Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17634


This item is only available as the following downloads:


Full Text

:.* mtmmmm

I
I .
ANNO L MMERO 96
-------------------------------------------------------------------------------:------------------------------:---------------------------
PABV A CAPITAL E LUGARES 0\D MlO SE PAGA PUBIE
Per tres meiss adiantados................ 69000
Por seis ditoi idem...................129000
Por um anno idem..................S4$000
Cada auraeio avulso................. $$20
QUARTA FEIRA 29 DE ABRIL DE 1874
PABA BE\TREIOB4 A PAOVIIVC1A.
Por tres mezes adiantados................ 09750
Por seis ditos idem................. IS&SaO
Por nove ditos idem................ 909250
Por am aaso idem.................. 279000
PROPRIEDADE DE MANGEL FIGUEIROA DE FARIA ft FILHOS.
tl8n.6erardo Antonio AlTMdFilhos, no Pri; Gooses d Pinto, do Maranhao; Joaquiru Jose de Ohveira & Filho, do Ceara; AiitoniVo de Len* Braga, no Aracatj ; Joao AW, Juiio Chaves, do Assd; Aotooio Marques da SUt., no Batal; Jose JusUno
Pereira d'Almeida, em Mamaiirfuape ; Carlos Auicncio Monteiro da Frauca, na Parahyba ; Antonio Jose Gomes, Da Villa da Penh.; Be'armino dos Santos Bulcao, em Santo Antao ; Domingos Jose da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Govanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas; Al?es d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Bio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Governo dn provlucia
BSPACH03 DA PHESIDENCIA, DO DIA 25 DE ABRIL
DE 1874.
Alfredo Gibson.ioforme o Sr. inspector da the-
souraria de fazenda.
Bacharel Auiaro Joaquim Fon'.eca de Albuquer-
que.Sim.
bacharel Amaro Joaquim Fonceca de Albuquer-
que. Ioforme o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Bacharel Francisco Caracciolo do Freita9.Pas-
se portaria.
Joao Pereira Gomes.Informe o Sr. Dr. chefe
de po'.icia.
Jose da Silva Torres.Sim, naohaveudo incou
veniente.
Jose Manoel Cavslcaole de Almeida Encami-
nhe-se.'.
Mclquiades Manoel dos Santos Lima.DeforiJo
com otfloo desta data ao comraaudante superior
da guarda naciunal deste municipio.
Manoel Pereira Lemo.Sim.
Modesto do Rego Baptista. Dt5 se.
Manoel Augusto de Mendonca Mello Rego. -In-
forme o Sr. provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Manoel Joaquim Bello.-Concedo a permissao
pedida.
_ 27 _
Adriana Maria da Conceicao. Deferido com o
( fficio dirigido nesta data a ttieseuraria de fazen-
da.
Antonio Correa Gomes de Almeida. Deferido
com o officio desta data an regelor do gymnasio
provincial, para admittir o iilho do supplicante,
caso haja vaga.
Antonio Augnsto Ferreira Lima.Passe porta-
ria na forma requerida.
Carlos Camillo Carhera.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda, com urgencia.
0 mesmaDeferido com o officio dest* data a
thesouraria de fazenda.
Caetano Estellita Cavalcante Pessoa. Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Corapanhia Recife Drainage.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial, ouvindo o Dr.
procurador fiscal.
Domingos Antunes Yillac,a.- D se, mediante re-
cibo, nao havendo inconveniente.
Firmiao Herculano da Silva. Informe 0 Dr.
director geral interino da instruccio pnblica.
Joaqaim Roorigues das Cotias. Sim, nao ha-
vendo inconveniente.
Joio Leite do Rego Sampaio. Ja se providen-
ciou no sentido qne requer 0 supplicante.
Joao Luiz Beda.Informe 0 Sr. regedor interino
do gymnasio provincial.
Joao Evangelists de Souza. Informe 0 Exm.
brigadeiro commandante das armas.
Jose Peregrino de Miranda. Deferi to com offi-
cio desta data ao commandante superior da guar-
ds nacienal de Garanhnus.
Joio Leite do Rego Sampaio. Deferido com 0
officio de 15 do corrente, ao promotor publico da
comarca de Limoeiro.
Josepha Maria de Lyra.Informe 0 Dr. chefe de
policia.
Joaqaim Verissimc da Rego Barros.Indeferido.
0 mesmo. Indeferido.
Joao Pacheco de Medeiros.-Informe 0 Sr. in?-
pector da thes' uraria de fazenda, ouvindo 0 admi-
nistrador da recebedoria.
Joao Baptists do Amaral. Paste portaria.
Lino Alves do Souza. Entregne se, mediante re-
cibo, nao baveado inconveniento.
Modesto do Rego Baplista Informe 0 Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Manoel Jose Felinto Seja escuso.
Manoel Augusto da Fonceca e Silva. Entregue
se. mediante recib>, e nao havendo inconveniente.
L:mbelino da Silva (jueiroz.Ioforme 0 Sr. pro-
vedor da Santa Casa de Miserieordia.
Commando UUaaTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAUBUCO, EM 28 DE ABRIL DE
1874.
Ordem do dia n. 811.
0 brigadeiro corr.mandante das armas determi-
11a que 0 Sr. capitao do 10* batalhao de infanteria
Manoel Joaquim Bella, em qaanto se demora nesta
frovincia, fique ad-Jido ao deposito de recrutas; e
que na maaha do Jia 1 de mate proximo viodou-
ro, se passe revista de mostra em seus respectivos
(jarteis, aos dous batalhoes du inf nteria, ao de-
posito de recrmas e as companhias isoladas, pels
- rdem seguinte : as G boras, a companhia de ope-
rarios mibtares ; a 6 1 \t, ao i batalhao ; as 7, a
companhia de cavallaria ; ai 7 1(2, ao 9* batalhao ;
e as 8, ao depooto de recrutas.
(Assignado.) Manoel da Cunha Wanderley
iLitt*.
Esta conformo. 0 capiiao ajudanle de ordens
de pessoa, Fruncisco Antonio de Sd Barreto.
WARIO DE PERN iMBDOO
For decretos e titulo
'rain nuuieadjs :
de t8 do corrente fo-
RECIFE, 29 DE ABRIL DE 1874.
Noticias Hontem pela manha chegou ao nosso port 1 0
v-.por inglez Bo-/ne, trazendo datas : de S. Paul>
21, do Rio de Janeiro U e da Bahia 26 do cor-
rente.
Nada adianta eii em no'.i ;ias do Rio da Prata,
purque as de que.fui porndor, vierara nos as maos
pelo vapor Bahia. c acham-se estampadas em
nosso numero de hontem.
in De lAsuao.
Por decreto da 10 do corrente foi reformaJo 0
capitao de fragata Joaquim Guilherme de Mello
Carrao, no posto e com 0 soldo de capiiao de mar
e guerra ; e por outro decreto da mesma data foi
uomeado 2 cirurgiao do c-irpo de saude da ar-
raada 0 Dr. Vicente de Paula 3 Silva.
Por despacho de 18 do corrente :
Fez-se merc6 do titulo do c:nselho de Sua Ma-
Se9tade 0 mperauor ao desem jargador Manoel
Jansen Ferreira. nrosiueule da relacao do Para.
Foram nomeados :
Ordem da rosa. Ofliciaei.Jose Francisco do
Itego, da proviacia de Peraambuco, em attencao
aos relevantes servijos jue pregtou a instruccao
publtca e em relacao a guerra do Paraguay, e 0
slibdito allemao E. Rosenhagen, chefe de policia
do Altona.
Cavalkeiros.A. Stellraacker e L. W. H. von
Craogen. suMitos aHeusiw*,
Onem de Okridii ;,; unenda-iore.*, o pr^si-
dente da reiag-to ,i: ...., Aatonij Joaqaim
de Albaquerquo Men, em attencao aos relevantes
serricos que te/i) presiade ao ostado e PeJro An-
tonio Telle* Barrel j de Meuezos, da provincia do
Rio de Janeiro, peios relevantos services prestados
cm relacao a guerra contra 0 ex-presidente da re
pnblica do Paraguay.
Ordem deAi>z. Gra-cnu, 0 tenente-general
Francisco Antonio da Silva Bitteneonrt.
Cavaheiro, o capiiao de arulberia, Antonio da
Roeba Bezerra Ca?aicante.
Foram con^didas at honras de conego da ca-
thedral da d.oceso de Marianna ao padre Miguel
Manto de Otiveira, vigano collado da freguezia de
Nossa Senhora da Conceicao do Tnrvo, da provin-
cia de Minas-Geraes.
2' e.scripturario dacaixa de amortisacao, e 3* di-
tj Diouytio Frederico Kuril.
Chefe da ollicina de estampiria da casa da m>e-
da, 0 ajudaulo da mesma Jose Pereira Bastos e
para e.-te lugar e e^tampador Antonio Marlins de
Lima.
Por decretos de 18 do corrente :
Foi concedida ao bacharel Tirgilio Martins de
M'-llo Franoo, a demissao que pedio do lugar de
juiz municipal e de orpaaos Jo term) da Bagagcm,
na provincia de Mioas-Geraes.
Fui numeado 0 bacharel Abranao dos Santos
Sa paia o lugar de juiz municiptl e de orphaos
do termo Je S. Borja, na provincia de S. Pedro do
Rio Grande J- Sul.
F-.i reconduzido 0 bacharel Jose Ignacio Fer-
nandez de Burros no lugar de juiz municipal e de
orphaos dos termos reunidos de Ceara-mirim e
Tooroe, na provincia do Rio Grande do Xorte.
Foram removidos a pedido os juizes municipaes
e de orphaos :
Bacharel Pedro Fernandes Pereira Correia, do
termo de Minas- Novas para 0 de S. Joao Baptista,
ambos na provincia de Minas Geraes.
Bacharel Jose de Carvalho Cesar, do termo de
Cabrobo, na provi icia da Pernambuco, para os
termos reunidos do Passo de Camaragibe e Porto
de Pedras.na das Alagoas.
Foi dispensado do exerciclo, por tempo inde ter-
minal), 0 coronel commandante superior da guar-
ds nacional dos municipios de Pombal e annex js,
da provincia da Parahyba, Joao Dantas de Oli-
veira.
Fez-se merce1 da serventia vitalicia dos offl
cios para que foram provisoriameDte nomeados
pelos re-pectivos presidentes :
A Manoel Joaquim Barreto, dos de 3' tabelliao e
2* escrivao de orphaos do termo de Laranjeiras, na
provincia de Sergipe
A Antonio Manoel dos Reis, do de escrivao de
orphaos e ausentes do termo de Alcantara, na pro-
vincia do Maranhao.
A Hygino Raymundo Gomes e Joaquim de Cas-
tro Goulirt, dos de escrivao de appellacoes da re-
lacao de Beiem.
Por decreto de i do corrente e na conforrai-
dade do da n. 3.168 de 29 de outubro de 1863,
foram promovidos a 2** tenentes da arma de
artilheria, os offlciaes inferiores e cadetes seguin-
tes :
Sargento-ajudante, commissionado em alferes,
Manoel da Silva Barbosa.
2* cadete sargento, Lycnrgo Cicero da Silva.
1 cadete Jose Zenobio de Deus Costa.
2* sargento Pedro Alves da Silva.
1* cadete Joao Leocadio Pereira de Mello.
2* cadete Edmundo Muniz Bitteneonrt.
I* sargento Joao Francisco do Bspirito-Santo.
Por decretos de 18 do corrente :
Foi transferido para 0 corpo de saude do exer-
cito, 0 2 cirurgiao da armada, Dr. Antonio Brau-
lio Ferreira.
Foi concedida ao alferes graduado do 2* regi
mento de cavallaria ligeira, Isaias Alves da Silva,
a demissao que pedio do ser'ico do exercito.
Foi reformado com 0 respectivo soldo por in-
teiro, nos termos da ultima parte do 1 do art.
9* da lei n. 648 da 18 du agosto de 18o2, 0 alferes
aggregado a arma de cavallaria, Theophilo Alves
de Menezes, visto ter sido julgado incapaz do ser-
vico em eonsequencia de ferimentos recebidos em
combate.
Em attencao aos bons servigos prestados na
campanha do Paraguay pelo ex-alferes graduado
do 2 regimento de cavallaria ligeira, Izaias Alves
da Silva, foram-lhe concediJas as honras do posto
de alferes do exercito.
Foi reformado com 0 respectivo soldo por intei-
ro, de conformidade com 0 3" do piano que bai-
xou com 0 decreto de i 1 de dezembro de 1845, 0
2 sargento do 3* batalhao de infanteria, Camillo
Goncalves de Oliveira Mello, visto achar-se impos-
sibiliiado para 0 servico do exercito em consequen-
ce de grave ferimento recebido em ac^ao de ser-
vico.
Foi aposentado com 0 vencimento que lhe com-
petir, 0 apontador do arsenal de guerra da corte e
professor de primeiras lettras dos aprendizes da
fabrica de armas da fortaleza da Conceicao, Jose
Francisco de Souza e Almeida.
Foi perdoado ao soldado particular do 1' regi-
mento de cavallaria ligeira, Lourenco Bartholo-
meu Oliva, 0 resto do tempo que falta para cum-
prir a pena de dous annos de trabalhos publicos, a
que foi condemnado por sentenca do conselho de
guerra e confirmagao do conselho supremo mili-
tar de justica de 11 de maio de 1872.
Por porlaiia de 14 do corrente, concedeuse li-
cenca ao capitao reformado do exercito, Floriano
Lemos do Prado, para residir na provincia de Mat-
to-Grosso."
Por portirias de 17, tambem do corrente :
Foram transferidos do 3' para 0 14 batalhao de
infanteria 0 alferes Raymundo Joaquim de far .a-
lho, e desle para aquelle batalhao 0 alferes Candi-
da Gaya Pecanba.
Foi concedida a Bernardino Geraldo de Aragao
a exonera.-ao que pedio do lngar de ajudante do
pedagogo da companhia de aprendizes artifices do
arsenal de guerra da provincia da Bahia.
Por titulosde 21 "do corrente foram nomeados
2" escripturarios da thesouraria do Amazonas
Carlos Fernandes Dor and e Fabio Amancio Perei-
ra Saldanba.
Praticante da mesma thesouraria Benicio Fer-
reira de Mello.
A alfandega rendeu de 1 a 22 do corrente
2,399:141*777
Eis as noticias coramerciaes da ultima
data :
a 0 mercado de cambio nao apresenton altera-
(ao sensivel. Effectuaram-se pequeaas transac-
ts sobre Londres a 25 3/4 d. papel bancario, 25
7/3 e 25 IV16 d. particular.
Megociaram-se lotes inignificantes de sobera-
nos a 9*350, 9*360 e 9*380 a dinheiro.
As apolices geraes de 6 0/n conservaram-se
firmes a 1.049*, prego por que foram venlidos di-
versos iotes.
c No mercado de aceoes houve peqneno movi-
mento aos seguintes precos: Banco do Brasil,
239*000 e 2iO*000 ; Banco Commercial do Rio de
Janeiro,88*000; Companhia LocomMora, 223*000
e Companhia das Minas de Ooro e Cobre do Sul do
Brasil, 55*100 e 50*000 a dinheiro.
As vendas de cafe foram raais qne regulares
e as de assucar peiuenas para eonsumo.
Nao nos conttou fretam-mto algum. >
S. PAULO
0 Diario de S. Paulo da a seguinte noti-
cia :
Hontem (17), as II hora- do dla, apre^nton-
se.no Sr. Dr ewe de policia 0 itatianu Pascoal
Calderaro, com as roupas, cost i e maos miachadas
de s.ingue, declarand > 0 seguinte :
Que seguin-Jo para Nazareth, onde tern a fa-
milia, foi acommetlido por urn descoobecido, qne
elle julgou ter pintado 0 rosto e eavolvido-se em
grossa japona para melhor occultar se. 0 desco-
nheoido, nterrompendo lhe a marcha do cavallo,
apresentou-lhe uraa pistola, exigindo 0 dinheiro
que levava.
c Pascoal, tornado de sorpraza, implorou a vida e
fes meucao de entregar a bolsa, e 0 seu aggres
sor, no acto de recebe-Ia, deixon-se desarmar.
[^Pascoal tomon a arma pelo cano e por sua vez fez
mencao de disparar.
a 0 desconhecido tomon de am rewolver, tio
bem provido estava, e disparon sobre pascoal, er-
rando 0 alvo. Pascoal, roais aaimado, langa-se
sobre o desconhecido e pdde doiuinalo, lancando 0
por terra.
Suppunhase superior em armas, coinquanto
reconhecesse no adversaria, como ueclarou, supe-
rioridade em forjas. 0 desconhecido, que estava
em posicao inferior, Ianya mao de uma pequena
faca que trazia e tenta fenr Pascoal, mais este,
como declarou, so no interes.-e de sua salvagao,
conseguio apoderar-se da faca e crava-la no pes-
coco daquelle.
Eis a narrajao que fez ao Sr Dr. chefe de po
licia 0 itatiano Pascoal, que enlregou-se a acgao da
justica.
f 0 Sr. Dr. chefe de policia immediatamenle
fez seguir uma prasa montada para 0 lugar Jj de-
licto, providenciando para que nao hou^esse alii a
menor mudanca, no intuito de mauler todosos
vestigios que se podessera colligir, faciht^ndo a
perfeita descripcaj da Joc&lidade e posicao do ca-
daver.
0 delegado, a quem o Sr. Dr. chefe de policia
offlciou, procedeu as primeiras diligencias, man
dando recolher Pascoal, pond > em deposito a quan-
tia de 2:090*, sendo a raaior poreao em ouro, di-
nheiro que Pascoal declarou ser 0 objecto cnbicado
pelo desconhecido e causa do lamontavel aconte
cimento.
< 0 mesmo delegado seguio para 0 lugar do de-
licto. Chegando a Penha, 0 Sr. delegado encou-
trouo cadaver junto a um barranco do lado es-
querdo da estrada. A poucos passos achava-se a
faca de que fallara Pascoal. 0cadaver estava tra-
jado da calgas de brim d'Angola e camisa branca,
e de uma cinta pendia-lhe 0 porta-pistola. Tinha
grossos sapatos e bichas de ouro nas orelhas.
< Encontrou-se ainda am sacco pequeno eon-
tendo uma outra faca de ponta, alguns cartuchos
embalados, um porvari iho e chumbeiro cheios,
uma corda de linho niva e exteusa e algumas
balas.
c Nao foi reconhecida a idemidade, mas concor-
dam os que concorreram ao lugar que era itilia-
no. Nao se pdde conhecer se tinha a cara pinta-
da, porque estava ensopada era sangue; mas en
Ire os dedes das maos notavara se algumas man-
chas pretas, qne cediam ao mais leve con-
tacto.
A ferida do pe^cogo, do lado esquerdo, estava
visivel, e na fronte apresentava 0 cadaver dous
ferimentos prodnzidos sera devida per Pascoal
quando raanejara a espingarda que na priinei-
ra investida do desconhecido canseguiia apode
rar-se.
a 0 terreno nao apresentava signaes de lut.i,
pirque foi depois muito trausitado. Nctavam
se, entretanto, lugares maochados de sangne
e poreao delle quasi coagulado no lugar corres-
pondeate a ferida que produzira a raorte.
t 0 Sr. delegado, que nio deixa escapar nenhu
ma circumsUncia, teve conhecimento de que dous
individuos presenciaram 0 final da luta, mas de-
clararam elles que, vendo um homem arma-
do e outro quasi cadaver, nao quizerara aproxi-
mar se.
< Encontraram se mais dous chapeos de feltro
e uma Inneta ordioaria. >
De uma carta que lhe foi escnpta da cidude
do Parahybnna, em data de 11 do corrente. extrac
ta 0 Correio Pauhsttnn 0 seguinte :
No dia 6 do corrente fomos aqui sorprendidos
com uma descommunal enchento do rio Parahy-
buna, que durou por espaco de 24 boras, elevan
dose as suas aguas 30 palmos acima do seu nivel
natural. Todos osmoradores ribeirinhossoffreram
as consequencias dessa calamidade abrigados nas
alturas e expostos a intemperie, arraslando a im
petuosidade das aguas casas, plantacoes, ponies c
tudo mais que se Ibe antepunha. Onde, porem,
0 estrago se fez mais saliente foi nesta cidade que,
estando em parte edificada em lugar accessivel as
encbentes ordinarias, as aguas chegaram a cobrir
os telhados, desmoronando umas e inutilisando
completamente outras casas.
0 negociante Henrique dos S. Pires foi quem
mais prejuizo .-offreu, perdendo cinco moradas de
casas, e invadiudo as aguas 0 seu negocio. A pro-
vincia nao soffreu raenos, porque foram arrebata-
das as pontes do alferes Bento, sobre 0 rio Para-
hyba, e a da Parahybuaa nesta cidade, e seria uma
grando providencia mandar o governo quanto an-
tes reparar esse mal que tantos prejuizos vai cau-
sar nao so a este municipio, senao tambem ao de
Cacapava 0 Taubate cujos productos sao enviados
ao porto de Caraguataluba.
BAHIA.
No dia 25 do corrente assumio 0 exerci:io de
chefe do 2. districto naval 0 chefe de divisao Ma-
ine de Simdes da Silva.
0 cambio regulava sobre Londres 25 1|2
a 25 3|i.
A alfandega rendeu de I a 25 do corrente
511:140*261.
Naticias do norte do inaperio.
Amanheceu hontem era nosso porto 0 vapor
brasileiro Ceara, trazendo datas : de Amazonas
11, do Para 19, do Maranhao 22, do Ceara 24, do
Rio Grande 25 e da Parahyba 27 do corrente.
Eis 0 que colhemos dos jornaes e cartas :
PERU.
A mais interessaote das noticias do Peril e a
da descoberta de riqnissimos depositos de guano,
cujo valor basta para pagar a divida estrangeira,
lib. 36,000,000 cerca de 360,000:000*.
Em 25 de Janeiro amotinaram-se alguns dos
sol dados do quartel de S. Francisco Lima, que de-
pozeram as armas depois de uma hora de luta com
seus caraaradas. Houve treze mortos e trinta fe-
ridos.
0 motivo teve por causa os maos trataraefltos
que soffriam os mesmo? soldados.
Foi inaugurado em 0 1. de Janeiro ocami-
nho de ferro construido por Henry Meiggs, de Are-
quipa a Puno.
A Pacific Steam Navigation Company vai es-
tabelecer nma linha de quatro vapores entre Cal-
lio e S. Francisco.
AMAZONAS.
Continuava regolarmente em seas trabalhos 0
corpo legislative da provincia. N'uma de suas
primeiras sessoes noraeou uma commissao para
aprcsentar ao coronel Francisco Antonio Monteiro
Tapajoz a expressao do reconhecimento daquella
corporacao pelos relevantissimos servicos por elle
prestados durante 0 reinado da epidemia da va-
riola. A commissao desempenhou seu mandato
no dia 2 do corrente.
Morren no dia 27 de marco Joao Ribeiro da
Silva Junior, bacharel em raathematicas pela Es-
cola Central da corte, capitao do corpo de artilhe-
ria e snh chofe e secretario da imperial eomrais-
sa,i de de.marc.i;ai d t liuiites entre 0 imperio e 0
Peru. Fallercu de febrns palnstres.de que fui ac-
comm-Utidrt no JaVary. por onde peuetrara 70D ini-
Ibas alem de sua foz, no trabalho da demircacao
da fronteira do Perd pelo lado do tot. Tinha 33
annos e deixa imnfersa em honrada, mas extrema
pobreza, viuva e dous orphaos.
No dia 28 0 deputado Freitas Gnimaries apre-
senton k assemblea provincial 0 seguinte reque-
rimento, que foi por nnanimidade de votos appro-
vado : I
a Reqneire qae esta assemblea sajpenda os
sens trabalhos por note, em signal do pesar que
lhe causou a morte do capitao Joio Ribeiro da
Silra Junior.
- Nao esta ainda extineta a epidemia da va-
riola, antes continua com ten cortejo de horrores.
Ha na provincia falta absnlnta de pus vaccinico.
Juntindo-se a i generos allmenticios, chegando a veader-se a car-
ne de mi qualidade, negra, a 800 reis 0 kilogram-
ma, e uiio havendo sempre m?s:no pjreste prej>;
tern is que atravessa aquella capital uma ense que
actua em todos os ramos de sua vida.
Tem chuvido extraordina iamente em Ma-
naos. A grande enchente d) rio, paralysando a
correateza, agoura uma grande vasante, ao invz
do que succedeu 0 anno passado, que pouco ou
nada vasou.
Por acto de 26 a presidencia nomeara 0 Sr.
Dr. A. D. de Vasconcellos Cinavarro professor de
grammatica phylosophica e escripturagao mercan-
til do lycdo da capital.
Chegara a Manaos e entrara no exercicio do
cargo de chefe de policia da provincia 0 Sr. D.\
Eutychio Carlos de Carvalho Gama, ultimamente
noineado para servir este cargo
No dia 6 installara-se alii uma aula de ta-
chygraphia, regida pelo Sr. Sebasliao Mestrinho.
Angmentarara de formato era principios des-
le mez osdianos Amazonas e Commercio do Ama-
zonas. 0 priraeiro esta no 9." anno de sua publi-
cagao e 0 seguudo no 5..
Estava eai discussao na assemblea um pro-
jecto de lei, autorisando a presidencia a celebrar
a transferencia dos contratos da Companhia Flu-
vial do Alto AmazoDj) para aAmazon Steam Na-
vigation {Company Limited.Apenas tres deputa
dos faze.n opposicao a este projecto.
A camara municipal de Barcellos ia proceder
a consti ucc/io de um paco para nelle funccionar.
Sob a epigraphe Desastre publicou 0 Ama
zonas em 5 do corrente :
c Hontem, por occasiao da bateria de S. Jose
salvar ao romper d'alleloia, deu-se um desastre,
de que resultou graves ferimentos.
Uma das pecas, que enta i funccionavam, fez
explosao no momeuto de receber 0 cartucho.
0 chefe della perdeu 0 dedo pollegar da mao di-
reita, e quatro pracas, uue a guarneciam, ficaram
completamente inutilisaaas, correoio algumas erai-
nente peri go.
Arrecadou a recebedoria de renlas provin-
ciaes no mez de marco 30:839*888, sendo :
Para a proviocia 24:481*697
Para a companhia do Alto Amazonas 6:405*191
PABA.
Nosso correspondente da capital escreve :
c Sao desiituidas de intcrasse as noticias ; csta-
mos era paz e tranquillidade, gracas aos Ceos. 0
que ha de mais notavel e terse encerrado a as-
semblea provincial a 15 do corrente, no maiordes-
contentamento com a presidencia, porque nao
quiz sanccionar algumas leis, outras te las remet-
tido ao coihecimento do governo imperial, depois
def devolvidas a assemblea e passarem por dous
tereos e emfim por muitas outras medidas que nio
teera sido muito bem aceitas pelos politico* da si-
tuacao domiaanie.
Como lhe tenho dito, quando os presilentes
nao se chegam para algum grupo em que e-tao
devilos os interesse; dos parados, o descontenta-
mento ao menos paira no animo daqueiles que es-
tavam senhores da silua^ao ; e verdade que a
opp jsi.-ao nao se anima com desgostos dos contra-
ries, ou menos regosija se com as decepcoes por
que estes passam.
c A politica em toda a parte < um jogo de iote-
resses individuaes; ha espiritos que se elevam
mais e que trabalham ptr um pnncipio ou por
um fim mais amplo, a favor do bem geral ou da
humanidade ; porem 0 homem. os interesses pri-
vados, as ambic/ies individuaes sempre irrompem
no meio das raais justas aspiracoes. _
a Emfun, 0 mundo e como e, e nao como deve-
ra ser.
< La seguem hoje neste vapor os depu'ados por
esta provincia a assemblea geral, 0 conego Manoel
Jose de Siqueira Mondes e Dr. Gomes do Amaral ;
assim como regressa a Bahia, para cuja relacao
acaba de ser removido, o conselheiro Ermano Do-
mmgnes do Couto, presidente que installara 0 novo
tribunal desta capital.
t Hontem assumio a respectiva presidencia da
relacao, 0 desembargador Jansen Ferreira. em
virtude de nomeacao telegraphica que acaba de
receber.
t Tambem segue para a corte 0 3.* vice-presi-
dente Dr. Guilherme Francisco Cruz, que adminis-
trou a provincia de 1 a 17 de Janeiro ultimo, e a
respeito do cujo governo de tao poucos dias, tanto
tem gritado a opposicio, com especialidade os dis-
sidentes, representados pelo Diario de Belitn.
< A instruccao pnblica tem merecido 0 especial
desvelo do actual administrador da provincia.
a Ultimamente S. Exc. nomeou varias commis
sdes, para angariar donativos para se levar a ef-
feito a ediGcacao de estabelecimentos destinado?
as aulas do casino publico.
a As despezas coai cada e3tabelecimento, segun-
do 0 modelo dos Estados Unidos da America do
Norte, andam por cerca de quarenta contos. E'
easo bastante, e por isso nao reputo mui facil e
realisavel semelhante melhoramenlc por meio de
subscripedes e donativos voluntaries.
f E' verdade que 0 ensino publico esta aqui
muito a quem do que se esperava.
0 relatorio do direeior interino da instruccao
publica, qne por dous mezes esteve a testa deste
ramo do servico provincial, prova qne mui poucas
criancas concorrem as anlas e correspondem aos
sacrillcios que a provincia tem feito a favor da
educacao e instruccao da iofancia. Ha muita
culpa da parte dos pais, das autoridades, emfim,
de todos os que teem a sen cargo e cuidado 0 fu
turo da raocidade. Por isso agita-se a grave ques-.
tao do ensino livre ou do ensino obrigatorio.
t 0 eoramercio vai indo regularmente ; ainda
teem apparecido algumas quebras, mas nao sao de
alia impwriancia.
< Continua a aflluencia de passageiros para a
Europa, nos paquetes ioglezes que tocam era
Lisboa.
Agora e uma mania viajar ; pore"m muitos dos
passeiantes nao passam de Portugal I
Nio sei ao certo de aconteciraento notavel;
os jornaes noticiaram que ha dous dias houve a
3aeda de am raio, nos armazens da alfandega
esta cidade. Nio se den accidente nero sinistro
notavel, a nio ser 0 susto dos empregados e dos
assistentes alii a varios negocios.
c Falleceram ; 0 deputado provincial Delphim
Plavio Portugal e 0 proprietario Joao Antonio da
Costa.
t A alfandega rendeu de 1 a 18 do corrente...
206:1585111
0 presidente da provincia, usando da attribui-
cao qae lhe confere 0 g 4" do art. 21 do acto addi-
cional a constiluicao do iraperio, expedio em 20 de
marco ultimo, am regulamento- para execucao da
lei provinci 1 n. 780 de 9 de selera- ro de t873,
Hie imnda f.izer exposic^es industriaes na pro-
viueia, de A em 3 anno-. A oxpo-icao ha de ser
de productos quer da industrii quer naluraes do
paiz.
A primeira exposicao sera feita em 15 de
agosto do corrente anno no Theatre da Paz -, e
se ate 0 dia 31 de maio lio tiver ainda sido rece-
bido este edificio pelo governo da proviocia, effec-
tual se-ba emqualquer ontro edificio, qne for es-
colhido pela commissao directora. A abertura so
leraiae e 0 encerramento desta festa da trabalho
teri) lugar na hora qne for designada pela com-
missao directora one tambem marcara em tabella
especial aduracioda exposicao diaria. 0 praxo
para a exhibieao pnblica dos objectos nunca sera
menor de 8 dias nem maior ds 15.
- No dia 18 do^corrTte^sumio as redeas JSf f l^**60*0 S'ElC" em^Db9'
da almioistra;aj da prov ucia 0 3 vice-presldentei I vajiosos.
Dr. Jose Francisco deViveiros. c ,e| A imprensa de arabos os partidos nio cessa
No dia 14, tambem assumio o governo da
diocese 0 Exm. e Rvm. Sr. D. Luiz Saraiva.
Foram remettidos para 0 Rio de Janeiro os
depoimentos das testemunbas apresentadas pelo
desembargador Poates Visgueiro em sua defeza
- A alfandega rendeu de 1 a 20 do corrente
95:581*594.
PIAUHY.
No dia 15 sahiram da capital do Maranhao
para a cidade de Tnerezina capital do Piauhy, 0
Exm. Sr. Dr. Adoipho Lamenha Lins, presidente,
e Dr. Ernesto Francisco de Lima Sanlos, chefe de
policia dessa provincia.
Nada tinha podido onseguir 0 Sr. Benaion
no sentido de fuodar em Tnereziua uma fabrica
de fiacao e tecidos.
0 Sr. Dr. Roxo foi muito bem recebido em
Amaranle, cujos habitantes para melhor hospedal-o
re.-olveram offerecer-lhe um baile, que seria
no dia 19, se elle, por motivo de uiolestia, de que
chegou a esta cidade ainda soffrendo, nao resolves-
se regressar no mesmo vapor que 0 levou.
Foi conH-mada a despronuncia do Dr. Sim
plicio Coellu de Rezende no processo sobre 0 es
pane.1 mento no juiz de direilo das Barras.
CEARA.
Nosso correspondente da capital escreve 0
seguint) :
camara municipal desta cidade, no dia 16
do orrente dirigio se ao palacio da presidencia e
ahi felicitou 0 Exm. Sr. Barao de Ibiapaba, 1* vi-
ce-presidente da proviacia, pelos bons services que
tem preslado nas diversas vezes que a tem inle-
rinaraente administraio. Finda a felicitacio S
Exc. respondeu n'um breve discars > agradecendo
tao signilicativa prora de apreco e eon-.ideracao
que visava no procedimeuto d'aquella patriotica
corporacio. ,
aO dia 14 do corrente, ainniversario da sagracao
do Sr. D. Luiz Antonio dos Santos, 1 bispo desta
diocese, foi solomnisado bom uraa missa e Te
Deum, e a noite illaminacio era algumas casas par-
ticuhres, no palacio episcopal e na cathedral.
I A capitania do porto resenie-se da granle
desordem que resulta da desavenc,a do eapitao do
porto Achiles La orabe com o seu secretario, que
mais parace emperro del duas criancas teimosas
qne 0 procedimento de dous funccionarios publi-
cos ; e se uma medida qualquer nao pozer am
paradeiro a esse estado de cousas por deraais pre-
judicial ao servico publico, com despr tar vere-
mos a successio dos desatinos que por alii vai. 0
secretario, 011 por que estivesse doente, como pro-
voa com attestado medico, ou porque entendes-
se conveniente ausentar-se daquella reparti;ao
por algum tempo, pedio e obteve da vice presi-
dencia tres mezes de licenca : este facto, porem,
que devia ser acaito com agrado pelo Sr. Lacom
be, despeitou-o a ponto de dar immediatamenle
parte de doente, deixando acephala tao importante
reparticao.
a Nio havendo nesla cid ide ofQcial de raarinha,
foi noraeado um official reformado do exercito, que
talvez por conhecer aquelle a quem ia substituir
deixou de aceilar a nomeacao ; e nesta em-.Tgen-
cia foi designado 11111 official de primeira linha, que
logo no outro dia apresentou se na capitania e
officiou as diversas autoridades e reparticdes 0
havor entralo no exercicio interino do referido
cargo ; entretanto, apenas essas primeiras commu-
nicacoes foram expedidas, apresenta-se 0 Sr. Achi-
les Lacombe e declara rcassumido o]seu emprego,
despedindo menos civilmente o official que 0 esta
va sub.-tituindo, sera reflectir que esse procedi
mento ou revela o proposito Je diQicultar os ue-
go^io3 que por alii correm com desaprecoas pro-
videncias tomadasjpela administraio da proviocia,
ou receios da entrada de um estranho em sua re-
particao que, segundo dizem nao esta no melhor
pe\
Teve lugar no lycco desta cidade 0 concurso
para preenchimente das vagas de substitutos de
lingua nacional, geographia e geometria, em que
foram approvados 0 Dr. Thomaz Pompeu de Souza
Brasil, Jos6 Joaquim Telles de Marrocos, Dr. Her-
culano de Araujo Salles e Jose Flamino Benevides.
1 Em virtude do mao estado era que se acha a
igreja do Patrocinio, foram trasladadas as inagens
em procissio para a Se.
t Era Missao-Velba, indo banharem-se ao rio
Cachoeira aiguns soldados do destacamento, foi
tragado pela corrente 0 de nonie J ;se Alves do
Nascimento, que nao pole soccorrer-se dos esfor-
Sos de seus companheiros em salvarem-n'o, sendo
epois 0 seu cadaver encontrado dez leguas dis-
tante, em adianlada putrefaccio.
< Na mesma o:casiao foi encontrado 0 cadaver
dc uma mulher, que no estado de decomposicao
em que estava, nio pdde ser reconhecida.
0 vapor inglez Augustine, conduzio deste
porto para 0 de Liverpool 868 saccas de algodio,
2,880 couros salgados, 3 fardos ds borracha e
uma caixa de pennas de eraa.
A alfandega rendeu do dia a 1 17 do corrente
47:372*760.
a A via-ferrea de Batnrite produzio na semana
finda 249*800.
c No dia 11 do corrente soga!ram 0 Sr. enge-
nheiro Jose Privat e seus companbei-os a darem
coraeco aos trabalhos de estudo de prolongamento
da via fenea do Baturite.
a Em Baturite falleceu 0 padre Francisco Ay-
res de Miranda Henriques, conhecido por Porta,
cam 76 annos deidade.
BIO GKANDE.
Nao recebemos jornaes nem carta de nosso
correspondente.
PARAHYBA. CS
Nosso correspondente da capital escreve 0
seguiute :
o De cartas recebidas do serlao censta haver
entrado na cidade de Pombal, no dia 1 do cor-
rente, tendo sido recebida com nma banda de
musica, foguetes e no meio de enthusiasticoi vi-
va* dos habitantes pe.cificos, a forc4 de linha que
seguio desta capital, com 0 fim de restahelecer a
ordem publica, por demais alterada por nm grupo
de bandidos e eriminosos, que tinha feito da-
quella cidade, por assim dizer, 0 sea quartel ge-
neral.
a A preseuca da mencionada forca, segundo
affirmam as mesmas cartas, produzira um effete
maravilhoso, nao so naquella cidade, como em
outros muitos pontos circumvisinhos e e>tradas,
nas qnaes ja se transitava livremente.
Aguardamos noticias de maior interesse.
t Os ladrdes de cavallo teera levado nma cha-
rausca, que elles nao esperavam.
E' prsciso tocar ainda uma vez neste ponto,
porquo eotre nos elle se tem tornado serio e
digno da maior attencao.
a Era de mais, 0 que succedia aos pobres que
trausitavam a cavallo pelas nossas estradas, aiqda
mesmo nas proximidades desta capital, senao nella
iuesma, onde muitas vezes, ao menor descnido
tem ficado a pe os miseros ruatuios que cendu-
zem seneros para 0 mercado.
Nas estradas 0 arrojo desses rapiueiros tem
sido sem limites; e, nao se exagera, dizendo se
que n viajor tem sido compellido a descer dn sen
cavallo, sob pena de desctr sempre, por ones in
ventorea da nova industrta, passando pelo dissa-
bor de ve-lo desapparecer da viaU debaixo de
dernas estranhas, e nio meuos de ser obrigado a
eontiouar a Jornada calcante pedi.
Felismente, lemos encontrado em S. Exe. 0
Sr. Dr. Siivino, a maior severidade na punicio
em louvar a S. Exc. por tio aeertado e digno .modo
de proceder.
O que 6 certo 6 que 0 negocio ja vai muito
melhorado ; e, afinal, ha de ceder, porqneS. Exc.
nao perde de vita os laes negociadores de ca-
vallos, os quaes ja nao estio muito satisfeitos com
a graca.
Foi nomeado promotor publico da comarca
de Independencia 0 bacharel Luiz Jose de Franca
Oliveira.
< S. Exc. 0 Sr. presidente da provincia acaba
de dirigir, em data de 27 de marco preterito, a di-
versos cidadaos desta capital, e dt ontras locali-
dades da provincia, a carla circular abaixo trans-
cripta, pedindo as suas valiosas coadjuvacdes em
auxilio das obras da casa da escola da roa Mar-
quez do Herval ; e espera 0 melhor resnitado do
appello que faz ao patriolismo de tao distinctos
cavalheiros :
Parahyba do Norte. Gabinete da presidencia
da provincia, em 27 de marco de 1874. Illm.
Sr.T ndo-se celebralo hontem a bencao e as-
sentamento da primeira pedra para 0 edificio des-
tinado a escola publica nesta capital, e desejando
eu effejtuar com a necessaria presteza a cons-
tnc;io d> 'Qe-m> edificio, segun io as recom-
mend aeons e anhelos do governo imperial, recor-
ro confiadamante ao reconhecido patriolismo e
dedicagio de V. S. a causa publica, afira de an-
xiliar me nesse empenho com 0 donativo, qne a
sua generosidade apronvar fazer, certo de qne 0
mesmo governo imperial toraara era considera^io
tao relevante servico.SouDe V. S., etc '
1 No dia 3 de maio vindonro, segundo ordenara
0 digno prrsidente da provincia a directoria da
instruccio publica, serio inaugnradas algumas
aulas noctin nas nesta capital.
a S. Exc. e incansavel a respeito de tio im-
portante ramo do servico publico.
c Apezar da falta de numerario, de qne se
resente 0 cofra da provincia, S. Exc, com 0 tino
e bons desejos de que dispoe, parece nao encon-
trar embaracos de ordem alguma, tanto qne vai
realisaudo e pondo em pralica vantajostmente
todas as suas ideas, algumas das quaes ate certo
ponto tidas e havidas por nos como irreaiisaveis
na presente quadra.
1 Nao temos palavras de agradecimento com
que possamos manifeslar a S. Exc. 0 nosso justo
reconhecimento, por tantos e tio relevantes be-
neflcios feitos a nossa provincia.
a Sempre nos persuadiraos de qne S. Exc, na
qualidade de filhe da provincia, nio pouparia sa-
crifices para a erguer desse abatimento em qua
tem vivido, mesmo a exemplo do que fez a outras
qae torn almini-trado ; entretanto, permitta-se-
nos a contissio, nao esperavamos tanto, em vista
do estado da finaneas da proviocia, que, como
todos 0 sabem, e ja o dissemos por mais de uma
vez, nio e lisongeiro.
o A vontade do homem e tudo.
S. Exc, para poder levar a effeito os seus
pianos, dando inteiro desenvolvimente as snas
ideas, nao se tem valido dos dinbeiros da provio-
cia, senio em casos especiae3 e urgentes, e isto
mesmo com as maiores cautelas e economias ;
todo 0 seu cuidado e empenho (e andoa nisto
bem avisado) foi levaotar 0 espirito publico por
demais enfraquecido entre nos, por circumstan-
cias que nio nos cumpre agora indagar, e 0 tem
conseguido com mnita vantagem, e de tal sorte
que, raro sera talvez 0 individuo ne.-ia capital
que nao tenha estendido mio patriotica em au-
xilio as obras encetadas por S. Exc., e nio lhe
preste um servico na razao de suas forcas.
Os oarahybanos tem dado, por tal modo,
uma prova a mais inconcussa do seu prover-
bial patriolismo, honrando assim 0 nome dos seas
antepassados, era cujos coracoes jamais arrefe-
ceu 0 amor da patria e as suas in-tituieoes.
Com destino a corte, onde vao tomar parte
nos trabalhos do parlamento, seguem neste va-
por os Exms. Srs. senadores Barao de Maraan-
guape, e deputado padre Francisco Pinto Pessoa.
PERNAMBPCft
ASSEMBLEA PROVINCIAL
SES PBKSIDE.NCIA DO SR. FERREIRA DE AGUIAR.
( Conclusao.)
ORDEM DO DIA.
Sao snecessivamente approvados sem debate :
Em 2' discussio 0 projecto n. 4 deste anno sup-
primindo o officio de 2' tabelliao de notas do ter-
mo de Cabrobo e annexando ao 1' os offlcios de
escrivio das execucoes civeis, crimes e do jury.
E em 3* os de ns. 3 e 8, tambem deste anno, es-
te restaurandoa antiga villa do Exii. e aquelle re-
movendo cadeiras de instruccao primaria, sendo
ambos remettidos a commissao de redaccao.
Eotra em 1* discussio 0 projecto n. 7 deste an-
no, autorisando 0 presidente da provincia a des-
pender 15:000* com a construccao de um predio,
em que fanccionem a cadeia e a camara munici-
pal da villa do Bom Jardim.
O Mr. Ciaapar Drummond : ( Nao
devolven seu discurso.)
O Hr. TravanKo de trruda : Sr.
presidente, como signatario e autor do projecto,
3ne ora ss acha em discussao, vejo-me obrigado a
ar explicates a casa acerca das razoes qae dm
levaram a apresenta-lo, e a satisfazer as exigencia*
do honrado deputado pelo 3* districto.
Entendi que e urgente a necesidade da cons-
truccao de um predio em Bom Jardim, que slrva
para cadeia e casa de camara, ja que alii nio exii-
te nem um proprio provincial, nem um proprio
municipal que offerees proporcoes accommodadas
a este* mistere*.
A cadeia qne alii oxiste e por demais insnii-
ciente : e uma casa alugada pela provincia a am
proprietario particularJjcom pessimas accoromoda-
coes; e um pequeno quarto, insalobre e em mas
condicoes, de 16 a 20 palmos de frente e outros
tantos de fundo, que vive consiantemente cheio
com 20, 30 e mais criminows.
Eu sou residente no lngar, e lenbo visto qae ea-
tre para alii nm individuo rohusto e, depois do 3
ou quatro mezes de reclusio torna-se amarello s
completamente doente.
Para a casa da camara ha a mesma neceuidade.
Funcciona a camara municipal em uma casa ter-
rea, de taipa, e de pessimas accommodates. Os
ediflcios bons alii sio poucos, e nesses poncos mo-
ram os seas pfoprietarios, qne nao se prestam a
aluga Ins para outro qaabmer mister.
E* mesm > necesssrio atlender a que no Bom Jar-
dim nao existe nma cadeia conforrae ella 6 garan-
tida pela consiituicao do imperio ; uma casa, ond
0 criminoso, erabora preso, encontre, coin tudo,
certas aceommodacdes que lhe prtservem a saud>.
Eis as raades que me levaram a aprcsentar o
projecto e espero que a casa nio o rejeitara ; mor-
meute attendendo-se a qae nio e facil transCerir-
se para a cadeia desta capital os presoe alii exis-
tentas sem a devida seguranca a garantia de sa-
lubrilade.
Por outro lado attendo as razoes apresentadas
pelo nebre doputado pelo 3* districto ao qoal qae-
ro respooder.
Acho as suas razoes (undamentadas e poderosas
viado actuar ao taea Wpirito a coasiderajao do
*
! !:JL


/sac
. .fit 'hi iui-ti. illlil /
iM
jjg^ngjgggmm
de Pcfnambuco *> Qaarliu teifa 2S dc Abril de 1874.
qua nada poT*"5p>o etllr;' si"? -) fSHKna de 3.
jeeto passaudo por Ires dis:i >41t-WM|
Construccjtdje-^f* predio, quaiido nao fc.ila
na lei do orijarafiBto para a comtrucc/ia Jesse pre-.
Am.
ConcordaVi#<>%lsmo eom o-nobre deputado, ve-
n.o offdreadrttuTt|aeriin at) a casa pedinlo que
Hque aJiada a discussao deste projeeto atese vo-
tar a lei do arcamento na parle rclativa a obras
pnMicas.
!? o que teriho a llteer *>r or*, aguaraanlo-me
para qaando lor uovame-ito disontido o projeeto,
melhor instruir a lusemblea d.> sua verdadcira pro-
eedeacia.
E' lido, i.piiida a en ra c.-iijuact.mienta em dis
cussao o segain'to re;|ueritrieiilo :
a Requeiro o a*Kamento da discussio para con-
tinuar quango dor votada a l Ja ore.amento, S.
R. T. de Airudci.
o Sr. waits .* : 8r. presidente,
nao 6 scm desprazer que me levanlo para oppor
me. nao 90 ao project), carao ao requerimento de
adiameato apreseataao petti nobre deputado. Di
go quo nao e sen-disprazer, porque -e.-ta assem
Jaidajiiai visio.qa.senvra. que se trata do dotar-^e
a provincia^eon benefteios miteriaes, o meu "oto
le.n sempre estado prompt,, a cotcorrer para isso
Assim, nunca Bagaria o man wfto para a cons
truc&to da-edifici3 publicus oar* cad- ias, es-tra
das, ponte3 e outros benefkios de iraportancia c
de necessidade.
D'aqui ja w v qae en recoehco a utilidade da
-miena do projeeto; mas hat'eado, corao com ef
feito ha, ama l-i le 1868 ou 1863, autorisanlo a
atUunUlracAo U**peinler-ata a quaulia de.....
100:000 j para a cunstruccSo de cas.is que sirvam
de cadeias no evn.ro da ofavincia, me pareee des-
neccssaria a autui isacaa 1* prije.cto qae se dtsca-
te, p-irque, coino mai be;* lisse o nobre deputado
pelo 3 distrieto, ;eria estaam >s aceumalahdo au-
ijiisacOej sobre ontras.
Na verdade, se me pode.-a dizer qae es;a auto-
THueao euKedida ha taat- s aim h ainla d3 node
eortir elMto, sen lo qae ate oje ainda neuhura
aiministrador se lambr-m de man Jar ed lisar ea-
delas pelo centra, iia proviocia.
O in. Tiw..Nrrvo o; C.Mfauy) : /n-ipia ptct-
Hi*.
O Sr. [Iatis e Silta : Mas se comp diz o no-
- bre -ijepatado en aparte, e" por ftUda de dmheiro,
*u iiao |)os m&A: J8G6 at* huja a pr.ivinoia tenha e>tid.> em
t.il ustado de deficencia Jo dinheiro qie nao tenha
mlo prtjsiel rie^peudir, ao menu? aljruina parte
K<.-a Fcmima. t>Hme i-frt > e |ie a\i h<\e essa
*ei n.io teve cXiTticAo.
0 SB. J. Si ixo Reco : Nao; tst:i se f.nendo
uma eadeia em Villa Bella.
(I 4 Rvws kSilva : Eu in irava i>-o; ma-
aSeiila n on ire dopatHd-jque d-sde osse lemi.-o,
flonjcura *U(|e .-> e?i.i edlii-arrdo iiini caJcia.
O . d)onlra p >r 48:0!) l|.
( lla ouiws apailes. )
O -r. IIatir k: S-lva : Pjrfiinle, eUa e mais
nnu razao para reforyar a ninha apgnmedHcio.
i>to e, ilesle que na nina aut nsa.ao conccdida,
desaecessario e que .-e v.ite outra.
O --K. VirtiRA Dii Htllo : Mas o nubre deju-
laio nao pensava (BSini qivando apreseulou ea seus
prnjerios
0 Sa. Itvis e Silva : Kilioai'ida niff tinha
'4M9heci.'nento de*ta li ili pmrtes Ait*, tondo
oecessi lade de recorrer a l.^gi-lac/io, foi ijue depa
ri'i e nn 1a! It'na estle Ci0> creio que de l8ot> a
18JA Q ia-id i apro-rtu ei esit; ppajeijto 'Je que
f.illa o imtirexfcjutado...
0 Sa. ViaitA de Hello : -'Cr^io que mais de
Uai.
O St U\tis k Sir.vv :-.\io sei e nm on mni-
pmje-tos. Oa.:n !u-ajires niei csse ou tasei pi i-
ie.*is. aada naa tiulii s,-j a;cu de tal lei, p>rqae
eil.t e 1 ii' n I 11 i. .! HiojIq em queeu anula
antitdu astoi|tii ae ti B*sa.
Haven lo, c*rno ia dizei-J e.-sa airt insaei >, des-
necess.in-i certamento e a-aimular atna outre.
Oevem-is ttpefrir que a ad-uimstra'tao' ten!,a em,
oji lera.a i a l^i, pra ,la!-l!ie OXMMgin, cm*i
dej-.^in, que.ja vai teudo cuia a cui^liu.'cAo di-
alfmta< cadcias, fre laq diitm *gTans n bre.s
d<*i*uta-l is estao se '.w^raiu to, e entao >era satis-
feila essa iu,-Assi ia i-. da 1 "-aiidulp, pare aqual
jei o noiire depui.iJ,) peto if di-tn :to a confiruc-
^io de uma c.ideia.
Aeau le.b->m avis i ,|a,: o man noiire c >Huja est
fwre tiela discussao du uivainento, e nelle, por
uoia taienJa, Care incluir a vtuba uiipessaria para
e*sa ubra.
Jolg,), p irianto, d,'saei:essarios uao so o projee-
to, couio ii ad.ainent).
0 Sa. Gaspar 1',rumm'ind i R-qeitado a projee-
to, talvi-z nao so pos^a incluir a respacliva verb*
no or;auiento ; ;xide atrar em duvida a k'galida-
de da masma i'L-rl,a.
O &t. J. Mpllo Rcgo : I'ode-se enteuder que,
seudo maleria rejeitada, nao dove ser mais reno-
vada.
0 Sn Gaspar Dbimm.i.m) : E' por e.-la razao
que aoeiio o adiameuto.
O Sa IUtis r. Su.v.v : Xao ne par cia assim...
O Sr. iJasi'\ L)i-,uaiM').nd : .Nao me pareoe
Xay-iiein, mas e qae a assemblea pode assim de-
ci-Jir, poJe tuv-r ena tluvj-la.
0 h. AlWto Cista : E' bnm evita la.
O Sit. li.ris e S.lva : Pare:ia-me que, geodo
wgoiuwlo u pruteelo p r csfa noao, nao fi--ava o
n..,tifedqiai.id i.ibibido do dkeito de, na discus-
>ao do o'r(Mt)enS npreseiitir uma ameada pediado
a cooaigaaflAa d >ia quota ; mas se ha este p-ri-
g<>, se a ea-a pole pt-nr-ar de outro oiodo e oao
ace,t:.r qual juer eaienda quo o nobre dep4itado
quvjra apresent ,r, fatao otarei pelo adiainento.
JSlllgUem mais pcdioAo ft palavia, encerra-.-e a
discus-a,i e, prucejendj se a votaeSo, e approvadn
o ri querimento do Sr. Trav.-\s?o de Amula, !i;an-
do,pitanto, adia-la a discus-ao Ij projeeto.
Eutra lhalai n'.a*-n i' lis-as-ao;o projeeto n i'i
deste anno, rwogando a lei n. 6o3 do 13 ,ie maio
de 18 i.
O Sr. lu-.*r!i: Sr. presiiente, tendo de
opporjint a adi, ,; de aabtneler a segunda discussio, devo ponderar
a casa que se nao o fiz na piimeira, que era area-
siao mais npporrana," foi porque nao tinha conhe-
cimento deste rtjeti. vi-to nil) ter eliesidodis-
irilmido quan Jo fof dad' para ordem do dia. Ape
nas f,ii lido dirigi-me a ?ecretaria para inJagar
qnal era a lei que se pretendia revogar, e, vollan-
do logo a esta sala, soube qae ja tinha Fido votado
0 projeeto, sem que o sen autor hoaVesse demr-ns-
t'.do a sua utilidade,
0 Sr. Ma.vo;l no Rsao : Nao tendo HaviJoi
ontesla;3o, tornava se i.'so O Sp. Amah l : Mas eu snpponha indi-pen i
savel, visto qae (ratavase da revogaclo de umai
1 i, revogacao que ja tinha sido negada era 1870 '
Sr. pre.-idenie, para bem reftitar 0 Lroiecto que
se di-cute, 6 preciso que meremonte a f85i, epoca
en foe foi tirado a Ignarassil o terreno, que se
Jlie reslituio por for^a da lei de J8Ci, que agora
se pretende revogar.
En J8ji, Sr. presidecte, urn nosso Ui-tinclo
aaiyio, proprietario do engenho d'Agaa, do terrao
Je Jguarassu, tecdo-se malquisudo eun oioiz
iauicqial daquelle termo, e querendo p ,r se fora
da juiisdicjao desse juiz, pude ubler di'sta a>sem-
blea, de que eotiu) era raenibro, a lei nj336 de 12
da.niaio do :83V..fiuendo passur para S. Loaren
fia:lodoo ternuirio que I e fui preciso para cbe-
gar a comprebi-n ler nessa separa<;ao o engenho
mftmmJU publicadaeesa lei, ot habttantes desse
territorio, qae comprehende rnaje da dta enga-
u*js, e consiitue lalvez aier<;a parte daftegueiia
de l|(aara-pu...
O Sr. Manobl do Rewo '. Nao apoiado.
Q Sh. Amaqal: ... por interroedio, aia eama-
ri aaunicipal U"a:|UeI^ term >, rj:iamamm contra
-esso 1 i, mostranda por mod,* iaiiuuttavel a ineoa-
veaien,-ia O'ella, e as aatoridades do Jit j tertno
Goeranr o nae-mo p tlhrersas weiea.
f 8m<>nsiqaincia de.taea reclamacow, a- ass-m
lea, cjaipenetrind)-e da HJiojiveoiancia e ipex-
equihilidade da lei de 18'Ji. adoptou era .1861 o
prajecto q/ie nai*isidoapresenladoeni 1B60, pa-
ra revogacao dessa lei qoe.saora seproenra re9ta-
belecer.
Para raostnr, Sr. prendeale, que nao aamonve
airfncia alguma no re.-tableeimeE!to da lei de ISoi,
tnsta pinderar a esia casa, que oe;dez < n onze
eflfennoi, eomprebendidoi., na-arta iwaoa ra&naara S. Lourenfo, distara de a a i li-guas
M iguarrassii; de 6 a ) de S. Lowenco.
0 sr. Manoel do Rrjso :Nem todos.
OSh. ajjaiial :-7'odos..
0 Sr. Ma.ioel o fiKGO :Ha alguna .qua eatf o
mnito nui> perm de S. Laureac/}.
0-Sa.-AwAAL :EacTBgca, Sc.pretalente, qua
n*_y3flto a>TOraoya, oSdiabitaol-.'S d'esses enge
Nitfi
<
Loarenca hao lavei quo devlo I8ai aid 15bi neitenciaml lottos
I qMI#v4aV>-1 esses terriUirio? a froguuia ih S. Laurtoc/i som
" T"~-
^ac
DIIIW
OSa. AM\iiAL;-E quanda em, 1870 sa"pramfe,
den, eomj agora, revogar a ki de 1831 para res-
tabalecer a de 1854, o goveraador do bispado.se-
gnnda me consta, agp^M t essa r*rgacao a*
parla espiritoal
0 fin da lei de 1851, SKpresident*, Bio (oi ottf
tro, como ja disse, se nao o de faier separ&r de
Igaarassii o engenho d'Agaa, livrando o seu pro-
prieUrio da jurisdicc;ao djjait municipal, ie quem
;i5o gosiava. E sa assim s ex plica o.facto por
demais iaconveuieiite de serera compreheudida<
na freguaiia de S. Louren^o, todas asproprieda-
des que estio sitoadas no valle, que se esteode
Jos engenhos Pindobioha e Aguiar ate o engenho
d'Agua, licando para fguarassii am e outro laio
d'essevalle; desorte que, para fuuecionarem as
autoridades de Iguarassu nos terrenos situados a
margem eyqucrda" do dtto Vaile, eralhes necessa-
rio transput territorio de albeia jurisdiccao, o que,
como talvez saiba V. Exc., dea Ingar nao poucas
vezes a senos e graves conllictos.
Se se adopiasse, Sr. presidente, um tal raodo de
bur annexajdes e desannexa;5es de terrenos de
freguezias, termos e comarcas, enLi nao seria
para adrairar que an;anha fosse apresentado a es
ta casa algura proiecta fazendo passar para a co
marca desta capital |-redios ate do alto seilfn.
0 Sr. MaDuel dj Reco : Xao tern pandide.
0 Sn. Ajiaral :Nao temparilade? A lemla
o nubre deputado que baslaria, a exemplo da lei
do 1834, aanexar a esta capital o leito da eslrada
ou cainiubo que para la se dirigisse.
0 Sr. vaxo l do Rego :Ha exageracSo.
U Sr. Amaral : Para demonslrar ainda, Sr.
presideute, que este projeeto nao devo ser adopta-
do pi-la casa, basta reflectir que, se elle passar
somo ?e pretende, sem audiencia e annuon^ia da
autor id ade ecele.-iastica, csse territorio desmem -
brado pela lei do P-oi da freguc-zia de Iguarassu,
eontinuara, canonicamente, perteneendo a essa
fregaezia, e cntao cs gcas habitantes, "segunJo as
leis gerae--, qua esta assemblea nao pode revogar,
cmtmuarao a votar e ser votados em Iguaras-u,
ondo tambem conlinuar5o a servir como guardas
uacionaes.
OSii. Gaspar Drdmmo.nd: V, Exc. requeira
a auduncia do prelado diocesano.
0 Su. Amaral : E V. Exc. que a lao bom ea-
tnoliso e propngnador dos interesses da igreja,
por que uao re juer ? Eu tomarei o cousellio se
me aprouver, se me pareeer oanvenlente.
0 Sn. Grspar D iu.mmo.nd : Eu veto para que
se ouca o prelado diocesano.
0 Sr. Amaral :Sr. presidente, ainda uma ou
tra razio assiste para negar-se a approvagao a
e to projeeto, s vam a ser que pertenendo o ter-
ri! irio de que se iraia aosegundo distrieto eleito-
ral desta provincia, elle nao pode g*r dasannexa-
do ,|i) raesmo distrieto se nao e m virtnde de uma
lej geral, de so le que se passar o projeeto, con
tinuaiSo 09 habilanics do uito territorio, ainda por
mais e-ta raziio, a votar em tgoarasstL
E, upis, Sr pceaidftpla, qua! e o elTeito actual da
revug ,c io da lei Je 180't ? Outro uao vejo senao
o estender a jurisliccao dug juizes -lesta extensa
comarci ale o engenho d'Agua, o i>to em mani
festo projuizo da comarca de Iguara.-su, que.se
penler essa graale parte do ;-eu territorio, vira
logo di-pois a ser s pprimida.
Sr. pn sidenteEu sinto, e sinlo profundamen
f, ter de ojpor me a passagem deste projec'.o, por
quo aat de>"java con rariar o se-a nubre signata-
rio; mas dajcouheceiido eu as raaSes de utilidade
qae deterniinaram a sua apresenta^io, e vendu
qae a sua passagem vai pr'.judiear a comarca Jo
tiaras ii e offender os legiiiraos intaresses de
vfawtfaniuact* da de S. Lourengo.
Per isso apresonto a sepinta emenda ao art. I
(ie): e em inieiro vigor o art. 2 da lei n. 336
de l?e m^rPMa*? fttb^MfftHtmndo-se neste art
as paltvras*6ld*bin!uiflussope, Caiape e eBge-
te'no u'Agua, oaocre#iando Cayaima, MschaSo,
Pagclirga do'tafxo etecima
racd etecttcao de Pindobinha, porque, segundo
dispoe o prof ct > n. 26 de 1873, ja approvado nes-
ta casa em 3' dijeussio, fie a perteacendo a fregue-
zia deVaod'.-1 bo.
JHtitlvn, J
de Japtirq
Xunes Goneakea e Uarao ?e Ma
I_
mais de dous ml habitants d'e.-se lerriiorio, nao
p isso deixar de pr-tnouciaf-me cmtra elle.
0 Sn. Doni.nc.os Pimto:Pindobioba tunbem e
d I Iguara Mi, e ja foi aqai approvala uma lei pas
s.'indo-o para Pa> d'Allu.
O-Su. Amaral : E' uma paile in ignificante
dasse l, rritorio. Se V. Exe. da esleaparte no se-:-
tido do ceusurai me p.ir ler ficado silehcioso...
0 Sr Domlng is Pi.nto: XSo apoiado.
0 Sr. Auabal : -... qnando passou aqai.esse
prajecto que fazia annex r Pindobinha a PaJ d'Alho,
dava dizei Iba que se n'o me oppuz, foi | orque re-
conhe,.-i que a maior parte do ti rreno de Pindobi-
nhaj'a periencia a Pao d'Alho. F./i esia a unici
razao pela qual nao me oppuz a passagem do pro-
jeeto a que se refere o nobre deputado
0 Sr. Domingjs Plnto : .\'io Jei o aparte para
ceusurar o nobre deputado, dei-o porque vi que
e-iava fundindo a sua arguraenlaQao no valle de
i'in lobinha.
0 Sn Amaval. Finalmente, Sr. presidente, a
antiga e bistorica villa de Iguarassu tem sido bem
iufeliz.
0 Sa. Domi.ngos Pi.nt) : -Xao apoiado.
0 Su Amaral :De Iguara-sii foram tirados os
terrenos que ac.ualmente contiluem :.s grandes
comarcas de Limoeiro, Pao d'Alho e Nazareth...
0 Sr. Olvmpio MAnour.s: Por convenieneia
p nblica.
0 Sn. Amaral : -... as quaos, em epocas mais
ou menos remotas, hao pro.edido eomo Hlhas in-
grstas, Iespojan lo a pobre villa veltia do poueo
que lie d,-ixaram, e boje uma visinlia poderosa
procura pela segnnda vez apoderar-se de arna
granle parte d,. sea ja t4o pequeao s lo Espero
que a casa uao concordant Com essa oxtorsao, com
es-e c.-bulho, p>pero que rejeilara o projeeto.
(Muito bem ; muito bem).
O r. Jlnnael sl Rego: Como autor do
projeeto em discnssfti, cabe me responder a im-
ppgnaca-), que Ihe fez o nobre deputado pelo 2-
dUtrieto.
E' exact) qup alguns do_s engenhos comprehen-
did is na lei, coja disposieao o projeeto pretende
re.-t;l)elecer, Seam mais proxiraos da freguezia de
lgnar los dosses engenhos, e mesmo oatros, fi;ain mais
vNiuhos da freguezia de S Louren.o, e eu nao
teria davida nenhama em profa-Io.
0 Sr. r makal : E' prova que nao pode faer.
0 Sn. Manof.l do Rego : 0 nobre deputado
pode pensar de m ido diverse ; esia em eu direito.
Se fosse possivel a audiencia do governador do
bispado, eu nao ttria eseru|iulo uenhum em volar
porua requerimento afim leser o mesmo governa-
dor i avido a respcito do projeeto substitutivo que
vou apre entar ; mas, ainda que fosse appr.vado
um requerimento nesse sentido, nada se cunsejui-
ria, porque a presilencia nao tendo reconhecido o
governador do bispado, nao o mandtria ouvir.
Entre.tann, caso passe o projeeto em 2* discussio,
eu compromeUo-me a apresentar, na 3', iuforma-
rees por mim ob ilas, do vigario da fregaezia de
S. Lourengo, 'avoraveis ao mesmo projeeto substi
tutivo.
0 Sr. Amaral : Existem nesta casa informa-
voes conlrarias.
0 Sr. Manoel do Rego : Contrarias aoresta-
belecimenlo da ,ei n. 336, tal qual esta, e foi tam-
bem proposto em 1870, e isto porque sendo ouvido
o vigario de lguaras gra quasi todos os vigarios, e com razao, nao de
sejam que suas freguezias sejam diminuidas (nao
" os bispos cingem-se as infurmacoes
Naoe pareee procedente o argumento do no-
bre depu'ado, do que, perlciicenda actnalmente pa-
ra os effeitos oleitmaes, esses tBrritorios a fregue-
zia de fguarassii, nao devera por isso ser restitui-
dos a de S. L'ireneo ; porque nada iuhibe que
o poder legislative em sua proxima sessio, resol-
va' qae flqaem novnrnente pertencendo para os
etfeitos eleitoraes, a freguezia de S. LonrenQo.
Lembre se o nobre deputado que em 186i pas
sou uma lei uesta vas* proinovida unicamente pur
interesses politico?, desannexando "esses territonos
de S. Loureneo e aonoxando-os a fguarassii, en-
tretaiilo que naquella 6p, ca o; seus habitantes vo-
tava n em S. Lourenco, e dontinuarara a votar ate
na ultima eleicao, sem que se descobn-se nisiO in-
conve ti, iHe algnm; como, poi, se adia agora in-
conv; nieute o que naquelle tempo nao era ?
D'-tnais, p isso assegtirar ao nobre depntado me,
se tacs terriiorios paiteucein hoje, no-el,'i:oral, a
Iguarassu, 6 porque passou dcsapi-rcebida a doU
dignos rt>preseutantes desta provincia, um no se-
naJo e ouiro ua camara dos depujados, a ambos
moradores em S. Lounmco, a dispisicao boje Jo
art. 3 do decrdo n, 2,171 de 21 de setemljo de
1873, concebido em termos genericos (< as anti
gas freguezias, eajos liruitos foram allerados pos-
teriormeute ao anno de I860, por anuexacao on
desannexacao de territorios de freguezias Je ou-
tros collegios, lerao para os effeitos eleitiM-aes os
limites ora est b,;lecidos por leis provinciaes ),
por nao se leaibraretn que liana tambem applii-a-
$\o a freguezia de S. Lourenco, pos do coutrario
certameale dSo coascntiriara quo se lirasse tuda
imp irt itic-ia a essa fregueiia, para augmentar a de
iguara>sd, ja enta rouilo importante.
Cmo ja live ueeaaiao de dizer, nao quern resla
beJecera lei n. 33C lal como esia : reenheco qoe
o engenho d'Agua e os outros dous, que aealiei de
inencionar, devem perteueera Iguarassu, mas lam-,
bem reeorrhoi-.o que os outros devem ser restituir
dos a freguezia de S. Lourenco, da qual fleam
mats proximo.".
0 -Sr. Gusts I'a ,ENTEda um aparte.
0 Sa. Manoel no Rego :Se o nobre dsputa-
do in&garaiite que pode ter lugar o!Hcia!mente a
laudLneia do, gov.xuador do bispado, e se o pro-
jeeti passar em 2' discussao, como e de justica, eu
C'HnprjBietto-ipe a apresentar em 3* informacjoas,
nao >6 do vigario da freguezia, como do mesmo
governador do bupado, favoraveis ao projeeto subs-
Mluiica, iue vou offoreeer. Se a casa tem escru-
pu4-js,aguar le a'fr discussao ; e caso eu uao apre-
sente entao essas iuformacoes, votara como eoten-
der accrtado cut sua sabedoria.
E'^b la, apoitda e entra ccujtmctamente em dis-
cussao a seguisle eaienda :
Ao art. accr'aseenta .-e : e em inieiro vigir
o art. 2 da lein 3 30 de 12 de maio Je 18."ii, ?up
prirniudo-^e no mesmo arligo as palavras Piqdo
biuha, Mussupe, Caiape c engenho d'Agua, e ac-
creseentaudo se Cayanna, Machado e P.igelinga de
baixo e de cima. Dr. Manoel do togo
E" igualthente lido, apuiado e entra tambem em
Jisru.-Mi'-, e;le requerimeiitj :
RVqaeiro o adiamento da discussao pjr 18 bo-
ras. /. de Mtl'o R go.
-Ningaem mais pedinio a paiavra, encerra se o
debatp, e, proeedendo se a votacao, e approvado o
reqneiini,'n!o do Sr. J. de .Velio I'.ego, licando, por-
tanlo, adiada a di.-ciiss;io do pr-jeclo e da c-
nwnda
Si'guo-se finabnt'Ote a 1' discusa'.o do prejeeto
n. SO,-tambem deste anno, autorisaudo a presiden
to da provin.-ia a reandar fazer uma n->tituic'e
ao arremaUuto da CMMrucsaQ do ediliciu de-tina-
io as sejioes da assemMoa provincial.
i'.ec inlni-endo se nio haver cumem, fica a Jis
etis.a* adiuda.
O Sr. presidente designa a o dnn do dia regain
lo e fevauta a aesaao.
i:la Jo ctposto., folgamon
nia pernamhucana do p isse
'sMcmaiea goi-ai iaM(IHNiiivn. ,\
i *i Ctani, ieguiram pa.. Japoiro :
res : .Nunr- '
'tqnid,;- maiif.uipe.
ifj-utados: Conego Siqtfcirip- MenJes, Dr.
Gomes do Amaral, Dr. Clympio ia Castro, Dr.
Jo-e da Silva Maia, Barao de Peaalva, II. Graca,
conego Thomaz do M. Rego, Or. Pinheiro Otorw.
Dr. Agesilao Pereira daSilva, pake Prato Pessoa.
Or. Mimael F. Vietra.
Para a Europa. 0 yapor Boyne levon
373 passageiros, stndo iO recebidos em nosso
por to.
Inqnerlto policial. Pelo delegado do
termo de Garanliuns, furam remetiidos ao re-pec-
livo Dr. jnlz mmicipal, os inquentos policiaes a
que pr iced-'u contra Joe Vjrginlo e Manoel Jose
Lu z, par crime fur to de cavallos.
noiioflcio. Product dos bilhetes passados
para j espeetaculo de 4 de marco, na Phenix
Diamatico, em favor do comelho superior da Ins-
trucgSo Publica.
Trausporte 305*000
Joao Jose P.oJrigues Mcades, um
camarote 15^000
Coimnendador Joao Vallenti.n da
Silva Barroca 1J*0,0
Lniz Jose da Silva Guimaraes 10/00"
Cummendidor Luiz Antonio de 3i-
queira sfiOOO
Jma Pereira Vianna SjOOO
Dr. Claudiuo de Araujo Guimaiaes 3*000
Professor Vicente de BjraeTMeHo 4*O0J
Dr. Fran isco de Carvalho Soares
Brand.o 340&M
Dr. Vicente P,-reira do Rego -2iO00
Laure lino Jose de Miranda 3*000
Joae Fhu>tino Porto 3*0u t
er,
So uma.
572*000
apoiados), e
destes
Em 185V passou, nesta casa a lei n. 336, de 12
de mafo, sem irrpugnacao, e obteve a approvacao
do bispo de ratio, D. Joao da Purilicacao Marqnes
Perdigao, dedarando mesmo que assim procedia
porque, eoatacreacao da freguezia da Luz, t-
nba-se diminaido eonsideravelmeate a freguezia de
S. Looreneo, e era pr ciso que se desse pane do
territorio da de'Igoarassri a S. Lonren^c para re
eareir os-prejuizos que tiuha soffrido.
Jtecorreadoaos dados-estatisticos obtidos no ulti-
mo recenscamento, ve se qae a freguezia de Igua-
rassu possue de 12 a 13,100 habitants, ao.passo
qne a de S. Loureneo posene ilpenas 4,932 babi
Untes 1
0 Sa. AMAtiAcaa nmaparte.
OS..Maokl -na-Broo :-Mas vejamos mesmo
pelo lado poliiieo. i A, freguezia-de S. Lf)arenc<> da
actnalnnte 35 eliitorea; ficando para Iguarassu
oiterritorio, qne ja perieaceu a S. I^uren;n, e qoe
en propnnho Ihe seja restituido, ?ira S. Loureaon
na proxima ehriaiioa perdm- % oir 10 ^ieitores, an
paajaqueilgnarasfiii) que ja teovel eleitores, tera
de ver aagmen'ar o numero destee,^|ae jae muiio
aval lado.
OSp. VinA de Mello : -Mas Iguarassu e uma
comarca, eS.' tourenro umi freguezia.
SHa tiolros apartes).
> Sr. JfAjoKt do Redo: .Vai isto oao inllie;
a comarca de Iguaratsu comprehecde tambem a
'freguezia de Iiamarac*.
Eu ja disse que aigurj* desses engpnaos devem
nerteneer a fguaraisd, mas outres nao Aehando
^J?9 '"1n8I*in "' Iiearen^n, ,'iao de vir aj;.ma na fregaezia dIS; Lonrrtico, ea tive occasito
;.^i,fc-i Paa91.ndo P* Iguara^sU, pare tfaqpiljde-r qua o vigario delta fr**oeiia ia desonrioar
,lTs-r? Lonreaco, poraae.' pela'nwtCi'os enialguoi des-territoTiai'.qae ea preteudares-
E?,^f ^T??}b\naP*'^ tM*a S"iOTEecf<"KC<> 1oe BMes fleam
eSno anyLfaSar. JLifii!^4, opfaladoflw-l 0 Sr, Pasfitri; ^Tamoam fuHestemwrta deste J eaten daaoaaeaab'ao RfiAiiefe.
REVISTA D1ARIA.
tseiuh!cii provincial.- IIratem nao
luuve sess.o pur falta de numero.
MoKplcio (Ienltenatioa. Damns em se-
gui la mais donatives para as obras deste nov.
esiabelecimento :
Pernambuco, 23 de abril de 874.- lilm. e
Exrn. Sr.- Os nbaixo a-signados, proprietariosda
empreza detransporle de mercadorias denomina-
da Loewinotora Pernambucana tendo no mais
al'.o apreeo o patriotico empenho com que V. Exc:
orooura dotar esta bella capital com um asvlo de
aiiinaJas, o que ao mesmo tempo revela o gran
de civilisacao e adiantamento djsta nca provincia
e os hamanitariossentiraeotos de seus dignos li-
Ihos, tom&m a liberdade de offerecer a V. Exc.
para aaxiliar a constracrio do referido asylo a
quantia de 1:000*00,-que com este olfleio ealre
gamaV. Exc.-Dousguarde a V. Exc. Illm. e
Exin. Sr. Dr. Henrique Pereira de Lueena, digno
presidente da proviueia de Pernambuco Teixei-
ra, Chavet i C.
Gabinets da presidenaia de Pernamhuc>
en 27 de abril de 1874. Illnis. Srs. Teixeira,
Chafes corrente, na qual Vv. Ss. animados dos mais no'
bres sentimeiitos de p ilaatropia, me reraetieram
a quantia de 1:600*000, com que, como pioprieta-
rios e representantes da empreza de transporie de
uvrcadorias, deuominadaLoeomotora Pernam
bucanaresolveram e se dignaram de c-meorrer
para a obra do asylo-de abenados.
Louvando a \'v. Ss. por tao generosa quinlo
honrosa espotitaueidade, cumpro o grato dev^r de
manifestar-lhes os metis proti-stos de recooheci-
memo e de gratidao, alt nio o empanho que to-
mo na realisac,ao desse piedoso esiabel'acimento.
i'e Vv. Ss., muito atteueioso venerador e criado.-
Henrique Pereira de fjktetut.
niMtrieto peiiciai. Por portaria da pie-
sidencia da provincia, de 24 do & rreote, foi res-
i.iuradoo d ?tricto policial de Peripcri, e cons tart
de lodo o terreno de I'imenteiras, atf sal da colo-
ma Isabel, ficando pertensendo ao distrieto de Pi
menteiras o terreno de qae se compoe a mesma
colonia, e todo o mais ao norte ate--os Hmites do
distrieto de Capoeiras e Lage Grande, e ao sul os
qnartewoes Maiara, aqnem e al5m do no deste
nirae, Cousulta, Santa Thereza e Pindobal.
tutoi-i da presideacia da provincia, de 2i do corrente
foram nomeados: o caprtao J aquim Cordeiro Ri-'
beiro Campos, aubdelegado do disiricto de Peri-
peri, do term j de B mito ; e Manoel Joaqnim da
Cunha, Francisco Antonio de Amorira e Lauren-
tiao Jose da Silva, suppl, nlos do mesmo subdele-
gado, na ordem em que se acham collocados.
' Jury tin, noriro. Aiala hontem nan pode
fuuccionar, por terem compareeido somente 38
senhores juizes de fa,-to, e qne d-u Ingar a novo
sort 16 com o segninte resultado:
Freguezia de Santo Antonio.
Ant'mro Maia Cortes.
Joao Antonio de Almeida.
Joaqaim de Souza Monleiro.
Jose 'Antonio de Sooza
'Manoel Jannario de Arrnda.
Fregaezia da-Boa-Vt-ta.
Dr. Jose Vicente Duarte Brandao.
Thorn a z Garret.
Jose Henriqiies da Silva Golmaraes.
Eduardo Angu-to Penni.
Jos6 Mendes Alves da Cruz.
Francisco Jonqiim de MelloTavdres.
Carlos Augusto Lins de Souza.
Fr, guezia de S. Jose.
Luiz Manoel Rodrigues Valenea.
Freguezia dos Afogados.
Francisco de ?A Barretto.
Manoel "ranci-co do Paula.
Fr guezia do Poeo.
Fran.-isco Carneiro Monleiro.
vapor wagufti-lbe. -, Cbegou hontem ao
nosso porto este vapor da companbia pernaintna-
emy qua ^oraaelnglalerra onceTtar e toma* no-
vas calluiraa e mschlna.
| Aeha se eompi^ramentd roformado, da quilha a
borda; a maohina de forcai'ftt'<60 ratfallos, 6 do
syaieina mai* *w'feijnaao, e ao awemo tempo qae:
depende 'detiiminBto' eonsuma.rala-earviq, da ao
navio, ordindriameato, a boa rnaraha ;de 10 .iaJnas
por'hora.
Para o trabalho de oarregar #idaKcarregar,evem
dottdo com don gaiaebaa a:aapmr,uma taarbem
i Ti-ansrercneia.Foi Iran.-ferido para dia,
que opportiinamaite sera annunciado, o concerto
que deria eff.ctuar se a favor da sociedade Propa-
gadora da Instruccjio Publica ; i to em consoquen
cia de haver adoeeido uma das senhoras que teem
de cantar uo mesmo concerto.
firaic uttt-niadoDe lelegramma- rece-
bido bootiin de Maceio, coasta que ao I'ilar ama
nhecera (-nao deelara o dia ) asss>ioada a cace-
ladas, emsna propria casa, a seanara do capitfo
JoSo Je Lima, sendo depois, as 10 horas da ma-
aha do mesaio dia, eacontra lo tambem mortd da
quelle modo, na estribaria, o referido capilao, apre-
seutaudo, porem, o seu cadaver indicios de ter
sido elle assassinado um dia antes da morte da
primeira victima.
Eneoulraram-se dons bahusarrornbados, o que
jnulo ao desapparecimcuto do animal, que uccu
pava a e-tribaria, onde fa acha to o cadaver do
capilao, faz suppor que or.ubo fo.-se mnvel de laes
rimes.
As SuSpailas-recahiam todas sobre um escravo
dos assassinados, de name I'rudeneio.
ftiuarda naciounl. Pelo tnialtterio da
jatlica foi expedida a suguinie circular as q,resi-
dencias das provincias :
'MinisJerio dos mgocios Ja ju-tica.- Bie de Ja-
neiro, em 21 de abril de 1874. Illm. e Fixm. Sr
9 Tendo de pcp reorgatiisados os commandos supe-
riors e corposde guarda nacional, de conformida-
de cum o decreto n. 5,573 de 21 do mez proximo
fiudo,deque remetioa V. E.c. o idcluso exem-
plar, manJei arcbivar, por seacharem prejuJua-
das, is pr'opostasrel.itiva-a guarda nfieieual.dassa
provincia, que pendiam de lapprorracao : e pre
vino a V. Exc. de que deverao s-r feitas de accor-
do c-.-m as disposiro-s do cilado decreto a pro-
poslas para preenebiaieuto dos potato ipue licarem
vagus depois daquella reoiganisacao. Deus guar-
de a V. Exc-J7uno/ Antonio Duarte de Aze-
Vfdo.
. nlKtpoato .peasoal.-P.do do^reto n. f^HMi
de ii d i corrente foram f itis diversas alleraiides
no regulamento expedidop.-lo decreto n. 4^)32 de
28 imposto pesgoaL
'rriiiis;uiMs.ia tin praj-riedjfrfe.^Pelo
ikcrtt) n. 5,581 da 28 de marco ultimo foi pulili-
ca lo o tiovu r'-gulam.'ato para a arrerada'-ao deste
imposto.
Regulaiiittitfo naval. -Pelo d-creto n.
->,o83 de II do ei rrente foimmdado execotar o
novo regal iinento enceioente a marinlia niercan-
te nacional, a iiidustria da conslruc;.ao naval e ao
commcrcio de cabotagem.
Lousevitlatlc. 0 J/n/r transorjveu do ilonarck-'sta, da Campanha, o se-
guinle :
Falleeea nesta ci-!ade, no dia II docorreate,
Muia Joanna-de Siqueira, com a idadede-114
annas. No anno de 1777, cpica da fallada gaerra
da Azagaia, livroa el!a um'eidadao do reorula-
meiito, casando e com elle.
Era uma mulher de altura deseommanal, eape
zar do sua idade (lava algodao perfeitunente. Dei-
xou apt-nag um netoc muitos pareotes e foi pon
co favore -.ida de bens da fortuna. Nole-se mais
que deixoa ella ama izagaia,que conservava com
muito mimo des!e o referido anno de 1777.
Daodfl noiieia ducja mulher, quo muito onhe-
ci, tenlio a dizer ainda que nao e .-6 ella que aqui
existio com tao invejavel adade : existe outra do
name Jasppha, que, segnndo pessoas aerias, tem
105 annos de idaJe, mas ja poaco anda.
Vapor Ontario. Telegramma da Bahia
recebido hontem, cominuniea ter d'ahi sahido esse
vapor, as 4 horas da tarde, em deiaao la do nosso
porto.
Gastao de Or!ean. E"to vapor da
companliii bahiana, snhe h-ije, a tarde, para a
Bahia e portos da escala.
Para Fernando tie- Xoronlia. i,,m
este deslino ierara h-.mtem do Ceara 17 senten-
ciados.
ninliolro.- 0
para:
Bank of Rio de Janeiro
Am,.rim Irmaos & C.
Desembargador Lourengo Santiago
0 vapor Ceaia trouxe para :
Bank of Rio de Janeiro
Pereira arneiro & C.
J. Krause & C.
loaquim Goratdo de Bastos
Jose Cord.iro do liego Pont oi
Cisme Jose dos Santos Callado
Joaqaim fose-Goms
Uv, 3 deJ?ergipe, .1 da# AUgojn, Dda aralvyha,. I
Jo Rjo de Jam Iro, ...
3 auno. 10 da Bahia, 10 lo Pernambuco,' 4
b.s Alagoa*. 2 Je'Ma!(bG'iS-o-, 2 do Hio Grande
do Sol, 2-do Marmhaa, 7 da Piirabyba,-4 do Para,
2 de Minas Geraes, 1 do Rio de Janeiro, 2 do Rio
Grande do Norte e 1 do Ceara.
4* anno 10 de Pernambueo, 3 das Alagoas, 3
da Bahia, 4 do Riide Janeiro, 3 da Parabyba, i
do Maranhao, 1 de Minas Geraes, 2 do Ceara e I
do Rio Grande Jo Sul.
5- anno. 21 de Pernambuco, 7 da Parahyba, 5
do Ceara, 5 da Bahia, I de Portugal, 1 dj P.io
Grande do Sul, 1 de Gpyaz, 2 do Marauh3o, 2 do
Para, l do Parana, 2 de Minas Geraes, 4 das Ala-
goas, 2 de Sergipe, 4 do Rio de Janeiro e 2 do Rio
Grande do Norte.
Sociedaede Propagadora do ing-
truccao Publica. A 24 do corrente reu-
nio-se o :enselho superior desta socielade.
Depois de approvada a acta da ultima sessao,
tomou o conselho coaheciuienlo de um oflkio de
D. Maria Coelho da Silva, prufessora apo'entada,
conselheira ua parocbia de Afogados e directora
de um Cullegio de edacacao, que alii ullimamente
inslallara, eu*L-recendo alguns exemplares dos esta-
tutos de seu conYgio, em cujo programma poe a
di>posi5io da sociedade Pmpagadora, seis lugares
de alumnas externos e dous iniernd*.
0 conselho sup rior sabeado na mesma occasiao
por intcrmedio dos ?rs. Mello e Pessoa, jus D.
Maria, ja havia rewbido as daas aiumuas int-^rnas
em nume da sociedade, resolveu que se lhe offl-
ciasse agradecendo os valiosos services que presla
a iosliuc.ao e ao corpo social de que faz parte.
Ouiros oiflcios foram igualmente lidos, remetti-
dos p ,r diversos coa^elh is parocniaea, agradeeeo
do a i If^rta dos exemplares de inatroe^o nacio-
nal, enViadas pelo socio correspotidente Anlonio
Estovao da Costa c Cunha.
E occupando se em seguida o conselho eom ou
tras re.-olucoes de interesse particular, terminou
os seus tr.ibalbos designando o dia 14 de maio
vindouro, para a segninte sessao.
Inlcrpretacao do art. 338 do eotli-
ga do preceaso.-Omini-terio di justica, em
16 do c,rrente, dirigio a presideacia do Maratfliao
o seguinte aviso :
Illm. Exm. Sr.(ktm olTleio n. 28 de 26 de
novembro do anno passado V. Exc. submecteu a
eonsideracjjp do governo imperial a consulla qui-
Ihe dirigio o juiz de direito da cimarca do Brejo,
:neisa provincia, sobre a derogirao df que trata o
I' do arl. 29 da lei n. 2,033 de 20 de setembro
de 1871. Tendo sido ouvlda sobre o assumiito a
sec.ao de justica do conselho de estado, S M. n
lmperador ha pir.hem m.ndar declarar que na
questao, que faz ubjecto da mencinnada cmsulta.
cor.vira obse var-se o aresta estabeleci-lo peU re-
laeao da eOrte no aeoordao de 5 de setembro de
1873, que hem iuterpretou o sentido do art. 332
do eodigo do proceso criminal; o que communico
a V. Exj para fazer constar ao Mhrido juiz de
direito. Deus euarde a V. Exc. -JfoaoeJ kattnio
Qii'.rte de Azeoedo.
tag rabriaul8 do assucar. Sab
esia epigraphe diz o liegenerador de Nizare/h
(Baliia) era 11 do Corrente:
Depcis qae so desenvol.eu neste municipio a
peste da cauna cayana e que algans senho es de
engenho subslituirarn esta por outras especies, foi
par t-ados aloptaJa como-mellior a canna de Sa
longor, pur ler maior eresciment/v, liliar muito a
comer r.lalivamerile mais assiwar. Hoje ob-er-
yan que a gran do assnear desta canna (crystaes)
e Una; e queguarJaJo por muito tempo o assuear,
le braaco que era, torna-se eseuro e como se de-
coJipoe toman lo-se aglutinatico ; temos Butido
isso a varios seihores de eageidio, que tratam de
lornar a fazer pfaataedes la cayana, que ?ein con-
testaqao, ea m-,lhor caii!:a assucareira.
r.Vao t mos con: ecimeatos proti-sionaes, e nem
:nesuo pratico*, was um int-Uigwate senlior de
aajfeaao, i-ujo nome oiuitiimos, aos allirma que
tambem fez esta observaeao, e depois de varias
experieacia- concluio que isso e devido a ter a
cauna Je. Salang ,r a casca exteri ir muito grotsa e
SMibrecarregada de materia eoraote Verde, o qu
altera sen.-ivplm>'Dtc-o ore'
iram-8, asistem 371, ^an-.
wmien? 249 e rnflmdM f?2.
Adeerten
. Firam.visiindas as enfennarias ucstes dias:
\"s 8,8 8 i|J, 8 1(2. 8 Ij3, pelo Pr. Bellrao ;
as 10 1,2, II, 10, 12, 12, 12, pelo Dr. Sarmento ;
as 8, 8, 8" I|*r8-1(2, 8 l|3, 9, pelbDr Malaquias ;
as 8 1/2, 8 l|2, 9 1(2, 9 1(2, 9 l|2, 9,1(2, 9, ptlo
Dr. Vianna.
Fallecidot.
F.leuterio Frn-isco d Alaujo } eacfcaxia. -
Eduard ; fetire amarella.
Primo Feiiciano Machado. variolas conftuttlles.
Mria Thereza de Jesus ; tuberealos pulm.mares.
Gailais^Francois Maria ; febre amarella.
Maria Cypriana do livramento :' congesiao cere-
bral.
Josepha ; derramamento cerebral.
Umbclina Baptista da Conceicao ; diarrhea chro-
nica.
Paasajeelroa.Chegados dos porfos do ntr-
le no vapor brasibiro Ceara :
Raymundo F. Paula Souza, M. Vicenzo, D. Car-
cilia Edelirudes Coelho b 2 escravas^Joao B. Fer-
reira Junior, Antonio M. Veras, Antonio S. Pova-
bd, Jo>e de Sa Leite Junior, Jose Viriato S. Sa-
lom, tenenle M. J. A. Pereira, Maria J. da Concei-
(.Jo, J. Jose da Siva Pereira, Amaro Just Barbosa,
13 presos de justica e 15 pracas, Antonio G. da
Silva, Antonio S. Costa, Manoel J. B.Montenegro,
Manuel F. F. da Costa, Adolpho M. Ba-tos, Fclippe
C. E-trel a. Lioo Jose P. de Caslro, Francisco Jo a
das Cliagas, Zeferino V.oreira, Dr. H rmogenes J.
B. Tinoro, Dr. Maaoel F. vieira, senador Dr. (fa-
ties GuiiQalves.
Seguem para o sul :
Dr. A. Graca, Dr. A. Maia Pereira, conego Si-
queira Menles, conego Thomaz R,go, D". 0. de
Castro,_Dr. Amaral, Uarao de Penalva, Dr. Manoel
P. Osorio, i)r. Aloaso F. de Meodonca e sua se-
nhora, Dr. F. U. de M. Rego, Dr Ermano, fr.riio
de Mamanguape, Antonio G. da Silva, Francisco R.
de Paula -"alias.
Chegados dos portos do sul no vapor iugi.z
B yw :
Biriio de Santa Cruz, Dr. Pedro A. Ferreira J.
M. Basto, Joao P. de Mello. J. P Nee, G. H.nrr.a-
eher, Salvatore Biage, G. Saane.
SatiiJos para o Rio Grande do Norte no hia
te Ftor d < Jardm :
Jose D. de Oliveira, Julio F. de Azevedo e D.
Joaquina Isabel Maria da Apresentacao.
Sahidos para a Europa no vapor porlugu z
Almeida Garret:
. Augusto Cesar de Abreu e sua senii -ra e d as
(llhos, Tufrasio Pereira T. de Mello, fdalina Maria
Jos Santos Santiago, Anna Rita Vieira, Antonio
Ferreira Br.iga, sua souhura e 2 filhos, Jos6 Pedro
para a Europa no vapor inglez
produeto, porque sendo es
vapor dnglez Boyne trouxe
5d:080000
3,000
1:800*000
40:000^001)
10:000 dOOU
7:3004000
7:00 i*i)0 i
5:f55*it00
4:9024975
4:3035491
4:001)*0)o
Duarte Callada, Anlonio de Souza, Jose Jorge Fer-
reira, Manoel de Oliveira Vaz, Joao Franci.-co de
Melli, Joaquim Ribeiro Arrabalde.Jose Dias Viei-
ra, Ignaeio Ferreira de Matlos, Florinda da Es.rel-
la, Francisco Pi nio dos Santos, Manoel Marques la
C sta, Raphael Clara y R.raero e Manoel da Silva
Loyo.
-- Siliidas
B 'i/ne :
Vegelin Keller, Beato Jose de Macedo Po-.as,
Jose Rodrigues da Silva, Antonio Ferreira Gomes
e sua senhora, W. Ealliday e sua senhora, Simao
Saraiva da Cunha, Rente Rodrigues de Souza, H.
Lndgren, Ant inio Bernardino Vaz de Carvalho, F.
J. Harding e sua 3enhor H Bitchard, Martha
..Marsden, Jose- Joaquim Teixeira Antonio Fr: n-
cisco da Silva, Quiteria de Almeida, Dr. Luiz de
Carvalho Paes de AndraJe e sua senhora, J .aquim
Narciso da Silva, Luiz Pereira Goocalves da u-
nha e um raeni o, A. Jacobsen, A. M. Leuz, .VI. de
Souza B. Leal Castollo Braneo, Justo Albanu Ch ,n-
banbere, Jose Fernaades Pogete, J. Francisco tla
Silva. H. P. Powell, G. Alliaadro, N. laffroU, M.
Salviola N. Imfr, ta, B Im'roh, V. Lnfrota, Blaise
Menervino, Arciere Anlonio de Ueheile, )'. Pietro
Paolo, N. Priaute, Aul. nio Francisco Pugliese, M.
Mary Herding, Ibert Gheury.
Cemltevio publico. Obitoario do dia 27
do corrente. :
Maria do Rasario, preta, Africa, 104 annos,
mandada pela policia ; falleceu de velhice.
Maria dmCarmo e Sauza, preta Peraambuco, 0
annos, solteira, Boa Visla, asvlo; phlysica pal-
monar.
Maria, parda, P<.rnambuco, 2 annos, Sanlo An-
tonio ; deutieao.
Julia, brsuca, Pernambuco, 5 mezes, Boa Vista ;
eonvulsoes.
Maria, parda, Pernambuco, 3 dias, Graca ; eg-
pasmo.
Pedro, pardo, Pernambuco, 2 1/2 annos, Recife ,
variolas coufluentes.
Auna Josefa de Almeida, branca, Pernambuco,
32 anncs, casada, Una Vista ; hepatite.
Manoel, pardo, Pernambuco, 3 mezes Recife ;
enlerite.
Sebasti.io Bartholumca Rocha, pardo, Pernam-
buco, 36 annos, casado, S. Jos6 ; erysipela pha-
lygmonosa.
Thereza de Jesus Araujo Motla, branca, Bahia,
"4 annos, viuva, S. Jose ; erjaipqla.
J anna .Maria Antunes dos Santos, branca, Per-
nambuco, >:0-annos, casada, Recife ; fibre per-
nicirsa.
Joao de Deus Gon;alves Vieira. preto, Pernira-
bnco, 33 annos, casada S. Jose ; convulsSes.
Julio C Paes Barreto
Thom-.z de 4. Ponceca & Z. (sac-
eessores) 4:000^00:
Luiz Antonio Siqaeira 3:8*8*8-8
D.'uiHgos Ferreira -Maia 3:0l*0 l>
Souza Junqueira ^ C. 2:801*000
Pereira Vianna & C. 8:000* 00
Keiler & C. 2:000*000
Joao Ramos cs Michado l:862i0O0
A. Hyvornat a C. 1:400*000
Carvalho^ Nogueira lt**506
Jose Diiarte das Noves {t278*l0;>
A. L. de Oliveira Azevedo 4 C. Iii73*OJO
CarvaPio, Pereira Gusmao & Leal 1:000*7)00
Antonio Jose Ferreira Monteiro 800*0JO
Dr. A. Franciso Nngueira 787*000
Jose Rodrigues de Souza 740*001)
Thead.ro Christiansen 7I'*000
David Flois 500*003
Floren:io Domingues da Silva 300*000
Ricardo Ferreira de Faria 400*000
Antonio B. de Castro 130*000
CungrpKso XJtlerario. Quinta-fei-a
(^,0), reunir-se-ha esia sociedade, as horas o no
Ingtr do costume.
Ordem do-dia:- l^'paile,disanssia, d* thes=;
Tern jutiQaAB a mnrtandade oceasianada pela
intoleraacia religiosa ? ,
2* parte. Discassao da these : iQaal a me-
Ihor forma de eleicao a indirecta, a directa ou o
suffragio universal ?
Reelamai-ao.- fi' tempo perdido.) wt*)
va: mjradores da rua V'isconde de GoyannaipBi
dem-nos que reclamemos contra o e-tado a qae
ehfgou aqaella rua em materia-de ropoeallientos
d'agua. lama,immondicia,etc., etc.iAhi esia. Ve-
remoa o que eonseguirao.
Maaicau- A'livraria fraaceza, da rua Pri-
meiro de Marco n. 9, acaba de chegar pelo Ville-
de Santos, a 4' edicao das quadrilhas Beraditas
Lagrimas, bonita compoaicao do professor Fran-
cisco Lilioso : e irem por ellas
cm agiiio do llnKes do Baasii
aaatao Pern Racomuiendatnos a lailara da
dua cartas do Exm. Sr. harao de Tbfld, chefe des-
sa-nnm mssao, interessaol** por mais dfl.umi litalo.
Pataldatle deidirtlto doRprifp,-
No-con-ente annoi.leeiivo- adiam-se i malricn*ade<
258 alomnos, sendo 47_do anno, 66 no 2,'<47
o3,,ti'8>qw4,a'HOno 5-, '-assmj: divididog por
suas mduraftdadeg;
1 arno.~ 13 da Itoaia, 3do-tiaalsjr, 16 de -Per-
nambueo, 2 das Alagoas, 1 do Maranaioi iiit
Sargipe, 3'dCaara,, lidtf Mo Graade do of, 3 da
Parahy ja, 1 de S. Paolo a 1 dm'Para.
> arno.io'de Pernambu'/i, 15 da Bahia, 5 do
iranaa a composi^ao ckimiea do assuear, pas^adi
certo tempo eutra em dccumposiclo, cxninuBican-
do este estudo a tado o producto. Naa poJendo
nos reso-vera qaestao, eul#egamo-la a apreciacao
da sciencia, que deve e-tuda-la, porque se pren
le aos interesses do primeiro ramo da nossa la-
vottra.
t Dep iis dessas considera^oes, pelimas aosnos-
sos fahrieantes de assuear queabandonam p-irmna
vez o pre, aro de>te rppugaante asinear raspadu-
rado e ainda escorrido, que vemos-passar lodos os
dias em soceos, sobre os quaes vai ferveodo nnia
espuma Ihfectae.repulsiva, vendendo-se por 400
e 500 rs. ,aia arroba. Os negociantes devem
tambem repellir do eommsrcio, o que e de iule-
resse para todos e bem again para o credits do
munieipio
Facam o assuear pur.-ado, ecorao aseireams.
tan Mas peenniarias de muitos nao Ihes deixa es
perar, nao lewem ale i ponto.de ficar braneo, po-
rcm escorram ate que lique braneo baixo : e do
proprio interesse dos lavradorcs e dos negocian-
tes, aie que se introdazara novas processos para o
fabrico desse pruducto que faz a nossa riqueza e
hoje tao depreciado, p ,r causa da eoncurrenoia
de prodactos superiores.
a E j or ism que se queixam, ans do governo
nao iotervir em-ludo quanto e tendente a me-
IlKfameutis, outros-do governo em tudo. A ici-
ciativa jiarticular Jeva precedur a do goverao,
os prejadicalos s5o os qua devem procurar
rehalalilar e, removeado as eausas do mai e
eniao recorrenlo aos poderes competentes, ex-
por-lhe seus recursos, suas pesquiz; s e seus re:
sultalof, para que elle de as providencias ntces-
sarias. >
Cuaaclho suprccno ntilitar dejus-
lira. No dia 20 do correnf, sab a presideocia
do eonselheiro duaue de Caxias, ecom assistencia
das caaselheiros de gncrra Bilteneonrl, vinemde
de T.-imani'ire, barao de Ilapagipe, De Lnmare,
visconJe da Santa Thereza, Soares de Audrea,
barao de An^ra e conseliieiro vogal Beaurepaire.
foi aberta a sessao. O conselheiro secrelario de
guerra leu a acta da antecedent, que foi appro
vada. Assignarara-se seta consultas, e 'diseuti
ram-se nove qae foram approvalas.
laitcria do Rio de Janeiro. Resumo
da Bsta da iO* lateria (503.-1) em benaficio do
hospicio de Pedro II, extrahida a 21 do corrente :
. 1798.................... 20:0i)0000
N. 3447..................... 10:300*000
N. 3*64...................... 4:00:tfOOti
N. 1182...................... z:00t)*00U
.Vs. 1233 e38261:000* a cada um.
Ns. 1398, 147.1, 37-lBeVN67-81IO* a oada um
Ns. 00, 166, 329,'113-5, 3221, 3265, 3283, 3327,
4343 e4751 -200. a-eada am.
. a.-80l,'-9<)2f 948,' 1650; 16.7, 1911, 1917,-22*9,
2220, 2340, 278), 2806, 4311, 3285, 3304, 3438,
5631, S8l6/-5884i 6(5931 100* a cada um
Ns. 56, 225, 448. 471, 341, 675, 935, y7(, 1024,
l 1376, 1539, 1559, 1362, 1380, 166', 1681, 1811,
1845,'1831, 20:3, 2023, 2081, 2097, 2390, 2835,
"0*7, 3151, 3330, 3636, 3711, 382*, 3837, 3936,
1039, 4277, 4384 4389, 4427, 4528, 4334, 4624,
4680, 4771, 320', 5130, 5389, 3327, 3609, 3S90,
3828, 5S92 e 5916-40* a cada am.
LoteriaA que se acha a venda e a 97.* a
oenefieio da igreja de S. Goncilo, a qual corre
hoje, 29.
i.eiifto.Hije.';J9;pffitiia oagente Piato o
leHao de fhrinnaTle tr ga/eonr/trrae esiaannunaia-
do para o armazem djs Srs. Tasso Irmaos,- eae.i
do Apollo.
Outro. -.Sesta-feira, A> de maio, deve ter lu-
gar, par inlervoucao do mesmo ogentP,o lailaodas
dividasda mas-a fallida de Bastos & -Lemos.
Aiada em freute a evmpanhia pernambu-
cana, vender se ha ha,a as 10 1/2 horas da ma-
iih.i, pelo maior pcecotque se oati er, uma barca-
ca para 600 saccus, seudu muito bem consiraida a
qua se acha em perfuiio eaaUo da cooserv ican..
A barcaqa acha:se atraeada ao caes onae tem
lugar o referido kilio
- Hoje, effe.tua tambem o agente Martins, as
II horas do dia o lailao da tiv-rna da rua iVireiii
n. 72, hoje Marcilio Dias
Casa de detencao.Movimento da cas*
Je deten.ao do dia 27 de abril de 1874.
.Exi*t*anWiH exts'ira :i42.
A saber :
Naciiajfs 2d8. 'molaeres 9, astraageiros,26.
daoravos 36, esenavas 3 --Total 342.
'A-MiBtEtAdos. a ensta alo8-ptre publieoa 282.
Tiveram baixa :
lose Emilio, asthma.
SebasiiSo Gorreia da R'oh.i, diirrhea. ]i
Teve alia :
Paotaoa Maria da Coaceryao.
Hospital Pedro n.-Oaao^imatitodaste-lda a'seiu.
e*tabelaeaento,'de 20 ao dia 26 deafcriUe<1874 [ De Pao dos F*rro'. -AppeHao'te Luiz do B^go
foi o segninte : Leite, appollado Domingos Affonso Botelha.T-Des-
ExistiarD 360, entrarara 03, sahiram 41, falle-1 prezados os emhargos.
*mmsK& mmmmmi,
I utliil VAL A RELAClO
SESSaO DE 28 DE ABRIL DE l$74.
PRESltlENCIA DO EXM. SR. COXSELUEIRO C*E-
TASO SANTIAGO.
Se-retario Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manhS, presences os Srs. <)e^
embargadores Silva Guimaraes, Lourenco Santia-
go, Rets e Silva, Almeida Albuquerque, Motta,
procarador da coroa interino. Acci di, Domingaes
Silva e Souza Lean, abrio-se a sesgJo.
JULGAMB.'-TOS.
Ap pel la roes crimes.
Do Sabral. -Appellante o promolor, appellado
Jose Alves Ferreira Cl ibassa. -'mprocedente.
De Alagoas. Appellante Manoel Ferreira Pioho,
nppellada a jastica.- Improceiente.
De Quixeramobim. Appellante o juizo, appelli-
dog Agostinho L ipos Bezerra e oatros. Improre-
dente.
De S. J se do Principe. Appellante o juizo, ap-
pellado ^iinSo Gomes de Soaa.A novo jury.
Do TnipiL Appellante o juizo, appellado Anto-
nio Francisco de Souza.A novo jury.
Do Crato. Vppallante Antonio Gtimeg Campos
Petio, appelladaa jastica- Reformadaasenten-a.
De Sam'Anna.Appellante o juizo, appellado
Tibareio- Valoriano da Silva Tavares. ConQrma-
da a sentenca.
Do Caoo.Appellanie Joio Paes -Barreto Lacor-
d i, appellado J,se Carneiro de Carvalho da Ca-
uha.Conlirmada a sentenca.
De Paula Alfonso.Appellanleo juizo, appellado
Mano' I Laiz, escravo.Improcedente.
J3 Granja.Appellante Jose Ferreira de Araujo,
appellada.a justica. Reformada a sentenca p.ra
o minirao da pena.
De Bezerros. Appellanto o juizo, appellado Va-
lentino Jose de Sani'Rosa. A novo jury.
Appellacfies civeis.
De Garanhuns. Appellante Francisco Ferreira
do Naseimenlo, appellado Manuel Jose Mendes
BastosConlirmada a sentenca.
De Ipojuca. Appellante Joaquim da Silva Cos-
ta, appellado Luiz Gones de Moura. Receberam
os embargos.
Do Reeifa Ap. ellanla o gerente Ja c-ampauli i
do gaz, appellada a companhia da Uilhos urban is
de Olinda.Canlir.aada a sentenca..
De Olinda.Appel'ante J iao Goacalves Torres,
appellado Felipna Manoel da Christo Leal.Das-
preza Jos os embargos.
Da Fortaleza.Appellante Jose An'onio daSr.i-
za, ap,i-'llido Haymualoda Costa B.-avo.Aoaul-
louse o processo.
Da Independpncia.- Appellante Loureq;o Velbo
Gordeirode Mello, appellados herdeiros de B.raar-
dino Freire de Mendonca.(]on6rmada a seutaaca.
De S. Miguel.-Appellante Bellarraino Piatoda
Araujo, appellado Franci-co Xavier de Albuqaer-
que Maranhao. Nullo o prcesso.
Do Sobral. Appellanto Joaquim Farr ira -da
Ponte, appellado Manoel AHon-o da.AquimxiAlbu-
qiierque. -Receba am os embargos em dedawclo.
D'Ait5*--r Appellante Antonio Francisco da".Sai-
l's Pessoa, appellada Thereza- Maria de Jesus.
Conflrraada aseten^a.
Do Bonito.rAppelJan'.e baehar-1 Nabor Bezerra
Caraejro OvaJfante, appellado Manoel Felippe de
Mello Lin?.Desprpzaram osambargo*.
Do fip.ea'e.-.App -dlaald- AaJojpJailteorHue Rodri-
goeg, apKllado, Luiz a SUva Ferreira. Refarprja-
c


JMWd-'dePemamDneo-*- Qnarta feira 23 tie Abrihde W74
*"

i
1
Appellacdea comrnerciao3.
BRocif.'.-.vjMk|Mfs aapjHWhi aea*;ii-
Ma <1; sogctj***(* Aoto*oT>B#te S-rthi-
do. -Julgou-se a* dosstencia.
Do Recite ^-ApptMatitei1 Pareira 'da Onfu &
irmao, aapeJIadjs ailministradoras da massa d
Martins embargos.
Dj ReciTa. -Appellante Jayrae Eucas Gomes da
Silva, app-ifl'idoj reronjinJ Uelzuc a oatros.-D.>s-
preiados as embargo*.
Dj Rwife. -Appellante Moreira & Pinto, appel
lado oi curadores Ihcios da massa da Francisco
Jose" da Costa Guiraarae s. -Coofirmada a sentenea
(Jaeixa de Praaciso de Paula Carneiro Uchua,
contra o Br chefe de policia Francisco da Paula
Corwa do Araujo Jaizes os Srs. desembargadores
Almeida Al juquerqae, Loureoca Santiago e Reis
e Silva.-Iavproecdimte.
IUS.SAGKNS.
Do Sr. d^embargador Silva Guimaraes as Sr,
desembargador Rei.-* e Silva :
Appellaeao civel.
Do Recife. -Appellante o juiio ax-olllcio, appel-
lad* o priiu faf<|f in), por sun cuxador.
9j Sr. *;*:#>-gd ir Louronf) S.iuiagi ao
Sr. destoBargaior Hois e Silva :
Apooilae*es crimes.
De lugazaira.Appellante o juizo, appollado
Lull Ferreira da Silva.
driguos Brax, registro^do seu c-mtrato.Effertnejbr do fome a tadaquanta nao e protmciano (tjue
6 fptro ptdjdo, na forma dt decrelo a. 4,391' Pena t).
Aquino Fonceca e Joao Ferreira dbs.
De Joao de Aqu
Saatos Junior, rep'stra do diatrato da soctadade
que fiverattr.Nh farms reqiieliila.
parecer ii-ci
Nada miillfcveai) a despacliar, s
conselheiro presidents encerrou a
meio dia.
Exc. o
sessao
Sr.
ao
De Bom Jardim. Appellanto o promoter, appel-.
lado Joao Francisco Xavier.
Da Victoria-rAop{l.itf'Joi]aim Antonio da
Silva e oatro; appaUada a Juti?a.
Do Sr. desemtmtwador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque :
AppeHacdes crimes
Da ladependeucia. Appellante o juizo, appella
Ai Jovino Coelho da Cunha.
Do Liraoeiro.Appeibnte Jose Vieira da Silva,'
appellada Ijoacio Karoosa da Silva.
Da finperatrU. -Appellante o juizo, appellados
Joao Marinho da Silva e-ootK.
Do Filar.Appellante Bernardino Rodrigoes da
Albuquerque, appellada a jusliQa.
Di A Mananno Jose.
D Bonilo. Appellante Cyri.ico Jose da Silva,
appellada o juizo
De Qaebrangulo. Appellante Joajnina Cws-
taneia do Prndo, appellada a jutija.
DoSr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargad >r Rei- e Silva :
Appellaroes civei*.
Do Recife.Appellante Corbiniano de Aquino
1'oaccca, appellado Lull Clementiuo Carueiro de
Lyra.
Do Aracaty -Appellante Raymundo Carlos da
Silva l'ei.vjto, appellado Manoel Hirculano da
Cunha.
Ao Sr. de-embargador Molta :
Appeliai.ao civel.
Do Recife. Appellants Robarlo Caroll e oa'ros,
appellados Joao Can.ll e ou'.ros.
Ao Sr. deseniUargil .r Ae.:ioli :
App;llieao crimj.
Di Pedras !; f'og>. Appellante o juizo, appel-
lado* Minoel llodngnes Tavares e outros.
A Sr. dese n i irgtl ir Souzi Loio :
Aopellaclo civel.
D Recife.-Appefrnrte Jose- Dias Guimaraes,
appellado ba.Marel Joao Pcrrelra da Silva Guima-
raes,
Do Sr. desembargador Molta ao Sr. desembar-
giior Accioli :
AppelhcSo crime.
De Itamb^. -Appellante o promotor, appellad
Francisco Ignacio deSalles.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar
gad or Djoiingues-Silv.i:
D) Recife.Appellante oDr. curador de auien-
te, appella lo padre Albino do Carvalbo Le-sa.
D) Sr. Jesembarga lor Do:ningu;s Silva ao Sr.
desembargador Souza Leao :
Appellaroes crimes.
De Bom Conselno. Appellante Francisco l'e-
rein ie Lyra, appellada ajuslica.
D; Baaaneints. -Appellante Jo;e Bernarlo M*
reira, appellada ajasiica.
Apnella^So civel.
De Campina Grande.--Appellante a parda Ale-
xaadrin;', por sen curador, appellado Jo-e L-iuren-
co Porto.
Do Sr. desembarga lor Souza Leao ao Sr. des-
desembargador Silva Guimaraes :
Appella cSo crime
Appellante o juizo, appellado Jo^o Pedro de
Oliveira.
Ao Sr. dese nb irga I ir I.oureaco Santiago :
Appellinio civel.
Appellante Pelippe da Cunha Soato Maior, ap-
pellado Manoel Joaquim Duarte Guimaraes.
Diligencia crime.
". Sr. desembargador prom>tor da justica :
Do Baiqae.-Appellante Pedro Targino da Go-
nlia Sampaio, appeliadi a ju-tica. '
De Podraa de Pogo Appellante o juizo, appsl-
lado Visente Ferreira da Silva
Da Pao d'Alho. Appellante Manoel do Mello
Paleao, appellada a iustica.
Diligeaeia civel.
Ao Kxra. 5r. desembargador procurad)r da co-
r6a :
Do Acaracii. -Appellante Francisco de Sa Lel-
tao, appellado Manoel Ai.tonio de Vaseoneellos,
administrador do itatrimonio da capella de Nossa
Sen':ora d Conceifio.
Asaigoou-se dia para o jnlgament) dos scguia
les ieitos :
Appella ;oes civeis.
D'Agoa Preta.Appellante Jose Affjnso Ferrei-
ra, appellaato F'.'lix lo=e da Hora.
Appellaeao commercial.
Appellante Ta-so Irma\>, appellado Joaqaim Se-
v riano Nogueira.
Appellaroes crimes.
De Palmareg.-Appellante Antonio Thomaz Pe-
reira. appellada ajnstica.
Kncerrou-se a se^sio a 1 hora e meia da tarde
PASTE POLITIGA
cisse eonsista o opposjcao da Provincia e
estao as suas carradas de razoes contra as
prin'eipaes autoridades da provincia actaalmento.
Ta'aiiunai de co:aa">u AGrA DA SKSSAO DE 27 Dlt ABRIL DE
187i.
PaESIDBHCU 00 EXM. SR. CONSELHEIRO ANSKLMu
rltANCISCO PEUETTI.
A's 10 horas da manna, presentes os Srs. de-
putados, secretario Oliato Bastos, Lopes Machado,
Alves Guerra a supplente Sa Leitao, S. Exc. o Sr.
conselheiro presidente abrio a sessi8.
Foi lida e depois approvada a acta da ses-
sa i de 23 do cot rente.
EXPEDISNTK.
U.lieio d > seeretario do tribunal do commercio
da capitil do imporio, remettendo a rela;Jo dos
c immerciantes matrieulados naquellc tribunal
darante o mez de raar^o proximo passado. -Man-
d if. se arehivar.
OHlcio do presideate e seeretario da junta dos
corretores, remettendo o boletim das cotacoes
oOciaea da seaiani de 20a 23 docorrente.Para
o archive.
Oalcio de GonQalo Jose AUon^o, remettendo em
resposla ao officio do tribunal, de 21 do correnle,
mai< ii cadernetas manuaes.O tribunal mindou
a secretaria para o; fins couvenientes.
K >rain dislrioui Its os livros seguintes :
Diario de V. Mutta & C, copiador de Jeronymo
J >aquim Fiuza de Oliveira.
DESPACBOS.
Requerimentoa :
Do Silva Guimaraes & C, soliciUndo baixa era
a uomeacao de seu ex-caixeiro Manoel Alberto
Silva. Como reqaerem.
De Francisco Jo3e de Barros' Junior, pedindo o
regisiro da sua numeacio de caixeiro despachante
de Silva GuimarSes & CDeferido.
De Joaquim XLxiraiano Pestana, nreposto do
agente de leiloes Jose Maria Pestana, apresentando
o conhesimenlo do seu impostc para ser registra-
nt Retjistre-se o conheciraento junto, que depois
sera entregue ao supplicante.
De Jose Thomaz da Silva, submettendo a regis-
iro a procuracao por elle passada.Seja regis^
trada..
De Saanders Brothers & C., requerendo o re-
gisiro da procuracao que apresenta Na forma
requerida.
De Miguel Jose Barbosa Guimaraes, trazendo
para registrar-se a procuracao que lbe passou
Jose" Luia Ferreira Ribeiro.-Proceda se ao regia-
tio pedido.
De Paulino Jose da Costa Amorim e Eduardo
Augusto Igoacio Moreira, satisfazendo o parecer
fiscal para ser registrado o sea contrato. Na for-
ma pedida.
De AmaraL, N'abaco & C sujeitando a registro
a rnovacao do seu conirato social.Informe a se-
cretaria.
Informal^) da secretaria, trazendo ao conbeci-
mento do tribunal que o ex-corretor Goncalo Jose
Alfonso nao apreseutou um protocollo que foi sub-
mattido a rubrtca em 12 de dezembro proximo
passado.0 tribunal resolveu que fosse exigido
tal livro, porqae se estiver em branco Ihe aera de-
vokido.
am o pareciib fiscal.
PeticSes :
He Jose Bodrigues da Silva e Josfi Joaquim Ro-
PA9ITIOO CO.KSEIIVADSa
RECIFE, 28'DE ABRIL DE1834.
Nao ha davida ;*> ,rei reina, governa e aimi-
nistra : e esla a trisu seateofa, uae foi lavrada
contra o paiz, e que a exlrema loug'animidade dea-
ls tem ale agora podido cumprir.
e Deus queira, poiera, one o future historiador,
ao voliar a pagina d t humilhauto bistoria- detojt,
nao lenha de eserever : o rei nem aduiiniiKMu,
nem gcvernou, nem... reinou I
Esses liberaes prowac/wnoa nao perdem o vezo
que Ihes e peculiar, de auribuirem ao Imperador
a respoasaliihdada das evolucoes da pohtica do
paiz.
E' de nitar, porea,^que.4>XUado poder pitseaL
apreseula iiileruiitleacias e desoreve ami ortrita
deaceao, quo merece ser apreeiada par lodo o
paiz, a qaem estao seodo oo.istautement) denun
oiadas as suas aberraedes.
A abase pessoal comeca justamaale' aiiaMnwil
quando se apaga no Uj>ri irella de gloria do pretenso parlidoliberaL
Deado essa epoua tfatal cdine.a o roi a reinbr,
goceimar e administrav I
Tnisle senten$a qus fji latrddt c mtta o paiz
e que a exlrema longaiutuidadi1 deste lem,ateaga
ra, pedido cumprir I
NaQ h'aja davida, o paiz foi seoteneiado polo pa
der ptfsoat c tera de ser irreinediavolmaute exe-
ca'.ado, se Ihe nao for perdoada a fanesta o injns-
lissima pentenca, Ormada nestes termos :
Cmtitnia a cxtentar se semeliiante poder.
quando recnilieeida a iuadiabilid ule das ref.ir-
mas, permaneee proscripto o partido, que as ma-
tt crevea em sea programma, e ijue, unioo as de
i ve e pode realisar, o comiuette-se a sua reali-a-
cao a um grupo oriundo do proprio parti io, que
sempre as combateu e que as re:4elle.
Conseguiuleineute, dasde'quefor Isvaniado o
interdict)----da proscripcao dos sot at unit li-
beraes da nossa terra, desapparecera tambem co-
mo por encm o, o regimen do pessoil poder, inaa-
gurado no paiz ; a- urgentissimas refonnas ser.lo
realisada^ ; o mel e o leite hfio de correr iuexaa-
riveis das olnieas Jiberaos e das gordas vacjas
dos sonhos d: Jo-e ; em uma palavra :
JV-icms a6 Integra uculorum nascitur i tin.
Mas proh ddor Quaiu ha de realisar o milagre
da ;isciMi(;a i d is ehafos da synag >ga liberal r
0 paiz, ha muito Hies tem voltadoatf coa.is ; nao
arrcJiia em suas promesaaSi lantas vozbs illuJi-
das, nem no seu liberaliaaio, nem siocari lade, aom
patriotismo
Esta conseieacia tem-na tambem eiles, os libe-
raes chefes, classe qae se intilula direetora de um
partido, que deixnu de existir, principalmente nes-
ta cidade, onde fugiram para o Club Ponular os
sous cabos, os mais dostemidos e aaiestrados : to-
cou a d.-ban-Jala e la se foram assenur as suas
le das em outros sitios e jurara bandeira de nova
fe politici e relipiosa. A i^rajinba da rua do|Qaei-
made foi ferida de interdie;ao maior, e os seas de-
votes p'estam hoje ezelusiva obdiencia aos miaia
tros da seita Uanganelli.
Qaanto mais se distanciam do poder, esses che-
fes do liberalismo, (juo o paiz habitaou-se a ewa>
siderar eomo bnrigadis, tanto maiore a faria,
com que iuvesteta co lira o magnanimo monanba.
a qae n exelasivamenie attribaem lidos os paan-
tasiados moles, qneeafermam o naiz.
0 mais extrairdinario e.qae, dictanii-lhes a
con- sivelmente condemnido, procuram disfarear o me-
recido castigo, assacando a paasoa inv'olavel as
mais acerbas recrimina;oes, como so fftra eu a
cau*a occasional do seu discredit j e verdadeira
desraorahsacai peranteo paiz
Entretanto accusara o imperante justamente por
laes razSes, quaes nao podemdeixarda sascitar os
mais vnceros louvores e meNteidos applauses.
0 imperante pode, e verdade, e deve rhamar a
suprema adiuinislracao do estad > os cidadaos mais
aptos ; mis e esseacial qae sejam eates como qae
evocados pelo voto da publiea opimao.
Em um governo representativo nan seria licita
a e-collia arbitraria dj chafe da nagao, con'orme
letejam o ciietea do liberalismo, para regerem os
sen* de-tin k.
Uma vei manitestado esse voto nos eomicios po-
palares. e ja-to qu s s Ihe Eribuift a merecida ho-
menagem, s..l> pena de ser deanaturada a prupria
indole do systama representativo.
A asceocao oua qaeda de um pirtido politico
nai depende, pois* do arbilrio oa do capricho do
poder moderidor, como uiaievoiamente insinuam
os liberaes proviictancs.
E' exaclameute pir terse conservado fiel as
prescripcoes da oonstitnicSo, qae o m marcba bra
sileiro ve*-se c nstaalernente ceasarad) por esses
dy>colos liberaes de indebita interferencia nos ne
gocios publicos.
Sabein todos que desde a memoravjl epoea da
lihertacao do ventre escravo, os liberaes da ms terra cahiram em um estado de prostrajao e qua-
si aniquilamento ; e assim devera ser, desda que.
obliterando os mais nobres sentiraontos, CiTreram
a arena da discas-ao para dnrem combate a gran-
de lei regeneradora.
Vencidos c derrotados ao proprio terreno da da-
mocracia, retrogradaram visivelmente aos olnos
do paiz, que para logo conderaaou-os a um mere-
cido ostra-ismo, o que e muito natural uas gran
des evolucdes da vida politica de todds os paizes.
0 parlido conservador, que nao tem medoda li-
berdade, proseguio com patriotico empenho a sua
missao nobre e civilisadora, rasgando novas vias
de prosperidade o de engrandecimento e provou a
iuz clara da evidencia, que emquanto os seus ad-
ver.-arios discatem as palavras sedactoras de li-
berdade e reformas, realisa elle os indispeosaveis
melhoraroenlos qae o paiz reclama.
Se os chefes, quo ja foram do partido liberal,
desejam r.egenerar-se que se devotem com since-
nlade a cansa nibre da patria, que nunca dji-
xou de remunerargeaerosamenteos seus predilec-
tos fllhos.
A tactica sedica de qae o rei governa e admi-
nistra ja nao colhe servir de capa ao desraereci-
mento e publico abandono do paiz pelos pretensos
patriotas.
A senlenca esta, pois, lavrada nao contra o paiz,
pois que 6 este o joiz unico e inflexivel q ae p6de
lavrar a sentenQa contra os mesmos patriotas.
Se nao emenlam estes os seus erros e persistem
impeaitentes em sua politica de egoismo, de bal-
de tera a esperar que um governo pessoal faca o
milagre de rehabilita los no conceito da opiniSo,
que tanto obliteraram e escarnceeram.
Desde que cssa opiniao os abandona, e inutil o
recurso, que interpoem para o rei aquem nao e
licito divorciar-se da nacio.
Ultiraamente tem a Provincia se consagrado ao
ingrato labor de accommetter ao Exm. Sr. presi-
deate dajprovincia, o commeudador Lucena, e ao
Illm. Sr. Dr. Correia de Araujo, digno chefe de
policia, pela narracao mentirosa de lactos clam >
rosos que attribue a policia, com o unico intuito
de dar pasto a sua mania accusadora.
0 Exm. Sr. Dr Lucena, a quem os provin-
ciano3 querem tanto mal, escudado nos seus mui-
tos actos, todos dignos de encomios, despreza es-
sag accusacSes infundadas e so filhas do odio, fi-
cando bem com a sua consciencia que Ihe teste-
munba soeego e traoquillidade por bem cumprir
es seus deveres e trabalhar pelo engrandeeimento
desta provincia.
0 Dr. Correia de Araujo, auxiliar intelligent^ e
acUvo, que tanto tem cooperado com o Exm. Sr.
Dr. Lucena, em uma das partes mais importanies
da administracJo publiea, ente borbulhar Ihe o
desdera n'alma, quando preseneia o modo gros-
seiro, insultuoso, porque sao julgados os sens ac
tos e e apreciada a sua administra;ao, que diga-
se com f.anqueza, tera roereeido o apoio da pu-
bliea opiniao, que o respeita como um magistrado
honesto, prudente e sympalhico por seu proceder.
Entenden a Provincia de si para si que devia
ultimaraente abusar da boa (6 publiea, referindo-
lhe como factos aconteeido*, puras crea^oes de sua
morbida imaginacao.
Os provincianos, toraando muito prcpositalmen
te a nuvem por luno, nlo merecem timplesmente
o nome de Ixiom. Outro nome os qualifioaria
raePior.
Cada ebrio qae cahe em uma das calcadas das
ruas da cidade, cada accommettido de delirium
tremens que se en:ontra prostrado nos passeios,
6 proclamadu logo pelos provincianos como vie-
dos, ma>sitarn, rosnatb, proferindo um torpo et
pur se mttcve, verdadelro antipada do sublime e
pur se muove do immortal GalUeu.
Sao cabejudos os pivvincl4.has I
E o qae fazer com um eabecudo quo se nao de-.
meve do|tt)pMS6 de peraewrar no rro ou anles
na mentira, medianic consideracao alguraa ? Dei-
xa-lo que pfoaiga sett carninho, convencidos todos
quanlos o wan do triate papel que representa.
E' esse o pipe! que represealam os provincia-
nos, sem duvida alguma.
No entretanto indaguemos qual o motive, que
lovou a Provincia a levantar a lebre, que tanto
Hie tem dado b que faier.
Quem o havia dizer ? Isso de malar gente a
fome no quartel de policia e cousa do tempo da
Oajfanta lua, por raetempsychqse incarnada nos
pretHneimtol' 'Quo- o digam los c*roniaas da-
qm-lla epoeha e os proprios provtnciaBOS, que
tab fieis se d:zem ser a verdade historica.
Eis, pois, a razao da cousa.
Oj prqvincinnos, que estao ^ciontos e con^ciea-
tes do como se mata gente a fome no qoartel de
policia, aproveitaraiQ a^oraa propria Bxperioucia,
p'Oiido a a s.rvigo coutra os actuae^ presid'CDtee
ctefa de policia, ficrr ra^io de invehcSas qup elles
sab'ein nao ser inverosimeis, porque, com toda a
empaase dizem os hoincns la ctim-igo, u^d p61e
ser in'.-,>ri)5'nnil um facto'do que lia Bxemplo.
N5o defxam de ser calculistas es^es Sn. pro-
vmciunos t
lina Jersey e D. Olindina Jersey, a Imitlem se edu-
candas mediante.a pnsao mgnsal de 40i sam
BI^s lutra despeta, fe-aprendftn: liagoa nacionjl,.
mglez, francez e italwao,/aWar, nunvene trada-
r; geographia. arithmctica, historia, piano, dan
fa, musieac desenho; toda a especie de bordado.-,
e os melhores principjoa da religiao chfista No
laleriur do estabelecimeuto falla-se somente fraa-
ccz, e e iucompaltvel o profo*sorato do sexo mas-
cuhno.
911
BiMMS^^-VEfiiDB.
1baiuaingiifi-pe.
COMO 0 SR. JUIZ MUNICIPAL DK liXMANOOAPE M\NBL
juvenai/ nouaaroEs j iuva, aomi.mstba jus -
Tig.v.
VII
So iDa/nu'a a. 86 ue sgxtu fa ra, d7 >Ai correnle.
inais uma vez exhibio se o Sr. Manuel .Juvenal R>-
drigaes da Silva, pretendendo defender-se das
censures que IQB lemos dirigido quanta ao seu
procedhuenio em relacio i falioOCia de Pedro Lopes
de MenJonfi, negoclante dajuella cidide c.que
deve na.i poquenas qaaatias a diversot desta pra-
ca, os- qae so Mvferega dado aa trabalho de ler
nossos artigos hao'deter vtskrque alii na verda-
de se narram factos quo muito compromeltem a
respon^abilidade daqnelle juiz,. mas a lingnagem
de quo nos temos servido bem^longe esta de reve-
ar o prop sito da iajoriar eiasnltar aqaelle Sr. so
pelo prazer de inolestal-o, com qaanto um soar*
tigo nao tenha sidu pablicado cm sua defeza, em
sea n me ou sob o nome de o.itrem, que nio con-
tenha muito ia-ulto e desafuro I
Ag ira mesmo em propria pessoa o Sr. Juvenal
u dor, traicoeiro, artigx nnjent's vendidos a peso
de ouro, alm-i pustulnsa, etc., etc
Por aiii so avalia do caraeiere moderajao da-
qaella iuiz I E' o caso de dizer-se : caJa um da
0 que tem.
Fora melhor, que, em vez de occapar-se com
a intencio de qaem qaerqaeo censure, procaras-
se refut, r as.caasaras.
Agora mesmo, o Sr. jaiz municipal esereven es
liradas liubas a proposito da fallencia de Girlo
(oatro uegociaate feliz que houve em Mamangaa-
pe ), assutnpto esse no quil nao tor inns seaao
por accidtn'.e, mas o Sr, Juvenal q ler abrir ampla
discassio sobre essa pagina dos aunaes jadiciariot
da Mamanguape, talvez haja((aom Ihesalisfaca oa
desejos Eatretanto o assampto principal de qae
team tratado os artigos a qae o Sr. Juvenal pro
euroo responder? e a falieneia d; Pedro Lopes ; e
o proctdnnento do Sr. juiz municipal reeusaaJose
cumprir a precatoria, qae Ihe foi dirigida desta
cidade, para a deteacao do devedjr fraudulent i*
fuadaado so a recusa em ler o devedor reqaeridj
a abertura de sua fallencia, requeiimenlo e-se
q le divursas circumstaacias denaaciam feito de
accordo com o Sr. jaiz oa aconselhado por idle.
A respeito desso ajsurapto que e o principal, o
Sr. Juvenal teiit)U em sua defeza um novo asforgo
qua veio fazel-o prdcr de lodo o equilibria.
E' assim que o Sr. juiz municipal diz i|ua co-
nhecendo se pela preoat ria haver o devedor ces
sado seus pagamentos, eorria-lue ate o daver
de abrir a fallencia. Mas a q ies.,1) nao e se o
Sr. juiz podia oa nao abrir a fallencia; osim se
pela saperveniencia da declaracao da fallencia
devia caducar a deteneao, cuja necessidada estava
ate reconheci la por uma sen'.enea.
A these queo Sr. Juvenal lirmoupor sua seiten-.
ca e a segninte : decreladi p>r senlenca a de-
tencao de um devedo* deve ella deixar de realisar-
se se o deoedor requer a abertura de sua fallencia.
Eis alii o grande achado qae reeommendamos a
apreciacao dos entendidos. E' es-e o principal
fliirao da coroa de gloria da que se adorna o impa-
vido juiz I
E note-se qae desta vez o Sr. Javeaal invoca o
art. 807 do cod. coinin., porqae da precatoria pode
conslar ler o devedor cessado seus pagaaientos e
corre ao jaiz o dever da declarar aberta a lailen-
cia, ainda qae esta lbe nao seja requerida ; entre-
tanto o mesmo Sr. Juvenal ou algum dos seas
defeasores em um dos artigos anteriormeate pu
blicados, presume defender o seu ac!o com a dis
posicao do art. 823 do cod. omm. segaado o qual
o devedor qae apresenta-ss em teaipo requerendo
a abertura d; saa fallencia, nao pode ser preso
seoa) depois da pronuueia.
Com i uma cou
De uma vez deixa di sr detente par forca do
art. 823, qae diz alias : deoedir que apresentar
sua declaracao de fallido em decido tempo.
De oatra vez pela aecessidade da detencao o
juiz pode conhecer o estado de insolvcncia e devo
a'^ declarar abort* a fallencia. Mas daquelle a
qaem o juiz abro a fallencia exoffleie ainda se.
pode dizer que apresenlou so em den do tempo f
Se tal nao se pole dizer na bypotheso, qu .1 sera
etitao a razao porque a detencAo nao se dove rea-
lisar? fsso e o que o Sr. Juvenal devera disculir
a explicar ; recorrendo a insultos, mai> conQrma
o que a seu respeito temos ouvido dizer.
Nllo creia que Ihe queiramos mal : o que de-
sejamos sinceramente e que se corrija para de
outra vez nao sacriQcar o dircito de credores qae
procuram garautir se mediaate os meios legaes
contra artificios de um devedor fraudulent >, pois
cousa digna de lastima e ver um juiz que sacri
Qca o direito alheio ou por ignorancia ou por pre-
varicagao I
Quanto ao oaro por que sao vendidos os artigos
a que o Sr. Juvenal allude, direm>s que este mes-
mo Sr., oa um de seus defeasores ja de outra vez
alludio a fortunade 800 contos.
Ora, nao poderao dizer os maliciosos que o ouro
6 cousa que muito preoccupa o esperilo do Sr.
juiz municipal ?
Deus lbe de" juizo, meu charo Dr. I
Alguns credores.
Unique.
ors. redactores. Os numeres do sou Diario
aqui chogados no principio deste mez cansaram
geral sorpreza, pela noticia que nos deram de ter
sido approvada na assemblda provincial um pro-
jecto trausferindo o quarteirio deSanta Clara -
que pmence i> esta comarca, para o districto de
-*ssuremaperiencenie ao munieipio de Aguas
Bellas r *
Na sessio de 23 do passado em que tal projec.
to passou era 3- discussao, pedindo o Sr. depatado
Rails e Silva explicates, n>spondeu o Sr. Vieira
de Mello, deputado pelo 4* disiriato,- nos.-seauiatas
termns: "*
Fir. yer ao .nobre depuUdo quo o project) foi
apresentadj,poralgan'depn|adoe do 4 districto,
era virtude da reelam+coes havidaaconBtantemen-
te por parte-des hahilaHles. do lugar denominado
>anta Clara. Alk'ga,rain telles que aenio esse
lagar aiuito distanle d-'district) do Bawquo, era
de toda a justica que fosse delle desmombrado pa-
Miicar oerteBeeado ao-d Agnas Belhts.. do qual
dista-apenaa duas legqas. .
Saibi o -r. d-pntndo Rrirenrr Vicin, tuc abnsa-
ram (I- baaJooa fe e o enganaram iridigaaar>ate.
Nac saJfr/aaa rm a n^sa-franqaeza .: S. S. nao.
tera culin, m iUbdido. I '
Snt#Clarl difta da Via de Aguas Bellas 14
kapaasi e da do Butqae 6-ap?nas.
iiunoaos povos daqaf-lle lagnr podiram seme-
lhanle Uransferencia. Pelo contrario proteslam
centra ella, ate par qoe haahi um manejo, para
exercer-sa vmgancas oo,ritra uma pobre familia
qiie alii cxlste, e terogntra si o grande peccado
de ler c m cajitara de rSntoosa^altamonte prot-gidos,
le'qne p'>-leyi.drW5teman.,io os Srs. Dr. Joao
Hircani),vnx Juiz do dir-ito des'.a comarca, Dr. Se-
ha-tian db-Ssg-i Barr.s, ex-pr.jmo'.or, Dr Gusraao,
ac'iial.jafzMediroit, iat-rin i, .; t>los d- del-iga-
dos militares que temos tido.
A repre-enlafSo quo hoavo o qae ja deve achar-
se nos xrdiives d.t a^swal'lei provindial (5 dos pa-
vos de A'surem.!, pedindo para p'rssarem para
Buique, de qae dista a |aella Jocalidade 8 legaas,
ao passa f]a.e de Aguas Bellns dista 12 leguas'.
Alem disto em Baiqae ha muito mais garantias
para os povos do qae em Aguas Bellas. Esti e a
verdade.
Porlanto, pcdimas a assemhlea provincial qae
reconsidere o sen aclo; e se ja nao for tempo dis-
to, rogamos ao Exm. Sr. preSidenle da provincia
que procure asclarecer-se e n.'ui consinta na ini-
qui I ale qae le ijSer commefter, para satisTagio
He vjn;anfa' pessnaes.
Buique, li de abril.
Justus.
CAPAXAZIA DA ALPASDEGA
L'-aadimaatO d'.dia 1 a 27. 17:338*827
(d.W> do dia 28 ..... 400J.001I
VOLUMES SAH1DC3
No dia i a 27. .
No dia 28
frraieira poria
iegunda porta 1 ,
Terceira porta .
Juarta porta .
dapicbe Gcaiga:i
'

17:738*832
28,201
218
7a
65
394
29 043
SERVICO MARlilMO
il> arengas descarregada.- do trap/cue da
alfandeg;
Xo dia 1 a 27. ...
Xo dia a8......
*n trapicbe Coooaicao .
Porto. Sobre o bawco uni.\o do forto
l%0 Sr. JOAQUIM MSTO DA FO!WtCA.
Pard. Sobre o BApco coaiMijVftciA-
DO PARA, 6 OS SrS. FiUNGC0 UAUDENCtO DA
COSTA & FILHOS.
Haranlatlo. Sobreo Sr. JOS&TtK-
REIRA DA SILVA JUHIOR.
Ceara. Sobre os Srs. i. s. de tas-
CONCELI.OS & SONS.
Buhiu. Sobre os Srs..MAftMUOS A C-
Rio de Jiiuciro. Sobre o baxco
INDUSTRIAL E ERCANTH., BANCO N AC10NAL e
BANQUE BRASH IENNE FRANC*E.

7*
HECEBEDOIUA QE E!H>AS, 1ST. WJAS GB-
MBg DE- PttRWkiBWt:
'.-aditnecio iln dia I a 27. o:707*9:Jp
ten do' dia 28

J r
3:47U4o7
63:l79i39K
GOifJiULADn PJOtviNLlA^
Rsndimeato d.i dia I a 27
!4aqi do dia 28
1189892118
4.680/210
123:674(328

JUNTA
raea i\:
Algodao
AlgoUSo
DOS COiiilKTOllKS
Bleciiw, *3 lit; abril
! 134.
A? 3 HORAS DA TARDE
cotaqoes offi'iu-:s
-. de 1" sorte 830JO pir 15 kilos, hnnlem.
- de Xaeeto 1* sorte 836 >0 por 15 kilos,
posto a bordo a frete de 7(8 e 5 OjO,
hon'.em.
Algodaa de aUeeid msdiand 83100 por 13 kilos,
' p)=*.o a bordo a frete de 7(8 e 5 U|0,
h inKon.
Cambio sobre Londres a.90 d|v. 25 1|2 e
25 3|8, e da banco 25 l|i e 23 l|2 d. por
liOOi), hentem.
Oito sobre dito a 90 d|V 23 l|2 e 25 3|8 d. per
13000, hoje.
Dito sobre dito a 3 djv 23 d. por 13000. do
Laoco, bontem.
'laaiBio -sobre 0 Rio de Janeiro a 15 d|v. 1|J
0|0 d deseonlo, bontem e hoje.
Kto sobre dito a 3) d|v. 1 (qO de desconto,
SE6DR9.S
MARITIMOS
CONTRA 0 FOGO
A companbia Indemnisadora, estabclecidt
aesta praca, toma seguros inaritimos sobr
aavios e seus carregamentos e contra fogc
im edificios, mercadorias 0 mobilias: n^
ua do Vigatio n. A, pavimento terreo.
COBPASHIA~ ALUANCA
seguros maritimos e terreu-
tres estabeleeida na Bahi&
em 15 de janeijro em 1870
CAPITAL 4,000:000jd0.
Toma seguro de mercadorias e dinheir.o
nco marilimo em navio ie vela o vapore:
aara dentro e f6ra do implerio, assim com)
fogo sobre predks, generos e
Inje.
C. de Vascoiicellos
Presidents
A P. de Lemos
Secretari'
Re Id
; i !-.
> i
28
\\.V\SW,!.,
1' S a 27. .
8.) 4:35 if 665
18:137*864
822:492i529
Oescarregara huj-i 29 do abril de 1874.
Pataeb iaglez Get da v..rios generos para o
trapicbe Coneeiote, paradespachar.
Rrigae portugaez Cotete pedras para o tra-
piche Conceicia, para despachar.
Rarea fraoceaa latrepide Corse ferro o ma-
chinismo ja despachados para a compa-
nbfa locomotora.
IsaipRrta^iXo.
Vapor nacional Ceard, entrado das poi tos do
narteem 28 do eorreute e consignado a Perera
Vian ia & C, manifestou :
Carga do Para.
Qhapsos d) Chile 2 fardos aos coaslgnatarios,
I caixa a E. A. Burle & C.
Salsaparril.a 32 rolos a Francisco Manoel da
Silva & C, 3 i a Keller & C.
Carga do Maranhio.
CamarSes 3 barricas a J. J. Rodrlgues Men-
des.
Sola 25 amarraJos can 730 meios a Birros
Junior & C. 9 com 247 ditas a David 4 Far-
nandes.
Ao publico
0 Sr. bacharel Jose de Oliveira Campos, que fora
jnstamente reprovado era defeza de theses na fa-
culdade de direito desta cidade, na Cart", em o
Jornal do Commercio, e aqu no Diario de Per-
nambuco, de bontem datado, tem me dirigido in-
jarias, offensas e feito accusagoas a proposito de
pretendidos plagios, accusacoes que ja foram
de3truidas com exames procedidos por tabelliaes
desta capital.
As publicagoes na CArte eram anonymas e aqui,
apesar de estar assignado o artigo a qae ore reQro
apenas pelos sobrenomes Oliveira Campos e ser o
dito bacbarel o seu autor, como affdrma e e notori >,
o antographo tem logo abaixo da assigaatara
da Sr. Oliveira Campas o seguinte :
t Assumo a responsabilidade pela pablicacao da
correspondencia supra. -
Reeife, 25 de abril de 1874.-(Assignada)
Pedro de Alcantara Vellozo.
Eston justiflcado. 0 responsavel 6 um testa
da ferro I..
A cobardia e a infamia do men injusto e insolen-
te aggressor sao patentee
O poblico julgue agora, Ja que nao posso des-
aggravar me legalmente perante os tribunaes, da
jastica dos artigos do Sr. bachsrel Jose de Oli-
veira Campos e das qualidades, que recommeudam
o mesmo serihor.
Recife : 28 de abril de 1874.
Dr. /. J. Tavares Belfort.
DA
Sanlissmia Trindade.
Neste estabelecuuento de instruccao e educarao
ivtvunv> //f u^..^.-..^. wuiu .iv- de meninas, sob a directoria da Exraa. Sra. D.
lima da deshnmanidade da policia, que esta a ma- Philomena Jersey, a suas Exmas. irmis D. Lande-
DiSPJ\CaOS DE EXPOilT.-tCAO NO DIA 27 Di?
ABRIL DS 1874
Para os porios do exterior.
No vapor inglez Boyne, para Lisboa, carre-
gou : A. F. Gomes 3 garrafoes com 33 litres de
aguar ante.
No vap>r portugnez Almeida Garret, para
Lisboa, carregou : A. Loyo 1.0J0 saccos com 75,0 '0
kilos de assuc.ir br.mco ; F. R. Pinta Guimaraes
700 ditos com 52.50J ditos de dito e 300 ditos com
22,500 diios d3 dilo mascavado ; M. R. de Carva-
lbo 4 barricas com 203 kilos de farinha : p ira o
Porto, J. Maria Sobriah) 3 volumes com dace e
assucar ; B. J. M. Poeas 8 volumes differentes
mereadorias; A. \i. Macaado Junior 620 saccos
com 37,200 kilos de as.-uear branco ; Carvalbo &
Nogueira 500 ditos eom 37.SO0 ditos do dito e 100
ditos com 7,500 ditos de dito mascavado ; A. F.
da Silveira 7 ditos con 420 ditos de dito branco ;
J. F. Paqaete 4 barricas com 475 ditos de dito
mascavado e 3 caixas com 234 dito3 de doce ; J.
A. Cardoso 2 papigaios e 3 vulames aguardeate e
doce ; T. L Soares 322 saccas com 23,916 kilos
di algodao.
No lugar portuguez Julio, para Lisboa, car-
regou : Oliveira Filuos 4 C. 100 saccos com 7,o00
kilos de a'suear banco, 200 ditos com 15,000
ditos de dito mascavado o 378 couros salgados
com 4,478 kilos.
No navio portuguez Lisboa, para Lisboa,
carregou : Silva Guira raes & C. 400 saccos com
30.000 kilos de assucar branco.
No aavio hespanhol Mereedita, para o Rio
da prata, carregou : M. L. Paes Barreto 381 bar-
ricas com 42,050 kilos de assucar branco e 80
ditas com 6,359 ditos de dito mascavado.
Para os portos do interior.
Para o Rio Grande do Sal, na barca nacional
Andrade Seoes, carregou : Oliveira 'Filhas & C.
20 barris com 1,920 litros de aguardente, e para
o Porto-Alegre 50 ditos com 4,800 ditos de dita.
Para o Para, no brigue francez Brasileiro,
carregou : L. Duprat 20 pipas com 9.600 litros de
aguardente.
Para o Para, no vapor nacional Bahia, car-
regou : E. A. Rude & C 10 barricas com 633
kilos de assucar branco ; J. S. Cordeiro SimSas
100 ditas com 8,441 dit03 de dilo ; SI. J. Alves 3
caixas com 300 ditos de doce : para o Maranhao,
M. C. L. Vianna 25 barriquinha3 cam 938 ditas de
assucar branco.
Para o Ceara, no vapor nacional Curwipe,
carregou : Cost* 4 C 40 barricas com 2,402 kilos
de assucar branco.
Para a Bahia, no vapor nacional Gastao de
Orleans, carregou: M. C. L. Vianna 10 saccos com
780 kilos de assucar branco.
Para Mossord, no hiai* nacional Flor do Jar*
dim, carregou : T. P. Machado Ba^tos 6 harritAs
com 39ft kilos de assucar branco ; A. S. Saotos
Moraea 2 pipas com 960 litros de aguardente.
xmira
ondas.
Agente: Joaquim JoseOoncaives Belir.v-
ui do Commercio n. 5, l'andar.
COMPAMIIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos cm mercadorias
tretes, dinbeiro a risco efinalmente dt;.quai
juer nstureza, em vapores, navios va ela oi
onrca^as, a premios muito modicos.
RUA DO CO.MMKRCIO N. 3i.
fa
rHr
Seguro
LIYEIU'OOl
\v
&
go
LONDON & GLol
INSURANCE COMPANY
Ageatos
SAUNDERS DROTHEKS di C.
11Corpo Sanlto11
NORTffiEM
laphal. .... |ao,000:0005it"ii
?undo de reserva. 8,000:000-500i
Ag^ntes,
Mills Latham & C
sUA DA CRUZN. 38.
BANCO COHC AL DR BFtAGA
Jorge Tasso
Sacca sobre este baneo e suas agenda* nasse-
guintes cidades e villas
Portugal.
Amarante
Anadia
Arcos
Aveiro
Darca
Barcellos
Beja
Chaves
Coirabra
Coura
Covilha
Rivas
Extreraez
Faraalicao
Faro
Figueira
Gnarda
Guimaraes
Lagos
Lamego
Fayal.
Lisboa
Melgaco
Mirandella
Moncao
Peua-flel
Pinhel
Ponte do Lima
Porte-mao
Porto
Povoa de Varzitc
Regoa
Tavira
Valenca
Vianna
Viila do Conde
Villa Real
Vinhaes
Vizeu
Villa N. da Cervelra
Funchal
Binco do Minho.
Joaquim Jose Gonjalves Be.trao & Filho sacam
por todos os vapores sobre :
Anaaia. Evora.
Aguida. Fale.
Aveiro. Faro.
Beja. Guarda.
Chaves. Leiria.
Elvas. Lisboa.
Amarante. Bar:ellos.
Guimaraes. Coimbra.
Covilha. Mirandella.
Melgaco. Penafiel
Portalegre.
Arces de val de vez.
Celorico de Basto.
Caminba.
Mangualde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanhosa.
Viila-Sovade Portiraao.
Monsao.
Ovar.
Porto.
Tavira.
Regoa.
Vizeo.
Figueira.
Lamego.
Estarreja
Valenca.
Villa | Real.
Cabeceiras de Bastes.
Castello-Branco.
Espoiende.
Oliveira de Azemeis.
Povoa de Varzim.
Vianna do Castello.
Villa-Nova de Faraalicao.
Villa do Conde.
Mas ilhaa.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terceira.
1 Augosto F. 4'Mivein k C.
A casa commercial e bancaria de Augusto
j d'Oliveira & C, & rua do Commercio ns
i2, encarrega-se de execugSo de ordens
para embarque de prodoctos e de todos o-
mais negocios de commissao, quer commer-
ciaes, quer bancarios.
Decoata lettras, e toma din hoi ros a pre-
mio, corapra cambiaes, e saca & vista e a
jazo, a voutade do tomador, sobre as sa-
guintes prajas- estrangeiras e naciooaes :
Loadres. Sobre o union bank of
LONDON, 0 LONDON AND HANSEATIG BANK,
limited, e varias casas de il.' classe.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, MARCUARD ANDRE & C. e A. BUCQUE,
VIGNAL & C.
Hambnrgo. Sobre os Srs. JOAO
SCHU BACK & FILHS. -
Lisboa. Sobre os Srs. fonsecas,
SANTOS (fe VIANNA, e 8B|BASTllO JOSE DE
\BREU.
Irodi
Navios er.trad.$ a dm OB
Para o portos inermedios-9dlas vapor nacional
Cea a, de I,99\> toneladas, commifcdanter:.Jtifco-
fovado, equipagem 62, e*rg vario* gawvoat a
Pereira Vianna *C.
Liverpool por S. Vicente -20 dias dd printeiro 8
do segundo, vapor nacional Jaguaribt: de 439
Wtnelada-i, commanilanie Jia.nun da. Cosla4lel-
eaaipageui 30, am la?lro ; a-companbia per-
inbucana. 1 o m il
de Janeiro e Bahia 6 dias, sendo do ultimo
porto 2, vapor inglez -Bount, de 20l4%)itehidas,
coramandante F. Keeks, eiiiiiungoii) 120, carga.
vari is generos ; a Adamson H>>woV v\ C.
Navios sakidos no tnesmo dia.
Porto e portos intermedios Vpir p-a-iaguez Al-
meida Garret, commai)dan>'.a Ta dilTerentes generos.
Partis do norte -Vapor brasftein>fJ-i/ii dante capitiotenente Tciseiia, carga variM ge-
neros.
Southampton e porios inlermodiosVapor duflez
Boyne, commandanie ItBaBs, carga a uiesma qaa
ireuxe dos porios do sul.
Mossord pelo RioGrsnde do Nirle -Biate nac>onal
FlordoJardim, capitao Francisco M. M *raa
da, carga varies generrs.
Canal-Barca noruegucuse Capella,capHaaUV A.
Torresen, carga assucar.
New-Y.ik Barca ingeza Attreoli,-vd\Ma I. W.
Turner, carga assucar.
ma
tCit?cs,
0 Dr. Sebastlao do Rego Barr s de Lacerda, iniz
de direito especial do ommercio nesta cidade
do Recife de Pernambuco, prr Sua Magestade
imperial e coustilnciuiial, etc etc
Fago saber aos qae o presenle edital virem e
delle noticia liverem, que deutro do praao de 30
dias, contad is da publieesao deste, recebera este
juizo propo.'tas porcartas fechadas,-para arrema-
taqao por venda da parte d > e~cravo de .nome Je-
suiao, cor pard i, avalinda n.ir 5"-0&; que vai a
praca pela qaantia de Ili^aOO, vist> come tendo
ido pela qaantia de 150S, n.io apjtareoen lanca-
dor. A qual I nertencente a nuMida de Ma-
noel de Souza Carneiro Pimpan, e se acha dito
escravo em p"der de Mann.-I J 'aqnim Alem.
E para que cliegue ao omhedmento de todos,
mandei passar o present.', qae sera pnblicado pela
imprensa e affixado n s lutrares do costume.
Re-ife, 27 de abril de 1874.
Eu, Manoel Maria Radrigues do Nascimeato,
escrivao, o subscrevi.
Recife, 1~ de abril de 187t
______Sebastiao do Brgo Barros de Lacerda.
Edital b. 157. "
Pela insp^eturia da alfande^a se faz publico que
n.i i tendo side despachala; d-nlro do prase mar-
cado as mereaduria- abaixo declaradas, aanoncia-
das por edital n. 117. se hadearrematar, Iivre3 de
direitos de consume e&ujeitas ao imposto dacapa-
tazia, as II horas da manhii do dia 2 de maio vin-
doaro, no trapicbe Oinceieao.
Marca D M G 13 volum 's, contendo roupa,
livros, trastes e oatros utenciliof diversos ja usa-
dos, no valor de ."i(!03, vin los de Lisboa no brigue
portugaez Bella Figueiiens', entrado em 31 de
outuoro de 1873
Alfandega de Pernambne 57 de abril de 1874.
0 inspector,
\',\\.n A. de C. Reis.
Seceao 5*Sec etaria da presideacia de Per-
nambuco, 27 de abril de 1871, Por e.-ta secreta-
ria se declara aquem ioteressar possa, que aos 2J
d i correnle mez foram confinnadas por S. Exc,
o Sr presidents da provincia. e pub icadas nesta
secretaria, as sentencas do respeCtivo juiz cora-
missario Dos autos de medi';a> e legitimacao das
poses denomioadrs Chorao perteiicentes a
Jose Mar |ues de Lima, e aiio Ategro puncu-
ccnte a Vicente Ferreira d: Castro, sitas no mu-
nieipio do Bonito.
( Assignado ) 0 seeretario, J. Diniz Ribeiro da
Cnnh'.
Edital n. 156.
Pela inspectoria da alfandega se faz publico,
quo nao tendo sldo arremalada pir falta de on-
curreneia ao valor official, 112 kilos de cobre ve-
llio, avaliados por 67^2(0, annunciado por edital
n. 154, se t.anslere a me>ma arremataQao para as
11 horas da manba do dii 29 do corrente, t ports
desta reparli^io.
Alfandega de Pernambuco, 27 de abril de
1874.
0 inspector,
Fal-io A de C. Reis.
- 0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial mania fazer publico que foram transferidas
para o dia 7 de maio proximo vindoaro as arre-
mataroes segaintes: cast 'io da illuminajio pu-
bliea da cidade de Goyaona ; obrados repa-os da
bomba n. 2 no 7* lanjo da elrada do sul ; obra
dos reparos da coberta da casa de deteneao, e
obra da bomba para o povoado dos Monies.
Secretaria da theseuraria provincial de Pernam-
buco, 23 de abril de 1874
O oillcial-maior
Miguel AfT-insa Ferreira.
"
.: i
!-SEt.
Vcacravel catrfraria de Santa Rita
dc Cassia d:> lleeife.
De ordem do nosso irmao regeder conv do a
todos os irmaos desta veneravel confraria, pata no
dia 3 de maio vindouro, as 10 horas da manna,
reunidos no consistorio de nossa igreja, proceder-
se a elei^ao do novo conselho administraiivo, coma
determinain o art. -ii s '" e art. C6 de nossa
compromisso
Consistorio da veneravel confraria de Santa
Rita de Cassia, 29 de abril de 1874.
Domingos Jose Ferreira.
___^____________________Seeretario.
Pela administracao dos correios desta pro-
vincia se faz publico que se acha raarcado o prazo
de 30 dias, a contar da presente data, para o con-
curso de uma vaga de praticante. 0 concurso tera
lugar na mesma administracao, e constara. de
exercicios de caligraphia e enhographia, arit'onle-
tica elementar, comprehendeodo o uso do systema
metrico e nocdas geraes degeographia, de confor
midade com o arligo 38 do regulamento de 12 de
abrj de 1863. 0 conhecimento das lingoas es-
trangeiras dara direito a preforencia Oa candi-
datosdeverao provarcom certidao nao term me-
nos de 18 annos, nem mais de 30 annos dridade,
e apresentar certificado medico de bofr>saude,
cumo dispoem os | 1* e S" do art. 40 do predito
regulamento.
Administrate dos correios de Pernambuco,
SI de abril de 4874.
0 admioistrador
________________Affonso do Rego Barros.
0 administrador da recebedoria de
reodas internas geraes avisa aos contribuin-
tes do imposto sobre industrias e profissdes,
que 6 neste mez de abril que tem de ser
sem raulta, o 2. semestredo exerci-
seri peg1)
pago,
cio de 187374, depois do qae
com a multa de 6 %
Recebedoria de Pernambuco, 7 de abril
de 1874.
Manoel Carneiro de Souza Lacerrfa
COMPANBIA PERNAMBUCAiNA
BE
NftvegaeSo costeira a vapor.
UIVIDE.NDO NONO.
Esla companbia paga o seu uono dividend*), %,
razao de 3 0(0.



f
Diario de Pemambuoo Quarta feira 29 do Abril do 1874.
4Pr
SOCIETE FRANgAISE
DE
Secoiirs MutueJs.
Messieurs les membres de la socieie fraocaisc
aont invites a se rendre 4 la reunion ">.* hrra lieu
le 19 abril a 7 l[2 be* res I'hotel de I'Europe.
Lo president
____________ E. Turpia.
SANTA CASA DA MISERICOKUIA IK)
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa d;
*tis*ricordia do Recife, man da fazer publico qu*
aa sala de suas sessoes, no dia 23 de abril pe-
las 3 horaa da tarde, tera, de ser arrematadas a
quern mais vantagens orTereeer, pelo tempo de um
a tree annos, as rendas dos predios em seguida
deelandos.
KSTABELECIMENTO DE CARIDADE.
Travewa de S. Jose.
Casaterrean.il.......201*000
Rua de Santa Rita.
Idem n. 32........280*000
Idem n-34........246*000
Padre Floriano.
Idem a. 49........207*000
Cmco Ponlas.
Casa terrea n. 114......362(1300
- Rna da Alegria.
Idem n. 31........37UKW
Poote Velha.
Idem n. 31........166*000
Rna de Antonio Heoriques.
idem n. 26........99*000
Rua do Vigario.
1.* andar do sobrado *, 7. 325*000
-Sola idem.........378*000
PATHIMO.NK) DOS ORPHAOS.
Rna da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......2O9*00C
Beceo das Boias.
Sobrado a. 18.......i!l*00(
Rua da Cruz
Sobrado n. li (fechado).....i:900*09T
|Rua do Pilar.
Caia len-ea n. 100......241*001
Rua do Am-r.m.
Idem n. ........OSjOOG
Rua da Guia.
Idem n. 29........201*000
P.ua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17......361*000
Os pretendentes deverao apresentar no acto da
arrematacio as suas fiaoeas, on comparecereni
acompanhados dos respeetivos fiadores, devendc
pagar alem da renda, o premio da quantia en
erae for seguxo o predio qua eontiver estabeleci
memo commercial, assim como o servico da lim
peza e precos dos apparelhos.
Secretana da santa casa da misericordia do Re
-lite, 17 de mar^o o d* 874.
0 escnvao
Pedro Rodrigues de Souza.
\ trar, ate 3 horas da tarde, cartas erdinarias aid 3
horaa, e estas ate 3 IrJ, pagafldo?orte duplo.
Para Penedo e Sergipe, pelo vapor Gostao de
Orleans, dot ter sido transferida para hoje a sa*
hida deste vapor.
Resebem-se jornaes iniprestos e cartas a regis-
trar ate 1 kora da tarde, e cartas ordinanas ate as
2 horas.
Aff.mso do Rego Barros
Adnuaistrador
Liisa-Brasileira
Do ordem da presidency sao convidados os se-
nhores soelos a se reunirem^exta-feira 1 de maio
vindouro, pelas -6 lr2 hora* da ard<\ alim de,
constituida a assemblea gerat, proredir se a leitu-
ra do pareeer da commissae de oontas e outros
expelientes. '
Secretaria do oenselho .fiscal da sociedade be-
neficente Laso-Brasileira, 28 de ;.bril de 1874.
0 secretario
J. M de Andrade.
THEATRO
SANTO ANTONIO.
EMPREZAHflCENTE.
Quarta-feira 29 do corrente.
Recita a pedido de alguns amigos do autor, pa-
ra a impressao do drama
Quinta representacao do drama hi torico do
Dim. Sr. Dr. Apngio Guimaraes :
Niines Naehado.
Terminara o especlacul > ctm a ccmedia em
acto :
I ma expcriencia.
0 resto dos bilhetes esiarito a vecda no thea-
tro no dia do espectaeulo.
Priucipiara is 8 1|2 horas.
OOMPANHU PERNAMBUCANA
DC
lavogacao costeira a vapwr,
MACEl6, BSCALAS, PENEDO E ARACAJO'.
O vapor Ipojnca, com-
mandante Monra, segui-
ra para os portos acima
no dia 30 do corrente as
8 horas da tarde.
Recebe carga ate" o dia
29, encommeudas, uassa-
(yeirfts e dhheiro a frete ate as 2 horas da tarde
do dia da sahida : escriptorio no Forte do Mat-
>tot a. 12.
de cadeiras americanae e inglezas, eabidei, q tur-
tinfieiras, mesas redopflas, uma porcao de livros
de litteratura e mais obras, uma porcao de miu-
deas, como sejamleques, botoes, espelbo de
mto, babados, bicos, eHtra-meios, collarinhos, brin-
'"cose rouitos outros objectos que se acharao pa-
tente no acto do leltSo ao exame dos concur-
rentes.
Quarta- feir- 29 de corrente, no referide arma-
aem, pelo preposto do agente Pe?Una.
NA
PEIRA SEMANAL
16Ria do Iinperador16
ARMAZEM.
Companhia americaua c brasilciiii
de paqnetes a vapor.
Ate o dia 39 do corrente e esperado dos portos
de sul o vapor Americano Ontario, comman-
dante Slocum, o qual depois da demora do cos-
tume, seguira para New-York com escala pelo Pe-
rae S Tnomaz.
Para fretes e passagens, trata-se com os agentes
Hoory Forster & C., rua do Commereio;n. 8.
Santo Antonio
Companhia perna nbucana
do mveg&qiio costeira a
vapor.
D9 ordrm do consHbo da direc^o, cenvidc aos
Srs. accionistas da nova emis-ao de ac;des desta
companhia, que somente realisaram a primeira
prestacao de 20 "j. sobrc o vilor subscripto, a fa-
zer jegunda entrada a mesma razao, dentro du
prazo de 30 dias, a con tar de hoje, no escriptorio
do Forte do Mattos.
Recife. 23 de abril 187'*.
Jhomas M. Connan.
___________________Gerente interiho.______
Conipanhla dos trilhos urbano
do Recife a olinda e Bebe-
rlhe
ySa rondo comparecido
numero legal de acci-nistas,
para quo podesse hoje func-
cionar a assembl^a geral da
companhia acima em sessao
ordinaria, como foi convoca-
da, foi dita se?sio adiada
para o dia 29 do corrente as 2 horas da larde e
no Jugar do costume ; e entao funccionara com
qualquer numero dos accionistas preseotes nos
terraos do art. 11 dos eslatntos.
Recife, -2i de abril do 1874.
0 secretario,
_______________Laii Lopes <"a>tello Branco.
Armazens da companhia per
nambucana.
Se;ura contra o fogo
A ompr.nhia pernambacana, dispondo de ex-
oollonlc^ c vnatoa arm ucro i ill ,-tru prcdlo ao tor
te do Matt > oflerece-os ao eommereio em geral
para deposito do generos, garantindo a maior cou-
servacao das mere rias depositadas, service
prompto, prctjoa modicos, ele.
Tambem recolhera, me^'innt:^ provio accordo, ex-
clusivamcnto os generos de nma <> pi ssua.
Estes armazens, aHHn de arej I > e c 'nimodos.
sao inteiramtnte novos e asphallados, isentos dt
cupim, rates, etc., etc.
As pessoas ijue quuerem ntilisar-se destes ar-
mazens, pederao dingir-se ao escriptorio da com-
panhia peruambucana. nue acharao com quere
tratar.
Quinta-feira 30 de abril.
Bencflcio de- O. M.
A pedido do heneficiado, o drama era 1 prologo
3 actos :
i\
0 beneficiado. antigo enpregado do eommereio
desta capital, acbando-se paralytico, recorre por
este meio a benevolencia do publico desta capital,
de quem espera a proteccao que tanto precisa.
Em um dos intervallos ira agradecer aos sens
protectores.
Principiara as 8 1|2 horas
THEATRO
trnm NiuHTKr,
SKBk-m PffllNIE
Quinta-feira 30 de abril.
Quinta re; resentaqSo do importante e immen-
samente spplaudido drama em 1 prologo. \ ados
e 7 quadrus, do Dr. Gjrte Real :
Nnnes Madiado
AIIACATY.
Para o Aracaty vai sahir com rouita brevidade
o hem conhecido hiate inao Valle, para carga a
frete a tratar com Mo Jose da Gunha Lages, na
rna do Vigario n. 33, i.*aodar, ou com o mes
tre a bordo em frente ao trapicbe Dantas.
Rio tirande da Sul
Para o porto acima segaira com brevidade o
p.tac-ho nacional Africano, por ter parte do sea
carregamento engajalo ; para o resto da carga,
trata-se com Silva & Ca^cio, a rua da Cadeia nu
mero 60.
Libras eslerlinas
Vendem Pereira Carneiro
& a
Rua do Commercio o. 6.
COMPANHIA PER1UMBUCANA
DE
\avcgac8o costeira a vapor.
AKAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACjt-
TY, CRARk.
0 vapor Coruripe
commandante Santos,
seguira para os por-
tos acima no dia 30
do corrente, as o
horas da tarde.
Recebe carga ate o dia 28 do corrente. encora
nendas ate o dia 29, passageiros e dinheiro a
fre* ate as 2 horas da tarde do dia da sa-
hida : wcriptorlo no Forte do Mattos n. 12.
Para o Porto.
Recebe carga e passageiros o patacho portuguoz
Lidnd r, que pouca demora lera. Trata-se com
E. R. Rabello g C, a rna do Conimercio n. 48.
U&bm <* Prto
Vai sahir com brevidade a veleira barca Lisboa.
Recede carga e pajsagciros: a tratar com Tito
Livio Soares, rua do Torres n. ?0.
Agente Bias
Segundo e ultimo
LEILAO *
DF.
uma magnifica barcaca
Hoje
A's 10 li21ioras emponto
Em frente ao edi8cio da companhia per-
iiHmbucnna.
0 agente Dias, competentemente autorisado, le-
varaa leilao, no dia e hora acima desigoados,
uma magnifica barcaca armada a hiate, de 600
saeijos de assacar, com 2 ferros, amarras e mais
accessorios: esta barcaca torna-se recommendavel
por ter sido bem construida e achar-se em perfei-
to estado de conservacao.
Os Srs. pretendentes podem desde ja ezamina-la,
pois acha se fundeada em frente a companhia per-
nambucana, onde tera lugar o leilao, e para qual-
quer informacao a rua do Marquez de Olinda n.
37, primeiro andar, escriptorio do agente.
Agente Bias
Leilao
DO
casco do vapor Mamanguape
Em continuaclo ao leilao da barcaca, vender-se-
ha o casco do vapor Mamanguape, tal qual se
acha fundeado nacorda do Passannho. Temmui
tas chapas de ferro em bom estado e cantoneiros
Os Srs. pretendentes podem desde ja examina lo.
LEILtO
. DAS
Agente Dias
LEILAO
DA
armacao, cal^ados emaisartigos existentes em a
loja da rua de Marciliu bias n. I
HOJE
ao meio dia
0 agente Dias, competentemente autorisado,
vendera, por conta e risco de quem perlencer, a
armacao, calcadose mais artiges existentes em o
mencionado estabelecimeuto.
Leilao
Para
Companhia Firlelidade
Seguro* mavrttimoa r tcrrrtrt>s
A ngencia desta companhia toma seguros ma-
ritimos e lerrestres, a premios razoaveis, dando nos
ultimos o sol i livn-, e o serimo anno gratuito ao
segurado.
Peliciano Jose Gomes
____________________ Agon'e.
Gonfraria do Senhor Bom Je-
sus da Yia-sacra da igreja
da Santa Cruz
De orde.n da mesa regedora desta confraria
convido a lodos os nossos charissimos irmaos con-
frades a reonirem-se em nosso cor,sistorio no dia
30 do corrente mez, pelas 6 horas da tarde, alim
de procederse a ileira. da nova mesa regeiora
que tern de funcciouar no anno compromissal de
1871 a I878j eooforme preceitua os artigos 24 a
31 do respectivo eompromisso.
Consistorio da confraria do Senhor Bom Jesus
OU
A herana (!;> eondeiunado.
Terminara o e>peclaculo com .i seena comica :
0 Sr. Joaquim sacristao.
Prmcfpiara as 8 l|2 boras.

da Via-sana, il
: abril de 1874.
Servindo de escrivao
Marcolin} Jose Pupc.
COMPANHIA
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM
PANY
HOYAL MAIL STEAMEK
PATAGONIA
< ommnnda ntc < C. Brougb.
espera-se dos portos do sul ate o dia 10 de maio
e depois da demora do costume, seguira oara
Lisboa, Bordeos e Liverpool, para onde recebera
passageiros, encommendas, carga e dinheiro a
frete.
flf. B.-Nao sahira antes das tres horas da tar-
de do dia da sua clu-gada.
AGENTES
AVilson Rowc & C
14RUA DO COMMERCIO14
Piira o iii'iieado porio i.reternle seguir
com a possivel brevidado o patacho portu-
guoz Axurara, por ter a maior parte de seu
carregamento eagajadu 8 p-ra o resto que
Iho lol'a, trata-se com <:s conignatarins
Joaquim Jose GoQ v rua do Commercio n. fj.
CO.MI'AMIIA I'KUNAMBLCANA
DE
avca;aeila costeira a vapor.
GOTAMNA.
0 vapor Manilahu,
commandante J u I i o,
seguira para os por
tos acima no dia l.
de maio, as 9 horas
da n lite.
Recebe carga, eoeomnenlas, pasiageiros e di-
nheiro a frett : e< -riptorio no Forty do Mattos n.
DE
farinha de trigo
UOJE,
0 agente Pinto fafa leilao de 342 barricas de
trigo, avariadas, vindas de Trieste pelo brigue in-
glez Lizzie Kale, por conta de quem pertencer,
das marcr.s seguintes:
16Victoria 147 barricas
Buda Pest S3 i
oPannonia H
Luiza Buda 33
n-Concordia 29
Fonlana 18
-8SSE 18
No armazem de Tasso Irmaos & C, Caes do
Apollo, no dia 20 do corrente, ao meio dia.
2:60!*-S8:i
428*630
SO^OOti
131810
393J313
3304680
326*626
670*800
327*323
623*92i
8:427*190
100*000
1:133*070
1:983*237
2:065*908
1:390*310
117*890
l:5<3*6i6
799*9S6
3:378*3(6
4:626*037
119*930
311*829
66*110
1:661*120
194*770
100*000
180*000
2:791*012
692*600
179*200
.200*000
626*012
57*120
2:368*313
22:137*766
400*0(M >
157*250
1: 577*160
300*000
iM
U
DA
Coiiigiaiiliru Allianca Maritima
I'ortfliicaiso.
EMPREZA DE NAVKGAgAO ENTHE PORTUGAL B0
BRASIL.
BAltCA I'OH FGl-EZ \
fc.>te navio recebe carga e passageiros para Lis-
qoa e Porto, devendo sahir denfo em poucos dias,
visto ja ter parte do seu carregamento contra-
tado.
Aaentes e consignalarios
JO^E' DA SILVA LOYO & FILHO
III 1 ill
Acham-ae promptos para funccionar os appare-
Jnos que foram collocados nos predios abaixo de
claradfls. Os senhores proprietarios so deverao
delles fazer uso depois que receherem um cartao
da companhia que os autorise para isso.
Freguezia da Boa-Vista.
Bua do Viscoode de Albuquerque ns. 81, 97 e
129.
Rua do Atalho ns. 1 e 9.
Rua da Ponte Velha n. 91.
Rua do Hospiclo n. 24.
Becco do Camaran n. 13.
Praca do Gonde d'Eu n. 24.
Becco do Quiabo n. 12.
Rua do Bar-o de S. Borja n. 7.
Rua dos Coelhos ns. 3, 20 e 26.
Rua da Santa Cruz n. 24.
Rua do General S ara ns. 7 e 13
Rua do Coronel Lamenha ns 10, 18 e 48 A.
Freguezia de S. Fiei Pedro Goncalves
Rua dos Guararapes ns. 18. 20 e 22.
Escriptorio da companhia, 28 d* ibril de 1871.
0 gerente,
John Mount.
INSPECCAO DO ARSENAL DE
WARINHA.
Faz-se publico que.em data de 23 do corrente
mez foi vistoriado o vapor Mandahu da companhia
pernambucana de navegacao costeira, e a commis-
sao julgou-o em estado de poder continuar no
servico em quo se emprega.
Inspeceao do anenal tie marinha Jo Pernambu-
co, 25 de abril de 1874.
Francisco Savior Rodrignos Pinheir*
I tenente ajuj; nle seryiudoHie iu.-pector
ADMINISTRACAO DOS CORREIOS DE PERNAlT
BUCO. 29 IE AoBIL \)< 1874.
MaUs a etpedir
Para Macei6, Bahi.i, fiL-piriti Santo, Rio de Ja-
neiro e mats portos do sal. pelo v,ipor nacional
Recebem-se jorn, ssg
JV\\IIIA IClt 1WII I |(( v
DE
NAVEGACAO A VAPOR
Portos do sal, inclusive o da
Victoria
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
ft'avegacao costeira a vapor.
FERNANDO DE NOHONHA.
0 vapor Mandahu, comman-
dante Julio, seguira parj
o porto acima no dia 3 de
maio as II horas da mania.
Recebe carga ate o dia 4,
encommendas, passageiros c
inhciro a frete ate as 10 horas do dia da sahi-
dad: escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
arma.ao, gencrcs s mais pertencas da taverna da
rna de Marcilio Dias n. li, antiga rua Direita
Hoje
Garante-se a casa.
0 r.gente Martins fara leilSo da armacao, gene-
ros e mais pertengas da taverna acima, em um ou
mais lotes, cujo producto sera rateado pC-los cre-
dores de dita taverna
A's It horas do dia.
Na mesma eseasiio se vendera uma carroca pa-
ra cavallo, com 2 arrows, e uma balanca granJe
com corrente3 de ferro e pesos de 10 e 20 kilos.
LEILAO
DE
uma casa terrea na rua de S.
Bento n. 17, cidade de
Olinda
QUINTA-FEIRA 30 DO CORRENTE
as 11 horas
FEERASEVIAN VL
16 Una do Imperador11).
ARMAZEM.
Pelo agente Martins.
0 proprietario da Feira Semanal, acha se aulo
risado a vender, em leilao, a casa terrea acima
mencionada, a qual 6 de pedra e cal e tern 3 salas,
dquartos, quintal, cozinha, 2janellas e 2 portas
3e frente, chaos proprio* e rende 12*000.
Pivldas activanda ntassa laili-
da de Bastos I.piiion. na iui-
portancia de 334:S38>95*.
a saber :
Joao Pinto de Lemos Junior
Benlo Joe Fernandes Barros
Fortnnatoda Costa
G. C Solvi
Bellarmino de Barros Corre*
Jose Maria Gaio da -ilra
liaetauo da Costa Moreira
Manuel do Amparo Ciijii
Francisco Sergio de Mattos
Siqueira & Pereira
Hyppolito da Silva
Asrociacio de colonisacio
Miguel Jose de Almeida Pernambuco
Jaaqoim Francisco de Alem
Manoel Luiz Viraes
Bernardino Domiugos Moreira
Marcolino Jose Gonfalves Foote
Antonio Joaquim de Vasconcellos
Rocha & C.
Jose de Sa Leitao Junior
Joaqnim de Lemos Ferreira
Dominieo Costa
Furtunato Simoes Carneiro
Silva Couto & C
Manoel Jiuarque de Macedo Lima
Sebastiao Lopes Guimaraes Junior
Jose Joaquim Coelbo
Goncalo Barros Pimentel
Viuva de Manoel Joaquim Ferreira
Manoel Jose Ferreira Gasmao
Antonio Machado Gomes da Silva
Antonio Vicente do Nascimento Fei-
toza
Hospital Portuguez
Fratolli Secbino
Manoel Figueiroa de Faria
Casa I de Joao Tavares Cordeiro
Antonio Gomes Netto
Antonio Freire de Mattos Barreto
Frederico Lopes Guimaraes
Antonio Fernando Ramos de Oliveira
Francisco Antonio da Silva Cavaleanie
Bandeira & Barboza
Lulz Borges de Cerqueira
Manoel Gouveia de Suza
Monteiro& Machado
Jo?6 Antonio Maga/haes Baatos
Manoel Ribeiro Basto
Manoel Joaquim de Mattos
Francisco Pinto de Lemos
Andre de Abreu Porto
Lopes Irraacs
Luiz Gomes Ferreira
Joaquim Goncalves Ferreira
Francisco Antonio Correa Gardozo
Francisco de Paula Pereira
Joao Pinto da Costa
Adolpbo Curio
Jose Tliooiaz de Aguiar Pires Fer-
reira
Joaquim Dativo Telles do Souza
Janoel Goncalves da Silva Junior
Francisco Jose" Ahesde Albuquenue
Jose Maria Cesar do An. ml
Uma & Martins
Antonio Joaquim de M >raes e Silva
Manoel Pereira Lamego
llermenegildo Augu>lo N Vianna
Francisco Jo-e Magalha.-s Baslos
Joao Fernandes Ramos de Oliveira
Joaquim Lucio HuDteiro da Franca
Francisco Leopoldin i de Gusmau Lobo
Miguel Seraflm de Uaslro Nunes
Jos6 Antonio de Matins
Joaquim aurelio Wanderley
Jose Teixeim Basto
Pachecu t^- Mendes
Jose Goncalves oe Carvalho Moraes
Izacc & Pedro Chavea
Manoci Pereira Lemos A Filho
Faria ^ C.
loaquim Anlunes de Oliveira
Francisco Jos6 da Costa
Jose. Saporite
Camillo Pinto do Lemos
Pedro Jose da Costa Castello Branco
Adrian.) I'-ainiio du Albuquerque
Sexta-feira 1 de maio as 11
hora j em ponto.
0 agenfe Pinto, auloiisado pormandado do Dim.
Sr. Dr. juiz de Jiteito especial do eommereio, Ic-
vara a leilao as 11 horas do dia acima dito as di-
vidas t\\ ma3sa fallula ae Bastos & Lemos, em
urn ou muit"s lotes, em sen escriptorio, rna lo
Bom Jesus n. 13.
Bom negocio.
Yende-se ou arren^a-se o grande predio
de um andar e sotao, sito na rua do Bispo
Sardinha, proximo da igreja da Misericordia,
na cidade de Olinda, tend duas J oa salas
de fr.'iito, um sal*i nu sotao, seis quartos,
espacosos e !><-.s, a>a grande cochtira,
quintal todo wnado de novo, e com diyer-
sus arvnredos, uma boa fonte d'agua, e
leudonaz caualisado. Achando- do com t uma grande fara ilia, scr s m os moveis : a tratar nesta typographic
du na rua da Uoilo n. 49, sobrado, atrazdo
pQd da assembles.
A. F. OIKGA
Confronio a alfandega, armazem pintado-
de preto, que curiosos acabam de deno-
minar
J azigo
0 administrador aVste estabelecimento, a btm
dos interesses daquella lirma, vende a dinheiro a
vista :
Batata', haratissimas.
Feijao mul. tinlio muito claro e tenro. em sac-
cos, bMotu.-inio.
i Laias com cinco galoes de gaz, Devois, a o^300.
Arroz superior a 2*400 a arroba.
Caixas com 40 cartas de logo da China sup* rior
a 64200.
Manteiga franceza nova de 1874, da marea PLG,
a 740 rs. a linra.
Os mais generos quo cxistem no inesmo estabe-
lecimento, faz-se a elies precos proporcionaes
aquelles declarados.
ATTENCAO
Boga-se a pessoa a quem em um dos dias
do corrente mez fui data, para trocar, uma moe-
da portugueza de onro antig|>, de 20J naquella
epoca, hoje regula sessenta pouco mais ou me-
nos, pois que e do anno de 1726 ou 36, o favor
de a levar a rua do Bospieia n. 2?, qu so pro-
l*a^cn\melle ^azer PromPIani,!ntc seu resgate, mesmo
i8Jjtl87lem ouro se for exigido, pornue para seu dono
3StMI,ton eUanrande
643201 -
H969IO
1.000 JOOO
671 J0( 0
452*900
64320
844O0O
802*320
9374300
3.1934730
4004000
1:2374040
132*123
170^000
-*i040( 0
20041 00
2." 5000
404OGO
1224400
8364460
3:0004000
2304IXH)
1:2074(00
2784000
7804000
I.",04000
1434832
-22384390
600 4000
77:9504695
117:787*733
57040(10
4.2454330
116.260
1:J)4('4460
4:3884464
'2314W)
2:0324720
34:036*337
2104'00
200 jlO
antiga e afregnezada taverna dopateo do Garnb,
esquina da rua do Coronel Suassuna n. 2
Gar.mte-so a casa no comprador do >'-t .r>-
lecimento
SEXTA-FFIBA DE MAIO
0 agento Martins fara leilao d'armacao, gene-
ros e mais pertencas da taverna aci na, a qual ie
acha muito bemjocalisada e afregoez.'.da ; os pre
tendentes poderao examinar obalanco na mesma
taverra. *
grange in\at de cslima.
Pro testo,
Fugio no dia 5 de man/o proximo pajtsado a es-
crava prela, de iinme Au'a, idade 48 annos, baixa,
clieia do eorpo, com falta de dous dentes na fren-
te ; presume-se estar acoitada por alguem, pelo
que ruga se a quem souber de dita- escrava, ap-
preheude-la e leva la a casa do prucurador do se-
ohor da mesma escra\a, a rua Primeiro de Mar-
co 11. 7 A, loja. que sera recoinpen~ado : desde
ja protesta-se procuder com lotto orig.ir dahi-
contra quem liver acoitado a referida escrava, ad-
verliiidj-re tambem que esta e-erava se intitula
cbamar se Joiephina Maria das Does. '
Alugase por preco razoaveia loja do sobrado
n, 41 la rua do Bangel, a qual ja tem annagao
e presta-se para ijnalqoer negocio : #. tratar no
2' andar com 0 pr-jp ietario do mesmo.
- brigue bcpanhol Mariana, prompto
sahir para o Rio da Praia, precisa de um pdotoa
a tratar no o nsula 10 nespanbol ou com 0 capitao
a bordo.
Transferencia de concerto em
favor da sociedade propa-
gadora.
A commissao encarregada dos convites, de ac-
eordo com 0 resp* :tiv 1 conselho director daquella
sucudadv, deciara que por incoinm'jdos do saiide
1 m uma Jas distineiaa sentioras quo lam de can-
tar neste concerto, 'i:a e?ie lranferida para 0 dia
que lor novamente anouueiado, logo que ces3e 0
motive que rt:i !-.;.'::r a esta tftinsfen noia.
t) abaixo assiguauo, faz ver ao publico,- que
tendo passadn um llca da quantia de S24000 ao
Sr. Jose Alexandre i: Oliveirn, em resto pra que a este sr. fez de sua taverna, sila no lugar
do Bdrro, da freguezia dos Afogados; 0 como 0
mesmo Sr. Oliveira esteja deveudo quasi ignal
quantia de alugneis dj u na sua caaa, nao podera
fazertransaccao algumaa nao ser com oabai-o
assigns lo.
Recife.. 28 de abril :ie 1874.
Bam irdino
o lJtcao
Leilao
Grande feira
DE
leilao
rua
CEARA
Commandante Alcoforado.
,.JrOn^erad0 d?s.Prt0S do none ate 0 dia 27 do
nSocosEaparaOS d -'^oi^ade-
r^^^^^_tre wgens'
7-BUA 00 VI6ABIO-7
Pereira Vianna & c. *"
_________________a gentes.
Porto por Lisboa,
Pretende seguir para os rt-
t'eiidos portos cooi poucos
dias de demora, a barca por-
tugueza Novo Silencio, de I.* classe, capi-
tao Ferreira, por ter maior parte de sua
carga prompta, 0 para que lhes falla passa-
geiros, para os quaes tem commodos : tra-
ta-se com os consignatarios Joaquim Jose"
Goncalves BeltrSo & Filho, "a rua do Com-
mercio n 5.
Rio de Janeiro
Para e iadicadn porto segue com poncos dias
de demora a ti.uca porlugueza Fcliz Uniiio por
ter a maior parte de sen carregamento enljajado,
s para 0 resto que lhe falta, trata se com os con-
eignauno* Joaquim Jose ..oncaive* Meltrao & Fi-
cartas a r?gis-, sho, a rua do Commercio n. 5.
De uma casa na rua do Dique, antiga
das Carrots n. 23, em cbfiospro
prios.
Hoje
as IX lioras era ponto.
2fo armazem da ruafldo Vigario Thenono
n 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
coma e risco de quem pertencer, de 1 casa na rna
do Dique, antiga rua das Carrocas n. 23, com os
seguinles commodos : 2 salas. 2 quartos, cozinha
fora, quintal e cacimba em bom estado, e rende
annualmente 30040 Quarta-feira 29 do corrente, no referido arma-
zem, pele prep isto do agente Pestana.
LEILAO
De moveis, lou$s, vidros, crystaes, perfu-
marias, m'U;lezasemachinss p;ra picar
fumo, um pianno do mesa, uma porc5o
de pa pel para fumo.
as It horas.
No armazem de agenda de leilfies da rua do
Vigario Thenono n. 11.
0 preposto do agente Pe-tana fara leilao, por
conla e risco de quem pertencer, de 1 mobilia
de jacaranda com tampos do pedra, 1 dita de faia
tambem com tampos de .pedra, 1 dita dy arnarello'
1 guarda lou;a de arnarello, 1 guarda roupa de
dito. 1 cama de mogno, 1 dita de arnarello, 1 par
de consolos"de faia. ..valso, 1 pretrta de copiar, 12
cadeiras da arnarello, l par de coootofc 1 par de
aparadores, 1 dinmoda de ainaMkt com pucha-1
dcres de vidro, i dita de arnarello, rneia dita de I
dito, 1 sofa de dito. 1 marquezao de dito,: q3o
pianos, mobilias, crystaes,
louca, relogios de parede,
de cima de mesa edealgi-
beira, de ouro e prata, ob-
jectos de ouro e prata,
quadros comfinas gravu-
ras, m las para viagem,
machinas de costura, 1 fo-
gao de ferro, jarros para
flores, passaros cantado-
res, santuarios de varios
feitios, guarda roupa,
guarda louca, guarda co-
midas, cadeiras para via-
gem, cortinados novos pa-
ra janelias, camas france-
zas de jacaranda e arna-
rello, aparadores, candiei-
rosagaz, eimmensos ob-
jectos do uso domestico,
que serao vendidos por
conta de diversos
ao correr do martetto
A's 11 horas
Oiiiiilafeiia 50do wmb
DE
ujna mobilia de jacaranda, inassi>;a e quasi nova,
I eama franceza tambem de jacaranda, 2 apara-
dores de arnarello, novos, 1 tapete quasi novo,
forrode uma sala de visita, 2 commodas, I mar-
qnezao e outros moveis que serao vendidos
ao correr do martetto
Sesta-fcira 8 de maio
as 11 horas cm ponto
Por intervoncao do agente Pinto
Rua d > Bom Jesn^ n. 43.
Servira de base para o leilao as olTertas obtidas
era particular pelos objectos acima deserptos,
sendo que a entrega se eflectuara fin Jo o acto da
arrematacio. __________________
Leilao
DE
pianos e mais penengas dafabrica Je pianos da
rua do Imperador n. 33, de J. Rigas, ootr'ora i.
Vignes
GONSTANDO Dfi:
Pianos novos. cadeiras para os mesmos, diiferen-
tes moveis, musicas, estantes para a3 mesmas, 2
relogios de mesa, 1 espingarda de dous canos e 1
secretaria.
Dous banco; para mircineiros, ferramentas, 2
macninas para fazer hordao, grampos, serras, ca-
valletes, madeiras de differentes qualidades, jaca-
randa e mogno em folha, e muitos outros artigos.
Parafusos, dobradicas, 1 machina para fazer cer-
veja, e 2 ditas para lavar roupa.
''crca-fcira & de maio
a's 10 1|2 horas em ponto
0 agente Pinto, autorisado pelo Sr. Rigas, fara
leilao dos moveis, pianos^ e mais pertencas da offl-
cina de pianos da rua do Imperador n. 33, antiga
casa de J Vignes.
Desde ja sera vendida uma grande quantidade
de musicas alii existentes.
Precisa-se de um empregado de c lunga que
de* tia.j.f a soa cottdncta, para tonur conta da
Tip:nrcOj e caixa, mais servico da loja da
Iinturaria franceza, rna da Imperatris u. 33. A
q't-.mi ''.oiv'-r inija-.-e ;ia in sma.
Pergnota se ao thesoureiro inienuo da u -
mandade le Saota Groz, qual e o artigo do com-
promisso, qne Ine i i salia o assignar coin o secre-.
tario o Convite para a reuuido da in s i geral '
Sera para so tornar mais conhecido ?
[sto deseja sob r
____________________0 pallirta.
\ professora publica D. Maria andida do
Figneiredo, iMmpeteniemenle habilitada pela di-
rectoria geral da instrueeao publicl da licoes de
lingo 'f in*- a, nasl ircas e soxrasfeiras de todas
s ioana- das I is ;' horas da tarde, na casa de sna
resideneia, a rna esrreita do Ros-irio n. 24, l
andar.
Lliz i'er: i:'i ii^,i; i:V s d i Gonna, retiran-
do-se para Portugal rw vapor Boyne, pede descnl-
pa a todos os seas amigos de quem se nao pode
desjiedir pessoalmente. Outrosim, deixa encarre-
gados de seus nogocios em primeiro Ijgar aos
Srs. Soares Leite Irtnao, em segundo ao Sr.' Fran-
cisco d'Oliveira Leite Guimaraes, em lerceiro ao
Sr. Joaquim Fer; eira Dinir.
Recife, 28 de abril de 1874.
Luiz Pereira Gon_lces da t'unha.
Proleslo.
Cousttftdo r.i" ; le o negociante da praca do
Pernambuco. loaquim Jos6 Ramos, ao ausentar-se
pari a Kurop ,ies,-outara uma ou mais lettras
que se flguram aeeitai por mim, venho protestar
contra esse acto eriminoso, c f.izer putilico que
nao aceilei lettra alj'uma em favor do inesmo Ra-
mos, e portanto falsns sao todas as lettras que
se acharem aeeitas por nim em fav< r do mesmo.
para que cheguc essa noiicia ao conhecimemo
de todos farei publicar o presente nos jornaes da
capital desta provincia e da de Pernambuco.
Kogenho Castanha Grande, 24 de abril de 1874.
Mam el 'avalcaote de Mell".
Advocacia.
aisos u Vr Hbos
PrecL-a se aiugar uma preta Del para ven-
der na rua quem a liver, dirija-se a rua do
Principe n !2. qne acharacom que:n tratar.
0 abaixo assisnaito partindo hJje para Lis-
boa por ineommo'los de saiide, e nao podendn des-
pedir-se de lodos os seus amigo?, pede desgnlpa
desta falta Involnutaria.
Recire, 28 de abril de 1874.
Jose Pedro das AY
0 bacharel Joronymo Salgads da C. Accioli pode
ser procurado no 1 andar do sobrado n. 28, a rua
estreita do Rosario.____________
Ten do de so iiiudir no dia 1 Ju maio os ter-
renos de Santo Amaro das Salinas, quo medeiam
entre o cemiterio inglez e a cambOa da Tacaruna,
alim de serem dados a inventirio pelo fallecimento
do mpjor Jose Joaqnim do Rego Barros, pede-se
aos intaressaJ^s por aforamenlo ou por outro
qualqner litulo se sirvam comparecer coin os seus
decumentes as 9 horas da manhii do referido dia
a rua do Livramento n 38.
Recife. 38 de abril d- 1874.
A professora puhl.ca I). Maria Candida de
F'^ueiredo, competentemeute habilitada, se pr -
poe aensin:ir na rasa do sua resideneia, a raa
e-treita do Rosari i n. 2i 1 andar, desenbo a
musica.
Da licoos de dessnho nas quartas feiras esab-
bados de todas as jemana*, da- 3 as 5 horas da
tarde; e do maaica ris mesmas horas nos diis de
seguudas e qoint-is-foras de t "das ns spinaoaa.
Aluga-se 2 casas novas na Capunga, com
varios jommortns para familii : a tratar no me-
mo lugar a rua das Crionlas n 5, ate as 9 horas
!a manhii on dessa lioi i cm diante no Largo do
Pararw, venda n. 14.
Alugi-su um moleqm; ..lo IS annos:
a tratar na rua Primeiro de Marco n.
18,
I
'
>
!
< L
"X -
\
e
f
-%<


-------
*
"s
Diario de Peraambuco -- Quarta feira 29 de Abril Precisa-se
de am trabalhador para pad.iria, porem qae en
tenda perfeitamente do trabs.lro do pao qne e fo-
mentado com fermeno de rerveja: a tr.ilar na" roa
do Conde da Boa vista, :in:it a do Caminho Novo
P. 91.____________"_________________
" Feilor.
Precisa-se de nm fcitcr para sitin qne entenda
do merino : na rua do Hang-1 n. 37.
Precisa-se de um caixo ro de idade tie 12 a
14 annos, com pratica de tavern* : a traUr na tra-
vesaa da roa do Principe n 0, uverna denomina-
d Forte Principal.
VIGOR DO ClBELLO
DE
J,

m pi pi
Coiislriidor t aliiiailor tie, piitius
Rim do hnpcrador
33
Devedores.
oa
Exafinador das anliga-
casa Alphonse Blonde).
e afamadas caws PleyH & Hen, e antigo director das offlci-
Tem a honra de decterar ao respeitavel publiro desta cielade, que lem aberto sua casa dp
i e afinarrtes de pianos, <|iialqiier que >ej o esiado do iuMiumenio.
concertos
A nie>!na ca.'a acaba de receber um grande norlimmto de Pans ''".no ^ard Phyel, Henr, Ikrz Alpkuiue / Dhihaut sao garantidos.
casa
Seguro e aelmiravel
RESTAURADOR E TONIGO
PARA 0 CA flELLO
Goncorre para um belli) e per
feilo pcnleado
Torna os cabfllos roacios, brandos e lu-
sidios, perfuraando-os com um aroma de
especial delicadeza, que t3o apurado tem
sido.
Attencao
Avisa-se pela ultima vez ao Sr. Salvador de Si-
Jueira Cavalcante, qae ha am anno lem zombado
o mnndado de prisae que contra si tem do juizo
do commercio desta cidade, que, se nan quizer
passar pelo degosto de ser preso, mande qnanto
antes entregar os d us escravos Aquilina e Fran-
cisco, dos quaes e depcsitario, e se acham de pu-
blico trabalhando no eogenho Tres Brajos, Ingar
de sua nova residencia.
Desdeja protesta-se pelo servico dos ditos es-
eravos.
Gonpra-se e recebe-se em trov < pianos usados.
49 Rua do Imperador 491
^^^
Ha neste estabelecimento o ruelbor sort i men to de pianos dos mais afsmados autores,
como sao : Hera, Pleyel, Flap, ec. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, mandados expressameme construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-sc pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
cancel tadores de pianos
que ha serapre o mais compfcto sortimento de materials para concertar piaoos, como
sao: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, osrdas,
marfira, etc., etc.
49 RCA HO IM I*i:It < wtOK 49
XAROPEDE chloral
do Doutop LECONTE
OTtOFEBBOH DA TACTJLTADE DE MEKCINA DE PARIS.
Este xarope tornado em <16sos dc uma collier pela manhS c outra Dcla tarde
3 todos aquelles conhacidos ate. hoje, multo superior as
e o calmante
prepara?oes
Attencao
Avisa-se ao eomprador do escravo Henrique,
que Salvador Manoel de Siqueira Cavalcante nao
podia vender dilo escravo, por ser elle pertencente
ao casal do major Salvador dos Santos Monteiro
Cavalcante, e como tal, a venda do dito escravo e
nulla, como melhor se demonstrara em juizo.
MOFINA
Esta encouracado !! !
Apia mole em peel ra dura
Tanto da ate que a fura.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mell
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rna Duque de Caxias n. 36, a con-
clair aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira ehamada deste jornal, en:
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou a fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo e" de novo chamado para ditr
flm, pois S. S. se deve lembrar que este nee jio
le mais de oito annos, e quando o Sr. seu nlho st
aehava nesta eidade.
nenle chymico 0 doutor Ubcohtb.
-A.y efficaeia 6 marariMiosa na goU, nas verdgMW, nas ncvralsias no hvsterismo
M. epilepsia, na dansa do Sao Ouido, e nas coUcaa hepalicas e nephrittcSs "ystensmo,
liiiodmlaiacnto us dores dc Darto. as nffnvv^i numZ dft ao doente
M doves de parto. as affcccocs canccrosas, e
somno reparador c socegado.
um
VINHO e XAROPE TONICO-REG ENERADOR
DE QUINA e DE FERRO
De GRIMADLT e C", pharmaceuticos em PARIS.
Esta nova coml)ina..ao reune sob um pcqueno volume, de forma arjradavel c de eosto dell-
0ABmnil1r,.a '^"T' Prexccll^ia, c o fciToum dos principaos clcmSntos do san^T
As mc.lest.as eontraaaquaeso Xaropc e o Vtaho tonic-rejeoerador so tem mostrado muito
yph:
epidemias.
Depositos em Pernambuco: FERREIRA, MA1A e C^; H -A
. BARBOZA, e nas prln-

$P<&Q&&
le I. i it \ s pliarmareutiro.
DOUIOR Ell SUKNCIA.-
Vende ?p um moinho on vento, com W
duas bombas pira pu.
- yi tro rodas novas e fortes, para carro *)
_ r>mpr..-r.n.- : (rnt?r na r.ja (]0 |mpe. -,
H# rador n. ti, andar. ^>
Curso de portuguez no col-,
legio da Conceiqao.
0 bacliarel Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa estK
incumbidu do referido curso.
Collegio prticular
UE
instrucgao primaria para o
sexo f'eminino.
D. Francelina Dornellas Pessoa, nchando -e ha-
bilitada na forma das leis regulations da Ids-
trucjao publica da provincia, abrira no di.i 1. de
maio proximo futuro, na casa n. 31 da ma do
Barao da Victoria, um collegio, em que >erao
recebidas alumnas pensioflistaa, meio-pensionidtr.s
e externas, alien de ?e*(lucarem reliuiosa e civil-
mente, de se iDstrairem nas materias de um com
pleto curso elementar. de se aplicarem a obras de
agulba e bordados de todas as especies, e a tra-
balhar em llores, mcdiarite uma razoavel remu-
neracao. Os Srs. pais de famtlias podeiao desde
ja dirigir-se ao mencionado collegio, onde ser-lhes-
bao dados os necessarios esclarecimentos e infor-
mac5es, e onde encontrarao aberta a matricula
para as edecandas.
Recife, 15 de abril de 1874.___________
Aluga-se o 1" audar e o armazem do sobrado
da ruados Burgos (litcife) n. tl : a tratar na rua
da Praia n. 20, com Jose Felidano Nazareth.
e,P22tle,= nosos c.onh9clo9 aW hoje. produzem giandea irritacSea e pris5o de ventre
6U porqueo eatomago nao pode supportal-oa ou entao he quo necessitao d.. succo Asirim
para assimdar-se ao or-anismo. O que hoje recomwendamos ao puldk-i*he urnlirnddo. m
nao torn gosto nom sat-.,- do for,-,, 5p ennearece oa dentesVe c se ass .aX immf
diatamente, nao prodn HPbam ds maos effeitos que acabamoadedS
A ciua heAPnM e kfuta nas cores mllidas, oh.ohoses
lonrsTBu.vgAO e ajuda vie mi >nte as conv\xesckhcas dif/iceis
uEBiLiD.vDEs. clla residariza a
eerto di- lodas as inoieslias qne tein por origem a pobreza do s
enci'gico para reamma;- a^ foreas debSltadas pelas fai _-as
am uma palavra o panacea
saaguo, o o remedto mais
ou polos ardoros <\o clima.
Cl!RA RAPIDA \i
PEL 0
Enxsiquecas, Dcres de
Cabega, Nevralgias
Io CRIIIIIIIT o m;
PHARMACEUTICOS EM PARIS.
Basta piovar uma vez este medicamento para se ficar convcocido da suaeffioacia. Uma
so pose, dduida em um pouco d'agua com asaucar, fa/, desapparccer as mais das vezes a
mats violenta enxaqueca i u ncvralgia. B' por este motivo que elle foi admUtido na nova
pbarmacopeal franccza publicada polo geverno.
DepositOB em Per, ambueo: FERREIRA, MAI A e C'; M.-A. BARBOZA, e nas prin-
cnvi '.......-:- '>"....., INJECCAO E CAPSULAS
VEGETAEi
MATICO.
in
Ha mais de um anno fugio desta cidade do Re-
cife, e se fuppoe nella occulto. o escravo Jose, com
os signaesseguinses : cor preU, de altura regu-
lar, com 2a annos de idade, pouco mais ou menos.
tem falia de dentes na frente, sendo porem o sig-
nal mais sensivel uma escresctneia na palpebia
que parece ceg i do um olho : qnem o capturar,
iraga o ;i rua Direita n. 119, ou Saudades n_32,
que sera generosamente recompensado pelo seu
senhor.
0 abaixo assignado faz sciente aos sens pa-
rentes e amigos, ijue encarregase de tudo quanto
for necessario, a assistencia nesta cidade, me-
dtante alguma commissSo ; podendo ser procura-
do nesta typographia.
Pedro Bizerra C;.valcanti Maciel.
Aluga-se a sala e aleova da frente do ter-
ceiro andar do sobrado n. 70, a rua Duque de La-
Aias : a tratar na loja.
Aluga-se um preto para todo servico, inclu-
*esi cozinba, por tambem enteoder : a tratar na
praca do Coroo Santo n. 17, 3 aadar.
Manoel Camillo Pires Falaio tendo deixado
o Ingar de tabelliao interiao, que exe-rceu h 18
mezes menos II dia-\ po- tprse apresentado o sen
proprii.-lafi j, nao pole do xar le agradecer aos
amigos a ao publico em geral a deferencia que para
comi?o tlveram, proourando-me para passar sua
eseripltm e mais papei*, do qne serei eternamen-
te grato.
GRMAimWLOi^ PHARMACEUTICOS EM.PARIS
A injeccao ae Matico romedio easencialinente anodino o conhecido, ciua rapidamente aa
blenr.oiTaagias recentes, antigas e chronicas, seen dores, Bern possibilidade alc-uma
dc accidontes, e scm oceasionar estrcitamento de nenhum irenero, poslo auc nao exerce
nenhuma acoao corrosiva.
As Capsulas de Matico differem completamcntc dc lodas as outraa rmpregadas ate
hoje : as capsulas do commercio contem a eopablba liquids c c lusao enjoo. arrotos c vomitos
porquo (lissolvem-se no estomago ; as nossas ao contrario Cobertas com uma capa dc gluten
(prtnciplo nutribvo do trigo) so se dissolve nos intesttnos, e poo o remedio immediatamente
em contacto com as vias urinarias.
A Injeeeao e as Capsulas constitnem rounidas uma Hicdicaoao cnendca e inoffensiva
a qual nao rcsisto nenhuma- blemnorrhagift.
^taW"*1?,IKB:^"*B"^^
do Doutor CAZENAVE
miSSflSfiSlrSS rcsulladof dc.'i'J annos de experiencias e notaveis estudos feitos pelo
mV.il Do,utor 1Vazcnavc' no Hospital de S, Luiz consagrado especialmentc ao tratamento das
Podem logo os Siirs medicos rcceital-as ^ os doontes tomarem com a maior conlianca,
seguros de obtercm em pouco tempo e sem possibilidade alguma de recahida, o restabcleci-
mentoomaiB completo dos eczemas, prurigos, empigems, tinha o em geral do todas as
erupcoes e molestias da pelle por muito graves que sejao.
MeposJ.tos em Pfrnarribuco FERREIRA, MAIA e C; M.-A. BARBOZA, e nas pria-
clpaes pharmacias de Portugal e do Brazil. *
m
'SrdVd '2S 'iod3j]ua,f ap aiu 'sg 'siayj
aU0Q3H 'V "oonqwnuM,/ ou \vjdS ojisodaa
'Oia'an oa sviavHHvnj sv svaat na
, 'W 'nifyjvu 'taQiojtdiod 'sg5r>ooJ/ni
mkuhj> ,.iHvjq s.uoiJ 'ngiqufo 'snojop 'voMwmuoo ep aeqWioai n bjiuco
wmiiio BomiiNHtmui 3 3VNovssvB3 'N0IV13N 'aHODiH 'aNoivOTrpj '(rnvamw
ao, xHaaof 'nvassnoHj, 'Aaaoid : sajoinoa 9 s3Jo8sa;ojd W|ad opepnam
->3*i sosou.M1.u3j so topoi ap iaABPBj8B sibui o a osojapod
Servente de botica
Precisa-s? de am que lenha pratica : na pbar-
maeia Torres, a rua ue, Marcilio Dias n. i35.
Lindissimas j'rras o resfriadeiras coin filtr. :
vende se a ma Primeiro de Marco n. 19 (antiga
do Crsspo).
Aluga-se uma escrava com duas cnas,
a ijual tem hafoHida-ief: n tratar na rtia
Primeiro da-Maroo loja n. 18.
Aluga-se
a casa terrea com STandtscommodos para familia,
extfno quintal murado e arbfrisado, e outras
mudas eommod'dadcs, no melhrr local do patei
da Paz, fAfagados) : a fallarac aticristao da matriz
para ve-la, e no Recife, tratar & rua das Cinco-
Pontas n. 31.
Na rua do (.abuga n. 14, ha um bom copei'
ro, escravo, para alagar.
COALTAR SAPONINADO
DE LE BEUF
DESINFECTANTE, ANTI-MIASMATICO, CICATRIZANDO AS CHAOAS.
Adoptado pelo* iwMpltae* de Prii e pelof da Marinba m lltar franoesa.
E?se eTCflleme tonioo pos6ue uma efflcacia verdadeiramente enaravilh'.na bos ulceras ganqre-
noias e i.scrfifulmos, nos cuncros ulcemdos, no anthrax, na otorrhea purulenta, na ozena no
crvv, far d'is pelas armns de fogo, enfermidndet do uiero, etc., etc '
Emprt-?-Re, merelado com maU on menos agua, em cbomacos, locfie.*, injeccOes, gargarismos.
Comu dentirrlcio ordinario (nma colheraJa das de cha n'um quartu de cupo d'agua) k muito efD-
Cialnienle tlHcai para pnrlBoar o bafo, ianar a> gencivu doente. e tornar firm-. q
dentes etcatDadoa. "> aw
0 sen U80 e muito hygienico, sobretndo em tempos d'epidemia.
Dm- -.licia circunxlanriada vae com cada frasc /. Eriga-ata firma do inventor
Fabrira em Bayonoa iFmivca), een casa de Sr. LE BEUF^ Pharrracentic
Deiiositos: Paris, ii, rua Rtaoroui; Ptrnamhuco, A. REGORD ondi
ico de 1" class*,
e aa encootra tambrm a
Emulceo dr Aic atrio veeetalde X.e Beuf para faier a agua Je Alcalrlo, a unica preparacao aaiT
ceolrada e tiiulada coulendo em si o alcitrio sem ser alleradi. oem modifirado
I
r
Os pfoprielarios da Confailarm do Campos a
rua do Imperador n 24, piikm aos scus devedur'es
quo tem sido reniissos, o favor de virein pagars- us
d'tiiloa aia o ilia 8 de abnl proximo vindouros
avisain ao< niosino- que se ale aqu. Ila data nAo e e
liverem .aldo, v,t"io sens we< neste jorn.i--
een di^iin-oa,.,!, ; ....s .; nlgumi.

PUNDICAO
RUA DO
DO BOWMAN
(PaSS:! ado

Imiai
..UP'
. en?
LP.Z)
gn- .il<>- P- e!i...'
4 'ei^OJ (.<
e tQIXhftr, ;
id jxet
de ca
tjovo tortimeutt
it ane com t ins
.Qi&tRo o l.j; do am? vja.ii" en 6-ii!).ov.ia.iiiw, p.
'tuplel' qne abi teii; euJo lado gnpsrior em qoalidaile
o,'Io pes* ul poile-ae vcrificar.
BSPECIAL ATTEN^AO AO NUMERO E LuGAH DE SUA KUKDigAO
v'ano a \ a rndna A'turna. d09Lraai8 w-*-* ^temai eem t-
i apu. oa O rUUilS U OjJUtt maobos cobvetiemes para as diveriai
renmstancias dot aenhoret proprietarios e para deacarocar algodlo.
Koendas de oanna Jj^' 8 unMnb08' a?.roeAr,r iw aqoi
Sodas dentadas pI-Bl*wPor-
Taixas Je ferro fnndido, batido e de cobre.
lUmbiqaes 9 fundos de alambiqaes.
achinismo8
ftombas
U-M do Marquez de Olinda -24
Btiqalna do beeco Largo
I'articipa a seas frrgaezes e amigos que madou
o sea estabelecimento do relojoe'ro para a mesma
rna n. 24, onde encontrarao nm grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de ane-
sa, dos melhores gostos e qualidades, relogios de
algibeira, de todas srs qnahda'.es, patente sorsso,
de oaro e prala dour-ada, foleado (plaquet), relo-
gios de onro. ingle*, desenberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquet e prata. Innetas
detod:>s as qualidades, tudo por precos moito ba-
raaog._________^^^^^^
ALUGA-ST"
ama casa na Capunga, rua das Pernambucanas,
torn coxeira e quartos fora : a tratar na rna do
Vigario Tenorio n. 31.
LOU DO PASSO
DE
Gordeiro Simoes & C.
Acs bam dc receber pelo vapor Mendoza :
Riquissiraos cortes de gorgnrao de seda li;os e
com listras achamalotadas.
Ditos de linho para vestidos, coatendo cada cor-
te, 0 necesjario para seu enfeite, como seja :
franjas, traocas, homes, fivellas, etc.
Riquissimos chapeos para senaora, ultima moda,
a rua Primeiro de Marco n. 7 A.
Silio no Airai I.
A lug?. =e um sitio no Arraial, proximo a esta-
cao da C3sa Amarella (nm minuto) com r-xellen-
les casa de moradia, tendo os segumtes commo-
}&. S quartos. 2 salas, cozinna externa, terra-
;u, casade banho e diversas frncteiras. A'nga se
tambem-ama outra casa no mesmo Ingar, com 3
quartos. 2 salas, cozinha externa, agua de beber
e um *bora quintal por commodo preco : a tratar
na rua Primeiro de Marco n. 16, 1.* andar.
Arrenda-se 0 engenho, Saltinho da fre-
goflria de Una, moeute e corrente. Dito
engenho 6 born d'agua, dista duas leguas dos
portos de Tamandaree Rio Form so, e tem
terras para saiVejar 1,600 a 2,000 paes
annaaes: a tratar no mesmo engenho com
0 consenhor Henrique August Milet, ou no
Recife cam Leal & Irmao, rua do M'.rquez
dr> Olinda n. 56.
para mandioca e algodao.l i'odon.i.i todos
e para rerrar madeira. fasr tootidos a CDio
/por ago a, xapvr,
de patente, garaotidai........ loo anituaes.
Todas as maohinas **** towanaaavmuT
de macbiiiismu, a prep
Fas qualquer concerto
Formas de ferro
cmi resonido.
torn at mciborea e rs^ia baratas exisifcolea no mer-
cado.
^TSPfiTIITIIOTIilQa Incambe-se de maadar vir qcalqoer :,.. r.isrnr-. i vod-
^UUUUilUOUUaSa tatie jog diontes, lambrando-lhea varjlageio <3e faierea
cii eotoprai por inlermedio de peisoa enteodida, e qne em tjoaiqoer necttaidade p6de
^ prestar anxilio.
irades amerioancs e iDllrQiEOD,o, **
RUA DO BRUM N.
PASSAi^DO O CHA
52
iRIZ
Roa Duque de Caxian.
0 Sr. Antonio Ribeiro Ponies, caixeiro a rua do
Du ]ue de Caxias, queira vir a rua do Imperador
n 42", a negocio de mutuo interesse, isto por <
ignnrar twx residencia domettica.
Escnvo fugido
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna, 0
escravo do nome Jose Borges, mestre de assucar,
tendo os sigoae seguinte-i: eabra, idade de 30
ann is pouco mais ou meno*, boa figura, um tanto
rosso o espadaddo, sendo 0 signal mais visivel 1
giimma eia juuta do pe esquerdo : roga se a todas
as autoridadss e capitaes de campo, queiram ap
pretiender dito escravo e leval-o ao referido enge-
nho. ou nesta praca a Oliveira Filhos A C, largo
do Corpo Sao'/j n. 19, qne serao generosamsnte
recompensadcAt"
FUNDICAO DE FERRO
a
4' roa do Barao do Triiiiiiplin (m do Brnir.) ns. iOOa .04
CARDOSO 4 IRMAO
AVISAM aos senhores de engenhos e outrrs rgricultores e ao pnblico em geral qua
continuam a receber de Inglaterra, Franca e America, todas as ferrngens e machinas ne-
cessf rias aos estabelecimentos agricolas, as mais mode nas e melhor olra qi e tem vindo
ro mercado.
\T I
V apOreS 'de for^a de 4, 6, 8e 10 cavallos, m melhores qne lorn nodo nr mfiradb
v aiQciraS de sobresalente para vapores.
-MOenaaS lllteiraS e mnias moendas, ohra come nurii-a aqui vtio.
1 aiXaS .IUndiaaS e batidas, dos melhores fabricantes.
LtOCiaS U agua COm cubajede ferro, fortes c bom acabadas.
RodaS dentadaS de todus us tamanhos e qualid.ides.
Relogios e apitOS para rapores.
oOmbaS de ferro, de repucho.
vraQOS de diversas qualidades.
Formas para assucar, grai)rieS eMii.,!fS.
Varandas de ferro ftmdido, francwas do -.-, gostos.
f OgOeS trancezeS p;ra Wlm e carvSo, obra saperirir.
Ditos ditos pnra gaz.
Jarros de ferro fundido
Pes de ferro
Ma china
V alVUlaS para bomba e banheiro.
Correias inglezas p,ra mWhinismo.
BanCOS e SOfaS com tiras c)e made.ra, para jar-im.
OonceitOS C0IlC(!rt8.m c"m promptidio qualquer obra oa n achiiu ,
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
BjnCOmmendaS mand;,in w por encommenda da Europa, qualquer macWnismo.
para o que se cqrrespoadem com uma respeitavel casa do Londrfs

{>ara jardim.
pnra mesa e banco.
para golar ?gua.
t?. o qae teem
com um dos melhores engenheiros de Inglat
spe
incumbom-se de
rnand.r issentar
iitas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalbo ds mesraas.
Rua do Barao do Triurapho (rua do Brum) ns. 100 a 104
_________P_U N I) 1 C A 0 Dt C A t li 0 S 0 & I H M A 0.
Na cravessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
eompra-se os mes-
mos metaesepedras.
ALUGA=SE
o quarto andar ou sotao do aobrado n. 32 a rua
estreita do Rosario n. 38, com commodos para fa-
milia : n thefouraria das loterias, rna do Cresno
n. 6, andar.______________
Precisa-se de
rua Direita n. 11).
ODILON
CAB
Premiados
RUA
DA
DUARTE & IBMAO
LI S'c f" UmhnOS
na exposicao dc 1872
MPERATMZ
N. 82
ANDAR.
I.
RUA
OA
IMPERATR1Z
-N. 82
1. ANDAR.

batedores : na refinacao da
Acabam de reformar
Engenho
Vende-se o engenho S. Pedro, situado na pro-
vincia de Magoas, comarca do Porto Calws a
menos de nma legoa distante do porto de mar do
Gamella, tem oxceiientes terras, maias, e safreja
regularmeBte 2,i 00 paes : a tratar na rua do Vi-
gario n. 31.
u ~a p?(,3"se enearecidamtmte a qnem achou nos
bonds da Mngdalena um embrulho contenio um
trabalho de crochet, com seis carreteis, de entre-
gar na rua do Imperador, loja de bahus, do Sr.
Antonio J. dos Reis. que se graiillcara o achado.
Precisa-se de um caixeiro com bastante pra-
tica dc taverna ; e que dt? fiador de sua condu-
cta : a tratar na rua v"elha de Santa Rita n. 60.
o seu estabelecimento, collocando-o' na.v melhores con-
dic?0es possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e ^s Fxmas Sra= .
quillo que for tendeute a arte de cabelleireiro. 8S- n a*
Fazem-se cabelleiras tanto para bomens como para senhoras, tupete. chienon
coques modernissimos, trane-as, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadrostu-
mulares, flores, bouquets e todo e qualquer trabalho imaginavel era cabello
0 estabelecimento acha-ge provido do que ha de melhor nos mercados estran.
geiros, recebe dtrectamente por todos os vapores da Europa, assuas encommendas e Bam
nnos de modas, e por isso pode vender .20 / menos que outro qualquer, earantindo
perfeicSo no trabalho, agrado, sinceridade e preco razoavol. 8
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fora ; vende-se cabellos Am
porcao e a retalho e todos os utensilios pertencentes ^ arte de cabelleireiro.
Collegio de S. Sebastiao para
o sexo feminino
Pi
oui!
0|0 ao mez,e por espaco de ;eis mezes a um anno,
dandose garanlia a contenio d;ipessoa quo fizer
es=e negocio : quem pretender, deixe cai t > fecha-
da nesta typographia, com a.< iniciaes W \V W.
10,200
A abaixo assignada scientiflca aos senhores pais
de familias eaqaem mais convir possa, qae a<
aulas de seu collegio continuam a funccionar em
a casa da rua Direita n. 36, 2 andar.
._________ Manoella Augusta de Mello Rego.
- Aluga-se ou vende-se um escravo carrocel-
ro, idade quarenta annos: na rua do Hospieio
n. 81,
AUL4PUSH
A pnmeira cadeira da aala publica para o sexo '
lemin.no da freguezia de'Santo Antonio, funcciona
no 2- andar da rua do BarJo da Victoria n 3l
entrada pela rua da< Floivs. I
Pede-se ao Sr. Jose Caetano, da Ameriea Illus-
tradu, o favor de appare^er na rua Primeiro dd
Marc^ n. 7 A 1 andar, a negocio de seu interesse
- Uma peMM vtn.ia da Bahia, prerisa fallar .-ma
o Sr. Anlomo Jose" de Fionas, roga pjrUito o fa-
vor de apparecer a rua da Ouz n. 6, armazem.
SAQUES
Garvalho & Nogueira, na rua do Apullu
. 20, accatti sobre o Banco
ie Vianua e suas agendas eta todas as n-
lades e villas de V> tugal, i 'risfa e a prazo
por todos os paquetes.
J
Commercial
Na rua do* Imperador
n.28
preeisa-fe fallar aos seguintes senhores :
Domingo* Martins de Barros Monteiro
Joao Vaz de Oliveira.
Jose Francisco Lopes Lima (Nazareth).
Manoel Pareira Brandao
Manoel dos Passos Miranda.
Theotonio do Barros e Silva.
Francisco de Paula Borges.
Francisco Antonio Pontua
Traspasso de casa.
Traspassa-se ate 31 de agosto uma grande casa
na povoacao de Apipucos e com muitos commo-
dos : a tratar no 1* andar do sobrado da Ira
vessa da rua do vigario, n. l,escriptorio.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 3 aiiar aos^rs. Pedro do:: jo Chaves Peixotoa
>ose Paes daSilva, a negoc'o de narliculv inte-
maa


Vv'
"** V.^-
6
0>ap de PeraamkjiQa Qaftf>a feira 2-de AMI de lili.



I
i
Ml
N. 35.
Oomedorias e flores.
Na rua enrfita do TV sarlo n. 53, si brado de
urn andar, defronte do barbeiro e por cima do
cariono, ojntinua si a fornecer corned rias para
fora, com asseio c pro i ptidao, o qne muito util e
aos Srs. aademicos que tern de chegar na aula a
boras marcadas, send > os precos mni razoaveis.
Na mesrna casa apromptam-se baudejas com bo-
Dhos para bailes, casamentos e baptisados. pio-
ae-lqs, boJos, pudras e paste's de Data enfeitados
op simples, faz se palmas, bouquets, capellas, fes-
toes e t ida a q-ialidade de (lores soltas, de cera,
panno ou papel : tudo na raa estreila do Rosario,
casa da ftorista.
IHnheiro a juris
.De 1:0005 a 2:000i, mas ou menos, com hypo-
thecs em casas aqm na cida.le : se dira quem da
nas ruas da Imperatriz u. 38, loia, ou Imperial
numero a.
Fugio de 12 para 13 Jo corrente mez, do
engenho Macaranduba, da freguezia de Agua-
Preta, o escravo Miguel, de 37 annos de idade, e
os signaes seguintes: preto fulo, baixo, secco, per-
na^ Anas, peg seccos, pauca barba, ollios peque-
nos e brni vivo-, marcas mu to antigas de acoites
nas nadegas. Este escravo foi comprado em Ju-
lho do anno pr. ximo pasado a D. Rita Maria Pir
mina de Almeida, no R ciV ; e natural de Naza-
reth, foi do Sr. Antonio Xavier de Andrade, do
engrulio Gi:c, dicomcrca de Ilambe, e depois
do Sr. Seralim An-elmo Pereira ie Lucena, no po-
voado Cruangy. Ha toda probabilidade de estar
bos Remedies, uu em Cruangy, pois clle disse a
alguem jue ia para urn ou outro lugar, ondo e
baquiino. iioga se as autaridades policiacs e ca-
pita** de eampo a appre e isao do dilo escravo.
Q iem o apprehendcr quelra levar ao Sr. Genuino
Jose d. R si, no Recife, rua da Praia n 43, ou
na astaclo de Agua Preta, ao Sr. Ernesto Arcelino
de Barros Franco, que sera generosamente recom-
pen.-ado.______
Bemvindo km.
u
No din 21 do corrente fugio o escravo
acima, tendo os signaes seguintes : idade 25
annos ma is ou menos, cOr fula, cabellos
carapinbos e urn pouco crcscidos, cabeca
chata, esUitura regular, urn tanto magroi* e
tem no roslo bnstanbs signaes de bexigas,
usa do chrpco do couro, e levju calcas e
oanaisa rle nlgndaozinho : roga se a todas as
autoridndes e capitacs de carr po, queirain
appreneudor (fito escravo, e leval-o d rua da
Madre de Dens n. 5, 1. andar, das 9 ds i
hnras da t-rde, on d rua da Imperarriz n.
4, 1. andar, que serao rocompensados.
' !
ft
ia
1. de Marco n.
O abaixo assignado te;:i smpre exposto a
ia bjlhetes da 1 t.ria do f'.io, cuja extracca
23
a ven
ao an
men ra p > jornaes.
Precos
Inteiro
Meio
Quarto
Manoel
2ii000
12^000
6*000
Marlins Fiuza.
"
Eiigominadeira.
m ur,,:; b ia engommadeira; no Giriquiti, bj-
i ;; fri nte para a estrala Je ferro n. IS.
^'CCO0Qi5v^
a Coisullorio nieilicc-ciniriro y
J DE J
jt A. B. da Silva Maia. Q
jr- Rua do Visconde de Albuquerque n. f
Jf 11, outr'ora rua da matriz da Boa-Vista -jt
V n. tl. V
y Chamados : a qnaiquer bora. O
*J Consuitas : Aos po t es gratis, das 2 as fw
Pj & horas da tarde. Q
Galiza.
<"arv*lbo & Nogueira, na rua da A poll
n. 20, saccam sobre as seguintes cidtdes da
Galiza. na Uespanha : Santiago, Orense,
Patron, Ferrol, Ponte vedra cCoruna, qual-
quer quantia i vista e por todosos paque-
des.
Ao publico
a declara c|ue tendo sidohon
Sr Antonio
hod
Francisco Gorga
Ana recebeu
Jens or cuados,
I
' aix ;
j ibamad i pel
i i ecdbi '' ii >;
sm si Bhor a quantia de I8!*0U), e como
i Si C rga nao quiz que tile Ihe passasse
lei lecibo, faz o prescnle para que Ihe
i run ento.
ife,2J abril de L87i.
Avgvslo hi is Vieira.
Alnga-v iima casa na i'ri; do Remfica, a
.. da Magdal gna, com cioeo quartos, co-
! a, pr i;i de t O.j por anno; e fica a
. in ill rio Capibaribe : a iralar a rua e.-trei-
!'. .-irio n. 17, primeiro andar, das lu as
2 da ti
Ailencio.
Precisa se de araa senhora qne e-!< ja habilitada
para cosiuaro portugnez, francez, piano, costuras,
t) ;':! >, etc., etc., eqne queira ir para um en-
rt) de uma das estacdes dt Recife a S.
PrancNco, para ensinar a nmas menina* que ja
; ipiadas, paga-se I 00i)i>. e gratidca-se
gradaau lo : a tratar nas i^ineo Ponlss n. 82.
Feitor.
Precisa-?e do um feitor para tratar de urn pe-
quenii jardim : na Baa-Vista, raa do Visconde de
Goyanna r-. 101, cutr'ora Mondpgo.
Arrenla-se o engtnbo Jussaral-grande, no
termo de Sannhaem, o qual esta situado a legoa
e meia da estacao da Escada ; e bom moe^rr com
agua, e de muito boa produ^aj, tanto tie canas
com i d mandioea : a tratar com o proprietary
do mes no, ao engenho California, em Serinliaem
AllHicao
Adiantase at6 a quantia do 400/ a um escravo
cozinli;iro par.-, sna alforria, eir pagando meiisal-
mente : a t,- tar na rua Imperial n. 94.
Muita attencao
Haven do sldo subtrahida ou extraviada do po-
der da Sr. D. Isabel Lucas da Silva, uma letra
de sen aceito, na importancia de 1:260/000 e
saccada pelo Sr. Manoel Soares I'inheiro, e isto
quando dita ktira ja havia sido resgatada pela
aceiianto, declara-se pelo presente meio que mais
nenhum valor iem semolharte litirlo, visto ja ha-
ver Mdo rem; la a obrigacao por ella repre3enta-
da, e que por conseguinte de nenhum provcito
sera para aqtella pessoa, cm cuja mao porven-
tura ella se aehe, protestaudo se procedr-r cnmi-
nalment confra quern quer que tenha sido o sub-
tracter, ou que de ma fe pretenda ulilisar-se da
mencionada lettra.
Recife, 21 de abril de 187'i.
Urgencia
Precisa-?e de uma arr.a qne tenha bom e abun
dante leite, e seja sem filho, para acabar de criar
nma menina : quem qoizer, dirija-se ao terceiro
audar desta typographia para tratar.
Aos paisde familia
A abaixo assignada faz lembrar aos chefes de
familia, tanlo daqui coiro de fora, que continiia
com sua aula de instruc;2o primaria para o sexo
feminino, na casa de sua residencia a rua do Ca-
buga n. 16, oude alem dos primeiros conhecimen-
t03, ensina a prammatica nacional, francez, musi-
ca, piano e danca, pois para ism tem habeis mes-
tres, e quantn a trabalbo de agulha, ensina tolas
as qualidajes de bordados, e entre esse o de ouro
e o de alto rclovo, e tiahalhos de-la e crochet de
tedas a? qualidades, promette todo o disvelloe ca-
rinho para com *uas alumnas, e bem assim todo o
desemyenho no enmpriroento do sea magisterio.
Aceita exteruas e internas, e afian^a commodidade
no ajuste.
Fortunata Fortes
Cao perdido.
Desappareceu do sitio do conselbeiro Jose Ben-
o -la rmnha Figueiredo, na Ponte de UcJjOa, um
Nao se prestando o pequeno espaco do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Deos, para um abafete-
cido deposito das diversas marcas de fomo, que o
abaixo assignado alo.ejava ter, acha se d'ora,em
diante aberlo outro estabelecintento sob a mesma
denominatao de
Vrmazem do fiinio
A' rua do Amorim n. 41
com todas as pruporcoes descjadas, e onde node-
rio os senhores freguezes dirigir-se, certos de
que, como ate aqui, acharao sempre a par da mo-
dicidade dos precos, a roaior sinceridade possivel.
Enlre as differente* marcas de fumo da Bahia e
Rio de Janeiro, que tem sido aanunciadas, acaba
de chegar uma encommenda especial, e que muito
deve convir aos senhores freguezes. Conscienle o
al>a xo a>signado de que neste genero de negocio
nao e.-ti sem competidorts, fara muito por evitar
qne lambem ot tenha com relacio ao pequeno In -
cro que prorurara obler da dita mercadoria.
Jose D i:i.ir,gue.- do CaFmo e Silva.
e% BACHAREL MIGUEL AMORIM m
j; Alvogndo
t$~ Rua do Imperador n, 71. y&
Empreza do gaz
A empreza do gaz tem a h i.ra de annunciar ao
publico que reoebeu ultimamente um esplendido
so; liinenlo de lustres de vidro, candieiros, aran-
delas e globos, cujas amo.-tras eslao no escriptorio
a rua do Imperador n. 31, e serao vendidos aos
sens freguezes pelopreco mais raziavel possivel.
Capiifto Severiano JsC lluui'a
A sociedade qne festeja o glorioso S. Jose de
Agonia, nesta fr.'gazia, manda rezar uma missa
por alma de seu sorio o capita Severiano Jos6 de
Moura, sexla feira 3i do currenle, setimo dia de
seu fallecimento, na igreja do Rosario da Boa-Vis-
ta, as 7 boras, para cujo fim con/ida aos paren-
tes e amigos do dito finado, e ao< socios em geral,
com o que a mesma sociedade de*de ja confessa
sua gratidao
0 1. secretario.
Juse Pulvcarpo de Freitas Jun ior
ti-.-.'.:',...', i:.. -'^-- .-^sttmBOM
llanotl Jose Correia.
D. Maria Luiza dos San
ios agradece cordialmente
a todas as pessoas que se
dignaram a-ompanhar ao
ccmiterio publico, os restos
moitaes do seu pn-zalo tio
.Manoel Jose Correia, e de
novo as convida para assistiremas missas que man-
da rezar no setimo dia, quartafeira 25 do corren-
te, as 7 i|2 horas da manha, na igreja da Madre
de ileus.
i
Rosa "Jarirt Prancfsca,
Juse da Costa Bi.po agradece do
intiino d'alma a todas as pessoas,
que se dignaram visitor sua pre-
zada esposa, duranle o grave perio-
do de sua enfermidade e bem as-
sim a todos os seus amigos, que
fizeram o caridoso obzequio de
acompanhar o sea cadaver ao ultimo repouso,
convido os para que se digoem assisiir as missas
do setiino dia, que por sua alma Ihe raanda re-
zar na igreja de N. S. do Canro, as 7 horas da
manha do dia 30 do corrente, pelo que se confes-
sa summamente grato.
Constando aos abaixo assignado achar-se nes-
ta pract o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho, ren-
deiro dos engenhos Barra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesnio o obzequio de vir entender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
tendeute aes referid> s engenhos. Rua do Amorim
37, escriptorio.
Tasso Irmaos & C.
Vicente fugio.
Na noite de 13 para 14 de marco do corrente
umo fugio o mulato Vicente, escravo, de 20 annos"
Je idade, bonita Ogura, barba e estatura regular,
evando vestida e em um sac;o roupa de algodao
branco e alguma mais fma pertencente a um cai-
xeiro da ca^a d'oade fugio ; e natural da fregue-
zia de Sant'Anna do Mattos, diz ser livre, casado,
e ter sido criado em compaubia da madrinha D.
ABna Luiza da Luz, de quem alias foi escravo :
roga-se, portanto, aos senhores capitaes de campr
e autoridades polieiaes a apprehensao do dito es-
cravo, e entrega-Io na cidade do Recife, rua do
Crespo n. 10, ao Sr. Joaquim Moreira Reis, ouna
cidade do Assii ao Sr. Torquato Augusto de Oli-
veira Baptista, que serao gtnerosamente gratifi
eados.
Amn Precisa a> de uma^ima para cozinhar,
ii"la pag4-ae*ein-'VtUr na ruadoHospi-
cio n. 70, casa urrea de bolas amarella* na cor-
nl]a._______________________________________
Pn-eisa se d j uma escrava para cozinhar e
comprar : a tutor iia rua i riiueiro de Marco n.
S3.______________;_____________________
Piecisase de uma ama que saiba cozinhar
e engommar: a tratar na praja do Corpo Santo
n. 17, 3 aniar.____________________
Ama de leite
Precisa se de uma ama que tenha banante
leite : na raa Direila n. 8. .
Precisa-se de
uma ama para
cosirjtiatft fc-^feaer! outros me-
Qpres eprv^o de casa c(e
pouc, familia, preferindo se
escrava; JM.ru do apihari-
tee n.40.__________
AMga se nma escrava para tJuo Jervigo de
casa : na rua do Imperailor n. 50,3 andar.
bftrcce-se uaw ama para casa e.-trangeira
ou brknleira : na rua da paz n 36;
Ama
Preci>a-se de amas para todo servit-o de
uma casa de familia : na Passageo da Uagdaleoa,
entre a.ponte pequena e a grande n. JS,ijuDio a
cruz.
Prci?a-se de uma aata para coipharpara
uma familia, composta de ctaa pessoas: a tialar
no.Pflffi'V Paraizo.g. 2^, S;apdar.
Ilicz mariano.
Alguiw devotos vJ manflar celebrar os act os
do mee rrariano, no altar deNossa SenN)ra Mai
dos Homens, erecto na igreja da Madre de Deus,
eujos aetos erSo preeididc-s pelo Sr. Rtd. vigario
Antonio Manoel de Assumpcao, a principiar no
Ultimo do correnle mez, para cujos aetos convi-
dam todos o devcito-que queiram a sistir.
Principiani as 4 horas da manha.
Rieas bandeijas
Para asamentos, bailes e baptisados.
Quem quizer obter uma bandeij?. ricamente en-
feitada, dirija-se a Confeitaria do Campos
Ja mandando ou indo encommendar, la com-
pranlo aril todos os enfeites, constando do seguin-
te :
Bolos fin.is p'i. enfaitar.
Docei saborosistimos para eufeitar.
Figuras allegorlc.-s para enfeitar.
PJipeis arrendados para entei'ar.
Bouquets para neivos.
Alii
Encontrase sempre o seguinte :
Fiambres inglezes.
Budins
Bolos >
Paes de 16 linos.
Fatias de dito pari parturientes.
Pasteis em profusao.
Filhos (sonh s de m-lvmu).
Doces em calda, ralado e secco.
Bolachinhas de mil qualidades.
(Sugar Waffers vanilla) para dietas.
Gelea de mocol6, desinfeclada.
Araendoas, confeitos, etc.
Cha verdadeiro das Caravanas.
Cafe de Java (terd deiro).
Tudo isto na
________CQ.NFEITARIA DO CAMPOS._________
Aluga se o V andar do sobrado da rua do
Bom Jesus n. 4 : a '.rataT no andar do mesmo.
to
qao prao,. alto,"gemelbante aos da Terra-Nova
poem o i,var ao sobredilo sitio, ou ae armazem
a do ilo.-po Santo n. 15, sera bem recom-
censado.
Escravo fugido
Fugio em dias do mez de abril corrente o cabra
Germano, de idade 24 annos, estatura regular e
boa tigura, anda bem vestido e algumas vezes cal-
cado, tem signaes de bexigas no rosto e falla cor-
rectamente, e natural da provincia da Parahvba,
mas 6 de sunp6r que tenha ido para S. Jose'das
Pombas ou Lagoa de Gatos nesta proviniia, aonde
tem parcntes; tambem pode ser que esteja occul-
to nsita cidade, tratando de se libertar sem pagar
a seus senh resj roga-se por isso a autoridades
polieiaes e capitaes de campo a sua captura, pro-
met'endo-se boa gratificacao & quem a realisar,
entregando-o na rua do Apollo n. 20.
Gustave, cabelleireiro, a rua do Marquez de
Olinda n. 51, primeiro andar, precisa de um habil
official de barbeiro; paga-se bem.
O Dr. Joaquim d'Aquino Fonceca, a"
rua d lluspirio n. 33, pode ao Sr. Manoel
Fenian -. ifo Carvalho, residente na estrada
do Rusariulio, o faror do Ihe vir fallar a
respeiiu u negocio de intorosse de anJbos.
Pede se ao Sr. estrangeiro belga, segundo
parece, qae sentou uma bomba americana no en
genho do Brum, e que ficou de ir indireita-la por
nao dar agua ; assim como, que levou uma folha
de ferro e pregos para uma caixo de foles para
matar formigas, que a va entregar coma ha mais
de quartmta dias prometteu, e indireitar a bomba;
faz-se este annuncio nor nao ser enconliado na rua
da Concordia, onde disse que morava, e disseram
que anda para Jaboatao.
Cozinhar e engommar.
Precisa-se alugar uma escrava que saiba cozi-
nhar e engommar; e para casa de pequena fami-
lia : na rua do Vigario n. i6, l. andar.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e de
elegantes modellos, dos mais notaveis e bem co-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse Bi-
donel, Henr\ Hers e I'leyel Wolff & C. : no Vapor
Francez, a raa do Baiao da Victoria, outr'ora No-
va n. 7. aprrcos muito commodos.
Mobilia de vime.
Cadeiras de bal;nco. de bra^o, de guarnicocs,
sofas, jardineira', mesiie, conversadeiras e costu-
reiras, tudo i>to muito bom por serem fortes e
leves.eos mais proorios moveis para saletas e ga-
binetes de recreio.
No armazem do Vapor Francez, rua do BarSo
da Victoria n. 7. outr'oaa Nova,
Perfumarias.
Finos extract os, banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flr de larauja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonete3,
crosmeticos, muitos artigo delicados em perfnma-
ria para presentrs em frascos de extractos, caixi-
nhas sortidas o garrafas de differentes tamanhos
d'agua de t/)logae, tudo de primeira qualidade
dos bem conliecidos fabricantes Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
4rtigo> do differentes gostos e
phantazias.
Espelhs, leques, luvas, joias d'ouro, tesourinhas,
canivetes, caixinhas de cosiura, albuns. quadros,
e caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dilajde couro, e cestinhas para bracos de meninas,
chicotes, bengalas, oculo, pencinez, ponteiras para
charutos c eigarros, escovas, pentes. carteirinba de
madreperola, tapete para lauternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para janellas, esterioco-
pos, lanternas magicas.cosmoramas, jogos da gloria,
Je daraas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminates, machinas de
fazer cafe, cspanadores depalhas, realejos de veio,
accordaos, carrinhos, e berc,os para criangas, e
outras muitas quinquilharias.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de to-
dos os brinquedos fabricados em differntes partes
da Europa, para entretimentos das criancas, tudo
a pregos mais resuniidos que e possivel : no ar-
mazem do Vapor Francez, rua do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Calcado francez
A 9$
Botinas para homem
Acabam de chegar grandes jacluras de botinas
de bezerro, de cordavao, de pelica. de duraque
com biqueira, de bezerro com botSes, e com ilho-
zes a 9#000 (a escolher) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rua do Barao ds
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS preta*, brancas e de core?, diflerentes
lisas, enteitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados,
SAPATOS de lapetes, chariot, castor e de tranoa.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
> BOTINADOS e sapaioes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pen,r
meias perneiras para bomens, e meias pemeira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7.
Alugae o 8" andar da casa n. 56, a rua
Duque de Caslas'. a |ra*ar na u (sma rua n. 79;
9B
AVISO
Precisa-se comprar dous escravos, pedreiro e
carapina, paga se bem : a tratar na thesouraria
da loienas, a rua Pr.mciro de Marco n. 6.
Comprasc um portio de ferro : oa rua do
angel n. G2
FAZENDAS BAMTlS
\A
LOJA DO PAVAO
RA
Rua
Granadina
Liquidate
Ell
Grande escala
S6 o n. 20
A' rua (toCresp:), \m das 3 portas
DE
.lualo a loja da esnilina.
MtTINS CHINEZES,
Proprios para vestido os mais modernos, pelo fazoada, a 6JJ0OO, 6J)500 e 7JS00O.
ratriz
. i j
n. 60
i T
ami
A
nretan-j
eovaiW.
0 Pavao vends graiwdiiia prot* ttlavraja
pelo barato prer;o de &00 n o covado.
UauAfioIao enfestado a SjMKrO
PARA LIQUID All
500 rs. o CAISAJ-FIHCEZ3l A~2D00,
39000 E 3J500.
=5500'
0 PavSo vende um bonito" sortimento de
camisas francezas com peito de algsdSo, a
29000 c 2;500. ( Ditas com peito de linbo
de 39000 a 69000. Ditas bordadas muito
0 Pavao vend p^i^ik.iiMetyotlo en-'finas de 69000 a 109000: assim come
fiistado, pelo barato. prejeo do 32000ia peca. grande sortimento de ceroulas de lioho e de
DHas sera ser enfeeta Jrti com 20 jardas, a algodfio, por precos baratos, e tambem tem
59OOO. Ditas com 2i jardo& muit boa completo sortimejito de punlios e cpllarinhos
diminuto preco de 280 rs. 0 cotado, 6 pechincha
Dao-se amostr^s.
ORGANDYS .'E CO AES.
Fazenda Gna e com bonitos padrSes, pelo dimi-
nuto pre^o de 320 rs. 0 covado, e pecchincha I
Dao-se amoslras.
CHITAS COM PA!NNO DE CRETO.NK.
Fazenda 'finissima, com lindos podiBes, pelo di-
minuto preco deJIJO rs. 0 covado, so se vendo,
e pecbjociia [ D|o-se amostras.
LAS E9COCEZAS
Completo sortimento de las escocezas, e para
a-abir se vende a 2'iO-rs. 0 covado ; 6 pechincbat
Dao-se amostras.
CASSA LANE.
Grande sortimento desla fazwida, com 05 mais
bonitos padroes que tem vindo e que vendo-se
pelo diminuto preco de 800 rs. 0 covado ; e pe-
chincha 1 Dao-se amostras.
CMfTAS CLARAS
ALPACAS PRETAS A 500, 610 E $00 R9.
0 Pavao tem um grande .sortimento de
alpacas pretas, que vende a 5)0, 640 e 800
rs. 0 covado. assim como gran ie sorti-
mento de cantoes, bombazinas, princezas
pretas, merin6s, e outras muitas fazertdas
proprias para luto.
Sedinhas a 19SOO.
0 Pavlo vende sedas cord lislrinhas de
cores a 19600 0 covado. Ditas com pal-
minbas a 29000. Ditas com toque de mofo
a 19000 e 19400.
CAMBRAIA VICTORIA A 49000, 49500,
09000 E 79000.
0 Pav3o vende urn grande sortimento de
cambraia Victoria 9 transpareute com
;8 1/2 varas cada pe?a, pelos baratos precos
Com bonitos padroes, que se Tsde 1 260 rs. o;de 4500O, 49503, 59000, 69000 e 7^000
covado ; 6 pechincha Dao-^t' amo>!r.--. I w '. j-. > 1
HOI 1 4>D4 "' a P6?8, assitn com. ditas oe salptco bran-
Brim nolland^, liso, 0 que ha de mai fmo, pro- c0 a 7^?,0^ 6W RlStfS'.*
prio para costumes de homeus e mevutua e ves-
tilos para senlwras, por ser muito ti;." e linlio
puro, e se ven 'e pel) diminuto prec, 1 do 3G0 rs.
0 cvvado; e pec incha I Dao so amostras.
BRINS DE COBES.
Briii* de cores, linho puro, torn b nin? pa-
dr5es e que se vende pelo diminuto pn--o de 560
r?. 0 covado ; e pechiuclia I Dao-se antcstras.
, CAMISAS DE CliETONE.
Camisa- de cretone, 0 que ha de mais fin^s,
com llnlos padroes e quo :e venJe a 40j000 a
duzia e 3/5U0 cada uma ; e pechincha I so se
vendo
Assim como um deposito de mais fazendas que
te vendem por meno3 do que em outra qualquer
part*,- como sejam :
Cortes de ca?emira de cores a i$ ; 6 pechin-
cha 1
Idem de brim pardo fmo a 13500; idem.
Colchas de fustao com ba-ra, muito grandes a
i 5 ; idem.
Idem item brancas, item idem, a 3J ; idem.
Cobertas de chita ad imascada fina, idem idem,
a 31500 ; idem.
Lencoes ,!e bramante, idem idem, a 21 ; idem.
Toalhas alcochoadas a 53300 a duzia ; idem.
Lencos de ;asa com barra a l^OJO a duzia ;
idem.
Idem idem idem branej.- abainhados a 2^000 ;
idem.
Idem em caixinhas muito lindas a 33500 a
duzia.
Seroulas ie linho e algodao a \8$ a duzia.
Cambraia Victoria fma a 3*800 a peca ; 6 pe-
chineha.
Algodao marca T largo a 42500 e 5j'a peca.
Madapolao flno a 43800 a n-ca.
Sdadapolao francez muito Pino a 64 a peca.
Brim pardo muito lino a 400 rs 0 covado ; &
pechincha.
Cambraia tran?parente, 0 que ha de mais fina
a 62 a peca.
Baptista* de cores modernas e com lindos pa-
droes a 40') rs. 0 coviJo e grande pechincha I
Dao-se amostras.
S6 o n. 20
A* raa do Crespo, I ja das 3 porlas
DE
GilnjnmiK a- c.
Junto a loja da cscfiiini.
O I'stabeleriiiu'iiio ncha-sc nlx-i-io
das iiorjiM da manha an 9
horiiM da noilc
GRANAUI^AS
Grana iinas de seda pura, preta com listras
de cdrese padroes os mais bonitos que tem
vindo ao mercado o que se vende pelo di-
minuto preco de 500 rs. b covado, por ter
um pequeno toque de mofo, e fazenda de
29010 o covado ; e pechincha. Dao se
amostras.
Briii! brafleo
Rrim branco muito fino, fazenda de
29500 a vara, que se vende por 19480 a
vara, por estar com um pequeno defeito ; 6
pechincha.
Melins francezes
Met ins francezes, fszenda muito fina, pa-
droes modernos, Lzmda qua jd se vendeu
por 500 rs, a 300 rs. 0 covado; e pechin-
cha. Dao se amostras.
Cretonesde listr:s
Cretonesde listras,fazenda acolchoada, pa-
droes muito lindos a 400 rs. 0 covado ; dao-
se amostras.
Madapoloes '
MadapolSes com um pequeno toque de
avaria, de 3^500 a 59000 a peca ; e pe-
chineha.
CH1TAS PERCALES
Chitas percales avariddas a 240 rs. 0 co-
vado; e pechincha.
SO' 0
IV. SO da rua do Ci-espo
Loja das 3 portas
DE
Gulhrae AC.
Junto a loja da esquina
KOVAS LAZLNHAS [A 560 RS.
0 Pavao recebeu pelo ultimo vapor uu
elegante s .rtmento das mais liulaslaiznhas
para yestidos, sendo transparentes com as
mais delica-'as cores, e modern'jsimos pa-
droes, que vende pelo barato preco de 569
rs. o covado, & rua da Imperatriz n 60.
LIQCIDACAO DE ROUPA PARA HOMENS.
0 Pavao vende um grande sortimento de
roupas p^ra bomens, sendo palitots saccos,
ditos fraks, tan'.o decasemira preta o de co-
res, como de panno ; assim como um a?ul-
tado sortimento da calcas de caemira preta,
de cor, de brim de cor e branco, e um
grande sortimento de co'.letes de todas as
qualidades.
Tendo tambem um bom sortimento de
camisas inglezas e francezas; assim como
de ceroulas (Je linbo e de algodao, e \ende
tanto de finliO'como de aig0fjl30, por.pre^os
cm conta.
EspartHkM a 3&0A, J-90 e
3 0 Pavao vende um bonito Sortimento de
espartilhos modernos a 39^00, 4)J000 e
5J000, assim como um bonito sortimento
desalas brancas, bordadas, a 59000 e 69000,
e ditas de lasiuba de cores a 39000: & pe-
chincha.
CORTINADOS' BORDADOS PARA CAMA E
JAxNELLAS, DE 79 ATE' 259000 0PAR
0 Pavao vonde um grande sortimento. de
oortinados bordados, proprios para cams e
janellas, pelo berato preco de 79000,8*000,
10,0000 ate 239000, aisim como : colxas
de dtmasco de la muito fina de 109000
li9000 cada uma.
BIUMANTES A 1900, 29O00 E 29500.
0 Pavao vende bramentes para lenses,
tendo 10 polmos de largura, sendo 0 de
algodaoa 1|00 a 1:000 a vara, e de linbo
a S9K)0, 2-*800 e 39000 a vara: 6 pechin-
cha.
CASEMIRAS A 59000, 69000 E 7*600.
0 Pavao vendo cortes de caseraira* para
calcas, sendo padroes modernos, pelt) bara-
to preco de 5?000, CJOOO e 79000 0 corte,
assim como : pannos prelos dos melhorei
que tem vindo ao mercado, de 49000, 89 e
105000.
ESMERALDLNA A 800 RS.
0 Pavao recebeu um bonito sortimento
das mais < tgantes esmeraldiuas com listras
de seda, sendo em cores e padroes as mais
ra
da Silva.
Acha se constantemente aberto
&sq de noite.
peratnz
In. 60.
i -mo do PAVAO, das G horas da manha
Afogados.
esteaufdrfi.
Paris n'America, a rua Du-
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba de reccber um completo
sortimento de calcados estrangeiros para homem e
senhora, vindo entre elles um lindo sortimento de
elegantes chiquitos, sapatinhos e butinas para
criancas, que tmto vende nor pregos razoa veis.
Panuo de algodao da Bahia,
Vende de todaa as qualidades Joao Rodrigues de
Faria : na rua do Amorim n. 3-1.
Fumos
i
I Vende-se uma casa terrea, na rua de S. Migne
n. ^i3, eoncertada de novo e prejo eemmodo : a
tratar na rua de Cabnga n. 2 B. '

tiamto!!!
A 59Oti.
Lindos cones de granadina com listraa e flores.
fazenda a maia linda possivel. oooj 18 covado?
cada corte, pelo barato preco de 55 ; isto so se
vendu para admirar : na'rua Prim iro de Marco
n. I.
h
m
Vendem se dous de amarello, envemisados, com
pouco uso, proprios para 1. ja de fazenda?, miude-
sas ou ouiro qualqucrn'gocij: para verm rua
Da Bah'a e do Rio, vende Juao Uodrigue* de Fa- i da Imperatriz, fabrica de eigarros dot Srs. Ulysses
a a, rua do amorim n. 33 & Irrnao e tratar com Pocas 4 0, rua Estreiu do
Lindas las escocezas.
De varios pa-Jroes, e inteiramente modernas, i
360 rs o covado : na rua Primeiro de Marco
antiga do Crespo n. 13, loja das columnas, de An-
tonio Correia de Vajconcellos.
A California
DE
Fazendas haratas
Ma raa do Qaeiiuado ti. 43.
Defronte da priQa da Independencia.
E' para liquidar I I
Lazinhas a raoda a escoceza a 200 e 240 rs. o
covado.
Cretone a prussiana a 3i0 rs. o covado.
Cambraia transparente fina a 34 a peca.
Dita Victoria fina a 3 300 a peca.
Toalhas telpudas a 500 rs, uma.
Brim pardo fino a 400 rs. o covado.
Algodao T superior, pouco sujo a 3 e 43 a pega.
Madapolao, pouco suja a 4 e 5 j a peca.
C ita, fazenda propria para roupa de escravos a
200 rs. o covado.
Lencoes de bramante a It.
Briniznhos de listras proprio para vostidos a 34200
o covado.
Venham ver, so na loja das pechincba?.
Dao-se amostras.
Salsa parrilha.
Nova remessa, excellent.! qualidade; vende se
na rua do Vigario n. 16, 1 andar.
c
om avaria
Yenda ou arrendamento.
Na freguezia de Serinbaem, e distante duas le-
goas da eitacao de Gamelleira, do eogenho Bura-
rema, com terreno de raassapC, a maior parto de
varzea, de optima produccSo, e para 3,000 paes de
assuctr annuaes: quem pretender, dirija-se ao ca-
pitao Jas6 de Castro Paes Barreto, no engenho Matto
Grossoj ou a Leal cc Irmio, nesta praca.
Attencao.
Precisa-se de am empregado de conQanfa, que
de fiador a sua conducta, para tomar eonU da es-
cripturaclo e caixa, e mais service da loja da tia-
turaria franceza, rtia la Imperatriz n. 55 : a quern
convier, dirija-se a mesroa,
VENDE-PE
a tavern a sita no pateo daRibeira n. H, a tratar
na mesroa. Garante se a chave ao compadur.
A 4^000, 4^500 e 5^500
Madapoloes com toque de avaria, por muito ba-
rato preco, em vista da qualidade ; assim .como
saias de fa avariadas a 44 quem pretender, ande
ligeiro a rua da Imperatriz n. 60, para nao ter de
se arrepender.
B nario n. 9.
CAFE' DE JAYA
0 unico verdadeiro ven-
de-se na confeitaria do
Campos
U-Imperador-24'
Por todos os vapores re-
cebe-se nova remessa
Armazem progresso
Batatas novas a 30 rs. a libra, e a 700 rs. a
giga.
Chouricas novas a 480 rs. a libra.
LAR'JO D.\ PSNHA N. 10.
Madapolao fino S
fna rua do Crespo n. lO. fy
Pecaa rte madapolao fino e Q
, largo, com toque, a 44, 45'00,54 e 54300,
> fazenda superior c larga.
m Alpacas de scda de cores, lavra-
fti das e muito finas, fazendo modernissima
a 500 rs. o covado.
Camisas dc linho com toque
de sujo, a 14a00 e24 cada uma, epe- '
chineha, isto so na loja n. 10, a rua do lO
Crespo. fi
So se vendo.
Vende-se
oito vacas torinas, grandes e pequenas
ao becco do Ou victor, coxeira..
a tratar
, Charutos e eigarros
doa mais linos e das melhores marcas, do Rio
Janeiro e da Bahia: no armazem do fumo, a rua
do Amorim n. 41, de Jose Domingues do Carmo
Sila.
Vende-se a muito acraditada taverna sita em
Santo Amaro das Salinas, a raa de Lniz do Rego
n. 40, defronte da capella do mesmo nome, pro*
pria para prioeipiante, com commodos para fa-
milia : a tratar oa nesma uveroa, oa na raa do
Rosario da Boa-Vista n. 51, taverna. qne achara
com qaeav tratar.
i:m-:iv\iio
S. CARLOS
Vende-se oa arrenda-se o engenho S, Carlos, em
Ipoiuca, moeote e corrente, com todas as-obras
psrfeito estado do conservaeio, e muito bom
d'agua : a tratar na travessa da rna Duque de Ca-
xias n. 3, andar, com Gabriel Antonto de Castro
Qqintaes.
Yeadfi-se
a taverna e padaria da Ponte de Uchoa n. J7 : a
'tratar na mosma.
Camisas ingleza com peito bordado a 3840O0 a
duzia : so na rua do Duque de Caxias d. 90, loja
de Almeida, Duarte & C.
Calcas de caseiira iinas a
7$ e 8&000.
Sao calcas qua todos vendem por 124, venbam
comprar que val a pena, na loja da Rosa Branca,
rua da Imperatriz n. 50.
Chitas a 200 r&s
E' grande peehhicfea
Venham depressa a loja da Rosa Branca, rna
da Imperatriz n. 86.
Vende-se 60,000 telhas, 30 mil tiiolos de al-
venaria batida, deseceis mil de ladrilhos qua-
drados, e 12,000 tijolos de Upamento ; assim
como, jams de todas as qualidades, potes, qoar-
tin baa e vasos para flores, tudo mnito barato pa-
ra acabar : na olaria de jise Carneiro da Cunaa,
na raa doe Prazeres n. 50.
Musica.
Vende se ladainha e salve pan o mea Mariano,
com acompanhamento de piauo e sera elte : na
rna Direita n. 82.


)

t
1

I
.;



4
4
- Duiib 4e Itfdttiaiitoue Qsbda feira 2# Ml tie '1W4

>
!
PK
fazendas finas
Rua Primeiro doATanco n. 7 A
DI
Cordeiro Siaaoes & C.
E' esia ohm dtfs c*sas qne hoje pode com pri-
masiaoffereeer aos.. seus tregoezos urn variallssi-
mo sortimento de fazendas. finas para grande toi-
lette, enem afsim para nso ordinario de l^das as
classes, e por preco3 vantajosos, das quaes fai am
pequeno resumo.
Mandara fazendas as casas dos pretendentes,
para o que tem pessoal necessario, e dao amostras
mediante pcnhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Grosdenaplas de todas as cOres.
Gorgnrao branco, lizot d.s listras, preto, etc.
Setim Macao, preto e de cores.
Grosdenaples preto.
Vellado preto.
Granadine de soda, preta e-.de cores.
PopeJinas de lindo9 padroes.
Fil6 de seda, branco e preto.
^icas basquinas de seJa.
1 tsaeos de merino" de cores, 15, etc.
Manias brasileiras.
Cortes com cambraia branea com liados borda-
rticas capellas e mantas para noivas.
Niquissimo sortimento de 13s com listras de
?d.
Cambraias de core?.
Dilas maripozas, brancas, lizas e borJadas.
Naozuqucs de lindns padrixs.
Baptistas, padroes deiicados.
Pensal.Taa i}c quadros, pretos e brancos, listras.,
etc., etc.
Brins de linho de cOr, pronrins oara vestidos,
com barra c listras.
Ricos ccrtes de vestido de linho. i* piles da
mesma cdr, ultima mod?
Ditos^de oamr-raia de cores.
Fustao de lindas cures.
Saias bordada para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
01
umm
ipiISpsRI
Rua da ImperatrU a 72

SMK
rcsma
MENDES GUIMARAES Actba de recebor urn- grande sortiraeno p"it-.S
COMO SFJ.vM
GROSDENAPI.E PRETO A lfcgoo. |.K.\C05 BRtfGJSi 29 CO.
Vende-se grosdenaplo p-clD para vesfido Vtle-fla JeiiQos beat cos li- us, 23000,
,de senhoras, a 19300, 29, 39, 49, c 5;? 0 29500 e 39 8 .:ua, ditos dc linbo, a 49,
i'59e G3i(i(>0 a du/ia
covado.
PANNO FRETO A 2S50O.
Vende-se panuo preto do duas larguras,!
para calcas e palitdts, a 2950< 39, 35?SOo['
49, a 69000 0 covado.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 59000.1
Vende-se cortes deca.emira preta para
calcas, a 59, .69, 79 e 850 0 0 cot to.
MERINO* PRETO A 2?80c.
Ven le se merin6 preto" lino, a 23800 e
33000 0 covado.
BOMBAZ NA PRETA A 13500.
Vende-se bombaz na preta enfestada, a'
sortimento. do hivns da veidadeira fabrica de
Jouvin, para homens e senlioias.
Vestnarins para mcnini.s.
Dilos para hapli^ddo.
Chapeos parn who.
Yoainas gnardanapos adwDaicados de linho da
cor. para mesa,
^olchas de la.
'Tortinados bordadus.
Grande snrtironi de camisas de lii.ho, lizas e
bordadas, para hooMMti
Meias de cores para homens, meninos e meni-
a<
Sifas er-coceza?.
t>H>pJft ciens-e senhorr.s.
Meriuo de cor-s para vestiaoi>.
Pito preto, Irani/ado e dito de verlo.
'iilhado do linho e algod.lo para toal
vtoaihado pa-do.
Damasco de li.
Brins de linho, l>ranco de rGres e preto.
Setim.de lindas cures com listras.
CbaleS'de merino de cores e pretos.
Hitos'de ca-emira.
Ditos'de scda pi eta'e de cores.
Diteftdii touquim.
Camisas de rhita para homens.
Ditas de Oanella.
Ceroulas de linho e algodSo.
Pannos de crorlret pan sofa, cadeira* e conso-
, l.eneos boixlados e de labvrintho.
Colchas de crQfhei.
Tarlatana de toi.-is as corps.
Ricos cortes de vestidos do tarlatana bordados
para eortes.
Esparttllios Ii Foulard de seda, liddas cores.
Moias de seda para senhoras e menin'as.
Ricas rachas deseda p. IS para senhoras.
Riro sortimento de leques de madreperolas e
o;so. ,
Damasco de seda.
Caseraira r-rera edect'res.
Chitas, niai!apoi5o [i.inno fino preto e azul, col-
larinhos, punhns de4inhO e alcodao, gravatas, lu-
vas de fio de liC'ifsia. topatea de lodaa os tama-
nhos, boisas de vi3gem, peitoa bordados para ho-
mens, lenc >s de linho branco e de cures, toalhas,
guardananos. i-te., pic.
Wilson I'.uwe & L. vendem no sen artnaze.m
rna de Commprcio n. l\ :
verdadeiro pannn-de algodao ami anumeMo.
Exeellente tin de vela.
Cognac de t* quaJidade
Vinho de Bordeaux
Cairvio de Padra de tfe3a as qoaiWWfes
F izendas avariadas
na tot do Qnrimadi.n. i3, oYfrente da I'racinha
da ladeprnArBria : iitaJapoioes, algodoes, chitas e
outras fj;endas, por todo pre^oOrrani frc-
guezes.
______________S o 4 3.________
Aos aprcciadoies do cafe do
Ceara.
EVfcle-Bfl cafe do Oara de primtira qnalidade
Bel 1 nato prerjo de 1*000 0 k.lo, e assnear refi-
ntUo de.primeira pialidade a3iW ieis okilo: na
ri fina^ao da rna do Rangel n. li.
Sabaoa2-00 rs.o kilo
Noarmazem do fumo, a rua do Amorim n. 41,
de Jose D<-mini!iw!B do Carmo Silva.
Ulujto |)i;i'a siinhora.
A lja do 'Passo a rna Priineiro d Marco n.
7 A, reoeben pelo nitimo paqnele, 11m rico sorti<
mento de cbapeos para senhori, ultima rnoda e
vende pi.rpreijo cimmndo.
Pillulas Catharticas
de Ayer.
Pars, todos os effaitos di
uzn romodio lauata,
Kao ha seguramente, un
r*mtdio torn univertalment*
proenrado como um cathar-
tico on porgante, e nenhnm
ontro tem riio *o asado em
todos os paizes e por todas as classes, como estas Fiu^u.
LAS, suayes mas efBcazes. A razao 6 evidente, formao
um reinedio mtrito mnis certo e efflcaa qis nenhtan outro.
AqucUes que os teem ensaiado sabem que se teem curado
pelo sen nso, os qne nSo os ensaiarao sabem qne sens amTgos
e visinhos se teem enrado, e todos conliecem qne o resultado
tirado uma vez, se tirara Sodas as vezes, e qoe as jPXLLU-
IjAB nnnca falhio por conseqnencia de erro on nfigligencia
!ia sua oompoaicao.
Temoe rallhares sobre milhares de ci'rtificados referentes as
distmctas cm-as mm hio eftVctnado estas pilmlas, nas moles-
tiaquemsegnWa meoeiontm**, porem seo taes onras
conhecidas em toda a parte aonde teem penetrado, des neces-
sario t publica l-o(]Di. Adaptadas a todas as idades e 4
todas as condiroes, am todas a* tUms*, nao conteado calom-
clano nem ontra qnalquer droga deleteria, ellas podem ser
tomadas por qualquer pessoa com toda sagtrtaca. Su
capa d'naencttf as coaserva sempre fresoas, as torna gosto-
sas ao palladar, sendo tambem puramente vegetaes, nao po-
dem resnttar eflfeito* prejudicfees se por aoaso Tom toraadaj
em qoze 4esmasiada. O papal que serve de coberta pars,
sada vidro leva dir?';6es minuciosas com' relacao as secuin-'
tes niolestiasqe>as riLluiAS OAIBABTlCAB rapi-
(lameute curifo. Para a DysjkejMta ou Indtgutoo, Z>(4-
plieencla, Longuidcz, Talfa de Appetite, tonMUlas'Mn dose moderada a fim de eetimular o estomsgo 4
iestablecer snas fur.c^aos saudaveis.
Para aiDoeHcmt do Ftffado e snar dlversas symptom**
Emt\f6m BUf*atv ico Btlloao, e Febret Blllotai, devim fee tomar tambem
modemdamente em cado caSd, pra' WrregeV a Bc on leraover^obstsoBlos que a.causio.
Para a D//ienteria ou' Diarrhea, t geralmente bastante
uma dose peqnena.
Para MiummUtiiu, alta,'Arre*a*, Palpitacao do
CoraeSo, Dorr* not ilhargat ou. eoitat, devem ser
tomndati contfntiadatoerite, at^alte^-fc'siocfi) llO*'l0fgk>^
disregulados,de sort* que a moJestia disapparsc*.
Para a Bydrope*lu e InehaeZf HyiropUai, i precisO
tomtl-as fraquentenvrnte e em poruBei assas'gras pan
produzir o efleito de um purgative lrastico. Como XHoet-
Uvo para o jnntar ou comifla, toma-se nma on duas para
promover digestio e ajudar o estomago. Uma on duas to-
ads* de vez cm qoanilo, estimulao ou eitomaeo a obrar sau-
davehnente. '
Qualquer que se acha regularmente bom, tomando um*
ou duas d-esus pUhdas se achara, mt.it*s vezes, decidida-
mente minor, por razSo que ellas puriflcam e restanifo 0
spparetbo digestive.
PBXPA&AXJAS POIt
J. C. Ayer & Ca., Lowell, Mass., E.XJ.
VBNDB SE IOB
13500,13800e 23000 o covado.
ALPACA PRETA A 500 RS.
Venilo se alpaca preta fina, a 500, 640,
800 rs. e 13000 o covado.
FAZEiNDAS DE CORES E CAMBRAIA
BR VNCA A 330i 0.
Ven!e se per;as de cambraia bnnca trans-
pan nte a 33, 43, 53 e 63090, ditas de cam-
braia tapada, Victoria, a 33, 33800, 43
e 5J000.
CORTLNADOS PARA CAMA A 163000.
V'ende se cortinados bordados para cama,
a 163, 203, 253) e 303000.
CAMBR IA DE CORES A 300 RS.
Vende-se cambraia de cores finas, miudas,
300, 320 o 360 rs. o cova CHITAS LARGAS A 200 RS.
Vonde-se chitas I.'rgas para vestidos, a
I 240, 320 e 360 rs. o covado.
BRAMANTE A 13G00.
Vende-se bramante com 10 pslmos de
largo a 13600, 138(0 e 23500 o metro.
5IADAP0LA0 A 33000.
Vende-se pe^as de madapolao enfestado
!a 33000. Dito inglez a 43500, 63'
1 50500, 63030, 73000 e 83000 a pessa.
CORTINADOS PARA JANELLAS A 83000,
Vtnde-se o par de cortinados bordados.
para janellas, a 83 e 1030: 0 o p8r.
ALGODAO A 43000.
Vt-nde-se pe$ns de algodSo, a b$, 53 e
C3000.
CEROURAS A 13000.
Vende-so ceroulas de algodSo, a 13000,
ditas finas de bramante a 13500 e 23 cada
uma.
CAMISAS BRANCAS A 23C00.
Vende-se camisas brancas finas, a 23,
23500, 33 e 43000.
CROCIi ES PA ItA CADglRAS A 13300.
Vcndu-so pannos de eroclie para c.- a 13500 cada um, tokhas de di o pcra
noivas.
MADAPOLAO TRANCEZ A 73000.
Ven ie se pc^as de mailnpoluo fr.rncez
tnuit i fino, a 73, S3 e 103.'00.
BRIM PA It DO A 400 RS. 0 COVADO.
Vende so brim pardo para calcas, a 400
rs. 0 covado.
CORTLS DE CASEMIRA DE 53000.
Vende-se cortes de casemira do cores para
A"rn rfrt, Cafttfg& n. f A.
Os proprieiairios'daii'rtvdilerta, no intulto1 i*
Jonsfir8n oibwrs eonccilo que tuem inereddo I't'Uavd publkq, di.-tinguindo 0 sou estabaleci-
m^nlo (jus mais (ine negociam no inesmo ^enere
went scientiBc.-rr aos seus hons fregntzes qae pre-
pa-8 tfi.1-, eniroi*oweasrrespendeiites nas diversas-par
,as d'Europapara Ihes enviarem por todos tap*
jw-'tes os ftbjettov. da lnxo 0 bom gosto, qne se-
iam mais bemaceitos pelas socieJades elegantes
(iaquellfc3 paii.es, vlsfo aproximar se 0 tempo dt
estn.WBque 0 bollo sexo desta linda Veneza
:nais ostenta a riqueza do suas toiilcttes ; e co
00 ja recebessem pele paqneto frantex diverso
-jtigos da ultima moda, veem patentear algun.-
1 nitre elles qne se tornam mais recomraendaveis,
;:-perado do respeitaVel publioo a costumada
i:oncurrncia.
Aderecos de tartaruga os mais lindos que teem
vicdo io mercado.
Albrms com ricas capas de madreperola e d
velludo, sendo diversos tamanlios e baratos ore-
o e
Aderecos completos de borracha pr prios para
lUto, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
nitos.
calgas, a 53, uJToOO e C^OOO.
GROSDENAI'i E PRETO.
Vendo-se grosdenap'e preto com 4 1/2
plmos de largora, a 53 o covado.
LSGUIAO FINO A 230Ou.
V. nde se c-squiao fino do litiho, a 23,
23500, 33 e 43o metro.
CHITAS PA HA COBERTA A 280 RS
Vende-se chitas para coberta, a 280 e 400
rs. 0 covado.
BRIM BRA SCO A UO0O.
Vendc-se brim branco de lmbo, a 13,
132S0, 13000 e 23 0 m. tro.
BRETA.NHA DE 1.IM10 A 640 RS.
Vende-ie brclanha Co linho, a 6V0 rs. a
vara.
FLA.MILI.A DE CORES A 890 RS.
Vt nde-so flan-. Ila de cores, a 800 rs 0
cova !o.
C0BERT0IIES DE ALGODAO A 134C0.
Vende-se cobertores de pell 1 a 13'iOO.
Cobcrtas de chitd a ISSO'I e '-3 ditas cn-
c?.rna a.?, forradas, a 4$, no Bazar Nacional,
rua da Imperatriz n. 72.
CORTES DE CASSA A 39000.
Vendc-se cortes de cassa niudas a 33
cadfl um.
GRAVM^S PARA SENH0RA A 13: 00.
Vende se grnvatas para senhoras, a 13,
ditas para homens a 5( 0 rs.
ALGODAO ENFESTADO A 13(C0.
Vende se nlgodao enfestado pca lenses,
a liJOOO a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE ROL'PA FEITA
NAC10NAL.
Vende se palit6:s de psnno pretn a 53, 73,
8^e 10^.000.
Vende-se p-.litots de alpaca prcla, a 33,
33500 e 4?000.
BRLN'S DE CORES A 400 RS.
Vende-se brins de cores para calcas, a 400,
e 500 rs. 0 cr.vadn.
CIIA ES A 800 RS.
Vende se chales de 13 a 800 rs., chalesde
merits de cores, a 23, 33, 43 e 53^00.
COLCHAS DE CORES A 230C0.
Vende se colchas de cores para C3m8, a
23,33500 e 43000.
CHITAS DE CORES A 360 RS.
Vende-se chitas finas de cores, a 360 e' 400
rs. 0 covado.
ALPACAS DE CORES A 500 RS.
Vende-se alpacas finas de cores, a 500,
640 e 800 rs. 0 covado.
TAPETES A 43500.
a 43,
de panno
0, 33300-e
Vende-se calcas pretas
61, 73 e 83C00.
Vende-se colletes pretos, a
43 to.
Vende-se ceroulas. a 10, 13500, 23 e
3;$G0;>.
Yi ndc-se camisas brancas, a 2;5, 23300,
33 e 43000.
Vende-se ccmisas de chit s, a t-3'00, 20
e 3^000.
CHITAS PRETAS A 320 RS.
Vende-se chitas pretas finas, a 320 e 360
rs. 0 cvado.
LAZ1NHA A 2C0 RS.
Ven-le-se iSzinhas para v. stidos, a 200,
Vende-se tapetes psra salas, de di versos 320, 400 e 500 rs. 0 covado. No Bazar
tamanhos, a 43500, 53, 63 e 83000 cada Nacional. rua da Imperatriz n. 72, de Men-
um. des Guimaracs (frlrrnflos.
VENHAM VER SO' 0 BARATEIRO
Ootoes de setim preto ff de cores para ornato de
vestidos do sennora ; t;,rnbem tem para collete
palitou
Bolsas- para senhoras, existe um bello sortimen-
de seda", de patha, de chagrim. etc., etc., por
liarato preco.
Bunecas de todes os tamanhos, uauto de loucj
como d"e cdra, de borracha e de massa ; chama-
nios a attenfdo das Exmas. Sras. para este artigo.
pois as vezes lornam-se as criancas um pouco im-
pertinentes por falta de um obiecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho Jisas e com poit.is bordados
para homem, vendem sc por preco commodo.
Ceronlai de linho e de algodar, de diversos pre-
eos.
Caixiilhas eom musien, o que ha de, mais Hndo,
com disticos nas .tainpas e proprios para presen-
te
Coques os mais modernos p. dc Jiversos torma
'<>S.
Chapeos para st-nhora. neceberam um softimentt
];. ultima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
C-apellas simples c cum vpo pnra noivas.
Laleas bi.rdadas para mecinas.
I^niremeios estampadjs e bordados, de Iindo
<'!'"DhOS.
Sscovas electricas para dentes, tem a proprie-
dade de evitar a earie dos dentes.
Franjas de seda pretas e de cores, exi.-te nm
<-aade sortiroento de divercas bagofas e baratc
prfQO.
Fitts do saria. do j?rgrr?.o. de setim e de cba-
al(i Facnas de gorgurao muito lindas.
Fi.i-t artiliciaes. A Piedilecta priiua em eon-
er^ar sempre um bello e grande sonimento des-
as flo. es, nao so^para enfeite dos c^bellos, come
tambem para ornato dc vestrdo de noivas.
'Ji'oes de algodao, da la e de seda, btancos, pre
ios e de diversas cores.
Oravatas de seda para homem e senhoras.
'a?03 do cambraia e de scda d-j diversas core>
pasa aeiiRora.
Ligas de seda de cores e brancas bordadas para
m'.iva.
I.ivros para ouvir missa, ccm capas de madre-
perola, marfim, Cs o e veilndo, tndo qoe ha de
bom.
Pentes de tartaruga e niaifiin para ahsaros ca-
,!elos ; teem tanibem para tiiar uasv.as.
Pcit bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, marnm, ftsso e HoUl'a'dos por barato preco.
Perfupiarias. Xesle artigo esta a Predileeta bem
provida, nao so em extractor,- imab cm olecs e
bauhas .dos tnplhores IhbriCantes, I.uubin, Piver, Soeiedade Hygienica,
JouoVay, Gosuel e Ilimcl ; sao Indispensaveis para
a fesla.
Saias bordadas para seubtra, por commode
precjo.
Sapatinhos de la e de setim bordados .para bap-
tisados.
Tapetes. Recebea a Prediletta um boriito sorti-
n:ento de Jiversos-tamadhos, tamo para sofa co-
mo para tutrada de salas.
V&u'mentts.para,.baplisadoo que ha de melhor
gosto e os mais modernc s receheu a iVedilecti
de or ar.to preio, para Ik-ar aj alcance
malqaer bolsa.
Rua do Gabuffd n. 1
Msgnolia
Na loja da Magnolia,'a rua Docrae de Caxias i.'
i;*neontrara sempre o re'pe'W^el poblico um ,
complete soriimento do perfumarias finas, bjettos '
depliantasia, luvas do J'.uvio, artigos de moja e
mlndezas flbas, assim coao modicidade nos pre- i
;os, agrado e slnecridafle.
Antieis electricos
A Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 45, aca-
ba de recebcr os verdadeiros anneis e voltas elec-
tricas, proprio=*para os- nervosos.
Meios adefecos
A Mngmlia, a rua Duqae de Caxias n. 45, re-
ceheu um complete sortimento de
Keios aderecos de tartnrnga.
Meios'adere(,'os de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (ultima moda)
e de muitus outras qualidadcs.
Botoes de aco
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, tem
para- vender os modernos botoes de aco, proprios
para vestidis.
Oolinhas epunhos
das mais modernas qne ha no mercado ; a ellas :
na Magnolia, a rua Duque de Caxias a. 45.
Lencos chinezes
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
ceheu uma pequena quamidsde de lencos de seda
chinezes, com liudisdmcs desenhos, fazenda intei-
ramente nova.
Economia do-
mestica
j Na rua Primeiro de Marijo n. 1.
Ginfronte ao arco de Santo Aotenio, loja de
| Agoatinho Ferreira da Siiva Leal & C.
\'f Lanjinhas, gosto eseossez, padifies inteiramente
novos, pelo diminnto preco de 200, 240 c260 rels
o covado.
Baptistas lisas, fims, e de core? a 320, 400 e
440 reis o covado, lito so se vendo I
Chapeos de sol de fdda, para homens, ingk-zes
(paragon) e com ii bastes, pel. pie.o de Si e 9f,
fazenda esta que sempre custm Vi^, to para
acabar.
Na rua Primeiro de Marco n. I.
____________Lnja d i barateiro
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas cpi- v.-rc .-; *te nonriir
rur Marquez in .jl;r..1; o. 51
Gaz a 5#500 alata
com 25 garrafas, do mellicr e da m;>is acrtditaaa
marca di Henry Fdrsler & C, garantfdo a qaili-
dade e a qnantidade do liquido completo : no ar-
mazem de Jose Domingues uo Canue e Ui,
ma do Amorj^n n. 41__________________
Chapeos para senhora
lr-eperola.de tartaruga de JJS%Sft& ^nS&
marnm. de osso, e de mu.tes outras quahdafles: Je chapeos de vellndJ de seda c de oalh'i da I v
a Magnolia, a"rua Duque de Caxias nu- lia, ^TrZll,"miinai, eNenhfrSs : vSdem
*-i..* no Bazar Victoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
Attencao. Cintos e leques
Amaral, Xabuco & C. vendem cint-.s de couro
' preto e de cores para senhora, de c uro de lustre,
; de bezerrede borracha para meninos e hymens,
hqnes do tartaruga, marfim. nv.ilr.pcrr.la alva e
' queimada, li-os e lavrados, de rhagrin, madeira,
chagrin e seda e madeira e scda para senhora :
no Bazar Victoria rua do Ba ao da Victoria n. t.
Leques
nuro 45.
A loja da Magnolia, a rna Duque de Caxias n.
'a, acaha de rcetber o srguintes arligos :
Manual de madreperola, tartaruga e marlim.
Hicos albiin< corn rr-pn de madreperola, cha-
si', madeira, ve Indo, coaro, etc.
Lindas caixas com lini..-imas perfumarias.
Lgasde ^eda.brjiicas e de cores.
VolUis dc madrpj erola.
I'u seiras de madreperola.
Ii.*as caixas para co>tura.
Vestuarios paia baplisado.
T-.ncas e sapatinhos de setim.
Modernos chapeos do sol de seda para senhoras. i
Lindos port-btiuqaets.
Gravatinhas de vellodo, etc, etc.
Granadiue
linda- cores, vende se
0 800 rs. o covado : rua I." de Marco n.
por 6C0
7 A.
foikh dc maiidjoca
De superior malidade e muito nova, ch.gada
pelo u-limo navio : vende-se a rua do Bruin a. 92,
armazem de as-near.
E' baralo.
Vende-se um ppqucno si io perto da esta-
00 do Salgadinho, tendo de frente 150
ptlmos, e de fundos mais de qualrocentos,
Giauiles pechiuchas!
SO" NA
TANA DE PARIS.
A'
It it (I IiMicerntriz ii Si.
Manoel Ferreira de Oliveira, dono deste novo
arvores de iructo, agua de beber e todo cer- Exms- familias,
i I a virem ou mam
Vende-fe uma' cast terrea com 3 quartos,
rczinha fora e 2 quartos para escravos, em muito
bom estado, sita a rua do Baiao de S. Borja, ou-
tr'ora rua do'Seho u. II : a tratar na pra-'a do
Conde d'Eu n. IB.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n. 63.
apressase em eonvidar a seus freguezes, com es
peeralidade ao bello sexo a virem aprecrar os se
guintes artigos expostos a venda e todos por prcm
commodes, como sejam :
FINAS BOXECAS mansas e choronas.
BOMTAS E ENGBACADAS vistas para sterios
copies.
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e meninas
BONITOS VASOS com fina banha e cheiroso*
extractos, trazendo cada frasco um noaie, uma ini-
cial on nm distico.
FINAS MEIAS Di? SEDA, vindo entre ellas co
de carne.
Para quern guslar.
A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
63, acaba de receber'tentos e caixas para ologo d<
Voltarettc.
Para qnem s; ITrc (?as pernas.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias i
63, acaba de receber as procuradas meias de bor
racha para quem soffre das pernas.
FLORES ARTIFICIAES
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias
63, acaba de receber um lindo e completo sorti-
mento de Acres artiliciaes das melbores que ten
vindo ao mercado
A ellas antes que se acahem.
Costumes para crianca.
A Nova Esperanca, a rua Duqae de Caxias a.
63, acaba de receber bomtos costumes para criaac*
e es<.i se vendendo por precos razoavels.
A Niva Esperanga, a rua Duque de Caxias u
163, recebf-u um pequeco soriimento de anneis t
| pulseiras electricas, proprias para qnem soffre do?
, nervos.
NA
Rua 1." de Marco n. 1.
CoDfi*ou(e o arco Jc Santo In-
tooio.
icsiii vendendo suns razonclam com
SO por cento nsenos qae em ourra
(Itialquer parte.
A saber :
Madapolao com toque de mofo, pelo barato pre-
co de 4 if 00 e 3a
Dito franeez.limpo e de superior qualidade, ror
5i.'.:00, 6f0(0e 6i.'C0.
Algodao marca T, largo, superior qualidade, a
4*500, 5i, SiSW e 6^000.
Grande soriimento de lazinhas degostos inteira-,
mente escosseses, pclos [ireccs de 200, 240, 2C0 e
440 rs. ; so se vendo poder se ha acrc-dilar.
Baptistas, lisas e com flores, fazenda qne sem-
pre enstou 400 e 800 rs., e.tamos vendendo pelo
prec de 350 rs, para acabar.
Pitas linas, padroes matisados, a 400 e 440 rs.
o cova o.
Crf-tone francez, escurcs e claros, os mars'no-
vos qne tem vindo ao mercado, a 480 e'bOO rs. o
covado.
Aprovcitem em qnanto nao se acal.am.chap^os de
sol de seda trancada (paragon)) lz 4138163?, ing'ezes
superiores," pelo insignifkante preco dfe 8a e Oi ;
sempre vendemos por 14iOoO.
Ditos para senhora, de merino, a 3a e 3*300.
Ditos de seda, cabo de osso a 4*000, e pechin-
cha.
Ditos de alpaca de cores, forrados com seda,
e o cabo fingicdo bengala, o mais mederno que
ha, a 1*500 e 2* I
Sortimento de chitas claras e escoras, boa fa-
zenda, para acabar, a 240 e 280 rs. o covado.
Popelina de linho e algodao, gostos inteiramedte
novos e de cdres bonitas a 800 rs. o covadr>, sem-
pre custou 11400.
Camisas de cretone, francezas, modernas e su-
periores a 3* e 3*500
Ditas brancas a 2* e 2*500.
Ditas de linho a95t-0 6 4*080.
Toa:has de- 'linho do Porto a 7*300 8f 000 a
Farinha de mandioea nova, duzia1
Recerrtemente chegada de Santa Catharina tm DiUs felpudas a 11, 7*500 e 8*600.
para vender no trapiche Companhia, e para tratar Esgu'4 co1 '2 jarda'. Pe:o pre^b de 4*300 ; e
no seu escriptorio a rua do Commercio n. 5, Joa- barato bom efferto I
I quim Jose Goncalves BeltrSo & Filho. Advertihdc H^raia^ct^lfU'r.tpai,,Paren,e' hze*fa fina,
laos compradores que deseiando acabar, vendem a *50O. ^*atw, 4*000 e 5* a peca..
j'mafe barato do qae em qualquer ontra parte.-tan LeD?fS de cambraia com barra de cor, a 1*, e
to em grandes como em pequena9 porcoes. brancos a 2*.
*$ *oo** flflTfllUite ln rvAeln V i Grande sorlimeBto de brins de cores, padroes
2 ffOiCIIUdS QC gUMO W, proprios pa*a meninos deescola a 440 e oOOrs.
-\a rna i!n(i'iie>qio n |q j|R t covarjo.
$ K, it Jades de ores com listras ,d'e scda. W L iffi.9 f?***1!0!* mU* e, ** S*^' **
A entremeadas de renda, fazenda ainda nao S ^.VT' Por'Wrmoa gratde qnantidade, se.
!S vista nesta cidade a 800 rs o covado. ^ r".*'e Vf*. .. v u.-'
m Mi de cms com listras de stda e bo- Lfi? Sf && J'' taa? ia^urf:Aei^rat0i
3-ilf pad.Bes a 360T*. o covado. < Sa ^X^Y.^i\Ji3t 6S0!r'eme Para Y^*-. '
5 itaiapolao Irancez muito largo, eom Wt "''T-L9 aHl09 que *" de "'<>
ft 20 vara a 6* a neea W f?ar para nao/ maMar nossos freei"es; maS que
vSterlSVffib, cambraia e a(pa- II Ka'delle^stap_f reseptes.
amigas da ecoin-mia dvme-tica,
mandarem a SULTANA DE PAftIS, e
| verao que compram fazen las bonitas e biotas per
Para ver o mais explicates, no mesrno si- menos jreco que jamaii cou.praram.
tio a qualquer hora a entender-se com Tris-1 Como sejam :
tao Francisco Torres, e para tratar, na the- Popel,j}j2s de ?'pd.a '"in listras mui, hiodertasa
souraria d s loterias, rua l'de Marco; ^ Ma^Tdi'versas cores a 2*500 o covad,).
p. 0-__________________________________| Grosdenap'es de todas as cores.
Pachas de s da para senh ra a 10/000 cada uma ,
e granle re-hincha I
Colletes enfeii.ulos para senhora, muito modernos
a 5*5' 0 cada urn.
Lasinhas de cores em gran le qnantidade de 290
a 5' 0 rs. o covado.
Pecas de eanihraia tran-p?rcnle de 3*000, 3^600,
4*000, 4*o00 e 6*000.
Dita Victoria para todos os preco?.
Gravatinhas do seda para ;*!ihora a 1*000.
Chitas de cOres de iiO a >20 rs. o covado.
Pecas de madap. Ia> era) -io varas a i*6t0, '6-%j0
e 6000 a peca.
Dito francez com 20 jardas a 3j60:>.
GHANDE I'ECII.INCHA I !
Chapeos de sol de seda de t'das as cores, para se-
nhora, a 40>'0!!
Ditos para homem, de 12 hastes, cabo de marlim e
seda trancada a 12*000. s6 na SULTANA DE
PARIS I I
Collarinhos de linho, lisos e bordados a 4*0
5i*00Oe6i0(Oa duzia.
BRIM DE ANGOLA I I
Vende-se brim de Angola vertadeiro, o melhor
que tem vindo ao mercado pelo diminuto preco
de 640 rs o covado, so na SULTAN \ DE PA-
RIS, a rua da Imperatriz n 34.
Farello novo e
Milho pequeno
Da melhor qualidade no armazem de farinha
de trigo de Tasso IrmSos < C. na praca do caes
do Ap.)lh.___________________________,__
Fazendas e roupas muito ba-
ratas
Na loja de J. Porto, a rua Nova n. 14, troca se
por cobre ou m smo por sedulas, boas fazendas e
roupas feitas sem se olhar a lucro, somente para
vender muito.
Camisas de cretone
as mais modernas que tem vindo ao mercado, sen-
do lisas e com listras, e qua se vende a 40*000 a
duzia e a 3*5C0 cada nma ; e pechincha.
Hollanda
Brim pardo liso, o que ha de mais fino, com um
toque de avaria, e que se vende a 480 r3. o cova
do, fazenda propria do paiz por ser linho puro,
applicada para costumes de homens e de meninos :
so na rua do Cr.spo n. 20, loja das tres portas, de
Guilherme & C, junto a loja daesquina.
Sedas a 1#500.
Vende-se bonitas sedas de lindas cores pelo
baratissimo preco de 1*300 o covado ; venr-am a
ellas antes que se acabem, na rua do Duque de
Caxias n. 88, lcja de Demetrio Bastos.
Barao da fidoriratt.
DE
m
ca, para meninas, a 4*, 3* e 6*. Dao e
' iiowwlras com penhor.
VENDE-SB
pes de sapoti, abacate, frncta pan, romeira, fignei-
ra, larangeira cravo, oarreiras, rozeiras, dbalias e
oatras floras e fructas, tndo por preco commodo :
na Boa-Vista, rua do Visconde de Goyanna, outr'Q-
ra Mondego n. 101,_______________
Pacheco A Azevedo fem para vender tapioca
de Anruta de qnalidade especial: em seu arma-
zem na rua do Duque de Caxias n. 29.
Dao-se amo.-tras.
So o barateirO qufer qdeimar
Para rival nao enconttar.
A' rua Primeiro de Marco n. 1, antiga do Cres-
po, de Agostiuho Ferreira da Silva *,eal 4 C.
Progresso da rua do Rangel, do
Vieina n. 60.
Vende se muito barato:
Manleiga em latas aSOJ/s, a libra.
Ervilhaa 120 rs. a libra.
Estrelinha a 320 rS. a libra
Aletrla a 320 rs. a hlftra.
E ouiros muitos genero3.
Carneiro Vismua.
A' tste grande estabrJieciihento tern che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de toddsf'oS autores' mais acredita-
dos uUim'a'menteha'EurdJia, cujas machinas;
sao-garsntidas porum anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade,' corno bem as-
sim concerta-las pelo tempo tambem d'um
anno sem despendib algum do comprador.
Neste estabelecime'nto tambem ha perten$as
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer peca que seja necessario. I'stas ma-
chinas trabalham com toda a perieic,o de
nra.e dous pospontos, franze e'.borda toda
qualquer costura por fina que sfja, seus
pretos sao da segutnte qualidade : pafa tra-
balhar amSo de 3W000; ifoCOO, **000
e 50^000, para tritbalhar com o p4 sSo de
805f0i30,' 90*fjb0, lOO^OOO, 1109000,
1-209000, 130VOOO, 1509000, 2009000 e
2809000, tmquanto aos autores n3o ha" al-
tera^So de pretos, e os compradores poderSo"
visitar este estabtlecimentd. verao gostar pela Variedade de 'objectos 'frrie
ha sempr^ para vender, como sejam : cadel-
rss para'viag^m.'malas para via'gem, Cadei-
ras rjar'a salas, ditas de balanfoi ditas par*
crianga (aftes), ditas pars e'scOlai/cOsture'i-
ras riquiSsimas, para Senbdra. des:perisiifeis
para criah^'ai'de todas1 as qjualida'lts, cabias'
deferro para homem e criahij'as, capafchos,
espelhos 'dourados para sa'la, granges e pe-
quenos, apparelbos de metal paf. cha, fa
queiros com cabo de metal edemaram,
ditos avulsos, colheres de metal fin >, condiei-
ros para sala, jarrds, giiarda-r o.nidas' de
arame, tampas para cobrir prat is, estelr'as
para forrar salas, lavatorios crimpli.-tos, ditos
simples, objectos para toilette, aoutros mui-
tos artigos que muito deremagradar a todos
que visitarem este grande estabolecimento
qae se acha aberto desde as C< boras (Ja ma-
nllS at<5 as 0 horas da uoute d
Riia do Barao da Victoria n.
22.
VENDE-SE
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
tercio, per preco modico: a tratar com Tasso
'rmaes i C
Vende-se
cerveja noruega da marca M L, por menos preco
qn em outra qualquer parte : no armazem de H.
Lundgren, rua do Clmmercio n. 4.____________
Liquida^ao de moveis
P6r .'precos mui reduzidos, diversas mobilias e
cadeirasde ^nacrttlgSo': vendem Cunha & Mania,
a rua do Marquez de Olinda n. 23.
Vendem
Wilson, Rowe & 0.
Em seu armazem a rna do Trapiche n. 14, o se-
guinte :
Algodao azul americano.
Fio de vela.
Carvan de pedra de todas as qualidade?.
Tudo muito barato.
Ultima moda.
A Magnolia, a rua Duque de CaXias n. 45, re-
cebeu um lindo sortimento de bicos de 'pipnre
de c6res, apropriados aos vestiAos chques da ac-
tualidade.
Engenhos em Mamam-
guape.
Vende-se os seguintes :
Barra,
Preguloa,
e Patrlclo.
A iraui*' com sens proprietaries nesta cidade,' curflr todas as dcencas de
para informacdes com Joaquim Pinto de Mei- \ GARGANTA, PEITO, BOFES FIGADO
>P Phtysica, bronchistes, asthma, catharrho,
., tosse, resfriamentos, etc.
tins poucos frascos da r prnes ao muito
M E I) I CIH A
Preparado poi
Laninaii & kemd
para ui.-iica
toda a qualidade
de dociiQiis, quer
sejana garganta,
peito ou boles.
Exprossamente
aseolbidodesate-
lboresfigailus ),;
quaes se extra.:>t
o oleo no bainu
da Terra Soya
puriiicadochi;:.;-
ealmente, e suas
f aluavcis prprj-
edades cottsei ^&-
das com todo 0
cuidado, em todo
o frasco se garan-
teperfeitamen-
te pnro.
Este oleo tem
sido suhrnottido
a u m esame mui-
to sc'vcfo, pelo
cbimico de mais
talcnto, do go-
vern o Iiespanhol
em Cuba e foi
pr.iimneiado por
clle a conter
MAIOR PORCAO D'lODINA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO E UM PODER SALVADOR.
Em todo o oleo de figado de bacalhdo. e na-
quelle no qual contem a maior pefQio desta
invaluavel propriedade, e o unico meio para
Tasso IrmSos & C
Cheguetn a pechincha!
Panama de'"
it
iodoiWrfe/fazenda ihteiramen mfro qe seja, clarea a vista, e da vigor
te nova e qttb se 'fetide'-a700 h, 6 covado, a S40 a tod. corpo. Nenhum outro artigo co-
rs. : na rna do Crespo n. 25 A, Loja da esqoina. nhecido na medicina ou sciencia, di tanto
nutimento aosystema e incommodando quasi
nada o estomago.
As.pessoas cuja organiser,3o tem sido des-
truida pelas allecoOes das
ESCROFUI.AS OU RIIEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digesiao se acha com-
pletameute desarranjada, devem tomar
OOLEO DE FIGADO DE BACALHAO
DE
VendV-se um sitio com 60 palraos de largnra lanmam d KKMP
e joo le fundo, no becco do Espinheiro, tendo___________________________::______
uma casa d- taipa, com : duas meia-agnas ; em nma das quaes ba uma rua Imperial n. 113, tanto para o mato como para
taverna, a qu*| vende se jnBtainente com o mesmo a praca, pcrque o dono retira-se para Europa : a
sitio: tratar no mesmo. .rSar na mesma.
Vende-se
uma meia-agua na ma de v.dha de Santa Rita n
96, pela quantia de 700*, que rende 10* mensies:
a tratar ja rna do Socego n. 32.
Taverna
Vende sea taverna sita a praca do Conde d'Eu,
itr ora da Boa-Vista, n. 9, com poucos fnndos'
out
propria para principiante
poucos
a tratar na mesma.



srT
8
Diario de Pernambucd Quarts feira 29 de Abril de 1674
\
VARIED ADE
-------------------------------------------------------
cohmissao.de limites do brasil
COM 0 PERU'. -E' coir grande prazer que
passaraos para as colurauas do nosso jornal,
as duas cartas abaixo dirigidas pelo Exm.
Sr. bario de Teffe, chefe da comraissio bra-
sileira de lini'tes com o Peru, ao sou raano
o Sr. Jose Paulino von lloonoltz:
Alto-Jaquiraua, proximo ds cabeceiras
do rio JavarvQurata-feira, 5 de marfo de
1874.
Meu JucaQv. inveja-teras de nos ao
16res esta carts... (juj seiitimentos para os
bons amigos Ribeiro e Carneiro da Rocha
em nio se acharem ao meu lado... E-tamos
quasi nas vertentes do Javary e jd livemos
dous combates com os indios I
0 pnmeiro nao passou de u m ataque parcia
d forga que foi reconhecer o terreno cm que
Unbamosde fazer obs-rvagdes as'ronomicas,
mas o segundo foi mais serio, umaverda-
deira batalha quo vieram dar-nos, tolos or-
nados em granie gala e em n-raero do
raais de cento e cincoenta guerreiros...
Este sirn, estere interessanto e curioso,
apezar da foi a cat'idura dos iotmigos e seu
estrondoso grito de guerra. %
Cre, meu Juca, quo estou satisfeito como
naqudles bellos dias do Paraguay em quo
depois de repellirmos o audaz Guar ny li-
camos seohores do rio e earregaJos do tro-
phdos bem ganbos.
A cousa estd fresca e nfio e novidade do
anno passado a que to reiiro: deu- e ha
poucas horas, hoje mosmo, na occasiaoem
que eu ia fazer largar aguasabaho as duns
chalanas Gaslao e Mariocom os doentos
e fracas dispuniveis, ao todo vinte e sete.
NAo sei mesm i como la conto o caso e
portanto para nao escrever uaia longi his-
toria, acho mais prudente transcrever-te .!-
tio na conflueucia
mo tempo uma descarga deulfes a respos- lai
ta, erten fendo urn delles com o era; do
peda^TTo por ami bala Ao mestre Lino mandei or Jem para
baltei em terra jpgo que ouvi o grito ficar so com a -Apaporis& nossa es-
aos nossosecora a Carlos e uns 20 impe- p.-ra. despacbando a outra lancha /por-
riaes raariuheiros corn em auxilio delles, que a 3* desceu levando o. meu secretario
indo tarabera algun? [ eruanos. Ribeiro muito doen'e) ate- o deposito de
Lm undo arco com urn molho de ex- viveres do barracao do Cruz com toda a
eellentes, deticadas e luxu6sas flechas que .genta disponivel.a d'ahi seguir a Taba-
todos admiramos, vieram para meu poder. tiuga, se hmvorem poueos ganaros a li-
ft Fiz trazero corpq paratbarraca een- menticos.
terral-o na mesma margem Dadas todas estas ordens e feitas as dis-
O cadaver era deum homom bem feito, posigoes precisas, mandei emba-car a
robusto de reieio belhcosa, com cabellos gente' o preparar uns foguetes da^dospe-
compridosnoalto daoabeca e cohmdo para psdida, quando repentinamonte se apre-
traz como uma cauda, sendo ao redor cor- sentaram na margem brasiloira u.os cento
lado rodoado como do frade. a e cincoenta selvageus, que branlmlo. os
Mo tinha um arranhio nem cicatrizno. arcos e proromjiendo em agudos gritos,
orpo e soraente em volta dorosto nos bra- nos arremessaram uma nuvem de flecbas.
cos e nos peitos estava pintado de azul com Oecupavam uma extensao Ln neusa.
uma tinti inielevel quo ua> mostrava ter A praia e o rio ficaram juocados de
sido mcutida per meio de picadelas como settas e duas se cravaram ua borla da
vulgar hi ente fazem.
Suas annas sfio as mais perfeitas e lin-
das que tenho visto embora as flecbas n4o
sejam emplumadas.
Umas s3o de pontas de 0530, outras de
taquarossu c outras finalmente de madeira
mioha canda cozinheira emquaato outras
se embotavam e cahiam batondo de en-
contru ;is redes de arame. '
Em urn fochar de olbosempiiabarh'*
os atssjs rewolveres e armas Spencer quo
seinpre estao d mao e rompemos un
rija como rerro a em forma de lanca com tiroieio que os po; era debaudada Uentro'
tres tarpas de caila lado, porem todas mui em pouco.
agucadas, e pintadas de encarnado, azul e' l'assamos logo nts cbalanas em perse-
amareilo, envermsadas com umaresina que, gu.gdo d'eles e encin'ramos dous cada-
a priacipio suppuzemos ser o veneno Curare veres ainda quentes, urn dos quaes trazw
ou o Uijrary.
As pinturas lant) das armas como do
corpo mui delieadas ecom certo gosto.
Tinha sobrancolhas: os beigos e os
denies de cor mui negra, assim como o ca-
bello que era lino e inacio
Estava completamonte nu e n5o tinba
orelhas furadas nem ornato algum.
Ate aqui s6 baviam fadigas nesta na-
vega}ao terrivel por cima de troncos e pon
guns trechos do meu diario, por que nao has de pdos atr.ivez de fortes revessas d'agua
estou agora de pachorra para arredonJar
phrases e buscar termos escolhidos
Vai uma uoticia a" semelhanca da parte
que o velho Barroso deudocombato do Ria-
cbuello; duaspalavra*rosumindo8 negocij
e i> resto fica a" tua int-lligencia ; tjfazer de
conta que vai tudo muito claro e eiplicito
0-mncarei do d^a 2 deste mez para nao te
massar nem tomir demasiado trabalbo, vis-
to ser mui incornmoda a pisi^So em que te
estou escrevendo na p6pa da canda. '
Srtgunda feira, 2demarcjde 1874.
Segui as G horas da raanha, e 10
minatus depois foi a Oscar detida por
uma enorme Sumaumeira que trancava o
rio.
Hedi esta arvore e aehei 124 palmos
fa comprimento (altura nao, porque estava
borisontal) e 21 de circumferencia.
Emquanto 26h3mensde treschalanasse
Oecupavam em corta-h, observeitres series
de alturas para longitude e pondo o baro-
metro e thermometro em terra, tomei os
dados seguintes:
8 n m. Bora tempo.
Fortm 746, i
Therm. Barom. 29', 0
Therm. Iivre 28, 4
Tantas foram as difficuldades e impeci-
lios que encontramos desde o amanhecer,
por eslar o rio a cada volta obstruido com-
pletamente e vermo-nos obrigados a cortar
grossos troncos, que hoje, durante todo o
dia s6 conseguimos avanjar 4 milhas e
tneia !
c Pemoitaremos nesta pequena praia da
margem Peruana ondejd observei as passa-
gens merodianas de Canupus e de Castor,
achando para a 1 *:
Lat 6.o 50' 15" sul
e para2.a Lat. 6. 49'59"
A media 6. 50' 7" snl e a latitude
oiacta desta praia qne lica a 118 milhas
acima d8 bdea do rio Paysandu.
A's 9 horas da noiteBom tempo For-
lin & & dl
(Vou supprimir do diario as observacoes
astronomicas e meteorologicas, porque isto
nada te interessa.
Terca-feira, 3 de raarc/j.
A's (i e raeia da manha segu:mos aguas
arriba.
A's 8 e meia atracamos para almogar
tendc-se cortado tres troncos nestas duas
boras.
A's 11 horas uma nova grande arvore
fechava o rio. Ao atracar para cjrtal-a
sen'imos o barulbo de gente correndo pelo
mato em ambas as margens, e logo vimos
pegadas em grande numero. Nesto lugar
acharam os batelores do mato algumas es-
pigas de milho assado e um amarrado de
folhas verdes contendo excellentes pimentas.
cc Sio portauto indios que plantam e se
communicam com povoacdes civilisadas do
Ucayaly, doqual estamos mui proximos.
C rtando o pa"o segniamos avante quan-
do a escolta da margem brasileira foi ata-
cada p >r um trouc,o de indios que aggre-
dio de frente.
lima flecha passou a rastejar por um
hom'ra que se desviou a tempo, e ao raes-
e violeutas correntezas, mas agora vem-se-
Ihe juntar perigos de outro genero, difficeis
de prevenir, porque as redes de arame so
nos servem durante a noite.
De bora em hora um immenso tronco
nos impede o passo e para cortal-o sabimos
todos das chalanas, uns pira abrir caminho
e outros para baler o mato e guardar os ho-
mens de machado.
Mas o in Ho traicoeiro e vingativo oao
nos ha de deixar sobir impunemente.
Quarti-feira, 4 de marco.
Hoje tern sido uns dia masante e tra-
balhoso como neuhum. Desde ds6 horas da
manhd ate ds 6 da tarde s6 csnsegnimos na-
vegar uma hora e cinco minutos f A's dez
horas restantes consumimos em cor|ar tron-
cos e abrir pass^em a machado e facSo
com a gente dentro d'agua a eraparrar as
chalanas a forga.
0 peior 6 que os mantimentos dimi-
nuem a olhos vistos e o termo da commis-
s3o, isto d, as vertentes do Javary, ainda me
parece que estao um pouco longe.
Conferenciei pois com o meu eollega
e propuz mandar para baixo duas chalaaas
com os doentes e gente dispunive.l aSar de
diminuir o numero de bocas.
Vou desfazer-me de um bom reSorco
de 22 prar.as, mas antes affrontar os indios
com pouca gente, do que com muitas boccas
desafiar a fomo e a miseria.
Nao era possivel carregar raais as cha-
lanas. porem quem sabe quanto coraem
por dia oitenta e dous horaens que traba-
Iham desde manba ate d noite, pode bem
figurar-se qual a quantidade de viveres
preoisos para mez e meij e q.ue porc_ao
se gastaria nos 16 dias que ostaraos agglo-
merados nestas pequenas embarcacoes.
Temos ainda mantimentos- para mais
de 20 dias, porem cumpre reservar al-
guns para a volta ese isto continuar assim,
ficaremos reduzidos d maior penuria.
Eis ahi porque tomei o alvitre de dimi-
nuir as boccas, jd que nao mo 6 possivel
n'estas altu as augmentar os viveres pela
ausencia absoluta de ca^a e de peixe :
estes desapparecem com a cbeia do rio,
e aquella anda acossada polo numero
extraordinario de consumidores selva-
gens.
A manha, depois de cortar um formi-
iugazeiro bravo, que obstrue o
pretendo despachar duas chala-
nas.
Quinta-feira, 5 de margo, 9 horas da
noite. Hoje foi ura dia cheio. Pela
manha cortamos uma arvore, que, como
as outras, servia de poate aos indios,. e
emquanto se praticava o mesmo com ura
segundo e gigantesco troaco, mandei des-
embarcar na praia todos os raantiraen-
tos e dividil-os proporcionalmente entre
as embarcacoes que sobem e as que des-
cem.
Feita a distribuicao, formei agent > dis-
pensada e recoramendando-lhe obedien-
cia ao carpinteiro Medeiros, boraera sizu-
var para baixo as duas chalanas, dei a
este instruc^oes para conduzil-as ate as

davel
passo
folhetim.
l:ceeciTboe5ia
uevobusIe StTUlZ
POR
tt. llauoel Fernandezv Oonzales
QUINTA PARTE
LEONOR
XIV
nt COMO PAULO SOCBE QUEM ERA SEU PAI E
OUTRAS COUSAS MUITO INTERESSANTES.
(Continuag5o do n. 106.)
No mesmo instante abrio-se a porta do
aposento.
Silencio, disso Ariosto, entra alguem :
deve ?er meu irm3o Gabriel.
Com effeito, no quarto entrara um ho-
mem muito parecido com Ariosto.
Julgava-te s6, Ariosto, disse o recera-
chegado ; perdda-me se fui indiscreto.
Paulo, que depois de Ariosto ter lido a
carta rollocara a vdla sobre uma pequena
mesa que estava junto do leito, cumprimen-
tou Gabriel, conscrvando, c(utudo. o rosto
ra sombra.
Este cavalbeiro, disse Ariosto, i oSr.
d'ArnBstevillo, gontil h,mem francez ao ser-
vio no grS-duque, como cspitaO da sua
escolta.. Tem, todavia, de sahir de Fer-
rara, era consequencia da morte de seu
pai, e fez o favor de vir procursr mo,
para mo conhecer, antes 'in p?r;ir. Diga-
Sr. d'Amesteville, parte brevemen-
uma grinalda ou coroa, do perinas bran
cas e tornara-se bem distinclo dos outros
por sua enorme corpulencia, e aclnr-se
mais na fronte iocitindo os- seus, bateado
com as flecbas no arco e f>zealo-nos
horrendas carotas como Je desaftO' por
isso que gritava. arregdiihava os derrtes e
davabilangos para dianti como que.en-
do arrojar-se ao rio e sobre n<5s.
Este, que era o chefe ou Tuxana, rt-
nba as orelhas fra-nzidas por owiode uns-
dentes finos e longos, uus de cima para-
baixo e vice-versa, do modo ojue no se
prrjde tirar este estravagante opnato por
ser preciso cortar as-orelhas.
A figura que representavam os taes
dentes- ou ossos nas erelhas era a mesma
que d-'uma agulha raonstruosa eafiada
tres vezes para cima- e para baixo>n!utn
pedagc ofe borracha cor d'agafrao.
Os maissignaes ou pinturas d'ostesdous
indios eram identicos aos do que morreu
no primeiro combate com a differeng^
por^m, cjue sobre o pettoi rosto e bracks
traziam uma tinta encarnada com quese
armam soraente para a guerra.
Vinhan* tambem com pulsoiras de t>
um trangacio, e no raais- completamente
BUS.
a Encontramos tres arcos e grande nu-
mero de flecbas que cabiram aos feridos
que devem ser muitos pelaqpaatidade de
rastos de sangue que vimos- em todas as di-
reegoes, e por nao pertmcerem taes armas
aos mortos que estavam com as suas ao
lado.
As nossas armas de repeticSo cumpri<
ram.perfeitamenteo seu dever e hoje e que
vejoquanto foi util e conveniente a corapra
que fiz no Pard. de uns roilheiros de cartu-
xos metallicos em substituic^o aos cunhetes
3ue se haviam- deteriorado- no alargamento
o Sftarcilio Dias.
Oestas boas-eapsulasSpencere.de Fau-
chez nao falhou- am s6 tiro,, e embora s vesse- ficado uma-meia duzUffioVa de comba-
batc, comtudo ottmpre notar que elles tarn
bem nao nos ftaxaram um so-bomem entre
todos n6s que estavamos era pe na praia e
d'ahi mesmo ioes respoodemos ao impre-
visto ataque.
As flexas e arco do- Tuxana sao mui
bem acabados, deuma delicadeza de traba-
lbo quo re vela bastanto gosto nestes selva-
gens. Nao usam entretanto de pennas nas
flexas,. e por isso me parece que tao pouco
acertam.
c Os mais arcos e ftexas sdo grosseiros,
ordinarios e sem pinturas.
As que se cravaram na borda dacha-
lana estavam com a ponteira de osso enter
rada quasi raeia pollegada na madeir;,, e as
que recolbomosda praia tinhaai raais de um
palrao pela terra dentco.
Terminada a faina debater o mato e
ajuntar tropheos, acabamos de coriar o troa-
co que elles provavelraente pretendiara de-
fender, e passamos adiante apenas umas 50
bragas onde esbarramos de novo eom outro
pdo grosso atravessado.
Os machadosestiveram a morde-lo des-
apiedadamente ateao pdr do sole no mo-
menta am que desabava uma fariosa trovoa-
da, rompia-se com:grande estribulo esta no
va baxreira.
Comprehendo que nao. sera, reputado
pelos bellicosos babitantes destas margens
como actos de bOa amisade e cortezia o nos-
so proiedimento pouco criminoso de ir as-
sim sem m.is nem mais pondo-os incoramu-
nicaveis, mas que estes senbores tdo com-
modistas se deem ao trabalho de reconstruir
as suas ponies ou fazer novas, derrubando
pela excavagflo das raizes a outras arvores,
porque os cangados commissarios de limites
nlo polem desti vez mostrar sj conplacen-
tes co n os sms patricics raspe.tiros.
~* Deixem-nos subir tranquillamente que
depois de voltarmos das cabeceiras encanta-
das do Javary, ninguera os incommolird
neste seculo, segurane.H>, porque deveras
uma expodigd > desta s6 se f .z uma vez na
viJa e aqui nSo sei o que se vird buscar a
nd j ser o extre no d'una linlia golesica
eonamum a tres nagdes I
a A ligJo fii boi, a corrila ndo se dele
ve send ) qaan lo entraram n s suas malocas
e a mjrte de S>are. Pinto estd vingadu
. Agora has'.,.; recolham se aos basti lo-
res quo do mascara Jos tdo horr-u 1 is esia-
m s nlisfeitos, e dosta vot jd \iram que em
vez de paneiros de fariiilia llns oflereceinoj
confeitos menus gr tj* ao palaiar.
Verenos como sord o dia da maabd, e
se esta chuva do hoje encherd o rio a dei-
xar franca d.ycida para as daas cbalanas
tie r tiyj ainda COioigu e troux i par.) eiraa
com > li n de que os inil -is nio >e peraua-
issem que rgreasavaa com mjrtts ou fe-
'rilo* iuss >s.
T.i In c preciso peasar e calcular na
Condigoos em quo me acbo.
r
* *
a Cumpre observer que desta vez nao
man lei emerrar os cadavcres, poodo-O' apo
nas um ao lado 1j outro, para qre os sol
vagens ptiss-ttm examim-los- e convener se
da efficacia dos nossos tiro*.
Um delk-s recebeu duas-bilas, i:ta na
pema e oartra no paito diretto, o our?o le
vot> o tiro na vkifba.
Talvez que esta esfrega Ifcs modere o
enthusiasm) e fjrocidade cj.ti que nos m-
hiram no eucentrn
apezar da obra uao apreseutar inn tvagao
afgu na importante em materia de enge-
nheria.
As costas da Es;ocia sao cortadas porba-
bias prufundas e embocaduras dos rios d
que charaam Firths.
Dun lee, cidade manufaclora, do 120:000
babitantes, e po.-to de mar importante, estd
situaJa na ribeira norte do Firth of Tay.
0 carvdo do condado de Tife ndo p6de
chegar d cidide senao por u n trasbordo
para alravossar o rio, ou em caminbo de
ferro, danlo um curaprido rodeio poroesto,
e as com nnuicacdes com Edimburgo ecom
bight rra estao augmentadas de 33 a 40
Aqui, m-au Juci, a>-.aba-se o meu diario
ale h j'T e c >mo jd sao mais de 1 f horas vou
descangav o lefizer-me de forgas para as fa-
dig is do amanha.
Foi bu:agaarlar para'o fim a demarca-
gaodoJavsry, porqae dvpois distcprtciso
emfira repoasar noseio'da rniuba querila
fa m ilia.
M h i doas annos e inei > que esiya se
pa-ado delta .-: D'issa querida mai estd velha
e precisa de um filho air menus junto de si ;
m nba mu'her anciosa esp^ra por rnirn e
desespera com demora, t? dmus quendos
filhiriios?
0 Oscar que Jeixei engatiobando estd am
raeniaode quasi |uatroaanc*reoGaslao iue
nasceu> tres mezes iep iis daminln parti ia
da cdrte jd e um-Sgurdo em casa I
Como" me serd'doloroso que estes dcos
queridos filhinhos estranhenvseo pai, fugin-
do talvez com merle de um rosto queimade
que nio-oonheceiW'l...
Nem qpero pensar nisso ; nao sao pensa-
mentos mui agradamis pira ;uom se acha
gozando esta boa vida do alto -Javary. A*-
deus. tern.4. n*n Hoonhoitt. '
Alto Javary* Boulo da cLa-bna Osca%.
Sexta feita; 6 do margv de 187'u Meu qua-
rido Juca*
Todos bons gracaa a Deus, qiue nos ten
despacbar para baixo as duas c'iilanas.
Ficamos- ao tudo- entre brasileiros e pt-
ruanos, Jw pessoas, porem geite- de aguea>-
tar repuebe.
me,
te?
Si a, senhor; espero s6 que meu pai
seja enterrado.
Pois creia que tem aqui ura servo,
ainda que enfermo. Espero que nio tar-
dard em escrever-me logo que chegue a
Paris, porque quero crer que se nio esque-
cerd de mira.
Nio o esquecerei nunca, senhor.
Se por ventura recuperar a minba
saiide, posso affiancar-lhe que nos enc mtra-
remos em Paris.
A minha casa e sua. Adeus, senhor,
Deus lbe de um prompto restabeleci-
mento
E, procurando que Gabriel o nao visse
bem, despedio-se delle e sahio.
Felizmeate Buotti nio fallara ainda a I.u-
crecia, e Paulo nio havia sido espio-
nado.
Lucrecia niosoube que Paulo visitara
Ariosto.
A gri-duqueza passara uma noite horri-
vel; seotia se arrastada por uma fore a irre-
sistivel para Paulo, e acabara por ceder e
arrostar com tudo.
Por outro lado, Michelotto, aterrando-a,
nao se apartava da sua imaginagio.
Porque receiava ella Michelotto ? Como
podia Paulo ser um dos rooveis da vin-
ganga de Cesar Borgia ? seria talvez por-
que viria um dia" em que Ihe dissesse :
tu a mas o filho do teu miigo aman-
te ?
Michelotto sabia psrfeitamenle quo isto
nao polit alsrraf-a a Lucrecia ch para a
acrolitar qae I'aaio nio conhecora Miobe-
l.UO.
Esta crenca fozsenttr on Lucrecia u"aa
amargura inflnita, resultado do seguinte ra-
ciocinio que ella flzera :
Julguei sempre que Michelotto me
bavia tirado a minha filha para ra'a apreseu-
tar um dia deshonrada, depravada, envile-
cida, desprezivel. Para que escolheu uma
outra vinganga? Para que quer dizer-me :
es a araante do filho de Ludovico Arios-
to t Oh I se Michelotto nio encontra
outra cousa para satisfazer o odio que
me tem, e porque minba filha mor-
reu... de outro modo aquella alma infa-
me teria jd despedagado a minha filha dian-
te de mira e ter-me-hia arrojado ao rosto
a gargalbada da sua vinganga. Ma-
tou-a, de certo; o procedimento de Mi-
chelotto dil-o bem claro... porem se ella,
morreu porque m'o nio disse T Esta duvi-
da e" horrivel, mas hei de sahir delta, ha
de haver uma occasiao em que me apo-
dere daquelle infame... estava louca,
tire demasiado medo, mandei que o ma-
tassem... nio, nio, 6* neccessario que vira,
e preciso que eu possa interrogal-o... em
vio pretendo.sahir deste circulo de ferro
que me rodeia ; nio posso f*zer cousa al
guma... meu marido... sou sua escrava I
Bern, serei livre, terei um quinto marido...
Paulo l'
A fera nao tinha perdido cousa alguma
da sua ferocidade.
Lucrecia nio sentia a falta do simno, n3o
estava causada, sentia-se excitada, lutava,
impacientava-se para que os successes
se npressassera, para que viesse de promp-
to uma situagio clara, fosse ou nio terri-
vel. A sua imaginagio tornava-se vertig-
nosa, as ideas revolviara-se oella era tur-
bilhoes, tinha febre, febre que em vez de
a prostrar, a :xcitava. Lucrecia era uma
tribus reuiiidas, somesbastantes-para rechi-
ga-las.
Pizarro-con pouco mais bates s aguerri*
das legioes de Ataboatoa.
0 que reueio e uiotT comJapara a!ir
mentar a guarnicao.
Aqui nao ha recursos, porque tudo estd-
bstido e explorado pelos indie;.
Coma moleatia do Dr. Carneiroda Roc'aa,
jd desde Tabatinga aslamos sem melico.e
com a grave enfermidade do meu secretario
esubstituto, o bom. amigo Dr. Ribeiro, vi-
me forgado a mandar com elle desdo a Boc-
ca do Paysandu o enfermeiro. Eugenio. So
nos resta-o enfermeiro Paixao, que tambom
anda meio bisborretico e estapafur lico
Entretanto a gente que lica estd toda si,
robusta, contented deveras enthusiasraada ;
assim pois a nosso, respeito, meu Juca
pierda-usted cuidero.
Como ves nao. posso escrever a moguem
mais, por isso mania d ossa mai e a Si-
nbd boas uoticias minhas e do Carlos e que
estejam traaquillas, porque agora pouco uos
resta a fazer,, e espero regressar nestes 15
dias, se Deus. nio mandar o cootoario.
Leaibranc.as ao nossa amigo Dr. Peixoto
esua Exraa*. Sra., ao Carneiro. da Rocha,
flregorio e mais a/nigps e recebe um abra^o
do teu raano e amigo.A. von Hoonholtz..
PONTE COLOSSAL,-Na Escocia esbd se
construindo uma ponte colossal, a maioj
que ate agora se tern construido no raundo'
e cuja construcc^io.. interessa doscrever eomo
exemplo do poder da industria raoderna,
kilometros por esso vordadeiro brago de
iiiar, a cujas margens oi wagons teem que
dote -se.
Troti-se de romediar isto por moio da
coustroccao de uma poate de 3:036 metre,
do cora^r.mente, que rcunird ambas as ri-
boiras doTirtb of Tay.
Esta poule consisle cm'89 arcos, dos
quaes 14 terao GO metnw dl air-rtura, os
pilares constam de cyliijilr > do balastro e
tijolos. Alen dascorreat^sedcis-toaipestades,
que iaterrompom algumas vezes- otrabalbo.
os engenbeiros nao teem bncontradu gran les
liflical lades uos aliuerws, pon(u a rocha
lirme cncoolra-se A pouia profundidade d )
leito do rio, e o (undo i este n 7 mctros e raeio uas maieo- mais baix-as.
Lm uma dasextremid; dt^s a ponte dwscrH-
ve a-ma curva de c. rca d^ 9 metros, alim
do entroncar com o caminho de ferrc Sra-
<;alo no literal.
Eu tram na constrocgao G:;S)0 toneladae
de ferro, 2;oj0 metres tubicos de tijolo- e
8:000 metros cubJ4;os de madeira.
Os e.upreiteiros qwo tomaram a obra por
sua conta, pela scmioa do dez rail c utos
de reis, e-tao obrigados a couckiil-a em
187 V.
Como se vc, aUeudeaqo ao seu Pamanho
excupciouaiV estK pmte-albsorve pouaos ma-
teriaes e lica muito bar te; circuraslaneias
que constituem o seu principal meritol
tviSO RUtO^I'm caso de fecundJade
extMorJioaria acaba de ter lugar em Eyao,
(Frangaj ; u na senhora, depois de lSoae-
z s de casada, acaba de- ifar d luz tres
oriansas do sexo masculine.' As tres crin-
gas nasceram com meia bera de iatervaile,
o taoto elles carao mai estao de pertaba
saudet
sados por semelhante perigo, demonstra a
grande u ilidade d'esta innovagio, que re-
commendaraos aos interessados.
0 apparelho foi feito segundo os traba-
lhos scientificos do illustre physico A* Sor-
bonna, o Sr. Jamin.
Os effeitos produzidos pelo magnetismo
constituem umas das partes mais mysterio-
sis da physica ; porque ainda boje nio po-
demos mesmo suppor a verdadeira causa
da attracgio que o iman exerce no ferro.
Quanto d pratica sabe se quo a forga do
iman crosce progressivamente, ate certo Ii-
mite, d medida quo augmenta a carga
de peso que elle supports. Eis aqui
todo.
0 Sr. Jamin, estudando esta questio
mais attentamente do que se tem feito ate
aqui, prestou graodes services d sciencia, e
por conseguinte, d bumanidade.
CATASTROPHE MARITIMA.0 Sema-
pftore de Marselha, poblioa ama carla de
Tunes, datada de 10 margo, na qua4 se
descreve uma catastrophe maritima, occor-
rida a bordo do vapor Laconia, quecondu-
ziadeMeca 1:042 peregrinos, sendo 6<50
para Tunes e os restantes para Argel.
0 Laconia sahio do Alexandria a 27
de fevereiro e entrou en* Tunes a 4 da
margo.
Referio ootio o capitio do vapor que no
1.* de nrerco, estivera d cape por espago de
vinte boras-, agout*do por grossa maresia e
rijo vendaval de les-nordeste,
Por voltft' das 4 horas da madrugada,
um golpe de raar arrobatou-rhe da coberta
120 a 150 peregrinosell" r3o pode pre-
cisar o numeroe coin estes kifelizes tjdas
as bagagens.
Em seguida & verificagao a quese proce-
deu no porto de Tunes, recorheceu-.-e que
c> numero dos naufragos fdra de 120, dos
quaes 110 eram francezes de Argel a 10 tu-
nesinos.
Foram expedldas ordens terroinantes pa-
ra* se abrir inqueritosobre este aeontecimen-
to :- mas o capitio do Laconia, depois de
desembarcar em Argel, a li de margo, to-
dos os p ao mar para eviftr o inquerito.
Ddttdo isto lugar a interpretaCdes-desfavo-
raveis-e havendo varies queixas formulaies
pelos passageiros, foi solicit do o goveroo
inglez'para abrir inquerito contra o -capitio
do Laconia.
0 SO R.A propriedade do jornal' pari-
siense Le Soir foi vendida, ha puncos-dias,
por pouco mais de dous contos e trezentos
mil reis, ao advogado Delpon por conta de
um individuo abastado dono de uraa-refina-
gio de assucar e de um principe, cujo -nome
nio meneiona o jornal francej, doode tirav
tnos esta noticia.
LIB CASAMEMO'A' 6.-e6 LEGUAS. -
0 Times, de Lanzas, uos-Kstados-l'iiidos-v
publica-o seguinte;
Perante o tribunal, e em virtude da
lei e Ab. equidader acaba de-se ceiebrar um
singula? contrato matrimonial. I'm bo-
mom ile uns 50 annos de iuade- foi procu--
rar o eserivio parase casar.- Tratava-se,.
pois, de-um enlace entre duas-pessoas que
estavao> separadas por seis- ra.l fcguas de MACOMARIA INGLEZA.-Reuakuse ha
terra edeoceano. i dias a'grande loja demaconaria ingieza para
0 gpetendeute-dasejava desposar uma a elei5a<> annuai do-grio-mestre da-loi;
senhoraijue rosidia-em Hollaola,. equena esteve preseute uma-brilhante reaniio de
reabsar em hanzas-aeeeremeaia^ qae pela :raacons. 0 autqmm de Ripon,. um dos
sua parte fossein neeessarias- Ai ooiva de- ,^5505 ^^ noDres.e mais ricos pares, foi
via tambem casar em Hollaoda com seu imanimifflente reeleito grio-mestre, e agra-
rmao, quo represeotaria o pretendente.
protegido-.
Chove, o rio jd oresce de OMdto que vou Parace ,^ue a senbora nio qyaria sahir da
sua resideecia em Mellanda, sera estar de
certo modo casada ? e, com-> o ooivo nio
podia daixar osse-'is negocios no America
para ir encontrar se com a ma futura, re-
.decendo esta honra, disse, referindo se d>
observacoes que haviam sido feitas relati-
ves d notavel prosperidade da oadeati sob
a sua administra^ao, que essa prosperida-
de nio era devida aelie, porquaiuc ao to-
mar conta do cargo, coube-lhe a heranga de
Nio teiita un ataqoe geral d* todas as solveu reeorrer ao-t.ibuual paca coosoguir j Qa) grao.mestre qjue a havia presidido por
uma proeuragio.
0 eserivio, logo que lb&eap-oz o nego-
cio, nao hesitou, e prometteu,preparar os
papeis que fossemmecessarios, afim de que
o casaiaanto se podesso realisac. Como se>
pode suppor, o- noivo ficou satisfeitissimo.
E omoficaria a noiva ?
mulher sobrenatural, tinha a alma de
um demonio encerrada era ura corpo di-
vino.
A sua Jiistoria compunha-se de recorda-
goes, apresentando-lhe exemplos de lutas
terriveis.
Lucrecia a tolas aquellas recordagoes di-
zia:
Vencerei, pois que nio nasci para ser
vencida. 0 destino mostra-se terrivel; nio
importa, dominarei 0 destino.
E os seus pensamentos recahiam em Ale-
xandrina, naquella filha a quem nio co-
nhecia, e o* quem, apezar de nio conhe-
cer, amava como nunca amara a nenhum
dos seus filhos; de Alexaadrina as suas
id6as passavam a Paulo, de quem se namo-
rara apenas o conbecera.
Como 6, dizia ella, que Michelotto
conhece Paulo, e que Paulo nio o conhece?
Como foi tornado por Glho legitirao por
3uem nio eram seus pais? Michelotto
eve ter comprado esses pais, mas como,
se eram nobres e ricos ? E' ura mysterio
impossivel de desven lar. Michelotto, ainda
que me apodere deth, nio fallard, e se fal-
lar quem sub a 0 horror era que me verei
envolta ?
Chegou a bora era que Lucrecia cosutma-
va levantar-se e, apezar de nio ter dormi-
db, os olhos nao apresentavam os lividos
signaes da insomnia, as faces nio estavam
p.illi las, nao se notava nella nem cansago,
netn dor.
Lucrecia oc.ultava sem vio'.eucia a situa-
gao da sua alma, 0 seu rosto nao se movia
senio para enga.nr aquelle a quera ama-
va, pelo impulso dos sentidos, ou pela co-
lera, os seus servidores quando a serviam
mai; diante de todos Lucrecia era ura ser
AOS. FF.RREIROS.Acafca de se fazer
uma excellente innovagio era muitas offirj
cinas dts Paris, onde se babalba em fer-
ro.
Foi ennvenieutemente collocado um iman
artificial, de maneiaa que os operarios po-
dem com toda a facilidade apcoxiinar d'elle
os olhos.
Logo que (ualquer operario recebe entre
as palpebras alguma parcella de ferro, cor-
re direito ao iman, e aproxima-lhe 0 oho,
tendo cuidado de abril 0 bem; entio o
corpo est.'aii'no e attrahido imraed>ata-
raente.
Comprebende-se bera que ura iman. ca-
paz de aUrahir muitos kjlogrammas deve
larrancar com toda a faci!idde um tao pe-
queno bocado de ra^tal, ainda que este-
ja enterrado na carne e espetado n'um
osso
E aao e raenos certo quo nas omc nas
ondese iraba ha em ferro, e que nio se
acham provides, com este apparelho, os
operarios podam facilmente perder a vis-
ta pela desorganisacio que a demora de
um corpo ostranbo nos olhos traz com-
sigo.
A estatistica dos accidentes funestos, cau-
mais de um quarto de seculo ''lord -Zetland,.,
beranga de prosperidade e harmonia, de
pois da qual facil Ihe era encarregar-se da
tarefa. Durante os ultimos doze mezes,
uma Stinuvem nao empanndra 0 brduo da
sociedade magonica, e isto mostrava, disse
elle, o vordadeiro espirito magonico que a-
nimavaos membros da ordera.
Neste paiz a ordera e rica, prospera e
popular.. Em quasi todas as cidades exis-
tem lejas-quesio hospitaleiras e bemfaze-
jas, e muitos membros do e'ero inglez per-
tencem a ella.. Tambom ha irraios perten-
centes-ii.religiio catholica romana.
Le*nbra-rae suggerir que talvez fosse util
que os macpus do Brasil entretivessem re-
lagoes com a grande loja dos magons ingle-
zes. qpe ttm uma rica casa. de sua proprie-
dade- era Queen's Street, Lincoln's Innx
London.
immovel; a magestosa gri-duqueza era
uma especie de estatua de deusa antiga, ani-
raada.
Pouco depois de se ter levantado mandou
cbaraar Buotti c disse-1 he :
Hontem precisei de ti.
Estava postado com a minha gente,
segundo as ordens de vossa alteza, nas ave-
nidas do convento da Boa Ventura.
Jd voltaram os que foram espiar a
casa de campb nas margeus do P6. na qual
esteve por um memento o bomem que se
julga ser Michelotto?
Eram quatro e viram-se obrigados
a abandonar aquelles lugares porqae lhes
cahio em cima ura bando de salteado-
res.
Ah I exclamou Lucrecia, entio Mi-
chelotto tem ds suas ordens gente dessa es-
pecie?
Vossa alteza bera sabe que Michelotto
tem parentesco com 0 diabo e que tudo deve
esperar-se e temer-se delle.
E nio se sabe quem babitava a
casa?
Quando voltei antes do amanhecer,
seguro de que 0 cavalbeiro d'Amesteville
nio tinha ida ao convento e jd nio iris, e
soube que os meus homens se tinham visto
obrigados a retirar ; aproveitei 0 tempo e
fui d quinta com alguns homens, resolvido
a penetrar nella", a indagar e a averiguar 0
acontecido, Sab-, vossa alt za 0 que encon-
trei ? a q inta ardonl?.
Ncsse caso, disse Lu~r.:cia, Miche-
lo'.-> tem alguma cousi que occultar-rae
porque destroe 0 rasto que podia dei
xar.
- Eu digo que 0 incendio foi casual,
minha sonhera, porqae, que interosse tinba
CONDEMNACAO. 0 U-ibunsldas assisses
da Gironde condemnou o banqueiro Cbau-
deborde d'Agen a dozo annos dejtrabalhos
foreidos, e 0 tabelliio Brethon d mesma
pena, mas perpetuamente, pelos crimes de
abuso de confianga e bancarota.
CARVAO DE PEDR.A. Descobrio se na
China uma raina de carvao de pedra d'uma
extens3o de 400 milhas quadradas E' su-
perior ds existentes na Gr5-Bretanha, e da-
rd um certo socego de espirito aos que re-
ceiavam 0 esgotamento das ate^ agora co*he^
idas.
Michelotto em incendiar a quinta ? Deraais
nio creio que Michelotto esteja em Fer-
rara.
Tenho-o sentido bem de perto para
duvidar; antes de hontem disse 0 seu norae
a Uomobono e a Paulino, e eu recebi uma
carta delle :
Tudo isso p6de ser obra de agentes
bem instruidos porque, repito, nao creio
que Michelotto esteji em Ferrara.
Michelotto e" capaz de tudo.
No entanto elle bem sabe o que lbe
acoutecia se fosse apanbado e nao se fiaria
muito na sua sagacidade, sabendo que eu
estou ao servigo de vossa alteza. .
Ve se sabes quera era odono da quin-
ta incendiada.
0 dono e o cavalbeiro de Albano.
Sim ? D'aqui a pouco hei de ver-me
aborrecer com as suas adulagoes Pore'm
nio quero perguntar-lhe cousa alguma, in-
daga tu pelo s-u mordomo, essa gente sabe
tudo. Alera disso vai d casa de Reinaldo
Albini; matarara-n'o esta noite, informa-te
do que ha. E' possivel que esse bomicidio
esteja ainda oc-ulto e que uma criada que
se chama Felippa e um pagem cbamado
Gualterio tenham fugido. Manda-os pro*
curar pelos meus esbirros, debaixo de todo
0 segredo ; quando os encontrarera man-
da-os para algum lugar solnario. Faz tam-
bem ^pom que sigam 0 cavalheiro d'Ames-
teville sem qae elle 0 presinla, Retira-te.
Buotti sahio e Lucrceia cbamou as
suas criadas para que a ajudassera a Tes-
tir.
(Continuar-se-ha.)
TYP. DO, DIARIO. -RUA JJUQUE IHtmial
?

}
f
\
<
*
-'
^

1
'N
X

-



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E14RX8OKD_7XQ8UU INGEST_TIME 2014-05-27T21:56:46Z PACKAGE AA00011611_17634
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES