Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17552


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO L. NUMERO 18
t i 0,1
!.

V

J
PARA A CAPITAL E LCC1ABES OADE X&O SE PAiA
Por tres mezes adiaotados................ 69000
Por seis dito* idem.................. 12^000
Por urn annoidern.................. *4$000
Cada numero avulso................. 9320
DIARIO DE P
1EHCA FEIRA 2 DE JANEIRO DE 1874
PABA DE.1TBO ML FOB A DA PROVISOA
fpor tres mezes adwntados..........';.'
Por seis ditot idem.................
Tor note ditos idm................ |J*JJJ
Por urn anno idem..........;..._... xrfOOl
PROPRIEOADE
OA DE FARIA & FILHOS.
Of firs. Gerardo Antonio Alve*A Filhoa, no Para"; Gongjdves & Pinto, no Maranhio; Joaqnim Jose de Oliveira 4Fiiho, no Ceard; Antttio de Leruut Braga, no Aracaty ; Jo* Miria Julio Chares, no Assd; Antonio Marques da SUva, no Hatal; Jos6" Justino*
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Carlos Auxencio Monteiro da Franca, aa Parahyba ; Antonio Jose" Gomes.'na Villa .Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, noPilardasAlagA|f Altes 4 C, na Bahia; e Leite, Gerquinho 4 C. no RioJdeJaneiro.
PABTE OFFICIAL
Governo dm provincia.
fcXPKDIKMTE DO DIA 14 DK OUTUBRO DE 1873.
i.' secgSo.
( fficios:
Ao brigadeiro commandante das annas.
tv,o seu offlcio de i0 do corrente sob n. 1002 ti-
co scieute de haver V. Exe. nomeado duas com-
missoes, que tern de proceder o respective exame
njs medicamentos vindos da cflrte no vapor Para.
Quanto a segunda parte do citado offlcio com re-
la-ao a assisteacia de um dos etnpregados do ar-
senal de guerra para o csame dos uiedicaineutos
ewe d'alli liverem de ser reinettidos para o hospi-
lai miliur, tenho a dizer Ihe que acabo de expe
dlr a respeito as necessarias ordens.
Ao uiesiDO. Maude V. Exe. p6r em liber*
dade o recruta Benedicto Jose de Souza, quo- pro
vou isencao legal.
Ao director do arsenal de guerra. Maude
V. S. (ornecer ao commandants da eompanhia de
cavaliaria 16 vassouras de junco. consumes do
p*lido junto, as quaes sao necessarias para o ser-
vico das fachinas do respectivo quartel.
Ao uiesmo. Oeferindo o requerimento de
M2ria Amelia de Aguiar, sobre que versa a sua in-
torraacio de hontem data-la sob n. S '6, autoriso V.
S a maudar desligar da eompanhia de menores
desse arsenal o olbo da supplicante, de nome Car-
los Affonso de Lima, visto soffrer de lesao orga-
nic* no coracao, segundo o termo de inspeccao an-
nexo ao eitado etflcio.
__Ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o
brigadeiro coramandante das armas em offlcio de
10 do corrente sob n. 1002, recommendo a V. S.
qae, quando sa tiver de fazer remessa para o hos-
pital militar de ealxoes conteado medicamentos,
lai>a-os acompanbar de um dos erapregados desse
arsenal, afira de assistir ao respectivo exame.
__Ao mesmo. Mande V. S. recolher nesse
arsenal as armas e correames inutiUsados e outros
iioe nao sao precisos, que de pane do teaente co-
rbel commandante do 1* batalhao de artilharia
lie serao apresentados para esse fim.
Ao eonselho de coropres do arsenal de guer-
ra, Aatoriso o cooselho de compras do arsenal
t guerra a promover a acquisieao dos objectos
.;staatet do incluso pedido, para supprimento do
almoxirifado do respectivo arsenal.
2.* secc-ao.
Aclos: ...
0 president da provincia, a vista do omcio
d, Dr. chefs de policia, n. 1752 de 11 do corrente,
rasolve exonerar, a seu pedido, Tertuliano Jose da
Silva do cargo de i supplente \o subdelegado do
.listricto de Nossa Seuhora das Dores do Pocao do
lermo de Qmbres. ; ...
0 presidente da provincia, de conforraidade
.om a proposta do Dr. chefe de policia em olHcio
d 1752 de 11 do corrente, resolve nomearo cida-
dia Francisco Jose Bexerra para o cargo de l
''uppleute do subdelegado do districto de Nossa
Senhora das Dores do Pocao, do termo de Cim-
r>res. .
0 presidente da provincia resolve remover o
tacharel Manoel Mendes Bastos Junior, proraotor
public* da comarca do Bom Cooselno, para igual
csrgo na de Villa Bella, e desta para aquella o
hacharel Fiel Vieira de Torres Grangeiro.
Olllcios : #i ,
Ao jutz de direito da 1* vara civel da capital.
lnteirado pelo ofllcio de V. 5., de 9 do corrente,
do generoso procedimento de Antonio da Silva Fa-
ria, renunciando, em favor das obras do asylo de
Mlienados, a quantia de 336*660, que Ihe coube
no inventario do casal de sua fallecida irma, D.
Henrinueta Amalia de Faria, e que se acha reco-
Ihido na receDedona de rendas gt-raes, recora
mendo-lbe que providencie para que a dita quan-
ta seja entregae ao porteiro da secretaria desta
prasidencia, Silvia.) Antonio Hodrigues, deduxidas
as despezas do juizo.
Ao commandante do corpo de policia. A
vista do que representa o Dr. chefe de policia em
oracion. 173de 11 do corrente, sejara demora-
da?, ate nova ordem, as 10 pracas do destacamen-
(o de Ouriiury, qae fo.am raandadas recolher a
f-ta capital.
9.''secqau.
i ifticios :
Ao inspector da thesouraria de fazeuda.
I'eudo nesu data, conforrae solicitou o director do
:.r.-cnal de guerra em offlcio de 11 do corrente sob
n. 503, autorUado ao conselho de compras do mes-
mo arsenal a acquisi$io dos objectos constantes do
incluso pedido para supprimento do respectivo al-
rnoxarifado ; assim o deelaro a V. S. para seu co-
nhecimento e devidos effeitos.
Ao mesmo. Coramunlco a V. S., para qs
devidos fins, que por portaria de hoje foi removi-
do o promotor publico, bacharel Fiel Vieira de
Torre's Grangeiro, da comarca de Villa Bella para
a do Bom Conselho. e desta para aquella o ba
eharel Manoel Mendes Bastos Junior.
Ao mesmo. Transmitto a V.
jucta em dnplicata que me foi remettida "pelo di-
rector do arsenal de guerra com offlcio de 11 do
corrente sob n. 514, afim de que mande pagar a
Bartholomeu Rodrigues de Mello a quantia de
rft*0O0, proveniente de carretos de objectos do
hospital militar para aqueMe arsenal e viee-versa.
Ao mesmo. Para que possa esta presiden-
oia resolver sobre a consulta feita em seu offlcio
i\:\ ional denominado -Calabouco, faz-so neces-
sario que V. S. informe qua! o preco por qaanto
esta elle alogado aclualraente.
Ao mesmo. -Transmitto a V. S., para os fins
couvenienies, as inclasas copias dos termos. dos
. ontractos celebrados no hospital militar para o
foraeeimento dos objectos precisos para o respec-
tivo expe liente, de sanguesagas, e para a lava-
gem e concertos das roupas no triraestre cor-
reote- ,
Ao inspector da thesouraria provincial.
Communico a V. S., para os fins convenientes, que
no dia 18 do caweale faUaeau-e bacharel Antonio
vincial. j.j.. ...
Ao mesmo. A" vista da inclusa eonu,
mande V. S. entregar a SiWmo Antonio Rodrigaes,
orteiro da secrelaria-Oa presklencia a quantia dt
457*400, afim de poier elle satiafazer a desoeza
feita com diverso* objectos para o expedieate da
mestna secretaria w mezes de junho a agosto
rieste anno, segoado Imiea a referida conta.
Ao mesmo. A Ignacio Alexandrino Cane-
ca mande V. S. pagar, a vitta aa-. inclusas contas
fita duplicata, conforme solicitou o Dr. chefe de
policia em offlcio de hontem sob n. 1,741, a quan-
tia de 19*100 em quo imtiortr.n a deipeza feita du-
raote os mezes de julho e agosto nltimos rom o
suatento dos prcsjs pul>re da cadei.i do tormo du
Rto Formwu.
4.' Jcftt0.
Ao provedor totarino da Santa Una de Mise-
rteordia. Dovolvaado a V. S. a petieio de Lu-
cas EvangetwU Score* de Brito, que acompaalvou
a seu offlcw de K) do >rrente, coocedo a autori
sacio nello soliciu ta para >t eotregue ao peti-
cieoario o educaodo do eoMegw do* orphioj, Gre-
tforio de 'iMM, mediaaU aa coniiyoe* no mesmo
offlcio indioadas.
Ao inspertor da saude poblica. Mande V.
S., com argeuria, praparar um* 'irteira com me
dicamentos hoiaeopatiiiaos e renwuer a secretaria
guezia de Muribeca, com destino ao tratamento dos
indigentes accommettidos da variola.
Ao commissario vaccinador provincial.
Remetta Vmc, com urgencia, a secretaria desta
presidencia alguns tubos de pus vaccinico com
destino a freguezia de Muribeca, onde e.-ta gras-
sando a variola.
Ao mesmo. Remetta Vmc, com urgencia
ao Dr chefe de policia alguns tubos de pus vac-
cinico, com destino ao delegado do termo delpo-
jaca, onde esta grassando a variola.
Au iuiz d par. em exereicio da freguezia do
Poco da Panella. Para organiSa^as dos rnappas
estatisticos de qua trata Vmc. em seu offlcio de 20
de setembro Undo, pode mandar o seu escrivao ao
archivo da Illm. caraara municipal desta cidade
tomar as necessarias notas, ou, meliante recibo,
levar os livrcs para esse lim, conforme opina a
meiraa Illm. camara em sua inforraacao do 8 do
corrente
Ao Sr. Miguel Alexandrino da Fsnceca Gal
vao, juiz de paz em exercicio da parochia de Ga-
melleira. Nesta data determino a camara mu-
nicipal da villa de Serinhaem que remetta a Vmc.
os livros e papeis precisos para a eleicao de ve-
readores desse municipio que deve ter lugar na
3* dominga do conente mez, visto Ihe corapetir
presidir a respectiva meza parochial; o que Ihe
communico para sua sciencia e fins convenientes.
5.' stcriio.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Fornec* Vmc, com urgencia, ao procu-
rador fiscal da thesouraria do tazenda a planta do
terreno, silo ao lado da estrada do Pombal, com
frente para a de Olinda, aforado ao Exm. visconde
de Saassuna, bem como a do de que se acham de
posse os herdelros de Manoel Luiz da Veiga, afim
de satisfazer o que solicita aquelle fiscal em offlcio
de 11 do corrente sob n. 4
- Ao Sr. Severino Alexandre Villarino, mem-
bro da commissio censitaria da freguezia de Li-
moeiro.^Recommendo-Ihe que, com a maior bre-
vidade possivel, remetta para a ecretaria desta
presidencia as li3tas de famiha e mais papeis con-
cernentes ao recenseamento procedido nessa fre-
guezia, que se acham em seu poder, segundo me
jommunicou em offlcio de 20 de julho proximo
fiudo.
EXPEDIBNTE DO SECRETARIO
/.* sectfio.
Offlcios :
Ao Exm. brigadeiro commandante das ar-
mas.De ordem de S. Exc. o Sr. prssidente da
provincia, deelaro a V. Exc, em resposta ao seu
offlcio de 13 d i corrente, sob n. 1008, que nesta
data se mandou satisfazer a pedido do capilao
commandante da eompanhia de cavaliaria, que
veio annexo ao citado offlcio.
Ao director do arsenal de guerra.S. Exc.
0 Sr. presidente da provincia manda communicar
a V. Exc*. que expedio ordem a thesouraria pro-
vincial, no sentido de ser paga a despeza de que
trata o sou offlcio de 11 deste mez, sob n. 50i.
a.* secgiio.
Offlcios :
Ao Dr. chefe de policia.Foram dadas as pro-
videneias para serem remettidos a V. S. os tubos
de pus vaccinico, soticitatios em seu offlcio de hon-
tem datado, que assim ftra- respondido, de ordem
do Exm. Sr. presidente da pTovieeia.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente 4a pro-
vincia manda transmittir a V. S, para os devidos
fins, o Utulo junto de nomeacao do 1." supplente
du subdelegado do districto de Nossa Senhora das
Doresdo Pocao, do termo de Cirabres, de con-
formidade com a sua proposta em offlcio n. 1752
de 11 do corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarer a V. S. que expedio ordem
a thesouraria provincial, afim de ser paga a des-
pesa de que trata o seu offlcio de hontem datado
sob n. 1742.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda delarar a V. S. que ficam expediJas
as convenientes ordens, no sentido de que trata o
seu offlcio n. 1751 de 11 do correatc.
Ao commandante superior do Recife. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S, para os devidos fins, quo nesta data se
expedio ordem ao director do arsenal de guerra
para recolher ao mesmo arsenal as armas e cor-
reame inulisados, de que trata o sen offlcio n. 708,
de 9 do corrente.
Ao mesmo.-0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S., em resposta ao
seu offlcio de 9 do corrente, que em data de 29 de
setembro proxim > passalo, atteadendo a sua re-
presentacao de 28 de agosto ultimo, expedio a
thesouraria de fazenda as necessarias ordens no
sentido de ser paga ao quartel mestre general a
gratificacao, que bavia cabido em exercicios findos.
dos corneta*, clarins e tambores do3 corpos da
guarda nacional.
Ao juiz de direito de Villa-Bella. 0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S., para os devidos 6ns, que por portaria de hoje
i conta fo* removido para a comarca de Bom-Conselho o
1 promotor publico dessa comarca, bacharel Fiel Vi-
eira de Torres Grangeiro, e aaquella para essa o
bacharel Manoel Mendes Bastos Junior.-Igual
participacao ao juiz de direito de Bom Conselho.
a.* jeccdo.
Offlcios .
Ao procurador fiscal interino da thesouraria
de fazenda.-0 Exm Sr. presidente da provincia
manda communicar a V. S., Dara seu conhecimento
e em resposta ao seu offlcio de 11 do corrente
sob n. 4, que nesta data ordenou ao engnheiro
chefe da reparticao das obras publicas Ihe fizasse
entrega das plantas a que allude o citado offlcio.
Ao inspector da tnesonraria provincial.0
Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
railtir a V. S., para os devidos fins, a relasao junta
dos presos pobres existentes na cadeia de Limoeiro,
que receberam alinnntacio pela collectoria res-
pectiva.
nesse
vapor
arse-
Pard.
Offlcio :
Ao director
Wica.-S. Exc o
4S MCQ&O.
sral interino da instruccao pa-
ir, presidente da provincia man
da communicar a V. S., para seu conhecimento e
fins convenientes, qne por ado do 8 do corrente e
em vista de sua proposta em offlcio de 4 do dito
met sob n. 302, resolveu exonerar o bacharel
ArisUrco Cavalcaute de Albuquerque, a sau pe-
dido, do eargo de delegado litterario do districto da
cidade da Victoria, e nomear para sabstituil-o o
Dr. Francisco Correia de Qaeiroz Barros, cujo tl-
tulo lue remetto incluso.
SXPEDlENrB DO DIA 15 DE OUTUBRO DB 1873
1'. $ecc?U.
Offlcios :
Ao brigadeiro eommaalanle das armas.
Mande V. Exc. por am liberdate o recruta Ma-
uoel Jose d.is Anjos, oue provou iseatAo legal.
Ao mesmo, Davorveudo o| incluso pediJo
em duplicata, qne veto annexo ao seu offlcio de 4
do corrente sob n. 981, de drogas e outros objec
tas necessarios a phtrmacia dos hospital militar,
autoriso V. Exc. a manda to lahsfa-er, proce-
denda do mes.no m>d> com relaoao a outro* p -
didus identicos que forem c)arccion1os pelo
Jharmaceutico d> referilo hespttal, 3 visado pol-i
m;lico ; o que deelaro a V Exc, afim de fa-
zer constar ao lir-Hir li^iell- estibelecimeoto.
Ao masmo.Slw-le V. Etc p6r em liber
dade. visto t-r iir^vadi isenjio leg'I, o recruta
Jacintho Celestmo d Silva Pereira.
termo de exame a que se procedeu
rial no armamento vind > da airte no
2*. secgSo
Actos :
0 presidente da provincia, a vista do offlcio
do Dr. chefe de policia, n. 1,745 de 14 do cor-
rente, resolve exonerar dos cargos de 2* e 3 sup-
ple ntes do subdelegado do districto de Ororo, 2s
do termo de Cabrob6, os cididaos Felippe Anto-
nio deCarvtlhoe ProcopioJose de Carvalho.
0 presidente da provincia, de coaformidade
com a proposta do Dr. chefe de p dicia, n. J.745
de 14 do corrente, resolve nomear para os cargos
de 2* e 3* supplentes Jo subdelegado do districto
de Ororo, 2* do termo de Cabrobo, os cidadaos
seguintes, na ordem de sua cjlloca;io : Manoel
Francisco de Gjuvfla Ferraz e Jose Francisco Sa
lustiano Granja.
0 presidente da proviacia, attenJendoa pro-
posta do tenente-coronel commandante J-> 3* ba-
talhao de infantaria da guarda naciunal deste
municipio, e a vista da informacao do comman-
dante superior respectivo em offlcio n. 710 de
hontem, resolve, de conformidade com o disposto
no art. 48 da lei n. 602 de 19 de setembre de
1850, nomear para o dito batalhao os officiaes
segointes ,
1." eompanhia.Alferes, o guarda Manoel Du-
arte Vieira.
2.* eompanhia. -Capitiio, o tenente da 7* Adol-
pho Pereira Moulinho; alferes, o guarda Joaquim
Francisco de Moraes.
7.' eompanhia.Tenente, o alferes da mesma
Affonsi Augusto ;de Brito Taborda ; alferes, os
guardas lonoceucio Jose de Miranda e Fred rico
Ferreira Mendes Guimaraes.
8 eompanhia. Alferes, o guarda Francisco
Ignacio Pinto.
0 presidente da provincia resolve remover
para a comarca do Buique o promotor publico da
dc Bom Conselho bacharel Manoel Mendes Bastos
Junior, ficaodo de nenhum effeito a portaria de
hontem, que o removeu para a de Villa Bella.
0 presidente da provincia, de conformidade
com o disposto no art. 6 4* do decreto n. 4,824
de 22 de novembro de 1871, resolve dividir o
termo de Bezerros nos seguintes districtos : 1*
o da subdelegacia do 1* districto, 2' o da subde-
legacia do 2 districto, 3* a freguezia do Gravata;
e para supplentes do respectivo juiz municipal
os cidadaos seguintes,na ordem de sua colloca-
cio : capitao Joaquim Pantaleao Xavier do Lima,
joao Braz de Vasconeellos e Jovino Bezerra de
Vasconcetlos.
Offlcios :
Ao Exm. presidente da relacao. Expeca V.
Exc. suas ordens, afim dc que com urgen;ia me
seja enviada tuna eopia do processo crime, vindo
da Parahyba, submettido a decisao desse tribunal,
am que e reo Olegario Saraiva de Carvalho Neiva,
indiciado como intreductor de moeda falsa.
Ao Dr. chefe de policia.Transmitto a V. S.
a inclusa cupia do offlcio do capilao do port >,
de hontem datado sob n. 189, afim de quo, to
mando conhecimento do seu conteiido, providen-
cie em ordem a fazer ce/sar, da parte do subde-
legado do district> da Nova Cruz, o procedimento
tido para com os matriculados na estacao daquclle
nome, e a que allude o citado offlcio.
-* Ao mesmo. Deelaro a v. S., cm resposta
ao SeuofftSo n. 1,744 de 14 do corrente, que os
sentenciados a qae allude devem ser aliraentados
por conta do miaisterio da guerra.
Ao juiz de direito do Limoeiro. Preste
Vmc, com toda urgencia, as informacOcs que Ihe
foram pedidas a 29 de julho ultimo, quanto aos
feitos crimes e civeis que pendem de sua decisao,
e a data, em que Ihe foram couclusos.
Ao juiz de direito de Bonito. Transmitto a
Vmc, para 03 devidos tins, copia da portaria des-
ta data, que divide em districtos 0 termo do Be-
zerros, nomeando os supplentes do respectivo juiz
municipal, os quaes deverao tirar 0 titqio e pres-
tar jurameuto no praso da lei.
Ao commandante do corpo de policia. -De-
volvo a Vmc os dous processos juntos instaura-
dos as pracas do corpo sob o seu commando, afim
de que tenham a devida execucao as decisoes,
dclles constantes, da junta, que em ultima instan-
ciajulgou as ditas pracas.
Ao mesmo Para que esta presidencia pos-
sa resolver sobre a preteneao da pra^a desse
corpo, de nome Joao Evangelista da Silva, informe
Vmc si logo que ella foi presa em 23 de junho
de 1870, comecou a soffrer desconto era seus ven-
cimentos.
Ao mesmo.Pode Vmc cngajar, seodo ido-
neo, no corpo sob o seu commando 0 paisano Joao
Quirino de Barros, de quern trata 0 sen offlcio n.
582 de hontem datado.
3* secoSo.
Acto :
0 presidente da proviucia, atlendendo ao
que requereu Julio Cesar VUrinho, cartoiro da
seccao do contencioso da thesouraria provincial, e
ten do a vista a informacao do respectivo inspec-
tor, datada ue 11 do corrente sob n. 4S6, resolve
nos termos d> art. 4 da lei n. 1,108 de 29 de
maio deste anno, coocedeu-lhe quatro mezes de
licenca com vencimentos para tratar de sua saude
lora da cidade.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Communico a V. S., para os devidos fins, que por
portaria de hoje foi nomeado para a comarca do
Buique 0 promotor publico da de Bom Conselho,
bacbari'l Manoel Mendes Bastos Junior, ficaodo
sem effeito nessa parte a portaria de hontem, que 0
nomeou para a villa do Buique.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os de-
vidos fins, que a 27 do mez proximo passado
reassumio 0 bacharel Joaquim de Carvalho Castro
0 exercicio do cargo de juiz de direito da comar
ca de Cabrobo.
Ao mesmo.Communico a|V. S., para os lias
convenientes, que em data de 19 de setembro Un-
do 0 vigario encommendado da freguezia do Se-
nhor Bom Jesns dos Afflictos de Fazenda Grande,
padre Flocentino Barbosa de Souza Ferraz, as*
sumio 0 exercicio do seu cargo.
- Ao mesmo. Transmitto a V. S. a folha re-
lacao nominal e pret juntos em duplicata, afim de
qae mande pagar ao tenente Pedro Paulo dos San-
tos, para isso indicado pelo commandante superior
do Brojo em offlcio de 26 da setembro ultimo, os
vencimentos Jo destacameato da guarda nacional
e de asosto a 22 daquelle mez, segundo indicam os
referidos djcuiaentot.
Ao mesmo.Recemmendo a V. S. a axpedi-
cao de suas orlous no sentido de serem pagos a
Claudino da Suva Rego, conforme solicitou 0
coalman lantc saoerior de Tacaratd e:n offlcio
d8 24 de setem ro ultimo, os veucimentos das
pracas de cavaliaria de gdarda nacional des-
tacada* ua villa de Florcta, a contar de 21 do
abril a 3J Je junti > -Io.-Uj au:u, ssgMib in liaaifl
os inclusoi prots em duplicata.
Ao inspector da tnesonraria provincial.Se-
ja elcvada a 91 i r*. a diaria para aliraentacao d
da 11 um li* ji>s exiawttdS na cadeia da villa
da Escaii, e.id> tgnalmonta essa diaria a qu
deve ser Jada ao* do Cabo ; ficando assim rovoga-
dai as rd*ns contrarias.
- Ao maamu -\' vista do ineiuso pret em du
plicaia qne me rometteu o eoiumandauw superior
d<- Olinda com offlcio de 8 do corrente, tnadde V
S. pagar s v nacional .le*iva*w na vdla de Ign.Tlssu', roiatiV-
r
. -Fie
nhun. -.Wco ioteiraio pelo seu offlcio de 8 do
corrente de ter minJado Vmc. tirar 0 titulo e
prestar hramento d> cargo d-; fiscal interino da
coilceWa provincial desse municipio, e bem as-
sim dos lotivos que apresenta por nao ter feito ate
entio ;-oajV>, porem.qae com a sidicitude de que
se dii aimado promovera quanto for possivel a
arrecad^rdos impostos.
4' seer So.
Acto ji
(ltrosytg.d 1 provincia, leado em vista a
proposta da raTiiara municipal da villa de Bm
Jardim, Mta em offlcio de 4 do corrente e na con-
f >rmidad,do art. 2* di lei de 23 de outabro de
1831, resolve appbvar provisoriaraenle e mandar
que se execute 1 artigo de postura addiclonal
abaUo transcripto:
0 Art. unico. Tdo edilicio. muro ou tapamento
iiue se achar emestado de ameacar ruina sera
Jemolido a custa ih> proprietario, procedendo 0
fiscal a prompto oame com dous pjritos, afim do
conhecerM cumife demolir ou repara-lo; e feito
0 termo de exami a casta do mesmo proprietario,
avisara a este paa proceder logo a demolijao ou
reparo ao praso |ue devera ser determmado no
mesmo termo, flldo 0 qual sera 0 dono, procura-
dor ou depositary multado em vinte mil reis, e
fiscal avisara 0 ppcurador da camara para man-
dar fazer a demolfao ou reparo a custa do pro-
prietario. a
' Por tanas:
- A* camara minicipalda villa do Bom Jardim.
Deelaro a caman municipal da villa do Bom
Jardim, era resposa ao offlcio de 4 do corrente,
que coacedu apprcracAo a arremaugao e coatrac-
tos de ajne trata 0 mesmo offlcio, e bem assim a
postura a que elle te refere, cujo acto determi-
ne! que per copia lie fosse remettido.
A' mesma. Bn resposta ao offlcio da cama-
ra municipal da villa de Bora Jardim, de 8 do cor-
rente, tenho a dizer quo, so competiodo a camara
municipal provuenciar sobre a demolicao de edi;
Rcios eat estid irregular 0 proctdimento dessa camara mandando
intimar ao thesoireiro da irraandade do Santissi-
roe Sacramento da matriz dessa villa para demo-
lir a casa a ella pirtencente, de que trata 0 mes-
mo offlcio. Com \s posturas, porein, confecciona-
das por essa cama.a e approvadas nesta data por
esta presidencia, ptde a mtimacio ser iegalmente
renovada.
# 15' setq&9.
Offlcios :
Ao admiuistador interino do correio. Paea
Vmc seguir com v possivel bre\1dade ao seu des-
tino o offlcio io:luueoembrulho quo a este acom-
panha contenlo itrra carteira com medicamentos
homeopathicos.
Ao direirtor di eompanhia de Beberibe. -
Representando-me obrigadeiro commandante das
armas em offlcio do hontem dalado sob n. 1,010
contra a complet.i esiassez d'agua, do que se re-
sente o cbafariz da fwaleza do Brum desde o dia
9 do corrente, deem Vaic as precisas providen-
cias, afim de cessar {|uelle incohveniente.
Ao Sr. Franciico Rodrigues Porto, presiden
te da camara municipal de Caruaru'.Fico scien-
te de haver Vmc. as-umido a presidencia dessa
Aodi.e.-m to arsenal de auerreTrsos- vas a-i in-* *- wiu.upro ultimi
tx&s&nzszi'jgfi; *uryTivi.";.M^...* ^**- -. -****
camara, por impediinento do respective presiden-
te n sou sObiittuto immediato ; 0 q io teve lugar
no ultimo Jo mez proximo Undo, segundo me com-
municou cm offlcio de 2 do correute. Reraetto-
Ihe incluso o reguiamento que solicita no citado
offlcio, que fica assim respondido.
Aoagentedo correio da villa de Salgneiro.
Em solucio a consulta que me fez \ inc. em of-
flcio de 23 ic setembro ultimo, tenho a responder-
lno que, seido as matriculas dos escravos effec-
tuadas por rauoicipios, deve *o agenie do correio
da villa deCibrobo fazer a dos respectivos escra-
vos ; competindo-lhe exclusivamento a desse mu-
nicipio.
EXPEDIENTS DO SECRETARIO.
/. secc/w.
Offlcio .
Ao brigadeiro commandante das aruns.U
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V.;Exc, para seu conhecimento e em
resposta ao "seu offlcio de hontem datado sob n.
1,010, que aesta data expedio ordem a directona
da eompanhia de Beberibe, afim de ser concerta-
do 0 chafariz da fortaleza do Brum, de que trata
0 referido offl :io.
'2.' sccqfiv.
Offlcios: ,
Ao Dr. chefe de policia.Deordoin do Lxm,
Sr. presidente da provinua, transmitto a V. S.
os titulos junto de nomeacao dos 2* e 3* supplen-
tes do subdelegado do districto de Ororo, do ter-
mo de Cabrobo, do conf jrmidade com a proposta
que voio em seu offlcio n. I,7i5 de 14 do cor-
rente. A
Ao eammandante superior do Recife.O
Exm. Sr. presidente da provincia raanda decla-
rar a V. S., para os devidos fins, que por portaria
de hoje forara nomeados para 0 3* batalhao de in-
fantaria da guarda nacional deste municipio qs
offlcios consumes da relacao junta, de conformi-
dade com a proposta de que trata 0 seu offlcio n.
710 de hontem datado.
Ao coramandante superior de Olinda.bua
Exc. 0 Sr. presidente da provincia manda com
municar a V. S. que a thesouraria provincial foi
nesta data antorisada a pagar e vencimentos das
pragas da guarda nacional destacadas na villa de
iguarassu, relativos ao mez de setembro ultimo,
conforme solicitou era seu offlcio de 8 do cor
rente. ,
Ao commandante superior do Brejo.o
Exm. Sr. presidente da proviacia manda declarar
a V. S-, que a thesouraria de fazeuda foi nesta
data autorisada a pagar os vencimentos do desta-
camento da guarda nacional, de que trata 0 seu
offlcio de 26 de setembro ultimo.
Ao commandante superior de TacaratuDe
crdem do Exm. Sr. presidente daj>rovincia, cjm-
munico a V. S.. que se expedio ordem 1 a thesou-
raria de fazenda, afim de serein pagos os ven
cimeutos das pracas de cavaliaria, a qne allude 0
seu offlcio de 24 de setembro ultimo.
Ao mesmo.-0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda accusar 0 reeebimento do offlcio de
V. S, de 27,do mez proximo passado, em que par-
ticipa ter n >meado 0 capitao Jose Paulino Rodri-
gues de Barros para exeroer iaterinamente 0
pofsto de secreterio geral desse commando supe-
rior.
am Aojaiz de direito de Buique.0 Exm. Sr.
presidaute da provincia manda declarar a v*. S.
qae par portaria de hoje foi removiUo para essa
comarca 0 promotor publico dalle Bom Conselho,
bacharel Manoel Me ides Bastos Junior.
Ao bacharel J-jse de Carvalho Cesar.-0
Exm. Sr. presidente-da provincia manda accusar
o reasbiraento do offlcio de V. S., de 30 de mez
proximo passado, em que pariicipa ter a 29 do
dito mez presia o jaramento e assumldo 0 exer-
cicio *j car^o de iuiz municipal e de. orphaos do
termo de Cabrcbo.
d.* UCQOO.
Portaria.;
A' camara municipal 4a villa do Boa Jar-
dim.- S Exc o Sr. presidente da provineia
manda r-weitor I camara municipal da villa do
Bg> Jardim a inclusa copia do act--, de heje da.
Mo, pelo qual foi approvado provisoriaraente 0
projecio da posturas addicional, qan vein anaex
i afflck da mesma camara, de 4 do corrente.
KXPttMtirrC V) DIA 16 Ot OUTUBaO W ""''
oaU-ios ;
Ao Exm. brigadeiro commanlante das ar-
mas. Sirva-se V. Exc. de'inrormar acerca do que
no requerimento junto pretende 0 ex-tenonte do
corpo da policia des'a provincia, JoioPereira La-
gos.
Ao mesmo. Fica approvado do contracto
que, segundo 0 termo incluso por copia ao sea
offlcio de hontem datada sob n. 1,014, celebrou V
Exc. com 0 Rvd. conego Manoel Jose Martins
Alves de Carvalho para exercer as fnneoSes de
capellao e professor de primeiras lettras do pre-
sidio de Fernando de Noronha.
Ao mesm). -Com a inclasi copia das infor-
mac(3es do oronel commandante superior da
guarda nacional d) muiicipio do Olinda com re-
ferenda a quo In? ministrou 0 oramindinte
interino do 9- batalhao, relativamente ao guarda
do mesmo, Luiz Alves Guiminies, 0 qual, tendo
como tal sid) dutinad'> ao servico militar, veri-
flcou-se ser 0 soklado deserter do 2- batalhao de
infantaria do exorcito, Manoel Francisco dos An-
jos satisfaco ao que solicitou V. Exc. em offl io
do 4 de junho ultimo sob n. 580, a que allude 0
de n. 1,013 e data de 13 do corrente, qae tambem
fica assim respondido.
Ao capitao d > pjrto.Ao seu offlcio de 8 do
corrente sob n- 157, relativamente ao curral de
apanhar peix-), qua J.a> Baotisti di Siiva Ducla,
esta coostraindo no lugar denominado Pina, res-
pond) dizendo-lhe, que apenas este receber, man-
de irapedir essa construccio, porquanto, segundo
0 parecer da c>mmissa> que o examinou, anne
xo ao citad) offlcio, verilica se que entreodito
curral e oqqo Ihe fica proximo nao esta guarda-
da a distancia de cera bracas, como di do art. 2 di JecrW) n 2,711 de 27 de fevereiro
de 1861, devendo ser deraolidos tedos quanto? se
acharem nas mosmis coadic.<5;s.
Ao director do arsenal do guerra. Mande
V. S. recolher a esse ar-enal 30 espingardas com
o correame correspondente, iue he sorao apre-
sentados de parte -I) co n nan i.vite do 8' bitalhao
de infantaria da guarda n >clonal deste municipio.
Ao mesmo. -Di conformidade com 0 qua so
licita 0 Exm. Sr. presidente da Parahyba em offl-
cio de 9 do corrente sob n. 2,744, recommendo
a V. S. qae providencie no sentido de serem for-
neeidas com brevidade a eompanhia de infantaria
ligeira daquella provincia as pecas de fardamen-
to constantes d w pedido.?, cojas segundas vias fo
ram enviadas a essa directona era 21 dc outa-
bro do anno passado.
Ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra.Proraova 0 conselho de compras do arsenal
de guerra a aequisicjio dos differentes objeclo3
mencionados no pedido junto, os quaes sSo preci
sbs para 0 expediente do almoxanfado do mesmo
arsenal.
Jlo epgeoheiro oncarregado das obra3 rauita-
res.Cemmunico^a Vmc, para seu conhecimento,
que a 10"do corrente autorisei 0 inspector da thesou-
raria de fazenda atnandar contractor com Manoel
Thomaz de Albuquerque Maranhao, a vista da pro-
posta por elle apreseuuia, a construccao da obra
do paiol de polvura, no sitio da fazenda, cumprindo
exigir do mesmo contraefnnte a planta do terreno,
nao consentindo que elle de" comeco ao3 trabalhos,
sem primeiramente apresentar a reforida planta.
Outrosim, recom nendo-lhs que a obra deve ser 1c-
vanfada no centre da proarioJado, no lugar do S>-
bral) Grande, juntoaWlPeTnstanre 0 mais pof-
sivel das habitajoes, convindo que ella flque isolaJa
por um espaco nunua inferior a dous mil metres
para caia lado.
2' secciio.
Actos :
0 presidente da provincia resolve nomear 0
bacharel Manoel Antonio da Fonceca e Mello pro
motor publico da comarca dc Villa Bella
0 presidente da provincia, atteadendo ao que
re
d
fiquereu 0 bacharel Joaquim da Costa Ribeiro, juiz
_e direito da comarca do Brejo, resolve concedcr-
Ihc tres mezes de licenca, com ordenado na forma
da lei, para tratar de sua saude onde Ihe convier.
Offlcio :
Ao juiz de direito da comarca da Eseada. -
Com 0 offlcio junto, por copia, do inspector da the-
souraria de fazenda, respondo ao de Vmc, de 8 do
corrente, quanto a lotagao do offlcio de official de
registro de hypothecas da comarca da Eseada.
3' seccao.
Acto: .
0 presidente da provincia resolve designar
03 Drs. Pedro de Athayde Lobo Moscoso e Alexan-
dre do Souza Pereira de Carmo para inspecciona-
rera a nntonio Cardoso de Queiroz Fonceca, conta-
dor da thesouraria provincial, que requereu sua
aposentadoria.
Offlcios :
Ao inspect da thesouraria de fazenda.
Dande provinento aos recursos interpostos por An-
tonio Jose da Silveira Lobo, coronel Andre Dias de
Araujo e Henrique Gomes de Barros e Silva Sobri-
nho, nos requerimentos que Ihe devolvo 0 a que
se referem suas inforraacoes de hontem datadas
sob n3. 561 a 563 serio E, autoriso V. S. a mandar
releva los das multas em que incorrerain por nao
haverem dado a matricula, denlro do pra3o legal,
os ingenuos de que tratam as citadas informajoes.
Ao mesmo. Oando provimento ao recurso no
requerimento interposto por Anna Joaquina do Sa-
cramento que Ihe devolvo e a que se refere sua in-
formacao de hontem datada sob n. 560 serie E, au-
toriso V. S. a mandar releva-la da mulla em que
incorreu pela iufracao do art. 21 da lei n. 2040 de
28 de setembro de 1871.
Ao me^mo.Transmitto a V. S., para 03 fins
convenientes, os dons inclusos prets especiaes em
duplicata tirando a gratificacao de 103 rs dia-
ries a que tem direito o 1* sargeuto do 4' bata-
lhao de artilhaiia a pe, Jos6 Jeronyrao do Carva-
lho, a contar do 27 de junho de 1863 a 8 de feve-
reiro deste anno, e bem assim a de 120 rs. do 9
do mesmo mez de fevereiro a 30 de junho ultima,
visto como taes gratificacoes deixaramde ser op-
portunamentc cobradas, segundo declarou rae 0
brigadeiro commandante das armas em offlcio de
hontem sob n 1017.
Ao mesmo. -Gommuni-o a V. S., para os de-
vidos fins, que a 11 do corrente enlrou 0 bacha-
rel Francisco Gomes Pinto de Campos no gozo da
licenca quo Ihe foi prorogada por portaria de 10
deste mez.
Ao mesmo.Tendo approvado 0 csntracto
constaata do termo junto por copia, celebrado
pelo brisjadeiro commandante das armas, em vir-
tnde de aulorisacSo desta presidencia, com o reve-
rendo conego Manoel Jose Martins Alves _de Car
valho para exercer as funccdes de capellao e pro-
I
fessor de primeiras lettras do presidio de Fernau meado3.
do de Noronlia, com as vanUgens e onus cons g-
aadas uo referido termo; assim 0 communico
a V. 5. para os devidos effeitos.
Ao mesmo, Sando provimento aos recursos
interpostos p.bcapit5oJoia Dias da Silva Junior
e Casimiro Lucio Jorge, nos requerunentos quo
Ine devolvo e a qae se referem saas informa'^oes
de hontem datadas sob ns. 588 e 3S9 serie, E, au-
toriso V. S. a mandar releva-los da multa em
quo incorreram por nao haverem avarbado qo
praso da lei a couipra do|sCravos. de que tratam
as cittdas iW'orc,^5C5.
Ao Inspector da thescararia provmaal.An-
nuindo ao qoft solicitou 0 regedor interino do
gymoasio. ^ro^riQcial am Offlcio de houlem, a(U
riso V. S a manlar entregar ao baoliarut -
^toCooH* asUlloBranJO.MOi^^^ |^'
00 tfagnetle estaba-eci-MOW a mmtia de.
VI 330*000. 1/np.vrtaMia das mensabdades d
conforrae indiea a inclusa relacao nominal.
Ao mesmo.Nesta data autoriso o com-
mandante do corpo de policia a despender a quan-
tia de 60*000 com a collocacAo de uma grade &
ferro e fechadnra na sala que tem de servir d
prisao a mulheres que foreai delidas ou pottas' em
eustodia por ordem das autoridades policiaes.
Ao Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso. -Aca-
bo de designar V. S. en Dr. Alexandre de Sous a
Perci'a do Carmo para inspeccionarera a Antonio
Cardoso de Queiroz Fonceca, cmtador da thesou-
raria provincial, que requereu sua aposentadoria.
devondo remetter a esta presidencia 0 resultadV
da mesma inspeccao. Esperu que V. S. nao- s*
recu*ara a acceitar esta ineumbencia. Igual ao
Dr. Alexandre de Sousa Pereira do Carmo.
4' secfao.
Actos:
0 presidente da provincia, tendo era vista a
proposta da lllma. camara municipal desta cidade.
feita em offlcio de 8 do corrente, e na conformida-
de do artigo 2 da lei de 25 de outabro de
1831, resolve approvar provisoriamente e mandar
que se executem os artig.s do postura addicional,
abaixo transcriptos :
< Art. 1. Nenhum carro, carroca ou qualquer
vehiculo de conduccao de generos podera levar mais
de oitenta arrobas ou dezesei? saccos de assocar,
puxado por um boi, e trinta e cinco arrobas on
sete saccos puxado por um cavallo.
a Ficam era vigor as multas c prohibicoes im-
postas no art. 17"> das posturas destalcamara, ap-
provadas pela lei provincial n. 1129 de 6 de junlK*
do corrente anno, e revogadas as demais disposi-
coes nalla contidas..
0 presidente da provincia, attendendo ao
que propoz 0 director geral interino da instruccao
publica em offlcio de 13 do corrente sob n. 303.
resolve exonerar 0 bacharel Aqaibno Gomes Pbr-
to, a seu pedido, do cargo de delegado litterario do
districto da cidade da Eseada.
0 presidente da provincia, alien den Jo ao qu*
requereu Waldetnides Primitiva da Fonceca Tol-
les, professora nomeada para a cadeira de instrne-
c.io primaria de Cabrobo, resolve prorogar par
mais tres mezes 0 prazo que Ihe foi marcado pan
entrar no exercicio da mc-ma cadeira.
Offlcios r
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Communico a V. S., para os fins convenientes,
que nesta data defiro a p'etigad de Francisca Maria.
das Dores, concedendo que seja ioscripta no res-
pective quadro a sua Glha menor, Christina, de
que trata a sua informacao de 14 do corrente, pan
ser adraittida no collegio das or->has quando hou-
ver vaga.Acompanha a esta a certiJao de idader
da referida menor.
Ao c >ramissario vaccinador provincial -B>
metta Vmc com urgencia a secretaria desta prwi-
dencia alguns tubos de pus vaccinico, com destino
ao municipio do Bonito.
Ao juiz de paz em exercicio da freguezia aV
Jaboatio. Para organisa;ao dos mappas esutisti
cos de que trata Vine em seu ofllcio de 25 de se-
tembro im Io, pode mandar seu escrivau ao arcbi
vo da lllma. camara municipal desta cidade tomar
as necessarias notas, ou, mediante recibo, levar os
livros para esse fim
Aos Srs. presidents e mais raembros da di-
reecao da assoelacao commercial agricola desta
proviaefh. Com a postnra addicional. proposta pe-
ta lllma. camara municipal desta cidade e appro
vada nesta data por esta presidencia, reformando
em parte 0 art. 175 das posturas da mesma lllma.
camara a que se refere 0 offlcio oessa associacio.
de 4 do corrente, que ora respondo, fica attendida
a reclamacao de que trata.
Portarias :
A' camara municipal da villa de Petrolma.
Para cumprimento do disposto no aviso do mini-
terio do imperio, de 24 de setembro findo s 9,341, haja a camara municipal da villa de Petro-
lina de emittir a sua opiniao sobre 0 proje :to de
lei, constante da inclusa copia, relative a creaci >
da provincia do Rio do S. Francisco. Iguaes a?
camara? municipaes das villas de Boa Vista, Ouri
cury, Cabrobo, Salgueiro e Bonito.
A" camara municipal da villa di- S. Bento.
Declare a camara muuicipal da villa de |S. Bento
3ue, nao se achando ainda reconhecidos pelo po
er competente os eleitores da parochia que cons-
tituo eise municipio, n:.o podera elles tomar parte
na proxima eleicao dc depulados provinciaes, nem
exercer acto algum eleitoral, em vista do disposto
no art. 121 da lei de 19 de agosto de 1846 e aviso
n. 547 de 22 de novembro de 1861. Mutatis mu-
tandis as caiuaras municipaes do Cabo, Rio Por-
moso quanto a freguezia de Una c Flores.
5' seccao.
Acto:
0 presidente da provincia, attendendo ao qae
expoz 0 administrador interino da reparticlo dos
correios desta capital era offlcio dc 15 leste mez,
n. 285, resolve nomear os bachareis, Manoel Perei
ra de Moraes Pinheiro e Ezequiel Franco de Sa, e
0 major Salvador Henrique de Albuquerque, para
examinarem no concurso de praticantes quo se
tem de proceder na dita reparticao no dia 20 do
corrente as 10 horas da manna; sendo o primeiro
em noc3e3 geraes de geegraphia, 0 segundo em
exercicios de caligraphia e orthographia e 0 tereet-
ro em arithmetica eieraentar, comprehendeudo r
uso do systema metrico.
Offlcios:
Ao administrador interino dos correios desta
capital.Tendo por acto desta data nomeado os
bachareis, Manoel Pereira de Moraes Pinheiro e
Ezequiel Franco de Sa, e 0 professor Salvador
Henrique de Albuquerque, para examinarem no
concurso de praticantes aue se tem da praoader
nessa reparticao no dia 20 do corrente as 10 horas
da manha; sendo o.l* em nojoos g-raes de tfio-
graphia, 0 2 em exercicios de caligraphia e o >
em arithmetica elementar, coinpre endenlo 0 nac-
do systema metrico, assim Iho communico pan
seu condeciraento e em resposta ao sea uffioio va
hontem datado s b n. 285.
Ao bacharel Manoel Pereira de Moraesn-
nheiro.Tendo por acto desta data nomeado Teau,
0 bacharel Ezequiel Franco da Sa e 0 major Salva-
dor Henrique de Albuquerque para examiaareanr
no concurso de praticantes que se tem de prouder
na reparticao dos correios desta capital no dia JO
do corrente as 10 horas da manhA ; sendo Veje.
em noc5es geraes de geographia, 0 2* em exerci-
eios de caiigrapnia e orthographia e 0 3 em arith-
metica elementar, coraprehetwood > 0 uso do $j-
tema metrico; a3sira Ine communico para scoco-
nheciraeoto. Mutatis mutandis aos demais bo-
jalnmnos pensiooistas la provincia, correspondent-.
'ao 4 trimoitre de outabro a dezernbro viadoufo,
Ao president da junta de'ftm jicipaci* de
escravos do municipio de Buique Aitendenda a*
qne represenlcu 03sa junta em offlcio de 7 do eor*
rente, autoriso 0 a prewar o^jr mais trinta dtasa
praso marcado para a execucao a eocerramea**
dos iribalaos reapectivos.
F.XFFDIKNTg DO SKCBBTAR10. JJ
1' SfCiOO,
Offlcios:
Ao brigadeiro romniaudaiiu* d '
ordem do Exm S/. presi4aol ., armas.Do
muuico a V. Bc <*n* "' ua proviu.-ia, coaa-
necer 100 op do iiifciB'*' .....le nanno azul ao 2- batilMu
.-' .. ,a e tnnta vassouras ie p assui ds-
,. i de recrutas, de conform! lade rom I >s quo vier.rn anaex os aos sem offl>i.jj le hon-
tnra ir.ti 11 sob as. 1,016 e 1,0)8.
Ao raftnno <. Exe,. 0 Sr ara^Vb l pB-
.iacia manda declarar a V. Ear. qm nfmmx
ineMiararia de fazenda para iw *is e inveiuaajm
os dous prou especiaes em duplicata qau rienpk.



.......i
Hi utfti Jfl *& miSMm Pernambuco
annexe* ao seu <
Offlcios:
Ao Dr. chefe'-^foMfcia.-Ocoivlcn.a) Exm.
Sr. pretiJente da pOOQOfe, iranamjtM VS. q
titulo iQnto de noraeacio d) cidadio Maurel Fran-
isco de Oliveira Amonm, nomeado lerceiro sup-
icm sob n. 1,017. Jena a pilinc*ail|B8'T ffanVof ftjcwrn^eHrflr petanto a cmnnijsljflBmaiiento da assenTd
n-ri seritlmls pftnfaos*aiit9 as terglversa-.-o'es'^Hf wm a J#WiK^'!9H lr. Perez do G.fmar, pi
(i riiiica carta3m-z4.de tt'icuns-Ayres.
E ; allgura. nieaos man, mas siuf p lo futftro, quo nos
parece'pouco tranq&illi^d
De prcseote, easo ribomba 0 trovSo da guerra
plente de subdelegado do' djgriftjylo S^teffMc- ao sul do imnerio, craao na aBtn
to, argundo da freguezia 1 .
nellas, de conformidade com a proposta de V. 9.
era offlcio o. l,7i7 fto irido^r rente.
Ao commandantc superior da guards naefo-
aatdo Reeife.-O Sxra. Sr.^residenfe da provin-
as conveoientes nrdei9 no afotido de due trata 0
seu offlcio de II do corrente sob- n. 711.
Ao bacbarel Francisco Gimea Pin|o de Cam-
posG Exm. Sr. paasidenteda provmeia maoda
aecusar o recebimento d) offlcio do V. S., de T\ At
corrente, p&rticipando tntrar no gozo da lieenja
que lhe foi coneedida a II deste met.
4* Sect 90.
Official_______ .
Ao director geral interina da iuslrut^ao pu
blica.S. Exc. oSr. presidente da proviocia iftan-
da communicar a V S qne por pirtaria desta da-
ta foi-enonerado 0 bacharei Aquiiino Gomes Por-
to* a *eu pedido, do cargo de delegado Htterario do
districto da cidade, da Eseada, como prapoz V. S.
em seu offlcio de 13 do corrente sob n :W3.
Ao regedor do gymuasio provincial. S. Exc
0 Sr. presidente da provmeia manda communicar
a V. S. qua expedio ordem a thesouraria provin-
cial, aflm de ser entretrae ao secrctario interino
desse estabelecimeuto bacbarel Francisco da Cu
aha Castello Branco, a quantia de que trata 0 sou
offlcio do li intern dalado.
Aj illustrissima; camara municipal do Recife.
S. jBxc. o Sr. presidente da .proviiieia manda
remeHer a. illustrissima camara municipal de.ta
eidade a inclusa copta do aot> de hoje datado, pelo
qual foi approvado -provisoriamente 0 projocto de
postnra additional qae Teio auu.wo ao olli :io da
ir.es ma illustrissima. camara de 8 do corrente.
S seccilo.
Ao Dr. chefe de policia. TS. Exc. 0 cr. pre:
sJente da proviocia, teado conceJido permis-ao a
companhia Ferro Carnl de Pernam!>uco para que
pela ii.inte da Boa-Vista possam transitar os res-
p^ctivos carros, privando que as cargas pesadas,
carros de carga e comboios tenbam passagem p>ir
alii, assim 0 manda communicar a V. S., aflm d
u'ie expeca suas ordeas no sentido de ser manlida
em sua doliberagao.
Itc|#artofto da nolioia
s.'seeeio. ierretaria da pohcia de Pernambuco,
1'.' de Janeiro de 1871.
N 88. dim. 0 Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que foram recutbido^ a easa deUotenr.io os indi
viduos seguinles:
No dia 17 do corrente, a ordem do subdelsgido
da IliH-ife, Jospha. mnw de Mauoul Joaquim de
Mattos, a reqnertfnento deste.
A* or Jem do da B6a-Vi*ta, Francisco de Azeve
do Carvallio de Siqueira Varejao. preso em 11a
grants por crime de ferimenlos leves.
A' ordem do da Varzoa, Joao Marques S.oares, a
disposirao do Dr. juiz do dircito Jo o di-trieto
rrimiaal, p >r sc achar pronunciado no arl. 219 Jj
<-od. crioi.
No dia 18, nao foi recolliiduitviividuo algum.
Par offi.'io de 9 do curr>nte eomruunicou toe
delegtio de Rambe que, na manh.i do dia I.', no
Ittgar Poco Com .rido de Tmina, do district* de S.
Vicente, "daquelle lemio, Mnoel Hoariques ferio
gravemente c>tn um tiro e umapunbahdaa Fran-
cisco J.6 da Silva,-o qual veio a fallecer no dia
4. con*egnindo evadir.se o delinquente ; quo 0
r.-.-pjclivo subdelegado fe/. o coioaelente inqucrito
eremetteu 0 ao resprc'ivo.juw niiinicipal.
Em data de 11, communicou-me ainla o mes
no ileiogado qi:e caj.tiiiara e rccoltiera a respec.-
tira culeia a Pedro, escravo, pronunciado alii por
rrim de tentanva demote. '
Pot offlcio de 17, coinmmMCOU-.iie. 0 eubdelega
I da Bo i-Vista, que pela.-. 8 i/2 boras da noite
do iiir. dia, ho Caes do Capibaribe, Francisco
A-. Aou-eio Carvaino de Siqueira \aie,.ij, do
quern- .icirm trato, para satisfacao de lins iibidiao-
so, ferira levemente em n-n bra^o a Maria Ame-
lia da l'*Twii nifini e *enJo per.-eguido pelo clamor
public, foi preso na poute da respectiva fregue-
Aa ; qae fez a comp-Uente vUtoria e proseguia
no* tennos do inquerito.
'v'-ta dita declarau-me 0 subdelegado do 2.*
disi-icto da freguezia de S. Jose, que remeltera ao
Dr. juiz de direito do respectivo districto criminal,
1) inquerito policial que fez ontra James Paterson
Shield, auttir dos ferimeutos praticados na pessoa
de R -iiMna Maria da Conceigao.
Deal traarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com
mendador Henrique Pereira de Lucena, dignissi
mo psvaMmM da provincia. O chefo do policia,
A ntani-i Frajtciico Comiti de .\ruujo.
se nao pander
DIARLODEPEimMBUU<
flctrospccto politico da anno le
1893.
RECIFE, 1 DE JANEIRO DE 1S7'.
II
Republiea Oriental do Uruguay
Da paz inlerua e ext-rna foi 0 anno de 1873
para os povos da ban Ja oriental; e, a sombra con
s '!..d ira 'ie.-s.i (>az alguns nteis e prow-itosos me
Iharamentos conseguio o Uruguay, ao passo quo
iuiciou ou'.ros que provavelmente se realisario em
1874.
Nas relates cxteriores^6 certo, continuou ado
minar um resin desse espirit) exagerado de nacio-
nalidade que tao dcsaslrosamente f*i iniciado p lo
jovea miuistro Dr. Herrora, e;n I87i; raas, ahi
rnesmo, nennuma nuvem, pejada do tonnentas,
obumbrou os horisontes da republiea de forma a
iniaielar os espiritos com apprebens'es pelo fu-
ture.
Nao, 0 -stalo das reUctfes dip om; ticas do Uru
guay nae e iaouetador, nao obstante nao ser elle
perfeitamente firppo de difflculdades.
Ficam pendentes, viadas de annos anteriore
varias recinmacpes brasileiras, e outrosim senlidas
qneixasde outras poteoei s, cujos subditos viram
.s seus. interesses preiudicados nao so pela cruel
a.'cao das revoltas, felizmen'.e apasiguadas em
1872, mas ttmbem por. ossa politica de reenmina
<_-r.es do governo, que tao decidido apoio encontrou
aa Sr. Herrera
Nada disso, porem, foi de natureza a qoebrar as
harmonias da pas; mas tern sido bastante para
manter 0 governo de Mpntevitle) em um ccrto iso
lamento, qqe-elte se sTofcahoie por dVstrflir, vol
tando a normal ir.ais cordatas de proceder e a
uma politica mals cobforme com os interesses ge-
nes qne representa.
Ha entretanto u;n ponto n gro, que pode ser fu-
oesto a politica do Uruguay : a a ambicao arg"B
tina, que, seme I nan te a Ja Prussia, son ha com
aoaesafoes de territories e se altmanta de espe-
rancas, aguardando opportuoiJades que difflcil-
meote eaegarao, e semeando graos. que c quasi
impoisivel germTuarctn no solo da banda oriental.
Eatretanio alguas espiritos ha na republiea do
Uranay qpa-se iadinara manifestamente para a
politica argeatioa, 3 desto numero & sem duvlda 0
f)r. Perez G 1 nar, ministro que foi dos ncgocios es-
trangeiros, e cuja retirada do gabmete, servio para
acalmar os receios de um prejudicial lancamento
da republiea nos bracos da cUbicosa Confederacio.
A politica-acgentina, p jrem, nao ha de tnedrar
jaa baada oriental, n5o. A io se oppoe a liberda
de a au(oaoiaia da republiea, seat coatar que ao
Urasil nao BO'Se conrlr essa politica absorpsOra,
qne seria eeriamente uma ameaea eteroa nas sua*
I'ronteiras de ml.
A" Repnblica Argentina nem cuna nem outra
dessas razoea erabarga os passos, ?isto como elU
proseajw, s-;rapre'e sempre, nos sus pianos, ora
mastratido-se interessada pebs negocios da repu
ijlioa vizima e abi iatervindo amistosamente em
suas lutas, ora faserfdo seiitir 0 sea poder e arro-
gan.-ia por meios dipkomaticos, em qua denuncia
o espirito que a traz de c'ontSniio precavlda.
Ap'Braiu-euinprOjJMis, ser previdente e atten
i-ioso, de forma a nao dclxar que se ratiqu^m
fn^Qi* de todo poai > ioaofraisMveis, maxlme nas
i-lrsumstanciag acidae-, rn que como que se per-
ebe um rumor ?ago de pos9fveis lutas dessa ban
da da America.
Os tratados deBnitivos d> paz; que 1 Republiea
Oriental nao poudeainda celebrarcom.o Paraguay,
que, em certo mode, e*ta9 Kgados qae de.ve
eehftrar a KepuWiei. Af(Krttipa, si um motiro de
aprehensdes, que dev--er de-.per{ados os coi
dados do governo doJrasil nO-toeanXe a- questao
argentlno-piraguayti, vasaatfo a Iirfn3.de cohduc-
ta na polities uterdaeioaak
0 Brasil tern gr nd, iater-ses asalvaguar.hr
no Praia, e estes interesses na > p idem flcar, oom
devem near a mercd de um golpe de m .0 di Con
fod'-raeao Argeatioa.
D'itros cuidados e atlencoes que nio cessare-
mos de plir ao governa du Brasil para a republi
c\ oaieotal do Uragoay, onde procura aarir ore-1
li|a, se ceosetvari netitra aaluta rmis, n.oBBtro,
e possicol qae 0 eoakaria a verttqac, e Bitf isso
e gue recommen lamos atten^ao e pedimo*"eaer-
ica altitude 00s nogocio; politico* do Prata, em
bin o verbo da pax nao esleja ahtda viciado.
Esse verbo dominou, com) ja dissemos nos ne
gecjos internos da Republiea Oriental, e assim era
ereciso que acoatecesse para deixar resfoleg tr 0
pulman desses negoelos, tao eareotes de ar viftil e
de calmantes.
Depois do convenio de pax entre blancns e colo
ratios e das cleicSes qne foram a eon^equeiicia
dessa paz, reinou complete tranquillidaao in re
pablica e adquino imperio a lei, renascendo, por
assim dizer, a vida em tolas at relagiies do iciitt
do commercial e agricola.
Na politica havia entretanto um ponto e-curo :
era a cleicao presidencial, disputada entr os Srs.
D Jose Munoz, apresentado pelos coHservadores ;
D. Pedrj Vareila, apoiado pelos /I wistas ; eD
Jose Elaiiri, recoramendado por alg-.ins amigo3.
Eram todos colorados ; mas ijapossivel 6ra as-
segurar qual dos tres/b'teria a palma dotriumpho,
nao so em face, d 1 modo com 1 se compozera 0 con
grwso, mas lamliem pela divisio dos cob^it* em
flaristax e eontervadores.
E ziam irreconciliaveis, causava apprehensoes a mui
tus espiritos, c de'xava entrever a possibilidade; de
irifluirem os blancos na eleicio, fazoad-j ponder a
decisao do congresso para o candidato menos bos
til a soa causa e que oliToce.-se tnais garaotias
a os sens tentamens.
Em melo destas apprebensdes reuniram-sc as
camaras cm Montevideo, e cada qual tratou de ve-
rificar os poderes de seus membros, sendo pois
elettos, presidente da camara dos deputados D.
Alexandre (.'.hucairo, e dp senado 0 Dr. Elauri,
que, na forma da constitiii^ao, assumio a presiden
eia interioa da republiea, recebend* o poder das
mans de I). Gomensoro, que, na qiialidade de pre
sidente do seaado, o mantivera ate entao.
Contra 0 reccio de alguns pessimtttas, que espe-
rav.-iin perttirbacao di ordem, ou mesmo resiiten
cia por pane de D. Gomensoro na entrega das re-
leas di administracio, tudo se fez sem altera^ao
d 1 tran jmllidade, e no meio de grande regozijo da
populacao, que, agglomerada nos arredores da casa
do senado, proroinpeu em vivas, logo qua teve
scifencia da elei^.-to do Dr. Elauri e do seu empos-
samenlo no poder.
Dias depais 0 novo presidento interino abrio
com as solomnidades do esiylo a assemblea geral
da rapubiica, fazendo-lhe sentir quo a sua primei-
ra necessidade era eleger presidente effeclivo um
eidadio qiie reunisse toda? as qualldades reqoeri-
das para a suprema maizistratiira do paiz.
J.i entao a luta para esse cargo eslava travada
entre D G imensoro e D. Munoz, visto como todos
os m.-.is tinham retirado as suas i-andi laturas e os
partiilos modilieado os seus priigrammas.
Coiaecaram logo as corabina^'oes e tricas politi-
cas, ate que, no dia !. de margo, vendo os aniigoi
do sr. Gomensoro que era certa a sua derrota,
fizeram convergir osseus volos aoUre'o Dr Elauri,
que, por dm de eonta<, foi eleito presidente, sendo
auxiliado pelos bianco*
Fiel as saas anteriores deelaracoe9, duas vezes
rejeitou o Dr. Elauri o cargo de presidente effec
livn ; mas instalo pela as&omblea, cedeu, e tratou
de Drgaqisar gabinetc.
Acliaiido difflculdades Dessa organisagio, no dia
2 repedio 0 Dr. Elaurla sua renuncia, dizendo-a
indeolinavel ; mas entao os bataltiSes de linha c
artilharia s.miram do* qaartbis, sem ordem do Cs-
ta lo maior, e furrnaraui na praca da ConstituicSo,
reclamando d > presid>mte que retira^sse a sua re-
uuuria
0 Dr. Elauri ordenou que as tropas voltassem
aos quarteisj e mandou que os seus coinmandan-
tcs se recolhessem mvsos, no qae felizmonte foi
obedecid-., sem p&rturbacao da 0 dem pubhea.
Entri'tanto a anciedade foi geral, eperplexa ficou
a capjtal ate 0 dia 3 a tarde, sem saber se tinti
ou nao presidente.
Instado, porem, pela assemblea e ten Jo conse-
guido organisar gabinete, 0 Dr. Elauri dec'.arou
entao que aceitava 6 cargo, eaanunciou :er for-4
ma do assim o minister io : Dr. C. Alvarei, pasta
do interior ; Dr. Peoalba, pasta da fazenda ; cOro
nel E. FaiJa, pasta da gnerra e marinha ; e Dr.
Perez Gomar, pasta de eslrangeiros.
i)epoisda apresentacAo dos estylos, foi 0 gabine-
te interpellado acerca dos fictos do dia 2, e respon-
deu qne seriam puaidos os aulorcs da sedicao mi
liter, que todavia nao perturbara a ordem.
A calma e a tranquillidade succederam as agi-
taedes dos primeiros dias de marco ; e, em meio
dessa tranquillidade, foram seguinJo seu curso
todws os negocios, occupando-se a assemblea de
assumptos intcressantes, e ale da rcforma da cons-
tituicao, que foi julgada necessaria pela camara
dos depulados, especialmeote no tocante A eleicao
presidential.
Com effeito a experiencia tern provado que e in-
conveniente 0 peder eleitoral que e dado pela
constiiuicio a assemblea geral, e, pois, 6 hoje opi-
niao aceiia que osta se deve limitar a legislar, pas
sando para 0 povo 0 direito de esoolher di recta
mente seu prinuiro magistrado, periolicamente.
No meio das ioeubracaoes da assemblea, sorpre
hendeu a odos a erise Qnaaceira e commercial de
Buenos-Ayres, e os seus effeitos, reflectindo se em
Montevideo, causaraaj um certo panieo, alias fun-
dado.
A especulagao em funJos publicos e era terras,
na qual se tinham aventuratto muilas easas com-
merciaes, sotl'reu uma hquidacuo prejudicialissima,
visto como baixaram Iikijs oi Otulos, subindo os
descontos a pre.-os exorbitantes.
Alem disso, a exportaca0 diminuia em face de
uma importac'io enorme, determinou a fait, de
mceda metallica, em Consequeacia da sua expor-
tacao para cubrir os claros da importagSo com-
mercial, aggravada pelo depreciamento dos produc-
tos do paiz nos mercados europens
De tudo isso nasceu a erise financelra e com-
mercial, qne produzio o p.inico assignalado, obri-
gaitdo muitas casas a fatlir e muitas fortnnas a se-
retn destrhidas.
Nio era, porem, somente a sociedade que sentia
esses apnros, nio; tamhem 0 governo sentia se
em difflculdades, provindo ellas da anterior adrai-
nisiracao, que, como Hodas, e dwsde Ihultos anuos,
havia compromertido aotec1padarneiWe''uma gran-
de parte das rehdas gwHes da jirfande'gi e crea-
do serios etnbaracos ao thesonro.'
I'rovem is~o, sem duvlda, da quasi nulla flseali-
sacao qae exerce 0 pod6r lejffstattvo SObre 0 ee-
cutivo, e tamb'em difelta de njlnrall lade flesfe ul-
timo poder, pfjr caja cinsa-a Tazenia puWica -ti-
des os dias apr.ixi:na ae da banca rota.
Das rendas geraes 0 govern)) apenas tern ordina-
riameate flOJ mil .pesos, effl nma arrecadacSo de
eerca detres mitttoes, para fater ?aee a dma des-
peza de quan quatro rntthxfes.
- Dahi resulta um deficit pennaoente de eerca de
trea mijhoes annuae*, para cobrrr o qiial 6 xf gp-
vereo forcado arectwrtr de coaHnuo a novos' e
onerosHssitnos empresti^xls:
Estes a fioal hao de estancar por ft It as de ga-
raolia, e eatao a banca rota sera lnfatlivel, se nio
f ram tomadas provHleoWa's, cixft'1iHfeiai{5o Ji co-'
mefou.
0 parlamento, tomando cdhhr?cfmtjntn da erise,
votouilglimas medMas ep) apdri da stlaaejao/trad
so antorisavdo mals am emprestlmo, mas tambem
aagmentanlo 0 valor das moeJss estrangeiritii,
com curso legal, para 0 Qm de ret^-las no paiz.
Votadas estas e out Ms lets ti Inieresse pwblleo,
etinerrouse a se'ts*') das-caqjar^s.-depttij depm
de Janeiro de 1874.
r. { 0)1 m)/ \ w
L.
md'o 4 tardo para $&&&{*Se*a^Mo1mft rH4ft P?rr%if, *%o* 4lfcferf
nBgaeiaiffidn etnpresrtrilo', accusando-a do Jncoi
tifUiSioikal'ite .aierf^>"f esta raz4o Toi o giyot >
interi'dbd> y icart'icUa eommissao, oeranlu qu
cfirrtii'a'rpceu e aeclaT'.'ol ter fundado 6 s'eu arto i
precedentos seguidos na epoca em que os con
tuirUes tinhaa.governadi o paiz, c sophi.-inou
zeadi qu aTcarg^ de um sefvigo puhlieo rl>
podU ser apnlieaiJa a rat ila disposicao da-euj
Eetretanto, os commissariae do oraprestimo
gtriram ao seu destlno, e e ptra desejar que ck-
slfam o intent' do governo, qne sa aeaa eni)-
nhado en solver as difflculdades financeiras, re,
agaardando esta solo cm, eontiniam todavia i-
pertinentes e as.sombro^as.
Se o eaiprestiaio se realisar, eerto a Repnbta
Oriental, so tifara da po3icSo embaraQosa em lie
esta: mas, se essa tentativa for improfieua a
banc* rota pride vir de am inomenie para on .
porqoaisera tadispensavel continaar o antigo s
tema de emprestim>s internos ruinosos, ate ue
mngdemmiis se quelra arriscar em taesapea-
Cdes ^, %m m ^m
No anno fin Jo foi'a'mda Montevideo, ataoda
pela febre amardla, posto one sem caracter /pi
demico. -Tanto bastou, porem, para dar aso afiaiaa
certo terror panieo na populacao, e para der-
mihar o governo a intervfr com media** ?rebn-
tivas de tol; uonto craeis, visto como consist am
em isolar os aieftfes e quisi que em abarido i o?
a uma morte certa e tristissima.
Feliztnohle o m.il nAo se propagou serlarahtc,
e a populacao llcou livre do flagello, em puco
temp i, e sem graves prejuizos.
Entretiinto, tiveram lugar em Montevi 16 > vlrias
confereneias internaeionaes, entre o Brasil j as
republicas platiuas e do Paraguay, para a feirra
do um tratado sauitario, que, ombora conc('do
entre os ennferencionistas, aindanio foi pdbKkd)
neai proJuz effeitos.
Logo que isto se de, o que alias e argents, les-
sarao de facto as exageradas quarenlenas dejue
sa i victimas os navios e passajeiros em Monte-
video, e cohsequentemente desapparecerSo as
queixas dos governos interessados alias prcjffdi
cados em sous interesses.
Em dezembro foi deseober'.a uma conspiracio
contra a tranquillidade di repuhl.cajsendo apri-
sionados varios mllitares im[ilitados io movimen-
to projectado.
Ahortado esse lenebroso piano, a republiea
contihui-iii a gozar do paz iaterna, lao obstante
correre.n boatos, a ulfiihas noticias, 6 que Lopez
Jordan, com os restos do seu exerclto tlnha inva-
dido o lugar denominado Santa Rosa com o fim
de conviilsionar o paiz.
Estes boatos parecem tanto mais ihfundados,
quanto Lopez Jordan, tratava de rorganisar os
re-.tos das suas forcas na proviocia argentina de
Eatre-Hins, a que se pretidem sens nt-resses; e;
pois, n5o podia se achar em territork orierttltl.
Em todo caso, porem, o governo d< Montevideo,
julgou acertado tomar precaucSes, B por isso
mandou tropa p;\ra Payssandii, com f nra de sopl
tar qualquer movimento.
Assim, pois, nos lihs do anno a fanquillidade
publiea achava-se sufneientemente garatitlda, ao
p sso que os espiritos seotlam-se fiquietos pela
continuaflo da crlse financeira-comhercial, e bem
assim pelo geito que levavam os ne|ocios Interna-
cionaes no rip da Prata, perante a arogancia e os
inconvcuientes da ambiciosa politica argentlna,
sempre provocadora o blazrfttsta.
Essa tranquillidade interoa'da repahlca e pro
vavel que perdure, visto como, removilo o maior
phantasma que a assnmbraya, a eleicai presiden-
cial, tern aiada o pvo oriental diantj de si tres
annos de governo, assegurados, e dirante esse
lapso de tempo, podera, so ti^er juzo, ganhar
immenso terreno na estradado pro/ressn; cami-
uhandoehtrc a ordem c a libcrdade.
fe,I6 dejaof'h'o* 187*.-Illm e Exnr.Sr. Or
rogada porurfi met I'rtjas-dwe toga correa tao-' 1biriqre Peteb'a'de de'ldeemi, tBjrnissimepresii
tlcia dequaseriam onTocadas extraofdinariamen.
te para 'tratar ro'ea'ssdm6tos qiie rflo pttderam sef
dlscuudos da sessio ordfn*ria.
G-ihreffeilo s 5 de ag'istft abrids'tfa sessSo-ex-.
traoidloarfa, e a assemble"* nao so apprevon am
project.) prorogando a cop<,enc3>). celebradi com
I Franca em I8)f>; ra3S tamhBsdad[i'rovou uinpyo-
rio antorisaodo am empr^ndb em Lmdres de
mHhdes e oitocehta^ rrlif 1Hh-ai esterllnas, para
o fim deresgatar toda a d viaV'eonsdRdada da
repobliea, e occupou se com A rtfirrtia dos tri-
buoaes.
Entretanto o goerno realisonn-etitpreslf'mo'au- messa que me fez em 7 de novembro ultimo, com
torisHdo preee4enteifcm>,'e iWne>W uWa'eo'mmis- J
sao fra- Ir a Londro* iraur As eMr>limo cs-
trangrtiro, toman io pane neste" uhiim o baaeo
belga allemio.
Para a comnissao d3 omprestuno *Ti nomeaiio
o Dr. Perez d Gomar, qu4 para tal fim dera d-
missa id i cargo de nun iat.ro do estrange iros, can-
o art 89 d constituijao, que dii que os m nutr is
d i etlado, guartrh deixanein as mn pastas, nan
ptiffao saltir, iob nenhum pretexts, para fora do
terrttorio da republic.
Por essa rataW at gun; depiitados protestafam,
. -
I.
REVISTA DIARIi.
HoSptcfo dc alienados Damos em
seguida mais dunativos p. ra as obns deste novo
estaheleciinento :
. Illm. e Exm. Sr. commendado" Dr. Henrique
Ptreira Be Lucena: Remetto a V. Exc. a quantia
de duzeutos e Vinte dons mil rei; a a relacae *ss
Srs., que teem contribnido parao a=ylo de alie-
nados, era troca do hymno a-Caridade. Son
com todo respeito e consideracfb, de V. Exc,
imigo e oi iado obrlgadissimo, Pelro de Atkagde
L-jbi Moscoso. S. C., ti de Janeiro de t874.
Dev Bfli amanha em nosso psree.'.
TuitnPjpiiiliiluailoraH. Rwiriramse
li'ititum as jtmtas re.visoras da quali|icacj rotmles. jjs mesas tiearaiu asfim "orgiiniSadas.
ros'^jRHiiies freguezias:
Santo Antonio. Presidente, Francisco da Silva
Re^o ; secrelario, Juao d\i Cunha Scares Guima-
ries e Aofelo Custodi i Rodrigncs Pranca ; es-
eraladores, Dr. Olympio Marqaes da Silva e Joa-
qtusn Josede Abreu.
Boa^Vista. Presidente, Ahtoaio Caraeiro Ma-
chado Rlos ; secretarijs, Manoel do NatciaMlo
da Silva Bastose $.mplicio da CbW Ribeiro ; 68-
crutadores. Jo3o teopoldino do Rego e Manoel
Gomes de Figuelredo Castro.
Afogidos. -Presidente, Jofto Chrysostomo de
Alboquerque ; seereiarios, Dr. Jose Maria fla-
melro e Manoel Joaqnim KardweSHra Junior ;
escrutadores, Maximiaao Antunes Torres e sSotero
Jose da Paz.
Kassa Seahorada flraffl.Prttidente, AbguslO
Genriino de Figaeiredo; secrelarios, Dr. Jose
Frarrcrsco Ribetra Jdachado e Maaeel Antonio de
Albuquerque Machado ; e crutadores, Jose Duarte
Calistoe Joaquim Monteiro de Andrade Malvioas.
Jury do Recife. Deixou hontem de ser
mstaliada a primeira sessSo deste tribunal no
corrente anno, por s6 terem coraparecid.0 12
juizes de facto dos 18 sorteaaosj pelo que forani
de novo sorteados oi segaintes :
'Freguezia i-i Recife.
Jose Maria Furtado.
Manoel Jose dos Santos
Freguezia de S. Antonio.
Dingo Raptista Fernandes.
Dr. Atron-o Arthur Cysneiro de Alb'.iqtlerqae.
Pedro Janaario de Paiva Dias.
Francisco Antonio de Brito.
Jos6 Laurentino de Azevedo.
Jose Sotres da Fooseca.
Caetano Pereira do Brito.
Dr. Atfgnstn de Castro Jesas
Dr. Alexandre Jose da Costa ValenlB.
Antonio Gurgel do Amaral.
Adolpho Tarquraio Acipto.
Dr. Pedro de Albantara dos Guimaraes Peixoio.
lose Marianao de Albuquerque.
Pedro Jorge da Silva Ramos.
Freguezm de S, f-'ti-
Jose Manoel Pereira de Abreu.
Pedro Ratis Barges.
Freguezia da Boa lista.
Dr. Antonio de'SiTueira Cavalcante.
Dr. Manoel Carneiro de Barros Rego.
Adolpho Lavra Pennna.
JoSo Carlos M.tnso da Costa Rfis.
Or. Jose Soriano de^ouza.
Ulysses de Arrarra Camara.
Minervino deSouza Leao.
Dr. Augnsto Carlos Vaz de Oliveira.
Joao Carneiro I.ins Soriano.
Antonio Marques dc Amorim.
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda.
Jos6 da Silva Guimaraes.
Dr. Antonio dos Santos Siqueira CavalcaOte.
Anacleto Jose de Mattos.
Fregue7ta d;i Graca.
Francisco Ignacio de Medeiros.
Joaqnim Salvador de Siqueira Cavalcante.
Adolpho Koop.
Fregnezit dos Afogados.
Dr. Joaquim Manoel Vieira de Mello.
Foram muttados em 101" cada um dos se-
guintes ju zes de facto :
Joaquim Felippe da Costa.
Antonio da Cunha Soares Guimaraes.
Dr. Jiiaquim Francisco de Miranda.
Dr. Bcnto Borges da Fonseca.
Dr. Joao Maria Seve
Francisco de Paula R*-go Barros.
Manoel de Miranda Castro.
Manoel Jose Goncalves dos Santos.
Joaquim Alves Machado.
Heleodoro Fernandes da Cruz.
Manoel Joaquim de Almeida Sore=.
Manoel Victor de Jesus Malta.
Antonio Pereira de Faria.
Bruno Alves Barboza.
Franciso de Pinh) Borges.
Prancisco Joaqui a Ribeiro de Brito.
Joaquim Antao de Souza.
Joaquim Pelro Barreto de Mello Rego.
Augusto Fredericode Oliveira.
Bario de Bemflca.
Francisco Antonio Pontnal.
Dlnlieiro.-0 vapor GequiA Irouxe para :
Maia
irianua
Joao Pereira Moutinho
Fredenco Chaves
Bernardino JosS da Silva
Joio Ferrelra dos Santos
Joao HermeaegilJo Borges Diniz
Ernesto Athayde
Jose Eleuterio de Azevedo
Francisco Baptista de Almeida
Pr. LuizEmigdioRdrigues Vi
Carlos Pinto de Lemos
Dr. Jose Eustaiuio Ferreira Jacobina
Bellarmiao Goncalves de Oliveira
Dr. Jose Joaquim de Oliveira Foncoca
Antonio Colambano de Assis Seraphico
Dr. Joaqnim Correia de Araujo
Dr. Joaquim Oirreia de Oliveira Andrade
Dr. Miguel Jose de Almeida Pernambuco
Jose Alves Lima
RoJdlpho Krukunherg
Dr. Joaquim Jose da Fonceca
Dr. Pedro de Albuquerque Autran
Barao de Campo-Verde
Dr. Angelo Henrique da Silva
D Maria Carneiro Monteiro Leite
Francelino de Hollanda Chacon
Barao de Bemflca
Dr. Francisco Alves da silva
Manoel Alves Vjanna
Ernesto Vieira de Araujo
Jose Toixeira Coimbta
Vicente Teixeira Cehnbra
lose Anastacio de Afcoquerque
Dr. Adolpho Lamenha Lins
Um, vendido era casa
Tenente corbnei Mafleel J do Rego A.
Dr. Americo Vespucio Moreira de A.
Dr Cypriano Fenelon Gucdes Aleoforado
BrigadBiro'Manoel da Cnnha Wanderiey
Antonio da Silva Azevedo
Or. Manoel de Barros Barrett)
104003
5*000
oiOOO
*000
gooo
3*000
."5000
o*000
3*000
3*00
i*000
20*000
3*(K)0
3*000
W*000
3*000
o<000
2400)
20*000
oJOOO
3*000
5*000
5*0 K)
10*000
2*000
3*0o0
2*<00
s*ooo
5*000
3*000
S*000
,>*mio
io*ooo
2*000
5*0)0
SJOOo-
24000
0*000
5*000
5 JO 10
222*000
Dinheiro, anteriormente remettido do
Hymno 1:004*000
Somma 1:M$*000
Gabinete da presideneiade Peraambuco, em
17 de Janeiro *) 1974. W. *r. Dr. Pedro de
Athayde Lobo Moscazo. Aceuso recebida a earta
de 14 do corrente, em qne V. S. remetteu-me a
quantia de duzentos e vinte don mil rets, para *
obra do asylo de alienados, com a relacio das
pessoas que eontribulram em troea do Hymno a
Caridrae. ioaymdo em V. B. o piedoso irrte-
resse qae o estinnrla am tao nobre intuito, agra-
d.^o-lhe mais nma'vez A valiosa coadjuvaiao que
me b* prestado a respeii* d'aqaeMe estaiieleei-
mento de beneficencta. We V. *., amgo, tten
cioso, venerader e crlado, Henrique nttint it
tuoena.
Mm. e Exm. Sr. Iwdasa encontrara V Exc
mais a.qtanftaWta erncoenfc m# reis {mt/OOO);
qan carrdoSameate offereeeram em beheficio do
asylo de alienados, qae V. Exc. tosta ewntrnlr
tiesta cidade, os cidadaos constantes da retail.
jqita, ijueV. Btc. ae digaari fizer publicaraam
de que eonte d desHno qne dei a qaanHa, qne
aciaia me referi. Den* VoardB a V. Etc Veil
IbderjatrMrode I8f.-Illm
deate desta provincia. Q juiz de direito, Her mo-
genes Socrates 'Titvtirts Y Hguifl Pereira nV Araujb'CarnJMre 50*0 O dn termo de Itambe, Manoel
Padre Floreoeio Xivier Dias i >*990
Gaptlio Mantsef Joaqnim dF. lvjo !0*O
Major Francisco da-* Chagas Dnro. 10*000
iabineie du presideuciit de Peraambue>; em
7de fanelrodfl1ff7:^UTrn: ST. Dr. Hennegenes
Soerates Tavares *> Vasconcell.* Fteo de poBse
dos cincoenta mil n5is. aeompanhndns darelaeao
dos resuectivDs niriWiirttes, qtn V. S. me re
mettea em IB <*> corrente, em additamento a re-
d V S.. r. ill-^da .ea nigo atleneioso criado, tien-.
rique Pefetm tie-Lucena.
Teletframma do ParaNo dia 18 Uo
rorrente, a tar I-, s ihi' do pert! de Belem, com
destino ao nosso petas esealM, o vapor baasiieiro
Bahia. t
Outro da Bahia.Chegou hootenfa esae
porto o vapor Lrasi ivro Ceara, procedente So
Manoel Gomes da Crnz 9:38**2SS
Pereira Irmios 3:*JJ!!*?aa
Antonio Ferreira de Oliveira 2:7r5*Hxx
Pocaa 4 C. 2:0000^
Jose Pinto da Costa 'sIsCSS
Joio Francisco de Souza l:80w000
Alexandre A. de Caldas Padllha 722*0.10
Jos6 Joaquim dos Santos 523*000
FernandodeNorontia. -No dia 1 do
corrente assumio o exercicio de commandante
deste presidio o Sr. coronel Sebastian Jose li siho
Pyrrho.
Jfos dias de esUdi alii do vapir Geqma^ da
eompanhia pernambucana, reixou mao tempo nas
costas.
Almeida GarretEste vapor,da compa
nhiaProgresso Mariiimo do Porto -,deve ehegar
ao nosso porto procedente dos do sal do imperio,
ate 29 do corrente.
Vapores a nahlr.A 28 do corrente,
Cururipe para Mamanguape; a 31, o Ipojuca para
o Acaracu e escalas, e o Gequid para Penedo
escalas.
Vapor Magellan.Ate 30 dojeorrente, es-
perase de Calhio e escalas, este vapor inglet, da
linha do Pacifico.
Governo do Mspado. Por provisoes do
Revm. Sr. governador do b spado, de 44,15 e W
do corrente, foram nomeados : o Revra. Idalioo
Fernandes de Sonza, vigario encommendado da
treguezia de Nossa Senhora da Graca da Capunga
o Revm. BasiHo Freire Alistal Navarro, vigario
encommendado da freguezia de S. Joii Baptista
de Arez, no Rio Grande do Norte ; o Revm. Anto-
nio Jacorae de Aranjo, vigario encommendado da
freguezia de'Nossa Senhora da Purincafio 9 S.
Gonoalo de Una, em Pernambuco ; o Revm. Vi-
ceoto Ferreira Lustosa Lima, vigario eneommen-
dado da freguezia da Babia da Trahicao, na Para
hyba ; o Revm. Jose Hermmo da Silveira Borges,
coadjuctor pro-parochoda freguezia de Nossa Se-
nhora da Apresentacao do Natal, no Rio Grande
do Nor"* ; e Baroino Benjamin de Andradn, mes-
trede eapella para araatriz de Campnra Grande,
ha Parahyba.
S. Sefeastlao.-Hoje, as 7 haras da nolle,
na-matrizde Saoto Antonio, havera ladainba e
salve ao martyr S. Sebastiao, advogado contra a
pe?te, distribuindo-se registros com a eWgie do
mesmo Santo ; e fieando a imagem exposladuran
te 8 dias a veneracao dos Sets.
Itro^aria homceopathlca..V aa rna
do ItiTperador n..., aeaba de passar a novo pro
prietario, e em virtude da refoi ma a que este .a
vai submeMendo no cuidadoso intento de dar lhe
as condicies exigidas pela contian^a, que deve ao
publico inspirar um estabeleeimenlode tal ordem,
loroa-se elle recommendavel a necessidade da
quetles qua preferem a medieina homceopattiiea.
0 qae pederaos assegurar de mat* abonativo a
esse esttBetecimeato, e que se icha elte sob a
iaspeccao immediaU do Sr. Dr. Santos Mello, cuja
capaetaade, como medico, ftconira eabai atHrma
cao a* graade clmioa de qua dlspoe.
InqoorMo. -Pela subdele*aeta do 2 distric
la Tra0aeam de *. Jo**t*l eaatado aa Or.
jniz de direito do respeHivo districto erhnisal, a
qne se realisou contra James Paterson Shield, au
lor do* ferimeatos pfatieaaos em Rornaaa Maria
io 0mieei$4<.
Boa to falseNehhum molim heuve nas
provineiasdo Para e da Bahia, como ha side as-
saalhado ae'ta ebJMledesda a tarda da domlngo
'ttftpv.
A*sasiatoNa localidade denominada
"ftog&Co'inprido de Tiuma, districto. de S.'Vicente,
Henrique* era a i
do mez eerrente, ferio graveweote'earn um tiro e
nma punhalaJa a Francisco Jose- da Silva, que
succumbio quatro dias depois aqueilee ferimento*.
0 delinquente evadio-se; e o inquerito qne essa
oe,;urreneta prodnzio. teve o preciso destino.
> Captura -A detegac'a de ItamM effeciuou
a de Um eseravo de uome Pedro, alii pronunciado
em erime de tentativn de morte.
Prisao. Em flagranla de crime da ( riraeh-
Irw leves, IBvou a effoiio em Hrdoeorrente, a sub-
destino a obra do asylo de atraiados. Raitero a delegacia da Boa-vista a de Francisco de Azevedo
V. S. os meus louvores e agradecimenioa; por Carvalbo de Siqueira Varejao.
mais este auxilio, e peco-Rie que os transmilta de Sf slate Pio Santa Craa. O conselho
raiirha pane aos dig.-ios signaiarios con-tautes da oarochial de S. Jose, pnncipia buje as 7 boras da
relafSo alludida. Sou com i-sthna o eoii>i )era ;i, nite, os seus trabalhos na >ede desta soeiedade,
Caraliaa Rivoredodos Santos.
Maxituian > de Lima Ri'jeiro, com Maria Adelai-
de da Rocha Oliveira.
Jose Damazio da Silva, com Maria db Patrocfnio
da Eiinna. ....
Joao Bernardino de Senna, c im Josepha dos
Prazeres de Souza. --^_ -
JeaninQ Avres de Almeida, eon Josepha Maria
do Car mo. *
Pedro Xavier dos Reis, com Antonia Maria de
Espirito Sauto.
Febx da Costa Frfeira, com Paalfcia S
CoHceicio.
Joio Gomes Ferreira Torres, eem Korti
IHofofmosense.
Simplicio Liborlo dos Santos, com Joventina
Constancia da Coneeicao.
Manoel Rodrigues Nogueira Lima, com Candida
Rosa Camp.'II i Capibaribe.
fetto Jbse da Silva Maga'haes, Com Elisia Gyb-
MH1J J .
Gregorio Jose da Silva, com Maria de Freitas
buna.
2.* denunciacio.
lose Sampaio Coelho, com Paulina Pinto.
Joao Rodrigues Vianaa Bayma, com Olindina
Pereira Bestos.
Domingos Jose Autuues Guimaraes, com Maria
Alexarldrina Xavier GiMraha.
Jose Feliciano Portella, com Salvina Leoneia da
Roena
Manoel Felippe do Carmo, coin Laurianna Maria
Soares. ... -; -
Miraadolino Amanso Martins, com Maria Isabel
de Paula Pinto.
Antonio Alves da Costa, com Amelia de Jesus
Ponte.
Balthazar, com Bristda Maria dos Prazeres.
Goocalo Felix de Souza, com Paulina Maria da
ConceicSo.
3.' denunciacao.
Antonia Jose Leal Reis FiHn, com Anna Pinhei-
ro Jacome.
Josd Victoriano dfis Santos, com Ignacia Rozali-
na Pereira de Franca.
Joio Jaoques Paulo Guelnb, com Antonia das
MercdsRego AlbnquerquB.
Bacharel JoSo Zonobio Accloli de VascoBcellos,
com Maria Emilia da Rocha Pimentel.
I.oterta A que se acha a venda e a Bl, a
beneficio da igreja de S. Francisco do Recife, a
qual extrahir-se-ha no dia 22.
I.oterta do Rio.-A 492 acha-se annun-
ciada para ser extrahida quinta feira 22 do cor-
rente.
LeHA.-Hojeeffectua o agenle Martios, as
11 hora3 do dia, o leililo da tavertia da rua do
Barao do Triumpbo n. 68j em am ou ratis lotos.
Amanlia effectua o mesmo agente, tambem as
II horas, o Ibllao da loja de ferrageas da rna Oi-
reita n. 6, hoje Mareilio Dias.
Hospital Portugiaez de BenetJeen-
ela. Movimento das enfermarias nos dias 11 a
17 de Janeiro:
Esistiam 36, entraram 8, sahiram curados 8,
falleeeu 1, licam exlstinlo 38.
Emra de semana o Sr. mordomo Domingos Jose
da Silva Nogueira.
Casa d '4|iete4ieao^Mo\-imanto da casa
de deten'-ao do dia 18 da Janeiro de 1871 :
Existlam presos 306, ex&tera 306.
A saber
Nach*es 223, raulheres 12. estraageiros 27
eseravos 41, eseravas .3 -Total 806
Alimefltados a cusla dos cofres publicos 232.
Hospital Pedro II. 0 movimento deste
esjtabeleclmento, de '12 ao dia Msde Janeiro de 1874
foi o segurnte : existiam 343, entraram 60, sahi -
ram 41, falleeeram 10, existem 3iS4, sendo : 215
homens e 139 mnlheres.
AdVertencia.
Foram visitadas as enfermarias ueslos dias : as
11, 8, 8. 8, 8 l|2, pelo l)r. Beltrao; as 12 1|2,
12, 12, 11 1(2, 12,11, llj pelo Dr. Sarmento ; as
12,8, 8, 8 l|2, 12 l|2, II, pele Dr. Malaqnias;
as 10, 8, 8 1)2, 8 l|2, 8, 9, 8 I [2, Dr. R. Vianna.
Falteerdns.
AntoulA Francisco dos Santos ; tuberculos pulmo
nares.
Felismina Maria da Couceifao ; variolas hetaor-
rhagieas.
Secundo Jos6 de BaTros ; variolas eonflnentes.
Jose Antonio de Sant'Anna ; irarielaa.
Vicente de Gau ; diarrhea enronica.
Joao Baptista Ferreira ; tuberculos pulmonares.
Joao dos SAflbis; tnbereutos pulmoBares.
Domingos Ramos da Sirra ; phtysica putmenar.
Joaquim de Souza ; diarrhea.
Gorge Jonh ; febre amarella.
PassagelrosChegados da llba de Fer-
nando no vapor naeional Giquid, coronet Alexan-
dre de Barros Albuquerque, capita Manoel
ACcioli M. Godim e sua senhora, Manoel Rodrigues
So Nascimento, Manoel Gomes da Cruz, Francisco
e M. Couto, 1 alferes, 1 eadete; 1 inferior, e 27
praeas de pret, 18 sentenei3dos, 4 mnlheres
e 7 fllhos dos mesmo-.
CemiteHo pntelico.-Obituario do dia 15
de Janeiro de 18f4 :
Florinda, mandada pela policia, falleoida de
phtysiea larlhgea.
Manoel, pardo, Pernambuco, 12 annos, Graea ;
Tiydropwia.
Viconte de Goes, preto Africa, 00 annos, sol-
teiro, Boa-Vittat hospital Pedro II ; diarrhea.
Joao Adolpho, braaco, Pernambuco, 10 mezes,
Craca ; meoagite.
Maria, parda, Pernambuco, 3 mezes, S. Jose ;
convuLSes.
Manoel Rodrigues des Prateies, ;pardo, Per-
nambuco, 24 anno, vluvo, S. Jose ;.putyica puf-
raonar.
Andr6, braneo; Parahvha, 4 annos, Redife; con-
iMWea.
Gregorio, escravo, pardo, Pernrabuco, 3 an-
nos. Graja ; bexlgaa.
Joanna Prancisca dos Prazeres, branca, Pr
nambuco, 56 annos, vinva, S. Pedro Martyr ; phty
siba.
Prancisca MMM de Freitas, branca, Pernam-
buco, 83 annos, vlura, Recife ; eancre uterino.
Dia 16.
Joao dos Sant), parJo Pttrnamfettce, 32 annos,
soRein), Boa-Vftta,'hospital Pedto II; luberea-
lo pulmonar.
Jofto BaptisU Ferreira, pardo, Murttoeca, 40 an-
nos, solteiro, Boa-Vista, bospiul Pedro II ; tuber-
culos pulmonares.
Anna T>.ereza da Siba, branca,. ignora-soaia-
turalidade, 40 annos, inm, Santo Antonio; phty-
sica pulmonar.
Manoel Jnse Antuaes Gaimaraes, braaoa, Per
tu^al, 43 aubos, soltelro, Graca ; etmgestao cere-
Lalz, preto, AfHc* *> i aaatss, iolHiro, Santo
Antonio ; wafsetlo terebral,
.Maria da Coneeicao. hraaea, ignora se a natu
raildade, 21 annos, solteira, Santo Antonio; AM
Oifleio do preiiidbaat seeaetaria da janta d,x
.corceetores, iicotnp:n.lMi| do boleli(u.da>lavOi-
oflieiaes de 5 a 10 do conreul'.-Para o archivo,
seulo qm esse ordciote'Odo srJo lerirdo acasa dv
Sr. s 'Cretan1), nao pWe-set a^*aa pro-
xima ultima sessao
Offlcio da junta dos corretore-, que fnnccionoj
em 1873, mencionaMo as traancclB fcitas po:
cada corrotor no mez de deiembro proximo pas-
sado. Mandou-sc arehNar.
Foram aprcsentados os mappas segaiates :
Trapiches Santas, Barboza e Angelo, e arma-
aens alfandegados Machado, Alfatdega Velha na. 3,
5e7, rnido Bru n ns.9ie9i c rua no Apollo
n. 20.Confendo com o anterior, seja archivado,
nio lisvendo duvida.
DEsracnos
Beqnerlmentoa:
De Antonio Francisco Martins de Miranda, para
dar-se-1 be por eertidio os tres itens constant*
do sua peti^ao.De-se a eertidio reqnerida.
De Antero de Mesquita, pedindo eertidio da
nonteeeao de seu caixeiro Augasto Pinto de Le-
mos. Passe-se a eertidio pedida.
De Joao Marques Pinho 4 C., successores de
Thomaz Jose de Oliveira & C, pediodo permissio
para continuarem a eseripturar no livro eupiador
quo servio a seus antecessores. Como requerem.
De J.ao Ridrigues de Farias, tolicitando o re-
gistro da nomeacao annexa. Faja-se o registry
pedido.
De Joao Marques dc Pinho e Domingos Mend es
de Souza Machado, apresenlando para registrar-
se o iacloso coutrato.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
De Custodio Aninnes Gaimaraes c Antonio Ja
Costa Ribeiro, rcquerendo o registro do distrat)
da flrma Carvaliu Guimaraes & CVista ao Sr..
desembargadof fiscal.
De Jos6 Luiz Gongalves Ferreira, Jcsuino Alves
Fernandes, Manoel Alves Goncalves Ferreira e
Francisco Domingues Silva Ara ijo, registro de
distrato da anna Jose Luiz Goncalves Ferreira 4
C.-Vista ao Sr. desembargador fiscal.
De BernarJino da Silva Costa Campos, Jo**
joaquim Casado e J.iio Anselmo Marques registro
do seu distrato. Vista ao Sr. desembargadcr
Rseal.
De Vicente Pereira da Silva e Antonio Augusto
Pereira da Silva, salisfazendo o parecer flseal
para ter lugar o registro do seu contrato.-Regis-
tre-se nos termos do decrelo n. 4,391.
Informacao do secrelario, para que se faca sellar
o titulo de deposit.) Grmado pelo banco commer-
cial desta provincia.Torne o informar o secre
lario, tendo e.a consileracao o que em easo iden-
tico expen leu a recebadoria quando declarou qne
o recibo a que se refere a mesma secretarii esta
apenas siijeilo ao sello fixo.
0 tribunal resolveu que, altent > o impediment
do Sr. deputaJo eleilo Manoel Alves Guerrs, se
conridasse um Sr supplente a quern compel.r,
aflm de vir tomar assento em ordem a achar-sr
completo o mesmo tribunal.
Ao meio dia, nio ha vendo mais nada a deipt-
char, S. Exc. o Sr. conselheiro presidente encer-
roa a sessao.
;|Jifa o que tao convidados tod* os iriaaos paro-
chianos.
Proelamaa. Foram. lidos na igreja do Ro-
iario, que serve damatriz da freguezia de Santo
Antonio, no dia 18 de Janeiro, os seguintes :
1 denunciacao.
Francisco de Paula Amorim, com Anna Soares
de Amorim.
1
2
3
4
5
6
7
8
12
13
li
15
soRetro,
aria, parda, Perunnbato, 3 mezes, Recife
variolas.
Pedro Anglco, preto, Afrtoa, 90 anno
Boa-Vista ; ooogeMao eerebrat.
Jose Francisco da Silva, 'parda) Pemambucu,
IS annos, easado, S. Jose ; tuberenkos pulmo-
nares.
QuiniHiano, Braaco, rnrnambneo,. mams, S.
Jos6 ; coavuls*s
Jeaquim Bapdsta de Araujo, braaeo, Porlnfal,
SO. annos, casado, Boa-Vista ; amoleciaaenHl -
rabral.
Dia IT ^-^
Caeuno Luiz Collaco, pardo, Pernambaaoi; 3
annos, viaw, S Pedro Martyr ; can|eslao ere-4
bral.
7| Jbatrurni JsM tlaGftsW e-Sirva.
. Aatonia Pereira da Si'lJa, wu> ^n-li^Bda: ,'*ti Joaqutrtl Dia* dosSflrJtbs.
lo Norte, 33 atoba, vinva, Recke i luberculos 74 Joaqui* Augusta l?nwa Jacobin*.
*)
pujiuonares.
Jo*o-nardd, Petnambaeo, 10 iOMes-, S. Jose^
wmmmm ..... t 4. ,_. ^
Domingos Ramas da Silva, pardov Bahia GO an -
aos, Boa-Vista, hospital Pedro II; patyaoa pul-
monar.
Ignacio Francisco Cabral Caotanil, ifnpra-se a
idade e a nataralidade, vinva Jaboaiio -, ignora-.
se a molestia.
Ignacio, branco, Parahyba, 10 annos, Graca.;
vano a. .. .
Guilbermina de Miranda Heeriqaea, brancas 45,
annos, casada, Graca ; syrreeo.
Rhomi:a iliBWUMA.
Trihunal do commerclo.
ACT A DA SESSAO BE 13 bfi 'JANEtrtO fife
*H74.
'BSSIDBNC1A BO BXM. SR. O1.1SGLHEIR0 ANSILUl
f-RANGISGO PBRETTI.
A's ID horas da manha, presentes os Srs. de-
pulados seeretario Oliuto Bastos, Lopes Machado
a suppleutes Sa l.eitao, e fallaodo por motivo
justp o -r. deoutado e'eito Alves Guerra, S, Exc
o -r. conselheiro presidente declarou aberta a''
sessao.
Foi lioa e apprbvada a aeu da preeedeote
leaua.
JURY DO RECIFE.
HI.Vl5.vO OA ULAI.iriCAr.V.I.
Freguezia do Itecife.
Antonio Martins Van*erlej.
Antonio Jose da Silva Brnsil.
Antonio Jose da Malta.
Aureliano Augusto d'O.ive:i a.
Iaijz Amaval Ih>boureq.
Antonio Muniz Machado.
Antonio Goncalves Ferreira Cascflo.
Dr. Antonio < loucal ves Fer rei-a.
9 Ariniu.i Pessoa d'Albuquerque.
10 Alfonso Moreira Temporal.
11 Antonio Alves Barbosa.
Antonio Kufino d'Andrade Luna. *
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
Dr. Antonio F.stevad d'Oliveira.
Antonio Francisco das Neves.
16 Arsenio Arvellos SpinoU.
r Anastacio Jose da Costa.
imes Tavares .luniei
rnesto Pareira da SHva.
Benjamin Ernesto da Silva.
21 Caetano de Costa Moreira.
22 Caetano Jose da Fonte.
23 Capitulino Goncalves Lima.
21 C&idido Goncalves Ferreira.
25 Cicero Brasileiro de Mello.
26 Dr. Ednardo Estevlo d'Oliveira.
27 Ernesto Ignacio Cardoso.
28 Dr. Eriniro Cesar Coutiiiuo
Fraocisco Jose" Gal tao.
Felisbetto Ferreira dtMrtelrn.
Teneute coronel Francisco Roman >
Stenple da Silva.
Francisco Xavier Rodrigues Pinbeiro.
Francisco de Mello Cavalcante.
Francisco Ignacio Pinto.
ii rtiiasturi'O josc i
fDr. Antonio Go
Bunjarniu Ernes
. Buniainiri Ernest
29
30
31
82
33
34
35 Franciseo d'Assis Monteiro i'essoa.
36 Francisco Lopes Cordeiro.
37 Francisco Ignacio d'Oliveira.
88 Francisco Marcelino do Amaral.
39 Gen^aio Jose Alfonso.
40 Jose Nauseagens Furtado de MendoBca.
41 Jose- Joaquim Dias Fernandes Junior.
42 Joao Go:nes d'Oliveira.
43 Jose Maria Furtado.
44 Joao Josd de Luna Freiro.
43 Josd FeTreira da Silva.
46 Jose Goncalves Torres.
47 Jose Guiluerme Guimaraes.
48 Josd Pedro das *ie*es.
49 Joao Lucio Matques Innior.
50 Jose da Silva Licio Junior.
51 Jose Antonio Pinto Send is.
52 Ar. Jose de Miranda Curio.
53 Jose Pedro de Castro.
54 Joao Jose* da Silva.
65 Joio Antonio da Costa Moreira.
56 Jtotf Rodrigues Pereira.
57 Jose Alves Barbosa Junior.
68 Josi Jodqolm Pernanflcs.
59 Joao Barros do Carvalljo.
00 Dr. Jcmo Hirnwnde Peraira aa Silva
61 Joaqtrirn Agrlpbio 'FnHadrj
62 Joia Jose d'Aoaorkn Juiuor.
63 Jose Francrseo Cardoso Ayres,
6i Joao Joaquim Atres.
63 Joao Domingos da Cunha Lage.
6 Jose Fwustifia Pinto. ,
67 Jaao Xavier Ribeiea *j AndradV.
08 JMo'Marques CWWe.
69 Jos4 Luiz Salgado Accioli.
70 Jose laidro MarUn*.
71 Joao Alvea OainUl.

75 Jose d'Aaunapc*i> Oliveira.
76 *Ltft Cbrtr^atrer 4a SiN.
. 77 Luiz Jo>6 da Costa e Siha.
78 Luii Autunio Gon^alws Peuna.
79 Luix tujMJt ieSiquaira.
80 Luttl1 IMWde PtTftr. '
81 Manoel JTose dos Santos.
8i Manoel Jose nantas Junior.,
83 Manoel Marque* de Abraw Perte.
'8* Maftnel Duarte Rodrigu*1!.
86 Manoel da Costa Moreira.
86 Marcelioo Jose Goncalves Foutes Jt
' nior.
fir? Manoel Frdfieisco Teiierre;
88 Manoel Marques db ^mrtrttB.
89 flannel Francisco de rtti\* Mo.
liit ik.Mahfftim AoUHwfeoo^fvei,
91 Pr. M%rM1. M*n.l*8 Vlantts,
9-2 Petrro OsTM.-nrv^s FArrerr*Cel>.
'




SJ3 IViroAlexaulrin.i.M chado.
9i- Dr. RayiihiikIo M^ndes Vianna.
93. Sabino Juaquim <1 Silva Curado.
98 Silvio Antonio Rios.
? i
i Mm i


aw-
*!ftlri**dr*Skni*u
Kiioartrir

99 Aoult da Jose de Jhtto
100 FrA M> da Sil fBoa-
101 Frfe ftJo&il Eparro
102 AnBB iTUoafllfi ffTorr
*4
i'-
103 Francisco Ferreira ntprfoniuf\
los^Fofreira Baltar. ,
Jose" Paulo de Amorim.
Antonio Vieira PerdigaQ.
07 Jose da Silva Loyo Sobrinho.
108 Iridoro Baslos d'Oliveira.
I Joao do R-go Lima Junior.v.'
0 Manocl dos Santos Villaca. AJJ.*&
1 Alexandre Araertco de Caldas Padi-
lha.
112 Adolpho Ternandos da Silva Manta.
4V
PARTE POLITICA
PARTIDO COASERVABOH
RECaW/18 UB JANEIRO BB18T4.
Tor mai de urn molivo merece serios reparos os
artigos que a Prottneia, tem ulimartenie puMl-
cado sob adflgrepin o anno-dJ 1873.
Em suas eenaderaooe* retrospectivas, o orgSo
opposiciouiita, como sempre, nio lez mais do que
dcclamar, inverter e adultarar os factos, para dahi
concluir, taitlbem falsamenle que os nossos cosm
mes sociaes se achavam pervertilos, sob uma
alraospbera em qua nao se respira senio desorga-
nisacio e corrbpcio. '
Descrevendo a nossa sociedade, como um corpo
am det#*?*>. m reha**tc*> jn*ll.
ortao opposicionista, cheio de apprenensoes, e todo
* jeeeioso do -aosso future, aUribue- esta ejtado da
coasas a yoatade irresponsavel do chefe do estado.
Suppunharaos fidda e-ta qnestio de poder pes-
oal one foi tantas vezes co.nbalida peWs nossos
priraeiros estadistas, de todos os partidos, chama-
dos aos conselhos da corOa; entretaoto vem ella
de novo a tela da discussao, servindo ainda ami
vez par?, desabafos pessoaes.
Nao no* cansaremos em deminstrar qa, era
frivola e ridiertla allegaeio de indeMta iSterferen
cia do chefc^ do esud) na mirsaa d'os-nemoe*
\publicos, afem de nao ter [undamento n. factos,
e nHOstennvel em face de nossuljregunes politico.
Sefjsse'exact*-o pavora*o quadro que" descre-
veu do pair, o autor do retrospect) politico da
rrovincia, forcoso era c.infessar que. os unico?
lesponsaveis por este estado Je cuusas eram os
^Sto* otmiflWdade Jos minl*rts de estado*
a
cspe
jeente
igrfqVando o
qud k sua
tana pecaniarn tem
do entorpccef at mar-
ento da verdade.
le, con veneer timtm -*aJer.
> i% faces das primeiras autorikiei4 Pnaiata*, ulta Sr. Violate Mendes. pelo Sr. Vicente Mendes, nao nb- to negaiioa fn^Mpor sna-pessoa provocalo nao
MeNooMn anwo-iaaplraedes alheias.
Sin a-jaati Asaffroatt de miaa* digttidade of-
fendidaj e qn oto dare ester a mere^ de qnal-
qaer vaidivino ou cigano.
J>#bM *repiv>, atfenfaAwei o Sr. Vicente
Mei^lJoilofciiaMrtX OkTbe-hei resposla im-
mediata, e nos mesmos termos em qua for provo-
eado-.
CoBhe^o que fntiso descer r descer multo para
me rfvelar com o Sr. VieenM Mendes, mas e forca
|ue e fa?a para ^ue e^te homem da *n'i, o sella-
!or de peti^tes com bonds. eoMntre a*gwn dia, a
justa repressao da inaoUiWia, com que se osteuta
ante o publico. L- ll 'X
Aguardarei o Sr. NM|t|teq>s
Pernambuco, 10 de"PwKlyT87i.
Antonio Pereira da Rocha.
voni
a to
cha
E:
iucenso
daprorin
ra deslizar do caminho que devera seguir para
puiiHio de enminosos como elle e outros.
Vkm oat mtea* (tNima eorretpoadeneia que fi-
ve ordeai do Dr. cbefe de policta para dispersar
qaalquer bando de ciganos que apjarecesse no
men districto, e que esta ordem me fork trans-
mittlda pefo delejado de policia.
O Sr. leaente corouel Vicente Mendes contestoa
o lieto. Para **nentli lo transcreTe'fts otB**:
c Oe conformidado com o ofllcio e circular do
Dr. chefe de policia, datado de 17 de Janeiro pro
xima passado, qae per eopia pasid as maos de
V*. S., rtcommendo que disperse' Wbandos de ci
ganos qae apparecerem no districlo de soa juris-
dicSo. |
J)eus?aarde^ V. S. Illm. Sr. Antonio Pe
reira da Roottfb suWelegade 3"J supplente em
exerticio do i'diatricto de SeHnhaem. Antonio
Peregrine Cavalcanti 4c Album*que.o
-vBUmm-.v c^DUIoiil*J-Xl .
N. 463. Scccio V- Sacrjlaria de policia
de fVrdambu&H II d Janeiro de 1873.
De coaformUade com' o offl'do da presideaata*
datado de 15 do correnfe, recoiaraeado a Vrnc. a
Lprisao dos baados de cigano* add fefestam divar-
sas localidades da proviocia, verdadeiros aalleado-
res, aflra de que sejara dispersados, desarmidos e
prDce?iaJb3 aqiieHes qa'o rorera encontrados com
annas defezas, ou qua forem ladrdes de caiallos.
. Oeos guarde a Vroc. Lujz Ikirreia da. Quetroz Barrtfc. Sr. detegado
de'policia de tefm di Serinbaom.
Em race d*ei=te1 ofneto's, responda o publico im-
parcial qual de a6s (oi o mentiroso, eu, ou o Sr.
teaente corouel Vicente' Mense* f
Fez o Sr. Vicente Mendes escarceo, porque nao
IhB olHciei pedindo a forca da guarda nacioaal de
que necessitava para a dnigencia, e por-9ua conta
diz-nos que a diligencia de dispersamento dos
eigaaos, nao era nrgentlssima, sendo certo que a
sui residencia nao e distaute da villa qualro le-
gua"s.oO*o afDrmei. .
Se a djligencia^era ar|ite ou nao, o Sr. Vicen-
te SWn* nada tmha, qae ver, maxime sabenJo
nor expirienmaprojna-xno os ciganos nao se cos-
tumam deoaorar etn quaftfue* loealidade, salvo se
pot for?a de quafq[U'r'aca^D de -fortune mudam
da vida errante para a agricola. Se a distancia
da ca^a ou engeaho de Sr. Vieeate Mendes nao e
do qualro leguas entao ha erro ua qualiiteacao
Jas dtttaoiMa* iife se ennonlram m rewsao dos
jurailas por odd#1iie!gafei, p*>r me fllrece* o mais
icenWWi?
calURdltrqlelraa *buio,Bfl-que dW!
destacamento solda fcatoMaW^?^'W^' *
Vdr'tteaae fetes sigml iaHiatoW da -
ja dcapaebado para o oMMtfiAMIo.
* facffr4Barea Iflffeza -mmfhitacOrH'W Jespkchado
-

ifBefla tordta da lei sio re-pmsaveft pelos acto* aeeritdo-. Ja &?\ + rS*ati piw que nfc me dmgi ao
do poJer moderadiT, que nao sio de sua pnvativa -
eexclusiva competencia. e manifesto que, nao pole
haver esta indebita inlerferencia.
E" um plnntasraa, rirta verdadeira illume o
iunpAr-se n> primeiro raagistrado do paiz, o dese-
jo de imprimir n* marcha da socieJade o cuhlw
de sua perfolidaJi>, sem ser pelos orgios rega-
lares da soWania. I
0 Impel ador, o grande ctdadao, que por saas
virtudes o mereciraenlos tem eonquistado a gra-
tidao da quasi totaHdade des tirasileiros, so tem
um interesse, uma paigao : o eugraadecimento da
patria. ,
0 parti lo conservador, que tem a grande mis-
sao de velar na guarda da constituicio, nao pode
ser indiiterente a estes ataques, que abalam as
bases sobre que assentam o futuro e as generosas
aspirapoes do Brasil.
A. resistencia que no terreno constitutional, de-
vemos oppor a nossos adversaries, quo esWo fa-
zendo causa comaium com o orgao republicano
da corte, deve ser tanto mais forte e energico,
quanto raaior for o perigo daliberdaJe, que so
existe na ordem e pela ordem
A conquista de um governo livre, do prmcipio
da representacao em sua maior pureza, nao e tra-
balho de um dia.
So por um desenvolvimento pacilico, lento e ma-
yestoso, e que as sociedades tem altingido a seus
destinos.
Quando os agitadores e revolucionanos, propa-
gam ideas subversivas, que podem abalar pro-
Fundamente as institutes, as sociedades retrogra-
dam e t ralisados. ...... .
Na ordem, na liberdade e na publicidade, e que
pode haver progresso.
Os demagogos sao os peiores ioimigos da haraa-
nidade; em vez de edificar, trabalham incessan-
temenle para de-lruir.
Nao nos illu.l.i.n s.
Estas injustas invectivas, que diariamente faaen
a pessoa irresponsavel, que tem a grande raissao
de observar attentamenTe 0 raovimento da opi-
nion, tem por fim abilar o poder publico, convul-
sionar a sociedade, di-sde a sua base, plantar a
anarcoia, que arrastou a Franca a abyinos de
horrores e de-gra;as.
Sirva-Hos esse paiz-de exemplo.
Ja em tres epocas memoravei-, vimol-a enlregue
a agitadores facciosos, e ainda ultimamente uma
seita perniciosa, inimiga da propriedade e da fa-
milia, a qual deixou tra cos tao tfrofundos, que
nunea raais se riscarao da memoria do p.vo
francez.
0 partido conservador, firme cm suas crencas,
defendendo a mais bella das causas, sob a inspi-
racao da liberdade, so quer o progresso dentro da
constiluicao.
E' tempo de resistir a esta propaganda, que pre-
tende desviar a nacao dos habitos de ordem, lega-
lidadee progre3so pacifico. para laneal a em agi-
tacoes facciosas, na anarchia, no despotismo
Em um paiz, como o nosso, em que a monarchia
consubstanciou-se com o genio nacional e reune
o vote quasi unanime da nacao, e um erro gra-
vissimo a propagacao de falsas ideas, cuja victoria
poderia trazer censequencias funejlissimas, e de
lal ordem qaenSo e;da4> prever.
De feito; pode a Provincia prover o resultado
dessa propaganda em que agora esta empenhada,
de nccordO eom a Republica ?
0 que nretende I
Qnaes sao as suas vistas, os seus intentos I
Por ventura, deseja o desconhecido ?
0 desconheci lo era polltiea, e uma palavra que
horrorisa; 6 o despotismo gerado pela anarchia,
e o cahos, e a destruicao.
No dia do seu triumpho os protestos, as garan-
lias de nada servera, poraue os bomens sao arras-
tados pelas paixoe; aculadas com tenacidade e
furia, e em sua vertiginosa e destruidora carreira
vao de njo ao abysmo.
As revolucoes, foram sempre al6m dos intuitos
Jos que as provocaram, e as sociedades assim
abaladas refugiam se em perigoso atrigo,
fi' um grave erro, repetimos, estar a propagar
laltos ideas, contra o chere do estado, -.njo reinado
t?m sido votado ao beneBciO dos MSsileiros e a
prosperidade desta nacao, concorrendo-$e assim
oara o triumpho inglorio- de uma va f6rma, de um
mvthb; qne s6 sednz aos inotntos.
Assim : era ntfrae dos mais sagrados Interesses
da sociedade, estarUdibs serdprd erh'dppbslcao a
e38a propaganda destruidora e-revolucionria, ft
resUliremos com tanto mais euefjfla, dflidto maior
perigo correrem as nessas institoigSes.
ar
despartiadpi

nr|Jlrijue*ol|atKiez Cnw
WWt|87
iMio Pereira
; Elei^ao.
aoUjapiclie do
faruiha J4 de*.
^polb.
pachaaa Wra3 ca
posito
to, *e
qaes do

ddtfl !***i de feste|r
to mihignrnm tMmgettr 4m *e-
nhor Ram Jeans dos Pobre
iniietos, eemmU mm *nfml* *"
lioasa Senhora da Oracn, I
anno (MI-19V9'.
" Pr^vedorM-pWdleifSo.
O'fllm. Sr. Irybolito Jose RdbW-to.
'-
PEDIDC.
\egoeios de Serinlnleru.
o tenen^j tebWrtEl, VrCfeWtB AkWftes.
Deixaria de respoader a corretaondeaeia publi-
cada no Diario de 25 de dezembra e que parece
serflb tenente coronel Vicente Mended, mas que
por ella nio esta assignada, se nao me corresse o
o#if 4e mostrar ate a evidencia que nao exorbi-
tei-ia* minhas attribuicSes policiaes, e que o Sr.
tenente coronel Vioeota Mendes e um grande cri
minoso e qae merJKo-WelcarWaMiw dara se in-
nocentar. ., u
Irei, ponto a ponto, refutando t tal mrrespod-
dencia allndlda, affirmando ao publico qud, insiru-
mento dp paixSpg alheias pode ser o Sr. tenenie
coronet Vicente Mended, qne netri' So rde*nos tem
con^ciencia de si.
Pela ininlu parte, zelando a minha digniJade,
nau receio dos ataques do Sr. Vicent9 Mendes, el-
le3 se asseraelham aos nivos dos caes hvdrophobi-
iae mai- poo>m bffenderao praBMo sr. Vicente
Men1f di que a qu*!qo>r outrem.
Felizmente o p >sso dize-lo, sem receio do Sr.
Vicente Mend.-a, entregffa minha vila pnblica a
mais s"ven analyse, e, gragas a D;us, nao terao
a f..rca de fazer-me corvnr a froole. Ox^aqueo
Sr. Vicente Meade-t o rhesme p"nJesse dl*er
desl
Discutamos ante o granxle tribdnal de. optoSb
publira, p. euppro em, Deus convencer, nio ao Sr.
\-jc..,.,(,. Mprides, ponjue nio o*Julg > nsftepfive1oi
con'pn'hon'ari. tnas-aj.todos que roe ti'rm, queo
Sr. Vicente Mendes nao passa ae um animal hi-
5r. Vicente Mendes e quanuo mesrao nlsre
houvaise uma falta nao intencional so o Sr.
teaenle-coronei Tteatte Mantle* fosse um
homem prudente e nao assomado se tivesse a mira
no cumprimonlo do dever e nao saciar paixoes pe
quBnase iguobeis, dirigir se-hia a mim pedindo
expliittfues, que llib seriam dadas a satisfaze-lo; e
nad decretena-tomo um louco a prisao de iano-
cente3 para satisfazer caprichos e mesquinhas vin-
gancas.
QUe culpa tmliam os goardas nacionaei que
me acompaoharam na diltgenia offlcial para se-
rein presos ? ,,.,
Com que displante o Sr. tenente coroneVVicente
Mendes mandou fazer eff-)Ctiva a prisao de taes
gua das, cercandb easas, por si, e sera autondade
da justica ? Por ventura a let da guarda uacioua!
concede-lhe -emeihant? attribuicao ?
Requisite! dez pracas do comraandaite da 1."
companhia por qne nio estiva complete o desta-
camento; quatro das pracas de guarda nacioaal se
achavam em diligencia com o delegado de policia
e uma as suas ordens.
Ja ve o publico que havia raotivo justiucavel
para a requisicao de forca, e que nao me devia
sernegadaem terraos pouco cortezes, como foi,
senJo alias injusta e calumuiosa a assergao fwla
pelo Sr. Vicente Mendes do conloio exi3fente entre
a policia e o sargento do destacamento para se
locupletarem do soldo dos pobres soldados
Se outrem que tivesse a ccragem de seus actos
dissese isto, eu o conduziria a barra dos trlimnaes.
0 Sr Vicente Mendes nem disto e digno ; li-
mitar-me-hei dizer-lhe que os caracteres que
exercem os cargos policiaes de Seriohhem sio tao
nobres e elevados, que a baba d> mal-tizente nao
pode toca los. Qaem seria canazdi-to, Sr. Vicente,
e certo commandante de baulhao que tendo scien
cia offlcial de nao estar corapletoo destacamento,
a3-igna e autonsa o recebimenlo completo dos
Quern serla capaz disto, Sr. Vicente Mendes, e
aquelle commandante que tendo certeza de que
certo negociante forneceu as pracas destacadas
manda e autorisa que seja pago a outrem os prels.
Estes factos sim, Sr Vicente Mendes, depSem con-
tra aquelle que for depo9itario da autoridade pu
blica. .
Derrama suas bilis a Sr. Vicente Mendes, por
que foram recrutados tres ou juatro guardas na
eionaes, e mais se enfure"ce por terem sido soltcis;
ainda neste ponto mo-tra o Sr. Vicente Mendes,
c-rao se deixa arrastar pelas paixoes, para censu-
rar aiuillo que nao e dfgno de censura.
Se flz o recrutamenio, foi pot estar dividamenle
autorisadn, e desconheco a lei, que me obriga a
pedir licenca para fazelo, dos commandantes de
batalhao. Foram soltos os recrutas, por que mos
traram isenjae legal.o seriam immediatamente sol-
103 a nao ser a loucura do Sr. Vicente Mendes era
pretender lira-los a forca. NSo tinha interesse
gm perseguir innocente3 nao queria iraitar neste
ponto ao Sr. Vicente Mendes.
ATrlrraa o Sr Vicente Mendes, que o povo agglo-
merado na porta da casa em que elle se aehava,
queria a todo transo arrancar, ou tomar a forca
os sens recrutas, sendo Ihe preciso revestir-se de
toda a moderacio e prudencia para evitar scenas
desagradav'is
E' preciso ter coragem para raentir com tanto
desplante.
Era pouco tempo esqueceu-se o Sr. Vicente Men-
des da galhardia e valor que ostentava, da anima-
cao que publicamente dava aos guardas nacionaes,
que por sua ordem foram reunidos, para irera
soltar a forca d'armas os recrutas, esqueoendo-se
tambera dos caridtsos conselbos do Rvd. vigario
Genuino Gomes Pereira, que o arredou do precipi
cio de praticar mai3 este actj dfe loucura.
Quera assim falla, Sr. Vicente Mende*, qaem as-
sim precede, e quera tem coragem para nicntir, e
para outras torpezas de igual quilate.
Porque nao apresentou o Sr. Vicente Mendes
uma deelaracao do llvd. vigario Genuino, con-
firmando sua carrespondencla ?
Nao era posstfel due o flzesse, pois aeiraa de
esta a verdade, que o Sr. vigario Genuino costuma
acatar. j.:
Para que n5o affirma o Sr. Vicente Mendes que
foi quera mandou reunlr a primeira corapanhia de
sen batalhao 1
Para que nio affirma que me mandou a celebre
latimacao de qae fallei em minha primeira corres-
pondencia ? ,
ParA que nao diz que Ihe faltou a coragem
para levar a facto o qae acabava de proferir ?
E' mbito, Sr. Vicente Mendes, mais amor 4 ver-
dade, e raenos cynismo para se proclamar homem
prudente e mederado, senffo alias louco ou ^ston-
teado.
Pdde ser rjo'mmandante quem assim proeede?
quem se AMB UaMo I Respoddain os irepar-
ciaes e admiradores do homem da boia I I
Declare o St. Vicente Mendes que o Dr. juiz md-
nieipal preseaciara todas at oecurreneias par elle
referidas, a que olllciara a presidencia, relatando
verdades, que nao convintiam aopareecer, 8 conseguiram de-ta autoridade mahdar a toda pres-
sa a casa do commandante superior buscar esse
oflkio.
Gemo 9e ooaitaoaette o Sr. Vicente Mendes? I
Para que kio oiz a verdade?
Para que busca ferir a quern esta fora da qabs-
A Etraa: Sra. D. Maria Sebiiaa Costa Lhn*
Roberto. _
'*'-' -WfWWr* p*r ^evocJo.
Oft 4MB. Art. :
Jose Dmif da Silva.
Alfredo Henrique Garcia e a sna Exam eaposa D.
Jalia A. Garcia.
BbttsMMtob.
Julio Cesar Vieira de Jranrtfc.
Faerlvaau
Vicente Ferreifa>d*Sa4'Au*;aa sua Exraa. es-
posa D. Ignacia Gomes da Silva.
Manoel Jose Francisbo das Santos a a sua Exma.
esposa-D. BauaU-Mariada-Aiireseuta'vi':.
D. Caadida Rosa Paes Rarrelo.
Proeurador geral.
Joaquim fose de Matios.
Pr-curaiores.
I.* Francisco Antonio Gomes.. q
2 Antonio Francisco da Pattie.
Mordemat.
As Exmas. Sras. :
D. Quirina Maria da Annanciacao.
D. Antonia Carolina Vieira da Amorim.
D. Mathildas Pereira de Alcantara Velhe RarreMo.
D. Maria do Carmo.
D. SaluiKa Furreira Soares.
l>. Maria da Couceicao Vieira de Amorim.
D. Thereza da Jesus Vieira de Amorim.
D. .Marcelina Xavier Gonzaga.
D. Adelaide Ther MordouQoi
Jose Quarto Calista.
Dr. Cuemlro dos lleis Gomes.
Carlos Augusto Vieira de Amorim.
CaniUte P6reir*'liendes.
Fraittiseo-fietemo. .
0 Extn. Sr. brigadeiro Uygino Jose Coelho.
Luiz Francisco Gonzaga.
Augusto Jose Goncalves Lessa.
Capunga, !. de Janeiro de 1871.
0 vigarie Augusto Franklin Moretra da Silea.
flgado
Oleo puro uiedieiual de
de nacalliao de Lanman A
Kemp.
Parece realmeota que a phtysica ostava
predestinada a succumbir as quahlades
balsamicas e curativas da secrecao do figado
do bacalhao. 0 oleo pjiro medicinal do
figado de bacatbao, de Lnnmann 4 Kemp,
o qual, em virtude da si a reconhecida pu-
reza o exc;llencia, obtev j a supremacia em
todos os mercados do mindo; produz ro-
sultados sem precedents. Ditos senhoros
teem em seu poder uma multidio de attes-
tados melicos om sou favor (aliim das infi-
nites cartas dos convalescentes), e que tuilo
formaria um grosso volume. Ditos attesta-
dos foram recebiJos de quasi todas as par-
tes do mundo ctvilisido. Alguas dos casos
acham-se extensamente oscriptos em forma
de diario, com os progressos da cura de
dia em dia. As assesses authenticas, sao
sem duvida alguma, mui extraordinarias, e
provam d'um modo o mais incontestavel
que as peiores molestias dos orgaos da res-
piragao, sao susceptiveis dc cura. 0 oleo
puro medicinal de ligado de bacalhao, do
Lanman & Kemp, ndo contem nenhuma
substancia estranba, e sim, 6 absolutamente
puro, e conserva-se frescal em todos os cli-
mas ; circumstancias eitas que se
ter sempre presento.
Agna de
Barci ingfeza Kate, ^da de Liverpool
em 17 do cerreilt econsigrtaJa a Saundras
Brothers d C, manifestou :
Canosde ferro 170 a Simpson & C Car-
vio de pedra 3U tonoladas e k- quintaes
aos mesmos.
i Ungre inglez Slqg,- entrad^d* irieja
mesma data e consignado a Marheus Aitstih1
& Cf, maHifostou :
Farinha de trigo 2,300 barricas.
PapsTi5 caixes ; a ordem.
Paiauho lmcicnnl Grafa-, entrado do Rio
*ran*l# do S^t"*! 18 dWeotrtntd e consig-
nado a Amorim IrmAos &C. manifestou :
Xarque 203,0t Mlr}s ; a eWem.
Barca irrgreza Seraph'nt, errtradada Li-
verpool ova? '$$ *do enrrente o consignada a
Som &-Cr manifesiou:
Arr t S0s*e* tfAmonlo Fraoois;Cor-
ga. Amrj-straS t'Mtt-ica a Johnston Pater
Fc.
Bar-riUui 4^beafr* Santos & At-uujo.
Kuentos 6 ca xas a Joao F. P. Ramos.
Canosde furro 1 feixe a S. P. Johnston
A'f,. Cbotrricas 1 aos nwmbs. Caldeira
1 arts iTrtsn*. CeWtja Mlbawiclis a J. F.
P. Ramos. Carvdode pedra 100 tonelaias
a Johnston Pater &C, 35 a C. Starr 4 C.
Urojas 18 volumes a Francisco Manoel da
SHva, 3"caixas a' Manoel'da $. Faria, 1 e>2
barricas a Bartholomea & C.
Ppfragera 25 barricas, 9lfeixes, 22 cai-
se95S barras a S. P. Johoston & C, 5
caixas e 3 volumes a M. Halliday & C. Fe-
garoiros lflli aos mesmos, 298 a S. P.
JohBston & C. Formas VJ volumes aos
mesmos.
Lob 8*-g;g05 a oTdam* 50 a Johnston
Patef-A C, 19 a Snundres Brothers & C.
.\rachini3mo 87 pecas a S. P. Johnston &
C Maehinas para copiar carUs 1 a Balthar
01iverra<6 C. Manteiga 1 caixa a ordem;
aleo de linhaca 10 barris a Beltrao d
Filbos. Objectos tlivorsop caixas a Phipps
Brotbfrs &>C.
PlrJelHOf fardOB a fii 6eal. Pregos 20
barris a S. P. Johnston d C.
Salitre20 barris a Bartholomeu d C, 10
a Augusto G8ors, 70 a Parente Vianna.
Tachas 25 a S. P. Johnston d C. Tinta 2
barris a A. Caors, 1 barrica i Bastes Oliveira
d C. Tijolos 50 caixas a J. F. P. Ramos,
'fecidos 10 fardos aos consigna'.aries, 22 a
Adamson Howie d C, 1 a''Adriano Castro
dC.
Vidros 3 caixas 3 M. Halliday d C.
carne ; a AejlMBrmSo & C
Hha da Fernanll^W horas.vapor nacional Gequid
d 223 toaelad*), commandante, Martios, equipa-
ganMjWga (Wtoentes gereatai; a eampanhia
AirtnerBia-Ai.dtoi, f*tuho alleraao Den Helder,
de 141 toMladas, capitao H*b, equipagem 8,
eaeea,- difbraotas generss ; a Henry Porster
AC.
Navios tabidos nomesm dia.
AracatyJjiato n^cionaL Dem le Guarde, capitao
Manoel de CarvalhoPessta ; carga varies ge-
neros.
Queenslown -brigue inglez RosarK Capitao M.
Nuu i carga assucar.
ED1TAES.
A camara municipal, desta cidade toanda
bablfcaar os artigos do postotas, 'a*alxo imvr
fitplos.:
Art. 70. Flea prohibldo nB5te municipio o brin-
ittedd da entrado com agua on qOafquer outra
substancia, de qnalqaer m.ineira qtte se empre -
glte os infra ctores pa gar Jo a multa de 15* e
"safrrerab olto dfas de prisio.
Art. 71.-Pica rirohibida a venaa de liraaade
clteiro : os infractores aterri de as perderem, pa-
garab M de multa.
Payo da catriara muttlcibal d6 Recife, 17 de
Janeiro de 1871.
Manoel J. do Rego e Albuquerque
PrBsidbnte.
Pedro de Albriqnerqffe Aatraa
Secretario.
_-------------------------------------------, -. ,, i i I,
0 Illm. Sr. Dr. cbefe de eoiieia, para eonhe-
nrrefltrj de todos e fiei exeenjao, mando publi-
car os -aegbtatcs artigos das posturas da camara
municipal- desta cidade.
Art. 70. Fica prohibldo aeste mtmicipio o brin-
quedo de entrudo com agua ou outra qullquer
suBitancia, de qualqiier raaneira*qu8 se empre-
iruflT oslmraerores pagario a muilta de I5JO0O,
e solfrerio 8 dias de prisao.
Art. 71. Fica prohibida a venia delimas de
cheiro : os infractores alem de as perderem pa-
pario 1| de multa.
Steeretaria de policia de PeVnambuco, 19 de
Janeiro de 1874.
Polo secretario,
Francisco G. da Silvia Barroso.
Sewetariarf4aYSaBU cfa i
Recife, irm i$nerr#4a Ififi.
da MiMricordia da
rtdfti
eserivao,
deSooza.
Editaln. 120
Pela inspeetoria da alfandega se faz publico qne
bSo se teado arrematado as mercadorias abaixo
dfdaradas, annunciadas a leilio por editaes ns.
117 e!18, se traosfere a mesma arremitacao
para o dia 22 do correBte, as 11 horas da manna.
Marca 1 J (VII -I caixa conten lo fructas arrui-
nadas, sem valor, vinda de Lisboa pelo vapor in-
glez Valparaiso, entrado em 27 de outubro de
1873.
1 caixa de-eharacc'colll preparos de metal para
deposito de ch*, avaffaaa por 801.
1 dita de dito, avaliada por 60j.
Allandega de Pernzmbuco, 19 de Janeiro de
1871.
0 inspector
Fabto A. de C. Carvalho.

>

.....
iSSPAi:HOS D8 BXPOKTA(>0 NO DIA 16 UB
JANEIRO DE 187i.
Para os portos do exterior.
No vapor inglez Cordova, para Liverpool,
carregou: P. Carneiro & C. 137 saccas com 11,060
1[2 kilos de algodio. ,
No brrgue liollanlez Hollands, para o banal,
carregou : ll Sehmmettau d C. 150 saccas com
li,2B0 1[2 kilos de algodao.
USGIARACOES.
Cnsttla4l.i" fc Ftf4flgl.
Sao chamades os credore^do fcBecMo snbdito
portngnet Prancheo da Costt Basws, a apren-
toaeft suas aoBtas dentro do prato de 8- dlw, para
serem eonferidas, e pagas dentro dat fbrcas do
esporK
Recife, 16 de Janeiro de 1874.
Secretaria do gymnasio provincial de Pernambuco,
. 17 de Janeiro de 1874.
Por esta secretaria, e de oidem do Dim. Sr.
Dr. regedor Intefino. ?%o chamados ftff^jffe--loar
o pagamento dos ultimos irifne.-trejJKaljfc pro-
ximo passado oi pais e corr*spoo2Mia oaquel-
les aliimnos interno?, qae ate esta data Mda aao
o fiieram ; aisira co'iim se declara que, em villa
do anigo 130 doregiriento interno deste in>titulo,
o pagtrmentb' dos alnmnoS qner intern s, quer
melo pemiorristas e exterwx, seri effeeMado sem-
pre por trimeslres wiantados.
0 atr reurle,
elso Tertallano Femandes QuIfKllto.
ObraB rairiteres.
No dia J4 do corTente, as 11 horas da manhJ,
sera posta era eeneurrenria a execnei> do *-rvi-
co de aesstraec3o do cano de e^goto dtf arsenal
do guerra. ofcade em 2'iO|460 ; assim c*too tera
lugar a arremaucSo do material, qne na ^riateta
do Brum foi substituido. N* reparlirao dl. bra
publicas onde sa aeha o orcaraentr, serii-' on re-
ferido dia recebidas as propustas rm c.irta fech^da.
Pernarabncd, 19 de janeno d 1H74,
0 engi-nliNro
_____________Chrytaetto F.Ue ..n-tm Oaves.
Correio geral
Rela$ao do* objectos reyistrados exittente*
naadminutracao dos correios desta pro-
vincia, para a? pessoas abaixo decla-
radas :
Antonio Carneiro Maehado Rio, Angelo Cu>to-
dio de Medelros Correia, Aalooio Alves de Carva-
Ibo Veras, Boaventura Kor?es, Clorindo Ferreira
Catao, Emilio da Silva Costa, Eugenio Telles da
Silveira Fontes, Eliia Carroll, FranciaflB Ignacio
Sobririho, Francisca Manoel da Silva Cunhi, Hen-
rique Siraiva de Araujo Mello, Jo.-e Rodrigue*
Formigal, Jose Felix da Cunha Perne, Joao Mar-
tins de Andrade (2), Jose ArJslrpgesilo Rodrigaes
Lima, Jovino Fernandes da Cruz. Jnaquina Leo-
poldina Uezeri-a Cavalcante, los4 Drimiro de Sou-
za, Jacintho Paes de Mendonca, Joaquim Rodri-
eues Tavares de Mello, Jecuino Rodrigaes Vieira,
Joao Carlos de Souza Chaves, Joe Ferreira da Sil-
va, Joaquim Jo.p de Mattos, Lino Leocadio H.
Braga, Luiz Tranquilinu Alves da Silva, Manoel
Francisco de Mattos, Munnard Mettier C, Maueel
Luiz Simdes, Manoel Teitnliano Thonaz Heanques
(2), Nicolao Laguaralio, Salvador Henrique do Al-
buquerque, Sergio Francisco das Chasas, S.-bas-
tiao Jose Peixoto, Simplicio Fortunato rVrreira,
Vicente Pereira do Ri go Junior.
Adrainistracao do correio de Pernarabuca, 17 de
Janeiro de 1874.
Jose Candido de Barros
Encarregado do registro.
Obras militares
0 abaixo assignado fat pubiico rrae a 19 do cor-
rente sera arrematada a execucao dos raelhora-
raentos precisos na nova sala do conselho de com-
pras do arsenal de guerra, or^ados em 561 470 :
quem quizer encarregar se delles, apresente suas
propostas na reoartiQao das obras pnblicas, as II
horas do Oia referido. O orcamento acha-3e na
mesma reparticao.
Pernara.'.uco, 13 de Janeiro de 1874.
0 thesoureiro
Chryssohto F. de Castro Chaves.
Banco Commercial de
No lugar inglez Guiding Star, para
carregou : K. A. Burle C. 4,000
devem
Florida lc Murray
liiiumau.
Mai sabem aquellas senhoras que fazem
frequente uso des-es intitulados empiricos
Aformoseadores do dia, que ellas estao lon-
ta e seguramente destrujindo e arruinando
a sua saade e mais que tudo, a sua delica-
da compleicdo. Desde o immemoravel tem-
po dos Borgias ate o presents dia, foi sem-
pre perfoitamente sabido pelos bens inicia-
dos, que a pura essencii de irescas e fra-
Krantes flores, 6 promotora da formosura.
Na laboriosa preparaclo e dolicada compo-
stcao desta afamada e deliciosa agua de
cheiro, nao seemprega ou usa outro algum
composlo mais, do qua aromaticos botoes
de (lores e certas folhas d'uma natureza al-
tamentd saudaveis Em addicao, pois, a sua
excellencia como um perfume primoroso,
ella encerra em si a virtude de purificar e
alvejar a compleigao, removendo da pelle
toda a especie de ebullic6es, erupepes, ou
macnlas, tornando o rosto maciu e mimoso,
dando-lhe uma liada transparencia lustrosa
elasticidade natural.
o Canal,
iccos com
300 000 kilos de assucar mascavido.
l\o navio alleraao Actiz, para Valparaizo,
carregou : S. Brothers & C 400 saccas com
30,000 kilos de algodao.
N* brigue portugue-j Sapho. para o Rio da
Prata, carregou: A. Cordetro 73 barrieas com
8,349 kilos d* assucar branco.
Na escuna allcma Hong Kony, para o Rio da
Frala, carregou : A. Loyo 293 barricas com
37,130 kilos de assucar branco
Na galera portugueza Lisboa, para o Pcrto,
carregou: Monteira Grogorio & C. 209 saccas com
14.000 kilos de algoaao ; A. Cordeiro 158 couros
salgado3 com 1,226 ditos : para Lisboa, L. I. S.
Guimaraes 500 saccos cora 37,500 ditos de assucar
raascavado
No lugar portugnez Lima, para S. Miguel,
carregou : C. F. Ferraz Junior 8 barricas com
889 kilos de assucar mascavado.
Para os portos do interior.
Para o Para, no patacho americano /. Rose,
carregou: P Vianna 4 C. 25 pipas com 12,n00
litros de aguardenle.
Para o Hio Grande do Sul, no patacho bra-
jileiro Salsepuedes, carregou : L. Duprat 10 pipas
com 4,800 litros de aguardenle ; Silva 4 Cascao
1,000 c cos (fructa).
Para o Natal, na barcaca Joao Valte, car-
regou : Fernandes & Irmao 10 saccos cora 730
kilos de assucar branco ; Braga & Rocha 2 barri
cas com 180 ditos de dito.
mm
SANTO ANTONIO.
Scffimda e ntSiinu roprcscola?a
DADA PELAS MENI.VAS
CaPATAZIA
tlendimento do dia 2
da DA ALFANDBGA
a 17 11:316*392
. 6524498
11:967*887
VOLUMES 3AHID0S
No Jia 2 a 17
laT
Se o Dr. iuiz tooaie
dos factos narrado*.,
que nao fez publi
dade?
Se por vanlura eH(i >
toi. testemanha ocular
, Viceote Mendes para
SeclaracSo ufiisa adtori-
nefo fof feito e retirado, e
de palpitante evidencia ou qae as inspiraoCes do
Sr. Vicente Maudes servirara de base para ser efle
confeccioaaao oii n5o; se servlrajn, Jendg retfrado
o onflcio. a cbntroiao a fffar-sO e q^re o proprio Dr.
juiz municiaal tie a iWmediata osrteza de serem
falsas as inf.irraacSes qua Ihe foram ministradas,
pelo Sr. Vicente Mendes; e senSo servirara, o -r.
vjebete Mnodat irrngVuraa injuria ao Dr. juiz ma-
nii-ipal, suuphftdoo' capaz de retrahir se ao cum-
prtjieOTv M ten dever, por forca de pedidos, ou
E neste caso aKDr. juiz municipal corre p dc-
rer de arnparir ? dnfender-se da m ledieencia do
jrftrM*.MtuMis. A ,.
E' verdade quo o Sr. Vicente Mendes ]a se n5o
No dia 19
Primeira porta .
iegunda porta .
rwceira porta .
Quarta porta
Pi*piche Conceicao
SERV1Q0 MARITIMO
il>arengas descarregadas no trapich*
alfandega di dia 2 a 17
No dia 15
Ma>!i)satracadono trap, da alfandega
Alvarengas ...
So trapicbe Conceicao.....
30,385
285
76
58
148
30 952
PRACA DO RECIFE 19 DE JANEIRO
DE 1874.
AS 3 1/2 HORAS DA TA.KDK.
Vttta^iem afflciaes
Assocar mascavado pnrgado 1| 0 por 15
kilos.
Assucarbruto regular 1J700 por 15 kilos.
Apoiices da divida pnblica de 6 |0 e 3 0(0 de
premio.
ti. de Vaseoncettoe
Presidente.
A. P. efe Lemos
Secretario.
-_
-i
ALFANDEGA.
.WBdunente do di* I a 17.
Idn do oil 19 .
.

617:809*223
37:ff60j927
685:37(1*156
___ ____-
Descarregam hpK20 de Janeiro de 187*-
Vapor inglez -Fire Queenmercadorias para al-
Barca francfia Veridusna mercadorias para
alfandega.
Barca ingleza Sirahda raorcadorias para alfan-
dega.
Barca portuguezaLinda -vartos generos para o
fapi'rbe Conceic?'), oara despacliar.
Hrigue portuguez Triumpho *ano generos
para o trapiche iCooceicao, para dfespa-
char.
Patacho portugaeaOliiktq -varirt3 generos para
o tr^CM.(:ojp*|ijio, para despachar.
Brigue aufflHWnw*dr*firinha ja despachada
para o caas An Aoolk)
Barca ingleza Fuzilier. canoj para o trapi-
che Conceijao, para de?pachar, ecarvao
71
78
*ECEBRD0R1A DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO
tlendimento 4em*>dia if ... 2'816*099
" 23.488*693
0 banco paga o segundo dividendo na
razao de 8 / so anno ou 2^400 por acQao,
relative ao seir.estre findo em 31 de dezem-
bro de 1873.__________________________
SANTA CASA DA MISEKiCOKDIA DO
RF.CIFE.
A Hlma. junta adminislrativa da santa casa da
tfiserieordia do Recife, manda fazer publico que
aa sala de suas sessoos, no dia 22 de Janeiro
pelas 3 horas da tardo, tem de ser arrematadas a
quem mais vantagens offerecer, pelo tempo de um
a tr s annos, aa rendas dos predios em seguida
leclarados.
ESTABELECIMENTOS DE C VRIDADE
Padre Floriano.
BaM terrea n. 47......2OUCO0
Cinco Pontas
Casa terrea n. 114.....2 326JG00
Rua de Hortas
Loja do sobrado n. 41.....125*000
Trave?sa de S. Jose.
Casaterrean.il........ 201*000
PATRIMON10 DOS ORPflAOS.
Rua da Senzalla velha.
Casa terrea n. 16.......209*000
Becco das Boias.
Sobrado n. 18.......421*000
Rua da Cruz
Sobrado 14 (feehado).....1:000*090
Rua da Guia
Casa terrea n. 25.......200*000
Ruo do Pilar.
Casa terree n. 98......241*000
Casa teree i a. 98. ...... 240*000
Idem n. 10'. 99 (fechadef. 241*000
Idem n. 102.....' 241*000
Rua do Rosario da Boa Vista
CasB terrea n. 58fecnada.....
Rua da Moeda.
Armazem n. 37 (feehado)
Rua Velha.
Casa terea u. 44(feohada( ....
Rua das Larangems.
Casa terrea n. 17.......
Rua de Burgos.
Armazem n. 13 (feehado) 0 .
Ilha do Nogueira-
Sitio desocunado. .0000.
Parnameirim.
iStio (desocupado) 0 0 0... 500*006
Os pretendentes deverio apresenlar no acto da
irrematacao a3 suas flancas, ou comparecerem
acompaBliados dos respectivos fladores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia em
jue for seguro o Jrtdio que contiver estaeeleci-
mento commercial, assim coaio o servico da lim-
peza e precos dos apparelho3.
Secreferia dasinta casa da mi?ericordia do Re-
jife, 2 de Janeiro oe 1873.
0 escrivio
Pedro Rodrigues de Souza,
Quarta-feira 21 do corrente.
Prograutnaa.
1.* parte,
Aria em portuguez can tad a pela joven Carolina,
intitulada 0 sonho e em conunuacAo o dueto
de tenor e triple, extrahido da opera Traviata, pelo
professor M. Baniense, e lettra do immortal poe-
ta Alvares de Azevedo.
2.a parte.
Lindo e engracado disparate coraico, ornado de
canto e danca, escripto expressamente para as
meninas, intitulado :
Que par.
3.* parte.
Dueto de caricatos da opera hespanhola Cara-
pannone cantada pel) Sr. Riosa e sua filha Julia,
i.* parte.
Dueto jocoso, intitulado :
Panella do feiti<]0.
5.a parle.
A linda e sempre applaudida comedia em um
acto ornada' de canto e danca, intitulada :
Paulo e Virginia.
Piincipiara as 8 1(2 horas.
Precos os do co3tume.
Havera trem depois do esp?ctaculo.
e^MPWHg
200*000
668*000
45O5OO0
361*000
240*000
800J0-0
i mm mmmn
-~
CONSUtADO PltOVlWaAL
lendrmento do dia a 17. 126:109*9n
Idem do 65s 19 4:71*1
130.891*135
RECIFE
ttendiitMHto rfc dia 1 a
^fdewdodia 19. .
DRAINAGE.
17. .
16:163*213
*vmmn w *8R+
Xaviosentradasno (Ua 18.
Rio do Janeiro 20 dias, escuna franceza Maria
rienrfelt, de 158 toneladas, capitao Angles, equl-
pagem 7, sin lastro ; a Loyo A Filho.
Liverpool -por Quecnstown, 123 dias sendo do
iiitim.) porlo 40, ba'ca inglez* Serafna, de S*5!
tonrUdas, capita-) Waller Caift equipagem U,
carga carvao, e oufros genefos; a Braga Son
4 0.
ObstrvaQao.
NSo houve saMda.
Ifavios mlrados no dia 19.
Rio Grande do Sul-12 dias, patecho brasileiro
Graca, de 236 tonebdas, capiUo Francisco Josd \ neata sderetaWl
Fernandes, equipagera 9, carga 205/XX) kilos de I doaro.
Consul ado provincial
Pela mesa do con>oJado provincial, se faz pu-
blico que no dia 12 do corrente, se principiam a
contar os 30 dias uteis, maccados para a arreca-
dacSo, independente de malta, dos diversos im-
postos eobrado3 por lancamento, pertericentes ao
anno flnanceiro de 1873 a 1874, ficando sujaitos a
malta, todos os r(ne forem pagos depoiS de findoi
os refendos trinia dhts.
Gonsuladp provincial de Pernambuco, f fle Ja-
neiro de 1874. .........
9 admiaisirador,
Afttbitio CariMtoMatn'aio Rios
Pela thesouraria provincial 'h faz publico,
que na seguada qbinzena do corrente mez paga-
se o iuro das apolice3 da divida provincial, ,iit-
tidas por coau do emprestimo de l,9C0:00O*OO0.
SeCTetarto da thesoararia pfovidelafde Pernam-
buco, 16 de Janeiro de 1874.
0 offleial-maior
Miguel AfTonso Ferreira.
Santnll^a da ML^ricor.1..
* da aWserieordi i do
Recife.
A junta administrate da SanU Casa da Mise
ricordia do Recife, precisando faaer os concertos
de que neee&Kft 6 predfe due pejsue o patriuio-
nio dos orphaos, a rua da Cra** Boje de Bom Je-
sus n. 12, oVirftrata (ra qnem se prbponha a rea
li?ar dilot concertos, mediaale .certa renda e al
fum annos de pram, para leSfmctar; .devendo
oe qoediseo se tjolzer.ni oacarMarj aptwentir
snaaMopoacax er carlas fech,ada9. devidamente
aelladas,, aiaa^anhadas do re*p)tiTO orcarne ate Coittpanhia Franceza de Navega-
0o a vapor
Linha mensal entre o
Havre, Lisboa, Pernaintmco, Rio de
Janeiro, (Santos, souientr na vol-
ta ) Montevideo, BuenoKAj res,
(eom b-.lile:ieii< para oRosario)
STEAMER
VIIX. !>. \VVVU\
Commandante,P. Robert.
E' esperado da Europa, at<5 22 do correote, .
guiado depois da indispensavel demora para < *
portos do sul dc sua escala, tocando desta vez na
Bahia.
Relativamente a fretes, eacommendas, pas?ag?i-
ros, par! os quaes tem exceneates acomnioda;oe;
por precos reduzidos : tfatt-se com
OS CUNSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OUVEIRA 4 C.
42Rua do CommercioEotrada pela rua
____________do Torres._____________
Alliaiiga Maritima Por-
tuense.
Compaubia de [tave^aeSd> en-
tre Portugal e Hraoil.
A galera portugueza Vasco da Garni segue era
poucos dias para p Porto, achando-se ja prompts
grande parte do aen carregamento.
Para pasfigelrds e frdas trata-se cora o res-
nectivo capitao. ou cora vsagaales da companhia.
lose de Silva Loyo 4 Filho, escriptorio, a rua da
Companhia Pernambucaoa.________^_______
0 6a rib a Mi
da carreira da Bshla eecne pan
esse porto logo ine tenha com-
pleto sen i-ar-pgamento : mta e
cora o can tao (kistodio k)~
Vlanm, on i rua do Amorim n.
37, com Tisso lrm*M t\ i
Lis^
Para; o reierido porlo pret^tdb aegoir o.....
lem clawe, caprfao Nobre, par vt i'ar:o de
len carregainenlo eugajado, e
(aha trata se com os con-: !
Goncalves Beltrao & Filho, a r..^ Jo Couuuarcij
a. 5.

"'"".'.



OMfobfa^ftntofott* Teiga feira 20 to jfrMfeo da |>U.
Lagos
i
{Costa d'Africa)
. 0* Jtafaia espera-se at* MiVt do corrente am
a aarca aortugueta Hercitia, de priraeir* classe-a
aatreha, a qual, depois da demora aqui de 48 ao-
rae,auus oa menoi, eguwi para o tugar aetaM
aaacioBado*. Recebe passageiros para oa aaaee J
otKM 08 melhores commodos; a tratar >m!
Francisco Ribeiro Porto Gaimaraes: a roa do Ba
rao do Triumpho a. 96. ____________
/?*o de Janeiro
Fara o porto acima segue com brevidade o te-
riucienal Francisco 1, oavio de 1* elasae, par
Jar maior pane de ioa oargs engajada. Para o
canpleio da mesma, trata-se com Silva & Case**
i ma do Marquei de Otinda n. 60.__________
IHIJ6
&ageate Martinstfara leilio, por auto:
Joeqauo Jose da 8. Axevedo, ceaseaN
seus credores, d'artnafiu, jgnaraa aaals
cm 4a taveraa darua do Barao do Trlunpao.
**, em um on bum lotes, a qual uvema se adha
mawo afreguetada, o 6 a raelhor do lugar.
A's 11 horas faoleUeo.
Priacipiart as 10 ifl boras em pinto, for M-
rem awitoa e diterentaros lotes.
MtSnSJPVPRSOS
Rio de Janeiro
fan porto mencionado, seguira brevemenle
o hrigue nacional Piraugy ; e faltaudolhe ainda
algona carta. recebe-a a frete : a tralar eoai
Rraaeiico Ribeiro Pinto Guimaraes, a rua do Ba
ripgo Triomho n. 96.____________
Rio de Janeiro
Segue nestes dias para o porto acima o brigue
nadoaal Gaigo ; recebe a frete am poaco de car
g que ainda Ibe (alta : a tratar com Francisco
Ribeiro Pinlo Gaimaraes, a roa do Barao do
Triumpho n. 96.______________________
moveis, loucas, vidros e
crystaes
QUABTA-FEIRA Xi DO QtnRREJWE
iis 11 boras da mnuba
Oateposto doageote Peataaa (ara leilio, por
oonta e risco de quern pertenoer, de uma mobi-
Ka de jacaraadi com tampos de pedra, uma dila
de amarello tambera com tampos de peto, I nca
secretirta de mogno, i piano mglea, 1 mAiua de
iunce com tampos de pedra, 1 commoda e ama-
rello, iguaraaTouca de amarello de rair, 1 guarda
vesUdodeamarelle, I guarda roupa de mogno,
camas de casal, de amarello e mogno, aitas de
ferro, marquezas, marquezoes, cadeiras avulsaa,
qaartinbeiras, cabides, aparadores, mesas elasti-
cas e multos outros objectos que se axharao pa-
tentes no ado do leilio, quarta^feira, II do cor-
reate, as 11 boras da manba, no armazem <
rua do Vigario Tenorio n. ii.
N. B.Sa mesma oceasiao vender* diversos
cha|v,--< depalba, de merino, de ida e da China,
para !. lam.
INSTITUTO ARCHE0LDG1C0
MBO PERNAMBUCattS-
Ilaveri sesaao ordmaria quinta-tfeira, 22
do corrente j*aeiro,. peras 11 horas da ma-
nna.
OflDKM no DIA.
1 Pareowes e mais trabalhos le commi*-
sots.
2. ProvMleucius pnra a proxhnafesta do
anni versa n.
3.* Palestra litteraria.
Secretaria do Institute, 19 ae Janeiro
de iWk.
J. SOAKES D'AlVEDO,
Secretario perpetuo.
Precisa-se
de nma aralaer ja idosa para andar com ana
meniaa de X aanos: a tratar no betel de Bbr-
deaox.
Alnga-se o segundo e terceiro aadares do so-
brado da roa do Duqae de Caxias n. 18 : a tratar
a ma do Rowio da Boa-Vista n. 40.
A 9:000
Botinas para homem
Acabam de cbegar graades factnras bem tor-
tid:.s de bctinae 4a bezerro, de cordavia, de peHi-
ea, de daraque ocra hiqnewa, de beierro com bo-
tdes com liaoaee a 9*000 (a escolaf) por ter
vin lo grande qnantidade por coata e ordem dos
fabricantea : ae armazem do rapor franeer, a roa
do Baiio da Victoria (nutr'ora Nora) a. 7.
Mascaras
Chegaram graodes factana de niaacaras de
mass*, de araiwe e de setim, para secern vendidas
por conta e orden dos (abricaates, o mais barato
possivel, em grandes e pequenas parcfe* : ao ar-
mazem do vapor franrez. a rua do Barao da Vic
-.Til (outr'ora Nova; o. 7.
Agente Dias
Ftciflc Steam Navigation Company
Linhw quinxenal
0 PAQUETE
ILL1MANI
apera-s6 daBuropa ate o dia 25 do corrente, e de
aou da demora do costume seguira para o sal do
lmperio, Rio da Pratt e eosta do Pacifico, para on-
de recebera passageiros, encommendai e dinbeiro
afrete. _
OS AGENTES
Wilson Ro we A C.
14 RUA DO C0MMBRC10U
* COMPANHIA PERNAMBUCANA
-DB
^jv egaco costeira a vapor.
HACEI6, ESCALAS E PENEDO.
0 vapor Giquia, com-
mandante Martins,
seguira para os por-
tos acima no dia 29
do corrente, as 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 29 do corrente, encom-
aaendas ate 0 dia 30, pasjagens e dinbeiro a frete
le as 2 boras da tarde do dia da sabida : es-
cnpterio no Forte do Mattos 0. tt.__________
' COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
liavega^ilo eosteira a vapor.
'A.RAHYBA, NATAL, MACAO, MOSSORO', ARACk"
TY, CEARA, MANDAHU E ACARACO'.
0 vapor Ipojucn,
commandante Moura,
seguira para os por-
tos acima no dia 31
do corrente, as 6
horas da tarde.
Recebe carga ate 0 dia 29 do corrente, encom
oiendas ate 0 dia 30, passageiros e dinheiro a fro-
te ate as 2 horas da tarde do dia da
ewanptorio no Porte do Mattos n. 12
sahida
COMPANHIA PERMMBUCANA
IVavegacSo eosteira a vapor.
MAHANGUAPE.
0 vapor Coruripe,
commandante Santos,
seguira para 0 por-
to acima no dia 28 do
corrente, as 5 horas
da tarde.
Bocebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a freto ate as 2 horas da tarde do dia da
tahida : rscriptorio no Forte do Mattos n. 12.
Lioha quinzenal
0 PAQUETE
MAGELLAN
apera-se dos portos do sul ate 0 dia 30 do
corrente, e depots da demora do costume, seguira
para Liverpool, via S. Vicente e Lisboa, para onde
recebera passageiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
"Wilson Rone A C.
aRUA DO COMMERCIO-14
PROGRESSQ MMtTIMO DO PORTO
Kmprrza portuense de navega-
eito a vapor entre Portugal e
Brasil.
0 vapor
ALMEIDA GARRET
Commandante Tomasini
Esperado dos portos do sul ate 0 dia 29, e de
pois da indispensavel demora neste porto, segui-
ra para Lisboa e Porto com escala por S. Vi-
cente.
Para passagens e fretes'de carga, encommendas
e valores, tratam-se com os
AGENTES
E. B. Babello at C.
48=Rua do Commercio=48
< OHI* Will 4 I1HASIII III \
tfAVEGA(?AO A VAPOR
Portos do norte.
CEARA'
Commandante Aleoforado.
' esperado no dia 21 do corrente dos portos do
sul, e no mesma dia seguira para os do norte, nio
havendo ordem superior em contrario.
Para carga, encommendas, valores, passageiros
e mais mformac5es, dirijam-sc a rua do Vigario
u. 7, escriptorio de
Pereira Vianna k C.
Agentes.
IEIL0ES.
LEI LAO
DA
-taverna da roa do Barao do Triumpho n. 63, de-
fronte do chafirij
DE
arguaWmoveis em mao estado, e de um relogio de
ouro para algibeira
(Juarta-f^ira 21 do corrente
As 11 horas da manhi
No armazem da rua do Imperador n. 18.
P agente Dias levara a leilao, a reqnerimeato do
lUm. Sr. Dr. curador geral de ausentes, e por des-
pacho do Exm. Sr. desembargador juii de or-
phios, os moveis acima referidos, pertencentes ao
espoiio de Justlno Martyr Correa de Mello,
QUARTA FEIRA 21 DO CORRENTE
as II horas da mnnha
Moleque.
Precisa-se de um moleque de 15 a 16 annos,
para criado de uma pessoa : a tratar aa ma do
Imperader n. 28, armazem do Campos,
Precisa-se de am amassador
padaria da Soledade n. 4.
a tratar na
Caleado
fraieez,
Agente Dias
LEILAO
DAS
ferragens, armacao, cofre, e mais periencas da lo-
ja de ferragen* da rua de Marcilio Dias n. 6,
antiga rua Direila.
ao correr do marteUo
QUARTA-FEIRA 21 DO CORRENTE.
0 agente Martins fara leilao, por conta e risco
de quern pertencer, d'armacao, ferragens e mais
pertengas da loja da rua Direita n. 6, em am on
mais lotes, sendo que garante-se a cas* por ala-
guel rasoavel a quem comprar a armacao, pois a
posicao da dita casa e excellente para qualquer
negocio.
A'S 11 HORAS DA MANHA.
Sociedade Pr<^>agadora da
Instruc^ao publica.
Conselbo parochial de Santo
Antonio
De ordem de conselbo parochial desta fregue-
zia, faz-se pnblico que, ate 0 dia 15 de fevereiro
vindouro, esura aberta a raatricula da Escola
Normal para senhoras, cujas aulas serao aberlas
a 3 do referido mez. Os interessados entender-
se-hao para tal fim com 0 Rvm. Sr. presidente do
raesmo conselbo a rua de Hortas n. 2, segundo
andar, ou com 0 abaixo assignado & mesma rua,
n. 9. primeiro andar.
Igualmente scientifica-sc aqueilas senhoras
alumnas que pretenderem fazer exame das mate-
rias do primeiro anno, que poderao dirigir seus
reqnerimentos ao mesmo Rvm. Sr. presidente do
conselbo ate 0 dia 3 do dito mez, afim de lhes ser
designado o dia em que deve ter lugar 0 acto.
Secretaria do conselbo parochial da Sociedade
Propagadora da Instraccio Publica da freguezia
de Santo Antonio, 19 de Janeiro de 1874.
0 secretaro,
Join Landelino Dornellas Camara.
Para
BOTINAS de bezerro, cordavao, peflica, lustre <
de duraqae com biqueira, dos melhore*
_ fabricantes.
SAPATOES de beierro, de cordavao e de case-
mira.
SAPATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca
francezes e Portugueses.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, chariot, castor e de tranca.
PUNDICAO DO BOWMAN
RDA DO DRUM H. 62
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS aenborai de engeoho e oniros agricoltor. a, eempregadjre de m
imiamo o favor de ama visita a tea eaiabelecimeoto, para verem. 0 wo fortiaMDie
ccDotolo qoe abi lem; aoado todo aoperior ea qoalidade e (ortidio; 0 qae com km
cclo peseoal pode-ae verificar.
ESPECIAL ATTEiNC.\0 AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
rapurpa a ruUHS U tt^xia nwobos couvementea para aa dWeraaa
arcumatanciaa doa aenborea prcpr^tario* e p*ra dpi'arocjr alfrodao.
Moendas de cwma iSS uaut*M' ">m*1* qoe ,qui
Rodas dentadss ^ n}mtt ^ *"** ot
laixas de ferro fandido, batido e de cobre
Alambiqnes 9 fundos de alambiqnes.
ttachinismos
riOHlDaS ,je ptteole. garanu'daa.
rodas as machinas
Pa qualquer concerto de m,cbi ismo a preco
Formas de ferro
Encommendas.
para mandioca e algodJo,
e para aerrar madeira.
f'odeodo
ser movidoa
por agua,
on animaes.
e pe(aa de qor coftatna prectaar.
todoa
a mlo
apor.
BQoi reaomido.
ao ne-
LEILAO
DE
loug crystaes e un linpo--
tante adereco com bri-
lhantes.
Qninla-feira 22 &> comnle
NO
do
Primeiro andar do subrado da rua
Marquez de Olinda n. 64.
0 agente Pinho Barges, competentemente auto-
risado verdcra em ilao deste dia, 1 rico adore
(0 t Jo cravejajlo d < briihantes, 1 piano de jaca-
randa com excellentes vozes. 1 mobilia de jaca-
rauda com pedra, 1 guarda roupa, 1 cama (ran-
ceza, diversos quadros a oleo, 1 par de apara-
dores, 1 estante para livros, 1 mesa dastica, 1
carteira com a comp^tente e-tante, 2 pares da
lanternas, 1 marquezio, 2 marquezas, t guarde
louQa, i apparelho para almoco, de pnrceiana, 1
mulJilia de amarello, 1 rico saotuario de jacaran-
da, 2 pares de garrafas de erystal, para vinho, 1
relogio de parede, 1 dito de prata patente ioglez,
1 par de consoles de amarello. 1 par de cadeiras
de balanco de vime, 1 dito de bracos, divertas
cadeiras avulsas, 1 cama de ferro com o compe-
tente colchSo, lavatorio com pedra. alem de mui-
tos outros objrdos que seria enfadonho rnencio-
nar e que tude sera vendido ao correr do mar-
tello. as 11 boras da manha do referido dia.
LEILAO
DE
uma inobilia de cereja com palhinha no encosto
(medalhao), guardas-roupa de vinbatico, guar-
da-louca, aparadores, ramas francezas, guarda-
comida*, 1 santuario, camiabas para cnancas, e
outros muitos trastes avulsos, canarios de Ham-
burgo, bons cantadores, objectos de ouro e pra
ta, relogios de parede, algibeira e ciroa de mesa,
crystaes e muitos outros artigos do uso domes-
tico
Quinta-feira 22 do correu'e
.4's II horas.
NA
FEIRA SEMANAL
assim como: 1 carro americano de 4 rodas com
4 assentos, e arreios para 1 carallo
NA
FEIRA SEtf ANIL
.6~Rua do Iuiperador10
pelo agente Martina,
LEILAO
DE
louja, crystaes, livros, objecto de electro-plate,
prata do Porto, vinhos, passaros e aves do ser-
t3o
A SABER:
Um magnifico piano forte, i m:bilia de jaearan-
da, massica, obTa de gosto, figuras de porcelana e
vasos para (lores, 1 espelbo oval, grande e doura-
do, quadros, etagers ae parede, 2 serpentlnas de
crystal, globos, tapetes de porta e sofa, tapetes
Siara forro das salas, lancas e cortinados, 2 almo-
adas.
Uma cama franceza de jacaranda, 1 lavatorio, 1
guarda -veatidos, 1 guarda-roupa com e? pelI ho, 2
commodas, 2 cabides e 1 mesa de cama.
Uma mesa para escrever, I carteira, secretaria,
i cadeira com parafuso, 1 prensa de copiar car-
tas, diversos quadros, 1 cofre de ferro e I ma-
china de cestura.
Uma mesa elastics, 1 guarda-loaca. 2 aparado
res, I sefa, 12 cadeiras, 1 relogio de parede, 2
consolos, 1 mesa com abas, 1 lavatorio, 1 appare-
lho para jantar, 1 dito para cha, 1 dito de elec-
tro-plate, I porta-licor, copos, calices, garrafas.
compoteiras de fino cry sul, marquezas, mesaa, ca-
deiras e outros objectosjde casa de familia.
Uma caixa com ferramenta, 1 grande bacia de
cobre, 1 tacho, 1 viado manso, marrecas do ser-
tao, rdlas e canarios.
Um faqueiro de prata, 1 diecionario de Moraes
e outros livros.
TER^A-FEIRA 27 LX> CORRENTE
No eobrado da rua da Santa Cruz n. 10.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro, teodo de fazer uma
viagem a Enropa, fara leilao. por intervencao do
agente Pinto, dos moveis e mais objectos acima
mencionado*, existentes em casa de sna residen-
cia, a rtfa de Santa Cruz n. 19, onde se effeptua-
CHAMADI).
Os Srs. Jovino Fernandes da Cruz e Joaquim Cle
mente de L>mos Dnarte, sao chamados a rua do
Corouel Suassuna n. 282, a negocio de particular
interesse.__________________________"
Das 7 ale 9 horas da noite do dia 18 du cor"
rente furtaram de dentro de um quarto que fica
or baixo da torre da capella da Omvi .Tio de Joao
e Barros, uma caixa de louro em que achava-se
os objectos arguinies : WOS em dinheiro, duos
ietras de 50j cada uma, aceitas pelo Sr. Deoniao
Hylario Lcpes, dous corddes de ouro, casaca, calca
e collele de panno preto, tres fronhas e tres toa
lhas : quem apprebender, ou quem liver noticia
onde existe este furto, dirija-se ao sitio da capella
referida, a entender-se com Antonio Joao Alves,
que sera recompensado.________________^^
Esta fugido o escravo Jose, cabra, idadc de
15 annos, teieoes miudas, cabellos fr6xosr pes
largos, veste cal(ja e camisa branea, gosu de mu-
sica : pede se a policia a sna capti ra, e gralifica-
se a quem o levar a seu seubor, a juh >u< Hospi
cio n 85, ou a rua do Queimado p. 83, 1" aiidar.
As .cii:.-. Mac.-. Cor.-. Liv.-. e Pop.-.' ao Val
da rua Dueita n. tli, de conformidade com o de-
creto social de 2i> de novtmbro do anno proximo
passado, elinnuou os seguintes irmaos: ns. 147,
132, M8, 115, 93, 83, 80, 75, 31, 60, <7, 51, 69,
8i, 85, 124, 110, 103, 58, 100, 161 e 86. V.-. R.
19 de Janeiro de 1874.
0 secret.-.
A. de J. Bandeira.
Precisa-se de um caixeiro com bastante pra
tica de milhados, e que tenha bom comp.Ttainen-
to : na rua de Marcilio Dias n. 72.
Aluga-se um sotao e tambein um quarto,
tudo bem tralado e limpo, a senhoras viuvas ou
solieiras, brancas. de bons costumes e sem Can i-
lias : na travessa do Peixoto, casa n. 28, junto a
taverna do Fernando.
CASA DA rMiA.
AOS 4:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
1' rua Primeiro de Marco (outr'ora rua di
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assignado tendo vendido nos sens fe
lizes bilhetes, um meio n. 647 com 4:000^000,
e outras sortes de 40* e 20* da loteria que se aca-
bou de extrahir (83'), convida aos possuidores a
virsm receber na conformidade do costume, sem
desconto algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
la parte das loterias abeneflcio da igrejt
de S. Francisco do Recife (84), que se extrahira
na sexta-feira, 23 do corrente mez.
PREQOS
Bilhete inteiro 4*000
Meio bilhete 2*000
KM PORgJiO DE 1005000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 3*500
Meio bilbete 1*750
Manoel Martins Fiuza.
0 GRANDE YENTR1L0C0
Acha-se entre nos o celebre prestidigitador
grande vent' iloco Goodison. Sobre o
liz o Diario do Rio de Janeiro.
ttidigitadc
Sr.Good
ison,
c ConMcaram as sortes. Dons lencos tornados
a dous espectadores ; depois metlidos, nao se sabe
como, em uma garrafa : um sacco cheio de ovos
e d'onde sahio uma gallinha, importantissima per-
sonagem para uma cabedella, moedas que multi-
plicamse e desapparecem a vontade do prestima-
no, etc., etc., etc. I Tudo isto mereceu applausos,
gargalhadas e todos os signaes de agrado gerai.
Cnrro sobre o mais e veu direitinho a grande
scena de ventriloquismo, onde o Sr. Goodison e
mais que admiravel e assombrosol o hotel
Isolado e nada mais nem menos do que uma
caixinha regular, cheia de leitoes, gallinhas, pjn-
tos, passarinbos, e o mais que se encontra no
hotel de Europa ou Provenceaux I
0 Sr. Goodison e um artista distincto e mo-
detlo : os seus exercicios de ventriloquismo collo-
cam-no a par do que ha de melbor nesse genero
difflcil. Aquelle dialogo com o Joaozlnho
(um boneco feito como dous Jooes gtandes) foi
dignc de applausos que a platea lhe prodigalisou.
A imitagSo dos passaros e blcbos esteve natura-
lissima ; e esta visto que se ha homens que ga*
nbam pela eabeca, outros pelas maos e outros
pelos p6s, o Sr. Goodison vence a todos pela bar-
riga I Nio e esse um orgao de digestao apenas
para o habil artista I Parece que a nalureza en-
ganou-se de veras, e que em momento de dia-
traccao den a Goodison dous meios de se entender
com a hnmauidade, abrindo a bocca para pergun-
tar e... fechando-a para responder a gosto L.
(Diario do Rio de Janeiro), 29 de setembro de
1870. 1
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTLNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS die trance portuguezes.
Para naeninoa.
BOTINAS de bezerro, lustre e de eordavSo.
ABOTINADOS e sapatoes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montaria.
Lotas a Napoleao e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias perneiras
para meninos.
No armazem de vapor francez, a rua do Bario
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofas, jardineiras, mezas, conversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
levos, e os mais proprios moveis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, 4 rua do Barao
da Victoria n. 7, ontr ora Neva.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff 4 C.: no
vapor francez, a rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumarias.
Finos extractos/banhas, oleos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arrez, sabonetes,
l-iis jieticos, muitos anigos delicados em perfuma-
ria para presentes om frascos de extractos. cai-
xmhas sortidas f ?arrafas de mffereutes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, a rua do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos do differcnleai gostos e
pliantnzian.
^spelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e pan meninas.
Luvas do Jouvin, de fio de EaeocSr e de camurca.
Caixinbas de costura ornsda c nv. n)u.*ica.
Albuns t- ijual'uit > pa a retratos..
Caixinha? com vidro de ju?mntar idtratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaque muito bomtas para relo-
gios.
: jui
Bolsinhas e eolres de seda, de velludo e de con-
rinho de cdres.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cdres, de prata dourado, de aco
de tartaruga.
Oculos de aco fino e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luxo, canna, com cast5es de mar
fiul.
ilengalias diversas em grande sortimento para
homeus e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigar ros
Pentes de tartaruga para desembaracar e para
barHa.
Ditos de rnarfim muito finos, para limpar ea-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
ies.
Carteirinhas de medreperola para dinheiro.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para eh-mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de' do-
mind e outros muitos differentes joguinhos alle-
mles e francezes.
Malas, bolcas e saccos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marflm para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Venezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para caudieiros de
gaz-
Estereoscopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas magicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cdres para illominacoes de
festas.
Baldes aereostaticos de papel de seda mni facii
de subir.
Machinas de varios systemas para cafe.
Espanadores de palba e de pennas
Tesourinbas e canivetes flnos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca branea, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Quadros ja promptos com paysagens e pbanta-
Mb,
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazia*.
Objectos de magicas para divertimentos em fa-
milia.
Realeios pequenos de veio com lladas pecas.
Realejos harmonicos ou accordions de todos os
amanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de menctonar-se. No armazem do
vapor francez, rua do Bario da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Medidas de 40 a 100 metros,pes e palmos para
medir terrenes.
Aos reverendos sacerdotes
A todos aquelles que quizerem celebrar roissas
com a esmola de 3*, a comparecerem nuinta-fei-
ra, 22 do corrente, na igreja da Madre de Deos.
0 Sr. Joao Paulo de Carvalho e rogado a vir
a rua do Marquez de Olinda n. 53, a negocio que
osennor nio ignora.
tem as melfaorei e mais baraias eiisteDtea
cado.
Incambe-ae de mandar vir qaalqaer reachinisaao a *oi-
tade dos clientea, lembrando-lhea a vanugem de faxererr
ou Gomprai por ioiermedio de peisoa entendida, e qoe em qcalqaer nec^aeidada p6 om preslar auxilio.
Irados americanoB *,n,tn,meD,0$ ,fricolM-
RUA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
FUIVDICAO DE FERRO
k roa do Barao do Triampho (roa do Bruin) ns. 100a 104
CARDOSO IRMAO
pare
ea
RECEBERAM de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas
$enhos, as mais modemas e melhorobra que tem vindo ao rnercfido.
VapOreS de forga de i, 6, 8 e 10 cavallos.
UaldeiraS de sobresalente para vapores.
MOendaS lllteiraS e meias moendas, obra como .mnca aqai reio.
LaiXaS IUIKilClaS e batidas, dos rnelhores fabricantes.
tvOdaS d agua com cubaje de erro, fortos e bem acobadas
LvOdaS dentauaS de todos os tamanbos e qualidades.
Rel0gi0S e apitOS para vapores.
DOmDaS de ferro, de repucho.
fluTojQOB de diversas qualidades.
FormaS para aSSUCai* grandes e pqueuas.
OonoertoS concertam norn promptidao qualquer obra on raaoaVM [>.-ir. 0 qu^ awa
sna fai)rica bem montada, com grande e bom pesaoaf.
EnCOnUJieildaS n,an^am v^r Por encoramenda da Europa, qualquer macbinismo.
para o que se correspoudem com uma respettavel casa de Londres
1 com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbftn-se de mandar ass^ntar
litas machinas, e se responsabilisam pelo horn trabnl.ho das mesmns.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUKDigAO DE CARDOSO 4 IRMAO.
ANTONIO JOSt DE AZEVEDO.
Rua Nova n. 1 I.
PIANOS.
Querendo delinitivamente liquid a r este negocio, vende todos os que torn, novos t
asados, pelo preco do custo de faclura.
Tambem acaba de receber o seguinte:
3LEADOS inglezes para assoalho de salas, de muitos lindos desenbos de 11 a 33 palmos
de largura e 100 de comprido, podendo forrar-se uma sala por grande que
seja com oleado inteiro.
MAGNIFICOS espelhos ovaes para ornamentos de salas.
.4NNEIS electricos para curar dores de eabeca. nevralgias e nervoso.
MUITO lindas gravuras, grandes, para quadros de sala.
GRAMPOS para segurar roupa estendida nas cordas, a 200 rs. a duzia.
TALAGARCA e papel picado para bordar com la ou s4da.
VERDADEIRA agua de colonia em garrafas empalhadas.
E muitos outros artigos, e por barato pre$o.
iiiii
Perraola-se
nma casa terrea na rua do Tambia, com i salas,
S quartos, cozinha fora com quintal, cacimba e
cambrone, por outra de iguaes commodos, nas
seguintes ruas : da Gloria, da Santa Cruz, dos
Pires, do Rosario da Boa-Vista, da Conceigao e do
Aragio, voltando-se quantia vantajosa, attenta a
melnoria da casa que se pretends : a tratar na
rua da Gloria n. 82.
AUeneao.
0 Sr. Candido G. R. Lima, faca e favor vir a aru
do Duque de Caxias n. $0 A.
PARA
Marcar vestidos, roupa de cama, guardanapos, lencos,
meias e todo genero de roupas
COMO TAMBEM
Cartdes de visita. livros, envelopes etoda a qualidade de
papeis, clara e exadamente com o noine compelenle da pessoa
Garante-se dar uma chapa tao boa como poderia conseguir-se em I.ondres ou Nova
York, e afTianga-se igualmente que a tinta sera* indelevel.
You can bet your bottom dollar on that
Cada chapa com o nome da pessoa e acompahada de dous frasquinhos de tinta, am
pincel, uma direcc&o sobre a maneira de empregar a chapa e uma receita para fazer
tinta, enstando todo
Precp fixo 3^000
Em letra de mao e gothica 59000
AKGOL.AS \MAlCA?i\S
PARA CUAVES
Sao muito commodas e possuem as seguintes vantagens:
Servem para ajuntar as chaves, e ao mesmo tempo sendo chatas, ha lugar para o
nome e moradia do dono.
Sao faceis de abrir e fechar, deixam emrar a maior chave sem offender a
argola.
Sao feitas de prata allema e nio siosujeitas a enferrujar, quebrar ou abrir; como as
argolas de aco, sao muito fortes e bonitas. Cada argola amerioana com o nome e mora-
iis do dono, aberta na mesma, custa :
Preco fixo 24000
P. LAURO MACPHERSON
NO HOTEL ESTAfflNI?r
Rua do Imperador n. 32
TODOS OS DIAS UTEIS DAS 9 HORAS AO MEIO DIA.
.. ...


Dsfrio de Peraambuod Terca feira 20 Jfjttejro de 1874.
r
i

obter.
vanas.
MalBe
Gate verdadeiro de Jav
Chi verdadeiro
Bolaehinhas
Lieores fii
Galeias de div
Boces seccos, enTOMffe raladca.
FiambrM preparadce. .
*** e Mat ittez.
Xaropes e orchata de Lisboa.
Ameadoas e coafeitoa.
fJasa pcmm *
nt
119
A&ULSAS
Accessorial
DE
-i^^Lr r*

4VIS0
Frederico Pinto A 0., com
loja de fazendas e roupa feiti
& rua do Marquez d'Olinda
n. 40, pedem a todos os seus
devedores o obzequio de vi-
rem saldar suas contas ate o
dia 30 do corrente mez, cer-
tos de que, findo este prazo,
empregarao os meios judi-
ciaes para seu real embolso.
Recife, 16 de Janeiro de
1874.____________'
Atten^ao.
Para o car-naval
Na rua estreita do Rosario n. 35,
cebe-se encomraandas de ve.-ttuarios
! andar, re-
de qualquer
gosto, pelo figarino e sem elie. pan particular e
pan loja. Tern pan alugar urn grande sortimen-
10 de vastoarios aovos, bordados a aeda o a ouro,
soon sejara, de principe, pierrots, dominc-s, etc.
Preparam-se taoibem ricos bouquets de cravoi
aaturaes e a:tificiaes, capellas e palraa^ de Sores
de cen e da panno, e ricas bandeijas com boli-
ohos. Todos estes objectos sio preparados com
moito asseio e promptidlo, e por muito menos que
em ontra qoalquer parts.____________________
SAQUES
Camlho & Nogueira, na rua do Apollo
n. SO, accam sobre o Banco Commercial
de Vianna e suas agencies em todas as ci-
dades e villas de Portugal, i vista e a prazo
por todos os paquetes.
CONSULTORIO
DD
DR. FERREIRA
Medico operador, a rua larga do Ro-
sario n. 20,
Antigo gabiaete de seu pai.
Cura de bydroceles sem injeccao.
Ab-rtura de abcessos e extracc>o
de derramamentos serosos pelo aspi-
rador de Potaiu.
Coasulias de 7 boras da manha ao
meio dia
Chamados a qualquer hora.
Gratis aos pobres.
instruccao elementar do
sexo feminino.
Bairro do Reeife.
D. Anialia Roxo Lima tem abert-i em sua casa
a rua do Bom Je andar, um curso particular de inslrurcao elemen-
tar para o sexo femiuino, em que aiem das ma-
terias estatuidas oa lei, ensinar-se- ba com per-
feicao, todo e qoalquer trabalho d'agulha, bor-
dado a cabello, a espelho; a faier crochet, Bores de
Sapel, i-. panuo e pennas. Garante-se aos Srs. pais
e familias todo o cuidado e esmero na educarao
de suas Albas. Durarao diariamente os trabalhos
eseolares, corao e praxe, das 9 boras da manna
as duas da tarde, a comecar do dia 3 de feve
reiro do corrente auno.
AInga se o primeiro andar da casa a 144,
sita a rua do Coronel Suassuna : a fallar na rua,
7 de Setembro n. t5._______________________
Fugio do engenho Velho, sito em Jaboatao,
o escravo Mariano, preto fulo, de 4 annos de
idade, poocomais oo menos, vestido de calca e
camisa branea ja bastaate sojas, esse escravo e
prognostieador : tem os pes apalhetados, faltando
o dedo segcndo do pe direito ou esquerdo : quern
o apprehender leve-o a rua do Imperador n. i2,
cartorio do escrivao Augusto Cesar da Cunha, que
recompense ra ______________________________
TODAS
Mm
COM.S
Hachina
Com as falsificagfles que tem apparecido
DAS MACHIHAS PARA
DE
SINGER
Porque?

o
00
a
s
I
0G
Nenhuma ma-
china Singer e legi-
1
tima se nao levar
i
esta marca fixa no
braco da machina.
A
MA
Paraevitarfalsi-
C5
fi canoes notem-se
bem todos os deta-
lhes d8 marca.
08
s.
j
dinheiro e a prazo!
contento das Exmas. familias
1HINAS DE SINGER
S5o mais baratas.
S8o de (loos pospontos.
Sac
simples.
S8o rapidas.
Sa<> duradouras.
MACHINAS DE SINGER
Sao de dobs pospontos.
Abainham.
Franiem
Prjgam tranr;as.
Ma ream prepas.
Bordan de linha de seda.
Alcolchoam.
Pregam cordSes.
UNICA AOENCIA
EM
11
PECffl^CffAS
so OQ.20
RUA DO IMBPO
LOJA DAS %
cwrtinua a >ni<1er muito barito para j>urMi
Hti'tu diubeiro.
CAMA LA
Chegou esu bzenda,sendolindospadroos,even-
de-ie pelo diminnio prajo de 200 rt. o covado, e
pechincha 111 dSo-se uwstras.
mm
Proprio para vesUdos o que ha de mais gosto,
padrSes apTos, pelo preoo de 400 rs. o covado, e
Lisinbas escoeexas, padrSes bonitos, a 240 rs. o
covado.
Ditai com Usiraa, paaroes modernos, a 280 n. o
covado.
Ditas la seda, padr5es modemoa, a HO rs. o
covado, e pechincha 11 t dJo-se ateostraa.
ALPACAS DE CORES
Alpacas de cores, padr5ee bonitos, fazenda da
1*000 a 400 o eovado, e pechincha I I I dio-se
amostras.
CRETONE
Cretone em petaa pequenas, com bonitos pa
droes, pelo diminuto preepde 400 rs. o covado, e
pechincha 11 1 dio-se amostras.
Cortes de casemira da cores, a MCOO eada um.
Cambraia de liaho de cores, a 300 rs o covado.
Ditas pretas para Into, a SAO rs. o covado.
Fustio branco para roupa de meninos, a 560 rs
ocovado.
Brim pardo de cores, a 400 e 440 rs. o co-
vado.
Cobertas de ehila adamascada, a 3*500 rs.
Colchas brancas e com barra de cores, a 31500
e 4*000.
Lencoes de bramanU, a 1*000.
Dttes de algodao, a 1*400.
Toalbas alcochoadas, a!6*000 a duzia.
Ditas felpudas, a 6*500 a duzia.
Lencos de cassa com barra, a 1*000 a duzia.
Ditos de cassa abanbados, a 2*000 a duzia.
Ditos de esguiao finos, a 3*500 a duzia.
Cambria lisa transparente a 3*000 e 4*500 a
Pectmbraia Victoriaa a 3*80a
Atoalhado adamaseado, a 2*000 a vara. .
Dito trancado, a 11400 a vara.
FustSes de cores, a 1*000 o corte.
Chales de merino liso, a 2*000.
Ditos estampados, a 3*500,41000 e 4*500.
Ditos com listras muito finos, a 5*800 e 6*000
Esguiao muito fino, a 21000 a vara.
Bnm preto trancado, a 2*000 a vara.
Bramante de algodio.a 1*600 a vara.
Dito de Hnho de 9 e 10 palmos de largura, a
2*500 e 21800 a vara.
Algodao marca T, a 5*000 a peca.
Dito domestico, a 3*000 a peca.
Brim de algodao com listras proprio para cami-
sas, a 400 rs. o covado.
Nanzue cambraia de cores muito fina, pelo di-
minuto preco de 400 rs. o covado.
S6 na rua do Crespo n. 20
Loja de
Gxiilhermc & C.
s
A CASA AMERICANA
i5 RUA DO IMPERADOR 45
Fugio no dia 13 do corrente do engenho Me-
gao, da cumarca de Goyanna, o escravo de nome
Pirmrno, idade de 18 a' 20 annos, cor fula, rosto
iunpo, tendo talta de dons denies na frente do
queixa' do lado de cima, levando dous chapeos,
um de Manilha, pordo e outro de pello preto, po-
rera baixo, por ter sido aparado, palitot de alpa-
ca preta, dous pares de calcas de brim branco,
sapates de casemira e gravata de seda preta, car-
regou da estribaria um cavallo com sella e freio,
de cliaas e can a preta, canis preto, e um pouco
magre, secco e pacha por uma mao Quern pe-
Sar dito escravo leve-o ao dito engenbo ou a ma
o Marquez de Olinda n 38, escnptorio de Joao
Fereira Moutinbo, que sera generosamente grati-
ficadp
S CONSULTORIO MEDICO QRURGICO J
5 do
Wk Br. Castro Jesus.
jgtRua do Quariel de Policia n. 18, 1" andar.Mf
5 Chamados a qualquer hora da noite ouK
doda. m
if ConsoIUs gratis aos pobres, das 7 as 9g|
2 boras do dia.
W *t4
40 Rna do Imperador 49
C0Z1NHEIR4
Precisa-se de uma perfeiu cozinheira, nio im-
porta que seja ferra ou eserava, para casa de uma
familia estrangeira, paga-se bem: a tratar na
rua do Bom Jesus n. 55, casa de Keller & C
Faz-se negocio com o estabelecimento sito a
praca da Independencia ns. 32 a 36, com as mer-
cadorias existentes on sem ellas : a tratar no
mesmo.__________________________________,
Carvao animal
^A
Fabrica do Monteiro a2| a
arroba.
Os proprietarigs deste grande estabelecimento
avitam ao respeitavel pubiico e especialmente aos
Srs. refioadores, que se acham de c^niinuo pro-
vidos de -grande porcao do melhor cat vio animal,
nio s6 para abastecer o consumo iDiiuno da pro-
vincia, mais ainda para sati*fazer qualquer en
commenda para exporta<.ao. 0- p^diios poderao
ser feitas a rua Duque de Caxias n. 28, deposito
central.____________________________________
ALUGA-SE
uma casa na Capunga, rua das Pernambucana?,
eom coxeira e quartos fora : a tratar na rua do
Vigario Tenorio n. 31._________________^^^
m


Ifa rua da BaraoTaVictoria n. 36 precisa-s.
alUr ao Sr. vigario Andre Curcino de Araujo Pe
elra, negocio do seu interesse.
J Bcsci*fia.s metli tos ^
(P MANOHLBESIQUKiRA CAVAUlxNTI ^
! Proservolivo do tj j^
ipela : para rnra- Btfteiw '
en. pouee tempo, qualquer ataiue de
erysipela, e prevenir o seu reappare
eimento. mff A
Este medicamento larabem e muito
poderoso para o rheum itisaw.
* o Reffulttriur da mens
iffia : para ulta, irregataruia-
de, suppressio repentina da me strua-
jio, e dos lochioB, as*im como para
todo* oa solrrimenUx devidus aquellas
affeecSes. Ambos estes medicamentos
]i sao muito eoneeituados, e procura-
dos nesta provincia, e na do Rio de
Janeiro.
Acham-se a vends somente em casa
do autor, das 9 h<>ras dn dia as 3 da
tarde, e a qualquer bora em cases ur-
gentes.
GRATIS AOS POBRES
Rua da Imperatriz d. 14, 2* andar.
Casa deeampo
Offerecese a quern quter fazer os concertos
necessarkn, o arrendamenlu por algnns annos, de
graca, da excellente casa sita na Porta (j'Acua,
que foi do finadoDr. Joai|Uiin Pircs Carneiro Mm
teiro, passando-se escriptura para maior scguran-
ca. A localidade e muitu salubre, e a caaa muito
rresca, tem magnifico banho de agti2 do?e em
frente, e e muito commedo visto que o trem passa
defronte : quern pretender pode dirigir-se ao Sr
Francisco Carneiro Mouieiro, em Apipucos, au
Sr. Francisco Ignacio Pinto, na rua do Bom Jesus,
on ao Sr. Cannan, a rua do ommercio o. 4Q
Escravo fugido
Fugio no dia 30 de dezembro. e ennstt que an-
da pelos sitios dos Afflictos e /1 raial, o Dreto
Tito, idade de 40 ann pnnco mais on menu,
altnra regular, ebem pr.t, e temna cara mar-
css de bexigas ; levou camisa de ct:ita vf rde e
calca de bnm pardo ja velho; anda sempre com
um pequeno avental, para encobnr a quebradnra.
Quera o pegar leve-o ao Caminho Novo n. i08. ou
a rna Nova n. 11, quo sera nem recompensapo
i
Estn eneouraeado !! !
ASla ijh>1<* rri prdra ilara
'i.mlii U* *** !' fHT- ,
H-%arrr i- '-n. !. 'h- '.'I" 'H*** "fc
i n4 r..< #WM* )' VMk'rtk "rl:i >;#Vii]i:.a.
utui i!r -.,r .1 n;:i Hij'i::c d Cixias n. 39, eoz>
'.inir aneHe n^j'. qii S. S. ceniproinitifu k
.-eli?*r, peta wrr^ii;. cbamada desie joroai, em
Jns de dezemb.-ii .! i) jassou a rev.reir" e ahri' de 1872, e nada cumprio,
a por hn, pois S. S. se davr iem>>rar qne este negock
ie mats de uito ai Sr. sen tine **
ichava nesta. AtteiiQao.
Vende-se a armacao de fazendas existente3 na
loja de chapeos, sita a rua de de harcilio Dias n.
61 ; k>j esta que pertenceu ao finado Tranquili-
no Candido da Silva, a qual se acha mnilo bem
sortida e e muito arreditada. Quem pretender
uma e oulra cousa, dirija-se a rua do Bom Jc>us
d. 48, escriptorio de E. Burle 4 C que achara
com quem tratar.___________________________
D. Tbereza Maria Joaquina, da Bahia, faz pu-
biico que retirou a procuracio que havia dado ao
Sr. Severiano Bandeira de Mtllo, ficando sem ef-
feito qualquer acto praticado por sen antigo pro-
curador, desde o dia 2 do mez presente.
Seu novo procurador e Joao Bodrigues de Faria,
rua do Amorim n. 33.

DR. KING 1

m
Ha neste estabelecimento o molhor sortimento de pianos dos mais afamados autores,
como sSo : Here, Fleyel, Flap, etc. OiTerece-se tambem uma qualidade de pianos supe-
riors, mandados eipressamente construir para este clima, o qual os amadores dos
bons pianos s6 encontrarao nesta casa.
Recebem-se pianos usados em troca.
Concertam-se e afinam-se pianos.
Tambem avisa-se aos Srs.
concertadores de pianos
que ha sempre o -mais complcto sortimento de materiaes para concertar pianos, como
sao: cepos, folha para os mesmos, cravelhos, parafusos, castor, camursa, cordas,
marfim, etc., etc.
49 RUA DOOIPJERJlIIOR 49
Aluga-se a
da Rod* n. 48 :
terias.
loja do oitao de sobrado da rua
a tratar aa thesouraria das lo>
Escravo fugido.
Fugio ao dia 4 do corrente mez de Janeiro de
74 o preto Ignacio, 40 annos, altura regular,
*eceo do corpo, bigode e Cavagnae ralo, cabeca
muito peqnena, olhos pequeaos, falta de dentas
na frente, rosto secco, tem voz baixa, falla pou-
co, e e earregado no semblante, foi comprado a
D. FeHppa Cavalcante de Albuquerque, senbora
do engflnh" <"anto Eseuro, do sul, e dahi para
ci se tem ocenpado no trabalho de padaria, deve
ter os aos dos dados dat maos ealejadoa do referi-
3o servico ; desconfla-se |qoe aegaisse o caminho
do sul para o referido afenhi ou seus soburbios:
pede-sa aa autoridades poflciaes ou aa pessoas que
a encontrarem de leva-fo a caaa de seu senher, bo
Reeife, em Santo Amaro das Salinas, rua do Li
nu 'n. n, que ae graUncai* ggneroaamente.
Francisco n. 7J,
i Ifarua de S. Fraoelaoo n.
se uma ama boa engomraadeira, paga
e agradar.
, precisa-se
nao-se bem
Silva Barroca A FUhos teem para vend r *m
see a mazem, a rua do Marquez de Olin*-
jeguinte :
Folha de FUndres.
Estanbo eui verguinhas. *
Hachinas para descarocar algodao.
Cerveja eecosseia branca e preta.
Filleto para baodeira
PENHORES
Natravessa da rua
das Crazes n. 2, pri-
meiro andar, da-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
m
i
m
*
m
*
0 relojoeiro e dour^dor
Albino Baptist* da Rocha,
de volta da Europa, conti-
niia a encarregar-se de
concertar e dourar relo-
gios, bem como outros
objectos ; rogando a sens
amigos e freguezes o ob-
sequlo de procura-lo na rua Duaue de
Caxias (antiga rna da Cruzes) n. 38, pa-
vimento terree, que o encontrarao promp-
lo. A garantia de seus trabalhos e fa-
ze -los por preco? modi cos ; assim como
tambem vende reloglos.
*
ALMANAKS
DE
BARTHOLOMEU
Jose Teixelra Peixoto.
Desejam-lha fallarjna rna do Bem Jesua n. SI.
M| PI Precisa se de uma ama para comprar e co
I a\ I zinhar para casa de bomem solteiro : aa rua Di-
\ a!) ^-8- __________,
o sobrado n. 11, sito a rua do Marquez do Herval Propriedade de ApipUCOS
a a casa n. 101, sita a rua de Santa Rita : a tra- o administrador interino da proprledade com-
tar na rua da Aurora n. SI. mum Apipucos seientifica aos contenhores da
.i .__________... mesma, que nao tendo se effectuado a reunfao ge-
r Aluga-se uma casa term com quintal plan- ral ordmariaj coovocada para o dia 11 do corrente
tado e commodos para familia, na rna do Bom
Successo, defronte da btca do Rosario, em Olmda :
a tratar na rna da Palma n. 48._______________
ALUGA=SE
e f andar do sobrado n. 89 da rua Marquez de
Olinda : a tratar no armazem do mesmo predio.
Para bordo
Carnes de vacca, salgadas, (americanas)
em barris, Tendo-se no armazem de viveret,
i rua do Vigario n. 23.
mez, por falta de nnmero legal de votos, de novo
os convida a se reunirem extraordinariamente no
dia 85 do corrente, no consistorio da capella de
Apipucos, sendo nesse dia tratados os objectos que
deram motivo aquella convocacao, com qualquer
numero de consenhores que se apresentar, seeun-
do os estatotos qne regem a mesma propriedade.
^_______Jose Francisco do Rego Barros.
Deutscher Huelfsverein
Gflaeral Ver-ammlun
im Lokale der Herren
Der Scbriftfaehrer;
W Otto.
ib am 19 ten. dieses Monats
H. Leiden & C
Aluga-se uma excellente casa na povoacao
de Dnarte Coelho, em Olinda, com bons commo-
dos para familia; a tratar com Jorge Tasso, rna
Amerim b. 37.
ATTE1A0.
Antonio Jose Rodrigues de Senza, em soh es
criptorio a rua do Crespo n. 6, compra, por bons
precos, escravos das diversas cores, sexos e
idades.
Oiferece-se um moQO com todas as babilita
coes para um guarda-livro, o qual sabe fallar e
escrever correctamente a lingua ingleza e franco-
za : quem de seu prestimo quizer ulilisar-se dei-
xe carta fechada nesta typograpbia com as iniciaes
J. W. J. S.
Aluga-se, troca-se ou vende-se um sitio na
Boa-Viagem, o qual tem boa casa de vivenda, ca-
cimba e muitas arvores. irnctiferas : a tratar na
rua Nova n. 43.
Precisa-se de uma senhora para con- r.
tinnar a educacao de duas meninas ( de J*.
10 a 14 annos) a entender-se com o Dr. Jt
Casanova : no largo da matriz de Santo
Antonio n. 2. Precisa-se tambem de um
moco habilitado para continuacao dos
estudos de um menino de if annos.
Precisa-se de uma mulher livre ou escrava
para vender miudezas nesta cidade e seus sobnr
bios, dando fianca: a tratar aa rua do Marquez
de Olinda n. 64, andar.
A nova igreja de Nossa Se-
nhora da Penha.
DE
prendas offerecidas, para com
o seu producto ser levado a
effeito parte daobra do ma-
gestoso tempi de Nossa Se-
nhora da. Penha (era cons-
tracqao.)
DOMINGO 25 DO CORRENTE AS 3 HORAS
Nao tendo sido posslvel dispfir no ultimo leilao
que teve lugar em setembro proximo passado de
todas as prendas offerecidas pelos fieis a bem da
obra do magestoso templo de Nossa Senhora da
Penba, nem de outras qne teem sido offertada
depois d'aquella data, resolveu o prefeito da Pe-
nha a fazer um ultimo leilio, que devera ter lugar
no dia 35 do corrente mez, das 8 lf2 boras da
manha ao. meio dia, e das 3 boras da tarde as 6.
Pede-se aquelles fieis quo fizeram offertas.se
dignem maada-las aid o dia 24 uo corrente, para
que possam ellas ser dtepostas e inventanadas.
Pela manha e de meio dia a I hora da tarde
effe:tuar-se-ha a entrega das 140 prendas, e ns-
tando de ouro, prata, brilhantes e mais padras
preciosas, objectos offerecidos pelos fieis, ja inven-
tariados.
De 3 horaa da tarde em diante dispdr-se ba de
muitos outros objectos ja remeltidos, assim como
d'aquelles que remetterem W o dia do leilo.
At, home 8 to. 10. a, m & 3 lo 5 p.
m. At rua de Bom Jesus n. 15. it to
1 P m.
Em casa das 8 as 10 da manha e das
3 as 5 da tarde.
Rua do Bom Jesus n. 15, das 11 a 1
da tarde.
Os chamados por carta de-em sem-
/Ojfr pre ser dingidos a rna *!a Aurora nu-
*XP mero 37.
Antonio Verissimo Perreira Gomes, muda
seu nome para Antonio Ferriira Gomes.
nawaagHB
KOVAS DieutttRS l/SUSICAES.
A. J d'Aievedo It^allivvaa It
Aca>aiu dc publicar se, e acuam-se *
venda as segni'itts rnusicas :
i'UNO SO".
Danse ESPANHOUk, por Ascher 2?0W
Arabella, mazlrka, por G. Wer-
theimer 11*00
Valsa do Falsto, por Croyzes UpOOC
Sowno de lma virgem, por Alber-
tazzi WO0
Anna la Prie, cavatina 1JW00
AoClair de la 1-u.ne, por Bussmeyer IPtM
KSTRELLA DO KORTElpo|kabri,ha|lte ,MOi
S.vudacAo ao Raima (
Cricket, por Soixas, offerecida aos
cbrickcts club pernambucano e
babiano l^O'1
PI ANOE CANTO.
Desespero, muito Undo romance
por 1. Smoltz 25*000
Non m'ahava, romance por Guercia 19000
Tambem rccebcu da Europa grande sor-
menide musica para piano, piano e
antoudos, metbodos, i-tc. etc._____________
Aloga-se a psquma meia-agua n. 71 a ma
de S. Joao, ireguezia de S. Jose, com quintal en
aberto. preco do 1<>* mcnsal : a iratar na rna es-
treita do Rosario n. 17, andar. das 10 as 2 ho-
ras da tarde._______________________________
Aluga-se o 3." andar do sobrado n 45, a rua
do Barao da Victoria, com .iccommodacoes para
grande familia: a tratar na loja do mesmo pr*-
dio.___________________________________^__
Aluga-se uoia casa nova, sita a raa It per al
n 561. propria para qualquer estabeWM-imento ;
assim como, tem bons commodos para familia. t
com grande quintal murado : a tratar na me-".*
rua n 31, armazem de sal.
'$9
' rU}-' .
. a* IV
Ladisldo Tolentino C. d'Al-

buquerque.
Ignez Lyra de Aliiujuorque, viuva de L-idis-
lao T. Cavalcante de Albui|uerque, conviJa a
seus parenies e aos amigos :e seu muito exire
moso e sempre chorad > roarido", para assislirnm
a missa que pela alma do mesmo manda rezar
no dia SO do corrente, ptimejro anniversario do
seu pas'amento, pelas 7 horas da mauha, na ca-
pella do hospital portuguez.
Joaquim Baptista de
Araujo.
Antouia Maria do Espirito Santo
Araujo". Anlrnio Baptista de Arau-
jo e Francisco Baptista de Araujo,
apradecein a lodas as pessoas que
se dignaram a-sistir as exequia*
de seH mui prezado esposo e irmao
Joaquim Bapiista de Araujo ; e de
novo convidam a todos o: amigos do fallecido a
assistirem asmissas do setimo dia, quetera lugar
quinta-feira, 22 do corrente, pelas 7 horas da ma-
nba, na igreja da Mad re de Lieis, pelo que se
confessam eternamente gratos.
nmmmmmmmmmmmWammW&Mmm!*
Anna Candida de Arruda Bel-
trao Filha, Maria de Armda Bel-
trao, Jostpba de Arruda Beltrio
Francisca de Arruda Bel'rau, An-
tonio de Arrnda BelirSi-, Rodolph-i
de Arruda Beltrao, Francisco da
Cunha Marhadt- I'lirao, Pedio de
Araujo Beltrao, .Euzebio da Cunha Belirao, Joao
Antonio de Souza Beltrao de Araujo Pereira e
Laurentino da Cnnha Pereira Belulo, mulher fi-
Ihos, genro e irmao do fallecido Pedro bezerra
Pereira de Araujo Beltrao, pnngidos da mais acer-
ba ddr pelo seu passamento, convidam aos amigos
Xentes da familia a assistirem aos ados fu-
do setimo dia que terao lugar na dpella
da engenho Bento Velho, no dia 23 do corrente,
pelo que Ihes ficario summamente gratos.
VENDE-SE
eu arrenda-se, no estado em que se acha, um >i-
tio na /reguezia dos Remedios, freguezia dot Afo-
Sidos n. '6, ehSo proprio, com 349 palmes de
ante e 658 de fundo : os pretendeBtes dirijam-
se ao sen proprietary na rna de S. Francisco,
sobrado n. 40.
Folhinhas para 1874.
Folhinha de porta a 160
Forainha anedotiea a 400.
Folhinha rehgiosa a 400.
Exactamente calculadas para Pernambuco.
Livraria Franceza.
Grande vanlagem.
Aos senhores de engenho.
Um estrangeiro se off-reee aos senhores d en
genho, nao sdpara k-cci .n.r primelras lettras,co-
mo para enainar o francez com toda perfdeao e
assumpto franeez, pelo grande eonbecimento das
maneiras mais faceis de aprender-se. Qoem de
seu prestimo se qoiier ntilisar pode deixar >aru
fechada, com enderec.i a Mr. ft A na rna do
Marquei do Herval, ai,.,g*ujdDte na d Uncor-
dia n. 98, primeiro andar, a qualqnw bora.
E. A. DELOUCHE.
19 Rua 1<> Slarquez de Olindala
Aeaba de receber um grandx sortimmlode re-
logins amei icanos para parede e mesa, de eorrta
de 2i boras e de corda de 8 dias, coin desp.rtador
dos melhores gistos e qmlidade.
Rebigios de ouro patintc inglez verdadeiroa, daa-
c. beru. com -ponteiro grande no meio, dos mai
modernos e do melhor fabricante de L- ndres.
Grande sortimento de relogkis de prata. prata
duiirada, cobertos e detCobenws. Ditos de prata
foliada (plaque ), oriental e paicDe, de tou>
preco
Cadeias de plaqne e de ouro.
Lunetos e ocnlos de todas as qualidades.
Verdadeiros Vidros de christal da Rccha. p.,
vista "an-ada.
Vende-se tulo por pre^o mais baratc que em
oulra qualquer paite.
A' loja do Pavao sio chamados os svgnin*- -
senlKTes a negocio de sen inleresse :
Jose Carlis Marinho.
Alizio Telles de Souza.
God-ifredo de Abren Lima.
Francisco Rosas.
Urgencia.
Sao chamadn* a rua do r>nqae de Caxias n. 4.1
aMiga do Queimado, os scguintes Srs. a negoci
que Ihes dit respeito :
Dr. Di3s Fernandes.
Jo-e Aotoni deMendonca
Clete da (jsta < ampello.
Severiano Jose de Salles.
innocencij Boilngues da Miranda
In io Barros Correia.
1 j.-e de Azevedo -e Souza.
Pedro Jos6 Gomes Ratis.
Felix Cautalice Perreira.
Vicente Joaquim de Miranda.
Joao Gouicalvis Guerra.
Candido G-oncalves Guerra.
Jacintbo Ferreira de Mesquita.
Felix Benvindo de Nascimento.
Jose Tavares Mnoiz.
Andre J se de Almeida Catanho.
Cri^tiano da Silva.
Augnito Simoes Nunes de Souza.
Domingos dos Reis Correia Lemos.
Jord Xavier Fauslino Ramos.
Casiuiiro do Beis G mes e Silva.
Feliciano da Fonceca G. de Araujo.
Firmo Candido di Silveira.
Ant nio Candido de Oliveira.
Heurique Jose dos Santos.
Matbias Lopes da Costa Maia.
Joao Evangelista Gomes.
Manoel Jose de Suza.
Constando que ha di-
versos pretendentes ao ter-
reno da casa a rua do 3om
Jesus n 66, pertencente a
irmandade das Almas do
Corpo Saato, pede-se ao dig-
no Sr. Dr. juiz de Oipellas,
que tendo de proceder-se a
venda do referido terreno,
seja ella feita em leilao pu-
biico.




*Mfc*t>driMMki0fcuf **e^K>rfcirtr tdii4wl*rtrb(toi*K4.
Qatt t Ql$iida
Aluga-se, porauairoWie* ea ma is e porvouco
dinhefro, flrot a celt-rite casa em Oiinda, aa roa
doBomfim n. 21, maila fresca, com comtcaa*
para grande familia, tendo agua e gar encanado?,
grande quintal ou sitio arborisado, e com excel
ente vista para o mar e a cidade, apenas distaate
ires tninutos da ertario do Carmo pouco mais
dos banheiros : a tratar no armazem de Joao Ro-
sa, aa travewa da Madre de Deot n. 8. _______
100$000 de gratificacao
Engenho Santos Mendes
Fugio no dia 20 de dezembro, do engenho San
W3 Mendes, comarca de Nazareth, fregneiia de
Tracunhaem, a escrava Maria, erioula, 50 aUBfts
da idade, pouco mais ou raeuos, baixa, grossa, cor
preta, rosto alquebrado, pes seccos e e^panados,
dedos curtos. cabellos braneos, canellas' finas, (am
dous signaea eabeiludos .no qneixo, e e bera ladi
ML A pdaVa qJB eoMaV esta escrava ou hoaen
uma eriada ou criad^ para
a rua do Marquei del Olin-
IlaTO
-H-
Pncisa
comprar e coiinhar
da n. 40, I.HWMar. .
a.
Na rua do Barao da Victoria
fallar aa 8r. 2. teaente JqM
gacio de sea Interesse."
ita-se
, ana?
i
iWi
Vende-se apt
e 2 cu 4 arsantoal
fosi
3V
ano
. de quatro toi
tftotade, em perfeito esttdo
iSJKaa
4MA
Precisa se de uma lima para I
linbar e engommar
las n. 16, i* andar.
rua de Hor-
ira com tjaem |
n. 20, com Guilher
iono, quo-VoS
tino Gomes da Cunba Pi-r
ctfe, largo do Corpo Santo n. Il>,
eeompensada com a qnantia de
a, Lauren-
ou do Re-
andai\ aara
u _
Aluga-sc
cast n. 13 a Passagem da Magdateoaa : a tra-
ar com I. L M> Rege, fc
Escravo
Ama de feKfe
Preeia-se da ana ama, de leite no
Ibo, embora se pague bem : at- rn
Suaesnna o. ~
Frecisa-se
do andar.
Ama
i.i_
d75
ra comprar e
rua do Creapo n.
3.
Ama,*,
tarmo n. 17.
A' rua Nova a. IS,
Ud>|m winar e, pwnjafli^ .
a-sVde uma ama^iAoncala-
da CamWa-fc
estrangdra : a ma
Am*
n. 17. i
JT .Prtelsa-ae.de uou
Cesar, outr'ora'Senzab*
Precrca se de uma
ee eoaiftue : a
Dnminges Martial"*,
dar (outr'ora Senzala-velha):_______
AMA vsi
fugio no dia 27 de dezembro da oasaajo ea se
nhor Pedro Osario de Cerqueirn, mdrador na es
trada da Torre, sitio das Mangueiras, 0 escravo
Maximiano, preto, 36 aunos, ponca barba, tem
os dedos dos pe* bastante unidos, levando vsti-
do roupa de riseado asul e urn bonet de ease-
mira, e outra mada constants de uma camisi
brancae uma calca de ca-emlra escara, cujo ea-
cravo 6 natural do serilo aesta provincia, e re-
sidio por muito tempo na freguezia de Ipojuca,
engenho Quetoz, em companhia do seu ex-senbor
Francisco de Sa e Albuqaarque. Roga-se a U>-!
das as autoridades policiaes e capitaes de campo,
qaeiram apprenender o dto escravo e leva-lo no
referido sitio, on na rua da Imperatrtz n. 32,-qae
se recompensara com toda generosidad?.________
Vatar na rna
Campos.
Na rua do Vigario n. 19,
1. andar, ha para vender:
Cera em velas e bogias, de superior qnalidade.
Cognac inglez.
Retroz de Porto.
Vinho do Porte engarrafado, em caixas de duzia.
Velas stearinas inglezas de 1 libra cada masso,
Collegio de S. Sebastiao
D. Manoela Augusta de Mendonca Velio Rogn
participa aos pair, tutor s e correspondentes de
suas alumnas, que transferio aqaelle estabeleci
mento de educaQao para o sexo feminino, sob sua
direr.cao, para a rua estreita do Rosario n 3i, 2r
andar, onde eontiniia a receber alumnas pensio
nistas, meio pensioni?tas e externas, sendo que
saa abertura tera lugar no dia 12 de Janeiro cor
rente.
Garanhuns.
Na rna do Barao da Victoria n. 36, preeisa-st
allar aos Srs. Pedro do Rego Chaves Pebtoto e
os6 Paes da Suva, a negocio de particular inte-
.-esse.
Clara Henriques Correia de Linhares, profes-
sora particular, que leccionava em Santo Amaro,
esta este anno, com aula na rua da Concordia n.
137, onde desde o dia 10 do Janeiro esta com
ella aberta para o exercicio de sua profissao : e
ensisa nao so, a ler, escrevcr e contar, lingua na-
tional, escrever e traduzir a lingua franceza, co-
mo tambera, geographia universal. ; recebe tam-
bem internas e meias pensionistas, pagando es-
tas o trimestrc adiintado. Incumbe-se de dar
mestres de da-sa e de lingua italiana e ingleza,
pois contratara para isto meitres clasMcos, Aquel-
les i|ue Ihe quizerera honrar com sua confianca,
podcm dirigir-se ao numero aeuna mencionado,
antt>s de chegar a esquina da rua da Victoria.
ESCHAVSI FUdlDO.
Dfi.-apparecen an arnanhi'cer do dia 4 do cor
rente, do engenho Serigi, comarca de Gnyanna, o
-scravu de nome Jose tiorgc.J, mestre de assucar,
tends os siirnaes seguinte-; : eabra, idade 30 an-
nns, pooeo mais ou menns, boa tigura, um tanto
groso e espad.iudo, sendo o signal mais visivel
uma gomnia na junta do p6 esquerdo : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo queiram
apprehenler lito escravo e leva-lo ao referido en-
genho, ou nesta praca a Oliveira Filhos & C, lar-
go do Cnrpo Santo n. 19, que serio generosamen-
te recompensados.________^___________
External) dn Biviut) fopirilo Saul ^
Olympia Lins Ribeiro, directora d'este cxterna-
to, ta'i sciente aos pais de familia que quizerem
confiar lbe a educa.ao de suas filhas, que no dia
15 de Janeiro, comecarara os trabalhos dos estudos,
onde alem da instruccao moral, religiosa e curso
primario, ensina-se francez, bordados de todas as
qualidades, flores de flo de ouro, do panno, papel,
etc., piano e desenho.
Afflancando todo desvello e applicacao pelo pro-
grcsso de suas cducanda, espera a roadjuva.ao
do publico em g'.-ral e dos pais de fanvlia em par-
licular, cuja dedieacao tamhem os carae'erisa
uma
ItWn
.rava,.
.'. q| ill
recisa-'se' de
rta; de pe do Rnperador n. 79, loja,
Precisa-se de uma" ama para
comprar e'eizinhar para casa
& pMMfubilia : a tratar
rua da Penha n. 25. sagan
na rua doGaneral
me Daeget.____________
Ruai de Brum n. ^6
Vende ae zioco puro de
proprio para cobertas de casas,
mos de comprido ? Ir de largo,
superior quaHJade,
medtndo 11 pal'
por pre jo mniu
'' \p
para lima*.
Recebea ultimaraente a pharmaciamtorrfc?, da
pteaa mut core
:
' ;dli8IJrt^ca%#p mStAI* v&nattt se aa
roadoB arao da\"^a^fja n 36.
assira.
Pr^cJsa-se de uma ama UkaC
que oozinhe e engorame para
alias, pessoos qua moram n'um
dos arrabaldes desta cidade : a
Imperador n. 2S, armazem do
Ama
rua da Cadeia a 59f precisa-se 'de'
uma que saiba cozinhar para casa de
apazes solteiro*. ^,
0m*rmmmmmm-*mmmm
t
" nn
iCBMTWlO
MEpiCO-CIRlIRGICO
DO
Or. Santa Im.
Rua do Barao da Victoria n. 46, 1
an lar, outr'ora rna Nova.
Consult is das 10 boras da man ha ao
meio dia.
Chamac'os por escripto a qualquer hora
Especis idades. Part09, mofeattas de
*
*
*
le i'af
Y^AHWfll6 anaB
dva' K^nnxDca.' a rna
Caxias n. 63. dftSCoWW^uwos flo*
idte;*'aWdii se conseYvaffl escogitando
ante as novas inven;5es; reaiettera
Xr<3*fi^P^abca. e autoflsam ria a dizer
sens^rlgtfeleT'e especlatmeilfe a& belb sexo
ae nao creiapv em tal : e para pfova efidente
qne acajtro TXpor, vejam o qiia'abaixose
4 LiOurjA^AdhM masts
60
yajdo
ua da lnaperatriz n
0
m.
sjawlaataf
*05..'
rvari
e fazendaspara liqtiidar, por baratissimo pre^tomo
abiaixQ^e ve:
at *****
Pereira da Silva 4 Guimarfies tendo
fazer uma liajtidacSo das m
a apurar dinheire, para 0 &<$
, como o respeitavel publico, a vir surtir se
esUUIeciraent*al8iaiilSada oPavaoa rua
para missa.com' capa
dtf tartarnga, tendo ho
atfl' peqtteffo felogio perfeito
dd Bftdreperola
eentro d cap
la
a
regala-
(rARtBlRAi
O^Boi'rcharuWs, port cigarrts e parts
' moneys Ad-mesm'tf gostb.
CARTEIRAS para notas com capa de marfim, ma-
dMpjBrofa e tartarnga, com o distica
BOLSAS pata swH; crmeHhof qpt Una tinBo'a
es'tn1; mferc'adb, de di^ersos 'tanjanttos,
' 'idadfis e modelos de nova inven-
BAZAR
o Barao da Vidoria n.22.
de fazendai,
*6os prec,os,
trfO' sffrS^eus oumeroso*
s faaendas, boat e barata*
rifln. 60.
IAS A 49, 49500, 59, 69 *#.. ^'^f^uafifM^m^vf^nJ preciaa
vende um magnifico sortimento !. T me^ K^JSpJ^fliite
aislnas cambraias brancas trdns^t'- ^*Wj ?t!?^'
ratffite, tendo 10 jardas cada peca, pelo-Ea- u
jaiopreoo de4fi*J5W,9{8, tendo lam- ravwr tmae-CDaieffr erartKiO ae me-
"hiem das mais finas auo custumam vir ao rino a^^ditor dpiMiM biaVdeAdat j
A' este grande estabelecimemto tertt cho
gado um bom sortimento de nfafehiiias*ptf%
costura, de todos os autores m!fis Jftsr^drla-
dos ultimamente na Europe cujas machinas
sio garantidas por um arrno, e tendo'ifnr
perfeito artista para ensinat aff'nteSnSaff, ftrA
, |i*rtaao,85simromotimyaBes*rtita_..
de ditts tifbadas e vifttbrias qt Iblde tTe^
atJ. fc5$", sendo fazenda que'valte muito mr
dinheiro.
Q)MSALPICOS DE CORES A 591
da cambraias brancas com bonitos salpkjtit-
nbos miudinhos de cores, tendo 10 jardas
jtadffcorte de vestido e vende pelo bahrtb'
qualquer parte acsta cidade, como Bern as-; precp de 59, por ser pecbincha, diias ^bm
sha abbfteffa-ta* peTo fetapo tambem d'um salpicos todo brbbebsetido fazenda flnissima
*' PORtBOt
meio dia. j Jk
Chamaros por escripto a qualquer bora **
9 Especis idades. Partos, molesttas de 0
^ olbos e dp apparelbo re-piratorio. ^
A' Torw
Aluga-se oara pssara festa um sitio com
excellente n sa de habitacao e banho no rio
d frenla de sta : quern a pretender, p6de
procurar A ma de Gervasio Pires n. 24.
mtumkw
CIRURGICO S
:AEU5rHAl!
de liddos gastos e tjmantibs
alidades para as jwrfrai.
InasTews e seat elto; proprias
0
-:-
5i
I
Dr
Kua di
Alugam-se as duas casas sob ns. 22 e 2't a
rua dos Pocos, na freguezia dos Afogados tendo
cada uma 2 quartos. 2 salafe quintal em aberto ;
preco de 8* mensal : para veY e Iratar na rna es-
treita do Rosario n. 17, 1 andar, das 10 as 2 hors
Ja tarde.
ALUGA-iSE
o predio sitio a rua do Barao de S. Borja n. 26,
com commodos para grande familia, e tendo agua
ega* encanados, grande quintal com arvoredos e
mais cimmodidaaes : a tratar na rua da Ponte-
velha n. 75, com Rocha Leal.
AliENCAO
Constaudo aos abaixo assignado achar se nes-
ta pract o Sr. Manoel r'eriiandes de Carvalbo, ren-
deiro dos engenhos Barra e Preguica, em Ma-
manguape, provincia da Parahyba, veem rogar ao
mesuio o obztquio de vir enlender-se com os
abaixo assignados immediatamente sobre negocio
tendeute aos referidos engeiihos. Rua do Amorim
n. 37, escriptorio.
Tasso Irmaos 4 C.
Precisa-se de
Moleque.
am moleque de 16 annos
para
cima, para servi$o ae casa de familia: a traiar
na rua do Pilar n. 23, 2* andar.
% tasritam iiiedico-eirawieo %
a de
p, A. B. da Silva Maia.
m Rua do Vi'scc
Jf 11, outr'ora rua
fi n. 11.
Q Chamados :
Visconde de Albuquerque n.
rua da matriz da Boa-Vista
Chamados : a quaiqoer hora.
Consultas : Aos p< hras gratis, das 2 as O
4 horas da tarde. Q
c CoiBfMidbaa do Gaz.
A errfpreza do gaz tem a honra de annitnciar
fdp'tinfiroq'ue receSeiiulfimente um esplen-
dMb sortimetrto de liktfes da vidro~{ dakidiei-
ros, araiKlelas-e^lqbos, cpjasamostrasestao
nd^feBHpferio d^rW ddtiftphfa lor n. 31,
preco "m iis razoavel pnssivi}!.
1 '' "\
Predsa-se
irafKr nb
f
de vm (fiado para toflos'.1s sen-
hotel ije Bordeaux. ________"
4dQ,i-se"d aiirazH'ifi da rui d>i f^ires u.
>i, pi'iiprio para alguui estabeleuimeulo : a tralar
na rua do Mar juez de Oliuda
dar.
n. 1, se^ando an-
--. W grati^
rVi-"
0^
GABI S'ETE MEDICO
do
Constitneio Pontual.
Imperador n. 8i 1 andar.
Consultis das 11 as 3 da tarde, chama-
dos a qu Iquer hora, visita e da consul-
aos pobres.
........ -y M-iTi.
a
AttenQao
0 Sr. Fran :i-co Agostinbo Madeira, 6 rogadoqe
vir a rua do Duque dc Caxias n. 60 A.
(. iisiillorio medico %
DO 0
Dr. Murillb. %
RDA DA CRUZ N. 26, 2." ANDAR. 5f
Recen -cbegado da Enrepa, onde fre- Q
quentou|os hospitaes de Paris eLondre*,
pode sei* procurado a qualquer hora do
dia ou da noite para objecto de sua pro-
fissao.
Consullas das 6 horas da manhi as 8 ho-
ras, e do meio dia as duas da tarde. M\
Gratis aos pobres. ji,
ESPECIALIDADES. -A
Moiestias dc senhoras, da pelle e de g
crianca. SI
Transmutacao
Madame PoteHeret, modista franceza, tem a
hobra de parti--ipar ao respeitavel publico em ge-
ral, e especialroente a seus freguezes, que mu-
don sua resideneia da rua do Barao da Victoria n.
14, 2# andar, paTa a mesma rna n. 48, 1 andar,
entrada pels, rua de Saftto Amart, onde, com a
mesma promptidao e esmero, continda a exercer
os rmsteres de sua profissao
En abaixo assignado de -laro ao respeitavel
publico e com especia'idade ao corpo do commer-
cio que nesta data dei sociodade ao meu caixeiro
Manoel Joaquim da Cost*, sendo a firma social
Domingo? Martins Gomes & C Recife, 16 de Ja-
neiro de 1874.
Domingos Martin? Gomes,
Pede-se ao Sr. ihesourciro das loterias,
nao pague, no caso que saia premlado, o bilhe-
te,da loteria 84", sendo o dito bilhete 'inteiro de n.
3437. j Salomao Ferreira de Magalhaes.
COMMAS,"
m-%
uma escrava preta, sem filho, qae seja sa-
dia e fortei para o service de casa de fami-
lia, a tratbr ua rua'do Barao de S. Borja
D. 29.
Comnra-se um meihodo fraocez-ingiez de
OllendOrff : I na livrai ia Ecouomica, junto ao arco
de Santo Antomo.____________ _______^^
Compra-se um raethodo frart^ez e inglez de
Otlendorff: na livraria eeoirtmica," jinto ao areb
de Santo Antonio.
. Compra se uma car ruga para boi, que esteja
erd bom estado : em Santo Amaro, rua do Lima,
n. 10.
Enchameis.
A companhia da estrada de ferru de Oiinda,
compra man 50 enchameis de 30 palmos de com-
primento e polegadas de grossura, p#a. parte
da linaa telegraphiea : Iratarno eserlpt6rio di
ccmpatilaa.
0 gereriW',
Laurentino Jos6 de* Miranda.
**
mummu-
rmk%.

vende-se ?eis cadeiras nova?, de amarello :
na rua da Imperatriz n. 54 A, lgja. de fazendis..:
Veade>ss a tavern* da-riia lbiparW n. 94, mui-
to afregiiezada prara a terra e para o matto, ppdentio"
o uret-n- dentu'estar dentre irlo.diispBTa/ver se'
llie agrada, e tambem se w.ode so a armi?ab ; 0
m tivo so dirft ao comprador : a trajar iljmefma.
Lindo difariz.
Veude-se por preco bah.t<> um rico. chafariz
de marinora proprio par* jaroim. o quaj sa acha
anna,Ici na lifflriijia',le manuoro do ar, lia,(al
raa do luiijer.idur para unein o quijer vajr : a
traiir ria tuado Cre.-^w, lo^a d PaaWjaaitf ao
arco 'de Santo Antonio. | p.
{Tata' presentes.
E outros de intelra novidade.
B com os meninos.
A Nova'Es^erapta, a rua Duque de CaXias n.
63, reCebe'mo's boneeos de1 br.fracud de" formates
inteiraraente novos : os meninos niuifb apreciarao
esU! briaqbe71d. .
E verdade.
QnalqAer sanhora de bom gosto, parece que
nao node cofnbleW-e sua toilletle, sem dar um
passeid a flora Eaperanea rub do Duque de Ca-
xias n. 63, potque 6 a loja de miudezas que mais
complato estft-em sertiment>, e .|ue maisnovida-
des apVeaijte afrpribheo em geral.
E com as floristas.
A MoVa Esperan^a, a rua do Duque de Caxias
n. 63, racebeu pelo ultimo vapor, um inieiro sor-
timento de papeis para flores 1 a eiles.
Para crianqa.
A Nova BspdraMa, a rua do Duque de Caxias
n. 61, reoeHen um sortimento de vestuarros de
cas"e1nfra e KlpSca 'tyltX criaucSs : modernos e bo-
nitbs.
Las mescladas.
Um bonito sortimento de 15s mescladas em co-
res, recebeu a Nova esperanca, a rua Duque de
Caxias n. 63.
anno sem despendio algum do comprador.
Neste estabelecimento tdmbem ha porten^as
para a* nlesraas macbkias e se Su ppre qual-
quer peca que seja necessario. Eslas ma-
chinas trabalham com toda a porfidcio de
lim^o ftooa pospbntos, franze borda toda
qualquer costura por fir ffue seja, seus
cores a 29500, ditos de meYitidestanapadoj,
mdito b*a-*r, dhrji- -ftrfMhbbs com lis-
Uas deswoVa S*W0, difo* raurto-iaos da
jujmmtawu*) 4*+*++#.
0 PavSo vende algodio euffttado com 8
GPavdo recebeu um elegante sortinrentb' 'jAhiio'i Ai ikrgdra, fjTbdrio part lenciea
sendo do rna is oncorpado qWtW tlbdo ao
mercado,liso a 19 avara e tran^adoa.....
ATOALIADOf 1W0, 2. 59.
0' Pavao vende atoalBado trancado com
a 79500 e ditas a 59000.
yts'Trtds jfifecf HA (ioi\TE 129
0 Pavao vende um bonito sortirrtento de
cbrtes de vestidfis a uso da corte, trazendo
cada c<5rte todos os enfeites necessaribsicomo
sejana : babadinhos, entre-meios, rendas,
p'recps sdo da seguinte qualidade : |>aM tra-; requefifes, e vende pelo barato precb de 129
balhar a mb de 309000, 409000. 4896D0 cada Uitt, aSsim corto^ diioa a 2- de julho
e 509000, para trabalbar com o pe sSo de, com todos os enfeites a 109, cortes de cam-
809000, 909000, 1009000, i 109000, braias brancas abertas, com listras e lavores
1209000, 1309000, 1509000, 2O090O0 e a 69, ditds finissimos a 89, ditos de cara-
bfaia branca com listras de cores, para aca*
bar 39500, c pcehincba.
Nao ha mais cabellos
braneos.
TiNTURARIA JAPONEZA. .
Sd e unica approvada pelas academias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem apparecido ite hoje. Depcsito princi-
pal & rua da Gadeia do Recife, hoje t&iT-
quez de Oiinda, n. 51, 1. andar, e em
todaa as botieap easas do cabellei-
r6iro._______
Vorid'.-se a tavern a sita a rua Imperial -n
296', propria para qualquer prlncipiante per tor
poncos fundos, e a^ga-se poucj alugue! f8j09O),
efaz algum negocio.__________________________
Caffibfaiaslisas ede e6res a
240 e 280 rs. o covado.
A* rua de Queimhdo
nlia ; daose amostras
Fernando^.
Madapolao francez ftno a
5#o00 e 6'# a peca.
Cora pequeno .uio, e pechincha : sd na rua do
Q leimado n. 43. dofrontt da i'racinha.
Toalhas a 4^1500 a dttzia.
?6! na rua do Quelmado n. 43, e"1 grande pe-
chindw.
2509000, emquanto aos autores nao ha al-,
teracSd de pregps, e os 6ompradores podorao
visitar efte e^abeleCifnentQ, que muito* de-
verSo gostar pela varielade de objectos que
ha sempre paVaffndef, como sejam : cadel-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras*para safes', dKasde ba'.aiifo, ditas para
criaiira ^iltasj, ditab p*ara escolas, costurei-
ras1 rlquissimfis*, para sehhora, desptfnsaveis
para crian^as, de todas as qualidades, camas
de ferro para homem e criancas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandos e pe-
quenos, apparelhos de metal para cha\ fa-
queiros com cabo de metal e de marfim,.
ditos avukes-, eoiberes de metal fino, condiei-
ros para *al#, jtrros, gfjarcfa-cOmidas da
arame, fcffipas p#ra cobrir pratos, esteiws
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que se acha aberto desde as 6 horas da ma-
nhi ate as 9 horas da noute a"
Rua do Barao da Victoria n.
__________22^__________
Villa dePalmares
Vende-se por preeo muito baixo duas casas ter-
reas a rua Nova daquella villa ns. 35 e 37. corn
grande terreno ate o no.estao alugadas, e dao bons
juros ao capital empregado : a iratar no Recife,
rua do Crespo n. 7 A. _____
nde-se ama typographia bem monlada, com
n machina e um prelo, tudo em bora estado e
po preco modico: quem a pretender, dirija-se a
urrado Torres n. 12, sobrado, andar.
n. 43, defronte da Praci-
s6 na loja de Gtierra &
Vende-so urtia casa terrea, (cnao fbreiro),
Santo Amaro das Salinas, rua de Luiz do Hego, de
22 palmos de freWta e65 de fuvdn, com quintal
plantado, o qnaltem 0O palmos de fundo : quem
pretender, dirija-se a mesma.'
Vende-
se
uma parte do sitio Graveiros, em Beberibe de
baixo, ja oercada, ootn 900 palmos de:frente e'flOfJ
de fundo: e duas casas de pedra e eal, a- margem
do rio, e baslante arborisada3: a tratar na rua do
Commercie n 14, eabriptorio do Torre*. u
hmn A* pettier
AmaVal, Sfanu'cb
de cofea'.caf^ toi
par : ii'6 Ba%r
thii I,
vendem luvas de pcllica
ae mafo a si, us Oe 2*0
fiVft. rna do Barao da Vieto-
Esta obrinha,'rncontestawlraente uliliseima,
para nso das escolae rt arabes os sexus, esta
adoptadaeom aproveitaroento era diversas pnovin-
ciafe dW imtoerio epela directtria 'genM da ins-
truccao puklica desta provincia.
ConteVrrai sefcttrntes* nialatiaa-:
Uma l*a onncisa da deacoberta da America, e
e?peSalfcerite So Brasfl. ,
NoflSea de historfa patria, desde tCOO a 16 a
epoca da (ndependencia.
Rudimentos de moral christa 6 dtetts sociaes.
Ajf umas-definiooes A ) coil if 0 criminal.
fm e ponticos^cidadaos brast ; Jff.&*$$ 41BkMk ^^
6lara sobre a forma de governo do
*Mfl do?podVres" puTflictts, seguud 0 a
i HJ a tCTgiad- tfo'-KslWo e Iiberffade
De forra de dous a seis cavallos : a venda no
rmazom de Pena Junior 4 C, t'ravessa do Cor-
0 SShtO H. *$.
- Wll-on Rowe & L. vendem no seu armazem
fruade Corataerefo n. 14 :
0' verladeiro plnno de algodao a?nl amenca'no.
Excellente do dc vela.
Cognac de 1* qualidade
Vinho de Bordeau.c.
CarvSo Jo Pedra de todas as qualidadea.
Uma arm a cio de
balcao proprio para
na rua do Crespo n.
amaroilo eavidrajada com
lualquer negocio : a tratar
---------------------*r------
TASSO
a
Em seus armnzens I rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 4Ty
tem para vender por precis commodos
Tiiofos encamados sertavos para" ladrflSto.
Cano's de barra para eagot*.
Cimeni) Jortfend
Cinteblo Hvdhulfco.
Machinas de descarocar algodio. "
Machinas de padatia.
PQtissfc d^a l\nbW^mn)rrU.
Phospnoros de cera.
^evaainna era garraiuDSy-.
Leatti*8 era garralCes.
pp da aJmaica.
?fiVnir do Perfo velno engarfaraa^
Vinho do Porto superior; dfco.
Vaiho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Lkares ftnos sortidos.
Qognac Gaalhier Pre'res.
"is de toucmho inglea.,,.....
ns coin repolho eni ealmonra.
Lindas las escocezas.
Stuff'??' ^ com.aradlrac5o das ^ varios naOrJies, e inWirarnvnte- mAlernas, a
r^ldlatt,-ve^tles, nmreraft*, de cada ^ Ts w^o : na roa Prfmeiro de Marco
"3: 5lSr df*vtflVlmerrto agncola, industrial ,^3 do 1>f.<|)0 n jj |ni (Ias crt|inttw, da An-
COltTEg BORDAfoOS A 209 E 35|5.
0 ra-vao vende ricos cortes de cambraias
brabcas deffcadamehte bordados, pel6 ba-
rato p*re?o d309 a 359.
CASSAS FRAflCEZAS
a 300 rs, 0 covado
0 Pavao recebeu um grando sortimento
de cassas francezas com delicados padroes e
cores fixas, que vende pelo barato preco de
300 rs, 0 covado, organdy branco e lis-
tado e de quadrinlios a 640 rs. a vara fi-
palmos de largura a 19200 e 19600, dito
adamascado a 29, drto de hnho laSmasca-
do39-eW.
SE6A" fkM. VESTIDOS
a J96We29.
" 0 Pltvlo Vfe^de um bonito sortimento da
sedas com listririhas proprias para Testi-
dos de meninasede seohore a 19600 0 co-
vado, ditas lavradinhas a 39, opadr6es sio
muito bonitos tbridlj-se pb Wtfe ^rtjo para
acabar.
Botlaas m ftj0
0 Patio tem um conpteto swrtimento da
botinas muito bem enfertadas para seohorai
e Vende pelo barato preco Je 59, artigo qo*
emoutra quaiquer parfa custa t9e 79.
LEKCDS FRANCOS
a29000.
0 PavSO vende tencos bfaOcos abainhi
dos-, tanto p3ra homens Como para senhoras,
a 29 e 29500 a duzia, ditos dd esguiao
cambraia de linho t?.mbem abainhados a
39500, 49, 59, d tos frtneezes escuros, par*
rape* a 69, adu^ia.
CAMISAS PARA HOMEM.
0 Pavao vende ricas camisas com peito
mssimo 6Hb7dtco liso e de salpJcos.'e'ttria^ i ^iin^-boftdM'. P^priai ?' iY '
tanas de todas as cores. !10* eK12? 5!?8 U **%ode ^^
rem borl-das a 49, 49500 e 59, ditas con:
BORNOUS A 129. peitt) dealgodSo maito finas a 29, SSP500 a
39, ditas dechita fina miudinha a 29*, 29500.
0 Pavao vende um bonito sortimento dos e 39 *ssim eomo grande sortimento de ce-
mais modernos bornous combonitas listras e, roulas francezas tanto de Hnho como deal-
vende pelo barato preco de 129 cada um, godSo de 19600 ate* 39, gr.-nde sortimento
assim como um elegante sortimento dos mais de mei s cru-s inglezas de 49 ate" 89000 >
bonitos chalesdemerin6e com listrasdeseda. duzia. ^_
Ceroulas francezas de linho e algodio, para todos os precos e qualidades, assira
como grande sortimento de meias cruas, camisas, eelefmhos, que tado se vende pc
pregos muito razoaveis.
Como nao c necessario dar lustro i ultima
demSo de verniz empregado nas caixas d^
carruagons e no dos jogos, conveoi di lo
n'um local separado aonde nao haja po.
Qnando a obra urge, deve pOr-se i sor&bra
e ao ar livre depois de secco, isto e, passa-
das 12 horas, lava-se e enxuga-se bem com
uma esponja bumida. Cjuantas mais vezes
se fizer isto, mais brilhante ficara 0 verniz,
e mais depressa ss termmari a carruagem
(em caso necessario tres dias depois da ulti-
ma demio). Duranle as duas o tres pri
meiras semanas deve-se lavar a carruagem
frtsca,
Vernizes especiaes para carrua-
gens.
Este verniz, cuja falta a^ui tanto sentem
os Srs. fabricates e possuidores de carrua-
gens, acaba de chpgar para seu unico depo-
sito, ds spguintes qualidades.
VERNIZ StJPERPINO PARA CAIXAS DE
CARRUAGENS.
E' um verniz muifo claro e duravel para
as caixas de carruagens, para todas as de-
mios, ou para a ultima somente, sobre
outros vernizes. A superficie secca em 12!
,com agua fresca, depois de ter ser-
horas, depois das quaes se expoe ao ar por i:^_ r
algum tempo o que fazendurecer.epassa- 0s frascos devem conservar-se sempre
das 15 a 18 horas pdde pessar-se a ca.xa a tornM}ticaraente tapadoSf 0 ^^ do Te4x
pedra pome e dar-lhe em seguida outra de- nio se deve deixar Qcar no frasco, e pode
mao. Dto-se com facihdade tres demios ^^ m prineiras demfios.
deste verniz sobre astmtas, em tres dias. Mo ^ J^^ come8te Terniz ne.
A pnmeira demao serviudo de apparelho, nhum 0Htf0 ingfed[wite nem agua.raz e
ajuda a seccar as ultimas demios e produz de nenhunl modo com Q ^^^ E-
um excellente brilho. ciso Um hem QS ,asos e w piooeis re &
Vernl* superior seccante para methor e servir um piucel para cada ver-
carrnagens. niz r r
Este verniz 6 da mesma cor que 0 ante-; rj-a^n, urfc0 para 0 Brasit, Bartholo-
'cedente, mas endurece e seccacom mais ra- ^^ c PeTOalbtlco, Rua do Rc^a-
pidez. Emprega-se com bom extio nas rj0 n. 34.
obras urgentes, e pode misturar-se com 0;
anterior. A duracao do verniz permanente
diminue na proporpio da mistura.
VERNIZ SUPERIOR ELASTICCO PARA OS
JOGOS DAS CARRUAGENS
Nio e tio cfaro como o verniz para as
caixas das carruagens. Emprega-se nosjo-
gos das c/frruagens e fambem para aspri-
meiras demios sobre edres eseuras. Pdde
passar-so a pedra pome passadas 10 horas,
podendo dar-se em seguida outra demio.
Verniz pre to do JapOo, superior.
Pa>a trabalhos em pr'eto de carruagens.
Prodaz 0 preto mais escuro
J. 0. C, Doyle.
1
ve 1 c
Cognac de Aennaaav, superior e verdad. .'r
Viaao Xeres das melhores qualidades.
Tem para
j)gnac de Henneaay, su[
t'iaho Xeres das melhores
Bitters de Angostura.
Whisky.
Cha preto em lattas de 10 libras.
Txlas as preparacoes chimicas do Dr. Ayar :
armazem da rua do tlommercio u 38.
PECHINfiU
Chapeos affris jjiftt homWi, pello W seda
eonuuBw, e vende se n> rua do Vigario n. 17, prlmefca andar.
1
p6de passage a pedra pomes 10 horas de-; pefo baratissimo preco de 8/000 cada ua,
pots. Deve dar-se duas demios sobre m j
fundo preto e cobrir-se com Outra* duas de J
verniz que se emprega nas caixas das carttln-
gens. ^wttaatiSr --*- m L
VEHMZPmC^S .,WLBiTE EU-^rst,etfS:^o
/Barao de S. Borja n. 29. Na mesma casa
tem para vender-se uma boa mobiha de
jacaraddaS'tHn pouco *so, 'e em perfeito
est*W:
efador as. T1 e 79."rfia dtj B:.rao da
:i d'i Rosario a. 12.
ir!-,nad> iUM)
~
AsjtriicaS fefo'adeiras
Bfctias hMKburauezas qhe veto a estemereado-
aa rat Mayquriz d (.ilinda q.Sl
Vimd.i-^'nm bttmrrt ^^^S^darrodns: n, run rfi-S.Goncalo n. 29, ?o-
anoel ae Abreu Macedo. brado ao lada aa tgreja.
Este verniz, conlendo ni sua composirao
grande quantidade d'uma substancia muito
semelhante ao azeite denotninado piafc bceuf,
6 o unico due SS (te^lbilid'e*de ao OOuro ve-
fbo envernisado. Em geral basta uma de-
mio qae deve ser applicada muito ligeira-
mente, com um pincel depois de ter limpo
0 court) com agua^rat. Eiposto ao sol sec-
ca em 1 ou 2 horas, e I sombra mas ao ar
secca era 4. Em terta\x) htimido e inutit laJ
trahalho, por que nio 6" possival toraar 0
vernie erasflco e seccante mesjno tempo,
Vernia para appnrerho.
Depois de ter^pplrcUto J ou 3"demS0S
deste'vemiz n'um maervaHo de 8 horas, de-
ve-se deixar a obra iHtacta por 2 ou 3 dias,
no fim dos quaes sp p6de pultr cbm extre
ma faciieitladok S* fssancialmente neces-
sario (Mbrir nste *nil cam duas demids do
verniz' superfiho" p*rar caixas de carrua-
gens.
VERNIZ SECCANTE.
Mistura-se com as hlitas de apparelbo, e
sobre tudo com as tintas moidas, djra que
sequem mais farilmente a paire Ihes dar
mais cousistencia.
Para exporta^ao.
Vende-so does ail eaeoa seoeot edm casca, ou
aos centos, par preco comoodo 9 no tranche
Gaerra.
Teem
trao it
mu, .
para trita
cio n 5.
hia fro him CWC
ira vender Joaquim Jose Ooncalves Bel-
do brieoa poftogiiez
gua pftrtoftiei Oca-
1' trapiche Cnaha, e
dftfa rfia do Oommer-

t*sr*
Veade e a tavama Hta a ruaHlmperial" n.
42, pruaxla ara ual|uet prmcipiante por ter
bons commodo* parik familia ; 0 inotivo de ven-
der se e po"r tef 6 dooo de retirar-se para fora:
a tratar na mesma


M^^^H
,^>
T
Diario de FBrMmHttk) <^ Tcft^^ie^f'tQ -tie ui&dmm *& Jfi(Ki
...... sessiasa^BB
mn
soabes:
ttua-eta ImpeFAtiS* .
Laurence lwfi Mwiles
r*
klfriiK
Rua 4 Barao Va mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposicSo de l*aris, eta 1W7, foi toncedHo a
Elias Howe Junior, a medalha de ouro e a condecora-
$83'Aft Lfigilo de floara, por serem as machinas maisper.
feitas do mundo.
Declare aosseus frogueaes qoe torn resdlvLo 'faier uma gran-'e liquidaeAo,
fim do corrente anno.
A SABEH :
ate c
t. Ucnre Junior, noi
da machuia de
ooa-
k medalha de oaro, cotrferida
Eaudos-Unidos por ser o inventor
'Wa.
A medalha de ouro na expcsiclo de Londn* acreditam
estas machines.
Ditosdepatha, 9, WMO e 4*000.
Dilos de massa, a 4#000.
PtRFUMARIAS EM LIQUIDAQAO.
Vende se sabomtte>d*^i versos *amftnh<*,
a liO, 200 e240 c8a0rs..todo bom.
Eraseo.'de-bartiB, ai0,320 fcOOra.
Frnscos com-aguade-cehaNai a 240 e 390
rs. cada um. E outros muitos extractos que
CAMBRAIAS BKAHG4S A 3*000;
Vende-se pecas de cambraia branca, ta pa-
da a' transparent, a, 3*500, 49060 e
&0000.
LASlNHASAaoORS.
Vende-se lasirthas para vestidos, aiOO,
320 e 500 rs. o *ova Jo.
ALPACAS A 640 RS.
Yehdu-se alpacasde cores com listrasa 640 se vetide muito barato para liquidar.
e 80t-rt. o covado. j TlJAI.HAS A 800 US.
GRANAWNE A 880 RS. | Vetide-se toalbas fetpudas, a 800 rs. cada
Vende-se granadine preta com listras de uma. I.cncos braneos, a 29000 a duzia, c
cores, para veSlidos, a 800 rs. o co-. 30000 vado. jpor50000.
TOLPEtiSA JAP03FZA A 19800. WHAVATAS PREfTAS A 500 RS.
Vende-se uma fazenda nova com listas, Vende se gravotas pretas, a 500 rs. Man-
corn o nomc de poupulina japoneza, propria tas de corns a 200 re.
para vestidos de seuhoras, a 10SOO 0 co- j Cbapeos para baptisados de meninos, a
vado. Todas estas fozendas sao ven lidas no 39000.
Bazar National, -a rna da Imper arizfl. 72. \ BEN&ALAS E CHICGTES A 800 RS.
CORTES DECASSA A 295 0* | Vende-se bet>girlas e cblcotes, a 800 rs.
para vestidos,
H
on.
AlttSKHMBJU.
DE
Vende se ciirtes'de cassa para vestidos, eada-uma, para liquidar.
Cabe-nos odeter deacauncur que a eorapahbia das machmas de Howe de .lota- egm t0lovadosi a *p50
CMTAS LAKCAS A 240 Ha.
Vcnde-se ubitas [rancezas, largas, decdres
fias, a 240, 3a0, 320 e 300 rs. o co-0
.ork, estabeteceu nesta cidade a rua do Barao da Victoria n. 28, um deposito e agenda
iral, par* em Pernambcr> o tuais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
ara *^Sowe. Estae raacniaas siO justamente apfeciadas pela per1et$a"Q de sen. trabAlho,
'pregando uma agulha njais curta com a-mesma qualidade delinhaque qualquer odtraJ va(i'0
a*la mtroduegao dos roav aperfeigoados apparelhos, estamos Actualmente habilitados a
^farecar a aaaioc publico as melhores machinas do mundo.
As va^iagens destas machmas sdo as aeguirties:
friHwfta.^O tmBHcO reuinstancia de nunca tereiai'twoarecido no mercado finaobinas d H*l>e em segtm-
Segnnda.-^".r.ttra o material preciso para rBpartir qWalquat dwarranj1.
Tarceira.Ha nellas menor fncjio entre as mers9 pec, emenos rapida wtrago
fae nes outras.
Quarta.Formam o ponto como se fdra feito i mSo.
(JoinU.ipermilte queie examine o trabalhfrdeatBbosos *e, o qiroae HiasoMegu
MOBtrtt.
StttfcTtaem porito raiudo em casemira, atraTessando o fio de um i logo em seguld*, sen modificar-se a tensSo da linba, cozem a fazenda mais
!ia.
Setima.0 con^pressi' glevantado com a maiorfadlidade, quattdo se tem *s mndar
agulha ad comeck^Dot'a costura.
OiUTa.Muitas companhias de machinas de costura, tfcn do e>)cas de grandeia e
taeadenda. Machinas outr'ora popularea, sl0 hogetjoasi dfescOtbecidas, wutras offrerarn
adanjas radioaesj>ar,pbderera substituir : entretanto a compaijhia das'toachmasde-Howe
aoptando a opinUo nt Hlas Howe, mestfe em aftes nrechairicas, tem eenstantertieate
afme&tadb o seuTabrico, e boje nio atteride a ptocura, poslo qne h$&- 19* mactata* PJ. *000 e o* 000.
CASSAS DE CORES A 260KS.
VerRle-se cassas franceeas finas de cores,,
a 200, 320 o 400 rs. o cp*ado.
SA1AS A29000.
Vende-se saia6 brancas com barras do cd-
resa2a00O.
CHITAS PAllA COBERTA A 280 BS.
Vende-se cbilas para cobertas, a 280 e
300 rs. o covado.
MEIilS PARA HOMERS A C9000 A DUZIA.
Vende-se meias cruas verdadeiras, para
hoinens, a 09000 a dnzia, a qutd vol
85000.
CHALES DELA A 800 RS.
Vende-se cbales de la, a 800 rs. cada
um.
CHITAS FINAS A 400 RS.
Vende-se cbitas fines de campo largo, fa-
zenda muito boa, a 400 rs. o covado.
CHALES DE MERINO' A -26000.
Vende-se ebafcs d*merino estampados, a
Cada machine
tos, com mslfUC55esem_portuguext_
A
d& BarSo da Viotoria n. 28.
A 30#000 e 30#OO0.
DOUS P0SP0NT0S
Nalojade Soares Leitelfmaos, a rua do Barao da
Victoria d. 28.
Latai de peflic* torn pequeno toque,' Espeibos demoldura dourada, de todos
i 200 rs \ os.tamanhos e precos.
Abotoaduras para collete, grand* softi-
oentb a 12% rs1.
Carxa de linha de roarca, a 200 rs.
Lafliparinas S gai, dando nrtrt luxnioito
?n, a 19000.
Dozia de pecas de cordio imperial, a
40 rs.
Caixa de botoes de osso para calca, a
00 rs.
Duzia de carreteis de linha, 200 jardas, a
00 rs.
Idem idem 60 Jardas, a 240 rs.
Maco Ae fita chineza, a 800 rs.
Caixa de liriha com 40 novellos, a 500 rs.
Mdos aderec/js conl Camateir, a'SOfr 'fa.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a 19000
Potes com dita ingloaat preta, a 100 e
100 re.
Caixa de perinas Ve&f, muito boas, a
t900F.
Idem idem, a 400 rs.
Catta a^'enTeiopb^'tartaddTJ.'A^O* '1*
Idem idem forrdos, a 700 rs.
C^depa^amisade, beira dourada,
Idem idem idem lisa, a 000 rs.
Duzia de talheres cabc brahco. R','1
aJOOO
Resttia de panel pauftdo,
Idem idem liso, a 29800, 39800 e 59000'.;
DSS^jjecai^de tf'lmftas de caWcdl
Idemfidemlisaa, a 300 rs.
Dilos de listras .a i59000 e 09000..
BRINS EM CORTES A 19^00
Vende-se ortes-de- brim de dorw e pardd,
a 19309, para liquidar.
COBEHTAS DE CHITA A ,*9000.
Vende-se cobertss de diita a l0O0 e
29090.
BRIM PAR/DO E DE CORES A 400 RS.
Vende-se brim pardo e de cores, para rou-
pa de homens e meninos, a-400 rs. o cow-
do, para liquidar.
COLXAS DE CORES A 29000.
Vende-seColxasde cores para eama, a*49,
e490(MK
TRANSPARENTE9 PARA CADEiRASA
19500.
Vendn-se-transpar 19500, para liquidar.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets de seda para homens, a
500 rs.
CHAPE08 A *9800.
Vende-se cbapeos de castor para rr eilinoe j te fosta queesU na porta, & rua da' Imperatriz
e bomens, a 29500 e 39000. n. T2. Bazir Nacioual.
GJMpI LIQUIDACAO DE ROIPA FEITA
\>nde-soceroulas de algodflo, a 1JJ000.
Itiias de linho, a 19600 0 29000.
Camisas de chitas fiMS, a 1*600.
Dllas de peito de cores, a 2a000,
Ditas brancas iinas, a 29000, 39000 e
49000. fc
Calyasde btim pa^do e de cores, a 29000
e 29500.
Dltos de casemira de cotes e preta, a 59,:
69, ?9 00 e 89060.
Pali tots de arpaeas d cores, a 39500.
Dilos prbtos, a 39000 e 39500. ,
Ditos de casemira de cores, a 49 e
69060. ,
Ditos *lrtos pretos, a 59000, 09900
89000.
Colletes de casemira de cores, a 29, 39
&90OO.
Camisas de flandla, de coti*j a 29000 e
29600.
AI/.ODAO A 49Q00.
Vonde-se i ipe^as de a^odaa, a 49, 59 e
69000.
CASEtffRA DE COR A 29500.
Varfd*sc case'fnn'a decrds, a 59500"'o
tovallb.
mt>AP(*\Qf A S^offr. '
Vende-se perns de 'niodjrpofto Hntestado.
8 39000.
Wto inglez, a i9500, 55, 69 e 79000 a
ffeca. '
BOmiNAS A 49900.
Vende -se 'bdtWas paWitoihoffl ^meninosj
a 49500, 59et89000.
Ditas Vfe enfiar, a 29600.
Sap'atds dfeWptte, ;a'4959b. '
Dilos de trarf$ayfrf9800e 29000.
URSkMANTE A fOOOO,
Veside-se bramante com 10 paknos
largura, para lencoes, a 19000 e 19500
metro. E outras miiitas fazondas propria
do mercado, que se vende sem reserve, de
prcco, para liquidar ate o box d > corrente,
anno, por isso con vein aos compradores sor-
tirem-se de faeetntes baratas, para a pjeseu-
"fozendas fiaas
Rua Primeir? de MsrQb ri. T A
E
Co*deiro Simoes^rC.
E* esttoma das c*sa que hoje poda canvpri-
mazia bfferecer aos eus rreguezee ura variapissi-
mtf'Sort!mento de farendas finas para irrtradfe toi-
lette, e'Mtu *im para uso orSirario de todas at
dattas, e por precos vantajosos, das quaes fax um
pequenp ieimo.
Mandam fazendas as rasas dos pretendentes,
para 0 que tem pessoal Dccessario, e dao anustras
m9*anteper*or.
Cartaa de sed* de liuda' cores.
Grosdenaples de tudas as cores.
Gorgurao brauca, liio.de listras, preto, ete.
Setim fcacao,' preto e de cores.
GrostfM&plee pnlo.
Velludo pre to.
Granadine de seda, preU e,de c6res.
Popelinas de lindos padrSes.
; Pllo de seda, branco e preto.
fticas' bajquian de and*.
Casaeot He merind de corei, la, etc.
Manias brasileiras.
("ones com cambraia branca com lindos borda-
d6s.
Wcaa eapella? e manias para noivas.
Hiquiisiiro sortimento de las com listras de
seda.
CambraJas de core?.
Ditas maripozas, branca.", lizas e bordadas.
rtamuques de lindos padrftef.
Baptistas, padroes deiicados.
Percalinas de quadro^, pretos e branco?, listras,
etc., etc.
Brins de linho de Cor, proprios para vestidos,
com barra e listras.
Ricos curies do vestido de linlio, com mfeites da
mesma cor, uhima moda. -.
irrio^ de cauibtaia de cures.
Fustao de lindas fores.
Saias.burdadas para senlioras.
Camisas bordadas para senhoras, de linho e al-
godao.
Sprtimenlo de luvas da verdadeira fabri:a de
JouVin, para homens e Sebhuiasl
Vesmarios para metiibus. .
Ditos para baptizadu.
Chapeus para dito.
Toalbas : gnardanapos adamarcados de linho de
cur, para me.-a. .
Gilchas de la.
Curtiuados txirdadu.-.
Grande sortimento de camisas de linho, lizas e
bordadas, para homens.
' Melas de cures para bomens, meninos e meni
fai
Dttas escoceza?.
Gompteto sortimento de cbapec? de sol para ho
ineus'u seulioras.
llerino''ile coTrs para vestidos.
Dilo preto, trancado e dito de verao.
Aloaltiade de Ihstio e atgodao para toalbas.
Aloathado pa do.
Damascu de la.
Brins de linho, branco de cores e preto.
Setim de lindas cores com listras.
Ghaie's'de merino de cores- e pretos.
Ditos de ea-eniira.
Drtos de seda preta e de cores.
DHos de touquiin.
Camisas de chita para homens.
' Dits de flanella.
Cereulas de- liabo e algodao.
' Pmnos'de crochet para sofa, cadeiras e conso-
le-?.
Lencos bordado? e de lalnrintho.
Golchas de crochet.
Tartatona de- todas as cores.
Hieos cortes de vestidos de tarlalana bordados
para fortes.
Espartilhos Ir-os, bordados.
Foulard de seda, liddas cores.
Maiasde peda para seuhoras e meninas.
Bicas facbas de seda e la para sehhoras.
Rico sortimento de leqties de madreperofes 1
osso.
Damaseo de seda.
Ricos chapeos e chapelinas para senhoras, ulti
rua moda.
Casemira preta e de cores.
Chitas, madapolao, panno lino preto e azul, col-
larinhos, punhos de linho e algodao, gravatas, lu
vat de fiu de Kseossia, tapetes de todas os tama
nhos, bolsas de viagem, peitos bordados pan bo-
mens, lencjs de linho branco ede cores, toaiaas,
gaardaBapos, etc., eic ____ _________
pre-
s completos de borracha proprios para
'se vendem meios aderccos muito bo-
cabc*fahcO, I'*.,
a 49000
PERftMARIAS E MIUDEZAS.
Fraseocom oleo Ora verdadeiro,
19XJ00.
Idem com tonico de Kemp, verdadeiro,
i|900.
Garraf a de ague florid a verdadoira a 19200
Garrafa d'afua.japoneza, a 19000.
Idem idem di vina, a 19000.
Ideal idem Magdalaaa (novidade) b
19200.
Caixa de pis para denies, a 200 rs.
Idem idem de p6s chines-, muito bom, a
500 rs. e 49000.
Piote com opiata de Rieger, Rimel e Gfos-:
nel, 19000.
Duzia de sabonetes de amende a, a
3?fl00.
Duzia dead)one*es deanjiaho tramparen-
'tts^ a S9l09t
Idem idem com Sdree, a 1-0699.
Sabanetas Glyeerino tralsparent, *
i>0oo.
aixa eem saaonetea, formato de fructas,
'ft (00BO--O'10090.
, Cosmeticos' graudes e pequenot, 1 lOOe
O0<* I
Frasco coniaguade colagne, a 200> 3ao^
500 rs. e 10000.
I*r**l nfthWiBos MMM mty
A' rua do Cabas* a: 1 A.
Os proprietarios da Predilecta, 00 iaUiito (U
conservar o bom conceito que teem merecido do
respeitavel publico, dl-tingmndo 0 sea csubeleci-
mentu dos mais quo negociam no mesmo geaero,
veem sciemificar aos sens boas (wgaaaaaaa ara-
veniram aos seus correspondentes nas diversas pax-
cas d*Europa para Ihes enviarem por todos os pa-
quotes os objecto: de luxo e bom gosto, que Mt-
Jam mais bem aeeitos pelas sociedades elegantes
daqnelle? paizes. visto aproximar se 0 tempo aa
festa, em qoe 0 bello sexo desta linda Vaneaa
mais ostenta a riqueza de suas toilleltes : e co-
mo ja recebessem peh* paqucte francez diverso
artigos da ultima moda, veem patentear algnas
d'entre elles que se tornaa mais recomotenaavais,
esperando do respeitavel publico a costumada
concurrenda.
Aderecos de tartarnga os mais lindos qne teem
vindo ao mercado.
Albuns com ricas capas de madreperola e da
velludo, sendo diversos tamanbos e baralos
cos
Aderec
lc.to,taml
altos.
Doiues de setim preto e de cores para ornato da
vestidos de sechora; tambem tem para collete e
palitot.
Bolsas para sebhoras, existe um bello sortimen
to de seda, de palha, de chagrim. etc., ete, par
barato preco.
Boaecas de todos os tamanhos, lanto de km.;a
como de cera, de borracha e de massa ; chama-
mos a attenjao das Exmas. Sras. para este artigo,
pois as vezes tornam-se as criancas am pouco ira-
pertinentes por falta de um obiecto que as en-
tretenham.
Camisas de linho lisis e com peitos bordados
para homem, vendem-sc por preco commode.
Ceronlai de linho c de algodao, de diversos pre-
cos.
Cafxioha* com mu-ica, 0 qne ha de mais lindo,
com disticos nas latiipas e proprios para presen-
ter
Coques os mais modernos c de Jiversos ftrma-
tos. e
Giapcospara senhora. Recebernm um sortimento
da ultima moda, tabto para seuhora, como para
meninas.
CapeHas simples e com veo para noivas.
Calcas bordadas para meninas.
Entremeios estampados e bordados, de bndos
desenhr,?. ,
Eicovas electricas para denies, tem a proprie
dade de cvitar a carie dos denies.
Franjas de seda pretas e de cores, exi.-te urn
grande sortimento de divcrcas larguras e barato
preco,
Fitas de sarja, de gorgurao, de setim e de cba-
malote, de diversas- largnras e bonitas cores.
Fachas de gorgurao muito lindas.
Flores artificiaes. A Predilecta prima em con-
sfervar sempre um bello e grande sortimento d%s-
tas Do es, nao so para enfeite dos cbellos, como
tambem para ornato de vestido de noivas.
' Gal6es de algodao, de la e de seda, brancos, pre-
tos ede diversas cores.
Gravatas de soda para homem e senhoras.
Lacos de cambraia e de seda do diversas cores
para senhora.
Li gas de seda de cores e brancas bordadas para
noiya.
Ltvros j>ara ouvir missa, com capas de madre-
perola, martim, 6s-o e velludo, ludo qne ha de
bom.
PeUtes de tartaruga e marfiui para ahsar 0$ ea-
belos ; teem tambem para tirar caspas.
Port bouquet. Um bello sortimento de madre-
perola, iiiarfun, osso e donrados por barato preco.
Perfumarias. Neste artigo esta a Predilecta bem
provida, n5o so em extractos, como em oleo? e
banhai* dos rnelhhres odercs, dos mais afamadi
fabricantes, Loubin, Plver, Sociedade Hygienic*.
GoBdray, Goauel e Himel ; sao indispensaveis paia
a festa.
Saias bordadas para senhora, por commode
preco.
Sapatinhos de la c de setim bordados .para bap-
tisados.
Tapetes. Recebeu a Predilecta um bonilo sorti-
mento de liversos tamanhos, tanto para sofa co-
mo para entrada do salas.
Vestimenlas para, baplisado 0 que ha de melhor
gosto e os mais modernos, recelieu a i*rcdilecta
vende.por barato preco, para dear ao alcaoce
qualqner bolsa.
Rua do Cabugd n. 1
Os proprietarios da CBAPHLI.BiWB iftiilD lMHi participam aos anwdores do
Leques de osso e sandalo, 29000, <
iliyc'Jil tJtr'I't -I..... j- 1,1*11
udode todas u coreselargo-.
,r 0reabBWi do* auwrea .
Me^ft, m\9 FreVea, ete.
com santds'e aHampas' sepftTa-
RH
at.
Micreacopios.com 12 vistas,|a 69000.
FYaaefrooMoleapai*
ImduoU '* man nLiirJua mn, iXrm
a oup is tier.t ofiMiii:,.. .
mi.

,(;
Mbefa^b&tiM riiispaI1t*t4-'
a4(ttrg.
A ClO
rdjBi, |U%<,'nr
Cassaji i>adroas noc
BvniadaO. mercado, ~
*3,loja,-*l'0Barr*'a|'FeHJaBatt,i
preco dacato'ri.4S!cofcada.*i.
Vende-se auperior fa/inrja'afsrariK tkntp em
visto aaa-qatlidaav^ dpmVM) rtoWaardintes W'-
fwes; rua *.Vtmrie n. Kt raa-do Amorim n-
68, e tiavMsa aa rua das Cruzes k 4, a 500 n. a
* .

YMmrW-
-SE
nma casa na villa de Barreiros, na rua do Com-
merdo, jw preju laaflaar a trtttr com Tasso I
Chftntiairha -.
Pojomard
Virits
Foraay.
Beanoe
Monlhelie
Dito Borderux em quartollas.
Vende-se jwr barato preco
PARA LIQUIDAQAO DE CONTAS
Bit* Larga do Rosnrlo 34.
ftotica.
que recetcramiim sortimento de guarhlc/des paYa" Costumes Vre^TmiiHtaSta, ^ar% oearaaval.
Assim comd esporam pelb prirhei^ Vapor uma igrande colIecrjSo'^flgOrSwos, ale'ra de
outros que )& so aCham no seu estabelecunOtrtO.
Escusado e diier natla ein qua'oW ao boih^gosto em costumes eftrwaVateScOS, pois
ja nos achamos bem acreditados pelas
BONITAS TOfLLETS
Chitas a 140 rs. o covado.
A 240 rs o covado.
A 240 rs. o covado.
So na rua Duque de Caxias n. 60 A, k>ja da
oaiaiaa.
que fiesta casa se tem feito nos annos anteriores.
- .....,-.-.. ....... 1
BaratissiiHo
rLanzmbaa.. com listras estampadas pelo diminuto
eca OrWO rs. tycovado.
Ditas com listras assetinadas a 14000 o co-
vado.
Gmttaftttaii'prWaS'Wrrinstfas e-'e6Ws'a 800 HI
oeo^riOel -
Mattes Wancados proprios par* vostido, a 310 rs
2*00 compra-se' ^^^^^ros..P^v.p^'^fl^'*.
VaiOr de Sfip^Uh \ B^ranca,TO^riWHa'r*rJin.
0 Memorial PstmmbMMo pdta 1874 0toJiaB^te**aaar',a--vear- ..- .
custa apenas 2900(r, I D *>. ^ #>^ > ra-
Cora este dimiButo-procti dts^eaea-se :
S Oijit. tto do uma MJn*a(:,
1 HOOOleusfO de otna Taboa to Casteis- rtbre"
antescaixmhascomperfumao aWouti ..,-..
11000 custo d* uralivro ek branco para asefen-
custo de uma Taboa' de
i sob
re
^Iffe-'de um Wgttlamento "di) selfd:
C Memorwi Pernarabueaarj, er\-e
Pi^.o,corMari* j._
JaS'ft^lla.fflO'-iaiir
sob e Europa e Estados Unidosi
iteguliraaatodbearreh).
raniaa Jhkiasv; ijyr
hoi jrarioS. vfibci
'Ws. rkiifHIIh, eWf.
4 ara os bomens de lettras
J ;.tr ;-------aiuiil a.bw: :
W* I
.ioi(>UV
TTT7------
>1>L'D
eemoeki
Cfcape-os'WMffttJ sW*. ctWft'caaBr, a^dW *
eaaa mb, Isto Ja* ?**.' 20 dM, as Gnifr,
ftflja dds 3cgart1ls. U Gujlbegmei4^ C-1
wtm-tt.tiKtmr-
JORNAL DAS FAMILIAS
Asslgnatura-1874
134000
Entrega-se 0 numero de Janeiro.
L1VRARIA PKAKCEZA.
GA2ETA JURIBICA
Assignatura-1074
24*000
Vende-se a colleccao de 1873 por 16*000.
LIVRARIA FHACEZA.
Crfceou 0 verdadeiro de Portland; barricas
es de 400 kilos : no armazem de Tasso Ir
& C. caes do Apollo.
Chapeos de sol a 78000
Corn 12 astes e boa seda, e cabbs de madeira.
E-'- awrtb-bartrto >.' na rna da Iraperatrh n. 66, loja
da Rbsa Branca.
VGrJtMlffioa^&festaoe alj>aca
para meninos.
Bicaajwae infeitados e precas baraha, ma*ttrs
aa Imperatriz n. 56 loja
aas casas ; a rua
Polios de esguiao bo
A'lfJBOO
so na rua da Imperatriz n. 56, loja da Rosa
Caraaval
'lfaahldas para eathw hmas dagnaeba, iv#>sos tamanhos e feitioi, enchendo mil Jhb
05
s^sk^^i rri^!de^*f^B)nwfeaarTft Hmas
'baaeam grataWaa aanasj. iSOrraClia para ImiaB
Pfc de ferro partO^Malsqvoo am iol> 1 -.1 I, in
aaj RaJroifl|ra jatdan, graaaes e aaqua;
b:
*.l
Vende-se ou perm ota-se por dslftraVfa^lal
as> B0rl*faWa de novo, tendo du*s/ll* *
tMr qdatuMi co gaWbete, ftra #$*-
ca imna com be*-ago? OdbobOr tftkHtifa 0-
> fee I'diWrMMiO ; fin'alta^'TOrrb^-'a^alllj
ne ta typogfraphift. M uoai Vt
fe&aDar'l-----Z
. Ricos cbapwii para sentwra so na rua Dnqne
de Gaxias n. 60 A loja da esquina.
Vende-se um muUtinho de 18 annos do ida-
no
til. mciOHtip ,aia a oyoujtt'.! n
Aoiv e&ye& ^ecfieoe
mk-y
aaa1aeilM|>taateia'ja dla
ros : na pbarmacia americana de Ferreir
_L_
i
muito commodo preen exce lentes
I .- V
a para limas
va ersuperlot quiud^ teWtfca
?A.inen k L
Larga da ftosari
asDar^fa^eriffflrBB'
Tem sido aprcsenlada aa pobtko
Durante o espa^o
DE
4 0 ANNOS.
Siia^SA^JlLUalLltA
DE
RBISTOL
CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS
A SAFSAPARRILftA DE RRISTOL puri
Qca a massa do sangue, expelle para fort
todas 88 materias e fetes viciosas e impuras,
regula todas as secreodes, d& vitalida energia a todos os orgaos e d gor ao aystema afiin de poder melbor resrs-
Q'r a todos "os ataquefs da enfermidade. E'
pois este um reraadtO constitutional. Ei!e
QDBca distroe afim de poder curar; porem
coastantamente assiste a mttureza. Portanto
e: fodas'fts doenjaS cr>rwti *1Ifl* las nioleslias loeah deptmlehte "tji ta-
lAd6 vicioso eimperfeito do systerna em gt-
rdl, achar-se-ha que a Salsapahrilax vi
kBRisTOL e" um remedib saguro e efflcassissi-
rttb, possuindo inestimaveis e incontestaveic
'irfliudes.
As curas milagrosas-de
BMerofulas,
Uceras,
Chagaa aati^a m,
ENFERMlDAfeS SVPH1IA,li AS
ERYSIPELAS,
RHEUMAIWHO*
NEVWWIAS.
.h;V;-E16.< ET<*tf,TC,
qne taararapgeado e daoVo alto renome
a%lse^ft'iTilrW de Bristol
as partes dotrdherso, slo tio so-
c'okfcriiAL
ph aratA3Ar ^rJTJR ai
l^a^^al'afazet littf^
Venae*
Brihfo^uiC.
----------------------~--------------~:I--------------------------------------------------

J
terrenoa
segoinies Ingares : 04 Torre; a m
Capibanbe e iierlo da estacao do carnlnho de fer-
ne!;'rja e; Mm*'da esiafSh do wtrmtiho de ferro, na estrada
r,,'tfa de Betwrlbe; tambem perto da estecao : a
^^TiMlW^^M rltlg^jf j dero^ ,0i> ***** na rM "***'* ^^
fra i Umbera WflaVaS tinft'BWta Mm Aaaypt>7ru ... ,. ...________., .:.. ..
ppTf.-'iia enpommadfira a >.-...----^..^ ^- | j- v^..tjfafa^||>|^^u^jjjp.]iyfr^
achaqnes ; o m..tivo d veada se dira ao
prador : na rua de Ilorlas n. 110.
com
iffina
(Atfta^nia da Roda, e a I
tra-
ATTENCAO.
VeJaij-seo armawm de molhad'S. snqa.iWi|'dSjt -
de Santo' Amam n 8, bem atregueSarlo, tamo pftW :
a'praca como para o malo, para liquidar-se com OS
credores : a tralar no memo.
Por commodo preco.
Vend* so uma tasa de taipa com nm terreno
ao bait,'.Corn 60 iialmos de frente e 300 de fundo,
com arguus pes de coqueiros novos, foreiro, sito
no Barro: para tratar na rua Imperial n. SOT.
Nabbco 4 d vodaa fiWas aaa*a*
^ul par* ttetir At prtas. tateitoa,
se conhece d> mais uul e cominodt. oao. so
ftn* mm e rri'cef^ paat-aliaWoraaa-
ia n. *
\EM)E- K
Vende se a loja de calcadoa, sU a rua Pifflita
a. 9, propria para principiante : a tratar na mas-
*!______________________I______U.--------
Vende-se
uma uvema sita no MooWro, am poaeoa to-
dos, prdprla ifcra pnnctpianie; trattr aareaaa-
9% do Menteiro.
Cll riaaaaaaaaaaaaaaSS.
I1EHKL )



8
Diario; S
u
0 pret:ndkntet:uborne. -o j..i
garaenti ate ao dia 11 de dezembro 139 an linn
cias; em consequcnci* das fastis 1 > Natal
a requan'iiento do presidents Jo jtirjc have
rfi uma suspensio do dia 19 a 2i do cor
rente mez.
Suscftou-se urn incilontu qua interrnm
peu a allegagao do Dr. Kenoaly, advogado
do reo.
A testemunha mais importante da defeza
tot Joio Luio, quo sh disse Jinamarquez e
dispeuseiro do navio Osprey, o depoz : pie
om abril da 185i esta einbarcagfio salvou
ua costa do Brasil Rogero Tichborne e alguns
tripolautes do Bella, que vinha do Rio de
Janeiro e havia naufragado naquellas pa
ragens.
Joao Luie allirmou : que esteve no Br.isil
em 1853, em Mebourne eai I860. 0 que
estabelecera uma taeerna em New que on junho viora a Inglaterra da Belgica
i procure de sua raulher, que era bolga,
chegan-lo a I.on Ires no dia S de julho.
Os a mi sos do prelcndent", quo nao per-
den occasiao de dar celebridale ao seu
protogido, e de Iho procurarom moios de
receita, expozeram a" venda o relrato de
Joao Luio, exalian Io os sous services. Nao
obstatitc a physiono-iiia cstar urn pouro con-
trafeita lalvez por trejoitos que J080 Luie
fazia do propos'lo para nao ser reconheci !o,
houve pessoas que o reconheceram logo
como urn grin le trapaceiro, que ba 20
anuos vivia de fraudes, sen Io muito eonhe-
cido da policia, hospoJe habitual das pri-
sOes.
0 seu verdadeiro nome e Joao Lundgren,
natural de Puthemburgo na Suecia. Por
vezes mudou de nome chamaado-se Sarron
son, Sofsruug, Loadgabe e Stronm.
Em 25 do raarco 1I0 1873 sahio com li-
cenca da prisfio do Chattam, para ondeen-
trou em 1858 conde-auado por furto a 7
annos de traballios forgados, faltando-lhe
18 mezes para cumprir a pena. Quatro
dias depois, no dia 29, apresentou-se no
escriptorio de Hoff'oan & C, de Londres
com o uomede Sorrenson, ilizendo-so capi-
tao de urn navio, procurando obter dinheiro
com falsas garantias.
Mr. Hawkins requereu que se verificasse
a iden .dale de Joao Luie, e que se per-
guntassem testemunhas sobre ella.
0 tribunal ordenou a prisao de J0S0 L-jie.
com as fiangas quo jd rcferimos, uma pas-
soal de 300 libras, e duas do 250 libras
cada uma ; e nao podendo o preso prestar
senfio uma, foi recolliido a" cadeia de Hal-
loway.
Foram inquiridas 45 teiteraunhas sobre
a identida.de ie Joao Luie nos dias 8, 9,
10 e 11 de dezembro.
fres guardas, quatro empregados e 0
raeslre escola da prisao de Chattam reconbe-
ceram Joao Luie como o preso Lundgren,
que foi condemnadn a 7 annos dc trabalhos
forgados e qoe sahio em 25 de marco de
1873, por lhe ter sido dispensado o tempo
que lhe faltava para cumprir a pena ,pelo
seu bom comportamenlo, e sendo-lhes apre-
sentada a photograpbia do dito preso feita
ua prisao, confirmaram serdosupposto Joao
Luie, que estava presente.
J. Nicolao, policia civil de Bristol, disse :
que em 1862 prendeu Lund ren por ter
furtado uma carta com 248 libras, sendo
por isso condemnado a 3 annos de prisao ; e
depois 0 prendeu tambem por um furto de
20 libras, que fez ao consul da lialia, sendo
por isso condemnado a 7 de annos de fraba-
lhos forgados; que Lundgren ea mesma
pessoa que se diz Joan Luie, que e casado
com uma m dher quo ha muito nao vivo
com ede, e que se etiama Mistress Hawkins,
mas nujo nome de familia e Sara Cokburn.
A comciJen. ia de ter a mulher de Luie o
uiesmo no.no do advngado da accusagfio
produzio graude hiiaridade no auditorio.
Dep-'zeram testemunhas que conheceram
Joao Luie em 185j ao servico da casa de
Gibson & C de Bristol, coin 0 nome de
Lundgren. Outras affirmaram ter conheci-
do o mesm < Joao Luie com 0 nome de Sofs-
iroug, e do Landgabe em Cardiff, no anno
Jo 1856 para 1857, era Newcastle intitulan-
do-se cajitao de um navio denominado
fzabel, eem Hull de 1853 a 1854 com 0
nome do Carlos Lundgren.
H Windsor, e Groom disseram : que co-
nheceram JoSo Luie em Londres com 0 no-
me de Str.wm, diznio-se capitao ou* nesta qualidade pretendeu obter frau-
duleotamente 25 libras da casa Windsor &
C, a quem servia.
F. Palmer, director SAO,r7Um anieriGaao chi-
demnaJos, apr-rseotou o registro dos presos, ropedista, morador em Broadway, publicoy
e os si^naes 0 a photograpbia de Lundgren, um reclamo em varies periodicos, engran-
quo cinheceu ser X-*o Luio. { decendo os sous rirttritos. e ao mesmo tera-
J. Crant4>j), gaac U .1* prisao leCfeattiaa* pf gabando-se de ter tido a honra de tirar
disse: qua e "'lOi'rMga.lo de exam na'r os os callos a muiiat teshu coroadat da Eu-
presos quo eoir-m, e deu por isso os sig- ropa.
uaes 'le !.un l os ileloi minim w das co-o porfeitamerrte na pessoa de Jo50 Luie. mentos, 0 homera nio deria tornar a faxer
Joao Luie mo-trou as m5os a9 tribunal, uso da profissao, senlo quando volvesse a
A tesiemuuha examinou os dedos, e disse usar de sua sciencia quando alguma testa
que aprosentavam a mesma curvatura quo coroada sa achasse atormentada com 0 mal
tinha notado. que 0 bello americano 6 perito em debol-
Sara Lundgren, disse : que era de Cardiff lar. Isto importava mudanoa da taboleta,
0 rosidia em Bristol e era casaia corn Carlos portim, tudo se p6de arranjar, e j4 diz ha
Pedro L1111 l0'ron, natural de Guttemburgo, ba muitos annos 0 rifao, de que muitas
m Suocia ; que conheceu seu marido em TeKesesta" n'nma parte 0 ramo, 0 vinho
1854 em Cardiff, e casou com elle em 3 de se vende n'outra.
abril de 1855 ; que seu marido esteve'
preso divers as veze.s; que a ultima vez que! CARICATLRA. Os catholicos allemaes
sahio da prisao Qcou com ella cinco sema- Jempregam actualmente contra Bismark a
nas, depois partio para Liverpool e ella foi armada caricatura. Lltimaraente appare-
para c sa de seu pai.
I ceu uma em que se via assente sobre um
Sen lo-lhe perguntado se seu marido esta-,inuro uma igroja e presa & ella grossas
va prosente, a testemunha mostrou J0S0 cordas, pdas quaes 0 grande chancellor
Luie. Pergunta la tambem se seu marido puchava com tolas as suas foroas atim de
tinha algum defeito nos dedos, respondeu ver se a demolia. No fundo, 0 diabo
que sin, e que sugun do elle.QcVa assimjolhava p.ra esses esforgos, eiclara-ndoi
aleijaJo em um uaufragio. Mas que esti vocemece ahi a fa-
Tres testemunhas de Liverpool, em vista jzer?
dos registros e dos livros corapetentes, des-
nentiram a assergao de J"So Luie, que che-
gara a Lirerpo 1 em 29 do maio, vindo de
Montreal a horlo !o navio Cireassiano.
0 Dr. Byron, oiolico da prisao de Chat-
tam, examin >u 0 enrpo de Joao Luie, ob-
servou ter este os dodos minirnos das duas
n5os enosrvados, e reconheceu pelos sig-
rcgistros, ser 0 preso
naes quo constam dos
Lundgren.
I) presidente pergnntou ao advogado do
reo so tinha alguma cousa a requerer.
0 Or. Kenealy rospon leu : que de ace rdo
com os seus collegas encarregados da defeza
resolveu n3o alljgar nada sobre este in-
cidente.
0 t'ibunal j'llgou JoSo Luie ou Lund-
gren in licindo como perjnro. Mr. Gray,
solicitador da corda, declarou que era parte
na accusar;ao.
0 Dr. Kenealy continiia a sua allegagSo.
A discussao destn causa tem sido a mais
tempestuosa de que ha memor a em Ingla-
terra. SSo frequentos as interrupgoes e as
advertencias feitas pelos juizes ao advogado
do reb.
Na andiencia do dia 10 do dezembro 0
Dr. Kenealy fazia longas e impertinentes
instaucias as testemunhas que depunham
sobre a identHade d^ Joao Luie, pretenden-
do que os dopoimentos lhe tinham sido sug-
geridos pelos procuralores da accusagio,
que Ihes haviam mostrado documentos e
photographias, que depois vieram ao tri-
bunal.
0 prnsidente observou ao advogado que pe\o vulcSo, dando isto lugar a formar-se
na Cordilheira um iiomenso Iagt>, 0 qual de
elle argumentava com menos exactidao e
com pura perda de tempo.
0 Dr. Kenealy, mostrando-se muito es-
candalisado, arguio o presidente de 0 ter
insultado muitas rexes' nesta causa.
0 presidente, com a.dignidade propria de
um magistrado inglez, repellio a censurt e
lembrou ao advogado o respeito que devia
d justica, exclamando!: que havia um longo
espago de annos que exerciaa m8gistratura,
0 era a primoira vcz ue do banco dos ad-
vogad'S se Iho tinham dirigido expressoes
tSo inconvenientes.
0 juiz Lush lembrou ao Dr. Kenealv, que
tendo elle tautas v ze:; citado cxemplos de
Berryer, se esquecosse do que diz este illus-
tro advogade : que muito'concorre para a
justica 0 accordo da
l-atura.
boa administracSo da
advocacia e da magist
UM COMETA.E'
fessor d'astronemia eta
annnuni'ia dos. vez n io
Bern miis prejinbulos
to, porem,* diz que
um immenso cometa,
nosso planeta & pont
elle gosto em nos fa
nuito chegadinho a n(Ss.
fazer Deus
Sr. Newraarter pro-
Melbourne, quem
0 um do mundo
Isomo outrostera fei-
jm 1874 appareeeri
se approximard do
de se aBgurar ter
er um cumprimento
Methor o ha de
adoptaram. Esses ad
tro templo. a que po
pella evangelic...
neophitos croscido m
snno igreja de mais y astas proponjdes.
FOLHETIM.
LUCSSCIA SQUIA
MEM0R1AS OE SfflWIlZ
POR
D. ManoelFernaadcBy Gonzalez
SEGUNDA PARTE
SAVONAROLA.
Procuro demolir a igrejarespondia
Bismark.
E quantos annos julga que lhe levari
isso? *
Tros ou quatro.
Sim? Ua 1800 anuos que eu len-
to a mesma cousa e nada pude ain la conse-
guir, mas se vocemece levar tal cousa & effei-
to em tres ou quatro annos, darei a minaa
demissao em 'sou favor.
UM NOVO VULCAO NO CHILE.-Por
uma cominuuicarao do Dr. R. A. Philippe
de Santiago, ao Dr. Petormann, consta ter-
se reconheci Jo a existencia de um novo vul-
cao na Araucania a E. de Mulchen, proxi-
mo aos vulcbas Villarica e Llaima. Cham-
mam-lhe uns Llogel, outros Lhagnell, e om
junho de 1872 fez explosao lan<;ando grande
quantidade deareia.
Segundo unaa communicacao do Sr. Maza
de Angol, 0 districto li-nitado ao sul polo
rio Contiq ( ou Imperial), desembocando no
Pacifico ao N. de Valdivia, e que se esten-
de ate a faxa'que separa os indios superio-
res do sul (arribanos) dos inferiores (aba-
jinos) estdcoberto por uma coosideravel es-
pessura d'esta areia, 0 que obrigou os tur-
bulentos indios do Kaziken Quilapan que
ahi demoravam, a passarem para a margem
norte do Can tin, afim de encentrar pasto
para 0 seu gado. 0 rio Quepe, confluente
meridional do rio Cantin, acha-se agora con>-
pletamente secco por estar o seu leito obs-
truido por uma corrente de lava vomitada
msistardeou maiscedo produzir^uma inun-
dacSo.
Muitos indios foram victimas da erupcao,
mas os sobreviventes encontraram bastante
de que se alimontassem, por isso que no lei-
to do rio que ticou a secco colheram facil-
mente grande quantidade de peixe.
Por algum tempo depois. da erupcSio 0
solo nas visinbagas do vulcab tremeu, e as
suas commogoes causaram espantosos desa-
bamentos na montanha.
0 nome d'este vulcao era atS agora in-
teiramente desconhecido, nSo se encontran-
do nem mesmo no excellente Diccionario
geograpkico da republica de Chile por Asta-
buruaga.
JUR1SPRUDENCIA.
R.Islo n5o nos podia levar alom de 29
de sutubro.
Presidente, Escrivio, queira fazer a lei-
tura do protocollo da capitula^do.
( 0 aattrivio leu 0 protocollo da capitula-
P.As. negociajoes oflictaes comojaram a
36 de outubro, isto e, no principin do con-
selho de guerra, que tovo lugar no castello
de Frescati: escrivSo queira fazer a leitura
da acta d'esse conselho. \\ *]
[ 0 escrivSo leu.)
P.N4o pensais que essa acti correspon-
dia as prescrip^des do artigo 259* do regu-
laraento ?
R. Julg lei que aquella redacgab era suf
ticieute.
Presidente.A convonjSo de 27 a* noite,
foi retificida no dia 28 Jo outubro, em uma
conforencia i qual assistiram todos os gene-
raes commandantes dos corpos do exercito :
escrivao fazei a leitura da acia d'essa confo-
rencia.
(Seguio-se a leitura.)
P.A 21 de outubro tinheis recebidodo
principe Fredarico Carlos a oarta, que 0 es-
erivao vai ler:
Quartel-general em frente de Metz, 24
de outubro do 1870.
Tenho a honra de enviar a V. Esc. co-
pia de um teiegraraioa chegado ajmeia noite,
e que 6 do theor seguinte ;
>< Sua alteza 0 priucipe Frederico Carlos
pira 0 m irecbal Bazaine.
0 general Boyer deseja que vos co*n
muntque 0 seguinte tolegrammi:
A imperatriz, que vi, fara" os maiores
esfor^os a favor do exercito de Me objecto d 1 sua profunila solicitude, e das
uas constantes preoccupacOes. Devo com-
tudo fazer-vos observar, senhor >narechal,
que ilesde a minaa entrevis'a com 0 gene-
ral Boyer, nenhuma das garantias que eu
lhe tinha designado como indispensavcis,
antes do entrar em negociaQoes com a re-
gencia imperial, se relisou, e que nao es
tando on; modo algum seguro o futuro da
causa do imperador, om cousoquoncia attitude da nacio e do- exercito francez, e
impossivel ao rei prestar se a negocia^bes,
cujos resultados sua magestade teria que
faz.r ace ha r & naeao frwiceza.
As propostas que nos chegam de Lon-
dres, sab, m situaQio aetud, completamente
inaceitaveis, e declaro. com grande senti-
mento meu, que jd n&o antevejo nenhuma
probabilidade de chegar a um resultedo
por meio de negociacbes- pohticas.Bis-
mark.
n Tenho a honra deserretc. (assignado)
Frederico Carrloe.
P.NaXv destes conbeeimeuto do oon-
teudo d'esta oarta aos vossos lugares te-
nentes?
R. Reuni os immediatamente.
R.Havieimandado logo ao quartel ge-
dia a dia adquire maiores dimensbes, e que neral do priucipe Frederico Carlos 0 general
dicava que se acabavam de descobrir vive- jpopalacao de Metz?
respara tros ou quatro dias ? J R.Tudo isso so fez era sentido eon-
aQra de que
lhe restava a
trario das commumcacoes,
eada um sentisse hem 0 que
fazer.
P.Nio Havieis, a 26 de outubro re-
cebido do intendente feral a noticia de
que existiam viveros para trel ou quatro
dias?
R.Isso levuva-nos s6 ate 29.
Presidente Escriv.io fazai a leitura do
protocollo de 28 de outubro.
Escrivao.
francez, rfsordens
de
Artigo 1." 0 e
TFMPLO DOS REFORMADORES.i'.on-
c um templo protes-
Grande-Armie [ em
r, por varios indivi-
cluio-se a edifica(,-ao 1
tante, na avenida da
Paris), mandado erig
duns perteiicentes i r^liglao reformada, que
iutos possuiarajd ou-
leram o nyme de ca-
Mas tendo 0 numero dos
lilo, tornara-se ueces-
Helatorio
A RESPEITO DO NEGOCIO DO JURECHAL BAZAISE
EX-COMMANDANTE EM CBEPE DO EXERCITO
DO RHENO.
TERCEIRA PARTE.
GAPITULAQAO ( DE 7 A 29 DE OUTUBRO )
CAPITULO VIL
AU01ENCU DE 18 DE OUTUBRO.
(Continuacdo)
R.Sim, senhor presidente, mas reco-
nheci que isso era impraticavel.
P.Nfio havieis deixado publicar as no-
ticias de natureza a perturbar a. moral do
exercito ?
R.Nfio, senhor j nio deixoi publicar se-
nao as noticias, que faziam conhecer o que
nos restava a fazer.
p.A 26, nfio havieis recebido do inten-
dente em chefe um despacho no- qual se in-
Aquella gentearrr.sda, senhora da pra-
contra Savonarola i
de Salviati,
Ghangarnier, com a raissfio de apresentar
oondigbes, quo nfio foram aewtas ?
RSim, senhor presidente;
i\Havieis entfio encarregado o gene-
ral de Cissey de se dirigir junto do chefe
do estado maior do exercito- prussiano,. afim
de tomar cpnheoimento das condigbes que o
inimigo entendia impor-vos-?
R.Sim, senhor presidente.
P.Nio havieis guardalo,o protoeollo
sum ma rio eutrogue pelo general de Setie-
hle ? As condigbes eram as que ja tinha
feito apresentar Mr. de Bismark por occa-
,sifio da sua entrevista com o general Boyer ?
[Usperaveis que o exercito seria tratado com
:a mesma dureza, com que o foi o exercito
que tinha capitulado em Sedan?
R.Nfio o esperava.
P.QuanJotivestespeiaprimeira.vez co-
nheciraento das terriveis intengoes do inimi-
go, perguntastes se uma tentative de sa-
iuda geral podia ser de alguma utilidade
em presenga das crueis condigoes que vos
eram impostas?
R.Sim,, senhor presidente.Reuni em
conferencia os commandantes de corpos do.
exercito. e os chefes de servigo, a apresentoir
lhes a quests >, mas decidio-se que qualquer
tentativa d'aquella natureza se havia torna-
do impossivel; alcm d'isso o mao tempo op-
punha-se completamente.
P.Havieis, n'aquelles ulimos dias, feito
circular noticias que podiara demonstrar a
moral do exercito?
Nfio, pelo contrario, fk quanto me era
possivel para que o exercito Gzesse o seude-
ver ate o iiiu.
p.Nao Qzestes aos jornaes coramu-
nicagbes que podiam perturbar "a moral d*
XIV
A PROVA DO F0G0.
(ConUnuagio do n. 1*.)
Passaram a dous e dous, e, apenas se
,*nfundiram com a multidao. esta acom-
panhou o cantico dos rebgtosos de modo
que parecia que todos eram a seu fovor.
A multidao era extraordinary; parecia
que toda a cidade se havia reuoido na pra-
ga e nos edificios circumvizinhos. As ja-
nellas, os terragos, as columnas e is esta-
tuas estavam apiuhados de espectadores.
A Loggia ou edificio de Langi, tinha fi
porta ou tablado dividido em duas partes
na opposta ao palacio estavam os franscis-
canos; na outra, no meio da qual havia um
pequeoo altar, viara-se os domimcos. Col-
locado no altar o Sautissimo Sacramento
por Savonarola, frei Dominico ajoelhou
diante delfo e poz-se a orar profundamente,
A' roda delle esUvam silenciosos os seus
companheiros.
Diante da Loggia havia uma guarda de
trexeatos infantes, a"s ordens de Marcucio
Salviati, gente brava e amiga, como o sen
capitao, do coovento de S. Marcos. Porem
debaixo do tecto dos Pisanos havia qui-
nhent'*homeas dosr.hama dos Compagnacci,
mandados por AdVdpho Spini. e tutros
quinhntos infantes da senhoria, comman
dados por Giovachino de la v'ecchia, for
ma ram diante do palacio. Alem d sso, as
entralaa das ruts qua dWrabocavam na
praca, estavam gu; numero desoldados.
ga, estava prt-parada
excepgao de trezenU s horaens
promptos para sua defeza.
Savonarola mostrlva-se sereno e olhava
para o catafalco que cobria a fogueira, si-
tuado no centro da praga.
Aquelle catafalco media quarenta braces
de comprimento, ci ico de largura e duas
e meia de altura. Por baixo delle estavam
empilhados madeiros por entre os quaes se
interpunham matertas re*inosas, deixando
no meio uma pa^sagem livre para os dous
campebe Nfio tallava senfioj que uaquella passagem
penetra-sem frei Dclminico de Pescnia e frei
Giulinn.i llotidine!li, e se pozesse fogo i
fogueira. '** *\
Ate en^o. Savonirola havia contempori-
sado e intentado qbe a prova nfio fosse le-
ncez,
do marectial Bazaine, sera" prisioneiro
guerra.
a Art. 2 A fortaleza e a cidade de Metz,
com todos os fortes, material do guerra,
provisbes do toda a especie, e tudo quan-
to fdr propriedale do estado, serao entregues
ao exercito prussiano no estado em que tudo
se acuar no acto da a.-signatura d'esta con-
vengfio, sabbado, 29 de outubro, ao meio
dia, os fortes de S. Quiutino, Plappeville,
Saint-Julieii, Quenlen, Saint-Privat, assim
como a porta Mozelle (estrada de Stras-*
burgo), serao entregues as tropas prussia-
nas. As 1 > horas da raanhfi d'esse mesmo
dia, ollkiaes de artilheria e de engeubei-
ros, com alguns |ofliciaes inferiores, serao
addimittidos nos ditos fortes para occupor
os paibes da polvora, e para descarregar as
minas.
Art. 3r\ ar.nas, assim co o.todoo
material Jo exercito, consistindo em ban-
deiras, aguiaa, peg as de artilheria, metra-
Ihadoras, cavallos, caixas de guerra, equi-
pagens do exercito, raunigbes, etc., ficarfio
em Metz e nos fortes, a cargo de commis-
sbes militares, creadas pelo marechal Ba
zaine, para serom entregues iminediataraen-
to aos commissarios prussianos. As tropas,
sem armas, serac conduzidas em forma, se-
gundo os seus regimeotos ou corpos, e om
or Jem militar, aos lugares que forem indi-
calos para cada corpo. Os officiaes depois
voltarfio livremente ao interior do carapo
entrincheirado ou a Metz, com a coudigfio
dose obrigarem, sob' palavra de honra, a
nfio sahirem da praga sem licenga do com-
inamJantc prussiauo; As-tropas serao col-
duzidas pelos seus otliciaes inferiores aos
pontos de bivac. Os soldados conservarao
os seus bornaes. os seus effeitos particuiares,
e os seus artigos de aoampamento ( barracas,
coberturas, maruiitas, etc.).
a Art. 4 Todos os generaes e officiaes,
assin> como os empregados militares, -jue
tenbam graduagao de affinal, que se obri-
garenj- pela sua palavra de honra por escrip-
to a nao pegaren> em armas contra a Alle-
manlin, e a nfio procederem de maneira al-
guma contra os seus intoresses ate ao fna da
gu-rra actual, nfio ticarao prisioneiros de
guerra*;. os officiaes e empregados que acei-
tarena esta condigfio,. conservarao as suas
arraas>.e os objectos que pessoalaiente lhes
pertencerem.
(Seguem-se as ineJidas tomadas para- as-
seguraros servigos da cidade da Metz.)
P. As negociagbes officiaes de'esta eapi-
tulagao comegaram era 26 de outubro ; foi
condbizida pelo generel Jarras, em uma
conferencia que teve lug-ir em Frescati en-
tre aquelle official general e o-general Stie-
hle. Esta negoeiagfio tinha sido precedida
de uana reuniao dos commandantes do 2,
3*, ** e 6 corpos, do commandante em
chefo da guarda imperial, do general eom-
manianto de artilheria do exercito e do
comooaudante da praga do Metz, os quaes
tiveram todos- de dar a sua opiniao a res-
peito da situa^fio. Pensais, senhor mare-
chat, que, pe.o que diz respeito & praga de
Metz, aquella conferencia militar tinha suf-
fieieiitcmente- observado as prescripgbos do
arijgo 259 do regulameoto relativo-fe pra-
gas de guerm ? Nfio tinheis reunido o con-
selho de defeza, e nao havieis redigido nen-
hum acto sobre o estido da praga ?
R.Cousiderava como sufficiente a acta
da conferencia.
P.Todavia, nfio podeis ignorar que nfio
foi sem razfio da mais alta gravi-dade que
se dietaram as prescripebes tfio miuueiosas
do regulamento sobre as pragas de guerra,
e que weis obrigado A sua observancia ri-
gorosa?
R.Em presenga de uma determinagfio
to mad a na conferencia em que tinham to-
rnado parte tantos officiaes da uma gradua-
gao. tfio elevada, e de uma tfio alta sig-
nifkagfio, acred io poder passar al^m, e nfio
imaginava quo depois se suscitassem todas
estas questbes- de detalhe.
P.A convengao de 3? de outubro foi
ratificada por vbs a 28.
(Seguio-se a leitura da convengao da
vada a effeito.
0* fraociscanos,
n'a solicitado com
pelo contrario, tinham-
repetilas provocacbes;
mas, em frente da fogueira, trocaram-se os
aniraos. .
Savonarola, excitado pela espectativa da
multidao," pelo cantico solemne dos seus
religiosos, pelo enthusiasmo Terdadeiramen-
te sublime de frei Dominieo, que, 4epois
de ter orado fervorosamente, estava impa-
ciente por se langar na fogueira, e pela ver-
tigem do seu proprio enthusiasmo supersti-
cioso, persuadia-se cada vez mais de que o
Senhor aoxiliava o seu discipulo. e por isso
desejava remover todo ""e qu-lquer obsta-
eulo.
Todavia, nem Francisco de Puglia, .qua
havia provocado a prova, nem Giuliano
Rondinelli, que duvia sustenta-la, tinham
apparecido na Loggia, pennanecendo en-
tretanto era conversagao st-creta com a se-
nboria.
Us membro da senhor ia, em vez de sa
apresentarem para assistir a um ae.to tfio
siderane, que d via t*r lugar immediata-
mente, discutiam s-m essir ficerca delle.
Pareciam nfio saber como decidirem-se na-.
quella situagao cxtrema.
A impudencia chegou a tanto que, nfio
se tendo apresentado GiulUano Rondinelli
para sustentar a prova, a seoboria mandou
perguntar a Savonarola a razfio porque se
c&o dava principio ao acto.
Ao ouvir isto, frei Dominico enfureceu-
se e Savonarola respondeu que nfio era jd
tempo de delagbes; que apparecesse Giulia-
no Randinelli e que se nfio desie lugar A
uma irritagao do povo.
Entfio os franciscanos, intitulando se en-
ganados, comegaram a allegar mil pretex-
tos. Primeiro, por meio de Pietro de
Alherti, inimigo capital de Savonarola, fize-
ramdizer que a capa pluvial roxa de frei
Dominico DOdia estar encantada por Savo-
narola e por pediam que se despojasse delta.
Sovonarola respondeu que se aavia es-
cripto um contrato para que nio surgissem
difficuldades. *=$
Porem foi tal a iosistencia dos francis-
canos, que frei Dominico tirou a capa.
Entfio os franciscanos interpozeram outra
pretengio. Diziam que ainda assim, o ha-
bito de frei Dominico podia estar encanta-
do. Este cedeu tambem e respondeu que
estava prompto a troca-4o pelo babito da
qualquer dos seus companheiros.
Naquella conformidade, frei Dominico
entrou no palacio despio-se e vestio o babi-
to do seu co npanheiro Alexandre Strozzi.
Voltando de novo i praca, quizeram ira-
nedi-lo de que estivesse junto de Savonaro-
la, com receio de que este nfio tomasse a
encanta-lo.
Frei Dominico condescendeu em collo-
^car-se no tneio dos franciscanos.
0 seu exagerado fanausmo fazia com que
desejasse submetter-se quanto antes I
prova. I
Apezar de que Dominico de Pesehia se
prastara a tud->, o seu conteador Rondinelli
periflanecia deutro do palacio, ao la do da
seuhoria, com frei Francisco de Puglia.
Savonarola acabara ]i de impacientar se,
e o jue mats lhe causava receio, era o con-
tinuo conversar da oarto* cidadaos cum os
seus contrarios, que naviarn aido favoreci-
qual ja publicamos o texto.';.
P.Havieis asjigoado s6 ?
R.So eu era responsavel.
P.Os termos desta convencfio parecem
conter disposigbes contrarias ao regulamen-
to. Porque 6 qua deixastes sepsrar OS
interosses doc officiaes e dos soldados ?
R. Os officiaes e os soldados tinham a
mesma sorte: foi por medida de ordem
quo se ioternaram uns
P.Eos outros, livrespela s-ja palavra!
oque 6 contrario ao regulamento. Uma
vez que havieis forgado o inimigo a passar
por todos os trabalhos toogos e successive^
am sitio, nfio deverieis ter cumprido as con-
digbes prescriptas petos regulamentos, e pe-
las mais antigas tradigoes da Franga ? Nio
pensastes em desmantelar e em destruir os
reparos, pelo menos ate certo aonto ?
R.Conversei com o general Coffioieresr
c elle respondeu-me qua isso eaigiria infi-
nito tempo; alum disso julguei qae assim
prejudicaria a Franga, podendo o inimigo
vingar se.
P.Entfio, nfio tinheis pensado em des-
truir e desmantelar as fortificagbes de JMetz.
Que condigbesmaia rigo osas vos poderiam
ser impostas do que as que soffreram o
inimigo ?
It.Isso teria necessitado muito tempo,
e muito trabalho; e uma vez que eu as-
sim o acreditava, nao e das regras da guerra
destruir as fortificagbes de uma praga.
P.Havieis pensado,- que vos seria ne-
cessario uma disposig^o regulaiaentar psra
ser aut risado a destruir os repaws que ieis
errtregar ao inimigo ?
K, Nfio sabia que a-praga de Metz seria
separada d territorin francep; toda a des-
truig.9o nfio podia dcixar de ser prejudicial
aos iRferesses do paiz.
P.Mas depois de conhecerdes- as- condi-
goes rigorosas da capitulagfio nfio- devieis
entfio tomar medidas para-a destruiejto do
vosso material, e das vossas rnunigbes?
R.Desde o momento que as- r.egocia-
gOes tinham vingado, a nossa boa fe exigia
que restttuissemoso material e as muniobes
taes como existiam.
P. Julgais que estavaraos obrigados an-
tes das negociagdes ? Podieis vbs rorape-
las?
R. Sim ; mas seriamos-victimas da- fo-
e, e qualquer medida daquella natureza
teria attrahi Io as represalias de inimigo.
P.Se tiv.-sse rompido aquallas negocia-
gbes, pensais que o mimigo-se teria vingado
da destruigao do vosso material, e do des-
mantelamento da praga sobre a propria. ci-
dade, e qye, em contrario aos usos meder-
nos, teria podido ser entregoe ao saqoa-a &
pi'.hagem ?
R.Certamente.
P.Todavia, muitas outras cidades, nas
mesmas oondigbes, nfio soff-eram iguatser-
te. Ha nas clausulas da capitulagfio um
artigo, sobre cuja execugfio tonho algurnas
perguntas a fazer. Trata-sa das bandeiras
do exercito. Nao e a um general como vbs
que e neceasario indicar a iaaportancia- qua
um exercito tem sampre ligado i con ser va-
gfio dos seus gloriosos ernbieraas; tambem
vos nfio lembrareis que aquelle que com
mandaveis- tinha, mais do qve qualquer
outro, gior-iosamente combattdo pela defeza
Jos seus, e que ao inimigo se nio tinha podi-
do arrancar um unicoate aodiaem que lhe
havieis feito entroga de todos. Como padais
explicar que as bandeiras do exercito do
Rheno nao bouvessem sido destruidas ? E'
esto o grave assumpto sobre que voa iater-
rogar-vos. Havieis no conselho de 26 dado
ordem.para serem manladas para o arse-
nal as bandeiras, para que fossem quei-
madas?
R; Sim, senhor presidente ; dei essa
ordem formalmente peaonte o general So
leille.
P.Se essa ordem foi dada, podeis ex-
glicar porque nao foi executada ?
R.Nfio mo posso explicar ; houve cer-
tamente negligencia da parte dos que de-
viam executa-la.
P.Nfio pensastes que uma ordem ver-
bal era insulliciento, e que s6 deverieis ter
mandado uma ordem escripta aos chefes de
corpos ? A questao era bastante impor
tante.
R.Todos os chefes de eorpos estavam
tfio interessados como eu na sua execugfio :
quando se trata de uma semelhante questio,
nfio deve haver necessidade de ordens.
P.Nao pensaveisque a autoridade alle-
mfi podia acreditar que tinheis feito quei
(mar as vossas bandeiras n'uma circums
tancia anterior, por exemplo, quando teve
lugar a proclamagSo do novo governo?
(Continuar-se-h*)
dos em tudo quanto tinham desejado.
Aquelles mesmas que haviam proposto
a prova, escusavam-se quanto podiam.
Por ultimo, e para por ternio i uma tal
incerleza, Savonarola enviou um requeri-
mento A senhoria.
Entfio os dons franciscanos solicitaram
a obtiveram uraa outra conferencia secreta
com os senhorcs.
Nio se soubo nuuca cousa alguma da-
quellas '.ouferencias Seoretas, mas Savona-
rola nob pbde duvidar de que a senhoria
era completamente sua inimiga, e que a
prova do fogo nfio fora outra cousa senio
um habil trama, urdido contra elle.
Comeceva ii a ouvir-se o rumor surde e
ameagador da multidao impaciente, que
havia muito tempo se reunira na praga.
A maior parte daquella multidao estava
em jejum e quasi furiosa pela feme e por
tfio grande demora.
Em breve aquelle rugido surdo se con-
verteu em gritos sediciosos, e aquelle mo-
vimento provocado intencionalmente, foi
babilmente aproveitado pelos mimigos de
Sovonarola.
Laocaram-secomasespadas desembainha-
das por entre a multidao, e dentro em
pauco o tumulto nao conhecia limites.
Em consequencia de estarem fecbadas as
ruas que deserabocavam na praca, a multi-
dao vio-seencerrada, opprimida, sem meios
de por-se a salvo.
Os inimigos de Savonarola, rompendo
par entre a gente, avangav.m para os do-
minicos. pretendendo, segundo o que estava
oombinado, prende-lo e mata-lo.
Mas Salviati avangou com a sua gente,
rodeou os dominicos, e, fazendo um risco
na terra com a ponta da espada, excla-
moa:
Aquelle que passar esta Knha, vora* o
qoe podem fazer as armas do Marcucio
Salviati.
Os atacantes retrocaderam em vista da-
quella corajosa declaracio de Salviati.
.io mesmo timpo a.'outocia que os sol-
dadws da senhoria, nio svbend > a razio da-
quelle tumulto, e, veado correr geutopara
o palacio, repelliram-n'a com bravura.
A final restabeleceu-se o sooego.
Comtudo, a multidao mostrava-se cada
vez mais fivida de presencoar a prova.
0 sol estava a esconder-se no horisonte,
e por sobre a praga acastellavam-se algumas
nuvens negras.
A senhoria mostrava-se taoindecisa como
no principiov
l)e repente, as nuvens condeasaram-se e
grossss gottas de chuva cahiram sobre a
multidao, seguidas de um copioso agua-
ceiro.
Apesar deste incidents, que tornava im-
possivel a prova, a multidao estava tfio dvi-
da de presenoear o espectaoulo promettido,
que permaneceu immovel, esperando que a
chuva cessasse de im proviso assim como
viera.
Permanecia, p-jis, tudo aa mesma incer-
teza que antes, e o franciscano Giuliano
Rondinelli nfio apparecia.
Os franciscanos oppozeram no vos pretei-
tos. Pediram que frei Dominico largasse
o crucitixo que tinha nas maos, o que ella
fez, dizendo que queria entrar no fogo com
o Santisstmo Sacramento.
A proposito disto sobreveio uma nova
discussao. |
Os franciscmos diziam que frei Domi-
nico queria queimar a hostia consagrada.
Frei Dominico cabou daparder a pacien-
cia, e, umdo a Savonarola, quiz sustentar
que fallando assim se referira & materia,
ficando intacta a substancia do Sacramento.
0 aguaceiro continuava cahindo com
Os franciscanas, vendo que afinal encon-
trtvam resistencia, aproveitaram a occasiio,
e envolverarh-se n'uma discussao inlrin-
cada, uni<:amente para ganbarem tempo
Em vista daquelie lncidente. e da chua
qie nfio pass va de cahir, a senhoria raan-
dou quo a prova do fogo nio tivesse lu-
gar.
E' impossiv. I lescrever a indignagfio de
que (i povo deu provas tumultuosas, e, nio



sabendo a quem tornar responsavel do qoe
acontecia, a multidio voltava-se contra Sa-
vonarola, accusando o de tudo.
Os seus proprios amigos voltavam-lbe as
costas e diziam que em todo o caso devia
elle ter entrado sozinho no fogo, para dat
uma prova ovidente do seu poder sobrena
tural.
Savonarola estava preso na rede que tio
habilmente lhe haviam armado.
Perdera o prestigio, e os seus proprios
amigos charnqvam-lhe impostor e embus-
teiro. mmc otBKE
Matava-o a sua superstigio fanatica.
Tornara exageradamente supersticiosos os
seus sequazes, que ji o eram bastante de si
mesm os com os seus prognosticos a as suas
prophecias, declarando-sc eaviade de Deus
e illuminado pela graga divina.
Toda a cidade vozeava hostilment con-
tra Savonarola e contra o coovento de 8.
Marcos
Cuatou grande trabalho ao valente Mar-
cucio Salviati por a salvo os dominicos no
seu coovento, rodeando com um punhado
dos seus Savonarola e frei Dominico, e
abrindo caminho, de espada em punho, pot
entre a multidao irritada que vociferava
contra Savonarola.
Entrando afinal na igreja de S Marcos,
Sa.onarola encontrou aui as mulherosquc-
es avam orando ainda.
Subio ao pulpito, e referio todo o acon-
tecido eroquanto qua na praca proxima, re-
soavara os gritos furiosos da multidio.
Despedido o auditorio, bavooarola su-
bio a sua calia eeueerrou-se aalla, eotrague
a dor e i desesperagao.
Tal foi o ndicuio resultado que tare
aquella int-uioda prova de fogo. qua nio
passou de s-t o proi^o fa sanguinolan-
ta catastropae quo tnais adiante roferire-
mos,
(Continuar-te-haJ
Ttt.H0 D'AfMO. -RUA DCQUK DE CAJJaiT
- J
i




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3A3R2YGZ_72IKZ4 INGEST_TIME 2014-05-22T22:36:36Z PACKAGE AA00011611_17552
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES