Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17555


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-

ANNO L. NUMERO 18


t
PABAAAPITALEillIWE 0\DE !%! 8EPAA POBTi
For tres mazes adiantados. 6|Mft
ftaliMiilitniillw. .....ttW 12WW
..............S4*>00
Ca^avOtimero avdfco................. f320

SEX FEIRA 23 DE JMEIRG DE 1874
PAA DEIVT**! S FtUBl rBOlTVClA.
For tres tneaes adiantados................ 6|r7*
tor seis ditos idem.................119600'
For nove ditos idem.................909190
For urn anno idem..................
asm
N
v>. um J>4B
...........
PROPRIEDADE DE MANOEL FFGUEIROA DE FARIA FILHOS.

9a Sri. Gerardo Antonio Alves d Filhos, no Par*; Goncalves d Pinto, no Maranhio; Joaquim Jose de OBvemt d Filbo, no GearA; Antonio de Leruu* Braga, no Aracatv ; Joio Murk Julio Chares, no Assd; AjUo*o Marque* da Silva, no flata*; Jose Justino
Pereira d'Almeida, em Mamangoape ; Carlos Auiencio Monteiro da Franca, na Parahyba ; Antonio Jose* Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Antio ; Domfcgos Josda Costa Braa> emUazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna ; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Alagdas; Aires d C, na Bahia ; e Leite, Cerquinhe d C. no Rio Jde Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Ministerio dointperio.
Por despacho da 10 do corraote foram no-
rueados: k
ordem da ioi\Officiaes. Os sabditos de S. H.
Untannica Collin Mackensie, representante de
Western Brasilian Telegraph Company Limited ;
Jimes France, engenheiro chefe da empreza de
iramersao do cabo submanuo ; William Hooper,
inventor do isolador de caoutchouc e fundador da
companhia fljoper ; William Eddinglon, com-
mandante do vapor Uooper.
Cavalheiros-Oi subditos de S. M. BriUnniea,
F-rederico Ormiston, John Hooper, Robert Hyde,
William Bettomby e William King.
Joaquim Henrique de Almeida, subdelegado do
diitricto de S. Miguel, pertencente ao terrao do
Pao dos Ferros, na provincia do Rio Grande do
Norte, por servicos relevanles prestados ao estado.
Joaquim da Costa Barradas, 5* vice-presidente
da provincia do Maranhio.
0 bacharel Anilities Augusto Coelho e Soaza,
cretario do goverao da msma provincia.
Foi exoneradc:
0 bacharel Jose de Almeida Martins Costa, do
lugar de 5" vice-presidente da provincia do Mara-
uhao, por ter transferido para a de Minas Geraes
sua residencia.
Foi concadida :
Ao bacharel Antonio Pedro Ferreira Lima a
exoaeracao que pedio do cargo de secretario do
i lverno da mesma provincia.
Por despacho de 10 do corrente foram apresen-
tados: .
0 conego Raymundo Alves dos Santos na digni-
dade de arcipreste da cathedral da diocese do Ma-
lanaao;
0 conego Francisco Jose dos Reis na de chantra
da mesma cathedral ;
Os padres Julio de Paula Dias Bicalho e Joaquim
Correa de Carvalho em duas cadeiras de conego
da cathedral da diocese de Marianna;
E o padre Tneophih Antonio de Sauza, na igre-
ja do Bom Snccesso da mesma diocese.
Em 8 do corrente foram expadidos os sa-
turates avisos:
i Illm. e Exm. Sr.-O goverao imperial appro-
vou a resposta dada por essa presi Jencia a consul-
u que Ihe fizera o 1.* juiz de paz da freguezia da
capital, declarando-lbe que por nao haver na mes-
ma freguezia eleitores e supplentes de eleitores,
em razao de ter sido annullada pela camara dos
depifudos a eleicio primaria a que se procedeu
em IB de agosto de 1872, devia o dito juiz, na for-
ma do art. 2 do decreto n. 1,812 de 23 de agosto
de 1856, convocar para a organisacao da junta de
qualificacao de votantes os oito eidadaos que lhe
ttcassem immediitos em votes, residenles na fre-
guezia, sendo os quatro primeiros para represen-
rareui a turma dos eleitores e os outros quatro a
dos supplentes. 0 que commuuieo a V. Exc. em
resposta ao seu offlcio n. 90 de 18 do raez findo.
I teas gaarde a V. ExcJoao Alfredo Ccrreia de
Oiiceira. -Sr. presidente da provincia do Espirito
Saato.
t lllm. eExm. Sr.Aecaso o recebimonto do
I'licio de 3 de dezembro ultimo, em que V. Exc.
<-ommunicou-me ter decidido ser irregular o acto
pelo qual o juiz de paz a quern eabia presidir a
ie>;ao preparatory do collegio eleitoral da villa de
Cururapd no dia 2 de noverabro, designara a 1."
ijjiainga do primeiro dos mencionados mezes para
nova reuniao do mesm > collegio, em razao de nao
ter corapareeido eleitor algura. Em resposta de
claro a V. Exc. que approvo a sua decisio, a vista
do disposto ne art 68 da lei de 19 de agosto de
1816, que prescreveu a reuaiao de todos os colle-
ges eleitoraes em am dia delerminado, pela razas
de nao dever ser conhecido o resultado da votacao
de um por outro que ainda nao haja effectuado a
resaeetiva eleicao. Deus guarde a V. Exc Jofio
Alfredo Correia de Oliveira. Sr. presidente da
provincia de Marauhiio. >
Ministerio da juwtica.
Por decretos de 7 do corrente :
Foi designada a comarca do Limoeiro, de se-
gunda entrancia, na provincia de Pernambuco,
para nella ter exercicio o juiz de direito Francis-
co Bernardes de Carvalho.
Foram nomeados :
0 bacharel Henrique Joao Dodsworth segundo
juiz substituto do muoicipio da curie.
ercito, nao preoedem aos mais antigos em postos ;
o qne comraunico a V. Exc, para sea conbeci-
mento e em resposta a citado offlcio.
Deus guarde a V. Exc. -Manoel Antonio Da-
arte de Azevedo. -Sr. presiiente da provincia de
Pernambuco.
Minfsterio da fazenda.
Por decretos de 10 do corrente :
Foi pomeajo 2* escriptarario da thesooraria de
S. Paulo o 3* dito da mesma theso.'.raria, Octavio
Candido Casteno-Branco.
Foram coneedidas as exonerates que peii-
ram :
Francisco Guades de Araujo Guimaraes do la-
gar de 2* escriptarario do thesouro nacional, e
Joao de Assis Pereira Borba de do 2* dito da al-
fandega do Rio Grande do Sul.
Ministerlo da gaerra.
Por decrttos de 12 de dezembro :
Foram nomeados para os lugares vagos da se-
cretaria de estado do* negocios da guerra os se-
guintes empregados :
Chefe de secc>o, o official Manoel Joaquim do
Nascimento e Silva.
1 official, o 2* dito Jose Maria de Bittencoart e
Silva.
2 official, o amanuense Gabriel de Araaje-e
Silva.
Por decretos de 10 do corrente :
De conformidade com o art. 169 do regulamento
qne baixoa com o decreto n. 3,083 de 28 de
abril de 1463, foram nomeados alferes alumnos do
exercito, os|alumnos da escola militar abaixo de-
clarados :
Soldados do 1* batalhao de artitharia a pe :
Feliciano Mendes de MesquitaBarros.
Manoel Quirino dos Santos
Joaqaim Martins ds Mello.
2* cadetes do 1* regimento de cavallaria ligei-
ra :
Jos6 Joaquim de Vassoneellos.
Gregorio Taumaturgo de Azevedo.
Soldados do 1 batalhao de artilharia a pe :
Joao Marlins Pereira da Cruz.
Francisco Marcelino de Sjuza Aguiar.
{ cadete do 1 regimento de cavallaria ligeira,
.Virgilio Decio de Queiroga Rosa
Soldados do 1* batalhao de artilharia a pe :
Henriqua Augusto Eduardo Martins.
Nlcolao Alexandre Muoiz Freire.
Jose Laiz Coelho.
! cadete do dito batalhao Roberto Trompowshy
Leitio de Almeida.
Na forma da ultima parte do i do art. 9" da
lei n 618 de 18 de agosto de 1852, concedea-se
reforma com o respectivo soldo por inteiro ao ca-
pitao do corpo de estado maior de artilharia Aris-
tides Armioio Guarana, visto achar-se inuiilisado
para o service do exercito, em consequencia de
ferimento recebido em combate. '
Nos termosdas immediatas e imperiaes resolacSes
de 17 de dezembro findo, tomadas sobre consultas de 1872 a 1873.
do conselho supremo militar, concederam se as
stgaintes bonras dos postos do exercito aos indi-
viduss abaixo mencionados :
Oe tenente pharmaceatico do corpo de saude do
exercito :
Ao pharmaceutico contratado Marcolino Jose do
Bemflm, em attencao aos bons services que pres-
tou na guerra do Paraguay.
De tenente :
Ao tenente do 1 batalhao de infantana da
guarda nacional da provincia de Matto Grosso
Joao Luz Pereira, em attencao a iguaes servicos e
ao grave ferimento que recebeu na campanha do
Paraguay.
ConcedeTam-se as honras do posto de alferes do
exercito ao [ sargento reformado do 46* corpo de
volanurios da patria, Eloy Martins dos Santos Ja-
come, em attenjao aos servicos que prestou na
campanha do Paraguay.
De conformidade com o 3* do piano que bal-
sas com o decreto de 11 de dezembro de lolo,
concedeu se reforma com o respectivo soldo por
inteiro ao soldado do Asylo de lnvalidos da Pa-
tria, Joao Simao do Espirito-Santo, 7isto achar-se
impossibilitado para o servico do exercito, em con-
sequencia de ferimontos recebidos em combate.
Determinou-se qne nos seis annos de prisao a
que o ex-tenente de voluntarios da patria Pedro
Antonio de Miranda foi condemnado por sentenca
do conselho supremo militar de justica de 3 de
fevereiro de 1872, seja iacluido o tempo de prisao
iiz suuMituiu uu uiuuicipiu un toi ic. que sjtireu a
0 bacharel Antonio de Carvalho Serra segundo ja sentenca.
la aiik 'lilulA do HAmp.i* |4 n Annitnl /IB i\*iM'ini ue soffreu antes de comegar a executar a referi-
juiz substituto da comarca da capital da provincia
tt> Maranhio.
0 bacharel Arsenio Goncalves Marques juiz subs-
tituto da vara de orphaos e da provedoria dos re-
iduo3 da comarca de Porto Alegre, na provincia
1 S Pedro de Rio Gri nde do Sul.
0 bacharel Antonio Jose* Rodrigaes das Cottias
juiz municipal e de orphaos do termo de S. Joao
i i Principe, na provincia do Rio de Janeiro.
0 bacharel Agostinho Maximo Nogueira Penido
juiz municipal e de orphaos do termo de Lavras,
na provincia de Minas-Geraes.
0 bacharel Jose Ricardo Pinheiro de UlhOa Cin-
tra juiz municipal e de orphans do termo de Dia
mantina, na provincia de Matto Grosso.
Foi reconduzido o bacharel Candida Alves Duar-
te Silva no lugar de juiz municipal e de orphaos
ilo lermo de Araraama, na provincia do Rio de
Janeiro.
Poi removido, a pedido, o juiz municipal e de
>; i>uao5, Henrique Porchat de Assis, do termo de
Rraganca para o de Santos, ambos da provincia
de S. Paulo.
Foram coneedidas as demissSes que pediram :
0 bacharel Miguel de Godoy Moreira e Costa de
Iugar de juiz municipal e de brphios do termo de
t'iraty, na provincia do Rio de Janeiro.
Fez se raerce da serventia vjtalicia dos officios
para que foram provisoriamente nomeados pelos
r>>;pectivos- presidentes :
A Manoel Antonio Lessa, do officio de 2 label-
liio e escrivao do civel e crime do termo da capi-
tal da provincia do Amazonas.
A Rayrounio Fernandes Correia de Araujo, dos
da labelliao e escrivao de orphaos, do crime e civel
do termo de Pacatuba, na provineia do Ceara.
Ja-
Momz Barreto, e o major honorario do exercito-
Francis so de Barros Accioli de Vasconcellos.
J.M offlciaes : os r~ Guilherrae Candido Belle-
garde, Jeronymo Herculano de Calasans Rodrigaes,
Francisco Xavier da Silva Moura, bacharel Lea-
Soldo Henrique Castrioto, Joaqaim Maria Machado
e Assis.
1" officiaes : os amanuenses, bacharel Camillo
Liberalli, Josi Pinto Serqueira, Francisco Joaquim
Alves, Carlos Eugenio Figueirda Contreiras Na-
buco de Araujo, Jose Diniz Villas-Boas, Fraacisoa
Guedes de Araujo ffdimarSes, Jos6 Joaquim de
Negreiros Sayao Lobato, Joaquim da Costa Pi
mantel.
Amanuenses, os praticantes Joio Capistrano do
Amarat, Julio Veiga, Augusto Alberto Fernandes,
Francisco de Paula Barros, Virgilio Gomes di
Silva Netto, Francisco de Paula Xavier Bitten-
court, Miguel Mendes Salgado, Geraldo Ernesto
Ribas.
Porteiro, o ajudante Jose Ignacio da Silva.
Ajadante do porteiro Antonio Francisco Pinto.
Xa mesma data foram aposenUdo3 o 2.' of-
ficial Firmo Jose Saares da Nobrega e o porteiro
Candido Augusto de Alvarenga.
Por aviso da mesma data foi nomeado, o
conselheiro Thomaz Joso Pinto Serqueira para
inspeccionar as colonias existentes nas provincias
do Parana e de S. Pedro do Rio Grande do Sal.
Por portaria de 10 do corrente, foi exone
rado, a seu pedido, Carlos Alberto Morcing, do
cargo de engenheiro chefe de seccio da estrada
de ferro D. Pedro II.
Por portaria de 12 do corrente foi dispea-
sado do servifo de que se achava encarregado, na
direotoria geral dos telegraphos, o major graduado
Felinto Gomes de Araujo.
Por portaria de 9 do corrente foi nomeado
Ezeqaiel Correia dos Santos Junior praticante, sem
vencimentos, para servlr na commisslo encarre
gada do levantamento da carta geral do imperio.
Ministerlo da uiarinlia.
0 decreto n. 5,323 de 7 de Janeiro corrente al-
lerou a labelia que acempanha o decreto n. 3,061
de 23 de marco de 1863, e o disposlo no de n.
3,444 de 12 de abril de 1865, sobre fornecimentos
de diverso3 objectos precisjs as pracas do batahlio
naval.
Com dada de 31 de dezembro foram publi-
cados os decretos:
N. 5.513, autorisando o ministro e secretario de
stado dos negecios da marinha a transferir de
nmas para outras rabricas da despeza do mesmo
ministerio no exercicio dj 1872 a 1873, a soiuma
de 986:0064737.
N. *>,.') i i, abriodo ao ministerio da marinha o
credito extraordinario de 3S7:OOJf para occorrer
as despezai da verba-Arsenaesdo exercicio de
1872 a 1873.
N. 5,517, autorisando oJcredito supplemental-de-
1,072:4891850 para as despezas do ministerio da
marinha, na rubricaForca navaldo exercicio
Ministerio dos negocios da jastica.Rio de
neiro, <0 de Janeiro de 1874.
ilia, e Exm. Sr.-Foi presenta a Saa Ma^es-
ta*t o Imperador, com offlcio de V. Exc, de 9 de
abril do anno proximo passado, a representacio
(joe ao goverao imperial dirigio o tenente coronel
r-'Msmanaante do 1* batalhao de artilharia da
guarda nacional, Decio de Aquino Foncbca, contra
o Bfigadeiro commandante das armas dessa pro-
viscia, por haver deslgnado para eommandar
Iirigada, em occasion de parada. nm official hono-
i ano do exercito qne, emh ira d* goal pjsl >, t
mail modern > na reffridi guarda.
R o mesmo A'igu-t) Senhor, tend) ouvido a
aeecio de marinha e guerra do conselho de esta-
do, manda declarar a V. Exc que, nao havendo na
lei n. 601 de 19 de setembro de 1850 disposic>
algnma relativa a commando de brigadas, deve-
ae observar na gaarda nacional a pratiea seguida
ii > exercito, pela qual o commandante geral da
forea (em o direito de designar para aqnelles
commandos os offlciaes que lhe parecerem mais
proprios, embora haja outros mais graduados ou
man antigot em posto, comtanto qne estes nao
fiqaem fazendo parte dessas brigadas
Por portaria de 5 do corrente :
Foi nomeado o major honorario do exercito Ro
drigo de La Marc Koeller para o lugar de recra
tador no municipio da cdrte.
Concederam-se 4 mezes de licence, sem venci-
mentos, ao praticante do observatorio astronomico
Fabio Hostilio de Moraes Rego, para goza la onde
lhe convier.
Por porlarias de 7 do corrente :
Foram transferidos:
Do 16* para o 8* batalhao de infantaria o alferes
Matbias Jose de Sonza Ribeiro.
Do 18 para o T dito o tenente Horacio Vieira
de Souza.
Do li'paraa companhia do Piauhy o alferes
Jose Eulalio da Cunha Martins.
Concedeu se permnta entre si de corpos j
Aos tenentes f rancelino Leal Gomes e Joao Emi-
liano de Araujo Lopes, este do 8 e aquelle do 5*
batalhao de infantaria.
kw tenentes Francisco de Paula de Almeida
e Albnqnerque e Felismino Cunha do Nascimen-
to, este ii 14 e aquelle do 18* batalhao de infan-
taria.
Foi elassificado no 14* batalhao de infantaria o
alferss Candido Gaya Pecanha, qae revertea 4 I*
elasse do exercito, por decreto de 3 do corrente.
Por portarias de 8 do corrente :
Foram coneedidas ao alumno pensionista de
pharmacia do hospital militar de gaarnicio da
cdrte, Joio Edaardo de Maoedo, dous mezes de Ii -
cenca com o respectivo ordenado para tratar de
sua saude fora da corte.
Foi nomeado o capitao honorario do exercito
Agostinho Ribeiro da Fontoura para o lagar de
recrutador na provincia de Goyaz.
Em 31 de dezembro foi publicado o decreto
n. 5,508, autorisando o ministro e secretario de
estado dos negocios da guerra para applicar as
despezas com diversas rnbricas do exercicio de
1872 a 1873 a quantia de 1:089:0061523, tirada
das sobras verificadas no art. 6* da lei do orca-
menlo do mesmo etercicio, e annullando as trans-
ferencias autorisadas pelo decreto n. 5,253 de 9 de
abril de 1873.
parte dessas ------
Qv>, k exeepcao deste unico caso, os offlciaes Cisco Ignaeio Ferreira, e Jo
da guarda nacional, ainda que honnrarloa do ex-lro, bazharel Joaquim Pinto
Ministerio da agrlcultura
i'or decraia n. 3,512 de V. de d -zembro foi
rcfur.niila a secrctaria da agricullura, commercio
e obras pnblicas.
Na mesma data f-ram nomeados :
Chefe da direcjoria central daquella secreuria
o bacharel Francisco Leopoldino do Gusmaa Loho.
Chefe da directoria da agricultara o bacharel
Augusto Jose de Castro e Silva.
Chefe da directona do commercio o conselheiro
Jose Agostinho Moreira Guimaraes
Chefe da directoria de obras pubiicas o engenhei-
ro Manoel Buarque de Macedo.
Chefes de seccio : os primeiros officiaes, bacha-
rel Carlos Hoaorio de Figueiredo, o bacharel Fran-
e Jose-Pearo Xavier Pinhei-
Rrasil. o Dr Rwmdo
(overno da provincia.
EXPEDIENTS DO DIA 21 DK OUTUBUO DB 1873.
-2'. seccao.
Acto:
0 presidente da provincia resolve nomear pa-
ra provisoriamente servir o offlcio de solicitador
de capellas, resiauos e annexos do juizo desta ca-
pital o cidadao Vicente Liciniu da Costa Cam-
pello.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia. Transraitto a V.
S. copia do regulamento de 7 do orrente, alim de
ter execucio na parte que lhe tocar.
Ao mesmo. Com a inclusa copia do offlcio
da Illm. camara municipal do Recife de 15 do cor-
rente, fica respondido o de V. S. de 7 do mesmo
mac
Ao mesmo. Recommendo V. S. as autori-
dades policiaes que Ihe sao subordinadas que, de
acordo com o regulamento das eollectorias de 30
de abril deste anno, prestem auxilio aos respecti-
vos collectores, afim de qae possam elles proceder
a arrecadac io dos impostos que estao.a seu cargo.
Ao commandante do corpo de policia. -Pode
\mc. engajar, sendo idoneos, no corpo so'i seu
commando, os paisanos Jacintho Correia de Bar-
ros e Sebastiao Antonio de Freitas, de quern tra-
tam os seus officios n. 591 e 593 de 18 e 20 do
corrente.
Ao mesmo. Mande Vmc. substituir por ou-
tro o destacamento do corpo sob seu commando
que existe em Bom Conselho.
8'. secgdo.
Officios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Annuindo ao que sollcitou o brigadeiro comman-
dante das armas em offlcio de hontem sob n. 1,047,
autoriso V. S. a mandar pacar ao major Carlos
Magno da Silva, a vista do incluso recibo em du-
plicata a quantia de 100J despendida com o enter-
ro do alferes do 2' batalhao de infantaria de 11-
nha, Augusto Fortunado da Costa Campello, como
se ve do mencionado recibo.
Ao mesmo. Communico a V. S., para seu
conhecimento e fins convenientes, que no dia 4 de
novembro proximo vindouro, ao meio dia, seguira
para o presidio de Fernando de Noronha, o vapor
Giquid, da companhia peraambucana.
Ao mesmo. Altendendo as novas ponderacoes
que faz Americo de Sa e Albuquerqae, no incluso
requerimento, aatoriso V. S. a mandar releval-o
da multa em que incorreu, por nao haver dado a
matricula no prazo logal as ingenuas, Esperanca.
Magdalena e Julia, ajuellas fllhas naturaes de sua
escravas Gliceria c Gailbermina, e esta filha legi-
tima de seus cscravos Sotero e Rutino.
Ao mesmo. Dando provimento ao recurso
inter posto pelo barao de Jaboatao no requerimento
Sue lhe devolvo, e a que se refere sua iufunnacao
e honlem datada, sob n. 619 serie E. autoriso V.
S. a mandar releval-o da mntta em qae incorreu
por nao ter comparecido, na qnalidade de pre dente da camara municipal da villa do Cabo, ao
encerramentc do? trabalhos da junta emancipado-
ra daquelle municipio.
Ao mesmo. Transraitto a V. S., para os
fins convenientes, os inclnsos prets especiaes em
daplicala, tirando as graiificacoes a qae tern di-
reito o cabo de esqoadra Jorge Manoel do Corpo
de Deus p o soldado Laiz Caetano de Oliveira, que
deixaram de recebelas em tempo opportano por
falta de csclarecimentos, eonformo declaron me o
brigadeiro commnndante das armas em offlcio de
hontem sob n. 1,025.
Ao mesmo. Tendo approvado as corapras
qae em sessao de 22 de setembro ultimo promo
veu o conselho de campras de marinha, le diffe
rentes objectos pecessarios para provimento do
respectivo almoxarifado, ccnslantes dos termos quo
pelo rr.?;rr. co"s Iho sera > reme'tirtrs a essi repar
tigli ; asMrr. j eommunlco a V. S. para os fin-
eonvenlentes..
= Ao mesmo. Recommendo a V. S. qne, a
vista da folha, relajao nominal e pret junlcs, man-
de pagar a Jeroiymo Pereira Marias, ou a Evarjsto
Mendes da Cunha A'.evedo, os vencimentos do des
tacamento da guarda nacional existen'e na villa do
Brejo, concornentes ao mez de setembro ultimo,
sogund goiicilou o respectivo commandante su-
perior ex offlcio de 12 do corrente.
Ao proenrado'r fiscal da thesouraria de fa-
zenda. Tendo de ser apresentado pelo goverao,
Serai o piano do edificio desti lado 4 faculclade de
ireito, nao pode ser satisfeita a exlgenoia, contida,
m cpn ofn'', sem data 5Qh n K
Ao adrainistrador do cojuulado provincial.
Para atisfazer requisicao da lllm. camara muni-
cipal 4b Recife, em offlcio de lo do corrente, re-
nietta vmc. uma relagio de todas as ruas desta
etdade..
4' seccao.
Offlcio :
A6 director geral interino da instruccio pu-
Uica. Remetto a V. S. a inclusa peticao docu-
mcntaAa d> professor publico de Quipapa a qae se
reluie a sua inforraacao ietT de setembro findo,
para que, oavindb. ao respectivo delegado littera-
rio, iofjnne si o mappa que servio de fandamen-
to para ser por elle negado ao- neferido professor
o attestad > do mez de agosto. foi confeccionado
como determina a lei.
Portarias:
A' lllm. camara municipal do Recife. -Trans-
mitto a lllm camara municipal do Recife, a copia
do regulamento de 7 do corrente, afim de ter exe-
oucao na parte qae lhe tocar.
5.* seccao.
Offlcio :
Ao eageahciro chefe da repartlrio das obras
pnblicas. Communi:ando-me o commandan-
te do corpo de policia, em officio de hontem data-
do sob n 594, que os apparelhos de limpeza do
respectivo quartei tsera deixado de fanccionar por
falta d'agua, com grave detrimento da saude dos
presos alii recolnidos, recommend) a Vmc. qae
providencie com tola argencia, no seatido de re-
inediar sertieltiante inconveniente.
Pertarias :
Os Srs. agentes da companhia de navega-
Sao brasileira mandem dar passagem para o Rio
irande do Norte, por oonta do ministerio da guer-
ra, n) vapor esperado do sal. a ex-praca di 2* ba-
talhao de infantaria, Jose Francisco dos Santos,
que, tendo -id j ewuso do servico militar, recolhe-
se aquella provincia, donde e natural.
Os Srs. agentes da companhia de nwegacao
brasileira deem suas ordens para qae seja rece-
bido a bordo do vapor esperado do norte, e trans-
portado a provincia da Parahyba por conta do
ministerio da guerra, o 2' sargento do 16s bata-
lhao de infantaria, Silvino Jose da Costa.
EXPBDIENTg DO SBCRE TABIO.
1.' seccao.
Officios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.- De ordum de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, communico a V. Exc, em resposta aos
seus ofAciM ns. 1,023 e 1,030. datados de hontem,
que fica previlenciado no sentido de serem trans-
portados, para o Rio Grande do Norte o ex-solda-
do do 2e batalhao de infantaria Joao FraucMco dos
Santos, e para a Bahia o 2' sargento do 16' bata-
lhao da mesma arma Silvino Jose da Costa.
Ao mesmo.-0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communiear a V. Exc que expedio
ordem a thesouraria de fazenda no sentido de se-
rem satisfeitas as despezas de que tratara os seus
officios de hontem sob ns. 1,026 e 1,027.
Ao mesmo.-S. Exc. oSr. presidente da pro-
vincia mania communiear a V. Exc, para sen co
nhecimento e fins convenientes, que no dia 4 de
novembro proximo vindouro ao meio dia seguira
para o presidio de Fernando de Noronha o vapor
Giquid, da companhia peraambucana. Ignal ao.
director do arsenal de guerra.
2." seccao.
Officios :
Ao Dr. chefe de policia.S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia manda communiear a V. S
para seu conhecimento e fins convenientes, que
no dia 4 de novemDrc proximo vindouro ao meio
dia seguira para o presidio de Firaanio de No-
ronha o vapor Giquid, da companhia peraambu-
cana.No mesmo sentido ao Dr. juiz de direito da
! vara civel desta capital.
Ao mesmo. -0 Exm. Sr presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que foi man lado
substituir por outro o destacamento do Bom Con-
selho,-ficando assim respondido o seu officio n.
1,170 de hontem datado.
Ao commandante superior-do Brejo 0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda communiear a
V. S. que a thesouraria de fazenda foi aulorisada
nesta data a pagar os vencimentos do destacamen-
to da guarda nacional, de que trata o seu officio de
12 deste mez.
Ao commandante do corpo de policia. S.
Exc. o Sr. presidente da proriocia manda com-
muniear a V. S., em resposta ao seu offlcio de
hontem datado, que licam expedidas as conve
nientes ordens ao engenheiro cnefe da repartijao
das obras pnblicas para mandar fazer os con :ertos
de que precisam os apparelhos de limpe-a desse
quartei.
4." seccao.
Officio:
Ao provedorda Santa Casa de Misericordia.
-S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que nesta data encaminhju ao Exm.
conselheiro ministro da fazenda o seu officio p<*-
dindo para que sejam despachados na alfandega
desta provincia, isentos de direit03, diversos ob-
jectos mandados vir da Europa pela junta da San-
ta Casa para o uso dos estabelecimentos ,a seu
cargo.
5" seccao.
Offlcio :
Ao gerente interino da companhia pernam
bucana. De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, pode V. S. fazer seguir no dia 30 deste
mez, as boras do costume, para os portos do seu
destine, os vapores dessa companhia, Ipojuca e
Mandahu', bem como no dia 4 d novembro vin-
douro ao meio dia o Giquid para o presidio de
Fernando de Noronha ; como tudo solicitou em
seu offlcio de 18 do corrente.
obspachos da pbbsidbnoia, do dia 21 de jaxsiro
de 1874.
Augusto Cesar Fernandes Eira*. Deferido com
a portaria desta data.
Alferes Alexandre Jose Maria de Hollanda Ca-
valcante. Indsferido.
Antonio Francisco do Carrao.Prove o suppli
cante com attestados das aatondades do Bom Jar-
dim e do parocho respectivo, que vivo martial-
roeute.
Basilio Bernardo Ribeiro do Amaral. Seja posto
em liberdade.
Caetana Maria da Assurapcao. -Inform* o Sr.
Dr. chefe de policia
Elias J se do Carmo. -Informe o Sr. comman-
dante do corpo de policia.
Isabel Krancisca Montsiro de Quanta! Barros.
Informe o Sr. Dr. director geral da iostruccio pa-
Jose Augusto de Araujo. Informo o Sr. inspec-
tor da thesouraria provincial.
." Joao Evangelista da Silva.-Informe o Sr. bri-
gadeiro commandante das armas.
Jose Augusto de Araujo.Informe o Sr. inspec-
tor d.i thesonwria provincial.
Laurculina Maria do Espirito Santo.Indefe-
rldo.
Maria da Conceicao do Nasuinento. Informe o
Sr. Dr. chefe de policia.
Thomaz de Carvalho Soares Brandao Soorinho.
Deferido com offlcio dosta data a thesouraria
de fazenda.
em sen iffi-1- -era data sob n. 5.
RECIFE,. IS DE JANEIRO DE 1874.
ftotlcla* do sul do Imperio.
Hoat-.:ii, pela manna, chegcu o vapor brasileiro
Ceardi trazendo datas do Rio de Janeiro- It, da
Bahia 18 e de Maceio 21 do corrente.
Alera do que damos sob a rubrica Park- 0/fiuial,
encontnamos nos jornaes o que segue :
MINAS GEUAKS.
Era o seguinte o resultado dos 33 ccllegios
conhecidos, na eleicao de senador:
Gommendador Cruz Machado 700
Dr. Laiz Carlos 66.H
Dr. A. Biotas 3i~
Dr.J. Penide 317
Dr. Lima Duarte 225..
Bispo de Marianna 204
s. PAULO.
Dalas ate 11 do corrente :
Refere o Diario de Santos que o vapor Saint
Martin, depois de estar dentro da bahia, voltara
para a barra, segundo coostava, por ter carta
suja.
FunJeara alii no dia 10 a fragata franeeza Ve-
nus, commandada pelo capita) de mar e guerra
Duperre, e levando a seu bordo o almirantaQailio.
Installara-se em Jundiahy uma sociedade indus-
trial com o Dm de montar uma fabric a de-fiar e
tecer algodao. A reuaiao fora convocada pelos
Srs. Joaqnim Bene licto de Queioz Telles e Antonio
Leme da Fonceca. Subscreveram-se logo as 280
accoes de 5004000 cada uma.
Ld se na Estrella (FOcste, fojha que se publics
no Rio Claro:
Nos informant que, em consequeneia do alto
preco em one esteve o feijao em nosso mercado, o
Sr. Barao de Araraquara mandou grande pon.ao
para se vender nesta cidade por preco ordinario
em tempo de abundancU, e igual porcao para ser
gratuitamente distribnida aos pobres. Accoes des-
tas nio se coramentam, deixam-se a apreciacao
dos coragoes bem formados. >
Diz a mesma folha, referindo-se aos 172 irami-
grantes allemaes, chegados a 28 do passado, qae
am alleraao alii residente fora ao encontro de saa
mulher, que fazia parte do grupo rewra-iramigra-
do, e a levara para a sua casa, contra a vontade
do conductor.
0 Correio do Sertao noticia ser pouco promette-
dora a proxima colheila do Rio Claro, por causa da
extraordinaria secca.
Em eompensacao as plantacoes do municipio de
Silveiras offerecem aspeeto risonho. As rocas de
feijao, milho e arroz promettem boa colheita. Os
caiezeiros tambem estao cheios de frnctos.
Foram captarados o reo Amancio Cardoso, pro-
nanciado cemo incurso no art 205 do codigo pe-
nal, qae se achava occulto desde 1865, lograudo
sempre escapar das diligencias policiaes; e o in-
diciado em crime de roubo Joaquim Rodrigues Gus-
mao.
Relativamente ao ultimo reo, diz o Diario de S.
Paulo :
Estarlo lembrados os leitores de que esse indi-
viduo, acompanhando da comarca da P*lma, pro-
vincia de Goyaz, o Dr. juiz de direito, Jose Augusto
do Nascimento Pereira, qne vinha tratar de sua
saado em S. Paulo, na freguezia do Braz, arroraboa
a canastra do amo e apoderou-se da quantia de
9002000, pondo-se em faga com um cavallo qae
tambem nao lhe pertencia.
t Foi preso Joaqnim Rodrigues Gusmao na Pe-
nha do Mogy-mirim, em casa de uessoa de sua fa-
milia, e o respectivo subdelegado, Joao Theodora
Xavier, prestando tSo importante servico conseguio,
apprehender a quantia de 6261760, em diversas
especies, e o cavallo qtffe servia de montaria ao
preso.
a Declarou Gusmao que, por ter cansado o ani-
mal, tinha tornado aquelle desvio ; e quanto ao di-
nheiro, que o encontrara no caminho da Agua-
Oranca, na importancia de 78.) JO JO a
Foram pronunciados, como incursos no art. 193,
combinado com o art 34 do codigo criminal, os
reos flontingos Gomes de Freitas, pela tentativa de
morte praticada na pessoa de Americo Alves de
Andrade.
Falleceram : era S Joao do RiolClaro o Ss. Auto-
nio Jos6 SimSes Vianna, antigo morador daquella
cidade: em Taubate, na idade de 93 annos, a Sra.
Maria Custodia do Espirito Santo, que fora uma
das freiras do hospital que houve alii antigamente;
e na capital o festejad) artista comico Joao Eloy.
No anno passado deu-se no porto de Santos o
seguinte movimento:
Navioi estraogeiros. -Entrarara e sahiram para
portos estrangeiros 286, sendo 108 vapores com
181:266 toneladas brasileiras.
Navios nacionaes. Entrarara 190 com 32:289
toneladas o 4:002 tripolantes, e sahiram 167 com
48:146 toneladas e 3:720 tripolantes.
No mesmo periodo a exportacao de cafe foi:
Hamburgo 47:641 saccos, Canal 125:515, Esta-
dos-Unidos 80:3l7, Havre 43:078, Anluerpia
23:394, Liverpool 16:578, Lisbda 16:123, Mediter-
raneo 6:354, Gibraltar 5.983, Bremen 4:671.
No mez de dezembro renderam: a alfandega
478:1701892 e a mesa de renda 152:339*753.
RIO DE IANEIR I.
Lemos no Jornal do Commercio :
t Escrevein nos do Mar de Hespanha em 9 de
Janeiro :
c Estamos araeacados de graade secca no anno
que corre I Comecou o verao no dia 24 do pro-
ximo passado, e ale hoje nao tem cahido a mais
pequena chuva, a ponlo de acharem-se em com-
pleta ruina um grande nanero de rojas, por isso
que estando o milho apenas espigado, com a fal-
ta da chuva nao pode granar, e dado o caso mes-
mo de cahir de prompto copiosa chuva, ja nao e
possivel reparar o grande estrago que se observa
nas planta^esl Actualmente vendem se nesta
cidade por presos fabulosos os generos alimenli-
cios; e o que sera de nos se tornar se em reali-
dade a carestia que nos ameaca ? Os habitants
das povoacdes circumvizinhas ha muito que estao
se supprindo de generos vindos dessa cdrte, e e
por isso que devemos la-timar do futuro que nos
aguarda 1
a Quanto ao cafe, fonte principal danossan-
qaeza, soffre igualmente os effeitos da secca.
0 resnltado dos exaines finaes da 2.* cadeira
do 2.* anno (physica), na escola Ceutral, foi o se-
guiule :
Approvado com distiue;.io, grao 10, Ezequiel
Correia dos Santos ; approvados plenamente com o
grao 'J, Antao Goncalves de Faria, bacharel Eloy
David Benedicto Ottoni, Aagusto Carlos da Silva
Telles. Bonto Francisco Savao Lobato de BulhSes
Carvalho, Alfredo de Paula Freitas, Luiz Goffredo
de Escragnolle Taanay e Dometrio Nunc= Ribei-
ro ; com o grao 8, Octavio Aagasto Lassance, Joio
Baptista Ortiz Monteiro, Joao Augusto Brant de
Buih5e3 Carvalho, Alfredo da Silveira Bastos e
Americo Werneck ; com o grao 7, Alfredo Her-
vey da Silva, ClaudioLivio dos Reis, Alfredo Hen
rique Pacheco, Samuel Severlauo Figueira de
Aguiar, Manoel Ferreira Garcia Redondo, Miguel
Ricardo Galvio, Olegario Dias Macicl, Alvaro Ro-
dovalho Marcondes dos Reis N -rberto Risso de
Azevedo e Miguel Carlos Correa Lemos Junior, e
com o grao 6, Joao Jose de Almeida Pereira Lu-
cas Teixeira de Souza Magalliaes, Rodolpho Hen
rique Baptista, Antonio Epaminondas de Maria
Frota, Olympio Rodrigues Antuues, Fernandes Pe
reira da Rocha Paraahos. Tobias Toll Martins
Moscoso, Theodora Fernauies de Sampalo e Jose
Francisco Cantarino. Aporovados ^implcsmente
com o grao 5, Lucas Antonio Gome* GaioiAraes,
Joaquim Jos6'Barr.to, Guilherme Sald-mha EUery,
Antonio Pereira Siraiijs, Afljnio Lus(^sa, Cypria
no Joso de Carvalho, Joao SeverianQ Ribeiro de
1 Almeida Tac^ues, Jose Joaqaim de Almeida Alves
/Cunha, Fernando dd Albuquerque, Arthur Celcstino
'Barreiros, Manoel Ferreira pajoruino Bra^a, Ely-
sio FirneeMartias, Adolpho Geroes de Albuquer-
que, Francisco- Luiz Loureiro de-Aadrade, Anto-
nio Tnomaz de Godoy, Leandro- Dnprat Junior
Feiix Etamanoet Bonrget e Ks-aarfo Gomes de
Paiva Continbo ; com o grao 4, Denetrio de Kar-
ros Leite, Joao Nepomueeno Epifaow BaptiaU.
Arthur Jose Gouiart, Jose Maria Pereira da Cuoba
Augusto Alves Pereira de Mello, Antonio Marsjoes
Baptista de-Lei Jnaior, Henrloa Som Arvares
da Fonceca, Cypriano SeraQno COftao, Octavio de
Sarapaio. Samuel CkrHtiano Frederieo Rrandao e
- Augusto Roberto Wastostim Pace*. 'Jonre It re-
pro vados, niocompareceram a exzoaes por doen
tes tres.
0 -resultado- dos exames de hontem (101, na
Faculdadede Medicioa, foi o segaiatt :
a 2.* anae medico.Approvado con distinccio
Henriqae ''arlos Feldbagen ; plenamente, Antonio
Manoel de OMveira, Inmocencio Alfonso Cavalcan
te de Albuquerque e Alberto Rodrigaes Bareel-
los: simplesmenle, Francisco Jose da Cruz Canta-
rao e Jose TrisJao de Carvalho.
< 2* awo pharmaceatico. Appasvados--
distinecao. Basilio',Rodrigues de Campee : simpler
menie, Tito de Sa Macedo Carvalho, Fortnnalo
Raymundo de Oiiveira, Ignacio de Siqueira Rosas.
Francisco Jos* Pereira de Castro e Eugenio Jose
Ferreira Baptista.
A oitava eon'erencia teve lagar doraingo (II)
as 11 boras, no edificio das escolas da-Glon?. Oe
cupou a tribona o Sr. conselheiro Maneei Francis-
co Correa, que traton de mostrar a- grande ne -
cessidade qne ha de erearmos escolas normaes
em que sehabilitem devidamente c.s professores
de instriiixAo primaria.
ii Ter-minaram hontem (14), na Faculdade de
Medicina, os exames do 2. anno pharmaceutico
e de -em terminar hoje o do 2.* anno medico.
0 resultado dos exames de hontem foi o se-
guinte :
a i. anno medico Appro vados plenamente.
Francisco Gualherto de Sonza, Manoel-Vieira Bap-
tisia, Martinho Alvares da Silva, Eduardo da Sil-
va e Oliveira e Joaqaim Francisco Ribeiro de
Castro.
c 2.* anno pharmaceutico.Approvados plena-
mente, 1-Yancisco Jay me Torres e Manoel Maria
da Fonceca Costa; simplesmenle, Antonio Antu-
nes de Campos e Antonio Luiz da Serra Pinto.
c Enlrou no nosso porto ante hontem (13) as II
boras da noite, o transporte Bonifaaio, trazendo a
seu bordo o Sr. bispo de Pernambuco.
Honlem, as 7 horas da manha, uma laneha a
vapor do arsenal de marinha, condazindo os Srs.
Or. Cesario Augusto de Hello, 2. delegado de po-
licia e tenente coronel Assurapcao, commandante
do corpo de policia da cdrte, atracuu ao Bonifa-
cio Subindo a bordo do transporte, estas duas
autoridados, depois de trocarera algumas palavras
com o commandante do vapor, dirigiram-se ao Sr
D. Vital, a quern communicaram que alii tinharr.
ido com o did de condozir S. Exc. Revma. para o
arsenal de marinha.
0 Sr. D. Vital, qae se achava sobre o convex.
passeando e lendo, apenas recebeu esta coramuni-
cacao, poz-se a disposicao das autoridades, e, se-
guido do seu secretario, do Sr. brigadeiro Hygino
Jose Coelho, qae o acompaahara desde Pernam-
buco, do Dr. 2.* delegado e do tenente coronel
Assompcio, deseeu para a laacha qae imra'dia-
tamente fez pr5a para o arsenal de marinha. onle
S. Exc. Revma ficou recolhido.
a 0 Sr. D Vital deve ser Itoje intimado pelo su-
premo tribunal de jastica afim de produzir a wa
defeza. Os autos vao ser condusos ao conselhei-
ro juiz relator e depois ao Sr. procarador da c-
roa, fazenda e soberania nacional para formar
dentro em oito dias o libello accusatorio
Sepal to u se hontem (IV) no cemiterio da La
gda o conselheiro Vi -.6016 Ferreira da Costa Pira-
gibe, brigadeiro reformado, exdepatado a assem-
blea geral pela pravincia do Ceara
Eis as noticias commercials da ultima data :
< 0 mercado de cambio continuou a mostrar-se
activo e firme.
t Effectuaram-sc transaccoes regulares sobre
Londres a 26 Iri d. papel bancario, 26 3^ 26 l|2
d. particular e pequenas sobre Paris a 360 e 362
rs. por franco.
c As apolices geraes de 6 por cento estiveram
procuradas e firmes, tendenao seus precos para
alta.
As vendas effectuadas hoje foram de peqne-
nos lotes a t:048S < t:"49 e de partidas regala-
res a t:050i a dinheiro. Das do emprestimo na-
cional de 1868 negociou-so um lole iosignificanie
a 1:0731, a dinheiro.
0 mercado de accoes esteve um pouco active
aos seguintes precos: banco do Brasil 2451, a di
nheiro; banco, industrial de Santos, ao par; ban-
co nacional, ao par; companhia de carris de fer-
ro de Lisbda a 1351; fluvial do Alto Amazonas a
1051
As vendas de cafe foram insignificante? e as
do assnear pequenas para o oonsumo.
c Sahiram tambem para ceosumo cere a de 120
mil kilogrammas de came secca.
a Nao nos cons tou fretamento algum.
A alfandega rendeu de 1 a 14 do corrente
1,371:158*503.
Sahiram para Pernambuco : a 10, lugre in-
glez Agnes Brown; a 13, brigue francez Saint
Louts ; e a 14, escuna ingleza Ann Wheston. ..
BABIA.
A corveta Paraense cbegara a 16, proeedente do
Rio de Janeiro, deveodo sahir de 20 a 22 para
Fernando de Noronha, para onde vai condozir
sentenciados.
A 17 chepara tambem a canhoneira Arm-
guary, proeedente de nosso porto.
Falleceu o padre Antonio Fran:isc valho, na Estanoia.
Foram nomeados promotores publicos de
Caravellas. bachar*l Francisco Antonio de Carva-
Ihal, e do Rio S. Francisco, bacharel Antonio Pe-
reira de Castro.
0 cambio regulava sobre Londres 96 1(4 d.
A alfandega rendea de 1 a 17 do corrente
406:1681294.
Lemos no Correio :
Na sessao de sexu-leira da Associacao Kspiriti
ca, depots de approvadas as aclas de 12 de de-
zembro e 9 do corrente, leu se uma manife-tacao
sobre os espiritos firailiares, remetlida pelo Sr. Dr.
Cunha.
i Foi ao centra director para providenciar um
requerimento autorisando o a pOr-se. em coroma-
nicacao com os centros espiriticos da Europa e da
America, especialmeole a soc^dade ptrisiease dos
esludos espiriticos, a sociedade anonyma da ciisa
geral e central do espiritismo em Paris, as socw-
dades espiriticas de Madrid de Barcelona e de Sa-
vilha, a associacao do* grupos espiriticos em Lie-
ge, e bem assim todus os directoras dos ioraaat es-
piriticos que actuajmente se uublicajn em Mar-
seille, Lyon e Bordeaux, em Londres, em Napole*,
Turim, Palermo, Floren^a e Genova, em Vienna,
em Boston e New-York. .
Foi reieilaJo o requerimento n. 1, Ue|oj* us
allarem contra os Srs. D. Cunha e &at auaa
fGomes e a favor o Sr- Barretto.que maudoa He-
pois a mesa o scguiute requerimento (n J). n
qne a sodedade recUme perantna presidencta so-
do Jo r*warimto que se lhe endere^ou a S*
de agou d\ 1871.-Man loa-se ouvir ao centra
' Foi approvado um parecer do centra director,
quo votava contra o requerimento n. 2, que cou
assim iirejudtcado.
Lcvantoa-ijaso3s5o as 10 boCaa d. -



t
UHlifH. Ml Ik LMii
Pcmambuoo Sexta Feira 2E de Janeiro de 1874. a\ 6H3MT/ I 0//A
If
-*

i rektlhk) a balsa de benefi
Anle-aontein {l\) teve
ri*acia da ttrJcMa-'' n va or a. I, d.u duas
Biandadas CMMt no arsenal de, tnajinha dej*U to de p iftiirwaiUiiie Joae R: 4a >ilva,iandou owi"1lll!
provincia |Jj|Wjruo imperial.
Qa(nzeYBHUu2)s depois Jo meio-dis, larftou
1U do dfftnM^en tliiec^ao *ao mar-gr*n\le,
aoade aportou 5 minutes depots de uma hcra da
tardf, trtdo feito
taacia de quasi 9
o que 4 assas lisei
a A machina
trahameu perfeit
a 0 floras, daud
par minuto.
Todo e mac
arsenal, eembora nao tentja ettingido a perfciliD I lie*
descjavel, mqgra ^*>dqW*,ufito e eapaj case
noaso esttbelHienflBdejPstrulfes Hraes V
ascim a nlema o illMrfao midnrV-wraarin'
digno da gratidio desia terra, mandando come
fea, .por aviso de 23 de novenibro proximo passa-
do, constrnir uo mesmo arsenal duas eanhemeira-
a vapor, pelos pianos dos cascos e tuachioas que
I (hMHI MuaMiiiM a
I mil VuTHIU, TP
sobre tap larpenUvel sbcgc^so.
Chegou se ao coahecimento da verdadc, iau
'e, que o'faclb fora casual, e que nab obstatrteM ti
diligencias e esforcos do mesmo commandauto, nao
Ivar
M.XGOAS.
l.emos no Jfrnnt das A logo is :
Becefceu, de proximo, o museu do IuSfttutaJ
Archeologieo da pWrhiftB^f raeas aos tavoids #0
Sr. Or. Dr. Buaite, uma caixinha caatendo:
Quatro pingentes orre****> de e*s>, ttm*
rodelha de fuso de argilla ; nma concha furada,
peca de ornate ; uma o?sada de pequeno animal,
objeetos todas-mcontralos nas farinas do jazigo
-dajangara.
A mesma assoeiacao, no intuita de promover
*i*aUt&ifl> da ou*al& rest* u>#tHLirte> depositados n'aqttdle oemlterio,
dwgio oimi aos Sre. Dr. Duarie e propaietario
Go aes da Hsdatros, exigindo defies novas renes-
s*a-e ampins eariareciraeatos >
VI
a
do_
deirPja 1* 411 HP888*'
saSB di
%' diia da I* ditflur professor de matheraa--
.a do 1* dito*.nnrfii398C- de franoez.
a dS^giloV^s)lessor defepgraphia e
a.
No fta (t do corrente_ bo Ium- denominado
Guanduba-, do diStfto de S Genpalo, JBnoel
Varellasoffren umajlfeij WtiHpla de
Moraes menor de 14 annos. O offendido sacenm-
(-Mtj ^Jgumas horas depots do ism. Tot" preso o
delinquente, vai set processado aa (orma dos arts.
20 da lei n. 2,033 de 80 de selembro de 1871 e 84
feetoar-so-ha o hasteaatenra da bandeira
Sauds que se veuera iu ig
k4. I'o^i da Panella.
nar-se-ua uin linJo1
:o'l
horas da mania d; 2 di
__ardo do Nascimento, nu iu
rao Ferro, do termo do Brejo.recebeu um Uro
ntea fc cap n> Nasohnento ler i
oilf.mnr Joifluim Joso de. Sam'Anna. conbe-
du pur J;JaqaB Poerame,_cuja mpllier Jfl^B
rte.
a favor da irma
Batalha, erccta na
rte.
para as obras da UtoaiRaafle Nessa
da Glt-ria, do tnunicipkudg.oprte.
A 113.* a favor do Monte Pid dos Servi-
dores do Estado.
SaHU tout Ix>uren;o da Sflva Mtfano, Frede'rico A.
UagfJ paisuiTajl
Ibao da
tdio-e,
teveo
Esp
renie, K
tunio Fi-
!bu|ndo9^nj^^Krte a^r,
ddiiiqil
o fa to paudBioU
termo do Cabo.
quoruoBI
tc <*e mc.(>.Nu noile o Kile espancm gravemeate a Aa-
Santo?,'no Jistrlcto de Arariba, dr
jtt&sp&szii&ttL
do corrente, decidmdu a questao suscitada nesta
dorespeiivo regulanwnto.
m%
r
.litariu>j tin uortc U itH|icrio.
Mihnbftpou hontem ei aotsa pMto o vapor
Ififjuai, ira?endo |*Ataf>: do Gear* 15, Hi) Grand*
18 rt d* I'arnln la 21 do correat*
is e que olhemos de jomaas e cactas:
OKABi
Tiosso forrepondente da capital e.'creva :
Apreatdfaw acaba ftefMdaooM wmaovo
rogalamento jara o lyceu dKa etdade, i satUfez
assim um ineoolaslantl mul^oramento de que iia
rnnito se ressentia aqielle aaieo estabeleuimenlo
doin-lriiccao secuodaiia. Foran augmentados cs
ordeuadoi do* taalts, para o qua ha via autorisa-
ivo li'gislaiiva, e o rvgolatasnto coatem dUposi-
<.-5e 'alularcs.
c ia se acba aesta cidaile o Sr. desombargader
JoiaAjtarvalho Fernandes Vieira, removido da
rcl.ii.-at> do Maranhio para a d'aijai.
Em.vista das provas coihi-las o processo
iasuuradu pelos assasalaatos do fSeliitio ttarimsa
Sererra de Uenezes e outroa, no povoado duFra-
de, firain pronuiiciid is pchi vespeelivo jaw rmim-
paltHr. Ofcveira S>ibrmh', o oKvigarin padre Ma
Kaptista Alves M.iia e uaa seu inuao de nome
Feitamino, como mandaato, do us otitros imkvhluos
eaaui mandatarios, e outrift linalwente to:i*com-
^Ikres. Os d jus mandataries actnm-se prt'Ji^ na
eadeta do lco.
I'a&sa como eor'fl jue fadce ..M.iia acha se
BEVISTA DIARIA.
Uelesado IWIcrarlo. Por partaria da
nresidencra da provincia, de 21 do correnle, foi.
nomeado o bacharei'Jo Sonza para delogado Irtterario da ddade do Rio
Formoso.
l*rofcs.sor intcrirta. Por portaria da
prosidencia da provincia, de 21 do corrente, foi
nomeada D. Maria Pinlielro de Figneiredt), para re-
ger interinamprrte a eadeira de tnstniecap prima-
ria da pojrcacao da Barra de Serrajiaerh.
Vrscnai de guerra. Par portaria da
.proMdencia da provincia, de ti'tfo corrente, foi
'nomeado Estanislao Gomes de Abren e Meftq, para
servir interioaraente o lugar de eoadjuvanta do
professor de primeiras Icttras do referido arsenal.
Httspieto de allenados. -Damos em se-
uid;i mars donativos para as obras deste now es-
tnbelecime'nto:
Illm. e Sxm. Sr Dr. Henrique Pereira de Lu-
rena. Tendo recebido uma carta de V. Exc, da-
tada em 24 de selembro ultimo, em que me en-
carregava de abrir nesta coraarca nma subscrip-
rao cm favor do asylo de alienado?, que tem V.
Exr. projectado aonstruir nessa cidaJe, dci cum-
primnto a essa commissao, de aocordo com o Df.
Jose do Carvaroo Cjsar, juiz muiriciaaf deste ler
mo, a qnem V. Exc. tambem dirigio-se, e o resul
iado
para que o faea chegar a? maos de V. Exc. Pre-
valeco mo da npnortuni lade para mamfesvar a V.
Eve. os protestns de e-tinia e co:isiderar;ao com
^jeoa.-i..**
siao suscitada ne
pnrvincta snore a precedetieta no comrrtanrltr 4
tropa ai rumada anjraaradk r^ ^^ m
A 8 do c#rrente, o uupisterio da warinba. ex-
pedio.ao director deste etternatb o aviso do 'theor
seg^iute.: < .
lllm. e Exm. Sr -De accrdo com as nifor-
maf-ocs por V. xc. apreseuiadas em ofllciu n
86 de "22 do mez proximo Undo, approvo^iV<>-
po>ta, a que V. Exc. referc-se, de um novo ho
ranu nrganii-adn pelo BDBaTBC externato da Escola de Marinha, no uitujiu de
'inelhorar o enstno, augmenlaodo a duracao das
Hic9es em cada uma das auras Pica v. Vxc
igualmente autorisado, na foTnja do art. ITS f
rcguhmento n. 4.679 do 17 de Janeiro de
criado, Miguel Gan-ytlces Uma. C.ibrobo, 3l de
dezeinbro de 1873.
Gahinete da presidenda de Pernambuco, cm
21 do Janeiro 'le 1874. Mm. Sr. Dr. Miguel Gon-
calves Lima.Em 3i de dezembro ultimo, dignou'
do
1871, e em vista da deliberagao do referido con-
eelbo de instruccao, a fazer adoptar os coujoen-
dios : cliristoraatia. da lingua ingleza e grjtmrtia-
lica nacional, por Aulete. Detjs gnarde a VrExc
Joaquim Delfiao Rikeiro da /Lu2.
Meliuiraiueiittt do pur to de Per-
iiamhnco. -Em 8 deste mez o mipisterio (la
marinba dirigic o segainte aviso ao da agrieul-
lura :
llhn; e Ex!m. Sr.Te-nha a honra de mpetter
a V. Exc a consulta do conselho naval n. 2,410
de 28 de novembro ultimo, e item assira os de-
uais jupeis.o estulos concementes ao raefbdra-
aicntodo porto do l'crnambucj, tfsto conwetirein
tees-obras ao raiuisterio a cargo de V. Exc Pre-
vino, entrctanto, a V. Exc. do qae a reparticao
da marinha coneorrera com metade da de-peza
que te liver de realisar para contratar o engo
nheiro que torn de vir esludar o regimen das
aguas daqnelle porto, attendendo a que shuo-
lhatito melhoramenlo intcrer-sa ignalmente ma-
rinba de gaerra.- Dens guarde a V. Exc -loa-
obtido acha-sa em poder do mesmo doutor. qium feifino RJ/eo-^djLuz.*
Capftanin dn
re'>giodono lngar^iachoei d.i lurrao do l'eroiro, se V. S. de responder a minha carta circular'de'24
e m'U irmao no riidio d>is Porous na Parahyba,
R4a-so-de faser ffeetiva a ppisaa delles.
A noticia da prisao de bispo D. Vital cinson
;ljpiuii eiiKic.'.o, mns nao sorprendau, porqua de
Ucs joiucipios quefwram sUI>elacidos, era eota
a s,'C1'Si.ina coaclusao : ontretanto nao deixou
lieaer seiuiv-d, porque muitos deve.res se ejin-
preiii apezar dc doJorosas.
i Bijloaaa de am aianna apopl. Uoo no dia 23
<1 mitt lind), o em sua faaen>Li Santo Antonio.
njiw.oSr. Manual ioaqaim Rjliello, cunhalo
drfonsefheiro J.igo iribe. Com sua nw'rie perdeu
o aartido consorvador um mmntirn piwslimoso.
.\a villa dos Hiagrc* ti+Jccca o professor pu-
fciteo Jo-e Ca; '.us da Suva laUliy.
Tainbem no dia 2i- do passado, na citladn do
lco. o Dr Fiueiuo^ Hias lifbeiro rendeu alma ao
Gixado vietima dutypao, depois den?e dias de
irseis soirrimentis. \j (iiwd.i era mfl *-i*.-i i po-
litica uaquella losalidade dn lado dissijeiito.
So lco tem-se maaifestaJo algnns cass do
variola, typho e pneumonia.
Sob pr.jposta do direct'iF geral da instruocao
piiiili.-a foi suspenM o pro&issor avnlso Lc&udro
G*mm da Silva, que vai sorsuiiontUdo a process*
de disciplina.
Ao commerciante X. Mayer, eslabelecido onra
loja de joias a rua da P.d;jia, sob a lirma de
Mayei- i Frere, foi vedad > o itigresso n'alfan lega
e sua- iiep?ndencias pdo facto de tor si do eacon-
tradooobtrahindo inercadorias sujoitas a impose
tos.
< Em 8 do corrente. no sitio da Cafe, denomina-
de-S. Paoio -, disirirto da Jubaia, perteueente ao
eommendafor Francis** Coclho da Foncoca, o seu
escravu tlonealj assa'staan coin ama facada sosro
o c*acai ao'scu feiior o porluancz Maneel Alves
Rigac
atarreram afogadas duas meninas que se banha-
varuna lagoa Curimatan, no .il it moi : uma li
naa dez a:m *, c a outra oito.
Katoti se nesta e\ lade no anno findo, para o
< insaino p'.ildico 9,-483 r:tes.
m A estrada do ferio do llaturite no poriodo de-
corrida de 29 de novembro a 31 de dezembro rei>
dcu 8:31.i 82o; e na seaaaaa de 4 a 10 do cor-
rente rendeu 774ibiO.
0 obituauo desta cidaJe dorante o anno -pas-
sado, registra os seyumlcs e;isos :
Anna Maria do leans c nn 110 annos do idade,
Auna Jose com I0o, Maria Ignez com 100, Clara
Maria da Conceieao com 100.
Alern de.-tosuiUsa-se os segniaks :
a Praociscu I'orreira Binerril 9S annos, Barbara
Maria da Coneeicdo 90, liosa Maria Tneotonia 90,
Tliereta Maria de Jesus 80, Bernardo de tal 86,
Joa-o Pedro do* Sanios 84, Maria Uita da Concei-
caoii, Mrtria Joanna 81, Jacinth a de Maura Ko-
luu, Jose Caetano, Manuel da Costa, Julio HoJri-
de Medeiros e Thcreza Maria d Jesas oooi 80.
< A all'andega rendeu- no mez de dezembro....
21ttfcffSfc
2'.0i?00 mensaes, a casa do tenunte coronel Anto
iiio Pereira dc Brilo Paiva, pira nolla fanrcionar
o tribunal da relacao.
MO GRANDE 00 XOBTK.
Lemos noi(sonservdor:
O Dr. Feliciano HaWlli engenbeiro da pro-
vincia, commission ado pola presidcn ;ia, contrabio
di recta m-iiite com o Banco do Brasil o emprestimo
de 6 > contus, para eenclusao do canal do rio Coa-
ra-miriin, de conformidade com a lei provincial n.
675 de X de agusto do anno passado, e foi eUe
mesmo o portador daquella impurtancia. a qnal,
ja se acha rccolhida aos cofres da thesouraria pro-
vincial.
< as providencias caateiosas tonodas polo Dr.
Bandeira de Mello Pitao para debellar o deficit
eroado pelos desaeertos do jiassado, equilibraros
-orcamentos, e pagar pontuaimente a amortisacao
e juroi do einprettimo anterior, lirmarnm o nosso
-ereditoe muito concorreram para faciiitar a ope-
racao de quo fora inenmbida < Dr. Martins.
a A actividade e zelo do distineto eageaheiro,
e vi*o interesse quo mamfesta pela proaperilado
da provincia, as expticaeSet satisf acton as quo no
1W j de Janeiro forneeea sobre oi melhoramentos
do vallo do Ceara uiirim, penhorando a lodos os
eoracdee rio grandmsCT, nao podero deixar de me-
reeer de nosea pa rte smeeras manifestafOes de
louvor e reconheeimento.
No eurto espacoque medeia eutre a sakida
de nra a otrtro paqoote da companhia de navega-
cao brasilelra pode o aympaUueo negocia lor des-
empenbar a sua commissao com tanta promptidao
que a ,11 do corrente de^embarcava einnosso por-
to com a somma pedidn, sob as mais vantajo*as4
coadicoes.
Nao foi interrompida a obra da eanalisacao do
rio Ceara-mirici, e vai ella agora prosegnrr em
seus uHimos aperfeicoaraentos sob a .mesma direc-
cio do habi' engenheiro, e com aquella rigorosa
econonaia, qne tearos por maisde nnia vez applau-
Uido e louvado.
Concluida aquella obra, o Dr. Bandeira de
Mello Frltio partira para S. Jose de Mipibd, a es
Mdarosmelhurainentos reclamados no valle de
Capio, sujeito aos meaaios revezes do Ceara-mi-
rim.
Vmeulado aos interesses legitimos da provin-
cia, por indole, por consdencia de sea dever, [ior
amor ao bem pnblieo, S. Exc conquista todoa os
dias novas sympathias e novos applausos dos po-
vos /!onfiados a sen iilustrado e benefljo governo,
e qne testemunham os esforros empregados pefa
admininracaopara ergaer a provincia e encami
nBa-'j} a ntelhorese mais prosperos destinos.
Na madrngada de hoje (tO) por volta de 4 ho
ras, em altura da praia de Ponta Negra, Sebastiao
Ribeiro Junior, moc., de bordo do vapor Pirapi
ma, da companhia pcrnambueana, cahio ao mar,
casualmente, na occa-'iao em que
1). snbia a caixa das roda*.
dc selembro, sobre a obtenciio de dooatKOS para
a obra do asylo de aJienados,"dizendo-mo que abri-
ra uma subscrip^ao dc acjondo com o Or. juiz
municipal, Jose de CarvalUo Cesar, em cujos po-
der ,-c acha o resnltado para ser-me remettido.
Rcspondendo, cabe me Iouva-lo pelo enncurso
presiado em prtl daquclle cstabtJecimento de ca-
nidaue, e agradecer 1 e a ob?equio5a acquiescen
tifa que den ao meu pedido. Sou dota oslima e
con.-i leracio de V. S., collega attancioso, venera-
dor e criado, llenriqu* I'creira de tucena.
Jury do Recife.Assumio hontem a pre-
sidencra desse tribnna! o Sr. desmbirgador Accioli
de Va-cmcellos.
Compareceram 39 Srs. juizes de facto, deixando
de s r julgado o r6o Luiz, por nao terera compa
recido as testemunhas do processo, enja presenea
foi exigida pelo Dr. prometor putlh:o.
Questao rellgiosa.Tcndose publicado
oa airte do imperil) urn telegramma de Paris, da-
tado d8'29 de d zembro ultimo, dizendo : Foi
bum succedido o barao de Penedo em sua missao
.i R ima ; d'aquella c6rtc foi dirigido ante-hon
tern a tarde, para esta cidade um outro assim
concebido : a Corre que o goverao imperial rece-
ben participajao de haver o Santo Padre Pio IX
levantado a interdiecao dc todas as irmandade? e
dgrejas, lancadas pelos bispos de Pe'nnmbuco e do
Pira, sdmoestando a esses c aos sous culh-gas do
BrasU, pelo seu procelimento hostil para com o
governo-do paiz.
Pelo vapor inglez Bo'jne, a 29 do coirente, re
eeberemos mais ampins csclarccimentos sobro o
assnrOBto.
Dlspensas itiarqsm:rs Em 20 do
corrente o Rvm. Sr. chantre Jose Joaquim Camcl-
lo de Audrade, governalur do bispajo, expedio
uma circular aos Rv.ns. parochos da liocese, de-
terminando :
l. Por delegacao de S. Exc Rvma. o nosso
bispo diocesino, dispenso nesta quarcsma a todos
fiers deste bispado para que possam alimentar-sc
do came, permaneeenio sempre a obrigacao do
jejum, cxecpto a quarta-feira de crnza, a qaarla,
sexta e sabbado das Temporas, todas as sextas fei
ras e sabbados da quarasma, e toda a semana san-
ta. Tudo isto para que ninguom, a nao estar legi-
timamente dispensado, traosgriJa este preceito da
igreja, que obriga sob grave peccado.
c 2. Usaado da faculdade das decennaes que o
Santa Padre Pio IX benignamente concedea a S.
Exc Rvma. o Sr. -. Frei Vital Maria Goncalvcs dej
Oliveira, bispo diocesano, e estp, de conformidade
om a 28." das mencionadas faculdades me subdo
tegjfl, dispenso para que tc possa comer c;rnc em
totfiis os sabbados deste anno, excepto cs da qua-
resuw a os de vigilia daqnettaa festas qu3 teem je-
juul c os das Temporas.
u 3." Os livms. papjchos e eapellaes apenas esta Al para resalvar-as posses e Demfeltorias dosi"mes-
receberem a leiam xis fleis e a-registrem no livro.
competwK E, logo quo a leiam publicada em
qualq.uer jornal, considercni-a ccmo recebida, para
Ajpresidencia da prorinoia.Biugou, a raeao de. nao privarera ao povo das gracaa nella concedi-
das.
NiTiiittes qiiareimacs. Pelo'Rvm. Sr.
proxima quaresma, octupaiem a tribuna sagrada
na cathedral de Olinda :
Quarta de Cinzfts. Padre Antonio de Meflo e
Albuquerque.
1. domingo.Padre Leonardo Joao Grego.
2. domingo.-Padre Juveacio Verissimo dos An-
Jos.
3. domingo.-Padre Jose Esteves Vianoa.
4.* domingo.Padre Graciano Villar Barreto
CoutiahC.
Mandate Conego Manoel Jo39 Gomes.
Paixao.-Frei Joaquim do Espirilo Santo.
Resarrelcao. -D. abbade de S. Bento, Frei Joao
de S. Jose" Paiva.
^ Santa Casa de Mlserleordla0 Exm.
Sr. barao de Ouricury, que reside na^cidade de
Lisboa, envlou a junta admtnistrativa da Santa
Casa da Misericordia desta cidade a quantia de
00i para sercm applicados as obras do novo edi-
flcio destinado a asylo de alienadas ; satisfazenlo
assim ao pedtdo qne lhe foi dirigido por aquella
corpora^ao, de que e distineto membra.
Boa llberdade Informant nos qne nma
pessoa resident nesta cidade, tendo poisuido du-
rante muitos annos nma escrava, ao apparecor
iella um dia padecendode alienacao menial, renue-
reu a junta administrativa da Santa Caaa da Mise-
ricordia o sea recolhimento ao respectivo hospi-
cio, o qie conseguio medlante o pagaraedta da
mensalidado de24| Isto dea-as em dezembro
ultimo.
Agora, porem, sabendo tal pessoa, que o trata-
mentn da preta alonga se, sem dar esperanca de
proximo termo, e, eonseguiutemente qae ha de
eonflnnar o dispendio ; o qne ham do resolver
para eviia Iu ? passar a desgracada carta de liber-
dade e commnnicar a junta da Sauta Casa qne
tmdaaquillo feito, prerine-a de qneja nle e res-
ponsav-ci pela conseTvacao da mestna no di:o bos-
picio.
E-te acto e do uraa philanti >pia que horrorisa !
de sentimentos de hamanidade que envergonham
os tempos actuaes.
Dlnheiro.Os y&gfinGeard e Ipoiua, trou-
xeram para:
Barao de Nazareth
porto de Pernambu-
co.-Por portaria do min^terio da marinha, de.
7 do corrente, foi exonerado, a seu pedido, de
ajudante da teapitanh do porto de Pernambuco o
1" tenente da armada Joao Egydio de Castro
Jesus.
Armada nacionaL-Em 3-do correnle,
pelo miiiisterio da marinha, foram expedidas
portarias:
Ao capitaor4cnente Francisco C;ib/al do Canto
e Tetvc, nomeando-o para excrcer o lugar do se-
crelario do commandante da divis\j naval do 1
tlistricto.
Ao 1* tenente Frederico Gnimerme de Lorcua,
Uoineando-o para exeiver o lugar de ajndante
de ordens do commarnlanie da divisao na^.1l do
1 distrrcto.
Ao 1" tenente Jose Lamego Costa, nornje-indo-o
para exercer o lugar de ajndante de ordens do
cpniniandante da divisao naval do 1* districto.
; A.' impreitsa da cdrte.-Sob esse Ululo
lam>3s na i\ar.uo de 14 do corrente :
De nma carta qne nos escreve de Pernamou -
cp o nosso amigo Sr. Dr. Latncnha Lins, consta nos
haver sido dahi cxpedido em t de Janeiro, pela so-
cicdadc dozkde sF.TioiBRO, am telegramma dirigi-
do a esta redaccao om que, trocando feliclt,.c5es
-ela inaugura:-ao do s-jrvico telegraphico, nos pa-
ia qae as transmittissemos a todos os or,?5os da
imprensa da corte sem disttmcao de cor politjca.
Ndo nos tendo chegado as.maos o mesmo te-
legramma, desemptntuico nos de um dever, trans-
imttindo aos nossos collegas da imprensa, do par-
te da illu>tre sociedade pernambucana.as suas pa-
trioticas congrarulai;ues.
Diz-sc-nosnaniesma carta que, pela mesma
associaQao, foram dirigidos telegrammas de sauda-
Sao a S. M.0 fmperador e aos socios benemeritos
la associacao que tern asscnto nos conselhos da co-
roa.
Trocando por nossa parte com a illnstre asso-
ciacno as saudacbes que nos dirige, agradecemos-
Ihe a honra com que se dignon distinguir-nos.
Gazeta juridica. 0 n. 32 deste jorual
conlem:
t G-.izela Juridka : !. PublicajSo pela imnrcn-
sa diaria da marcha dos processos criminaes. 2
Gnafes iriconrenientes que dahi resultam, no tri-
ujice ponto de vista da impan-ialidade das teste-
iunnh3<, da santidado da justica e da sorte de reo.
Jurisdici;ao Civil: Contrato antenupciat, ainda
com cstipulacSo de dote,.Adrnitte as cmdicoes qne
os contratantes queiram ajustar.!.* Juizo de an-
spates' so tern competencia para a habilitajao dos
huirde ros legirimos. 2. Nos outros casos, o pa-
rentesco prova-so no juizo commum, servindo a
sentea;a no de ausentes. Responsabilidade do
tutor. 1. Filhos escravos maiore3 do 12 annos
poJem ser separados de seus pais, mesmo em ac-
to de partilhas. 2." 0 f 8* do art. 4" da lei n.
2,040 de 28 de setembro de 1871, deve entender-
se de accordo com o 7* do mesn:o artigo. l*
Sao solemnidades legaes de medifao : a loavacao
e approvacao de agrimensores, ajudante de corda
ara a ainaTi>Q 4a funda
favor dajpo)an
da fregnjpti
do Imperial
ra as obras
do munic
para as obra:
do Santissji
.elarta, co
doa liazaroi.
^ant;
de Nos:
Senhora da Pnha, da cidade do Recife.
H.* A I 4.* a favor do Monte Pio dos
vidores
* 11" A 17.' pira a obras do hospital da
SiDta Casa d.e Misecieardia da o'irie.
fS." A *. para aa obras do bospicio do Pe*
Wf II.
14 A 1.* para as obras da matrix de S.
Joao Baptista, da Lagoa.
io> A 10.' para as oaAs do Hospicio de
,16." A 71.* para milhorarnento do Estado
Sanitario.
1.7.' A lib.' a favor do Monte Pio dos Servi
dores do Estado.
I8.> A 14a para oeeaclo do fuodo :de eraan-
cipacao.
1!). A I.* para as obras da igreja do Santa
tnaia, da eM.
. 20.a A 4." para as obras da matriz do Divino
Espirito Santo, da Corte.
21.' A 1|6." a favor do Monte Pio dos Ser-
vidores do Estado.
22.' A 1.' em benoficio da Bibliotheca Flu-
nppen.-e.
23 A I." para as obras da nova matriz de S.
Christovao, da conte.
24.' A I." para as obras da matriz de S. Sal-
valor, da Goaratiba, no manicipio da corte.
2,5.' A.!.' para as obras da matriz de Nossa
Senhora da Deslarro, do Campo Grande, no mitr
ticinio da rflrte.
26.' A 102:' enjo beneficfo deve ser repartido,
pela Santa Casa de Misericordia da corte. Expss-
tus, Rcculhi flento da* Orphas, collegia de Pedro 11,
e Semmarift de S. Jo"se.
27." A 78.' para as obras da Casa de Correc-
qao da corta.
28." A favor do Monte Pio nos Servidores do
Estado.
29." A lo.' para a crea^ao do fando de emaa-
cipacao.
3U.- A 18.' para as ohras do Hospital da San-
ta^Casa de Misericordi i, da corte.
31.* A 72." para melhoramento do Estado Sa
nitario
32 A 118 a favor do Monte Pid dos Servi-
dores do Estado.
33.* A ID.3 a favor da irmandade do Santesi-
nio Sacramento, da frcguezia da Caadelaria, como
admiuistradorora do Imperial Hospital dos Lazaros.
*4." A 1." em benencio da oapclla do Nossa
lo Jose de A. Costa,
billiard, D. Bertha,
Jernanjo de Carvafbo, tenent-
rcnyo oa Srtva Mtfano, Frederico A.
Ormision e tan Senhbra. "Maria A". Brnote*, major
Salvador Henrique de Albuqaenpte, Dr. buiz-Fe
lipye de Sonza Leao, sua senhora e 3 filhos, Luiz
Correa de Avellar, Breem Roeha, Francisco da
Silva Cardoso, Antonio deArruda Beltrao, tenente
onel A(exajj*Jl8^ugus"JdB Vu0r-*H*p
leixo Marinao de Carvallio, LeopoiJo lt-nto Vi
a, Joao Francisco da Silva, Joa juim Jute de
aujo, Luiida Silva Baradna, alfepes Raymundo
Almeida Sampaio, Dr. Joao Antonio, de FreUas
enriques e ana senhora, A. de Carvallio Bias
ma e sua aaa*ora, Joao Joaquim df Freiia>
nriques, Coastantioo Jose Celreira Pjnto, Jus
o C. da CosU Dorla, G. VWal, gartholomeu
desta fu Stefano, Bertino led, CaroHno Ramos,
Hanrique da Silva, -Manoei Francisco dos Santos,
Luiz Ignacio Ismael, Raymuuda, Ignacio Alves
Galio, NjjIsou de Carvaloo Dias Lima, Jose Joa-
auim Ajfonso Guiraaraes, Joa
TT. Ro%fllfrd, D. Thereza Rob
Pedro Xayier Garneirajla 'ioala,. Mareelino Eon-j
tes Martins, Joao H. Conoley, Joaquim de Oliveira
Mello, sua senhora, sua sogra e 2 filnos, commen-
dador Manoel Sobral Pinto, commendador Manoel
Joaquim de 8a Uit.io, AnOaio Jose de Almeida,
Alfredo e Janaaria, menores, Jose Dias da Costa,
6. Wisefcpwr, Viconte, criado do Joio Josode
Almeida Costa, Jose, escravu de Robilliard, Belt
sario do Roaaiio, Pedro- Soares de Albuquerque,
Jose Joaquim Antero Carvalho, Goncalo da Silva
Lisboa, Antonio Yasco A. Cabral, Francisco Ro-
>ines da-osta, Bmil a da CoHcetcao, criada
do Dr. Bento.-doa Santos Ramos, Cornelia da
Crua-Costa, sua senhora e 2 filatis, Frederico
Pierri, Francisco Nuhes de Souza, 2 sargeato
Bellarmino Leitao Filgueiras, 3 escravos do Dr.
Luiz Felippe de Souaa Leao, 2 escravos do Dr
Freitas Henriques.
Em Iransito: Dr.Iheotonio Raymundo de Bri-
to, Dr. Francisco Manoel Guedes.de Miranda, Dr.
Tarquinio Lopes, bacharel Fabio Histilio dc M raes
Rego, tenente Joaquim Luiz Manoel de Jesns, alfe
res Kenelon Xavier Pereira de Brjto, Dr. Joaquim
Mendes da Cruz Guimar.les, D-CarmeJinda Cletu
de Vasconcellos, tenente Joaquim X Feitosa e sua
senhora, Antonio da Silva Tugeiro, alferes Napo-
leao da Costa Rosa, Dr. Goncalo do Lago F. Bas-
tos e sua senh >ra, Manoel, Francisco Sant'ago, Dio
nisio Soares de Arauj), Christiana Amelia Baptista
de Figoeiredo, 2" cadete Guilhermo Fernandes da
Silva, Hermano Doming s do Couto e um sobri
oho, Dr. Lovegildo de Almeida Figaeiras o sua se-
nhora, AnnibaFF". v"ieita,eoronel Victoriano A. Bor-
tes. Dr. Pedro Augusto Borges, Qumtino ulympuj
os Santos, 4 pracas do exeneKo e 5 escravos que
acompanham seus senhores.
*
II!
niCAOoEs k mm
Senhora. da i onceicao, da Lagoa.
3d." A I. para as obras da matriz de Nossa
Senhora da Caudolaria, da corte.
36 A 95:*- a favor do hospital da Santa Casa
de Misericordia,. da curte.
37.* A 119.* a favor da Munte Pi) dos Servi-
dores do Estado.
38* A 16* para crcac'w do fundo de eroan-
cipacao.
39> A I,,',para
Anna, da corn?.
para as obras do Hospicio de
^s obras
da matriz de Sam,;
fl
a favor do Monte Pio dos Servi
e testemunhas informants, exame de agulha e de
corda. 2.* Nao mihta contra a medico a sinuo-
sidade das linhas divisorias, uma vez que nao pre-
judiqaB os condominos e seja antes tm^rcscindi-
mos. 3. E' impTocedento e nao constilue prova,
a vistoria que assenia sobre factos preteritos e
transcuntes, que nao p idem ser sujeitos a inspec-
gao ocular dos p?ritos. Jurisdie^ao Commercial:
I.' Fallido nao pode abrir mao de arrendamento
em favor do proprietario. 2.* Credores de massa
governador do mspado foram convidados para, na faiiida ficain sutrogados nos direitos do fallido.
Amorim Irmaos 4 C.
Tito Livio Soares
.\3fredo 4 C.
Jose" Duarte das Neves
A. Pedro de Sou^a So.ire3
Jos Rodrignes de Souza
Jo.A da Silva Loyo & Pilho
Putaeh-* Cato. Este navio
encalhju nos baixos de Pltlrribu, no dfa 13 iio cor-
rente, entrava no porto da Parahyba qnando dahi
pelo lado de fc-Jsahia o vapor Ipojacfr, na tardtr do dia SI.
Bandeira. -As fl'toras' da noite dehoje ef |
T
3." No arrondamento, contrato bilateral, as obriga-
5oes Sao rcspeitadas inteiramente, sem alleraeao
pruveniente da fatlencia, qne, neste ponlo, o nao
aHecta.Crcdor prejudicado com a entrega do pre-
co depositado, tern o direito de disputar preferen-
cia por mcio de accao ordfnana. Jurkdicr.80 Cri-
minal : Crime de desobediencia nao commette e
parocho que cumpre, a respeito de irmandadea iu-
terdictas pelo diocesano, as decisdes deste, embo-
ra declaradas oadas pelo poder civil..
I.oteria do Rio de Janeiro. Eis o
reenmo da lista da 2* loteria cm benefieio da ir-
mandade do sacrnmento de Nitherohy, extfahida
em 12 do corrente :
N. 4742..................... 20:000*000
N. 36H.......... ........... 10:000a000
N. 33S8...................... 4:0005000
N. 4866...................... 2:0003000
Xs. 2532 e 58831:0003 a cada um.
Ns. 2135, 2 Ns. 304, 443, 2473, 273B, 2933, 3405, 4873,
4983, 5619 e 5863 -205* a cada um.
Ns. 63, 151. 334, 544, 740, 950, tM8, 2042,
2179, 2250, tin, 2793, 36i, 342, 3719, 395t
4218, 4638, 5217 e 5331 10U a cadaum.
Ns. 47, 692, 712, 766, 781,' 861, 998, 1141
1291, 1407, 1439, 1964, 1965, 1969; 2073 tm,
2157, 2426, 2487, 2548, 2633, '2675, 2764 278L
2885, 3002, 3027, 3157, 336*, 3439, 3o00, 3523*
3535, 3621,'362S, 3038, 3S98.-3743, 3850, 3858*
3873, 3985, 4017, 4120, 4421, 4662, 4689 4701
4749, 4855, 5057, 5093, 5208, 5262, 5469, 5572
5602, 5817, 5821 e 5895 40J a cada urn
Loteria da Hah la Els o resumo da
lista da 1* loteria, concedida a benefieio do asylo
S. Jo5o de Dens e oxlrahrda hontem :
N.2789...................... 5:000j000
N. 1856.................,.... 800
N.' 1887...................... 500
N. 815...................... 200
Ni. 3395, 602 e 2491 -100* a cjda nm.
Ns. 2904, 3441, 405, 2622, 1095 e 28- 40* a'
cada um,
Ns. 322. 805, 2799, 1420, 2589, 1397, 2320.
_ 1309, 1399 e 1*26 -203 a cada um.
21;000300i> Ns. 2519, 2811, 2387, 1875, 527, 1471, 664,
4^3003000 2289.*, 969, 725, 3176, 1000, 545, 489, 296
4:0003000 953, 2012, 3050 e 191 103 a cada am.
2:0303000 Loterlas geraes.- Oaraos em segnida a
1:50 '3000 relaelo das loterias qne teem de ser extrahjdas no
l.OOOiOOO anno corrente.^ qual foi publicada pelo decreto
600 000 n. 5,516 de 3fae dezembro ultimo, ttelo minis
4183140 terio da fazenrfc ? I ,
alleraao. que 1.' A 1113 a favor do Monte Pio doa Sar-
vidores do Estado.
2* A 22.' para patrimonia jdo Ho#picio de
1 Pedro IT. **' _
3* A 10.*-para as obras- da matriz de Santa I
41'.* A
Pedro H.
41.* A 120.
dores do Estado.
42* A 19.' para as obras do liospiral da San1
ta Casa de Misericord'a, da corte.
43 A 4.* para continnae'o das obras do
Hospicio de Pedro II, c manutencao Jos alicDa-
dos.
44." A 12." para as obras do Hospicio de
Pedro H.
4V A 2.* para as ob.-as da matriz de Nossa
Senhora da Candelaria, da corte.
46.* A 73 para melhoramento do aEstdo
Sanitario.
47.* A 121.* a favor do Monte Pi) dos Servi-
dores do E>tado.
48.* A 17." pa/a creaeJo do fundo de eman-
cipa*;ao.
49.* A 2." para as obras da matriz da Santa
Anna, da corte.
50.' A 2.' para as obras da igreja de Nossa
Sonhora da IYuha, da cidade da Recife.
51.* A 9.' oara as obras da matriz de ;\'osa Se-
nhora da Gloria do mnnicipio da corte.
52.' A 2." em benefieio da Bibliotheca Fluminen-
se.
53.' A 71* para as obras da casa de corrcceao da
corte.
54.* A 12?."" a favor do Mo:ite-pio dos Servido-
res do Estado.
55." a 10.* para as obras da matriz de Nossa Se-
nhora da Gloria do municipio da cdrle-
_56.4 A 18.* para creacao do fundo de emancipa-
;-ao.
57.* A "0.' para as obras do hospital da Santa
Casa de Misericordia da cdrte.
. 58.* A 123.* a avor do Monte pio dos Servidores
do Eslado.
59." A 13.' cujo boneficio deve ser reparlido pela
Santa Casa de Misericordia da c6rle, expostos, re-
colnfmento das orphas, collegio de Ptdro II e se-
romario de S. Jos6.
60.* A 8* para as obras da matriz do Santissimo
Sacramente'do municipio da corte.
6t.* A 2.* em benefieio da capella de Nossa Se-
nhora da ConceicAo da Lagoa.
62." A 2.* para as obras da nova matriz de S.
Christovao da corte.
63." A 2.* pa a as obras da Igreja do Santa Lu-
zia da corte.
C't.* A 3." para as obras. da igreja de Nossa Se-
nhora da Penh a da cidade do Recife.
65.* A 3.' para as obras da matriz do San I'Anna
da corte.
66.' A I.* em benefieio da matriz de Nossa Se-
nhora da Gloria da corte.
47." A 2" para as obras da matriz do Divino Es-
pirito Santo da cdrte.
68." A 2.* para as obras da'matriz da Nosa Se-
nhora do Desterro de Campo Grande, do munici-
pio da corte.
691* A 5." a favor da irmandade de Nossa Senho-
ra da Batalha, erecta na matriz de Sam'Anna da
c&rte.
70.* A 2.' para as obras da matriz de S. Joao
ftaptista da Lagoa.*
Leiloes. Domingo, 25 do corrente, effectua
o agente Pinto, o ultimo leitao das preodas offer
tadas a igreja nova do Nossa Senhora da Penha,
para o seu producto ser applicado a continuacio
das obras daqaeflo magestoso temp.'o, devendo ter
comego das 8 l|2 horas da manha a 1 hcra da tar-
de, e das 3 as 6 horas.
Segunda feira 26 do corrente, offectaa o mes-
mo agente o leilao de mercadorlas francezas, ava-
riadas, assira como diversos moveis e outros arti-
gos, es qtraes serao xendldos ao correr do martel-
lo, no armazem do sobrado da rua do Bom Jesus
n. 20, devendo comecar o leilao as 10 horas.
Casa d9 detencao.Movimeoto da casa
de detencao do dia 21 de Janeiro de 1874 :
Existiam presos 330, entraram 3, sahiram 5
ex i stem 328
A saber:
Nacionaes 210, mrdheres 12. estiangeiros 28,
escravos 43, escravas15.Total 328.
Alimentados a custa dos cofres pnblicos 251.
Movimento da enfermaria do dia 21 de Janeiro
de 1874.
Titeram balxa:
Antonio, escravo sentenciado, febre.
Uidoro, idem, idem, diarrhea.
I'assaselros. Chegados dos portos da
norte no vapor nacional Ipojuca :
Dr. Manoel da Sltva Rego e sua farailia, Manoel
Gomes da Silva, Liberato Joaquim Barroso, Joao
Antonio Lopes, Maninho Bispo Honorato e t fllbo,
Dr. Antonio P. Lobo de Miranda e i escravo,.
Fraacisco Jose da Silva, Manoel Gomes de Freitas,
Firmino F. da Cunha, Francisco Ferreira de Mi-
randa, Joao Fernandes Barrus, Rodolpho Blenker,
Jose Maria Albuquerque Montenegro, Joao V. V.
Barca, ilaldln A. dos Santos Lima, Bento P. da
Costa, Joao Costa \lbuquerque, Antonio Caval
canie de Albuquerque, padre Joaquim Saverino
fl. Dantas, padre Vicente Ferreira Lustosa Lima,
Franeisco de P. Rodrlgues e 1 escravo,. Antenio
Carneiro de Mesqalla, Manoel P. de S. Correia,
Jolo X. de Oliveira Maciel, l* teneoto Antonio
Codtho Cerjueira de Brito, Manoel da Costa Vascon-
cellos, Tiago Francisco M. Alcoforado, Pedro Jose
de Vasconcellos, Antonio R. de Araojo, Do La
Granje, Vicente L. de Albuquerque e I escravo,
Antonio C. de Attrnquerjue, Francisco Ribeiro C.
Vasconcellos Jose Ruflno Souza Rangr-I, Francisco
da Almeida Braga, e 6 escravos a entregar.
Cnegado8 dos portos do sal np vapor nacio-
BIO DE JANEIRO, 12 DE JAKEIRO DP. 1874.
Na Jlepublica de hontem eserevea o Sr. Fran-
eisco Cunha as seguintes liuhas, diante das quaes
julgo nao 0* redactorea ^esta folba ( a /Vaato), egnn-
di uma deelaraeao que ainda nAo foi retirada,
sa> os Srs. t'arartUos Junior e Gu.-uuo Lobo.
Este ultimo foi nomeado para um emprego
pnblico, pelo quo se deve suppor qne haja deixado
de con-idarar-^e redactor, au menos oatensivo, da
foiha confidencial.
< Res'a, pois, como redactor- KspoBiiavel.peran-
le o.publico a Sr. Paranhoj Junior..
E' certo que, ha um anno, tenho collaborado e
activamente para este jornal. Tambem o e que
fui nomeado para um emprepo publico e, devo
aqui dic!ara-lo, nomeou-se-me com uma honrosa
espontaneidade que foi parte para que nao sentisse
repugnansia em accira-lo.
Mas, a.'eitando-o, licou me livre servir na im-
prensa as minhas coaviccoes. E'possivel aue o
servieo publico me obrigue a dar-Jha todo.o meu
tempo, e nao Ih'o recusarci. Fica-me, porem, o
direito salvo de dar as minhas ideas todas as for-
-mas possiveis de manifestagao, uraa vea que os
devores de men cargo nao venhani a soffrer.
Se me tolhem hojo a imprensa, amanha tolher-
me-bao a tribuna. Eis ahi sacriticios que nin-
guem dove julgar-se com o direito de exigir-me.
Se collaborar para am jornal, on ser o seu- redac-
tor ouum dos seus redactores, e co'iisa inoompattT
vel com os devews de chefe do uma directoria,
bom e que m'o digsira desde ja, on, memor, to-
rnem me ja este emprego.
Minislros de hoje, e ministros de amanha, espe-
ram de mim hdelidad-1, ddigencia e dedicacao pelo
serviro. Mas contentem-se com isto. Os de hoje
nao me oxigom mais ; is do amanha deboldeo
exigiriam.
No dia em que um rainistro se julgasse autori-
sado a imporme S'lencio na imprensa ott na la
le.ina, estou bem carlo quo a Republica se calloca-
ria ao lado do direito ameacado. Nao digo oppri-
mido porque eu nao sofTreria a oppressao.
Sa ha, portanto, razao para ijue o meu nobre:
amigo Sr. Silva Paranhos sejaperanle o publico
o redactor responsavel d>3te jornal, dispiito-lhe
uma-parte deasa re$pon-sabiiioade. Se ella me nao
cahe-, farei por merece-la.
Ninguem me consultou ao darse-me um em-,
prego ; a ninguem consulto tambem ao declarer
as eondicdes com que o aeeitei.
Rio, II de Janeiro de 1874.
F. L. D3 Gusmao Lobo.
(NofSaj.
A Pracincia interpre'ando a seu modo o que
dissemos em resposta a UniAo, veio hontem com a
deseoberta dos pontos ties i i, suppondo que somos
dos escripiores da colunma em que sa escreve
sab o titulo -Partido conservadar.
Esta a Provincia perieitaraente enganada, por-
que nnnoa eserevemos para o Diario, e muito
menos teraos que ver com o Exm. Sr presidente
da provincia.
Se faltamos no pi >gio a pastoral do Sr. D. Vi-
tal, foi porque a Uniao se servio deste termo e
por nos oonstar quo o Sr. Barbosa, o mais saliente
dos catholicos novos, foi quern encarregou-se de
sha rediccio, como emprepada da secretaria, e,
nao e eslnmbo, qae os presidente* nao redeem
otfleios ou papew semelhaotes e apenas determinam
que sejam leitos, dando a summa, etc.
Sowos estrauhoa inteiramente ao que se passa
em palaeio ; a o que nos resolven a apparecer no
Diario, foi a indignagao que nos eausou o qua pu*
blicou a Uniao, que inifeinoneada como se acha
como organ dos novos tatkohcot, nio se pejop de
fazer accusacdes injustas, sen Jo seus mais saliea-
tes redaetorer empregados publkoa : o quo com
razao tern censurado a Provincia, mesmo por facias
de menor impurtancia.
Recife, 22 de Janeiro de 1874.
U.
agradaMaJ.
PHACA DO RECIFE 32 DE JANEIRO
s^ac.
as 3 4,2 hop
ota*ei
Mgain de i' sorte raprjjar 7341 por 15 kiios.
hunten.
Algodao de Fdrtando 9*^00 por 15 kiks, hoje
Algodao da l'arahjba i sorte J3350 por 15
kilos poale a bordo a frote de 3|4 e 5 OK*.
honternsWaoje.
AssucarsomenoS3350 por (5 kilos, hoalem
Assnear niaseaado purgado I39C0 por 15
kilos, hontem.
ambio sobre Londres a 90 d/v 26 li4 d. pr
liOOO, hoje e hontem.
Dito sobre dito a 90 d|v. 26 1|8 d. por 1*000.
Cambio sobre o Porto a 90 d|v 103 0(0 dr pre
mio.
Aci-ao da estrada de ferro do Recife a S. Fran-
cisco 1363500 calauoaa.
a. de Vasconcellos
I Presidente.
A. P. dc l.emos
Secreune.
4LPANPEGA.
Aandimento do dja 2 a 21 737^5Jl0tM
Idarn do dia 22. i8Jt3f||4K>
755:7853AH
Descarregam tooj* 23 de Janeiro de iWa.
Vapor francezVUIe de Bafiia (esperado) run -
cadorias para alfandega.
Vapor inglezFire Queenmercadorias psra al-
fandaga.
Barca ingleza Zubna farinha Ja despacbada
para o 5* ponto, e barricas abatidas pa-
ra o trapiche Conceicio, para despafhar
Brigue austriacoBaJhrrfarinha ja dt-spacbad^
naia o 9* putito.
Brigue bollandez Ceres farinha ji desracfaa-
da para o 5* ponto.
Barca mgleza Fusilier canoe de ferro ja d> -
pacbados-para o 5* ponto.
liuportu^So.
Vapor nacional Ipojuca, entrado de Granu tm
22 do jorrente e consignado a companhia per-
namhucana de nivegai.ao costeira por vapor, ma-
nifestou:
Algodao 162 saeeas a Sa Leitao Irmaos, 3 a
Keller & C^ 75 a Henrique Saraiva, 42 a J iu
Fernandes Lopes.
Cafe 30 saceos a Jose Fernandea dos Santo*, ;>
a. Keller & C.,5 a Alfredo Gareia A C, 3 a erdVm.
Charut s 2 caixas a Cunha & Mama. Coaros if-'<
a Sa Leilao Irmaos, 71 a Joao Baptista de Oliveira.
42 a Silva Neves.
Comma 8 saceos a Alfredo P. Barbosa.
Milho 50 saceos a Joao Luiz Ferreira Ribeiro.
30 a Luiz Fernandes Torres M.
Objectos divesos 8 volumes a ordem.
Solla 64 a Goncalves Irmiio, 1,08-j a FernanJe-
Irmao, 193 a Luiz Goncalves da Silva 4 Pin'. .
197 a Joao Jose de Carvalho Moraes, 1,|5 a Mo
raes Irmao, 1,";j4 a Sa Lpitao Irmaos, 7JQ a G >
mes de Mattos Irrraos, 1,000 a Luiz Antonio de
Siqueira.
Vapor nacional Ceara, entrado dos portos do
sul na mesma data e consignado a Pereira viai
na & C, manifestou :
Carga do Rio de Janeiro.
Azeite dc baleia 10 barn's a Jos Cardoso i
Rejrn Ponies.
Cafe 50 saceos a Joao Rodrigues de Farias. *?
a Jose Tavares Carreiro. Cigarros 10 barricas a
Domingos Alves Matbcus.
Fumo 7o rolos a Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo, 20 a Jose Joaquim Lima Bairao, 15 a Joa-
quim Jose & Azevedo, 68 lalas, 32 encapados -
16 rolos a Antonio Ferreira de Carvalho, I caixa
a Bourgard 4 C
Rape 14 caixas aos consignarios.
Tecidos de sede 1 cilia a de Lailhacar&C.
Carga da Rabin.
I'.afe 30 saceos a Soares do Amaral k C. Ch-
rutos i caixas a Beltrao & Filuo. Cbapeus de sd
1 caixa a A. J. Leite Basins.
Farinha de mandioca 40 saceos a Fraga A Ro-
eha. Fazendas 1 caixa a Cramer Frey A C.
Mercadorias diversas 3 caixas a Pereira da i'i
nha Irm.los.
Papel 1 caixa a Joao Cardoso do Rego
Panno da algodao 160 fardos a ordem, 80
trio 6r Filho, 80 a Amorim Irmao*, 80 a
Filho, 30 a Francisco Goncalves Torres.
Rape 14 caixas a D. Alves Matheos.
Tapioca 10 barricas a Joao Rodrigues de Fa-
rias.
Brigue itaJiano Hrrminia, entrado de Cadix nu
21 do corrente e consignado a E. A. Burle & C..
maoife.-tou :
Sal 5f0 toneladas acs consignatarios.
Lugre inglez Viola, entrado de Terra Nova ?m
H do corrente e consignado a Johnston Pater A
C, manifeston :
Bacalhao 3,100 barricas aos consignatarios.
Pont'.
Bel -
Loyo A
tWco {uaro naodiriital de 0*fal
de liaculhao dc I.nnuinn **
Kemp,
A opmiao unanirae dos medicos do todos os pri-
zes, e que o oleo do ligado do bacalhao, e o re-
medio uiais pederoso que ate agora so descobrio
para as tnf rmidades dos pulmSes e da garganta<
0 fallecid< ->r. Benjamin Brodie, di/.ia : (Juan-
do tudo ii mais e inutil, este salva a niiuuo a vida
do doenia, porem dove ser puro. Entra os ty-
pos mais iiu-js desta ganero, sobresahe porsuapu-
reza o oleo oe ligado da bacalhao, do Laaroaat 4
Kemp, alabouido com oa tigados -aaos. dos paixos
apanhados de fresco, a cuja coaservacaa em todos
os, pai/.es. se garante. Na America do Sul, naa Aa-
tilhas, Mexico e Australia, e eliatidocuma attjgq
de pnmsira classe, e na lugiaterra onde recente-
mente foi iotruduzido, so a considera superior a
todos os mais oleosde ligado de bacaibao, quaaxis-
tem no mercado. Para a tosae, pneuraoaia, pleu-
tisia, phtysiea, broucbitea, trachites, affaccao do
ligado e debilidade geral, ei*-so que e raauuanto o
medkainento mais util da que a mater ia medica
se pode inostrar ufana.
4Ha I lor id a de Hurray e l^aai-
Existe por certo uma aualidade altamenfe sani-
taria, suave e deleitavel, na deliciosa fragrancia
desta agua popular que de tao grande ornaneato
serve ao toncTOor.
Ella, como por encanto, nos faz lembrar o dnlcis-
simo incenso florido de verao ou a imitacSo de am
fcworito torn de musica antigo, o qual por venlnra
nos faz recordar aquellas scenas ja passadas, dq-
ranta as qu>es onvrmo Jo pela vez prltneira. E*
espiritualisante e delieado como o aroma da ge
nuina agna de Coronia, e com tudo o sen. perfu
me e mais pror'undo e duradoun e a sua fragau
eki nunca muda nem ehfraqneee, como acontece
com os mais perfumes extrahidos e compostas de
oleos volalis.
Assenhor.s,as quaesgeralmentesoffrem de.do
rqs nervosas de cabega, lhe dio a prefereqeia a to
da e qnalquer nma outra applicacao loeal) eoWo
nm exceliente meio dealliviar as dores; e emjfua-'
lidad'j de um perfume para o qnarto de am dojDte,-
KSPACHOS DE EXPORTACAO NO DIA 21 PK
JANEIRO DE 1874.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Cordova, para Liverpool,
earregou : J. J. da Costa Leite 100 saeeas com
6,931 1|2 kilos de algodao.
= No navio hespanhol Ataulpho, para Barce-
lona, earregou : P. Carneiro 4 C. 78 saeeas com
5.S96 I [2 kilos de algodao ; A. Loyo 31 ditts am
2,198 ditos de dito.
Na barca ingleza William Jones, para o Ca
nal, earregou : A. Howie 4 C. 2,400 saceos cm
180.000 kilos-de asucar mascavado.
Na escuna aliema Hong Kong, para o Rio da
Praia, earregou : A. Loyo 104 barricas mm
*2,468 kilos de assucar braneo.
ffo lugar portugnez Limo, para S. Miguel,
earregou : J. dos Santos e Silva 8 barris cm
1.152 litros de mel.
Para os portos do interior.
Para o nio Grande do Sul, napatacho bra-
sileiro Salsepuedes, earregou : H. 8. de Oliveira
Junior 100 volumes com 4,384 1(2 kilos de assn
ear braneo.
Para o Rio Grande do SoJ, no brigue nacio
nal Pirangy, earregou : A. F. Balthar Sobrinh.!
225 volumes com 18,611 kilos de assucar branv
o 80 ditos com 2,893 ditos de dito mascavado.
Para o Rio Grande do Sul, no brigue brasi-
leiro Galgo, earregou ; F. R. rlnto Guimaraes SOU
saceos com 15,000 kilos de assucar braneo : para
o Rio de .'aneiro, P. Vianna & C. 300 ditos com
22,400 dito* io dito.
Para o Maranhao, no vapor nacional Cearn,
carregon : J. J. de Bastos 25 barriquinhas com
1,923 kilos de assnear b*anc >: para o Para. A
V. da Silveira 40 ditas com 2,981 ditos de dito.
Para o torn, no patacho americano J. JftoAf.
oarregou : A. Cordeiro 5 pipa- com *,Mt Mros av-
al cool ; M. J Alves I dita com 480 oKoa de dtto,
e 50 barriquinhas com 3.615 kilos de assorar
braneo ; P. Vianna & C 50 ditas eon 3,049 *Mm
de dito ; A. L. Rodrignes Ferreira 10 piaa com
4,800 litros de aguardente.
1 Para e Para, no hiate brasileiro 0/mrf,ar-
rogou : A. Cordeiro WO barricas com ,"/l>
kilos de assucar braneo.
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
Rendiraento on ola t a 11. a3:tK|06>
'dem do dia 22 i 524-iiio
VOLUMES SAHIDOS
.N'edla2a2l. .
No dia 22
^nmeira pona ....
iegaatfa porta.....
Tereeira porta ....
Quarta porta......
ifapiche Conceieio .
SERV1CO MARITIMO
\lviraagas descarrflgadas no trapiche
aMaadaca d* *a ill .
Na*a22
Vlvarengas........
-lo trapiche Goneoicao ...
I3 f
M.


1
. ?

"



t^Ao^e^Mfcirtc* ^%xU^iar29^mSSSo Mb
>



*
^
-?
provincial de Porn
do o prazo imj
. 53, para sol
ilos proveni
e-ha a cobra
.-teaiJimeato do<
ljm (s*ii!
9 .<
7*Q0
RECIFE DRAINAGE,
rtaadimento do dia 1 a SI. .
ii.n dodia,$2.

ot
f,
16:697*786
16:8014970
MOVlMFNTtl DP PDRTt
Navios entrados no dia Si.
Rio f9*rat, vapor rtnoioual fiwri, de
1,999 toneladas, coramandante Alcofora-
iio, equipages* 63* carga m'fferentes ge-
neros ; a Pereira Vianna & C.
tlranja e portos iut^rmeiiiosVapor iucio-
nal /po/uco^qe 360 toneladas, comnun-
dante Mourn, eqnipagen 3J, carga va-
rios geueros ; a anupanhia Pernambu-
cana.
i'an'tXova2i.dias, lugre inglez Viola, PjUn.61
B 191 t6t:e.adas. eapitlo W. Care, equi- &* fagS^gSfe-
pagem 8, carga 3,100 barricas com ba-
'calhio; a Johnston Pater dc C. Seguio
para Babi.
Navio sahido no mesmo dia.
PortoGalera porlugueza Lisboa, capitao.
Jo3o Vieira Paulo, carga assucar e outros
gea6f0S' n*.
ObservapSo.
Suspendeu do la ma mo para Macei6, p
brigue ingle*; Jiura, capitao Waetars, car--
iii a mesma *jxa..t.rouxi3:-de Terra-Nova.
wk_______
A eamara moiiietpri- desu cidade manda
puiliear ,os arligos de pasturas, abaixo. trans-
ara aos eoi
cio de 1872
ias, a con tar da
do contenchso
stos, certos
ptiblicando-sc
dftU.flT85
. Miguel lost it Almeida, fern mbueo.
Relaqaqik'iexeiqrQ fw dtixaram seus rtspectitm debitot no extmcio de 1872 & 187i
t limy i
a
tUPOSTO DE I
1 M tO?Sl
}* iff* 4oo ifrfqne
858105
I
ioai *'-i- a*caj&a07tt
Friaaac o Vtour ee aw*
Wu. n. 7. Joao Japiopa
Mil 9 Hem
OiU n. 11 A. Mem
I.
fc JWfl
S2.'.?cBn'. eb IBS
Dita 9. 3 A. Marcolino
Diian. 3 B. Idem '
Wu n. 3 C.
OiU a. a2 A
DiU-i.,3|C.
Dita n. 32 D.
Diu n. ?>( A.
UUto*.8'B.
m*M
WHM
OiuttlL J.
prohttidD-nste munictaia o*rin-
quTltiannannit sow agna ou qualquer outra
substancia, de qnalqner maneira qae se empre-
gue os infractores pagarao a multa de lot e
3ffrarao:olto.das da prisao.
Art. 71. Pica prohibitta a venda de lima* de
cbeiro : os infraftsre* atam da-at perderem, pa
garao 4i de. mi^ta,
Pa?o da caiiam municipal do Recife,. 17 de
Janeiro de 1874'
Manoel J. do Rego e Albuquerque
Presides te.
Pedro de Atouqnerque Antran
Secretario.
0 111m. Sr. Dr. chefe de polieia, para conbe-
cimeato de todos e Gel exejn?ao, mando onbli
car os seguinU'8 artigos das po3taras da camara
munii'ip il de.-ita cidade.
Art. 70. Fica probibido ueste municipio 0 brin-
quedo de entrudo com agaa ou outra qualquer
substancia, de qualquer maneira que se empro-
sue : os infractores pagarao a muilta de iSSOOO,
e soffrerio 8 dias de prisao.
Art. 71. Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : os infractores alem de as perderera pa-
parSo 'tt de multa.
Sacretaria de polieia de Pemambuco, 19 de
Janeiro de 1874.
Pclo secretario,
_________Francisco G. da Silva Barroso.
0 lllm. Sr. inspectjr da tliesouraria provin-
cial manda fazer publico que em enmprimento da
ordem do Exm. Sr. presidento da provincia d3 7
de Janeiro corrente, peranta a junta desta thesou-
raria se ha de arrematar no dia 21 de abril pro-
ximo vindouro, a obra da ponte denominada Pao
Sangae sobre o rio SerinliJem. orcada em 9:570*.
pagos em apolices da divida provincial a juro de
7 por cento ao par.
As pessoas qae se propozerem a esta arremata-
c;io comparecam na sala das sessSes da mesma
tbesouraria no dia indicado acima, pelo meio dia,
compelentemante babilitadas.
,K paraconstar se-mandou pnblicar 0 prcsente
pelo Diario de Pemambuco
Secretaria da thssouraria provincial, 20 de ja-
iiAiro de 1874.
Victoriano JosJ M. Palhares,
0.1ici..l maior interine.
Claoanlas especiaes para a arremata<;ao da ponte
denominada Pao Sangue sobre 0 rio Seri-
nhae.
1." A ponte denominada Pao Sangue sera exe-
culada de conformidade com. 0 orcameBto e plan-
t a approvados pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, no valor de. 9:870*.
2.' 0 arrematante dara pnncipio a obra no pra-
zo de am mez e a ooncluira no de 12 mezes.
3.* 0 pagamento tera ttfectuado em 3 presta
;oes iguaes a propar^ao da tabella executada.
4.* Para tud 3 maisque nao se achar esp'ciQ
cado sera regulado pclo que dispde oregulamento
de 31 de julbo de 1866 0 engenheiro chefe, Jo-
se Tiburcio Pereira de Magalhaes.
Victoriano J036 M. Palhares.
0 lllm. Sr. inspector da thesourana provin-
cial manda fazer publico que em cumprimento da
ordem do Exm. Sr presidente da provincia, de
1't do corrente mez, perante a junta desta the-
souraria, se ha do arrematar no dia 12 de feve-
reiro proximo vindouro,o9 reparos de que precisa
a ponte da Escada orcados em 1:384*, conn
consta das clausulas abaixo mencionadas.
As pessoas que se propozerem a esta arremala-
c.io, queiram comparecer a esta reparticao no dia
aeimt mencionado pelo meio dia competentemen-
< habilit idos.
E para constar se mandou fazer publino no
hiario de Peruambuco.
Secretaria da thesouraria provincial de Pemam-
buco, 20 de Janeiro de 1874.
Victoriano Jose M Palhares,
Official maior interino.
(ilausulas para os reparos da ponte da Escaoa.
1.' Os reparos da ponte da Escada serao foitos
tie conformidade com 0 respeetivo orcaraento ap-
ptovadj pelo Exm Sr. presidente da provincia, no
valor de 1:384*.
2.J 0 arrematante dara comeco as obras no
prazo de l-'i dias e as concluira no de 3 mezes.
3." A iiH,imancia da arrematacao sera dividida
em d uas presta^oes iguaes, sendo a primeira paga
quando tiver metade da obra feita e a segunda
juando concluir os reparos.
4." Em tudo 0 mais que nao estiver especiflca-
d nas presentes clausulas, se observara 0 que
dispoeo regulamento desta reparticao. 0 enge-
11'ieiro cbefe, Jose Tiburcio Pereira de Magalhaes.
Victoriano J. Marinho Plhaares.
!b
Idem
Jose
Idem
Antonio J. *e Vjp|
Major' Migaet Bert
Autumo WzSalgado
Juse Marque* AMm
Eduard-j de Sa Gorreia
ien
VisopBde daJ?atotaak tvlgn
DiU.o 1 A. Jua*.fepioe*
Dita n. 3. Idem .
Dita n. 3 A. Idem 300XId
DiU a. A. Felippe Santiago de Moura
OiU n. 19 A. Antonio Dias da. Silva-Garden
Dita n. 25. Miguel Bernardo ^uiotaire -a WO
Diu n. 2-> B. fdun
Agua-a.x, Herdeiros de Manoel Cabocio
Dita. Vicente Alves deBarr'os
OOa u. 11. Pedro Dias dos Santos
Dita n.7.. Idem
Dita n 1. iatede MoateaBoaus Ferrei.-^
Dita n. 3. Ignacio Jos5 da" Silva
Dita.n. fi. Idem 9^ A J
DiUML.7. Oaudina ria dft UMceicfa
General Victorino n. f. Pedro Dias dos Saat>s
Diu n. 6. Miguel Paschoal
Dita n. 8. Idem
Ditj ntlO. r..Peiro>Dm BiU. Joaa.-Tapioca
uiu. idea
Dita. Idem
Diu n. 11. Isabel Maria do Rosario
Biun. 29. Herdeiro8.de Joao Gome*-tV^ira
Pedro Affonso m 2. Antonio Pereira
DiU n 13. Maria Carlota
Diun 39. Manoel Marques dos Saatoi
Diu n. 41. Idem
Dita n. 33 I Jem
DiU. RiU Maria da Conceicao
Pedro Affonso n. 75. Clarindo de Paula Kodri-
tal
01
-'Ud
fJ-.
-------
jyrrj^

Dita n. II.
DiU n. 17.
DiU n. 21.
Dita n. 23.
DiU n. 2o.
Dita.
DiU.
DiU.
DiU.
Dita.
DiU.
Dita.
DiU.
Dita,
Dita.
DiU.
DiU.
DiU.
Dita.
DiU.
0 lllm. Sr. inspector da taesouraria pruvin -
< ial manda fazer publico que, em cnmpriinento da
ordem du Exm. Sr. preiidente da provincia, de .14
do eorreaje, peranta a junta desta ihesouraria se
ha de arrematar no dia 12 do fesereiro proximo
vindoaro, a obra dos reparos de empedrameoto
que preetea a estrada de Limoeiro, orcada no va-
lor de 484*, como indica 0 respeetivo orca-
raento.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da mesma
thesouraria no dia indicado aelo meio dia, cam- Joio da ea Calladc
petentemente habiliudas.
E para constar, se mandou publicar 6 presaate
pelo Diario de Pemambuco
Secrettria da thesouraria provincial de Pernanv
baco, 20 d Janeiro de 1874.
Victoriano Jose Marinho Palhares,
Ofljcial-nuior interino.
Claasala s especiaes para a arremaUcao de 200
metros da estrada do Limoeiro.
1 .4a eMvada do >
i.\mmm,*mf*m9ir*- de eonformidade com 0 orcamento no valor de
484*000.
2.- 0 arrsMaUnte dara principio a obra no pra-
zo da 8 djas e a conclalii/fta-daiom mez
3." O pagamento ser attortuale era unu s#
presUQio, na conciuslo'da obra
4.* Tudo mais qae nao se acqar- efM9
sera regulado pelo qae dispjSe 0 regulamento
31 de jalho de 1866. 0 enjjapheiro chefq. tfcjj
Tiburcio Pereira de .MajralJjaps.
Vwbriaoo Palhares.
Diun. 75. Miinoel Marques dos Sanlu.-
Dita n. 77. Antonia Maria da Conceicao
Dita n. 79. Manoel Marques do* Simtoe
Visconde de Albuquerque n. 9. Balbinai de
Dita. Herdeiros de.Malheus V. Guimariie-
Diu n. 25. Herdeiros de Claudino C. >Branco
DiU n. 27 Herdeiros de : Manoel Antonio de
Araujo
DiU n. 29. 0 mesmo
Marquez do Herval n. fl. Pedro Fernandes da
Silva
Dita n. 12. Felix Paes
Diu n. 23. Joao llonr. 1
Dita n. 25. Jose Bento ia Costa
Dita n. 26. Bernardo Ferreira de Bmu Cara-
pello
DiU n. 27 Joanna Maria Nepomuceno
Dita n. 33. Herdeiros de Jose Miguel de Lyra SSflB
Diu n. 44. Manoel I>ac
Dita n. 44 C. Pedro Fernandes da Silva
DiU n. 52. Herdeiros de Innaoia Maria
Dita n. 68. Pedro Fernandes da Silva
Dita n. 66 B. Francisco Juse de Soaza
VolunUrios da Patria n. 4. Josephina Quinteiro]
Dita. Herdeiros de Manoel Cabral <^,
Dita n. 5. Luiz da Costa Miranda : :,
DiU n 9. Eduardo Paes Barreto -* -
0 mesmo
Manoel Celestino do Espirito Santo
Maria Altina da Conceicao
Pedro Dias
Manoel Carapina
Miguel Francisco Mariano
Eduardo Paes Barreto
Herdeiros de Manoel Cabrol
Gabriel, mulato
0 mesmo
RiU Francisca do Rego
A mesma
A mesma
Manoel Celestino
Riu Quitena
A mesma
Senhonnha Maria da Conceica >
Igoez Senborinna
Ignacia Maria Parahybana
Antonio Jose das Neves
Florentina. Henrique Plndahyba
Diu n. 11. Manoel Marques dos Santos
Caxias n. 15. Francisco Camello de Paula Pa-
checo
DiU n. 23. Barao de Campo Alegre
Diu n. 27. Joao Tapioca
Dita n. 29. Joao Tapioca
Diu n 31. Roberto Coope
Dita n. 32. Herdeiros de Victor Carvaliic
Diu n. 33. Antonio Jose Vaz Salgado
Diu n. 35. Galdino da Rocha
Dita n. 36. Jeronymo Felmto da Silva
DiU n. 37. Joao Rufino Ferreira
Diu n.40 B. Felippe Santiago de Moura (2' semeslre)
Diu n. 41. Manoel Felix de Inojosa
UiU n 44. Manoel Bento da Costa
Diu n. 46. Idem
Dita n. 54. Padre Manoel Jose dos Sautos (2* seniestre)
Diu n. 53. Raymundo Alves da Silva
Dita n. 51 Padre Mauoel Jose dos Santos (2* semestre)
Dita n. 55. Raymundo Alves da Silva
Dita n. 58. Padre Manoel Jose dos Santos (i' semestrei
Antonio Pereira do Monte
Decima da ponte dos Carvalhos.
Maurino Francisco P. Medeiros
Angela Custodia de Messias
Idem
Antonio dos nnjos
Francisca Maria de Jesus
Guilhermina Maria da Conceicao
Joao Chrysostomo deOliveira Pelagi->
Idem
Franklin Bonifacio
Joao B jnifaeio
Idem
Olvmpia Senhorinha de Souza
Manoel Candido
Joanna Francisca do Livramento
Viuva de Jose Cactano
Antonio Joaquim de Araujo
Joio i.hrysostomo de Oliveira Pelag'.i
Felix Ramos Lienthier
Herdeiros de Antonio das Chagas
Idem
Anna de tal
Herdew-ia de Jose Victorino
Maria Jose *.,
vanoel Vidal d Negreiros
Idem
Idem
Joanna Francisca do Livranaeoto
Ipojuca.
Frei Jeronymo
6*40
Joaquim Jose Daarte
Meat
Hellarmino Guedes
Jwd Rodr goes
Tlnmaz Jo3*da Bawos
Candido das Neves
Herdeiros de Friacraco CaiifiAj
Maria da Conceicao
Jose Vieira
Mamiiur dM*tt
fcuiz aaFbrMca
Joanna Bf(uU
Jose Ignacio de Araujo
Feliciano do Rego Barros de Araujo
Masetsa
0
11*480
6*480
5*400
3*24
5*400
3*240
5*100
5*400
8*640
5*'i00
5*400
."i*400
5*400
16*-*00
4*320
4*320
4*320
7*560
4*320
5*400
4*32(1
5*400
8*6i0
5400
8*6'i0
5*400
5*400
6*4-0
4*320
2* 60
5*400
2*160
5*4 0
44320
4*320
4*320
4*:i20
6*480
6*4X0
8*640
5*400
4*320
5*400
6*'i80
6*480
9*720
12*900
5*400
64480
16*200
6*180
16*200
8*640
8*640
16* 00
10,4800
16*200
5*400
5*'.(X)
2*160
7*560
4*320
22160
8*6'i0
10*800
6*480
5*400
3*210
5*400
10*800
4*120
16*200
6*48.1
3*240
3*240
4*320
4*320
3*2,0
3*240
3*240
4*.I20
18*000
4*320
4*320
5J400
3*240
3*2i0
3*2,0
2*100
3*240
m
6*480
4*320
6*480
2*160
4*321
2*160
2* DO
2*160
4*320
um
10* wo
latonio
. oa'rw
Twawa'-wi^ u* Gosta
2*160
2*1 0
2* i0
1*0 0
2*160
10
5*40
4*318
X. or a8rl.
*403
*81Q
*486
*486
*486
*972
15*120
n
IW60
21*600,
12*960
mm
1MM0
5*400
JZJWO
UMUfc:
19*440;
*097
*-162
*162
*259
*162
*162
4162
4162
*486
*129
*129
4129
4226
*I29
*162
4129
4162
*259
4162
42 9
*I62
*I62
4194
4-29
4064
*I62
4064
4162
4129
4129
*'29
4129
4194
4194
4259
4162
4129
4162
4194
4194
4291
#388
4162
4194
4486
4194
4486
4259
4259
4486
4324
4486
4162
4162
4064
4226
4129
4064
4239
4324
4097
4'97
4129
IHt4
4486
4291
4486
4486
4777
4486
4486
4486
4486
14438
4388
4388
4388
4680
4388
4486
4388
4486
4777
4486
4777
4486
4486
4583
4388
4'94
4486
4194
4486
4388
4383
43*8
4583
4583
4777
4486
4388
4486
4583
4583
4874
14166
448t>
4583
1*458
4583
1*158
4777
4777
1*458
4972
1*458
4486
4486
4194
4680
4388
4194
4777
4972
4583
4486
4291
4486
4972
4388
l*4-">8
4583
4291
42-it
4368
4388
4291
4291
4291
4388
1*620
4388
*388
4486
H71
?**!>
15*120
R*tlO
MM4
14
v
^pJrnilMPMraes
oWpl
e'Lei*
cao
-5l
Francisco
CeraMoJBal
MM2
MaateWifi____
"FBncisca HarU da
Manoel do R
Idem f
Idem
Hdera
Hulino Cayalcanle
Joao Antonm da Costa
MMWII'ljafUeWla *r-mbuu%<*m
Manoel da CneUMartiAf
Jose Cardoso Guacha
BomJesus. Joao Marques Baptists
fe'elippe Santiago de Jesus
Maria da Coaaeielo
Herdeiros dflfrm J
Idem 1
Domingo;
Gabriel Oleiro
Veli a. Herdeiros de Majioiiaao da Cunho
'Maria das VIrgenj
* 1MHMK' eii**ai>Maria
Wt' Joaqttlm-lW** 8 Aj^frt.M I
Mk HerieirogJde JUMiaia-'Manoet do R. B.
iMta^>'-sMl*4tw'iiifc>ii 4eoM
9mi 'AngeNPMMUt mm
Awia 4ia MMtM
Prrwehu*di4-1\^
Leoeadja Jlaruues
Tlle?ilrli,r*%'i'to 5:
Liberdade.
DiU. 0 mesmo
Dita. Alexandrino da* Chagas
Ifcea'w ifiupe, #tp(dMmi'Maria'4i ttoaceicoo
'!iHU MawBfWceate.i'teira
iBttavi 4MUMraad:tlaaoal-AUxaidre
Dita. Joanna Maria do Espirito Santo
Biu. Attaaio ifddta Altaandrioo
Dita. Manoal-Aidre Villanova
Diu. Manoel Joaquim deSant'Aana
DiU.- Joaquim Jose Llns
Viracao. Manuel Jose Cerreia
DiU. Manoel Victorino
Mercds. Maria Alves Ca,melip
Dita Clemeneia de Albaque/que
Jaqueira. Uaii Jo?e da Cunfaa
DiU. Antonio Joaqujiaa dos Santas
Dita. Mauoel Vicente de Lemu-
Dita." A.poiaari- i'ereira.Leile
Uita. Jaaota Ffanci;c*P,oiaa
ionp\t&
"Ojhd *
**t*0
54400
5*4001
5MOO
54400
54400
5*400
fc
416i
4W2
4462
4M2
4469
4162
4162
10*88*
640il
64041
64041
6*044
64048
intcressantes, pafUcipam-DO ao secretario
parpeMuu ^raaatefp^t^v4jf^l1dente,
0 qual da a paUvra aos autofes oaa me -
morias ; a leitura de cada \na^faf in
nao pode eateiider-se alem at iftdWn.
u. 1'ijrem neohuma m
'I at
9*i
4
6*048
12*096,
74257
9:676,
7*2'i7
9*676
7*237
75257
7*257
78967
7*257
64048
3*6*8
6*048
3*626
6*048
68048
9*"76
6*048
6*048
6*048
6*0*8
18*144
4*837
44S37
4*8(7
8*466
4*837
6*048
4*837
6*048
9*676
6*048
9*676
6*0.8
6*0r8
7*257
4*837
2*418
6404 8
2*418
6*04*
4*837
4*837
4*837
4*837
7*257
7*257
9*676
6*048
4*837
6*048
7*257
7*257
144885
14/514
6*048
7*257
18.. 14 4
7*237
18*144
9*676
9*676
18*144
J2*<>96
18* ,44
6*'48
6*048
24418
8A4H6
4*837
2*418
9*676
12*096
74257
6*048
3*628
6,1048
12*096
4*837
18*144
7*257
3*628
3*628
4*817
4*837
3*628
3*628
3*628
1*837
20*160
4*837
4*837
6*(>48
3*628
3*628
3*62 <
n
Viuva de Jose Joaquim do Dego-Barros
Pedro Caetano
Angelo Jose da Gastt
iV'raucisoo Marques do Valie
Francisco Joaquim da Rocha
NAZARETH.
24160
m
2*160
4*320

54400
3*140
8*40
44320
W160
iffio
24160
2*160
2*160
2*.60
24U50
34240
3*240
3*240
5440J
5*400
3l|fcQ
2*-60
54400
6*640
ts
4064
40o4
4064
4097
4064
129
194
4121*
4162
47
4p8
4064
4129
*(4
*064
4M4
4004
4064
4064
4097
4097
4097
4162
*162
4'7
4162
4097
,064
4162
4159
2*41
448<
4483
6*04
6*04
3462
4*83
346
P4048
6*048
3*628
6*048
2*418
4*837
2*118
2*418
2*418
3*628
2*1 4*837
7*237
4*837
6*048
34628
9*676
44837
2*418
4*837
-2*418
24418
24418
SM4I8
2*418
24418
3*628
3*628
3*628
6*<-48
64048
3*1328
o6de ser apresenUdo e
blica, sem que antes seja_
uma commissarvle exart\erpara
meada,' a foal item: votavMisivo fobre a
eo4iiieaca ou tucouMBiemeaa at let-
VOWI.
Sen^taria dolusiitutp^ %t^ffm9^
r
J. SoAltES d'Atctcdo.
Secytaricyerpetuo.
AVISO
Pela associacio. da M*i,gem da4*arxdeaU
provincia se, pre vine aoa Sr. aapijaa c cwiaipu
(ajrios do* navios nacienae* eesl*aapir,>s, quajuo
piguem as.cunUs de amanaajade rnVTW do*
mesmoe, sem 0 visto do prali.^
Peraambuco, 23-da Uaeira 1
HerrulaaaJ.
I'ratiwt 'liftr.
ftnlteiro.
6*048
3*628
2*4 is
6*048
9*676
Seceao do conteftdoso provincial de Pemambuco, 15" de Janeiro de 1874.
O 4* official,
Momcit WotfriM Peregrino da Silva.
Editaln.119
4*837
S4448
11*096^
fr4d*
2*41.
***
UMHtii Caaa
Pela iaspectaria da alfandega se fa; publico que
as 11 horas da maniia do dia 24 do corrente, a
porta desta reparticio, se ha. de arrematar live
Jo direitee e siij litas ao imposto da capatazia, as
mercadonas abaixo declaradas, apprehendidas
dentro de unit cauoa com sal, no dia w de no
vt'iiibro do. anno proximo Godo.
Marca J S Pefoambuco4 saccos com 240 pa-
res dechineUs de teeido deli, de mail de22 cen-
timeiros de compliment'), no valor de 202*320;
Idem J M M 1 caixa com 12 djzias de ca-
chimbos do madeira ordiarria, lisos, no valor
do 16*800.
Idem F )WD~6caixas com 150 maco3 de
velas stearinas, pesando nas mesmas 48 kilos, no
natal de 84*300.
AHandega de Pernimbuco, 19 de Janeiro de
1874.
0 inspector
_________ Fabio A. de C. Deis
0 lllm. Sr. inspector da thesourana provin-
cial manda fazer publico que em cumpriraento da
ordem do Exm. presidente da provincia de 14 do
corrente, perante a junta desta thesouraria se ha
de arrematar no dia 12 de fovere>ro proximo via-
douro a obra dos reparos de empedramento de
que prerisa a estrada do Limoeiro, oreada no va-
lor de 792*, como indica a lespectiva clausnla
abaixo transcripla.
As pessoas que se propozerem a esta a arre-
maU'.ao, comparecam na sala das sessdes da mes-
ma thesouraria no dia indicado pelo meio dia, com-
peteutemente habiliudas.
E para constar, se mandou publicar no prcsen-
te jornal.
Secreuria da thesouraria provincial, 20 de Ja-
neiro de 1874
Victoriano Jose Marinho Palhares.
OlScial-maior interino
Clausulas especiaes para a arrematacao dos 100
metros de empedramento na estrada do Li-
moeiro.
1.* Os reparos dos 100 metros de empedramen-
to na I ladeira na matta de 5. Joao, serao execu-
udos de conformilade com 0 orcamento, nc valor
de 792*000.
2.* 0 arrematante dara principio a obra no pra-
zo de i5 dias e coneluira no de 3 mezes.
3." 0 pagamento sera effectuado em uma so
prostacao, na conclusio da obra.
4.' Tud) 0 mais que nao se achar especiGcado
nas pres-ntes clausulas, sera regulado pelo que dis-
pfje 0 regulamento de 31 de julho de 1866. 0 en-
geheiro chefe. Jos6 Tiburcio Pereira de Maga-
lhaes.
Victoriano Palhares.
Edital 11. 121
Pela iiupectoria da alfaniJegji.se faz publico
que nao teodo sido arrematadas as mcrcadorias
abaixo declaradas, anuunciadas a leilao por edi-
tal n. 120, se transfere a mesma arremaUcao para
0 dia 24, as 11 boras da manha.
Uma caixa de charao com prepares dc metal,
para deposilo de cni, avaliada por 80*.
Uma dita id-m ijlem, por 60*.
Alfandega de Pemambuco, 22 de Janeiro de
1874.
0 inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
Edital n. 122
Pela iuspectoria da alfandega se faz publico
que as 11 horas da manha do dia 26 do corrente,
a porta desta reparticao, se ha de arrematar, li-
ne de direitos e sujeitos ao imposto a capatazia,
590 kilos de sal commum, reGnado, no valor de
525*100, abandonados aos direitos por Cardoso
Martins & C
Alfandega de Pemambuco, 22 de Janeiro de
1874.
0 inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
&t
Banco Goinnereial de
Pemambuco.
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (fechado).....1:000*090
Rua da Guia
Casa terrea n. 25....... 200*000
Ruo do Pilar.
Casa terree n. 98......241*000
Casa leree 11\. 93....... 240*000
Idem n. 10). 99 (fechade( 2414000
Idem n. 102.........241*000
Rua do Rosario da Boa Vista
Case terrea n. 58feeliadn.....200*000
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (fechado) 600*000
Boa Velha.
Casa terea u. 44(fechada( .... 4504000
Rua das Larangeeras.
Casa terrea n. 17.......361*000
Rua de Burgos.
Armazem n. 13 (fechado) a 0 240*000
Hha do faogueira-
Sitio desocunado. .0000. 8804080
Pamameirim.
iStio (desocupado) 0 0 0 500*006
Os pretendentes deverao apresenUr no acto da
arremaUcao as suas flancas, ou comparecerem
iconipanhados dos respeotivos fladores, devendo
pagar alem da reada, o premio da quantia em
que for scguro o predio que coutiver esUbeleci
memo commercial, assim como o servico da lim-
peza e precps dos apparelhos.
Secreuna da sanu casa da misericordia do Re
:ife, 2 de Janeiro de 1873.
0 escrivao
____________Pedro Rodrigues de Souza,
aJoiiMiihido provincial
Pela mesa do con-ulado provincial, se faz pu-
blico que no dia 12 do corrente, se priocipiam a
contar os 30 dias uteis, marcalos para a arreca-
dacao, independente de multa, dos diversos im-
postos, eobrados por lan^amento, pertencentes ao
anno Gnanceiro de 1873 a 1874, Gcando sujeitos a
multa, todos os que forem pagos depois de findos
os referidos trinta dias.
Consulado provincial de Pemambuco, 2 de Ja-
neiro de 1874.
0 adminisirador,
________Antonio Carneiro Machado Rios
Nuutii^Citwa da Hiscricoi'dia do
Recife.
A junta administratiza da Santa Casa da Mise
ricordia do Recife, precisando fazer os concertos
de que necessiu o predio que possne o patrimo-
nio dos orphaos, a rua da Cruz, boje do Bom Je-
sus n. 12, contrata com quern se proponha a rea-
lisar ditos concertos, mediante certa renda e al
guns annos de prazo para desfructar ; devendo
os que disso se quizerem eocarregar, apretentar
suas propostas em cartas fechadas, devidamente
selladas, acompanbadas do respeetivo orcame ,to
nesu secreUria ate o dia 19 de fevereiro vin-
douro.
SecreUria da SanU Casa da Misericordia do
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
SecreUria do gymnasio provincial de Pemambuco,
17 de Janeiro de 1874.
Por esta secreUria, e de ordem do lllm. Sr.
Dr. regedor interino, sio ehamados para effectuar
o pagamento dos nltimos trirnestres do anno pro
ximo passado Os pais e correspondentes daquel-
les alumnos Internos, que ate esta dan alnda nao
o tizeram ; assim como se declara que, em vista
do arligo 13) do regiraento interno deste instituto,
o pagamento dos alumnos quer internos, quer
meio pensionistas e extemo*, sera effectuado sem-
pre por trirnestres adiaaudos.
0 secretario,
Celso Tertuliano Fernandes Quinteila.
Obras militares.
No dia 24 do corrente, as 11 horas da manhs.
sera posU em coneurrencia a execucao do servi-
co de dessbstraccao do cano de esgoto do arsenal
de guerra, orcado em 240*460; assim como tera
lugar a arrematacao do material, que na fortaleza
do Brum foi substituido. Na reparticao das obras
publica-, onde se aeha o orcaraentc, serao no re-
feridodia recebidasas propostas em carta fechada.
Peraambuco, 19 de Janeiro de 1871,
U engenheiro
Cltryssolito F. de Castro Chaves.
0 banco paga o segundo dividendo na
oaxlo de ft/0 ao anao.ou 29400 por accao,
reaativo aosencestre fifldo em 31 de dezem-
SANTA CASA m
A Hlma. junta admirl
Misericordia do Recife,
iia sala de mas sossdas, no dia 22 da j%aeiro
paias 3 Uoraa daU^Umaaser arremaudaa a
MI.SEKICOKD1A DO
|^i da sauta casa da
fazer publico que
Ida

temeoda an
era

f^a4*er,roa a. 47
Cma oota
S||ta..do/.jBorta
DE CARID4DE
20*4000
Casa terrea n. 16.
^R*^U^rTv^
TBjoa Anp'blno
intalla velha.
mtm
2094000
de
hislilHio Arche iLigk'o 0 ijogra
phico PernawlMicano.
Tendo o Instituto Archeologico e Geogra-
phico Pernambucaao de celebrar o 12." an-
niversario da sua fanlacaoe o 220. da res-
tauracao de Pern,Tbnco no dia 27 do cor-
rente Janeiro, pela 1 hora da tarde, no sa-
lao da bibliotbaca publica provincial, no
ooavBatlo do Soaaa Senbora do ''armo, sao
convidadus. para somelhante effeito em as-
BcmbWa geral todos us socios que se acha-
rem no Recife, effectives, hoaorarios e
correspoaderUas.
Nao conbecendo o Instituto a sddo das
differentes associagoa* populares, litterarias,
artisticas e de beneficeoeta que existem nes
ta cidade, tern a honra de coovidar pelo
fresente edital a cada uma de Ues asaeoia-
" goes a assistir i soleanatdade do dia iT, ou
a fazer-se ani repreaeatar. E para conheci-
mento das corporacyOes ou pessoas que tive-
Tribunal do (knameicio
Peraambuoo.
Pela saeaetaaia do tribunal do oommereio da
Pemambuco se faz constar que ne-ta daU foi ad
mittiao a matricnla como corraaor geral e Sr
Candido Casimiro Guedes Alcoforado, qae na mes-
ma data prestou jurampnto para eolrar em exer-
cicio.
Secretaria do tribunal do eomaierclo de Per-
nambuc >, 22 de Janeiro de 1874.
^,-t, 0 official maiac,
_____________________Julio Gfljmaries,
Subdelegacia da frgp#jia
de Santo Antonio.
Por esta subdelegacia se faz pubtoeo que foi ap-
pVehendjdo urn cavallo alazio : a qneta for aes
doni, provando sua posse, sera entregue no pra-
zo de oito dias, a contar da data deste. depois dc
que nao havendo quern o procure tera o conva-
niente deatino.
20 de Janeiro de 1874.
0 subdelegado snppiente,
____________________Firmino de Brito.
Pagamento k divideado
Paga se n 40. dividendo das across do
Banco do Brasil, inscriptas na extincta .cai-
xa filial desta provincia, i rua do Vigario
n. 21.
Recife, 22 de Janeiro de 1874.
ADMIXI-TltACAO DOS CORREIOS DE PERRAM-
BUC023 DE JANEIRO DE 1874.
Malas pelo vapor Ceard da companhu
brasiieira.
A correspondencia que tern de ser expedida
hoje (23) pelo vapor acima mencionado para r
portos do norte, sera recebida peU maneira so
guinte :
Macos de joraaes, impreasos de qualquer aatu
reza e cartas a registrar, ate 2 horas da Uftfe.
cartas ordlaarias ate^ 3 hora*, e estas at# 3 tit,
pagando porte duplo.
O administrador
Affonso do Rego Barros.
!
THEAT!
SANTO ANTONIO
Sabbado 24 do corrente.
Sfuplu e grande representaealo
artistica, recreativa e <*ciea-
tifica de preatidi^itaeffo *
voutriloquisiuo execntados de
ma iiiiiiH'iia couapIetaiMeaate
nova.
W. Goodson
Alem dos applausos que tern recebido do pu-
blico nos t eatros das principaes curies de Enro-
pa, dos Estados-Unidos, das Republicas do PraU
e da corte do Rio de Janeiro, onde foi donrado
com a presenca de SS. MM. Imperiaes, tern sem-
pre raerecido ovacSes pelos seas admiraveis ira-
balhos.
IMtOl.lltMUV :
1.* parte,
1." Ouvertura.
2.' 0 exito de nm prestidigitador egipciano.
3. A trans in is.-ao magica.
4." Uma viagem ainericana rapida.
S." A illus*j extraordinaria de um mercadcr.
Intervallo de 15 minulos.
2.* parlc.
!. Ouvertura.
2. 0 furmo:o ramo da Deusa Flora.
3." Modo de se Hear ftcj depressa.'
4." O successo du celebre Roberto Houdin.
5.* 0 non plus ultra da prestidigiucao.
Intervallo d< 15 minutes.
3.* parte.
1. Ouvertura.
VENTRIL0QUISJJO
W. Goodson
nao tern nvaes na Europa nem na America com- -
ventriioquo.
Fara diversas imitacoes musicaes, organoforinas
passaro3, gallinhas, pintos, cachorros, leitoes, ck-
0 CELEBRE iOAO?IN'HO '
Ggura inanimada mas que falla, chora. canta <
conla a visU do publico.
Intervallo de i5 minutes.
4.* parte.
!. Ouvertura.
. 2.* Aereo p.tetismo oscillante e dil&ceis equili
brios.
E' este um trabalbo de mnito equili'rio pel"
qual tern recebido estrepitosos applausos nos ilui-
tros do Rio de Janeiro e em ouirasmuit's cida-1 m,
tanto do imperio como da Europa in-eira.
Precos, os do costume.
Principiara as i 1,2 horas
ilVIKO
SANTO ANTONIO.
Recita extraordinaria.
lore a ffeira 7 do eorreato.
Em beuaficio da sympatica e iatclligenle
ineotna Julia Riosa.
Program in a.
1 Symphoaia -pela orchestra.
2 -Grande dueto de oaa* tiplea da opera ke>-
panhola Domino azul -
3.' A linda e ennracada comeaia em na aet:
ornada de canto e danea, intitnlaaa:
Uma eriada iinpojfovel.
i.' A' pedidi, a scena comica e distingue a menioa Julia:
0SBJ0iKrmf-_...
5." Para pdr sati-faaer aatus pe-tid-ia an
bira a scena a ^I^J'f't'lf'T^ eomedu em 4
acto, ornana de OMl dun i
Paulo e Virginia.
ti. B.A fceaefieiaaa ira awaaaaaroas agra-
deeer aoa seus favararadoML
Plm Haveri trem depois do e#a cucoao.
;
k

< i
'''
T


Ofario de Ptenambaoo 6exta feira 2a da Janeiao de ldH.
r

is imis ADirniDAs
NA
fixposicjio de Vienna
TODaS AS NOITES
l>e 6 boras is 9 1(2.
Shtraaa Stt rs., as eriaacM nada lemap
P>r
4VOT8 DUBITIMltt
Riode Janeiro
Rio cte Janeiro
- Sfgue neste* dia
national Ga
n que ainda Ibe i
Wfceiro Pinlo G
Trinmpho n. 96.
t para o porto adma brigue
scntl frete Mmco de car
4fca : a tratar cow Francisco
iiowri>, a raa *e ftarao do
Alliance
#tu
en-
seguiri. torn ainda
e bkan4o)aaeente
Pm-evorto nwaeionado,
brigae nacional firangy ; .
alguma carja. leoebe-a a frete : a tratar com,
Fraacisso TUberre Wnto Guimaries, a ma 4o Ba ;
riodeTriumhoin.
i Maritime*or-
tuense.
t3*aPRkl> i^I
tro Pi itacrf e feasWll
A galera porti ajoeza Vttsco da Oaam segue em
paaeos dias par a o Porto, achinda-se ja prompts
made parte di *e carregamento.
Ptra passage, ow e fres trata-sa com o res
MttKo capitao, oat t agentes 4a companhia
Jose de Silva f ^oye 4 K*o, escriptorio, a rua da
Gaaapanhia Pe raambiaeana.
Lagos
( Oosta d'Africa )
IHiarftaldi
&
Da Bahia espera-se ate o dia SS do corrento raez,
u twrca portuxueu Hercilia, de primeka classe e
saareoa, a qoal, depois da deawn a#ui de 48 be-
ras, mais oa aienos, seguira para o lagar ce
BjeaKiBBaHoi. Recebe passageiros para os qmes,
qftrece os wwlhores comsaodos:; 4 tratar **
Francisco- *e iro Porto GataaraeB : A raa do ifia-,
yjaodo:Trlua>pTion. 96.____________
KM
4
4a carreira da Babia segue para
ease parto logo qua tenha com
pleto sea carregamesrto : trata se
com o capitao Custodio Jose
Viaaaa, ou i raa'4a Amorira a.
37, coam Tasso (ratios & C____
Para o referido porto pretecde sttpir com poaca
tfemora o brigue portoguez Lifttro HI, de !
tlasse, capitao Xobre, por ter a maior parte de
sea carregamento engajado, e para o-resto que Ibe
falta trata-se com os coosignatarlos Joaquim Jose
Goncahres Beltrao & Filho, a raa do Commercio
o. S.
ticHc Steam Navigation Couf wj
l.inha |iaaawMal
OPAQOEIE
ILLIMAM
a o-sal us
a on-
TO
spar-s*>da Europa ate o dia 23 de eorreute.e de-
pois da Aemora do costasae seguica para -
impeno,*io da Prata e costa do de recebem passageiros, eacommeadas e
a frete.
OS AGENTES
Wilson anwc AC
(4 RUA DO COMMBRGIO
-------OOMPANHIA PERNAM8UCAM
DE
\avtjanlo eostiam4a vapor.
'MACK16, ESCALAS e*EBDO.
4L ^ 0 vapor Gtquid, com
jf r~""~^=:2^ maadante Martina,
s^guira para os por-
tes acima no dia 39
1 de eorrente, as 5 ho -
____________________I ras da tarde.
Recebe earga ate 0 dia 29 do orrente, encom-
aaeodas ate o dia 30, passagcns e dinheiro a frete
ate as 2 oaras da tarde do dia da sabida : es-
criptorio b Forte do Mattoa n. i2.___________
COiia*ANHLA. PERNAMBIJANA
DE
^iaveg?o costeir a vapor.
?ARAHYBA, NATAL, MACXO, MO6S0R0', ARACx
TY, CRARA, MANDAH0 E ACARACO'.
0 vapor lpqjuca,
commandaate Moura,
seguira para os por-
tos acima no dia til
do corrente, as 6
boras da tarde.
Recebe caiga at6 odia 29 do corrente, encom-
mendas ate 0 dia 30, passageiros e dinheiro a fre-
te ate as 2 horas da tarde do dia da sahida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12. ________
COMPANHIA PER.YAMBFJCANA
!Vavegailo costeira a vapor.
MAMASGUAPE.
0 vapor Coruripe,
commandante Santos,
seguira para 0 por-
to acima no dia 28 do
corrente, as 5 horas
da tarde.
Recebe carga, cncommendas, passageiros e di-
nbeko a frete ate as 2 horas da tarde do dia da
tahida : escriptorio no Forte do Matto? a. 12.
?iCIFIC STEAM NAVIGATION COM
sLinha quiazenal
0 PAQUETE
MAGELLAN
corrente, e depois da demora do costume, seguira
eara Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
veeebera passageiros, encomm6adas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rone a C.
liRUA DO COMMERCIO14
PBDGRtSSO MARJTIMO DO PORTO
Enprozu portiionse tie navega-
eito a vapor entre Portugal e
Brasii.
0 vapor
ALMEIDA GARRET
CommaiiflUinte Tomasini
Esperadc dos porto.; do sul ale 0 dia 29, e de-.
pois da indispensavel uemora neste porto, segui-
ra para Lisboa e Porto com escala por S. Vi-
:ente.
Para passagonse freles'de carga, eneommendas
e valores, tratam-se com os
AGENTES
!:. K. Rabello ft C.
48= Rua do Conjmercio=48
M companliia de paqueles in-
glezes a vapor.
Ale 0 dia 27 do corrente, espera-se da Europa 0
vapor inglez Douro, commandante Thwaites, 0 qua
depois da demora .do costume seguira para Bue-
nos-Ay res, toeando nos portos da Babia, Rio de Ja-
neiro e Montevideo.
No dia 28 do corrente, espera-se dos portos do
sal 0 vapor inglez Boyne. commandante F. Reeks,
0 qual depois da demora do costume seguira para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para fretes, passagem, etc, trata-se na agencia
rua do Cojnmereio n 40. ,
Para IMaa.
0 brigue portaguez Damiao, capitao Pedro Mar-
tins Bran 00 ;. para carga e passageiros trata-se
com Silva Gijimaries A C, praja do Corpo San-
to a. 6, segnndo aadar ou -com o capitao._______
SEGUNDA-FEIiU 26 DO CORRENT
as MHfM,as
Por intenraoefe do agente Pinlo.
No armazem da raa Bosa Jeans a. 20.
Leilao
DE
fazeate avariadas
saccoe vasirs e outras mercadorias
Sexiinda-Ceara dm correM>
ASIOHORASEMPONTO.
Por int^rvest^ao do agpnte Pinto
Xo armazem da rua do Bom Jesus n. 20.
LEILAO
DE
gravatas, botGes e cintos (com avaria d'agua sal
gada
SEGL.NDA-FEIRA 26 DO CORRENTE
As 10 1 [2 horas da manha
0 agente Plato fara leilao, por autorisacao do
gerente do consolado de Franca, em presenca de
seu chanceler, e fwr conta e rUco de qnem per-
tencer, da caiza marca J S N, A L, n. 1,860, con-
tendo diversas mercadorias francezae, avariada a
bordo do vapor fraacez Gambit: o leilao sera ef-
fectuado no armaxem da raa do Bom Jesus n. 20.
O
Rio-Grande do J3ul.
Sahira em poucos dias a barca nacional Mimo-
sa, e recebe carga a frete : a tratar com Baltbar.
Oliveira 4 C, a rua do Vigario jj. i, priraeiro
andar.
COMPAMIIA BAIIIWA
DE
P\QVj,TaS \ V\P01\
LIMITADA
Maceio. Penedo, Aracajti
e Bahia.
E' esperado dos portos do sal ate o dia 24 do cor-
rente o vapor Penedo, o qual seguira para os
portos acima no dia seguinte ao de sua chegada.
Recebe carga, eneommendas, passageiros e di-
nheiro a frete.
AGENTES
AntOuio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
________87Rnado Bom Jesus87________
Risco maritimo.
William Crocker, capitao do brigue inglez An-
nie & Sophie, arribadu a este porto por abalroa-
cao, na sua viagem para New-York, tendo ja feito
os concertos necessaries para segoir viagem, pre-
cisa cerca de 3:0004 a risco maritimo sebre o
frete, casco, apparelhos e velame do mesmo na-
vio : os pretendi rues queiram remelter as soas
propostas em carta fechada ao consolado inglez
ate 26 do corrente mez, ao meio dia.
uSr.T'.i-.vtva- -
lEIL0t
EwasB
LEILAO
DE
lone crystaes e urj impo*-
tante adereco com bri-
lhantes.
NO
I'rimeiro andar do sobrado da rua do
Marqucz de Olinda n. 64.
0 agente Pinho Borges, cempetentemente auto-
risado vendera em leilao deste dia, 1 rico adere-
co todo cravejado de brilhantes, i piano de jaca-
randa com excellentes vozes, 1 mobilia de jaca-
randa com pedra, 1 guarda roupa, 1 cama fran-
ceza, diversos quadros a oleo, 1 par de apara-
3ores, 1 estante para livros, 1 mesa elastica, i
carteira com a competento estante, 2 pares da
lanternas, 1 marquezao, 2 marquezas, 1 guarde
louca, 1 apparelho para almogo, de porcelana, 1
mobilia de amarello, 1 rico santuario de jacaran-
da, 2 pares do garrafas de erystal, para vinho, 1
relogio de parede, 1 dito de prata patente inglez,
1 par de consolos de amarello, 1 par de cadeiras
de balanco de vime, i dito de bracos, diversas
cadeiras avubas, 1 cama do ferro com o compe-
tent colchSo, lavatorio com pedra, alem de mui-
los outros objectos que seria enfadonho mencio-
nar e que tudo sera vendido ao correr do mar-
tello. as 11 horas da manha do referido dia.
DE
Moveis usados.
ao correr do mdrtello
Xo aruiazem da rua do liupc-
rad or n. 48,
HOJE
Sendo uma forte mobilia de jacaranda, uma
dita de faia, com pouco uso, uma cama de jica-
randa, uma dita de amarello, duas mesas elas-
ticas, marquezoes, marquezas, ; rmarios, lavato-
ries, cadeiras, cabides, reiogios de parede, apa-
radores, mesas redondas, ditas de cozinha e ou-
tros muitos objectos que serao endidos ao cor-
rer do martello para liquidar,
pelo agente Martins
A's 11 boras do dia acima
Bahia
Para o porto acima mencionado seguira com
brevidade o patacbo allemao Dem Belder, e (altan-
do alguma carga, recebe^a a frete : a tratar com
seas coDsigBBtaTios HenrT Porster & C, raa do
Commercio n. 8.
LEILAO
OE
moveis, loue.as e crystaes
A saber :
Uma mobilia de faia, jarros, candieiros a gaz,
cortiaados, espelhos, qnadros, serpentinas e tape-
tes.
Uma cama franceza, 1 guarda-vestidos, 1 toilet-
te, 1 lavatorio, 15 pecas de papel de forro, i com-
moda e 3 escarradeiras.
Uma mesa para jantar, 1 aparador, 2 bande-
jas, 1 sofa, 12 cadeiras, garrafas, compoteiras,
copos, calices, 1 relpgio, 3 transparentes e muitos
outros objectos.
SEGUNDA-FE1RA 26 DO CORRENTE
Por iiilPTYencao do agente Pnto
No armazem da rua do Bom Jesus n. 20.
LEILAO
DE
uma mobilia de jacaranda, 1 dita de junco, 1 dita
de faia e muitos outros differentes moveis
existentes no armazem da raa do Bom Jesus a.
20.
SEGUNDA-FEIRA 26 DO CORRENTE
POR INTERVENCAO DO AGENTE PINTO
O leilao priiicipiara as 10
horas.
LEILAO
DE
-fin
ESTRADA DE FERRO
do
Recife ao S. Franoisco
Festis do (jbo e Bot-Viagem
Domingo, Jo do corrtnte, alem do trens ordi-
narios de passageiros, Huvera os sef uintes espe-
ciaes :
n\.
Manht.
li M
Cinco Pontas (partida) li 00
Afogados il 10
Boa-Viagem il 23
Prazeres II 38
ilha 11 35
Cabo (chegada) 12 10
V6LTA.
Noite.
H M
Cabo (partida) li 00
Ilha 11 13
Prazeres 11 38
Boa-Viagem II 45
Afogados 12 00
Cinco Pontas (chegada) 12 10
Villa do Cabo, 20 de Janeiro de 1874.
G. 0. Mann,
Superintendents
fpecisa-se
de uma mulher ja idosa para andar com uma
meniaa de 2 annos : a tratar no hotel de Bor
deaux.
louca, crystaes, livros, objecto de electro-plate,
prata do Porto, vinhos, passaros e aves do ser-
tae
A SABER:
I'm magniiico piano--forte, 1 mcbilia de jacaran-
da, massica, obra de gosto, figuras de porcelana e
vasos para floras, 1 esselao oval, grande e doara-
do, quadros, etagers de parede, 2 serpentinas de
crystal, globos, tapetes de porta e sofa, tapetes
(tara fono das salas, laacas e cortinados, 2 almo-
adas.
Uma cama franceza de jacaranda, 1 lavatorio, 1
guarda-vestidos, 1 guarda-mupa com espelho, 2
comraodas, 2 cabides e I mesa de cama.
Uma mesa para escrever, 1 carteira, secretaria,
I cadeira com parafuso, 1 prensa de copiar car-
tas, diversos quadros, I cofre de ferro e 1 ma-
china de csstura.
Uma mesa elastica, 1 goarda-loaca, 2 aparado
res, 1 sofa, 12 cadeiras, 1 relogio de parede, 2
consolos, 1 mesa com abas, 1 lavatorio, I appare-
lho para jantar, 1 dito para cba, 1 dito de elec-
tro-plate, 1 poria-licor, copos, calices, garrafas,
compoteiras de fino crystal,marquezas,.mesas, ca-
deiras e outros objectoside casa de familia.
Uma caixa com ferramenta, 1 grande bacia de
cobre, 4 tacho, 1 viado manso, raarrecas do ser-
tao, rolas e canarios.
I'm faqueiro de prata, 1 diccionario de Moraes
e outros livros.
E mais um rico santuario de jacaranda.
TERCA-FE1RA 27 DO CORRENTE
No sobrado da rua da Santa Cruz n. 10.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro, tendo de fazer uma
viagem a Europa, fara leilao, por intervencio do
agente Pinto, dos moveis e mais objectos acima
mencionados, existentes em casa de sua residen-
cia, a rua de Santa Cruz n. 10, onde se eilectua-
ra o leilao.
Principiara as 10 Ij2 horas em ponto, por se-
rem miutos e differentes os lotes.
MSOS DWBSOS
CASA DA FORTIA.
AOS 4:000^000.
BILHETES GARANTIDOS.
I' rua Primeiro de Margo (outr'ora rua di
Crespo) n. 23 e casas do costume.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantido?
la 2* parte das loterias a beneBcio da matriz
de Salgueiro (83*), que Se extrahira na sexta-fei-
ra, 30 do corrente mez.
PRECOS
Hiihete inteiro 4O0O
Meio bilhete 2/000
EM PORgAODE 1005000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilhete 1*750
Munoel Marlins Fiuza.
LEILAO
DE
30 garrafoes com ervilhas.
5 duzias de cadeiras de faia.
50 ditas de caixas com oleo filocome.
20 caixas com vinho santerno,
30 duzias de Werranth.
3 Aluga se o scgundo andar da travessa do
Corpo Santo n. 2'i: a tratar no armazem.
Moleque.
Prccisa-se de i um moleque de 13 a 16 annos,
para criado de uma p'essoa : a tratar na rua do
Imperador n. 28, armazem do Campos,
Aviso ao pri'tcstante Trevas.
0 juiz da irmandade de Nossa Senhora
do Terco, faz scinnte quo, no Diario de
Pernambuco n. t7, sahio um annnncio do
secretario da irmandado, convidando a to-
dos os ox-juizes e secretaries a comparece-
rem Dp domingo ^5 do corrente, pelas 10
horas do dia, a fur. de consultarem os novos
funccionarios da mesa regedora no anno
corrento de 1874 ; aindi por sua vez pede a
todos os irmaos que estiverem comprehendi-
dos no art. do compromisso queiram ter a
bondade de comparecer.
Sabem que o compromisso quenosrege,
diz : que a coDSulta seri feita pelo juiz ac-
tual, secretario, thesoureiro e procurador
geral, com assistencia dos ex-juizes e se-
cretaries que quizerem comparecer indepen-
dente de aviso" ou annuncio : querendo
comtudo o juiz satisfazer as exigencias d'al-
guns irmaos desgotosos e arredar de si essas
supposigoes rnal intencionadas, nenhuma
objeccSo faz para que a consults seja feita
a vohtade de todos os irmSoi: n5o e o juiz
blasonista e nem se considers com direito a
cousa alguma mais que ter elle tido a gran-
de satisfscAo da conclnsao da igreja, que ['e
da irmandade e nao de limitados irmaos,
fazenda tao somente a que lhe foi possivel
para bem desempenhar o lugar que Ihe foi
confiado pelo espaco .'de 27 raezes decor-
ridos.
Sociedade Propagadora da
Instrac^ao publica.
Dinselho paroeblal de Santo
Antonio
De ordem de conselbo parochial desta fregue-
zia, faz so pablico que, ate o dia 18 de fevereiro
vindouro, estara aberta a matricnla da Escola
Normal para sen horas, cujas aulas serao abertas
a 3 do referido mez. Os interessados entender-
se-hao para tal fim com o Rvm. Sr. presideDte do
mesmo conselho a rua de Hortas n. 2, segundo
andar, ou com o abaixo assignado a mesma rua,
n. 9. primeiro andar.
Igualmente scientifica-se aquellas senhoras
alumnas que pretenderem fazer exame das mate-
rias do primeiro anno, que poderao dirigir seas
requerimentos ao mesmo Rvm. Sr. presidente do
conselbo ate o dia 3 do dito mez, afim de lhes ser
designado o dia em que deve ter lugar o acto.
Secretaria do conselbo parochial da Sociedade
Propagadora da Instrucclo Publica da freguezia
de Santo Antonio, 19 de Janeiro de 1874.
0 secretaro,
Joao Landelino Dornellas Camara.
Das 7 ate 9 horas da noite do dia 18 do cor-
rente furtaram de dentro de um quarto que flea
Sor baixo da torre da capella da Conceicao de Joao
e Barros, uma caixa de louro em que achava-se
os objectos seguinies : 100* em dinheiro, duos
letras de 100$ cada uma, aceitas pelo Sr. Deonuio
Hylario Lcpes, dous cordoes de ouro.casaca, calga
e collete de panno pre to, tres fronhas e tres toa-
lhas : quem apprehender, ou quern tiver noticia
onde existe este furto, dirija-se ao sitio da capella
referida, a entender-se com Antonio Joio Alves,
que sera recompensado._________:________________
Esta fogido o escravo Jose, cabra, idade de
IS annos, feicoes miadas, cabellos froxos, pes
largos, veste calca e camisa branca, gosta do mu-
sics : pede se a policia a sua captara, e grati (lea-
se a quem o levar a sea senhor, a rua do Hospi-
cio n. 83, ou a raa do Queimado n. 83,1 andar.
J Descoberlas medicinaes S
{^ MANOEL DE SIQUEIRA CAVALCANTI
1* o Preservatlvo da ery-
sipela : para curar com cerreza, e
en. pouee tempo, qaalquer ataqae de fifa
erysipela, e prevemr o seu reappare 'SB'
cimento.
Este medicamento tambem e muito
poderoso para o rheumatismo:
'' o Regnlador da uiens-
truaeao : para falta, irregularida- ^v
de, suppressao repentina da menstrua- ^?
cao, e dos lochios, vuigo paito) assim
como para todo os sortrimentos devis
do a affecc5e8. Ambos estes medicamen-
tos ia sao muito conceituados, e proca-
ra dos nesta provincia, e na do Rio
^ de Janeiro.
Acham-se a venda somente em casa / do autor, das 9 horas do dia as 3 da *&
/* tarde, e a qualquer hora em cases ur- gas
HI gentes. >^
dfe GRATIS AOS POBRES g&
fttS) Rua da Imperatriz n. 14, 2* andar. *&
Aos reverendos sacerdotes
A todos aquelles que quizerem celebrar missas
com a esmola de 3*, a coroparecerem quinta fei-
ra, 22 do corrente, na igreja da Madre de Deos.
m

x
0 Sr. Joao Paulo de Carvalho e rogado a vir
a rua do Marquez de Olinda n. 33, a negocio que
osenhor nao ignora._____________________________
Sociedade Monte-Pio Santo
Amaro.
Circular. 0 oresidente desta sociedade manda
fazer sciente a todos os sacios que a lunta admi-
nistrate cm sessao do dia 18 do corrente deli
berou que a eleicao para os membros da nova
jnnta que devera funcciouar no anno de 1874,
seja feita no dia 23 do corrente as 10 horas do
dia, devendo no dia 23, rcumr-sc a assemblea
ger.il para approvar este seu acto era sessao, as
7 horas da noite, cumprindo declarar quo para
a eleicao, e concedido a todos os socios, quites
ou nio, o direito de votar.
Secretaria da Sociedde Monte-Pio Santo Amaro,
18 de Janeiro de 1874.
0 1." secretario interino,
______________Rsmao Rodrigues Chaves.
0 chamado que se faz a Joao Evangelista
Gomes, a rua do Duque de Caxias n. 43, nao se
entend'c com o ajudante de despachante da al-
fandega desta cidade.
4llen(jao.
Luiz
Continiia fogido o mulato Luiz, desde agosto
proximo passado, cajo melbor signal e ter o dedo
pollegar da mio esquerda cortado ao meio, pro-
veniente de um talho de foice, descascando um
cAco. Presumi-se que o referido escravo esteja
em immediacies da vta-ferrea -de S. Francisco,
vivendo como forro, sendo que para melhor es-
capar le e escreve pouco. Consta mais que tendo
elle mai, e um irmao alforriado para a guerra do
sal, qae morara nesta cidade, toda a semana o
visitam no lugar onde ella reside. Roga-se, por-
tanto, a todas aa autoridades polioaes e capitles
de carapo, a captara do dita escravo. que se gra-
tiflcar* generosamente neste cidade, a rua da Cruz
n. 30, oa no tngertho lefa^ de) Bal^o, em Goy-
0 Sr. Candido G. R. Lima, faca c favor vir a aru
do Duque de Caxias n. 60 A.
Agencia de leiloes
0 abaixo assignado declara ao respeitavel pa-
blico. qae, tendo aberto o seu escriptorio de
agencia de leiloes a rua do Marquez de Olinda n.
64,1 aadar, contiDua a receber moveis, louca,
fazendas, obras de ouro e prata, predios e todos
auantos objectos se lhe reraetta para serem ven-
idos, era leilao publico oa particular, a vontade
de seus cororaitentes: e como quer qae o sea
dovo estabelecimento se ache o melhor possivel
localisado, alem de que offerece as melhores
proporcdes para a boa conservacao dos objectos
que tenha de receber; o abaixo assignado com-
promette-se nao id a erapregar toda a actividade,
zelo e pontualiiade no cumprimento de seus de-
veres, como mesmo seus pagamentos serao feiots
com a costnmada promptldao, que lhe e conhe-
cida.
Recife, 17 de Janeiro de 1874.
Raymundo RemigJo de Mello Junior.
0 abaixo assignado faz sciente ao corpo do
commercio, que comprou ao Sr. Felisberto de Me-
deiros Barboza o sen estabelecimento de moiha-
dos, sito a rua do Vfsconde de Inhatima n. 75,
livree desembaracado de.qaaesquer onus, e se
alguem se achar com direito ao mesmo pode com-
parecer no prazo de otto dias.
Recife, 13 de Janeiro de 1874.
Francisco do Couto Guimaraes.
Precisa m alugar uma escrava que siiba
cotlnhar : na roa Nova n. 7, loja._______________
Precisa-se de am criado que seja de maior
idade : no escriptorio das loterias. H
PUNDIQAO DO Wf MAN
IDA DO BRDM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS Mnbores de engenho e oairos agricultores, eenpregadoret da m
ainismo o favor de oma visita a sea estabelecimento, para verem o bovo lortimento
ompleto qae abi tern; seodo todo superior em qoalidade e fortidao; o qae con a ids
*ccie pessoal pode-ie verificar.
ESPECIAL ATTEiNCAO AO NUMERO E LUGAR DE SU* FUWWfAd-
faporea e rodas d'ag-na S^KSTWlVSr
orcotMUnciaa dos seabores prnprietarioa e p^ra deacaro^r algodSx
Ooendas de canna %% e uauab0,, a,-Blea>0fdt *',qoi
Rodas dentadas ptra uimm'ag"e V8por
raixas de ferro fandido, batido e de cobre.
ilambiques e fundos de alambiqnes.
fjrOM|t|nlamVf>a para mandioca e algodlo.l PodendoJ todos
UaCniniSmOS epwuemrmideira. f ser movidot a Bio
Rnmhfls (Pr a^a' y^0Tr
nuuiUttB de pateote, garaoUdas........ |oo inimtes.
Todas as machinas pecal de qM M coeto,B, pred,tr
Fa qualquer concerto da machLliMD0- *w oi wroBkl0-
Poniiafl Hfl fflrrO tom m6lD0res e nui> b,r,Us existentes no mfcr-
mnnnmmonrloa iDcambe-se de maadar vir qaslqaer machinismo i von-
aUUUlIUUOUUllBt Ude a0$ ciientes, lembrsndo-lhes s vaotagetn de faieraa
ioas eosopnt por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qoalqaer necessidade podo
bet preeUr aoxilio.
irados americanos e iMlroiDent0' 8rlcolM
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUNDICAO DE FERRO
V rua do Baiio do Trinmpho (raa do Brnm) ns. 100 a 104
CARDOSO IRM10
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferrageris e machinas para en-
genhos, as mais modernas e melhor obra que tern vindo ao raercado.
VapOreS de fore* de 4, 6, 8 e 10 cavaUos.
UaiQGiraS de sobresalente para vapores.
iilOGIiaaS lDXGiraS e meias moendas, obra como .iurica aqai veio.
laiXaS llUnaiuaS e batidas, dos melhores fabricantes.
tvOQaS Q aglia com cubaje de erro, fortes e bem acabadas.
LiOCiaS QentadaS de todos os tamanhos e qualidades.
Reiogios e apitos para vapores.
DODlDaS de ferro, de repucho.
AjaQOS de diversas qualidades.
C OrniaS para aSSUCar grandes e puquenas.
ConCGrtOS concertam com promptidSo qualquer obra ou machine, para o que teem
sua fabrics bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOrnmcndaS man(Jara v'r Por encommenda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londrea
i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
iitas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalbo das mesmas.
Rua do Barao do Triumpho (ma do Brum) ns. 100 a 104
FHNDICAO DE CARDOSO 4 IRMAO.
S



ANTONIO JOSE DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 11.
PIANOS.
Querendo definitivamente liquidar este negocio, vende todos os que tern, novos
asados, pelo preco do custo de factura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
OLEADOS inglezes para assoalho de salos, de muitos liudos desenhos de 11 a 33 pal
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se umasala por grande qut-
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
A.NNEIS electricos para curar dores de cabega. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
&RAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou sfida.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por barato pre^o.

PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, len^os,
meias e todo genero de roupas
COMO TAMBEM
Carious de visita, livros, envelopes e toda a quaiidade de
papeis, clara e exaelamente com o none cooipetente da pessoa
Garante-se dar uma chapa tao boa como poderia conseguir-ie em Eondres ou Nova
York, e affian You can bet your bottom dollar on that
Cada chapa como nome da pessoa e acompahada de dous frasquinhos de tints, um
pincel, uma direcgao sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita para fazer
tinta, custando tudo
Preco fixo 30000
Em letra de mao e gothica 59000
VRGOIAS VMVi.l\lCV^VS
PAEA CHAVES
Sao muito coramodas e possuem as seguintes vantagens :
Servem para ajuntar as chaves, e ao mesmo tempo sendo chatas, ha lugar para o
nome e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fechar, deixara entrar a maior chave sem offender a
argola.
SSo feitas de prata allema e nao sao sujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir ; como as
argolas de eco, sio muito fortes e bonitas. Cada argola americana com o nome e mora-
dia do dono, aberta na mesma, custa :
Preco fixo 3000
P. LAURO MACPHERSON
:no hotel estaminEt
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS DAS 9 HORAS AO MHO DIA.
i

i


3&*> ftowtafco ,- Sexta feira 23 -^Wi f4.
W



II
I
redenco Pinto & C, eo
zendas e*ro
n. 40, pedcm a todos xm 9
devedores o obzequiofe
luifeijis mmi
rem saldar suas contas at
dia 30 do corrente mez, cer-
tos de que, findo este prazo,
empregarao os meios judi-
eiaes para seii real embolso.
Recife, 16 de Janeiro de
1874. ________________
Attencao.
Pan oearnaval
Na raa Mtreita do Rosario n. 35, 1* andar, re-
eebe-se encomraendas de vestuarios de qualquer
fbsto, pelo figoxino e sera elle. para particular e
para loja. Tem para alagar am grande sortimen-
lo de restnarioa novos, bordados a seda e a onro,
como sejant, de principe, pierrots, dominos, etc.
Preparam-se tambem rkoa bouquets de cravos
natoraee e actificiaes, capellas e palmat de flores
de cera e de panno, e ricas bandeijas com boli-
nbos. Todos estes objeetos sao preparadoa com
moito asseio e promptidio, e por muito menos que
em ontra quaJqner parte._________________
A&ULSAS
kctntfH
VARA
I0DAS
COM.S
.*" f M

PARTE
DA
Macbina
Mini
9
Com as falsifica<;des que tern apparecido
DAS MACHINAS PARA COSTUBA
DE
SAQUES
Carolho d Nogueira, na raa do Apollo
. SO, accam sobre o Banco Com mere iaf
de Vienna e suas agendas em todas as ci-
dades e villas de Portugal, a vista e a prazo
por todos os paquetes.
CONSULTOBIO
DD
DR. FERREIRA
Medico operador, a raa larga do Ro-
sario d. 20,
Ami go gabinete de sen pai.
Cura de nydroceles sera injeccJo.
Abrrtura de abcessos e extracgao
de derramameDtos serosos pelo aspi-
rador de Potain.
Consultas de 7 boras da manhi ao
meio dia
Chamados a qualquer bora.
Gratis aoa pobres.
[nstruccao elementar do
sexo feminino.
Balrro do Recife.
D. Amalia Roxo Lima'tem aberto em sua casa
a raa do Bom Jesos (outr'era da Cruz) n. 27, 2.1
andar, urn curso particular de instruccao elemen
tar para o sexo feminino, em que alem das ma-
terias estatuidas na lei, ensinar-se-ha com per-
feicao, todo e qualquer trabalho d'agulha, bor-
dado a cabello, a espelno; afaaer crochet, flores de
papel, de panno e pennas. Garante-se aos Srs. pais
de familias todo o cuidado e esmero na educacao
de suas filbas. Durario diariamente os trabalhos
'jcolares, corao e praxe, das 9 boras da manha
as duas da tarde, a comecar do dia 3 de feve-
reiro do corrente anno.
Fugio do engenho Velho, sito em Jaboatao,
9 escravo Mariano, preto fulo, de IK annos de
Jade, pouco mais on menos, vestido de calf a e
eamisa branca ja bastante sujas, esse escravo e
prognosticador : tem os pes apalhetados, faltando
0 dedo segendo do pe direito on esqnerdo : qnem
o apprehender leve-o a rna do Imperador n. 12,
artorio do escrivao Augusto Cesar da Cunha, que
recompense ra.
Fugio no dia 13 do corrente do engenho Me-
ga 6, da com area de Goyanna, o escravo de nome
Firmrno, idade de 18 a 20 annos, cor fula, rosto
lirapo, tendo falta de dous dentes na frente do
queixal do lado de cima, levando dous chapeos,
um de Manilha, pordo e outro de pello preto, po-
I'tm baixo, por ter sido aparado, palitot de alpa-
ca preta, dous pares de calcas de brim branco,
sapatos de casemira e gravala de seda preta, car-
regou da estribaria um cavallo com sella e freio,
de elinas e cau a preta, canis pretc^ e nm pooco
magro, secco e pncha por uma mao Quem pe-
gar dito escravo leve-o ao dito engenho ou a rua
do Marqnez de Olinda n. 38, escriptorio de Joao
Pereira Moutinho, que sera generosamente grati-
dcado
***&**$ o*<8>oo
SCONSULTORIO MEDICO CIRURGICO m
do 2
Dr. Castro Jesus. &L
flffiua do Quartel de Policia n. 18, i andar.fif
2 Chamados a qualquer hora da noite ouK
W. do dia. fit
jn Consultas gratis aos pobres, das 7 as Qi
2 horas do dia. ^
.***** *$ *****
Escravo fugido.
Fugio no dia 4 do corrente mez de Janeiro de
74 o preto Ignacio, M annos, altura regular,
secco do corpo, bigode e Cavagnac ralo, cabeca
muito pequena, olhos pequenos, falta de dentes
na frente, rosto secco, tern voz baixa, falla pou-
co, e e carregado no semblante, foi comprado
0. Felippa Cavalcante de Albuquerque, senhora
do engenho <"anto Escuro, do sul, e dahi para
a se tem occupado no trabalho de padaria, deve
ter os nos dos dedos das maos ealejados do referi-
do service ; desconfia-se |que seguisse o caminho
do sul para o referido engenho ou seus soburbios:
pede-se as autoridades policiaes ou as pessoas que
j encontrarem de leva-lo a casa de seu senhor, no
Recife, em Santo Amaro das Salinas, rua do Li
na n. 72, que se gratiflcara generosamente.
ALUGA-SE
uma easa na Capunga, rua das Pernambucanas,
com coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31.
Quem preefsar de uma pessoa para cuidar
em meninos, dirija-se ao becco da Cambda do
Carmo 7, #ara tratar.
0 ahaixo assignado declara que faz effectiva
a publicacao, feita pelo Diario de Pernambuco de
24 e segaintes de novembro de 1871; para evitar
.luvidas, faz ella effectiva tambem a seus escra-
vos e a qualquer pessoa sem excepcao. Massan-
gaoa, 20 de Janeiro de 1874.
_____________B Paulino Pires Falcao.
Precisa-se
de um menino brasileiro de 13 a 14 annos de ida-
de, que tenha cu nao pratiea de taverna : na rua
das Calcadis n. 62._______________________
Aluga-se um grande sltio no Salgadinho, es-
irada de Olinda, perto da estacao do caminho de
ferro, tendo pasto para sustentar 20 animaes,
firandes baixas para capim, muiios arvoredos de
rue to, e terra pa-a plantacao : a tratar com Joao
Feitosa, na rua estreita do Rosario n. 23, ou no
palaeio encantado. junto a estacao do Sr. Teixeira
Lopes.
Nos atoaixo assignados, estabelecidos com
loja de fazendas, a rua Duque de Caxias n. 90,
sob a firma Nnnes & Almeida, deciaramos que
nesta data temos dissolvido a mesma sociedaae,
ficando o socio Francisco Nunes da Silva respon-
savel nor todas as obrigacoes contrahidas pela
firma Nunes Almeida. Recife, 31 de dezembro
de 1873.
Francisco Nunes da Silva
Antonio Luiz Rodrignes de Almeida
-------T-------------1-------------------------------
Cozinheiro
Para easa de familia precisa-se de um bom co-
zinheiro : no caes do Apollo n. 69.
O
GO
Nenhuma ma-
china Singer 6 legi-
tima se nao levar
g esta marca fixa no
bra^o da machina.
SINGER
Porque?

Para evitar falsi-
fica^oes notem-se
bem todos os deta-
lhes da marca.
o
&
08
o
B
o
A dinheiro e a prazo!
A contento das Exmas. familias
MACHINAS DE SINGER
Sao mais baratas.
S2o de does pospontos.
S3o simples. *" *
S3o rapidas.
Sao duradouras.
MACHINAS DE SINGER
S8o de dous pospontos.
Abainbam.
Franzem < .
Pregam trangas.
Ma ream pregas.
Bordam de linha de sfida.
Alcolchoam.
Pregam cordoes.
UNICA AGEXUA
EM
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR 45
40 Riia do Imperador 49
Ha neste estabelecimento o melhor sortimento de pianos dos mais afsmados autores,
eomo s3o : Herz, Pleyel, Plap, etc. Offerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riores, mandados expressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarSo nesta casa. -
Recebem-se pianos usados em troca.
Goncertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
conceitadores de pianos
que ha sempre o mais completo sortimento de materiaes para concertar pianos, como
s3o: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, eordas,
marfim, etc., etc.
49 RCA nOOIPERAllOR 49
PENHORES
Natravessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, dd-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
MHE
o sobrado n. 11, sito a rua do Harquez do Herval
e a casa n. 101, sita a rua de Santa Rita : a tra-
tar na rua da Aurora n. SI.
ALUGA=SE
o 2 andar do sobrado n. 58 da rua Marquez de
Olinda : a tratar no armazem do mesmo predio.
0 relojoeiro e dourador ^*
Albino Baptista da Rocha, >g
de volta da Europa, conti- ig
niia a encarregar-se de H
concertar e dourar relo- 9
gios, bem como outros A
objeetos ; rogando a seus 2
amigos e freguezes o ob- IB
sequio de procura lo na rua Duque de Q
Caxias (antiga rua da Cruzes) n. 32, pa- 2,
vimento terreo, que o encontrarSo promp-
to. A garantia de seus trabulhos e fa- Jft
^ ze-los por precos modieos ; aseio como X
! j9 Umbem vende relogios. 9)
CHAMADO.
Os Srs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim Cle-
mente de L- mos Duarte, sao chamados a rua do
Coroucl Suassuna n. 282, a negocio de particular
interefse._________^_____________
Bom negocio
Precisa-se da quantia de 20:000j, pela qual
se pagara um juro razoavel e como garantia
da se uma hypotheca de 24:000i, feita sobre um
, bom engenho moente e corrente, situado na fre
guezra de Pao d'Alho, e pelo qual passara breve
a estrada de ferro, comprehendidas todas as obras
de pedra e cat nelie existentes, e a fabrica res-
Eectiva : podendo se tambem traspassara mesma
ypotheca se assim convier ao proponente. Quem
pois, quizer fazer este negocio, annuncie ou dei-
xe carta fechada nesta typographia, com as ini-
ciaes M. e P.
'I8C1
Ru\ do aEsro
\mm .1 WBTAS

ci'iiliiiua a mikI'i- Tncilo l>rto para aptir*t
luuito diiiitviTj,
CASSA LA
Ch^gou esta fazenda.seorio lindos padroes, veo-
pechhidia 11 1 dio-se anwtstras.
MKTINS
^oprio para vestidos o que ha de mais go6to,
p*droes novos, pelo preco de 400 rs. o covado, e
pechincha 11 | dol-se amostras.
LASBSCOCEZAS
Lasinhas escocezaa, padroes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditai com listras, padroes modernos, a 280 rs. o
covado.
Ditaa li e seda, padroes modernos, a 640 rs. 0
covade, e pechincha I I I dic~se amostras.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padroes bonitos, fazenda de
1*000 a 400 o covado, e pechincha I I I dao-se
amostras.
CRETONE
Cretone em pecas pequenas. com bonitos pa
#5es, pelo diminnto preco de 400 rs. o covado, e
pechincha 11 I dio-se amostras.
Cortes de casemira ds cores, a 5JC09 cada um.
! Cambraia de linbo de cores, a 300 rs o covado.
Dltas pretas para Into, a 240 rs. o covado.
Fustio branco para roupa de mentoos, a 560 rs
o covado.
Brim pardo e de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de chita adamascada,* 3500 rs.
Colchaa fcraacas e com barra de cores, a 3#500
e 4*000.
Lencoes de tramante, a 2*060.
Dites de algodao, a 1*400.
Toalbas alcocboadas, a;6*060 a duzia.
Ditas felpsdas, a 6*500 a dozia.
Lencos'de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de Ditos desguiao finos, a 34500 a duzia.
Cambria iisa transparente a 3*000 e 4*500 a
MM.
Cambraia Victoriaa a 3#80O.
Atoalbado adamascado, a 2*000 a vara.
Dito n-anoado, a 1*400 a vara.
Fustoes de cores, a 1*060 o corte.
Chaies de merino liso, a 3*080.
Ditos estampados, a 3#00,4*000 e 4*500.
Ditos-com listras muito finos, a 5*800-e 6*000
Esgtriao muito fino, a 2*000 a vara.
Bnm preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodao, a 1*600 a vara.
Dito de linho de 9-e AO paimos de lar-pira, a
2*500e2*800a von.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzue cambrau de cores muito fina, pelo di-
minnto preco de 400 rs. o covado.
S6 na raa do Crespo n. 20
fjjade
Gmlberme & C.
Na rua do Barao eira, t negocio de sen inieressd.

Casa dcramno
<"cvre'-e f a <;u n. jni cr f:i^tr_*"s, ifmrnH -
" ti-o.-ar^, 'i rn i>..!aiin i.: > ;">i ."-'i!ir.> d.-
graca, da''-xcellvnti! c.i.-a .-iia i> v> qne foi do flnadoDr. Joaquim Pircs Carneiro M >n-
teiro, passapdo-se escriptura pia maior segui an
ca. A localidade e muito .-alutire, <- a cara muito
tresca, tem magni!i)-it banho de agua duce ecu
frente, e e umito commoda visto que o trem passa
iefronte : quem pretender pode dirigfr-se ao Sr.
Francisco Carneiro Monleiro, em Apipucos, ao
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
on ao Sr. Cannan, a rna do Oommercio o. 40.
Escravo fugido
;
Fugio no dia 30 de dezembro, e consta qne an-
da pelos silios dos Afflictos e /rraial, o Dreto
Tito, idade de 40 annos pouco mais ou menus,
altura regular, e bem preto, e tem na eara mar
cas de bexigas ; levou camisa de cfcita verde e
cal^a de brim pardo ja velho; anda sempre com
um pequeno avental, para encobnr a quebradnra.
Quem o pegar leve-o ao Caminho Novo n. 108. ou
a rua Nova n. II, que sera bem recompensapo-
Attencao.
Vende-se a armacio de fazendas existentes na
de chapeos, sita a rua de de fcarcilio Dias n.
. loja esta que pertenceu ao finado Tranquili-
no Candido da Silva, a qual se acha muito bem
sertida e e muito acreditada. Quem pretender
uma e ontra coosa, dirija-se 4 rua do Bom Jesus
n. 48, escriptorio de E. Burle & C. qne achara
com quem tratar.
Jos6 Antonio da Silva Ma-
chado.

Z'TS*
D. Anna Julia de Barms Macha
do, Jos6 Joaquim Goncalves de
Barros (aujente) e D. Custodia Po-
lycarpa de Carvalho Poggi, agra
decem cordialmente as pessoas que
se dignaram acompanhar ao cemi-
terio os rer-los mortaes de seu pre
sado marido e genro, Jose Antonio da Silva Ma-
ciado, e de novo Ihes roga o obzequio, bem como
a todas as pessoas de sua amizade para assisti
rem aos suffragios que por intencao do finado
se hao de celebrar na igreja de S. Francisco em
o dia 24 do ccrrente as 7 1(2 boras da manha,
por cujo acto de religiao se confessam cternamen
te agradecidos. ____
C0Z1ISHEIRV
Precisa-se de uma perfeita cozinheira, nao im-
porta qne seja ferra ou escrava, para casa de uma
familia estrangeira, paga-se bem: a tratar na
rua-do Bom Jesus n. 55, casa de Keller & C.
Faa-se negocio com o estabelecimento sito a
praca da Independencia ns. 32 a 36, com as mer-
cadorias existentes ou sem ellas : a traur no
mer,mo.
Aaiwa igreja de Nossa Se-
nhora daPenha.
DE
prendas offerecidas, para com
o seu prodacto ser levado a
fffeito parte da obra do ma-
gestoso tempU de N<-issa Se-
nhora da Penha (em cons-
truccjSo.)
DOMINGO 25 DO CORRENTE AS 3 HORAS
Nao tendo sido possivel dispdr no ultimo leilao
que teve lugar em setembro proximo passado de
todas as prendas offerecidas pelos fieis a bem da
obra do magestoso templo de Nossa Senhora da
Penha, nem de outras que teem sido offertada
depois d'aquella data, resolveu o prefeito da Pe-
nha a fazer um ultimo leilao, que devera ter lugar
no dia 25 do corrente mez, das 8 1|2 horas da
manha ao meio dia, e das 3 horas da tarde as 6.
Pede-se aquelles fieis que fizerara offertas, se
dignem manda-las ate o dia 24 oo corrente, para
que possam ellas ser di?postas e inventanadas.
Pela manha e de meio dia a 4 hora da tarde
effe-tuar-se-ha a entrega das 140 prendas, cons-
tando de ouro, prata, brilhantes e mais pedras
preeiosas, objeetos offerecidos pelos fieis, ja inven-
tariados.
De 3 horas da tarde em diante dispor-se ha de
rnnftos outros objeetos ja remettidis, assim como
d'aqneilea que remetterem ate o dia do leilao.
Escravo fugido
Fugio da villa de Panellas, no dia 10 de Janeiro
de 1874, o mulato de neme Ricardo, idade de 28
annos, muRo alto a secco do corpo, bigode fino e
Cavagnac fino e curto, cabeca muito pequena, fal-
tam-lhe quasi todos os dentes da frente, rosto
secco, o dedo indicador da mao direita aleijado,
p6s grandes, intitula-se forro, e consta ter seguido
para as paries de Maceid, buscando um bom se-
nhor, ou sentar praca no exercito; roga se as
autoridades e capitaes de campo queiram appre-
hender ao referido escravo e leva I o adita villa, a
ser entregue ao senhor do mesmo, o major Jose
Ccrdeiro dos Santos, ou na praca do Recife, a Sa
Ramos & C, que sera generosamente recompen
sado.
. n *
Ignacio Francisco Cabral
Cantanil.
Um amigo do finado Ignacio Fran-
cisco Cabral Cantanil, manda cele-
brar algumas missas per sua alma
na igreja do convento do Carmo,
sexta feira, 23 do corrente, as 7 ho-
ras e raeia da manha, para o que
convida os amigos e parentes do mesmo finado pa-
ra assistirem a esse acto de religiao e caridade.
Joao Aftonso Rigueira Pe-
reira de Bastos.
0 abaixo assignado, tendo recebido a infansla
noticia da morte de seu amigo e commitente o Sr.
Joao Alfonso Rigueira Pereira de Bastos, falleci-
do pelas 3 horas da tarde do dia 20 do corrente,
em seu engenho Conceicao, em Serinhaem, rem
pelo presente noticiar aos parentes e amigos do
fallecido, que no dia 27 do corrente pelas 8 horas
da manha, mandara rezar na igreja de S. Pedro
uma'missa, por ser o setimo dia de seu passa-
mento.
Recife, 21 de Janeiro de 1874.
Antonio C. M. Temporal.
MOFINA
Esta encouracado !! !
\^un ijkiIc ru ji*.!r: Tuuto ta lt- ytir ;i fara
Ki'j.:--.c ,.i. i':id. m ij .<.ci-- Vteira de
-vT'\S.; iia ci-i.i (- Na?frti ,u~4u pfuvutoia,
!aTir de Mr a an. Duijiic dt Caoia* b. 34, i a-n-
:luir aquellc negocio que S. S. e 'ompromettea
realisar, pela terceira charaada deste jornal, va
finb de dezembro de 1871, e denois para Janeiro,
passoa a feveredro e abril de 1872,e nada cumjr.o,
a por este motive e de novo cbamado para dito
9m, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
le mais de otto annos, e quando o Sr. sen tilhc se
ichava nesta eidade.
NOVAS PUBLECACDES MUSfCAES.
A. J- d'iievedo-Riia leva n. f t.
Acabam de publicar-se, e acbarn-se a
venda as seguintts musicas :
PIANO SO'.
Danse espanhola, por Ascher 2JT000
Arabella, mazurka, por G. Wer-
tbeimer 1*500
Valsa do Facsto, por Croyzes lf00
Sonho de l'ma viRGEM, per Alber-
tazzi 19000
Anna la Trie, cavatina IJfOOO
AoClair de la Lc.ne, por Bussrr.eyer 19500
ESTRF.LLA DO NORTF. jp |fc ^ ,^fl0
SAl'DAgiO ao Bahia (
Cricket, por Seixas, oflerecida aos
cbrickets club pernambucano e
bahiano 19000
PIAISOE CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por 1. Smoltz 29000
Non h'amava, romance por Guercia 19000
Tambem recebcu da Europa grande >or-
menide musica para piano, piano e
antoudos, raethodos, etc. etc^__________
Aluga-se a pequena meia-agua n. 71 i rna
de S. Joao, (regueiia de S. Jose, com quintal en
aberto, preco de 10j mensal : a tratar na rua es-
treita do Rosario n. 17, 1* andar. das lias ho-.
ras da tarde___________________________
Joao Firmino Correia de Araujo, Innocencio S.
de Assis Carvalho, Jose A S. de Assis Carvalho e
Antonio Columbano S. de Assis C. agradecem
cordialmente a todas as pessoas que se dignaram
de acompanhar ate o cemiterio publico os restos
mortaes de sua presada irma e cuuhada, D. Maria
Florentina S. de Assis Carvalho. e lhes rogam
ainda o caridoso obsequio de assistir a missa do
setimo dia que sera as 8 horas da manha do dia
2^ do corrente, na igreja do Carmo
Laurentino Gomes da Cunha I'ereira Beltrao,
manda celebrar no dia 29 de Janeiro, na igreja
do engenho Santos Mendes, as 8 heras da ma
nha uma missa por alma do seu irmao Pedro B.
Pereira de Araujo Beltrao, 14. dias do seu pas
samento. Para assistir a esse acto convida a
seus parentes e amigos.
fe '?-' ( '; '
D. Anna Correia d'Almeida
Carneiro.
L'ma amiga da finada e sempre lembrada D.
Anna Correia d'Almeida Carneiro, esposa do
lllm. Sr. Manoel Jose Carneiro, manda celebrar
pelo eterno descanco de sua alma um< missa as
8 horas da manha de sabbado 24 do corrente,
na igreja da Madre de Dens; e, para assistirem a
este aeto de religiao, convida a todos os paren-
tes e am gos da fallecida e de seu esposo, anteci-
pando desde ja os seus agradeciraentos.
VI
Aluga-se
/
Uma boa casa na entrada da estrada do Enca-
namento, proxima a estacao do Parnameirim ;
ten 2 salas, 4 quartos, cozibna fora, cacimba
com mnito boa agua para beber, ft terreno com
arvores frnctiferas : a tratar na Praca & Inde-
pendencia n. 39.
A
Na rua de Paulino Camara, outr'ora Cambda
do Carmo, coze-se toda qualidade de costuras,
tanto no artigo de modas, como tambem roupas
braneas, para cozer na macbina ; na mesma casa
fornece se comedorias para casts particulares in-
cluindo todas as qualidades de doces e bolos, e
bandejas para qualquer funcc3k>, todo com asseio
e promptld5o.
qA J> *;-
Engenho Verde na fregue-
zia do Bonito.
0 abaixo assignado previne a quem interessar
possa e especialmente a quem for offerecida por
venda a parte que o tenente-coronel Antonio Cor-
reia Pessoa de Mello possue no engenho acima
dito, que se acha ella suieita a uma bvpotheca
que deve vencer-se em 1876. E porque no inven-
tario a que procedeu o mesmo Sr. tenente-coro-
nel pe[o juizo de orpbaos do termo do Bonito, por
occasiao do fallecimento de sua terceira mulher,
conseguisse fosse avaliada a referida parte pelo
triplo do que valia, dando pagamento forcado e
antes do vencimento, com uma pequena parte da
mesma, a hypotheca do abaixo assignado, vem
este prolestar pela imprensa contra esse acto,
como ja protestou perante as justicas do Ronito,
e previne a quem interessar possa que em tempo
opportune ha de fazer valer o seu direito.
Miguel Dias de Amorim Esleves.
Aos senhores de engenho.
Um estrangeiro se offerece aos senhores de en-
genho, nao so para leccionar primelras lettras, co-1 Cleto da Costa Campe'lo
mo para ensinar o francez com toda perfeicao e|Severiano Jose de Salles.
assumpto francez, pelo grande conhecimento dasI Innotendo Rodrigues de
maneiras mais faccis de aprender-se. Quem de '
seu prestimo se quizer utilisar pode deixar carta
feebada, com ende:'ei;o a Mr. B. A. na rua do
Marquez do Herval, anligamente rua da Concor-
dia n. 98. primeiro andar, a qualquer hora.
Aluga-se, troca-se ou vendese um silio na
Boa-Viagem, o qual tem boa casa de vivenda, ca-
cimba e muitas arvores iructiferas : a tratar na
rua Nova n. 43.
E. A. DELCUCHE.
49-Roa do Marquez de Olinda I.
Acaba de rereber um giande soMimento de f-
logins americanos para parede e mesa, de c
de 24 horas e de corda de 8 dias, com despert.i
dos melhores gtstos e qualidade.
Relogios de ouro patente ingltz verdadeiros, de-
coberto com ponteiro grande no meio, dos ma -
modernos e do melhor fanricante de U ndres.
Grande sortimento de reiofios de prata, prat
duurada, cobertos e descobertos. Ditos de |
foliada (plaqim ), orisontal e patente, de t
preco
Cadeias de plaque o de ouro.
Lunetos e oculus de todas as qualidades.
Verdadeiros vidros de cbnstal da Rcrh'a, .
vista <>ansada.
Vende-se tndo por preco mais baratc que t;i
ontra qualquer parte.
A' loja do Pavio siio chamados os segnin'---
senheres a negocio de seu inten M
Jose Carlos Marinhn.
Alizio Telles de Souza.
Godefredo de Abreu Lima.
Francisco Rosas.
Urgencia.
Sao chamado? a rua do Tuque de Caxias n. -
antipa do Queimado, ns scguinrpj <:ri a npr
que Ihes diz lespeito :
Dr. Dias Fernandes.
Jose Antoni deMenlonci.
CRTA1IO
Precisa-se de um criado que seja asseiado
rua da UniSo n. 17.
na
Aluga-se o 2 andar da rua da Guia n. 34'
com bons commodos para familia e terraco: a
tratar na mesma rua n. 7. *_'.
Fugio no dia 11 do corrente a escrava de
nome Bernarda, idade 30 annos pouco mais ou
menos, tem os olhos um pouco abotoados e tem o
andar moderado ; traja vestido preto e chales
preto, costuma mudar trajos, tem uma cicatrfi na
perna esquerda : roga-se as autoridades policiaes
ou aos capitaes de campo a apprehensao de dita
escrava e leva la no Caminho Novo, sitio n. 110,
ou na rua da Cacimba n. i, que se recompensa-
do generosamente.
Aluga-se
0 1* andar do sobrado n. 90 da rua do Viga-
rio : a tratar coda Jorge Jaeome ,Tasso, na raa
do Amorim n. 37.
Preci;a-se de um leitor que tenha pratiea :
no largo do Terco n. 19.
Precisa se de uma mulher livre ou escrava
Eara vender miudezas nesta eidade e seas sobur-
ios, dando fianca: a tratar na rua do Marquez
de Olinda n. 64, 2 andar.__________________
Em resposta
No jomal de 17 do corrente tem algumas linbas
chamando a attencao da policia ou da autoridade
competente, para alguns italianos moradores na
rua do Socego.
Diz este calumniador que a camara municipal
deve mudar o nome daquella rua, para rua do
Desasocego, em lugar da rua do Socego.
Diz mais que estes italianos vivem ensinando
macacos, tocando realejos, cantando, etc.; nae
sabe este analphabeto que nos amamos a instruc
qio, que tanto adianta e -civilisa o povo; que
amamos a musica que distrabe tanto e que faz
parte de nossa educacao, e cantamos flnalmente
por mera distraccao ; porem nao berramos, nao
gritamos, como diz este calumniador, por nao
termos snas boas qualidades; talvez a nossa vida
nesta rna nae agrade a este calumniador infame,
porque nao vivemos de 11 horas da noite em
diante, em passeios nocturnos, pelas janellas das
casas de familias abracando e beijando mocas,
prostituindo suas almas, emlim : por tanto se esta
rua merece este nome, e se esta sevandijada, como
diz, por tratantes e patifes, nao pode ser senao
pelo calumniador, autor do escripto oontra os ita-
lianos e outros de igual classe, que 6 vivem em
orgias, logrando, detractando das familias alii exis-
tentes. Portanto pedimos ao publico que suspen-
da qualquer juizo que de n6s tennam feito em
virtude aaquelle mentiroso escripto.
Muitos italianos.
Mir. -
J<*5o Barros Correia.
Jos6 de Azevedo e Snura.
Pedro Jo.-t: Gomes Itatis.
Felix Cantalice Ferreira.
Vicente Joaquim de Miranda.
Joao Gomralves Guerra.
Candido Goncalves Guerra.
Jacintho Ferfeira de Heaqnita.
Felix Benvindo de Nasciment-\
Jose Tavares Muniz.
Andre Jse do Almeida Calanho.
Cristiano da Silva.
Auguito Simoes Nunes de Souza.
Domingo* dos Reis Correia Lemos.
Joe Xavier Faustino Ramos.
Casimiro do Reis Gomes e Silva
Feliciano da Fonceca G. de Araujo.
Firmo Candido da Silveira.
Antonio Candido de Ohveira.
Henrique Jose dos Santos.
Mathias Lopes da Costa Maia.
Manoel Jose de Souza.
Caixeiro
Precisa-ss de nm moco com basunte pratiea
de mindatas e que tenha boa conducta : a tra-
ur na rna de Marcjlio Dias n- 86, outr'ora Di-
afftta.
Constando que ha di-
versos pretendentes ao ter-
reno da casa a rua do Bom
Jesus n. 66, pertencente a
irmandade das Almas do
Corpo Santo, pede-se ao dig^
no Sr. Dr. juiz de capellas,
que tendo de proceder-sea
venda do referido terreno,
seja ella feita em leilao pu-
blico.
Offerece-se um moco com todas as habiliu-
coes para um guarda-iivro, o qual sabe fallar a
escrever correctamente a lingua ingleza e france-
za : quem de seu prestimo quizer utilisar-se dei-
xe carta fechada nesta typographia com as ioicia
J. W. J. S.
Drama pastoril.
Hoje 23, depois da bandeira de N. S. da Coi
ceicao do Peres, havera neste povoado um *
mais bem apreciado drama pastoril.







'


Mo&-jtfl*toft&a 2&+diamM kWC
icacao ,
Fuglo *^|#80 as aAwrJ M engenho San
loi MenTO^Bomtrca de KazaTeth; freguezia da
Tricanhai'in, a serava Maria, eriooia, 60 annos
1; idade, pnuco mais ou menos, baixa,'grossa, cfkr
preta. itwto alquehrado, pe* seccos a epanados,
dedos curios. -sbellos broncos, canellas fioas, tem
dous sij.Ti.-C3 cabelludos 'no queixo, e e" bera ladi-
ng. A p>'sa que entregar esta escrava on ao sen
dono, qne 6 o senhor do engeoho acima, Lauren-
tioo Gomes da Cunha Pereira Beltrao, ou no Re-
cife, largo do Corpo Santo n. 19, 1 andar, sera
ecompensada <*om a qaantia de lOOj.
Aluga-se
ease n. 3 Passagem da Magdalenha
ar com 1 M Rego.
a tra-
Na ru
l.Sm
a^lo^i
Kiar, ha y
no n. rj,
-jiaiu tender:
Cera era velasa bogns, a> snpeficrqbalidade.
Cognac ingle*. V J | W .
Retroe de Porto.
Vinho do Porto enparrafiide, em caixas de dazia.
Velaa stearinas inglezas de 1 libra cada masso.
Collegio de S. Sefeastiao
D. MaiuHa Augusta de Mendonra Mello Reg i
pifticipa aes pais, tutor s e correspondentes de
suas araron.is, qoe transferio aqoefle estabeleei-
meut> do cJU'.-r.i;ao para o sexo feminine, sob sua
dire3cT, para a run 'esirella do R Marie A 3i,
andar, ortf e- rnininria a receber alumnae- peoslo-
nisas, rhw ponsiwiisras e externas, serao que
saa aberinra tera lugar no dia 12 de Janeiro cor-
r=Dte.
Garanhuns.
Na rua do Barao da Victoria n. 36, preeisa-st
iliar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Poixoto
ose Paes da Silva, a negocio de particular inte
esse.
ESCKAVO FUlilDO.
Oe. rente, do engeoho Serigi, comarca de Goyanna, o
e3Cravo de nonje Jose Borges, mestre de assucar,
tendo os sijrmes segointes : cabra, idade 30 an-
nos, pouco -mais on menos, boa figara, nm tanto
{rrosr> e espad.mdo, sendo o signal mais visivel
uma gnmma na janta do pe esquerdo : roga se a
t das as ant iridades e capilaes de campo queiram
apprehenler fito escravo p leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Pilhos go do Corpo Santo n. 19, que serao generosamen-
te reconipensiidos.'
Alugara-se as duas casas sob ns. 22 e 2i a
rua.do; Pocos, na freguezia dos Afogados tendo
cada uma 2 quartos, 2 sala*. quintal em aberto;
preco de 80-mensal : para vdr e traUr na rua es-
freila do Rosario n. 17, r" andar, das 1 as 2 horas
datarde.
iamada.
Na rna do Bago da JBctoria a 3, p
fallar ao Sr. 2.TRj#nte9lfe ""
gacto de sw-inttfene.
6 Maria Pestapa, a ne-
Amn le leite
Precija-so de tuna ana, de leite uovo. sera fl-
Jbo, erabera se pague bera : na ma do Coronel
Suassuna n. 296.
4MA
do andar.
Precisa-se de uraa ama pa-
ra comprar e cazlnhar; aa
rna do Crespo n. 18, segun-
A mn A "" NoTa n 16> Pci*-3e de aoa
jniua Mnaparaeoainbar e comprar
'AmM.'.^!^S^^*^T:a DMar,ia
HSR
Car,:
de uraa
para casa de
rua do Imperai
JSt*Sr
30.
andar.
A M A.E
etondo
Rrecisa-s deuaa,an.4J4>(J
coxinhe e angamrae 4>*ra
pessoas que morasn n'am
AM
cio n. f
Precisa-se
aaja-sa ulta fcem : n rua do H t
^"ia xwuca Tjcmnia, aTmi"ae":OtnDraf"i..i
zinhar, paga^se bem : a rna flog fjisos B-!2f?
A -mm A n ^recisa^e na Caa44hida
/%/% G*rmo Q- ,l' de u j-^.j.ym. -^^- pan as* du fte^ueaa tacni-
lia, a qual saiba cozinhar e engwnaw.
Arri!) Precisa-se de nma ama sam Ww| de
a aoaca famalia : na rtw das Pkjram.;9.
CONSULTOflia J
MEDJ0-CIRURICO
DO
r. Santa Rom.
Raa do Barao da Victoria n. 46, 1.'
andar, ontr'ora raa Nora.
Consultas das 10 boras da manha an
meio dia.
Chamados por escripto ajaIquerhora
Especialidades. Paitos, melestlas de'
II
Recif^ DUhittll.i
por^iio
t
Beberite.
Precisa.parji o seu consumo
olea de ricia*.
Vende o seguinte :
Canos dp ferrd garrsnisado de lj% pol-
gez.
PorclO d**4 *i*Ui velha.
Bi!!ietes ffaranfi'dog
iperadSTV IttSSw, itoJ,At**^ *fWo Sd fMona fotfr'gfaflow
Campos. -. n~m -:C -----------------_------- O^aixOMStCTiifcHMa**,,* Tendar. .*.**:
de minaJtma de Inlet(MPIMai M^m***m4illnm am
mewttUMK* M mx*m* <*m **m 4e.Bi 36>4
____. Ta#i naim wiannepo
Preeisa-se de uma ama para casa de res de iOiOmi e 2f000 da loteria queolwrteaMu
twuca Ta-nWia, afhnde'tamprare.^dfejw***^,- i Mwtd:a^ pMevdewia yi
rem receber, que promptamente sera
liquid^ ide mmus
Shad
izn.
60
o nm
azendas para liguidter, por baratfesimo prec/> come
t-^^jbaixoBeve:
\n
ira da Silva 4 Guimarles tend* ejBP,^r
*
0
CoD'Svado aos abaixo assignado acbar-se nes-
ta mtjtt o Sr. Manoc-1 Fernandas de Carvajbo, rett-
deiro dos eng-rabos Barra o Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesmo o obztquio de vir entender-se com os
abaixo assi^nados immediatamente sobre negocio
tendenle aos referidos engeuhos. Rua do Amorim
17, escriptorio.
Tasso Irmaos & C.
Moleque.
l'[cci?a-e de um moleque de 16 annos para
c''. tra serri&o de casa de familia : a tra.ar
ii. r:ia a Pilar o. 23, 2 andar
I iisult: ri > ;;.et!ic i ?
t A. B. da Silva Maia. g
i
8
li:ia do Viscoade de Albuquerque n.
II, ou'.r'orn rna da raatriz da Boa-Vista
ii. II.
Chamados a quaiqmr hora.
Consnltas : Aos \\ tr;. gratis, das 2 as
i horns da tiirde.
g
i
Companhia do Gaz.
A emproza do gar. tem a honra do annunciar
ao pubiico que reccbou-ultirnente um esplen-
dido sortimtJito dt: lustres de vidro, candiei-
rus, arandelas e globos, cujas amostras estao
na escriptorio & rua do Imperador n. 31,
e serao vendidos aos seus freguezes pelo
prego mais razoavel possivei.
Precisa-se
de um cria to para tedos os servigos : a iratar
hotel de Bordeaux.
no
Atnga-se o armazem da rua do Torres n.
K proprio para algum estabelecimento : a tratar
ua rua do Marqnez de Olinda n. 1, segundo an-
dar________________________
Aluga-se uma excellenle casa com 6 quar-
tos cozinha f6ra e grande quintal, sita a rua de
S. Joao d<-fronts do portao do gaz : a tratar a rua
ile Pedro Affi.nso n. 8.
Dinheiro a premio
Di-se at6 a quantia de 3:0006 sob as condifoes
que so convencionar : na rua do Imperador n 73,
I' andar, se dira quem tem para dar.
gt olbos" e do apparelho rwpiratorio. ^
dO*0'*0^ *****
A Tem
Aluga-se para pssara festa um sitio com
excelrente casa de babitacio e banho do rio
6. frenta desta : quem a pwtender, pode
procurar A rua de Gervasio Pffes a. 24.
* M; f^. f ? t >$*.**** .* <'-*MiM(
* GABiNETE MEDICO C1RURG1CO J?
S do *
&, Dr. Ceastaneio Potvtual .$
Rua do Imperador n 8i 1* andar. .^.
2j Consnltas das 11 as 3 da urde, chama- <'**
^ dos a qualquer bora, vteita e da consul- ^J
St tas gratis aos pobres.
*|rfW5fff^f|f*f%fff|$J
AttenQao
0 Sr. Franci-co Ag.Biinuo Madeira, e rcigadoqe
vir a rua do Duque de Caxias n. 60 A.
%
i pagoat
(Whmm. atsnte wpfcilt.im^ln ^el uMM,ittrar9ic;ai prar os mnito felizes bilhetes,qne nao deixaraa de
tirar qualquer?N*os ombo **?. pai^aaesrac.-
annnmaos.
Achaaa-aea-flidM.c.nMito:feli>Ms-Ma*tes ap-
-antidos da t.;flante/-aB:kiejri*. a eeaafcfo d
igralt mMrJcde-Saigaeiro, que seextr*hifa.tio dia
30iBtareMKKiez.

MekL. 26000
..^OTiO JI7S0
Recife, ii'oOaeiro de :lfC
loUfi, jwqft int, i(j Casio U\i'
^ <) abaixo asaignade faa ooiente a pablico
mercio, foer yeaaea ao Sr. Francisco do .Couto
Guimaries, o *ou eitabKleeimeoio de aelhados,
trio a rua do Rangf 1 n. 73, livre edesembaragado
de inaesqner onus ate e>ta. da la.
Recife, 15 d Janeiro d6.18TO.
Feiwbarto de Mejeiros Barboza.
\
Consoliorio medico
DO
Dr. Murillo.
RUA DA CRUZ N. 26, 2.' ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres,
pode ser procurado a qualquer hora do
dia on da noite para objecto de sna pro-
fissao.
Consnltas das 6 horas da manhS as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas da tarde.
Gratis aos pobres.
ESPECIALrDADES.
Moiestias de senhoras, da pelle e de
crianga.
\
CiMPRBE
uma escrava preUt, sem filbo, que scja. sa
dia e forte, .aara o service do casa de fami-
lia, a tratar na rua do Barao do S. Boria
n. 29.
1 **#* P4*>-
CtMBBA^AS A 4, 45300, 59,69 79.
0 B(pjBo^ve|iide um magnifico sortimenba
daamtitfiaafceambraias brancas transpe-
HMeiKiMido^O jardas cada peca, pelo b|-
Rna do RarSfl da Vickrh n w:;[^B?^d*^'WNW^i*fltaWota,-f.
lUrt u B- z2- bero dasjnaisiinas.aiiA-Ci1Sbimam i, ^ ri
um.liquie^od.sr.e^ ^Wtttt'iof^:
Anfc(J ^.Mpurar dinheiro, panvo .quAfloawdfln^.too,** r mMriTnini
MK-Como o respeitavel pubiico, a Tjr surtir se de rrftlitJs fazendas boTTh^tai
iBtttbelecioientode^MiMff *>#.P|rao-a rua da Imperatriz n. 60.
OafMifo Yiaima.
A' este grande estabelecim,ento tem cha-
gado um bom sortimento de jrtacbiws paia
costura, de todos os autores mais acredita-
das raais fbias, qunviiusiunia/n .*ir ao
#eatHsajr*uiararKifr for|jeri
deditas ^apafes-eMlBt.-miei quefvendi de
'01$ 85?,sendri fazonda que valle muito m
dinbeiro.
CO015ALPICOS DE CORES A 59.
d Pavaa-recebeu um elegante sortimento
dos ullimamentena Europe, cujas machmas de ca^aias brancas com bonitos salpiqui-
s8o garantidas por um anno, e tendo wo .8h<* idinhos de cores, tendo 10 fardas
%\J%!0^lT"me9?**m ***<*>** de vestido e vende pelo oarato
qualquer pane desta cidade, como bemis- preco de 59, por ser pecbincba, ditas ^em
igm cDawrta,U, ,pelV tempo tambem i^trn 1 aalpicos-todo brancaseS fteeoda finish
tfino sem despendio algum do comprador. a 79500 e ditas a 59000
rleste estabelecimento t para as raesmas,wachjaas ese stippre qial-j VESTrDOS A'CSO DA COKTE 129
iquer-peca qne seja neceasario. Estas ma-] 0 PavSo vende um bonito sortimento chinas trabalham com toda a pocfeirao de cortes do reslidc* a usr> da corte, trazeado
m e dqusrp9spontoi, fianze e borda toda' cada corte todos os enfeites necessarios cerap
jjjualqaer eostuta- por'-tn que >ja, seus sejam : babadjoaos, enlpe-meios, rendas.
O i'a^jeaoaicaaloala i^iu de me-
Tiwi a ,*tos de Mef4nd llsos detodtsaj
Icftres a^50. dHoSdarMrJ6esTW.B^
'aftdtnlaa.4*6|0l>>.' anw auniue d*
crepem a M9< 1,9.
UPavao veadaalgadao eufeMado etm 8
paiwos dekrgura, pcoprio par* hoato
sendo do mais enco*paoJflaatem-ttedo ar
mercado, liso a 19 arvara etrancadoa.....
19280.
ATOAI.HADO A 19600, 29, W.
0 Pav3o vcadAaaoaiaado tran^edo con
palmosde largura aifcOO e 19400, dit.
adamascado ak 29i.iiato de lmho adamaaos
do a 39 e 5?.
e conTesSa^aSS^'sprta^^d^com fn?* ^ ** j8^!? (lyalld''"le : iwa tra" I recluefifes. e vende pelo barato prego de 129' das com hstrinbas proprias para
balhar a maa derSOPOOO, 40900c. V590do;cada um, assim como, dios* aft de wlbo
e 509000, para trabalhar com 0 p-i so de j com todos os eofeites a 109. cortes de carn-
809000, 909000, 1009000, 1109000,' braias brancas abertas, com listras e lavures
1209000, 1309000, 1609000,; 2009000 e a 69, ditos gnissimos a 89. ditos de carar
2509000, emquanto aos autores nSo ha al-
teracfio de tretjos, eospom^radorespoderao
visttarestee^|aeteciBoet6,. one. muito de-
verSo gostar peia variedadefle* objector que
ha sempr^ paraxeod^r, coifio sejam: cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras par aalas) datas1 de Itelaqco, drtas para
crianca ^(aitas), ditas para jescolas, costarei-
ras riquislimas, para senhora, despeasaveis
para crian^as, do todas as qualidades, camas
de ferro para hom6m e criancas, capachos,
jespelhos dourados para sala, grandes e pe-
braia branca com listras de cores, para aca-
bar 39500, e" pechincha.
CORTES- BORDADOS A 209 E 359.
Pavao vende ricos eortes de cambraias-
brancas delicadamente bordados, pelo ba-
rato pre5oder29 e 359.
w
CASSAS FRASCEZAS
a 300 rs, 0 covado
0 Pavao recebeu um grande sortimento
\!mtte*s*hBStt*2:Er'Z& ^ Hit A'SCRft!: tSTi
Oltoavkrffl: na KvrariaEconoaMca, junto ao arco Queiros com cabo de metal e de raarfim,
de Santo Aatonio. : ditos avulsos, colbexes da metal fino, condiei-
Compri-se um meihodo francez e inglez de ros para sala, jarros, guarda-comidas de
Ollendorff: na nvraria economiea, junto ao arco' arame, tampas.para cobrir pratos; asteiras
de Santo Anton,*------___________________.^^ forrar ^^^^^5 c5mplei0S( ditos
mdX?gXSX, brQuaq" SK! HlSrJiT SK ioi,ette'e ,utros ST
a. 10. 1tos rt'gos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto de>de as" 6 horas da ma-
nhs at as 9 horas da noute a*
Rua do Barao da Victoria n.
22. '
Enchameis.
A companhia da eslrada de fenv de Olinda,
compra mais 50 enchameia de 30 palmos de com-
primento e 5 polegadaa de groaora, para parte
da linha telegraphica : a tratar no escriptorio da
companhia.
0 gerente,
Laurentino Jos6 de Miranda.
rmk%
.11 iu.iV.ivfi
Antonio Jose Rodrigues de Sonza, em seu es-
criptorio a rua do Crespo n 6, compra, por bons
precos,
idades.
eicra70S das diversas cores, sexos
Silva Giiiiiaraes k I.
PRA^A DO COBPO SANTO H. 6.
Teem para vender em seu eicriptorio 0
guinte :
Vellas e bugias de cera, de Li&boa.
Viuho fin.) do Porto, em caixas.
Dito Carcavellas e secco, em ditas.
Ferragens do Purio.
ATT6NCA0.
nde-se uma typographia bem montada, com
machioa e um prela, tudo em bom estado e
prego modico: quem a pretender, dirija-se a
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, 0 covado, organdy branco e lis-
ted e de quadrinaos a 640 rs. a vara fi-
nissimo fi!6 branco liso e de salpicos, e tarla-
t.iuas de todas as ceres.
BOBNOUS A 129.
precui
SUM PAW
0 Pavao vende um bonito sortimen^d*
dos de nseuiBasede seobora a 49000 ec;
vado, ditas lavradinhasa 29, os padrdaLtfo
aauito bonitos e vende-se por este j
preca-ar;
acabar.
Botina a
0 Pavao tem.urn completo sartimenfca^'
botinas muito bero enfeitadas para&eatawa-'
vende pelo, barato preco ie.*|kartigo;ati'
em outra qualquer parteeusU if e 79.
LEKCOS BRANCOS
. mooo.
'0'Pavao vende lengosbrancos, abvnha
dos, tanto para bom ens como para senhoras
a 29 e 29500 a. duzia, ditos de esguiao
cambraia de .lioho t mbem ab 39500, 49", 89, d.tos fraocezos-esouros, par*
rape* a. 69, a duzia.
GAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas 00m peit
de lioho hordadas, proprias p ra uoivo 1
10)>e 129 cadi ama, ditas de lrnhosn se^
rem bord das a 49, 49500 e 59, ditas coo
peito de algodao muito finas a 29, 29500
39, ditas df cliitnfina miadinha a 23>, 29500
0 Pavao vende um bonito sortimento dos e89, *ssira como grande sortimento de <*
mais modernosbornous combonitas listras e ro.ulas francezas tanto dc linbo como deal
vende pelo barato preco de 129 cada um, godJo de 19600 ate 39, gr nde sortimenb
assim como um elegante sortimento dos mais de raei'js cruis inglezas de 49 ate 89000 j
bonitos chales demerini e com listras de seda. duzia
Geroulas francezas de linho ealgodSo, para todos os precos e qualidades"'< Sm
como grande sortimento de meias cruas, camisas, cidenohos, que tudo se vende p.-
pre^GS muito razoaveis.
urrado Torres n. 12, sobradoj 1 andar
se-
Wll-on Rowe & C. vendom no seu arraazetu
a rua de Commercio n. ii :
! 0 verJadeiro paano de algodao azul amencano.
j Bxcellente fio de vela,
i Cognac de 1* qualidade
j Vinko de Bordeaux.
1 Carvao de Pedra de t.idas as qualidades
Para se
obter.
t abaci nhas para mate.
Mate em po e em folha.
Cafe verdadeiro de Java.
Cha verdadeiro das Caravana?
Bolacliinhas ostias, i..;.. dieta?.
Licores flmssimos.
GeWas de diversas qualidades
Doces -;^();, r.m calda s ralados.
FisBibres pr parados.
Padlns c l.'los inglezes.
Xaropes e orchata de Lisboa.
A .neu J las e oonfekos.
li.-U'v pessoa 11 So tent mais
qne ir logo e logo
u ><> ifeiluria lo C'uitii'ox
8 *Imperador%%
Sociedade de Beneficen
Maritima Commercio
Artes.
De ordem do presidente sao convidados to-
dos os socios da mesma para comparecerera do-
mlogo 25 do corrente as 10 horas da manha, na
s la das snas sessoes de confurmidade com 0 art.
n. 47 dos nossos estamtos
0 seeretario,
Roman Jose de Fontes Ferreira.
Carro
G0ZINHEIK.4
Ha para alngar uma preta captiva. cozinheira :
na rua do Bom Jesus n 57, primeiro andar. Ven-
de-se tambem a mesma preta.
amencano
Vende-se nm carro amertcano. de quatro rodas
u 4 assnntos a voolade, em perfeito estado e
arreiw : para ver na fabrica de carros da
a da Florentina n. 14, aonle se dira com quem
se deve tratar
RuadoBrum n. 76
Vende se zinco puro de superior qualidade,
proprio para cobcrtaa de casas, medinao 11 pal
mos de comprido e 4 de largo, por prejo mnitc
em conta.
Aluga-se u-na excellente casa na povoagao
Daarta Qelho, em Olinda, com bons commo-
s para familia; a tratar com Jorge Tasso, rua
Aroo:irn b. 37.
i>o d.a i3 do corrente mez, fogio do engenho
Megadde Cima, freguezia de Tejucupapo, e es-
cravo de nome Firmino, moleque de 18 a 20 an-
no de idade, b a estura, cdr um pouco fula,
roafea Iteuo e reUonflo, tem falla de dous denies
na frenie, corpi regular, pii um pouco grandes,
t-ai nma dat c jllas tem trnia cicatriz. Levou
rco;;a, =tuJu pilitol de alpaca preta, catca de
bn.'u bianco, sapatos de easemira preta, gravata
preta e c'la^ej de VlaniUia. Foi montado em um
cavallo melted com sella e'freio ; o.eavallo 6 de
bom tamanho, bastante esguio, clinas e cau^a pre
tas, manca de uma mao, uroveniente de um talhb
quo levou, e cavarlo ^ rateiro. 0 portador que
r-cgnto.no mos no dia da fugida em procura de
dito KSi-rnvo t.:v,- ndticla 'de fer estado em nm iitio
da Torre onde ell; ja csteve em ontra Toga ^jue
l-i ha pouco t-tiijio., 0 cApltio de campoon.on-
tra qnalqner p^smia que o pegar leve o ae enge-
nho aciin i que sera, gratiucado com a euaawa-
do cem mil retyf ,,,
Al.iga-^ a, Ida dp oftio de sobrado da
ia ft .da n. W :
0 Sr. Manoel Dias, donominadu o canlador,
residente em Garanhuns, queira comparecer no
convento de S. Franeisca no Recife, celula n. 18,
a negocio de seu intercsse.
Escravos fugidos.
Nos ultimos dias do mez de novembro do anno
proximo passado fugiram do engenho Guer-
ra, da freguezia de Ipojuca, dous escravo?, o mu-
lalo Sabin e o mulatinho Lourene.., com os sig-
naes seguintes ; o primeiro, estatura alem da re-
gular, espaduas largos, sem barba, com falla de
alguos denies de cima na frente, de idado de 30
annoa pouco mais ou menos. 0 signal mais ca-
racieristico e ter os pes enormemenle grandes e
muito largos nos dedos, auda como'tapagaio dei-
tando as pontas dos pes um poaco para dentro.
0 segundo, de idade de 13 annos pouco mais
ou menos, com os seguinles signaes : uma ciea
Iriz sobre um dos olhos, que o obriga a traze-lo
mais fechado do qne o outro; as unhas do* dedos
dos pes n o sao boas sobre tudo a do de.le gran-
de do pgdireito. Consta que o primeiro depoisde
eslar algum tempo na cidade de Olinda m uma
cocheira foi para Ingazcira em companhia de
uns almocreves ; e o segundo tem sido encontra
do no Recife : quem os apprebender dirija-se ao
referidj engenho, ou a traves
easa do Sr. Gabriel Aqtonio de Castro Quintaea,
qne sera generosamenie rcmunerado.
MoHte-Pio Porluguez.
Nlo se tendo reunido numero I'-galoa senho-
res socios para se proqeder a elejLao do presi-
dente do eonselho Bscal no dia 18 do corronte,
novamente sao convidados para se reunirem no
dia 25, is to boras da manha.
Sendo este o ?egnndo convite sera a assembled
geral cotttitolda com o nomeifo'de Srs. Rfcioa
qua se dijmarera comparecer
Seer-tarla, it Janeiro de *7t.
Joaqmtrl Xavler Vfelfa ^o.
Liiva i!e jiellica
Amaral, Nabnco & C. vendem Invas de pellica
do cores com toque de mdfo a \f, IJ5 6 e 2< o
par : no Bazar Victoria, rua do Barao da Victo
ria n. 2.
Vende-se as seguintes casas terreas :
Rua do Padre Floriano n. 35.
Rua do Fogo n. 22
Becco da Bomba n. ii.
Bi'cco do Padre Lobato n. 8 A
Becco eb caes da Cadeia-nova ns. 3 e 5.
Travessa do Corpo Santo n. 10.
Largo do Livramenlo, sobrado n..37.: a tratar ao
largo"db Cirmo n. 1, tavcrna.
Aos senhores de engenhos.
Vende-se um escravo mo^o, mestre de assucar
e carreiro : quem o pretender dirija-se a rua do
Rosario n. 12, seghndo abdar, das 10 horas as
4 da tarde ; o metrvo da venda se dira ao com-
prador.
rua
teria*
a tratar na thesouraria dask)-.
Novas popeiiaas a 1#400 rs.
o covado.
VEM-SE
Uma armacao de amarello eavidracada com
balcao proprio para qualquer negocio : a tratar
na rua do Crespo n. 20.
TASSO IRMAOS K
Em seus armazens a rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por precos commodoi
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descaro^ar algodao.
Machjnas de padaria.
Potassa da Russia em barril
Phosphoros de cera.
Sagii em garrafoes.
Sevadinha em garrafSe--
Lentilhas em garrafoes
Rhum da aJmaica.
Vinhe do Perto velho engarraladu
Vinho do Porto superior, dito.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Poles com linguas e dobrada3 ingldsaa.
Licores finos sortidos.
Cognac Gaulhier Frerea.
Latas de toucinho inglez.
Barris com repolho em salmoura.
Cambraias lisas e de cOres a
240 e 280 rs.o covado.
Vernizes cspeciaiis para camia-
gens.
Este verniz, cuja falta aqui tanto sentem
os Srs. fabricant^s o possuidores dc carrua-
gens, acaba de chegar para seu unico depo-
sito, das sguintes qualidades.
VERNIZ BUPEHHH8 PARA CAIXAS DE
CARRUAGEKS.
E' um verniz muito claro e duravel para
as caixas de carruagens, para todas as de-
mSos, ou para a ultima somente, sobre
outros vernizes. A superflcie secca em 12
horas, depois das quaes se expoe ao ar por
algum tempo, o que fazendurecer, e passa-
das 15 a 18 horas node paasar-se a caixa a
pedra pome e dar-lhe em seguida outra de-
mSo. Dao so com facilidade tres demaos
deste verniz sobre as tintas, em Ires dias.
Como nao e neoessario dar lustro a ultimo
demao de verniz eropregado nas caixas d<
carruagens e no dos jogos, convem dl 1<-
n'um local scparado aonde nao haja po
Quando a obra urge,- deve por se 4 sombr?
e ao ar livre depois de secoo, reto 6, passa
das 12 horas, lava-se e enxuga-se bem com
uma esponja humida. Quantas mais veze?
se fizer isto, mais brilhante fioard o verniz,
e mais depressa ss terminard a carruagen
(em caso necessario tres dias depois da ulti
madeoaio). Durante as duas ou tres pri
meiras semanas deve-se lavar a carruagero
com agua fresca, depois de ter ser-
dido.
Os frascos devera conservar-se semprt
hermeticamente tapados, o resto do verniz
nSo se deve deixar ficar no frasco, e pode
usar-se para as primeiras demaos.
N8o deve misturar-se com este verniz
A primeira demao servindo de apparelho, "-"";* !""r-se com este verniz ue-
ajuda a seccar as ultimas demaos eproduz 5 h inKred,eDte- nem 8-r. e
um excellente brilho. de neuhum modo com o secuaute. E'pre-
Verniz saperior aeecavnie para
carruagens.
Este verniz 6 da mesma cdr que o ante-
cedente, mas endurece e secca com mais ra-'
pidez. Emprega-se com bom exito nas
obras urgentes, e p6de misturar-se com o
anterior. A duracio do verniz permanente '
diminue na proporpao da mistura.
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS I
JOGOS DAS CARRUAGENS
NSo e t5o claro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nos jo-
gos das carruagens e tambem para as pri-
meiras demaos sobre cores escuras. P6de
ciso limpar bem os vasos e os pinceis, e c
, melhor e ser vir um piucel para cada ver-
niz.
i Depesito unico para o Brasil, Bartbolo-
meu & C, Pernamboco, Rua do Rosa-
rio n. 34.
Doyle.
J. 0. C,
Tem para ve i r" :
Cognac de Henaeasv, superior e verdadetr'.
Vinho Xres das melhores qualidades.
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cha preto em
A' rna de Queimado
nha ; dio-se amostras
Fernandes.
n. 43, defronte da Praci-
s6 na loja-de Guerra A
PIANO
Madapolao francez fino a
5^500 e6|a pee, a.
Com pequeno ..aeimado n. 43. defronte da Pracinha.
daaKSzrnMKiToalha8 a 4^500 a duzia.
S6 na rua do Queimado n. 43, 6 grande pe-
cbincba.
Ao gosto da epoeha.
A ros'a branca vende ricas popelinas de seda
de uma s6 cor, fazenda mederna e mais largas
do que as antigas, vale 2*000, e a rosa branca
SUm^mW;1*4!!? C0V^d0 ; a3Sunfc?l". lam- Queimado a. 43. defronte da Pracinha.
bem tem a fazenda propna para a* enfeitar.
da-se levar nas casas a rua
loja darnsa branca.
V6os pretos a 4:$.
A roaa branca tem snperiorea veos de filo de
seda e vende paio baratissirao preco de 4 :
rua da Imperaria n. 56, 1 >ja da rosa branca.
na
-tik._^_4 ^_^^J _^ 9ett pr"pri8tarioj ao engei*o Boranhem, m Ara- deste verniVa'rim intervaHo de8;horas, de-
^15iKr*rQa^SaSr 36"" '' Vendera"8e ^bddma.______________________________ ; ve-se deixar a bra intacta per 2 ou 3 dias,
'J------------------------------,.'._____._____ Preciii-se de uma ama nara nnrinhar a i-ntn. no Hm dosauan 'Precisa-ee. alugar umaainay^raaasa^di
ponca familia : na r-na doJnmlt^aii u, 33.
0 propvleatrta da^Hnha >ie omnibus de Ja-
boarao, exptairl Jo]e "H ay JTjpwras la tarde
urn omnibus para 0 Barr; aftft-de faciliura con-
currenea para aJKtndetra 1 aaifesti a ataw&Mt
Lindas las escocezas.
De varlos paJrftes, e ihteiramente modernas, a
360 n 0 covado : na rua Primeiro de Marcn
aatiga do Crespo n. 13, loja das coluraoas, de An-
fcale-GeiTeia de VacenceWos.
Victoria
lattts de 10 libras.
Todas as preparaeSes chimicas do Dr. Aver
passar-se a pedra pome passadas 10 horas, armaiem da rua do Gomnmrrm n 38.
podendo dar-se em seguida outra demfio.
Verniz prelo do Japfto, superior.
Para trabalhos em preto de carruagens. j
Produz 0 preto mais escuro e brilhante, e
pode passar-se a pedra pomes 10 horas de- Vende-se um rico piano novo, muito forte,
pois. Deve dar-se duas demaos sobre um e de excellences vozes, a tratar na rua dc
fundo preto e cobrir-se com outras duas de Barao de S. Borja n. 29. Na mesma casa
verniz que se emprega nas caixas das carrtia- tern para veader-se uma boa mobilia d*
gens. jjacaranda-, com pouco uso, e era perfeitc
VERNIZ PARA COUROS, BRlLHANTE E)e9tado- ------------------------------------------___
elastico... Villa de Palmares
Este verniz, contend na sua composicSo pop z-.m^ veadem-se as duas casas de ns. 51
grande quantidade d'uma substanera muito e52,sitos a rua Maurky, de optimos comaaiee
nintal planado, S
e cost >n mais
constrnidaa de
cansarvadas : na mesma
Venle-se uma aequena victoria em bom wta-
do : na rna da Imperatriz a. 9. _____________
Engenho a venda,
VanBe-ee 0 engenhd Estiva*do'Cabo, distante
da esia^Ao de Olinda cents" de duas I'-guas. 6 de '
agua e ten safrejado m iis de dous mil p&es : a '
tratar no Recife cum 0 Sr. Bernardino de Senna!
'Poniual, rua 4aHadre de Deus n. 36, ou ecm 0
lo pr
lijofo e madeira e bem'
Villa, casa n. SI.
semelhante aoazeite denominado/ufrf.s bce-uf, para familia, uraa dellas-de qtrii
e o unico que da .flexibilidade ao couro ve- 3uartos'3 Mbe e|r,,1-*-*flrt-f"'
n.^ I _i u a do preco acuna declarado ; sao
rho envernisado. Em geral basta uma de-
mao que deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel cfcpois de ter limpo
0 couro com agua-raz. Exposto ao sol sec-
ca em 1 ou 3 horas, e i sombra mas ao ar
secca em 4. Em tempe huanidb e inutil tal
trabalho, por que n*o < possival
verniz ela6tico e seecainte ao roesrae tempo,
Verniz para apparelha.
Depois de ter applicado 2 ou 3 demaos
Sal do Cab* Verde
Teem para vender Joaquhn Jose Gon alve* ael-
tornar 0 **'*' "ln,i a bortto do brigtie portugwez Ow-
rense, fandeado defrnnle traplche Cnnkm, e
para tratar no seu escriptorio a rua if-'Tnmaair
ena.'5.
Veude-se
Lindo ohfariz.
7ropKarS%roaSl\?ha ^"Preo^-se WUK- art, ,para cozinhar
rtBTafll^^ t^vessa do Corpn-Saoion.^.
''lllU'idhr'piirtr ^fuem-i) quizer ver a
(btarna raa do Cresflo, loja d/rSsaojudto ao[
afooae Santo Antoflu;. i
Vende-se quflfo rTot'mplto
Precisa-se de uma ama para cozinhar e com- no hm dos quaes se ipode pulir cam *s\n*
prar para casa de heraeu; solteiro :. na rua Direi- ma faciliojdade. E' eaaeaoiaWnaate neeaa-
___ sawo-eobrir este verniz corn duas deiu&us do
& verniz superQna QWAaatm de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
iro pastoril.
Crifeoa
k#**^lBSlSe^^t^Isri('a
: tta. Porrland
sOBW'ftado cowi aadintas.noiaes, aara f
baxrtoia s* Bande
*ias.
Amaral Nabueo AC. veafleei ban4eja< da me-
ula-ehwrlo de dlfferentesnwdelos r taaaMkoa :
oo-Uaaar vfowria, roaaa BWCo da> Vicctw a. i.
i^siMMcae Te*ddei
Bichas hamtorwza**ne .veru**- mimiUci
HisHKa T*BUQB*S01
poncos fundos, anprti-vaara princip>aat;
>^te Mgoeio jala>aaalKla.aaaa.aaj|>
contmaar por canuiidaoMl^ba :, a MUK
mesma, dfronte do n. IB.
~
N


Diarii&fe *terr\**i*b-*>X&*#d im*2&- dmHkMwtk $kW*tU
<
ir
1
*?

m nmm

04, *i&OOO.
Duiia, de pef}as de
Uiiaaiasimples, as mais baratas e as melhores do mundo! tyj[
IU exposi^Jo de Paris, em 1867, foi concedido a
ftya do too da Victoria n. 28
Elias Howe Jwupr, a jaadalba de our a condecor*-
;fio da Legiao de Honra, por serem as ma&hioas mail per.
feitas do rauado.
A raedalha de ouro, conferida a E. Bowe Junior, not
Estados-Uoidos por aer 0 imeutor da machiua de &o*-
tara.
A niedalha
estas waehinas.
de euro na expesivio de Lendres aoreditana

A
Cabe-nos 0 deter de annunciar que a cornpaflhia das machinas de Howe de Nova-
era, estabeleceu nesta cidade roa do BarSo da Victoria n. 28, um deposito e agenda
*aral, para eru Pernambur-p a niais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
t ra &*' lowe. Estas macninas sSo justameute apreciadas pela perfeirjlo de seu trsbalho,
VPregando uma agulba mais curta com a mesma qualidaae de linha que qualquer oulra,
t*lt. intfloduccio dos mai* aperffei^oados appatelhos, estamos actualmente habifitados a
ifaracer as exame public as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sdo as segwrdts :
frirjflwe.0 public sab^w ellassio duftdouras, para isto prova incontestavel, a
rruinstancia de nunca terem apoarecido. no wereado machinas d Howe era segun-
mlo.
SefHinda.^r.ot^ai'if naterialipreeisa pa*a;repararqaa!qaer desarrafijo.
Tarcoira.Ha nellas menor'frre$io entre as diverse* pe$aa, emenos rapid estrago
f ne n Oarta.-T-Fornam 0 ponto como se fea fat i mSo.
Qcinta.Perrnitte que *& examine 0 trabaibo de ambos os fios, 0 que se Bio consegu
Seita.Fazem pemtomiado era casemira, atravessando 0 fio deum-ioatro lado,
k>jo e seguM**. *wa jaodttioar-se a teftsSo da Hnha, coiem a fazenda mais
Setlma.Oeompfew**'etevtH#ido coma maaorfacilidade,quando1 selemde mudar
*gulha ao conoe^ar no*a> iaostura>
Oitava.'ftritasoompairitiaB da msehinas de eostura, tfcm tHo e'pocas de grandeea e
cadencia. Machinas atWora populares,sao hoje quasi deseonhecidas, outras soffreram
*adanc>s ratiicaes pera'potere aubgtituir: entretantoa companhia das machinas de Howe
optando a opiniio de Elias Howe, me8tra>am artes mechanicas, tem constaBtemente
.fmenta*0'"O su -fofcrteo, e boje nSo arttende a yrocUra, posto que faea 60Q machinas
-r *la.
flada machina acompanha livretos 00m instruc^oes em portuguer.
Limaosy
Rua PrimeirO de'Marco
DE
Cordeiro Simoesc&C.

!*>*!%, .Cfrnp^ueno.^u,, Espalbos, dawMoia *m*> *^^g^i?t%^,n
Riaft'
zia offej
uma, *s Crfa-1400 hoje pwjecompri-
i-qu
in
200 r^. 'os tamar|hoj,,pr^gos,-
a^aito'Ts.- "* ^^'^^ SOr"'! WM*mAS EMIUDEZAS.
para grande toi-
lette, e-'bem asjim para o ordiuario de todaS-as
clasM^e pot .pre pMtitno reiomo.
Caisa do linha de mAtca, a iOO u Fraecocom, olao Oriaa Tacdadain), -a 'andani 1"**' is ra.aa Am pretendentes,
E^m^rimi"x>dada.jpixiA,Ju2.auiMvjCppO, nwiiinw penbor
I I4em con*w*co.da Jiemp, verdadeiro, a Cortes de teda 'le linda* cores.
imperial, a 15000. 1 Grjsdeoaples de tudas as cores/
Garrafa (\e anm flnda.vwilji(t*iir a 1MOO Gorgurao bracco, Uro.de UsU-as, prelo, ete.
, arra'a*'e*gU*8^idarYBW*^rajlmW Se*m Macao, preto e de cores.
0M9.pva'CaJ j ide.m.jdam4itin,.* ifiQ9<
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a Idem idem Magdabma (novidade) a
'00 rs. 119900.
cprd40
Idem idem 60 jardas, a 2+0 rs.
Ma^o de fita chineia, a 800 rs.
uaixa d Unha com i0 notellos, a 500 rs. 600 rs. e W000.
Meios aderecos- com cama/eu, a SOO rs.
iarrafa de tinta roia eitra-iina a 150O0
Poles com dita ingleza, preta, a 100 e
,60rs.
Caixa de penuaaPerrji, muito boas, a
16000.
Idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes tarjados, a 500 n
idem idem forrados, 8 700 rs.
CaJM de papel amiaade, beira .doutada
Caisa de.pds para dentes, a 200 rs.
' Idem idem depo rhinez, muito bom, a
VeOodtrpreto.
Graoadine de seda, preta e^de cores.
Popelioas de lindos padroes.
Pil6 d> seda.brancoe preto.
Ricas baequinas de seda.
Gasatfoide rnerind de cores, la, etc.
Manus hrasileiras.
Pole com opiata.da,Rieef, Rimal.:6aoa.! doJon<- em cambraia braDca rcom ,indos borda-
eel,,1*100.
Dueia < de sabonetos de amendoa, a
3600w .
i Duzia de sabonetes de aniinho transparen-
tes, 29200..
Idem idm coim-fldres, a 13500.
Sabonetes Glvcerino> transpar^nte*, a
HftOOO.
_CiiM.com sabonetes-, format* de fruetoS,
2-B
ia iWWJOe lOoOO.
CasrrM(iio6>-)grr>ies' e peqacnos, a
laWBtMl
Frasco'wagua de culagne, a 200, 320,
MtOa)
dos m Ibores au-
'800 rs.
idem klem idem lisa> a 608 rs.
Duzia de talheres abo bratuio,
lijpOM
ResiiMi de ppel-pautado, a :*JK0O 500-rs. 1$0.
56800. I Bitmtoa -nmito linos
idem idemliso, a 23800, -3*800 e 5*000. ton>s.
Goquca modernos, a 36000.
iHizias-de-.pecas de tran^s de caraco! rias, proprias (*ara presewJles, dos autores
-ranca, a 400 rs. | E. Codray-, Itieanr, VM\6 Freres.ate.-
Idem idem lisas, a -20 rs. Quadros com s:JmtrJs e estampas" separa-'
fjeques de osso e sandalo, a i6000, 46 das.
68000. I Fntremeios e babados transfrireile*'eU4-S
Fita de velludo'de: todas H5 cores e largu- pados.
?*. tlmagnnidetabWeta proprin para'qoat-
Ricas *!apeilas e mantas para noivas.
Riqui-.-imo sortiaeBto de las com listras de
Cambraias de c5res.
Ditas maripozas, braRca?, lizas e bordadas.
Nanzuqoes de lindos padroe?.
Baptistas, padroe* deiicados.
. Percahoas de quadros, pretos e brancos, listras,
etc., etc.
Brins de' Iintio de ,c6r, proprios para vestidos,
corn barra e listras.
|, Rlcaa cortt9 de vostido de lioho, com ibfehes da
100 mesma cor, ultima moda.
-
moanane doLfiiio Craycirn., cn> ^Wwibe de
toixo,'Ja cercatfa, com WO palrm* deTreiite e 900
de mm. e dMM fra-de twin e rsf.'i mSTp'^
do rio, e baslante arborisadas: inlaf na ida d"
Commercio n 1^, escriiKorl" terrro
Ve .de-se uma pvcao d- na-loir de loan
amarello de assoalbo e (orro, viada lo mats', pel*
menor prego po'sivyft na roa da Praia n. 35.
V ende-se
ata-verna siua rua do Rangel B. o. ben :.fr.|de-
zada, unl> jata a praia cmo para'o ruato :
tratar pa rua da Praia n 61.
Vende-se
uma mobilia de atnartlln, eomposta de 12 rmMrn
de guarnicao, I sofa, 2 con;olo-, t mesa redoooa
e tambem 1 lavatorio e 1 mesa dc janiar de ica-
randa, tudo emperfeito estado-: aver no p: ieo da
Paz, em Afogado*, loja d marcinciro '>orreia, que indicara qnem vende
Borracha
para lima.-.
Reeebea ullimaroente a pharmacia Torres, da
melhor qualidade, e vi-ndc por fireco mui cot.-
modo : na rua Direila n. 133.
Jt^iara acabarl
Ricos chaprospwra wnhnra so na rua Duqce
de Gaxias n. 60 A loja da esquina.
Ditos de cambraia de cores.
Ffrsiao de (Tndas cores.
Sains bordadas para senrrora?.
Gamiicis b rdadas para senlioras, de linho e al-
god
Sortimento d.e luvas da verdadeira fabri?a de
'dteroscopios eom 12 Vistas/Ja 69900'. quer loja.
Frasco com oleo parfa machina a 400 rs.
Roa do Barao da Victoria n. 28.
JoUviii,'p:.ra bonieps e senlioias.
LMM e eleg)t3S caismhascimperfutha--- Veituariris rara'rnehln..s.
Diws' para baplizado.
Qjaueoj para tlito,
Toalhas e guard.-inapo; adama-cados de linho de
cor, para mesa.
Ookbasde U.
CtfrSWdbs1 bor dados.
Gratade fortimento de camisas de Hnho, lizas e
bordadas, para liomens.
Meias de core9 para bomens, meninbs e meni-
flat.
A
do
k'
Barao da Victoria n. 2 8.
(#
fifawte feikMi a 2# rs or fa VCrdudciros
list ft
Ossa la, padrSes novos, e de mais gosto que ;
b vindo ao raercado, so na roa do ijuoiniado ;
43, loja de Guerra & Fernandes, pelo ditoinu-1
preco de 200 ra. o covado I
'.heguem fregnezes qne se acaba
Farinha de araruta
Vende-se aeperfor farinha.de ararnta, tan to em !
porches como a retolho, por preco que admiia,
'ibraaretalho.
VEHDE-SE
jtma casa na villa.de Barreuos, na rua do Com-.
oercio, por prego modico : a tratar com Tasso J
Iraaos 4 C
Vinhos de Bourgogne
Chambertin.
Pqmmard
Virits
Volnay
Beanne
Monthelie
Dito Bordeaux em quartollas.
Veflde-se por \vmk pre$o
PARA LIQUIDACA.0 DE COxNTAS
NA
Rua Largu do Bosarlo 34.
ftotiea.
JOltNAl, DAS l'A.yil.1 AS
AssigaaUra-r-iWi, i
1?*000
Entrega se n anmero de Janeiro.
[.IVRARIAPH.VXCKEX.
GAZKTA,Ji3llIDIC4
Assignalura- 1874
,244P00
Vt?nde43e^a coHeec-So di5'fH73 por lftjOOO.
L^'MAIUA KKA(i*aA.
-----------
Boa aequisieao
Vende-se oupermuta-sepor escravos -uma
casa construida do nevo, tend duass,la sa
sois quartos, com gbinete, sala de *n-;
gommar, cozinha f6r-, quartos-para familia,'
cacimba com boa agua do beber e um sitio
bera arborisado ; no alto da1 Torre a tratar
nesta typogrBphia.
\aolia mais cabellos
brancos, \
mmv JAPONEZA.
S:e uuicoapprovada pelas aeadeaaiasie |
soiencias, reconhecida superior a tod* quej
to;n apparecido ate hoje. Deposito ,pr-mci-/rLauzinhas com listras estampadas pelo diminuto
pal a" rua da Gadeia do Rocifc, hole W*r> i eC do 400 rs. o covado.
quez d Olinda, n. 51, l. andar, e ^i^^K^^i^i^-a^a^U^ia, a 1*000 o ,o-
todas as botieas e casas de oabelle*. f GranacHnas prctas com listras de corps a i!00 rs.
Clrttas a 8i0 xi. o covado.
A 240 rs -oeovado.
- A 240 rs. o covado-
S.^fla.rua, p^e de.Cax.ias n. 00 A, loja da
escuina.
B'aralissamo
reiro.
Vende-se
por muito corarnodo preco exce'lenles ^rrep,os
,nos seguinies lugares: na Torre, a margem do rio
Capibaribe e perto da e^tarao do eamiabo de fer-
ne i na estrada de fieberibe, a margem do rio e
oorto da estacao do caininho de ferro, na eslraiia
nrva de Beberibe, tapjmem perto da estajao':' a
patir com Joao Feitosa, na raa estreita do Rosario
UTiero 23.
Chaps EsKzMSSI
Com 12 astes e boa soda, e cabos de madeira.
fiT muito barato : na rua da Imperatriz n.-6,'taja
da Rosa Branca.
o covado.
( Metins tranjados propcios.'pftra ve-tido, a 320 rs
o covadft.
Alpacas deuuadros, prppcias ,para veslidos, a
440 rs. o covaao.
Brim brahco, lona,paracalias a I500a vara.
Dilo U-ancado a UflOO a vara.
Dito4e cores, lir^WiiWP, a.WW a vara.
Per hinelia
'has.
DMas escoeeza?.
Gprnplf to sortiiuento de cbapcos de sol para lio-
mens e senhoras.
Merino de cures para veslidos.
Dilo- pretd; fancado- 6 dito de "erao.
Atoalha to da linho e algod-ao para toalhas.
i AlnaWado pa do.
Dama-co de.la.
Brlns de'llnno, branco do cores e preto.
Setim de Jindas cooes com listras.
t'Aates de merino de cores e pretos.
i Ditos de casemira.
Ditos de seda preta e de cores.
Ditos de toeqnim.
Caracas de chita para bomens.
Ditas de lianella.
Ceruu.las da linho e algodao.
Pannos de crochet para'sofa, cadeiras e conso-
los.
Lencos bordadoi e de labyrintbo.
Culcuas de crochet.
Tarlatana de tolas as cores.
Bicos cortes de vestidos de tarlatana bordados
para cortes.
Espartilhcs lisos, bordados.
FocJard de seda, liddas cOres.
,' Meias.dQ,seda para.senhoras e meninas.
Bfcas'faehas'cese'da e la para senhoras.
Ru* sortimento de leques de madreperolas e
osso.
Damasco de seda.
Bicos cnapeos e vhapelinas para senhoras, ulti
ma moda.
Casemira preta e de cores.
Gbitas, nudapolao, panno lino preto e azul, col-
, larinhos.punhos de linbo e algodao, gravatas, In-
: vas (Je no de EscossJa, 'apetes de toaos os tama-
I nhos, bolsa? de viagem, peitos bordados para bo-
mens, len ' guardaiapos, etc, etc.
Tiiila, cliii c liiino
Amaral Nabuco & C. vendem tintas orisaline
.Lotion vegetale para tingir de prates cabellos,
que se conhece de mais util e commodo, nao so
thapeos desol de seda, eabo de canna, a 8*300 no'niodo de emprega-lo, como no resultado qne
cada.um,.isto .tudo so noa.30.da*ua do Crespo, se obtem. Cha rde. e preto chegado ultimamen6
i tola das 3 poms, deffiftifefrni8-&,p.__________ te, e fumo, ingJez e iraac**, para cigarros e ca-
I'omo! chimbos : vendem no Basar Victoria, rua do Ba-
1 JLarnaval j ildTa Victoria n.l__________^_^
Machinas para encher hmas de barracha, de' venae-se un a casa terrea, (chao foreiro)
diversos tamanrioseffltiM, enchendo mil hraas Santo Arharo das Salinas, rua de Luiz do Kego, de
porriora : unico deposito, rta'pharmaoia amerlca-' J2 palmos de frente e 65 de fando, com quintal
na (te-fferoeira Matsvfc C, a cm Duquede Caxiaa plantadp, o qual tem 800 palmos de fundo : qdem
I.
wo,c
pretendgr, du-jja-se a mesma n. 39.
VELOUTINE
A UMA ESPECIK DS
POS m FLOR oc ARROZ
Especialmenteprepandoecom bismuth
e por conseguinte d'onia acfao Mndavel
BODre pelle.
K' ADHERENTE totalmente HTVI-
SIVEL, dando A pelle umi reecnr e
aveludado naturaes.
Preco da Caixinha com borla 5 fr., em
caia deGh. FAY, 9,raedelaPaix, pabiz.
Depoeito-em Pemmmbuet, A. REGORD.
d6encas secretas
Gh. ALBERT
cctu radical, nrairri a sbocba iu
vnrao di aaLBaMUULEA i impigM, I
alporcaa, borbulbaa, alceras, ticio* de |
aangne, debfiidade, tumorea.
BOLOS ABHUnoa : Commntoa recit 1
ou antigoe; flora* braneaa, coree pallidaa-
Paris, It, i. MontorpieU. Folhcto gratis-
Iftpoatto em Ptrnambuee. A REQOIU). 1
AGUA DIVINA
E.COUDRAY
D'TTA AGUA OE-SAUDE
Preeoalaada par* toocador, com* eoaiuiaata
conitutemeDte u bellu cort* da nocMida, prater-
raotodapeataaae ekolaca morbo.
iBTEBTIKIl inaiTiltl
Umu imitacfiea e JaJaificaeOes fraadaieata.',
is mais tcms damnosas a saii'de, excitadaa pela
fama lao jnftamente adquirida pela Agna di-
vina, okngio-me a reooBmendar aoi canaumi-
dores de reconhecer anicamenle como legitimai
as garrafas do gargalo das ouaes acha-se am*
aeqmnna faxa con minna
firma e marea da (abrica.
PARIS, IS, rae a'Ea(kl.
Kacontr-ieemcilatodMOiprlnclpe.i,eifamU;
Pbanaaeeollcoa a Cabelkraira de amelaea.
GR1HUL0S AHTIIONIAES
BO
or. PAPILLAUD
Nova medicacJo eoatra at molesiuu do cora-
5J0, atthma,eruarrho, coquelucti?, titica. etc
ORANULOS ANTIMONIAES FEHRUQI
NOSOS contra anemia, thlorott, amenor-
rhea, neuralgia, nervoia moitrtias tsero-
phulosas.
SBANULOS ANTIMONIAES FERRUOl-
noios eom bisnath, eoatra u mottttiat
nerviosat, da via* diaoatliM.
, Pharmacia. MODSIttER am Saujon, (Cha-
re nte-I nferieore), Francia.
Deposito em Pemambuet: A REGORD;
MAURER, pharmactqtico.
84
i
DOS .PRBM1QS- DA l PARTE DAS LOTERIAS C0.NCEDIDA8 POft LEI PROVINCIAL N. 111^, A BENEFICIO DA lOtBiAr DB'8. f'RANCISGO DO RECIF+:, EXTfiAHIDA EM 22 DE JANEIRO DE 1874.
MS. PREMS. MS. PREMS. NS. PREMS.1NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
2
3
23
35
45
46
47
48
50
5!
54
56
60
67
69
70
82
83
107
18
20
26
41
57
68
67
It,
84
90i
92
210
15
30
39
41
42
46
17
54
4*
44
9Q&
-,b
-
405
255
61
63
77
82-
m
307
19
31
41
591
74
86
92
9*
96
97
98
40J
9
'22'
29
, a*
4fti
5t
54
68
, 72,
ib74"
m
96
505
21
2i
26
32
35
43
4#

5
537
4J
46
40
71
83
86
92
603
8
20
32
38
47
54
'6J
68
m
88
9
712
19
26
29
36
45
46
48
57
59
63
67
71
73
79
92
94
93
4*
4*
} j-,
806
7
13
26
31
49
53
60
66
68
76
7*
85
90
901
3
18
21
35
37


.
n
55
57
61
s
75
80
96
_M*)2
4
7
8
12
16
26
37
56.
rU


1060
64
67
82
96
1100
45
20
21
29
32,
W7"
43
49
51
68
94
1203
4
6
10
43
15
16
i 6
'.->
T.
^30
34,
36
. 39
ft tf
^i-
1279
86
89
90
96
1301
13
14
18
30
83
i48.
47
53
59
06
79
84
, 87
i 89
WOO
8
P5
, 36
46
49.
- 60
PREMS .-[NS
s _


_
Wr
49
51
59
61
6*
65
66
3
4
tm

4P
62

67
7!
75
82
1518
26
3-7
42

PREMS,
4*
*
u
4,5

1546
49
59
67
84
86
88
94
97
1600
6
40
17
20
30
32
H
50
M
' an _
68
72
75
76
77
8T
90
1700
41
'28
42
49
51
55
59
67
69
79
1782
84
87:
90
91
94
10*1802
4*

m
NS PREMS.
92
-i20K>
4*
3
5
2.
.2*
33
4
47
51
56
Wr
7*
83
, 93.
1905
. 7 .
.
-

'i tii
Ti
tti
NS. PREMS, NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS (NS. PREMS.INS. IREMS.aNS. pRKJaft*.
4*
41
15
49
26,
33
34
m
39
49
m

MM
61
65
70)
7*"
TV-
*2
8ft'
94
oli
M

>_
17
24
2*
33
37
53
54
62
64
67
76
78
79
82

i
to J


22C
26
29-
33
44
59
61
67
74
45
2
92
9
*309
8
22
26
>
_
to,?
4
66
Jb 74'
L I'M -

---
;
2ft
38
40
st
55
59
61
66
68
71
76
78
79
80
96
I
"-1
-^rfaUr':
*j 2
..,
to*
4*
t
4#
'v
I 18
| 28-
, 39
40
45
50
56
68
90
98
2508
4
10
illfi
I"
".II

i
tot
2512
14
20
28
34
37
39
51
54
55
62
65
70
74
79
,2607
13
23
34
'
2
_. i
_________
2765
4*
to*
45
5
45j
a"'
o u
59.
Si,
ft*
aJot
95
42
14
^i'22
24
45 43
48
49
51
53
59
-1 It
_2'P3f-
4?
64
faaftftj
83
87
95
3000
1
2
i
1
3008
15
17
20
22
24
25
27
30
33
?o.
48
64
67
78
80
82
84
94
97
3101
2
45
l5
t 45
i
7


5
44
24
34
36
42
43
55
59
60
63
66
79
88
94
97
3202
14
24
25
34
39,
53
62
67
68
73
77
82
84
87
3311
II
24
33
40
46
54
54
55
56
83
3402
4
15
17
24
26
29
37
41
42
43
63
4-5 3470
90
98
3506
_ 8
_ 29
__ 30
_ 36
__ 39
__ 45
_ 46
__ 47
___ 48
__ 52
5 57
05 62
4 68
Im> 7*
v 87
05 88
45 ' 99
3602
5
^^^ 8
w 14
18
_ 30
40
_ 47
to* 63
4.) 66 -
6S
74
83
_ 84
3703
6
8
45
SO:
45
05
45
-1:OO05
4t
tO5
*5
37iO
38
41
54
64
73
87
90
38 Hi
14
O
I 4
41
:
54
68
74
86
90
99
3903
a. H
33
3i
10
41
46
48
53
6!
62
72
7t<
81
84.
85
89^
99t
'#
la?
04
\4
r

}
WHMMP



8
Diario de PeraABkbaeo Sesfc* ieb* 23 d* JaneffiMfe 167
Rein tori*
A RESPB1TO D*TEGOCIO DO MARrtCJUL BAZATHE
EX-COMMANDANTE EM CHEFS JX> EXERCITO
DO RIIENO.
AUDIENC1A DE 20 DC OUTTJbRO.
1'. Nao tinheis tidoHHHhento dos pro
jectos de reconhecimento Telios e aqandona-
dos successivamento antes do marechal Ba-
zaine tomar passe do commando? ?
R.NAo ; sabia s6:nonto que o imperador
queria fazor passar o exercito sobre a mar-
jjem esquerda do Moselle.
0 general Chabaud-Lalottrmetnbro do
conselho.Dissestos que as pontes estavam
pramptas a 14. A que horas terminou o
trabalho das pontes ?
R.Nio poderei precisar,.
P-Foi pela raahhA, ou A tarde ?
R.A inundagSo produzio-se oa noite de
12 ; empregiraos o dia e a noite da 13 em
loparar as pontes, estavara terminadas a 14
pela manhn. I
5.* testemunha.Depoimento do conde
do Keratry.0 conde esteve addido como
official de ordenangts ao marecbal Bazaine.
no Mexico.
Testemunha NaT sou dos que ligara fe"
& accuslcfto fatta contra o marechal Bazaine,
e foi n'esta opiniao que eu pedi para ser ou-
vido perante a comraissAo de inquerito. Uma
manhS, antes de 4 de setombcp, veio procu-
; ar-me a raarechala Bazaine." "Estava pre-
sent* a condessa de Keratry.
A marechala pedio-me para me fallar em
particular ; disse-me que a presenga do im-
perador no exercito era fatal is operagdes
militares, que o marechal Bazaine se achava
ii'uma situagAo dilucil, e que era urgente
que elle fosse libertado d'aqueila tutella e
'uivesiido no commanlo supremo ; convi-
dou-me a communicar estas ide"as S. meno-
ria da camara. Fui o queeu fiz no mosmo
dia ; seguio-se uma discussao muito viva en-
tre os meus collegas da opposigio, dos
quaes um certo numero tinha conservado
motivos de queixa contra o marecbal Ba-
zaine em con9equencia da expedigAo do Me-
xico.
Todavia, tendo sido sustentada, e haven-
do prevalecido a proposta da marechala, fo-
mos os Srs. Julio Favre, E. Picard e eu, en-
carregados de procurar o mitiistro da guerra,
c o general de Palikao disse-nos que o ma-
recbal Bazaine ia ser investido no comman-
do em chefe, e mostrou-nos n'uma carta o
movimento do marechal Mac-Mahon, na
frente do marechal Bazaine.
Mais tarde, quando dei conti d'esta visita
perante a commissAo de inquer^ e tinha-o
feito porque via n'isso STna prova de que o
marechal Bazair.e nao tinha sido nunca ani-
ma&o dos sentimentos que se lhesattribuem,
que nao tinha sacrificado os interesses do
seu paiz a interesses possoaes; mais tarde,
digo eu, a marechala Bazaine veio encon-
trar-me em Marselha, acompanhada do co-
ronal Vilette ; v'mha declarar-me que a sua
visita n^o tinha sido inspirada por seu raa-
rido. Tendo o marechal declarado que a
tinha ignorado, n*este ponto refiro-me i Sua
affirraativa ; a sua palavra nSo podia ser pos-
ts em duvida.
A marechala accrescentou que me tinha
enganado no sentido do seu procedimento.
Oue ella me nao tinha feito mats do que uma
visits de delicadeza. Eis aqui o que me era
impossivel admittir.
Havia mais de dezoito mezes que todas as
relates entre o marechal e eu estavam in-
t-jrrompidas. A marechala n8o podia, pois,
as oito horas da manha, fazer-me uma sim-
ples visita de delicadeza. Alem d'isso af-
firmo que uo gabinete de madame de Ke-
ratry, ella me pedio para me fallar i par-
te.
Mr. Lachaud. Perguntarei a Mr. de Ke-
ratry se n3odeu parte ao Sr. Julio Favre e
a j minislro da guerra das palavras da mare-
chala.
R.Disse simpresmeato o verdadeiro fim
da sua visita, tern referir as suas palavras
!Naotinha nenhum interesse em repetira cem-
niuOicacAo.
Mr. Lachaud.Dizeis que n8o havieis
feito esta confidencia ao Sr. Julio Favre, e
ao ministro da guerra. Encontro-a no vos-
so depoimento, feito perante o commissario
mas
Jlij? do dipimento, no
qual se di marechal Bazaine ji n8o
quern obedeowsio imperador. 1 *|
ve ser o meu' depoimento feito perante a
commissio de inquerito de 4 de setembro,
no qua!" se diz que o imperador oompro- que tinha 70 annos de id
mettia as operagdes militares, que o mare- Presidents. Conhecieis o marecbal Ba-
chal ji n8o gueria aeeitar a responsabilida- zaine antes dos acontecimentes de 1870?
R. ifao
tamos tod
o comman
da tutela d isfpferador.
6.* testemunha. Depoimento do gene-
ral conde dePalikdo. A nedido do presi-
dsnte, o general conde da Palikio declarou
de da gnerrav e que desejava dar a sua de*
missao.
Mr. Lachaud. Desejo saber se a teste-
munha doclar.u ao Sr. Julio Favre a ao mi-
nistro da guerra que o marechal Bazaine ja"
nao queria obedecer aoimperalor?
R. Nao. Nunca fallei senao dos
pontos indicados no men depoioiento.
R- Conhecia o marechal Bazaine desde
a campanha d'Africa de 1831. Conheci-o
sempre como um homem leal e intelli^ente.
Pretidente. Fazei o vosso depoimento,
General Palikdo. Declare ter recebido
a 21 do agosto a visita dos Srs Keratry,
tres Julio Favre e muit is dos seus collegas ; mas
nego que esses senhores me tonham fallado
Presidents.Vou mandarfazeraleiturada das divisoes quepodiam existir entre o im-
declaragao da marechala B.izaine ; se por perador e o marechal Bazaine.
part j da defeza ou da accusa<;ao se manifes- Accrescentou qne se o Sr. Keratry lbe
tar o desejo, poderei ordenar o compared- tivesse pcrguntado que partido tomaria, se
mento da marechala. o marechal Bazaine recusasse obedecer ao
Mr. Lachaud.0 compareclmento po- imperador, lbe respooderia que um homem
deria tor inconvenientes. de bem nao tern mais do que uma palavra;
0 escrivfio fez leituri da declaragfio da e que elle cavalueiro como era, tend i jura-
marechala Bazaine. Diz n'essa declarcgao do Gdclidade e ohediencia ao imperador,
que a visita feita ao Sr. de Keratry foi em nao violaria o seu juramento.
consequencia da quest&o da imperatriz, no A pedido de Mr. Lachaud, fez-se leitura
momeuto em que ella peosava em fazer de uma earta, dirigida pela testemunha &
entrar nos conselhos alguns i embros da marechala Bazaine, e confirmado o seu de-
opposigdo. poimento.
A marechala allirma que nao di*se nada! Presidente. Nao tendo a aeeosacao,
aoSr.de Keratry, relativamenle & maneira'nem a defeza nenhuma pergunta a dirigir-
porque elle procedeu junto da esquerda do vos, podeis retirar-vos.
corpo legislative ; umlim que, na sua con-
versagao, o Sr. d da necossidaJo-de constituir um conselho de
defeza.
0 Sr. de Keratry.Protesto com indig-
nacao contra essa declaragdo, da qual tenbo
agora conbecimeDto pela primeira vez. >ao
tive, e n3o podia ter nenhumas relaeoes com
a'dyuastia imperial. 0 marechal Bazaine
deve lembrar-se que no momento em que
aceitou o comuando de Nancy, lbe testimu-
nhei o sentimento de dever aeeitar uma si-
tuarao que podia conduzil-o a actos doloro-
sos contra a populagao de Paris. Respon-
deu-me entao em taes termos a mensagem
dos meus collegas da opposicio, quejul-
guei dever interromper todas as relagdes com
elle.
Presidente.Essas considera^des pessoaes
s8o estranhas ao debate. Podeis retirar
vos.
6.1 testemunha.0 Sr. Julia Favre.
Nao tinha a honra de conheoer e marechal;
mas estava, como toda a gonte da Paris,
preocenpado COOl o perigo que fazia correr
ao 00955 exercito a tnsufficiencia do com-
mando. Os meus amigos e eu, tinhamos
pensado que o commando nao devia ser
conservado nas maos do imperador.
E, pondo de parte todas as preoccupacoes
politicas, desde o mez de julho tinhamos
voltado as nossas attengdes para a impera-
triz, solicitando-Ihe que chainasse a atten-
r,io do imperador, e que collocasse & frente
do exercito um dos seus higares tenentes.
Mr. Schneider, disse nos: a Peosaes que a
dynastia e prejudicial ao exito dos nossos
exercitos?
Separamo-nos de Mr. Schneider. Nunca
houve nem de pertonem delonge, nenhum
interesse entre o marechal Bazaine e eu, e
se temos pensado nelle, foi porque partilha-
mos dos receios da popularSo de Paris. E
necessario lembrar com que anciedade
eram esperadas as noticias do exercito.
Perguntava-se quern era o homem capaz
de poder tomar o commando. Confesso a
minha incompetencia, e o3o posso deixar
de repetir o que aqui toda a gente dizia :
o marechal Bazaine 6 considerado como esse
homem. Foi por isso que, de accordo
com os me is amigns, pedimos explicacdes-
ao ministro da guerra a respeito das suas
intencdes, e solicitamos que o marechal Ba-
zaine fosse investido no commando.
Eis aqui qual era o estado da nossa situa-
580 respectiva, e n3o tenbo necessidade de
accrf-scentar que 0 marechal u&oentrava em
cousa alguma nesta maneira. de proceder.
Comprehendiamos muito bem que era ne-
cessario deixar toda a independencia iquelle
que aceitava 0 commando.
Mr. Lachaud. Na sessao em que se
decidio a visita ao ministro da guerra, n8o
disse Mr. Keratry, que o marechal Bazaine
nao queria obedecer ao imperador ?
FOLHETIM.
LUCHECIA imiL
MEMORIAS OE SATANAZ
POR
D. ManoclFernandeasy Gonzalez
AUDIENCIA DE 31 DE OUTUBRO.
Doas testemunhas sSo ainda chamada
para depor sobre os factos comprehendidos
nos primeiros nove quesitos estabelecidos
pelo duque d'Aumale ; isto e, sobre a toma-
da de posse do commando. Essas duas tes-
temunhas eram os Srs. Rouhere Schneiier.
Sobre os factos comprehendidos no segu n-
do periodo as operagdas militares desde
12 at6 18 de setembro, o marechal Canro-
bert e os generaes Ladmirault, Bourbaki e
Frossard devem ser ouvidos nesta sessao
Sempre a mesma affluencia de coocur-
rentes. Ao meio dia todos os lugares esta-
vam occupados; os bancos reservados is
testemunhas tinham sido invadidos.
0 conselho entrou em sessao ao meio dia
e meia hora.
0 presidente declarou aberta a audiencia.
0 marechal Bazaine e introduzido na sala.
Continue a inquiricAo das testemunhas.
Presidente. Escriv8o, queira inlrodu-
zir na sala a primaira testemunha citada
pela defeza, Mr. Schneider.
A testemunha entra ; declare chamar-se
Eugenio Schneider e ter 70 annos de idade.
Presidents. Dignai-vos depor sobre ps
factos que se referem & tomada da posse do
commando.
Mr. Schneider. Trata-se de saber se o
marechal Bazaine pedio o commando, e se
elle fez diligencia para o obter. Respondo
que nada pdde motivar aquelle pensamento.
De todos os homens consider* veis que eu
conheco, nenhum mostrou tanta sabedoria
e modestia como o marechal Bazaine.
0 Sr. Julio Favre e os seus amigos m'o
testemunharam declarando perante mim que
o commando devia mudar, e o nome do
marechal foi pronunciado naquella occasiao;
mas, repito, nada me pareceu melhor do
que pronunciarem-se a favor delle. Os
gloriosos estudos de servicos do marechal
Bazaine motivam sufficientemente a sua
nomea^ao.
Presidente. A aecusacSo e a defeza, nSo
tendo cousa nenhuma que de lugar a diri-
gir-me a vos, podeis retirar-vos.
Depoimento de Mr. Rouher :
Mr. Rouher. ( Eugenio) 59 annos de
idade, membro da assembles nacional. Se-
nhores, n3o tenho absolutamente nada que
dizer a respeito da posse do commando to-
mada pelo marecbal Baaaine. Nao sei por
que foi chamado.
Mr. Lachaud. Tendes tide conbeci-
mente de pedidos feitos pelo marechal Ba-
zazaine para obter o commando t
R. Sei que elle nao fez mais do que
obedecer a uma ordem do imperador, mas
que n3o deu nenhum passo para o obter.
Presidente. Vamos ou-vir as testemu-
nhas que depozeram sobre os factos compre-
hendidos no periodo que decorreu de 12 a
19 de setembro.
Depoimento do marechal Canrobert.
ia? Canrobert. Nos n/imeiros
se seguiram i dMaracIo Je guer-
va eu em Chalons. A' minha cbe-
Metz, no dia 11, soube da nemeacio
marechal Bazaine ; nAo collaborei nessa
nomeacAo, mas approvei-a.
'. :k testemunha tratou dos prelirainares da
>atalha de Borny, e declarou qae o dia tinha
deixado toda a vantagem para o exercito
francez. Na noite de 15, disse. elle, recebi
ordem para fazer acampar o 6.' corpo em
Rezonville ; pouco tempo depois, foi-me
mandada outra ordem, -para estar prorapto
a continuar o movimento de retirada.
Fiz pegar em armas minbas*tropas ; mas,
duas boras depois, terceira ordem me de-
terminava que fizesse dar descango As mi-
nhastropas. Apenas recebi aquella ordem,
fomos afacados por um fogo dj atiraJores
de artilheria. Peco ao conselho que tome
bem nota deste facto. Felizmente a ordem
nAo tinha ainda sido executada.
0 meu corpo de exercito tomou a sua or-
dem de bataliu e tentou fazer frente ao ini-
migo. Apezar do fraco offectivo da minha
artilbaria, podemos conservar as nossas po-
sicdes ; mas isso cuStou-nos 5,525 homens,
entre tnortos, feridos e disperses.
A testemunha tratou depois dos factos que
sepassaram no dia 17.
Recebi, disse elle, ordem para occupar
a posicAo de Verneville. Julgando m8 aquel-
la posicao, preveni o marecbal Bazaine. Cm
resposta ao meu despacbo, o marecbal Ba-
zaine autorisou-me a esten Jer-me para Saint
P'ivat, com a condicAo de apoiar a minha
.uerda na direita do 4.# corpo, commau-
aado pelo general Ladmirault.
0 marecbal Bazaine tinha accrescentado
pelo seu proprio punho estas palavras :
Mandando-vos occupar Verneville, a mi-
nha intengao e que estejais prompto a sas-
tenlar a retirada do 4 corpo. Era esta
a posicao que me estava reservada no dia 17.
0 mirechal Bazaine tinba-me tambem
dado or lem para fortificar a minha posicAo,
mas nlo tinha pensado que a minha reserva
de engenheiros tinha flcado em Chalous.
Devia saber tambem que o meu corpo de
exercito estava incompleto nao tinha se-
nao 26,000 homens e que as minhas
munigoes estavam quasi exhaustas. Foi
nesta situacao que tive de supportar o ata-
quede uma grande parte das forgas ioirai-
gas.
Nao dispunha senao de um pequeno nu-
mero de baterias. Nao poderia ter mais de
sete baterias 0 marecbal fez quanto pdde
para me munir deltas, mas nao pdde man-
dar-rae mais de duas baterias. Foi com
cincoenta e quatro pecas que eu tive de
lutar na batalha de Borny. Tinha recebido
ordem para me pdr em movimento na noite
de 14 para 15, isto e, de passar o Moselle.
0 6.* corpo, que eu tinha a honra de com-
mandar, estava em boa posicao e atravessar
o Moselle era para mim uma cousa excessi-
vanoente facil. Esta vamos acampados em
Longway, proraptos a mover-nos, quando
foi necessario dar batalha, e devo dizer que
o marechal e conduzio com bravura.,
0 movimento de retirada estaya preparado.
De Gravelotte, o 2." e o 6. corpos deviam
tomar o caminbo do sul pelo Razonville e
Mars-la-Tour, osoutros corpos deviam *eguir
a estrada de Conflans. A guarda licava em
Gravelotte, quando tudo mudou. 0 que
se tinha passado ignoro-o eu ; mas i noite
de 15, quando chegamos ao nosso acampa-
mento de Rezonville, vi a meu lado o 2.
corpo, que devia ter tornado outro caminho.
Nuo fiz observagoes. Estavamos cobertos
na frente por uma divisao de cavallaria. A'
noite, recebi ordem de estar prompto a
marchar no dia seguinte pela manha. Es-
tavamos promptos, quando recebi contra
ordem. Eu estava inquieto. Dousofficiaes
do grande quartel general me trouxeram
ordem para retomar as minhas posigoes
Em quanto eu fazia reunir os meus offi-
eiaes, apresentou-se o inimigo. Estava ao
nosso alcance e n6s soffremos pego ao
conselho que tome nota desta circumstancia
soffremos urn fogo de atiradores de ar-
tilbaria a 3,500 meiros.
Fiz tomar posigAo & minha artilharia, e
trocamos tiros de canhao. Eu tinha apenas
54 pegas, mas responderam bem. d corn-
bate custou-nosem mortos e feridos, 5,500
homens. Apezar de. tudo, sustentamos as
nossas posigoes.
0 marechal mostrou-se no meio dfaJiL^ini
conQicto, e esteve a ponto de ser mor '.>. acbura
Permitta-me elle dizer-lbe : um general em
chefe nao esta" no seu lugar no meio de se-
melhaote confusAo, mas deixou-se arrastar
pelo sou caracter, e arrebalamentos seme-
Ihantes nao sio raros no exercito francez.
A batalha pertonce aquella" que deve on-
terraros mortos dizia o general Menchi-
koff. Pois bem, ouso dizel-o : a batalha
foi a nosso favor, porque flcamos senhores
das posigoes, o porque recolhemos os mpr-
tos d campo da. batalha. Estavamos se-
nhores do campo de bawlha, e preparava*
mo-nos para avaug&r, quando recebi do
grande quartel general ordem para nos
conservarmos nas nossas poeicdes ate* as del
horas da noite, e para dornir no campo
da batalha. i.
Pelas tres boras da manha recebi or Jem
da ir tomar posigoes em Berne vi lie. Se
tenho boa meraoria, tratava se de aproximar
de Metz para assegurar o abastecimento do
exercito. Cheguei a Berneville, e fiquei
sorpiehendidu da posigao que me tinha sido
inJicada ; estava.cercado por tres bosques.
Fiz por escripto algumas observagoes ao
marecbal, as quaes lbe maodui pelo coronel
Lagorge-Dupin. 0 marecbal disse-me :
Tinheis uma boa posigao em Berneville,
porque a nao tendes guardado ? Res-
pondi-lbe que aquella pnsigSo me tinba
parecido mi. a Nao era essa a opiniao do
general em chefe replieou elle. Fiz-lbe
observar que nao tinba feito mais do que
suhmetter-lhe a minba impressAo, e que
elle a tinba admittido sem autorisagao.
Pretendeu que, em respeito pelo seu antigo
chefe. por um marechal de Franga, n8o
tinha julgado dever oppor-se is minhas
instancies. Permitta-me elle responder ainda
que eu somente expuz que a situac8o me
nao parccia boa, mas que nAo tinha feito
instancias. Pelas tres horas e meia, o ma-
rechal manJou-mc, sem observagoes, uma
Privat,
SEGUNDA PARTE
SAVONAROLA.
XVI
ASSALTO DO COSVENTO DE S. MARCOS.
(Gontinuagao do n. 17.)
Entao Savonarola quiz evitar uma dolo-
rosa effusao de sangue com o seu proprio
sacrificio.
Revestio a capa pluvial, pegou na cruz,
e disse aos seus companheiros :
Deixem-me ir, jA que por minha cau-
sa se levantou esta tempestade. E pretendia
entregar-se aos seus inimigos.
As exclamacdes o demonstrates de dOr
foram geraes ; religiosos e seculares se agru-
param em torno de Savonarola, excla-
mando : .
NSonos abandone... Stri feito em
pedagos, e que poderemos n6s fazer depois
sem as suas luzes ? .
Quando vio que os sens amigos mais leaes
impadiam a sua determinagAo, mandou a
todos que o seguissem, e, depois de levar
em procissao o Santissimo Sacramento, em
torno do claustro, levou os ao coro onde
Ihes disse que a orag8o devia ser a unica
arm a dos religiosos.
Todos se pozeram em oragAo diante do
Sant'ssimo Sacramento e entoaram o psal-
mo : Salvum fac populum tuum, Do-
mine.
' Alguns haviam deixado as" armas encos-
tadas A parade, outros conservavam-n'as, o
moitopoucos tinham ficado.de guarda nos
pontos mais importantes.
Era ae cahir da tarde.
AmultidSo multiplica-se na praga, e, o
nto edcr>ntrar resistencia, augmentava a
audacia dos inimigos em auxilio dos quaes
a senhoria, ii abertamente cootraria a Savo-
narola, enviava a sua propria guarda.
Ao mesmo tempo entravam na p ;
guns maceiros que apregoavam em grandes
vozes um bando da senhoria em que se or-
denava a todos os que estavam no conven-
to, que depozesscn immediatamonte as ar-
mas. e se declarava desterrado a Savona-
rola, com a obrigagao de sahir no termo
de doze horas, do territorio ft irentino.
A maior parte dos que ouviram o pre-
g8o, julgaram-n'o uma astucia.
Ndo era facil acreditar que a senhoria
quizesse impor aos sitiados que se nAo de-
fendiam, adeposicAo das armas, emquanto
que aos aggressores, causa unica d'aqueila
ordem para me dirigir para Saint
na direita do 4. corpo, commandado por
Ladmirault.
Quando cheguei a Saint-Frivat, comecava
a anoitecer, e tomei as ninhas posigoes no
meio da obscuridade, e em muito mis con-
digoes. Rectifiquei-as o melhor que pude.
Mandei chamar o maire de Saint-Privat, a
quern pedi alguns homens seguros, os quaes
mandei reconbecer o terreno que Qcava na
minha frente. De noite o marecbal man-
dou me um capita pertencente ao seu esia-
do maior general, para me perguntar se es-
tava satisfeito com as minhas posigoes; res
pondi-lbe que me ia fortificar' n'ellas, e que
alii esperava as suas or Jens. Effectivamen-
te empreguei as poucas picaretas e pis que
possuia para remover a terra, e improvisar
intrincheiramentos, segundo as ordens que
tinba recebido.
No dia seguinte, cedo, o inimigo rorapeu
o fogo contra os meus postos avangados.^ 0
marechal tinha-me mandado duas baterias,
o que fazia onze. N8o tinha podido muni-
ciar-me no dia 17, e foi com os meus de-
positos meios vazios que tive de sustentar
a batalha de Sain'.-Privat. 0 inimigo, de-
pois de um canhoneiro energico, carregou
com a guarda prussiana entre o 4 corpo e
o meu. Nao tinha nenhuma metralhadora
para o suspender na sua marcha, e nunca
semelhante occasiao se me apresentou de
utilisar melhor as metralhadoras.
Todavia fizeraos suspender o inimigo, e
matAmos-lhe 7:000 homens. Depois da ba-
talha, o rei da Prussia escrevia A rainha
Augusta : Saint-Privat e o tumulo da
guarda.
O marechal Canrobert faz a descripgAo da
batalha de Saint-Privat, na qual o seu corpo
de exercito deu provas de tanta coragem, e
foi tao experimentado, especialmente achan-
do-se em face de forgas superiores. Mandei,
disse o coronel de Bellegard, o marecbal
commandante em chefe. Este fez voltar o
mesmo official enca-regado de me dizer que
tinha dado ordem ao general Bourbaki para
fazer marchar em meu auxilio a divisAo dos
granadeiros da guarda, e ao commandante
de artilberia para mandar a sua reser-
va. Immediatamente fiz saber is minhas
tropas. afim de sustentar a sua forga moral,
que iamos ser soccorridos, mas o tempo de-
correu, e eu nao vi chegar nada 1
Em pouco mais tarde recebi um despa-
cho do marechal, annunciando mequeo ma-
Sua mulher, assustada com o tumulto,
estava n'aquette momento A janella, cheia
de espanto.
E, emquanto escutava vag-tmente os gri-
tos desesperados de seu marido e dos assas-
sioos, uma bala partida de entre a multidAo
reunia aquella desgragada a seu esposo.
Em seguida, aquelles malvados arromba
ram as portas, invadiram a easa e incen-
diaram-n'a.
Veio augmentar aquelle horror o ter-se
encontrado na cams, morta suffocada pelo
fumo, uma crianga neta de Francesco Va-
lori, que estava dorraindo na occasiao da
invasSo.
E, com tudo, nem entao nem depois, a
senhoria instaurou processo contra nenhum
dos autores de taotos crimes.
Ao mesmo tempo era entregue ao saque
e incendiada a casa de Andrea Cambini
e as de Antonio Poderini e Joao Baptista
Rodolfi foram salvas do furor do popula
cho, somente com a presence de alguns
amigos e de alguns maceiros da senhoria.
Aproximava-se entretanto a noite e o fu-
ror aos inimigos de Savonarola augmentava
em toruo do convento
Largaya-se fogo is portas, emquanto que
outros, intentando um assalto formal pela
rua del Maglio, penetravam no claustro
rvatono em que se
visto forces inimi-
se reuniam na nossa
direita. Era meio aia pouco mais ou me-
nus, i batalha estavaempenhada. Em pou-
co tempo corae$aram a SalUr as municoes.
Mandei pedir auxilio ao meu camartd* De-
lievre, que me emprestou quatro caixoes, os
quaes fiz immediatamente aistribur* Mas o
fogo do inimigo ganbava em intensidade, e
diminuia o meu. Tivemos de retirar pores-
calAo ao passo ordinario. Beco-vos que ob-
serves bein esta palavra. Soube mais tar-
de quo nos tinham sido mandados d ze cai-
xoes, mas chegaram tarde ; soube tambem
que a artilheria da guarda tinha vindoe ti-
nha contribuido poderosaraeute para conter
a marcha do inimigo.
Preveni o ehefe de estada maior do mare-
chal Bazaine, que tinba sido obrigado a re-
tirar ; todavia, na manha seguinte, o meu
exercito estava de novo estabelecido n'uma
boa posigao.
Presidente:Tinheis informado a f 9 o
estado maior da sifuegAo em que vos acba-
veis? Que estate maior tendes informa-
do?
R.Nao preveni omarecbal Bazaine, que
ainda estava em B .ray, mas preveni o ma-
jor general Jarras.
P.Jolgais que o voasocorpo tinha sido
demorado em consequencia da destruigAo das
pontes?
R. Quando o meu kitendente cbegou com
o comboio de viveres, declarou-ine qne jA
nao pedia passar; mas todo o corpo estava
ji na margom direita, ;
P. Recebestes o vosse-comboio ehegado
de Eteio ; mandastes dar parte ao m-echal
des noticias que vos chegavam ?
R.Nao ocreio.
P.Executastes sem difficuldade a passa-
gem do Moselks?
R.Perfeitauiente.
P.E o movimento de retirada sobre
Meu?
R.Nao lao- fectlmente-; os camtanos
estavam obstruidoe entre Looguevilw e
Metx. .....
P.Julgais qwe o ataque do inimigo e
que wotivou adestruicAo da ponte do cami-
nbo de ferro ?
R.Entendo que poderia ter-se dispen-
sadodefazel-asaUar; aquella ponte esta-
va muito proxime das fortificacOes.
P.Havieis mandado dispor do vosso cor-
po perpendicularraenle A estrada de Gravel-
lotte, a vossa esquerda sobre Rezonville, e
a vossa direita sobre o bosq/ie de Saint
Marcel. Havieis- tornado aq/iellas posigoes
porque juigavis oue o inimigo se acha-
va na vossa feote? Mas esperaveis um
ataque de ftanco ou de frente T D'onde vi-
nha ofogo dos artilheiros de qua ha pouco
fallastes ?
r.Osatirad,Fes inimigos.ataearam pn-
meiramente o 2 corpo, e depois estenderam-
se para o 6-.
P.Entio era um ataque de flanco; ha-
vieis tido cenheeiDaento deqjaaes eram a*
instrocgoes positives do imperador sobre a
marcha do exercito?
R.Nao soube.
P.Tereis podido retomar as posigoes de
Mars-la-Tour e Thionville a t7. se houves-
sels aiacado o nimigo ?
r,Creio que teriames podido nao as
abandonar. 0 que ha de positivo e que a
ordem do marechal para nos aproximarmos
de Metz, nos dizia que a falta de muoicdes.
e o estado dos feridos, o obrigavam a apro-
ximar-se parase municiar.
p.Nao Julgaes que se perdeu a probabk-
lidade, a 16, de bater o inimigo, especandt
ate 17 ?
R.Julgo, mas nAo posso affirmal-o E
necessario que diga ao conselho que no dia
18, soube que nos meus soldados se nota-
va alguma cousa de pouco natural. Msn-
dei-os interrogar, e responderara-rae Te-
mos fome. Julguei extraortlinaria aquel-
la resposta, por isso que deviam ter Tivere*
ate' 18; mas tinham consumido esses vive-
res, e acredito que n'essa occasiao um mo-
vimento teria encontrado algumas difficul-
dades.
P.NAo julgais que um movimento offen-
sive teria tornado mais facil o movimento
de retirada ?
desordem, e em grande numero, nAo so se
lhes deixava a liberdade da aggressAo, mas
at6 se lhes prestava auxilio.
Alguns, n'aquelle momento critico sa-
hiram do convento, e entre elles Francesco
Valori, que se deixou escorregar pelo muro
da parte posterior, o que Francesco Davan-
zoti e outros desapprovaram como cousa
perigosiosiraa.
Vendo que em S. Marcos apenas se fa-
zia resistencia, o que augmentava o furor dos
inimigos, Francesco Valori e os que com
elle tinham sahido, queriam ir a suas casas,
armarem-se, voltarem, e distrahirem o ini-
migo, atacan^o-o por f6ra. La
A casa de Francesco Valori'fOra cercada
por moita gente e um maceiro intimou-o
quese apresentasse immediatamente A se- pela porta chamada da Saptencia, saquea-
nhoria, ao que elle se mostrou prompto a ram a onfermana e as cellas e penetraram
obedecer, porque Julgava alcanc^r com a na sacristia com as armas oa mAo, passando
sua prese'nga e com a autoridade qoe Ihe d'alli ao cdro, arrombando a porta.
davam os seus annos e os seus servicos i Quando os religiosos que alh estavam em
reDublica que os magistr-dos se envergo- orag8o se viram atacados d'aquelle modo,
nhassom do seu modo de proceder. arrastados por um impeto violento de defeza
Portanto sem perdor tempo, dirigio-se natural, defenderam-se Uo desesperadaman-
ao nalacio, acompanhado do maceiro, atra-(.te dos aggressores, que estes, sorprendiios
vessando por entre a multidao com a fronte, por uma tal resistencia, fugiram.
erguida e o semblante sereno, como quem, EntAo comecpu a
estava seguro da sua inoocencia e nio se grande do convento.
sentia desfallecer no perigo. Porem, nAo 0 assalto e a defeza
bavia chogado ainda A esquina deS. Prow-, todos os la 'os ouviam-se gntos desesperados,
lo. quando alguns parentes de Rodolpho e confusAo, tumulto e urnr das armas.
de Tornabuoni, doos dos cinco que tinham Baldo Inghirlarai e Francesco Dmozati
sido iustigados como conspiradores em favor combatiam bravamente. Frci Francesco
deP dro de Medicis, e em cuja sentenga Andrea de Luca, com a espida na mao,
Valori, o perseguia os inimigos pelo claustro, e frei
, Benedetto com outros companheirps fazia
chover sobre os invasores umasaraivada de
um pedras quo as continha em respeito.
iiifluira muito a autoridade de
aciommettoram e mataram.
Assim, pois, nmo drisgraja causadV pela
justiga da republics, foi viugada por
locar a rebate o sino
embraveciam-se e de
ass'as'smau. infame. o assim acabaA doloro- No interior da igreja defondiam-se alguns
wmefrtc a vida uai bravo e honrado cida- com arcabuzes, entre elles um
15o.
que deu n'aquelle dia mostras de grande
valor.
N'aquelle momento a victoria estava de-
cididamente da parte de S. Marcos, o que
augmentava o valor dos defensores.
Sobreveio, porem, um novo bando da
senhoria que declarava rebelde todos aquel-
les quenoespago de uma hora naoabando-
nassem o convento.
Alguns defensores pedi ram um salvo-cen-
ductoe partiram, debilitando o jA reduzmo
numero dos seus companheiros.
A certeza de que a senhoria era inimiga
de S. Marcos, e que estava resolvida a tudo,
enervava aquelle punhado de valentes que,
perdida toda a esperanga, comegavam a co-
der desesperados.
Savonarola, com a maior parte Jos seus
religiosos, permanecia no cdro, entregue A
oragao que de vez em quando era interrom-
pida pelos lamentos de algum ferido, pela
voz lastimosa de algum moribundo, entre
os quaes, um joven, ferido mort ilmente,
cahio nos degri s do allar-mor, onde, ex-
posto ao fogo dos arcabuzes, frei Dominico
de Peschia lhe deu a communhio, e pouco
depois o desditoso expirava nos bragos do
religioso, dizendo ;
Oh l quAo suave e para os irmaos
o morrerem juntos l
Entretf nto veio a noite.
Os religiosos, cangados da agitacdo e af-
flictos polo jejum, comiam figos socoos, que
um defies lhes levara.
De repente embravece-se de novo o corn-
bate, augmenta o numero dos tiros entre
os quaes se percebem os do allemao Eurico
que do pulpito d'onde Savonarola pregara
tintas vezes, contiuuava disparando e ma-
tando um homem de cada vez.
Subitamente comecou a entrar na igreja
um fumn tlo denso, que para lhe dar sahida
foi necossorio quebrtr os vidros dasjanellas
do coro.
Aquelle fumo procedia das portas que
haviam sido incendiadas, e grandes chara-
m.is pe.ietravain no interior da igreja.
Entao o alliiinao e outro collcaram-se
no c6ro com dous arcabuzos entre o altar-
m6re o graule cruoifixo, d'onle conlinua-
rain fazendo fogo.
Savonarola, magoado por ver um tal
derramamento de sangue por sua causa, e,
nAo podeudo impedir de modo algum, por
(Continuar-se-ha.]
;allemao, joven, louro, de bel!issinafiguraf|que uinguem o escutava, netq o dflbaun
entregar-se, tomou de novo nas m8os o
Santissimo Sacramento, mandando a todos
que o seguissem, e sahiado da igreja e atra-
vessando o claustro, levou-os para a livra-
ria grega.
No caminho encontrou frei Benedetto,
que, armalo e cheio de furor, marchava
para combater de mais perto com os ini-
migos.
Savonarola deteve-o, e, olhando grave-
meute para elle, disse em torn de severe re-
prehensao :
Frei Benedetto, deite f6ra as armas e
pegue na cruz ; nao e minha intengao que
os meus irmaos derramem sangue.
Frei Benedetto, humilhado aos pes do
seu superior, depoz as armas e acompa-
nhou o sequito A livraria grega.
No meio da sala, sobre uma simples mesa,
collocu Savonarola o Sacramento, e, cha-
mando em torno do si os seus irmaos, diri-
gio-lhes estas ultimas e memoraveis pala-
vras :
Meus filhos, diante de Deus, diante
da hostia consagrada, com os inimigos ji
dentro do convento, cohfirmo-lhes a minha
doutrina. Tudo quanto disse, recebi-o de
Deus e dou por testemunha de que nao
minto, o ceo. Eu iguorava que toda a ci-
dade devia voltar-se de repente contra mim;
nao importa ; que se cumpra a vontade do
Senhor. 0 meu ultimo desjo e o seguinte :
que a fe, a pacieucia e a oragao sejam as
vossas armas. Deixo vos com ddr a com
angustia, para me eotregar nas maos dos
meus adversarios. NAo sei so me tirarao
a vida, mas estou ce.to de que, depois de
morto, vos poderei ajudar no ceo mais do
que pude aju lar-vos na terra Fortalecei-
vos, bragai a cruz e com ella chegareis ao
porto da salvagao.
Entretanto os inimigos haviam-se apos-
sado de quasi todo o convento.
. Giovacnino de la Vechia, capitao da guar-
da da senhoria, amecava arruiuar S. Marcos
com a artilharia,. se nAo fossem acatadas
iinme liatameute as ordens dos senhores, os
quaes roclamavam, dobaixo da fe de respei-
tar as suas pessjas, a Savonaiola, a frei
Dominico e a frei Salvestro.
Entao frei Malatesta Sacromoro, quo ti
havia offerecido para subir A fogueira. co-
megou a fazer" o papel de Judas. Fallava
e persuadia-os de que
Emquanto a iain buscar ao palasio da
senhoria, Savonarola confessava-se a frei
Dominico, recebia das suas maos a commu-
nhao, e preparavase para se entregar com
elle, por isso que frei Salvestro se havia
escondido e nAo havia meio de o eocon-
trar.
Entretanto tinha lugar um successo bas-
tante singular.
Girolamo de Gini, partidario, havia mui-
to tempo, de Savonarola, anciose de vestir
o habito de S. Domingos, assistira n'aquella
tarde As vesperas, e, ao comecar o tumulto,
armara-se para defender o convento.
Quando Savonarola mandou que depozes-
sem as armas, Girolamo de Gini obedeceu.
Comtudo n8o deixara de correr pelo claus-
tro e de apresentar-se aos inimigos, queren-
do, como elle mesmo dizia, affrontar a
morte por amor de Jesus Ghristo ; e, tendo
sido ferido, entrou eom a cabeea ensan-
guentadana livraria grega, onde, ajoelhan
do diante de Savonarola, lhe pedio humil
demente o habito, que lhe foi concedido
immediatamente.
Alguns amigos propozeram a Savonarol*
3uese deixasse escorregar pelos muros, pon-
o-se d'este modo a salvo, visto qua se fosse
levado ao palacio da senhoria, nAo era facil
que sahisse d'alli vivo.
Parecia Savonarola inclinar-se a este
meio da salvagAo, quando frei Malatesta
Sacromoro se voltou para elle e lbe disse :
Acaso nSo deve o pastor expor a vida
pelo seu rebanho ?
Aquella apostrophe affectou tio profun-
d am elite Savonarola, que nAo respoodeu,
mas abracou em silenciocada um dos seus
irmaos, e, primeiro que todos, fret Mala-
testa que o vendia.
Depois entregou-se, sem esperar uma
nova excitacAo, com o seu compauheiro frei
Dominico, aos maceiros da senhoria, que
haviam voltado com a ordem por escripto.
No meio d'elles, Savonarola voltou-se
para os seus companheiros e dissn-lhes :
Meus irmaos, recommendo-vos de no-
vo que nio duvideis ; a ohra do Senhor
adiantarA sompre, e ft Piinha atOVte nSo fari
senio aprossa-la.
tConlinuar-se-ha)
}
M

r
I
.
cum os emissanos .
treuiusse.n aquella ordoaj por escripto, I "xyp.D0 L..AiU0.-RUA DUQUE OE CAXUa.
L
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1GB7GV3K_5AHCKG INGEST_TIME 2014-05-22T22:30:24Z PACKAGE AA00011611_17555
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES