Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17632

Full Text
......
ANNO L. NUMERO 94

v-

A.

PAR* A CAPITAL E L.UOABB9 0\DK XWO SB PAOA POBTE
for tres mezes adiaatados................ 6900O
Ior seis ditos idem...............? .i 12&000
for um anno idem........k,' ......... 249000
jCada nuraoro avulso................. 9320
IARIO DE
SECITOA FEIBA 27 DE ABBIL DE 1874
-----------------------------------------------------
PAMA DEHTRg FOR A DA PBOVLUCIA.
Por tres mezes adiantados................ 6#750
Por seis ditos idem........ f........ 13$5<)0
Por nove ditos idem................. SOfSSO
Por um anno idem................. 27*000
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGUEIRQA DE FARIA & FILH0S.
9s Srs. Gerardo Antonio Alveed Filhos, no Par*; Goncalves d Pinto, no Maranhao; Joaqaim Jose de Oliveira 4 Filho, no CojH; Antonio de Leu. Braga, no Aracatj ; Joio Maria ialio Chares, no Assu; Antonio Marques da Silra, no Baud; Jose Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auxuncio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose Gomefina Villa da Penka; Be^armino dos Santos Bulcio, em Santo Antao ; Domingos Jose da Costa Braga, emHaxareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Gojanna; Joio Antonio Machaeo, no PiUrjias AiagOas; Alies 4C, na Bania ; e Leite, Cerquinho d C. bo Rio de Janeiro.
PARTE OFTICIAL.
Governo dis provincia.
BRSPACHOS DA PBKSIDRNCIA. DO DIA 24 DK ABRIL
DE 1874.
Avalino Pereira d i Cuoha.Deferido com o offl-
cio dirigido nesta data ao Exm. brigadeiro com-
mandante das armas.
Antonio Luiz Marques. Deferido com 0 offlcio
desta data a thesouraria provincial.
Antonio Vieira de Barros. Informs o Sr Dr.
direct >r geral interiao da inslruoei > publica.
Antouio dos Santos SiqUeira Civalcante Dofe
rido com o offl;io desta da'-i, dirigido a thesoura-
ria de fazenda.
Apolinario Florentino do Albuquerque Miranhio
Sobvioho. Passe p irtarii concedendo a licenca
pedida, e seja no.nead i para substitutr o serveo-
tuario, intonnamente o ciJaduo Jose Carlos de Sa, a
risti do que informa o juiz de direito da I" vara,
em offlcio de boje.
Comraondador Antonio Gomes Net!).Observe
e supplicante o disposto no iecreto n. 8il de 13
do outubro de 1857.
Alexandrina Umbelima de Freitas t'e'.ioi. In-
deferido.
Padre Aotonio Freire de Garvalho. Passe pjr-
taria concedendo a licanga pedida.
{^Antonio Bao. Passe portiria concedendo a li-
cence pedida.
Catharina Franjelina Pessoa de LacerJa. In-
forme o Sr. director do a'rsenil de guerra.
Clemerico Alves de Faria PeJrosa. Infonne o
Exm. brigadeiro commandaute das armas.
Euzebio Joaqaim de Sant'Aaiu. Indeferido.
Elias Pereira Goncalves da Canha. Inforrae o
Sr. provedor da Santa Gasa ue Misericordia.
Francisca CandiJa de Jesus.Sim.
Padre Francisco Verissimo Bandeira. De-se,
nao bavendo inconveniente.
Capitao Gabriel Germano de Aguiar Monlar-
royos.Indeferido.
Isabel Francisca do Quintal.Passe portaria de
licenga por dous mezes, com ordenado na forma
da lei,
Joaquim Pires da Silva.Passe portaria eonce-
dende a licenca sem vencimentos, contandose o
prazo do ultimo dia da I _- i : i anterior.
Baeharel Jose Biptista Gitirana.Informe o Sr.
inspect >r da thesouraria dc fazenda.
Joao Pessoa da Gama.Indeferido.
Padre Jose Bufino Gomei.Deferido com o offl-
cio desta data a thesouraria de fazenda.
Manoel Pereira de Lemos. -Ao Sr. inspector da
thesouraria de fazenda, para attender ao suppli-
cante, de confonnidadc com a lei.
Maria Joaquina do Carmo. -Ao Exm. brigadeiro
commandante das armas, para attender a suppli-
cante como achar convenient.
Manoel Martins Peres.-Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Maria Candida Barboza de Albuquerque Mara-
nhao.Informe o Sr. provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Manoel Liberalino Freire de Carvalho.luforme
u Sr. commandante superior da guarda nacional
de Caruarii.
Manoel Gomes da Silva. i^onoeJo o prazo pe-
dido.
Tenente-coronel Manoe. Francisco de Souza
Leao. -Conceda-se a proro.^acjio.
Manoel Jose Felinto.Infcrme o Exm. brigadei-
ro commandante das arniar, deferindo logo ao sup-
plicante, se assim achar de justiea.
Manoel Marques Ferreira.Inforrae o Sr. direc-
tor do arsenal de guerra.
Rachel Adolpha Cavalcante Ferreira. Passe
portaria concedendo dous mezes de lioenja, com
ordenado.
DURIODEPEIiSlMBUGO
aanos. casada, Boa-Vista ; am ollecimento cerebral.
RECIPE, -2~ DE ABRIL DE 1874.
Hoticins ill? Etiropa.
Sabbado ao meio dia fuadean no lamarSo o va-
por inglez Douro, trazendo datas de Lisboa ale
13 do corrent;, cineo dias mais modernas que as
trazidas pelo vapor Vilk de Santos.
Dos jornaes e eartas colliemoa o que se segue
FRANC .
Diz o Er-nemeni que o mareehal Mac-Mahon
teve uma longa conferencia com os seus minis-
tros, em que insistio muito sobre a necessidade
de se estuJarem os projectos cunstiiucionaes que
devem consolidar o seu po ler, e po-lo acima das
discussoes dos partidos. Pare:': ter sido em con-
sequencia desta insisteocia que o Sr. de Broglie
foi expor a commissao das l;is constilucionaes
as intenQoes do governo sjbre a cres^ao e orga-
nisacSo da camara alta.
0 marechal pre^idento ^enle bem as diffkulda-
des da sua situacSo. Pode-as veneer, se se resulver
a fundar o setenado sobrc bases republieanas.
Sera porem derrubado, se -:ontinuar a fazer-se
apoiar pelos elementos monarchicos discordan'.es
da maioria pelo Sr. de Broglie, que tem accumu-
iado faltas sobre faltas, at'.' fazer voltar contra o
niintsterio as sentencas da jusiica, e auo so tem
em vist* poupar os seus iQimigos do setenado
para melhor censervara sua pasta.
Agora estao desviados os perigo? pelo voto de
contianca da assemblea, e pelo adiamento desta
ate maio; mas o perigo reapparecera araeajador
quando se tratar da discussao das leis constitu-
cionaes.
Nas elei^oes parciaes que se effectuaram na
Haute-Marae, departamento muito con?ervador,
lot eleito por uma maioria superior a 11 mil votos
o candidato republicano Mr. D^nelle Bernardin,
contra o candidato orleanista, apezar do candidato
benapartista ler cedido em favor dcsle ultimo.
Na Gironda foi eleito tambem o candidato repu-
blicano Mr. Roudier, por 68,877 votos contra
43,079 obtiios pelo caudidato bonapartisla, e
21,598 pelo orleani3ta.
Em presenca destes resal:ad >?, o> legistimistas
(tao muito divididos : uns querem afftrmar
absolntamente os seus principios ; outros julgam
que se devem aproximar do seunado, e obterem
em caso de necessidade do c-onde de Chambord,
que abdique em favor do conde dp Paris. A vice
presidencia da republlca conferida ao duque de
Aumale, na sua qualidade de futuro presidente da
camara alta, seria o potto de partida para os
Orleans esciilarem o podsr e darem cheque mate
ao sutTragio uni versal.
A Uniao republicana acat.a de publicar um ma-
nifesto para pedir a dissolufao da assembled como
unico remedio ;i crisc ;-.r qur traveua a
Franca. Este document l-nunci ii.'uiv.is de
restauracao monarehica, q.w va-> recomecar as im
como as ameacs que se l'azem de mutilar o suf-
frafio universal, e convidti todos os republicanos
a uniao e a discipliua.
Os ministros e o chefe do poder executivo
iastaLlaram-se em Paris.
A commMsio perroanonte da assemblea nacio
nal reanio-ie no dia 30 de marco e dxou para 9
da abril a sua segunda reuniao. 0 presidente de
claroa qoe convncaria seus oollegas neste inter-
vallo, sa qualquer dos membros julgasse que as-
sim o devesse fazer, em conseqnencia de algum
pacto de uatureza a assustar a opiniao publica.
Os priocipaes membros do centro esqaerdo
da assemlilea nacional, resolveram publi.-ar um
manifesto ao pair a exemplo do que praticou a
I Uniiln republican^., apezar das lentativas feitas
pelo giverno, junto a muitos deputados diquelle
jgrupo para disso os dbsuadir, e promettuudolhos
qua o governo se empenharia em dar ao seld-
uado constituido uma loans, republican*.
A CnrrespanJencUi [lavas avisa os jornaes
francezes que sob f.ena do suspeosao, lbes e pro-
hibido : contesUr o setenado ; e ate raesmo
alOrmar que elle poJj ser discutido ; eslabelecur
cmnexao eutro este facto e os soffrimeutos do
commercio de P,.n- ; annunciar que as ferias
parlameniares serao cbeias de agilacao ; que se
aproxiraa o temp) dos direilos feudaes, dos di-
zimos e das tarifa^ obrigadas; mostrou que os
membros do gabinete poleriam nio estar de ac-
cordo, e fazer suspoitar o estado de desarranjo da
maioria. Nao e timbem permitlido pedir a dis-
solu'.-.-i i da assomblea, ainJa que se saiba que o
entro esquerdo ienci>.na aoresentar umi pro-
posta explicit i neste sentido, logo depois de ter-
minarem as ferias.
Asseguram os jornaes estrangeiros que depois
desta advert?ncia, e de algumas boas medidas de
applica?.ao que devem demomtrar o caracier serio
do gabinetH, nao pole este deixar de ser taxado
como um dos mais fortes gabinetes que a Franca
tenha jamais lido, e que a Franca sera necessaria-
inente o paiz mais so-8gado da Europa.
Depois das perseguic/ies da im *rensa, dasdemis
si>3s dos maires, das ultimas dissolucoas do3 con-
selhos geraes, o governo francez recorre, ainda em
cima, ao estado de sitio.
Quasi que a ter^a parle da Franca esta colloca-
da s >b este paternal regimen Ultimamente e a
cumiiiana de Alger qm e submettida a este re-
i-'iin-n. 0 decreto pjblicadotem sempre em vista
amordagir a imprensa ; cusia parein a compre
bender como po le unicaraeate a imprensa crear
graves"e immineutes perigos para a seguranja in-
4eriore exterior, que sao os u oicos que, segundo a
lei, podemjustificar o estado do sitio.
A situa^ao e muito grave e segundo se diz, fara
parte de uma interpellacao m primeira sessio da
commissSo permaneate.
Assegura-se que na reabertura da assemblea na
cional a fraccao legitiraista levantara a questao da
reconstituigao da inonarchia, e que o conde de
Chambord intervira directamente nos debates.
A evasao dos Srs. Rocnafert, Jourde, Grous-
set e outros deportados da Nova Caledonia, faz
grande bulha em Paris. 0 Eoenement annuacia
que o Sr. Bdiraond Adam, tutor dos tilhos de Ro-
chefort, recebera deste urn telegramma de Side-
ney confirman lo a noticia. 0 mesmo jornal ajunta
que o autor da Lanterna, antes de voltar a Euro-
pa, tenciona percorrer.os EsUdos-Uaidos para fa-
zer conferencias.
Differentes versdes circulam sobre o modo por
que a evasao teve lugar : segnndo uns, foi devi-
da aos cuidados de um inglez muito rico, egran-
de admirador do lalento de Rocheforl, qua teria
fretido expressaraente um navio para cruzar nas
aguas da Nova Caledonia. Outros pretendem que
o navio que acolheu a seu bordo os evadidos, nao
tinha e direito de arvorar o pavilnao inglez.
Um despacho de Sidney, de 30 de marco, an-
nuncia que Henrique Rochefort e os seus compa-
nbeiros len?ionam dirigir-se immediatamente para
a Europa ; e que se escaparam da Nova-Caledo-
nia, escondidos no fundo do porao de um navio,
com destino a New-castle, na Nava Galles do
Sul.
0 governo francez enviou um erapregado supe-
rior a Noumea, munido das instruccoes mais se-
veras, e dos poderes mais absolutos, para in^ue-
rir e punir os cumplices da evasao, se acaso os
hoover, ou se ainda estiverem em Noumea.
ITALIA.
A imprensa, europea a exeepcao dos jornaes ul-
tramontanos, tem-se associado aos sentiinentos di
Italia na celebracao do 25* anniversario daexalta-
cao ao throno do rei Victor Manoel ; o priraeiro rei
e que deu a Italia a sua uu.Jal- eo seu lugar
politico entro as potencias europeas.
KrVi unanimidade da imprensa liberal da Euro-
pa e a melhor resposla as declamaeoes da im-
prensa ullramonlana.
Os jornaes ilalianos folgam de arcbivar e repro-
duzir esles testeuiuohos de sympathia, manifes-
lando ao mesmo tempo os seus sentiraentos de
gratidao.
INGLATKRA.
0 parlamento inglez esta em ferias desde o 1
de abnl; ale 13 a camara dos communs e ate 11
a camara dos lords.
Antes de se separar a camara dos communs vo-
tou os orr;am ntos da marinha e da guerra.
0 Sr. Bourke, era nomo do governo, deu algu-
mas explicates sobre as medidas lomadas pelo
consul inglez para a proteccao dos seus nacio-
naes.
Depois da installacao do gabinete Disraeli,
succedem se as deputacoas as deputaQoes, que vao
era nome dos interesses mais oppostos,peJir aos
representantes da autoridade, promessss lao dia-
metralmenle oppostas como a agua e o fogo.
Uns, solicitam a censervacao d) income tax,
e uma diminuicao nos impostos que pesam sobre
a propriedade ; uiros, pedem a supressao dos
impostos indirect is, que pesam sobre a populacao
pobre, e indicam respeitosamente a aggravagao
dos impostos sobre a propriedade territorial.
No mesmo dia o Sr. Cross, novo ministro do in-
terior, recebeu uma deputacao dos infatigaveis ad-
versaries do commercio das bebidas alcoolicas ; e
logo em seguida uma deputacao des negociantes
de cerveja e de vinno. A uma e outra oraraissSo
distribuio com mio larga a costumada agua benta
da corte.
A po.-igao do Sr. Disraeli e dos seus collegas nao
6 invejavel : elevado ao poder em consequencia
da coalisao dos interesses mais contrarios, nao
podem satisfazer a uns, sera descootentarem os ou
tro?, e quando chegar o momento de dennir cla-
ramente a sua pohtica, pode-se entrever para o
novo ministerio uma accumulacao de motivos de
queixa e de descontentamento* ainda mais teini-
vel do que os que depois de seis annos de existen-
cia derm'.aram o ministerio Gladstone.
As cousas vao alem disso muito mal em lngla-
terra. As graves tomam a ordem do dia, e com-
plicam-se com as represahas violentas que os ca-
nitalistas e os proprietarios agricolas, mal aconse-
Ihados, nao receiam exercer contra os seus ope-
rarlos.
A lingnagem ate agora moderada dos patroes,
e dos operarios, toma nm torn aggressivo e cheio
de ameacas para o futuro.
Ha bastante inquietacao por esles prognostics
assustadores, e o bispo de Manchester, n'umacar-
ta pnblicada pelo limes, ve nella indicios de umi
proxima lula sangrenta :
( A linguagem dos cbefes do movimento, diz
elle, nnfl m pmutplo affeclara uma m^deracto
eot:idal.i, lorDOU-ie mais violenla. Tunoa ares
ameai.-adores e revolucionari s e faz prever uma
guerra dos aldedes.
Ha exageragao nesta aprecia^ao do prelado n-
glicano, pouco babituado a nova linguagem dos
operarios agricolas. Pode bem aconlecer que o
cultivador inglez, expulso dos campos paternas
pela miseria tradicional, va em eolonias compac-
tas prooorar, longe do territorio patrio, uma terra
da proraissao.
DINAMARCA.
A sessao das camaras legisiativas da Dinamarca
encerrou-se no dia 31 de marco. 0 ministerio
aceitou as modificacSes que o folkthing fez experi
mentar ao orcamento, e o landsthing, salvo alga
mas peqaenas raodi6cai;oes tambem se lhes asso
clou,
D'uraa e oatra parte cancarara-se das lntas
agitara o paiz ha alguns annos; e o ministerio
proveiiando se desta cansaco vai-se eonserva
a frente dos negocios, escudado com a cjalia
real.
Eairetanto no funlo a situacao nao esta mil
da, e a crise rena-cera ua primeira occasiao.
SUECIA v. .VORUKGA
A segunda camara da Dieta da Suecia, na
sessao de 21 de marco adoptou por 71 votos &
Ira 61 omamocao convidando a eoroi, a dilig
ciar, era todas as circumstanjias, favorecer as-
gociacoesque eventualmente sa entabolarem t
potencias estrangeiras, ou da pirte das potencias
eslrangeiras, para o estabelecimento de tribunaes
de arbitrage n permanentes, para resolveiem as
questoes internacionaes litigiosas.
Tomou parte nos debates grande numero da
oradores.
0 governo sustentou que a moijao era inoppor*
tuna e inellicaz,
0 tribunal arbitral nio podera ter autoridades
senao no caso em que todos os estados se obri
gassem a respeitar suas decisoos; por outro lado
querer dar-lhe poderes exeepcionaes para a exe-
cucao dos seus julgaineutos, provocaria guerras
geraes em lugar de assegurar a pz universal. 0
argumento tirado da questao Ahbama, e do jul
gamento pelo tribunat arbitral de Geoehra nao e
topico. Tratava-se unicammte Ja uma questao
jurid|ca.
A Suecia devia ser uma das ultimas p itencias
que se poderiamllrmbrar de lomar a iniciativa de
uma tal proposla, visto qua o seu syslema railitar
esta em plena decomposicao e parecaria querer
abdicar os seus direilos, e querer procurar em de-
vaneies polnicos am refugio contra a sua propria
fraqueza.
Adduziram fiualmenle os que se oppunham a
esta mocao que o direito de concluira paz e de de-
clarar a guerra, pertencendo ao rei, segundo a
eonstituicao, nae era possivel ligar-lhe as raJos,
nem parecer p6r em duvida os seus sentimeotos
patrioticos.
Apezar destas razoes, almoeiio foi votada p.,r sete
votos da maioria ; e porem provavel que a cama-
ra alta se affastara das decisoes da segunda cama-
ra, mas nem por i-so deixa de ter existido a ma
nifetiacao, que se pode por a par de deraon;tra-
coes analogas do parlamtnto de fnglaterra e da
Italia.
Os dous reinos da Suecia e da Noruega, ain-
da qua unidos pelos lacos dymnaslicos e por certos
interesses communs, regulam as suas relates re-
ciprocas por conven^Ses internacionaes.
Ha pouco, as dnas dietas de Stuckolmo e de
Christiania occuparam-se de am projeeto de lei
sobre as relacoes maritiraas e comraerciaes entre
a Suecia e a Noruega.
0 storthing norueguez adoptou a lei sem dis-
cussao alguma; a dieta sueca devera depcis das
ferias deliberar sobre a raesma lei, cujaadopcao e
cojjsiderada como cerla, tendo a commissao espe-
cial, encanegada do seu exame, dado ja o seu pa-
recer favoravel ao projetto.
ALLKMA.NHA.
As folhas simi-olflciaes moslram que e falso que
o governo nao aceita transaccao alguma sobre a
lei de organi^aQao militar, tendo por base fixar o
effective da paz, *ia llcado no artigo priraeiro. por I
um numero determinado de aunos.
O Norddeuts&e allgemeine Zeitung, Taz
que a declaracao do ministro da guerra no : 4&
commissao militar exclue tolas as duvidas, e qua
uma lei .militar cujo priraeiro paragrapho nao
contiyesse mais que uma decisao poramente pro-
visoria, nao seria considerada como aceilavel pelos
governos allemfies.
Certifica alem disso que os governos allemaes
nao modificaram sobre esie ponto_o seu modo de
ver, e que nao o modilkarao de" certo ; que os
governos allemaes persistera alem disso em fazer
voter a lei na sessio actual do parlamento e quo
nao consenlirao em reenviar a discussao a sessao
do outono.
Segundo se ve* das apreciacSes da imprensa al-
lemii o governo teri o effectivo militar que deseja ;
mas nao e muito agradavel para os designios po-
liticos da Prussia, e para a sua autoridade moral,
que deva este resultado, a meios de intimidagao.
Esles processes acabam por iim por gastar os
poieres que os poem em ubra.
_A discussio em que o Sr. de Biunark fallou,
nao melhoiaria de modo algum a situacao. 0
reichstag e uma assemblea allema ; no caso em
que a violencia seria levada muito louge, muitos
dos seus membros poderiara eucontrar no parti-
cularismo dos Estados Confederados um apoio que
faltaria tolalmente aos deputados prusManos, con-
tra os quaes o chanceller do imperio lutou de
180J a 1866.
Tudo isso merece reflexao, pois que na actaali-
dade ura conflicto com o reichstag "funto a todas
as outras causas de agitacio, trabalham ja as po-
pulacoes, para as quaes naopoderiam deixar de dar
lugar a graves complicacSes.
Os ultiraos telegraramas dao o boato e se negam
depois a sua veracidade, da existencia de intrigas
na cdrte de Berlim, afim de derrubarem o priacipe
de Bismark e subslituil-o pelo general MaateulVel'
0 jornal a Germania, de Berlim, orgSo ultra-
montano, contintia a registrar as demonstrates
de sympathia de que os bispos prussianos sao o
objecto da parte dos seus correligionarios. No
seu numero de 28 de marco, disse que o arce-
bispo de Colonia bavia recebido na vespera uma
deputacao de cidadaos de Colonia, excedentes a
quatro mil pessoas; uma outra de Gladbach de
1,500 pessoas; uma terceira de Duren tambem de
1,500 pessoas 0 Germania accrescenta que o
arcebispo recebera igualmenta a visita de todos os
operarios mineiros de Steeleu, que se apresenta-
ram no seu trajo pistoresco.
O jornal clerical diz saber de fooa origem que a
policia se propde intervir para deter e prohibir
este movimento.
No dia 31 de marco foi preso e conduzido a
prisao o arcebispo de Coloni i Mr. Melchers. E*
0 terceiro bispo ailemao que soffre esta sorte.
Os estudantes do seminario de Treves, que se
acha fechado, por nio observagio dos regulamen-
tos, receberam ordem dos seas superiores de fre-
quentarera proviioriamente as universidades, afim
de nao interromperem os seus estados theolo-
gies.
ALSTaO-HUNGRIA.
As delegacies das duas dietas de Vienna e de
l'esih reunir-se-hao este anno, nesta ultima ca-
pital, e assegura se que o conde de Andra'sy
suomettera as delegacies um Livro Vermtlho con
tendo documentos de alto interesse relativos as
visitas dos soberanos, a questao do Conclave, e a
polilica commercial da Austro-Hungria.
Os jornaes de Vienna apreciando os resultados
da visiti de. Francisco Jose i S Pelersbnrgo. faU
lam de coiicessii's qoe a Russia est iva disposta a
fazer aos iuteresses commerciaes da Austio Hnn
gria ; annuncia-ss agora que bravemente se vao
entabolar as negociacdes para a conclftsio de uma
convencao aduaoeira entre os dous iraperios.
Nai se conflrma a noticia de ter ja o impera-
dor Francisco Jose enviado a sua santidade uma
earta autographa em resposta a carte de Pio IX
relativa as leu confessionaes. A resposta ha de
ser redigida de accordo com o governo, e nao um
acto pessoal do imperador.
Foi appresentada no reiebsrath aastriaeo uma
proposta para a expulsao dos jesuitas e de todas
as ordens flliadas nella, de todos os paices cislei-
thaneo*; esta proposta porem nao enconlra pro-
1 babilidades algumas de ser approvada ; mas apa<
sir disso tez grande sensaeio em Vienna.
Diz o Wiener TagbMt, que o ultimo voto da ca-
mara concedendo um subsidio a faculdide de theo-
logia de lunspruck pesa como um reimrso sobre
os espirilos dos liberaes, quo nio querem que se
li |ue peosaudo que a camara dos deputados mos-
tra indifferenja na queslajdos jasuilas; que a pro-
pjsta de expulsao dos jesuitas aiudi que seja rejei
tada, & urn pro'testo do partido liberal; e tempos
vira em que pa 0 reichsraih votou o orcamento em uau so ses-
sao em 2- e 3* leiiura, toman li ferias de I a li
de abnl.
0 chefe do novo ministerio'""ftungaroT'o'Sr?
Billo, e o miaistro das fiaaucas o Sr. Ghiczy esti-
verara alguas dias em Vienna parscouferenciarem
com 0 eonde de Audr'assy sobre as questoes qua
interessam mais directaniente a Huugna.
Trata se especialmente do equilibrio das finan-
ces qu* o Sr Ghi:zy promettea no seu program-
ma, qas deva sroiim supremi dis seas esfor-
!?os, e proclamou como a unica prmeha de sal-
vacao para a Hungria.
Para o conseguir o Sr. Ghiczy, solicitou a re
duc;ao do orgamento da guerra que vai ser a-
presentado as del-ga.oos para os negocios com-
muns.
Dizem de Peslh que o miaistro da guerra re-
nunciou a pedir creditor extraor.linanos e que
insistina unicatneute em pedir nos creditos ordi
narios o que fosse necessario para fazer face a
Icarestia das subsistencias, para ejuilibrar o seu
"orcamento.
Tl'HQL'IA.
A Turquia cbteve, naturalnunte por condicoes
muito onerosas. os recursos momentaneos que I he
eram necessarl-B para fazer face as suas mais ur-
gentes nocessidales.
Sadyk pacha obteve do banco ottoraano de Paris
um adiantamento de quarenta milhSes a 12 /' por
Ires mezes; mas saguulo atflrinam os telegram-
mas de Co islantiuopU a Porta obrigou-se a auto-
risar a creaciio de una instituicao liuanceira, sob
os auspicios das primeiras casas de Paris, Londrcs,
Berlim, Vienna e k >mi, a qual tera o direito de
receber os rendimeatos do estado e pagar as des-
pezas E quasi uma tutella da aduiinistracio ot-
toraana.
Nao sa esta porem certo de que a Porta, mesmo
na crise actual, se rejolsa a acceitar uma combi
na?ao desia natureza.
A Porta mostrou ana grande flrmeza em re is-
tir as solicitagoei interessadas que a querem obn-
gar a reconsiJerar sobre a solucao dada por ella
a contenda armeiiio-calbollca
Em consequencia da divisao da commissao, os
delegados antihassounist.s foram as provincias
para tomar posse dis ijrejas actualmenta em mao
dos hassounistas A ealrega tera lugar no mes-
mo dia nas provincias e em Constantinopla. Em
caso de necessidade empregar-se-ha a forca.
Dizem de Constaatin)pli qua a partiiha se
nao poudo fazer sem grandes lutas. Devendo fa-
zer-se a entrega da igreja do Santo Salvador era
Constantinopla aos catholicos indepandentes, ape-
zar da presenca da forca armad i, a entrega nao
pouda effectuar-se.
Este falu nao e novo ; muilas razes os lugares
santos, e os tempi.,s de Constantinopla turn sido o
theatro destas lutas fanalicas que a Porta nunca
tove poder cu vontade de fazer cessar.
Se a partiiha decretada pelo suIUo, dos bens da
igreja citholica do orieote, entre os velhos catho-
licos e os infallibilistasse devesse fazer em partes
proporcionaes aos membros das duas coramunhdes,
estes nltimos possuinam unicamente algum is ca-
pellas, visto a sua inferioridade numerica. A di-
visao porem nao tocou estes limites, c devese isso
as recommendacdes d) governo francez; pois o
governo oitomano declarou calhegoricamente que
o Vatieano nao podia ter ingerencia alguma na
Turquia.
UOI.MAMA.
A Roumanii prepare a revisao das tarifas adua-
neiras em vigor no principado com o lira de con-
cluir mais tarde tratados commerciaes com dilfe-
rentes estados.
Ccnsidera-se como provavel que este projeeto
Irani complicacoes com a Turquia, no caso muito
provavel que esta queira reivindicar so para si o
direito deeoncluiros tratados que dizjm respeito
aos estados vassallos.
0 governo roumauo nio leudo conta das reaervas
formuladas pela pctencia suzenna contfa o esta-
belecimento de miss3es no estrangeiro, acaba do
nomear um agente diplomatico em S. Peters-
burgo.
B natural qua a Roamania chamada a um rico
future peio desenvolvimeuto dos seus recurso; in-
teriores se esforce por assegurar os seus interesses,
tratando dlreetanente com as potencias vizin'.ias.
0 Jornal de Boucharesl, orgio olflcio30 do go
verno roumauo, conllrmando a noticia da nomea-
cao de um agente diplomatico da Roamania para
S. Petersburgo, ajunta que tera nessa capital a
mesma nvssao que actuMmente preenchem os ou-
tros agenus roumanos em Paris, Berlim, Vienna e
era Roma : t Intervira para regular os interesses
multiplos e consideraveis que existera entre os
dous estados, para dar as explicates convenien-
tes ; defender os interesses dos subditos roumanos
compromettidos na Russia, e entreter as melhores
relacSes com o governo, junto do qual estiver acre-
dilado. o
Nota-se que entre as instruccSes que se dio ao
novo representante da Rouraania, a folha ministe-
rial de Bucharest evita cuidadosamente de fallar
nos interesses politicos, afim de poupar a ^uscepti-
bilidade da potencia suzerana.
E" porem de presumir que os interesses politi-
cos nao sejam estranhos as ins.trucc5es secretas
dad.is ao novo agente diplomatico na Russia.
SERVIA.
Como tinhamos previsto na nossa ultima revista,
sempre fe effectua a visita do principe da Servia
ao sultao.
t%a concessoes e explicacoes dadas pelo gabinete
ottomano foram satisfactoriamente acolhiaas pelo
governo do principado.
A visita ja foi offleialmente annunciada so go-
verno do sultao, e esta fixada para omeiado de
abnl.
[hespanha.
Aceica deste paiz escreve o nosso corresponded
te de Lisboa :
a Esteve, por dous oa tres dias, suspenso 0 com-
bate nas trincheiras de Bilbao. As avancadas car-
listes pediram uma tregua, afim.de poderera en-
terrar os mortos que nao poderam retirar do cam-
po por causa do logo no rastante da artilheria re-
publicana Esta suspensao de treguas e a sede
devoradora de qnasi todos os carlistas, que preci-
sara de muita agua, porque escaceia nas posicoes
em que se intrincheiraram, fez com que muitos
se aproximassem das casas de Murrieta, onde exis-
te uma fonle ahnnlants. Do saa conversa se de-
prehende que estao cancalos, pelos violentos tra
balhos de guerra, e pelas privacoes que s^ffrem
diariamente, pois lhes faltam os alimentos de pri-
meira necessidade. Os carlistas ate ao dia 28 do
mez flndo. tiveram 4,000 baixas, escasceiando-lhes
todos os recurso*. 0 pretendente deu as ordens
mais terminantes para que todas as facc.oes cor-
ram a grande batalha de S. Pedro Abanlo; pois
qoe nas ultimas accSes foram destroidos alguns
batalhdes inteiros.
Entretanto vio-se apresentando muitos car
liste no exercito liberal, d'esde a ultima batalha
em que as tropas do governo de Madrid tomarara
posipSes vantaiosas e mostraram a sua for^a e co-
ragem. \
Dizem que o desalento lavra nas fileiras re-
beldes, comprehendendo ainda que tarde, que a
guerra uao lhes olferece resultados positivos para
suas aspiracSes, e sim, soraente o serem vencidos
depois de sanguinolentos comaates.
a Afflr.nam as notieias de maior credito que nos
dias 29 e 30 de marco estiverara as tropas carlis-
tas a meia ragao de viveres, e privadas de vinho ;
pois um romboyo que esperavam de Frau^a, nao
itnha ffedido pas ar a fr'onteira, por temer cabir
em poder d'uraa columna qua andava no ponto
marcado para a entrada. Entretanto continua o
fogo per'uianente da_s batarias.
' Os carlistas proseguelll'has suas fortidcacSes, e
vao con;entrando os seus fogos sobre a direita e
centro do exercito liberal.
Diz-se qae no acamp.imento carlista de Ahanto,
estao muitos offlciaes auuriacos, e nao poucos
prussianos, achaudo se entre elles um conhecido
dipljmata, que ha pouco represootara o imperador
da Austria em uma das cortes da Europa.
Bilbau la se vai sustentando, ainda que a custa
de muitos sacrifices e de grandes rasgos de abne-
gacao patriotica e civica Que grande militar
que nao e o general Castillo givernador e caudi-
Iho daquelle punhado de bravos! Que bens nao
merece da patria quem, como elle, despresa todas
as commodidades. e vai expondo a todas as boras
e a todos os instautes a propria vida ; sem per-
der a energia que tao necessaria se Ihe torna em
momentos tao criticos e perigosos I
Os coinbustiveis de primeira necessidade estao
por um preco regular.
Os prejuizos causados na povoa;ao sao poueos,
em comparagao de tanlos projsetis de que tem
sido alvo. As desgra^as pessoaes. reduzem-se a
u nas 12 ou 13, durante todo o bombardeamento.
0 banco e a camara municipal adiantaram a
guarnicao da praca 5J0,OOfJ reales, a conta do
pret que devem receber.
A maior parte dos ferilos, que se nio pidem
cirar e restabelecer e mesmo os raenos graves
nos immensos bospitaas de sangue em qoe estao
transformados quasi todas as habilacoes casaes
dis encostas, sao transportidos em vapores para
os diversos portos do mar, como Vigo, Cadiz,
Fcrral, etc.
E' certo que as baterias de sitio dirigidas a 8il-
biu, torn afrouxadoos seus tiros depois que o exer-
cito do Norte comeeou os seus trabalhos.
a Disse n'uma das minhas anteriores, que tinha
in >rri Jo o general carlista Olio, commandante em
chefe das tropas da Abanto.
< Tem sido muito cotiteslada esta perda, que a
ter tido lugar, devera ser muito sentida oor D. Car-
los, pois difficilmente sera Olio substituido. Ti-
nha silo galardoado com o tituio de marquez de
Somorrostro.
Insiste-se em que D. Carlos esti ferido n'um
joelho, em consequencia de varios tiros que uns
quatro malvados dos seus Ihe deram em Darvango.
Lizarraga, com toda a gente que commanda-
va no valle de Carranza, teve que acuiir, por or-
dem dos seus chefes, a tomar parte na luta que se
esta su3tentando era Bilbau
a 0 general Elio, estaado na mesma barraca on-
de se achavam Olio e Radica, esteve para ser mor-
to pela granada que, cahindo sobre o tecto do abri-
go, victim ju Olio e ferio gravemeate Radica.
t E' uma cousa notavel o que dizem a respeito
do modo como sao feridus quasi todos os chefes
carlistas. Ou o sio na cabeca ou no poito. 0
armamento dos carlistas e irr^gularisslmo.
n As espingarda? sao de todos OS systemas, sen-
do a maior parte de percursao, systema ordinario,
veem-se algumas espingardas do Reminsgton.
a 0 exercito liberal.continuava a receber mui-
tos reforcos Ha dous dias chegaram 5,000 projec-
lis de differentes systema; para caahao
0 general Primo de Rivera esta melhor do gra-
vissimo ferimento que soffreu.
0 general Lomas, deixou o commando do sua
diiisao, por ordem dos-medicos e a pedilo dos
seus mais intimos amigos. Vai para Madrid cu-
rar-se da ferida que Ihe paralysa o bra;o.
As avaucadas liberaes teem o seu acampamen-
to em frente do formidavel reducio de San l'uen
tes, segundo apoio de Montanho, sustentando na
sua fralda algumas casas do bairro de Santa
Juliaii3, occupadas tambem pelas tropas liberaes,
A igrejaoe S. Pedro Abanto, vista de perto,
parece uma fortaleza da idado media.
.Metle medo ver as suas defezas, e a situacao
vantajosa que occupa. sobretudo pelo lado sul,
perniitlindo aos carlistas uma retirada acoberta
de todos os fogos. .
i 0 general Laserna vai tomar o commando do
terceiro corpo de exercito de operagoes do norte.
j Neste corpo vai commandar uma divisao o
ganeral Martinez Campos.
A commissao de administragao militar, que
esta em Bradford, enviou ao exercito do norte ...
ii,500 manias; tem enfardaias 10,000 para quan-
do sahir algum vapor para Barcelona.
a Entre os hospitaes de Castro, Loredo, Santona,
Santander, Burgos, Valladolid e outros pontos im-
mediatos ao theatro da guerra, passant de 10,0i)0
as oamas quo ha disponiveis.
a 0 general Concha vai tambem tomar o com-
mando de um corpo do exercito do norte.
Topete partio para Madrid, para negocio de
summa importancia.
Nos outros pontos do paiz, os carlistas pouco
estao apparecendo, ou se sahera a carapo sao der-
rotados energicamente. A columna Weyler em-
prehendeu, ultimamente em Segorbe, as faccoes
Corredor e Sierra Moreaa, e a cavallaria de San-
tis, fazendo-lhe mais de 40 mortos, muitos feridos
e grande numero de prisioneiros Tomou-lhes ar-
mas, muaicoes, tres caixas com dinheiro, caval-
los, etc. As perdas de Weyler foram insignifi
cantes.
Apezar da incommunicabilidade da heroica
villa de Bilbau, receberam-se, em Madrid, ha pou-
cos dias, alguns numeros do periodico localLa
Guerra, com referenda ao mez de marco pro-
ximo Undo. Menciona os terriveis resultalos do
bombardeamento.
t I'm batalhao do regimento de Leao foi desti-
nado a perseguigao das pequenas partidas carlis-
tas da provincia de Santander, qae levam a saa
ousadia ate ao ponto de iovadir os povos situados
na mesma costa, para arrebatar em refens as au-
toridades, e os particalares, que se moslraram
mudos as continuas intimacies que lhes fizeram,
em tempo, para o pagamenlo das contribuigoes
impostas aquelles municipios.
a Na tenla'.iva progressitta de Madrid, abriose
no dia 3 do corrente, uma subscridgao a favor
do soldaio, que primeiro assaltasse as trinchei-
ras de S. Pedro.
E' cada vez maior o silencio sobre as opera-
coes. 0 governo de Madrid prohibe que sa pu-
bliquera essas noticias, e ainda ha poucos dias
foram multados os periodicos a Epocha e o Diario
Etpanhol, por terem da^o noticias da guerra.
a Na costa Cantabria tem havido continua-
dos teraporaes. A 7 foi necessario retirar os
nvios que faziam fogo contra Portugalete.
t Cartes paniculares de Madrid, dizem que se
fallava alii em crise rainisteral, aggravada pela
falta de noticias do norte. PaUe do gabinete pen-
Ufa na possibilidade de se preparar a paz antes
da chegar a Bilbau; outra parte queria alliar-3e
a fracgio republicana, com receio de que, por
aualquer coavenio se originasse o restabelecimenlo
a monarchla com D. Alfonso. Taes eram os
boatos qoe cireuiavam em Madrid.
o As folhas de Hespanha aloancam a 8 do cor-
rente, as cartes do acampamento do norte a 4,
e de Bilbau, somente ate 29 de marcn.
corpo
< O general Caslilho, governador da praca de
Bilbau, em ordem de 28 de marco, mandou fazer
a reacio da farinha de trigo e milho, qual-
quer que fosse a sua quantidade, para que a ca-
mara municipal podesse dispor desses generos
era beneficio de toda a povoacao. As baterias
inimigas conlinuavam a mandar projettis eontra
Bilbau,.margem esquerda do rio, e causavara
bastante damno em alguns dos edificios. As ba-
terias da praca correspondiam ao fogo dos car-
listas. Os bilbainos mostravam-se dispostos a
seguir erapenhados na luta a todo o transe.
0 celebre oura de Santa Cruz, tio notavel
por1 suas atrocidades, foi posto em liberdade pelas
autoridades francezas, mas com a condicao de sa-
hir logo do territorio de Franca.
t Segundo o Imparcial de Madrid, desembar-
caram em um ponto da costa de I. vante alguns
dos principles chefes da insurrei.ao de Cartha-
gena com alguns de seus parciaes.
Vao chegando a Santander tropas do 3
do exercito.
A Gaceta do dia 10 anauncia que o general
Serrano participa que a artilheria fizera no dia
9 fogo contra as posicoes carlistas, que nao res-
ponderam.
PORTUGAL.
Em 9 do corrente foi annunciada e pablicada
a segainte lei:
a Art. 1.* Os tres di/ersos direitos estabelecidos
para o assucar nao refinado, pela lei de 27 de de-
zerabro de 1870, sao refinados em um unico di-
reito de 80 rs. por kilogramma.
t Art. 2.* 0 material fixo e circulante deslina-
do aos caminhos de ferro de qualquer systema,
pagara pela importacao o direito de 5 por cento
ad valorem .
a Art. 3. E' reduzido a 1/2 % a<* valorem o
direito sobre a aduella e arcos de madeira e ferro
para vasilhas.
Art. i.' Os cereaes em^rao ou farinha impor-
tadosde Hespanha e despachados para coasumo,
pagarao os direitos fixados pelos decretos de il
de abril da 1865 e de 28 de marco de 1870, para
os cereaes importados pelos portos molhados.
unico. 0 augraeoto de 400 rs. em 100 ki-
logrammas de farinha de trigo, estabelecido pelo
decreto de 28 d marco de 1870, constitue receite
do thesouro publico.
a Art. 5. Fica isento do imposto estabelecido
no art. 2 e de qualquer outro que se ache esta-
belecido na pauta geral das alfandegas todo o
material fixo e circulante que dentro de um anno
a contar da publicacio da presente lei, for irapor-
tado por emprezas particulars devidamente aa-
torisadas para a construcgao de caminhos de ferro
ordinarios e americanos, sem subvencao do go-
verno.
t Art. 6.* As embarcacoes movidas a vapor, as-
sim nacionaes como estrangeiras, quer recebam,
quer descarreguem mercadorias, quer deserabar-
quem, quer tomem passageiros, sejam nos portos
do reino ou nos das ilbas dos A cores e Madeira,
pagario por metro cubico o imposto de 30 rs.
unico. Ficam assim declaradas as disposicoes
do art. 2. e seur $$ da carta de lei de 27 de de-
zerabro de 1870, que regulou os direitos de tone-
lagem.
a Art. 7." Fici revogada a legislagao em coa-
trario.
, ft".iav, ,,i.,,..mi. anfarmn n AutiaelA on.
dor Joao Antonio dos Sintos Silva.
' Foram feitas as seguintes merctM honorifi-
cas :
Tituio de conde di Junqueira, ao Dr. Jose da
Paz da Castro Seabra, easado com a unica filha e
representante do fallecido vi;C'>nde da Junqueira.
Tituio de bario de Vasconcell s. em duas vidas,
a Rodolpho Smith de Vase incellos.
(Ira-Cruz da Torre e Espada ao bario de Rio
Zezere.
Commend a da Conceicao, ao Dr. Joio da Silva
R wnos, subJito brasileiro.
Commenda de Christo, a Pedro Graeie, subdito
brasileiro.
Estavam e carga em Lisboa : brigue Maria
Helena para Peruambuco, barca Ligeira para o
Para.
Sa'airam de Lisboa : a I brigae Angeliea
para o Maranhao ; a 3 vapor Mallail, para o Para
e Manaos; a 9, brigue Soberano, para Pernam-
brieo.
!%'uticia do sul do iiuperio.
Araanheceu hoHtera em nosso porto o vapor
portuguez Almeida Garret, trazendo datas : do Rio
la Praia 12, de S. Paulo 1G, do Rio da Janeiro 19
e la Babia 23 do corrente.
BIO DA 1'BATA.
Grande numero de negociantes e proprietarios
da parte norte da ei Jade e os estancieiros do Cerro
linham representado as camaras legisiativas contra
a proposta da construccio de um porto ni parte
do sul, proposta sobre que a commissao ja dera
parecer e qua devia breveinente entrar em dis-
cussao.
Havia noticias de Buenos-Ayres ate 10. Os par-
tidos politicos preparam-se para as eleicoes de
eleitores, do presidente e vice-presidente da repu-
blica, que deviam realisar-se no dia 12 : infeliz-
mente parecia que nao se fariam ellas em paz.
Roceiam-se, diz uma carta, grandes desordens
em Chi vile >y. Alguns caixoes de espingardas cbe-
gados pelo trem de nontem foram depositados em
casa de am qnidio maito conhecido pelas suas
proezas em tempo de revolla. >
0 governo parecia tambem nutrir series receios
de que a ordem publica fosse gravemente pertur-
ba Ja. pois nomeara offlciaes militares para com-
missarios extraordinarios nas diversas.parochias da
cidade de Buenos-Ayres.
Dizia-se que grande numero de deputados alsi-
nistas pretende accusar o governo da provincia
perante o senado por todos os decretos que expe-
dira relativamente as eleicoes provinciaes.
A policia capturara um individuo comprometti-
do no far to feito no commissariado da guerra.
Relativamente a questao chilena publica uma
folha de Buenos-Ayres varios trechos de uma car-
ta recebida de Valparaize ; della transcrevemos o
seguinte :
a Pela parte da Republica Argentina appareee o
horisonto com as mais sombrias cores. A maneira
desabrida com que o governo argentino despedio
o consul chileno, em Meadoza, accasando-o de
complice de Segovia e de ter abusiido de sea ca-
racier para proteger a revdofio, etc., faz temer
um serio conflicto internacional.
a Diz-se e comaienta se o boato de que a Re-
publica Argentina nomeou enviados extraordina-
rios junto aos governos do Peru e Bolivia.
a Ha muita gente que julga que se trata de uma
allianija com essas nacoes, e ja sa lembram diver-
sos expedientes para contrabalanca la.
A Republica pede que sejam enviadas lega-
ciles especiaes ao Brasil, Columbia e Venezuela.
0 Indeppdente demonstra que os melhores arga-
mentos de nm ministro de negocios estrangeiros
nio podem convencer emquanto nao forom apoia-
dos pela assignatura do ministro da gaerra, e
pede, porunto, que nosarmumos ate aos denies.
t Qoanto a nos, o melhor meio de solver todas
as questSes satisfactoriamente e substituir as teue-
brosas manobras da diplomacia pela discussio no
congresso e na imprensa, de manei a que a opiniao
publica se faea ouvir e influa nas deliberacSes
dos governos.
Dizia-se que o Chile queria sujeiur a questao
a arbitramen'.o e propunba para arbitro o impera-
dor do Brasil.



L
1


tywip le Pernambuco Seguada feira 27 de Abril de 1874.
presidente tfcs Eslados-Uuidos i*^!lAaV^*'r1',*M,'*a0
For* en^irrMB a assciiiblea provincial* 13 do' hargaaSrcs.l'.nmVarWaJ-alhaes Ci-iro
corrente. ; ;. Lisfec*.- 06r. sacietario de'guerra leu n amw
ReiatdfeMKift aqoareniena cm Santos, diz o.
Diari) eslfK j^ptyisadp a decla/ar/pio ella nao
fora impost* por ordem superior, pnrquanto nem
o presidente da provincia nera o chefe depolitia
baviam ainda providaaf^io a reapeito. R aeeres-
centa :
E' possivel que o Dr. proved or, flrmado no
rrgalanaentci tie saiide do porto, tivcsse aslaheeci-
do um ponto de nbservacio para os navios proec-
deniej do Rio da laneirj. As pri.viuontias etpe-
dtfas pelo Dr. cheTa de policia foram as scguiates,
tanto para a Yebre amarrlla, como para eombater
a variola, quo aili se manifest-on corn caracler opi-
demico : preparar-se o lazarrto ia prate do iocs
com os ufSMilins e pessoal neeessarios ; scitm
para alii Br&Bsportados os quo eiiTermarem a borJo cambio eonlinuo 1 a mostrar-sc
dos navios.; manter se un\
lazarcto na cidade, em
lugar aprofriado, para os bexigucntos, ticando o
dJegado auturisado a fazer todas as despecas
precisas, do aceordo coin o provcdor de. saude e
com a canu.ra municipal.
A 16 notichu a mesma folha :
0 vapor P ulista preduzio hootam com ?ua
entrara uma verdadeira:regate- Corriam os boles
embaadeiradcs, aproximavam-se e arredavam os
catraeiros; emflm, presa a uula, prejadicado
o commereio, appareeeuo inspector de saille
*Ou bavia ordem aa barra para DM pcrmlttir
o iogresso do paqut^n, ou na>. Em caso nogati-
ao/nan era licite de~ler o vapor deulro ji !a bahia.';
era allirmaiivo, cumpria promover a rcsponsabili-
dade do respeetiv.) commandante, agutrd.ir sua
jusiificativa. qua c legilim i; mas nanca velar o
'dqsembarque deijpaesa-geiros, porque ja nao produ
zi eStito ;i deXeaeao do navio, e antes, a apglo
meracao tornavr, so nociva. Cere* do bora e meia
depois dasetnbareurain os pas quarentena, no lugar onie estaoMM o navio, des-
infecta se a ccirrespondencia e facutln-se a entre
ca, e niio foi isso observado, por cesso foi rea; A quarcntena impoeta com"e-ta, sem. -jue
esieja drcUrado snjo o porlo do 'Rm, e conce-
da-se o! ins [lector de saiiJc o necessario a estes
iin*. e, aldni de vcxatorin, ridicola, o como tal
doTera cessar in continent!.
Noticia n Ypnncma ter-se conclnido a feira
de Sorooab:, wr, tendo-se cerca do 2\.<)00 bestas
ao pre?" medio de .*i0^.
0 delegado de policia f.e Hap-Mininga man-
dara premier o turbuento Fran;isc Antonio de
Qjeiroz, qoe constava ser dasertor. Interrogado,
declaren e!lo haver realmente desertado do 3. ba-
ta!h*o oe linha do Ceara.
$ Joaquim Jo tal, o >|ue tinha assassinado um inspec-
tor de qiaiteirao no ditrcto de Clambuhy. da jiro-
vincia ji'Min.K.
A Estreltn d'Oiste, fuJha qie se pnMioa em
S. Jiio do Itio f.lar.i, re fees :
Para reswiegir quamo possivel os focos de
infeecao f..i, a pedido do pre*ideiito da eaimiM, de-
limtivamente rctinida a MfertUTia maeonica ao
no-|i!tal municipal. >Ji['ieHa enfermaria foram
raci.iiid >s 2.J doentes da variola, in qnaes aoe-
nas moweram l.i, ti-n-loS dos fallocidos tilo en-
trada para alii em e.-tado qna !.>' S! ainda na me-is.i folha :
I i*n Baptist* do; S nt is aeha-so pr^so na ca
dei.i desla riiaJu desde anno de 1880 ; rospon-
den ao jury, p .r crime do liomieidio, em inaio
dcsse anr.o. se.idocondomnidi. AppoRoo da son-
Kne*, mas at>- boje eAo voltarara M autos da re
Im\. ;
t >'o Jia 31 do pa*d.i fiipa ragalsriasda '>tn
Capivary a loja m... miia //pfi,//flrfc,dandose eu
ta.i a liJiertaeai i; um i es-rava de 9 annos, quasi
bnm<9, a expensas I*? iRinhr mait daas pel.) Sr. Ai:tinn do Toledo Pira e Al-
meida
Em dii tambem a lnja magnmoa *Hi lribuira m liias esHUiIas pelos pvbres na
sexta-feira sani.i.
l.i: se na Impr.vix:, ein data de 13 :
O no Cubita i en -lie:! ;l ioaneira descommu-
nal nos primeiros di s da mmsoa pas-ada, em con-
sequencia da copiosichuva quecahio. Foi tal a
tachente, qne arrancoa da p^nte tres vigas e nl-
fuinas tabias d) a--lalh.i, impossibibtaudo des-
farte o tr.insito de cur e i opas.
Na srra que ohstruem a pas-agem, tanto que para dar
transUo a am carro foi necessario o ; facer uma pequ-ena asearafSe no morro para e.e
lim >
Fallecera em Santos o anligo dep-icbante
garal da alfandeja, Jose Hoarrio Uueno.
Julgaram'
1I!0 DB JlWFMRl.
o ftngentoeiro Edoardo Jose do Moraes foi en-
tarrBQaA i dpIo ministerin < c""111"'' *" &XH
minar os port de Paranagna e Aut^nina e o tnif
cado das projec.tailas estradas de ferro quo daque!'-
le? pcntos devem dirigir-se a Coritiba, dando de-
pot- setl pareeer a respeilo la ijue deve ser prefe-
nda.
Jfp ex.inie ri is portos fonccionari o referido en-
geaheirn em eomiDis>3 i m o 1 tenente da arma-
da Nascioien'.': lunior.
Tenii'oa la e ia e unmissao esaminara o er.ge-
sfaeiro M ira as ibr is do ranal do Varadooro, se
pjaiado d-;. >s ara ^ Rio Grande do Sal como che
fe da eomi engeahetros quo tern acom-
paotur -;. da projootada estrada de ferrc
daqtiella pmvioci i.
0 mil isli r o do iraperio, em 11 do eorreote,
expedio ao presi lente la pronocia da Babia o se
guint-i aviso:
Him. e !v;i. cr. Accoso o reeebi i en to. do
offiH de v. En :. ; \\ de fevereim, com o qml
ewrion, para i g ternj imperial resolvcr, : actis
das do.:- eleicces qa i se proe 'i.:,i para jaizes de
paz, n'. dia 26 de ontubro danno passad na fre-
guv.ia de N isea Seah ita Madre de Deas do Bo-
", ia ':'-:!. presididas, Bina pelo l juiz de
paz do oi-!!'lf.o '. i i:i Mi i/., e outra polo. 1* jui'. de
paz do districts da fr gaezia de S. Francisco, a
mass vis n!ia. Em r sp >sta, deelaro a V. Exo. qne
ogovernj in; ri-il leeidio ser nnlla a 1* destas
ele;foes e vaiida a i\ polas segaiatea razSes. Lc-
gaimente assurnio a presideacia da assemblea oa-
roetii.il o dito juiz de paz Ja freguezia nau visi
aba, acliando-se acseote o mais vetado ia frega -
zia, e iiupedidos os outros, e tambem legalmente
co'itinuou aqueile j/jm a presidir a eleicao, a qual
d ni rezularidade se^onclaio, pois que o mais vo
tado da freguezia, tendo posterioriteote compare-
odo na matriz, reeasoa tomar a presidencia da
mesa. Nao podia, portanto, o dito 1'juiz de pa/
da freguezia formar, como formou, outra rne^a pa-
rochial, e por isso sao nullos os trabalhos perante
-la effdetoados, alem irregjlaridade substancial de fazerem-se em am so
dia a 2a e a 3' cbamada dos volantes. Deus guar
a V. Exc. Jouo Alfredo Correa de Okveira.
Palleceu, em Juiz de Fora, o barao de 1'itan-
guy, Honorio August; Josii Ferreira Arnoud.
Acha?eccmpletaiiwate cego o arti.-ta dra-
B) .i.co Francweode Salles Guimaraes.
Pelo miaisterio da justica, em 13 io ccrren-
te :
Devolveu-pe ao pre3ideote da provincia do Cea-
ra, afim de ser in-!ruida com a infornucao do juiz
de direito, a pelicao de graca do riio Canlido Frau
Cisco Fr ire, que se acba do pres'dio de Fernando
de Boronba cumpriado a pena de 12 annos de pri-
sao com trabalho a que, por crime de liomicido,
foi cBBileinnad-) em virtude de dec'sao do jory da
capital da re:erida provincia.
Declare u-se :
se*ao antecedente, qae (oi approvada.
se }6 nroccssos.
Eis as noticias coramerciaes da ultima data :
Montevideo, 11 de abril. Sacaram-se hoje
pequenas soiumas wbre-Cadres a oi i\i c 51 3(8
d. e sobre Paris a 5,48 e 1,16.
< 0 meroado >ie exportacao tcni-iemosUail) ac-
tive. As veaaas de couros, fora:n hoje de 33,000
pecas aos precos de 88 n 85 rls., e as de sebo de
tiOO pipas a Ifi 68 c. fostu a bordo.
N.-io aoavo veodas do gencros do Irasil.
t Frctoo-ae um navio para earregar 10,0(1) con-
ros sslgados neste porto para o Canal a ordem, a
it s. 8 d. e 8 0;0 de oapa.
Rio de .faneiiv, IS d* *br&. ? O jaercado de
frouxo, e poucd
activn, sobre Londres a 35 3(1 d. papel bancariq,
23 1<8 e 26 A. particular. Os baacos, a ultima
axhera, recusaram matr 4qetia a.
c Negocioase um pequsao lote de soberanos a
9|380 a ilinbairo.
t As apoKccs geraes de 6 0;0 conservaram-so
ftrmes a t OINS e i:0i0j adinheiro. Das do em-
prcstimo naekjpal de 1858 venderaai-se lotes regu-
lares a 1?0705 e 1:071* a dinhein. Uma partida
zio de 1:0 03 a dinfoein.
N'e mercado de cocoes pouco se foz aos se-
guioies precis : Baaco do Brasil, a 210*; Ccrnpa
ni'ia de lUummacao a Gaz, a 3105 i Cwtpanaia
das Minai de Cacapava, a "0* e 73i rada-ama, a
dinlieiro. Foram vandidos em leilio pequeoos lo-
tes de ac^oes da (lomnauhia de Seguros Garantia,
aos precos de 110$ a 130 i cada uma.
As vendas de caf6 foram meaos que regula
res, c as de assucar pequenas para coasumo.
t Apena3 se fretouboje um na'io para Lisboa
a ordem, via Santos, cafe, a 50 s. e 5 0|0 de ca
pa. >
A alfanlcga rendeu de 1 a 18 do corrente
1,913:123*334.
IIVHIA.
Chegara a capital a companbia draraatica
i|ue, sob a direcc'io do,emprezario Lopes Cardosa,
deve traballiarno tlmatrode S. loao.
No dia 12 do correnta a noite foi a^saltado,
nas ruas da villa da Feira de SanfAnna, por di-
vefsos assassinos, o aivogado Christovao Telles
Barretn.
No domingo (19 do corrente) procedeu-se a
eleigao da dircjcao dos fustejos do dia 2 de julho,
da sociedade dos caixeiros uacionaes, a qual Gcou
assim urganisada:
Mesa da assemblea geral
Presiden'.e- F. V. Miranda.
< 1 secretarioAutonio Olestino de Souza.
2" ditoAntonio Vianua-de Sa
a Direceao. -
Miguel Antonio Netto.
Jose Aracaroba Topinamba.
Jia.1 Virgilio de Andrade.
Antonio Xose da CSDoha*
Ga>par Lisboa.
i Pedro Joaquim de Maltos.
Vi.-tor Esmeralao do Souza.
l!ommlSsaode; syndicancia
Jii:t;niano Pedro da Silva.
Jiiaquim Ribeiro da Cuniia.
Jose Maria de Maltos.
A alfandega rendeu de 1 a 22 do corrente
117:133*782.
O cambio regulava sobre Londres 23 3/i a
2Gd.
Leai:.s no hriial da Unhia, de 17 do cor-
rente :
Hmtem cuntinuando com a palavrao Sr. de
putado Artlmr Bios, como I lie haviasido permittido
na sessao anterior, as galerias iuiervieram, e sen-
do ohamadas a ordem pelo preiidente da assent-
bMa, in-istiram em manifeslacoes contrarias ao o-
rador. 0 presidente suspendeu a sessao, e as gale-
rias foram cvacaadas a esfircos do sargentocom-
mandante da gtiarda e de alguns empri-gados da
assenibka.
Qaando chegon a forca. que tinlia sido soliri-
tada ao goviTno, abrio-se de novo a SettSn, e foi
dada a palavra ao Sr. deputado Arthur Rios.
Recomecando este o.aeu discurso, no mesmo
sentido, repetio a galeria as deoionslraQoes, qusse
tornaram estrepBosas. 0 presi Jente, uao seado
obedecido, leranton a sessao.
0 povo, que occupava as galerias desceupara
a praca, e, a proporcao que os deputados iam sa-
bindo, dava rirns a uns e f6ra& a outros, vivas a
S. M. o Imperador, ao Exra. Sr. presidento da
provincia e ao povo bahiano.
Quando sahiram os Srs. Araujo Goes, Milton,
Arthur Rios e Altino, houve grande vozeria, que
degenercu em deploravel scena de pugilato.
c Felizmente diversas pessoas os auxiliaram e
entre ellis os Srs. commandante do policia eaju-
Janio de crdens da presidencia, conseguiudo o Sr.
Arthur Bios partir am um bond, e os Srs. Goes
e Hilton ganbar o Elevafdor, para onde o povo
correu ; mas o Sr. general I'edra, que estava em
palacio em visita a S. Exc. o Sr. presidente, que
ha ires dias esta de cama com urna grave interco-
lite, correu, e collocando-se a entrada do Elevador,
impedio so povo a pastageni, e foi attendido, ate
qne chegasse a for{S de policia, quo estava na as-
sembiea, e que ticou po>tada em [rente do Ele-
vator
imifuagem a Prettt e o FptnriU ao'ii
a'tfinam-se do ver os ulti vrealistas piKMLajK
ica.aa n|tn'i3'.ivaou do *. prom.inifiMiiip4r"
tfcHVique \, on da .iissolvereu e di*ffiaWTt
Sr.liYsM^v^iiit.iic-irio.-.
E' i*^*ll0^Cd,U|llcl), d! qwd'lVi! n*4ri>-
monte Teratoi uma decoraposicao complefc dafWJfis pelos repubiiaauos.
element is qua derribaram a administrac\o do Sr. n' ,:-----
Tbiers. ^
"? Sr. Thwrs rocenta TUtfan-manw 05 delega
dos do* frafteafti residues to Japat quo die vie-
ram aproseatar Oma msgnifica gaaraicJo d
de bni|i7.o. Om del Mb leu o texto de uma
gem obattado gran&nuinoro de as-ignaturas, 0
em qa* seagradece ao ex-presidentc de terahre
vtado aafica^ d 1 cacupavao erfrangeira, c aeli
matnie aa nacai a rapublieaaaoderna e mode-
rada. .
0 Sr.'Thiers afvaJecea caloresamsnle aol dek-
gadtis todos os bons cidadaos, elle havia conseguido em
l#arlo lirar a Kranca do ab; sm0 era que unha c-
hido, neai por isso deixa de ftaver ainda muito iue
RWsr.
corpo, t jiaanjs 4Je.-favoraveis as
paralysj^-aj na* operagdes da gaer-
ra ao nbite.
A Iberia foi a primeira fulha a dar 0 signal do
rebate en. JJadriJ. E posts que nio ciUsse names,
nem ceatros. 0- seus tiros disparaiam so contra as
suppostas inlrigas e insensato* matiejas dos affon-
sistas, aos qoaes nao sariam alheio's alguns dos
mambrtw do actual goternO de'-Hwpanha, ou per-
sonageus bem aceitos Junto desse goveruo.
j t Oajrito da iteiHa pra luzi^; porqoa no
dia seguinte a Spoca reproluaindo 0 albidido *U
go, e Tastimando que, em lao graves
0 que, em lao graves circumstan-
c A Iranea, ajuutou 0 -Sr. Thier*, maaifesu ca- <**, so tanyassem na publictdade-noticias qno po
da dia a sea preference* pela forma republican:i, di.uu convexter-.-e em elementos desorganisadores
ornadaaleiH dwse neo9ar|l,pelft,eoaiorfteacia da da paitiJo* liboraes on3lituciouaes,-a Epoc.i,
\'i jcia.s de Sorgijsec do Alagits
Chegon ainda hontem o vapor brasileiro Gastao
de Orleans, trazendo jornacs do Ara'ajii de 21 de
raarco a 11 do corrente, e de Maceio (lo dia 23 do
corrente, dos quaes colhemcs 0 que segue :
ssaor-B.
No dia 33 de man;o 0 Exm. Sr. Dr. Aatoaio
dos Passos Miranda deu, no palacio da presidou
cia, am bails, que esteve concorrido e animado.
No distil-to do Soccorro foi assassinado, por
u 11 seu e-cravo, o capitao Leandro Muniz Telles,
entregando-se a prisio 0 criminoso.
No dia 7 do corrente foi in.-tallada a socie-
dade Club da< Regatas, euja directoria se compoe
u-sitn : presidente. Dr. II. P. Guimaraes; vicc-
uresideirte, K. F. de O'iveira Meilo ; secretarios,
J. E da Silva Castro e A. Becke ; thesoureiro, H.
?chram;n ; director das regatas, capitao-tenente
Jos) da Cunba Moreira.
ALAUOAS.
No dia 2i do corrente, as 9 boras e meia da
manha, deu a alma ao I'.reador, na casa do Sr.
Dr. Felippe do Mello e Vasconcellos, presidente
da a-semblaa provincial, o Exii. Sr. Dr. Luiz Bo
Dials Peres de Moreno, ex-presidente dessa pro-
vincia, victima de uma b'bre perniciosa
Durante todo 0 dia 21 estiveram fechauas as
repanioSee pnbtieaa.
Os ultimos snffraglos, perante 0 cadaver J) fi-
oado, f.,ram celebrados na matriz da capital 0 a
elles assiMUnni todo 0 cleroda cidade, opresiden-
te da provincia, rnembros da assemblea provincial,
vereadores da camara municipal, cbefes das re
pariicoes publicas e m respectivos empregados,
offleiaes miiitares de linha, polieia e guarda na-
ciona!, e muitas ouiras pessoas gradas,
Em Mnrfey acbavam-se presos Victor Jose
Maximo e seucuohado Gabriel do 4al, recibindo
suspeitas s ibre este de ter sido 0 autor do tiro
dado no Dr. Bauli", juiz municipal desse termo.
A'ultima data allirmava-sc acbar e esse Dr.
Bare de perigo.
r es dynastias rivaes.
a Em quanto Jhe rccusarom o que eHa ped,
aglta-la-hao inulilmenla ; ve la-hao resistente, in-
liiieta, desunida, e nan consegnirao vd la, aem fe-'
liz, no d respeitada. Mas as resistencias serao
biovementa veocidas, a ell 1 lera, como-aspera,
ain la do gozar de dias afortunados.
- Anmincia a ftrtrw, que 0 conde de Rpsse-
guier, depuudo pelo Gers, tenciona interpelUr 0
govern) na primeira reumao da commissio du-j
permanencia, por cau>a daevasao de Rocheforte
dos seus coiupanheiros.
Dizse que mais abjnas assumptos 1 in la da im
portanci.% superior serao tratad >s nesta sessao, que
devem dar ao governo um astegosto das discus-
socs que 0 espuram na reabertura da assemble*
national. 0 Sr. Amat tenciona pedir-lhe explica-
5es sobre a dissoluc,ao do consellio municipal de
*larselhe, e sobre os consideraodos diffamatorios
contra os inembros desta assemblea, lormulados
pelo prefeito no decreto de dissokicao.
Os Srs. Lucet e Mahy fallaram tambem do esta-
do de silio era Alg^r. Diz 0 Side, que 0 g.iveroo
tomu esta medida simplesmentepara sappmnir am
jornalrcptiblieano, a S-iUdaried*de, queatacava vi-
vamente 0 miire. Ev.e olTorecia a sua de;niss.5o
se 0 governo nao conseguissa impor silencio as
criticas deste jornal. Era preciso, segundo as leis
normaes, pedir a condemna^ao aos tnbun*a>, e re-
ceiava se que estos descent uma sentetva abso-
Intoria ; e per is-o julgou-sa mais simplesdecretar
0 cstado de sitio. e denote supprimir 0 j-Tnal.
A b.urguezia do Alger esta muito commovida
com esie proi-cdimonto do governo, e proleslando
contra as violencias d 1 imprensa local, encarregou
os seus deputados em Paris, de recliunarem a re-
tirada da medida, em no:nc das interesses do com-
mercio 3 da indu-tria.
ITALIA.
Corre ha tempos, 0 com insistoncia 0 boato de
que 0 imperador Francisco Jose iria a iL.lia para
pagar a Victor Manuel a visita quo sste I he fez em
Vienna.
Os jornacs nfJQciaes de Roma prelendein demons
trar a falsidade deste boato, e a Italia expSe as
razoes que a toruara impissivel.
Diz 0 meocionado j-jimal que 0 imperador Fran
ciseo Jose, nao pode ir a K >ma, sem visBaH 0 Va-
ticano. Ora, e. facil de comprehender que 0 mo-
muuto nao scria pr. picio para uma entreviata en-
tre 0 chefe do imperio austrohungaro a o chefe
da igreja.
Indeiiendentemente mesmo is sentimentos pes-
soaes do imperador, sentimeiuos tradiccionaes de
devocio para com a igreja catbolica ; 0 imperador
tern um earacter cavaheirost, que 0 impediriam
de cntrar no Vaticano, ra^sm) na occasiao em que
se lenha travado a luta aqcem e alem Leilha, no
moment) em qua, os dous parlammitos esiao dis-
po-tos a lirar a corto pontifuia as suas ullimis il-
Inswa
ALL"iMA.MIA.
A Presse de Vienna publicou uma correspoudea-
cia de FLicenva contendo interussanies revellacoes
sobre as relates entre o priucipe de Bismark e 0
conde d-^ Armin.
As de.siotelligencias entre estes diplomatas da-
taui d.i estada do conde de Armin em Roma por
occasiao do cencilio ; 0 cbanceller desejava publi-
car alguns despacbos relativos a siluai;ao, 0 que
0 condede Armin linha impedido por uma ordem
ds imperador.
A Presse inserio dons desscs despacbos, um da-
tado de 8 de Janeiro, e outro de 18 de iunlio de
1870.
Estes dous documcnt03 apresentaram um inte-
resse real, se a saa authenticiJade podasse ser con-
firmada.
Befercmse a attitude do episoopado allernao em
pre^enca do dogma da inialbbilidxde papal.
AUSTnO-IIUXGKIA.
0 clero ulframontano coD'.inua a mostrar clara
mente o seu d-spreso peia legisiacao civil.
A coustiluicao consagra a immnnidade c a abso
Idta liberdade do opiniao dos represenlantes da
nagao; mas 0 arcebispo de Lemberg nao entendeu
assim, e vorberou da penas eeclesiastieasos depu-
tados rulheneos que no reichsrat votaram a favor
das leis confossionaes.
SBBVIA.
Confirraa-se ipie a Servia obteve da Porta a
saaccao delinitiva do projecto do linha ferrea quo
deve iig.ir a rede dos caminhos de ferro auslro-
bungaros com a grande linha international de
Boumelia que e 0 caminho mais directo dos paizes
occidenlaes para 0 Oriente.
S^ a Porta por muito tempo rcsisti0 a esta so-
lucao que era a uoica national, dictada pelos in
teresses commons, 6 porque receiava favorecer
demais a Servia e isolar a Bosnia.
Se deixou as suas pre^encj) s foi provkcelnwnte
porque 0 governo austro-hungaro, mais esolareci-
do, conseguio c invence la dos perigos de uma re-
sistencia deraasiidamento obstinada.
HBSPARHA
Acerca deste paiz escreve nosso correspon-
den to de Lisboa :
Diz-nos 0 telegrapho, lao avaro de n jtiei.ia da
digo, declarou terminaiUemeu'e que 0 partido mo-
^nafewico liberal que ella represent*, esta fdra des
sas lulas e perinnnecer inteiramenlc atheio a el-
\ittsj e por isso se abstinha de fazer os necessarios
c^mmentarios ao procedimento da Ibtrta.
Accroseent* a Epca qne a cansn di agftacSo
politica qua se observava agora em Hespanha,
pToCediS de fevereiro e aggravara se pela saliida
ao ohefc do esudo para onorte ; e qne todos sa
bum que bavia receios e desconfi.iii';as nos ele
nontos que compunham a sitnara > actual.
. t No ultimo conselho de mioistros a que se Ii-
gou grande importancia, fizeram se declaracoes
tiuceras 0 apreciaveis para a aus 1 da revolncao
c ara 0 futuro da liberdade da Haspaniia, e que
de iguaes fon'.iinent03 parlicipava 0 general Ser
riu.
Ora, os boatos referidos tinliam tambem como
fuadamanto certas noticias dadas pomma folha
ingleza, a qual declarava que sabia a ongem da
guerra actual.
Quando D. Label sahio de Hesrpanha, o pre-
lendeate D. Carlos prestava-se a reconheee-ia. A
queda da rain' a reanimou oscarlistas, os quaes
derain nova direopao aos sens trabalhos. Depois
a guerra fraoco-prussiana suspenleu a insurrei-
Qao carlista, da qual tomaratn a direegao Elio,
Dorregaray, Valles. Castells, Itadica, Olio JIartinez,
era dezemnro de 1871. Passando a primeira in-
vasao fallaram os recursej, e os trabalhos proro-
garam-se.
t Era meio do anno do 1872 os federaes enten
deram-se com os carlistas, como so inferio d*3
revelacoos posteriores do ex-miuistro federal An-
ricb depois d 1 sua apresentacao a duqueza de Ma-
1 e os carlistas agiiarain se em vida nova.
drid.
Ao presidente da provincia de Fernambuco que
esta reparticao agjarda a informatao exigida por
avisos do 20 de jantiru ei> de marco ultimo, re!a-
tivameate a daia cm que o meneioaado. ceo Can-
udo Francisco Freire enlrou para o presidio de
Fernando de Noronba
Ao di Ceara, 1 m resposta ao oflicio de 7 da fe-
vereiro ultimo, que a visla das circumetancias os-
peenM em qne se achou aaova couiarca de Ma-
i-anguape, ao iaaagnrar so a rclacao do districto,
0 governo imperal approva o ado, em virtude d<-
qual, ndo nbslaate 0 disposto nis avisos de 10 de
rnaio de 1862, 23 de julho de 18C8 e 23 de novem-
br) de 1872, resolveu 0 mesmo presidente consi-
ders*, installala a referida comarca, assumindo a
jiiiisdicao da vara de direito 0 respuctivo juiz mu-
nicipal e de orpbai .
Em S. Joao da Garra falleceu 0 coronel Joa-
quim lost Bibf iro Seixas; e em 'Tarapos, na ida le
a- 8) anaos, u decano da corporac-io musieal da
queila cidade, e am do.- me hores discipaios quo
teve 0 padre-mestre Jose Mauricio Nunes Garcia, 0
vel ki rgaatssa Joao Aui.nio Gonoalves
Pelo jury de S Joao da Barra, foi condemna-
do a gales perpetuas 0 Dr. Diogo Jose Laureate
Olona, por ter assassinado ha 2meze. Joao Bernar-
dino das Neves, em Itabapoana.
No da 18 do corrente hoove sessao do Coa-
selbo Supremo Militar de Justica, sob a prasiden-l
ciado Sr. conselheiro de guerra Bittencourt. Acha-
ram-se presentos os Srs, conselheirog de guerra'
Mais Kticia da tluropa.
A' uma hora e meia da tarde de hontem cne-
gou iidianlando dous dias as datas r.chidas pelo Dou
ro, i.-to e, trazendo jornaes de Lisbua de li e 13
do corrente, dos quaes colhemos 0 jue se segue :
kr wiga.
Falla-se muito em Paris da proxima retirada do
duque do Rriglie, que seri* substituido pelo ac-
tual presidente da assemldea national ; 0 qual se-
ria snbtlilaido neste drgo peso Sr. Italbie.
A Ordre, jornal boua;iarlisu, diz que 0 ruioistoe
rio. Da abeetarj da camara, tevn tres desfistiain-
que saltar sob a pressao das exigencias d >s iegi-
llm'isias, dos orle;.ni.-la e dos republicanos.
1." Terita.iva de restauragao do conde de Clum-
or d;
2. tfempaata dissoiucinnista ;
3.* Vote ^e uma lei eleitoral inpawivflfa* 0 ds
um senado *ir,sensato.
Se 0 governo nao salta as duas priamifas bar-
reira,isto e, se niio consegue fazer abwlir a dis-
soiooSa e a resiiuracao, std Bardtdu. Quanto a
lerceira, k .-indaaO/v/iv? quem firf'a, quor a sake,
que- na>, esta igaalsoeale prJido.
Basta percorrer 03 joro 10s olMMdos con.wrva-
dores, para reconbecer quant eetas apretiacues
sao fundadas.
Nunca as divisoes nas ftjstnas da maioria foram
maiores.
A Union ataca oa bysantinos do selenado, qu-
querem fazer calar a opiniao pu'diea. com a argto
cia da prorogac-10 madada em iastitaiga* do estoa
do. A prorogacao, acorestonta a Union, e uu
facto, 0 setetiado e um mytbo.
guerra civil que a visita de Concha ao quartel ge
ner. I, foi adiada, nSo so pelo seu estado de saude,
mas tambem por causa do inao tempo. Accrcs-
centa que Turon chegou a Madrid, e queo fmpar-
cml annnncla novamente a viada de i'opete.
1 Oatro telegramma parlicipava a agencia de
Madrid, em 11 do corrente, que tinham'cahilo co-
piosas chuvas e houvera exce3sivas veutanias. 0
eampo estava intransitavel. Na Catalunha os vo-
lantarios de Mora e Ebro sorpreenderam em Cam-
po5iue a facijaoPalacios, fazendo lhe 22 mort:s.
Um telegramma a:razado, de 9, dirigido pelo
consul de llespanba em Bayonna ao ministro de
estaio, diz que os guardas aduaneiros apprehende
ram 11,700 caituxos metalicos, que cram condu-
zidos n'uroa carroca por um cura e uma rnulher.
Outro telegramma, datado de San Martin, e diri
gido pelo governador da Byscaya ao ministro do
reino, diz que nao havia novidade ao norte ; que
coutinuavam as apresentapoes dos carlistas 0 que
as granadas dos repnblicanos tinham morto em S.
Pedro de Abanto f3 carlistas.
o Os periodicos de Hespanha alcan-am a 10 do
corrente abril, e ; s cartas do acampamento do nor-
te, ate 6.
Diz 0 correspondents do Impartial quo con-
tinuavain no acampamento com grande actividade
os trabalhos de imlrincheiramento para batero im-
migo nas raelhores condigoes. Os engenheiros es-
iao prestando excellentes servi^os, e nao descan-
cam nem de dia, neinde noite, na sua tarefa.
Algumas bateriis eram construidas em 48
horan, a meaos de 100 metrus da igreja de S. Pe
dro, e menus de 300 das graodes trincheiras do
eaminho de ferro de Galdamez, situadas aciioa da
povoacao de Pueheta.
A-'cresceutava 0 dito correspondent que os
carlistas nbservayara eslea preparabvos sent hosti-
lisar a tropa Wjiiral, nem orresponder an fego
boa invariaveli*entese Hies fazia todas as tardes
do Monte Janeo. Gonlinuavam a apresentar-se de-
aerteres carlistas. Na altura de Janeo deseobri-:
ranise alguns sigoaes feitos em Bilban, mas nao
lora possivel euieode-los por fain de um bom
oculo. Sabia-se, poiV-ia, que o bombardeainento
contra a pra^a dirainuira muitissimo.
Sio muito interessantes os boatos pollticos no
aeampamenlo e na cidade. A morte de Olio, gran-
de intaUtgeaoJa in iitar e a de Badica, persaollea-
c,i i da intratiiigeneia absidut!, augment ara a 1 is
sidencia nas lileiras de D. Oarlo3. D'ahi nascerain
cartos rumoros qu-, commeatid'i- c dtiTnnd.rain
por toda a lfes[iioba. Cnsqwriam aili a paz, a
todo u eo^to; a iuiros por aeaiuua pr'eco eutia-
riara era trans*c<;des vergdnftosas. Urn ataasa car-
lista ouvira propor em nome de um dos gaae pri-
meiros gsnenies, as bases de ntn convenio para
acabar a guerra. 0 mais acettado, diz o tal chefe,
seria a proclamaoio do pretenueote corr>o rei-da
Hespanha, 0 qual reeonheoeria 0 filno de Izabel
II como primeiro herdeiro (!)'^ ^1
I) Rj|e| Ujada. q'j/jm*> 0ceasioaoa, !"iw 1 ox- iifH< n <^ fcrlmontoM. No cnscih
1 cnata um iierr.em para largo-> c 1 nswotarios no rainpo em 12 do corrente, J iso Anton-:. qa sij,a" irdvan-
t\ 0 clugara as trincheiras 0 i'. casas' occu do-so de razoos com afjuelle, um escravo e'um mo-
fador do mesmo, foram a vias 'do facto, resultando
a Os boatos que ticam msneionados chegaram sahirem todos feridos, sendo qne, gravemente Bar-
a Madrid mais on menis disfarcaljs, e Gtorara, co- ros e Silva. Oaggressor, Jose Antonio da Silva
al, grau le axpl)sao nos ceatrus re- fui preso em'flagrante, e foi logo remettido ao res-
progressistas, contribnado de eartb pectivo juit 0 inqaarilo pilicial 'no tal occurren-
cia motived.
it<-ii*aa\o aaftlsiica. A aonvitc da socie-
dade Pliilantr.ipica dos Artistes renniram se hon-
tem as It bora- da manha, na .-6de do Monte l'io
Popular Pernambucano. eerca de 400 artistes de
todas as classes, allin de tratarcm de negocios de
interesse cominura., Acliava se raprescntada a so-
ciedade do3 Artistes Mechanicos Liberaes.
0 Sr. Manoel Perreira Guedes opinott que se re-
queresse aosn)dcres geraes a abolicao dos in-
postos sobro- aiatsrias primas, sobre ihdustrias e
proiissoes, pesseal e a instituicuo de escolas indus-
triaes.
OSt. F. S. Monteiro Pessoa opinou pela abolicao
do imposto sobre materias pnma*, instituicao e es-
mlas. mais foi de pareeer que nio convinha pedir
a abolicao do imposto pe$3oal e de inlu&trias e
prolissSes.
0 Sr. A. Durville e Silva opinon pela abolicao
dos impostos sobre materias primas e sobre indus-
trias, achando conveniente nao podirse por ora a
ab di;io do imposto pessoal.
Os Srs. Jose Vicente Ferreira Barros, F. de Pau-
la Carneiro Uchoa e Jose Sena Barboza, abunda-
ram na* mesmas consideracoes.
Sendo encerrada a di-cussao, as 2 beras da tar-
de, resolveu-se incumbir a uma commissao esses
trabalhos. A Commissio e composla de 3 socios
da Piiilantropica, 3 da sociedade dos Artistas Me-
chanicos Liberaes e 3 outros artistas.
A commissao rennir- e-ha 110 paco da sociedade
dos Artistas, no proximo dorarngo, as II hor-s da
manha.
viin* ti-anaatlanticoa. De Lis-
boa deviam sahir para 0 nosso porto : a 11 do cor-
rente, 0 vapor inglez Lilande : a 15, o vapor in-
glez Puno ; e a 23, 0 vapor francez Erijmanthe.
Teicgramuaaa commcrriaes. Pe-
lo vapor inglez Douro receberam so os seguintes :
Londres, H lie abril. O algoJ.io sera mr.vi
mente. O cafe frouxo; a carga do Motia Hoy-
den, do Bio, foi veadida a 07. Knmcles & Foster.
Londrjs, 11 de abril. 0 algodio calmo, com
baixa de l/lf, existencia 838,00:) saccas. O assu-
car pequeno moviraento. 0 cafe 07 a 08. Pin-
to L*ite di Sobrinlw.
a Londres, 12 de abril. 0 algodao regular de
Pernambuco em ser 8 3/8, Parahyba 8, Maceio 8
5/16 calmo. Assucar miscavado de Pernambuco,
qaalidade regjlar, em Liverpool, IP/1 sem mudan-
ca. F. Youle.
Do Bio de Janeiro, em 21 de abril a tarde,
recebemos:
t Cambio sobre Londres, baneario, 23 3/8 fftm-
Jury Dr. juiz de direito da 3-vara da comarca do Re-
cife, deve eomecar boje a segunda sessao do jury,
para a qual foram sort&ados c3 seuhores :
Freijuezia do Rscife.
Caetano da Costa Moreira.
Joao Xavior Bibciro de And ade.
Benjamim Ernesto da Silva.
Joaquim Agripino Fnrtalo de Mer.-lonja.
Joao Joss de Lima Paris.
Dr. nnrrilo Men des Vianna.
Joao Domingnes da Cunha Lages.
Dr. Hermino Cesar Coutinho.
Freguezia de Santo Antonio.
Pedro Gon;a!ves de Arroda.
Henrique Joe Alves Ferreira.
iir. Jos6 Joaqnim de Almeida Nobre.
JoanFirreira Vilella.
Joaquim Cardoso Ayreg.
Antonio Jose Leal tteis.
Joao Evangelista da Silva.
Jose Antonio ds Fonseca e Silva.
Joao Landelino Dornellas Camara,
Dr. Franoisco dfl Paula Saltfs.
Joao Zeferino Rangel Sampaio.
Francisco Goncalves Rosas.
Frogntzindi B-m-Vista
Manoel Jose do Almtida Soares.
Dr. Honorio Hermeto Correia de Brilo.
Dr. Joaquim Correia de Araujo.
Thomaz Barreto Lins de Barros.
Aitonio Jo-e de Moraes Sarmento.
Francisco Geraldo da Silva Barroso.
Carlos de Souza Correia.
Pabiicio Gome! Pedrosa.
Jose de Sa Leitao.
Candiao Jose da Silva Guimaraes.
Joao Paulino Marques.
Joao de Aquino Fonseea.
Ernesto Aagusto de Atbay le.
Fraocisco G rases da Silva Saraiva.
Henrique de Sa beJOto.
SebastiAo Jose Gomes Penna.
Flavio Ferreira Gatlo.
Dr. Manoel de Siqueira Caval^ante.
Francisco Augusto de Araujo
Joaquim deGusmao Coelho.
Freguezia de S. J)se.
Jose dos Santos Lages.
Dr. Joaquim Goncalv s Aleixo.
Freguezia da Capunga.
Dr. Levino Pinto Brandio.
Freguezia do P6eo.
Dr. Minoel J.ise Domingues Coieceira.
Dr. Balbino de Moraes Pinheiro.
Freguezia dos Af-ijidos.
Jose Olilon Jacome Pires.
Manoel Caetano da Costa Espindola.
Barao de Nazareth.
Jury de Florcs. No dij 3 de marco ins-
tallou-se a 1" sessao judiciaria desse termo, sob a
presidencia do Sr. Dr. jui: de direiti interino Mi-
guel dos m] s Barros; servinl) de promoter pu-
blic) intorino 0 Sr. Ignacio Ribeiro Lette. Foram
itrfgados 4 processos constantes dos crimes do m^rt ,
tenlativas do morte e ferimentos leves, senJ) con-
demnaJos os reos : David Pereira Barbisa a Ra-
le's perpetuas, medio do art. 192 do codigo penal,
que protcstou por novo jury ; Herculano Bpi-
phanio de Aquino Mello e Antonia Msria da Con-
cei^ao a urn mez de prisio simples e multa, mi-
nimo do art. 201 do referido coiigo. Foi absol-
vido Manoe! Vicente de Lima, pronunciado em cri-
me de teitativa de morte^appelland) 0 Dr. juiz de
direito dessa decisSo.
Jury co installou se a sessao do jury desso termo,
sob a presidencia do Sr. Dr. juiz de direito interi-
no Mignel do3 Anjos Barros, serrtodo de firomo-
tor interino 0 Sr. Jnstino Pereira de Moraes, na
falla do Dr. promoter e do interino Ignacio Bi-
beiro Leite. Nao havendo' pfocewo preparado,
foi encerrada no mesmo dia a sessao
norn for !<. A pessoa qne perleu
na rua da Fernandes Vietra, no mez de dezembro
do anno pasaaaa, uma pulseira do ouro, quei-
ra procural a nos dias uteis, das 9 da manha a
1 da tarde, na tnao do bedel d) gymnasio pro-
vincial.
Ageute psal.Por portaria da direct)-
ria geral dos correios, de 10 do corrente, foi no-
meado Nabuco Ottoni Alencar, agente do correio
do Granite, em Pernambuco.
Prnicsio de letras. 0 escrivao dos
protesios Jose Marianno, e>ta de semana. Cartorio
na rua Bella loja do sobrado d. 37.
Fnniliw hrHsllciio-. Eram assim co-
lados ua praca de lymdres :
Emprestiuio do 1863 S7 a 83.
de I860 i-3 a 96 1/2.
f de 1871 93 a 96 1/2.
Para o mnl do Imperio. ('. 111 28 re-
cehitos em nosso porto, levou 0 Douro 28i passa-
ge i ros.
*a foi i3rro--ia(lo. 0 padre Francis-
co Pio Pereira de C mpos, condeinnado a 11 de
fevereiro de 1833 a pen* de gales perpetuas, em
virtude de decisao do jury do termo do Becife, na
provincia de Pernambuco, por crime de morte com-
mettido em 1828.
Porto de Liverol. Chegaram os na-
vios : a 17 de marco, Villede Frontignun, de Per
nambuco ; a 19, Jerfalcon, do Ceara ; a 20, Jua
nita, da Parahyba ; a 21, V&let (v.), de Pernam-
buco ; a 23, Andncia, de Pernambuco ; a 23, S-
serain, da Parahyba ; a 23, Sparkle, do Natal ; a
2i, Uzzinh, de Pernambuco, e Coll mar, e Stigs-
hau>, da Parahyba ; a 25", William Jjnes, de Per-
nambuco ; a 27, Winifred, do MaranhSo, e KT-
nie Gray, de Pernimtmco ; a 28, tUsbonense (v.).
do Para, Glen Nevis, de IVruambuco, Daesbury e
Jessie, de Maceio ; a 30, Orminztnda, de Mossor6,
Dora, do Natal, e Ann.rie, da Parahyba ;-a Ida
abril, Brunswick (v.), do Maranhao, e Arbitrator
(v.), de Peroamb 'Co ; a 6, Eigil, do Aracatv, e
Ocean Monarch, do Natal ; a 7, Amelia Wilson,
do Aracajtl, e Marianne, do Natal
A insarreioaa de i873 aproveitava muitissimo
ou quasi tado, com 'as faltas passadjs. As cons-
piracoes preparavam-se no palacio de Heyrohade,
onde 0 duque de Madrid se vio ccreado por Man-
lerola, V'aldespina, Arj.ma, Elio, Olio e os sens
principaes generaes, secretarios ou mintstros, e
onde a policia franceza nunca se intromeileu, nem
os agonies diplomatics hespanhoes fizeram recla-
macao algnma. Todo se aprostava a salvo.
A junta central carli-ta eslabeleceu-se depois
em Hespanha auxiliada polos centres legitimistas
fraoceies, e conseguio publicamenteannas-na lo-
glaterra e Fram.-a, e pedio e obteve dlnlreiro nas
principaes pracasda Europa e da AmoHca.
o Uma foUia que tenho a wsta, refere qne t\
gumas cartas de Paris insertes no Diario de Bar-
celona dizem qne ts carlistas tem actualmente
falta de tado : medicos, medioamertto? no norte,
e tambem Ihes vio cseasoeando municiies e vi-
veres. Os seus feridos distribuidos per csas e
hospitees de Durango, Baraculdo, Azpeitia a ou-
tros muitos pontos, excedem 0 namero de qaalro
mil.
Em umi carte pubiicada na E'poca de 10 do
correule le-se 0 seguime :
Ignoro qual sera 0 piano das operacoes suc-
cess! .a3 ; osia por6m na consciencia do "todo o ex-
erc.to que por Somorroslro n*> se salva Bilbau ;
6 lal a serie de entrlncheiramenios e obstaculos,
uns fldturaraes, artilieiaes outros, que sera impos-
sivel dar um passo quo nio custa torreoles dosan
gue, eainia assim sera impos-ivel cbegar a Bilbau.
Nao hi so'dado no niundo qne possa atacar
com fogo do frente, dos Baacos e da rectaguarda,
porque nao ba p^ssibilidado de qua -cliegue algum ;
todes ou quasi todos teem qie bear a in*io carffi-
nho, fora do combato ou pelo-oieBos impossibilita-
dis de superar obstaeulos, com) fossos, barrancos
e outros semelbantos, purem todos superiores as
I'orc,is humanas.
A nakiraza do lerreno, unida as obras aflrfi-
ciaes leitas pelos carlistas, cjmb nadas admiravel
inentej tornara difOcil que sob taes auspicios e em
l n.li;oes possam voltar ao ataque os nossos
V>>. .os batalhoes, porque e sabido ^ne na sua
malaria os soldados sao reciutas da ultima re-
scrva
Bra do3 oorrespondeates do Impartial diz que
ha quatro annos se da pela primeira vez ainsur-
reieao cariista a importancia que tem ni realidade
e que nao serao exagerados todos quantos re
ceios se maaifestem cum respeito a drreccio desta
guerra Que sao consideraveis 03 elementos a;-
curaulados pelo inimigo, ao abrigo das lurbulen-
cias politicas do anno passado, e valoroso 0 esfor-
00 dos srldadus do pretendente, que pelejam como
hespanhoes. Que os carlistas se defen lem com
valor e com arte, tendo 0 terreno a seu fa-
vor, a sobriedade de costumes e a vantagera de
se acharem na defensiva.
Julgai por isto, accrescenta, qual nao sera 0
desgosto e ate a indignacao do nosso valenteexer-
cito, quando le I icacs como uma recentemente pu-
biicada na Correspondenci'i, em que se suppunlia
os carlistas fugind\ pouco mais ou menos como
cordeiros, a vi-ta das tropas liberaes. isto nao e
exacto e devo dize lo bem alto pan que 0 paiz nao
caia de novo nessa especie de indifferenca com
que nos todos temjs encarado a iasurrcica0 nestes
ulti mos tempos.
Diz depois 0 dito carrespondeate do Impar-
tial, que isto nao signilica que a empre/.a de
veneer os calistas seja superior as foreas da na-
gao, nem (jue so :deva pensar ja na3 bases
d'um convenio queponha ierrao a luta. Que nas
illeiras do exereito nao ha quem tenha duvida al-
guma acerca do exito da campanh ; one as re:i-
procas visi las aos acampamentos nao teem signifi-
cacSo algnma politica, neln fizeram nascer a idea
d'um conveuio, e tanto assim, que apenas 0 gene-
ral em chefe sonbe 0 desgosto com que a maioria
do exereito via confandiram-se nas avanjadas os
soldados d'um c d'outro exereito, prohibio toda a
communicacao, volvendo tudo ao antigo estado.
FOUTIJC.AL.
Morreu 0 n davel orador Joao Antonio dos
Santos flilva.
Dizia-se qne a ekifio dos deputados seria em
jullto.
Becebeuse em Lisboa 0 seguinte telegram
ma :
Londres, II de abril, as 10 horas da manha.
Os vapores Africa e Kangaroo devem partir na
sexti-feira, 16, para levantar de novo 0 cabo entre
a Madeira e Lishoa. A expedicao comprehende
os" vapores Hybernia, Edihurg, Seine e Investiga-
tor, sob 0 commando do capitao Halpio, e devem
partir na primeira semana de maio para Cullocar
0 cabo entre S. Viceote e Pernambuco, que e a
ultima sesao da linha telegraDhiea entre 0 Brasil
e a Europa.
figg.-^ II 11.1 1 HLS..'.---,;;--.;
AiBnco.
REVISTA MARIA.
A^seniSiIea provincial. Sabbado aol
fnnccionou por falta da numero.
BeetHtrarao. Noaclo offleial que anta-hon-
tera pnblieamos sob 0 titulo collectoria, deve ler-re
Luiz Apolinano Man 0 da Silva, em vez de Apoli-
oario da Silva Manso.
Carne podre. Pedem-nos qne chamemos
a attengi. do .-r. fiscal da freguezia da Boa-Visla
so ire os acongues pariiculares da praca do Conde
d'Eu, nos quaes se veude frequentemente canto
verde ja apudrccida, 0 mantem ta! mercado att'asl
6 boras da tarde, contra as posturas da municipa-
lidade.
Issasain us. Era 17 do corrBntp, 0 escra-
vo Galdino iin Dr. Felippe de Souza-Jjeao, a-ssassi
Una com 13 6aoada.ao menor Manaai, no eag'-nho
Santa Cruz, de propriedade do tenente" coronel Jus-
tino daMotta Silveira, no ter-nw de Bom Jirdim,
onde ara o infeliz morador.
O delinqueati' fid preso em tlagrante ; e 0 inqne-
rito a respeito sBguto aseu destlno.
Paeada. No -lugar denommado Ombuseiro,
do districto do Bom Jardim, Joao Hygino ferio com
uma facada a Joao Francisco do Nascimento. Foi
a Na opiniSo dos absolutistas affon-iuos esta*'preso em flagrante; e 0 inqucrito policial qua 0
Pernamisi-o.
Corretor geral. Dm 0 prazo de ses-
sor.ta dias, a eontar de 23 do correme, acha se?
vonenrsfl 0 pr'ovlmento do lugar de cirrector
g.-ral di nossa pf.ica, va.zo i" la exoneracao cou-
cedidaa. Sr. Ant nio Butelhi) Piulo de Mesquita.
Matricula de cstudanteg. Ao direc-
tor Ja faculdade do medicina da corte dirigio, em
9 do c irreirte, 0 ministerio do imperio 0 seguinte
aviso :
S. M. 0 Imperador, attendendo ao que reque-
reu 0 csiudaate llerculauo Cyritlo Bricio B'tterra
Montenegro, ha por bem que 0 snpplicante qne se
malnculou no 3 anno da faculdode de medicina da
Bahia seja admitlido a estudar na do Bio de Janei-
ro,as material do mesma anno apresentando os do-
enmentos necessaries. A taxa qne 0 dito estu-
dante ja pagou represenlando uma contribuicao
para os estudis do anno e nio uma obrigagao
especial a qualquer das duas faculdades, habilite-0
para os referidos estudos, tanto em uma como em
outra daquellas faculdades, vi.-to que 0 an. 116
dos estatutos so exige que 0 esludante preste
exame na faculdade cm que tenha e.-tudado. e nao
que estude onde se matriculou ; e nao obsta a
isto 0 decreto n. 2,303 de 2 de julho de 1873, que
mandou matricular 0 supplieante na ticuldade da
(i.ibia, porque esta dispusicao pode ser da sem 0 menor inconveniente em qualquer das
duas faculdides, visto serem iguaes os cursos e
identfeas as condicoes para a matricula. 0 que
tudo communico a V. S. para seu conhecimento
e exeeucao. Deus guarde a V. S. Joao Alfredo
Correia de Oliveira.
Cafe dc Balucalii. L-.-iu.s no Jornal
do Commereio, da curie :
0 Sr. Dr. Francisco Leite Riboiro Guimaraes
enviou ao Sr. presidente da Praca do Commereio
um ramo de caL-eiro, nascid.i de uma senvrale que
lhe foi remeftlda de S. Paulo pelo Sr. Dr. Eze
do Paula Ramos.
Este cafe distingua-se do que e coramumente
cultivado no Brasil em ter 0 seu fraem ou cereja,
quando maduro a cor amarella era vez da c r
vennelha.
A forma do fructo e tambem um pouco mais
espherica do que a do cafe vermelho.
0 cafeeiro que produzio 0 ramo exposto le:o
apenas tres annos e meio de idade.
Muitas pessoas intertssadas na cultnrs do
cafe e dedieadas a estudos botanims teem exami-
nado com a devida atlencao o cale exposto, c:;i
poder decidir se e uraa viriedade fix*, ou oma
sub-especie, ou simolesmente um facto acciden!:i
devido a circumstancias especiaes do clima e dr
terreno.
t Algumas pessoas tem sido levadas a crer na
descoberte de uma nova especie de cafe, especial
do Brasil, e na existencia em Botncatii de ura
Yemen ou Arabia Feliz, a classica palria do cafe.
Sem n is deixarmos arrastar' por c?ta aspi-
racoes de amor proprio national, 'jolgamos, no
eolaoto, o assumpto digno de serio cstudo e swia
para tio-< jar qne 0 governo imperial mandasse
exarainar os cafeefros de B uu-'atii por piMfessio-
naes e decidir qim q-iestao qie so refere ao
mais iraporlante genero de exportaeio do im-
perio.
EinanHparao. Sao dignas de louvor as
providencias constantes do seguinte aviso, expe-
dido pelo ministerio do-imperio:
t Comni-iniCiiu-se ao presidente da provincia do
Maranliao que, em virtude di disposiijao do *ri:-
go 6', da lei n. 2,010 de 28 de setembro de
1871, devem ser d^-clarados libertos, procedendo-
se pelo modo estabelecido no art. 1 aas instruc-
coes anncxas ao decrete n. i,8lo, de II de n-
vombro do me-mo anno, os escravos da finada
D. Anna Jan-en Pereira Leite, que em partimas
forara laneados naparte da befanca do seu liflu,
0 ommendador Luiz .Veoancio da Vasconcello?
Vieira de .Mello, por este cedida ao estado ; e re-
commendou-se lhe quo tome as pr .vi lencias ue-
cessarias, afio) do qua 03 ditos fiberttts frequent?ra
algumajescola nociurna e tenharn occupacao con-
veniente, propordonando Ih'a a presidencia di
provincia duraate dous ou tres annos. >
Miscelaitea.Segundo as ultimas uoticig;
de Tun-kin. pnblicadas em um dos nomerns das
Missues Catholic is, e relatives a 19 de Janeiro 'ul-
timo, foram aili ronbados 81 christao, 300 outros
assassinad s e 3 padres iudigenas mortos. Nao
bavia por emquanto mais pormenores
Segundo a c-tati-tica pubiicada pelo Bureau
Veritas, durante 0 mez de fevereiro passado, de-
ram-se os seguintes sinistros maritimos : Navio;
de vela completamente perdidos 216, a saber :
100 inglezes, 26 americanos, 16 francezes, 13 gre-
gos, 12 allemaes, 10 norueguezes, 8 austriacos,
7 italianns, 1 hollandezes, i russos, 3 suecos, 3
dinamarquezes, 2 hespannoes, I porttiguez e 4 di-
versos; neste numero estao comprehendidos 1-5
navios suppostos perdidos prr na.i haver noticias
delles. Vapores completamente perdidos 13, a
saber : 7 inglezes, 3 americanos, 2 i'.alianos, 1 al-
lemio, 1 hcspanhol e 1 russo.
Ahrir-se ha no dia 13 de junho em Breme,
uma exposi^ao international de agriculture, a
qual devera f^char se no dia 21 do mesmo mez.
Annuncia-se a proxima reuniao em Londres
dc um congresso international, quo tera por Bra
estudar os meios de evitar as colisoes e outros
accidentes no m r,
Fiii pre-o em Paris um sargento federad; de
nome Graffiti, 0 qual forn^cera 0 pelotao p^ra
a exeeucao dos refens da Boquette e do conde dt
Beaufort. Permanecera aid agora em Paris, com
nome supposto e fora da vigil meia da policia.
Alem de diversos crimes de roubo e assassinatos
6 tambem accusa lo de ler feito parte do pelotao
que fuzilou 0 infeliz onde do Beaufort e de lhe
ter disparado 0 tiro de nitericoriia.
Os pirk pockets nao deixarara perder a occa-
siao de se exercitarera em Chrisleburat, quanlo
concorreram alii mnitas pessoas a felicitar 0 prin-
cipe imperial. Ao Sr. Chevreau, antigo ministro
do interior, ronbarani 0 relogio e ao duque ae
Grara)nt a gran-cruz da Legiaode ilonra, que Ira-
zia ao peito.
Os jornaes wurterabergnezes arraunciam one
a*aba de ser coramettido um roubo no mausole..i
de Bothemberg, proximo de Slnttgard, e qne en-
cerra as cinzas do rei Guilherme de Wurtemberg
e da rain1-..! Citharina. Os ladriies fizeram saltar
por meio de polvora, a t-unpa d > tumulo, rouban-
do t' dos os objectos que poderara eacontraT. il:-
via alii cerca de 300,000 francos era ouro e pe-
dras prccio-as. Os antores do roubo, qoe sao
hanoveri.uios, ja foram presos.
0 Usseicatort Cutholicd, publica 0 protesto
do episeopado lombardo contra 0 projecto de lei
lendento a tomar obrigatoria a eelebracao do ca-
samento civil antes d 1 ceremoaia religiosa. Esta
docurrtento e assignado pelo arcebispo de Sfilao e
pelos bispos dj Brecia, de Bergamo, de Mantna,
de Pavia, do Come, de Cremona, de Crema e de
Lodi. Os signatarios procuram deraonstrar que 0
novo projecto e contrario a doutrina e aos dirertos
da igreja catbolica, e que repngna ate as leis
fundaraentaes do estado. No principio sobre o pjal
a-senta 0 novo projecto, 0 episeopado lombardo
ve dous erros, um historico e ou'.ro dogmatico.
Era uma das iihas Fillipinas houve no dia
3 de fevereiro ura tremor de terra ]ie doronmeio
minute, nao tendo fehzmentc causado desgra?a
pessoaes.
Falleceu em Paris 0 Dr. Joulin, uma das c--
lebrilaies medicas daquella capital.
Morreu em Paris, victima de uma apoplexia,
0 Sr. Jules Martin, muito conbecido fabricante do
instruments de musica.
A commissao franceza encarregada da liqui-
dacao da lista civil de Napnleao III, decidio no-dia
27 da fevereiro, que a collecfao chinoza de FonSai-
neblau e 0 rausen ile Pirrefonds sao propriedade'
do estado e uio devem ser entregaes a impsra-
iriz.
0 papa, ni di-curso que u'rigio no dia 23
de marco ;i- deputacoes catnolicas, insi-tio na per-
seguicao a que se ve sujeita a igrc,a e r.ecre-ceiMoa
que 0 que esra re?lamava sjbre tudo era ftir-
dade.
A municipalidale de Paris, ,-.i:;i 0 fim
proporcionar trabalho a classe operaria, resdtvbu
abrir urai rua que atravesse os jarlins das-Oa-
lherias. Depois do se ter gritado tanto contra >
Sr. Haussmann, vao irailal-o os republicanos.
jardius das Tnlh'rias e talvez i. .n.ico pas-fi
Paris qne se conserva intacto e no qual aa cri:^^R;
podem andar tranquillamente sem receio de serem
atropellrdns por alguma carruageni.
*- Uma s iciedade littoraria d.i liuugria col
ci-1a pelo titulo de Maiica Siovenska, foi vie
de um ruabo imp irtaute. Os I nlrfies peuetrafWO'
no gftbinete de nuraismatica, leva:an d'alli to
as medalhas do ouro e prnta que citcontl'iMlMa,
rauitas das q:t ram nmcas'. A foctsda* pro-
nielten nm premio de 300 florins a quem desce"-
brisse os auloresdo roubo ou destino que livaiaat
as medalhas.
,Um telegramma de Ad-n, datado de 3- de fe-
vereiro. sannncia quo ch-gira alii 0 yzpit^al-
cultd, conduzindo o ca laver do Dr LinvigSaiDe.
>




Estavam a sahir os navios : ierfalcon, a 80 Sir Garnet Wolseley, qua tatilo
do corrente, para oCoara ; Brunswick (v.), a 13, [guio na Costa do Ouro na campauha contra m as-
para 0 MaranhSo ; Lisbonense (v.), a 13, para 0} hantees, teve uma grande ovacao ao pnar a
Ceara, MaraoliJo. u Para iJMMfred, a Ji, para lias de Ing'aterra Durante a saa aa

.:-
- i-




3
granile pane (ft sua, Tartua* no inaeadio Ju ar-
raazeas de doposfrt cm Do:idro3. Quer-se por
ess* rnntiwruiirir 'am* subs owaannuo;-Aiqiie foi abeita na kidfa ja nt|/n#io
a-iJejco duros. As prtofcirafe trtpw*
iaflM. uue regoiisMrani da soa brilliant* expe-
ojcae a <.jsi* lo Ouro, lorain igualinpnte aeo.hi-
dny grand) entbusi.ismo em Ingtaterra. A
i^Mt Victoria, tinha mandate altos dignitarios
a palacio a felicitsl-os a Portemoutb.
Ma noito de 36 para 27 de fevereiro fills .
cea em S. Peiersburgo, na idade de 72 anno*, o
Sr. laeobi, um#loi sabios raais illustrcsrfa Eurooa
inventor da galvauouLjsua.
Sobrao. Himil* de XapoleSo, pareate da rai-
nba Victoria, ondeava no dia IG de man-.o a ban-
deira com assuasirmas bordadas a ouro eqoeo
iraperador tinha,como cavalheiro da ordem daLi-
ga, nacapella de S. J,.rga de Windsor. A rainlia
tinna-a Urabeni.enviado a imjwatris. como test*
mualw d* sympathies affei.;it....
k raioba Victoria, so foi espo*a desvr.ntura-
dytem'ida niii muiio feliz. Ha am mez enlacava-
sosiu. filho o principa Alberto com a princezaj,
*Bria_ da fiusj'.a. Agora a priuceza Beatriz, sua
iifha mats nova, v: j casat-se com o primogenito
dos dwqnti* dd Sttiherlaml, uma das prim,iras fa-
mmar As Inglatowu. K como todos os dos seus
Qlhos, urn casatiiirte por amor e o segundo que ;e
rualisa.com am graude do lloino Unido, tendo-s-e
casado ja a. princoza Luiza com o macjuei de Lor-
ne, filbo do duque do Argiii.
. Noticia urn jornal ingles, que Goanod ton-
c^ona escrever a mnsiea Dara uma opera em tres
aclos. denominate. Georges DanAin e destinada a.
oDeqa.comica.
- 0'iuuseu dos mvalidos, em Paris, acaba de
ad ,M do que Carlos VII fez presenle a Joanna
d Arc e que ella depoz em S. Dials depois de ter
sid* ferida nos muros do Paris. A armadura c m-
pja-sa de lamina* de ago e peea cerca de 23'kilo
grammas. E' em ludo semelhante a outra qne per
tenceu tambem a heroina-e qw ella nsava nc mo-
menta em que cahio era poder do inimigo em uma
sorti&i que fes em Compiegne.
Parece que n.-.da sera eoniervatffi do palacio
Jas Ifllhcnas em Paris, quelmado pelos incimau-
rios da cornmun i. V direcno Jas bellas artes de-
oidie edilkar em seu lugar um palacio do bcllas-
artes. _
Omtim os jornaes ue Vienna que a caruara
dus 3enh'res, reunida em ses-4o secreta, aulorisou
um processo contra um membro da camara alta, o
conde Constanriano Niclienbonrg, por crime de
bOTcarota fraudulenia, na qualidado dj presidente
de uma sociedado bancana que ultimamente fallio.
Te-e lugar hi .lias em Paris o banquete an-
nual dos soldados do primeiro unperio. Desses re-
presentantes d.) vellia exercito, que em 1852 com-
pareceraro e:n immero da 3,000, no presente anno
apoarecerain ajcuas iO.
Segundo se vd de dados offlciaes o consumo
de nils de aco teve durante o ultimo anno um
augm-nio consideravel em Fran;a, tendo siJo im-
portaias 6i,');)S toaeladas.das quaes s6 a compa-
nbii do caminli^ da fe-rro de Paris. Lyao e Medi-
terraneo consani) 3*,K0O tbneladas.
0 princ'pe Cirlos Tieod>ro, irmao c!a impc-
ratriz d- Austria e"lu |ueda Baviera, viuvo de uma
JS(5 Praucisco do CaTroo, conrDeIBira LuclhraJ Dj Recife.
de- Araujo. j Siqueira Cavalca
LMerin-A qne ss aehs a Veaf a 97.* de BurgosL Ponce de Leon.
:za Adelaide de
ntoni-j Carlos P.
priadeza real da Saxonia, acaha de festejar as saas
nup-ias com a t'reeira lilha de D. Miguel de Bra-
ganea. Como e sibilo, a primeira nlna de D. Mi-
guel, D. Uranc. Maria das Neves, esta casada com
D. Alfonso, irmao de D. Carin. A seguuda, D.
Maria Tbenua, e |-iana esposa do arslii-duque
Carlos Luis, irmao do impend r da Austria. 0
liiho unico de 1). Miguel deve casar se cjm uma
Brclil-dnqueza de Austria.
Falleceu ha pouco, proximo de Rnlo, uma
senbora com IO1) annos d 25 de rnaio de l"7i. Esteve ap-mas dous dias
doente e morreu no nso de lodaa as saas faculda-
des. Atravessou as t-pocas de ii reinados, e ainda
chegara a ouvir sua nai failar de Luiz XIV.
Tambem em Pari- o conde de Waldeck fes-
tejon no meio de um concorso de amigos, o 10^.
anniversario do sou nas-imento. 0 macrobio nao
padece enfermidade algnma e as 2 horas da ma-
nha cantou uma aria da opera com um vigor bem
notavel para semelhante idade. Meu av reu aos 16J annos, disse elle, c eu sou o 21. cen-
teaark) da minha familia I
Cartas de Stockolmo noticiam que o typho e
as bexigas reinam nanaella cidaie e teem causado
verdadeiro paaieS. Alem lisso a populaclo
p r 9sn moti-
soSre muita mi*ena c reeeiam-se
. algnaa excesses.
Urn telegramma de Nova-York, datado de 18
i marco, Dtficia que o priucipe Kalafcna foi elei-
t rei das ilhas Sandwich ; os partidanes da rai-
nba Kmnia atacaram o palacio da AssemMeia e
deitaram Ibe togo; os marinheiros dos navios in-
gl siea e americanos dispersaraa amultidao ; o rei
continuava a ser ameacado de morte.
Uma sociedale romanapfopoeae eslabelecer
u-.1 caminho di ferro de Napc-Ies a eratera do Ve-
zavio. 0 modelo e uma pcquena machina a va-
por que roda sobre um plaio inclinado de cerca
da 3:; por cento. Tendo cste systems sido expo-
rim ntado com succcsso, a sociedade pedio a con-
iseao ao governo. 'J cn:,'ea!ieiro Gallant! fez en-
saios com rndas de engrenagem emprogadas sobre
.i systems de Higlii. u systema Tell foi tambem es-
tudado. Parlir se-ha de Nanolas em trem ordina-
ry. Depois da estifio do S. Jose sera empregado o
systema funicular. A distancia a percorrer sera
-26 kilometre-; o trajecto far-se ba em uma
hora e am quarto e a constraccio da iia'sa custa-
ra de 3 a i milbdes de francos. Sera garantida
celos estudos feltn pelo engenbeiro Gallanti
li a segaranca no caso da erupcao do Vezuvio.
Vapor Bialiin. Chegou hontem, ao ama-
nhe xt, a Maceio. e sabio atardepara nosso porto.
B amanheccr hoje a jui.
Spnaitoii's e ilepuladOM gtamGB.
So vapor ingles Douro .-eguiram ao sabbado os
Exms-. Srs. viscondo de Camaragibe, conselheiro
Barn* B.trreto. e deserabargador Alvaro Barbalho
L'choa Cavalcante, senadores, o Drs. Manoel Ar-
thur de Hollanda Cavalcante, Tarqainio Braulio
de Soaza Amaranlbo o desembargador Freitas
lienriqaes, depatados a assemblea geral.
Km lranito. 0 vapor Almeida Garret
tem a sea bordo, com destino a Europa, 177 pas-
aseiros.
Ppoclamas.Faram lidos na igreja do Ro
-ario, que serve do matriz da freguezia de Santo
Aotonio, no doming) 23 de abril, os seguin-
1. denunciacao.
!oao Deodato Ferreira Guimaraes, com Pruden-
i Maria da Conceicao.
lo/ti Duarte da Silva, com Alexandrina Maria
deOliveira Mello.
BasJIio Jose de Araujo, com Maria P.osalina do
Patraeinio.
'/igenio Francisco dos Santos, com Aurea Be-
neJicta da i^onceicao.
Laarindo Francisco da Silva, ora Petronilla das
U.-ros.
2." denunciacio.
Sebastiao Manoel los Santos, com Alexandrina
Vietorina.
Joio Firmino Xunes, com Amelia Lalislao dos
Prazeres Galvao.
Antonio Soares Porto, com (Jenoveva Maria do
Livramento.
Antonio Mendes da Silva, com Bellarmina Olin-
diaa da Silva.
\niceto Firmino Ferreira Moura. com Maria
Lins da Costa Wanderley.
Maximiano do3 Passes" Alves, com Luzia Maria
da Conceigao.
Manoel Tbomaz Pereira do Ret o, com Anna Rita
Marques.
Brasiliano Ferreira Albuquerque, com Eufrozina
Mmerrinna da Circuncisao Geraldes.
Io$6 de Soaza Couto Junior, com Vivina Eugenia
de Oliveira Coragem.
Alferes Francisco Corre*a de Mattos, com Maria
i:milia da Cunha.
Maaoel Jose dos Anjos, com Antonia da Silveira
Moura.
Francisco Honorio da Silva, com Maria Fran-
ci3ca dos Prazeres.
Jose Antonio Ferreira, com Carolina Maria do
Espirito Santo.
Dr. Francisco Gomes de Anclrade Lima, com
Isabel da Canha Beltrao do Araujo Pereira.'
3.* denunciacao.
Luis Campos, com "Gertrudes da Costa.
Emilio Gilestino de Moraes, com Leopoldina
Maria dos Santos Saraiva.
Luiz Francisco P. de Albuquerque, com Eae-
lina de Castro Moroira.
Pedro Fraacisco das Chagas, com Lucinda Ma-
ria do Livramento.
Innoceneio Francieo de Lima, com Candida
Binicisosa de Souza Lima.
Antonio Alvas da tfotta, com Josepha Maria do
Carmo.
Manoel Hemeterio da Rocha F:arro3, com Ma-
noella Franc isea de Araujo.
Roberto Francisco dos Santos, com Maria Pe-
tronilla de Jesus.
I3o Phil '.yra, com Lucinda
oflf ia da igreja de^JCWntafe'. a qaai corre tA
ttw* dw. atmnv J detencacdo dia 21 d> abril de 1874.
Existiam preses 3W, sahiram 7, existem 344.
A saber :
Nacionaes 269f mulheres 9, estrangeiros 2*T;
eswaws- 38, escravas 2. Total 3il:
Amnentados a custa dos cofres publicos 283.
Movimenlo da enfermarla no dia 21 de abril de
1874
Teveram alta : .
Francisco Antonio ^ncalvcst
Agostinbo, escravo de P de Albuqoerque.
iMHMaKiiroN. -Chegados- dos portos dj sul
no vapor brasileiro GnstHo de Orleans:
Antonio X. dos Santoi e 5 escravos, Francisco
M. de Siqneira, D. Beoedieto, Jose Kernandes Pe-
res de Freitas, Xicolao Tolentino da Costa, tenente-
corenel M. A. de Aguiar e 1 criado. Jus lino da
Silva Torres, Dr. Olympio Euzebio de A. Galvao,
sua senhora, 1 filbo e i escrava, Antonio Joaqaim
de Farias, Antonio Jos6 Gomes, Joao Mendes de
Araujo e Vicente Ferreira.
Chegados do Rio do Janeiro e Bahia no va-
por portuguez Almeida Garret:
Herman Bossier e-Jose Joaqulm Gomes Teixeira.
Sahidos para o sal no vapor inglez Douro .
SimiWi Gongalves, M. M. Granja, Dr. F. G: V. de
A.Lins, Santiago Lombera, Ffrmiao A. Viegas, Dr.
Joao A. F. Henrjqpos.^ua senhora e 2 criados, Ju-
lio A. i\ de Maoedo, Arnesto M. F. P: da Silva, Vi-
riato de 0. Xasqiraento, Do Tacquioo.B. de S.
Amarantho, Tgnacio Ferraz, Df: H.-do R". Barros,
Pedro Silveira e 1 crianca, seaador F. de IS. Harrc-
to e sua senhora^ Dr. Manoel At dtil. Cavalcante,
visconde de Camaragjbe, Martn* Sftir.-ellen, Felix
Francisco, Dr. Pmnciseo I. de Si, senador Al-
varo B. U Cavalcante, Carlos, criado.
Sahidos para Europa no vapor franccz Ville
do Rio de Janeiro :
Alfahen-e Garner, Joao L. Ferreira Ribeiro e sua
senhorm Joaquim. Ignacio Ribeiro, bamnoza da
Vera Cruz, Eulalia de Moura 11., Luiz A. Dubouroq
Junior, GUstavo Damayer, commendadorJose Ray-;
mundo de Carvaiho, 2 lilhos-meaores e 4 criados,
Salvador da C. Xunes,, Aatunio C. de Santa Anna
Pereira, Pedro Antonio Ferreira, Jos6 Pacheco Ju-
nior e Francisco de Asgis G. Ferreira.
Sahidos para o sul no vapor franccz Ville de
Santos :
Joao lose Anselmo Tavares e Gailherme Jose
Leite.
Chegados da Europa no vapor inglez tiou-
ro :
H. J Carman, E. Hertzborg, C. Ochsenblin, Dr.
E. de Mcndonca, J. Menezes, R. P. Hughes, J. F.
de Jesus, C. de Campos,. A. de S. Campos, J. T.
Sarmento, B. da Motta, J. P. da Cruz.
Chegados da Europa no vapor iuglez Pano :
Lambley, II. i^icasle, C. J. Lav*le, F. Sauveg-
nac, A. Joerin. A. Goranz, T. C. Carpinteri, M. M.
Geuserve.i:. D. I! >drigues, C. A.f.\lvares, H. T. Men-
des, M. 11. Herrciro, A. J. da Siva D., A. Gonzales.
M. J. Macbado, .1. A chr Silva, G. da S. Moreira, J.
Hovunga, J. de V. Lisbon, P. M. R. da Silveira, M.
H. da Silveira, Maria Silveira e 1 filho, C. P. Abor
e L C. Hermandes.
Sahidos para o Porto por Lisboa no brigue
portuguez Flcrinda :
Caetano Lourcnco, Joaquim da Silva Amerirn e
1 filho menor, Joaquim Pinto de Castri, Jose Pe-
res Barroso, Jose da Craz Cascao, D. Genoveva
Rosa.
CcmiOa-io pultlic.-Obituario do dia 24
do corrente :
Maria, branca, Pernambuco, 8 mezes, Graga ;
convul6e--.
liargarida, parda, Pernambuco, 7 anros, S. An-
tonio ; inflsmmac3o.
Jose Antonio da Silva, brauco, Portugal, 18 an-
nos, solteiro, Boa-Visu ; febre amarella.
Manoel, branco, Pernambuco, 10 meses, S. Jose;
ccnvulsoes.
Pedro, preto, Pernambaco, 36 dias, S Jose ;
eclampsia.
Gallois Frani;oi3 Maria, branco, Franca, 19 an-
nos, olteiro, Boa-Vista, hospital Pedro II; febre
amarella.
Rosa Maria do Fonceca, parda, Pernambuco, 54
annqs, Graga ; bneningo incephalite.
Joanna Maria da Conceigao, preta, Africa, oO
*>-Sr.'d>stlHgati!ir Gouretwo-Santiago?'
AftKllanta D. I.evwa. Aomsia do Dk ittotia^
appeltad* D. Seabwiaha (termana do Esnjrito
Santo.
Do Sr. deserabargador Motta ao Sr. desembar-
gador Aoeioll :
Appclla-oas civeis.
Do Recife.AppellsnteVicenia Alves Maobado,
appellado Jose Maria Sodre da Motta ; appellante
o enradar geral, appellade Jose de Freitas Bar-
bosa.
Q'4fiM**t,-AgW<*> Jotf AftNaWclh--
reira, appellado Felix Jo*e, da Hora.
Anpellagab crime
De Palmares.Appellanta Antonio Thoma.z Pe-
reira, appllada a justica. ^^^^m>
, Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva;
Appellac/Ses civeis.
Do Pedras de Pog>. -Appellante Virgilln jffo-
raeiode Freitas, appellado Joaquim Monteiro Gue-
|d*s Gen dim.
De Campina.-Appellante a parda Alexandrina,
appollado Jo^t- Lowuco Purto.
Appellacao crime.
j De Bom Consellio. -Appellante Francisoo Perei-
ra Lyra, appellada a justica.
De Ouricury. -Appellanta Agueda Maria de Je
us, appellada a justica.
DbSr. desembargador Domingues Si|v,a ao Sr.
desembargador Souza Le5o :
ftb BAjcife-.-Appellante Antonio da Silva .V.o-
vedo, appellado o pardo Herculano, por sea ca-
rador.
AppellagSo .crime.
De Baseros.-Af>p8il8r)t& o juiso, appellado Fe-
ix Jastino Carneiro de Miranda.
DaGo^m'oha.-AflpelliUte,a.jiijzo, apaaJjudo
AnacietoTose ae.MiranTa.
D3 Bezerros. -Appellants o juizo, appellado Va-
Jentim Jose de Snnt'Arnia.
Appel'acS6civelH
pa/o gosto de ac
entao 6 tola I
Quanto ao 2
dents*da provin
nalkamente, ou
*rW
CHROMCA JUUifURlL
SESSaO DE 23 DE ABRIL DE l$74.
PRE81BENGIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO CAE-
TANO SANTIAGO.
Sevetario Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manha, presentes os Srs. des-
embargadores Silva Guimaraes, Lourengo Santia-
go, Reis e Silva, Almeida Albuquerque, Motta,
Accioli, Domingues Silva e Souza Leao, faltando
o Sr. Sesembargador Freitas Henriques, procura-
dor da eorda, abrio-so a sessao.
JL'LGAME.TOS.
Habeas corpus.
Paeiente Antonio Rolrigues d.i Cruz. Relator
o Sr. desembargador Souza Leao. Concsderam a
orJem para Hear o paeiente isento da prisao e
mamlaram responsabilisar o juiz de direito inte-
rino Manjel Januario de Farias.
Recurso de fallencia.
Re;orrente o juizo especial do Recife, recorrido
Francisco Jose da Custa Guimaraes. Juizes os Srs.
dcseinbanndores Lourengo Santiago, Souza Leao
e Motta. Nao tomoram conhecimento por niio es-
lar o reo presa.
Aggravos de petigao.
Aggravante Joao Jovino de Almeida. Juizes os
Srs. desembargadores Loarenge Santiago, Accioli
e Domingues Silva.Deram provimento.
Aggravante Paulo de Amorim Salgado. Juizes
os Srs. desembargadores Almeida Albuquerque,
Ueis e Silva e M>tta.Deram provimento.
Aggravante Bazilio Gongalves da Luz. Juizes
os Srs. desembargadores Reis e Silva. Motta e Sou-
za Leao. -Negaram provimento.
Appellagao civel.
D'AguaPrett..Appellante Antonia BaptistaXo-
gueir.i. -Confirmada a sentenga.
Appellacoes crimes.
Da Floresta. Appellante Joao Jose da Silva, ap-
pellada a justica. morocelente.
DoCabo. Appellante o juizo, appellado Pedro
Alexandrine da Costa. Improcelente.
De Paulo Affoaso.Appellante o juizo, appella-
da Maria Pastorado Nascimento. A novo juiy.
De Paulo Affonso. -Appellante o juizo, appella-
da Tita, conhecida por Clara.A novo jury.
De Tacaratu.Appellante Vicente Ferreira de
Paula, appellada a justiga.Reforraada asentenca
para o minimo do art. 201,
Do Buique.Appellante o juizo, appellado Joa-
quim Gomes da Silva.Iraprocedentte.
PASSACENS.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Reis e Silva :
AppellagSes crimes.
Do Recife,-Appellante o promotor, appellado
Joao Pedro de Oliveira.
De Campina. Appellante Anna Thereza de
Araujo, appellados Joao de Barros e Souza e ou-
tros.
Da IndependdnciaAppellante ojuizo. appella-
do Jovino Coelho da Cunha.
DaImperatriz.Appellante ojuizo, appellado
Joao Moreira da Silva e outros.
De Bom Jardim. Appellante Jose Vieira da
Silva, appellado Ignacio Gomes Barbosa.
Appellacao civel.
De Porto Calvo.Appellante Manoel Galdino da
Silva, appellada a preta Peliciana, por seu enra-
dor.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Almeida Albuquerque :
AppellacSes crimes.
D'Area.Appellante Joao Galdino das Neves,
appellada a justiga.
De Itambe. Appellante Manoel Vicente de Oli-
veira, appellada a justica.
Appellagao commercial.
Appellante Joaqaim Jose Martins, appellado 03
administradores da massa de Amorim, Fragozo Si
Santos.
Ao Sr. desembargador Motta :
Do Recife.Appellante Tasso 4 Irmao, appella-
do Joao Vasco Cabral.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta :
AppellagSes civeis.
De Garanhuns Appeltantes Joao Paulo da
Motta e outre, appellados Joaquim Salgado de Vas-
concellose outro.
De Maceio.Appellante Cesar Augusto Zanole,
appellado Jose Roberto Calheiro de Mello.
Do Recife.Appellante Antonio Jose da Silva do
Brasil, appellada a companhia. doBeberite.
Appellacao crime.
Da Itambe. Appellante 0 juizo, appellado Fran-
cisco Ignacio de Salles.
Do Itecife \ppellantea compaabia, de trilhos
urbanos de Caxanga, appellado I ;so Francisco de
Larval bo.
Do Sr: desembargador Souza LeSo ao Sr. des-
embargador Freitas Hcnriques :
Apneflaclio civel.
Appellante Antonio Annes, Ja&rae, appellado
herdeiros de Euzebio Pitta
Aojir. desembargador Silva Guimaraei :
Appellagao crime.
Appellante Antonio Francisco dos Santos, ap-
pellada a justica.
Diiigencia crime.
Ao Sr. desembargador promotoc da justiga :
Appellante 0 juiw, appellado- Joao Alexandre
de. Carvaiho ; appellante ojuizo, appellado Quiri
no Bispo de Oliveira ; appellante Joao de Queiroz,
appellada a justica ; appellant 0 juiao, appellado
Jos6 Barbusa de Oliveira.
Diiigencia civel.
Ao Dr. curador geral:
AppoJlanle Jose de Oliveira Lima, appellado Jose
de Oliveira Carvalhe.
Assignoa-se dia para 0 julgaroent) dos seguin
tes feitos :
Appellagoes civeis.
Do Recife.-Appellantcs Roberto Caroll e ou-
tros, appellados Joao Caroll e outros.
Do Brraito.Appellante bacharel Xabor Bezer-
ra Cavalcanti; appellados Manoel Felippe de Hel-
lo e outros.
Appellagao commercial.
De Alagoa Nova.Appellante Antonio Jose de
Oliveira, appellados Braga Gomes 4 C-
Appellacso civel.
Do Recife.Appellante a companhia Drainage,
appellado Joaquim Dias da Silva Guimaraes.
De Alagoas. -Appellante Bellarmino Piuto de
Araujo, appellado Francisco Xavier de Albuquer-
que M.iranliao.
Appellagoes crimes.
Da Parahyba. Appellante 0 promotor, appella-
do Antonio Martins Marques.
D'Agua Preta.Appellante 0 jaizo, appellado
Gongalo de Oiveira.
De S. BernardoAppellante SimJo Lopes da
Silva, appellado Jose" Felicio Fozda Silva.
Do Recife.-Appellante e appellado 0 promotor
e Joaquim Levino Leal d6 Barros.
De Batucite. --Appellante AntonioXogueiraCam-
pes, appellado 0 juizo.
De Nazareth. Appellante Firmino Lopes de
Oliveira e outro, appellado 0 juizo.
_ D1STBIBUIC0ES.
Appellagao civel commercial.
Ao Sr. lesembargador Ueis e Silva :
De Mam.mguapo. Appellante Francisco Correa
de Mello, appellado Joaquim Francisco de AI6m.
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
De S. Joao.Appellante Francisco Jose Pereira,
appellado Manoel Dantas Correa Goes.
Ao 3r. desembargador Accioli :
Appellagao commercial.
Do Recife. Appellante Jose Joaquim de Castro
Moura, appellado Joaquim de Souza Silva Cunha.
Ao Sr. desembargador Motta :
Da Imperatriz.-Appellante Joanna Franciscade
Carvaiho, appellado Joao de Albuquerque Caval-
canti.
Ao Sr. desembargador Domingues Silva :
Appellagao commercial.
Do Recife.-Appellante Jos6 Antunes Guima-
r5es, appellado a adrainistracao da massa de Ma-
noel Jose Lopes de Araujo
AppellagSes crimes.
Ao Sr. dese.nbargador Reis e Silva :
Da Misericordia. Appellante 0 promoter, ap-
pellado Antonio II drigues do Nascimento.'
Ao Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do Buique. \ppellanle Pedrs Targino da Cu-
nha Sampain, appellada a justiga.
Ao Sr. desembargador Motta :
Da Escada.-Appellante Joso Francisco de Mel-
lo, appel ada a justiga.
Ap Sr. desembargador Accioli :
De Pedras de Fogo. -Appellante 0 juizo, appel-
lado Vicente Ferreira da Silva.
Ao Sr. deserabargador Domingues Silva :
De Pao d'Alho.Appellante Manoel de Mello
FalcSo, appellada a justiga.
Ao Sr. desembargador Souza Leao :
De Palmeira dos Indios.Appellante Alipio Coe-
lho de Barros Lima, appellada a justiga.
Encerrou-se a sessao as 2 horas e um quarto.
e tendo 0 presi-
coino swiples partfcjjfr
_rtts de fcmjlfctos vfl& para
esse fim Ihe foram feitas, nao podia 0 preductj de
tees olferlas pedides ser escrijuara* um livros
fiscaes quaAjsMfttttHuia reoda publica e ti-
nha arngto-frdo. P^tttular^ 1
v^i^orM, i^iroducW de eonfribuigSes on
de cedeacia de ordenados-isso consta das folhas dos
enipregados 0 desses livros.
j Engauam se, porem, os prooiucianot se peasam
qne as cnasas passaram-se como em seus felizes
tempos.
's Bom(s d'aquelles quo teem concorrido para
o asyl, tem sldj publieados Os bilhetes em be-
nelicio deso_estabslecioientoque foram distnbui-
dos por S. Exc. a divsjaps* pessoas, constam de
relaoics que lurun igualmente publicadw, dacla-
ranooje-o norna d'aqnellos que pagamm, a a-
qnaotia (|ue de:am e ate 0 d'aquallo* qao deixa-
ram Je pagar.
Continnamente estao sendopublioadas cartas d e
pessoas que teem dado matcriaes ou diobeiros,
com a importaacfa de-scus donatlvos, to^ps podem
ler esses tUtrio^ e teciaiHarera. contsaHialquer
|Omissa. "isiiit Br
Os prpuincumot, tanjto teem-JVlo cssas publi:a-
cuus-que ja acharaniponto paca.Mraa-do tm* s
naticas censuras.
ReadinMBto 4 dia 1 a li
Idn> do du iS.....
746:4>8i4o
30.526 i.494
776:972*930
AiQdarmaiit essae cartas fowip-mandAja^-arcrri-
ar na se;retaria da presidencia, tuiuando se nota
" quantias que foram logo rec'olhfdas
a.
aos li in-
va
das
cos.
Nto 6 em livro oflTcial, mas no livro universal
na iinprensa-ao aleance de todos qn S. Exc.
tem ISlto eisa'cseripturagao, que poJe' assim ser
fiscalisada pelo contribuinte a quem raais interessa,
como por todos, comprehendidos os provinaanos
que, ao qu" paroce, veem essaj. cousas com olhos
vesgos, senuo empannados pelavcoblga.
Recolbidos aos Bineos 03 productos das subs-
cripgoes, etc, etc., alii rendem e sio devidamente
escripturados.
Mais nao podia fazer 0 Sr. commendador L^-
cena. .
DftiruiJ, assim a miseravel accusagao da P)o-
vinoia, gostamos d& ver esta lavrar sontenca con-
tra aquelle a quem sv*^ que, segundo 03 prin-
cipios estabelecidos poricllamesma- nao tem de-
feza, esta irremusivefmente c.>nd Sabe leda esta cidade.qne noa letntioscda l''/a,
ge prom-'vuHam sub*oripjp8s,se I'lzerain euacertos
em palacioi se denial.benpldoveai favor dos vo-
luntaries da'pafri).
TudJ ist9-correLi por conn do presidento de
entfio, dus sens afllns e amigos. Grossas quan-
tias furam recebidas, muita mensalidade paga, e
tudo foi aneeadado em scgredo, nao foi escrfphi-
rado em' livros fiscacs ncm offlciaes, nem publi-
cado em jornal algnm, salvo os felizes, ninguera
niais sabe que des'.ino teve essas quantia?, que
ficaram na posse dos senhores da jpoca e por
files repartida a seu beL prazer, eUsj porque
eram liberties Hunradfs.
Entretant.i, falla-se em bistorias de anneis de
brilhantes, subtrahidos, de fidulgas escamotagens,
de quantias recebidas de uegoeiantef e que nao
foram entrefiies, de felizes aquinhoadus com esse
dinheiro pedido e eslotquido para 03 voluntarios
qua so serviram de capa I
Se is to e assim, se apezar das provocagoes, os
honrados homens da liga, hoje provincianos, nun-
ca deram explic:..coes, nao estara, como diz a JVo-
vincia, in defezo irrtmissictlmente cotideMiuido
aquelle que assim praticou ?
Eutreianto, julgando os mais por si, os procin-
cianos, acensam 0 Exifi. Sr. Dr. Lucena, que ao
conlrariu do que praticaram, tem niio so publicado
quanta ha recebido, como posto nos hancos, com
toda seguranga, 0 producto das subscripcoes e
donativos feitos em dinheiro etc., etc Os homens
das sombras em que tudo e sombra e mystificacoes,
fallando eai sombras! 15' para fazei ritl..."
Os homens julgam os mais por si e segundo 0
ditado quem por si julga a outro, a este niio
offende.
Descarregam hoje 27 da abril de 1874.
Vapor portuguez Almeida Garrett (esperado)
generos naciomes para 0 trapiche Dias.
Vapor nacional GastHo de Orleans (esperado)
generos nacionaes para 0 trapiche Dantas.
Patacbo inglez Gerda mercadorias para al-
fsodegav
Patacbo iaglez \V. A. ileney fogos da Ctoaa
para deposito ne irapkbe aifaudegado
Vieira.
Brigue portugnez Cotete vinbo para deposito
no trapiche Cunha.
"Barca franceza Inlrepide Corse ferro e ma-
chin ismo ja despachado para 0 caes do
Apollo.
At-TERACAO Ny PX|TA DOS PBjt$S BOS GGN8R0S
9UJBIT0S A WRWTOS DB EX^OirrA'gJo1, NA 3BMANA
OB 27 DI AUBSL A 2 DB MAIO DE 1874.
Aifodaoem rama ou I* i03 r. o kilo.
Carvao de pedra estrangeiro, touelada matrica
20/000.
Caroeude algodno 20 rs. o kilo.
Criaa- animal em bruto 300 rs. o kilo.
Alfittdega de Pernambaco, 25 de abril-de 1874.
Ol0 oonferenteMaaoel A. R. Plnheiro.
0-4* eonferente Jose Amancio do Outeiro.
Approve. Alfandega de Peraambuco, 25 de
abril de 1874.
0 inspeclor
Fabio A. de Car oa I ho Reis.
GOaWJLADO PROVWa*u
Rendimento dodisr 1 a 2i. ion.186*578.
(dent do dhVL.....se 4:')io^682
113:702*300
Hertisitn comiitei'claf.
Preta corrente do Sr. TV. II. Offensandt.
TBIKSTi:, li DE ABUIL UK 1874.
Pregos das farinlus de Pest (Hungrte> *i
rrieste, por barnca, posto a bor Jo aqnisen de-
pezas nem commissoes algamas para os comprado-
res,salvo o frete e o seguro maritimo.
(A mmha com.nissao e papfa pelos vendedorw, e
dou sempre facturas origaoaes).
I','I
Concordia....... Est. 96/ 49/3
P/l A
Buda-Pest....... 5J/J 49/9
0/1
Victoria........ sj/b
Louisa........
Arpad..........
Panonia.........
Elisebeth.......
CC
47/3
B
ccc
, '
luijturtacito.
Vapor inglez Douro, chegado do3 portos da Eu-
ropa e eonsignado a Adarason Howie & C, ma-
nifestona segaime :
Amostras 1 volume a Cramer Frey & c
Bijoteria 2 caixas a A. Hy*ernal A C.
Chapeos 1 caixa a Rodrigues Irinaos dt Guima-
rics. Coques 1 caixa a. Vaz Jj, Lea). Camisas 1
caixa a Alfredo Gibson. Ditas de nieia e outros
artigos 2 a Parenle Vianna & C. Capas de bor-
racha I caixa aos consignatarios. Cigarros 1 cai-
xa a ordem. Calgado L caixa a Fana A C. Gba
3 caixas a Henry Forster & C, i a Amoriia Ir-
raios & C, 29 a L. A. Siqueira.
Enxoval 1 caixa a Joao Jos6 Rodrigues Men-
des.
Fitas e chapeos de sol 1 caixa a A. Gibson. Ho
branco 1 caixa-a Carvaiho Pereira & C
Livr:os 1 caixa a Walfredo ^ Souza, 1 a De
Lailhacar & C.
Objeclos diwesos 1 caixa a Do Lailhacar & C,
1 a companhia do lelegrapbo, 1 volume ao Bar.ao
do Livramento. Objectos de escriptorio 1 caixa
ao London & Brazilian Bank.
Panel 1 caixa a Keller A C.
Queijos 28 caixas a Brown Thompson & C, 21
a Antonio Francisco Corga, 16 a Lino Jese da Cos-
ta Amorim & C, 27 aBeltrSo & Filno, 45 a Anto-
nio Ferreira de Carvaiho, 10 a Lebre & Reis, 17
a Lima & Silva, 23 a Souaa Basto A C, 6 3 Jose
Joaquim Alves AC, 17 a Domingos J. Ferreira
Cruz, 33 a Cardoso Martins & C, ill a Jose Mar-
celino da Rosa A F1B10.
S I/O
ol/O
Moinho do-Trieste, u. 0 47/ 'SSF 43/ a -it/6
Fontana........ m 0 stjperf. '45/
Idem............. n. t&am AWf
0/1 AAA.V SBnC. SS5F
..- w.riim'xq. mm Mi

PARTE POLITICA
da estatua de
miseravel ca-
PARTIIvO CO.'VSERVA^Oll
RECIFE, 26 DE ABRIL DE 1874.
0 DINHEIRO DOS DOUDOS.
A Provincia, sempre fiel a seu programma, nao
perde ensejo de offender a quem, superior a ella a
todos os respeitos, a olha com essa vista de pieda-
de que merecem entes disformes ou degradados.
Falta de accusagdes, a Provincia se agarra a
tudo ate a teasde aranhas e a visdes a ver se fre
0 actual presidente.
Mediado os mais por si, julgam que os outros
fario 0 que em cirenmstancras iguaes fizeram, e
tornarJo a fazer, se por desgraga do Brasil. empol-
garem o poleiro pelo qaal capoeirara.
Estatua de pasquim, a Provincia, 6 0 poste em
que qualquer pode pregar suas sandices, despejar
seus cestos de lixo, tudo ella recebe e comtudo
especula.
Um K, entendea dever servir-se
pasquim para nella pregar uma
lumnia.
A Provincia, go;tosa a estampa, e nao s6 a re-
cebea como crendo a real, chamou sobre ella a
atteneao de todos, na sna Chronica, porque aflna
de contas lembrava-ihe ura facto da sua chronica
ligueira I
A esse artigo, na mesraa Provincia, aecudio 0
commendador Villas Boas, e respondeu de modo
qne fazendo emumdecer 0 detractor, a todos con-
tentou.
A Provincia, perem, que julga os mais por si,
inda tenta explorar a cousa ... pois bem respon-
deremos a Provincia.
Admira que os patriotas da Promncia, sejam
quem forraulem os pontos seguintes :
I' Que os ditmeiros do asylo, ja depositaiosem
am banco foram delle tirades.
2' Qne toda a arrecada#o desse dinheiro de
mao de offertantes e reeolbimento aos bancos
tem sido feitos sem eseriptnracao de reparticoes
Bscaes, e asm escriplufaoio em livro official que
prove e esclarega esse movimento de capitaes.
Admira a impa'videz dnssa gente !...
0 ponto, ja esta mais que explicado, mais
que provado. ) coramendadbr Villas-Boas, pro-
vou com certiOcados dos bancos, que no mesmo
dia,qua de ura foi retirada entrou para outro 0
dinheiro.
Se isto e assim, a gente da Provincia, accusaiu
A Provincia de hoje, 24, sob 0 titulo Que pedra
malfadil'i, diz ficara 0 publico sabendo que 0
lugar escolliido Analmcnte, foi o sitio onde esteve
0 collegio Ja Conceigao, e sobre 0 qual pende, ha
muitos anno, graaJe litigio en ire a Sauta Casa e
0 comprador do mesmo sitio, 0 Sr. Felippe liena
Gallado da Fonceca.
Xa qualidade de solicitador da Santa Casa, de-
claro a Provincia, que 0 Sr. Felippe Mena Callalo
da Fonceca, nunca esteve na posse do silio, por ti-
tu'o de compra, e siia nor contrato de arrenda-
mento oneroso, que nos'termos da 2' lei de 9 de
dezembro de 1830, foi julgado nullo em grao de
revista, sendo revisora a r.-lagw da Bahia.
Que. em eonsequencia desse julgado e de outros
da relacao do districto, 0 Sr. Dr. Paulino Chaves,
juiz municipal da t* ram por sentence proferida
nesse feito, mandou tntregar 0 sitio a Santa Casa,
sentenga essa qua foi connrraada pelos Exms. Srs.
desembargadores Xeiva c Tertuliano Hcnriques,
entao juizes de direito;
Que a entregado sitio a Santa Casa foi effectna-
da sem coatesta;ao, por posse judicial, a >jue assis-
tio 0 ultimo magistrado, sendo 0 m^smo Sr. Mena
Callado, sens fillios e n:t03 obrigad >s a pagar a
Santa Casa a qu.intla de 15:6173539, a saber : do
cuslas 2:3485380. e dereada do gitio 13:0891189 ;
Que, 0 sitio, como um dos bens qua foram dos
coagregados de S. Felippe Nery, desde abril do an-
no proximo passado, faz parte do patrinonio dos
collegios dos orphaos, em virtude da 1' lei de 9 de
dezembro do 1830 e 2* decreto de 11 de novembro
de 1831 ;
Que, assim esta linJo 0 litigio, quanto a reivin-
dicacao do sitio, e nao a respeito da quantii de...
15:617*539, poraue ainda nao foi paga.
Recile, 2i de abril de 1874.
Jose The.dorG Gmes.
DA
Sanlissima Trindade.
Xeste estabeleeiwento de instrucgao e eiucacao
de meninas, sob a directoria da E Philomena Jersey, e suas Exmas. irmas D. Lande-
lina Jersey e D. Olindina Jersey, aJmittem se edu-
candas mediante a pensao mensal de 40*, sem
mais (utra despeza, e aprendera: lingua nacional,
inglez, francez e italiano, /(i//(ir, escrever e tradu-
zir; geographia, arithmetica, historia, piano, dan-
ga, rausica e desenho; toda a especie de bordadoj,
e os melbores principios da religiiio christa- No
interior do e.->tabelecimenti falla-se somente fran-
cez, e e incompativel 0 professorato do sexo mas-
culino.
Relogios de ouro 1 caixa com 4, a Peaoa
A C.
Sedas 1 caixa a Tito Chaves Bacellar, 1 a E. A.
BurleA C.
Tecidos 1 caixa a Basto & C, 4 a Braga S.in &
C, 69 volumes a Cramer Frey A C, 56 aos consig
natarios, 1 caixa a Monteiro Gregorio & '. 18 a
Mills Lath; n A C, 2 a Monbard .Mettier ^ C. fin-
ta de olco 1 caixa a Fernaudes & Irmao
Viveres 14 caixas a ordem. Vinbo 5 volumes
a Borstelmam & C, 1 Cramer Frey AC. la
K. lienriqaes, 3 caixas as Sr. Roberts,' 5 a Brown
Thompson & C
Vapor portuguez Almeida Garret, vindodospor
tos do sul do imperio, eonsignado a E. R. Rabello
ti C. manifostou:
Cafe 168 saccos a ordem, 63 a Soares do Araa-
ral & C, 50 a Fernandes A Irmao, 100 a D. J.
Ferreira Cruz, 50 a Costa Cunha ^ C, 100 a Ma-
noel Duarte de Figueiredo, 100 a Jose Joaquim da
Costa Leite.
Milho 50 saccos a Rosa & FilBos, 5 a Beltrao A
Filho, 6 barricas a J. J. de Azevedo.
Fariuha de trigo 100 barricas a Jose Daarte das
Xeves.
Panno de algoilao 1 fardo a ordem.
MiMU
JUNTA DOS CORRETORES
I'rnrsi lu Recife, '15 de abril
de 1894.
AS 3 HORAS DA TARDE
COTAQOES OFFICURS.
Algodao sem inspecgao 7S00Q por 15 kilos,
hontem.
Algodao da Parahyba 1 sorte 8*200 por 15
kilos posto a bordo a frete de 5(8 e 0
0|is, hontem.
Carabio sobre Londres a 90 d|v. 25 3|4, 23
7|8 e 26 d. por 1*000, hontem.
Dito sobre uito a 90 d(v 25 3(4 d. por 1*000, do
banco, hontem e hoje.
Dito sobre dito a 3 d|v. 25 1(2 por 1*000. do
banco, hontem.
Dito sobre dito a 90 d[v 25 3|4 d por 1*000.
Cambio sobre Paris a 3 d|v. 375 rs. 0 franco.
Carabio sobre Lisboa e Porto a 90 d[v. 105 0(0
de pre niio.
Cambio sobre 0 Porto a 90 djv 108 0[0 de
premio, do banco.
Cambio sobra Lisboa a 3 d|V. Ill 0(0 de
premio, do banco.
Dito sobre dito a 3 d|v. 108 0(0 de premio.
Cambio sobre 0 Ro de Janeiro a 3 drv. ao par,
do banco, hontem.
Cambio sobre a Bahia a 8 d[v. 1(4 0(0 de des-
conto, hontem.
B. de Vasconceilos
Presidente.
A. P. de Lemos
Secretario.
1874
da
LONDRES, 12 DE ABRIL Di
(Douro)
Algodao regular de Pernambuco em ser 8 3|8,
Parahyba 8, e Maceio 8 5|16 calmo.
Assucar mascavado de Pernambuco, qualidade re
fularLiverpool 19(9 sem mudanea.
DSSPACHOs DE EXPOP.TACAO NO DIA 2i DP
ABRIL DE 1874.
Para os portos do exterior.
No navio hespanliol MercediUt, para 0 Rio
da prata, carregou : M. L. Paes Barreto 300 bar-
ricas com 36,907 kilos de assucar branco e 80
ditas com 9,750 ditos de dito mascavado.
No vapor inglez Fire Quen, para Liverpool
carregou: Braga, Son A C. 1 caixa com 50 kilos
de doce ; J. Patef 4 C. 50 saccas com 4,389 ditos
de algodao ; M. M. Monteiro 86 ditas coin 6,567 1|2
ditos de dito ; M. Lathan & C. 1 barrica com 30
dit03 de fariuha.
No vapor portugnez Almeida Garret, para 0
Porto, carregou : A. F. Castellar 2 barricas com
73 \\i kilos de assucar branco e 1 caixa com 13
ditos de doce ; J. J. do Oliveira Lisboa 1 barrica
com 50 ditos de assucar branco ; M. F. da Costa
1 caixa com 23 ditos de doce e 1 barrica com 40
dito3 de farinha ; Teixeira & Primo 3 caixas com
96 ditos de doce e 2 ditas com 16 litres de aguar-
dente ; J. Xarciso & C. 2 ditas oora 42 dtos de
agaardente ; J. Xarciso A C. 2 ditas com 86 kilos
de doce.
Xo vapor francez V. de Rio de Janeiro, para
Hamburgo, carregou : P. J. de Siqueira 3 caixas
com 45 kilos de doce : para o Havre, J. B. Michil-
les 1,173 ditos de pao brasil; E. A. Burle & C. 152
couros salgados com 1,824 kilos : oara Lisboa,
Oliveira Filhos & C. 390 saccas com 32,311 l|2
ditos de algodao.
Xo lugar portuguez Julia, para Lisboa, car-
regou : Oliveira Filhos & C. 128 saccas com 9,500
1)2 kilos de algodao.
No navio portuguez Lisboa, para Lisboa,
carregou : J. Licio & Filho 187 saccos com 14,025
kilos de assucar branco.
Na barca portugueza Victoria, para Lisboa,
carregou : Souza Monteiro A C. 32 saccas com
2,126 1(2 kilos de algodao ; M. L. Paes Barreto
100 saccos com 7,500 ditos de assucar mascavado.
No brigue portuguez Bella, para Lisboa,
carregou : H. L. Reis 100 saccos com 7,500 kilos
de assucar mascavado e 103 ditos com 7,500 d tos
de dito branco.
Na barca portugueza iVaco Silencio, para 0
Porto, carregou : II. L Reis 60 couros espichados
com 1,420 kilos.
Xo patacho nacional Jaboitao, para 0 Rio da
Prata, carregou : A. L >yo 350 barricas com 44,312
kilos de assucar branco.
Para os portos do interior.
Para 0 Rio de Janeiro, na barca portugueza
Eeliz Unido, carregou : J. B. Moreira 5,000 cocos
(fructa).
Para Mossoro, no hiate nacional Joao Voile,
carregou Carneiro & C. 5 pipas com 2,400 litros
de aguardente.
Para 0 Natal, no hiate nacional Flor do Jar-
dim, carregou : J. C. Paes Barreto 6 taboas de
amarello.
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
ftendimento do dia 1 a 24. 16:578*579
idea do dia 25..... 296*985
E
Economo........ u 49/ii 46/0 43(5 .42/(5
0 mercado durante o msi'que, rtvislo foi am
pouco mais animado, apezar dos" 1 r-cos estarem
os raesmos, as sransacgSes tendtt .-ido*pniiripar-
mente em farinhas de Tri ste, apeqa-s du:vs cafi<.is
sortidas a :haaJo compradores pl Peniojabuico e
umas. 1,500 barricas sortidas- papa ^isvport-s do
uorte as cotagoes Os moinhoi diiqrtii oiiia*.OS de
Pest, senaiu-disposlos a fazereiu couces6es, po-
rem a procura 6 agora limitadissimat O tenuw
magnideo favoravel a safra vinUuura eoi-
mia.
Os precos das farinhas de Pest posto a bordo
em ^Hamburgo, sahiam cerca de 3/6 a 4/est.
(1*500) por barrica imiscaio; isto e poremqnasi
compensado pelos fretes que dao mais baparos d>>
la, do qua daqui para 0 Bra-il.
Fretes. Tomaramse os seguintes navios duran-
te 0 mez : 0 patacho allemao Dedo a 57/6 c 5 0/(j
Pernambaco a ordens; 0 patacho austriaco Co-
lombo a 53/ e 3 0/o Bahia a ordens; o patacho
hollandez Pappameer I! a 55/ e 5 0/o Rio de Ja-
neiro ; 0 briguo italiano Gizella T. a 60/ e 30/o
Rio de Janeiro ; a escuna ingleza Kate e Annie a
65/ e 5 O/o Bio Grande do Sul ; 0 patacho allemao
wilhelm A Jodph a 62/6 3 O/o Rio Grande do Sui,
e finalmente -ambos a cbegarein0 patacho aJJe.
mao Doctor Ilansen a 32/6 e 5 O/o Rio de Janeiro,
ou 62/6 e 5 O/o se ao Rio Graude do Sal e o
patacho allemao Luback a 55/ e 5 0/q Pernambu-
co a ordens. Pelos vawores via de Liverpool earn
coahecimentcs ein direitura, embarca-se farinha
para os poitos do norte a 60/ 10 O/o. e para Per-
nambuco a 83/16 O/O, tudo por tonelada ingleza
0 frete davendo ser pago aqui, seniio a pri-
mage me de 20 0/0-
As sahidas deste porto para todo 0 Bcasil em di-
reitura foram, nos mezes de
Janeiro... 8,775 barr. culra 9,570no ana. pass.
Fevereiro.. 5,953 3,623 idem.
Marco.... 12,989 10,913 idem.
27,707 26,106 idem.
Ao preco de 32/ est. para os ns. 0/1 juntos, sahia
a barrica, posto a bordo no lamarao de Pernambu-
co, com o freta de 57/6 e 3 O'o e cambio de 261/4
d. Sobre Londres a rs. 2G#290.
Sahiram para Pernambuco : a 10, patacho bol-
landez Cornelia Absanima. com 550 barricas Pa-
nonia, 500 concordia, 770 Foniana, e 530 Buda-
Peste ; a 16, barca auttriaca Due Fratelli, com
4.060 barricas Economica ; ea 3i, patacho alle-
mao Dedo, com 3l'0 barricas 1 c. noinica, 310 Fon-
tana, 800 Moinho de Vento, 314 Buda-Pest.
Fsla carregando para Pernambuco 0 patacho al-
lemao Alinnncher.
16:875*564
VOLUMES SAHIDOS
No dia 1 a 24......
No dia 25
Primeira poria.....
iegnnda porta.....
Tereeira torta .....
Quarta porta......
riapiche Ccnceigao .
27,170
169
68
100
328
27 835
SERVigO MARITIMO
*J>arengas descarregadas no trapiche da
aifandega :
dia la 24.....
dia 25.
So trapiche Conceigao
65
a
1
~68
RKCEBEDORIA DE REJiDAS LNTfRNASGE-
RAES DE PETHtAMBUCC
AendiuienJo do dia I att. 50:069*180
dm do dia 25., 5:188*508
"55:197*688
IAHTIM0S
CONTRA "o FOGO.
A compjinhia lndemnisadora, estabelecidt
aesta praga, toma seguros tnaritimos sobre
navios e seus enrrcgamentos e contra fogo
em elificios, mercadorias e mobilias: n
rua do Vigario it. 4, pavimento terreo.
Augusto F. d'iiliveira k C.
A casa commercial e baucaria de Augusto
j d'Oliveira & C, & rua do Conmercio ns
42, encarrega-se de execugao de ordens
para embarque de prodoctos e de todos o-
mais negocios de commissao, quercommer*
ciaes, quer bancarios.
Deconta lettras, e toma dinheiros a pre-
mio, compra caactbiaes, 0 saca & vista e a
jazo, & vontade do tomador, sobre as se-
guintes pragas estrangeiras e nacionaes :
Londres. Sobre o union bank op
LONDON, O LONDON AND BAKSEATIC BANK,
limited, e varias casas de 1.' ciasse.
Paris. Sobre os banqueiros fould
& C, MA.RCUARD ANDRE & C. e A. BLVCQUE,
VIGNAL & c.
Hanibiirgo. Sobre os Srs. joao
SCHU BACK & FILH S.
Lisbon. Sobre os Srs. fonsecas,
SANTOS & VIANNA, 6 SEBASTIAO JOSE DK
ABREU.
Porto. Sobre o banco uniao do posto
0 Sr. JOAQUIM PINTO DA FONSECA.
Para. Sobre o banco commercia-
do para, e os Srs. FRANCISCO gaudencio da
COSTA & FILHOS.
Haraukao. Sobre o Sr. jose fer-
reira DA SILVA JUNIOR.
Ceara. Sobre os Srs. j. s. de vas-
CONCELLOS & SONS.
Bahia. Sobre os Srs. marinhos dt c.
Hio de Janeiro. Sobre o banco
INDUSTRIAL E MERCANTIL, BANCO NACIONAL e
BANQUE BRASIL1ENNE FRANgAISE.
Seguro coolra-logo
CHE LIVERPOOL & LONDON & GLO
INSURANCE COMPANY
Agentes
- SaUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Sanlo11
Capital.
?undo
NORTHERN.
de reserva.
Mill*
20,000:000$000
8,000:0009000
Agcntes,
Lalham & (7.
RUA DA CRUZ N. 38.
BUNCO CDMMERC AL OR BRAGA
Jorge Tasso
Sacca sobre este banco e suas agendas nas se-
guintes cidades e villas :
Portugal.
Amarante Lisboa
Anadia Melgaco
Arcos Aveiro Miranda 1 la Monclo
Barca Pena-fi el
Barcell08 Pinhel
Beja Ponte do Lima
Chaves Porte-mao
Coimbra Porto
Coura Povoa da Vanitn
Covilha Ragea
Elvas Tavira
Bxtremoz Valan;a
Faraalicio Viauni
Farq Villa do Conlo
^






^;*
I


Hi
JUJJP'WJ'
i
Diario do Pernambuoo Segunda feira 27 de Abril 4e 1874.
Gnaria
Gulmaraes
UVIO!
Lime go
Favsl.
Villa Real
Vinhaes
Vixeu
Villa N. da Cerveira
Funchal
Banco do Minho.
Joaquim Jose Goncalves Beltrao & FiWio saeam
por todos os vapores sobre :
Anadia.
Aguida.
Aveiro.
Beja. .
Chaves.
Elvaa.
Amarame.
Guimaraes.
Covilhi.
Melgaco.
Porulegre.
Areaa de val de vez.
Celorico de Baito.
Caminha.
Mangaalde.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanbosa.
Evora. Monsao.
Fate. Ovar.
Faro. Porto.
Goarda. Tavira.
Leiria. Regoa.
Lisbea. Vizeo.
Barcellos. Figaeira.
Coirabra. Lampgo.
Wirandella. Estarrej*.
Penaflel. Valenca.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
Castello-Branco.
Espozende.
Oliveira de Azemeis.
Povoa de Varzim.
VianDa do Caslello.
Villa-Nova de Porlimio. Villa Nova de Fa.nalicio.
Villa do Coude.
Nas llhas.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terceira.
COIPAHmA~ALLIANCA
wsguros maritimos e terres-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 18 7 0
CAPITAL 4,000:0009000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
i*co maritimo era navio de vela e vapora
para dentro e f6ra do imperio, assim com*
eontra fogo sobre predios, generos e fa
roudas.
Agente : Joaquim Jose1 Goncalves Beltrao
roa do Commercio u. 5, 1' andar.
C0MPANHIA
Phenix Pernambucana.
Toma riscos maritimos em mercadorias.
Iretes, dinheiro a risco e finalmente de qual-
qner natureza, em vapores, navios vi ela or
barcacas, a premios muito modicos.
RUA 110 COMMF.RCIO N. 34.
Mlaiejtas dara direita a praferencia. Os caedi
dates deverio provareem eerthlio nao terem me
nos dc (8 annos, nera niis-de 30 annos de idade,
e apresentar certiOeado medico de boa sade,
como dispoem os J e Ao art. 40 do predito
reffuUmento.
Administrate doscarreios de Pernainbaeo,
21 de*bril de 1874.
admiuistrador
Affonso do Rigo Barros.
O administrador da recebedoria de
reu.ias internas geraee avisa aos contribuin-
tes de imposto sobre industrias e profissoes,
qne -e" neste mez de abril que tem de set
page, sem mnlta, o 8. scmestre do ererri-
cio de 187374, depois do mub sera" pngo
com multa de 6 /,.
Herebedoria de -Pernambueo, 7 de abril
de 1874.
Manoel Carne,ro de Sovza Lacerda
Edital n. 155.
Peta inspectoria da alfandega se intima, de con-
J"1? cxn o artigo 599 do regulamento da
alfandega, a Leone! de Lacerda Macbado, dono de
3uatr caixas, marca F L, contendo ervilhas, vin-
as de Liverpool do vapor inglr-z Cordova, entrado
ne.te porto em 26 de ontubro do anno passado e
demoradas a porta da sahida, por oceasiao da res-
pectiva conferencia de aahida do despaeho n. 1846
de 23 de marco ultimo, para vir retira- las desta
reparticao, dentro do prazo de oito diac, sob pena
de, Undo este prazo, se proceder nos termos do
referido artigo.
Alfandega de Pcrnambuco, 25 de abril de 1874.
O inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
BE
i\'avegti^flo costeira a vapor.
UlViDE.NDO NONO.
Esta companhia paga o seu nono dividendo, %
razao de 3 0|0.
SOCIETE
FRANCAISE
DE
MOVIMENTO DO PORTO
.\avios cnlrados no dia 25.
Southampton e portos intermedios16 dias, vapor
loglez Douro, de 1,185 toneladas, commandante
J. Thwaits, equipagem 116, carga varios gene-
ros ; a Adamson Howie & C.
Rio Grande do Sul-34 dias, patacbo portaguez
Rocha, de200 toneladas capitao Manoel Pereira
da Silva, equipagem 9, carga 152,000 kilos de
carne ; a Amorim Irmao & C.
i\avion sahidos no rnesmo dia.
Rio da Prata-Patacho brasileiro S. Lu/z, capitao
Joao Jose Feraandes, carga assucar.
Rio Grande do Sul-Patacho brasileiro AUian^a,
capitao Francisco Salvador de Azevedo, carga
assucar.
Porto por LisboaBrigue portuguez Flurinda, ca-
pitao Antonio Ferreira dc Carvalho, carga as-
sucar eoutros gtneros.
Portos do sul-Vapor inglez Douro, commandacte
Thwaits, carga pane da que trouxe da Europa.
Navios eatrados no dia 20.
Liverpool por Lisboa 16 dias -vapor inglez Puno,
de 2,045 tone lad s, commandante, R. B. Wil-
liam, equipagpm 115, cargas differentes gene-
ros; a Wilson Howe&C'
Rio de Janeiro e Bahia 6 dias, sendo do ultimo por-
to 2,-Vapor portuguez Ahneida Garret, de 952
teneladas, commandante Tnomasine.
58, carga, diverso3 generos
Bahia e porto;- intermedios ii dias, sendo do ul-
timo porto 20 boras, vapor brasileiro Gastao de
Orlt-aiii, de 208 toneladas, commandante Jose
Pereira da Silva Matter, equipagem 25, carga
varios genoros ; a A. S, dcO. Azevedo 4 C
Naoiossahidos no mestno dia.
Santos e portos intermedios Vapor francez Ville ilc
Santos, commandante Lefevre, carea psrte da
que trouxe da Europa.
Havre Por Lisboa-yapor francez Ville de Rio
de Janeiro, cjiiimimlante Fleury, carga, algo
dao e ootros generos.
Havre- Lugre francez liio Grande, capitao Vial-
la, carga algodao e ontros generos.
Barcelona Sumaca hespanhola Inatla, capitao
Jeronymo Pla, carga alg idao.
LiverpoLlVapor injlez Fere Queen, commandan-
te Gorbishley, carga assnear e algodao.
Callao e portos intermediosVapor inglez I'uno
commandante It. I!. William, carga, a mesma
que trouxe dos portos da Europa.
Secours Mutuels.
Messieurs les membres de la soeiete" franijaise
sent invites a se rendre a la reunion qui aura lieu
le 29 abril a 7 1|2 heures du soir au salon de
I hotel de I'Europe.
Le president
____________________________E. Turpin.
Companhia perna u bucana
de navpgacao costeira a
vapor.
De ordi m do conselbo da direceao, canvidc aos
Srs. aocionistas da nova emissao de accoes desta
companhia, que somente realisaram a primeira
prestacao de 20 |. sobre o valor subscripto, a fa-
zcr scgunda entrada a mesma razio, denJro do
prazo de 30 dias, a contar de hoje, no escriptorio
do Forte do Mattos.
Recife. 23 de abril 1874.
Jhomas M. Connan.
Gerente interino.
equipagem
a E. H. lt;,ljello &
Ml
Pelo prcsente se faz pnblico ao professor da
cadcira do instruccio primaria de. Malhadinha,
padre Jose Proc quo Pereira, (pie tendo delibc-
rado o consellio director em sessao do hontcm,
haver elle incorrido em pena de suspensao, pela
reincidencia de facto pel) qual ja lei multado,
consistindo em estar fora do ezercieio do magis-
terio sem licenca, ordenou o Dr. director geral
interino se marcasse ao dito professor o prazo de
dez dias contadoa d.i data da publicacjlo do prc-
sente, para denlre delta produzir a sua defeza,
sob pena de revelia.
Secretaria da instruccio publica de Pcrnambu-
co, 24 de abril de 1874.
O secretario,
____ Joaquim Pereira da Silva Guimariie^
0 Dr. Sebastiao do Rego Barros de Lacer-
da, juiz de direilo especial do commer,
cio, nesla cidade do Recife e seu termo
capital da proviucia ile Pernambuco-
por S. M. I. o Sr. D. Pedro II, a quem
Deus guarde, etc.
Faco saber aos credorea do commerciante ma-
triculado D mingos Jose da '?unha Lages, cstabe-
lecido uesta cidade, impetrante de moratona ao
meretissimo tribunal do commercio, que pelo pre-
sente sao chamados para comparecerem perante
este jui?o. na sala das audiencias, as 11 horas da
manhi do dia 9 de rraiu proximo, alirn de respon-
derem a moralona nos termos dos artigos 842,
8ii e 847 do codigo commercial, certos os ditos
credores que nao serao admittidos por procurador
sem qne este exhiba procurafio especial, a qual
nSo podera ser conferila a devedor do impetran-
te, nao pedendo, outro sim, um so individuo re-
presentar por diversos credores, e que sera havi-
do o credor, que nao comparecer como adhercnte
as resolucoes que tomar a maiona de votos, dos
re compare:erem, representando ella a maioria
credores em numero e dous tcrcos da totali-
dade das dividas do3 credores sujeitos aos effeitos
da moratoria.
E para que cbegue ao conhecimento dc
todos, mandei passar o presente que serd
publicado pela imprensa e affixado nos lu-
gares do costutne.
Cidade do Recife, 2'i de abril de
1874.
Eu, Francisco Vavpr de
escrivao interino, subscrevi.
Recife de 25 abril de 1374.
Sebastiao do Rego Barros Ao sello 8 Barros de Lacerda.
nip'tuhiu dos trillion urbanow
do Bccife a olinda e Bebe-
ribe.
Nao tendo comparecido
numero legal de acci-nistas,
para que podesse hoje func-
cionar a assembler geral da
companhia acima em sessao
ordinaria, como Toi convoca-
da, foi dita sessao adiada
para o dia 29 do corrente as 2 horas da larde e
no lugar do cotume ; e entao funceionara com
qualquer numero dos accionistas presentes nos
termos do art. 11 dos estatutos.
Recife, 22 de abril de 1874.
0 secretario,
[_________________Luiz Lopes Caslello Branco.
SANTA CASA DA M1SER1COULL4 DO
RECIFE.
A Illraa. junta administrativa da santa easa di
ilisericordia do Recife, manda fazer pubheo que
aa sala de suas sessoes, no dia 23 de ahil oe-
las 3 horas da tarde, tem.de ser arrematadas s
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a Ores annos, as rendas dos predios em seguida
ieclarados.
. ESTABELECIMEXTO DE C.VRIDADE.
Travessa de 8. Jose.
Casa terrea n. 11.......2014000
Rua de Santa Rita.
Idem n. 32....... 230$0fl0
Hem n 3i........216^000
Rna Je Hortas.
Santo Antonio
Ter(jarfcira 28 de abril.
E*pectaculo em heneflcio do Sr. Theotonio, pri-
meiro clarineta da orchestra do theatro.
0 drama em 4 actos :
UM NAUPRAGIO
NbM
costas in mum
Terminara o especlaculo com a couiedia eio am
acto :
Os dons limidos.
Principiara as 8 1|2 horas.
0 beneQciado manifesta a sua gratidao ao hos-
pitaleiro publico desta capital
Havera trem para Apipueos, tocando em todos
os pontos de parada.
AVISOS MARITIMOS.
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM
PANY
ROYAL MAIL STEAMER
PATAGONIA
Commandante C. C. {trough.
e9pera-se dos portos do sul ate o dia 10 de maio
e depois da demora do costume, seguira para
Lisboa, Rordeos e Liverpool, para onde reeebera
passageiros, encomraenda*, carga e dinheiro a
frete.
S. B.-N5o sahira antes das tres boras da tar-
de do dia da sna chegada.
AGENTES
WHshii Rowe a C
14RUA DO COMMERCIO-14
Par^
Par* o indicado porto pretende seguir
tem a possivei fcrevidade o patacbo portu-
guot Azuran, por ter a rsaior parte de seu
arregamento engajado e pirn o resto que
ike fal a, trata-se com os consignatarios
Joaquim Jos^ Goncalves lettrio & Filbo,
a rua do Commercio n. 5.
'" COMPAOTIA'PERllAMBUCANA
DE
\avega GOYAN!U.
0 vapor Mandfihu,
commandante Julio.
seguira para os por-
tos acima no dia l.
de maio, As 9 toras
da noite.
Recebe carga, encom nendas, passageiros e di-
nheiro a frett : ssriptorio no ForU do Mattos n.
Companhia Alliancn Marltlma
Portnense.
EMPREZA DE NAVEGAQAO ESTRE PORTUGAL E 0
BRASIL.
BARCA PORTXGUEZA
Este navio recebe carga e passageiros para Lis-
qoa e Porto, devendo sahir dentro em poacos dias,
visto ja ter parte do seu carregamento contra-
tado.
Agentes e consignatarios
JOSE' DA SILVA LOYO & F1LHO
PARA LISBOA
0 lngre portuguez Julio pretende sahir com to
da a brevidade por ter quasi toda carga prompts:
quem no mesmo qnizer carregar ou ir de pas-
sagem, trate com os consignatarios T. de Aquino
bonceca & C, successores, rua do Vigarie n. 19,
1. andar.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Wavegacao costeira a vapor.
FERNANDO DE NORONHA.
0 vapor Mandahu, comman-
dante Julio, seguira pan
e porto acima no dia o de
maio as 11 horas da manba.
Recebe carga ate o dia 4,
encommendas, passageiros e
inheiro a frete ate as 10 boras do dia da sahi-
dad: escriptorio no Forte do Mattos n. 12._______
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
*a vegafSo costeira a vapor.
PARAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO*, ARACA-
TY, CEARA.
0 vapor Coruripe
commandante Santos,
seguira para os por
tos acima no dia 30
do corrente, as 5
boras da tarde.
Recebe carga ate o dia 28 do corrente. encom
mendas ate" o dia 29, passageiros e dinheiro a
frete ate as 2 boras da tarde do dia da sa-
bida : sscriptorio no Forte do Mattos n. IS.
Para o Porto.
Recebe carga e passageiros o patacho portuguez
Utkdrr, que pouca demora tera. Trata-se com
E. R. Rabello & G., a rua do Commercio n. 48.
de consolosrde faia, avulso, 1 preua it copiar,
cadalraa de amarello, 1 par de consolos, 1 par de
aparadores, 1 commoda de amarello com pucha-
dcres de vidro, 1 dita de amarello, roeia dita de
dito, I sofa de dito, I marquezjo de dito, 1 porcao
de cadeiras americanas e ioglezas, cahides, j uar-
tinheir.s, mesas redondas, uma porcao de livros
de lit tera tn ra e mais obras, uma porcao de min-
dejas, corro sejam-leqnes, hi .toes, espelho de
mao, babados, hicos, entrvrneios, collarinhos, brin-
cos e muitos ontros objectos que se acharao pa-
tente no acto do leilao ao exame dos concur-
rentes.
Quarta-feira 29 do corrente, no referido arma-
aem, pelo preposto do agente Pf stana.
'Boa casa n. 7
Aluga-se nos Coelhes, confronte ao hospital Pv
droll, assobradada, independente de outras casaa
grande quintal murado, cocheira, quartos par-
cnados, commodos independente^ para duas fa
milias, porto do embarque e banhos salgados, emf
fim e uma hella casa de campo para qoem qu+r
estar livre do rel>olico dos carros, principalraeot*
dos pestilentos apparrlh-n Drainage: a traUr nav
mesmo Ingar. etn nuu uverna d hospita'.
LEILAO
DA
armacJo, generos e mais pertencas da taverna da
rua de Marcilio Dias n 7, autiga rua Direito
Quarta-feira 29 do corrente
(Jarante-se a casa.
0 agente Martins fara leilao da armacio, gene-
ros e mai3 pertencas da taverna acima, em um ou
mais lotes, cujo producto sera rateado pelos cre-
dores de dita taverna
A's 11 horas do dia.
Na mesma eccasiao se vendera uma carroca pa
ra cavallo, com 2 arreios, e uma balanca grande
com correntes de ferro e pesos de 10 e 20 kilos.
Agente Dias
Segtmdo e ultimo
LEILAO
DE
uma magnifica barcaqa
QUARTA-FEIRA 29 DO CORRENTE.
A's 10 1(2 horas emponto
Era frente ao edificio da companhia per-
nambucana.
0 agente Dias, competentemente autorisado, le-
vara a leilao, no dia e hora acima designados,
uma magnifica barcaca armada a hiate, de 600
sac:os de assucar, com 2 ferros, amarras e mais
accessorios: esta barcaca torna-se recommendavel
por ter sido bem construida e achar se em perfei
io estado de conservacao.
Os Srs. pretendentes podem degde ja examina-la,
pois acha se fnndeada em frente a companhia per-
nambucana, onde tera lugar o leilao, e para qual-
quer informacao a rua do Marquez de Olinda n.
37, prlmeiro andar, escriptorio do agente.
U:
rgencia
Precisa se de uma ama qne tenha bom e atmn-
dante leite, e seja sem filhn, para acabar de criar
uma menina : quem quizer, dirija-se ao terceiro
andar desta lypographia para Iratar.
0 l)r. Joaquim d'Aquino Frticeca, &
rua d r Hospieio n. 33, pede ao Sr. Manoel
Fcrnandes de Carvalho, residente na estrada-.
do Rosarinbo, o favor de lhe vir fallar s
respeito de negocio de interesse de ambos.
Agente Dias
Leilao
LEILOES,
< 'OHP.%.\H| 1 BRAS1LEIRA
DE
NAVEGACAO A VAPOR
LEILAO
DE
y-
Portos do norte.
Comiuaiidante o capituo tenente
.Vntonio Ii. Tcixcira.
K' esperadc Jos portos do ;ul ate o dia 27 do
corrente e segnira paraos do norte depois da demo-
ra do eostome.
Portos do Mill, inclusive o da
Victoria
x

Subrado n. 8i
L'lja .
e8500i)
2165000
rdem
n. 10
Padre Floriano.
Cinco Pontas.
Idem
Idem
idem
207^000
36Sff500
3715000
136^000
995CO0
Casa terrea o. Ill
Rua da Alegria.
n. 31........
Ponte Velha.
n. 31.........
Rua de Antonio Henriqncs.
n. 26........
PATRIMOXIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......
Becco das Boias.
Sobrado n. 18 .......
Rua da Cruz
Sobrado n. 11 (fechado).....
jRua.do Pilar.
C: Rua do Amcrim.
Idem n. 31........
Rua da Guia.
Idem n. 20........
Rua das Larangeiras.
Casa terrea n. 17. .
Os pretendentes deverao apresentar
irrematacao as suas fiancas, ou comp.irecererr
icompanhados dos respectivos fladores, devende
pagar alem d;. renda, o premio da quantia en
pie for seguro o predio que contiver estabeleei
aiento commercial, assim como o servico da lira
peza e precos dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re
;ife, 17 de mareo o de 1871.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Commandante Alcoforatlo.
E' esperado dos portos do norte ate o dia 27 do
corrente e segui1.1 para os do sul depois da de-
mora do costume.
Para carga. encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio da agenda'
7- RI'A 00 VIGARIO 7
Pereira Vianna t\ C.
Agentes.
a massa
fallida
209,800'
12U00C:
1.000^090
24UO00
1225OO0
2OU0O0
36UOO0
no acto Ai

Para o Aracaty vai sahir com muita brevidade
o bem conhecid") hiate Joao Valle, para carga a
fiete a tratar com Joao Josd da Cmiha Lages, na
rua do Vigario n. 33, 1. andar, ou com o mes
tre a hordo em frente ao trapichc Dantas.
Rio Grande do ,Snl
Para o porto acima seguira com brevidade o
p.tacho nacional Africano, por ter parte do seu
carregamento engajado ; para o resto da carga,
trata-se com Silva & Cascio, a rua da Cadeia nu
mero 60.
e raais artigos pertencentes
de Faria & Lessa
SEGUNDA-FCIRA 27 DO CORRF.NTE
as 11 horas
?%'o l.> andar do sobrado da rua do
l.iiramenlo n. 30
A S A R E R :
Uma mobilia de amarello, composta de 12 Cadei-
ras de guarni.ao, 2 ditas de balance, 2 ditas de
hraco, 2 consolos, tampos de pedra, 1 jardineira,
tampo de pedra, 1 sofa, 3 pares de lanternas, 1
candieiro a gaz, 2 jarros para flores, 1 espelho,
mnldnra dourada, 1 cesta, 1 toucador, tampo
de pedra, e espelho, i lavatorio, tampo de pedra,
e pertencas, 1 mesa elastica de amarello, 1
guarda louea de dito, 1 aparador de dito, 12
cadeiras defaia, 2 commodas de amarello e ou-
tros mais artigos.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commercio desta cidade, o agen'.e Pinho
Borges fara leilao do que acima se declar3, se-
gundo as formalidades do estylo.
Agente Dias
para liguidagdo
DE
DO
casco do vapor Mamanguape
Em continnacaoao leilao da barcaca, vender-se-
ha o casco do vapor Mamanguape, tal qual se
acha fundeado na corda do Passarinho. Tern mui
tas chapas de ferro em bom estado e cantoneiros.
Os Srs. pretendentes podem desde ja examina Io.
Agente Dias
LEILAO
Muita atteucao.
Havendo sido subtrahida on extraviada do po-
der da Sr. D. Isabel Lucas da Silva, uma letra
de seu aceito, na importancia de 1:2604000 e
saccada pelo Sr. Manoel Soares Pinheiro, e islo
quando dita lettra ja havia sido resgatada pela
aceitante, declara-se pelo presente meio qne mais
nenhum valor 'em semelbante titulo, visto ja ha-
ver sido remida a obrigacao por ella representa-
da, e que por conseguinte de nenhnm proveito
sera para aqoella pessoa, em cuja ttiio porven-
tura ella se acbe, protestaDdo se proceder cnmi-
nalmente contra nuem qner qne tenha sido o sub-
tractor, on que de ma fe pretenda ntiKsar-ie d
mencionada lettra.
Recife, 21 de abril de 187i.
0 Dr. Sanneuto Filbo mu-
dou-se para a rua da Aurora n.
61. 1. andar ; entrada pelo oi-
tao.
Attencao.
Precisa-se de um empregado de confianfa, que
de fiador a sua condncta, para tomar conU da es-
cripluracao e eaixa, e maif servico da loja da tin-
turana franceza, rua la Imperatriz n. 55 : a quem
convier, dirija-se a mesma.
Sociedade
armacao, calcados e mais artigos ententes em
loja da ma de Marcilio fdas n. 1
QUARTA-FEIRA 29 DO CORRENTE
ho meio tlia
0 agente Dias, competentrmente antorisado,
vendera, per conta e risco de quem pertencer, a
armacao, calcados e mais artigos existentes em o
men"ionado estabelecimento.
Leilao
I*
DE
farinha de trigo
0 agente Pinto fara leilao de 342 barricas do
trigo, avariadas, vindas de Trieste pelo brigue in-
glez Lizzie Kate, por conta do quem pertencer.
das marcas seguinte?:
16Victoria 117 barricas
Buda Pest 53 >
nPannonia 12
o-Luiza Buda 35
- Concordia 29
Fontana 18
-SSSE IS
No armjze'ii de Ta-so Irmaos \ C., Caes do
Apollo, no dia 29 do corrente, ao meio dia.
1 IS DVERSC
Da-?e sociedade a uma pessoa que tenha inteira
pratica de molhados, e qne nao seja crianca, en-
trando com algum capital, em oma taverna bem
afregue?ada : para informacOes, na rua de Santo
Amaro n. 2.
Ricas bandeijas
Para asameutos, bailes e baptisados.
Quem quizer obter uma bandeija ricamente en-
feitada, dirija-se a Confeitaria do Campos
Ja mandando ou indo encommendar, ja com-
prando alii todos os enteites, constando do eguia-
te :
Bolos finos para enfeitar.
Doces sabi.rosif simos para enfeitar.
Fignras allegoric.-9 para enfeitar.
Papeis arrendados para enleiiar.
Bouquets laro noivos.
Ain
Encontra-se semprco seguinte :
Fiambres inglezes.
Budins
Bolos
Piles de 16 linos.
Fatias de dito para parturientes.
Pasteis em profusao.
Filhos (sonhrs rie nurfrtna).
Doces em calda, ralado e se'-co.
Bolachinh?s de mil quahdades.
(Sugar WalTers vanilla) para dielas.
Gelea de mocoto, desinfeclada.
Amendoas, confeitos, etc.
Cha verdsdeiro Jas Caravanas.
Caf6 de Java (verd deiro).
Tudo isto on
________CONFEITARIA l>0 CA MR !S^_________
O ahaixo assignado tendo de seguir viagem
para Europa no vapor francez Vile do Rio de-' t-
nmro, peli s sens muitos afa^eres, nao pode pes-
soalmente despedir-se de todos os sens amigos,
pede-lhes iesculpa de.ti falta involntaria. e
a todos agradeee de eoracio o favor 'iue lhe
fizeram .em licpensar lhe sna amizade, offerecen-
do Ihes o sec .-':>. para o qne Ihespos-
sa >er util, o qu^^un- lugar que esteja.
Recife, th do abril de 1871.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro.
Souza llamos,
nnjtiMi-ji-JMgatraniaiiwi n nig a.-.-^
DECUMCOES.
Pela administrar^ao dos ;orreios desia pro-
vincia so faz publico jue se acha marcado 0 prazo
de 30 dias, a contar da present data, para o con-
curso de uma vaga do pra'.icante. 0 concurso tera
lugar na mesma admin-stracao, e constara de
exercicios de caligraphia e onhographia, arithme-
tica eletnentir, comprel,ende;nlo o uso do systema
metrico enoroes gera"= degeogrfphia, de confer
midade com o artigo 38 do regulamento de 12 de
abrjl de 1865. 0 couhecim-.mto das lingoas es-
Armazens da companhia per
nambucana.
*tca;iiros contra o fogo
A companhia pernambucana, dispondo de ex
cellentes e vastos armazens em seu predio ao for
te do Mattos, offerece-os ao commercio em geral
para deposilo de generos, garantindo a inaior con-
servacao das mereadorias depositadas, servico
prompto, precos modicos, etc.
Tambem recolhera, mediante previo accordo, ex-
clusivamente os generos de uma so pessoa.
Estes armazens, alem de arejados e commodos.
sao inteiramente novos e asphaltados, isentos de
cupim, ratos, etc., etc.
As pessoas qne quizerem utilisar-se desles ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptorio da com-
panhia pernambucana, que acharao com quem
tratar. ________________
Pela thesouraria de fazenda se declara que o
prazo marcado para o recolhimento das notas de
to e 505 da quarta estampa, sem desconto, finda-
se, para as primeiras em 31 de maio, e para as
segandas em 30 dc junho vindouro, sendo que
dahi em diante serao trocadas com o desconto
mensal de 10 0|0 ale ficarem sem valor
Secretaria da thesouraria de fazenda, 11 de
abril do 1874.
0 2" escripturario, servindo de secretario
____________Carlos Joao de Souza Correia.
Arrematacao
Pelojuizo de orphios de O'inda, escrivao Dr.
Caldas, vao a praca no dia 27 do corrente, a 1 hora
da tarde, na casa contigua a estacao do V'aradou-
ro, os moveis e livros pertencentes ao espolio d >
iinado conselheiro Guerra, sendo quasi toda a mo-
bihade mogno e em bora estado.
Porto por Lisboa,
Pretende seguir para os re-
i'eridos portos com poucos
dias de domora, a barca por-
tugur-za Noi-o Silenrio, de 1.' classe, capi-
tao Ferreira, por ter niaior parte de sua
carga prompta, e para ijue lhes falta passa-
geiros, para os quaes tem commodos : tra-
ta-se com os consignatarios Joaquim Jose
(loncalves Reltr3o d' Filho, a rua do Com-
mercio n 5.
AO CORRER DO MARTELLO
A retalbo ou em lotes, a" v, ntadc dos com-
pradores
No arraazem da rua do Marquez de Olinda n. Hi.
Scgiinria-fcira *J c tcrcu-IWrn
38 do corrente
Comecara as 10 1|2 horas da manhj.
0 agente Dias levara a leilao, nos dias e horas
designados, tola a louea e vidros existentes em o
mesmo estabelecimento.
Real companhia de paqoietes in-
glezes a vapor.
Ate o dia 27 do corrente, esperase da Europa
o vapor inglez Douro, commandante Thwaites, o
qual depois da demora do cost#ie seguira para
Buenos Ayres, tocando nos portos da Bahia, Rio de
Janeiro e Montevideo.
No dia 28 do corrente, espera-se dos portos do
sul o vapor inglez Royne, commandante F. Reeks
o qual depois da demora do costume seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens, fretes etc., trata-se na agenda,
rua do Commercio n. 40.
Leilao
lie tres quartolas com vinho Rordeaux, para
feichar contas
Terca-feira 28 do corrente
As 11 horas da manha
No annazem do Sr. Annes, defronte da al-
fandega.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer, de 3 quartolas
com vinho Bordeaux, para feichar contas.
Terca-feira 28 do corrente, as 11 horas da ma-
nha, no referido armazem.
negocio.
A'onde-se ou arren 'a-se o grande predio
de um andar e sotao, sito na rua do Bispo
Sardinha, proximo da igroja da Mi-ericordia,
na cida lo Je Olinda, tendo duas ; oas salas
de frente, um salao no sotao, seis quartos
espagbsos e frescos, uma grande cocheira,
quintal todo cercado de novo, e com diver-
sos arvoredos, uma boa fonto d'agua, e
tendo fim canalisado. Acbando-.'e prcpara-
do com tod s os moveis indispensavi is a
uma gr,andefamilia, sera assim vendido ou
sem os moveis : a tratar nesta typographia
ou na r ia da L'niao n. 49, sobrado, atraz do
pa.o da assemblea.
leilao
rua
Companhia Fidelidade
Hegnros niaritimo c terrestres
A agencb desta companhia toma segaros ma-
ritimos e tcrre?tics, a premios razoaveis, dando nos
ultimo? o solo livre, e o setimo anno gratulto ao
segnrajjo.
Feliciano Jose Gom>s
Agente.
Rio de Janeiro
Para e indicado porto segue com poucos dias
de demora a barca portugueza Felis Uniao por
ter a maior parte do seu carregamento engajado
s para o resto qne lhe falta, trala se rom os con-
eignatarios Joaquim Jos-e Ooncalves Beltrao A Fi-
sho, a rua do Commercio n. o.
Libras esterlinas
Vendem Pereira Carneiro
& C.
Rua do Commercio n. C.
Usba e Porto
Vai sahir com brevidade a veleira barca Lisboa.
Recebe carga e passageiros: a tratar corn Tito
Livio Soares, rua do Torres n. ?0.
De uma casa na rua do Dique, antiga
das Carrocas n. 23, em chaos pro-
prios.
Quarta-feira 29 do corrente
as 11 horas eiu ponto.
No armazem da rua|do Vigario Thenorio
n 11.
0 preposto do agente Pestana fara leilao por
conta e risco de quem pertencer, de 1 casa na rua
do Dique, antiga rua das Carrocas n. 23, com os
seguinies commodos : 2 salas. 2 quart03, cozinha
fora, quintal e eacimba em bom estado, e rende
annualmente 30fJOUO.
Quarta-feira 29 do corrente, no referido arma-
zem, pelo preposto do agente Pestana.
LEILAO
De moveis, loucas, vidros, erystaes, perfu-
marias, miudezas o machinas para picar
fumo, um pianno de mesa, uma porcao
do papel para fumo.
Quarta-feira 29 do corrente
as 11 horas.
No armazem de agencia de lei!6s da rua do
Vigario Thenorio n. 11,
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta u risco de quem pertencer, de 1 mobilia
de jacaranda com tampos de pedra, 1 dita de faia,
tambem com tampos de pedra, 1 dita de amarello.
1 guarda lonca de amarello, 1 guarda rotipa de
dito. 1 cama de mogno, 1 dita de amarello, 1 par
Aluga-se sobrado do um andar e loja. o
qnal lem pr >por;5Vs para casa de negocio, sito
no l.irgo .1a ribeira da freguezia de S. Joe n. S ;
ad vert indo qno tambem se aloga separadamente:
a Iratar no mesmo aciir-a referido, on no pateo de
S. Pedro, sobrado Is. 9.
Peda se ao Sr. estrangeiro belga, segundo
parece, que sen Ion uma boraba americana no en-
genho do Brum, e qne licou de ir in lircita-la por
nao dar agua a-:im como, que ievou uma folha
de ferro e pregoa para nma caixo du foles para
matar formigas, qne a va cutregar coma ha mais
de quan-nta dias prometteu, e indireitar a bomba;
faz-se este as innsio por nao ser enc>ntiado na rua
da Concordia, onda disse que morava, e disseram,
quo anda jiara Jaboatao.
Gustave, cahellcireiro, a rua do Marquez de
Olinda n. 51, pnmeiro andar, precisa de um habil
official de barbeiro; paga-se hem.
0 abaixo assignado estando de ronda a guarni-
cao no d:a 22 do corrente, perdeu o rabicbo da
sella, de tranea do Rio-Grande do Sul, appare-
Ihado de prata : rrga a qu^m o aehou o queren
do restituir, leva Io ao quartel da Soledade que
ser-'i recompensado cem mais do vahrda prata.
0 major Manoel Ferreira Escovar.
C1BELL0
di:
^J^X
i^li
Feilor.
Precisa-se de um feitor para tratar de um pe-
queno jardim : na Baa-Vista, rua do Visconde de
Goyanna d. 101, outr'ora Mondego.
Collegio prlinilar
DE
instruc^ao primaria para o
sexo feminino.
D. Francelina Dornellas Pessoa, achando se ha-
bilitada na forma das leis reguladoras da ins-
truc;So publica da provincia, abrira no dia 1. de
maio proximo futuro, na casa n. 51 da rua do
Barao da Victoria, um collegio, em que serao
recebidas hlumnas pensionistas, meio-penslonistas
e externas, afim de se educarem religiosa e civil-
menle, de se instruirem nas materias de um com
pleto curso elomentar, dc se apiiearem a obras de
agulha e bordados de todas as especies, e a tra-
balhar em flores, mediante uma razoavel remu-
neracSo. Os Srs. pais de familias poderao desde
ja dirigir-se ao menciooado collegio, onde ser-lhes-
bao dados os necessarios esclarecimentos e infor-
ma^oes, e onde encontrarao aberta a matricula
para as educandas.
Recife. IS de abril de 1874.
VIHW
Seguro e arfiniravel
RESTAURADOR E TONICO
nn 0 CABELLO
Geacorre para iuii k Io e per-
feilo |)eu(cado
Torna os oab^llos macios, brandos- e lu-
sidios, perfumnndo-os com um aroma de
especial
sido.
delicadeza, que tao apurado tem
Ao publico
Ha mais de um anno fngio desta cidade do Re-
cife, e se fuppoe nella occulto. o cscravo Jose, com
os signaes seguintes : c6r preta, de altura regu-
lar, com 25 annos de idade, jjonco mais oumenos.
tem falta de dentes na frente, sendo porem o sig-
nal mais sensivel uma escrescencia na palpeb.a
que pare ^e ceg i dc um olho : qnem o capturar,
traga-o k rua Direita n. 119, ou Saudades n. 32,
que sen generosarnente recoropenwdo polo seu
senhor. (
O abaixo assignado declara que tendo sido I
tem chamado pelo Sr. Antonio Francisco Corga
para recoher o saldo de seus or 'enados. rcceben
do mesmo snhor a quantia de 18^*040, e como
u mesmo Sr. Corga nao quiz qne elle lhe passass9
o competente lecibo, faz o presente para qne lhe
sirva de docuraenta
Recife, 23 de abril de 1874.
Augxsto Dias Vieira.
AInga-se uma casa na ilha do Hemfica, a
Pasjagem da M gdalegna, com cinco quartos, co-
zinha fora, pre eo de 2 Os por anno; e Qca a
margem'dj rio Capibarihe : a tratar a rua eslrei-
la do Rosario n. 17, primeiro andar, das 10 13
i da tarde.
Servente de botica
Precisa-si de um que lenda pratica : m phar-
macia Torres. \ rua de Marcilio Dias n. l3o.
*
.
^
)
'
A.




i
*
<.
>iarfo ife Pwnambuco Segtmda feira 27 de Abril de MT4.
PIANOS.
Acabam de chegar mnilo bons pianos Fortes e de
defames model k*, dos mais nottveis e bem co-
nhecidos fabricances; como e|.im: Alphon^ Hi
donel, Henry Hers e Pleyei W..U1 A C, ; no Vapor
France*, a ma do Baiao "la Victoria, iutr'orn Na.
va n. 7. apwe/w ,n,,'l c<*nmudo*.
Mobilia tie vime.
Caleiras de bukttcA, de braco, de. purntcoes,
srtfa*, Jardiwiras es?s, conver^Mleim c costa
reiras, Ccdj isCo muiio bo:n por serem fortes c
leres, e o mais proprios moveis para saleCas e g*-
bineCes da recfeio.
No armwm do Vapor Francea, raa do Bario
da Victoria *. 7. oul?oaa Nova,
Perfiimarias.
Fiios eBracCos, hanhas, oleos, opiata pos den-
triftoB, agHa de flor de l&ranja, agna tie toilcte,
diwia, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
ewaoelicoa, rau.tos artigo ielicados em perlnma-;
ria para presentes em frascos de xtractos, caixi-
has solid as e garrafas de differentes tamanhos
tfagna de Cologne, tudo de primeira qoalidaie
flos Twm eonbeeidos fabrican'tes Piver e Coudray,
Nearmaxem do Vapor Frances, a ma do Barao
4* Victoria, ontr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigo* de dtflferentes gostoa c
phantAi-.las.
Espelhos, leques, lttvas, joias d'oaro, tesourinhas,
caniveto*, caixwnas de costura, album, quadros,
caixinhas para retratos, bolsinhas de velludo,
dilajde couro, e eestinhas para braces de meuinas,
chkotes, dm galas, culo, peneinez, porAeiras para
charutoi e ctgarros, escovas, pentes. carteirin ha de
madreperola, tapete para lanternas, malas, bolsas
de viagean, venesiaoas para janellas, esCerioeo-
DOS, liatcram magieas,cosmoramas, jogos da gloria,
de daoaat, de bagatella, quadros com paisagens
!;lobos e papel para illurainacSes, machinas de
axer cafe, espaoalores de palhas, realejos de veto,
accortBes, carrinbos, e bercos para criancas,
oatras muitas qtioquilharias.
Brioquedos para meninos.
k maior variedade que se pode desejar de to-
dos os *rinquedos fabricados era ttifferntes panes
da Europa, para entretimentds das criancas, tudo
a.precos maisresunidos qne e possivel: no ar-
DMzen do Vapor Frances, rna do 'Bario da Vic-
toria atr'ora Nova n. 7.
Cal^ado frracez
A 9$ \
Botinas para homem !
Acabam de chegar grandes jaciuras de botinas
9e bezerro, de cordavao, de pelica. de duraqne
com biqueira, de bezerro eombotSes, e com ilno-
zes a 9$600 (a escolher) por ler vindo grands
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Frances, a rna do Barao de
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para setftiora.
BOTINAS pretas, brancas e de cflres. dlflerentes
lisas, enleiiada? e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordadoa,
SAPATGS de tapctes, cbarlot, castor e de tranca.
Para meoinas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
^BOTINADOS e sapatoes, de bezerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, pen.- ~ i
meias perneiras para homens, e meias perneira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da -Victoria n. 7._____________________
Attengao
Avisa-se pela ultima vez ao Sr. Salvador deSi-
nueira Cavalrante, que ha urn anno tern zombodo
do mindado de prisuo que contra si tem do juizo
do commercio desta cidade, que, se nao quizer
passar pelo desgosto de ser preso, mande quanto
antes eatregar osd>us escravos Aquilina e Fran-
cisco, dos quaes e deposiurio, e se acham de pu-
blico tr;.balhando no engenho Tres Bra _ns, lugar
de sua iiova residencia.
Desdeja protesla-se pelo ?ervico dos ditos es-
cravos.__________________
Atten^ao
Avisa-se ao comprador do escravo Henrique,
que Salvador Manoel de Siqueira Cavalcante nao
.podia vender dito escravo, por ser elle pertrne--nle
ao casal do major Salvador dos Santos Mcnteiro
Cavalcante, e como tal, a venda do dito eicravo e
nnlla, ccmo melhor 9e demon.-trara em juizo.
Beved Os proptietarios da Confaitan* do Camp.it. a
rna do Imperador n. i\, pertem aos sens devedores
qne tern aido mritssin, o favor de vircm pagars us
fttbitos ait? o uia S de abrit r-wxtmo viBOoamg
wvisam aos me*uioa f-iwae :.le aqiu ll.i it| nan e e
ttverem falJos. voiao sius notnes ne.-to jurnas-
m dij||nr.;ao do fcss--'a alj-'iHu.i. j____
Pennnta->s ar-
rebaldes desia lida.le, duas pcq.ien?s "* de
padrac c.il n.. ii t ft a rua dm liters, fre
guczia de ATogados. c-m du-'i!* Hrtas r itmtt quar-
tos cada nni, \inie ^almus de l.nyur* sob cin-
coenta de fundo ; a quern convier, trata-se- na rua
estrerta do Rosario n. 17, I.* andar.
24-Rua doMarquezdeOlinda-24
Koqalna do bceeo l-argo
Pariicipa a sens frrgnezes e amigos que mndon
o sen estabelecimento de reiojoeiro para a mesma
man. '24, onde encontrarao nm *raode sortimento
derelogios de parede, americanos, e cima de me-
sa.dos melhores gostos e qualidades, relogios de
algibeira, de todas as qualida es, patente snisso,
de onro e prala dourada, foleado (plaquet), relo-
noa de onro, inglez, descuberto, dos melhores
abricantes, cadeia de onro, plaquet e prata, lunetas
detodi's as qualidades, tudo por precos mnilo ba-
Tatos
ALUGA-SE
oma easa na Capnnga, rna das Peroambncanas,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
PTJNDICAO DO BOWMAN
RUA 00 BRUH N. 52
(Passando o cbafariz)
PKf>SH A^ tenaoret de'engenfote ctn^ frirotior, .) *oijtrej;*dor*i te m
liti'soio >, tivor de oma visita a sea establecitQnu>, para vereut u -uovu aortitueou
'implnir que ti tem; tendo tado toperior em qnilidade e fortidio; o qoe com a io>
-rs( pode-ae veriflcar.
ESPECUL ATTENgAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
TnrwirAa A rnHnc A'nor.a. do8 mtl* ,noderno iyrtwws eem u
i ^pwros o ruuttS U ajjua manhoi coovenieatef pir u divertai
!irou*!iricias doa aenuorea pruprieurioe e para deacaro^ar algodio.
Moendas de oanna 'SJ2? 0$ umnh(*' ***** aodas dentadas "*"-H"e ,apor-
Taixas de ferro fandido, batido e da cobre.
ll&mbiques e fundos da alambiques.
Wflnllinfamoa para mandioca e algodio,I Podendol todoi
aaoainiSmOS eparaeerrarmadeire. f Mr moridoa a mio
para
de patente, garaotidaa.
a
vapor,
/por ago a,
....... 10Q animaet.
poyM de qoe se coatoma preciaar,
Bombas
Fodas as machinas
Fa. qualquer concerto m,chifliwno' pr6 ?ormas da ferro
Sncommendas.
LOIA DO PASSO
Cordeiro Simoes & C.
Acabam do receber pelo vapor Mendoza :
Riqnissimos cortes de ^orgurao de seda lisos e
com fistras achamalotadas.
Ditos de linho para vestidos. contendo cada cor-
te, o necessario para sen enfeite, como seja :
franjas, trancas, lotoes, .fivellas, etc.
Riquissimos chapeos para senhora, ultima moda,
a rna Primeiro de Marco n. 7 A.
Aluga-se a easa da rua de S. Francisco n.
29, com bon commodos. A cotender-se com o Sr.
Christovao Xavier Lopes, a rua da Impcratriz n.
30, on em OKnda, rua de S. Benlo.____________
MOFINA
Esta encouragado !! !
Agun mole em pedra dura
Tanto da ate. que a fura-
Roga-se ao Illm. Sr. lgnacio Vieira de Mell
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia,
favor de vir a rna Duque de Caxias n. 36, a con-
cluir aqaelle negocio que S. S. 9e comprometten a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezerufcro de 1871, e depois para Janeiro,
passon a feveroiro e abril de 1872, e nada eumprio;
a por este motive e de novo chamado para dito
fin, pois S. S. ee deve lembrar qne este negocio
de mais de Ho annos, e qnando o Sr. sen Slbo se
acbi'va nesta eidade.
Sitio no Arraial. *
Aluga-se um sitio no Arraial, proximo a esta-
cao da Casa AniareHa (um minuto) com exellen-
tes casa de moradia, tendo os seguintes commo-
fos: 5 quartos, 2 salas, cozinha externa, terra-
je, casa de banho e diversas fmcteiras. Alnga se
tambem uma outra casa no mesmo lugar, com 3
quartos. 2 salas, cozinha externa, agna de beber
e um bom quintal por commodo preco : a tratar
na rua Primeiro de Marco n. 16, 1 andar.
Arrenda-se o engenho, Saltinho da fro-
guezia de Una, moente e corrente. Dito
engenho e bom d'agua, dista duas leg'uas dos
portos de Tamandare e Rio Forme so, e tem
terras para safrejar 1,600 a 2,000 p3es
annuaes: a tratar no mesmo engenho com
o consenhor Henrique Augusto Hilet, ou no
Recife com Leal & IrmSo, rua do Marquez
de Olinda n. 56.
Rua Duque de Caxias.
O Sr. Antonio Ribciro Pontes, caixeiro a rua do
Duque de Caxias, queira vir a rua do Imperador
n 42, a negocio de mutno interesse, isto por se
iynorar sua residencia dottiest ica.
Cuuimv filgidO
Dcsappareccu ao amanuecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna, o
escravo de nome Jose Borges, mestre de assucar,
tendo os signaes segutntes: cabra, idade de 30
annos ponco mais ou menu?, boa figura, um tanto
grosso e espadaudo, sendo o signal mais visiVel 1
gomma na junta do pe esquerdo : roga se a todas
as autoridades e capitaes de campo, queiram ap-
prehender dito escravo e leval-o ao referido enge-
nho, ou nesta praca a OUveira Filhos A C, largo
do Corpo Santo n. 19, qne serao generosamente
recompensados
'Wt' Vende-se um moinho de vento. com
^ tit;is Inrnha.- para puxaragna, e qua- jcti
' 1%} trc rodas novas e fortes, para carro iS?
%^ radar n. 22, andar. *?
Curso de portuguez no col-
legio da Conceitjao.
O badiarel Jorge Dnrnellae Ribeiro Pessoa este
incumbido do referido curso.
Aviso.
Previne-se as pessoas que mandaram eobrir e
coneertar chapeos de sol no estabelecimento sito
a rua Estreita do Rosario n. 4, o favor de vk-em
buscar no prazo de 15 dias, findos os quaes nao
se admitira reclamacao.
Recife, 2't de abril do 8874._______________
O Sr. Ulysses Jacotne, residente nesta pro-
vince, tem uma carta e nm embrufho vindos do
not*;: na rna Augusta (Coronel Snassnna) n. 161,
1 andar.
PENHORES
Na cravessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
ALUGA=SE
o quarto andar on sotao do sobrado n. 32 a rna
estreita do Rosario n. 32, com commodos para fa-
milia : nthesouraria das loterias, rna do Crespo
n. 6, andar.
tem aa melhores e maia baratas exiatentea do mer-
etdo.
Incnmbe-ae de mandar vir qnalqoer machinismo i von-
tade dos clientei, lembrando-lhea a vaotagem defaierem
aas compras por intermedio de pessoa eoteodida, e qoe em qnalqoer oecesstdsde pode
as prestar aozilio.
irados americanos e ln,lroBIM,0, ricolM
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
i' rna do Barao do Triumplio (raa do Bruin) ns. iOOa 104
CARDOSO IMiO
A VIS AM aos senhores de engenhos e outros agricultores e ao publico em geral que
continuant a receber de Inglaterra, Franca e America," todas as ferragens e machinas ne-
cessarias aos estabelecimentos agricolas, as mais modemas e melhor obra qoe tem vindo
-o mercado.
V apOreS |de force de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores que tem vindo ao merado
Ualaen*aS ^ de sobresalente para vapores.
MOenaaS lnteiraS e meias moendas, obra como nnnca aqni veio.
TaixaS jfimdidaS e batidas, dos melhores fabricates.
tvOdaS d agua com cubaje de ferro, fortes e bem acabadas.
RodaS dentadas de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitos p^a vapores.
liOmDaS de ferro, de repucho.
AJauOS de diversas qualidades.
Formas para assucar, graDdes e pquenas.
Yarandas de ferro fundido, francezas de diversos e bonitos gostes.
r OgOes irancezeS para lenha e carvSo, obra superior.
DitOS ditOS para gaz.
Jarros de ferro fundido par8 jardim.
r es ae ierro para mesa e banco.
MSOllina para geiar }gUa.
V aiVUiaS par^ bomba e banheiro.
Correias iuglezas para machinismo.
DdnCOS e SOIdS com tiras de madeira, para jardim.
OoncertOS coricertam cora promptidlo qualquer obra ou machine, para o> que tee.x
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS man(^ara v'r Por encommenda da Europa, qualquer caachinismo,
para o que se correspondent com uma respeitavel casa de Londres
a com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
______FUNDICAO DE CA 8D0S0 & IRMAO.
ODILON DUARTE & IRMAO
CABELLEIREIROS
Premiados na exposicao de 1872
RUA
DA
IMPERATRIZ
N. 82
!. ANDAR.
RLA
DA
IMPERATRIZ
N."82j
1." ANDAR.
*
U
ClIilSlNK'liir
lliici do
iiipcM'.'iuor
afamadas casas Plcycl & Ht/, e *\.i-c iprtrior da ofllci-
Ex-aniiad aa casa Alphonsc Bloodel.
Tern a honra de derlarar ao respeitavel publico desta cidade, que irrr. aherto sua casa de
concertos a atinacdes de piauus, qnalquer qne seja o eslado do instrument.
A mesma casa acaba de receber nm grande sortimento de pianos do? melhores fabricates
de Paris, como Rrard Pleyei, Henri llerz t Alphonse Blonde I) todos os pianos sihidos da easa
Dhibaut ao garantidos.
Compra-se e recebe-se em troca os pianos nsadoa.
Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais aiamados autores,
como sao : Herz, Pleyei, Plap, etc. Offerece-se tambem uma quolidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para este cl.ima, o qu3l os amadores doe
bons pianos s6 encontrarSo nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
qne ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para ennceriar pianos, como
sio: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, (V.n,i.rsa, cordas,
marftm, etc., etc.
49 RCA nOIMPERtirOK 49
VINHO e XAROPE de DUSART
COM LACTOPHOSPHATO DE CAL
Os medicos dos grandes hospitaes de Paris receitSo ambos cstes medicamentos, considea
rados como reconstituintes e reparadores por excellencia para excitar o appetite, deapertar a
Jorae e conseguir assimilarSo rapida dos aliinentos.
O seu emprego subministra as mulheres gravidas o elemento gencrador do feto, as amas
tun corrective certo dos defeitos que possa tcr o leito, e as criancas recem-nascidas e criadas
Com o biberon, um panacea admiravel, que, neutralizando as mas qualidades do leite, previna
e cura a diarrhea a que sao propensos.
Nas molestias dos ossos, fracturas e feridas. apressa a soliladura dos ossos. Tornado pelas -
mocas, produzem o mesmo effeito que os melhores rerrnginosoa; pelos Hsicos cicatrizSo rapida-
mentc os tuberculos dos pulmoes, e emfim pelos conv.alescentos e os volhos. pelas pessoas
usadas pelo trabalho c pelos excesses ajuda-lhes a reeobrar as foreas esgostadas ou perdidat.
PILULASd
(IODURETO DE FERRO e MANGANEZ) approraJas pela Icadcoia de Hedicina de Paris.
A inefficacia tSo frequente das pilulas de iodureto de ferro provem de que nao en'.ra n'ellas
manganez, corpo que sempre se a'cha unido ao ferro no organismo, como prov3o os trabalhoa
dos mais distinctos chymicos.
As pilulas de iodureto de ferro e manganez de Burin du IBuisson, approvadas pela
Academia de medicina satisfazem estai condicoes, e e este o raotivo pelo qual os seua
effcitos sao maravilhosos, seguros e infalliveis era todas as affeccoes lymphaticas, escro-
fulosas, rachitica* e tuberculosas, nos enfartes das glandulas, iirregulart*
dades da menstruacao, e nos accidentes de sipbilis constitucional,,
Deposftos em Pernambuco : FERREIRA. MAIA e C; M.-A BARB0ZA, c nas prifl*
cipacs pbarmacias de Portugal e do Brazil,
0 novo proprietario deite acreditado e bem montado estabelecimento, com o 6m do
conservar oscreditos de unico neste genero, t- m reformado e melhorado completsmente
o mesmo em Ordem a poder satisfazer qualquer pedido para as provinciiis terior desta, garantindo perfeic5o em tod*sas prepra(des, aceio e modicidade nos precos,
compativel com este genero de drogas.
Espcra a todo momento uma grande remessa de pharmacia homcopathica de i.
Epss & C, de Loud res, compost1 de medicamentos, cartciras, pocolotes, Opodeldock de
Rhus, de Buvonia, de Arnica e de p6s especia's para dentcs.
Tem d disposiQiio dos amantes da homeopathia a excellente, obr? rlc Dr. Mure me-
dico do riovo.ja em 3.a edicio.
Tem carteiras de globulos e tinturas de 12 medicamentos ale f 20, 6 cscolha do com-
prador.
Plumeria, para mordedura de cobras.
Seracenaf Chocolate homcopathico.
I Para, bexigas comopreserrativo. Cafe homeopathico.
Vaccina (
China cruzeiro, para intermitlentes.
Schynus, para anginas.
Calendula, para queimaduras.
Taranlula, para paralysia.
Tintura mSi d"arnica, para contusfies,
tes, etc.
A CHEGAREM
Opodeldock d'Arnica.
Dito de Rhus 1
>para rhemalismo.
Dito de Bryoniaj
oor.
\ P6s para dentes, inglezes.
Jerico, para rheumatismo.
Matta matta ou jaboti, para Unset.
Espirito
ra.
de Hahereman ou (U campho-
Cactuc grande florus. pa;
molestias do coracdo.
a pneumonias
Ben to Rodrigues deSouza, retira-se para
a Kiropa jra Iratande suasaude, e deixa
por sous procured ores: em primeiro lugar
o seu socio Manoel I'rancisco de Carvalho
Santos o gerente di casa commercial; em
segundo, Jose- Dias de Brito e em tereeiro,
B'jnto Jose" da Si'.va, e nSo pod dir-se pessoiiincnt-; de tod s os seus ami-
gos, o fz por o*te meio, otlerecendo o seu
pouco pros'.-mo em -Lisbon ou Porto.
Carta.
O Sr. Frar.cisef J e Carneiro tem uma carta
na rua do imp ?ra lor n. J8 ; e por se ignorar
sua assi-1 ?ncia, roi;ase Ibe o obzequio de a vir rea
ceber.______________- _______
Aluga-se o i andar e o arnuzem do sobrado
da rua 4c s Burgos (Kecife) n. H : a tratar na rua I
da Praia i. 30, com Jose Feliciano Nazareth. '
Arrenla-se o engtnho Jussaral-grande, no
termo da Sennhaem, o qual esta situado a legoa
e meia da estacio da Escada ; e Iiom mocdrr com
agna, e de muito boa produccao, tanto de canas
como de mandioca : a tratar cora o propnelario
do mesmo, no engenho California, em Serinhaem
Coziiiiieii'o.
Precisa-se de on cozfnheiro que entanda hem
de sna arte : na rua do Mar'/nez de Olinda n 35
Ao piibliro.
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o" nas^melhores con-
iic^des possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e as Exmas. Sras. n'a-
quillo que for tendente a arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon,
coques modernissimos, trancas, cachepeign, tecidos, desenhos em cabellos, quadros ta-
mulares, flores, bouquets e tm'.o e qualquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento acha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
geiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, assuas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 */o menos que outro qualquer, garantindo
perfeicao no trabalho, agrado, sinceridade e prejo razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como foil ; vende-se cabellos em
porgSo e a retalho e todos os utensilios pertencentes & arte de cabelleireiro.
Collegio de S. Sebastiao para
o sexo feminino
A abaixo assignada scientiflca aos senbores pais
de familias e a quem mais convir possa, que as
aulas de sen collegio continuam a funccionax em
a casa da rua Direita u. 36, 2 andar.
___________Manoella Augusta de Mello Rego.
A!uga-se ou vende-se um escravo carrocei-
ro, idade quarenta annos: na rua do Hospicio
n. 81.
O abaixo assignado declara a qnem intercs.-ar
possa, qne compnu a lithographia dos Srs. Drs.
Cicero Peregrino c Hoiiencio Peregrine, a qual
esta montada na rua do Bars) da Victoria n. 39.
Recife, 23 de abril de 1874. .
Bento Manoel de Castro Amaral.
Roga-se
ao? Srs. Andre' Cordeiro Coelho Cintra, Joao Can-
ciodaSilva e Pro-pero Danheusse, de apparece-
rem a rna da Roda n. fiJ, cocheira, a negocio de
seus partienbres interessea._________________
- Precisa-se de baterjore" : na refinacao da
rua Direita p. 19.
Na rua do Imperador
n.28
precisa-se fallar aos seguintes senhores :
Domingps Martins de Barros Monteiro.
Joao Vaz de Oliveira.
Jose Francisco Lopes Lima (Nazareth).
Manoel Pereira Brandao.
Manoel dos Passos Miranda.
Theolonio de Barros e Silva.
Francisco de Paula Borges.
FraneiSco Antonio Pootoa
Acha-se constantemente 6. testa do estabc-Iecimente e inspeenonando Mas
para;o-:s o Sr. Dr. Jesuino Augusto dos Santos Hello.
C0NSULT0R10 HOMEOPATHICO
DO
Dr. Santos Mello
Consultas pela manha, e a noite ate 9 horas
aos pokes.
as pre-
Garanhuns.
Na rna do Barao da Vicloria n. 36, precisa-s
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
ose Paes da Silva, a negocio de particnJar inte-
esse
Engenho
AUL4 PI1BLICA Tiaspasso de casa.
no 2 andar da rua do Barao
entrada pela rua das Flores.
Victorian. 31, dos": a tratar no" 1* andar do sobrado
i vessa da ma do vigario, n. l.escriptorio.
e com mui'-i'.- commo'
da tra
U A /"iTTTTQ Offerece-se uma criada para casa de estran-
1Ji\\! U JJjkJ i geiro, tem boa conducla, presta-ge para todo o ser-
Carvalho & Noguetra, na rua do Apollo \if0 de ca9^ ,(iam preeisar, dirija se a rna da
. -20, accam sobre o Banco Commercial "- ja' 1e achara 1aem tra,ar-
de Vianna e suas agencias em todas a> ci-
dades e villas de Portugal, & vista e a prazo
por todos os paquetes.
H. Lnndgren faz publico que durante a sua
viagem em Europa fica encariogado de seus ne-
gocios com plenos poderes o seu maiio o Sr. R.
Lundgren. Recife, 23 de abril de 187*.
j Tendo acontecido um desarranjo na ma-
; china de gelo, os febricantes vem por meio
i deste pedir desculpa aos seus freguezes pela
I falta que tem havido nestes dias ; esperarn
porem, em qualquer desles dias fornecer a to-
| dos as qusntidades do costume ; aprovei am
Vende-se o engenho S. Pedro, situado na pro- ,mlim a m.n,ci?n ..._____L- e
viccia de Alagoas, comarca do Porto Calvg, a \^btm a occasHo para preven.r aos seus
menos de uma legoa distante do porto de maf do Ir(-.guez>1' que teem em viagem uma ma-
Gamella, tem oxceilentes terras, matas, e aafreja china nova, de maior for^a e do sytema
regularmeate 2,(00 paes : a iratar na rua do Vi-. mais moderno, que fabricara" m maior es-
i cala e com toda presteza as quantidados qu;
; forem exigid*s.
Santo Amaro, 17 de marco de 1874.
Pelos testamenteiros de C. Starr & C.
Fpgio no dia 18 do corrente o escravo Hercula-1 William W. Webster.
no, cor preta, idade de 3d annos, bastante alto,:--------------------------------------------------------
chieo do corpo, tem falta de um dente na frente ~ O abaixo assignadj faz science aos seus pa-
pouca barba, e quebradi e traz funda, e veio ha rentes e amigos, que encarrepise de tndo quanto
pouco da Parahyba, para onde se iultra ter fuci- fr necessario, a assistencia nesta cidade, me-
Herculano.
. para onde se julga ter fugi-
do : quem o-pegar sera recompensado, dirigindo-
se a rua larga do Rqsario, loja de calcados, n. 23.
Aluga-so uma escrava para todo servico de
casa : na rua do Imperador n. fiQ, 3' andar.
Aluga-se a casa n. 5 du caes do Gazomelro,
com duas solas, dous quartos, quintal, eCc, por
15* mensaes: a tratar na rua eslreita do Rosa-
rio n. 17, primeiro andar, das 10 horas as 2 da
(aide.
dianle alguma commissao ; podendo ser procura-
do nest3 fjpographia.
Pedro Bizerra Cavalcanti Maciel.
Aluga-se a sala e alcova da fronte do ter-
eeiro andar do sobrado n. 70, a rna Duque de ua-
xias: a tratar na loja.
Aluga-se um preto para todo servico, ioe'u-
resi cozinha, por tambem enteader : a. tratar n:;
praga do Corpo Santo n. 17,3* andar.


-

>
Y
" -
T
r
i


6
)





.ti^foSwaheim ta*feira ^ iM&
99
* JnOTOGR APIIIA l M p E R T A L
MS
LOPES ,& C.
ESTABELECIMECTO DE PRIMEIRA
Km d > Barito da Victoria d. 14, sobrado
(ANTIGA RUA NOVA)
Trabalhos premiados na ultima exposieao
DO
RIO DE JANEIRO
Acha-se mont-do sob as melhores condicoes de arte,
), e^lgrto a*
e mais
prtroeira
concurrcncia publica, esto estabelecimento, o primeilfc
(testa provimia, no qual se liram retratos pelos loslbons
modernos sjstemas, empregando-se somente material de
qual dade, e garantindo-se
Semelhanca, nitidez e duraejkk
Trabalu--se todos os dias uteis e de guarda, desd as 10 horas
da manha as quafro da tarde, nao prejudicando o tempo de thuva
ou nublado a perfeic,ao dos retratos.
Faz-se to da a qu lidade de copias, augmentando-as ou diminuin-
clo-as.
8$000
duzia tje retratos de uma so pessoa,
em cartfles para al-
Uma
bum.
Para os retratos esmaltados, colloridos, grupos, e augmentados ha
uma tabella de precos.
T ram-se retratos ate tamanho natural.
Na
fellar
gacio
i dofelfjc^
Sr. %' to
e sen inter
Armada.~
oa I
iB;
AMA.
M
Para cozjnhar
preci?a- de um
Duqne de
t* andar.
Ama Precisaso de "ma ama para eozinhar,
"" paga-se bem : a tratar na rna do Hospi
cio n. /O, casa tcxrea tie bolas amarellaj na cor-
Precisa-se dj unj eseiava para r.oziuhkr~~e
comprar : a tr<:tar na rua irimeiro de Marco n.
iIi Grande
S6on.
Primeiro de Ma'
Precisa ,e do urna ama para
coziatiar e comprar para can de
pouca familia : a traur na rna
fo n. 18. 2, andar.
- Piocisa,.d up* ama qne saib* eoziohar
eeoRommar: a tratar na praca do Corpo Saato
U- 1 /y O JU idl.
AMA
Precisa se de urna ama cozln'eira
na rua do Hospicioji. J5i.
Precisa
ieite : na rua
J*ia escala
A
._
wa
20
|, l.ja das 3 purlas
Dfi '
KHILOEBME C.
Junto a loja lu esquina.
MLTLNS CU1SEZES,
Proprios para vestido-, os mais modernos, pelo
diminuto preco de280 rs. o corado, eiwchincha !
BSo-se amostfes.
OROADibVS DE COXES:
Fazenda fina ewm bdftitos padrtes, pelo dkni-
covado, e peoebineha r
LOJA DO PAVAO
ISA

Rua da Imperatriz n. 60


irroia
Ama tPre"M d na nia p*ra servico-1
"** interno : na rua do BaPaa da Victoria
D. 2z.
Ama
mero 22.
Precisa-se de uma ama para eozi-
nhar : na rua do BarSo da'V.ctoria nii-
Ama
Precisa se de uma engommadeira : na
rua larga dcRofaFio 26; 2* aodar.
Ama
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precises*
Lonftando ans abaixo a?sfnado acbar-se nes-; fa!lar ao Sr- vigario Andre Curcico-de Anruto Po-
la prac> o sr. Manoel Fernandes de Carvalho, rr-n-; reira' a negocio de sen interesse
deiro d,s eng tthos Barra e Preguifa, em !a-
mangaap^, urovincia da Parahyba, veem rogar ao! f*j
mesmo o. obz( |uio de vir entender-se com os j j*)
abaixo a.-ii^nados immediatamente sobre negocio
tend.-;..(> **& referidos enge:ihos. Rua do Amorira
interesse.
37, escriptorio.
Tasso Irnip.os & C,
%
Vicente fusio.
&j
^a noile de 13 para ii de raarco do correnl
inno fugio o mulato Vicente, csern'vo, de 20 annos
Je idade, bonita flgura, Larba c e.-tatura regular
evi.ndo vWida e em um sac :o n>upa de algodao
branr ) e algutiu mais fioa pei tencente a um cai-
xeiro ii i easa d'onde fagio ; o natural da fregue-
ua le Sant'Anna do Mattos, dht ser livre, casado,
. b r sido cnado em compaunla da madrinba D
Loiza da Luz, de quern alias foi escravo :
- e, fWNanto, a m senl-ire3 capita* de rampr
rid i p Heiaes a apprehensao do dito es-
, e i r ga-lo na eidade do Recife, rua do
po n. 10, ao Sr. Joafjnira Moreira Reis, ouna
la e do Assu ao Sr. Torqoato Aogoato de Oli-
i wBaptista, qae serao generosamente gratiQ

I
I i, outr'ora rua da matriz da Boa
n. H.
Chamados : a qnaiquer hora.
Consnltas: Aos po.tes gratis, das 2 as
& horas da tarde.
-- i
f
scravofugido
io em di is do mez de abril corrento o cabia
imio, dc 1ade24aaao, esutura regular e
'' ada bem vestido e algatnas vezes cal-
'. gnaes di> bexigas no rosto e falla cor-
nte, 6 natural da provincia d i P.irahjba
: <"":' id i para S. Juse das'
.- ou Lagoa lns U.'it is ne^ta provinnia, aoude
n ntes ; lambera pode ser qoe est.-ja occul
la eidad?, tratando tl- .-e libertar sum pagar
is s :i!i res : r ga-ie por itso a- autoridadts
- e cap ;.: de camgo a sua captura, pro
se I) .a gratificacSo a qua a a reaiisar,
antregando ua rna iiu Apollo n 20
' JN.35. '
Comedorias e Acres.
x estroila do Rsario n. 33, sobrado de
am sztdar, d.-.ronte do barbeiro e por cima do
cariono, a alinua-sa a fornecer c .^ed rias para
ra com asseio e pro rptidlo, o qua tnuito util e
sr?. a-ademicos que lera dc cliegar na aula a
marcadas, sendi os precos mni razoaveis.
-.am ma oa -a .-ipromptam-se bandejas com bo-
nnos para ba.les, casatmcntr.s -. baptisados," pao-
Ic3, pudms e paste's de n'jta enfeitados
ii I /. faz ye palmas, bonqutte, capellas, fes-
toes e toda a qualniade de II,res soltas, dc cera,
panne, ou papel : tudo na rua e.-treila do Rosario.
ca*a da flunsta.
Consullorio L^edico-cirflpgifio j
DE |
A. B. da Silva Maia. S
P.ua do Visconde de Albuquerque n.. w,
fializa.
Frvlho & Nogoeira, nan rua dn Apollo
. 20, sacram sobre as seguintes cidades da
"aliza. na.Baspanha; Santiago, Orcnse,
Matron, I crrol, Ponto-vcdra cCoruna, qual-'
que- quanlia d vista e por todos os paque-
Precisa-se de
uma ama para
cosinbar e fazer outros me-
nores servir^o de oasa de
pouca familia, preferindo-se
escrava; na ru do "apibari-
ben/40.\fl
AMA Precisa-sa.de uma ama para casa.de
/a PU0* fa" : Da ra* 1 dfr Marco
18.
Am Precis^'sede uma ama para- oozinnar
.^T^ ^ra casa de lamilia : na rua Direiu n
o, loja de.ourives.
AUTA
lavar e engsramar;
Preci-sc de uma ania'ft>r-
ra ou e*trava, para cozinnar
e /azer todo servijo, excepto
na rua d'Alegna n. 13.
Afna Preoisa-sedeuma amac'zinlieira : na
"*"** rua do Que;'mado n. !i2.
casa
Aluga so uaia: escrava para todo service de
sa : na rna do'lnyeraJor n. HO, 3 apdar. "
Ama Precisa-se de uma enjrommadeira : na
"" rna larga do;ltosario n. 26. 2' andar.
Predsa^se do uma ama que coziube e oom-
pre para duas pessoas, pieferindo-se que seia ido-
rua da Madre de Deus n. 16.
nu>o preco de 320 rs.
Dab'Se amoslras. -
CHJTAS COM- PA-RHO DE CRETONE.
Fazenda finissima, com lindos podioes, pelo di-
raimuo- preco d Sib r%. o-covado, so se vendo,
e-peentncha Dao-se amdstras.
FA? ESCOCEZAS.
- Completo Bortiraento de las escocexas, e para
acabar se vendo a 210 rs. o covado ; e-pechincba!
Dao-se amostras.
CASSA LANE.
Grande sortimento desta fazenda, com os maia
bonitos padroes qoe tern vindo e que vende =e
pelo diminuto prejo de 200 rs. o covado : e pe-
chincha I Diose amostras.
CHlTAS CLARAS.
Com boaitos padWes, quo se vonda a 260 rs. o
covado ; 6 pechiocha I Dao-se amostras.
HQLLANDA.
Brim Hollanite, lisbj o que ha de mais lino, nro-
prio para costumes de homens e menlnos e ves-;
litos para senhoras, por ser muito fino e linho'
pure, e se ven le pelo diminuto preco de 560 n. propnas para luto.
o covado; e P~J>neha^ Dao^e amostras. Sedinhm a lf0O.
Brins do cures, liubo pure, com bonitos pa- ^^^ ^f T" l***** de
droes e quose vende pelo diminuto preco de 560 cor*s a '*60 0 covado. Dttas com pai-
rs, o covado : e pechiacha Dao-se amostras. minhas a 2000. Dltas com tbque de mofo
CAMISAS DE CRCTO.XE. a i$000 e 15400.
Camlsa. de cretone, o que Ha de mais Anns, GAMBRAIA VICTORIA
Imtos padroes e que te vende a 40*000 a
Grna>a4iaa
~W emrmdo.
0 PavS> vende granadina preta e lawada
pelo barato prejo de B6rs o-*vado*.
UHap*lao cnreta4 a 3^00
iapeca.
aPavao vende pe^as da nwcfepolao en-
festado, pelo barato pretjo de 3JO00 a peQa.
Ditas sem aer eBfestado, cam 20 jardlas, a
55J0W. Ditas com 24 jardas muito boa
fazenda, a SIgMWO, 6*500 e 7jW.
ALPACAS PRETAS A 500, 646 E 800 RS.
0 Paalo tem ih grande sortimento de
alpacas jrtftis, qrie veodea 5()0, 640 e 800
rs. o covado, assim como gwmdte sorti-
mento de cantfies, bombazinaa, princezas
pretas, merinds, e outras muitas razendas
PARit LIQBIDAR
u MO rs. o CAMISAS FKAJJCKZAS
A 2,5400, JWWO-'
3WHNW 8W00-.
0 Pavao vende am bpnito sortiniadjjr de
omasa* frwieeza* eopfl peito de aigadlo, a
2J?000 e 25500. IMtas com peHo> de^ liabc
de 3*000 a 6#^*t>- Ditas bordndas muito
finas de 63JOC0 a 10JJ000: assim COOW
grande" sorfirnento de ceroulas de ITnlto e de
algpdao, por pre^cs b'rffa'Cos, e tambB,,Jem
completo sortimiiHto de punbos e coIlaMnhcs
taoto de tin bo como de aigsdav, pxw prefoi
ew conta.
KspnrtliTios a 3*500, IrOOO
sioeo.
sa
Nao se prestando o pequeno espaco do armazem
.V,A a rna da Madre de Deos, para um abaste-
udo deposito das diversas marcas de fumn. que o
abaixo assignado almejava ter, acha ?e d'ora em
Sr -**"-- amesma
Arraazem do fiimo
A' rua do Amorim n. 41
com todaa as proporcSes desejadas, e onde pode-
rao os senbores frcguezes dirigir-se, cerlos de
que como ate aqui, acharao sempre a par da rao-
dicdade dos prefos, a maior sinceridade possivel.
Entre as differentei marcas de fumo da Bahia e
Itio de Janeiro, que tern sido annunciada?, acaba
do chegar uma encommenda especial, e que muito
de\e conviraos senhores freguezes. Consciente o
Aos pais de familia
A abaixo assignada faz lembrar aos chefes de
familia, tanto daqui corr.o de fora, que continua
com sua aula de instrucv-ao primaria 'para o sexo
feminmo, na casa de sua residencia a rua do Ca-
buga n. 16, oude alem dos primetros conheciraen-
tos: ensma a prammatica nacional, francez, musi-
ca, piano e dan^a, pois para issa tem habeis mes-
tres, e quanto a trabalho de agulha, ensina tolas
3s qualidades de bordados, e entre esse o de ouro
e o de alto relevo, e tiabalhos de la e crochet de
todas as qualidades, promette todo o disvello e ca-
rinho para com suas alumna?, e bem assim todo o
desempenho no cumprimento do seu magisterio.
Aceita externas e internas, e afianra commodidade
no ajustc.
Fortunata Fortes
Precisa se de um menino do (0 a 12 annos,
quesaibaler, escrever, contar.portuguezbuestran-
geiro de quMquer nacao : a tratar com Joao Flo-
rentino Cavalcante, na rua de Pedro AfTonso nu-
mero n. 21.
com
duzia e- 3*500 cada uuia ; e peeluncluTsdse
vendo
Assim como um deposito de mais fazendas que
se vendem por meaos do que cm outnt
pai'tu, como sejam :
Cortes dacasemjr-a de cores a-4^ A pecliin-
clia I
Idem de-brim pardo fino a 1^(00; i >-.m.
Colchas de fustao com ba'ra, muito grandes a
4 j ; idem.
Idem idem brancas, idem idem, a 3 s ; i.icm.
Cobertas de chita adamascada fina, idm idem
a 3o00 ; idem.
Lencdea .le-bramanle, idem idem, a 25 ; idem.
"Doalhai alcochoadas a 34500 a duzia ; idem.
Lencos de Baled com barra a UOJO a duzia ;
idem.
Idem i lem idem brancos abainhad.vs a 2^000 ;
idem.
Idem em caixinhas muito lindas a 35300 a
duzia.
Seroulas ie linho e algodao a 18$ a duzia.
CaimVam Victoria flna a 3J800 a peea ; e pe-
chineha.
Algoaao marea T largo a -4*800 e K* a peca.
Madapolao fino a 4*800 a peca.
Madapolao francez muito fino a 6* a peca.
Brim pardo muito lino a 400 rs o covado ; e
pechineha.
Cambraia transparente, o que ha de mais fina
a 6i a peca.
Baptislas de cores modernas e com lindos pa-
droes a 400 rs. o covado 6 grande pechineha I
Dao-se amostras.
So
4JJ500,
A 45JG0O,
03000 E 79000.
0 Pavflo vende um grande sortimento de
cambraia Victoria e transparente coat
qualquer ;8 1/2 varas cada peca, pelos baratos precos
de 4*000, 4*500, 5*000, 6*000 e 75000
a peca, assim como, ditas da salpico bran-
co, a 7^000, e pechineha.
KOVAS LAZINHAS IA 560 RS.
0 Pavao recebeu pelo ultimo vapor un
elegante s-irt:mento das mais lindas laiznhas
para vestidos, jendo transparentes com as
mais delicarlas cores, e modernissimos pa-
droes, que vende pelo barato preco de 560
rs. o covado, d rua da Imperatriz n 60.
LIQUIDACAO DEROUPA PARA HOMENS.
0 Pavao vende um grande sortimento de
roupas para homens, sendo palitots saccos,
ditos fraks, tanto decasemira preta e de co-
res, como de panno ; assim como um avul-
tado sortimento da calgas de ca-emira preta,
de cor, de brim de cor e branco, e um
grande sortimento de colletes de todas as
qualidades.
Tendo tarabem um bom sortimento de
camisas inglezas e francezas; assim como
de ceroulas de linho e de algodao, e vende
todas as roupas Sckna mencionadas pelo ba-
binkeir?
ajuros
Do 1.000-3 a 2:000*, ma:s ou meuos, com bvpo-
tneca tin casas aqui na ci I. le : se dira aucm da
DOPcaa85 da Im!"'ra,riz ',8' ,,,ia' 'mperial
-7 f"ew de *- Para ,:J {il1 <"orrente mez, do
engenho Macarandoba, da freguezia de Agua-
Preta, o es. vn Miguel, de 37 annos de idade, e
os sigoaes s- aintes: prelo fuln, baixo, secco, per-
as, pes seccoa, pouca barba, olhos pcque
mina do Almeida, no Recife ; e natural de Naza-
rein. ioi do br. Antonio Xavier de Andrade, do
engenbo Cone, di ccmerca de Itambe\ e depois
do Sr. Scrafim Anselmo Pereira je Lucena, no po-i
^"oado Lruingy. Ha toda probabilidade de estar.
nos Remedios, ou em Cruangy, rois elle disse a
-iguem que la para um ou otitro lugar, onde 6
oaquiano. Roga se as autoridades policiaes e ca-
piiaes de campo a appreheosao do dito escravo.
gucm o sppr, bender quelra levar ao Sr. Genuino
Jose da Rosa, no Recife, rna da Praia n. 43, ou
na estacao de Agua Preta, ao Sr. Ernesto Arcelino
pensado-0' gue scra genercsamente recom-
abaxo assignado de que neste genero de negocio
nao esta sem competidores, fara muito por evitar
qne tambem oj tenba com relacio ao pequeno lu-
cro que procurara obler da dita mercadoria.
_________Jo?e Don:inguei do Carmo c Silva.
Allencao.
Precisa se de uma senhora que esteja habilitada
,,nsina,ro portuguez, francez, piano, costuras,
tt*'*' flC^ etC-' e ,"" (lucira PaVa um en-
penho perto de uma das estates do Recife a S
Francisco, para enslnar a umas meninas que la
^?n5c,piadas paga-'e 1-000*. gratifica-se
gradaando : a tratar nas Cinco Ponlas n. 82
M BACHAREL MIGUEL AMORIM 2
Ajii ogado
* Rua do Imperador n, 71
Da se sociedade em uma tav.rna b
guezada e em bom local, a uma pessoa deboa
conducta e que entre com algum capital : nesta
^ypographia, carta fechada com as iniciaes M P
Cao perdido.
Desappareoeu do sitio do conselheiro Jose Ben-
lq da Lunha Figueiredo, na Ponle de Uch6a, um
qao preto,. alto, scmelhante aos da Terra-Nova :
puem o levar ao sebrediu sitio, ou ao armazem
a praca do Corpo Santo n. 15, sera bem recom-
censado.
Uma pessoa vmda da Bahia, precisa fallar com
o Sr. Antonio Jose de Freitas, roga portai.to o fa-
vor de apparccer a rua da Cruz n. 6, armazem
o n. 20
.4' rua do Crespo, I ja das 3 portas
DE
GlIlliHERSIE tt C.
Junto a loja da csquina.
<-(ai><-i<-< iin<-ni0 aeha-sc aliorto
ilas 6 boras da manba as a
horas tin noite.
O1 Pt3o vende nm bonito sortrmeuto de
esparrilbos modernos a 3*500, 4^ e
5*000, assim coojo um bonito sortieoto
de sens brancas; bordadas, a 30W> 690eo,
e ditas de lasinha dte eflres a 3W00 : pe-
chiacha.
CORTINADOS BORDADOS PARA CAMA B
JANELLAS, DE 7* ATE" 25*000 0 PAR
0 Pavao vende um grand* sortimaato da
cortinados bordados, preprkw para ean* e
janellas, yelo barato prqct de 7|f>0, 8*000,
10,5000 ate1 25**X* aeiin com : colxa*
de damasco de la muito fina de 10*000
12*000 cada was.
BRAMANTES A 1*800, 2*000 E 2*500.
0 Pavao vende bramantes para iMgoes,
tendo 10 palmos de Iargura, sendo o de
algodao a 1*800 e 2*000 a vaca, e de linho
a 2*400, 25800 e 3*000a vara; e paflhtn-
cha.
GASEMIRAS A 5*0*0, 6*000 E 7*000.
0 Pavao vende cortes de casemiras para
calgas, sendo padrdes modernos, pelo bwa-
to pre^o de 5&0OO, ti*000 e 7*000 o c6rte,
assim como: pannos prctos dos melhores
que tem vindo ao mercado, de 4*000. 8* e
10*000.
ESMERALDINA A 800 RS.
0 Pav3o recebeu um bonito sortimento
das maisd.-gantes esmeraldinas [com listras
de seda, sendo em cores e padroes as mais
novas que tem vindo ao mercado, proprias
aT^T0a^' P,r.,Iuerer 'iquidar Da loja para vestidos, e vende pelo b8roti"fciWi>re-
da rna da Imperatr.zn. GO, de Felix Perei-! qo de 800 rs. o -
o
;-:-.
t.
ATISO
Precisa -e comprar dons escravos, pedreiro e
arapina, paga-se bem : a tratar na thesouraria
totems, a rua Primeiro de Marco n. 6.
das
Na rua do Torres n. 20 conpramse escravos
de ambos os sexo.-
Empreza do gaz
nhi-1mprezado f" ,em a nonra de annunciar ao
publito que recebeu ultimamente um esplendido
sortimento de lustres de vidro, candieiros, aran-
acias e globos, cujas amoi-tras estao no escriptorio
fJ^r oImperad,or n-31' e serao vendidos aos
sens freguezes pelo preco mais razoavel possivel.
0 Sr. Jose Antonio Gorreia, vindo do Ceara
que uliimamente esteve em Serinhaem. nneira'
Compra-se urn
angel n. 62.
porno de ferro : na rna do
B9BSS95S9S9BaaSBPJ
XJK
A Vende-se, para arrancar. a armac3o dataver-
nadopateo da Ribeira de S.Jose n! 21, tat-ae
todo negocio : a tralar na rua da Penha n. 6.
GRANADIMS
Granadinas de seda pura, preta com listras
de cdres e padrOes os mais bonitos que tem
vindo ao mercado e que se vende pelo di-
minuto prego de 500 rs. o covado, por ter
um pequeuo toque de mofo, e fazenda de
2*010 o covado; e peehincha. Dao se
amostras.
Briiir km*
Rrim brenco muito fino, fazenda do
2*300 a vara, que se venle por 1*400 a
vara, por estar com um pequeno defeito ; d
pechineha.
Melins francezes
Metins francezes, fszonda muito fina, pa-
droes modernos, fazenda que jd se vendeu
por 500 rs, a 300 rs. o covado ; 6 pechin.
cha. Daose amostras.
Gretonesdelistrrs
Cretoncsde listras, fazenda acolchoada, pa-
droes muito lindos a 400 rs. o covado ; ddo-
sa amostras.
Madapoloes
Madapoloes com um pequeno toque
avnna, de 3^300 a iigOOO a pec3 ; e
chincha.
ra da Silva.
Acha se constantemente aberto
a"s6 de noite.
n
covado, irua da Iraferatriz
In. 60. *
< ...ano do PAVAO, das 6 horas da manha
u
a
esiraiigeiro.
Paris n'^Unerlca, a ruaDu-
">
j Grande peciiiiiciia
Ghapeog (Je sol cabo tic marfim a
mooo! !
Com seda trancada e hastes de meia cana, na
lojajla Rosa Branca, a rua da Imperatriz a. 56.
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba do receber um corapleto
soriimento de calcados rslran?eiro3 oara homem p
senhora, vindo entre elk* lindo'sortimemo do' d7AmorlmV4l7de to^^m?T(l
elegantes cbiquitos, sapatinhos e botinas para Silva. nnguta ao Larrao e
cnancas, qne tudo vende por preco
Charutos e cigarros
dos mais linos e das melhores marcas, do
Janeiro e da Bahia: no armazem do fiimo,
Rio do
a rua
par
razoaveis.
E'barafo!!!
Panno de algodao da Bahia.
Vende de todas as qualidades Joao Rodrigue3 de
Faria : na rua do Amorim n. 33.
Fumos
Da Balrae do Rio, vende Joao Rodriguesde Fa-i!^dai Corle' Cel bara^ preco'de^* ;'Isto sTse
- ,a" na rua Primeiro de Marco
A 5*90.
Lindos cortes de granadina com listras e flores,
'nda possivel, com 18 covados
fazenda a mais
a a, rua do /morim n. 33
de
pe
Lindas las escocezas.
De .varios padroes, e inteiramente modernas, a
joO rs. o covado : na rua Primeiro de Marco
aatiga do Crespo n. 13, loja das colnmnas, de An-
tonio Lorreia de Vajconcellos.
Cliap^os para sonhora.
A loja do Passo a rua Primeiro de Marco n
7 A, recebeu pelo ultimo paquete, um rico sorti-
mento de chapeos para senhora, ultima moda e
vende por preco commodo.
vendo para admirar :
n. I.
Ilalcito
A California
Bcmvimlo
No dia 21 do corrente fugio o escravo
acirna, lendo os signies seguintts : idade 45
annos mais ou rrenos, cdr fula, cabellos
carapinhos e um pouco crescidos, cabega
chata, estatura regular, ura tanlo magro, e
tem no rosto bastantes signaes de bexigas,
usa dc chapeo de couro, e levou calgas e
lgodiiozinho : roga se a todas as
e capitaes de can po, queiram
appreheudcr dito escravo, e leval-o a" rua da I
Madre de Fjeus n. 5, 1." flndar, das 9 is 4
horas da tarde, ou & rua da Imperarriz n.
4, 1. andar,
camisa Je oi
autoridades
- Fi;.
quo serao recompensados.
23
do caes do Ramos duas taboas de
costado de sieu; Ira C9m 60 palmos de comprido e
palmo c meio de 'largo : gratifica-se a quem der
notic!:. naes do Ramos n. 42.
mm
Rua 1. de Marco n.
Aos 20:000$000.
mnciara pelos jornaes. '
Inteiro 24*000
Meio 12*000
0*" to 6*000
Manoel Martins Fiu7a.
. Serinhaem, queira
ter a bondade de apparecer na rua do Marquez
d oimda n. 23, armazem, a negocio de seu inte-
J '^^5Tba^i?^I15!!55?
Joao Francisco Orphao vem pelo
presente agradecer a todas as uas-
soas que se digharam de assistirao
funeral do seu mui prezado irmao
Jos6 Francisco Orphao de Campos;
a do novo pedir aos mesmos cava-
Iheiros o caridoso obsequio de as-
si-tirem as missas do setimo dia, que pelo repouso
eterno do mesmo finado se hio de celebrar na
igreja do convento do Carmo, das 7 as 8 horas da
manha do dia 28 do corrente.
Adianta-se ate a qnanlia de 400* a um escravo
cozinheiro para sua alforria, air pagando meosal-
mente : a tratar na rna Imperial n. 94.
Cozinhar e engommar.
Precisa-se alugar uma escrava que saiba 'cozi-
nhar e engommar ; e para casa de pequena fami-
Ha : na ma do Vigario d. 16,1." ana>r.
- Vende-se 6!>,000 telhas,
venaria batida, deseceis mil
drados. e 12.0C0 lijolos de
30 mil tijolos de ai-
de ladrilhos qua-
tapamento ; assim
como, jarras de todas as qualidades. poles' mat-
l.nhas e vasos para flores, tudo muito barato pa-
nt r?X:d" "ia tH CarDciro da Cunlla,
Venda ou arreadamento.
n^iJraga.ei-!1 d, Serinhaem, e distante duas le-
goas da estacae de Gamelleira, do engenlio Bura-
rcma, com terreno de massape, a maior pane de
varzea, de optima produce^, e para 3,000 paes de
Su!aADU,i: wmjjreiander, dirija-se ao ca-
Kr, i t VaSl,rlPaes Barrel0> no cnenb Matto
brosso, ou a Leal & Trmao, nesta praca.
DE
So o 43.
em
ras
.VENDE-SE
K.VCBilSrfHI
S. CARLOS
Vende-se ou arrenda-se o engenho S. Carlo
Ipoiuca moente e corxente, com todas as oh
xiasn. 3,
Quintaes
u. CHlTAS PERCALES
Chitas pereales avanadas a 240 rs. o co-
vado; e pechineha.
SO' 0
X. 20 da rua ilo Crespo
Loja das 3 portas
DE
(inlherae tIC.
Junto a loja da csquina
" Vende-se a muito afreguezada taverna da ^Ti'^^l^ a 4' e^* ^
rua Imperial n. 115, tanlo para o mato como para '
i praca, porquo o dono retira-se para Eurona : a
ratar na mesma.
Fazendas avariadas
na rua do Queimado n. 43, defconte da Pracinha
da independence i madapoloes, algodoes, chitas
outras fazendas, por todo precoCorrara fre-l
guezes.
Fazendas baraias
Ma rua do Queimado n. 43.
Defronte da pnga da Iodependencia
_E para liquidar I I
Lazinhas a moda a escoceza a 200 e 240 rs o
covado.
Cretone a prussiana a 320 rs. o covado.
Cambraia transparente fina a 3* a peca
Dita Victoria fina a 3*300 a peca.
Toalhas telpudas a 500 rs, uma.
Brim pardo fino a 400 rs. o covado.
Algodao T superior, pouco sujo a 3 e 4* a peca
ladapolao, pouco suja a 4* e 5* a peca -
L'A fazenda P/opria para roupa de escravos a
200 rs. o covado.
Lencdes de bramante a 2*.
Briniznhos de listras proprio para vostidos a 3*200
o covado.
Venham ver, so na loja das peehincbas.
Dao-se amostras.
Vende-se
pes de sapoti, abacr.te, fructa pacr, romeira, figuei-
Alugase o 2- andar do
Bom Jesua n. 4 : a tratar no
sobrado da rua do
1* andar do mesrao.
IS. 10.20(1
A. F. COHGA
Confronte a alfandega, armazem pintado
de preto, que curiosos acabam de deno-
cainar
a ven
extracgao an-
k n % k ,PP*rec Da rua Primeiro do
^wi' Jl*2ia!i*i!ei2S,i0 de se" interesse
o^0 o0Sr :^
m 0 deserabargador Moti? mudou snT3
residencia nara a rua Velha (Ponte Velha) X
entre o n. 6 e 8, casa nova, M
ra Mondego n. 101,
Pacheco & Azevedo tem para vender tapioca '
de Araruta de qualidade especial: em seu arma
zem na rua do Duqae de Caxias d. 20.
. uma marqueza de amarelb, um par de consolos
I pe jacaranda, e um pequeno toucador tambem de
jacaranda; tudo usado, porem em bom esUdo, por
barato prego : na ma Imperial n. 125.
Salsa parrilha.
Novaremessa, excellente qualidade; vende-se
na rna do Vigario n. 16, andar
J
80 rs. menos em alqueire do
que vendem os armazens.
azigo
0 administrador dtsto estabelecimento, a bf m
dos interesses daqnella firma, vende a dinheiro a
visla :
Batatas baratissiroas.
Peijao raulatinho. muito claro e tenro, em sac-
cos, baratissimo.
Latas oom cineo galoes de gz, Devois, a 5*300.
Arroz superior a 2*100 a arroba.
Gam avaria
A 4$000, 4^50^ e 5^500
MadapolSes com toque de avaria, por muito ba-
rate preco, em vista da qualidade ; assim como
saias de la aVariadaa a 4* quem pretender, ande
( Hgeiro a rua da Imperatriz n. 60, para nao ter de
se arrepender.
1 -Vende-se a casa terrea da rua do Visconde
; de Albuquerque n. 37, em chao proprio : a tra-
tar na rua do Imperador d. 17, confronte a S.
Os barcaceiros quo vendiam cal na rampa da
Sraca do capim, avisara aos edifioadores de pre-
io qne mndaramse para a rampa que fioa nor
detraz do theatro Santa Isabel ; ahi estarao a 740 r>"a Hnra
m cal brarrea a 1*308 a barrica exacta; jiquelles declaradus.
ftiMle-sc
Caixas com 40 cartas de fogo da China suptrior oito Taca3 tar'nas, grandofre peqnenas
a 6HQQ1 no becco do Ouvidort coxeira..
Manteigq francezanova de 1874, da marca PLG,! "
a tratar
Vendem se dous de amarello. envernisados, com
pouco uso, proprios para loja de fazendas, miude-
sas ou outro qualquer negocio : para ver na rua
da Imperatriz, fabrica de cigarros dos Srs. Ulysses
& Irmao e tratar com Pojas & C, rua Estreila do
Hosario n. 9.
"SfeTeTayF
0 unico verdadeiro yen-
de-se na confeitaria do
Campos
24 taperadiT 24
Por todos os vapores re-
cebe-se nova remessa.
Armazem progresso
Batatas novas a 30 rs. a libra, e a 700 rs, a
g'ga.
Chouricas novas a 580 rs. a libra.
LARGO Da PENHA N. 10.
Madapolao fino
na rua do Crespo it. IO.
Pecaa de madavolao fino e
largo, com toque, a 4*, 4*500,3* e 5*300.
fazenda superior e larga.
. Alpacas de seda de cores, lavra-
das e muito finas, fazendo modernissima
a 500 rs. o covado.
Camisa* de linbo com toque
de sujo, a 1*?.00 e2* cada uma, 6 pe-
chineha, isto s6 na loja n. 10, a rua do
Crespo.
Boa aequisicao.
Vende-se o estabelecimento sito mi Estroiu
do Rosario n. 4, com poueos fundos, propri* para
qualquer negocio e para qualquer principiante,
sendo um dos melhores pontos da dita rua : qu
o pretender, dirija-se ao mesmo, das 8 da
as 10 e das 8 as 7 da noito.
Vende-se
a. taverna e padaria da Ponte de Ucboa n.
tratar na mosma.
37
Afogadbs.
Cambraias de cores, miudi
nhas a 240 rs. o covado.
mCores fixas e fazenda boa dao-se amostras e
andam-se levar- nas casaa : na loja da ftosa
Branca, rua da Imperatriz nj B6i
- Vende-se um ttrnao em l*eberibe (Porto da
Mwfeira), com 200 palmos de frente e 600 e tantos
vende-se uma casa terrea, na rua de S. Ufgaa dafttada, tendo easa de taioa nlmr hVS-
elles precos proporc.onaes n 123, concertada do novo o prajo commodo' a todo ft^^^^^^iaipil0t^d\^>
tratar na rua de Cabuga n. 2 B. I de fructo e legomaT nil^usXpoSTS. JT^
I


J




Dfcftfc & JhWamftiicia Segunda feira 2%% it 3e ISttl
4

i
.
RuaiPriineiro de-Sterjo n. 7 A
DE
Coreieiro Simdes<0.
E' esta uma das cisas qde boje "pode com pri-
mazia'offerecer aos seus fregriezes-urn varinhssi-
mo sortimento de fazendas ftna-j para grande lette, e bem assim para uso ordinario de todas M
classes, e por.precos vantajosos, das quaes faz um
pequenoresumo.
Mafldarc fazendas As rasas dos pretendcntes,
para o quo lem pessoal necessario, e dao amostras
mediante penhor.
Cortes de seda de lindas cores.
Gro'sden.iples de trdas as cores.
Gorgnrao bracco, lizo, de liSlras, preto, etc.
Setim Macao, preio e de cores.
Grosdenaples preto.
Velludo preto.
Granadiiie de seda, preta e-de cores.
Popelinas de lindos padrBes.
Fil6de seda, braneo e preto.
Ricas basquiaas do seJa.
Casacos de merino de cores, la, etc.
Mantas brasilelras.
Cortes com cambraia branca com lindos borda-
resma
R u a d a- Ink p r.atr i'k n"
MB
MENDES GUIMARAES & &ftSB
Acaba de recebor um grande tOHiimn'o #e -ftrzenUds ipftftti pn-n r;ua
'TAMStO SEJAfo :
v
3P
- ii
,m*to"C:ih*gH ri 1 A.
Ricas capellas e manias para noivas.
Hiqnissiuio sortimento de las com listras de
seda.
Cambraias de cores.
Ditas maripozas, brancas, lizas e bordadas.
Nanznqces de lindos padroes.
Baptislas, padroes deiicadus.
Percabri<* d quadros, pretos e brancos, listras,
etc., etc.
Brins de linho de c6r, prow in* oara vestidos,
com barra e listras.
Rico? cortes de vestido de linho. cites da
mesma cor, ultima mod?
Ditos de caml'raia de cores.
Fustao da lioias cores.
Saias bor'dadas para senhoras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
godao.
Sortimento de luvas da verdadeira fabrica de
Jouvio, para lumens e seuhoias.
Vesluarios para oieninus.
Ditos para haptj-udo.
Chapeos fi-.r.i c:u>.
Toainas e guardanapos adama^cados de linho de
ctir, para mesa.
. Colchas de la.
Cortinados bordados.
- Grande sortimento de camisas de lii.bo, lizas e
bordadas, para h"iheTr?.
Meias de cures para homens, monfaos e moni-
a
Oitas eecocezas.
GoEfplft" si-riimcpto de chapeos de sol para ho-
mens e senhorr.^.
MerraA de eorvs para vestiaos.
Dilo preio, trancado e dito de verao.
' \toalhado pa-do.
Oamasco de la.
Brins de linho, braneo de cores e preto.
Setim de lindas cures com listras. ,
Chales do merino de cores e pretos.
Ditos de ca^emira.
Ditos lie seda preta e de cores.
Ditos de louquim.
Camisas de ehita para homens.
Ditas de fianella.
Cereulas da linho e algodao.
Pannos de erncHet para sofa, cadeiras e conso-
; Lencos bordadw? e de labjridiho.
Colchas de crochet.
Tarlatana de todas as cores.
Ricos cortes de vestidos de tarlatana bordados
para cortes.
Espartilbos lisos, bordados.
Foulard ile seda, liddas cores.
Meias de seda para senhoras e meninas.
Ricas fachas de seda e la para senhoras.
Rico sortimento de leqnes de madreperolas e
osso.
Damasco de seda.
Casernira ore's ede cores.
Chitas, madapolao panno fino preto e azul, col-
larinhos, punhos delinho e algodao, gravatas, lu-
vas de fio deR-cossin. 'apeles de tovos os tama-
nhos, bolsas dc viapem, peitos bordados para ho-
mens. Ien<; is dcJinlio bianco e de cores, toalhas,
guardanapos. etc.. etc.______ ____________^
Wilson Howe & C. vendem no seu anaiea>
rua de Commercio n. 14 :
verdadeiro p; noo de algodao azu) amencano.
ExceHente fe do vela.
"Cognac de 1* qualidado
Vinl'.o de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as na^lidades________
Oran'ie ipechincha do cami-
sas do linlio.
Vende sc camisas io^lezas, de linho, muito Cnas,
para honiem, pelo baratissimo pre^o d- 35^000 a
dnzia ; rjiieru duvid.ir venba ver e crjmprar : na
rue Daque de Caxiss n. 88, li-ja de Demetrio
Basto&.
As ariicas veruudeiras
Bicbae hambargueza? vera a e ro Maroaei Je n. 61
mm,\i
Aos apreciadores do cafe do
Ceara.
|E Vende-se cafe do Ceara de primeira qnaiidade
pelo barato pre^o de l'5O00 o kilo, e assucar refi-
nado de pnmeir.i TnaliUsde a iMW reis okilo : na
r(fina?4nila ma do Rang*! n. Ui.
Sabaoa200 is.okilo
Noatmazem do fimo. a rua do Amorim n. il,
de Jose Pnmingnes d< Garmo < Silva.
Pillulas Cathartieas
de Ayer.
Para todos os effeitos d
um remedio laxante.
N.io ha segnrsmeote, nn(
remedio tarn universalmente
proenrado como nra cathar-
tico on purgnntp, e nenhum
outio tern siclo tao usado em
todos os pai7.es e por todas as classes, como estas Pintr.
LAS, suayes mas emcazes. A razao 6 evidente, formao
um remedio muito mais certo e efflcaz qne nenhum outre.
Aqnelles qne os teem ensalado bem qne se teem enrado
pelo seu uso, os qua nao os ensaiarao sabem qua seus amigos
e visinhos se teem curado, e todos cenheeem que o resultado
tirado nma vz, se tirara todas as veaas, e qne as PIZLU-
LAS nunca faluao por consequenela de erro ou negligencia
na sna eomposi^So.
Temos milbares sohre milhares de certiflcadoa refereates as
distinctas curas (jre bao effectuado estas pillulas,nas moles-
tias qne em seguida mencionamos, [xire'm sendo taes curls
conheidas em toda a parte aonde teem penetrado, des neces-
sario t jniblica 1 os aqui. Adaptadas a todas as idades e a
todas as Wndic6fls. em todas as clhnas, nSo contendo calom-
elano nem outra. qnalqner droga deleteria, ellas {xxtem ser
timadas por qualqucr pessoa com toda segnranca. Sua
capad'assucar as (sonsena sempre fresoas, e as forna gosto-
sas ao palladar, f etido tambem purunente v#getacs, nao po-
dom resultar cneit prciudiciacs se por acasoTorem tomadas
em qoze di.'smasiada. O papel quo ste de coberta pata
sada vidro leva cireccocs miauciosaft oom rela^ao as secuin-
tes motestias quo as 1'IZZVLAS CATBART1CAB rapi-
damente ctrao. Para a Jiysp^.sia on InMgettao, JOU-
plicrncia, iMitguUhiz, j-alla At Appetite, devem ser
tomadas em dos rnoderada a fim dc estlraular o estomago e
restabtecer suas funcvaos sahdoreis.
Para as JDoeneat d 1 iyado o soas diversas symptomas
Enxaqueiai lUHosaa, Dor de Cabeca, Ictertcta, Col-
ico Hlltono, e Fthren Biiiotrut, devsm '_we toniar tambem
moderadamente em cado caso, paxa correger a aoclo viciada
ou remover o obstarnlos que a eansTio.
Para a Dyten uria ou Dlmrrhea, 6 goralmente bastante
uma dose psquciin.
Para MheumatUmo, Gotta, Arretat, Farpitacao do
Corarno, Doni na$ ithargai ou eomlag, devem sfr
tomadas coutinuadameute, at disregufcdot, de sorte que a moloptie dlsappareca.
Para o.j/dro)iria e InehaeSet llydroytea; a procUo
toma-1-as frequeatomente e em porcCts assas grandes para
produziroofleito ue um purgativo drastico. Como Diget-
timo para ojnniorou comida, toira-se uma ou duas paxa
promovera digeiitiio e ajudar o estotiago. Uma ou duas to-
adas de vz em quwdo, estimulilo oa estomago a obrar u-
davehnente.
Quaiqag que se acha regulanneate bom, tomando utna
ou duas #4atas pillnlas se achara, muitas vezes, decidida-
jnente mUaor, pw razao qne elks purificam a restottlio 0
upparelho digestive.
PBKPARADA8 I'OB
J. C. Ayer & Ca., Lowell, mas*, E.V,
'GROSDENAPLE PRETO A 1^800.
Vende-se grosdenaplo preto para vesti'Ju
de senhoras, a 1$S00, 2{S, 3-3>, 49, e 5|o
covado.
PANNO PRETO A 5?500.
Yende-se panno preto de duas larguras,
para calcas e palitots, a 2$50i, 35, 3JJ500,
49, a 69000 o covado.
CORTES DE CASEMIRAPKF.TA A 59000.
Vende-se cortes decasemiru prcta para
calcas, a 59, 69, 79 e 89O1-0 0 corte.
MERINO' PRETO A 2S0l>.
Venie-se merin6 preto lino, a 29800 c
39000 0 covado.
ROMBAZ NA PRETA A 19300.
Vende-se bombai na preta enfestada, a
19500, 19800 e 29000 0 covado.
ALPACA PRETA A 500 RS.
Vende se alpaca preta fina, a 500, 640,
800 rs. e 19000 0 covado.
FAZENDAS DE CORES E CAMBRAIA
BRANCA A 390i0.
Vende-se pecas de cambraia branca trnns-
] parente a 39, 49, 59 e 69090, ditas de cam-
;braia tapada, Victoria, a 39, 39800, 49
!e 55000.
CORTINADOS PARA CAMA A 165000.
Vende se cortinados bordados para catna,
'a 169. 209, 255 e 309000.
CAMBR IA DE CORES A 300 RS.
Vende-se cambraia de cores finas, m'iudas,
a 300, 3-20 e 360 rs. 0 covado
CHITAS LARGAS A 200 RS.
Vende-se chitas largas para vestidos, a
240,320 a 360 rs. 0 covado.
BRA.MANTE A 19600.
Vende-se bramaute com 10 palmos de
largo a 15600, 15800 e 29500 0 metro.
MADAPOLAO A 35000.
Vende-se pecas de madapolao enfestado
a 39000. Dito inglez a 49500, 59)
55500, 69000, 79000 e 89000 a pessa.
CORTINADOS PARA JANELLAS A 89000,
Vtnde-se 0 par do cortinados bordados.
para jam-lias, a 89 e 1090< 0 0 par.
ALGODAO A 45000.
Vende-se pecas de algodao, a 4$, 59 e
65000.
CEROURAS A 15O00.
Vende-se ceroulas do algodao, a 19000,
ditas finas de bramantc a 19500 e 29 cada
uma.
CAMISAS BRANCAS A 29000.
Vende-se camisas brancas finas, a 29,
25500, 39 e 49000.
BRINS DE CORES A 400 RS.
Vende-se brins de cores para calrjas, a 400,
e 500 rs. 0 covado.
CHA ES A 800 RS.
Vende se chales de la a 800 rs., chales de
merin6 de cores, a 29, 39, 49 e 59000.
COLCHAS DE CORES A 29000.
Vende-se colchas de cores para cama, a
29, 39500 e 45000.
CHITAS DE CORES A 300 RS.
Vende-se chitas finas de cores, a 360 e 400
rs. 0 covado.
ALPACAS DE CORES A 500 RS.
Vende-se alpacas finas de cores, a 500,
040 e 800 rs. o covado.
TAPETES A 45500.
400 RS. 0 COVADO.
I.KNCOS Bfi ..NCOS a -?.r 00.
Vende-s.! leii^os brai.cos i\. i>s. < $9000]
25500 e 35 a duiw, ditos 59 e G5"00 a (Julia
croliiks Para -cadeiras a 19000.
Vendc-so pannos de croc lie'para c.iduir a 19500 cuda um, colchas du di 0 psra.
i noivas.
MADAPOLAO FRANCEZ A 75000.
Vendc-so pogas de tnadapolun ftv.ncirz
muili fino, a 79, 89 e 105v'00.
BRIM PARDO A
Vende so brim pardo para calcas, a 400
rs. 0 covado.
CORTES DE CASEMIRA DE 59000.
Vende-se cortes de casemira de cores para
! calcas, a 59, 55b00 c C9O0O.
GROSDENAPi.E TRETO.
Vende-se grosdenap'e preto com 4 1/2
palmos de largura, a 59 o covado.
ESGL'IAO FINO A 29000.
Vende se esquiao fino de linho, a 29,
29500, 3^ e 49 0 metro.
CHITAS PAKA COBERTA A 280 RS.
Yende-se chitas para coberta, a 280 e 400
rs. 0 covado.
- BRIM BRANCO A IzOOO.
Vende-se brim bianco delinho, a .19,
152S0, 15600 e 25 o metro.
BRETAMIA DE LINHO A 640" RS.
Vende-se bretanha de linho, a GiO rs. a
vara.
FLANELLA DE CORES A 800 RS.
Vende-se flan?lla de cores, a 800 rs. 0
covado.
C0BERT0RES DE ALGODAO A 194-00.
Vende-se cohcrtores dc pell y a 19400.
CoberUs de chita a 1S0U e 9. dit^a en*
Ci:rna .as, forradas, a 49, no Bazar Nacional,
rua da Imperatriz 11. 72.
CORTES DE CASSA A 39000.
Vende-se cortes de cassa itiudas a 39
cada um.
GRAV,TAS PARA SENHORA A W'iOO.
Vende se gravatas para senhoras, a 15,
ditas para homens a 500 rs.
ALGODAO ENFESTADO A 19C0O.
Vende se algodao enfestado para leugoes,
a 1,5000 a vara.
GRANDE SORTIMENTO DE ROUPA FELTA
NACIONAL.
Vende-se palit6tsde panno preto, a 59, 79,
8)5 e 10000.
Vende-se p.ditots de alpaca preta, a 39,
39500 e 4*000.
Vende-se cah;as pretas do panno, a 49,
G, 79 e 89000.
Vende-se colletes pretos, a 3^, 39300 e
49J00.
Vende-se ceroulas. a l-$, 15500, 29 e
3000.
Yende-se camisas brancas, a 2$, 25500,
35 e 45C00.
Vende-se ccmisas de chitrs, a 19*00, 25
e 3^000.
CHITAS PRETAS A 320 RS.
Vende-se chitas pretas finas, a 320 e 3C0
rs. 0 covado.
LAZ1NUA A 2C0RS.
Vende-se lazinhas para vistidos, a 200,
&^roffriei3rirJs 'to Tredileeta, 'no' iotuiW de
awaipraTioiotn coooito a^ne teem rtiorecldo de
resijertavel/.puljJiiKi, dia*iifcttJndo o seu esubeleci-
ap.'ntp dos muis 4U.0 negopiamTW nicsnjo ganere ,,
vi-.-m "srientificAr aos seus tions fregue^zesquejire-
1. venfranVaos ?eus Jcorres{Kmdentcs mas diVersas'par-
i.'.-n 1 d'tJirona para ilhea envlarem quelesR utjjeeiiii de luxo e bom goto,.que se-
ItSt P"13 ^,n acoil03 Pelas sotiedades elegante;
nmueflcs paue?, visto aproximar se 0 tempo d*
(estn.eenv.'qae 0 bello sexo deska linda Venea
tiuis ostetira a- riqueu de enas toille.ttes ; e co
mo .ji reebossem pelo paquete fraucez diveeso
irtigos da ultima uioda, veena pateniear alguns
Tefitfe dies qtte s"e toraam' mais reeommendaveis,
df^erando do : wspeftavel poBlico a costumada
concurrencia.
Adarecps je tartaruga os mais liados que teem
vindo ao uiercado.
Albuns c'oai ricas capas de raadreperola e de
tfeiludo, sendo tflVtersos'tamanbos e baratos pre-
'<
Adereoos completos de Uoracha pr prios para
Into, tambem se vendem meios aderecos muito bo-
olios.
Botoesde setim preto de cdres para ornato de
vestidos de sechora ; tambem tcm pa-ra callete
palitot.
Bolsas para senhora?, existe um bello sortimen-
de seda, de palha, de chagrim. etc, etc., por
baratoprecjo.
Bonecasde todos os tamanhos, tanto de louc>
como de cdra, deborracba e de ntassa ; chama-
Hios a alteneao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as-Vezes tornam-se as crlancas um pouco im-
pertinedles por fslia de um obieelo que as en-
ireteoham.
Camisas de linho li.-as e com peitos bordados
para homem, vondem-se por preco coiamodo.
Ceroula: de' Imtio e de algo'dilc, de di versos pre-
cos.
Gaixinhas comimusicn, 0 qt:e ha de mais Httdo,
cc;n idisliefls tn.s tatn,ias e propnos para.presen-
te
Coques os mais modernos e de d;verso9 forma-
eos.
rjiapeosparascnhora. Beeeberam um sortimento
la uitima moda, tanto para senhora, como para
meninas.
Oapellas fimples e com veo para noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Eniremeios estampados e bordados, de liudoi
's-nhus.
Sscoyas electrica6 para denies, tern a prcprie-
lade de evilar'a eaiie dos dentes.
PranjJs de seda pretas e de cdres, exkte urn
-aade sortimento de divcrcas larguras e; karate
oreco.
Fites do saria. .'a j-rrgr-ran. de setim e de cba-
aaloi?, de drverVas firguras e'toniias cores.
Fachas de got'gurao nmito lindas.
i,r* ftrliileraes. A Predilecta priina em bon-
er-lar sempreum bello c graude sonimento d^es-
as ilo.es, nao so para enfeile dos cbellos, como
tambem para'drfcato de veslido de noivas.
fia!oes d algodao, de la e de seda, braneos,pre
10s e de diversas cores.
Gravatas de seda para homem e senhoras.
I.a03 dc cambraia e do seda de diversas cure.-
par 'L.gas aVseda'de cores e brancas' bordadas pira
o.Mva.
iLivroa.-para onvir tnisfa, e^m capas de madre-
perola,.mafim, uso e velludo, tijdo que ha de
bom.
Pentes de tartaru^a e marfmv para ahsar os ca-
bel'os ; teem tambem r*ra lir.ir caspasi
Port bouquet. -Ubi bello sorliDiecto de madre-
perola, marHra, osso e douxados nor i<;;rato preijo.
Perfumarias. Nesle'anigo e.-ta a i'rodilecta bem
provfda, nSo s6 em eStrac'os.cOim -em oleos a
banhas dos melhores odores, dos mais jfamados
labiicantes, Loubin, Piver, Soctedade Hygienica.
Condray, Gosnel e Itirael ; sac indispensaveis para
a fosta.
Paias 'bordadas pura -jtabera, pw commode
prefo.
Sapatinhes de ia e ue ;eii,n Lordad.is .para bap-
lisados.
Tapetes.'Rec6beu a'Predllecta um bonito sorti-
mento de drVersos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para etitrada de saias.
\'estimouUa para,baptisadu o-que ha de melbor
gosto e os mais mederne s recebeu a Predilecta
de or ar. to pie;o, para dear ao alcance
qnalqner bolsa.
Rua do Cabnga n. 1
--------------,^
Magnolia
Kb Ioja da Magnolia, a rua Duque de Caxia* q.
uompleto sortimento de perfumarias finas,-ebjecios
de pliaotasia, luvas dc Jouvin, arligos de moda e
miudejas Goas. assim como modiddade nos pre-!
cos, agtado 6 slnrxrldade.
Anueis eleotricos
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, aca ,
ba de rectber os verdadeiros anneis e voltas elec-
tricas, proprioo para os nervosos.
Meios aderecos
A Magnolia, a rua Duque de Caxiw n. 45, re-
cebeu um completo sortimento de
Meios aderecos de tartarnga.
Meios aderegos de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (ultima moda)
e de muitas outras qualidades.
Botoes de ac,o
A Magnolia, a rua Duque ia Caxias n. 45, tem
para vender os modernos botoes de aco, proprios
par a vesiid s.
Golinhas e punhos
das mais modernas que ha no mercado ; a ellas :
in Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Lenqos chinezes
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re- j
cebeu uma peqnena quaniidade de lencps de seda
chinezes, com lindissiuios desenhos, fazenda intei-
ramente nova.
Leques
Lindos leques dc madreperola, de tartaruga, de
marlim, de osso, c de muitas outras qnalidafles:
zzz
Vende-se tapetes para salas, de diverse* 320, 400 e 500 rs. o covado. No Bazar
tamanhos, a 45500, 55, 09 e 89000 cada Nacional. rua da Imperatriz n. 72, de Men-
um. des Guimaraes & Irm&os.
Vende se laraegeiras seleetase de umbigo,
enxertadas, eorr.o nao ha jgoaos era qualidade, e
de lodo tamanho, assim como sapolizjiios e aba-
catizeiros : ca estrada dos Afllictos, silio da viuva
Quiutella.
'Economia do-
mestica
Na
rua 1'rimeiro de Marco n. 1,
Conrronte ao arco de Sanio Auteuio, loja da
Agosliuho Ferreira da Silva Leal & C
Lauainbas, gosto eseossez, padroes inteir^mente
novos, pelo diminuto prego de 200, 240 eKOt&s
o covado.
Baptistas lisas, finas, e de cores a 320, 400 e
440 re"is o covado, isto so se vendo I
Chapeos de sol de s6Ja, para homens, ingietes
(paragon) e com 12 hastes, pel. preco de b elf,
fazenda esia que sempre cuslou 14^, to para
acabar.
Na rua Primeiro de Marjo D. i.
Loja do barateiro.
^.
Vende-se
I uma meia-agua na rua de velha de Santa Rita n.
96, pela qnantia de 700$, que r nde 10S raensaes:
a tratar na rua do Soeego n. 32.
i Yende-se as casas scguintes
Rua 24 de Maio (oi.tr'ora dos Ossos) as. 2*4.
Dila do Fogo n. 22.
Dita do Padre Florisno n. 35.
Becco da (iooiba n 5.
Travessa do Padre Lobalo n. 8 A.
lieeoo do caes da cadeia-nova ns. 3 e S.
A tratar no paleo do Cann" n. 1.
Gaza5^500 alata
.reccben a JJa-nolia, a rua Duque de Caxias nu- rom jg garrafas, do melhcr e da mais ncreditaaa
rncro 4o. ^ niarca d* Henrv Forster & C, garantido a qud-
A.ttenCaO. <^ill'c e a (li,ai-tiuade do liquido cempleto : uo ar-
mazem de Jose Dnminsucs do Ca; mo e-.
A loia da Magnolia, a rua Duque de Caxias n. rna a,, Amorim n. il
S3, acaba de recebor os seguintes artigos : -------------------------------------------------
al de madreperola, tarlaruga e marfim. ChapOOS para SOrmOra
Ricos amun? com capa de madreperola, cha-
grn, madeira, ve ludo, couro, eic.
Lindas caixas com fioitfimas perfumarias.
L'gas de seda, brancas e de cures.
Voltas de madreperola.
Pu'seiras de madreperola.
Ilieas caixas para oet-tflf*.
Vestuaj-ios para baptisado.
Toucas e sapatiulios dc setim.
Modernos chapeos de sol de seda para senhoras.
fcindbs port-bouquets.
Gravaiinhas de velludo, etc, etc.
Amaral, Mat w.o & C. acab; li de receber pelo
nliiino vapor da Europa an eouipli to s< rtimealo
dc chapeos de vellud.i, de seda c de palha da Ita-
lia, para crinncas, meninas e senln ras : veudem
no liazar Victoria, rua do Bara i da Victoria n. 2.
Cintos e leques
Amaral, Nabuco & C. vendem cintos de cquro
preio e de cores para seuhora. de couro de lustre,
de bezerroede borraeha para meninos e homens,
leques de tarlaruga, marfim, madreperola aha e
queiraada, jieos 6 lavrados, de chagrin, madeira,
I chagrin e seda e madeira e seda para senhora :
no Bazar Victoria rua do Ba ao da Victoria n. 2.
Granadine com liuJa; cores, vende-se por 600
0 800 rs. o covado : rua 1." do Marco n. 7 A.
E'barato.
Fariaha de mandioea
DE
POI
Grandes pechiocfes!
Vende-se um pequcnosi io perto da esta- De superior qualidade e muito nova, chegada
^ao do Salgadinho, ten'do de frente 150 pelo ultimo cavio : vende-se a rna do Brum n. 92,
palmos, e de fundos mais de quatrocentos, arr
corn uma elegante casa do taipa, acabada de
proxim > e bem asseiada, tendo -2 sal s, 2;
quartos e cozinha f6r8. 0 terreno epro-|
prio o bom de plantac6es, tendo algum^s SO NA
arvores do iructo^agua de beber e todo cer- vl Tt A \ A ] j V P A [ ISi
cado. .,
Para ver a mais explicates, no mesmo si- j R(|a d, iIMeratpi 54.
tio a qualquer hora a eutender-se com Tns- -^ Mauoel Ferreira de Oliveira. doiin deste novo
tao Francisco Torres, e para tratar, na the- estabelec'ur.ei.t >, fciontifica ao respeif.vel publico
souraria d.s loterias, rua 1. de Marco 'que acaba de r.ceber um co:i,plet.> sonimento de
g fazendas iitias de todas as qualidades, lanto de la,
_________:_____ como de linho. seda e algodao, o que ha de mais
i moderno e do melhor gosto, e porlanto convida as
: Exmas. familias, amigaa1 da economia domestics,
IVfillin nPflllPnO a virem ou maatl'rem a SULTANA DE PARIS, e
UJ-11UA-' p^4. | verao que coinpram fazendas bonilas e haratas por
Da melhor qualidade no armazem de farinba menos | re^o que jam'ais coinprarara.
de trigo de Tasso Irmaos & C, na praca do caes, Como sejarn :
do Aoolh. ___________ > Popelinas de seda com listras muito modernas a
Farello novo e
Fazendas e roupas muito ba-! seim Macao'dt diver
ratas
o covado.
j Grosdenaples de todas as cores.
; Fachas de s da para senh ra a lOjGOO cada uma,
Na loia de J. Porto, a rua Nova n. 14, troca se! e gran le peehincba II ...
por cobre ou mtsmo por sedulas, boa3 fazendas e, Colleges erifeiiauos para senhora, muito modernos
roupas feitas sem se olhar a lucro, somente para Afj** ". ca. u'n-
vender muito.
VENHAM VER SO' 0 BARATEIRO
A L'.-,..-..-nn,. A >n. ** i, r.-:.. so NA
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias n. 63
apressa-se em convidar a seus freguezes, eom es
pecialidade ao bello sexo a virem apreciar os se
guintes artigos expostos a venda e todos por precoi
commodos, como sejam :
FINAS BONECAS mansas e choronas.
BONITAS E ENGBACADAS vistas para stenos
copios.
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e meninas
BONWOS VASOS com flna banba e cheirosos
extractos, trazendo cada frasco um nome, uma ini-
cial ou um distico.
FINAS MEIAS Dfi SEDA, vindo entre ellas cot
de came.
Para quem guslar.
A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
63, acaba de receber tentos e caixas para o jogo d<
Voltarette.
FaraquiMi?s;fe(!as pernas.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias i
63, acaba de receber as procuradas meias de bor
racha para quem soffre das penias.
FLOEES ARTIFrCIAES
A Nova Esperanca, a rna Duque de Caxias
63, acaba de receber um lindo e completo sorti-
mento de IL res artificiaes das melhores que tea
vindo ao mercado
A ellas antes que se acahem.
Costumes para crianca.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias a
Rua 1. de Marco b. 1.
jCoafronte o arco de Santo An-
tonio.
Esta %cn I 30 por cento menog que cm outra
! qualqucr partc.
A saber :
Madapolao com toque de niofo, pelo barato pre-
co de 45500 e bi
Dito francez,limpo e de superior qualidade, por
I o^aOO, 6^0C0 c 6*500.
Algodao marca T, largo, superior qualidade, a
4*300, 5*, 33300 c 6*000.
Grande sonimento de laziuhns degostos inteira-
menie escosseses, pelos preccs de 200, 240, 2C0 e
4-40 rs. ; so se vendo pod-r selia acreditar.
Baptislas, lisas e com flores, fazenda que sem-
pre custou 400 e 800 rs., estamos vendendo pelo
preco de 320 rs, para acabar.
Ditas Gnas, padroes matisados, a 400 e 140 rs.
o cova o.
Grttone francer, escurcs e claros, os mais no-
vos que tem vindo ao mercado, a 480 e 500 rs. o
covado.
Aproveitem em quanto n5o se acabam.chapeos de
sol de seda trancada (paragom) It hasteas, inglezes
superiores, pelo insignificante pre^o de 8* e 9* ;
sempre vendemos por 14*000.
Ditos para senhora, de merino, a 3* e 3*300.
Ditos de seda, cabo de osso a 4*000, e ipechin-
cha.
Ditos de alpaca de cores, forrados com seda,
e o cabo fingindo bengala, o mais moderno rpie
ha, a 1*500 e 2* t
Sortimento de chitas claras e escuras, boa fa-
63, acaba de receber bomtos costumes para crianca zendai para acabar, a 240 e 280 rs. o covado.
e estaje vendendo por precis razoaveis. Pcpelina de'linho e algodao, gostos inteiramente
novos e de c6re3 bonitas a 800 rs. o coVado, sem-
4Jt. W 5U'3>,Wg pre custou 11400.
A Nova Esperangs, a rua Duque de Caxias n | Camisas de etetone, franceza?, modernas e su-
63, racebeu um pequeno sortimento de anneis e! periorss a 3* e 3*o00.
pulseiras electricas, proprias para quem soffre do> Ditas brancas a 2* e 2*500.
nervos.
flm do WRIo da Victoria n. 22.
BE
Farinha de mandioea nova.
Recentemente chegada de Santa Catharina tem
para vender no trapicbe Companhia, e para tratar
no seu escriptorio a rua do Commercio n. 5, Joa-
quim Jose Gonsslves Beltrao & Filho. Adveitindc
aos compradores que desnjati'do acabar, vendem
mais barato do que em qualquer outra parte, tan
to em grandes como era pequenas poreoes.
**! *#*#**&&
g Fazendas k gdslo
^ \a run do Crnespo m. IO
f0L Nvidadei dc ceres com lisWasde seda
Mi enti'i meadas de renda, fazci.da ainda nao
j visia nesta cida'dc a'800 rs o covado.
35? Ixis de cores com listras de seda e bo-
''$ hiu* padrSes a 360 rs. o covaflo.
i iladapjldo franecz muito 'largo, com.'
%l 20 varas, a 6* a peca.
4f* Vesluarios de fustao, cambraia e alpa-
J ca, para meninas, a 4, 5* e 6. Dao se
t amostras com peihor.
Fogao de ferro economico
Vende se um chegado ha peucos dias, tendo fo
nalhas para lenha e carvao. forno para assar
deposito paraagna-quente e Ingar para se guar-
dar quente as'comidas depois de feitas; estes fo-
I goes tornam-se reeommendaveis porqne sao At
| ferro balido, e fabricados com perfeicao e coii-
i n,')pm cnm mtli diminula lenha : na ma do Apo
D. 20
Carneiro Vianna.
A' cste grande estaltelecrnrento Mm -che-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, 'yJe'teiios os autores mais acredita-
dos ultimamentena Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeito artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim concerta-las pelo tempo tambem d'ura
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tambem ha perten$as
para as mesmas machinas e se suppre qual-
quer pega que seja necessario. Estas ma-
chinas trabalham com toda a perfeicSo de
um e dous pospontos, franze e borda toda
qualquer costura por fina que seja, Seus
precos sao da seguinte qualidade : para tra-
balhar a mao de 305000, 40>D00, 455000
e 565OOO, para traba'lhar com 0 pd sSo de
805000, 905000, 1005000, 1105000,
1&05000, 13050|0, 1505000,2005000 e
2505000., emqdarito aos autores n3o ba al-1
teracSo de precos, e bs'Compradores poderao
visitar este estabelecimeiito, que taufto de-
vcrao gostar.pela variedade de obiecioi:^qae
ka semprsiiara vender, como seiam: Madei-
ras para vutgem, ma'las para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balanro, ditas para
crianca '(aitas), ditas para '^scolas, cbsturei
dounas para sennora, prews eae cores, per i#' -, rim.iTrrw e*'*8eo, isto por termos *racde quaniidade, s, ras ^h1??:11^^ Par,a sennora ac_ rensaTei_
latieeie pmco. para onancas, detodas asqualtdaucs, camas
Bramaute de Bubo, duas lara'uras, pelo barato J
preQO de I*2C0 a vara, 6 somente para acabar.
Marios outros srligos que deixamos de mencio-
rtar-para nao massar nossc-s freguezes; mas que
avista delles estao presenles.
Diose amostras.
S6 0 barateiro quer qneimar
Para rival nao enconirar.
A' rni Pnmeiro de Mar?o n. 1, antiga do Cres-
po, de Agostinho Ferreira da. Silva J.eal & C.
Ditas de liriho a 3SB30O e 4S000.
Toalhas de linho do Porto,a 7*500 e 8*00o a
duzia.
Iotas felpudas a 7*. 7*500 e 8*000.
Esguiao com 10 jardas, pe:o prcQO de 4*300 ; e
tiarato comeffeito !
Cambraias Victoria e transparente, fazenda frna,
a 3*500. 3*800. 4*000 e 5* a peca.
Lencos de cambraia com barra de cor, a 1*, e
brancos a 2*.
Dims de linho, abarihados a 3*600-e 3*900 a
duzia.
Grande sortimento de hrins de cores, padroes
prcprios paia meninos de escola a 440 e 500 rs.
0 eovado.
Botinas para senhora, pretas 'e'de cores, per 4*
Progresso da rua do Rangel, do
Vieiran. 60.
Vende-se muito barato:
Manteiga em latas a 800-rs. a libra
Ervilha a 120 rs. a libra.
Estrelinha a 320 rs. a libra.
Aletria a 320 rs. a hlbra.
li ouiros muitas gencros.
do ferro para homem e cHanc^s, capacbos,
espe'Ihos aou'rtidos para safe, grange's e pe-
quenos, appareThos de'tilelal pats cM, fa
queiros com cabo de metal 0 de maTflm,
ditos avulsos. colhere's'de mete I too. condiei-
ros para sala, jarros, ^uardft-eDmidss de
arame, tampas para cobrtr pra'tys, esteiraj
para forrar salas,lavatories coiii^'.e-tdS, ditds
simples, objectos para toilette, e imtros mui-
tos artigos que muito devem agr;idar a todos
quo visitarem este gramle esiabdecioientoF
qua s^ acha aberto de'-da as 6 boras dc ma-
nba 'at4 as 9 horas da noutei
Rua doBarao da Victoria n.
22.
Camisas de cretone
as mais modernas que tem vindo ao mercado, sen-
do lisas e com listras, e que se vende a 40*000 a
duzia e a 3*500 cada uma ; e pechintha.
Hollanda
Brim pardo Uso, 0 que ha de mais lino, 30m um
toque de avaria, e que se vende a 480 rs. 0 cova
do, Tazenda propria do paiz por ser linho puro,
applicada para costumes de homens e de meninos :
so na rua do Crcspo 11. 20, lo;a das tres portas, de
Guiiherme & C, jucto a lnja da esquina.
Sedas a ]J500.
Vende-se bonitas seflas de lindas cores pelo
baratissimo preco de 1*500 0 covado ; venham a
ellas antes que se acabem, na ma do
Caxias n. 88, loja de Demetrio Bastes.
YENDE-SE
uma casa na villa de Barreiros, na rua do Corn-
ier cio, por preco modico : a tratar com Tasso
'rrr.ar.s 4 C
Lasinhas de cores em granie quaniidade de 260
a 5i0 rs. 0 covado.
Pecas de cambraia transparente de 3^000, 3*600,
4*000, 1*500 e 6*000.
Dila Victoria para todos os preco?.
Gravatinhas de seda para senhora a 1*000.
Chitas de cores de 240 a 320 rs. 0 covado.
Pecas de madapolao com 20 varas a i*6u0, 5*200
e 64OOO a peca.
Dito francez com 20 iatdas a 5*600.
GRANDE PECHINCBA !
Chapeos de sol de seda de todas as cures, para se-
nhora, a 4*0(0! !
Ditos para homem, de 12 hastes, cab1 de marlim e
seda trancada a 12*000. so na SULfAHASE
PARIS 1 !
Coilarinhos de linho, lisos c bordados a 4*0
BjOOO e OiOfO a duzia.
BRIM DE ANGOLA 1 I
Duque de Vende-se brim de Angola verdadeiro, 0 melhor
que tem vindo ao mercado pelo dimir.ulo preco
de 640 rs 0 covado, so na SULTAN \ DE PA-
RIS, a rua da Imper.-triz n 54.
Vende-se
eerveja noruega da marca M L, por menos preco
qu; em outra qualquer parte : no armazem de 11.
Lundgren, rna do Commercio n. 4.___________
Vende-se um terreno em Beberibe (Porto da
Madeira) com 200 palmos de frente e 600 e tantos
de fundo, cercado, com casa de taipa e coberta de
capim, tendo ja plantado algufnas arvores fruc-
tiferas e tambem legumes, por preco razoavel:
quem pretender, dirija se a rua da Penha n. 13.
Liquidacuo de moveis
Por precos mui reduzidos, diversas roobilias e
Para aboaeonservacao
DE
VOSSO CABELLO ~
Elle e um preventive! seguro
a calvice.
e certo contra
cacteiras de guarnicio : vendem Cunha & Manta, Elle da" e restaura force e sanidade a" pdlle ei
cabeca.
Elle de prompto faz cessar a queda prema-
tura dos cabelles.
FUeda* grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabcilos, em
qualquer forma ou posicSo que se dese-
je, n'um estado forrooso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastes e compri-
e os.
Elle conserva a pelle e 0 casco da cabeo
limpo e livre de toda a especie de caspa.
a rua do Marquez de Olinda n. 23.
Yendem
Wilson, Rowe & C.
Em seu armazem a rua do Trapiche n. 14, 0 se-
guinte :
Algodao azul americano.
Fio de vela.
Carvao de pedra de todas as qualidades.
Tudo muito barato.
Ultima moda.
A Magnolia, a rna Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um Undo sortimento de bicos de guipure Elle previne os cabellos de se tomarem bran-
de cdres, apropriados aos vestidos chlques da ac- cos.
tnalldade-_______________________________ I Elle conserva a cabeca n'um estado defrts-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nSo e demasiadamente oleoso, gorda-
rentj ou pegadi^o.
Elle nao deixa 0 menor cboiro desagrad*
vel.
EHe 6 0 melhor artigo para os cabellos dai
criant;as.
Elle 6 0 melhor e 0 mais eprasivel artigo
i para boa couservacao e arranjo dos ca-
i bellos das senhoras.
' Elle e 0 unico artigo proprio para 0 pentea-
do dos cabellos e barbas dos seohores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
TODE CONSIDERAR COMO COM-
PLETO SEM 0
Engenhos em Mamam-
guape.
Vende'-se os seguintes :
Barra,
Pregui$a,
e Pu trie Jo.
A tratar com seus proprieurios nesta cidade,
a para informajdes com Joaquim Piuto de Mei-
relles Filho, na mesma cidade de Mamaraguape
Tasso Irmlo's i'C.
Cambraias de cdres
Ips. 0 covado.
a
Na rna do Queimado n. 43, defronte da praci-
nha da Iodependencia.
Cambraias de cores, padroes miudiQhos a 240
rs. 0 covado, e barato.
Dao-se amostras. _|"____ i
Cheguem a pechinchal
TOMOO ORIENTAL
0 quol preserva, limpa, fortilicaeaforraose*
O CABELLO.
Acba-se ii venda nos eslabeleci... tas Panama de lindos padrdes, fazenda inteiramen. | "porster x. r gentes. E em lodas as
te nova 0 que se vendq a 7Q0 rs. 0 covado, a 440
rs.; na rua do Crespo n. 25 A, loja da esquina,
'principals lojas de petfamarias erotica*.
-




rrw
Diario de Pernambuoo Segunda feira 27 de Abril de 1874
TAHEDIDE
TRANSFUSAO DO SANGUE.No fira de
fevereiro praticou-si no hospital de Hotel-
Dieu a operagio da transfusio do san-
gue.
Osezemplos de horn exito n5o sao tio
numerosos que doixe de merecer a pena
enornerar todos aquelles em que esso deli-
cado acto cirurgico produzio o Um que"
procurava obter.
Uma rapariga de vinte e urn annos hi via
sido conduzida ao hospital n'um estado de
extrema fraqueza. A faoi estava pallida
co.no a do um cadaver; o pulso era quasi
uullo ; a vista annuviava se progressivamen
te; o delirio sobrevinha.
Em presenga de urn perigo imminante, o
professor Mr. Bebier deliberou-se a tontar a
transfusio.
0 cuefe da clinica, Mr. Strauss olforeceu
o seu sangue.
A eita a ollerta, foi o saugue empregado
sem previa defibrinagao, isto e, no seu es-
tado natural ; realisan lo a introducgio
n'uma das veins superCciaes do brago.
A quantidadc de sangue injeetada
pas-ou de oifnta grammas, o valor de
copo de vinho de Bordeus.
Outr'ora elevavam a dose a 300 o
mesm i a iOO grammas.
Comose sabc, o perig-j da operagao resi-
de na entrada do ar palas veia*, accidente
que de ordiuario e mortal; bem como na
coaguiagao do sangue que determina a pa-
ral).'i;ao da circulagao, outro accidente
que por igual e seguido da morto. Eu-
sai m se, como meio do obstar a quo o san-
gue coagulasse, a detiorinagao do liqui-
do; p >re"m a fihrina constiliindo um dos
elementos mais esseociaes do sangue, reti-
rar-lh'o equivalh a injectar um sangue quo
havia perdido suas propriedades reparado
ras.
Fundado nesta ponderosa razio Mr. Be-
hjer reounciou completainenta a tal meio.
No proposito do evitar o accesso do ar.
natrona. Em um doa dias da semana pas- populaco.2 selvagens; e coin quanta poasalra do Lela, na Siberia, o corpo inteiro d
Ida, apresent >u se alii um homem dosseus custarlhe char,Mr* Ieval-aaefleito, temos I urn elophaute mettido no gelo e tio ben
isienta e cioco annos, e declarou que pre- te em que nio recuax* perante qualquer conservado que servio da pasta aos aniraae
matrona
sa
ses
teudia uma ama de leite para si proprio. difficuldade,
A senhora directora, pessoa de grandps 0 Daily Telegraph iixqixiO reidosaciuo-
escrupulos, pudibunda e meliad-osa, toda tis pagard de indemnisacio & Inglaterra
se enxofrou com soticitagio do velho. 60,000 oncas de ouro Qua renuncia ds
0 homem, porem, sustentava a sua posi- suas pretengdes sobre Adansi, Assim, Akim,
bem
que servio de pasta aos animaes
carnivores d aquella regii). Este caso pos
rem nao 6" isolaao. As exploragOes da-
costas do mar Glacial, entre Lema e o Koli-
ma, emprehendiias em seguida d via-
gem do capitio Becchey, a* bahia de Eschol-
caj, marrtendo se m defeza que as amas es- Denkera e Wassuw ; reurard as suas tropas tz, na America Septentrional, aidm do cir-
tavam alii para quem dellas tinha nacessi- da costs pertencentes a Inglaterra; que culo i
nao
um
ate
dade eelle se achava nesso caso. Ao mes- raanterd uma estrada de quinzepes de Tar-
mo tempo dirigio-se a uma das mais bem gura entre Coomassia e o rio Prah; que
apassoadas que estavam na sala, e com ins- protegera todos os comboios de mercadori is
tancia Ibe pedia o seio. Para pdr termo d em transito, entre o Prah e Coomassia, e G-
teima do velh ,te a pudibunda directora foi nalmente que prohibit os sacrificios huma-
cbamara policia, a qual tomou conta do nos, e manterd a paz ora a Inglaterra.
teira )SO, para averiguar se elie estava me- 0 Globe contem os seguintes apontamen-
ramente na segunda meninice, ou se pre ,i tos sobre a capital do reino dos achan-
saria ser recolhido no hospicio em que se tis :
curam as mal .queiras rtais pronuueiadas. | Coomassia fji fundada em 1720, des-
. truida em 6 de fevereiro de 1814. Assim
GRANDE MARE. Os jornaes de Lou-1como Cathargo, ardeu durante seis dias.
d.ies descrevem a mare equinocial que hou-|Era famosa pelos seus sacrificios huaianos ;
ve no dia20 Je mar^o, como a maior que"- pdra porem aqui a semelhanQa. Coomassia
ha muito se presencia ni metropole brita- jnao tioha manufactaras, nem muito com-
aic;|- j mercio. As principaes esporta^oss consis-
A agua subio cerca da quatro pes acim8; tiam nos seus- exercitos, e as iaiportaQoes
do nivel das maiores prcamares.
0 diiiricto metropolitino da Lambeth, a
nos prisioneiros do guerra.
Os oscraves formavam
um artigo da
pou:e Blackfriars o Vauxhall, compostas de coramercio exterior, o consumo pordra no
asas, occupadas na maior parte pelas clas-
ses oporarias, foram as que mais soflreram
cjm a inunaaijao.
Das tros a"s quatro boras da tado, a agua
galgou os cjShs e penetrou nos beccos e rtras Golgoth, um bosque sepulchral, e um cara-
interror era conskieravel, porque todo o
aconrteeimento digno de interesse celebrava-
se com certos numeros de decapitagdes. No
interiw da cidade achava-se um jar Jim de
foi imaginado, ha annos ja, am processo
mui racional.
Faz-se passar o sangue do um individuo
ao outro diroctamento, ao abrigo do ar, por
um tubo que liga as duas veias. 0 tubo
termini em cada extremidade por uma pon-
ta ad IgaQada, a qual peuetra por simples
picada na veia. Una pcquena bomba as-
pirante e coinprimeute esta collocada ao
ceniro do tubo.
Fere-se primeiro a veia do inlividuo a
quem se pe le o sangue, encbe se o tubo
com o liquido o quando die saho pela ou-
tra extremidade, pica-seentao a veia do en-
fermo. Deste modo a bomba nio impelle
senan sangue.
A opera^ao eftectuou-se is 11 boras da
manba, apos doz minutos a doente tinha j4
recobrado um pouco as forgas, e ds duas
horas os allivios erara muito sensiveis, ten-
do ja" as extremidades quentes.
As quatro hot as sobrevinha o appetite.
Deram-lhe uin pouco de vinho velho. No
dia immediato o estomago supportava cal-
dos ; e nos seguintes, -a doente entrava em
convalescents. Decorridos dias, as diges-
toes eram boas, o somno tranquillo, a cura
cempleta. Tinha-se opera Jo uma verdadei-
ra resurreifac.
Ha quem assegur^ que a transfusao do
sangue se braticou pela primeira vez, em
5>5 francezes, Cnamauos Denis o Esmerets, n'um
rapaz de dezeseis annos, sendo empregado
o sai gue de vitella. W enfermo que estava
exhausto, em resultado de Sangrias, cu-
rou-se.
Em 19 de dezombro do mesmo anno,
pratioaram-n'a n'um leuco furioso.
Sftiigraram copiosarhente o doido e enjec-
taram lhe depoiss'ngue de vitella, cuja sua-
vidade dizia Denis, podia tcinperar a exci-
tagao da febre ardente.
A operag3o correspondou favoravelmonte
d tentativa. 0 doente recobrou a razao ;
mas ao cabo de um me/, recahio.
R. petiram a operagao, norem o desgraga-
do expireu ainda antes della terminida.
No momento em que a passagem do san-
gue se roalisava, o doido gritou : Parem que
eu suffoco. 0 cirurgiao red.rguio: Nao,
unda nao teudes bastante. 0 re.ultado
^ostrou qua naquelle instante era o doido
que fallava com acerto.
Em 17 de abril de 1668 foi promulgado
um .icto legal, prohibindo aos cirurgioes de
praticarem a transfusao antes que um novo
methodo fosse approvado pela faculdade de
medicini de 1'aris.
SEGUNDA MENINICE.Para confirmar
o dictado da que duas vezes somos crian-
ras, servo a historia que encontramos n'um
iornal parasiense. .
Existe na rua do Cherchc Midi, em Pans,
um estabelecimento de inculcar amas de
leite, a testa do qual estd uma respeitavel
ostreitis quo guarnecem a; margens do Ta-
misa, invadiudo as ave if das priocipaesdo
Cunmercial r .ad, High street c outras que
correm paralellos ao rio, cobrimlo-se a al-
lura de tres a quairo pe*s.
As ruas tran-versaes tornaram-se- imprati-
caveis durante rnais Jo duas horos.
Em Vine street, York road'a junta do ca-
minbo de ferro do sudooste, i distaocia de
um quarto de milha do Tamisa, a agua
aprosentava u na altura de quatro pes e a
entrada para a estagao esteve durante algum
tempo obstruida p r este obstaculo.
A inundagao causou prejuizos de grande
consideragao.
Um grande numero de velbos e criangas
correram risco do perecer afogados. Obs-
tou a esses desastre- eminentes a prompti~f
dao e intelligencii com que se empregaram
os soccorros publicos.
Succedeu, porom, que em Prines'quara,
uma pobre mulber que estava a dormir an-
dou por algum tempo a fluctuar deitada no
leito, ten-Jo uma crianga nos bra$os.
A crianga afogou se, mas a pobre m
lher foi salva com grande custo..
COOMASS'A. 0 Times, faz a seguintefl
desc-ipcao da sociedade selvagem, cuja ca-
pital era Coomassia, que foi ultima merits
tomada e incendiada pelos inglezes, de ina-
neira quej^quaudo o capitao Sartoritis no dial
11 a atravessou, nao achou vivo nem um.
indigena.
Eis a descripgao:
Nao exageramos se dissermos que Coo-|
massia nao era senao um matadouro. Em
toda a part', por onde as nossas-tropas pe-
netraram, so viram sem sepultura cadave-
res das victimas da mais barbara cruet-
dade.
0 theatro das execugoajs era o montt-
mentomais notavel da rua principal; coma
entre nossos av6s, a igreja, ou a-cruz, era 0
ponto central onde se concentrava a atten-
gio da populagao.
Por toda a parte o ar achaca-se infec-
tado com os miasmas quo os oadaveres em
putrofacgao exhalavam. As ruas, as pragas.
publicas, os fossos e as lagoas estavam cheios
de despojoshumanos.
0 imperio dos acbantis foi o reinado
do terror, nio por dias, ou por raezes,. mas
em estado constitutional,durante annos. 0
rei dos achantis tra o verdadeiro laao da
fabula quo destruia, alim de ficar com a
parte leonina. 0 systoma politico que re-
duzio a tlorestas e a pantanos, urn paiz
outr'ora fertil e cheio de numerosa popula-
gao, fez da^propria Cocanassia uma cidade
miseravel.
A riqaezi de qualquer natureza que
fosse, expunha a possuia. Zxistiam alii, verdade e, algu-
mas moradas de casas que, relativamente
as outras, podcriam passar por palacios ; a
habiiacao real, entre outras, continha uume-
rosos quartos onde se acuavam amontoados
moveis de tolas as especies, livros, trajos
sumptm sos e melaes preciosos ; mas dispos-
to tudo por tal forma quo faz acreditar que
o rei no seu reino, se apoderava de quanta
podia, despojando cs vivos e os mertos.
Havia tambesn algumas casas habitadas
por personagens importantes do paiz. Pa-
rece que estes mesmos gozavam de garan-
tias de seguranra que o povo nSo conhe-
cia.
A Inglaterra tem com effeito uma mis-
sao civilisadora a cumprir, no meio dessas
manche! de latadas onde se depunham os
corpos das- victimas. Um cheiro eadaverko
esten Ha-se por toda a cklade. O especta-
culo de exewrtor de alta jostiga, com barre-
to e vestidos-de pello de macaco preto, se-
melhantcs ao* regalos das damas europeas,
e fazeudo sal tar a cabega de um eseravo,
era para os achantis, o mesmo divertimento
que os romanos eneontravam nos amphi-
tlioa-'ros, e os hespanhoes na* pragas dos
touros. Isto nada tem de exttaordinario
Em todos os paizus onde ha execugoes pu-
blicas,. ellas attrabem a maltidao'de espee-
tadores curiosos, alguns- dos quaes-se entre^
^am acorime mesmo em frente do sup-
plicio.
a Entre os achantis esse divertimento do
populacho achava-se cultivado e desenvolvi-
doato faeer-se delle-um-sentimento artistico.
A decapitagio torfou-se para aqueHe povo
unaa arte-tio seria coma a musica. A
ma da consagrou-lbe dous andamentos : o
allvgro- que consistia em faaer voltear a ca-
begti, empregan lo para isse uma espada
muito afiada impellida por movimento par-
ticular de mio muito habit, e o adagio,
que a separava lentamente do corpo, por
meio de uma serra.
da pena de raorte, o reino dos -achantis^ de-
via ser a paiz da Coeagne,
DlXS SUICIDIO&:Contam os jornaes
estrangeiros dous suicidios de pessoas do
sexo fragil, e ambos- revestidos- de circums-
ciassingulares.
Uma molher ainda dotada de formosura,
mas que tinha sido lindissima, andandoja
summamente desgostosa pelos- estragoa que
o tempo implacavelraente vai operand em
tod&s as creaturas,. ao descobrir ao espelho
um cabello branco, foi accommettida de
tamanha desasperagdo e lour.ura, quo com
um ferro cortanve e afiada golpeou aarte-
ria carotida esquerda, e ainda fez mais dous
ou tres ferimentos.
Isto se passou no seu gabinete ou quarto
de toucador, sem que os eriados dessem fe
d'isso, senio quando uma amiga intima da
suicida se apresentdra a visital-a.
A outra suicida foi a baroneza de....,
que habitavaem Vienna d'Austria.
Por crueis dissabores que so se dizem
muito d puridade, deliberou suicidar-se, o
que e igual a contar que perdeu a razao ;
e se paramentou com trajo rigoroso de noi-
va, que ainda conserva, adornando-se tam-
bom com as suas mais ricas alfaias: depois
apontou um rewolver ao coragao e desfe-
chou. A bala produzio a cessagao imme-
diatamente dos movimentos cardiacos e com
ell a a morte.
OBSERVACAO CURIOSA.Em 1865 o
Sr. Boussingault, segundo refere o Sr. Luiz
Figuier, nas suas Arts Indastriels, fochou
em frascos caldos de vacca e mergulhou-os
n'um liquido refrigerante, a 20 grdos abaixo
de zero. Ainfluencia do frio foi conserva-
da durante algumas horas. Ora o caldo
que servio para essa experiencia foita ha oito
annos, possue ainda hoje todas as suas qua-
lidades ordinarias ; e nao soffreu decompo-
se ao alguma.
Igual observagdo foi feita era sumo de
canna da assucar, mettido n'um vaso fe-
chado.
0 que suggerio a idea d'estas experien-
cias foi um facto muito conhecido dos geo-
logos Em 1804, achou-se na embocadu-
arctico, Ozdrjm descobrir milhares de
elephantes, de rhiuoceront-s e de bufalos
enterrados no gdo, ou no solo gelado.
0 ca33 observado polo Sr. Boussingault,
do caldo que expostc d acgio do frio era...
1865, se tem porfeiiamjnte conservado ate"
ao presente, ainla 6* mais singular do que o
dos elepbantes; porquo os corpos que se
achavara ainda inteiros depois de tantosse-
culos, tinham per.nanecido constantomente
mettidos em gelo, ao passo que se trata de
applicagio de frio foita por ami s6 vez, e
que nai se rcnovou.
. E' preciso convir que no estado actual da
sciencia, o pb:moraei>o e de explicagio difii
eil. Mas em todo o cas causa de applicagovs prattcas ; d este o poir-
to imp irtaule da questao.
FET-TX !)ESC0fiERTA.Acaba de crear
uma nova industria a companbia denomi-
nada Glasslined Pipe and Tube Company,
de New fork.
Com os lubosecanos fabricados por aquel-
la companbia a aguvrficaabsolutsraenteso em
de I nio podia aff^ctar este curso, porq le ainda
que o Vaticano cedessecomo cedeuo
bispo seria condemnado pelos seus aetos.
As ordena da santa se para se submetter as
leis e governo do paiz no futuro nio impor-
tavam a impunidade por actos pretentos.
Este resultado seria ou pode mesmo ser de-
sejado por ser necessario prevenir a gravida-
de das rebellions episcopaes qne eramaraea-
gadoras, e dirigir ao bispo do Pard am pru-
dente app llo para a lei, sendo despojado da
inveslidura. Mas era necessario iuflingir-
lhe as penas pela desobediencia em que elle
tinha incorrido.
Pclas- leis do Brasil, a penahdade em
casos como o do bispo de Pernambaco, e a
pris5o por um peri .do minimo de tfous an-
nos ou maximo de doze annos. 0 tribu-
nal neste caso foi mais severo do que pire-
ce, condemnando o acensado a quatro an-
nos do prisio. A sentenga, segundo todas
as probabilidades, serd commutada, depoi*
do bispo tor soffrido algu,m tempo de prisi).
0 bispo de Pernambuco serd perdoado pelo
imperador e restitoido a sua diocese. O
faclo por que elle foi conlemnadb, junto d
submissio do Vaticano, 6 um fnaanie teste-
munho para o povo do Brasil, da resolugao
de governo om manter a sua independ'encia
da santa si. A carta do cardeal .Intonelli
dando as explicagOes, p61e nao ter sido
bastante para fazer impressio na communi-
d'ade catholica. Como e',todavia, nio p6do
barer duvida do triumpho do estado sobre
contacto com o vidro, nio pode trazer comsi- a aggressiva di3posigfio da curia,
go os oxrdos metalicosque se receiam dos on- w ^* '^possivel nao cony?astar
tros, e nao recebe ltefagio alguma em todo o
seu curso, qne, sendo feito por superficies-in-
teiramentelisas quasi que nio solffe fricgao-al-
guma ; a corrente por tantoe mais faciV,
e a agua p6de subir para as casas, com pres--
sao' menor do qjie a necessaria com tubos-
de igu^l diametro, ma9- simplesmente do-
metal.
Entre o tubo de ferro eo revestimento de
vidro ha uma camada de gesso, corpo mdo
conductor de calofico.
Sem lhante disposigio impede qae nos
paizes fcrfes a agua se congefe duranta o in-
verno ; a permitie que se conserve fresca
durante o verao ; ao mesmo tempi estss tu-
bos nay sao susceptiveis de- explosixn 0
'revestimento de vidroe protegido da hu-
nidade pir uma camada de cimento hydrau-
lico quo se acha em' cada extremidade do
tubo, e que impede que o gesso soffra ahe-
ragio alguma.
A1 resisteneia d'estas-- tubos i- cinco ve2es
superior a do chumbo; e a diffieuldade
que existia'na differeu$a do dilatagao entre
o ferro e o vidro, foi vencida, gragis d ma-
teria plastica e comprnssivel que-se acha en-
tre- as oat.-a-* duas materias.
Os tubos io eriormeate revestjdos de- vi-
dro si j preeio6es pars- conductares de pro-
duotos chimtews liquidos, que precisam ser
iseotos de toda a impureza para cerveja,
poc example? condensa^ao de agua saiga-
da a bordo dosnavios>.purificao.io de ga-
zes> etc.
E'facto bem conheeido qua- os tubos e
canos de ferro fundido teeiu. poros que
dei-xem escapar notavel quantidade de gaz :
masa CQsa d'essas perdas desapparecem
com o processo novo, quo, alera da todas-as
vaatagens que- ennumeramos, torna muito
maisduravei* os canos, cujos oe^ncertos sio
insi^niftcantes.
Cumpre aqui notar que a materia qua re-
veste interiormente os- tubos e propriamftnte
vidro, enao o cbaraado vidrado ou compo-
site metalica, vitrificada ao fogo, e que
e atacada edissolvida- pelos acidos e- por
certos gaze*, como acontece eorn as vasilbas
dc barro vidrado tacbos, aiguidares, a ma-
ailhas das pias de despejo.
QLESTAO ilELRUOSA NO BRASIL.
Do acreditadojornal de Lindres The Hour de
17 de raargo, transcrevemos o seguinte ar-
tigo :
O'telegramma do Rio de Janeiro an-
nunciando qne o supremo tribunal dejus-
tiga no Brasil condemnou o bispo de Per-
nambuco a quatro anuos do prisio pode
causar sorpreza depois da carta do cardeal
Antonelli que nos commontaiaos no nosso"
numero do sabbado 14 do corrente). Este
resultado porem era iuevitavel. Nas ins-
trucgoes da governo brasibiro ao barao
dt; Penedo, communiuava s& que a causa do
bispo seria provavelm >nto decidida antes de
terminadas as negociagoes com a curia, &
que em uenhum caso o gaverno poderia in-
tervir na demora do julgamento. Os actos
do tribunal tinham ja sido prolongados por
mais d'uma vez, mas o pedido do primeiro
ministro do Brasil para.ser adiado o julga-
mento ate concluir as negociagdes com o Va-
ticano, foi docididamente recusado.
0 bispo foi conduzida de Pernambuco
ao Rio ha mais de dous mezes, para se lhe
formar process^ por actos contraries d ei.
A conclusao das negoiiagoes com a curia
hfjoiiiisIe satanaz
POR
O.aiauoelFernaadeay Gonasftloi
QUINTA PARtE
LEONOR
CAPITULO XIII
K COMO A MORTE OOSSl'tRAVA CONTRA LU-
CRECIA.
(Continuagiq do n. 104.)
Paulo diriijio-se para a porta secreia,
procurou a mola e carregou nella.
A porta nao se abrio ; estava fechada por
dent o.
Paulo em vaotentou abril-a.
Ah exelamou elle, esta carta que me
roubju a veiitura, deve annunciar-me uma
desgr/ga.
Vejamos.
E abrio-a. _
A carta dizia nssim :
E' pois certo que te ama a gri-duque-
ct za, e tu retribues essamorl Vais ser
o ultimo eilte feliz que esse demonio en-
controu no seu inferno Sei quo en-
contraste morto o velho d'Arnesteville,
. quando pretendias saber se era ou nio pletamente.
< t^u pai. Que de cousas te succedera 1 De-
^ u e uma niulher iuccmparuY:!. Oh 1
como vais ser ditoso 1 Mas sel-o-hasmui-
to mais porque ella amar-te-ha com toda
a paixao se lhe disseres quem e teu pai.
Vai procurar o Sr. Ludovico Ariosto e
elle t'o dird. Mora na rua de Mira al
Rio e levanta-se muito cedo; eacontral-o-
has escrevendo versos. Vai, e elle te dird
a o que com certeza acabard de fazer feliz
a gri-duqueza.Michelolto.
Michelotto exelamou Paulo; mas
essa lettra nao e a do Sr. Pedro Boncamp I...
e que prova isso sen5o que outra pes-
sou escreveu esta carta? Diz-me que
procure Ludovico Ariosto e elle me dird
3BMB foi meu pai,... logo, nio o era o Sr.
'Arnesieville, nem eu sou filho de Leonti-
na de La Rochenoire I Ah I esta porta fe-
chada 1
Paulo bateu levemente a ella e espe
rou.
A porta nio se abrio.
Passado algum tempo, Paulo tomou a ha-
ter com mais forga.
Succedeu o me6mo silencio.
No relogio da cathedral bateu
noite.
esta sah-
missao do Vaticano no Brasil eom a sua im^
portante attitude- p3ra comg)verno da
Allemaaha. As cenfrarias catbolicas que
recusarara expulsar do seu reio os frane-
macon* da diocese de Pernambuco, excom-
raungados pelo bispo, occupam a analoga
posigao a congregagoes dos velbos catholi-
cos da Allemanha, qne recusara respeitar
e discuteur como 'aAo- de deslruir a igreja
que as evcommungou por tereia recusado
admitlir a tufallihilidade papal. Osadvo-
gados do u^;ramontaniemo negam firmemen-
to que a promulgagoe-da infallibilkiade pos-
sa' dar causa ao grande conflicto entre a
igreja e o estado na Allemanha. E' diflicil
que possam sustentar esta posigao em vista
do que se passou no lteasil. 0 bispo de Per-
nambuco foi oondemnado pelo proper* Vati-
cano, por ser tie! ao dogma em que e fun-
dado o systena-2'do absolutismo pa pah Nao
teria havido oecasiao para contlicto-se elle
proprio nao tivesse estado de boa fe eom o
dogma da i:>'dlibtlid*:Ie, cuja applicagio
foi assim candemnada virtualmente pelo
papa^
Sobre o mesmo assumpto reefeemos
de Roma a segu'mte carta :
Roma, i'ide margo.Os jornaes ita-
lianea-jd reprodtMiram c-ertigo do Jemaldo
Comijwcio do .Rio de Janeiro sobre-a ques-
tio com os bispos. No Vaticano hcarom
poueo satisfeitos com a publicidade dos
documentos. A Voce della Verild, orgao
dos jesuitas, publicou am tres numeros se-
guidoi> um gr_iD.de arttga sobre as cousas do
Brasil.
PROLE NLMEROSA.r-A Aurora, deSil-
veiras, traz a seguinte noticia:
Jose Rodrigues Rentes e uia\agricul-
tor deste termo, que reside no bairn, dos
Macacos, e conta os seus oitenta 3 dous an-
nos, assim como sua mulber, que tem igual
idade, prefa.vendo a sua descendencia o ni>
mero de 176 pessoas,.pelo modo-seguinte:
filkos legitiraos 13, natural 1, Betas 111 e
bisoetos 51; total Hiii. Contaado-se os
dous,velbos troncos de tio graade familia,
temos o numero de 178.
Esta familia vive na mais perfeita ba'i".
raonia, e todos os seus membros moram no
mesmo bairro dos. Macacos, iavran Jo suas
uberrimas terras.
Pontes possuia. bens de fortuna, mas a
revolugjo de 184a, quo agitou esta provin-
cia, deu Ihegraudesprejuizcs; e tendosido
elle um dos quo tomarara parte activa nessa
revolugao, f.i por isso julgado pelo jury da
capital, e ab.olvido. Ponies ainda mdila
nas fileiras do partido liberal, bam como
todos os mombros de sua familia, entre os
quaes nao tem havido desastre algum, e
nem mortes.
O CADAVER DE UNVlHGSSQNE.0
governo britannico resolveu mandar trans-
portar para Inglaterra, a custa da Estado,
o corpo do Dr. I.inviugstone. 0 ministro
dos negocios estrangeiros, lord Derby, deu
nesse sectido as necessarias instrucgoes pelo
telegrapho, ao consul inglez era Aden. 0
cadaver e esperado em breve em Londres,
e serd depositado em Westminster.
A MEDICINA EM PARIS.Segundo o
Almanack de Medic-ina publicado pela U-
niao Medica para 1874, em Paris, oireraa
todo o deparmento do Sena, existem ...
l,63i doutores em medicini e 922 ofliciaes
de saule, ao to Jo 1,956. Entre estes con-
ta mse 21 commendadores da legiio de
bonra, ld6 ofliciaes e 420 cavalheiros, e 40
medicos agraciados com oondecoragoes es-
trangeiras, mas que nio teem a legiio. Es-
tas coudecoragoes sao 'na maior parte de-
vidas ao curativo de soberanos. Dos 322
ofliciaes de saude 10 s.io cavalheiros da Le-
giae de Honra e 4 de ordens estrangeiras,
Para completar esta estatistica deve-se
accrescentar que sendo a populagao de Paris
de l,79i:380 pessdtis, ha um modico para
cada 920 habitantes. E' preciso que haja
pessoas que estojam muitas vezes doeni
para os medicos ni<> morrerern d fome.
AOS CASTRONOMOS.Uma isnmigragao
do peixes d^ arribigao foi observada ulti-
tnanente em Toulon ; era um banco de
anchdvas, tendo perto de quatro legaas de
comprimento, dois kilomeiros de largo, e
um metro de espessura ; os barcos de pes-
ca que se achavam na sua passagem eirtra-
rsm no povto, carregados, quasi a afundar-
so. Milhares de bonitos, de gw'phinhos- e
alguns tubaroes aeompanbavara a colonia,
cuja passagem durou boras.
Es*ja noticia deve seragradvel acsgastro-
nomos ; pois naturelmeBte vamos t8f baixa
no prefjo das ancbovas, que tanta sainete
dao d mayonai&e.
Paulo passou era lethargo toda a noite,
e nem mesmo a luz do dia conseguio des-
pertal-o.
Rompeu o sol, e o seu primeiro raio,
penetrando no quarto atravez os vidros de
cores de uma janella, illuminou o rosto de
Paulo, quedespertou.
Ah 1 exelamou elle com uma espe-
cie de alegria, com toda a alegria que podia
sentir na situacio em que se encontrava. 0
Sr. Ludovico Ariosto levanta-se muito cedo ;
vou saber quem e meu pai.
E sahio, levando na escarcella a carta as-
signada por Michelotto.
Como nio conhecia bem Ferrdra, foi-
Ihe necessario perguntar pela rua de Mira
al Rio, onde o conduzio um pobre homem,
na esperanga, certamente, de uma recom-
pensa.
Quando chegaram, disse-lhe Paulo :
Conhece a casa do Sr. Ludovico
Ariosto ?
Quem nio a conhece em Ferrara 1 re-
Iplicou o guia. E'esta que nos fica na
meia' Frente. Nio estranhe a modestia do seu as-
! pecto, porque lhe basta ser a habitagio do
Paulo sentou-se desesporado e abatido na nosso grande poeta, para que a considere
cadeira occupada havia pouco por Lucre-.mos como urn monumento de imraenso va
cia. ,lor-
A excitagio dos seus nervos, o cahos em' Espere-me aqui, para me servir de
que se revolvU a sua imaginagao, a re- guia quando eu sahir, disse Paulo,
cordagao terrivel dos dous assassinados, J Com todo o gosto, Sr./cavalheiro,
Reinaldo Albini e Jacques d'Arnesteville, respondeu o pobre homem.
o silencio, o isolanento, a imagem arden-, E sentou-se no degrdo da porta.
tede Lucrefiia, tudo isto influio no man- :,Paulo penetrou no pateo da casa, e nio
cebo, causando-Ihe um lethargo quesa apo- encontrou pessoa alguma. Como que ar-
derou lentame to l,iie. o u dominou com- rastado por un poder supeffor, entrou por
uma porta que lhe foi neceesario empurrar,
' e parou subitamente.
d? coao i'allj souat <>cem i ua S0 paim Naquelle aposento era ainda noite. Uma
ocfKAS cousas HctTo i.\tlucs5Astes. Umpada collocada sobre uma mesa cheiade
papel e de livros, apenas desvanecia a obs-
curidade.
Paulo ia retroceder, quando ouviu uma
voz que dizia ;
Es tu, minha irmi?
Queira perdoar, responden Paulo ;
sou um estranho, que, nio tendo encontra-
do ninguem ate aqui, atreveu-se a en-
trar em procure do Sr. Ludovico Arios-
to.
Sou eu, disse a mesraa voz que falla-
ra jd, e que partia de um leito que havia
no angulo do aposento.
Pois, Sr. Ludovico, pego-lbe que me
perdde o tal-o perturbado quando estava re-
pousando ainda; desejo-lhe saude e reti-
ro-me.
Nio; se veio procurarme, aqui me
tem; eu nio repouso, soffro, estou enfer-
mo; agrada-me a corapanhia, e portanto
queira sentar-se. Quem e ? que quer 1 em
que posso ser-lhe util ?
Paulo aproximou-se do leito, sentou-se
n'uma cadeira. e replicou :
0 meu nome e Paulo d'Arnesteville,
gentil-homem ao sc-rvigo do grio-duque.
Ah 1 e francez ?
Nascido era Paris, segundo creio.
Segundo ere I Pois que, nio tem a
certeza disso?
Hontem julgava tel-a, hoje nio a
tenho.
Ario.-to.'quo era discrete, ndoinsistio em
iutorrogar sobru este ponto, econtinuoua
oouvorsagio com u na porgunta do pouca
importmcia :
Quo cargo erce em casa do grao
duque ?
Capitio da escolta dos grios-duques.
ProYavelmente chegou ha pouco tem-
po?

Ma sete dias.
Senio assim, nada tem de estranho
que o nio onhega, porque ha muito tem-
po que, em consequencia da minha enter-
raidade, nio vou ao palacio.
Permitta-me senhor, disse Paulo, que
vista saber jd quem eu sou, e poder dispor
de mira, me retire.
Mas eu creio que veio para alguma
cousa...
Certameite que sim; comtudo, e tio
grave o assumpto que me trouxeaqui, que o
estado em que o encontro me impede ma-
nifestar-lh'o.
P6de fallar; nio tenho febre. A mi-
nha enfermidade, ou, para melhor dizer,
as rainbas duas enfermidades, nio me im-
pedem de fallar, mesmo quando se trata de
cousas graves.
Pois que, padece duas enfermidades ?
Sim, e ambas ellas graves e sobre-tudo
dolorosas. Mas, diga, mancebo, o que ne-
cessita dizer-me, e nio lhe importe a gra-
vidade do assumpto.
Pois bem, senhor, venho pedir-lhe
que me diga quem foi meu pai
Per Baccho, meu joven amigo, isso 6
mais do que grave, e incomprehensivel I
Como quer que eu lhe diga quem foi seu
pai, se esta a primeira vez que o vejo 7
A gri duqueza diz que me parego
muito com uma ella que conheceu n'outro
tempo, e com um elle d quem provavelmen-
to conheceu tarahem; cala os nomes d'esse
elle e di-ssa ella, e leiraa em como nao sou
filho do Sr. d'Aruesteville, gentil-h.nnein
bretao, e de sua esposa Leoultna do la Ro-
chenoire.
Que idade tem ? pe'guntou Arios-
to mudando de torn, isto e, roudando o
modo um tpti? alegre^e suhstitmndo-q por
.+
OBRA- PIA.A associagao de beneficen-
cia que em Franga* se donomina Du Sou
des Chaumie'res, otv do obolo para as casas
pobres, acaba de encerrar os- seus trabalbos.
Recebeu 781:552 francos, e recjustroio
76G cah hi is. 0 Journal de Betfort diz que-
o. departanwnto ou conselbo qne maior
parte tomou nosoccoito d''St* obra pia foi
o-territorio de Belfort ;: 178 cases dos arre-
dores de Belfort foram reconstruidas com
undos forneeidos pela subscr pgao. As Ars
denbas e Senna-e Oise, dois departamento-
que mais soflreram com a guerra, figuram
na lista com 123 casas reediticadas-.
< IB EVE.L ma grevede doze railopera-
rios manifestou-se ropentinamente nas minas;
db carvio de Ssath Staffordshire e da- East-
Worcestershire. Teme-se que teoha algu-
ma duraCta, que se torne nociva ao com-
mercio. Os operarios reeusara SDbmetter-
se-adiminuigao de salaria. qe os-proprie-
taries annunciaram, em consequencia da
baixa no prego do carvio ;.e representam
que a diminuigiO' no prego do generoj ag-
mentando a procure, deve por este-faato
compensar, osdonosdas miuas.
Oft ELEPHANTES BRANCO*.Av adtoi-
nistragao do Jardim das Plantas, em Paris,
esti. para receber um elophante branco.
Serd o primeiro da sua especie que vem d
Europa, por isso que os elephantes branoos
sso considerados no seu paiz como animaes
divinos. Foi o- rei de Siain que offereeeu a
Franca o queseespera. Mas e ainda-myv
terio a razao porque o reino de Siaaa se
priva d'aquelle animal 1
Os elepbantes-brancos sao mais delicados
nas- suas formas do que as elephantes-pre-
tos^ e isto fat com que paregam mais pe-
quenos, mas a sua cdr ea uuica differenga
que distingue uns dos outros.
O SERV1CO DOS OMfSBUS EM. PARIS.
A companlua dos Omnibus em Earis em-
prega actual.nente no servigo da sua explo-
ra^ao 647 carruagens. Desde o 1 de Ja-
neiro ate* 18s de margo o reodim8nto bruto
era representado pela etevada somma de...
768:8393>OO0, moeda forte.
PAUPEPiSMO. O-numoro dos- pobres da
cidade de Londres era, a semana passada,
de 107:280, dos quaes 36:818 se achavam
em casas detrabalho, 70:471 eram soccor-
ridos no exterior. Comparando estes alga-
rismos com os da semana correspondente
dos annos de 1873, 1872 e-1871, acha-
so uma diminui^ao respectiva de 10:410,
11:445 c 33:261.
A sbLUMLNACAO DE PARIS.Serd para
muitas pessoas grande novidade o ser ainda
boa parte de Paris alumiada com candieiros
de azeite.
Em um dos ultimos dias do mez do margo
foi dado do arremata^ao, na prefeitura
d'aquella cidade, o servigo da illuminagao a
oleo, nao sendo inferior a 1,539 os candiei-
ros mencionados na condiglo da arrema-
tagao.
Diz ojornal d'onde tiramos esta noticia,
que esses candieiros permanecem nos anti-
gos conselhos annaxados, taes como, Grenel-
le, Menilmontant, Charonne, La Chapelle.etc
Em 1873 Paris foi alumiada por 83,850
candieiros de gaz e 1,539 de azeite, ; per-
tencendo 612 dos ultimos aos bairros excen~
tricos, como lhes chamam vulgarmoate.
Os 1:539 candieiros do system* antigo
demandain 72 accendedores.
uma grande seiiedade, com um grave in-
teresse.
Vinte annos.
E como foi que a gre-duqueza reconhe-
ceu que nij era filho dosses que julgava
seus pais T
Diz que o meu rosto e o retrato vivo
de uma mulher que se nao chamava Leon-
tina, e que o meu olhar traz d memoria o
de um homem que se nio chamava Jacques.
E a gri-duqueza enviou-o d mim para
que o reconhega ? disse Ariosto cam inte-
resse crescente.
Nio. N'uma carta que deixaram jun-
to da porta do meu aposento, no palacio
ducal, indicavara-me que so o senhor me
podia-dizer o nome de meus pais.
Tem com3igo essa carta ?
Tenho.
Per sittemeque a leia T
Sim.raenhor.
Pois bem, para que eu a possa ler,
queira ter a bondade de accender uma vela
que estd sobre a raeza, e desculpe se nio
chamo alguem para isso, visto que nosoc-
cupamos de um assumpto grave.
Paulo dirigio-se para a mesa, encontrou
uma vela de cera n'um castigal de cobre,
accendeu-a e voltou lentamente, aproxi-
mando de proposito a luz ao rosto.
Ariosto estremeceu ; afflui-lhe todo o
rengue ao coragio, empallideceu e sutfo-
cou um grito.
Tinha roconhecido Paulo, isto e^reconhe-
cera s-mTiIho, tal era asdioelhanga de Paulo
com Genebra.
(Continuarse4ta.)
TVP, DO D.'AHIO. Ill A UUQUS DE WXLv3


-


i-