Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17560


This item is only available as the following downloads:


Full Text
v-1'0,
-
A1VN0 L. NllERO 23
PARA A CAPITAL E LUQABBS 6\DE !IIO BPA4 PORTE.
Por tres menr adiaatados................ 69000
Por seis ditos idem.................. 129000
Por urn anno idem..................249000
Cada numero avulso................. 9320
QUOTA FEIRA 2 DE JANEIRO DE 1874
^---------------------------------------------1 i i ... .. i i.i.i. j. niiniiaii r----------------.
PARA I>l\TROK POR A DA PROVISO A.
Por tres mezes adiantados................ 69750
Por seis ditos idem.................. 1395oO
Por nove ditos idem.................. 909250
Por urn anno idem................ 279000
l
*
It
fe

1
^
h

r-

i
MARIO DE PERMMBIICO.
PROPRIEDADE DE MANOEL FICUEIROA DE FARIA ft FILH0S.
Sr. Grardo Antonio Aires* filaa,no Part; Goncalres d Pinto, no Maranhao; Joaqnim ioai de OliveiradPUito, no Cent*; Antonio do Leruus Braga, no Aracatr ; Joio M*ria Jnlio Chares, no Assd; Antonio Marque* da Silra, no Batal; iosi JusUno
Pereira d'AimekU, m Mamanguape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, ea Parahrba ; Antonio Jori Gomes, niTilla da Penha; Be'armino dos Santos Bulcdo, em Santo lotto ; Domingos Jose da Costa Braga, em Naxareth;
Autonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna ; Joao Antoaio Machaeo, noPitardteJgfcOas; Aires d C, na Bahia ; e Leite, Cerquinho A C. no Rio de Janeiro.
*
PARTE OFFICIAL
Mini*tcrio do iniperlo.
Per despachos de 17 do currents :
Foi coocedida ao bacbarel Joao 7. 'ferine Pires
cretario do governo da proviocia do Ceara.
Fei so merrd :
Do furo de raoco lidalgo com exercicio na casa
imperial ao engenheiro Fernando Palmeiro Pereira
da Cunha e a Edmundo Palmeiro Pereira da Ca-
non, fUhes legitimos do moco li.ialgo com exer-
capitao de mar e guerra Man;el Luiz Pe-
da Cunha.
Do titulo de barae de Ibiapaba ao coronel Joa-
lairn da Cunha Freire, da provincia do Ceara.
Foram nomeados :
Professor da cad-ira de grammatiea e lingua
nacional do curso de preparatories annexo a fa-
.-uidade de direito do Recife, Albino Goncalves
Meira de Vasconcellos.
Ordem da Rosa. -Odlcial.Eugenio Jose Neves
de Andrade, da provincia das Alagoas. em atten-
**> aos relevantes servijes presiados em relacao
a guerra contra o governo do Paraguay.
Cavalheiros.Carlos F. d'Hane Steenbuyse, sub-
dilo belga, e Max-Waldstein, subdito de sua ma-
uostade o imperador d'Austria.
Foram jubilados:
Gabriel de Medeiros Gomes no iugar de profes-
sor da cadeira de portugaez do internato e do ex-
ternals do imperial eollegio de Pedro II, com o
vencimento que I he competir, por collar mais de
35 anno* de servico effectivo no magisterio.
D. Catharina Lopes Coruja no de professora pu-
blics da eseola de meninas da freguezia de Can-
delaria, com o vencimento que Ihe competir, por
cottar mais de-25' annos de service effectivo no
magistetio. v
Foi ekwda a SifOOO mensaes a pensao de
:t>#000, concedida por decreto de 22 dc mato de
1872 a D. Eliza Amalia da Silva Nery, viuva do
capitao do exercito e major em commissao, Joa-
quim Nery da Fonceca, para que, junta ao meio
soldo que percebe, prefaca a importancia de
-Sif 000, igual ao soldo da patente de major, qne
tinha sou marido quando fallecen.
Foi concedida a pensao de 60000 mensaes a
I). Clelia Pires Valenca Guimaraes, viuva do ca-
pitio em commissao Isidro Cardoso de Oliveira
Guimaraes, fallecido em consequencia de ferimen-
io recebido em combate.
Foram naturalisados os subditos portuguezes
Francisco Hodrigues Branco e Manuel Jose Bar-
bosa.
0 decreto' n. 3,511 de 31 de dezembro,
abrio ao ministerio do imperio urn credito sup-
plementar de 100:0004 para despezas com o re-
censeamento da populacao do imperio no exerci-
cio de 1872 a 1873.
Foram expedidos os seguintes avisos :
a Rio de Janeiro, 12 de Janeiro de 1874.
Dim. e Exm. Sr.-Accuso o recebimento dos offl-
aos de 15 e 23 do mez findo, com os quaes
transmittiome V. Exe. copia de sua corresponded
cia com o vigario da freguezia de Santo Antonio
dessa capital por motivo de se nao julgar este
obrigado, era virtude de disposicoes da const it ui
^ao do arcebispado, a cumprir, sem previa per-
missao do reve end; preladc., a ordem expedida
por V. Exc. a todos os vigarios da provincia
para enviarera ao director do instituto vae-
\nico relacSes dos individuos fallecidos de va-
riola durante o anno, extrabidas dos assenta-
n.entos dos obitos.
S. M. o Impelador, a cuja augusta prcsenca
ievei os ditos officios, manda declarar a V. Exc.
que foi legal o seu acto. e improcedente a objeccao
pposta por aquelle vigario.
a Certamente, emquanto nao estiver estabele-
oido no imperio o registro civil, sendo os assen-
tamenios dos livros parochiaes sobre nascimen
tos, casamentos, e em geral sobre obitos dos ca-
tholicos, as fontes de prova destes factos, dos
quaes dimanam os direitos inberenies ao estado
civil das pessoas, nao podem considerar-se de na-
lureza puramente ecclesiastica esses assenta-
luattos, embora ligados a actos religiosos, nem
portaoto isentos os vigario;, quanto a elles, da
accSo das autnridades civis, na parte relativa ao
oxercicio das attribuicdes que a estas pertencem.
Alera disso, diversas leis, citadas por V.
Kxc, tem tornado dependente ( jumprimento de
differentes actos politicos e admini.*trativos de in-
lorma$oes e esclarecimentos uue so os vigarios
podem prestar a vista daquelles assentamentos,
impoado-lbes formalmenie a ohrigacao de satis
laser as requisicSes das competontes autorida-
des para esse Mm.
a De conformidade, pois., com as disposic5es e
-xigencias do nosso direito civil, administrative
i'. politico, e por ellas limitada, deve ser attendida
^ prescripc.au da constituicao do arcebispado, a
qua se referio o mencionado vigario.
a 0 que communico a V. Exc. em resposta aos
seas officios, e para fazer constar ao mesrao vi-
Sfario.
Deus guarde a V. Exc. -Joao Alfredo Correa
<\e Ohvrira.-Hc. presidente da Bahia.o
2.* secpao. Rio de Janeiro. Ministerio dos
uegocios do imperio, em 15 de Janeiro de 1874.
Illm. e Exm. Sr. -0 governo imperial ficou in-
leirado dos factos oceorrid por occasiao de pro-
'eder-se na camara municipal dessa capital a
apuracao geral dos votes da eleicao ultimamente
leita para membros da assemblealegislativa pro-
vincial, e expostes no offlcio de V. Exc. de 2e de
novembro do anno Undo. Quanto a qaestito de
incompatibilidade entre o cargo do vereador e o
da juiz de paz e entre aquelle cargo e o de juiz
municipal sppplentc, snbmettida no mesmo offi-
cio a solucao do governo, declaro a V. Exc. quo
ja se acha resolvida nos avisos do ministerio dos
negoeios da jostica, de 18 de abril, e ns. 198 e
185 de 5 de julho e 16 de oulubro de 1872.
Deas guarde a V. Exc. -Joao Alfredo Correa de
(WtHra.Sr. president? da provincia de Ser-
gipe. '
Minister!*- da Justica.
Por decretos de 17 do corrente :
Foram nomeados :
0 bacharel Jacome Martins Baggi de Araujo,
t* juiz substitute da comarca da capital da pro-
vincia da Bahia.
0 bacharei Antonio Cassimiro da Motta Pache-
oo, jolz substitute da vara de orphaos e da pro-
vedoria da comarca de Ouro-Prete, na provincia
4 Minas-Geraes.
Foram nomeados juizes tnanicipaos e de or-
ptoos:
0 bacharei Trislao Antonio Nogueira, do tor-
mo de Tre-Pon?a, na provmrtn dc Minas-Go-
raes.
0 bach-.rW Bvari-te N.irlwio Duarte, do ter
rao de itajuba, na mosma provincia.
0 bacnarel Antonio Marcwliiio de Carvalho,
do termo de Tatuby, na provincia de S. Paulo.
0 bacharei Julio C- ?ar Gomes de Castro, do
termo de Vjanna, na provincia do Maranhao.
Foi rconduzido o bacharei Manoel Jose de
'astro M'.nieiro de Barros, no Ingar de juiz mu-
nicipal e de orphaos dos term<>s reunidus do Mar
de Hespanha e de S. Joao Nepomnceno, na pro
viocia de Minas-Geraes.
Foi rmmvido, a pedido, ojuiz municipal e de
urpbaos Luit Duarte da Silva, do termo de Minas
1,0 Rw de Comas, para o de Maragogipe, arabo*
na provincia da Bahia.
Foram reformado3 a podido :
Antonio Goncalves de Moraes, capitao da guar-
da nacional da provincia de Pernambuco, no
posto de maj Fez-se mercd da servt ntia vitalicia dos officios
para qne foram pro visor iamonte nomeados petes
respectivos presideates .
A Alencarliense Alrares Lima, dos officios de
tabeHiao e escrivao de orphaos, ausentes, capellas,
residues e mais annexos do termo de Marvao, na
provincia do Piauhy.
A Jos6 Ferreira di Castro Juci, dos de 2 U-
beltiao e escrivao de orphaos, civel, crime e mais
annexos do termo da Telha, na provincia d)
Ceari^ ^.. fr-. -
A Thomaz Ferreira Maciel Pinheiro, do dd es-
crivao do civel do termo da capital da provincia
de Pernambuco.
Ao alferes' Manoel Gomes Coe'lhu, do de 1* la-
bel liao e escrivao do crime e civel do termo da
Anadia, na provincia das Alagoas.
_Fez-se tambem raerce ao capitao Joaquim Mon-
teiro da Rosa Lima, da serventia vitalicia dos
officios do 1 tabelliao e escrivao das execucdes
civeis e crimes, e da provedoria do termo {de
Porto Galvo, na provincia das Alagdas.
Foram commutadas :
Em gale* perpetuas, no presidio de Fernando
de Noronha, a penade morte imposta ao reo Lou-
renco, escravo do barao de Ipiabas, em rirtude
de de;isao do jury da cidade de Valenca, na
provincia do Rio de Janeiro, por crime de bomi-
cidio.
Em prisao perpetua com trabalho, analoga ao
seu sexo, a pena de morte imposta a t6 escrava
Canuta, en virluJe de decisao do jury do termo
de Petrolina, na provincia de Pernambuco, por
crime de homicidio.
Nao foi agraciado o reo Joaquim Jose de Ma-
galhaes, condemnado em 3 de agoste de 1869 a
pena de 14 aonos de prisao simples, em rirtude
de decisao do jury do termo da Villa Vicosa,
na provincia do Ceara, por crime de homicidio
commettido a 29 de setembro de 1861.
Em 14 do corrente :
Concedeu-se am anno de licenca ao 2 tabelliao
da capital da provincia do Ceara, Miguel Severe
de Souza Pereira.
Remetteu se ao presidente da provincia do Rio
Grande do Norte para infermar, o requerimento
do bachar-l Alcibiades Dracon de Albuquerque
Lima, em que pede ser nemeado juiz de direito.
Foi transferido do SO0 para o 21." batalhao de
infanteria o alferes Joaqnim Candido de Vascon-
cellos e deste para aquelle batalhao o alferes Ur-
bane de Velasco Berqn.6.
Obleye am mez de licenca, cam dous tercos dos
respectivos vencimentos, o escreventeda secretsria
do arsenal de guerra da corte, Jose Feliciaao Go-
dinho Junior, para tratar de sua saiide.
De 14. Foram nomeados na forma do art.
28i do regulamento que baixoa com o decreto n.
5,118 de 19 de outubro de 1872 :
Despachante da intendencia da guerra, o 1.*
enmmissario extincto do arsenal de guerra di
cdrte, Carlos Jos6 de Almeida Gonzaga.
1* official da mesma intendencia o capitao fiouo
rano do exercito Angele Carlos de Abreu.
Amanuense do es^ripterio do ajudaote da dita
intendencia o amanaense do hospital militar pro
visorio do Andarahy, D Braz de Souza da Silveira.
Fei igualmente nomeado amanuense do hospital
go
C&pri
14^0 c
militar provisorio do Anlarahy, Luiz Pereira de tere sua informacao de 24 do currente sob n. 670
Miaisteri* da fazenda.
Per decretos de 17 do correate foram no-
meados :
0 barao de Mesquita para o cargo de membro
da junta administrativa da caixa da amortisacao.
0 2 escripturario da alfandega da Bahia An-
tonio Joaquim Peixoto, para o Iugar de !. dito da
mesma alfandega, e o 3 Melchiades Antonio Pe-
reira Guimaraes, para o do 2.
Por titulo de 21 do corrente foi nomeado
Francisco Guilherme Stepple, para o Iugar de co-
bra ter da recebedoria do Rio de Janeiro, no dis-
trict da legua alem da demarcacao.
Ministerio da guerra.
Por decreto de 29 de outubro :
Concederam-se, de confermidade com a imperial
resoJu^ao de ie de dito mez, tomada sobre consul-
ta do conselho supremo militar, ao ex-tenente gra-
dnade do 1. regiment.) de cavallaria ligeira Jose
Lino da Rocha as houras do posto de tenente do
exercito, em altenciio aos bons servicos prestados
na campanha do Paraguay.
Por decretos de 17 do corrente :
Foi nomeado em virtuie do que dispde o art.
28i do regulamento que baixeu com o decreto n.
5,118 de 19 de outubro de )87i, para o Iugar do
escrivao da 2.1 seccaj do almoxarifado da inlcu-
dencia de guerra, o amanuense da 3." seccao do
mesmo almoxarifado Pedro de Alcantara do Couto
Soares.
De confermidade com o 5 2.* do art. 22 do regu-
lamento que baixou com o decreto n. 772 de 31 de
maie de 1851, foi promovido a major graduado do
corpo dc engenheirc o capitao do mesmo corpo D.
Eugeoio Frederico de Lossio e Seilbtz.
Foram nomeados 2."" cirurgiaes do corpo de
saude do ^xercito os Drs. era raedicina Estauislao
Emdio de Brito, Saturnino Thomaz de Aquino e
Francisco de Paula Oliveira Guimaraes.
De cenformidade com o art. 156 do regulamento
do corpo de saiide do exercito, qua baixoa com o
decreto de 7 de margo le 1857, foram nomeados
V* cirurgides do mesmo corpo os Drs. em medi-
cina, Joao do Nascimonto Guedes Junior e Diogo
Fernandes Alvares Fortuna.
No termos dos art. 6.* da lei n. 1,143 de 11 de
setembro de 1861, concedeu-so transferencia para
a arma de infantaria ao 2 tenente de 5. batalhao
de artilheria a pe, Francisco Agostinho de Mello
Suuza e Menezes.
De conformidade com a imraediata e imperial
resolujao de 20 de julho de 1870, tomada sobre
consulta do conselho supremo militar, foi reforma-
do o capitao aggregado a arma de cavallaria, Julio
Marianno da Silva, vislo soffrer molestia incuravel
e achar-se por isso comprebendido no 1. do art.
9." da lei n. 648 de 18 de agoste de 185i
Na forma da immediate e imperial resolucao de
10 do corrente mez, tomada sobre consulta do con-
selho supremo militar, concedeu-se reforma no
posto de alferes, vencendo o respective soldo por
inteiro. ao 1. sargento da companhia de invalidos
da provincia de Santa Catharina, Manoel Estacio
Ferreira da Campos, visto achar-se compreendi-
do na imperial resolujao de 13 de agosto de 1810
e jj 3.* do plane quo baixon com o decreto de 11
de dezembro de 1841).
De onfermidade corn a immediata e imperial
resolucao de 10 do corrente mez, tomada sobre
consulta do conselho supremo militar, concede-
ram se as honras do posto de alferes do exercito
a > 2. sargento reformado do mesmo ex ireito Ma-
noel Eazebio, em atteacao aos bons servicos que
preitou, e ao ferimen'.u que recebeu na campanha
do Paraguay.
De conformidade com o parecer do conselho
supremo militar, exarado cm consulta de 27 de
outubro do anno proximo passado, concederam-se
as honras do posto de alferes do exercito ao 2.*
sargento reformado do 24. corpo de voluntarios
da patria Manoel Thomaz Fragoso, em attencao aos
bons servicos qne prestou e o grave ferimento, qne
recebeu na campanha do Paraguay.
Concederam-se as honras do posto de alferes do
exercito ao !. sargento reformado do 37. corpo
de voluntarios da patria Paulin > Candido Santiago,
em attencao aos bons services due presttu na
campanba do Paraguay e ao rerimento nella rece-
bido.
Foi reformado, vencendo soldo dobrado de vo-
ltint>rio da p.itria. cu 'onf.nnidado da ultima par*
le do art. lo do il n-'.'.' n. .'!,37i de 7 d Janeiro
de I860, 0 soldadodo 40." corpo do voluntaries da
patria, ddido ao asylo de invalidos, Ant mio Chris-
tevao de Souza Lima, vislo achar-se inutilisado
para o ervic,.i do exercito cm consequencia do
ferimenlu reeebido em combate.
De conformidade com n g 3.# do fdano qne baixon
com o decreto de li de dezembro de 1815, con:e-
deu-se reforma, com 0 rfspectivo soldo por inteiro
ao si-ldado do 13.' batalhao de infanteria, add.ido
ao asylo de invalidos, Siiuio l<*& Antonio do Nas-
ciment visto achar -0 impuMlbilitado pira 0 >er-
vigo do exercito, era consejuencia de ferimentos
recebidos em combate.
Por portaria de 13 do corrente :
Lima Nolasco.
De '5. Fei classificado no 19. batalhao
de infanteria, 0 alferes Antoaio Panto Correia.
De 16. Fei nomeado para um dos lugares
de praticante da secretaria da intendencia da guer-
ra, de conformidade cent 0 art. 284 do regulamen-
to que baixou com 0 decreto n. 5,118 de 19 de
outubro de 1872, 0 alferes bonorario do exercito
Pedro Severe da Costa Leite.
Foi transferido para o 1.* batalhao de infanteria
0 alferes de 13. da mesma arma Manoel Joaquim
da Silra
Foi classificado no 4.* batalhao da dita arma, 0
alferes Manoel Baptista Escobar Baeno.
De 17. Concedeu-se licenca ao coronel re-
formado do exercito Affonso de Albuquerque
Mello, para residir na provincia do Maianhao
D3 19. Foi nomeado Affonso de AlbU
Juerque, para 0 Iugar de amanaense da 3.* seccao
0 almoxirifado na intendencia da guerra, na
forma do art. 28 i do regulamento que baixou com
0 decreto a. 5,118 de 19 de outubro de 1872.
Foi transferido para o 5.* batalhao de infanteria
0 tenente do 14.' batalhao da mesma arma, Traja-
no Jose da Costa Noiva, e para este batalhao 0
tenente daquelle Tito de Souza Camisao.
Em 9 do corrente foi dirigido ao eommandaa-
te da eseola militar 0 seguinte aviso :
Illm. e Exm. Sr. Consultando V. Exc. era
0 seu offlcio sob n. 212 de 22 de dezembro do
anno proximo passado, 0 mode por que devo con-
siderar os aprendizes artilh-iros qne teem de fre-
quenter 0 curso preparaterio da eseola militar. a
vista da ordem do dia n. 370 de 6 de outubro de
(863. que narcou o numero de inferiores dos
outros corpos que pi diam ser admitlidos ao mesmo
curso, declaro a V. Exc, para seu conhecimente e
fins convemenies, que sendo as licengas concedi-
das para estndar na eseola militar aos aprendizes.
artilheiros que mais se distinguem dnrante e curso
que fazem no respective deposite, ura premio, que
os celloca em circurastancias especiaes, nao I lies e
applicavel a disposicao estabclecida pela cltada
ordem do dia ; devendo, portent*, os que furem
propo-tos para estudar por distince-ao, conservar
as graduacSes que tirerem no dito deposito, ainda
que a esse corpo se faca extensiva a citada dispo-
sicao quanto aquelles que obtivessem Iicencas es-
peciaes para estudar 0 curso preparatorio na es-
eola militar. Deus guarde a V. Exc Joao JosL
de Oliveira Junqueira. '
Ministerio da marinha.
Por decreto de 17 do corrente, foi reformado
o capitao de mar e guerra graduado Jes6 Pereira
Pfnte com a graduacao do posto de chefe de divi-
sao e o soldo da patente de capitao de mar e
guerra.
Por decretos da mesma data foram nomeados
-"' cirurgioes do corpo de saiide da armada os
Drs._ Felix Rodrigues Seixas, Francisco Muniz
Ferrao de Aragao, Luu Agapite da Veiga e Fran-
cisco Joaquim Bittencourt de Segadas Vianna.
Por decreto da mesma data foi aposentado, como
requereu, Jose Sabino Autunes de Carvalbo, em
attencao ao seu estado valetudinai io 0 a center
mais de 33 annos de servico, no emprego de escri-
vao da inspectoria da barra do Rio Granlo do Sul,
com o vencimento que Ihe competir : dependendo,
fiorrm. esta raerce da approvacao do poaer legis-
ativo."
Joaquim de Gouveia Cordeiro.
cios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda. Em
mento do aviso do ministerio do imperio de
corrente, communico a V. S. que foi appro-
ftKp pela verba Soccorros publicos de exer-
de 1873 1874, o credito de 2004 aberto
fwsponsabilidade desta presidencia para occor-
p pagamente da despeza feita com 0 trata-
-des indigentes accommettidos da variola no
do Cabo.
? -Ao mesmo. Transmitto a V. S., para os
de^idos fins, oito ordens, sendo qaatro do tin-sou-
rdkaCional sob as. 189, 216, 417 219, quatro
em duplicate, do ajudante general ns. 967 a 970 e
bem assim um offlcio datado de 14 do corrente.
Ao mesmo. Recommendo a V. S. que a
viita da iuclusa conta cm duplicata, que me foi
remettida pelo engenheiro das obras mllitares com
offlci* de 28 de fevereiro deste anno, a que se re-
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DO DIA 28 DB OUTUBRO DE 1873
/." SeCQOO.
Acto:
0 presidente da provincia, altendendn ao que
requereu Quirino Joaquim Madeira, resolve con-
ceder Ihe licenca para ir ao presidio de Fernando
de Noronha no primeiro vapor que para alii seguir
e bem assim levar em sua companhia os generos
constantes da relacao junta assignada pelo secre-
tario interino desta presidencia, os quaes nao po-
derio ser desembarcados sera que por pane do
commandante d'aquelle presidio se proceda a exa-
me, alim de se veriflcar se ha aguardenle ou outra
qualquer bebida espirituosa, voltando o supplican-
te para esta capital no regresso do mesmo vapor.
2.* seccao.
Actos:
Designo para o conselho de inlgamento dc
ex-cabo de esquadra de corpo de policia, Mauricio
Jose da Silva, por crime le extravio de diohelro :
Presidente, o major Joao Francisco da Cunha.
Promoter, o Dr. 2 promitor publico da ca-
pital.
Vogaes, os capitaes, Miguel da Fonceoa Soares
e Silva, Alvaro Conrado Ferreira de Agaiar, Fran-
cisco de Siqueira Cavalcante, tenente Antonio Fran-
cisco Cocdeiro de Mello, e o alferes Jos6 Pereira da
Silva Guimaraes.
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Francisco Joaquim 'adilha, 2 tabelliSo
de notes, escrivao do crime e mais annexos do ter-
mo do Buique, resolve conceder the dous mezes de
licenca para tratar de sna saiide.
Circular:
Aos commandantes superiores da guarda na-
cional. De conformidade com o aviso do minis
terio da justica, do 17 do corrente, mande V. S.
d-sde ja proceder a qualincacie da guarda nacio-
nal sob o seu commando superior do servico ac-
tivo e da reserva, tendo em vista a disposicao do
6 do art. da lei n. 2.395 de 10 de setembro
ultimo.
Officios :
Ao commandante do corpo de policia. En-
vio a Vmc. a portaria junta que designa o conse-
lho de julgamento do cabo Manricio 7os^ da Silva
aflm de que tenha cumpriment >, devolvendo-lhe e
process., que reio com o seu offlcio n. 613 de Iron-
tem datado.
"'. sccra*.
Actos:
0 presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o commendador Jose P^dro da Silva.
jnspectoi da thesouraria provincial, resolve, de
conformidade com as leis n". 681 de 5 de main d>-
1866 2 e 5", 1.(08 de 28 de maio e I.M4 ie
17 de juuho ultimos, aposental o com os vc.nci-
meni's ape Ihe competirem, s nomear para sub3-
titiiil-o.o nach:irel Antonio Witruvio Pinto Ban-
d ira Accioli de Vasconcellos, chefe da I' seccao
do cnnsulado provincial.'
0 presidente da provincia resolve exonerar
Manoel Cavalcante Ferreira de-Mello, a sen pe-
did.-, at cargo de cobrador da recebedoria de ren-
das inieruas nesla cidade e nomear pira esso car-
serie E, mande pagir a empreza da illuminacao
publica desta eidade a quantia de HMfl provenien-
te da canalisacao de gaz no quartel de artifices,
stgundo demoojtra a referida conta.
Ao mesmo. A' vista das contas em dupli-
cata annexas ao incluso requerimento, mande V.
S. pagar a Fielden Brothers a quantia de 324*
em que importou o gaz consumido durante os me-
zes de julho a setembro deste anno com a illnmi-
oacae do palacio da presidencia, casa da guarda
e cocneira, eomo se v das referidas contas.
Ao mesmo. Era resposta ao seu offlcio da-
tado ae hontem sob n. 696, serie E, cabe-me de-
darar a V. S. que nesta data foram expedidas as
convenientes ordeas no sentido de ser satisfeita a
exigencia centida em o nou citado offlcio relativa
a organisacao das (elhas io official e dos prets da
guarda nacional destacaih na villa de Pesqueira.
An mesmo. Transmito a V. S. os prets
juntos em duplicata afim d? que mande pagar a
ijue.-n se apresehtar compeientemente autorisado,
os vencimentos das pracas da guarda nacional des
tacadas na villa de Pesqueira, a contar de 24 de
maio a 24 de julho deste anno, conforme solicitou
o commandante superior de Btejo em offlcio de 15
do corrente
Ao mesmo. Mande V. S. pagar, na con-
formidade do que selicitou o commandante supe-
rior dos municipios de Villa BeMa e Flores, em
offlcio de 3 de julho ultimo, a importancia dos
prets inclusus, relatives aos vencimentos das pra-
cas da guarda nacional de3tacadax na villa de
Flores durante o mez de junho deste anno.
Ao mesmo. Communico a V. S., para os
devidoa tins, que a 27 do corrente assumio o ba-
charei Francisco Gomes Parente o exercicio do
cargo de 2 promoter publico desta capital.
Ao mesmo. Deciaro a V. S., para seu co-
nhecimento e fins convenientes, que por portaria
de*ta data exonerei Manoel Cavalcante Ferreira
de Mello, a seu pedido, do cargo de cobrador da
recebedoria de rendas iniernas nesta cidade e no-
raeei a Joaquim de Gouveia Cordeiro para substi-
luil-o.
Ao mesmo. Communico a V. S. que o en-
genheiro fiscal da ostrada de fei ro de Recife ao
S. Francisco, Dr. Manoel Buarque de Macedo, en-
trou hontem no go o de tres mezes de licenca sem
vencimentos que Ihe fei concedida por esta presi-
dencia pe/a tratar de sua saude. '.
? *-. \omspector da thesouraria provincial.
Nesta data aulorisci o engenheiro chefe da repar-
ticae das obras publicas a mandar coinprar no
mercado ura cofre inglez, de ferro, para guarda-
rem-se os dinheiros a cargo do thesoureiro da
mesma reparticao, nao excedendo dc 300* a des-
peta com essa acqui-icio ; o que communico a
V. S. para os fins convenjentes.
4' seccao.
Actos :
0 presidente da provincia, atteniendo ao que
recuereu o bacharei Joaquim Pires \Iachado Per-
tella, director geral da instru-rcao publica, e tendo
em vista a informacao do inspector da thesouraria
provincial, de 22 do corrente em offlcio sob n. 464,
resolve, de conformidade com as leis numeros
1108 de 29 de maio 1." e 1114 de 17 de junno
ultimos, artigo2 1 e 2, aposental-o com es ven-
ciirentos correspendeutcs ao tempo do servico,
coctado de accordo com as disposicoes citadas.
0 presidente da provincia resolve nomear o
bacharei Joao Diniz Ribeiro da Cunha, chefe da
2." seccao da secretaria desta presidencia, para o
Iugar dC'chefe da 1." seccao do consulado provin-
cial e remover o archivisla da mesma secretaria
o bcharel Jefferson Mirabeau de Azevedo Soares
para aquelle Iugar.
0 presidente da provincia resolve nomear
Jeaijuim Pedro Barreto de Mello Rege para o Iu-
gar de archivista da secretaria desta presidencia,
vago pela remocao do respective serventuario para
chefe da 2 seccSo da mesma secretaria.
0 presidente da provincia, attendendo. ao
que requereu o conego Joao Chrysostemo de Paiva
Torres conego piebeudado da Se deOlinda.e tendo
em vista a licenca do coro que lbo foi c ncodida pelo prelado dioce-
sano, resolve conceder-lhe por esse tempo us
vencimentos que por lei Ihe competirem.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Jacintha Avelina da Cruz, profes
son da cadeira de Vettentes, e tendo em vista a
informacao do director geral interino da iastruc-
cao publica de 24 do corrente sob numero 311, re
solve conceder-lhe tres mezes de licenca, com ven-
cimentos na forma da lei, para tratar de sua
saude.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Luiza Clementina Vieira de Mello,
professora da cadeira da povoacao da Alagda do
Carre, e tendo era vista a informacao do director
geral interino da instruc$ae publica em offlcio
de 24 do corrente sob numero 310, resolve con-
ceder Ihe trinla dias de licenca, com vencimentos
na forma da lei para tratar de sua sautide.
Officios :
Ao comraissario vaccinador provincial.
Forneca Vmc. a secretaria da presidencia alguns
tubes com lympha vaccinica. afim de serero re-
raettidos a camara municipal da villa de Seri-
nhaem.
Portarias:
A' camara municipal da cidade de Olinda. -
Renftto a camara municipal da cidade de Olinda
o offlcio per copia, que o gerente da companhia
Santa Tbereza dirigio ao engenheiro chefe da re-
particao das obras publicas, repre*eaiando eon
tra os damnos caasados no encanamento d'agua
potavel da mesma companhia pela excavacao que
se esta fazendo no porto da Madeira para mudanca
de leito do rio Beberibe, afim de que essa camara
provindencie a respeilo
A' camara municipal da villa do Bonito.
Accuso recebidos os officios da camara munici-
pal da vill i do Bonito, de 3 e 20 do corrente, re
m-'iteado as c.opias d*s actas da eleicao de verea-
d res e juizes de paz pr-ccdidas oessa freguezia
a 10 de agosto ultimo e a da apuracao feita pela
mesma camara em sessao de 3 desie mez. Em res
posta tenho a receinmendar a essa camara q ue
sem perda de tempo expeea os compelentes di-
plomas aos cidadaos eleit >s vercadores e juizes
de paz eos juramente para qne assumam o ex-
ercicio dos seus cargos.
5/ secc&i.
Officios :
Ao engenheiro chefe da ro larticao das obras
publicas. -Auloriso Vine, a mandar comprar no
mercado um cofre inglez, de Jerro, re.jaisilado
pelo thesoureiro dessa reparticao, para goardar os
dinheiros sob sua responsabilidade, nao excedendo
essa despeza de 5004000, na forma do seu offlcio
de 25 do corrente sob n. "384.
Ao superintendente da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco. -Expeca Vmc. suas ordens
para que sejam transportados gratuitamente nos
carros dessa estrada de ferro os materiaes e
object os destinad >s a colonia agricola de orphaos
e engeitados em Piraenteiras, que forera aespa-
chados com esse destino pelo Rvd. prefeite da
Penha, com tanto que nao excedam de cem kilo-
grammes por viagem.
EXPEDjEjfTK DO SBCRBTARIO.
Officios :
0 Exm.Sr. presidente da provincia manda
Communicar a V. S que expedio ordem a the-
souraria de fazenda no sentido de serem pagos os
vencimentos das pracas da guarda nacional de-
tacadas em Pesqueira, a contar de 24 de maio a
24 de julho deste anno, confer ae solicitou em seu
offlcio de 15 deste mez.
Ao commandante superior de municipio de
Flores. De ordem de S. Exc. o Sr., presidente da
provincia, communico a V. S., que nesta data of-
ficiou-se a thesouraria de fazenda ordenando o
pagamente dos prets das pracas da guar-ia nacio-
nal deslacadas, durante o mez de junho deste anno
na villa de Flores, segundo solicitou V. S em seu
offlcio datado de 3 de julho ultimo.
Ao bacharei', Francisco Gomes Parente.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda accusar
o recebimento do offlcio de V. S., de 27 do cor-
rente, em que participa ter nessa data asssumido
o exercicio do cargo de 2 promoter publico desta
comarca.
5.' seccao.
Officios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. 0 Exm.-Sr. presidente da provincia
manda communicar a V. S.. para os fins conve-
nientes, que nesta data ordenou a camara muni-
cipal de Olinda que providencie no sentido de se-
rem reparados os damnos causados a companhia
Santa Thereza em virtude da mudanca do
leite do rio Beberibe, e mencionados no nffkio do
respectivo gerente, a que se refere o do V. S., de
27 do corrente sob n. 386.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco. -S. Exc. o Sr. presidente
da provincia manda accusar a recepfao do offlcio
de V. S., de hontem datado, no qual participa ter
nessa data entrade no gozo da licenca de tres
mezes, que Ihe f >i conceJida pelo mesmo Exm.
or.
Aos agentes da companhia de navegacao a
vapor bahiana.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, manda accusar recebido o offlcio de V. S.,
de hontem datado no qual participim que o vapor
Gon;aives Mirtins, chegado da Bahia com escala
pclos portos de Sergipe o Alagdas, regressara hoje
as 5 horas da tarde.
9 9 23
ID . 12
11 . C 22
12 9 19
BKSfACHOS DA PBESIDENCIA, DO DIA 26 DE JANEIRO
DE 1874.
Andre de Abreu Porto.Iuforme o Sr. enge-
nheiio director das obras publicas.
Mqjor Bellarmino do Rego Barros, Jose da Silva
Loyo, e Jes6 Joaquim Antunes. -Conceda-se a li-
cenca pagos previamente os direitos proviuciaes, e
assigaaado o fiador o termo d* responsabilidade
na reparticao competente.
Clotide Ignez da Silveira Bastos.Sim, pagos os
direitos nactenaes.
Caetana Maria de Assurapcao.Seja posto em
liberdade.
Dominngos Francisco Duraes.-Informe o Sr.
ennenheiro das obras publizas
Elias Jose do Carrao. -Concedo oito dias.
Bacharei Francisco Gomes Pinto de Campos.
Informe o Sr. inspector da theseuraria de fazenda.
Tenente-coronel Justine Pereira de Farias. -In-
forme o Sr. Dr. chefe de policia para providenciar
como eutender conveniente.
Joao Evangelisla da Silva.-Concedo quinze
dias.
Coronel Jose Maria Udefonso Jacome da Veiga
Pessoa e Mello. -Forneca-se.
Joaquim Jose de Oliveira.Passe portaria, cou-
cedendo-sedous mezes de licenca, com vencimen-
tos na forma da lei, para tratar de sua saude.
Joao Baptista Cabral.Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha.
Joaquim Mena Cardoso. Ao director geral da
instruccao publica para deferir, nos termos de sna
raformacao de 17 do corrente, sob n. 20.
Jose Ribeiro de Vasconcellos.Encaminhe se.
Miguel Archanjo da Silva Braga. -Indeferido.
Maria da Conceipao do Nascimento. Seja posto
em liberdade.
Maria Izabel de Mello Moura.Passe portaria
na forma requerida.
Manoel Joao Cancio. Indeferido, em vista das
informacdes.
Manoel Felippe do Monte.Indeferido.
Bacharei Pedro Camello Pessoa -Deferido com
offlcio desta data dirigido a thesouraria pro-
vincial.
Theotonio Joao da Cunha.Passe portaria.
EXTERIOR.
de
Correspondeneia do Diario
Pernambuco.
BUENOS-ATBES, 13 DE JANEIRO DB 1874-
I
0 cholera contimia a ser a ordem do dia nesta
bella capital ; nao se pensa, nao se falla, nem se
cuila em outra cousa.
A cidade do Buenos-Ayres esta se tornando de-
serta, por que a populacao fege atemorisada para
os arrabaldes, calculando o Standart em 50,000
o numero das pessoas que teem emigrado para o
carapo.
Por ordem da municipalidade, os theatros, assim
como todos os divertimentos publicos, fecbaram
as snas porUs ; nos mercados nao se vendem
mais legumes de qualidade alguina, nem as deli
ciosas fructas da estacao ; e nos cafes nao se en*
conlram mais os saborosos sorvetes, para suavisar
o intenso calor quo faz.
A quadra e dos medicos e dos boticarios, por
que quem ainda nao foi atacado do cholera ou da
cholerina, nao escapou por certo do classico medo,
e por causa d'elle vive a consultar medicos e a
comprar preservatives e desinfectantes nas bo-
ticas.
No entrctanto o tcrrivel viajante do Ganges na ^
tem assumidn por ora caraeter devastator, como
se julgava n > principle, e tende mesmo a declinar,
como veriio os leitores pelo quadro que em segui-
da publicamos, da m irtandade havida desde' 26
de dezembro, dia em que dizem ter-se dado o pri-
meiro case, ate hontem:
26 de dezembro
399
Deste inodo c de presnmir que, ate o fim *
corrente mez, tera cessado coropletamnte nestr.
cidade o medonho flagello do cholera.
Deus qceira que tal aconleca.
- Cesar veio ao Capitoli, 0 pre ddente da n
publica fez na semaoa passada uma visita a Cava
R a*3eraptthay! -
A Pampa, que, como ontros jornaes. tem crWea
do severamente a ausencia do Sr. Sarmiento oa
present* quadra, Ho afflictiva para Buenos-Arres.
assim se exprime em seu numero de 4 deste nwz.
estygraatisando a conducta do presidente da repu-
blica :
Immoral, cobarde e indigna, nao so de am
chefe do governo mas ate de um republican, e
essa conducta.
Na Europa, os monarchal, os que exerceaa c
governo sob a preoccupacao de qne o teem nao dc
povo, raas por direito divrao, por direito de fami
lia, e ci.nsideram ao povo como a vassallos oa
subditos seas e nao da nacao ; sao elles os pri-
meiros qne vio aos hospitaes, dao aleato e can-
gem aos doentes, fazem sentir alii saa opaleota
gentrosidade, e chanam para si a admiracao io
povo, que cobra brios nos dias de tribulacao. ao
ver os magnates affrontando o perigo pessoalmen
te para salva-lo.
Alii, nos reinos e nos iraperios, vemos at6 a
mulher das altas jerarchias nfficiaes, risitaodo os
hospiues e ate fazendo as vezes de irma de cari-
dade ; nio so prestando seu servico pessoa I, eomo
tambem soccerrendo com os elemeotos de tec
proprio peculio.
E' que alii, parece que o dever mesmo, e a pa-
ternal proteccao que os chefes do governo se
cre'em obrigados a prestar ao povo, arrancam dc
coracao sentimentos de bumanidade, quo talvez o
egoismo apaga e extingue quando nao se occupam
posicoes respeitaveis, cemo aquellas em que o
mundo civilisado fixa serapre a visto.
Nao faz inuito tempo que aqui mesmo na Abm-
rica do Sul, o imperador do Brasil attrahia a si o
applause do povo e da imprensa du paiz. visiuodo
pessoalmeote os hospitaes atacados da peste, dan
alento com sua palavra carmhosa e fazendo-lhe!>
do-lhes esmolas.
Entretanto, aqui na Republica Argentina, oodc
am presidento e um homem como qualquer outro,
e talvez inferior ao ultimo dos habitantes de tea
solo, pelas grandes responsabilidades e os iratneo-
sos compromissos qne fazem pesar sobre elite a
lei, a opiniao publica e a soberania pupuUr ; o
espirito publico nao se apossa do seu legitimo pa
pel, e deixa impassive! e tranquillo que o ebeff
da nacao seja o horaom mais cobarde da republi-
ca e o primeiro que apenis assoraa um perigo,
foge abandonando o governo e deixando o paiz
sera administracao regular.
Depois do cholera e de Cesar, tem a palavra
a loucura.
A Republica de 10 do corrente. com a epigra
pheHospicio dos loucos-noticia o seguinte :
< Desde o dia de ante-hontem ao meio dia ale
hontem as 7 horas da .u.uilia, liveiain cntr4a
neste estabelecimcnto onze individuos atacados de
alienacao mental.
c Ha algum tempo que tinha dimlnuido o nn-
mero de atacados e asylades no hospicio dos
loucos ate ficar reduzidii o numero destes a 150
mas nestcs ultimos mezes coraecou novameate a
augmentar de uma maneira progressiva.
Lastimamos que alguns loucos que govemam
desastradamente este paiz, procurando serapre
complicacoes para elle e sonhanJo castellos no ar,
nio tenham tambem entrada no referido bos-
picio.
No dia 10 deixou dc existir. victima de ama
febre lyphoide, o Dr. Octavio Garrigos, presidente
da camara dos deputados nacionaes, director dc
Banco Provincial, e um dos mais res|>eitaveis ad-
vogados do foro pnrtenho.
A sua morte foi aqui ceralmentc sentida, por
quo era elle um bom pai de familia, exceltentc
amigo, patiiota ..u.-lero e cidadao modelo.
0 seu enterro foi bastante concorrido.
- Na semana passada, por occasiao de desem-
barcarem se alguns passageiros vindns no vapor
Cuzco, uma baleeira que conduzia 18 d'elles, tot
repentinamente a pique, afogando se 13.
No dia seguinte foram encontrados na praia ic
cadaveres dos passageiros afogado1. notando-se
entre elles o dc uma furmosa joven de 15 annos
de idade !
Em vista de tao lamentsvel successo, a capita-
nia do porto rccomraeudou que as baleeiras e bo-
les nao conduzam numero excessive ae pessoas, e
ordenou que nao se effectite desembarque de
passageiros depois do sol posto.
- Hontem, as 4 horas da tarde, na roa Florida
perto da de Rivadavja, um j >ven cbamado Cane,
empregado na redac.-ao do Saciomal, orgao do
partido alsinista, tenteu assassinar com am rewol-
ver ao Dr. Ezequiel Paz, director e redactor da
Pampa, jornal independents
Se nao fosse a coragem do Dr. Paz de avancai
para o assassino e tomar Ibe a arma, certamente
teria sido vict>ma de tao escandaloso atteolado.
0 deliquente foi preso pelo povo, e na policia
confessou com orgulho o crime, dcc'.arando :
que tinha escripta no coracao a oecessidade de
malar ao redactor da Pampa, por causa de nos
artigo injurioso. que tinha sido publicado n'aoMOe
jornal contra elle (
Dizem que horas antes do atteatado recuora o
Dr. Paz um duello que (he tinha manlaao proper
0 joven Cane.
27
28
29 o a
30
3t i i
!- de Janeiro
2 ..
* B
6 t
7
8
1
1
-2
2
12
34
V,
34
38
34
31
42
34
27
E' admiravel a grande torrente de emigracao
que tem vindo ultimamente do velho mundo pan
e-ta Republica, a qual, cumpre ronfe-sar, MB
lido toda voluntaria, pois o g-ivrno argentine
apenas se limita a ter, na Europa alguns agentH
encarregados de fazer conhecer este paiz e de pan
elle encaminhar a emigracao, e n'esta cidade uma
commissao central para dirigil-a.
No anno passado, segundo ama estaiistiea pa-
blicada nos liarios, entraram no porto de Buenos
Ayres 76.:131 eirigrantes sndo maior parte d'ellet
italianos c bespanhoes.
E no entretanto, aqui presentemnnte o governo
nio faz nenhum caso dos pobres omigrantes, qne
sao recebidos como maoadas de carneiros. e eav
jeitos a toda especie de vexa;ojs e toraontoa na
quarentena que sao obrigados a fazer, e oode
muitos teem achado a morte.
A este respeito falle nor nos o iV.icioitaJ de t dr.
corrente, do qual traduzimos o st^mote artigo,
que coutem a verdade em todas a* was ualavrae
Os emigr ntes 0 que faz p mcional. -Km aomc da humaniiad*, cm nrnie te
progresso do paiz, peliraos mais un v-z go-
verno naciotial qne cumpra com o seu d-v*r.
Basla ja de passeios a C*rapachy, basia d> lan-
ces ridicule- como o do Cnyaba, |U so servern
para desprstigiar-nos e fazer passar sobre a hoa-
ra argennna uma aombra de hurailhaci i.
O cli !-r.i c-ia entre nos. Como euirou, e qoes
i,". ,j ii ie se res..Ivor na consciencia do* iu-
inens que tiveraoi cm suas tuaos it* meius de im
pe.ti to Esse.- chamad s lazarelos, imfimndw fc
pus mid 'is vivus ad .ecem e os doeBte_ .
*6 repres iu.cn barbaras prisoes ond s> condu-
zulos a morte os eimgrantes qae chegani em bus-
ca de ar e ffabalbe.

V


Sttrfacite Pornambuco Qutfcta teira 29 de Janeiro de 1874.
y
*

=
CS*
w*
Paz nm roez
missao de waticst*
jaei iual. quaToi'Te,
BomotsWp****-
A,fleua **i*-e*ira e,frar^aw?nte & ve>da>.-
Ifoi amaca was *pid>mia frmwi segundo noj-
mi oVuto*, oVwia chegar durante m ptttei de de-
zembro e Janeiro de J- 3tf mittmt9ranies-~Qae
se f.ra com elles t ^ K_^lV. .
Essa oota, que *z hdW*. a ommlwio central
do eraigraeao, potqoe rev<*"que alii hi ^igilfcaeia
se toraam medMat preveHfras. foi sa perder em
aleuma pasta rraniteri> -eWquanto qae e presi-
dente armado d*t ocata -ae alcance.'"Sdgue era
Garapachav os variados iecFdentes de uma regata.
E os effeitos eomeeam a eanttr-se.
O vapor Eiro e outros navios chegaram a Mon-
tevideo cola *,90f> emigrantes. As autoridadea
onentaes ordenar m que elles se ditigissem imme-
dlataraentc para a ilha de Floras, atim de deixar
alii os passageiros. Os vapores forani para onde
se Ihes ordeuava, mas, dentro em pouco voliaram,
fazeodo signal pelo telegrapho maritirao que era
iropossivel deixar os passageiros na ilha, porque
ella estava cheia de gente que se encontrava alii
n'um estado deploravel Entio toda essa geote'oi
remettila puta aqui, para uma cidade JBfeslasa J
tropagando as vairtagens da e.nigracao, a favo-
recemos com todas nostes foreas e o paiz sustenta
agentes na Europa paTa que taeam conhecer esta
terra aos homens que-bascam a vida do trabalho.
Das repnblicas db Pa'cifico e "da ^America Ceri
iral nada nos consta digno de attencao.
-hontom em Camposo*v*,\l- nv> bfennio, e eml^to **
Ae 5. luilo da Barra, Ma*r* Ida- rados no art S9.Jos htaw
Cr.moista. Era mail* wlimado creto a. 4,476 de 18 de fe^WS d
Patteeen, ante
da cidade d<
da"' Rocha Campbta
i-aa-auoavjroUias, e fora, ha annoa^
pr^SSte
I i>
MO K JANEIRO
16 m, lANEftO tE tfrt*
0 Sr uimfstro dfagrieuttara maridou cootratar
enienheiros austrlieos de prlmeira nola, para eon-
jiioctamente com outros naeionaes, procederem a
orgimisacaa .de uma caa .itineran* d tapeno,
autorisado pelo corpo legislative.
0 St. ministro 4a airloOltiira afaha4 provl-
dear para qoe eSr:^oks*vv,vrda*rra nota-
bihdadascientiltaa e autoridade na matena, ou, era
falta deste, outfo engenheiro espec.al.Ma rcpuUflo
entre os raais distinctos da Europa, venna olBW
sil fazer os estudos precisoo para 1bo de taelhorameBto do? port fXleza e outros, contribuiado o m.n,Wnoda
marinha torn a metade des rhooororins do mfp-
nheiro ue for para este Dm contraUdo.
j T? o wrvi^ di nwlhorarnentb- de lnos
^'mesm^ p"re"^etVua"re,mblica nio perde occa-1 nnha esiado, ora a carjjo.do *^T%
r.r____j_____-,i jj^.-^r. -,rti.rn it diano. noa, ora do da agricultura. ricou asei<' =
as?im foi espresso no reguiamentB que acaba ue
*HMl.J*nirq.
" \9 **^
A mortalidade da cidada do Rio de Janeiro, da-
ranie a quinna de I a 4^ doorreite,
obotetim do 3r. coaselheirp Dr. I'erei
presidente da .junta: central M hygiene pi
termUKMe* e remitteotes 43, variola Jl,
lites ( erfslpelas ) i.
iao em documeStos, discarscs e artigos de diario,
nnando & Bxc. sobe a-irapreni arespirarHtn
pouco o viparoso hakto do povo, de fallar da emi
gracao, deiwostraraens beneicioj e chamar a si
todos os homns de boa vontade. I
Essa e a tbeoria, essa e a rethorwa, essa t a:
phrase. Naprelica ha a desidia a mais criminal,
o abandono oimts irriiante.
Era aoaso cousa de oatro-mundo haver prepa-
rado iud ponto qualquer lt littoral, par* onde-fos-
sem levados es emigrant*, velaudo-se coMUnie-
ffente sobre eRes, ate leTem pas*ad Jtes trides
moutontos'? .
Em todos es abusos fa poder, em todas as ex-
travaganeia^ do St. president* fode U* havido< ^e-
guodo a apiaiao dos qub o susteita sangn*-^
tw, um fuudo de boa inten?fw.
oje, o *zemos4:om wda clareia, ha m fexMo
de barbaria na cohdncU do govorao arflenwno.
Ainda e tempo : temos um dovoado em Paugo-
es e aako cm Punta Arenas. Tome s essas tL
dirnlas lanchas de giierra i|ue se cliama esquaira
naejofl.il, cc.mprera se todos os bareos ae essarios o conduza-se para esses ou outros
^nntos aos emigrafites que Vao chegando, estabe
Jeceodo-se uma linba de vapores com o luu Ue at-
tend-r a snbdsteiicia desses desgrapados.
'Hio e digho, nao e pruprid de um povo que
cbama para si e era alta voi a todos os homens
due bui-cam trabalho honrado na sup'erficie da tfer-
*>, receber eoln uma arnica de morte aos.4ie
a acodera deliaixo de boa fe a esso ehamado.
Os povos teem os goverbos que mereecm, disse
nt dta S. Exc ... ,K
Nao, pof Deus! porque o povo argentino anne
la o progresso e o ?eu governo t estorva ; nao,
.sorque o povo roaldiz as auteridades inuteis (pie
nao sabemprecave-ln das pestes e conspiram con-
tra sna pnispefidadc, pond.t uma barreira temyel
entre elle e a emigrafio, seu mats poderoso ele
rocnto de vida. ,
Solte"phrases' S*. Exc. e le'vante Lusques em La
ra,)sehay, emquanlo o povo morro e os emigrahte?
nao encohtram nem um immuiilo lazartto onue
po^aiii ser acolliidos. .
Occupe se o governo em reter vapores Prasoei-
roi po'r temor de scdicioso? pygmeus comoBivarol
la, para cahtar a palinddia a mais ridicula, em-,
quanto corre na Europa a vi de qilena RepuWi-
.i Argentina so recede com a morte aas que vao
huse.ir nella a Irrfs'piulidade 'flffereelda!
Oh 1 hio sio phrase-, nao nd palavras 1
E' a profuflda indignacJe quo se levanta no
tito, ao con^iderar a ?orte de>es inilhares de
sgragadns, que pela ineivfia de um goverao cri-
minal, estao expostas a uma norte cspantosa, o
que nos impoe .< derer de le^ntar a voz e pm-
i -sur, em oonie do povo, contra a ihiqua eondtic-
ta do governo naeiOnal.
Passanio a parte comtnertlal, temos a dizer
que, apezar da crise que e operoa por causa do
apparecimento do cholera, como notlciamos na
nrimva anterior, comtudo o estado geral dos he-
gociisvai se tornahdo satisfactorio. 0 inTcado
monttario segue melhbrandd de Uma maHelra no-
tavd. O dinheiro ia eomei;a a abundar na praca,
onde facilmente se consegue desemtos de boas
lettra* a 1 por cento ao mez. 0* bancos Nacional
c. I'rovim-ial teem descontado sommas considers-
veis nestes ultimos dias
A noticia recemiche^ada de estar em vesperas
de se realisar em ton'dres o emprestimo de salu-
bridade, e cuio iraporte e de tres milhoes de h-
brtk* -lerimas, causou na praca mul tavoravel ii-
pressao, pois, as remssas ids dinheiro metallico
que |i<>r este motivo devem ser feitas facilit:r5o as
trinsaccoes, determinando maior incremento em
i >! is os ramos do comroercio.
0 mercado de exporta'^o resente-se bastante
era sua actividada e raovimento, continnando a
^arti.-ipar das BMsnias cau*as cjue produziram a
laraiy-a.ao no do importacao
1j do art. II do nosso
adv*-plo de-
^ 1870 do
regumnhV mterno; ejtre
ser promolcado, relormando a respecUya secreta-
Tia, aue aquelle service oompelo ao munsteno aa
apricultura, salvo qnaHdo so tr.ale noe portes de
obras militares da exclusiva ooropeteneia da ma-
mlu.
0 Sr.-ministro da agricultura, ouvida a seccao
doimperio docouselhode estado e conlormaiido-
s^com o-parocer darta, offlciou ao Sr. consalheiro
j>rocurador da coroa para que providenciasse, bos
ttrmo*' do regulamento de de faverwro de ,
estabeiecendo o conflicto- de iurfediccao relativa^
menteaaB^ffl>rf>W)'J=t?.;P*!l?eo,,,P;'nllia v?
iSieiro Stret Railway *rai das em preias V.lla-
Isaliel e Santa TheTSza. ..j,.., A ,
Tendu a campanhia Botanical harden Hail r>
reDreseotodo a'r'eapeito do direito de preTerencia
uue i'uiga terparaassehtamento de trrtho* na versaswas da pane da cidade ehVwo ae-pro-
looga actealmenM sua lidUa, foram ouvidas sobre
essa represetitaeao as seccoes reutidas do nnpe
rio e justica do conselho de eslade.
Perante a ooogrega?4o da facaldade. de medicina
foi conferldo antehontem o grao de dodtor ao rsr.
Uuiz Jose de Alvarenga, qua por motivos attendi-
veis deixara de comparecer aojaia 4 do corrente
isias cerebro-eapinhaes 18, tetonos %, Wjh-
vuls5esl3, apoplexias e conges Wes cerewaesp,
daustres X luicidio I, homicidlo.l, mojtea de
dagrtrteWe 2i, ontras caOsa08, somma ttt
/V(tcfon4MiAl:-Na6lonas:7, stttn|rifos
121, ignorada 4. ... ...
Condicao: -Livres 361, escraya 57.
Sexo :-Mascalmo'59 fermnmo 163. .
Idades. :-Art 7-anWra S, de 7 a 25 64, d#-
a 40 83* de 40 a 55 68, raais de 55 54, ignorada
27
' LooaMade: DomWIloj 277, hospitaeS nliHVa-
res 16, hespiUes civis 1*9.
Comparando-se este *iadro om o da qu-
zena anterior, conheeeseS
i." Quo a mortalidade geral foi menor do que
na fuimena antecedente, dando'Se menes e
cimentos. .i*.-.
2.' Que a febre amarella foi meuor, no entaato
q-ue a 4as outra* subio sensivslmenle. t
3. Que ada varkiladecresceu muito, dandese
menos 23 mortos. lit.
4. Que a determinada pelas aTfcccoes agudas
dosorgaos respiratorios, augmehtott um poneO,
no entanto quediminnio adasida asduapjafe-
Iho cerebro-espintaal. >-^iw-zn
S? Pinalmente, que a das outras melesoa< nao
offerecera cousa digna de attenjao.
0 calor foi exeesstvo em todo este Pj'oa.
mdrmente no cower da manha e a noite, em vlr-
tude da calma quasi sempre remante nestapcca-
-sWes. Os graos thermomotricos manliverani-se
unu
As eotradas d is frucMs do paiz tern side
nifu-antes, e as vendaa quasi nenhumas.
Os cambios sobre Inglaterra teem sido cotados
a 49 1/4 e i9 1/2, sobre Fraaca a S -27 e 5 -29 e
Sbbre Ambcres e Oenova a 5 28 e 5 -.30 fr. por
Its.
Quanto ao assucar de P.-mambuco, entroujim
i-arregamenti pllo EiizibeUi, c nposto de 1,5V)
barrwas e 200 meias, do qnal nao sabemos se se
jvjlisiu a venda.
t);zemter-se vendido um carrcgamento a
ear por prego reservado.
Do exrstenie na pra^a llzeram-se peqaenas ven-
da pelo< preeos -eguiutes : I* sorte a 61 ps, 2*
de 54 a .-:8, somenos de 50 a 52 o ma9ravado de
44 a 46.
II
Do Estado Oriental temos datas ate honteni.
E:ti Montevideo preoecupava a attenoao pn-
hlica um conflicto originado entre a camara dos
4eputados e u poder exBitotivo, por causa de se
*aver negado um official da goarda pelieial do
diticio da camara a dar cumpriuieato a uma or-
dem do re.-peclivo.proBidente.
O poder execulivo sostenta o procedimento do
affieial e nega a cam- ra dos deputados o direito
m que ella se oonsldera para dar ordens a po-
lieia.
A camara se reoaio o deliberou que a nola
do poder executivo i<**se enviada a coamissao
de kgislatao. recorBmeBdando the prompto despa-
eho.
Corria em algabs circiilos o beato de qae o
ctironel argentinwMafjaao'Qaeveocio, acompanha-
do do outros ohefes da ex revolOcao jordanista,
nao se conformandocom otermo dado por liopez
-Jixdao a questao de Entre Rio;, estavam se pre
^araado para convnisionar novamente essa pro-
viBcia.
Ne priraeiros dias do corrente mez aouve
am grande incendio em uma barraca situada
na rua do Juneal ao saA, perteneente ao Sr. Si-
vori.
O fogo produzio-se as nove horas e meia da
noute e so.sonseguio'se domar as duas da niadrn*
ada.
Varias pe^soas sahiram coBtus3s e qowmaiias,
ientre rt las 4 martobeiros hespanhoes e bra^teiros
4 3 soldndos do coruo de policia.
As perdas ao calcnladas em 60 a 7,OC0 pata-
'^8es, estando a barraea aegura em 25,000.
Houve tambem outro incendio em uma co
r!i'>ira situada na rua Porez ii.vtel!anos, mas
aem consequenoias dejastrosas. pois,foi logo suftV
jMio.
Ill
Do Poraguay aa tfehinus uoticias tao de 31 do
mez proximo passado.
Rebestou finalmente a nova revotarao qae
e asparava.
Oabaltero, Serrano, GVWmiru e outros tnvadiram
o territ irio da repoblica, onenpando o Pilar, eta
cbIo ponto estabelecsram ami bateria.
Estes revolBcwoa*** *> aeoipao1iados pdr
jnuUos correntinoe tmtre'rianos.
A iuvasao partio da-.cidaie de Corrientes, na
qual se eneontratataMbcido o comite poraguayo
revulucfonario.
O lim de semelbaate revolncaojconsta nos que e
obrigar o vico-prwidante 6r. JoveHanos a deimttir
e desterrar o sea niknairo Ferreira, candi late a
pre-i'li-neia da repttWi'*
E-se Par*ira-i Bin toten ignifraBte, pnwnmido,
orgnth^eo malvdl^ qne tie mbstra com earacter
de um veroaneiro tyranuo digno de er tawido ;
a aua vontade e soberaau no Paraguay u ato u
Jwrdma a do Sr. 'ioveilaaos. que a elle seentregou
de corpo a alma.
No dia 13 ftram conduidos e firmsd"s em
As*am!>i*o us tratalns deiiniti/os de P'Z, ami/.a-
de, oavegagao e comrnercio, entrap reprosenlante
a repobl/ca oriental e o governo paraguayo.
Consta acJjir-saia assentado a piano de retorma
de estud s daescola militar. tas*a ella a let um
cwso completo-ile engenharia ifiililar, dividid cursopietiaratorio, que ie'ra db' tm annos, e_u-
neribri-ue ora de cinco. Cessa asslm o mcon-
venienle de terem us olBciaes de ir coriipletar seu
uurso aaaacula eeofral "com .rjdenra dosbabitos
militares, e anoinalia de pefte:lcer ao tnlnislerio
da guerra esta cscola, onde apenas uma dimintu
pane dot aliimnas sao militares, dedicando-se |
quasidoialidade a eBgennaria civil.
"Creado umeurso complelo ha'e*cola da acade-
mia miWar, passa a dscola central fart o ramtste
rio do .imporio encfarregado da instrutfcao pu-:
PdJihi e devem "espe'rar-se borts resUltadPs desta
reTdraia para a qdilse acha o governo legalmente
aUloHsado.
0 p qiiete francez Qirondt, da.Hrtha de Bortieos,
trouxenos hontem fdffiaa do' Bid da Praia ate II
do corrente. ,_ ,
Era Buenos-A'yres continiKtva a rchwro cnole-
ramofhus com a mesma intenstdadc e dirtuHout
(to-se cada set mais o tfettdr entre a papul*^ao,
fugl.a grahde pa'rtd desta para u'Campo, abahdo-
n&db 'breiipitadanrente 3s suas casas,^ue tteayan.
entregues a. guarda da policia. As autondades
pela sua parte tomavam Wdas as -Weuldas ao sen
aleance. estabeiecendo lazaretos eorganisanda soc-
cdrros iublic s. Entre eslas nfedidas algumas
eram vidleblas, como a de fazerdespejarcasas,
e quafleiroas, com o quo se liaviam ongfnaoi) tu-
mult-s, resftrtnao os motadores a-este desalojaroen-
to forcado. ..
Ninguem queria '6s cholericos perto de si. um
cld'adao de 'nome Francisco Benim' poz nma easa
que tinha em Belgrano gratuitamenie a disposicao
do governo para Sproveita la-embeneficm pnblico,
durante a qnadra da e|iidvmia. A casa ardeu e
tao vehemente foi a suspeita -deqae h*m sido
ihcendiada pelo? vizinhos, paratjoeffi estabelefes-
se alll um hospital, que a policia provocon a m-
tervencSo da poder judicial.
lofelizmente a peste ia-se derramsndo tambem
pelas i^vnacoes vzsinhas e invadrtido ontras pro-
vincias argentinas que adopUvam o systems da in
commnnicabilidade eutre si, fechando os seas por-
Iob as procedencias umas das .ontras e estabela
cendo cordSes sanitarius. No Hosario tinham-se Ja-
doalguus casos decholerj.
Em Montevideo terminou o conflicto entre a ca-
mara dos representantes e o poder executivo, de-
clarahdo aquella a este que naoresuondia a<>s|seus
argumentos, reservando ?e to'mar medidas para
salvar de futuro a sua digoidade. Feito isto,con-
tinuaram as sess5ea o sea envso.
A Tribuna hoticia que Lopez Jordan, achando-
so na sua de Sant'Anua do l.ivramento, foi assal-
fado por sele as somente ao opportuno soccorro prestado por Nico
Coronel, Vera e Lima.
Sobre a invasao -do Paraguay nao havia notieias
posteriores as que demos. Prepapada com ele-
ments argentinos, e muito para leeewr qae esta
nova rcvolujao, ostensivameate capitaaeada por La-
baHero e seus asseclas, traga eemsSgo aconteci-
mentos graves.
Temos sido taxado de arautos da guerra com a
Republics Argentina: ertatnerepaoao cbriga-nos a
expor em breves palavras o que pensaraosatal
respeito.
Se o Brasil podesse airosameni<> esTuecer trata-
dos e preseindir do direito de naVrgar o rio da
Praia e sens afllueiites, seriames os -pnmeiros a
acon-=elharqne gnardasse eHes a suas froateiras
e deixasse os vizinhos do sul dirimirem entre si
as suas contendas. Mao eremos, porem que pos-
sa elle faze lo sem coftdemnar todos os seu4a*.ri-
ftcios anteriores, e sem renunciar a posi^fio- qne
the compete, como polencia sul aniericaua, na sus-
terrtacao desse printtipio civilisador, qual odali-
vre navegaeao dos fios que baubara mais de um
estado.
Se temos, pofdm, de navegar aquelles rios, ha-
vemos mister que os argentine* tespeitem o nos-
so direito. .Quanto a nos, seria desconhecer in-
teiramente 6raVcier dos nossos vwmnos, snppor
que elles nao-awtem tonrar como signal de fra
queza oabaadono quelhes lizessenwsdo Paraguay.
Passariam a vexar-aos continuamente no nosso
transrlo peloa rios, e os iaeidentes do Cuyabd re-
petir-se-iitra a tedo o toomonto. Ver-nos-hianos
eniao obrigados ou a renuaciar a nossa uavega
tao ou a eustentar com as araaas na rnao o nos-
so direito Tem-se dite que os seus interesses bem
enlendidos os estao aoonselhando a fomentar antes
do que impedir essa navegacao^ eassime jestanios
porem convencidos que mais alto do que esses in-
teresses fallariam aiMaucia argenlina e o odio de
raca que infelizmenle e impossivel descoaaccer
bos nosos via ahoe.
Nao advgmos a guerra; longe disso, o nosso
maiar des^oe que ella "se evile; as se eeyiu-
vel,,parece-no8 qne somente o sera mostrando fir-
me'za da nossa parte, e nao retrahmdo aos, o qae
sena tornado como-cabardia.
Quanto a preeipitarmos a gaerra, forque mais
tarde. crescendo os armaraentos argeatinos, seria
ella mais oustosa.naa, nio eras*e nunca;o nosso
eoasclho. K' a gaerra uma calaiaidade por de-
uiai* lerrivel, para que nos atiremos a ell* im-
plesraeBle no iatuilo toesteaao passar de contiogente. fodoouosso
erapeoho e aeeviar 4o. Brasu uma *uerra, qne
elto someate devo aceilar em dosaggravo da sua
hoara, .ou Tvia*eaca. dos t^eus direilos; mas
qua o meia de coasegui-lo seja abindonarmos o
Paraguay, retirando as aosaas iropas aem qua os
argentinos facam outrotaato eonforme estipula o
tratado, e c vexames que^a arrogancia aMim favoneada nao
deixana de>1mpor-nas, diremos francamente que
nao o eremos.
sempre muito acima de80, chegando raesmo a 9J
nos diae 2 e 15 ; aprnas em 3 ou 4 dias desce-
ram d'aquella cifra a Tasor de virafoes frescas
% Off
Foraiarara-se bc* tres ullihios dias, tfoyaadas
para os quadrantes de NO e'Nt *" se dissipa-
ram sera dar chuva; so no dia.., depow das m
horas da noite, choveu regutarmente, itidicMtdO o
pluvioraelro 4:t" e sehtindo-setrbveiar loage.^
Os graos hygrometricos, oscillafam entre 8b e
75, baixando em alguns, mas poucos dias, da ul-
tima cifra. .,...._
A media diaria da moWahdade foi de 28. ,
0 dia de maior raortandade, roi o aia J, em que
bouvn 36 fallecimeplos, e c de meAor, d nia 14,
em que se aeram 20.
ao
Consta-nos. que breveroante segue pata a pro^
vincia do Rio Grande do Sul, uma comfnissao de
officiaes deengenharia e de artiHiena, sob a,di-
recjao do tenente coronel Confado Jacdb ae
Niemeyer.
tetui o seguinte parecer
*" i 0 credito e o debito da in^'ttulcAo, conccrren-
tes ao periodo acima coniignado, acham se per-
feitamenla legalisados, a a aua ascriptaraoio am
ia, realisada com precisJ.ti, elareza e nRidei ioex-
cedireis.
Este primorosTj trabalho, de grande mereci
n- mtnto,Tevla a pendia, iciiMrte e zalo dos.one
o deseawanaararo, tornaado-se por Issoaligno* oos
maloregloavores e eneomios.
t A subituli;ao de regimeato interuo do { de
|ulho de 1836, pelo que foi adoptado em 30 de
abril de-aano passado, produzlo uma cnmpletae
benefica aHeragao notystema de lancamentos an-
teriormente observado.
Creando livros- iadupensaveis^quo. -aid-entao
nJo eXistlam, fawllitouo-exame fla receita edea-
peza do aslabaldelnienlo e a verlfieacao das som-
mas arrecadadas na corte e nas provincias, po-
dendo se de momento conhecer do estado do co-
frc e do movitienlo de (undos.
O menclonado acto teve execucao nesta corte
no dia 1* de jtflho do anno passado e aas theion-
rarias de fazenla no 1* do Janeiro ultimo.
Temos por eoasequenoia Um anno i dacorrido
na pratica ultimamenle eslatuida, e os resultados
celhidos, quesaotnaaifestos pela sua effloacia e
conveniencia, attestara de modo irrocmavel a su
perioridade do novo sobre o antigo regimento in
terno.
wi Esta verdade bem e expenawntou a commis
sao, -porque, tendo, sem gnande estorcn, examina
do as contas pertencentes ao seguadoanao, ad-
quirisido a conviccao de nao existir em seu pro-
cesso escripturacao o meaor crro ou irregulari-
dade, so pode com muito trabalho e difflculdade
conseguir eerteza identira, relalivameute ao do
primeiro.
A veriCoacao dareceilapelo systema moder-
no foi rapida e completa, por liraitar-ae a coufe-
rencia dos taloes own o livrorespectjvo.
f Pelo anterior teve-se necessidado abaolota de
recorrar So assentaraento de eada contribumte,
para se averiguar quo as diversas quantias es-
riptnradas no seu credito eorrespondiam ao de-
"bito do tbesoareiro.
Como sa be is, naquelleegpaop do tempo, a qne
aos temos referidos, a quitavio da quaalia paga
pelo contribumte era pa**ada em sua propnaca
derneta, nab fieando portanto a prova material da
enlrega feita das annuidades, joiaa a rauUis.
c Actualmente essa prova essencial eiste, pela
circumstancia de ser dada em recibo especial,
cerrespondonte aoialao devidamente rubric*do
< Desta extraorlinario medioratnento resultou
gran/le excesso 6*e trabalho, prinoipalflienlo para a
seccAo de contabifidade,. jostificaadt) este facto
completamante o ra*oavel accresoirao do despeea
effectuada com os aovos veneimentos dos empre-
gados, os quaes sao credores da consideraeao da.
assemble* geral pelos bbnsse'rvicos, proetados du-
rante o ultimo biennin.
Nao pode a commissao furtar se ao desejo
que nutre de manifestar-vos, que applamle'since-
ramente a idea coasigaada no luminoso relatorio
185
161
148
140
127
125
o e-
feliz resulladn. que lem colhido as mais aitufee-
torias deciaracoes coin toda a mmuct --.dad.-, fal-
tando ainds ser pergtirttadas pessoas re'enda*
- *jm*a**MmmA<^m**i*MW**#*>* ^W^ **<*Negado de pol"?*
milicias Antonio Jose GuimarJes e Silva, na Made J tenente oJnrcolino Antwiia dos. Sant^e <
de 87 a'nnos
antus-asBxes.
Da apura^ao aos 50 coHegifts :onheeidosvna elel--
cao.para senador, o rosuJtado era :
i Coramendador Cruz Machalo 1I8K
2" Dr Luiz Carlos ,009
3 Dr. A. Bretas 89
Dr. J PeaMo 705
Dr Li-naftiarte *73
Dr. Martinho Campos *'
Bispo de Dlamantina H
Bispo de Marianna ,2,4
d resultadb da eleicao pr.vtMial tto prime!
ro districto foi o teguinte :
! Dr Fernando Magalbies
2* Coronel Alhayde
3* Dr. Lucas A. Monteiro da Castro
4* Assis Majtins
5* Francisco Peixoto
6* JoSo Chrysostomo
6-rasuMado do terceiro dittriclo foi
guinte :
Raptista Pinto.
Rodngues -il va
Lucas Monteiro
Numinato
Tolentino
Reliciano Penna
0 Diario de Minas re fere i
a J.ise Machado Nunes, tiumioense, que ha
tempos appareceu nesta provincia inUlulando-se
doutor cm medicina pela faculdade da Bahia, e
extonjuindo fabulosas quantias dos Incautos, foi
pronunciado na cidade de Ayurnoca, onde exer-
ceu a sua falsa proflssao, como inoorso no art. 302
do codigo cr minal com referenda ao 269 do mes-
mo codigo, pelo uso de titulo indevido e roubo de
hooorarios,
- S. Kac. o Sr. Dr. chefe de policia tomou as
necessaries providencias. para acaptura do crimi
who, que ainda ha pouco eeteve na cidade do
Boin-1'iin, e alii nao fez pequenas extorsoes.
RW-OfllNDeDO SUL.
Havia alii chegado o patacho dinamarqoez.Ac
met oenduzindo parte do gazometro. para a cidade
de Porto Alegra e parte ua cidade do Rio-Grande.
Em Sarandy fora assassiaado Felioiano Aalonio
Pires por Um seu escravo.
pelos orirmowos, na dirtriau^io dos diverse*
objectos roub..dos e que foram pel'* assaasiaos
vendidos a divers.. ... __....
Em S. LeopoMo falleeera o aacnvao de orpMoe,
ha pouco nomeadn, JftrinhodeSa Queirox Car-
las daqu-lla localidadadizem a tal respeWo o ae-
guinte :
a Um facto horrivel acaba de dar-se na -
gnnda feira, 29 de dezembro, a meia noite oq
menos, nas immediacyJes da eidade
No dia antecedente, pela niadrugada, monu-
ram a cavallo para nma cascata, deooiuiaada
pelos allemaesWassertall -, a que disU de S.
Leopold.) oito legaas, os Srs. juiz de direito Dr
Salustiano Orlando, inglez Frederico Fritz GeraM,
capitao Vicente Orsi, escrivao de orphans Fran-
cisco Dirceo Marinho de Queiroz e official de fa-
zenda da armada Elpidio Augu-^to da 1\. cha Lima,
indo am negro escravo como pagem.
Na volla, que se realisou ca seguoda feira (29),
sendo ja adianlada a node e achandu se os viajaa-
tes ia fatigados pela viauem um pouco loaga r
de maos camioh'>. vinhara como geralmeote
acontece em casos taes um pouco separados, mas
em pequena disUncia de um para utro. Aa
chegar ao passo de S. Leopoldo.e tendo de passar
o rio em uma ba/ca que se emprega nesse 6m.
csperaram pelo ooiiipanh.uro Marmao de Quatro;
e pelo prelo uue servia de pagem, os quars sr
haviam airazado quando muito det a qutnze nu-
nutos de viagem. Debalde can*ado> de *9***
e tresnoitados, passaram na barea com o urn. flt
recolherem se, suppondo devida a demora de M-
rinho a ter-se elle agazalhado era casa da ult.a
do caplHio Orai, seu amigo, e qne, aa aiargem *
caminho muito pouco distava da cidade.
t 0 negro, qne tambem se havia deraoraoo, -'
chegou as seis horas da maoha, n-.ontado no bur
rinho em que havia feito a viagem e puxanJ'
pelas redeas o cavallo de Marinho.
t Os outros companbeiros de viagem Baarani
bastanta afflictos, suppondo logo algum diiattre
acontecido, porque. pprenntaodo ao negro o m-
Iara feito do Sr. Marinho, que havia ficadocom
ella respoudea que nao sabia, vjto ter paraot-
tado do lado de fdra de um motoho.auaaoa a
.. ..__________J .. .alm.l
210
IPO
156
145
144
440
seguinte
flontem, pela VplU das4 horas da'taMe,.t
fabrica de cerveja da rtta-da Gdalfda Veiha, o im-
perial marinheiro /orge Defens"or, Teno monat-
rriento ao seU camarada Joaqdim Gandim, que
falleceti moraentos depois.
Era acto conlinao foi preso o assassmo, e con-
dueido a 4." esUfao de policia, on'dj* confessou tef
mono o seu coropanheiro por |>rovoca^5es deste e
existir desde mflilo rixa enlre elleS jmbos.
No lugar osde se effeoluara a prtsao, compare-
ceu 6 Subdelegado do'!* disirictd da fregnezia de
S. Jose, acortipanhado de seu escrivao; debois de
ldvrado o eompetOnle auto de llagtaote delicto,
foi o cada'er conduzido para o hecroterio e o
dffensor ao Jcidrez de policia.
I'm numeroso audhorio, assiUio a n6nn cohfe-,
fenCia, qde teve lugar ddmingo, as 11 horas da
manfia 0 iWtlnlo orador conselheiro Jose Line-
ralo Barroso, tratou com mUita habilidade *l MM
these : a ed&cacao em geral e com espeaalidaiie
em relvao & ihnlher. Nio pode, portm, concluir
suas observances tio tempo marcado para a con-
fereneia, e traUta da segunda parte em um
doroingos de fevereiro.
beira da estrada, por acliar-se cansado o aalmal
e que pela raanhi, seguindo viagem, hawa *9-
trado o cavallo em que monttva Marina* aaailna-
docom a redea no pwcoco o astnbo daperna
direita passado por cima do aHim.
Graves foram as conjeeturas que Jizeram Mgo
os companheiros de viagem, e a populacao iaae:-
ra da cidade ao saber disto. Immeasataaieaie
montarara a cavallo o capitao Orsi, o **"J^do
pagem, o qnal era amigo do desappareoiao, e
muilas ontras pessoas, de sorte que, eat maaoa oa
duas horas, haviam passado o no a procnra-la
mi pcrfoas, amigi
desastrado. Bateo-^ e esquadriohou-se patoao a
palmo todas as sangas e capoeiras alagadieaa f
ta que da pormenores sobre o horrivel caso :
0 Feliciano fires foi, no dia primeiro do cor-
rente, mnrlo na sua casal ao quarto em qne dor-
mia quasi.sempre so. Sobre sua morte. que por
aqui nao e sena'da, por isso mesmo qne havia
mais receios delle, do que estima merecia, por ser
JiomwB bulhento e sem o temor-do Deus, von I he
dar a* notieias quo colhi, por isso mesmo qae as-
slsti aquasi tado-quanto fez a subdeleg3cia, logo
que 6 Jos* Raphael de Otiveira teve scienwa do
acontecido
0 cadaver do Feliciano Pires, em-qua-f-e pro-
eedeu a corpo de delicto, apreseintava um fe i- ^jk, de ceffl perfoas, amigo* ecooieaiaos do
eato.togo depois da setima costella;direita, com
seis pollegadas de comprido, e mais ou mem
duas-de largura, chefaadu quasi averllha, e porlmaaas pp|as oithnas chnvas a qae boraaato ca-
onde logo paia fora saltaram o^ inteslmos; um no
peilo asquerdo nao muito pequeno; outro nas
ci*tas sobre o lado direito, com;qua5i duas polle
sasKras5S57 e e!s*-a*' tsars.sis. t
dus
vidores do estado bs recursos indispensaveis para
poderem inscrever se ua (jualiiade da oontribBin-
tes do rabble- pio.
v Traduzide am facto, este philantropioo pen-
samento iria benaflciar contenares de pessoas de-
pendentes do uma clause pouco fevorecida da for-
tuaay-nao ob.-taate ser corapoala"de hemeas, que
gastara a sua aclividade e consomem a *ua exls
tf'acla no service publiccv.e quer- na maxima par-
te nao conseguem adquirir qieiosde legar as suas
familias uma subsistencia modica.
(>)nsiderado.economicarr.ente, laWes nao fo*e
dilllcil demons'trat a conveniencia da -adopcio da
medida alludida ; a commissao, porem...qae so te-
ve em vistas louvar umaidca ex:ellenle, conheee
o limile de snas altribuiroos, acatando, eonforrne
Itie cumpre, as da mesa."plena a quem de djreito
compeli estudar-e resolver questoes de semethan-
le hatureza.
t" 0 rasultado obtido pelo exame mmuewwo a
que se procedeu no gcahde nuraero de doaumen-
tos que inslruem o ^redito e o debito em suas A\U
ferentes verbas, concof la perfeitameate com o da
demonstracao annexa do relatorio da muit) illus-
trada directoria, \nsto coostar do scguinte
Receita I^61:?13|8l8
Deepeza | "994:7481896
Eleva-se a
qiie foi empregado na
230 apolices
Foi nomeada pelo Sr ministro da gnerra, uma $a!do gral
commissao de inquento, para o Asylo de Invalidos idem vlndo
da Patria. .....
E* presidente della o Sr. coronel Agostinho
Marques deSa
Do-RlodaPrata, temos folhas ate 15 do cor-
rente, pelo paquete Inglei Boyne, da liQh/t^de
Southampton. .'-T
Em Buenos-Ayres, a cpidemia do cholera-mor-
bus, apresentou symptomas de decrescimento, ao
mesmo tempo que de alguns pint5s das provin-
cias do norte ch-gavam notieias de lerem alii
auparecido casOs da terrivel molestia. A linpren-
sa censurava acremente o presidente Saranento,
que nesta quadra de provacto para a capital,
passava tramiuillamecte o torapo na ilha de Lara-
pachay, empregando os soldados da sua escolu
na lavra e bemfeitorias das suas terras
Em Montevideo, as camaras dicutim o
Orcamento, posto de parte o conflicto com e
governo E.am amargas as qaeixas contra o go-
verno argentino, por ter estabelecido em Martin
Garcia, perto da costa oriental, o lazareto para os
(luarentenarios; entretanlo um esquadrao atacado
de cholera no Salto, era mandado de quarentena
para a fronteira do Brasil.
A 12 foi recebido solemnemente pela preiden
cia'da repnbtica oriental, o n .sso novo ministro
residente Francisco Xavier da Costa" Agniar de
Andrada, que por esta oceasiao assim fallou :
Exm. Sr. Tenho a honra de depdr-nas m5os
de V Exc. a carta pela qual S. M. o I nparador
do Brasil, men augusto soberano, houve por bem
acrediur-me no earacter do sen ministro residente
Desta republics.
Di-vem ser conhecidos os sentjmen.os de
sincera amisade o particular sympathia que
nutrem o Imperalor e o povo do Brasil pata com
o governo e o povo oriental Estes sentinentos
dimanara das tradi$5esdo passado, das exitencias
do presente e de paipiiantes interesses do futuro.
A afinidada de taes sentimentos, semprs cfes-
centes, e a situacao geographica dos dous paizes.
extgem uniio intima e cordial entre ambos ass.m
como indltam a seus respectivos governos, nma
3ol'tiea baseada na jastifa e respeito deseaslegi
timo3 interesses.
Manter e desenvorver esta uhiSo, ser o fiel
executor desta politica, que tanto caracierisao
governo imperial, dar maior desenvolvimento as
relacoe* cOmmerclaes ja existentes, sostenlar o
consolidar a sympathia politiea^ que sempra deve
predominar nas relajoes inlernacionaes dos dous
govemos, sera o principal fira de minha trissio
c Espero, no desempentio desta nobre larefa,
merecer a coadjnvacao de V. Exc. e de seu Htas-
tfado governo Tenho concluido.
0 presidente Dr. EHanri, respondeu nos seguin-
tes termos:
t Sr. ministro. Recebo com a maior cftrdiali-
dade a cartaautographaque aeabais deapresen-
tar-me, e pela qual S. M. o Imperador do Brasil,
vos acredita ministro residente junto ao raeu
governo.
c Anin.ado dos mesmo? sentimentos qne dig
nastes definir, e inspirado em identico proposito,
posso assegurar vos que a exemplo de povos a
governos vizinhos, desenvolveroi todos os meios
ao meu aleance, p<>ra suslentar e Consolidar as'
boas e cordiaes relajoes que felizmento existem
entre a republica e o imperio.
. Era tal conceitoye felicHando-ae qnesaja a
aistincta pessoa do Sr. Andrada, a drsignada por
S. M. o Imperador, para represeial-o aqni.com
o &m de realizar taes comnjeturnentos, jbIl
men dover declarar-lhe, -que. desde ,ja o coBsidero
loveeudo no cargo de ministro rcridwte do
Brasi!
i6S:96i*932
do biennio de 1869 a
38.232*56i
*omjra de
505; 1974496
287:909*480
fieando cm dinheiro
sendo em conta corrente no ban-
co do Brasil
e no cofre
277:288*016
253:000,000
JWWjO'o
Como baviamos noticiaio aa nossa fulha de
27 do passado, foram mandados exhumar, nor
urdem d> ministerio da guerra, e trasladar para
esta corte, onde chegaram a t3 do corrente, no
transport* uemieh, os restos mortaes do illustra
general Anumio Manoel de Hello ; acham-se dp-
pisiudos aa capella do arsenal de gnerra, de
onde -eran n^movidospara o jazigo que Ine del*
tins sua familii.
que as contas do biennio passado acham-Se em
condifSes de ser approvadas, c esta circnmsiancia,
que denuncia o empenho e zelo da adminiitracao
transacta pelo progresso e prosperidade do esta-
beleriraento, juSrifican pedtdo qae a mesma com-
misaXonao hesita em drrigir-vns de votardes agrn-
decimentos e Jouvmes aos distinctos cavalheiros,
que tao relevantes serviros nos prestaram.
t Esperahdoque por vossabendade relevareis a
imperfercao do trabaltio, que ora vos 6 apresenta-
do, so restara a commissao o dever de marrifexUir-
vos a sua profunda gratidao pela prova de apre-
co e conSanca com que dignastes distingui-la
e a qual procurou corresponder dignamtnte.
a Rio de Janeira, em 26 de novembro de 1873.
Joaquim Manoel de Oliceira Figu iredo. Jose
Maria Peretra. Francisco Augusto de Lima
Silva.
uniilODEi"EHi>ilMt5iJ'Ju
RECIFE, !9 DE JANEIRO DE 1874.
Notieias do sul do imperio.
Chegaram hontem ao nisso porto os vapores
inglez Boyne e portuguez Almeida Garret, trazen-
do datas: do Rio da t>rata 15, do Rio-Grando do
Sul 11 de Minas-Geraes 16, de S. Paulo 21, do
Espirito-Santo 17, do Rio de Janeiro 23 e da Ba-
hia J6 do oorraate.
Aldm do que dam is sob as ruoncas Parte Offi-
cial, Exterior e Interior, ^acontramos nos jornaes
o que segue :
BEPvauCAS no pacifico.
Uma cortespondencia de Santiago da aJgans-as-
clarecimentos sobre a questao religioso no Cliiie :
Esumos em plena questao religiosa, o actual
presidente, que deve a sua eleieJo principalmente
aos esforcos do partido oriental, esta hoje era luta
aberla com o npiscopado chileno.
0 projecto do codigo penal deu signal para
ro npimenlo desta luta 0 artigo qne estabelece
peoas para os ecdesiaslicos que publicarem bnl-;
las pontiG :ias sera benoplacito do governo frt as-
aurapto de apaixonada disenssao no seaado, sem
que se chegasse a retnltado algum.
Os conservadores pedem a suppressao do ar-
tigo, a legando que a igreja tern por direito divmo
a faculdade de onsinar a verdade a quem quizer
ouvi-la, e desde os primeiros seculos a pregou e
dillundio, a despeito dos imperadores romanos.
Pela sua parte o governo declarou que nao val-
laria no seu propoHto, e o ministro do Inter**
coaciuio um.brilnaate discurso dueado que era
todo o casa de conflicto entre a lei civil e a oano-
uioa, o goverao sustenlaria aquella energiea-
raente sem curar de censuras nem excommu-
A Bevista Cat-olica. orgio official do arce-
bullas em que
Comjnanicam-Brs o seguinte :
Os alumnos de inedieina que aseLsa'ram aa pre-
leccoes do eximio oculisU o Sr. Or. Orognat Lao
dre, acompanhados de alguos medieo>v dieairam-
e, na noite de 19 do corrente, a reaideaeiado il.
lustre cirurgiao, e ahi Ihe offereceram area meda-
li a de ouro em signal de mnito apreco ao seu ta
lenlo e a proOcienoia e poricia coat -qoa-exerceo
importanie ramo da medicina a que ae dedieou
Na sessio da assembiea geral do Monte Pio Ge-
ral de Eeonomia dos -ServTdore? do Estado, qne
teve lugar antehontem, foi unanimemontoappro-
vado o seguinte paracer :
a Senhores.Monrados com a oanfiaoca da as-
sambMa geral, jjuo em ena sessio de 30 de outn-
bro proximo panada* os aoinmettaa o -grave e
imporlante encargo de examinar as contas dp plli-
taes comraetUroentos, ]uigo di-l bispo, acto continue, publiouu as
se condemna a proposicao susentada pelo minis-.
tni. 0 ett-ito foi unirem mailos dos eon*ervado-
res a sua voz aos 4os radieaes, racUmaado ase-
aaracaoda igreja edo assado e bradaBdoaogo-
verno avante I Assim vao tomando aa consas as.
pecto cada vez mais eno e ja principia a usar-
sejdo pulpitopara anathematisar os que gover-
aare.
panaGOAV bio ba pbata
Recommeadamws a leitora da missiva do nosso
correspondeate i Buenos-Ayres.
JHITTO-OIIOS9I.
Dates at* *de dezembro :
No dia 19 o promotor pubhoo da capital apro
sentara a dennnela ontra Fran-isco de Souza ^
navarro, Jned de Sez Caaavarr e o escravo Ja-
nuario, que na noite de 19 de laarco de 1871 as
sas maraaialenrtitefoaranel Usriaaa X-vu-r da
Silvs
Por fafta de matriciila ctrm eicancipados esoravos Beoedicio. Fl<*encia, Francisco, Antonio,
Benedicta, f bomazia e Theodora.
3"uerdoj graad"es e profuedos ; um reriroento no
edo da mio direita ; dous ferhaeatos nas guellas,
com raaii de poUegada de eomprimento, eamte-
rimento no calcaahar do pe direito.
.0 crime fe\-e lugar das O-.para as 18 horas da
noite. 'Digno que ouvi, mas nada sei explicar,
em posso, porque minha- intelligenoia nio ohega
para tanto.
Hilario, o eseravo'assassino. sendo interroga-
do, nao obslante o grande ferimento- qne tern, res-
pondeu qae foi sua senhora. muUier do morlo,
que Ihe abrio a porta, e que Ihe deu a facca do
assassinadu, para que elle o matasse. Hdario en-
trou.no quarto e achando sou senbor dormmdo
deu-lhe o primeiro golpe e outros ;U6 que elle Ihe
pode arrancar das maos a faea, ferindo-o per sna
vez, e cahindo mo to logo depois. Durante esta
scena que nio podii ser inuda nem silenciosa, a
mulher, com ftlhas toda^ Aafpij fugiram por uma
jaaella I
t 0 assassino, ferido, voio para o quarto denraa
parceira que dormia fera da casa, onde pedio e
(foi por eWa tratado, tendo/mesnw estado alii a mu-
lher da morto I
c Hilario declarou que matou seu senhor, por-
que sua senhora para isso Ihe promaitera liber
dade !
Os ftthoada yeliciano, qne eslavantem casa
do avo, uma leguadistaate, logo one tiveranavi-
so do faete vieram pra o ipgar do crirae, ft-nm
delles com um companaelro foi prevenir a po-
licia. .
o Do processofeito-pela policia, em que foi oa-
vi la a mulher de Feuckmo, os filaos e outros,
que compareceram a fiasa logo depois do crime,
posso adiafitaf-lhe as seguinte* inforrnae.oes:
n A preta Isabel, que curou a Hilario, foi quem,
foi ehamar aos fllhos do ilres, e nao ouvu o me
nor barulho. Os fllhos e outros que IroUxeram
co'mslgo afftrtnara que lf.go que chegaram a casa,
interrogaram a flnario, e que este dissera-lhes
qae elle e so elle assa-stnara o seu senhor; que
este a noilo o "chamara para o quarto em que dor-
mia, c que ahi o eslava castigaudo^e que se zan-
gando, porque elle sempre se defendia das reben
cadas com o brace, lancara mao de uma faca que
tinha em clma de uma commdda e o fenra, pelo
que elle arrancando tambem de sua faca se segu-
rara ao senhor, e que derfubaddo o sobre acaina,
tivera oceasiao de o esfaquear.
Assim o qne dizera os fllhos e mulher nao se
aceorda com o que diz o assssino.
Depois da narrapSo que aqui flea, so podemos
pedir que a iuslioa eurapra o seu dever, desco-
brindo e esclarecendo o mysterio qne tal Crime
talvez contenha. '
Antonio Pires tinha grandes defeito9, e seu
earacter naa era dos raenos reprehensiveis ; po-
rem t^eu trlste flm, para nao aoiraar ncvos en-
mes, pede que a justica se faga onvir para easti-
gar aos que altentaram contra os seus dias.
Em data de 8 do corrente o Diario diz mais so-
bre esle assure pto o segufnte :
t Estavamos escrevendo estas linhas, quaado
vieram dizer que Hilario viera aate-honlera para
esta cidade conduzid) em nma carreta por doos
'filhos daqnelle que matara, chegando ja cadaver,
seudi em seguida entdrrado por ordeni da auto-
ridade policial.
Mas, nosso informante accrescentou-nos qne
no cadaver haviam muitos ferimantos.
a E sa com reserva damos esta noticia, nera
por isso podemos calar o qpo de nos exige o de-
ver, porque querftmos sem ire cjue ajustica cami-
nhe traaquiila e placida, alcanijando a todo e
qualijuer criminoso, sem querersaber nem dapo*
sicao desto, nera das qualidades dasvicthnas.
Entebdemos que a autoridade policial deve
proeeder a exhumacio do cadaver e tazer o res-
pective exame. Assim se podera conhecer se
houve um novo crime, podendo ao mesmo tempo
cahir" por terra tbda e qualquer mcriminacao sem
o meaor fundameuto.
Em Pelotas tlnham sido descoberlos os princi-
paes autores dos assaamiatos de que foram vicii-
mas Kaphael Esquierdo e seu filho menor de
Dome Candido. Os assassinos foram os pretos
Laurindo, Jesuino e Ezequiel ; os dous priraeiros
eswavos do Sr. Manoel Marques das NeVes Lobe,
e o ultimo do jr. Manoel Francisco Moreira vma
correspondencia de Pelotas narra assim o mode;
porque foram elles descoberlos :
Ha poncos dias tendo commettido faHas o
erioulo Ezequiel para como Sr. Moreirinha, a este
procurandodar Ihe um corrociivo,oe ioulo fugio
e foi ter na chaeara de seu .senhor, dizando qoe
o mono Ihe qneria castiger fon trr elle fobtado
fhuctas oa horta ; a isto o Sr. Moreira ordeaou
ao escravo que voltassa para a aarqueada.que o
seu lilho nao o casligaria por ta i pouca eousa, a
menos quoellfr Ezequiel-aao hon*ess*-oomBaUido
crime grave. Relirou se Ezequiel cam a oril"m
dada-por seu senhorno dia I.* do corrente com
destino a -xarqueada. Em lugar ue obedecer as
ordens do Sr "Moreiraj ao contrario fugio. dMsu
falta, o filho do Sr. Moreira .providencioo a cap-
lura do crtoulo, e coHseguw agarra*lo. A'viSta
da gravidade das faltas mandou castiga-to com
bolos. e a j proeipio do castigo Ezequiel aotnecau
a gritar, dizeodo que nio Ihe desse .porque elle
eonfessava tudo, e dizia quem matou o home a
A esta declaracao o jr. Moreirinha pMCuron
A esta declaracao o >r. nioreirinna proouiuu uo, owwd wivby"* y* ,
eutrar na verdade, e com effeito Ezetjaielaonffls-. o feeebidos todos os dwntes.
son que entre Eae<|uiei, Laurindo e leenino pVa- "'
ticaram as m.irtes de Raphael Esqaierda -e se
ffiho.
--aO'Sr. Moreirinha mc atiaeati maaaou cna-'
mar o Sr. vianoel Marques das Neves. Loae, e- hospital
ahor dos outros pretos, a nvio a aonfiseaa Ua.
Evequiel. Immediatamente o Sr. I*bx> manda
rtiam.r Laurindo e Jesutno o-estos ox>anrwam a
conti An de Ezequiel. A' vila do expos** os Srs.-
Mfireirmha e bobo seauram oe sens eserataaa |na
mandaraoi presos a ser eatragaes a *MorWeue
policial.
Hontem comecaram os autos da perguma aos
minho ate quasi ao anoltecer.
Aduvida e a extrema ancledade polo reaeio
da algum crime horroroso, dava iagac a Sal eam-
mentarios em todos ns espkilos. O nearo aavia
segnido tambem e>coludo por doua aaWaioa, con-
juntamente o capiUo da poiicia, aflat de mo-Mrar
lugar em que ha-^ia enconlrado o eavalla. #ae
perguntos qoe se Hie fez no*erame rauitaa :naen-
tiras e conlradicgoes porquanto veaifleo*aaaao
haver elle dormide no tal momhOyO hi vislo ao
clarear puxando o cavallo de qua tritessa p'-r
uai boqueirao, lugar a qua dia aagro naaaavei
ido. Encontrou-se rastos do burrialio a aa ca-
vallo, os quaes iam ter a beira de on lagaao, e
ainda estes rastos >eguiram mais de AX) "C"'
alem do lugar era qoe o negro confcssoa terabc-
gado para procurar Mariaho. Paadaa a saasi
que bun fundadas eram as tuspaitasqua cahiam
sobre o negro. .
Hoje, 31, pelas 8 1/2 horas da manha. a es-
forcos de sens amigos e conhecidos, qua sa era-
penhavam em procura to, foi visto o eaaaven e>
Marinho em uma lagoa, em pa, aspattcendo
apenas a cabeca na unaraeie dagua, K~taa*
que evide.nte que foi assassinate pe'o preta, e
aiiradii na lagea com algum peso aos pea, para
nao apparecer o cadaver.
OCemmercial, depots de puWicar a eaU q
deixamos extraetaaa.accreseenta o seguiate j
Portador vindo por terra trouxe-aos aa al-
gumas infertaacdes sobre a Iristo morte do escri-
vao Marinho.
Parece-aes que as opioioes dis-oxdam swe ?
assumpto.
t Ha quera atsibua a marte a uan desaatre, -
pssso quo outros a anribuem posttivamanto a um
crime. u-:-,
a As aatoridade policiaes, teado-se dlngwo e
lugar em que foi achado o corpo n'uroa iaft-a
ahi procederam ao auto de corpo da aaiLlo, *ead
o exame medico feito pelo hoarado coronal Hiade-
branl e pelo >r. Pereira, cirurgiao da goarda d.-
eianal.
AiBraiain-nos que esse exame eonstatoa a
dwlocicio das veilebras do pescuco, a anrteaf^
de sangue na boca e no nariz e absoluia ausencia
de agua no ventre, o que faz crer qoe o eerp.
fora para a agua depois de mort). vi^tu sar cans-
tatado pela medicina que csdaveres nao absorve-n
agua. .
. Achouse o cadaver com rel.igio e carratit
da ouro, faca e um rewolver de pre&i, Wtoa.l
somente o dinheiro que trazia (10* a i8a>
No distri *to de Cavera, diz a folha citada, aoa s
no dia 13 dc novembro um crime que *-m alga vs
pontos de semelhanga com e ct.ramaltide pe. i
aesembargador Pontes Visgueiro.
Mandando, no referido dia, Juliana Sdv:
sua fltha Albina maior de 18 anoos lavaj nuia*
pecasderoupa de crianca, na distoneu *na-"
quadras de sua resideneia, alii appareceu depdafla
moca.
< Esla infeliz. lendo commetudo ua erra, se
itumlo 6 voz pubhea, cam um escravo, imkfHB s*
o senhor deste como autor do barbaro &-
aato
0 snbdelegado do disu-icto estava proeaden-
do ao inquerito policial. ... .
Falleceram: no Rio Grande, Jaao Igaacia-oe
Mello, cidadao portuguez, antigo morador oa pro-
vincia ; e no Jaguarao a secretano da oara
municipal, Estanwlao Cardoso da Fomeen.
No dia 8; em Pelotas m.iirera nm operarm oc
nome Joao Fanba, conhecido pelo appailala d>
Prafa lavrada, em consequenda de ana aposl*.
Dissera elle que era capai de beber seb aarra-
fas de cerveja, aceitaram Hie a aposu e cmaaaon
elle a beber; no dm da quarta garrafa cahia foi
mlnado com um ataque de apoplaxia.
Em 14 do c-rreote foi. decterado a prasi-
dancia da prevhseia ds Pernambuco qua a fsdre
Miguel Vieira deBarros Marreea, capeltaojoa aero-
panhia de aprendizes marinheiros tern owaita'a
paganwnlo de seus veocimentos de ooufuiaaiBad.
com a tabella n. o de 5 de fevereiro de salaVax"
tsso que no aviso n. 1433 de 7 de julho oibm
passado determinou-se qne os cape laes asiprt-
gados aates da publicacao doaviao de 14 aayiatv
lambem do anno passado, eoitflauartam Mare
ner o soldo da antiga tabella e a gi-atrilcaaiaaaU-
bi-lecida nade 5 de fewreiro. vigorand^aaisliso-
sj.-oes do ultimo aviso para as qne daqneaa aata
em diante foem admittidoa ao lamon. ___
Em 13 foi nomeada o i." teneate aoaaoiar-
qnes Mancebo para commandar interHissaMi a
canhoneira Henrique Martins.
S. iP*t!LO. ^_
A variola continuava a reinar com intoamadV
em muitos pootos da-proviBcia.
No Rio-Clara'O Dr. Antonio Augusto da raacc-
ca, presidente da camara municipal, oaewaera a
mesma camara tudo quanto foasa aiistor oa cor-
rente mez para tratamento -dos bexi^aStoa. O?
Srs. Oaadido Valle & Otiveira offtsrecaFa^loo^Brr.
este os medicamentos aecessarios eraauaaUoa>
checassem os recursos qae iam sar aaaidaa a
governo. e aqucile o adiaBUmanto de tattaa a
qnanvias precisas para cn-daio das despeaa* qnr
tenhain de fazer-se, quer com oa reparaaioaiaB-
fermsria, qoer cam a alimeniacao a oaiaaSys ia
dispensaveis aos doentes que nellas seaoaaiae
.f^tbGorreio-deTaubatt da 10 :
Infelizmente grassa entre nos a variola.
te npsta eidade um hospital rafulanaeBte sjaata
do, e sob a direccao do Sr. Dr. Sooaa Alvas, aoo
(tavern qu par-
alii sejam removidos quantoaote* todaoaaaa-
dos doraal. Nada Ihes falUiaw. ; .
Naoobftante ter a oanwra mnatoaai sau
da,omo9nJc.ir- aaeu alcama, ajad IWre
para asalo dos vanoteans, todaaw-oSi
Dr "Paala Td-l-.. oresideoto da caman^|i>ao-
veu uma obolo corao um auxiliar para aqaeHa oanaaax
firo. Coasta que aingaeaa' a-isso ae tanjRffa**
4 S. Bxc. o Sr. bttpo awignau a maaflba^ar
mt para as aVapezas com as tarWaaaa. w
dias II, fi a 43 deviant faaar-se preoeapaf aaaa*.
deste mal.
rimiw

I
i

K



i

I
M
4
J
)


I
JJfjtrW (re FerasnrDuCX)
f

<

1
L



0 ffiesmo A lfcfrfe4hjbv$ sujpdba a pi
A Gansia SRI^IiVSKR'haa 4fk *eite de
45 para 16, am dos eugnheiros da linha de paste,
a Dr. Fr|MWe*^u.iir de-Paiia -8oi*f*fe se
Mhava fiWftHado rio hnteT'da Estrada fle Ferro,
le^W)<#r*j|jWWo Mdrttnftn Merhach, foraath
TieMM dwnnvaWJaeioso gatuno quo arromband-'
a fcraeha Ihe foubara vsrios objecto* de as e
qoMfti. superior a 1:000*000.
bft-se o Correh Pautistnno de SI :
# Com > e" abid", a i-ompaohla Panlista vai rea-
lisar o prjl>n?a'n?nto de sua estradd de ferro de
Campinas aw lli.i Clam.
f Em principio do-currente mar abrifam-se Is
aropostas de prelen4enww a c Mistruccao do leito
da estrada, conform* noticiamos. A 12 forara es-
ooNtldos t es empredeiros, dando-se a cada am
uiMMTcao de 15 kilometres, de sorte que acha^e
eottratado o prepare do leiio da eslrada na ex-
Uinife de *5 kilometros, ou desde a cidade de
Caihpinss a*eo ri Piraelaba.'
t O praz j para esse trabattx* i e de 9 mrt
para os lo primeiros kiloraetrds, 7 inezes para oi
cin;o iimnedi tos e assim por diantd at* os u'|'"
mos, que. deverao estar promptos no praxo de 13
metes. Acham se igualmento contratados os dor-
meotes e postee para easa parte ia liaha.
t Somos ntaia WmAiis qae toda a extensao
da estrada ale o Rio t'.l ro se acba explorada e
prepara-se com aeeWd**-as plaMas do no hi
I !fe 36^, *lft^1h$7i(,iirt6,J*4tt'etYft,-4*0
.AigMlma
decia-
t Do W,-fiM,i4tmf
'toMelhd- d)".'priiiHeiXt
desta provincia. B' falsa,.ioieirameiite falsa a
noticia da guerP* -* V. do Rio Branco.
prepara-se coin aottvmww a' (o.~.^ -~.......- i- p B a f. v,tl
ciaLba em dilate.-0-w pod.*': nocurto < da ^^-e ''te D V,UL:
REVtSTA DIARIA.
Qurstuo relifflosa.Nao encontranio-se
nos jornaes da corte, vindos houtem pelo Boyne.
nitieiaapasilivas e claras sobre o accordo realiiu-
du entre Sua Sanlidade Pio IX e o Ex in. Sr. barao
de Penedo," coin relacao ajueila questao, nern mes-
rao havendo coiumunicacfies otfleiaes a respeito ;
para nio- defxararos de algum tnOdtfo esplrit'i pa-
blico aa suspenslo em que Qcara desde o ultimo
telegramma, daraos aqui o treclio de ama carta
da cdrte, qae nos foi obsequlosamente mostrada ;
e accrescentami)S que, segundo bos iaformaram,
se nao vieram ovdens para esta pToviocia, l)i isso
devido a Idr .Ekm. eHvin. Sri'iutertiaBelo en-
irado em duvidas se devia ou nio cumprir as de-
t^rminaoSes. Utf sV* 6b*rB0;-expWidas antes
ozwr&t 5 mes fiteramse. estodos eofcfe 13 le
guas de extansao, levanlaram-se piantas perfis,
i'e&*e a lotfaoao de parle da liaha e*tt wJrtew
car os trabalhos de c -nstraccio. BaMM louvo-
res a engenharia braM*eira,< qo acaM de mo*
trar c Cumprd aqoi destacap. oeBgeaheiro ohefe en-
caiMffada' da^mU- servicos, Br. AMoato_Ee:
reira Reboucas PulHMPMM distioolacfroncien-
cia, nolovel tino -adi)liv*edB|icado amor
ao Wabalbo aaba de raar nest* provinna
repntacao scientifica, ja.cormecida em outros pon-
tos d imp>rii).
Ao oouduirmos esta noticia- chegasos a gra-
ta nova de que anle-hontera, 13, ioag'araB*'se
m trabalhos A* empreftada5amnoa^l.m seccio.)*
a Rnfere. o Municipio de Itapelioinga :
* O evi-ravo Lola, pertencente a Angela de til,
MPfiwianto era S. Paulo, fixSra residencia em U-
pella Veliia, e la com o n>rie de'Luiz Pinto, dina
qao rarava todas as enfefmidades p*r"'meio do
feUieo e do edcaflto.
( ABusou da ijmorancia da matoP parts' das w
bitarites da CapeFla-Velha, Giiarchy' e serwarre-
dort-s, commettendo toda a espeeia de immorali
dades. Levoo a deshonra ao seto dealfafWs fa
miha*. IniimMon com oa- diabolic* sdbtdona
os que p*dtrlaifi Jei.unCialo.
a In*- uma csc.lfatirtfiMe'-li para reeruta, rn
to ester ao cao, reHi^o i esdilta, daodo-ae enr*>
alguns (erimnl is law*. __'.__'. .
Ovap.nr allemao Wseutiw pa-Wlbare^
com urn carregamento de 10,32* saccos de caf6,
content'.) 697>334kilos,- e 91 'fatdos de algoda.i
com 5,237 dltos, (feixou um rendimento de......
67:47*415*. sendo para a alfandega 46:1304074,
pa'a mesa dn Perrdas t :2046s 6 pira a ma-
aiolpiMade 140#5 it.
AA Se' no PiHdatA nhangabense de 11 do cor-
rente: ...
'*. KM RVm. acaba de pratn5af am acto que a
todos deve earlier de satisfacao.
c Sendo informado de qae na caprtla de Nossa
Senhora da Appareeida, dous resftitateis. sa
cerd'jtes mercartejafam escandal'Samente com a
crdttttidaae' dos riel, que detctemente Tinham
anM't Senhora trazer suas offerenda?, oa cam
prW-setts vot-w, declaroa-Hiea que ingresso na re-
ferMa eapelfa era-lhes, de on avante, vedado para
nelW celebrarem qualquer acto relfgieso-.
Apieeiando o zelo por S. Exc. desenvolvldo
afim de extirpar do clero paulisUno labusos que
tendiam paia n descredito das cousas religiosa9,
faxemos votos para que j^mais e-morega a boa
vontade de 5. Exe. e assim veremos o seu cl-ro
ele4 a aliura a que tem direito, mormente na
epoea critica porque passamos. u
Transcreremos de uma folba de Guaratin-
;udli
< No dia 93 entrou em julgameoto o processo
em^tte sio rees J.>ao Maximo, Joao Barbosa e
Joao Petronillo, accusados do assassinato do coro
nel Josd Vicente de Azevedo : foram acompaoha
dos pelo seu derensor o Sr. Dr. ORreira Braga,
sendo a autora representada pelo ten.-nte coronel
Marciano Maximo Franco.
a No principio dos trabalhos, pedindo e obtendo
a palavra o advogado da autora, requereu o adia-
aiento do processu para a proxima sessao, visto
nao terem comparecido as teslemunhas da accu-
sagao : o advogado dos reos impugnou o requeri-
mento, qae allnal foi deferido, tendo concordado
com a sua materia o orgao do ministerio publlco
t E' a decima terceira sessao a que estes reos
comparecem, sem ser possivel o seu julgameato,
e a'quinta a que assktom no jury deste terrao,
que n5o 6 o i6ro |do delicto. O julgamento foi
adiado para a sessao >eguinte.
ESPIBITO SANTO.
Em presenja do pre-idenle da provincia, Je va-
rios fanccionarios publicos e de numeroso con-
curso inaugurara-se na tarde de 6 a prar,a do
Mercado da caoital.
0 ex-thesbureim, tenente Antonio Rodrigues
Pereira fd a pronnnciado em virtnde do alcance
que se encontr.-u no cofre da thesouraiia, pro-
vincial.
BIO DE JANEIRO.
Falleceu. na corte. o escrivao da? appella
Joes commerciaes e ta lelliao de protestos de letras
oao Joaiuim Pizarro.
A alfandega da corte rendeu de 1 a 22 do
corrente 2,359:4524473.
Eis as nolicias commerciaes da ultima da-
ta :
, 0 mercado de cambio mostrou-se poace acj
tivo sobre Londres a 16 118 d. papel bancario, 23
3] 16 e 26 3|8 d. particular.
a Neg.Kiaram se pequenos lotes de soberanos a
94450, a draheiro Con*toa tambem ter-se vendf-
do um lole importante a 94400 cada urn.
No mercado de fundos pablicns nada se fez e
no de aceSe* apenas transpiruu a venda de dous
pequenos lotes das da companhia de Carri- de Fer-
ro de S. Christovao a 4103500 e 4204000 a di-
nheiro.
a Na1a se fez hoje em cafe"; as tendas de as-
sucar foram pe menas para consume.
i Sahiram tambem para consumo cerca de ...
65,000 kilos de carne secca.
c Apenas se fretou hoje um navio para carregar
algodao em Penedo, com destino a Liverpool, a 3|4
d. e 5 j. de capa
S mgueza Saudade.
BAHIA.
Lemo5 no Correh :
Falleceu no dia 21 do corrente, o veterano
da independencia Bonifacio Marques Pitombo.
Com) ja noticiaraos, o vapor Dous de Julho da
compaahia Haniana, esperado da Cachoeira no dia
21 do corrente, nao chpgou nesse dia, e so hontem
aqai aportm as 2 horas da madrugada.
Na Oidem, daquella cidade, extrahimoe a
noticia que se segue e que e relativa a e9te acon-
tecimento para o qnal, em some de lantos into
resse* comproraettiJos, chamamos a attengao dos
podere* competentes:
a O vapor Dous de Julho, em sua viagem do
dia 20 do corrente, tsteve am grande* erabaracos
t Tendo sahido da capital ao meio dia, s6 apor-
tou a eta cidade as 9 1|2 horas da mite... por
se havei arrombado a sua velba e arruinada cal-
daira.
a H intern este vapor sahio d'aqoi as 7 horas da
manhS e se fleoa na aliura do ehgenho Buraco,
(duas legoas distantes daqui) p lo mesmo motive
VIM mais este pedaco a ver o qae provider},
cia a respeito a companhia Bahiana, >qat se oao
tem abalado cdm tantos outros ; sirva esta oos-
sa noticia de echo ao goverao. para aniraa-la a la-
vorecer esta carreira com meihor navio, ondeos
pasageiros naveguem com menos susto e maior
confuada.
i Falleceu reaeotinamenle, no dia 27 do pass*
do, n* ponta da SauMra, o ciladao Francisco>DTas,
do Araaral. administrador de uma das propried -
des dd"l?xm. barS6'de"Pli,aJS,deixando vluva etPea
fllh s men ires
qua. o
Sf.D.
o -santo padre Pio IX
29lWfu
,0 finad* oriranj born cldadio, bom pttde
familia e ete'fffit'o cargo de subdelegado sup-
^WrtWBdrt,-tNWm ^m^^mWttr; a ttNtfh^HHl!
uoA****tiMMm*&* Meyes a madre-Prkfr-' '
cisca-Hottaaa *' Sat *a na Made de 99'
i Hmtem (21) propalou 9e-riiticapital-o- boats
du qoe e*ttvdigtoad* a gwrra^uw o flMkl e
a ripabllca 4MwWns:'
Eistt-tM-lM ^a-e*rta
t 0'"breVe" ou aelo,
rtarida'adttrn Kflvnt: SY. 0. Titaf, romeca pelas
palavras -G.M ttta HOitian&dMtit ; adrftoesta
3bipos por^rem^ft insurgjdo eoBir* m-+h do
Md.t"iain'te'MUBddr ai*Merdie6es','8-*di
ra qe*as iniT3ii(tadi 3rpondo recur so para as MHMMHP 'rt-
rreram.
' E' o quanto pnietnos inrormar ao*teitores
.. i Jury du lIfe.-PreaW^ MWrs. juizes
dt facto, o 6osh\ d ofcBca fejrm oomposio
44s seguintes 8ry,-.: Felix Paes da Hva Pereira,
Dt\ Laiz t^rlosde Magalhaes Ureve, Pedro Jorge
d* Silva Ramos,. Di..go Baptists Fernandes, Jose
FfaBcisco Rimsiro de Souaa, Or. '; noel Francisco
de Barter Rego, terJetlte Pedro Jariusrio de Paiva
Dias, Dr. Joauuim Manuel Vieira de Mello, Joa'
ijairft Salvador Pea de Siqueira Cavalcante
Franci-8 Atttdnio- da-9ilva CavalcanteKDr. Joaquim
Franeisc*- doso.
FofamwJbiitetMrtosajafgamento os r6os Anto-
nio JoaqulftrMa il*a e 'M*noef f6 barbosa, o pri
meiro pt*mim:lJidtf; flo artigo-MS do codigo cri
Bal, como atifn!,, e o -egatfdfl"no mesmo artigo
combinado MMaWaVIa raesfli* cod?gd, Como com-
plice. ,
TiVeram ptJr advogadbs ; o primeiro ao Dr. L.
E. Rodrigues Viadij o seguntio ao- Dr: Ceonar
d Fratterteo ^e Almeida-
Em" \i-U da decisao do jury, foi condemnaio
o ro- Antonio J.aquim da Silva a 8 aonos de gales
e multa de 20 por cento do valor roubado, e Ma-
noal Jsd BarUosa a S annos e 4. metes e multa de
13 1/3 pur cento do valor roubado.
O advogido do primeiro'&ppailou da senten^a.
Camara municipal. Em sossao de liou-
tein, desta corj'.rc5((, f.d ex.merade, a Sea ped*-,
do, o Sr W.bviret Pedro'de Albilqaerqde Autran,
do lugar de serretarlo, e nmneado para o .-ubsti-
tuir o Sr. bach aid Frauoi.-cn Angus to da CosU.
Vapor Curnripf. Foi transferida par*
hoje, a tarde; i sahiia U.-ste vopor iara Maman-
guaoe.
Trlrgrainm.-i da corte-Kin data de
27 do corrento dizem :
0 cimbio sobre Londres faz-se a 26 d. baft
carlo.
.lui/o de paz da freguezia de San-
to Antonio. Acha-se no exereleio de.*se jui-
zado o Sr. major Antonio Bernardo Quinteiro, o
qaal dara sua primeira audiencia no dia 3 de fe-
vereiro proximo, e d'ahi era diante sempre nas
ten/as e sextas feiras ; ao meio dia, e na s la pu
blica das raesmas a rua do Imperador Preta-se
a despachar em qualquer parte oode for eneoa
trado e no cartorio do respective escrivao-, tam-
bem a rua do Imperador.
Para a Europa Com i'l reoebidos em
nosso porto levoa o vapor Buyne 131 pas-a-
geiros.
Dinheiro.0 vapor Boyne trouxe para :
Pereira Carneiro 4 C. 2,350
Amorim Irraaos 4 C. 1,200
Jose da Silva Lpyo 4 Flllio 9:0004000
.Narciso Jos<$ Ferreir^ 4:M74^200
Jose da Silva Rego Braga 3;l 84000
Antonio Machadu G. da Silva 2.0U040O.I
0 vapor Penedo levou de uossa pra>;a para :
Maceid 3i:9924o00
Companhfa pernanibucana. II >]
6 o ultim i dia em que recebem carga os vapores
Ipojucu e Giquid, para os ponos do oorte e sul,
(miforme se acha annunciado pela mesraa compa-
nhia.
Socledade Patriotlca Doze de Se-
teinbro. Hoje h. 3e dade no lugar e bora do costume.
Via ferreade Ol n.la. -No dia 2 de fe-
vereiro proximo, alem dos treos da taliella em
vigor, havera do Recife para Olinda, e de Olinda
parao Recife, mais um as 10 }i horas da manha,
h cando em t doss os pontoa, "e, alem destes em
'trente da capella de Beleirf-, assim como os trens
que parle oi do Recife a< 9 V e de Olinda as 12
horas, panrao em frente a inesma capella, para
assim facilitar a< pessoas que liverem de assistir
ao acto do assentamento da lapida commemorativa
do desemhargador Numes M.u-nado.
Indemnfsadora.Hoje, ao meio dia, deve
ter lugar a assembled geral dos accionistas desta
companhia de seguros, no scriptorio respectivo a
rua d- Vigario. No lugar corapetente do presen
te numero publicamos o relatorio do anno findo e
demais pecas.
Conflieto.-No lugar-Guabirabado termo
de Lim wiro, Bellarmino Jose Pereira, travando-se
de razoes com Francisco Jose Thenorio, em 20 do
corrente, passaram a vias de facto, resultando do
contlieto sahir o piimeiro grave nente ferido com
tres facadas, e levemente o segundo. Foram am-
bos presos na occaiao.
Assassinato. -A's 3 horas da tarde de 25
do corrente, Firmino de tal e Anicto de tal, ma-
taram um escravo de nome Manoel, do Dr. Jus6
Vicente, no lugar Areias-do districto de Afoga-
dos. Evadiram-e.
Morte repentina. Na fregaezia de S.
Fr. Pedro Goncalves, falleceu repentinamente na
madrngada do dia 25 de corrente, o ex praci do
exercito Jos6 Luiz Senhorinho.
Da vistoria procedida, verificou-se ter elle suc-
cumbido a cbronicos padecimentos internes.
Loteria do Rio de Janeiro. Resu
mo da lista da 112.' loteria (491) era beneflcio do
Monte Pio Geral, oxtrabida a 16 do conente :
N. 2845..........'........... 2'i:0 '04000
N. 3818...................... iOD0040i)0
N. 125...................... 4:0003000
N. 4563...................... 2:000/000
Ns. 1708 e 5809l:000X a cada am.
Ns. 133, 2245, 5"60 e 5684 8 0* a cada am
Ns. 19, 445, 751, 800, 1148, 2314, 2898, 3652,
4281 e 50'>8 2004 a ca la am.
Ns. 199. 244, 320, 585, 588, 935, 1306, 2184,
2574, 2672, 3384, 3162, <603 3812, 3835, 4081,
4245, 4580, 4639 e 5138-1004 a cada nm.
Ns. 143, 216, 3 5, 363, 379, 399, 636, 742,
828, 838, 890, 1045. 1103, 1152, 1202, 13o2,
1390, 1406. 1336, 1549. 161'), 16*1, 1731. 1969,
1971, 2195, 2131. 2360, 2597, 2662, 2765, 2803,
3126, 3117, 3476, 3492, 3662, 3736, 3775, 3802,
2932, 4096, 4103, 4151, 4'6l, 4l8d, 4254, 4266,
4279, 4637, 4913, 5053 5278, 5449, 5660,. 5743,
3807, 5906, 5962 e 5976 -404 a cada am.
i Resurao da lista 4a 22.' loteria (492) em
beneflcio do palnmonio do Hospioio de Pedro II:
. N-. '178...................... t':'-0 400ft
N. 4447...................... 10:00<4000
N. *23ft..................... 4:'O0#O00
N. 38ii3...................... 2:000*000
, Ns. 4U17 e5831-1:0004 a cada um.
Ns, 13- 0, 3158, 398-3 e 4402 H) >* a cada am.
. I*. 58V, 729. 1298. 1376, 2177, 2382, 3903,
2, 4451 e 568 > 2004 a cada um.
Ni. 647, 7i'97flt 1056, 32u 2004, 2081.
2411, 26fl, t1%J, mi, 4'6, 4182, 4318. 4333,
4781, 5217. 5783, 58'7* 31964 100* a cada um
L]-J*b*i12l,nl238, n99^006J3^46,
*mK\m,"A lost, 1003, m, 3*06, 3:19,
114, 63-, 744 e 19-* 104 a cada um- j
MWeata.Asfolljas.d* Ba*ia poblleam o
segalnte protesto do Rvnr. Sf. arceWspo da Bahia.
co.ide de S. Salvador :
' a Nos D. Manoel Joaquim da Silveira, por mer-
6k de Deas e da Santa Se Aposlolica, arcebi*p > da
Bahia. metropolitano e primax do Brasil, conde de
S Salvador, do conselho do Sua Mageetade o im-
perador : ....
t Visitando nas agaai da capital desta archidio
cese 0 nosso muito amado collega e irmS o Exm.
e Rvm.Sr. bisp'oda.tMinJa D Fr. Vital Miria Gon-
calves de Oliveira.que segue para a corte do im-
port" preso por ordom do goverao imperial, e reco
nbecendo a injuria iue se'faa com usse acto a sua
sarrada peisoa ee irroga k igreja catholica e a
todo 0 seu eplseop do. especialmente a do Brasil:
ppotestamos solemneiaente ferante os feis de toda
a santa igreja do Novso Seihor Joins Qhristo, com
epecialidade *d<*fc ihl|Mio, pVPaHlo o mesmo
governo de Sua. Magesude-o Imperador contra
essa vloleffcia^ae tao'craelaienW fereos sefttl
mentor catholicos de toda a pupirtacso do mesmo
imp'Tio. Bahia, 8 de Janeiro de I871.'- -ArCebUpO,
c4nde de f. Salvador.*
Bispo de J^riWglbjTO.'^-Tendo s.do
remetttdo com'tfst* arrEtn/Sr. conrflTneiro pro-
motor da msttcj, afiia de q^e"e.aKOsenU' H-
bello accuatoho Contra o'Eftii e:irtnf*/D. Fr.
Viialrbispo de Pernaratmco, ado. racebeu-o esse
Sr..por*sfaf em ferTai.oofa-queguardoU-ae a visU.
para' prosegiiir dtep^is.de-31 do cortente '
Companhia tefeRrapliica.-E) data, .ra, apol.ee 8,811
de-t> do pai'cado OHcrevou ^oegwate-e eorfespoB^ Idem idem,.no pata
dlnte de L..udre para o tonuS do Commtrcio, do
Rio de Janeiro :
aYvB'hontom-lnfar uma reuniao geral e x-
trawdnlaria-1 da Wiier aad .rartHM ffetejpra^k
Co|iany para faaer passar urmiTeSolUvliO PI*o-
vando e conHnnando nuu esrrHMara de: cmrtfato,
datadd do 7 do deaeoihrH do>87, reirtrd'rtaom-
panbia por uma parteo a GbMYBdMb* legrajA
Company limited e o seu li midante, por outra
parte, para reco-ther-je as acfSdff mittTdas" aos ac-
cienistas de Great Western Tebgtfcph Company li-
mited, sendo sub3titbdai (or oufas nas mosra
cdndicSes das primefras.
0 pre-sidente disse i;u* aquella reunlao- era ue-
edssaria, a,fim de garaHttP. os iatefe-es dos accio
nistas. Na IransJereacia de accdes qu so lei da
companhfa'primifiva paTa a actual, dewam se ter
i.bservado certas formalidados, que tinpedissem os
accionistas de se verem obrfgados a dese'iibolsar
duas ve;es a diff--ren5a entre a quantia paga por
estas acefies e a que pagaram pelas acgoes da
Great Western. Proptmha, por Unto, que se ap-
provasse o contrato.
M. Buckley apoiou a proposta que foi apre?cnta-
ia a reOuiio e'appro^'Kts.
0 prwsidenie a*ererentoa quo "era duvida os
accionistas desOjarfem^iantes lesepararem seoaw
algunrts-pafavpiftrelaflvas ao progresso da com-
paunia
Tinlia-se coiloeado. o eabo entre o Para e Per-
nambuco; o-esttva ftlftcchHratido beKr:
0 Hooper esurva cottdtaiidd lutora-a parte meri-
dional entre PeVnambucu e a Bahia, o-entre a Bahia
e Rio d-Janeira.
A lfnha eutrO a Bahia e o Rio da Praia for :onl-
prada com cerlas coadicoee; pagouse o deposito
0 o resto so pagara quando a obra ficar con-
Cluida. .
Os diractores compraram um navio que servira
para fazer os {concertos, estaci.mando na costa
aftm de cnidar dos cabos". neste iiiterv-lle os di-
Pectores fizeram com que o Grearlh Nmthern se-
guis?e para o Para, afun de e?tar prompto para o
caso de acontecer afgum accidente.
Por proposta do Sr Jo n Maxvrel, foi dado um
voto do agradeeimento ao presidente, e Ievanlou-se
a sessao.
Opiniao insuspelta DasMemorias do
finado arcebispo, marquej de Sta Cruz, extrac-
lamos o seguinte pepiodo, coja leitora tem um
certo inleresse de actu'alidade ."
Apresentando-me logo depois deste acto (o da
trutd
goi nacionif Pro-
tideneia, desta
port., para o Rid
da Praia, apoHce
7,958
Idem idem, no pata-
cbo allemao Eli-
ze, deste porto
para o Rio da
Praia, apol i ce
7,593
Idem idem, no va-
p t nacional Gv .-
ro, deste porto
para o do Mara-
nhao, apolice 8,180
Idem idem, na barca
porlugueza Hersi-
lia, deste norio
para o da cidade
: do Porto, apolice
. 8 131
Idem idem, nos ra-
pypes na*iane8
IpiifudM'&Pinpv-
mo, deste porto
, para o do Ceara,
.apniires 8.I85' e-
8,703
Idem idem, no ta<
per nacional Pi
, 1 rapama, deste nor
,!t para tfto&a
: cho allemao Th<;o-
dor, desta porto
para o Rio da Pra*
ta, apolice 8,310
idem idem, na bar-
ca pnrtugueza St-
pWra, de-te porto -
i para o de Lisboa,
' apolice 8,437
Idem idero. no pa-
lhabote iagteaV*-
meCrfc*,llesfepi.r'
to para o do Rio
Grande-, du Sul,
..apolice. 8,796
Idem Idem, nh pa*
u<*w.- ofcpaall.*
Mvsierio, destepor
to para o do Ava-r
caju, apolice 88n3
Idem idem idem, ap
: lfce 8.860
Hem idem, no pata-
cho national GnriJ
buhli, deste port'
para' o do Rio
Grande do SuT.apo-
ce 8,678
Idem idem, na bar-
ca fran eza Ripide,
deste port'O u.ra o
Rio da Praia, apo-
lice 8.661
Idein idem, na barca
hespanhola Curto-
ta, deste porto j>A-
ra o Rio da I'rata,
apolice 8,530
Idem idem, no brigue
portuguez Return-
pugo, deste porto
para o Rio da Pra-
ta, apolice 8,710
62M7S2L
i:19U0t0';
1.1064530
27P4o2o
18/1580
vnMtrv
188*476
1:7924560
1:4384885
IS 6444785
830*515
6i6491&-
1:5524190
6:I60J880
i:005|tt0 33:0t24722
.Pprnamh
bro d 1873.
Joaquim Aivetda Poneeea,
Srt: accioilMas &*&$&ItfrmMnSora.
- A commis^So fiscal, do coniormidade com o dis-
posto nos arts. 30 e 31 dos cstatutos, proeedeu ao
exame de contas-* veMBcaoao dog vahJres em car-
teira, e achou ludo'de accoVdO com o balanco que
vos sera apresentado, pelo qae e de parecer que
as mesmas contas sejaa approvadas comtim Voto
deiouvur a illustre direccio, fela dedieacao e zelo
com que tem promovido os ialeresses da compa-
nhia
Escriptorio da companhia Indemnisadora, 24 de
Janeiro de 1874.
Joan Quirino de Aguilar.
Luiz Jotc da Costa Amorim.
Josi Sa LeM6 Junior.
'B8UCACDE8 PEDIOO
A vlotima do* mttmm latfWM
da Sr. bardoii Tffe, na pro
vlncia da Amazoniu.
. Nio pensava de v1r"4'lraDrn pre prWdro exiirtir-me, a n& ttfr do ijatentear ao
pHblico um facto' esCatluatosd, Ja eommentado, com
Ia'Mtagwn, por alguos joraaes de-varlaa pfovlaclas
este imperio.
' Seria indigno do grto- d* nafnrcfta.'que esta aci-
mVdtJ'iJmas consideracSes la vi ri, se n5o vTesse
pres.-uro.su e com o vigor de que sou capaz.
preii-a em defeza dot ineas direitos "
nwntos, pefa parte bWWi-mw tc*w \vtvA* jg|^
negocio, e, aos que ainda tomarem, protesto mam
ja a minha goudio. ^
Cidade do AraCdry, aa provtacia do OetraJW*
Janeiro de 1874.
CirM\
sua sagracaoj ae imperador, elle me-recebeu e
acolheu com as mais Rsongeiras expressoes ; mas
3uando, em referenda ao clero da Bahia, elle ine
irigio estas palavras do rel propheta -rege eos in
virga ferreacomo insinuando-me medtdas de ri
gor e severidade, pareceume que elle nio com-
prehendia bem o espirito do ep*scop*do catbolico,
espirito de mausidso e dofnra, legado por Aquelle
que foi Dor excellencia roanso e hirmilde de cora-
cao. Os reis do mnndo, dizia ette Divlno Mestre
aes seas discipnios, exercitam sobre os seassubdi-
tos uma im eriosa d iminacao,v6s, porem,nao pra-
ticareis assim : cujo saudavel dictame foi repetido
pelo Priucipc dos Apostolos entre as maximas lu-
minosas, que elle propoe aos pastores no regimen
de suas igrejas.>
Loteria.-A qae se acha a venda e a 85*, a
beneflcio da matriz de Salgneiro, que ccrre no dia
30 do corrente mez.
Leilao Amanha, 30, contimia o agente I'm
to o leilao de moveis, loupa e crystaes, annunciado
para o sobrado da rua da Santa Cruz n. 10, casa
em qne residio o Sr. Joao Luiz Ferreira Ribeiro.
C3asa de deteotja**.Mo^i -euie da casa
de detenpao do dia 27 de Janeiro de 1874 :
Existiam oresos 332, entraram 8, sahiram
4, existem 336
A saber :
Nacionaes 243, muJheres 11. estrangeiros 30,
e/cravos 48, escravas 4.Total 336.
Alimentados a custa dos cofres publicos 24 i.
Viovimento da enfermaria do dia 27 de Janeiro
de 1874.
Teve baixa:
Antonio Barboza da Silva, febre
Tiveram alia :
Lncio Celestino de Torres.
Manoel Joaquim le Siqueira.
Passafffiros Chegado do Rio do Ja-
neiro no vap >r Almeida G rrel:
Dr. Miguel Gomes de Figueiredo.
- Chega-los no vapor inglez -B j/n :
Jose G. Pimo, Dr. Manoel Buarque de Macedo,
Antonio Jose da Silva, Miguel Francisco dos San
tos, Manoel Brunei.
- Sahidos para Europa no vapor inglez Boyne :
Omi.-t'.ii, .-ua si'iilmi a, um menino e uma cruda,
George Lee, C. Geneste, E. A. Drew, Manoel de
Souza Marques, Joao do Rego Souza, Bento da
Ponte, Joaquim Ferreira Junior, Clodomiro Por-
tugal Ferreira, J .ao Mapoel da Veiga Seixa*, Tho
maz J .se de Oliveira, R. J. .mamettau, W. Moles,
Dr. Naegle, Joaquim Duarte Simdes e Aptonio
Goncalves
Caiupanhia Indemnisadara.
Srt. aecinnislas da companhia Indemnisadora =
Cumprindo as obrigacdes que ims iinpdem os esta-
lutos que regeui .>ta associar^ao, vimos apresen-
lar-vos .) resultado das operacoos realisadas node-
curso do auuo proximamente findo, d.-ver que
preenchemos com tauta inaiT satisfacao quanto 0
lisongeiro o eslado actual da companhia, nao obs-
tacle ter pago projuUos na ireporUncia de.....
36: i972'2 e haver ja conheeimento de diversas
avarias occorndas, |inncipalinenle no Rio da Pra-
ia, cuja li luidacao tera de suliir a uma somraa
importante, ms conuajnoa que o saldo da coat*
de lucros e perdas, ua importanoia de..........
83.1594788, tera amplamente sufRciente para fa-
zer face a todos os encargos da companhia.
Os lucros realisfdos permiuiram que se fizesse
no 1 seuiestre um dividendo de 204O0O por
accSo. e no 2, que vai ser agora dislribuido du
504 00, prefazend) o total do dividendo do anno
7O4OOJ por accao, rosuluido que nao so pode
deixar de con-iderar vautajoso.
Do aegumte minucioso quadro podereis avaiiar
com mais exactiddo a actual situaci) da compa-
nhia-
SEGUBU8 HARITO103.
Premtos respectivos 7i:9tl*9iO
INUKMNISAQOES
Reparos no predio n.
11 da rua do Bis-
po Sardinha, occa-
sionados pelo in*
cendio q\le houve
no predio contigao,
apolice 3,935
Dispendio por saldo
da reedificac3o do
predio inceudiado,
n. 55 da rua de
Marcilio Dias, apo-
lice 3,080
Alugueis pagos a ir-
raandade das Al-
mas do Recife, rela-
titros ao predio aci-
ma dito, dnrnnte 0
tempo que estere
em obras
Reparos no predio n.
10, da rua do Vi-
gario, occasionados
pelo incendio que
nelle houve, a poli-
ce 3,7u8
TIRBESTRES.
uoOdOOO
I-.0004000
2504000
1.2844500 3:184*500
Total das indemnisa-
f6es
D1TERSASVBRBW.
Despezas geraes
Commissao e garan-
tia da direccao
Segurados fallidos
Dividendo do 1 se-
mestre a razao de
204000 por accao
Dito do 2* dito a ra-
sao de 04000 por
accao
Saldo da conta de lu-
cros e perdas em
31 de dezembro de
1873
36:1974222
8.7924020
18:53048(5
713*567
20:000*000
50:000*OJO
83.159*788
ll7:393*429
Terminaudo no dia 29 de abril de 1871 o se-
gundo periodo decenal da campanhia, cumpre que
ua conformidade do art. 4 dos estatutos, delibe-
reis sobre a prorogaijao do prazo, e se resolverdes
com e provavei pela continuacao da sociedade,
e necessario que autoriseis a solictUcao da respec
tiva approvaijao da goverao imperial.
0 unico letigio que a companhia sustenta, foi
-... .r.__:_^..i..i. o r in favor, T6-

,. 64, 164, 271. 275, 487, 505, 620, 682, 757,
LtJ<*V. .ttt. i|6f. 1371, 1420, 14:10.
ii; tmr\m,' mi. iMi, 1774, ,1956, 2W6,
"' 22L3. 2587, 2597. 2634, 278>, 3010, 3f-9.
, 3319. 3381. 3441 3531, 3596 37 4, 38%,
i 39 6, 4010 40 % 409*. 43 I, 4486, 4597.
4,5419,5130,56.11, 5U88,. 5778,
__ 404'a cada pra.
JNt Bahia. Eis o resuino da
lista; dJl3^l4l*r^'beoefiCM das escolas prima-
has *rwan'rfi V6tasm:
Apolices
lleaos aimportan-
cia dos extornos
8934500
72:805**10
2 910*720
SEOuaoa tebr*.stss.
Premios respectivos G8t904
Apo.ices it031
DCSCOWflt-Bfc?
Rendeu esta verba
Saldo da conta de
lucros 'pevdjvav
em 31 de dezem-
bro de 187*' -
decidido na primeira instancia a nosso
sultado que nunca duvidamos, uma vez, que o di-
reito e a justica se achavam de nosso lado e a
causa tinha de ser jalgada por am juiz mtegerri-
mo e illustrado. ,___.
0 segurado appellou dessa senteoca, mas tcmos
a mais plena conaaoca one nos tribunaes 3upe-
riores sera ella conflrmada
E' este, conjo ja dissemes em outra occasiao, o
segundo pleito que a companhia tem sustentado
no j4 extenso periodo de cerca de 19 annos de sua
ex i-t-racia, tendo amb >s a mesma orieem-* in
cendio sendo muito para njtar que nenhuraa
questau teuha tifo relaiivamente aos seguros raa-
ritimos. ., __.
Esle facto, talvez o anico no Brasil, prova evi
deniemeute que esta comuanliia sempre flel as sus
tradii5es deevitar quanto for possivel questoe*
que geralnvnte produtera mao effeito em asso-
ciates desta ordem, Uinbem evitaria esses dous
letiiiios, se raz5e.s muito fortes e de ordem eleva-
da nao aoonsolhassem o contrario: o primeiro foi
decidilo a nosso favor, e, como ja dissemos, con-
fiamos qae o seguido tera Igual aorte.
Terminando, Srs accionistas, esta _saccmta re-
sonha dos actos de nossa admiaistracao no anno
findo, confiamos qae qoaesqner lacunas que por-
ventura exislam, serao plenamonte preencbtdas
pela illustre comrnlssSo fiscal.
Pernambaco, 24 de Janeiro de 4874.
Joao da Silva Regadus.
Antonio J-it L*al Reis.
Francjfco Ferreira BUtar.
itfiANCO DA C0MPNH1A-DK SKJOBOS IUR1TIM OS E
TBBRKSIRKS, iNDEMSItADOBA, EM 31 DE DE-
zanmi>E 187J.
Activo.
Acdionistas
Beds, moveis
S-guranosmaritifa*
Segurados terrestre^
Caixa^
Eslimpilhas
Letras descontada..
34:142*020 Banc eoffltttfiir* WrtMMbttco
a un-
t de um mini
infeli: liliio. victima do azortagua do Sr.barao de
Ten?/lne dom uma desiealifaddladizlvel e o abuso
da aroizade e confianfa, depos'itds 6agrados em to-
dos os 'tempos, prcfend sUbstituir tudo iafo pelo
eatto Hetarrasco com o eala&mte* empofthii 1
ess* ?candalo, que parefie incrivel. e um faclo
hedioii Jo e criinindso em vista das disposii;oes vi -
genies.qtle regem o abencoado impeHo da Sabla
i:ruz. E foi elle praticado pop 0A homem a quem
se ittriDUia os foros de llmkda" edui?tc4o, que se
suppuuha incapaz de post-rgar a tel o que mais e
o ]u-to 6 honesto; incapaz mesmodAs sombras do
barbarismo c de representar 0 papel de algoz des-
hiltriahoya semelhanca do tigfe qne asa1ia a pre-
sa arrancanJo Ihe as carnes para sugar-lhc o san-
gae. 6a*ariaf uma Vinganda I
T Trjste humanidade e"3 diglla de corapaixao !
ComO cldadio e magistrado, tenho direftoS e de-
verea; como pal de fainllia tambem os renho.
Na'meth.'ff boa fd, entreguei o meu Qlho Fran-
cisco d Paula ao Sr. Antonio Luiz H .oholtz, para
16 In em sua companhia a bordodo vapor Marcilio
Bias, com 0 duulo flln de corrlgir-se de cerlos des
Vios e de ir praticando namaChlha; porque pre-
tendia dar-lbe a carreira de engenharia mechani-
ca, que elle tambem qneria. E declarei perante
dous amigos respeitaveis cujos numes de.'Ii arei
se for necessario ao Sr. H .ohnltz, os meu* receios
do conde de Lippe, so por veatura o menino po-
zeisa em pratica algoma creaocada. De feito, o
Sr. Houholtz respondeu-me que daria-lhe bom tra-
tamentu, e,omo se fora pot e o considerana ua claa-
se dos criados, porque assim facilmente em quaj-
qner occasiao se podVria tirar de bordo o meu li-
Ibo. E' verdade, que antorisei ao Sr. Honholtz a
empregar rigor.se fosse necessario, porem i>to e3
tava subentondido e jainals deveria autonsar as
tropelias e barbaridades, que praticara. Parece
uma tatalidade : que a origem do irregular pro
cediment) de meu filho lenha silo mulheres 1
Tenho varias informatoes, que me deem mera-
cer concelto, mesmo de bordo do Marcilio Dias,
em que se revela, que a victima em hoiocauslo
chegou as porlas da morle, nao pelo facto do des-
appareciraento de uma quantia, como se allegou e
sim desgrasadameote, pela lousadia de tera victi-
ma travado relacoes illicitas com a amasia do Sr.
barao de Teffe, e horroroso Santo Deus I
Sou incapaz de irrogar ama injuria a quem quer
que seja, mesmo em lepresalia.
Tenho inforraacdes de que a principio era attri-
buido esse facto do deaappareciraentft do dinneiro,
a uns peruanos, e qae mais tarde fizeram a impu
tacao sobre o pobre martyr do azorrague! De
in'ternis solus Deus. Se, pois, haviam indicios ou
provas, porque me nao parliciparam, com o que
setia garantida a ifldemnisacao, se essa quautia
era meramente particular, como ?e me informa,
porque se nio sujeitou o indiciado innocente ao
foro commum 1
Que atodamento levou o Sr. Honholtz o assen-
tar praca de gruuietle, mettendo era2 de julho de
1873, o'meu matiyr filho em ferros, mandando-o
acoilar com a declaracio de que morreria com o
peso do calabrote, em quanto nio confessasse, ter
tirado a quantia, inqnesidor infernal E o des-
gracado pelas torturas do seu algoz, parte e juiz
ao mesmo tempo, fez nas vascas da morte declara
coes sem nexo e a esmo, levado pela ddr e soffri-
menlos e sem resultado! Continuava o casiigo
pela segunda vez, atd qae pela terceira vez, de-
claroa ter posto o dinheirn ao mar pela latrina II
Sao passados os tempos da fogueirao seja quei-
mado vivo -tempos de ominosa recordagao, o da
ioiuisicao onle se extorquiam confissdes a todo
transe I
As leis deste paiz castigam os que commeltem
taes desatinos, arrancando confis^oes pelas tortu-
ras, que sao reprovadas e nenhum vigor tem.
Apezar do dever nato que me as-iste pela defeza
do meu sangue, de um\ das am das do meu cora-
ijai maftoado, segundo as iriformaq5es quo pos-
sao, a autoria dess" aenntecimento e attnbuida a
quem esta isento nesie desterro deperi-
grinacao de commetter uma falta, um crime?
Nniguem. .. ^ ,. .
Acoitado com 300 acoites no dia 2 de lulho de
1873, e no dia 3, com mais 680 calabrotadas Foi
carregada a victima, sem carne, toda ensangnen
tada, lan?ando sangue pela bocea,4 at^oude pode
chegar a perversidade iuraanal "~^
0 m"U filho nao foi tratado com cautella a bor-
do, onde esieve muito tempo, ate que annal foi
conduzido para o quartel do terceiro de artilheria,
em Manaos, onde ainda esta doente, lancando san-
gue, cheio de cicatrizes, ameacado a defeitos na
vista, o que nao tinba tit .
0 azorrague nao respeitoti ao menos a imperial
ordem da Rosa, com que o pai e coodecorado, gra-
?as a magnaniuiidade e espontaneidade de S. M. o
Imperador eaum paisano nessas condicj3es, abrio-
se praca de grumetle pelo gosto de assassin* lo com
o calabrote. D-pois de assim quasi assassinado
um menor de 16 annos, nao faltou coragem, como
era de esperar, de am coracao tao bem tornado
do Sr. Honholtz, para panieipar ao goverao o oc-
torrido, com as cores convenientes; o goverao
cuinprio seu dever, mandou metter o martyr em
conselho de guerra, oode custa a crer o que se
poz em execucao I
Di-tiuct >3 collegas foram repeliidoa, nem outros,
Sue havia, foram charaados, e foi nomeado cura-
or do mesmo martyr nlho um machinista do va-
A Chrmtca *r Ft.wfficio de 20 do mel J
3ue nao tenho presente, traz uma caWaaJM***
o Buique, a quem n p.hronista qualm
dignn, na qual se dis^e qne fi'niei cmKltfW*
terem as auloridade* d> lugar (o noveWIre ttrj^
fere sem duvida ao Sr. Dt. jail de dlcatto tjf
te Pires) se por lado com prudeocia coin '?.
aos acontcimentos dos dias 29 c 30 do
outubro, e qae eu ameacara o povo "'L
guicoes. protestando .iue seria posto aid C
menlo do eefn guartfnacioiiaes, afi%8*<_
dinheiro dm cofre- pdbltens ; lambradio d 1--
lelfoQue as despetas com a pWsegnl^t^ "? *nj*
lerafdb Manoel Chico e sen grupo motnedm a fO*
eontos etc.
Sinto que o re'Jact >r da Chrohica aio iivesa^
e.sumpado nmYe do'novolleirn, qae 11* ddra s
hoticiak, que, crmt uftma, se apre**)iu a poWitdf,
para que me habilitasse a mostrar ao puMfoo-atol
a pessoa que o eser ptor da ProtinVia quaraca
de fUMigna, e do quem recebe mforraa<0l Wftt
dar publicidade em Um fornal, qae se dlz Orfi*
d'um partldo politico.
Epwta,ndo que se faca conbeeer esse Sr.
iigno, asseveto desde ja; quo I ado quanto ear" I
carta se conteffltom Perafio a mim, e falsisstdjo, a
sd podia ser shggerldo pelas mais ruins paixdet.
0 novelieiro a^fle almdft, sabe qne, leodo iW
avisado das oeeurrenela's do dia 2J, ci-cgueja
vilta no dia SO'pelds 9 horas da marl a ; quete*
do nesle dia se apresentado na villa jrrapua '
pessoas do povo armatMa de facas c cactes,
ee'ndo dispostos, com.) se esperva, a aggro
os sordadoSi, qirt corapnfltaain o delacamento, I
sirtndl me ante etles, acdnselbando os, oavlff'
ooi n pacMacia em >uas quei: as contra os i.
dos, e proruettendo qne naviam de ser tomadt* aa
provijeacias CoBvenlentes era bem da ordem J'
garanlia de todos: sendo certo qne ne^e dia aw
entao nor diante nSd so deu mais bar-ilho alaiUB.
Saoe mais ou deve saber que fui de opiaiaf^
qua naquelle dia M soldados deviant esiar lodW
no quartet para evitar.se qualquer aggressad da
parle a parte.
Sabe mais que nenhum desacalo s. ffri da part*
do povo, que ao contrario fez-rae maoifesU.oe*
respettOsas, hte:
Sabe ainda o noVeHiro on deve saber qae W
de opiniao que, como providencia saluur para nao
se reproduairem taes Jarios, era bastaata remo-
ver-se o destacamonto entao existenle, si ndo subs-
tituido por outra* praca*. Queira o novelleifo
fallar a verdade e ha de confessar tudo i to.
Quanto ao neg.-cio de uespezas feitas por occa-
siao da perseguieao do sequito de malvados capi-
taneado por Manuel Chico e seu irmai. Joaquim,
novelieiro sabe que >-sti veraui mais reunldas de 908
guard nacionaes a dtspV>sicaodo delegadodacatlo,
que era o alfcres Miranda, commandados por seas
..Hi uaes e nao por mim, que nunca commandei
guardas nacionaes, nem me preslei a fazer fimie-
ctmenios para usufruir Iuto de qualquer es-
pecie.
Ouvi dizer que taes despezas m<>ntaram a 3
conios e tamo, como deve constar na thesoararia,
o qae esta muito abaixo do* 20 contos meociona-
dos pelo caiu.nniador, antor da carta.
Metla o novelieiro a mao em sua consciencia e di-
ga ?e me julga capaz de traficancias; se ja aigoem
se lembiou de fazer-me accu-aciie- de tal oraen ,
sealgum dia soubeque eu participasse de oegc
cios illicitos, quer direi-ta e quer indirectameada.
Finalmente para por bem patentes as aleivttslai
do novelieiro, devo dizer que os factos allndido*
pelo mesmo, foram levados ao conheciment< de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia com toda a
exaclidao.
Paro aqui, aguardando a poblicacao do noma
do autor da carta, para mais cabal resposla.
Buique, 4 de Janeiro de 1874.
imastia Marques de Albuquerque Cavalcante.
*4

Os mariyres que leiuui. Ima
palavra aos dyspepticas.
Soffreis martyrio e o os que sabem o qae e
dyspepsia, podem comprehender vossos soffrimen
tos.
Agora ha am remedio a mao, immediato, abso-
Into, infalhvel ; o qual se MM por assim a.-sira
diser a porta de vossas casas. Esse remedio, a
Salsaparrilha de Bristol. Deveis conluce la. Quem
ha que uao lenha ouvilo fallar della ? U>ai a,
e vo< rireis das indigestdes e de todos os seua coa-
comitantes e consequencias. N'uma semana alli-
viara o repleto depisito de>se perig iso material,
que tanto vos traz alormentado. A flactul. ncia 6 a
oppressao do estomago, a falta de aciivi lade tanlo
do corpo como do espirito, as vigilias e as angus-
tias durante o dia, as dores de cabeca, as nauseas,
as indescriptiveis sensaf5es que aompauham a
dyspepsia, e nia ha nenhuina outra molcstia, qne
nao desapoareca qual somhra paagoira.

-?
E
PRACA DO RECIFB 28 DE JANEIRO
DE 1874.
AS 3 1/2 HOBAS DA TABDB
<'otac*es wiUciaea.
\lgoao de ( sorte 74800 par 15 kilos.
Algodio de Maceio 1" sorte (inspercto de 1873^
9*0 0 por 15 kiktt posto a bordo a Me
de 7|8 e 5 0|!, honten.
Algodao-de Maceio mediano (inspeccao de 18731
8*200 por 15 kilos |io-lo a bordo a frete
de 7i8 e 5 U|0, hontem.
Algodao da Paratuba I' sorte 8*300 e 84350
por 15 kilos posto a i)0rdo a frete de 3|4
e 5 Oil), hontem
Assucar bru'odo Rio Grande do Xorte U'KW
por )5 kilo< posto a bordo a frete de 35| e
~V 5 0|0, hmtem.
"arabio-^ sobre Londres a 90 d|v. 25 7|8 d. iot
4j|u Dito sobrevdjto a 90 d|v. 26 d. por 1*100.
Cambio-sobre Pare ivista 372 rs. o franc
""-.iJ. de VascoaceUos
j Presiden|g;------------"
A, P. r3(?L8rnos
secretario
\LFANT>EGA.
itadimeuio do di? 2 a 26
dem do dia 28
863 297*361
50:1004/31
913398 >0?r.
por I
69:894*690
51:935*870
800:000*000
1:700*000
41:495*049
24:65**100
18rlVJ*'83
319:3!6*86l
40;ooo* oo
L-UrmiHi HI 'I I'll""*'.....~" "f------ '.t*~- -' 5:000400'
rtvar a recratamento, esta*a*w*ba ea deJ||S>aiioJ oxistente. ffi* E.'" *...... ..... a!l^S
shoxw fuadaraaaao WI4W-.................... 2K)40i0
^S^^apSSS or Ifl 933, 3232 a 3283 WO* leads am:
Ph.
Esta so nma teve a
itnfyxrf
Avarias etifmm^
' ddrias, no Btigue"
wsja^
istr-
PoiUM. -
iMwcva-

l,**:7t7*664
1,000:0 0*000
100:000*000
5I:5UMH00
7:974*036
8 59*788
3.093*840
0 processo caminbou ao talanta do Sr. Teff6, e
apezar de tudo isto, nao apftareaaj-ara indicios ou
provas, a excepcio das declaracoes do tribunal do
Santo Ofncio, que o Sr. HonhulU Inaugurou em
a comarca de Teff6, em face de autoridades e de
uma populacao do imperio do Brasil I
Nao e tudo, o puulieo vai- ver o resto do drama,
e enldo ficara eslremecido e de cabellos birtos: o
meu pobre lilho foi condemnado a pena ultima I I
Como podia assentar praca um menor sem o ex
presso consentimento legal de sea pai ? lorao su-
jeitar-se a processo mililar quem nao tinha praQa,
era um simpl s paisano? Tudo isto parece um so-
nho; mas infelizmentepara o meu filho, para mim
e os meus e onafrealidane I
Eu pensava que o ty-aiuno Lopez do Paraguay
nao tinha compaiheiros, mas enganei-me; o Sr.
de Teffe, alienado e as tontas, como parece, per-
dendo a cabeca, eivado de vinganca, profanou a
sua farda, calcando aos pes a lei, e a todo o cuslo
affront nao a sociedade, envolveu-ne no manto in
delevel da degrada^ao a qne tem direito um ty-
ranuo.
Que tempo!
Nao ha muito. se passava um facto, que lasUmo
atoda, na provincia do Mwanhao, por causa de
uma mulbw I
Nesta prwvinoia, na comaroa de Jag*ar*be-nn-
rim, e indigitado um sacerdota. ja velho e respei-
lavel, como autor de varias mortes, por causa de
uma mulher.
Na comarca ddTV-ffd; exeotttoa-sa fcrajacto pro
pria de vandalas.qna e aitribuido como aausa ama
mulher I .....
' Hei de pix>g*if.|ki*i jjartu, asaado dos direi-
to^ qua as IMs dpau4tte faaultattaam-comowtter
a menor ddMdaWade, teomo fui viettaK ate p
to de ignorar taes oc-urrencias, que com eerteza
vieiam a meu conhecimt*' na aoucos dias l
Hinalmente, Sr.B-rla'daTele; Dehs permitU
qud seus lillrae:t*ca aejaav tortiifada* eoa os
castigosdo-irwtVdgadl'
Pec.i a atteacio do governa-impenal e do tnbu- p<
rgaoias do processo jn- fy
Descarregam hojo 29 de jaueiro de 1874.
Vapor inglezFire Quem mercadorias para al-
fandaga.
Barca inglezaSernpftmamercadorias para al
fandega.
Barca inglezaJfrt-oarfa-mercadorias para alfan-
dega.
Barca ingleza Zuima mercadorias para al
fandega, breii para o trapiche Concelcao
para de-pachar, e farinha ja despachada
eara o 5 ponto.
Patacho inglez Rival hacalhao jadespachad.
para o trapiche Ceareicao.
Patacho inglez Belle bacalhaoja dcpacliad-
para o trapiche Coneeicao
Paucho inglez Clodicilitu bacalhao ja i
chalo para o trapiche O>n--eieo.
Patacho hollandez Den Hetder (itracado>
ciment-i ja despa had., para o trapiche
Coneeicao.
Barca franceza Eliza varios generos para o
trapiche B .nceigio, para despachar.
Barca porlugueza Linda pedras para o fapiebe
Coneeicao, para de-parhar.
Barca ingleza FutiHtr carvio ja despacbadV
para a companhia pernambneana.
pacn.iii.
jidaipa-
L I
.-.
'.1,245:727*664
ImpartafSa.
Vapor nacional BMa, eolrado dos portosdasul
em 27 do correnie e cou-iguailo a Pereha Viaoua
& C. manifestou :
Carga do Para.
Borracha 2 eaixa* a aii|U<4 Jose Alaea, 3 a Da-
vin s< Fernandes, t a Joaiiura Josd da Aaevado, I
a Maooel L. Riaairo.
Qtapeo de Chile 1 caixa e 2 Car lot a Edaar>
A Burle & C
Sala-parrUaa V*. roioa aBaltrao A Ftiao, 6& a.
MigualUe Alves,3J a. laamrimfe-tio a-aloa 21
a ordem.
Camarao 10 b^crieaa a daMiase ftouriguea, i a
Jo%>-lBe R driguas M-n-W.
SoMa 20 :ueios a F. G. Satta.
Aos meus amigos e collegas
OS
meus agradeci-
ap pwtugueinAtnuU4. -r*t, aatrOa
do sal em 23 do borreale e conslgnaao a b.
o (J( C, maaiiwu*;
L
I

}
%
^T
V


Dial* de Pernsumbuoo Quinta fcira 29 de Janeiro de 1814.
}


s
f mo 70 roios e 8 caixar a Jose M Palmeifa
Ihreadorias diversas 1 eaixa a Aotoai* C. da
Canto.
tNMPACHOS DB EXPORTACAO NO MA 24 DE
JANEIRO DB 1874.
Para at portot do exterior.
Mo navio itajiano iVoem*. par* Liverpool,
carretoa : W. H. Wiatt 123 saccas -com 11,422
lit kflos de aigodao.
Na eseana franceza Maria Heurieta, para o
JBio da Praia, carregou: A. Loyo 378 barricas
am 44,374 kilos de assucar branco.
No brigue portuguez Trtumphe, para Lisboa,
'arregou : M. Monteiro 8 pipas con 3,840 litros
de aguardeote : para o Porto, T. A. Fonseca 4 C
Successors 260 saccos com 19,506 kilos de assu-
car mascavado.
Ho lugar portngaez Lima, para S. Miguel,
carregoa : A. de Soaza Rogo 1 barrica eora 113
kilos de assacar mascavado : para Lisboa, A. M.
lachadj Junior 708 couros salgados com 8,496
kilos, e 24 ditos espichados com 168 ditos.
Para ot portot do interior.
Para o" Rio Grande do Sol, no brigue natio-
nal Firanpy, carregoa : A. P. Baltbar Sobrinho
S75 barriquinhas com 27,003 kilos de assucar
braneo ; P. R. Pinlo Guimaraes 200 ditas com
16\fii7 ditos de dim ; F. N. Ferreira 50 saccos
com 3,750 ditos de dito mascavado.
Para o Rio Grande do Sal, no brigue nacio
nal Honorio, carregoa : Amorim Irmaos 4 C 250
barricas com 26,129 kilos de assucar branco.
Para o Rio de Janeiro, no brigue brasileiro
Galge, carregoa : F. R. P. Gaimaraes 500 saccos
con 37,500 kilos de assucar branco.
Para o Para, no patacho americano /. Rose,
tiarregou : J. M. de Castro 17 pipas com 12,009
litros de agmrdente.
Para a Bahia, no vapor brasileiro Penedo,
carregoa : A. Loyo J 50 saccos com 11,250 kilos
da assucar branco; A. Cordeiro 20 ditos com
1.J0O ditos de dito : para Maceio, Fernandes &
Irmao 1 caixa com 15 ditos de doce.
Para a Bahia. no vapor nacional Bahia, car-
regoa: Amorim Irmaos 4 C. 150 saccos com
14,250 kilos de assacar branco.
Para Miriii, na barcaca Henriqueta, carre-
(Off : I. M Barros Filhos & C 4 barriquinhas
cob 240 kilos de assucar relinado.
*ara a Bahia Formosa, na barcaca Gratidao,
carregoa : B. Gomes &C.1 barrica com 70 kilos
de assucar relinado.
Para Maceio, na bascaoa Vasco da Gama,
carregoa : Carpin'.eiro Filho & Sobrinho 57 barri
cas com 3,420 kilos de assacar refinado.
CAPATAZ1A da ALFANDEGA
Seodimento d.. dia 2 a 26. 15:4401076
de* de dia 28..... 1:041*440
16:480*516
DECLARACOES.
VOLCMES SAHID09
NodIa2a26. -
No dia 28
rYrmeira poru ....
Segonda poru.....
Tereeira poru .....
Qnartaporu.....
Tiapiehe Conceicao
SERV1CO MARITIMO
*l\*rengis descarregadas no trapieh*
alfandega dj dia 2 a 26 -
No dia 28
siavtos atracados no trap, da alfandega
Alvarengas........
to trapicbe Conceic,ao .
41,198
589
240
286
743
13,056
110
5
1
116
BBCEBEDORIA DE RENDAS INTE A3 GK
RAES DE PERNAMBUC
ftendimento do dia 2 a 26. 33 636*247
dem do dia 28. 2:295*700
35:9311947
GONSCLADO PROVINCIAL
*endimentododia 2 a 26. 135 894*306
dem do dia 28... 9:346*718
Baw* Commercial de
Pernambuco.
0 banco paga o segundo dividends na
razao de 8 / ao anno ou $400 per acc,ao,
relative aoseicestre Qndo em 31 de dezetn-
bro de U73._______________________
SANTA CASA DA MISER]COULiA DO
RECIFE.
A ftlrna. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer pufclico que
oa sala de suas sessdes, no dia 22 de Janeiro
pelas 3 heras da Urde, tern de ser arreaiaudas a
quern mas vantagens onerecer, pelo tempo de am
a tr>s annos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
. ESTABBLECIMENTOS DE CARIDADE
Padre Floriano.
Casa terrea n. 47 ... 201*000
Rua de Hortas
Loja do sobradon. 4t. 125*000
Travessa de S. Jose.
Casa terrea n. 11........ 201*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18 421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Rao do Pilar.
Casa terree n. 98......241*000
Casa tereet a. 98....... 240*000
Idem n. 102.......241*000
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechado) 600*000
Rua Velha.
Casa terea u. 44(fechada( .... 450*000
Rua das Larangera3.
Casa terrea n. 17.......361*000
Rua de Burgos.
Armazem n. |3 (fechado) o 0 240*000
Rua de Hortas.
Casa terrea n. 116 e |240*000
Parnameirim.
iStio (desocupado) 0 0 0... 500*006
Os pretendentes deverao apresenUr no acto da
irrematacao as snas flancas, on comparecerem
acompannados dos respectivos tiadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia em
que for seguro o predio que contiver estabcieci-
mento commercial, assim como o servico da lim-
peza e precos dos apparelhos.
SecreUna da santa casa da misericordia do Re-
cife, 2 de Janeiro de 1873.
0 escrivao
Pedro Rodriguet de Souza,
SantaaCasa da .Misericordia do
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necessiu o predio que possue o patrimo-
nio dos orpbaos, a rua da Cruz, hoje do Bom Je-
sus n. 12, contrau com quern se proponba a rea-
lisar ditos concertos, mediante certa renda e al
guns annos de prazo para desfructa'r ; devendo
os que disso. se quizerem encarregar, apresentar
suas proposUs em cartas fechadas, devidamente
selladas, aeompanhadas do respectivo orcameuto
nesta secreUiia ate o dia 19 de fevereiro viu-
douro.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia da
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
ESTBE1
la primeira actric O. babel Maria Candida e doe
artisus Augusto Cesar e D. Dorothea Maria Can-
dida.
Subira 4 seen, pela primeira vez aeste tbeatro,
o drama hutorioo portuguez em 3 actos, do era-
dito viscon e
d'Almeida Garret:
FREI LllZ DE SOIZA
163:24
RECIFK DRAINAGE.
itendinieiito do dia 1 a 26. .
dem do dia 2*.....
17:319*111
79*706
17:358*817
08 P0BT6
Nacios entradox no dia 28.
Rio de Janeiro -6 lias, vapor portuguez Almeida
Garret, de 942 toneladas, commaadante Reeks,
equipagem 110, carga varios generos ; a E R.
Rabello & C
Mo de Janeiro e Bahia 5 dias, vapor ioglez Boy-
sit, de 2,084 tonelad&s, commandante Rn ks,
eqnipagem 110, carga varios generos ; a Adam-
son Howie & C.
Rio de Janeiro 28 dias, galera porlugueza Ten
tadora, do 665 toneladas, capitao Mattiias de
Soaza Maciel, equipagem 15,. em lastro ; a or-
dem.
Naviot sahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro e p.-rtos intermedios Vapor nacio-
nal Bahia, commandante o capitao tenente Tei-
leira, carga assucar e outros generos.
Babia e escalaVapor brasileiro Penedo, comman-
dante Francisco Pereira, carga differentes ge-
neros.
Southampton e portos intermedios -Vapor inglez
Bcyne, commandante Reeks, carga a mesraa
que tronxe dos portos do sul. /
Rio Grande do Sul pelo Rio de Janeiro-Brigue
nacional Galgo, capitao Jose Julio Mende.^ car-
ga assacar e outros generos. y '
s*-'-----
ESTRADA DE FERRO
do
RECIFE A 0LIND4
Ne dia 2 de fevereiro, alem dos trens da tabella
em vigor havcra do Recife para Olinda, e de
Olinda para o Recife, mais urn as 10 1/2 horas da
manba, tocando em todos os pantos, e alem destes
em i rente da capella d<- Belem ; as^im como os
trens que partem do Recife as 9 l|2. e de Olinda
is 12 horas, pararao em frente a mesma capella,
para a si-tir ao acto commemorativo do desem argador
Nunes Machado.
0 gerente
L. J. de Miranda.
EDITAEg.
Consulado provincial
Pela mesa do con-ulado provincial, se faz pa
blico que no dia 12 do corrente, se priocipiam a
contar os 30 dias uteis, marcaios para a arreca-
dacao, independente de mnlu, dos diversos im-
iiostos, cobrados por lancamento, pertencentes ao
anno flnanceiro de 1873 a 1874, flcando sujeitos a
mulu, todos os que forem pagos depots de findos
os referidos trinU dias.
Consulado provincial de Pernambuco, 2 de Ja-
neiro de 1874. ..--
"0 admiaisiradot,/ :
_________Antonio Carneifo'Machado Rios
Pagamenlo tie dividendo
Y Paga se o 40." dividendo das accdes do
Banco do Brasil, inscriptas ria extincta cai-
xa filial desta provincia, a* razao de 835000
por acgao : d rua do Vigario n. 1.
Recife, 22 de Janeiro de 1874.
Editaln.123
Pela mspectoria da alfandega se faz publico que
as 11 horas da manha do dia 29 do corrente se
ha de arrematar livre de direitos e sujeita ao
imposto da capatazia, a mercadoria abaixo decla-
rada, abandonada aos direitos por Linden Weyd-
man&C.
Marca L W A C n. 98*7-1 caixa vin la do Ha-
vre no vapor francez Ville de Bahia, descarregada
em 29 de setembro de 1873, contendo 31 kilos
liquido real, de chales de cassa e de la, avariados,
no valor de 338*520.
Ailandega de Pernambuco, 26 de Janeiro de
W74.
0 inspector
Fabio A. de C. Reis
Editaln. 124
Pela intpectoria da alfandega se faz pnbhec
vm* nao tendo sido arremaUdos os volumes abai-
xo dedaradee, annunciados a leilao por edltal n.
llfi, por falu de conenrrencu ao valor official,
se tranrfere a mesma arremaugio para o dia 29
do corrente, as 11 horas da manha, a porta desU
repartieio.
Armazem n. 5.
Sen marca sem nuniero I sacco vindo de
Lisboa no navio portuguez Soberano, descarrega-
do em 29 de outubro de 1872, consignado a J.
Theodoro da SiWa, contendo 9 kilos de impressos
atbImm, no valor de 10*520.
Marca B sem nnroeroI eaixa viada de Liver-
pool ao vapor inglez Muriel, descarregada em 2
de novembro de 1872, consignada a J. do Rego
Lisa, contendo sebo em velas, pesando 17 kilos,
ooaier de 13*021.
Idem B S n. 3 1 dlu vinoa de Bordeaux no
vapor francez Gambit, descarregada em 7 de no-
vembro de 72, ignora se a eonsignacao, contendo
lit doiias de lavas de pellka de qaalquer qoa-
UdMU, no valor de 314*880.
Armazem n. 6.
Idem J. Pater A C n. 6081 diU vinda de Sou-
thampton no vapor inglez Neva, descarregada em
f%M novembro de 72, e consignada a Johnston
Paler A C, eonteneo roto|os unpressos avnlsos,
JMllo BgnWo legal 16 kilos, no valor de 16*384.
Seat marca e tem numero 1 embrulho idem
dean, ignora-se a eonifaacio, contendo cbaves
veinas seen valor.
AUaBiega de Pernambuco, 26 de Janeiro de
487*.
0 inspector,
Fabie A, deCarvalno Rejf,
Indemnisadora.
Convidamos os Srs. acciooislas da Companhia
Indemnisad ra, a reunirem-se em assembled ge-
ral, que devera ter lugar no escriptorio Ja mes-
ma companhia ao meio dia de 29 do corrente,
nao so para lhe serem apresentadas as contas
das operacoes realisadas no anno proximo findo,
como Unbem re9olver-se sobre a proroga^ao da
sociedade.
Recife, 26 de Janeiro de 1874.
Os diectores.
Joao da Silva Regadas.
Antonio Jo;e Leal Reis.
____________ Francisco Ferreira Baltar.
THRU
PASTOML
NO
MONTEIRO
Quinta-feira 29 do corrente.
Beneficio do artisu Francelino Libanio
Tenorio.
Nos intervallos, o distineto mestre da dan ;a, 0
Sr BapUsta executara em obsequio ao benelicia-
do, com a mestra e a Itbertina, algumas polkas.
O beneficiado executara nma polka de sua com-
posicJo, dedicada aos eonvidados.
Terminari o espeetaculo com as arias da ci-
gana, mestra e contra-mestra.
0 beneficiado espera proteccao dos apreciado-
res e desde jA agradece a eonenrrencia publica.
THEATRO
6WI0DMMATIC0
EMPREZA
Sexta-feira 30 do corrente.
Penonagens.
Frei Luiz de Souza
D. Magdalena de Vilhena
D. Maria de Noronba
Frei Jorge Ceutinho
0 romeiro
Telmo Paes
U prior de Bemliea
0 irmlo coaverso
Miranda
0 arcebispo de Litboa
Frades, criados, etc.
A seena eassa-se em Almada.
No dia do espectacolo annuneiar.-se-ha a come
dia.
Principiara as 8 1(2.
Esta em scena para estrearem os artisus !.
galan o Sr. Ednardo Alvares da Silva e D. Virgi-
nia de Barros, na qualidade de dama-galan dra-
ma em 5 actos :
Actores.
Augusto.
D. Isabel.
D. Dorothea.
Correa.
Flavio.
Penanle.
Barros.
Vicente.
Airoza.
N. N.
THEREZA
do grande escriptor francez
Alexandre Dumas.
COMPANHU PERSAMBUCAHA
^vef cate!raa pw.
MACEI6, ESCALAS E PENEDO.
0 vapor GtquU, com
mandante Martins,
seguiri para os por-
tos acima no dia 31
do corrente, as 5 ho-
ras da t arde.
Recebe carga at* 0 dia 29J do corrente, eocom-
nendas ate 0 dia 30, passagens e dinheiro a frete
ite as 2 boras da Urde do dia da sahida : es-
iriptorio no Forte do Mattos n. 12.
MM LISBOA
Tendo parte da carga prompta, seguira breve-
mente o brigue portuguez Ooareiise. Para a que
lhe lhe falu e passagens traU-se com E. R. Ra-
lull.) JC.,a rua do Commercio n. 48.
Para Lisboa.
0 brigue portuguez Damiao, capitao Pedro Mar-
tins Branco ; para carga e passageiros trata-se
com Silva Guimaraes & C, praca do Corpo San-
to-n. 6, segundo andar ou com 0 capitao;
0
Rio-Grande do Sul.
Sahira em poacos dias a barca nacional Mimo-
sa, e recebe carga a frete : a traur com Baltbar.
Oliveira & C, a rua do Vigario n. 1, primeiro
andar.
SANTO ANTONIO.
Deflnltivanaente ultima recita.
Tcnja-feira 3 de fevereiro.
Beneficio da joven sympathica a:triz
CAROLINA RIOS*
PBOCRAHMi :
I.* Grande symphonia pela orchestra.
2.' A muitos pedidos subira i scena a aria em
portuguez :
0 Sonho,
eanUds pela beneficiada e em continuagao o Iin-
do dueto de tenor e tiple da opera hespanhola
Domin6 azul.
3.' A engragada comedii em nm acto ornada de
canto e danca, parodia d Orpheu, intitulada :
Os dous infernos.
4.* 0 engracado dueto novo em portuguez in-
titulado :
0 mestre de musica
S. 0 hrilhante dceto jocoso, intitulado :
0 meirinho e a pobre.
6.* Pela ultima vez e a pedido subira a scena
a Leila e arrebatadora comedia em 1 acto, orna-
da de canto e danca :
Soiree do carnaval.
A beneficiada agradece desde ja a todas as pes-
soas que a coadjuvarem com a sua presenca. Em
um dos intervallos a beneficiada ira aos camaro
tes agradecer aos seus eonvidados.
Principiara as 8 I|2 horas.
Havera trem depois do espt-ctaculo.
AVISOS MARiTIMOS.
PACIFIC STEAM NAVIGATION
Piny
f iinlta quinzena!
0 PAQUETE
COM
13
L.LAN
spera se dos portos do -ul ate o dia 30 do
corrente, e depots da/demora do costume, seguira
para Liverpool, via 8. Vicente e Lisboa, para onde
recebera passageiros, eneommendas e carga a frete.
OS AlillNTES
Wilson Rone A C.
14RUA DO COMMERCIO14
COMPANHIA PERNAMBUCAMA-
DE
iVave^a^ao costeira a vaptr.
ARAHYBA,NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACx
TT, CKARX, MANDAHU E ACARACU'.
0 vapor Jpojuca,
commandante Moura,
seguira para os por-
tos acima no dia 31
do corrente, as c
horas da Urde.
Recebe carga ate o dia 29 do corrente.eneom-
mendas ate o dia 30, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no forte do Mattos n. 12.
& -i
PRQGRESSO MARITIMO DO PORTO
Eaupreza portuense de navga>
eflo a vapor entre Portacal e
Brasil.
0 vapor
ALMEIDA GARRET
Commandante Tomaoini
Esperado dos portos do sol ate o dia 29, e de-
pois da mdispensavel demora neste porto, segui-
ra para Lisboa e Porto com escala por S. Vi-
cente.
Para passagens e fretes de carga, eneommendas
valores, traUm-se com os
AGENTES
E. R. Rabello ; C.
48= Rua do Commercio=48
Companhia americana e brasileira
de paqueles a vapor.
Ate o dia 1 de fevereiro e esperado do sol
o vapor americano Ontario, commandante Slocum,
o qual depois da demora do costume, seguira pa-
ra New York. Via Para e S. Thomaz.
Para fretes e passageiros, trau se com os agen-
tes Henry Forster 4 C, ma do Commercio n. 8
0
Mtv
wn w
da earreira da Bahia segne para
esse porto logo que tenba com-
plete sea car-egamento : traU-se
com o capitao Castodlo Josd
Vlanna, oa i rua do Amorim n.
37, com Tasso Irmios 4 C
Lisboa
Para o referido porto pretecde segnir com pouca
demora o brigue portngaez Ligeiro HI, de 1*
classe, capitao Nobre, por ter a maior parte de
sea carregamento engajado, e para o resto que lhe
falu trata-se com os consignatarios Joaquim Jose
(ioncalves fieltrao & Filho, a rua do Commercio
0.5.
Para
Para o referido porto segue com brevidade a
barca portugueza Linda por ter a maior parte de
seu carregamento engajado ; e para o resto que
lhe falta, traU-se com os consignatarios Joaquim
Jose Goncalves Beltrao & Filho, a rua do Commer-
cio n. 5.
LEILOES.
GRANDE FEIBA
DE
canarios hamburguezes
para liquidaqao
em lotes, a ventade dos com
pradorea
HOJE
No armazem da
FEIKA SEVIANAL
ill-Rua do lmperador-16
pelo agente Martins.
qoo oompetenJBmin autorisado,\enderi em lei-
lao as dia e bora acima designadok, o predio em
chios proprios, reediflcado ainda nap ha muito, e
ccm grandes accommodacoes em qaalquer dos an-
dares, alem disso daas lojas e am 'grande sotao
com daas salas e tres quartos, e com magnifica
^ista. Este predio possue uma boa escada die vol-
U que se estende do pavimento terreo ao sotao,
demodoque ate este pode seTalngado indepen-
dente.
Os Srs. pretendentes podem desde ja cxaminar
o referido predio, dirigindose ao segundo andar
do mesmo, onde a lamilia qae ahi reside faciiiu-
ra o exame.
Aos Srs proprietaries se oiferece occasiaj de
possuir um predio que da optima renda, e que se
vende somente em consequencia de ter o seu do-
no transferido sua resirtencia para a Eumpa.
Para qualquer informacao podem dirigir se ao
escriptorio da agencia, rua do Marquez de Olinda
n. 37, primeiro andar, oude se effectual-* o referi-
do leilao.
LEILAO
DA
muito acreditada e afregnezada taverna, siu a
rua Imperial n. 105.
Hoje
A's 11 horas ra manha
0 preposto do agente Pestana, competentemen-
te autonsado pelos eredores da dita taverna, fara
leilao por conU e risco de quern pertencer, dos
generos e mais otensilios pertencentes a mesma,
achando-se a chave desembaracada de qualquer
onus.
LEILAO
DE
Objectosde onro, prat a e brilliances
SEXTA-FEIRA 3o Du CORRENTE
No primeiro andar do sobrado da rua do Marquez
de Olinda h. 64
as 11 horas da manha
0 agente Dias, fara leilao por conta e rlsco de
quern pertencer, de uma mobilia, de jacaranda
com tampos de pedra, u ma dita de dita, um
guarda roupa de mogno, 1 guarda vestido- de di-
to, 1 guarda louca de amareilo, mesas elas-
ticas, camas francezas p"ara casal, quadros a oleo,
carteiras, marquezdes, marqaezas, sofas, cadeiras
avulsas, espreguicadeiras, quartinheiras. cabides,
lavatorios de mogno com pedras, ditos de ama-
reilo, candieiros a gaz, pares de jarros, espelhos,
eommodas, cadeiras de balanco, 1 gamao com
pedras de martini, e bem assim a parte do enge-
nho do Canto, sito no Paco do Camaragibe, na
provineia das Alagoas, avaliadas em 300*000, o
que tudo se vendera pelo maior preco que em
leilao se obtiver.
esu
cylindros, maceira, tendedeira, caixSes, balcau, ba-
lancas, bolacbas, massas, farinha de trigo, mo-
veis, roupa e mais otensilios da padaria e depo-
sitoda rua estreita do Rosario r s.2 A e 11
massa fallida de Bernardino Pinto Coelho
Sexta-feira 3 0 do corrente
0 agente Martins fara leilao, por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio, dos
objectos acima, pertencentes a massa fallida de
Bernardino Pinto Coelho,. e existentes no deposito
da .rua estreiu do Rosario n. 2 A, e padaria na
mesma rua n. 11.
Principiara as i 1 horas do dia acima.
LEILAO
DE
um piano forte, 1 mobilia de junco preto, 2 pea-
nhas, 6 ettagers de pareda> ta petes, forro das
salas, 1 sofa de jacaranda, 2 consolos, 11 ca-
deiras,) I cama franceza de jacaranda, 1 toncador
de dito, 2 vases para notes, 1 mesa com abas,
I barometro, 1 machina de costura e 1 machina
de limpar faeas.
Um faqueiro de prata do Porto, 1 paliteiro, 2 can-
dieiros a gaz, 2 colchas de damasco, e muitos
outros objectos de casa de familia.
Sexta-feira 30 do corrente
Rua da SanU Cruz n. 10.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro, nao tendo podido
dispdr no leilao de 27 do corrente, por intonren-
cao do agente Pinto, de todos os moveis de sua
casa de residencia, continuara no dia sexta-feira
30 do corrente dito leilao, dispondo ao correr do
martello, dos objectos acima mencionados.
O leilao principiara is 10
horas.
LEILAO
DE
um bom predio de dous anda-
res e grande sotao
sito i rua de Lomas Valentin a n. 64
Quarta-feira 4 de feveren
Am 11 horao
Na ma do Marquez de Olinda n. 37, primeiro an-
dar, escriptorio do agente Diaa
AVISOS DV-RSOS
A 9:000
Botinas para homem
Acabam de ehegar grandes factoras bem sor-
tidas de botinas de bezerro, de cordavSo, do petti-
ca, de duraque com biqueira, de beierro com bo-
toes, n com ilhozes a Hi000 (a escnlh- r) por tar
vindo grande qosntidade por cooU a ordem dos
fabricantes : ao :.i-mazem do vapor francez, a rua
do Baiao da Victoria (outr'ora riova) n. 7.
Mascaras
Chegaram grandes factoras de mascaras de
massa, de araine o de setim, para serem vendidas
por conta e ordem dos labricantes, o mais barato
possivel, em grandes e pequenas porcoes : ao ar-
mazem do vapor francez, a rua do Barau da V
orii (ontr'ora Nova) n. 7.
CASA DA FORTH
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
1' rua Prtmeiro de Mar$o (outr'ora rua dt
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantido-
la 2* parte das lotenas a beneficio da matriz
de Salgneiro (85*), que se extrabira na sexta-fei-
ra, 30 do corrente mez.
PRECOS
Bilhete inteiro 4^000
Heiobilhete 2/000
EM PORglO DB 1009000 PARA C1MA.
Bilhete inteiro 3/500
Heio bilhete 1J750
Manoel Martina Fiuza.
*
ao O relojoeiro e dour.dor 5
4)djnha* Albino Baptists da Rocha, *jp
*m/S, de volIa da Europa, conti- A
^ JwWK n,ia a encarregar-se de *?
KJ'jKH concertar e dourar relo- WM
jft aJ^W *^* gi9. bem con>o outros m*
cE'li*^**^ objectos ; rogando a seus 5
Jtf amigos e freguezes 0 ob- WM
A sequio de procnra-lo na rua Duque de jra
\\ Caxias (antiga rua da Crazes) n. 32, pa- 2
^tX vimento terree, que 0 encootrario promp- w.
ML to. A garantia de seas trabalhos e U- ^ra
S ze-los por precos modicos ; assim como 2
jaw umbem vende relogios. 9
Externato do Divino Espin-
to Santo
Rua da Saudade n. 8.
Olympia Lins Ribeiro, directora deste externato,
faz sciente aos pais de familia que quizerem con-
fiar-lbe a educa;ao de suas filhas, que no dia IK
de Janeiro comecam os trabalhos dos estudos
onde, alem da instruccao moral religiosa e curso
primario, ensina-se francez, bordados, desenho,
Siano, (lores de fio de ouro e de todas as qualida-
es. Afflancando todo desvello e applica^ao pelo
progresso de suas edncandas, e espera coadjuva-
cao do publico em geraf, e dos pais de familia em
particular, enja dedicagao tambem os caracterisa.
Na rua DireiU n. 45 piecisa-se de urn me-
nino de 13 a 15 annos para taverna.
ao comi in
Os abaixo assignados, socios da firma de Mon-
teiro, Rocha & C, extincta em 31 de maio de 1873,
declaram ao respeitavel publico, e com especia-
lidade ao corpo do commercio, que nada devem
nesta praca nem tora deila ; porem se alguem se
julgar credor da mesma, pode apreseutar seus
titulos para serem pagos. Recife, 29 de Janeiro
de 1874. /
Antonio Marcelino Monteiro.
Joaguim Ferreira da Rocha.
Joao Marlins de Barros.
Eleicao do Tergo
0 secretario da irmandade de N. 8. do Terco
convida a todos os irmaos para em mes-a geral se
proc der a eleigao dos novas funcci inarios que
devem regeramesma irmandade no corrente anno
de 1874, no consistorio da nossa igreja, domingo
I9 de fevereiro, as <0 hoias da manha.
Antonio Ftrreira de Oliveira
________________ Secretario.
Sociedade Beneficente Luso
Brasileira.
Por ordem do irmao dire/tor desta sociedade
facu cbegar ao conhecimento de todos os sen 110
res socios. que esta direcWia acbando-se proxima
a entregar a sua adrainistracao e tendo em visia
esu fazer demonstrando em seu relatorio bem
ter cumprido essa corporafJo com 0 seu dever
social, e sendo para tsso mister que todos satis-
faqam suas mensalidades conforme exige os nos-
sos estatutos, roga a mesma directoria encareci-
tameute aos senhores socios em atrazo, a bonda-
de de se porem quites com os cofrcs sociaes, afim
de se poder mesmo, fazer face as despezas com
0 grande numem de socios que se acham sendo
beneflciados : aos Srs. candidatos ja approvados,
roga-se o favor de viiem se iniciar para 0 qae
achar-se ha aberU a sede social todas as quinlas
feiras de 7 as 9 t|2 horas da noite na qual have
ra sessao da directoria. Pica igualmente marcado
0 prazo irrevogavel de SO dias para os iniciados
que ainda. nao pagaram as suas joias c mensali-
dades que se acham a dever.
Secreuria da directoria, 26 de Janeiro de 1874.
0 I.' secret irio,
Souza Mira.
*A 0 Dr. em medicina pe a faculdade da ml
X Bahia, Francisco Rodrigues Guimaraes, 3
9t acha-se
estabelecido
na cidade de 5Q*.
fit N .zareth, oude pode ser procurado
2 Para 9 misteres de sua profi 9 Nareth, 17 de Janeiro de 1874. 9
AVISO
A commissao da irmandade de Nossa Senhora
da Ba-Hora erecU na igieja de Nossa Senho-
ra do Rosario do bairro de Santo Antonio,tendo de
fazer a bencao do seu jpadroeiro, no domingo 1." de
fevereiro no convento de S. Francisco, pelas 9 ho-
ras da manha, sahiodo as 3 boras da Urde,
em procissao para a igreja de No?sa Senhora
do Rosario, percorrendo as segnintes mas : de S.
Francisco, travessa da mesma, rui da Roda, pa-
teo do Paraizo, rua das Crazes, Queimado, pateo
do Livramento, becco de S. Pedro, rua de Hortas,
pateo do Carmo, ma das Trincheiras, Cabuga,
e Rosario para este nm sao eonvidados todos os
irmaos.
Fngio do abaixo asaignadu. o escravo, cahra,
de nome Ignacio, cujo escravo lhe conbe por he
ranca de sen finado sogro Bento dos Santos Ra-
mos, e eorao seja do sertao julga-se que para la
se dirigisse, e desconfia se ter tornado a estrada
de Pao-d'Alho, os signaes sao os segnintes : es-
Utura regular, cabello rente, sem barba, cara be-
xigosa ; levou diversas pecas de roupa para mu-
dar, entre ellas camisas bordadas e um jaquetao
braneo : quern 0 pegar pode traze-lo a rua da
Gloria, hoje Visconde de Albuquerque n. 85, que
sera recompensado.
Antonio Francisco das Cbagas.
Moleque.
Aluga-se nm melequo de 18 a vmte annos para
vender miodezas annualmeute : rua da Impera-
triz n. 4.
ALUGA-SE
a grande casa n > largo da Pax n. 90, com todas
as commndidades para familia cresciaa, bom quin-
tal e arborisado do lado da sorobra, 0 melhor lo-
cal daqaella povoscao (Afogados), umho enchuu
hygienica : para ver ao gnarda da matriz, e tra-
tar a ma Duqne de Caxias n. 97.
Calc-ailo
francez.
Aluga m 0 ^ andar n. 22 na rua da loape-
ratrix, tendo commodos para grande familia: a
trttr na rua do Hortas a. 106
Para homem.
BOTLNAS de bezerro, cordavao, peHica, lustre t
de duraque com biqueira, dos melborei
labricantes.
SAPATOES de bezerro, de cordavao e de case-
mira.
SaPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, sitios e j a rains.
SAPATOS de upete, chariot, castor e de tranca
francezes e portoguezes.
Para senhora.
BOTINAS preUs, brancas e de cores different**,
lisas, enfeiudas e bordadas.
SAPATINHOS de phanUsia com salto, brancos.
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de Upete, chariot, castor e de tranca
Para menlnas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores different*,
lisas, enfeiudas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portngnezes.
Para menlnow.
BOTINAS de bezerro, lustre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de djhcraai
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portoguezes
Botas de montaria,
LoUs a Napoleao e a Guilherme, perneira*
meias perneiras para homen-, e meias perneir--.*
para menmos.
No armazem do vapor francez, a rua do Barau
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de gueniifdeK.
sofas, jardineiras, mezas, eonversadeiras e costo-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes
levos, e os mais proprios moveis para saletas e g -
blnetes de recreios.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria n. 7, outr ora Nova.
PIANOS.
Acabam de ehegar muito bons pianos fortes
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphons*
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C.; Do
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, on-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos, banhas, oleos, opiaU e pos dec
trifice, agua de tlor de laranja, agua de toilet*
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetos
cosmeticos, muitos art;gos delicados em perfnzna-
ria para presentes om frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas r ?arrafas de aittereotes Uma
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira qual-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Con-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Rarv.
da Victoria, ontr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Arligos de difTereiites gostois e
phantasias.
Espelhos dourad -.s para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e pi'a meninas.
Luvas de Jouvin, de fio de EsomM e de camor j
Caixinbas de costnra ornada e m. musica.
Albums > iua1nrn pa i. retratc*.
Caixinnas com niv .it auu-m-ntor lolratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido
Correntes de plaque muito bonitas para relo-
gios.
! boi9w de punhos de r.'.a
que
Bolsinhas t iOttiia de ieda, de velludo e de I
rinho de cores.
Novos objectos de phanuzia para cima d> m^
e toilette.
^Mncinez de cores, de prau dourado, de i^
de ururuga.
Oculos- de aco lino e de todas as guarnicdes.
Bengalas de luxo, canna, com cas toes de mar-
6m.
tlengallas diversas em grande sortimento para
bomens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qnalidadn*
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de boUs.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarro*
Pentes de tarUruga para descmbaracar e par*
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar SB-
beca.
Es,covas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Caiteirinhas de mcdreperola para dinheiro.
Gravatas brancas e de soda preU para homons
e meninos.
Cam pain has de mola para eh mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de <1
mind e outros muitos differentes joguinhos afle-
mies e francezes.
Malas, bcJcas e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas mord-
rera, bom para os denies.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cc-tinhas de \imes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios u
criancas.
Veneaianas transparentes para porUs e janella-
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Estereoscopos e eosmoramas com escolhidas
visus.
Lanternas magicas com ricas visus de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminarjoes !
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mm fa<-:l
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palha e de sennas
Tesonrinhas e canivetes finos.
Tapetes com vidrilhes para rnangas e lantenu-
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e praUs para
quadros.
Quadros ja promptos com paysagens e phanu-
ua.
EsUmpas avulsas de santos, paysagens e phan-
Uzias.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realeios pequenos de veto com lindas peca*.
Realejos bannonicos on accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de menewnar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, ontr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e pahnos para
medir terrenos.
os para meii-ios
A maior variedade que se pode desojar da to-
dos os briaqoados fabricadoa. em differeotes part*-
da Europa, para eotretenimento das criancas, Majo
a precos mats resnmidos que 6 possivel: ao ar-
mazem do vapor francez, rua do Barao da Victo-
ria, outr'ora ma Nova n. 7.
Cestiiltis para eosfva
Grande sorttmento da bonitos aodatos rhatidas
ao arraaiata do vapor francer, rua do Barao da
Victoria, ontr'ora rua Nova, m. 7.
AJofa-M oma optima eserava, sake tndo
com psrMfit: m rua do Hortu mM, ssorMto.

I
I
I
)
I
I

/
\
L
\
1


Diarto de Pernambuoo QuinfcHeira 29 de Janeiro d 1S74.
i
\
I
$
v




i
:'

\
*
-


'

-

1
DE
FfETROZEDEAI.GO
DAO
LINHAS
Frederico Pinto & C, com
loja delazendas e roupa feit
a-rua do Marquez d Olinda
a. 40, pedem a todes os seus
devedores o obzequio de vi-
rem saldar suaa contas ate" o
dia 30 do corrente mez, cer-
tos de que, findo este prazo,
empregarao os meios judi-
ciaes para seu real embolso.
Recife, 16 de Janeiro de
1874.
CONSULTORIO
M
DR. FERREIRA
Medico operador, a rua larga do Ro-
sartori. SO,
Antigo gabinete de sen pai.
Can de bydroceles sem injeccio.
Aberlura de abcessos e extraccao
de derramamentos serosos pelo aspi-
rador de Pouin.
Consultas de 7 horas da manbS ao
meio dia
Chamados a qualquer hora.
Gratis aos pobres.
Consnltorio medico-cirorgico
DE
A. B. da Silva Maia.
Roa do Visconde de Albuquerque n.
11, oatr'ora roa da matrix da iA>a-Vista
n. II.
Chamados : a qualquer hora.
Consultas: Aoe pcftres gratis, das I as
I horas da tarde.
Consullorio medico
DO
Dr. Murillo.
ROA DA CRUZ N. 26, ANDAR.
Reeem-ehegado da Eurepa, onde (re-
qnenloa os hospitaes de Paris e Londres,
node ser proearado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
ftnao.
Consuhas das 6 horas da manha as 8 ho-
ras, e do meio da as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPECIALiDADES.
Moiestias de senhoras, da pelle e de
crianca.
m it*** *********** ******4$4
"* GABINETE MEDICO CIRURGICO E
do fj?"
Dr. Constancio Pontnal. S
Roa do Imperador n. 8i 1* andar. Jfe-
Consultas das 11 as 3 da tarde, chama- j*
dos a qtialqoer hora, visiia e da consul- 2SJ
tas gratis aos pobres. **-
1
CAS4 Di FORTIM
Rua 1. de Marco n. 23
Aos 20:000$000.
0 abaixo assignado tern sampre exposto a ven-
da biihetes da luteria do Hio, cuja extraccao an
nunciara pelos jornaes.
Precos.
Inteiro 241000
Mei-> 12l00
Quarto 62000
Manoel Martins Fiuza.
CHAMMIO.
0 Sr. Joao Apolonio Cavalcante, quo moron no
engenho S. Bartholomen, e hoje ignora-se sen
domicilio, qneira apparecer na rua da Cruz n. 23,
2 andar, a negocio dejiarticnlar interesse.
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
199, Rua da Praia, 2.
LISBO.V
Luiz Felippe Leite k Innim
Exocutam por commissio quaesquer ordens das
provmeias do reino, ilbas e provincial ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebem a conslgnacao generos nacionaes, co-
loniaes, hespanboes, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, on mesmo de outros paizes, para se-
rem vendidos no reino ou fore delle.
Executant ordens para compra e venda de ron-
dos publico?, nacionaes e estrangeiros. Tratam
da cobranca dos respective^ dividendos.
Promoveiu no mesmo escriptorio, inventarios,
liquidacSes, cansas civeis e commerciaes, appel-
lacdes e recurso de revista.
Tern os melhores advogados na capital.
Para os negoeios de natareza especial, como
cansas forenses, ad minis tracio de bens, etc., que-
endo-se, pode proeeder accordo previo conforme
a natareza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes e quaes-
quer oatroi breves apostolicos concedidos em Roi
ma ou pela Nonciatora em Lisbda, annullacao
de ordens, e quaesquer ontras dependences aos
tribunaes da SanU Se.
Tratam da arrecadacao de herancas e adminis-
tracao de bens no continente do reino.
Obtem documentos de qualquer diocese, distric-
to admkiistrativo, conselho, ou fregoezia do reino,
ilhas e provincial oltramarinas.
Faxes adiaotamentos sobre consignacoes de
juaesqaer generos que tenham prompta sahida
dos mereadoe inglezes ou allemaes. Tambem corn-
pram aquelles que se offerecerem em condicdes
vantajosas.
PaMB transacts por consignacio ou compra,
sobre mtoerios, taes como de cobre, chumbo,
phosphatos, on outros quaesquer, se convierem as
condicdes de qualidade e precos.
Dio-ie boas refereoeiaa em Lisboa e no Porto
Esta ea>a ten correspondencias senas em tedos
os poMea do reino, em Paris, Ingtaterra e Ham-
burgo, oa Africa portogueza, em Macao (China'
reino it Siao, ithas dos Acores e Cabo- Verde,
e aceita as propoataa que Ao imperio do Brasil
ihe font* feitas per correepondencia efTectiva on
dventoaL
Na diridsde da soaa commissdes, na exacti-
dao de MM contas 0 no eredito lonumente etta-
tnloridf fax consietir toda a garantu de bom aco-
Ihlmito
Tern earresnondentes em Sevilha e ontras pra-
jai de Bespiiihi
N. B.-As cornmieades sao reguladas pela praxe
stat prae>
DE
TOSAS
\m
COR^S
AEULHAS
AccessoHf^
PARA
PARTE
DA
Machina
Com as falsifica^oes qne tern apparecido
DAS BACHIBAS PARA COSTDBA
DE
SINGER
Porque?
Nenhuma ma-
00
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
jg braco da machina.
Paraevitarfalsi-
o
C5
fi cacoes notem-se g
8
bem todos os deta-
lhes da marca.
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
Sdo mais baratas.
S8o de doos pospontos.
S3o simples.
Sao rapidas.
S3 i duradouras.
MACHINAS DE SINGER
Sao de dous pospdntos.-
Abainham. V
Franzem N|
Pregam tranrjas.
Marcam pregas.
Bordam de linha do sfida.
Alcolchoam.
Pregam cordoes.
UNICA AGENCIA
EM
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45

49 Rua do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais af8mados autores,
como sao : Here, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para este rlima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarSo nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sao: cepos, folba para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RUA DOIMPERiDOR
PENHOKES
Na travessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os> mes-
mos metaesepedras.
CHAMADO.
Os Srs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaqnim Cle-
mente de L*mos Daarte, sao chamados a rua do
Coronel Suassuna n. 282, a negocio de particular
interesse.
Ataga-se uma etcrava para todo servico :
na nu da Gloria n. Md.
AOCMHERCIO
Loorwco Gaspar da Bastos retire se pare Por-
tugal tratar de soa aaoda, deiza como kw pro-
earadtWM en I.* lofar Jose Tavares Ptnheiro,
imVim imiao socio Doaintoa Guoar de
Bastos t em V a Maooe) hti de Miranda:
ALUGA=SE
o 2* andar do sobrado n. 82 da rua Marquez de
Olinda : a tratar no armazem do mesmo predio.
Aluga-se
Uma boa casa na entrada da estrada do Enca-
aamento, proxima a estacio do Parnameirim ;
tem 2 salas, i quartos, cozihna fora, cacimba
com mmto boa agua para beber, e terreoo com
arvores fractiferas : a tratar na Praca da Inde-
pendencla n. 39.
Esta fogido o eseravo Jose, <-abra, idade de
IS annos, feicdes mmdas, cabeMos frdxos, pes
largos, veete calca a camisa branca, yosta de no-
siea : pede se a pohcia a saa caprnra, e grati&ca-
se a qoem o levar a sen seahor, a rua do Hospi-
cio n M,on 4 roa do Qoetmado n. 83. t* andar.
0 $r. Joio Paolo de Carvarho 4 rigado a vir
k nu do Marqnez de. Olinda n. 53, a negocio qne
osenbnr nio ignore.
Sociedade Propagadora, da
Instruccjio publica. .
Conselho parochial tie Santo
Antonio
De ordem de conselho parochial desta fregue-
zia, faz-se publico qne, ate o dia io de fevereiro
vindouro, estara aberia a matricnla da Bscola
Normal para senhoras, cnjas aulas serao abertas
a 3 do referido mez. Os interessados entender-
se-hao para lal fim com o Rvm. Sr. presidente do
mesmo conselho a rua de Hortas n. 2, segnndo
andar, on com o abaixo assignado a mesma rua,
n. 9. pnmeiro andar.
Ignalmente scieoti6ca-se aqnellas senhoras
alamnas que pretenderem fazer exame das mate-
rias do primeiro anno, que poderao dirigir sens
requerimentos ao mesmo Rvm. Sr. presidente do
conselho ate o dia 3 do dito mes, afim de lbes ser
designado o dia em que deve ter lngar o acto.
Secretaria do conselho parochial da Sociedade
Propagadora da InstrnccSo Publica da freguezia
de Santo Antonio, 19 de Janeiro de 1874.
ai 0 secretaro,
Joao Landelino Dornellas Caraara.
AO CIIHCIO
A cifra de bolso.
E uma chave compieU, por meio da qual se
pode mandar telegraronus imponantes, inteira-
mente desconhecidos a todos, menos a pesaoa in-
tere-sada, que somente os pode ler por possnir
a chave secreta e nma cifra de bolso.
Cada cifra tem hutraccoes para usar-se della.
E em forma de nma caixinha, muito elegante, e
pode conduzir se no bolso do collete.
Preoo 2*000.
As pessoas que desejarem uma dessas eifrts
podem entender-se com P. Laoro Mae Pherson,
no hotel Estaminet, rua do Imperador n. 32, to-
dos os dial nteis, das 9 horas ao meio dia;.
C0Z1NHEIR4
Precisase de uma perfeita coxinhcira, nao im-
porta que seja forra ou e?crava, para casa de uma
familia estrangeira, paga-se bem: a tratar na
ma do Bom Jesus n. 55." raa de Kfl'rr A- C.
Fugio nu dia IJ dn e-inentH a e.-ir;iva de
nome Mcmaiiia, idade '.W uiiii"* r>'Uci mais on
mi Dos. iiin fs iBliu* inn nmM-n aiiutoadna o lum .(
undar inoderait.i ; ;r;.j.i vesii.l'i jiieio e eimes
preto, cot-tuma mudar trajos, tem uma cicalriz na
perna esquerda : roga-se as antoridades policiaes
on aos capitaes de campo a apprehen?ao de dita
efcrava e leva la no Caminho Novo, sitio n. I|l,
on na rua da Cacimba n. I, que se recompensa-
do generosamente.
Instruc^ao elementar do
sexo feminino.
Balrro do Recife.
D. Amalia Roxo Lima tem aberto em saa casa
a rua do Bom Jesus (oatr'ora da Cruz) n. 27,2.*
andar, am carso particular do instrnccao elemen-
tar para o sexo feminino, em qae alem das ma-
terias estatuidas na lei, ensinar-se-ba com per-
fei>;ao, todo e qualquer trabalho d'agulha, bor-
dado a cabello, a espelbo; a fazer crochet, flores de
Sapel, de panno e pennas. Garante-se aos Srs. pais
b familias todo o cnidado e esmero na edacacao
de suas fllbas. Durarao diariamente os trabalhos
escolares, como 6 praxe, das 9 horas da manha
as duas da tarde, a comecar do dia 3 de feve
reiro do corrente anno.
Precisa-se de am feitor: na roa do Bom Jesus
D. 45.
AlsUCtA-SE.
o segnndo andar do sobrado da rua Direita n. 86,
limpo e com bons commodes para familia ; a tra-
tar na padaria n. 84.
Aluga-se o segnndo andar da travessa do
Corpo Santo n. 25: a tratar no armazem." _____
PECHIKCHAS
$6 o n. 20
RUA DO ORESPO
LOJA DAS 3 PORTAS
continua a vender muito barato para apurar
muito dinheiro.
C ASS A LA
Chegou esta fazenda.sendo iindos padroes, even-
de-se pelo diminnto preco de 200 rs. o covado, e
pechincha I I dao-se amostras.
METINS
Proprio para vestidos o qne ha de mais gosto,
padroes novos, pelo preoo de 400 rs. o covado, 6
pechincha I I I doi-se amostras.
LASESCOCEZAS
Lasinbas escocezas, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Diias com listras, padroes modernos, a 280 rs. o
covado.
Ditas la e seda, padroes modernos, a 640 rs. o
covade, e pechincha I I I dao-se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, faaenda de
1|000 a 400 o covado, e pechincha t t dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas pequenas, com bonitos pa-
droes, pelo diminnto preoo de 400 rs. o covado, i
pechincha 11 1 dao-se amostras.
Cortesjde casemira di cores, a 5#(00 cada nm.
Camb Ditas pretas para luto. a 240 rs. o covado.
Fustao branco para roupa de meninos, a 560 rs
o covado.
Brim par do e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamascada, a 34500 rs.
Cole has brancas e com barra de cores, a 34500
e 4*000.
Lencoes de bramante, a 24000.
Dites de algodao, a 14400.
Toal> as aicuchoadas, a;64000 a dnzia.
Ditas relpadas, a 64500 a dnzia.
Lencos de cassa com barra, a 14000 a dazia.
Ditos de cassa abanhados, a 24001) a dazia.
Ditos de esguiao linos, a 34500 a dazia.
Cambria lisa transparente a 34000 e 44500 a
peca.
Cambraia Victoriaa a 34800.
Atoalbado adamascado, a 24000 a vara.
Dito tram.-ado, a 14400 a vara.
Fnstdes de cores, a 1#K)0 o corte.
Chales de merino liso, a 24000.
Ditos estampados, a 34500,44000 e 44500.
Ditos com listras muito finos, a 54800 e 64000
Esguiao muito fino, a 24000 a vara.
Brim preto trancado, a 24000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*500 e 248OO a vara.
Algodao marca T, a 54000 a peca.
Dito dome.-tico, a 34000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para caml-
sas, a 400 rs. 0 covado.
Nanzuc cambraia de cores mnilo flna, pelo di-
minuto preco de 400 rs. 0 covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Guilherme & C.
Atten^ao
Precisa-se de uma mulher de meia idade, para
tomar conta de duas meninas pequenas, que te-
nha bons costumes e de" Qador de sua condncta,;
quem estiver n'estas circumstancias, appareca no
3. andar d'esta typographia. Na mesma casa
precisa se -tambem de uma outra mulher de meia
idade, para fazer companhia a nma familia, e qne
tenha boa conducta civil e moral; a tratar na
mesma casa acima mencionada. _____
Faz-se negocio com o estabelecimento sito a
prapa da Independencia ns. 32 a 36, com as mer-
cadorian existentes on sem ellas: a tratar no
mesmo.
SAQUES
Carvalho & Nogueira, na rua do Apollo
9. 20, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agendas em todas as ci-
dades e- villas de Portugal, d vista e a prazo
por todos os paquetes. __________ _
Precisa se alugar uma escrava qae saiba
cozinbar : na roa Nova n. 7, loja.
Agencia de leiloes
0 abaixo assignado declare ao respeitavel pu-
blico. qae, tendo aberto o sen escriptorio de
agencia de leiloes i roa do Marquez de Olinda n.
64,1" aodar, continua a receber moveis, louca,
fazendas, obras de ouro e preta, predio* e todos
Suantos objectos bo lheremetta para serem ven-
idos, em leilao publico on particular, 4 vontade
de seas romroitentes; e como qner qne o sen
novo estabelecimento se ache o melhor possivel
localisado, alem de qae offerecc as melhores
proporcdes para a boa conservacao dos objectos
qae tenha de receber; o abaixo assignado com-
promette-se nio so a empregar toda a actividade,
zelo e pontaalilade no cumprimento de seus de-
veres, como mesmo sens pagamentos serSo feiots
com a costamada promptidao, qae Ihe e conhe-
cida.
. Recife, 17 de Janeiro de 1874.
________Raymnndo Remigio de Mello Junior.
Grande vantagem.
Aos senhores de engenho.
Dm estrangeiro so offerece aos senhores de en-
genho, aio so para lecctonar primelras lettras, co-
me para onainar o (ranees com toda perfeicao e
aasuutpto francez, pelo grande conhecimento das
maoeiras mais taeeti de aprender-se. Qoem de
sea prestiaio se quizer utilisar pode deixar cam
fecbada, com emlereco a Mr. B. A. na rua do
Marquez do Herval, antigamente rua da Concor-
dia n, 98, primeiro andar, a qualquer bora.
Na rua do BarSo da Victoria n. 36 precisa-si
allar ao Sr vigario Andre Cureino de A ran jo Pe-
eira, negocio de seu interesse.
Casa ileiMiiino
i
iy(r.- p se a |
lie-'M-.-at -, ;'n->:'l.'!ii,!:l'' jif hr>'ii< MWO*, dc
gra\a, da excellente ea. que foi do linado Dr. Joaqnim Pires Carneiro M in-
teiro, passando-se escriptura para maior srgurau-'
ca. A loca'iilade i muito salubre, e a casa muito
fresca, lem mngnifico banho de 3gua doce-em
frente, e e muito commodo visto que o trem passa
lefronte : quem pretender node dirigir-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monteiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
on ao Sr. Cannan, a ma do < ommercio n. 40.
Manoel Theodoro Marques, Joan-
na de Brito Correa Marques, Her-
mogens de Brito Corre"a, Irias de
Britto Corrda e Innocencio Ro-
drigues de Miranda agradecem
cordialmente a todas aqoellas
pessoas que se dignaram acora-
panhar ate o cemiterlo publico
desta cidade o enterro de seu mui presado pai,
sogro e cunhado, Joao de Britto Corre*a, e o* con-
vida a comparecerem no dia 29 do corrente pelas
7 boras da manha, na igreja do convento do Car
mo, afim d'assislirem a missa do setimo dia, do
fallecimento do dito linado ; esperam pois que nae
deixarlo de lbes prestar semelhante oflBcio de ca-
ridade.
na
vr t
Do engenho Preferencia, na freguezia da
Escada, ao amanheeer de 21 do corrente, desap-
pareceram da respectiva senzala, quatorze esera-
vos, inclusive uma cozinheira, levando os rresmr>s
comsigo por intermedio desta quanta roupa de
vestir e de cama poderam apani-ar de seu senbor
Jose Hermino Pontnal. Nao sendo ainda conheci-
do o destido nem caminho qne tomaram, o mesmo
senbor pede a intervengao dos senhores agenles
de policla para a apprebensao delles, bem como
dos sedadores, visto lhe parecer, qae neste nego-
cio elles se nao dirigiriam do propria inspin-.-ao.

%
E. A. DELOUCHE.
49Rua do Marqnez de Olinda49
Acaba de receber um grande sortimento de re
logios americanos para parede e mesa, de corda
de 24 horas e de corda de 8 dia?, com despertador
dos melhores gostos e qualidade.
Relogios de ouro patente in/zlz verdadeiros, des-
coberto com ponteVfr^tao Mneio, dos mais
modernos--de metnor fabrFcait ie L< ndres.
--Gratfde sortimento de relogios'ua^prata, prata
donrada, cobertos e descobertos. Ditos^uVpraU
foliada (plaque ), orisontal e patente, de todo
preco
Cadeias de plaque e de ouro.
Lunetos e oculos de todas as qualidades.
Verdadeiros Vidros de christal da Rccha, para
vista can>ada.
Vende-se tudo por preco mais barato que em
outra qualquer pane.
Triumpho da
i *
rt3IS%
Em tem pos modernos nenhum descubn-
mento ope uromaior revoluijao no modo dt
curar auteriormente em voga do que o
.tmlltf '
TANTO m TRATA.MENTO
^ OA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
Rouquidao, Resfriameutos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expecturagao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfei mi
dades da Carganta, do Peito e do
Orgitoei da reetpiracjlo,- que tanti
atormentam e fazem soffrer'.a humanidade
A maneira antiga de curar consistia geral-
mente na applica^ao de vesicatonos, San-
grias sarjar ou applicar exteriormente un-
guentos fortissimos compostos de suhstan-
cias vesicantes, afim de produzir empolbas, ;
cujos diflerentes modos de curar, nao faziara
sendo enfraquecer e diminuir as forces d<-
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais facil e certa para a en-
fermidade a destruigao inivitavel de sua
victima I Quam differente 4 pois o effeito
admiravel do
FEIIOSAL DE mCAHUITAl
Era vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor,
Alii via a irritacdo,
Desenvolvo e|entendimento,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rapida
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europe, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
rela^des analogicas, e aidm disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maraxilhoso remedio, sao mais que suffi-
cientes para sustentarem a opiniao do
Acha-sea venda em todas as bi.ticas.
H. Prosters A C, agentes.
Unicos agentes nesta provincia os Srs. J*
0. D. Covle, rua d. Coramercio n. 38.
' Silva Barroca 4 t-ilhos teem para vend
jea armazem, a rua do Marquez do OliM* '
ieguinte:
Folba da Flandres.
Estanho em vergu ohx*
Machmas pare descar icar .ilgodao.
Cerveja escossexa brauca'e preta.
MOFINA
Esta encoura<;ado 11 !
Ajraa inole cm pcifrn dura
lanti) ilA :>ic .U- a fizra.
tvpA-i 11 it., m iev*rv> \''-.:n '-r a na '!..!- -.. V> :irr'h V-'ia pnvinciu,
',.\" iw \\i ., ;.:, i ,:;;:, oe Laiias u. *', a C('H-
-iuir aiueile negm-io qne S. S. se coTnprvmetfn a
realisar, pela terreire chamada deste jnmal, era
tins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
i>assou a fevereiru e abril de 1872,e nada cumprio;
e por este motivo e de novo ehamado para dito
flm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
le mais de oito annos, e qnando o Sr. ten uibo
acbava nesta eidade.
NOVAS PUBUCaCKS MBSICAES.
i. J!. d"Azeveilo fctua \ova a. If.
A,jbam de publicar-se, e acbam-se i
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
D.VNSF. espanhola, por Ascher 2*000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
theimer 1$500
Valsa do Fausto, por Crnyzes 1*000
SONHO DE UMA VIRGEM, pOr AlbeT-
tazzi 19000
ARM la Prir, cavatina 1*000
AoClair df. la Lune, por Bussmeyer 1*500
ESTRELLA DO NORTEJp ,fc b ,|h ,m<)
SaudaqAo ao BahiaI
Cricket, por Seixas, offerecida aos
chrickets club pernambucano e
bahiano 1*000
PIANO E CANTO.
Desf.spf.ro, muito lindo romance
por I. Smoltz 2*000
Non m'amava, romance por Guercia 1*000
Tambera recebeu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, mcthodos, etc. etc.________
Caixetro
Preci?a-5s de um moco com bastante pratica
de mindezas e que tenha boa omdacta : a tra-
tar na ma de Uarcilio Dias n. 86. tutr'ora Di-
reita^___________________^________
Eseravo fugido
Continua fugido o preto Antonio Panan. idad--
de 30 annos, pouco mais ou menos, altura regu-
lar, rosto redondo, cabeca peqoena e nanz muito
gros-o. Este pieto foi canoeiro e lem nma costa-
ra no rosto, proveniente de uma espinha : quem i
captorar tenha a bundade ie leva-lo aos Sr*. Oli-
veira Filhos A C, largo do l.orpo Santo n. 19, ou
ao seu dono, no ngenho Improvisn, freguezia d-
I,auara>su, que sera pen'T.-'sani-ni-' r"conipfnsaJ-
Frecisa-se
alngar uma e?crava de meia idade quefas a fiel -
civilisada, para servico interno e externo : na rui
da Virai.ao n. 33.
Convida-p
aossenKo? VaTFJ^OjreS, Ktteraios, ehefes de i -
particoes e coirunercianw-S- 2 i'isitarem a
ENCADERXACAO BRASTLS'fiA
a rua Duque de Caxias n. il, onde v^rau^S^, '
este o estahelecimeiiio que dispoe dos melior
meios e processes para bem servi-los na arte d-
encadernar, e o uniro que
POSSUE A MELHOR
machina para paular papel, riscar lr.ro.-. ir.ipp.
manifestos, folhas de empregados, despachos, fa'
turas, contas cerrentes e de'venda ; cojotiabaic
sera regulado pela segninte tabella de precos :
Papel p.'i|iior.o em caixinhas.
Para pautar 1 caixa iaO-0.
Idem 4 ditas a SOU rs. cada uma
Idem 10 dita- a 400 rs.
Idem 20 ditas a ;iO0 rs.
Idem 50 ditas a 230 rs.
Idem 100 ditas a ?0O rs.
Idem 20 Uilas a 15(' rs.
Mais de 200 ditas a 100 rs.
Papel em tamanho flume contas e despacti *.
Por pautar I resma IJ500. ^
Idem 10 a IfSOO cada uma.
Idem -0 a I i.
Mem 30 a 800 rs.
Idem 100 a 600 rs.
Idem 200 a 400 rs.
Mais de 200 a 320 rs.
Outros trabalhos cmforme o a'nste.
A differenca em pr^co do papel liso para .
pautado, n>> nosso mercado, 6 muito superior a .W
rs. em resma, sendo pi r is>o vantojoso aos Sr*
IMPORTADORES DE PAHEL
mandarera vir o papel liso para aqni ser paulad
podeodo assim venderem mais barato, ganhan
mais dinheiro, para o <|ue
GARANTE-SE
a bondade e limpeza do trabalho, entregando -
os volumes de resma com a mesma perfeicao
igualdade que >e tiver reeebido na
EN ADERNAgAO BHASILEIRA
21 Rua Duque de Caxias21.
Tem sidu apresentiida ao publif
Durante o espa90
DF.
4 0 ANNOS.
DE
RBISTOL
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADO*
A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri
fica a massa do sangue, expelle para fort
todas as materias e fezes viciosas e impure*,
regula todas as secre^oes, dd vitalidade e
energia a todos os orgios e dd for$a e vi-
gor ao systema afim de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. E'
pois este um remedio constitutional. El>
nunca distroe afim de peder curar ; pordm
constantemente assiste a natureza. Portanto
em todas as doencas conatiHteiomus e em to-
das as moiestias locoes dependente d'um ts-
tadovicioso eimperfeito do systema em at
ral, acbar-se-ha que a Salsaparrilia b
Bristol e um remedio seguro e eflicassissi-
iqo, possuindo inestimaveis incontestaveis
v rtudes.
As curas milagrosas de
l!sei*arlaii,
Ulcrras,
Cbacai aadiaaa,
ENFERMIDADES SYPHIUiia>
ERYSIPELAS,
IUIEUMATISMO,
NtVRALGlAS.
ESCORBOTO,
ETC., ETC., fit,
que tem grangeado e dado alto rouome




*




0*flfe (k^wonabuoo 44 fe^taiifefei 24 dauJnmbo^Klerl
#lW<
'lOOJOOade gratifi$ac3to
EnjBnho Santos-Jfertdis
Faeio no di8 de desemHrin entenho San
toa Menrtes, com* Tracwihaem. a werava Maria, crfoala, CO annos
de idade, pouco mais oa menos, baixa, grossa, cor
prela. rc-tii alqu--t>rado, pei secoos e'espanados,
aed ciiri s. c-ab"llo9 braneos, canellas finas, tern
dous n^naes cabellados no queixo, 6 bem ladi
na. A pessoa que entregar esu escrava oa ao sen
don,', mi* e o senhor do engeoho acima, Lauren
lioo me- da Caoba Pereira Beltrao, on no. Re-
cife, la go d Corpo Santo n. 19, 1* aodar, sera
ecoinncnsada rum a qnantia de 1001.________
Na ran do Yigario n; 19,
l.HUir, ha para vender;
Ora em wias e bogias, de superior qualidade.
GofBur iiigkf
BrtroZ (!' P"*l.
Vinh< ilu ftirl" entarraftdo, era caixas de duzia.
Vela? >l-.irii.as ingleza* de i Hbwcad* masso.
Oollttjyio de S. SebastiSo
D. Mami'la HiigHdta de Mendonr-a Mello Heg >
parti"-ii-a au pair, tutor s e correspondantes de
saan alumna*..que trao^ferio aquelle estabeieci-
metit.i d.< edueaoaVpara o sexo ieminino, sob saa
dirtvcao, pw. a rua estreita do Rosario n. 34, 8*
andar, n i*-<-oaiinaa areeeber alnnrnas pensio
oistas. tm-i pensionistas e extemas, ?endo qtie
saa iiir.i iw tugar no dia !3.de Janeiro cer-
renle.
*l I 11 ^1 | Permnta-ae J|taMgajia^i|^e*eTr P"C*
unumia. oa pur escravoJ JiHM[Wilifc||il| e nova,
Na rua do Barao da^Victuitavn 38, precisa-se sita na rua loupe**::-a HMm taerfna rua n.
fallar ao Sr. 3.* tenente Jose Maria Peaan, a no- 384. Na mesma casa precisa-se de um caixeiro
gacio de sen interesae.__________ qnetenha bastanta pratiea de padaifra e qne de
Prt-.M Aa fimn am Mo* *** *'" te .e eozinne e engenxne para
A MAs
luas pessoas qne moram n am
dos arrabsldes desta cidade : a
tratar na rua do Imperador n. 18, armazem do
Campos. ______________________
Garanhuns.
Na rua du Harao da Victoria n. 36, precisa-st
allar ans *!. Pedro do Rego Chaves Pelxoto e
ose Paes daSilva, a negocii. de particular inte-
ESlHWO FUIHDO.
D'!-app:ir--ceu ao amanhocer do dia 4 do cor
rente, do engvnho Serigi, romarca de Goyanna, o
escravo de noine lose Burg-.-, mestre de assnear,
tende os sign.ies seguintes : cabra, idade 30 an-
ci, pnue mais iiu menos, boa figuca, um tanto
gru-sii e rspadaiido, sendo o signal man visivel
uma gi 1111111* na junta do pe e-querdo : roga se a
todas as autoridades e capitaes de eampo queiram
apprehenler ito escravoe leva-In ao referido en
geohn, nu nesu praca a (Miveira Frlhos & C, lar-
go do Corpo Santo n. 19, q.ie serao generosameu;
te recoirmensados.
Ama,
M0UIDA?AODE M8PDAS
CK1ADI)
Precisa-se de am qne entenda de copeiro
jua Velhi, sobrado n. 71. ^____^
Precisa-se de MoieUe.
dun- amM pan p^^.^^ nm oteque de W a 16'mbob,
casa ae pouca fa- par,riadode uma aesaoa :. traur na'raal
roilia, sendo uma Imperador-n. I8,.arroaeai do-Qawpos.
para cozinhar e outra para engonmae, pre- .
fermchi-seeacrnasjpegie-bem,aagratlar:! '
a.tratar'na travessa do vrgarioTb'ehorlo trr
1, escriptorio, das-9 it'A da tarde.
4 if Prcwa-ade uma aroa, prefe-
1T A rin*-se esertw,^ qne saiba en-
Pre;isa-se de uma ama paraTemprw
eoiinnar para casa de radii!ia, aar aa do
Cabnga n.'9'A, loia. ________
Precisa-se de uma. ama para ecai
nhar em easa de> familia narua o>
\MA
'isconde de Goyanna n. AQ&-.
Ama de leite
Procisa-se de uma ama de hite Beat filho, de Mai f
boa onducta : na'. ma do Viseo4^W (soyaaoar ^mr os mnito felizes
tn- 429. _____^____ Ml*r Ama
Pfecisa-se de uma ama iia,ra enaaw
War narua do Bafab'da Vicldria n^rl^
CottFtaod-i ans abaixo as.lgnado achar se nes-
la praci o Sr. Manoel Fernandes de (larvalho, ren
deiro dos eng^nhos Barra e Preguira, em Ma-
manguape,.provincia da Parabyba, veem rogar ao
me-mo o obztquio de vir entendrr-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
fendente aos referidos ongenhos. Rua do Amorira
37, escri|itorio.
TasfO Irmaos 4 C.
Companhia do Gaz.
A emprera dugaz tem a honra de annunciar
ao publico qne recebnu uttimente um esplen-
dido sort1in<'uto de lustres de vidro, candiei-
ros, araadulas e globos, cujas amostras estao
no escripttirin & rua do Imperador n. 31,
e srSo vendidos aos seus freguezes pelo
prey, mais razoa\el possivel.
Para
obter.
se
Preciaa-se de uma ama qua ai4>a cozinhar>r
eomprat : na rui Vinte -Qaatrode Maw, 'antig
dos ()ssa<. n. 33.
AMA
i >.
<*:

Precisa^sWtM ftttla 'aiite'
?a1ba" eoziilhar,"e en|
para'ca de pcWa'\_.
nama Marqoezde-OliffdM n. ; otbTotH rtia1 *
da'Cadeia. _______________^.
Prect-a-se de nma ama i Josa para comprar
e cozinhar em casa de rapazes sblteiros : na roa
Primeiro de Marge a. 2, tafrtUcl d arco de San-
to Antonio
amA para
4
nha n. 25, 2.
\
Precisa-se de uma
comprar e cozinhar parVetifca
de pouca familia-: nasraa da"Pe
andar.
Ama
i\'a ma da Praia a 18, pracisjcse de
uma ama, Irvre on esctaflR
O
0 Sr. Franci vir a rua do Duqne c
.jstioho Madeira, e- fogadoqe
ft Caxias. n. 60 A.
..'daftfti .
a-A^T'do
um' meioden.
lotbna qne se acabot
Jaitf'j^jaureFTvi
.a au rspeiti
a'oTralalodlmotifc -een-' r
nao deixarao de
pelos mesnK t
adnuncios.
.^4vfnaa^o>-n^r^M.biltetia>4av4
da 21 parte da loterta a beneflclo dv
matr.iz.de Salgueiro, qne se extrabira no dia
o cerrena^roea,
niii>
MMMP-' H#'''
- -Mm'-- wwjof
Dc 100&000 pnrncfdau.
imatfo- 3u;
mw--1- ilfW1'
jajieiroUe
NA
Rua da lmperatriz n. 60
Vende fttefcndas para liquidar, pot batutilBsfHiiDi precjo coaJ
4 afeako se ve;
W#ofVt da Silva &Guimarles tendo em ser umgmnde depoiito da-fozeikUt.
tem resolviUft'ittter uma liquidaca#fas memhsv co^ gfa^Qe''ab^fniCb rios 'prejot
cote n oflkafl* d^s^irar dinheir para o quo coowtam nae- $6 irepjetr>- W'siH'ea#jter*neiUe-denomiaa^*a'lBo-^arua da lmperatriz n. 60.
BAZAR ,
Run do Barao da Victoria n. 22.
ur
tmkhl Tfanna.
.a
Jfic* Joatmm^ M Citt^
he-it*.
Escrvo
Desapparf^eu da casa do^abafxo atslghaln, o
esoravo Jos*;' de estatQra r, gwa>; peraas iirquia
das, falta. da denies, e 6 cahra, r.BUpp5-*e. ter
seguidiSili'li^rtrmoSo, oa'tie]le4 '-Bo*
t-nto, i^-*ft*atitrida4as pCMUel e capflie*
delcampo a sua appre'ieh^ao, e mandar parte na
rui K^KkM* Ce*ar>':ofttrtASeBWfic W*1*.'
30j
. iBnirn i
^iHtas
Antonio Jose Rodrigues de Senza, em seas-
criptorio a rua do Crespo n 6, coinpra, por bons
precos, escra7os das> diwersas cores, sexo^--e
idades._______________
Escrows iiigidns.
Nos ultimos dias do met de n jvembro do
proximo passado fugrram do engeuto
""abaclnhss parar*^J.
4ate em no e em folria.
'afft verdadeiro de Java.__,~~+
ha verdadeiro dai-figfavanas.
;olacliinhas.fistKs, para dietas.
'.COfts rmis'im'is.
Seieias de diversas qualidade?.
)oces secios, em calda e ralado?.
?iimbres preparados.
Padm e bi-los inglezes.
Xampes e orrbata de Lisboa.
Amen ioas e confeitos.
Uma pessoa iifto (eui uiais
quo ir logo e logo
a coaifeitaria do Camros
94 Imperador*4
Aluga se uma excellente casa na povoa^ao
de Duarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
ios para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Aruorim a. 37.
I
L
No dia
nu
anno
Gtier-
ra, da freguezia de Ipoiuca, dous esoravosy o nra-
lato Sabin e o mulatinho Lourenro, com os stg-
naes seguintes : o primeiro, estaiora a:lem'disre-^
gular, espaduas largas, sem barba, aim falta de
alguns denies de cima na (rente, de idade de 30
annoa pouco mais ou menos. 0 signal mais ea-
racteristico e ter os pes ennrmemente grandes e
muito largos nos eleJvs.anda como napagatO'deU
tando as pontas du- um putieo para dentro.
0 segnndo, de v de 13 annos pouco mais:
on menos, com o^ seguintes signaes: ama cioa
triz sobre,BQ1 dos olhos, que o cbriga a trazelo
mairfechado do qne o ontro; as unhas dos dedrte
dos pes n o san boas sobre tudo a do dedo gram
de do pe direito. Consta qne o primeiro depots da
estar algum tempo na cidade de Olinda m uma
cocheir? foi para IngazHra em cornpanhia de
uns almocreves ; e o segnndo tem sido enomtra >
do no Recife : quern os apprehender dirija-se ao
referidi engenho, ou a traves-a do Queirnado em
casa do Sr. Gabriel Antonio de Castro Qotntaesr|
qne sera generosamente remnnerado;
Coropraso um'me*o4ii"franuez iogiez de
Ollendorff : na iivrsri* Rcoiromica, jVurt'i aoiHW
de Santo Antonio.
9
w&v
A' este grande estabelecimento- tem che-
ga*do nm bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acrtdita-
dos ultimamentena Europa, cujas machinas
alb garantidas por um anno, e tendo wrv
perfeito artists para ensinar as mesmas, em"
t^lalquer parte desta cidado, como bem as-
sim'concerta:ras pelo tempo tarnb.'ui d'um
anno som despendio algum do comprador.
Neste"estabelecimento t-mbem ba pertehfas
para as mesmas machinas e se sopore qual-
qdei^pe^a que seja necessarid. r.^tas ma-
chinas trabalham com toda a perfei^ao de
unh e-'dous pospontos, franzo e bordato qiialqoer costura por fir"1* que" S'ja, sens
precos sSo da seguinte qualidade : \ balhara mSo d0J0O, 4000fe'. i5000^
e 50JJ&00, para trabalhar com o y& sao de
805JOOO, 905000, lOOJPOrJO", 1109060,
12OJJ000, 130JJ000, ISOSiSOOk 20'JJ0O0 e
254)9000, emquanto aos autores- nilo ba al-
Jeracfio de precis, e os compradores podrao
yisitar este estariefeclrfteirte, que muito de*
verao gostar pela variedade de objeetos qne
ba> semp;* para vernier, como sejam : cadei-
ras para viogem, malas para viagem, cadei-
ras para sala's;- ditfts de balan^o, ditas para
crtenca (altaa}, ditas para egcofas, costurreii
'frtis nquissirftoavpara' Sefthora, despensaveis
para criancas, de todas as qualidades, camas
deferro para hombm e criancas, capachos,
espelbos dourados para sala, grandes e pe-
qoenos, apparelhos de metal para ch, fa-
3ueiros com cabo de metal e de marflm,
itos avulsos, colheres de metal fin i, condiei-
ros para sala, jarTOs; guarda-comidas de
arame, tampas part -cobVir pratos, esteiras
para forrar salas, laVatOrtos completos, ditos
sinaples, objeetos para tottette, e outros mni-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
i estrada de farr- de Olinda, W* se cha abertodesde as 6 horas da ma-
compra toais 50 enchameis de 30 palmos de com. nbS ate as 9 horas da noute a
primento e 5 polegadaa de grossura, para parte TKm do Ra.raO da VintoHa Tl
da linha telegraphica : a trator no escrijaorio da ."' UU DdldU HO, V lUlUIia U.
CfllMAlAS A 4, 45J500, 5JJS, 69 79.
0*M*fia tendwum magnifico sortimento
das mais flhas cambraias brancas transpa-
rtnteiiittilflfb'ltf'jardas cada peca, pelo ba-
rato-paecp. de 49,-4*600', 59[.69Vtendo t*m-
bem das mais finas quo cuatamaot vir ao
/neittdoj assi** db*o Orrfgrandfe sOttimeHtO
de dltns tapadas e fictorlas qW vetfoMfe *#
ate 89, senab Ta'zehda que valte muiio mais
dmheiro.
eOMSA<:l*ICOS DE CORES A 59.
OTaVarfrecebeu um elegante sortimento
de cambraioasbrancas com bonitos salpiqui-
nboBTrrirjdlnllos de cores, tendo 16 jardas
cada corfb d vestido e rende pelo barato
precp de 59, por ser pechincha, ditas com
salpleos todo brancosentf^1fazdnda'finissjma 5
a 79500 e ditas a 59000.
Compra s*nutfMMfl trastes'novos
'e mado) no arntaeeMlda ru do Im-
perador n. 48.

MM e ioglezde
ca, junto' ao arco
Compra- so um > metUodtK
Ollendorff: na livraria
06 SaturAnlonio>
Compra-?e sers'dazlas de espaoadores de
peflnas : na T'Mottraria-das toWrids.
nchameis.
cempanhia.
0 getente,
Laurtneitoo Josidv Miranda.
Precisa-se alugar uma ama para casa de
poaca familia : na rua do Imperador n. 33:
ALUGA-SE
uma casa na Capunga, rua das Pernambucanas,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rna do
Vigario Tenorio n. 31.
/' iuga-se
0 2 andar do sobrado n 20 da rua do Viga-
rio : a tratar com Jorge Jacome Tasso, na rua
do Amorim n. 37.
6 :-
l|
do enrrente ruez, fngio do engenho
Mega6 de Cima, freguezia de Tejucupapo, e es-
oravo de nnnie Firmino, moleque de 18 a 20 an-
no* de idade, b >a estura, cor um pouco fula,
rosto lunpo e redondu, tem falta de dous denies
na frenle, rorpo regular, pe. um pouco grandes,
om ama da* canellas tem uma cicatriz. Levou
roupa. sendo palitol de alpaca preta, calca de
brim braaeo, sapatos de. casemira preta, gravata
preta e chapeo de Manillia. Foi montado em um
eavall" melladn com sella e freio ; o cavallo e de
bom lamanho, bastante esguio, clinas e can4a pre
tas, manca de uma man, provenienla de um talho
qne levou, o cavallo e inteiro. 0 porlador que
segniii no m --no dia da Tugida cm procure de
dito esi-ravo teve noticia de ter estado em um sitio
da Torre onde olio ja esteve em outra fuga que
fez ha pouco tempo. 0 capitio de campo ou ou-
tra qaalquer pessoa que o pegar leve o aoenge-
nho acimi (|ue sera gratiflcado com a qnantia
de cem mil r&s.
AUencAo.
Eseravo fugiilo.
Fagio no dia 4 do corrente mez de Janeiro de
7i o preto Ignacio, 'i0 annos, altura regular,
secco do corpo, bigodo e Cavagnac ralo, cabe^a
naito peqnena, olhos pequenos,. falta de dentes
aa frent:, rosto secco, tem voz baixa, falla pou
co, e e carregado no semblante, foi comprado a
D. Felippa avalcante de Albuiaerque, senhora
io engenho ^anto Escaro, do sal, e dahi para
?a se tem occupado no uvbalho de padaria, deve
ter os nos dos dedos das maos calejados do referi-
Jo servipi; desconfia-se que seguiase o caminlio
do sul para o referido engentn on> seus soburbios:
pde-se as autoridades pciliciaes ou as p"ss.ias que
9 encontrarem de leva-lo a casa de sen senbor, no
Recife, em Santo. Amaro das Salinas, rua do Li
ma n. 72, que se gratiflcara generosamente.
Salao para cortar cabellos e
fazer barbas.
Manoel CoIho, official que foi dj estaheleci-
iuento de barbelro do Sr. Lniz Augnsto Pacheco,
sendo despedido do dito estabetecimeqto, sem mo-
tin s, entenleu abrir um-ptqueno ;salao para cor-
tar cabellos. e faier barbas, no 1 aodar da casa
n. 36, a rua Duqne de Caxias, (outr'ora das Cru
zes) onde espera qne seas amigos e freguezes,
com wueeraiidade b reMpeWSvel publico o coadju-
vera ; tendo para isso bans otflciaes. promptidao,
agrado e asseio no sei^Jf^bamo, oodendo ser pro-
curaiio para o* mi.-teres de sua profissao no ditJ
istabrtieclmento, a-qWrner hora.
Vk'tvria<->d'Aiakida-RabelUteaii!u reUiadu-
-e para a c'/rte, e pela sua rapidi viagem, dei
xon de >'e pedir se de sea^ amigos aos qnaes pe-
!e !- o' n, e ollfertc*' SOW' poWoos- presilmot
aa^ai la '>
- Re le, 26 le Janeiro de 1874.________________

A Torre
Abiga-se para pssaa-, feata um sitio com
excellfiitx .vs, ,jH babitaja olninbo n< no
* frenta di-sta: quo^a- at-prfitendur, p6de
prociiiiir ;].. Mn 'jyTaaio Pircs n. "24
"Z. Pre.-isa--e de MJ#ar de icis a |. e-
mio, s b hy cthpca fligbens--do raac a tratar
aa ma da n-Fert"
rua Imperial a. 20/'
0 Sr. Candido G. R. Lima, faca 6 favor vir a aru
do Duqne de Caxias n. 60 A.
ROBERTI
.....' i 'i
{'omprn-se *
paiW-caSade ftrnllfilama'esctava que1-nao seja
viclosa, e cujos senhores sejam ennhe^idos: na
rua da lmperatriz, loja ti: 10, se dira quem pre-
eisa.
Na raa da Ponte Velha n. 8 precisa se com.
prar nma preta escrava para o servico de casa.
VJWAS.
Tratado das peqw*nas virtudes, pelo padre
Roberti, da cornpanhia de Jeans.
EDIGAO DE loO.OOO IXEMPLaRES 1!
1 vol. em- 19000.
As ppquenas virtudes de que trata osta
obra sao :
A indulgencia a caridaie a compai-
xao a docdidade a diligencia a li-
beralidade de cora.So a affabilidade
a urban dade raineira de pratical as
meio de adquiril-as etc.
LIVMR1AFRANCEIA.
0 maiscompleto o mais barato dos
jornaes d* modas para senhoras. Publicado
em Palft e distribuilo duas vezes por Wez.
PorWmo, pagos adiantados, l29('0O.
(Cprego no Rio de Janeiro 6 1 i#606. )
1 iMHH FIIIWK'M,
HERCULAJiO
O.PUSCULOS
DOUS VOL f!NCAD.-6000
Lisboa-1873
A edicao estando para esgotar-se, charaaroos a
atteneap do paMico snbre esta obra, cujo merect^
mento dispensa de qnatqner elngto.
LIVRARIA FRAriCKZA.
A quem interefisar. possa.
Para em menpodera quanlia de mHWt rets,
e era mao de um men vizinbo a quantia de uito
mil reis, pert'-n-enie ao Gnado. tenente-corouel
Jose1 da Silva PMstia, de taxa municipal; como
arretn&taat* qua-W : quem'com dlrerto se Jtilj^;
Cariiaval
Amaral, Nabu'o & C. vemiem lantijoulas de
diversos I'ormatos, prateadas e douradas, cabellet-
ra- de cabellos braacos, caKas de raeia de algodao
e de seda, brancas e de cores, camisas da meia
lisirada brancas, capacetes do massa, volta* de
perolas falsas, brincos proprios para Chicard,
franjas prateadasde-muitas larguras, etc., etc., e
contpieto sortimento de mascaras : no ua;ar Vic-
toria, rua do Baraoda Victoria n.-2.
vestiikJsa usoDii? coittri'iajr
0 Pavao Tende um bonito sortimento dot
cortes de vestidis use da ^rte,' tMi^ndtf s
ci'da c6rte todos os enfeites necessarios como"
se jam : habadinhos, entre*meiJsr rerfdas^
francoz muito flho a AWOO, apettn pnicltf-
1, Vs metro para< #Teto*J(ill
CHALES WfeATOS.
a w,wM:t#:
0 Javao vetttfe cbalei a amiUcio de m*
riti6'8"29, ditos de maria6< hsoa4vtodas m
core*-a 29500', ditoad'itteri*%Slhll!pado.
rdttfft) mfosa'49/dftrjs fihissialos com Iok-
tras-de^da'a 69S00, difoi^iMifo.fiuM- dV
cwpatlia-lOoe-129.
MMj*d*o enfestado a 19 <^9#9#
0 'P v3o vend^ algiwHto' eutestado com #
paHftes de largura, prOprio para leac^va-
soodo do maia ennTk) qoieii4rHftriB-
miertrto; fasO # ty *-t'etlWfaabr....
19280-
ATOAtflAW) A 196O0", 2, 5.
0 Pavao vende atoalhado trtnaafto eonvt
palmos de largftra a* 1920O e f9Wf, drt^
adamascado a 29. dito dfe linho adamasca
doa^9e59/
SEDA PAaA VE&TI608
a 19600 e 29.
OPavSo venfl* n'm' fcwwtb sortlttento d
requeflfes.e vend pelo barato precp de 129Tse0'as com listrttthas propriaa para veali
cada urn. assim eortio,; diea a*'fte'jaFhoMo9de meninasede seuhora a 49600 oco
com todos os enfeites a 109. cortes de cam- vadO, ditas lavradinbas a 29, os padrOw *
per este precp pars
22.
VENDE-SE
Uma armacao de amarello envidracada com
balcao proprio para qualquer negocio : a tratar
na rua do Crespo n. 20.
Mascaras
Amaral. .Nabuco & C vendera mascaras de pa-
pelao, brancas e pretas. para homens, mulheres o
n.emnos, de >eiim, de arame, de cera para homem,
mocas e velhcrs, typo inteiramente engragado : no
Bazar-Victoria, rua do Barao da Victoria n. 2.
Victoria
Vende-se nma pequena victoria em bom esta*
do : na rna da lmperatriz u. 9.
pode1 mandar rtoeawaa* man pedardttafaaaWf. oaapW : a tratar na'mesnta.
Uaiao, 27 de4eaembro d*487i.
Loureoct) da Silva Caaye3.
Uoa acqnisi(jao
Vende-se ou pormuta-se por escravos uma
casa oonstruida de novo, tendo duass,la sa
seis quanos, com gabinete, sala de en-
goramar, cozinha fora, quartos para familia,
cacimha com boa agua dabeber e um sitio
bem arberisado ; no alto da Torre .- a tratar
nesta, typograpbia.__________________^^
-- Vende se a tarerna da raa das Carrocas.
esquioa da. S. Joso, com boa casa de vivendae
bons commodos para familia: quem pretjnder
dirija-se a mesma.
Nao 6 cassuada, sao toalhas
grandes a 500 rs.
Venbsm depressa .i rua da lmperatriz u. 56;
loja da1 Hosa Branca.___________________'
VENDE-SE
em um: go Into ou a retalho a coehefra sita a rna
das F1ere'ff"a 24, propria pam am priDcipiawe1: a
tratar*na roa'BireRKin. 80.
Vende-se a tavprna da raa da Ponle velha
n. 1, e cr.fflotrVo da veoda'' se dtrft a qnem qai/er
T "SO IRMAOS k C
Em seus arraazens a rua do Amorim
h. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por preens commodoa
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgolo.
Cimento Portland.
Cimento Hvdraulicc.
Machinas dc descarocar algoda:
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sagu em garrafdes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentil has em garrafoes
Rhurn da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarrafado
Vinho do Porto superior, dito.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Poles com lingnas e dobradas inglazu.
Licores tin us sort id os.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucinho inglez.
Barris com repolho em salmoura.
0 abaixo assignadb tem justo e contratado a
cortpra da taverna sHa 4 rna d*o : Vl-con le- de
Inhauma n. 8; parvnoenteao Sr. Jiio SNrVn*
de Amorim, livre e deeiuhar.ic;idv dwtodin
qualquer onus-: quern poissa. jaiiMif co.direj-
to a mesma entenaa-se> cmn o rae'sDid abaixo'as-
signadrf no-prazo-d' tre*rdlA, rA mesma te*WHBr;j
tindo" os qnaes nao se re.-ponaJ)Hi-a.
Recife, 2S de janeir de W7L
Antonio Gi>me da Silv'<<
Vejade.se uma -taverna b-m afreguezada para
a-praoaj a ppupna par* principiante pur- ter put -
cos fnodoa: n raa Cambraias lisas ede cores a
240 e 280 rs. ocovado.
A' rua de Queirnado n. 43, defronte da Praci-
nha ; dSo-se amostras : s6 na loja de Gaerra &
Fernandes.
Madapol&o fraacez fino a
5|5W e 6jJT a peca.
Com pequeno sujo, e pechincha : so na raa do
Queirnado n. 43. defronte da I'rarinha.
Toalhas a 42500 a duzia-
"6 na rua do Queirnado n. 43, e grande pe-
chincha. iSS'
Engenho a venda.
Vende-se o engenho Estiva do Cabo, distanle
da estacao de Olinda cecea de duas 1-guxs, e de
agua e tem safrejado m.iis de dous mil paes : a
tratar no Recife com o Sr. Bernardinq ae Senna
Pontual, rna da-Madre de Deus n. 36, ou. am o
si'ii proprieurio, no.engenho Buranhem, ou Ara-
rib.i de Cima.
Luva dc pettica
Amaral; Nabuoo & C< vendera luvas do pellica
de cures cum toque de roofo a i. liSoO e z# o
par r no Bazar Victoria,, rua do Barao da Victo-
ria n. 2. -
X\
Bncravo fbgiito.
-,Hf>ntem ailseatna sd iH m-a d^seu'Sefi
a mulata Felicia, com o^ signaes segninte*:
xa, 1-noia ilo c-irpo, f lia-l uio de
. cb*Bos corrida- a baler Ibe bftj'l
-FerTO, f qMe'Rta bor detraz da de zfl a 28 annos : .m*Mr.1v4lr *1
CJifao n. 3, sera gratifrcadB.
Boa aeq4iisico.
Vam^ motto afrfcjrowinla fabrica de cbapeos
de sol, sita a rua eatreiu dr> oariu n. 4 A, pro*-
pxw i para qua'qwer' pnncipiante por ter pouco
capital;. so ne wude cm razan de o donri se achar
doente e precisar retiiar sa para fora da provin-
mnrto bonitos e veride-se
acaber.
BotitiH* &o4M*4>
O Pavao tem um-corflpteto- sortimento d*
bOthtas muito bem enfeitadas para senhora,
o vende pelo bartrtoprt^o Je 5f, aaUgo-qo*
em Outra qualqlier parte custa iB T>.
I.KNCOS BRAW'Ofr
a 99001K
0' P^vio' vende' len^os-brartcos ab^uiba
dos, tanto para homens como-para senboru
a 2e 2o5-;.0 a duzia, "litos de esguiio
cambraia de linho t mbem ab--inlMdos t
fttfb, 49,59, drtt*f*aeez*s escuros, par
rape a 69, a duzia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao venda rioas-camisas' com petta
de linho bord-idas, proprias p--ra noivo
105e 123> cadi uma, ditto de lhthOBan< se^
rem bor i das 49, 49S00 e 59, ditas con-
peito de algodSo muito flhaS a 29, 295001
braias brancas abertas, com listras e lav; res
a 69, ditos fmissiraos a 89, ditos de cam-
braia riranca com listras de cores, para aca-
bar 39500, 6 pechincha.
CORTES IfOfoMnOS A 2091 359.
0 Pavao vende ricos cortes de cambraias
brancas delicadamenie bordados, pelo ba-
rato precp de209nsS59V
CASSAS PRANCE^S
a 300 rs, o covado
O Pavao recebeu um grande sortimento
de cassas francezas com delicados padrSes e
cores fixes, que vende pelo barato precp de
300 rs, o covado, organdy branco e lis-
tado e d# quadribhos a 6*0' rs. a vara fi-
nissimo fiW branco liso ede salpleos, e tarla-
tauas de todas as cores.
B0RN0USA129,
39, ditas de ohiUr fina miudinha a'2J>; 29500
O Pavao vende um bonito sortimento dos e 39; ^saim comogaand*' sortimenao de c#>
mais modernosbornous combonitas listras e ] roulas francezas tanto de linho como deal
vende pelo barato precp de 129 cada um, godao de 1JJG00 ate 39, gr nde sortiment-
assim como um elegante sortimento dos mais de meins cru.s inglezas de 49 ate 89000 :
bonitos chales demerin6' e com listras de seda. duzia
Ceroulasfrancezas de linho e algodao, para todos os precps-e qualidades, assira
como grande sortimento de meias cruas, camisas, colennhos, qne tudo' se vende pc
pre?os muit> razoaveis.
Yeraizes espeeiaes para earrna
gens.
Como nao e necessario dar lustro & ultima
ilemflo de vorniz- empregado nas caixas 4r
carruagens e no dos jogos, conv^m n'um local separado aonde nao baja p6.
Quando a obra urge,, deve pOr-sn a sombra
e ao ar hvre depois de secco, isto e, passa-
das 12 horas, lava-se e errxuga-se bem com
uma esponja humida. Quantas mais vexes
se Czer isto, mais brilhante licara o remix,
e mais depressa ss termiaata a carruagert
(em caso necessario tres dias depois d. ulti-
ma detnao). Durantc as duas ou tres pri
J! meiras semanas deve-se law a carruagem
fresca, depeis de" ter ser-
Este verniz, cuja falta afjui tanto sentem
os Srs. fabricant' s e possuidorcs de carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das seguintes qualidades.
VERNIZ SUPEflFINO PARA CAIXAS DE
CARRUAGENS.
E' um verniz muito claro eduravel para
as caixas de carruagens,' para todas as de-
mao6, ou para a ultima somente,
outros vernizes. A superficie secoaeml2c
horas, depois das qnaes se expde ao ar por ^i
algum tempo o que fazendurecer,opassa- 0s frascos davem comervanse sompn
das 15 a 18 horas p6de passar-se a caixa a hermet.camente tapadea, o reste do vefriix
pedra pome e dar-lhe era seguida outra de- na0 se deve deixar ficar no frasco, a podf
.nao. Dao-se com fac.hdade tres damans wr^ as imeiMS demSos# *""
deste verniz sobre as tmtas, cm tres dias. m g J^SZ com eats vernir ne-
A pnmeira demao servindo de apparelho, nhum outro ingredieiite mm ,_ ,
ajuda a seccar as ultimas demSos e produz de nenhum modo com Q ^^ E. '
um excellente brilho. ds0 y f bem QS va$Q6 e m -^ fl #
Vernlm superior aercanle para melhof f^^ um ^ p,,,^, ver.
carruagens. n|, r r
Este verniz e da mesma cdr que o ante- j jw^to unico -^ e Braail, Bartholo
cedonte, mas endnrece e secca com mais ra-'
pidee. Emprega-so com bom exito nas
obras urgentes, e p6de misturar-se com o
anterior. A duracSo do vemiz permanente
diminue na proporpao da mistura.
VKRNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAGENS
.Nao e Wo claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tarabem para as pri-
uieiras demaos sobre cdres eseuras.. Pode
passar-se a pedra pome passadas 10 horas,
podendo dar-seem seguida outra demao.
Vernis preto do Jap ito, superior.
Para-trabalhos em preto de carruagens.
Produs o preto mais escuro e brilhante, e
meu & C, Pernambuco,
rio n. 34.
Rua do Rosa
I 0. C. Doyle.
Tem para veic" :
Cognac de Hennessy,. superior a verdadelrc.
Vinho Xeres das melbores qualidades.
Bitters de Angostura.
Wbisky.
Cha preto em Iattas da 10. libra*.
Todas as preparaeoes chimicaa do Dr. Ayar
armarern da rna do Commereio n 38.
Villa de Palmares
p6de passar-se a pedra pomes 10 horas de- P fam*lia' uma a*'Ua8 de l',intal
pois. Teve dar-se duas'demSos sobre um ^r^^fe^SLA.TS' ^
ejas.
muito novajde pnmeira qua idade,
'argrtftl* pW?os*'Waiffe^
Por 2:200j vendem-se as duas casas de ns. 51
e 52, sitas a rua Maurity, de options commodos
lintal prantado, 6
a, e rust"U mais
pois. ueve aar-se auas aemaos soore um ..^ ^^ acima dVsiirado; sao construidas da
fundo preto e cobrir-se coin outras duas de tjj(l|0 e madeira e bem conservadas : na mesma
verniz que se emprega nas caixas das carrua- villa, casa n. 81.
gens.
VERNIZ PARA COUROS, BRILHANTE E
ELASTIC0.
Este verniz, contendo na sua composigao
grande quantidade d'uma substanoia muito
semelhante ao azeite denominadopwds boeuf,
& o unico qae 64 flexibilidade ao couro ve-
riio envernisado. Em geral basta uma de-
mao que deve ser applicada moito ligeira-
monte, com utn pincel depois de ter limpo
o oouro com agna-rae. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 Rotas, e i sombra mas ao ar
secca em 4. Em. tempo humido e inutil tai
trahalhe-. pea quo nao 4 pooatval ti*er^
verniz elastico e secaaote- ao-masmo tempo,
Verniz para apparelho.
Depuis.de tor apphcado 2 ou 3 demaos
deste-veraia n'um inlervaUo-d8biraal de-
Vdnde-se per f*ff>"fcaWBr'um rtco cHafariz ve-slBixr a et*a inntcta per-* ow 3
de rapwaT>1ojaa SflESS&tSSS nu^ciitddad,. V^*JJ^,
trMartUKMi, m CrtspUi' tojm ^ Paaae yKo.'a*'* c*jfcr eate >omz com iluaa daraaoa^o
a^trM d> Bon Gaa- arco Be Saato Anwatte' __________^_^_ iMAt' SKpMMO para caicas.- de- carrtiar-
aoooa 4narMin*xo-3. ^V?so^ dous Bb*;. p#etos de 3tf a -15 an- gens.
Amaral Nabuco & C vendem bandeja? de me-
, tal e cbaran de differentes modelos e tamanho; :
no Baar victoria, raa do Barao da Victina n. 1
Asunicas verdadeiras
Bichaa hamburguezas ane.vem a astemareaio:
na rar Marqa^t denlinda a. 81_________^^
Rua do Brura n. 76
Vende se zinco psro de superior qnaWada,
proprio para cobertaa de c.isjb, medtado 11 ai>
mos de comprido e 4 de largo, por prafB- oaatai
em oonta.____________________________.
Sihi tahwriw k l.
PRACA DO CORPO SANTO" W. 6.
Teem- para
DoKtn'frrtns'pafa -afrlcaUott, pfdlrlx oateflda-
dtf^aor serein muiw -trafiittaadre? a feres : na
riia*
iHwt'sin. 96^
li nlM.......... Dull iimrnn
'
fctorla, rux
SaBTff
m&m cbapeo'pankea*i*.i. sb na, rua
; da Gaxtaa u. 60 A loja da asqaioa.
vmmi SEGCANTE.
Misraravse com aa timas de apparettiO, e
sobrt 4u4o^onv aa-tintas moidas
seqxinm ma* ftcirrnwrrte e pan
maiiicoBsisteTicia.
.
vender* ear sen
gatate
VeHaera- bogia* da cera, da Lietaav
Vinho fino do Porto, em caixa*.
Oi>o-Carcallea e-aaew, anwditta^
Ferragms do no.
o se-
OA
OHIava xiO-ra. aad*.
A-MO-fs ",>>a^l
S*narua tfifaatfe.Caaiaa>v
esqalna.

. -<
I
J.
L
i




Diario'.& Arart

I
7
.'- K
*
k>
us fosnm
!,IRMA0S
UNICOS ACENTES
Rua do Barao da Victoria d. 28
\b mais singles, as mais batatas e as melhores do mundo!
Ra exposic.ao de Paris, era 1867, (oi concedido a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condeoora-
oao da Legiio de-flonra, por serem as mnchinas mas per.
feitas <** 'ssuado.
A medalha de ouro, conierida a Howe Junior, nos
Estadoe-Uraidos poi\*er oimpentor da machina de eoe-
tora.
A medalha de ooro na exposicao de Londrea acrtditam
estas naehiuas.
Hu-a da Imparatriz a.
L o ii rent Declara aosseus freguezes qua tern resotrWO fezer uma grande lkjuida<;ao, :ate o
fim do oorrente amio.
A SABER :

&'.

cahbrajas BRA?C4S a awwo;
Vende-se pecesdecambraia branca, ta pa-
do e transparente, a 3J7, 3*500, i$000 e
BfMO.
LASINHASASOO-BS.
Yende*so lasinhas: para vestidos, a200,
320 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A640 RS.
Ditos depalha, 2, 3W00 e 4*00. '
fiitos de fnassa, a4*WO0-
PERFUMARIAS E! lIQUlDft^AO.
VeBde-soieboneles de diversos tanrrtnhos,
a 1-zO, -200 h 240 e 320 rs., todo bom.
Frasco oVbarrha, a 160, 320 e 400 rs.
ftascos com*guade colotiio, a 240 e 820
rs. cada urn. 'Edutrw-inuUosextractos'que'-
Vende-se alpacasde c6res com lislras a 640 se tende tnuilo barnto para liquidar.
e800rs. o covado. TOALHAS A -800 RS.
GR 4 NA I)IN E A 800 RS. Vende-se toalhas felpudas, a 800 rs. cada
Vende-se granadine preta com iistras de tuna. Leneos>brancos, aSJWOO a duzia, e
38*00 abamhados, Cozenda quo -vende-se
A
cores, para vestidos, a 800 rs. o co-
coa- -vado.
POUPEL1NA JAPONtZAA 1$800.
Vende-se uma fazenda nova com listos,
com o nomo de poupolina japoneza, propria
para vestidos de seuboras, a 1000 oco-
vado.
Bazar
incontestatel, a
incur qae a companhia das machines de Howe de Hota-
,#rk, estabeleceu nesV 4ade rua do Barao da Victoria n. *8, urn deposito e agencia
ral, para era PernamM wo inais'pnmncias se venderem as afamadas macbinas de cos-
rtw*[owe fcrtaa inTLmas sao justamente apreciadas pela perfeicSo de seu trabalno,
r avagando uma aadfoa riljs curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
. wlamtroduccao dos m*Wfeicoados apparelhos, estamos actualmente babibtados a
' iHneer ae vnnid pttWiCO al Twrthores mnchinas do mundo.
As wmtoaens htasrnachimssdo as seguimes:
\m**m iuSS aafc. ? ettaarto duradourta, para isto prota incont
>wamsuna denunaa tere *aw-W4 no mercade machmas d Howe em segun-
Sefaia.-rortaio;m* ^precisopaTarepararqaalqaerdesaTraBJe.
Trihu^Ia aeUas men- inegao entre as diversas pecw, e menos rapido estrago
* f oe nas iMtaaw.
"Oaafttu-^FDrmam o nont Jo se fOrafeito a mlo.
MBetM8. ,.____... .,
o em easemira, atravessanao o fio de nm a outro taao,
>diiiwr-te -a tensio da linha, cozem a fazenda mais
que
per 59000.
GRAVATA8 9RETAS A 500 RS.
Veiide segravates-pretas, -a 500 rs. Man-
tasde cores a 200-rs.
Chapeos para baptisados de meninos, a,
Todas estas fazendassao vendidas no. 39000.
Piacional, & rua da Imper uriz n. 72.1 BENGAUSE CH1CGTES A 800 RS.
Sexta.Fazem ponto mil
ijfO em eguid, mn. i |
Setkaa.O compressAr 6,
' -ifulha ao comajar uavak"'
OrtaTa.-r-Jluitas compaV
f.adencia. Machinas outr'
vadan^as radicaes-parapode:
.?opttmdo a opiniao de Eli,
-fzoentado o sen fabric,
Cada machina acompat
vantsdo.com a maior facilidade, quando se tern de mudar
wa.
s de macbinas de costura, tem tido epocas de grandeu e
>opnlares, sao hqje quasi desconbecidas, outras soffreram
ubsUtuir : eHtretanto a companhia das machinas de Howe
wa, mestre em artes mechanicas, tem constanteraente
oao attende a procnra, posto qxre faja 800 machinas
vretos com instrucc^Jes em portuguex
w#; A.
do Barao di> Victoria
flLsfttt-1 M COSTURA
A '3#O0|o e 30)?000.
DOUS P0SP0NT0S
Na loja de Soares Leite | rmaos, a rua do Barao da
VictOHan.28.
pellica com pequeno toqu'B Esnelhos de moldura dourada. de todos
CORTES DECASSA A>39& 0,
Veude-se c6rtes de.eassa para vestidos,
com lOtovadoSj a-29500.
CH1TAS LARGAS A 240 Rs.
Vende-se cbitasjrancezas, largas, de eftres
fias, a 240, 300, 320 e 3d0 rs. o co-0
vado.
CASSAS DE CORES A 260RS.
Vende-se cassas francezas finas de cores,,
a 200, 320 e 400 rs. o covado.
SAIAS A 29000.
Vende-se saias bcancas com barras de cd-
res,a29000.
CHITAS PAR A COBERTA A 28* RS.
Vende-se chitas para cobertas, a 280 e
860 rs. o covado.
MEIAS PARA liOMKNS A 05000 A DUZIA.
Venderse raeias cruas verdadeiras, spara
homens, a 69000 a duzia, a qual val
85000.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de .la, a 800 rs. cada.
CHITAS FLNAS A 400 KS.
Vende-se chitas finas de campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 .rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A 2*000.
Vende-se ehaies de merin6 estaoapados, a
29, 39, 49000 e 55000.
Ditos de Iistras a 59000 e. 69000.
BRINS EM COftTES A OftMB
Vende-se cortOsde;brim de cdres epardo^
a 15)00, para liquidar.
COBEHTAS DECHITA A 19600.
Vende-se ooberfcs de hita.. a 19600 e
2900S. -
BRIM PARDG K ^IORES^.400 8._
Vende-se brim pardoede cores, para rou-
pa de homens e meninos, a 400 rs. o to va-
do, para liquidar.
COLXAS DE GORES A 25000.
Vende-se colxas de cores pura cama, a 29,
e -49<*00.
TRANSPARE.NTES PARA CADURAS A
19500.
Vende-se trausparentes para cadsekas, a
19500, para liquidar.
SONETS A ^00 RS.
Vende se bonetsde seda para homens, a
500 rs.
Vende>se ttengolas -e chicotes,
cada nmavpftTa-Hquidar.
a 800 rs.
Lavas de
. 200 rs.
ibotoaduras para collete, grande sor j. |
aento a 120 rs.
Caisa de linha de marca, a 200 rs.
Espelhos de moldura dourada,
os.tamanhos e precos.
GRANDELIOlilDAGAO DE ROUPA FE1TA
Vende-se-ceroulas.du algodao.a 19000.
Ditasdc linho, a 1J600 .28000.
Camisas de idiitas tin as, a 1-5000.
Ditas bitas brnneas finas, a 25000, 35000 e
49000.
Calcasde btim pardo e de cores, a 29000
6 29500.
Ditas de easemira -de -cores e preta $ a fi9,
05, 75'00 e 89000.
Falit6tadelpacasde cores, a W0O.
Ditos pr^tws, 8.39000c 35b00.
Dilos decaseraira <\e cores, a .49 e
05000. .-,
Ditos ditos. pretos, a 55000, 69500
85000.
CoUetes de easemira de cores, a59,39
45000.
Camisas de flanclla, do cores, a 29000 e
25600.
ALGOMO A 49000.
Vende-se pe^as dealgodao, a 49, 59 e
69000.
CASEMIRA *E CORfc 29500.
Vende-^e easemira1 de cores, a '29900 o
cwmlo.
MARA4HW;A0 A 89000.
'Vende'Se pec^rs- tie nradaporao onfestado,
8^39000.
Wto mgrez, a WW,^1 09 e 790W a
peca.
-BOTIWAS A -49500.
~ i^^^^tmas para sonbera e meninos,
a.-4560O\ i-mJISS. %
Jitas-d*outi*r, 29000.
8aft0s do- ta pets, 19800.
Dites de tran<;a, a 19800- e 29000.
Rua Primeiro deMar^o ti:'7 A
COfdeiroSMoes^C.
_ wte nraa^roM8 mazia offerer;aos seus. {reguszes. um-Variadlssi-i
mo sOrtimento cle fase'ndas finas para graoae toi-
lette, e'bsm uslmpara uso wrdinario de todas as
classes, e por prec.us vanlajosos, dasquaes faz um
pequeno resumo.
Mandam fiaendas as raras d s prelendentes,
para o que tem pessoal necessano, e dao amostras
mediante peohor.
- Cortes da seda de iindas cores.
Grtsiknaples-de todas ac-eares.
Gorgurao branco, liio, de Iistras, preto, etc.
Setlm'Macao, preto e de cores.
ertWenkples preto.
VeHude preto.
Granadine de seda) pr Popelinas de lindos padrdes.
FllO de seda, branco e preto.
' Ritas ba^quinas dc seda.
Gasacos de merin6 de-cdres, II, etc.
Manias brasiieiras.
Goites cum caiubraia branca com lindos borda-
dos.
Ricas capellas e manias para noivas.
Riquissiiro sortimento de las com Iistras de
seda.
Gambraiss de Cores.
Ditas maripozas, Lrancas, lizas e bordadas.
Nanzuques de lindos padroes.
Baptisias, padroes deiicados.
Percahnas de qnadros, pretos e brancos, Iistras,
etci.-fele.
Brins de linho de cor, proprios para vestidos,
com barra e lislras.
fticos cortes de vestido de linho, com infeites da
mesma C6f, ultima moda.
Ditos de cambi aia de cores.
Kuslao de lindas cores.
Saias bordadas para senboras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
godao.
Sortimento de luvas da verdadeira fabrica de
Jouvin, para homens e seulioias.
Vestuarios para meninus.
Ditos para baptizado.
Chapeos para dito.
Toalhas e guardanapoe adamajcados de linho de
ieori para mesa.
Colcbas de Ii.
Coftlnados bordados.
Grande ortitnftnto de camisas de linho, lizas e
bordadat, para homens.
Meias de cores para homens, meninos e mem-
nas.
Dilas escocezas.
Completo sortimento de chapeo? de sol para ho-
mens e'senhoras.
Merino de.con-s para vestidos.
Dito preto, trancado e dito de -verao.
Atoalhado de linho e algodio para toallias.
Atoalhado pa'do.
Dama-co de la.
Brins de'linho, branco de c6res e preto.
Selira de lindas cores, com Iistras.
Chales de merino de cores e pretos.
Ditos de ca-emira.
Ditos de seda preta e de cores.
.Ditos de iou.|uiin.
Camisas de chita para homens.
Ditas da flanella.
Ceroulas de linho e jdgodao.
Pannos de crochet para Sofa, cadeiras e conso-
los.
Lencos bordados fc de labyrintho.
Colchas de crochet.
Tarlatana de todas as cores.
Ricos cortes de vestidos do tarlatana bordados
para cortes.
Espartiihos lisos, bordados.
Foulard de seda, liddas cores.
Meia* do seda para senhoras e meninas.
Ricas fashas de seda e la para senhoras.
Rico sortimento de leques de madreperolas e
osso.
, Damaseo de seda. ..
^apeos e chapelinas para senhoras, JIM*
/
A rua do CaTanav4 n. IA
Os proprietarios da rredilecta, n- iutbita d?
conservar o bom concerto qoe toua luweeido na
respeiuvel publico, disiiuguiudo o .--u etanajra
mento dos mais que negociam no mesn.o |nTt*ro,
veem srientiflear aos sens bons freyoetei'qua pre-
veniramaosseas correspondentes tns'ditarraaipa1-
cas d'Europa para Ihes enviarem boi to4os o a-
quetea os objectos d luxo e bom gosto, que ae-
jam thais beta -aceitos pelas sociedades elegaaie
daqoelles paizes, visto aproximar se n tempo de
festa, em que o bello sexo desu linda v-ae
mais ostenta a riqueza de sums toilleues ;e co-
mo ja recebesem pele paqaete francez diverso
artigos da ultima moda, veam patentear alfjon."
d'entre elles qUe se tornam mais recommenfl*te,
esperando do respeitavel publico a costutmiU
concurreocia.
Aderacos de Urtaruga os mais lindos que'teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e oa
velludo, sendo diversos lamanbos e baratos
pre-
cis
BUAMAKTE A 15000,
Veraie-60 bramante com 10 pelmos
larguca, pra lencoos, a 15600 o 29500
metro. E outras muutas i'aueudas propria
do mercado, t|uo se vende sens reserva, de
pree/j, para liquidar ate o fina d > correntt
auto, por isso convean aes compratlores sor-
Rieos uk..
ma moda.
--Arot
Casemira preta e uec...-.' ^g e azul,/oI-
>- ->ta In.
CHAl'EOS A 29500. :, tirera-se-de fazendas baratfis, para a presen-
Vende-se chapeos de castor pjtra n tuinos te fostaquecstAna porta, d rua-da Imperatrii
boraens, a 29500 e 39000. u. 72. Baaar Nasiounl.
Lsiaparinas & gaa, dando uma loi muj|0
I
PERFUMARIAS E M1UDEZAS.
Frasco com doleo Oraa verdadeiro, a
ltttftfc
'idem com touico de Kemp, verdadeiro, a
19000.
Garrafa de agua florida verdadeira a 19200
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
Idem idem divina, a 19000.
Idem idem Magdalana (novidade) a
19200.
Caixa de pos para denies, a 200 rs.
Idem idem de pos cuinez, muito bom, a
600 rs. e 19000.
Poto com opiata de Rieger, Rimel e Gros-
nel, 19U00.
Duzia de sabonetes de amendoa, a
55600.
Duzia de sabonetes de anjinho transparcn-
tes, a 29200.
Idem idem eom fldres, a 19500.
Sabonetes Glycerino t ran spare ntes, a
19000.
Caixa com sabonetes, forraato de fructas,
a 49000 e19500.
Cosmeticos, graudes e pequenos, a 100 e
a B., a 800 rs.
Frasco com agua de colagne, a 200, 320,
Duzia de pecas de cordao imperial, a
140 rs.
'aixa de botdes de osso para calga, a
44n.
>azia de carreteis de linha, 260 jardas, a
iOO rs.
Idem idem 69 jardas, a 240 rs.
Kaop de fita cbineza, a 800 rs.
Caixa de linha com 40 novellos, a 500 rs.
Itfeios adere^os com camafeu, a 500 rs.
iarrafa de Liuta rota extra-fina a 19000
Poles com dita ingleza, preta, a 100 e
iOOrs.
Caixa de peonas Perry, muito boas, a
19000.
idem idem, a 400 rs.
'aixa de enveloppes tarjados, a 500 rs.
Idem idem forrados, a 700 rs.
jdxa de papel amisade, beira dourada,
600 rs.
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
Dazia de talheres cabc branco,
A0OO
Resma de papal pautado, a 49000 500 rs. e 1^000.
* 598*8* j Extractos muito inos dos melhores au-
Mem idem bso, a29800, S5800e59000. tores.
Goques modernos, a 35000. Lindas e elegantes caixinhaa comperfnma-
Dmrias de pagas de tran^as de caraool rias, proprias para presefctes,' dos- aatores
araaca, a 400 rs. E. Codray, Rieger, Gelid Freres.etc.
Idem MeerJ'Ksas, a 200 rs. Quadros com santos e estampas separa-
%etrw8 de osso e sandalo, a 29066, 49 das.
*9000. j Entromeios e babados transparenteae ta-
Fita de velludo de todas a* cores largo- pados.
f. Btaa grande taboleta ptopHa para-'^al-
HicroaBOpioa com 12'lristas;|a 89000. quer loja.
Frasco coin oleo para, machina a 400 rs.
Rua do Barao da Victoria n. 28.

Approvada
pelft Academia
de
Medicina
ar>-jtKIW ,
Atttorisado
pela
circular especial
do
ItHHS-TBO.
FERRO QUEVBNNE
Cura a chlorosis, an. mia, fluxo branco. caoSco e d*ilidade gc
Wnncao M|i das seafaeras casadas on das meninas detfjs Pela miudesa da dose que M tMU'et*^
;eral, perdu, irregulatldade na inett-
ela niudeza da dose que se pode ett-
prewar, pla efflcacia d -oa accao, o FERRO' QOKVENSt 7L'# itbr*alai UOatt6|Wep*v m
rjjtfes ferrugineas. Bouchardot, professor da FacBldada 4 Fans (A ojhuAb4 fXf*f .&*&
Pm Ur a fmHMetf^.'i mmterOtas, txitir a mttrea de T<&rica aerma tlWi(iol-f_rrma
pawwwa o oome da smuio Getumoia, iktSmaU tmi. piriii h, in ft^*tt nr^6___io ZZ2S2: t,5f
jn frasco. da {nMta, pan **).
DtysUo em Pernamfmco, A. RKflOftD, ns phanMatataeMdrUdas.
100 medidas.
lwr % rwgeas.
Chitas, madapolao, pamtafinojiiv.. --xtael l
lariulios, punhos de linho e algodiio, grava.
: vas de fin de E>cossia, lapetcs de todos os lama-
' bbos, bolsas de viagem, peitos bordados para ho-
OKns, Iencjs de linho branco e de cdres, toalhas,
guardanapos, etc., eic.__________________________
Borracha
para lima.-.
Reoebeu oKimamente a pharmaei* Torres, da
melhor qualidade, e vende por preco mui com-
moda : na rua Direita n. 135.
Aderecos completos de borracha pr priospara
ltto, tambem se vendem meio's aderecos muito bo-
nitos. ,
BotSes de setira preto e de cores para ornate ie
vestidos da sethora ; tambem tem para collate e
palitot _.
Bolsas -para sanboMs, existe um bello sortunaa-
to de seda, de palha, de chagrim. etc., etc, por
barato preco.
Bonecas de todos os tanunbos, tanto de wn^a
como de cera, de borracha e de massa ; chaaia-
mos a attencao das Exmas. Sras. para este arago,
pois as veies tornam-se as criancas um pouco un-
pertinentes por faha de um obiecto que as en-
trelenham. ...
Camisas de Hnho lisas e com peitos bordaoy--
para bomem, vendem-se por preco coinmodo.
Ceroulas de linho e de algodiio, de diversos pre-
cos.
Caixinhas com musica, o que ha de nwis liado.
com dbticos nas Urapas e proprios pai i presta-
tea.
Coques os mais modernos e de tos.
Chapeos para sonhora. Receberara um sortimenvi
da ultima moda, Unto para senhora, como par-
meninas.
Capellas simples e com veo para noivas.
Galcas bordadas para meninas.
Entremeios eslampados e bordados, de rina--;
desenhos.
Escovas electricas para dentes, tem a proprie-
dade de evitar a carie dos dentes.
Franjas de seda' pretas e de caret, exi-te am
grande sortimento de divercas largui a.' e barai >
preco.
Fitas do sarja, de gorgurao, de setim e de cba-
malote, de diversos largnras e bunilas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A PredilecU prima em con-
servar sempre um bello e grande sortimento des-
tas flo es, nao s6 para enfeite dos cUn-llos, coao
tambem para ornato do vestido de noivaa.
Galoes de algodao, de la e de seda, branco*,.pre-
tos e de diversas cores.
Gravatas de seda para horoem e senhoras.
Lagos de cambraia e de seda de diversas cores
para seBhora.
Ugas de seda de cores e brancas bordadas para
noiva.
Livros para ouvir missa, com capas de madr-
Cerola, marlim, 6s-o c velludo. tudo que ha de
om.
Pentes de tartaruga e marfim para alisar o bel os ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um beHo sortimento de madrr-
perola, marnm, 5sso e dourados p-.T baraio pre^o.
Perfumarias. Neste arttgo esta a PredilecU bem
provida, ao so em extractos, conn em oteo *
banhas dfes melhores odores, dos mais afamaw*
fabricantes, Loubin, Piver, Sociedade Hygienica,
Coudray Gosuel e Rimel; sao indkpensaveis par=.
a festa/
Saiai bordadas para senhora, por ccmra<-
precoC
Sapatinhos de la e de setim bordados .para b:-t -
tisa^os- ,. ..
Tapetes. Recebcu a Predilecla um bonito sorv-
m^nto de diversos umanhos, tanto para sofa ta*
nj6 para entrada de salas.
^VestimenUs para, baptisado o que na de meltcr
gosto e os mais modernos, recebeu a i'red''
vende por barato preco, para Hear
qualquer bolsa.
fiwmlc peebiacba a
covado.
Gaasa ii, padroes novos.
c vindO ao mercado, sd
200 rs o
e de mais;
no, so na rua do .
4$, krja de fiuerra 6V 'Pernaiides, pete
oreca da tOO rs. o covado t
Gbjgnem freguezes qua ee acaba
Ft&inha de arartita
rua do Vigario n. 26, rua do Amorim n.
, e travttasa da rua das Cruzes n. 4, a 500 rs. a
libra aretalho.
VENDE-SE
uma casa na villa de Barairos, oa rua do Gom-
aaeariB, por preco modico: a tratar con Tasso
iimaesiC
Os verdadeiros
Vinhos de Bourgogne
das iparcas
Chambertin
Pommard
Virhs
Volnay
Beanne
Monttielie
Dito Bordeaux rm quartollas.
Vende-se {por liarata preco
PARA LIQLIDAQAO DE C0NTA9
> NA
Rua Larga d Hoararlo 94.
BAtica.
HOtfc, phariBsrrutlctt, *. r de CMOkIIww, A /'itrit. Bnles pr*prtear1o.
DE
HOGG
DE FIGADOS FRESCOS DB BACALHAO
TiBica, aSecc^es escruftriosaff, tosee carontel^ thehmfttiSBfoB, fraqnee
i'.os membros, gotha, debilidade geral io tomar. Meii^io honro.-a. i
Esigir a marca de:fal*fca ataixo uidicada encobriudo a rapsuta d* |
cida frnco de forma friangiUar.
DepoBite ett Ptmambtco, A. RECORD, aaa principaes phanaaoiaa.
Nao ha mabeabelbs
brancos.
lumnMtt jipnei;
So e uniea approvada pelas acaoV,raias de
saencias, reconheeida superior A toda que
tem apparecido ate hoje. DepdSito princi-
pal a rua da Cadeia do Recife, hqje'Mar-
qttez de Olinda, n. 51, 1. andar, e. 'em
as boticas e casas de caneHei-
Tinlii, diii e fuintr
Amaral Nabuco A (1 vendem tintas oriialine
Lotion vegetale para tingir de pretea cabellos,
que se conhece de mais util e commodo, n5o So
no modo tie emprega'lo, oorno ao rPsuflMo qw
se obtem. Cha varde e preto cbagado u)tiaiaaea6
te, a fumo iagiez e fraocez, para ciganroe e ca-,
chimbos : vendem a
* n'.'*.
E sempre assim.
Quaodo parece ter-se esgotado o repertoujo da
modas, pela immensidade de artigos de aia ade
que tem apparecido, ers que os velhoa e ansa-
veis correspondentes da Nova Esperanca, a rua
Duque de Caxias n. 63. descobrem outros no
mundo elegante, aonde se conservam escngitando
minuciosamente as novas invencSes ; remettem
para a Nota Esperanca. e autorisam na a dizer
aos seus freguezes e espeeialmeute ao bello sexo
rnao cretam em Ul : e para prova evidente
jue acaba as e.xpor, vejam o que abaixo se
descreve :
MANUAE8 para missa, com capa de madreperola
on urtaruga, tendo no eentro da capa
nm pequeno relogio porfeito regula
\ dor.
CARTte'ft^S, po-t cbarutos, port cigarros e ports
o^pneys no rnesmo gosto.
GAOTBIRAS par3 nola* com CaP* ^e marfim, ma-
dreperol? e Urtaruga, com e distico
Lembranca.-- ,. ,
B01.SAS para senhora, o meiS01* ^e t* vindo a
este mercado, de &Ri*>s umaohos,
qualidades e modeloe de ?w* inven-
cao.
PORT BOUQUETS dc lindos gestos e umanhV3
especialidades para as noivas.
CAfXlNHAS com nrasicas e sera eHas, proprias
para present**.
E outros de inteira novidade.
E com os meninos.
A Wova Bsperan^a, a rua Dmjue de Gaxias n.
63^ racebemoB bonecos de borracha de formates
inteiromente novos os meninos muito apreciarao
ea*e brinquedo. ,
E verdade.
QuaJouer senhora de bom gosw, parece qua
oao pode comptetar e sua toilietie, sem dar um
ajseio a Nova Esperauca a rua do Duque de Ca
(as n. 63, porqne e a loja de miudezas que mais
iffii
11.1
Vein. um cattrlotet aniericano,
para duas pessoas, em perfeito e-tado :
ass-'3.-
a ver
tratar do preco, na rna da Ftorenlina n. 14.
Attencao.
Vende-se a armacio de fazendas exirl' r.r- na
loja de chapeos, sita a rua de de rarcilio > a
61 ; loj esu que pertenceu ao fir.ado Trauquili-
no Candido da Silva, a nual se acha muito be:r.
sortida e e muito arreditada. Quem pretender
uma e ontra cousa, dirija-se a ma do Horn Je*u
n. 48, escriptorio de E. Bnrle A C. que Mfeata
com quem tratar.______________________________
Lindas las escocezas.
De varios padroes, e inteiramenU mt>d; .nas, a
360 rs o covado : na rua Primsiro de Marco
antiga do Ciespo n. 13, loja das columnar de An-
tonio Correia de Va^ciBcllos.
rao atfTfctoria
r; Vichloria?rua4o?Ba- ' -des apresenta ao publico ear geral.
Vende-se
todas
reiro.
Haralissimo
6 com as floristas.
A Nova Esperanca, a rua do Duque de Caxias
n. 63, recebeu. pelo Ultimo vapor, um fatefrOsor
ttmeWo de papeis para Bores I a Para crianca.
Capibaribe e pew* *&H&o do caminho de W*> b.m-.m. -. a^'AnmiA HO* segulhles ltij
Ddo preco excellentes
ifesrtfttc.1
terrenoa
ifrt,a niaYgelndO rio
:oFlo da enuqao do caroiaho de term,
nrva de benerihe. tambem perto da
patircumloSo'
n-n*d.
b* .strada
estacap : a
Siosa, a* rua estreUado'ROSarlo

o covado.
Atpaoas de qaadves, proprias
irJo.
440 rs. o cova
Brim branco
rLaauabas com Iistras esuropada* foio iimiouto
eco de 400 rs. o covado.
Ditas com Iistras aesetlrradas a 19000 o co-
vado. | WN *a How*4l <- veadem ao sex srmaxem
rildiiw-pretaseoTO.tislraseVcfre8-'iW^ .
o covado. Ovfcrwfeiro twnoo de algodao aznl ameneano.
Metins trancados proprios para vestido, a '31D rs 'fcrcellfltite flo de ser.
a. '63, recSfteu um sttrtlmeato detesarTOs
easemira e iilpaea para cfiae^as : ttorMroos a bo-
ttitot.
l&s mescladas.
^n bonito sortimento de las mesdadas em cd
Ws, reeeben a Nora espmaca, a R i Doque de
Cognac de para WHtMos, a (Vinbo da Bordeaaji.
Carvao de Pedra de todas as qualidadea
-.( .
lona.j
ara caloas a U50C a vara.
' a vara.
Bito irapcado a 14
ito de cores, HirhU puro, a 1*400 a vara.
Terhinrlia
Chapeos de sol de seda, cabo de canoa, a 8*500
cada um. isto tudo -o no n 20 da rua do Cre.-po,
lojadas 3 portas. de Guilherme & C.
Querem fazenda barata.
Venhara ou mandem a R..sa Braura qae '
vindeudo inniii barato todas as faiendas efoi
feita na rua da Imperatrit a. 5ft
E' um Undo vestido e a'SOO
venue-se uua casa jerrta, ichao fordiro);
te Lt
rs. o co
vado.
rua de Luizdo Rego, de Feilo da fizenla de linho eom Ustraa de seda
dH fundo, coo> qninUl drver^as cSres que oia vend^Bdo a Rpu'Sran-
planu*H o qul m 600 palmje de fnndo : qnera ca, e razenda de-14 liio"" dovidar waba ver A
pretender, dirija-se a mesma n. 39. rua da Imperalriz n. 56, loja da Rosa Branca,
Santo Amaro das Salinas
ii palmos de fn-nto e 63
Sill do Cube Verde
Team, para vender Joaquim Jose Gomalves Bel
trao it Filho, a bi-rdo do brigue porloguez Oca
rense, fundeado defmnte do trapiche Ouaha, e
pira traur do sea escriptorio 4 rua do'Qomraer-
aioa 6.___________________________ _
Las escuras a 240 rs. o co-
vado
E' fazerda upad* e hw .ara vestidos.
CAVBRAIA i>E C R A 160 RS.
0 (.OVaDO
latoegraiiil" peahiactu.- na loja da Rosa Bran-
ca, rua da lu i oatrii u. 56.
VEiNHAM VER
A Nova Esperanca, a-rua Duque de Caxiss n. 63
apressa-se em convidar a seus fregu' zn* C"m e
peeialidade an bello sexo a virem apreciar os se-
guintes artigos expostos a venda e torn por pMfai
commodo<, como sejam :
FINAS BONECAS mansas e choronas.
BUNITAS B BN8RACADAS vistas para copios.
COMMODAS LATAS para guardar cha.
ELEGANTES BOLSAS para senhoras e menial
BONITOS VASOS com Bna bauha e cheiroio
extractos, trazendocada frasco utu none, urai ini
cial ou am distico. i
FINAS MEIAS Dfi SEDV vindo entre ellas coi
de carne. V
^ara quem gosiar.
A' Nova E^?,.dil^ '
63, acaba de receber \entc
VohareUe.
_ rua Duque dc Caxias d.
:enlos e caixas para o jogo PawmmaP*s 9**
n- .' I- tias
xias b
debf'
A Nova Esperanca, a
63, acaba de receber as, p, Muiuu meia.-
raclia para quem sofre das perna<.
FLORES ARTIFICIA1
A Nova Esaeraoea, a raa Duqcv tie 'Uxias
-63, acaba de receber um Undo e a-mpli-to nr
mento de flares artificiaes das melhores que te
vindo ao mercado
A ellas antes que se aeanem.
Costumes para crianca.
A Nova Esperanca, a rua Doqne de ('axlas n
63, acaba de receber bomTos cstnmes para ctUqca
e esta se vsodendoflor precos raxoavrU.
losusaivosos
A N iva E-t.eranca, a rua Duque de Uxiat a.
63, r'rebeu um pequeno sortimento de anneit <
pulseiras electricas, proprias para qwtn soffre do^
nerves.
*" prelas.
A Nova E.-'peaaafa. a rua Duque d^ Cuias n.
63, recebeu mantilhaspreUs, modernas. e estt *e
vendendo por precos rttoaveis.
Aob senhrores de eii^e i ikos.
Vende-se nm escravo taweo, me*r- te aamcai
e carr. iro : quem o pretender dirijj a riu d
Barao da Victoria n. 14, J* andar, ds 0 k*s as
4 da tarde ; o raotivo da venda se dir few *
prador.
Cliaiieos de seh 7S'm)1)
Com 12 a-tes e boa seda, e cab
E' muito barato : na rua da hui>-
da Rosa Branca.
Ira.
' j-
1 WBJai I
J
'
v..


8
.
VAKUEDADE
Diario de Pernambuco Quinta feira 29 de Janeiro de 167
**-

ESTATISTICA MARITIMA. Da carta cir-
cular do Sr C. Moiller, de Londres. datada
de 1 do corrente, extrahimos o seguiote :
0 trafico Dan If.dia e China pelo canal de
Suez tern ido em incessante progresso, e
construiram-se nuraer sas barcas expressa-
meiite para este .service. Conforme as in-
formac,des officiaes, o numero de navios que
passaram pelo canal,1 de Janeiro ate" 31 de
dezembro de 1873, foi de 1:082, cuja tone-
lagem momou a 1,900:000 toneladas.
Nos annos de :
1872 fonm 1:08* navio?, l,U:Mg toneladas
1871 765 761:209
1870 48d 439:911
<-om respeito os direitos que se cobram
iio canal, diz a mesraa carta, nouve oaccor-
doentreos representanles d >s principals es-
tados da Europa, quese reuniram em Cons-
tantinopla, no 1 do outubro mas a com-
panhfa quese jqlga com autoridade indepen-
te n esta empreza nae aceitou este ancordo,
e contip.ua a receber 10 fr. por tonelada so-
bre a tonelagem brute.
CONSEQUENCIAS DE UM DESAFIO.-
Ns semana passada compareceram peran-
te o tribunal de Versailles os duellistas, Mr.
de Fonbrune, redactor do Paiz e Mr. Mer-
cier.
Foi absolvido Mr. Fonbrune ; o qual no
com bate ficira terido.
0 alversario d'este Mr. Mercier, foi con-
deranado em 3l> francos de multa ; e as
suastestemunhasem igual quantia cada uma
e todas nas custas.
Porem as duas testemunbas de Mr. de
Fonbrune, os Srs. Maurice Jollivet e Aoge
line, este official superior de inf .nteria, fo-
rara conlemnados com muito maior rigor,
por nao terem, ao chegar ao terreuo, pro-
Qurado conciliar os adversaries. Foram
con Jenados em 200 francos e um raez do
prisio.
pubcAo 0 preco d'este genero tem hi
subido cera por cento. Um engenheiro,
Alolpno Bontau, enterideu que este mal po-
dia s<;r atteauado, constituindo-se uma em-
p-ezn que desenjrolvosse em alto grtio a pro-
duccio de coeHws das melhores racas. N'es-
te intuito formou-se uma yiommissao com-
posts de hdm -os de grande autoridade scien-
tifica, entre os jauaes ostio o Dr. Rodinus,
director do Jardim Zoologico, encarregado
da superintendeacia technica da empreza, e
o Dr. Virchow e outros. Ja foi adquirido
para esta fun um terreno, cuja superficie 6
de 70 hectares.
EMIGRAC.AO DE INGL VTERR V. -Em...
1615 o numero dos emigrados que sahiram
de Inglaterra foi apenas de 2:080. D'estes
apenas 192 deixaram de ir para os Estados-
Unidos. Nos ultiwos 33 annos que finda-
ram com o anno de 1872, o numero dos
emigrates elevou se a 6,572:063, o que da"
ana medida de 200:900 por anno. Na ul-
tima decad i d'este periodo a medida annual
subio a 230.000. Os Estados-Utiidos rece-
beram a maior parte d'esta povoagio ; mas
o Canadd, a Australia e a Nova Zelnndia
tarabem tiveram um numero considera-
vel.
um sabre de honra, de ouro, com a inscrin.
cio: Por bravura, ao gran-duque Nico-
lao Constantinovitch, seu ajudante de cara-
po, em recompensa da carapanha de Khiva,
onde sua alteza imperial se destinguio J|lo
seu valor e intrepidez. A
PUBLICAgOES m FRANCA.Durante
o anno Undo publicaram-se em Franca.....
17:089 obras, litterarias e artisticas. Este
numero docompdese, segundoa estatistioa
formulada m ministerio do interior, do se-
guinte mo to :
Livros, brochuras e outras obras litte-
rarias 11:530 ; musica vocal e instrumental
3:403; gravuras, desenhos e photograohias
2:156. v 6 v
Ha miis um total de 1:315 obras do
que no anno passado, durante o qual sahi-
ram a" luz 15:744.
De 15 anno* a esta parte, a produccfio
annual e' de 13:000 obras, termo melio,
em tod a a Franca. O anno mais fecundo
foi o de 1869, em que appareceram 17:394.
Nos lermos da lei, um exemplar de cada
uma d'estas publicans foi depositado nas
colleges da bibliotheca nacional.
UM MORTO VIVO.-Foi executado na
forca, era 18 do dezembro, um tal Orto
Sosino, condemnado a pena ultima como
parricida.
. Pepois de ter estado pendurado por al-
gam tempo e nio dando signal de vida, foi
corta la a corda e m?ttido o corpo n'um es-
quife. Mas, o morto nao estava morto, e
d'ahi a pouco sentava-se e pronunciava al-
gumas palavras pouco intelligiveis.
Foram chamar muito d pressaalguns me-
dicos, e quando um dos que primeiro die
gira, sa dispunha a sangrar o resuscitado,
este expirou, e d'essa vez para nao tornar a
cacoar com o proximo, d'uma apoplexia ful-
minanto.
FRANCISCO VICTOR HUGO.Como ha
dias noticiamos, o enterro do unico Dlho de
Victor Hugo esteve muito concorrido. 0
cadaver foi sepultado no cemiterio do Pere
Lachaise, aoiue o acorapanharam umas.vin-
te rail pessoas : doputado? republicanos, d
frente dos quaesia Garabetti.jornalistas, lit-
teratos, autores e artistas dramaticos, opera-
rios e homens do povo.
Atraz do carro funebre ia o pai do fina-
do, Victor Hugo, sguido dos Sr. Paulo
Marice e Augusto Vacquerie. 0 caixao ia
cobwrto de fldres.
No cemiterio e junto da sepultara, o Sr.
Luiz Blanc pronunciou um eloquente discur-
so, no qual se tornou notav'el o seguin-
to :
Dos dous tiliios de Victor Hugo, o
mais novo vai juntar-se ao mais veiho. Ha
tres annos estavam ambos cbeios de vida. A
raorte, que os linha separado, acaba de reu-
nil-os.-
Quando seu pai escrevia :
APOSTA EXCENTR1CA.Apostaram dous
inglezes a sorama nV quarenta libras, em
como nio era possivel lrda. ru < Favart ate
o arco.de triumpho, e voltaT^a pe, bem
enten lido, em menos de quarertta minu-
tos.
0 proprietario de um dos macros esta-
belecimentos ingleze> domiciliados- era Pa-
ris apostou o conirario, asseverandoVque fa-
ria e*w trajecto em menos de trinta 6 cinco
minutos.
Aujourd'hui je n'ai plus, de tout ce qac j'avais,
Qu'un Ols el fci'une fllte,
Ma voilapresque seull Dans cette ombre ou Je vais,
Dieu m'dte la familte. >
quanda este grito de angusti* se cxhalava
do seu grande coragflo dilacerado:
01 demeorez, vous deux qui raerestez t....
previria elle quo a natureza seria a tal pon-
to inexoravel I Previria elle que- a casa
sem creangas ia ser sua, como so o desti-
no quizesse, proporcionando o seu soffri-
menio i sua gloria, igual a sua desgraga ao
seu genio ?
Luiz Blanc terminou n'estestermos.
Na ultima carta que recebi d'elle eque
foi tambom ultima que escrevou, Barbes
dizia-me: Eu vou mo-rer e tu vaes fi-
car com um amigo de menos na terra. Que-
Poz se este & caminho, acompanhado por ria quo o sv^teraa de Reynand fosse verda-
3uas testemunhas em carruagens. Coii\ef- deiro, para quo nos fosse permittido vertnos
foito realisou a marcha em trinta e cirVcp nos outra vez. -
-fjoouios e ganhou os mil francos. i. Vemo-nos outrajeezj A esperanca que
Os uTgieZSSJiao^esperavam encontrar per- etas gaJajCVHa^piram, provinha, na fe"
nastao lestas. S^ qi?e-g;,rbes possuia, da permanencia
s*

NAO TORNA A J3ER ~i. -Morreu
din Paris,, na pri>3j de Maras, um dos
mais velhos gatunos que a policia e os tri-
ou'iaes conheciam. Estava agora nova-
ment na cadeira cumprindo a sua viagesi-
ma priracira cdndemnacSo. Contava seten-
ta annus.
EMPREZA IMPORTANTE.Berlin, aopu-
ienta capital da Allemanha, sente e iastima-
setnnto como Paris ou Londres da falta do
carne para alimeutar a sua numerosa po-
FOLHETIM.
LtrcnsciA sis:::
MEUORIAS DE SATAHAZ
POR
i. Manoel Feruandezy tionzalex
SEGUNDA PARTE
SAVONAROLA.
XVIII
lit COMO LUCRECIA FEZ UMA TROCA COM A
QUAL GANUOU EM VEZ DE PERDER.
(Continuagao do n. 21.)
Isso e verdade ; eu, porem, deseja^i'a
que o gran-capitao fosse um pouco pr/enos
rei, jd que nao pOde ser tao vassalio com
os outros. E, com tud". apez.ar de que
me otYende a sua altive-E, .tonheco as suas
virtu es, adgiiro-as , feicao. Sabe a rfl/zao d'isso, Lucreci* ?
Adivinhe-a. %
,^j^"- -" eu sabe-la I exclamou
'rrHiJo Lucrecnre pwisando nogran-capi-
>. porque, comprenendera a~ causa do
ecto que o pnncipe lhe consagrava.
Tenho lhe affeicSo, proseguio Alfonso,
, orque forma de si uma grande id^a. Um
dia que passeiavamos junto da torre del
Greco, disse-me elle : a Nao couheco, nem
no roar, nem na terra, nem no ar, nada
que posse vencer-me, senSo uma mulher.
E quera 6 essa mulher, Sr. Gonzalo de
C6rd"ba ? perguntei eu.Essa mulher, res-
pondeu elle, 6 a que ha de ser sua esposa,
a que o fari feliz, e tSo feliz, que o ma-
Jara.
Elle disse-lbe isso ?
E que mais queria que dissesse de si,
senao que a felicidade de a possuir me ma-
laria T Que maior elogio para si do que a
confissao d'esse capitao invencivel, que so
lendo-a por contrario pode ser vencido ?
0 gran-capitSo reune como ninguem,
a cortezia a* bravura, e a galanteria & alti
vez, disse Lucrecia tornando a pensar com
ira no gran capitSo.
E, mudando de torn e de assumpto, ac-
1 resceutou :
Diga-me, vio recentemcnte men ir-
mao- Cesar 7
EsXi com o seu exercito em Caserta.
Luiz XII acaba de o nomear duque de Va-
le itmois, o que 6 uma prova clorissima da
b-ia amizade do rei de Franga, e das suas
j intengdes relativamente aos Borgias.
UM BAILE EM CONSTANTINOPLA.-
Eis como o correspon Jente do Globe descre-
ve este acontecimento sem precedente no
paiz do islamismo. 0 baile tove lugar no
pahcio d,i legato persa:
Nunca so vira cousa semelhahte em
Stambul desde o dia em que a ban leira do
do Propheta fluctuou'triumphantemente nos
seus muros. At^ os homens esclarecidos,
tacs como Ali e Fuad Pacha, que teem in-
corrido em impopularidade pelas suas ten-
dencias liberaes, teriam recuado diante do
risco de offender a orthodoxia dos seus cora-
patriotas, a tmittindo mulheres nas habita-
cdes sagradas. Hoje, em face da Sublime
Porta, resoou a musica dos giavurs {in-
fisis). Homens e mulheres d'esta casta re-
domoinharam uas coavulsoes da valsa raal-
dita. Mohsin Khan (o embaixador persa )
p6de comjusti^i rnvindicar a honra de ter
rompido a barreira dos p.eeonceitos. Para
isso teve, como e- de prever, de conseguir a
approvacao do seu soberano. 0 shah tem
portanto a sua parte no successo da festa e
na approvacao queella reeebeu.
c 0 palacio da lega^ao persa e um nobre
edilicio, o muito apropriado is circumstan-
cias. 0 que mais sorprehende no interior
e a auseneia quasi completa da arte decora-
tiva oriental. As armacoes a os tapetes pro-
veem das manufecturas do occidente. D'es-
ta forma, se nao fosse a integrid'ade dos cos-
tumes, ter-se-bia podido cr&r nos saloes de
Pariz ou de Vienna. Os cottvidados, & me
Ada que chegavam, eram recebidos por
M hsin Khan e seus secretaries, e apreseu-
tados & dama Ignatieff, esposi do embaixa-
dor da Russia, que, & pelido de S. Exc.,
fazia as honras da casa. Mobsin e casado,
posem a etiqueta prohibe a presenca da sua
esposa, com grande desgosto d'ella e das oa-
tras pessoas do barem, como bem p61e jul-
gar-se. E' tambem certo que o ruido da
festa devia ser para ellas como quo o suppli1-
cio de Tantalo.
Vlam-se o gran-visir, os ministros dps
negocios estrangeires e da gueiye.#- grupos
de officiaes turco^-.K^ttrrdrem-se' na mul'-
tidaoe convft'sarem'agradavelfnente com as
*lSs"relagoes, em quanto que es embaixa-
dores das diversas cortes europeas se fa-
ziam no tar pela maneira como secundavam
as maneiras cortezaes do dono da casa. Al-
guns negociantes persas carregavam o so-
br'olho a vista d'este espectacuto, e cochi-
chavam mysteriosamente entre si; ninguem
reparava n'isso. Do mais tudo ia perfeita-
mente bem. Graves musulmanos, anima-
dos peloespirito do momento, deixavam-se
arrastar pela dansa. Um negociante de
Bombaioa, de figura gigante, como seu tap-
bante de seda e a sua capa fluatuante, fazia
raaravilbas no rotilhn. A sala do baile es-
tava esplendida e cheia de attraotivos.
Houvc ceia lau.a e&s 4 horas e meia
da maoha a orcliestra tocava ainda e as
valsas redemoinaavam com continuo en4hu-
Mismo.
Aosblhosde qualquer pessoa que esteja
to facto do* usos d > Oriente, este baile 6 o
signal de uma grande mudanca nas id^as
e nos prejuizos enraizados do paiz. S6 o
facto da presenca do granvizir dissipa toda
idea de que o sultio fosse estranho ao
successo.
PHENOMENO CURIOSO.Ha actualmen-
to em Paris um phenoroeoo curioso.
0 Dr. Tenting foi visitado por um clien-
te singular. E' uma rapariga de dczoito
annos, Maria Verdin, affectada de uma eii-
fermidade tao rara comj estranlia.
E' nyclapole, isto 6, perde a faculdade
de ver quando o sol esta' acima do horison-
te e recupera a nas trevas. Bem que os
olhos nao aprosentem caracter algum mor-
bido particular, 6 forgada tor as palpebras
cerradas durante o dia e a cobrir a cabega
com um veo espesso. Em coinpensagao,
estando hermeticamente fechadas as portas
da janella de um quarto, ella escreve e le
perfeitamente na mais profunia escuri-
dao.
Afora isto, a doente uao tem dor alguma,
& nao ser uma leve fadiga, quando a luz
solar lhe vem ferir o orgao visual.
A cura de$te especie de affecgdes e, dizem,
das mais difficeis, por muitas vezes se n8o
poder conhecer a causa.
O DECANO DOS ORGANIST ASMorreu
ha piuco o Sr. Michel Mathey, decano dos
organistas francezes. No dia em que Na-
polefio fji sigrado (1804) Mathy tocou o
orgao na igreja de Nossa Senhora, onde a
solemnidade teve. lugar. Falleceu em
Yxerailles, no Alto-Saone, para onde se ti-
nha retirado havia muito tempo Tinha
95 annos de idade. 0 imperador Napoleao
III nomuara-o cavalheiro da Legiao de
Houra.
que jj'ermitte circular os trens ordinarios
(1,435 deseparacSo.)
__
INVLNCA0 ENGENHOSA.O Sr. Dupui,
de Lo nu, deu parte ha pouco, a Academia
das Sciencias de Paris, de uma roveugao en-
genhosissima. Consisto esta em trausmittir
pelo fio clectrico, uma carta ou ptanta to-
pographica, sem necessidade de debucho
especial. Colloca-se sobre a carta, feita de
antemao, uma lamina de vidro se ni-oircu-
lar, cuja circumferencia' esteja gradoada.
No centro esta tixado um braco mobil,
igualmente graduado e que tem n'um bas-
tidor um pequeno apoio. Este indicador,
pelo seu movimento ao longo do braco ra-
dical, combinado com omovimeato do pro-
prio braco pode occupar como se qnizer,
uma posicao t vontade sobre o semi-circu
lo do vidro. Defronte do indicador est
um o perculo, pelo qual o-raio visual se di-
rige sobre o pooto de apoio, pennittondo por
este modo fazar occupar successivamento
neste to los os pontos da pianta que se ha de
trausmittir e notar todas as concordancias
polares dos referidos pontos. Os nixneros
obtidos por este modo transmittem-se pelo
telegrapho. O apparelho receptor e igual
ao do ponto de partida, porem o indicador
e substituido naquelle por wna marca que
assignala successivamente tpdos sa pontos
|designados.
do
ser e da continuidade da seu desenvolvi-
rnento progressivo. Nao admittia a idea
das separaco^s absolutas, deflnitivas Vic-
tor Hugn nSoadraitte tambem esta idea es-
pantosa. Cre n i Deus etern >, ere ca alma
immortal. E' isso que o tornara capaz,
magoado como estd, de viver para a outra
sua forailia, aquella a quem perteoco a vida
dos grandes ho oens : a humanidade. ( Ap-
plausos prolonga los.)
ESPADA EE HONRA.0 Invalide russe
noticia que o imperador Alex indcg conferio
E que diz o gran-capitao dr raeu ir-
mao Csar ?
Nada.
Nada ropetio Lucrecia.
E Ruar ou silencio.
N'aquelle momento entrou Francesco
Buotti e aununciou que estava tudo prepa-
rado para marehar.
Affonso de Napoles deu o bra0 a I.ucre-J
cia. e desceu com ella ao pateo da hosfi'e-
daria, ondeesperava uma liteira.
Lucrecia entrou para ella, e as; suas da-
ma* para outras duas.
AIT mso de Napoles, com- os seus pagens
e._esrtudeiros, e Francesco Buotti com os
seus onivt, montftram a cavallo, e a comi-
tiv.i poz\se ecn marcha.
Entpefflmto Lucrecia murraurava :
-^ E' formoso, simples e bom, mas pou-
co esperto. NSo comprehendeu a intencSo
do gran-capitao quando este lhe fallou de
raim, elhe disse que era eu aunicaqueo
podia veneer, quando foi elle que me ven-
eeu, que escarneceu de mim I Pobre Af-
fonso I Fa-lo-ha tao feliz que o matara\
Eu nao, pobre mancebo ; amo-o, que im-
porta que seja simples, c mfiante, inesperto?
Assim nao havcra motivo p ra lutar,., serei
a sua senhora Mas qundo Gonzalo de
C6rdoba se refere a mim, nao se refers tam-
bem & minha familia ? E nao diz nada de
meu irmio Cessr, Sr, Gonzalo de Cordoba?
Ha silencios muito mais eloquentes do que
as palavras. Pois bem, meu valente capi-
tao, irei a Napoles, apenas se effectuar o
meu casamento, encontrar-nos-hemos e
veremos quem 6 o vencedor.
E Lucrecia entregou-se a profunda medi-
tacSo.
Meia bora dpois estavam em Roma, em
casa de Rosa Vannozia, na run de la Lon-
gara, seriam dez boras da noite.
Duas horas antes, ha*iam entrado para
o seu palacio da praca de Hespanha, a du- [
queza de Urbino, e Affonso Crespi e Angio- 'perimentada imaginac&o de Lucreoia.
lina para a sua casa da praca del P6poIo, Conhecia profundamente Affonso Crespi,
Crespi, ignorando que Lucrecia devia acabava de o conhecor nos servicos que foe
chegar & Roma n'aquella noite, dirigio-se prestara em Florenca, e tinha razao hastente
immediatamente, sem descangar, nem mu- para o julgar capaz de tudo, ate nut no de
dar de trnjo, a" casa da mai d'equella, e en-,sacrilicar a filhn nas horas da sua ambi(Aoe
coutrando Lucrecia, mostrou se o mais hu- da sua soberba.
milde dos cortezaos. Nem Lucrecia pensara em interpdr tola
Affonso Crespi nSo se satisfazia como a sur influencm para com o papa, ndativa-
perdao do papa, nem com es'e lhe haver mente eo de6 jo que Crespi alentava deser
restituido os seus bens nos estados roma- governador do Roaia, nom toria sido facii
nos. lograr que o sagaz Alexandre VI confo.isse
A sua cobi?a estava fixada no LargB do um cargo de tsnta importancia a um ho-
governa lor do Uo.iki. mem em quem nao podia fiar-se.
Era. pois, noco:sari', continuar .-cnindo Lucrecia suppuuha, nao sem razao, que
Lucrecia. Crespi conheuia todos estas difficul lades, c
AfI'mso Crespi. gramas, & sua lo.nga exper'portanto receiava que o astuto e velhocons-
riencia^ comprehendeu que Lucrecia se
interessava muito pelo principe de Tacento,
e voltou-se para aquelle novo sol que appa-
|feoia no horisortte. (
Lucrecia respondeu sorrindo aos wrapri-
mentos Jde Affonsi Crespi, e apresentou-o
ao seu now?, como um dos seus mais leaes
servi'toes.
Affonso de Napoles inclinou-se logo para
Crespi, so porque Lacrecia lhe fallara em
sea favor.
Affonso Crespi alegrou-se no fundo da sua
alma e agarrou-se aoprincpe como um
elemento de forga
Preparava-se urn novo drama.
Parecia que a fatalidade e arrojava para
a outra vida, no caminho de Lucrecia.
Quando o principe de Tarento sahio de
casa de Rosa de Vannozia para se dirigir ao
Quirinal. onde o papa lhe de>a hospitali-
dade, Affonso Crespi disse-lbe :
Vossa alteza e estranho em Roma, e
eu nasci dentro dos seus muros. Ha ruas
escurase perigosas. e, portanto. permitta-
rae que o companhe com os meus bravi,
que sSo valentes, para que lhe nio succeda
algum mdo encontro.
Sim, sim, Sr. Affonso Crespi, accres-
centou Lucrecia, ecompanbe o principe ate
ao Quirinal.
Affonso de Napoles e Crespi sahiram com
os seus respectivos criados, e, apenas a mai
e a filha Gcar-m sos, abrio-se uma porta e
appareceu um personagem em cujos braoos
se lancou Lucrecia exclamando :
Vencemos.
Aquelle 'oessonagem era Alexandre VI.
XIX
EM QUE LUCRECIA FAZ SAHIR DA SCENA AF-
FONSO CRESPI.
Lucrecia vira, nao sem inquietacSo.o
quanto Affonso Crespi se mostrara servical
para com o principe de Tarento.
A idea de Augiolina brotou na vira e ex-
VELOCIDADE PELOS GAMINUOS DE
FERRO0s periodicos inglezes tee o>s;
occupado ultimamente em determinarquaes
sao os trens mais rapidos em Inglaterra.
Reclamou-se a supremacia para o expresso
que parte de Charing Crosf as 10 horas da
manba. Outros aflirmam que o trem es-
presso de Paddingten a Exeter possue uraa
velocidade superior. Entre Paddington e
Swindor, a distaneia 6 de 77 3/4 milhas
(124 kilometros) e epercorrida- tanto pelos
trens ascendentes como pelos descendentes
em 87 minutos, comprehendendo as para-
gens e os descansoa, o que corresponde d
uma velocidada de 53,62 milhas (86,3 ki-
lometros) por hora, ou pouco maiiou me-
nos uma milha por minuto (1,609 metres).
0 caminho de ferro Great Western e de via
larga (2,13 metres), porem- oxiste sobre
uma grande parte da rede um terceiro rail,
MERECIDA RECOMPENSA.Em um dos
portos de Inglaterra abrio-se uma subscrip-
i;ao, tendo por Gm brindar o capitao do na-
vio americano Trimountain, em que foram
rejolhidos os desgra$ados que eseaparam i
catastrophe do Ville du Havre. 0 brinde
consistio n'um servico de mesa feito de pra-
ta, o qual foi acompanhado de uma nota
de cincoenta guineos.
PENNAS DE Ago.Fabricara se scma-
nalmente em Brimigham, 9i,000 grozas de
ponrias de aco, ou 14,120:000 penuas. Ha
trinta annos vendia-se cada groza por 5
^chillengs, hoje as pennas da melhor quali-
dadeobtem-se por 1,5 penny.
Quando se considera que cada groza, ou
144 pegas, passam por 12 processos diver
sos no decurso da fabricacAo,o facto de
se poder vender uma groza por 30 rs., pa-
gando a materia prima, o salario, edeixan-
do lucro para o fabricante, e uma prova
evidente do grande poder das machinas e
dos excelleutes resultados da divisao do tra-
balho.
REVOLLT.AO NA TELEGRAPHIA ELEC-
l'RICA. A grrnde medalha de honra da
associacao American Institute of New-
York fo> concedida a Joseph B. Stearus
pela sua invenyao do luplo telegrapho, que
produz o uma revolucSo na telegraphia nos
EsUdos-Unidos e tem sido adoptado no ser-
vico dos correios {post office).
0UR0. -r Segundo as ultimas noticias
recebidas da possessao ingleza do Cabo da
Boa Esperanca, te.n-se feito descobertas
importantes nos jazigos de ouro. Duas das
pepitas encontradas nos novos trabalbos
pesavam 39 oncas, tendo uma 23 e a oo-
tra 16.
O LfCOR DE OIRO.Com este titulo es-
tava se representando em Faris uma opere-
ta nova, quedava as maiores enchontes n
thoaUo do Menus Plaisir, quando o alto
bealerio c -nseguio que o governo de Mac-
Mahott prohibisse o profano divertimento.
DOENCA GRAVE.Annunciam de Nova
York a seria enfermidade da eelebre canto-
ra Christina Nifeon, rival da Patti, muito
superior a ella como actriz, e que contrahio
nos Estados-Ur.idos a doenca que a privou
de continuar a receber uma verdadeira chu-
va de ouro.
Vai ser trasladad i para a Europa, por
conselho dos medicos.
NAUFRAGK). 0 vapor Margarida, que
fazia o servico regular entre Hamburgo,
Havre e Bbrdeos, e ultimamente naufragado
nas costas do Hanovre, media 627 toneladas
e era da fbrea de t20 cavallos. Trazia a
seu bordo, alem de 23 passageiros da tripo
lac.ao, onze dos infelizes naufragos, que sa
salvaram a& sinistro do PirSeveraiiye, jr' '
ii^ailo lejnbem.no mar Jo Norte. O cau"
lymto iavmbe
do Margarida estvva seguro no Havre pF
somma de 5o:800JJ000 fortes. ,,a
pirador pretendesse valor-se, como de um
instruma'a'to.'do joven e inesperto Affonso
&n$apoles.
Todavia, entrava nos pianos de Lucrecia,
o nao obrar unktamente em virtude de um
primeiro indicio ; jamais, por muito que
desconfiasse, demonstrava a seu receio nem
deixava de fazer progredir as cousas para
as conhecer melhor e obrar de um modo
seguro, sem risco de eqaivocar-se.
Professava o principio de que nSo devia
avisar-se o traidor de que se conhsce a sua
traigao, para o nao obrigar a buscar um
meio mais seguro e mais occulto de a levar
a cabo.
O traidor e menos para temer quando
j ulga que nao conhecem a sua traigao.
Lucrecia deixou, pois, correr os succes-
ses ; sorrio, af gou Affonso Crespi, mos-
.trou-se completamente confiante, masro-
deou-o de olhos que vissem as suas raeno-
res acgoes, de ouvidos que escutassem as
suas mais insignificantes palavras.
Affonso de Napoles fo: cercado tambem
de espioes.
Em breve sou bo que o principe fdra con-
vidado para um alnioyo por Affonso Crespi,
no magnifico jardim que este possuia em
Beletri.
^ Quando & noite o principe foi ver Lucre-
cia a villa Borgia, aquella encontrou-o va-
gamente triste e concenfrado.
Lucrecia costuinava perguntar a Affonso
quando o via :
Que fez darante o tempo que deixa-
mos de nos ver ?
Na noite do dia em que os seus espides
lhe d sseram que o principe sahira muito
cedo a cavallo, que fdra a Beletri, que al-
mncara com Affonso Crespi e Angiohna, e
que voRara de tarde p^ra Roma, fezlhe a
raesms perguntf, sorrindo tranquilla e ena-
morada.
0 principe respondeu como serapre.
Pensei em si.
Por6in n'aquella noite a inQexao do
principe era differente da das outras noi-
tes
Entao onde esteve ? perguntou mais
Lucrecia sempre tranquilla e risonba.
Fui a B'-letri, respondeu com algum
embaraco o principe.
Faeer o que T proseguio Lucrecia com
garridico. bum sabe qu-quero que me
diga tudo quanto faz, lu lo quanto pensi,
tudo quanto -leseja, e tudo qumto osp-ra.
Affonso Crespi, que me foi vivamonte
reeommendaJo por si, e me mostra ura;<
gren te affeicdo, e que pela sua p >-iyuo 6
mn dos patneios mais influent -s de Roma,
pedio-neque aceitasse o coov-ite para um
JDRiSPRCDEMlA. /
Relaiorio ."
A RESPEITO DO-NEGOCIO DO MARECHAL BAZa
EVCOMMANDANTE EM- CHEFE DO EXERC1
DO RIIENO.
ACDIENCIA DE 25- DE OUTUBRO.
(Continuagao)
R.Nao tivemos- noticias no estado-
maior. 0 marechal Bazaine talvez as re-
cebesse, mas n6s nao reeebemos nada : nao
se oovia senao canhao.
P-Tinheis si lo prevenido das ordens
daJas- para 14 e por quem foram dadas ?
R.A 13, pela manha, ainda eu esta-
va no caminho ; e quando voltei, pelas tres
boras, vi o marecnal, que tkiha tornado
posse do commando.
Testemutihn zxi tucarcegado d
servico das ambulancias, mas na data .
13 de agosto, tendo o intendente geral dei-
xado Metz, fui encarregado doservi$o geral.
Nesse dia, por informacoes que recebi, fu:
ainda abrir os armazens,a 14para ec-
correr a todas as eveotualidades, e fix ac-
crescentar um comboio de 100,000 biscoi-
tosaos cjmboios de prjviraentos.
A 15, em Moulins, o marechal mandou-
me dar ordem de liceuciar o comboio au
xiliar. 0 negocio era grave, e dirigi-mc
para o commando em chefe, o marechal sus
tentou a ordem, e consentio em que me fos-
se transmittida por escripto. 0 movimen-
to do dia seguinte obrigava-me a entrar
nos provimentos das tropas em marcha.
Mandei officiaes para reunir viveres ate*
Mars la-Tours ; o inimigo prendeu esses
officiaes.
Depois do combate de Gravelotte, para
occorrer i penuria dos viveres, pensei que
seria bom fazer entregar as cousas no estado
em que estavam antes da ordem que roe
tinha sido dada a 15. Totnadas todas as
disposicoes, ao romper do dia, 500 can-os
pouco mais ou menos, partiram do B qq.'
Saint-Martin, quando rocebamos a no.^cis
de que o exercito batia em retirada. /tor-
nei a reunir o comboio ; podiamoA torn a r
duas estradas uma do la lo de cimaf de Mou-
lins e a outra por Piappeville. /
Desgracadamente quando/ chegamos, o
comboio estava parado, e ei iio tinha-se-'lhe
dado ordem para vohar, f que provoeou
uma ac!umular5o. 0 co lboio fiiu as-
sim, e eu mesmo me dirigi ao quartel-gene-
ral junto do mareel li.
P.Que succei" esso comboio de vi-
veres ?
R Cabio so Pladpeviile e ser vie
para a distribui >.
P.Quando exercito sabio de Metz a
4, ja" erQts int'/idente geral ; os corpos de-
viam estar^,. mniciados para tres dias?
P.Nei> ima conta ainda sa me tinha
dado nae> la data.
P. -Se, ido as instruc0os do marechal
Bazaine, < yomboios auxiliares deviam fi-
ear em BctSaint-Mortin-r come explicar
quo a 15 #es se achavam envolvidos no
desfiladai-fi Tinhara as ordens sido da-
das pelcVltado maior, on pelos com man-
dantes d* corpos do exercito ?
R 1.1 cenhecimento desses erdens,
mas nao s< de-quem dimanavam.
P. -Co-o explicar a expedicao que se
acha no n'stro, de uma ordem de ttf, re-
letivamer ao licenciamento do comboio
auxiliar, jue essa oxpelicao ten ha sido
assignada pek> intendente general' Wolf,
aom esta '"
tares do ? *
eito?
R.\ titicar essa ordem aos sub-lo-
gares t > militates, mas nio posse ex-
plicar i. no 6 que essa expedicao pode
ter sido nada pelo intendente geral
Wolf.
P.P ivestos conheciraento de um
despacno J3& 16 de ag^^o de Ver-
dun ao estado maiorler''-:*'P*r" *?
provimentos que s^ ch"*m na1He,l
praga ?
chamado. a 16 de
Aos Srs. inteudentes raili-
e 4. corpos do exer
ansportei esponta
hal.
a fernecer-Ibe in-
R.-Nao recebi disso* menor aviso
P.Nao tivestes sidP chamado a 1
agosto.de tarde, junto &?" fc
ne p^ra lbe fornecer jpforroagoes sobre c
estado dos provimentos %^
R.Fui eu que me
leamente junto do rr
P,-" --'->hil
jrmagdes eiaetfa T
R. Se o marechal m'as tivesse pedido.
i eu mesmo me teria informado dos inteoden
;,tes dos corpos do exercito. 0 marechal
nao me disse cousa alguma das intengoe?
em que estava de executar um movimento
de retirada, o qual eu mesmo estava longt
tde prever. Foi entao que eu me transpor-
tei a Metz para dalli apressar a chegada dos
comboios a planicie.
f
almoco no seu jardim de Beletri. Na rea
lidade o jardim e esplendido, Esse horoem
deve ser riquissiroo, Lucrecia.
Dez vezes mais rioo que o pai do
vossa alteza, metade mais que o rei de
Franca, e quasi tanto como osreisdeHes-
pania. Estou certa deque o almoco foi
sumptuos >, alegre e concorrido.
I Pelo contrario, um almoco simples e
quasi sohtario : era eu e elle unicamento.
Ah I
Affmsonao pode coraprehender o valor
d'aquella cxclamac-ao, mas pareceu-lhe es-
tranha.
Pois que, admira-se do que eu e Af-
fonso Crespi tenhamos almocedo s6s ? per-
guntou elle um tanto perturbado.
Admira me essa abstiuencia de vai-
dade em Affonso Crespi, por isso que lhe
nao dexou ver o objecto mais formoso que
possue, sua filha, a mulher. que 6" reputsda
a mais formosa de Roma, e ate me mo da
Italia.
Ah I exclamou Affonso corando, a
mulher mais formosa do raundo tenho-a eu
agora diante dos olhos.
Lucrecia vio uma mentira n'aquellas pa-
lavras de Affonso.
Comprehendeu que o seu noivo estava gra
vemente impressionado por Angiolim, sentio
a mio de Affonso Crespi e estremeceu de
furor.
boobe, porem, occultar aquelle estreme-
cimento e e proseguio com a mesma tran-
quillidade apparente :
Eu lhe farei conhecer essa creature
divina, e Qcari convencido de que e irapos-
sivel encontrar uma mulher tao feiticeira-
mente formosa como Angiolina. Passemos,
porem, para outro assumpto. Com certeza
ode Affonso Crespi o no estima debaldre,
pern debalde se eaforca por obsequia-lo ;
atrever-me-hia a affirmar que, sabendo
quanto eu arao o principe, o collocou como
intermediario para leanear uma pretencAo
sua, que lhe nao foi recusada, mas cuja sa
tisfagao e difficil, e especialmcnte em certas
e determinadas circumstapcias. Deraui-s-e-
lhe algumas esperancas, ,^ue se re lisarau
algum dia ; porem ellejinhpacieuta-s., sente-
se yt-lho, e sobretudo,/ quer ser quantos
mais annos f6r possivel j governador le Ro-
ma. E' um humnm inaaciavel, nSo o satis
faze o as immensas riuuezas que possue ;
amhicioni uniso que lmo pira estraubar.
Chegamos a uu tempo evi quo nquellesquo
nos s rvtin sao to K.s a.-s) u, fazom-sr pagar
muito caros. I
Pelo quo vejp, Lupecia*. disse tran-
quillamente o pnucipa/ pjrqua julgava que
aquella desconfiovft (JTeHe, nJo cstd rcuito
(Contitma r-se-ha J
disposta a acceder ao pedido de Affons..
Crespi.
Nao estava, isto nSo o podia estar ;
mas, se o principe se iateressa por elle, o
caso muda de tigura e serd servido.
Oh I obrigado, Lucrecia ; eu nio jul-
gava que fosse tao difficil a pretenc.ao de
Crespi, e tinha-Ihe promettido, contaodo
com o seu amor, o cargo que ambii;iona.
Te-loha, mas que espere pouco tem-
po, um mez quando muito. Por seu res-
peito, principe, nio posso fazer mais dc
que manter a honra da sua palavra, apezai
de que exige de mim um sacrificio.
Prova isso o amor que mo consagra.
e eu nao posso senao dizer-lhe, o que tan-
tas vezes lhe bei repetido, isto e, que serei
seu ate a* eternidade.
Todavia, Lucrecia vio com uma colera
latente que Affonso aceitava um saerificio
que ella tinha exagerado. Que fdra, pois,
o que succedera ?
Te-la-hiam enganado os seus agentes "
Hayiam-lbe dito tao sdmentc que Angiolina
assistira o almoco, triste e distrabida, e que
o principe se ha via impressionado por ella
Nio se deve estranhar que, sem que Af-
fonso Crespi o podessc evitar, se tivessem
colhido noticias do que se havia passado
dentro de sua casa. A Italia e o paiz dot-
esbirros : um esbirro passa de molecule em
molecula, ou para melhor dizor, attrahe a
si, de longe, de individuo era indivitiuo, o
que necessita saber. Por isso, Vooeaa che-
gava a sentir a propria respiragao dos seas
inimigos. -
0 esbirro italiano e* o non plus ultra, o
hello ideal do esbirro.
/ Lucrecia teve o bom senso de mudar de
conversacio.
Quand i as nove horas da noite. Affonso
de. Napoles se despedio d'ella, e quando fi-
cou so, pegou ua ponna e escreveu a seguin-
te carta :
o Cesar. Nio te lies no gran-capitao ;
procure eugana-lo, o que nao e faoil como
deyes ter comprehendido. Em tdo o caso,
aviso-te d'isso para que te encubras melhor.
Envia-me Michelotto, porque precise d'elle
immediatamente. Muda de situaoio e te
fdr possivel, e oecu pa com o teu exercito
um ponto intermedio entre Napoles e Ro-
ma, o mais longe de Napoles que po lor ser ;
ha n'isso grande impoitancia. Tua irtni
tntweia. *
(L'onliiiuar-se-h)f
TYF.D0 DLUUO.-BUA DUQUE L>E liA'
\
J
J
I
I
m^M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX9PTLU97_DTVQH4 INGEST_TIME 2014-05-22T23:36:01Z PACKAGE AA00011611_17560
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES