Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17665

Full Text
!

\

ANNO L. MJHEKO 281
MBA A CAPITAL E LU6ABES OYDK r*jo K PAGA PORTE.
For tree mexe* arMautadoa. ............. 69000
?orseiditoidem..................139000
for urn anno idem..................84*000
Cada namero avulso................. 9330
TERCA FEIM 8 DE DEZEHBR0 OE 1874
PABA DE\TROE FOBA DA PROVINCIA.
Por.treimeiestdiantadoi. %<.......
Pop teis ditos idem...............
Por note ditoa idem...............
Por am anno idem, .... .
MARIO DE PBMAMBUCO
PR0PRIEDADE OE MANOEL FICUfelROA DE FARIA FILH0S.
* Irx.Ger.rdo Antonio Alve, A Filho., no Para; Gon^e. 4 Pinto, no Maranhlo; Joaquim Jorf de Olireir. 4 Filho, no Ceari; Antoifc de Lemu. Bra,., no Aracaty Jolo Maria Julio Out** no Art; Antonio Market fa Silt. Ratal- Mi.
Pereira d'Almeifa, em Mamangn.pe ; Carlos Amende Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jose Gome.. naVin* fa Penh. $ le'armino do. Santo. Bnlcio, em Santo Ant* ; Domingo. Jo* fa Cortalrafa. em We*,
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna : Joao Antonio Maebaeo. no Pilar dat Alagta Alvet d C.,m Bahia; e A. Xavier Leite d C. v Rio Janeiro-
PABTE OFFICIAL
Minis!erlo do Imperio.
Por despacbo de 25 de noveinbro :
Foi nomeado cavalhei'ro da or Jem de S Hen to
de Aviz o capitao do 5* batalhao de infantaria, ju-
liio Augusto de Serra Martins.
Foi eoncedida :
A Auloaio (Lines Moreira, reroruiado no posto
de alferes gradaado do exercito em consequeneia
deferimento re-ebido em combate, a pen^ao an-
nual de 337*100, a qua!, reoui-Ja a quantia de
9if900, qae ia percebe como 2 sargeuto, perfaz
a sonoma de 'tiii, equivalente ao soldo de alferes,
d6pendendo, porem, esta merce da approvacao da
asserablea geral
Foi naturalisaio o rabdito porluguez Bento Pe-
reira Fernandes do Cartuo.
MiiiiNlerio da justica.
Por decretos d,' 28 d-j uovembro :
Foi remevido, a seu pedido, o jaiz municipal e
de orphaos, Xilderico. Araritie de Faria, dos ter-
mos rannidos de Melgacj e Oeiras. na prcvinciado
Para, para o de Vicosa, na provjncla do Ceara.
Foran oomeados juizes muuicipaes e de orphaos:
0 bacharel Mathias Nnues Bandeira de Mello,
dos termos rennidos do Ceara-Mirim e Touros, na
provincia do Rio Grande o None,
0 bacharel Maaoel Ventura d; Barros Leite Sam-
paio, do termo do Soccorro, ua provincia de Ser-
gipe.
0 bacharel Pedro Wenceslao de Mello e Cunha,
do termo de Saquarema, na provincia do It,j de
Janeiro.
0 bacharel Joio Antonio de Barrow, do termo de
Jahii. na provincia de S. Paalo.
0 bacharel Jose Fortunato da Silvein Bulc5 >,
do termo de Pindamonbagaba, da mesma provincia.
0 bacharel Francisco Rodrigues Seie c'llho, dos
termos reuusdos de S. Matheus e Barra de S. Ma<
theus, na provincia do Espirito Santo ; licando
sam effeito a sua nomeacao auterior para os ter-
mos rennidos do Diamanuna e Rosario, na provin-
cia de Matto Grosso.
Forara reconduzidos no lugar de juiz municipal
e de orphaos :
0 bacharel Manoel Rodngues da Cunha Vianna,
< dos termos reunidos de Jardim e Acary, na pro-
j-vincia do Rio-Grande do None.
! 0 bacharel Francisco de Paula Araujo e Silva,
do termo de Pelotas, na provincia do Rio Grande
do Sul.
Fez se merce" da serventia vitalicia do- oQicios
para que foram provisoriameoie nomeados pelos
respectivos presidentes :
A Joao Bezerra dos Santos, dos offlcios de 2*
.;.Jeiluo e es :nvio das execucoes civeia e crimes
do termo de Pianco, na provincia da Parahyba.
A Joao Baptists Kego Cavalcauti, dos de 2* ta-
belliao e escrivao das KXeeoeSei civeis e crimes
do termo de Santa Luzia do Sabugy, na mesma
provincia.
Fez se lambem merti- ao alferes Francisco An-
tonio Pereira Pinto da serventia vitalicia dos oHi
Governo da provincia
EXPKUIG.NTE DO DIA 21 DS AGOSTO DK 1874.
1.' secftio.
Acto :
0 uresidente da provincia, attendendo ao qae
requereu Manuel Gomes da Cruz, resolve conce-
| der-lhe liceuca para ir ao presidio de Fernando
i de Noroniia, no primeiro vapor que para alii se
! guir, tratar de seus aagoelo*. e bem assim levar
em sua companhia os generos constantes da rela
cao junta, assigaida pelo secretario da presidea-
cia, os quaes nao poderao ser desembareados rla-
quelle presidio, sem que por parte do respectivo
commandante, se proceda a exame, afim de se ve-
rnic.ir se existe aguardenle ou outra qualqner be-
bida espirituosa.
OlBcios:
Ao brigadeiro commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de mandar por era liberdade o
recruta Ernesto Ira de Villa Flor, que provou
isencao legal.
Ao roesmu.Sirva-se V. Exc. de raaodar pOr
em liberdade o recruta Feliciano Raymnndo No-
nato das Fiores, que provou isencao legal.
Ao director do arsenal de guerra. Para
que se possa revolver sobre a materia do sen in-
cluso olOciu de honiem datado, sob n. 682, que
me sera devolvido, declare Vine, emquanto orca a
despeza com o material preciso para os reparos do
lelhado eoutros lugares da companhia de apren-
dizes artiGces e das i-Qldnas de.-se arsenal.
Ao mesmo. -Constando de otScio da inten-
dencia da guerra, datado de II do corrente, que
no transptrte Wer'nccA;, sao remettidos para esta
provncia 31*6 volumes, contendo muniQues de in-
fantaria e um maloie para modelo, conformecons-
ta da reia^ao junta, deixandj de aeorapanha los o
competente conhecimento por falta dos precos das
dilas municoes, o qual sera enviado na primeira
opportunidade ; assim o declaro a Vmc. para seu
conhecimeuto, preveniudo-o de que no mesmo
transport.- sao lambem remettidos 21 volumes
com igdaes municoes aestinados ao Rio Grande do
Norte, para onda deverSo segnir na prim-ira oc-
casiao.
Ao conselho de coinpras do arsenal de guer-
ra.Autoriso o conselho de compras do arsenal de
guerra a prcmovera acquisi^ao dos objectos cons-
tantes do incluso pedido do respectivo almoxari
fe, com destino a companhia de aprendizes artin-
ces do mesmo arsenal.
2.* secr.uo.
Offlcios :
Ao desembargador provedor da coroa e so-
berani i nacional.Digne-se V. S. de emittir o seu
parecer a respeito da consulta do commissario de
j policia do Limoeiro, relativa a incompatibilidade
Augusto da Immaculada Conceicao Alves, coadjo 4 geccao
tor da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves desta Oflteio :
cidade a sua congrua correspondent ao tempo Ao i^ipector geral da instruccao publica.-
decorndo do ! ae jaoeiro a 7 de marco do cor- Commuoiep a V. S. que S. Ex^. o Sr presidents
rente aunoju coiitbxmidailaJia^uicluiij atlestaiu. da proiBd- f*Am*t- pw'o*^hr 1* e -W do
Ao mesmo.-Ao delegado do termo doTrium-, correule, remover os professore^ Miguel Archanjo
pho ou a Balbino Telles de .Jenezes. raande Vmc da SUa Braga. de Lag* Grande para a cadeira
pagar a quantiade 7b 000, constante das iuclusas da Gloria de Goiia. e Torquato Laurenfio Fer-
contas, despendnia nos meze3 de junho a novera-; reira de Mello, de Quipapa para 0 Rio Doce-.
bro do anno pas>ado com 0 sustento dos presis I sm wi-an
pre
pobres da cadeia daqnelle termo, na conformidade
do que solicitou 0 Dr. chefe de poli:ia em offleio
dehontem datado, sob n. (.Oil.
Ao mesmo.Declaro a Vmc. em additamen-
to ao meu offleio de it do corrente, que devem
ser descontados pela quinta pane os vencimentos
de um mez, que maodei adiantar ao sargento da
I guarda local do municipio da Victoria, Jose An-
II inio de Farias.
Ao mesmo.~Na conformidade do que solici-
tou o Or. chefe de policia, em offleio de 19 do
corrente, sob n. 1,030, mande Vmc. pagar ao sar
gento da guarda nacional, Candido Ferreira de
Olinda Gampelio, a quantia de 76*000, constante 1
r?as contas juntas em duplicata, dsspendida nos
raexes de marco, abril, junho e julho deste anno,
com 0 sustento dos presos pobres da cadeia do
termo do Triumpho, bem como com os mesrnos
presos em viagem para esta cidade, no corrente
anno.
Ao mesrao. -Mande Vmc. pagar ao palre
Manoel Jose Pereira de Albuquerque, coadjuctor
da freguezia de Tracunhaeoi, a sua congrua cor
retpondente ao tempo decorrido do t de dezem-
bro do anno passado a 20 de abril ultimo ; uu
conformidade do incluso attestado.
4.' seegtio.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da provincia do Rio
Grande do Norte. Anuuindo ao qne solicita no
requerimento janto, que me sera devolvido, 0 an>-
pe^ada reformado do 47* corpo de vnluntarios da
patria, Francisco de Paula Soares, rogo a V. Exc.
se sirva de providenciar no sentido de ser remettida
para aqui a guia da referida praca anm de podei
ella receber sens vencimentos pela ihesonrariu
desta provincia, onde esta residindo.
Ae inspector geral da instruccao publica.
Remetto a Vmc, para os fins convenientes, couia
das informacoes prestadas pelo juiz de direit > da
comarca de Villa Bella, em offleio de 9 do corren-
te, relativamente ao professor Jeronymo Theoto-
nio da Silva Loureiro, ora removido da villa do
Triumpho para 0 Exu.
Ao provedor da Santa Casa de Miseriwdia.
Communico a Vmc, para os devidos fins, que
por ae .u de 20 do corrente, nomeei 0 Dr. Joaquim
Correa de Aranjo para o lugar de vice-provedor
entre esse cargo eo de vere'ador da caraara muai- jdessa Santa Casa, em subslituicao ao bario do Li
cipal, devolvendo-me ooportunamente 0 offleio j vramento.
Ad mesmo.-Faca Vme. rrWrtar a Jants ad
junto.
Ao Dr. chefe de policia.E.n resposta ao of-
ficio de V. S., n. 1,039, d bontem, acompanhanda
a copia de outro do delegado de policia do termo
da Escada, tenho a dizer-ltn que 0 desconto diario
que tem de ser feito aos gtrardas locaes e de cem e
nao duzentus reis, como suppoem os mesmos guar-
5.' seccao.
Offleio-.
Aogerente iotarino da comnanhia peraam-
hucanaS. Exc. oSr. pressidente da provmcia
fica inteirado de haver se trausferido para ama-
nlia, as S bora* da tarde, a viaiiein para os porlos
dj none, do vapor Giquid, dessa companhia, em
em virtude da excessiva baixa da mare, que hoje
ba.
KSPACHOS DA P;iK>|[)RN.:iA, DO DIA 5 DE DEZEMURO
m 1874
Antouio Luiz de Oliveira Azevedo. Inforrae o
5r. Dr. chefe de policia.
Doming is Marques da Silva Iuforme o Sr. ins-
oector geral da instruceao publica.
HanaoeU tfar.a de Oliveira.Tendo o filho da
*upplicante sido posto em lioerdale desde 26 do
Jz paasado, nada ba que Jeferir.
raeose Iguaciod'A villa.Deferido com offleio desta
data ao thesouro provinciaL
Joao Duarte Carneiro Monteiro.Encaminhe-se.
Kacbarel Mauoel Aunes Jacome Pires. Enca-
iniuhe-so.
Capita^ Man el Pereira Magalhaes. Cerlifique.
I; i h.irtl Manoel Goaies Viegas Junior. Informe
o Si. inspector do thesouro provincial.
Dr. Pedro de AthayJe Lobo Mjscoso. Conce-
da-se.
Visconde Valmur, do reino de Portugal.-Infor-
ms o Sr. Inspector do the-ouro provincial
6.' anno, clinica. Marcos Affbnso Monteiro Franri^rn rt* i
da Costa Reis, approvado eom d.stinccao ; Jose i vn.WlLn ^tZ '
Celestino Scares, Octavio Ellene, approvados plena-
inenie.
3* ttnno, pharmaceutics. Anhnr Augnsto
Pires Halfeld, Benedicto Delgado Motta, approva-
ls com distinecao; Eugenio Jose Ferreira Bap-
tista, approvado pienameoie; Franciseo Jayme
Torres, Tito de Sa Macedo Carvalho, Fortunato
Raymundo de Oliveira, approvados simplesmente.
ae eseola po-
Resultado dos exames do.dia 25
lytecbnica
1' anno, 2' luvma. Jose Dionisio Heira e
Mathias da Costa Barros, approvados plenamenle ;
Guilherme Francisco de Souza Bastes, approvado
simplesra*nte. Honve am reprovado.
/ anno, 3' turma. Rodolpho Fortes Diniz
Junqueira, Sebastiao Ferreira de Sant'Aona, e
Leonardo Francisco de ofnajo, approvados piena-
mente ; Aprigio Jose dos Santos Junior, appro?a-
do simplesmente. Houve dous reprovados.
1' codeira do 2' anno. Joao dos Reis- e Seo-
za Dantas Sobrinho, approvado simplesmeate.
Houve um reprovado. '
1* codeira do 3' ano. Bacharel Eloy David
Benedicto Ottoni, Jose Francisco Cantarine-, Bnnto
Francisco Sayao Lobato de Bulhoes Carvalho, e
Angnsto Carlos da Silva Tiles, approvados plena
mente.
Monteiro '-res, Jain da *
da Roc ha FVaates.
approvados simplesmente.
Desenio do 4 amm. Jefe Pere#a Porraz.
Caetano Cesar de Campos, Jose de MafalMea, .u-
BWto Seturnino da SHva Diniz > Jnlio Alves da
i.tinba, approvados Dlenameote ; Archias Eanp^iv
da Rocha Medrado, approva4o mpWmnt
Iksemko do 3* anno. Orrmpio P. KJngues jb-
tunes. Jose Lopes de Castro Jnoior, Ejeauiel Cw
re"a dos Santos Jnnior e Hboorio Gomes Pre n
CoDtinho, approvados ptenamenv; Bajai Fraa-
cisco Sayio Lobatc- de Btilnoes Canaan*, appt.
vado simplesmente.
- -
Resnltado dos exaaes do dia 29 na Kj-uldaI-
de Medieina :
/.' owno medico.Jbte Owrio dV Sate paio e Raa-
doipho Margahdo da Silva, approvados pl-oam* i
te ; Joao de Souza Scares, Urban. > Burlamaqi -
Castello Braneo. Eduardoda Silva Kelly e Mano;l
Maria da FoneeNa e Costa, approvados simple
mente.
2.' anno medico.Matbeu Hercalaeo MonieM
Nogueira da Gama, approvado simplesinente.
3.' anna medico. Virplio dos Sntrx Wernek.
Eugenio Marcondes Homem de Mello. approvad* s
pleoamentfl ; Jose" Pereira da Sirva, Manoel Ant -
| aio Jose Nieolao e Satarniao Ferreira de Carol*..
2' codeira do 4" anno. Domingos Sergio de
Saboia e Silva, approvado eom distinecao; Jose
Carlos Torres Cotrin, Alfredo Eugenio de Almeida
Maia, Joao Pereira Ferraz, Francisco H inorato de. o
Moura Junior, e Julio Alves da Cunha, approvados \ ""J? Feaa%- i....."J. p!aBamen
plenamenle a-anno pharmaceutico. Joao P.odri7UM d
Desenho do 5- anno. Lucrecio Angusto Mar- ?2E e Peiro fi?!ff AndraJe, approTa-
approvados simplesmente.
Houve urn reprovado.
5.* anno Manoel Carls' Cleto Mbreira. La.'
Jose Mendes, Alberto Leite Rlbpiro, e Nicau ,r d
ques Ribeiro, approvado plenamenle ; Joaquim
; dos plenamenle ; Jose Vicente Maromdes Romeir
Jose Ignacio de Mello, Jose' Joaquim de Sa Freire 5 "*** Adolpho de Cerqueira Caldas, approva
e Fernando Pereira da Silva Continentino, ""- ido* ;
vados simplesmeate.
appro-
jmmnmammK
ciosde 1'Ubelliao e escrivao privativo d orphaos, das e representa^aquellejunccionario.
eapellas e residuos do ^erujp^j3q_ Pianco, na pro-
vincia dj- AMFJyfiS:
Ministerio da fazenda.
Por decreto de 25 de novembro :
Foram nomeados para o conselho fiscal da
oaixa econ.imica e monte de soccorro da provin-
cia do Maranhiio : president*, o bacharel Fran-
c.sco de Meilo Coutinho de Vilhena.
Membros, Jose Rodrigues Vidal Junior, Manoel:
loncalves Ferreira Nina, Roberto Beacketh Hall
a Jose Maria de Preitas e Vasconcellos.
Foi nomeado o bacharel Leonidas Cesar Iiurla-
maqae para o lugar de procurador fiscal da thesou-
raria do Piauhy.
Ministerio da guerra.
Por decreto de 25 e portarias de 26 de no-
vembro foram nnmeados para a secretaria de es-
lado dos negocios da guerra :
2 official, o amanuense Camillo Augusto dos
Reis.
Amanuenses, os praticantes. Andre Cordeiro de
Negreiros Lobato e JulL de Lima Franco.
Por decretos tambem de 23 do corrente foram
transferidos : o major Raphael Fernandes de Lima,
do 3" para o 12 batalb4o de infantaria, e deste
para aquelle batalbao o major Manoel de Aze-
vedo do Nascimenlo.
0 capitao do i regimento de cavallaria ligeira
Augusto Ernesto Esirella Vilieroy, para o eorpo
de estado-maior de 2* classe, de conformidade com
o art. 26 do regulamento approvado pelo decreto
a. 772 de 31 de marco de I8b'l.
0 capitao do 1 corpo ;de cavallaria da provin-
cia de Matlo-Grasso, Ernesto Ferreira da Silva,
para a 3' companhia do 2' corpo da mesma arma
da de Goyaz.
Foram nomeados professores adjnntos do carso
de cavallaria e infantaria da provincia do Kio-
A i juiz de direitode Citnbres. Nesta data
approvei o orcamento organisado pela reparticao
dasobras publicas, na importancia de 435^380,
jara asobras supplementares, que Vmc. em offl-
eio SftlJLde raa' oRinio, diz serem precisas nos
reparos que-^jj ^siao fazendo na cadeia dessa vil-
la, e autonsei o >spectivo engenheiro chefe a
mandar executa-los pe)(o.ar,rematanie dos referi-
dos reparos ; o que coramunici,a Vmc. para seu
conhecimento, esperando de seu 'Aatr'otismo que
empregara a mats seveia fhcalisacaf) em sua exe-
eocao. ^
Ao commandante superior do rouinkipio de
Olinda.-Nao tendo V. S.
dado, cumpritaento ao _para os fins convenientes, communico
que Ihe foi ordenado em circular de 28 de\ontubro qae nesla data deferi o requerimento de
ministrativa dessa Santa Casa que, para ter solu-
I cao o requerimento, pedindo ao governo imperial
| que sejam despacbados, livres de direitos, os me-
dicamentos, fazendas e outros objectos que teem
vindo e hao de vir da Europa, com destino aos es-
: tabelecimentos de caridade a car^o da mesma
! Santa Casa, faz-se necessario, segundo aviso do
ministerio do imperio, de 3 do corrente, n. 7,002,
que ella fixe a quantidade e qualidade de ditos
objectos, na conformidade do 2* do artigo 14 da
; lei n. 2,348, de 25 de agosto de 1873.
Ao mesmo. -Para resclvnr sobre o requeri-
mento de Demetrio de Azevedo Araorim, a que
allude Vmc. em seu offleio de 10 d- corrente, sob
n. 85, cumpre que informe se o referido Demetrio
tem o dominio util do lerreno n. <7, denominado
Sitio Zumbi a titulo vitalicio, ou perpetuo, bem
como, se o aforamento foi feito na forma da Ord.
Liv. 1% Tit. 62, 45.
Ao regedor inlerino do gymnasio provincial.
a Vmc.
Antonio
proximo passad, mande com urgencia prouder a Athanasio de Araujo, pedindo a admissao de i
qualihcacao da guarda nacional sob esse comnran- oiho Francisco, nesse instltuto como alumno inter
do superior do servico activo e de reserva, tentfo' no. Assim respondo ao seu offleio de honiem da-
em vista o 6 do art ! da lei n. 2,393 de 10 de g^,
setembro ultimo e enviando-me opportunamente o g. ieCrao.
respectivo mappa. Mutatis mutandis aos com- Offlcios :
mandantes superiores dos monicipios de Bonito, Ao engenheiio chefe da reparticao das obras
Hores, Rio Fonnoso, Goyanna, Nazreth, Pao d Alho publicas.-Approvo o orcamento na importancia
e Escada. ae 433^380, que acompanbou 0 seu offleio de 17
- Ao commandante do corpo de policia. Ao do corrente, sob n. 238, para -js obras supplemen-
commissano de policia do municipio do Labo, Ber- tares da cadeia da villa de Ombres, e autoriso
nardo Ferreira de Barros Campello ou a quem Vmc. a mandar executa-los pelo a/rematante dos
por elle se mostrar devidamente autorisado, man- reparos primitivos, segundo propoe no mesmo
de Vmc. fornecer uma baioha de bayoaeta, fazen- i offleio.
do a competente descarga. ao presidente da junta de classificacao de
Ao mesmo.Ao sargento da guarda localdo escrav^s do municipio da Escada. Communico.
municipio de Jaboatfo, Sebastiao Raymundo Ca
minha ou a quem por elle se mostrar devidamen-
te autorisado, mande fornecer dez sabres.
3.' seccao.
Officios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para os fins convenientes communico a V. S que
por aviso do ministerio da justca de 10 do corren-
te, solicitou-se do da fazenda que babilitasse essa
thesouraria com a quantia de 450S para pagamento
Grande do Su!, os pnmeiros tenentes do 4* bata- da ajuda de custo do bacnarel
lhSo de artilharia a pe, Jose Felix Barbosa de Oli- Vieira de Mello, juiz municipal
veira e Luiz Mend.is de Moraes. ,
Concederam se
Ao ex-lenente
Eduardo Pereira
de volantarios da patria, Joao
Borges, aa honras do posto da
Joaquim Manoel
e de orphaos do
termo do Triumpho.
Ao mesmo.De aseordo com a sua informa-
cao, constante do offleio de hontem datado, sob n.
345, sine H, deferi nesta data 0 requerimento em
teaente do exercito em attencao aos servicos que D Maria Jos(5 de Jesus de releva55o da rau
prestou na eampanha do Paraguay. lu qoa Ihe foi imposta pelo collector das rendas
Ao amanuense do hospital mihtar da corte, Jote ; ^ de Ipojuca70 qae COmmnnico a V. S. para
dos Santos e Oliveira, a aposentadona que ped.o, *eu conhecimJeQ,0 e devidos effeitos:
com 0 ordenado por inteiro, de conformidade com Ao iT,egmo _ProviaeDcie V. S. para que se.
^^A^KtX^i^r^J^/'i*r^io^^ de emancpacao de escravos
os arts.
decreto n. 778 de 15 de abril de 1851, visto contar
niais de 30 annos de servico, e achar-se inhabili- 1
tado por molestia para 0 desempenho de sens de- j
veres.
Foi perdoado ao I* cadete sargente qnartel-mes- j
tre aggregado ao 14* batalhai de infantaria, Carlos
Agostinho de Castro Vianna. 0 resto da pena de
seis mezes de prisio em fortaleza, a que foi con-
demnado por seatenga do conselho supremo mili-
tar de justica de 1 de julho deste anno.
Por portaria de 24 do corrente, foram transfe-
ridos :
Da secretaria da intendencia da guerra para 0
escriptorio do_ ajudante da mesma intendencia 0
do municipio da Escada, 0 livro em que se tem de
fazer a classificacib dos mesmos escravos, confor-
ms foi sulicitado pela respectiva junta em 16 do
corrente.
Ao mesmo.Tendo nesta data autorisado 0
conselho decompras do arsenal de guerra a pro-
mover a acquisicao dos objectos constantes do pe-
dido junto por copia com destino a companhia de
aprendizes artifices do mesmo arsenal assim 0
commnoico a V. S. para seu conhecimento.
Ao mesmo.Por despacho desta data resolvi
abonar as faltas dadas pelo promotor publico da
comarca d-; Cimbres, bacharel Joaquim Francisco
amanuense Joao Baptists Soares de Meirelles, e de Barros Barreto, de 19 a 28 de julho proximo
desle escriptorio para aquella secretaria 0 amanu
ense load Jose Fernandes da Cunha.
Do 16 para 0 13* batalhao de infantaria, 0 al-
feres Mathias Lull Cesar de Mello.
DeSS:
Concedeu-se .3 alferes reformado do exercito
Antonio Raphael Floquet, licenca para residir na
provincia do Pari.
Foram concedidas ao escrevento de 1* classe
do arsenal de guerra da cdrte, Jose de Oliveira
Santos, 30 dias de licenca, na forma do regula-
mento, para tratar de sua satide.
Foram transferidos : do 3 para 0 1* batalhao
de artilharia a pe 0 1 tenente Carlos Augusto de
Castro Andrade.
Do 4* para e IS* de infantaria, 0 tenente Jesuino
Melchiades de Souza, e deste para aquelle batalhao
0 tenente Severiano Nuues.
De 26, foi transferido para 0 13* batalhao de
infantaria, 0 tenente do 4* da mesma arma Pedro
Nieolao da Silva Telles,
undo ; 0 que declaro a V. S. para 03 devidos
fins.
Ao inspector do thesouro provincial
Communico a Vmc. que nesta data approvei 0 or-
camento na importancia de 435^380, que remet-
teu raeo engenheiro chefe da reparticao das obras
poblicas com offleio de 17 do corrente, sob n. 238,
para algumas obras supplemental na cadeia da
villa de Cimbres, contorme propoe 0 juiz de direi-
to da respectiva comarca, e autorisei-o a mandar
executa-los pelo arrematante dos reparos primi-
tivos.
Ao mesmo. Mande Vmc. pagar a Antonio
Harinho Falcao ou ao seu procurador, capitao Sa
muel de Sa Montenegro, conforme solicitou 0 Dr.
chefe de policia em offleio de honiem,sob n. 1,040,
a quantia de 63*900, constante da conta junta em
daplicata, despendida no mez de julho ultimo com
0 sustento dos presos pobres da cadeia do termo
de Ouricury.
Ao mesmo.Maude Vmc. pagar ao Revd. Fr.
a Vmc. que nesta data autonsei a thesouraria de
fazenda a reraetter a essa junta 0 livro de que
trata 0 seu offleio de 14 do corrente.
Portaria :
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
navegacao a vapor facam transportar a corte, por
conta do ministerio da marinba, no vapor esperado
do norte, os recrutas destinados a armada, Lau
rianoJose de Sant'Anna e Caetano Tbomaz de
Aquino.
EXPEDIINTE DO"SECRETARIO.
2." seccao.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.S. Exc. 0 Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S., em
resposta aes seus officios de 19 e 20 do corrente,
sob ns. 1,030, 1,040 e 1,041, que nesta data se
expedio ordem ao thesouro provincial no sentido
de serem pagas as pessoas indicadas per V. S.
as qnantias constantes dos cilados officios e prove-
nientes de sustento dos presos pobres das cadeias
dos termos de Triumpho e Ouricury.
Ao commandante superior dos municipios
do Bonito e Bezerros.De ordem de S. Exc. oSr.
presidente da provincia, communico a V. S. qae
nesta data foi autorisado 0 inspector da thesoura-
ria de fazenda a mandar pagar aos negociantes
Moreira & Braga os vencimentos do destacamento
da villa de Bezerros, relativos ao tempo decorrido
do 1* de julho a 5 do corrente, conforme solicitou
esse commando superior em officios de 4 e 9
deste mez.
Por esta secretaria se comraunica ao Sr. al-
feres Jose Faustino Marinho Falcao que na thesou-
raria de lazenda se acha o titulo de sua nomeacao
para 0 cargo.de I* tabelliao do publico judicial e
not as do termo de Aguas Bellas. ilatntis mutan-
dis : a Lonrenco Tiberio da Costa, 2* tabelliao do
publico judicial e colas do mesmo termo ; a Mi-
guel de Queiroz e Amaral, 2* tabelliao do publico
judicial e notas do termo de Ingazeira idem; e a
Raymundo Florentino dos Santos, 1* tabelliao do
publico judicial e notas do termo do Triumpho
idem.
3.' seccao.
Offleio :
Ao inspector do thesouro provincial. De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, remet-
to a V. S., conforme solicitou, mais 20 exemplares
impresios do regulamento expedido em 30 de ju-
nho ultimo, para esse thesouro, 20 das disposicSes
comptementares incorporadas ao regulamento da
reparticao das obras publicas, de 24 de feveretro
deste anno, e 10 do regulamento baixado em 27
de julho proximo findo, para a cobraoca dos im-
putes de consumo.
(agencia telegraphica havasreuter.)
\i-\v 1 ork de dezenabro. Na
mengaiem que blr. i.iani. presi
dente do Kniartos-I nirio* da Ame-
rica do Norte. dirigio boje ao eon-
;-ri'nmi smerleano, diz elle que
uiautem tie ait relac6ett amij;avels
com a* ptitenclas eg (\iTprae da republica de Venezue
~a, diuleuldadea. *dense documento die
elle qae a presence situacao da
iii-apauha em relacao a Cuba, po-
de ira/i'r no fimiro a neceasidade
SfU <-oiivW nif'nle se |ir.ila nnn pa
Kamealos em moeda de ouro no
anno de I89G. e os baucos livres ;
e que a polilica sngulda aie agora
par;*, com os eslados do sul da re
publica dos Estados-ljntdos, conti-
uuara ate que seja organisada a
nova legislacao.
Usboa S. -Procedente do icrasil,
ncaba de rliegnr aqui o paquete
fraiice/. SENEGAL, da linba de Bor-
deos
..um!res 5. A lava do desconto
na praca rontinua a ser de cinco
e cinco oitavos por cento. Conso-
liilados de tres por cento, for account,
ex-dividenoo, a Ol / Fnndos brasl-
leiros de cinco por cento, do anno
de iscr.. a IOO. Cafe 1 ealmo t pre-
cos lirmes sem alteracao; o ear-
regainenlo do navio IDA, do Rio. foi
vendido a *-! m. por cwt para Tries-
te. Assucar t inuito calmo 1 precos
com tendencla a baixar t o masca
vado bom de Pernambueo n. 8 a
SI/6 por cwt.
Liverpool 5.Algodao : muito cal-
mo 1 precos com teudencia a bai-
xar s veuderam-se boje dez mil
fardos.scndo novecentos e cincoen-
ta procedeutes da America do Sul 1
o kair de Pernambueo a * d. por li-
bra. Assucar calmo ; precos Br-
ines sem mudanca.
Antuerpia 5.Cafe 1 idem ; idem.
Havre .'.. Cafe t muito calmo 1
precos com tendencla a baixar.
Algodao 1 calmo 1 precos flrmes
sem alteracao 1 o ordinario de Per-
nambueo a 8 francos per SO kilo-
lkamburgo 5. -r Cafe 1 transaccftes
iu.\*i nullas ; precos nominaes.
MiTi-gellia 5.-Cafe 1 nauito calmo ;
precos com tendencla a baixar.
iMsiiiiir : o de Pernambueo a SO
francos par 50 kilogrs.
\e-Vor -.&. Cafe 1 transaccdes
regulares ; pVecos muito flrmes; o
do Rio fair IV 3/4. e o good a 18 1/4
crnts por libra. Algodao t medlano
uplands 14 3/4 CBNTk por libra t as cbe-
gadas de boje ao portos ameriea-
nos elevaram-se ia trinta e sels mil
fardos
Rio de Janeiro Camblo sobre
Londres boje SO/14 d. bancario, e
26 3,9 d. particular. Aqui chegou
boje o vapor ingle* HYPPARCHUS.
Babia 9. Camoio sobre Londres
hoje SB 1/8 d. ba/ncarlo.
OR.
RIO DE JANEIRO
26 DE NOVEMBRO DE 1874.
Resultado dos exames do dia 25 na Faculdade
de Medieina :
i* anno medico. l_ j0se Franeisco da Veiga,
approvado plename,nte : Manoel Camillo de Oli-
veira Penna. Viriatb de Cerqneira Caldas, e Agos-
tinho Vieira de Magalhaes, approvado simples-
mente. Houve urn reprovado.
2.* anno medico, Francisco de Paula Valla-
dare;, li:6 E>*vt* de Andrade Botelho Junior,
Jose Moreira da Sj|v Junior, approvados plena-
mente ; I'roperaio Pereira da Silva, Rodnliiho
Benevenuio Garhier, approvados simplesmeuie.
3* anno medicb.Francisco Corbinianode Aran-
tes Franco, iappfcvado com distinecao ; Braulio
Joaqai'Ji Gomesl approvado plenamenle; Alfredo
Marlins da Silvk Marcos Rodrigues de Jesus Ma-
deira, Ednardofia Silva e Oliveira, approvados
simplesmente. /
4* anno. [Julio Bahia de Oliveira Durio,
Thomaz WathAy, Frederico Augusto dos Santos
Xavier, CesarU Naxianzeno de Azevedo Motta Ma-
galhaes, AntorJo Alves de Azevedo Nogueira, Luit
Telles Barrettt deiMeneies, approvados simples-
mente.
5* anno. -{Ca.rlos Barbosa Goncalves, appro-
vado plenamete,; Francisco de Paula Fraga,
Francisco doeifotos Correia, Luii Mario de Sa
Freire, approwjos simplesmeate.
27
Resultado dos exames do dia 26 na Faculdade
de Medieina:
i* anno medico. David Eloy Benedicto Ot-
toni, approvado plenamenle 1 Jose Mariaoo Alves
da Silva, Antonio Augusto do Amaral, Tertuliano
Cesar Gonzaga, e Pedro de Azevedo Souza Netto,
approvados simplesmente. Hiuve um repro
vado.
2* anno medico. Jose Carlos Ferreira Pires,
approvado com distinccio; Chateaubriand Ban-
deira de Mello e Beoedicto Alipio Meira, approva-
dos plenamente. 11 ,uve dous reprovados.
3' anno medico. Oscar Lamagnere Leal Galvao,
e Antonio Manoel da Costa Barros, approvados
plenamente; Jos Luiz Moreira de Barros, appro-
vado simplesmente.
4* anno. Lycurgo de Castro Santos, approva-
do com distinecao; Alberto Henrique Duval e
Franciseo Soares oernardes de Gouveia. approva
dos plenamenle ; Jacinto Alvares Ferreira da
Silva, approvado simplesmente.
5' anno. Jose Bernardino Baptista Pereira
Netto, Joao Ribeiro de Almeida Netio, Jose Maria
Pereira Monteiro e Jacmtho Jose de Carvalho,
approvados plenamente.
6' anno. (clinica.) Antonio Jose de Fa
ria, Francisco Ferreira Alves e Jose Lopes da
Silva Trovao. approvados plenamente.
3 anno pharmaceutico. Basilio Rodrigues de
3ampos, approvado com distinecao ; Joao Fernan-
des da Costa Thibao, approvado plenamente : Sal-
vador Jose Pereira de Almeida e Jose Vieira Pires,
approvado simplesmente. Houve dous repro-
vados.
Resultado dos exames do dia 2G na Eseola Poly
technica:
i* anno, 2' turma. Francisco Dias de Arm-
da Falcio, Francisco Braziliense da Cunha Lopes
e Luiz Correa de Brito, approvados plenamen-
le. Houve um reprovado.
1* anno, 3" turma. Leonardo Alfredo Ribei-
ro da Costa, Joao 8aptisla Randolpho de Paiva e
Joao Felix Peixoto de Azevedo, approvados plena-
mente; Raymundo Jose Ferreira Valle Junior e
Augusto Tavares Freire de Andrade, approvados
simplesmente.
2* codeira do 4 anno. Jose Pereira Rebou-
cas, Jayme Arthur de Ivahy, Augusto Satornino da
Silva Diniz e Jose de Magalhaes, approvados plena-
mente ; Caetano Cesar de Campos e Gustavo Adol-
pho Sauerbroner, approvados simplesmente.
i* caieira do o* anno. Francisco Van Erven,
Jose Antonio da Costa Gama Juuior, Carlos Alber-
to e Antonio Joaquim da Costa Couto Junior,
approvados plenamente.
Uesenho do 4* anno. Luiz de Anhaia Mello,
Joaquim Francisco Leal Junior e Francisco Hono-
rato de Moura Junior, approvados com distinecao ;\
Pantaleio Jo*e da Costa e Souza, Alfredo Coelbo
Barreto, Ricardo Henrique Ferreira Valle, Jose
Maria Fragoso de Mendonca, Domingos Sergio de
Saboia e Silva, Joao Baptista Maia de Lacerda,
Jose Carlos Torres Colrim, Alfredo Eugenio de
Almeida Maia e Ploiinio Soares, approvados plena-
mente.
28
Resultado dos exames do dia 27 na Faculdade de
Medieina :
1* anno medico. Jose Viceote Marcondes Ro-
meiro, Joaquim Antonio de Moraes Danlas, Fran
cisco Ferreira de Macedo e Dermeval Jose da Fon-
ceca, approvados plenamente ; Germans da Rocha
Carvalho e Jose Alves Guimaraes Junior, approva-
dos simplesmente.
2* anno medico. Leonidas Peixoto de Abreu
e Lima, approvado plenamente ; Luiz de Drum-
mond .Navarro, approvado simplesmente. Houve
um reprovado.
3* anao medico. Luiz Bernardes de Moura.
Garcia -Neves de Macedo Forjaz, Francisco Gual-
berto de Souza, Jose Baptista da Costa Azevedo e
Luiz Antonio Nogueira, approvados plenamente ;
Martinho Alvares da Silva, approvado simples-
mente.
5* anno medico. Francisco Luiz Tavares,
Domiciano da Costa Moreira Junior, Constantino
Machado Coelho e Francisco de Paula Ferreira Vel
loso, approvados plenamenle.
3* anno pharmaceutico. Jose Carlos do Patro
einio e Gustavo Adolpho da Sihreira, approvados1
eom distinecao; Alfredo Jose de Oliveira, Jose
Eduardo de Macedo Soares, Luiz Augusto de
Loyola, approvados plenamente; e Sebastiao Ca-
tao Caltado, approvado simplesmente.
"~
Resultado dos exames do dia 27 Eseola Polyte-
chnics :
i* iinno, 2* ^'irma. Francisco Carlos Ancora
da Luz, approvado plenamente ; Alfredo Ernesto
de Souza e Antonio Adelino Kitjeirc do Valle, appro-
vados simplesmente. Hoove um reprovado.
1* anno, 3' turma. Arthur Norouha de Oli-
veira e Antonio Correa da Costa Junior, approvados
plenamente; Jose Tbomaz de Aquino e Costa,
approvado simplesmente. Houve um reprovalo.
i" codeira do 3 anno. Alfredo Hervey da
Silva, Amerieo Werneck, Alfredo Henrique. Pache
co, Jose Angusto Brant de Bulbdes GarvaVao, Joao
Baotista Ortiz Monteiro e Rodolpho Henrique Bap
tista, approvados plenamente.
2* codeira do 4* anno. Honoris Joaquim de
Almeida, LuizTexeiraBittencourt Sobrinho e Agos-
tinho Maria Correa. de Sa, approvados plenamente:
Resultado dos exames do dia 28 na Etocla Poly
technica :
/. anno, 2.' turma.Ilenrirj ja de Ohveira ama-
ral Joaquim Pedro de Advincnla Assamp^ao e
Kaulo Pinto de Almeida, apprcvades plenamente
Houve um reprovado.
J.* anno, 3' turma. Antonio Joaquim de Alaei
da Faria e Manoel Severiano Monteiro Aotrao
auprovados plenamente ; Carlos Glass e Angn-*
Oscar Meodes Calasa, approvados implesrneate.
/." codeira do 3.* anno AUaro Podovalhe Mar-
condes dos Reis, Miguel Ricardo Galvao, Antoaio
Pereira Simoes e Samuel Severiano Figuetreda de
Ag'ii.r, approvados plenamente.
I.* cadeira do 5* anno.Henrique Alves Delfi-
do, Lihanio da Silva Lima. Marcos Tygoa da Ca-
nba, Trajano Ignacio de Villa-Nova Machado, Joe
Joaquim de Miraola Horta Junior e Joaquim An-
tonio da Cunha Junior, aoprovado* plenamente.
Desenho do 3' anno.-Tobias Tell Martins M*=-
eoso e Joio Baptista Ortiz Monteiro, approvado
com distinccSo ; Alfredo Henrique Pacbeco, Anrs-
rico Werneck. Alfredo Hervey da Silva, Lncas
Teixeira de Souza Magalhaes.' Luiz Goffredo d>
Escragnolle Tauoay, Augn-to Carl m da Sirva Tel-
les, Octavio Augusto Lissance, Demetrio de Barros
Leiie e Antonio Marques Baptista de Leao Junior,
approvados plenamente ; Jote Francism Cauterise-
e Antao Goncalves de Faria, approvados simptes-
mente.
Desenlw do 4.' anno.Josfi Pereira I! ! u-.-as e
Jayme Arthur de Ivahy, approvadi> plenimeote :
Julio da Silveira Vianna, Gustavo Adolpho Saner
broun, Polydoro Olavo de Santia;: 1 e Albino da
Rocha Paranhos, approvados simplesmente.
t. de dezembro.
Resultado dos exames no dia 30 na PaculJade
de Medieina :
/.* anno medico.Jose Baptista Amoroso Lima.
Alberto Leal da Cunha, approvado- plenameote ;
Urbaoo Marondes dos Sant'S Machado, Aaloak-
Luiz de Magdhaes Mosqueira Filho e Aagtulo
Cesar Ribeiro de Alckmim, approiradns simpies-
raenie. Um retirou-se por incootmodado na occa -
siao do exame.
3.' anno medico. Francisco Bneno Soares de
Gouvea, approvado plenamente. Houve um repro-
vado.
&* anno. Alfredo Augusto Vieir* Barceilos.
approvado com distinecao ; Francisco Proeopio Lo-
bato e Francisco Goncalves de Moraes, approva-
dos plenamente ; Manoel de Avill;z Carvalho.
approvado simplesmente. ,
Resultado dos exames no dia 30, na Eseola Po-
lytechniea :
/.anno, 2.' riirisa.-GabrierOsorio de Aioaei-
4a e J-ise Eias Mainard, approvados plenamstate
Houve dons reprovados.
/.* anno, 3.' turma.Joao a*oulinlio da Praaea
e Antonio Carlos bueno Freire, approvados plena-
menle. Houve dous reprovados.
1.' cadeira do 3? anno Tobias Tell Martin*
Moscoso, approvado pleoamente; Tito Ara Franco de Almeida, Joaquim Saldanha Marts*.
Junior, Honorio Gomes de Paiva Coaliaho. Jest-
Lopes de Castro Junior e Elisio Firtno Manias
approvados simplesmente.
2.* cadeira do 4.' anno.Augusto Foam toor.
approvado coin distinccio; Franciseo de Sraza
Reis e Plotino Soares, approvados plniBimlB .
Manoel Ttmotheo da Costa, Francisco Barreto Pi
canco da Costa e Heraldo Pio Pimenu Baeno. ap-
provados simplesmente.
1.' cadeira do 5.* anno. Antonio Joaquim d
Souza Carneiro, Eduardo Macedo de Azaakbaa*.
Antonio Augusto da Coaceicao, Paulino Lopes d>
Cruz e Miaoel Antonio Peeefaeiro, ap.r>vaoM
plenamente ; Jose Joaquim de Sa Freire, appro-
vado simplesmente.
Desenho do :i.' anno. Theodoro Fernandai *>
Sampaio, approvado com distioccao ; Msgaat Mi
cardo Galvao, Rodolpho Henrique Baptista, Jasf
Angusto Brant de Bulbdes Carvalho. Antonio Pe -
reira Simoes, Gustavo Adolpho da Silveira, Adol-
pho Gomes de Albuquerque, Vicente Huet de Ma-
cellar Pinto Guedes, Honriqa* Jote Alvares da
Fonceca e Manoel Ferreira Salnrnino Braga, ap-
provados plenamente ; Joio Carlos Guterres e
bacharel Eloy David Benedicto Ottoni, approvados
simplesmente.
Desenho do J. anno Joaquim Rodrigues At-
tunes Juni r. Adriaoo Nunes Ri eiro, Honorio
Joaquim de Almeida, Agostinho Maria Correa Sa
Junior, Luiz Aftonso Braga, Francisco de Alaaoi-
da Torres, Luiz Teixeira de Bittencjurt Sobrwah*).
Jose Caetano Horta Barbosa e Raphael Angnsto
Brandao, approvados plenamente ; Antonio Ma-
chado da Franca Ribeiro, Alfredo Jose Nabaco e>
Aranio Freitas e Hildebrando Pompen d Sooza
Brasfl, approvados simplesmente.
RECIFE, 8 DE DEZEIBRO DE i87*.
NotielM do sal do innperio
Pelo vapor brasileiro Ceara, chegido aostenv
recebemos jornaes e cartas : do Rio da Prat a ate
28, do Rio Grande 25, de Santa latbarina 7M, *>
Minas-Geraes 27, de S. Paulo M de novembro, de
Rio de Janeiro f, do Espirito Santo I, da Bahia
5, e de Alagoas 6 do corrente. J
Alem do que darnus sob as rqbric-u Forte Of-
(J
^


**-
r
l"1 'M "*:
at mi>
DiariP de Pernambuco Ter^a teira 8 de Dezembro de 1874.
rial. Interior* tttvula Pinna, eacon Irsmos- on
jornaes o que segue :
BIO DA PIJATA.
De Mon)a*idJB eserftvern em 23 de novembre
ao JorHt^tuffff^ntrciu, da curie :
' ^ mM|ijajtaj>a diflkuldade em qi:e estamos
de sat>er vvardadeira situagao dos negocios poli-
ticos na wotalefagao, redtuidos a formar juizo
sobre as noticias que publicam os boletins offl-
ciaes.
Ellas nem sempre sto forja^a* can bastoole
criterio e pern iitem as vetes leaeuar a p onto do
\eo que oceulta a verdade. Fop;a, porem, a. con-
fessar que nao satfifct erta.iaditcrlgao- involanta-
ria, quando ba aatietlade pan conheear-o que se
passa entre os eoaonteutes, mo so pelo interesse
que se Itga a causa pcla qua! lutani, como pelos
la-,-o. de (larectesco e de amiz&de qua os unem a
r.u;ta> faiuiuas desta cidade.
D is relend'.s buic'iins, trazidos hontem de
Buenos-Ayrw, eis o qoeconsta :
a Gai alg'jos departamentos de Santiago dsEs
*ero reinava grande agilagao.
Tinha saMdu de Buenos-Ayres para Las Flo-
res o roinistro do interior. Foi conferenciar com
o Dr. Aisina. AconHttohados por uma coinpanhia
de soldados cheganmi do dia 23 a casa do gover
do national, em Buenos-Ayres, o ex-g da Santa Be D. Mariana Cabal, o'Dr. Granel e ou-
tro individuo, ndos tres adNBMflon de revolneio-
uarios. Vieram presos do Ko^ario e foram aloja-
dos na raspeccan de arma*.
a 0 coronet Kelson ftaegoa ao Nio Quarto coa-
duzindo cinco balalbdes u qaatro peals Krupp.
No dia 20 aramnca eas margeus do Azu4 o
exercito docorouel Juno Campos
i'ma correspondeam diz que Mitre foge, e
que so o acompanham 1:900 hounns.
A vanguarda do eyrioto do sul sorprecdeu
em Olavanta a relagaift*4a do g>:iieral Mitre. Na
>erseguie>o que si-Nreram us revoltosos aeixaram
l;000 espingaruas, 2 pecas e grande quaotidade
de uiumeoes.
Naquella parte at format do goverao apodera-
Tam-se do indio Cv.[Jr:-auo'Gairiel e dos ohristaosi 17, a bordodo vapor Tupy. S. Esc. :Rvma. vai
TriJUPriBrlrt J^jmUa- fi talaitrra iritia t\uL kJ^M*a>
riwwjnjrnrnr v^pnaaa em que sa aanuncia ua novo ojuilieto eulre as
autori'ades argentlnas e um imperial rnarinheiro,
die : De tolas ae maneiiws sejam ou nao certos
esses vexames, sejam elles o resultado do exemplo
dado pelo commandants da flotilha brasileira, re-
pe'limos que de dia para dia se vai nublando mais
o borisoete das nossas relacoes com oimperlo e
que 6 necessano que sale horisonte se limp'e, e que
saibamos a que ater uos. 0 Fena Carril ac-
creaeenta estas IMas : Nao m- pedem haasan
com os dM*fuisa4w de can, e pweurara enwrt
v*r o paia em c .itnpliear,diey.externm I K c s-bTa-
.-iieuros qtM-oao proeurar*aac MMpalitot... La
seaveoham. w
A seattoea que :,lioiveu o capitao teaeate
I'rzewdowaki hoarft t .dos que a pr'feriranv Bs
te bravo ofltoial eompreheodeu oseu dever, embo
ra lal.asse as fortnts, esqiueioieiHo bemjusUfleftdo-
ein um momeuto de nobre iadigacao, comjua >
duse.
Os instigadflres de Alvear Iradaiiram mal o
aeto do governs, retirando-o do commands da flb
ulh.'i, que tanto illujtrou, e contimiam a praticar
desacatos, que nao devem ficar impunes. Consta
qeo govemo imperialreelamacwircnergTroess
ugo dos setvageus que maliraram o nosso mar:
nheiro, e naturalmenw a esse facto se prende o
qie dia a Wribuna.
t O nosso consul geral, em lueuos-Ayres, em-
barcou na c&nnonetr lvahy, com destiao a Ceu-
cordia. Para que? A caoheneira nao pole pas-
sar de Paysandu por falls de agua. Gastoa-se di-
?heiro com carvao rnuii!miie. Em am paimete
teria ido deprestia e econemioamente. Has a le-
ga^ao quiz dar-lhe apparato e espichou-se.
t Deste e.siado o que drei? ContirMa o gover-
no a sustentar uma luta tenaz com a esquerda da
camara, que qaer derrocar o rainiswo da fareada,
o Sr. Bustatneate, alvo de tod i a opposicao.
a As medtdas Huaaceiras demoram>se, e e fulu
(o do paiz cada vez e me GRANDE.
0 Sr. Mspadiocesaeo seguira da capita! no dia
Avendans, Alciitei SaflOi, Anastacio Marques, He-
lizano 2apato, Piogo"Sauvedra e triulamais.
c 0 coronel Campos deixoa no Azul iodo o m-
'teriol pesa.io p&ra-pader perseguir aos rcvolucio-
oarios. Este che'fe persegcio as forcas'do general
Mure uesde Dj lecuas.
n 0 goveriw comprou a uma casa commercial
graode quaacidatia de saocos.
a Em CorJova crria a noticia de^ue ossan-
tiaguiubos e banana Icvcntado.
a A crer o qee fica e^cripto, oaa pode ser mais
iisiiugeira x pusr;ao do governo, uem mais vergo-
nhoso o Qasea d) gwieral Mitre. Para correborar
a> asser^oss olSitiaes p^biicou-se tambem que ia-
ae licencur parle da guarda uaoiooal, me'-iida l.i-
gica e coaveaiente moralisaito.-ein-grapits ui-ipniiicvjite.-. sera ter ao
meuos ii.-i-i i u::i.i batxlha. 0 iriuiuplio era com-
pleto em l.ida a linha. tanto mi mar como eo terra,
t Mas auuella compr^ de saccos em graode
quaotidadu t>: fez deseonAac
t I'ara qite sono
c Commeata o guverno argealino nao querera
parodiar oKigoleto, ensa -cando os iirin.-ig-i3 que lk
eaouaein n*8 uahas. MasouAo qu apnlicaeao
puilem 1er'" Cbetoa de areia *u terra cuii-lituein
trmchctras esealiaaiei, e po1e auxiiiar poderosa
Mate a defez.t de uma cilia Je que nao wni forUfi-'
cacdes permaaeatda. Nestas -conjeuturas passava
men tempo esta majba, quaodo ouco o estuun de
bambM) e de algauis fo^aetes do ar, e d'aai a p^a-
co o crito dos tpjrii.caret amteeciando bo(t*ies
da Trtbnna a dous viateos. Corro oressurso a
cornerjt um, e eis o que ueKe leio -com pasow :
A popuiacao foi >jriiresKlidaT is 8 boras de9ta
manha. com o ^trepito das bomtias e fjguetcs di*-
paradosna esqaiaa dohotel'Oneatal
u (s euwpraiios .rgentinos fe^.-javam a com
pleta derrola do coronet Roca pelas foi fas do gene-
ral Arredondo. E-ta noticia foi commumcada-de
Buenos Ayres 30 coinilr re^oluuiooario.
< Ao meme tempo Tafeoada com 5,000 aomsns
Invadio Cordova.
a A derrote de Roca teve lugar nas Poatas dos
P.aides. antes de hontt-m 23 de manlia, e foi devi-
da as forcas de Arreitmdo e Taboada.
t P.oca eatoi'oa a batalha, porem foi obrifado
a bater-se.
Infanteria e artilberia prisicneiras; a cavalla-
ria disperse.
Por so a parte o PuAlo Argentina den o se-
guinte telegramma. Nae se perca de visia que es-
te j'jrnal-e o orgao da revotuvao aqui.
c A nosso;; amigos feH:ita?oes. Os defensores
da fraadi- e da falsifisacio foram batidos de uma
maneira deoisiva. Por correspondeneia official-re-
cebida nesie momeeto, soubomos que o coronel
Boca foi comp'etaineoie derrotado na poota dos
Bald^s, prla?' forgas do gimera! Arredondu.
-0 encwniro das vauguardas teve lugar no dia
23, c honttin de madrugada o general Arredondu
atacuu don.'dadameote o gnaw do exercito inimi-
go. A vlcioria obtida pelas nossas anna? foi deci j
siva, licarjd < n.) campo mnitos mortos e feridos, e
tendo-se eulcegue ou paasado uma parte do iai-
migo.
Ao mesmo tempo podenos communicar aos
nossos Mtorea que o genera! Taboada rieve ir nes-
ta data em juarcna para Cordova a freote de u exercito forcndavel.
>De Corrientes tambem 3e rectberam notieias
importanti.--i:nav Ob'igadocom todas assoa lor-
i.:>' acba-se sitiado pelos nosscs em Goya, eGela-
bert com parte do exercito do governo tanib-.-m es-
ta sitiado na cidade de Corrieotes.
u -Seiii du'i.da nenhuma tmha oescoberto a o::-
plicacao da compra dos saccos. Arredoodo trium
phante sobre-Roca, ehindo sobre Buenos-Ayres.
por am lado. Mitre e tiivas zombando por algum
piano estrateic > da perseguicao do exercito do co
ronet Campos e accommettecdo aquclla capital por
outro lado, bem podiam justificar a n?cessidade de
levantar barricadas, e por com-eguinle tornar pa
tente* providencia do goverao com aquella com-.
pra, que me lent feito scismar.
a Keste oatro curso de itfeas marixtdata um
poaco, quando ouco annunciar boletins do t'e-m
Carril /jue nao eram seoao a reprolucca daquel-
les dous, mas com o segmnte append ice que me
poz completamenle tonto:
Telegraiottias oOiuaos. Eis os que aos foram
facilitados pelo Sr. consul argealino, neata cidade,
D. Jacictbo Vttlegas.
Prt-sidente da republica. Buenos-Ayres. A
Jo^e M. Cairel. Montevideo. Nem Santiago pro-
nunciado, nem-F.oca derrotado, nem Gel abort si
tiado: wdo sao pet as. Nelson incorporou-se a
Roca com uma divisao do mfaataria e reputa se
inveacivel. Ai'caia* AueUaneda. >
a Capitao. do porto central. Bnenos-Ayres. Ao
consul .geral argeatino. Montevideo. As i< do-
ticias a que V. se-refere sao falsas. >
E ag ra ? Sara licito davidar da palavra
bonrada de presidente da Confederacy, qae da
am desmenlido tao aolemne aoComite reoolucima-
rio f Pareco-me qae o man acertado e dar tem-
po ao tempo. Veremos entao quern taai ratio
Depots do descalabro co proveito soube tirar, a revolac.u tinha cabido
em am momeoto de iaorcia de qae precisava sahir
por algum aoto.bnlnante qae servj-se de toaico a
situacio, e poda ser qae a propalacao destas noti-
cias eorre-ponda as cooenieuciae actoaes. E de
presumir <)ae o recoolro com Boca tenba tido la-
zjar. pois ba dias e annuaeiava eoso inevii^vtl e
pode ser quo as vaatageos alcancadas nao teoham
a impoatancia annaociada. Espereuos.
< Ua ires dias eapalhou-se o boato de que o nos-
o represeataate em Buenos-Ayree *avia pedido
recebido. Esia noticia nao ecerta nem por uma,
nem por oatra lorraa; mas rela qae novas cora-
plicafoes surgirao em aossas mlacoea com a Coa-
federacao, que bem poik-m coadazir-oos aqaelle
resultado. Neata emergeaeia, eu que admiro a
prudeo-'ia e tiuo do goverao imperial, nao posso
explicar-me como elie conferva um secretario no-
vo, ineiperiente, pouco vanaau na sciencia do di-
reito iaternacioaal, a dirigir a noasa legacao. Be-
ceio motto qae a sua ieviandade, ja eonbecida por
toda a eolonia brasileira residente aqui, e os'eeus
cooselbeiroB intimos, que nao sabem o qae faxem,
nos provoquc-m desgoslos serin-. Porque nao vem
o Sr. Goudim tomir po;se do seu lugar? Sera
verdade que o governo argealino aunife:ta reluc
iancia a sua recepcao ?
t O fern Carril df bon.era a tarde traz o se-
Sole artigo, que parece referir-se aque le inci-
te :
a A Tribuna portenba franze o sobrolho ao
brasMeiro.-. e em sett oumero de hontera ascantU
lita-se da senteaca absolutona dada pelo conselho
de guerra qua julgou a Prze iowo.-ki e pede ao g?
verno, e a imprensa que pjoteaiem contra essa re
aducio, quo eouidera am insulto. > :
Tazer uma visita pastoral pelo Rio Pardoe oiversos
p.j.tos daampanii*, inclusive Saoia Mania da Boe
ca do Monte, S. Gabriel e Alegrete.
Acocopairiiam S. 'Exc o Dr. Anselmo, servindo
de secretario e o subdiacoao Felippe Fortu-
nato.
Pela iaspectoria da alfandega da captal Bra jul
gada procedente a appreheosao feita a bordo da
escuua allema Margaretk, de 300 ternjos de herva
matte empo e quo uma casa commercial pretendia exportar sem
satisfazer os direitos respectrvos.
A venda, em prafa pabtica, desses volumes, pro
daza quantia superior aS:000^00.
Tinham cnegado ao Rio Grande, procedent-s de
Montevideo, 180 emigraates, 80 dos quaes segai-
ram logo pcra a capital se deskoam as eolonia-
prwinciaes.
Tiveram o mesmo destino 99 colonos allemaes,
vindos ultimamente de Gamburgo no iugar allemao
Motce.
Kefere uma carta de Santa Tirtoria qoe appa-
recera ao costa do .oceano graode ijuaotidade de
destrocos, que se soppoe ser de um navio naufra-
gado. G major aagasfo, administrador dn mesa
le rendas, tomaodo conliecimento desse facto es-
-tava mandando proceder a arrecadajio, de accor-
do com as ordens em vigor.
O'Sr. Victoiino Ferretra Sabrosa, proprietario
de duas vendas co Rio Grande, publicara'aat
aa folhas daqu-lla cidade o seRUinte protes-
10, ^ue estava daorio lugar a varios coiameu-
larios:
A's duas boras da rr^drngada, pouco mais ea
mecos, fui atrozmeate atacado por ires individuos,
os quaes me tizeram entrar em nma taverna e
obriji-iram-me a asstgsar dua< letras no valor de
aaato nao sei ; e desde ja protest.i com Cado o
rigor da lei contra quera as apresentar, porque
juigo nada dever a pessoa alguma.
Seguodo noticiam as folhas, o carregamento do
navio inglez GertKt, naufragado ultimamente ao
norte da Atalaia, e constante de 1,600 *e tantas
bavricas de farinha de trigo, fora todo salvo.
Le-se na HevistaCtbrielense:
a Em nmas carreiras do Jaguary, distnelo das
Lavras, houve uma desordem resultando a morte
de dous individuos., sendo um o provocador do
conflicto, e desordeiro de proHssao. Foi um ir-
mio delle o autor da segunda morte feita no ma-
tador do seu irraio
Tiaham fallecido : na capital o major Lacerda,
aatural da Babia e veterano da independence ;
no Bio Grande a septuagenaria D. Maria Cypriana
Antunes, natural da Republica Oriental, em Bage
a esposa do estancieiro G is, ar Jose de Menezes,
D. Senhorinha (ioncalves Jardim.
Em Porto Alegre reunira-se a fO a commissao
directora de exposi^ao nacional, no satao da bi-
bliotheca do Atbeneu, onde funccionara.
Eotre outras deliberacoes, resolvera a mesma
commissao solicttar do presidente da provracia au-
torisacao para aneexar a exposbjao de prodactos
agricolas e de industria uma outra de ani-
maes vivos, plaDUs, (lores, arrores e objectos
de horticultura, confotme facultam os respectivos
estalntos.
Le-se no Commercial do Rio Grande :
t Escrevem-oos de Hamburger Berg, que Caro-
lina Metz, irma de Jacobina, continua a roissao des-
sa, dando se por inspirada pelo espirito de Jaco-
bina.
Uma tilha de Robiasson e soa ajudante e nao
a deixa. Ha reunites em casa aella e continuam
os mesmos exercicios religiosoa de outr'ora, depois
que a raaior parte dos Muckers foram soltos.
< Queira Deas que nao tenbamos de lamentar a
rcproducyao de scenas de vaodalismo. Chamamos
a atlencao das autoridades sobre essa commanica-
cao que nos e feita por pessoa sena.
Os dous Luppas, pa;i e filbo, nao quizeram vol-
tar para S. Leopoldo. Consta nos que tencionam
comprar alguma.propriedade raral nas immedia
.'des da capital.
a Carios Luppa foi a S. Leopoldo bascar a sna
familta, com a qual veio em wagon de primeira
classe
a Parece que eslio endinheirados e ebeios de
esperanca no futuro....
No Hamburger-Berg existe cm irmao do Una-
do Jacob K ;e. i^r. honiem geralmeole estimado e
excellente pai de tamilia, queperdeu a razao, gra-
cas aos malvados muckers.
a N'nma das noites em que o Hamburger-Berg
era ameacado de ataqae dos sediciosos, rondava
.Krsmer a noite a sua propriedade de arma ap
bombro, quando a boras mortas seotio aproxima-
rem se passos.
a Sobresaltado como estava engatilhou Kramer
a arma, disposto a matar o individuo que se avi-
sichava de sua propriedade, quando, bo moment.>
de disparar o tiro, re^onbeceu am parente prc-
xiaao.
0 terror que *e apoderoo de Krasmer ao ver
/i
v
r gjarawjH a a planta do porto c da
trausversaes com a competeate sonda
Dizia-se qo/^o governo provincial
ao dito vapor um auxilio pelos cofres
anm de tazer tambem escala pelas frqgpeaiaa- de
Santo Autonio, S. Miguel, S. Jose e Uibatfaa.
GOYAZ.
0 balancete do estado das caixas do thesouro de
lazenda provincial ale o dia 10 dera o seguiute re-
sultada: exettioio de 1873 -1874 :. rateita...-.
105:9<3|IH'Jtepeza4B:oWan3,4a*o Ui31;
exercjcio da Wn -!!: reaaita 171*37**H des
peza 17Uo;e(i,sal *2lJtWt
Fsileceoaa teeenie-Autonio Jbse Marlins.
MATTOjOllOSaO.
0 'Ufcral, f iiha que sa pablica am Cuyaba,
Boticiaaaiao de outobro
i No dia 10 do comnte mez, pelas t boraa do
dia, os seKageas atacaram o eMabajacimeaio ru
rat da Src alferea Loiz Manoel RodJ^es, couhe
cfdo porLula, sendo offendido o mesmo Sr. Lula,
que estava na roga, um caraarada e u na escrava,
a Nao e a primeira vea qne o Sr. Lula soffre
aggressoos semelttaates, pois cobs la que, no decar-
so de mais de trint annos que alii mora, ja tern
penttthr com' estes atatiuestrerescravoT e cinco
camaradas.
a Desta vez vieram em naroaro de cincoenta,
mais ou menos.
MIRAS GRRAES.
LO-se no Dituio de Mains:
t Na none de 20 de novembro, recebendo o Sr.
Dr. chefe de polina communicacao de que nacasa
de Joaquim Teixeira de Sauza, no Rosario, estava
gravemente ferido o menor Carlos de Jesus Tor-
quato, marcineiro, para alii se diriglo, fez auto de
corpo de delicto, seado julgados graves os feri-
menios.
< Declarou e ferido que pela manha daqaelle
dia seu compaaheiro de trabalho Manoei da Pad
flcacao, dissera-lhe que nao tinba medo delle, ao
que nao dea importancia, suppondo ser gracejo ;
que a tarde, sendo cbamada pelo mesmo I'urifica
cio para irao Hospicio, seguio com elle, e ao che-
garera a Cruz das Almas, cornecon Parifica<-ao a
dar-lhe socos e defendendo-se elle' cud um guar
da soi, puxou Punlicacao por uma faca cem que
fez-tfce os feriment is, separando-ss os deas em se-
guida.
Tendo o Br. chefe de policia noticia de que o
acousado, filho de uma criada de Joaqaim Teixei
ra de Soaza, dormia no Hospicio, casa de que e lo
catario o mesmo Terseira de Sou*a, -e onde dor-
mem alguns parentes seus, para alii dirigio se com
o lucatario.; e encontranao o accusado o fez se-
IKtir para a policia na mesma noite.
CoDfessou elle o delicto, declarando que
uaico indtivo fora o desejo de experimentar forcas
e que o provocad'>r fora o offendido.
Terminadas as diligencias do inqaento e sen-
do expedidu o mandado de prisao pelo Dr. juie de
direito do 1 disiricto criminal, fez o Dr chefe de
poticii recolber a cadeia o criminoso.
Tanto o olfensor como o offendido sao nseno
res fie 18 annos
S. PAULO.
A companhia Ituana publicoa o nnmero de pas
nageiros e o pe-o de mercadorias qae transportoa
durante o mez de outubro ultimo, comparado com
o movimeat > de outubro de 1873 e de setembro do
corrente anno : 187t, outobro, pasageiros de 1
classe 695, ditos de seguada, 1,986, total 2,679.
Mercadorias por pesos de toaeladas e kilogram
mas : cafe 111,380; algadao, 348,127; assucar,
16,920; toucmho, 7i ; cal. pedras, etc, 90,000 e
diversas de exportagao e importagao, 433,839 ; to-
tal !;00OjSlO. Differenga de passageiros para me-
uos em outubro, l,33i; diSerenca para mais em
mercadorias, 62,785 ; exeesso para mais no mez
de outubro de Ifc7i, comparado com o mesmo
mez em 1873,871 passageiros, 381,970.
la'---e no Ituano, de 22 de novembro :
' Domingo pa.-sado teve lugar a conferencia fei-
ta pelo Sr Joao Tybirica.
a Versou ella sobre chimica, que depots de S
S. delinir, passou a f*zer algans corpos simples
como o oxygeneo, bydrageneo e chloro. Mostrou
suas propnedades, caracteres e accCe?, fazendo
interessantes experiencias a vista de todos. Foi
mai'.o apreciada.
Cada vez se tornam mais estimadas as confe-
rencias. De 16 senhoras, que foram a primeira,
nesta foram 32, e com um anditorio de mais de
400 homens. Faftara hoje o Sr. Dr. Elias Fausto
Pacheco Jordao.
Diz o Corrtio Paulistano :
Informam nos que os Srs. Drs. AfHonio Qoei-
roz Telles e Antonio Pinheiro de Ulboa Cintrj, dig-
nos membros da directoria da estrada de ferro
Mo'gyana, se dirigiram a cidade de Casa-Branca,
onde foram enthusiasticamente recebidos.
a Asseveram nos queesta resolvida a continua-
gao da via ferrea de logy mirim a Casa-Branca.
Ha muito que era por nos sabi^o que os mo
dernos pauiistas nao tinham desaierecido dos seus
maiores, desses valentes e incansaveis squaters,
que nao conheciam barreira ao seu ardor de des-
coberlas no XVII e principio do XVIII seculo.
S. Paulo marcha evidentemente a frente do
progresso, nenhuma outra provincia se rae antepoe
na iniciativa e na senda d s melhoramentos.
a II mra a esses nobres e illustrados cidadaos
que preparam um futuro grandioso ao sea paiz. >
Pallecera em Taubate o coramendador Francisco
Alves Monteiro, e no Amparo o fazendeiro Antonio
Pedro Xavier.
Publica o Piracicaba o seguinte :
A 13 de novembro algoem lancou ao rio Pira-
clcaba, no lugar denomiDado Poco. uma carga de
dymnamile, em consequeocia de cuja explosao
morreu immensa qaantidade de peixes,qae, ponco
depois boiando, foram ap*nbados em grande na-
mero, perdendo-se, porem, maitos por serem leva
dos pela corrente do rio, antes que pudessem os
Pescadores apanba-los, apezar de, segundo dicem,
serem maitas as canoas promptai e tripoladas para
esse um.
Esse facto dizem ser a repeticio de outro de
menor effieito produzido, ba dias, em parte do rio
mais distante desta cidade e promette-se que breve-
mente bavera nova pescaria pelo mesmo pro-
ce so
i camara municipal, qae em suas postoras
prohibe a consiraccio de paryse a matanca de pei
'S
que por poaco ia se lornando assassino de am pa-
rente, fel-o perder a razao e aioda hoje esta men-
tecapto.
Falleceu ultimamente na fregnezia da Baena,
municipio de PeloUs, provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sul, a parteira Rasa Rogeria.
Contava 111 annos, era pelotense e eonservoa o
uso de suas faculdades ate o ultimo momeoto.
A sua desceodencia, segundo uma foiha qne te-
mos a vista, compoe-se de 77 pessoaa, sendo 12 fi-
Ibos, IS netos, 37 bisaetos e 13 tataranetoc
SANTA ,:/.-Z", \ltl.N A.
0 presidente, no intui'.o de melaorar os p irt -
da provincia, onde tem de tocar o vapor . Lou-
renco, qae vai comecar, no proximo mez, a aave-
gacao costeira do norte, encarregara o engenbeiro
Pinto Braga, dos estudos desses melborameotos,
dando Ihe as seguintes mstrucgoes :
1* Esuidar, propor e orcaroa melhorameatos a
fazer sena barra do ftajaby. 2' Levaatar a plan
ta do rio UajaJiy-assd uesde a barra ate e porto
da eolonia Blamenaa, determiaando a velocidade
maxima das aguas no estado ordinario. A pla ta
sera na escala de l.iCOJO metros. *3- Sondar todos
os ponlos do canal do rio em que o leito offereca
difficulJades a navegagao dos navios de calado su-
perior a 3 palmos, fazendo alii estudos das secies
iransversaes de sorts a eoaaeeer se a oatar-?sa e
c-nfiguracao dos obstacaJos a remover-se, apre-
sentand> plantae orjament > das ooras necessarias
a tornar o rio navegavei nesses poutos, nas aguas
mais baixas par navios de calado de 8 palmos. 4*
fi-tudar as cau.-as que coacorrem para o ;enfra-
luf-cirneato e atrazo da lavoura do munj^ipio e
propor as medidas necessarias a animal-a e aesen
volvel-a. 5* Cpncluidos esses lrahalho, e ttdara
0 porto ds Tjucas e aqaelles que Ihe sSo
proximo", vapores costfliros, tando em vista o calado ma
de 8 palmos, .iropondo e orcanJo as obras qa
rem necessarias.
xes por meio do timrjo e outras sabstaneias taes
de certo attendera a isso e d^ra provideacias pasra
evitar a repeti^ao de pratica tao inconveniente/
Os parys, afera de concorrerera para obruc-
cao dos rios, sao sera dnvida prohibidos, ^rijae
pescaoi raaior cessaria na occasiao, do qae a que tenha possibifi-
dade de ser aproveitada, em detriiBinti da pisco
sidade do rio, pela morte de grange numero, que
para o fnturo sera a origem de mimares desses
animae*. /
A pescaria por roeia do/.mbo e ontras subs-
tancias taes, alera de poder/communicar aos pei-
xes as qnalidades veaeoqjlas dessas sabstaneias,
tem aqaelle mesmo inconveniente dos parys.
a A pescaria, pois, pat meio da explosao da dy
namite, ou de outra *ubjstancia explosiva, tsndo os
mesmos inconvenientes, esta comprehendida no es-
pirito das posturas, e portaeto nio pode e nao de-
ve ser praticada. j
Era consequeoda do ysttbeteermento da nave
gacio, ?o tnenos bos primWos tempos, a piscosi-
dade do rio Piracieaba tendVra a dirainnir ; mas
ieso sera por demais competosado pelos altos bene-
ticios que resultarao a este inaunicipio e especial
mente a esta cidade. '
a Isso, porem, aao attaanalra da carlo as incon-
veaiencias do facto que ceBsturamos, tanto mais
jastamente, quanto parece qnfc para algumas pes
soa constitue somente um dwertinieBto.
a Chamamos, portanlo, a \atten.-ao da camara
municipal e cremos firmemenke que ella providen-
ciara prompla e fficrzmeate.
i
Irriira
distincto pela sua illustrac.&g uos.
ilffjrjtfites ratnos do Scieuciatqjie-ctrltrVcVrt-
"vassidua applicar;uo.
emos no Sele de Setembro, cU cida-
da ^ Nodtj 2-i de novembro, pelas 4 111
boras da tarde, cahio uma fortissima chuva
de padra am divers** iamidm da. mtwgem
jdtellio-Orande e MtJoirafrDauradb, oaten
jdeodo-aa atu a fazeada dfc& DcaniDgosv. do
9h canUJli Joao Lope* Martins.
-Vfrpedras a&o funan* db exoassivo ta-
maTrha,, porem em grartda quaaUidade e
agoutaaam com violeacia* par aanto rijo.
Ainda nao.temos iaforma^tss esactas aos
prejutatweausados-. Sabemas qua ua* fa-
zendas Boa-Vista eSocego, pertenceotes aos
Srs. Fraocisao Lopea Maatias Junior e Au-
toato Vieira Toaaes, as planta^oes soffreram
muito.
Ainda no dia 2J vfraos baciaS de rosto
cUeias de pedras, apanabadas nesse dia na
estrada qua da fazenda Bemiica, do Dr.
Pinho, vat para a fazenda Boa Vista. A-
creditamos que n8o serao graades os eslra-
gos, pelo estado dj lavoura.
Diz a mesma foltw de 25 ;
Informam-nos que um individuo, trai
balhador da linba ferrea de Cautagallo, fo-
ante-bontem e->faqueado n > lugar denomi-
nado Macuco e proximidades da fazeoda
do subdelngado de policia da Tapera, o Sr.
Luiz Jose Veloso, que bontem diriglo-se ao
lugar do crime, afun de proceder ao coin-
potaote corpj de delicto, Aiuda nao te-
mos pormenores do facto.
A alfandega da co^te arrecadou no
aez de tuvembro. 3,144:2139435
Em igual mez de 1873. 3,193:6725408
Kis.as aoticias coramerciaes da ultima
data :
0 mcrcado de cambioconservou-se na
mesma posigao de sabbado. Os baneos sus-
tentaram nommalmente a taxa de 26 1[4 e
pouco papcl da praga se negociou a 26 3[8
e 26 7|10 d. Oslomadores continuam a
mostrar-se brines.
Sobre Franga passaram-se sommas re-
gulares a 363 rs., pjr franco papel bauca-
rio, 355 a 358 rs., particolar.
Nada se fez em soberanos.
As apolices geraes de li"[0 nao tiveram
movimento digno dese meneiunar, por ser
hoje o ultimo dia da transfereucia e haver
grande dillerenga etitre os pregos pedidos
e os que olfereciam os compradores. Das
do emprestimo nacional de 1868 negociou-
se uma parti la a 1:0*5$ a dinheiro.
No mercado de acgoes s6 constou a
venda de um lote das do Banco Commer-
cial do Rio de Janeiro a 835 a dinheiro.
As vendas de cafe e de assucar foram
pngaonri
Fretaram-se tres navios para Liver-
pool, sendo um via Parahyba do Norte,
algodao, a 3|4 d outro via Araeaty, al-
tfodao, a l.j|16 d. e o terceiro via Mossor6,
algoddo, aid., todos com 5*|, decapa.
ESPIRITO SANTO.
Heci ude-cera a variola na capital.
No dia 13 faram encerrados os trabalhos
da ass^mblea provincial.
Os empregadoa da secretaria do governo
offereceram uma penna de ouro ao Dr. Ma-
noei Godofredo de Alencastro Autran, se-
cretario da presidencia.
Le-se ao Etpirilo Santense :
Foi definttivamente organisada uma
companhia sob o titulo Irvlustria e navega-
cdo de Piuma, cojo fun e lesenvolver a
colonisagao em terras publicas proximas a
fazenda de Monte-Bello e em outros luga -
res, o que dari grande desenvolvimento a
navegagao autorisada pela lei de 1873. Por
comego daquella mesma navegagao o Sr.
Patricio de la (luardia vem com sua faini-
ia estabelecer-se em terras compradas no
rcferido lugar ; vindo preparar accommo-
dag&es indispensaveis para novos emigran-
tes, ap6s isso-seguira para a Europa alim
de conduzil-os.
Succedida como espera-se, essa empre-
za, principiari a locar nesta provincia o
lindo paquete Lidador da companhia trans-
atlantica em viagem directa da Europa.
Talvez a hora em que isto publicamos
ja" esteja assignado com o governo o respec,-
tivo contrato. -'
llll
No dia 3 do corrente ftzwara exames, na
Faculdade deMedictna.e Coramapprovados:
1 anao pharmactiutico. Pedro da Cu-
nha l.arneiro de Albuquerquedistincgao ;
Jose Gongalves de Albuquerqueplena-
mente ; -bao do Prado Misael Baptista, Joa-
quLiu Jose de Sant'Anna, Luiz Joaquim de
Oliveira Santossimplesmf nte.
3. anno pbarmaceutico (exame prati :o)
Joao Sabino de Lima Pinho, Joao Antonio
Martins Novaes, Dionysio Jose da Silva,
Lourengo da Silva e Oliveirasimples-
mente.
Nesse mesmo dia defendeu these pe-
rante a Faculdade de Medicina e foi appro-
vado plenaraente o doutorando Antonio
Monteiro de Carvalbo.
No mez de novembro arrecadoa o
correio 58:085585.
ALAGOAS.
Nada occorreu digno de mengao.
2:Q0W0OO
-praca para o
' (
PERNAMBUCft
RIO DE JANEIR
Fallaceu no dia 2ot de n ivembro,
com 52, annos de idade, nri hospital da ve-
neravel ordem terceira de sl Francesco da
Peniteoeia, e sepultou-se na camiterio da
mesma ordem, o advogadw provisionado
Jyse Marcelino Pereira de] Vasconcelros,
vaotajosamentis couhecido no nosso foro pe-
las dtversa* obras que public[ra. Era igual-
ri^erita autor do Jardtm Poeltito e da Selec-
ta BrouilieHse. Fora deputadl i assemblea
geraL IfgisiatUa pela pvoviacia do &pirito-
SanU, durante a li* legisla ura (1863 a
186b) e era condecorado com o habito da
Rosa.
Falleceu no din 27 o Dr JoSo Nunes
de Campos, presidente da cam lissao orga-
aisadora da carta gersl do it perio. Era
formado na escola central d it perio, e se
REVISTA DIARIA.
Iaustrae^fto public*. Por portarias da
presidencia da provincia, de 25 do mez fin lo, fo
ram removidos : o professor Francisco de Assis
Monteiro Pessoa, da 3* cadeira da freguezia de
Santo Antonio, para a da Barra de Seriotaaem ; o
protestor Francisco da Silva Miranda, da 2* ca-
deira da cidade de Goyaana, para a 3* de Santo
Antonio do Recife ; e o professor de Vertentes
Manoei Joaquim Xavier Ribeiro, para a cadeira da
povoagio do Caboclo, na comarca da Boa-Vista.
Vary do Recife. Poram rnmteni subinetti-
dos a julgamento os reos : Manoei de Barros Bra
ga, pronunciado no art. 205 do codigo criminal,
preso iesde 4 de dezembro de 18"3, por ter ferido
gravemente a Joaqaim da Silva Neves, a raa Im-
perial, da freguezia de S. Jose, e Jose Antonio de
Paiva, proaunciado no mei.no arligo, preso desde
11 de setembro de 1873, por baver ferido grave-
mente a Manoei Cavalcante de Albuquerque Mel-
lo, na travessa do Laca.
0 conielho de seolenga que jalgoo a arobos fi-
eon composto dos seguintes Srs : &r. Ioaocencio
Seraphico de Assis Oarvalbo, Christovao Santiago
le Oliveira, Clorindo Ferreira Catao, Franci>c.' de
Mir.uida Leal Sevc, Maqoel Luiz da V. igi, Pran-
cifco de Lemos Daarta Junior, Joao J>s Santos
Ferreira Barros, Jose Raymuado da Nalividade
Saldanha, Antonio Machado Pereira Vunna, Ceci-
liano Rodrigues dos Paso., Joaqaim Cavalcante de
Holland* Albuquerque, Pranasco Rapo90 da Ca-
mara.
Foram absolvidos.
Dlunelro. 0 vapor Ceard tronxe pari :
Aagusu P. de Oliveira 4 C. 5:000*000
Josi Roirigues-de Suuza
Bsse Mp le*au de nossa
do Para .100:0004. ...
0 vapor Pirapami levoa de nossa praga
para :
Parahyba 10:222*170
Natal 10:ll0J*0O0
Bllutaterio da marluba. Pur de-
crelo n. 5,798 de 18 de novembro foi estabelecida
uma capitaoia do porto ami Manaoa, provincia de
AmazonaS) e foi nnmeada o oapitao de mar e gn.-r-
ra reformado \uao AKares Peraina-de Mallo. Car-
doso capitao do porto dasaa provincia.
Foram nomeadus : o # teaantt Joao Hi-nri-
qae de Garvalho e Mello para comnnindar interi
namente: at eomoaotaia de aprendizaa maoabeiros
da provinniado B^jiri to-Santo : o odi :ial da fa-
zenda de- IT claaaa JosA Joaquim da liocha. para,
servir de almoxarife no daposito naaa!; Goadiana
Jose de Vargas para o logar da escrevente das
offlciias do arsenal de marinha da corie ; Antonio
da Camara Oliveira Xavier para mestre da olOci
na de fundigao e Antonio Vicente Madeira para
comra-mestre da de limadores.
Canlitra.-A Sra. CarLai, que, acoropanlia-
dadajoven Joanna Cirlani. do distincto pianista
francez Alfredo Bory, e do no avel violonista bra
siieiro Nascimento, tem ultimamente trabalbado
com lisoageiro success^ no theatro de S. Joao, na
capital da Babia ; dentro de poucos dias achar se-
ha nesta cidade em companhia de seas irmaos
d'arte, com o proposito do offerecer nos quatro ou
cinco coacertos, dando assim occasiao de apreciar-
mos o merecimento pelo qual nol-os recommendam.
Pace da Panella. Ha muito que a
freguezia do Poco da Panella se resente de falu
quasi absoluta, de accao fiscal, sem que a respec-
tiva manicipalidade haja altendido aos reclames
que a respeito bavemos publicado a in^tancias
daquelles que alii residem, e acham-se assim ex-
postos aos inconvenientes derivantes de semelhan-
te negligencia,
Actualmenle o qoe mais vexa os m ira-lores
daquelle povoado, sobretu lo os qne teem sitioa e
plantacdes nestes, e o abuso de vagnear a solia
por elie, com prejuizo para taes propnedades, tod
o genero de gado, como se alii f6ra terra de
criacao.
Se a froEnezia nao tem fiscal, reclamamos a
nomcacao deste; se o tem, que este curapra o seu
de*er, ou ceda o luear a quern o saiba fazer.
Etamei, Na escola publica primaria
para o sexo masculino, do povoado de Pregoiga,
regi ia pelo professor Balthazar Augusto de Olinda
d-ta, foram examinados e.approvados com dis-
tincgao os alumnus Manoei Rodrigues de Freitas e
Antonio Manuel Soares Marques de Meho.
Na da Cruz das Almas, para o mesmo sexo,
prestou exame o alumno Jose Seuastiio de Aran-
tes Franco ; foi approvado com distinccao e como
premio foi-lne oifertado am livro de leitura mo-
ral.
Benefleio. Tem lugar amanba (9) no thea-
tro de Santo Antonio o aaaeneu da iatelligente
actris Gilda Paradise com o drama Cynismo(Sep
ti ismo e Creoca e as coraedias -A tiostureira, o
Organismo e o S.iir^e do Carnaval
Esperanos que o publico aao deixe de animar
com a sua presenca o trabalho da distincu actriz,
que era sua estrea ja tantos applausos mereceu.
I'nuineia da Parahyba. Da capital
escreve era 6 do corrente nosso correspoodeate :
A situacio anormal, em que se acha esta pro
vincia, obriga-nos a escrever-lhes mais frequente
mente, pondo os assim a par de todos oa movi
raentos, que forem oceorrendo.
c H intern, por volta da meia noite, foram presos,
como cabegas da sedigao, no eagenbj Tibm, o
Dr. Francisco Lucas de Souza Rangl e um jesuita,
que alii fir-. eo:onirado, e vivia quasi que oecul-
tamente; senio logo reraettidos para borJo de um
vapor, que hoje mesmo seguira com elles para
essa provincia,
A diligencia fora execatada com a maior pru-
dencia e mestria, e sob a direccao exclasiva do
Exm. presidente da provincia, que delta gaardou
a mais ngorosa reserva ainda dos seus mais in
um is.
S. Exc, no dever estricto, em que se acha, de
punir os verdadeiros culpadoa de>sa triste conlla-
gracio, em que se acha a provincia, e que tantos
borrores ba eomraettido, nao pode e nem dere
prestar a minima consideragao a este ou aquelle
desta ou daquella p litica, que for achado em cal-
pa ; e elle assim e tem comprehendido, dandj ji
disto nma prova, que nao pode deixar de merecer
gerl approv.ii;a i.
it A questao nao e para meias medidas ; a maior
energia e activid >de devem presidir, nssta lamen-
vel emergeaeia, os actos da administrayao, com o
auxilio dos buns cidadaos, amantes da ordem e
paz publica.
< F.-u'ij en:etadis asoperagoes militares, e da
policia.
c Ante hontem, a meia noite, teodo noticia o ze
loso administrador da provincia de que os sedi
ciosos preien liara invadir e atacar o poroado da
Cruz do Espinto Santo, a 5 leguas desta- cidade,
por occasiao da feira, que deveria ter lugar no dia
>eguinte, fez S. Exc. partir para alii um deslaca-
iii'-nto de 60 pracas de liolaa, que teve a vantagera
de fazer abortar aque le piano, nao tendo occot-
rido na povoacao o menor incidents desagrada-
vel ; fazendo se a feira regularmente, e na maior
paz.
< Tambem seguio, hontem pela manha, a bordo
do Ctruvipe, para Mamaoguape, qaando foi pos-
sivel, a ala esqaerda do 18 de infaauria de linha,
que iomara a estrada dos brejos.
t Ate aqui, ainda nao livemos noticia dessa
iorca.
A presidencia Sea a espera de novos refor
gos, para fazer seguir uma outra expedigao, qne
nao podera ser inferior a 400 pragw, por ter de
interuar-se ate os limites do 1 disiricto.
< Segundo uma communicacao do juiz mnni
cipal do term 1 de S. Joao, a S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, fora esta villa invadida pelo:
sediciosos, uoindo-se a elles pessoas na mesnta re
sidentes. armados de punhaes e cackles, os quaes,
ao signal defogo, accommetterara a casa do com-
mereio, inutilisando pesos a medidas, a camara
muoicipal e as colleclorias, geral e provincial,.onde
rasgaram diversos papeis, que encontraram.
A cidade de Area foi pela segunda vez ae
commeltida por om grupo de sediciosos e faci-
noras, capitaneados pelo celebre criminoso Ale-
xandre Viveiros, que fez proezas, cbegando o fu-
ror ao ponto de pretender botar abaixo a casa do
theatro, que e um bello edilicio ; sendo msM im-
pedidos por diversas pessoas gradas do lugar,
que, sabindo-lhea ao enc.mtro com pedidos, offe-
recerara-lbes, para qae se relirassem, a quantia
de iOU4 ; que immediatamente entregaram-a ae
cabecilha Viveiros, que entao se reliron com o sea
sequito.
c Es pagar tamanhas depredaedes, qae tem potto em
alarma e desassocego as cidades, villas e povoa-
dos do 1 disiricto da provincia e parte do 2.
Nao temos tempo para mais.
Agora mesmo somos informados de que vai
partir pma column* de 120 pracas pela estrada
do sertao, devendo em breves dias apresentar os
raelhores resultados de saas expedigoes.
A' frente das respective expedicdes foram os
commandantes do 18 e i\ batalbao.>
PrlaAea e imterrogalortoa. Como
verao os leitores em nossa correspondencia da
Parahyba, iaserta sob outra epigraphe, foram alii
presos o bacbarel Francisco Lacas de Souia Ran
gel e o padre jesuita Silvestre Jose" da Roeha Pio-
to, os quaes foram remetlidos para esta provincia
a bordo do vapor nacional Jaguaribe.
Aqai cbegando, foram os dous levados a policia.
e interrogados pelo Dr. chefe de policia, que disso
mand iu Tavrar os respectivos termos, que assig-
nou com os dous interrogados, dos quaes o re
verendo addieioiou ao nome a signiQcativa phrase
prisioneiro de Jesus Chnslo 1
Em segnida, o Sr. Dr. chefe de policia reraet-
ten o recerendo para a companhia de sen eollega
padre Maazzi, mortdor na ben cooheciia casa da
estrada de Joao de Barros, aflm de ficar sob a vi-
gilancia da policia, e reenvioa o bacbarel Sonza
Rang-I para a provineia da Parahyba.
Oaile.A commissao incumbida da orgauisa-
cio Jo bade que os amfgos do Sr. conselhefro J^ao
Alfredo preteadiam ofTerecer lne, debberoa que
nao bonve-se mais essa festa em vista do desgoslo
porque paasoa o ranoio cjaselbeiro e do seu re-
gre-tso pars a cdrte.
( Syaiema nietrico. Pelo ministerio da
agnciiiu a foi expedida a seguiute circular aos
presidentos das pruyiupias, em 9 de Bovembrp :
u Mm. e Exm. Sr. -S;nd j conveuieote verillcar
0 uiuilu com; se lerp execuudo a lei 1,507 de 26
de junbo de 186! e o regulamenlo approvado p.-.j
de^relo n. 5.169 d '.1 de dezembro do 1872, re-
solvi mcubir Luiz Joaquim de Oliveira, de inspec-
cionar esse servico, pnacipiaudo pelas muuiclpa
l.
dados aaa panoipaas villa* e cidades mari. -
mas.au qtr'.e do porlo desU cidade. expedindo-lbe
Hnstracgdes desta data, qne por eppia iraasoutlo a
V. Exc. para qoe, iateirad > do seu conteudo, pra
por a one aquelle funccionario maios de preeneaar
satisfactoriameate a commissao da qae 6 eaearre-
gado, re ,-oti men Ian do a V. Exc a expedigao da*
providencias qae por elle lh: forem rej nsitada*
qufca V. lijuj, parecereta aapaai?ntes para re
gularsar esto-iatno dAadiiuaaaracai; e ben as
smi'qpe llm oaac da n*-safeai por conta det<-
mintsteno n a vaporaa subveaciooados pelo estadi.
para, os portoa em qua liv-r daaxecutar soa com
,miAn. l) us gaarde a V. Rat.Jar Fernin4e;
aaOosta Peneirip Jwuer.
Essas instracgoes dizem qae o referido eoa-
raissarm exaouaara:
1 estado dos padroes aUimamente remet
ados a- municipa'id ides deaaaa paragens e qoae<
as medidas adopiadas para sua conservagao. 2
Como se procede a afericao. :t. Quaes as po-
turas, regulamentos e instruccdes expedidM pelas
camaras municipaes para a afericao e nso do svs
tema metrico e se estao de accordo com o reguia
memo citado. . As eaasas qne tiverem aotr d i infracgijes do mesmo regulamenlo 5*Obw-
do porqtie em geral e applicado o systeraa metr
co e se era alguma loealidade se emaregaai tigos pes.is e medidas. 6.* Se nas localidadea la
bricara se pesos e medidas e se elles aaa sememau
tes aos padroes adoptados : nairosim, pelas al
faadegas tem-se aaaaaeaaaa pesos e medidas dif-
ferenies djs adiptalos, e em qu I'po-a. ".!!
que data comegou a vigorar nt mnaicipalidade >
systema mem jo fran >z e as causa, qne tiverem
impediJo a execute do citado regularaeoto. dt-
pois da epoca Qxada. 8. A data em que forata
distribu dos as inunicipalidides os padro-s renv.i
tidos pelo governo e as eaasas da deaaora se as
houver. 9. Os pesos e medi las era pregados aat
repartigiies publica.. Das irregular!lades n abuv..
que reconhecer era qaalquer municipalida Je eooi
referenda a este servico, o eoramissano imm-lia
tamenie dara parte aos presideotes das rcspfctivas
provincias, indicando os meios de remova-lus.
Fmda a sua commissao apreseutara ao mraisi r
da agricnltura relaiorio nrcuinsiaiciai.i d- tu i
i|uaud i observar com a indicagao das medidas qo
jalgar convenientes para prompta e regalar exe
cacao da lei e seu regulamenlo.
Baiva do turilcu B eterrila -'la;
dou se dar baixa em 19 Jo corrmt*, pelo miaiste
rio da guerra, aos seguintes suldados :
Por incapacidade pnysica, aos soldados Cyriac
do Espinto Saalo Vianna, da 2." companhia d
operarkM d i ar>enal de guerra da cdrte, ali.it a
asylo do invsiidos da pairia ; Jose Igaaeio da Sil-
va, do 17- batalhio de infantaria, e Krancisc R -
drigues da Silva, do ! regi men to da cavallar..
tambem aJ-Jido a> memii a-\I>.
Por iseogao legal, ao soldado do 9* bataibao d
lafanlaria Manoei Joaquim da Silva.
Llcencaa para abrir boliestss. -A' vi>-
ta do dispusM ujde;reto n. 2 H5->, de 19 dade
zemliro de lsV>7 e no BViaa n. 2ii de 5 d> iuiho i
1871 nao prtence as camara< municipal--. ma>
sira a juula de nygieoe publica, a coaee^sao 4i
liceucas a pessoas nao babilitada* l-jalmeote part
abrirem boticas eexercerem a pharmacia. Asssci
determinou o ministerio do irapeno. em avisa cir-
cular de 2j deste mez, aos piestdeitlet da pro
vincias para que prevenissem is mesmas camara'
e de confonui lade com ast- deiermmaca. ardeao:i
ao da provincia de S. Paulo, qne manaasse anno!
lar as liceocas qne as mnnicipalida* da Jundiah.
e Casa Branca coocederam a Miguel Pereira c" .
Silva e Horacio Itib-iro Oil Jas para terea botica-
ua villa de Bethlem.
Exposica* uni\ernal de IH93. Ri <
de Janein, ministerio dos n-gucio* da agrrulturi.
comraercio e obras publicas, era "ii 4e aovemfer -
de 187a.
Illm. e Exm. Sr.- Accoso a recepcao ae sea of
Qcio de 21 do m-z proxnno liudo, com o qual m
transiiiitti.i. em ongiu.l, u qoe aaa data de 31 d
agosto ultimo Hie dirigio o umii.-ierio do nimaaar
cio desse imperio, acompanhado de outros papa'
e da relacao dos expositore* brasileirw preniado*
aaexposieao universal de 1871, e hem assim fie
inleirado de haver V. Exc remeUido para a lega-
cao imperial em Paris os dons paroles reeebi4u<
com os ciladu documeotoa a coateadu os dipio
mas e medalhas de.-tinadas aqaeiles expusNures
Deus guarde a V. ExcJose Fenmmiet 4m Co* i
Pereira Junior.Sr. envialo extraaraiaaria a aa-
nislro plenipotenciario do Brasii eat Vienaa
Guardan mariaha.Por avis.) to mints
terio da mannha foram promovidos a guardaa-
marinha os aspirantes Joao bapUrta das Neves.
Joaquim Jose I'mheiro de Vasconcellos, Lais d>
Axevedo Cada vai. Carlos Aloeito do* baatus a*a-
lenga, Manoei Edaardo de Axevedo. Joapun
Francisco Corr^a Leal, Joaquim Pint > Uu>. J a-:.
no Jose de Maeedo Coirabra. Eneas Oscar de Pans
Ramiw, Luiz Ferreira de Oliveira aVsKaa. U-ui
J .se Mans i Sayao, Jose Antonio Ayr >sa Jan -.r
Fraicisco Th max Alves Nogueira, Jeraaym Ii
herlo de M-s-.uiu, Henrique It boiro de Farias
Henrique Jo-.- Pedro Valladas Garroxo, Joaquin
Francisco Lessa de VascooceU js, Edaardo Augus-
to Verissimo de Maitos, Joaquim Alvares d. SJvi
Penna Junior, Jose da Silva .Nogamra, Joao Bap
tista Goncaives Tinoco, Joao Feraandes da Alsaai
da, Francisco Jose Feraaodes Pereira Junior
F.-mcisco Verissimo de Paula Leif, Luiz I'ereir
Arantes, Francisco Nunes Pereira, Carloa de Soa-
za Ferreira, Fernando Carlos de Car vai no e Jo*
Jose da Costa Figueiredo.
Informaeoe* udnainislra tian.
0 ministerio da agncniiura, em 18 da aovembn
dirigio as presidencias de provincu a segurau
circular :
lllm. e Exm. Sr. Aproximaaso-se a e?u
em que teabo de apreseutar a assembles geral c
relaiorio dos negocios que correin pelo miai-leru
a meu cargo, recommendo a V. Exc. haja da co
Iber em toda a provincia sob sua admimstracao *
enviar a esta secretaria de estado as mais circasas-
tanciadas informacoes acerca dos ra -n is de senri -
i; is constautes da inclusa nota a rejda directoria do commercio da mesma secreta-
ria de estado. Deus guarde a V. Etclaw Per-
ntnies da Costa Pereira Junior *
Eaeravoa aaatricnladas Imps-
rio. lie um quadro est Ustico, orgaoisado aa
directoria geral de estabstica, ve-se qae exisieai
em toJo o imperio, com excepgao de algaos aa-
nicipios de diversas provincias, 1,109,418 e-crav<
mairiculados. Sao incompleijs os dados qoaau>
a sexoa, estado civil, idades, prodssOas e rau-
deacia.
Obraa milltarea. -0 ministerio da goer
ra, em i'i do corrente, dirigio a seguinie circular
as pr-sidencias das provincias :
a lllm. e Exm Sr.Especa V. Exc saas ordaas
afim de que os encarregados das obras military
nessa provincia reraettam mensalateaia a aria
secretaria de estado, por inlermedw desta praai-
dencia, inlormagdes sobre o progresso qae ae-
rem as obras a seu cargo. Daaa guarde a V.
ExcJoao Jo te de Olioeira Jaataaira
Conflicto de juriartlccaa.-Levaoiou
se ura eotre o.- presiaeates da reucao da Portale
za, desembargador Bernardo Macaado da Costa
Dona, e o da de Pernambaco desembargad. no Jose da Silva Santiago Veio a eaeslao aa sa
premo mbunal de jostica e sendo Jiatrdiaida ac
Sr. Barao de Montserrat, maadoa essa cacao jaiz
relator oavir em 15 dias o presidente da retafia
de Pernambuco. Assignou se poit.na com ae-
elaragao que os 15 dias correrao da data do race
bimenio da mesma portaria.
Hatricula de eseraves.-0 ministerio
da agnculiura dingi > a presidencia da Babia, am
23 de novembro, o seguinie aviso:
< lllm. e Exm. Sr. Accuso a recepcao ao aaa
offlcio, de 8 do mez Undo, ac -raoaabado do rs-
quenmenio e mais papeis em qoe Jerunyaw da
Kocba Pires, por si e em nome da aaa saai
irmas, pede ao governo imperial qoe uuade ;
tir a matncula oito escravos, consumes da i
nota que deixou de ser aceiu pelo agaote d<
lectori i da villa do Csmisao. Em naposta, r
ro a V. Exc. que, em vista do art. 18 d. ragaav
mento que baixou com o decrela n. 4,834 da i
de dezembro de 1871, nio pode lar logar o aaa o
referiJo Jeronyra > da Kocoa Pires reqaer, eiaae-
do-lbe apeaas o reeur-o de provar aa accao oraY
nana, com citagao e audien m do* liaenaa a da
seus euradorvs : f o doraioio qaa tea soara a-
quelles ; 2*, que nao bouve culpa aa oawss o aa
sua parte em nio terera sidu dad* a ra trifaja
dentro do prazo marcado Bos arts 10 e 10 do
Citado regulameoto. D-os guarde a V. KM.
Josi Pe. nandes 4a Costa Pereira Junior.
Praaoa para exercieaas e ajai
de cuato- 0 rain sterio da juslica maiou :
Ao juiz de direiiu Leucidao de Andrade rVaaoa,
prazo di tres inezes para assuovr 9 ekartatw
de sea cargo ua comarca do Baixo Maaria,
Ao jaiz de direito Manoei Jose E-iiaoia, o ara-
col-
I


A
/v
L


Diaiicr4e Feraaraabiwci Vetgik feira de De^embro de 1814,
i
ft) de dous raeies e a aju-fa de coato dd 600J, pa-
ra as :urair o exaTcicfo de" sen c;#g# na coaiarca
de Santa Maria Magdalena.
Ao jai ie dtreita Jnnio Jofe le Amorim, o
prazo de doas mezes para assumir o exercicio de
sea cargo na comarca de Cnguaretama.
Ao jaia de direiio Jjjo Ruflao Pessoa de Mello,
o prazo de tree mezes e a ajoda de cu.-ta de 800.*,
para assurair o exerci-sio de sea cargo na comar-
ca de Guimaraes.
Ao juiz de dirette Joaquim Tavares da Costa
WTHmi3, o prazo de qnatro mews, para aMnro:r
-o exercicio de sen cargo na comarca de Breves.
, JBo juii de direito Antonio Carlos Moateiro de
Moura, o pram de doas mezes e a ajuda de cus-
-to de 5004, para assumir o exercicio de sea car-
go oa comarca do Rio de Santo Antonio.
Ao jaia de direito Serapiao Euzebio de Assump-
cao, o prazo de doas mezes e a ajuda de custo de
4:200.*, para assumir o exercicio de sea cargo
na vara da provedoria da capital do Maranhao.
Aos desembargadores Antonio Augusto da Silva
e Felippa AWes de Carvaiho, a prazo de quatro
mezes para assumirem o exercicio na relacao de
Lnyat*.
Ao juii municipal e de orphans' baeharel Fran-
cisco da Silva Saldanna, a ajuda de custo de
5O04C0O.
Ao Juiz manicipa e de orpbios do termo de
Caufassd, bacbarel Alipio Zaeharias de Carvaiho,
a da 700*, e augmentou-se com 3091 a do jalz
municipal e de orphios do termo da Limeira, ba-
cbarel Jose Felippe de Tele H
Llften^ae.Foram prorogadas as:
Oo Juiz ae direito da comarca de Campos, bacha-
rel Candido Oil Castello Branco por doas mezes,
com orden&do ; do juiz de direito da comarca de
Garanbuns Joaqufm Cordeiro Coelho Cintra, por
tres mezes, com ordenad j ; por 30 dias com ur Je-
na Jo a con :eJida aa amanueasa da secretaria de
polisia 'de S. aulo, Luiz Aatonio Cornvi ; por 3
mezes, sem venciineutos, a con:edida ao juiz de
direito da comarca do Amaranto, Antonio Teixelra
Belfort Roxo, por dous mezes, com metade do or
denado, a ultimameote concedida ao juiz de direi-
to da comarca de Guaratingueta, na proviucia de
S. Paulo, Jose Seguudino Lopes de Gomensoro.
Conaeiko Supremo .Uilltar. -Na ses-
sao de 25 de novembro foram julgados delinitiva-
mente os seguintes processos :
Bxeirrto.-Tenenle reformado Lncio da Cuaba
Pauvolil' e Menezes, accusado de haver, na qua-
hdade de quartel-mestre interino daescola militar,
ficado alcancado com o cofre da mesma escola ;
csndemnado a ser expuho : .foi reformada a sen-
tenc,a para imporem ao reo a pena de seis mezes
de prisao, pela negligeneia com que se houve no
camprimeuto de sens deveres Soldado Manoel
Francis"co Velho, accusado de, na quilidade de
cozinheiro, ter deitado cinza na refei^o de seu
commandante e de sua familia, lendo si lo absolvi
do pelo conselho de guerra, foi couflrmaJa a sen
tenja. Dito Jose" Antonio da Silva, accusado de
haver abonJoaado a escotta de qua fazia parte,
condemnado em am mez de prisao simples, foi
conflrmada a scnt.nca. D.i) Francisco Joaquim
Barb'wa, accusado de ferimento*, condemnado em
tres mezes de prisao rigorosa, foi conflrraada a
senten;a. Dito-Antonio Pinto Rodrigues, accusalo
da resistencia e ameacas, condemnado em seis mo-
zes de prisao, foi mandado voltir o procosso ao
conselho de guerra, para que julgue mediante ten-
c5es, na forma da lei, porquauto, o crime de que
se trata e daquelles a que pode ser applicada a
pena de morte. Dito Francisco Dias dos Santos,
accusado de furto e resUtencia, condemnado em
urn anno de prisao com trabalho nas fortificacoes.
Dito \thanazio Cardoso de Araujo, accusado de 1'
dessrcao simples, o conselho de guerra declinou
de sua coinpetencia para o julgameuto do reo, vis-
to ser o crime de au-encia illegal ; foi confir oada
esta decisao. D:to Balthazar Antonio Rodrigues,
accusado da 1" desercao simples, condemnado em
quatro mezes da prisao, por se ter apresentado vo-
luntariamenle passados tres mezes, foi conflrraaii
a sentenca. Ditos EduarJo Jose dos Santos, Jja-
quim Ferreira dos Santos e Virtuoso Antonio de
Souza, accusados de i de:er;ao simples, eondem
nados, cada urn, em seis mezes de prisao, foram
confirm das as sentenca*. Diios Jose Ferreira dos
Santos e Turibio Leao Rayma, accasadoi de I*
desercao aggravada, condemnado;, cada um, em
urn anno de prisio, foram nnfirmaJas a3 senten-
cas. Dito BeneJicto Martins da Rosa, accusado
de deserfio err tempo de guerra, condemnado a
ser arcabuzado, foi reformala a sentenca em cin-
co annos de prisao com trabalho.
Na sessao de 28 foram julgados definitiva-
msnle us seguintes processos:
Excrcilo. -TVnemo honorario Henrique Hercu
lino do Rego e so! lados Cutaao Jose da Silva e
Anackto Jose da Lac, aceasados de haverem dei-
xado evadir se um preso ; condemnado o tanente
em doas annos de prisao om trahamo, seado os
dous soldalos amsotvidos, foi reformada a sentenca
para imporem ao reo tenente Henrique Hercularjo
do Rego um anno de prisao, e aos dous soldadoa
sais mezes de prisao com trabilho, cada um. Cbo
de eaanadea, JjSo Francisco dos Santos, accasado
de desobrdieucia, coademnaJo em doas mezes de
prisao simples, foi confirmada a sentenc'. Solda-
do Jis6 Ferreira &i Lima, accusado da homicidio,
coademuado a s r arcabuza b. Foi reformada a
seutenga para imporem ao reo a pena do prisao
perpetua com trabalho. Dito Antonio Francisco
da Piedade, acensado de ferimentos, condemnado
em um anno da prisio rigorosa. Foi reformada a
sentenca para imporea ao reo a pena de dous
annis de prisao com tratulho. Ditos Joaquim
Alves da Silva, Jose Praetaoso do Amaral e Anto-
nio Joaquim das Djres Riheiro, aeoasados de dsi-
xaren evadir-se an gale, leudo silo absolviJos
p?lo conselho da guerra, foi reformada a senten.-a
para imporem a ca la um dos reos seis mezes de
prisao com trabalho. Dito Belmiro Jose de Jesus,
accusado de ferimentos, condemnaio em seis ma-
zes de prisao c im trabalho. Foi conlirmada a
sentenca. Dito Francisco Jose Potnpiiio, accusado
de haver-se evadiJo com um preso que se schava
sob sua guarda condemnado pela fuga do preso,
a um anno de prisao com trabilho, e pela deser-
c,ao en oito mezes de prisio : foi coafirmaaa a
seatenca oa parte e;n qua condenusu o reo pelo
crime de de.serc.lo, e refjrmada a sentanja, qaan-
to a fugi do preso, em quatro m;zes de prisao
om trabalh>, altantas as razoas da referida sea-
tenr;a, e aJvertinJo ao conselho le guerra nio Ihe
ser licito imoor ao3 reos oatra pana que nio seja
a da lei. Dito Manoel Virginio dis Saato3, accu-
sado da desobediencia, condemaado nas penas do
art. 1 do regularaento da 1763 : f/i maidado vol-
Jar o processo ao conselhi de guarra, para lavrar-
se a sentenca determinando a pena era qas enten-
der que esta incurso o r6>. Dito Claudiao Perei-
ra da Silva, accasadj da 1' desergao em tempo
d3 guerra, condemnaio a ser arcabuzado : foi re
fjrmaia a sentenca em etaeo annos de prisSo com
trabalho. Dito Ignacio Francisco, accusado da !
desergao simples, condemnado em dous mezes da
prisao por se ter apreseutado voluatariamenle dan-
tro dos tres mezes : foi confirmada a sentenca
Dito Vicente Jose Ribeiro. accusado de i' desercao
simples, condemnadj em quatro mezes de prisao
por se ter apresentado voluntariaraente passados
tres mezes : foi reformadi a senteaca para impo-
rem aorei as penas raarcaias no art. 3" tit. 4
daa i" descr/ias simples da Or 1803. por isso que apresentou-se volu tariamente
dentro dos tr.'s mezes. Dito Felippj da Silva Lei-
te, accusado de i' desercao simples, condemnado
em seis mezes de prisio : foi confirmada a senten-
ca. Dito Antonio Joaquim de Sant'Anda Segundo,
accasado de i' desercao aggravada, condemnado
em um anno de prisSo: foi coullrmada a senten-
ca. Dito Antonio Domingues da Silva. accusadj
de 2* da ercao simples, coudeirftalo em dom an-
nos de prisao com trabilhj: foi caulirmada a
sentenca.
Pagaaloria de faicada Nesta esta-
tao pagam-se hpie as seguuues fuihas: gaarda
nacional, navios da armala, aposntado.*.
Poa^io ile Liverpool.Estavam a parlir
desse porto para o nosso : a 21 de novmbrn va-
por inglez Cordova ; a 23, o navio Fidtlite ; a
23, o navio Success ; e a 27, o navio ilarthi
Edmonds.
ssc
cMda, alem dhto. Began*) as leis de Kapler,*
relapso das distancias da terra e de Venus to as),
e caiculando por meio daa coordinadas geogra-
phicas o comnrimento da corda qne une os la-
gares da observa;io, poderemos com o aoxilio
destes dados faeil e exactaraente aebar essa pa-
ralyse.
''* "'Unas passagens, qne tiveram lagar eat
1861 e 1769, nao puderam ser observadas com toda
a perfaleao. Acboase como
sol 86,57. Hoja, porem, oa progresses da sciencia,
a perfelpa'o dos ins t rumen to?, a cooperayao doa
melbores aslronomos, a a escolha das estacoes d)
observacao promettem am resaltado muito mais
satisractorlo.
" Hi doas metbodos para aebar a parallaie do
*ol pelas passagens de Venos. 0 primeiro eonsis'
te em aebar a differenca de duracao das passa-
gens em duas estsgoas onde esta differenca 6
ui.u'or. 0 segundo cansiste em aebar a Jdiffe-
renca de enlrada e de sahida do centra da Venus
nos lugares onde esta differenca tambem e maior.
Para preeneber as con licoes do primeiro metbodo
indicaram como ponto de observaeio o lago Bai-
kal, no hemispheno norte, e as terras de Enderby
a de Victoria, no hemispherio sal, lugares onde a
differenca de 30 minutos pouco ae aparta do maxi-
mum 33 minutos.
Tem-ae apt>ntado como estacoea mais eommo-
das para as observances alguns lugares da China
e do Japao (como I-do) e aa Unas do snl, Magdo-
nal, S. Paulo, Midrien, Kerguelen, etc.
" A respeito do segundo methodo, aeonselha-
ram, como ponies de observacao, as ilhas Amis-
lerdam, S. Paolo, Kerguelen, Taiti, Noumea, Mas-
cate e Suez, lugares onde a differenca de entrada
ede sahida approxima-se do maximum 22 mi-
nutos.
" Para am observador collocado no centra da
terra a entrada dojeentro de Venus terilugar (tem-
po media de S. Paulo) no dia 7 de dezembro, as 10
boras, 47 minutos e 89 da tarde, e a sahida no dia
8, as 3 boras, 1 minuto e 67 da manha. A dura
cao da pass age m sera de i boras, 13 minutos e 98.
" Para poder determinar a bora da entrada, da
sahida e da durac,lo das passagens n'um ponto
qualquer da suparticie do orbe terrestre, recorrer-
se ha aos calculos e methodos conhecidos.
'' 0 sol achar-se-ha sobre o horisonte durante
todo o tempo da passagem, na India, na China, no
Japao, Nova-Hollanda, nas terras de Victoria, da
Eaderby, nas regioes septeotrionaes ; achar se ha
sobre o horisonte na enlrada e nao na sahida
n'uma parte do Oeeano Meridional e septentrio-
nal ; emfira na sahida e nao na entrada na maior
parte da Africa, no Mar Negro, Golpho Persico, e
na parte oriental do mar Mediterraneo.
" A passagem nao podera ser observada nas
duas Americas e n'uma grande parta da Ea-
ropa.
" A primeira fatura passagem de Venus sobre
o disco do sol tera lugar no dia 6 de dezembro de
1832, e sera visivel durante todo o tempo do phe-
nomeno na Amsrica do sul e na maior parte da
America do Norte.
" Seminarin episcopal de S. Paulo, 21 de no-
vembro de 187.-Fr. Germmo de Annecy. "
Mcphistopliclcs. -Raceberaos do Rio de
Janeiro os ns. 21 a 23 desse interessante jornal
illu3trado.
loraaal das Faiuilias Des30 aprecia-
vel jomal do modas e4a luteratura acaba de cbe-
gar on. 12. correspauleule ao mez do dezembro
corrente, e portanto o ulcimo do anno do 1874.
Nasse namero ve:n publicado Mitoct, romance,
por J. J. ; Fiijueir.j, idem, pelo Dr. Caetano Fil-
gueiras ; Valeria, idem, por Job ; Quetemes ? poe
sia, por * j descripcio do /ijuriao do m;das,
e dos trabalhas de agulha.
Acompanham ao numero : um figurino de mo-
das. colorido ; quatro estampas de urdados, do
moldes de tapegaria ; eduas pegas de musici.
Aquellas pessoas, que desejirem assignar no
anna vindoaro, essa pablicagao raensal, davem
quanto antes inscreverem-se nas raspectivas
agendas.
JLoteria.A que se acha a veada 6 a 128',
a beneficio da Santa Casa de Misericordia, a qual
no dia 14 do corrente.
Loteria do Rio de Janeiro. Resu
mo da li.-la da 73* loleria (210) enf beuefici o das
casasde caridale da previucia do Rio de Janeiro,
extrabida a 27 de noverabro :
N. 1098 2'>:0On^O0G
N. 1618 10:00->j00o
N. 4890 4:000*000
N. 2123 2:000^000
Ns. 3116 e 3389 -1.0005 a cada um.
Ns. 130, 342, 1008 e2422 -80 >5 a cada mu.
anterior, o Dr. aocretario peku ao aoftefo ara) *edV> Ihfc que fosse escrever o termo e asiigaas-1
o julgamentode um recurio crime a dona aara( por dfe, pois difflcil genao irapossivel Ihe era ja | daadtnanto do
vos de petijoes.
N. 97.Aggravante Lourenco Gasp at de Bastos
eserevw, e pedio tambm ao med amigo o $r. Joa
qaimi Bernardo que igaalmente assignasse, De-
cs C., aggravado rirmino Correia Pessoa de Mel- pois de algura tempo meu pai cbamoa-me e dsse-
.;"" ./oram sortea Ns. 23, 1S9, 443, 537, 1113, 2200, 3649, 4571,
4960 e 5803 -200^ a cada um.
Ns.
PauMajrem do planela VennaLe-
se no Correw PatUistann
a Devemos 4 obsequiosidade do illastrado Sr.
padre raestre Fr. Germmo o seguinle eacripto so-
bre a pasfeagem do planeta Venus sobre o disco
do sol :
" 0 estado desse pheaorneno, que so pode ter
lagar daaa vezes n'um secalo, $ da ma'or impor
taocia, perqne, maia do que qualquer outro meio,
serve para deteroaioar a parallaxe do sol, e por
coMttaante a ana dbtencia da terra.
" Gom eaTeito, coohecidas a velocidade de Venos
e adistaocia das doas cordas paralleias, quo'ob-
servadorea, collocadoa em daaa estates distantes,
teem wstp apparece raobre o disco do sol, eoabe-
3:6, 414, 620, 1365, 1756, 1950, 2986,
2208,. 2290, 2870, 3018, 400'i 4068, 4513, 4090,
3039, 5304, 5639, 5703 e 5.:08-ii0* ;i cada um.
Ns. 50, 99, 241, 430, 493, 615, 928, 76), 795,
831, 973, 987, 996, 1048, 1260, 1309, 1340, 1332,
2031,
2647,
3402,
4650
531*)
5669 e 3717-405 a cada um.'
LeaMfo. Hojaeffectui o ageote Dias, leilao
da ebapeos de Cttile, de baeta, de spartirie, da
chapeos de sol da sed, cabo da marfim, as 11
boras da minhS, em o armazem da rua do Com-
mercio n. 48.
Uospital Porta^aex. Movimento das
enfermarias ua semana de 29 de novembro a 5 de
dezembro :
Ficaramcm tratamento 30, ontraram 4, sahiram
corados 3, cxistem 31.
Enira de s^maaa o Sr. mordomo Antonio Jose
Gomes.
Passngciros. Chegados no
Cional Ceaid :
Joao Fdrreira Coutinho, Aogosto P. Qusiroga,
Dr Hiracio A. Ribeiro, Luciano B. da Rieha,
JoSoC. Mendonga,, Paulo Pet^on, Ignacio A. Bel-
tra>, Joaquim J se da Caraara, Thcotonio dos S.m-
Almeida Albuquerque e Souxa Leao.
N. 98.Aggravante Joaquim Severiano Nof aei
ra> aggravados Tasso Irmaos. Foram sorteados os
parallaxe media don Srs. desembargadores Souza Leao a Accioii.
JULOAIIENTOa.
Habeas corpus.
Concederam soltara aos pacientes Lourenpo Ti-
burcie Campello o oatroa.
Hecurso crime.
Recorrente bacbarel Francisco Santiago Accioii
Lins, recorriJo Joaquim Pinto da Costa. Relator
o Sr. desembargador Reis e Silva. Adjunetos os
Srs. desembargadores Almeida Albuquerque e
Souza Leio.Deu-se provimento.
Dennncia de Reioaldo Comes Torres contra o
nil de direito da coraarca do Ouricary. Relator
b Sr. desembargador Lourenco Santiago. Aijunc-
tos os Srs. desembargadores Sauza Leio e Accio-
ii.I mprocedente.
Appellacoes crimes.
De S. Joao.Appellants Bernardino Nogueira de
Carvaiho, appellada a jastica. Improeedeate.
Do Cabo. Appellante Francis Caetano Rihei-
ro, appellada a justica.Improecdente.
PASSAGENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr
desembargador Reis e Silva :
Appellagao crime.
De Pao d'Alho.Appellante o presidante do ja*
ry, appellado Jose Alexandra da Laz.
Apellacoes eiveia.
De Goyanninha.Appellante D. Lonrenca Ale-
xandrina Barbalho e outra, appellado e juizo
Do Recife.Appellante Miguel Archanjo da Cu-
nha, appelladoa os menores Augusto, Carlos,
EJuardo e LydFo, por sea tutor.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Da Granja.Appellante D. Leooor Maria de Oli-
da, appellado Maooel Jose do Carmo.
Do Sr. desembargador Lonrenco Santiago ao Sr.
desembargalor Reis e Silva :.
Appellacdes crimes.
Da Imperatriz.Appellante o juizo, appellado
Manoel Antonio do Nascimento.
De Petrolina.Appellante o juizo, appellado Vi
ctoriano, escr*vo e outro.
Appeliacao civei.
Da Imperatriz.Appellante Manoel Ferreira dos
Santos Netto. appellado Zefirino Lopes de Barros.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Accioii :
Appellacoes crimes.
De ItambS. Appellante o juizo, appellado Ma-
noel Nery Teixeira de Borba.
Dj Limoeiro. Appellante o juizo, appellado
Christovao Gomes da Silva.
Appeliacao civeL
De Alagoa Nova.-Appei ante o juiio, appella-
do Virginio, escravo de Joao Felippe da Cunha,
por seu curador.
Appeliacao civel.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembarga-
dor Accioii :
De Areia. Appellante Manoel Joaquim de
Carvaiho, appellado Aatonio Joaquim de An-
drade.
Do Sr. desembargador Accioii ao Sr. desembar-
gador Dommgues Silva :
Do Recife. Appellante Galdino, por seu cura
dor, appellado Antonio Machado Pereira Viauua.
Appellac5-s crimes.
Do Sr. desembargador Souza Loao ao Sr. des
embargador Silva Guimaraes:
Appellanta AntOLio Silvestre de Barros, appel-
lada a jastica.
Appellajao civel.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago :
Da Imperatriz Apeilante M-uoel Ferreira dos
Santos Netto, appellado Zeferino Lopes de Barros.
Diligencia crime.
Ao Sr. desembargador proraotor da justica :
Appellante o juizo, appellado Antonio Salgado
de Vasconcellos : appellante Jose de Almeida Ra-
hello, appellado Antonio Jose Duarte Coimbra ;
appellante Simplicio Alves de Souza, appellada a
jastica.
Assigned sa dia para julgamento dos seguintes
feiUs :
Appellacoes crimes.
Da Imperatriz.Appellante Juliao Jose dos San-
to', app-llala a justiQa.
Do Pilar.Appellante .Antonio Pareira Maciel,
appellada aju-ticv
Do Recife.Aopellante Jose Emygdio Ferreira
L;ma, appellado Candido Moreira da Costa.
Do Muricy.Aopeliautea justica, appellado Au
gusto Pereira da Rosa; appellante Lourenco Jos6
de Araujo, appellada a jasiTpa ; appellante o iuizo,
appellado Savenno Torquato dos Anjos; appellan
te Manoel Francisco de Monra, appellada a justiga.
Appelacoes civeis.
Appellante a fazonda provincial, appellado o vis-
Conde deSaassuna; appellantes Silveira & C, ap
pellado Antonio Paiva da Fonceca; appellanta o
barao de Bemfica, appell.dos Jeronymo DjIsuc e
outros; appellante Francisco Anlonio de Assis, ap-
pellado Alexandre Guedes Alcoforado ; appellante
o juizo, appellado Martinho, por sou curador ; ap-
pellante Agostinho Pereira de Oliveira, appellada
Perpetua, escrava; appellante Justino Pereira de
Fans, appellado* Farias e Gimes.
Encerrouse a sessao a 1 l|2 bora da tarde.
isto por alga mas vezes.
0 Revm. Fr. Espirito Santo, nao havia acom-
panhadoo Sr. vigario, lea o termo em voz alia
perguntando a meu pai se se conformava, respon-
deu-lhe afflrmatlvamente.
Eie o qne se passou : meu pai nao foi eonstrap-
gido nem violen'.do por ningue.fi : junto aa tea
l8ita de dor nuoca pousaram crvos ou aves agoo*
Teiras: morr.m rodead> da fam:li.i, des us amigos
e de alguns dignos sacerd.ites no desempunh-j de
sna mi.-sa i.
Seo qne rt a escripto nio basta ao meu incogni-
to inlerpellaute.a quern alias agra lego a delicadeza
com que m trata, dir-lhs-bei ainla guardai os
vossos cuiJados para quando forem precisos ; por
ora a bonrado men iJolatrado pai me tc& de Deus
nio esta em perigo: o testemaoho, a s maoii*esta.-
coes d pazar, que teaho ecebido de todas as
classes da sociedade, em que elle viven, me dizem
eloqaeasemente, qne a sua memoria e acatada
coma a de um homem de bem, e isto basta ma.
Recife, 7 de dezembro de 1874.
A. S. Pereira do Carmo.
Iiem do dia 7
ALFANDBA.
dia 1 a5 .
198:087*226
48:781/835
vapor na-
Ima pcrda iiotavel,
Le-se no Puturo, jornal ceareose :
A scieneia e a humanidade, a familia e a amisa
da, aaabam de perder am de seas mais dedicados
apostolos, urn do seas mais raros typos de amor, e
dedicacao.
0 paqoele qne entrou hontem do sal, tronxe-
008 a iofansta naticia da rflorte do Dr. Alexandra
de Sooia Pereira do Carmo, distintictissimo medico
daeidade do Recife.
AssaUados por um golpe tao profuudo quio
inesperado, nem podemos dar traJuccao fial a ma-
goa que nos pange o coracao.
Mas nio e somente o seatimento Individual da
amisade, que nos faz deplorar essa perda, que re-
sume em si o Into da familia e da scieneia. E'
tambem o pezar de vermos lio cede sumir-se na
campa, am dos mais denodados campeSes d'essa
scieneia, que no dizer de Cicero, mais aproxima o
homem de Deus, e que, comprehendida pelo phi-
losopho christao como um sacerdoekt sublime, ma-
pira aetos de arrojada dedicacao, e impede, ao que
d'ella se compenetra, a pratica de actos de assom-
brosa abnegaclo.
0 Dr. Pereira do Carmo era mais que um medi-
co junto ao leito do doente, porque era a per-
soniiicacao da philantropia e da caridade. Ve lo
nas preoccupacoes serias de seu affanoso lidar, era
addimira-lo como martyr do dever e do proprio
apostulado, idenlificaado-iic com todo doente, como
si todo doente fora uma iV.ra de sua alma ge-
nero-a, dir-se-hia que elle, sempre animado ate o
derradeiro transe, bouvera segredado com a morte
e d'ella obtilo urn longainqaa esperanfa, para
reparlir com os que era desespero Ihe pediam a
saudu e a' vida .
E n'essa lida incessante com a morte,proble-
ma que elle encarava como philosupho christao
quando o esludava em relacao a si , mas que
julgava inaceitavel em relacao ao doente que Ihe
era confiado, esquecia-se de si, como o apostolo
da caridade, da familia, comoros dicipulos da lei
stoica, das preoccupagoas muudanas, como se fora
um asceta, ate que lombou para o tumub, pobre
dos bens da forluaa, mas riqoiasimo do glorias,
que perdurarao como o orgulho da scieneia, e o
patrimonio da familia, qae oestremecia.
A morte de tio distincto cidaiao, e pranteada
como uma perda sensivel para i patria e para
a hnmanidade.
Para a patria, porque pc-rdeu n'elle nm precla-
rissimo filho.cuja intelligeociaera tao cheia de lu-
zes quanto seu coracao era cheio de nobres e ge
nerosos sentiraentos, e que nos seus dias mais
afliictos, achou o a sou lado, preparando bostes
aguerridas para as pelejas ,'ue tivemos de susten-
tar nos campos de Paraguy.
Para a humanidade, porqoe os pobres, que fa
ram iao amados por Ciiristo foram tambem os
seus amigos diloitos, em toda sua percgrinacao de
sacrificiose de ai.negagao.
Cingia-lhe ainla a fronte uma coroa, qua som-
brea todas as oulras : era modesto, como um sa-
bio. NiBguem o ouvio jamais jacarse ; e se nun-
ca o accusaram de haver feito mal a alguem, tam-
bem nunca consentio queassnas acgoes merjto-
rias fossem profaaadas com ejses fallazes elogios,
que so desvanecem aos que se exlasiam diante das
passageir'as grandezas mundanas.
Houve, porem, um recesso inlimo, onde nem
todos o apreciavam, mas onde fomos adraittidos
muitas vezes. No santuario da familia o Dr. Pe
reira do Carmo nao era simplesmenta esposo e
pai : eraiJolo. Araavam-no como se fora uma
creuca, e elle correspondia aos extremos que o
rodeiavam, com a ternura ioimitavel do mais san-
to dos affectos. No convivio do lar, edificava pelo
exemplo e pela palavra, eada uma das quaes pcr-
durara na memoria de seus Qlhos, como uma li-
gao de profuudo amor e proviJencia.
F6ra longo estudar lio granda e lio modes la
existencia, sob os multip'os aspectos, que a lorna-
vara rara e sinceramcata apreciaJa. Damos ter-
mo a esus linhas, por que a saudade embarga nos
a expansao da outros seatimentos.
Deecarregam noje 9 de dezembro
Vapor
246:868^851
to USi.
iendimento de
Idem do dia S
Bacalhao. etc.
i 4 8784584
4484803
Generos
riendimeato de 1 a 4
Idem do dia 5
de eatin.
876ii48
3I4JS80
-londimento
Idem do dia
nacional Conde dEu (esperado) ge-
neros naciunacs para o trapiche da cc m-
panhia.
Brigne portugaez Recife geoeros nacionaes
para o trapiche da eompaabia.
Brigue porluguez Cotete generos nacionaes
para o trapiche Moateiro. v
Paacho allemao Colmar (atiaeado) merca-
dorias para alfandega.
Lugre ingloz Ethel Bottom. varios generos
para o trapiche Conceicao, para despa-
char.
Barca porlogaeza Lisboa vario3 geoeros para
o trapiche Conceicao. para despachar.
Barca porlogaeza Imperial vinho para de
posito no trapiche Cunha,
Barca ing eza Jane Maria machinismo ja
despachado para o caes do Apollo.
Patactao inglez Jutenta mercadorias para al-
fandega, cimento para o trapiche Concei-
cao, para despachar.
Patacho allemao Marie 4 Sophie farinha ja-
despaebaJa parao cae do Apollo.
Samaca bespanhela Marcelina pipas vasias
ja despaehadas para o 3* panto.
Importaoao.
Brigue portuguez Cotete, entrado do Rio de Ja
neiro em 6 do corrente e consigaado a E. R. Ri-
bello & C., manifestou :
Barncas vasias 521 in teiras e 522 quartos a
Francisco Ribetr > Pinto Guimaraes.
Cafe 40 saecos a Andr6 M. Pinheiro.
Farinha de Mandioca 50 saecos a Jose J. Tasso.
Pedra mar.nore 4 caixas a Marcelino Jose Goncal-
ves da Fonte.
Brigue portuquez Recife, entrado de da Bahia
na mesma data e consignado a Joaquim Monteiro
da Cruz, manifestoa :
Azelte depeixe 10 barris a Manoel Jose de
Aguiar 4 C.
Charutos 5 caixas a Domingos Alves Matheus.
Cola 5 saecos a Cosme Jos6 dos Santos Calado.
Farinha de mandioca 800 saecos a Beltrao &
Filho, 650 a Fraiza & Rocba, 400 a Domingo3 Al
yes Maibeus, 100 a Jose Maria Palmeira, 100 a 11 -
Joao Rodrigues dj Faria, 10 barncas a J. Tasso. -
Farinha de trigo 200 barricas a Henry Fors-
ter & C
Piassava 10 raolhos a Baltrio.
Tabatinga 10 barricas a J. Tassa.
Vinho 26 pipas, 11 meias e 10 baris de deci-
mo a ordem.
Farinha de trigo, ex
de 1 a 4 I
5
i:a7*v-n
10X>#*18
rteodimeirto de
suem do dia 5
riandimento de
!dem do dia 5
Fumo,
a 4
etc.
304900
2344410
Vinagre,
a 4
etc.
91AIT9
12D4318
tan-m
----- 2134197
3:34SJSf*
Thesouro provincial de Punmnbaico, 7
de dezembro de 1874.
0 escrivlo,
J. C M. da Silva Santo*.
Companhia IndemQisador.^
do Porto.
CAPITAL 2,000r80|000.
de Aquino Fonceca 4 C, succets-.ret
" Bsti companhia toma seguros maritimos e ter-
restres, dando nestes u septimo anno gratis aos te-
gurados.
Run do Vigario m. f.
Banco do Minho.
Joaquim Joso- &tacalfes Be trio i Pllbo saccao
por todos os raporea s >brc :
Thotnaz
Anadia
Agui a
Aveiro
Beja
haves
Clvas
E marante
Auimaraes
Gvilha
Barca hespanhola Celestina, entrada de Santa
C^tharraa na mesma data e consignada a ordem,
manifestoa :
Pipas vasias 280 a ordem.
Vapor nacional Ctard, entrado dos portos do
sul em 7 do corrente e consignado a Pere:ra Vian-
na & C, manifestoa :
Carga do Rio de Janeiro.
Fumo 72 caims a Beltrio & Filho, 20 lata3 in-
teiras e 20 ditas meias a Magalhaes & Irmao, 3J
3 J e 64 rulos a J. M. Palmeira, 15 encapados a
Jose Tavares Carreiro & C.
Hesperidina 20 caixas a Cunha Irmaos A. C.
Pannode algodao azul 2fardos a Monhard Met-
fieri: C. papel pintado 2 caixas a Jose Antonio
de Souza.
- Carga da Bahia.
1 \lh^i>3 de S'A 3 "'"3 a E. A. Burle & C, 2 a
Mills Latham & C. Charutos 4 caixas a Domin-
gos Alves Matheos, 2 a Amaral, Nabuco & C, 1
a ordem, 1 a Manoel Joaquim Loureiro.
Fizendas 3 caixas a Simpson 4 C, 3 a ordem.
1 anno de algodao 27 fardos n Beltrao & Filho.
Vinho 6 pipas a Silva Guimaraes 4 C.
MPort'alegre
Arcos da val de vez
Calorico de Bastos
Caminha
Mangualde
Ponte de Lima
Povoa de Lanhosa
Villa nova Je Portimi
E*< ra Mohaio
F.t> Ovar
I": r. Porto
Gaarda Tavira
Uiru lUgoa
Ltaboa Viaea
Bercelios Fifoei
On [libra I.--mega
Virandeila Estarr
I' naii 1 Valen
Villa real
Cabecira de Bastoa
Castello-Braoco
Espozende
Oliveira de Azemei
Povoa de Varzint
Vianaa de Castello
Villa nova de Faosaiieao
tos, Carlos Uutencourt, Fr. Affonso Maria Bolonha,
Joao B. de M. G imes, Antouio de Siqup.ira, Tito
Livio Soares, Jose G. de Mbuquerque, Dr. J. Cli-
maco de Araujo, Jose Maria de Oliveira, Jiao C.
da Figueiredo, Henrique Morecetoo, Patricio Sabi-
no, Maria (tiberla), Urbano Jose de Souza, Do-
ming 13 lose Harqaes, Joao A. Monteiro, Ju'tino
da Silva Torr s, Dr. Manoel P. Montenegro, Fer-
nanl33 Junior, Cmdilo Jose dos Ran Silva, Gui-
Iherma W. Wucherer, Coleta Maria dos Prazeres,
31 emigrantes, 3 pragas do exercito e varios es-
craves a entregar.
Seguom para o norfe no me'mo vapor:
Galdino Jose de Andrade, 15 pracis do exerci
to, Paulo C. Pessoa de LacerJa, *Marco3 B. Caval
cante, cadete Joaquim A. Pereira de Azevedo, Dr.
Antonio P. da C. Ramos, B. N. Auro-o e 1 filho,
Dimaso F. da Fonceca, Jos6 C. da Fonceca, Ra-
puiel (criado) J0S0 (livre), Aatonio C. de Aguiar. 1
coronef Antouio Joaquim Bacellar e sua familia, |
alferes Joaquim Ioa4 de Oliveira e sua mai, alferes.
Antonio F. de Sraza esua familia, cadete Antonio'
C. A. Macedo e 1 filho, Diego J. da Co3ta, tenente!
Ignacio A. G. de Oliveira. Franciso M. di Gama lgrej* e. .a psfona"* eu 0 vi muitas vezes la-
J ise Pereira da Silva, j.156 R. Vietra, Pedro L "
Charmon, Joio E. da Silva e 1 escravo
Chegidos da Parahyba no vapor nacional
laguiribe :
Alferes Silvino Barroso de Garvaloo e 4 prajas
escoltando os preaaj Dr. traocLco Lucas de souza
Rangel e um padre jesuita.
Sahidos parao norleno vapor nacional Pi-
rapama:
Maria Ferreira da Costa, Fernando da Silva Car-
vaiho, Joao Jos6 Rodrigues, Pedro Soares de Aiau-
jo, Joaquim Felix de Cautalice, Luiza C. de
Mendonca, Joao Pacheco de Lima, capitao Targino "a*nl"s. couservou su\ r.izao tao clara e lucida,
da Silva Antaoes e I criado, Raymando Jose da !que, era PrlHJr<> reconneeer a gravidade do
Silva Barbalho, e Lourenco Goncalve- Dr H I raa1, 'iue alaRna ; e a manhaa do dia 27 de
AlijjiracHO.
Nio tanto pelas provocaco >s alias muito positi-
vas, como a qua so 16 no Dia>io de Pernambuco
de 1 do corrente, seniio e principalmente pelo
dever, qua tenho de zelar pela pureza do nome
que me legoa mea pai; venho a impren3a dizer a
verdade, du que se passou com relacao a sua re-
solucao de acabar a vida c mo comecoa, isto e,
debaixo dos auspicios da religiao do Cnristo, cuja
verdade ninguem mass da que elle soube respeitar-
e segui*.
Com 0 espirito 0 0 cora;ao ainda immersos na
mais profuuda magoa pela perda irreparavel, qne
soffri, nao pequeno esforco me 6 preciso para ven-
eer a natural repugaancia em o:cupar-me de nm
assumpto, que aproximando-me d'aquelle momen-
ta ternvel do passamento de meu seraore chorado
pai, nao pouco augmenta-me os soffrimentos pelo
nenbnm respeito, em que 0 vejo tratado de modo
a expor-se a censura a sna memoria. Devo po-
rem dizer a verdade para ver se a face d'ella ca-
lam se esses intere3sados amigos, que torturam
era vez de consular. .
A pezar do macon, e nao obstante haver occupa-
do na maconaria os mais elevados cargos, men
venerando pi nunca deixou de ser pelo raeaos
um dos mais aproxiraados typos de verdadeiro
christao, que tenho contiecido.
Quando apipareceu 0 actual conflicto entre a
mentar do intirao d'alraa, se n5o julgoa conveniu
ente deixar a maconaria, e certo todavia, que
mais acrisolaram-se suas crencas religiosas nas
boas pratiaas e repetidos exemplos com qae edu-
cou sua familia.
Mas devia elle levar sua resistencia a Igreja, as
suas prohibicdes e conseihos alem dos umbraes da
eternidader
Creio, qae nio, e 0 digo ainda pelo exemplo, qae
elle deu-me.
Vamos ao facto
Meu pai, devo direr, ate os ?eu3 ultimos mo-
Ao pe da sepnltura, que Ihe erguerara a gr.ui-
dao da familia e dos amigos, am vulto se destaca
rcais triple e gelido do qua 0 marmoreo aojo dos
tumulos. E' a inconsolavel esposa, typo verladei-
ramento adoravel e sublime, para quem todas as
consolacoas da religiao nao serao talvez bastante*
para muigar a intensidade dedor, que Ihe despa
daca 0 corscio.
A pobre martyr de um affeeto lao santo, tcra
porem lido esta maxima consol-tdora e sublime,
que encerra uma grande licao da humiliade ante
os decretas de Deus :
Bemaventurado 6 0 tecto que 0 Seahor vi-
sitou enviando a morte.
W. l8o.-Agaa de Florida de Mar-
ray & Laoman-Existe por certo uma qua-
lidade altamento sanitiria, suave e deleitavel na
deliciosa fragrancia desta agua popular que de
tao granie ornamento serve ao toucador.
Ella, como por encanlo, nos faz lembrar 0 dal
cissimo incenso fl)rido de verao cu a imitacao de
um favorito torn de masica antigo, 0 qual parven-
tura nos faz recordar aqiellas scenas ja psssades.
durante as ques ouvimolo pela vez primeira. E'
espiritaalisinto e delicado como 0 aroma da ge-
nuina agua de Colonia, e comtuio 0 seu perfu-
me 6 mais profundo e duradonro, e a sua fragran
cia nunca muda nem enfraquece, como acontece
com os mais perfumes exlrahidos e compostos de
oleos volatis.
As seohoras, as quaes geralmenla soffrem de
doies nervosas de cabeca Ihe dao apreferencia a
toda e qualquer uma outra applicnclu local, como
um exeeilente meio de alliviar as dores ;ie em qua-
lidide de nm perfame para 0 quart) de um doen-
te 6 elle por sem duvida eminentemente refrige-
rate e agradavel.
Para evjtar as fraudulantas e dospresiveis adul-
teragoes francezas e hamburgueza, os coraprado-
res devem pedir a Agaa do Florida de Murray 4
Lanman, preparadi por Isiivmn Kemp, de No-
va-York, ; todas as outras sao falsiQcavoss sem
valor.
de Sa Barretto Sampai 1 e 1 criado, J Igna
cio M. Ferreira, Benvenuto da Silva SalJanha,
Maria C. do Espirito Santo, Franklin Washingion
da Silva Mendonca e 1 criado, Victorino Vinagre,
Jose" Lima, Ruflao Gomes de Mattos e 1 criado,
Manuel Aleixo de Brito Dantas, sua senhora e 2
criados.
t-BBOMCA Jt UITIARII.
I It I HI \ % I. AA HKL4C 111.
SESSAO DE 7 DE DEZEMBRO Dfi 1874.
PRES1JPEHGJA DO EXJJ. SB. CONSELUEIRO
CAETANO SANTIAGO.
Surabario Dr. Virwlio /BotOto.
As 19 boras da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Silva Guimar.ies, Reis e Silva,
Loureoco SanU^go, Almeida Ajbuquerque, Mot
outabro, dia em qne fallecea, perguntando Ibe mi-
! nba mii se queria ejnfessjr-se, respondeu calmo
e Serena : :
I a Ainda nie 6 tempi I Mais tarde lembrando-
lhe a Exma. Sra. do men dJstlncto amigo o Sr. Joa-
quim Bernardo de Mendonca a necessidade da
I con&saao. disae Ihe qae era ebristao e qne ja era
tempo de confessaree para 0 qae maodassem
1 buscar um padre.
I Nao houve imposieao nem mesmo da familia,
IpoisdeestraBbos, enniocoaseBteria. Men dtatiae-
; to canhado e amigo 0 Exm. Sr. bario de Nazareth
sabeodo desta resolaeAo, foi Peoha e troaxe am
religos 1 capacbioho, qae depeia de o terouvmo
era contisaao ped* a presence do. Revm. vi-
gario para a adrwfiistrae5o dos Saeramentos.'
Cbepado 0 Revm. vigario, 0 religiyso capij-
ehmho disse-ihe que admiaistraste Ihe es sa-
eramentos visto meu pai ja se ler eonfessado e:
ta, procurador da corda, Accioii, Souza' Leio, e abjaradoda raacooaria : o'Revm. vigario assim 0
unveira Maciel, raltando com causa 0 Sr. desem- fez pediodo depois a mea pal, qae afsifnaese um
bargador Dommgues Silva, abrio-se a sessio. tormo daqaella deetaracHn. Mea pai ohamou en-
Dapois da iida e approvada a eta da sessio tao mea ouohado 0 Exm. Sr. hario de Nazareth*
JUNTA DOS CORRETORES
Praca da Recife, 9 de dezciubrv
dc 1874.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTACOKS OFF1CUBS
Algodao da Parahyba 1' sorto 7i300 por 15
kilos posto a bordo a freie de 3|4 e
5 mo.
Assucar da Parahvba lf por 15 kilos posto
a bordo a frete d**&i e S OjO.
Carabio sobre Loadree a 80 d|v. 96 3|8 0 6 1(8
d. por At, satbado.
,Wto sobre dito a 9*1 fl>v. Ml fi, e do banco 26;
^__^ 4. por tsoOO.
Cambio sobre Paris a'3 dtv. 372 rs. 0 fraaco, do
banco.
.Cambio sobre Lisboa, pagwel ejs Lundces, 'a
90 djv. J5 3|8 d. por Is, tabbarto.
Oesc.ontode letras 2 OfO ao aooo, sabbado.
Cambio sobxe q para a 8 d|v. ao par.
0. de Vascocceiros
Presidaait*.
A P. de Looms,
ifcwwtarto.
OESPA.^HOS DE EXPOHTACAO NO DIA 5 I)b
DKZEMBRO DE 1874.
Paru os portos do exterior.
No vapor inglez Vanguir/L, para Liverpool,
carregou : Carneiro & Nogueira 1 caixa cem 50
kilos de doce ; P. Simdas & C. 1 barrica com 48
abacacbis.; Simpson 4 C. 473 saccas com 40,936
kilos de algodao.
Na barca corueguenee Miord, para r.iverpnnl
carregou: B. Lathan & C. 506 saccas com 37,524
kilos de algodao. j
Na barca ingleza P. Alice, para Liverpool, 1
carregou : A. Loyo 2,000 sacco3 com 150,000 kilos
de assucar raascavado.
Na barca portugueza Gratidiio, para Lisboa, I
carregou : M L. Paes Barreto 50 saecos com I
3,/5o ki'o: de assacar branco.
No brigue portuguez Rio Vouga, para Lis-
boa, carregou : J. F. Bdtar 392 couros salgados
com 4,704 kno3; J. J. G. Beltrao & Filho 460 ditos
com 5,520 ditos.
Na barca nacional Amizade, para 0 Rio da
Praia, carregou : J. F. Baltar 400 barricas com
46,147 kilos de assucar branco.
No lu^ar portuguez Jiifto, oara Lisboa, car-
regou : Oliveira Filhos & C. 103 saccas com 7,145
ki'os de algodao, 100 saxos com 7.5 0 ditos de
assucar branco e 100 ditos com 7,500' dil-s dedito
macavado ; J. A. Silva Araujo 400 dims com'
30,000 ditos de dito.
Para os portos do interior.
Para 0 Ceara, no vapor nacional PtmsMSML
carregou : Carpinteiro Filho A Sobnnho 44 bar-
ricas com 2,640 kilos do assucar refiaado; J. J. G.
Beltrao 4 Filho 5 ditas com 353 ditos da dito
branch ; Bartholomsu 4 C 5 harris com 170 litres
de alcool: para 0 Aracaty, J. A. Lopej Pimenta
10 barricas com 942 kilo3 do assucar branco; J.'
A. 5 ditas com 232 ditos de dito refiaado : para I
Macao, Valente 4 Irmao 2 dit33 com 90 ditos de 1
dito reflnado : para Parahyba, P. Alves & C. 4
ditas com 318 ditos de dito branco, 5 ditas com !
320 ditos de dito refiaado e 13 ditas com 991 ditos
de dito branco ; Rego, Barros 4 C. 6 ditas com
352 ditos de dito refinado : para Granja, M. A.
Senna 15 ditas com 947 ditos do dito : para Aca-
racii, A. S.C-.mpos 25 barris com 2,400 litros de
aguardente.
Para Uruguayanna, no brigue hespanhol
Principe, carregou: M L. Paes Barreto 2 0 bar-
ricas com 24,836 kilos de assucar branco.
Para 0 Rio Grande do Sal, no navio nacional
Eduviges, carregou
barricas com 11,859 kilos de assucar branco.
Para 0 Rio Grande do Sul, no patacbo por-
V ilia do Conde;
Mas Uhsus
Madeira, S. Miguel, e Faial e Teiceira.
6UR0S
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO.
A companhia Indumnisadora, estabelecitsB
testa pracn, toma seguros iaaritimos sobtt
aavios e seus carreyamentos a contra fogt
im edi&cios, mercadorias e mobili&s: as
ua do Vigario n. 4, pavimento terreo.
SEGUROS
Mritira o e conlra-fogi
COMPANHIA
Phenix Pernarabucana.
RUA DO COMMERCIO .N. 34.
Seguro coalra-fogo
:HK LIVERPOOL 4 LONDON 4 GLOt
INSURANCE COMPANY
Ageotes
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
GOMPANflir UUUf A
seguros rnaritimos e tcirea-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:000*000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
i4f.o maritimo em navio dc vela o vaporna
jara dentro e f6ra do imperio, asslrn co
;ontra fogo so'ore predios, ^enoros o la
ondas.
Agente : Joaquim Jos4 Gonfalves Beltri
ua do Comraercio n. 5. 1 andar.
V* iXi 1 IJ.4. '.TVJR^MBRI
:. '

iVacws entrados do dia 7.
Porlos do sul 6 l|2 dias, va>>nr nacional Ceua.
de 1,999 toiiBladas. command ml; m u In- J :-
nior, equipagem 62. c irga diffenntes gener -
a Pereira Vianna & C.
F. R. Pinto Guimaraes 100 Cape Town (ao Cabo da Boa E barca ingleia llhi, de 288 tenel.idas, cii.ita D.
Clark, equipagem 10, em astro ; a Carrol 4
tuguez Timbre, carregou : Amorim Irmaos 4 C. Fayal (pescando)-41 dias, barca americana An
30 saecos com 2,250 kilos de assucar branco; J.
B. Moreira 2,500 cocos (fructa).
Para Santos, na escuna allemi Magnete, car-
regou : P. Carneiro Maia 4 C 6,< 00 cocos (tructa).
Para o Rio de Janeiro, no brigue nacional
S. Paulo, carregou : M. C. Ferreira 2,003 cocos
(fructa).
Para o Para, no brigue nacional Raio, carre
gou : Baltar Sobrioho 300 barricas com 23,002
kilos de assucar branco.
Para Macao, uo histe nacional Adelino, car-
regou : A. L. Vi.-ira 2 pipas com 980 litres de
aguardente, e para Mossore 10 ditas com 4,800 di
"tos de dita.
Para Mossoro, na barcaca Riachuelo, carre-
gou : Macedo Bastos 6 barricas com 105 kilos de
assucar branco.
Para o Rio Grande do Sul, no nivio allemSo
Primus, carregsu : A. Barreto 500 accos ccm
37,500 kilos de assucar branco.
Para Uruguayanna, no brigue bespanbo!
Francisco, carregou : A. Loyo 550 volumes com
49,413 kilos de assucar branco.
dreu Htcks, de 303 tonelaias, capilio J. H :w
land, equipagem 31, carga ateita de peix .
mesmo capitao. Vein deixar am homem doent
e seguio para a pesca.
Parahyba-12 horas, vapor bra-dleiro Jaguirw.
de 459 toneladis, comman lante Juiio G. I *
Silva, equipagem 30, em lastro ; a companhia
pernambucana.
Naoios sahidos no mesmo din.
Portos do norteVapor nacional C^'^rd, contman-
dante Qaadros Junior, carga varios generos.
Anmracao (no Piauhy) e portos in;ermedwaVa-
por nacional Pircp.ima, commandante Silva, ear
ga vrios. g^ner.*.
LiverpoolVapor inglez Vanguud, commandants
Ge'l, carga assacar, algodao e o'troa swiero*
LisboaBarca portugueza Gr.ttdCi.i, ,-apitao Pea-
tana, carga assucar e outros generos.
0.1 kit.
lECiillEDORtA Lik REN'DAS I^TtlUNAS GE-
RAES DE PERKAMBCC-.
(andimento do dia 1 a 5 ,
4am do dia 7......
CONSUL ADO PROVIKClAl.
\andimsn'u} do dia 1 a 5
dam do dia 7 <
] 0 administrador da recebedoria de rendas
internas geraes, p lo pn-.-ente avisa as pessoas.
consuntes di relacao abaixo transcript*, umjs
. nor morarem fora da cidada e oulras por se ig-
I uorar a resi Jencia. qne tendo aido mnltadas ea
9:833*785 virtude dos arts. 33 e 35 pela r rraccto do art. 21
i: 2454804 do regulamento n. 4835 del de deiemhrode
----------1 1871. devem vir realisar o pagamf-oto da ma'.a
11:099*589 que Ihes foi imposla, no prazo de 30 dias, comud. >
da publicac,ao deste. nos joraaes deita cidade, sob
pena de ae procedar a cobranca exerutiva
Recebauoria de Pernambuco, 28 do novemnro do
23:3574C65 1874.
8.875^613'
34:2324678
AGENC1AS PROVLNCLiES
MAOidas epiriiBso<.
dendimento de 1 a 4 4(1
Idem do dia 5
Manoel:Carneiro de Siuza Lacerda,
Relacao a qae se rofere o edital supra.
CandiJa Covaleante de Miranda Vare-
jao, igoora-se a residencia, malta-
daeoj W,(W
Caetano de Carvaiho de Meodonca Va-
rejao, morador em Afogadoa, mal-
udoem
Candida Lourenca de Lima, rosja)ai
^>
6174135 nos Remedios, raoltad? eqj
io.ee*
100 000



Jiario de Peraambuoo Terca tefia 8 do Dezembro do 1874.
-
-----A junta do emancipac.$o de escravos deste municipio fax poblico qae se acha conclaida a
classificacio dos escravoa qae devem ser libertados pelo esiado. na conformidade do ari. 13 do regula-
mealo qn baixou com o dacreto n. 5,135 de 13 de novembro de 1872, e qae ear virtade do dispotto
no art 8? do meatno regulamento, foram preferidos os seguiotes :
dos herdeiros de Pedro Tavares da Costa.
doe herdeiros de Gertrudes Maria Macbado da Silva.
de Evaristo Meodet da Cunba Azevedo Junior.
de Francisco Gomes Ferreira de Si Leitto.
do Dr. HuQqo Augusto de Almeida.
de Jose Lucio Lioi.
do padre Antonio da Cunba Figaeiredo.
de Manoel Paolo de Albuquerque.
de Wenceslao Macbado Freire Pereira da Silva.
de Jorge Jaeome Tasso.
de Manoel Antonio Ribeiro.
de Francisco de Barros Falcao Cavalcanle de Albuquerque.
de Genuino Jose .Tavares.
dos herdeiros de Titereza de Jesus Azevedo.
do bario de Nazaretb.
de Antonio Jose da Silva Brasil.
do bario de BemBca.
de Umbelina Kosa da Lima Piobo.
de Alfredo Cardoso Pereira.
dos herdeiros de Joao Hercalano do Rego.
de Jose Antonio Lopes Guimaraes.
de Josift Lucio Lins.
de Luiz Carlos Brandao.
de Joao Hermenegildo Borges Diniz.
de Manoel Luiz da Veiga.
de Paulina Maria Bastos.
de Joaqnim Jose da Costa Faiozes.
do Dr. Luiz Salazar Moscoso da Veiga Pessoa.
de Genuioo Jose Tavares.
de Leopoldina Eulalia Pereira da Canha.
de Jose Luiz de Macedo Cavilcante.
de Maria do Carmo Barros Barreto de Lacerda.
de Clara Sophia Fenton.
do Dr. Luiz Lopes Castello Branco.
de Francisco Vicente dos Santos.
de Maraia Felicia da Si.va Santos.
de DomiDgos das Neves Teizeira Bastos.
de Jose Antonio de Brito Bastos.
de Catharina Maria de Jesus.
de Delphina Marinha Tavares Cordeiro.
de Genoveva Santina Cardoso e suas irmis.
de Trajano Alipio de Carvalbo Mendonca.
de Goncalo Augusto da Graca e Mello.
de Anna Augusta de Vasconcellos
de Joao Hermano Carneiro.
de Francisco Geraldo da Silva Barroso.
de Maria do Carmo Lins Peixoto.
de Joao Firmioo Conea de Araujo.
do Dr. Joio Luiz Victor Lieutier.
do Dr. Antonio Jose da Costa Ribeiro.
de Miguel Jose Alves.
de Francisca Margarida Plesseman.
de Maria Joaqnina da Silva.
de Fortunalo Ribeiro Bastos.
de Jeronyma Francisca do Sacramento Rocha Pereira.
de Manoel Jose Martins das Neves.
de Adolpho Targino Aciioli.
de Joanna Baptista de Araujo Bastos.
de Maria Paraguassu de Albuquerque Maranhao.
de Josepba Justina de Jesus Goncalves.
de Jose Antonio Lopes Guimaraes.
de Antonio da Silva Pontes Guimaries.
de Rozenda Candida Bezerra de Menezes.
da mesma.
do Dr. Joao Honorio Bezerra de Menezes.
de Alfredo Cardoso Pereira.
do mesmo.
de Albino da Silva Leal.
de Pedro Lopes Rodtigues.
de Thereza de Jesus Arsenia Barboza.
de Pedro Osorio de Cerqueira.
de Angela Maria de Lima.
do Joao Jose de Miranda.
do conselbeiro Joao Baptista de Castro e Silva.
de Ignez de Brites do Rego Barros.
de Francisca de Barros Pereira de Lyra.
de conselheiro Joao Baptista de Castro e Silva.
de Anna Florencia de Laceida.
de Joaquim de Assumpcao Queiroz.
de Joao Hermeuegildo Borges Diniz.
de Manoel Monteiro da Cuoha.
de Josepbina Julia Dubeux.
de Claudio Dubeux.
do mesmo.
de Francisco Augusto de Araujo.
de Antonio Bernardo Quinteiro.
do Dr. Luiz Salazar Moscoso da Veiga Pessoa.
de Maria Angelica Fonceca Pereira.
de Candida Lourenca de Luna.
de Marcolina Ferreira Calao.
de Manoel Pereira de Lemos.
de Joaqnim Jose da Silva Guimaraes.
de Anna Joaquina da Sa Barreto.
de Jovino Epiphanio da Cuoha.
de Ernesto Vieira rtfi Aranjn.
de Antonio do Rego Araujo e Jose do Rego Araujo.
de Clotildo Alvim Guimaraes e suas irmas Flaviana
Dorothea.
de Innocencio Jose do Espirito Santo,
de Adriano Augusto de Almeida Jordao.
de Luiz Pnmo Rodrigues Esteves.
de Maria Joauna da Cunba Vianna.
de Jose Joao de Araorim Junior.
de Joaquim Albino de Gusmao.
de Mano I Adriano de souza.
de Belisario de Souza Bandeira.
de Henrique Guilherme Stepple.
do Dr. Candido Jose Lisboa e sens irmaos.
de Manoel de Azevedo Andrade.
de Maria Joaquina da Silva.
de Maria Angelica da Fonceca Pereira.
r de Francisco Tavares Lima,
de Jose Burle.
de Manoel Araujo Alcoforado.
de Felicidade Perpetua da Silva.
de Caetaoo Cyriaco da Costa Moreira.
de Malaquias do Lago Ferreira Costa.
de Manoel Paulo de Albuquerqne.
de Antonio dos Santos Albuquerque,
de Francisco de Paula Costa.
de Antonio Domiogos Pinto,
de Pedro Jorge da Silva Ramos.
de Flavio Goncalves Lima,
de Francisco Jos6 Raposo.
de Maria Annunciada de Albuquerque Ribeiro.
do Dr. item > Jose da Costa.
de Lucinda Maria da Silva.
de Emilia Julia Pires Ferreira.
de Aristides Duarte Carneiro daCunha Gama.
de Albino da Silva Leal.
. de Bellarmino Goncalves de Albuquerque.
de Juliana Francisca de Jesus Bastos.
de Joanna Nepomuceno Soares da Matta.
j de Constanlina Ferreira de Mendonca.
de Felix Paes da Silva Pereira.
de Antonio Goncalves de Moraes.
de Maria, filba di Dr. Jose Honorio Bezerra de Menezes.
de Damaso Antonio d'Alcantara.
, do Dr. Jose Honorio Bezerra de Menezes.
do Dr. Cesme de Sa Pereira.
de Flora Umbelina de Almeida Xavier.
de Antonio Goncalves Costa.
de Miguel Arcbaojo da Cruz Maniz.
dos herdeiros de Gertrudes Maria Machado e Silva.
de Vicente Ferreira da Porciuncula.
de Wenceslao Machado Freire Pereira da Silva.
de Aristides Duarte Carneiro da Cunba Gama.
de Manoel Paulo de Albuquerque.
de Polycarpo Jose Layme.
de Manoel Paulo de Albuquerque.
de Geraldo Laurentino de Siqueira Varejao.
de Antonio Jose Leal Reis.
de Joanna Candida Bezerra de Menezes.
do Dr. Bento Jose da Costa.
de Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
de Felippa Cavalcante do Rego Barros.
de Jose Joaquim Coeiho.
de Coriolano de Abreu.
de Anna Joaquina Ribeiro Macbado Teixeira.
de Maria Eulalia de Miranda.
de Antonio Jose de Souza
de Alfonso de Albuquerque Martins Pereira e outros.
de Jose Lucio Lins.
de Manoel Fortunato do Rego Barros Pessoa.
de Thereza de Jesus Figueiroa de Faria.
de Severino & Irmao.
de Manoel Adriano de Souza.
do Dr, Murillo Mendes Vianna.
de Joaqnim Geminiano de Arruda.
de Antonio da Silva Ferreira Junior.
de Francelino Xavier da Fonceca.
de Francisca Honoria Bezerra de Menezes.
de Francisco da Silva Cardoso.
de Constanlina de Mendonca Ferreira.
de Jose Lucio Lins.
de Joao Frederi o do Rego Vasconcellos.
de Hermenegildo Joaquim de Oliveira Baduen.
de Maria Amelia Nobre de Carvalbo.
de Urminda Paulina Arsenia Barbosa.
de Mara Alexandrina Xavier Gitirana.
de Mauoel Autonio de Luna e sua irma Angela.
de Tbereza de Jesus Ribeiro Campos.
de AMionio Athanazio de Araujo.
de Vicencia Ferreira de Albuquerque Nascimento.
de Anna Joaqnina de Oliveira Quiniella.
do Dr. Lourenjo Bezerra Carneiro da Cunha.
Felippe e sua mulher
Joaquim
Innocencio e sua mulher
Goncalo, sua mulher e fllhos
Manoel e sua mulher
Antonio, sua mulher filbo
Lourenco e sua mulher
Martinho
Manoel, sua mulher e filbo
Pedro, sua mujber e nlhos
Catharina e sua filha
Thereza e tens filbos
Lnciana e seus fllhos
Anastacia e sua filha
Rosa e seu filbo
Luiza e seu filbo
Rufina e seus filbos
Porfiria e seu filbo
Leonor e seu filbo
Januaria e seus nlhos
Emilia e seus filbos
Joaquina e seu fllho
Theodora a sua filha
Francisca e seus filbos
Antonia e sua filba
Rosa e seus filbos
Silva na eseus fllhos
Brigida e seus filbos
Anna e seu filbo
Benedicla e seus fllhos
Maria e seu lilbo
Honorata e seus filbos
Aguida e seus filbos
Julia e seu filho
Luiza e seu filbo
Justina e seu filho
Maria e sens fllhos
Generosa e seut filbos
Cosma e sens fllhos
Monica e seus lilhos
Raymnnda e sua filha
SiruOa e sua filha
Francelina e seu fllho
Maiia e seus filbos
Custodia e sens filbos
Perpetua e sua filba
Isabel e seu filho
Marcolina e tens filhos
Firmina e seus filhos
Thomazia e seu lilbo
Cbatarina e seus filbos
Ursula e seu filho
Isabel e seas filhos
Isabel e seu filho
Monica e seu filbo
Leonidas e seu filbo
Vicencia e seu fiiho
Josepba e seus filbos
Marceliua e seas filhos
Catharina e sens filhos
Emilia e seus lilhos
Francisca e seus lilhos
Rosa
Jacintbo e sua mulher
Leopoldina
Joaquim e sua mulher
Mathias e sua mulher
Catharina
Severina
Delphina
lnnocencia
Maria
Florida
Judith
Lydia
Glyceria
Maria
. Sebastiana
Benedicta
Maiia
Silveria
Laurentina
Josepha
Balbina
Ambrozina
Paulina
Luiza
Joanna
Gertrudes
Martha
Luiza
Marcelina
Benedicta
Joanna
Rosa
Barbara
Maria
Maria
Maria
Maria
Fortunala
Maria da Conceicio
Joaqnina
Enzebia
Maria
Luiza
Anna
Genoveva
Maria
Isabel
Joanna
Ignacia
Maria
Gregoria
Rosa
Felicidade
Sophia
Merencia
Cosma
Rosa
Felicia
Cosma
Clementina
Martinho
Constanca
Reraigio"
Maria
Roberto
Isabel
Ignacio
Maria
Caetano
Aureliana
Joaquim
Genuina au.:
Antonio
Rachel
Luiz
Graciana
Joaquim
Luzia
Thomaz
Joanna
Quenno
Aniceta
Manoel
Joanna
Jorge
Joanna
Joaquim
Felizarda
Felippe ...
Faustina
Aniceto
Salustiana
Adao
Maria
Rodrigo . j_
Liberata *
Felix
Thomaz ,
Gabriella
Francisco
Raymunda
Anacleto
Felismina
Siivestre
Romana
Affonso
Maria
Caetano
Fileta
Manoel
Maria
Antonio
Eieuteria
Bernardo
Leocadia
Jose
Febciana
Francisco
Fransisca de Assis
Man el
Maria
Isaiaa
Marianna
Jacintho de Francisco Marcelino do Amaral.
Marcelina de Francisco Xavier Carneiro Lins.
Militioo de Francisca Honoria Bezerra de Menezes.
Silvina de Emilia Guilherraina dos Santos Lima.
Pedro do Dr. Augusto Trajano de Hollanda Chacon.
Candida de Vicente Teixeira Bacellar.
Manoel de Maria Candida da Cuoha Vianna.
Hylaria dos herdeiros de Jose do Rego Pacheco.
Luiz de Dorothea Francisca Ramos.
Silveria de Vicente Ferreira da Silva Fraga.
Emygdio do Dr. Ignacio Alcibiades Velioso.
lnnocencia de D. Maria doi Prazeres de Jesus.
Egidio de Manoel Antonio de Luna a sua irma Angela.
Maria de Irineo Rodrigues Campello
Jose de Alexandrina Cordola de S. Boaventura.
Josepbina de Jiae Vicente Torres Bandeira.
Dativo de Vicente Ferreira da Silva Praga,
Adriana de Marcelino Jose Lopes.
Samuel de Maria Felicia da Silva Santos.
Antonia qo Dr. Augusto Carneiro Monteiro 6a Stlva Santos.
Xisio de Manoel Ar.lonio de Luna e sua irma Angela.
Antonia d Ito.a Maru de Jesus.
Victor de nauoii de Uarro* Barreto Junior.
Joaquina de Francisca de Paula CabraL
Geraldo de Manoel Antonio de Luna e sua irma Angela.
Claodina de Manoel Antonio Ribeiro.
Ezequel de Jose Carlos Manso da Costa Reis e outro.
Maria de Candida Lourenca de Luna.
Jose de Jose Monteiro de Siqueira.
Damazia ae Guilbermina Coelbo da Silva.
Luiz de Felix Paes da S.lva Pereira. -
Fabiana de Joaquim Rodrigues Tavares de Mello.
Alberto de Maria Felicia da Silva Santos.
Joanna de Virtuoaa Maria da Costa.
Joao de. Bellarmino Goncalves de Albuquerque.
Cypriana de Joaquim Cusiodio de Oliveira.
Cosme de Joao Jacintho de Medeiros Rezende.
Eva de Joao Carlos Mendes.
Orencio do Dr. Jose Hooorio Bezerra f e Menezes.
Luiza de Jose Augusto da Costa Guimaraes.
Thome de Maria Carlota da Albuquerque Paes Barreto.
Constantina de Joao Jose de Miranda.
Pedro d Anacleto Jose de Mattes.
Adao de Cypriano de Siqueira Alcoforado.
Alfredo de Marianna Joaquina de Almeida Pernambuco.
Henri queta de Ambrosina Fernandes de Souza.
Natalia de Joaquim baptista de Souza.
Rita de Genuino Jose Tavares.
Eufemia de Maria Leopoldina Veigas da Miranda.
Roza de Jose Cesar de Albuquerque.
Maria do Rosario de Antonio Ignacio Torres Bandeira.
Justina de Clorindo Ferreira Catto.
Silveria do Dr. Joao Honorio Bezerra de Menezes.
Rufina de Vicente Ferreira da Silva Fraga.
Leonarda de Joanna Ferreira da Silva.
Josepba de Jose da Stlva Loyo.
Francisca de Jfee Avelino da Silva Jacques.
Gertrudes de Antonio Eugenio Paes do Nascimento.
Juliana de Manoei Pereira Lamego,
Lucinda de Francisco tiibeiro Pinto Guimaraes.
Maria Joanna de Maria Libauia Monteiro.
Benedicta de Innocencio Jose do Espirito Santo.
Felicidade de Jose Rodrigues da Silva Rocba.
Anna de Jose Carlos Manso da Costa Reis.
Sara de Maria do Carmo Carneiro de Albuquerque Lacerda.
Antonia de Antonio da Silva Ferreira.
Eulalia de Francisco de Oliveira Mello e Silva.
Bernarda de Bernardino de Senna Ferreira Leite.
Maria de Francisca Adelaide de Brito.
Audreza de Francicio Vieira Perdigao.
Leocadia de Bento Pontes Guimaraes.
Anna de Jose Rodrigues de Souza.
Marianna de Francisco Augusto de Araujo.
Lozia de Hermenegildo Joaqnim de Oliveira Badaem.
Roman* de Vicente de Paula Oliveira Villas-Bdas.
Josepha d*i Maria Francisca Tavares da Silva.
Isabel de Manoel Adriano de Souza.
Maria de Jose Fernandes Lima.
Cypriana -de Carolina Maria de Campos.
Maria de Joaquim Jose Silveira.
Merencia de Joaquim Francisco de Torres Gallindo.
Miquelina do Dr. Manoel de Barros Barreto.
Josepba ae Jose Joaquim Moreira.
Joaquina de Bernardino de n a Dias.
Felicia de Ignacio Alvim da Silva.
Maria de Miqutlina Candida da Roza Garaa.
Isabel de Maria Joaquina da Silva.
Joanna d Manoel Gomes da Cruz.
Gabina de Roza Francisca de Souza.
Josepba de Antonio Jose Conrado dos Santos.
Severina de Joanna Maria Ricarda de Aguiar Nabueo.
Maria de Francisco Joaquim Pereira Pitto.
Luiza de Joao Ferreira Ramos.
Luiza de Maria Jose do Sacramento.
Florinda de Clara Hermiada da Silva Cardeal. ,
Maria Jose de Maria do Carmo de Barros Barreto de Lacerda.
Benedicta de Joaquim Jose Ferreira da Rocha.
Narciza do desembargador Jose Nicolao Rigueira Costa.
Delphina de Luiz Manoei Rodrigues Valenca.
i'hereza de Joaquina Maria de Oliveira Baduem.
Escolastica de Clementina T. da Silva.
E para conslar. determines a referida junta fazer publicar o presents edilat. Sala das
sessoes da junta Ae emaneipacao de escravos, no paco da camara municipal do Recife, 1 de dezembt"0
de 1874.
Manoel Joaquim do Rego e Albuquerque.
Jose Joaquim de Oliveira Fonceca.
Joao Soares da Fonceca Vellozo.
nova, ladrilbando com tijolos proprios o espaoo oe-
cupado por elle, reparar o soalbo, subsutuindo
uma taboa arruioada por outra.
Segundo andar.
Substituir a taboa da varanda por outra de soa-
lbo, de amarello, ladrilhar com cimeoto os capea-
cos das duas por tas da varanda, collocar nma ean-
cella de ferro no patamar da escada que eommu
nica com o primeiro andar, fazer urn vio de ja
nella, substituir dous peitoris por novos, de ama-
rello, uma trave na frente posterior, tres portadas!
e duas taboas de soalho, de louro, deitar toda a
ferrsgem precisa neste andar e sotao.
Primeiro andar,
Substituir 2 portadas por novas, 4 peitsiis de
janellas per novos, de amarello, 1 perna de grade,
reparar o soalho, repregando onde for preciso dei-
tar ferragem nas janellas e portas, substituir o
corrimao da varanda o uma andabala da escada,
mudar o primeiro lance para licar encosudo ao
oitao do norte, eorrendo otna parede desde a pert*
da rua ate a escada, para istlar a eutiada da es-
cada do armazem, ladrilhar com tijolos de alveoa
ria batida a pane posterior do armazem. partir
do ladrilbo de pedra existente, a encosUr na fren-
te, coneertar uma janella. Tapar oma poru que
cojimunica os dous sobrados pelo patamar da es-
cada.
Caiar, reboear e pintar todo o sobrado com as
cores existente*.
As propostas serao recebidas em cartas fecbadas
no|dia 10 do corrente, em sessao da junta, pelas
3 horas da tarde.
" Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 1 de dezembro de i87i.
0 escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza. __
bahia;
Segue com este d.-tioo, nestes qutn
palhabote Rotita, tomando para o refcrid
a carga que Ihe appareeer, por Jaw >}< _*)
aproveitar, pode dirigir se a co^iiariwJj-
qnim Jose Goncalves Beltrio 4 WW, a ran 4*
Commercio n S._____________________
Smmfmmmm mlUm
InsUlito Archcologico c mfft
phico Pernambncano.
Haverd sessSo ordinaria quinta-feira, 10
do corrente (dezembro), pelas 11 boras da
manha.
ORDEM DO D1A
1 Leitura de uma memoria sobre um
dos antigos bispos desta die cese, pelo Dr.
Francisco Jacintho de Sampaio ;
2." Questdes adiadas ;
3.* Pareceres e raais trabalbos de com-
missoes.
Secretaria do Instituto, 7 de dezembro de
1874.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
~
Thomaz de Aquino Fonceca & C.
Snccessores
Empreza de ntTega^io entre o Brasil e Foi
togal
PARA 0 PORTO
Barca porturueza Joten Adelaide, a safcir com a
maxima brevidade, recebe carga e pasaafciroa : a
tratar com os seus consignatarios Jose da Silva
Loyo k Filho.______________________^^_^
C0MPA3HU
HESSAGERIES MARIT1MES.
Rio Graiie
E' es(radoosar-
tos do sol aodwM
do correate,:
depot* da
costume para
deaux. tocando
Dakar (Goree) e Usboa.
Para fretes, encommendas e paasafetroa : a tra-
tar com ____
OS AGENTES
narUmrndr A Latbille
9 Rua do Commercio t
saccam por todos os va| tores, so ore as segumtei
pracas:
Lisboa. Regoa.
Porto. Cbaves.
Braga Villa Flor.
Vianna. Mirandella.
Visea. Alijo.
Gaarda. Favaios.
Ccimhra. Braganca.
Guimaraes Lamego.
Rio de Janeiro
Na rua do Vigario n. 19.
Para o Aracaty segue com I rtvidade o hiat
nacional Leonilia.da Ciuz : para earn e pasaa
giros, trata-se com Antonio Albffto de So
e8oiar, a ma do Aroorim n 60.
Companliin de naverM aa
porbahinna. Ilmititda
Macei6, Pcnedo, Aracaju e Babia.
E' c-i^rado dos porte*-
acima ate in I!
corrente, o vapor Vmltru
de 5iRiMt, e seguira
para os mesaaos no *
seguinte ao de sua che-
gada.
Reeebe-se carga, encommeodas ?assageiro t d
nheiro : trata-se na agenda c. m
Antonio Luu de Obveira Azevedo.
57Rua do Bom Jesus57________
COMPANHIA PERNAMBtCANA
DE
\uvc^actlo c*tcira a vapar.
Penedo em direitura.
0 vapor JapitrAe,
commaadaala Jnl >,
seguira para o prr-
te acima no dia 9
do correataaaSkcrM
da tarde.
Recebe carga ate as 10 boras da tarde do dia
da sabida.
aj
0 Dr. Sebastiao co Rego Barros de Lacerda, juiz i
de direito especial do commercio nesla cidade
do Recife de Pernambuco, por sua Magestade
o Imperador, a quem Deus guarde, etc.
Faco saber pelo presente, que nos termos do
art. 1 do decreto n. 1,69a, de 15' de setembro
de 1869, dentro do pmo de 30 dia?, conlados da
data da publicaci.o deste ediial, receticri este jai-
zo propostas por cartas fechadas para arromata-
gao por venda dos escravos seguintes :
Vicente, cor parda, idade de 18 annos pouco
mais ou menos, esta com bexigas e alejado de
uma mio, por i00|.
Jose", cor parda, idade de 23 annos, por......
1:000*.
Luiz, cor parda, idade de 26 annos, por 8OP5.
Francisco, cor preta, idade de 19 anncs pouco
mais ou rnenrs, por 1:000*.
Joaquim, cor preta, idade de 60 annos, por
300*.
Os quaes es:ravos sao pertencontes a massa
falllda de Candido Alberto Sodre da Motta k C, e
se acham em poder de Joaquim Jose Goncalves
Beltrao & Filho, depositaries da referida massa
falhda.
E para que cb<>gue ao conheeimento de todos,
mandei passar 0 presente, que sera publicado
pela iraprensa e aiUxado nos lugares do costume.
Recife, i de derembro de 1874.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivao, escrevi.
Sebastiac do Rego Barros de Lacerda.
Pelo thpsouro provincial se manda fazer pu
blieo para quem interessar possa, que vlo no-
vamente a praca no dia 10 do mez proximo vin-
douro, perante a junta do mesmo tbesouro a
obra da ponte de Moes sobre 0 rio Tapacura na
estrada da Victoria, orcada em l:i85'*; e obra
do concerto do quartet do corpo de policia orca-
da em 897f 820.
Secretaria do thesouro provincial de Pernam-
buco, -28 de novembro de 1874.
0 secretario,
_____________ Miguel Alfonso Ferreira
0 Him. Sr. inspector do thesouro provincia-
em virtude da ordem da presidencia, de hoje, de
terminando 0 resgate das apoiices provinciaes de
n. 1 a n. 320, aerie A, emittidas para pagamento
da companbia Recife Drainage, convida aos pos-
suidores de ditas apoiices a comparecerem neste
thesouro a receberem a importancia das mesmas
e os juros ate esta data, scienlincando-ihes que
desta mesmo data em diante nao vencerao ellas
mais joro algam, em observancia do regalamen-
to respectivo.
Secretaria dn thesouro provincial de Pernam,
buco, em 30 de novembro de 1874.
0 secretario,
Miguel Affonso Ferreira.
OECLARACOES.
6ANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Perante a Illraa. jr la Casa, vai a praga em sessao do dia 10 do cor
rente, pelas 3 horas da tarde, 0 fornecimento de
generos qae forem precisos no trimestre de Janeiro
a marco de 1875, aos estabelecimentos pios a sen
cargo, excepto 0 hospital Pedro II, consumes da
relacao em segnida:
Aletria, kilogrammo.
Azeite doee, litre
Airuz, kilogrammo.
Bacalhab, idem.
Banha de porco, idem.
Batata, idem.
Cba hysson, idem.
Cafe em grao, idem.
Carne secca, idem.
Cebolas, cento.
Farinba de mandioca da terra, litre.
Feijao, idem.
Farello, sacco.
Fnmo do Rio, kilogrammo.
Gaz, lata.
Milho, sacco.
Manteiga franceza, kilogrammo.
Rape, idem.
Sabac, idem.
Sal, 1 tro.
Tapioca, kilogrammo.
Toucinho, idem.
Velas de carnaiiba, idem.
Velas stearinas, maco.
Via&ive de Lisboa, litro.
Vinho tmto de Lisboa, idem.
Vinho branco, idem.
A junta adrainistrativa da Santa Casa da Miseri-
cordia do Recife precisa contratar 0 fornecimento
de assucar relinado de 2' e 3' sortes, que teem de
coasumir todos os estabelecimentos pios a sea car-
go, no trimestre de Janeiro a mar;o vindoaro, e
recebe propostas para isto na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 10 do corrente, de-
vendo serem apresentadas as amostras perante a
mesma junta, em fraseos devidamente acondicio-
nados.
A junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife precisa contratar 0 fornecimen-
to da carne verde que teem de consumir todos os
estabelecimentos pios a seu cargo, no trimestre de
Janeiro a marco vindouro, e recebe propostas na
sala de suas sessdes, pelas 3 boras da tarde do
dia 10 do corrente.
A junta administrativa da Santa Casa da Mise-
ricordia d> Recife precisa contratar 0 fornecimento
de pao e bolacha qae teem de coasamir todos os
estabelecimentos pios a sen cargo, no trimestre de
Janeiro a marco vindouro, e recebe para isto pro-
postas na sala de suas sessoes, pelas 3 horas da
larde do dia 10 do conente.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia
do Recife, 4 de dezembro de 1874.
0 escrivio.
Pedro Rodrigues de Stuza.
Companhia Fidelida e
Seguros maritimos e terrestres
A agencia desta compaahia toma seguros mart-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos 0 solo livre, e 0 setimo anno gratuit 1 ao
segurado.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
LNSPECCAO DO ARSENAL DE
MARINHA.
Tendo em 10 de Janeiro proximo faturo de ha-
ver nesta inspeccao concur 0, em cumprimento do
aviso de 14 do corrente mez, e ordem do Exm. Sr.
presi Jente da provincia, de hontem datada. para 0
preenchimento de dous lugares de amanuenses
da secretaria, convido. de ordem do film. Sr. ins-
pector, aos pretendentes a esses lugares a apresen-
tarem ao mesmo Illm. Sr. inspector seus requeri-
mentos, competentemente documentados, pelos
quae3 provem ter hom comportamento, e a Idade
nunca menor de 21 annos.
Sao as materias, sobre que versa 0 concurso :
1* leitura e analyse grammatical, escripta de
trechos em portugnez.
2 orlbographia.
3 versao das linguas franceza e ingleza.
4* exercicios de composijao em portuguez, re-
daccao e estylo de acto? officiaes.
Inspeccao do arsenal de marinha em Per-
nambuco, 28 de novpmbro 'Jo 1874.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
CO
XMlIt KR \*II,*:IK%
DE
\AVEGACAOAVAPOR
Fortes do ml
Conde d'Eu, fretado
^
Hospital portuguez de bene-
ficencia em Pernambuco
NSo se bavendo reunido no doroingc, 6 do cor-
rente, numero legal de socios para, coostituida a
assemblea geral, eleger a jun'a administrativa e a
commissao de contas que teem de funccionar no
proximo anno de 1875, sao novaroent9 convidados
a reunir-se para esse fim, no domiogo 13 do cor-
rente, as It horas damanha
A assemblea sera coostituida com os socios qae
comparecerem.
Secretaria do hospital portuguez d^ beneficencia
em Pernambuco, 7 de dezembro de 1874.
Luiz D;iprat.
Secretario.
.No dia 9 do corrente tern de ser arnmaiado,
depois da audiencia do Sr. Dr. juiz substituto da
2* vara, nm piano novo de jacaranda, por execu-
cao de Joao Luiz Ferreira Ribeiro, contra Joss da
Costa Dourado.
E' esperado dos portos do tor M
ate 0 dia 10 do correate at-
guiri para oa dm sol, deptis
da denora do costume.
Ptra carga, encommendas, valorese passagezs,
rata-se no escriptorio
7-RUA DO V1GARI0-7
Pereira Vianna & C
_______________AGENTES_______________
Para o Rio dc Janeiro
pretende seguir com muita brevidade obrigM
Isabel, tern parte de seu carr-gan-.ento engajM' :
para 0 rest7 qae Ihe falta, trata-se com o sou eoa-
signatario Antonio Luiz de Oliveira Arevedo, r 1
do Bom Jesus n. 57
4 II \IU.I t lt III I M*
COMPANHIA FRINCEZA DE KATM-
GAQ.iO AVAPOH
LINHA MENSAL EVTRE 0
Havre, Lisboa, Pernambuco, Babia, Rio e
Janeiro a Santos.
STEAJin
Coniniandanto I.ofi re
E' csprrado da Ea-
ropa ate 13 do r-
r nle.S'-guindo der is
da mJispensavel c*-
mora para os p r-
tos do sul de sua s-
cala acima referilos.
Para fretes, encommendas e passageiros, trat 1-
se com
OS COSSIGSATARTOS
AUGUSTO F. DOL1VEIRA 4 C.
i2Rua do CommercioEntrada pela na
do Torres.
THEATRO
Consuld 1 provincial.
Pelo cunsulado provincial, faz-se publico aos
respectivoi cootribuintes, qae do 1. de dezembro
vindouro por diante comeca a correr 0 prazo dos
30 dias uteis, mareados no art. 34 do reg. de
17 de janho de 1873, para a cobranca do primei-
ro semestre de decima urbana e de 5 0[p sobre
bens de mao morta, no corrente exercicio de
1874 a 1875, incorrendo. na multa de 6 0|rj
aqnelles dos contribuintes que nao satisfizerem
nesse prazo os seus debitos.
Consulado provincial, 27 de novembro de 1874
0 administrador,
__________Antonio Carneiro Macbado Rios.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recife precisa contratar com quem se
propozer a fazer pelo menor preco, as obras da
que precisa 0 predio de dous aodares, sito a rua do
Encantamento n. li, perteneente ao patrimonio dos
orpbaos, orcada em 1:200*000.
Os pagamantos serao realisados em tres pres-
tacoe* iguaes. a primeira depois de comecar a obra,
a segnnda quando estiver ella em meio, e a ter-
eeira depois de coneluida e entregue.
Deecripcao das ebras.
Fazer toda a coberta nova, substituindo as ler-
eas, unindo mail os caibros que estiverem perfei-
tos e collocando os novos que forem precisos; en-
ripar toda de' novo, fazer as duas goteiras e com-1
8letar as telhas que faltarem com outras novas,
eparar 0 fogao, substituindo a chapa por outra |
S. Ji)seRua do Alecrim.
Amanha 9 do corrente.
Espectacalo em'.beneficio dos artistas gymnasti -os 0
acrcbatieos, dividido em 6 paries.
1." parte.
A barra fiza.
A deslocacao.
2.* parte.
parte a
3.a parte.
0 quadro nas nuveus.
4.4 parte.
As escadas perigoias, na qual toma
sympathica artista Aroancia Per ira.
5.' parte.
Scena comic?. 0 diabo no Rio de Janeiro, des-
mpe nhado pelo actor Valeriano.
6.a parte.
Terminara 0 espectacalo com a comedia em 1
acto Por am triz na qual tomam parte os
sympathicos artistas Carralho e Crispim.
Principiara as 9 boras em ponto por algamas
farailias assim pedirem.
0 resto de alguns bilhetes acha-se a venda
no escriptorio do theatre
Precos. Camarotes de frente 81
De ladi 6
Cadeiras if
Platea U
Os beneficiados desde ja tomam se summa-
mente gratos ao illastrado publico e com especia-
lide a aquelles que se dignarem coadjuvar-lhss
Coinpaiihla Pernainhncan.
Porto do Arncalv.
A carga qoa di> hje em diinte fur embarcai a
nos vaporc^ da Coaspaohsa Pemambncana con
desiino 10 porlo do Aracaty, s ra entregue na c -
dade do mesmo nome, sendo transportada da bar-
ra, (onde os vapores coslumam fundear). em lax -
chas de proprieda.'.e da mesma companhia, ind> -
pendente de qualquer exigencia de pagamen 0
por este servico.
Da mesma forma sera transportada a carga
que for embarcada no porto do Aracaty part
quaesquer outros portos da escala.
Recife, 16 de n'vemhro de 1874.
Companhia Allinca Mariti-
ma Portuense.
Empreza do naveg*cio entre 0 Brasil
e Portugal
Barca portugueza Victoria
Para 0 Porto
A sahir com a maxima brevidade. Recebe ca
ga e passageniros : a tratar com Jose da Silva
Loyo & Filho.
LEILOES.
Agente Pestana
Grande e important
LEILAO
QUARTA FEIRA 9 DO CORRENTE
A's 11 horas em ponto
No 2. e 3.' aodares do sobrado da roa dn
Cruz d. 20.
A saber:
Sala da frente do 2." aodar.
Uma rica mobilia de jacaranda r-ra taaapea At
pedra, I rico piano de jacaranda 00 afaoada ta-
bricante Tigues, 1 puna raasica, S *pelnos ones,
4 tapetes pequenos e 1 dito graale, 4 jtrns para
(lores, 1 rel.jgio de parede, I lustre de broaat
com 6 luzes 4 qnadros a oleo.
1* quarto.
Uma rica cams de jacaranda quasi nova, t
guarda roipa de amarell , I e-nom 1 la iaiaU do
amarello,! s ntuario, Itn'-t de j unco coo at-
Vendem Augusto F. d'Oli- jSfti^ \ ?X t>ilSftp pStT
AVISOS MARITIMOS
Librae eslerlinas.
veira & C.
Rua. do Commercio a. 4i.
para,
nino.
Um nurquezao de

quarto.
amarello para casal, 1
__u.


-
-I
Diario de Fernambuoo - Terca. feiia 8 de Dezembro de 1874.
oommoda do feitio do guarda ronpa, 8 eadeiras de
amarello, 1 guarda vestidos e i Uvatorio de ama-
rello.
3 quarto.
Uma raela mobilia preta, 1 par da consolos e I
marqnezao.
a.* salt.
Uma mobilia da nogoo de tampo de pedra, I
espreguicadeira, macbioa de costura de dous
pospontos do (abrieanle Singer, e 1 rica commoda
fle rail de amarello.
3.* andar, sala da frente,
Com mobilia de jonco com tampo de pedra,
com IS eadeiras de guarnicao, 2 ditas de braco,
1 sofa e 3 consolos.
!. quarto.
Ura marqueaio para easal, 6 eadeiras de ama-
rello, meia commoda de amarello, 1 bidet e tea-
bide.
1* quarto.
Uma cama de ferro, 6 eadeiras de mogoo, 1 par
de consolos, i lavatorio de amarello e 1 meia com-
moda.
3.* quarto.
Uma marqueza de amarello, 1 eabide de pen-
dorar na parede e 1 banbeiro de folha.
Salt de jantar.
Uma mesa elastiea de 6 taboes, ( gnarda lou-
ca, t par de aparadores, 1 gnarda comida de ara-
me, 1 mesa para cafe, 12 eadeiras, I armario de
louro, 1 eostnreira, 1 candieiro a gar, meio ap-
parelbo para almoeo, de porcelana e meio dito
para jantar, fructeiras de porcelana, copos, cali-
cos, onro, prata e maitos ontros artigos de uso do
mestico de ama easa de familia..
Tendo-se retirado o Sr. Dr. Alvaro de JMenezes
Moreira para a Europa, fara leiao por luterven-
clo do preposto do agente Pestana, dos moveis e
mais objectos acima mencionados na casa em
quo residia, a roa da Crur n. 20.
Ot referidss movia tornam se recommendaveis
por serem qnasi novos.________________
para cima de mesa e pare-
de, e muitos artigos do uso
domestic, que serao ven-
didos a tr6co do barato por
conta de divcrsos
QUINTA-FEIRA 10 DO CORRENTE
is 11 boras da maoha
NA
FEIRA SEMANAL
1CRoa do Inipcrador16
ARMAZEM
EXPOSIcft UNIVERSAL DE i$5
MCOALHA DC I.* CLAMC
AL. LABARRAQUE & C*
LEILAO
IMLM
DE
158
chapeos de diversas qualidades e de
duzias de couriohos para forro
QUARXA- FEIRA 9 DO CORRENTE
A's 11 horas da manha
Em o armaxem da rua do Commercio n. 48.
0 agente Dias, com pe ten tern en le autorisado, le
vara a leilao, no dia e hora acima ind'cados, o
sortimento de chapeos que abaizo se meeciooam,
os qoaes sao vendidos para liqaidar conta?.
702 chapeos do Chile.
425 ditos de baela.
27 ditos de pello de seda.
27 duzias de cbapeos spartirie diverso?.
14 dilas le ditos de sot
1 ditas de ditos de scl, cabo de marfim, Paragon
838 duzias de conrinbos para forro.
0 referido agente convida aos Srs. logistas a
que comparecam ao referido leilio, certos de que
se lhes promette vender barato.
LEILIO
DE
dividas na importancia de 6:8899052, mas-
9a fallida de Jose Bernardo da Motta
Quarta-feira de dezembro
0 agente Martins, levara a leilao, pela segunda
vex, por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio, as dividas aclivas da massa fallida de
Jose Bernardo da Motta, na importancia de . .
6:889,052, em leltras e contas de livros.
A's 11 horas do dia acirxa.
No armazem da rua do Im-
perador n. 48
Agent
e Pestana
leilao
DE
bons moveis, louca, vidros, electro-plate,
metaes eioias
QUINTA-FEIRA 10 DO CORRENTE
A's tO li hora*.
No sobrado n. 14, a rua de Hortas
A SABER :
Urn bom piano de jacaranda, 1 rica mobilia de
faia, eompleta, e com tampo* de pedra, i gnarda
vestidos de amarello, 1 gnarda louca, 1 aparador,
1 cama fraaceza, 1 toilette de jacaranda, com tam-
po de pedra e espelho, 1 mesa elastics, eadeiras
avuisas de guarnicao e balance. 2 pares de jarros,
2 ditos de lanternas, 1 apparelho de porcelana pa-
ra jantar, 1 dito para almoeo, garrafas para vinho,
copos, calicei, mantegaeira de vidro. porta licor, 1
bacatella e pertencas, casaes de ratinnos brancos,
2 aderecos com briihantes, 1 cms com 10 ditos e
perolas, 1 alGnete de peito, 1 grande salva de pra-
ta, 1 caixa de cbario para cha, 1 rico candelabro
para 6 lazes, e oatros muitos artigos do uso do-
mestico.
Uma mobilia de jacaranda, composta de 1 sofa,
2 consolos com tampos de pedra, I jardineira com
tampo de pedra, 12 eadeiras de gaarnicio e 2 di-
tas de bracos.
0 agente Pinho Borges, autorisado por nma fa-
milia que se retiron para fdra da provineia, fara
leilao dos moveis e mais artigos acima menciona
dot.
QUINIUM LABARRAQUE
APPROVADO PELA ACADEMIA DE MEDICINA DE PARIS
LEILAO
DE
400 grosas de phosphoros do gaz, em per-
feito estado, para fechamento de factura,
tendo cada caixiaha 25 grosas
SEXTA-FEIRA 11 DO CORRENTE
as 11 horas da manna
No trapiehe da Companhia.
0 agente Pinho Borges fara leilio do que acima
declara, por conta e risco de quem pertencer.
LEILAO
DE
4 inachiuas para costura, novas, de 2 pos-
ponlos, do fabricante Singer, para fechar
contas
QUARTA-FEIRA 9 DO CORRENTE
as It horas em ponto
No segundo andar do sobrado da rua da
Cruz n. 20.
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de qaem pertencer, de 4 machines
para costura, do fabrieante Singer, as quaes serao
vendidas na mesma occasiao do leilao de moveis
do sobrado da rua da Crux n. 20. ________
INovo leilao
DAS
armaches, moveis, drogas e mais utensilios
existentes em a botica denominada Popu-
lar, sita em a rua da Imperatriz n. 71,
pertencentes a massa fallida de Goncalves
1'ialbo & C.
Quinta-feira 10 de dezembro
A'S 11 HORAS DA MANHA,
0 agente Dias, competentemente autorisado pe-
lo Illm. Sr. Dr. juix especial do commercio, levara
novamente a leilao, do dia e hora acima indicados,
as armacoes, moveis, drogas e mais utensilios exis-
tentes em o referido estabelecimento.
Omandado contendo tcdos os esclarecimentos
precisos acha-se em poder ao mesmo agente, onde
pode desde ja er examinado pelos Srs. preteoden
tes.
DE
diversas casas e terrenos, como abaixo se men-
eionam, de 16 flguras para jardim e cerca de
1,2( 0 azulejos.
Sexta-feira li do corrente
A'S 11 HORAS DA MANHA
Em o primeiro andar do sobrado da raa do Mar-
qnex de Olinda n. 37.
0 agente Dias, competentemente autorisado, leva-
ra a leilio do dia e bora acima indicados.'nma casa
terrea edificada era terreno rendeiro, em Sant'An-
na, segunda de grades e portao de ferro na frente,
denois da estacSo desso mesmo nome, a
qual tem 3 salas de frente, 1 para jaotar, 4 quar-
tos e granJe cozinba, guarnecida de azuleio, com
janellas em amtos os oitoes, 1 porta e 4 janellas j
de frente. F.S9a casa que 6 connrnida com ele-1
gancia e solidez, e completamente nova e falta-lbe
apenas o ladrilbo de duas salas e pintura.
Uma pequena casa terrea edincada em solo
proprlo, em a rua do Coronel Suassuna, antiga |
Augusta, n. 223, com duas salas e 2 quartos. j
Um terreno fureiro em Sant'Anna, com 200
palmos de frente e cerca de 400 de fundo, conti-!
guo a casa acima mencionada. |
Um dito na mesma localidade, proprio e no,
fundo dest com 100 palmos de frente e cerca de j
800 de fundo. I
16 bonitas Gguras, proprias para jardim, e
cerca de 1,2(0 azulejos.
Os senhores pretendentes polem examinar os,
referidos bens, sendo que a? figuras e os azule-!
jos se acham depositad s na casa de Sar-t^Anna,
e para qualquer esclarecimento de que preci^arem
no escriptorio do referido agente se dira.
i
___II
DE
JOIAS
No dia 11 de dezembro proximo, se faraleaao
por intervencao da agente Martins, de todo9 cs pe-
nhores constantes das cantelas seguintes, visto ter-
se findo o prazo das transaccdes e seus donos nao
as reformarem.
A saber:
1502, 1503, 1S63, 1583, 1784, 1835, 1868,
2050, 2091, 2095, 2192, 2254, 2256, 2282,
2397, 2436. 2448, 2458, 2481, 2617, 2712,
0 Qulnlum F-almrraque k um vinh oeminen-
temente tonico e febiifugo, destinado a substituir todos
os outros preparadosde quina.
Os vinhos de quina ordinariamente empregados em
medicina, sao preparados com cascas de quina, cuja
riqueza de elemenlos activos 6 extremamente variavel;
accresce ainda que em razao d'esse modo de prapara^ao,
estes vinhos contem apenas alguns vestigios dos ele-
mentos activos. *
0 QiiIiiinm Labarraque, approvado pela Aca-
demia imperial de medicina, constitue pelo contrario
um medicamento de composicao determinada, rico de
elementos activos e com o qual podem sempre contar
os medicos e os enfermos.
Pode-se dizer hoje come uma verdade incontestavel
que nao ha indisposicao csmtinua sem principio febril
do qual, quem soffre, nao tem conhecimento algumas
vezes, mas que nem por isse deixa de existir. Por isso
as pessoas fracas e debilitadas, quer por diversas causas
de esgotamento, quer por coasequencia de molestia, os
adultos can^ados por um crescimento rapido de mais,
as raparigas que tem difficuldide em se formar e desen-
volver, estao sempre submettidos a uma accao febril
continua. n'estes casos que o Quinium Labarraque
pode ser administrado com a certeza d'um exito com-
pleto. Nas convalescencias, o Quinium e o tonico por
excellencia : junto com as Pikilas de Valid, produz
effeitos maravilhosos.
Nos casos de chlorosis, anemia e cores pallidas, elle
6 um poderoso auxiliar dos feiruginosos. Junto por
exemplo com as pilulas de Vallet produz effeitos nota-
veis pela rapidez de sua ac$ao.
i Aconselhei o uso de Quinium Labarraqw a um grande numero de
doentes, tanto na minha casa de saiide como na minha clinica externa.
Como trato especialmente as affeccjJes cancensas, procurei por muito
tempo um tonico poderoso. Tendo-o encontr.do no Quinium, o qual
considero como o restaurador por excellencia dai constituicoes exhaustas.
i D' Cabaret
f
A 8nr.* A... de Bourbon, com vinte e oito annos de idade, linha febre
sob differentes typos, ha dezoito mezes. Ella tomara uma enorme quan-
tidade de sulphato de quinino, de maneira que seu estomago nao podia
mais toleral-o, mesmo misturado com opio. 0 estomago achava-se de Ui
sorte (atigado que nem mesmo podia supportar o sulphato de ferro; este
sal provocava-lhe colicas e uma excessiva repugnancia. Foi n'essas con-
dicfles que receitei o vinho de Quinium, cuja apparicao era recente. EsUndo
pouco familiarisado com seus effeitos, grande foi minha surpreza ao ver
com que promptidao, elle fizera desapparecer a febre da Snr.' A..., que
ha dous annos nSo tem tido, a menor recahida.
t 0 SflrR..., de trinta e dous annos de idade, proprietario-cullivador
em YgTande, teve durante os verOcs precedentes alguns accessos de febre
que cederao com o uso do sulfato de quinino. No mez de Agosto de 18J9,
foi de novo atacado pela mesma febre ; mas, d'esta vez, o sulfato de qui-
nino n5o produzio o resultado acostumado. Oecasionava-lhe grandes doros
de estomago, e, em seguida, uma repugnancia hwiMiiil A febre aug-
mentava de intensidade. Apparecerao o fastio, grande fraqueza e Irisleza
com o pensamenlo que elle succumbiria, visto que nao podia tomar nem
supportar o unico remedio capaz de o curar. Receitei-lhe quaU-o calices
de vinho de Quinium por dia... A febre desappareceo; o doenle recu-
perou de novo o appetite, o somno e a alegria, e so faz uso do vinho, diini-
nuindo as doses de dia em dia.
A Snr.' P... de vinte e seis annos de idade, estava devorada por uma
febre, haviaScinco annos. Apezarda sua raocidade, apreseutava o aspcclo
da velhice : pelle cdr de terra, olhos einbacados, etc.* Desde seu casa-
mento que datava de seis annos, residia n'uma casa bem situada na appa-
rencia, sobre uma collina, achando-se entretanto no alto do Unque de
Meillers. Ora a metade d'esse tanque esla secca durante o verao.
Receitei-lhe o vTnho de Quinium por doses de qualro calices por dia.
Passados quiuze dias, o marido veio dar-me parte de grande inelhora do
estado de sua inullier. A febre desapparecera completamente, a pelle
tornara-se alva o appetite e o somno voltarSo; mas e tal o medo que t.-m
de recahir doente, que ella reclamou-me ainda uma garrafa de vinho de
Quinium.
D" Recsault. t
Ha alguns annos que trato os doentes da fabrica de Mazeline el C\
receitei sempre com exito constante o vinho de Quinium Labarraque como
febrifugo 6 tonico em todos os casoa que os operarios (em numero de 800
a 1,000) achav5o-se enfraquecidos pelos miasmas paludosos que exhalSo
os terrenos do a Eure. >
0 S'. Mazeline mesmo, achando-se em estado de raagreza assaz grave,
por causa do excesso de trabalho, n'uma localidade onde as febres ,ao
frequentes, foi regenerado pelo vinho de Quinium tornado em'dose de um
calice pela manha e a noile, recuperando d'esta sorte sua perfeita saude
D' Bellivqb. i
Daposlto am Paris na casa, L. FRERE, 19, rua Jacob
Na pharmacia de P. Maurer & 0. rua do Barao da Victoria n. 25.
LEIL40
DE
uma armac,8o de amarello da taverna da
rua de Rarretto Meoezes n. 2
QUINTA-FEIRA 10 DO CORRENTE
pelo agente Martins.
' O leilao tera lugar no armazem da Feira Sema-
nal, a raa do Imperador n. 16, as 11 horas em
ponto.
Os pretendentes entendam-se com o agente, em
cojo poder existe a chave, que a fraoqueiara a
quem quizer examinar a dita arraagao.
Feira Semanal
mobilias, pianos, mesas elas-
tica3, aparadores, guarda
roupa, quadros finos, guar-
davestidos, camasfrance-
zasViteiros, guarda louca,
N.
1936,
2342,
2737,
2896,
3037,
3149,
3195,
3220,
3454,
3288.
3320,
3358,
3410,
3493,
CASA DA F0RT1A.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTSD0S.
4' rua Primeiro de Marpo (outr'ora rua do
Crespo} n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhates garantidos
da 21' parte da loteria a beneflcio da Santa
Casa de Misericordia do Recife (128*), que se
extrabira n? segunda-feira, 14 do corrente mez.
PREgOS,
Bilhete inteiro 4^000
Meio bilhete 2*000
Km porcao de loo A para ciina
Bilbete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
Aluga-se a casa terrea defronte do gazo-
metro, no lira da rua de S. JoSo, com 6 quar-
tos, cozinha e grande quintal murado a tratar
a rua de Pedro Affonao n. 8.
Nesta typographia precisa ae de um menino
de 14 a 16 annos para aprender a botar papel na
2738,' 2750, 2799,' 2802] 2807, 2867J 2871,' machina. n 2
2929, 2945, 2972, 2987, 3007, 3023, 3034,
commercio.
Aluga-se
Nos abaixo assignados particifamos ao respeita- 0 segundo andar do sobrad) da rua Direita n. 83,
3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3096, 3110,
3151, 3174, 3175, 3185, 3190, 3193, 3194,
3197, 3205, 3206, 3207, 32H, 3213, 3218,
3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 32c0, 3251,
3260, 3262, 3265, 3273, 3277, 3280, 3285,
3293, 3298, 3300, 3304, 3309, 3312, 3318,
3321, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 3354,
3366, 3373, 3384, 3394, 3397, 3399, 3406,
3415, 3419, 3432, 3444, 3460, 3468, 3480,
3500, 3508, 3517, 3527, 3529, 2533, 3553,
3556, 3572, 3579, 3589, 3596. A' travessa da rua
do Duque de Caxias n. 2, 1> andar, podendo di-
tas cautelas serem reformadas, pagando o premio,
ou resgatadas ate o baler do martello.
0 agente Dias, levara pela ultima vez a leilao,
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio, no dia e hora acima indicados, os bens e
dividas pertencentes a masta fallida de Rostr.n
Rook &C
A saber :
Os direitos que teem os d.tos fallidos sobre os
dominion e posse nos terrenos de marinha sitos no
Caes do Ramos e aforados perpetuamente ao con-
selheiro Felippe Lopes Netto, terrenos avaliados
todos em 56:6246O0.
Os direitos que teem n'uma casa e sitio no lar-
go da igreja da Torre, tendo a frente para o norte,
com 200 palmos. e os fundes para o sul, com 800,
ficando entre o sitio do Sr. Gantier e a proprieda-
de da familia do barao do Rio Formoso, avaliada
por 3:000000.
E as dividas na importancia de 273:427882.
0 mandado em o qual se acham descriptos os
devedores com as respecuvas qoantias e datas dos
vencimentos dos titulos, e todos cs mais esclareci-
mentos precisos, acha-se em poder do referido
agente, onde d sde ja pode ser examinado pelos
Srs. pretendentes; certos de que nesse leilio fica-
rao definitivamente vendidos os referidos bens, pe-
!R!
Antonla Franoellna Franca tar-
valho
Anselmo de Jesus Carvalho, An-
tlo Custodio Rodrigues Franca e
Antonio de Carvalho, marido,
pai e cunbado, pungidos d. mais
acerba dor, agradecem a todos os
parentes e amigos que tae caridosa-
mente acompanharam ao cemiterio
publico desta cidade o cadaver de sua presadissi-
ma consorte, ii I ha e cunbada ; e de novo os con-
vida a assisti rem as missas que se celebrarao por
alma da dita fallecida, na igreja de S. Pedro de-ta
cidade, no dia 9 do corrente, as 6 horas da manha,
por cujo acto caridoso lhes flcarao eternamente
ibrigados.____________________________
commodas, marquezoes,
guarda comida, relogios l0 maior preg0 qne se obtiver-
de algibeira, de ouro e pra-
ta, grande quantidade de
trastes avulsos, secreta-
rias, redomas de vidro, car-
teiras para escriptorio, ob-
jectos de brilhante,ouro
e prata, santuarios, 1 lus-
tre de gaz, de crystal, es-
pelhos com molduras dou-
radas, crystees, elogios
AVISOS DVEBSOS
ALUGA SE
o armazem da rua d.'s.Burgos n. 11, o 1 andar do
mesmo sobrado, assim como o 2' andar do sobra-
do da roa da Seuzala Velba n. 76, e um qnarto no
mesmo sobrado, do beceo tapado, e ama outra
casa na travessa do Monteiro, em Santo Antonio,
n 2 : a tntar na rua da Praia n. 20, com Jo*6
Feliciano Nazareth.____________________
Aluga se
am escriptorio no primeiro andar da raa do cem-
ii ercio n. 4: a tratar no armazem da mesma
casa.
Modesto Postal.
10 Sr. consul de Franga manda rezar ama mis-
sa pelo repouso eterno da alma do fioado Modes-
to Postel, na igreja da Madre de Dens, no dia 10
do corrente, pelas 8 Ooras da manha, e convida
a todos os amigos e parentes e parentes residentes
nesta cidade de assistir a este acto de caridade e
religiao._________________________' ~
Collegio de Santo Amaro d
rua do Hospicio n. 10
Galardoados os mem esforcos e os dos distine-
tos professores deste collegio pela approva^ao de
todos os coltegiaes que no mez de novembro 6ze-
ram exames de linguas, nao posso deixar em es-
qnecimento essa animadora circumstancia, vuto
como fornece-me ella o ensejo de, baseado dirigir
vel publico e com especialidade ao commercio, qne com bons
dissolvemos a sociedade que tinharaos, e gyrava P3iau0 de
sob a razao de Gomes & Silva, em o estabeleci-
mento de xarque, a rua de Pedro Affonso n. 25,
ficando a cargo do socio Bento Jose1 da Silva todo
o aclivo e passivo de dita firma ja exlincta, e des-
onerado de tola e qualquer responsanilidade o
solmo Joaquim Jose" Gomes, desde o dia 28 do mez
proximo passido, em que foi extincta. Mo entre-
tanto, julgam nada dever nesta praca on fora
del la : se porem alguem se julgar credor de dita
firma, apresente sua conta ou litulo no prazo de
oito dia?, no dito armazem. para ser incontinente
pago. Recife, 4 de deiembro de 1874.
Bento Jose da Silva. |
Joaquim Jose" Gomes.
CASA DO OURO
Aos 4:0009000
Bilhetes garantidos
/tua do Barao da Victoria (outr'ora Nova
n. SO, e casa do costume
0 abaixo assignado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de 100*000 era
meia bilhete de n. 3350, alern de outras sortes
menores de 40*000 e 20*000 da loteria que se
acabou de extrahir (127*) ; convida aos possuido-
res a virem receber, que promptamente serao
P3*09- ...
0 mesmo abaixo assignado convida ao respeita
vel publico para vir ao sea estabelecimento com-
prar os maito felizes bilhetes.que. nao deixarao de
tirar qualquer premio, eomo prova pelos mesmes
annnncios
Acham-so a venda os muito felizes bilhetes ga-
'antidos da 21* parte da leteria a beneflcio da
Santa Casa da Misericordia do Recife, que se ex-
trah'ira no dia segunda-feira, 14 do corrente mez.
Pre^os
Inteiro 4*000
Meio 2*000
De lOOftOOO para cima.
Inteiro 3*500
Meio 1*750
Recife, 28 de novembro de 1874.
loao Joaouim da Cotta Leitt
Fogio do engenbo Goita, do termo de Naza-
reth, era dias do mez de- novembro do anno de
1869, a escrava Thereza, mulata bem clara, de 30
annos de idade, soltelra, ba'ixa e bem refor?ada do
eorpo, rosto redondo, cabellos castanbos e annella-
dos para as pontas, olhos amarellos e grandes,
nariz um poaco chato, bocca grande, tendo falta
de am ou Ac us dentes do lado de cima, acangula-
dos, bracos e pernas grossa*, pes rolicos e dedos
curtos, lava, engomma e e boa coziobeira, tera sido
vista na cidade do Retife, onde conserva-se acou-
tada : roga-se as autoridades poliches, capitaes de
comm dos para familia, e em perfeiti
mpeza : a iratar na easa n. 84.
on Lutrm i
ca mesma ru.* n.
Era Olinda.
Aluga-se 3 bow casas sius a rua 1) Pajo Cas-
telhano em S. Pedro Novo : e tr..u-se no segun-
do andar do sobrado n. 73
xias, por cima da loja do
ni rua D:iiU3 da
Sr. llilim.
ecen
\A-
no dia l. de dezembro andante, dj sitio onle tra-
balhava em services do camp >, no lugar Caboati,
povoacao de Paratibe, comarca de Olinl-i, o jor-
naleiro Manoel Francisco, hano amireila;.i, de
30 annos pouco mais ou menus de idade, cabel-
los rnivos, de pouca barba, com os dentes quei-
xaes da frente todos podres e quebrados. ten!)
furtado com abu;o de contianei da casa em que
estava tr,".balhando. a 2 mezes, os objectos seguin
tes : 1 relogio ingiez de ouro com chave presa em
um pedaco de trancelim preto, l lazarina decacar,
1 pe^a de alsjodazinho, 1 capote de panno azul,
curto", com coila e lira de velbu ina prata na fren-
te e em roda, 1 par de sapatos novo de niarro-
quim roxo, um chapeo preto de feltro, asado, al
guns livros e varios objectos miudjs ; roga-se a*
autoridadee policiaes. ou a quem delle tiver no
ticia de o appreheuier e avi.-ar no Recife, tra-
vessa do Imperador, armazem da b da aaiarelia
ou em Olinda e Paratibe ao pa Ire Bandeira, que
gratificara generosamente. E?te espcrtaloao e tia
tante, dizem andar com o nem; muladi, inlo
corrido de Mocoes, de Timbauba, sendo seu ver-
dadeiro nome Pedro de Alcantara, embriaga se
bastante nos domingos, em que nao trabaltia, ,-
diz ter andado e trabalhado na E cadi, onde tem
um irraao no engeoh) Mus.-u, ims lugares Saiga
gadinho e Can po Jrande, onde ja trabaihava era
fazer tijolos, e Qnalraente na Parahyba, onde di-
zia que ainda seria guarda policial da capital.
Para ser ainda bem conheciio tem as contas
queimada e pelada por expor se ao sol quando
trabalba sem camisa.
me aos senhores pais desses alumnos approvados, campo e mais pessoas, a apprehensao de dita es
pedindo lhes que me aoxillem na ardua tarefa da j crava, sendo entregue a seu senhor o major Chris-
edncacao de seus dlhos. Deseio erguer o colle- i tovao de Hollanda Cavalcante de Albuquerque, no
gio, do qaal sou director, a al tura de um estabe-:: engenho Rosario, do mencionado termo de Naza
lecimento digno de nota ; mas sinto-me fraco,
vendo em torno de mim am peqaeno numero de
edaeandos; neeessiio de numero maior para fazer
face ac men piano de melhoramentos; e como nao
tenbo a quem recorrer, appello para os senhores
pais de meus eollegiaes, que muito podem auxi-
liar me na acquisicao de roeninos por sua inter-
vencao on de seus parentes e amigos.
0 director,
Padre Augusto Adolpho Soares de Kusewetter
Aluga-se
reth, on no Monteiro, a Antonio da Rocha A. Lins
que receberao a gratiflcaclo de tO0>.
a casa da raa de Riachuelo n 9. com bons Com-
modos para familia, bom jardim. gaa potavel e
em perfeito estado de asseio : tratar no arma-
zem n. 25, da travessa do Corp Santo.. _
Manoel Alves Ferreira & C.
escriptorio da rua do Vigario Thenorio n. 3,
a mesma raa n. 10.
V0M!IT KANCKl
Mademoiselle Lugemia Ceconte e irmii, avisam
a f uas antigas fregdesas e ao publico em geral
que abrirarn novamente sea estabeleciraento de
casa de c sturas a rua da Imperatriz n. 5, primei-
ro andar, pelo que eqi-ram continuar a mereeer
a eqpeurrencia das pe.-sois qne precisarem de
sens servicos._____________
Aluga-se
o segundo andar e armazem da rua de Ped o
Affonso a. 59, o sobrado de um aadar e sotao da
mudaram o sen raa do Hospicio n. 65, e o 1* andar e armaxem do
para sobrado da raa do Bora Jesus n. 63 : a tratar na
rna do Vigario n. 31.'
frillegio francez
Atteifid
: Aluga se o I* anlar do sibr. do n. 40 da raa da
Imperatriz, p:- para I > le novo, e
para granlo familia : a (rater
86, 2and.ir.______________
COZlNHEfR\
Na rui do Cibuga n. 16, I andar, ptwili iu
ds uma c >>zinheira que eatenda l.em da sua are a
oja limna. p6da ser livre on etcrava.
Gratificacao de 50$
Fugio da easa de sea senhor, n Ma 25 a-
vembro proximo paiMrlo, oescravi lei i Dra-
in, |>r to ful), de 21 annos de ida le, mais on n-
nos, altur.i regaiar, tem parte d> dedo mioimo de
iim das mao- > irtadn, e nmas cicatrizes grau-les
no bra.o e>.ja< rdi c nas perna?. privenientes ue
g'imas. tem uma mares grande da talho nas c;s-
tas em ciun da pi dire!ti, anda lig^iro e e mu:i
asperto, sabe eugin.n;r, ivn'ihar e fat tod<
qnalqner servicn dimsslicj : rogt-se a qaear ->
ir, qai o ove a rua do Conle da B>a Vista.
oitr'or.i Ftr imsi. n. 8. -\i* sera rec->innjn! > lo_
:- Aliaa-s^ a --tal ii raa do Vu- IS I i le-
M s, a.itig raa ii Araga) a. 18, om laaU
|uarto>, eoilnba tir\ e 1 qiartj ni q'lintil, e p r-
tao p ra o Tambia : a tratar na rua dt Ponte-Ve-
Iha n. 20, dis 6 h iras Ja minha a* 9 em diant i
na rja di Cimmerci) n. I", a traur ouo pra-
prietario Domingos Pereira do Lagos.
Al'-gim-se tres ca-as terrea na lua do (Co-
ronel Suassunans. 103, 103 e 198 c^m c.rarao m
e limpas de novo : a tratar na ma D;r- ti n. 8
Villa de Jfalmares
Sa padaria denominada Maur ty, siia oaprt;a
deste nome, casa de aiulejo n. 1, de-la villa, esta-
belecimento de Francisco Serafico de Asms \ as-
concellos, fabrica se com a maior perfeicio, 1 m-
peza e baraleza, pio, bolacha e tudo quanh :e
pode cbler da farinha de trigo. 0 ansund.nte
prolesta servir com esraaro e agrado a todos qcan-
to quizerem honrar e se *s-
titnirem freguetes e consumidores.
DE
S.LUIZ
DIRIGIDO FOR
Madame Louise lima Adour, rna de Fer-
nandes Vieira n. 2, ultima estacao dos
bonds.
Madame Louise Irraa Adour, educada em Paris,
avisa aos Dims. Srs. pUs de familia, que vai abrir
no dia 10 de Janeiro de 1875, am collegio para o
ensino do sexo fecninioo.
Madame Louise Irma Adour, durante sete annos
esteve no engenho Limoeiro educando as filhas do
Exm. Sr. Barao da Escada, e durante dons annos
as do Exm. Sr. Barao de Aracagy.
0 collegio e maito bem a llocado, tem nr.i fitio
bastante grande, e agua encanada para os banbos
Os raraos do ensino sao :
lostrnccao religiosa, leitura, calligraphia, arith-
metica, bistoria, geographia, desenho, lingua na-
tional, lingaa franceza, lingna ingleza, musica e
piano, canto e danc-a, e tem a:im todos os tra-
baltios manuaes, proprios da uma senhora, como :
bordados, crochet, etc. etc. A lingna que se fa Ha
diariamente no interior <1ocollegi.> i a franceza.
A pensio para as ioternas pelo anon hsc. lastico
e de 4< 0#, as meio pensioni^u p-. ,;uno es o-
lastico e de 140, as exter- is ... rseplas-
tico e de 120?, pag adianulos |, i -tre.
A* licdes dff piaii<> rl ingl. i <,. ,.... ^m
separado, sendo 10* p..r met p.! : ., -50uu
por mez pelo inglez. Para tratar, >u / ua ie Ftr
nandes Vieira n. 2, na ultima eata a doi b lotfa.

3- -^
3 X ?
a. T) =. 3 -c <
baD Diet n -t,
I CO
H flu
0 fr
>oit ir. ;
1 '
0 ii i
1"
Ausentou-se
enhnr, desde o dia 3 do
imI. cardo, *a 19 n
h;a e umisa bran^
'o.rehenlrr, 'ef >,
> is Ratos n 43, qae -
" 'reite,
fWtk
da
m-
Na loja da rua l. Impe' iirn n. :t,
vender ama boa mobilia dejcar.iola :
na mesma loja.
ba para
a tratar
Liin> Ferreira da Silva
tem duas cartas na rua do Vigario n 7,
andar.
atfro
V




Ofario de ^rnmOuOJ feyca ffefra 8 de Dta^lta de 1874

*iS*>otes d
Praga da*l
crias do
penflencia n. 22.
OSc-Ti;e-3R an rapaz, com 16 annos de ida-
4a, aara eiixer'#e taverna, com pratlca da mes-
as*: a t'- r no pateo do Tergo n. 34.__________
Pr-r; 'i se fallar com os seguiotes senhores,
TtihAo de Marco n. 16, primeiro andar.
Vieira da Canha, da Sergipe.
da Canha, da B.ttiia
lympio B. Cavalcmte, Sib'al do
r.Cati
Rissmg.'S
Cwri.
PaotaMo da Silva.

Retalba se, com [rente para a rua da Amizade,
sobre 194 paknos dWundo, nrnx-porajig deapiiBO' tunata
ida do sitio cohtiguo
terreno para eo'iflescia, lira
a igreja de S. Jose do Manguinno, di p#et o>
5 bem como a pane posterior e a lateral extrema :
os pretecdentes poiem entenlerse com o Sr Dr.
Witruvio. __
jfftjftjqtR? fti^fub;
Gratiflcjkse com 30,000 reis a qaem pegar For-
ileqne d 13 a
clieio do corpo, ro-to e
ckate, cabellu3 carapinho
ausentou se na tarde de IOAb
anno, com camisa de madapolao,
baixo,
nariz
fresco ;
do correate
calcA de brim
Nt)Di>el Jose Monteiro
Torres.
Keller & 0;, administra-
dorcs da massa. fallida de
Maooei Jose M. Torres, pa-
gam aos credores da mesma
massa o primeiro dividendo
a razaq de 19 por cento.
Alosa se uuia escfava para todo o serwgo : na
raadi Ci.iria n. 118.____________________^
*M-jgaa a sala e a alcova do 3.* andar do
soferu-3?:'. 70, a ma Duque de Caxias, proprio
for? ir '* s >lt>iros : a tratat na ioja.
tiraide descoberta
Cnratifg das molestias do
peito pelo
V:r-:-pe de suluhit". de soda
A. BSRXET
Est? >:.;oriante medicamento que acaba do ser
neoa) to pelos dislinclos Drs Zalloni e Paras-
:v,o um verd?deiro e?pe-:ifico contra a
fix; '.:.;, )egnodo provaram nos grandes nume
ru; -. po' elles experimentados, como se ve
^. ". i f".a aeademia de Paris de 2i de mareo
la eorrento auno, eneontra-se anicaraente no
Depftsito da phurraacia e drogaria
de
Raritaoloxnen A C
2 . Raa larpa do Rosario N. 34
Natal-folia
Da f : iouos d'sejam
Ver i i rplendente,
Dia (i. )os leva a n.ente
Do ii -'<' ;i- ;;!iuras :
find. : rj'S o amor beijacn
E a : ..,. festejam,
Teer>> Hi as pepnltoras
R*. c lias line flsnimejam I
E nesse dia em que tern
Do i '''I rasgar o selo,
Sa lbs bem do meio
. c Men da alegria :
E' nreciso que os amantcs
[la i ura ^nslronomia,
. enham j-'. e qaanlo antes
i n Camp \t no a'mazem.
; nil ri i
A ' praze.r :
'. : -ilicr beber
S?n :. maldade
; iierslijao,
Qseguwao
i herdadb
- ;ii:! ;tli- itjil.J I
5 Impembr i. 28
in prazerviva o reqninte
A^ts con.o o irovao,
.'. da mesa a descripcao
irem : e a?(guicto :
lesa erieanta.
' in bres, paws, chourica=,sa!chichas
; limbos de poreos c rfe carneiros ,
. e 'xes 6 t'U'ich i; camaroes,,
e eoe nos com herviibae; conserva-
npignous ; qaeiios dimeDgos. pra-
; doces em calda e do gniaba ;
rvas, paaaas, amendoas, nozes e
i irin, talbarim e macarrao ; araruta,
nta qualidades de masaaa finas e
; a mate, cafe e eh colate francez,
;.::ir7. e nacioncl ; bolachinbas,
ii is, manleiga inglezi e franceza;
tatas, ci bollas, alhos, cominhos,
ds e molho inglez ; cervejas, ci-
. -, cognac, gem bra, hesparedina,
i e aguardente de canna ; vinhos
, : leira, Careaveilos, O-llares, Bair-
Porto, Borgonba e Boideaux ; ci-
. ! ii e uma gratile (giganti ? ) quan-
f,ct' ilhas raias e cxciiantes, nao fal-
iaiidadesdos preparados francezes,
. ?, tureos, ehinezes, hollandezei-,
iauos, hamburgu^zes e amcrica-

Pi
-

I
*.-
I

tiak
i
-r
Alem do que:
um inimenso deposito de novida-
- : velas teradas, (?) tm-idas (I) e
. i is, qnartiahas, e oatros mai-
d grandes phanustas; as'im como o
In de mm: mona preparaao expres-
p combatera gigamonaoia e appla-
triiia otTVOSO 1 Ver para cier.
Distr4C(j6es:
. :. - palestrase boa pinga, encon-
fui lo do e?lab'lecim'iilo, alem de mui-
! go fria, bancos fioacios e mesas as
>?j: idas ao fmieo des luneus, qoe oe
(- poti-rSo saliore^rcp.i a'i s(.m ma-
Tk : ante mosiea t> mp ';'a dos me.
- mericanos e q e t-i eo djinados
i ia domestica e Inieree8ante.
; r ilidade dacouea.
!"' immenso o snetimrnto
vr-nde pelo eoslo,
* I in |im e iiiuito ju?to
Campos oompr.ii' ;
i |oe e tun porn nto
|i -.: ncr-i n paladar I
-i3, 36, Rua Vivlenno, O1
HIGJ^ HED8CIS SfCIH
' ,!< DBS IE1DAIS, AS rriC(OM
LTM*50PS DO OB.
* '^^H 10,000 cura das impit*
X ient,j,usiuUu,herftt,
| i:ma,comixoe$, aerf-
I itonia, e ullerfoes, ei-
8 inxas do taitgvt, vi-
- a., sangve. (Xarope ?egetal
tt Pidrc mio). JoparallTii irjuUii
B^6 Mir.F.BAEfl toraao-se dons por
rguindo n tracUmenio Depurativo: 4
ewrf/adi' s miasmas molestias.
"" ~'.. A"'J>ian Este XaropeCitracto de
a\} jK^'Xj 9 ferro de CHABLE, eura
^Oi'lLsi S^Sfl itnm^diatainenie qual-
i '&% ^JM^ liquer purparao, reJo-
i .,..'wluuuiti. "> jiikioi t floret brancat dat
osraeres.- Esta iuieccao benigna empregaiM
B-B n Xarope de citracto de ferro.
MtmrvmtdmmPomada que as curt ems dias.
POMADA AMTIHERPETICA
Cs*tn: nki affeccoes eutaneat e comixou.
PU.UUS VEGETAES DEPURATIVAS
da * Cimkle, cada (raseo nai iccompahide
4a tm folheto.
WISO AOS 8RS. MEDICOS.
iropdu
ORGET
I Gut emtmrrhot,
Icoquelucku, UiUaftm
mthmj it dot trern-
chioi t w&ai at dltnf
__' ttt petit hiitt ao dsssitl
mb nine nMea i*4 xarbpa IV tTosrr.
Jfe. mm*M*M*m Paris, ru VltrlsosM, 9%,
22 Una da Cruz 22
IITIT11T0 BABTlCtMR.
Rua da Roda m 49, sobfndo.
Primeiras lettras, poMugMZ, fwwez, i-
?lez, desenho linear e musics.) [
Sob a direcgSo do professor flerminio j
Rodrigues do Siqueirafunccionam ditas au-;
las todos os diM atew.
Recebe alumnos internos, raeio pensio-
nistase externos ; fornece todo o material
para escripta e livros aos priaaip>fttats^ por
pregos muito razaaveis.___________^^^
decor.desbolada, ecbapeo de massa prete, Gra
Mca.se na rua da Cadeia d Recife aai Sft.'ou na
; rua da Aurora n. 165.
m
Boas casas de
Poco da Panella ;
Tasso.
AlHgam-sc
campo, na Croz das
a iratar com o comm
1 I |
S B
Folhinha para 187o.
Sabio do prelo a brm conheci la folhinha de
Variedades, contendo tarabem o Diccionario das
Flores, das cores e das pedras preciosas : a ven-
da na Iivraria Universal, rua do Irtperador n. 54,
a 400 rs.___________________________________
Aiiiga-se
o armazem da rua do Burgo- n. H, o 1 andar do
mesmo sobrado, assim como nm quarto da rna da
Senzala-Vtlha (becco upa4i<) e uma outra casa
na travessa do Monteiro, em Santo Antonio, u 2 :
a trata na rua da Praia u. 20, com Jos6 Feliciano
Nazareth
1 UglO
dorcgenho Jaboatao, freguezia de Santo Amaro de
Jaboat'ao, no dia 17 do corrente mez (novembro) o
escravo africano, Juliao, com os sigoaes seguin-
tes : 60 ann is, pouco mais ou menos, tern alguns
cabelios braneos, baixo, secco do corpo, pernas
fina>, d .'dos compridos e seccos, meio fulo, cabega
comprida, testa g-and^, nariz meio afilado, dentes
alvos, tern ii < sola de urn dos pes uma fistula,
levou camisa de chita roxa, calc-t parda, camisa
de azulao ; seguio a direecao do Recife, onde se
julga e-lar : a pess ; quo o apprehender, podera
lea h ao referido engeuhn, ou a rua Direita n. 40,
1 andar, quo sera generosamente recompensada
Vicente fugio
Na noile de 13 para 14 de marco do corrente
anno, fugio o mul-to Vicente escravo.de 20 a
22 annos de idade, bonita flgura, batbae estatura
regular, levando veslido e em um saceo Jronpa de
algodao branca e alguma lina perteccente a um,
Raiuiro da casa d'oude fugio, r- natural da fre-,
guezia de Sant'Anna de Maitos diz ser livre, cria-
do em companhia da malrinha D. Anna Luiia da
Luz de quern alias foi escravo : rogase, portan-
to, a:>s Srs. rapines dd campo e autoridades po-
liciaes a apprrtliensao do dito escravo e en'rega-
lo na cidade do Kecife, rua do Crespo n. 10, ao
Sr. Joaquim Mcreira Reis, ou na cidade do Assu
ao Sr. Tonuato Augusto de Oliveira Baptiita
que serao generosamente recompeusados.
Engommadeira.
Precisa se de uma engommadcira para engom-
mar para duas pessoas: a rua do Vigario n. I, das 9 horas as 4 da tarde, ou
nosegundo sitio, depois da estajao do Chacon.
Nao ha mais cabelos
braneos.
Tintur.i japnnrza.
S6 e utiica app'ovada pelas a^ademias de
soipneias, reccDhe' ida superior a toda que
teii npparecMn at<5 hoje. Deposito princi-
pal a" roa da Ctdeia do Recife, hoje Mar-
quez de Olinda n. SI, 1 n lor, e em todas
as hotieas casas do cahellpireiros.
Preeli>a >e d^ uma ama pjra cozinhar : na
rave-sa do Corpo Sao to n. 25.
mv Pr^cisa se'e uma ama for
A IwB \i ra ou esrrava< 1ae cozinhe
A^LXiM.J. .*L hem o diario de uma casa de
familia : a tratar na Capunga, rua dasPernambu-
cana-", casa de d. 25. paga sp bem.
AmiQ P-ra comprar, coz nhar e tratar de
^l.llltlS nn-uiuos, para casa de pequena fami-
lia : a tra ar na rua N \
Qaem pr--ci*r alugar uma
1^\ *\ escrava bo* engommadeira e co-
XLJltX tiBbeira, rt rija-se a rua da So-
ieqade n. 92, e igualmente um
mulatinho para ertado.
Ama Precisase de uma ama para cozinhar :
na rua do* Pires n. 34.
Pre.-isa so de um caixeiro com pratiea de
molbalos, de 16 a 18 anno* de iiade : a tratar no
F.irte do Lima, em Santo Amaro das Salinas.
Doee finodegoi ba
Ha con.-tant-mi'nle para todos os pregos, tanto
em latas & -wo em caixao, de todos os tamanhos :
no pateo do Terro n. 52, e aende se yende mais
barato. ^^_______________
- Precisa se de um menino para caixelro, de
12 a 14 anm s de idade. prtfere-se dos chegados da
Europ. : a tratar p* rua da Rola n. 48.________
Moleque.
Precisa se de um moleque para criado : no lar-
go da matriz de Santo Antonio n. 2, primeiro an-
ADVOGADO
RACHAREL JOAQill GtESNES DA
SttVS'lEffiO.
9S Baa estrelta do Rosarlo *3
prtm^Wo n*ar.
- tosiiinofid iuwr
DO
Dr. Murlllo.
, RUA DO VIGARIO N. i, 1-, ANDAR, .
Recem-chegMo da Eiir6pa. onde fee-"
queaton os hospltaes-de- Pafris e Lon#iBV'
podera ser proonrado a qualquer bora do
dia on da noite para obfecto de sna pro-
Bssao.
Consaltas das'6 as & horas da manhl e
dp meio dia as duas boras da tarde.
GRATIS AOS P0BBE3.
Bsptcfatia'aaes: Stetestlas de senhorasi
da pelle e de crianga.
AtUM-SE
uma grande casa terrea com bastantes commodos
sita na estrada'do Lota's : a tnttar a raa do Vi,
Ao Sr. Justino Perefra de
Moraes.
0 abaixo assigaado arrematante das dividas da
massa fallida de lolo Hy^ino de Saaza, pede ao
Sr. Justino Pereira de Moraes, moralor na Imma-
culada, o favor devir a rua Direita B. 81 ullimar
sua conta com referenda a mesma nnssa.
Recife, 23 de novemtro de 18741
Jose Ricetrdo Ftria.
S CONSULTORIf 1
M MEDICO-CIRIIRGICO I
at do m
Dr. Pedro d'AtfraydeL. Moscoso W
a, PARTBFRO E OPBRADOR
^Baa do Vlsoonde ilf Ali>uqaer-*$
r.t que ii. 99. S
ESPECFAL1DADE
HolestlaH de senboras e Qc
mpnlB(*. ^
Consustat'das 7 as 1j) horas da ma- K
Wt. nba, todos os dias. %3
at Das 6 as 8 da unite, nis segnndas, quar- '^
S tas e sextas-ferras. S
fR Os noentesque mandsrem ob sens cha- ^
^5 mados por escripto at 10 horas da ma- $%
5 nha serao vlsitados on soas casas.
Na travessa ofe'rua
dasCruzes n. 2,-lri-
meiro andar, da-se
dirtaeiro sobre pe-
nh^es de ouro, pra-
tfc e brilhantes, rtjja
qtial for a quantli.
Na mesma casa
comora-se os naes-
'tf^S^etaesepecfpRs.
totFIWI ^^ra! iW^i?.-.
i p 5ostWekas para m^dista.
Pi Aos 5;0XH> covados deia
Ioja do Pavio vende se lazinhas de muito
tos eostos e delicaios padrSes. fazenda nova
n0 mercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
luam coval^0 ' Qaem deixara de fazer vestfdos de
cm ao bonitos e por tao pouco dinheiro? Forne-
se as amostras: na rna da Imperatriz nnme-
LIOUIDACAO.
0 Paris n'America esta liquidaodo os calgados
pelos feguintss precos :
'" Botinas de duraque, de cures, com canno alto e
laco, a Luiz XV a 5*0>i0 Ilf
Botinas de duraque, de cores, bordadas. canno
alto, a6* III
Botinas de duraque com lagoa 3#.
Botinas pretas gaspeadas,-canno alto, a it, 5* e
6X000.
Botinas Ii -as e enfeitadas, para menina^ a 31,
Bdinas de Snzer, de cordovad cort popteira ee
verniz, para1 homem a 8/. Aproveitem, que e
barato.
uma casa na villa da
roercio, por preco
Irmaos & C.
OMoate Lima
temum complete sortlmento de gaHfe-e franja de
onfo e fira'ta, veroiireiro, de todar as larguras,
abotoaduras douradas para of&ciaek, cabutilhos e
tnfeites para Bordado. Tambem se encarrega de
' todo e qualquer ferfcmentn, como seja : bonets,
talins, pastasl espadas, dragonas, cha>lateiras, ban-
das, abotoaduras lisas e douradas, para criado
etc.; assim como um complete sortiracnto d
ranjas, galao false para ornament i, eordao de la
com borla para quadros e espelhas (cemforme o
gosto da eneomolenda) tudo por muiio menos
prego que em outra qualquer parte: na pra>*a da
mdependBncIa B. If, junto a Ioja doSf. Arantes.
Degpedida
Jos6 Joaquim Affoaso Guimaraes', retirando-se
hoje para o Rio Gradde do Norto no vap ir Pira
pama, e nan I tie sefldo possivel despedir-se de
todos osseus amigos, p fiz pelo preseni nr-tes-
tartdo a todossoaeterba gralid-io e offeircendo-
Ibes stus limit?dQs servicos no Ceara men.m
i
Aluga-se
os armazens ns. 65 e 69. na praca do chafariz era
F6ra de Portas, ura onde teve tenia de ferreiro
o fallecido E. Mahult. 0 outro que esteve occu-
pado com venda de raolhadps, para o que e op
timo pela localidade e ser de esquina. ambos livres
e desembaragados de impostos: a tratar com o com-
mendador Tasso.
Aluga-to casa (la rai do VisCODdO de Pn.
lotas, antiga rua do a ragao n. 18, com 2 salas, i
quartos, corredor s"p;:rado, cozinba, bom quintal,
portao, e mais um quarto m quintal : a tratar na
rua da PonteVema n. 20, das 6 horas da manlia
as 9 em diame, na rua do Commercio n. 18| a tra-
tar comopriprietam Djmiagos Pereira do Lagos.
Bonsbanhos edormida fres-
ca no Monteiro.
Aluga se alii por prego commodo uma casa pe
quena que tem 2 salas, 3 quartos, c.zinba e boa
cacimba, e e perto do rio : a tratar na rua Nova,
Ioja n. 7.
Precisa se d>j ama para cozinhar : no ar-
mazem Baliza, rua do Livramentc n. 38.
Entrega se Urn sitio em Beberibe. para tr:.tar e
desfructar, faz se conlrato : na ru i' da Floreutioa
n. fl.
Casa
Aluga-se uma casa terrea n. 39 com commodos
para familfa, na YUa de Luiz do Rego, na estrada
de Santo Amaro das Salinas : a tratar na rua do
Cotovello n 21.
Sitio para alugar.
Aluga-se ura sitio na Capunga, a rua das
CrlOuUsn: 57, Com'grande uamerode fructeiras,
jardlra, tanqttes para' banho, cacimbas, bombas,
com muito boa casa de vivenda, eompletamente
reedificada, cocheiras, estribaria e uma grande
baixa de cap'm : a tratar na rua larga do Rosario
n. 20, srgnndo andar.____________
Casa.
-'Aluga-se em Fora de Portas n. 25, rua do Pi
lar, com commodos e tem portao jara a mare
grande, para quem quizer tomar banhes salgados,
pois Gca pertinho ; a chave para ver esta no Re-
cife, roa da Cadeia n. 3._____________________
Victor Augusto Nepomuceno afina piano
concerta e lecctona musica : pode ser procura-
do na rua da Ponte-Velha n. 28, Boa-Vista.
Alugi
^a-se
uma casa nos Afogados, rua do Motocolombo n.
18, contendo duas salas, 4 quartos, cozinha fora
e quarto para criados, grande quintal, com ca-
cimba de agua de beber: a tratar no Recife, a
rua do Atalho n. 13, Boa-Vista.
AUencao.
Aluga-se o bom armazem e primeiro andar do
predio alto a rua do Vigario Teaorio n. 16, por
prego rasoavol : a tratar na rua do Marquez de
Olinda n. 57.________________________________
Di se 2.200* a juros sob bvpotbeea cm uuia
casa : na rua de Ilorlas n. 86
Alu[a-se
\2\
Esta encouraeado 1 i !
Agna mole eoi pedra dura
Tanto da ate qae a fura.
Roga-se ao Mm. Sr. Ignacio Vieira de Mall
sscrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aqnelle nogocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
Bns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
por este motivo e de novo chamado para d
fim, pois S. S. se deve lembrar quo este nep;oci
de mais de cite annos, e quan do o Sr. seu oiho
achava nesta cidade.______________________
Aluga-se a Ioja di sobrado n. 2, na rua das
Larangeiras: a tratar na rua da Praia n. 6.
para eseriptorio, o primeiro andar e paramora--
dia o seguado dito : na rua do Marquez de Olin-
da n. 4. ______________________
Aluga-se o armazem da rua dos Guararapes
n. 12, com grande quintal e p rtao que entra car-
roga, pela rua do Barao do Triumpho, antiga do
Brum, tendo o dito armazem 80 palinos defundo
e 28 de largo, 3 portas de frente, e tem um sotao
eorrido em'todo o armazem e repartido : a tratar
na rua da Santa Cruz n 4, ou na mesma rua, jun-
to a fverna, aonde esta a chavo para queiji qui-
zer ver.
Li-iam todos.
Carles Walter, antigo e bem coshecido relo-
joeiro desta praca, scientiflca aos scus numero-
sos freguEzes e amigos desta e de outros pro-
vincias limitrophes, e ao illustrado publico em ge-
ral que tendo mudado o seu eslabeiecimento da
rua da Imperatriz n. 18, para a casa n. 17 da
mesma rua, confronts ao antigo estabelecimento,
ahi se acha pr^mpto para exe.-utar qnaesquer
obras de relnjoaria e mechanica ( as mais diffi-
cultosas) comn sejam, concertos e obrr.s novas
em qualquer reteglo de uso commum, echrono-
metro de algib^ira e marilimos, e o respectivo
regulamento destes, cuja exactidao garante dan-
do como penhor a sua reputagao de artista (que
tem-so esforgado ate agora em manter illeza,)
e bem assim encanvga se de quaesquer con-
certos em instrumenlos de pliysica, para o que se
recommenda aos lilhis. STB engenheiros e ca-
pitaes de navios mercaotes e de guerra. Avisa
a seus frsguezes do interior, e de cutras provin-
cias, que qualquer obra esecutada em sua casa,
quando a receberem sera accompanhada de um
recibo e seu carimbo collocado na caixa de seu
relogio aGm de evitar enganos, como garantia de
ditas obras serera exeeutadas pelo mesmo annun-
ciante. Os pregos serao os mai3 modicos possi-
veis, e se observsra toda presteza ma execugao
do trabalho.
Banhos salgados
Aluga-se uma hoa casa na Boa-viagem, a rua
da Aurora, om cacimbi e perto dos banhos, pelos
tres mezes da testa : a tratar na pharmacia Tor-
res, a rua de Marcilio Dias n. 13"', antigo pateo do
Tergo. _______
Dividas da massa fallida de
Bernardino Pinto Coelho
0. abaixo assigoado tendo ar-ematado em basta
pnblica, por mandado do Mm. Sr. or. juiz do
commercio, as divi las constantes da referida mas-
sa, roga pelo presents a todos os devedores a
virem on mandarem pagar, a rna estreita do Ro-
sario ns. 5 e 7, padaria, no prazo de 30 dias, lin-
dos cs quaes se procedera i'ldicialmente.
Recife, 27 de novembro de 1874.
Jeronvmo Sabiado de Castro finimarSes.
Uma maTher viva se olfcreoe para tomar
conta da casa de homem solteiro ou viovo : quem
preienier, dirija se an pateo do Tergo n. 70.
Hotel de 1'Europe
Aluga-se esle vasto e mngniflco es-
tabelecimento a rna do Com
merrio n. 19.
Este antigo e bem conbevdo HOTEL, que fe-
chou se por causa do fallecimento do Sr. EJuai do
Tourpin, acha-se provida de todos os pertengas e
ornamentos correspondentes a fama de que sera-
pre gozou, e estando situado no lugar mais ap-
parent" e agradavel do Recife como 6 o do bou-
levard, defronte do desembarque de passageiros,
os ioteressados nao acbarSo occasiao mais pro-
picia para eslabekcer se com um HOTEL bem
raontado, em bom local e ja acreditado.
Para tratar, dirigir-se ao eseriptorio de Pereira
Carneiro, a mesma rna do Commercio n.6.
Aluga-se para passar a festa, uma casa em
Beberibe, Porto da Madeira, com muitos commodos
para familia : a tratar na rua Duque de Caxias
n. 88, Ioja.
COMPRA!
CHUMBO
Velho
Compra-se cbutnbo velho, cobre e latio: no
armazem da bola amarella, a travessa da rua do
Imperador.
Yende-se
na rua do Vigario n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto engarrafado, era barris e en
ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa, superior qualidadt
Retroz do Porto.
Ciraento Portland, legitlrao_________________
Vendese uma insignia raaconica, de grao 3,
e uma bibliotheca, nova : na rua da Florentina
h&____________________
Vende-se dous pedagos de balcSo e doas fi-
teiros, propriospjra Ioja ds miudezas ou cigarrei
ros, e nm dito para balcao: na rua da Florentina
n. 22.
~ Vende-se duas vaccas paridas de novo e
maasas, de corda : a tratar na Plrafiga com o Cor-
jeia-
Docg decoyiusecGO
Vende-se da melhor qualidade, e preco commo-
do : na rua do Rosario da Baa-Vista n. 44.
ChttYcnlceprrto
Amaral, Naboco & C. declaram a seus amigos
e freguezes que receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cba verde e preto,
garantem sua boa qualidade e veadero no seu
Bazar Victoria, rua do Barao do Victoria n. 2.
Por 600$ e barato
Vende se um escravo de 30 a 35 annos, e bara
to, proprio para refinacio, padaria, ou mesmo
para am sitio, por ser de boa eondueta e seu se-
nhor retirar-se para fora : na rua de Hortas n. 96.
APROVEITEM
A1$000
Cambraia branca, bordada, com listras e de
quadrinbos, ab rtas e tapadas, por termos uuia
grande porcao, resolvemos vender barato para aca
barmos.e fazenda mnito larga e muito fina, que
sempre se vendeu por 2; o metro, e estamos ven-
dendo a It a vara : so qnem tem para vender
por este prego e Guilherme & C, rua do Crespo,
Ioja das tres portas. Dae-se amostras.
I'roprios para bailes.
Cbegaram em boa quadra, para a Ioja do Passo,
riqoissimos cortes de seda com largas listras
achamaloladas e lindissimas cores; cortes de tar
latana com palmas bordadas a prata, proprios
para bailes : so na laja do Passo. a rua Primeiro
de Margo n. 7 A. ___________
Admirem.
Cortinados a :500.
0 Pavao vende cortinado3 bordados, pr.prios
para camas e janellas, a 7jlo par. e pechincha
que logo se acaba : na rua da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira da Silva.___________________
Pedras de mannore
Vende-se pedras de m'rraores, de di versos ta-
manhos, com duas pok'gadas de grossura, proprias
para muitos mistere3 : a tratar com Joao Jose da
Cunha Lages._____________________________
Burros & venda.
Ignacio Deiro avisa a seus devedores que esta
em seguimento para Pernambuco, onde ate o dia
10 de dezembro espera que lhe mandem satisfazer
seus debitos na casa de Joaquim Jose Gongalves
Beltr5o& Filhos. Conduz excellentes Lnrros para
vender. Pilar, 23 de novembro de 1874.
Balances, pesos e medidas
do systerna metrico deci-
mal.
Von Sohsten & C, na rua da Cruz n. 18, ven
dem nm complete sortimento, tudo feito na mes-
ma fabrica d- Europa onde forara os actnaes
padroes existentes na camara municipal desta
cidade.
Aesucnr candi..
0 melhor e mais bonito, preparado e aper-
feigoado por systema novo, vendem BeilrSo &
Quintal, em sua refinagao a rua do Barao do
Triumpho n. 56. _____
Vende-se no sobrado sito a rna de S. Fran
Cisco desta cidade n. 10, i patativas da Parahyba,
1 bicudo, 1 curio, '.Ocanariosda terra, 2 ebeebeoa,
1 bigode, e 1 viveiro de 4 palmos de allura com 4
1|2 palmos de C'-mprimento e com 2 l|2 de altura,
de madeira de amarello cora arame, os quaes se
vende por incommodo de saude de quem dos mes-
mos trata, e que sera vendido a quem os comprar
todos juntos.
Leques gigantes
So qnem tem d03 mais modcrnos ( a Magnolia
a rua Duque de Caxias n 45.
Vende-se o dommio directo de um terreno
sito na rua da SanU Cruz, em que se acha edifi-
cada a casa terrea n. 36 : a tratar ne rua do Vis-
conde de Goyanna en. 5._____________________
Doce fino de goiaba
Vende-se no deposito do pateo d o Tergo ns. 4 e
a, pelo barato prego de 800, 900, 1*000 e U200 ;
6ssim como grande sortimento de caixSes peque-
nos, proprios para embarque ; ha requeijao todas
as tergas fc'ras e sabbados, por prego commodo.
E' com as noivas
A NOVA ESPERANgA, rua Duque de Caxias n.
, acaba de receber boas meias de seda propriai
para noivas, e os apreciaveis ramos de larangeira
Caleadosbaralos.
Rotinas de duraque
de cor para se-
nhoras...... 4$000
Ditos pretos. . 4*?000
Sapat ;s de duraque
comsalto..... ]#000
Botinas pretas gas-
peadas...... 200Q0
Praqa da Independencia Ioja
N". 13Arantisn. 15.
Cura das hern'us, pelas fun-
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeigoadas das ate hoje co-
nhecidas.
Vende-se
na
Pnarmaela e Drogaria
de
Bariolomeo A C
A
34. Rua larga do Rosario 34
Vaccina. Vaccina.
Tendo a Sr. Dr. Jose Lourengo de Hagalbaes,
montado na corte nm complete servigo deste ar-
tigo, tem aqui aberto um deposito da melhor e
mais recente, cujos tubos se encontram na
Pnarmaela e drogaria
A*
34rua larga do Rosario.. | 34.
Vende-se
, na roa so
a traur
Lojade fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores- mindas mnRo boa* para i
meninas a 160 e 200 rs. o covado.
La pretas superior, a 400 rs. o covado.
AlvacaS de cores' Gaae a 320 e 3 rs. o
So se vendo.
Ditas com listras abertas, faaaaia Cm, a 600 rs t
covado.
Clntas de core, a 240 e 280 rs. o covado.
Metifls de cores miudas a 280 rs. o covado.
Creloaes, o melhor qua tea vindo ao aisreas\j
400 a.440 ra. o covado.
Cambraias brancas, bordadas e ab arias,
mais Baa qae tens vindo ao mercado, a :
de 2J000 o metro, por 1*000 a van;
chincba.
Ditas pretas com flores miudas a.JOO rs. o
Cambraia transparente, flsa, a 3# a peca.
Dita Victoria, fina, a 4*060 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, eca la-
res miudas de seda e de la, a 400 rs. o covado
E' pechincha. -
Cortes de casemira de cores moderns; a 8*900
corte ; e (azeada de 8*. E' pechincha.
Camisas de linho finas, lisas, a 35* a dnzia, 4 fa
zenda de 55*.
Brim branco de linho a 1*400 a vara.
Dito Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolao franees verdadeiro, 24 jardas, a 6*
7* a peca*
Algodao T, largo e superior, a 5* a peca.
Gorgorio preto de seda para vestldo e pira colls*
a 3* o covado
Toalbas alcochoadas a 4*500 a dnzia.
Colcbas grandes a 3*560 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lengoes de bramante a 2* um.
Lengos de linho, sbainhades e em catxtBtas -
3*o00aduria. ___
Ditos de caga de cores abainnados a 3/900 a 4a
zia.
E outros muitos artigos que se vende por m
nos do que outra qualquer parte e para so *r
S6 na lorem queiram mandar ver as amostras.
enganaja de
fiKiilierme k C.________
Para o fabrico de chapeor
A NOVA ESPERANGA recebeu o anme proprw
para armaglo de chapeos.
BAZAR
DAS
FABOLIAS
Rua Duque de Caxias n. 60 A
Para a f esta
Reis e Silva & Guimaraes, proprietaries dan.
bem conb-cido estabelecimento de fareadas fina:
convidam aos seus fregneies e amigos a sort ire id
se dos artigos indispensaveis para a festa, artigot
da ultima mod:, e de fino gosto, os quaes se ven-
dem por mjdico preco, de forma qoe igual nao s.
encontra cm ontra parte.
Aiim de que o publico avalie o que levam ditc
oflerecem a sua prcciosa con-ideragio a seguinu
mengao:
Riquissimas pclinaises de gorporai prete, rics
mente onfeitadas, pelo dimiouto prego de 36*.
Lindissimos casaquinhos de gorgorio preto, n-
camente bordados, sendo enrtinhos confurroe a aso
da, pelo diminuto prego de 12*000 cada am
lliquissimas sa'.idas de baile, de la seda, part
senni ra, inteiramculo novidade, pe'o dimimu
prego de 12*000.
Lindisimas capinhas do la e seda iiiteiramen-
te novidade, pel-> insignificaute prec) do 8*000 .
10*009 cada umi.
Riquissinrs ca.rhin "ts de la e seda, pelo diminn
to prego de GiOOO rada nm.
Um complete sortimento de capellas com veio d.
blonds, proprir.s para noivas, pelo diminuto pregv
de 10*, 135 e 20* cada uma. E' barato E at
mo sao liudas?!
Ri juisrimos iacinhos eosa flvela, pripri'i aan
pescogo de sen nor* s pelo diminnto prego de l*50i
cada uma.
Lindas gravatir.!:as de cor, proprias para senhc'
ras, pelo dimiaato prego de 1*000 cada nm.i.
Lindissimas rosas com alfinetes, proprias pr>
peito de senboras, pelo diminnto pre;o de l*SOt
cada nm.
Cambraias brancas, bordadas de cores a 15, fa
zenda modernissima, pelo prego de M rs. o co
vado.
Cambraia transparente, com duas iargnras, pel.
prego de 13*000 a pega.
Cambraia transparente Una, Saissa, a 6*500
peca.
Cambraia muito fina, Victoria, a 7*200 a peg*
Meias de cores para bom. m, peb d.n.innto pre
go de 8*000 a dnzia. E' barato f
Riquissimas taixinhas. cada uma com uma do
zia de lengos de linho ja ahaiohados, pelo dim>
nuto prego de 5*5i 0, 6*, 6*500 c 7*.
Grosdenaples preto, fazenda muito .-uperior, *
1*200 o covado.
Setim branco, Macau, fazenda superior, a 2*2-.'<
o covado.
Riquissimo sortimento de popelinas uV linho, pe
lo diminuto prego de 440 e 500 rs. o ccvado.
Riquissimas bias de &'da. fazenda modernissi
ma, pelo con.modo preco de 2*500 o covado.
Popelinas de linho e seda, padrces Inteira
mente ncvos, a 1*600 e 1*800 o covado. E' ba-
rato I
Grosdenapoles cor de rosa, fazenda muito tape
rior, a 1*600 e 1*700 o covado.
Um complete sortimento de las e alpacas da se-
da com listras a 700, 800,900 e I*. E' muito ha
rato I
I'm complete scrtiraente de las, a IK, 200, 24C
320 e 380 rs. o covado.
Madapoloes, Elephante, cm 20 varas, a 4*40f
a pega.
Madapolao, Maravilha, com 20 jardas, a 5*aVK
a pega.
Madapolao francez, Madraste n 55, a 6*200 a
pega.
Madapolao superior francez n. GO, a 7*000 i
peca.
Assim como um grande sortimento d chilis es
curas, claras a outros artigos.
REIS E SILVA & GUIMARAES.
Aos
nervosos
A NOVA Esl'ERANCA acaba de receber aquai-
ijs railagrosos anneis electricos, cora Infallivef dot
nervosos.
S^l do Assu.
Tem para vender Antapio Lnix da Oliveira
Axevedo. a bordo do palhabote Jokm Arh-Ar : s
tratar com o capita a bordo, ou no seu escrip-
terii>. a rqa fo Bom Jesus n 87. i
CASA
Vende-se ou aluga se uma casa terras en Olia-
da. com grandes commodos, gas agna encaaada :
a tratar na roa't* de Marco it j
Farinha demandioca supe-
rior.
Tim para vender, Joaquim Jose,
ves Beltrao 4 Filho, a bordo do pi
llosila, luadeado ao pe do cans do|egio]
e para tratar a bordo qu no seu eseriptorio "
ii rua do Commercio o. 5.


PftEINACM WHBmA \
/
v)


w
'.-IT
^* i'nfBBI

DMLiio dfl FenamtoWQ Terca feira 8 de Dezembro de J8T-4.
>
.
Ao legitimos fogdes econo~
micas*
Acabara ds cbegar a esta cidade OS ver-
dadeiros {gdeseconomicos, ja muito conbe
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Miuas, 8. Paulo/, Sergipe, Rio-Grande, Ba-
hia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
blico a oiaior aceitacSo possivel, 6 sao ja
preferidos aos de qualquer eutro systerna,
conbecido pela sua muita solidez, especia-
hdade na coUocacao, moderno systeraa,
e sobretudo grande economia no combusti-
vel ; trabalbam com lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. Ha de diversos tama-
obos, proprios para casas de pouca, regu-
lar, e de muita familia, collegios, boteis,
casas pias, hospitaes, etc. Achara-se ex-
postos ao publico, aonde se darao todas as
explicates necessarias : na rua do Viga-
oi). 12
Soares Lei Irma"S, rua do BarSo da Vic-
toria n. 28, antiga rua Nova.
Aos Dieniaos
A NOVA ESPERANCA, a rna Duque de Caxias
n. 63, acaba de receber urn bom sortimente de fl-
nas bonecas que fallam, que riem-se e choram ;
lambem as tem mndas e sardas ou surdas-mudas
gfinham ver se nao e verdade.________________
Colchas para camas
Na loja do Pavao vende-se colcbas de fustao
brancos, para cama a 2,500, ditas de dito de cor
a 4,000, cobertas de chiia e de cretone, de 2,500
para cma e ditas de metim esearlate forradas com
madapolao a 5,000 : a raa da Imperatriz n. 60,
de Felix Pereira de Silva.
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburgnezas qne vem a este marcaae
na rua do Maranex deulinda n.5l
m GRANDE
Liquidaeao
DE
Chapeos de sol de todas as
qualidades
Mm. Falqoe convida ao respeitavel publico e
partieularroente sos seus freguezes, para que apro-
veitem a occasiao de sortiremse de chapeos de sol,
os qnaes se vendem por baratissimos precos, pois
deseja dirainuir o grande deposito que tem dos
mesmos, e de todas as qualidades, como sejam :
de seda, panno e aluaea, para bomens, senhoras e
meninas. No mtsmo estabelecimento ha urn Op-
timo sortimeato de seda, alpaca, merino e brim
para coberta dos mesmos. Ha lambem chapeos
de panno com dous forros, propries para os ba-
nbos do mar, a 1:500 para acabar.
Vende-se
No escritorio de Thomaz de Aquino Fonceca k
C. Successors, a rua de Vigario n. 19, primeiro
andar:
Graento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em grumo, de Lisboa.
Vinho Sherry.
Vinho do Porto em caixas, linissimo.
Idem em barris de quinlo e decimo, lino.
Retroz.
Fio.
VENDE-SE
Na rua do Vigario n. It, vende-se o seguint e
Cimento de Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, eagarrafado, finisaimo, am eal-
jjl-> de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sberry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
WWson Rowe & C vendem no sen armana
a rua do Commercio n. 14 j^
verdadeiro panno de algodao azul ameneano
Excellente flo de vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as quaUdadea.
Now remessa,
Vinho verde de Amarante
Convida-se ot aprecia'dores a virem apreciar o
que ba de mais excellente neste artigo; vende-
se em decimos e a retalbo, em casa de Pdcas
k C, a rua estreita do Rosario n. 9, junto a
greja.
0 Desengano esta quei-
mando
0 proprietario deste estabelecimento tem resol-
vido vender as fazendas existenles em sen estabe-
lecimento, per menos do que em ontra qualquer
parte.
Vanzinese de seda.
Vende-se esta fazenda de lindos patroes, de lis-
tras e palmas, pelo diminuto prego de 320 rs. o co
vado, por ter nns toqnes de mofo, 6 grande pecbin-
cba. Esta fazenda tambem serve para Into, por
ser toda preta ; e fazenda de 2*500 o eovado.
Damasco de la.
0 Desenpano esta vendendo damasco de la de
lindos padroes e de duas larguras, pelo baratissi-
mo preco de 1J.0OO o eovado, e fazenda de 2*500.
Aproveitem qne o Desengano esta qneimando.
Casaquinbos de gorgnrao de seda.
0 Desengano esta vendendo casaquinbos de gor-
gorao de seda, enfeitados, pelo baratissimo preco
de 6/000 cada urn, e grande pec hi nc ha. A elles
antes qne se acabem.
Organdys a 320 rs. 0 eovado.
Vendem-se Organdys de listras, branco, pelo ba-
rate preco de 320 rs. o covade. Aproveitem.
Madapoloes de 45fOOO a peca.
0 Desengano esta vendendo madapolao franeez
com 20 varas a 4* a peca; dito muito fino, a 5*,
5*500, 6* e 7* a pec,a ; e grande pechincba.
Algodao marca T, largo, a 4*, 4*500 e 5* a
Ricos chapeos de sol de seda, com cabo de mar-
fun, a 12* cada urn ; e peehiocha.
Baptistas de lindos padroes a 400 rs. o eovado.
Lazinhas de cores, bonitos padroes, pelo diminu-
to preco de 160 e 209 rs. o eovado. A elias antes
que se acabem.
Cambraia Vienna, a 3*500, 4*, 4*600 e 5* a
pe$a.
Alpacas de core?, la e seda, bonitos padroes, a
600 rs. o eovado ; e grande peebineba.
Metins de cores, bonitos padroes, a 260 e 300 rs.
o cevado.
CbUas claras de lindos padroes a 240, 260 e 280
reis.
E outras muita? fazendas qne deixa de meneio-
na- as para nao se tornar enfadonbo, por isso o
proprietario conrida a todas as pesaoas a fazerem
uma visita a seu estabelecimento, afim de sorti-
rem ?e do bsm e barato. Rua do Crespo n. 95,
>nnto a loja da esqnina._______________________
IV. 7 2. Rua da Imperatriz
EM LIQUIDACAO.
Tendo recebido diversas qualidades de fazendas que ha tempo tinham feito encommenda e
agora estando em iiqnidacao resolvea qne est&s fazendas fossem. vendidas nas mesmas condi^oes o
que e mnita vantagem para os compradores, isto no Bazar Nacional rua da Imperatriz n. 72.
Organdys branco a 400 rs. Chales de la a 640 rs.
Vendese organdys branco com listras muiio Vende-se chales de la. a 640, ditos de merino
Gno a 400 rs. o eovado. estampados a 1*600 e t*.
Popelinas a l.'OOD. | Cortes de casemira a 5*.
Vende-se popelinas de cdres muito flnas a IS o Vende-se cortes de casemira de cores a 5*,
eovado. 5*500 e 6*.
320
reis o co-
va
do.
S6 na rua do Queimado n. 43, junto a"
loja da Magnolia.
E' barato
Cambraia branea com flores bordadas de cores,
slo padroes muito bonitos e de gostos nunca vislo,
pelo diminuto preco de 320 rs. o cevado:
so o 43 e quern tem. Dao se amostras com pi-
nnor.
Alpacas de cores a 400 rs.
Vendese alpacas de cores para vestidos a 400
rs. o eovado.
Laazinhas a 120 rs.
Vende-se laazinhas para vestidos a 120, 240,
320 e 400 rs. o eovado.
Alpaca lavrada a 640 rs.
Vende-se alpaca lavrada para vestidos a 640 rs.
o eovado.
Granadina a 500 rs.
Vende-se granadina preta com listras brancas a
500 rs. o eovado.
Percales flnas a 400 rs.
Vende-se percales finas para vestidos a 4C0 rs. dades e barato."
o eovado. |
'Chitas finas a 260 rs.
Vende-se chitas de cures escuras a 260, 280 e
320 rs. o eovado.
Cassas de cores a 260 rs.
Vende-se cassas de cores finas a 260 e 320 rs.
o eovado.
Cambraia victoria a 3 7500.
Vende-se peca de cambraia victoria a 3?500,
4*e5*. Cambraia transparente a pega a 33,
3*500, 4* e 5*.
Cortinados a 6*.
Vende-se cortinados para janellas a 6* e 75 o
par.
Cor>ertas de chita a 2*
Vende-se cobertas de chita a 2* e 2*500.
Colcbas de'fustio a 2*.
Vende-ss colchas de fustic a 2*, 3* e 4*.
Fustao branco.
Vende-se fu?t3o branco para vestidos de senho
ras, organdys branco Ono a 640 o metro.
Madapolao a 3j.
Vende-se pe;as de madapolao enfestado a 3* e
3*500 a peca, ditas di(a> lino a 4*500, 5* e 6*
dito franeez flno a 63, 79 e 8*.
Algodaoiinho.
Vende-se pecas de algodao de todas as qnali-
Bramanle. I
Vendese bramante de 10 palmos para lencoes
a 1*600,2* e 2*500 o metn.
Algodao enfestado a 900 rs.
Vende-se algodao de duas larguras enfestado a
900 e 1* o metro, dito trangado a 1*280 o metro<
Graade liqnidagao de roupa feita.
Vende-se ceronlasde algodao a 1*, ditas finas
a 1*200 e 1*5(0. camisas brancas a 1*800, 21 e
2*500, ditas de linho. bordadas e lizas a 3* e
3*5(10, paletots de alpaca preta a 3*500, 4* e
4*500, ditos de dito de cores a 21, camisas de
flanella a 2*, ditas de chita a 1*280 e 2*.
Ao baraleiro
A' rua 1 de Marco n. 1
Confronte ao areo de Santo
Autonio.
Os proprietaries deste estabelecimento, tendo
gande deposito de fazendas de la, linho, seda e
algodao, e achando-se proxima a occasiao do ba-
lanco, resolveram fazer grande reducgao em pre-
{os, afim de que naquelle tempo nao tenham gran-
de trabalho em balancos ; a saber :
GORGORAO de seda preto, para collete, nm
urte por 2*. E' fazenda que sempre custon 7*.
AMAZONAS, linda fazenda para vestidos de
Dasseio, a 500 rs. o eovado.
GROSDENAPLES de cores, verde, encarnado,
oranco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., 1* e
1*200 rs o eovado. Quem e que nao comprara?
POPELINAS de linho, de quadros e listras, bo-
oitos gostos, a 500 rs o eovado. Aproveitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
ie novos a 900 rs.
DITaS com listras largas assetinadas, o mais
moderno qne tem vindo ao mercado, a 2*.
CRETONE franeez com listras e de quadrinhos
de cores e pretos a 400 e 440 rs. o eovado. Isto
*6 no barateiro !
DITO franeez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 rs.; pois so se vendo se pc-de
crer.
ES >(" AO de linho e algodao. proprio para ca-
misas, fronhas, etc., etc., com 7 jardas, a 3*200, e
-om 10 jardas a 4*500 a peca.
MUSSULINA branea, com listras, para vestido, a
100 rs. o eovado. E' pecbincha I
MADAPOLAO france: ec in 20 varas, por 4*500.
E' barato.
CASEMIRAS de cores, para costumes (ronpa de
oornem) 3* o eovado. Ver para crer I
LAS escocezas, estamos acabanJo aos prejos de
120, 180 e 200 rs. Apressera sel
CHITAS escuras e claras, fazenda Bna a 240,
!60 e 280 rs.; so a rua Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senbora. a
!*0O0. E' admiravel !
BRIM branco n. 5, exposicto superior, a 2* a
ara.
CAMISAS de cretone franeez de cores, a 2*500
am a.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran-
le sortimento por precos baratissimos.
BRIM pardj trangado, para 280 rs. e 400 rs. o
eovado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o eovado; isto
*6 na loja do Barateiro I
CHAPEOS de sol de seda para bomem, fazenda
luperior. a 8*500, 9*000 e 10*000.
BAPTISTAS matisadas, gostos miudinhos a 300
rs. e 360 rs. o eovado ; so confronte ao arco de
Santo Antonio I
LENCOS de linho superiores, abanhados a 3&
i*500 e 5*000;a duzia.
TOALHAS relpudas superiores a 6*500 a du-
tia. Em outra parte vendem por 9* I
MEIAS cruas, superiores, para bomem, a 4*,
1*500 e 5*. E' pecbincha.
BOTINAS superiores para senhora, a 4*500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1*500 a vara.
ALGODAOZ1NHO branco, com pequeno toque,
32500, 4* e 4*500, e marca T, a 5* a peca.
4lem das fazendas acima mencionadas, encon-
trarao muitas outras que agradarao em qualida-
de e precos, e que para nao massarmos a paciencia.
4e nossos freguezes, as deixamos de ennmerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. i.
Loja de Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
Nao se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros I
Festej
os
Grande liquidaQao de fazendas Unas e do
melhor gosto, para vestidos de testa, na
loja n. 44-, a rua Duque de Caxias.
Popelinas de moderniasuuos padroes, eovado a
800 rs.
Ditas de ditos a 1*200.
Ditas de ditos a 1*400.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambraias organdys de padroes e cores inteira-
mente novos e modernos, eovado 320 rs, cortes
de cambraias brancas para vestidos, bordados e
com babados, a 6*.
Chapeos medernos, gosto allemao, para senhora,
proprios para a estacao da testa, a 2*500.
Ditos de diversas qualidades, para homens, pelo
barato preco de 2*. 2*500, 3* e 4*.
Camisas francezas e inglezas, tie diversas quali-
dades, a 1*600, 2*. 2:500 e a*.
C-jllarinhos de linho, lisos e bordados a 400 rs.
Toalbas de linho para rosto a 400 rs.
Lenco. finos com barra, dnzia 1*400
Ditos ditos brancos, dnzta 1&500.*
Meuoi sc cezes, inteiramente novos, proprios
pbacraa mbres, cevado 240 rs.
Meias fiuis.-imas, para senbora, duzia a 33500.
Lazinbas, chitas, cambrias, madapoloes, algo-
6&0S, brins, por precos baratissimos, bem como
outros muitos art'gos qne >e acbam expostos para
u* amigoa do bom e de barato, por 25 0|0 menos
qne em outra qualquer pane, finalmente tndo,
tudo se acha em Iiqnidacao.______________^^
Admirem
tronRdina d seda a loO rs.
Na Icja do Pavao vende-se finissimas granadinas
de seda com listras assetinadas, fazenda que sem-
pre se venden a 1?200, e liquida a 400 rs. o eova-
do ; assim como manguitos e golinbas de cam-
braia bordadas a la cada nm, e pecbincha : na
loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Pereira
da Silva.___________________________________
Salsa parrilha
Muito nova e grossa.
W/n'e-se por barato preco, em porcao ou a re-
taibo ua rua larga do Rosario n. 34.
E' com as senhoras.
A Magnolia, a rua Duqne de Caxias n. 45, par-
eipa ao bello sexo que acaba de receber da Eu-
opa, um completo sortimento de arligos de ulti-
?a raoda, e como acha desnecessario fazer nm
c.'adoiilio anuuncio, por ja ser bastante eonhe-
-ida, e caprichar sempre em ter bons correspon-
leotes, sendo a pnmeira que apresenta o que ba
ie mais moderno e por precos mui razoaveis, por
so limita-se a descrever somente o seguinte:
iettas douradas.
Bios de cores, tanto de seda como de guipure.
(ieqaes dourados, de madreperola, marfim, tar-
taruga, osso, etc.
ahidnM de baile.
Preaenies, diversos artigos proprios para pre-
sent es.
Bolinhas e pnnhos.
Manual para missa, com capa de madreperola,
tartaruga, marfim, velludo, etc.
iapatfrnhos de setim para baptisado.
Camisas bordadas para senhoras.
Li van de seda.
Pranjas mosaicas.
tderecos de tartaruga.
voltas'de madreperola.
rulMciras de madreperola.
Lindas flores para cabe^a.
Solsas de velludo.
Perfuinarlas dos melhores e mais afamados
fabricantes.
cttapeos dc sol para senhoras.
vitas de vellude de todas as cores e larguras.
Moscas.
Quereis livrarvos destes malditos insectos? com-
irai uma machina de matar moscas por 3*000
>a Magnolia, a rua Du]ue de Caxias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, ven-
o verdadeiro Vigor de Ayer, que impede a
Ainda dos cabellos.
Sardas epanos.
So tem sardas e panos quem quer; porqne a
dagnoha, a rna Duque de Caxias n. 45, tem para
'ender a verdadeira Curiculeria, que faa desappa-
ecer estas manchas em poncos dias.
E'BOM SAREK-SE
Que a NOVA ESPERANQA, a rua Duque da
Caxias n. 63, bem conhecida pela superioridade de
seus artigos de moda e phantasia, acaba de rece-
ber diversas encownendas de mercadorias de sua
repartieao, que pela elegancia bem mostra aptidao
e bom go-to de seus antigos correspondentes da
Europa, e por etia razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreciarem ate
onde toca o primor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer entrar no nu- [
mero dos massanles (verdadeiros aznerins) com
extensos annnneios e nem pretende descrever a
immensidade de onjectos que tem expostos a ven-
da, o queseria quasi impossivel, mas limitar-se-ba
a mencionar alguns daquelles de mais alta novidade
e toma a liber jade de aconselnar ao hello sexo,
que a visitem constantemente, para depois que
comprarem em outra qualquer parte nlo se arre-
penderem, a vista do bom e escolhido sortimento
qne ha em dito estabelecimento, esta razao tam-
bem demonstra que qualquer senhora de bom torn,
nao podera completar a elegancia de seu toilet
sem que de um passeio a NOVA ESPERANCA, a
rua Duque de Caxias n. 63, a qua] acaba de rece-
ber os seguintes artigos de luxo e inteira novida-
de :
Moderaas settas para prender oa cabellos.
Priraorosos leques de phantasia.
Bonitas sabidas de bailes para senboras e meni-.
nas.
(nteressantes gravatas para senboras.
Elegantes facbas de tonquira.
Bons aderecos de madreperola.
Delicados aderecos pretos de pufalo e borracha
(gosto novo).
Bartholomew. & G-
PABA
Llqiiidanlnde contas
vendem por barato pre^o
SALSA-PARRILHA
DO
PARA'
34-RUA LARGA DO ROSARIO-3i
Pentes girafe.
Pentes girafe, prop-ios para senhora, ( nltima
moda): a Magnolia a rua Duque de Caxias n. 46
e so quem tem.
Papai, mamai.
Como sao lindas as bonecas de eera qne eb-
mam papai, mamai, ebnram, aodam. e^A. 34 na
Magnolia a rua Duqae da Caxias A- 45.
Gaiolas, gaiolas.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
eebeu gaiolas de arame de lindissimos modelos,
praprjas para passaros ; a ell is aptes que se aea-
bem.____________________^^_
iflAI%Pll,
Na loja do Pavao vende-se madapoloes france
zes muito incorpados, com 20 jardas a 6,000 rei>,
dito muit fino com 12 jardas a 3,009 e 3,800 ; as-
sim como um grande sortimento de madapoloes
inglezes de 4,500 ate 8,000 e 9,000 : a raa da Im-
pp-airiz n.60. de geln Pereira da 8ila.
Rua 1 deMMrco n. 14
Gnsmao k L^al receberam grande quantidade de
cortes de casemira p-ra cali-.a, e vendem por 45
cada corte, a-im como vendem si-tinetas para
vestidos, fazenda linda, por 4o0 rs. o eovado, fasen-
da de 800 rs. : so n rua 1* de Marco n. 14. I
Bouquets de cravos e de todas as flores, capellai
e velas para baptisades, de muito gos:o, por barato
preta, e tambem reeabe-se eucommendas tree dias
antes : no pateo, do Livramento n. 36, loja de
cera.
Loja 2 de dezembro
Neste novo estabelecimento de miudezas se en-
contrara tudo quanto e bom e barato, com espe-
cialidade calcado para homem e senbora, fitat de
sarja, setim e seda de todas as cdres e largnras, a
precos razoaveis, bem omo la para bordar a is a
libra, de lindas cdres : na rna da Imperatriz n
Itetalbos de las.
0 Pavao vende uma porcao de retalnos e 1
para vestides tendo grandes e pequenos, qr i li-
quida barato para acabar, assim como uma por-
cao de cassas e chitas prelas que se vende por
qualquer preco para acabar: na rua da lo era-
iriz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Espartilbos, a 3*500, 4* e 8$,
0 Pavao vende um booito sortimento dos mais
mode'nos espartilbos que vende a 3*500, 4* e
5*000.
Pechinca em lencos branccs a 2! 500.
0 Pavao vende duzi'-s de lencos tinissimos de
cambraia branea para mao, sendo fazenda que
sempre se vendeu a 4-000 a duzia e liquida-se a
2*500 por ter grande porcao de duzia.-, ditos abai-
nnados a 2^, ditos chines-s muito fiuos e ditos
Irancezes eseuros muito finos para quem toma
rape.
Cassas de cores a 240 rs.
Vende-se cassas de cores para vestido a 240 rs.
o eovado : na loja do Pavao a rua da Imperatriz
n- 60.
Camisas.
Vende-se uma grande porcao de camisas bran-
cas com peito de linho e de algodao, por muito
menos do seu valor, por eslarem um pouco enxo-
valbadas, assim como seroulas francezas e de al-
godao a 1-500, ditas de linho a 2; e 2.500 para
acabar : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60
de Felix Pereira da Silva.
Ronpa para bomem para acabar ate ao lira
do anno.
Na loja do Pavi) liquida se uma grande. porcao
de roupa para homem como sejam : calcas de
brim d'Angola, dilas brancas, ditas de casemira de
cor de 6$ ate 12:., ditas de brim cores, palitots
e fraks de panno preto, de alpaca e alpacao, as-
sim como de casemiras de cores, colleles brancos,
pretos e de cores, -ssim como roupa branea de to-
das as qualidades, nao se olha a prejuizo, o que se
quer e liquidar ate ao li n do anno.
Cambraia Victoria e transparente
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de cambraia Victoria e transparente para ves-
tidos tendo 8 1/2 vara cada pessa de 3.600 para
cima, isto na rua da Imperatriz n. 60 de Felix Pe-
reira da Silva
Collarinhosde.linho para acabar a l;
a duzia<
Na loja do Pavao liquida-se uma grande porcao
de dnzias de collaricbos de linbo, por estarem um
ponco enxovalbades, peie barato preco de i~ a
duzia, sendo fazenda que sempre se vendeu por
7i 6 pechincba : a rua da Imperatriz n. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Pavao vende chales de casemira com gostos
chinezes, sendo muito grandes, que sempre ven-
deu a 7* e 89, lijuida a 4-. Ditos. de la, muito
encorpados, com listras, a 3;. Ditos de quadros,
azenda muito b.a 2: ; assim como, nm bmito
forli.neoto de ditos de merino, lisos e de quadros,
vende de 2 ate 5>. e 6* : a rua> da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao. de F. Pereira da Silva.
Popelina de linho a 400 rs. o eovado.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento das
mais bonitas popelinas listradas para vestidos que
vende pelo.harato preco de 400 rs. o eovado, la-
vando se nao de.botam.; assim como, bonitas e
moderoas lazinhas com listras de seda a 640 rs.
0 eovado. Ditas transparentes com palminhas a
500 rs., sao bonitas. Bareges de uma 6 cor, pelo
barato preco de 400 rs. o eovado, e pechincba :
na rna da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira
da Silva.
Cortes de vestidos pira liqnidar.
1 0 Pavao vende a fct, 5* e 6* corte de cam
braia branea com eufeiles bordados de cor, fa-
zenda que sempre vendeu a 7* e 8*, e liquida a
4* para acabar. Ditos brancos de cambraia aber-
ta com listras e lavradinhas, que sempre se ven-
deram a 10*. liquidam-se per 5*. Ditos Benoatao
com lindos eufeites de cor, fazenda que val I2~,
liquidam -e a 6,. Ditos de cassa. de cores com
7 varas a 3* ; e pechincba : na rua da Impe-
ratriz n 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Pechincha para criancas.
Meias a 2*500 a dnzia.
Toalbas de fustao para mesa a 2. oOO.
0 pavao vende toalbas de fustao para mesa de
jantar pelo bar.- to preco de 2*500, e pecbincha :
na loja do Pavao, a rua da Imperatriz n. 60,
loja de F. T. da Silva.
Gros preto a 1*.
0 Pavao vende grosdenaples preto a 1* o eo-
vado e dahi para, cima, ate 1- : na rua da Impe-
ratriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
Brins de Angola a 2*, 2-500 e 33.
0 Pavao vende cortes dos verdadeiros bins de
Angola a 2., 2*500 e 3* ; e pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metins. a 280 rs.
0 Pavao vende bonitos metins de cores para
vestidos, pelo barato preco de 280 e 320 rs. o
eovado; assim como, um bom.sortimento de chi-
tas de todas as cores, padroes modernos e fixos,
pelo barato preco de 280 ate 360 rs. : a rua aa
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva
\;io ha quem venda mais barato!
Gama & Brito, com armazem de molhados no
largo daSa*ia,Cruz ns. e 4. vendem manteiga in-
gleza em barrii a 800 e 1,000 rs. por cada 450
grammas ; vinho de maca a 1,200 a garr.afa. dito
Figneira a 440 a garrafa, a canada a 3,400 rs.,
gaz (Devos) liquido a 140 a garrafa, velas siearinas
a 560 o mac/>. velas. economioas a 760 o maco,
cha pecola a 3,200. rs. cada 450 grammas, ditp al-
jofar superior a 3,000 rs. cada 450 grammas, um
completo sortimento de biscoitos em latas, que se
vendem por precos baratissimos, bervilbas france-
zas a 040 a late, marmelada muito Una a 640-rs.
a lata com meia kilo, queijos frescos, azeite doce
de Lisboa a 640 a garrafa, assnear de primeira
sorte a 320 rs. o kilo, dito de segnnda sorte a 28
o kilo, ditp de terceira sorte a 24p o kilo, vinho do
Porto, em barrii, a 800 rs. a garrafa, dito engar-
rafado das mareas mais aoredrtadas a 1,000,
1,200 e 1,500,: e que pod*! haver de melhor e
tudo mais a vontada dos compradors*, certoade
que encontrarao a maior stneeridade e agrade
possivel : no largo da Santa Cruz ns. Jet, arma-
z em deGama & Silva Brita.
E' sempre assim.
AO3EX0 AMAVEL.
A Nova Esperanga, 4 rua Duque, de Caxjas ^
63, toma a liberdade de avisar ao bello sexo, qne
acaba de receber diversos artigos dsalta novi-
dade, os qnaes estao. expostos. a vu^da em dito
estabelecimento, e bom qne venbam aprecial-os
para por esta forma satisfazerem os capricbos de
suas elegantes toilette*.
A Nova Esperanja, nao querend.o toror-se
massante, limita-se a mencionar alaoAS artigos
dos mais em voga no mundo das modas, os quaes
sao os seguintes :
Hudos eiotis de couro a filigrana.
Modernos bctoes de aeo para vestidos.
Novos leqnes, grandes, matisados.
Elegantes fivellas de aco para vestidos.
Delicados raraos ds flores de larang^ira.
Bolsas de couro e filigrana, propfia* para.tr^'
zer pendentes ao cinto, ______________^^
VEl ll'JE"SB ositiojuatoaigre-
ja de S. Jose do Mangu nho, com casa de vivenda
assobradada e outras acommodacdes, todo mura-
do, com duas frentes servj as por portao de farrq,
dando para a rua d > Amizade e para a do Man-
guinho. Tem de terreno proprio 194 palmoj de
hrgura e 354 de fundo ; e a casa mede 52 palmos
da (rente e 84 de fuado. A silaacao e a melhor
Kssivel para morada, e quem quiser edificar, tera
stante terreno para isto, pelo lado da rua da
Amizade. Tem algumas plantacdes de gozo e re-
creio, havendo bastante .agua foraecida por duas
caeimbas, uma das quaes 6 nova. A entender-ae
com o Sr. Dr. Witruvto quem o pretender.
EXP0SI5A0
DE
Fazendas e artigos de alta
novidade
NA
LOJA DO PVSSO
itua Primeiro de Marco n. 7 A.
Cordeiro Sina6ea A c, proprietarios
leste importante estabelecimento, no louvavel pro-
jrosito de nao desmentirem o conceito qne os
leus nuinerosos freguezes lbes tem. dispensado,
icabam de receber de sua conta o mais nco sor-
imento de sedas, popelinas, las e artigos de ul-
tima moda em Paris, e continuarao a receber
por todos os paquetes daqoella procedencia ; por
sso chamam a attencao de seus freguezes e os
onvidam a darem um passeio ao seu estabeleci-
nento, garantindo Ihes que encontrarao a reali
lade do que lica dito, e para prova dao um pe
lueno resumo, cujo infallivelmente despertara a
itteDcao dos preteodentes.
Mandam fazendas a casa dos freguezes, e dao
imostras mediante penbor.
Artigos de alta novidade e
ultima moda.
Cortes de vestido de linbo guarnecidos de bico
la mesma fazeuda e cor, trazendo fivella, bolca,
-into, etc etc.
Riqnissimos chapeos para senhora, de cores e
>retos.
Cortes de cambraia brancos com lindos bor-
tados.
ni %" de cores com enfeites da mesma fazenda,
nrino, etc. etc.
Capas de la para meninas e senhoras, guarne-
:idas de arminbo.
Vestuarios para baptisado.;
Riquissimas camisas bordadas para senhora.
Leques de madreperola, para noivas.
Ricas colcbas de seda, para casamento.
Cortes de seda, lindas cores.
I Gorgprao de seda branea e dito preto.
Sedinhas de delicades padr5es.
Setim Macao de todas as cores.
Grosdenaples pretos e de cores.
Velludo preto e damasco de seda.
Granadine preta e de cores.
Filo de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Casacos de merino de cores, 15, etc.
Mantas brasileiras.
Capellas e mantas para noiva.
Cambraia de cores, ditas mariposas brancas, de
ores, lisas e bordadas.
Flor do bosqne (novidade).
- Percalinas de quadros, listras, etc.
Brins de linho para vestidos.
Fustao de cores.
Saias bordadas para senbora.
Grande sortimento de camisas de linbo lisas e
ordadas. para homem.
Meias de cores para homem, senbora, meninos
meninas.
Sortimento de chapeos de sol para bomens e
*nhora.
Merinas de cores para vestidos.
Dito pieto trancAdo e de verao, bombazina, can-
to, alpaca, etc. etc.
Atoalhado de linbo e algodao para toalhas, e dito
jardo.
Damasco de 15.
Brim de linbo branco e de cores.
Setins de lindas ceres com listras.
Chales de merino de cores e pretos
Ditos de touquim e ditos de casemira
Ganusas de chita para horopn1 'tas de Da-
ella.
Ceroulas de linho e ditas de algodao.
Pannos do crochet para sofa, cadeiras, etc.
Lencos bordados e ditos de labyrintbo.
Ricos cortes de vestidos de tarlaiana, bordados,
>ara bailes, e tarlaiana de todas as cores.
Colchas de damasco de la, e ditas de crochet
Espartilbos lisos e bordados.
Poulard de seda, lindas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Casemiras pretas e de cores.
Popelinas.
Neste artigo terno* um variadissimo sortimento,
iao so em gosto como em qualidade.
Las
;om listras de seda, ditas com paluas bordadas,
litas transparentes e de outras muitas qualidades.
Lavas
ie pellica brancas e de cores, do verdadeiro fa-
ricante Jouvin.
Finalmente :
apetes para sofa, cadeiras, cama, entrada, etc..
-.ambraias brancas, chitas de todas as qualfdades,
oadapoloes, esguiao, bretanbas, bramantes, algo-
loes, collarinhos, punhus, meias para homem e
enbora, punhos e collarinhos brancos e de cu-
es para senboras, gravatas para homem e senho-
a, peitos bordados, lencos de linho brancos e de
ores, ditos de cambraia de linho, toalhas, guar-
'anapos, panno fino, etc., etc.
Loja do Passo
Rua Primeiro de Mar^o n. 7 A
antiga do Crespo.
I
Cortes decasimira a
e 6#000.
Na loja do Pavao, vende-se cortes de ca-
semira para calca a 45, 55 e 60000, ditos
muito finos de uma s6 c6r com listras ao la-
do, fazenda qne sempre se vendeu a 9j> e
105000, liquida-se a 6#0O0 para acabar:
a rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Para concertar meias
A N0A,ESPEB.ANCA, a rua Duque de Caxia.
n. 63, recebeu rtesta necessaria linha.___________
A 500 rs. o eovado
Na loja do Pavao vende-se lazinhas japonezas
de cores muito modernas pelo baratissimo preco
de 500 rs. o eovado, para acabar ; notando-se que
e fazenda que iamais se vendeu por menos de
dois cruzados ; ja ha poncas : a rua da Imperatris
n. 60, loja do Pav5o, de Felix Pereira da Suva.
Lazinhas brilbantes a 720 rs.
0 Pavjo, recebeu um bonito sortimento das mais
lindas lazinhas brilbantes, sendo de quadrinboo
miudinhos, parecendo de uma so c6r, e tendo diffe-
rentes cores ; esta fazenda tem um bnlho corns
seda e bastante largura, evende-sa a.720rs.o
eovado : na rua da Imperatriz n. 60, loja de Felix
Pereira da Silva.
Lazinbas modernas a 320 rs.
0 Pavao vende bonitaa lazinhas de quadrinhos,
tendo de todas as cores, pelo barato preco da 32Q
rs. o eovado; sendo fazenda que sempre se vendeu
a 500 n., e pechincha : na raa da Imperatriz n.
60, loja de Felix Pereira da Silva.
Crochets para cadeiras.
0 Pavao vende uma porcao de panos de cro-
chet, proprios para encosto de cadeiras e de so-
fas, que vende por precos baratissimo* : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva-
C&tes de organdy a 25*00
0 PavSo recebeu um bonito sortimento de cortes
de organdy, matisados, para vestido, que vende
pelo baratissimo preco de 2 400 e corte, 6 pechin-
cha : na rua da imperatrii n. 60, loja de Felix
Pereira da Silva.___________
Traves.
Vende-se traves de louro e qnalidade ; para
ver po caes do Bamos, e trata-se com Joaqnim
Rodrigues Tavares de Hello, a praca do Corpo
Santo n. t7, 1.' andar.________________
E' pechincha.
A 460 rs.
Lazinhas de cdres padroes mnito lindos pro-
prios para vestidos de senhoras e meninas, e ven
de-se pelo diminuto preco de (60 rs. o eovado,
por este preco so se encontra na rua do Crespo n.
20, loja de Guilheime & C. ; dao se amostras.
Cal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa : na praca o Gan
Santo n. 17, 1* andar, escriptorio Or io.iqiiai Rcy-
drigues Tavares de Mello.
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANCA vende p*pel ha*
proprio para cigarros. de diversas Imgora*.
Chocolate doMaraiihao
Unico deposit) nesta cidade, era casa at Jom
Tavares Carreiro & C, rna Direita n. 14, oata
vende pelos prepos e vantagens da fabric*.
Imperial fabrica de rap6
area Una de Moreira dt C.,
da Bahia.
Dtste excelUnte rape, que setorna reoommeo-
davel aos amantes da boa pita do esta fabrica o sen deposito a ma do t" iiiiii
cio n. 5, que vendem por junto e a reUfao, f-
zendo se vantagem a quem ci mprir pi-rciw.
Olinda
Boa arquUicil*.
Vende-se nm sobrado silo na pateo da e, i
Olinda. eiiiflcailo em ch.io proprio, <* accommodacoes para numemsa fnniiiia, re
cado e plotado de n<-vo, com bellissima viu
mui'.o fresco e com qoioul: a traur so paiev
de Pedro II n 6. ! andar.
E ii-.-uiii)
As almofadas bordadas de la maUsadas cebeu a Nova Eaperanca, a raa Dn^o* M
Caxia> ""_______________________________
Lustres, candieiros e aran-
dellas para gaz.
No novo estabelecimento, Grande Exposi^ao, at
rua do Imperador n. .'to junto ao escriptorio d*
companbia do gaz. vendem-se Instres, candieiros e
arandellas de differen'.es lamanhos e in-tWao-i
gostos, tanto de vidro como de bronze, f tudo as*
melhores fa Ticantes que ba na Ingb terra. Taav
bem se vendem globos ue bonitus padroes, rhnmco
e tudo o mais que fi.r preciso paa o servi.71 ao
gat. E como os donos deste e-ui* !<.rr.. l i>..-
dam vir de conta propna e se qui-rtm acreailar.
vendem tudo mais barato do que quat |U--r oolrc
para o que tis compradores p"dem ex|ipr'CT"ntar.
Alia uwJ0k.
0 Barateiro, a rna ! de Marco n |, acaba de
receber grande sortimento de entn-mi*m b.%i>aai-
nhos tapsdos e transparentes, de loaai as largu-
ras e vende a 1,000, 1,200 e 1,500. 'azmdaaaa
semore castou 2,500; a ama exper er< ia 6* >
convidamos
para senhoras
Como sao lindas e modernas as grav.tinka? >n*
a Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, aea&a
le receber________________________________
Farinha de milho
Vende se farinha de milho moi !a a vap> r, dia-
riamente, de ! qualidade, para cns--n a 141 <. .%.
rs. a libra, da 2* para cangica e pan d.- Pr.>ven'~i a
120 rs., a 3* para ancii, pint-is e pa-sa-inho? a tV
rs., da 4* para mrgnnza a 90 ra., aa arr-ba r m%r
barato : na rna do C >tjvello n. 25, rasa de i.zo
\e\o-______________________________________
Para acabar.
Saccos e 280 reis.
Vende se saccos de estopa com um wpaa de-
feito, proprios para ensacar milho, Car an. :-. si(
grandes e de muito boa qualidade e atad
diminuto preco de 2S0 rs. <-ada um, < ; eehincba.
vaem precisar approvei o >sta a rua il, n u Cres,
20, lojadas tres pcrtas de Guilbence iC_______
ARNAZEJH DD W,;l
A' pra(ja circular do Apollo
vende-se:
Tijolos de marmore, de diiTt-r.-ntei u
manhos e qualidades.
Tijolos irancezes, sextuplos.
Cimento Portland verdadeiro.
Aziilejos grandca muito proprioc
para rodape*s.
Azulejoa verdes e amarellos, tamanhc
regular.
Haqiiinai de descarc^ar algodao.
Cadeiras de ferro, assent-) de paib>-
uba, prprias para campo.
Fuudas Heruiarias
ELECTRO MKDICAES
Para ligar perfeitamentc e curar radical
mente
as quebradaras
Essas fundas estabelecidas sobre osc.ahec.-
mentos medicaes e analonicos mantem as qu-'hn-
duras as mais volnmosos e difficeis, impedin '.o r
seu desenvolvimento. Eiles teem ama accio niec-
trica que na genera lidade dos casos opera i-m.'.
cura radical sem qne o doente ie sujeite a pns-
cripcao alguma, a excepcSo do uso contlcuo dc -
las. A cura opera-se no periodo de 12 a 20 m*
zes conforme a hernia mais oa menos aaugs.
Unico deposito era Perrtambuco, pbarmz
cia e drogeria de Birtbolomeu a C.
Rua ldrga do Ro.ario n. 34.
Vinho vrde.
Especial chegade no ultimo vapor, tem para
vender em barris de quinto e de Colares ta.
decimos, no seu escriptorio a rna do Coamercie
n. 5, Joaqnim Jose Goncalves Beltrao k Filbo.
Vende-se
Laminas de vidro para vidracai .
F.stanho em vergninha.
A' rua do Marquei do Olinla n. 4.
Cora dos estmliawalo d iretrs
pela facil applicacio das
SONDAS OLIVAES
DE
GOIMi ELAST1CA
Aa mais. modernas e aperfeiooadas de toaac
as conhecidas
Vendem-se
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DE
Bartholomeu & G.
34 Rua larga do Rosario 34
Salsa-parrilha do Par&
Tem para vender Antonio Luiz de Oiivem Aaa-
vedo, no seu escriptorio, a raa do Bom Jews'aa-
mero 57._________________________________
Esc-rava
Para vender na rua, precisa-se alngir ana -
crava : ni raa da Florentina n. 22._____________
Vende-se ama taverns, sili m rua do V
conde de PeloUs, antiga do Ar^ga n t*. coa
poncos fnndos: a tritar na mNi.a. 0 d"t *sU
resolvido a vender por ter de Mirat-ai desta ei
dade por incommodus de sana____________
Bom sqpateiro
Vende-se nm escravo sapateiro !-to!c obra. *
de boa flgura : aa raa de nto Amaro a t, e-
gnndo andar.


8
3iario de Pernambuoo Terga feira g de Dezembro de 1874.
VAWEDADE
MISCELLANEA.
Um dos candMatos que se apreaentam na
Academia Franceza para o lugsr vago pelo
fallecimento do Sr. Guizol, teri monsenhor
Gaibert, arcebispo da Paris.
A neve fz a sua primeira apjfl-igao
em Paris no dia 12 de novembro a noile.
Um novo telegramma de lava Or
leans noticia que o navio francez Ville de
Bordeaux, encalhado nos Coloredos, durau-
tea sua viagem de Nova-Orleans para o Ha-
vre, e considerado corno tu'.almente perdi-
do. Tambem se perdeu no porto de Mon-
tevideo, salvando-se a tripolagao, o navio
Belle Anais, do Havre.
0 ex-principe imperial de Franca en-
trou de novo no collegio de Woolwich para
concluir us estudos do seu exame final. E'
em fevereiro proximo que o principe termi-
njxa" esses estudos no referido collegio.
Publieara-se actualmente em Paris 3i
jornaes quotidianos, apparecendo 15 de ma-
nh5 e 19 de tarde.
Monsenhor Fruchaud, arcebispo de
Tours, ultimamente fallecido. nasco-a a 30
de ju'lho de 1811. Depois de deserapeohar
as funcedes de vigario geralem Angouleme,
foi ooraeado bispo de Limoges em 1859,
succedendo, em Tours, a nconsenhor Gui-
bert, quando este foi chamado para o arce-
bispado de Paris.
Em Londres tern havido uma exposi-
gao curiosa. E' a dos estandartes mortua
rios das diversas confrarias daquells cidade.
Na idade media, em Loudres, como em Pa-
ris, cada confraria tinha o seu cstaiid3rte,
mais ou menos adornado, com que cobria
o esquife dos irmaos falleciJos.
0 principe Camillo Armando Julio
Maria de P>ilignac, filho do antigo miuistro
do rei Carlos X, desposou na Alle naoha a
filha do banqueiro Frans Laugenberg.-r, cu-
nhado do barao de Erlaoger.
0 Semaphore, de Marseille, notirfa
que a companbia des Messsgeries Marittmes
resolveu levantar em irume (JapAo) um
monumeuto & memoria das pessoas que
rnorreram no naufragu do Silo, no mez de
margo passado.
Os jornaes de Londres noticiam que
acaba de desrobrir-se na Escossia am banco
importante de guano, dequalidade superior.
Forraou-se ja" uma companbia, por men de
acgoes, para a sua exploragao.
Entre os personagens que sustentam
actualmente as redeas do governo allemao,
0 principe de BisTnark nao e o unico que
tern sido ferido na mao. A Gazeta da Alle-
inanha do Norle conta que o imperador
(iuilherme foi em 1819 victima de um acci-
dente de caga, em consequencia do qual Ihe
foi levado por um tiro o osso do meio do
index da mSo direita. Esse dedo ficou de-
pois disso rauito mais curto que o dedo
correspondente da mao esquerJa ; o impe-
rador, comtudo, escreve sem a menor dilfi-
culdade.
Tendo a embaixada ingleza em Cons-
tantinopla chamado a attengao do governo
turco para o trafico dos escravos, que aug-
raenta de dia para dia entre Benzari e o
Egypto, resolveu aquelle *doptar medidas
efficazes para p6r um termo aquelle ne -
gocio.
Djscobrio-se em Pompeia uma pin-
tura de muro, represeotando Orpheu no
meio de um grande numero de animaes,
que attrahe ao som da sua !yra. A figura
de Orpheu e colossal e diz-se que a cabega
e muito bella, mas que o corpo nao cor-
responde a perfeigao da cabega. As cOres
da pintura conservam-se ainda muito
vivas.
Acha-se corapletamente restaurado o
turnulo de Frederico Soulie, no cemiterio
do Pere-Lachaise, em Paris; tsta* situado
junto do popular fabulista Lachambaudie.
0 monumento consiste em uma placa de
marmore negro, collocada horisontalmente
n'um s6co de granito. Um outro pedaco
de marmore negro, siinplesmente cortado,
esta" posto perpendicularmente a" cabeceira,
havendo entre os dous um medalhao de
bronze com diversas inscripcoes.
Os membros do collegio inglez em
Koma, offereceram ao papa 2,600 libras
sterlinas. Os catholicos iuglezes offerece-
ram-lhe tambem no dia seguinte mais 2,000.
Referem de Constantinopla que o go-
vernador de Erzeroum mandou eercar por
600 soldados a igreja e o pago episcopal dos
armenios catholicos. A tropa ameacou fa-
zer fogo sobre os padres e sobre as pessoas
que alii setinham refugiado. Em seguida
arrombou as portas, e entregou a igreja e o
pago a uma duzia de dissidentes, apezar do
templo ter sido construido a" custa de uma
ftmil a armenia catholica.
Morreu, em Londres. Gabriel Bri-
deau, um dos amigos iutimos do siuistra-
meijte celebre.Raoul Rigault. No tempo
da communa o FouquL'r-Tienville da com-
muna nomeaVa-o chefe da policia muni-
cipal.
Osaembros do episcopado austriaco
que se tinham dirigido a Inspruck para as-
sistir a coroacao de Nossa Sanbora, celeb ra-
ram duas reunioes naquella cidade para dis-
cutirem as diversas questoes que se agitam
neste momento no seio da igreja catholica
austriaca.
As tropas da guarnigao de Rouen exe-
cutaram ha pouuo algumas manobras de
noite. Foi a, primeira vez que em Franga
se ensaiarain esses esercicios, que tem por
lim habituar os ofticwes superiores e os
corainandantes dos corpos a improvisar pia-
nos de ataque s>bre o proprio terreuo da
aceao. Estes coaibates apresentam sempre
as maiores difliculdades comportam um
servigo de illuminadores parfeitamenteorga-
nisaio. 0> prussianos, na uitima guerra,
liveram sobre os fransezes a vantagem de
que os seus soldados, habituados a taes ma
nobras podiam, por meio demarchas e eon-
ira-marchas nocturnas, rodear as posigoes
franeezas e envolvor ou isolaresSas ultimas,
de inodo qucs tornavam a sua resistencia
impossivel.
Deu-se ha pouco em Inglaterra um
caso de envenenamento singular. Quatro
criangas morreram em Rumfort depois de
terem feito uso de uns p6s dentifricios, cujo
osm, paysagens indiaoac e outras cotiaw.de mineral de grand* espessura. Dos en-Jay na rnalaterra. Scbeofe ft? Suecia UveS-
sem pelo estudo dos corpus simples, estaoe-
lecido a indislruclibilidade d materia, isto
Iuo ujiucrdi ue grana* espessura. uos en-
aios feitos veriflcou-se haver grande abun-
dancia dessa materia.
por am incendio um bairro inteiro da cida-
de de Cronstadt, na extensao de cerca de
38,000 metros quadrados. As perdas sao
calculadas aproximadamente em 4 milhdss
de rublos. 0 numero das casas incendia-
das foi de 169, entre ellas a igreja de S.
Wladimir. 0 numero de babitantes que fi-
caram sem abrigo por causa deste grande
sinistro ede 10 a 15,000. Morreu um ma-
rinheiro e ficaram feridas'gravemente diver-
sas pessoas. 0 governo mandou logo a
somrna de 2,000 rublos para as victimas
mais necessitadas.
A princeza de Tour-et-Taxis, que des-
empenbou um papel importante na conver-
sao da rainha mai, da Baviera, ao catboli-
cismo, foi presenteada peio papa com um
magnifico crucilixo adornado de dous ca-
mapheus de grande valor.
O tribunal commercial de firuxellas
vai occupar-se de um processo singular. Ha
dias cantav.i * no tbeatroda Moeda o Faus -
to, de Gounod. Dous iuglezes tinbam alu-
gado um camarole para si e suas esposas, e
como percjbessem que na scena do jardftn
a orchestra tinha omittido por sea motu-
proprio os doze ultioios compassos da phrase
sympbonica que termina essa scena, requi-
skaram do emprezaFio a restituigao do pre-
go da camarole, allegando que tinham ido
ao theatro- para ouvir o FomsIo e nio- am
arranjo rnais ou menos arbitrario dessa ope-
ra. O-empreiwrio recasou-se e a quesiao
foi leva da para os trihwiaes, ode tem do
ser jutgada.
Segundo- documeutos oflfeiaes puWi-
cados em Berlim, o numero de babitantes
do imperio da AWemanha- que emigrarara
para os paizes traosatlanticos em 1873 ele-
va-se a 1 f0,67i. So a Prussia forneceu
6,674 emigrados-.
Referem de Gibraltar que a grande
effeito immediato fdra torna-las insensiveis, ^ barea inglesa Tamtsa abalroou com o- vapor
sem que bouvesse meio algum de as- fazer I hespanhol Bayo, na alturas da Tarifo. O
choque foi tal, que ambas as embaroagoes,
passados momentos, foram ao fun do.
voltar a vida. Os medicos cbamado& para
verificarem a causa do envenenamento de-
elararam que os p6s continham opio em
pequerra quantrdade. Parece que houvera
equivoca na preparacao delles, sendo por
esse motivo chamado aos tribunaes o pbar-
maceutico e os seus ajudantes. E'o pri-
meira case que se dd de uma morte em taes
circumstancias.
No dia 1* de outubro boure uma
terrivel eoalisao entre dousnavio3 encoura-
gados, C'lndahar e Ki'>g mo sossobrou, morrendo o capito, sua
mulher e filna, e 9 pessoas da tripolagao.
Levado este assumpto perante os tribunaes,
o capitao do Candahar foi condemnado a
ser-lhe retirada a suu carta pelo espago de
um aniio, visto ter-se dado o siuistro por
negligencia sua.
No .Japao a imprensa indigena tem
tomadi. muito desenvolvimento pelo menos
em algumas paries do paiz. S6 em Yeddo
publicam-se 18 jornaes, sendo uns qaoti-
dianos e outros apparecem s6 de cinco- em
cinco dias. Os que teem maior extracgSo
sao o :Vishinssishi, folha que tira, termo
medio, 1,500 exemplares ; o Tokionishinski
Shimboum, que tira 860; e o Shinban-
sashi, que tem a mesma circulagao. Dos
15 penodicos restantes, alguns- dos quaes
diarios. fazem cada um delles uma tiragem
de -200 exemplares aproximadamente. Po-
blica-se igualmente um jornal satyrico pelo
modelo do Punch inglez.
Os diirios estrangeirosannunciam que
o cbefe da fracs&o catholica da aristocracia
ingle/.i, duque le Norfolk, e que tem o ti-
tulo de pniueire par do Reioo-Unido e de
grande marechal de Inglaterra, vai abragar
a carreira ecclesiastica e entrar na congre-
gagao do oratorio de S. Felippe Nery em
Bromplou. O auque de Norfolk tem 27
annos. Os seus titulos e privileges passa-
rao para seu irinao, lord Howard, que aca-
ba de attingir a maioridade. O duque de
Norfolk actual e, pelo lado de sua mai, s>-
brinho de lord Lyons, embaixadorda Ingla-
terra em Paris, e tem uma irma freira.
Dizem de Paris, que para se pOr em
scena no theatro da Porta de Saint-Martin o
drama de Julio Verne A volta do mundo
em oito dias, se gastaram 72:0009. Nelle
apparecem verdadeiras locomotives e barcos
a vapor em scena, elepbantes de came e
FOLHETIM
A FEZXTCEZA BOS T7RSI1T0S
MYSTERIOS E INTRIGA.S DA COR-
TE DE FELIPPE V.
POR
FEHNANDEZ GONZALES
VOLUME I
PRIMEIRA PARTE
As Tres Esperan^as
(Continaagio do n. 280)
CAPITULO IV
EL-REI NO COCHE DA PRINCEZA
I
Pouco depois sahia de Guadalajara uma
briilnnte comitiva.
A lua derramava bastante claridade.
Alem d'isso, alguns lacaios do palacio le-
vavara 8rchotes accesos.
El-rei galopava em meio d'uma multidao
de g'ii raes, de gentis-homens e de cava-
lheirc.-. ,
Na fr nte iam um correio e quatro guar-
das d'el rei.
Atraz. em forma deescolta, um esquadrlo
dos mesmos guardas.
Tndo aquillo brilhava, reluzia, soava
d'um modo esplendido.
El-rei prescindia de tulo, punha de lado
a etiqneta, econcedia i princeza a extraor-
dinaria honra do sahir a recebe-la rnesmo
ao caminho.
A'espsgo viam-se destacamentos de caval-
laria e de infantaria formando alas, que
faziam as honras da ordenanca quando el-
rei passava.
Os cornetas dos destacamentos tinham de
grande distancia dado signal da chegada
da princeza.
Anna Maria achavase ainda & meia le-
gua de distancia.
n
El-rei cravava as esporas, ou, dizendo
lmehor, bltia com os tncSes nos ilhaes do
vvoallo, porqae nio levava esporas, e o
As
trrpolagdes poderam salvar-se com grande
custo-. 0 Tumisa, que media 600 tonela-
das, levava cprregamento decbombo e diri-
gia-se de Orar* para Aberdeen.
Congou a Paris um elepbante que de
ve figurar na grande pega de Julio Veroe
iatitulada Tour du mendeen r/uatre-vinglsi
jours e que tem de ser representada no thea-
tro da Porta-Saint-Martin.
O*numero de assassinatos e tentative?
de assassiruto no departantento de Sena du
rante o periodo de Janeiro a outubro ultimo
foi de I'ti. 0 numero de suicidios durante-
o mesmo periodo foi de 2091
0 principe Georges- da Prussia, qo
tem publicado sob o pseudonyroo de G.
Conrad diversas pe$as theatraes, acaba de
pubiicar um drama intitulado Alfredo de
Monte-Salerno.
Dizem de Ni*e que o Sr. Avigdor,
banqueiro- e consul da Austro-Huogria, sui-
cidou-se com um tiro db p:s4ola. Algumas
boras depois foi declarada u* faltencia,
sendo presos dous empregadoa uacasa. ea
passivo diz-se que elevar-se nraitos milboesO-
de francos.
E* conbecida a importancia que as-
settas religtosas teem na Russia. O seu nu-
mero e muito elevado e contam entre todas-
mais de 15 milhoes de babitantes. As
questoes que- a separa da igreja ortbodoxa
grega, nao sao em geral, de dogma, nen>
versam s d>re pontos gravesv As mais das
vezes sao de ritual, e quasi sempre eqnsis-
tem na suppressao ou addigao de algumas
palavras em determinadas oragoes. Nao
ebstante isso as seitas teem sido naquelle itn
perio objecto de intolerancia ou de persegui-
gao em diversas epocas, intolerancia que,
por sua vez, tem, dado origem a numerosa&j
sociedades secretas. Agora a politics do
governo de S. Petersburg variou nesta ma-
teria, e as seitas dissidentes sao peia primei-
ra vez reconheciias pelo estado, o qual ha-
bilita as a cootrabirem matrimonio&- legaes.
Para o fuluro os nasoimentos, falleeimentos
e casamentos dos dissidentes deverao ser re-
gistrados pelos funcciouarios publicos.
Annuncia-se o descobrimento de uma
mina expbravel de carbonato de soda em
Odaca (America), e cujo sal se encontra dis-
solvido na agua que corre sobre uma capa
Na povoagao de Capileira, proviucia
de Granada, uma rapariga deu ba dias i
luz uma especie de phenomeno, pois assim
deve cbamar se o conjuncto que resulta de
dous corpus unidos peias eostas, e cada um
dos quaes tem u na r.abega, d ius bragos e
um pe. Esta phenomeno vivo en perferto
estado de saiide.
Um roubo singular acaba de ser feito
na cathedral dd Sevilha. No referido tem-
plo existia um grande quadro, quo pas
sava pela obrc phrua do Munllo. 0 ladrao,
uao podendo roubar o quadro completo,
cortou delle a figura de Santo Antonio e
levou-a, sera que ate hoje se tenha podido
emonlrar o aulor de tao barbara subtrac-
gao. Este successo causou grande sensagao
em Sevelha e em toda a Hespanha.
, Depois do congresso internacional dos
orientalistas, que se celebrou no anno pas-
sado em Sorbonna, orgaDisou se em Paris
uma nova associagao dos sabios. a qual
tem por titulo Sociedade dos estudos japo-
nezes, chinezes, tartaros e indo-chinezes.
Esta associagao couta hoje uns 60 membros
epossurji uma bibliotheca interessante e
preciosa por rauitas obras raras que con-
tem.
galopar de todo aquelle trogo de cavalhei-
ros ia-se canvertendo n'uma desGlada.
Oscortezaos murmuravam comsigo d este
respeito, e Felippe V, que pouco cuidava de
evitar que os seus cortezaos murmurassem,
cada vez estimulava mais o seu ginete.
Afinal vio-se ao longe alguma cousa que
avangava em direcgao opposta.
Por fira os dous correios e as duas van-
guardas d'el-rei e da princeza dos Ursinos
encontraram-se.
Um momento depois o coche da prince-
za e o cavallo em que elrei montava para-
ram n'um mesmo ponto.
A portinhola abrio-se, e el-rei apeou-se.
A princeza fez mengao de que la sahir.
Nao, n3o, disse el rei, vou eu entrar.
Ill
A princeza, pallida ecommovida, afastou-
se para el-rei entrar.
Mr. Amelot raudou de logar, collocando-
se ao lado de Agucena, junto do vidro.
A princeza ficou por um acaso a* direita
d'el rei.
Fechou-se a portinhola.
A princeza permanecia de pe na attitude
de ceder por deyer e respeito o primeirt)
logar A el-rei.
Felippe V, que se sentara & esquerda,
agarrou nas ruaos da princeza e obrigou-a
docemente a sentar-se.
Desprezei completamente a etiqueta
p-ir vossa causa, senhora, disse Felippe V.
Nao n s occupemos agora com isso. Man-
dae pdr a carruagem a* caminho, cavalheiro,
accrescentou dirigindo-se & Mr. Amelot.
Mr. Amelot, que ostentava a sua redonda
calva, despojado do seu cbapeo de viagem,
puxou pelo cordSo. e immediatamente a
carruagem partio a" galope.
Ah I senhor I este e o dia mais feliz
da minha vida, disse a princeza : a honra
que vossa magestade tem a bondado da me
dispensar, compensa de sobra o anno de
desespero, de inacgao, de comptets anuulla-
gio por que passei e;n Paris.
DevcU t^jffegado bom mi pega a"
ma b:-.ia JMNpontm, disse el-rei sorriadb.
Mas como ides ? A avaliar pelo queo luar
.ne deixa ver, 03dias passim nor vd3 g1*
lantes e oamorados ; embellecem-vos, prin-
ceza.
Susteutam-me a forga de vontade e o
espirito ; mas permitta-me vossa magestade
que lbe apresente as pessoas que por causa
d'esta quebra de etiqueta vos acompaaham.
Mr. Amelot, advogado, presidente da parla-
mento, muito astimado pe\a sua inteliigen-
cia, confessor de sua magestade rei de-
Franga e sea embaixador junto de vossa
magestade.
Humilde serviioc de vossa magestaie,
senhor, disse Mr. Amelot,' inelinando-se
profundameole.. i
Jd nos conbecemos ha muito tempo,
cavalheiro, disse Felippe V, e temos razftes
para nos apreciarmos mutuamente.
Assim 6 com effeito, senhor.
Parece-me que algumas veies acla-
rastes as minhas duvidas icerca do como
devia entender-se este ou aquella logar dos
classicos latinos.
Effectivamente, senhor.
Conservaes ainda o gosto pelas lettras,
Mr. Amelot ?
Como sempre, senhor.
Acabae as vossas apresentagdes, Anna
Maria. E' dama do vosso servigo a for-
mosa joven que vos acompanha T
Agucena, apezar d'el-rei se referir a* ella,
permaneceu immovel.
E' uma protegida minha muito re-
cente, senhor, disse a princeza dos Ursi*
nos. Puz tambem de parte a etiqueta e fix
com que entrasse para o coche.
Aconteceu-vos alguma desgraga ? per-
guatou el-rei.
Agucena nao respondeu.
El-rei falla comvosco, disse a princeza
impacientemente.
Ah 1 volveu Agucena como quem
desperta de profundo somno : el-rei falla
comigo ? esia aqui el-rei ? Obrigada.
E recabio no seu mutismo, sem ter dei-
xado a sua immobilidade e sem ter olbado
para Felippe Y.
Perdoae-lha, senhor ; acaba de per-
der sua m3e ; debald^ a pretendi couso-
lar. Ainda Ihe dura a primeira violencta
da dflr.
MAIS UMA USURPACAO CLBRIClL.
Os jornnes- referirm o seguinte facto que e
diguo de mengao especial. Exists em New-
lork una commissSo de emigragao, encar-
regada de prover a todas as necessidades
dos emig-antes quando cbegam dquella ci-
dade. Os re?ursos princpaes desSa com-
missao cjosisto em unaa cotago de um dol-
lar pagi) pelos eapit^es- de navios, po? cada
emigrant* que desembarca em Castle-Gar-
den, cit-se este facto para estabelecer bem
que.todos os eraigrantes sem dietincgdo con-
tribuenv para aquelle fusdo.
Alem deste grande deposito espicie de
Kara van--era de passagem, a commissao de
emigragso- occupa aa margem d'Este, a al-
gumas iilbas d'alliv uma ilha espagosa cha-
m'ada Ward-Island.
Nessa ilca ba um vasto hospital, um esta-
belecimento para orphaos, outro hospital
para enfermos atacados da variola,, etc., e
uma- casa par*' aliertados. Da vigilancia so-
bre estes estabelecimeotos estd encarregada
uma sub-comraissao. Ha alguns annos esta
sub-oommissao queitou-se no seu relatorio
de nao haver na llha uenhuia ediQciopara
a celebragao do servi?r> religiose. A com-
missao julgoa justo este pedido e determi-
nou que se construisse um edi5cio consagra-
do aquelle fun. A obra comegou desde lo-
go, e oedificioestava prompto no mez de
margo ultimo. Ate entao os servigos reli-
giosos oelebravm-se em uma sala do hos-
pital.
Ha na ilha urn-ministro protestante, e um
padre catholico; 6 um jesuita polaco. Ora
este polaco apo-ierou.se do ediScio, e sus-
tenta que foi ltfvantado s6 por elle, e pelos
catholicosexelusivamentaj que os here^s de
certo nao-quenam pisar *sua igreja. Lan-
gpu, portauto, mao das ebaves, e niioquer
ceie-las de modo nenhum. Ainda ha pou-
co elle pretendia, diante de quem Ihe con-
testava a-sua opiniio, que era o verdadei-
ro propriet.irio do odiliji >.
Toda via para a sua construcgao, erapre-
garam-se muitos dollars-dos herejes. Mas
para os jesuitas os escudos, ou o dinbeiro
nao teem d'stincg.ao.
Felizmente entrou em exercicio uoaa nova
commissao, a qual se compde de elemsntos
muito diversos daquellesqua constituiam a
anterior. Esta commissao nao esta" enfeu-
dada no espirito irlandes, e 6 provavel que
desde logo procure fazer entrar o celebre
jesuita na razao.
LITTERATDRi^
Ecouoniia PolUica
A ECONOMIA POLITIC* NAO E UMA StIENCIA
CONST1TUIDA.
(Contiuuago.
Precisemos ainda esta questSo. tomando
comparagoes nas- scieucias de que jS temos
fallado.
Antes que Lav-aizier em Franga, Pries te-
Respeitemos, pois, a sua ddr^e deixe-
iao-la em paz, disse el-rei.
V
Felippe V guardou silencio por um mo-
mento, e poz-se a contemplar o pallido ros-
to de Agucena, que vagamente se via ao
reflexo da lua que penetrava na carruagem.
E que noticias trazeis db mundo de
Versailles ? perguntou Felippe V. Lebrun
o que faz ?
Pintar e mais pictar, e ser o secre-
tario dos pequenos escandalos. Deu-se
agora a caricatura e merece verse a do
padre Trevoux pregando como um missio-
nary alim de converter a joven de Scry de
la Boissiere, que passa a mao por baixo da
barba ao rigido jesuita, ao mesmo tempo
que aceita um aderego, que occultando-so
por traz d'ella lbe da o senhor duque de
Chartres.
Lebrun arrisca-se, disse Felippe V ;
e e muito possivel que meu avd o mande
fazer caricaturas para uma masmora da
Bastilba.
Em quanto Lebrun nSo Qzer a cari-
catura do grande Luiz XIV, tudo ira* bem.
Sua magestade anda muito desgostojo com
os principes de sangue, e quasi se alegra
de que Lebrun o pintor da cdrte os metta
a* ridiculo, e de que Bacon os crive de sa-
tyras. Pouco antes de me retirar disse-me
sua magestade :
c Folgo muito de que o lapis de Lebrun
se fizesse epigrammatico e moralisador. VG-
de se Ihe podeis apanhar a caricatura de
meu irraio o duque de Orleans Dizem que
esta* admiravel ; que nao pole exigir-se
mais verdade ; que se ve o atracao que o
matou. Sua magestade rio-se muito com
esta caricatura e com a da duqaeza de
Chartres, representando Bacbo.
E o que faz o confessor de meu avd ?
Conspira para que a consciencia d'el-
rei na.) lbe fuja.
De xnodo que Versailles continua na
mesma : a Maintenon conspiran lo contra
meu. avo ; os principes de sangue coospi-
rando contra meu avd e contra ella ; os
principes legitimados olbando de revdz para
todo o mundo ; o jesuita Travoux prdgn-
do ao doqua de Cuartres ; o confessor de
e, que nenhum atomo se aniquila, passan-
do embora sob as mais diversas foruias, a
chimica era apenas uma collecgab de gran
despriocipios, tiradosde sabias experieocias.
Depois, porem, quo sui lei fundamental
foi reconhecida, os chimicos poderam ca-
minhar com seguranga em suas analyses.
la antes da chimica a physica havia fir-
mad i A immutabilidade e universalidade de
toda a lei.
Na biologia, cujo estudo era sempre mais
complicado pela variedade dos phenomenos,
a loi fundamental s6 surgio com o conheci-
inento das propriedades dos tecidos dos cor-
pos organisados. Realmente sd depois que
Ricbart descobrio propriedades vitaes inhe-
rentes aos tecidos, e Lamack, os Geoffrey,
Sainte Hilaire e fiwdmente Darwiu desenvol-
veram a theoria d evoluccao, a sciencia da
vida p61e nos dar idea precisa nao so do
que era o mundo organico em sua succes-
sao logica, senao particularmente do ho
mem, comoelemeuto da sociedade.
Qual agora a lei fundamental da econo-
mia politica t Que importa a differenga
estabelecida por metaphysicos enJre pheno-
menos phyjicos e sociaes I Os plieriome-
nos economicos- por serem sociaes, nao dei-
xam de ter a mesma natureza iutisn dos
primeiros ; todos elies firmam-se ants mun-
do. quer seja directamente, partindo dos
corpos brutos, quer iudirectamente, e no
interior de um organismo. Tanto as leis
physicas, e biologicas, como as mentaes
participam da natureza do planeta sobre o
qual se revelam.
Por conaeguiote, uma vez qae ellas se
grupem segundo suas- afllnidades proprias
e propriedades especiScas, tanto faz que se
mostrem na-materia iaorgaoica ou orgaai-
ca, como na- massa encepbalica do homem;.
sad sempre d-i mesmas leis naturaes. 0 que
ha de mais e que nos interessa especialmen-
te e que se apresentam diversas ordens de
phenomenos em que o eara;.ter de sciencia
s6 se grava, qOMMO desaobre-se a' lei fun-
damental:
Geralmente tomam a palavra sciencia
como significando toda especie de eonheci-
mentos-humanos. Mediante uma tsrmina-
go grega, diz um escriptor, qualquer del-
les vero se collocar na serie das scieucias.
E' realmente a palavra de que mais se
tem abusado ; assim diz-se, sciencias histo-
toricas, politicas, moraes, economieas, etc.
a Todo saber nao e necssariameute
scieutidco, por soiente refarrir-se a factos
que existem e tem existido* diz Gwyrou-
boff; epreciso ainda que elle constitua um
todo de leis positivas, formando um corpo
de doutrinas nitidamente determinado e se
circumsorevendo esactamente a uma or-
dem de pbenomeoos naturaes. (I) Ve-se
portanto qual a coudigSo imposta a aeono-
uomJa. Ella comprebende uma ordem
destes phenomenos naturaes, bem deQnida,
mas falta-lhe o corpo de doutrinas cohe-
reutes, se ligando por uma quaiidade com-
mum.
0 objecto da economia esta certaraente
bem conbeoido desde a autiguidade grega
e romana.
Os gregos principalmente-, cujo geuio
sempre reaigou nas seiencias,.se nviam oc-
cupado de questdes econora.cas, masnaode
um modo tlirecto.
Aristoteles em suapolitica tem deixa
do mais de uma definieio e classiftcagao
economieas que causavarn, diz H. Baudril-
lart, admiragao a alguns de i.ossos sabios.
(2) Tbucide.les, o admiravel bistoriador das
lutas de Athenas e Sparta, servio-se de ra-
zoes economieas para expliear os acoateci-
mentos.
Em \enophon tambem se encoutram
ideas economieas, mas especialmeate mis-
turadas com preceitos de boa moral. E' o
primeiro, diz Baudrillart, que encara a es
cravidao de uma maneira bumana e sustenr
ta que a riqueza nao tem prego senao pelo
bom uso; nella vendo portanto, um meio e
nao um um. x Aristoteles sustentou a es-
cravidao, e verdade, mas entnetanto ja"
previa o tempo em que a- lecedeira andaria
(1) Revista de philosophia positivaJa-
neiro a fevereiro de 1833, pag. 119.
(2) Journal dessavaots, margo de 1874.
meu avo chegando-se para o sol que mais
o aquece ; Lebrun fazendo caricaturas :
Bacon mordendo ; Racine fazendo versos, e
meu avd sustentando-se em equilibrio no
meio d'esta orgia corteza e aguentando a
onda exterior. Cada dia mais me alegro de
haver sahido de Versailles ; por muito que a
tempestade augrnente em redor de mim,
ao menos tudo o quo aqui succede e serio :
seria difficil fazer aqui caricaturas e escre-
ver satyras.
Apezar d'isso, disse a princeza, ha
aqui um personagem perfeitameate-ridiculo
queeu quizera nao ver no conselho.
Quem d, Anna Maria ? quem tem a
desgraga de vos causar enfado antes mesmo
de baverdes chegado ?
O onde de Montellano, senbor.
0 bom presidente das Indias !
E' uma creatura orgulhosa e selva-
gem ; uma iutelligencia negativa, em que
s6 se encontra uma vaidade estupida : at
tende melbor a* quem maiso adula, e, tei-
moso como todos os estupidos, e sobretudo
ba de ser um inconveniente no conselho.
Mas em compensagSo e leal, sd ve
pelos olhos de el-rei, 6 honrado, rico e
gosa de grande influencia.
Na veidade, na verdade, senhor, met-
temo-nos na politica antes de eu me acbar
em meio d'ella ; disse com ligeireza a prin-
ceza dos Ursinos. 0 pbantasma da politica
persegue-me. Em Versailles nao me fal-
layara d'outra cousa ; duas palavras que el-
rei medissesse, recahiamos na politica. Ate
o meu cabelleireiro andava contaminado.
Parece-me que sois vds quem conta-
mina toda a gente.
Pois acreditae, senhor, que o meu
mais ardente desejo d retirar-me a* vida
privada.
Folgarei de verchegar esse momento,
Anna Maria, porque, tendo-vos dedicado ds
nossas pessoas, quando vos retirardes, e
porque tudo ja estara" em or lea. E vos
nada dizeis, Mr. Amelot?
Ougo, senhor.
E o que pansaes do que ouvis e do
que sabeis 1
Isto ha de durar pouco tempo assim,
senhor ; um ^ucegsso qnejse preve, a neces-
por si. Era realmente man profundo
noraista, como o maior geoio que a haqu -
nidade tem produzido, pois qua embota
previsse a futura idade do vapor, todarii
conformou-se com uma noooaidxfa da tea
tempo.
A economia, pois, tarn soffrido uma ela-
boragao leota e vigorosa dasda a mais alti
aatiguidade. Nasceodo com o bomem bis-
torico, pois qua alem perde-so n'am passa-
do obscuro de que apeoas comegamos i
descobrir os tragos por meie da paleoniok>-
gia, ella ba caminhado sempre com a by
manidade no seu desanvoirieaeolo secular.
Mr. Rocher, professor na Universidade de
Leipzig, receutemenle fallecido, estabelece i
sobre o desenvolvimento ecooomico des
povos, ura interessante methodo bistori-
co em que os tres factores da producgan
(terra e agenies naturaes. trabalbo e capi-
tal), segueui a mesma ordem dos acoiileci-
meittos que compoem a historia. Jk aliian
ga da economia com a historia tem sido mai
to favoravel a esta ultima, foruecendo as
siiu um meio de causalidade dos factos-par-
liculares, porque para os geraes, aqiwllet.
que for iam a parte cu I mina nte do dasaa
volvimeuti/ bijtorico, ba uma lei fund*
mental.
Quanto a eronomi.i, o seu loogo curso d>>
seculos pooco tem contnbuido para sue
eonstituigao debeixo do ponto de vista &ciea
Jifico. -Xoitus raateriies estio reuaidos,
mas sem a ordem que facilita o appareci-
mento de uma scieucia. Dmrais os factos
ecofiomicos sao tao compbeadee e de
pendentes do coubecimento dos outros qoe
a economia, segundo o desenvolvimento lo-
gico do espirito humeno, so d- ve se coas-
tituir depois que a sciencia que lbe serve de
fundamento a cstatisitca tiver mo du
observag,ao mais correctos.
A economia, como a geographia, sac*
sciencias que dspendero do aperfcicoamea
to de outras muitas.
Como lirmar as leis economieas e della:
fazer applivagao, quando a estaUattca a&o
nos fornece elemeutos essenciaes de aprs-
criagao, de ura lado, da proJucgao ou do
consumo,- do ou^-o, da populagae ? Os
quadrns mesmos teitos de uma e outra cou-
sa estao nao sd cUeios de defeitos e enga-
nos, blbcs de observagoas, superficiaes,
como sao profundamente iooohereates e
objecto, diz J. J. Itovei, de inlerminaaa-
veis discussoes, desie que comparados. (S,
Qjiantas vezes os ddos isoUios do aug-
mento da populagao e da producgao nao
fazem sonbar em uma grande prosperidade;
eutretanlo comparados, mostvaia-uos a a-
bysmo do pauperism*.
Onde, pois, estao as-leis econetaicas para
e vita rem este contrasts tao des>;oQiolador e
que mais uma vez justtuca o dilo de Ma-
theus,quem nao e util d*ve morrer *
Pois se realmente a populagao augmenta
geometneamente e o Pimento aritbmetica-
mente, alguem deve Soar sem pao. D ahi
a luta para a extstencia, tio bam assignala-
da por Darvvin entre principallaenle os aai-
raaes, e que mais de uma vez tem sido ob
servada entre os boraens. 0' que era a
questao dos I' radios, padiodo uma let a-
yraria para poupar a plebe romana os bor-
rores da miseria ?
O que tem sido outras muius- lutas pe-
quenas, perdidas, como ondas, no grande
oceano da historia ? A- revolugao franceza
nao terd, como uma das pnucipaes ra-
zoes, a pobreza da massa popular; pois
a nobreza e o clero, d lmilagao do pa trie la
to roii ano, nao possuiim dous lergos do
territorio da Franga ? E finaimeole o que
representa a communa na nossa historia
co: j tempo ranea, senao a repeligao, em ou-
tras condigoes dasgrandes sceuas do passa-
do Outr'ora lutava-se contra uma aristo-
cracia de sangue e de territorio, hoje con-
tra uma aristocracia industrial.. Que na
antiguidade a economia nada podesse fa-
zer, u justo, pois que nao passavt do uma
arte, tendo apenas regras erapiricaraeuts
couhecidas, n as que hoje, intitulan lo-s
sciencia constituida, nada faga em bem da
buraauidade, e signal de que u.mi mesmo
no terreno da pratica se pode e.la servir du
titulo que the deu um autor inglez : philo-
sophia em materia de facto*.
_______________| Conlinuar-te-ka.^
(3) Rev. de philosophia positive julno e
agosto de 1873, pag. 44.
sidade d'uma paz geral oaatara u preten-
gdes do archiduque. Franga e Haspanha
sao demasiado poderosas para qae a la -
glaterra, que nunca se esqaece de ajustar as
contas, deixedo canhecer que custa muito
dinbeiro, muito tempo e mu to sangue o
incomraoda-las. 0 tiro nao vae i caboga
de vossa magestade ; raasi de sua mages-
tade o rei de Franga. Julgam que el-rei
Luiz XIV aspire o dominio da Europe, e,
como e poderoso, temem-n'o ; bus, quando
se convencerem de que el rei de Uespaaha
um grande rei que so e susceptivel d'uma
hraitada induencia ; quando virem qae e
poderoso Luiz XIV tem demasiado que fa
zer com a sua guerra de Versailles ; quan
do comprebenderem ale que ponto chega
a tenaz lealdade dos hespanhoes pelo sea
legitimo soberano ; quando esgourem todos
os seus recursos; far-se-ha entao um tratade
que eslabeleceri o equilibrio da Europe, e
o pobre archiduque, que so serve de pre-
texto, conformar se ha ou nao ; ver-se-aa
porem obrigado a ter paciencia.
A vossa longa pratica nos negocios,
senhor presidente, disse el-rei, da uma
grande autoridade is vossas palavras ; mas
que e isto T accreswntoa Felippe V, qae
nao deixava de olbar para Agucena. Essa
pobre joven desmaiou
Tem sofTrido muito, disse e princess
inclinando se para Agucaaa a examinaa-
do-a E' mais quo desmai >, e modorra ;
e um resultado natural da situagao ea qae
se acha. Nao soffre, repousa ; deiseato-la
repousar.
Conheceis esta joven, seuhera ? par*
guntou Felippe V.
Esta joven, nao, neat sna mae qoe
acaba de morrer ; mas conheco a* funde
seu pai.
Permitti, senhor, disse Mr. Amelot :
pore.u, eu creio qua a princeza date CO-
nliecer o pai dessa creatura dos tempos esa
que era casads com o defunti daqaa da
Bracciano.
\
J
[Cotitinuar-st-ha)
TYP DO DlAKia -RUA DUQUE DI CAXu.
I
-
I