados, conslituem um perigo continuo
para a saude publica. Devem os compradores dirigir-se as casas
abaixo mencionadas, as quaes tiram os sens productos directamente
dos inventores.
INSOMNIAS^ A insomnia .' causada gerahnente,
ou por ddres Tivas, como acontece nos casos de gotta, rheu-
matismo, nevralgia, enxaqueca, dOres de dentes, coJicas, fe-
ridas, etc, oh por preooupacoes moraes, ou por um estado
geral difficil a relatar, e algumas vezes o grande calor. 0
Xaropa do Chloral d Follet tornado por duas ou tres
colheres de sopa n*um copo d'agua, venoe a insomnia e em
poucos minutos da ao doente, o somno natural e reparador.
Ao accordar a cabeca nlo se sente pesada, mas um bem estar
perfeito 4 o resuttado d'essa medicacio.
Nunca sera stifficiente a attenc3o de todos sobre este ma-
ravilhoso producto que se apreciara era cada familia. Podo-
se dicer sem-exageracao que quern usar uma vez do Xarope
de Chloral da Follet, continuara a ter em casaum frasco
d'este mesmo xarope para quando for necessaFio.
1NCOMJHODOS DO ESTOMAGO. As molestias
iiervosas do estomago, gastralgias, gastro-entcralgias, pyro-
sis, etc., curam-se com o Carvao de Belloc tomaudo-se
tima ou duas colheres de sopa,ou algumas pastilhas na occa-
siao da comida maior numero das vezes sente-se melhoras
desde as primeiras doses.
NSo se pode insistir bastante sobre as qualidades deste
remedio, do qual o uso tornou-se popular, peis e exempto de
perigo ajgum. Para as doencas d'intestinos e d'estomago, e o
remedio o mais efflcaz. Em 1849, a Academia de medicina
dava-lhe a sua aprovacao e aconselhava aos medicos de o re-
ceitar n'essas affeicoes, as quaes muitas vezes desaniman
tanto os doentes como os medicos.
NEVRALGIAS. Sendo na cabeca ou nos membros,
curam-se muito melhor,-e muito mais rapiilamente toinando
duas ou trez Perolas d'essencia de th5rebeniiaa de
Clertan, do que com qualquer outro remedio. Estas Perolas
do tamanho d'uma ervilha engolem-se com muita facilidade.
Este producto e d'uma efficacidade maravilhosa, nove vezes
sobre dez tin em poucos minutos as nevralgias as mais
agudas. NSo se pode deixar de aconselhar aos doentes que
soffrem d'essa molestia de usar este remedio.
Para se obter um boin resultado, e necessario que a es-
sencia de therebenthina 6eja perfeilamente reclificada. I)e-
ve-se exigir a flrma do I)' Clertan na tarja de cada frasco de
Perolas d'essencia de th6r6benthina.
SOLITARIO. Fallando no Kousso, o D' Bouihardat,
diz, no seu formulario : E' o melhor loenifugo, mas e
precizo conhecer a sua origem; pois oD' Trousseau, asse-
verou-me que algumas vezes o Kousso de ma qualidnde occa-
sionnou envenenainenlos.
Le-se tambem no tratado de thereapeutica dos S"" Trous-
seau et Pidoux : Os pos de Kousso lendo um sabor nausea-
bundo toinam-se difflcilmente por essa razao. Un pharma-
ceutico de Pariz S' Mentel teve a idea de os granular mixlu-
rando-os com assucar, preparados d'esle modo, e a cousa
a mais simple para se tomar, mesmo para ascriancas.
0 Kousso granulado de Mentel e garanlido de
primeira qualidade.
RHEUMES-TOSSE. Desde i820 a Pasta Pei-
toral de Regnauld e o peitoral mais afamado, na sua
fabricacSo nSo entra o opium.
AFFEICOES DO PEITO- (bronciiites, tisica, encoh-
modos da gabgakta). 0 alcatrao de Guyot (Gouiron de Guyot),
licor concentrado e graduado, facilita a preparacao immediata
d'uma agua d'alcatrSo muito efficaz n'essas doencas. Basta
uma coiner de cha n'um copo d'agua. Poucos remedios em-
pregam-se mais frequentemente do que a agua de alcatrSo;
resultado das suas propriedades incontestaveis. 0 grande
consummo deste excellente producto desinvolveu um grande
numero d'imitacdes, peores uraas que as outras.
0 Terdadeiro Gondron de Guyot leva na tarja a flrma
do inventor.
0 S* tamanho de pillulas, contendo o alcatrao da Noruega, liquido,
toman-se estas capsulas na occasiSo da comida, e podem
substituir a agua d'alcatrSo.
Nas doencas as que nos referiraos, acontece muitas vezes
que o doente soffre d'uma tosse persistente, impedindo-o de
dunnir; duas ou tres colheres de sopa de Xarope de
Chloral de Follet tomadas a noute ao deilar-se lhe darao
o somno reparador ajudando a cura.
RACHITISrflO TISICA. Deve se tomar todos os
dias algumas coUieres de sopa, d'Oleo de figado de Ba-
calhan de Berthe. Este oleo prcparado com os maiores
cuidados eounioo que foi appi'ovado pela Academia de medi-
cina de Pariz.
DIARRHEA. 0 remedio melhor para curar estas
affciodes e o sub nilrato de Bismuth. 0 S" Bouchardat,
professor-na Academia de medicina de Paris, diz o seguinle,
no sen Formulario magistral : fi gerahnente muito difflcil
de engolir de uin ate dez grammas d'uins pfls lao pesados
como e o sub nitrato de Bismuth. Einbrulhados n'unwi obreia,
esta muitas vezes rasga-se, em agua assucarada os pos v.lo
logo para o fundo.
9 8" Mentel, pharmaoeutico em Pariz, resolves estas pe-
quenas difflculdadcs mislurando, e fazendo em granulos, o
sub nitrato de Bismuth com parte igual de assucar. Estes
granulos vendem-se em frascos, e a tampa d'estes frascos,
mede exactamente dous grammas de granules, seja, um
gramma de sub nitrate de Bismuth. Esta subslancia prepa-
rada d'este modo e inalteravel. Basta encher a medida tantas
vezes quanto se queira tomar de grammas, e engole-se rapi-
damente, o que e muito facil bebendo ao mesmo tempo um
pouco d'agua.
o remedio o mais vantajoso porque o toinain corao confeitos.
FEBRES. Querendo-se cortar rapidamente um acesso
de fehre, o melhor remedio e o sulfato de Quinina; sendo
:para curar febres antigas, persistentes ou periodicas, convem
dar-se a preferenria ao Quinium Labarr.'.que. Em pou-
cos dias a febre desaparece, e o melhor preservative ( de
tomar todas as manhaas um copo dc licor, ilesle vinbo. 0
Quinium Labarraque e um dos pmdoclos do primeira
ordem que tiveram a approvacao da Academia do medicina
de. Pariz.
DIGESTOES DIFF1CEIS. (Exxaqiecas, qetkbbs.)
Engolir duas o trez Perolas de fither de Clnrtan n'uma
collier d'agua. Effeito quasi immediate:
Havendo muitas imitacdes exiyir a firma Clertan na tarja
dos frascos
ANEMIA, POBREZA DO SANGUE. As Pillu-
las de Vallet conslituem um poderoso tonico para a refei-
c?.o do sangue. 0 Xarope de Rob.quet de pyrophosphato
de ferro, serve melhor para as pessoas que mal snpportam os
remedios solidos; este remedio contendo os principios cons-
tilutivos do sangue, tern um gosto agradavel, tanto assim
que, os doentes o toman facilmente.
Estes dous remedios s5o dos primeiros que tiverSo a appro-
vacao muito rara da Academia de medicina de Pariz.
Ha numerosas imitacdes das Pillulas de Vallet.
PURGATIVOS. A Limonada purgativa de
Roge com citrate de Magnesia, approvada pela Academia de
Medicina e o typo do purgativo salino. N5o causa nunca infla-
macdes d'intestinos, o que acontece com outros purgativos
mais violentes. Pode ser preparada em casa na occazi3o de a
tomar; deita-se n'uma meia garrafa d'agua um frasco de
P6s purgativos de Roge.
Poucos remedios tem sido mais falsificados que os pos de
Roge. 0 Brazil esta cheio de productos falsificados, mal pre-
parados e nocivos a saude. Devem exigir que o frasco traga
em cada extremidade um sello imprimido em quatro cores.
FALTA D'APPETITE. 0 Rhnibarbo sempre
gozou de muito conceito para regularisar as funcoes do esto-
mago e fazer recobrar o appetite. Nao se applica frequentemente
por causa do seu sabor desagradavel. 0 S" Mentel teve a
excellente idea de applicar a este remedio o seu systema de
grauulacao. O rhnibarbo em granulos de Mental,
toma-se um pouco antes da comida. Na tampa de cada frasco
acha-se uma pequena medida dando a dose acustumada. Estes
granulos engolem-se lacilmenle ou com uma pouca d'agua ou
n'uma collier com sopa.
CONVALESCENCA. 0 Quinium Labarraque
approvado pela Academia de Medicina e o tonico por excel-
tencia. Este vinho incomparavel e administrado com grande
successo as pessoas fracas e debilitadas, as mulheres que
acabam de parir, as meninas que difflcilmente se formam e
desinvolvem-se.
Este remedio combinado com os ferruginosos, ajuda muito
e facilita a sua accao, quando esses sao necessarios.
DENTIQAO DAS CRIANQf S Para facilitar a
dcnlicao, prevenir as convulcdes e o rachitismo das criancas,
nao podemos deixar de aconselliar a Osteine Mouries,
que 6 uma combinacSo de phosphato de cal gelatinoso e d'al-
bumina. Sendo esta preparacSo feita em farinha grossa, pre-
para-se em sopa com leite ou com caldo. Na tampa de cada
frasco, acha-se uma medida dando a quantidade que se deve
tomar.
Este medicamento teve a approvacao da Academia de Medi-
cina, e c inventor apresentou uma memoria a respeito d'esta
preparacao, a qual foi coroada pelo lnstituto de Kranca
RETENCAO D'INTESTINOS. A magnesia e muito
receitada pelos medicos como laxativo ligeiro. Sendo esta
substancia desagradavel a tomar, aconselhamos a Magnesia
granulada do Mentel. Um gramma e a capacidade da
medida que se acha na tampa do frasco; a dose acustamada
e uma ou duas medidas.
DEl-JTIFRICIOS. A descoberta do sulfato de Quinino
pclo S" Pelletier, inembro da Academia de Medicina de Pariz,
fez um grande servico a humanidade, elle quiz tambem se
occinar da hygiene da boca, e para esse fim elle empregou
todus os rccursos da sciencia.
A altera^ao dos dentes, segundo as suas observacoes, e
muitas vezes causada pelos dentifricios inventados e empre-
gados ale hoje, sendo elles quasi sempre compostos de acidos
quo sao contrarios aos principios da sciencia. 0 S" Pelletier
inventou enlao dous dentifricios, um solido e outro liquido,
offerecendo todas as garanlias que se possa desejar para o
bem estar da boca.
A Odontine de Pelletier e uma massa mole sobre a
qual passa-se a escova ligeiramente. Da aos dentes a brancura
tao procurada sem nunca estragar o esmalte. 0 Olixirio
Odontalgico de Pelletier fortificaas gengivas, perfuma
a boca, e tira o cheiro do fumo. Basta deitar algumas gottas
desta preparacao n'um copo d'agua para lhe dar um sabor
suave e especial.
EPIDEMIAS. Durante os tempos d'epidemias, cho-
lera, febre amarella, bexigas etc, e muito necessario tomar
precaucdes hygienicas. Sem mudar nada no seu modo de vida,
deve-se evitar todo excesso em tudo, sendo susceptiveis de
enfraquecer mesmo momentaneamente. Lavar-se umas poucas
de vezes por dia e deitar nos quartos, agua fria na qual se
deitara umas colheres de Licor Labarraque. Eu tempo
d'epidemia, este licdr erapregado d'este modo e o meUhor pre-
servative. E tambem muito util nos paizes quentes para
desinfectar os quartos dos doentes.
Para purificar oare destruir os miasmas que se produzem
nas inhumacoes, os quaes 630 muito perniciosos, deve-se em-
pregar sobretudo este licor.
Convem ter muito cautela com as numerosas falsiflcacoes.
AVISO. Uma lustra?Ao detalhada acoaapanhav sempre eada um dos productos a elma menoionnados.
Unico depositona pharmacia de P. Maurer A C, rua dj Barao da Victoria n. 25
I
ESC8IPT0RI0
a rua da Crmpanhia Pernam-
i
ESTACAO PRINCIPAL,
a rua Nova de Santa Rita
bu&aria n. i. ns. 55 a 59.
Esta empreza de transports de mercadorias, inaugura o trafego de 6uas linbas no
dia 10 de agosto do corrente anno.
Nervico da Estaeao das Cineo Pontas para o Recife.
A empreza encarrega-se da entrega das cartas vindas pela estrada de ferro aos seus
fregnezes, de tirar e entregar-lhes ate as 8 boras da manlia, as amuslras do assucar
cbegado na vespera, pagar a vista do conheciraento o respectivo frete e fazer coaduziro
assucar e os outros generos com a maior promptidao para o armazem dos compradores
ou recebedores.
Oprego do Iransporle eomprehendidoe os servi^os acima mencionados, a cargo,
desearga, e arrumacdo no armazem 6 :
Por sacco de assucar................ 120 reis.
Por fardo de algodJo_____........... 160 re"is,
Ancoras ou barris a" razao de.......... 29000 reis a pipa.
At car gas deslinadas aos engenhos e remettidas pelos freguezes da empreza serao
transporladas gratuUamente para a estacdo das Cinco Pontas, eserao recebtdas nao so
onde ixistirem os trilhos, mas em qualquer ponto dot bairrot do Recife e Santo An-
onio.t
Servico de Forte da Mattos para as ruas de Apelle e Brum.
A empr ezeancarrega-se de receber com o seu pessoal os assucares e mais genero
dos trapicbes ou do caes, com direcgSo 'aos armazens das ruas do Appollo e Brum e
qaaesquer outras do bairro do Recife na proiimidade de suaslinhas.
0 preco de irtnsporU comprehendida a carga e descarga e arrumacdo no arma-
zem 4:
Por sacco d? assucar................. 80 r&s.
Por fardo de algodao................. 100 r&s.
Por ancoras ou barris i razao de........ 10300 re por pipa.
Jtocif", \ de agofto de 1874.
Poc-os lubulares instantaneos
DE
Estes pfjCos|que tem provado ulttmatneute muito
bem ero todas es|partes aonde foram collocados, emcon
sequencia dos aperfeicoamentos nelles introduzidos, conti-
nuam a vender se por precos muito baratos.
A tratar na phirmacia dos Srs Maurer 4 C.: rua
do BarJo da Victoria (outr'ora Rua Nova) d. 25 das 8 bo-
ras da manhl ate ^ 4 da tarde.
CH4PE0S DE SOL
Gorge) de
de cbapeS
vendem-os a
Amaral & C,
de sol 1e seda,
W 7 *endo
a rua Primeiro de Marco n. SO A, receberam um grande serHmento
lisa e traocada, com bonitoa cjbos este preoo roeti-Je do sea %>for.
PUNDLOAO DO BOWMAN
mm mm % n
(Pauvvuidit PEOKM AOS sinlmrcs de eiiKcnho e o;tr^ agri.ult;r.s, e compra-lt.rej dent*-
i hinismo o favor de fazer uma visu a seu'estabelecimcnto, para vereni o n >vo sortimen
to couipieto que ahi tem ; senlott. !o-superior em qualidade e fortidao ; equu com a in-
truccao pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENgAO A0 NUMERO E LUt.AH DE SU\ FUNDICAO
VapOreS e rodaS d'agua dos mais modernos systemas e em tamanbos con
venientes para as diversas circumstancias dos senhorcs proprietarios e para descarocar
algodSo.
MoeildaS de Canna de todos os tamanhos, as melhores que aqui cxistem.
rvOuaS QGntauaS para animaes, agua e vapor.
Taixas de ferro fuDdido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
MaCniDlSmOS para mandioca e algoddo, e para serrar niadoira.Jser roovidos a mar
DVluuaa de patente, garantidas........ (ou animaes.
lOQaS aS maClllIiaS e pe^as de que se costutna prccisar.
raZ qualquer COnCertO de macbinhmo, a prego mui resumido.
r OrmaS Qe ierrO tem as melhores o mais barat&s ezistentes no mrrado.
HiDCOinnienQaS. Incumbe-se de mandar vir qualquer macbinismo a vontade dos
clientes, lembrando-lhes a vantagetn de fazerem as compras por intermedio de pessoa
enttndida, e que em qualquer necessidade p6de lbes prestar auxilio.
Arados americanos e instrument 8gric in.
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O <;IIAFA1UZ
LO
^i\0 UA MAIS FALTA 1>. 6iUA
AGORA HA COM ARINDANCIA
Gelopara almogo
Gelopara lanche
Gelo para jantar
Gelo para ceia
Gelo para vinho
Geio para cerveja
Gelo para refrescos
Gelo para sorvetes
Gelo p'ra remedi
Gelo para banhos
<
Gelo para conservar legumes
Gelo para conservar fiuctas
GAo para conservar peixts
Gelo para conservar came
Emfim, gelo para Todos; e para qualquer L'so
NA
FABRICA NOVA DA Vll'VA STARR
Caes do Capibaribe n. 38.
Aberta nos dias uteis das 6 boras di maoha ale rs 5 hora da lares, e tea micgos c
santos al6 as 11 boras da manha.
N. B. Os pedidos de quantias praLdei para os vapores ou para fora di cf\:.4e devem i
fcilos com aotecedencia.
ESCRIPTORiO Rua do Commcrci.i n. iO.
<
iwts
ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
N. 7 Rua do Barao da Victoria, outr'ora Nova, a 7
0 dono des'e eslabele-invrnto tendo ('e ir a Enrcpa, vende a pracoj bantiBthm cdos oaaau.
trigos, como sejm :
Calcado francez
para homem
enhora,
meniuos
e menijas.
Botas e perneiras inglczas
de montaria.
*lM\\:s de Tiqic e" de faia.
Vfiide-.if muito em conta, caoeiras aruuti?, d'
balanco, de bra jos e d dobrar.
Pcrfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, cpiata e pos deu
iriflce, agua de flor de laranja, agua de toillete,
divina, norida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosmeticos, muitos arligus delicados em perfuma
ria para presentes em frasccs de extractos, caixi-
nbas sortidas e garrafas de differenl63 tamanhos
d'agua de Cologne, tudo de primeira qualidade
dos bem conber.idos fabnoantp? I'iv.-r '"ondr;-v.
Bods pianos.
Djs melho'es e roai? modernos in del.s d
Bl"nd I : voltes at. troca se e alapa-se.
Quinquilharias.
%rtlg<>* de .llfTerrntes gostea r
phaatasiae.
Espelhos, lequos, luvas. joias d'ouro, tesourinhas
cauivetes, caixiohas de cstura, album, quadros,
a caixinhas para retrato^, bob>inbas de velludo.
ditaa de eouro, e cestiDbas para bracos de meninas,
riiicotes, bengalas, oeulo, pince-nez, ponteiras part
ch irntof cifarros, eseovas, pentes. cartcirinna de
madreperola, tapele para idntornas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
po^, lantiTnas magi.as.cosmoramas, jogos da gloria,
de dainas, de bagalclla, quadros com paisaget-
gk bos de papel para illuminacoes, macbinas de
farer cate, espanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, carrinbos, mamadeiras de vidro para
dar leite as criancas, e moil's outros artigos.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar da to
dos os brinquedos fabricados em differntes panes
da Europa. para entretimentos das criancas. todo
Firei;r ma-." resumidft m -. i:**n<-.
AGUA DE CHINOLIiNA
PARA TINGIR INSTAMANEAMEMTE OS CABELLOS
PREPARADA POR
BARTHOLOMEO & C.
I'harmaceuticoN da Casa Real de S. M. F. El Rei de Perietal :
prentiadoB em diversas exposicdes com e primeira preeale de
sua classe.
Unico composto, cuja base principal sao principios vegetaes, que pode pi>r isso ser
usado por tempo indefinido sem o menor receio de alteraoio de saude. Esta agua admi
ravel da aos cabellos, era poucos minutos, uma cor e brilho natural, desde o castanbt
ate1 o negro, e ao contrario de todas as tinturas conhecidas, tem um aroma agradabilissi
mo, que facilita o seu uso as senhoras, ainda as mais difllceis. A (Jianran-tc os seus rw-
sultados e effeitos inoffensivos, quer a applicacSo seja limitada a barba, quer comprehen
da os cabellos da cabeca.
DEPOSITO GERAL
Pharmacia e drogaria
34Rua larga do Rozario34
LOJ A DE JOIAS
DE
JOSE JO.40UH DIAS DO REGO.
Ito aim ja uao e liquidacito 6 ifueiama!!
0 proprietario deste novo estabelecimento aturdido com o inesperado estridjr doc iriwa
sargem de todos os angulos desta grande cidade, aununciando a liqoidacio dos estabeieciaeetoa de Jaiat;
e, receioso de Bear SOSINHO, apezar de bem avaliar as grandes vantagena qua aaate caw dsvarkaa'
ferir; tomou a inabalavel resolucao de QUEIMAR todas as suas joias, com o unico fia da asm aw
se 4 grande caravana, e, com ella, seguir em romaria para.......a segredo I
A pyra esta ardenle-as victimas aguardam brilhantes o momenta do lacrulciaat fa
os saerincadores.
Is to posto, esperase, comjusta raiio, uma grande eoaeurrencia dot amaatas da eeaa
qne oao devem perder o ensejo de se proverem de objectos taes ; e devero-a'o "
que depo:s dc todas essas liquidacSes, com o novo anno, acabam se as JOIAS
(era publico aonde deltas a* possa prover.
taao


...--


9
Diario de Pe*M&iM# afc Se*t& 'fcfet %l tk*Dewttlrc tie LST4
1m 2o;ooo$otio
MHz firs de loterlnn do Bio.
Praca da IpdepfBdencia n- 28-
Rncfea >e ftttar com os segiiint-s senhores,
axo PHmatre da Marco o. 16, primeiro andar.
KOc rido Vieira da Cunha, de Sergipe.
oOaaAabmio d ;anha, da Babia.
kaatages Oismpio B. Cavalc.nte. S bpal do
Mmir frantalflio da Suva._________________
iaoooi 3ose Monleiro
Torres.
Keller & (\, administra-
dfoies da massa fallida de
Manoel Jose If. Torres, pa-
gan* a os credores da mesma
KMSa o primei'O dividendo
a iszao de 19 por cento.
0)afa*ae a sala e a atcova do 3.* andar do
*4?*vi a. 7<>. a rua Duque do Caxias, proprio
Bftn s It iros : a iratar na loja._________
Toda atten, Retalha se, com frente para a rua da Amizade,
lobre 191 palmos de fundo, uma porjao de optirao
terreao para edifkacio, tirada do sitio coDtiguo
a igreja de S. Jose du Mangatnbo, do preco de
54>,S por palmo. Aqnella frecte e toda murada,
bem como a parte posterior e a lateral eztrema :
os pretfndeatos podem enten 'er se com o Sr Dr.
Witruvio.__________________^
nWITBTO PARTICULAR.
RuadaRoda n. 48, sobrado.;
Prime ras lettras, portuguez, francez, in-'
glez, desenbo linear e musics.'' j
Sob a direccSo do professor Herrmnio
Rodrigues de Siqueira funccionam ditas an-)
ias todos os dias uteis.
Recebe alumnos intemos, raeio pensio-
aistas e eiternos ; f rnoce todo o material'
para escripta e livros aos principiantes, por
precos rouito razoaveis.
Moleque fugido.
GratiGca-> com So.OOO reis a qoen? pegar For-
ttynato, raoleqno de 13 a 14 anno?, preto, baixo,
cbeio do eprpo, ro>to e cabeca redondos, nariz
chato, caaelles carapinhos e cortados de fresco ;
ausentou se na tarde de 10 de outubro do corrente
anno, com camisa de roadapolao, calca de brim
de cor.desbotada, e chapeo de massa preto. Gra-
lifica se na rua da Cadeia do Recife n. 39, ou na
rua da Aurora n. 165.
ADV0GAD0
BACH AREL JOAQUIM GL'EXXES DA
SILVA HELLO.
Baa eatrelta do Rrisarto 93
primeiro andar.
Boas casas de
Pop) da Panella ;
Tasso.
Alugam-se
campo, na Crux das
a iratar com o comm
Grande descoberta
Ctaativo das molestias do
peito pelo
larcpr. de sulp'iita de soda
DE
A. BBRSET
2s* inportante medicnmento qne acaba de ser
nrrrT1**''" I'tlos distinclos Drs Zalioni e Paras-
aVr>< eorao urn verdadeiro cspe-iiico contra a
*mXixs, segundo provaram nos grandes nume
W*j eaaos poi elles experiraentados, como se ve
lafeSMo da academia de Piris de 24 de marco
a^rr.-nte anno, eucontra-se unicamente no
Deposit) da iharruacia e drogaria
de
F>:\rttio3omou S C.
a '-, Una larga do Rosario N. 34
DA V0RTM1
AGS 4:000#000.
ES GARANTIDOS.
&* rsM Pri > 'iro de Margo (otttr ora rua do
n. S3 e cases do costume.
Acfcas-se a .aada M folizes bilhetes garantido^
db 1: i" la lotena a Imneficio da Santa
Si '> M; lic.rdia d> ttveife (1:8'), que se
mSti..^ m tpgonda feira, 14 do correote mez.
PREgos,
UHbete iateiro 4*000
jlhete 5?J0O
C-rt porc&o de !OJ,S para isna
i !tu0
bilhete 1*733
Manor I Martina Fiuza.
a
a
o'
a
o
3
S
a.
n?q tSH
iipparecca
mbrii '; 1 inte, do sitio r.nde tra-
s^S" nil-is Jocamp>, no lugar Caboati,
il ;'.,t-:iitbe, r to.re* Je Onnda, o jor-
i !'.'aacit i. baoci anurellaofti de
iic-i mni* on men s de idade, eabel-
linca barb?, com os dntes qaei-
a-- it s podre* e qnebradot, tendo
h'i-o de conflanga da oasa era que
do. a 2 inezos. os obji'etos seguia-
>_ '(iBei Je ouro i in ebave presa era
meelini preto, i lazarina decacar,
laziono, 1 capote de panno azul,
ii e lira de.veibu ina preta na fren-
par de t pat-w n >vo de toairo-
diapei preio de fel ro, usado, al-
-; ; ri"> obpetos miojd<>s ; rcga se as
i fiaes. oa ; qaacn delle tiver no
;. i hmier e avi-ar lo Recife, tra-
i.Jor, armazem da bda atuareba.
' ParMibe a> padre Bandeira, que
rossmeute. E^te espertaloao e tra
, iOJ.it r m o n ins mu !adn, >indo
'" de Umbauba, scudo se.u ver-
Pedro de Alcantara, embrlaga se
nlingo?. >m quo nSj (rabaliia, e
I < irabalbado na Ecadi, in'e tem
wi ei genh Uossd, nos logarPS Silga
..: | ii irat.de, mi lc ji trabalhava em
; i -. floalracn'.e oa Parabyba, onie di-
an.la tfiia guaria polkial da capital.
rn aind.i b'-m eonbecido tem as cotas
r prlada por exporseao sot quando
. t-..|i j-a.

3
I
3
3
4 CD ^
I III
B I
r.
c
1
en
a.
o
cr
s
I'.
o
ft
e
B
S
B

(5
3
CD
D
a
M
H
P
* m E
c
D
c
5
|
a
so
=
a
v
c
-
I 9
I d
s I
n
DM
o
s> as w
a
o
a
3 f
Cojisultorio medito
DO
l)V. ilwrilia.
RDA DO VIGARIO N. 1, i.' ANDAR.
Recem-chegado da Enropa, onde fre-
qnentoa os bospitaes de Paris e Londres,
gpodera scr proenrado a qualquer hora do
dia oa da noite para objecto de sua pro-
*' fissao.
Consahas das 6 as 8 boras da manb.1 e
do meio dia, as duas boras da tarde.
GRATIS AOS POBBE5. %
Especialidades: Molestias de senhoras, W
da pelle e de crianca. fjl
ALUGA-SE
uq>a grande casa terrea com bastantes commodos
sita na estrada do Lucas : a tratar a rua do Vi
PENHOKES
Na travessa da rua
dasOruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro scjbre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja,
qual for a quantia.
Na mesina casa
compra^se os mes-
mos metaesepedi-as.
onte
tem um complete sortimento de galao e franja de
ouro e prata, verdadeiro, de todas as larguras,
abotoaduras douradas para offlciaes, canutilbos e
epfeites para bordado. TambfTi sp pj-.carrega de
todo e qualquer fardamento, cotno seja : bonets,
talins, pastas, aspadas, dragons*, charlateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para oriado
etc.; assim como am complete sortimento d&
ranjas, galao fatso para ornamento, cordao de la
com borla para quadros e espelhos (conforme o
gosto da encommenda) tudo por muito menos
preco que em ontra qualqaer parte : na praca da
Independencia n. 17, junto a !oia do Sr. Arantes.
Aos 5,0#9 covaVlos do la
A 19 rs.
loja do Pavao vende se lazinhas do
tos eostos e delicados padr5e5. farenda
o o^mercado, pelo diminuto preco as *k
an i covado ; quem deixara de fazer vesudos
<9 io booitos e por Uo poaeo diabairo? Porne-
se a amostras: na rua da Imperatriz name-
_o1____________________
GAliVAUO
Ten3e-se
n-ri nan na Tilla de Barreiros,
Y <" : >, Jr preco modico : a trat
< i, por
...os do Coa<
u-
M
Casa
LIQUIDACAO.
0 Paris n'America esta liquidando os caljados
pelos fegointes precos :
Botinas de duraque, de cores, com canno alto e
lai;o, a Luiz X'/ a 5*000 Ml
Botinas d.) duraque. de cores, bordadas. canno
alto, S/6* II!
Botina? de.duraque comiacoa3*.
Botinas pretas ga^paadas, canno alto, a 4*, 5* e
Botinas lias e enfoiladas, para menjna* a 3*,
Bt tisas de Snzer, de cordovao com ponteira ee
verniz, para tpmem a 8*. Aproveitem, qne e
barato.
CliHerdce preto
Amaral, Nabuco & C dedaram a seas amigos
e freguezes que receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cha verde e preto,
garantem sua boa qualidade e veodem no sea
'Jazar Vhtoria, raa do Barao do Victoria n. t.
Por 600j 6 barato
Vende se nm escravo de 30 a 35 annos, e bara-
to, proprio para refioacao. padaria, oa mesmo
para am sitio, por ser de boa condneta e sea se-
nhorretirar-se para fora : na rna d? Hortas n. 96.
Alnga-se uma casa terrea n. 39 com cummodo?
para familia, na rua de Luiz do Rjgn, na cstrada
de Santo Amarodas Salinjs : a tratar na rua do
Colo ve llo n 21.
Foliiinlia para 1873.
Sabio do prelo a bem conhecida folhinha de
V'ariedades, corit-ndo tambem o Diccionario das
Flares, das cores e das pvdras preoiosas : a ven-
da na livraria Uuivertal, rua do Io.perador n 54,
a 400 rs.
I MEDICO-CIRURGICO | .*??**;
n i. i j t i I Crioulai n. 57, com grande uutnero de fi
S Ur. redro d Athayde L. MOSCOSO ^'jardira, tanqaes para banho, cacinsbas, Itombasj
PARTEtfiO E OPERADOR 3"|com muito boa casa de vivenda, complet imente
BBua do Vlsconde de Aibuqaer-jjf reedificada, cocheiras, estribaria e um.i grande
-a das
U' teiras,
m
m
i
m
m
que n. 39.
ESPECIALIDADE
Slolestlaa de aenhorae e
nenlnos.
Con suit as das 7 as 10 bcras da ma-
nha, todos os dias.
Das 6 as 8 da noite, nas segundas, qaar-
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os seus cha-
mados por esoripto at 10 horas da ma-
nba serao vjsitados em suas casas.

m
*
m
m
Aluga-se
Vicente fugio
Na noite do 13 para 14 de mareo do corrente
anno, fugio o malato Vicente escravo, dc 20 a
22 annos de idade, b inita figura, barba e estatura
regular, levando vastldo e em um sacco Jronpa de
algodao branca e alguma fina pertencenle a um,
i'-aixeiro da ca d'onde fugio, 6 naiural da fre-,
gue^ia de Sant'Anna de Matt .s dir ser livre. cria-
du em companbia da madrioba D. Anna Lima da
Luz de quem alias foi escravo : roga-se, portan
to, aos Srs. rapitaes dd campo e autoridades po-
lieiaes a apprehensao do dito rscravo e enirega-
lo na cidado do Recife, rua do Crespo n. 10, ao
Sr. Joaquim Moreira Reis, ou na cidade do Assd
ao Sr. Torjuato Augusto de Oliveira Baptista
que serao gfoerosaneote recompeosados.
En^ommadeira.
Precisa re de uma engommadeira para engom
mar para duas pessoas: a Tatar na trave >a da
rua do Vigario u. I, das 9 horas as 4 da tarde, ou
no segnndo sitio, depois da estacao do Chacon.
l\a
: -


E. A. DELOUCHE
hlarfvide-Oiiafa'-Sf
'-?:?.* do beeco I^ar^o
Plartieiju) i = < fn-gqezes e amigos .iue mudou
i!to de rtlojoe'ro para a mesma
-i m-ontrarao nm grands sortiaienti'
ri i* parade, amerieano?, ? eima de me
- postal e q)a:idad..s, relogius di
v- to las as quaiida les, pate/ite suisso.
. doarada, foleado (pla-ju<4), relo-
- i il gioz, descuberto. dug melbores
-. .-id. ia de ouro, ptaq'irt o prata. lunetas
k .: i- : lilnlades, tudo pur precot muito ba-
_______________________^_^
\l g ~f a eata da rua <\> VTiscoiKlfl de I'e-
viifi rna d-i Aragao n. 18. copi 2 galas e 4
-,i: /'n'n f6ra e 1 qaart) ni qaintal, p por
r. Tambio : a tratar oa rua da P..nte-Ve-
'h.. n. i \ ''as C li.was la manhri a* 9 em diante
k, ;. > Omm.rciu n. I**, a traiar com o pro
i limi.in.-o- rVfeira do Lag>s
ha mais cabelos
braocos.
Tintura japnniza.
S6 e unica qpp*ovada pelas a^ademiasde
sciencias. recfinhecida superior a toda que
tem apparecidu ato bojo. Dtposito princi-
pal i rua da Cadeia do Recife, boje Mar-
quez de Olinda n. 51, jtndar, e em todas
as hnticas e casas dfl oabellfireiros.
Freci.-a r-e d uma ama para cozinbar : na
ravessa do Corp > Saoto n. 25.
Offereee se uma mulher pa
ra ama de tin a casa de fa:
X.xTJi xm. niiiia : a tratar na sala de
d< traz do sobrado n. 5, do largo da Ribeira de S.
Jose.
4MA.
Quem precisar de ama de leite, de cozinha e
engnnmiado, ditija-se o pateo do Paraizo n.
que achar acunt qu i n r, i; ri
Em Oiinda, rua do
cisa-se deuma.
Ama de leite
Bom Fim. casa n. 27, pre
Pr.icisa se de uma am para cozinhar : na
padaria da rua da Praia n 47.
AMA
PiiCisa .se ra cun rar e cozinhar em
casa de pequena familia : a
rua do Qjeimado n. 56, i. ardar.
Piecisa ?e de ama atna i;u eozinhe perfei-
tamenti* : na rua da Uniao n. 29.
Costureiras part irodista.
Procia sh na rna da I'alma n. 34.
,Precisase .'e no,a ama para cozinhar :
na rua do- Pires n. 34.
Ama
Docu linudegoi ba
Ha cuntUM-nii-oie para todos os precos, tanto
em lata* e-iom e-n caixao, de todos os tamaohns :
no pateo do T.ryo n. 52, e aonde se vende mais
barato. ^
os armazens ns. 65 e 69, na praca do chafariz ?m
Fora de Portas, um onde teve teada de ferreiro
o fallecido E. Malmlt. 0 outro que esteve occu
pado com venda de molhados, para o que 6 op
limo pela localidade e ser de esquina. ambos livres
e desembaracados de impostos: a tratar com o com-
mendador Tasso.
Bons banhos e dormida fres -
ca no Monteiro.
Alaga'se alii por preen commodo uma casa pe
quena que tem 2 salas, 3 quartos, c zinha e boa
cacimba, e 6 perto do rio : a tratar na rua Nova,
loja n. 7.___________________________________
Precisaso de ama para cozinbar
mazem Baliza, rua do Livramento n. 38.
no ar-
1 Esta eucouracado I !
Agaa moSe esu pedra dura
Tanto da ate que a fora.
ttoga-se ao Dim- Sr. Ignacio Vieira de ,'4j11
^scrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
clair aqaellenegofiioique b. S-se comprometteu a
realisar, pela torceira chamada. dosie jornal, em
9ns de dezeiuhro de 1871, e depois para Janeiro,
passon a.fevcreiro e abril do 1872,e nada camprio;
por este motlvo 6 do novo chamado para d
dm, pois S. S. se deve lembrar que este negoci
le mais de ;ito annos, e quando o Sr. sea filho
tehava nesla cidade.
baixa de capim : a tratar na rua larga do R.isario
n. 20, segnndo andar.
Aluga-se
uma casa nos Afogalos, rui do alotocol imbo n.
18, contendo duas salas, 4 quartos, cozinha fora
e quarto para criados, grande quintal, com ca-
ci iba de agua de beber r a tratar no Recife, a
rua do Atalhi n. 13, Boa-Vista.
Di se 2 200* a juros sob hypottieca em uma
casa : na rua de Hortas n. 86
Aluga-se
para eseriptorio, o primeiro andar e paramora-
d>a o segundo dito : na rua do Marquez de Olin-
da n. 4.
Hotel de I'Europe
Aluga-ae este vasto c magniflc. cs-
tabeleclmcnto a rua du (um
merclo n. 19.
Este antigo e bem conhe.: do IloTV.L, que fe-
chou se por causa do (allecimeoto do Sr. E luardo
Tourpin, acha-se provido de todos os pertengas e
ornamentos correspondentes a tuna de qne sera
pre gozou, e estanio situado no lugar mais ap-
parente e agradavel do Recife como 6 o do 6ot-
levard, defronte do desembarque de paseageiros,
os inti-re.-sados na i achario oc;asiao mais pro-
picia para eslabeltcer se com um HOTEL bem
raontado, em bom local e ja acreditado.
Para tratar, dirigir-se ao eseriptorio de Pereira
Carneiro, a mesma rua do G mmercio n.6.
Lfiani todos
Crlcs Walter, antiga e bem eonbecido. relo-
joeiro desta praija, Rcientififfa aos seus nemero-
sos fregu-zes e aratgos desta e de outros pro-
vinces limitrupti.^, e ao illiistrado publico em ge-
ral que tendo,, mudado o seuiestabeiecimento da
rua da Imperatriz n. 18, para a casa n. 17 da
mesma rua, confronts ao antigo estabetecimento,
ahi se acba proMpto para ex'e;niar quaenin-r
obras de rf^j**tia..o,meeto;oica ( as njais diOi
culti'sas) .c,wo. sej^iu, RMCertos a Qbras novas
em qualqaer relogio de nso commu.ro,, echrono-
njetro de algibeira e mtiritimns, e o respectivo
regulamente 6>-tw, cajfc. exaetidao garante dan-
do cotno pflntar-a-aua.tepotacio de artista (que
tafB-se esforcado ate agora em manter i>lez,)
ft. h*m assim, eat^m^^B de,,lqitae..flnejr con-
cMs em inslrumentos de physics, para o que se
rscommenda aos Illras. Srs engenheiros e ca-
pitaeo) de navios mercantes e de. guerra- Avisa
a sea* fregue/es do interior, e de critras provin
cias. 9ue qnalquer obra executada em sna casa,
quando recebt-rem sera accompanhada de um
reciho e .seu carimbo coKocado na caixa de sen
relogio a#m dp evitar enginos, como garantia de
ditas obras.;8srt>-executadas prlo mesmo annun-
ciante. Os prt^tia serao oa.mais raodicos possi-
veis, e se observara toda prestesa na exeoucio
do trabalho.
(li iIh.
Pi eis --p de ama ama para c 'sinhar,
- -ill ,| It ,->rio n. 36
Da
mST H M A
trrusMO, ctTiitt*, im obstmioa
arwcjoxi sis tJai x izsrru;to
Cora immtiuU ((to ta|f rago io PAPEL j
ta QGARlOi de 04tngmel, pharaa-
; mtte* de i dim da KaMa. U PARIS.
ne*nlr-Mi Mi.tadM u erlncipaei phar- I
cia. r
SntdMl **********rJLRRGORD;
rHAMMUA.
Ali-ga-se 3 bo is casas sitas a rna do Pa;o Cas-
telhano um S. Pedro Novo : r ir^ta-se no segun
do andar do .-wrado n. 73 na rua Duque de Ca
xias, por cinn da loia do s/ Uo'im.
Feilor
Entrega-se um sitio em Beberibe para tratar e
de-lructar, faz se contrato : na rua da Floreotina
n. 21
Aluga-se
a cas da rua de Riach'ieb n. 9, comljons Com-
modos fjara familia, bom jardim, agna potaVef e
em perfeito e>taiu de asseio : a tratar no arma-
ze^n n. 25, da travessa do Corp i S.mto..
Dividas da maysa fallida de
Bernardino Pinto Coeiho
0 abaixo assigoado tendo ar.-ematado em hasta
pnhlica, por mandado do Illm. Sr. 05, juis do
commercio, as divi'as constantesda referida mas-,
sa, roga pelo presente a todos os devedores a
virem ou mandarem pagar, a rua esteita do Ro-
sario ns. 5 e 7, padaria, no prazo de 30 dias, tin-
dos os qnaes seprocederi judicialmcnte.
Recife, 27 de novembro de 874.
________Jeronvmo Salgado de Castro Onimaraes.
Aluga>se
0 segundo andar e armazem da rua de Ped 0
AiTonso n. 59, 0 sobrado de um andar e sotao da
rua do Hospicio n. G5, e 0 I* andar e armazem do
sobrado da rna do Bom Jjsus n. 63 : a tratar na
raa do Vigario n. 31.
AI gamse tre.s casas terreas na rua do Co
rooel Suas.suna ns. 103, 193 e 198 cum commodo
e limpas de novo : a tratar na raa Dire ti n. 8.
Villa de Jfalmares
Na padaria denominada Manrty, si:a na pra;a
desle norae, casa de azulejo u. 2, desta villa, eita-
belecimento de Fraicisco Seradro de As is Vas-
concellos, fabrica se com a niaior perf-'icao, lim-
peza e harateza, pao, bolacha e tudo quanto se
pode obt r da farinha de trigo. 0 anauncianbJ
protesla servir com esm?ro eagrado a todos quan
tos auizorrm honrar seu estabeleciment > e se cons-
Utuirem freguezes e consumidores.
Aluga se uma escrava para todo 0 setsico : na
rua da Gloria n. 118.
I

Velho
Compra-se cbumbo velho, colwe e latSo : no
armtzem da boh aaiarella, a travessa da rua do
Imperador._________________________________
Cowpra-se mn bole pequeno, que esteja
eoi perf-.ilo estido : a tratar na.raa do Crespo
n. 17. l. andar.
rmm
1 Ve'nde'se dMH-peaaeoa dabalcao edonsn-
teiros, proprios para loja de mindezas ou cigarrei-
ros, e um dito para balcao na rua da Florentina
n.22._______________________ ..
Calcados baralos.
Praca da Independencia ns.
11, 13
H-SC
e 15
kLoja do Arantes.
Botinas de duraque de c5r, cano alto
para ssnhora a
Ditas de duraque preto, cano, para
senhora
Ditas gaspeadas para sennora
Ditas de pelbca e duraque, cor de cafe
idem idem
Sapatos de setim de cor, idem idem
Ditos de duraque de cor, para menina
Botinas de duraque de cor e prelo, idem
idem
APROVEITEM
A 1^000
Carabraia branca, bordada, com listras e de
quadrinbos, ab-rtas e tapadas, por lermos uma
grande porcao, rtsolvemos vender barato para aca-
barmos.e fazenda muito larga e muito liua, que
sempro se vendeu por 2; 0 metro, e estamos veil-
deodo a l*avara: so quem tem para vender
por este preco 6 Guilherme & C. rua do Crespo,
loja das tres portas. Dao-se amostras.__________
Proprios para hailes.
Chegaram em boa quadra, para a loja do Passo,
riquisstmos cortes de seda com largas listras
achamaloladas e lindissimas cores; cortes de tar
latana com palmas bordadas a prata, proprios
para nailes : so na l.ija do Passo. a rua Primeiro
de Marco n. 7 A.____________________________
Pedras de niarmore
Vende-se pedras de m rmores, de divcrsos ta-
manhos, com duas polegadas de grosura, proprias
para muitos mistere3 : a tratar com Joao Jose da
Cunha Lage3._________________
Burro* d venda.
Ignacio Dsiro avisa a seus devedores que esli
em seguimento para Pernambuco, onde ale o dia
10 de dezembro espera que Ine mandem satisfazer
seus debit.is na casa de Joaquira Jose Gon^alves
BeltrSo & Filhos. Conduz excellentes Lurros para
vender. Pilar, 23 de novembro de 1874.
Balancas, pesos e medidas
do systerna metrico deci-
mal.
Von Sohsten & C, na rna da Cruz n. !8, ven
dem um complcti sortimento, tudo feito na mes-
ma fabrica di Europa onde foram os actnaes
padroes cxistentes na camara municioa! desta
cidade
Assucar candi..
C niclbor e mais bonito, pr--parado e aper-
feicoado por system* novo, vendem Beitrao &
Quinta1, em sua refinacao a rua do Barao do
Triumpho n. 56.
Leques gigantes
S6 qoem t in dos mais moderoos <- a Magnolia
a rua Duque de Caxias n 45.
Vende-se 0 dounnio direeto do um teireun
sitona rua da Sant> Cruz, cm que .-e acba edifi
cada a casa terrea n. 36 : a tratar ne rua do Vis-
conde de Goyanna en. 5.
Doce rmo de goiaba
Vende-se no deposit-) do p: teo d 0 Terjo ns. 4 c
a, pelo barato pre?) de-800. 900, 1*000 e 1*200 ;
6ssim como grande sortimento do caixd'S peque
nos, proprios para embarque ; ha requeijao tcda-
as terras-floras e sabbados, por preco commodo.
Cura das herns as, pelas tun-
das de borracha.
As rnelhoros e mais aperfeicoadas das ate boje eo-
nneeidas.
Vende-se
na
Pbnrmaela e Dro^arla
de
ISarloloinro iX C.
A'
34. Rua larga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Tendo 0 Sr. Dr. Jose Lourenco de Magalhae*.
montado na corte um corapleto servico desle ar
tigo, tem aqai aberto um depostto' da melhor t
mais recente, eujoa tubos so encontram na
Pharmacia e drogaria
A'
34-rna larga do Rosario I 34.
LIQUIDACAO
Loja de fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las. de cores miudai ranito boat, para rota.
aeninas a t&DmWOn. e covwto.
La preUs. snpnrior. a 400 rs. o covado.
AVoacas de eores noas a 320 iMn. 0 Jit
So M venda.
Ditas com listras abertas, fazenda na, a 60ak
corado.
Chi las de cores a 240 e 280 rs- o covado.
Metins de cores aoiodas a SM rs. o eoVado.
Cretooes, o rnelnor owe mn vindo an merandt
400 e 4%f) rs. o covado.
Cambraias brancas, bordadas e abertas, taBMU
mais fina que tem vindo ao mere ado, e Amici
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara ; p.
chincha.
Ditas pretas con florea aiadas a W> rs. o cava*
Canobraia transaaxente, Qna, a li. apeca.
Dita Victoria, fina, a 4*000 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, cca> ac-
res miudas de seda e de la, a 400 rs. o
B' pochincha.
Cortes da easaaaira de cores madaraas a
corte ; e fazenda de 8*. E' pechincba.
Camisas de Imho Sna-, lisas, a 35* a dozia, 4) U
zenda de 53*.
Brim branco dalanho a 1*400 van.
Dito Angola, vardadairo, a 600 rs. o covaaV
Madapolao francex verdadeiro, Sijardas, a 4*
7* a peca.
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorio preto de seda para vestido para call**-
a 3* o covado
Toalhas alcocboadas a 4*500 a doaia.
Colchas grandes a 3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes de bramanle a 2* nm.
Lencos de lioho, sbainhados a an caixiatat
3*500 a duzia.
Ditos de cafa de cores abainbados a 3*50f a di
zia.
E outros mnitos artigos qne se vende por m*
nos do qne ontra qnalquer parte e para aa d
So na lorem queiram macdar ver as amostaaa.
enganaja de
Ggilherme & C.
Para o fabrico de chapeo-
A NOVA ESPERANCA recebeu o arame propr
para arma^io do chapens.
Aos nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber acne
ies milagrosos anneis electricos, cura infalliaal d-
nervosos.
Sal do Assu.
Tem para vender Antonio Loiz de liveira
Azevedo, a bordodo palhabote Ji-hr* Ailrkr : a
tratar com o capita a bordn. on ao sen eseri|-
torio. a roa d" B-m Jesus n a9
CASA
Vende-se on aloga se nrra casa terrea em Olii.-
da com grandes c-mnndos, gaz e agua encaaada :
a tratar na rna r* de Maryi n 6._______________
Farinha demandioca supe-
rior.
Tem para vender, Joaquim Jose donca -
ves BeltrJo & Filho, a bnrdo do palhaboie
Ilosita, fundesdo ao pe do caes doCollegi'.
e para tratar a bnrdo on m> 9eu eseriptorio
a rua do Cnmmercio n. 5.
BAZAH
DAS
VENDE-^E
4^
4*
2*
6*
5*
3*
3*
Venle-su a t-verna da rua de S. Miguel n
68, nos Afogados, propria para princlpiante : a
tratar na mesma
uma taverns, sita a travessa dos Mar lyrics n. 8,
com poucos fondos, propria para um principiaote.
e larubem so da sociedade a quem tenha pratica
da mesma : a tratar ca mesma taverns.
Vende-se
'x
na rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, em barns e
ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa, superior qaaiidad
Retroz do Porto.
Cimento I'ortlaud. legitlmo
Camisas francezas para me-
ninos a 2$.
O Pavao vende camisas francezas para m- nino
de todas a; idades, a 2* eada ama, o i em duzia
o segundo andar do sobrado da rua Direita n. 86 a 22* ; ii.o e para aiabar na raa da Imperatriz
com bons comm dos para familia, e em perfeito
estado de limpeza : a tratar nacasa n. 84.
CRIADO.
Na roa da Irapersdor n. 3H,. 2* andar, praciaa-se
de um menino de 18 a 20 annos, ou de am mole-
cote para o servico de mesa, e que seja actlvo em
recadoa.____________________'
Aluga-se uma ca beribe, Porto da Madeira, com mnitos commo,
os : a tratar na raa Duque de Cafat n. 88, loja^
- Aluga-se barato uraas meta-airuas. novas,
L^i??*1!?**^0 Vlar, Thenorwn. 3, para ,a ^y^ dat Barreiras (becco do Aquino) : a
n. 60, loja de Pali* Pereira da Silva.
Maqoel Alves Fenvira & C mudaram o sen
lo Visario Thei
eamesma rua n. to.
Litir> Perreira da Silva
-
rein dnas cartas na rna do Vigario n. 7, primeir
andar.
fralar na ma do Cotovello, cast de aznlejo, n. 25.
Na loja da rj'a da' Idjperatrlzn. .3/'n4"pa7a: oufra quali;
vender nma boa mobilia de jacaranda : a tratar '-'* Gonjal
oa mesma loja. clo n. 0.
E' so qu^m vende a 600 rs.f
Cambraias brancas bordadas com listras e de
anaJros, aawtajnooaadas, farenia muito fina,
com 5 palmos de largura, e por termos grande por-
cao resolverno* vender barato para acabarmos ; 6
fazenda de 1&60O o covado, e nos estamos venden-
do por 600 rs. o eovado, dao-se amostras: na rna
do Cresxi n. 20, loja de Guilherme & C.
Lustres*, lampadas e arandcl-
las.
Obra
nito mais, barato do qqa
JBHi, ..tem para vender Joaqt
ves Beltrio & Filho, a rua do Commer
Attent;ao
Os proprietarios da PredUecta, 4 rua do Cabuga
n. 1 A, fazem ssiente a> re:peitavel publico que
tendo res'ilvido mod .r de genero de negocto, de
liberarara vender tod is a< marcadorias existen
t-s em seu e-ttb-decimeoto com um abate de 20
por cent> atim de liquidar a ,-ua casa ate o fim
do corrente anno, e pur tanto, e boa occasiao do
publico se pr over do boo e barato.
Bazar Lniversal.
lem ehegado a este e-tab?reeinwnto am gran
de etirtimeaco dos segurates objeetos : Ratoei
ras magicas para ralos, bonito sortimento de bo
oeoaa de todos o> tauauhos, para crianca, cadei -
ras de balanco e < ntros muitos art;gos de n obi
lia, oama* de ferro, adereens de ma^reperola mo-
demos, capa-has, objo :t^s de metal para sarvico
de mesa, espelhos de t^dea es tanunaoa, e oouos
muitos artigos. qui tujo se va-jde barato para
itlsfazer o deseju dos freguezes : & rna do Barjo
a Victoria n 2J.
Esteirasd* India.
Jorge Tasao tem para vender esleiras brancas
da Ioaia, com 4 palmos de largnra : a raa do
Amorlm n. 37.
FAMILIAS
Ha:: Duque dc Caxks n. 00 I
Para a festa
Reis e Silva & Gnimaraes, proprietaries Y.-
bem i-.onhecido estabelecirr.ento de fasandas fea*
convidam aos sens freguezes e ; raigos a .. rtircj
se dos artigos indispensatei* para a festa, arttfi i
da nltima nr d;. e de fino gosto, os qnaes se ver.
dera por medico pre?n,de forma que igoal aaVi
encontra em ontra parte.
Atmi de qne o publico avahe o aac levant dr
offerecem a .-na preciosa con-iderafao a segain
raenrao:
Lacinhos para senhoras.
Tem. s nm complet > sorfimeato de lacinbas de
seda e de rambraia brrdados deodo por preco mnil* barata, a 24, 2*00, 2J>
3*500, 4* e 8* cada am. .-So muiu IraJos.
Gases de seda.
Temn- um com,-l-lo sortimento de gases an.-
d de ?pda. lazmd i moito moderna, e >d sa et
contra no zar das Faimnas, pelo arec a* 50)
rs. o covado. Ningnem pi d veader.
Pppebnas de lioho to.
Temos am cbmpleto s-jriimento de popellBM d
liobo, fazenta propria para pas>ar a fe.-ta aarter
muito bcrati, a SOU rs. o covado.
Faiai de seda de cores.
Receben-os um Cumplelo rti:p*o.:i de fan! di
seda, fazenda inteir^m^nte nova, que astaaaas
vendendo- por 2*, 2*200 o covado.
P -pelinas de liobo e aaaa.
Ne^te artigo temes um c impieat aartimcnt) qn <
psi mos vendendo per 7i0, 800,900, I*, i*2u>
e !*8< Assim como temos pop*lina branca, propria pa
ra noivas, que vendemes per 1*800 e 2* o eo
vado.
Hiqjissiraas.car>ellas own ve s para noivai.
qne estamos vendeudo por 13*, 18* e 20* ama
Polonezas de percalina propnas para oanhot.
Ttmos nm completo sortimento de polonezas 4b
percalinas propria- para banaos, por ser cm mni
to compridas e muito taralas a 4* e 5* ama ; su
a fazenda import u em mult" mais do qne ellas
feiUs.
Alpacas de seda com listras.
Temos nestt artigo um completo s. riiroanto, qar
estamos veaden^o ttt prca muito barato, qne *
810, 900, l*.e 12W ; sao lar UaptiiUs de oores.
ReceVmos um compl> to sortimento de bapaja-
tas, padrdes inteiramentp novos, gost"s marks ao
nftos, qne esttmos vendendo por preco de Mf,
480 e COO rs. o covado.
Curb s de gransdine.
Recebemos nm c^oipit tn sortimento de cortes
de graoadlne branca; com listras de cires e pal
mas solus, qne estamos veadeado por if) 9m
corte.
Casaquinhoa pretos da gorgorio.*
Recebemos un completo sortimeoto de
quinh a pretos de gorgorao, que estai
do por 8*, to*, ltd e 20 J am
firtint braaca e da edraa. ^^
Recabemoi am completa asilimrala da setam
Macao, tanto branco como de cores, qae veade
mos por 2*200 e 2 400 o covado.
CambaiM braaa, trawpareata I
Tomoa aurtaaeai.. dauaaawa*a, qi
I 4#, .4)000*. 5*,-M Wi *ssaa *
lt2 varas. ^^
Assim como, ontfos artvgos qne sa torn aan-
donhameaelaaar.
REIS E SILVA AGUMaARAlS.
E1 cpgL as npivas
A NOVA BSPWAdKA. roa Bnqne it Caries a.
, acaha de reaahw aoa aaeias da
para aoivaa, a os aarecAaiato i
PAGINACAOINCORRETA


-

Diario de tenaaN&ico Sexta teiffe II de Dezembro de 1874.
Aos legitimos fog&es econo-
micos.
Acabam de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogfieseconomicos, ja" muito conbe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paolo, Sergipe, Rio-Grande, Ba-
bia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
blico a niaior aceitacSo possivel, e s8o ja1
preferidos aos de qualquer outro systema,
conbecido pela sua muita solidez, especia-
lidade na coHocacio, moderno systema,
e sobretudo grande economia no combusti-
rel ; trabalbam com lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. Ha de diversos tama-
obos, proprios para casas de pouca, regu-
lar, e de muita familia, collegios, boteis,
casas pias, bospitaes, etc. Acbam-se ex-
postos ao publico, aonde se darao todas as
explicates necessarias : na rua do Viga-
o n. 12
Soares Lei IrmSos, rua do BarSo da Vic-
toria n. 28, antiga rua Nora.
Aos meninos
A NOVA ESPERANQA, a rua Duque de Caxias
a. 63, aoaba da reeeber um bom sortimenta de fi-
nis booecas qae fallam, que riem se e choram ;
tambem as tem mudas e surdas ou surdas-mudas
*enham ver se nao e verdnde.________________
Colchas para camas
Na loja do Pavao vende-se colchas de fustao
braneos, para cama a 2,500, ditas de dilo de cor
a 4,000, cobertas de chita e de cretone, de 2,500
para c'ma e ditas de metim escarlate forradas com
madapolao a 5,000 : a rua da Imperatriz n. 60,
i Felix Pereira de Silva.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguexas one Tern a aste maread*
na nag do Marqnei de utinda n. 61___________
. GRANDE
Liquidacao
DE
Chapeos de sol de todas as
qualidades
Mm. Falqne convida ao respeiiavel publico e
particularinente aos sens freguezes, para que apro-
veii-tn a occasiao desortirem sede chapeos de sol,
os quaes se vendem por baralissimos precos, pois
deseja dimiouir o grande deposito que lem dos
merinos, e de todas as qualidades, como sejam :
de seda, panno e aluaca, para homens, senhoras e
meninas. No nusmo estabeleeimento ba um op-
tima sortimento de seda, alpaca, merino e brim
para coberla dos mesmos. Ha tambem chapeos
de panno com dous forros, proprios para os ba-
nhos do mar, a 1:500 para aeabar.
Vende-se
No escritorio de Thomaz de Aquino Fonceca &
C. Successores, a rua de Vigano n. 19, primeiro
andar:
Gimento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em grumo, de Lisbsa.
Vinho Sherry.
Vinho d) Porto em caixas, finissimo.
Idem em barris de quinlo e decimo, fino.
Retroz.
Fio.
. VENDE-SE
Na rna do Vigario n. 10, vende-se o seguint
Cimento de Portland, em primeira mio.
Vinho do Porto, engarrafado, finissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grnme, idem.
Wilson Howe & L. vendem. no seu armai
a rua do Commercio n. 11 :
verdadeiro panno de algodao azul americano
Excellente fio da vela.
Cognac de If quahdada
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as aualidadei.
remessa.
Vinho verde de Amarante
Convid-se os aprecia'dores a virera apreciar o
que ba de mais excellente neste artigo; vende-
se em decimos e a relalho, em casa de Pocas
a. C, a rua estreita do Rosario n. 9, junto a
greja.
0 Desengano esta quei-
mando
0 proprietario deste estabeleeimento tem resol-
vido vender as fazendas existentes em seu estabe-
tecimento, por menos do que em outra qoalqntr
parte.
Vanzinese de seda.
Vende-se esta fan n la de lindos patroes, de lis-
tras e palmas, pelo diminuto preeo de 320 r*. o co
vado, por ter uns toqnes demOfo, e grande pechin-
cha. Esta fazenda tambem serve para Into, .par
ser toda preta j e fazenda de 2oOO o covado.
Damasco de la.
0 Desengano esta vendendo damasco de la de
lindos padrSes e de duas larguras, pelo baratissi-
mo preco de i*0OO o covado, e fazenda de 2^500.
Aproveitem qae o Desengano esta qneimando.
Casaquinbos de gorgorao de seda.
0 Desengano esta vendendo casaqninhos de gor-
gorao de seda, eofeilados, pelo baratissimo preco
de 6*000 cada um, e grange pecbincha. A elles
antes qae se acabem.
Organdys a 320 rs. o covado.
Vendem-se Organdys de llatras, branco, peto ba-
rato preco de 320 rs* o covado. Aproveitem.
Madapoloes de 49000 a pegs.
0 Desengano esta vendendo madapolao francez
com 20 varas iSJa peca; dito muito fino, a St,
5*500, 6* e It a peca ; 6 grande peeblneha.
Algodao marca T, largo, a kt, 4*500 e 5| a
peca.
Hicos chapeos de sol da seda, com cabo de mar-
6m, a lit cada um ; e pecbincha.
Baptistas de lindos padrSes a 400 rs. o covado.
Lazinhas de cores, bonitos padrdes, pelo dimiou-
lo preco de 160 e 200 rs. o covado. A ellas antes
que se acabem.
Cambraia Viet ma, a 3/500, 41, i/500 e 5* a
pe$a.
Alpacas de cor*, la a Seda, bonitos padr3es, a
500 rs. o covado ; e grande paehincba.
Metins de ceres, bonitos padroes, a 280 e 300 rs.
o eovado.
Chitas claras de lindos padroes a 240, 260 e 260
rais.
E outras muitas bzendsi que deixa de mencio-
na- as para nao se tornar enfadoobo, por isso o
proprietario convida a todas as pessoas a fazerem
nma visita a seu estabeleeimento. aflm jde sorti-
rem se do bay e barato. Rua do Crespo n. 25,
junto a loja da esqaiaa.______'_______
320 reis o co-
va
do.
S6 na rua do Queimado n. 43, junto &
loja da Magnolia.
E' baratc
Cambraia branca com flores bordadas de cores,
sio padrfies muito bonitos e de gostos nunca visto,
pelo dimiDQto preeo de 320 rs. o cavado:
so o 43 e quern tem. Dio se amoslras eoni pi-
nhor.
N.72.Rua da I mp era t riz N. 7 2,
EM LIQUII>iU;AO.
Tendo recebido diversas qualidades de fazeadas que ha tempo tinham feito encommenda e
agora "eslando em liquidacjio resolveu qae estas fazendas fossem vendidas nas mesmas condicoes 0
que 6 muita vantagem para os compradores, isto no Bazar Nacional rua da Imperatriz n. 72.
Organd>s branco a 400 r. Chales de 11 a 6i0 rs.
Vende se organdys branco com listras muito Vende-se cha'es de 12 a 640, ditos de merino
fino a 400 rs. o eovado. estampados a 1*600 e it-
Popelinas a I'.OO". ~i Cortes da casemira a St-
15o
400
210,
Vende se popelinas de cores muito finas a
covado.
Alpacas de cor ?s a 100 rs.
Vende-sA alpacas de cores para vestidos a
rs. o covado.
I.aazinhas a 120 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a 120,
320 e 400 rs. o covado.
Alpaca lavrada a 640 rs.
Vende-se alpaca lavrada para vestidos a 640 rs.
o covado.
Granadina a 500 rs.
Vende-se gr-njdioa preta com listras brancas a
500 rs. o covado.
Percales flnas a 400 rs.
Vende-se percales finas para vestidos a 4C0rs.
o covado.
'Chitas finas a 260 rs.
Vende-se chitas de cores eseuras a 260, 280 e
320 rs. o covado.
Cassas de cores a 260 rs.
Vende se cassas de c6res finas a 260 e 320 rs.
0 covado.
Cambraia victoria a 3 '500.
Vende-se peca de cambraia victoria a 3-500,
4'e5x. Cambraia transp.rente a peca a 3,
3X500, 4< e 54.
Cortinados a 6<.
Vende-se cortinados para janellas a 6< e 7i o
par.
Ao baraleiro
A' rua 1 de Marco n. 1
Confronte ao areo le Santo
Antonio.
Os proprietarios deste estabeleeimento, tendo
gande deposito de fazendas de la, hnho, seda e
algodao, e achandose proxima a occasiao do ba-
anco, resolveram fazer grande redoc?ao em pre-
ps, afim de que naquells tempo nao tenham gran-
le trabalho em balancos ; a saber :
GORGORAO de seda preto, para collete, um
orte por it. E' fazenda que sempre enstou ~&.
AMAZONAS, linda fazenda para vestidos de
jasseio. a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLE3 de cores, verde, encarnado,
oranco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., It e
1 200 rs o covado. Quern e qae nao comprara ?
POPELINAS de linho, de quadros e listras, bo-
nitos gostos, a 500 rs o covado. Aproveitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
e novos a 900 rs.
DITaS com listras largas assetinadas, o mais
moderno que tem vindo ao mercado, a 2x.
CRETONE francez com listras e de quadrinhos
le cores e pretos a 400 e 410 rs. o covado. isto
so no baratei.'o I
DITO francez de listras, proprio para camisas
t vestidos a 300 rs. ; pois so se vendo se pode
IttT.
ES >U AO de linbo e algodao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3*200, e
om 10 jardas a 1*500 a pera.
MUSSULINA branca, com listras, para vestido, a
WO rs. o covado. E' pecbincha I
MADAPOLAO francez ccm 20 varas, por 4x500.
E' barato.
CASEMIRAS de cores, para costumes (roupa de
!iomem) a 3t o covado. Ver para erer I
LAS escocezas, estamos acabaoJo aos pregos de
120, 180 e 200 rs. Apressem sel
CHITAS eseuras e claras, fazenda fina a 210,
!60 e 280 rs.; so a rua Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senhora, a
1X000. E' admiravet I
BRIM branco n. 5, exposiclo superior, a 2* a
vara.
CAMISAS de cretone francez de cores, a 2500
ama.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran-
le sortimento por precos baralissimos.
BRIM pard i trancado, para 280 rs. e 400 rs. o
covado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o covado; isto
CHAPEOS de sol de seda para homers, fazenda
uperior. a 8*500, 9*000 e 10x000.
BAKTTSTAS matisadas, gostos miadinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Saoto Antonio I
LENCOS de linho superiores, abanhadot a 'ii,
i/500 e 5*000;a duzia.
TOALHAS felpudas superiores a 6*500 a du-
jia. Em outra parte veDdem por 9* I
MEIAS cruas, superiores, para homem, a 4*,
V*500 e 5*. E' pecbiucba.
BOTIXaS superiores para senhora, a 4*500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1*500 a vara.
ALGODAOZINHO branco, com pequeno toque,
3*500, 4* e 4*500, e marca T, a 5* a pe$a.
\iem das fazendas ariraa mencionadas, encon-
irarao muitas outras que sgradarao em qualida-
de e precos, e que para nao massarmos a paciencia.
le nossos freguezes, as dcixani s de enumerar,
S6 no Baraleiro
A' rua Primeiro de Marco n. I.
U)ja de Agostinho Ferreira da Silva Leal A C.
Nao se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros I
Vende-se cortes da casemira de cores a 5*,
5*500 e 6*.
Co>-erta9 de chita a 2*
Vende-se cobertas de chita a 2* e2*50f*.
Colchas de fuMao a 2*.
Vende-ss colchas de fustic a 2*, 3* e 4*.
Faslao branco.
Vende-se fu-t5o branco para vestidos de senho
ras, organdys branco fino a 610 o metro.
Madapolao a 3j.
! Vende-se pecas de madapolao enfestado a 3* e
31500 a peca. ditas dita fiao a 4*500, 5* e 6*
dito francez fino a 63, 7 e 8.
Algodaoiiohn.
Vende-se pecas de algodao de Udas as quali-
dades e barato.
Bramante
Vende-se bramante de 10 palmos para lenroes
a 1*600, 2* e 2*500 o metr ..
Algodao enfestado a 9C0 rs.
I Vende se algodao de duas larguras enfestado a
900 e I* o metro, dito trancado a 1*280 o metro.
Graode liiiuida^ao de roupa feita.
Vende-se ceroula9de algodao a 1*, ditas lioas
a 1*200 c l*o 0. cami-as brancas a 1*800, 21 e
2*o 3*500, paletots de alpaca preta a 3i500, 4* e
4*500, ditos de dito de cores a 2*, camisas de
flanella a 2*, ditas de chita a 1*280 e 2*.
Bjuqueu de cravos e de lodas as II ires, capellas
e velas para baptisados, de muito gos;o, por barato
preco, e tambem recebe-ae encommendas Ores dias
antes : no patoo do Livramenlo n. 36, loja de
cera.______
Retalhos de las.
0 Pavio vende uma porrao de retalnos t |*X
ptra vestidos tendo grandes e pequenos, q< i li-
qnida barato para aeabar, assiro como uma por-
fio de cassas e chitas pretas que se vende por
qualquer preco para aeabar: na rua da In tri-
tr.z n. 60, de Felix Pereira da Silva.
. Espartiltros, a 3*f500, 4* e 5;,
0 Pavao vende am bonito sortimento dos mais
mode-nos esparlilhos qne vende a 3*500, 4* e
Peehinca era lencos branccs a 2 500.
0 PavSo vende OUns de lengos finissimos de
cambraia branca para mao, sendo fazenda que
sempre se vendeu a 4 000 a dozia e limida-se a
J^SOO por ter grande porcao de duzia?, ditos abai-
nhadosa2., ditos cttinez s mciito finos e ditos
EXPOSIfAO
mu to finos para quem toma
Festej
OS
Grande liquida^ao de fazendas finas e do
melhor gosto, para vestidos de festa, na
loja n. 44, i rua Duque de Caxias.
Popelinas de modernissimos padrdes, covado a
800 rs.
Ditas de ditos a 1*200.
Ditas de ditos a 1*400.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambralas organdys de padroes e cores inteira-
meale novos e modernos, covado 320 rs, cortes
de cambraias brancas para vestidos, bordados e
com babados, a 6*.
Chapeos mejernos, gosto allemio, para senhora,
proprios para a eslacao da festa, a 2*500.
Ditos de diversas qualidades, para homens, pelo
barato preeo de 2*, 2*500, 3* e 4*.
Camisas francezas e inglezas, de diversas quali-
dades, a 1*500, 2*. 2.-50) e 3*.
Collarinhos de linbo, lisos e bordados a 400 rs.
Toalbas de linho para rosto a 400 rs. '
Lencos finos com barra, duzia 1*400
Ditos ditos braneos, dnzia 1:50c.
Metins esc cezes, inteiramente novos, proprios
phra* mbres, eovado 2(0 fs.
Mela* finissimas, para senhora, duzia a 34500.
Lazinhas, chitas, cambrias, madapoloes, algo-
does, brins, por precos baratissimos, bem como
outros mtlltos artgos qne se acnam expostos para
as amigos do bom e de barato, por 25 OtO Menos
que em outra qualquer pane, finalmente xndo,
tudo se acha em liquidacao._____________
Admirem
Cirfitnadlna de seda a 4O0 ra.
N* Idja do Pav5o vendc-se finissimas granadinas
de seda cam listras assatmada, fazenda que sem-
pre se veadeu a 1(200, e liquida a 400 rs. o cova-
do ; assim como mangnitos e golinbas de cam-
braia bordadas a 1* cadi nm, e pecbincha : na
loja do Pavio, rua da Imperatriz n. 60, de Pereira
da Silva.___________________________________
Salsa parriiba
Muito nova e grossa.
Vende-se por barato preco, em parjjao ou a re-
talbo : na rua larga do Rosario n. 34.
E' com as senlioras.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, par-
cipa ao bello sexo que acaba de reeeber da Eu-
opa, um complete sortimento de artigos de ulli-
oa moda, e como acha desnecessario fazer nm
ofadonho annuncio, por ja aer baslante eonbe-
:ida, e capricbar sempre era ter bons correspon-
lentes, sendo a pr meira que apresenta o que ha
le mais moderno e por precos mui razoavers, por
?so limita-se a descrever somente o seguinte :
iettag douradas.
Blcos de cores, tantp de seda como de guipure.
Ueqaeg dourados, de madreperola, mariim, tar-
taruga, osso, etc.
abides de baiie.
fresentes, diversos artigo* proprios para pre*
sentes.
solinbas e punhos.
Manual para missa, com capa de madreperola,
tartaruga, raarfim, velludo, etc.
inpatinlios desetim para baptisado.
Cnmlsai bordadas para sennoras.
uta> de seda.
Pranjas mosaieas.
idcrecoa de tartaruga.
i'oil an" de madreperola.
PalaelraS de madreperola,
l.mdiiM fiores para cabe^a.
olsas de velludo.
forrumarius dos melhores aanais abmadoa
fabrieantes.
Chapeos de sol para senhora?.
vitas de veilud de todas as cores e larguras.
Moscas.
Ouereis livrar-vos destes malditos inseetos? com-
>rai nma machina de malar moscas per 3*000
la Magnolia, a rua Dujue de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, ven-
o verdadeiro Vigor de Ayer, que Impede a
ahida dos cabello-.
Sardas e panos.
So tem sardas. e panos quem quer; porque a
Magnolia, a rua Daqne de Caxias n. 45, tem psra
'ender a verdadeira Cuticuleria, que fax desappa-
ecer estas manchas em poucos dias.
E' BOM SARER-SE
Que a NOVA ESfERANCA, a rua Duque d*
Caxias n. 68, bem eonhecida pela superioridade de
seus artigos de moda e phantasia, acaba de reee-
ber diversas encoromendas de meroadorias de sua
reprticao, que pela eleganci i bem mostra aptidao
e bom go-to de seus antigos correspondentes da
Enropa, e por esta razao a NOVA ESPERANgA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreeiarem ate
onde toca o primoi d'arte.
A NOVA ESPERANgA nao quer entrar no nu-
mero dos massantes (verdadeiros azucrins) com
extensos anuoncios e nem pretend* descrever a
immen*idad3 de objectos que tem expostos a ven-
da, o que serla quasi knpossivel, mas limitar-se-ba
a mencionar alguns daquelles de mais alU novidadr
e toma a liberdade de aconselbar ao bello sexo,
que a visitem constanlemente, para depoia qae
compraiiem em outra qualquer parts nao se arre-
penderem, a vista do bom e eseolhido sortimento
que ba em dito estabeleeimento, esta razao tam-
bem demonstra qne qualquer senhora do bom torn,
nao podera completer a elegaficia de sen toilet
sem que d& um passeio a NOVA ESPKRANCA, a
rua Duque de Caxias n. 63, a qaal acaba de reee-
ber os seguint s artigos de iuxo e inteira novida-
de :
Modemas settas para prender os cabellos
Primorosos leques de phantasia,
Bonitas sahidas de bailes para sennoras e meni-
nas.
Interessante3 gravatas para sennoras.
Elegantes fachas de touqnim.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderegos pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
Bartholomeu & Q.
TAI1A
Liquidac-di de ronCas
vendem por barato preeo
SALSA-PARRILHA
DO
PARA'
34-BUALARGADOROSARK)^a4
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( ultima
moda).- a Magnolia a rna Duqtle de Caxias* n. 45
e si quem tem.
Papai, mamaii
Como sio lindas as bonecas de eera qne ch-
mam papai, mamii, choram, andam, etc. So na
Magnolia a rna Dtiqat de Caxias n. 45.
Gaiolas, gaiola.*.
A Magnolia, a rua Dnque de Caxias n. 45, re-
eebeu gaiolas de ararae de lindissimos modelos,
proprias para passaros ; a eilw antes qae 98 aca-
bem._______^______________________
Ifa loja do Pavao vende-se madapoloes franco
zes muito Incorpados, com 20 jardas a 6,000 reis,
dito mnit i fino com -12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as-
sim como um grande sortimento de madapoloes
inglezes de 4,500 ale 8.000 e 9,000 : a rua da Im
peratriz n. 60, de ''elix Pereira da SiIva.
Rua 1 de Marco n. 14
Gasmao & Lal reeeberam grande qoantidade de
cortes de casemira p cada cone, assim como vendem setlnetas paxa
vestidos, fazenda lioda, por 400 rs. o covacb, fazen-
da de 800 rs. : s6 n^ rua i de Marco n. 14."
francezes escnros
rape..
Cassas de cores a 240 rs.
Vende-se cassas de cores para vestido a 240 rs.
o covado : na loja do Pavio a rua da Imperatriz
n 60.
Camisas.
Vende-se uma grande porcao de camisas bran-
cas com peito de linho e de algodao, por muito
menos do seu valor, por estarem nm poncoenxo-
valhadas, assim como sernnlas francezas e de al-
godao a 1>500, ditas de linho a 2: u t 500 par!
aeabar : na loja do Pavio rua da Imperatria n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Roopa para homem para aeabar ate ao fitn
do anno.
Na loja do Pava i liquida se nma grande porcao
de roupa para homem como sejam : calcas de
brim d'Angola, ditas branca, ditas de casemira de
cor de 65 ate 12;, ditas do brim cores, palitots
e fraks de panno preto, de alpaca e alpaeao, as
si-.ii como de casemiras de ceres, colletes braneos,
prt-t i- e de coies, assim como roopa branca de to-
das a9 qualidades, nao se olha a prejuizo, o qne se
quer e liqnidar ate ao fin do anno.
Cambraia Victoria e transparent
Na loja do Pavao vende-se nm grande sortimen
to de eanibraia Victoria e transparent) para ves-
tidos t-ndo 8 1/2 vara cada pessa de 3.600 para
cima, isto na rua da Imperatriz n. 60 de Felix Pe-
reira da Silva
Collarinhos de linho para aenbar a 4$
a duzia |
P/.'Na loja do Pavao liquida se nma grande porcao
de dnzias de collarinhos de linho, por estarem nm
pouco enxovalhados, pelo barato preeo de 4 a
duzia, sendo fazenda qjue sempre se vendeu por
"-. e pecbincha : a rua da Imperatriz u. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Pavao vende chales de casemira com gostos
chinezes, sendo muito grandes, que sempre ven
deu a 7* 8$, liquida a 4?. Dulos de la, muito
encorpados, com listras, a 3:. Ditos de quadros,
azenda muito boa 2, ; assim como, nm bonito
forti nemo de ditos de merindj lises e de quadros,
vende de i& ate 5. e 6* : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao. de F-. Pereira da Silva.
Popelina de linho a 400 rs. o covado.
0 Pavao receheu urn elegante sortimento das
mais bonii-s p-ipeliua? Iistradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 40# r& o covado, la-
vnU.t-.-e nao desbolaiu ; assim couio, bonitas e
UiOdernas laz.nlus com listras de seda a 64G rs.
o covado. Ditas transparent com palminhas a
500 rs., sao bonitas. Bareges de uma *6 cdr, pelo
barato preco de 400 rs. o eovado, 6 pecbincha :
M rua da imperatriz o. 60, loja de Felix Pereira
da ?u>a.
Cortes de vestidos p-,ra liqnidar.
O Pavao venle a 4-^, 3* e 6* eerie: de cam'
hrai* branca com eofeites bordados de cdr, la-
zeoda que sempre vendeu a 7* e 8*, e liquida a
4* para aeabar. Ditos braneos de cambraia aber-
ta corn listras e lavradinhas, qne sempre se ven-
deram a 10*, liqnrdam se per 5*. Ditos Benoatao
com lindo* ewfeite* d# co*i fazenda qow vai 12^,
liquidam se a 6;. Ditos de eassa de cores com
7 varas a 3* ; e pecbincha : na rua da Impe-
ratriz n 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pecbincha para crianeas.
Meias a 2*500 a duzia.
Toalbas de hastao yara mesa a 2-.500.
0 pavao vende toalhas de fustaa paza mesa de
jantar pelo ban to preco de 2*500, e pechincha :
na loja do Pavao, a rua da Imperatriz n. 60,
lejade F; T. da Si'va.
Grog preto a 1*.
0 Pavao vende grosdenapiea preto a 1* o co-
vado e dahi pa-a nun, ate 4; : na rua da Impe-
ratnz n. 60, loja de Felix Pereira da Silvav
Brim de Angola a it, 2.500 e 3*.
0 Pavao vende cortes dos verdadeiros bins de
Angola a If, 2*500 e 3* ; e pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
_ Metins'a 280 rs:
0 Pavao venie bonitos metins de core* para
vestidos, pe'o barato preeo de 280 e 320 rs. o
covado; assim como, um bom sortimento de chi-
Us* de> todas as cores, padroes modornds e lixos,
pelo barato preco du 280 atti 360 rs. : 4 rtia da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva
MM ha quem ven (fa mais barato!
Gama & Brilo, com srmazem de molhados no
largo da Santa Cruz ns. le 4. vendem rnsnU-iga in-
gleza em barril a 800 e 1,000 rs. nor cada 4S0
grammas; vinho de' maca a r,200 a garrafa, dito
Figueira a 440 a garrafa, a canada a 3,400 rs.,
gaz (Dcvos) liquidoaiJO a garraf:, velas stearinas
a 560 o maco, velas1 economicas a 760 o mac6,
cha peroh a 3,200 n. cadi 430 graiiimas, ditoal-
jofar superior a 3,000 rs. cada' 450 grammas, um
eocipkio sortimento de biscoitos am-latas, qae se
vendem poT preebs baralissimos, bervSlhaS france-
zas a 640 a fata, mafmeTatfa' riiuitd firia *640 rs.
a lata com meia kilo, quetjos frescos', azeite'doe^
de Lisboa a 640 a garrafa, assucar de primeira
soFte a 320 rs. o kilo, dito de segnnda sortea 28
o kilo, dito de terceira sorte a 240 o kilo, vinho do
Porto, em Larfil, a 800 rs a garrafa, dito engar
rafado das marcas mais acreditadas a 1,000,
1,200 e l,5G0;: o qae pode; haver de melhor e
tudo mais a vontade dos compradores, certos de
qne encontrsTao a maror snreeridade e agradc
possivel : no largo da Santa Cruz ns. 2 e 4, arma-
z em deGama & Silva Bfito.
E' sempre assim
AO SfcXO AMAVEt.
A Nova Esperan'eif, i rui Duque' de Caxias n.
63, toma a liberdade do avisar ao beHosexo, que
aeaba de reeeber diversos artigos deaita novi-
dade, os quaes estao expostos a vunda em dilo
estabeleeimento, e bom qae venham aprecial-os
para por esta forma satisfa^4^em, oS caprichos de
suas elegantes toilettes.
A Nova Esperanca, nao qnereadb torbir-se
massante, liraita se a mencionar alguns artigos
dos. mais em voga no mundo das modas, os quaes
Sio os seguintf? :
Lindos dnk do eowe e iWgrana.
Modernos-botdee de aeo para vesti*w.
Novos leques, grandes, matisados. .
Elegantes rivellas de ieff para vestiios.
Delicados ramos de flores deftyatigeflfa'. ,.
Bolsas e* eowo e flltgraas, proprias afB tra-
zer pe*deM ao ciato,
^ lit \ OJEUSE o sitio jimte a igre-
ja de S. Jose do Maogu nho, com casa de, vivenda
assobradada e outras acomtaodaQ5es, todo mura-
do. com *nas freaies <6rvi4as por port56 de ferro,
dando parti a rna d. Amizade e para a do Man-
guinho. Tem de terreeo proprio 194 pakoos de
largura e 354 de fundo ; e a casa mede 91-palmos
de frente e 84 de fondo. A situacao 6 a melhor
possivel para morada1, e quem qniter edificar, tera
bastante terreoo para isto, pek) lado da rua da
Amizade. Tem a'gumas plantacSes de goto e re
creio, bavendo bastante agua foroecida por duas
caeimbas, un-a das quaes e nova. A entender-ie
corn o Sr. Dr. Witrnvio quem o pretender.
Eserava
Para vender na roa, precisa-se alogar uma es
eravit : m rna da Pturm>M a. 22.
Doce, de, caH secco
Vende-se da melhor qnalidade, e preco commo-
do : na rua do Rosario da Boa-Vista n. 44.
Fazendas e artigos de alta
novidade
NA
LOJA DO FA880
ttaa Primeiro de Mar^o n. 7 A.
Cordelro SimOes A C, proprieUrios
leste iraportante estabeleeimento, no louvavel pro-
jrosito de nao desmentirem o conceito qae os
tens nnmerosos freguezes lhes tem dispensado,
teabam de reeeber de sua conta o mais nco tor-
i men to de sedas, popelinas, las e artigos de ul
iraa moda em Paris, e continuarao a reeeber
)or todos os paquetes daquella proeedeccia ; por
sso ebamam a attencio de seus freguezes e os
onvidam a darem um passeio ao sea estabeleci-
nento, garantindo lhes que encontrarao a reali
lade do que fica dito, e para prova dao urn pe
ineno resumo, cujo infallivelmente despertara a
ttenijio dts preteodentes.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
imostras nv dianto penhor.
.vnisos cle alia novidade e
ultima moda.
Cortes de vestido de iinbo guarneeidos de bico
la mesma fazeuda e c6r, trazendo fivella, bolca,
1 -.into, etc etc.
Riqaissimos chapeos para senhora, de cores e
jretos.
Cortex de cambraia braneos com lindos bor
tados.
ni de cores com enfeites da mesma fazenda,
nrino, etc. etc.
Capas de li para meninas e senhoras, guarne-
;idas de arminho.
Yestaarios para baptisado.;
Riquissimas camisas b'Tdadas para senhora.
Leques de madreprrola, para noivas.
Risas colchas de seda, para casameato.
Cortes de seda, lindas cores.
Gorgorao de seda branca e dito preto.
sediohas de delicadcis padrSes.
5et:m Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo preto o damasco de seda.
Grana'dine preta e de cores.
Filo de seda branco e preto.
Sit-as basqnlnas de seda.
Casacos de merino de cores, li, etc.
Manias brasileiras.
Capellas e mantas para noiva.
Cambraia de cores, aitas mariposas brancas, de
ores, lisas e bordadas.
Flor do besque (novidade).
Percalinas de quadros, listras, etc
Brins de linho para vestidos.
FustJo de cores.
Saias bordadas pira senhon.
Grande sortimento de camisas de linbo lisas e
tordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senhora, meninos
meninas.
Sortimento de chapeos de sol para homens e
*nbwj.
Merinas de cores para vestidos.
Dito pielo trancado e de verao, bombazina, can-
to, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linho e algodao para toalhas, e dito
>ardo.
Damasco de li.
Brim de linho branco e de cores.
Setins de lindas cores com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touquim e ditos de casemira
CanrisaB>de chita para home** ("las de fla-
teila.
Ceroulas de linho e ditas de algodao.
Pannos dc crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de lanvriotho.
Ricos cortes de Vestidos de larlatana, bordados,
iara bailes, e larlatana de todas as cores.
Colchas de damasco de li, e ditas de crochet.
Espartilhos li-os e bordados.
Foulard"de seda, lindas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
Popelinas.
Neste artigo temos am varladissimo sortimento,
tao so em gosto como era qnalidade.
Las
:om listras de seda, ditas com pal nas bordadas,
litas transparent e de o :tras muitas quahdad s.
Lavas
le pellica brancas e de cores, do verdadeiro fa-
ricante Joavin.
Finalmente :
apetes para sola, cadeiras, cama, entrada, etc..
ambraias brancas, chitas de todas as qual'dades,
nadabotCes, esguiao, tretanbas, bramantes, algo-
loes, collarinhos, pnnh-s, meias para homem e
enhora, punhos e collarinhos braneos e de cd-
es para senhoras, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencos de linho braneos e de
ores, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
anapos, panno fino, etc., etc.
Loja do l'asso
Rua Primeiro de Marro n. 7 A
antipa do Crespo.
Cal de Lisl>oa
Vende se cal de Lisboa: aa praa oo fntp
Santo n. 17, 1 andar, ercripii ra u; k driguesCavaies de Mello.
Aos cigarreiro3
A NOVA ESPERANCA vend, j-.pel
proprio para cigarr*. de 4rxrus UrgiirM
Imperial fahrica <-e rapi
area fina de Morcira da Bahia.
Oeste excellente rape, one s* frna r*rt .*n*n
davel aos ainantes d* boa puada lem t-u***-
do esla fabric* o sen d>po.-iin a rua d 1 "Sfif
cio n. S, qoe vendem nor junto e a retain*, aV
zendo se vantagem a queiii e< mprir rrit
Olinda
Boa a r q li i w 1 ( 'i o
Vende se um sobrado >ito na paieo 4a Se,
Olinda, edifiea.lo tin cbio proprio, roiajrsaca
accommodates para nvmer a f inilia, red W
cado e pintado de n>'Vo, c >m b-lli-siiua v .
muio Erasn e com quintal: a traur or. pals:
de Pedro II n 6. anda-.
K h. mlii
As almofadas bordadas de la
cebeu a IVova Eapernnra
Caxia* ""
mati-.-irtv r- t-
a rua Plijw m
Lustres, candieiros e arar -
dellas parmgmjs.
Nonovi estabeleeimento, Gran- Kx;
rna do Imperador n. 3-5 junto ao eerlpl -y (S.
companhia do ga/, vendtm-se luslrrs, >1 im t
arandellas de ditTrcnes tamanhos c rr. .:*
gostos, tanto de vidro c mo d^ brotite, ei > 4 >
melhore* fa-irieantes que ha na lngl.tr; a. Tasa-
bem se vendem iMm do b nitta paaraea, r^sssb*
e tudo o mais que ft r preciso para o servr-iar
gaz E ei.iB'i os ioatM de.-te artaaaltSMBtaa* ast-
dam vir de conta propna e se qner< m zerviMar
vendem tudo mais har.ito do que qn.iiqner ea*r>
paia a que os compradores p.d<"ni f\\ rrwfttar.
Alia R.vjdde
Cortes decasimira a 4#,
e 6|000:
Na loja do PavSo, vende-se cortes de ca-
semira para calc,a a 4$, 5$ e 66000, ditos
muito'Gnos de uma s6 c6r com listras ao la-
do, fazenda que sempre se vendeu a 9f e
105J00O, liquida-se a 6&000 para aeabar :
i rua da Imperatriz' n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Para concertar
meias
de Can*.
A-NeVAfiSPERANQA, a rua Duqne
u. 63, recebeu desta necessaria linha.________
A 500 rs. o covado
Na loja do Pavao vende-se lazinhas' japonezas
de' cores' muito modernas pelo baratissimo preeo
de 500 rs. o covado, para aeabar ; notando-se que
e fazenda que jamals se vendeu por menos de
dois crazados ; ja, ha poucas : a rua da Imperatris
n. 60, loja do Pavio, de Felix Pereira da Silva.
Lazinhas brilhantes a 720 rs.
0 Pavao recebeu um bonito sortiment) das mais
lindas lazinhas brilhantes, sendo de quadrinboc
miudinbos, parecendo de uma so cor, e tendo dine
rentes' cores; esta fazenda tem um briihe corns
seda e bastante Iargura, e vende-se a 720 rs. o
eovado': na rna da imperatriz n. 60, loja de Felix
Pereira da Silva.
Lazinhas modemas a 320 rs.
0 Pavio vende bonitas lazinhas de quadrinhos,
tendo do tolas as cor es, pelo barato preco de 320
rs. o covado; sendo fazenda que sempre se venflen
rSWra'., e pechinca : na rna da Imperatriz n.
60, HJMrrmi Pereira da Silva.
Crochets para cadeiras.
0 Pavio vende uma porcao de panos de cro-
chet, proprios para encosto de cadeiras e de to-
las, que vende por precos baratissimos : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
C6rtes de organdy a 2$400.
0 Pavio recebeu ana bo alto sortimento de cortes
de organdy, matisados, para vestido, qne vende
pelo baMtlssimo preco de z'WO o cdrte, 6 peehW-
eha : aa mi da Imperatriz n. 60, loja de Felix
Pereira da Silva.
0 Baraleiro, a rna I* de Marco d. I, a eat" '.*
reeeber grande suriimeiiin de tntr m i ; t ^rthmi
nhos tapados e trausparenles, de t-.ds terrr -
rase vende a 1,000, 1,200 e 1.500, i*r-dmm
sempre MMoa. 2,500; a uma exper encia W4 *
convidamos
Para senhoras
Como sao lindas e moderna< as pra*alMfesa ajaa
i Magnolia, a ma Duque de Caxias a. 45. araaa
de reeeber
Para aeabar.
Saccos e 280 reis
Vende se saccos de estop com um peqo^sc 4k
feito, proprios para ensae.r ruilh (arista Ma, si.
grandes e d' muito boa quilidade e \em> h
diminuto preco de 280 rs -ad* om. e |iCN-Ma*a
vuem precisar approvei o isla a rua do n t> Cs
20,1'jadas tres p- ria- de GuilLern.e k C
mWWmi
A' pracja circular doApolV.
vende-se:
Tijolos de marmore, de dill rentes t*
manhos e qualidades.
Tijolos francezes, MsfHsM.
Cimento Tortlantl ter Udeiro.
Azulejos grandes U:uilo v
para roda|ies.
Azulejos vtrdes <- amarcllos, tTT?rsb
regular.
llaquiuas de descero^nr algo JiD
Cadeiras de ferro, assento d* pc>kr
nba, proprias pnra campo.
Fiiodas Heroiarias
Para
ELECTRO MKDICARS
ligar perfeitamentc e curar nxlitt.
ruente
as prinrim
Essas fnndas estabelecidas hre o eovtsej
mentos raedicaes e anatonicos marrem a rfcr
dnras as mais volumotos e difflreis. imnertnisa t
sen desenvolviitento. Elles teen uma asfVi riee-
trica que na generalidade d> s ca-os t-ptrn assr
cura radical sem que o d"eote se snjei'e a pets
eripcao alguma, a exceprao do d< conritrr* s>*-
las. A cuia opera-se no perioio de 12 a 2f= sw
zes conforme a hernia mais on iseaos ani(ta.
Unico deposito em l'crnambuco, phnrtBr
cia e drogeria de B rtbolorceu Rua larga do Ro.ario n. 34.
Vinho verde.
Especial eliegade no ultimo vapor, i?s> ptr.
vender em barris de qniato e de Cola
decimos, no seu eserintono a rua do G n. 5, Joaquiirt Jo>^ fl'in^alves Beltrio \ F
Traves.
Vende-se traves de louro e qnalidade; para
ver na oaes d Ramos, e trata-se com Joaqnim
Rodriguez Tavares de Mello, a praca do Corpo
Santo n. 17, I.* andar
E' pechincha.
A 160 rs.
Lazinhas de cores padroes muito lindos pro-
prios para vestidos de senhoras e meninas, e ven
de-se pelo diminuto preco de 16o rs. o covad ,
of este preco s6 se ennnntra na rna do Crespo n.
"\ loja ae Guilhejme & C. ; dao se amostras.
Cora dos eslreilanienb d'ardra
pela faoil applica^ao das
SONDAS OLIYAES
DC
GOMMA ELAST1CA
As mais modernas e aperfei^oadas de toda:
as conhecidas
Yendcmse
NA
PHARMACU B DROGAR1 '
Dl
Bartholomeu & G.
34 Rua larga do Rosaro 34
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Lniz d>- Oliveira Ast-
vedo, no seuesCTlpmrio, a rua do Bom je^w- aa
mero 57.
Bom sapateiro
Vende se um escravo aapaleiro de toda ria i
de boa flgura : na rua de Saino Amaro n *. m>-
gnndo andar.
43
Rua Direita n 43.
Acaba de chegar a e-te estatfleeimess* iar
liodo sortimento de chapeos b> pallia 4* isis.
optima qualidade, para seehoras e meoissf, ver
precos baralissimos. Tambem se enca.-rvga de
concertos, garantindo-se a perfeicao do trabame
e bom gotto, ficando inteiramente acves._____

As Biblias falsificadm
00 duas respostas ao Sr. eonego Jt>aquiaa Piaa
de Camp>, pelo
Chnttio Yflkn
Free* > 0
Livraria Ppular. Rua N v n. 5t.
Atlmirem.
Cortinados m tso
0 Pavao vende c>>rtindos b .o.. prprM
para camas e janellas, a 7# o psr. t iKi t
qne logo se aeaba : m rua at Imp-rau'" a. t#.
de Felix Pereira da Silva.
~-+~- '
. 4
.
4


8
Jiario de Pernambuoo Sexla feira 11 de Dezembro de 1874



si
t
RESULTADOS DA CANALISACAO DE
DESPEJO E DA DISTRIBUICjflJ DAS
AGUAS.Em Cardiff, desde que se fez a
distribuigdo das aguas e se eslabeleceu a ca-
nalisagSo do desppjo, baixou a mortalidaie
de 32,2 a 22.G por 1,000, e em Newport de
31,8 a 2t,0.
Peltenkofor calculou que bavoria eai Mu-
nich menos 5i0 obitos por anno se o esta-
beleciinonto da distribuigao da ; uanalisagao dos dejectos tro.xessom apenas
uma diminuigao M mortalidado de 3 pur
1,000. K
A estatistici dos bnspitaes do um grande
liumero do annos apresinta a media de3i
doentes do 20 dias por cada obito.
A diminuigdo do numero de obit is sendo
acompanhada da diminuigao do numero de
doentes, resulta que ao minimo da 510 obi-
tos corresponde o minimo de I7,3i0 doen-
tes por anno, o 340,800 dias do soccorro.
Admittiudo que um dia .ie soccorro com
todos os seus prejuizos se passa avaliar em
470 rs., resulta que a cidade realisaria uma
economia annual de 1Gz':99G;?j00, que a 5
por oento correspondo ao capital de.......
3,259:9208000, imponancia que podia cus-
tar a canalisugao e distribuigao da agua om
Munich com 170,000 babitautes, e o capital
teria um bom rendiraento.
Neste calculonao entram as despezas com
enterros, soccorros a viuvas e orphaos, per-
da de bragos, e a horrorosa miseria que se
pouparia a muitas familias.
AOS SRS. COMMERCIANTES.Segundo
ie ?e da revista seieutifica do Jornal dos
Debates, os Srs. commcrciantesquese occu-
pam em comprar e vender seda e la tem ao
seu dispor a electricidade, afi a de s-i certi-
ficar se sao ou n3o iraudados no seu trafico,
e se podem bem servir o publico.
Para melhor intelligeiicia desta questao,
de interesse geral, transcrevemos na integra
a parte que respeita a- electricidade :
Actualmente nSo se pdle dizer quo a
seda e uma substancia isoladora por exeel-
lencia.
N'alguns tratados de physica, ainda ho-
je se le que duraate as grandes trovoadas e
prudente envolver-se a geiite em seda ; mas
se a electricida le statica apresenta as mes-
mas circumstancias quo a electricidade das
pilhas conao tudo nos leva a crer, os tecidos
sedosos pretos ndo s3o por forma alguma
corpos isoladores, e o raio nao os poupard
mais do que ds fazendas de algo iao. E' o
que purece resultar das interessantes expe-
riences doSr. conde d ; Moncel, illustreen-
genheiro da adrainistrag&o das lianas tele-
grapbicas de Franga.
Recentemente fallamos das investiga-
tes do Sr. conde de Moncel sobre a con-
ductibilidade electrica da madeira. Quanto
mais bumidase a-'ha esta substancia melhor
deixa passar a electricidade ; e o poder con-
ductor, tanto em madeira como em pedra,
esta ligado d quantidade de vapor d'agua
interposto nos seus p6ros. 0 ponteiro de
um galvanometro revela essas curiosas va-
riagdes.
u Quando a electricidade passa facilmente
atravez da madeira, o ponteiro afasta-se
muito; e o seu desvio serve para marcar o
grdo de humidade da madeira. Foi assim
Comprehendor-se ha facilmente at diffe-
rengas de c.nductibil.dado da seda preta, e
da de difforentes cdres, quando se souber
que os fabricantes, ou apparelhadores, (ap-
preteurs) carregam* seda preta, e que ain-
da ndo acharam meio para se entregar ds
mesmas praticas com as sedas de cdr..
As fazendas de se da preta sdo impreg-
nadas com certas materias que se combinam
cum o tecido, e podem augmentar-lho o peso
era propurgau onorme, que ds vezes se eleva
a 300 por cento do peso da seda. Comtu-
do, em condigoes ordinarias, do bom fabri-
co, o augmeuto s6 varia de 10 a 60 por
cento. Quando a carga ndo c exagerada
pdde dar eortas propriedades uteis d seda,
e permiito quo se veuJa mais barata ; mas
torna-se nociva quando. excede os limites
que deixamos designados.
A carga de que fallamos obtem-se or-
dniariameute com passagens 9uccessivas da
fibra sedosa por banhos de saes de ferro e
de tannino.'
Ora o tannato de ferro assim produzi-
do, impregna-se mais ou menos de humrda-
de, segundo o estado atmospherico e a pro-
porgao em quee dado, tornando assim a fa-
zenda maisou menos conductora de electri-
cidade. Na seda do cdres escuras, p6de-se
tambem fixar urn pouco de tannino, mas a
sobrecarga nunca p6de ex-ceder a 10 por
cento ; por isso o tecido e oaluralmente me-
nos bom conductor.
Podem portanto as operagdes do Sr.
conde de Moncel ter applicagao industrial ;
pois e evidente que a conductibilidade elec-
trisa estando em relagio, que a carga da
seda torna facilimo deduzir a* primeira vis-
ta, dos desvios do ponteiro do galvanometro,
a proporgao de lannato de ferro, com que
f u impregnada a fazenda ; os comraercran-
tes teem assim um meio bastante commodo
de verifjcagdo, sabendo iminediatamcnte se
a carga do tecido nao foi exagerada ei de-
trimento do credito do seu estsbelecimeuto,
e, [.or consequeneia, do seu negocio.
Os pannos de linho sao os lecidos que
com mais factltdade absorvem a Uuraidadfc
do ar, e que, por isso, dao mais fortes des-
vios ; quanto mais grosso e o panno, mas a
conductibilidad'a augments.
0 panno de linho grosso cru-, marca
9 grios ; o medio 58 e o muito fino 34. As
fazendas de algodSo e as estopas, tambem
sao rnuito conductoras.
O madapolao da" um desvio de 32 grios, e
o jaconas, do 13 grios.
As indicagdes galvanometricas sao tlo
exactas nessas differenles- fazendas que com
el'.asse distinguem boje os tecidos de H ou
de seda, nas quaesentra algoddo ou bnho.
Assim a orlei commum que e" 18 ealgo-
dao, da* o desvio de 7 gra*os, ao passo que a
Id da- zero, e o jaconas-de igual grossora 15
gra"os : o mesino acontece com o brocatel.*
P61e, pois, a eiectrroidado ser facilmente
applicada a revefar fratwles no cotnnaercio
das fazendas de la e de' seda-. E' esta mais
nma provi de como as investigagdes especo-
lativas podem levar-nos a applicagoes iiapfe-
ja duas companhias para a expljragSodessa
nova induslria e recentemente na tanonria
de Yalleja Ozeratn-se com bons resultados
tentativas para applicar a nova invengio.
Emprega-se para o fabrico das barricas,
papel forte, que se colla folba por folba
e se submetto a a ma grande pressilo, de
modo que o todoadquire uma grande du-
reza.
O papel 4 feito de palha, producto que
quasi uao tem valor algum no Oeste, onde
se queima todos os annos em grandes quan-
tidades.
As bairious teem forma cylinJrica e nao
occupam por isso tanto espago como as bo-
judas de madeira. Uma outra vant8gera 6
que nao pesam senao metade das outras;
sao mais solidas que aquellas ecustam me-
nos 20 por cento.

que o Sr. conde de Moncel conheceu que a
humidade dos nossos moveis varia segundo
.as boras do dia. As mesas, por exemplo,
fazem desviar o ponteiro tanto mais, quanto
o estado bygiometrico do ar e mais pronun-
ciado.
Estas experiencias foram repetidas em
estofos e fazendas destinadas ao commercio.
t Eis como atravez dos differentes tecidos
passa a electricidade.
O autor reconheceu que a conductibi-
lidade das materias texlis depende da facul-
dade que tenham para absorver o vapor da
agua atmospherica.
Contrariamente ao que se suppoe, as
sedas possuem maior conductibilidade elec-
trica do que as ISs. Algumas amostras de
seda preta deram 40 gra"os de desvio ; e as
sedas decflr deixaram quasi insensivel o ins-
trumento. As sedas pretas que offereceram
menos desvios, e que eram de elevado prego
(1G a 20 francos o metro), flzeram desviar
'* gra"os o ponteiro.
Seccas a ferro quente, entre duas folhas
de papel pardo, essas fazendas perderam a
conductibilidade electrica ; mas um quarto
de hora foi sufficiente para que, expostas
n'uma casa a'guma cousa bumida, a recu-
perassem ; e no fim de seis horas, a seda
que antes dera 40 gra"os de desvio, forne-
ceu 80 ; e a que marcira 17, indicou 66.
A IS, geralmente, da menores desvios, e a
cor nSo parece ter influencia nasoa con-
ductibilidade.
Eis tambem a explicagao do phenomeno :
vistas e uteis a humanidade.
ENCOLRAr.ADO BttASlLEIRO,Ng8-s-
taleiros do Senna ha actualmente grande
animagSo em consequeneia do acabamento
do monitor couraQado SoUmoes, consttuido
por conta do governo brasileiro. G^ seu
comprimento ode 75 metros. a largura de 18
e a arjueagao de 4,OGOtoneladas. As-cba-
pasda couraga tem 33 ceutimentros de es-
pessura. a' proa e na re ha uma torre-gyra
toria, sendo cada uma deltas armada de
dou3 canboes d<. peso de 25,000 kilogram-
raas cada am Umgando- projectis de 0,26
centimetros de diametro. Este monitor,
principiado no estaleiro ha apenas seis ma-
zes, deve ser entregue ao governo brasileiro
dentro de dous mezes aproximadameate.
PROCtSSODllUOSO-Acaba deser-deci-
dido em Moscow um processo curioso e que
deu muito que fallar.
A re'.igiosa Mitrophaine, ex barooeza da
Rosen, superiora de um convento edirec-
tora de uma confraria patrocinada pela ia-
peratriz da Russia, foi accusada de ter fal-
sificado notas n'uma grande quantidade,
representando uma somma elevada. No
processo havia 103 testemuchas. 0 tribu-
nal, convencido do crima cjue a re era> ac-
cusada, condemnou-a a* privagio de todos
os seus dtreitos civis e a deportagSo por 3
annos e meio para a Siberia.
A falsificagSo das notas era feita, no con-
veDto em que estava na qualidada de supe-
riora.
BARRICAS DE PAPEL.Ha mezes foi
pedido em Washington o privilegio de uma
invengao que consists na arte de fahricar de
papel, toda especie de barricas empregadas
para a conservagAo e transporte de assucar,
fru:tas, cat, farioba, etc. Organisaram-es
ANE^DOTA E.NGUAgADA.Vamos dar
nolicia de uua senna ongracadi, que se diz
ter occorrido na estagio dc banhos, em
Uoyest, peqoena povoagSo de Pescadores,
onde a adim.o-tragSo munfeipal parece es-
tar muito atrazada no que se cbama pro-
gresso.
No mez de agosto especiafntento, e a 6po-
ts em quo aquelle srlio se torna mais- eon-
cori'ilo, send'* entio impossivel encotrtrar
metade do- ouinero de quartos para bai>bos
que ae tornaui uecessarrs.
Os-banhistas- mostrav*n-se deaconteHtes1*
Fallou'-se em aproveitar o barcos de pesca,
o que era absoftstamente hnpossive). Cada
um interpellava* este respeito a autoridade,
represenrada pelo- guarda dae/ielle lugar,- o
qu.il se l.'mitava a dizer em mao ailetnSo :
Isso no- me compete d mivn ; tomai o
numero de ordem dbs vossos quartos.
Pois hem, se a< autoridade local n8o
da* providenoias parr ae satisfazerem os pji
didos dos hobitantes da localrdade, estes-
dwpensarao osquartoSr exclamoa- um dos
concurrentes.
- Isso' naa-e" possively respondia logo o
gusrda.
Tanto e posiivelj. replicou o-mesmo
iodividuo, quo o ides ver. Eu vou despir-
Iraeaqui mesmo-^ao ar livfe.
Prohibo qu se faga-somelhante cou-
sa-, disse o guarda. Ha um regutamento
que- vosobriga aaa>trar no banho con- um
fato-proprio.
Ceirlamente.
BmqBanto durotr aquelle oolloquio, tinha
o mdivrdno de que-setrata despido o easa-
cc e o eoliete. E ilizia mais: preparava-se
tambem para tiraras calgas.
Intao ooviram-ssgritosde-espanto de to-
dos-os ladus ; eram- das senhoras que pre-
seoeiavBGB esta $ceoan
Toda3, com um gesto instrattivo levaata-
ram as soas delicadas maos para os rosibs
encantadores, ate errtao exposios is ligeiras
brizas-do oceano.
O guarda pela sua parte nao estava m&-
nos espatMado, e nSo -eessava as suas repre-
heuwes. Mnal como os maohia*stas n'um
tbeatro quando tratao de nmdar as decocs*
go?* com a maior presteza, tkr'i repentiaa-
meitte as-calgas I ma* oh I *, >-7ji 1 estwra
vestklo convenienteoiente, com. o fato de
banho segaado o regulamento.
W.ds. disse eile. ao represantante da
autoridade, que nao- deixei do-coraprir a ie-
gahdade, por isso que n8o deiso de me
apresentar vestido conao prescreve o reguia-
inento qae invocais t
Dito isto, julgo deter faeer-vos os rseos
cumprimentos.
E ei-k> a entrar na agua, ligeiro como
Apollo. E tudo isto na bocbeoba da auto-
ridade. Da-se ess* noticia como verdadei-
ra nao obstante vir indicada como aneedo
ta.no iornal que a extrahimos,
Omarrador accrescenta, quo logo que as
senhoras puderana contemplar livremente o
banbista, se apressaram e- retirar as maos
do rosto. Quam foi pois, que Jprevenio
aquellas senhoras de que ja nao tiuham
nada que receiar t
A COMPANBIA DE PAQUETES DA MA-
LA REAL IN&LEZA.0 Journal f Com-
merce de Liverpool publicou em 26 de ou-
tubro um extenso artigo sobre a historia.
desta compaobia, bom conhecida em Portu-
gal e no B-asil ; dollu extrahimos os seguing
tes periodos-:
A companbia Royal Mail Sleam Pac-
ket (Mala. Real Iogleza), foi no seu pricci-
pio semelhante A maior parte dias emprezas
publicas; eucontrou muitos obstaculos e
alguns revezes ;. foi, porera, tambem diffe-
rente, porquo o seu comedo foi logo em
ponta grande, em lugar de pequeno, e for-
te, em lugar do fraco.
0 primeiro contrato que asta compa-
nhia fez com o governo do S. M. B. para
a conducgao de malas tem a data de 20 de
marco de l&iO.
Acompanhia, quo se havia formado
com um capital de 1,500,000 lfbras princi-
piou a carreira para as Autilhas em Janeiro
de 1812, recebendo do governo de S. M.
B. um subsidio annual de 240,000 libras
pela couducgSo das malas.
Em 1843 resolveu a companbia tomar
sobre si o seguro dos seus vapores.
Em Janeiro de 1351 inaugurou a su
carreira de paquetes para o Brasil, sendO
osta a primeira companhia qae levou malas
do correio para a America do Sul em vapo-
res. Em 1832 o governo inglez elevou o
subsidio anuud pela conducgao d.is malas
do correio & cifra do 270.000 libras
Em principij do 1872 resolveu a com-
panbia augmentar a carreira do Brasil e Rio
da Prata para carreira quinzenal, emlugarde
mensal, e em 1873 comegou amand.-r mais
um vapor por mez &> Autilhas, tenob pro-
sentcmonte 5 partidas por mez do porto de
Southampton a saber: 3- vapores por mez
para a An.iluas, e 2 vap^>re3 por icez para
o Brasil e Rio da Pratt.
Nao sa p6de concltur este artigo sero
rander boineuagem ao caracter dosta com-
panhia. Primeiro que tudo- e um facto sa-
lieule e que prendu a nossa attengao que
deste 18i2, quando a companbia conegou
as siras- earreiras', nao tern bavido falta al-
guma Mas sahidaodos seus vapores-, coin a
pequenia excepgio de quando o ^averno in-
glez previsou de tanti>s destes vapores para
o tra'jsporte de tropes durante a guerra da
Crimea.
Bseusado & dizer que durante o espago
de muito* annos as operagdes da companbia
Ceeoi coutinrndo com a regularidade de um
chronometroy de maoeira quo os negdeiau-
tea ood-j n saber o- dia e quasi a hora em
que- qualquer dos vapores da gran^fe frota
Jest* eompanhia chegara ou sahira de qual-
quer porto. Esta'pontualidade causa maior
admirs^ao, quando se tomar em con&ide-
ragao a magnitude e comptesidade das ope^
rago^s da companhia, porque, c >mo e
jsabido, alemdas viagens transadanticas^pera'
las Antilles e Brasil, a companbia sustenta
uma carreira entre um grande numero de
ilhas e reruns nas Indias Occidantaes.
E' tambem muito digno de louvor o
facto de que a regularidade das ias viagens
e iojoalada pela sua seguranga.
O' estadV florescete do fundo de reser-
gosto que se queira comrnunicaf Ihe; no
tim de alguns segundos os buncos absor-
vem o licor, qu j se depositara" no interior
da fructa ; repita se duas ou tres vezes a
operagSo no espago di dez dias e deixa-so
*o.adurecel-a. Por este processo obtem-se
en toda a especie do fructas, effaitos verla-
deiramente maravilhosos pela variedade dos
sabores djicoubecidos ate boje.
FOLHETIM
: psiucesa dos UBSiiras
MYSTERIOS EINTRIGAS DA COR-
TE DE FELIPPE V.
POR
FERNANDKZ GONZALES
VOLUME I
PRIMEIRA PARTE
4s Tres Espernncas
CAPITULO V
KM OUE OAUrOR, EM QUANTO EL-REI DORMITA,
SE OCCUPA DA PRINCEZA DOS URSTNOS.
fCootinuacio do n. 282)
II
Cnmtuio a princeza tinha um grande
inimigo : na sui repatagao como mulher,
s nos seus costumes galantes.
A sua historia era uma success5o de
avonturas escandalosas que tinham feito
rrutto ruido.
Casada aos dezesete annos com Mr. Adria-
ns Bhtsa do Talleiran I, principe de Chaais,
hem I^pressa seu marido teve que abando-
uar a Franga. por causa d'um duello com
(js irnjtflos Ls Frftt, o cavalleiro de Saint-
o e o marq.iez de Argelien, provoca-
, j se sabe, porquo lev:anlados de
Abdu ?laria, das quaes a chronica escan-
lalosa le Versailles tomou nota.
' de Talleyrand levou-a comsigo para
Italia, onde morreu pouco tompo dapois,
Ueixii'io-a viuva, moga, forraoss, gaiapte
va na sua conta de seguros dos vapores e mersbine appa^eceu moito agitada na ma-
e pobre, mas cheia de engenho, de vizeza e
ambig8o.
Os dezeseis annos que decorreram desde
a morte de Talleyrand ate que, devido aos
bons officios dos cardeaes de Boullon e de
Estres, Anna Maria casou com o duque de
Bracciano, da familia dos Orsioi, foram
para ella nma serie nSo interrompida de
galanteios, de intrigas e de eseandalos.
Durante este tempo tinha sido amante
dos dons cardeaes seus protectores, e tinha
inflaido n'elles a* ponto de tomar parte nos
negocios de Roma, adquirindo uma repu-
tagao que poderia chamar-se de mulber de
estado, que Ihe conquistou uma posigao in-
fluente, primeiro em relagao A madama de
Maintenon, e depois em relagao a* Luiz
XIV, que a jnlgou o agente mais a* propo-
sito para a sua pobtica na cdrte de Hes-
panha.
Em 1698 adoeceu gravemente o duque
Flavio Orsini, duque de Bracciano, seu es-
poso, e tlo ternos desvelos lbe prodigalisou
Anna Maria, que o duque, que pelos seus
galanteios tinha estado quasi a separar-se
d'ella, perdodu-lhe, resliluindo-lhe o seu
affecto a" ponto de a instituir sua univarsdl
herdeira.
Anna Maria entrou na posse da magnifiea
m^bilia do fallecido duque, e de immensos
valores de prsta lavrada e pedras preciosas ;
ma< deixou-lhe grandes dividas, qneseco-
briram com a vend a do rlaca lo do brac-
ciano.
Tao ma* repuiacAo"lcancira Anna Maria,
que um sobrinao do papa Innoceuciu II,
pan-nto muito chegalo do fallecido duquo
la Bracciano, pagou a ouorrae somra? de
sete milhoes de reaes. com a simples con-
digao de que Anna Maria nao ficasso c oom
titulo do seu defuuto esposo.
Concordou-se u'isso, e, desde entao,
adoptando um meio termo e alterando no
Gom, senao no fundo, o appellido Orsini
do duque de Bracciano, chamou-se prin-
ceza dos Ursinos, titulo qae Ihe foi reco-
nhscido pelo papa.
Esta mi reputagao como mulher era um
grave inconveniente para a princeza na
cdrte de Hespanha, attendendo a* severa e
indomavel dulicadeza moral das altas da-
mas hespanholas, com as quaes se achava
em intimo contacto em razlo do seu cargo
de carnareira-m6r.
Alem disto, Anna Maria servira se no
palacio de Madrid do galanteio, em proveito
da intriga.
D. Joao de Santivanez, filho d'uma fa-
milia nobre e rica, guarda d'el-rei, dera
motivo & murmuragoes, que prejudicarm
muito a princeza e concorreramjbastante
para que Anna Maria fosse cbamada por
Luiz XIV, e afastada da cdrte de Hespanha.
Santivanez era a creatura mais propria
do mundc para servir de espiao i princeza
na cdrte.
A sua posigao, a sua figura, os seus ran-
dos galsntos, facilitivam-lbe relagoes com
toda a gente, e os seus modos sympatbicos
inspiravam a conianga universal.
Santivanez enamora*ra-se exageradamen-
te da princeza, porquejesta para o utilisar,
quizora para ello se enamorasse.
Estes amorps nao tinham ultra passa do
os limites d'um galanteio.
a prova mais eloquent que possa haver da
imraunidade de sinistros que a frota des-
ta companhia tem gozado. A perda do Li
ffey oi unicc'sinistro que tem tidona cor-
reira do Brasi!:e Rio da Preta desde que
inaugurou &*&& servigo, ha pert j de um
quarbode seculo; Os vapores da^ compa-
nhia sao dignos de louvor por serem mo-
delos de limp plina.
a. Finalmenlo a companhia pode- ufanar-
se do que sustentaum servigo dos is ex-
tensos e dilliceis, com uma velocidade, se-
guranija-e regulasdade qjte nio tens igual.
LElLAO-DECfc'RIOS'DADESi-N* dia-
de novembro foram postos era lei'.So, em
Londres, os objestos pessoaes, que perten-
ceram ao Dr. Littngstono, durante as suas
exploragoes scientineas peso centro da A-
frica.
Lma velln mania, um par de polainas,
e ume-luva da mao dircita fora vandidos
por 4 hbras estertinas; um filtro e um co-
po de couro. por 5 libras ;. uma velba es-
pingarda do dous-canos, por 8 libras e 10
shillings ;.sete pnttos de metal por 3 libras
e 15 s. ; quatro cagoulas-oum bule de cha*
por t lb. o 15 s..; quatro tigellas de metal
por 1 lb.
0>|total da venda produzio 28 libras
sterliuas e 4 sli.
A maior parte dos cempradores tencio-
nara. offerecer esses objestos A divarsos mu-
seus. Todos elles- foram- declared s-authen-
ticos- pelo Sr. Bridhoe, eonsui de. Inglater-
r,.e pela commissio catbolica de Zanzibar.
A maior parte dejles estao tambem raencio-
nadosna obra.do Sr. Stanley : llvw I found,
Livingstone, Como descobri Livings-
tone.
\ AOS ARBORIGULIORES.Um habil. ar-
boricultor acaba do ver coroados os seus
longos trabalhos e multiplicados ensaios,
pelo mais importante resultado. Segundo
as suas invostigagoes sobre a propriedade
das essencias na seiva das arvores fruclife-
ras, chegpu a dar as fructas nio so. o mais
exquisito sabor, mais tambem introduzir
artiflcialmente no corpo de qualquer fructa,
crescendo na arvore, un> liquido qwe trans-
forms inteiramente o seu gosto.
Eis, segundo uma folba estrangeira, a
demonstragao n'uma maga, po exemplo :
faz-se-lhe, por meio de uma agulha grossa,
vacios buracos profundos, submerge-se im-
mediatamente o f rue to em um vaso que
contenha o licor qae se desejar, segundo o
A princeza aspirava A mais alto, e nao
podia satisfazer-se com ser amante, ou mui-
to, esposa d'um filho segundo de casa rica,
cujo talento alids nao podia eleva la A um
primeiro logar da cdrte.
Anna Maria ser via se delle como nm ins-
trumentoque interesseiramente se lbe ape-
gara; nio tinha, porem, oontado oom a vai-
dade de Santivanez.
Ascartas intencionies da princeza que
poderiam interpretar-se era favor de Santi-
vanez, foram por este apresentadas em se-
gredo a* todo o mundo, e todo o mundo
caegou a crer que a princeza favorecia San-
tivanez d'um modo decidido, cousa de que
se valeram os inimigos de Anna Maria, os
quaes viam com inveja e raiva que ninguera
podia chegar junto dosjovens reis, senSo
passando pelas forgas candinas da vontade
da princeza.
Felippe V e Luiza de Saboya eram os uni-
cos que ignoravam as suppostas relagoes de
Santivanez e <*e Anna Maria.
A pulitica de Luiz XIV enviava-a nova-
mente a cdrte de Hespanha ; mas Anna Ma-
ria aobava-se envolta em oomplicagdes que
lbe era necessario dominar, rodeada de in-
convenirntes que poderiam erabaragar gra-
vamcr.t! a sua marcha senao conseguisse
desfazer-s' delles.
Por io, quando na estaUgem de Tara-
cjiia, ouvio o noma do Santivanez, poz-so
pallida.
Mr. Amelot ongandra-se portanto quando
julgaraqne a princ6ia dos Ursinos se com-
movera por am motivo amoroso ao saber
que Santivanez estava ferido na estalag^rn.
Era deraasiadaraente profundo 0 coragio
CAS0 EXTRA0RD1NARIO.-0 Pail Mall
refere o s 'guinle f icto, que devemos. notar,
e extrahido das folhas americanas. Eis o
caJBO, quo o Pail Mall declara ter siJa um
incideutd muit) penoso, succedido em Pbil-
lipis-GouDty. Trata-se do uma agradavol e
eueanladora meuina Miss Booraersbine,
que mor.eu por circumstancias taoextraor-
diuarias eomo dolorosna
Segundo a exposigao feita pelo Troy
Chief, havia um anno p men m;is ou nJenus
que uma familia da Georgia, de origen* al-
iemS, chamadwBoomersliFne, se estibeleee-
ra na linhi dsroestede PurKipps-Couuty.
Miss Boomarabine tiuha ceotrabido o ha-
btto extraordinario de comer loio da rua,
era- qualqjor parte-que o ouooatrava.
Infulizmento no somego do verao, appa-
reeeram os gafanhofjs no distrhto em quo
viriatn os Boomersbine, e logo depois co-
megaram a depdr os ovos nos jardins. nos
carapos,. e ao longo des estraias.
Pouco tempo tinba- decorrido, quando
Miss Booraersbine comec^u a queisar-se de
dores internas, apresentaulo symplomas de
uma natureza lao assu&tadora, que provo-
cou a mais serfa anciedade eulre as pessoas
das suas relagoes. Entaotraoquillisou^se o
seu cap?icho de comer o Mo, mas via-se
continuaniente aquella meuina mascar pe-
dagos deherva, espigas, folhas eoutros ve-
getaes. Muitas vezes diza quelles que a
cercava, qpe se senlia como se tivesse aza&[
e pudesse uoar.
A familia assustada e inquieta, com jus-
ta razao, fezchamaroDr. Le Due,de Pbil-f
lippsburgo, o qual ooofessou uao tar nunca
visto, nom nesmo U4o, um caso semelhan-
te, eque na-sua optniao aqueHa senbora>
era victim* de uma allucinagao mental.
O seu desejp de voar continues ate o dia
em que os ga5anbotos. comegaram^ a elevar-
seeasabir do-dtstrioto. A meraoa Boo-
uba em que cotnigaram a retirar aquelles
ii>sectos tao pr*judiciaess
Conservou-sa d janelia, conlsraplando
raetaneolicamente os ompos d'onile se le-
vantavam naveaas de gifanhotos ;; agitava
muitas vezes as maos-, apresentaado no
semblante a expvessao do seu desespero.
Todos a cercarvam com as suas sympa
.'lias, no meu- da compaixao, vivamente
impressionados pelo seu-estado. Mas do
repeote, como cbedecendo a uma far^a so-
brenatural, a Sw" Booiaershine precipitou-
se para o lado da fora da janelia, agilou os
bragos como se tivesse azas, e elevando um
des pes no ar, cabio depois- morta no solo.
Por um exaraa post mortem qae- o Dr.
Le Due fez ao cadaver, wvelou-se u facto
exiraordioario ; o corpo daquella mfoliz es-
tava cbeio de g3iiuhotos.. Os instinctosda-
qnelles insectos duterminaiiam-na c-emigrar
como os demais gafanbetos, e forama cau-
sa que produzio-a morte daquella aenina.
Bepetiremos> esta nolicia, vem ia Ame--(
riea.
EXECUCAO.Nodia 16 de novembro as
8 boras da maoha; foi executado em Win-
chester, Thomar Smhb, soldado do 20/
regimento de hussars, comdemm^r? 4 morte
por homrcidio prM:oado m pessoa do capi
tao do mosmo regimento J >hn Dent Bird,
no dia 12* de seteosbro altimo no aearapa-
mento de Allershot, na oceasiio emque o
reo com os -seus camaradas, no numero de
20, fazendo exercicie de tor> disparcu a sua
earabina contra o dko-capita*.. O motivo
d'este crime foi ter o assasaiaalo applicado
na vespera a-pena de-T^dias'de p-rnar.-n
cia no quar^l e de *xnca> ao hemicida
por este tersahido da-fana mm lioenga.
O'soldado tinha 16 annos d* STvigo sera
nota, e o capkao era hoHdoso e geralmente
estiraado no regimento.
Tbomaz South depois de con lenundo
confessou o crime, matron arrept.iliio
& contricto. 'leivou arm tooga meraoria
.em que agradace aos seas porentes os a-
ulios que lbe prestaram na sua desgraga.
e-por Ihe terera eonstituidw tun aivegado
que o defender ; agradsee ao pai do defoato
oapitao Bird a> raagoaniraadflde com que lbe
perdoou ; dd di versos coHselbos aos caraara-
das-; e pede aos officiaes- qua ougam a*
querxas e recbmag08s dcs-soldados parcoto
Ihes darera oeeasiao a dlinquir.-ra.
O erime foi comraettida- no dia 12 do-ae-
tBinbro, o reo foi julgaio. do tribunal oivil
com jury no dia 28 de owtobro ; em 46 dia.-
:oi iustruido o processo e profuri ia a sei.
tenga que passou em jlgado, porque itlla
so- barecurso-icorda, a-em 19 dias foiaxa-
cutada. Sera preterigao-de formula alguma
do processo, e com todaa- as garantias da
defeia, 65 d-as depots do crime expiava o
criminoso naforca a sua cutpa.
OBSIRVAQJS) -CURI0SA.O effeito d*j
iuz, considerada como causa do despertar
da-vida, no reino vegetal, acaba d ser oh-
servado, perto. de Atbeaas, pelo Dr. Von
Hendreich, em circumstancias bom curio-
sas. E' sabiio que as roinas de Laurium,
que originaram longos~e animados debates-
diploruaticos. consistent, pela maior parte,
era escorias provenierUes de exploragoes dos
antigos gregos; mas contera ainda muita
prata que bojese extrae segundo os prooes-
,sos aperfei^oados pela arte moderna.
Ora, nassis escorias dormia, pelo n enos
q amit e qpinhentos- annos, a- semen'.o de
uma papaveracea do genero glaucium ; e
assim quo as escorias foram tiradas para ser
levadas aos fornos, no espago que etlas co-
briam, nasceram.as lindas corollas amarelias
daquella tlordasconhecida A sciencia- mode-
rna, mas que se ha descripta por Piinio e
Descorides, e qjue desapparecera da superfi-
cie da. terra ha quinze ou vinte seculos.
Os PRETENDENTE TlCHJJOftNE. Mr.
Kenealy, advogado do pretendente Tich-
borne, no julgamento criminal que ultima-
ntente so veriQcou no tribunal Queen's Bench
devia assistir no du It do novembro em-
LoQghhorougb a u.aa reuaiao publica a fa-
vor do seu cliente, mas sao comparecau, e
raaodou uma cacta na qual dizia que a
doeoga era o motivo porque faltnva.
Mr. Guildford Onslow tomou o lugar da
presidencia, de&tinado a Mr. Kenealy.
de Anna Maria, para que nas suas escuras
profundezas podessem ver alguma cousa os
olbos de lynce diplomatic do experimenta-
do presidente do parlamento de Paris.
Um outro incoveniente surgira diante da
princeza naquella mesma ostalagem-
Era a filba da cigana : a pobre Maria da
Agucena.
Que ndo era cigana, demonstravara-n'o
a total carencia nella dos signaes caracteris-
ticos da raga cigana : tinha a pelle branca,
os cabellos louros, os olhos azues.
Anna Maria, ao ve-la, ao aderinhar os
seus dezesete annos, lembrdra-se d'um dos
successos mais iraportantes, mais transcen-
dentes, mais decisivos d que a sua vida de
aventureira deraorigem, successo que esti-
vera A ponto de esgotar a inexgotavel pa-
ciencia do excellente duque de Bracciano,
edar logar A om separagao detinitiva.
Aquelle successo recordava-lhe uns lou-
cos arc ores, que tinham gerado uma filha
dada A luz em segredo, e que em segredo
Ihe for3 arrebatada apenas nascida.
A' princeza dilatdra-se-lhe e opprimira-
se-lhe ao mesrao tempo o coragao, quando
vio Agucena junto do cadaver deCinta, de-
pois deterencontrado Bizarro,. que Ihe dura
um masso do papeis, cujo sobscripto era do
punho do duque da Bracciano, o ao mesrao
tempo lh-3 recordava uma data torrival para
ella. y^
Apezar disso, Bizarro pedira-lhe ptolecgao
para sua mulher e para sjift-fllna, que ti-
nham ficado na povoa^S^f.
Anna Mariani'aviaavd, soffria, e estava
ao mesmo tempo nr,!??a por couhecer o
Mr. Min:aly na sua carta quaixava-se dos
seus iinmigosquecouseguiram fazel o rijear
da matricula dos advogados, privaodo o as-
sim de ganbar a vida pela profissio qae
exercia autes de ter aJquiridous meio* pre
cisos para snsteotar a sua fimilia. Cora
isto, concluia el'lu, completirim a rainhi
ruina rematando asaira a ob.j co.n gada
pelos tros juizes, quando se convencoram
que eu nao abandonava o meu cliente Ro-
gero Tiimborne, e que naa atraigoava a sua
causa. Espero d'entro e n pouco apresentar-
me diante de vos e dizer-vos- o que ser de
um dos mature; crimes qae se tem ci-
meltido nos tribunaes dn jusliyaquero di-
zer, da iojasla con lemnagdo de Rogero
Ticbborne.
Osalvogidos de GrayUlou d.-dannra
que a nolicia puLnrtrjJ.i por Mr. koo-ja.y
de ter si lo riscado >Vr lista dos adragadose
menos exacta, a qoestao da sua e*:lo*ao
deve sir ainda discutida oireuuido soldm-
ne de 26 de novembro, & qual Mr. bene>|\
ha do ser cbaraado para ex-pluar < sewpro-
cediravnto como editor do-jornal Enyiiih-
man.
Alem d-'isf) Mr. kenealjr hi de ser jul-
gado uo tribunal central ciimunl por ca-
lumaia contra lady.Pitendr.iigh, ttemunha
do aeeaBMffn na processo do preieii leuU
Tichborno. Jfesta causa quo so d\)v julgar
n> dia 23 uV corrente e test.; clcukj o pre-
ten-fonte Ti;hborne, actualmence- preso era
Milbaok.
A SAUDB DO PAPA.Parece qpe dee
motivo d nolicia de acnar-se doente o papa,
o seguinte que um correspondente M Ro-
ma mandou para o fkitly News :
. Hoje de raanba. Pio IX devia recebor
ama deputa^lo. So momento, porem, em
que ia a entrar na grand* sala de recepgao
foi accommettido do uma grande fraqueza e
obngado por isso a rc-tirar-se. Os medico-
asseveram que isso-nao foi senao uma ligei-
ra indisposigio, da.qual nada ha reeiar.
A PWULAgAO.DO GLOIO TKRRLSLRI
Qual e a populagao do globe lerrwtre
Um artigo do Sr. Charles Boissay, pufclica
do na Nature, resomindo di versos tra
balhos estatisticos, calcula-a am 1,391 mi
Ihoes, que so subdivide do saguinte modo
300,530,000 na Europa; 798^20,000
na Asia, comprehendendo a Malasia ; .
203,300,000 na Africa; 84,543,000 it
America ; a 4,438,000 na Oceania.
A populagao terrestre augneatara, pro
vavelmente pelo menos, a ciffl de um mi-
Ibao e meio, no fim de preseote sacalo
Nao ba motivo sendo para nos regozijarmos
com esta progressdo, prova do an augmea
to de bem-estar e da durac.ao da vida mi-
diav e fonte, a seu turno, de um accrescicac
de prosperidade, porque Leu wenhack calcu
lava, jd em 1722, que se toda a ttrra fosst-
povoada e cultivada como os Paizes-Rauj-
o eram nessa epoca, o nosso globo sustec
taria mais de 13,000 milhoes de habjt>a
tes.
conteiido dos papeis sobrescriptadot. pela du
que Bracciano.
Mr. Amelot eogandra-se tambem 4 res
peito da causa da commogao qae notira na
princeza A vista do cadaver deCinta.
Da sua parte Anna Maria vira com in-
quietagao que o joven Felippe V seocupira
de Agucena mais do que era para deaejar
Portanto a princeza, em quanto parecia
dormir, pensava muito e muito. mui gra
vemente pensava Felippe V, e muito pensa-
va tambem Mr. Amelot.
Entre as quatro pessoas qae iara na car
ruagem, a unica que nio pensava art Ma-
ria Agucena.
Nem podia ; dormia aoiquillada pela dor
devorada pela febre.
A carruagera chegou finalmente A Gua-
daUjara.
Moraentos antes Felippe v fingio que das-
pertava, mandou parar, desoau da carraa-
gera e raontoa A cavallo.
Anna Maria, Agucena e Mr. Amelot an
traram no palacio do duqne Jo infaotado
ondejd a esperava a c.iadagera particular.
que mais como amiga do qae como raipba
Ihe prepardra Luiza de Saboya.
Sem so deter, Felippe V coat Most o ca
minho d cavallo para s) reanir A rainhe.
que estava emjCanillejas A espera da prth-
ceza, ejwta, com o pretfxto de descancar a
djvnSudar de fajo, depois de ter entrefac
Agucena ao cuid*do das suas daraas, n-
cbou-se n'uma camara do palacio e irapa-
ciento e nervosa abrio o masso de papa*
quo o c/gauo lbe havia c_troguo.
__________________(Conftntaar-ae-Ae)
TYP DO DIAR10, -BttArOQCE DK CAtfT
/
*
)
1
-


t,

J_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E60W1KZW6_OKD0H0 INGEST_TIME 2014-05-27T23:11:38Z PACKAGE AA00011611_17667
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES