Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17660


This item is only available as the following downloads:


Full Text
!**
<*^V^
ANNO L. MJMEKO 276
PARA A CAPITAL B LDG1BE8 O.KDE ViO SK PAGA PORTK.
for tres mezes adiantados................. 69000
jpor seis duos idem..........<.......125000
.Por um anno idem.............. ? 849000
vCtda namero ?al t .. x x a a a a a a a a a a .. #310
ARIODEP
_,
OUMTA FEIRA 2 DE BEZEMBRO DE 1874
PARA DBMTBO E FOR A IDA I'BO V L\JI A.
Por tres mezes adiantados................
Por seis ditos idem.................
Por note ditos idem*.................KnJUJO
por am anno idem..................flfiyOM
PR0PR1EDADE DE MANOEL FIGUEIBOA DE FARM FILH0S.
t

\
5H In. 66rardo intonio Aires A Filho*, no Par!; Conceive* d Pinto, no Maranhio; Joaqoim Josd de Oliveira d Filho, no Ceari; Antonio de Lemoi Braga, no Aracatj ; Joio Maria Julio Chz <&, no Assn; Antonio Marques da Silva, Ratal ; Joti Jostiat
Pereira d'Almeida, em Mamangaape ; Carlos Aaxencio Monteiro da Franca, aa Parahjba ; Antonio Joad Gomes, na Villa da Penha; Be'armino dos Santos Bulcio, em Santo Ant* ; Domingo* Jostf da Costa Braga, emHaxareth;
* Antonio Ferreira de Aguiar, em Gojanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas; Aires d G. ,na lahia; A. Xavier Leite d C o Rio Janeiro-
PARTE OFFICIAL
Governo da proviucia
expediejNte do dia It de agosto de 1874.
1.' seciflo.
Oflkios :
Ao Exm brigadeiro ;o nminlaate das ar roas.
Sirva se V. Ezc de nomear uma commissao pa-
ra Da fornii das disposi^es em vigor, assistir a
abertuta de urn caixa que se acha n> ari-nal de
guerra, vinda da certe, eoutenio raodelos de far
diraeoto.
Ao Exra. brigadeiro presidente do conselho
di compras do arsenal de guerra. Tendo nesta
data approvado as p opo ao sea offlcio de 3 do corrente. e foram aceitas pe
lo coaselho de compras do arsend de guerra, sob
a presideacia de V. Exc, em sessio da 31 de ju-
lho ultimo, e transmitttdo ditas propostas ao res-
Ao mesrao. Tendo, de accorJo com a saa ia-1 Ao regedor iateriao dj> gymnasio provincial. Ao sargeofb da guar i\ local de Sezerros.
forraa;io coaslaute do ortkii de hoolem datado, Tendo nesu data defendo o requerimcnio de O. S. Exc. o Sr. president da provincia manda de-
sob n. 168, serie H, relevado -Pedro Fraucisco de i Fraocelina ttrigida Soares Monteiro, viava do te- ; clarar a V. S. MB resposta ao seu offlcio de 4 do
Soata da multa qae Ibe foi imp>sti pelo collector nente de volunlarios da patria, fallecido ha guerra corrente, que, eaiquaoto nao entrar em exercicio o
di Vili.i-ltcili, p>r nao ter dado a matriculi, no do Paraguay, Manoel Pantaleao da Costa Monteiro, i commissario deaolicia de-se municipio, pode V. S.
praiolegal o iagenuo Lai', filho de HU escrava pedindo a transtereacia de seu lilho meaor, de !fazer oalisuoMpto dos guardas Ijcaes.
igual nome paterao, dooollegio dos-orp bios, oad i *
Aun* i assira ocominumco a V. S. para seu couna-
cimento e devidos effeitos.
Ao mesno.Devolvo a V. S, para os devi-
dos tin*, o uiuio di uomeacao de Joaquim Ignacio
da Costa para o lugar dd cobrador da recebedoria
de rend is desU proviadia, e bem assim o oili :io
de commuuicagao que veio aaaexo ao dessa the-
souraria, dd 8 do corrente, sob n. 2i9, serie II.
Ao mesmo. Relevo, nesta data, di acsorlo
com a sua informacao, coastante ds offlcio de hon-
tera datid),sob u. 170, serie H, o Or. Joao Jose
Ferreira de Aguiar, da multa quo Ihe foi imposta
peloadmiDistrador da recebedoria, por oio ter
dado a matrieuU no prazo legal, a ingenua Ma-
ria, lilii i de sua escrava Damiaoa; o que commu-
nico a V. S. para os devidos. effeitos.
Ao m3sraj Para que possa esta preiideniia
pectivo director, para o fim de raaaJar lavrar os responder ao offlcia de V. S.,ditad* de 8 do wr-
campetentes contratos, nos term is do regaiameoto rent*, sob n. 2oi, serie H, e necessano quei V S.
-K. .- ,_____ \r mr.irma an n nr- fi i n-. i'i,)rilt -;il rtm 11,1(1(1.1. A
nforme se o predio aacional sit j em Olinda, a
qae se refere no citado otflcio, 6 o em que esta
ajuartelada a gua-da local respectiva.
Ao mesrao.Transmtto a V. S., para os de-
vidos fios, a indasa ordeal do thesouro, n. 128
recommendaodo
de 19 de outubro de 1872 ; assim o declaro a V.
Exc. para seu couhecimento e em resposta ao cita-
do offlcio.
Ao inspector do arsenal de marinha. Maode i
V S desligar da compaobia de aprenlizes mari- i
nbeiros, o menor Antonio, dlbo de Muia Francis-; de 31 de julho proximo fladp. recommandaoao o
ci da Conceicao, o qual Ihe fora reraeltido pelo Dr.; desembarqae com promptidao da bagagem e ns-
befe 1e policia, no dia 3 do corrente. trumentos pertencentes ao eogenheiro Hiukshaw
- Ao capita) do porto. Constanlo de offlcio e sens auxiliares, qae se acham encarregados de
d. nsp-ctor interiio lo ars.mil de marinha, de exammar o porto desta capital concedendo-se-lhes
hontem datalo, sob n. 99, estarem prompjas as 2 lodas as faalidades para esse fim.
b.iias com as compete ites amarragoas para serem j
collocadas aquem e alem do aroo central da pon
\
'
te Sete de Setembro; ajsin o communio a V, S.
afim de que as mande recebar no mssmo arsenal
oira dar-lhes o conveniente destino.
Ao d rector" do arsenal de guerra. Ao com-
missario de oolicia do mamcipio de Oiindi, Fran-
cisco Luiz Viraes, mtnde Vm:., de conformida-
de com as ordens anteriores, fornecer viute pares
de sapatos.
Ao mesmo. Ao sargeoto da guarda local de
Jaboata SebasdSo Raymundo Caminha, mande
V'me., de conformi lade com as ordens anteriores,
fornecer 20 pares de sapatos e um maco de cartu-
cbos embalados para ar.nas de 0,012 in. com es
poletas em proporcao.
Ao mesmo. Ao commissario de polici i de
Santo Antio, mande Vmc, de cnnformidade com
as ordens anteriore*, fornecer 20 pares de sapatos.
Ao mesmo. Keraettendo a Vmc. as propos-
es que nesta data approvei, e foram aceitas pelo
coosebo de compras desse arsenal, em sessao de
31 de julho ultimo, para o fornecimento de varios
objectos, autoriso-o a mandar lavrar os respecti
vos -ontratos na conformida le do regulamenlo de
19 de outubro de 1871
Ao mesmo. Ao cimmsiswii de poiicia do
municipio do Bonito, Sfaaoel Francisco Pereira di
Cunha, mande Vmc, de conformidade com as or
i -ns anteriores, fornecer ii pares de sapatos e 2
macos de cartuctus emba'ados, doadarme 17, com
?'poletas em numero sufflciente.
'. Ao engenheir) das obras militares. Recom-
Sii fnJo a Vmc. que, entendendo-se com o gerente
da companhia ds illurainacao a gaz, mande exami
air on urgeacia o r-gistro da illumioaQao ao
quartel do Hospicio, visto como apezar da maior
vigilancia, o consumo do mez de julho ultimo ex-
cadeu ao dos mezes anterures, e continua a exce-
d.er nos dias do corrente mez, conforrae represen-
11 o Exm. brigadeiro coramandante das armas em
'iffkio de hontem datado, sob n. 615.
2." secgao.
Actos:
0 presileiite da provincia, attendendo ao qae
reqaerea o ocrivao de orphSos do termo do Bo-
a to, capitao Sergio Clementino de Souto Maior e
Albuquerque, resolve conceder-lhe 30 dias de li-
eetfgt para tratar de sua saude onde Ihe con-
vier.
0 presidente da provincia, de c.nlormidade
cm a proposta do Dr. cnefe de poiicia, era offlcio
n 983, do hontem datado, resolve nomear para o
cargo de 1* supplente do do subdele?ado da Ire-
guezia de Taquaretinga do termo de Limoeiro ao
cidadio Sabino Lins de Aranjo. Communicou-se
io Dr. cnefe de poiicia.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de poiicia. Conformando-me
com a informacao do inspector do thesouro provin
Ao mesmo.Para os tins convenientcs com
munico a V. S. que, segundo consta de offlcio
do Dr. chefd de p licia, n. 982, de hontem, foi dis-
s >1 vi jo a 6 do corrente o destacaraento da guarda
nacioual existente na villa do Bonito.
Ao mesmo. Constando de offlcio do Exm. bri-
gadeiro coramandante das annas de 10, referente ao
do director do hospital railitar, de 8 do corrente,
haver este na referida data suspendido das -res -
pectivas (jinccoes, por 15 dias, o escnvao Avelino
Pereira da Canha, e nomeado por essa occasiao
para servir interinaraente dito cargo o amanu nse
Joaquim Pinto le Almeida Junior, parasubstituir a
este o enfermeiro-mor Beato Jose d'Almeida Soa-
res, e linalmenle para este ultimo lugar o enfer-
meiro Luiz Antonio Guones da Trindade, ambos
tambem interinainenle ; assim o comraunico a
V. S. para os fins convenientes.
Ao mesrao.Para os tins convenientes cora-
rauuico a V. S. qae nesta data ordenei aos com-
mandantes saperiores da guarda nacional que des-
solvessem os destacameutos da mesma guarda na-
cional logo qae findar o prazo da lei n. 2,365, de
10 de setembro de 1873Mutatis mutandis ao
itHsouro provincial.
Aa inspector k> thasouro provincialElxpa
ca V.-c. was ordens afim.do qjM ;>ela Qoilectoria
respectiva seja adiantado am met de vencimeatos
ao sargento da guarda local do manicipio da Vic-
toria, Jose Anlouio de Farias, deoois qua liver en-
trado em exercicio do seu lugar.
Ao mesmo.Recoraraendo a Vmc. que provi-
dencie para que pelas collectorias dos manicipios
onde houverem guardas locaes se proceda por oc-
casiao do respectivo pagamento. ao desconto da ira-
porlancia despendida com o necessario fardamento.
Oatro sira autoriso Vmc. a mandar prepar r raais
38o calgas de brim pardo com applicagao as mes-
raesraas guardas.
Ao mesmo.Expeca Vmc. suas ordens para ,
que as collectorias dos municipios onde houver
guarda local, paguem ao respectivo commissario a
despeza com o fornecimento d'agua e Inz para o
quartel, observando a respeito a necessaria fiscali
sacao para que se nio deem abusos.
Ao mesmo Expeca Vmc. as necessarias or-
dens para que pela collectoria provincial do mu-
nicipio de Serinhaem seja effectuado o pagamento
doi vencimentos da guarda Jtocal d> mesmo mu
nicipio.
Ao mesmo.A' vista do que expoz o com-
missario de poiicia dos municipios deEscada e Ga-
raelleira, Thomaz Moreira de Carvalho era offlcio de
8 do corrente, recommendo a Vmc. que providen
cie no sentido de serem-lhe pagos pela respectiva
collectoria os vencimentos a qae liver elle direito
desde 21 de julho proximo fin Jo em qae entrou
no exercicio d'aquelle cargo ao ultimo do citado
mez.
Ao mesmo.Mande Vmc. pagar ao padre
mi
Cial, datada de'8 do corrente, sob n 325, respondo Jose Vicente de Gouveia Accioli, coadjutor da fre
.ai.t. j. \r c* j. o a. t-ii.. _-. i;,. t- ,u miu*ii An Dir\ I^Apmrifn i ani fftnoma PiirrP.vfinn


'
ao offlcio de V. S. de 8 de julho proximo findo, sob
d. 812, autori?ando-o a exoedir as necessarias or-
dens no sentido de ser arrecadado- o imposto do %
38 do art 16 da lei do orcameatf corrente, pelo
adrainistrador da casa de deteocao, gervindo-se de
taloes fornecidos por aqaella reparticao para dar
JuitaqSo aoscontribuintes e facilitar a verificacao
a arrecadacao.
Ao mesmo. Em resposta ao offlcio de V.
S. n. 98i, de bontem datado, trazendo a raeu co-
nhecimento outro do subdelegado da Varzea sobre
o facto de nao querer o arrematintedo pedagio da
pool) do Caxaoga consentir qae o destacaraento
alii existente continue a so aquartellar na casa
proxima a mesraa ponte, tenao mediante o alu-
guel men.val de quinze nil reis, teaho a dizer Ihe
que, em face da informacao do taesoaro provincial
convent coutratar outra caaa cujo aluguel seja
mais modico.
Ao mesmo. Em resposta ao offlcio de V.
S., n. 985, de hontem datado, solicitando o aug-
raento de forca para o servico om Olinda, tenbo a
dizer-lhe que presentemente nao pode ser satis-
feita essa requisicao.
__Ao commandante superior do municipio de
Barreiros. Expeca V. S. suas ordens para que os
destacamentos da guarda nacional existentes nes-
se municipio sejam dissolvidos logo que finde o
iirazo de qae trata o art. 3* da lei n. 2,395, de 10
de setembro de 1873. Mutatis mutandis aos de-
mais comraandanles superiores dos nwnicipios em
que houver destacamento.
Ao commandante superior do municipio de
Cabrobo e Exu. Em resposta ao offlcio de V.
S. de 23 de julho nliirao, tenbo a dizer-lbe que
nao se acbando installado o termo de Exu, deve
lomar conhecimento de quaesqaer reclamaQoes da
qualificacao da guarda nacional da parochia do
siesmo nome o conselho que funccionar no termo
de Granito.
Ao commandante do corpo de poiicia. Ao
commissario de poiicia do municipio do Bonito,
Manoel Francisco Pessoa de Carvalho, mande Vmc.
fornecer fardatinto, excepto cal^ado e grants
para I* prac's eorraspondente a um anno.
Ao c mmis-ario da poiicia do muuicipio de
Santo Antao. Recommendo a Vmc. que faca dis
tribuir o fardamento aos guardas locaes desse mu-
nicipio, por semestre, na forma do respectivo re-
gulamento. Mutatis mutandis aos demais com-
missarios de poiicia.
3.' seci&o.
Offlcio*:
Ao inspector da thesonrana de fazenaa.
Tendo, de accordo com a sua informacao de hon-
tem datada,sob n. J67, serie H, approvado as pro-
posta* aceitas pelo conselho de compras do arsenal
de guerra em sessao de 31 de julho ultimo, e autori-
gueziado Rio Formoso, a sua congrua correspon-
dente ao mez de raarco do corrente anno, na con-
formidade do incluso attestado.
Ao mesmo.Providencie Vmc. para que seja
paga ao padre Manoel Zacharias de Mello, coad-
jutor da freguezia de N. S. d'Assumpcao de Cabro-
bo a saa congrua corr6spondente ao semestre de-
eorrido de Janeiro a junho desie aono, na confor-
midade dos inclusos altestados.
Ao mesrao. Tendo em vista a inclusa rela
cao nominal dos alumnos pensionistas da provin-
cia, mande Vmc. pagar ao economo do gymnasio
provincial a pensao dos mesmos, correspondente
ao 3 triraestre do correate anno, segundo solici-
tou o respectivo Dr. regedor interino em offlcio
desta data.
Actos
4.* secQao.
0 presidente da provincia resolve remover o
professor da Lapa, comarca de Goyanna, Francis-
co da Suva Miranda, para a 2" cadeira da cidade
de Goyanna.
0 presidente da provincia resolve remover a
professor da Ponte dos Carvalhos, Francisco de
Souta Magalhaes, para a cadeira da Lapa, na co-
marca de Goyanna.
d presidenio da provincia resolve remover o
professor de Queimalas, Manoel Felix do Nasci-
ora se acha, para o gymnasio provincial, aura da
receber edacacao scieutifica, haja Vmc. de admit-
tir o referido menor nesse instituto, na vaga exis-
tente, e nos termos do artigo 14 % I* da lei n. 611
de 2 de maio de 1865.
5' secQuo.
Acto :
0 presidente da provincia, nos termos das
ultimas disposicdes que baixaram com a pur.aria
de 8 do correate, em addilamento ao regulamenlo
das reparticdes publicas, resolve nomear agentes
pagadores da mesma reparticao Manoel Marques de
Albuquerque Maranhio e Manoel Tobias do Rego
Albuquerque.
Offlcios :
Ao Sr. Eduardo Fenlon, representante e
agente da > Brasilian Submarine Telegraph Com-
pany, o Declaro a Vmc. qae concedo a permis-
sao pedida por essa companhia para collocar boias
no lugar em que esta submergido o respectivo
cabo, afim de que com aquelle signal este nao seja
levantado pelos ferros dos navios que fundearem
no lamara).
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Man le Vmc. fazer o oreamento dos
cencertos mais urgentes de que carece o quartel
do corpo de poiicia.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco. Transmiltindo a Vmc. a
inclusa imformacao por copia, do inspector da
thesouraria de fazen la, datada de 4 do corrente,
sob n. 2J2 serie H, para qae a faca chegar as maos
do superintendent!) dessa estrada, teaho a dizer
Ihe qus esta presideneia nao e competente para
tomar conheciraento da questao sujeita a sua apro-
ciagao e de qae tratam os offlcios de Vmc, da-
tados de 13, 14 e 20 de julho proximo undo ;
cumprindo ao mesrao supennlendente interpor os
recursos, noi termos da lei.
Ao engenheiro fiscal da empreza Locomotora
Pernarabucana. Communique Vmc. aos csssiona
rios dessa empreza qua concedo a permissao para a
inauguracao da respectiva linha que se acha cons-
truida, obrigando se elles, por termo que assigna-
rao, a nao fazer na raesma linha trafico algutn e
pagar a multa de 2:000/000 mensalmente se, fin
do o prazo do respectivo contrato, nio estiverem
promptas as obras, salvo o caso de forca maior.
Portarias :
Os Srs. agentes da companhia brasileira de
naveeacao a vapor facam transpnrtar para a If.i-
hia, por conta do ministerio da marinha, no vapor
esperado do norte, o grnmete Jose Epiphanio dos
Reis.
0 Sr. gerente da companhia pernambucaua
maode dar passagem para e presidio de Fernando
de Noronha, no primeiro vap.-.r quo para alliiegnir,
a Isabel dos Prazeres de Maria e a um sen bis
neto, menor, de nome Antonio; correndo a despeza
por conta do ministerio da gnerrra.
0 Sr. gerente da companhia pernarabucana
faca condutir para o Rio Grande do Norle, por
conta do ministerio da marinha, no proximo vapor
que para alii seguir, varios objectos que serao
remettidos para bordo pela capitania do porto
desta com destino a daquella provincia; Scan-'
do sera effeito a portaria de bontem, pela qual
determine o transporte de um caixao com igual
destino.
EXPEDIEHTE DO SECBETARIO.
1' sec cao.
Offlcios :
Ao inspector do arsenal de marinha. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
declaro a V. S., para seu conheciraento, que nesta
data coneedeu peruiissao ao representante e agen-
te da a Brasilian Submarine Company para
marcar com boias o lugar em que esta submer-
gido o respectivo cabo, a fim de que este nao seja
levado pelos ferros dos navios que no lamarao
ancoram. Igual ao capitao do porto.
Ao director do arsenal de guerra. S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, tendo recommendado
ao Exm. general commandante das armas que no-
me uma coraraissao para exarainar o caixao vindo
da cOrte, contendo modelos de fardamento ; as-
sim o m in da declarar a V. S. em resposta ao seu
offlcio de bontem datado, sob n. 680.
Ao commandante da corveta Recife. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., em resposta ao leu offlcio desta data, sob
n. 29, que Qca provideociado no sentido de ser
transportado a Bahia, no vapor esperado do norte,
0 grumete Jose Epiphanio dos Reis.
2.' secqao.
Offlcios:
Ao juiz de direito de Villa Bella. 0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda accusar o rece-
bimento do offlcio de V. S, de 25 de julho ultimo,
communicando ter nomeado promotor publieo in-
terino ao cidad5o Joaquim Pinto de Campos, em
20 do referido mez, por ter dado parte de doente
o effectivo bacharel Jose de Barros Franco, que no
dia seguinte assumio o exercicio das funccoes de
seu cargo.
Ao mesmo. -0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda accusar o recebimento do offlcio de
V. S., de 27 de julho ultimo, communicando haver
convocado para o di) 1 de setembro proximo vin-
, douro a segunda sessao do jury desse termo.
Ao commandante superior dos municipi03 de
i Escada e Gamellelra. -S. Exc. o Sr. presidente da
, provincia manda declarar a V. S., em resposta ao
j seu pfflcio de 8 do corrente, que nesta data se pro
videnciou no sentido de serem-lhe pages pela
1 respectiva collectoria os vencimentos relativos ao
]t!mpo decorrido de 21 a 31 de julho proximo
. findo.
Ao juiz municipal de Panellas De ordem de
mento, para a cadeira da Ponte dos Carvalhos. | g Ex(J 6 r. presidente da provincia, incluso de
6 presidente da provincia resolve remover a
professora de Capoeiras, Anna Francelina do Rego
Barros, para a cadeira da povoacio de Agua
Preta.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da .
Com as inclusas copias das informacoes do Exm.
brigadeiro commandante das armas e do inspector
da fazenda, datadas de 7 de julho ultimo, sob n. 533,
e de.8 do corrente, n. 260, serie H, presto os escla-
recimentcs solicilados por V. Exc. em offlcio de
26 de junho proximo passado refarentes aos solda-
dos do 18 balalbao de infantaria Jastiao da Cruz e
Oliveira.
Ao proveJor da Santa Casa de Mt-encordn.
Tend) ue.ta data deferido o requerimenlo de
volvo a V. S. o edital pondo a concurso os offlcios
de justica desse termo, afim de que mencione a lei
que creou taes offlcios, declare a razao porque se
acham vagos e incliia o offlcio de escrivao priva-
a. nhu uvo do jury e execucSes criminaes, de que trau o
ia da Bahia. ar,ig0 fog^ |ej de^de dMembro de ,8il.
Ao commandante do corpo de poiicia. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
commanic j a V. S. que nesta data se rnandou fazer
o oreamento dos reparoa de que precisa o quartel
do corpo sob sen commando, ficando assim res-
pondido o offlcio de V. S., n. 328, de 28 do cor-
rente.
Ao iSmmiaaario de poiicia do manicipio do
Bonito. 0 Exm. Sr. presidente da proviucia man
D. Frau'cehna Brig'iJa"sJaro7 Monteiro, viuva do |da declarar a V. S. que nesta data se expedioor-
Offlcios :
Ao inspector do thesooro provincial. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da (provincia,
communico a V. S. para os tins convenientes, que
por offlcio desta data expedio-se a necessaria au -
loritacao ao Dr. chefe de policu para que seja ar-
recadado o imposto do 38 do art. 16 da lei do
oreamento corrente, pelo administrador da casa de
detencao, qae devera servir-se de taloes forneci-
dos por essa reparticao para dar quit tributes e venlicar-ie a arrecadagio, na confor-
midade de sua informacao datada de 8 do corren-
te, sob o. 325.
Ao mesmo. De ordem de S. Exc. o Sr.
presiiente da provincia, declaro a V. S., para sea
conbeciniento, que por portaria desta data foram
nomeados agentes pagadores da reparticao das
obras publicas Manoel Marques de Albuquerque
Maranhaj e Manoel Tobias do Rego Albuquer-
que.
Ao Gscal da collectoria provincial do muni-
cipio de Serinhaem. De ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, comraunico a V. S, em res-
posta ao seu offlcio de 8 do currents, sob n. 38,
que nesta data se providenciou no sentido de se-
rem pagos pela collectoria desse municipio os ven
cimentos da respectiva guarda local.
4' seccao.
Offlcios:
Ao inspector geral da insirucgao publica.
Communico a V S. para os fins convenientes e
da or Jen de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, que por actos de hoje foram removidos os se-
guiotes professores: da Lapa, na comarca de
Goyanna, Francisco da Siiva Miranda, para a se-
gunda cadeira da ci Jade de Goyanna; da Ponte
dos Carvalho.-, Francisco de Souza Magalhaes, pa-
ra a cadeira da Lapa, na omarca de Goyanna ;
de Queimada*. Manoel Felix do Nascimento, para
a cadeira da l'-j.ite dos Carvalnos; e a professora
de Capoeiras, Anna Francelina do Rego Barros,
para a cadeira da povoacio de Agua-Prela.
Ao regedor iateriao do gymnasio provinciaL--S.
Exc o Sr. presidente da provincia manda commu-
mcar a V. s. para os fins convenientes, que por
offlcio desta data expedio as necessarias ordens a
thesouraria provincial, afim de que seja paga a
pensao dos alumooi pensionistas da provincia, cor-
respondents ao tercdiro trimeslra do corrente an
no ; segundo V. S. solicitou em seu offlcio de igual
data.
5." seccao:
Offlcio :
Ao engenheiro cbefe da reparticao das obras
publicas.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da proviocia, dac!o a V. S., para seu conneci-
mento, que oesta dia foram nomeados agentes pa
gadores dessa reparticao Manoel Marques de Albu-
querque Maranhio e Manoel Tobias do Rego Albu-
querque.
DESPACHOS DA PRESIDENCY, DO DIA 30 DE S0VEMBR0
DE 1874
Bardo do Livramento. Dirijase o supplijante
ao thesouro provincial, a quem compete resolver
qualquer duvida que possa occorrer acerca da in-
telligencia e exe^ucio das leis e rcgulamentos con-
cernentes a fazenda, na conformidade do 9" do
art. 4 do regulamenlo de 30 de junho deste anno ;
depois do que cabera, qaereado, recurs) para esta
presideneia pela tdrma e nos termos dos arts. 179
e 180, do citado regulameato.
Felicio Jose da Silva Monteiro. Informe o Sr.
general coramaodabto das armas.
Francisco Genumo SimSes.Passe portaria con-
cedendo a liceoca pedida.
Dr. Fortunato Augusto da Silva. Era vista da
informacao do inspector da thesouraria de fazenda
nada ha qne deferir.
Francisco Xavier de S^uza Ramos.Informe o
Sr. juiz de direito eiYectivo da comarca de Pa-
nellas.
T plicante ao govemo imperial, a quem compete re-
solver, mediante informacao desta presideneia.
Jose Cardoso Valgas.Indeferido.
Luiza, preta, libertl-Entregue-se as certidSes
negativas.
Manoel Peres Campello Jacome da Gama.-Em
vista da informacao do engenheiro chefe das obras
publicas, indetiro o que requer o sapplicante, e
mando que seja encapada a obra.
Tertuliano Francisco Nery.Informe o Sr. ge-
neral commanuaate das armas.
tenente de volunlarios da patria, Manoel Pantaleao
da Costa Monteiro, pedindo a (nnsferencia de seu
filho Manoel Pantaleao da Costa Monteiro, do colle-
gio dos orphaos, onde se acha, para o gymnasio
provincial, afim de alii receber educacio scienti-
flea, haja Vmc. de entregar o referido collegial
qnando para esse fim for reclamado.
Ao inspector da sadde publica.Mande V.
S. fornecer com urgencia a secretaria desta pre-
sideneia uma pequena carteira de medicamentos
homeopathicos apropriados ao tratamento da va-
sado os respectivos contractos; assim o communico riota, com destino ao delegado de poiicia de Seri-
a V. S. para seu eonhecimento e direcgao, nbaem.
dem para o fornecimento de calcado e cartacha
me pelo arsenal de guerra o fardamento pelo cor-
po de poiicia, devendo V. S. eoviar os prels daa
guardas deslacadas, devidamente legaiisados, para
se ordenar o respectivo pagamento, ficando assim
respoodido seu offlcio de 7 do corrente.
Ao commissario de poiicia do termo de San-
to Antao.De ordem de 3. Exc. o Sr. presidente
da provincia, communico a V. S. qae nesta data
se expedio ordem ao arsenal de guerra para forne-
cer-lhe 20 pares de sapatos, e a collectoria para
pagar a despeza feita com agua e luz, conforme
i oolkitou em sen offlcio de 7 do corrente.
(AGESCIA TELEGRAPH1CA HAVAS-REUTER.)
NOTICIAS COHHEBCIAE8.
Londres 30 de novembro.-Ataxa
do desconto na praca foi elevada
a clnco e clnco oltavos por cento.
CoiiHoiidadoH de 8 o/O, for account,
ex-dividendo, a Fundos nrasllelros
de s O/O, do anno de 1865, a lOO.
Care i mnlto calnio i precos com
tendencla a baixar. Assucar t cal-
mo i precoa flrmei iem alteracao t
vrudeu se mu carregamento da Ba-
hia a i,6 por cwt.
Liverpool 30. Algodao :_calnio;
precos flrmei sem lteraco ; ven-
do nail e oitecentoa procedentes
da America do Sul i o fair de Per-
namliuco H d. por libra. Assncar:
ml ino i sem alteracao.
Antuerpla 30.Cafe i calmo t pre-
cos armes sem alteracao.
" Havre SO. Cafe i transaccoes
quasi nullas ; precos nomlnaes.
Algodao i calmo em extremo; precos
com tendencla a baixar i o ordlna-
rio de Pernambueo a francos
pelos SO miogrs.
Hamburgo SO. -Cafe t mnlto cal-
mo : precos com tendencla a bal
xar.
.11 arse Hi a 8. Cafe t idem I Idem.
Aaiucar i Pernambueo francos
e SO centlmos pelos SO kllogrs.
New-York SO.-Camblo sobre Lon
dres -.-> l Onro Cafe i cal-
mo ; precos flrmes sem alteracao I
o do Rl' KAin 3/4, e o sooo /-t
cents por libra. Algodao : mcdlauo
uplands 14 8/4 cents per libra; as chc-
gadas de hoje aos portos amerlca
nos elevam-se a vinte e tres
fardos.
mil
Liverpool 30.AlgodSo : calnio ; pregos
inalterados ; de procedencia brasileira ven-
deram-se boje 1,800 fardos. Assu-
car: vendeu-se um carregamento do Ceara
a 19 e t9 1(2 e outro do Rio Grande do
Norte a 22 lyl a chegar.
New-York 30.Ouro 112 depremio.
Havre 80.Cafe: venderam-se 14,012
saccos ; o do Rio de Janeiro de 98 a 99-e o;
de Santos de 102 a 103 ; o deposito e-dej
102,000 contra 56,000 no anno anterior.'
Algodao : vendas de hoje 602 fard js ; o
mercado estd frouxo. Cacao : cotou-se de
73 a 74. Couros : mercado tirme. f
Porto 30.Abateu a estagao provisoria |
dos carris de ferro, raatando e ferindo gado
e pessoas. Nao se sabe ainda com certeza j
o numero de victimas.
Paris 30.Terminaram aseleigoes mu-!
oicipaes ; sabiram eleitos 65 repub4icanos
e 15 conservadores, e um empatou em vo-!
tagao.
Lisboa 30.Em Gibraltar obrigam to-
dos os navios, procedentes do Brasil, a fa-1
zer quarentena.
Bahia 1 de dezembro as 3 h. e 55
m. da tarde.Cambio sobre Londres 26
1|4 bsneario, 26 3|8 e 26 7|16 particular.
Rio 1 ds 4 h. da tarde.Mercado inal-:
terado. Temos noticias do Rio da Prata.
Nada de novo quanto arevolucao argenti-
ua. 0 governo desta republica apresentou
ao congresso um projecto de lei para tor-
nar obrigatorio o servico militar. Sabio
para os pjrtos do norte o paquete nacional
CEARA'. Sahio tambem para Pernambueo
o patacho portuguez FAUSTO.
Bahia 1 ds 4 h. e25 m. da tarde.Sa-
hio para Pernambueo a corveta america-
iiB VITAL DE OLIVEIRA e o* paquete
CALDEIRON.
(AOENCU AMERICANA.)
Londres 30 de novembro.0 banco de
Inglalerra elevou o descouto a seis por cen-
to. Cafe: o mercado esla frouxissimo.
DU&L0JL) PERNAMBUUU
RECIFE, 2 DE DEZEMBRO DE 187*.
Motiotas d. sul do imperlo.
Amanheceu hontem em nosso porto o vapor ame
ricaoo Merrimack, trazendo'aatas : do Rio da Prata
20, de Minas-Geraes 19, do Rio de Janeiro 25 e da
Batiia 29 de novembro. Eis o que colhemos dos
joruaes :
rio da prata.
EITdCtivameote os insurgentes abandonaram os
dous vapores de gaerra que linham ao seu servi-
co, entregando o Montevideo, cbrismado em Gene-
ral Rivas, no mesmo porto de Montevideo, onde o
tiobam tornado, e a canhoneira Parana, no de
Buenos-Ay res, onde bavia sido aprisionada. Esta
ultima Foi entregue em bom estado com todo o seu
armamento, e ainda dous cannoes tirades de bordo
do outro vapor.
Parece que, incapazes de disputar a posse dos
rios, ja pela superhridade da esquadra argentina,
ja pela falta absoluta de portos onde se abasteces-
sem, os insurgentes abriram mao dos vapore*, qne
para nada lhes serviam, louvavelmente preferindo
entregal-os a mettel os no fundo.
A seguiote missiva, dirigida de Montevideo pelo
correspondente do Jornal do Commercio, do Rio de
Janeiro, da minuciosos pormenores sobre a guer-
ra :
c Com sorpreza vimos amanbecer aqui no dia
16 o vapor Montevideo, que se acliava encorpora-
do a torca naval revolucionaria com o nome de
General Rivas ; e logo espalhou-se a nolicia de
que estava abaodonado, tendo a bordo apenas tres
tripolaoles inglezes bebados. A capitania do porto
o fez rebocar para dentro, collocou uma guarda
a bordo e levantou o competente summario, que
dirigio ao governo.
c 0 Siglo, em seu boletim, referio a proposilo o
seguinte :
< A esquadra do governo, compo-ti, como se
sabe, de 5 navios, apresentou-se a vista do porto de
Maldonado no dia 13 do corrente, em busca da re-
volucionaria, que se encontrava (nndeada naquel-
la costa, sem temor de nenhuma especie.
c Immediatamente rnandou o commandante
Obligado levantar vapor, e com bandeira de corn-
bate, dirigio-se para o Uruguay, que, estando mais
adiantado, virou de bordo para reunir-se aos seus
companheiros, que vinham apos elle.
A Parana, poz-se a esperar o vapor General
Rivas, que, pelo mao estado de suas caldeiras e
casco, nao podia levantar bastante vapor. Reu-
nido3 os dous e apenas a uma milba dos navios do
governo argentino lizeram rumo a este, a meia
forca, sendo seguidos impeluosamente por elles.
c Antes da noite sobreveio um vento fresco e
uma dens, neblina, que fez perderem-se de vista
ambas as esquadras, apparecendo no dia 14 fun-
deaios no porto de Maldonado os 5 vapores qae
compdem a do governo, e hoje neste porto o Gene-
ral Rivas, tripolado por tres marinheiros e um
machinisla, os primeiros em tal estado de embria
guez, que delles nao se pode obter nenhuma de-
claracao coordenadi do occorrido. 0 machinisla
que 6 inglez e nao entende o hespanhol, limitou se a
dizer qne tudo ignora, pois do lugar da macbina
nao podia saber o que se passava no navio.
t Entretanto podemos dizer que, resolvido o
abandono do General Rivas, pela circumstancia
referida, se effectuon, transbordou-se para a Pa-
rand ao sul e proximo ao Ran lo Chico a tripola
cao, duas coronadas, e demais armamento, muni
coes, carvao, etc., etc^ tudo na melbor ordem, nio
se fazendo o mesmo com duas pecas de artilheria,
que foram arrojadas ao mar por inateis.
a A Parana supp3e-se que estara hoje a vista
de Buenos-Ayres, emqnanto qoe a osquadra ar
genlina, fundeada em Maldonado, devia receber
bontem a visita do chefe politico do departa-
mento, a quem o chefe da esquadra havia manda-
do svudar.
No mesmo dia 16 a tarde appareceu o aviso
Anita, que tronxe correspondencia para o consul
geral, o Sr. Villegas, e em seguida o vapor Inglez
Uruguay, sem bandeira, com tropa a bordo, o
2ual ha via sido fretado pelo governo por cinco
ias, a 1,000 pesos por dia. 0 consul, recebeodo
a correspondencia, embarcou no Anita, e os dous
vapores se (Jirigir.am para leste, a encontrar cinco
navios cuja fumae* se divisavano horisonte.
a Hontem; ao romper do dia, a populacao de
Montevideo corria curiosa no porto pira ver os
sete navios, tpraando po3ieao em tn-nf; da cidade,
vindoo Anita-fundear perto do General Hiva$,v
mostrando o designio de querer apoderar se dalle
Ja a noite o vapor D. Goncalo havia approhendido
um bote que vinha do Cerro, o que," observalo
pelo capitao do porto, rnandou este cortar a boia
da embarcacao, que haviam amarraJn a* p6pa, e
trazel-a para dentro.
< Mil boatos circnlaram logo sobre esta estracka
manifesiacao de forca, e cada um, win exagerar a
siiuacio, esperiva a cada momento preseocear um
desacato a soberania territorial deMe estado, a a
origem de um grave conflicto. Dizia-se qoe o go-
verno oriental bavia recebido nma iolimacao para
qne eniregasse o vapor General Rivas a esquadra
dentro do prazo de 21 boras. Undo o qual da, o
arrancaria a (orca de dentro do porto. Embora a no-
tieiadestegrandeehorrivel attentadotomasse en
sistencia, nao obiervamos iodignar;io, nem mesm
exaltacao na populacio, o qne de certo se daria.
se, em vez de uma esqnadra argentina, fosse oaa
brasileira, que tentasse commetter esta violenr ia
Havia apenas enriosidade no momento, e um vag:>
no futuro, pelos result ados que podia trazer um
rompimento tao formal com o E-tado Oriental.
t Corria tambem a noticia de que, dnvidaado ..
governo argentino da fidelidade do commandante
Pi, e receiando qne elle oppozesse re^islencia a a
trega do commando da e juadra ao coroael C *-
deiro, nomeado para substituil o, mandar* d batalhoes, no Uruguay,. e o pFoprio ainisiro da
guerra interino para etTectnar esta rendicao.
Os jornae< da t>rde iran.ju.lli-aram ao tn-
blico, declarando qua at# a hora de iroprimirem
se, o governo nenhuma commnnicacio havia re-
cebido das autoridades argentinas, o quo provava
serem infundados todos os boat is qoe corriam.
dnrante a noite a esquadra foi-ie, DaoamanlMcm
do nenhum navio no porto.
c Eis, porem, qne chega esta manhi a aotim
de que a Parana se foi entregar no proprio port'
de Buenos Ayres.
c Por on nao se connect detalhes sobre este
successo. Uns dizem que o navio amanheceu h>je
liaquelle porto com bandeira branca e apeaascxn
dons ou tres homens a bordo, sem armament" al
gum ; outros affirmam qae tinha vinte bo roes j
todo .-eu armamento. Em quem a reditar f
A rcvolucio fez bem em de-embaracar se des-
tes dous navios, que para nada Ihe serviam' e -r*
nm motivo de conflicto constante com os visintios
que nao os podia admittir francamente em u*
portos, pelo que se tornava mni difllcil apresiooal-
os. Para conduzir recurscs bellicos sio preftn-
vei* os pequenos barcos do trafico, que nao inpi-
ram desconfianca e com facilidade pode abordar a
qualquer parte da costa. Por este lado, portantc, a
revolucao ganbon, perdendo, e proceden bem -n
tregaodo cada navio no porto em qne o lorn hi
Ouvi boje om oriental explicar isso de nm nio
do satisfactory Pergunlava me elle .Para oat*
se condui nm cavallo de alugnel depois de aos
termoa servido delle f Respoodi Ihe, como era
natural :-Para a estribaria onde o alugamos
Pois e o que fizeram os mitristas com os vapo-
res.*
Relativaraenle ao qne se estava passaado em
terra, reinava a mesma incerteza e falta absolata
de dadossegjros e pasitivos. Parecera, comtcao.
que as operaqoes, se tal nome merece as pjai
coes. tomadas era por nm, ora per ontro corpt de
exercito, se afasuvam de Hueaos-Avres, on dsse
que os insurgentes se oio seotiam com furca de
arrosiar i.s armas do governo, ou que estrateg ca-
mente bascavam a incorporafao do general Arre-
doad", cuja ocenpacao da provincia de S. Juai ja
os mesmos boletins governistas adroitliam, accies-
centando que o coronel Rosa agoardava for<;u.
que Ihe iam do Rio Quarto, para lomar a off-n-
siva.
Em todo o caso, davain como certo qne as >r
cas de Mitre obliquavam para o oeste, ocenpaudo
a povoacao 23 de Maio e ameacando Cnivilcoy, |ue
alguns dos seus boletins cbegavam aannun ia-ji
lomada.
0 governo, porem, segundo as snas proprias no-
ticias, maodara para alii reforcos constJeravHs 0
major Espma sahio ao encontro dos insurgeite;
commandados por Jacintho Gonzalez, e toroo i a
recolher-se, raandando dizer para Buenos-Ayres,
que se tinha balidocom forcas muito snpeiiores, |ii
cinco vezes havia sido envolvida a sua cavallaria.
mas que afinal ficara senhor do campo de bata ha.
e que nao linha quendo tomar a povoacao 25 de
Maio por varias razoes que expendia, e qae sm
Ihe fazer offensa, podemos tomar por equivalecies
a conlissao de nma derrota qne o obrigon a reti-
rar sobre Chivilcoy, onde afflrma ter chef ado cm
toda a sua tore i e cavalhada Sio falU, por< m,
em prisioneiros iratidos.
Na sua mar:(ia para o noroc-te os insargetle--
occuparam effectivamenteLas Flores, c.-mo diziim
as ultimas noucias.
Os boletins governistas confessam agora qne po
diam annunciar ao mesmo tempo que o major
Arias, sahido de Buenos-Ayres com reforcos, re- u-
perara aquella posicao. AccrescenUm qae as
parlidas revolucionanas eram commandadas |ior
Ocampo e Sebasiiao Casares, e qoe estese retiroo
para Tapalque e aquelle para o Azal.
Ao passo qoe da posicao de Mitre e Rivas n.Mia
se diz, assegnra-se qne os dons corpos esuv.un,
um em Dolores, e o outro cnegara ao Azal e a Iti-
mamente ao Tapalque, poucas boras alandou-
da pelos insurgentes. Tornariam es.es a marc tar
na direccao de Las Flores, pois que nas immecia-
c5es deste ponio te annuneiava pelejado octro
combate eotre o mesmo Ocampo e Lagos, commaa-
daote da vanguarda de Alsina ; sendo escustdo
accrescentar que aquelle fugio derrotado, deixin-
do grande namero de mortos.
Por esles poacos dados, tao deficientes ccaf
suspeilos, nao ha meio de formar idea do m vi-
mento das tropas, nem do rumo qoe u cocsas
vao levando.
Em maior escala, se e possivel, se da ito em
referenda aos successos rJe Corrientes. Por im
lado diz-se qne, acossados pelo coroael Rego* ra.
os pouccs rebeldes aiada em armas procurav im
gaouar a Tranqnera do Lore;o para se refugiar .-m
no Paraguay ; por ontro, qne partidas revolario-
narias approximando se da fronteira de Eotre Rio>.
espalhavam o terror nos governistas, ameacando
uma invasao naquella provincia.
I)) exereito de reserva, que estava formaado eat
Cordova, publicava o governo noticias excell m-
tes.
Todos os chefes politicos do departamaoto da
quella provincia responderam ao conviie m eoro-
nel Mansilha, cbefe do estado maior do mesmo
exercito, offerecendo-lhe as suas milicias. De 8o-
tre Rios, pc-em, no dizer dos insurgentes, < a
forca se tinham podido arrancar algnns gnzrlas
nacionaes, debandando os batalhoes ao receberem
ordem de embarcar em Gualeguaycha.
Nas camaras orientaes continnava a discos sio
dos projectos de recursos extraordinarios.
No Rio de Janeiro recebeu-se o seguinte ie-
legramma:
Montevideo 20.-0 governo de Buenos-Ayres
publicou rigorosaa Instrucc5es para prohibir a ex -
nibicao de qnalqoer noticia sobre politic* on score
a guerra, que nio seja trans-ripta de boletim cial. Um telegramma dirigido ao governo por Al-
sina, diz que as forcas rebeldes foram persegoidas
pelas do cnefe governista Julio Campos, sendo rer-
rottdas, perdendo dons canhdes e entregando < a
maior parte dos soldados e todos os indios. O
comite revolution,^ >, no eu boletim, nega o be-
i^, dueadoqae ni^teve lugir-^ehip!liar1. fnb
le. Pejfontra pirtf, c-^p'ta r\%f> 0 chel- rel
CampoJ baton as forcas d3 gt-nxtn, (azaaii al-
guns prisioneiros, entre esles o eapitio Mi;n- e
sulrooQicial de linha. Consti.tambem qoe tm



- -'> *
Qiario de Pemambuco Quarta feira 2 de Dezembro de 1874
*.-* ri
V*.
Flores as forgas do governo foraw fctrotadas pelo
chefe rer-elde Leyna, fatendo tambem algunspri-
sioneiros. 0 case do vapor Montevideo foi decta-
rado em estado da nao poder navegar. >
GOVAI.
Datas ate 10 do ealubro.
Palleeeram D. Anna Viceneia de Azevedn, vinva
do capitao Francisvo Jose de Barros, com 80 annos
de iaade; o Hiesooreiro da fazen U gerai Luiz Pe
dro Xavier dos Guimaraes e o fazendeiro Joaquim
Luiz da Silva Brandao.
/ MINAS GKBAES.
Lese no Biariode Minat :
Era virlude de ordem do Dr. chefe de policia
da provineia, foi opturado no dia 20 do passado,
a c.-forgos di subdelegado de poiicia do districto
do Brejo-Alegre, Folycarpo Mendes Ribeiro, o cele
bre facinora Maaoel Seyeriao de Oliveira, "evadido
da cadeia tie Formiga e condemnadq a gales per-
fietuas, por haver'a6sassinado barbaramente a Joa-
quim Reroao, no lugar denominado -Buiio, fa
zenda do Antonio de Oliveira Fratiio.
c Segundo nos informam, i : elle indigitado como
autor de mai3 st is homicidios do mesmo termo da
Forwiga.
Ainda, em consequencia de recommendagoe?
do rcesmo cbefe, foi captorade pela escolta sob o
commando do tenente d< corpo policia1, Joaquim
Jose de Senna, no dia 20 do raez passado, t acha-
se recolhido a cadeia da Bagagem, o iroportralo cri
minoso de bomicidi) Manoel Martins Borges, tam-
bom coohecido por Jos6 Pautista, pronnnciado
como mandatario do assassinate do infeliz ponu-
guez Manoel Loureugo. perpetrado em S. Joao Ne-
pomuceno, termo de-Lavras.
Consia-nos que, para conseguir a prisao de
Jose Paul sta, andou aquelle teuente Ires mazes
perseguindo-o em todos os jiunicipios oade costu-
jnava apparecer, lutando temure com erabaragos,
porque o reo e mnilo proiegido.
a Pelo subdelegado d) di.-tncti >)! %*li^,,er
mo do Rio-Pardo, foi ca[iiur.iJi.!u^WlK)* sado, e acha se recoltijdo a rfcqi^cljVs-vi leia, o rco
Joao de Araujo Picl all proi1nn:iad.) no art.
192 do codigo criminal.
Acha-se recolhido a cadeia d.: >. Sebastiio do
Paraizo o sargento commandant* A* respeciiva
guarda municipal, Jose Ferreira d<' Carvalhf, pro
iiuociad) pelo Br. juiz rau:iicij.il mart. i'Jl do
co :igo criminal, pela m> rte de Jo u Lou, praticada
por oeeawin de uma prisio de qit f i encarregado
pelo delegado do lermo. >
IU0 M ja.nei.10.
Por deerot-s d* 18 Jo corn ale :
Conceleu se ao major do corpo de eng''8heiros
Diogo AlvssFerraz a exoa-ncao qae peon do lu
gar da professor da 2' eadeira'do 3'anas d curso
de cavailaria e infaoteria da provineia do Bio
Grande do Sul.
Fora:n uomo3dos:
Professor da supracitada cadeira o major do
me.-mo eotfte Antonio Augusto de Arruda, adjunto
do referido corso.
Segundo cirurgiao do corpo de saude do ox-rci
to o Dr. Iklefonso Tneodoro Marlins.
Capeilao-teoeate do corpo ecclesiastieo o capel
la i contratado para o servi;o do mesmo exercito
padre Raphael Montano.
Secretario do arsenal de guerra da provineia do
Rio-Grande do Sul o tenente reformado do eser
cito Jose Antonio Rodrigues Tola.
Foram feformados:
Oalferes aggregado a anna de iafanteria Lau-
xea'.iuo Jose Marques, vi^to soffrer molestia tacu-
ravel que o torna incapaz do continuar no servigo,
o na forma do $j 1* do an. 9* da lei n. 6i8 de 18
de agosto de 1872.
0 soldado do extiocto lG" corpo de voluntarios
da palria, alJido ao a-y!o do inval:d03, Joao Vig-
nzud, vencendo soldo *d ,'brado da voluntario da
patria, na conformiJade da ultima parte do art. 10
do decreto n. 3,371 de 7 de jeneiro de I8'oo, visto
terse in alidado para 0 servieo em consequencia
de ferimento recebid'jera combite.
Por portanas :
De 17 de de novembro, permitlio se que troeas-
sera de corpos entre si os alferes Joaquim Fernan
de de AnJrade c Silva e Domingos Jose L"pes
Dias, este do 14* e aquelle do t batalhao de in-
fanteria.
De 19, foi transferido do 4* para o 12* batalhao
da dita anna o alferes Augusto Luiz de Souza Ne
es.
De 20:
Foi exonerado do lugar de araanuense da secre-
tiria do arsenal de guerra da provineia do Para,
Fernando Jose da Silva Alanta, visto achar-se im-
p 'ssibilitado de exercer o dito eroprego.
Foram nomeados:
Pira o referido lugar Cimlllo Antonio dos San
tos.
Para o de tiel da 3" classe do almoxarifado da
intendencia da guerra Jose Baptista da Uocha.
Concederam-se ao eserevento de 1" classe da
mesma intendeccia Josd P'ortunato de Araujo tres
mezes de lieenca na forma do regolaraento, para
tratar de sun saude.
Foi mnsferido do 15" para o 19 batalhao de
infautena o alferes Antonio Felippe Fernandes
Cuvabano.
De 21 :
Foram nomeados:
p.ira a sesretaria do arsenal de guerra da pro-
vineia do Hio-Grande do Sul:
Official, o amannense Pedro Cesario de Abreu
Araanuense, Man icl Igoacio Pereira da Cu-
nha.
Para o lugar de meslre de gymnastiea da com
paahia de aprendizes artifices do mesma arsenal,
Jacob Bart Junior.
Foram transferidos :
Do 2 batalhao de artilheria a pe p&ra o 2* re
gimento da mesma ana a cavallo, o 2 tenente
Leopoldo Rodolpho Pinheiro Bittencourt.
DO 18* para o 17 batalhao de infanteria o te-
nente loio Baptista de Sonza.
Lemos uo Jot nil do Commeicio :
a Fomos obsequiados com o seguinte telegram-
ma:
a Angra, 23 de novembro, as 7 horase 20 mi-
nntos da mania.0 bispo chegou as 5 1|2 horas,
visita hrilhante, recepcao extraordinaria; eoncur-
rencia grande; illuminacao ; arco na rua, regosi
jogeral. o
c Besultado dos exames na faculdade de medi
cina, no dia 23 :
1." anno medico.Joaquim Augusto Lana, Ja
cintbo Hermogenes Dutra, Igoacio Werneck, Tito
Franco de Almeida Junior, approvados pleoamen
te; Luiz da Silva Castro, Joao Joaquim Barbosa
Jnnior, approvados simplesmente.
a t.* anno medico. Antonio Clementino Lima
de Aguiar, approvado plenamente; Julio Borges
Diniz Junior, approvado simplesmente. Il.uvt
qnatro reprovados.
a 3.* anno medico.Thomaz Teixeira da As
sumpcao, Josd da Cuoha Souto-Maior, Manoel Viei
ra Baptista, Joao Jose de Sa Junior, approvados
plenamente; Joao Henriqnes Fernandes da Veiga,
Pio Martins Marques Ventania, approvados sim-
plesmente.
a 4. anno.Jose Serrano Uoreira da Silva, ap-
provado plenamente ; Augusto Cesar das Chagas,
Gregorio da Cnnha Vasconcellos, Joao Aristides
Soares Serpa, Primo Teixeira de Carvalho, Emilio
Luiz Rodrigues Horta, approvados simplesmenu.
t 5.* anno.Domingos Jacy Monteiro Jnnior, Al
fredo Jose Ramos, Candido Bazilio de Araujo, ap-
firovados plenamente ; Matheus Chaves de Maga-
tiSes, approvado simplesmente.
6.0 anno (clinica).Joao da Malta MacharJo
Junior, ap rovado com distincgao; Frederico Ma
rinho de Azevedo, Celso Eugenio do Reis Junior,
Joaquim Jose da Rosa, approvados plenamente.
3.'anno pbarraacentico,Raymundo Ferreiri
de Oliveira Mello Junior, approvado com distinc-
cao ; Jose Carlos Fernandes Eiras, Francisco Fer-
reira Couto, Venancio Jose da Silva, approvados
plenamente; Francisco Jose Pereira de Castro,
Manoel Soares de Meirelles, approvados simples
mente.
Resnltado dos exames, na escola de marinha,
no dia 23:
3.* anno. Natacao.Aspirantes : Justino Jose
de Macedo Coimbra, Luiz Ferreira de Oliveira Mo-
raes, Eduardo Augusto Verissimo de Mattos, Joao
Baptista Gonealves Tinoco, Francisco Jose Fernan
des Parreira Junior e Joao Baptista das Neves, ap-
provados com distioccao, grao 4; Joaquim Jose
Pinheiro Vasconcellos. Carlos Alberto dos Santos
jlenca, Joaqnim Pinto Dias, Eneas Oscar de Fa-
la Ramos, Jose Antonio Ayrosa, Henrique Ribeiro
de Faria, Joaquim Alvares da Silva Penna Junior,
" Jose da Silva Nogueira, Francisco Naoes Pereira,
Carina de Sonza Ferreira, Joao Jose da Costa Fi
gneiredo, Fernando Carlos de Carvalho, plena-
mente, grao 3; Joaqnim Francisco Corrda Leal,
Luiz de Azevedo Cadaval, Bento Jose Uanso Sayao,
M8nri.|iie Jose Pedro Valladas Garroxo, Joaquim
FraDciseo Lessa de Vasconcellos, Joao Fernafldes
4e Almeida, Luiz Pereira Arantes, simplesmente,
gr*o 2; Manoel Ednardo da Azevedo, Francixo
Thomaz Alves Nogtti-tra, lenmymo Robert) in Mes-
quita, Francisco Verissimo de Paula L'fte, sim-
plesmente, grjo 1%
a ResultaJo des exa:s, na escola polvtschaici,
no dia 23 : *
h 1." anno, 3." tnrm*.-Roberto iage, Rsdolpho
Alberto Vieira Ferraz.-Jose Roxo Piste de Maga
Ihaes, Joao E.niliaao Peixoto de Amarante e Ma-
ny I Carneiro de Sonza Banderra, approvados ple-
namente.
I.* cadeira do 2.* anno. Miguel Carlos Cor-
rda LemosJnnior, anproyado com distinccao ; Jo-
sd Martins da Conceicao, Jose Joaquim de Almeida
Alves Cunha e Antonio Gomes dos Santos Lo-
pes, approvados plenamente 4 Francisco Antonio
Rodrigues Guiao e Arthur Josi Goulart, approva
dos simplesmente.
2.* cadeira do 4.* anno. -Luiz de Anhaia MeJ-
io e Archtas Euripides da Rocha Medrado, appro
vados com distioegio ; Jose Maria Fragoso de V.ea
doaca, Alfredo Correa-Barrelo, Joao Baptista Maia
de Laoerda e Ricardo Heariiue Ferreira Valh?, ap
provados plenamente.
I.* cadeira do 6.* anno.Carlos Luiz de Sau-
tes Junior, Luiz Sobral Pinto Cavalcante de Albu
querque, Joao Sabino Damasceno, Quintiliano da
silveira Lobalo e Francisco Bicudo Varella Lessa,
approvados plenamente.
Desenho do 5.* anno. Caetano Alberto de
Ca?tro Nascimenlo, Joao Eugenio Barbasa f'oelho,
AoDnio Borges da Costa, Ernesto Antonio Lassan
ce Cunha e Ludgero Ernesto Lassance Cunha, ap
provados plenamente.
< Kesultado dos exames, na faculdade de medi
cina, no dia 23 :
1." anno medico.-Gaspar Jose Forreira Lopes,
approvado plenamente ; Leopoldo Alvares de Aze
vedo Maeedo, Joao Damasceno. Ferreira Filho, Be
lisario Augusto Soares de Souza e Francisco da
Cunha e Souza, approvados simplesmente.
a 2 anno medico.Miguel Coutc dos Santos
Junior e Antonio de Cerqueira Lima, approvados
plenamente ; Firmino Noguelra da Silva, appro
vado simplesmente. Houve um reprovado.
3. anno medico.-Joajuim Augusto da Silva
Guerra, approvado com distincgao; Alberto Ro
drigues Barcellos, approvado plenamente ; Cinci
uato Americo Lopes, Joaquim Alvares de Maga-
Ihaes e Hilario da Silva Figueira Junior, approva
dos simplesmente. Houve um reprovado.
i. anno.Firmino Rodrigues da Silva Junior
e Constante da Silva Jardim, approvados plena
mente ; Felippe Basilio Cirdoso Pires, Antonio Sa-
lurnino Gomes de Freitas, Luiz Carlos Bomtempo
de Victoria e Joaquim Gonealves Ferreira Junior,
approvados simplesmente.
o. anno. Nuno Ferreira de Andrade, appro
vado com distinccao; Emilio Arthur Ribeiro da
Fonseea, Bernardo Lopes de Azevedo Babo e Fran-
cisco Rodrigues de Camargo, approvados plena-
mente.
c 6.* anno (clinica).Nuno Teixeira Lage!, An-
tonio Furtado de Campos Junior, Antonio Jose de
Vasconcellos Junior e Joaquim Jose Marques, ap-
provados plenamente.
3. anuo pbarmaceutico. MaaoefMaria da
Fonseea Costa, Aujusto Pereira da Rocha e Car-
los Francisco Xavier, approvados plenamente ;
Jose da Silva Lazaro, Joaqoi.n Candido Soares de
Meirelles e Guilhermo Barbosa de Oliveira, appro-
vados simpltsmente. >
t 0 re-ultado dos exames de 23, do 2 anno me-
dico, foi 0 seguinte:
a Geraldo Correa Barbosa Lima, approvido com
distinccao; Jose de Carvalho Tolentino, Francisco
Igoacio de Moura Marcoodes e Herberto Gomes
Ferreira Leite, approvados plenamente ; Domin-
gos Moreira dos Santos Penna, approvado simples
mente. Houve um reproValo.
1 liesullato dos exames, na Escola Polytechni-
ea, no dia 2i :
a 1.' anno, 3." turma : Carlos Herman Ludol
pho Rohe, Josue Antonio de Queiroz Filho, Eduar-
do Augusto Torres Colrim, Alfredo Augusto Bor
ges e Joao da Silva Naz-reth Junior, approvados
plenamente ; Carlos Leopoldo" Augusto Ferreira,
approvado simplesmente.
1.' cideira do 2.* anno : Manoel.Joafuim
Teixeira Bastos Junior, approvado plenamente ;
Luiz Machado de Bittencourt, approvado simples-
mente. Houve dous reprovados. Um tendo lirado
pooto, deu parte de doente.
o /.* caattra do .'I.' anno : Ezequiel Correia
dos Santos e Luiz Goffredo de Escragnolle Tau
nay, approvados com distiac>;ao ; Alfre.lo de Pau-
la Freitas, Antao Gonealves de Faria, Gustavo
Adolpho da Silveira e Oetavio Augusto Lassance,
approvados plenamente.
a Desenho do 5.'anuo : Henrique Alves Delga-
do, Antonio Joaquim da Gwta Couto Junior, Tra-
jano Ignacio de Villanova Maehado e Ernesto
Marcos Tigna da Cunha, approvados plenamente ;
Libanio da Silveira Lima, Jose Joaquim de Mi-
randa Horta Junior, Dionysio da Costa e Silva e
Paulino Lopes da Cruz, approvados simples-
mente.
0 Resultado dos exames, na Escola de Mari-
nha, no dia 24 :
a 3.annoEsgrima.Aspirantes Henrique Ri-
beiro de Faria, approvado com distincgao ; Joao
Baptista das Neves, Joaquim Josd Pinheiro da Vas-
coneeilos, Carlos Alberto dos Santos Valenga, Ma-
noel Eduardo de Azevedo, Joaquim Francisco Cor
reia Leal, Joaquim Pinto Dias, Carlos de Souza
Ferreira, Justino Jose de Maeedo Coimbra, Bento
Jose Manso Sayao, Luiz Ferreira de Oliveira Mo-
raes., Jeronymo Roberto de Mesquita, Henrique
Jose Pedro Valladas Garroxo, Joaquim Francisco
Lessa de Vasconcellos, Jose da Silva Nogueira e
Joao Fernandes de Almeida, approvados plena-
mente, grao 3 ; Francisco Jose Fernandes Pane-
ma Junior, Francisco Nunes Pereira e Fernando
Carl h de Carvalho, simplesmente, grao 2 ; Luiz
de Azevedo Cadaval, Eneas Oscar de Faria Ra
mos, Francisco Thomaz Alves Nogueira, Joaqnim
Alvares da Silva Penna Junior, Joao Baptista Gon
calves Tinoco, Eduardo Augusto Virissimo de
Mattos, Francisco Verissimo de Paula Leite, Luiz
Pereira Arantes e Joao Jose da Costa Figneiredo,
simplesmente, grao I.
t Terminaram o exanes nesta escola.
0 total da aporagao feita na directoria geral
de estatistica ate 21 do correote e de 8,801,700
habitantes em todo 0 imperio.
a Foi agarrado 0 passador de libras esterlinas
falsas, de que temos fallado ultimamente. A prisao
deu-se do seguinte modo :
t A's 9 horas danoite de ante-hontem dirigio-se
a 9.* estagao 0 dono da taverna sita a rua di Pro-
videncia n. S3, Joio Domingos Marques Pires, e
'communicou que appareeera no seu estabeleci-
raento nm inlividuo a querer trocar nraa libra
usterlioa que reconheceu ser falsa. 0 comman-
daote da referida estagao immediatamente man
don a praga Francisco Jose de Souza no encalgo
do larapio, que foi preso, pouco depois, no morro
da Providencia. Cbama-se Miguel dos Anjos Ri-
beiro, e natural da Babia e morador a rua de San-
ta Isabel, na Gloria.
1 Ribeiro offerecdra libras para trocar a Manoel
Lourengo Ferreira Real, dono da taverna da rua
da Princeza n. 208, e a Jose da Silva Carvalho,
caixeiro da rua da America n 145. Presenciaram
estes factos Joao Antonio de Souza, morador a rua
da Providencia n. 73, e Alexandre Manoel dos
Iteis Pestana, a rua dos Cajueiros n 18.
c Na presenga do mendonado cointnandante 6
das urae.is da guarda urban* dechrou ocriminoso
que, na occasiao de ser peraeguido pelo soldada,
alirou fora algumas moedas que trazia comsigo, e
confessou perante 0 subdelegado do 2. districto
da freguezia de Santa Anna, que linha passado
libras falsas, que recebdra de dous individuos, os
quaes sao seus complices nao querendo declarar-
[.Hies 0 nome.
< 0 mesmo Sr. subdelegado mandou Ribeiro
para a policia. >
a Ld-se no Monitor Camptsta de 21 de n
vembro :
1 Ante-hontem, pelas 8 horas da manha, 0 com-
mendador Antonio Jose Ferreira Marlins commu-
nicou ao delegado de policia Googalves Pereira,
que Ihe tinham ido pedir tro;o de uma nota falsa
de 100).
< 0 delegado dirigio-se immediatamente a casa
do referido commendador, acompanbado do seu
escrivao, para procederas necessanas indagagoes,
e, encontrando aquelle em camiaho, dirigiram-se
todos a casa de Francisco Varzira de Faria, onde
se acbava Manoel Coutinho Barreto, que, ten-
do ido a casa de Varzim f rer umas eompra?,
dera a referida nota em pagamento, mandanio
este por nm cai'.eiro troca-la em casa do com-
mendador Martins. Interrogado Coutinho, deela-
rou ter recebido a nota da casa dos Srs. Sa & Bra-
ga, da rua do Rosario, sendo chamalo 0 socio
Sa. de-la casa, r^spoodeu por sua vez que a bavia
recebido de Manoel Joao Peganha, da freguezia
de S. Goncalo.
0 delegado de policia expedio logo ordem1
para que vresse daqu-lla freguezia 0 Sr Peganha,
0 este, vindo hontem, declarou qiw rewtdra a
nota de Manoel todrigues de tal, negociante de
gado. O dilegdj mandou tambem ehama-lo e
ainda 0 espera, continuando, ewretanto, a fa/er
miitneiosas pesquizas para dese.brir o del'mquen-
te, cteudo nomeado perilos paTa examinar a nota
falsa, os Srs. tenente- corooel Jos6 loaqnim de M
raes e 0 mesmo commendador Martins, estes de-
claTan.m 0 seguinte :
< A nota designa 0 n. 18890. No lugar da se
rie, onde nas yerdadeiras se le : |, serie 1." E,
na examinada ve-se um D em lugar de E. 0 pa-
pel das verdadeiras e de linlio fino, emquanto que
0 Ha examinada e de algodao e muito gresseiro.
O todo da ostampa rismos 100. dos cantos sao mais pequenos que os
das verdadeiras, e os do (ado do talao ainda sao
menores qne os da tarja de fora, nao gnardando
as devidas distancias ; e as cifras do n. 100 de
baixo nao estao em linha. Os algarismos 100 da
tarja de cima e de -baixo sao tambem mais peque-
nos que os das verdadeiras, nao gnardando pro-
porgSes iguaes entre si, aleu'i de mal feitas. As
palavras CEM da mesma tarja sao inteiramente
mal feitas, nJo havendo igualdade como nas ver-
dadeiras, 'sendo nmas maiores e outras mais pe-
qnenas. 0 emblema do centra esla grosseira-
mente desenhado: a posigao do indio e imperfei
ta : 0 brago direito qae se apoia sobre 0 hombro
da crianga, qne nas verdadeiras e visivel, -nesta
mal se percebe, e a posigao deste 6 de frente nas
verdadeiras.
a A india e a crianga sao imperfeitas e confun
dem se com 0 fundo do emblema. A cruz nas
verdadeiras 6 um ponce- mais inclinada e lem na
base das mesraas as lettras A e D e a era 1500, e
nesta verifiea-se nao to tstar a cruz mais apru-
mada, como nao ter na base as ditas letras e
a era.
0 numero da nota e mais pequeno e grosseiro
do que nas verdadeiras. As lettras-da palavra
CEM de tinta encarcada do centra da nets sao
mais pequeaas e grosseiras. As flguras da abun-
dancia e do commercio, das tarjas, estao pessima-
raente desenhadas.
> As palavras minusculas cem nil reis que
formam 0 fundo escuro que nas ootas verdadeiras
sao visiveis pelo mycroscopio sao nesta pou.ro vi
siveis. A assignatura da nota Isidoro Jose Pereira
Borges e litbograpbada, sendo a letra muito gros-
seira.
t Finalmenle, a nota apresentada a exame e
ineontestavelinente falsa nao so por estas como
por muitas outra* imperfeigdes que eontera.
< Consta-nos que teem apparecido mais outras
em eirculagao.
Falleceu, hontera (24) a tarde, 0 major hono-
raria do exercito Tboinaz Gongalves da Silva, com
mandants da fortaleza de S. Joao e do deposito de
aprendizes artilheiros. Era capitao refonnado de
ar 1,1(1 .ru e prestara servigos ao paiz na campanha
do Paraguay. Como demonstragao de pezar os
offi:iaes do' dito deposito tomaram lulo por oito
dias. 1
a 0 Sr. capitao-teneme Ferreira de Oliveira,
commaodante do Inhnuma, em sna ultima viagem
ao Rio da Prata, renlicou e deterininou a posigao
de um funda > a 20 milhas ao SE do cabo de Santa
Maria, que aid entao era considerado duvidoso, e
negada sua existmcia pelo distincto official da ma
rinha frauceza 0 Sr. Moucnez Consta-nos que 0
Sr. eornmandaole Ferreiia de Oliveira ja commu-
nicou ao governo esse facto notavel e de summa
v ragem.
A alfandega da cdrte arrecadou de 1 a 24 ie
novembro 2,657:838*101.
BAH! A.
Lemos no Diario :
Foi hontem (25) examinado e approvado ple-
namente do exame theorico do 6* anno 0 doutoran-
i 1 Antonio Monteiro de Carvalho Junior.
Hontem (26) sustentaram these perante a Fa-
culdade de Medicina, para oblerem 0 grao de dou-
tor e foram approvados plenameata os seguintes
dout'orauJos: Clarindo Adolpho de Oliveira Cha
vjs, Virgilio Tavare* de Oliveira, Josue Egydio Gal-
moo, Aurelio Benigno Castilbo. o
II mtem (27) fez exame de rlinica e foi appro-
vado plenamente 0 estudante do 6' anno Anaraio
Mouteiro de Carvalho. >
< Foram examinados e approvados no 1 anno
pbarmaceutico : Tiburcio Suzanio de Araujo, Jose
de Castro Rebello e Antonio Barreto de Menezes,
plenamente; Arthur Raul Pinheiro, Bento Carlos
Luschiiatt, Carlos Bittencourt e Jose Herculano Ri-
beiro Guimaraes, simpteiineott. Foi um repro-
vado.
a Hontem (27) sustentaram theses na Faculdade
de Medicina para obterem o grao de donlor, e fo
ram approv.dos pleaameote os seguintes doutoran-
des : Luiz Josd de Lemos Gonzaga, Eulalio de Lei-
lis Piedade, Manoel Pereira de Mesquista, Alexan
dre de Abreu Fialho e Joao Ladislao de Cerqueira
B.-ao.
t Por acto de 24 de novembro, resolveu S. Exc.
0 Sr. pre3idente da provineia, em cumprimento do
aviso do minislerio da agriculture, de 26 de outu-
bro, fa?er efTectiva a exlincgao do antigo aldeia
memo S. Fidelis, no municipio de Valenga.
c Hontem (28) foram examiuados e approvados
os seguintes estudanles : anno pbarmaceutico
Ignacio de Arruda Beitrao e Pedro Celesiino dos
Smtos Dantas, plenamente; Isai>s Pinto da Silva,
Manoel Francisco da Costa Junior, Lino Antonio
Ferreira, Domingos Jose Coimbra, J.vino OJilon
Casletto Braaco e Eduardo Feliciano de Castilho,
simplesmente. d
Hontem (28) sustentaram theses e foram ap
provados plenamente os seguintes doulorandos:
Antonio Augusto de Figueiredo Pita, Antonio Jose
de Araujo, Antonio Jose de Castro, Valenlim Anto
nio da Rocha Bittencourt e Manoel Marques da
Silva Acauan, plenamente.
REVISTA DIARIA.
Autoridade pollcial. Por portaria da
presidencia da provineia, de 28 de novembro, foi
nomeado 0 tenente Manoel Aprigio de Moraes, de-
legado do termo de Goyanna.
Profeasores publleos. Por portanas
da'presidencia da provineia, ds 23 e 26 de novem-
bro :
Foi removida da cadeira do sexo feminino de
Aguas Bellas para a do sexo mascuiino de Bom
Jordim, a professora Risalina Olympia Bezerra de
Hello.
Foi noraeada J anna Tiburtina da Silva L>ns
para reger inleiinamente a cadeira do sexo fenii
no. de Nossa Senhora do 0' de Ipojuca.
Foi exonerado Antero Augusto Peixoto de Alen-
car de professor inlerino de S. Josd da CorOa
Grande, e foi nomeado para 0 suhstituir 0 alum-
no mestre Alfredo Canato de Lima.
Doua de dezembro. Completa hoje 49
annosde idadeS M. 0 Imperador. Por ese motivo
e.-tsr.":, emuandeirados os navios e estagoes pnbli-
ca-, e as casas consulares, havera corlejo a tarde
no palacio da presidencia da provineia, e a noite
especiaculo gala no theatro Santo Antonio.
A fortaleza do Brura data as salvas do estylo as
horas da manha e 6 da tarde,
Offurrencius em Itamhe. Noticias
da comarca de I tain tie dizem que os sediiiiosos da
Parahyba, penetrando" nesta provineia, e aqui se
encorporaado a outros nao menus crimioosos,
entraram no domingo ultimo (29 de novembro)
na villa de Itarabe, e alii Qzeram auto de fe nos
moveis da camara municipal e nos papeis do car
torio de paz da villa, queiiuaodo uns e outros, as-
sustando os paciucos concurrent's da feira, e des-
truindo os pesos a medidas do novo padrao adop-
tado por lei.
0 que ha a admirar aisso e que, estanda alii
uma lorea de linha as ordens do juiz de direito
da comarca, 0 Sr. Dr. Joao Francisco da Silva
Braga, fosse essa forca testemuaba inaclira da-
quellas scenas de eacandalo, Mas cumpre accrea
centar qne nenhums cuipa cabe a referida forga,
pcrque 0 Sr. Dr. juiz ds direito impedio-a de obrar
no seotido de obviar ao mal, dizeudo que elle as-
sumia a responsabilidade do seu acto.
E' bem grave e seria essa responsabilidade que
sobre si chamo t Sr, Dr. Braga ; e, em quanto
8. S. se nao explica perante quem por direito cabe
ouvi-lo, facto que ainda se nao den e e de estra
nnar se nao tenha dado, justo e que sera mais
preambulos ponbamos um ponto de interrogagao
ante tao tremeoda responsabilidade, que cumpre
se torne effectiva em nome da lei nltrajada.
Felirmeule os sediciosos de Itarabe nao offende-
ram a inguem, e limiurain-se aos actos que aci-
ma deixaraos referidos, e que, nio obstante 0 seu
caracter transitorio, sao com!ud) graves e pedem
severa repressao.
- Para conseguir essa repressao, novas ordens da
autoriiade foram expedida-, e oulrosim. foram
t imbem dadas ideoticas em relagao a Goyanna,
para onde seguiram hontem SO pragas do 2." ba-
talhao, atlm de guarnecerem a cidade que se
dizia em vesperas de ser invadida pelos referidos
sedjeiosos, os quaes, bom e queUque assignalado,
eitao usando da tactica de entrarem ao doua e
tres para 0 theatro de suas loucuras, onde se re-
unem a urn signal previo.
Sejam energicas as autoridados ; cumpra cada
qual 0 seu dever, prendendo e processando 03 ca-
begas dos sediciosos, e de certo voltarau a paz e
tranquillidade publicas, quebrantadas em nome de
futilidades sem importancia e que nao podera ge-
rar senio indignagao por parte dos bens ci-
dadaos.
Comarca de Naaaretb. -Tambem ahi
nessa comarca, consta que alguraa cousa h iuve
nos dias 28 e 29 do passndo, nos peqnenos povoa-
dos Angelica e outros, proximos da cidade de Na-
tareth, sendo que, segundo nos informant, os se-
diciosas, procedendo como em Itambe, isto 6, en-
trando em peqnenos grupos, de doits e tres, ero-
baragaram as respeotivas feiras, estragarara os
pesos e medidas decimaes e queimaram papeis
dos cartorios.
Apenas se soube disso em Nazareth e alii cons-
tou que os sediciosos se dirigiam aquella cidade,
arraarara-se rauiios cidadlos para resisliremlhes,
e aguardaram os.conscios deque iamcnmprir um
dever. Os sedieiqsos, porem, atd hontem pela
manha, segunde onosso informante.alli nao foram
ter, e e de esperar que arrepiem carreira, tanto
niiis quanto ja devem saber que encontrario re-
sislencia, alias accrescida, com as providencias
aqui tomadas era relagao a localidade.
Jury do Recife.Cora pa recendo hontem
numero sufflciente de juizes de facto, foram sub
raettidos a julgamonto os reos Demetrio Nestor
Machado Freire e Jose Constantino do Nassimen
to; este pronunciado no art. 203 do codigo crimi-
nal, por haver era 7 de abrii de 1873 ferido grave-
mente a Miguel Joaquim, no engenho Guararapes ;
aquelle pronunciado no an. 209 do citado codigo,
por ter no dia 24 de junho de 1873 penetrado no
sobrado n. 12 da rua estreita do Rosario e d'ahi
roubado 14JS000 e di versos objectos de ouro, tudo
pertencente a Araalia Josephina de Almeida.
0 conselho de sentenga que a ambos julgou,
compoz-se dos Srs. : Eugenio Marques de Amo-
rim, Francisco Antonio de Assis Goes, Francisco
Ignacio de Medeiros, Fnncisco Antonio da Rosa,
Francisco Raposo Falcio, Francisco Paulino de Al-
meida Albuquerque, Francisco de Miranda Leal
Seve, Francelino Augusto de Holland* Chacon. II-
defonso Jose da Silva, Joaquim Tranquilino de Le-
mo* Duarte, Joao dos Santos Ferreira Barros, Ma-
noel Antonio Cardoso.
0 priraeiro teve por advogado 0 dos presos po-
bres, o Sr. Or. L. E. Ridrigues Vianna; 0 segun
do, 0 Sr. Dr. Miguel Amorim.
Ambos foram absolvidos.
Asaociacao Commercial Benefi-
centeNo lugar corapetente publicamos hoje
nra protesto dessa corporagao, que recoramenda-
mos aos leitores.
Rendlmentos.-No raez de novembro ar-
recadaram as seguintes estagdes Gscaes :
Alfandega 847:179*792
En igual mez de 1873 966:379.802
Coosulido provincial 119.858>236
Em igual mez de 1873 91:314? 137
Recebedoria de rendas 61:0682536
Em igual mez de 1873 80:349^545
Capatazia t8:626H22
En igual mez de 1873 17:7733032
Arrematacoes proiaclaes. Perante
a junta do thesouro provincial vao a praga :
No dia 3 do corrente: a obra da bomba d- Fra
goso, on; i-i-i em 840:027;aobra daponte de Moes,
sobre 0 rio Tapacura, na estrada da Victoria, or-
gada em 1:485:000 ; a obra do empedramsnto do
I* e 2 langos da estrada de Palmares, orgada em
11:880:000; e a obra do concertofldo quartel de
policia, orgada era 897:82-).
Cencureo.-No dia 10 dejaneirodeve Jhaver
no arsenal de marinha, emetine para provimenlo
dedans lugares de amanuenses da respectiva se-
cretary.
Vaporcg esperados. De 5 a 7 do cor-
rente, 0 Irancez Mendoza, e a 6, 0 inglez lint m
nia, ambos da Europa; a 8 ou 9, 0 brasileiro Cea
rd, dos portos do sul do imperio; e a 10,0 francez
Rio Grande, do Rio da Prata pelas escalas.
Tribunal do commercio. -No dia 1 do
corrente (sexta-fetra) d-ve realisar-se, no salao da
Associagio Commercial Beneficeote, a reumao dos
negoeiantes\malriculados, ali;n de proceder-se a
eleigao de dons deputados e dous supplentes para
0 tribunal do commercio.
Beuniao social. Domingo (6) deve reu-
nir-se a assemblea geral dos socios do Hospital
Portuguez de Beneficencia, uo editicio ds Cajueiro,
para proceder-se a eleigao da junta airainistrativa
e da coramissiio de contas, as quaes teem de func
cionar no anno de 1873.
lmpostos proTlnciaea.-Hontem come-
gou a correr 0 prazo de trinta dias uteis marcado
para 0 pagamento, livre da nvilta de seis por cento
dos imposto9 da decima urbana, e de cinco por
cento sobre bens de mao raorla, correspondentes ao
1 semestre do exercicio de 187i1873.
Vapor Ariel. Chegou hontem, procedente
de Giascow, este vapor inglez. Nada adianta em
noticias.
Vapor Julio Dinia. Esse vapor portu-
guez chegou hontem a tarde, -do Rio de Janeiro e
Bahia por tor sahilo depois do vapor Merrimack,
que tocou pela manha em nosso porto.
Captura de crimlnoso. No dia 13 de
novembro, foi ea; turado, e recolhido a cadeia da
villa de Papellas, Francisco Berenguer da Silva,
pronunciado alii como incurso nas penas do art.
257 do codigo criminal corabinado com 0 art. 1
do decreto n. 1,090 do desetembro de I860.
Eerimento.No dia 28 de outubro, no lu-
gar Serrote, do termo de Villa-Bella, Justino de
tal, ferio com uma facada a seu cunbado Francis-
co Pereira de Castro Feitosa, pondo-se em foga
Engenho central. Com 0 prazo de 60
dias, a cootar de 19 do corrente, a presidencia da
provineia do Rio Grande do Norte recebe propos-
tas para contratar, com quem melhores vantagens
ofTerecer, 0 assentamento de uma fabrica ou en-
genho central de moer cannaa e preparar assu
car, de accordo com as clansnlas meneionadas no
eJital publicado no lugar competent^.
Beuniao de irmandade. Deve reali
sar-se no domingo (6) a reuniao da mesa geral da
irmandade de Noasa Senhora da Soledade, erecla
na igreja dessa denominagao, a freguezia da Boa-
Vista, para proceder-se a eleigao da mesa regedo-
ra para 0 anno de 1875.
Fewtividarte religiosa. Na igreja do
convento de S. Francisco, da cidade deOlioda, se-
ra celebrada domingo (6) com 0 esplendor do cos
tome, a festa de S Benedicto.
Beforraa cieitoral. Sob 0 tilolo de ob
servacoes do um liberal, receberaos do Rio de Ja-
neiro nm opuseulo de 60 paginas acerca da re-
forma eleitoral, opuseulo que se diz escripto por
um nosso comprovineiano, raerabro do partido li
beral.
Com quanto 0 seu tutor se revele defensor da
eleigao directa, prograrama que de nenhum modo
aeeitamos pelas razoes que ja tivemos occasiao de
expeoder, com tudo 6 forga confessar que 0 opus-
eulo tem valor e 0 seu ant r merecimento, qne
quizeramos ver melhor utilisado.
Agradecemos a remessa do exemplar com que
fomos obsequiados.
Emprestlmo brasileiro. A proposito
de um telsgramma publicado pelo Jornal do Com-
mercio, do Rio de Janeiro, telegrarama que aqui
U-anscrevemos, publicon 0 Globo as seguintes II-
nhas, que teem toda procedencia e devera Iran-
quillisar-nos:
a Estamos autorisados pelo Deutsch Brasilia-
nisclt Bank a declarar que 0 telegramma publica-
do hontem pelo Jornal do Commercio, com refe-
reneia ao emprestimo e datado de Paris a 19 do
corrente, i inexacto.
a Em tempo e lugar opportune, os dignos direc
tores desse important? estabeleeimen'.o se com-
promettem a provar que 0 eorrespondente do
Jornal do Commercio foi mal informado.
a Contentar-nos-hiamos em fater esta declara-
cao se por veolnra nao vissemos, com petar nosso
nm gradde orgao da imprensa brasileira como qne
deleitar-se em crear difficuidadee e divulgar noti-
cias que, como ja dissemos, se ferem ao governo,
ferem mais profundamente ao paiz.
Felizmente nos mercados finan:eiros da Euro-
pa, as diiliculdades a que tem alludido 0 Jornal, so
se pronunciaram por uma notavel baixa dos fundos
brasileiro?, apeiar do muito que, para o contra-
rio, poderiam influir as potesiadea empenbadas em
abalar ou infirmar a transacgao inieiada pelo go-
verno imperial.
a Julgando-nos perfeitamente informades sobre I
todas as ci reumstancias quo teem occorrido com I com a larag^m cue fe 0 Sr Antonio Pinto de C
referenda a esse assurapto, sentimon^s constran Ulbp q.le f ,i qaem acbou no porto do seu quii
gidos por nao decermos arc-liar a polemlca sobre | M primeiras. .^^
Estas knafens foram en;ontradas do seguie'e
Ci
qoimtl
Algodao. Acaba de
elle, visto que de algum modo as idegrammas do
Jornal do Commercio acham-se em contradigio
com os nossos.
Cemo, porem, nao somos os unicos a receber
telegrammas 6 informagpes fidedignas, apraz-nos
ver conQrmadas as nossas noticias por nm oulro
orgao da impronsa, 0 Anglo Brasiliam Times, 0
qual, estando igualmente bem infoimado fem au
toridade para declarar, como 0 faz no seu numero
de hontem, inteiramente inexacto 0 telegramma
do nosso collega da rua do .Ouvidor.
Pelo qoesabemos esem aeeitarnem contestar
a possibilldade de que difflculdades tenham sido
engendradas, nao para impedir a opera^.-ao, mas
para conduzil a por certas e determinadas vias,
poderaos nutrir a grata esperanga de que ellas
servirao apenas para ainda mais estiraular 0 go-
verno a raanter-ss firme, como ate aqui se tem
mostrtdo, colhendo dessa attitude para si e para 0
paiz inciintestaveis vantagens.
a Mais do que nos podemos dizer, adianta 0
Anglo Brasiliam Times inforraagoes especiaes que
invalidam completamente 0 telegramma do Jornal,
nao somente na parte em que se refere ao ban-
queiro E'langer, como na em que se refere ao
Btneo Allemao. .
a Nos, sempre neis a palavra que empenhamos,
nao nos julgamos ainda autorisados a dizer tudo
quanto sabemos com referencia ao assumpto.
< Estranbando, porem, que da parte do nosso
craspicuo collega se manifesto um tal empenho
desfavoravel ao credito do paiz e jusla coolianga
que elle inspira, flcamos tranquillos, porque acre-
ditaraos quo neste negocio 0 illuslre Sr. minislro
da fazenda tera procedido com acerto e esta ha-
bilitado a assegurar a transacgao um exito fe-
liz.
Facada.Hontem a noite, pouco depois das 7
horas, ao passar pela ponte de Sinta Isabel uma
bands de musica raarcial (cremos que foi a do 2.*
bataliiao). fechoH se a tempo (na phrase popular),
e trovejou 0 cacete entre os capoeiras acompanha-
dores de musica. No roeio da cousa um dos
taes capoeiras correu una facada n'um imperial
marinheiro, facada que 0 apaah>u na regiao do
baixo ventre e prostrou 0 pobre homem, que foi
conduzido a pharmacia do Sr. commendador Josd
Maria Freire Gameiro, de onde, apos um ligeiro
tratamento, foi levado para 0 hospital.
Esses aeorapanhadores ds musica carecem de
uma severa ligao.
Exportapao de
ser firmado, pelas casas exportadoras de algodao,
em nossa praga, 0 seguinte convenio :
Os abaixo assigoados, commerciantes desta
praga e exportadores de alga la0, considerandO ser
neces-ario regularisar de modo mais convenienle
0 negocio de compras de algodao, em vista das
constantes e geraes reclamagoes qne teem tido de
seus correspondentes da Europa, estipjlaram en
trs si 0 seguiate :
a Art. 1. Reconhecendo-sc pela experiencia
que a tara estabelecida ate agora 0, na maior parte
das saccas, insufflciente. e desejando adoptar uma
base mais regular e jusla, teem couvencionado
qne desde 1 de jaaaro proximo futuro a tara sera
de 5 por cento deduzidos do peso bruto, nio de-
vendo a peso dos sipos exceder de 3 por cento ;
qualquer excesso no peso dos sipos sera angraen-
tado na tara ; por exemplo : de nraa sacea de 70
kilogrammos brutos tem de sipos 3 kilogrammos,
a taxa em vez de 3 1)2 kilogrammos, que sio 03
5 por cento, sera de 4 40(100 kilogrammos desde
que os sipos s6 deviam pesar2 10(100 kilogram-
mos.
t Art. 2. Para exeeugJo do artigo anterior se
noraeara uma coramissao de tres dos signaurios
para que se dirija a todos os recebedoreg de al-
godao, communicando-lhes este convenio e pedin
dolhes fagtm tomar e marear 0 peso bruto das
saccas quando entrarem nos depositos.
t Por assim estarem de accordo, promettem
fazer firme e valioso 0 presente conven 0 que as-
signaram era Pemambuco, aos 9 de novembro de
1874.Keller & CMills Latham 4 C. -Por pro
curagao de E. A Burle & C, Henrique Burle.
lien de Saunders Brothers 4 C, Thomaz M.
Connan.-Idem de Simpson & C, C. A. Paterson.
Idem de Silva Guimaries, M. S. Guimaraes.
Borsteraon 4 CJohnston Pater & C-Adamson
Howie 4 CHarismendy 4 Labille.Pereira Car-
neiro, Maia 4 C.-Oiiveira Filhos & C Amorim
Irmaos & CAugusto F. de Oliveira & CTito
Livio Soares E. R. Rabello & C Fernandes da
Cosia & C -Jose da Silva Loyo 4 Filho.J. Mon-
teiro Cruz.Theodora Christiansen.Baltar, Oli-
veira 4 C. -Joaquim J. Gongajves Beitrao & Filho,
Navios encontrados. 0 capitao da bar-
ca portugueza Imperial, chagada de Lisboa no dia
29 de novembro, comraunna que fallou no dia 14,
na lat. N. 13 e 53' e long. 0. de Greenwick 26*,
com a btrsa allemi Valevonrai, em viagem de
Shangai para Valparaizo.
0 capitao da barca ingleza draOf chegada
de New Castle a 1 do correote, fallou no dia 24
de novembro, na lat. N. 3 e 51' e long. 0. 26* 2',
com 0 lugre inglez Stctltow, do porto de Dart-
mouth, indo de Talbot, para Santos, com 40 dias
ie viagem.
0 capitao da barca ingleza Tnramack, che-
gada hontem de Cardiff, fallou no dia 30 de no-
vembro. a 110 milhas dedislancia do nosso porto
com 0 vapor inglez Donati, que ia no mono do
norte.
Noticias do Pacifico. Lemos no Globo :
a Alcangam as noticias do Chile ate 21 de ou-
tubro.
a As costas do PaciQco foram tambem visitadas
por um grande temporal que cau-ou muitos slnis-
tros e prejuizos.
Eatre varios naufragios de que dao notitia as
olhas, sobresabam os seguintes : 0 do vapor de
Nicaragua denominado Delfina, 0 qual foi a pi
que, perecendo no naufragio 20 pessoas, entre
passageiros e tripolantes ; 0 do vapor de guerra
francez L'Hermitte, que deu a tjosta na ilha de
Tahiti ; e 0 do berganlim Heracho Martinez.
t A questao religiosa assumia propor.;oes inqnie-
ladoras e vari s disturbius e conflictos se pronnn-
eiaram ja.
< 0 povo de Santiago queimou na praga pnbli-
ca a pastoral do arcebispo e as excoramunhSes
langadas contra os poderes do esttdo.
c Varios meetings tinham sido realisados para
manifestar 0 apoio popular ao governo e ao corpo
legislative e para protestar-se contra a attitude
sediciosa do alto clero.
t 0 deputado cbileno Balmaceda proferira so
bre a questao um notavel discurso, que tem mere
cido as honras da transcripgao em loios c-t jor-
naes da America hespanholo.
c Um grupo de exaltados atacara a typograpbia
do Independente, folha nltramontaoa, e por esse
motivo houvera um conflicto entre o povo e a
tropa que viera em defeza da propriedade ata-
cada.
Chegara a Valparaizo a corveta dos Estados-
Unidos Omaha.
it Na Bolivia, apezar de se haverem repetido al
gumas reuniSes populates com 0 inluito de protes-
tarcm contra a ratiftcagao do tratado celebrado com
0 plenipotenciario chileno regulando os limites en-
tre os dous paizes, a commissao da assemblea dos
representantes encarregada de exaroina-lo, deu so
bre elle parecer favoravel, indicando algumas li
geiras modificagoes.
a 0 Dr. Corral continuava a solicitar garantias
para sua seguranga individual.
Tomavam corpo os boatos de uma nova revolo
gao na republica do Perd e ditia-se qne um vapor,
carregado de armamento levando a seu bordo um
grupo de revolucionarios, passara ja pelo Callao
para effectuar ao norte 0 desembarque da gente e
dos petrechss beilicos.
1 Em Huancavehca occorreu um grande ineen-
dio, qae reduzio a ruinas a cidade dc Castrovinci-
na, capital dessa provineia.
a Em Iquiqne houve tambem um outro garnde
incendio, e a bordo do encouragado Mancocapnc
deu-se tambem outro, que felizmente foi suffocado.
0 seoado peruano mandou entregar a vinva
do general Vivanco a somma de 4,000 soles, para
0 fim de effecluar-se a trasladacao dos despojos
raortaes desse servidor do estado para 0 solo da
patria, a quem prestara notaveis servigos.
Foi nomeado minislro do Peril, no Chile, 0 Sr.
Agostin Reynaldo Cbacaltana.
Imagena. Ld se no Artense (provineia do Rio
de Janeiro,) de 22 de novembro:
a Foram acbadas no Ribeirao Vermelbo, desta
cidade, 9 imageus, sendo todas cruciftxot. \s
imagens sao de massa, adheridas em madeira
branca, e dous dos cruciQxos estao dentro de uma
grinalda de madeira, lavrada com ramagens de
parreira, sao muito velbas, porem de rico lavor
artistico
0 verniz da madeira esta puro, e 0 dourado
das folhas de uvas eitava perfeito, porem desbo'.ou
modo : Tetttlo de sahir No-so Pi a rua, o Sr. An
tonio Pint j de Ctstdho, c mi o bom cbnstao qne e
e, e nio ha contestalo, sahio de casa para a ton-
pan har ao ?anti->irao, e como um seu (Mho men' r
0 quizesse .icirapanhar, a senhora do Sr. Castilho
levoa 0 menino para distrahil 0, mas como esle
insistisse no proposito de seguir sen pai, a mai do
meoino Ihe propoz pescar um peixe no ribeirto
que passa pelo sen quintal, e nesle momento vo
boiar os brag 3 da crut, e entio com difncnlda'*e
tirou do rio a imagern, e no dia 19 foram tirad.s
as outras imagens qne ja sao 9.
Di versos sao os commentarios que se tazen.
Uns dizem que as imagens foram roubadas do ca-
pitao-more qne foram atiradas dentro de nm eai-
xao no ribeirao, ou ros qne ha trinta annosmais (
meoos, vierara para esta cidade uns mascates qi e
negociaram ?m joiat e imagens, e que esses mav
'ates desapparecerara, snppondo se que foram a-
sassinados, e que os assassinos ficaram com *s
joias e aiirarara as imagens no ribeirao.
Seja como for 0 qne e certo e que as image r
nao estao baiidas pelas aguas, pois ae nio estao uc
odo perfeitas, pelo menos lem insigmttcaDtes d
teitos. 0 dourado da moldnra, bem como 0 vt-n z
festa pur j.
a 0 povo esta agilado, e na cidade nio e fal a
era outra cousa, ja se lem feito Udamhas e 0 [
em grossas oodta tem affluido a ver e adorar ..
imagens. o qne faz especie e serem todas as im;.-
gens cruc fixes, e parecerem ser todas da lavra um so artista.
0 Rvm. vigario ja foi vel-as e conta nos que
pretende dficiar ao Rvm. Sr. bispo para decii r
se as imagens devem ficar em casa do Sr. Pinto de
Castilho,ousedevem ser ncoliidaj a igreja para
ahi receberem aJoragao convenient", a
AMHoiiix ,\ Brasileira de Aecli-
macuo\... sessao de 22 de outubro foi lua a
seguinte pr, .-la, ficando sua dismssio adiada :
Consideraodo que a instrucgao pnraariadau
nas escolas dos dis rictos ruraes nao pode prodc -
zir todos os beoeficos resultados que, se d-vei 1
esperar, emquanto nio forera ad uitudos n-!|. ( <
eompendios que mais directamenta se lifam 1
agricnltura em t ubstituigao aos adopudos actua -
mente;
Considerando qae o* menino* dos district
ruraes que frequentam as es:olv< priraarias saneia
deltas ignorando os mais comesinbos rndimeotos c
agriculiura e ainda os nomes, preslimos e oo d"
inslruraentos agrarios, 0 que eotretanki e neeess,
dade essencial em ties di -irictos;
Con-iderando que os meninos filhos dos f
gregados das fazendas e das pessoas nao abasiali-
sio os que mais concorrem e freqneaUra as eee<
las ruraes de in^trucgio primaria, e mais tarde sio
lestmados a operano> rnraes;
Considerando que a in.-truc;ao primarh, n
escoUs ruraes, deve ser previdenlemente aproptu
da ao futuro de-dioo agricolado menino ; a A-s -
ciagao Brasileira de Acclimagio c de parecer e
propoe aos pod'-res competentes ;
a 1.* Sobre a ccuveniencia de se admittir para
teitnra nas escolas primarias dos disirxtos rura> s
ocatheeismt de agricnltnra, a teehootogia agric -
la e 0 manna! de machinas, instruments e mol -
res agricolas.
t 2 Sobre a convenieoeia de se admittir taa-
bem modelos e mappas de instrnmentos, prefen: -
do se ns qne fo.-em mais faceis e uteis para sere a
explicados mm meninos.
t 3.* Sobre a convjnieocia de se crear e prep
rar na escola normal n mestre para 0 di.-t-ipu.' ,
afim de se conspgnir em todas as esco as de in
trucgao primaria da provineia 0 en-ino theori 1
rudimental da agricultura, proporciooando-se 1*
raeios.necessarios para tao util, senio urgente in-
truccio.
4/ Finalmente, sobre a conveniencia de obte-
se que a directoria de inslrucgao publica da pr -
vincia do l<. de Janeiro formule nesle seniido -
programma dos e.Mudos das escolas pnmirias ra
mesma provineia.
Sala das sessGes, em 8 de ontubro de 1874. -
/. A. Azevedo.
Candidato americano.Lemos na eo~-
respondencia de Londres para 0 Jot not do Com-
mercio, do Rio de Janeiro :
0 ex-presideale Andrew Johnson, qne aspira
asersenador dos Estadoi Unidos pelo eslaloi
Tennessee, deu pnncipio a sua campanha eleilor!
em Cbatunwya no dia 3 de ontubro, com um d, .-
curso, em que introduzio algumas notaveis deeU -
rag5es financeiras.
a Disse qne os p-cssnidores de fundos do estat
e da nagao ja haviam recebido em jnros mais cu
qne a somma qne tinham dado por aquelles fat
dos, e porlanlo advorava o reondio do toda a
divida fundada de Tennessee e dos Ksiad
liuidos.
Na renda das alfandegas nos Estados Unid
avulta muito o produclo dot direilos pela import
gao do cafe, tendo chegado no anni passado a I
railhoesde dollars.
0 numero total dos immigrantesaporitdota
Estados Unidos no mesmo anno foi de 313,33'.
sendo 189,223 do sexo mascuiino e 124,114 do f
rainino.
a D'entre ellet, 2,476 foram cUssificaJos em*
homens e mulheros pnlissi^ntes e 38,700 eon-i-
offlciaes de offlcb peritos.
Entre os immigrantes 63,378 eram criang:
de menos de 13 annos.
Tem-se dito ultimamente que angmenta mm
0 numero dos immigrantes qne volttm para a Bt-
ropa, por nao poderem achar trabaiho.no nltiir
anno, porem ao menos as estttisticas mostram qi-
esse retluxo da mare nio dirainuira muito t*
America 0 angmeolo de populagao deriva 1 > da
immigra;ao. Os passageiros de todas as rlasst -
que ptrtiram dos Estados-Unidos para paizes e -
trangeiros durante 0 anno ti >aneeiro foram......
133,686, ao passo qne 0* cbegids foram 373,67'
mostrando ainda u-n excesso de 240,991 nas ei
tradat.
Loteria. A que se acha a renda e a 127
a beo.cfi.cio do collegio dos orphios orphas, 1
qnal corre no dia 5 de dezembro proximo vm
donro.
L.eiiao.Amanha na Feira Semasal, a rna c
Imperador, haveia leilio de moveis, qninqnUk..
rias e immensos ar'igos do nso domestico, qae s. -
rio vendidos a troco do barato, por coata de d -
versos.
Cnsa die deteneao.Movintenio da ea
de deteneao do dia 30 de novembro :
Existiam 306, entraram 2, sabiram 3, eiMMn
306.
A saber :
Naeionass 231, mnlberes 9, estrangeiro* i
escravos 33, escravas 3.Total 303.
Alimentados a custa dos cofres putlicos VH
A saber:
Saos 234 eenfermos 17 Total 231
Movimento da enfermaria do dia 30 de noveat>r
de 1874 :
Tiveram alta:
Emiliano Jose de Pinho.
Jose Francisco dos Anjos.
Vic tori no, escravo de Manoel Antonio Cabrtl.
i*asMageiros.-Chegdi>s dos portos do sci
no vapor americano Merrimtck :
Bara0 de Bemfiea, Antonio Gomes Netlo, Frat -
Cisco Antonio da Cunha.
Sahidospara 0 norte no mesmo vapor :
G. A. Burdlev, Dr. Campos de Mattot, John Lelh .
Haris C. Fyneth.
Sahidos para os portos do tal no vapor If
dahu :
Francisco Melchiade* de S., Simio Faro da Ma-
donga, Joaqnim Alves da Silva, Lnit de Sonza Ra-
mos Junior, Jose Leandro da Silra, Joaqnim de A.
Villarouca, Urbano J. de Sonza, WeacesU) Je? -
Baptista, Joaqnim Fraacitcode Mello Cahu Junior,
Dr. Feliciano Eutebio dos Prazeres, Joao VieJr .
Guedes de Albuqueruue, Antonio Josd de V., Ra-
phael A r-manjo Vat da Silva, teoente-eoronel V
cente A de Aguiar.
Chegado do Porto na barca porturneza La -
60a :
Antonio Sirades da Costa.
Chegados do norH no hiale brasileiro Nom *-
peranca :
Themoteo Pereira da Costa, Mantel A. Barbeei,
Antonio Pinto de Oliveira e Maria MuMMaaa
Jesus.
Chegad- dos portos do sal no vapor petti
gcez Julio Diniz :
Jose Manoel Joaquim Alves da Poni-*, Joio
quim de Flgaeired-), Augusto Capiralioo
L--sa e sua mulber, Angusio CroUafny I
gos da Cosia Ferreira.
cemlterlo pnblieo.-Obitaario do mm
de novembro:
Candida Anglo Per?ira de Hefto, braace, Per-
1
-


-
Joa


01 An fe Pwaatabaeo Quarta Ma 2 de Dezembro de 1871
I
nambueo, 37 annos, easado, Graea : caotro no
estomago.
Antonio Felix Uos Santos, eiboelo, Parahyba,
78 annos, rollelro. Boa-Vista, hospital Pedro If ;
anemia.
Flavio, branca, Pemambneo, 3 metes, Graca ;
espasmo.
Silva,
Souza
sessao
Almeida 4
Julgou-se
lrromca jidn iar.l
TRIBUNAL |p\ BELiCiO.
SESSAO DO DE DEZEMBRO DE" 1874.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO.
CAETANO SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Coelho.
A's 10 horas da raanha, presentes os Srs. des-
embargadores Silva Guimaraes, Lourenco Sautia.
go, Reis e Silva, Almeida Albuquerque, Motta,
procurador da coroa, Acoioli, Domingues
faltando com causa o Sr. desembargador
Leio, abrio-se a sessao.
Depois da lida e approvada a acla da
anterior, o Dr. secretario procedea ao sorteio para'
o jaigamento de uma denuncia e os aggravos se-
guintes :
Aggravos de peticao.
N. 94. Aggravante Arminio Pessoa de Albu-
querque, aggravado o juizo do eommercio; foram
sorteados os Srs. desemoargadores Accioli, e Al -
meida Albuquerque, sendo relator no impedi-
mento do Exm. Sr. conselheiro presidente, o Sr.
desembargador Silva JuimarSes.
N. 95. Aggravante o eommendador Jose Pe-
reira da Cunlia, aggravante o juizo da provedoria;
foram sortead s os Sr*. desembargadores Accioli,
e Almeida Albuquerque.
If. 96. Aggravante D. Deolinda Maria Ma-a,
aggraVada Egi Jia, por seu curador, foram sor
teados os Srs. desembargadores Domingues Silva,
e Accioli.
JULGAMENTOf.
Denuncia.
Denunciante o desembargador promoior da jus-
Ufa, denuociado o Dr. Jose Climaco do Espirito
Santo. Relator o Sr. desembargador Accioli; sor
teados os Srs. desembargadores Silva Guimaraes,
e Reis e Silva. Improcedente.
Appellacoes commerciaes.
Da Victoria. Appellantes Rodrigo
C, appellado Jo^e Cavalcante Camello.
por senlenca a desistencia.
Do Recife.- Appellaote Joao Quirino de Aguil-
lar, appellados Tasso Irmao & C. Despresarara
os embargos.
Do Recife. Appellantes Grosmmi Nessem &
C, appellado Estevao Jos6 da Motta.Conflrmada
a senlenca.
Do Recife. Appellaote ManoeI da Silva Pontes,
appellado Luiz Antonio de Siqueira. Conflrmada
a senlenca.
Apellacoes civeis.
Do Brejo. Appellante Jose Perreira dos Reis,
appellado Euzebio, por seu curador. Julgou-se
a desistencia por sentenca.
Da Limoeiro. Appellante o juizo, appellado
Clemente Jos6 de Franca, escravo. Refjrraada a
sentenca.
Do "Recife. Appellante Corbiniano de Aquino
Fonceci, appellado Luiz Clementina Carneiro de
Lyra. Despresados os embargos.
Revista civel.
Recorrenle Jos6 Felix da Motta, recorrido Luiz
Caetano de Almeida. Julgaram os autores care-
cedores da acgao.
PASSAGE.MS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr."
desembargador Reis e Silva :
Appellacoes civeis.
Do Recife.- Appellante Carlos Leclerc, appella-
dos Joaquim Bernardino Ferreira e outros. Ap-
pellante Augusto Octaviano de Souza, appellado
Manoel Fernandes da Silva.
Do Sr. desembargador Reise Silva ao Sr. des-
embargaler Almeida Albuquerque .
Appeltacao civel.
Do Recife. Appellantes Seixas Azevedo & C,
appellada a fazen.Ia national.
Appeltacao commercial.
Do Recife.Appellantes Mcreira & Pinto, ap-
pellados os curadores flscaes da massa de Fran-
cisco Jose da Costa Guimaraes.
Embargos infringentes.
Do RecifeEmbargante a companhia Drainage,
embargado Joaquim Dias da Silva Guimaraes.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellacao eivel.
Do Recife.Appellante a fazenda, appellado o
visconde da Suassuna.
Do Sr. desemMrgaJor Mjtta ao Sr. dosemuar-
....J.r Souza Leao :
Appellacao civel.
Da Imperatriz. -Appellante Manoel Ferreira dos
Santos Nelto, appellado Zeferino Lopes de Barros.
Do Sr desembargador Almeida Albuquerque
ao Sr. desembargador Motta:
Appellacao civel.
Do Recif^.-Appellante Maria Antonia de Faria
e Silva, appellad03 Adolpho Belpech e outros.
Appellaijao commercial.
De Mamanguape. Appellantes Francisco Cor-
reia de Mello e outros, appellado Joaquim Fran-
cisco de Almeida. g
Ao Sr. desembargador Accioli:
Appellacoes crimes.
Do Pilar.-Appellante Antonio Pereira Maciel,
appellada a justifa.
Da Escada.-Appel|jntes EsperiJiao Barbosa da
Silva e ou'.ro, appellada a juslica.
Da Imperatriz.Appellante Juliao Jose dos San-
tos, appellada a ju-tica.-
Ao Sr. desembargador Souza Leao :
Appellacao commercial.
Do Recife.Appellante o barao de Bemflca, ap-
peilados Jeronyrno Delsuc e outros.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva :
Do Sobral.Appellaote Amaro Ferreira de Car-
valho e outros, appellados Domingos Ferreira de
Carvalho e outros nerJeiros de Joao Ferreira de
Carvalho.
Appellacoes crimes.
Do Recife.Appellante Joan de Deus Eufrazio,
appellada a juslica.
De Buique.Appellante Lourenco Jose de Arau-
jo. appellada a juslica.
De Nazareth.Appellante Francisco, por seu cu-
rador, ajpellada a justica.
De Bom Jardim.Appellante o juizo, appellado
Custodio Lourenco de Oliveira.
Do Sr. desembargador Domiugues Silva ao Sr.
d??embargador Souza Leao :
Appellacoes civeis.
Do 1'enedo. Appellante Joao Antonio de Sj
xas, appellada Anna Victorina da Rocha.
Appellacao crime.
De Qaricury. Appellante o juiio, appellado
jeverino Torquato dos Anjos.
Diligencia civel.
Ao Dr. curador geral :
Da Anadia.Appellante o juizo, appellada Mar-
ceiiaa, por seu curador.
Do Rjcife. Appellante Francisco Antonio
CorrAa Cardozo, appellada Maria Antonia.
Do Recife. Appellante Joauna, por seu cura-
dor, appellado Polycarpo Juie Layme.
Assignou-se dia para julgamento dos segumtes
feitos :
Appellacoes crimes.
De S. Joao. Appellante Bernardino Nogueira
de Carvalho, appellada a justica. Appellante o
juizo, appellado Luciano Marques Gomes.
Do Cabo. Appellante Francisco Caetano Rt-
beiro, appellada a justica.
Appellacoes commerciaes.
Do Recife. Appellante Adamson Howie & C,
appellado Antonio Valentim da Silva Barroca. Ap-
pellantes herdeiros de Miguel Archanjo de Figuei
redo, appellados os administradores da massa fal-
lida de Manoel do Amparo Cajd.
Embargos infringentes.
Embargante Jose Joaquim Pereira, embargado
Antonio de Souza Rego.
DISTRIBUIQOES.
Recursos crimes. /
. Ao St. desembargador Reis e Silva :
Da Boa-Vista. Recorrenle o bacharel Francis-
do Santiago Accioli Lins, recorrido Joaquim Pinto
da Costa.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Dj Recife. Recorrente Alfredo Belpech, re-
corrido o juizo.
Aopeliacdes crime*.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes:
Do Recife. Appellante Jose da Silva Ferreira
Junior, appellado Manoel Carroll.
Ao Sr. desembargador Loorenco Saniago :
De Aguas Bellas. Appellante o juizo, appella-
des Antonio Salomao Feijo e outros.
De.Pedras de Fogo. Appellante Lourenco
i -nto da Silva, appellado Domingos Gaedes de
\ asconcsllos.
. Ao Sr. 4estmbargador Reis e Silva :
De Caruard. Appellante Joaqaim Fracisoo
da Siiva, appellado Carlos Muniz de Mello.
De Limoeiro. Appe.'lanje o juizo, appellado
Jeremias Damaseeno de Mello.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque:
Do Recife. Appellante Jose de Almeida Ra-
bello, appella io Antonio J>.-e Duarte Coimbra.
De Garanhuns. Appellante o juizo, appellado
Antonio Salgado de Vatoencellos.
Ao 8r. desembargador Accioli:
De Buique. Appellante Simplicio Alves de
Lima, appellada a justica.
Ao Sr. desembargador Domingues Silva:
De Agaas Bellas.- Appellanta o juizo, appellar
do Manoel Bezerra de Araujo.
Ao Sr. desembargador Sauza Leao:
Do Cabo. Appellaote Jose da Silva Casemiro
Guimaraes, appellado Manoel da Rocha.
Appellacdes civeis.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago :
Do Recite. Appellantes os administradores 4a
massa de Macbado & C, appellado Adamson Howje
Ao Sr. desembargador Reis e Silva:
De Olinda. -' Appellante Joao Bernardino Bote-
lbo, appellado Paulo Jose Gomes & Costa.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do Recife. Appellante Francuce Manoel de
Sousa uli-eira, appellado Domingos Jose da Cu-
nba Lages.
Ao Sr. desembargador Motta :
Do Recife. Appellante Antonio joaquim de
Vaseoncellos, appellados Cardozo & Irmao.
Encerrou-se a sessao ate meia bora da tarde.
gtjerra ; nlo e coin o sabre e o earinie que os
pa'rtldos l<*gitimm se para o poder.
Sdde prpdentes e razoaveis, mores' frotinoiitr
nos,; nao e de boa politic* destruir caminhar
para o desconbecido.
Censurai os actos de-governo, mas corrt/ostica,
respeitando sempre as iutencfiies e so assim tereis
direito a ser acreditados.
AinJa ha poueos dias publicastes am discurso
do senador Saraiva em que elle concitava a seus
amigos a terera fe na propaganda paciHca e di-
zja :
a E' preciso nao perder a fe, porque sem ella
nsda se conseguira na difflcil e gloriosa senda que mido Jireito, e entao Sr. Pelagio Ibe darei a res-
a idea liberal tracou ao nosso^artido. posta.
Portanto fazei propaganda honesta e pacifica e E' falso e torpe dizer aquelle homem ter-me
chamado a con^iliagao para urn tal ftm, a menos
que fosse ella procedida la por Gamelleira.
Recife, 28 deoovembro de 1874.
10 assim o poder vos cbegara uaturalmcnie.
'UBLICACOES A PEDIDa
Tribunal do coiterolo.
ACTA DA SESSAO DE 30 DE N0VEM8R0 DE
1874.
PRBSmBNCIA DO KM. SR. OONSKLHKIBO ANSRLMO
rRAMClSCO PBRKTTI.
A's 10 horas da manha, presentes os Srs. de-
putados secretario Olinto Bastos, Lopes Machado,
Alves Gaerra, e o Sr. sapplenle Si Leitao, S. Exc.
o Sr. conselheiro presidebte abrio a sessao.
Lidi, foi depois approvada a acta da sessao ante
cedente.
is Srs. Guerra e Sa Leitao. declararam que ti
nham reclamacoes a lazer a respeito do deferi-
mento da petigao de Jose Alves Barbosa Junior.
IXPKDIE.NTK.
Offlcios:
Da secretario do tribunal do eommercio da
capital do imperio, acompanbando a relacao
dos commerciantes matriculados naquelle tribunal
durante o mez de outubjj proximo passado.-O
tribunal mandou archivar.
Do presidente e secretario da junta dos correto-
res, remettendo o boletim das cotafoes offlciaes da
semana de 23 a 28 do corrente. Mandou se ar
chivar. ,
Foi distribuido o livro diano de Fernandes,
Carvaiho & C.
DBSPACBOS.
Requerimeutos :
De Primj Pacheco Borges e Manoel Pacneco
Borges, soliciiando o regiatro do seu contrato so-
cial junto.Vista ao Sr. desembargador liical.
De Penna Junior & C, pediado que se declare
era seu livro copiador faltar a folha38l. -FaQa-se
a uecessaria declaraeao.
De Araujo & C, requerendo transferencia do
livro diario que servio a firma Alheiro 4 Araujo.
Como requer.
De Julio Isaac, impetrando que sa iue conceda
permissao para escripturar no livro diario que foi
rubricalo para Natham Dioheisser, feita a ueces-
saria declaracao do diario de penbores. Diga a
secretaria.
COM 0 P.VRECER FISCAL.
Wo se jwverBa os pevos eonj 63 eJemeules 4 dejles nsqu desse direito, e ao conlfurb sempre'c*eiaiw reoetftopara toias as eofernridaeejpul-
jtspeitsram o -domioin e posse do-raea aoteeessor
e% uDhado delles o iufeliz Portlner, tssim como
o nwo tftreito e posse torn a- referida preprieda-
de ; e-por mo aao se teem elles enwlytdo com
a aceio de despejo qae movo cobtr*' o rendeiro
qae m ohei.
mooares, o allivTa/ia e cararia dentro dto rtrlo
espjtco de viate e quatro horas
W naiivos do Mexieo eonheeiara perfeiumeuie
as exiraordinarias rirtudes medicinaes da arvore
da qaal se exlrahe e^ta maravHnosa preparacao,
e em o sea grande remedio favorito em todas as
Da que 6. poisy coosenhor esse Pelagio ? Sera [ enfermidades da garganta e do* pirtmdes.
do direito e acgao que por vertura viessem a coin* 0 Peitorat lie Anacahuita, nao tern sen igna
petir aos meus diCos canhados ? I ent-e todos 6s puimonicos da maleria mediea, e
Isto constitue uma extravaganeia de tal qnilate, por isso pode-se Ibe ehamar com toda a proprie-
que deixarei sem resposta para nao offender a dade e razaoo onico remedi) digno de nome.
quem entende bem do negocio.
Venh. aos tribunaes^ litlgae sobre ese presu-
O papa e os maconn.
Sob este titulo publica o Tablet jornal ioglez ca
tholico o seguin'.e:
A antiga nisloria da ter sido o santo padre ma
con tem sido objecto dos jornaes inglezes.
A primeira versao, se nao nos enganamos,
Basiliano de Mat/alhaes Cattro.
Inveja.
i Leudo por fatalidade a noticia com que a fo-
lha Comnurcio a Betalho de 27 de noverabro lin-
_ do, se mostra tao irada contra o portuguez Pran-
f i, Cisco Jose Alves Guimaraes sobre os nacionaes,
PeticOes :
De Fernandes Carvalho 4 C, pedrado o regislro
do seu contrato social annexo.Satisfaca a exigen-
cia do parecer Usual
De J036 Francisco de Souza, Bernardino Fran-
cisco Junqueira, Uibano Jo?6 de Souza, registro
do seu distrato social.?roceda-se ao registro nos
termos do decrelo n. 4,394.
0 tribunal resolveu que fosse ouvido o agente
Pinho Borges a re3peito do leilao annunciado no
Jornal do Recife de 29 do corrente para hontera
(domingo 29) contra o que dispoe o decreto n. 808
de 10 de neverabro de 1851, art. 36.
Reclamando os Srs. supplenle Sa Leilao e depu-
tado Alves Guerra contra o voto do Sr. secreta
rio, que hi inserto na acta da ultima sessao, so-
mente porque pods o mesmo veto dar lugar a en-
tendcr-se que um commerciaute que esta fora do
eommercio, mas no exercicio pleno dos seus di-
rellus ti>ia r polilioo.', ui > poia spr VOtaiin r>ara
deputado dos tribunaes do wamerso, quamio o
contrario dispoem os arts, li e 13 do titulo uqico
do codigo. 0 tribunal decidioque, de coaformi-
dade com as disposicoes desses artigos, 6 que deye
ser eatendido o referido v to do Sr. secretario,
que propriamente nao .tocou nesta especie ; de-
clarando o Exm. Sr. conselheiro presidente que
limitou-se a deferir a preteucao de Jos6 Alves Bar-
bosa Junior no seoiido de ser elle admittido a TO-
UT, como unicamente havia requerido. no oollegio
commercial que tem de rennir-se no dia 4 do fu-
turo dezembro, e que para esse deferimeoto o
mesrac conselheiro presidente baseouso no que
dispoio art. 3. do decreto n. 696 de 5 de set.m
bro de 1830 e adoptou os fundamentos da resolu-
cao do conselho de estado em aviio n. 311 de 10
de julho de 1863.
Nao havendo mais nada a despachar, o Exm.
Sr. conselheiro presidente encerrou a sessao as i 1
horas e i\i da manba.
que sua aantidade (ez'-se mac-m em sua mocidade, dir Ibe hei qu&l o naeionai que tenha urn cc racao
quando esteve na America Isto fji contestado e
refutado.
A ssgninte allega.;ao foi, que pile entron para a
maconatia em Messina ; e recorreu-se a uma loja
Americana, julgamos, que^ da Philadelphia, para
saber-se, se era isto verdade. A loja Americana
communicouse coin a loja de Messina, e recebeu
uma coairadieao de'todo oTacto, a qual foi pn-
bjicada.
A ultima forma que se deu a esta historia, e,
que o santo padre entrou para a maconaria em
Palermo, em 1826, cuja loja teve a coragem de
inlima-lo a responder pela culpa de ter excom
mungado seat irmaos, isto e, da ter renovado as
censuras impostas a esta sociedade secreta pelos
seas predecessores; e que depois da iostigacao
daquellas censuras espirituaes contra os macon<
do Brasil, a loja enviou-lbe segunda e lerceira in
timacao, e passou-lhe decreto de expulsao.
Este d-'creto e agon publicido na folba official
dos raacoos de ColTgne, e traz nelle uma i ircum
stancia notavel a fzer saspeita-a assigaatura do
rei Victor Emmanuel, como grio raestre do orien-
te da Italia.Entretanto acontece. que a data es
colaida e por si. so a melhor refutajao da tal his-
toria.
0 joven padre D. Giovadi Mastai chegoa em
Roma de sua missao diplomatica no labile, para a
qual foi no.ueado em julho de 1825, e devotou-se
imraediataraente ab euidado dos doenies do hospi
tal do Espinto Santo. Eile foi era segaida no-
meado director do Ospisio dell' Assunta, a logo
depois do asylo de S. Migunl em Ripa, comraura-
mente chamado deTata Giovant-e perraaaeceu
em Roma occupado com estas obrigacoes, at'd que
foi nomado arcebi-po de Spoleto, em cuja se foi
sagrado em maio de 1827.
E*, portanto, inteiramente impossivel, que elle
podease ser iniciado co no macon em Palermo em
1826 ; e no3 nSo leriamos tido o trabalhi de con
tradizer uma mentira tao clara, se nao tivesseaios
recebido muitas cartas chamando nossa attencao
para tal declaracao. .
E* preciso igualmente ob3ervar se, que o decre-
to majouico ou supposto decretonao da o n>-
me de baptisrao da pessoa. que sa allega ter sido
ioiciada ; p jre;u suinente falla d -lla como < um
homem chamado Mastai Ferrete>: e portanto mui-
to possivel, q:i' qualquer outro raerabro de ama
familia sulDcianlemeole numerosa podesse ter en-
trado para a maconaria mqualle tempo e lugar ;
porem nao ha ra?ao alruma para acreditar-se que
assim tenha acontecido.
iiOMMERCIf!.
POLITICA
Proles to.
A rlirecgao da Associate- Conrnercial
Beneficente, entenile de seu rigoroso ilever
vir pelo presents declarar ao publico, que
rjhda tem de cotrimum com o prote6to qun
ha dias se espalhou nesta cidade e que se a-
cba transcripto no jornal Provincia a. 435
de 29 de novercbro do corrente anno.
A direcc5o da Associaijao Commercial
mais de uma vez tem dito que na defeza
dos direitos de seus associados nao Ibes
inspira odios partidariosou suggestoes po-
litioac
0 ftm desta corporaea) e pngnar pelos
interesses da classe de que e representante,
e nao crear diliiculdades a qualquer govor
no, ou alimentar odios partidarios.
Neste proposito representou contra os
irapostos dos generos de estiva e ha de re-
presentar sempre que julgar olTendido o
bem estar do eommercio ; assim como nao
se recusa a louvar, qualquer quo spja o
governo que attender as suas justas reclama
goes. E para que malevolamente nao se
preteada tirar partiuo do silencio da Asso-
ciagao nas actuaes condigoes, declara ella
que nada tem que ver com o alluitdo pro-
testo, asssim como condemna os roeios vio-
lentos, como os menos proprios a obter os
fins a que se propoe.
Sala das sess5es 1. de "dezembro de
1874.
tao amante aos brasiteiros 'como Guimaraes ? to-
das estas quatro lojas presentes, e mais oulras
3ue teve, como diz o Vigia, elle as possuir, sao to-
as Jadas por protecgao aos nacionaes com seu
interesse tamoem, e verdade ; mas, aponta-rae o
Vigia, que nacioual foi que o iuiitou ate boje ?
Nenhum cerlamente : portanto, seuhor rabiscador
da hoara alheia, de o sen a seu douo, e nao tenha
paixao deqiiem tem valor.
0 admirador.

Duns puU\nt8 sobre a prctenilida
villa a a L'eilra.
Elevada a caineg ria de villa a poyoapao da
Pedra, eite anno, por aao da assemblea provin-
cial, afjoal hoave por bem a presidencia la pro-
vincia recusar-lbe a sua sanccao.
ionsta que, a proposito dessa preteudrda erea-
1,-ao de villa, alguenj, a* capital, e fora della pre-
lendea servir-se como de manelo politico.
Com etleito, conposta esta fregnezia, em sua
quasi totalidade, de conservadores. nao eram estes
indifferentes ao olvido porque passavam certas
necessidades locaes, a qua cumpria prever, e d'ahi
a causa de arrefeciinentos e nesitacao em sua
marcha polilica. Entretanto, realisada a rocusa
da sanccao sobrediu, veio este facto despertar-
Ihes Ideas qua ainda se acbariam como em em
bryao, e por contequsneia remover os torpedos
do curso do rio por oode poderao seguir.
A idea da creacao de uma villa aqui jaraais
podera ser consideraia como uma mesquinha as-
piracao ; a ella se liga nao so o progresso da
locahdade, mas tambein o desenvolvimento do
bem publlcd, qne como' 6 evidente, se identified
com o progresso.
Malogrado. porem, esse des:gnio, o sea impro-
Qcuo resultado nao fez e .neni fara attingir ao
aviltamento e a abjeceao o animo daquelles que al-
mejavam o interesse publico.
Portanto, nada lhes resta senSo permanecejem
satisfeitos pela razao inconcussa de que nao e
pela falta de seu concurso que succumbs a causa
do bem publico.
Pedra, 23 de nov.embro de 1874.
Um dos twwjoi do progresso.
h publico.
No jornal Provincia, de 6 do ou'ubro do cor-
rente anno, se Id um communicado no qual sou
vilmente atassilhado, bem como tninh* esposa
Secuudina Pimentel Evangelists, na qualidade de
professora interioa d'esta villa, por um carrespon
dente qua usou das iniciaes B. B. que podia
ser tornado no sentido de Bacharel Burro, ou mes-
m i ou'.ro qualquer Burro da Burrinha.
Nao devia descer de meu viver pa;ifico para
responder ao animalejo autor de am tao porco
communicado, se por ventura elle se occupasse
udicainente Je mim, mas tendo se occupado igual-
mente de minba senhura por uma maneira gros-
seira e calumnio alto da iiiipieii-.i pr.itestar contra taes aleivisias,
so proprias de um espirilo incouvenicnte e de-
tractor.
E' tao impotente a accusacao feita a rninha s6-
nbora, de iotligir ella casligos immoderados as
suas discipulas, que nao desco a uma justificagao,
taato 'pais quaude ne.-t.i terra costuma uegir-se
attestados 'para TOsiueaiu n> t .a....
nao se deram.
A professora d'esta villa, quasi nuaca inllige
casligos as suas discipulas, e quando se ve obri-
gada a assim proceder, o faz com toda a modera-
cao: appello para os pais de familia cujas filhas
frequenlam a eseola femiuina d'esta villa.
Se por6.n algum mais grave entender que a es-
eola deve ser urn cadinho de excepcSos, e que
suas liihas devem contar sempre com a impuni-
dade de sua3 faltas, retirem-nas porque a dar-se
igualdade eotre meuinas oa memnos livres, nao
pode haver foro priviiogiado.
Concluindo, supplico a qualquer que tenha assi-
gnado o porco coinmunicaJo da Provincia, que se
nao se valeu de algum miseravel testa da ferro,
qusira assignar ssu nomo, aBm de provar as ca-
lumnias que avancou.
Ouricury, li de novembrode 1874.
Antonio Estolano Maria Seixas.
JUNTA DOS CORRETORES
Praea do Recife, fl de dezemfcro
de 1*74.
AS 3 HORAS DA TARDE.
COTACOKS OFriOlAKS
Algodao do sertao I* sorts especial 7o00 p"T
15 kilos.
Algodao de Mossord V sorte 7*300 por 15 kilos.
Cate do Rio de Janeiro- 2* sorte regular 8*(KK>
por 15 kilos, bontem.
Oeseonto de letras 12 0|0 ao anno, hontem.
0. de Vasconceiios
Presidente.
A P. da Lemos,
Seeratarto.
4LPANDK0A.
Aandirasmo do dia 1 .
4.7o9*2o0
PillTiau CO^ISEIIVAOOU
RECIFE, 2 DE DEZEMBHO DE 1874.
E' inutil esperar justica do adversarios odientos
e rancoro3os como sao os provincianos.
Perdidas as esperancas de subirera ja ao poder
pelo3 meios legitimos, nao trepidam em langar
mao de linguagem aoarchica a revolucionaria.
Homens foucos !
Homeas inconseqaentes I
0 qae pretendeis t
Quaes sao as ideas em nome das quaes preten-
deis conquiitar o poder 1
Quaes sao vossos chefes ?
Em vosso jornal, provincianos, tudo e mysti-
ficagao e desordem ; ninguem sabe qual e vossa
politica, que principios aceitais, quereforraas pre-
lendeis realisar !
0 que shi se nota 6 a ausencia completa de
unidade de pensamento ; e a incoherencia e a
contradicao, as vezes at6 no mesmo artigo.
Vos, provincianos, nao representais certamente
o partilo liberal, cujos chefes estao era opposi-
cao as ideas subversivas e anarchicas que Boston-
tais.
E seuao vede a profunda divergencia e scisao
que vai lavrando entre vos ; yede como liberaes
sinceros vao protestaudo por todos 03 modos con-
tra vossa politica.
0 Jornal do Recife, esse iraportante orgJo da
imprensa pernambucana, cujas ideas poluicas sao
tao conhecidas e que sempre ?e manifesta com
franqueza e lealdade, tem, por mais da uma vez,
em nome do partido liberal, vos corabatido.
0 Club Popular, sociedade eminentemente libe-
ral, estabelecida para educar e instrair o povo,
que tern como directores Texeiras, lacobinas, Bel-
forts, Britos a tantos outros cidadaos illustres que
sempre militaram no partido liberal, nao faz
causa commum comvosco.
Qaereis exemplo ainda mais vivo, mais signifi-
cative ?
Abt esta o bonrado Sr. conselheiro Silveira de
Souza, que nao faz mysterio da sua divergencia
em ponto capital, em questoes 6rias e graves, e
al na ma direccao que.tendes dado a politica.
E quereis representar o partido liberal ?
Nao, o partido liberal esta abi representado por
Souza Franco e Nabuco, de quem 63tais divercia-
dos na questao cbamada religiosa.
Ou antes: nao estais divorciado3 de ninguem,
porque em verdade nao tendes ideas assentadas
sobjo cousa alguma; o vosso jornal, prouincjanos,
e uma verdadeira babel.
Todo vosso peasamenlo esta concentrado em nm
ponto untco, a voesa id6a exclusiva 6 o poder.
Para isso empregais tados os meios : a injuria,
o insolto, a diffamaQao, o sophisma ; tudo a a-
citd em vosso pensar.
E os provincianos, para se justificarem, dizem
que a politica 6 como a guerra, e que portanto
p.dera escarneeer e zombar dos homens e ridicu-
farisar oa institutes.
Oude se vio um jornal, que se diz orglo de am
partido pregar tao extravagante doatrina 1
A gaerra & o exterroinio, a deatroicao, o cahos ;
a polilica, pelo contrario, e a paz, a ordem, a pro-
paganda de prlocipios e ideas generosas.
Joaquim Lopes Machado,
Presidente.
Joao Jose Rodrigrues Mendes,
Vice-presidente.
Manoel Gomes de Mattos,
Secuetario.
Antonio Jose da Silva do Brasil,
Thesoureiro.
Airiano Augusto de Almeida Jurdao.
Carles'A. Paterson.
.Manoel da Silva Faria
No maravilhoso salao do andar terreo A\\ predio
n. 1 da rua da Imperatriz, observa se o appareci-
mento e desapparecimento deuraa linda e interes-
sante menina, de 14 annos da idade, verdadeira
curiosidade, digna diser vista, nao so pela novi-
dade artistica, como pela delicadeza da exeevcao.
0 Sr. Gris d Apreraont deve orgulhar-ss de pos-
suir um semelhapte objects. RsMmmendando ao
publico uma visits a esse salao, podemos garantir-
the que ahi tem tudo a gaubar e nada a per-
der.

Sr. redactor.Realmente o mundo vai era pro-
gresso ; apenas acabamos de vor a giganta, a mu-
llier phenomena que tolos admiraram, quem havia
de presumi.'que seria logo acompanhada pela me-
nina de 14 annos, que vive n'uma caixioha de 2a
centiraetros, um palmo mais oa menos
Pois a cousa e real; a moca falla, bebe, come a
passa a vida na sua caixinha : qu-'m duvidar va
ver, pas 6 am pheaomeno mais rare qua a passa-
gem de Venus, a casta a bagatella da 500 reis,
tanto'para homem como para menino.
Um amador.
Protesto.
Descarregam boje 3 de dezembro de 1874.
Vapor portuguez Julio Diniz (esperado) gene-
ros nacionaes para o trapiche Dias-
Barca portoguezaImperialvinho para, deposit
uo trapiche Cunha.
Barca portogueza Lisboavaries generos para o
trapiche Coneeicao, para despacbar
Lugar portuguez Cirf/'ui-lageamento para o ira
piche Conceicio, para despacbar.
Barca ingleza June Mariamachioismo para o
trapiche Coneeicao, para despachar.
Barca ingleza Maria bacalhao ja despachado
para o trapiche^Conceicao.
Barca ingleza Mary bacalhao ja despacha'o
para o trapiche Conceic .o.
Polaca hespanhola Francisquita" pipas vasias
para o trapiche da companhia.
Hiate nacionalNova Esperan$igeaeros nacki'
naes para o armazem d'Avila.
Vapor inglez Ariel mercadorias para alfaa-
dega.
Palhabote araericano I. Rauger kerosene
ja despachado para o caes do Apollo, e
deposito no trapiche Vieira.
Iiupoi-taetlo.
Brigae inglez Maria, entrado da Terra Nova em
30 de novembro e consigoado a Johnston Pater &
C, manifestou :
Bacalhao 3,881 barricas aos consignatarios.
Vapor amepcano Merrimack, entrado dos portos
do sul em 1 do corrente e cousignado a Henry
Forster & C, mamfestau :
Livros 3 volumes a ordem.
Barca ingleza Amoy, entrada de New-Castle na
raesraa data e consignada a Simpson & C, mani-
festou :
Carvao de pedra 402 taneladas e 16 qumtaes.
Tijolos 8,000 aos consignatarios.
Lugre inglez Zephyr, eatrado de New Castle na
mesn/a data e consignado a Saanders Brothers &
C-, manifestou :
Carvao de pedra 384 tonelidas e 5 quintaes aos
consignatarios.
Hiate nacional Neva Esperanra, entrado de
Aracaty e Macao na mesraa data e consignado a
B-rtholomeu Lourenco, manifestou :
Algodao 24 saccas a Luiz Goncalves da Silva &
Pinto, 21 a Manoel da S. Pontes, 34 a Guimaraes
Irmao \ C, 18 a Jose Luiz Goncalves Ferreira &
C, 17 a Manoel Marques Pinlo.
Gomma de mandioca 20 saccos a Manoel A.
Barboza, 10 a Joaquim Ferreira Mesquita.
Palba de carnauba 100 molbos a ordem.
Sal 200 alqueires aos consignatarios.
Velas de carnadba 15 caixas a Luiz Goofaltea
da Silva & Pinto.
DE3PACHOS DE EXPORTACAO NO DIA 30 l)r
OUTUBRO DE 1874.
.. Darn, nt, nnrtos do exterior.
No vapor inglez VanguAa, par* u ^aUa.,
carregou : J. Pater & C. 4,0o0 saccos com 300,000
kilos de assucar raascavado.
No navio inglez Jane Hoad, para o Canal,
carregou : J. Pater & C. 821 saccos com 61,575
kilos de assucar mascavado.
No vapor porluguez Julio Diniz, para Lis-
boa, carregou : Amorira Irmaos & C. 300 saccos
com 22.560 kilos de assucar bran:o e 700 ditos
com 52,500 ditos de dito mascavado ; J. A. Silva
Anujo 1,003 cocos (fructa) ; S Guimaraes & C.
500 saccos com 37,500 kito! de assucar branco e
350 ditos com 26,250 ditos de dito nascavado :
para o Porto. Lapa Primos 3 barricas com 6*6 di
tos de dito branco.
. Na barca portugueza Grattddo, para Lisboa,
carregou : S. Guimaraes & C. 30 pipas com 14,400
litros de aguardeute.
No lugar portuguez Julio, para Lisboa. car
regou : J. C. Goncalves 500 saccos com 39,300
ki'os da assucar mascavado.
No navio portuguez S. Lourenco, para a llha
de S. Miguel, carregou : J. P. de Mello ( barnca
com 70 kilos de assucar branco e 1 sacco com 70
ditos de caf6.
Na barca nacional Claudia, para o Rio da
Prata, carregou : Amorim Irmaos & C. 200 barri
cas com 20,735 1[2 kilos de assucar branco.
Paro os portos di interior.
Para o Rio Grande do Sul, na eseuna Bads-
nal Cysne, carregou : Amorim Irmaos 4 C. 325
barricas com 34,502 kilos de assucar branco e 100
ditas com 11,651.1)2 ditos de dito mascavado.
Para Urugnayanna, no brigue hespanhol
Principe, carregou : M. L. Paes Barreto 10J bar-
ricas com 12,363 kilos de assucar branco.
Para o Natal, na barca;a Dous Amigos, car-
regou : B. Oliveira & C. 6 barricas com 510 kilos
de assucar refioado e 1 sacco com 75 ditos de dito
branco : para Mossoro, 1 barrica com 60 ditos de
dito refinado.
Para Alagoas, na barcaca Uniao, carregou :
B. Gomes & C. 3 barricas com 180 kilos de assu-
car refinado.
NeWCasDe-37 dras, barca ingleza Amry, del!9
toneladas, capitao Parkmao, equipagem II, ca -
ga carvao; a Simpson & C.
New Castle-SO dias, liigar inglez Zephyr, UW
toueiadas, capitao Stronech, equipagem 10, car**
carvao ; a Saunders Brothers 4 C
Porlo-40 dias, barca oertugueu Lisboa, d 1
tooeladas, capitao Manoel Jos< de Azevedo, eqni-
pageni 19, carga differentes generos ; a Tito Li-
vio Soares.
Ri. de Janeiro25 dias, barca fraoceza VUle Diep-
pe, de 240 looeladis, capitao Labalie, equipage
II, em l.istro ; a ordem.
Cardiff-49 dras, barca mgleza Titranafl, de 9(4
toneladas, capitao William Munn, equipagem I)
carga carvao ; a Johnston Paler <& C.
Glasgow por Lisboa-23 dia*. vapor inglez Jbril,
de 722 toneladas, ommandante W. Brown, e-jm
pagem 26, carga varios generos, a Simp**
4C.
Macau10 dias, hiate brasileiro Nota Etptran-
ca, de 57 toneladas, capitao Joao C de MeU .
eqnipigem 7, carga aljodio e outros generos ;
a B. Lourenco.
Rio de Janeiro e Babia6 dias, vapor p-.rtugwt
Julio Diniz, de 880 toneladas, eommandaote Jo-
quim Jose R. Contente, equipagem Sf, carga
varios generos; a E. R. Rabello 4 C
Navioa sahidos no met mo dia.
Rio- Grande do Sul-brigue escnna Cytme, cap Kir
Jose M de Almeida, carga usaear.
Rio de Janeiro I'atacho brasileiro Kirof, capita >
Joaquim Martins de Souza Loko, carga aesi-
car.
New York e norths intermedios -Vapor :.umti<-4S>
Merrimack, coicmandante Slucum, caiga in-
ma que trouxe do* poit >s do sol.
i'CTp|eS-
CAPATAZIA DA ALl'AKDKGA
iqimanto do dia 1 58^419
VOLUM&s SAE1DGS
Mo dii 1
Primeira ports .
Seganaa ports
Terceira porta.....
T;picte Ccnceiiio .
112
87
107
888
1,194
Protesto com toda a forca do m u direito con
tra o annuncio inserto no Diario de Pernambuco,
de 27 do corrente, e assignado por Joao Chrysos
tomo de Oliveira Pelagio, ( bera conhecido em Ga
melleira ) qae agora pretende tec achado uma no-
va mina a explorar.
Se esse homera cuidasse mais dos seus deveres,
e menos de especular com a*boa f6 alheia, certa-
mente qae nao s$ afontaria a vir em publico, de-
clarar se consenhor de minba propjiedade Pon-
ve dos Carvalhos.
Meus canhados hoje reconhecera a sabem, que
oio teem direito nenhum a dita propriedade, e
tanto assim 6, que elles mesmos declararam em
esotiptora datada de 3 da outubro de 1871, que
transferiam o direito e occao que por ventura lhes
competisse sobre dita propriedade, vendendo as-
sim, pois, uma cousa qua elles suppunbam litigio-
sa, sendo essa venda aceita por Pelagio sob essa
raesma condicao
Portanto, nao venderam coasa, mas direito e
accSo, qae por Tentura viessem a ter sobre aqael-
ra propnedade; direito e accio, qua meus nltos
Os abaixo assignados commerciantes deita pra-
^a e exportadores de aljodao, considerando ser
necessario para regularisar de modo mais conve-
nient o negocio de compras d'algodao, em vista
das constantes e-geraes^eclaraacoe* que tem tido
de seus correspondentes da Europa, estipularam
entre si o seguinte :
Art. 1." Recouhecendo-se pela experiencia que
a tara estabelecida ate agora 6 na malor pane dis
saccas insulllcienle, e desejando adoplar uma base
mais regular e justa, tem conveucunado que djs-
de o 1 de Janeiro proximo futuro, a tara sera de
3 0/0 dedozidos do peso bruto, nao devendo o pe-
zo dos cipos exceder de 3 0/0. Qualquer excesso
no pezo dos cipos sera augmentado na tara ; por
exemplo :Se ama sacca de 70 kilogrammos bru-
tos tem de cipos 3 kilogrammos, a tara era vez
de 3 1/2 kilegrammos^que sao os 5 0/0, sera de
4 40/100 kilogrammes, desde que os cipos s6 de-
viara pezar 2 10/100 kilogrammos.
Art. 2." Pa/a execucao do aitigo anterior, se
nomeara uma coramissao de ires dos signatarios,
para que se dirija a todos os recebadores de al- .
godao, communicando-lhes este convenio e pe- '
dindo-lhes facara tomar e marcaro pszo bruto das
saccas quando entrarem aos depositos.
Por assim estarem d'acco'rdo, prometlem fazer
firme e valioso o presenle conrenio que assignam
em '.
pernambuco, aos 9 de novembro de 1874.
Keller 4 C.
Mills Latham & C.
(P. P). E. A. Burle & C.
Henrique Burle.
(P P). Saunders Bro's 4 C.
Thomaz M. Connau.
Borslehnaiin* C.
Johnstou Pater & C.
Adamton Howie 4 C.
Harismendy & Labille.
i ereira Garneiro Maia 4 C.
Oliveira' Filbos 4 C.
Amorim Irmaos & C.
Augusto F. d'Oliveira 4 C.
(P. P). Simpson 4 C.
C. A- Patterson.
Tito Li vio Soares.
E. R. Rabello & C.
Fernandes da Costa & C.
Jose da Silva Loyo & Filtao.
(P, P). Silva Guimaraes.
M. 8. flaimaraes-
J. Monteiro da Cruz.
Theod. Christiansen.
Baltar F. Oliveira & C
Joaquim J. Goqcalvee Beltrao 4 Filbo.
>. 11 .-Como ct Vmr, de sua
losae |Ssla parguuta e feita dianamente com
benefica solicitude a milhares de pasioas, e no
entanto mpito melhor seria sa os perguntantes
indicatsera omeio de conseguir am allivlo mme- -,#r/i^n n
diato e segBre,Tecoromendando aos seus am.gos Pfavtos entrados no dm ir
enfermos, o Peitoral de Anacahuita, porque ainda Rio de Janeiro e Bahia-6 dias vapor amencano
mesmo e embora que o padecente houvesse ealado I Xemmack, de 2,200 toneladas, commandante
soffrendo durante semanas ioteiras de uma tosse 1 Slocum, equipagem 60, carga varios generos
SEIWICO MARHiJiO
oarengas descarregadas no trapiche da
a'.fandesa.
dia 1.......
trapicbe tioncei^-o
UCEBEDORLA DS
RAES DE
isnuimonio do dia 1
RE.NDAS LNTtRNAS GE
PEP.NAMEUC--
. 1:959*216
CONSCLADO PHOVtKCIAb
^scdimento do dia I
4:966*679
RECIFE DRAINAGE
tlendimento do dia 1
idem do dia 30......
40:612*819
7:506*048
48:128*867
8VIMENT8 90 PORTS
cunhados nao teem, e tanto qne ate hoje netrhum' twlenta on de -nma toastipacaj fortissima, este I a Henry torster 4 c.
Coosuladi) pruvinriaL
Para scienci^ dos cmtribuiules do imnosto da
decima nrbaoa a os til itos l^aea, eta lagntf
publicam se as alier.i.-'.i-s vi-riticadas no laac>-
menlo do niesnio mh|4*m no corrente anno hnar -
ceiro da 1874 a If ".'>. i.-.i'i io aberi) o prazo ce
30 dias, uos term is ,i. an. 38 do regulameo')
de6de abril do corrente anno, as reclama co *
que por ventura rossani ter a fazer os iniere-
sados.
Alteracoes feiias do lancamenlo da decima orb i-
na da freguezia de S. Jo-e, no exercicio de 187i
a 1875, pelo lancador Izidoro Theodnlo de Mat-
tos Ferreira.
Becco de Jose Ignacio.
N. 1. Jose Ignacio Ferreira Rabello,
uma casa terrea raei'agua, arrenda-
da por
N. 3. 0 mesmo, uma casa terrea meia
agua, arrendada per
N. 5. 0 mesmo, uma casa terrea meia
agua, arrendada por
N. 7. 0 mesmo, uma casa terrea meia
agua, arrendada por
Becco do Macedo.
N. 4. Jo.-e Macedo Lopes, ama rasa
terrea por
N. 6. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada por
N. 8. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada por
N. I. Antonio Jose Pinto Lapa, uma
casa terrea por
N. 3. 0 msrao, uma casa terrea arren
dada por
Travessa do Gusmii.
N. 2. Manoel Paulo de Albuquerque,
uma casa terrea por
N. 4. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada por
N. 6. 0 mesmo, uma eaaa terrea arren-
dada por
N. 8. 0 mesmo, uma casa MM MN>
dad_a por
Becco da Matrir.
N. 4. Bernardo Jose da Rxha, uma ca-
sa terrea por
Travessa do Lima.
N. 2. Joaquim Antouio Pereira, uma
casa terrea arrendd. por
N. 4. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 6. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 12. 0 mesmo, uts casa terrea ar-
rendada por
Travessa das Formosas.
N. 2. Joii Carneiro R. Campello, uma
c 'sa ici ic i'..i
N. 4. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
N. 6 A. 0 mesmo, umi casi terrea ar-
rendada por
N. 1 A. Amaro Jose dos Prazercs, uma
casa terrea por
N. 1 13. 0 mesmo, ama ca-a terrea ar-
rtndaJa por
Luiz de Mcndonca.
N. 20. Maria Amel: d'i Rego e outros,
uma casa terrea arreudada por
N. 3rf. Jose Francisco Branda-, uma
ca-a lerrea por
Bravasaa lo VUUca.
X. 5. Domingcs Ar.liues '.".Kara, uma
casa terrea por
Via Ferre:
N. 2 A. Joaquim de Almeida Gomes,
u-na casa terrea por
N. 2 B. 0 mesraa, mta casa t-rrea ar-
rendada oor
N. 4. Jos6 l-'rancisco de Souza Lima,
uma casa lerrea por
N. 24 A. Amaro lotfl Am Praaete*, uma
casa terrea par
X. 24 B. 0 memo, Ml casa lerrea
arrendada por
N. 24 C. 0 mesmo, uma ca*a terrea ar-
rendada por
X. 24 D. 0 mesin>, UM casa l rendado por
X. 24 E. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendala por
X. 24 F. 0 mesrao, uma casa terrea ar-
rendada por
X 1. Manoel Cypriano Ferreira R'ibell?,
uma casa terrea arrendada por
X. 3. 0 mesmo, uma casa terrea arren-
dada por
X. 9. Boaventura Oplavlano das Cca-
gas, uma casa lerrea aTendals por
Fundo da rua da Via-Ferrea.
N. 2. 0 mesmo, uma casa lerrea ar-
rendada por
N. 4. 0 mesmo, uma essa terrea ar
rendada por
X. 6. 0 mesrao, uir^a casa terrea ar-
reuda a por
fSagunda travessa de Domingos Viliaca.
X. 2. Domingos Antunes Yillaca, ama
cas. terrea arrendada^por
X 4. 0 mesmo, uma casa lerrea arren-
dada por
X. 6. O mesmo, ama casa terrea arren-
dada por
Cabanga.
X. 31 Francisco Jose da Abreu, uma
casa terrea por
X. 34. 0 mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
X. 36. O mesmo, uma casa terrea ar-
rendada por
Rua de Santa Cecilia.
X. 4. Leopoldina Cecilia Temporal, ama
casa lerrea por
X. 12 Irmandade de Nossa Senhora do
Livramento, ama casa terrea por
X. 18. Claudino Jose de Mello, .uma
casa terrea por
N 9. Antonio Fernandes Vellos<\ ami
casa. terrea por
N. 27. Mauoel Jose de Mattos ama
casa terrea com sotao, tudo arrenda-
do por
N. 41. Isabel Maria da Fonceca Soa-
res, uma casa terrea por
N. 43. Joaqaim Antonio AV Silva, uma
casa terrea por _
N. 47. Romao Jose da Silva Marques,
uma casa terrea p N. 51. Thomazia Maria de Jesns, ama
casa terrea por
N. 53. Marianna Falcio de Souza, uma
casa terrea por
Rua de Santa Rita.
N. IV Jo'6 Joao de Amorim, am ao-
brado arrendada por 8O0| para o I*
semestre
N. M Manoel Ferreira MM ViUa-
72,010
7J,0tt)
7M"0
72,000
60,0 *
60,* D
a>,o-i
60,0 0
72,00
144,0 *>
I44,0
144.6W
144,00
120,0)0
240.0)0
200,(00
168100
168,(00
>*. >..
RpW
108.C00
1 .'*,( >
I
i 92,(00
pa
m o)
72,10">
144,100
120,140
120,<00
IJO.ihO
tm/m
I20.KW
120,XO
120
1*0,1 4
85,
tos, ;oo
108,01
ICS.flW
60. m
60,000
ft,vJO
300*'-'
19J.9W
300,300
SIOOOO
444.910
I9i,0
tllJOO
180.MO
144,010
144*60
800 660
-*


wmm
mm
Disrio de Pernambuco Quart* faira 2 de Dezembro de 1874.
ca, ami casa terrea arrendsda por 38i,000
N. Si. Antonio Jose de Faria Lino, uma
casa terrea por 216,000
N. 30. Frtnefeeo Ignacio Tiaooo de
Soaza, uma casa terrea por 180,000
N. 42. Antoni'j G imm de Miranda
Leal, uma casa terrea por 360,000
N. 78. Manoel do Naseimento Santos,
uma casa terrea por 297,000
N. 88. Joa iuitu Ribeiro de Agaiar Mon-
larruyos, uma casa terrea por 240,000
iN. 96. Joao Jose Fernandas de Carva-
lho, uma casa terrea por 144,000
N. 9. Laurindo, Antonio e Jose, uma
casa terrea por 300,000
N. II. Douiingos Antunes Villaca, uma
casa terrea por 240,000
,\. 15. Arctunja Maria da Paz, uma
casa terrea com sotao, avaliada por 500,000
X. 25. Antonio Jo;e de Souza, am so-
brado de.2 andares e loja, seudo es-
ta dividida em 2 partes, tudo arrea-
dado por 1:372,000
N. 37. Catharina de Serpa Brandao e
seas fUbos, urn sobrado de 3 anda-
res e loja dividida em 2 paries, tudo
arrendado por 1:392,000
N. 35. Padre Jo6 Antonio Pereira Ibia-
pina, uma casa terrea por ~ 201,000
N. 49. Joao Biptista Rodrigues de Sou-
za, uma casa terrea por 213,090
N. 63. Manoel Jose de Mattos, uma
casa terrea com sotao, para o 2* se-
mes tre, por __________600,-009
O desembagador Francisco de Assis Olivei-
ra Maoiel., official da imperial ordem da
Rosa, cavalheiro da de Christo e juiz pri-
vativo de orpbaos e auseates da cida'de do
Recife -e sou termo, por S. M. o Impera-
dor, que Deus guarde, etc., etc.
Faco saber aos que este virem e delle live
rem conheeimeoto, que D. Isabel Ignacia deGus-
mao Villela, requereu para proceder a inven-
tario dos beta que liearam por fallecimento de sen
marido, teneote-coronel Joao Valeotim VUlel., e
depois de ter prestado o devido juramento, assu
olio o cargo de inventanante, do accesso per-
tencente ao sea casal, e descreveu os berdeiros
nelle iuleresaados, e entre e.-ies a tilha e berdeira
daquelle Onado, D. Thereza Idalina Correia Villela,
casada que foi com o capitao-tenente Manoel Mar-
lins de Araujo Castro, fallecido e representado
pelos tilbos seguiotes : Alfredo e Julia, cujas ida
des e la inveniarianle ignorava : notificados os de-
mais berdeiros para virem inicfar-se no inventa-
rio, e nao sendo encontrado os mencionados or-
ptiaos Alfredo e Julia, lilhus da precitada U. The-
reza Idalina Correia Villela, o escrivao veio com
sua representacao, a qual e do theor seguinte :
Illm. e Exc Sr. desembargador juiz privativo
de orpbaos e ausentes.De accortio com a prati-
ca em vigor, notifiquei para virem iniciar se neste
inventario a todos os interessados aqui residentes.
Deixei porem de fazel-o, quanto aos orphacs Clbos
de D. Tbereza Idalina C rreia Villela. porque o pai
e administrador uato dos primeiros, cujas idades
nao foram consignadas na descripcao, esta ausente
em lugar nao sabido, segundo me assverou o pro
curador da inveotariaote, ao passo que dos se-
gundos, acerca dos quaes destes, no tocante as ida-
des, ba a mesma falla quanto com referencia aos
outros, residero no Ceara, sem que se saiba, ao
menus, sob a luteia de quern.
coino sem nolitkacao a taes orphaos se fo-
rem maiores de 12 a 14 annos, ittento o respective
sexo e seus tutores ou a esles simplesmente, a se
nao dar aquella bypoihese nao seja licile prose-
guir os presentes feitos, pareceme levaro ex-
posto ao conbeciraento de V. Exc. Recife, 2 de
outubro de 1874.-0 escrivao, Floriano Correia
de Britto.
Indo os autos com vtsta ao Dr. curador ge-
ral, este veio com sua prcmocao, do theor se-
gyinte :
Todos os berdeiros devem ser citados para o
inventario ainda que ausentes sejam ; os pre-
sentes em suas proprias pessoas, os ausentes ten-
do procuradores na pessoa deste, em lugar sa-
bido nor meio de carta precatoria dirigida a jus-
tica do lugar onde resiJem ; e os ausentes cm lu-
Sarinceito, citados por editos, na conform id-de
a ordenacac liv. 3 tii. 8. Assim se ex-
pressa Motta Silveira, pag. 8. na sua guia pratiea
do processo orphanologico.P. e Souza not. 1,101
pag. 76 torn. 4,das primeiras linhas sobre o pro-
cesso civel.
Neste estado, pois, requeiro que seja resolvida a
materia da informacao do escrivao a fls. 18 v. Re-
cife, 15 de OUtUbro de 1874.O pnraitnr oprol
E subindoos autos arainha conclusao, nelles dei
e proferi o interloculorio doiheer stguinte :
Cite-se os berdeiros residentes no Ceara por
carta precatoria e os ausentes em lugar nao sa
bido pur edi'os que se expedirao e com o prazo
de 30 dias. Recife, 14 de novembro de 1874.
Oliveira Maciel.
Em cumprime&to do -qual se passou o preseute
edits I e com o qual cito e hei por ciados aos or-
phaos Alfredo e Julia, filbos da fioada D. Thereza
Idalina Correia Viilela, casada que foi cum o ca-
pitfio tencnte Manoel Martins de Araujo Castro, e a
este cumo pai e tutor nat) dos referidos menores
para no prazo de 30 dias, sob pena de revelia,
comparecerem ante este juizo, por si ou por seus
bastantes procuradores, afim de se dar por notin"-
cado para ver iniciar-se o precitado inventario e
os demaistermos ate ojulgam'ento de partilhas.
E para constar, mandei passar o presente, que
sera affixado nos lugares do costume e publicado
pela imprensa. Dado e passado sob men signal e
sello, ou vaiha sem :ello ex--ausa, nesta cidade de
Recife de- Pernambuco, aos 24 de novembro de
1874.
Eu, Floriano Correia de Britto, o fiz escrevsr e
subscrevo.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Ao seilo 300 reis.V. S. S. ex-causa.- Ohceoa
Maciel.
0 administrador da reoebedorla de rendas
intarnas geraes, pelo presente avisa as pessoas,
constantes da relacio abaixo transcripta, nmas
per morarem fora da cidade, e outras per se ig-
norar a residencia, que teado sido mottadas em
virtude dos arts. 33 e 33 pela ii>rrao.cao do art. 21
do regulamento n. 4'833 de 1 de dezemb ro de
1871. devem vir realisar o pagamento da rauita
3ue Ihes foi imposta, bo prazo de 30 dias, contados
a pablica^ao deste, nos jornaes desta cidade, sob
penade se procedar acobran^aexecutiva
Recebedoria de Pernambuco, 26 de novembro de
1874. .
Manoel :Carneiro de Souza Lacerda.
Relacao a que ae refere o edital supra.
Candida Covalcante de Miranda Vare-
jao, ignora-se a residencia, multa-
da em
Caeuno de Carvalbo de Mendonca Va -
rejao, morador em Afogados, roHi-
tadoem
Candida Lourenca de Lima, -resided-
nos Remedios, muitada em
Umbelina de Carvalho Miranda Vare-
jao, residente em Afugados, -malla-
da em
Paulino de Carvalho Miranda Varejao,
residente era Afogados, muttado-em
Francisca Moreira Rets fLobo,-residen-
te na Casa Forte, muitada em
Amelia Maria da Rocha, residente em
Ponte de Uehda, muitada em
Primeiro andar,
Snbstituir 2 portadas por novas, 4 peittiis de,
janellas por novos, de amarello, 1 perna de grade,
reparar o soalho, repregando onde for preciso del-,
tar ferragem nas janellas e portas, subslitoir o
corrimao da varanda e uma andabala da escada,
mudar, o primeiro lanco para licar encostado ao'
oitao do^norte, correado uma parede desde a porta
da ma ate a escada, para isolar a enlrada da es-
cada do armazem, ladriihar com lijolos de alvena-
ria balida a pane posterior do armazem, a partir
do ladrilbo de pedra existeate, a encoslar nafren-
te, coneerttr nma janeHa. Tapar oma porta qoe
sentara nma das suas melbores tcenas comieas.
Terminara o especiaculo com o muito applan-
dide duetto cantado pelo* artistas Flaviano Coe-
Ibo e D. Leopoldina.
0 meirinho e a pobre
NOVISSIMO
LEILOES.
pelo patamar da as
o sobrado com as
! cojimunica os dous sobrados
! cada.
i Caiar, rebocar e pinlar todo
cores existenles.
As propostat serio reoebidas em cartas ieckadas
nofdia 10 do corrente, em sessao da junta, pelas
3.boras da tarde.
Secrelaria da Santa Casa da Misericordi* de Re-
cife, 1 de dezembro de 1874.
O escrivao,
Pedro Redrigues de Souza.
10:000 Tlioniaz de Aqniao Fooceca & C.
10,100
104000
1005000
10&000
105000
10J000
DECLARACOES,
SANTA CASA DA M1SERICORDIA BO
RECIFE.
A Hlma. junta administratrva da Santa Casa da
Jiisericordia do Recife, manda fazer publico que
aasalade suas sess5es,o dia 18 de novembro,pe-
las 3 horas da tarde, tern de ser arrematadas a
juem mais vantagens offerecer, pelo tempo de nm
1 tres annos, as rendas dos predios em segnida
declarados.
ESTABELECTMENTO DE CARIDADE.
Vidal de Negreiro*.
Gasa terrea n. 94..... 301*006
Rua larga do Roeario.
!.' andare loja n 24 A fechada -. 310*000
andar n. 24idem......408*000
3/andar n. 24 A idem .-. 251*000
Rua de Antonio Henrique*.
'^isa terrea n. 26...... 99*000
Largo da Campina.
Idem n 11 (fechada). idem. 120*000
Rua do Coronet Suassana
1* andar do sobrado numero 94 386*000
PATRMONIO DOSORPHAOS.
Rua do Commereio
Sobrado n. 30.......800*000
Rua da Moeda.
Casa terrea n. 21 fechada).. 400*000
Be ceo das Boias.
Casa terrea n. 18.......421*000
Rua da Lapa.
Gasa terrea n. 11.......202*000
Rua do Amonm.
Sobrdo de 2 andares n. 23 602.S000
Casa terrea n. 34......22*000
Ruar do Bugoi. -
Casa terrea n. 21.......153*000
Rua do Vigario.
t> andar do sobrado n. 27fechaia 243*000
l andar do mesrao idem .... 240*000
Loja do mesmo fechada.....300*000
Rm do Encantamento.
sobrado de 2 andares n. 13 (fechada). 1:400*000
Rua da Senzalla velha
Idem d. 16........209*000
Rua da Guia.
Casa terrea n. 25 209*GOC
Idem n. 29.......201*000
Rua da Cruz.
Sobrado de 2 andares n. 12 (fechada). 800*000
Idem n. 14. .......600*000
Rua de S. Jorge
Casa terrea n. 103......207*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
uremat as suas rianc-as, ou comparecerem
acompan s dos respectivos fladores, devendo
pagar ale \ renda, 0 premio da qoantia em
que for sej, 0 predio que contiver estabeleci-
mento com tl, assim como 0 servijo da lim
peza e precc apparelhos.
Secrelaria nta Casa dagMisericordia dc lu
:ife, i7 de sstembro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigiics de Souza.
Successors
taccam por todos os vapores, sobre as segaintei
pracas :
Lisboa. Regoa.
Porto. Cnaves.
Braga Villa-Flor.
Vianna. Mirandella.
Visen. Alij6.
Gnarda. Favaios.
Coimbra. Bragan^a.
Guimaraes Lamego.
Rio de Janeiro.
Na ma do Vigario n. 19.
Pelo tbesou.ro provincial se faz publico para
quem interessar possa, que vai novamente a pra-
ca no dia 3 do mez proximo vindonro, perante a
junta do mesmo thesouro, a obra do empedra-
mento do primeiro e segundo lancos da estrada
de Palmares orcada em 11-880*.
Secrelaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, 28 de novembro de 1874.
U secretario,
Miguel Alfonso Ferreira
. Poln tK.-n-'- r---i.-:-i .w mw fu.w pu-
bliCO, que vao novamente a praga perante a jun-
ta do mesmo thesouro, no dia 3 de dezembro pro-
ximo vindouro, as arrematagoes seguinles :
Obra da bomba do Fragoso, oreada em 840*027,
e a obra da ponte de Mods, no rio Tapacura, na
estrada da Victoria, orcjida em 1:485*000.
Secrelaria do thesouro provincial de Pernambu-
co, era 23 de Novembro de 1874.
0 secretario,
Miguel Affonso Ferreira
Consulad provincial.
Pelo consulado provincial, faz-se publico aos
respectivos cootribuintes, que do 1. de dezembro
vindouro por diante comeca a correr 0 prazo dos
0 dias uteis. n arcados no art. 34 do reg. de
Estrada de ferro do Recife ao
S. Francisco
Pelo presente sao convididos os Srs. accionistas
desta companbia a virem ao escriptorio da estacao
das Cinco Pontas receber 0 22* dividend > concer-
nente ao semestre de Janeiro a junho d te anno.
Villa do Cabo, 26 de novembro de 1874.
G. 0. Mann
____________________Superinlendente.
Companhia Fidelida 'e
Seguros maritimos e terrestres
A agenda desta companhia toma seguros man-
timos e terrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos 0 solo livre, e 0 setimo anno gratuitj ao
,segurado.
Feliciano Jose Gomes,
Agente.
LNSPECCAO do arsenal de
MARINHA.
Tendo em 10 de Janeiro proximo futuro de ha-
ver nesta inspeccao concur 0, em cumprimento do
aviso de 14 do correnle fnez, e ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, de hontem datada. para 0
preenchimento de dous lugares de amanuenses
da secrelaria convido. de ordem do Illm. Sr. ins-
pector, aos pretendentes a esses lugares a apresen-
tarem ao mesmo Illm. Sr inspector seus requeri-
mentos, competentemente documentados, pelos
quaes provem ter hom eomportamento, e a idade
nunca menor de 21 annos.
Sao as raaterias, sobre qne versa 0 concurso :
Is leitura e analyse grammatical, escripta de
trechos em portuguez.
2 ortbographia. -
3 versao das linguas franceza e ingleza.
4* exercicios de composi^o em portuguez, re-
daccao e estylo de actos officiaes.
Inspecgao do arsenal de marinha em Per-
nambuco, 28 de novembro de 1874.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues dosAnjos.
CONSELHO
DO ARSENAL
DE COMPRAS
II' \IUIIVIH
0 conselho no dia 5 do proximo mez de dezem-
bro, a vista de propostas recehidas ate as II horas
da manna, contrata sob as condicSes do estylo, 0
fornecimento no trimestre de Janeiro a mar;o de
1875, para os navios da armada a estabelecimen-
tos de marinha, dos seguiotes objectos :
Arroz do Maranhao, assucar branco grosso, as-
sucar branco reDnado, a azeite doce de Lisboa, aletria, araruta, bolacha,
bolachinha americana, bacalhao, batatas, bois
vivos e pasto para os mesmos, cafe em grao, cafe
moido, came verd'5, came secca do Rio Grande do
Sul, cba hysson, cevadinha, carnaiiba em vela?,
conservas preparadas, ceboras, doce, feijao, farinha
de mandioca da terra, gallmhas, lenha, mate,
manteiga ingleza, manteiga franceza, milho pilado,
pao, sal, sabao massa, stearina cm velas de 13-1(6
mao morta, no
17 de junho de 1873, para a cobranca do primei-1 por kilo, stearina em velas de 17 1|2 por kilo, tou-
ro semestre de decima urbana e de 5 0|p sobre ciaho de Lisboa, tapioca, tilha, tejolo de alvenaria
-' grossa, vinbo de Lisboa, e vinagre de Lisboa.
Sala das sessoes do conselho de compras
do arsenal de marinha, 30 de novembro de
1874.
0 secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
ro
bens de
1874 a 1875, incorrendo
aquelles dos contribuintes
nesse orazo os sms debitos.
Consulado provincial, 27 de novembro de 1874
0 administrador,
Antonio Carneiro Machado Rios.
corrente exercicio de
na multa de 6 Oiq
que nao satisfizcrem
0 Illm. St. inspector do thesouro provincial,
em virtude da ordem da presidencia, de hoje, de-
terminando 0 resgate das apolices provinciaes de
d. 1 a n. 320, aerie A, emittidas para pagamento
da companida Recife Drainage, convida aos pos-
snidores de ditas apolices a comparecerem neste
thesouro a rtceberem a importancia das mesmas
e os juros ate esta data, scientiticando-lhes que
desta mesmo data em diante nao vencerao ellas
mais jnro algum, em obiervancia dj regulamen-
to respectivo.
Secretaria dn thesouro provincial de Pernam-
buco, em 30 de novembro de 1874.
O secretario,
Miguel Affonso Ferreira.
Por esta secrelaria se faz poblico que.no prazo
de sessenta Gias, a contar desta data, 0 Exm. Sr.
presidente da provincia re:ebe propostas em car-
tas fechadas para, de conformidade com a lei n.
713, de 3 de setembro do correnle anno, contratar
com quem melhores vantagens offerecer 0 as?en-
tamento de uma fabrica ou engenho central de
moer cannas e preparar assucar com a forca pre-
cisa para preparar pelo menos quinhentas tonela-
da inglezas de assucar por anno, sendo os appa-
relhos semelhantes aos mais aperfeicoados e que
estao em mo nas ilhas de Martiniea e Guadelupe,
aguardadas as condicoes consumes da citaJa >ei
abaixo transcripta :
Art. I. Fica o presidente da provincia antorisa-
do a garantir os juros de 7 por cento ao anno so
bre 0 capital de 500;000000 e por prazo maxirao
de 20 annos a quem melhores condicoes offerecer
para 0 ass* nta mento de uma fabrica ou engenho
central de moer cannas e preparar assucar, que
tenha a forca precisa para preparar pelo menos,
500 toneladas de assucar por anno, sendo os appa
relhos semelhantes aos que estio em uso nas ilhas
acima ditas.
. g !. A fabrica on eogenho central sera fanda
da no.jnunicipio do Ceara-mirim.
% 2." Devera ser prefendo 0 proponente* que
provar ter previamente contratado, ou se asaocia
do a nm certo numero de lavradores, qne garan
lam 0 snpprimento d- cannas qne possara dar,
pelo menos, a quantidade do assucar estipulado
no art 1.*
Art. t' Somente em vista de juizo de uma com
missao de cinco membros, de que devera fazer
pane nm agncultor, um negociante e nm empre-
gaao de fazenda provincial, sobre as condicSes do
contrato entre os agrieultores e os capitalistas, po
dera ser concedida a earantia rte juros, realiiido
em toJo o caso 0 fabneo das 500 toneladas de ;-
ancar, de qne lr; !a 0 art. l.
S.-creiaria la presidency d.. Rio Graode do Nor
Us. de uuv : B74. Q ., ran-
Cisco l.ucio de CaUro.
Pelo thesouro provincial se manda fazer pu-
blico para anew int-ressar possa, que vao no-
vamente a praca no dia (0 do mez proximo vin-
douro, perante a junta do mesmo thesouro a
obra da ponte de Mjes sobre o rio Tapacura na
estrada da Victoria, orcada em 1:485*; e obra
do concerto do quartet db corpo de policia orca-
da em 897*820.
Secretaria do thesouro provincial de Pernam-
buco, 28 de nove;ibro de 1874.
0 secretario,
___________________Miguel Alfonso Ferreira.
Consulado dn Republics Oriental
do Urugay, em Pernambuco, 3.%
de novembro de 1894.
Para conhecimento dos navegantes se pu-
blica 0 seguinte aviso hydrographico.
Pharol de primeira ordem.
No Cabo de Santa Maria ( Rio da Praia ) func-
ciona desde 31 de agosto, um pharol de primei-
ra ordem, systcma Fresnel, luz fix a com relam-
pagos de minnto em minuto, cor branca, sobre
uma torre de 40,m 28,c .|de elevacao visivel em |
tempo claro ate 20 milhas de distancia no hari-
sonte do mar.
Posicao geographica deste pbarol.
Latitude sul, 3i 40' 00"'.
Longitude oeste 47 57' 23" do meridiano de
S. Fernando.
Antonio Valentim da Silva Barroca,
______________________Consul. _______
Santa Casa de Mlsericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordi a do Recife precisa contratar com quem se
propozer a fazer pelo menor preco, as obras de
que precisa 0 predio de dous andares, sito a rua do i
Encaniamento n. U, pertencente ao patrimonio do3
orpbaos, orcada em 1:2002000.
Os pagamenlos serao realisados em tres pre?-1
tajdes iguaes, a primeira depois de comecar a obra,'
a segonda qaando etiiver ella em meio, e a ter-
ceira depois de conclnida e entregue.
Descripeao das obras.
SFazer toda a coberta nova, subsiituindo as ter-
ras, unindo mais os caibros qne estiverem perfei-
los e collocando os nevos que forem precisos ; en- j
ripar toda de novo, fazer as duas goteiras e com- j
pletar as telbas qub faltarem com outras novas.
Reparar 0 fogao, subsiituindo a cnapa por outra
nova, ladrilbando com lijolos proprios 0 espaco oe-
cupado por elle, reparar 0 soalbo, subsiituindo
uma taboa arrninada por outra.
Segundo andar.
Snbstitnir a taboa da varanda por ontra de soa-
lbo, de amarello, ladriihar cum cimento os capea-
cos das duas portas da varauda, collocar uma can-
cella de ferro no patamar da escada que commu-
nha com o primeiro andar, fazer nm vao deja-
nella, substitu rello, uma trave na frenle p n r, tres portadas
- iluas la'oas de soalho, ds Icnro, deitar toda a
ferragepi precisa neete anda.- c < t3
Hospital Portuguez de Re-
neficeQcia
Sao tfonvidados os socios a reuniremse em as-
semblea geral, no domingo 6 do corrente, as 11
horas, na secretaria do mesmo hospital, alim de
desempenharem as attributes dispostas no g 3
do art. 17 dos estatutos, que sao : eleger a junta
admioislrativa e a commissao de contas que tem
de funccionar no proximo anno de 1875.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneflcen-
cia em Pernambue*. 1 de dezembro de 1874.
Luta Duprat,
_______________Secretario.
talraria de N. S. da Soledade,
De ordem do irmao presidente, convido a todos
os nossos irraaos a reunirem se no consistorio da
respeciiva igreja, no dia 6 do corrente mez, polas 10
horas da manha, afim de se proceder a eleigio da
mesa" regedora para 0 anno administrativo de
1875.
0 secretario,
__________________ E. Tamborim.
Fiscalisacao da freguezia da Boa-Vista, 30
de novembro de 1874.-Por esta fiscalisacao se faz
publico que se acha em deposito um boi manso,
apprehendido no >itio de Lucie Jos6 de Carvalho,
fazendo destruicdes : quem se julgar com direilo
ao mesmo,. compareca, que satisfazendo 0 dispesto
no ar. 16 do tit. 8* das posturas municipaes de 30
de junho de 1849, Ihe sgra entregue.
0 fiscal,
Jeronymo" Jos6 Ferreira.
THEATRO
Apparicdo e desapparic^o de uma meoina
de 14 annos, que bebe, come e falla com
0 espectador.
0 professor Gris d'Appremont tern a honra de
participar ao respeitavel publico desta cidade, qne
sne essa verdadeira maravilba, que agradou ex*
traordinariaueote nio^o nn Franca e na Allema-
nba, como na Italia, e outros paizes onde tem
estado. As familias nao devem perder a oceasiao
de ver objecto tao enrioso.
RUA DA IMPERATRIZ N. 1
Entrada 1.000 por pessoa, e 500 rs por
cruse*.
AVISOS MARITIMOS.
COMPANHIA
MESSACERIES MAR1TIMES.
Linha luensal
Espera-se da Eoropa ate 7
do corrente, segnindo depois
da demora do costume para
Bnenos-Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e Mon-
tevideo.
Rio Grande
E' esperado dos por-
tos do sul no dia 10
do corrente, segnindo
depois da demora do
costume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar (Goree) e Lisboa.
Para fretes, encommendas e passageiros
tar com
OS AGENTES
Harlsmendy A Labille.
9 Rua do Commereio 9
LEILAO
DE
Uma casa terrea em Sant'Anaa.
Uma pequena dita em a rua do Coronet Suassnoa
Um terrene de marinha na rua Imperial.
vara a'leilao no dia e bora acima indicados, at ar-
macpes, mercadorias, moveis e mais ntmiilioi ex.s-
tentes em as tres taveraas acinu nMadoaadas,
perlencentes a massa faiiida d AMeaio Jo.-
Vieira.
0 mandado contendo os esclarecimeatoa preci-
sos, acha se em poder do agente. onde .
ja ser examinado pelos Srs. pretendentes.
LEILAO
A's ] horas da manha
de Olinda n. 37, andar.
Em a rua do Marquez
A SABER :
0 agente Dias, competentemente autorisado, le-
vara a leilao, no d'a.e hora acimi indicados, uma
casa terrea edificada em terreno rendeiro, em
Sant'Anna, segunda de gradil e portio de ferro na
[rente, depois da estacao desse mesmo nome,
qual tem 3 salas de freuie, S para jantar, 4 qua'.r
los, grande cozinha guamecida de azoiejo.com ja-,
nellas em ambos os oitoes, 1 porta e 4 janellas de
frente Essa casa qne po-sue elepancia solidez, 6
completamente nova e falla Ihe
de duas salas e pinlura.
Uma pequena casa terrea edificada em solo pro-
prio, em a rua do Coronel Suassuna (antiga Au-
gusta), n. 223, com 2 salas e 2 quartos.
Um terreno de marinha na rua Imperial, sob n.
313, com 40 palmos de frente e 260 de fnndo, con-
tendo alicerce para nma casa.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examlnar
os referidos bens, e para qualquer esclareciraento
de que precisarem, a rua do Marquez de Olinda n.
37, escriptorio do referido agente, se dara.
DE
dividas na importancia de 6:8896052 era
letras e conta de livro.
Masta fallida de Jose Bernardo da Motta.
Quiata-feira S da eerreale.
0 agente Martins fan leilao por mandado do
Illm. Sr. Dr. jniz especial do commereio das div -
das activas da masta rallida dn Jose Bernardo da
Motta, na importancia de 6:889*052, em letras 0
contas de livros.
Os pretendentes podem examinar a relacao d-10-
devedores qne ^e acha em pniiardo ageotr.
s oladrii'ho No armazem da rua do Im-
perador n. 48
AS It HORAS EM PONTO.
Grande
UBTXAO
I I.II.AO
DE
Do sitio da Salgadinaa a. ft.
com boa casa de moradia.
QUINTA-FEIRA 3 DO CORRENTE
Ao aaela dia.
0 agente Pinto levara a leilao, a requerimeoto >
D. Alexandrina Maria do Sacramenoto Pereir?. in-
veniarianle dos bens deixados por sen marido. e
por despache do Illm. Sr. Dr. juiz da I* vara do ri-
val, o sitio do'Salgadinho n. 5, o qua! sera veoci-
| do para pagamento d credures, ao meio dia da
\ dia acima dito, no escriptorio do referido aget e,
a tra-
COMPANHIA PERNAMBLICANA
DE
IVaTegaeSo eoateira a vapor.
ifUHYBA, NATAL, MACAO, MOSSOP.O', ARACA-
TY, GEARA, ACARACU' E AMARRACAO, NO
PIAUHY.
dante
portos acima no dia 7 do
ccrrente, as o '.iiras da tarde.
Recebe carga at" o dia 6, en-
commendas, passageiros e di-
?heiro a frete ate as 2 horas da tarde do dia da
sahiia : escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Para o Aracaty segue com brevidade o hiat
nacional leonilia da Cruz : para carga e pasza
giros, trata-se com Antonio Alberto de Sosn
eSuiar, a ma do Amorim n 60.
bons moveis, crystaes, lou<;a de porcelana, I na"rua de Bom Jeaaa n."w!
1 faqueiro de prata de lei, pecas dobra-
das,. objectos de electro-plate, e outros
muitos objectos em perfeito estado, e 1
carro americano de 4 rodas, com pouco
uso.
HOJE
Feira Semanal
s II I\' horas
no sitio da povoacao do Caxanga
A salier :
Sala de visita.
Um piano de jacaranda, do fabricante Acbroder,
1 rlca mobilia de faia, a medalbao, composta de 1 j
sofa, 12 cadeiras de guaruicao. 2 ditas de bracos, {
2 ditas Qe balango, 2 consoios com tampo de pe- j
dra, 1 cadeira de rsca, 1 porta-charntos, pares {
de escarradeiras, 4 pares de jarros riquissimos, 2
j ricas serpentinas de electro-plate, pares de lanter-
; nas. bolas de vidro, lapetes grandes e pequenos,
rapor .Pirapama, comman-1 ,jescanQos de pes, porta-cartas de pedra, diversos;
va> ?s quadros symbolicos, 1 candelabra de electro-plate I
para 6 lutes.
1 quarto.
Uma cama de jacaranda, em perfeito estado, 1
rica toilette de jacaranda, com tampo de pedra e I
espelho, 1 toucador de mogno, com pedra, 1 lava- I
torio e pertencas, 1 bidet, 1 perta-agua e 4 cabi- j
des de faia.
2 quarto.
Uma cama de ferro, com molla, que serve de
cadeir-', 1 guarda vestidos de amarello, 2 cadeiras
de balanco, 2 diias de ferro, i banquioha de ama-'
rello, 1 cabide e 1 cama para crianca.
' 3 quarto.
Uma commoda de amarello, 1 lavatorio e per- j
tengas, 1 cama de ferro, 6 cadeiras de guarn co e :
2 cadeiras de balance
Sala de jantar.
Um guardalouca de raiz de amarello, 2 apara-,
dores, 1 mesa elastica, I rica caixa de charao, pa-
ra cha, 1 apparelho de porcelana tins para eha, I
dito dito para jantar, 4 garrafas de crystal para
vinho, 1 fructeira de crystal, 2 ditas de electro-pla-
te, 3 pares de compoteiras, calices para vinho, di-
tos para champagne, copos, galheteiros de electro-
plate, t sofa de palha, 6 cadeiras de dita, 2 cadei-
ras r>c balanco de dita, 1 fructeira de pedra, 1 re-
avulsas.
BAHIA
Segue com este destino, nestes quatro dias, o
palhabote Rosita, lomando para o referido porlo
a carga qne Ihe apparecer, por isso quem quizer
aproveitar, pode dirigir se aos consignatarios Joa-
quim Ji-se Goncalves BeltrSo k Filho, a rua do
Commereio n. 5.______________________
Companhia alliancu niaririnia
portnense
Ernpreza de navegacao entre o Brasil e Pot
tugal
PARA 0 PORTO
Barca portugueza Joven Adelaide, a sahir com a ]oSio de Parede e maxima brevidade, recebe carga e passageiros : a -ozinha.
uma. doui usscu) con^ignaunos Jose da-Silva
Loyo & Filho.
Librae esterlinas.
Vendem Augusto F. d'01i-:h^S^
veira & C.
'_____Rua do Commereio n 4a.
Companhia peraafirirocaiia.
Porto do Aracaty.
A carga que de hoje em diante for embarcada!
Doa vapores da Companhia Pernambucana com
destino ao porto do Aracaty, sera entregue na ci
dade do mesmo nome, sendo transportada da bar-
ra, (onde os vapores costumam fundear), em Ian-
cbas de propriedade da mesma companhia, inde-
pendents de flualquer exigencia de pagamento
por este serrieo
Da mesma forma sera transportada a carga
que for embarcada no porlo do Aracaty para
quaesquer outros portos da escala.
Recife, 16 de novembro de 1874.
COHPAMHIA BRASILEIHA
DE
MAVEGACAOAVAPOR
Portos do norte -Vo armazem de agent
Commandant** Quadros Junior
E' esperado dos portos
do sul ate o dia 8 do
corrente e seguira para
os do norte depois da de-
mora do costume.
Portos do sul
Conde d'Eu-, fretado
E' esperado dos portos do norte
ate o dia 10 do corrente e se-
guira para os do sul, depois
da demora do costume.
Para carga, encommendas, valorese passagens,
rata se no escriptorio
7^RUA DO VIGARIO-7
Pereira Vianna Si C.
AGENTES
Um armano de cedro, 1 mesa de amarello, I
jarra de barro da Bahia, deposito para gaz, 1 fo-
gareiro e diversos In us de cozinha, e outros mui-
: tos outros artigos. domesticos, qne se acham pa-
: tentes no dia do leilao.
Tendo de mudar de residencia o Sr. Joao Anto
sua ordem fara leilao o agente
oveis e mais artigos acima
mencionados, na casa era que re.-idia na povoacao
\ de Caxanga.
i Os referidos moveis e objectos sao recommenda-
, veis por serem de gosto e pouco usados.
0 mesmo agante avisa aos concurrents quo de-
i pois do leilao bavera uma companhia de ganha-
dores para facilitar os transports de seus lotes.
A's 11 1)2 horas da manha partira nm trem ex-
presso, parando em todos as pontos, que conduzira
grUis os concurreutes.
0 leilao principiara logo (|ii^ cliegue otrem.
Agente Pestana
leilao
DE
moveis, louga, vidros, ouro, prata e bri-
Ihsntes.
Hoje
as 1ft ftoras em ponto.
a deleiloes d.i rua do
Vigario Thenorio n. 11.
0 preposto do acente Pestana fara loil?o, por
conta e risco de qiiem pertencer, de mobilias de
acaranda, ditas de faia e junco, guarda roupas de
in arello, guarda loucas de duo, commodas e
pas, ianos de diversos autores, machinas
de costura, e muitas outras obras de madeira, ou
ro, prata e brilhantes, os quaes estarao patenles no
acio do leilao.
mobilias completas de jaca-
randa e amarello, guarda
vesti do, guarda loucja, apa-
radores,commodas emeias
ditas, camas francezas de
jacaranda e amarello, san-
tuarios, 1 lustre de crystal
para gaz carbonico, pia-
nos, espelhos de diversos
tamanhos, quadros sorti-
dos, mesas elasticas, 1 cai -
rocinha envidra^ada para
mascate, quartinheira, car-
teiras para escriptorio, re
logics de parede, ditos de
algibeira de ouro e prata,
machinas de costura, ob-
jector debrilhante ouro e
prata, lavatorios, marque-
zoes, toilette de moguo, se-
cretaria s, grande quanti-
dade de trastes avulsos, e
immensos artigos do uso
domestico, que serao ver -
didos a troco do barato pc
conta de diversos
QUINTA-FEIRA 3 ItO CORRF.NTF.
as 11 boras da mailba
NA
,A SE>1ANAL
t eriaW M
ARMAZEI
ia |. i.
10j
DE '
diversos moveis para i scripto.-io, e de um cl
de ferro
Sexta-feira 4 do corrente
AS 11 HORAS DA MANHA
Em a rua do Cimmercio, arma/em n. 38.
0 agente Dias levara a leilao. no dia e bora aci-
ma indicados, a requerimtnto de D. TUreza Mar
Fennely, e por ait ns.-icSo do. Exm. Sr deaen.-
bargador joi'de rphaos, o seguinte : pertencen-
te aos bens qua lk\.r,im por failecimeulo de W. 'J.
Fennely.
Uma carleira grande, I dila menor, I mesa p.-
ra escrever, I dita de amarello, 1 armario pi:a
pap- is, I banca para copiar, 4 cadeiras de bra;
I cofre de ferro e b;.nc., I bal sia de amarello, t
lavatorio. diver>as cartriras, I lustre para gaz, 1
armario de pinho e I cabide.
Pacific Steam Navigation Company
ROYAL MAIL STEAMER
EM
S Jds6 Rua do Aleerim.
Lindo e variado especiaculo em grande gala
Depois qoe a orchestra tiver tocado uma linda
pbanlasia, cantar-se-ba o
Hymno nacional
ante, a efflgie de S. M o Sr. D. Pedro II.
Em segnida subira a scena pela primeira vez
a linda comedia-drama em S actos, oroada de
musiea, intitulada :
Tribilaeao
Tomara part"
Exma. Sra. M>
Em segui o
;!rtista<
aUiMd ftavi
I' ventura
f. Coelho, Bertueio
Espera-se da Euro-
pa ate o dia 6 do cor-
rente, e depois da de-
mora do costume, se
guira para Bahia, Rio
de Janeiro, Montevi-
deo, Buenos-Ayres. Valparaiso. Arica, Islay e
Callao, para onde recebera passageiros, encom-
mendas e dinbeiro a frete.
Nao sabira antes das tres horas da tarde do dia
de *ua chegaaa.
OS AGENTES
Wilson Rone A C
i4-----RUA DO COMMERCK)!4
Para o Macdo
Pretende seguir com muita brevidade o palha-
bote nacional leven Arthur, recebe carga e pas-
sageiros : a tratar com o sen consigcatario Anto-
nio Luix de Oliveira Azevedo, a ru4 do Bom Jesus
n. 57.
Para Rio de Jaaeiro
pretende seguir com muita brevidade o bngue
iiW, tem parte deseu carr *.. ento eugajado :
laraoresto qn Ibe falu, trai \\ e....." eu c
. igoatano Aulunio Luix de Ohvi-ira n-evedo^ rua
Co.-lho r-pro-ido Bom Maps 87
DE
JOIAS
No dia 3 de dezembro proximo, se fara leilao por
intervencAo do agente Marlins, de todos os penho
res constantes das cautela? seguintes, visto ter
se fl ido o prazo das transaccoes e seus donos nao
as reformarem.
A saber:
1502, 1303, 1565, 1583, 1784, 1835, 1868,
2050, 2091, 2095, 2192, 2254, 2256, 2282,
2397, 2436. 2448, 2438, 2481, 2617, 2712,
2738, 2750, 2799, 2802, 2807, 2867, 2871,
2929, 2945, 2972, 2987, 3007, 3023, 3034,
3045, 3060, 3065, 3076, 3093, 3096, 3110,
3151, 3174, 3175, 3185, 3190, 3193, 3194,
3197, 32i'5, 3206, 3207, 3211, 3213, 3218
3223, 3227, 3234, 3235, 3242, 3*50. 3251
3260, 3262, 3265, 3273, 3277, 3280, 3285.
3293, 3298, 3300, 3304, 3309, 3312, 3318.
3320, 332f, 3326, 3327, 3334, 3339, 3341, 33&4
3358, 3366, 3373, 3384, 3394. 3397, 3399, 3406,
3410, 3415, 3419. 3432, 3444, 3460, 3468, 3480
3493, 3500, 3508, 3517, 3527, 3529, 2533, 3553
3536. 3572, 3379, 3589, 3596. A" travessa da rua
do Duque de Caxias n. 2, andar, podendo di-
tas cautelas serem reformadas, pagando o premio
on resgatadas ate o hater do martelto.
N.
1936,
2342,
2737,
2896,
3037,
3149,
3195,
3280,
3254,
3288,
LEILAO
DE
LEILAO
DE
3 tavernas, sendo uma na rua do Rangel
n. 17, uma na rua ,di Coronel Suassuna
rua Imperial n
n. 296, e a tercc.ra na
182, as quaes-pettenr-em 6 massa fallida
de Antonin .l"-e Vn'im.
QUINTA-FEIRA 3 DO CORRENTE
Am II. -".;; radatarda
O ag. ule Dias, mari r<->peitovel despa-
ichodo Illm. Sr."- t,pocii uo commereio, le-
diversos bens como abaixo ?e mencionaa, partei
center a massa filliia de J,aiuim da Silva Co- i
SABBADU 5 DO CORRENTE
s II lioras
Em o 2.* andar do sobrado da rua Duque di
xias n. 33.
0 agente Das, competentemente autorisado i-
Illm. Sr. Dr. ju z especial do commereio, levara a
leilao no dia e hora acima iudica los, p-rtencen'
a massa fallida de Joaquirn da Sila C-la,o>--
guinte:
Uma annacao de louro formda de a mare. ,
parte envidra-.-ada, balcai com umpo de pedra e :i
barricas va ias, a qual existe em a estabelecimct -
to da rua Duque ce Caxias n. 40, qu perleac i
ao fallido.
Um terreno no Varadouro, confronte ao ga;. -
metro, ten Jo cerca de 4(0 palmos de freole, dr -
tando os fundos para o mo-teiro de S. Beeto,' i
foreiro ao referido convento, contendo algutr..'
meias aguas, tendo a frente e fundos murados.
Os solos das pequena* easas sitas no pate) i >
Paraizo, a direita da igreja do mesmo nome.
ns. 33,39,41. 45 e 47.
Um relogio de prata, I pnlteira de onro, 1 a!i-
nete e diversas outras joias.
Moveis.
Um piano em mao estado, 1 par de cunsoius. ''
sofas de jaetranda. 2 cadeiras de bracos, 2 dr.*:
de balanco, 12 ditas de guamicio, I commoda de
angico, l bidet de mogoo. 1 par de vaaoa, t ca-
deiras de amarello, 1 guarda louca, etc., etc.
0 mandado acba se em poder do referido agea-
te, onde pode desde ja ser examinado pelos Srs.
pretendentes.
LEILAO
novels, flno crystal, loaaoa eob-
jeetoo do elorlro-plote
Sexta feira 4 ir dezembro
Sendo:
Sala do i ***
Um pian" fuite, on i owl. ^cn add
1 sefi, 2 c.n-
eos e 12 do gnara ,..., nu*at c>.w f;c ;am-


<



^"**^^B^^

i

,
-f
Oiario de Pemambuoo = Quarta feira 2 de Dezembro de 1874.

JMovo leilao
DAS
rmac,6es, moveis, drogas e mais uteusilios
existentes em a botica denorainada Popu-
lar, ska em a rua da Imperatriz n. 71,
pertenceiftes & massa falHda de Goncalves
Fialho &C.
(Juinta-feira 10 de dezembro
A"S 11 HORAS BA MANHA
0 agenteDias, competenlemeote autorisado pe-
!o 111m. Sr. Dr. juiz especial docommercio, levara
novamente a leilao, no dia e hora aeima indicados,
asarmacSes, moveis, drogas e mais uiensilios exis-
tentes em o referido estabelecimento.
0 man iado contendo todos os eselarecimentos
precisos aeha-se em poder ao mesmo agente, onde
pode desde ja ser examioado pelos Srs. pretenden
tes.
AVISOS DVEfSSOS
^
%
Taaa,n?0' S mesas de Mf*> diUs redondas, e estei- W'WQ&i-iii-ii:i
"fcrwdas salas e quartos, 2 consolos dejaca- ^ in 0 Jl
**""tt. *.**. 2 Aos Srs famantes f
Uma mesa elastiea, 1 guardalouca, 1 apparador
de armario, 2 ditos torneados, 1 gaarda comida
de arame, 2 cadeiras de balance, 1 relogio, IS
de guarnijao, 1 tapete de cdco, 1 liltro, 1 appare-
lho de lone* para jantar, 1 dito para cha, 1 dito
para sobre mesa, 1 apparelho de electro-plate, 6
duzias de colheres, 3 duzias de facas cabos de mar-
Cm, garfos de metal, 1 galheieiro, copos, calices,
garrafas, compoteiras, bandejas, toalbas de mesa e
guardanapos de linho, urn relogio, e l cabide para
cbapeos.
Quartos
Uma cama franceza, uma dita de bronze para
2 pessoas, 1 dita de ferro parasolteiros, commodas
mesas redondas, mesas com gavetas, guardas rou-
pas, espelhos, lavatorios, cabides, cadeiras, e qua-
dros.
Cosinha e dispensa
Mesas de pinho, flandres, potes, trem de cosioha
*> outros objectos.
A I HORA EH PONTO
Vender-se-ba tambem urn rico guarda ronpa
com espelbo na porta do meio, 1 magniflco toilet
e 1 bom lavatorio com tampo de pedra, tudo de
mogno massrco e em optimo estaao de conserva-
e ao.
Sexta-feira -1 de dezembro
POR INTERVENQAO DO AGENTE PINTO
Na Passagens da Magdalena, casa juato a pon-
e grande, em que moravam os empregados da ca-
sa commercial de Phipps Brothers & fi.\
As 10 boras e 13 minntos partira da estacio da
rua do Brum urn bonds que conduzira gratis os
coocorrentes do lerlio.
0 leilao principiara as 10 e meia ho
Fumo desGado de diversss quali-
'Jadrs.
Novo-Copora'.
Olho de Pafsaro.
Plor do Brasil.
Verdaleiro Rionovo.
Verdadeiro fiimu de Guyaz
em paeotes e latas de 2," 4 e 8 onc,as,
eem composicao alguma nociva ao fu-
mador, manufacturado, e a venda na
fabrica a vapor, na antiga rua do
Quartel de policia 0. 21.
PARA 0
Natal-folia
du tngenho Jaboatao, freguezia de Santo Amaro de
Jaboatao, no dia 17 do corrente mez (novembro) 0
escravo africano, Juliao, com os signaes segum-
tes : 0 annos, pouco mais ou menos, tem alguns j s7m"r>io'da mai'dada
cabellos brancos, baixo, secco do corpo, ^^HlS
finas, dedos compridos e seccos, meio fulo, cabeca EgiSS cSKSoffi
mrnnrdl tacit .null, nirii moin ,BUJ *<. Y"e J3""13 COQSeSUirdO
Da festa todos desejam
Ver 0 dia retplendente,
Dia que nos leva a mente
Do intiniio as alturas :
Onde os anjns 0 amor beijam
E a caridade 'estejam,
Teem at almas sepnlturas
Nas estrllas que flammejam I
E nesse dia em que tem
Do jubilo rasgar 0 seio,
Saibdo Ihe bem do meio
A cratera da alegria :
FT precis que o amantes
Da pura gastronomia,
Venham ja e qnanto antes
Do Campos ao armazem.
Porqne f6 assim terao
A sciencia do prazer :
Comer tvm, melbor beber
Engommadeira.
Precisa-se de uma engommadeira para engom-
mar para dnas pessoas : a iratar na traveisa da
rua do Vigario 0. t, das 9 horas is 4 da ttrde, ou
00 segnndo >itio, depois da estacao do Chacon.
Precisa se de am caixeiro com alguma pra-
tica de taveraa : no pateo da Santa Cruz n. 12.
A Mil
Aponla para
? T ?
0 fiifiira
comprida, testa grande, nariz meio afilado, dentes
alvos, tem na sola de u tevou camisa de cbita roxa, calca parda, camisa
de azulio ; seguio a direccao do Recife, onde se
julga eetar : a pessoa que 0 apprebender, podera
leva lo ao referido engenbo, ou a rua Direita n. 40,
Is andar, que sera generosamente recompensada.
Precisa-se de uma ama que saiba en-
Ama
milia
gommar com perfeicao para casa de fa-
a rua Buqne de Caxfas n. 91.
Precisa se alugar nma escrava para vendel
na ma : a tratar na rua do Cabuga n. 3, 2* andar
Precisa se de uma ama para uozmhar
ravessa de Corpo Santo n. 25.
na
Precisa-je de uma ama escrava de boa con-
ducta, para todo 0 servico de tima casa estran-
geira de.pouca familia : a tratar na rua da Auro-
ar n. 139
CASA DA f ORTIA.
' AOS 4:000#000.
8ILHETES GARANTIDOS.
-A' rua Primeiro de Mar go (outr'ora rua do
Crespo) n. es e casas do costume.
0 abaixo assignado, tendo vendido nos sens fe-
iizes bilhetes urn. meio n. 679 com 4:000*000, nm
jneio n. 3284 com 200*000, um meio n. 2652 com
100*, um meio n. 186 com 1003 e outras sortes de
40* e 20* da loteria que se acabou de extra-
hir (126"), convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do costume sera descon-
10 algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
da 131 parte das loterias a benefleio do colle
gio dos orpbaos e orphas (127'), que se extrahi-
ra sabbado, 5 do mez vindonre.
PRECOS,
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
Kin porcao de lOOtf para Bilnete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
____________Manoel Martins Fiuza.
OtrerdCe-se um hnmsm pra loilor tip. sjtjo
jom habilitacoes hastantes de agricullura, com a
vantagsra de saber tratar de parreira com perfei-
;ao : a tratar na rua da Concordia n. 27, armaem
de materiaes.
ALUGASE
0 armazem da rua de Pedro Affonso n. 37, e
outro no caes do Ramos n. 44 : a tratar no mes-
aio caes a. 42.
Supplantar a liberdade
Nos carceres dainquisicao I
M du Imperador n. 28
Do prazer viva o reqninte
Alegre como o trovao,
E da mesa a descripcao
Reparem : 6 a seguinte :
Mesa giganta.
Presunto?, fiambres, paios, chouricas^sarchicbas
e lingufQas ; lombos de porcos e de carneiros ,
aves em conservas, pe ixes e toucinho ; camaToes,,
ostras, lagostas e coeihos com hervilhas; conservas
legumes e champignons ; queijos flamengos, pra-
tosfl lonirinos ; doces em calda e de goiaba ;
froctas em conservas, passas, anendoas, Hozes e
ameixas ; altitria, talbarim e macarrao ; ararnta,
topioca e cineoenta qualidades de massas finas e
nutrientes ; ctia, mate, cafe -chocolate francez,
e nacional ; boiachinhas,
de mli-: a rua Duque -de Caxias d. o4
Ama
AMA
Precifa^e de uma mulher
de bozts costumes, para tra- hespanbol, ^wrtuguez
tar de duas meninas orphJs twlinhos e confeitos, raanteigaingleza e franceza;
jnaoha, arroe, batatas, ceballas, alhos, cominhos,
pimedta, mostarda e molho inglez ; oervejas, ci-
dra, champagne, cognac, genebra, oesparedina,
bitters, licores e aguardente de eanna ; vinhos
deLisboa, Figueira, Carcavellos, Collares, Bair-
rada, Bastos, Porto, Borgonha e Bordeaux ; d*l
garros, eharutos e uma grande (giganta ? ) qoan-
tidade de victualbas reras e excitanles, nao fal-
Precisa-se do uma ama que saiba co-
zinbar com perreicao, para casa de (a-
milia : a rua Duque de Caxias n. 91.
Precisa-se de uma ama for
ra ou esrrava, que cozinbe
bem o oiario de uma casa de
familia : a tratar na'Capunga, rua das Pernambu-; lando uas especialidades dos preparados francezesJ
canas, casa de sotea n. 19, eqnvoa do Hospicio| allemaes, inglezes, torcos, chinezes, bollandezes,
| tialianos, prussianos, -hamburguezes e americ*-
n. 25, pagase bem.
Precisa-so de umaama de leite : na nos I
rua Imperial n. 94. i
''-?;" M Alem do <
casa ue pouca uSh^^t^SSSTe ft5 *": ^iZit' f SSf (l)*
que -entenda de engo.umado. I?6. fSSVf. *****> .******! e outros m-
M--------I----------5-------------------------------------_ tos objectos de graedes ph3ntes9 ; assim como o
ama ama de leite : na rua maravilhoso oleo de mmamona preparado expres-
*M
estreita do Rosario n. 36.
AlUftS Para comprar, cezmhar e tratar de
T-!xias meninos, para casa de pequena fami-
lia ; a tratar na rua Nova D.-IS.
Precisa-se de uma ama para cozinhar era
casa de homem solteiro : na rua Duque de Caxias
Q.-29, armaiera de moveis. _________________
Lint Ferreira da Silva (em duas eartaa na
rua do Vigario n. 7, 1* andar.
Aiugi
ja-se
am grande quarto : na rua da Palma n. 34.
Aluga-ee 5 casas e um sobrado de um an-
dar e sotio, na rua das Trincheiras n. 3i : uma
:asa terrea na rua do Brum, com 3 quartos, 2
salas, grande cuintal e coziaha fora por 18:000 ;
i casas na rua Imperial, cada uma com 2 quar-
tos e uma sala, a 8-S eada uma : a tratar na rua
de Santa Cecilia n. 18.________
Festa ou anno.
Em Beberibe, duas osas na povoagio, com ba-
Eho e baixa com capim ja plantada a tratar no
sobrado, na mesma povoa^ao ao pe da ponte.
Leiam todos.
"Luiz Aires da Sltva, Jos6 Luiz da
Silva e Jnstio'o da Silva Boa-Vista, i
irmao, pnmo e amigo do fallecidoi
Joaquim Alves da Silva, -coavidam
os sens an.igos e os do fallecido '
para assisiirem a uma missa solem-1
ne de Requiem que se ha de cele-,
brar na quinta-feira, 3 do corrente, no convento
de X. S. do Cirmo, pelas 7 1|2 boras da manba. j
Recife, 1 de dezembro le 1864.
Joaqaim dos Santas Souz
As 8 boras da manna de 2 do corrente, na j
igreja da Madre de Deus, serao celebradas algumas'
missas por alma desse finado, setiinc dia de sen
fallecimento no Rio Grande do Snl. Roga se,
pnrtonto, (too qouq amigog % aesiotiicuj aesse aCtO '
de caridade e religiao.
MMtmmmmmmmmmKO
loa|iiiiu Alves tla -tiilvu.
A directoria do monte pio por-
tuguezmanda rezar uma missa pelo
eterno descan^o do seu chorado
consocio Joaquim Alves da Silva, na
sexla feira, 4 do corrente, pelas
7 1|2 horas da tnanha, no convento j
do Carmo.
Para ease ado de caridade, convida a todos os
socios, parentes e amigos do fallecido, para que so
dignein comparecer no local e hora acima deslg-
nados.
0 1* fecretario
A. da Maia Pe=oa,
samsEte para combatera gtgantomania e appla-
caro systema nervoso I Ver pcra crer.
Distracqoes:
Os amantes dasipalestras e boa pinga, -eneon-
trarao no fundo lo estabeleciaento, alem dereui-
t" fresco e agua fria, baocos macios e mesae as-
seiadas, desiinadas ao servigo dos lunchs, que os
rotsmos amantes poderao saborearcn: ao som ma-
vioso de uma elegente musica eomposta dos me.
: Ihorcs cantores amerinanns e qoe sao coadjuvados
por uma bicharia domestica e interessante.
MoraHdade dacousa.
E' immmso o sor'.imento
E se vende pelo custo,
Pelo que e muito justo
So ao Campos comprar ;
Vito que e um portento
Dos generos o paladar I
Triumpho da

moo
Alugr-'e a sala e alcova do !. andar e mes-
mo'todo o-l* andar, proprio para escnptorio ou
pequena fanilia : a tratar na rua do Duque de
Caxias aa'loja n. 32.
Atoga-se o armazem da rua dos Guararapes
n. 12, com grande quintal e p rtao que eotra car-
roca, pela rua do Barao do Triumpho, ant'ga do
Brum, leedo o dito armazem 80 palmos de fundo
e 28 de largo, 3 portas de frente, e tem um sotJo
corrido -em todo o armazem e repartido : a tratar
na rua da Santa Cruz n t, on na mesma rua, jun-
to a fverna, aonde esla a chave para qnem qui-
zer v\
Ma
Hiiilann.
Joaotua Jose Rodrigues da Costa participa aos
sens freguezes eas pes-oas com quem tem tran-
saccoes, qoe mudou-se da casa n 20 da rua do
Bom Jesus, para a de n. 42 da mesma rua. >
Ira uiais cabellos
braocos.
Tintura japoneza.
S6 anica approvda pelas a^ademias de-
sciencias, recoDhei ida superior a toda que
tern apparecido ate boje. Deposito princi-
pal d rua da Cadeia do Recife, boje Mar-
quee de Olinda n. 51, 1" andar, e em todas
as boticr.s e casas de cebelleireiros.
Alnga-se
duas casac na Torre, muito frescas, cad? uma tern
2 salas, 3 quartus gramles, cozinha, despeu-a e
qusrto para criado : a tratiir | na Capunga, n 32.
= ^ fD a n
D. Rita
de CasKia Redri;
Ferreira.
9>
Carles Walter, antigo e bem conhecido relo-
joeiro desta praca, scientiflca aos seus nuraero-
sos fregutzes e amigos desta e de outros pro-
vineias limitrophes, e ao illustrado publico em ge-
ral que tendo mudado o seu estabelecimento da
rna da Imperatriz n. 18, para a casa n. 17 da
mesma rua, confronte ao antigo estabelecimento,
abi se acba p romp to para exe:utar quaesquer
3bras de relojoaria e mechanica ( as mais diffi-
cultosas) como sejam, concertos e obras novas
em qualquer relogio de uso commum, e chrono-
metro de algibeira e maritimos, e o respertivo
regulamento destes, cuja exactidao garante dan-
do como prnhor a sna reputa^ao de artisia (que
>am-se es/orcado ate agora em raanter illeza, )
e bem assim encarngase de quae.-quer con-
certos em instruments de pby*ica, para o que se
recotomenda aos Dims. Srs engenheiros e ca-
pitals de navios mercantes e de guerra. Avisa
a seus freguezes do interior, e de utras provin
das, que qualquer obra executada em sua casa,
quando a receberem sera accompanhada de um
recibo e sec carimbo collocado na caixa de seu
relogio a6m dc evitar enganos, como garantia de
ditas obras serem executadas pelo mesmo annun-
ciante. Os preeos serao os mais modicos possi-
veis, e se ob-ervara toda presteza na execucao
do trabaiho.
Francisco Igoacio Fer-
reira, Antonio Cirlos Fer-
reira Sette, Cuilherme Au-
gusto Ferreira Sette, Maria
[tita Ferreira Sette, Gui-
lherme Augusto Itodngues
Sette e D. Bernardina de Mello Hodrigues Sette
(ambes ausentes), e Dr. Jo.-G Soares de Azevedo,
esposo, fi:hos, pais e av8 de D. Bita de Cassia Ro-
drigue3 Sette Ferreira, agradecem a todos os seus
amigos e parentes a homenagem que se dignaram
tributar i illustre fiuada, no acto de suas exequias
(domingo 29 do passado), no convento.de S. Fran-
cisco, e de novo supplicam a todos os sens ami-
gos, parentes e conhecidos, o piedoso obsequio de
assistirem as missas que por alma da mesma fina-
da devem celebrar-se na referida igreja, sexta-
feira 4 do corrente, pelas 7 horas da manha, oc-
casiao que aproveitam tambem para manifesta-
rem pessoalmente a sua gratidao a todos aquelles
que em tao triste circumstancia se teem dignado
distingui-los.
Em tem pos modernos nenhum descnLii-
es Seite t mento ope uromaior revolucao no raodo r>;
curar anteriorniente em voga do que o
.*" = =i =i
u. Z = 3
D a-
ssre
a
x3.r
as a, a a>
> .<= 2
Q. to
I
ISA DO OliKO
4o 4:0007000
Bilhetes garantidos
Ruu do Bardo da Victoria (outfora Nova
n. 30, e casa do costume
Acham-se a veada os muito feints biineies ga
rautidos da 13* parte da later la a benefleio de
collegio dos orphaos e orphas, qne se extrahira
tr. .d'. sabbsdo, 5 do mez vindouro,
PrefiM
Inteiro 4*000
Meio 2*000
Oe 1002000 para cl.ai-
iHtefro ?/50d
Meio 1/7(50
t^ecife, 28 de novembro de 1874.
_________lono Joaoum da Cost* I-"***'
Restaurant de Bordeaux
SalOes particnlares
mi bibados com gustit.
Qaartis
menaaas a 3S|
andar.
^-
b m feil
as-ignaff8"
na rua ft* a- M r .,,. .7 A, ,*
' 'rdaden ?. ,
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
Rouquidao, Resfriamentos.
Bronchites,
Tosse Oonvulsa,
Dores de Peito,
Expectura^ao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfeiau
dades da Garganta, do Peito e dot
Ofgffos da respiraeSo, que tant
atormentara e fazem soffrer a humanidade
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applicacao de vesicatorios, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente ud-
guentos fortissimos eompostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos differentes modos de curar, n5o faziarr
senao enfraquecer e diminuir as forcas do
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruigfio inivitavel de sut
yictima Quam differente i pois 0 effeito
admiravel do
FZIIQSAL DE AECA2UJUI
Em vez de irritar, mortificar e canzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
Calma, modifica e sua visa a dor,
desaloje d'uma maneira prompta e rapids
ate 0 ultimo vestigio da enfermidade. Of.
melhores votos em medicina da Europa, (o
entes dos collegios de medicina de Berlim-
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relajoes analogicas, e alfjm disso a expe- \
riencia de milbares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com ,
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este rcmedio se acba j
inteiramente isento de venenos, anto mine |
raes, como vegetaes, emquanto que alguns j
tern um completo sortimento de galio e franja de destes ultimos, e particularmente aquelles I
onroeprau, verdadeiro, de todas as largaras, que S5o dados sob a forma de opio, e aci-
abotoaduras douradas para officiaes, canolilhos e jn Ltrj,;:^ f uF j
enfeites para bordado. Tambem se enearregiTde i M>oianco, formam a basedamaior
todo e qualquer fardaraento, como seja : bonels, parte dos Xaropes, com os quaes Wo fa-
talins, pastas, espaaas, dragonas, cnarlateiras, ban- cilmente se engana a crodulidade do pu-
5?*.*^ ,UM ed0^ada8 Para criad? bUco. A composicao de anacahuita peito-
etc.; assim come um completo sortimento da ,w, i- jf "" v^ ranjas, galao falso para ornamento, cordlo de IJ ral acb-*e hnda e cu"Osamente engarralad*
com borla para qnadros e espelhos (conforme 0 em frascos 6* medida de cerca de meio
gosto da enei mmenda) tndo por muito menos quartilho cada um, e como a ddse que St
' .,,.. .:-----------;----------------- geralmeute a applicacao d um*U nous irss-
- Aluga i-e para passar a fasu. uma casa em v ,vu" u U1" e
;'4h,ribe, Port- da Madeira, eoq. imiim c ..modos !?" flwtuaSa de qualqu^ Wit.
ttni familia a tratar na ro .Du nie ae Caxiaa Acnn;;..,. cn Ii"8, u'j'a. H- F'"s- ''.., agmtHs v
mi
- S s:
j=" B
If 2 7
3 2 = =
a. 2. Hi "
O U'C
= Sa.3
>. -* ^i
a
B 2."
l-sf

if
= 3
II
0
x S ^


5T

5 c < B."
&23 B-a
PS
ts 2
3 a
9"^

= 3=;
& n, 2 2
- ^ 3
a a.
a ^^
5T
o
O
11.
p

T~3
SS
u (r$ _,
3. CO
Candida da Aragao Pereira de
Mella
Luiz Pereira de Mello e ^eus fi-
!bos agradecem cordialmente a to-
das as pessoas que se dignaram
aeompanbar ao eemiterio publico
os rot* is morlaes de sua muito pre-
sada esposa, Candida ao Aragao Pe-
reira de Mello, e convidam a todos
os seus parentes e amigos a assistirem a missa do
setimo dia, que mandam resar por sua alma, na
mat iz da Graca, na Lapunga, no dia 8, as 7 ho-
ras da manba, por cujo acto de caridade e religiao
Scar Ihes-hao summamente gratos.
0 abaixo assignado faz sciente ao corpo de
commercio que ncsta data vendeu a sua taverno
oue tinba no Munteiro ao Sr. Bento Pire?, livre a
desembaracada do aclivo e passivo, ate a presen-
te data.
Recife, 28 de novembro de 1874.
Joaquim Jose Dial.
N. 47
Rua estreita do Rosario, tem um caixeiro com
p u.'a pratica de taverna para se armmar.
O Monte Lima
Pillulas Catharticas
f de Ayer.
Para todos os effeitos d
um remedio laxante.
N5o ha segnraraente, uq
rcmedio tam universalraent*
procarado como nm cnthar-
tico ou purgante, e nenhum
outro tem sido tao usado em
todos os paizes e por todas as classes, oomo estas PIZZXT-
ZjAB, snayes mas cmcazes. A razio 4 evidente, formao
am remedio muito mais oerto e efficaz qne nenhum outro.
Aquelles que os teem ensaiado sabem que se teem curado
pelo sen uso, os qne nao os ensaiarao sabem qne seus amigos
e visinhos se teem curado, e todos conhecem que o resultado
tirado uma vez, se tirara todas as vezes, e qne as PJZ,Z U-
ZAS nunca falhao por conseqnencia de erro ou neelieencia
na sua compoeicao.
,. Temos mUhares sobre milhares de certificados referentes as
fiistinctas curas q_ue hao effectuado estas pillulas, nas moles-
tias que em seguida mencionamos, por^m sendo taes curas
conhecidas em toda a parte aonde teem penetrado, des neces-
sano 6 publica 1-os aqni. Adaptadas a todas as idadee e a
todas as condicoes, em todas as climas, nao contendo calora-
elano nem outra qualquer droga deleteria, ellas podem ser
""nadM por qualquer peatoa com toda scguranca. Sua
capa d'assnear as conserva sempre frescas, e as toma gosto-
cas ao palladar sendo tambem pnntnente vegetaes, nao po-
dem reeultar effeitos prejudiciaes se por acaso forem totnadas
em qoze desmasiada. 0 papel qne serve de coberta para
sada vidro leva direccoes minnciosas com relacao aa secuin-
tes molestias que as PILZULAS CATHARTICAS rapl-
dameate curio. Para a Ttyiprpsla ou Indigettao, Di:
plicmcia, Zanguidez, Falta de Appetite, ievem ser
tomadai em dose moderada a fim de ostimular o estomago
restablecer suas funccSos saudaveis.
Para as Dometts do Figado e suas diversas symptomas
Enxaqutoai BUioeas, Dor de Cabeea, IcteriHa, Col-
ieo Biiioeo, e Febree BUtotat, devem se tomar tambem
moderadamente em cado caso, para corregcr a acc&o viciada
ouremover o obstaculos qne a causao.
Para a JDyaenterto ou Diarrhem, geralmente bastante
nrja dose pequena. f
25.2*MiM(|nM, Gotta, Arreiat, PalpitacSo do
Coroeoo, Dorrs not ilhurgat on coital, devem ser
wmadas continnadamente, ate alterar a accfto dos orgios
diwegulados, de sorte qne a molestia disnppareca.
Para a Hydropeeia e InchmoBei BydropUat, 6 preclso
toma+ae freqnentemente e emporefes assas grandes para
produzir o elleito de um purgatfvo drastlco. Como Dtges
Hve> pan o Jtmttn ou comida, toma-se uma ou duas para
promoter a dlgestao e ajudar o estomago. Uma on duas to-
adas de vez em quando, estlmulio ou estomago a obrar mvi-
davelmente.
Qualquer qne M acha regularmente bom, tomando uma
on tus d'estas pUlu^s aohari, nmltas vezes, decidida-
saente milhor, por razio C** *u" purificam e restaurio
fpajelho digestive
Virpnfp fii T 11^1311 LC< lUu.lv/ Para casa de familia precisa se dedias1**
O enRomm;deira, one entendam 4t eostim e "
Na noite de 13 para li de marco do corrente
Para casa de familia precisa se de it
engommsdeira*, qne entendam 4e eostirra e
saboado, pagase bem : no Mangnmbo, -itio n. !.
ito Vicente, escravo, de 20 a com portio de ferro e mnro eioteato, anw s Aa raa
da Amizade.
Precisa-se de uma on dnas preu-
eiro : a tratar na roa do ( spibaribe n
p in uUi
1*.
Sofia
AltsA-M o do S'Jbrad,, rja t-stniu d" li
in n. 2S .' : "..?!ir (. iit.srr.o.
Bm Olinda
On a futura
Teilipo ou oecwiio
Km que se devem .
' Realisar. .
Alguns casamentes
Para o qne. ... .
Desde ja e ja. .
A confeitaria.... -
Do Campos..
Sem rival .
Ksia se preparando
Para fornocer tndo qne 6
Necessario. .
Aos noivos e aos convidados
Isto 6.'. .
Bonqnetes de novos gostos
Bandejas de novos gostos.
Tudo a capricbo
Dos proprietaries da. .
Confeitaria do Campos
_ 24 Imperador 24
E no intuite de merecer a preforeadift, nio tem
poupado despezas para apresentar
______0 qne ha de melbor e nunca 'Visto.
4os senhores
pintores.
Oleo de linlia^i a
ogafao
Tto arrcarora de tintas da rua do Impera-
dor n. 22.
22 annos de idade, bonita figura, barba e estatura
regular, levando vestido e em um sacco ronpa de
algodao branca e alguma fina pertencenle a um
caixeiro da casa d'onde fugio, natural da fre-
guezia de Sant'Anna de Mattos, diz ser livre. cria-
do em companbia da madrinha D. Anna Lui'.a da
Luz de qaem aliis fji ?.r;ivo : roga se, 7.0.' a-1
. 10, B"S Sr. capltiejE ds eiar-n e atito- iaad- 3 p0-
j liciaes a appruiicns-ao do dr.? r?c...ro 6 en'iona-
I lo Da cidade do Recire, rua l Sr. Joaquim Moreira !\eis, cu na cidade 00 Assti 1
lao Sr. Torin:iii) Augu.-ti de Oiivo'ra I'.aptista ,
1 que serao gencro-vinesttf reoouiper.sados.
Gratifica^ao.
Desapparecen do engenbo Abrens, comarca de
Nazaretk, nma burr* de cor castanha, suppde-sa
ter Tugrdo : quem a tiver achado on der notici*
della tto mesmo engenho, ou no Recife, rua do
Raogel n. 37, sera g ratine ado.
Jose Joaquim Goncalves de Barros, texcep-
tmndo as pessoas a quern t devedor por titulos, .
avisa a todos mais que se julgarem seos credo-; n. 3, loja, rua da Roda n. 19. rua da MJ J55S D
' res quer por debitos parireulares, qaer relativos 133, onde os senhores preiendentes pode ao iazer
aos seus estabelecimentos denominados Annel de | os sens pedidos por eseripto._________________
Ouro e Sapbira, que no prazo de oito dias, a 1 pede-se ao Sr. Ji-e Duarte da Silviqneap-
r da daU do presente, mandem entregar | pareCa n0 Arraial, >H\o do linado major Marcclii
uiugam-se trc$ b.as casas sitts a ma Jo pai
Usle.han^ em 8. Pedro novo : trala^* *> J,
andar do sobrado n. 73 da rua Dnqne d: laxias.
por cima da loja do Sr. Rolim.______________
Costureiras para modista.
Procisa-se na roa da Palma n. 34.
Agenda de empregados
Arnas de bite, seccas, caixeiros, copeir-s e cre-
dos : qualquer senhor prelendente qne J"JJJJ
dos mesmos, pode dirigir >e ao pateo de S I
contas para serem conferidw e^pagas. 0 JJ^Lopes.'para tratar de um negecio que nao
snas
I mesmo fax sciente a todos em geral, que nao
j se responsabilisa por debito algum, directo ou
indirecto, qne nao diga respeito a si, ou aos re
feridos estabelecimentos, dos quaes 6 elle so 0
unico proprietario,
, Recife, 28-de nverabro ds 1814.
ignjra.
Ainda
da Boa Viagcm :
Boa-Viagem.
psti por alugar uma c'.a mellDres r;i*
na rna do Imperador a. 83
GELO
N&ft
n\ mis fajlXtV i>f. mnm
AGORA HA CO.M ABL^DANCIA
'Gek> para almo^o Gelo para cerveja
Gek) para lanche Gelo para refrescos
Gelo para jaatar Gelo para sorvetes
G^elo para ceia Gelo para remedio
Gelo para vinho Gelo ljara hanhos
Gelo para conservar legumes
Gelo para conservar fructas
Gelo para conservar peixe _
Gelo para conservar carne
Emfim, gelo para Todos; 0 para qualquer L'so
NA
! FABRICA NOVA DA VfUVA STARR
Caes do Capibaribe n. 38.
Aberta nos dias uteis das 6" horas da manba ate ra 5 horas da tarde, e n s domii cn j..
satrtos s as II *ioras da manha. f *u
de quantias grandes para os vapores ou para fora da cidade iewm r
Rua do Commercio n. 40.
S. B. Os pedidos
Sfeitosccm antecedeccia.
ESCRIPT0R10

ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
. 4ttuaaoxJarao da Ymtnr n niirrWo v^,. \--
Barao da Victoria
' ,. i do0 d-oeiC "'abeie^im'iflto tecdo de ir a
atrigos, como sejam : .
Calcado fraocez
para homem
senhura.
meninas.
ou r ora Xova X i
barstistimrn o
Kuropa, vfrido a |;rero*
Boos pianos.
mouekii
Niugase.
Botae
e perneiras inglezas
de montaria.
Mjjjas de \iiae e de faia.
I b^nS^b^S^Sra^^^^^6
Perfumarias.
' ,riSM ex,ra5t05f baShas> oleos. cpiatt e pos den-
irihee, agua de flor de laranja, agua de toilletp
d.vina, flonda, lavande, pos de arroz aboZ^'
cosmeticos, mnitos artigo7delicados emlerfuma-'
rw para presentes em frascos de exlracto?""
d^SST,di?S,egarraf?s de "'"^rentes tamanh's
d agua de Cologne, tudo de primeira
, dos bem conhecidos fabricantea Rver
i
Djs melhores e miis mod id. i
olondtl : veade-se. troca se e aiuga
Quinquilharias.
Ir&Igos de iiiGTcreutca 90a ( ?=
pfaaittasias.
Espelhos, leques, luvas, joias c. uro, lesonrinhas
camyetes, caixinhas de c>:nra, hlbans rcaur
e caixinbas para retratos, holsiobas d* velMa.
ditas da couio, e ce.slinhas para I raros de 1 :--'inaV
cnicotos.bengaias, oculo, piur^uez, pont^i.as par*
eharutos ecigarros, escovas, pectes. carte,, mba j
iiadreperola, tapete para la^terna*., malax )K>aas
de riagens, venesiaoas para janella, ,
pos, lanternas magicas,cosm(.ramas. j.(1 a., o\,)TlK
. ^am;!, da bagatella, quadrns com pa -..ceo-
globos de papel para illuminacoes, madi i,
razer cafe, espanadores depalhas, realei.s ie vio.
accordaos, carrinhos, mamadeiras de vidrj pan
darlnte as criancas, e moifsontros artigos.
Bnnquedos para meninos.
A roaior variedade qus se pode deseiar de to
des os bnnquedos fabricados em diff.Tctes par
quahdade da Europr, para entretimentos das criaacai. tni-
e roudr&v. J;,preen* maisnflntoMoi m i wemUST
V
DUARTE k 1KMA0
L
Premiados
tt
IREIHOS
na
RUA
Da
exposicao de 1872
FJSPERATRIZ
N. 8S
{!. ANDAR.i
RUA
JKPF.RATRIZ
S. 8tj
l. ANDAR.
Acaoam de reformer o seu
n'a-
estabelecimeDto, collocando-o Las melhorei .-or
dic^des possiveis de bem servir ao publico desta illustre caDiUl n is Prmu r'.c
quillo que fdr tendente a arte de cabelleireiro. *xmm. ras.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoru, tnoete chiin^-
coques modernissimos, trangas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos auadrS tn*
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalbo imaginaTel em cabelio
0 estabelecimento acha-*e protido do que ha de melhor nos mercados est-ec-
tenos recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e f m-
rinos de modas e por uso pode vender 20 / menoa que outro qualquer, pZ
perfei^o no trabaiho, agrado, sincendade e preoo razoavel. e "*"""
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fdra ; Tende-se rahollna m
porcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes a arte de cabelleireiro
I
PaXPABADAS P08
J. C. a,r & Ca>, Lowell, ITfass-
VKNDK 8E J?OK
I.V.





9
ftkrio dtf^ernaatiotrco Hjuarfca teifa 2 de ^es&mbrc de 1874
>
BillK-t.s Uc tntrrlaa do ttio.
Praca da' iTidfp6Jpncia n. 81
Aluga-se o 1 2.* e 3.* anderes do sobrado
a. 3 da rua da Penha, o primeiro e segundo an-
d3re" do sobrado n. 25 da rua de Santa Rita, e
a casa terrea n. 31 da rua da Ventura, na Ca-
puDga : a enteoder se com o proprietario, no se-
gundo andar la casa n. 41, a r a do Rangel.
Oflereco-se am rapaz, com 16 aonos de ida-
de, para caixe ro de taverna, com pratica da mes-
tna : a Iratar no pateo do Terco n. 34.
Alupa se o I* andar da casa da praca do
Cvnde d'Eu n. 2i : a tratar na Soledade com Jose
Henrique da Silva Guedes, sitio n. 27.
Qnetr precisar de uma boa ama de leite po
de dirigirse a rua da Unlao n. 35
to dmr esireilwnlo duretra
pels facil .applicacao das
SONDAS QUVAES
DE
GOMMA ELAST1CA
4s mais moderuas e aperfeicoadas de todas
as conhecidas
Vendein-sc
NA
PHARMACIA E DROGARIA
DE
Bartholomeu & C.
34 Km larga do Kosario 34
CRIADO.
Precisase de urn criado para trabalhar em am
sitio e andar com carroya : a tratar na rua 1* de
Marco n 14, loja.
Alogase o 1 andar da rua da Matriz n. 44 :
a tratar com a viuva V Mia, no Corredor do Bispo
a. 73.
Precisa se alugar urn preto on preta para
vender na rua, aliancando tea senhor a condacta,
podeseivir tatnb-m am mcleque nas condicoes
acima : a tratar na raa de Vidal de Negreiros n.
149, 2" andar
AUencao
O armazem de bu<;a do Caho qae existia na rua
Dnqne rua n. (8.
Aloga-se ama e>crava para todo o servifo :
a tratar ua rua da Gloria n 146.
Grande descoberta
Curativo das molestias do
peito pelo
Inropc de suigihH Io soda
DE
a. bs:r\et
Esie importante medic.->mento que acaba de ser
reeonhecido pelos distinctly Drs Zalloni e Paras-
cbevas eomo nro verdadeiro especiBco qontra a
phtysica, "epuiido provarain 1103 grandes uume
ros de casos po plies experimenlados, como se v6
aa lassin da academia de Paris de 2i de marco
do corrente anno, encontra-se anicamente no
Deposito da Pharmacia e drogaria
de
Rsiribolomru & C.
"z 134 llua larga do Rosario N. 3i
Alcga se a casa trrr'a n. 8 da r 11 1 Q
a Amniio Je Lima, em Samu \ in. i : a
. Ma'ernas Lvaz & rua da In l >i, p
- mt > mesmo cootrata *e i n in undo
- Precisa (allar coin os seguiotes senhores,
oa roa riiueiro d-< Marco u. 16, primeiro andar.
D Can-Jido Vieira da Cunha, de Sergipe.
i tDtoni i da uniia, du Bahia.
1> mingos Olympto 1$. Cavalcmte, Sjbral do
Ceara.
M r! Pantale."o da Silva.
Jose JKonteire
Torres.
Keller & \\ administra-
dores da massa fallida de
Manoel Jose M. Torres, pa-
- i aoa credores da mesma
massao primei/o dividendo
a razao de 19 por cento.
.^^
E. A. DELOliCHE
i'i-iim ftaqu! nn. do beeeo Lnr^ro
Participa a awa freguezes e amigos qne mudou
o sou estahelecio.ento A relojoeiro para a mesma
rua n. 24, onde encontrarao urn grande sortimento
do relogios de pared>, americanos, a cima de me-
sa, dos melhores gostos e qnalidados, relogios dt
slgibeira, de toda< as qaalida es, patente snisso,
dc, onro i prata *orada, foleado (plaqnetjj relo-
gios 1o onro, irglez, desenherto, dos melbores
fabricantes, eal^ia daottrorplainetB praja,Innetas
detodis asqna-i'des, tadopnr prec/is muito ba-
ra!o?.
MtjQteiro
Alnga-e puf-ia ou au 10 a casa qae foi do
talleddo Cu-t' lio dta e ba.-tante fresca, com por-
taod fer>" i o? fnnte e pequeau lerraco ao lado,
algoiis a> ire i < le fruclo e porlao que da sabida
para o r. a |u.l ** acha piotada e em e^tado de
ser orcu ; l< >.m mais despeza : a iratar na roa
Daqne Uxia- loja n. 70, ou rua do Hospicio
nnmero W.
Alugi ae I* e 2 aniarns da rua do Impe
radar n. : s t-tar nn 3" arnl.nr
Pee.- -.-. :
raolha lo- iaa
Fjrf? lo Luna,
um caixeiro com pratica de
de 16 a is aunos : a tratar do
Todnfettdti^io
Ret-ilha se, com frente para a rua da Amizade,
'Obre 194 palmbs de fando, Uma porijio te opli.no
terreno para ediikac>>, lirada do sitio o-jutiguo
a igreja de S. Jo<6 Mangninno.,d) prefs de
5* por ptlmo. Aquella frente e toda nrarada,
bem como a parte posterior e a lateral exinema:
os pretendentes podem enten 'er se com o Sr Dr
Witrnvio
IITITUIO PARTICULAR.
Rua da Roda n. 48, sobrado. j
Prime.ras lettras, portuguez, francez, in-1
glez, desenho linear e musica.J I
Sob a direcgao do professor Herminio '
Rodrigues de Siqueira funccionam ditas aa- ',
tas lodos os dias uteis.
Recebe alumnos infernos, meio pensio-
aistas e ex tern os ; fornece todo o materia I
para escripta e livros aos principiantes, por
precos muito razoaveis.
Moleque tugiflo.
Gralillca-sa .com So.000 reis a quem pegar Fcff-
tunato, nioleque d 13 a 14 anoos, preto, baixo,
cheio do oorpo, ro-to e cabega rrdondof, ,nari7.
hato, eabellos carii;mrhes e oertados.de fresco ;
ausentou se na tardc de 10 de outubro 'do corrente
anno, com camisa de madapolio, ealca de btim
de cor, desbotada, e cbapeo. de massa preto. Gra-
tifica se na iua da Gadeia do Recife n. 39, on na
rua da Aurora n. 163.
ADVOGADO
J ACHAREL JaAQUIM 6UENNES DA
SILVA HELLO.
S3 Baa etitrelta. do Rosario S3
primeiro andat-.
Alugam-se
Boas casas de eampo, na Cruz das Almes
Poco da PaneII a ; a tratar com o commendad
Tasso.
CoDSultorio medico
DO
Dr. Hurillo.
RDA DO VIGARIO N. i, ANDAR.
Recem-chegado da Europa, onde fre-
qaentoD os hospitaes de Paris e Londres,
podera ser prooarado a qualquer bora do
dia on da noite para objecto de sua pro-
fitsio.
Consul tas das (i as 8 hora* da manhJ e
do meio dia is doas horas da tarde.
GRATIS AOS PQBRES.
V Espcciolidades: Molestias de senhoras,
Q da pelle e de eriaoca.
Cravos
Na rua da L'niao, atraz do Gymnasio, ns.
47 e 49, tende-su serapre cravos bnncos e
encarnados.
ALUGA-SE
Na travessa da riia
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhoreB de ouro, pra-
ta e brilkantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
oompra-se os n mes-
mos metaesepedras.
Esta encburacfltdo!! 1
Agna mole em pedra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao film..Sr. Ignaeio Vieira de Mall
scrivao aa cidade de '.Nazareth desta provincia,
favor de vir a rua Daqne de Caiias n. 36, a con-
cloir aquelle negocio qae S. S. ae comprometteu a
realUar, pela terceira charaada deste jornal, em
ons de dexembro de 1871, e depois para Janeiro,
pasaon a fevereiro e abril do 1872,e uada cumprio,
por este mou'vo e de novo chamado para d
dm, pois S. S. se deve Jemhrar qae este negoci
de mais de eito annos, e quando o Sr. sea filho
ichava neata eidade.
Aluga-se a loja do sobrado n. i, na raa das
LaraDgeiras : a tratar na rua da Praia n 6.
Aluga e nma boa ca*a com exoillen!cs com
modos, a rua do Coronel Suassuna n. Id9 : a tra
uma grande casaierrea com bastantes commodos tar na mesma rua n. 171.
sita na estraJa do Lucas
a tratar a raa do Vi,
Aluga-se
0 ^.* andar e armazem da rua de Pedro Af-
fonso n. 59, o sobrado de um andar e sotao da
raa do Hospicio n. (53, e o 1* andar e armazem do
sobrado da rua do Rom Jesas n. 63: a tratar na
raa do Vjjjarin n. 31.
Aluga-se uma boa olaria,
jembarqne. a ma do Visconde d
tratar na me? ma rua o. 65
com botn po;to de
Goyacaa u.63 : a
Aluga-se a sala e a alcova do 3.* andar do
sobrado n. 70, a iua Duque de Caxias, proprio
paramofii- sulfeiros : a iratar na loja.
0 BRAML
Dedicado a defeza dos interesses dos subditos
portuRuezes residenles no imperio.
Redigido por M. 1'inheiio Cliagas.
Assignatura
Por um anno
Por seis mezes
NA
12*000
6*000
umm
59-RUA NOVA-59
hpular
SIT.II

AlUgase um SltlO. ua 1u>cm UaJaquoira, onda
moron o fallecido Franeisco S^a'es da Silva Re-
tumha, com uma excellente casa, com 4 salas e 5
quartos, cozinha, despeosa e marto para engom-
n ado, 'ora, cocheira, 4 quartos para escravos, $
cacimbas, snudo uma com epiima agua para be-
her, e varas frurteiras : a traiar #a rna Duque
de Caxias n. 51, loja.
SaKoDete vegetal pre-
serve tivo do conta-
gio venereo.
A de.- da infc-c.an syphilitica tem occupado a
atien.au de niuitus medicos notaveis
desde epoca mui remota, a isto movidos,
seni ili.vid.1 pilu i!eejo de pouparem a
hnmaoidade as 'unestas con.'equencias
du conlacu e absorpcAo de um pus tao
ll/al-Ticii.
0 i'r. Antonio Perreira Montinho, dis-
tioctti medico na eidade do Porto, e ho-
mem abastado, q je com o mais desin-
leressado einpenlio se entregoa por
longos annns ao estado e ensaios para at- fM
tiogir um lie louvavel qnao hnmanitario I
des.dcratum, julga ter descoberto subs-
tanci is vetietaes, que reanidas em for-
ma de sabuiiete, produzem com efflcacia
e de uma maneira infallivel o pretendi-
do iff"ito.
Sua convicc.ao 6 tal, em vista de nu
mero?as experieneia3 feitas no hospital
da eidade do Porlo, e do bom resultado
que o publico tem obtido do uso de tal
preparacSo, que die offerece o premio de.
um conto de reis fortes, ( como se \6 no
jornal* Aclualidade do Porto de 2 de
maio de^te anuo ) a quem Ihe pruvar a ',
ini|iruncuidade de seu invento.
Por aatorisacio do Dr Mc.utinho, o
oaico deposito de sem sabonetes para
esta provincia e para todas as provin-
cial do nMite, e a Pharmacia Central, e
para obstar a qualquer fraude serio con- ^
siderados falsiilc-.dos todos os sabonetes f
que nao levarem o roiulo deste estabele- '
cimento.
Pli rmacia Central
38 -Kua do lmperador 38
Paris, 36, Rua Vivienne, D
ih:mhm nkdigix sp^ciu
das M"'H'.-8 dbs seilak, is amegoas
C!TA"P ALTMACOPS DO 8AIMDI.
1 i'i,o00cursdasi| - u<.puslulas, herpes,
iarna, eomixoes, acri-
nonia, e alterf on, vi-
<:iostu do sangut, vi-
rui, e dUeiayoes a *angue. (Xarope vegetal
sem mereurio). Depiratl >rteui
um BUMEaavES tomao-se doas por
semana, seguindo 0 tractameDto Depvrativo : i
empreftado nas mesmas molestias.
I Este Xarope Citracto da
ferro de CHABLE, eura
mmediatamente qual-
I quer purgarao, rtla-
\xacao, e aebiltdatU,
e iguaLLueme os jau-os t floret branccu aai
Ao Sr. Justiao Fereira de
Moraes.
0 abaixo assigaado arrematante das dividas da
massa fallida de Joao Hygino de Souza, pede ao
Sr. Justino Pereira de Moraes, morador na Imma-
culada, 0 favor de vir a rua Direita n. 21 ultimar
sua conta com referenda a mesma massa.
Recife, 23 de novemr>ro de 1874,
_______________Jse Ricardo Faria._________
Coques de cakllo.
53. Rua DuquedeCaxtas.&3
Augnsto Porto, recebeu lindos e elegantes co-
qaes de cabello veriadeiro, cin(os de coaro com
llvelas de metal, popelinas de seda elinho, ricas
toalhas e lencos de labirintho qae vende por
commodos precos.
*
MEDICO-CIRURGICO
m
m
m
*
*
Dr. Pedro d'Alhayde L. Moscoso
PARTEIRO E OPERADOR
(Raa do Visconde de Albuquer-*?
aue 11. 89. Ha,
ESl'ECl ALIDADE
HnloiOaa acpnhiini. % :,
Consultas das 7 as 10 horas da ma- *r"
nha, todos os dias. *
Das 6 as 8 da noite, nas segundas, qua;
tas e sextas-feiras.
Os doentesque mandarem os seas cha- JK
10 horas da ma- j
m snas casas.
COMPSAS
Compram-se
as collecgSes de leis provincia-'S de I'lrnatn-
buco, dos annos do ISi'J, 1855, 180G e
1869 : nosta typographia.
Velho
Compra-se chunbo velho, cobre e latio : no
arjiazem da boh amarel a,
lmperador..
a travessa da rua do
V
Vende-?e o dominio directo de um terreno
sitona rua da Sant> Cruz, em qae se acha edifl-
cada a casa terrea n. 36 : a tratar ne rna do Vis-
conde de Gcyanna en. 5.
Vendese uma excellente carroca com uma
pipa e um boi : na travessa do Gomes, em Sauto
Amaro das Salinas n. 1.
M) mados por escripto at
5 nha serao visitados ec
mmmmm m
Aluga-sfr
Vende-se no sobrado silo a rna de S. Fran-
cisco desta eidade n. 10, 4 patulivas da Parahyba,
1 bicudo, 1 curio, lOcanarios da terra, 2 checheos,
1 bigode, e 1 viveiro do 4 palm,.s de aliura com 4
1|2 palmos de comprimento e cam 2 \\1 de aitura,
{de madeira de amarello com aramo, os.quaes se
vende por incommodo de saude de quem dos mes-
; mos trata. e QUO ori vondido a ijupm n ooroprar
todos juul w.
3 1/iii .'UitU
Roaqueu de crave e de todas as flores, capeilas
e velas para baptisado?, de muito gosio, por barato
prego, e tamliem recebe-re encomreondas tre dias
antes : no pateo do Livramouto 11. 36, loja de
cera.
)
I
Loja 2 de dezembro
Neste novo estabelecimcito de nrudezas sc en-
contrara tudo quanto 6 bom e barato, com espe-
os armazens ns. Co e 69, na praca do chafariz am cialidade cal^ado para hotnem e senhora. fitas de
Fora de Portas, um onde teve tenda de ferreiro 'sarja, setim e seda de todas as Ores e larguras, a
0 fallecido E. Mahult. 0 outro que esteve nccu !pre?os razoaveis, bem c>mo la para bcrdar a 4; a
pado com vend a do molhados, para 0 que 6 op ; libra.de lindas cores na rua da Imperatriz n
timo pela localidade c ser de esquina. ambos livres
e desembaracados de impostos: a tratar com 0 com-
mendador Ta^o.______________________
PARA 0 PUBLICO VER
Hoflna
Por que razao 0 Sr. tenente Jose Caetano da Sii
va bSo inueicoi-.' se *r d' Aos 5,000 covSdos dela
A loo r.
Na loja do Pavio vjojle se !aainas de muito
bonitos sostos e delicados padrije?. fazenda nova
no mercado, pelo diminuto preco de 160 rs. cada
am cov&do ; quem deizara de fazer vestidos de
12 tao bonitos e por tao pouco dinheiro ? Forne-
eem-se as amostras: na rua da lmperutriz name-
ro 60.______________________________________
LIOUIDACAO.
0 Paris n'America esta liqaidando os cal;ados
pelos segointes precos :
-' Rotinas de duraque, de cores, com canno alto e
laco, a LuizXV a 5*000 III
Rotinas de duraque, de cores, bordadas. canno
alto, a 6*111
Rotinas de duraque com laco a 3*.
Rotinas preta- garpeadas, canno alto, a 4*, 51 e
6*000.
Rotinas li-a* e enfeitadaa, para meninas a 3*,
Ri Unas de Sozer, de eordovao com ponleira ee
vernit, para bomem a 8*. AproveRem, qae e
barato.
Fio de aigodao da Bahia.
Teem para vender Joaquim Jose Goncalves Bel-
trao & Filho a rua do Commereio n. 6.
Salsa parrilha do Para.
Cbegada recefltemecte teem para vender Joa-
qnim Jose Goncalves Reluio 4 Filho, a roa do
Commereio n. 5.
Fechaduras de broca.
Teem para vender Joaquim Jose Goncalves Bel
trao 4 Filho, a rna do Goramercii n. 5.
ChHerdecprdo
Amaral, Nabnco & C. declaram a seas amigos
e freguezes qne receberam pelo ultimo vapor
de Europa, nova remessa de cha verde e preto,
garantem sua boa qnalidade e vendem no tea
Bazar Victoria, rua do Barao do Victoria n. 2.
Vende se ama casa terrea na roa deP ay-
sandn, estrada da Magdalena, com 4 quartos, 1
salas, corredor indepenlente e forrada, com quin-
tal murado : trata-se na iua de Hortas sobrado
n.48._____________________________________
Grande-Novidade.
Chapeos de sol de seda trancada muito boa, ar-
macao especial, a 7*000. So na rua 1* de Marco
u. 14, loja de Gusmao & Leal. ____________
Vende-se 0 estabelecimento de molhados,
sito a raa de Pedro Affonso n. 61, bem afreguez?-
do, tanto para 0 mato como para a praca, serve
para qualquer principiante em razao de ter poucos
fundos: a traiar no caes do Ramos n. 24.
Por 600j e barato
Vende se nm e-cravo de 30 a 35 annos, e bara-
to, proprio para refinacao, padaria, ou mesmo
para um sitio, por ser de boa condacta e sea se-
nhor retirar-se para fdra : na rua de Hortas n. 96.
AP8I0VE1TEM
A1|000
Cambraia branca, bordada, com li-iras e de
qaadrinhos, ab rtas e tapadas, por termos uma
grande porjao, rrsolvemos vender barato para aca-
barmos, e fazenda muito larga. e muito boa, que
sempre se vendeu por 2 j 0 metro,. e estamos ven-
dendo a l*avara: so quem tem para vender
por este preco e Guilherme & C, raa do Crespo,
loja das tres portas. Dio-se amostras.
(Jal de Lisboa
Vende-se cal de Lisboa : na praca do Corpo
Santo n. 17, 1* andar, escriptorio de Joaquim Ro-
drigoes Tavares de Mello.'
Fundas Herniarias
radical
Criado
Na rua da Alegria n. 40, se precisa de um
nea teDha principio de cozinha.
COLLEGIO FRANCEZ
Farinha de milho
Vende se farinha de milho moida a vapor, dia-
riamente, de 1* qualidade, para cuscus a 140 e 120
rs. a libra, da 2" para cangica e p3o de Provenca a
120 r.-..a.'i' para auutl, pint is e passarinhos a rOO
rs., da 4* para av gunza a HO rs., e o arroba 6 mais
barato : na rua do C t -vello n. 2ii, casa de azu
lejo.
ELECTRO-MEDIC AES
Para ligar perfeitamente e curar
mente
as qnehraduras
Essis fundas estabelecidas sobre os couheci-
nentos medicaes e anaunicos mantem as quebra
duras as mais volumo-os e difficeis, impedindo 0
sea desenvolvimenlo. Elles teem uma accao elec-
'i iea que na generalidade dos casos opera nma
cura radical sem qne 0 doente se snjeite a pres
cripgao alguma, a excepgao do uso continuo del-
las. A cura opcra-se no periodo de 12 a 20 me-
zes conforme a hernia mai3 on menos antiga.
Unico deposito em Pernambuco, pharma-
cia e drogeria de Brtbolomeu & C.
Rua ldrga do Ro.ario n. 34.
320
1 eis o co-
vado.
S6
DEPURATfF
Ju SANG
PLUS OE
COPAHU
DIRIGIDO POR
Madame Louise, Irma Adour
Rua de Fernandes Vieira n. 2, na
ultima estagdd dos bonds "*
Madame Louise Irma Adocr, educada em Paris,
avisa aos Illms. Srs. pais de tamilia, qae vai abnr
no dia 10 de Janeiro de 1873, urn collegio para 0
easino do aexo feminine.
Madame Louise Irma Adour, dorante sete annos
esteve no engenho Limoeiro edneando as filhas do
Exm. Sr. bario da Escada, e dorante doas annos
as do Exm. Sr. barao do Aracagi.
0 eollegio e muito bem collocado, tem am sitio
bastante grande, e agaa encanada para os banhos.
Os ramos de ensino s3o :
Instrac^ao religiosa, ieitura, calligraphia,
metica, historia, geographia e desenho, lingua na
cional, lingua franoeza, lingua Ingleza, musiea e
piano, canto e danca ; e bem assim todos os traba-
Ihos maouaes, propiios de ama seanora, como :
bordados, crochet, etc ,elc. A lingua qne se falla
diariarr-ente no interior do collegio, e a franceia.
A pensao para as internas pelo anno escolastico
de 400.;, as meia-pensiomstas pelo anno escolas-
tico e de 2i0y, as exiernas pelo anno escolastico e
de 120*, pagos idiantado? por trimestres.
As licSes de piaao e de ingle*, serSo pagas em dna Direita n. 14.
[.separado, sendd 109 por mez pelo pjano, e S^DOO "
por mez pelo mglez. Para tratar, na rua de Fer-
ies Vieira n. 2, na ultima estacao dos.bonds.
na rua ilo 0"eimado n. 43, junto &
loja ila Magnolia.
E' barato.
Cambraia branca com flores bordadas de cores,
sito padrSes muito bonitos e de goUos nunca visio,
pelo diminuto preco de 320 rs. 0 covado:
so 0 43 6 quem tem. Dio se amostras com pi
nhor.______________________________________
Popelinas a 1$ e 1$500 o
covado
0 De?engano recebeu um grande sortiment) de
'popelinas de seda, de lindi-simos padroes, [azenda
qus se vende por 2 5.0, esta vendeudo pelo* di-
j miflulos precos de 1..' e 15P00i' covado. E' grande
aritb- pechincha ; aellas, ante? que se aoa bem : na rua
Vende-se
nma casa aa villa de BarreirM, na rua do Coai
mercio, por preco modico : a tratar earn Taaat
Irmaos & C.
LIOUIOACaO
/ NA
Lojade fazendas
DA
Rua do Crespo n. 20.
Las de cores miudas muito boas para roopa
m eninar a 160 e 200 rs. o eovado.
La pretas, superior, a 400 rs. o covado.
Aloacas de cores Snas a 320 e 360 rs. o eovadc
So se veodo.
Ditas com lUtraa abertaa, (aaenda fiata, a COO rs
covado.
Chitas de cores a 240 e 280 rs. o covado.
lielins de cores miadas a 280 rs. o covado.
Cretones, o melhor qae tem vindo ao mercado
408 e 440 rs. o eovdo.
Caabraiaa braneaa, bordadas abertas, fiiwij
mais Una qne tem vindo ae mercado, e ftinli
de 2*000 o metro, por 1*000 a vara; p*
chincha.
Ditas pretas com flores miudas a 200 rs. o eovade
Cambraia transpareote, fioa, a 34 a peca.
Dita Victoria, nna, a 4/000 a peca.
Organdy de assento branco e de cores, torn <
res miudas de seda e de la, a 400 rs. o cosadc
E' pecbinoha.
Cortes da casesnira de cores mederaas a 6*500
corte ; e fazaada de 8*. E' pectuncha.
Camisas de linbo finas, lisas, a 35* a duzia, 4 fa
tenda de 55*.
Brim branco debsaho a 1*460 a vara.
Dilo Angola, verdadeiro, a 600 rs. o covado.
Madapolio trances verdadeiro, 24 jardas, a
7* a peca.
Algodae T, largo e superior, a 8* a peca.
Gorgorio preto de seda para vesado e para colls*
a 3* o covado
Toalbas alcochoadas a 4*500 a dasia.
Colcbas grandes a 3*500 uma.
Cobertas de ganga, forradas, a 3*.
Lencoes da bramante a 2* on.
Lencos de linho, abainhados e eu cautassH
3*500 a duzia.
Ditos de caca de cores abainhados a 3*500 a do
sia.
' E oatros muitos artigos qae se vends por cs
nos do qae outra qualquer parte e para sa o-
6 na lorem qaeiram mandar ver as amostras.
enganaja de
Guilherme t C.________
Para o fabrico de chapGot
A NOVA ESPER AXCA recebeu o arazae propri*
para armac.3o de chap6os.
BAZAR
DAS
FAMILIAS
Roa Clique dc Caxias a. 60
Para a f esta
i
Prdprios para bailes.
Chegaram em boa quadra, para a loja do Passo,
riqnissimos cortes de seda com largas listras
achamalotadas c \m li--Jn.a- cores cortes de tar
lalana com palmas bordadas a prata, proprios
para Dailes : so na laja do Passo. a rua Primeiro
de Marco n. 7 A.
Aiiiiiirein,
1* de Marco n. 85, junto a loja da csquina. Dao-se
ss amostras com penhor.
mulheres. Esta iuieccao benigna empregassa
som o Xarope de Cilracto de ferro.
>PBrri POMAOA ANTIHERPETICA
Contra: ntiaJTeccoesculatuas comixoti.
PMOLAS VEGETAES DEPURATIVAI
4b aw ckabie, cada fraaco vrai accumpahads
4s nat folheto.
AVISO A08 8RS. MEDICOS.
Sirop du
DrPORGET
I Cora MsarrSM,
\coquttucUt, irrilaiom
nervoiai MM do$ tltm
ehioi i toiat at itinfm
i do peito; basta ao doaaSl
aaaa eolhe rchdea darta ULropo jy f'oaaar.
t. CBAana sat Parts, raa Tlvliaai, M,
Deposito bot'ea Fraticeza
22 Rna da Cruz 22
Leques gigantes
S6 quem tem dos mais moderoos t a Magnolia
a rna Onqne de Caxias n 43.________________-
Cal de Lisboa novissima
Vende-se em grandes e pequenas porcoes : m
Alnga-se a casa da rua do Visconde -de Pe-
lotas, antiga roa do /.ragao n. 18, com -2 saias, i
qnartos, corredor separado, cetinha, botn quintal,
portao, e mais am quarto no quinlal : a tratar na
roa da Punle-Villia n. 20, das 6 horas da manba
as 9 em diante, na rua do Commereio n. 18, a tra
tar com proprietary t>omingo3.tf6r ISons banhos e doraaida fres -
ea no Monteiro.
AJuga-se alii por preco commodo umaxasa pe
quena que tem t salas, 3 quarto*, c;.jinaaei>oa
cacimba, e 6 perto do rio : a tratar na raa Nova,
loja ,p. 7.______________ ....________ |
Precisa-se de ama para cewnhar : ao ar-
mazem Baliia, rna do Lfwamentoji. 38.
Vende-se uma taverna na raa da Moeda n-
29 : a quem convier poi? tratar na mesma com
Serafim Borges de Oliveira.
FUNDA ELECTRO-MEDICAL
1NVENQA0 PSIVILESIAD* FAR*IS ANNOS
pin cun UCDNIAQ dos dontores aiAlslB
radical du nCI\ninO trmaoe,medlooa lnventoret
44, rue de l'Arbre-8ec, PARIS, Vai accompan-
hada da uma notioia,
Depoalto em Pern am bu co. C AH ORS ut B AE.BOZ A ph.
ASTHMA
HtsVUSM, CAT1U1I, TIKE MSI1NADA
SmCCeiS BAS VMS DE BISriBACAO
Con immediate pelo imprsgo do PAPEL e
dos CIGARROS jU Gict/uel, pharma-
caatko 4s f^classe da Escbala de PARIS.
JEocoatra-se em todas as principaes phar-
macial.
Aloga-se nma escrava c zinl elra, engdWBa-
deira e lavadeica, e acosiumada a comprar e a fa*,
I ttr ,-todo p-aersicp ,de casa : .quera ,a pretender, M ^Br*Jt0'-*g.JVr.na?^t dirija-se a raa Velha n, 49, que achar* cote qiera I BQTfCA CEWTRAL DK PHARMACIA.
tratar.
RDj
Cortinadoa a :sooo
0 Pavao vende cortinados bordados, prcprios
para camas e janellas, a 7* o par. e pechincba
que logo se acaba : na rua da Imperajriz n. 60,
de Felix Pereira da Silva.____________________
Rhum nacional.
Premiado na exposi^So da Sociedade Doze
de Dezembro.
Vende se, pelo diminuto preco de 1* a garafa,
na bem conhecida t-verna do Lima, rua do Ba-
rao da Victoria, confroote ao oilao da raalriz de
Santo Antonio.
Pedrasde marraore
Vende-se pedras de m rmores, de diverse? ta-
manbos, com duas poL'gadas de gros-nra, proprias
para muitos misteres : a tratar com Joao Jose da
Cunha Lages.
Grande liquidacao.
Peixoto & C. resolveram-se a liquidar o seu esta-
belecimento de fazendas, a raa do Livramento n. 24;
portanto eslao dispostos a venderem mais barato
do que era qualquer parte, c para provar o que
dizem, convidam ao respeitavel publico desta
capital para ir ou mandar ao seu estabelecimento
verilicar e adiuirar o qua se pode cnamar pecbin-
cha e convencer-sehao qae nao 6 possivel ven-
der-se mais barato, so mesmo quem quer aca-
bar._______________________________________
VENDE-SE
o deposito de pao e bolacha da rua do Rosario
da Boa Vista n. 47, proprio para principiante : a
tratar uo pateo do Terco n. 10.
Vende-se uma cabra toda preta, boa leiteira,
com doas crias, muito mansa : na Capunga, rua
das Crioulas n. 5J bem como ama porcao de Dia-
Has, por prego commodo.____________________
Bartholomeu & C.
PARA.
Lipidaeaft dc conlas
vendem por barato preeo
SALSA-PARRILHA
DO
PARA'
34-BUAlARGA DO ROSARIO-3i
Reis e Silva & Guimaraes, proprietaries desu
bem conhecido estabelecimento de fazendas fina-
convidam aos sens freguezes e rmigos a sortirei
se dos artigos indispensavais para a festa, artigc
da ultima moda e de Cno gosto, os quaes se ven
dem por modico preco, de forma que igual nao >.
encontra em outra parte.
Alim de qne o publico avalie o one levam dito
offerecem a sna preciosa con-idera^io a eguin-..
mc-ncao:
Riquissimas polinaises de gorgorii preto, ri -a
mente enfeitadas, pelo diminoto preco de 36*.
Lindissimos casaqoinhos de gorgorao preto, n
camenie bordados, sendo enrtinhos conforme a mo
da, pelo diminuto preco de 12*000 cada nm.
rtiquissima? sabidas de baile, de la e seda, parr
senhira, inteiramente novidade, pelo diminuf
preco de 12*000.
Lindissimas capinhas de la e seda inteiramen-
te novidade, pelo insignificante prep de 8*000 i
10*('0Q cada uma.
Riqnissimos cacbinets de la e seda, pelo diminu
to prego de 6^000 cada nm.
I'm completo sortimento de capeilas com veio i-
blonds, proprias para noivas, pelo diminuto prer
de 10*, 13* e 20* cada nma. E" barato ( E m
mo sao linda.-- ?l
MajaJitssswi laciobos com fiveia, proprios par;
pescoco de SL-nhor-s pelo diminuto preco de l*30i
cada uma.
Lindas gravatinius de cor, proprias para senh
ras, pelo diminuto preco de 1*000 cada uma.
Lindissimas rosas com alfinetes, proprias par-
peito de senhoras, pelo diminuto preco de !*;"
cada nm.
Cambraia? brancas, bordadas de c<*res a la, fa
zenda modernissima, pelo preco de 540 rs. o a
vado.
Cambraia transparent?, com daa? larguras, pe.
prego de 13*000 a peca.
Cambraia transpareote flna, Suis.-a, a 6*300
peca.
Cambraia rnuito fina, Victoria, a 7*200 a pec>
Meias de cores para homem, pelo diminuto pre
go de 8*000 a duzia. E' barato f
Riquissimas caixinhas. cada nma com ama dn
zia de lencos de linho ja abainhados, p lo din,
nuto preco de 5*5(>0, 6*, 6*500 e 7*.
Grosdenapl'3 preto, fazenda muito superior, :
1*200 o covado.
Setim branco, Macau, fazenda superior, a 2*201
o covado.
Riquissimo sortimento de popelinas de linbo, pe
lo diminnto prego de 440 e 300 rs. o covado.
Riquissimas faias de seda, fazenda modernise
ma, pelo conicodo preco de 2*200 o covado.
Popelinas de linho e seda, padrO? inteira
mente novos, a 1^609 e 1*809 o covado. E" L.
ratol
Grosdenapoles cor de rcsa, fazenda muito sape
rior, a 1*600 a 1>700 o covado.
Um completo sortimento de las e alpacas da sr
da com listras a 700, 800,900 e 1*. E' muito ba
rato I
Um complelo sortimento de las, a 130, 200, JVC
320 e 380 rs. o covado.
Madapoloes, Elephante, com 2f. vans, a 1*40)
a peca.
Madapolio, Maravilha, com 20 jardas, a 3**Of
a peca.
Madapolao francez, Madraste n. 33, a 6*100 a
pe?a.
Madapolio superior francez n. 60, a 7*000 s
peca.
Assim como am grande sortimento de chit is es
curas, ciaras e outros artigos.
REIS E SILVA & GUIMARAES.
Aos
nervosos
A NOVA ESPERANCA acaba de receber
tes milagrosos anneis eiectrieos, cura infalli
nervosos.
vfift
Aos cigarreiros
A NOVA ESPERANQA vende papal da Haa
proprio para cigarros, de diversas larguras.
Maripoza
A 999 rs. eajwaaW
S6 na rua do QueimasVo n. 4S.
JUNTO A' LOJA DA MAGNOLIA.
Maripoza branca com lindas listras abertas pe-
lo dimnmto preco de 320 rs. o covado aarova,-
tem qae e pecBinoba, td AS-Baratetro sea
" pjo-ae amostras com peabor.
Dooe nno de goiaba
Vende-se ao deposito do paleo d oTereo> aa^ e
a, pelo barato preco da 880, 080, 1*000la MMO
fissim como grande sortimaatQ de caixoes paaae-
bos, prepnds para mbarqae ; ba reqoeijao toda".
as tercas-feiras e sabbadoa, por preco
i fWm INCfJBffiH |
I
I


Diario de Fernambuco Quarta feira 2 de Dezembro de 1&74.
>
**
,/.
Ao barateiro
A'
rua
Tendo recebido diversas qualidades de fazendas que ha tempo liiiham feilo eneommenda e
^,P^inmnr ~^i S? i agora estando e liqoidacao resolven qae esws fazendas fossem vendidas nas mesrrms condicSes o
'# que e muita vantagem para os compradores, isto no Bazar Nacional rua da Imperatriz n. 74.
Aos ii.eninos
A NOVA ESPERAXCA, a ma Duque de Caxiai
c. 63, acaba de receber am bom sortimente de fi-
nas bonecas qae fallam, qae rtem-se e cboram ;
lambem as tern mudas e surdas ou surdas-mudas
venham ver se nao e verdaie._________________
E com as senhoras.
A Magnolia, a i ua Duqae de Caxias n. 45, par-
icipa ao bello sexo qae acaba de receber da Eu-
ropa, am compieto sortimento de artigos de ulti-
na moda, e como aeha desneee-sario fazer am
nfadonho anuuncio, pur ja ser bastante eonae-
eida, e caprichar sempre em (er boos correspen
ientes, seado a primeira qae apresenta o qae ba
ia mais moderao e por precos mui razoaveis, dot
.so limita-se a descrever somente o segninte:
Settas douradas.
BicoH de cores, taoto de soda como de guipure.
Leqneg dourados, de madreperola, marfim, tar-
taraga, osso, etc.
aiiidas de baile.
Preientea, diversos artigos proprios para pre-
senter.
coiinhnM e punhos.
ianuui para missa, com capa de madreperola,
tartaruga, marom, velludo, etc
Sapatinhos de setim para baplisado.
Camiaa* bordadas para senhoraa.
Lisas de seda.
Vranjas mosaicas.
aderecom de tartaruga.
onuw de madreperola.
Pulselraw de madreperola.
Lmdaa flores para cabeca.
Buixai de velludo.
Perrumarias dos melhores e mais afamados
fabricantes.
Cnapeoa de sol para senhoras.
vitas do velludo de todas as cores e larguraa.
Moscas.
Quereis livrar-vos destes malditos insectosf com-
orai uma machioa de matar moscas per 3*000
a Magnolia, a rua Duqne de Cazias n. 45.
Calvice.
A Magnolia, a rua Duqae de Caxias n. 4JS, ven-
u o verdadeiro Vigor de Ayer, qne impede a
tahida dos cabeHos.
Sardas e panos.
36 tern sardas e panos quem quer; porqae a
Magnolia, a rua Daqoe de Caxias n. 45, tern para
render a verdadeira Guticuleria, que fas desappa-
raeer estas maachas em poacos dias.
Colchas para camas
Na loja do Pavao vende-se cole has de fastap
brancos, para caraa a 2,500, ditas de dito de eor
a 4,000, cobertas de cbiU e de cretone, de $,500
para craa e ditas de metim escarlate forradas com
madapolao a 5,000 : a rua da Imperatria b. 60,
de Felix Pereira de Silva.
1 de Marco n. 1
Confroiite ao arco de Santo
Autonio.
Os proprietarios deste estabelecimento, tendo
gande deposito de fazendas de la, linho, seda e
algodao, e achando-se proxirna a occasiao do ba-
lance, resoWeram fazer grande reduccSo era pre-
cos, aflm de que naqueile tempo nao tenham gran-
de trabalho em balancos ; a saber :
GORGORAO de seda
one por 2*.
AMAZONAS, linda fazenda para vestidos de
passeio, a 500 rs. o covado.
GROSDENAPLES de cores, verde, encaraado,
hranco, cor de rosa e cravo, a 900 rs., 1* e
i*200 rs o covado. Quera 6 que nao compra'a?
POPELINAS de linho, de quadros e listras, bo-
nitos gostos, a 500 rs o covado. Aproveitem.
POPELINAS de linho e seda, gostos inteiramen-
".e novos a 900 rt.
DITAS com listras largas assetinadas, o mais
moderao qae tend vindo ao mercado, a 2*.
CRETONE franeez com listras e de quadrinhos
de cores e pretos a 400 e 440 rs. o covado. Isto
so no barateiro I
DITO franeez de listras, proprio para camisas
e vestidos a 300 n.; pois so se vendo se pode
:rer. __
ES >U AO de linho e algodao, proprio para ca-
misas, fronhas, etc, etc., com 7 jardas, a 3*200, e
com 10 jardas a 4*500 a peca.
MUSSULINA branca, com listras, para vestido, a
400 rs. o covado. E' pechincha I
MADAPOLAO francei com 20 varas, por 4*500.
E* barato.
CASE.YURAS d cores, para costumes (roupa de
hotn,em) a 3* o covado. Ver para crer I
LAS escocezas, estamos acabando aos precos de
t20, 180 p 200 rs. Apressem sel
CHI TAS escuras e Claras, fazenda Qna a 240,
260 e 280 rs. ; so a rua Primeiro de Marco n. 1.
CHAPEOS de alpaca, para sol, para senhora, a
!*000. E' admiravel I
BRIM branco n. 5, exposicSo superior, a 2/ a
vara.
CAMISAS de cretone franeez de cores, a 2*500
uma.
CAMISAS brancas, inglezas e francezas, gran-
de sortimento por prefos baratissimos.
BRIM pardi tran^ado, para 280 rs. e 400 rs. o
sovado.
BRIM Angola, superior, a 500 rs. o covado; isto
so na loja do Barateiro I
CHAPEOS de sol de seda para homem, fazenda
tuperior. a 8*300, 9*000 e 40*000.
BAPTIST AS matisadas, gostos miadinhos a 300
rs. e 360 rs. o covado ; so confronte ao arco de
Santo Antonio I
LENCOS de lioho superiores, abanbados a .'!{,
.*500 e 5*000;a duzia.
TOALHAS felpudas superiores a 6*500 a du-
zia. Em outra parte vendem por 9* I
MElAS cruas, superiores, para homem, a 4*,
4*500 e 5*. E' pechincha.
BOTINAS superiores para senhora, a 4*500 o
par.
ATOALHADO alcochoado, fazenda superior, pa-
ra mesa, a. 1*500 a vara.
ALGODAOZINHO branco, com peqneno toque,
a 3*500, 4* e 4*500, e roarca T, a 5* a peca.
Alem das fazendas acima mencionadas, eocon-
trarao muitas outras qae sgradarao em qaalida-
de e precos, e que para nao maasarmos a paciencia.
de nossos fieguezes, as deixam a de enamerar,
So no Barateiro
A' rua Primeiro de Marco n. I.
Loja de Agostinho Ferreira da Silva Leal & C.
Nao se enganem
Pois sao os verdadeiros barateiros 1
Aos legitimos fogoes econo-
micos.
Acaba m de chegar a esta cidade os ver-
dadeiros fogoeseconomicos, \& muito conhe-
cidos nas provincias do Rio de Janeiro,
Minas, S. Paulo, Sergipe, Rio-Grande, Ba-
hia e Alagoas, aonde tem merecido do pu-
bltco a maior aceita^So possivel, e s8o ji
preforidos aos de qualqner outro systems,
conuecido pela sua muita solldez, especla-
lidade na collocagao, moderno systema,
e sobretudo grande economia no combusti-
vel ; trabnlbam corn lenha, coke, carvao de
madeira, etc., etc. Ua de diversos tama-
ahos, proprios para casas de pouca, regu-
lar, e de muita familia, collegios, boteis,
casas pias, hospitaes, etc. Acnam-se ex-
postos ao publico, aonde se daro todas as
explicates necessarias: na rua do Viga-
on. If
Soares Lei IrmSos, rua do Bario da Vic-
toria n. 28, antiga rua Nova.
N.72.Rua da Impera t riz N. 7 2.
EM LIQUIDA^AO.
i
Organdys branco a 400 rs.
Vende se organdys branco com listras muito
fino a 400 rs. o covado.
Popelinas a 1 00 '.
Vende se popelinas de cores muito flnas a 1? o
covado.
Alpacas de cores a 400 rs.
Vendese alpacas de cores para vestidos a 400
rs. o covado.
Laazinhas a 120 rs.
Vendese laazinhas para vestidos a 120, 240,
320 e 400 rs. o covado.
Alpaca lavrada a 640 rs.
Vendese alpaca lavrada para vestidos a 640 rs.
o covado.
Granadina a 500 rs.
Vende-se gr^nndina pretacom listras brancas"a
500 rs. o covado.
Percales flnas a 400 rs.
Vende-se percales finas para vestidos a 4C0 rs.
o covado.
Chitas flnas a 260 rs.
Vende-se chitas de cdres escuras a 260, 280 e
328 rs. o covado.
Cassas de cores a 260 rs. I
Vende-se cassas de cores finas a 260 e 320 rs.
o covado. |
Cambraia victoria a 3 !500.
Vende-se pega de cambraia victoria a 3"?500,
4*e5*. Camnraia tran-p:rcnte a peca a 3?,
3*500, 4* e 5*.
Cortinados a 6*.
Vende-se cortinados para janellas a 6* e"; o
par.
Vende-se
No escritorio de Thomaz de Aquino Fonceca &
C. Successors, a rua de Vigario n. 15), primeiro
andar:
Cimento Portland verdadeiro.
Cera em velas e em grumo, de Lisboa.
Vinho Sher/y.
Vinho d< Porto em caixas, Gnissimo.
Idem em barris-de quinto e decimo, fino.
Retroz.
F" VENDE-SE
Na rna do Vigario n. 19, vende-se o seguint e
Cimento de Portland, em primeira mao.
Vinho do Porto, engarrafado, finissimo, em cai-
xas de duzia.
Dito dito em barris e ancoretas.
Vinho Sherry, inglez em caixas de duzia.
Vinho Collares em ancoretas.
Cera em velas, de Lisboa.
Cera em grume, idem.
Wibon Rowe & C. vendem bo'sea armaxM
a rna do Commercio n. 14 :
verdadeiro panno de algodac azul americaae.
Excellente fio de vela.
Cognae de 1* qttalidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as Qualidades.
Pentes girafe.
Pentes girafe, proprios para senhora, ( ultima
moda): a Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 45
e so qaem tem.
Papai, raamai.
- Como sao lindas as bonecas de cera que cha-
mam papai, mamai, cboram, andam, etc. So na
Magnolia a rua Duqae de Caxias n. 45.
Gaiolao, gaiolae.
A Magnolia, a rua Dnqne de Caxias n. 45, re-
cebea gaiolas de arame de lindissimos modelos,
proprias para passaros ; a ell is antes qae se aca-
bem.
A 120 rs. o covado.
Na rua da Imperatriz n. 60, vende se para aca-
bar uma grande qaantidade de las, restos de di
versos sortimeetos, desde 120 rs. ate 500 rs.; no
undo-se que, qaando ha via sortimentos comple
tos, se vendiam a 1*280 e 1*600 o covado, hi
grande variedade em padroes, os que primein
cnegarem melbor pechincha fario, a ella a rua d*
Imperatriz n. 60.
]IAI.1PtH,Ol.S
Na loja do Pavao vende-se madapoloes franco
zes muito incorpados, com 20 jardas a 6,000 r&s,
dito moito fino com 12 jardas a 3,000 e 3,500 ; as-
sim como um grande sortimento de madapoloes
inglezes de 4,500 ate 8,000 e 9,000 : a rua da Im-
peratriz n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Saccos
Sedinhas a 1#500 o covado.
Venham antes qae se aeabem : na loja do Paast
a rnal.* de Marco u. 1 A. ______
Veade se saccos de estdpa cm um pequeno
defeite, proprios para ensaccar farinha, milho, etc.,
pelo diminuto pre^o de 320.rs. cada am : na lo-
ja do Guilberme & C, a rua do Crespo n. 20.
Casaquinhos
Casaquinhos de gorgorao de seda, pretos, pro-
prios para senhoras, fazenda muito fina que sem-
pre se vendeu por 20*, estamos vendendo por
6* cada um ; isto so na loja do Guilherme & C.
a rua do Crespo n. 20.
Linho d'llsacia
Linho de Alcacia com listras, abertas, fazenda
muito larga, padroes liodos e inteiramente novos,
proprio para vestidos de senhoras e menioas, pelo
baratissimo pr
amostras : a
Iherme & C.
de 440 rs. o covado ; dab se
o Crespo n. 20, loja do Goi-
Sargelim
Sargelim de cor tran^ado proprio para forro de
vestidos e outra qualquer obra vende se pelo
diminuto preco de 160 rs. cada covado : a rua
. Crespo n. 20, loja do Guilherme & C.
CASA
Vende-se ou aluga se uma casa terrea em Olin-
da, com grandes commodos, gaz e agua eneanada :
a tratar na rua de Marco n 6. ____________
Cimeolo Portland
0 verdadeiro cimento Portland em barricas de
180 kilos : vendem Lebre & Beis, a rua do Amo-
rim n. 58.
Farinha demandioca supe-
rior.
T6m para vender, Joaquim Jose1 Gongal-
yes Beltrao & i\hQK a bordp do palbabote
Rosita, fundeado so pe do caes do Collegio,
e para tratar a bordo ou no seu escriptorio :
i rua do Commercio n. 5.
Salsa-parrilha do Para
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveka Aza-
a rua do Bom Jesus no-
no sea escriptorio,
Bro 57.
Nova remessa,
Vinho verde de Amarauie
Convida-se os apreciadores a virem apreciar o
que ha de mais excellente neste artigo; vende-
se em decimos e a retalho, em casa de Pocas
AC, a rua estreita do Rosarlo n. 9,1 junto a
greja.
Chales de li a "640 rs.
Vendese rha'es de la a 640, ditos de merino
estampados a 1*600 e !*.
Cortes de casemira a 5*.
Vende-se cortes dj casemira de cores a 5*,
5*500 e 6*.
Co' erias de chita a 2*
Vende-se cobertas de chita a 2* e 2*500.
Colchas de fustao a 2*.
Vende-ss colchas dc fustic a 2*, 3* e 4*.
Fustao branco.
Vende-se fu?tio branco para vestidos de senho
ras, organdys branco fino a 640 o metro.
MadapolJo a 3i.
Vende-jp pecas de madapolao enfestado a 3* e
:i j'ioo a peea, ditas ditas fino a 4*500, 5* e 6*,
dito franeez fino a 64, 71 e 8*.
Algodaozinbo.
Ven-le-se pecas de algidao de todas as quali-
dades e barato.
Bramante.
Vende se bramante de 10 palmos para lencoes
a 1*600,2* e 2*500 o metr :
Algodao enfestado a 900 rs.
Vende se algod^o de duas largtiras enfestado a
900 e 1* o metro, dito tran?ado a 1*280 o metro.
Grande liquidacSo de roupa feita.
Vende-se cerr-ulasde algodao a 1*, ditas finas
a 1*100 e 1*3 0. camisa* brancas a 1*800, 2* e
25 3*500, paletots dc alpaca preta a 31500, 4* e
4*500, ditos de dito de cores a it, camisaa de
flanella a 2*, ditas de chita a 1*280 e 2*.
Betalhos de.Jas.
0 Pavio vende uma porrao de rctalhos de Us
para vestidos ttndn grsndes e pequen is, que li-
quid* barato paoacauar, assim como uma por-
cao de cassas e chitas pretas qae se vendem por
qualquer preco para acabar : na rna da Imperj-
tr.'a n. 60, de Felix Pereira da Silva.
Espartilhos, a 3*500, 4* e 5?,
0 Pavao vende um bonito sortimento dos mais
mode-nos espartilhos que vende a 3*500, 4* e
5*000.
Peehinea em lencos branccs a 2 500.
0 Pavao vende duzl-s de Itncos finissimos de
cambraia branca para roao, sendo fazenda que!
sempre se vendeu a 4^000 a duzia e liqaida-se a:
2*500 por ter grande porcSo de duzia, ditos abai-
nhados a 2g, ditos chinezs muito finos e ditos
francezes escnros muito Onos para quem toma
rape".
I Cassas de cores a 240 rs.
Vende-se cassas de cores para vestido a 240 rs.
o covado : na loja do Pavio a rua da Imperatriz
i ,r a Camisas.
Vende-se nma grande porjao de camisas bran-
I cas com peite de linho e de algodao, por muito
menos do sea valor, por estarem um pouco enxo-
| vtlhadas, assim como seroulas francezas e de al-
j godao a 1,560, ditas de linho a 20 e 2*500 para
acabar : na loja do Pavao rua da Imperatriz n. 60
I de Felix Pereira da Silva.
Ronpa para homem para acabar ate" ao fim
do anno.
I Na loja do Pavjb liquida se uma grande porcao
de roupa para homem como sejam 1 calgas de
brim d'Angola, ditas brancas, ditas de casemira de
cor de 6$ ate 12 j, ditas de brim de cores, palitots
e fraks de panno preto, de alpaca e alpacao, as
sim como de casemiras de ceres, colletes brancos,
pretos e de cores, assim como roupa branca de to-1 Na loja do Pavao vende-se lazinhas iaponezas
das as qualidades, nSo se olha a prejuizo, o que se' de cdres muito modernas pelo baratissimo precc
Cortes de casjmira a
e 6JTO00.
Na loja do Pavao, vende-se cortes de ca-
semira para calga a 49, 59 e 60000, ditos
muito linos de uma s6 cdr com listras. ao la-
do, fazenda qne sempre se vendeu a 99 e
10^000, liquida se a 6$000 para acabar :
& rua da Imperatriz n, 60, de Felix Pereira
da Silva.
Para concertar meias
A NOVA ESPERANCA, a rua Duqne de Caxu
n. 63, recebttii cesta necessaria linha.
Asunicas verdadeiras
liichas hamburguezas qne vem a este mtrcanc
na. tu.- do Marouei de ulmda .51___________
V K % SI E-JSl 12 o sitio junto a igre-
ja de 8. Jo?e do Mangu nho, com casa de vivenda
assobradada e outras acommodacSes, todo mura
do, com duas frentes.-ervilas por portao de ferro,
dando para a rna di Amizade e para a do Man
fuinho. Tem de terreno proprio 194 palmos de
jrgura e 354 de fundo ; e a casa nv de 52 palmos
de frente e 84 de fundo. A situacao e a melbor
Eossivel para morada, e quem quiier edificar, tera
astante terreno para isto, pelo lado da rna da
Amizade. Tem a'guraas planta(5es de gozo e re-
creio, havendo bastante agua fornecida por duas
cacimbas, nrna das quaes e nova. A entender-se
com o Sr. Dr. Witruvio quem o pretender.
A 500 rs. o covado
quer 6 liquidar ate ao fim do anno.
Cambraia Victoria e transparente
Na loja do Pavao vende-se um grande sortimen-
to de cambraia Victoria e transparente para ves-
tidos tndo 8 1/2 vara cada pessa de 3.600 para
cima, isto na rua da Imperatriz a 60 de Felix Pe-
reira da Silva
Collarinhos de linho para acabar a 4$
a duzia
Na loja do PavSo liquida-se uma grande porciio
de duzjas de collarinhos de linho, por estarem um
pouco enxovalbados, pelo barato preco de 4; a
uzia, sendo fazenda que sempre se vendeu por
| e" pechincha : a rua da Imperatriz n. 60, loja
de Felix Pereira da Silva.
Chales de casemira a 4*.
0 Pavao vende chales de
E' BOM SARER-SEI
Qae a NOVA ESPERANCA, a rua Duque da
Caxias n. 63, bem conhecida pela superioridade de
seus artigos de mods e phantasia, acaba de rece-
ber diversas encemmendas de mer adorias de sua
repartivao, que pela elegaiici > bem mostra aptidao
e bom go-to de seus antigos correspondentes da
Europa, e por esta razao a NOVA ESPERANCA,
a rua Duque de Caxias n. 63, convida a sua boa
e constante freguezia e com especialidade ao sexo
amavel, a visitarem na, afim de apreciarem ate
onde toca o primor d'arte.
A NOVA ESPERANCA nao quer entrar no nn-
mero dos massantes (verdadeiroi azucrins) com
extensos annuncios e nem pretende descrever a
immensidade de ofijeetoa que tem expostos a ven-
da, o que serla qua;i impossivel, mas limitarse-ba
a mencionar alguus daquelles de mais alta novidade
e toma a liberJade de aconselhar ao bello sexo,
que a vi.-item constantemente, pnra depots que
coroprarem em outra qualquer parte nao se arre-
penderem, a vista do bom e escolhido sortimeBto ,
que ha em dito estabelecimento, esta razao tam- \
bem demonstra que qualquer senhora do bom torn,1. u Ffao WDie a *.3* S8 ae ca,m'
nao podera completir a elegancia de seu toilet bra'a branc com 6ufltM bordadoa do eor, fa-
sem que de"um passeio a NOVA ESPERANCA, a ?enda 9ue sempre vendeu a 7* e 8*. e hqnida a
de 500 rs. o covado, para acabar ; notando-se que
6 fazenda que jamais se vendeu por menos de
dois cruzados ; ja ha poucas : a rua da Imperatris
n. 60, loja do Pavao, de Felix Pereira da silva.
Lazinhas brilhantes a 720 rs.
0 Pavao recebeu um bonito sortimenO das mais
lindas lazinhas brilhantes, sendo de quadrinhoo
miudrahos, parecendo de uma so cor, e tendo diffe-
rentes cdres ; esta fazenda tern um bnlhe corns
seda e bastante largura, e vende-se a 720 rs. o
covado : na rua da Imperatriz n. 60, loja de Felix
Pereira da Silva.
Lazinhas modernas a 320 rs.
0 Pavao vende bonitaa lazinhas de quadrmhos,
tendo de todas as cores, pelo barato preco de 320
casemira com gostos rs. o covado ; sendo fazenda que sempre se vendeu
chinezes, sendo muito grandes, que sempre ven ja 500 rs., e pechincna : na rua da Imperatriz n.
deu a 7* e 8i, liquida a 4j. Ditos de la, muito 60, loja de Felix Pereira da Silva.
encorpados, com listras, a 3j. Ditos de quadros, ] Crochets para cedeiras.
azenda nuiito boa 2^; assim como, um bonito o Pavao vende uma porcao de panos de cro-
fortijjeoto de ditos de merino, lises e de qnadros,' che,t proprjos para encosto de cadeiras e de so-
vende de |J atd 51 e 6* : a rua da Imperatriz
n. 60, loja do Pavao, de F. Pereira da Silva.
Popelina de linho a 400 rs. o covado.
0 Pavao recebeu um elegante sortimento das
mais bonit -s popelinas listradas para vestidos que
vende pelo barato preco de 400 rs. o covado, la-
vando se nao desbotam ; assim como, bonltas ei
baratissimos: na rua
de Felix Pereira da
fas, qne vende por precos
da Imperatriz n. 60, loja
Silva.
C6rtes dc organdy a 2$'i00
0 Pavao recebeu um bonito sortimento de cortes
de orgaBdy, matisados, para vesiido, que vende
modernas lazmbas com listras de seda a 640 rs. I
pelo baratissimo preco de 2 400 o corte, 6" pechin
o covado. Ditas transpareotes com palmiohasV!*a nar,ua & ^Peratriz n. 60, loja de FeUx
500 rs., sao booiUs. Bareges de uma so cdr, pelo gigg ;"
barato pre^o de 400 rs. o covado, e pechincha :
na rua da Imperatriz a. 60, loja de Felix Pereira
da Silva.
Cortes de vestidos pira liquidar.
0 Pavio vende a 4$, 5* e 6* corte de cam-
rua Duque de Caxias n. 63, a qual acaba de "rece-
ber os seguint s artigos de luxo e inteira novida-
de :
Modernas settas para prender os cabeUos
Primorosos ieques de phantasia.
Bonitas sahidas de bailes pan senhoras e-meni-
nas.
Interessantes gravatas para senboras.
Elegantes facbas de louquim.
Bons adere^os de madreperola.
Delicados aaareooa pretos de pufalo e norracha
(gosto novo).
Festejos
Gnftda liquidacSo de fa7ndse flnas e do
melbor gosto, para vestidos de testa, as
loja n. IV, ii rua Duque de Caxias.
Popelinas de modernissimos padroes, eovado a
600 rs.
Ditas de ditos a I *200.
Ditas de uilos a I*i00.
Ditas de ditos a 1*600.
Cambraias organdys de padrSes e cores inteira-
mente novos e modernos, covado 320 xt, cortee.
de cambraias brancas para vestidos, bordados a
com babados, a 6*.
Chapeos mt jcrr.i -. gosto allemao, para senhora,
proprk'S para a estacao da festa, a 2*500.
Ditos de diversas qualidades, para homens, pelo
barato preco de 2* 2*500, 3* e 4*.
Camisas france'.as e in;lezas, de diversas quali-J
dades, a 1*500, 2*. 2 500 e 3*.
Collarinhos de linho, lisos e bordados a 400 rs.
Toalhas de linho para rosto a 400 rs.
Lencos fines com barra, duzia 1*400
Ditos ditos brancos, duzia 1*500.
Metins esc cezes, inteiramente novos, proprios
phacraa mbres, ccvado 240 rs.
Meias finis.-imas, para senhora, duzia a 3 .500.
Lazinhas, chitas, cambrias, madapoloes, algo-
outros muitos art ges que >-e acham expostos para
os amigos do bom e de barato, por 25 0|0 menos
qne em outra qualquer pane, finalmente tudo,
tndo se acha em liquidacao._________________
Vende-se
um terreno em Beberibe de baixo, com 50 palmos
de frente e 500 de fundo : a tratar na rua de Vi
dal de Negreiros n. 137.
, GRAISDE
Liquidacao
DE
Chapeos de sol de todas as
qualidades
Mm. Falque convida ao respeitavel publico e
particularmente aos seus freguezes, para que apro-
veitem a occasiao desortirem-sede chapeos de sel,
os quaes se vendem por baratissimos precos, pois
deseja diminatr o grande dewsty) que tem des
mesmos, e de todas as qualidades, como sejara :
de seda, panno e abaca, para homens, senhoras e
meninas. No mesmo estabelecimento ha um Op-
timo sortimento de seda. alpaca, B&eriuo e brirq
para coberta dos mesmos. Ua tamUeoj chapeos
de papno com dous forros, proprios para os ba-
nhos do mar, a 1:500 para acabar.
Qual e a loja que vende ba-
rato ?
E' na rua do Livrament' n. 4.
0 que veade ?
Queira ler para saber.
Fazenda*. oh lpcus e roupas feitnm.
Perfeito sortimento para todaas classes.*
Pannos tinos e casemiras, brins de linho branco,
pardo e de cor, ditos de Angola, ditos de algoijp
brande e de ccr, gangas de liana e de algodao,
de cdr e amarelio, madapolao de diversas quali-
dades e precos, algodao branco de listras e azu
de varias marcas e precos, chitas, men'Bs per-
cales, baptistas iiranaas e de edrss, brilhantioas,
alpacas de lindos desenhos, ditas com palmaa de
seda e listras de eda, ditas pretas e brancas,
chapeos de sol para homem e senhora, meninos e
meninas, ditos para cabeca de homem. senhora,
meninos e meninas, ba grande variedade aoncU
se ve" o de castor a i e 2*. camisas de todas
as qualidades e precos, para homem e menino,
ditas de me'as, eeronlas de precos de um a tres
mil reMs, calgas, colletes e paletots, havendo gran-
de qaantidade para e-collier a vontade ; tambem
ba cambraias branca i e de cfires ; assim como,
muitos outos artigos que deixamos de publicar :
cheguem ao amigo do bom e barato, a rua do I
Livrame no n t4.
4* para acabar. Ditos brancos de cambraia aber-
la com listras e lavradinhas, qne sempre se ven-
deram a 10*, liquidam se per 5*. Ditos Benoatao
com lindos enfeites de cor, fazenda que val 12i,
liquidam se a 6j. Ditos de cassa de cores com
7 varas a 3* ; pechincha : na rua da Impe-
ratriz n 60, loja de Pelix Pereira da Silva.
Pechincha para crianjas.
Meias a 2*500 a duzia.
Toalhas de fustao para mesa a 2.-500.
0 pavao vende toalhas de fustao para me;a de
jantar pelo bar. to preco de 2*500, e- pechincha :
na luja do Panao, a ru> Ua Imperatriz n. 60,1
Icja de F. T. da Silva.
Gros preto a 1*.
0 Pavao vende grosdenaples preto a 1* o co-
vado e dahi para cima, ate 4 j : na rua da Impe-
ratri* 60. leia de Felht Rsr'ejjra,da Silva.
Brins de Angola* zA, 2 .>O0 e :s$.
0 Pavao vende cortes'dos verdadeiros bins de
Angola a 2;, 2*500e 3* ; 6 pechincha : na rua
da Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da
Silva.
Metins a 280 rs.
0 Pavao vende bonitos metins de cores para
vestidos, pelo barato preco de 280 e 320 rs. o
covado ; assim como, um bom sortimento de chi-
tas de todas as cores, padroes modernos e lixos,
pelo barato preco de 280 ale 360 rs. : a rua da
Imperatriz n. 60, loja de Felix Pereira da Silva.
0 Desengano esta quei-
mando
0 proprietario deste estabelecimento tem resol-
vido vender as fazendas existentes em sen estabe-
lecimento, por menos de que em outra qualquer
parte.
Vaiizinese de seda.
Vende-se esta fazenda de lindos patroes, de lis
tras e palmas, pelo diminuto preco de 320 rs. o co
vado, por ter uns toques de m6fo, i grande pechin-
cha. Esta fazenda tambem serve para luto, por
ser toda preta ; e fazenda de 2*500 o covado.
Damasco de la.
0 Desengano esta vendendo damasco de la de
lindos padroes e de duas larguras, pelo baratissi-
mo preco de 1*000 o covado, e fazenda de 2*500.
Aproveitem que o Desengano esta queiroando.
Casaquinhos de gorgorio de seda.
0 Desengano esta vendendo casaquinhos de gor-
gorao de seda, enfeitados, pele baratissimo preco
de 6*000 cada um, e grande pechincha. A elles
antes que se aeabem.
Organdys a .320 rs. o covado.
Vendem-se Organdys de listras, branco, pelo ba-
rato preco de 320 rs. o eovade. Aproveitem.
Madapoldes da 490.00 a pe^a.
-0 Desengano esta vendendo madapolao franeez
com 20 varas s 4* a peca ; dito muito fino, a 5*,
5*500, 6* e 7* a peca ; e grande pechincha.
Algodio marca T, largo, a 4/, 4*500 e 5* a
MM.
hicos cbafeos de sol de seda. com cabo de mar-
fim, a 12* cada um; e pechincha.
Baptistas de lindos padroes a 400 rs. o covado.
Lazinhas de cores, bonitos padroes, pelo diminu-
to preco de 160 e 200 rs. o eovado. A ellas antes
que se aeabem.
Cambraia Victoria, a 3*500, 4*, 4*500 e 5* a
pe$a.
Alpacas de cores, la e seda, bonHos padroes, a
500 rs. o covado ; e grande pechincha.
Metins de cores, bonitos padroes, a 280 e 300 rs.
ocovadft.
Chitas Claras de lindos padroes a 240, 260 e 280
reis.
E outras BMiitas fazendas que deixa de mencio-
na-. as para nao se tornar enfadonho, por isso o
proprietario convida a todas as pessoas a fazerem
uma visita a sen estabelecimento, afim de sorti-
rem-se do bem e barato. Rna do Crespo n. 25,
junto a loja daejqaina.
ARVAZEH Di) TAM
A' pra vende-se:
Tijolos de raarmore, de differentes ta-
manhos e qualidades.
Tijulus francezes, sextuplos.
Ciniento Portland verdadeiro.
Aasulejus grandes muito proprios
para rodape's.
Azulejoai verdes e amarellos, tamanho
regular.
lIuquinaN de desc&ro^ar algodao.
Cadeiras de ferro, assento de palbi-
uha, proprias para campo.
Para p: darias e tavernas
Sal fino e muit > alvo : vende se na rua Imp
r*il
irraor/ m.
fito Ira quem venda mais barato!
Gama & Brito, com armazem de molhados no
largo da Santa Crnz ns. ie 4. vendem manteiga fn-
gleza ea barril a 00 e 1,000 rs. por cada 456
grammas ; viphode mac5 a 1,300 a garrafa, dKo
pigueira a 440 a garrafa, a canada a 3,400 rs.,
gz (Devos) liquido aziO a garrafa, velas stearlnas
a 560 o maw, velas economicas a 760 o maco,
cha perola a 3,200 rs. cada 450 granmas, dito air
jqfar superior a 3,000 rs. coda 450 grammas, um
compieto sortimento de biscojips em latas, que se
vendem por preeos baratissimos, hervilhas france-
zas a 640 a fata, marmelada muito fina a 640 rs.
a lata com meia kilo, queijos frescos, azeite doee
de Lisboa a 640 a garrafa, assuear de primeira
aorta a 320 rs. o kilo, dito de segnoda sorte a 28
0 kilo, dito de terceira sorte a 240 o kilo, vinho do
Porto, em barril, a 800 rs. a garrafa, dito engar-
rafado das marcas mais acrediudas a IflOO,
1,200 e 1,500;-. oque p6dej haver de melhor a
tndo mais a vontade dos compradores, certos de
qae encontrarlo a maior sineeridade e agrads
possivel : no largo da Santa Crnz ns. 2 e 4, arma-
liemde Gama & Silva Brito.
E' sempre assim.
AO SEXO AMAVEL.
A Nova Esperanca, a rua Duqae de Caxias n.
63, toma a liberdade de avisar ao bello sexo, que
acaba de receber diversos artigos dealta novi-
dade, os quaes estao expostos a vnnda em dito
estabelecimento, e bom que venham aprecial os
para por esla forma satisfazerem os caprichos de
anas elegantes toilettes.
A Nova Esperanca, nao querendo tornar-se
massante, limits se a mencionar alguns artigos
dos mais em voga nu mnndo das modas, os quaes
sao os seguintes :
Liodos ciotos de couro e filigrana.
Modernos botoes de aco para vestidos.
Novos Ieques, grandes", maiisados.
Elegantes fivelLts de aco para vestidos.
Delicados ramos de flores de larangeira.
Bolsas de couro e filigrana, proprias para tra-
zer pendentes ao cinto,
Breu, breu, breu,
No armazem de Jorge Tasso, rua d Amorim n.
37, e no caes do Apollo, armazem de farinha de
trigo, do commendador Tasso.
Traves.
Vende-se traves de louro e qualidade; para
ver no caes do Ramos, e trata-se com Joaquim
Bodriguei Tavares de Meilo, a praja do Corpo
Santo n. 17, 1.* andar.
Sal do Assu.
Tem para .vender Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo, a bordo do. palhabote Johen Arlvhr : a
tratar com o capiiao a bordo, ou no sen escrip-
torio. a rna do Bom Jesus n. 67.
W pechincha.
A 160 rs.
Lazinhas de cores, padroes muito lindos pro-
prios para vestidos de senhoras e meninas, e ven
de-se pelo diminuto preco de 160 rs. o covado,
Sor este preco s6 se eucontra na rua do Crespo a.
3, loja de Guilbejme & C.; dao se amostras.
E bonito
As almofadas bordadas de la matisadas qua r*-
cebeu a IVova Esperanca, 4 rua Daqoe di
Caxias P **.
E'
com as noivas
A NOVA BSPERANCA, rua Duqne de Caxiaa n.
, acaba de receber boas meias de seda propriat
para noiyas, e os apreciaveis ramos de larangeira
Lustres, candieiros e aran-
dellas para gaz.
No nevo estabelecimento, Grande Expoaigao, na
rat,do Imperador n. 35. junto ao escriptorio ii
companhia do gaz, vendem-se lustres, candieiros e
arandellas de differentes tamanhos e modernos
Sostos, tanto de vidro como de bronze, e tude dos
lelhores fabricantes que ba na Inglaterra. Tam-
bem se vendem globos de bonitos padroes, chambo
e tado o mais que for preciso para o service do
Saz. E como os donos deste estabelecimento man-
am vir de conta proprla e se querem acreditar,
vendem tudo mais barato do que qualquer outro,
para o que os compradores podem experimental
Alta
Davidmle.
0 Barateiro, a rna Is de Marco n. i, acaba de
receber grande sortimento de entremeios e babadi-
nhos tapados etransparentes.de todas as largu
ras e vende a 1,000, 1,200 e 1,500^ faiendaque
sempre custou 2,500; a uma experiencia nds os
convidamos ___________________
pra senhoras
Como sio lindas e modernas as gravatinhas que
a Magnolia, ajua Duque de Caxias n. 45, acaba
de receber f
Muito
parriiluft
nova e grossa,
Vende-se por barato preco, em porclo ooart
talho : na rna larga do Rosarin n. 34.
LIYROS f\OV0S
DO
Rio de Janeiro
Chegados pelo vapor Bakta
Verne ?Y) Cmco semana* em ball 12 3*00 >
Viagem ao eentro da terra It 2<00i>
< Visguii aoredor do mnndo 12 t.Mn
t Filhos do capitia Grant, 3 vols. 12 6 Ott'
a Terra das pelles 12 2.001
a Da terra a tua 12 t.O*
< A ventura* de 5 rnssos e 3 inglezes
encadernado 3*O0(
< Uma cidade fluctuante 2 UK
Alencar- Guerra dos mascates, 2 vols. 4 001
NabucoManual pratico dos advugados,
2 toiii enradernadot 15*000
Idem Assessor foren-e (criminr-1) enc 84OOC
Silva JuniorNovo regimento de cusias
judiciarias. acnotado, 8' br. l*00i
Caroata-Fotmulario de despachos e sen-
lencas no civel, ci< mercio, juizo
de orphaos e aosentes, pn.velo-
ria e crime, e de alguns pioces-
sos que correm nos me-m- jui-
zos, e do de medicao de terras
pelo juiz cemmissario, eoc.
Elemento servil formula! io das accdes,
encadernado
Rodrigues Consultas juriJi?:.?, 2 volt,
encadernados
MetierrTayerMateria criminal, eor.
Castilho Antonio Ftrreira, 3 \xls. 18*
encadernades
n Antonio Ferreira, 3 vol. 8* enc
PortellaCurso pratico de pedag gia, 8
CordeiroCompendio de pedagogia, 18*
AlencarAo correr da penna, 18*
0 neto.de Faublas, 3 vok 18*
Silva Carlos (romance) 18*
Novo manual epistolar ou arte de escic-
ver -1874, eoc.
Escrich-- A'perdicao da mulher. 8 vols.
Odorico Mendesllliada de Homero, 4
Pinto CoelhoAdvogado (rabuU) enc.
Livraria popular
Kua Xa n 5SI
.!* i-H
3*O0C
10* or,
10 ow
o*mo
!.', 000
5*000
3*000
lAOUt
r.iooo
i 000
< ROO
8iO0O
3 tt*)
3 500
Vende-se por qualquer pt'. um Ir.-Jo
meia-agua de 2 andares e tflttw, .-it" a na do
Fogo n. 18, em terreno prcprio e de muit- boa
coustrucca.j ; uma em terrea, sita a rua da F< r.-
te Velhi n. 47, e outra na rua Jo Viscoud- de
Albuquerque u. 69 : na rua da Ccnceiclj n. ii
Vende-se
bIL
na rna do Vigj rio n. 19, primeiro andar :
Vinho do Porto eogarraiado, em barru
ancoretas.
t:era em velas, de Lisboa, superiur qiuiid...
Retroz do Porto.
Cimento Portland, legitimo
Admirem
Ciranadina de seda a lot rs.
Na loja do Pavio vende-se finis-iiuas gr de seda com lutras assetinadas, fazenda qae sem-
pre se vendeu a 1-200, e li mida a iOO rs. 0 cova-
do ; assim como maoguitos e golinhas de cam-
braia bordadas a II cada am, e pec&nrha : ra
loja do Pavio, rua da imperatriz n. 60, de Prrtira
da Silva.
Vende-se ha cidade da Escada uma graedr
casa de pedra e cal, oitoes d brados, com s la.
assoalhado em toda a ex ensio, quintal muraJ
com commodos bastanles para uira grande hai -
lia, sita na rua da Virago n. 30 ; uma diu
mesma rua, de esquma para a rua do Rio. coo
tendo armacao para -qualquer eslabeieciirei.t
occapando os fundos Ci.m padaria, a qual acha
completa com lodos os ukneilio- ; uma ea*.< pt
quena contig a a mesma, e am MM junto cm
i fii 1 palmos dc largura c 140 ditos de fundo, nrl
os chaos foreiros a camara municipal da n.e.-rxu
cidade da Escada : a tratar na cida-ie do Recife
na travessa da rua do Viscond -1- Inbaama n.
73 (antes do Range'), e na Escada, com o Sr. atfe-
res Jose A. A Campos.
Vinho verde.
Especial chegado no ultimo vapor, tem para
vender em barris decimos, no seu escriptorio a rua do G-mmeici<"
n. 5, Joaquim Jose Gongalves Beltrao A Filhn.
Chocolate do Maranhao
Unico deposito nesta cidade, era casa de Josd
Tavares Carreiro & C, rua Direita n. 14, onde m
vende pelos precos e vantagens da 'abrica.
Vende se uma casa terrea nova e oem coo*-
truida e com commodos para numero:-a faznilia,
sita a rua do Na-ceate n. 20, que 01 ha para a
via ferrea do Recife ao S. Francisco : Irata se na
rna Imperial n. 217._____________________
Rua 1 deMfcrco n. 14
Gusmao A Leal receberam grande qoantidade de
cortes de casemira p*ra cal-.-a, e vend-m por \*
cada corte, assim como vendem setire'a* parr.
vestidos, fazenda linda, por 44)0 rs. o covad-. faaes-
da de 800 rs.: so na rua I* de Marco a. 14.
Chegaram a loja do Bazar
das Familias
4 rua do Duque de Caxias a. GO A.
So para as senhoras
Riquissimas lisiahas de seda bordapas, alta no-
vidade, proprios para as senboras a quem r- -
commendamos por serem muito lindos e is
encontram no Bazar das Familias, por ser e:>-
menda propria t
Lmdbsimos manguintos de cambraia bcr iades
inteiramente novidade ; fazenda quo so o Baz;,-
das Familias e qaem tem.
Riqaiss'mas golinbas de cambraia bordadas com
hicos de gripure e crochet, fazenda nnnca vista,
por ser a primeira vez qne vem ao mersado, e K
o Bazar das Familias e qaem recebeu ; as mo outras novidades de apuradn g sti, que si'
se encontram no Bazar das Familia-; a^sim come
pedimos as Exmas. Sraa. afim de o vi*i>ar. para
se verrScar dos objectos acima especiGcados: .
rua do Duque de Caxias n. 60 A.
Cur a das hernias, pe las fun-
das de borracha.
As melhoros e mais aperfeicoadas das at* h-ije co
ahecidas.
Vende-se
Pnarnaaela e Drogarta
de
artolonaeo dr C
A'
84. Rua larga do Imhm "*
Vaccina. Vacciu*.
Tendo 0 Sr. Dr. Jose Lourenco de Mag^ibaet.
montado na corte am compieto servifo !--te ar-
tigo, tem aqni aberto um deposito da rM.bor
mais recente, cujos tabos se encoutram s
Pharmacia e drogaria
A*
34-rua larga do Roaariu 34
Imperial fabrica de ..:pe
ar#a fiaa de Moreiia da Bahia.
Delta excellente rape, qne setorna r^,-.,.,, imn.
davel aos amaates da boa pitada tem >-<>-:-&.
do esta fabrica o sea deposito 4 rna 1 - cjo n. 8, qae vendem por Junto ini> fa.
zendo-se vantagem a qaem compnr p-* .
Casa


Vende-se a casa terrea no largo d" s. J a a
a tratar a rua do Marquez do Berval a -li
37
Q


r
.
8
viario de Pemambuoo Quarta feira 2 de Dezembro de 1874.
AGRICULTIM.
Oa adnbos artiflciaes
trados.
concenj
CONDigOES QUE IMPEDEH 0 SEU APROTEITA-
MENTO.
Em uma revista agricola encontramos al-
gumas explicates sobre a irnneira de ora-
pregar os adubos artiflciaes na terra com
seguranga de offerecerem vantagem aos Ia-
vradores.
a Araiudadas vczes me teem chgado ao
eouheeiraento, diz o articulista, noticias
porno animadorasdo emf.rego dos adubos
artiflciaes mais ou meaos concen'.rados, en-
saiados por estes ou aquelles lavradores, em
taes ou taes regides.
Umas vezes taes adubos ndo produzem
resultado sensivelmente maior que o estru-
me usual do gado.
Outras vezes, nao se coabece different na
fertilissQdo das terras sendo passados dous
ou tres annos.
Casos ha, e nao sao poucot, em que a
vegetagdO, em vez do prosperar e dar maior
rendimento, como que declina ediminue no
producto util.
Estes result ados, negatives umas vezes,
fracos e incertos outras vezes, teem posto
em desconfianga o ammo jd desconfiado e
nimiamente cauteloso do nosio lavrador,
sobre as reaes utiudados das adubos arti-
flciaes.
0 qufe da* a estes insuccessos uma certa
gravidade, e faz suppor que elles derivam,
nao apenas de circumstancias especiaes da
terra, da cultura, do genero do adubo e do
processo de applicagao, e que os casos neu-
tros os negativos emparelbam com cs posi-
tivos, em diversas terras, em diversas re-
gioes e quasi que indistinctameute para to-
dos os generos de adubos.
Assim o guano do Peru, o guano inglez,
os phosphates e em gerai todo o adub j con-
centrado apresentam igualmente o mesmo
numero de casos ineHicazes, quer seja no
norte, quer no centro, ou no sul do remo.
Ueve haver, portanto, uma causa geral, que
n3o permitte que os adubos artiflciaes ope-
rem em certas terras aquelles prodigios de
fertilidade, que habitualmente produzem
nos paizes centraes da Europa, na Inglater-
ra, na Franga, na Belgica, na Hollania, na
Allemanha, etc.
Tenho muitas vezes ensaiadn, e visto en-
saiar os adubos artiflciaes concentrados, e
devo declaral-o com a franqueza de meu ca-
racter que, apezar de em certo numero de
casos ter verificado tanto ou quanto da sua
virtude, ainda estou para ver os milagres
de pomposa vegetagao, o de copioso pro-
ducto que todos os dias leio a respeito do
uso delles nas terras dos paizes centraes da
Europa.
Ao principio julguei que os ensaios se-
riam raal dirigidos, quer por uma, quer
por outra razdo.
A experiencia e o tempo tem-m'o por fim
desenganado.
Eu creio hoje que uma causa geral min-
ts nesta questdo pratica dos adubos con-
centrados.
Qual ells seja descriminadamente ndo me
atrevo affirraalo, porque ndo tenho aiada
sufficientes estados que me soaeguera a cons-
ciencia a tal respeito.
Mas supponho, com grandes fundamen-
tos, que a causa principal, senao a unicades-
ta tao frequente invalidade dos adubos con-
centrados no nosso paiz, e a falta de humi-
dade, tanto nas terras, como na atmosphe-
ra, na maior parte das estagoes, e ainda na
maior parte dos annos.
Rellicta-se um pouco sobre o que acon-
tece a um adubo natural ou artificial con-
centrado, guano ou superphospbato que se
langa a uma terra.
Geralmenteo adubo 6 espalhado quando
se grada e ds vezes quando se semeia a
terra.
FOLHETIM
PRINCEZA DOS US3IS3S
MYSTERIOS E INTRIGA.S DA COR-
TE DE FELIPPE V.
POR
FERNANDEZ Y GONZALES
VOLUME I
PRIMEIKA PARTE
As Tres Esperancas
(Continuacao do n. 275)
CAP1TULO II
I>E COMO UMA MEN1NA PODEACHAR-SE ORPIliA
ENTRE "t'ESSOAS DESCONHECIDAS.
I
A carruagem estava ainda d uma legua
de distancia de Taracena.
Era uma pesada almanjarra de madeira
t,-.i iada, cujo tamanho equivalia ao de dous
des maiores coches d'agora, e que, se des-
fihva com a velocidade d'um bom galope,"
devia isso ao vigor das dez robustas mulas
quo a puxavam.
Aliante, como batedores, corriam dous
guardas d'el-rei, exactamente como se viesse
alii ana infante deHespanha.
Atr,iZ,- de espada em punho, seis guardas
com n seu competente chefe ; ladeava d
portinbola direita um correio da casa real,
e, no i nmenso jogo dianteiro, viam-se dous
lacaios e um cocheiro.
A' es juerda do tiro, com um cavallo pela
redea, e servindo deguid, cavalgava am pa-
lafreneiro.
Tudo isto corria acompanhado de es-
trondo de armas, de estalos de chicote, e de
ranger de eixos e rodas.
0 coche, cujo interior era forrado de se-
lim brand estofado, com botoes e galdo de
ouro, vinha occupado, a* direita, por uma
dama formosa, apezar de ja" n5o estar na
primeira juventude, de physionomia intelli-
gente e cx;>ress3o melancolica, e cujo rosto
claro era emmoldurado de formosos cabel-
los castanhos, sem p6?, que lhe cahiam
desordenadamente em grandes caracoes por
baixo d'um chapelinbo |de velludo c6r
de arnarantho.
S6 na parte i. fe.ior so via o trajo da da-
ma, porque cobria-o um arrp'o sobretudo
de velludo, forrado de pelles de arminho,
da mesma cor do chapeo, e em que ella S3
embucava, porque as noites comeenvam a
istar rauito frescas.
No assento da esquerda, vinha um caval-
Poucas vezes se espalba como se faz ao
estrume enterrando com a charriia ou com
a encbada; e neste mesmo caso ndo fica
distribuido por mais de 0,raI5 a 0,mz0 da
espessura do terreno.
Algumas vezes e* espalhado em cima,
isto e, depns da semeada ou estaodo a cul-
tura jd nascida (engrais en couverture.)
Quer dizer que o estrume ou adubo con-
centralo fica ou d superficie da terra, ou
entremeado em um camada della relativa-
mente delgada.
Deste modo o adabo nio fica diluido coa-
venieotemente e deve por isso operar con-
centrddamento sobre as sementes e as rai-
zes.
Nao haven lo forte evaporaQao, nem calor*
este adubo nem fermentaria muito activa-
mente, nem teria puxado pel) abiorpedo
da planta em quantidade que podesse ope-
rar nella amo caustico.
Havendo calor e evaporac$o sensiveis,
mas havendo ao mesmo temp) bastante hu-
miJade na terra e no ar, comprehende
se taiibem que, apezar daquellas causas, a
humanidade o destemperaria da sua maior
fore/, pois o faria penetrar mais ao fundo
di terra, e ao mesmo tempo mais diluilo e
enfraquecid > no interior da planta. Sao
justamente estas ondicoes que se dflo nos
paizes nas estaQoes de maior actividaJe vegeta-
tiva.
Agora, "se suppomos o contrario dist), is-
to e, uma tempcratura que rarissimas ve-
zes cnega a ser fria ; uma atmosphera ha-
bitualmente secca e uma grande evaporac,3o,
condiQoes quasi ordinarias dj nosso clima,
a consequencia necessaria & que os adubos
concentrados, administrados &i terras sem
maior dilui^ao, bio de operar sobre as
plantas com toda a sua forca chimica, antes
de as poder servir fruc uosamente pela sua
virtude alimenticia.
Aceitando estas razoes, muitos factos de
insuncesso dos adubos artiflciaes deixam-se
facil e naturalmente explicar. Apohtarei
aqui alguns delles, que tenho podido apro-
ciar, sem com tudo os poder estatuir como
leis:
Primeiro uos annos de inverno pouco
chuvosos, e maior o numero dos insuccessos
dos adubos artiflciaes. E' obvio.
2. Os adubos concentrados retardam a
nascenQa, senSo chove copiosaraente depois
da semeada. E'obvio.
3. Chegam a queimar ou a infezar a cul-
tura, em parte, se sobrevem dias seguidos
de calor ou de ventanias depois da semea-
da. E' obvio.
4." Nos terrenos de granilo, ou de shis-
to, isto e, pobres em calcareo, a falta da hu-
midade ou os fortes calores difficultam
ainda mais o bom resultado dos sadubos
concentrados.
Este f icto, que parece desharmonico com
a acgao previa da cal sobre as materias or-
ganicas, tern a sua razao em que esta se
apodfera depois deltas, os insolubilisa, fur-
tando-os assim a uma rapida decomposico
final, verdadeira causa do prejuizo.
5. Aproveitarn muito melhor os adubos
concentrados ao arvoredo que as plantas
herbaceas.
Porque estas recab3m logo uma fartadel-
la do adubo concentrado ; emquanto que as
arvores, quando o chegam a receber, ji estd
rlictrihnifld p^r ii n grande ciihi de terra, e,
portanto, ja" di'uiio.
6. SSo frequentes os casos de haver pre-
juizo na cultura do anno em que se adrai-
nistrou o adubo concentrado, e bom renli-
mento na cultura do seguado e do terceiro
anno.
Porque neste intervallo as lavouras e as
chuvas repa-tiram o adubo melhor e mais
ao fundo, ficando assim mais diluido.
7. Nas terras lenteiras, ou irrigaveis, s5o
muito menos frequentes os insuccessos dos
adubos artificiaes. E' obvio.
8.' Adubj, que, em vez de ser espalha-
do a* grade, foi enterrado na lavoura ; adu-
bi que foi previa mente ensorporado e cur-
lido na m mtureira com estrum^s fracos,
de path is, >l* inattos o> diversas outras
materin ferlilisantes, surte sempre memor
resultado.
E' clarissi na a razi).
Poi'aria citar alguns outros factos; mas
estes sa) suffi;ientes, nSo so pira abonar a
explicagao, mas sobre tudo para se entrever
o metholo esp'.-cial, s<>gundo o qual aos
conviri empregar os adubos concentrados
mais a salvo da presumida causa geral que
lhe lesmonee ou contrarii-a virtude.
Tudo se reduziria ao seguinto : evitar
por lodos oi modos que os .adubos de gran-
de forfa fiquvm concentrados em p-quino
cubo de terra; e misturar todos os adu
bos como estrume, muito on pouco de que
he disposer, e com o qual devem ir incor-
porados para a terra.
Outras cautis, alem da falta da bumida-
de, p6 lorn tamb*m concorrer para os casos
do pouco ou de man successo dos adub is
concentrados. Citarei algumas.
1/ 0 emprego dos alubis sem primei-
ramente se saber se elles convent com a in-
dole do terren > e com as necessidades da
cultura. Exempt'). Os superphosphatos
em terrenos muito calcareos, quan lo empre-
gados sem outros estruraes.
Os mesmos superphosphatos desempar-
ceirados de outros a lubos azotados, e en-
pregadosna cultura doscereaes em terras la-
vadas pelas cheias de rios iuun laotes, quer
sejant calcareas, quer ait.
2. 0 emprego de adubis muito amonia
caes, com >6 o guano do Perii em terrenos
calcareos, sen do ompregados estrume* e em
culturas de raizes superflciaes.
3. 0 emprego de adubos rnuit) ani
malisados no arvore io fructifer), compre-
hendendo a vinha nesta cathegoria.
Concluo estas ponderaQdes, que cada um
ajustara* d sua pratica a experiencia, fazend
uma pondera$ao, e e que aindi que cala
cultura exija uma certa listi de elementos,
entre os quaes um e lominante aos outros;
ainda que cada terra precise mais de um
que de outro elemeoto, para servir bera a
cultura que se lhe pede, como e certo que
o mais seguro, senio o m'lhor adub1), e o
estrume da gado, o lavrador fara* bem em
reduzir a coropwicio, a form physica e\v
moio de usa- dos adubos artiflciaes, d com-
posigio, & f6rm i physioa e ao modo de ap-
plicar do estrume usual, comecando esta
reducQSo ou imitagao por encorporar e fa
zer curtir tulo o que entender dever usar
em supplemento ao estrume ordinario, na
propria montureira em q;ue este fermenta e
se prepsra.
E' uma regra latitudinaria e empiri -a es-
ta que p6 le fazer perder algum azoto, quan-
do os adubos concentrados que se encorpo-
rarem na montureira forem muito amonia -
eaes, masque salva de perdas e de desen-
ganos muito mais graves.
Oteervemos a uatureza, e vamos com a
velha pratica de estrume do gado. Este pa-
nella.i deu senpre bom caldo a todo o vi-
vente vegetal.
Se elle no e a melhor sciencia, parece-se
muito com ella.
dro do Rio-Grande do Sul, conve^m que, d
vista das inf )rmac^6es ministradas no officio
|Ja legagSo imperial em Montevideo, e no
exemplar da Raoista McJico-Cirurgica, qua
Ibd foram enviaJos cj n os avisjs de 1 a 10
da agosto de 1970, dtj a me^ma aoaderqia 9
seu parecer sobre 0 referiJj assampto, w-
quisitanio ijuaesquor novos esMarecimentJS
que porventurajulgue necoss.'irhs.
Satisfizeado ao que V. Exc. Jetermina, a
acaJemia emittird a sua opiniao, baseada
nasnoticias reejlhiJas njsdjou nmtos cita-
dos a na i nprenia, bildi o.nj so acltt de
obsorvagSo propria p>c estir longj do thea
tro dos acoutecimeiitjs; e por issj peJe per
missao a V. Ex;, para roprjJuzir em brove
expjsicjio as noticias que cbegaram ao seu
conbecimento sobre a epizootia do 1870 e a
reinante, prevenindo desde jd que, poJendo
ellas depen ler de causas diversas, locaes e
.{eraes, as me lidas adopladas em uma e com
proveil), podem falhar absolutamente, ou
leiro, de cabellos brancos, que andaria pelos
setenta annos, de physionomia altiva, mas
astuta. e reservada ; e. cujo trajo consistia
em pequeno chapeo redondo, de viagem,
sobretudo de panno preto, e botas escuras
de camurga, sem esporas, e que de certo s6
trazia para agasalho.
Sobre os assentos de diante viam-se uma
especie de saco de noite, e uma espada de
folha estreita com empunhadura de ago.
A dama charaava-se a princeza dos Ursi-
nos, e era a formosa e intrigante favorita de
Felippe V.
Chamava-se 0 cavalleiro Mr. Amelot, pre-
sidente do parlamento de Franca, e que fdra
em outros tempos conselheiro de Luiz XIV,
que 0 pozera politicamante junto da prin-
ceza dos Ursinos, para que ao mesmo tempo
fossa seu guarJa, seu conselheiro e seu es-
piAo, conjunctamente com o cargo de em-
baixador de Franga em Madrid.
Pelo que se've\ a princeza dos Ursinos
viajava muito d ligeira, sem equipagem e
sem damas.
Mas 0 que urgia era chegar quanto antes
& Madrid e pdr-se ao lado de Luiza de Sa-
boya, isto e\ da rainha.
Isto poderia muito bem ser immoral ;
mas convinha d Luiz XIV e fazia-se.
Por aquelle tempo a Hespanha era uma
especie de feudataria da Franca, ou, para
melhor dizer, do rei de Franca, e ao rei de
Hespanha convinha n'aquelles momentos
estar bem com seu av6, te-lo contente.
0 que a princeza dos Ursinos deixdra em
Paris, isto e, equipagem e criadagem, tinha
jd preparado em Madrid.
Precisava chegar depressa, e isto de cria-
dos e equipagem estorva.
N'aquelles tempos nao era possivel ter
preparadas. mudas de posta para tauta
cousa.
II
Tinha a princeza dos Ursinos fallado tanto
com Mr. Amelot, que ja nada havia que
dizer.
Manhoso como um dogue, Mr. Amelot nao
fallava senao quando ointerrogavam, e, co-
mo a princeza nada lhe dizia, ia silencioso
e dormitando.
Oh I disse a princeza de repente abrin-
do um dos vi iros da portinhola direita e
olhando para Mra, que estranho cavalleiro
vein approximando se com um papel na
m5o T Mandai, raandai parar, Mr. Amelot.
Este ergueu-se, deitou a m8o & um corddo
deseda que ia ter ao brago esquerdo do
lacaio, opuxou com violencia.
Tres minutos deppjs parava 0 coche, 0
SCIENCIAS ARGES
.il'ilili'mt'"
(liciuu.
Officio relatorio apresentado por essa cor-
poracdo ao governo imperial acerca do
epizootia no gado do Rio-Grande do*
Sul.
Illra Exm. Sr.Era aviso de 9 do cor-
rente, fez V. Exc. sentir d Academia Impe-
rial de Medicina que, tendo o ministerio
dos negocios estrangeiros solicitado, em vir-
tude de requisigio do senado, informagoes
sobre a epizootia reinante no R(o da Prata,
e sobre as providencias tomadas para evitar
a invasdo da molestia na provincia de S. Pe-
Jose" Bizarro, raontado n'um cavallb do cor-
po dos guardas d'el-rei, quasi tocava na
princeza, a qual com a cabega e 0 peito
fdra da portinhola, olhava fito para 0 ci-
gano.
Bizarro estava magnifico. Tinba perdido
a capa e 0 chapeo.-
Comegava a noite, e 0 luar illuminava-
Ihe fiva cheio 0 rosto escuro e de expressdo
sombria, cujos olhos fuzilavam, e cujos la-
bios e faces estremeciam.
0 vento norte agitava-lhe com violencia
as negras, esp'.ssas e encaracoladas guede-
Ihas ; o seu peito robusto levantava-se e de-
primia-se como se dentro d'elle fervesse um
vulcao ; a singularidade do trajo completa-
^ra-lhe 0 phantastico do a3pecto.
Na mao trazia um mago de papel com-
prido e largo, fechado com dous sellos de
lacre negro.
Um momento antes cruzdra-se com a
carruagem, chamando a atteng&o dos guar-
das queescoltavam a princeza, com os ar-
reios do cavallo, voltdra-o ao notar quo a
carruagem se detinba, e apparecera de re-
pente ao p da princeza dos Ursinos.
Lembrae-vos, senhora, disse 0 cigano
com voz cavernosa : 13 de setembro de
1088. Alem fleam minha mulher e Agu-
cena ; amparae-as. Tomae, senhora.
E, atirando com 0 euvolucro para dentro
da carruagem, por cima da princeza dos
Ursinosjpfez recuar e encabritar 0 cavallo, e
partio pela estrada de Franga como uma ex-
halagdo, irrompendo por meio dos seis guar-
das, que d todo 0 risco sitinham approxi-
mado e 0 rodeavam.
Ninguem se moveu para seguir 0 cigano,
porque a princeza dos Ursinos, nao dera
uma s6 ordem nem pronuncidra uma pa-
lavra.
0 seu olhar absorto e admirado, nao
desfitara um momento 0 olhar do oigano.
Jd Bizarro tinba desapparecido, e ainda a
princeza julgava ve-lo.
Entretanto Mr. Amelot apanhava 0 papel
que vira cabir dentro da carruagem, e
dizia lendo as grandes lettras do sobrescripto:
Ah I por aqui andou a penna do se-
nhor duque de Bracciano.
E dava voltas ao mago, olhando para elle
de maneira tao penetrante, que parecia
querer ler atravez do sobrescripto 0 que elle
coutinha.
A princeza permaneceu alguns segundos
immovel e abstracta.
Em seguida, voltando d si, disse aos
guardas :
Cavalleiros, segotesse horaem; pren-
dei-o.
ser menos proflcuas em outras.
Deixnido, po-din, agora de entrar em
desenvolvimmtos sibre essiponto, a acade-
mia enotara a expisigaj dos fictos relati-
vos ds Juas epizjotia; coraegan lo pela 80*
terior.
A legigdo imperial em Montevideo na
nots jd citadj, opiuiou que hivia exagera-
gdo nas noticias espalnadas pela imprensa
pi ilma sobre a gravidade da epizootia ; e
para prova lo citou o trecho de uita carta
que lhe dirigio 0 illustrado Dr. Peace, mem-
bro da junta de hygiene de Montevideo, o
qual e o seguinte :
Os estngos da epizootia, foram muito li-
mitados, tanto nesta como na Republica
Argentina, localisando se a enfermidade nas
paragens on le de mais-abuadam as lagdas
e os pantanos.
A sua symptomatologia tem se limitado ao
seguinte : febro, pulso intermitteote, abati-
mento, oihos laorimosos com ramificagoes
8 mento e de furor, bocca coberta de chagas
aphtosas. estendendo-se estas com frequeu-
oia ao veo do paladar.
A:i in 1 mad 1 a si mesmo, 0 animal suc-
cumbe ; mas cura-se senio tratado convj-
nientemenle, isto e, lavando-se-lhe repetidas
vezes 0 interior da cavidade bo;al com uma
mistura de viaagre e sal e danlo-se-lhe o
pasto bem picado, que elle possa engolir
quasi sem mastigagao'. Assim 6 que prosen-
ciei, no Pantamso e Gerro, salvarem-se D8
de 100 .animaes atacados.
Esta epizootia que p61e-.se dizer, ach-a-se
idextincta, apresen'.a uma inteira anaFogia
com a que se tem manifestado vanas vezes
no contlnente europe-i em certas conligpes
bygrometricas. 0 aprofundado estudo, a
mais escrupolosa anafyse de todos os agen-
tes, que rodeavam 0 ani nal atacado, eumvo
o ar, a agua, 0 pastOy revelara.n nesie ulti-
mo, examin 1 lo micrographicamente, a exis-
tencia de alguns cryptogainas da familia .ti-
pa, particularmente da Aipa puutiti.
Trasportado 0 gado para e outro campo,
onde nao existia n nhum vestigio desse para-
sita, cessavam nelle logo os effeitDs morbo-
sos. Ndo serd, pois, estrauho que os mes-
mos effeitos tenham a mesma causa. K
uma iniucg3o fundada na analogia.
Pelo que respe'ta d carne do animal que
morre desta enfermidade, pole ser comila
wopunemente. Todos os patho'.ogos veteri-
narios e os mestres da sciunuia, que se oc-
cuparam dessas eufermidades epiJeuiicas do
gado, estdo couformes em assim 0 declarar.
Em apoio do que dago, citarei s6meote o
professor Grepinger, o qual trata do asstunp-
to com profunda sciencia e muitas pro-
vas.
0 coiiselho de hygiene publica de Buenos-
Ay res, dando conta ao ministro do governo
Dr. D. Antonio E. Malaver, das op niojs de
quatro medicos veterinarios que foram por
elle consultados acerca da natureza da epi-
zootia, os Srs. Carlos Remy com diploma da
escola de Alfjrt, D. Francisco Zulia, da es-
oola de Madrid, Jorge Wilks e Tomas Dou-
E retirou-se da portinhola 0 feehou a vi-
draga.
Os guardas voltaram os cavallos e parti-
ram d redea sdlta em seguimento do cigano,
que lhes levava immensa dianteira.-
Tomae, senhora, este mago de papeis
que veio cahir aqii. E' para vos, disse
com umtom um tanto incisivo Mr. Amelot.
0 sobrescripto diz : .4' Anna Maria de la
Tremoille ; a lettra e" grande, e le-se bem
ao luar. Ou eu muito me engano, ou 0
sobrescripto e do punho e lettra do vosso
segundo esposo 0 duque de Bracciano. 0
envolucro estd sellado com lacre negro.
Os mortos escrevem-vos, senhora.
Pois bem, disse a princeza pegando
no mago e guardando-o debaixo do sobre-
tudo. Responderemos aos mortos d'um
modo duplo ou triplicado, ao ceo, ao pur-
gatorio e ao inferno para terraos a certeza
de que receberam' a nossa resposta. Man-
dai continuar a Jornada.
Mr. Amelot puxou por duas vezes 0 cor-
ddo qu9 terminava no brago esquerdo do
cocheiro.
0 tiro moveu-se, e um momento depois
galopavana com ardor, approximando-se ra-
pidamente do povoado.
Ill
Viste, Mr. Amelot, 0 homem que me
fallou por um momento ?
0 vosso formoso vulto, senhora, tapa-
va completamente a portinhola, respond eu
Mr. Amelot. Nada vi.
Pareceu-me cigano.
E ndo conheceis nenhum cigano,
princeza. Podia muito bem ser, porque
sois muito dada d aventuras.
Como v6s tomaes as palavras com se-
gunda intengao, Mr. Amelot. Mas 0 que 6*
aquillo que desemboca da povoagdo ? Em
parte alguma nos receberam d'este modo.
Na entrada da villa, por meio da qual
passava a estrada, apparecera um estan-
darte de parochia com a sua cruz de prata.
Na frente vinha um tamborileiro que apres-
sadamente tocava n'um tarnbor, e um outro
homem quesoprava com desespero n'um
fagote.
Atraz do estandarte vinham um ecclesias-
tico de capa de esperges, e um homem de
capa e grande chapeo escuro, com uma
vara na mao. E em seguida duas fileiras
de homens de capas e chapeos do mesmo
genero, entre os quacs so via um clerigo
comjabrepdliz e dous acolitos, um dos
quaes agitava um thuribulo.
Seguiam-se todos os homens, mulheres e
criangas do sitio, vestidos de festa, e en-
retanto 0 sino grande, 0 sino mediano e a
glas, do collegio real de Londres, declarou
que os dous primeiros opinaram que se tra-
tava de uma epizootia de febre aphtosa,
que se curav.i espjn'.aoeameiite ou com um
tratamento mui simples, e que nio havia
jnconvenien.te em fa** u*o d cjriw 9 d j
leite .ifycadente dos animaes doentes; que
os d)us ultimas, posto que fitessem a mes-
mj descripgd) da enfermidade, 0 declaras-
sen ser pouca a in irtalidale, todavia opi-
uaram qae havia perijjo em fazer-se uso de
alimentos provenienlos de animaes enfer-
mos.
En ficeda d seordancia de peasares dos
facultativos citid)s, 0 co'nselho julgou con-
veuiente ir em corporagio, acompanhado
dos referidos veterinarios, estudar a en-
fermidade em algumas localida I -s das que
se di/.ia.n mais fortemente atacadas; e dos
seus estudos e esclarecimentos que lhe fo-
ram dados, concluio que a enfermidade rei-
nante na Campanha era a denominada pelos
illustres veterinarios Bouley e Reynal, fe-
bre aphtosa, epizoHia aphtosa, estomatitis
aphtosa, cocotte, mat da bacca ; por Fabre :
tlictema glosipeia; por Lamberlicche:
exauthema iater-pbtlangeano; quetenlo-a
observadoen todos os periods, principal-
mente no 2 e 3, reconheceu as vesiculas
e ulceragoes 11 >s sitios da preferencia ataca-
dos, a membrana mucosa da bafica, 0 espa-
go intergidital, as mamas e algumas na mu-
cosa do nariz.
En presenga dos factos por elle observa-
do', corroborados por noticias esuriptas e
verbaes 0 pe as iuvostigagoes uecroscopicas
executadas pelo veterinario Zulia, o conse-
ibo nao duvidou da natureza da molestia,
e adoptou a opiniao de que se tratava de
uma affecgao apbthosa, de natureza be-
nigna, desenvolvida com caracter epizootico
e sendo a mesma em todos os partidos da
Campanha em que se dizia existir ella.
Oepois, fallan lo do effeito dos alimentos
proveuientes dos animaes doentes, couside-
rou-os innocuos, alem do outras rizoes ex-
pendidas pelas seguintes : 1 porque a mor-
tali Ja le na eidade nao augmentou na occa-
siao da epizootia nao obstante se nao exer
cer por um mez seguramente qualquer vi-
gilaiicia sobre os animaes doentes : 2" porque
o estado sanitario das povoagoes ndo foi al-
torado : 3" porque muitas pessoas alimenta-
das com leite proveniente de animaes doeo
tes nenhuma alteragao de savide experimen-
taram : 4 porque a denuncia dada de exis-
tirem pessoas ims Conchas e em S. Fernan-
do affectadas do molestia iieutica por se ha-
verem alime.itad.> c > n (igado de animaes
doentes, ndo foi coofirmada, nao tendo rela-
gao com a epizootia os casos citados. etc.
[Continuar-se-ha.)
VARIEDADE
TOWADA ESAOtlE DOAVPORcc SPARK.
PELOS PIRATAS CHINEZES
Conclosao)
Houve um momento de hesitagao, a
sorte do navio estevo talvez pendente d'e>te
tiro. 0 capitSo desfechou... 0 revolver nao
se disparou I Os piratas cahiram entdo como
uma alavanche sobre o desgragad.* inglez
que a machado e ds cutiladas foi eslendido
morto, suppoa-se que depois de lhe arraoca-
rem 0 revolver com elle deram alguns tiros
que d'esta vez senao negaram. 0 passageiro
Mundy U'tteM metO leiu^u sohio sobrosoltado
do camara, sem armas e encontrou- logo
um dos chinezes de punhal 1-vantado ; 0
inglez com um socco entendeu este, mas
um segundo assasssino enterrou-llie logo
um punhal no lado esquerdo do peito, repe-
tiudo 0 golpo. Banhado em sangue, Man iy
cahio sobre o convez. Apparecia entdo 0
trogoda proa que acabdra de sa^rificar, os
dous macaistas e 0 portuguez. Os poucos
marinheiros que estavam no convez, 0 pilo
to e 0 contra mestre, estavam cerca Jos, e
desarmados como infelizmente se encontra-
vam todos, os piratas concegaram logo a fa-
sineta da torre da freguezia tocavam desati-
nadamente.
Anna Maria de la Tremoille soltou uma
gargalhada com pretengoes d alegre, mas
que nao passava de forgada, violenta e ner-
vosa. Queimava-lhe 0 seio 0 mago que 0
cigano lhe dera ; zumbiam-lhe **ain1a nos
ouvidos as palavras : lembrae vos senhora,
de 13 de setembro de 1688; e ainda
lhe parecia ver 0 olhar flammejante do ci-
gano cravado nos olhos d'ella.
IV
Os bate lores tiveram de parar p3ra ndo
atropellarem 0 homem do estandarte e toda
aquella gente, que vinha tomanlo 0 ca
mioho.
A carruagem parou tambem.
Ouviram se entao d'um modo claro os
desagradaveis rufosdo taubore a voz rouca
e aspera do fagote, que avangavam segui-
dos do estandarte e de toda aquella gente.
Cbegaram ao lado da carruagem.
A princeza dos Ursinos abrio um dos Vi-
dros e deitou a cabega de V sorrindo.
Entdo 0 bomem do cli;,1,_..dO escuro e
da vara comprida avangou com ar grave e
assustadigo, olhou para a princeza, vacillou
por alguns instantes como se tivesse de ir
procurar a voz que lhe fugira, e disse em
torn pouco Grme, fazendo calar com um
gesto 0 tambor e 0 rugote:
Senhora, a camara, a clerezia, os ho-
mens bons, os moradores pequenos e gran-
des d'esta villa de Taracena...
E parou.
0 cura approximou-se d'elle por traz, e
apontou-lbe apressadamente e em voz baixa
algumas palavras.
0 alcaide gaguejou d'um modo inintelli-
givel, e tornou a calar se.
Ensindra-lhe 0 cura de memoria um dis
curso sanoro e retumbante, 0 alcaide tinha-o
na ponta da lingua cinco minutos antes, mas
com 0 susto esquecera-se d'elle como se
nunca houvesse aprendido.
Obrigado, boa gente, disse a princeza
sorrindo. Avalio em muito o recebimento
que me fazeis, e ndo 0 esquecerei; mas ne
cessito continuar a Jornada.
0 alcaide entregou um memorial d prin-
ceza.
Entrega-lo-hei d sua magestade com
recommendagdo, disse a princeza compre-
hendendo que n'aquelle memorial se pedia
d el-rei alguma cousa para a povoagdo de
Taracena.
Viva a senhora princeza dos Ursinos I
disse 0 synlico, que estava maissereno que
0 alcaide.
Viva I bradarara todos.
zer n'elles a sua caroiceria. 0 contra mes-
tre languu-se ao mar sen ser fen Jo salvou-
se, mas os outros pereceram miseravelmente.
Vendoo que se passava, o escrivao que era
apenas um debit rapaz, escondeu-se 00 ca-
raarote, mas os cruets ssassinos abi 0 foram
btiscar a 0 desgragado foi laocado ao our
e nao appareceu ate hoje. E' tanto mais
digna de lastima Ja sorte d'este jeven, por
ser elle filho unico e unico amparo de au-
raer-isa fami ia, teudo-lhe fallecido o pae re
centemente. Mortos mais dous ou tres chi-
nas acabou se a resistenbia e os piratas fica-
ram senhores do vapor.
Estava tudo alagado em sangue, a con-
fusdo a rnais sinistra reinava em toda a par-
te, aqui e alii um cadaver estirado, e oa pi-
ratas de punhaes ensanguentados procura-
vam novas victimas, e comecavam a arrom-
bar as portas e gavetas em busca dos ricos
despojos que esperavam. Este aorrendo
crime foi prsticala por vinto homens ape-
nas, e os passageiros chinezes nio se move-
ram sequer em defeza propria ou da tnpo
lagao que os defendia. To uados de terror
abjecto tremiam perante .um jiunhado de
faciuoras e obeleciam ds suas ordens com
estiilida impassibitidade.
a Os piratas ordenaram aos que tinbam
subid 1 para presencir os acon'.ecimentos,
que desnessom para o porao, e com alguns
golpes de tai-i'6s foram apressamlo os que se
demoravam. Assim feriram levemente uns
vinte. Depois de estarem os passageiros
encerrados, foram as suas bagagms revis
tadas pelos piratas quo lhes to naram tudo
quanto encontraram de valor, e como da-
vidassem qua lhes houvesse escapado algu-
ma cousa repetiram esta busca duas vexes.
0 vapn-, eatregue aos engenbeiros chine-
zes, esteve cruzando no mesmo local onde
rebentar < o ataque, e os pirates esperan Ic
birco ou junco para serem conduzidos ao
seu couto, e para porem em seguranca os
seus depojos. No entant) abriram varias
garrafas de champagne e sobre 0 convez,
ro.vo de sangue, entre os cadaveres das suas
victimas, alguns piratas se entre^ram i
orgia emquanto outros procuravam liligen-
teraeate em todos os recautos onde suppu-
nham eucontrar dinheiro.
0 inglez Mundz que perdera os senti-
dos depois dos graves feriratmtos que rece-
bera, e que os seus assassinos julgavam
morto voltoo em si, ao sentir que o levan
taram do chao e coobeceu que o qoeriam
deitar ao mar ; porem o china que o tus-
tentava achando-o pesado de mais-daixoo-o
cair de novo e ainda lhe deu uma esto;ada
de pura ferocidale.
0 vapor seguio lentamente para Ma-
cau onde cheg)u ds 10 boras e parou de-
fronte da Praia Grande. Alguns tancn
que se approximaram, tendo sabido o que
se passava a bordo, voltaram para erra pa-
ra dar parte do succedido, e immediataniente
se to naram todas as providencias necessarian
para acudir de urgencias do caso, e as cod-
ducentes" d captura dos criminosos.
CRITICA DIM PROJECTO ATREVirK*.
Em uma folha do periodico inglez Qua-
terly-Review, publicada em I HI 9, e agora
exposta d cariosilade dos que visitant t>
hwmh iia Soiith-Knnsirigton, 16 se a seguin-
te notavel apreciagjo de am projecto de
locomogdo accelerada, tendo por agente o
vapor.
Zombamos d'este caminbode ferro co-
mo de uma idea inexequivel. Ha abi cou-
sa ridicula e absurda como este projecto de
um vehiculo, que se pretende mover con
o dobro da velocidade das nossas carrua-
gens de posta ? Mais facil seria transpor-
ter o arsenal de artilberla de Woolwch por
meio d'um foguete i congreve I.... Gar-
ros transportados com o dobro da veloci-
dade da mala-posta I...
E ao mesmo tempo soaram borrivelmentt
o tambor e o fagote.
A princeza retirou-se do postigo, a car*
ruagem partio d passo.
O.tambor e 0 fagote estrinlando cada
qual o mais que podia, o estandarte, a cama-
ra, a clerezia, os homens bons, os morado-
res grandes e pequenos da villa, todos ba-
ligosos, todos alegres, porque era necessarto
alegrarem-se, todos aos vivas, pozeram-sea
caminbar ao lado e atras do coche.
0 sequito entrou no povoado, e parou
afmal dianto da porta da eslalagem.
N'aquelle momento, a princeza a Sir.
Amelot ouviram, apezar do repique dos si-
tios, dos sons do tambor, dos desmedido-
roucos do fagote e Jo clamor das duzenta-
voies do povo, uns gritos horriveis e l
perados que saliiam do interior da
gem.
0 que e aquillo T disse a princeza ao
capitdo dos guardas, chefe do destacamento
postado ua povoagdo. Quern grita de se-
melhante modo, senhor conde T
Uma desgraca, senhora, respondeu c
capitao, tirande por cortezia o chapeo; uma
terrivel desgraga causada pela imprudeocia
de D. Joao de Santinavez.
Como I disse a princeza fazendo-s*
pallida. Santivanez estd aqui T
Nao podia deixar de estar, senhora :
porque o primeiro esquadrao de guardas foi
destinado para vos escoltar de rou ia an
muda.
Nao o vejo, disse a princeza olhando
para os guardas que estavam pouco distan-
tes formados ao luar.
Estd ferido na cabega, e Sandoval foi
ferido no peito.
A princeza abrio ella mesma a portinbola
do coche e saltou para fdra.
Mr. Amelot puxou da sua cartaira, e aa-
creveu d lapis, inclioando-se para o poatifo
do lado esquerdo afim de aproveitar o later:
Commoveu-se extraordinariameote de
um modo particular ao ouvir que esta feri-
do na cabega um tal Santivanez, guarda
d'el-rei.
Depois d'isto, Mr. Amelot guardou a sua
cartel ra, e com um tanto derapoaa bo as-
pecto sahio da carruagem lentamente, eo-
trando com modo nio menos lento na es-
talagem.
(Continuar-$e'ha)
TYP UO D.AhiO. KUa DUQLt. UB CAX-*.

1
a;
i


( 01111110 _i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECI5IWYGL_POM13P INGEST_TIME 2014-05-27T22:28:13Z PACKAGE AA00011611_17660
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES