Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17625


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i

I
ANNO L. NUMERO 87
aaraaasaaidaa ". i i ,
PARA A CAPITAL B LUCAkftfi* IWME Ml* WPAfiA NITK
for tres mews adiauudos......-......
Por sew ditce idem.................. 1*000
For urn aiHio id>m.................. 44*000
.Chda ouiMDmliu............... IBS*
/. oh ^1 < 1 ob
or* nr;;r n 'I Hi
SABBADO 18 IE ABR1L K 1874
1 '...... "Mi- -
DA
KVCIA.
tor ires ooms aduitaiM. .
tot ante ditoe idem .
For ow ditoe idem .
fr oan anno idem.
i ft- ; o *,< ;.
I sift in il .. .; til I -


'
mo
1335*0
HVOM
PROPRIEOADE OE MANOEL FICUEIROA DE FARIA A FILHOS.


In. Gerardo Antonio Airesd Filhos, do Para; Gon$alvee 4 Pinto, no Maranhao ; Joaquim Jose do OliveiradFilho, qo Cearti; Autonio de Leinu* Braga, bo Aracatj ; Joao >Wia Julio Chares, no Ana; Antonio Maaqaee da Silra, no Batal; Joee Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auzencio Monteiro da Franca, na Paranjba ; Antonio Joan Gomes, m Villa da Penha; Be'armino doa Santos Balcio, em Santo Antao ; Domtagoa Jose" da Cost*Braga, em Haxareth;
Aulouio Ferreira de Aguiar, em Gojanna; Joio Antonio Machaeo, no Pilar daa Alajjjota; Alraa d C., na Bahia ; e Leite, Cerqninho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OITICIAL
Miiiisierio do liuperio.
Foram conceiidas as exoneracoes que pedi-
riCQ 3
0 bacharel Gervasio Cicero de Albuquerque
Mello, do cargo de presidente da proviucia do
Pianhy.
0 bacharel Luiz Roinul) Peres Moron.-, d-j de
presidente da proviucia da: Alagoas.
Foram uoraeadui :
Presidente da provincia do Piaahy, o b .charel
Adolpho Laraenha Li'ns.
Presidente da proviucia .las Alagoas. o Dr. Joio
Vieira de Araujo.
Commendadores da ordem da It isa, os subdilos
austriacos, couselheiros Drs. Mauricio Bruhl e E
Kxner, e o consul geral da II lil.uiJa era Vieuna
d Austria, FreJenco d; Re nbjrg.
Poi nameado, > conegn Pedro Peixoto de
Abreu e Lima, para sub-tuuir o monseiihor Felix
Maria de Freius e Albuquerque, Do lugar de ins-
pector da capella imperial, emquanlo esie e achar
no goto de licenca.
Ministerio __Por decretos de I do corrente foram nomea-
(Jos :
0 desembargador da reb.eao de Belem, Manoel
Jansen Ferreira, para o lugar de presidente da
mesraa relacao. -
0 bacharel Firmino Gomes da Silveira, para juiz
municipal e de orphaos dos tennos reunidos de
Antonioa e Morretes, oa provinca do Parana.
Foram reconduzidos :
0 bacharel Antonio Paulino Cavalcante de Albu-
3oerque, no lugar de juiz municipal e de orphans
q termo de Caruarti, na provincia de Pernam-
buco.
0 bacharel Julio August da Silva, do lugar de
juiz municipal e de orphaos dos termos reunidos
de Valenca e Jequirica, Da. proviucia da Bahia.
Foi declarado de nenhum euVito o decreto de 15
da novembro do anno pasiado, que nomeou o t>a
charel Jose Jansen Ferreira ;Junior, para o lugar
jahu, oa provincia do Maranhao, por nao ter acei
tado a nomeacao.
Fea-se mtrre Ja serveotia vital *ia para qae foram provisoriamekte nomeados pc-los
raspectivos presidenles :
A Honors to Ferreira dos Santos e Antonio Car-
neiro de Souza Azevedo, dos olBcios de escrivao
de appellacao da relacao di Foruleza.
A Nicodemus N'unes da Costa, dos de tabel-
Iiio e escrivao de orphaos, de capellas e residuos
do termo do Santa Luzia i.e Sabugy, na provincia
da Parahyba.
Em 28 de mar o deolarou-se ao presidente
da provincia d Pernambuco, em resposta ao seu
officio n. ii. de 29 de Janeiro ultimo, a que acom-
panht u o requeriineiito do capitao reformado Joao
Francisco Antuues, i^edinJo melhoramento de re-
forma no poitj de major, iue nao pode ser alien-
dida a preiencaa do supplicante a visla do dispos-
to no art. 19 do decreto n 5,o7.'J de 21 do corren
te mez.
Communicou se ao presidente da provincia do
Maranhao que ncsta data foi pr irogado por urn
mez, sem vencimento algum, o prazo para o ba-
charel Constantino Jose da Silva Braga, assumir o
exercicio de juiz de direito da ewnarca de Itapica-
rii-mirim.
i nio dos Reis Pereira do Lag >.
I Do 7 para o 5 da refenda arma, o alleres Car-
los Augnsto Ferreira da Assumpcao.
Do 5* para o 7* dito, o al feres Carlos de Miran-
da Santos.
Em 27 do passadc, foi dirigido oseguinte avi-
so ao aju lante general do exereito :
t film, e Exm. St. Em o requerimento a que
se refere a informacao n. 396 de 13 do corrente,
prestada pels reparticao a cargo de V. Exc, o ca-
pitao do i* balalhao de infauteria Antonio Carlos
da Silva Piragibe, pede esclarecimentos sobre di-
versas duvidas que classiGca nos cinco quesitos se>
guiates :
a I.* Se, achaado.se dous alferes commaodando
:ompanhias, na falta dos respectivos capitaes, po-
dem votar em um lenente que nao commaoda com-
panhia para exercer as funccoes de agen e.
i' Se os referidos alferes, na qualidade de
commandaotes de compaohias, pode n como mem-
bros do conselh i economio nscalisar as contas
apreseotadas pelo mesmo lenente agente, e zelar
sobre a alimentacao de suas prai-a-.
i 3.' Se deve a eleiqao recahir em algum dos al-
feres e passar o lenente a assumir o commando da
companhia.
4. Se ao tencnte, seado eleito agente, e licito
aceilar a nomeacao, ou renunciar a ella para as-
sumir o commando da c mpanhia.
t 5. Finalmente, se o tenente nomeado agente,
seodo director da escola elementar do batal nao,
pode exercer os dons cargos.
Em solucao declaro a V. Exc. :
i Quaoto ao primeiro quesito, que os alferes,
que commandam companhias, na falta dos re- pee -
lives capitaes; polem votar em am tenente que
nao commanda companhia para exercer as fane-
roes de agente, porqoe exercem uma prerogativa
inhereule ao cargo de eommandante de compa-
nhia
< Quaoto ao segundo, que ao Gscal do corpo
compete a litcalisacao das coolas apresentadas pe-
lo agente, e qae os subalternos que commandam
companhias nao fazem servico de estado-maior.
a Quaato ao terceiro, qie i eleicao nao devia
recahir em nenhum dos alferes, passando o tenen-
te a commandar a companhia, visto estar o tenen-
te fora do commando, quaodo se proeeJeu a eleicao,
seado qae de oatra forma seria uma imposicao ao
conselho.
t Quaoto ao quarto, que o tenente eleito agen-
te, nao deve, nem pode renunciar a sua nomeacao.
a Fiaalmeute, quanto ao qumto quesito, que ha
incompatibilidade entre o exercicio do lugar de
agenle e o de director da escola elementar, como
ja foi resolvido por aviso de 12 do corrente.
Procedendo as duvidas propostas da circums-
tancia de achar se no dito I* balalhao de infante-
ria um tenente na direccao da escola elementar e
haver alferes no commando de companhias, decla-
ro a V. Exc. que, lendo de continuar na agencia
o tenente nomeado, nao deve elle, quaodo terminar
o tempo que tern de exercer esse emprego, conti-
nuar a dirigir a escola, mas sim tomar o comman-
do de uma companhia, emquaulo houver necessiiia-
de de iMrem eommandadas poi subalternos. ^
Deus g oar de a V. Exc. Joao Jose de Oliveira
Junqueira. >
Heparticite 4a pulicia.
2.* seccaoSeeretaria de policia de Pernambuco,
17 de abril de 1874.
N. 511-Illm. e Exm. Sr. -Partieipo a V. Exc
que foram bontem recoihidos a detencao os se-
guinles mdividuos:
A' ordem do Dr. juiz de direito do 1* distrieto
criminal, Joio Baptista da Rosa, por crime de
roubo.
A' ordem do sobdelegado de Santo Antonio, Ma*
noel, escravo de Manoel Peres de Albjijnorqus
Galvao, a requerimento deste.
Por offlcio desta data communicou-me o Dr. de-
legado da capital que pelo sundelegado de Sanio
Amaro das Salinas foi remettido ao Dr. juiz de di-
reito do respective dislricto criminal o in policial a que procedera contra Manoel Alves de
tal, autor dos ferimentos graves pratieados na pes*
soa de Vicente Ferreira Dias.
Deus guarde a V. Exc. Him. e Exm. Sr. ooro-
neudador Henrique Pereira do Lucena, dagno pre-
sidente da proviucia 0 chefe de policia, A*to-
nio Franciseo Correia de Araujo.
INTERIOR.
de
Em 31 do passado, fi dirigido 6 seguinte
aviso a presidencia de Goyai :
lllm. e Exm. Sr. Sua Magestade o Irapera-
dor nouve por bem, ouvidas as secedes de fazenda
e juslica do constlno de estado, iodeferir, a vista
da doutnna do aviso n. 3"32 de 9 de dezembro de
4865, o requeriinent i de Jose Gouzaga Socrates de
Sa reclamando contra a decaio constanle do avi-
so de 28 de setembro de 1872, que !he negou o
pagamento do ordeoado pelo exercicio de promo-
tor publico interim da comarca da capital dessa
provincia nos ww/.'-- de junho e julho de 18/1, por
tar o promoter eif.-clivo, que era depulado provin-
cial, feilo opcao do ordenado do seu emprego. 0
que communico a V. Exc. para os tins conveoi-
eates.
Deus guarde a V. Exc. Manoel Antonio
Dttartt de Azevedo.
Ministerio da guerra.
Por decretos de 4 do corrente passaram a
ajtgregados, de conformidade com a immediala e
imperial resolueao de 21 ce marco do corrente an-
no, tomada sobre consulta do coaselho supremo
militar, ao corpo a que pertence, o teneate coro-
net do corpo de estado maior de 2' classe, Gabriel
Alves Fernandes, visto icoar-se comprehendido
nas disposi;oes do art.'." 2* n. 2 da lei a. 260 de
1 de dezembro de 1841 ; e em virtu ie da imme-
diala e imperial resolucao de 20 de julho de 1870,
tiaiada sobre consulta do mesmo conselho supre
mo iniliiar, a arma a que pertence, o alferes do 7
balalhao de infanlaria, M,-noel Praxedes de Maga-
Ihaes Leal.
Por decreto de igual data, e em vista da im-
inediata e imperial resolucao de 21 de marco pro*
ximo passado, tomada sobre consulta do conselho
supremo militar, concederam-se as honras do pos-
to de tenente do exereito ao ex tenente de com-
inissao do extincto 35 corpo de voluntaries da pa-
tria Joao Baptista Carrilho e ao alferes reformado
do mesmo exerclo Polycarpo Vieira da i.unha
Brasil, em attencao aos buns servicos que presla-
ram na campanna do Paraguay.
Por decreto da mesi.ia data, e de ejaformida-
de com o 3* do piano qae baixou com o decreto
de 11 de dezembro de 1815, f >i reformado o solda-
do do 17* bathlhao de iofanlara, addido ao asylo
de invalidos da pallia, Verissimo Ferreira de An
drade, visto achar-se impassibilitado para o servico
do exereito em consequeueia de ferimentos adqui-
ndos em campanba.
Por decreto tambem de 4 e na forma da im-
raediata e imperial rawlucao de 19 de decembra
de 1866, tomada sobre consulta da seccao de fa-
'.eada do Cunselbo de estado, concedea-se a Jose
Joaquim da Foneeca, ajoientadoria no lugar de
almoxarife da fabrica da polvora da Estrella, que
exerceu e ticou exlineto pelo refularaenlo appio-
vado pelo decreto n. 2,53.) de 17 da marco de I860:
Javendo coinpetir-lhe o crdenado correspondenta
a) tempo que tiver de servico.
Por por tar i a de 31 le marco Undo conceded-
be a Pedro da Silva Ribeiro a demi-sao que pedio
do lugar de ainannense to escriptono do ajudaute
do director do arsenal da gaerra da provincia do
Rio Grande do Sal
Pur portarias de I do corrente :
Foi nMie*do praticante da secrelarfa de esud.i
Matoias Teixeira da Cunhi.
Foi prorogada por dons ir.ezes, sem vencimeatoi
a licenca cwin que se acia o escrevente de 1* clas
se do arsenal de gaerra da cdrte, Josino Correia
Alraa Quintanilha.
Por portarias de Si a 31 do referido mez de
marco, e de 6 do presente, foram transferidos
Do 11* para o 15 b-talhao de infantaria, "
fares Firmino Ponciano dos Santas.
Do A* para o 7* bataitio da mesma arma, o al-
fares Joaquim Alfredo Garcia Terra.
Do para o 7* dito, o alferes Goncalo da Sou-
za Vasconeellos.
Do 7* para o dito, ) alferes Mariano Jose Pa-
reira da Silva.
Do U* para o 17* da iiu arma, o teaeate Mela-
Ministerio da fazenda.
Por decretos de 4 do corrente :
Foi aposentado Jose Pereira Leitao, no lugar de
1 epcripturaiio da alfandega do Rio de Janeiro.
Foi reformado Manoel Mauricio de Almeida no
lugar de mes e da barca de vigia da mesma alfan-
dega, Calharinense.
Ministerio da agriculture.
Por portarias de 31 do passado, foram no-
meados os agrimensores Christiano Boaventura da
Cunha Pinto, Julio Cesar dos Reis Pereira Cardoso
e Antonio Kritringer, para nadir terras na colonia
Itajahy, na provincia de Santa Catharina.
O decreto n. 5,564 de 7 de marco, tornou ex-
lensivo a todo o imperio o privilegio concedido
por decreto n. 5,479 de 29 de novembro de 1873,
a Jose da Silva Sertori, para inlroduzir nesta cdr-
le e na provioeia do Rio de Janeiro, o sy.-iema de
sua invencao, no fabrico de luvas de pellica.
For poriaria de 31 de marco, foi prorogada
por um mez a licenca coocedida ao engeaheiro Pe-
dro de Albuquerque Rodrigues, encarregado das
medlcoes de terras na colonia de Sania Leoppl-
dina.
Por portarias da mesma data, foram exone-
rados a sen pedido :
0 pharmaceutico da colonia de Santa Leopoldi-
na, Henrique Augasto de Siqueira.
0 estacionario ie 3* classe da reparticao genii
dos telegraplios, Julian Floriano do Espirito-Santo.
Pi r titulo de 6 do corrente, foi nomeado agri-
men.->r Ricardo Lange.
Ministerio da niarinlaa.
Por decreto de 28 de marco, foi nomeado Ma-
noel Jorge da Paixao, para o lugar de 2* pbarma-
centico do corpo de saude da armada.
Por decreios de 4 do corrente mez, foi exonera-
do Manoel Jose Alvares, conforrae pedira, do lu-
gar de 2* pharmaceutico do corpo de saude da ar-
mada, e reformado no posto de capitao de mar e
gaerra o capitao de fragata Francisco Jose de Oli -
veira.
Correspondenciu do Blario
Pernambuco.
ALAGOAS.
MACBIO, 16 DB ABRIL.
Aqui amanbaceu no dia II, o Cruzeiro aV*,
trazendo a sea bor^o o Exm. Sr. Dr. Joao Vieira
de Araujo, presidente nomeado para esta provin-
cia
S. Exc. no intuito provavelmente de poapar a
maitos o incommodo de ir basca-lo a bordo, des
embarcoa com sua familia no escaler da satzle e
policia do porto, qae foi o primeiro a atra-af no
vapor.
Apezar, porem, da ehnva abundante qne cmia,
foi S. Exc. recebido no trapiche do desembarque
pelo Exm. Sr. Peres de Moreno que ainda se acha-
va na administracao 4a provincia, chefe de poll-
en, capitao do porto, quasi tcdos os deputtdos
pro vine iaes, grande numero de funccionarios pu-
bllcos e de pessoas de outras classes que o avom-
panharam ate palacio.
No dia 12, S. Exc. prestoa jaramento e wmou
posse da administracao perante a assemble* pro-
vincial, com assistencia da camara municipJl da
capital, grande numero de convidados e osisoai
que esponlaneamente compareceram, tornanio o
acto esplendido apezar do dia chuvoso.
0 conceito de que goza o Sr. Vieira de Abujo,
como magistrado integerrimo e de illustraca* su-
perior a sua pouca idade, reunido a probidaie po-
litica qne todos lhe reconbejem, demonstran o
acerto da escolha do governo imperial e anfiicia
para esta not re e heroics provincia, uma admnis-
tracao jasta e feconda em tantos bene&cios qian
tos forem possiveis realisar-se sob o pessimojslaio
Qnanceiro qae nos aterra.
Bb'peramoB, parim, qae S. Exc. com o tattnto
robusto que possoe, qnaesqaer que forem as tir-
camstancias, sabera tirar partido deltas no rae'o
das graves difficuidades que o cercam ao estrear_i
jua carreira administrativa, que certaraente se nac
limitara a mera vida de expediente.
A asserablea provincial vttou nas vesperas da
A forea paragaaya qua guaroece a capital com-
f6e-se de 200 homens de poi cia e 30 arlilheiros.
BIO OA PBAT\.
0 president* Sarraiento regressara da ex-
eursao a Coneordu, onde fOra ansislir a inaugu-
r*,-ao da via ferrea enire aqoella cidade e a da
FeJeracae.
Nessa viagem deu-se um incidente que, a ser
verdadeiro, mostra a cousideraeio coin que e tra-
tado pel os argentine* o Bstadu Oriental Coota a
Constitucion de Pay^alldu, que alguns individuos
passageiros do vapor onde ia o presidente, des-
embarcaram na Mesa At Artiaas, ponto do ternto-
no oriental, quando ainda estava em vigor a qua-
reotena esubeleleeida para todas as procedea-
cias da Republica Argentina.
Nao admira isso, porque, tendo*se accord do
em que se expedissem ^imoltaneamente os decre-
tos abriolo os porlos das duai republicas, apenas
o Ertado Oriental cumprio o ajuste ; ate a ultima
hora nao tinham siJo omciakmeiiie abertos as pro
cedencias de Montevideo os portos argentinos, mas
o consul argentino em Montevideo estava autori-
sado particnlarmente para despaenar os navios
qne se desuuasst in aquelles portos.
A IWftjNta Oriental, de Paysandu, du que
passaram por erte ponto nos dias 29 a 30 do pas-
sado quairo navios de guerra argentinos em di-
reccao a Concordia.
Ja comecara regular a navegacio do rio Ber-
uiejo ate Orao, na provincia de Salta.
A camara dos representantes em Montevideo
tinha approvado o seguinte projecto de lei, que
ihe fora remettido pela dos senadores :
Da pronulgacao desU lei era diante toda e
qualquer obrigacao contrahida com a clausola de
pagamento em mocda corrente ou nacional ou em
3ue nao se expresse a qualidade da moeda, enten-
er-se ha que deve ser paga em ouro carimbado
do valor designado nas leis em vigor.a
rio dia 31 do passado a junta de saule re-
solveu que os navios enlrados d porlos argen-
titos ate 6 do corrente ncassem de observocao 3
dias ; dessa data em diante o praxo seria apenas
de it boras, se nao se houvesse dado ate entao
na Republica Argentina alteracaa do estado sani-
lario.
A mesma junta tinha an'^riormente resolvido
que as procedencias do Rio de Janeiro Gcassem
snjeiias a uma quarenteua de dez dias, contados
desde a sanida dos nossos porlos.
Comecara a publiear se em Montevideo uma
nova folha diaria iotilulada -A Idea.
Tinham snspendido seus pagamentos os
correclores Essiug e Lima
Nq,lbeatro das Variedades, em Buenos-Ay-
res, houve uma reuuiao em que se prociamou a
eandidatura do Dr. Avellaneda a presidencia da
republica.
O Dr. Alsina foi escoln do presidente da commis-
sao eleitoral, que na mesma cidade se orgauisou
para sasteolar a causa de Avellaneda.
0 governo argentino abrio um credilo de
959,529 pesos fories para cumpriraenlo da lei de
27 de raaio de 1872, que autorisou a compra de
vasus de guerra e ariuaroento.
A 29 foi experimentada em Palermo uma no-
va peca de artilberia iRventada pelo capilao Ga-
ray, do exercili argentino. Dizem as folhas de
Buenos-Ayres que o resullado da experiencia fot
satisfactorio.
po,sele"s:Ex"c.ra"autor".sacaol>ara um empresti I. Era triste a siluacao Unanceira, de M^vi^'
mo de 300:000*000. para fa'zer Le ao deficit. dosNMSJ* ^Z*rm"
o al-
(overuo da provincia.
>bspachos da pbbsidbncia, do dia 16 db abril
de 1874.
Desetnbargador Alexandre Bernardino dos Reis
e Silva. Infonne o Sr. provedor da Santa Casa
de Misericordia
Major Antonio da Silva Gusraao. Sim, nao ha-
vendo inconveniente.
Antonia Lucia do Espirito Santo. Declare a
supplicante onde foi preso o sea marido.
Antonio Correi Gomes de Almeida.Aguarde o
supplicante que haja vaga
Abaixo assignadus.Dirija-se a thesonraria de
fazenda, qae ja esta habilitada para o fim que re-
querem os supplicantes.
Companhia Ferro Carril.De-se, nao haveado
inconveniente.
Jos* Joaquim Alves Coutinho.Passe portaria
eoocedendo a licenca pedida.
Bacharel Joaquim de Luna Miranda Coato. -
Deferido com o offlcio desta data a thesouraria de
fazenda
Joaquim Gomes de Albuquerque. Jute o sup
plieante a guia.
Joaquim Jose de Moura. Sim, com ordeoado
omenle.
Joao Pereira Barbosa. -Informe o Sr. Dr. ebe-
fe de policia.
Joa piim G >mes de Albuquerque. A peticao
do supplicante foi iuformda em 3 de novembro
prox mo fiudo, pelo com nun (ante superior. Nao
sendu pois, exacto o que allega am relacao ao
referido comiuaudanle. cumpre-lhe salisfazer o
despacho desta presidencia, exarado a respec-
tiva goa.
Bacharel Joaquim Jose de Carvalho Siqueira
Varejao. -Deferido com offlcio desta data a the-
souraria provincial para os fins convenientes.
Joao Bra* da Vaseouceiios. -De se.
Padre Luiz Jose de Oliveira Diniz.-Pague-se.
Lois de Carvalho Paes de And.-ade.-Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Sesino da Albuquerque ^Maranhio.
Indaferido.
Pedro Paulo dos Santos.A' vista da inform*
(So, oada ha a deferir.
orcamentos anteriores c corrente
outro beneflcio pode elle trazer a provincia que
esta onerada de grande divida e v* decrescer sen-
sivelmente a sua renda, por um complexo de cou-
sas difflceis de precisar com exactidao e quasi im-
possiveis de remo/er ao menos durante muito
tempo.
O dispendio dos dinheiros da provincia era obras
improductivas, a creacio e mantenca de empregos
e reparticSes que so comportaria uraa provincia
de largos recursos, a baixa do algodao e assucar
e outras cousas reduziram o orcamento provincial
a uma causa que esse norae nio exprime.
Sera ja uma tarefa patriotica restringir o deficit
existeote e paralysar o crescimento da divida por
operacoes de crdito qae allivie os encargos do
thesouro provincial, quaoto ao pagamento dos ju-
ros da divida existente e a diminua pela amortisa-
cao certa e regular, embora em longo prazo do
emprestimo que for levantado.
Cremos que o Sr. Vieira de Araujo sabera su-
perar as difflculdados financeiras da proviucia, li-
vrando-a quando menos de outros compromissos e
empenbos alem dos que ja infelizmente a acabru-
nha.
Hontem a assemblea provincial ja havia dado
uma prova significative de apreco a administracao
que acaba de findar, enviando ao Sr. Dr. Peres de
Moreno u,na commissao para felictta-lo e agrade
cer-lbt os servicos prestados a provincia.
Hontem teve lugar uma missa nest a capital por
alma da virtuosa Sra. duqueza de Caxias.
Assistiram ao acto qae foi mandado celebrar
pelo juiz de direito da Imperatriz, S. Exc. o Sr.
presidente da provincia, depulado geral Dr. Sobral
Pinto, varios depntados provinciaes e outras pes-
soas gradas.
DlARIubEPER^ilBUtl)
RECIFE, 18 DE ABRIL DE 1874
liotieias do sill do imperio.
Hontem chegou do sal do imperio o vapor bra-
sileiro Parana, trazenao datas : do Rio da Pra
ta, do Rio Grande do Sul e de Santa Catharina
2, de S. Paulo 8, do Espirito ;anto 3, do Rio de Ja-
neiro 10, da Bahia 14 e das Alagoas 16 do cor-
rente.
Alem do que damns sob a rubrica ParU Official,
encootramos nos joraaes o qne segue :
REPUBLICAS DO PACIFICO.
Noticias da Patagonia dizem qae os indios se
achavam alii em gaerra uns com os outros.
Comecaram a ser publicados : em Buenos-Ay-
res am jornsl inlituladn Daily News, a em Mon-
tevideo outro denominado La Idea.
Havia noticias do Paciflco-
Entre Honduras e Costa Rica estavam um poaco
aplanadas as dif&culdades. Honduras entretanto
ficava a braces com a gaerra civil. Em Costa
Rica, pelo contrario, havia pai e notava-se muito
mo ri men to indu? trial. Houve em Carthago gran-
des festas pela chegada da primaira iocomotora.
0 presidente da republica, general Guardia,
deixara o poder, aue passou a ser occapado por
D. Salvador Gonzales.
Da Columbia nada ha importaate, nem de S.
Salvador.
tm Veuezu-la pMseguiam os trabalhoi da es-
trada da ferro de Caracas.
A republica de Guatemala tratava de abrir no-
vas estradas a estudava alguns trabalhos sobre
instruccao publica
0 congresso do Equador autorisou o presidente
desta estado a contratar a constroccio de am ca-
rainho de ferro de Milagro a Guayaquil.
REPUBLICA DO PARAQUAT.
As noticias erara satisfacurias.
0 general Vadia fora muito bem recebido em
As.-uiitucao.
DLia-se qua o governo paraguayo mandaria a
Bolivia um agente diplomatico para, da aceordo
com o Sr. Uribuni, rapresentanle argentino, re
solver certas quastdes aubra limites.
mas nenhum de ""aballio e de transaccees commerciaes.
RIO ORANDE DO SUL.
H vendo se deseuvolvido muito a febre typhoide
na margem e-'querda do rio Cahy, entre o passo
do Pesqueira e a fazenda dos Mprretes, mandara
a presidencia para alii um medico e uma arabu-
lancia para soccorro dos pobres.
Decrescia a inteosidade da variola em bant An-
na do Livramento.
Refere o Onze de Junlio de Jaguario que o
cadete Candido da Silva Martins, do S. reguoento
decavallaria em gaarnicao alii, impetrara liceaea
da presidencia para vir ao Rio de Janeiro, afira de
fabricar no arsenal de guerra uma raachiua de
sua invengao, destinada a fazer navegar sem o au-
xilio do fogo nem do vento.
Le se no Diano de Bage de 17 :
Honteraas 10 l/J boras damanha, ^chando-
Ue reunidos na casa da ordem do quartel do 3.*
regiinento de cavallaria, o coronel eommandante,
lenentecoronel, major e mais offlciaes do mesmo
lorpo, alii entreat o cadete Jose Alves Caraeiro
lunior, que, arremessando-se contra o tenente J i-
ie Ignacio da Silva Azevedo, deu-lhe uma facada
|*obre o peito, maiando-o quasi insUnlaneamente.
c Foi com tal forca despedilo o golpe que par-
'e do cabo da arma penetrou na ferida, e a rapi-
lez com que o assassino praticou o crime, nao deu
ugar a que fosse s,occorrido.
t Referem-nos que na occasiiio de ser preso de-
ilarara o malvado que ainda lhe faltavam mais
?nas victimas. Ele cadete achavase preso e
respondendo a conselho por crime de desercao ;
porem attendendo-se ao seu estado de demencia,
leixavara no andar solto no quartel, vigiado de
naneira a nao sahir. Contam-nos que muitas ve-
les o demente jurara vingar se do desditoso te-
sente per offensas qua dizia ter d'elle recebido.
Entretanto, ignoramos completaraente quaes essas
offensas e o verdadeiro molivo que levou-o a pra-
licar lao lamentavel assassinate, a nao eer am ca-
sricho de doudice. E flem-se la em raalucos I
c 0 ass usinado era solteir* e natural de uma
las provincias do norte ; segundo diz se, eonsig-
nava parte de sea soldo a quatro irmis, de qaem
era o anico amparo I
< Fatal coincidencia I Na propria maohi em
qne a esta chegava o Sr. tenente Etoy qae o devia
substituir, visto qae haviam obtido transferencia
de corpos, e qae o raalfadado Azevedo alegreraen-
te se apromptava para segair para o seu destino,
saboreando de ante mio as delieias qne ia gozar
na companhia dos entes qneridos de seu coracao,
cabia ao* golpes do puahal de am demente, privan-
do assim aquellas frageis creaturas do seu, talvez,
anico protector eamigol
Na mesma cidade a loja raaconiea Fraterni-
dade trauva de promoter a constructed de uma
casa de caridade.
Cbegara a S. Gabriel o coronel Manoel Deo-
doro da Fmseca, que se acbava incurobido da com-
pra de 3,000 mulas para o servico de artilheria.
Constava quo o presidente da provincia ha-
via mandado asignar com o Dr. Francisco v'uoes
de Miranda, o contrato para a construccao do
caes do Rio Grande.
Em Pelotas, duas pracaa que esta vam em-
briagadas. comecaram a altercar: am alferes
tando conhecimento disso, e receiando que passas-
sem logo a vias de facto, raandara preade-las. lam
as duas escoltadas, quando em caminho uma del-
la* virou-se repentinamenta, apoderoa-se da baio-
neti do camarada, investio logo para aquelle com
quern estivcra altercando antes, e ferio-o.
Feilo isto doclarou qua ia deitar-s a afogar e
nao foi possivel disauadi-la disso nem dele-la, por-
Jue achavase bem armada e amaacava enforeci-
a lodot quanto tenUvam agarra-la Assim foi
gaabando terreno ate qae efcegou ao arroio, pro-
ximo do conurae do com-neodador Pimanta ; ati-
rouse n*aguaecaminb.au ale qua perdendo o pe,
Esta praca chamata-ae Joio Manoel Joaquim ; o
nome do ferida ft Iota Meiiiaa Pereira.
- Use nas (oMas de Patotta
xar se- ao capitao Thoodolino .tatonio da R .sa que
um soldado de policia a maltrataxa, accrescentan*
do que se achava nesta cidade am capitao dos
bianco*, que andava aliciando gente para seguir
ate o Estado-Oriental, estando atsso dispostos al-
guns policias, entre elles o mesmo de qaem ella
se queixava. 0 capilao TheoJoiino, aitendendo as
suppiicas da infeliz, acoinpanhoura ate a casa de
sua residencia, e quando passava pela rua do Ge-
neral Ozurio, mosirou-llie ella o indiviluo de
quem> fallava, e qae casualraeate fora por elles en-
contrado. Dirigio-se a elle o capitao Theodollno
e petgunlou-lhe em que se occupava, lendo como
resposta que era tropeira.
0 eommandante do destacamento policial orde-
nou entao a alguns soldados >me prendessera
aquelle individuo, e Unto baslou para que elle,
puxando uma pislola, dedarasse que nio se en-
tregava a prisao, e immediatamente disparasse um
tiro sobre o capilao Theodolino. FelizmenJe, nem
esse tiro, nem mais do us. que a capilao cUsparou,
acertaram.
Os soldados a vista disso fizeram lodo o possi-
vel para premier o desordeiro, porem elle conse-
guio fugir, pulaodo para deolro de um quintal,
passando por outros e indo finalmente sahir no pro-
prio quartel da policia, em cujo lelbado se conser-
vou. Nessa occasiao o* policial Manoel Joao San
Itago, cum a e.-pada desemba nhada, dirigio-sa a
elle e teve a infelieidade de receber um tiro, cuja
bala, penetrando no coratao, deu-lhe a morle ra-
penlinamente.
Foi ditlicil ainda prender o alrevido e malva-
do, que eontinuou a disparar alguns tiros. Sahin-
do allnal para a rua, um policial arrumou-lhe com
am tijolo na cabeca ; ficando elle atordoado, dei-
xou cahir a pistola.
0 assassino cliama-se Joao Jose da Silva, e,
como dissemos, e capilao dos blancos e andava
aqui aliciando gente para o acorapanbar ate o Es-
tado Oriental Aeha-se l'elizmente, depois de mui-
to custo, recolbido a prisao 0 Sr. capilao Theo-
dolindo fieou com a mio direila algum tanto offen-
dida, e o cabo Floriano tambem licou ferido.
< Hontem, teve lugar o enlerro do infeliz Ma-
noel Joio Santiago, que era uraa das melhores
pracas da policia e contava apenas 20 annos de
idade.
Noticia a Reform* de Porto-Alegre, de 27 :
Na noile dc quarta feira, as 9 hora*, dau-se
na antiga casa do fallecid > Travassos, sita no Ca-
minho Novo, um lamentavel confliclo, de que re-
sullou a morte de um soldado do balalhao 12 de
infanteria
< A caia rel'erida 6 occupada por diversos in-
quilinos, e era um dos seus extremos esta estabe-
lecido com negocio o Sr. Felippe Lopes de Billen-
coart, que a hora aeima indicada aehava-se em
companhia dos Sr. Hyppolilo Jose Soares, Fernan
do de Freitas Travassos e Antonio Jose Gudinho, to
dos, mocos muito dignos, bonestos e geralmente
conhecides e apreciados na cidade pelas suas dis-
tinctas qualidades. Conversavam estes senhores
era uma sala proxiraa a em que um o Sr. Felippe
negacio. Ne>u achavam-se reunidas muitas pes
soas, entre aa quaes quatr i ioglezes empregados na
estrada de ferro de S. Leopoldo.
t Repentinamenie eotrou na casa de negocio,
lardado, armado de refe e com gestos amea^ado-
res, um soldado do 12* qae desde logo comecou a
provocar a todos; inlervlndo com toda a pruden-
cia e moderacao os Srs Felippe Bilteacourt, Fer-
nando Travassos, Hyppolilo Soares e Godinho, con-
seguirara que o soldado sahisse para a rua. Tres
vexes repetio se esta mesma scena, e qaaado pro-
curavam aquelles senhores irapedir nova entrada
do desordeiro, este aisallou-os, pulando da fora
para denlro, por uma das janellas, arreme^ando-se
em seguida sobre o dono da casa de negocio, des-
car. egando-lhe golpes le refe, qua foram, felizmen-
le, evitados. Entao, lancou mao o Sr. Felippe de
um rewolver qua se achava sobre uraa prateleira
para defender-se do seu aggressor. 0 Sr. Antonio
Jose Godinho, com o intuito de impedir, em um ul-
timo esforo j, o resultado fun;sio que parecia im-
minente, iutrepidamente arraneou dai raaos do Sr.
Felippe o rewolver, procurando, sem descarrega lo,
cooler o soldado. Esle, porem, cada vez mais fa-
rioso, sedento de sangue, redobrava na aggressao,
atirando golpes repetidos sobre o Sr. Godinho, que
encontrava entao diante de si. NesU terrivel con
jectura e na legitima defeza de sua vida a da das
pessoas que alii se achavam, descarregou o Sr.
Gwdinho um tiro de rewolver sobre o soldado, pe-
netrando a bala no venire.
a Sentindo-se fen lo, disse qua uio linlia medo
do cheiro da polvora, o que ia m strar. Da facto,
alirou novos golpes, e quaodo parecia certa maior
desgraca, o Sr. Godinho em um momento de extre-
ma decisao, desfechou segundo tiro sobre a cabeca
do desgracado, que entao cahio vencido.
a No bond das 9 1/2 boras, veio o soldado qoasi
moribundo para a cidade ; e nessa mesraa occa-
siao os Srs Hyppolilo Soares e Fernando Travas-
sos deram parte do succedido ao chefe de policia,
apreseniando-se hontem a essa autoridade o Sr.
Antonio Jose Godinho, que prova coin grande nu-
mero de testemanhas a legitimidade do acto, qae
em sua defeza praticou. A nao ser o rewolver de
qae se armou o Sr. Godinho, Uriaraos boje de de-
plorar o assassmato de um raoco bom a estimavel,
que ia tendo sorte igual a do desventurado Hen
rique Guiraaries, vielitna, em am assalto igual, do
ferro homicida de um soldado, tambem sedento de
sangue, do 4* batalhie da infanteria. >
Falleeeram : em Pelotas, o teaente Pruden-
cio Jose da Silva, que varias vezes deserapenhara
alii o cargo de delegado de policia ; no Rio.Gran-
de, o subdito portuguez Domingos de Sooza Ca
ravana.
Relativaraente ao conlrabando na fronUira,
escreveram de Sant'Anna do Livramento :
c Org jnisuu-ee na rronteira uma companhia que
tem por Gm apprehender os eontrabandos, sendo,
porem, os proveitos para elia e nao para o gover-
no. A companhia ha pouco crgaaisada vai colhen
do os melhores resultados. Sabe-sa, por exeraplo,
qae em Ul lugar deve ser passado para o urritorio
brasllairo am conlrabando ; socios da companhia
apresenum-se embargando-o no caso de nao Ihe
darem certa somou.
t 0 pasaador do contrabando, para nao perder,
cede, a somma pedida : elles deixara-o, mas avi-
sam os socios que em outro ponto aguardam a
passagem do mesmo contrabando, onde fazem a
mesma exigeneia, e assim por diante.
c 0 resultado 6 faeil da prerer: a visla da ex-
istencia de uma companhia qua se ha de ramiilcar,
o contrabando deve diminuir e extinguir-se mes-
mo, porque nao havera, era wnsequeqcia, quem
queira sacriflcar-se. Em boa bora apparecen uma
Ul companhia. >
raiuriA.
Apenas eacontramos a seguinte noticia digna de
raensio e publicada no Commerci) do Parana :
t No dia 24 do corrente teve o delegad} de
policia denuneia de haver-se perpeirado um
roubo d S-.OOCi, mais ou menos, pariencenles
Manoel Jose Leaes, morador na roa da Misericor-
dia, e negocianle da praca do Mercado.
a autoridade procedeu im madia: i.mente ao
Oespectivo corpo de rtelicto e at aacessarias ave-
riguacoes, tando- obtido ja a prisao de cinco mgU-
zes em Coriiiba, encontrando-se em poier de am
delles paru do dinheiro am ouro. Coutinuam as
indagaode*. >
S. PAOLO.
Achava se interrompido o trtnsUo. da estrada da
110 boras da nolle, maisonlferro entre Santos, tl Paulo nor causa da des
menoa, urnanwinar,4anome Raphaela, foi quei-lmoronameatos tavidos na sarra.
A este respeito diz o Correio Paulistano, de 7 :
]. A interrupcao deu-se entre os kiloraelros I4
e 13 perm da poole do CnbaU0- Hoove inunda
eao do rio Piassagueira, afflaente daqaeile. Na
serra hoave alguns desraorooam solos mas sem im-
porUncia e foram remodiados pelas 2 boras da
Urde de bontem.
a Se nio coniinoarem as chavas, e possivel
qua se resUbeleca 0 trafego amanhi; se, porem,
continnarem nao 6 possivel precisar agora quando
se resubelecerao as communicacoes.
Segundo noticia 0 Jornal de Guaratinguetd, a
unica empreitada da estrada de ferro de S. Paalo
ao Rio de Janeiro, qae nio havia sido ainda to-
mada, e que e a. que vai ate Cacboeba, ( extrami-
dade da hnha ), aebava-se ja eontratada por
Manoel Ferreira de Lauro Junior 4 C, tendo sido
os trabalhos inaugurados na seraana passada.
Em Cunha, no dia 2 do eorrrenie mez, 0 alferes
Joao Carlos Freire e 0 professor publico Antonio
Jose Vieira estabelecerarn uma anla, para 0 ensino
gratuilo de lalim, francez, geographia e systema
metneo, a qual Ja era frequenuda por moilos
alumnos.
0 vapor Colma earregara em Santos para
Hamburgo 8,0JO sacjos de cafe, pesando 481,800
kilos, e deixando para a alfandega am rendtmen-
to de 30:O37lOO, para a mesa de rendas......
13.8954600 e para a camara 107*820; total
44:03 4 *32o.
Fallecera na capital 0 abastado proprieUrio Dr.
Raphael de Araujo Ribeiro, natural da provincia
de S. Pelro do Rio Grande do Sul. Era irmao
do barao do Rio Grande, senador do imperio.
Tambem falleeeram : alii 0 capitao Jose Cus-
lodio da Silveira, e. em Tanbate, vktimaa da va-
riola, Joao Murelino de Sonza e Manoel Eufrasio
de Camargo.
mo Vr I'.neibo.
Lemos no Jornal do Commersio :
Dia 0 Tribuno do Povo de Macabe em 4 do
*orrente:
No dia 31 do mez proximo passada fandeoa
neste porto 0 liigar ioglez Elisn, -,*m carrega-
mento de material para a estrada de ferro Maca-
be e Campos. E' 0 oiuvo navio transatlantic de
grande calido que vein a descarga na Imbiliba, e
ainda ha poucos dias 0 vapor Guanabaia, da
eompanhia de pesea desse nome, alii foi desem-
barcar e tomar alguns passageiros, nao tendo po
dido eotrar na Concha pela insufficiencia da agoa
nesta enseada
a Alem dos navios inglezes teem descaregado
no porto da companhia da estrada de ferro di-
versos navios da nossa eaboUgem, sempre com 0
rrelhor resultado, 0 qae e indabitavelmente uraa
prova pratica da excellencia daquella baeia, onde
a natnreza reunio todas as eondi^oes para ser 0
porto do norte da provincia.
a Consta-nos que eslao em viagem outros
earregamentos com ignal destine deste do liigar
ioglez Elisa, e a chegar mais duas tocomoiivas
iguaes a priraeira, aciualmente no servico do
laslro. 1
Sob a presidencia do Sr. barao de Paqueta.
servindo de secretanos os Srs. commeadadores
Ramalhe Ortigao e Freitts Castro, renniram-se
hontem ( 7 ) 69 ac^ionisUs da companhia Loco-
mo to ra, representando 8,100 accoes com 680 votos
presentes.
v Passaodo-se a eleicao da direcioria, dos sup-
pleotes e da seguoda commissao de conUs, fo-
ram eleitos os Srs.: barao de Paqueta, presidente;
Angelo Eloy da Camara, I* secretario ; para sup-
pleotes os Srs.: comraendador F. de Paula Santos,
do presidente ; F. J. de Aranjo Ferraz, do I*
secretario ; Joao Valverde de Miranda, do 2 dito.
Para a commissao de contas foram eleitos os
Srs.: Mello Franc, F. de Figueiredo e commen-
dador Ramalha Ortigao.
Hontem ( 7 ) a uraa hora da Urde, reunio- '
se a assemblea geral ordinaria dos accionistas do
banco predial, sob a presidencia do commenda
dor Manoel da Rocha Miranda, servindo de
secretaries os Srs. Zeferino Ferreira de Faria e
Joaquim Pedro da tfacedo Junior.
a Achavam se presentes 24 accionistas, repre-
sentando 5,263 accoes.
a Lida e approvada a acu da sessio anterior,
foi dispensada a 1-ilara do relatorio, -e passou-se
a eleicao da commissao de contas, que ficou com-
post 1 dos seguintes Srs. : Dr. Jose Francisco
Vianna, Lniz de Mattos Pereira e Caslro, com-
raendador Leopoldo A. da Camara Lima, Zeferino
Ferreira de Faria e Dr. Antonio da Roeha Miran-
da e Silva Junior, a
< Na sessio de 9 do corrente da assemblea pro-
vincial do Rio de Janoeiro ficou concluida a veri-
flcacio de poderes dos membros da assemblea.
1 Reconhacida a incompatibidade dos Srs. Joao
Dias Cardoso e Dr. Pelro Telle3 Barreto de Me-
nezes, e porUnto a nullidade de soa eleicao.
foram declara ios membros da assemblea pelo 4*
distrieto os Srs. Dr. Jose Ildefonso de Soaza Ra-
mos Sobrinho e Dr. Galdino Fernandes Pinheiro.
t Quanto ao 3* distrieto, na questao entre as Srs.
Drs. Joao Monteiro da Laz e Josino do Nascimento
Silva Filho, foi este ultimo senbor reconbecido e
declarado membro da aserablea por 13 votos con-
tra II, sendo rejeitada a emenda do Sr. gene-
ral Castrioto para qae fo>se reconhecido 0 Sr.
Luz. >
c No dia 18 do mez passado, na freguezia de S.
Jose da Boa Morte, provincia do Rio de Joneiro,
Elesbao, escravo de Francisco da Veiga de Mene-
zes Barbuda, tendo soffrido um pequeno castigd
de seis bolos. dirigio-se para a sua sentala, e, cha-
mando uma filha de 4 annos, por nome Amelia,
deu lhe u u grande golpe no venire com um facao,
fallecendo esta poucas horas depois. No dia 21^ foi
Elesbao encontrado morlo, e procedeodo-se a corpo
de delicto, reconheceu se ter elle se suicidado com
0 mesmo facao com que malara a filha.
A morUlidade da cidade do nio de Janeiro da
16 a 31 de marco ultimo foi a seguinte, conforme
0 boletim do conselbeiro Pereira Rego, preiidente
da junta central de hygenie publica:
< Causas de morte. Febre amarella 103, ditas
reraittentes e inlermiitenles 41, variola 4, lym-
Shatiles (erysipelas) 7, bronchites e pneumonias
5, eongestoes pulmonares 2, tubereoios pnlmoaa-
res 66, lesoes organicas do coracao 25, diarraea a
dysenterias 12, affeccdes do figado II, phlegmasias
cerabro-espinhaes 31, apoplexias e coogestdes ce-
rebraes 13, convnlsoes 19, tetano d s recemnasci-
dos 21, mortes violenUs 12, mortes de nascimento
27, outras causas 100. T0UUM8.
< Nacionalidade: naoidnaei 315, eetrangeiroe
203, ignorada 10.
Coodicio : livro 463, escrava 59, ignorada 4.
< Sexo : roasculino 358, feminino 170.
c Idades: ale 7 annos 113, da 7 a 15 113, de
23 a 40 124, de 40 a 55 95, mais de 55 55, igno-
rada 28.
< Localidade : domicilios 296, hospitaes mil'U-
res 17, idem civis 215.
A este respeito o mesmo conaeiheiro fax as se-
guintes observaoSes:
Deste quadra lorna-se evidenle :
1*. Qae a raorulidade geral foi maior nesta
quinzena do qu na antecedente, havtndo mats 47
Ullecimeotos. .....
2*. Qua essa differenca (01 davida ao angman-
lo dai perdas causadas pelas febres de infeccao.
3*. Qne depots destas, as molestias que mais
eoacorreram ptra 0 augmento da cifra murtnaria
foram as do apparelho cerebro espinhal.
c 4*. Qae an eompensacao ao decreeoimento
sensivel das perdas devidas a variola, angmenU-
ram a causadas pela febre amarella, regulande a


*;
,1*1 .I'. iL:a.> i, ,., nO^i^ de Pemambuea g^hado 18 do Abril de 1874. ^^
T
wt*arircr
S. Fmafcuente, que ji media.
O Caloe^Hftve-se m altos "grids em Mo
5te pertodaggSiWe ao correr da 'maahi,- eat
qtw tea ina|MU(rel assim come da nofte pel*
calma, enl%||||nts. Jlarcando o thermometro,
com raras excepfdos, semsre mats de ia*
fionve em que sabio pan tarde a 90' e mafc.
Forma ram-s*
tarde para NO e
fez-so sentir nest
muitos relampa.
cando o pluvio
ne.-se dia, bo
viam rouco; 4
ram alguns eh
Os grao
-760 e 731
a ()s hygnnnjHri
86": apenasew seis
boras entre <9 e 75.
0 dia de rnaior morlat.dade foi
que hoiive 4< fallecimentos ; e o
tf.tffl.OHU*l I
Mo hoove hoje cotacSes offleiaes.
0 mercado de cambio oonserva-se
A* apolices geraes alguins actividade a
diubeiro.
No mer;ado de aeciies apenas nos constou
a yea da de urn pequeno lote das da companhia
411 Wnw'itH I'dBUiava. a 7#J cada uma, a di-
nheiro.
A-'viaas-Ueaafe ifuraai mesas que regu-
iarrs e ; as-ileflss-ucar p-'fueoas pam consumo.
H tkotmuM uin/jUftvio jmra .Unupioo-Riads a
nto^maa
vgWPrtr
o dia 34 em
de menor o dia
cample
i:lMtU, i'U*]* & l:040#, a
itversas"ieceS"des *Sffl(5sja fl
j; iltos'inteToMfs d*. ordem ^iiorat, at:
Domica; V. 'Es dea lues t> deseavoFviraeoto
palivcl ( Na.ordem moral, V. Ejc consolidoa qjOHhj
perm da lei e da Joal^ac iaspirahlo 'aos sedsfo.
nados a conflanca na repressao do crime, e ga
, proxHw {19 waar-e
s.iciedade em essia erdinaria, a hara
dociijuimo. Ordemao dia : l-paita,
'WTHbA V CHJW t metkoao ecperime,
*Hkjmfilimk 1-0 net tciencia*
aaJala^BtaanwPJimunlo pelo Sr. A. Ifeira
QHtNPMi WVarcbico bereditario e
com a dignidaae de umi aaeio T
SateledHtdte Propantdtora da
J 0/77
a, preta, Penumboers
diarroea
II mazes
,~5a"
< IJIO'I lUtf*
Maria da Coaoeica >, wad** sterna mbu jo,
I. solteira, SaaU AatoiKI^lgren'i.
pardo, Pernamaaoa,
!-
s, Ke;i*i;
Pedro de Nascimon(*fci4i-eto, Pejtaam-
,co, 50 annos, solleiro, Recife ; lubercala* pul-
monares.
rou dilfereoles
'memo da Bolivia, que aclualmente e feito com' o
*fe 3sm>ffiaf^m.lr^ ^-KiTTmrT-,., ,-iBfif d-e.-W'za. J. \.coiiseguio obstar, na au.^n- eonstruccao "da via ferrea do Madefra ao MaTnoreT
_usasnoticrasc..ra HiraaThta : c,a -do poder legislative, que a cr.se Unanceira isto'e, cToPara aTloKsia, como a deseripjao daa
assumisae proporcoes assustadoras.
Sem embargo de suas boas ioteacoes, e pan
nao desameader as circumslaueias da {iroin^a,
cujas rendas decresce toaos os aias,*V. Txc. leVe
a.sumu pradeoftia e diMtifao.jde. adoj, p^i< .fe^a^^wssa^"*,*** eo>,a iroviociat do
tempos uais opportunos, a aatisfa^ao das necessi- Amazonas e do Para.
dades iiieiliurajnotHns, quefecUwa o..profifso -.E' essn trabatlio .n-.uio^qiBOT*nle,,
moral material de^ta provincia. pelos d?dos estrtistjeos que eomem sobre^as re-
aassemblea legislativaprovinciatdas Atag"a?. jpocsque devra setatrwesaadarporrprctta-ria
cunippe, qesto momento, um dever d; rigorosa ferrea.
fJMst^a'dirigindo a V 'Exc. artia 'demonstravao ^e camta>-A<>a'd'ic4n:m-'o n.
seu prdfundorecontiectmento e louver'peMS rele- 63 desta irlte^ey*anle':r^?vist,"^re, qe "riublica-io
wntrs servl^os, que tanto distrngnem *-rec6m- Rio de Janeiro ; contend*) :
jwdofi,l(41a,^p.fc|,ftuiB.lpaa ,Nsw-rk., dUo u niendam a beDeUea'adininijtra-cUode'V.fxc.
-30^, au>t^s.fim.5i it^A jalfjifld^ga^ Ttmim-M i.aiftdo cerreote
No dia -3u do.,pasjdj-tiouve T&brum oa ea
pt-iU nactonal, e crtej<), so oalacio do go rernu,
a I'fllgie de Sua, .Maae.-taJe o Imperador. A'-aoite
illaiiMuou sc a oidade.
Fm pm.iicad.) o contrato celiebrado eolre o #>
wruo d;vp(i)^iiKia e o Sr. Thoiuaz Dutlon Ju-
nior, para a liiupeza e desofotrucnao drjs .rioe
Suvm; Piuijia, e, jnanegajjo. eutre o$ portos Ue
Wjpemifiraj Rimna, Benov.eale e,Guarpary.
HAW*.
~ Cb^arai^ili-a corwea PaK&iue, em viagem
do .noss.0 no*lo,pelo,de M; cei4
Artjbara, do dia U), por Itr. so'!ri no,l^me, o.pajacJw diaamirquez /. F. Eriakwi,
Capita"J, 1' K-)l com carreijamenio ae trigo em grao, e-trazendo
-31 duv-At vijupjm.
roll*.:Hj-a o.bacliarel Vrancid) Jose da Silva
e Aim^iila. sobre cuj.) .acouleoiuieuio assim se
exprirsA.flj.^rj^l :
FalUoeu na noile .passada o Uacha/el i Fnan.-
ciscc lose da Silva Almeida, cujo corpo'fij de
posilado na woja.dos xeligjjsoa frau:i~cino, v ha
.daaccsepnltado ,jmjo .is.iJ' hpras- da,raanhaBo
cemiterio dajQuinta dos. Laaaroa.
O.JJr. Siiya .e AlmeiJa exurceQ iiuporlantes
cargo?, Q -elei;io popular.
A iii*tr,ui^fao (iiibliii Itve nuile um es.nerado
director, e a provincia admirava-o na assemb ea
como disdoeto e eW-juijuiu- iino orador.
Escriptor .publica--|!Qurou. a inipreoia, quo
oi|syrya,om-.iraco tijy)lendjdj oajorros daquella
grauie intelligeocia, imiinnHament-,1 c:illivada-aao
tfdjHida aturado esiado.de,.g^biaeie, como, pclas
viaue'is aos i-aizesTiiais ajuijlado-.
Ulliaiaimaie, .arredadu ,^as lutas politica*,
,xarcia a advooacia, qcquprndo na sua uohre
classe o liigar, de. Iiooth a que the davam dir/eilo
S.ua i-.ur-ii-ni'ia, curlad., do vigor :dos annos
e uma perda sepsi.vel para .a. pairia, e talvez uma
victiina das vaivens da pjlitci.w
Lemos na Jornat :
Xa noil! de 11 do. cornjate. Iiouve a niani
':.[ ig.i) popu|ar, a/munciadj ,Je;n bonra do. Exm
-Sr. coiiuneaijador Anfcjaio JLapdjdo da.Jjwii Ma I
cbado, presiiteute da provuica.
APraaa.da Conde d'Eo, ^largo.do Terreiro
de Jusus) fi o .ponto si;illiiJo para a, reuniao
gera das divcrsas Qorpor;.t;oe8 (jue toniarain
paru no fesicj >.
Por c^rca das 8 haras pa'rtiram oa direccao
aa iVaca do Palacio, /onnando fiJas, illumina.las
RONIC
nmi
SESSA
18*
AO SXM. SR. OrWSSXHfttO ANSttHC
ANCICO -PEniTTI.
A's 4#>tkas da manna, preeents s Srs.
puUdos,iWiretario OlilfcoBastos, I. pM Mac'
Alves Ga*a e o Sr.BjnleMa ijBp. |
p-iiraparecTIo os Srs. sflpplentfts Tfermino Egyi
de Figueiredo eJoao Chrysostomo Gonealves Rosa.
conselheiro presideote declarou aberta a sessao.
Foi 1tda e depots appTorada a "ana da m
?ave erl
-------------^
jam, ludo inreiied : com esse V c 7. nJ 'ra,,)n- (/1a WcaixasaSom
romo, lazem. opposf
tudo, tsdo negam,
Mi'j'vtlha, que nao c'anyi, tiJo o'scu deseipero e
v digaaaeate a cadeira.presidential -de Peroarabaco
e se recoramendar por seus aclos I
Fosse cego partidario o presidente aciual ; tra-
lasse Kir
saoccion,
da mai
tempos
os el'ogi
oeflcios f
dorrs de.
Boa gi
campro.
ar atW noaM'k be-
avel aoanovpinAii-
nao oe coabecer que os
vantagense Ipi ipaaaiHMlJgr OQnnlTta, ^io precedeate.
qucr pela ri^iiffe BtWTU dcl1rofes-qW a4rf* '. **>8*te
vessj, aaer por caBr.elta 'fafO'daassfembtea fegtslatlva proTtmifaHaae
Alagna^, 4'5 de a*ril _de -1874: /eoo hopes fc-
:*9*im-Silva 'UurHHta.-^ tiiect&o {MMftMO'-'tfa
Cfttfw. Pmneist& PeH*o via Ofst* Wwtira. Br-
imbi Ritas da Rosa ValHeiros: Jo&a femamks
CUhv*.
Sua Exc." dignou-SB responder do segoiate
mod o :
c A"gradeeo'a assemble* legisratira prorloelaj
das Alagoas, a felicitacao 'que acsba deidirigir-me.
Bssa Sxprewao franca,-espstttafnea e siacera
de taoillustrada corporajAo sera ternameflte'para
mini o inaior- padrao de glorias da uiiulia admi-
nistracau.
Hoarado.pelo sabio c patriotico-gmnete de raarco, com a nomear^o de-presidente desUMjstas miaa-i eswero o rj-Or. LadMao Hntj o
provincia, era rigoroso derer' meu esforcar me,
tanto quanto permittisse minhas forcas, para o
eompleto desempenho do alto eaeargo, que me
f6ra cjnflado.
Se 6 eerto, que durante men -goverao procu-
rei por'todas as fermas eumprir a lei di-tnlmir
juslica aos meus governadas, e tantbem for* de
duvida, qpe mnito dero a eoadjnvaesie prompta,
leal e'energies, que me foi dr*pea*ada,'a qua^tas
ranteineme eoncorreu parao nielhor desempenho
tlas minhas arduas funccVfes.
Por minha vez lambem vos felieito, terto-e
c jiiviclo de'qae-proseguireis' triumphatrtes na'bri-
lli.inte marena Civil e politica, qoe hnnrosameate
enceta*te?.
A proviucia'das Alugoa* muilo 'deve coaflar
na vossa .dedicacao e palriotismo.
Fomm nnmeadns: prom-tiores pablicos de
Camaragibe, bacharel Jwino Antero de Cerqueira
Maia.de Atadaia bacharel Fraaci^ci Pedro 'da
Cosia Mtireira ; admiaisiradorda mesa de Tendas
do Pilar, bnchaiel Vicente de Paula Cascaes Tel-
les.
BireHo Criminal.
'Jwis&iccftoCtOii !>Seaadoresidvpg9d.>/t#fli.
peteneia tti'loiz^de'pae -^DespJ i dV'ead pe*
dreira.
Jurtsldircffo',Ommiroiai~ L*tra dada-em pagameWo.
JunsdiccSo Grimimal': Recarao t*-offleio.--Boi-
peijao do jniz.
'HontswetrqSn :Para
Jurlsjn-nUemid Rortugwtzxi.
rVnnft-a4o. 'f)i.fms-M(ww do Bio Ga-
ite'qneaa nolle de *7do paswdo oOMioattami*
Electric, procedented#fiMWi,*onvwn.'gametuo
de sal, nanfragrtu na prakt'do BstreitOjSalvando-ie
a MpMaHo.
i>ms rirCa^npaia. Helaivamente a
boletim das cota^tJes
11 du corrente.Para
*r.. *i, ii amaaaaaaj
euttzbiB
oa
por arcbotes, pre-cedidas de cinco.baadas de mu-
siea, e caminhando na frents das corporacSes as
L''-i;!',iiii.-.MKis quu tinham dit la'.presenta-las
< Todos os que faziam patledo preslito festival
iam dccentemeiuo veslidos, e os membros das
fliversas commissoes trajavama cdrt'.
Qaando entraram na P.raca de Palacio, es-
-lava ei-ta completamente illuminada, tendo o sido
a frente do palacio do go%crno pur ordem da
presidencia, e a da camara municipal e daassem-
olea prrtvincial, .por ordeui e .;i custa de alguns
vereadorcs.
Milbarea de pessoas formavam o corlcjo, que,
raarcliando na melhor crdem ale a porta do po
lacto presideaciil, so alii levioton vivas, caloro
saraente correspondjdos pela multidao: a inde-
lieodcncii nacional, a soberania.popular, a cons
lituic.io do imperio, a S. M. o Imperador, ao pre-
- sidente da provincia, e ao pi vs. ba.hiano.
Recebidas as commissoeii em palacio, foram
fstas acomianbadas de puvo, licaudo todo o edi-
liei i aeqapado.
a Na sala do docel os oradi res das commissoes
oflertando preciosos ramalhetes a S. Exc., reci-
taram discursos entre freniiiicos applausos. e
bem assim os Srs. Drs. Tilo i.'unha e Jcao Victor
de Carvalho, deputados prjvinciaes, corrolio-
rando este, como representanle do 1 dietricto, as
dimoustnicoes que a populacao da capital tao
merecidameute fazia a S. Exc. pela mar:ha exeai-
jplar de seu govemo.
Nun podemos conservar os nomes de todos
os oradores, nun obter, todos os discursos profe-
ridos, por isso reservamo-nos para ir publican-
do-os sttroporcao que formos os obtendo.
0 ^r. Xpolodio da Bocha Leite, tslabelecido
no commercio, e prrsiJente da cammissao prln
cipal, foi o primeiro a dirigir- a S. Exc.
a Em seguida foi olTerecida. a S. Exc. Uma
coroa de folhas de lonro natural com fldres de
palhetas de ouro, qqe S. Exc; depositou ante a
angusta effigie de 'S. M. o Irrparador, a qu,i*m,
como chefe do poder executivo, como represen
tante da sobeninia tiacional, pertenciam as glo-
Tias do seu governi e as manifestacSes paeiticas
e honrosas de sen brioso e heroico poVo.
* Orou brilhantetnente o Sr. Ildefonso Lopes da
Cunha e depoistambem com.|;rande app'lauso o
Sr. Paulo Querino'e um alumtio mestrfe.
S. Exc. respondeu a todos doqnentemente, e,
olieiocendo-lfces um copo d'acua, elles agradece-
^am e retiraram-se pedindo^'icenfa para fazer
deslllnr o preslito em lorno d> pfaca, lendo acom-
pantiados por S. Exc. al6 ipofta.
a S. Exc apresentou-se entao a janella princi-
pal, e, sendo acolhido comimmensoenthusiaamo
pelo povo que estava ua pra^j, a eile se dirigio
agradecendo.
a Oraram ainda diversas pessDas, entre asqnaes
o Sr. J. Atves Portella, e o Sr. Ildefonso -I/ipes da
<-unha recitou-li* um sooeto.
e 0 palacio,a pacae as Wan adjaceates-esta-
Vain eheias de povo.
- Antes das td boras ntiron-se a nraltiaao
felieitadora, com as muslcfts' B>saeeWvas, 'e' pof-
oorrendoas mas ate S. -Beirfo, ielw a debau-
dar na largo do Terrelr->, illutu naiido-se as aae
das runs por onde psseava.
tamb|m faliecdu na .capital, o Rvm. ir&,
'lAiit'4o Santa Mafalda, religiosoTranciseano
A-'atfaadega liendeu Tie l' it ttooiifite
0:3t9|J8G.
ALk40tB.
"- No dia 13-do corrDte,'pt*!ilon ^aramdoto'e
assummas redessr-daadmitfistrajlo da prdvincla,
Sen, 8r.]>r. 35o Vieirade A'aujo, ^.?presi-
dente nomeado de3de o anno de Ifiti. *"
Na'Mso de 1* do mrrme, da dowmblea
provi[icial,'dKo/)/rM^M AlnfUu:
i Sr: a\'putadd Oha^tfs, apreiieatoU xmt tindi-
cacto para 'dirlpir-* uma feaclUBjo ao Ema. Bf.
ijiiii. Bomulo Peres.de Mireno.
a ft Sr. presidente nttmedw uma eoromissio,
eomp.ista de cinco membros,;p3Kire4iglr a feliei-
tae); e pedf#te-e dia e bora, 5. Exc. o Sr. "Dr.
Rjmulo, designou o dia de bootent, ao meiodia.
Em seguiaa''.8W>?i>am*l -a' feli|taio, bem
cobk. a rosposla- de S. Exc, : i ['
* Win. e Exm. SV. Dp. Sj&vl PoihuIo Peres de
Mureuj. A a-semjlea legislativii profmclal das
Mpn.% orgledo sonAmMto ptiMcn, veta ata V.
Exc. maiiife*tar W o'xpressaa Mnenra de seu pre-
*undo -reconhocimento pelos retevanteel'serv^is
que J. Exc. [resHi, -m sua beia adMoisw*
$ao.
AfSBtttin-b-e g .Terno-#esta dFoviael* tm #ir-
cumstaaeias diffloefs, V. Exc, manifestou solieitade
RBVISTA DIARIA.
Is^ciiiWea pruviiieial. -Honlem a as-
sembler funccionou com .'10 Srs. deputados, sob a
presidencia do Sr. Dr. Portella.
. ..Ap'provada a'acu da sessao auterior, e Sr. !
see'rutario leu o scguiule expedieule :
Pelicoi'S :
De.divtrsos moradores das districlos .polioiaes
de Jklem jscqlpnia inilitar de Pimeirteiras, pedin-
do.a creacaj de uma freguezia.-A' comniissao de
estatistica.
De Alexandre Bezerra do AlbuqueRque Barroa,
solioitador iia cidads da Victorja, peiindo. paga-
mento de custas. A' comraissao de orgamento
municipal. -
De Marcolino Rodrigues PereLra, aiferes bonora-
rio do exereito e ex-scguudo sargento do xorpo
de pdlicia, pedindo para que,seja vptada uma ie-
solucao autorisandoa suaaposentadoria.-A' com-
m:ssao de for;a,pblicial.
De Christov4o da. Cunha Sou to Maior, 33 esjrip-
turario da thesouraria provincial, ped.ndo jim an-
no de licenca com todos os seus veucimentos, pa-
ra tratur de sua saiide. A' commj.-sao de peli-
c.oef.
De D. Maria Figueira do Castro, viuva, mai do
finado Joao Francisco da Silva Castro, aiferes ho-
nonrio do exereito e do corpo de policia, pedindo
uma pensao. A'commissao de peticoes.
Foram lidos, approvados, julgados objectos de
deliberacao e mandados imprimir os scguioles pa-
receres, que concluem com projectos : um da
commissao de legislacao, deferiudo a peticao de
Augusto Cesar Fernandes Eiras, arrematanta do
matadoaro publico ; e ilous da de peticoes, defe-
rindo as de Justino Francisco de Assis e Dr. Fe-
bplie Nery Collaco.
Passando a ordem do dia, entrou em unica dis-
cussao e (icon adiado ate que seja impresso no
jornal da casa, o>projecto de posturas da camara
municipar.de Cimbres, a reqieri.-nenlo dos Srs.
Ratis e Silva e Olympio Marques, tendo fallado
pela ordem este senhor e o Sr. Caspar Drum-
mon 1.
Em seguida foi approvado em l1 discussao o
projecto n. 23 deste auno, que autorisa o.presi-
dente da provincia a rclevar a multa imposu aos
coutratantes.da estrada do Goyanna ; rejeitado o
de n. 20. .lambem deste anuo quo mamlava resti-
lair a Jose Ijmacio d'Avila, dez por cento do valor
do oreamento da obra da eonstruccao do edificio
destinado para paco da asseralilea provincial; e
entramlo em disoossao o de n. 18 que autorisa a
admissaq de dous menores no gvmuasio provin-
cial, verificando se nao haver numero para votar, o
Sr. presidente levantou a sessao, dando para or-
dem do dia de hoje, as materias ja designadas.
uinbeini. 0 vapor Parana trouxo para :
Bank, of Rio de Janajro 200:0004000
Augusto F. de Oli'veira 4 C. 100:' 00*000
loan Baptista de OHveira 0:000^000
Antonio da Costa Correia (.eile 4;538i000
Jlanoel Soares Pinheiro 2:0COi'HX>
Jose Antonio Pinto 310'.K)0
Him da Solocwitic. Moraddres da parte
norte desta rua, proximo ao collegia, de S. J nqs pedem para chapur e atlengao do Sr. liscal
respectivo para a granie uuantidade de agua pu
tnda ahi estagnada.
Ka do ilium. E' de urgeoie o indecli-
navel nece.-siijade a collocaijao de dous ou tres
lampeoes da illbminacao a gaz, na parte, norte
desta rua, entre a estacao da compantiia'Ferro
Carnl e a fortaleza do Bruin.
Propagadora da Inniiaciau l'uiiii-
ffk. Amauha haverd sessao do copse'lho paro-
chial de S. Jose, na casa e' h,ora do costume.
Iiaquerilo polirial. Teve o conveaiente
desimo o que foi (evgdo a .'effeilo contra.Manoel
Alves de tal, autor dos ferimeutjs graves de quo
foi victima Vicente Ferreira 'Bias, pelt sub Jefe-
aeia de Santo Amaro <* Sflhaas. .
lavlD ie gRrrra Preeedente de Hfa
moutb per S. Vicennvchegcn ""utem a ktrde .a
caahooeira da mawnb/i de guerpa elNfeua Masai-
lanes. ,
Ei um lindo narla oonataidj ewiun dosesta-
wroside LondPes, pelo swstema eonposlb t-ima<
dra e fcrro que moniaiqaatro -peea*. :eBdo
uma de cabbro 115, omra-tft74 o>aaas,o>*); re
tnovidopor dua< maoliiaasm aapM->nue-daoi im-
pulso a dous helices, um a proa e outraare, com
a forea nominal de zSeVaawllos,
Veim coramandada .pelo fn teoeme d'arauda
ciiilena Javier-Moiliuas.
Lt-go qus tomar 3rvao e maattmrttas, dguira
para Valparaizo, via Rio de Jaaeiro m Rio da
Prata .*
*Hal **-'dMia-tdnt. *- Sepato tinntero paw
o Rio de Jnoelro,' em direiiura armada brasileifa, do commando do Sr.' ioito*ie
fragaja LnizMdrla Piquet
lofurmam-nosflue pouiaas: boras oVpois de ter
deixado o oosso porto, sa eorreto, ca^ou tele*
pramffl*ia &jrU, ordsmadoasoa .. ao Para,
afim de conduzir o Exm. e Rvm. gr.--*tepp -D.
Antonio. joi <
.m.s.i *nK. 4m.r., -..flfnaMe
desta assocd^o haveM anranta^assao de a seen.
Jotnoi do'Gommerch.-Ao^io:
AS am os tr as extratiidttft'nttimfthrtnte ilnmi-
nas de Cacapava, deeominada pela imprena rio
grandense a C ilifi-rnia-bmiileirn, unicamenle as gappjas auriferiw e--as-mfistras-de
mahtcliiteedesarite. tiradas d-sens -veeiros de
cobre.
ros, e eis que se deseobremdeparertm-o minerio
euprifern (ibrc sulftiretado de chumljo etc.) rlrasjaztdas de galena, t^nti-n
do peqtwna proptfreaode-piWa.
Ora.se como e de etppor -e como o faiem
crer muitas anakgtas, aqueWes veoiros aV>deaa-
titreza idenlica aos dos por-fidos metmllietts'do*
Andps, e deesperar qiie'de^nvrita oom o-enore
snlfnrrtado, appareen em Cajapawa-a prata eoj'u-
retadae eomo snltareto'de humbo o*eceipa-
nhelrn qdasi-eonsttnte, o strlfureto de zmce.
No propriomlnerio de enbre analwado ha
eousa'de um anno, por um professional iaglez, foi
eneontrada tamannaproporcaode prate>que real-
mente 6 no eobre assnoiado a >>am rico minerio
de pt*ta ffira ella nuBl e admiMvel. -A galenas
de Cajapava, segnndo ma as*piirampes9oaii ha-
bilita'las, eoeteem OflOi e 0,003 de lente pnrccntagem que, salvo os pacos e olorodos
argentiferos do Peril e do.Mexico, mineraes- rAris-
sinros e porassimdizer^xcepeionaes, pouoos.d ?eeims argentiferos I da America, possuem. aJW
mando para camparacao o Mexico, por exemnio,
eis aqul a poreentagmn de Ires de saasimais-ricas
minas : minerio-argentifero de Gaanaxnato 0,003
de Mellado 0,0013, de Fresnillo 0,0015.
As proprias jazidas de Potosi qoe em easosra-
rlfsimos'nnnca exeederamde O.tt) e qijp'qnanlo
mais'prata proioziram chaparam, 4ermo medio,
a poreestegem de O0M e 0^)018, nSo daa actual-
raenti mais que 0,0001, que nao 6 um iisongeiro
reevltado.
Qoarito a 6oveeiro>jeupriferos, extraordinaria-
mente abundantes emCa eerto dtaer qual podea ser a media desnariqne
za, pois jue amalar.liite a a azurite mais ou raenois
impuras que os eonstituem a Sior da terra, multo
e de snppor qua sejam devidas, como aas minas
da Bolivia e do Chile, a alteracao superficial do
corpo geral dos veeicos. Todavta as porcentagons
dos ensaios feitos ate o presente variam de 35
55, donde se pode concluir que o minerio brute
vai ser pago em Swansea, para onde esla sendt
carrouado por um prego elcvadfcisimo.
Nao deve ser exlraordinaria. nem creiomes-
mo que aj* matto notavel a differenca entre osl
salarios dos mineiros cubaoos aos que podeni ser
estabeleridos em Cacapava : entretento umaidas
minas enpriferas, que bons resultados torn apre-
sentado, e a de Santiago de Caba, donde se ex-
trabem annualraflnte-40,000 toneladas de um
nerio que nunca deu mais de 16 (, do cobre.
correlates, remettendo o
otbeiaes da semana de 6 a
o archlTo.
Distribuio-se o livro copiador de eartas da casa
comnterdal'def'TaWMsBo de"Afcur ft C.
DKSPACHOS.
Bequerimenlos :
De dftadaVite Silvi. Mai*, fweni da-mtatoria de
Antonw-Joirpjim de Vasconcellos, pediado exene
racao daquella commissao *m:raaao dos seus afa-
zeres. ,Nao;p4de ser despachadp, par.mae ter
conjpanecjdo o ,Sr FraneiscoJoaquim Ribeiro de
Brito, que foi convidado para tomar c#ahacimento
dosobredito requarimento,.juntameateomonSra
Egydiftda-Figualredo e Joao-Goryiostsmo (iofteal-
M Rosa.
:De Paraira da Silva 4 Iroaao, soliqitando baixa
ara.a.oomeacao de seu ex-caixeiro Maaoel Carlos
Teixeira e registro. da .noawacaorjuola-rOomo
requareiu.
iutos de reaabilibicao, dos, membroAda fiwna
de Ferreira* Loureiro, eom uma duviqa do rs-
peeiivo.escrwap.~|.iforraa aseeretaria, deciaraado
o que e ba praticado em easos identicos.
Nada mais -hai:endo a despaabar/o Exm Sr-
conselheiro presidente anpecrou^a sessao as 11 e
meia Iwras.
A demiss.to dotente daattemao do gyn.nasin.
DesU feita a clava e hercalea, o presidente fl-
car* acbatado.
Dejissao da urn lante I
-TWra^-fambores : soai, eiarius! Ataqua a ins-
truccao '.<<. AUenlada contra a lei 111 Que pom-
posas declamaeoes 111
A lei nao declarou" que o lente do gvmoasio e
vitalicio desde que 6 aomeado.
Pelo oa do prof ssor primario.
Ora, este pode ser adininistrativamente demitti-
do sempre que assim convier ao servigo publico,
Lpma- vez qae aftoiteoha ainda ciut annos de exer-
cicio.
Nasle easo-esteva o demittido lente ; logo, podia
o presidente demitti-lo.
Se o antecessor desse lente cootava um diseipu-
lo, o demittido nenhum contava. A razio ? Pur-
sue saoia tanto o tudesco, como n6s o sanscripto.
r_ra -4m a"emao incomprebensivel a allemaes. 0
que d'el-
presidento^rovou Oidasinecura : ah
rei pelo facto I
Para os provincinosr Oque sacido, a Biaecura
deve .ser respeitida I Grande gente I
U- U-'UtsaBlPWWIWI^M
P1R1E fOLIHCi
ses
i v it e mo #OfMiricvADoi
zTECTPE, T8:firE-AMf:L t)E-1874.
tf. aoNvastftiiiB, irrtbE ttvtmwmkiu,.
Na verdade-.bamrlwad'doi' iembrauga da
Piwincia. Ha urgent* netessidiide de crear uma,
escula noclurna, >-priupliea;,pa)-a,certosemprrgjl
do/Ju tecrtlaria prtiide^cial
W aceita adembranc'i dt,Proo/ncia, sempro tao
feliz como um Trade em oateria'.felcmbrancas.
Servira para as funccoes da aula boctarna, nao
a sala emtque-tcabalba a secceuria^or-motivos
qu sa6 ohvins, mas sim a ultima saleta emuue
confiaa o cDrredor parallelo a niesnia secreuria.
rara rtao atrasaaos discipulos .na necessidado
ile cm mest-o de patente, capaz de espancar a ig-
noianc(aa a inepcia. K.i o que.eiijuecau a Pro
eincMi lembrarnos. Mas, como para as, prandes
nei^esidades nunca faltaara os^samks rameJios,
enmatramos promptainente esse, mestre.
ua dedicar com tal mestre mesmo ura,pr uma magnificenoia a escola nooturua, cujacreagao
foj inspiradamenta Jembrada pela Provineia, .|ua
nao perde occasiao de prestar rcleviuiles seroicos
a cju-a daiiislrucgao.publica.
Para eoraecar a Xunccirlnar. a aula.precisamosi
porim, de Ucenga dos procincian-js, que coaoeder-
no b. ha > de eerto.
0mestre, o mestre.... sem igual esti entre os
proiincianos ; para fdnccionar a escola uocturna
e piecisoique eile venha, para erttre nos.
Ts-lo-bemos. Nao disfarcdmos1 qne a sua vinda
seraum facxificio para, os jmociaciaiios ; mas .que
suenficios deixarao de fazer os,piopincianos a
pro I d-i grandiosa causa da instruccao IM1I
larabcng, .parabeas aos ignor.antes da.secreta-
ria, que vao ver de perto o homem dos grandes
ocults e das itnmensas suissus I
Ecoffio nao sera interessante ve lo coih fuma-
(as ie ijreg-i astuto^ de farula eta poaho, ensiaan
do a ler pelo methodo.pedantexco de sua invengao!
rfvaliem-no os quenao podum vddo.
E que immenso nao sera o adiantamento d*asj
a jfuizes discipuks I
*, N6< temos um.preseiUimento que nao p63e dei
xar de vir a ser confirmado pelos factos : o,ho-\
mem que ate hoje so se t-em feito recommendar.
palos grandes ocalos e pelas -imnensns sulssds de-
que us'i; ba de ser amaritia uma grande MataSiit-
dade no magi.-terio.... de emtiregados ignoramtes
e ineptos ; ba de serum Peslalozzi iui.generis.
Sao precisas, por6m, para esse brilhante futuro1
do pedagogo provinciano, algumas condigoes de-
n>i- pendentes de sua ambiciosa vontade
Porque nao fa-las-ha eile uma realidade para
jjijgigtt 4 warn.
Noneto
A' IXCON901.AEL FAMItBUDO NOSSO SEMPRE
LEMBRAflO AJflGO JOAQt'lM JOSE DE OLCIBA
TAVARES Flt-IIO.
Honrem as cinzas, hoBrem a memorii
Desse, que do munJano atroz conflicto
No ceo des'fructa singular victoria.
Boc\GE-Elegia.
QioYai I Tendes razao. Chdrai a morte
Do vosso filho amado e carinhoso ;
Chorai, que nesse in'stante luctuoso
E' grande a vossa dor, intensa e forle I
fi triste ver morrer, embora a sorte
Seja de quern sa julga venturoso
Morrer, cumprindo o fado desditoso,
Ao.que soffreu na vida o duro corte
Morruu I Eoilbo a existeaeia premalura...
E pois dea campa uma -audade
Iristes depor na sua sepultura,
Curvando-vos ante a lei da Divindade
Porque eile no eeo gpza1 a ventura
Por premio, aos pes de ass, na Etsroidttde.
ler-
. 100
Souza
ar|os 6t C ("--m-ervas lOeaixas a Thomax Tei
xeira Hastos. ^teuaba raiido (WPt-arris ao Barao
de Ueiutlca., Lui/it da cUuinboii'barricas a Com
pannia Drainage.
Drogts 10 baricas e 4 caixas a M. Mettter 4 C
ncasa^kas a MaayajaWves barbosa
agem 1 adxa a Thornak ffeixeira Bastos, fa-
zendas t caixa ao mesmo
Genebra lold tern) 500 cahtat-a ordem. Graxa
barricas e t eaixi a'^homaalaixeira Bastos.
Louea 1 barrica ei*f%os a fttreira Monteiro >v
C. 50 giga< a ordem.
Modas o caixas a Thcmaz4raxeira Bastos. Mer-
cadorias diversas 116 volumeWa Parente Vianna
4 C., 60 a ilawkes 4 O, 6 barricas, 3 fardos e 6
eaixas a ordeaa.
Objectos para eandieiros 3 eafxas a otdem.
Polvora 100 volumes ao Barao de Bemfica, 850
a Saunders Brothers & C.
Relogios de parade 2 caixas a Thomaz Teixeira
Bastos,
-Salitre 50 barris a Xst -TLeaT, smTarSWs-
ton 4 C, 30 o Moreira Halliday & C
Tubo* de vidro 1 caixa a Thomaz Teixeira Bas-
tos. -
_ n8 itf
Vapor nacional Parana, entrado dos Portos do
sul e consignado a Perefra Vianna e C.^ maoifes-
tou :
Chapeos I caixa a Joao Bamos & Machado.
Fumo 90 caixas e Beltrao 4 Filho, 50-rotes a
Joao Bamos 4 Machado, 30 ditos a Antonio TTuiz
de 0. Azevedo, 20 a Joaqoim Jose de Jfceftdo, 20
encapados a Josd M. Palmeira, 11 ditos. 4 sarroes e
2 caixas a Buurgard 4 C. __,
Papel pintado 1 caixa a Silva Cardoso 4 Pes-
soa.
NO DIA 16 fit
Recife -1874.
J. I. Bastos.
Agratleciuaento
ieaquim Jose de Oiioda Tavares, sua mulher,
filhos, genro e cunhado agradceem do inllmo
d'alma-a lidos os seus emigos e parentes que lhe
lizeram o can loso objequio da assistirem as missas
que mandaram resar pelo repooso tterno lo seu
queiido liiln, ir nao, cunhado e 3obrinbo Joaquim
Jose de uliuda Tavares Junior.
0;itro sim ; nao podem deixar de especialmente
agradeccrem a prova de amisade que deu ao .seu
fiQrido til ho, mandaodo resar algumas missas e
memento por sua alma, o Sr. commeBuador Emi-
lio Xavier Sobreira-de Mello, a quern pelo preaante
tributam a mais sineera gratidao.
Armaoa nacional. Fallece u, na corte, gobie ella assentar a pyramid* de seu futuro Vl
Jose tar-, As condicoeasSo estas :
o chefe de es quadra reformado Fellippe
reira.
As condigoessSo estas
1." Fazer a terceira mtida dos que lhe ornam a
Vapor i.niaiior.)> Deve ter sahido do becca por pressao, su'Mlituindo-os por outros de
Rio de Janeiro para as ithas de S. Miguel, Tercet- tarracha.
e zelo iBexoediveis no desempenho de sens >dn.4s blea geral, as II horas da matiht
dereres; manleado sem Jie.M'lagao e com (irmezal
ra e Fayal por Lisboa, no dia 15 do correute.
EaterlaA que se aeha avenda 6 a 96.- a
Deneflcloda-igreja da Nossa Senhora da Piedade
de Santo Amaro, a qual orre nodia 11.
Leilao. -Hoje, elTectua o agente Martins, as
II horas do dia, o leilao de moveis, no sobrado n.
69 da rua do Imperador.
Casa de detencao.Movimento da casa
Je deten.^ao do dia 16 de abril do 1874.
Rxlstiara presos 342, entraram 2, sahirain 3
existem 341.
A saber :
Nacionaes -267, mnlheras 8, estrangeiros 23
eseraros 41,-escravas 2. Total 341.
Aliraentados a cusu dos eofres publicos t74
Hovimerttodaenfermaria no dia 16 de abrildt
1874 ,
Trwram baixa :
Francisco Xavier GalVio, cephalalgia.
Manoe! Jose Barbosa, hemopolize.
Esev5o, escraro de Francisco Ribeiro Pinto Gui-
maraes, syphilis.
Paswngrefros -- 0 Tapor macional Parani
trouxe dos portos do sul os seguiales :
Freneiseo Jose Carneiro, D. Delphina Antonia de
Jesus, Antonio Soares Gttirrraries, Dr. Jaciuttio da
Costa llogo, C. Juvenal do ttego/alferes M Joe da
Silva sua mulher,-Augusto Ricardo da Costi
Justo Albano, Dr. Carvalho Cesar, M. V. V. Sioou-
digllanno, tres praoas, D Maria l^tharina de Li
ma, D. Maria 1. d*-Sacramento Araujo, Nathan
Klin, Jose Floreatino'F.-BiwencouTt, Carlos Klein,
Emilto E ,-eonego Francisco Peixoto Duarte. visa.
no Antonio P. Vasconcellos, G. "Vtes, Arthur Hen-
rique Figneiredo, Joaqnim Marcolino Gonealves- da
Rosa Jose Barbosa ., Petisberto Amancio da Sil-
va, Jo5o Maaimo da C. flego, J. Joaquim F. Guima-
raes Joao Addrado e 1 criado, Valdavino A Sn-
marin, 13 emigrantes
Segnesn -para o Borte:
Ad in, soa molher e i *lho, Joaqnim Vietorioo
de-S.'Cabral, aHores liuiz'GaDzaga de Lyra Aali-
aio AhgustoideA V. firummdofl, 1 praea Ma-
noel Franciseo do Lago, Bruno Gooealves Serra
Joaqnl m-Souza Mesquim, J.eurearo Jose Amora e
euamttllwr.'aildlrazAmota. *orae
Cemiterio publico Obiinariodo dia 4S
de abril
iiiahBCeliftaiMaria de Rasioy|>rola PeraambocP,
90 aoBosrMlteira, Boa.Vista.asylo entente cbra-
Agneda ilarra, preta, Peraaflaauea, 83 annos,
wiuva, Boa-Vista, asylo; tebaaou
Manoel, pardo, Pernarabuco, ladias, Boa-V4ala \
letencia -dos reeei nnascidos.
Ahlonk Rosa dos wazeres, branca, Peroambi*-
00,80 anao?, iuvai floa-Vitta, nospiul Pedro II
gangreua sand.
Antonio tte itadeiros Brilkante, braneo, Portu-
gal, 38 anaos, easado, -Boa-VuUa ; febre amarella
Marla,,pneu, Peraambuco, 7 dia?, Boa-Vista te-
10'- .-,,- ,. .. kA mataaga a feita com denjora, road, coatra as
Ltpzn Maria Naiasea, prala, Pvaambuco, l&.Bri-: j-p4n-s a >hygienic# e,humnidade. .
ros. ltanav 6^oja; Ituberouloa peimoaares. Tudo isso se obvia creanda lograaoflcoa. ajiff*
. lb' novoujatodourp.
-\ntonw, pafd.i, ^Pewiiinbnoo, 30 dias, SaoJo Com ess a. vonUde f,rto,'aae nioofaj recuar
Aatpon ytMtr**&* '''-..: antellraeuida> ,quo *** m. oppor a, uiaVme
Luizi, pra,i'PatBaibnco, iOauwis, '
coi.iii<:nid>
DA
SinUisMiiia irjmladc.
Neste estaDeleenuento de instrucgao e edueaeao
de meninas, sob a directoria da Etraa. Sra. D.
Philomena Jersey, e suas Ex-mas. irmas J). Lande-
lina Jersf-y e'D.'Olihdina Jersey, adralttBrn se edu-
candas mediante a pensiio mensal de 40$, sem
mars rntra despeza, e aprendem: lingua nacional,
inglez, francez e italiano, fallai; escrecer e fradu-
zir; geographia, aritrrm ea, musica e desenho; toda a e-neciede boTdados,
e os melhores principios da religtao christa. No
interior do estabelecimento falla-se somente fran-
cez/c e ineompativel o prefessowtodo sexo mas-
cnlino.
2 Por em leilao pelo raenos a decima par"te de
seu pedanlismo colossal.
Fejto kto que seja, o homem.grandi-oculado e
immensi-suissado, por edltaas na'Torma da lei,
fa-lp ha constar aos arbitros de seu destino, quei
porao maos a obra da eonstruccao do seu pyrami-
dal futuro.
(Continuaeao).
VIII
0 8. at ttgo do libello e a prohibtcao de parentes;
de eozenhairos contratarem, etc.
Admira que isto sirva de ponto accusatorib.
0 bom senso aconselha, a lei prescreve que
qnando se trata de iuteresses fiscaes, ou em que:
e iuierassada a fazenda ou um terceiro, nao pas
sam parentes conlralar.
Da censura se deprehende o coatrato I!
Mas ora nos lembrarnos 1 Os provincianee Jal
sustcntaram que era muilo decente que um sobri-
nho engeaheiro contralasse obras com tiaenlprei-:
teiro. .
A recommendacao oppoe-se a esses anaitjos del
famiha, os provincianoi teem ra2o de corticate-:
rem-na.
Aondo esta, meus Caraiinos, o motivo de repa-'
ro nessa ordem T Por quera sois, pedanlescos de-
clamadores, dizei onde est.i a inoo$Tenieneia de
lembrara'observanciadaquilfa queesia no espiritoi
daleiTI -* -
E nds aiperder lempo I Vawos adiaate.
IX
Omstailouro'e o nono artig) Ba Catilinaeia !
0 homem e-um.animal omnivoro, mas.acarnei
6 dos objectos que lhe serv'em de alipaanto c o'^ae!
mais lhe fortalece.
-Por-todi a parte se cuida daalimeotagao do po-
vo, e se hoje .o.governo nao manda fazer,grandes
caleiros publicos como no tempo dos Pharaos, pro
videpaia de modo a que.nao soffra ella fame.
A fome nao raciocjna, 6 um grande flagello.
0 hebreu np deserlo, por ella^.tinba saudade do
captiveiro.de BabyIonia ; o pao.arma o;por*uguez
pondo ein-seena alguma Maria.'.da Foate.
Hergolino devorando seus fithos, e a imagem
do povo fain into : *jue o digam os belelecos van-'
dendo os seus pqr wn pouco de aiimenlo,!
P is bem, embora nao tenhamos soffnido-- Xpme,
nem,pec. isso passaiaos bem. l^omernos caio ei
mal.
A carae verile rara e da boa qualidade, e como
*gpra iusta alto preen.
Para..ipelliorar e^se lestadoauiz o actual presi-
dente tomar providencias. .
A craagao, de iogradaur >s e npi bjonj niatadouroi
-(oram as primalras madidas ,que acnou conKe-i
nientes.
Vkido de JQoee,, o gado chega apii cancado, e
posto no eurrat, alii passa dia? sem comer nem
beber, e sao animaes taes que pela mor pirte
s5o mortos para o consumo da Cidada.
C'onto e dc quo modo crewe o ra-
Bvelto.
0 nutrimento do cabello igual ao das (lores, se
obtem, ptincipalmente pela absorvicao das rjlzes.
Se a terra se secea e as raizes das (lores fleam sem
a necessaria humidade, ellas mnreham e perdiem
suas hellas cdres ; e se o craneo onde estao plan-
tada< as raizes d'onde nascem as fibras do cabel-
lo, se aeha seeco e eatorpeciud, o abello se torna
aspero, sem lustro e as cans appBreeem.
0 tonieo orierrtal remedeia esse mal, reaniman-
do a cutis entorpecida e inerte, exeltando suave-
mente a* raizes e os diralnntos vasos do sangue,
e renovando por assim dizer, o processo vegetal.
A aecao reproductiva'desta preparscao e rrtilagro-
sa e promptamente transforrna'dtna 'cabelladiira
"rala.idebil'easpera/em espessas, -lustrosas e ma-
cias madeixas.
i. ..........!' I 11
DBSPACHOS DE EXPORTACAO
ABRIL DE 4874.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Fire Quen, para Liverpool,
carregou : Carvalho k Nogueira 2,000 saccos
com 150,500-.kilos de aseoear mascjrtndo r T.
Christiansen 1,500 ditos com 111,800 ditos de-alto :
S. P. Johnston 4 C. 1,001 ditoieom 76,3TO 'Oitos
de dito.
Na barcaingleza rtertherton, para o Canal,
carregou: Simpson & C. 2,000 saoeos eom HUM
kilos de assnear maseavado.
Na barca iogleia Jeorg Cannig, psra o Ca-
nal, carregou : B. ScrimmelUu & (1 200 saccos
com 15,0 0 kilo deassucar mascavado,-e400
saccas com :W;I08 dito da algedao.
No navio inglez Garisbrook, para a Bn carregou : S. Brothers4 C. 900sacca3 com l.ft
kilos de algo iao.
Na barca brasileira Mariana, para o fHo da
Pr?ta, carregou : A. fcoyo489 barricas com 51,532
1|2 kiloade umtar tranoo.; B. Olrair43i C 50
pipas com 24,000 litros de agna\lente.
Na barca portugueza Jisephina, para Lisboa,
earregou : T. L. Soares 153 saccas com li;0fi4
kilos de algodao.
No lugar portuguez Julio, para Lisboa, ear-
regou : Carvalho & Nogaeira 118 saccos -corn
8,850 kilos de assucar Jjranco e 237 ditos oom
17,775 ditos de dito mascavado ; A. CordekO: 27
pranchoes de amarello.
No brigue portuguez Flonnda. para o Por,
carregou : dUeha Lima A Guimaraes lOO saecas
com 14,014 l|2 kilos deralgodao.
No vapor francez V. de Rio de Janeiro, para
o Havre, carregou : Baroneza de Vera-Oraz i ve-
lume com 58 kdos de doce.
Para os portos do interior.
Para o Bio Grande do Sul, no navio nacional
Alianga, carre(5on : M. S. Maia 4 C. 50 oaseos
com 16,329 litros de< agaardente.
-*- Para o Bio de Janeiro, na barea pertugneaa
Petiz Uniao, carregou: A. F. Ballbar Sobriaho
200 saccos com 15,000 kilos de assuear braneo. ,
Para o Maranhao, no vapor nacional Parana,
carregou : P Vianna & C. 50 barricas eom 4,033
1|2 kilos de ssucar braneo.
*- Para Mossord, oa barcaea Silcitta, carregou ;
A. S.-tampos 20 barricas com 890 kilos deassu-
car braneo : para Maeaihyba, J. C. Paea -Barreto
4 pipas com 4,920 litros de-aguardeate.
Para Moesoro, na bancaca Riachuello, earre
gou : Faria 4 Filho 5 volumes com 86 kilos de
dace.
*aai
CAPATAZ1A DA ALFiSNDBGA
Bendimento dodht 1 a 16. 10:138^974
dam do dia 17. 1:536*070
VOLUMES
No dia 1 a 16. .
No dta 17
^rinWh-a pona .
iegonda porta .
ferceira porti .
Juarta porta .
rrapiche Cc nceigao .
SAHIDOS
ll:67o44U
17 117
442
705
7*0
19,C8
JUNTA DOS tORRETOUES
Praea do aKrcifc, 19 de a'bi-il
Ie 1S94.
A3 3.HORAS DA TARDE.
COTAOOES OFFICIABS.
Algodao de 1'sorle 7^8<-Opor 18-kilos, homem.
Dito de dita 8*100 por 15 kilos, hoatem.
Dito de dita (Jibta frouxa) 7#90O por 15 kilos,
bpniera.
Dito de dita (libra forte) 8^300 por 15 kilos,
boDtcm.
Algodao sem inspecgao 7*100 nor 15 kilos,
honlem.
Algodao do Aracajd sem inspecgao 7J500 pdr
15 kilos, hoje.
Assucar mascavado pur gado !i8o0 por 115
kilos, honlem.
Assucar bruto bom 13600 por 15 kilos.houtem.
Cambio sobre LondrosaDO d|v. 26 !|8>d. e" 26
1|4 d. por U00O, hoMem e hoje.
'Cambio sobte o Pfflrto a 90 djv 103 OfO de
premio, hoje.
B. de Vasconcellos
Presidente.
Antonio Leonardo Rodrigues.
Pelo secret a rio.
SERVBJO MAR1TIMO
tfharengaa descarregadas no 'trapicbe da
alfandecra :
No dia la 16..... 68
Vo^dla 17....... Mi
lo u-aptehe Cdnceigao .
W
ttECEBEDORlA DB RENDAS INTiRNASGE-
RAES DE PEBNAMBUCt
isndimento dodia 1 a 16. IMIkltBf
dam do dia 17. 2:515*18.'i
26:439*457
CO.VSfJLADG PROVINCIAL
Rendimento do dia I a 16.
Ideal do dia 17. .
63:9tt*286
8:6441546
72:525*832
RECIPE
Hendtraetto do dia 1 a
'dem do dia 17. .
DRAINAGE.
16 .
29:7843*69
l:l*371
31:6004
fiaaVilMMHMl
Rendimento do di* 1 a 16 n0r:*Sl*692
idea do'-dra 17 ?i::ll^)i8
hi nmi i
- Io8tic38545:?0
Recife; J irakie4s.
Antonio Jose da Silva, braneo, Portugal. 40 a-
nos^casadd, Boa-Alfsta^lalcaaas ednierows.
Andr6 de Fnaapa %smma, oprtia, :Pawtobai,K
annos sol teiro, BaUi(ia^iJoaa4ttb,itedroiJH ; ea-
obeaiat.
*>lt#iSt,n Ihoramento, p, actual presydenjlo,. quiz ligar son
.i- ^fi^lr^^'^^^^
nome a mifs este benefic^, e ,"oJtau huiiibrus a
/WPt-^za. ,(
Foi ouvida a camara municipal, as o'bnujpa
!t>ypW.n>iiiPre41aiaes ; foi.aebwjujiitt m"oon-;
**fi*>..ie airemijtew, e Iudo4|ibifl8ttjdo,a agprdvp-
m MiWfiW'Al Moviaaiai.
O que ha emjudo isao pan censura ? P,r |i
accQsar o presirJeniD oa'quilfo jnesmci "por qu
Descarragam boje 18 de abril de 1824.
Vapor inglez -*- r>r, dorias para alfandega. .
Barca -ingleia -A ureola-^afae)^) raeneadorias
para alfandega, e machinismo para o;tra-
plehe Uonceieao, pnra-despachar.
PaUcho inglez VV. A. ileney keroeeae para
o trapiche Conceicio, para despachar, e
farinha ia despacbada para o caes do
Apollo.
Baroafraneeza Intrrpide Corse- ferro e ma
cbinismo ja despacfiados. para o caes di
-AiioNo,
Patacho nacional Martial generos matiooMs
para-d'tfapSehe da oonspaobia.
Palaahe-ingl** -nieeda -wpoHoraipaeft < wepoeito.ao
i:4totXBico Banaco.

Inipott3co
Pitac'lio siidco Gerd&de, entrafTo tfo. EtJnUWS no1
dia 16 e caP'sigtfado a 'Di'niiag'Os 'Alvfes -Watberisj
manffe's'tou .
iJi.-euutos 10 caixas a Thonnz.Teixeli'a Brfsf'os. I
Ban'tlha 20 bfrricas a 3tfnniir(l,,1Ie'rtIei-,4 C.
Cimealo 400 b\rri;as a T>.t)ffift "d^ArJdftloFdH- |
M4RITIPS
CONTRAE0 TOGO.

.-
A companhia Indemnisadora, estabelcia
aesta pra^a, toraa segucos maritimoa gdbri
Mvios eseus carregatnentos e contra hef,
em edificies, mefCarioriBS e mobilias: a*
riih do Yigario n. 4, pavrmento terreo.
Angflsli t inilivcira i L
"A casa corrjmercial 'e baticaria'de-^i^feto
j d^UvairW'G., d'rua do C6;iirae'ra6 hs
4-2, eoearregaxse de aseeuQao de .ordens
pdra mbhrqse >49pre8c4osod*lolopto-
mais h^gocios rfe tcWmlsMe, qtier cobftitet'
ciaes, quor liaticarios.
Deoonta lottras, e toma dinbeiros *. pre-
mio, eompra tsoabiaes, e tuMa-i vhtoe *
aifto, 3 Voiftadbdo tomatltfr, sHbW^^s*1-
guintes praoas estraogeiras e nactonaes :
LoudrpN. Sobre o union bank op
LONDON, 0 LONDON AND HANSEATIC MUb,.
LrsirTED, e vartas basas deT." classe.
Paris. Sobre os bauquefros TCfD^^
& C, HARCUARD ANDRE & C. e ,A. WtlCQllK.
VrtWAfc1* -
mumnivti'gtt. ^'sm* os $*.**>
SCHU BACK & Fl'LQ- S.
Adahoa. Sobw os Srs. fonjwas,
SANTOS & 'VMNNA, SffBaSfliU) >$ **
'ABUfitJ. '
Pario. Sobre o BANCOr^WtfcWo>tb
0 Sr. JOAQUIM PINTO DA FON'SECA. ml
****, *-**r 0 hXNtO COWCtRfilA1-
I Marffl 1

i
"**



D*$fr d&Ptaftmiffccc?mb*ido ismximPteviBte'*
3
UMf GAUBt*^)
DA
CO]
) O SJV ^OS^ FER-
REIRA DA"tflWNIIMf.W* ^U
M TlIlT OS SW.- MARHrl6S & C.
Ri do . Sobnao banco
IMBtJStRHWLE HCTCXNTIL, BANCO NACIOrfAt'e
AlTQ08 BRASU.IENNE FRAMQA1SE.
copanhia"allianca
seguros maritimos e terreB-
tres estabeteei da na Bahis
em 15 de Janeiro em 1870
CAPITAL 4,000 OOOpOOO.
toraa seguro de mereadortas e dinheiro
maritimjo ti nawio de vel* e vapowi
afl tietKro 9 tor* d fogo J6tiL*e' pradibs, .gereros e fa
f" .
te : Joaquim JoseGOncalvesHeltri
C fj 5, Ittandar.
<\
,:
COMPANHIA _
-w'hemx Pernambucana.

Twna rise* marMmos em mercadorias,
!ne*^ dinhako a risoo eflajrhdente de qual-
qnflgjnatureza, em vapore:;, navios va ela oo
hawacas, a premies sruitto modicos.
RUA DO COMMERCIO S4.
Seguro confra-fogo
rttB LIVERPOOL d LONDON & GLOft
INSURANCE COMPANY
Agentes
SAUNDERS BROTHERS A C.
11Corpo Santo11
NORTHERN.
Capita*. .... 20,000:00?0(
fatdo de reserva. 8,000:0005001
Agntes,
Mills Latham d C.
Rl'A DA CRUZ N. 38.
)ita dita n. 250, Firmino Hftias Bar-
de cigar ros
ita dita n...
Fenceca, loja de ci
Dita da Cabajjg%tyf
iitTdi^iSKrn. 12, Francisco
, de Jkkf Castr* e 4Hwa,-1oja d*j|pV
J chapeos .130*800
Pita do Hospital Pedro II' 1, Flo-
rinda G. da Almeida Amatar, #*' A
verna
Dita do Visconde de Goyanna n. 12,
I Francisco JLavier Ferreira, dita
Dita da Imperatriz a. SO, Farias &
Lessa, loja de fazendas
Dita do Amorim n. 49, Guiraaraes &'
Alcoforado, deposilo
Dita' da Companhia Pernambucana n.
30, Genuino Augusto da Silva Fra-
goso, armazem de algodao
Dita do Imperador n. 55, G. Rigasse,
Dita !. de Marco n. 7 A, Guimaraes
Pontes & C. loja de fazenda
Dita dita n. 9, G. De Lailhacar, dita
de livros
Dita Duque do Caxias a. 88,Ay.Goe
, 4 Bastes.dita d^?azejlda.
Largodo I'araizo.nvH, Gomes Aq-
guto do Miranda .taverna
uft da Pedro--AfliHtto auiii.Gakmv
raes & Azevedo, armazem de
carae
l/raca da .Santa Cruz a., 4, Gptnes
Soirta'BMto;--taverna
Rua (te Jow Kurwmites'VieirH Hi Si,
dito, dita
Dita de S. Gencalo n. 27, Gwiaaracs
4 Gorges, oTlji
201928
1091000
13*080
43*000
109*000
98*7$
32*700
q.
15** 4ii*2
o,#W
87*200
76*300
/it>
Diia do Visconde'dw Gcvysnfla Bt 7,
126*440
aim
BUNCO COMMERC 1L DR BRAGA
Jorge !1 Passo
Sacca sobre este banco i suas agcncias nas se-
lintes cidades e villas :
Portug al.
Amarante Lisboa
Anadia Melgaco
Arcos Mirandella
Aveiro Moncao
Barca Pena-fiel
Barcellos Pinhel
Beja Ponte do Lima
Chaves Porte-mao
Coirabra Porto
Coura Povoa de Varzim
Covilha Reg6a
Elvas Ta vira
Extremoz Valenca
Famalioao Vianna
Faro Villa do Conde
Figueira Villa Real
Guarda V'inhaes
Guimariies Vizeu
Lagos Villa N. da Cerveira
Lamego Funchal
Fava .
)
Banco do Minho.
Beltrio & Filho sacam
Joaquim Jose Goncalves
1' iv todoo oo Tiiporoo enhl*
Evora.
Anadia.
Aguida. Fafe.
Aveiro. Faro.
Beja. Guarda.
Chaves. Leiria.
Elvas. Lisboa.
Amarante. Barcellos.
Gaimarae*. Ofmbra.
Covilbi. Mirandella.
Melgaco. Penaflel
1'ortalegre.
Areas de val de vez.
Celorico de Basto.
r.aminha.
Mangualdo.
Ponte do Lima.
Povoa de Lanbosa.
ViIIa-Novade Portiraao.
Boosao.
Ovar.
Porto.
Tavira.
Regoa.
Vizeo.
Figueira.
Lamego.
Estarreja
Valenca.
Villa Real.
Cabeceiras de Bastos.
Castello-Branco.
Espozimde.
Oliveirade Azemeis.
Povoa de Varzim.
Vianna do Castello.
Villa-Nova de Faoialicao.
Villa do Conde.
1%'as illia-i.
Madeira, S. Miguel, Faial e Terceira.
iViMENTO m
Navios enlrados no dia 17.
Portos do sul,-G dias e 13 horaj, vapor nacional
Parana, de 900 toneladas, commandante Qua-
dros, equipageni 60, carga varies generoi; a
Pereira Vianna & C.
S. Vicente 8 dias, corveta a vapor Chilena, com-
rr.andan:e J. Morlinas; veio receber carvao.
Navios sahidos no mesmo dia.
Liverpool Galera portugueza/.tdia, capitao Fran
Cisco R. da Nora, carga algodao, assucar e ou-
tros generos.
PorD. Galera portugue a. Firmeza, capitao An-
tonio Jose Ferreira, carga assucar e outros ge-
neros.
Rio Grande do Sal. Patacho brasileiro Gra$a,
capitao F. J. Fernandes, carga. assucar e outros
generos.
Rio de Janeiro.- Corveta nacional Vital de Olivei-
'.a, commandante Piqaat
Rio de Janeiro. Brigue atjstrisco Die MueiBru
der, eapitSo Antonio Podech.
Rio Graoie-do SiH Pataeho jiortuguez Adelino,
capitio Francisco Jose de Abreu, carga assu-
car.
EDITAES
-- 0 proetirador fi?cal interito da theaourarU
provincial decrara aos contribuintoe dos impe^tos
de vinte por % sobre, estabelecimantos a cargo do
coDsalado provincial,que lhes licamarcado o prazo
improrofavel de 30 dias, a cou .ar da publicaoao
1 -ti', at conformidade da lei n. 891 artigo 53, para
sol.citarem da seccio do conteficioso as respeetlvas
guias para paganeoto 4e seus debitos, certo de
que se iw o liierom deatro io pra*o Mareado,
proceder-se-baa cobraoyajudiciitoMnto, publiaaa-
dose para isto a relaeao dos devedores aoaixo
traascripta.
Sec^ao do conteneioso provincial da Pernambu-
co, 31 de marco de 1874.
0 procurador li::il ioterino.
Migutl Jose de Alnuuia Pernitfi^mo.
Kelaijao dos devedores da irposto-da 20% que
deixaram d pagar saus debitos no anno lioan-
ceiro de 1872 a 1873
Rua do Imperador a. 63, Francisco
Jose Crjelho <$ a, loja de bah as 87*200
Praca da Pedro II a. 4, Franci eti Jo-
se^ Moreira, dlto 43i60Q
Rua Duquo-d* Capias n. 62, Francis-
co Peftira de Mendon^a.-loja de fa
;:endaa 136*100
Pr.ica daltlapaalamii a 31, F-an-
Jen Joj^ Giincalvai da ^ifjuiin,
lita de eaa^s ttiim
Rua Larga d Roearia a. 6, Frar Cis-
co Nines de Paula, dita de c ha
ruto* 65*iOO
Dila ditp a. 1, Fraaeiico Albino ;iou-
;a Pitto 4 C, Javerna 6o*i00
Ditado Viaeoadede labauma a. 22,
Franeisoo Joaquim Farreira E^te-
ves, fcja .1* tauea 32*700
Dita dife n. ifd, iVaneiseo Joaqnim
Corrda Esteves, loreraa 51*500
Ditadapladre de-Deus a. 3, Fran-
:isco Antonio da Oagas, botica 31*910
Diia daPalma n.~y, Frantiaco Joa-
(|uim nnwHWw'nsrslwjsaTeflit ffr99
Gor^atves 4 Prim, diu 3**62!
Dita de Bemfica n. 27, Gomes &.,If-
mAo, dita,
Dita dita n. 27 A, dito, hotel 61
DiU do Bom Jesus n 68, H. Leger,
armazem de faeenda 108*060
Dita de Domingos Jos6 Martins n.
138 A,. Herculauo de Hollanda Ca-
valcanle, dito ae couros 632400
Dita do Barao da Victoria, n: 16, Her
minio Fernandes Alves Lima 4. G.-, '
ka.dB chapes 130*800
Arco da Cenceicio n. 4, Igpacio Pe-
dro das Neves, dita de roupa 31*532
Rua do Bern Jesus n. 2 A, Isidbro
' Bastes & C, deposito 66*100
Diia de Pedro Affooso n. fit, Igoaen
de Freitas Rilieiro, armazem de
carne 870
Praca- do Conde d'Eu v. 21, Ignacio
da Silva Pessoa, loja de charntos 78M80
Rua do B:iio Jesiii n. 4i, Joao dos
Santos Cc Amo, dita de mobilia W9a00i1
Largo do Corpo Santo a. 25, Joaqornx
Lopes Macbado & C, dita de miu-
dezas 130*800,
Rua do Torres n. 8, J. 0. C. Doyli,
deposito 871200
Dita do- Vigario Thenocio n. 11, Jose
Maria I'estana, armazem de mo-
bilia 87*200
Dita dita n. 33, Joao Alexandre Viei-
ra, tavcrna 87*200
Dita do Amorim n. 20. Jose Ferreira
Pinto de Magalhaes, armazem do
recjlber *i
Dita dita n. 36, dilo, dito de gene-
ros 130*800
Dita dita n. 1, Jesuino Cavalcanfe de
Albuquerque Mello, dito de reco-
ver 130*800
Dita da Moeda n. 21, Jos6 Gabriel
Carneiro da Cunha, dfto de al-
goaao 76*300
Di ta da Companhia Pernambucana n.
22, Jos6 Goncalves Rignff, taverna 52*320
Largo da Assembled n. 4, Jose Fran-
cisco do Rego Mello, armazem de
algodao 87*800
Dito dito n. 9, Jose Luiz Guaiaco, dito
dito 196*200
Rua de Domingos Jose Martins n.
136, Joao Roberto Augusto da
Silva, dito de generos 26*160
Dita de Maria Cesar n. 14, Joao Jose
Mendes, deposito 26*160
Dita do Caes do Apollo n. 69, Jose
Duarto daa Noyos, ftrnwEOni do fa
rinha 327^000
Dita do Imperador n. 26, Jose Gcmes
de Freitas, dito de molhados 63*400
Dila dita n. 47, Joaquim da Costa Ra-
mos, dito de mobilia 130*800
Dita dita n. 65, Jo.-<6 Fernandes de
Amorim, duo de bahus *
Caes 22 de Novcmbro C, dito, dito
de fazenda 101*600
Praea de Pedro II n. 6, Joao Baptista
Monteiro, taverna 65*400
Rua Duque de Caxias n. 34, Joao da
Silva Guimarais, casa de drogas 87*200
Dita dita n. 41 A, Jose Maria deScu-
za & C, taverna 65*400
Travessa das Cruzes n. 8, Jose do
Rego Pacheco, dita 65*100
Praca da lndependencia n. 23, Jose
Joaquim Barbosa da Silva, loja de
chapeos 131*08
Rua do Barao da Victoria n. 55, Jo-
s6 Goncalves de Almeida, deposito 78*018
Dita dita n.63, Joao Joaquim da Cos-
ta Leite, loja de bilhetes 63*100
Dila dita n. 65, Jose Reraigio de Al-
buquerque, dita de fazenda 109*000
Dita Estreita do Rosario n. 18, Jose
Joaquim da Costa Maciel, taverna 82*700
Dita de Paulino Camara n. 3, Joie
Miguel Barbosa Ramos, dita 65*100
Dita Visconde de Inhauma n. 5, Joao
Martins de Amorim, taverna 65*400
Dita dita n. 19, Joaquim Umbelino B.
Munte-Negro, loja de miudezas 32*700
Travessa do Arsenal n. 15, Joao 3ap-
tisti Pinheiro, armazem de carne 109*000
Ter;eira travessa do Pires n. 2 A, Jo-
se Martiniano da Silva,- dito de al-
godao 101*610
Rua de Pedro Affonso n. 41, Julio
Cesar Alencar Brasii, dice de car-
ne 43*600
Dita dila n. 56, Jos* Rodrigaes Go
mes, dito 43*600
Dila dita n. 61, Jose Marques Dias,
dito 65*400
Dita dita n. 68, Joao Paulo Botelho &
C, dito 32*700
Dita dito n. 70, Joao Domingues Al-
. ves Moreira, dito 65*400
Dita dito n. 72, Joaquim Ribeiro da
Gama, dito 65*400
Dita de Marcilio Dias n. 27, Jose Ma-
ria Rodrigues, loja de Flandres 26*160
Dita dita n. 45. Joao H. de Souza,
dito de ferragens 43*600
Dito dita n 83, Jose Bandoux, dito
de chapeos 32*700
Dita dita n. 91, Jose Manins da Silva
Borges, taverna 65*400
Largo de S. Pedro n. 1. Joaquim. de
Basto Vasconcellos, dito 65*100
Rua de Lomas Valentin as n. 78, Joao
f Dias de Oliveira Santos, dito 65*400
Dita de Santo Thereza n. 30, Joao
I Martins dos Santos, dito 52*320
Dita do Marquez do Herval n. 31,
Joaquim Pinto da Rocha. armazem
J de miudezas 65*100
"Dita Cadeia Nova n. 7, Joaquim Fer-
I reira Gasmao, tavesoa 43*600
Dita Vidal de Negreiros n. 24, Joaqnim
I Ribeiro de AlDuquerque, loja do
charutos 36*621
Diia n. 36, Joao Baptista de Athayde,
dita 84*500
Dito dita n. 52, Joaquim Felippe da
Veiga, deposito 43*600
=Trave3sa do Prata n. 7, Jose Patricio
Siqueira Varejao, loja de charutos 41*850
Dita dos Pescadores n. 1, Jose Gon-
"calvse Hespaabol, padaria 109*000
Dilamperial n. 122, Jose Adriaao
de Mello Dutra, taverna 43*600
Dita dita n. 182, Jose Emigdio Fer-
reira Lima, padaria 43*600
Oita'dita n. 133, Joao M. da Silva Vil-
lela, taverna 32*700
Dita dito n. 151, Joao Cardoso Ra-
bello. dita 52*320
Dita dito n. 24, Jose Emigdio Fer-
reira Lima, deposito 65*400
fj.bangan. 12, Jose Francisco de
Souza Lima, salgadeira 65*100
lua da Imperatriz n. 52, Joao Fran-1
cUco Paredes Porto, loja de fa-
zendas
Laltti9 W,*aipftfrnMab>b*
Mreooa
)Wa.-diain. $61 'Jose.Bernardo da
HOftMtnfa da miadszaa
MdmlaBabi 17, ifnaifilBi j Vic tar- Go*
Vflj dita .
Jataalito n- 43, Jat&da- Baraoa Si-
raoea, dita de /Hlcadoi'
Dita -dita.ci -59,- Jds* da Coaeeicao
Olisaira Figaanredo, d*U de joias
'rac* do Cooda^'Ea Di 4r Jose Ahres.
Lima, tavena.
)ita diu 8. O mesmo, dita 1
iiadito n. 22; Joaquim bjaario Ri-
beiro Junior, botica
Jitodttam 32; JosO Narctso da 911-
Da^4fTs*a(r^ia9lejk4s*i. 3, id
sS Mafia Gomesrdj Silva, retinacSo
Dito, do Visconde de Albuquerque
ii. 51, Jose Cirpinteiro da Silva, ta-
verna
Dito da Poote Velha n. 87y iacinlho
Daa-'dito n. Io, Joaqaim Luiz Ferrei-
! ra-LaaJv dita
Difa ,a>Gervaa.Pires- n. 3L,, Jpa-,
^JMoiMrSttWa^Josd MSrla
Cordefrw P,tea, padaria'
Drt* do:timaii 1,-Joao-Aulanio F:
%^^ceSpJJ,,p3, Jwo tfiaaiWa/,
i tm?; ra^erba
ita das Pernambucanas n. 24',- Joa-
quim Jose~Dlas"PeTeu,a, dito .
iU,dila n- iflHlW WPde
Oliveira, 4mi* I \.
Dita de S. Miguel n. 148, Jose Mari-
" ttifcai, dito 1
iffcf de Carra-
y%J Qniabo n!': *8 h J,oaq;rjirn
flimgUfis. Tavapes, dito
ao>a d8^ato: Riia-a. If, Tft^a
_,ito Correia, armazemSie-rrra-
dWNP
Pita dito n. 17, Jose Fftrlfelri'Coe'' '
Itjef-***
Dfta dija n,39, JoseTgsaeio dPAvIK :
la, dito '
Diia da.Gompaahia Petuarabuoaaa a.
14, Jaaqutm Diasi dae SaniotfcdiV
to de algt'ilao
Dila DuqOB. de- Caxias n. 113, Jnsti
AftUmio da Cosiii e Sa, loja de fa-
, zenda
Dita Marquez de-Ormda-n. i,Lemos
& Guerinau, armazem de fazenda
Dita do Commercio ns. 13-15, Luiz
Vernet, hotel
Dita Duque de Caxia a. 32-, Ltiiz
Freitas Victoria, deposito
Dila dita n. 31, Ujxit- Jose da Silva,
loja de mobilias
Dita do Viscoate de lahtnima n. 77,
Laurindo Qragiano da Silva^iavser-
na
Dita de Pedro Alfonso it 66, Luiz
Moreira Reis, armaiem de carne
Dito dita n. 76, Loureoco Ribeiro da
Cunha Oliveira, dito
Dita dita a, 7, LMirfaa TuleMrto da,
Costa Alb.ii(juerque, dito.
Dita dita n. 29 A, Luiz Rodrigues de
OliveirV 4 C, dito
Dita de Marcilio Dias n. 69, Luiz
Eloy de Almeida DuTao, deposito
Dito do Coronel Suassuna n. 2, Luiz
Antonio dos Santos Pereira, taver-
na
Dila do Marque?, do Hervaln. 91, Lo-
pes & Oliveira, dita
Dita da Imperatriz n. 72, Lonrengo
Pereira Mendes Guimariies, loja
de fazenda
Dita de Riachuelo n. 67, Lucas Anto-
nio Evangelista, taverna
Dita do Uaraa da Victoria n. 67 A.
Luiz Nueira, relojoairo
Dito Nova da Praia n. 30, Uarcelino
& Silvano, armazem de a%odao
Dita .10 Bom Jesus n. 13, Miguel Fer-
reiraPinto, confeitaria
Dita Jita n. 11, Maximo lose de An-
drade, loja-de calcado
Dita do Commercio n. 20, Mane el
Marquue r1 Alu-i>n Porto, lavprna
Dila do Vigario Thenorio n. 20, Ma-
aol da Silva Farias, artnaiem de
drogas
Dita do Amorim n. 43, Mnn:el Jose
Tinoco de Souza, dito de generos
Dito da Moeda n. 13, Uanoel Ferrei-
ra Pontes, dito de recolher
Dito dito n. 15, 0 mesmo
Dito dita n. 35, Moreira Monteiro 4
C, dito de generos
Dita da Madre de Deus n. 4, 0 mes-
mo, dito de recolher
Dita dila d. 8, Monteiro Rocha 4 C,
dito de generos
Dita do Imperador n. 21, Marques
& C, confeitaria
Caes 22 de Novembro n. 36, 0 mes-
mo, dita
Dito a 34, Manoel Jose Rodrigues.
taverna
Praca de Pedro II n. 2, Marcos d'AI-
moida Lima, loja de bahus
Rua da Madre de Deus n. 114, 0
mesmo, loja de charutos
Dita Primeiro de Marco n. 14, Mon-
teiro Torres 4 C, dito de fazenda
Dita Dtiqne de Caxias n. 23, Manoel
da Costa Azevedo Napoleao, dita
de mobilia
Dita dita n. 61, Moreira Pontes & C,
dita de fazenda
Praca da lndependencia d. 38, Mat-
tos Lima 4 C, dita de miudezas
Rua do Cabuga n. 12, Maurino Jose
dos Santos Ribeiro, dita de ioias
Dila dila a. 18, Manoel Joe6 Ferreira
da Cruz, taverna
Dito do Barao da Victoria n. 48, Mon-
teiro Sampaio 4 C, loja de fazen-
das
Dito dito n. 23, Manoel 4 C, dita de
chapeos
Dila Estreita do Rosario n. 2, Manoel
da Co3ta Campos, taverna
Dita do Livramento n. 10, Manoel
Francisco Carneiro 4 C, loja de
fazendas
Dila dita n. 27, Miguel Archanjo Fra-
terno, dita de selins
Dito da Penha n. 4, Manoel Antonio
Pinheiro, dita de charutos
Dila dito n. 11, Manoel Ciciliano de
Freitas, taverna
Dito da Madre de Deus n. 4, Martins
SC, dito
dita n. 71, Manoel Venancioda
Silva, loja do Flandres
Dita do Coronel Suassuna n. 15, Ma-
noel Martins Gomes, dita de jpias
Dita Duque de Caxias n. 54, Macha-
do 4 BrandSo, dito de ferragens
Dita do Marquez do Herval n. 7, Ma-
noel Ramos, taverna
Dito de Vidal de Negreiros n. 59," Ma-
noel dos Santos Araujo Mello, loja
de charutos
Dila dita n. 141, Marcolino Martins
da Luz, taverna
Dita dita n. 157, Marques 4 IrmSo,
dita
Dito Imperial n. 6, Manoel Joaquim
Ferreira Esteves, armazem de cou-
roa '
Travessa do Gasmao n. 1, 0 mesmo,
saifradeira
.Rua Imperial n. 150, Manoel Ante -
nio Franeisce, taverna
Dita dita n. 108, Manoel de Paula
Correa, dita.
Cabaoga n. 72, Manoel de Paula de
Albuquerque saigadeira
Rua da Imperatriz n. 22, Martins 4
Irmao, taverna
Dito dita n. 40, Maudes 4 Carvalho,
loja de fazendas
Dita dita n. 50 A, Manoel Alves de
Carvalho, dita dfe joias
Dito dito n. 78, Manoai Joaqnim Dias,
dita da miudezas
Dita.dito n. 63, Manoel Alves deMa-
cedo, loja de rmudeias
Dito dito n. 63 A, Manoel Dias F.
Junior, loja do ehjrntos
Praca do Conde d'Eu n. 32 A, M
noel do C. Pacheco, hotel
Rua do Visconde de Pelotas n. 6, MT-
109*000
MmUdo
ta-
Joso
3
1
iDMOOD
63*4001
5J*320
13048001
109*000
m*w$
78*180
87*2 00
39*240:
32*320
324310:
57*432
."(2*320
52*320
78*480
gnel Anlonio
Terna
'ante Velha a. 6^,, ,
Sant'Aona, taverna
P'^^7 ManoeJ, G. Ji^-a, to-
Praca da Santa- Cruz n. 2; Harta
[ FUrleaoia.Spuza PtoUy toMerna
26*160
91*560
63*400
L

- 13*980^
357W
wjtm
m*4oo
2G1**00
.. 43*600;
152*600
318*800
52*320
43*600
39*240
54*500
54*500
87*200
43*200
101*610
65*400
52*320
109*000
26*160
43*6CO
87*200
109*0:0
32*700
87*200
130*800
101*610
*
130*800
*
270*320
65*400
*
117*720
1303800
130*300
1305800
65*400
109*000
174*400
87*200
109*000
130*300
132*600
78*480
130*800
13*600
39*210
31*392
87*200
13*080
43*600
152*600
78*480
3t*700
43*600
63*400
*
76*300
poei Fe'rrei
do Socego n. 31, 1
de Carvalho. taverna
Rua de Paysandd. n. 12, Manoel Gq-
1 tries Martins, taverha '
11a da Mora n. 6, Machado & Almei-
da, taverna r'l r I
ua Direita a. |0,AIanoii goncalves.
L Ribeiro, tolenai
Rua de S. Miguel n. ISO, Martiniano
1 da Cruz Mello, taverna
pita dita n. 21, Manoel Jose Soares.
taverpa
Rua Nova de Santa Rita n. 1, Maria
Eugenia Alves da Cruz, deposito
Rna Direita n. 9, Mafra 4 Barros,
hotel
Rua DM do- Rosario n. MVA| Ma-
noel Garrido, hotel
j. Travessa S. Joio Barros n. 2, Ni-
colao Tolentino do'Sacramenlo, ta-
I verna .
Rna do Bispo Sa|dk|V n. la; Oitvei-
1 ra 4 Miranda,- taverna
Rua do Barao da Victoria n. 21, Oli-
I veira Carvalho 4 C, loJWkle Flan-
' dres
rafiWi ******* ^\ i
}.' Travessa da Praia n. 2 (ipajjla &
1 Irmao, armazem de alfiraaa '
Rua da-Puoro-.Ajrooso n- 2 U, Jdanv
1 khmidaai
Rita da Ia>alfu n-48, PUaio Fr-
eandeside MaUoGaimaraes, loja de
fairadas
Raado Corowl tamalia;n. 18; Pe>-
'reita'df-lraiao, tavern*
Rua.^ov* (h; SaaUi Rita n. IS, Pal'
Jose Gomes 4 Co:to, arnuinm do
: ma.4diraa.
Rua do CommejCio n. 48, Roberto, .
! \VarRoa 4 C.,;araiaz*Ti d fazaaiasi
Rua.do,. Vig&rip Ttb*fo^io-n. (OyJJdosa.
1 AJoiUr armazem de umutaas.
Rua l"> de Marco n.;lji A.RMjaflla.&.
Cvlejjt.de rajjidezas a
Ru,a.d*:Rarao da \L't|ia a. 48A,
Rocha Pinto & C, hotel
Dito-dito n. 37, Rodrigues Ferreira
1 & C loja de ferragens, JJ :
targo do Carmo n. 9J/4djjeJwi A Ir-
mao, taverna
Rua da Madre de Deus nj fc3, Rodri-
gus (Jf.,i\ascimentp, ioja1 de cha-
peift
Rua Imperial n. 146, Ricardo Morei-
ra & C, taverna' ''
Rua do Viscoade de" Albuquerque a.
20, Raymond A C padaria
Una de Santa Rita n. 3, Rodrigues
d* Silva & C, taverna
Rna do Marquez deOlinda n. 56; Sil-
va 4 Alves, loja de ferragens
Rua do Amorim n. 33, Sena Sehefre
4 C, armazem de goaeros
Rua de Domingos Jose- Martins n.
84, Souza & Rotiiio, padaria
Dita dita n. 110, Silva Alves & C,
deposito
Rua Larga do Rosario n. 31> Santos
& Araujo, taverna
Rua do Livramento n. 30, Silvino 4
Irmao, loia de fazendas
Rua do Vi-oonde de Inhauma n. 26,
Souza Goaies 4-C, loja' de iaiud-
zas
Dita dita n. 23, Santos A Sobriiiho,
taverna
Rua d3 Madre de Deus n. 61, Sarai-
va 6; Machado, loja de sellim
Dita dita n. 72, Sebastiao Jo 6 Be-
zerra Cavalcante, taverna
Dita dita n. 118, Saraiva & <', botica
Raa Imperial n. 148, Sevariuo Tava-
res de Oliveira, tav.rna
Rua d) Barao de S. Berja n. 23, Sil-
vino Juvencio, loja de Flandres
Rua Direita n. 1, Sebastiao Pereira
Pinto, hotel
Caes d'Alfandega n 1, Tasso 4 frmSo,
armazem de recolher
nua do Amorim n. 37, idem idem
idem de generos
Caes do Apollo n. 45, Idem idem
idem de recolher
Dito n. 47, Idem ilem idem idem
Rua de Joao do Rego n. 3, Teixeira
& Irmao, padaria
Rua da Imperatriz n. 8, Thomaz Tei-
xeira Bastos, loja de miudezas
Rua do Cabuga n. 11, Valentim do
Valle Lobo, loja de fazendas
Rua do Barao da Victoria n. 29, Vi-
cente Ferreira de Sou*a Reis, loja
de Flandres
Rua Lars'a do Rosario n. 35, Viriato
Ctnteio Lopes, deposito
Dita dita n. 37, Idem idem idem, ta-
verna
Rua do Visconde de Inhauma n. 16,
Viriato da Freitas Tavares, loja de
louca
Becco do Quiabo n. 25, Vicente Tor-
res dc Sales Menezes, taverna
Rua Nova de Santa Rita n. 31, Vicen-
te Alves Machado, armazem de
madeiras
Dita dila n. 33, Idem idem idem idem
*
11*830
3i*3$2
31*392
52*320
*9l2
31*392
32*320
87>200
1094000
21*800
3i*7>:
130*800
1
87*JWO
15*696
13*080
10*561
63*400
32*700
327*000
13*080
87*200
132/000
3f?*iJ0O
*
1K3*120
11 ,.il
874*0
314^92
109*000
174*100
64*i#>
130*800,1
87*200
65*400
63*400
18*312
73*480
52*320
152*600
26/160
87*200
63*100
60*168
109*000
63*400
109*000
52*320
65*100
13*696
26*160
32*700
32*700
911*978
109*000
87*200
87*200
109*000
*
209*280
32S70J
13*080
*
131*600
com ires janellas
aeabar, eara-
de rtis.
ar opresente. que
e pnblicado
los, cosinfta external
65*400 Ids peitor// na
jceodo de ser/os
E para c>
'sera afflxado
pela imprensa.
Dado e passado sob meu, sigoal ,e sello, on valha
Bern sello ex causa, nest* dditfjo Recife dePer-
nambuco, aos 31 de maryxde 1874.
EuJIorunQ-Carteyi (J^BjiU)%e*;rav'4oo.iJi es,
Francisco de Assu.'jQliveira il&cilt
. Sr. inpot da \m
hospi
pal tfittr.
Iilar> deaia- p**in*ia,
il, pari
TO
0 Illm. Sr. irfsdMot da IMsourana provin-
cial maMda,razerK)ubJ/(3p,jiue.flBp cwijvimeaio da
irdem do Exm. sr. presidenia da provincia da 7
de Janeiro corrente, perante a jiinta desto thesou-
raria se ha de arrematar no dia 23 de abril pro-
ximo vlndonro, a obra da ponte denominada Pao
Sangue sobre 0 rio Serinhaem. orcada em 0:370*,
pagos em apolices da divida provincial a juro de
7 por cento ao par.
As pessoas qne se propozerara a esta arremata-
cao comparecam na saia daa aaasoes da mesma
tbesouraria no dia indicado aciraa, pelo meio dia,
compelentemenle. habilitadas-
E para const ar se maudou publicar 0 preseate
delo Diarto de Pernamlm^o.
Secretaria da thescurarla proym.cia.lj 20 de iar
neiro de 1874.
Vicloriano Jose M. Palhares,
Official maior interine.
Clausulas especiaes para a arremalacao da ponte
denominada Pao Sangue sobre 0 rio Seri-
nbaem.
1." A ponte danominada Pao Sangue sera exe-
cutada de conformidade com 0 orcamento e plan-
Ha approvades pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, no valor de 9:570*.
SLf 0 arrematonle dara pnucipio a obra ao pra-
zo de ran met a eonoloirA no de 15 mazes.
3.* 0 pagamento sera, effeemado m 3 presto
ifoes iguaes a proporcao da tabe'lla executada.
Ul.* Para t^.^roafc que njR.se ajfcpr especifl-
losera regulado -pelo que dispoeoregulamento
de 3ljde^uLSo de 1866.-0 enjjealiairo cbefe, Jo-
se Ttf)i*rcj,o Pefelfa de Magalhaes-.
yictoriano Jose.M, Palhares.
Edital com prazo d$a0dios
n. 152
Pela inspey^rja daj.aJipiVfgaydp^ernanibuco
se faz pubiico qua achaidose aa, mereaderias
ceatidas nos velumesa^atxe m^i;n de serem arrematadas paratoqpumo, nos termos
do cap. 6 do tit. JjV df jre^gulipento de 19 de
setembro de 1860, os^etts^HlnoAu consignatarics
deverao despacha las no prazo de 30 dias, sob
panade, findo elle, serem vendidas por sua conta,
sem que Hies lique coiopetindo allegar con'ra os
eueitoa 4esla venda.
Fortaleza dq Buraco.
Mirca diamante J; -400 barris de quarto, com
polvora, vindos de Loadres na esouna ingleza
Perseverance, e desdarregados era 18 de setembro
de 1873.
Marc a B B. -300 ditos idem idem idem.
Marca dia iianie Moraes.2QI0 ditos, idem idem
idem.
Alfandega de PernaTibuco, 18 de abril de 1874.
0 inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
WWMSSSOW
BE6UftACWi
SANTA CASA DA M1SERICORD1A DO
RECIFE.
Venda de predlos
A Illma. junto admiaistrativa desto Santa Casa,
davidamente antorisada pela presidencia, na sala
de suas sessoes, pe:as 3 horas da tarde do dia 26
do corrente, venie ou permula. por apolices da
divida publiea os segujntes predios. perlencentes
ao legado da J.uqui n da Silva Lopes, de que 6
administradora : Forte do-MaUos, metadedo so-
naiqyde 3 andares n. 17, por 5:500* ; becco do
brado 3" oarle do sobrado n. 1, por 2:666*666
rua da Gula, sobrado de dous andares n. 69, por
6:000* ; rua de S. Jorge, casa terrea n. 92, por
1:400*, sobrado de um andarn. 30, por 2:000*,
dito meia-agna por 500* ; rua dos Guararapes,
casa terrea n. 63, por l:t00* ; rua dos Aoongui
nhos, cosa terrea n. 16, por 600* ; Largo da Cam-
pina, dita n. 3, por 400* ; rua da Soledade, dita
n. 72, por 700* ; becco do Teixeira, cita n. 5,
por 250* ; largo das Cinco Pontas, terreno, por
1:000*000.
Secretaria da Santa Casa da Misencordia dc
Racife, 14 de fevereiro de 1871.
0 escrivao
Pedro Rodrigues de Souza
0 administrndor da recebedoria de
rendas internas geraes avisa aos contribuin-
tes do imposto sobre industrias e profissoes,
que e neste mez de abril que tern de ser
pago, sem mulla, 0 2. semestre do exerci-
cio de 187374, depois do que serd pago
com a mulla de 6 %
Recebedoria de Pernambuco, 7 de abril
de 1874.
Manoel Carneiro de Souza Lacerda
Seecaodo contencioso provincial de Pernambu-
co, 31 de marco de 1874.
0 /. official,
Horatio Walfrido Peregrino da Silca
0 desembargador Francisco d'Assis Olivei-
ra Maciel, official da imperial ordem da
Rosa, cavalbeiro da de Lbristo, e juiz
privativo de orphaos e ausentes da cida-
dii do Recife do Pernambuco e seu ter-
mo, por S. M. I., a quem Deus guar-
de, etc.
Faco saber aos que este virem e delle itverem
conheciraento, que a requerimento do bacbarel
Augusto Carlos Vaz de Oliveira, curador do men-
tecapto, cidadao hespanhol, D. Narciso Francisco
de Vidal, vai ser vendido era hasta publiea, por
uma so praga, fmda a primeira deste juizo, 0 en-
genho moente e corrente denominado S. Maiheus,
com todos os seus editicios, casas, cercados, lo-
gradouro?, terras, machinas, nguas corrente?, sito
na freguezia de Gamelleira, do termo de Seri-
nhaem, comarca do Rio Formoso, Umita-se ao
none com terras S. Vicente e Amaragi d'Agua,
ao sul com terras Bom Successo e Gamelleira, ao
nascente com os engenhos Viracao e S. Boa Ven-
tura e ao poente com terras de Duas Barras, por
16:000*000 ; perlencente ao espolio daquelle fl-
nado.
E para constar, mandei passar 0 presente, que
sera affixade nos lugares do costume.
Dado e passado sob meu signal 0 sello ou valha
sem sello excausa nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 31 de marco de 1874.
Eu Floriano Carrea de Brlto, escrivao, 0 fiz es-
crever e 9ub8crevi.
Francisco de Assis Oliveira Mattel.
Ao sello 300 reis, valha sem sello ex-causa. Es-
tava sellada com uma estampilha de 400 reis. inu-
lilisada pelo esorivio do feito, na forma do es-
tylp.
Nada mais se eontinha no dito traslado, extrahi-
do dos propriosantos, aos quaes me reporto. Fiz
escrever e assignei.
Reeife, 31 de marco de 1874.
Ftortano Correa de Brito.
de^e.TJbargado r Franeisoo' de Assis Oltverra Ma-
ciel, official da imperial ordem da Rosa, cava-
lneiro da de Chris.'o e juiz privativo de orphaos
e ausentes da cidade do Recife e seu termo, por
S..M. 0 Imperador, que Deus goarde,. etc.
Faco saber aos que este virem e delle tiverem
conhecimenio, que em virtude de carta precatoria
vinda do juizo de orphaos do termo Imperial
do Papary, val ser vendido em. tita publiea por
uma.si praca, finda a primeira deste juizo, 0 sitio
abaixo mehcionado, pertencente ao casal. do floa-
do Ignacio de Albuquerque MaranhSo. XJm sitio
em Santo Amaro dis Salinas, freguezia da Bda-
Visia, todo murado com um portao na frente para
a est'ada de Olinda, oulro da ferro em que deita
para 0 pateo da igreja, com aiguns arvoredos in-
elusive 2 pes de coqueiros, 4 quartos para cnados
a 2 viveiros, sitio em que assento uma casa de vl-
venda com sotea, tres portas de frente do lado de
Olinda, duas portas e uma jaw11* em WiJa oitao
8 raetros e 40 centimetros de vao e 23 metros e
DO centimetros de fundo ; duas salas, cinco quar
Pela thesonraria de fazenda se declara que*o
prazo marcado para 0 recolhimento das notas de
2-J e50* da quarto estampa, sem desconlo, finda-
se, psr.i as Driraeiras em 31 de malo, e para as
segundas em 30 de junho vindonro, sendo que
dahi em diante serao trooadas com 0 descouto
mensal de 10 0|0 ate fiearem sem valor.
Secretaria da thesouraria de fazenda, 11 de
abril de 1874.
0 2" escripturario, servindo de secretario
Carlos Joae de Souza Correia.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
.\avcicio costeira a vapor.
De conformidade com o artigo 26 dos estatutos
desta companhia sao novamente coovecados os
Srs. accionistas a reuulreraseem assembled geral
no sobrado da gerencia no dia 18 do corrente, ao
meio dia, afira de proceder-se a leitura do relato-
rio e as eleig3es da nova directoria e coramissao
de contas, tudo 0 quo, a falta de numero legal nao
p6de ter lugar na reuniao havida a 11 de marjjo
proximo passado.
Recife, 6 de abril de 1874.
Thomas il. Connan,
Gerente interino.
SANTA CASA DA M1SER1CORD1A DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrate da santa casa di
ilisericordia do Recife, manda fazer pubiico que
aa sala de suas sessoes( ^no dia 9 de abril pe-
las 3 horas da tarde, tern* de ser arrematadas a
quem mais vantogens offerecer, pelo tempo de um
a ires annos, as rendas dos predios em seguida
ieclarados.
ESTABELECIMENTO DE CARIDADB.
Travessa de S. Jose.
Casaterrean.il.-......201*000
Rua de Santo Rita.
Idem n. 32........250*000
Idem n 34.......240*000
Padre Floriano.
Idem n. 49........207*000
Ciuco Pontas.
Casa terrea n. 114 ......362IT500
Rua da Alegria.
Idem n. 31........371*000
Ponte Velha.
Idem n. 31.........156*000
Rua de Antonio Henriques.
idem n. 26 ........ .99*000
PATRJMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Sanzalla Telha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
RuadaCrnz
Sobrado n. 14 (fechado). .1:000*090
jRua^do Pilar.
Eaia terrea n. 100. 541*000
Raa do Amarlm.
Idem n. 34........122*000
Rvrt daGnia.
Idem n. 29........201*000
Rua, das Larangajras.
Casa terrea n. 17......361*000
Os preteodentes deverao apresentar no acto d,s
irrematoc>3 as saas flancas, ou comparecerem
icompanliados. do3 respactivos fladores, devendo
pagar alem da renda, 0 premio da quantia en
Te for seguro 0 predlo qna contiver estabeleci
mento commercial, assim conlo 0 servlco da lim
peza e precos doa apparelhoa.
Se,cretona da santa oasada rajsericordia do Re
ife, 17 de vogctQ 0 d^'lfn.
' h. eaprivlp
Pedro Rolriane* de Souxa,
i.m
(
* <.
AT/il
o
im
s ilifnet
dietas dos doenjes,'* 1
Aletria, kitog.
Araruta, idfrjr i ' Arroz do Maranhao, idem. 0
Assaeqr raftfadtx idem. O j 01 ^
ialatos inaeiaa,.idem.
&ss at
SSzJSbXr ) mi
Larne verde, idem.
Carne secca, idea.
Carne ^anr/ca,.irj)>mi
tna perola, idem-
6oce de goiata, idem.
Dito Marmello, idem.
Farinha de raandioca< l$rik* i\i\
feijao mulatmho, idtfn. If
Gallinha. uma.
'Lenhav-adWi;' waiiosl S|l
ftlacarrao, Idem.'
bvo, um.
Pae, kilos.
al 0#so, litro.
apio*avkilo.
'oucinho de LisWa, idera.L :. J,;^H
Vinagre de drfa. afro.
Vinho do Porto, idem.
Portante, quem quizer fazer dito Un>**Ul*t*
ppresente suas proposta* em cacta- fechadafvna
seeretarto desW hi'SpitoL. no dia-2t 4|:darrfe,
advirtindo-so que os generos aevemtsatldaliae
primeira qualidade, e qne a carne verde nao
deve cooler mais no nose.' que se pedir da 5'
parte de ossos..
Hospital militAr de Pernambuco, IT da abril
Be 1874.
O escrivao,
I___________Aveano Pereira da Cnnjto
'Armazons da o^mpanhja per -
namftucana.
Noguros contra o Togo,
1 A companhia pernambucana, d^iBpoaio,. de*x-
bellentes e vastos armazens era seu predio ao for
le do Mattos, offereceos ao commercio em geraJ
para deposito de generos, gaxamiodo a maior cou-
servaQao das mercadorias depositadas, service
proraplo, precos modfcos, etA
Tarabem recolhera.mediante preyio accordo, ex-
clusivamen,te os generos de uma sd Bessoa. .
Estes arfcazens, alem de arejados ecotngrAs,
sao intetramtnte novos e asphaltados, isentos do
cupim, ratos, etc., elc.
As pessoas.qua quizerem ntilisar-sa destes ar-
mazens, pederao dirigir-se ao escriptono da com-
panhia pernambucana, que acharao com quern
tratar.
w
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
e Beberibe.
De ordem do presidente da assemblea geral da
companhia acima sAo convidados os aecionistas
para a sessao ordinaria, que deve ter lugar no dia
22 do corrente mez segundo dispoe os estatntos.
afim de ouvir a exposicao demonstrativa apresen-
tada pela directoria em relac,ao ao movimento d.i
companhia dnrante os 6 metes anteriores : a
reuniao tera lugar no dia acima as 2 horas di
tarde e no lugar do costume.
Recife, 14 de abril de 1871.
0 secretario,
Luiz Lopaa Castello Branco _
Obnis mililares.
A SO do corrente tera lugar na reparticao da.-
obras pnblicas, onde se acha 0 orcamento, a ar-
remalacao do encaoaniento d'agua da forialaza do
Brum, oroado em 615*816 : quem pretender,
apresente suas propostas em carta fechada, as 11
horas da manba do referido dia. Na mesma oc-
casiao devera ser arrematado 0 material que s^
substitulo na referida fortaleza, onde pode ser exa-
minado.
Pernambuco, 14 de abril de 1874.
Chryssolito F. de Castro Chaves,
Engenheiro das obras militares.
ADMI.NISTRACA0 DOS CORHEIOS DE PER-
NAMBUCO, 16 DE ABRIL DE 1874
Relagao da correspondencia registrada (sem
valor) recebida de diversas procedencias
ate esta data, e que nao tem sido entre-
gue por ignorar se as residencias dos des-
tinatarios.
AmericoVespucio Moreira de Almeida, Antonio
Soares Pacheco, Antero Carneiro de Lacerda.
Augusto Jose Teixeira de Freitas, Angelo Ferreira
da Silva, Bazilio Jose Pereira Vianna, Carlo Simo
ni, Demetrio Pundas, Emilia Carolina Madeira
Ferreira, Firmino Theotonio da Camara Santiago,
Francisco Cardoso Ribeiro, Francisco Altino d>
Araujo, Francisca Felisraina de Albuquerque Mel-
lo, Honoria Luiza dos Santos, Ignacio C. de Men-
donga Uchua, Jose Carlos Teixeira, Jose Ribeiro
do Amaral, Jose1 Joaquim Goncalves Bastos, Jo'e
Henrique Trindade, Genoveva Francisca dos Reis.
Jose Izidcro Pereira dos Reis, Jose Antonio Vidai
Sobrinho, Lonrengo Jos6 de Figueiredo, Luiz Fre-
derico de Barros Rego, Leopoldo Catilina, Lea lie
Paris, Maria Magdalena, Pedro Vicente Vianna.
0 official encarregado do registro,
Jose Candido de Barros
Seccao 2*. -Secretaria da presidencia de Per-
qus a serventia vilalicia dos offlcios de 1" e 2'
tabelliao, escrivao do civel, crime e mais annexos
do termo de Agoas-Bellas, se apresentaram os tres
ioncurrentes seguintes : Laurenco Pinteiro da
Costa, Jose Faustino Marinho FalcSo e Francisco
Xavier de Souza Ramos.
0 secretario
Joao Diniz Ribeiro da Cunha.
Por ordem do Illm e Exm. Sr. desembarga-
dor Francisco de Assis Oliveira Maciel, juiz de
direito privativo de orphaos e ausentes e substitute
reciproco do da provedoria, sao chamados pelo
presente todas as pessoas que se julgarem com
direito ao escravo africano de nome Jose, que se
acha preo na cisa de detencao ha lango terape.
sob pretexto de ser escravo de um Joao Felix, a.
quem a policia com a maior solicitude nunca des
cobrio, a comoareeer neste mesmo juizo, dentro
do prazo de 60 dias, aoontar da data deste,jfcalle-
gar 0 seu direito, pna, se 0 nao fi er, de ej jrJ
gado dito escrav.0 abandoaado, segurndo-se c-
demais ternios na ftrma da lei Recll^ W de
abril de 1874. -0 escrivao interino
Joio Tiburcio da Silva Guimarits.
ADMINISTRAGAO DOS COI1RE103 DE PERNAM-
BUCO. 18 DE ABRIL DE 1874.
Malas pelo vapor inglez Belgic da companhia
White Star.
A correspondencia que tam de ser expad'da
araanhJ (19) pelo vapor acima mencionado para .1
Europa (via Liverpool) sera recebida^ ate as 8
horas da manha.
0 adminlstrador
Affonso qo_j^ego:arrea:___
ADMINISTRAtjAO DOS CpRR?i0S D|_IWA -
BUC(5, 18 OE A*WL DE 1874.
Malas pelo vapor Parana da companhia
brasilMra.
A corresponden.cia que tem de ser exi
hoje (18) pelo vapdr acima mencaon
portos do none, sera recebida p
oninte :
Maeos de jornaes, knpressos do .
reza, e cartas a registrar, ate 2 horas, eartas or-
dinarias ato 3loras, e estas ale 3 li2, pagan-
do porte duplo.
0 administrador
Aflonao do Reg> Barwa.
mm 1

.' <,'-




*pnm
DUrio de Peraambaoo Sabbado 1& 4rAkmkA* Wfcr-
)
mm 'MtAffATlGA
EMPREZA
UHAl FEHALNEE
Sabbado 18 do corrente.
I'enultima repre^enia^ao do lindo e apparatoso
drama-were em 12 rjoadros e I epilogo :
Santa Ciolildc.
RAINHA D FFRANCA
Principiara as 8 horas.
A'm ft t| horas da tarde
ULTIMA REPRESEOTACiO
do drama :
SANTA CL0TII.DE
Rainha de Franca.
Terminara o espect.iculo eom a ami to .ipplau-
dida comedia em 1 acto :
0 caixciro da taverna.
Aviso..
A empreza lem a honra de participar ao res-
peitavel publico dtsta cidade iiue se acha em en-
saios para subir brevemente a scena o drama
historico, Daeiooal, em i prologo e 4 actos, es-
cripto pelo Sr. Dr. Corle-Real, intilulado :
\iincs Machado
ou
A heraiica do ccndemnado.
Santo Antonio

COaVAMiiA
.DE
LliVITADA
Maeelrf, Penedo, iracnju .
e Bah in.
E'-esperado ate o.dia 32 do confute o vapor
Gatilio ie Grte-ms, o qual setui;;t para .n* pur-
tos acima no dia soguinte ao de tu* oiusAtaila. .
Reoebe-se carga, passageiro> v u. ih.nro a frete.
Agentes.
Antonio Luiz de Oliveit 4vedo.
7Rua do Bom Jesu* 57
Lisboa e Wrh,
Vai sahir cem brevidade a vetera barca Litboa.
Recebe ca/ga e passageiros: a trMar cum Tito
Livio Soares, rua do Torres n. ?0.
Pacific Steam Navigation Compan)
ROYAL MAIL STEAMER
espera-se daEuropa ate o dia 26 do correntfl.e de
pow da demora do costnme, seguira para Bahia,
Ilio de Janeiro, Montevideo, Buenos Ayres, Valpa-
raiso, Ariea, Is lay e CaUao, pan on Je recebera
passageiros, encommendai e dinheiro a frete.
Nao sabira antes das Ires horas da tarde do dia
de soa chegada.
OS AGENTES
Wilson Howe A C.
I*RUA DO COMMERf:iOti
Para
Sabbado 18 de abril/
Ultima recila do drama :
\mies Machado,
Terminara o rspectaculo com a representacao
da comedia em 1 acto:
A Snmiinlinla.
Haveratrem depois do espectaculo ate Apipu-
cos, tocando em todos os poutos.
Principiara as 8 1(2 horas.
Domingo 19 de abril.
A's ft life horas da tarde.
A' pedido o drama cm 1 prolrgo e S actos :
Ml
Terminara o
acto :
espectaculo com a operela em 1
Sem falo e sem n hi.
Na proxima semana a comedia drama em 3 a:-
tos, original brasileiro do actor Bahia :
pagillilS (1*11111 livro.
X**>S&-1 TrB
i mn mum
.
Para o indicado porto pretende seguir
com a possivel brevidade o patacho portu-
guez Azurara, por ter a maior parte de seu
carregamento eBgajado e p-ra o resto que
lhe fal'a, trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Goncalves Beltrio & Filho,
& rua do Commercio n. 5.
Huum
0 lugre portuguez Julio pretende sahir com to
da a brevidade por ter quasi wda carga promota:
quern no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagem, trate com os consignatarios T. de Aquino
Fonceca A C, successores, rua do Vigario n. 19,
i. aodar.
Rio de Janeiro
Para e indicado porto segue com poucos* dia*
de demora a barca portugueza Feliz Uniuo por
ter a maior parte de seu carregamento engajado,
s para o resto que lhe falta, trala se com os con-
eignatarios Joaquim Jose" boncalves Beltrao & Fi-
sho, a ma do Commercio n. 5.
Porto por Lisboa.
Pretende seguir para os referidos portos, com
poucos dias de demora, a barca porlugueza Novo
Silencio, de primeira classe, capitao Ferreir?, per
ter a maior parte de sua carga prompta ; e para
a que lhe falta e passageiros, para os quaes tem
bons commodos : trata-se com os consignatarios
Joaquim Jose Gonoalv.s Beltrao-& Filho, a rua do
Commercio n. 5.
Leilao
DE
100 caixas enm chenf'S, chegadas de. Lis-
t-iia nn ultimo vapor
S'.;iNI>A-FKIHA20 DO CORRENTE
as It haras ena ponto.
No. annazem do Sr. Anne?, tefronte d*affandega
0 prnposto du agente Peslana tara teilas por
conta e risco de qoem pcrtencer, de I0g caixas
com ci^'.ta-, em urn ou mats totes, a vontaie dos
comoraflores.
-------------------------1-----------------_____.

LEILAO
DE
com batatas novas
J0O ^ieas
SE(;i!.Mt\:FUA iO DO COftKENTE
l> ii h ra> la fM.-.nf
No trapiche do Sr. Annes.
0 preposto do agente Pestau vendera em lei-
Jao a mercadoria acima, por conta risco de quern
periemer.
LEILAO
DE
dous predios
SENDO:
Um a rua do Vigario Thencrio n. 12, em chao pro-
prio, cem duas 'rentes, 1 andar e sotea, com as
seguintes commodidades : 2 salas, 3 quartos so-
tea e eozinha, I grande armazem, o qual esta
rendendo annualmeote 600*, uma casa terrea a
rua do Padre Nobrega n. 85, em chao proprio,
com as epiiinte? commodidades: nma sala, I
quarto, eozinha e quintal, estao livres e desemba-
racados de qualquer onus
SEGUNLU-FEIRA 20 DO CORRENTE
As II horas em ponto
No escriptorio da rua do Bom Jeso> n. 53, primei-
ro andar, onde tambem se podera dar esclare-
cimentos dos referidos predios.
O agette Pinho Borges fara leilao, dot predios
acima declarados, por conta e risco dequem per
|6ncer.
Leilao
Para o Porto.
IWehe carga e p=ageiros o patacho portogoez
Ud'dr, que pouca demora tera. Trata-se com
E. R. Rahello a C. a rua do Commercio n. 48.
fl
1KACATY.
Para o Aracaly vai sahir com muita brevidade
o bem conhecido hiate Mw Valle, para carga a
frete a tratar com Joao Jo-e da Cunha Lages, na
rua do Vigario n. 33, 1." andr, ou com o mes
trc a bordo em frente ao trapiche Dantas.
Niiiim
Compavhia Franceza <:Ie faiega
Cil* a vapor
Linha mensal entire o
Havre, Lisbon, Prrnamtiaco, Rio ilr
Janeiro, (Santos, somente na vol
ta | Montevideo, BuenosAyres,
(com baldcacao para oRosario)
ST K A ME II
V1LLE DE RIO DE JANEIRO
Coiuniandanic A. IPlcnry
E' esperado dos portos do sul c i dia 20 do cor-
rente em diante. seguindo depois da indispensavel
demora para o Havre com e^cala por Lisboa.
viixia \m sextos
Commnndaute Lefevre.
E' esperado da Europa do dia 20 do corfente
^m diante, seguindo depois da indispensavel demo-
ra, para os portos do sul de sua jscala ate o Rio
da Prata.
Para fretes, encommendas e passageiros: a tra-
tar aom
OS CONSIGNATARIOS
ADGUSTO F. DOLIVEIRA & C.
2Rua do CommercioEntrada pela rut
do Torres.
LEILOE!
L) ltimo leilao
DA
loja de fazendas a" rua do Livramento u. 30,
de Farias Hoje
&s 10 horas da manha.
^ 0 agente Piano Borges, por de-pacho do lllm.
Sr. Dr. juiz especial do commercio, vendera em
leilao, as fazendas, armacao e mais pertenjas da
mass i fallida de Farias & Lessa, existentes na lo
jade fazendas, sita a rua do Livramento n. 30
A's lO horns.
Leilao
PACIFIC STEAM NAVIGATION COM
DE
moveis
das tr;s horas da tar-
ROYA". MAIL STEAMER
PATAGONIA
(ommnndanie C. C. llrougb.
rspera-se dos portos do sul ate o dia 10 do maio
e depois da demora do costume, segnira para
Lisboa, Bordeos e Liverpool, para onde recebera
passageiros, encommendas, carga e dinheiro a
frete.
N. B. Nao sahira antes
de do dia da sua chegada.
AGE.NTES
Wilson Rowe s C.
14RUA DO COMMERCIO-14
1'ompanhin Allianca Maritima
Portnensc.
EMPRE2,V DE NAVEGACAO ENTRE PORTCGAL E 0
BRASIL.
BAh^A PORTUGUEZA
Este navio recebe carga e p^ageiros para Lis-
qfia e Porto, devendo sahir dentro.em poucos dias, tros moveis pertencentes a uma famili'a que
visto ja ter parte do seu carre^im*:110 contra- mudQU de residencia.
.tado. 0 agente Martins fara leilao, por ordem de uma
Agentes e consignatarios familia que.se retirou desta provincia, dos moveis
J06E' DA SILVA LOYO & F1L110 acima' *JD* ?era- vendldos ao correr Ao martello.
DE
rr.oveis, lougas e vidros
Hoje
Rua do Vigario Thenorio, sobrado D. 12.
Uma mobilia antiga de jacaranda, composta de
1 sofa, 1 mesa (juadrada, com gavetas, 2 bancas,
18 cadeiras de gnamiijan, | espelho graide, 1 par
de serpentinas de bronze, jarros e tapetes.
Uma mobilia de amarello, com 1 sofa, 2 conso-
los, 1 mesa, 2 cadeiras de braco 2'ditas de ba-
lance, 12 cadeiras de guarnicao, 1 cama de ar-
macao para casal, l conynoda de jacarada, dita
de amarello, mesa para jaotar, cadeiras, 2 apara-
dores de amarello, mesas de pinho, louci para
jantar e almoco, vidros e rutros moveis que esta-
rao pateates no acto do leilao.
0 agenla- Pinho Borges, autorisaJo. vendera em
leilao, por conta e risco dequem Tiertencer, os
moveis acima mencionados, existentes no sobrado
da rua do Vigario Thenorio n. 12.
0 me>mo sobrado tendo de ir a leilao segnnda-
feira 20 do corrente, os pretondentes poderao
aproveitar o referido dia para examina-lo.
Sabbado 18 do corrente
DA
armacao, generos e mais utensilios da taverna si-
ta a rua Imperial n. 153
TERCA-FEIRA 21 DO CORRENTE
A'S II HORAS DA MANH>
0 preposto do agente Pestana fara leilao, por
conta e risco de quern pertencer, da armacao, ge-
neros e mais utensilios da taverna sita a rua Im-
perial n. 153, em um cu mais loles, a vontade dos
compradores : o balanco acha se em mao do re-
ferido preposto para os prelendentes examina-
rem, terja-feira 21 do corrente, as II horas da
manha, na referida taverna.
LEILAO
DO
Vapor Duke of Edinburgh
\ dia aO de abril
Agente Ferreira
No Para, na Prnte de Pedras
vender se-ha impreterivelmente por conta
de quern pertencer
O mn^niffco vapor inglez
A RODAS
Puke ^onstrnido em Abrrdeen em 1870 era um dos pri
meiros estabelecimentos de te genero n'aquella
cidade.
Tem 111 pe"s de comprimento, 19 de bocca e 9 de
pontal, medindo 126 toneladas inglezas ou 162
brasileiras
E CARRECA CERCA DE 7,000 ARROBAS
E" de ferro stli-lamente construido, tem boa
marcha e excellent?? accommoda^ii's para passa-
geiros. Sua machina e de forca de 60 cavallos
Dominaes ou de 300 effectivos.
Este bello vaso que muito se presta para
(oiidi'('o de gado
s SuLre luJ'j ix;eiiLi,tc rubocador, como tal ja co-
nhecido, e esta prompts a navegar. 0 inventa-
rio sera annunciado alguns dias antes da venda
e pode desde j;i ser visto em casa dos annun-
ciantes, ou a bordo do dito vapor que se acha
randeado defronte da igreja ile Panti Antonio.
0 vapor p Para mais informacSespederau
dirigir-se ana conwignntarios
Samuel G. Pond & 0.
Errata.
N;. publ'ca^ao inserida hontem in 1* pg. des-
te Dmrto, sob o litulo Mamanguape, o ba-
eoarel Manoel Jnveoal R. da Silva, ao pnblico-
dwanMe os seguintes enganos : culumna r li-
nha :14, snpp ima se a cotjoncle e ; idem linha
4>,mpprima-se as palavras-apronve, fui pelo
contrario sever* 4e mais com elle, como algnem
dii>st ; idem linhas 51 e 53, em vez de :
eon>tituinte principiasse, dizendo : leia-se-eon
stitumte, principl8sedizendo : idem linha 57, em
vez de : terd n kenrndo, leia-se ttrd o hon-
ra tin ; column.-. 3* linha 13, em vet de : firma-
do eiu autoridade, luia-se flrmado na autori-
dale; idem l.nha 52, cm vez de : com a mesma,
leia--e c in a niinha.
Bo
m negocio.
V-n !e se nu mrni '-. i> g'pyi-'o i^n-dio
de inn andar n ^% ?i*r, Ml1 rua do Bispn
Sanliiiha. proximo da igreja da Misericoroia.
na cidade de Olinda, ttndo duas toas salas
de frente, um salSo no sotio, seis quartos
espa<;osos e frescos, uma grande cocheira,
quintal todo cercado de novo, e com diver
sos arvoredos, uma boa fonte d'agua, e
tendo gaz canalisado. Achando-se prepara-
do com tod s os moveis indispensaveis a"
uma grande familia, serd assim vendido ou
sem os moveis : a tratar nesta typographia
ou na rua da Unifio n. 49, sobrado, atraz do
paco da assemblea.
Galoado barato
LOJA DO ARANTES
Botinas de cordovao para nomem 7*100
Ditas de bezeiro para dito 7*000
Ditas de pellica para senhora a Luiz XV 8JI 00
Ditas inglezas e francezas 8*000
Ditas de cores para senhora 6*000
Ditas gaspiadas, de verniz, para se-
; nbora 3* e 4*000
Sapatos de cores para senhora 3* e 4*000
Ditos de cbagren________________3* e 4*000
Aluga-se a casa terrea com grandes commo-
dos para familia, extemo quintal niurado e arbo-
risado, e outras muitas commodidades, no uielbor
local do pateo da Paz, nos Afogados: a fallar ao
sachristSo da malriz para ve la, e no Recife, para
tratar a rua das Cinco Pontas n. 31.
ESTRADA DE FERRO
do
Recife ao S. Francisco.
FESIIA DOS PRAZERES
Domingo 19 do corrente, al6m dos trens ordi-
narios de passageiros havera os seguintes espe-
ciaes :
VOLTA.
h. m. b. m.
Prazeres (Panida. ... 3. | 4.30
Boa-Viagem......3.15 | 4.45
Afogados......3.30 | o.
Cinco-Puntas (Chegadai 3.40 15.10
Villa do Caho, 16 de abril de 1874.
G. 0. MANN,
Superintendente.
FUHDIGA0
Para a boaconserva^ao
DE
VOSSO CABELL0
^1
^%
-^***'
nr~*-^s
*&n
Elle i um prevontivo scgrrro ; < H CrMlvicf.
File <\A o rostau'ra fo'rc e sni&laUe i j. lie d
cabeQa.
Elle de prompto faz cessar a queda prema
tura dos cabelles.
FUe da* grande riqueza de lustre aos ca
bellos.
Elle doma e faz preservar os cabellos, en
qualquer forma ou posirao que se dese
je, n'um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
e os.
Elle conserva a pelle e 0 casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa
Elle previne os cabellos de se tornarem bran
cos.
Elle conserva a cabeca n'um estado defre*-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nio e* demasiadaraente oleoso, gordu-
rento ou pegadi^o.
Elle nao deixa o menor cbeiro desagrada-
tel.
Elle e o melbor artigo para os cabellos das
manias.
Elle e 0 melhor e 0 mais aprasiyel artig
para a boa conserva^ao e arranjo dos ca-
bellos das senboras.
Elle 6 o unico artigo proprio para 0 pentea-
do dos cabellos e barbas dos senbores.
NENHUM TOUCADOR DE SENHORA SE
PODE CONSIDERAR COMO COM-
PLETOSEMO
TONICO ORIENTAL
0 qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CABELLO.
Acha-se & venda nos estabelecimentos de
H. Forster & C, agentes. E em todas as
principaes lnjas de perfumarias e beticas.
* cnN^iiunRin
LEILAO
Sabbado 18 do corrente
Ao 1. andar do sobrado da rua do
lmper:i ilr n. 09
as 10 horas v
Sendo : 1 mubilh de mngno, com 18 madeiras de
guarnifao, 2 cadeiras de hracos, 2 consolos, 1
jardineira, com pedra, i sofa, 1 mobilia de faia,
I sofa de amarello, I marqueza, 1 sola de ama-
rello, cadeiras para sala de jantar, 1 mesa de
amarello para janur, 2 aparadores, candieiros
para gaz, I lavatorio de pedra, jarros de diver-
sas quahdades, candieiros para- gaz carbonico,
I mesa para eicripKirio, relngms de cima de
ditos de parede, diversos objectos de ouro, e ou-
LEILAO
DE
moveis, qusdros, louQa,- vidros, objectos de
ouro, consfando de c >rdoes, correntdes,
anneis, pulceiras, rosutas, e obras de
prata, como, 1 paliteiro, I salva, 2 cs-
tigaes e 1 relcgio de ouro, pateute inglez
A SABER:
Uma mobilia de jr.caranda, com 1 sofa, 2 con-
sobs, 2 cadeiras de bracos, 12 de guarnicio, 1 di-
ta de amarello, com as'mesma3 pe^as, 1 marque-
zao, 1 sofa de amarello, 2 camas, i jarros para
(lores. 1 espelho grande dourndu, 1 candelabro e
2 serpentinas de crystal, 5 quadrcs, 3 mangas an-
tigas, I mesa elastica de jantar, 2 aparadores, gar-
rafas e muitos ootrcs objectos de casa de familia
Terca-feira 21 do corrente
Rua Direita sobrado n. 10.
Bernardo Jose da Costa Valente, tendo de fa-
zer uma yiagem, fara leilao, por intervencao do
agente Pinto, dos moveis, obras de ouro e'prata,
e muitos outros objectos existentes em casa de
sua residencia, a rua Direita n. 10.
0 leilio principiara as 10 l<2 horas
Rua do Brum
n.52
Passamlo o chafariz
Rega-se aos seiihores de cngenho, que
prctendem empregar alguns dos machinis-
mos novos, o favor deapparecerem nesta fa-
brics, que lh>s pdde fornecer os appare-
Ihos mais apropriados com o minima de
despeza, e dispoe de pessoal habilitado para
monta-los devidamente, e mostrar o syste-
ma ronis co'mmodo de trabalho, para obter
melhoramento no fabrico do fssucar.
S MEDIC0-CIR11RGIC0 @
Qf DO m
^ Dr. Pedro d'Athayde L. Moscoso Z
PARTEIFO E OPEBADOB
?Rna do Yisconde de 1 buqaer-
K* que n. 39. gt
ESPECIALIDADE *
W >Ii--.list dc senboras c w
^ meninos.
5 fonsoltas das 7 as 10 horas da ma- ~
6 nha, todos os dias. Wt
ql Das 6 as 8 danoite, nas segundas, quar- A
2 Ias e sextas-feiras.
^ Os doentesque mandatem os seus cha- w
mados por escripto at 10 heras da ma- jfc
S nha serai visitados em suas casas.

-mi

0 Dr. Sarmento Filho mu-
dou co psra a rua da Aurora i).
61. l. andar ; entrada pelo oi-
CASA M FORTIi
AOS 4:000>0"d0.
BILHETES CARANTIDOS.
*' rua Primeiro de Marp> (Qutr'Q?* rua do
Cretpo) n. 2.v e casa* do costume.
Acham-se a ver.d.-t os felizes bilhetes garantidos
la ."? parte da> lotenas a beneficio da igreja
de Nos-a Ssnhofa da Piedade de Santo Amaro
(96*), que se exirahira na terca-feira, 21 do cor-
rente mez.
PREgos.
Bilhote Inteiro 4*000
Meiobilhete 2*000
IM PORglO DE 10O300O PARA. CIMA.
Rilheie inteiro 3*500
Meiobilhete 1*750
PEMOBES
Na iravessa da rua
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhorea de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaese pedras.
CHIADA
Precisa-se de uma para coziahar para casa de
duas pessoas, prefere se escrava e paga-se muito
bem : a tratar na rua do Barao da Victoria n. 48
A, loja.
All'.nso de Alliuqiierqne .Hello
incumhe-:e. de promover a brancas amigavel
ou judicialmcnte, assim cono de outros negecios
concernentes a sua profissao, nos lugares proxi-
mes a linlia fcrrea, e nos outros termos proximos
a esta cidade; para cujo auxilio tem o annun-
ciaute solicitadores habilitadns e probos, respon-
sabilisando-se no entanto pela boa gestao e conta
do qne lhe for confiado.
Mediante modico hi norano acode aos chmados
para diligeucias ou consultas fora da cidade e do
iermo e incumbe-se da defeza de appellacoes ante
o tribunal da relaclo. I'ode ser procurado de
meio dia as 3 horas" da tarde em seu escriptorio
a rua do Duqne de Caxias n. 37.

L4IANBUI
selecta e tie umbigo
i (Enxertadas)
Sapotizeiros
e sapoteiros de 11 palmos (em vasos) e de todos
es tamanhos e pre^os mais conimodos que dan-
tee ; assim couo as seguintes outras plantas de
'fructa e de ornate :
ATTENCAO
.0 escravo Luciano, que diz chamar-se Joao da
<-ruz, ja teve praca no exercito com este nome,
esta fngido acerca de um mez : e de cor bem
preta, eslatura baixa, rosto redondo e cheio, e fa!-
la descanc;ada.
Consta qne anda pelas immediacies desta cida-
de ; quern o pear, pode levalo a rua do Mar-
qucz de Olinda n. 61, que sera recampensado.
movtis, loucas, ioias de ouro, objectos da
prata, 1 rico santuario e out os muitos
artigos
Quarta-feira 22 do corrente
AS 11 HORAS DA MANHA.
No sobrado n. 50 da rua do Rom Jesus,
primeiro andr
Lm piano forte. 1 mobilia de faia, a medalhio,
1 dita de amarello, 1 mesa elastica, toucadores,
cadeiras avulsas, 1 rico faqueiro, colheres de pra-
ia, Concha, 1 apparelho de electro-plate, marque-
zao, 2 marquezas, 1 espelho grande de reoldura
dourada, guardavestidos, guarda-louca, mesas de
pinho, 1 bagatella, serpentinas, 1 revblwer, I me-
sa para advogado, aparadores, loucas janvs, pa-
res de lanternas, quadros, redomas com flores,
serpentinas de bronze, toilette com lampos de pe-
dra, trem'de eozinha, e ontros muitos artigos.
0 agente Pinho Borges, aulorisado pelo Sr. J.
J. da Silva Pinto, vendera os moveis e outros arti-
gos acima mencionados, os quaes foram transpor-
tados da Passagem para o sobrado acima decla-
rado.
AVISOS DVv:RS0S
Recreio Dramatico
De ordem do presidente da assembled geral con-
vido todos os socios a reunirem ^e no dia 19, as
10 horas da manha, no lugar do costume, aflm de
tratarem de negocios da sociedade.
Belem, 16 de abril da 1874.
Bernardo L. de Mendonca
1 secretario.
Vende se um moinho de vento, com n5>
duas bombas para puiar agna, e qua- ^
tro rodas novas e fortes, para earro *&
&$ americano : a tratar na rua do Impe- (fa
l?^ rador n. 22, andar. VO>
Gozinheiro.
Precija-sc de u n cozinheiro qne entenda bem
de sua arte : na rua do Marquez de "linda n. 35
Tssoans uffomms
0 INEXTMGUTVEL
Abacati.
Acacia.
Ariticum a p;.
Canella.
Casuarinn.
drolina do pnrc
Conde^a.
Corarao da India.
Figueira.
Flam boy.-int.
FroeM-pao.
Inga do Para.
Jam bo.
Jasmini laranja.
Laranja da China.
Dita do ceo.
I.aranji cravo.
Dita de doce do Para.
Inta bn nca.
Dita t.ingerina.
Lima da Persia.
pe. Pita de iimbign.
Li mao francez.
Dit'i d"ce, enxertado.
Oiiicoio.
!v. m.-.i.i impei I !.
I'arrein?.
f-inheiras.
Romeiras.
Rozeiras.
Rozeda.
Ubaia.
c
ATTENCAO.
Offercce se uma mulher viuva honesta. capaz
para tomar conta de uma casa ou de alguns me-
ninos para tratar. mas tendo comsigo uma filhinha
de trts ;innos, a qual levara para onde quer que
for : quern pretender dirija-se a rua Duquede
Caxias (antiga das Cruzes) n. 12.
times perdidas
Roga-se aquemachou urn3 aigola com chaves
para secrelaria, leva las ao caes do Apollo, escrip-
to io do-Barao do Livramento, que sera generosa-
mente recompensado.
Desappareceu da ilha de Itamaraca no dia
3 do corrente mez de abril, o escravo de nome
Ant nip, idade 22 annos, com oi signaes seguin-
tes : cor cahra, rosto comprido e com alguns pan-
nos brancos, que se.augmentam mais para nuca,
Eonca barba na ponta do queixo, nariz afilado,
jcca regular, dentes entramela'dos, tem uma das
maos foveira de marca de fogo, e metade de um
dedo demenos, tem tambem o umbigo abeito e
grande : quem o pegar leve a mesma ilha de Ita-
maraca, que sera bem reeompenado pelo senhor,
que e o annunciante, abaixo assignado.
__________Francisco TheoJoro de Macedo.
Arrenla-se o engtnho Jussaral-grande, no
termo de, Sennhaem, o qual esta situado a legoa
e meia da estajao da Escada; e bom moedcr com
agua, e de muito boa produccao, tanto de ons-
como de mandioca : a tratar com o proprietary
do mesoio, no engenlio California, em Serinhaem.
Arreada-se o engenho Underwald, em Seri-
nhaem, a pouco mais de legoa de distancia da
estacaa de Limoeiro ou Escada, m6e com agua e e"
de muito boa produccao, tanto de canas como de
mandioca : a tratar com o proprietary do mes
mo, no epgenho California, em Serirniaem.
ATRNCM
Precisa-se de
roa Direita n-10,
batedores : na refinacao da
Offerece-se um rapaz com pratica, tanto de co-
zinheiro como de copeio, e da flador a sua con-
ducta : a tratar na rua do Turres, casa de pasto,
no Recife.
Precisa-se de uma an a de leite, livre ou
escrava na rua no Visconde ia Goyanna n. 14,
outr'ora do Cotovello.
DE
in Hit % v <& I, WUA\.
Uma pura distillacdo das mais raras fl,
r*.s dos tropicos. Conte'm, para assim ui
zer, quasi o odor odorifero das flores ac
tropico da America, esua fragancia e quns
inexbausta ainda mesmo por' continued*
c/aporacao e diffusao. N'este respeito 4
i icomparavel a qualquer outro perfumi
qne ha dc venda para :
UESMA10S, ATAQUES NERVOSOS, DOR
BE CABECA, DEB1LIDADE E
HYSTERICOS.
E um certo e ligeiro allivio. Com o bom
in, tem conservado sua influencia par*
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
perfumes, nas Indias Occidentaes, Cuba,
ulexico, America Central, e do Sul e nos
u)in toda a coniianca o recommendamos
como um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza podo ser igualado. Tambem faz remover
da pelle :
ASPKREZAS, EMPOLAS,
QUEIMADURAS DO OL,
SARDAS E BORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se 1orna unu
eicellente nistura para banhar a pelle.
dando um arose?. Jo e cdr clara a complei-
cSo nublada, sendo applicada depois dt
barbear, evita a irrita?ao que geralmentc
occorre, assim como tambem garganteando
se, o cheiro do cigarro desapparece, e me
lhora a rondtrae dos dentes e gengivas.
Como ba nniitas imitacoes, as quaes nan
possuem nenhumas d'estas propriedades.
deve-se tomar cuida-lo e contar somente c
o famoso perfume a cosmetico do sul d*
America, ehnm
AiilA FLORIDA
DE
MIRRAV & LWMAI.
Sj acha & venda em todos odrogu
perfumari as*da*moda.
Paris, 36, Rua Vivienne, D
ECEBH MtDEflS SPttl.lL
HAS KSFERMIDAD g DCS SEXDAB3 AS ttTKdyiMt
GIJTAfKAS ALTtBA^OfS DO SAHG0E.
~|'! ^.OOOciiras dasiip<*.
I "s.puslulas, herpei,
urna, comixoei, acri-
monia, e allerfoes, pi-
\ciosas do sangve, vi-
*angue. (Xarope vegetal
sem mcrctirio). Bopnmlrtii fctelitl
.\noj* mixer.%es tomao-se dous por
semana, seguindo o tractamento Depurativo : t
empregarlo nos mesmas molestias.
I Este Xarope Citracto do
ferro de CHABLE, enra
mmediatamente qual-
|t]iier pwgacao, rela-
\xacao, e debilidade,
e iguoliuente os jiuxos e flores brancas das
mnlheres. Esta iujeccao benigna empregasst
eom o Xarope de Citracto de ferro.
HtMorroidasjPomadaqueascuraemsdias.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: nas affeccoes cutaneas e comixoes.
PILULAS VECETAES DEPURATIVAS
do av chahie, cada frasco vrai accumpahada
de um folheto.
D'E-Pl
dnSANf
rus, e utitM.i ocs a i
PLUS DE
CO PAH U
AVISO AOS SRS. MEDICOS.
Cora catarrhos, loss**
coqueluchei, irriiafdtt
nervosas sas dos bron-
Chios todas as doenfa*
do peito; basta ao doenU
colhe rchdea dette xarope D' Forget.
Or. tUABU em Paris, ma VlTleaao, M,
Deposito hot ca Franceza
22 Rna da Cruz 22
Sirop du
DrFORGET
GRAINS
de&mfe
du doctenr
Fbanck.
Verdadeiros
\\ GRAOS DE SADDE
\*do doutor franck.
/*
0 melhor e o mais
mil dos purgaotes con-
hecidos. Sianiero-
fAlsIDcm^Ocs
ciistriu acute me-
___dicuuirntoExigir,
alem da asupnalura em lir.la VERMELBA
de A. ROrjVIfiRE, o lelreirt, aqui janto,
feito em 4 cores.
Paris, pharmacia Leroy, 13, rua d'Antin.
*m u
em 4-Cores
Deposito em Pernamburo, A. RECORD.
PHOSPHATEdeCAL
GELATINOSO
deLEROY
0 PIOiPHATO til CAL GEIATHOIO DE LEB9T
em uma r(o tberapenllea mall*
pdrroE sobre os individuos affecladoe de
enfermidades nos ossos e de uma constituicdo
dibit. Foraa-se indispensavel para as criancas
a quem ajuda e forh/ka a crescenca.
E de um gesto muito agradavel e de nma di-
geslao facil. I'reco do Trasco : I francos.
Paris, pharmacia LEROY, IS, ma d'Antin.
Deposito em Pernambuco, A. REGORD.
DO D0DT0B WILLIAM BOBTB
Vara retituir proer->imante aoi oabetloe
A SUA COR PRIMITIVA
EIli rabititn com Tiotagea u pommidAi pmo toncadot
NEOGENEouD? NORTH
f AQUA >' HESTITUIK IM POUCO* 01 A AOS O LLAI
A SUA COR PRIIUTIVA
Bom exito iofailiTel de&de o loiro tU &o preto
SupcrioridBrte inrontetUvl; empiego lnofl>n.T,
PWrOMARU 0B1BIITAL, 8, ruf \Ur&TP, FAUfl
PnP>lto mp Pernambuco, A. UMlft.



1 lUBtUT 1
W i '..........^a ii illI ff
v **'
-*<.


IfotiD 40 VmxaLbu(*> ^..JhUrndo 14 de Abril de 1874.




SB

PIANOS.
Acabam de ehefu muit> bons pianos fortes a de
elegantes modeHos, dos 'Yiai* notaveis e hem co-
nhecidos fabricantes ; como cjam : Alphonse Bi-
donel, Henrv Her* e Weyel W!tT C. : no Vap-.r
France*, i roa do Betao U Victoria, outr'ura No
va B. 7. tfprec>s nWiM eoioanodos. ^
MobiHa fife vime.
Cadeiras de bal*neo. do brnco, de guamicdes,
sofa*, jardiireiras, mesjs, conversadeiras c cost a
reiras, tcdu isto muito bom por sereiu fortes e
levee, eos mais proprios raoveis para salelas e ga-
binetes 4c recreio.
No armazem do Vapor Frances, roa do Barao
da Victoria ft. 7. oulroaa Nova,
Perfumarias.
Finos extract')*, banhas, oleos, opiata e pos den-
triftce, agaa de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pea de arroi, sabonetes,
croamelicos, muitos artigo delicados em perfnma-
ria pan presentes em frascos de extractos, eaixi-
nhaa sortidas e garrafas de differentes tamanbos
d'agna de Cologne, tado de primeira qnalidade
doa bem conhecidos fabricantes Piver e Coudray,
No armazem do Vapor Krancez, a rna do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilliarias.
Artlgos de phantaxiaw.
Espelhos, leques,lavas, joiasd'ouro, tesourinhas,
canivetos, eaixmhas de costura, albuns, quadros,
e caixinhas para retratos, bolsinhas de vellado,
diu de coaro, e cestinbas para bracos de meninas,
chicotes, bengalas, eculo, pencinez, ponteiras para
charntos e cigarros, escovai, penles. carteirinba de
madreperola, tapete para la.nternas, malas, bolsas
de viagens, venesianas para jaoellas, esterioeo-
pos, lanterna* magicas,cosaioraraas, jogos da gloria,
de daraas, de bagatella, quadros com paisagens
globos de papel para illuminacdes, macbioas de
fazer cafe, espanadores de palhas, realejos de veio,
accordaos, carrinbos, e bergos para criancas, e
outras mnitas quioquilhari; ?.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade qua se pdde desejar de to-
dos os brinqnedos fabricados em differntes partes
da Earopa, para entretimenlos das criancas, tado
a precos mais resumidos que e possivel: no ar-
mazem do Vapor Francez, rna do Barao da Vic-
toria outr'ora Nova n. 7.
Galc-ado francez
A %
Botinas para homem
Acabam de cheear grand?s jacturas de botinas
de beterro, de cordavao, de pelica. de daraqne
com biqueira, de bexerro com botoes, e com ilbo-
zes a 9-$000 (a escolher) por ter vindo grande
quantidade por conta e ordem dos fabricantes;
ao armazem do Vapor Francez, a rna do Barao de
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores. diOerentes
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
nretos e de cdre;i differentes, bordados,
SAPATOS ae tapetes, chart .it, castor e de tranoa.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cdres differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTFNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca Portugueses.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao,
/ BOTINADOS e sapatdes, de bexerro, de deversas
qualidades.
SAPATOS de tranca.
Botas de montaria.
Botas a Napoleao e a Guilherme, perneiras:
meias perneiras para homeos, e meias perneira
para meninos.
No armazem do Vapor Francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7. ______
Pirecisa se alugar uma preta de meia
dade- na rna do Ouro n. 71.
Attencao"
Avisa-se pela ultima vez ao Sr. Salvador de Si-
queira Cavalcante, que ha urn anno tem zombado
do mandado de prisao que contra si tem do juizo
do commercio desta cidade, que, se nao quizer
passar pelo desgosto de ser preso, mande qoanto
antes entregar os d. us escravos Aquilina e Fran-
cisco, dos quaes e depositaiio, e se acham de pu-
blico trabalhando no engenho Tres Brazos, lugar
de sua nova residencia.
Desdeja protesta-se pelo servico dos ditos e9-
cravos.
Atten^ao
Avisa-se ao comprador do escravo Henrique,
que Salvador Manoel de Siqueira Cavalcante nao
podia vender dito escravo, por ser clle pertene&nte
ao casal do major Salvador dos Santos Monteiro
Cavalcante, e como tal, a venda do dito escravo 6
nulla, como melhor se demonstrara em juizo.
Ds proprietarWa d Camps a
rna do Imverador n. z*,toei(em aos seusdevedores
qne tern sido remi?o, ifBtvflFd virein pa gar* us
debitoa ale o tlia 8 d A avnain aos ine>ni>i< que se ;.
liverem, ?aVIos. v& se
sem distintvAo de peas' a *
i! iTiiximn vimlniir-s
le ai|ueUa data nao e e
ii'>mt uetle
uin;r.
mas-
- Pcrmuia-s^ imf um fi?irwiiiii"i|t>!os ar-
rehald.s it-i.i i-ida'dc, dons pci.ionns ra^as de
pailrae c.il m-Ii ns. it >- i\ i\ rua tl* Pap*, fr
RHiia da Afi'j.';nli): cmn ilau ?*la*lru qiiar-
los cada uma, viiiia paluios du laigura sob cin-
eoenta de fundo; a quein convier. iralase na rua
estreita do Rosario n. 17, < andar.______g i
Confraria de Nossa Senhord
da Soledade.
A mesa regedora desta coafraria, tendo de ar-
rendar a casa da rua do Riachuelo n. 73, pertencen-
te ao patrimonio de N. S.; recebe proposla para esse
lira at<5 o dia 18 do corrente, e por esta occa9iao
declara para conhecimenio dos proponente3 que
lerio de indemnisar ao actual inquilino as bem-
feitoria9 que fez na mesma casa.
E. Tamborim,
Secreiario.
Consullorio medico
DO
Dr. Mm ill,,.
RUA DA CRUZ N. 26, 2. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes do Paris e Londres,
Socle ser procurado a qnalquer hora do
la ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consultas das 6 horas da raanha as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPEaALID.lDES.
Moiestias de senhorati, da pelie e de
crizaca.
'
!
Villa do Bom Jardim.
No dia 3 do corrente fngio deste lugar o escra-
vo de norm; Malbia s idade de 22 annos, bem
preto, altura regular, coipo tambem regular,
dentes perfeitos, feicdes grosseiras, tem varias es-
pinhas no rosto, os pes nlo sao dos mais feios,
per.ias ftnas, pouca barba, tem os d*dos minimos
das maos encollu'dos, que niio e>tiram bem como
os outros, k faliante, mas nao tem boa proonn
cia, toca gaita, ja tem carreado, tem bastanli-.-.
marcas de relho nas costas. Condnzio uma negra
lorra de nnuic S^veriny. um tanto alia, sc-.ea do
eorpo, idade de 38 a iU annos, um lanto apoucada
do f.iluir. Quem sonber m vir este negro, pegue
o toagtt o a esia villa na caaa de Jose Lourenco .Go-
mes Canral, dono do dito eserav, que sera re-
com;jBnsado.
1)0 BOWMAN
ROA'DO MM N. 52
I
(Passando o chaiariz) i?y
^KI'EM.AOS <"obore tie t-ugoat.o a -iiiros ifcclorti. "laprenJdjrea I Maun i) favor de uma vitiu a seu eatabdieciouealu, p.r vereta o uovo lortiuieuit
utnolet > qae atai tem; sea do tado superior em qa;i idade a fortidao ; o qae com a ib
?ocio pessoal pode-ae verificar.
ESHEGIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FONDigAO
Vapor8! 6 rOtiaS d*aglia maobos convenientea para u divertti
ircumctaDciaa doa aeahorea proprietarioa e part deacarofar algodfo.
Moendas de canna SSE t,m'nh08' M:me,horM qoe *qa'
odas r!entadas p ''w ~p-
faixas de ferro fundido, batido e de cobre.
iUmbiques e fundos de alambiques.
fachinismos
^ombas
-^
24-Raa do Narquez de Olinda-21
Esqnina ds beecs Largo
Participa a sens frcguezes e amigos que mudou
o seu estabelecimento do relojoe rua n. 21, onde encootrario nm grande sortimento
de relogios de parede, americanos, e cima de me-
sa, dos melbores gostos e qualidades, relogios de
algibeira, de todas as qualida es, patente snisso,
de ouro e prata dourada, foleado (plaquet), relo-
gios de -enro, inglez, descuberto, dos melhores
fabricantes, cadeia de ouro, plaquete prata, Innetas
de tod?s as qualidades, tudo por pre;os muito ba-
ratos. _______________^^
ALUGA-SE
uma casa na Capunga, rna das Pernambucanas,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
para mandioca e algodJo,I Podeodo' todoc
e para terrar madeira. f ser movidoa a mio
ipor agaa, vapor,
de patente, garantidaa........ |oa animaes.
Todas as machinas e peCM de qM M C0BtDma preciMr
moi reaomido.
Pas qus^lquer concerto d
Porm as dfl fflrro tem mt^r*$ a ma'a baralas exiatentea do mer-
R!nrnTYHYiftTi/la Incambe-ae da maodar vir qaalqaer macbinismo i vod-
mui/UiuiUOUUtUii U(ie do8 C|ientea, lembrando-lbea a vaotagem de faere*
an compraa por intermedio de pessoa entecdida, e qoe em qaalqaer oecesiidade pdde
aa preetar aazilio.
irados americanos e in'lr^meD,0, >*T'm]"'
RUA DO BRUM N. 52
lASSANDO O CIIAFARIZ
lna do nm
Cordeiro Siutdes k C.
Acabam do receber pelo vapor Mendoza :
Riquissimos cortes de gorgurao de seda lisos e
com listras achamalotadas.
Ditos de linbo para vestidos, contendo cada cor-
te, o necessario para seu enfeite, como seja :
franjas, trancas, rot5e., fivellas, etc.
Riquissimos chapeos para senhora, ultima moda,
a rua Primeiro de Marco n. 7 A.
Silin no Arraial.
Alugase um silio no Arraial, proximo a esta-
cao da Casa Amarella (am minuto) com exellen-
tes casa de moradia, tendo os seguintes commo-
dos: S quartos, 2 salas, cozinha externa, terra-
co, casa de banho e diversas fructeiras. Aluga se
tambem uma outra casa no mesmo lugar, com 3
quartos. 2 salas, cozinha externa, agua de beber
e um bom quintal por commodo preco : a tratar
na rua Primeiro de Marco n. 16, 1 ahdar.
Arrenda-se o engenho, Saltinho da fre-
guezia de Una, moente e corrente. Dito
cuxGiitlo n liutn n agua, dicta rjusc loauac portos de Tamandare e Rio Form so, e tem
terras para safrejar 1,600 a 2,000 paes
annuaes: a tratar no mesmo engenho com
o consenhor Henrique Augusto Milet, ou no
Recife com Leal & Irmao, rua do Marquez
de Olinda n. 56.
Rna Duque de Caxias.
O Sr. Antonio Ribeiro Ponies, caixeiro a rua do
Duque de Caxias, queira vir a rua do Imperador
n 42, a uegocio de mntuo interesse, isto por se
ignorar sua residencia domestica.
Escravo fiigido.
Desappareceu ha dia?, do sitio Rosarinho, um
uiulatinho, acaboclado, de Ik annos de idade, eor-
po refor^ado ; levou camisa e calca de algodSo
azul: gratifica-se qu-m o apprehender e levar
a roa Nova n. 8, loja de Lyra & Vi.nna.
Escravo fugido
Desappareceu ao amanhecer do dia 4 do cor-
rente, do engenho Serigi, comarca de Goyanna, o
escravo-de nome Jose Borges, mestre de assucar,
tndo os signaes seguinlej: cabra, idade de 30
annos pouco mais ou meno?, boa figura, um tamo
grosso e espadaiido, sendo o signal mais visivel 1
gomrna na junta do pe esquerdo : roga-se a todas
as autoridades e capilaes de carapo, queiram ap-
prehender dito escravo e leval-o ao referido enge-
nho, ou nesta praja a Oliveira Filhos 4 C, largo
do Corpo Santo n. 19, qne serao generosamente
reeompensados
Pulseira perdida
Perdeu-se, domingo S do correate, umi pulsei-
ra de crianca, de ouro com coraes e requififes,
desde a Passagem da Magdalena ate' ao arco de
Nossa Senhora da Conceicao do Recife, ou d'ahi
at6 a rua da Aurora em Santo Amaro. Roga-se
o especial obseqnio a quem liver achado de leva-
la a rua do Barao de Tnnmpho (antiga do Brum)
n. 92, armazem de assucar, que recebera a grati-
ficacao de 20*000.
FUNDICAO DE FERRO
V m\ do Barao do Triimpko (rna do Brum) ns. (00 a (04
CARDOSO (fc IEMAO
AVISAM aos senhores de engenhos e outros agricultores e ao publico em geral que
continuam a receber de Inglaterra, Franga e America, todas as ferragens e machina s ne^
cessarias aos estabelecimentos agricolas, as mais modemas e melhor obra qoe tem vindo
jo mercado
> apOreS 'de forr;a de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores que tem vindo ao merado
UaiGeiraS de sobresalente para vapores.
JlOenuaS lllteiras e meias moendas, obra como nunca aqoi veio.
LaiXaS |IUndldaS e batidas, dos melhores fabricantes.
aOuaS d agua com cubaje de ferro, fortes e bem acabadas.
KOdaS dentauaS de todos os tamanhos e qualidades.
Relogios e apitOS para vapores.
DOmbaS de ferro, de repucho.
AjadOS de diversas qualidades.
Formas para assucar, grandes e pquenas.
VarandaS de ferro fundido, francezas de diversos e bonitos gostos.
c OgOeS irancezeS para lenha e carvao, obra superior.
Ditos ditos para gaz.
Jarros de ferro fundido para jardim.
r es de ierro para mesa 0 banco.
MaCUina paragelar sgua.
V aiVUlaS para bomba e banheiro.
Correias inglezas ^ machinismo.
oanCOS e SOiaS com tiras de madeira, para jardim.
OoncertOS concertam com promptidSo qualquer obra ou machine, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS man(^am v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondent com uma respeitavel casa de Londres
com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas. m
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
_______FUNDIgAO DE CARDO SO & IRMAO.
ODILON DUARTE & IRMAO
CABELLEIREiROS
Premiados na exposicao de 1872
RUA
DA
1MPERATRIZ
N. 82
1.* ANDAR.
Eirta fugida a eserava Albertina, alta, bem
preta, testa alta e cantuda, o labio superior urn
pouco catutlo, tem um carocinho na testa do lado
esquerdo, e falta de dentes, diz que 6 livre, e como
tal esteve como ama no Hecife ; ja toi presa e solta
logo, por inejstir em dizer qae e livre : qaem a
pegar leye a a rua da Imperatriz a. 6, que ahi sera
bem reebmpeneado.
Curso de portuguez no col-
legio da Conceicao.
O b.'icbarel Jorge D^rnella? Ribeiro Pessoa este
ineoinhido do referido curso.________________
Aluga-se o armazem da rua Direita n. 95,
preprio para omlquer estabelecimento : a tratar
no conaistorio'li.i'ordem terceir< de S. Franciico.
Coiirtinl i ao abaixo asuignadoque a Sra. D.
Helena Maria Cavalcante de Albuquerque, mora-
dora na cidade da Esca a, quer vender o escravo
Kzidoro, qne esta em sea poaer por eontempla;4o
de farnilia, previne-se ao respeitavel publico, que
nao facam ncno;io, vo'u essa, senhorj' pouco ou
nada tem no n'esm e sim cm berdeiroa do seu
Srimeiro mar.do Jose Joaquim Cavalcante de Al-
uqaerqoe, como aiostra se |elo invenurlo feito
pas Alairoai, tfunga, 14 de ibril de 1874.
Antonio dn Silva- Marques.
Os abaixo assignados fazem scieate ao res-
peitavel corpa do commercio, que desapariai am a
sociedade que tin ha in na taverna da rua de S.
Joao nf 8, que gyrava com a firma de Manoel Au-
gusto Ferreira & C, /Icando todo o activo e pas-
aivo a cargo do sncio Manoel Augusto Ferreira,
retirandose a socio eomraanditario Jose Rodri-
gues da Silva. pago de eu capital e lucros
Recife, 16 de ahril de 1874
li-(' R.idrigue- da Silva.
___________ilanoel Aguusto Ferreira.
Ataga-se a easa #oa leoes n. 48, com com-
modos para farnilia, tki a rua do Goronel Lamc-
nha (antiga do Prazen-y)
Aluga-se ou vende-se um e.-cravo carro ro, idade quarenta annos: na rja do Hospicio
n. 81.
Dousesoravos por 950u00.
Villa do (abo.
No dia 19 do corrente finda-se os 30 dias, den-
tro dos quaes se deve apre?entar as^ropostas nos
termos da lei, para se realisar a venda da esera-
va Lniz', com 23 annos d? id-de, cor pr^U. ?ol-
teira, sadia a de todo service, e de urr. filho com
6 annos de idade* e bem luzldo, todo? avaliados
por 950*000. Os pretendentes devem apreseniar
suas propostas no cartorio doe^criveo Araujo, na-
quella villa, ate' 19 do corrente.. Cabo, !6 de
abril de 187%.
Trabalhador para tortib,
Precisa-fe de um m> p,voadoda Torre, rna da
Torre n. 4, perto d* igreja: a traur na rua Nova
p. }9, 1 andar.
RUA
DA
IMPERATRIZ
N/82J
1. ANDAR.

33
p ull
I'liclor c iiir.diir
Rua .do liLi
)r"
33
iaaor-
e .-.famadas .sas Pleji-I A llerz, c abtigd diiector das oflki-
de
Ex afinador das antigas
na casa Alphonse Blondel.
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico desta cidade, que tem aberto sna easa
concertos c alinacoes de pianos, qualquer que seja o estado do instrument.
A mesma casa acaba de receber um grande sortimento de pianos dos melbores fabricantes
de Paris, como Erard PUyel, Henri tterz e Alphonse Mendel) todos os pianos sahidos da casa
Dhibaat sao garantidoa.
Compra-se e reeebe-se em troca os pianos nsados.
-
Acabam de reformar o seu estabelecimento, collocando-o'nasjmelhores. con-
dic^des possiveis de bem servir ao publico desta illustre capital, e a"s Exmas. Sras. n'a-
quillo que fdr tendente A arte de cabelleireiro.
Fazem-se cabelleiras tanto para homens como para senhoras, tupete, chignon,
coques roodernissimos, trancas, cachepeign.^lecidos, desenhos em cabellos, quadros tu-
mulares, flores, bouquets e todo e quaJquer trabalho imaginavel em cabello.
O estabelecimento ai-ha-se provido do que ha de melhor nos mercados estran-
^eiros, recebe directamente por todos os vapores da Europa, as suas encommendas e figu-
rinos de modas, e por isso pode vender 20 %" nienos que outro qualquer, garantindo
perfeicdo do trabalho, agrado, sincendade e preco razoavel.
Penteam senhoras, tanto no estabelecimento como fdra ; vende-se cabellos em
porcSo e a. retalho e todos os utensilios pertencentes a" arte de cabelleireiro.
Oollegio de S. Sebastiao para
o sexo feminino
A abaixo assignada 6Cinti(ica aos senhores pais
de familias e a qnem mais convir nossa, que as
aulas de seu collegio continuam a fnnccionar em
a casa da rua Direita n. 36, 2* andar.
_______ Manoella Augusta de Mello Rego.
Caixeiro
Mm
Para engommados e arrumacdes de casa de
pequena farnilia ; da-se esta quaniia a uma cria-
da que seja de boa cenducta e perfeita engomma-
a tratar na rua de S. Francisco n. 72.
deira
Precisa se de um menino portuguez, com 12 a
15 annes de idade, para caixeiro de uma taverna:
a tratar no caes vinte Dous de Novembro n. 36
A, confeitaria.
Aloga-se nm moleque de 18 annos, para o
servico domestico de uma casa de homem solteiro:
a tratar na roa Primeiro de Marco, loja n. 18.
ALU PUBLIC
A primeira cadeira da aula publica para o sexo
teroinino da freguezia de Santo Antonio, funcciona
no 2' andar da rua do Barao da Victoria n. 31,
entrada pela rna dat Flores.
Gloanni, sub.4ilo
Razeri
para New-York.
italiajw, retirase
Na rua do Imperador
n.28
precia-e fallar aos seguintes senhores :
Doraingos Martins de Barros Monteiro.
Joao Vaz de Oliveira.
Jose Francisco Lopes Lima (Sazaretb).
Manoel Pereira Brandao.
Manoel dos Passos Miranda.
Theotonio de Barros e Silva.
Francisco de Paula Borges.
Francisco Antonio Pontua
49 Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afamades autores,
como sSo : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riore?, mandados expressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarSo nesta casa.
Recebem-so pianos usados em troca.
Coneertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais complete sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sSo: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
4P RUi DOlJflPEHA^OK 49
REDUCCAO DE PREfOS
FABRIGAS DE CHAPEOS DE SOL
DE
MANUEL & MAESTRALI
Una do Barao da Victoria n. 23
ESQUINA DA CAMBOA DO CARMO
E
Rua Duque de Caxias n. 64.
Os proprietarios destes estabelecimentos participam ao rspeitavel publi o, e a seus
freguezes, que teem sempre um cornpleto e variado sortimento de cbape'os de sol de to-
das as qualidades e tamanhos ; tendo resolvido fazer reduccao nos precos dos mesmos,
e achara-se em condicoes de poderem vender mais barato que em outra qualquer parte,
visto receberem todos oe seus artigos em direitura, e achar-se um dps socios na Europa,
percorrendo as principaes fabricas.
*> Chamam a attencSo dos senhores logistas para visitarem seus estabelecimentos, e d
vista dos precos e boas qualidades dos artigo, nao deixarao de comprar.
3 Cobrem-se e concertam-se chapeos de sol de todas as qu;lidades, com promptidao
e a precos modicos.
\\ Rua do Imperador 4\
O novo proprietario deste acreditado e bem montado estabelecimento, com o Gm de
conservar os creditos de unico neste genero, ti m reformado e melhorado completamen'.c
o mesmo em ordem a poder S8tisfazer qualquer pedido para as provincias do norte e in-
terior desta, garantindo perfeicSo em todas as prepTacoes, aceio e modicidado nos precosr
compativel com este genero de drogas.
Espera a todo momento uma grande rernessa de pharmacia homeopathica de J.
Epss & C, de Londres, compost) de medicamen'os, carteiras, pocolotes, Opodeldock de
Rhus, de Buvonia, de Arnica e de p6s especiars para dentes.
Tem a disposicao dos amantes da homeopathia a excellcnte, obra do Dr. Mure ine-
dico do povo, j;'. em 3.a edi^So.
Tem carteiras de globulos e tinturas de 12 medicamentos ate 120, a escolha do com-
prador.
Chocolate homeopathico.
Cafe homeopathico.
; Elor d'araruts.
i P6s para dentes, inglezcs.
t
: Jericd, para rheutnatismo.
, Matta-matta ou jaboti, para tosses.
iEspirito
ra.
de Hehoreman ou de campho-
Plumeria, para mordedura de cobras.
Seracena (
< Para bexigas como preservative/.
Vaccina (
'
China cruzeiro, para intermittentes.
Schynus, para anginas.
Calendula, para queimaduras.
Taranlula, para paralysia.
Tintura mi d'arnica, para contvsOes, cor
les, etc.
A CHEGAREM
Opodeldock d'Arnica.
Dito de Rhus i
>para rhematismo.
Dito de Bryonia)
Acha-se constantemente A testa do estabelecimente e inspec ionando todas
paracoes o Sr. Dr. Jesuino Augusto dos Santos Hello.
CONSULTORIO HOMEOPATHICO
DO
Di% Santos Mello
Consultas pela manha, e a noite at6 9 horas
* Gratis aos pobres.
Cactuc grande fldrus,
moiestias do coraca
para pneumonias
as pre-
f
6110
Um sitio na travessa da Cruz das Almas, perto t..j. ;j .
das estacoes da Tamarineira e Jaqueira, com ex-' Jen "fonlecido um desarranjo na ma-
cellente casa de vivenda, nova, muito rommoda chiria de gelo, os fabricantes vem por meio
e asseiada : tendo 2 salas, 6 quartos,:e fora co- deste pedir desculpa aos seus freguezes pela
zjnha, despensa, sala de engommar, quarto de co- falta que tem havido nestes dias e^neram
zinheiro ; assim como cocheira, estribaria, dous n.i ._ .,0i i 7 j- 7 BSPeranl
quartos para criados, latrinas, cercado de ferro, Porem'em qualquer destes dias fomecer a to-
banbeiro, gallinheiro, etc. etc.: a tratar no sitio "OS asqusntidades do costume ;
do commendador Tasso.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, precisa-se
allar aos Sra. Pedro do Rego Chaves Peixoto e
>ose Paes da Silva, a negocio de particular inte- !
.ease
___ i
Traspasso de casa.
Tratpassa-se ate 31 de agosto uma grande casa
na povoacao de Apipucos e com muitos commo-
do? : a tratar no 1* andar do sobrado da tra
yessa da raa do vigario, n. l,escriptorio.
Engenho
Vende-se o engenh j S. Pedro, situado na pro-
vincta de \lagoas, comarca do Porto Calvo a
menos de nma legoa distante do norto de mar do
S n. 31 ^ raUr "a r* d0 Vl" wj'" '. e..da ulJ!
Uma pessoa capaz com bom e abundaate
> se encarrega da amamenucio
, aproveitam
tambem a occasiao para preveuir tosseus
freguezes que teem em viagem uma ma-
china nova, de maior forca e do systems
mais moderno, que fabricara" (m maior es-
cala e com toda presteza as quantidades que
forem exigidas.
Santo Amaro, 17 de marco de 1874.
Pelos testamenteiros de C. Starr & C.
William W. Webster.
Casas para alugar.
Alugam se duas casas terreas, silas a rua Capi-
tao Antonio de Lima, em Santo Amaro, tendo uma
sotSo e a outra acabada de novo; bem como, a
casa terr-a da rua de Santa kabel n. 7, achan-
intadas. o preco das pn-
nltima 36f meusaes.- traW-
se a rua da Aurora n. 103.
crianca, e tambem.pensa-ie outras:
Coxixo n. 17.
de alguraa Preeisa-se de um feitor que seja trabalhador
bo becco da" e que enteada de jardim, para nm sitio em Pon-
tede Uchda : na rua Direitajx. 8.

.


i"





Sf&iodJieifetauttbii* U>m&a&> mtie&ttm *fe 0S*t
W
IT
IMPERIAL
LOPES &C.
ESTABELECIMENTO DE PWMEIRA OBDEM
Rua do Barao da Victoria d. R sobrado
(ANTIGA--RUA- NOVA)
Trabalhos premiados na ultima exbosieao
RIO DE-JANEIRO ~
Acha-se montado sob as melhores condicOes de arte, e abbrto a
concurrencia publics, este estabolecimento, o primeirov'aftm'eteiftBk
desta provincia, no qual se tiram retratos pelos raetoatt's e&m
modernost9stenias, empregando-sesomente material de prftMi^a
qoai.dade'/e gatarrtiodd-se
Semelhanca, nitidez e duraqao.
Trabalhj-se todos os dias nteis e de guarda, desde as 10hrftB$
di manha is quatro da tarde, nSo prejudicando o terorjd de thtfva
on nublado a perfeicao dos retratos.
Faz-se toda a qu?lidade de copies, augmentandb-as oil dimWoiri-
facie
n.3fc, precisa-sa
iri.Bestana, a ne-
,_ rua* do Bario laflar aq Sr. $? tenenfclfose
Igacie de seu interesse.
Para coii*ar e pteeisa-se de uma ami : na
rua Duque de Caxias n. 6,
*,andar._________________
Amn Precisase de uma ami para cozinhar,
"** paga-se bem : a tratar na rua do Hospi-
cio n. 70, casa terrea de boJaa amarellas na cor-
alja.
r Bor^aiaA^Tjr
| Aluga-se no* Coelbog, donfoute a/hospilil Pe-
|ro II, asaobrjdada, independente da outras casa-,
grande quintal murado, cocheira, quartos para
ajiaaos, commodos independents para duas fami-
lias, aorto de embarque, e banhoi salgados; em-
flm 6 uma bella casa de campo para quern quer
estar livre do rebolico dos earros, principalmcnte
dos pestilentos apoarelbos Drainage : a tratar na
rna do* Plres n. 80.
. Vrecisasfrdd uma ama para ca3a Oefarifl-
lia de duas pessoas : a tratar na rna do Cabuga
p. I, loja.____________________________
Precisa se de uma qua sai-
. Iia cozinhar com perfeicao pa-
* ra uma casa de tarailia. >osta de duas pessoas, :-nB paieo do Parian ft. for
rftMrtf o seguWlTaaaatls.
Precisa-se da uma escrava para cozinhar e
fcomprar : a tratar na rua Pridwfre de Marco a".
do-as.
8$000
Uma duzia ae retratos de uma so pessoa, emcartfles pata al-
bum.
Para os retratos esmaltados, colloridos, grupos, e augmentados ba
uma tabella do precos.
T,ram-se retratos ate tamanbo natural.
DE NOITE
tlonstando acs abaixo assignado achar-se nes-
ia oraci o Sr. Manoel Fernandes de Carvalho, rer|-
deiro dos engenhos Barra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
awmo o obzcquio de vir entender-se com as
abaixo assignados immediataraecte sobre negocio
iendente aw referidos engenhos. Rna do Amorim
37, escriptorio.
____________________Tas-a Irmaos 4 C.
Vicente fugio.
Na noite de 13 jara 14 de niarco do corrente
nno fugio o mulato Vicente, escravo, de 20 annos
Je idade, bonita figura, barba e estatura regular,
!ev;.ndo vestida e em urn sac^o roupa de algadao
branco e aiguma maij lina perlencente a um cai-
xeiro da casa d'onde fugio ; e natural da fregue-
zia de Sant'Anna do Maltos, diz scr livre, casado,
e ter sido criado em companhia da madrinha D.
Asna Luiza da Luz, de quern alias foi escravo :
roga-se, porlanto.aos senhores capitaes de campr
e artoridades polieiaes a apprehensao do dilo es-
"ravo, e eningalo na cidade do Recife, rua do
Crespo n. in, ao Sr. Joaquim Boreira Reis, ouna
le do A-su ao Sr. Torquato Augusto de Oli-
Baptista, quo se/ao gtnerosamente gratifi
ragoa.____________
Escravo fugido
1 igio am dias do mez de abril correnle o cabra
aiiOi de idade 24 annos, estatura regular e
i^uia,aada bem vestido e algumas vezes cal-
tem sifnaes de bexigas no rosto e falla cor-
uiftfte, e natural da provincia da Parahyba,
ae sippOr que leuha ido para S. Jose das
. \- oa Lagoa dnsGatosnesta provinsia, aonde
Dies ; tambem pode ser que e?teja occul-
i lad*, Sralacdo de se libertar sem pagar
- res : rga-e por isso a> autoridadcs
c capiiacs de campo a sua captura, pro
udo-se b a g.aiifica^ao a q in :i a realisar,
iodd-o na rua do Apollo n. 20.
Comedorias e fiores.
Xa rua estrcila do R' sario n. 35, sibrado de
. andar, defronte do barbeiro e porcimado
tartorm, Contioua-se a fornecer corned rias para
fora, com t.-?eio e pro ; ptidao, o que muito util e
.-..- Sr>. a'ademicos que tern de cnegar na aula a
fioras mareadas, senoo os precos mni razoaveis.
N"a ffiesma casa apromptam-?e' bandejas com bo-
: ra bailes, casamentos e baptisados, pao-
. boi -. pudios e paste's de nata enfeitados
;!?. fax se palmas, bouquets, capellas, fes-
- e tod: a qnalidadc de (lores soltas, de cera,
1 ou H.ipel : tudo na rua estreita do Rosario,
da florista.
Na rua d(4 Barao da Victori i n. 36, precisase
fallar ao Sr. vigario Andre Curcmo deAraujo Po-
reira, a negocio de sea niteresse.
| ConsiiUorio niedifxweirurgico
A.B.daSilvaMaia.
Rua do Visconde de Albuquerque n.
11, outr'ora rna da matriz da Boa-Vista
n. 11.
Chamados : a quaiquer riora.
lAM k re(-'a-se de uma. ama para czi-
- nhar: iWrua assim como se precisa na mesmarcasa dftum cai-
leiro de 14 a 15 anaos, qtfB" tenha fjr*tiea-de la-
te rna.
AMA
yrimeiro de Ma
lma
ama "para
)u escrava
trnz) n. 52, 2 andar.
Preciaa-se de uma ama para czi
nbar, engommar e comprar para casL
de uma so pessoa, podendo ser livre
Em Olinda, rua do Varadoriro n. 18, padaria,
precMa-ae de am refiaador pan assucar e am
peqaeno para caixeiro,
0 abaixo assigaada declara ao rtspeitavel
eorpo da eommercio, qoq n^sta data deu socieda-
dade em seu estabelecimento de molhados sito a
rua oVFbgon. SO, ao Sr JosaJoaqnim Rodrigues
Brat, que de hora em diante funccionara sob a
firm* social de Silva 4 liraz, llcando 0 mesmo Sr.
Braz' na gerencia do mesmo ejlabelecinieAio oa
sua auseaeia. Recife, i3 de'abril de'lSTi.
Jose Rodrigues da Silva.
Annunciate uma casa na rua do Diqoe n.
S3, chio proprio, tendo ^ quartos, coainha fora'
(jumtal e caeimba : quern, quizer comprar, dirijaj
ie'i CamMado &rmtt n: 14.
Rua


BetE

MMPfiAS.
coalthalr a comprar para caia We X
ppue'-famUia-ij.a tratar na rua ?omP][a-se um portao de ferro : na rua do
150 n. 18, a.-'apfar... ^
angel_n. 62.
w. jam*
Precisase comprar aous escravos, pedreiro e
r
. *- trectea-seae uma ama que saiba coztnUar
a engommar: a tratar na praca do Corpo Santo
4- 47, 3 andar.
Precisase ds uma ama li-
vre ou escrava, qne coziuhe
coni perfelcao*: na f aDrhii a
I vapor de cigarros (antigarua do quartel de policia)
1. 21.
AMA
m
%
1
Gonsultas: Aos pobfes gratis, das S as f5
4 horas da tarde.
t'
^arvdlho & Nogueira, na rua do Apollo
n. 20, sac am sobre as seguintes cidades da
Galiz3. na Hcspanba : Santiago, Orense,
Patron, fcrrol, Ponte-vedra eCoruna, quai-
quer quantia & vista e por todos os paque-
des.
m\ D\ MB
Rua 1. de Marco n.
Aos 20:000$000.
23
0 abaixo assignado tem sempre exposto a ven
la bilhetes da loteria do Rio, enja extraccao an-
-lEciara pelos jornaes.
Precos.
Inteiro 24/000
Meio 121003
Quarto 6/000
Manoel Martins Fiuza.
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
1. 20, jjccain sobre 0 Banco Commercial
4- Vianna e suas agencias em todas as ci-
tades e villas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.
Traspassa-se
a segundo andar na rua Duque do Caxias (auti-
-i das Crnzes) n. 28, 0 qual se acha pintado, for-
;iio e eiteirado de novo : a tratar na rua Pri
aeiro de Marco n. 20 A, loja. ___________
Escravo fugido
0 abaixo assignado recoraenda as autoridades a
saptura de seu mnleque de nome Daniel, crioulo,
rcm 13 annos de idide, olhos grands, tem ura ta-
feo n'um pe ; assim como, gratifies, com 80lr 00
i quaiquer particular que 0 apprehender e 0 levar
S rua do General Seara. anliga rua do Jasmim
t,. JO, crin moleque fugio no 1." de dezembro do
jnao passado, e con cando uiuitcr grato a quetn 0 apprehender ; assim
?omn de.Jara que houve esie moleque por campra
a Gui:ii ime Frtderico Dacgel, 0 qual comprou
10 Sr. T' ime R.drigues da Cunha.____________
Bmpreza do gaz
A enipreza do gaz tem a honra de annunciar ao
pablico qne recebeu ullimamcnfe um esplendido
sortimei de lustres de vidro, candieiros, aran-
ielas glohos, cnjas ama-.tras estao no escriptorio
j ra rio L.-pera-lor n'. 31, e serao vendidos aos
tea tr, es pnlo preco mais razoavel possivel.
Ataga^w p ppbrado de um acdar e loja, a
jaal t nroporcSes para casa de negocio, sito no
iHra da freguezia de S. Jose, n. 5 ; ad-
ne tambem se aluga separadamente : a
oea refendo, ou no pateo de
^.ihrado n.'.).
?argi 0..
Tert'Tid
xntir 1,
l .
gue
COD
i*ie'.ade cm uma lav rna bem a.'re
7i local, a uma ps are com algum <-->pi!al : nesta
. ivChada com as imciaes M. P.
^ao se prestando 0 peqneno espaco do armazem
n. 10 A, a rna da Madre de Deos, para on* abaste-
cido deposito das diversas marcas de fumo, que 0
abaixo assignado almejava ter,- acha-se d'ora em
diante aberto outro estabelccimcnto 30b a mesmo
denominacao de
Armazem do fumo
A' rua do Amorim n. 41
com toda3 as proporcSes desejadas, e onde pode-
rao os senhores freguezes dirigirse, certos de
3ue, como ate aqui, acbarao sempre a par da mo-
icidade dos pregos, a maior sinceridade possivel.
b'ntre as differentes marcas de fumo da Babia e
Itio de Janeiro, que tem sido anuuneiadas, acaba
de chegar uma encomroenda especial, e que muito
deve convir aos senhores freguezes. Consciente o
aba xo assignado de que neste genero de negocio
nao esta sem competidores, fara muito por evitar
qne tambem o: tenha com relacao ao pequeoo lu-
cre que procurara obter da dita mercadoria.
Jose Domingne.' do Carmo a Silva.
Alleiicilo.
Precisa-se de uma senhora que esteja habilitada
para ensinar o portoguez, francez, piano, costuras,
bardados, etc., etc., e qne queira ir para um en-
genho perto de uma das estac3es do Recife a S.
Francisco, para ensinar a umas menioas qne ja
estao principiada=, paga-se 1 0006, e gratifica-se
gradaando : a tratar nas Cinco Pontas n. 82.
Engenho S Matheus, em Ga-
melleira.
No dla 20 do corrente mez do abril, depois da
audiencia do desembargador juiz de orphaos, sera
venJido em hasia publica o engenho S. Matheus,
pelo preco de 16:000, segundo se vera do respec-
tivo edital.
M BACHAREL MIGUEL AMORIM **
B Advogade 2
ty. Rua do Imperador n, 71.
00*^-0000-00*#
0 abaixo assignado laz publico a todas as
pessoas com quern tem relacues cammerciaes, que
retirou o seu escriptorio da Travessa do Carioca n.
2, e=tabelecendo-o na obra do mercado publico.
Recife, 9 de abril de 1874.
_____ Jose Augusto Araujo.
Arrenda-se o engenho Penderaca, d'agoa,
com proporcdet para grande plantio de canna e
cafe, dista de I'm (res legoas ; assim, como da-se
nos fandos muito bons terrenos para lcvaatar-se
outro, por annos : no mesmo engenho, a- tratar
com o Sr. capitao-mor, ou a rua do Imperador
n. 50.
\. 10,200
Pede-se ao Sr. Jose Caetano, da Ameriea lllus-
trade, o favor de apparecer na rna Primeiro de
Marca n. 7 A, 1? andar, a negoeio de seu interesse
Atteiicaoi
Precisa-se com urge&cia de uma ama de
leite, que seja ssdia, e que tenha bortfe
abundante leite, para tomar codte#de^infa
crianca de dias, dando-se preferencia i mu-
Iber do matto: quem, pois, esrtiver nesfas
circumstancias apparega no 3.* andar desta
typograpbia para tratar.
Uma pessoa vinda da Bahia, precisa fallar com
o Sr. Antonio Jos6 de Freitas, roga porfatte o fa-
vor de apparecer a rtiada Cruz n. 6, artfiatem.
Precisa-s6 de irrrfi ama Flvre otl escrava,
para todo servico de casa de pouca fa,mi!ia : oa
rua do Imperador a. 27, segundo andar.
A quem tiocar.
0 irmnigo gratuito e vil detractor floe procurou
informar a uma pessoa cunsiderada, que a typo-
grapbia da Boa-Vista, sita ca ma do Pahrcio da
Bispo, *i6 e propriedade de Jolo FranciScd da
Silva, Mendonca, prove aesfle Ja, sob pena de Ihe
caber o qtie'acinia flea dito.
Bfiti^eacouTacad5!!!
AguamrffeempadradBra
Tanto da ate qae a fura.
Roga'-se ao TTIm. Sr. Ignacio Vieira de Mall
jcnvao na cidade -de Waaareth lvw de vir 4 rifa Otiqu de Gaxias n
cluft aquetle^eiDcft) quo S. S. se comproi
realisar, pelk tercetra chamada deste Jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passon a.fevereiro e abril de 1872, e mlda tumprio;
e por este motive e de novp ehanfado p*ra' dilo
ftm, pois S. S. se deve lembrar que esta negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. set ulho se
achava nesta eidade?
Ricas birideij^s
Para^-asanYentos, baftes e baprtsadbsi"
Q86m tfnlliei'bftteViirttibandelji rieamedte'en-
feitada,' dirija-se a ConfeStarra' do Campos
Ja mandando ou indo encoramendar, ja com-
prando alii todos os enfeites, constando do seguin-
te :
Botoa finds para enfeitar.
Doces saborosissimos para enfeitar.
Figuras allegoricss para enfeitar.
Papeis arrendados para euleiiar.
Bouquets para noivos.
Alii
Encontra-se sempre o seguiote :
Fiarabres inglezes.
Budins >
Bolos
Piles de 16 flnos.
Fatias de dito para parturientes.
Pasteis em profusSo.
Filhos (sonh's de motvma).
Doces em caldn, ralado e secco.
Bolachinhas de mil qualidades.
(Sugar Waffers vanilla) para dietas.
Gelea de raocoto, desiufectada.
Amendoas, confeitos, etc.
Cha verdadeiro das Caravanas.
Cafe de Java (verd deiro).
Tudo isto na
CONFEITAniA DO GAMl'Oij.
Affonso Jose de Oliveira, e sua
mulher pungiJos da mais acerba
dor, por si e em nome de seus
filhoi e genros, ausentes, convida
a todos os seus parentes e amigos
para assistirem a algumas missas-
que manda rezai no convento da
Gloria, no 'dia 20 do corrente, as 71|ihoras da ma-
nha, pelo repcuso eterno de sua presada e sem-
pre cborada fiiha, SerafiDa Eutalia de Oliveira e
Silva, fallecida em Pajeti de Fiores em 20do passa-
do: por cujo caridoso favor, desde ja se confos3a
agradecido.________ ________________
Serafina Eutalia de- Oliveira
e Silva.
SeraJJna da Silva Ferreira Gomes- e seu matidOi
ausente, o desembargador V cente Ferreira Go
mes; immersos em profunda tristeia pelo prema-
turo passamento de sua sobrinha e estimada. afi-
Ihada Seralina Eutalia de Oliveira e Silva, man
dam celebrar mis;as no convento da Gloria, as 7
1|2 horas da manha do dia 20- do correDte, pelo
repouso eterno de sua- alma ; e-, para semelhante
acto de religiao e humanidade, onvidam a todos
os seus parenies e amigos.
HWnHieBHMaHHl
telix Barreto M. Telles, convida aos seus com-
panheiros e amigos, para no dia 22 do corrente,
pelas 7 e meia horas da, manha, a assistirem a
uma missa que manda rezar na matriz deJS. Jose,
pelo eterno repouso de seu prezado pai Leandro
Muniz TellP3, fallecido na provincia de Sergipe.
rastes.
Compra se e vende-se trastesnovos
e usados no armazem da rua o Im-
Ay perador n. 48.
Compra-se um preto coziBhr:ro : na rna Ira-
parial'n. 94.
m i an iwHim i mi
n

EH
Collegio prlicfilar
DE
instruc^ao primaria para o
sexo feminino.
D. Francelina Dornellas Pessoa, achando-se ha-
bilitada na forma das leis reguladoras da ins-
truccao publica da provincia, abrira no dia 1. de
maio proximo futuro, na casa n. 51 da rua do
Barao da Victoria, um collagw, em que.serao
recebidas alumnas pensionist-is, meio-penslonistas
e externas, afim de se educarem religiosa e civil-
mente, de se in-iruirem nas materias de um com
pleto curso eleraenttw, de se apllearem a obras de
agulha e bordados de todaa as eepeeles, e a ira-
balbar em fiores, mediante uma razoavel reotu-
neracao. Os Srs. pais de familias poderao desde
ja diriglr-se ao mencibaado collegio, onde ser-lhes-
liao dados os necessarios esclarecimentos e infor-
macoes, a onde encontrarao aberta a matricula
para as educandas.
Recife, 15 de abril de 1874.
Cozinhar e engommar.
Precisa se alugar uma escrava que saiba ;cozi-
nhar e engommar ; & para casa- de pequena fami-
lift: na rua do Vigario n. 16, l. andar.
'*------------------------------- ~
-a.
Atten^ao
Vende se as terras da Nova Fa?enda, sHas no
sertao dos Carir-velhos, provincia da Parabyba,
terras sufflcientes nao so pafa criajio como para
plantacao de algodao, e proprias'p'ara soltas,' para
se refazer |ado que vem do eentro, por ficar perto
da feira, nao falta agua e muita'boa ; vende-se
SDr menoa de metade de sea valor800|, por sen
OnO nao pnder botar alii criacib de gadc : quem
pratende-las, procure a casa n. 24 da' rn* de Ro-
sarie da Boa-Vista, qae aehara- eem qem tratar.
Wrdeu-se sexta- feira 17 do corrente uma letra
de 530JT, aceita por Francisco de Siqueira Passo e
sacada por Cftadte Duubux : reja-e o especral
obsequio a q>iwm trver aclido,' levi-la ab cais
29de Novembron. 32.
ATaga;8e um preto para todo aervico, inela-
sire cownba, por tambem eaiander : a tratar na
praja 36 Corpo sanlo o. 17,3 andar.
Grande escala
S6o 11.20
A' maiiCrcSp{;li|aihs 5 plas
, DE
<-5 11 IIBI3IIIB rt c*.
funto A loja da esuiiina.
MET1NS CH1NEZES,
Proprio* para vestido?,-os maid mojernos, pelo
dimiouto preco de 280 rs. o covado, e pechincha !"
Dao-se aroosa-HS.
OKGANDYS D- COHES.
Fazesdafina e com bbnicos padr3e?,'pe!o dimi-
nuto prego de 320 rs. o covadd, 6 pecchincha r
Dao-se amostras.
CHITAS COM PANNO DE CRETO.NE.
Pazenda1 finissima, com' Iind6s podroes, pelo di-
minuto preco de 3^0 rs. o eovada, so- se vendor
e pechincha I Dlo-se amostras.
LAS ESfiOCEZAS:
Gompleto -sortimeflto de las escocezas, e para
acabar se vende a 210 rs. o covado ; 6 pechincha!
Dao-so amostras.
CASSA LANE.
Grande sortimento desta fazenda, com os mais
bonitos padroes qua lam- vindo e que vende-se
pelo diminuto pre-jo de 200 rs. o covado ; e pe-
chincha Dao-se amostras.
CHITAS CLARAS.
Com bonitos padrdes, que se vende a 260 r9. o
covado ; i-pechincha I Dao-so amostras.
HOLLA3IDA.
Brim Hollanda, iiso, o que ha de mais lino, pro-
prio para costumes de homens e meninos e ves-
tidos para senhoras, por ser muito Bno e linho
puro, e se ven le peli dimionto preco de 560 n.
o covado; 6 peccincha 1 Dao-se amostras.
BRI.N'S DE CORES.
Brins de cores, linho puro, com bonitos pa-
drSes e qne se vende pelo diminuto prego de 360
rs. o covado ; e pechincha ( Dao-se amostras.
CAMISAS'DE CRETOXE.
Camisa? de cretone,. o que ha de mais flam,
com lindos padr5es b que te vende a 40j00O-a
duzia e 34300 cada uma ; e pechincha I so se
veudo
Assim como um deposito de mais fazendas que
se vendem por menos do que era outra quaiquer
parte, como sejam :
Cortes de casemira de cores a 4 ; e pechin-
cha l
Idem de brim par do lino a 1 $300; idem.
Cotehas de taulo com barra, muito grandes a
44 ; idem.
Idem idem brancas, idem idem, a 34 ; idem.
Cobertas de chita adamascada fina, idem idem,
a 3*300-; idem.
Len;ues de bramante, idem idem, a 24 ; idem.
Toalhas alcochoadas a 54500 a duzia ; idem.
Lencos de eassa com barra a 14000 a duzia ;
idem.
Idem idem idem brancos abainhados a 24000 ;
idem.
Idem em caixinhas muito lindas a 3#500 a
duzia.
Seroulas ic linho e algodao a 184 a duzia.
Cambraia Victoria Una a 34800 a peca ; e pe-
cbincha.-
Algodao uiarca-T largo a 44300 e 54 a peca.
Madapolao flao a 44800 a neca.
Madapolao francez muito fino a 64 a pega.
Brim pardo muito fino a 400 rs o covado ; e
pechincha.
Cambraia transparente, o que ha de mais fina
a 6.4 a pega.
Baptistas de cores modernas e com lindos pa-
droes a 400 rs. o covado e grande pechincha !
Dao-se amostras.
So o n. 20
A' rua do Crespi-, loja das 3 portas
DE
.l1E1IERME ft V.
.Iiuitu A !j da es<|uiail.
* -MiuUei<< i.n<-mo acha-se aberto
daa'O boruH da maiiiia as 9
boras da nolle
A California
DE
Fazendas baratas
Ma ma do Queinaado u. 43.
Defrdnte da pr^ga da Independencia.
E' para liquidar 1 I-
Laiiuhas a nioda a escoceia'a 200 e 240 n. o
covado.
Cretone a prussiana a 320 re. o covado.
Cambraia transparente fina a- 34 a peca.
Dita Victoria fina a 34500 a pega.
Toalhas lelpaeaa *-oOOrvtrma.
Brim pardo fino a 400 rs. o eovada
Algodao T superior, pouco sujo a 3 e 44 a pega.
Madapolao, poueo saja a 44 e 54 a pega.
Gt-itaj faaewla propria para roupa de escravos a
206*r. covade.
Lencoes de bramante a 24.
Brinizohos de lislras proprio para vostidos a 34200
o covado.
Venham ver, se na laja das pechiacba*.
DJo-se amostras.
Cirunadina 0$&ttT A
cavado.
0 Pav5o ven-dafftwaaiae pretty lavrada
pelo baf-ato pre$0 tfe 109 rs": o ctMdo.
0 PavSo vende pages de madapclao^n-
festado, pelo barato pjco-de 3I0A0 a pea.
Ditas sefn ser errfestado, ceca 2^iardaa, a
53J000. Ditas com 2i jardas ntuito^fioa
fazenda, a 6*9000, 6J5We7JWOO.
ALPACAS WIETAS-A 8dd; 6rtF80 RS.
0 Pavad -tem urri grtinde ^scrtrmento de
alpacas pretas, que vende'i 540,-64*e 800
rs. o covado, assim eomo grande sorti-
nkento de cantoes, bombazinas, pffeaas
pretas, merin6s, e ooiras meffiw^fazendas
[Marias P.HJUW, -..,:iuJ
peratnx-
n;
0
NedinlaaN a I^JOO
,--
0 PavSb vende sedas com Tisfrrnhas de
cores a 15600' o covado. Ditas com pal-
rhinhas a 23J00O. Ditas MMMOMfe de^ndfo
a 1000 e 15400.
CAMBftlMA VICTORIA A 49000, 43500,
09000 E 79000.
O'PavSo vende um grande sortimente- de
cambraia Victoria e transpdrente com
8 1/2 vara's cada pefa, pelos bafat6s pfejos
de 45000, 49500, 59000, 65000 e 7ffW-^6 damasco de la mwra fina de 109000
a peja, assim como, ditfts de selpico bran-
co, a 7(5000, 6 ppeWncha.
NOVAS LAZt?mAS |A 5r30 RS.
0 Pav3o recebeu pelo ultimo vapor uu
elegante sort mento das mais lindas lafenhas-
para vestidos, sendo- transpsrentes com as
mais delicadas cores-, e modern'ssimos' pa-
drdes, que vende pelo barato pfe$o ie '560
rs. o covado, & rua da Fmperatriz n> 60.
LIQUIDACAO DE ROUPA PARAHOMBSS.
0 Pa v3o vende um grande softimenlo de
roupas para bomens, sendo palitots saccos,
ditos fraksr tanto deeasemira preta e de co-
res, como de panno ; assim como um avul^
tado sortimento da ca^as de ca^emirapreta,-
de cor, de brim de cor e braneo,. e um
grande sortimento de colletes de todas as
qualidades.
Tendo tambem um bom sortimento de
camisas inglezas e francezas ; assim- como
de ceroulas de liuhoe de algodao, e vende
todas as roupas acima raencionadas pelo ba-
3WWE3IMW*.
OP#vaoPverrtre M&Mfo'!'*tmiMILe
caWrsai'KAMA 'cdrtj'p0Kb' d&^a$Ufc&
25000 e 255Q0.- DiJaajcpm beito de linho'"
d* 35000 a 0wttJ' KM .WoriMW muito
finas e#- 6W(m*i9h asftnT' cottt>
gtande sortimenbydWTaitiBfci*4* linho e de
algfjatar/pe* pfe^ris1'baraW{:e taTnberWltfl^M,
takite-delinbo'como Adalgoaao','' ppr prajoa'
enTConta: .
i,NPtiim.^ :iao 4-9000 <
i....... .
0 PavSo veode ute bonito aorti mento d*
espartfrbos rnbdetri?ft: a1 8550t, WQbtt e
^W desafasT)rancas,'bordadas, a 590*0 e 69000,
e ditas de lasinkta de cores a 35000 : 6 pel
chinch a.
CORHNADOS fi&DADOS PARA CAWAE
JAIfELLAr^ BE 7 ATB'^SSJOODOPAR1
0! fatio vebdb'ttril grafM* sbrtimferrtb^.de1
eortinados bordados-, prbpjlds pAra cama e
janellas, pelo barata- pAago db 79w', W000,
10)5000 at^59^W,-assfrh'cdrrrbr colxas
125000 cada uiar.
Jf
BllAMANTES A 19800, 29000 E 25500.
0 Pavfio vended bramsntes part:lenc6es,
tendo 10 pabnos de largura, sendo o dr
algodaoa1 l80 a ftri% 25P800'fe ,3fO0-,a-tara': e"'pech4n'
cha.'
EASEMIRAS A 59000, 69000 E 7506;
0 Pavao vende-efktee-de caeanadras para
ealoaa^ sendo padroes modernos, pebo bara-
to preco de 55*f>0<, 65800'e 750O0llo c6rte,
assiin como: parmos pretos*dos melhores
que tea* vindo ao mercado, ds 490'*0, 85*
t5000.
ESMERALDINA: A;800 BS.-
0 Pavao recebeu um bonito sortimento
das mais elegantes esmeraldinas 'com listras
de seda, sendo .era cones e padroesr as mais
nevas que tem vindo ao me#cadoy proprias
ratissimo pnego, porquerer liquidar, na loja para vestidos, e vende pelo barattssito pre-
da rna da Imperatriz n. 60, de Felix Perei-
ra da Silvai.
50 de 800 rsi o covado, a rua da-Ifapfiratriz
n. 60.
Acba-se constantemente aberto oestabelecknen'.o do PAVAO, das 6 boras^'da manba
aS6 de noite.
GRANDE
PIH1I,
Em
Grosdenaple preto
Sendo lisos e de cordao, e 0 mais largo qne
vem ao mercado, e qne se vende pelo3 diminutos
precos de 23*00, 24S0O. 33200 e 34800:
SO* NA RUA DO CRE-SPO N. 20, I/WA DAS
TRES PORTaS DE
Guilherme & C.
Junto a loj-a da esqiaina
Grande pechincha
Gimncuo de sol cabo de marfim a
i2^0Q6 !
Com seda trancada e hastes de meia cana. m
loja da Ro^a- Branca, a rua da Impe|trii. n. 56,
Charutos e cigarrps
dos mais finea e das melhores marcas, do Rio de
Janeiro e da- Bahia: no armazem do famo, a rua
do Amorim a. 41, de Jo.-e- Ddmingues do Carmo e
E'tat*!!!-
!\io ha lais
brancos.
TINTURM JAPONEZA.
S4 e unica approvada pelas academics de
scieiicias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ate hoje. Deposito princi-
pal & rua da Cadeia do Recite, hoje Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
f.hipeos para sonhora.
A loja do Passo a rua Primeiro de Marco n.
7 A, recebeu pelo ultimo paquete, um rico sorti-
mento da chapeos para seuaora, ultima moda e
vende por prejo commodo.
Wilson Rowe & L. vandem no seu armazea
a rua de Commercio n. 1& :
0 verdadeiro panno de algodao azui amencano.
Excellente flo de vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeaux.
Carvao de Pedra de todas as qualidadei.
Lindas las escocezas.
De varies padroes, e inteiramente modenas, a
360 rs. 0 covado : na rua Primeiro de Mareo
antiga do Crespo n. 13, loja das columnar de An-
tonio Correia de Vasconceflos.
A*)OOfl,
cortes de granadina com Natras e (lores,
. mais iinda possivel, eop\ 18 covado?
cada corte, pelo barato preco de .54 ; isto so se
vendo para admirar : na rua Primeiro de Marco
n. 1.
Lindos
fazenda
Sobrado
Vende-se um bnm sobrado em uma das melho-
res ruas desta cidade : a tratar na rna do Mar-
quez do Herval n. 29, taverna, ou na rua da Im-
peratriz n. 10, taverna.
Engenhos em Mamam-
guape.
Vende-se os seguintes :
Barra,
Prcguica.
e Patriot*.
A tratar com seus proprietaries nesta cidade,
e para iaformacoes com Joaqnim Pinto de Mei-
relles Filho, na mesma cidade de Mamamgnape
Tasso IrmSos & C.
Annawhi-sc
uma casa para se vender, na rua do Dique n. 23,
antiga rua daa Carrwsas, na freguezia de S. Jose,
cbao proprio, 2 $a)as, 2 quartos, cozinha fora
quintal e caeitnba : qhem q*er laser negocio,
va tratar na Camboa do Carmo n: 14. _________
Vend^ae oar plaho da Bfonden, por barato
preco : a tratar na rua do Imperador n. f0.
Coques de Iranijas.
Augusto Porto, a rua Duque de Caxias n. 53,
receben lindos coques de trancaa, collarinhos bor-
dados para senhoras, elegantes golas de seda de
cores, phantasia, e bonitos cintos de coure com
flvellas e passadores de metal. Todo de muito
gostb e precos commodos.
Paletots de alpaca iina a 4$.
Nao duvidem, que a Rosa Branca nS ente.
mente, venham antes que se acahera : na rua da
Imperatr z n. SS.
Calgas de casemira da moda
a 7#000.
Venham ver que vale apena : na loja da Rosa
Branca, a rua da Imperatriz a. 56.
Vestidos broncos bordados
a 6$G0O.
Sao lindos vestidos com babados dt moda a ti-
ras bordadas. que valom 124: na rna da hnpera-
triz n. 56, loja da Rosa Dran:a. Tambem se ven-
de :
V9oa para chapeoa, causa chi-
que a 1~00.
AMOrs.
Vende-se mui bonitas alpacas de quadrinhes,
de lindas cbres, fazenda muito propria para ves-
tidos, pelo baratissimo preco de 240 rs. o covado :
quern duvidar venha ver e comprar, a rua Duque
de Caxias n. 88, loja de Demetrio Bastos.
Pechincha de chapeos
A 1*500, 1*800, 29000, 2*500 e 3-5000.
Vande-se chapeos de Mltro find, de- diverse?
modelos, palos preees acima ditos, cpe e menos
de metatW d* seoa valows: na rna Dairae'd* C*- Jbe* n. 21, igatantese a cftatS : a tratar Bants-
jrtas n. 88, loja de Demetrio Bastos, 'too lugar, fc \
VENDE-SE
uma casa na villa de Barreiro3, na rua do Com-
tercio, por preco modico: a tratar com Tasso
Irmaee k C__________________________
Vende-se um sitio a retalho, na estrada do
Arraial, que flea na procedencia do sitio dos Ba-
ritis, sendo este sitio n'uma loeatidade muito ex-
cellent*, ficando ne eentro de tres estradas, por
preco oraito commodo ; tem terreno de 24 o pal
mo, com 240 e 250 palmos de fuado ; assim co-
roe, tem terreno para varies precos, com fnndo
de 400 a 500 palmes, com muitos arvoredos, com
muitas baixas e sendo muito boas, um riaeho que
corro per dentro do mesmo sitio, com duas casas
saodo uma da pedra o cal, feita a moderns, com
4 quartos, 2 salas de bom tamanho, e grande la-
tada de parreiras, muito bom barre no mesmo
sitio : quem pretender pode vir a quaiquer bora
3ue aehara com quem tratar. Outra casa de ma-
eira com 3 quartos e dnas salas e cozinha fora.
Libras eslerlinas
Tendem Pereira Garneiro
& C.
________Rua do Commercio n. 6.
Vendtf-sft o engenho Meguahype de Cima,
sito na treguezia de Muribeea, com machiaa a va-
por, optiraas terras de produecao, boas mattaa e
capaz de faier grandes safras : os pretendentes
podera se dirigir ao engenho Meguahype de Bai-
xo, ou aa praca do Corp* Saoto com os Srs. Oli-
veira, Filhos C. ,
-i
-
ao
Vesde-se a armacao dataverna do pateo dRi-


'

e
r
f
f
I
.- >!
m+m
~J


HiaHo ate ifiettiafldDbmb ^fldo W *

.ds^^finfe: ho' fatriiD" it
^leiijlrW>bOW-oB*eM i|tf eiHiierWd^o
jaspeeawalpealicofJtotttguua^i w Sen. sMMsoi-
.medio.** *ais 4Ui*feoaum bo.ammo gaaerc
veera sVJenuacaraos seus boni-fxwuees qua pre-
veniram #s seas corresponded tes mis tlWersaspar-
eas 'd^awp* par* fces- em i*Tsm> per tetles espa-
./qiUMa.ee tobjeotot .-de -uixue,Gnfc;j6to,.que se-
jun mlii bemjiccUus peia3:,iociodades el^gaotes
4aueHes pauses, visto aproximar se o tempo de
festa,m que o' bello sexo destalinda \reneta
rnafe 'osrtntaa rkjueia -de anas toilettes: >" co-
aao-p recebcaaena pete, paqwte fraiicEZ idiwrso
iitligos -da -ultima moda, vcwa p.-ttentear alguns
d'eatre elles que se tornan mais recommeadaveis,
?isperando do respeitavel publico 1'costuraaca
<;oneujreum.
Aderecos de tartaruga os mais lindos qne viBdo-.ao.merM do.
Albuns com ricas capas do madreperola o i*
veHudo; sehdo dtversos tamaiihos e Daratos pre-
- w
Aderecos eoeipktosde borracha pn-prios para
1& to, tambem 9e vendam aieiof. aderecos muito ibo-
nilos.
iBot5es'de seMm preto e de cores para ortiatode
vestidos de er.bor* ; lambem tem para teMete
Ipatitot.
Boteaiitara enneras, existoium.bello sortioMB-
de seJa.de pallia, de chagrim, etc., etc., por
baratopreco.
Bosecasde tddes os tamani%os, tanto de looca
como de cAra, de berraeaa e. de massa ; chama-
mos a atlanao.das Exmas. Si as, para este artigo,
pois as vezes tornara-se as manias um pouco irn-
jiertinentes' por falta de um objecto que as en-
treteabam.
Camsas do linho.lisas e com peitos bordados
para boroem, wndeni-se por preco coiumodo.
Ceroulai de liuho e de algodic, de diversos pre-
cos.
Caixinhas com masica, o qua ba de maislmdo,
com dislicos nas tampas e proprios para presen-
Its.
Coques os mais modernos a de diversos forna-
.tos.
Chapeos para s/mhora. Receberaaj um sortimento
da ultima moda, tanto para seahora, como para
menioas.
OapellaxstiTipies'e comreo para noivas.
Caleas bordadas para iiieninas.
Ectremeios < as Eseovas electrtcas para derEes, tern a proprie-
dade de evittr a carie dos dectes.
Franjas de sada prelas-e de eures, exi.-te -ia
grande sortiroeuto de divercas larguras e barato
preco.
Pitas de !2r>a.Ho *fg(h3p. de setim e dectta-
ya>l>><;) de diltas cores.
Faabas de^argurao tpiiito li.iaas.
FuX** ,arlteiciaos. A Pi ervar seiui^e urn bello e i?rande sortimento des-
as :Io:es, nao so para enfeite dos ivbellos, como
Umbeiapara oroato de *estida de noivas.
.Gatoesde.fc{odao, da la e de seda, braacosj pea-
los a de diversas cores.
Gravatas de seda para koniem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda de diversas cores
para seuuara.
L19as.de DAiva.
Livros para ouvir missa, ccm capas de madre-
perola, marfim, 6s-o e velludo, tudo quo ha de
bom.
Pentes.de tartartiga-e marftoi para alisar os ca-
betos ; Jeemitarabcm para tirsr caspas.
Port bosquet. Dm bello sortimento de madre-
perola, marten, i5sso e douradvs por barato preco.
Perfunwrnis. Neste arti^ro e*ia a Preditecla'Jiem
provida, 040 so em extractos, comu em oleos a
banhas dos uelhores adores, dos mais afamados
fabricaotes, Loubin, Piver, Sociedade .Hygienica,
Goudray, Gosuel e Kimel; sao indispensaveis para
a festa.
Saias bordadas para senhora, par commodo
prego.
Sapatinhos de la e de setim bordados ,para bap-
tisados.
Tapetes. Reeeben a Predilecta um-bonito sorti-
mento de diversos tamaohes, -anto para .sofa co-
mo para entrada de salas.
Vestimeutas para, baptisado c que ha de melhor
gosto e os mais Gaodfirno* recebea a Predilecta
de or-ar-to prejo, para Hear ai) alcance
Talquer bolsa.
Rua do Cabuffd n. 1
.'
Uranias de leque,
Palmeiras i^periaes,
3iros,
Coq,
Cyprestres horisoutaes.
Quem qaiaer bter um ponur com dMfcrdoloi
qaattdados d.' fruotos, aotirborisar al^unias ruas,
ou plantar atgnirt jardi;ii, e so dirigii-sc ao siho
do Abrig.', em Olinda, onde achara o que quwer,
ou deixar o pedid > pr eswipto na lnja da rua da
Cadeia do Kecife n. 33, bxiioando para onde quer
que mandctsf, ttc.
Semeiites de hortalica.
_______Itua dii Marquei d- Qiinda n. oi.
Fogao de ferro economico
Vende se um chegado ha poucos dias, tendo fo
nalhas para lenha e eauao, f.imo para awar
depojitu para agoa qui.'ntc e |ugar para se guar-
dar qucnte as comldas depots de fettas ; estes fo-
gi5es tornam-se recoinmendiiveis porque sao de
ferro batido, e fabrkrados cm purfeicao e coai-
nnam com mui diminuta lenha : nartja do Ado
n 20_________________________________
Venuese puarreinia-^e, no estado um
que se acha, um sitiona freguezia dosAfo-
gadosn. 18, rbao proprio, com 3i9 pnlmos
de fretile e GoS tie futido ; as prctetidoiiles
dirijam-se ao sou pti'pxioUrio, na rua de
S. I'rancisco, so'..rado n. 10.
Salsaparrilha de Ayer
FABA rtTKIFICAR O SAJfGCE.
m
O renome de que go* te *x-
cellente remedio 6 devido a milha-
j0r~SifAM Ttt ('e enrisque tem operado, mu-
^1 alL^B itas dasqtaos saoverdadeiramente
^^ ^^^^IB' maravilhosas. Innumero9 s&o os
IT ffl, ca80S em S"* ,y,th9m". parecan-
^Su. iJ do saturado da podxidao de enfer-
flfiAt ^|F midades escroftlosas, tem sklo
H^^"* ^^ promptatreate restttoido & sande.
As affecciJes e desordens, aggrava-
das pela CDntaminafSo cscrofulosa,
at6 produi irem dflres moTtiflcmntes,
tem sido tam radical e tam geralmente curadas por elle, m
todos os pantos do Imperio, que o p ablico mat precisa de ser
Informado das enos virtudes. do modo de nsal-o.
0 veneno escrofuloso e um dos mais destruidores inimigos
da rac hnmana. Ora, senhorta-se ijccufta e traicoeframente
co no3so organ is mo e deixa-o fraco e inenne contra moleetlas
fatacs. Ora, patenteia a hifeccSo de que cprrompen p colpo
e entao, em momento opportono, lar.-a rapWamente sob algu-
rna de suas bediondas format, ja na outis ji 90* orgaxns
vitaes. Neste ultimo caso deposita, muitag vezee, tuberculos
1105 pulmiH's, no figado, no coracio, otc, quacdo n&o se mto-
jfesta em ft;j,'cfiet, tumorea, etc.
A inim.,;') : '.is pcrigoso a tam pc-rfido nunca se dere dar
puarida, e p.?veMi. 4 sempre melhor do qua eombtel-o.
Assim, antus di a;.c.ircceremos prcprio* Mpyitfionuu actiwM,
ci usi. da BATS A!'.: :K1LHA DE AYi.lt podera eyitar
resultados ftaontos. -j
A pessoas qne softrm de ErytfpeUu, Fogo ff .$. Alt'
lonio, Dartrot, Empigens, Itlu-umatUmo, Tumtri,
r/Uerw, e scmibilidads doUrosa Dos oTivldot, Umm, die-;
lor not ossos; Dyipmiia OU Indi^etot* ; Hi/dro**sta,
JTllMIIni do Coraeao e do fir, ado, Kpyteptid, JVer-
raXgia e de varios outras afleecoes In ajtOfllH HIIMlUllll a
nervoso, acharao seguro allivio usando desta SALSAFAH-
RIXJBA D1C AYER. P*^ ^^
A SyphUU ou MoleiHa* Vtntfmf Ho coradas 00m o
lieu uso, posto que seja necessario mais dilitado espaco da
tempo parasnbjugar tam impertineitef enfrMaat!l.
A LeveorrMa, ou Flares Bremen*, as uloeiato^l ateri-
na* e em geral as molestias das mulheres sao tambem afliTia-
das a utterionnente onradas por sea eftsito punficador e
rigoratiTO.
O Rhemmalltmo c a Gotta, quxndo causados por accu-
mnlaoias de materias extnabas as sangne, ceienvlb* fccil.
mente, de meuuo juodo o Mai de Figado, Conumt jk, on
Tnflammaeao do Figado, Teterieta, tjnando s&O brfimdi
ile maus Miidoos no sangoe.
I

resma
Rua d^ Impertftriz n. T2 ^
.11 DB MENDES -ISBlMAfiilES 'A fM'AOS
Ac'aba de receber um gratidet sortimoo'* -ah .fe'zctHUt iipnftss rfafa)<|*i
,-6
CQ110 &KJAM :
oi
"6R05DENAPLE PRETO A'-I980.
Vende-se grosdebaple pretopara vestido
ae'enhoras,;alW60,l3, 89,l1Q, 0 9 0
coyado.
'PATMO fRETO A SHJ-SOO.
Yedde-se panno- preto de duns larguras,
para calcas e paliUSts, a 2$50i, 39, '30300,
%V>, a 60fi0 Ctdva^o.
CORTES DE CASEMIKA' PRCTA A WOOO.
Yende-se cortes de casemira pretn para
calcas, a 3$, 6$, TP e90i>0 Oi:orte.
A*n*eecierin6 preto fino, a 2930O e
nernm na preta a 1^00.
Vende-se bombaina preta eitfestada, a
10500, 10600 e 500 o oovado. '
ALPACA v PRETA A 500 RS.
Vende se alpaca preta Qua, a 500, 640,
800 rs. e -15000 0 covado.
FAZENDAS DE GOftES JEAMBRAJA
BRANCA A3JOW).
> Vonde-so pa^as de canbuin branca trans-
paronte tt 39, 4C, GO e 6?000, ditas de cam-
braia tapada, Victoria, a 3$, 39800, 49
CORTINADOS PARA^AdMA A 169000.
Vende se cortinados bordados para cama,
169. 209, 25 e 309000.
CAMBR 1A DE CORES A 300 RS.
Veude-se; cambraia de cores fin as, intudas,
300, 3Oe360:rs. o covado
CHITAS LARGAS A 200 RS.
Vende-se chitas largas para vestidos, a
240, 320-e .3S0 rs. 0 covado.
1BRAMANTE A 19O0.
Vende-se branwnte com 10 pslmos de
largo a 19600, irbtO 0 2ioO 0 metro.
aMADAFOLAO A S90O0.
Veode-se pecas de madapolao enfeslado
j a 39000. Dito inglez a 49500, 59U
, 5,5500, 69000, 79000 e 89000 a passa.
COHTIMADOS-PAJRA iANELLAS A 89000,
Vende-se 0 par de corttnados 'bordados.
para janellas, a 89 1090<0 O'par.
ALGODAO A 49000.
Vcnde-se pe^as daalgodfio, a 4)J, 59 e
69000.
CEROURASA49000.
Vende-se ceroulas d algedao, a 19000,]
drtas fin as de bramante a 19500 29 cad a
tuna.
(A.MIS AS BRANCAS A .29000.
Vende-se camisas brancas feias, a 29,
25>500, 39 e 49000.
BRISS DE CORES A ,400 RS.
Vende-se brins de cores para ca^as, a 4O0,
e 500 rs. 0 covado.
CD A ES A 800 RS.
Vende se chales de la & 800 rs., ch'ales de
raeriii6 de cores, a 29, 39, 49 e 5900Q.
COLCHAS DE CORES A 29000.
Vende-se colchas de cores para cama, *
29, 39500 e 45000.
CHITAS DE CORES A 860 RS.
Vende-secbitasfinas de cores, a 360 e 400
is. 0 covado.
ALPACAS DE CORES A. 500 RS.
Vende-se alpacas fiuas de cores, a 500,
GiO e 800 rs. 0 covado.
TAPETES A 495Q0.
Vendese tapetes para salas, de diversos
u:n<;os 'BRtNCOS A 2^jOO.
Vt-nde^S')' IterifcOs1 bfatfcos'fiffis, a''29X100.'
29500 e 39 a ouzia, rjitbs de'linlia, aifft>
SOeO^jfiy.vdtrzia.
CROCftfiS' V.\ ISA C.\DE1R*8 A T950p.
Vehtrc-so iSarVnos'de yrnfclie para Cf dcin s.
a 19500 cada am, cofchas de di 0 para
notvas;
ulMAttAlHybJiOiFKAtrqEZ'A 79000.
Vtnde se pecas de Trrarhrpolao frtneez!
muiti fino, a 79,'89e 109000.
BRIM'PAIIDO A 400 RS. 0 COVADO.
Vende se brim pardo para calcas, a 400
rs. o covado.
CORTES DE CASEMIRA DE 59000.
Vpttde-se cories de casem'rra'de cores para
caljas, a -$9; 5900 e 69000.
GROSf)l-.NAW.E PRETO.
'Vende-^e grosdcnaplo preto com 4 1/2
palmos de Jargura, a 99 0 covado.
ESGUIAO FINO A 29000.
Vende se esqtlifio fino de libho, a 29,
29500, 30 e 49 o metro.
CBITAS PAHA COJBERTA A 280'RS.
Vende-se chitas para coberta,.a280 e 400
rs.'oco-vado.
BlUM'BRANCO A WOOO.
V^nde-se brim branco de linbo, a 1S9(,
19280,15*300 e 29 o'mttro.
BRETAMIA 'DE LINIIO A 640 RS. "
Vcride-se "bretaTtba de tihfco, a 640 tsj a
vara. '
FLANELLA DE CORES A 800 KS.
Vende-se flaneHa de cores, a 800 rs. o
covado.
COBEUTORES DE ALGODAO A 19400.
Vende-se cobertores de'pdlio a 19'40O.
Cobcrtas de cbita a 15800 e 29. ditas en-
cftrnaias, fortadas, 49, no Bazar Nacionai,
rua da Imperatriz n. 72.
CORTES DE CASSA A 39000.
Vende-se cortes de cassa niudas a^
cada um.
GRAVaTAS PARA SENHORA A 19t'i00.
Vende se gravatas para scnooras, a 19,
ditas para 'lumens '50O rs.
ALGOOAO ENf1-:STAD0 A 19C0O.
Vende-se algodao enfestado psra leno&es,
a 10000 a vara.
GRANDE SORTIMENTO DEROL'PA FEITA
NACIONAL.
Vende se palil6:s de panno preto, a 59,79,
80 e 100000.
Vende-se palitots de alpaca preta, a- 39,,
39500 e 4?000.
tasfeas ;
",8 /Corded SSmte tfrO.
^' gita uwa^tJas fyaaft.mje ..hpje pode com pri-(.
niamoffereceraos seus freguezes utn'varihdissi-
ilo*OrtlmWto' tottei e tem a6(ni para uso rteanio <|e tafias as
^iasAM.^p^^ragofrvatUajosovdaBitjaB*!!,!!* u
.(eoueno rmuio. .
Maadam fazendas is ca?a 'dos pratandentes,
lMr*ofBe tem pessoal neeessario, e (fio antostras
rr.ediante penhor.
.Cprtw^e^to^eiwdiA^e*. ..(
Srosdentiples de todaa as cores.
Gorgd'rao branoo, ifzo, de ItJtras, preto, etc.
iBiWauftoj'ireto Gros4enepjes pnaM.
J.elludo prste.
Granadioe.de, aeda> preta e^de. cores.
Popelinas de lindos padtoes.
Fil6 de seda, branco ejjreto.
Hicas lianjuinas -de saAa.
Usaoos.de merino de ceea,^,.eU5.
Hantas brasileiras.
Cortes com caTntrraia branca com nndosborda.
fticas capettas e manta* para noivas.
41iqui*simo sorlicieiito de ias com lutras de
seda.
Cambraitis^de cOres.
Ditas raaripffls, branffas,' Hxas e bordadas.
Nanzuques de lindos padrves.
Bapti-,taa,4drd dejiewkts.
Percal;rM d* qoadros^pretos e brancos, listras,
ate, etc.
MM dc finho de cor, ptourins oara vestfdos, |
torn harra e listras.
lii.:us corteade vestido de liuho. < cites da
mesma tsurj ultima mod?
Ditos de cambraia de tores.
NmMl lindas cores.
Saias bwdadas jwra senhoras.
Cajnisas bonladas para ee^boras, de linlio e at-
godao.
Sohneirto''lle' Jonvioy para:ftnmen e senhoras.
V8tBBrios-para meninw.
Diios |iara bapiizado.
lais-BoWnasiquelaniBtodeiaomewada. sen-
ia>,e com-iUai,|e^Haeveo4e.*,40iOOO
duzja e 3 ?45D0 ^ada .uma; .ft cechiacha.
Etollaiiaa
Rrtmpardo Jiso, 0 qua ha de mais nno, iem-Ui "
oqiie da jrvaria, e qne ae veadu a 480 rs. 0 cova
do,' fazenda propria do paiz por ser linbo puro,
applicada para co-tumes de bomens e de meninos:
na raa do erjspo n. 10, loja dastres portas, de
Guiifcerme & C, jnato a loja da esqoiba.
. jryja^anjpn .da marca M L, .|r meaos prem
qu- em onfra qnalqnpr pnrte : no armaei fie ft.
iMttitmt, (W*Gmiltereio n.- S. ;_______
A> VWe-3e W'mente &-- piianga pu'ra'cerc* wi
enfeite dc iardim : na rua da Cruz n. 6.
\r%
A Nova Eeperanca. arua Duquede Caxias n. 63:
apressa-se em convidara sens freguezes. com es
pecialidadeatt beHo sxo a virem apreciar os se
finiatM arttgos exposios a venda e toads por preco*
comaiodus, cqbk. sejam :
FINAS BONECA5 mansas e choronas.
BONITAS B ENGRAfADAS vistas para sterios
copies.
COM MOOAS LATAS para guardar eha.
ELEGAMTE8 BOLSAS para>senhoras e meninas
liO.MTOS VASOS com Qua banha e clieiroso.*
extractos. trazendo cada frasco um nome, uma ini-
cial'on ton distlco.
F1NA8 ME1AS DA SEDA, vindo entre ellas eoi
de came.
Para quern gostar.
Chapeos para dito.
alh,
A' Nova Esperanca a rua Duque de Caxias n
03, acabt-de receber tentos e caixas para 0 jogo d
Vouarette.
Para qiicm st ffrc das pernas.
A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias 1
63, acaba de receber as procuradas meias de bor
racha para qnem soffre das pernas.
FLORES ARTIFIGIAES
A No*a. Esperanca, a rua Duque de Caxias
63, acaba de receber um Undo e completo sorti
ntefito' ;-de nVires' arttftciaes das melbores que tetr
vindo ao mercado
A alias a rues que se acahem.
Costumes para erianga.
-A Nova Esperanca, a rua Duque de Caxias 0
6J, acaba de receber borntos eosttraies para cfianc*
e esta te vendeudo por prefes razoav.-is.
de panno, a 49,
a 3$, 89500 e
Vende-se cal?as pretas
6#%79 89000.
Vende-se collotes pretos,
! 49J00.
I Vemk-se corouias, a i$, 1J500, 39* e
SfJOOO.
Vende-se amisas brancas, a 2 39 e 49000.
Veade-se ccroisas de cbitjs, a 19400, .1$
e 36000.
CHITAS PRETAS A 330 RS.
Vende-se chitas prelas finas, a 320 e 360
rs. 0 covado.
LAZtNHA A 200 RS.
Veade-se 1 .izinh.-.s para v.6tido6, a.200,
320, 400 e 800 cs. o covado. No Bazar
Toalhas e gwardanapos adamascados de linho de
cir, para mesa.
i^okhas lit ta.
Cortirudos; bordados.
Grande sortimento de cimisas de linbo, lizas e
bordadag, para homens.
Meias -4c cores para Iwtnens, meninoseimeni-
aa.
Ditas eecocezas.
ijooiplosn sortimeuii) 4e chapeos de sol para bo-
mens e seuhcrss.
Herin6 de cores para vestiaos.
Dito prexo, "ilharte de Hobo e at godao para toal
Moathado parde.
l)amaco de la.
Brins tie linho, branco de cores e preto.
SetiHfAe'i'nfas ctfres om Hstras.
Chales de merin6 de cOres 0 pretos.
Dilos.de casenira.
Ditos de seda preta de cores.
Dries detouquim.
flamrsas de chita para horaens.
DiUs de ilanelia.
Orealas de linho -e aJgodao.
Psnais de crochet para sota, cadeiras e conso-
Lencos bordados e*e labjrlnthe.
Colenas de eroelM.
Tarlatana.de todas.as <.>.
Hicos ci*tes.de vestidus do tarlatana bordados
para odrtes.
"Esiiartllhos IIsos; bordados.
Potrlard de sefla, !das cores.
Meias do-seda para *.-u horns e HMi;uas.
rticas faolias de seda \\ para sevhoras.
Itii'o cortimento de ieques de madreperolas e
I osso.
Damasco 'de seda.
I t^aeeairra preta de cores.
larinhos, punhos deltoio e algodao, gravatas, lu-
vas de no de Escossia, tapetes de todos os tama-
I nhos, bolsas de viageoi, peitos bordados para ho-
! men-s, loncjs de linho branco e de cores, toalhas,
guardananos; etc., etc.
Vende.se am terreon em Beberibe \Port* 4a
Madeira) 00m aoOpalmosdefrente eC08etaB*
de fundo, cercado, com casa de laipa e coberta *e
capim,. tendo ja planlado alguin.t prviwea 8fe-
tiferas e tambem legumes, por ui>eo rajoarrf :
qoem pretender, dirija-se a ma da Peuha*.' IX
TajiMiicdS k IN rlo.
Vende-se tamaacoB e cbinelas, sapatos delraa-
q, tudo do Porto, para horaem e serhora, pro-
prio parao inverao, chegado pelo ultimo aavio :
na rua da Senzalanova n. 1.
"Gf AR^ MfilCHA
Cortes de caseuiira a 4*000 0 corte^ peekax&a.
Chitas claras a 210 rs. 0 covado a
SfadapGlao fino a 4/800 a poca
So on. iO da rua do Crespo, loja d-s 3 poru.
de Guiiln-rrue k C, junto da Pija da esqoitft.
Gaza5^500 alata
com 2,'i garrafas, do melhor e da maw aeredfcaia
marca d'. Henry Forster & C, garantiioa^Biifa-
dade e a quantidade do iiquido completo : asar-
mazem de Jose Domingues do Cat mo e v.lti.
rua do Amorim n. it
Vende-se a*s casas seguintes
Bua 24 de Maio {ootr'ora dos Ossost i. 2 e L
Dila do Fugo n. 22.
Dita do Padre Floriano n. 33.
Becco da Bomba n 5.
1'ra.vessa do Padre Lobato n. 8 A.
Beeco do caes da cadeia-nova ns. 3 e 5.
A tralar n 1 paleo do Carnj" n. i.
Liquida^ao de moveis
Por precos mui reduzidos, diversas rrdbUlls e
cadeiras de iroarnicJo : veodem Cunha & Man's,
a rua do Marquez de Olinda n. 23.
a rua Duque de Caxias n
*
Vende-se um pequenositio pert t da esta
. cao do Salgadtnho, tendo-de ftente 15 A N iva Esperanca, ,1
63, recebenuru pequeno sortrmento de anueis t P1h,os. e d '"n pukeiras electricas; prcpriasparaqoem soffre dot
aervos._________________
Farinha de mandioca nova.
Recentemente ebegada de Santa Catliarina I6u,
para vender no trapiche Companhia,- e para tratar
0 seu escriptorio a rua do Commercio n. 5, Joa-
qim Jose Goacalves Beltrso & Filho. Adv-ertjndo
corn umaelegante casad^taips, m-aitadada
proxim > e bem nsseiada, tend'1 -sal s, %
quartos e coziuha fcSra. 0 terreno e pro-
prio ( limn tic |>lan.t:ioues, t.-ndo aigumas
arvores do ;ructo, agua de I'e r e wdo oer-
eado.
Para ver e mais explicago;. no tncsmo st-
aos compradores que cesejando acabar, veadecn tio a qualquer hora a ententlur-se .-oia Tris-
:r of a.Parte, tan I Wo Francisco. Torros, e para tratar, na the-
souraria d s loterias, rua 1." de Marca
n. 6.
to em grandTes como em pequenas por^oes.
Fii/cmliis k 'slo jK
['la rna doCrncspo n IO
9t Nnvidades de cores com listras de seda
A( entremeadas de renda. fazenda ainda nao )fi&
g vista nesta cidade a 800 rs 0 covado. S
"W. TJbde cores com listras de seda e bo- ^
m nitts paaYoes a 360 rs. 0 covado.
2r Madaptluo francez raoito largo, com SJ
St 20 vaxas, a 6/ a pec^. Jp
ji| Vestudrios de ftlstao, cambraia e alpa- '
?:,ea, para meninas, a 4^, 5^ e 6^. Dao-se B
1 amostras com penhor.

Farello novo e
Milko pequenu
Da melhor qualidade no armazem 'e. fari^ka
de trigo de Tasso Irrtiao? iff., na nrara daeagR
do Anollo.
tamanhos, a 49S00, 59, 69 e 89000 cada Naoional. rua da Imperatriz o. 72, de Meo-
urn. i des Guimaraos & Irmaos.
Magnolia nrv'
Na loja da Magnolia, a rua Duque de Caxias n. \|
43, encontrara sempre 0 respeitavel publico um J *J
corripleto sortimento de perfmnarias linas, objectos
de phantasia, luvas de Jouvio, artigos de moda e '
miudezas finas, assim como modicidade nos pre-
cos, agrado e sinceridade.
Anneis electricos
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, aca-
ba de receber os verdadeiros anneis e voltas elec-
tricas, proprios para os nervosos.
Meios aderegos
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um completo sortimento de
Meios aderecos de tartaruga.
Meios aderegos de madreperola.
Meios aderecos de seda bordados, (ultima moda)
e de muitas outras qualidades.
Botoes de aeo
A Magnolia, a rua Duque Ac Caxias n. 45, tem
para vender os modernos botoes de aco, proprios
para vestid s.
Golinhas e punhos
das mais modernas que ha no mercado ; a ellas:
na Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45.
Lencos chinezes
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu uma pequena quantidade de leocos de seda
chinezes, com lindissimos desenhos, fazeada intei-
ramente nova.
0 BARATEffiO
NA
Leques
Lindos leques de madreperola, de tartaruga, de
mariim, de osso, e de muitas outras qualidafles:
recebeu a Magnolia, a rua Duque de Caxias nu-
iii' i"0 i-').
Atten^ao.
A loja da Magnolia, a rua Dnqne de Caxias n.
45, aoaha.de, recebor or seguintes artigos :
Manual de madreperola, tartaruga e marfim.
Ricos albuns com capa de *nadreperola, cha-
gren, madeira, velrudo, couro, etc.
Lindas caixas com finhsiuias perfumarias.
Ligas de teda. brancas e de cores.
Voltas de madreperola.
Pu'seiras de raadrepaBola.
ftlcas caixas para costbra.
Vestuariea para hiptisado.
Toucas e sapatinhos de setim.
Modernos.chapeos de sol de soda para senhoras.
Lindos port-bcaqpets..
Gravatidhae de velludo, etc, etc.
E
conomia
1
w
?ia roa Primefro de Matco rt. 1.
Confronto ao arco de Santo Atmnie; loja da
Agostinho Ferreira 4a Si Iva Leal cv C.
nOat
A SalMparrnh* e tin xe*ll foroa 0 vigor do a>ratlMaut.
Asiim, todot os qme soffrerera L*+guar, Phlegma, Dti~
ulH, Ittsomnia e que uo ioC0DUD0ados COO) inn.
htnem e Tetnoret ifervoioi on qnalquer outra aJecfio
pnrmlMt* de DeUlidade, aaharii do mo poaer waoTadcr
e nau sscoro ezpadif^te de pmcipta cuts.
rilPtMDA 1'OR
J, C. Ayer & Ca^ Lowell, Mass., E, 17.
Chimicot FraeHoo* Analytic*:
VBTNTDBJ 8E FOR
4i.-Lanainhas, gosto escossez, padrqeBJr
novos, palo dirpiputo.preco pe *
0 ccrvado.
Baptistas lkas, 4oas, 46 cfireg a 920, 400 e
440 reiso covado, isto so se vendo I
Chapeos de sol de seda, para hamens, ioglezes
(paragon) e com }2 hastes, pek precede 8t e 9J,
fazenda esta qne sempre custou 141, so para
aabar.
Na rua Primeiro de Margo 0. 1.
Loja do barateiro.
Sabao a 200 rs. o kilo
Noarmazem dofumo, a rua do Amorim n. 41,
de Jose -Dominpies (Jo^aroio e $ilva.
Rua 1. de Marqo n. 1.
Gonfronte o arco de Santo An-
tonio.
I'^i.i vendendo hiisim fazendas com
SO por cc-nio menea que em onirit '
fiil A saber :
Madapolao com toque de mofo, pelo barato pre-
co de i j.' 00 e 3&
Dito francez,limpo e de superior qualidade, por
5*o0, 6*000 e 6*S00.
Algodao marca T, largo, superior qualidade, a
4*500, 5*, 5*500 e 6*000.
Grande sortimento de laziohas degostos inteira-
mente escosseses, pelos preges de 200, 240, 2C0 e
440 rs.; so se vendo poder se ba acreditar.
Daptistas, lisas e com flores, fazenda que sem-
pre custou 400 e 800 rs., eaiamos vendeudo pelo
preco de 320 rs., para acabar.
Ditas finas, padroes matisados, a 400 e 440 rs.
o cova o.
Cretan* fraucex, escuros e claroe, os mais no-
vos que tem vindo ao mercado, a 480 e 800 rs. >o
covado.
Aproveitem era quanto n5o se acabam.chapeos de
sol de seda trancada (paragom) 12 hasteas.mglezes
superiores, pelo insignificante preco de 8* e 9fi ;
sempre vendemos por 14#0G0.
Ditos para senhora, de merino, a 3* e 3*500.
Ditos de seda, cabo de Osso a 4*000, e pechin-
cha.
Ditos de alpaca de cores, forrados com seda,
c o cabo fingindo bengala, o mais ra&derno gae
ha, a 1*500 e 2* I
Sortimento de chitas claras e escWas, boa fa-
zenda, para acabar, a 240 e 200 rs. o covado.
eslTaBgeiro.
Paris n'America, & rua Du-
que de Caxias n. 59
primeiro andar, acaba de receber um completo
sortimento de ealcados estrangeiros para homem e
senhora, vindo ntre elles Um 4indo sortimento de
elegantes chkjuttos, sapatinhos e botmas para
criancas, que tudo vende por precos raaoaveis.
Panno de algodao da Bahia.
Vende de todas as qualidades Joao Rodrigues de
Faria : na rua do Amorim n. 33.
Fumos
Da Bah a e do Rio, vende Joao Rodrigues de Fa
a a, rua do Amorim n. 33
Ptogresso da rua do Rangcl, do
Yieira n. CO.
Vende se miiito barato:
Manteiga em latas a 80) rs. a libra.
Ervilha a 120 rs. a libra.
Estrelinha a 320 rs. a libra.
Aletria a 320 rs. a lilbra.
E outros muitos generos.
Popelina de seda, coojsa chi-
que a i^200
" A Rosa Branca vende esta linda fazenda de
uma sd cor, pelo baratissimo preco de 1*200;
i-toe de graca : na rua da Imperatriz n. 56. Dao-
se amostras e manda-se levar nas casas.
Fustao amarello a 500 rs. o
covado
A Rosa Branca vende fusta) amarello para rou-
pa de criancas a 500 rs. o covado, e fazenda de
800 rs. Dao-se lraa*toi e manda-se levar nas
casas : na rua da Imperatriz n. 56.
ft.
Triurapho da
mm. ^
Vendem
Wilson, Rowe & 0.
Em sen armazem a rua do Trapiche n. 14, o se-
guinte:
Algodao azul americano.
Fto de vela.
Carvao de pedra de todas as qualidades.
Tudo muito barato.
Ultima moda.
A Magnolia, a rua Duque de Caxias n. 45, re-
cebeu um lindo sortimento de bicos de guipure
Em tem pos modernos nenhum descul*i-
mento ope uromaior revolu<;ao no modo <
curar anteriormente em voga do que o
PEITi.lL BE mdiUlTTA '
TANTO NO TRATA.MLNTO
Tosse, f.rupo,
Asthma, Thisica,
Rouqnidao, Resfriarncntos.
Brohchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturarao do Sangue.
Como em toda a grande serie de enfeuii-
dades da Gargauta, do l*olaedaa
OrgjSos da 1'cspiraojio, qua tanto
atormentam e fazom soffrcr a hu'iuanid&ds.
M k Bardo da Victoria n. 22.
DE
Omieiro Vianna.
A' este grand* estafeeteoimeatn tem che-
gado am bom sortimento d machhws paia
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ttUhiiamente na Europa, eujas machinas
sBo garantidas por um anno, e tendo am
perfeito artista para ensioar as msmas, em
^al^aerftarleoeata cidade, como bem as-
sim concerta-las pelo tempo tambem d'um
anno sem despemdio alguaa do comprador.
Neste e6tabeleeimento taaabem ha pertencas
para as mesroas machinas e se sup pre qual-
PopeRna de haho algodao,.o*w teirasente' quer peca que seia necessario. Eatas ma-
jnusiouU400 UM a "' m Se*'m*H trabMham com toda a parfeigao de
Camisas de cretone, Trancezas, mddernas e *- nme'dOtta!pOspetos, frame e borda toda
periores a 3* e 3*500
Ditas hraucas a 2* e 2*o0.
Ditas ,de Jutbo a3*5C0 eA*000.
Toalhas de linhp do Porto a 7*500 e 8*000 a
dutia.
Ditas fel|>odBs a 7*1, 7*500 e 85OOO.
Esguiio com 10 jardas, pe^3 prejo de4*80> ; e
barato com efieito I
Carpbraias Victoria e transpareute, fazenda <6*a,
a 3*500. 3*800, 4*000 e Jf* a peca.
Lencos de cambraia com barra de cor, a It, e
brancos a 2*.
Ditos de linho, abanhadw ^600 e 3*800 #
duzia.
Grapde sortlfbento de brins fie cores, padrdes'
proprios trara meninas de sco1a:1440"e 00 \ta.
0 eovaao.
Jlotinas para senhora, pretas e de oorcs, por 4*
e 4*500, Islo pqr |ermos .grande maantiJade,-se
faz^este ptf^o'.
Watnaifte^de hnho, dua*1#giiras,ikflo barato
preco de d*t00 aura, e< sornante para acabar.
M*itoe outsus attigos que deixamosde mencltt-
jja/ para r|?P massar uossos freguezes; mas .qhft
avrs;ta delles estio presehies.
1 Dao-se amostras.
S6 0 barateiro auar queimar
Para rival nao enconirar.
A* r^ia Primeiro de Marco n. 1, antiga do Cres-
po, de Agqstlriho Ferreira da Silva r.eal & C.
Grande pechineha de camfi-
sas de linho*
Vende^e-eatrrtsas-iaRlews, da Hnho, nrtrffonnhs,
para homem, pelo baratiasimo pfeeo de 33*000 t
duzia; quem duvidar_ .vaaba, vpr f coawaar :rna
rua Pucjue de Caxias n. 8$t] ]#& 4e Demetrio
Bastos.

Uma carrs^a d'agua 6 boi

qwakjder eoattrra por ftca ^ue seja, seus
p**Q08*to Mill mo-de vmoo, >ooo, 4S9o* ^arr09 n. 23.
e t0000, para trabalhar com o pe sao de
809000, 009000, 1009000, 11O9000,
1209000, 1809000, 1009000,9009000 e
8599000, emquanto aos autores nao ha al-
lerdcay) 8e pre^oSj'eWs cwnapradoras poderio
visitor este estabelecirfierito, que muito de-
terio gostar pela Tariedad* de ol^ectos qua
ha semiJcs para vender, comoaejam: cadei-
'ras para Kag*m, naalas para visgem, cadei-
ras para aalas, ditas de balance, ditas para
crianja (aHasJjdllaa'pawaacolaa, costurei^
ra rrquistimas, para senhora, dospensaveis
(Mfry rian^a8,4e todas as qOalklades, camas
tie Wrte pera hoaaeme^a^ahcas, capachos,
espelhos doSra d os pwra fata, gran des a pe-
qdr!(*, apparelho's de w4al para cha, fa-
mtdrrW com cabo de m%tal e de martm,
litosavtrtsos, colheres de metal Qno,condiei-
rbf ppi'ra"csaii arttme, 'laYMpa^ palia eobrir pratos, esteiras
para forrar salas, laraforios obmpletos, ditoe
simples, objectos para toilette, e outros mui-
to? artigos que muito devemagradar aHadfltl
tftio VjjfltaYe* este grande estabelexameiilO
qae se acha aberto desde as 6 boras' da ma-
9ha atftas'0boras da riotitel
Kua db BarSo da Tietofia n.
22.
seio de quatro rodas, novos e usados, a um on
dons cavallos, por preco commodo : a tratar ahi
ou na travessa da mesma n. 10.
! A maneira antiga de curar consislia gera*-
de cores, apropriados aos vestidos cheques" aa ac- j mente na applicacao de vesicatonos, sau-
tuaHdade. gnas sarjar ou applicar exteriormente ua-
J^ ~t T : guentos fortissimos compostos de sul>stau-
l u",,w M *****, | cujos differentes inodos de curar, nfu, faziam
Acha-se a venda na rua do General Seara n. 20, senao enfraquecer e diminuir as forgas &*
antiga rua do iaemim, dilTerentes carros de pas- pobre doente, contribuindo bOr esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a cn-
fermidade a destruicSo inivitavel de sisa
victima I Quam differente e pois o cfTeitft
admiravel do
PEIIOEiL DE aVAGaEUIIal
Em vez de irritar, morUficar e cauzar inaa-
ditos soflrime'ntos ao doente,
Calma, modiftca e suavisa a dor,
Allivia a irritacao,
Desenvolvo e^entendiiriento,
Fortiilca o cOrpo
e faz com qiie o systema
desaloje d'uma maneira ptompUi c rapida
ate o ultimo vestigio da enfcrmitlade. Os
melhores votos em medicina da Europe, (os
YClldC'SB entes dos collegios de medicina do Berlim)
Pacheco & Azevedo tem para vender tapioca
de Araruta de quaridade especial : em seu arrba
zem na roa do Dnqne de Caxias n. 29.________
Sedas a 1$500.
Veade-se bonitas aedas de lindas cores pelo
baratlssimo preco de 1*500 o covado j veohara a
ellas antes que so acabem, na rua do Duque de
Caxias n. 88, loja de Demetrio Bastos.
Vende se um piano de Broaden |Jor barato
preco : a tratar na ma do Imperador a. 10. j
Asunicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qo-- vem a este meccado
ua rur Manjuez de uhnda n. 51
EN&ENHO
ta estrada de Joao fle sUlkam serem exactas e vcrtloJeiras estas
(relagOes analogtcas, e alem dtsso a expe-
riencia de milharos de pessoas da America
Hespanhola. as quaes foram curad'as com
fEITORAL DE ANACAHLTTA 1
Vende-se parte do Engenho rtttro, em
^eri-
,0
Deve-se notar que este remedio se acha
nhaem : atrttar na rua do Ceroaal Lamenha; intoiramente lsentode venenos, tanto mine
n. %____________________________ .. ^.jraes, como^ Vegetaes, emquanto que alguns
destes ultiraos, e particularmente aquellea
' {que sao dados sob a forma dc opio, e ad-
do hydrocianico, forraam a base da maiot
Para uHem quiier ganiiar diaibciro. p^.^ dos Xaropes, com os quaes tao ta-
^A%^i^.^l^S^a& ^menteae eifgan. a crodulidade do pa-
twve-s-emontada coal tbd* as pe*teafasi a tra-|bi>co. A composigao de anacahutta peito-
tar na mesma. wj fal acha-se linda e curiosamente engarrafada
:''' ----------1_,*<._y-J, V A L~-ia!x frasco* da mfedida de cerca de maw
o ms '^TrPlir'll'il ,quartilho cada um, e como a d6se que as
H'1'lllflWjjUtV't toma e s6 'd'uma c'olher pequena, basta
Aos aprtciadores do caffi ^^^iT^X"^^
Oearft. Acha-se a ven34 em. ftodas as botieas.
Vende-se cafe do Ceara de primeifa qaalidada.H* Frosters c-> a^ules\i^ a .
pelo barato pteoo de 1*000 o kilo, a assaear rtefi- Untcos agentes riesta provmcta ossrs. r
nado de primeira qualidade a 300 rei9 okilo: na 0. D. Coyle, rua do Commercto n. 38.
' este maraxilhbso remedio, sao mais rfue suH-
cientes para sustentarem a opiniao do
Tem sido apresentaila ao publics
rtfma Fazendas e roupas muito ba-
ratas
Na Ibja de J. Porto, a rua Nova n. tt^trod-se
por cobre ou mesmo por sedulas, boas fazendas e
roupas feiias sem se oluar a lucre, somente para
vender muito.
Durante o espaco

40
AHNOS.



"""WVNqtMMw
8
9ferio.de Pernambuoo -~ Saboacio 18 de Abdl.de I&IA
- *
AGRIGilLTORA.
...
1%'ovo tueshodn da plnutacdo, fe-
cimdldadc. ilurahliidude, c*s-
trumsctlo e coiiei-vMuo do
cafe, e evtiiiccrto das foi-ini-
AOS ACRlCULTORtS DE CAFE, COM ESPE-
CIALIDADE OS DO BRASIL.
(Conclusio)
Os fazendeiros em geral plantam as mu-
das grandes, e para privarem-se ao traba-
lho de fazer covas fundas, cortam a raiz
pivotante e podam lambena para evitar de
imcarcm estacas para segurir o tron :o, e
maudam socar bem a terra junto ao tronco
em redordas raizes. Ve-se que pelo corte
da raiz pivotante deixou-*} urn principle) de
cane, a qual era mais ou menos tempo gan-
grena o tronco, e o tiua ; de cuja pratica
resulta a conlinua replanta dos cafeeiros.
Pelo methodo de sonar bem as raizes, faz
quo estas comp imidas pela terra amalga-
mada em sua casca, nin possam elaborar
as seivas convenientemente e por isso nio
estendem-se, senao c-'in moro^klade, e
mesmo diflkuJdade : raz*o porque nao po-1
dendo estender suas raizes na pr. fundidade
da cova, as faz germinar na superficie da
terra onde soffreu meno? aperln : e por
isso recebendo sdmeute succos superliciaes
do terreno, apresenta muita flor que nao as
podendo alimentar eon as servos conve-
nientes, apeuas cbega a crosc r e madurar
a quarta parte do frueio em relagio a flor.
aldm de apresentar as raizes superficiaes,
que sio sempre offendidas na c.ipinacao,
..nas terras ingreeies licam descubu.tas'pelas
torrent-is das cbuvas que levam a terra su-
perior.
Comparado o systema antigo com o novo,
que expomos, ve-se que naquelle deve ha-
ver uma continua replanta ; o cafeeiro e
menos duradouro e fructificante ; que as
capinacoes sao mais numerosas etrabalhosas
do que pelo novo systema : que no antigo
ha desigualdade nos cafesaes e que s6 estes
se formam do quinto anno por diante con-
tinuando se sempre a replanta durante a
sua existeucia.
Pelo methodo ora descripto (e que ji-por
muitoslugares manifestei em parte) vS-se
que o cjfeeire nascendo na eova convenien-
temente preparada e adubada, nio soffre
rnudanga pela qual suas raizes flquem co-n-
primidas e defendido dos "ardentes raios
solares pela sombra do "seu tutor e guia, em
sua menoridade, sua raiz pivotante profun-
da com rapidez tal, que no fun do verJo do
terceiro anno o arbusto atting; a 8 palmos
de allura, tendo a raiz pivotante um lerco
menos ; aclia-se o arbusto em s?u completo
crescimentn ; <|i .seus primeiros fructos
(sem ler havido uma s6 replanta) e do
quarto em diante cirregu tanto que di
quasi o dobro de igual numero de pes pian-
tados pelo antigo systema. Os cafesaes
plantados.por este novo systema crescem
muito, e como o excesso d.'altura Jem seus
inconvenientes no apanhamenio dastructas,1
deve-se amputar OS grellos todos os annos
ate o oitavo, o que faremos ao menos uma
vez no mez de oulubro, afim de elle copar e
crescer em roda, o que ao contrario succc
deria em altura.
As vantagens do oleo de ri?inosiopor
todos conhecidas, porem deve-se plantar
i'aquelle que conservando no pe", apodrece,
e nao salta no terreno ; porque este evita
ao agricultor o trabalho das capinacoes e
delle resulta vantagens que conpensam a
desp^za feita com a preparagio do terreno.
Nos terrenos muilo pisados e campos nati-
vos (que tambem produzem muito bom
cafe) alem das covas grandes para cafe,
deve-se fjzer duas lateraes roenores ao nas-
cente e poente para mamorta, porque-sendo
os bagos plantados em terra pisada nao
crescem ; porque siias raizes sendo rampant
tes nao so nao firmarn onvenientemente
para o crescimento do arbusto, como dei-
xam de prestar as seivas necessarias & sua
elevacao para poder bero assombrar ao sen
tutelaio.
Convem desde ji irmo-nos precavendo na
conveniencia do al'.nhamento dos cafesaes;
porque os brtcr,s todos os dias mais se
diminuem.e or.je o terreno permittir lan-
oaremos mao do enchado, desde logo, para
as capinas : por este methodao de ptantac^o- ob."JrCi<' fiz com o jocotope da setneale
pdde-se delle usaf, fisto que, as raizes dos fret a, d)b ha una dequalidade de semente
cafeeiroprofundam, n8o so as pivotantes encarnada, quefl*0 sei se 6 ou nio inoffen-
como as demais lateraes ; e por isso nio sivo.
sio e nem p6de,n ser offendidas pelo encha- purante a menondtde do cafe, nflo con-
dio, oque nio acobtece pelos do antigo vem plantar os guandos; porque. o cafeei-
s;stema piantados, que ellas esUo na su- ro em sua menoridade precise ser acaber-
pprficie da terra e so offendidas pelo en- tado dos ardentes raios solares das 9 Koras
n i /j da 'nanaa ** 3 da lrde: e^ sombra pres-
Osque poderem (depois dos arvores der- ta-lbeseu tutor eguia, a mamoneira, ma*
rubadas e cahida a folhagam) tirar is raes- quer, para seu desenvolviment., em seu po
mas e seus troncos do terreno. maior pro- osbrandos raios do sol da manba e da tar-
veito a.nda fruirao ; pois desdeoprime.ro de, para melhor desenvolver suas vices ;
anno poderri obter do terreno maior vanta- entretanto, se plantarmos os guandos na sua
gem em plantacoes : assim tornam-se os! menoridade, dca elle obumbrado por todos
citesaes propnos para, desde logo, serem' os lados, e por isso cresoe languido e um
capmados pelo encbadfto raovido por ani- tanto rachlico.
maos ; que muito avanca o trabalho da' Qoando a terra na menoridade do eaf6
r-
se toma de arrancar os tronuos ; vfl-se que'o guando, nSotapa os raios solares nas ho-
tal servico excessivo no principio da forma-'
580 dos cafesaes, e bem cornpensado no fu-
ture pelas promptas e faeeis capinas.
Uuando as .erras estiverdia cansadas, as
alubaremos com economise proverto pelo
'methodo seguinte : Platita-e am bago de
guando de tres a quatro palmos de dislan-
<-ia em todas as ruas do cafesal: estes, pela
folhagem que continuamente cahe, dentro
cm dous annos, restituem i terra seu pr-
mitivo vigor ; alem de diminuir as- capinas,
porque as ftlhas tapissando a soperficie
aba fa m as seme-ites
ras couvenientes ao crescimento e robustez
do cafe"uiro.
Do segundo anno em diante planta-se 0
guando, porque e dos arhustos estrumantes,
0 quemenos trabalho da" ao agricultor; por
com ambitos reointos, e laberintos, pr.
va-as da acjio viva, e necessaria do ca.^
co adequado para a prompta extinc^io, que
para sor completa precisa ser, cada casa de
formigas, posta em estado de poder receber
promptamente a accSo do calor, embora
nioe6leja des.oberta.
Para se matar com fogo a nio s6 gran le
0 despendio de servicos nas covas, opromp-
tamento de linhas, etc., corno tambem a
accio do calor percorrendo os incatos lor-
mivoros, passa nas raizes das pl.ntacoes, e
antes de extinguir a for.niga tern extinguido
0 arbusto, ale n de dear cads forinigueiro
em muitos mil reis.
Hoje por bondade da Provi lencia, fareis
a extinccao dellas por methodo faoil e ate
lucrativo. Ternho no lugir em que moro
(provincia de S. Paulo, A 4 leguas da Casa-
Banca) uma quantidade de raaudiocj a
que os indigenas denoaiinam macunam.
Eita especie diffarenca se de todas as outras
qualidades ; o arbusto e mais baixo que o
das ouras; a rama e de manor gnmura
que as dc:na:s ; a folha 6 de um verde es-
euro quasi negro, Oi grellos de um roxo lo
candi> 11 preto, e parecenn- avellu la Jus, as
quese se nio pole colber todas as vagens j raizes iaoexcedem a quatro pdlegadas de
maduraa, quando cbogama cahir no terreno jdiamelroe tres palmos de comprimentj. Aos
ja" estao putrefactae, e por isso nio renas-
eem, nio dio ao agricultor 0 trabalho das
eapinas, e tendem a augmentar a fertifi
dade do terrnao.
jototope alastra orbicularraente ate 12
novo ora descr'jpio supra;
Todos os iuvehtos que aproveitam em ge
ral a humaniJada, e qie diminuindo 0 tra-
balho augmeutam as rendaa ; por tolosde-
vem ser apreciados, e amplammte recom-
psnssdos porrquMles que vio fruir maior
so:n:na de gozos, pelo augmento das rique-
zas, poiquo, cont esti compeiiragio, nio so
di se um pre nio devilo rfquelle que medi-
tando e fazen lo experiencias (que sempre.
men is aproveitam a quem as desenvolve),
gastou annos que podia para si sproveitar
em outros trabaluos, dus- quaes poderia ti-
rar racursos, para continuar em outras ex
periencias, como lambem para estiraular
quo outros apreseutem iuvas descobertas a
bem geral, 0 que de certo fari-J desde qie
tenbam confiauQa que sorio bom remune-
rados.
Se assim procexlerd^s fareis progrjdir no
vos inventos,- e se o contrario lizerdes, suf-
focareis ao nascer os bjns desojos.
Luiz Torqifito Marques de Oiioeira.
UITERATDRA.
grarominias e outras, palmos e por isso precisa- ser desviado para
as a(1odrecem, e por isso oeixain do segun-
do anno em diante, ao agriculior livre da
capinacio. If a tres qtratidades de guan
dos, e escolheremos do orboreo mais pe-
quenino para nio assombrar os cafeei-
ros.
Oorao toda a pianta cansa o lugar onde-}
vegeta, deve-se de 7 em 7 annws-arrancar-
se os guandos, e em seu lugar-, por 4 a 3
annos plantar se o araeudoim ea o joco-
tope, eujas f lhas abundam, e teem a? mes-
mas propriedades dos guandos para- o hra
da estrumacao, e ao depois toma-sea; plan-
tar os guandos.
nic subir nos afeeiros novos 00 antigos-,
do ckno do seu1 bulbo renascem todos os-
annos notas hastes nos meaes de agosto e se-
tembro; e estemdom-se como na primeira
plantagio ; elle comega a dep6r a folhagem
do mez de abril em. diante e se'eca o sip6
da ramagsmerajulho; estrutae bem, tem
poreoyos inconvenientes icima apontados.
Pelo systema'que fica- descripto, veles qwej
os antigos cafesaes pedera ser renovadtos
nos mesmos lugares cavando-se profunda-
nwnte as covas, e preparando a terra con1-
veaientemente; para toraal-a mais plicid* folhns para fe^uuda-los; a folhagem infra e
0 uso d .s guandos como alimento-e por
todos conhecido : com elles tambem cozi-
dos se ehgorda 0 gado suino 0 0 vaceum.
faratornai-o mais conveniente i nossa ali-
rrentacio, p6e-sd, os seccos de molho.de
vespera, em agua fria a qual se muda
duas vezes e ao (utro dia estio comoeri-
liias I
0 uso do araendoim, e do o!eo do njes-
mo tambem e por todos cdihecido : a-.fe-
cula do mnsmo serve para engordar 0 gado
siimo e vaceum, o arbusto ainda depois die
sec>o o comem com avi tea ogado ovelhuw,
vaceum, cabrum e cavallar : da casca aindtt
di forte potassa.
0 jocotope, feij^o que di grande raiicl
tuberosa, da qual ttra-se fariaha. s6 amila-
cia e muito saudavel ; di abundancia de
polviltio, bom paratolos-o usos e muko
medicional. Estas raizes- quando acbam
le-reno macio assuraein propor^oes de mais
de arroba cada- maa, chega-in no fim de
cinco annos a ter o peso de i arrobas, e
27 libras como ji vi, alem de nunca apo-
drecerem em quanto estio na terra ; nem
crearem pio, como a maodioca ; suas va-
gens porem devem ser- cpUudas ean matuci-
dade, para nio rehentarana no terreno, e
espalhjrem o feijao a ponto que, multipli-
cando-se com profusio, o inuiilise.
Cosre entre o poo o preconce'ito de se-
rem venenosos as vagens- e feij&es nellas
contidas, oqne o ga infalliveimente, porem ea tenho a evidenr
cia do contrario ;.pi r qae ttmdo mandad
apauhar em minha fazanda dous carros de
vagens do mesao,. coia. o lim de seccat-o
e batter para pianta. mandei-as estender
no terreiro, e sahindo. para a rben, quando
voltei as 2 hows achei 112 cabras e grande
portjao de carneiros eomendo-as-, e-consu-
mir.im quasi meio Wirro : mai.dc.-os fe-
chac touos no redtf pa a nao perder os
couros ; ao outro dia estavam todos bons,
nem um s6 rnorreu : o qua ohservando
plantei em abundancia t>ntre o mi-lho para
uAilisar-me- das raizes e servir a fava para
0 gado leitoiro.
No seguinte anno puz na dita. palha o
gado leiteico, la pastaram,' nSo. deixaram
unu s6 vagem e nenhum marreu. Esta
po&sivel, estrumando-a bem
com ocapim e
ajmos della, e do terreno immediate col-
lando-os no fundo a cova, e prepapando as
pequenas para-o tutor egoia, mamoneira,
como- i cima dissemos. Com 0 systema
icim9 expos.o n p6de fazer^se annuslmea-
te as fabulosasptenta^desquo se faziam pelo
antigo systema devastator, porem ainda
quando se pianta a quarta, okava e raesraa
vigesima parte ? nio obstaote luerareis,
porque vereis seguir sem transtorno eper-
da os qae plantardes: vereis- vossos cafe
saes sebrecarregados annualmente com 0
triplo do-que outr-'ora amadurecia : dimt-
nuireis vossas capinas e quasi tirareis de
todo, alem de terdes nos guandos a bun-
da ncia de feijio para todos os. usos domasti-
cos. Aterras m>iito pisadas- ou campos
nativos,. necessitam-ser arados, ou revolwda
a terra para prinetpiar-se nelles com a es-
trumac^k>-vegetal do a lendomvna menori-
dade do- cafe ; poie-se 0 plantarrnos sem o
preparo conveniente, nem'creseeri para de-
positar aabundante folhagem-na terra, asm
deri vagens que compensena- as fadigas-do
lavrador. Esta qua idade de grio deve- ser
plautada-a palmo eraeio de cova a cova.
Sendo*arada ou revolvida a terra, ji dimi-
nue 0 trabalho da faetura das covas para a
mamonaque so-besta deposita-r 0 grao- da
mamooa idistanaia conveniente que ioima
marcaisos, e tereie so de meodar proJundor
a cova para o caU.
T dos os meics-usados ate agora para a
extinccao das formigas teem sido improfi-
cuos.
Tres-sao os agentes usades-para tirar for-]
migas, agua, venenoo fogo* A agua so a al-
gumas- afoga.
Pelo veneoo.so.perecera aquellas qpe 0
tocam, 0 rest do povo deiva 0 apetecido
engodo, por pevceberem. o mal que resulta
i sua republics, pela present a desuas c.m-
pauheiras mortas, e por isso nao tocam mais
o veneno, e mudam de rarao. A fumaca
naolhes faz.mal algum; podem estar re-
clusas e freaeticas fei.vadas com toda a qua-
lidade que se possa imaginar de fumaga, no
fun de bito ou mais-dias, sahirao sadiase
sans. 0 fogo sd faz.-lhes mal, quando 0 ca-
lor, pode tostar as debeis pernas, ou a de-
licada cutis : mas as suass vastas cidades
dous anoos ella di uma farinba rnuf delica
da e so aiuifacia. ik mesma quauti Jade de
raizes e n proporgio das outras di- mais da
metade do poivilho que 6 maito bom para
todos os usos> e puma? que de tao poucas
raizes.
A-ratns desta mandioca precisa ser sem-
pre plautada, exchisivarneBte, longe-das ou-
tras esptmes, e que nem as aviste ; porque
em avk-iaodo-as copulam-se, e per.le sue
essencia- deleteria e formitifera. Planta-se a
raraa desto mondioca em lorno das eida-
des, villas, aldeias e choupanas deste activo
e.labori-iso povo: as formigas levam para
as suas habita^Oes a folhagem, sobreaquyl
depOe os ovos que tern de produzir a futura
prole; iepostos- estes sof>re a macia caraa,
ellas saperpoem- outra pequene'camada de
lucsecia mil
UEMORIASIIE SATftNAZ
POR
O. Mauoel Fernawdei y Qaasttlez
QU1NTA PARTEJ
LBONOR
((^ntinuacao do n. 99. )
XI
DO QfE KEKULDO ALB1N1 FEZ A FILHA, E DO
QUE PAULO FEZ A REINALDO.
Apenas Fe ippa acabara de eptregar a
carta de Branca ao pagem Gualterio, para
que a levasse a Salvestro, foi dar conta do
que fizera ao Sr. Reinaldo Albini.
Este dirigio-se logo ao quarto de sua fi-
I'na e encontrou a port! fochada.
Felippa disae de dentro do quarto :
A menina sente-se muito incommo-
dsda e deseja estar s6.
Esta resposta era tslrez um ponco dura
pzra um pai, mas Branca, & for?a de ser
estre-necida, Wra muito mal educada e es-
tava habituada a responder por essa forma
30 pai, que a soffria sem queixar-se, por
que 0 nao offendiam aquelles modos da
filha.
N'aquella occasiio ter-se-hia retirado,
aoieamente com 0 prazer de saber da filha
doe.it-, se nio Wra 0 ssntimento da bonra
offendida.
A?sim, pois, em vez de retirar-se expres-
san lo o desejo d j que sua filha sentisse
llivios, replicou de um moMo energico e
, ameara lor, de modo que Branca ouvio 0
que elle dizia :
I'sti doenle? tanto melhor para o
raeu proposito, porque venho trazer-lhe
saudo. Abre, Felippa.
Branca, que se negara a receber o pai,
pars que nio visse a sua desolacio e sus-
peitiT.se alguma cousa, ngou-se com mais
fore* io la, porque a aterraram as palavras
de s 11 pai, eo torn em que essas palavras
ha vi.-i in sido prononciadas.
Bi-iimldo ameacou que chamaria os cria-
dos faria arrombar a porta
Yai-te. disse Reinaldo em torn impo-
rativo a Felippa, quo sahio tnemendo.
Albini fechou a porta por dentro, e avan-
c.ou terrivel, grave, silencioso para o letto,
s bre 0 qual estava deitgda Branca, en-
tregue, na apparoncia, i mnior desola^ao.
Reinaldo contemplou-a. durante alguns
segund s. de um modo. sombrio, e com
uma immobilidad espantosa.
Como Branca tinha o rosto voltado pan
as almofadas, nao via. seu pai, porque se o
livfra visto, teria estremecido.
Reinaldo senlia-se como iouco n'aqnella
situa^io horrivel.
Qu'lquer ou'rfo pai, am pai vulgar,
teria apostrophado a til In, maltratando-a ;
teria tido com. ella uma explicac,ao ruidosa,
porem teria ao mesmo tempo presante na
i lea, que em certas e determinadassituagoes
0 matrimoaio concilia tudo.
Reiaaldo, permaneceu raudo e silenoioso
por a'gum tempo ; em seguida, cedendo a
um impeto de exasperacao, pegou violen-
tamente n'um hrago da filha, e levantou-a
-obre a cama,
Branca soltou um grito horrivel, julgan-
do-se proxima a ser sacrifioada por seu
pai.
0 grito de Branca a terrou Reinaldo,
que a soltou e a deixou cahir de novo so-
bre o leito.
A pobre menina desatou a chorar.
As lagrimas sao o grande recurso das
mulheres, a arma formidavel a que resis-
tera mui poucos homensjisto quando os
homens amam a mulher que chora,
infame e criminosa que ella seja.
jsuperpostn, em vez de feounla-los desseca-
os, e p r isso nio vingandcos ens^mes vai,
^radatim,.jliminuisdo 0 industrioso p)vo
antigo ; o-quil na> seulo substituiJo palo
novo, desapparece totalmente 11 j Um do se-
gundo verao, per completir-se 0 termo da
existencia qae marcou-lhes a sabia Provi-
deneia.
A-rama desta raan.-fioja ehega* ao estado
de maturidade no mez-de ionho, e-so> d'ahi
por diante e que podem vir os p^di los que
se faeam. Narrando ea em Cahete (proviu
cia de Minas), as preciiisas qu.' lidades mandioca, em"uma roiia- de dez possoas,
responderam'me, que isto psra eHesuii
era novo ; pjis ba muitos- annos que alii ti-
nham tflo da mesma, masque perderanaa
semente, ao qite-observei (jue foi issodevido
naturalmente i inenria e desmazello, de a
terem pentad > conjunctainente a oe-trae es-
pecies ou i vista deltas ojpe copulando-se
entre si-iperdeu sua essenei* daleteria e-tor-
mitifera.
A rama desta mandioca deve-se plantar
de i a i> .palmos i cova j-sova. O'feijao
do jocotope deve-ser plantado de 6 a 7 pal-
mos equidistantes para quo- dentro eradous
me/.es- com sua ra^nagem e- folh is cubra o
terreno e nao deixando- naseer 0 capim e
abafando a sameoie domestao sob a rama-
gemo folha 0 apodrega. e tocne em estru-
me. Pelo systema- icima descripto vereis
que deve-se procuear os lugares mais soa-
lheir'ospara plaiua^ao de cafe, porque suas
raizes profun limlo-so os dous tercosda al-
tura do tronco, pereorremdiversas camadas
de terra das quaes adherem .os sa es neces-
sarios- i precisa imtri<;io ; 0 que nao ox-
postos- ao excesso' de buisidade ns^ tempo
do frio, di.se por estes mod vos a qaeda das
folhasem um so-.tempo. Na volti da pri-
niavera reapparecem as folh.is e pouco de-
pois as floras, como para estas sere-m defen-
didas por aquelles dos raibs solares, e como
acontece virem.as llores-rjefliium so.tempo,
tambem a maturidade e a coLhetta um tempo s6 ;;o que nao. acobtece nos lu-
cres humidos e noroegas como ji vos fize-
laos ver.
Pelo qne ficademonstrado, e e da primei-
ra intui^io,.vereis que o.systema aohgo de-
ve ser abar.donado e sd de vereis seguiro
de commover-se, desappareceu o.pai severo,
teri ivel, justiceiro, e ficou apenas 0 paida-
bil, apaixonado por sua filha.
Mas que e isto, que succedeu ? disse
ellesem tentar occultar a sua fraqueza.
Vingance, meu pai, viogauca I excla-
mou Branca, que era infini amente mais
energica quo seu pai, eo seu amor por Paulo
nio tivera tempo de crear raizes profundas.
E, roaknente, Branca era apenas culpada
de uma imprudencia e de um erto.
Conta ra com a lealdade, com a boa 16v
com 0 respeito de Paulo.
A sua eotre'vista com elle, dera apenas a
importancia de uma entrevista. Branca
nio conhecia a libertinagem,. e nio podera
precaver-se contra a audacia de um liber-
tino.
As consequencias haviam-lhe feito cophe-
cer que se commettera com ella uma infa-
mia, anciava uma reparacio ou uma Tin
ganga.
Vinganja ? disse. Reinaldo ; quer isso
dizer que se trata de em infame ?
Sim, meu pai; trata-sede um homera
ao qual deve exigir uma reparagao, mas a
quem nio poderei amar nunca, embora que
reparan lo a sua falta, mo tome sua esposa.
Mas essa falta nio 6 s6 sua, exclamou
Reinaldo com colera, 6 tambem tua ; por
que essa falta, ou para melhor dizer, essa
infamia, nio teria acontecido, se tu hioti-
veras dado occasiio para isso.
Eu confiava nos protesto de honra de
um cavalheiro ; estava irritada porque a
porjgri-duqueza, por causa d'elle, me ha via
injuriado e probibido que o amasse.
Reinaldo commoveu-se profundamente, { Ah 1 exclamou Reinaldos sentindo-se
receiava perder a filha, e esta idea foi supe-. f rido na vaidade de sua filha ; a Borgia I..
rior a tudo. Pois esse hoaaem e* seu amante T A mise-
Por outro lado, tinha a crenca, tambem ravel, a adultera, a impure, a incestuosa t
erronea, de que aquelle que chore em con- A mulher manoheda de crimes e de infa-
sequencia de uma falta nio 6* de todo mio, roias 1 E essa mulher atreveu-se a injuriar
ComeQou, pois, a desculpar a filha sem minha filha t Ah razio tinha eu quando
saber porque 'nio podia explicar a mim mesmo 0 esque
Consistia tudo em que necessitava des-'cimento do teu dever. Sim, mil vexes sim,
culpa la. I isso reclama uma vinganca terrivel, e ha-
Niotemas, disse-lhe elle, levanta-tejvemos de te-la. Nem mais "ma palavra ;
e escuta. tudo isto e odioso; prepara te pari seguir-
Branca, que, obstinada n'um capricho, me,
nio teriaobedecido a seu pai, foi docil pela) Onde ? exclamou Branca com sobre-
piimeira vezna sua vida ; tinha medo. salto.
Levanteuso, -pois, e sentou se no leito.' Ao conveoto da Buenadicha.
An ver 0 estado de desolacio, de dOr, de Sim, disse Branca que nio confiava
de Branca, 'muito no dominio de seu pai e
A st*'intimajio, fol-lhe franqneada ? agonia, de soffrimento infinito de Branca, muito no oomimo de seu pai e queria ver-
entr.. 'a. | que 0 seu rsto revelfava, Reinaldo auabou so f6ra do seu alcance, irei para junto das
minhas boas tia e priiaas, e elli esperarai
resignada,, o que possa sobrevir.
O.que possa sobrevir \ exclamou Rei-
naldo. Pois que ha de succeder senao 0
teu ealace com esse homeai? E' possivel
outra cousa ? Posso eu arraacar-lhe com
o.cora?io a infamia que n'elle se alenta ?
-^ Ah I nio,, meu pat ;; elle mata-lo-hia ;
esse homem e terrivel 1
* Os traidores sao. sempre cobardes e
humilham-se ante o bomem a quem offen-
deram.
Quem sabe, meu pai, quem sabe se
nos enganamos '? Talvez esse bomem me
ame... pedio-me uma entrevista para esta
noite...
E porque em vez de pedir -te uma en-
trevista criminosa, nio veio solicitar de mim
a tua mio t
Duvidas... vacillacoes.
Sim, sim, essas duvidas & essas vacil-
lacoes estao expressadas nest a carta.
E mostrou a Branca a carta de Paulo.
Quem lhe entregou essa carts, meu
pai ? exclamou Branca.
"- Os que favorecem infamias, sao verda-
deiramente infames ; a esposa adultera, a
filha impura, nio devem estranhar que as
venda 0 vil instrument de que se valem.
Branca cessara de chorar e com a ausen-
cia das suas lagrimas renascera o furor de
Reinaldo que se apresentava de novo a
Branca como um pai severo, intraasigente,
terrivel.
Branca a terrou-se
Leve-me, leve me para 0 cmvento,
meu pai, disse ella, e permitta Deus que
ou aio saia d'alli to h a minha vida.
Ai d'esse homem, se tu nio sahires
do convento, replicou Reinaldo.
N'aquellr mesma larde entrou Branca
para 0 convento da Buenadicha.
Quando se vio protegida por aquellas
portas seguras, deixou de sentir-se aterra-
da, mas eo mesmo tempo estava triste e
desesperada. Conseguira s War a vida,
tinha a certeza de que seu pai nio poderia
viver sem a or, de que a sua ira se gastaria
com 0 sniTri.tjento da sua ausencia ; de qua
acabaria por perdoar lhe com toda a sin-
ceridade da sua alma ; pjrem ficavam de
pe a sua lute de amor proprio om Lucrecia,
e, em uniio eslraoha, a fascinagao que lhe
causava Paulo e a sua aocia de vingaaoa
contra elle, pela situacio exlrema eat que
a havia collocado.
O roinuKe da rcvolitt-ito
NOVENTA E TRES-, P,)R VICTOR HUGO
{Continuaydo )
Pas^aedo a anal/sar a segunda part? da dado
obray vamos e&contra-p o' me-mo systnn de
enumeracio, a mesm ostoirtacio de erudi-
ci> mdigesta e de liistopia inutil
Porque raziu Victor Hugo introduzfo' no
seu romance Da-iton, Robespierre e Marat ?
Uiiicanrenle para ter occasiio' de trac.r o
quadro da Convento e fazer a enumeraQio
de seus merabroe,
A junta de safvagio publica msnda affi
xar nas cidades e atdias di V-nde'a e swea-
tee restrictameute o decreto estabelocendo a
pena da morte cootra qualquer i;onnivencia
nas evasoes de rebeldes prisionetros. E' 0
decreto que fari caiwr a cabeca- do joven
Giuv.-iin. depois-do tec favoreoido afoga ')o
marquez de Lintenac. Alem dist), a junta
envia UinftdWMMfl para* junto das tropas re-
publicanas da< Vende*r com nandadas p->r
Gau vini. ci>n missio expressa de vrgiar o
joven ;hefe. tt>>bespiCTn, Dantjn e-Marat
estio envoivido5-nestes> ilous actos.
E- por este unico la*oqoe elles entram
uantrracio; nao iraporta : 0 poetS'poe-
IbW a max em cima^ e, seja como fdr, apre-
ta-os no prim giro planoi Esta vioiencia
tenubom exito t Meliocre na minha opmiSo
Ea prnneiro Is^ar, tica-se impacientadio
com as eontinuas paradas de rtarraQio.
.Nunca se chegari ? Este tfeio nao 8cida
Desti vez; so bre tu'Jo, sabe-se de antemio
que a^demora So Wide um eoinpriment') io-
supportavel. Se a-historia de Lantenac.de
Gauvnin e de Ci;iourdain soera um ppe-
texto para pOr em soena Kobespierre. D^n-
ton e Marat, este pretexto, serianecessaries
Forque razao o noetainao foi directamenle
ao >eu ifim ? Historta ou romance, poema'
ou drama, a elle cahe escolber, mas e pre-
ciso qee escolha. .la os vim-, esses per-
sonagens ten-iveis,.*sob. a penaa dos hislo-
riadpres edos poetas. Lamartine, nos Gi*-
rondinoti, mostroa-os em ae;io. Edgar
Qainet, n'um be>k>icapitulo de Merlin 0 fU-
ticeitVj procurou decifrar a akna impene-
travel do Robespierre ; Ponsard, finalmente
fez Ofigar os tres- tribunes em a-aa scena-
memopavel da ssa Cortotn Soritmy. Nio
acredito que VictoP Hogo teoha ultrapassacto
ou mesmo igualado uesta pintaca nenhum.
dos tres escriptores que acabo dte citar.
Nao 6-mais verdadeiro do que Lamarline,
que poeca tantas-veies coatra a verdade.
Se tein mats de ape Edgar Qainet o senu-
raento da realiuade exterior, nio possae
como elle esse- dona de vista ulterior que
faz advmhar 0 mvisivel ror;'r a nnpalpavel.';
emfim, so:n coraparar 0 hoaestoe laboriose.
do autor de Luerecia com 0 poetico genie
do autor das Piilkas do Qutonu. como nio
reeonhecer a honeslidade do- esp*rito, auxi-
liada por usn artor iaborioso, vi muitas
vezes bem altoe bem longe ? E' 0 que
acon'.eceu a ponsard nessa.scena de Carlota-
Cdrddy,' onde apparece nos tres chefes re-
volucionarios,
Victor Hugo quiz reproduzir essa g-ande
scena a seujgeito. Couduzio, Danton, Ro-
bespierre e Marat i tasca da rua do Paon.
O capitub.6-intitulado..tfino5,.'dco e Itka-
\darnanlo. Os tros juizeg do inferno estio
abaocados eat uma sale iaterna; ha em
frente de Danton um copo e uma garrafa
de vinho ; em frente de M irat uma chicara
de cafe; en frente de Robespierre papeis.
Diante de seua olhos esti estendida uooa
carta da Franca. 0 que fazem abi todos
tres T Procaramr 0 inimigo da republica ;
estio de accOrdo em esmagal-o, sOmente
dispu'.am a respeito de saber onde elle exis-
te. 0 iuiinigo, disse Robespierre, esti na
fronteira de leste ; e' a Prussia, 6 a Alle-
raanha, eaEuropa. Nio, replica Dan-
ton, a grande urgencia esti va outro lugar ;
oinimigo esti na Vendei, tendo osinglezes
airaz d^ si. Esti em toda a parte, bra-
da Marat, w
Este dissentfiiiento so e um pretexio para
fazer resplandecer os tres caracterea, para
fazer moverem-se e sibilar as tres- eflbecas
monstraosas. C'.'rtaroente, os traces ener-
gicos nao faltam a essa pintura ; ha raosmo
por iustantes uma terrivel imparciaKdade.
Tenba querido 0 autorou nao, o leitor encon-
tra nestes retratos sombrios sua sertxelhattga^
como diz Andre Cbenier, a hypocrisia de*
Rob spiei re, a corrupc/ao e violeacia de
Danton, e a infamia de Marat. Quereis sa-
ber como acab-i a conf^rencia ? E' Marat
quem fecba a phrase: Danton toma cui-
Ah I levantas os bombros. Algu-
ra*; vezes levjntar os hombros faz cahir a
cabega. Dantonr eu t'o digo, a tua voz
grossa, a tua grarata solta, as tuas botas
cabidas, as tuas pvestlhas, as tuas grandes
algibeiras, tudo isso pertence a-Loizinha
(Luninha ora o nome que V&rat dava i
guilbotina.)
E quanto a ti, Kobespierre, es- in mo-
derado. mas isso de nada te serviri'. Vai,
empda-te, peotea-te, escova-tc, enfactoa -te,
enroupa-te, enfeita-tir frisa-te, annella os ca-
bellos, niodeixarisdtfir parar i praca de
Gr ve; le adeclaraciodBruswick,.nio dei-
iT^Jis deser tratado como 0 regicidaDamiens,
xepor mais^ que faf as, algum dia serfs puxa-
do por quatro cav.illos. Echo de Go-
blentz I disse Robespierre entre os^dentes.
s Robespierre, eu n5c son ocho de voz
algoma, sow o grito de tudo. Ah f sois jp-
vens.- Que idade tens, Danton ? Trinta e
quau-o aiinos- Que idade tem Robaspier-
re ? Trinta etresann>Sv Pois bem*. eu
vivi semprev sou o velb 1 soffrimento hu-
mano;-tenho seis mil annas. E'-'ver-
dade, replica fHinlon, ha seis milannes
queCaim vivenoodio comoosapo 111 peira-
0 pedaeode pedca quebra-se, Cairn salta en;
tre os homen> e e Marat. Danton ex-
clamou>Marat Eumlarapejo livido ap-
pareceuv" nos 3eu& olhos. 0 que 3 li
isso ? disse Deoton.
Branca tinha a cecteza deque Paulo ao
acudir a. entrevista, sa encontraria com seu
pai, eesta crenga eausava-lhe um tecror
vago.
v- Se elle me araa, como eu desejo ser
araada, dizia ella, soffrera. humildemente a
coleca de meu pai ; se a nao solfrec, nio
me ama, e um iufame, e merece perder
cera, vidas que tivera ; meu pai e terrivel
e... pois bem, succeda 0 que succeder.
Posso eu por ventura evita-lo ? Posso fa-
zer outra cousa qua nio seja desesperar-
me?
Reinaldo esperou com paeieucia insup-
portavel que chegasse a bora da entre-
vista.
Ao toque de silencio, Rein .Id0 disse a
Felippa ;
Leva-rae ao aposento. ontle hontem i
noite tua ama recebeu esse homem.
Depois de estar na sala grande do jardim,
Reinaldo mandou Felippa esperar junto da
porta e disse lhe:
Ai de ti se avisas esse homem, ou o
fazes criar suspeitas com a tua perturbagio;
e necessario ^jue elle jul^ue que tua araa 0
espera.
Felippa foi collocar se junto da porta do
jardim.
. Pouco dop >is, Reinaldo sentio uns pas-
sos'rapidos, e em seguida um homem pa-
llet rou na sala.
Aquelle -homem era Paulo de Arneste-
ville, que nio vio Reinaldo, porque este es-
tava encostado a" parede contigua i porta.
Paulo olhiu em torno de si procuraudo
Branca.
Eutio vio Reinaldo que feohava a -porta.
Paulo irritou-se e julgou que aquillc^era
uma cilada pr-parada pelo pai e pela filha.
Reinaldo, tirou a chave da porta, collo-
cou-a sobre a mesa, e, avangaado pan
Paulo, disse:
Nio sahirf d'ajui seaio espoao de
minha filha, ou depois de me ter matado.
Estas palavras de Reinaldo fizeram crer
a Paulo que Branca estava em casa, talvez
escutando, e prompta a intervir entre elle e
seu pai, se fosse necessarh. Porque Paulo,
que nio conhecia a excentricidade terrivAj
do caracter de Ramaldo Albini, nio pa.lia
suppor que elle tencionaase consorva-lo en
cerrado Vis borat necessarias para tirar a
filha do c )n vento, e casa-la com elle.
Paulo acabou' de irritar-se, e augfnentou
aelle 0 desprezQ ppr Branca, julgando-a
Assim fallavam estes tres-homens formi-
daveis. Sim, foimiidaveis por certo, mas
despojaOos aquf da aureola das legeadas
mentirosas. 0> autor debalde accrescenta :
* Quere'la de irovoes a cousciencia- do
leitor responded Querellr de scelera-
dos Djnde- procede quo a snena-qije
neste, son to do vista nao no desagra-
da, deixo no eotanto uma impres sao de
tedio? D'onde-procede qe 0 dedt>-im-
paciente se apcesse em virar as folhas-*
t* que tuJo isto- nio tem consoante, com
se diz vuigarmente, e que oremendo cheio
de vigor ouearregado de concetti, nee dai-
xa de ser remealo.
E 0 que forneceri a Victor Hugo 0 quay"
dro da CoavencSo ? Imagens apicaiyptic/
e uma lists ioterrainavel de nomes, ode*
rio do enthusiasmo ea exactidio de-um re
latorio. E' o que notavamos ha pouco no
episodiodftcaohio despregade, ass'tm como
do discurso do camponeo vendeane. A
Convengao e om pico, um dos dous.picos
mais ahos que appareceram no horisoate
dos homeas.
Abumanktide christa-reclamaria em vio
pelo Thebor; ha muito tempo que Victor
Hugo nio faz caso dessas reclaraacoes.
Ha olfimalaya e ha- Conveng5o,.. Eisa
razio por qne a Convangio foi ai- pcin;ipio
tao mal julgada ; so em distancia. se ^dde
conteiapiar o Himalaya.
,'ContimHvse< h.)
complice daquella cilada.
A fatalidade tomava parte em tudo aquil-
lo, como geralmente a toma nas grandes si-
tuagfies dramaticas,
Encontravam-se frente a frente dous ho-
mens terriveis, predispsstos a nio transi-
girem.
Conhece-me ? disse com altivez irri--
tante Reinaldo Albini.
Nio 0 vi nunca, respoideu Paulo com
inflexio aggressive,Jsou novo em Ferrara ;
pore's pelo.lugar e pela situagio em.que
nos encontramos, creio que 6 0 pai de- uma
mulher que eu esperava encontrar aqui.
De uma mulher 1 exclamou Reinaldo
transp >rtado de furor.
Sim, de uma mulher, que nio, merece
certamente 0 tempo que emprego em oocu-
par-me d'ella.
Imaginei, disse com coliw concen-
trada Reinaldo Albini, que o seohor era
um d'esses jovens esquecidos. de todos os
deveres, promptos a enlodar 0 que ha de
mais puro, capazes de tuda quanto 6 mie,
exlraviados pela libertinagem, porfra nio
julgava que 0 senhor fosse um infame tao
vil que depois de ter engahado uma seohora
nobre e pura, a insnltasse perante as cis
honradas de seu pai.
- Ora I respondeu Paulo, 0 senhor e"
muito velho para que eu possa respon-
der-lhe.
E estendeu a mio para a chave qae es-
tava sobre a mesa afim de poder abrir
porta.
0 velho tem forgas para lhe arrancar
essa ohave, disse Reinaldo, arrancaado Ih'a
etTectivamente das mios.
Entio qaer que 0 mate T perguntou
friamente Paulo.
Nio I quero matalo respondeo Rei-
naldo.
Diga' aates que quer suicidar-se, re-
trucou Paulo. Sentiria muito ver-meobri-
fado a cemmetter am homicidio iavolua-
tario. Deixe-m sahir, acredite qae cio
tem razio para se z-ingar ; sua filha nio
laerece que arrisque par ella a vida, foi tao
fragil que auccumbio ao prineiro choque.
,\co:npanhe-me, dissse Reinaldo com
uma trinqdillidade terrivel.
Acompanhe-me? Nio tenho mais
oada que fazer aqui ; abra aquella ports.
(Continuar-*a-nu)
TYP. DO ^D'AP.10. -RUA DUQUfi hi CAXl3
1
?








<

M
llEBflEi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVBWPESX4_M3EG4Q INGEST_TIME 2014-05-27T22:53:15Z PACKAGE AA00011611_17625
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES