Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17488


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A'IIO Lllll NUIESC 118
PARA A CAPITAL E LlrARR O X\0 B PACA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 6)$000
Por aeis ditos dem.......... ...... iitfOOO
Por um anno dem................. 230000
Cada numero avulso, do mesmo da............ i$100
DIARIO DE
ItkWk i M AGOSTO DB
I PARA DEMTRO B FORA DA PROFIMCIA
Por Beis mei<*s adiantados..............
Por nove ditos idem................
Por um anno idem................
Cada numero avulso, de das anteriores..........
13,0500
20^000
270COC
0100
|)n>pu*irai> *t JHanoel -fifiudra i>* Jara i \\os>



O* Sm. A-aedcB 'rase. t% C
Ae Porta, silo os nasaos agentes
exclusivos de annaaelas e p u-
blica.-3es na (Franca e Ingla-
lerra
TELSGBAIHAS
2:27132
;Aai::::s
:: siabid
RIO DE JANEIRO, 3 de Agosto, s 5
horas e 15 minutos da tarde. (Receido s
6 horas, pela linha terrestre).
O gabinete continua Arme e nata
de importante tem oceorrlifo de
novo.
Em neafto da cmara doi Depuia-
pufado pelo 5 bnco. requeren, que pelo Ministerio
da luitia foaae prestada copia do
acto, que diwpennou por lempo Inde-
terminado do exerciclo de comntaa-
dante operlor da (iinrda nacional
de iRnaraaau* e Ollnda o coronel Ha-
noel do ^'Mclmenlo Vielrd U Cu-
mia. Picn adiada a dlacuaao deaae
reqac rmenlo por ter pedido a pala-
bra o Dr. Pellppe de Flgueira Pa-
rlo.
Foi reelelta a mena da Cmara doa
Deputadoa.
Km aeaao de boje fol approvado
pela Cmara em 3 diacnaaao O or-
namento do Minate rio da Marlnba.
Xo Senado tem batido animada
dlacawao acercado avlao. expedido
pelo Ministerio da grlcaltara. que
man do u considerar validamente
reltaa aa matrlcalaa de eacravoa da
eldade de Campos por peaadaa. que
nao eram aenborea deaaea eacravoa
nem procuradores leicaea doa mes
nao*.
Corre o boato de que por parte doa
liberaea ser apreaeniada urna mo-
cito pedlndo a revoaaco do avlao do
Ministerio da Agricultura.
Pelo Ministerio do Imperio fol no-
meado cavalbeiro da Imperial Or-
dena da Hosa o entcenhelro Marianl
Fallecen o Juiz de dlreito. i arria
rel Manoel dnvenal Rodrlauea da
Silva, ex-ebefe de polica da provin-
cia del. Paulo.
RIO DE JANEIRO, 3 de Agosto., s 6
boras e 5 minutos da tarde.
\ Cmara doa Depntadoa votou o
orramento do Ministerio da Marlnba
re ellindo a* emendas aprsenla
daa.
Pol reelelta a mesa.
No correr de orna dlacnsso na Se-
nado o Exm. Sr. lian las declaro* que
sao llvrea todoa oa eacravoa matri-
culados aem procuracao.
Agencia Ha vas, filial
3 de Agosto de 1887.
em Pornam juco,
PARAIIYBA, 3 de Agosto, s i horai e
4 minutos da tarde.
ibrio-se boje a aesso ordina-
ria da .issembia Leglalatlva Pro-
vincial, lendo S. Kir, o prealdente
da provincia falla do eatjlo. a qual
acbava-ae cuidadosamente elabora-
da e ocenpava-ae doa mala Impor-
tante* Intereaaea da provincia.
ROMA, 3 de Ag sto.
.4 aubscrlpco aberta n'esta elda-
de para erigir o monumento a me-
moria do Sr. Depretia. Ja se eleva a
somma de cena nal! liras.
Oecldio ae ergaer n'est capital o
bnsto do Sr. Depretia.
MOSCOU, 3 de Agosto.
Asaba de fallecer o Sr. kaikoir.
BADE, 3 de Agosto.
SS. MM. o Imperador e a Inapera-
trlx do Brasil acotnpanbadoa de ana
comitiva acaban de enejar aqu.
PARS, 3 de Agosto.
t arma que oa Sra. general Boulan-
ger e dales Eerry escoltieram e ac-
ceitaram de coannaum aceordo para
baterem-ae em dueiio prximamen-
te, fol a pistola.
aa teatemunbaa do Sr. dnlea Ferry
recuaaram aa condices proDostas-
ROMA, 3 de Agosto.
O cadver do Sr Depretia aera da-
do a sepultura n'esta eldade.
MOSCOU, 3 de Agosto.
A* exequias do Sr. ltalkonT devero
ter luajar aabbado prximo, asalatl-
ra a ellas o Sr. Paul Deronlede.
MALTA, 3J Agosto.
cholera naorbua apparecen aqnl.
de dorante dio de bonicas Ja fes
da as victimas.
IHSTRDCCiO POPULAR
PHYSI0L0G14 HUMANA
(Extrahid)
JA BIBLIOTHECA DO POVO E DAS ESCOLAS
PRIMEIRA PARTE
FUNCCOES DE \l Tltlt t O
CIRCDLAClo
CContinuacao )
A aurcula esquerda recebo o sangue viudo dos
pulmoea pelas veas pulmaaares, que sao em nu-
mero de quatro, or.uudas duas da cada palmas ; e
commanica inferormente com o ventrculo esquer-
do. Este d origem arteria aorta, tronco orn-
ar ua de todas as arterias que ae distribuem aos
diferentes orga a do corpo. A aorta tem na sua
origem um dimetro de 28 millimetroe, dirige-se
primeiramente para cima, curvando-se logo de-
pois para o lado esquerdo e formando a chamada
crossa da aorta. Junto da sna < rigetn fornece as
arterias coronarias on eardiao s em numero de duas
anterior ou esquerda, e direta ou posterior ; da
sua crossa partera quatro grossos troncos, que ao :
as duas arterias subclavias e as duas cartidas
piunitivas. A sub-clavia ea cartida primitiva es-
querdas nascem separadas urna da ou'.ra, e directa-
mente da crossa ; aa direitas nascem por um tron-
co commum que depoia se bifurca e que se chama
tronco nominado ou brachio cepbalico.
Arterias sao os vasos que levam o aangue desde
o coracao at ao amago dos diSereotes tecidos as
diversas regioes do corpo. Sao formadas de tres
tnicas : orna externa oa cellulosa, que muito
resistente ; ama media ou tnica propria, que
fibrosa e constituida por fibras circulares, asquaes
se interceptan! em ngulos agudos ;3 outra in-
terna, delgada, transparente, e frmala por dous
folhetos distiuctjs.
As veias, vasos que levam o sangue de todos 03
pontos do crpo ao coracao, teem paredes menos
espessas e mais mollea do que as daa arterias
ima externa oa tnica cellulosa, inteiramea'.e se-
melbaote tnica externa das arterias ; outra in-
terna, idntica interna das mesmas. N'algumas
partea a parede daa veias 6 constituida apenas pela
tnica interna (por exemplo, as veias dos oasos.
onde a tnica externa substituida, pelo tecido
oieeo). Nos grossos troncos venosos, porm, ha
urna tnica intermedia interna e externa, e
que constituida por ama carnada de Ebras ao ne-
jares, minos deaenvolvidas do que naa arterias.
A' medida que aa arterias se afastam do coracao,
vo-se dividindo e sub-dividindo em ramos, cada
vez mais tenues, que se inlacam e se anastomosam,
formando ama vasta rede, cujas malbas, de extre-
ma finara, penetran) em todoa os orgos aos quaes
levsm o liquido natritivo. Estas ultimas ramifica
cea daa arterias tecm a designadlo de vasos ca-
pilares, por arr to diminuto o aeu calibre, que ae
compara ao de um cabello. Depoia de mais eu
menos longo rajecto na espessura dos tecidos, os
vasos capillares vao-se reanindo uns aos outroa e
dio origem s veias, de modo que os dous syste-
masarterial e venosocommunicam-se por aquel-
lea vasos.
(.Continua).
MTE OmClfl.
(.oreruo da Provincia
EXPEDIENTE DO DI* 16 DE JLH DE 1887
Actos:
O presidente da provincia, attendendo ao que
reqaereu o inspector de bygieoe, Dr. Matheus Vai
de Oliveira, resolve prorogar por 30 das, com veu-
eimentos na firma da lei, a liceiica que Diurnamen-
te lbe foi concedida para tratar de sua saade, onde
Ibe convier.Commuuicou-se ao inspector daThe-
souraria de Fazenda e ao Dr. inspector interino de
hygiene.
0 presidente da provincia resolve, tendo em
vista o otficio do Dr. chefe de polica, de 14 do cor-
rente mea, sob n. 617, demittir o tenente Jos Ay-
res JPedreira do lugar de subdelegado do diatricto
de Salguero. -Cotnmuoicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Officios :
__ Ao inspector da Tbesouraria de Fazenda.
A' vista do art. 3* do regulamento n. 9517, de 14
de Novembro de 1885, que eatabelecn os valorea
maximoa daa matriculanJas. airva-ae V. S. de
mandar reduzir o de 800*000 dado eacrava
Aoastacia do 37 anuos de idadr, matriculada no
municipio de Jaboatao sob a. 1383.
Ao mesmoTendo a junta clasificadora de
eacravos do municipio desta capital preferido para
a liberiaco pela 7* quota do fundo de emancipa-
cao oa escravos Marcolioo, Maria e Francisca, com
os ns. 1353, 1354 e 1334 da nova matricula, e ma-
Mutatis mulandU ao agente da Companhia
Brazileira de Navegacao a Vapor.
Ao juiz de direito da cjmrca de Nazaretb.
Nao se aehanJo compreheudida na copia do
processo do sentenciado Liureo^o Jos, a qu--l
veio annexa ao c fiicio de Vine, datado de 10 do
corr nte mez, a respectiva pronuncia, recommen-
do lbe que providencie no sentido de ser esse do-
cumento transmitido por certidao secretaria
d sta presidencia, conforme exige a decreto n.
9S66 de 2S de Marco d* 1860, urt. 2, n. 4.
Ao juiz de paz, Liberato Jos da Silva, pre-
sidente da junta de alistamento militar da p-.ro-
chia de S. Joto do Brejo da Madre de Deus.Re-
meti a Vroc, em resposta ao seu cilicio de 10 do
corrate, o hvroque solicita para os trabilhos da
junta de alistamsnto militar dessa parouhia.
Portaras :
Em resposta ao officio sob n. 56 de 6 de Ju-
Iho corrente, hintem recebido, declaro Cmara
Municipal do Recite que, no existindo cartorios
separados do juizo de paz e da subdelegada na
paroebia de Nossa Senhora da S'.de do Poco d'i
Panella, mas cumulativamente, a cargo de Manoel
Francisco Coelho, e tendo sido, por mor te deste
serventuario, nomeado para escrivao da subdele-
gada Eugenio Lauro Maciel Monteiro, que, por
domis, anda foi pro posto Cmara, a 20 de Da
zembro de 18b6, pelo jui de paz em exercicio,
para escrivao tambem de seu juizo, nao poda a
mesma cmara, logo depois, a 7 de Janeiro dcste
anno, aceitar a pmposta de outro juiz. embora
com iutorisacao do Dr. juiz de direito de civel,
para dividir os cartorios accimulades, fundada
em que smente o juiz de paz em exercicio na os-
eas i o o competente para jolgar da convenien-
cia dj ter escrivao separado, desde que assim o
eutenda e obtenha a necessaria autonsacio do
juiz de direito, havendo quera queira ser prvido
no cartorie de paz nicamente.
Os juizes de paz servem com oa escrivaes da
Bubdelegacia, e para que poasam ter escrivaes es-
peciaes, nao esto dependentes smente das con-
dices que suppoe a cmara, mas da convenien
cia ao servico publico, e da existencia de quem
queira exercer separadamente nao smente o car-
go de escrivao de paz, mas separadamente tam-
bem o da subdelegacia. (Lei de 3 e Desem'iro de
1841, art. 9 e reglamento n. 12U de 31 de Janei-
ro de 1842, art. 19).
Sem attenco a esta circunstancia, no pode
ser considerada nem a vontade do juiz de paz,
nem a autorisaco do juiz de direito, e Ilegal a
nomeacao, feita pela cmara, de Antonio Jos
Mendes Bastos para escrivao privativo do juizo do
paz.
Portento, tendo o cidado Eugenio Lauro Ma-
ciel Monteiro, por se sentir aggravado com essa
deliberaco, recorrido a esta presidencia, nos ter-
mos do art. 73 da lei de 1 de utubro de 1828, e
estando prvido o sen reenrso por despacho de 13
de Maio ultimo, que accumuloa aquella nomeacao,
compre que a cmara declare sem effeito, dando
deste facto conhecimeato no respectivo juiz de paz,
sem embargo de recurso que lhe fica livre para o
governo imperial.
A autonoma, a que a cmara faz referencia em
seu officio, nao pode ir ao ponto de, para atisfa-
zer a vontade d-i actual juiz de paz de Nossa Se-
nhora da Sade do ,Pcco da Panella, em objecto
eslranho ao de posturas, embaracar o servico da
subdelegela, privando esta de ter escrivao, visto
que ninguem se presta a exercer o cargo aepara-
damente.
Confio, pois, que a Cmara Municipal do Reci-
fe nao aa recusar a obedecer o despacho de 13
do Maio ultimo.
Recommendo Cmara Municipal do Reci-
fe qne com a regularidade pedida pelo inspector
do Thesouro Provincial em officio, junto por co-
pia, da 8 do corrate, n. 709, ministre ao mesmo
Tbesouro a relacao das rezes abatidas durante
cada mez as frrguezias do Poco, Afogados, Var-
zea e So Ljureuc-o, com as indicacoea aporta-
das para o fim mencionado no referido officio.
Commuoicou se ao inspector do Tbesouro Provin-
cial
O Sr. agente da Companhia Brasileira de
navegacao faca transportar corte, por conta do
Ministerio da Guerra, Maria Joaquina da Silva e
as menores Joanna, de 11 annos de idade e Fran-
cisca, de 6 annos, mulher e filhas do soldado do
2* batalhao de infantana Joaquim /tera Das,
de que trata a portara Ja 9 do corrente. Com-
munieou as ao brigadeiro commandante das ar-
mas.
EXTBDIENTE DO DB. SECBET&BIO
Officios :
Ao brigadeiro ^commandante das armas.
O Exm. Sr. presidente da proviucia, manda de
clarar a V. Exc. para os ,fins convenientes e em
reaposta ao seu officio de hontem, sob n. 367, que a
directora do Arsenal de Querr es Autoriaada
a satisfacer e pedido que acompanhou o citado
officio.
Ao agente da Companhia Brasileira de na-
vegacao a vapor.De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, aecuso o recebimento do offi-
cio de V. Exc. em que participa que o vapor Ma-
ndo chegou dos portos do aul hoje 9 7 horas da
manh, e seguir para os do norte amaub s 4
da tarde.
Ao inspector do Thesoura Provincial.Com-
muuico a V. S. para os devidoa fins, qua o por'ei
ro desta secretaria, Francolino Augusto de Hol-
landa Chacn, nao pode no dia lO do corrente,
mas t boje, prestar nesse Tbesouro as contas da
arrecadaco de aeu cargo e relativa ao mez de
Junho prximo pasaado, visto que a isso oppoz-se
a grande i fflucucia do aervico publico.
Manoel ^ieira Neves.Remettido ao Sr. aspe-. As pinturas da igreja mereceram o elogio dos
ctor da Tfces arara de Fazeuda Dar attender, de I imperadoras, assim como aa cadeiraa de madeira
ia iaforinaco de 29 de Julho ultimo
dos Santos. aceordo eco
n. 493. 4
.Manoel Pelipoo
ser atteadido.
Manoel Marques da Silva.O Tbesouro Pro-
vincial j aa acha autonsado a efectuar o paga-
mento a qSja o supplicaote se refere.
Mekbiadas Pulpunio Freir de Carvalho Em
vista J iiifjraaoio da Thesouraria de Fazenda,
nao pode ser o que reqaer.
Manoel Premitivo Alves Pereiri.Informe o
Rvdm. Sr. directar da Colonia Orphanologica Isa-
bel.
Maria Alcntara de Ase ved oDirija sua recla-
macao ao juizo de orphos no praao do art. 34 do
regulamento de 13 de Novembro de 1887.
Pedro Ramos Lieuter.Entregue-se mediante
recibo.
Thomaz Antonio Guimarae.Pode acerescen-
tar oa trinta lampeoes, querendo, com tanto que o
faca sua custa, sera augmento de despera para
a provincia, que nao se obrigcu em tempo algum
senao pelo pagamento dos lampeoes actualmente
existentes, nao c por falta de quota no orcamento
como por nao permittir o estado de suas Guaneas.
Secretaria da Presidencia de Pernara-
bueo, 3 de Agosto de 1887.
O porteiro,
F. Chacn.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA, DO DIA 2 DE
AGOSTO DE 1887
Abaixo assignados moradores e propietarios do
povoado do Campo Grande. -Informe o Sr. inspec-
tor geral dainstraeco publica.
Abaixo assignados moradores e propietarios na
estrada que liga a cdade de Olinda.Informe o
Sr. director geral das Obras Publicas.
Antonio Carlos de Arroda Beltro.Nao ad -
misaivel a conc-ssao que requer.
Franeseo Wanderley Vieira da CunhaD-se.
Francisca Maria da Conceicao.Informe o Kvd.
tricalados e'm 4 de Abril ultimo, sirva-se V S. de Sr. director da Colonia Orphanologica^Isabel.
informar com urgencia sobro esta ultima eircum-
stancia oavindo o administrador da Recebedoria.
Ao commandante do corpo de polica.Re-
c mmendo a Vmc. que coa a poaaivel brevidade,
retire do Arsenal de Marinha, onde se acham de-
positados cincoe.nta caixes contendo as pecas de
armamento e equipamento, de qne trata o conhe
cimento aqai junto, qae opportunamente ser de-
voKiJo, da intendencia da guerra, osqaaes vieraai
hoje da edrte com destino ao corpo de seu com
mando.
Neste sentido fez se o devido expediente ao ins-
pector do Arsenal de Marinha e ao agente da Com-
panhia Brasileira de Navegacao a Vapor.
__Ao director geral daa Obras Publicas.-Cha-
manda a attencio de Vmc. para o novo regulamen-
to da repartico a seu cargo, recommendo -lhe que,
de aceordo com as euas disposices e nos limites do
orcameiito provincial e estado daa finaocas, pro
mova e proponba as obras oa servicos qae enten-
der inadiaveis, com os modos de execuco, que
mais convenhara s eircumstancias da provincia.
Ao gerente da Companhia Pernambacaiia de
Nagavecao. Declaro a Vmc. para sea coobecimen-
to. conformeo vis circnlardo Ministerio da Agri-
cultura Commercio e Obras Publicas, de 7 do cor-
rate, sob n. 2, que d'ora em diante, como j fo;
communicado ao fiscal dessa companhia em aviso
de 30 do Marco do anno pasaado, para provar-se o
caso da forea maior oto se admi tira seno o mtio
de psotesto, nos termos do cdigo commercial.
Hermma Maria da Conceicao.Iuforme o Sr.
Dr. juiz de direito. do 2o districto crimiaal da co
marca do Recite.
Jo-s Etenterio de Azevedo.Prejudicado viata
do despacho hoje proferido no recu. so.
Joaquim Honorato de Lima.Oeferido com o
officio desta data ao brigadeiro comandante das
armas.
Jos Rodrigues Beiro Sim, mediante recibo.
Joaquim Francisco Ferreira.N >s termos da
informac o da Thesoararia de Fazenda, recorra ao
poder judiciario para que o maotenhaem suajposse
Fre Jos de Santa Julia B telh.i.Sim, median-
te recibo.
Jos Raymando Ferreira de Araujo Saldaoha.
-Iuforme o Si. inspector da Theaoararia de Fa-
zenda.
.loo da Rocha de Souaa.Deferido com o offi-
cio desta data ao Tbesouro Provincial.
Joa Maibeua de Sant'Anna. Opportunamente
ser attendido.
Joaquim de Sant'Anna. Opportunamente ser
atfendido.
Loarenco Teixeira Palba. Opportunamente
ser attendido.
Lungiubo.Sim.
Manoel JoJo de Amorim.Remettido ao Sr.
inspector da Thesoararia de Fazenda para atten-
der, de aceordo com sua informaco de 39 de Julho
ultimo, n. 496.
O mesmo.dem.
Reparti^ao da Polica
2a seccSo. N 672. Secretaria de Po-
lica de Pernambuco, 3 de Agosto de 1887.
Illra. e Exm. Sr. Participo a V. Exc.
que f'jram hontem recolados Casa de
Detenco os seguiates iadividnos :
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Jenerino Alves Rodri-
gues e Thom Jos Pereira, presos em
flagrante, por crimo de ierimentos.
A' ordem do do Io districto da freguezia
de S. Jos, Eaztbio Manoel de Assump-
c2o, por disturbios.
A' ordam do do 2 districto, Manoel
Benedicto Freir, por embriaguez e dis-
turbios.
Communicou-me o delegado do termo
de Taquaretioga em officio datado de 23
do mez prximo findo, ter naquella data,
acompanhado do Dr. promotor publico, do
escrivao e do respectivo carcereiro, feito
a visita na cadeia publica e enconitado
tudo em boa ordem.
Participou-me o subdelegado do distric-
to do Peres, em offijio datado de hontem,
ter naquella data feito remessa ao Dr.
juiz de direito do 3o districto criminal do
inquerito policial procedido contra Thomaz
Jos de Saat'Anaa, conheci lo por Taom,
pelos ferimeutos praticados na pe*soa de
Ulysses Francisco Aicoforado.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exc.
Sr. Dr. Pedro Viceote de Azevedo, muito
digno presideote da provincia. -O chete
de polica, Antonio Domingos Pinto.
Thesouro Provacial
DESPACHOS DO DIA i DE AGOSTO DE 1887
Firmino Theotonio da Cunha Santia-
go. Certifiqese.
David Teixeira Bastos. Cumpra-se,
sendo remettido ao Tnesouro para os de-
vidoa fias.
Officio do Dr. procurador dos feitos.
Informe o contencioso.
Jeronymo Theotonio da Silva Loureiro.
Faca a pro va de aceordo com o que
exigido no edital.
Joaquim Groncalves da Silva & C.Pro
ve a desoccupaclo da casa.
Luiz de Franca Palilha e officio do Dr.
procurador dos feitos.Informa o Sr. Dr.
administrador da Recebedoria Provincial.
Floriano Raptista de Oliveira.Facam-
so as notas da portara de lijenj*.
Pontos da Casa de Detea^ao e das Obras
Publicas.Ao Sr. pagador para os devi-
dos fins.
Francisco de Millo Fraga, officios do
Dr. procurador dos feitos, Joo Rodrigues
do Maura, Hermano Londgrem & C, e
G. Laporte & C. Iotorme o Sr. conta
dor.
Recebedoria Provincial
JKSI'ACHOS DO DIA 2 DE AGOSTO DE 1887
Emilio Pereira de Abren. Informe a 1 seceo.
Pedro Augusto da Silva Proa, Frederico C.
e Francisco Lauria.A' 1" secca > para os devidos
fina.
Amorim Irmos & CA' 1 seccSo para atten-
der.
Companhia dos Tulhos Urbaaos do Recife a
Caxang.Em viata das intorma^oea nada ha que
deferir.
Viuva Carrol it C.Informe a 1 aserro.
3
Santos & CInforme a 1 eeceao.
Fre Jos'de Santa Julia Botelbo.Certifique-se
o que constar.
Joaquim Jos de Sant'Anna Costa A' 1 sec-
co para os devidos fins.
Antonio Augusto do Senna & O. Jos da Arauj >
Veiga c< C, Christam 4 C, Barbosa t Santos,
Jone Nogueira de Souza, Ferreira 4 C, A. M.
Veras t C, Manoel Joaquim Alves da Costa, Deo-
dato Torres & C Informe a I* seccao.
Antonio Jos Martina.Em vista das informa
(Oes e nao havendo collecta publicada, nada ha
que d. ferir.
DiARio m funmm
RECIFE, 4 DE AGOSTO DE 1887
Modelas da Kuropa
O paquete francs Senegal fui portador das ae-
guintes noticas, alm das de Portugal, que vo in-
sertas na rubrica Kxterior.
Heapanha
Relativamente a este reino eacreveu-nos o se-
guate o noaso orrespondeate de Lisboa :
Partiram de Madrid a 19 do corrente tarde
para Franca ~S. MM. o imperador e a imperatriz
do Brazil, de quem se foram dt spedir estaca
oa Sra. Moret e Boulaoger, ministro deeatrangeiros
e das colonias, e as legacoes de Portugal e da In-
glaterra.
L-ae no Imparcial, de Madrid chegado ante-
hontrm :
Acompanhudos por seu neto, o principa D.
Pedro da Saxonia, viaitaram hontem oa imperado-
res do Brasil a baslica de S. Francisco o Grande.
Aa obras d'arte que ornara o templo toram muito
celebradas por D. Pedro II, que muito perito na
materia.
de Paular, primorosamente trabalhadas.
De S. Francisco passaram os mperiaes via-
jantes ao palacio que perteaceu a D. Maria de Mo-
iin i e que bi je pertence ao senado. O quaro de
Pra lilla,A tomada de Oran m,e a bibliotheca
toram muito elogia oa pjr sua magestade.
Reccberam suaa majestades e acompanharim-
n'as ao mencionado edificio, o Mrquez de Araada,
secretario, eo official-raaior Sr. Rodrguez.
O quadro de Pradilla, as estatuas de Costes,
D. Joao do Au.tna, Colin e Cisneroa, captivaram
a atteuco dos augustos vi '.jantes.
A imperatriz vio com interesse a cadeira que
sua augusta irm, D. Maria Cbristiua, oceupava,
quando se abriram as cortes, no periodo da regen-
cia durante a menoridado de D. Isabel II.
" Foram tambem muito elogiados por SS. MM.
os quadros de Martnez Cubello e Vera, e a coroa-
i,'Ti de Quintana, de D. Luiz Lpez c o es >oceto
de Luna e Navicio, a batalhi de Lopanto.
D. Pedro manifestou des-jos de possuir una
copia daCoroaco, e pedio a morada, em Pa-
rs, do Sr. Luna.
08 imperadores taam correctamente o cas-
telhano e o principe D. Pedro falla francez e in-
gles.
O imperador viaja pela Europa com o fim de
restabelecer a sua saude, porque padece de urna
affeceo de figado.
SS. MM., durante a sua estada em Madrid,
mostraram desejos de que os acompaubassem aos
sitios pblicos onde teein ido seus sobrinhos, os
duques de Ducal.
Com elles estiv^ra-n ante-hontem na exposi-
cao Filippioa, no Museu Arcbeologico e no de Pin-
tura.
Tambem tem acompanhado sempre SS. MM.,
na sua visita a esta corte, o seu amigo o advoca-
do Sr. Faronda.
O principe D. Pedro assistio a.:te hontem ao
espectculo no Circo de Price, em companhia do
Duqne de Ducal.
Dizem de Madrid que o partido reformista ae
agita e mostra grandes desejos de fazer governo.
As ameacas do general Lopea Domiogues toram
repetidas em S. Sebastio pelo Sr. Romero Ro-
bledo. Todos os das se espalham boatos de re
volta n'om ou n'outro ponto, m<>s s j estratage-
maa de revolucionarios. O paiz est, em verdade,
cansado e deseja trauquillidade. Urna mudanca
de aituacao nao seria bem vista neste momento.
O padre Galeote, asaaasino do bispo de Ma-
diid, vai ser transferido da prisio para um hospi-
tal de alienados.
Espera-se qae o governo bespanhol tome breve-
mente providencias contra a importaco do alcoo1
estrangeiro. *
Franca
No da 14 de Julho, durante a revista militar, o
povo de Pariz, instigado ou dirigido pelos mem-
bros da liga patritica, manifestou-sa contra o mi
nisterio Rouvier, e, principalmente, contra o ge-
neral Ferrou, ministro da gnerra. Estas mani-
festa^ees tiveram por principal instigador Mr.
Deroulede, presidente da Liga dos Patriotas.
Cumpre ter bem presente que esta associaco
tem per fim:a n-visito do tratado de Francfort
e a rsatituico da A1 sacia Lorna Franca, e qae
portaato o mais patritico que pode ser. Mr.
Paul Drculede i nm ptimo republicano e um
carcter honradisaimo.
Tal vez um pouco exaltado, mas um typo de
patriotismo, que nao pode ser censurado seno pelo
sen muito amor ao engrandecimeuto da Franca.
A manifestaco do dia 14 de Julho ni) foi alvo
dos gaiatos de Pariz. Pode ser, mesmo certo,
que o gaiato de Pars interviesae, como intervem
sempre que se trata de gritar, mas a mamfestaco
contra o ministro Rouvier tem urna significarlo
mais alta. O Ministerio Rouvier, no seu procer-
ment pouco republicano de se inclinar direta,
desagrada profuodamente aos republicanos avan
cadoa e ao povo de Pariz, que em materia de repu-
blicanismo nao nada conservador.
ki.it re os gritos que se ou vi rain durante a re-
vista militar, os que mais caracteriaaram o es-
pirito da manitestafo, foram estes :Abaixo Fer-
rou e Ferry. Isto quer diser que o ministro da
guerra profundamente antipathico aos manifes-
tantea por causa da tu oppoaico ao aympathico
general Boulanger ; e igualmente Mr. Ferry, qne
o protector encoberto do actual ministerio.
Paris nao quer governos conservadores, nao quer
republicanos paludos, que se inclinam direta,
reaccao!
Urna prova frisante do que fica dito a torma-
co de um Comit de permanence, para, durante
aa ferias parlamentares vigiar o governo e infor-
mar 08 seus constituintes do que for succedendo
de suspeito contra os interesses repub i.'auos.
Este comit composto de individualidades sym
pathicas e muito respeitaveis, de velbos republi-
canos, entre os quaes figuram os Sra. Anatole d-;
la Forge e Barodet.
Nao urna phantasia doa intransigentes. um
comit de vigilancia republicana, que indica clara-
mente que se nao tem coufianca no ministerio Rju-
vier.
E' um facto iacootestavel que o ministerio Rou-
vier nao agrada aos republicanos avancados. Nao
fallamos s da extrema esquerda, a que nao agra-
dou mesmo o miuisterio Goblet. Mas tallamoa em
geral de todos os republicanos, qud debejara refor-
mas, que querem ver a repblica progredir. Fal-
lamos de todos os republicanos que nao sao conser-
vadores como o Sr. Ferry.
Esta antipathia manifesta-se principalmente em
Pariz, onde em geral, os republicanos nao sao con-
servadores.
ltimamente a extrema esquerda fez nma nter-
peilaco ao gabinete Rouvier a respeite da sua
ailianca com a direta. A extrema exquerda nao
foi acompauhada, u'esta interpellaco, pelo es
querda radical. As razoes porque os radie -es ais
acompanharam as extremas toram, dms ; primeira,
porque, em vista da divieo doa republicanos e da
sua tennoaia em nao tazerem urna coucilia(o de
que resultaase urna boa maioria governamental,
mpossive formar u ji ministerio presidido por um
hornern de estado importante, que nao qu- reria de
certo guveruar apenas a>guos mez--8 : segunda,
porque ae eatava ua veapera da testa naci-inal, e
sena de um p- ssimo effeito urna crise ministerial
n'uuia occasio to solemne.
No senado, o ministro da guerra apresentoo o
projecto de eusaio de mobiliaaco militar j appro-
vado pela cmara dos diputados, e pedio urgeucia.
Depoia de duas votaces duvidosas, foi d- clarada
a urgencia pos 137 votos contra 92.
Em segu la fol appmvadu o projecto das quatro
* jutnb licoes directas.
A cmara Jj* diputados rej itou por 257 votos
contra 2<)8 o projecte da coucaaao d'um cao i tele-
graphico entre aa Autilhas e a Guyaua.
O dr. Delisse, membro da direta, apresen-
tam urna proposta afiua de se aut .-rilar o governo
a toii ar duraut a usencia das cmaras t.'d-.s
as providencias ooeessanas para proteger a indas-
tria nacional contra a invasao do uicool de pro-
cedencia aileui. Foi declarada a ur^eocia e cu-
viada a piopoata coinmisso das aifauJegas.
O Mr. Rouvier responden qu nao c 4 que o
drauback allemo posaa ser augmentad j po bun
dttraUt sem urna votcao do parlamento tei-ral.
OguVeruo francs poderla sempre ein todo o
caso prohibir a importacao das mere alonas < s
trangeiras ou elevar oa direitos la entrada, dia-
do conta d'isso s cmaras quando voltassem a
reunir se ; o govi-rno proceder conforme as eir-
cumstancias.
O Sr. Deiiaae tom>u nota desta deeJaiafca.) do
ministro.
Depois levanton-se um incidente que deu lugar
ao ra'opimonto da direita com o miuisterio.
O Sr. Rvet, da esquerl* radical, interpellou 0
governo.
O Sr. D. Laujuinaes, da direita, propozoadia-
mento da >uterpellacao. A cmara oppes se por
37 votis contra 166.
Foram apresentadas varias mocors para que
seja denunciada a concordata com a Santa S.
O Sr Rivet aprepeotou outra moco para que
o goveroo faca cumprir as leis.
O Sr. Spnlii-r declarou acciital-a. (Applansos
da esquerda.)
O parecer da commisslo de fazenda do senado
acarea do projecto de lei para o ensaio de mobili-
sacio d'um corpo do exercito, diz que, se atten-
desse nicamente questo financeira, rejeitaria
o projecto, mas em vista do parecer favoravel da
commisso militar, nao se oppoe a elle. A dia-
cusso ficou aprazada para o dia 21
O senado approvou afiaal por 17 votos contra
72 o projecto de lei para o ensato de exereito.
A cmara dos depufados, depois de longa dis-
cusso acerca do projecto do camnho de ferro
metropolitano de Paris, decidi, por 258 votoj con-
tra 221, nao passar a discusso dos artigos.
E' provavel nue fossu encerrada a cmara no
dia 22.
A cmara dos diputados, depois de larga dis-
cussao, decidi por- 274 votos contra 202 enviar
novamente commisso o pr jeeto de lei relativo
ao camiaho de ferro metropolitano.
Devia discutir ao dia seguinto o novo parecer
da ommisso.
O Jornal des Dekatts applaude 03 recentes dis-
curaos i*os Srs. Rouvier e Spuller qae tracaram
no programma de governo firmissimamente r -pu-
blicano, mas que se declarara decididos a fazer
cessar agita^oes esteris, e a preservar a Rep-
blica de chimeras e aventuras e a assegnrar a
paz no interior e no exterior.
O eommissario Ritter em Paguy-sur-Merelle
foi aggredido por uui viajante allemo, que Jispa-
rou contra elle tres tiros de revolver na dele-
gaco da alfandega, mas os ferimeotos sao insig-
nificantes. O criminoso foi lego preso.
O individuo que disparou tres tiros de rev-'wer
contra o eommissario de Pagny-sur Moselle, um
tal Zangerle, antigo padeiro allemo, estabe-
lecido em Pars expulso em 1380 por urna condem-
naco judiciaria. Contessou ter voltado a Franca
para matar um agente qualquer do governo frau-
rez; apresentou se 11; ministerio do interior com a
iuteut ao de matar o ministro, mas a violencia da sua
liaguagem fez com que os continuos o pozessem
fra ; chegado a Pagny, puchou de rcvolwer e fez
fogo sobre o eommissario, dizendo : Sers tu a
victima .' Osferimentos do eommissario nao apre-
sentam gravidade.
O allemo Zengerle sendo submettido novos
interrogatorios, declarou nao detestar a Franca,
mas snn o governo fraucez, porque ae recusara a
entregar lhe sua mulher qua vive maritaimente
com outro homem. Vai a-.-r submettido a exame
medieo.
O Petit Journal, fallando da prxima chegada
a Paris do Imperador j Brasil, pretende que Sua
Magestade manitestou desejo de conferenciar par-
ticularmente com o ministro dos negocios estran-
geiros da l".-anci.
Na sesao do da 20 a cmara dos deputados
approvoa a conveigo cel- brada com Portugal em
12 e Maio de 1886. para a delimitarlo daa pos-
aesaes portuguezas e fraocezaa na frica occiden-
tal, onveoco j approvada pelo senado.
A floresta de Zacear em Argel, perto de M-
lianch, incendiou-se em urna extencao de muitos
kilmetros.
Aa autoril 1 es e as tropas correm para o lugar
do sinistro.
As perdaa sao consideraveis.
A violencia do vento nao permitte que o incen-
dio 3 Suas Magestades Imperadores do Brasil che-
garam a Paris, a 21 meia noite.
Alcjarain-se 00 Grand Hotel. Pouco depois da
sua chegada foram chamados para examinar o es-
tado do Imperador os Drs. Cbarcot e Brouardel.
S. M. a Imp.'ratriz sahio nesse mesmo dia de
passeio ao Boie. No dia 25 assistiria S. M. o
Imperador sesao da Academia.
No dia 21 S. M. o Imperador do Brasil assis-
tiria sesso da assembla geral dos accionistas
do canal interoc-'aoico de Panam, sendo recebido
com duas s ti vas de applausos. O Sr. Fernando
de Lessepa leu o relatorio, qas sondo menos affir-
mativo do que 03 anteriores, quanto d .ta da
aoertura do canal em 1889, deixa todava esp?rar
que nesse anno haver j communicacao entre
os dous mares.
Os trabalhoa de acabameutos serai continnados
depoia como ss tez para o canal de Suez.
Eocontr mos uas no'icias de ultima hora
que o Sr. Deroulde, que tinha ido no dia 20 a
Cl -rraont Ferrand visitar o general Boulanger,
recusou a candidatura legislativa, qua lhe offere-
ciam o eleitores d> Meuse. Presume se que ssr
eleito por Pris ua prxima eleico.
Blgica
O estado da Congo vai cuuhar moeda, que en-
trar em cireulacl) no fim deste anno.
Na casa da moeda, da Blgica, esto dalas as
ordena para a cuuhagem de 25 milhoes.
As moedas ser lo de prata, nickel e cobre e te-
ro o retrato do rei da Blgica, com esta inscrip-
cao :Leopoldo II ,rei dos belgas, soberano do
estado do Congo. No reverso o alg indica o valor ia moeda.
Corre o boato de ter sido assassinado pelos in-
dgenas o celeDre explorador Stanley.
Sulaaa
A Suissa tambem resolveu fazer-ae represeatar-
na expoBicij de Pars.
Foi essa res jIuqIo unanim dj csnselho do es-
tado e do conselho federal.
llalla
Urna i governo da Italia conmum :ou Franca e Aus-
tria que .'atava dispisto a negociar com e3sas po-
tencia novos tratados de commercio, e a reesber
quaesquer com'ouoieacoes a esse re.speito.
O miuisterio italiano prefera que taes negocia-
cues se r^alisassem na Italia, e o,uj a Franca e a
Austria, tomassem a iniciativa, vista que a Italia
t-in agora multas n-goeiaees a concluir, emquan-
>. > que a Franca nada tem a uegociar com a Ita-
lia.
Est produzmdo graade impressa na Italia a
pub icaco recente de urna bro^burs intitulada o
r*apa e a Italia, em que se procura demonsirarque
conciliaca eotr o Vaticano e o Quirinal um
facto inconciiiavel.
A circular d cardeal Ramprola aos nnneioa
declara que a prun-ira condico da reconcliac
daS.nta n com a Itali-i nao paderia deixar de
ser a reintegracao do papa como soberano tempo-
ral.
Em Italia contina a trabahar-se activamente
fim de que aquelle paiz se represento d'um modo
digno e bnlhaute na grande expasicao de Pan
de 1-589.
O con t organiaador todos os das recebe nova*
adh-s-s.
Entre estas nota-se o Sr. Cairoli, qua respon-
dea com a s. guite carta a circular que lhe fdra
dirigida :
Agrxdeco v, 3 a vossa carnmunicacao e im-
mensamente des- jo que os resultados correspon-
dam o fim elevado qne a iniciativa particular se
propo-: cumprir.
Eu, cu up.-'j tamb'in ura dever, enviando-voe a
miuha adheao.Cairoli.
Nos crculos poli'ic s dt Italia commenta-ee
muito o facto da arcebispo de Tern ter i*> otS-
cialmente cimprimcntar o re Humoerto 1
de Tern quando passju por aqu.lia ce

i- -

>S&.
*w


Diario t fernambucoQuinta--leira 4 e Agosto de 1887

O illtMtre prelado conversn por muito lempo
eom o re e qaando sahio apoiou-ee ostensivamen-
te no braco de um dos officiaes a ordena de Sua
Magestade.
Monsenhor Terni, prelado de nina diocese que
fasia parte dos Estados Pontificio!, nunca presu-
ra ao rei esta homenagem e dii-se que, se abri
este precedente, foi por indicacio de Sua Santida-
de o papa Leo XIII.
Inglaterra
Contina no parlamento ingle a diaemsio do
MI agrario da Irlanda.
A respeito deete bi asadera o 2imet que ha.
trotundas divergencias entre os raembro do ga-
inete, e corre o boato de que lord Hartigton,
lord Cburcill e Cbemberlaia formaro nevo mi-
nisterio, conservando lord Salisbury a pasta dos
negocias estrangeiros. i
Dix a PaMaU OatetU que a rainba Victoria
visitn lord salisbury, afimde obter do chele de
gab'nete um pedido de crdito cmara dos ccm-
muas para cobrir as desptaas feitaa com a recep-
cio dos principes estrangeiros, por occasio do
inbileu. __
Essas despesas ascendem a urna aomma ao W
mil libras e a rainha nao est, ao que parece, dis-
pesta a satisfacer todos os encargos.
A rainha de Inglaterra procedeu, b* das, com
grande eeremoninal, 4 cllocac&o da primeira pe-
dra do solo, em que deve levantar-se a estatua do
principe Alberto, offerecida, somo presente do ju-
jubileu da rainha, pelas senboras daquella na-
ci. .
A estatua levantada no parque de Wndsor.
A rainha Victoria sanccionou no dia 19 a le
ccerciva da Irlanda.
Desde j o Txmet pede a applicaco rigorosa
desta ordena, afim de se restabelecer o socego na
ilh* irmi. .
O marques de Salisbury delarou ao comicio con-
servador de Bareton Club que o governo est a
faser concesaoes ao partido unionista sobre pon-
tos secundarios do bUl agrario irlands.
A cmara dos comamos discutio ltimamente
o bi agrario irlandez. O Sr. Arthur Balfour,
principal secretario para a;Irlanda, annunciou al-
gurans emendas.
Sir William Vernan H.rcourt cbasqueou o go-
verno pela sua mudanc* de poltica. O Sr. Par
Dell reconbeceu que as emenndas de bil consti-
tuem um melboramento a favor dos colonos. A
cmara passou discusso dos artigos mas resol-
ven adala para 25 de Julbo.
Allemanba
Palleceu Krupp o grande industrial.
Krupp ganhou 12 milhes com a fundicao de
canhes de ac.
Morreu de repente, victima da ruptura de nm
aneurisma, tendo 77 annos di idade. Era um
homem forte e alegre. Montava a cavallo, caca-
va frequentemente saltando com agilidade fossos
e v >lados.
No dia 18 meia noite realisou-se o funeral de
Krupp.
A ceremonia foi imponente e pouca veses se
tem presenciado na Allemanha um espectculo
to commovedor, nem urna manifestecio tio gran-
de e to unnime de sympatbia-
O enterro passou por meio das fabricas de que
o fallecido era dono. No cortejo viam-se homens
eminentes de todas as profisses.
Os representantes do imperador Guilherme, flo
principe imperial e des principes do imperio o mi-
nistro da guerra, a professor Schvreninger e urna
represesentacao numerosiassima da industria dos
caminhos de ferro e da industria militar, segua
atraz o retro.
Em seguida iam os 12:000 operarios quo traba
Ihavam as ofHjias de Krupp, em Esseu.
O imperador Guilherme ehegou a Gastein de
boa ssude.
Cdntinuam as perseguico-s na Alsacia-Lo-
rena.
Anda ba poucos dias foi dissolvida urna socie
dude choral de Mulhanse. Tem-se Efectuado
muitissimss prisoes.
. O Dr. Mackeniie, que tratou o principe impe-
rial da Allemanha, do incommodo que el.e scffreu
ltimamente, exigi como paga dos seus servicos
2:500 libras.
__ AfErmou o Fgaro que se mallograram as
egoaiac6< s da Allemanha com o Vaticano para
a germanisacio da Alsacia Lorena, porque o papa
nao acceden a prohibir o uso da lingua francesa
nos seminarios daquella provincia.
0 septenado militar e as novas reformas no
ejercito allemio teem sido objecto de profundo
estudo, por parte do estado maior general do exer
cito francs.
O resultado muito instructivo e fez conven-
cer os polticos daquella nacao de que nio podiam
hesitar nos sacrificios indispensaveis para conso-
lidar o seu exercito e fortificar es seus quadros.
O total das torcas de primeira linha, por meio
das quaes a Allemanha constituir os exercitos e
operacoes, cemprehende 800 batalhoes de guerra
(beld Truppen), composto de infantes complta-
mete exercitados e todos de menos de 32 annos
de idade. .
Atraz desta massa de tropa pndem por oou
batalhoes de intautaria, comprebeodendo cada
um 1:000 soldados instruidos, de 42 annos de
idade, o mximo, e protegendo os servicos de se-
gunda linha (.tapes tirca de oceupacio, guarni-
lo de pracas ameacudas, corpos de oceupa
cao, etc.)
Para 350 destes soldados seria adjunto um de-
posito de 400 recrutas, successivamente chamados
a preencaer as falhas as fileiras dos comba
tentes.
Para avaliar, no conjunto, as maesas de tropa
quo striam fornecdss, em caso de guerra, pelo
sy.-tema militar allemio, basta diaer que cada
sima das o7 regiSea do eerpo do exercito do im-
perij (nao comprehendeudo a guarda prussiana)
pode por immediati.mente em p de guerra 3
cerpes do exercito. Isto que existe na Alle-
-.aha. o pessoal e material necessario para a
formaco inmediata e prompta de 35 corpos do
exercito, coja concentraco pode ser executada
entre o 12 e o 15* da da ordena de mobilisacio.
O effectivo das tropas de segunda linha estar
prompto a marchar no 21 dia da mobilisacio.
A situacio do exercito allemao, no presente
.un. resume-se sssim :
Effectivo em p de paz 525,000 homens e....
108,000 ca val los.
Effectivo em p de guerra2,30"',000 homens
idos quaes sao em primeira linha 1,280,000 e....
950,000 em segunda), 360.00J cavallos e 3,000
boceas de fogo.
Esta continuidade de esforcos da Allemanha
tende sem duvida para a prep*racio.
Diflereutes projectos em estudo devero em pou
eos annos sei convertios em lei, entre outros o
au"monto da artilheria de campanhas e a creacio
de um qaarto batalho nos regimentos de infan-
tera. ...
Parece que a artilheria de campano* attingira
a pr-p rei) de duaa bateras para 3 oatalhSes.
Qorta como certo, tanto nos crculos polticos
como na imprensa autorisada, que os imperadoras
da Austr.a e da Allemanha terio, dentro em pou
co, urna entrevista.
N* B Isa corre o b ato de qu>! o czar assistira
tombem conferencia, e que escreveu urna carta
sobre o assumpto, ao imperador Guilherme.
Diz o British medical Journal que o princi
pe imperial da Allemanha est em va de comple-
to restabelecimento. A voz recuperou j toda a
sun ror;a e timbre, desapparecendo completamen-
te a rouquidio que tanto tempo o afHgio e que
era tida como mao symptoma.
O tratamento que o principe est agora seguin-
do simplesmente emobiente e o medico assisten-
te, considerando-o em plena e adiantada conva-
lecencia, j o visita apenas urna vez por dia.
DI amarra
Baptisou-se no dia 20 o filho do principe Wal-
demar, sendo padrinhos e madriuhas o rei e a rai-
nha da Dinamarca, o czar e a czarina.
Assistio eerimooia o duqu^ de Chartres e to-
dos os ministros.
Turqua
O plenipotenciario ingle, sir Drummond WolfT,
que, como se sabe, estava negociando em Constan
tinopla a convenco anglo- turca, sahio j d all,
antes de ratificada a convenci, e deve ter che-
gado a Marselha no vapor Dreadnought .
Diz o Daily S'W que o regresso de sir
Henry Jrummond Wolff um lastimoso fim de
misso.
O sulto tem resistido at agora ai golicitacoes
da Inglaterra e da Italia, e at do grao-visir e
dos seus prop palmente tem se esforcado por demonstrar a sua
magestade turca que os protestos de Franca ao
exagerados e que urna convenci, bem redigida e
bem explcita, nao diminuira em nada os direitos
d'aqueile soberano, antes Ihe acareara mais um
bom e poderoso alliado.
0 mbaixador francs em Constantinopla conde
de MontebellJ, tem procurado demonstrar ao sul-
io que sao os interesses deste o que elle defende,
e que nenhnma nacao, qualquer que seja, de ver
intervir no Egypto, depois da evacuscao das tro-
pas inglesas.
Aecreseenta se que o conde de Montebello pro
puxera ao grao-visir que submettesee a convenci
as potencias, e que em leguida so came teitopor
elles, se introduzssem a emendas e modificacoes
admittidas de urna e outra parte.
Disia-se tambem ha dias em Constantinoplaque
o sultio Abdul-Hamid aceitara as ultimas modi-
ficacoes da convenci e reprovaria, em compensa-
co, a cleialsdo psnstcipe Fernando Coswrgo, para
dar urna especie de Mtisiac&o a Russia. Este bon-
to tolve absurdo, porque todos erm quaa
Toxqiia acceitsr a eleico da Bulgaria, se esta
for aceito por tedas as potencias.
O Tiraes a aasevera que Kiamil pacha es
tregou ao sultio a sna demissao de gran-visir.
BulKarla
O novo priacipe da Balgaria vai partir, em va-
gem politca, para Berln e 8. Petersborgo. Seja
qual for o resultado das suas negociacSes, espera
se na Bulgaria que elle ir oceupar o seu posto,
dentre de nm mes
Aasegursm de Berln que a A'lemanhs, a Aus-
tria e a Italia respondern) a noto da Turqua e
que approvaiioa eleicio do principe Fernanio de
Coburgo para soberano da Bulgaria, se as demais
potencias tambem a approvarem.
Um despacho de Vienna para o Time afirma
que o principe de Coburgo nunca pensou em acei-
tar a cora da Bulgaria contra vontade da Russia;
comtudo, embora supponha que a sua eleicio po-
deria reconciliar a Russia com a Bulgaria, ainda
nao decidi ir a 8. Petersburgo.
Segundo o afortuna Po*t, a Austria desconfa
do principe de Coburgo, recesado que elle tome o
partido da Russia.
No meio de todas estos noticias desencootradas
e em parto contradictorias, diffieilimo apurar a
verdade.
Affirmou-se que todas as poteocius respondern
j circular turca : a Russia recusa categrica-
mente reconhecer como valida toda e qualquer de-
cisio que emane da aetual tobrani; a Inglaterra
declara-se prompto a aceitar qualquer eleicio que
preencha as condigoes fizadas no tratado de Ber-
lim ; a Franca aceito o principe de Coburgo, se as
demais potencias tambem o a"eitarem ; a Austria
vai um pouco mais longe, pois di que preciso pfir
termo situaco, elegendo nm principe, e declara
estar prompta a aceitar qualquer eleicio feito na
conformidade do tratado de Berlim.
Despachos de Vienna, de origem inglesa, dio
entender que o principe Fernando de Coburgo re-
cusar, por fim, a ccra da Bulgaria.
Um despacho de Vienna para o Tempt, dix que
faltam absolutamente noticias directos de Suba,
suppondo-se por isso que o governo da regencia in-
tercepta os despachos. Sbese, porm, qus reina
va grande desordem na Bulgaria e assevera-se que
n'uma sessao da grande Sobrante houve scenas
violentas, ebegando a travarem-se verdadeiras ri-
zas. Parece que a opposico dirigida pelo Sr. Ra-
doslavoff foi expulsa da asiembla. Correm boatos
de que em Rustchuk numerosos grupos de popula-
res fizeram urna grande manifestocao hostil ao
principe Fernando de Coburgo, e que officiaes e
soldados blgaros percorreram a cidade dando vi-
vas Russia.
Em Bucharest tinha-se recebido no dia 20 de
Julho um importante despacho de Rustchuk, com-
mnnicando noticias de verdadeira gravidade a res-
peito da Bulgaria.
Segundo este despacho, Radoslavc ff. ebefe do
governo at ha poucas semanas, foi preso em Var-
na, por ordem dos regentes. Tal toi o desenlace
das rivalidades e dos odios entre Radoslavoff e o
regente Stombuloff.
Os regentes e Stoileff, ebefe do gabinete, o ma-
jor Petroff, ministro da guerra, e o Dr. Strausky,
ministro do interior, esto actualmente em Rust-
chuk e temem ir a Sofa, recejando um go'pe de
mo da guarmeo, que partidaria de Nicolaitff.
Novas noticias de Rustchuk affirmam que os re-
gentes blgaros declaram que esto resolvidos a
proclamar a Bulgaria independente, logo que o
principe Fernando de Coburgo formule officialmen
te a sua negativa a oceupar o throno.
Os regentes apoiam a sua resolucao no facto de
que as dissencoes dos blgaros entre si sao j;i tao
agudas, que ao prolongar-ss o estado de interim-
dade cm que est todo o principado, a dissolucio
do paiz seria immediata e completa.
Se os regentes cumprem este peogramma, forma
parte do seu plae acclamar rei o principe Ale-
xandre de Battenberg.
afuliantKlo.il
Prceegue a revoluco no Atghaniaton. Houve
ba pouc.i um combate renbido entre as tropas do
emir e as dos insurgentes. A victoria coube aquel-
es, que fizeram 160 prisioneiros e mandaram 200
cabecas para abul.
N'outro combate, porm, as tribus insurgentes
de Jaghuri e Nasarab r vantagens as tropas do emir.
libas de sandwich
Um telegramma de Honolul, datado de 6 de
Julbo, e publicado no Neto York Hrrald, refere-se
revoluco das libas de Sandwich. Segundo esse
telegrairma, o rei Kalnkava, tm conversacao cm
o correspondente do celebre jornal americano, de-
clarou que nao couhicia os termos da nova consti-
tuico, mas que ella, segundo Ihe conetava, ia
transformar radicalmente os negocios pnblicos ; e
accreserntou que a nao assignaria senao forcaao.
Diz mais eese telegramma, que as ras da capi-
tal estavam cheiss de povo, muito excitado, que se
fallava em pegar em armas e que Be dizia que, se
o rei nao assignasse a constituii;o, haveria efiuso
de sangue.
As portas do palacio estavam sendo fortificadas
por operarios, e tram guardadas por 300 homens
bem armados.
Dizia-te tambem que o rei Kalakava estova
muito assustodo e que rsperava anciosamente a
ebegada de dous navios de guerra ingleses e de um
navio france, para se collecar bob a proteccio da
bandeira britannica.
EXTERIOR
Correspondencia do Diario de
Pernambaeo
PORTUGAL Lisboa, 23 de Julho de
1887
Foram proregadas (pela segunda vez) as cortes
at 30 deste mnz. E' de erer que nao seja esto a
ultima prurogacio, pois se falla em que s para 12
de Agosto ser encerrado o parltmento.
Fui assigoatura real na quinta-feira ultima
(21) a carta regia nomeando vogal do conseibo de
Estado p-ilitico o Sr. visconde de 8. Jauciario, ac-
taal ministro da guerra.
J foi votado o parecer sobre o bil de ind>mni-
dade pelos actos dictatonaes do governo, depois
de prolongada discusso-
Por noticia telegraphica recebida ante-hontem a
Lisboa, soube se que a misso portuguesa ehegou
a Pek m no dia 13 do corrente, e que no dia 20 foi
recebida p* lo Sung li-yam. As negociacoes para o
tratado luso-'hiiies cemecaro em breve.
Foi approvado, para ser ratificado pelo po-
der executivo, o convenci entre Portugal e a Ai-
li mauha sobre a delimitacio das poneiso>s e da
esphera de pfluencia de ambos s pases na fri-
ca meridional.
Na sessao de 20 deste mes na cmara fran-
cesa toi approvada a convenci celebrada em Por-
tugal em 12 de Maio de 1886 para a delimitacio
das possesces portuguesas e francesas na frica
occidental, convenci j approvada pelo senado.
J sahiram de Madrid em direceo a Pars SS.
MM. Imperiaes do Brasil e o seu neto o prncipe
D. Pedro. Suas magescadee teneciona n regressar
a Portugal, passando aqu urna parte do prximo
invern. Por essa occasiio projaatam visitar as
provincias do nor'e do reino
Vae comecar na cmara dos (esputados a
di scussio da lei sobre portos-franoos, de que tonto
se tem ecupado o nosso corpo do commercio. Na
cmara alto fiadaram os debates sobre as leis de
fizenda.
Comecou na cmara dos deputados a discusso
sobre a revisio das pautas aduaneiras.
A sen hora infanta D. Antonia, irm de l'.l -
Rei escreveu para Portugal, disendo que desejiiva
possuir os retratos das pessoas que em Lisboa co-
nheceu e c m quem tratou mais intimamente.
Para satisfazer ao desejo de 8. A., a seniora
marquesa do Funchal tenciona offereccr-lhe um
lbum com todas essas photographiaa.
Segundo urna declaracio do Sr. conselhiiro
Jos Luciano de Castro, presidente do conselhc de
ministros, a actual sessao legislativa nao ser en-
cerrada sem que esteja reaolvida a questio doi ta-
ba coa
Tambem ser discutido antes do encerrami rito
das cortes o projecto de lei relativo reorgansa
ci do recrutamento militar.
i A consequencia de tanto desfirdicio de rhjto-
rica nos primeiros meces da sessao que afadiga
extrema agora, pois ba todos os das sessoes di-
urnas e nocturnas.
Succumbiu na Boa-Viagem a alguna kilme-
tros de Lisboa no dia 21 deste me o tenente-coro-
nel do estadc-msioi- de artilheria Thomas Frede-
rico Pereira Bastos, lente da 3> cadeira da Escola
do Exercito, antigo deputado e jomalista. Perten
cia ao partido pregressito e era de ha mnito indi-
gitado pelos seus correligionarios para gerir a
pasto da guerra.
Tendo as Ihe aggravado antigos e pertinaces
padecimentcs o sen organismo j mnito debilitado
nao poude resistir. Contava 48 annos de idade.
Tatema Bastos era nm jornaliata de primeira pa-
aa, Foi redactor do Diario Papular por muitos au-
nes tm collaborafaa comoSr. Marianno Cyrillo oe
Liavvalho, actual ministro da fazenda, e era o cor-
respondente effectivo do Primeiro de Janeiro, or-
gia progrsssista rio eom que tratara de todas as qnestoes era mni-
to notavel. Fundou ba annos o Pimp&o, tolha jo-
cosa,semanal, que ainda existe. Os graciosissimos
artigos de fundo eram quasi sempre da sua lavra
e sahiam firmados com o pseudonymo da Sancho
Panca.
Oceupa va com muito dittnecao o seu lugar de
lente, e como orador parlamentar os seus discursos
sobresahisun pela forca da argumentacio, ameniJa-
de da lrma e invariavel cortesa para com os eeus
adversarios. Por isso tambem a imprensa de todos
os matises polticos presta saudosa homenagem
sua memoria.
Thomas Bastos, as ultimas eleico s foi o can-
didato que mais votos reuni por um des circuios
de Lisboa, devendo mais essa votacio sua ex-
traordinaria popularidade, que disciplina parti-
daria,dizia hontem um peridico progressisto. Infe-
lizmente nesto legislatura apenas poude ir cama
ra urna ou duas veses.
Nasceu o mallogrado jornalisto em 1839 e sen-
tn praca em 1859, pertencendo arma de artilhe-
ria. Sabiu segundo tenente em 1862, primeiro l-
ente em 1864, capitio em 1868, major em 1883 e
tenente-coronel em 1886.
Possuia algumas ordens estrangeiras e entre es-
tas a commenda de Gustavo da Suecia e a com-
menda da ordem militar portuguesa de S. Benfo
de Avis, ordrm a que e os officiaes militares teem
direito. Tinha tambem a medalha de prata de
comportomento exemplar.
No tracto familiar era Thoma Bastos d'oma
verve inimitavel e poda contar-se entre os melho-
res conversadores.
Pdlo circulo de Lisboa de que era representan
te o Ilustre finado, eujo funeral se realisar boje,
tem de proceder-se a nova eleicio.
Espera se que ao sahimento fnebre comprela
extraordinaria concurrencia, por quanto a ana
norte foi profundamente sentida, podendo esto
perda registrar se como urna das m^is importan-
tes que, oestes ltimos annos tem soffrido o par-
tido progresis!*
Urna parte da s-ssio de hontem foi consagrada
a prestar o devido culto de saudade e respeito
memoria de Thoma Bastos.
Com palavraa verdadeirameute sentidas, o pre-
sidente da Cmara das Deputados propoz que se
lancasae na acti um voto de pesar pela perda do
distincto pirlamentar e do jornalirta eminente.
Falln depis o Sr. Alves Matbeus (da maiora),
fazendo com muita elevacio o elogio daquelle que
tora seu amigo dilecto e all (ora antigo compa-
nheiro, porque ambos entraram pela primeira ve
juntos no Parlamento.
Os Srs. ministros da justica e da guerra, em
nome do governo, associaram-se ao voto de senti-
mento e aos elogios da Cmara.
O Sr. Avellar Machado em nome da opp sicio
regeneradora, que o apoiou muito, juntou-se a
esta maniiestacao e proounciou um breve dis-
curso.
Tambem como oficial de artilharia e em nome
da sua classe o Sr. Machado fez o elogio do seu
finado camarada e antigo professor
Foi to cemmovente como expontanea esta ma-
nitestacio.
Na mesma cmara entrou bonO-m em dis-
cuso, na primeira parte da ordem do dia a re-
visio oas tarifas e sidos dos fficiaes do exercito,
fallando por parte da opposicio os Srs. Serpa
Pinto, Avellar Machado, Jos de Ascvedo Cast-I-
o Branco, Joao Pinto Rodrigues dos Santos e
Dantas Baradeo, que proposeram algumas emen-
das.
Responderam os Srs ministro da guerra e o re-
lator do projecto Julio de Abreu e Sonsa. Este
orador requereu que se coneultasse a Cmara para
entrarem em discusso conjunctamente todos os
artigos do projecto, embora se separasse a vota-
cio em relacio a cada um.
A urna pergunta de um deputado por Cabo
Verde, o ministro da fazenda respoodeu que o
governo tenciona apreaentar na prxima sessao
um projecto de lei no sentida de melhorar tam-
bem os saldos do exercito do ultramar.
O projecto das tarifas voton-se em seguida.
J passaram, (isto foram votados) na Cmara
dos Pares os projectos relativos s recebedorlas
de Litboa e a compra de urna casa para caixa eco-
nmica.
Voton se depois o projecto de recompensa ao
guarda manuba e cabo de marinheiros, que tio
heroicamente se houveram em Mozambique.
Falleceu em Ponta Delgada (ilaa de S. Mi-
guel) a Sra. D. Marianna Isabel de Menezea Le-
mos e Carvalbo Lopes Soeiro de Amorim Rodri-
gues da Silveira, 1* baronesa e 1* condessa de
Ponte Bella.
A 'lustre senhora, que pertencia a urna das
mais nobres e mais distinctas familias dos Acares,
iiHsc-ra na liba Terceira a 16 de outubrode 1794
e casara em 1818 com o 1 bario de Fonte Bella
um dos mais opulentos fidalgos roichadenses, que
falleceu ba mais de 15 anuos, dtixando enorme
fortuna sua viuva.
Falla-se em que 8. M. a rainha a Sra. D.
Mara Pa ir nos principios de Agesto prximo s
Caldas da Rainha e a Liria. A jornada ser feito
pela linha frrea, para o que se esto activando
os trabalhos. para coja concluso j pouco falto.
Achase suspensa em Portugal a recepcio
de (ncommendas postaes procedentes da Italia,
visto grasssr o cholera em alguns pontos daquelle
paiz, sobre tudo na Sicilia.
Keeeia-se mnito o mevimento dos llos do
murgem direita do Tejo em frente de Lisboa, e
ind8pensavel preceder-se para que as obras dos
melboramentos do rio, nio aparecam doencas de
mo carcter, febree paludosas sobretudo.
J vieram dragas de grandes dimensoes e muita
fi rva, barcaria e muitos outros utenciloa e par
aciommodar e^tes se esto construindo grandes
barracoes no Aterro da Boa-Vista
As obras do grande tunnel que deve partir da
praca dos Restauradores junto ao Roci, onda vai
eatabelecer-se a estacio contrados caminhos de
ferro, j vio proseguindo com grande deenvolvi-
mento. A demolido do Colyseu dos Recreios est
prompto dentro em poucos dias.
Realisou-se a 20 o casamento da senhora
marquesa do Fayal, filha dos Srs. duques de Cal-
mella com o Sr. Luiz Borjes Coutinbo de Medei-
ros, filho segundo dos Srs. condes da Praia e
Monforte. El Rei agraciou o noivo com o titulo
de marques do Faysal.
Tudo que ha de mais distincto na aristocracia
portuguesa fra convidado para a ceremonia nup-
cial, qie foi celebiada na capella do sumptuoso
palacio Palmella, na ra da Escola Polytech-
nica.
Perto do meio dia, hora aprazada para a cere-
monia, apeava-se de suas equipagens de luxo os
convidados.
Pouco depois entrava na sala amarella, onde
se haviam reunido os convidados, sua eminencia
o cardal patriarcha de Lisboa, acompanhado de
dous conegos, varios outros ecclesiasticos e f-
mulos.
Seguiam-n'o o Sr. duque de Palmella, dando o
braco a senhora marquesa do Tayal, vest la de
setim branco, com riquissimas rendas antigs e a
tradiccional cora de ior de larsogeira. Depois
ia o noivo, dando o braco senhora de Palmella,
e os condes da Praia e Monfort, padrinhos e ma-
drinhas, e os demais convidados.
Todo este brilbante cortejo ae dirigi para a
capella qne fica no andar superior do palacio.
A escada que para l condus e a sala contigua
i capella estavam lateralmente cobertos de flores
e de verdura, aposentando um aspecto encan-
tador.
A capella muito espacosa muito bonita, no
estylo Luis XV, com deeoracoes e pinturas, no
genero da sala da bibliotbeca da Uuiversidade de
Coimbra. A' cada porto da capella perfilavam-se
dous archeiros com as respectivas alabardas. Ao
lado direito do altor acbava-se um docel urna
cadeira de espaldar de velludo vermelho com pre-
eiosos lavrorea na guamico de metal. Foi all
que se apreeeutou o prelado. Os noivos ajoelha-
ram-se em dous gem flexorios.
No corpo da capella tomaram lugar as senboras
e no fundo os cavalheiros. as differentes tribu-
nas viam-se os parentes mais prximos dos
noivos. ^
Entio comecou a ceremonia, pronunciando o
o cardeal patriarcha um longo discurso, lindo o
qual se celebrou o casamento.
Foram madrnhaa as senboras marquesa das
Minas, prima da Sra. marquesa de Palmella e a
Sra. D. Carolina Brederode Smitn, tia do Sr. du-
que de Palmella. Os padrinhos foram os Srs. con-
de da Silva e Dr. Joao de Andrade A'buquerque,
ambos cunhados do Sr. conde da Praia. Em se-
guida resou-se urna missa, tocando o orgio va-
rias pecas de msica religiosas.
Finda a ceremonia o cortejo dos noivos e convi-
dadas volton aos saldes do andar nobre, abrindo
se pouco depois o buffett em qne se servio um
esplendido almoco.
A mesa em que se ostentavam as mais delica-
das e orecioeas iguarias e em que brilhava a ri-
quiseima baixela da casa, tinha no eeatro, sahin-
do de massicos de espinheiros, grandes bloees de
gelo que suavisavam a temperatura da sala.
N sala encarnada viam-se os presentes com
que toi brindada a noiva. Os jornaea publicaran)
a relacio desses presentes e por quem offereci-
dos. Representara grandes valores, avultando o
numero de joias caras.
Os Srs. duques de Palmella offereceram ao car-
deal patriarcha urna riquisima crut de ouro sin
selada e cravejada de pedras preciosas.
A's 4,200 creanca dos asylos d- infancia foi
nesse dia distribuido um jantor succul-nto, dadi
va do Sr. duque ; s Sra. duquesa mandou distri-
buir um grande bodo a 100 pobres.
Perto d.s 3 1|2 da tarde os noivos partiram em
nm lindo conp oflerecido pelo Sr. duque sua
til ha, para a quinta do Lutniar.
Dentro em oito dias os marqueses do Tayal
partem em viagem de recreio para o estrangeiro.
PERNAMBCO
Caixa Econmica e Monte de Soc-
corro de Pernambaeo
Balance le em 31 de Julho de
188*
CAIXA ECONMICA
Activo
Thesouraria de Fazendaconto dt>
depoaito 818:801*670
Thesouraria de Fazendaconto de
juros 288:042*005
Monte de soccorroconto de pas-
sagem 74:038*047
Caixa V7o#000
1,181:657*722
Pattivo
Depsitos em contes correntes
1,181:657*722
MONTE DE SOCCORRO
Activo
Emprestim08 sobre penhores 123:8874I:i6
Valores depositados 158:979*377
Movis 6:111*627
Cadernetes 93*604
Apolicea da divida publica provin-
cial 1:000*000
Despezas geraes 10:369*410
Caixa 584*237
3'il:025*411
Patsivo
Capital
Cautelas de penhores
Juros
Caixa econmicaconta de passa-
gem
Thesouraria de Fazendacoate de
emprestimo
Saldos de ptnhores vendidos em
leilio
Saldos de penhore prescriptos
Lucros e perdas
18:181*215
158:979*377
7:542*617
74:038*047
37:130*270
4:619*095
308*860
225*930
301:025*411
&E.&0.
Recite, 3 ile Agosto de 1887.
O gerente,
Felino D. Ferreira Coelho.
ial
Capital do do Banco Rs. 20:000:0005000
dem realiaado c 8:000:000000
Fundo de reserva 60:000(5000
Balanco
DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBCO, EM
30 DE JULHO DE 1887
Activo
Letras descontadas 163.628*320
Cantas correntes caucionadas 154.757*520
Caixas, Matriz e Filiaes 605.525*260
Diversas agencias 24-'.072*970
Valores depositados 110.505*180
Diversas coutoa 40.581*340
Letras rec-ber 139.075*450
Caixa :
Em moeda corrente 730.174*770
Rs, 2.186.320.810
Passivo
Depsitos :
Contas correntes de
movimento....... 695.398.910
Uit-.s d i tas com 1
aviso..........| 603.632 220
Letras a premio )
F -----------------1.299.031.130
Diversas garantius 110.505.180
Diversas ag acias 8.759.510
Caixas, Matri e Fuaes 227.834.790
Diversas centae 540.190.170
Rs. 2:186.320.810
S. E. &0.
Ptrnambuco, 3 de Agosto de 1887.
(Assignados) \V. M. Webster,
gerente.
C. F. Cuddon,
guarda-livros.
english Bank of Ro de faneiro
(Limited)
Capital do Banco era 50,000
accoes de 20 cada urna 1.000,000
Capital realisado...... 500,000
Fuudo de reserva...... 200,000
BALANCO DA CAIXA FILIALES! PERNAMBCO,
EM 30 DE JULHO DE 1887
Activo
Letras descontadas....... 184:118*390
Emprestimos e contas caucio-
nadas.............. 480:4O6,J0O0
Letras a receber......... 359:46990
Garantas e valores depositados 185:824^000
Mobilia, etc. do banco..... 3:868A190
Diversas contas......... 875:b70990
Caixa............... 667:4O6820
Rs. 2,756:657980
229:426*940
Pattivo
Contas correntes
simples ....
Deposito a prazo
fixo com aviso
e por letras l,940:365*2J-0
-------------------2,169:792,}190
Letras a pagar......... 3:836010
Ttulos em cauco e deposito. 185:824^000
Diversas contas......... 397:205J780
Rs. 2,756:657*980
8. E. & O.
Prnambuco,3 de Agosto de 1887.
Henry K. Oregory, manager.
/. K. Eddowes, pro accountant.
IttviSTA DIARIA
erglpe e Alagoae-Recebemos hontem
folhas de Ar acaj e Macei ale aneando a 27 e 31
do mes prximo fndo.
__ No dia 23, no lugar denominado Rio Com-
prido do termo de 8. Christovau, foi assaseinado
Jos Francisco, por Domingos .los dos Santos.
O assassioo foi preso em flagrante e o delegado
respectivo procedeu corpo de dehetoe mais deli-
gencias recommendadas por lei.
Em Aracuj fallecer a 20 Manoel Sonto de
Andrade, veterano da independencia.
Cnegara a 26 o Dr. Clemente de Olveira
Mendes, chete de pelicia das Alagoas, que tomou
poBse do cargo.
Lemos no Orbe de 29 :
Victima de urna lesio cardiaca que zombou
dos recursoslda sciencia, succumDiu hontem pela
maobi o Exm. Sr. Dr. Francisco Ildefonso Ribeiro
de Menazes, deputado geral pele 3* districto desta
provincia.
O finado militou sempre as fileiras do parti-
do liberal onde deixon um vacuo inaupprivel.
A sua Exma. familia e especialmente aos nossos
amigos Drs. Jos Angelo, Manoel Meneaese tenen-
te-coronel Alcntara nossos sentimentos de verda-
dero pesar.
A Al fandera rendara no mes pascado......
67:212*048.
Perro via do Bonito A directora deata
empresa deliberou que fossem chamados os accio-
nistas para no praso de 60 dias, a contar de hoje,
realisarem a 7* entrada de 10 */o sobre ojvalor de
suas aecoes conforme o nico do art. 4 dos res-
pectivos estatutos.
Paquete franceDos portos da Europa
ehegou hontem o paquete francs enegal e hon-
tem mesmo depois da demora do costume seguio
pra o sul.
Llberdade A Sra D Ignacia Mara Susa-
na de Albuquerque, em regoaijo ao consorcio de
sua cara filha O. Anna Mara de Albuquerque
com o Sr. Manoel Jos de Magalhies, concedeu
liberdade sem onus alguno a sua escravisada de
nome Silviua
Actos, como este registramos com satisfaco.
Lberac6ea O Sr. Jos Ladislao Pereira
da Silva escreveu-nos hontem o seguinto :
. Carece de rectificacio a noticia inserta na
Revista do Diario de boje acerca da libertaco do
escravo Eeydio, concedida pelo Exm. Sr. desem-
bargador Francisco de Assis Oliveira Maciel e
sua Exma. consorte.
Nio foi somente este, mas, igualmente liber-
tado na mesma occasiio e sem condicio alguma,
a escravisada Miona, nicos possuidos pelo be-
nemrito desembareador.
O que posso (firmar a V. S. porque, no do-
mingo ultimo, assistindo ao jantar qne o illustre
desembargador Maciel offireceu a alguna do seus
amigos, c.'Ubo-me a honra de fazer entrega da
respectiva carta libertanda.
E' com a maior satisfaco que inserimos esta
communicaco.
Providencien Escreversm-nos o se-
guinte :
Dignem-se Vv. Ss. reclamar com toda a
instancia e de quem as poder e quizer dir, provi-
dencias afim de que nao se renov o abuso de se
faser uo caes do rtamos a queima de barcacas, de-
fronte do8armazeoBde algodio, actualmente cheios
dessa infl'immavel substancia.
O pavoroso incendio qne ltimamente devo
rsu ouze armazens do mesmo caes, parece que
nio servio de exemplo e nem toi suficiente para
cor-igir a incuria ou saciar a perversidade dos
qu> tem em pouca conto a vida e os bens de seus
semelh intes.
Gracia s reciamacoes que Vv. Ss. fiz-ratn
ha cerca de ees mezes, a p-atici de tio perigoso
acto cessou com as provid digno Sr. capitio do porto ; mas, a^. ixne parece,
vai agora renascer e desta vez com maior constan
ci-w e vigor. J hontem se f" a queima de urna
barraca ; urna segunda foi hoje queimada e mais
tres ou quatro s estio aguardando que a 'sabida
de urna dell is lhes abra o espaco necessario, para
o mesmo fi.u
O digno Sr. capitio Uo porto que, "como sou-
b^aio designou um lugar na praia de Santa Rita
para o concert e a queima das barcaets, nio ter
por ventura noticia ao que se est passando em
contravencao s suas ordens t
Com a publicacio destas linhas V. Ss.
prestaro sem duvida, um relevante servieo a
causa publica e especialmente mo moradores do
caes do Ramos.
Companbia Ferro Carril Remstte-
ram-nos o seguinte :
Hoje pelas 9 horas da manhi o bond que vi-
nha por Santo Amaro (Asylo) desencarriihou na
rampa existente nos trilhos collocados no oitio
Ja Assembla Provincial e por pouco nio virou com
os passageiros !
O Hlm. Sr. gereute pode prevenir algum acon-
tecimento (funesto, verificando a liub n'aquelle
ponto e mandando faser o aterro necesario.
Nio ser grande a despeza e evitar se-ha al-
gum desastre no futuro. *
Beanlftea sociaes Ha hoje ss seguio-
tes :
Dob profe3Bors da EjcoU Normal da Sociedade
Propagadora da Instruecao Publica, s 5 1/2 ho
ras da tarde, para negocios urgentes e importan-
tes.
Da Associacio Portuguesa de Beneficencia, s
7 1/2 horas da noite, na ade social, em assemb!a
geral, para leitura dos relatnos.
Do Instituto Archeolsgico, hora do costume,
em sessio ordinal ia.
Do Club Litterario Pinto Jnior, na respectiva
sede, para tr-ictar de interesses sociaes.
Do Olub Carlos G-omes, em sua sede, em sessio
do conselho administrativo.
Amanhi: .
Da Imperial Sociedade dos Artistas Mchameos
e Liberaes, s 6 horas da tarde, em sua sede, em
assembla geral, que tunecionar com o numero
que comparecer.
Jornal de Medicina e Pbarimacla
D- Paria recebemos hontem o n. 11 deste quinse-
nario, cujo summario este :
Bolbftim. Aprophylaxia da raivaOsear de
Araujo.
Trabalhos originaes. Lei atmica ou thermica
(de Rabuteau) applicada aos venenosDr. Sooza
Lima. .
Conaideracoes geraes sobre os cemitenos. Os
car de Araujo.
Caeos clnicos. Hepatite aguda, vasto abettsso
punecionado 4 mezes depois da invaaio da mo-
lesta-
Sociedade francea de opbtalmologia. Uletomia
e iridectomia secundaria. Catarata uaphtalina.
Agustn Gaviln
Sociedade de medicina de Berlim. Estrei la-
mento da trachea arteria. Dous casos de tumores
abdorainaea. Ambliopiasalcoolicas. Algumasnotss
sobre a actividade estomacalVicente Santoni.
Sociedade de medicina interna de Berlim.
Bactems que produsem o acido sulfhydrico. Coli
cas nepbriticas. Dous casos de infecoao sptica.
Vicente Santoni.
Formulario. t
Necrologa.
Noticiario.
nformacoes uteis
Bevae Sad-Amerlcalne Deste quinze
nario, que se publica em Paris, rec bemoB tambem
hoatein o n. 124.
E' esto o seu summario:
Le six eme anniversaire. -L'empereur du Br-
sil, dom Pedro II, par P. S. Lamas.-Le pays des
Pampas (fin), par Mariano A. Pelliza.Le conflit
anglo vnzulien, par Louis Uuilaine Viriles
sur l'nmigration la Rpublique Argentino et
au Brsil, par Herbert Smith Banque nationale
pe I'Uruguay, baaes d'tablissemeut.Aux emi-
grante pour la Bpublique Argentino, par Louis
Guiliaine.Courrier d'Ainrique.-Revue Econo-
mique.Revue financire.Aunonces.
Velbo valenleEscrevem-nos de Minaa
Geraes:
Levo ao conhecimento de V. para ter a devi-
da publicidade o seguinte:
No dia 23 de Maio ultimo caaou-se, no arr..ial
da Itinga, sede da freguesia do mesmo nome, e
pertencente esto comarca de Arassuahy, da pro-
vincia de Minas-Geraes, o faaendeiro de nome Jo-
s Alves Ribeiro, de idade de 78 annos, e tendo
de descendencia do seu primeiro matrimonio 10
filhos, 48 netos e 14 bisnetos, dando-se a circum-
stancia de ter se casado no dia 21 do mesmo mes
urna aua neta de 16 annos mais ou menos, e es-
tar o macrobio de que fallo no gozo de todas as
faculdades.
Garanto o que venbo de diier.
4guas Bella E.icreve o nosso corres-
pondente :
Depois da min.ia ultima, pouoo tem occorrido,
mas na qualidade de correspondente, entendo que
devo ser alguma ceuaa assiduo, e eis a razo por-
que nio aguardo um grande numero de noticias.
i Acha se funecionando a Cmara Municipal, e
no louvavel empenho com que se tem destinguido
das cmaras transactas, procura impor-se as sym-
pathias de seus municipes, inelhorando um estado
de cousas que a muito reclamava um melhora-
mento.
Agora mesmo acaba de dirigir-se ao governo
imperial pedindo para que a rede telegraphica le
estenda at este municipio, ligando assim a capi-
tal com um de seus centros que prima pela agri-
cultura, criacio e populacio. E' de esperar que
0 governo attenda a to justo pedido dotando este
municipio com um melhoramento de tanta vanta-
gem, mxime quando nio demanda elle grandes
desp-sas, porque segundo nos informam a Cmara
offereceu um predio com as accommodocoes pre-
cisas para servir da estacio telegraphica. Os
Aguas-bellenses, amantes do progreaso, dario mil
louvorea a sua municipalidade, por esse acto, urna
ve realisados os seus desejos ; e por nossa parte
pedimos ao Exm. Sr. presidente da provincia, por
intermedio de quem dirigi a cmara o seu pedi-
do, faca-o seguir com brevidede ao governo im-
perial.
' Nia obstante as decepces porque passa quem
pede, o Rvd. vigario desta freguezia. no in'uito
de qne esto parte do mundo catbolico concorra
para a missa pontifical, vai arrostondo a todas
essas decepces e colbendo de seus parochianoa
um bolo para Roma.
Nomeou para isso diversas commisses e por
que estas nio satisfizesem a sua expectativa sabio
elle propno da porto em porta pedindo urna es-
mela, tosemos sentir a toda neeessidade ou por
outra, o dever que cada catholco tenha Je con-
correr para aquelleacto. O que certo, que,
segundo nos affirmam pessoas fidedignas, desta lo-
calidade seguir urna boa gorgeca para Roma,
alm de algumas preciosidades de que tem feito
acquisicao o vigario para a eipoeicao no grande
dia o jubilen de Lelo XIII.
Pal me ira de (-ranhunaEm 1 do cor-
rente escre veram nos desta local idade o seguinte :
Ti vemos hontem aqui um dia festivo e que
parece assignalar o comeen de urna epocba glo-
riosa para o lugar.
E' s caso : Encorporados tiz thti sua apre-
sentaco oficial os officiaes da guarda nacional
do batalho n. 57 de que muito digno comman-
danteo tenente-coronel Francisco Pereira de Car-
valho.
Este agradeceodo a sena commandados em
cujo procediinento, disse, nao ver s um cumpri-
mento de dever, e sim sobretudo attences pes-
soaes e si, declarou que em signa do prazer que
experimentara, conceda liberdade a suas escra-
vas Paula e Arcbangela.
Respondido e por sua vez agradeeendo ta-
manha prova de apreco, os capites Joaquim Jos
de Veras e Jos Paes de Barros declararais tam-
bem libertaren! o primeiro sen escravo Francisco
e o ultimo sua escrava Felisdora, a quem admitti-
ra a seu servieo mediante salario.
' A isso assistio o honrado agricnltor ooo Jos
Soaies que disse nio ser indi fl-rente ao regosijo
de seus amigo?, em cuja hcmeuHgem declarou li-
vrea os seus escravos Manoel e Paulo.
* E' iudescriptivel a sceua de alegra que se
pa-sou : os beneficiados a bemteitcres coufundiam-
ae em suas manifesta;5es de praz:r e agradeci-
mento.
E' de justica aqui consignarnos tambem o
acto nio m-mos louvavel do Rvd. Manoel Ec>ydio
de Oliveira qu libertou tombem sm onus a eua
nica escrava Mara ; isso em preito ao Exm.
diocesano e no dia 29 de Juulio ultimo
Praza aos cos que em breve lenhamos de
n iticiar a liberdade completa da eseravaturs deate
districto, que diminuta. >
Po-d'<*lboEm 1' do orrente escrevem-
ii 13 desta cidade notic ando o seguinte :
No dia 12 de Julho, fiado, s 10 horas da ma-
nhi, em trem especial, ehegou a esta cidade o
Exm. Sr. presidente du provincia, acompanhado
do seu secretario, do ajulaote de ordena, do ge-
neral commandaute das armas e d > Dr. inspector
da saude publica.
S. Exc. percorreu as priacipaes ras desta
cidade ; visiten a igreja matriz, a casa da cma-
ra municipal a cadeia publica e as escolas publi-
cas, encontrando-as funecionando mui regular-
ui'iite ; e visitou tambm o Dr. jui de direito des-
ta comarca, cm cuja casa poucos minutos de-
morou-se.
A's 11 horas, retirou-se S. Exc. para a cida-
da do Limoeiro, seudo acompanhado estacio des-
ta cidade pelos senhore: Dr. juiz de direito, Dr.
promotor publico, Dr. juiz municipal, delegado de
polica coadjuctor desta parochia, colltccor das
rendas geraes e tabellio de notas.
No dia 16, s 6 horas da maaha na igreja ma-
triz desta cidade, foram celebiadas tres miasas
pela alma do professor Jos Eduardo de Souza
Landim, depois do que, teve lugar un memen-
to solemne com libera.
No mesmo dia 16, s 7 horas da noute, na
igreja de Nossa Senhora do Livramento, houve
novena a Nossa Senhora do Carmo ; no dia 17, s
10 horas da manb, missa cantada e s 7 horas
da noute ladainha, etc., tocando a orchestra e a
sociedade Philarmooica desta cidade. Em conclu-
so houve fogo de artificio e um balio.
A igreja esteve bastante concorrida.
i No dia 20, a sociedade Philarmonica Po-d'A-
Ihense dispensou o professor Jos Flix da Trin-
dade que a regia.
< No domingo 24, o subdelegado de polica do
1 districto deste termo, de poase do mandado de
prisio expedido pelo juizo municipal contra Joao
Bezerra de Mello, morador no lugar Tabaruna,
pronunciado no art. 257 do Cod. i.nm., dirigi-
se em diligencia aquelle lugar e prenden o referi-
da criminoso, que se acha recolhido cadeia pu-
blica desta cidade.
* No dia 26, pela maobi, no lugar Eixinho, do
2- districto deste termo, na casa commercial de
Manoel Carneiro de Albuquerque, o preto Joaquim
Anselmo, que se diz escravo do Dr. juiz de direito
da comarca de Timbauba, assassinou brbaramen-
te, com urna puahi'lada ao ini-.liz subdelegado,
primeiro supplente daquelle districto, capitio Ma-
no 1 Ignacio Cavalcante de Albuquerque, que es-
tova em exercicio.
Preso o criminoso em flagrante foi apresenta-
do ao subdelegado eflectivo do mesmo districto,
alferes Jos Vieira de Mello Franco, que, assu-
mindo logo o exercicio d seu cargo, fez lavrar o
auto de f igrancia, depois do que, mandou proce-
der exame no cadver du infeliz victima, sendo
reajtttido o picso par* sta cidade, a t id de ser
ecolhido a cadeia publica, onde ebegando s 10
horas da noute, foi apresentado-ao delegado de
polica deste termo, que o vendo com lerimentos
na cabeca, mandou logo vistorial-o, sendo os feri-
mentos considerados leves e em seguida fel-o re-
coiber a cadeia.
No dia seguinte 27, de manhi, seguio o dele-
gado para o 2- districto, afim do syndtcar do oc-
corrido. |
O criminoso Joaquim Anselmo, no mesmo dia
27 tarde, falleceu, requereodo logo o Dr. promo-
tor publico ao Dr. juiz municipal, exame no cad-
ver o qual se procedeu, declarando os peritos me
a causa da morte tora congeatio cerebral.
O delegado procedeu inquerito policial acerca
do asaassiuato do infeliz subdelegado, e hontem
fez delle remessa ao juizo competente.
No dia 28. s 11 horas da noute, em trras
do eugeoho Camilla deste termo, oliherto Matbeus
do Reg Accioli, na occasiio em que se diriga
para casa, sjffreu um tiro, que Ihe fra dispaiado
de embscala, nao sabendo d'onde partir.
Comparecendo perante o subdelegado do 1
districto, foi vistoriado e os peritos declararam le-
ves os ferimontos.
No dia 30, s 6 horas da tarde, ainda em tr-
ras do eagenho Camilla, Antonio Gomes d Silva,
vendo passar os individuos Maniel Moreira de
Jess, Manoel Jeronymo Carneiro e Jos Pedro da
Silva, a elles se dirigi para fazer-lhes urna per-
gunta, resultando della sabir Antonio Gomes
bastante espantado e se apresentando ao subdele-
gado, foi vistoriado, declarando os peritos que os
lerimentos eram leves.
< Ainda no da 30, s 8 h -ras da noute, no lu-
gar Santa Tbereza desta cidade, Euzebio Rogerio
Cyrillo, achaodo-se bastante alcoolisado, penetrou
no interior da casa de Francisco Martina, armado
de faca e espingarda, tentando assassinal-o ; e
aos gritos de soccorro do aggredido acudiram o
inspector de quarterio e alguns paisanos, que
prenderam o aggressor em flagrante. O subdele-
gado do 1 districto, a quem toi apresentado o
preso, mandou lavrar o auto de flagrancia e abri
inquerito policial.
No da 39, o Illm. Sr. capitio Francisco Vi-
dal Aranha Montenegro, proprietorio do engenbo
rara, desta freguezia, em homenagem a SereniB-
sima Princesa Imperial Regente, pelo seu feliz an-
niversatio nata icio, libertou deseseis escravos,
quu possuia, nove dos quaes sem condicio al-
guma.
< Felicitamos ao Sr. capitio Montenegro pelo
acto espontaneo que acaba de praticar, mostran-
do que tem um corsoio magnnimo, dotado de
sentimentos nobres e humanitarios.
Registramos com prazer esse acto digno de
ser geralmeote imitado.
Nada ha mais digno de mencio.
Au revoir .
E Em 14 do me prximo lindo es reve-
ram-uos desta villa o seguinte :

%*
'

I



l%*
Diario de Peruambaco---Quiata--feir& A de Agosto de 1887

i


Vientos pedir a vossa benevolencia e a vosa*
attenco para aermoa o missivista desta comarca,
pedindo-vos desculpa da m redacco e do estylo,
pois nanea eaerevemoa ao publico, e demais o ho-
mem o resaltado do maio social em que vive.
Nao pudendo nesta noticiar todos os factos
dados nesta comarca, seguimos o syatema dasi-
metrico.
Este anno tivemos bom invern de sorte que
os legumes estilo baratissimes ; em conpensaco,
porm, temos as febres e as sesoes que tm assola-
do estes lugares, excepto Ouricury, isto villa e
ciruumvisinbaucis de pencas leguas, mas que com
a approximatao do niez de Agesto vo diminoindo
paulatinamente.
-So dia 18 de Abril foi suomettido a jnlga
ment o reo Raymuado Pimentel Rodovalho, pelo
crime de faumentos graves na pesada de Vicencia
de Hollanda Cavalcante.
Foi absolvido unnimemente, consequencia do
jury do serto '
O promotor de ento Dr. Asteria Mathias Pc-
reira da Costa, esteve ua altara que exigia o sea
cargo ; houve doas advogados, sendo : um de Pal-
mmra dos Indios que veio ao termo de Ouricury,
cobrar urna divida de tres contoa e tantos de um
tenente coronel deaie termo, faxendo a figura mais
pansa na cadeira da dtteza, a ponto de o promo
tor em asarte dado dizer :quod probandum, elle
resp^ndeu :Develvo intacto o insulto !
O outro advocado foi o celebrrimo Joaquim
Jos Ribeiro, t-x promotor, conhecido aqu por Bu-
dio de Escama.
No jury deu-se um incidente.
Faltando urna testemunba e o promotor au
a dispensando, porque esta testemunba. segando
oavi dizer pelo promotor, fazia luz ao processo, o
Dr. juiz de direito poz o promotor publico n'um
dilemma : ou o promotor dispenaava a testemunba
ou os jurados haviam de passar tantos dias quan-
tos ijssem precisos para apparecer a testem"nha,
que nao foi citada por culpa do 2. supplente
Fianciseo Galdiuo de Araujo, que se esquec-u de
a inundar notificar.
Nao podemos deixar de consignar que n'esta
comarca uo ha padres, de sorte que ama pesc-i
querendo se casar vai para a Grato M Jardm,
provincia do Ge -r.
Ouricury tem um vigario, mas o mesmo que
nao ter, porque un) Csar, s faz o que quer e qn-ni-
do quer, poia morando juuto da igreja s diz miaaa
de quinze dias em quinze das ; entretanto so no
dia que elle uo diz missa apparecem baptisadoa
ou casain- utos, elle os faz -pecunia super omma.
Guarnamos a attenco do virtu so prelado 8.
Exc. o Sr. o.apj diocesano para estes factos ames-
quinhad res da religiao de Cbristo, como para o
facto de dizer missa sem a pe Ira d'ara, visto a ter
quebrado um afilhado doido, do mesmo vigario, o
que crime perantc as lea eccleaiasti as.
O foro n'esta cumarca quasi morto, sobr.--
sabindo o termo de Ouricury.
Au revoir.
Directora das obra* de conserva-
cao dos portnBoletim meteorolgico do
dia 2 de Ae> sto da 1837 :
Anjlo de Mendlcidade O mo\ imento
desse estabelecimentu de carldade, dorante e mez
de Julho, foi o seguinte :
Homens
Existiain
Eatraram
Sahiram
as enfermaras
Existem
Entraram
Tiveram alia
Faileceram
Existem :
as enfermaras
Noa dormitorios
75
3
78
4
7*
24
6
30
7
23
21
53
74
Mullierea
195
5
110
6
104
33
4
37
7
m
4
!6
78
11)4
Total 178.
Escola de instrueco primaria :
Foi frequentada poi 12 alumnos.
Lotera diversa*A 3asa Feliz, de A.
A. dos Santos Porto, na prafa da Independencia
ns. 37 e 3.', tem a venda os bilhetes das seguiutes
loteriaa :
Provincia : premio grande 12:000J(X<0 que
se extrabir quando for annunciada as 2 horas da
tarde em beneficio da Santa Casa de Misericordia
do Recife.
Eapirito-Santo : premio grande 60:0004000
se extrahir amanh 5 do crrante.
Sauta-Catharina: premio granda 50:0034
ser extr.uida bievemente.
Parahyba: premio grande 20:00040'J3 se
extrahir boje 4 do corrente.
Cear : premio grande 15:000^000 ai ex-
trahir no dia 8 do corrente.
Lotera do Espirito Santo-A 2'par-
te da 3 lotera desta provincia cajo premio gran-
de 60:0004000, ser extrahida amanh 5 de
Agosto.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de Marco n. 23 Martin Fiu-
xa&G.
Tambem acham-se venda em mo do respec-
tivo agente.
e medicamentos homoso pticos, ra do Mar
ques de Olinda n 23.
Braca ra
Faria Sobrinho & C. droguista por atta-
cado, ra Mrquez de Olinda n. 41.
Serrarla a Vapor
Serrara a vapor e oficina de carapina
de Francisco dos Saatos Macado, caes
de Capibaribe n. 23. N'este grande esta
belecimento, o primeiro da provincia oeste
genero, oompra-se e vendase madeiras
de todas as qualidades, serra-se madeiras
de conta alheia, asbim como se preparan)
obraB de carapina por machinas e por prc
co sem competencia Pernambuco.
Casa de Moda* de J. Bastos di C.
A ra do Cabug n. 2 B, estabeleci
ment de modas, encontrars so freguozes
grande e variado sortimento de fazendas
de seda, la e algo lio, o que de melbor se
botem nos mercados do Pars e Lyon.
FIBLIIOES A PEDIDO

Hora 3 -3 982
3
6 m. 23-3
9 25'3
12 2l>o4
3 t. 27-3
6 24'7
Barmetro a
0
63ii0">
7S4i45
764>42
7t2>59
762^93
Tesso
do vapor
14,41
15,73
17,20
19,07
18,12
o
a
o
a
67
65
65
70
79
Temperatura mxima27",76.
Dita mnima22,0.
Evapjracao em 24 horas ai sol: 7"",8 ; som-
bra: 3-,j
Chuva1">.0
irecco ao veut > : SSE de meia uot<- at 1
llora e 38 minutos da manb; SE at 11 horas
e 56 minutos ; SSE at 5 horas e 38 minutos da
tarde ; S at 7 horas e 40 minutos ; SSW at 8
horas e 58 minutes ; SVV at meia noite.
Velocidade media do vento : 3m,64 por seguu.t ,
(t ",36 das 3 horas da madrugada at 9 horas da
miaba.)
N'.-bulosiJade inedia: 0,37.
__________^^ Boletim do porto ________
*5 a. Dia Huras Altura
R. M. P. M. B. M. P. M. 2 de Agosto 3 de Agosto 9-58 da manh 352 da tardo 955 4 2 da manh 0,52 2,-"37 0,-55 2,>42
l,.'li -,ieciaar-ac-OiO .
Hoje :
Pelo agenta Hartias, a 11 hora, roa do
Mrquez de Olinda n. 35, de chapeos de feltro
e la.
Pelo ag'-nte Stepple, a 11 h iras, ru io Im-
perador n. 22, de urna c*sa ra do Socego.
Pj!o agente Gtusmw, j 11 horas, ra do
Mrquez de Olioda n. 19, de miudezas e perfu-
maras.
Pelo a^entii Vlodejto Baptista, a 11 horas,
rea do Baro da Victoria n. 24, d.1 pianos, mo-
v<-ia, vidros, etc.
Pelo agente Pinto, s 10 1/2 horas, ra do
Marques de Olinda n. 52, de fazendas diversas.
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, ra do
Imperador n. 32, de moveia, relogios, miudezas e
predios.
Pelo agente Brito, s 10 1/2 horas, ra de
Pedro Aflonso n. 43, de am piano e movis ai-
versos.
Aaaaab :
Pelo agente Martina, s 11 horas, ru* Larga
do Rosario n. 38, de um registro de gaz, encana-
mento, arandellas e movis.
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra do Mar
quez de Olinda n. 19, de urna vacca turma,
fumo e ceblas
Sabbado :
Pelo agente Stepple, s 11 horas, roa do Im-
perador n. 22, de predios.
Pelo agente Pestaa, ao meio dia, ra do Vi
gario Tenorio n. 12, de piedios.
Minan* fnebresSer celebrada:
Hoje :
As 8 horas, na matriz da cilad-> de Jaboatao
por alma de Mauoel Pereira da Cunha.
PassageirosChegados da Europa no va-
por francez Senegal :
Mrtorelli Biagio, Colombo Vario, Golombo Do-
menico, Amato Filomena e 2 filhos, Cerbino Gae
tao, Palagana Guiseppc, Palagana Domenico,
Casensa Francesca.d'Alessandra Pasquale, d'Ales-
sandra Napoleone, Barbata Nicola, G-drara Vio
ceDZO, Cartese Salvadore, Vito Quisappe, Mar-
mine Angela, Nigro Vineenzo, Nigaro Carmelo,
Ferraro Angelo, Bernardina Ferreira Antero,
Francisco Nigro, Jos da Costa e ana senhora, Ma-
ra Cesar Vavedo, Manoel Sampaia, Joio Botelbo,
Medeircs, Mana Botelbo Arroda, Anna Corris.
Custodio Martina Fernanies e Jos Ferreira da
Silva.
Sahidos para o sul no mesmo vapoi :
Manoel Lobato Carneiro da Cunha, Manoel Ma-
thias Lobato Carneiro da Cunha, Constantino L.
Caraeiro da Cunha, Anna L. Carn-iro da Cunba,
Mara C. Caruairo da Cunha, Francisca L. Cai-
neiro da Cunha e Hans N tzach.
Chegados do sul no vapor nacional Principe
do Grao Para ;
Miguel E. Pereira, M. Jos Pereira da Coata e
Olympia Mara Pitauga.
Chegapo do Trieste no vapor austriaco Ma-
tUkovit :
Joaquim C satio Brasiliaoc de Gusmo.
OperacOes rirurgicasForam pratica-
no h wpital Pedro II, no dia 3 do corrente, as se-
gu atea:
Pelo r. Malaquias :
Piathotomia a bis'.uri reclamada por paraph -
sosia
IncisAo e raapagem da cclea de abeesso tubcr-
o da face la*.eral direita do trax.
Hospital rtui!uez-0 movimento das
enfermaras deste hospital na srmana fiada foi o
eguiute :
Existiam em tratamento...... 14
Entraram duran! a semana. 4
Lotera da provincia A 9 lotera, pelo
novo plano, cujo premio grande de 12:000j5000,
em beneficio da Santa de Misericordia do Recife,
se extrabir quando for anuuciada, s 2 horas da
tarde, e, no consistorio da igieja de Nossa Senho-
ra da Conccico dos Militares.
No mesmo cousisrorio estarlo expostas as ur
uae as espheras a apreciacao do publico.
Os bilbet.'S garantidos acham-se venda na
Casa Feliz na pr<.ea da Independencia ns. 37
39.
Taicmbein acbaw se venda na Casa da l'ortu-
na ra Primeiro de Marco n. 23 de Martis F.u-
ts*C.
Asaim como na Casa d O-ir na a d Baro
da Victoria n. 40 de Joo Joaquim ai Cosra
Leite e na Roda da Fortuna na ra Larga do Ro-
sario n. 36.
Lotera da corleA 204* lotera, da cor-
te, pelo novo plano, cujo premio grande da____
30:000000 era extrahida quando for annun-
ciada
Os bilhetes acham-se venda na Casa da. Po .
tana ra Primeiro de Hstge u. 23, de Uirtius
Fiuza & C.
Lotera de aula C.uha ria Esta
lote-io, com um importante plauo, cujo premio
glande de 50:0004000. ser extrahida qu >ndo
for annanciada.
Os bilnetesacham-se venda na Casa da Korta
na ra Primeiro de Mar$o u. 23, Martms
finaa & C.
Tambem acham-se venda e tivo ageute.
Uoterla da provincia do Paran
A 2' lotera desta provincia,pelo novo plano, os-
jo premio graude de 12:0004000, sa extrahr
uo dia 9 de Agesto.
S:lhtes a vonda na Casa da Fortuna, i ra
rVim-iim da Mar(^> numero 23, de Harttos f':u-
ia & C.
Lotera da Parahjbaesta lobera cujo
premio grande de 20:0004000 ser extrahida
hoja 11 de Agosto prxima futuro 's 3 horas da
larde.
Os bilhetes acham-se venda na Casa da For-
tuna rna Primeiro de Mar$o n. 2, de Murtina
Fiuza &C.
Tambem acham-se venda em mo do respec-
tivo agente.
Lotera do CearEsta acreditada lote
ra cujo premio maor de 15:0004000 ser ex-
trahida no dia 8 de Agosto.
Os bi'hetes acham-se a venda na Casa da For-
tuna ra Primeiro de MarQo n. 23 de Martius
Fiuza & C.
Tambem acham-se venda em mo do respecti-
vo agente.
Lotera do (iro-Par-A4a parte da 10a
lotera desta provincia, pelo novo piano, cujo pre-
mio grande 120:0004000, ser extrahida no dia
6 de Agosto.
Os bilbatos acham-se venda na Casa d For-
tuna roa Primeiro de Marco n. 23, de Martina
Fiuza & C.
Tambem acham-se venda na respectiva agen
eta.
Cemlterlo Publico.Obituario do dia 2
de Agosto:
Amelia de Almeida Macedo, Rio-Grande do
Sul, 26 aonos, casada, Recite; nephnte intersti-
cial.
Veneranda Mara da Cooceicjlo, Pernambuco,
40 annos, solteira, Boa-Vista ; tubrculos pulmo-
nares.
Pirmina Thereza de Jess, Pernamoaco, 45 an-
cos, viava, Boa-Vista; tubrculos palaoaares.
Auna Mara do Espirito Santo, Pernambuco, 55
annos, viava. Boa-Vista; anemia palustre.
Jos Luiz Maranho, Pernambuco, 29 annos,
casado; gastro enterite.
Silvina Mara da Gonce fio, Pernambuco, 26
aunos, solteira, Graca ; tubrculos pulmonares.
*
18
2
I
14
18
Euri.i da aunara > Sr. ra ir 'orno commind i i >
Manoel Jos Machado.
Sabiram curados........
Fallecaram............
Ficam em tratamento. .
INDICARES OTIS
Mdicos
Dr. Barros Sobrinho d consultas da
meio dia 1 /2 na ra do Baro da Vic-
toria n. 25 por cima da Pharmacia Fran-
ceza, e das 2 s 4 na ra do Vigario n. 4,
1. andar*
O Dr. Lobo Hoscoso, de voltp. de sua
viagem ao Rio de Janeiro, conntia ne
oxercicio de sua prosaao. Consltuas das
10 s 12 horas da manh. speoialdades
eperajSes, parto e molestias de senhoras e
meninos. Ra da Gloria n. 39.
Dr. Barreto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1. andar da casa
a ra h Baro da Vi-tona, n. 51. Resi
dancia ra Seta de Setembro n. 34, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
0 Dr. Castro Jess tem o seu consul-
torio medico, ra do Bom-Jesua n. 23,
sobrado.
Dr. Gama Lobo medico operador e par-
teiro, residencia ruado B. de S. Borja n. 26.
Consultorio : ra Larga do Rosario n. 24 A.
Consultas das i 1 horas da manh s 2 da
tarde. Cspecialidade : molestias e opera
ces dos orgos genito-urinarios do lomem
e da mulher-
Dr. Joaqaim Loweiro medijo e parteiro
Consultorio na ra do Cabug n. 14, 1.-
andtr, de 12 s 2 da tarde ; residencia no
Monteiro.
O Dr. Marros oimaries
Pode ser procurado no esjriptoro deste
Diario da* 11 horas da manh ii 5 da
tarde, todos os dias.
O Dr. Milet mudou seu esoriptjrio de
advocacia para ra do Duque de Cazias
n. 50, 1. andar.
'rosarla
Francisco Manoel da Suva dt C, dapo.
itarios de todas as especialidades jharms
-uticas; tintas, drogas, productos -mimio-i
flseret me ui
Apa am mez de duro mas improficuo estudo ;
apa am inoz de amito folb'ar e desfolhar notos e
ignotos diccionarios e grammaticas ; eis qu' vol
ta Cabrion phantasiado em Da. Puta e tio mal
phantasiado que, apesar de sua mscara de bobo,
que a a propria, mostrou-se como sempre desge-
toso e basbaque, eut.rnando am restaute do as
neiras que anda se continha no fondo de sua ca-
bera zinabrada.
Ao termos a tal michordia acudio-nos urna das
mmtas fbulas de La Fo.Uainc e com tanta appli-
cacao ao caso, como se para elle lora modelada ;
e exclamamos asaim :
Depois de trinta das e poucas horas de cruel
gestaco ; depois de trinta dias e poucas horas
de antojos e doresera para surgir um Encelado
capaz d fazer gyrar dentro da bocea o noaso pla-
neta, como um qaalquer beb ama bollinha de*as-
sacar ; mas irrisoria s^rpreza a montanha
parto um ralo !
Se nao vejamos :
Logo em urna das primeiras linbas de sua aren-
ga falla-nos o cabiga de vento de ama luz meri-
diana de Guttemb rg (?)
Luz... me... re... di... a... na !
S se algum tractado da phebologa inedicto
pelo iuveutor da impreosa sobre esta velha ou
nova especie de lu-, verde, azul, rxa, e, quem
sabe, prela, em cuja posse exploratoria se acha o
tal Dr. Puclc como propagador.
Nao, o inventor da imprensa nlo dira seme-
Ihante bl>-.*phemia ; isto t de onde sabio ; e por-
que a victima de to hedionda mputabilidale nao
i mais dos vivos; seno... Para quem te esta-
beleceo o Presidio ? Para quem a pena de ertme
de injurias t
Ainda luz meridiana, v, mas nunca de Gut-
temberg ; porque, outra hypotaca', a pbrase fl:a-
ria^ reduzda seguate interpretadlo :luz do
meit dia de Guttembergluz do circulo mximo
da esphera de Guttemberg.
Quanto insulto lato t com......a pena de
banimento do mundo racional.
Pifias insolencia (Que concordancia)
Beatificado (E' d'elle)
* Emaranhada tea (Cimilo sos mm)
' o caso desses pedaciahos inventados para
O CiSO.
Ab .' seu Cabrion c de casa o sea bestuu-
lo, duro como um rochdo Nem a forcior <
( d'elle) entra um poucs de b un senso no su
coco, por onde passou a la cris.
Faca-nos, porm, um favor, um grande favor,
um enorme favor, um colosaal favor :nao con-
funda a questo bodina gatcsca-problematica (!)
com a questo poeta-diario ; os seua contendores
sao distinctos e as qoestoes muitissimo diversas.
Deixe se de recursos... Isto feo. C nao
ha urna cabeca com tres corpos, nem um corpo
trcephalico.. ..
A proposito : Qual a differenoa especifica
que =e encentra entre Aquaticj e Eucephalic ?
Porventura animara ba sam cabera ?
E no numero d'estes estar o os Aquaticos ?
E essa ? !
Sem encephalo ou sem cabeca e conhecemoa um
Aquatico. Todos os leitores do Binculo > co-
nbecem tambem.
Ainda outro favor do t-imanho do primeiro :
Nao adultere as noasaa phrases, a uossa redaccao ;
analyse e torne a ao ilyaar sem d nem compaixo
os nossos escriptos, mas nao es adultere.
Nunca dissemos cncyclopsda de besti-
dades ; bestialidades, sim.
Ainda aenos opinamos que se empregas-
se aquelles em lugar deOS Opinamos e opi-
namos o inverso justamente.
Nunca dissemos que a pbrase eucaixou-se
forfa tinha complemento objectivo ; diasemos,
sim, que pedia complemento circumstancialcomo
demonatrmol-o e provmos.
Dessaa heresias s diz quem sabe.
Ignora o que sejaIhos.
E' um bicho de sete cabecaa.
Serve para fazer dormir as enancas e apa-
vorir os dementes. (Nao Aquatico.)
Par que melbor explical-o t
Elle refractaria a grammatica, a lgica e a
tudo mais que diz respeito be-a razo.
Ignora mais (qu- Aquatico '.) que apalabraa
p isaa ser adverbio.
So a ferro. Ouc* :Oa antes do infiui-
to algumas vetes conj. oualv. (adverbio) con-
dicional, e equivale ase. E d'est'arte se po-
der dizer : a ser assim m ves de : se
assim fonse .
E' peixe ou quadrupede ?
Admirase que tivessemos dito:por meio
(Testa forma de manifestacao ^E' nosso e repeti-
mos ex abundantia contientia.)
Oissemis a est ma vesse o Aquatico, digo, o Bnccephalo do nosso an-
tagonista.
Ha maitas formas de manifestacao : Um mu-
do manifestase ou nlo ? Sua forma de manifes-
tacao igual a forma de mamfestac&o de um indi-
viduo que nao seja privado da palavra ?
Quer um conaelho, seu home 1 Recolha-se aos
bastidores ; nij estamos tartos de palhacadas.
V plantar seus alexandrinos n'outro t Treno.
Poeta duiio
sam hoje esta assocaco, llie sao devedores de
menaalidades, e se o missivis a qaiser, esta asso-
caco mandar publicar os nomes de muitos ami
gos seus que sao devedores cesta assocaco.
Basta a transcripto da co oa da acta da sesso
de 29 do passado, para que o publico fique sciente
de que o missivista destacidide, para o Jornai do
Recife, divorciou-se da verdade qaando uoticitu
a mesma sesso.
Acta da sesso extraordinaria, em 29 de Junho
de 1887.
Presidencia do Sr. Dr. Es1 v3o de Lacerda.
Acbaudo-se presentes 17 oruhores socios effecti-
vos, o 8r. presidente ledaron aberta a sesso.
Lida a acta da sesso anterior foi approvada
unnimemente.
Em seguida o Sr. presiiente declarou qual
o fim determinativo da prest nte sesso, o qual
eraem regosijo do restabeltcinento da saude de
Sua Magestade o Imperador ; disse mais que esta
assocaco realisara a presente sesso, nao s por-
que a.saude de Sua Magestadi o Imperador, ute-
ressaya a todos os brazileiroa, como tambem esta
assocaco da va um publico ttstemuaho de reco-
nhecimento e gratido a um di seus socios bene-
mritos que eoncorreu com avallado donativo para
o progreiso a incremento desta mesm i assocaco;
que a commiaso encarregada de promover a so-
lemnidad desta sessaa, tinba reaolvido cencorrer
com a quantia de 203 para comp'etar o preco da
alforria da escravisada Rita, pirtencenta a D. Lui-
za de Franca Cavalcante, sanio que presente a
escravisada, o Sr. presidente fez I he entrega da
respectiva carta.
Sendo deda apalavra ao orador ad-hoc capito
Sebastio Antonio de Albuquerque Leo, no im
ped neutu do eff;ctivo, que diixou de comparecer
por inco r.modo de saude, o referida orador a.-ande
da palsvra, descreveu o assumpto principal ^a
sesao, a encareceu o acto da commisso do ter
pr2urado solemnisal-a, auxiliando ama liberta-
co; o socio effectivo Dr. Aatinio Pedro da Silva
Marques, fallou sobro os mesmos assumptoa, sendo
que ambos os oradores, foram ipplaudidoa.
Ninguem mais us>ndo da palavra o Sr. presi-
dente agradeceu as Exmas. Srts, que em graude
numero se dignaran) abrilhantur com suaa preaen-
9aa a presente sesso, e bem assim aos ilustres ca-
valheiros que accederam ao envite da commisso
promotora dos festejos; finalmente mandou que se
extrahisss urna copia da presente acta, para ser
remettida a Sua Magestade o Imperador, por in-
termedio do Exm. Sr. Ministre do Imperio.
E nada mais hacend a tratar, foi le/aneada a
sesso, e eu Jos Frauciso Florencio de Soaza, se-
cretario a escrevi.
Eatevo Carneiro Cavaleaii e de Albaquerqae
Lacerda, presiiente.
Joa Francieco Florencio de Soaza, secretario.
Elixir depurativo v getal
Aos meas amigas e colleg Tristemente convencido de me nao ser possvel
manifestar os affectos da alma e as obrigacoes de
vidas aoa mena estimidos e prestrnosos amigos in-
clusive os respeitabilissimos meus collegas, que
todos tanto me sujeitaram com expressivas finezas
e caridoou trabalho ua molestia e na morte do meu
idolatrado e joven filho Jos Curio, peco ao menos
que acc-'item a presente e maito grata declaraco
dos meas sentimentos qae sao os mesmos de minha
dedicada esposa e os de minha veneranda mi.
A mais significativa obrigaco inovidavel exige
a especial affirmaco que expresso reconheeendo
o perenne esforco que com intelligentssimo estudo
fez o meu tolerante amigo e acatado collega Dr.
Alfredo Gaspar, medico assisteute da meu ailo-
grado filho; bem como o favor espoataneo e ca-
valbeiroso do meu bom ami^o Dr. Joo de Oli-
veira e da Exma. familia em cujo sagrado lar en-
coutrou o meu inditoso filho nos ltimos dias da
vida meigo tratamento a doces consolacpes para o
seu eterno descanco.
Recite, 4 de Agosto da 1887.
Dr. /. af. Curio.
Club LIMerarlo Carnaraense SU
de Julho de 188 9
Esta assocaco nao quer de maneira alguma
intreter polmica com o missivista desta cidade
para o Jornal do Recife, somente para restabeie-
cer a verdade, radicalmente adulterada, quando
teve de noticiar a sesso realisada no dia 29 do
mez passado, pelo regosijo da noticia do restabe-
lecimento da saude de Sua Magestade o Imperador,
v-se obrigado a esclarecer ao publico que o mis-
sivista ao Jornal do Recife, quer no dia 6, quer
no da 21 do corrente, faltn a verdade, somente
com o fim de molestar esta assocaco qae aprzar
da mi vontade do missivista e de seas amigos des-
ta cidade, vai vivendo e procurando camprir mu-
tas das obrigacoes que contrahio para cm a so-
ciedade em geral, e para com seas consocios.
O missivista nao ignora qae esta assocaco tem
realisado diversas msnumissoes, despendendo para
algumas quantias relativamente avalladas para
urna assocaco que tendoapenas37 socios effecti-
vos, fas as suas d espesas e nada de ve nesta cida-
de a em parte alguma; ao contrario o missivista co-
nbece b-m de per.o muitos individuos que hostili-
Formula de
Angelino Jos dos Santos Andrade
Approvido pela inspectora geral do hy-
gieue publica do Rio de Janeiro, em 20 de
Julho do corrente anno (1^87).
Eate depurativo encontrado a venda, (por ora)
na rna do Baro da Victoria n. 37 e ra Estreita
do Rosario o. 11.
Para provar a grande ffisacia, quasi prodigio,
do preparado do Sr. Andrade basta apresentar o
creacido nnmero de attestadoi cxoontaueameute
prestarlos por muitos cavalbeiros qae tem feito
uso delle, d.;s quaes publcame s alguns dn p^ssoas
conh.;cidi.3 e re=i ieutes neata :idadi.
Lata
Conselh;;ro Alexandre Bernardino dos Res c
Silva.
Dr. Miguel de Figoe>roa Parin.
Dr. AtFjnso Olindease Ribeiro de Soaza.
Di*. Lindolpb Correia de Araujo.
Dr. nenes Martina Pontea.
Dr. Argcmiro Arxa.
Capito de mar e gu.-rra, Jos Avelino da Silva
Jaques.
Capito Florencio Rodrigues Miranda Franco.
Tito Machado Freir de Barros.
Antonio Das de Almeida Costa.
Alfonso Ligorio Velloso.
Joaqaim Feaelon Delgado Bcrba.
Jos da Silva Rodrigues Nevcs.
Manoel Alves da Costa
Antonio Jos Ferreira Refinador.
Elyaio Alberto Silveira.
Caadida Francisca Mumz Feij.
Joa Luis de Franya Torres.
Ursuliano O de Torres Gallina o.
Pedro Tertuliano da Cunha.
Jos Antonio Correia Gaio.
Joo da Silva Neves.
Francisco Teixeira Barbosa.
Aristides Manoel dos Santos.
llpbano Jos Caraeiro.
fjstevo Alexandre Jos Dornallas.
Zacharia8 da Costa Leito.
Rufino Suzano Gajo de Miranda.
Manoel Pinto de Castro.
Manoel da Costa Alves.
Cirurgio dentista Thomaz Antonio Espiuca.
Theodomiro de Azevedo
Eduardo Floro de Paiva.
Jos Joaquim de Freitas Tavares,
Melchiades J. de Souza Santa Rosa.
Joaquim Ssntno de Figueiredo.
Francisco da Silva Miranda.
Mara Olympia de Oliveira Oyrillo.
Augusto Pontes Amaral.
Aifredo Moreira.
Affooao Monteiro Pessoa.
Antonio da Silva Ramos News.
Antonio flstreira Diniz.
Jovioiano Cordeiro Los.
Joo Fernandos Baptista.
Major Justino Rodrigues da Silveira.
Ramiro Antonio da Costa.
Gaspar Augusto Soares Leitf.
Antonio Sos Rodrigues de Soaza Filho.
Antonio Pedro de Souza Soares.
Bernardo Augusto Soares Le te.
Manoel Januario de Arroda.
Jos Antonio de Souza.
Luis Carlos de Almeida.
Joaquim Jos Maia.
Antonio Fradiqne.
Augusto de Castro.
Jos Verissimo de Azevedo.
Manoel Soares Neves.
Alteres Francisco de Albuqu rqae Pajuaba.
Jovelmo da Cunha.
Mauoel Francisco Fragoso.
Tenente Joo Paulo de Almeida
Joanna Candida Paes Barreto.
Joo Silverio de Souza.
Mauoel Francisco dos Passsii.
Hostiniano Carneiro de Moraes.
Joo Antonio do Nascimentci.
Joo Francisco Times.
Jos Silvestre dos Santos Pereira.
Sebastio Joaquim do Reg Barros.
Floriaoo Gomes dos Santos.
Francisco Rodrigues da Guuha.
Miguel Manoel da Silva Coelho.
Antonio Meneles Carneiro dn Gusuio.
Antonio Teixeira de Lima.
Antonio Horacio.
Tranquilliuo dos Santos Casrello-Branc").
Jos Carlos Marinho.
Jos LuizGonvalves.
Manoel Goncalvea do Reg Barros.
Adolpho Machado.
Mauoel Rodrigues.
Manoel Leoncio do Reg Barros.
Joaquim Domingues da Costa Braga.
Pedro Alves Barbosa.
Jovno Cassiano Maia e Silva.
Jerunymo Jos Figueira de Mello.
Caetano Gomes de Almeida.
Manoel Francisco Teixeira.
Daniel Pereira dos Santos.
Francisco Guncalves Guitnaies.
Francisco Jos do Reg Mello.
Antonio Francisco da Costa.
Paulo Luiz Alves.
Rodolpbo M. de Serpa Braiido.
Belisario Alves de Brito.
1 utonio da Silva.
Aureliano Jos dos Santos.
Antonio Pinto da Silva.
Bernardino da Costa Campos Jnior.
Antonia Flonand de viello.
Ricardo Fonseca de Medeiros.
Caetano da Silva Azevedo.
Jos Pinto da Cunha Teixeira.
Francisco da Costa Ferras.
Albino Joa Goncalvea Diois.
Joo Feliciano do Nascimento
Antonio G >mes de .>.
Joaquim da Silva Netto.
Joo Ferreira dos Santos.
Candido Manoel dos Santos Mendonca,
Nova tarifa das VI-
fandegas
Vendem : G. Laporte it C.
seRoa do Imperador
16
Dr. Costa Gomes
MEDICO
34 -Ba do Mrquez di Oiinda34
Primeiro andar
Censultas de meio dia s 3 horas da tarde
Thomaz Espiuca
MUDOU ME
Ra do Imperador n. 67, primeiro andar.
Antonio Jos da Fonseca.
Adriano Antones Dantas.
Pedro Borges de Gerqueira.
Joan Nones Ferreira Coimbra.
Jos Pestaa dos Santos.
Pedro Alexaodrino de Mello.
Jos Moreira Brando Filho.
Antonio da Costa Moreira.
Epamnondas P. Bandeira A. Vassconcsllos.
Francisco de Mello Cavalcante de Albuquerque.
Maria Freir de Lima.
Joo Augusto da Costa.
Enfrosino Rodrigues do Coa to.
Jacntho P. C. de Azevedo.
Jos Soares do R-'go Villela.
Ignacio Pinto de Aguiar.
Fortunato do Amaral.
Fernando Magalhes da Silva.
Luis Arthar Babia da Cunha.
Gussy Juvenil do Reg.
Jos Pereira da Porciuncula.
Jos Botelbo Pinto de Mesquita.
Tenente Joa Caetano da Silva.
Mdame Freir.
Bento Jos Pereira
Francisco Rodrigues dos Sant.s.
Adolpho Cunba.
Antonio Ferreira de Lima.
G istavo W-rtheimer.
Joviniauo M .nta.
Flix Pereira de Araujo.
Satyro Cordeiro.
Pedro Lucio Rodrigues.
Hortencio Euas Vieira d* Amorim.
Joo Heurique da Cruz Ribeiro.
Alcxandrina varia da Conc.dvo.
Flix Jos Marques Bacalbo.
Carlos Vander Lindem.
Vicente Silverio de Soaza.
Emilio P^-rera do Araujo.
Adolpho Marques do3 Santos.
Joa de Castro Monteiro.
Augusto L-ipoldino da S:lva Neves.
Manoel Filgueira de Menezes.
Jos dos Sant>8 Silva.
Elpidio Acciol Je Barros.
Jos Ricardo Das Fernandes.
J. F. de C.stro e Silva.
enrique A-iolpho dos K'ii.
Automo C. Xavier e Silva.
F. de Aaiis Ce h>.
Francisco Jaboraady de Moraes.
Joaquim da Costa Djurado Jnior.
Mauoel Pessoa Ferreira.
Joo Baptista de Franja.
Joo David Baptista.
Joaquim Joa Ferreira Penha.
Julio Cesir Ottoni.
rternardino Alves Nciva.
Kcnelon Borba.
Candido Dias.
Joo Ferreira dos Santos Janior.
Joaquim de Souza Silva e Cunha.
Joo Marques da Silva.
Uilyaaes da Costa Spinola.
Antonio Alves da Silva Jnior.
Francisco Ferro Caatelo Brino Jnior.
Nana Pairo de Alcntara.
Antonio de Caatro Monteiro.
Leopoldina Mana do Nascimento.
Riymundo Lino dos Santos Gouveia.
Manoel Augu*t>de Mesquita.
J-io de Siuza Aguiar.
Jos de S >uza Braz .
Thomaz de Aquini Laal.
Aatoaio Luiz de Frauva.
Jos Mara da Cista Carvalho.
Arthar Antun;a Dantas.
Domingos Jos Ribeiro Soares.
Annibal Casado Lima.
Capito Austriel ano de Torres Gallindo.
Jo> Lourenco Pereira da Costa Borbolets.
Antonio Jos dos Res
Augusto Cesar Pereira Caldas.
BenaviJes Barreto do Rosario.
Miguel Xavier de Siuza Fonseca.
Joaquim Jos de Souza Oliveira.
Manoel Jos Fernandes.
Francisco Jos Dias Sjbrinho.
Jeronymo da Costs Lima.
Tenente-coro-iel Apoliuario Florentino de Albu
querqae Maranho.
Frauco Martins Nogueira ios Santos.
Alfredo Bessjue.
Thomas Ferreira da Cunha Jnior.
Arthur Mauoel Alves Pitillo.
Tito Jos do Couto.
Jos Candido Ribeiro.
Carlos Lipes Guimarea.
Manoel Tavares da Cesta Martins.
Joao Jos da Silva.
Alvaro B. Dias Ferreira.
Alfredo A de Vasconcelos.
Domingos Jos Rodrigues.
Emilio Roberto.
Francisco Miguel Rodrigues.
Felipse Ncry Guimares.
Fruucisco de S queira Passos.
Franeisco Cecilio S. Guimares.
Fausto deB.rros Bezerra.
Francisco de Souza Duarte.
Tenente Francisco Evaristo de Sonsa.
Jos da Silva Neves.
Joaquim Odorico de Araujo.
Ignacio Troyano de Jess Bandeira.
Joaquim das Neves Pedrosa.
Joo Cavalcante de Araujo
Joo Hermenegildo da Silva.
Jos de Faria Machado.
Joo Verissimo do Reg Barros.
Jcs Affonso Ferreira.
Ignacio Ro lriguea de Carvalho.
Jos Maria da Silva Fernandes.
Jacntho Augusto d>s Res.
Jos de A. Costa Pontea.
Jos Alves.
Joaquim Goncalves de Azevedo Sonsa
Jos Gomes dos Santos.
Joo Baptista dos Santos Almeida.
Jos Vieira da Fonseca.
Jos Alfonso dos Santos Lima
Joa Joaquim da Costa Pinto.
I Joo Marques de Pinho.
Luiz Marques Vieira.
Mauoel Joaquim Vieira.
Paulino Bernardino de Oliveira.
Philomeno de Vasconcellos.
Pedro Barbosa da Silva Netto.
Thomaz Jos de Olinda Campello.
Thomaz Dativo dos Santos.
Virginio Carneiro Leo.
Vctor Goncalvea de Souza Beiro.
Gabrielle Peregrino.
Augusto Garlos Noronha.
Jos de Moura Iglisias.
J. Nunes da Silva.
Joo Pereira de Mendenca.
Francisco Ferreir- Brando.
Januano de St uza Silva Serodio.
Fabio X. de Soaza Fonseca.
Manoel Joaiju rn Pereira.
Francisco Jos Pereira.
Alberto Xgripino Suizas.
Mauoel Joaquim de Mello Reg.
Jos Antonio Albuquerque Pedrosa.
Francisca Florioda do Rosario.
Agapito Innocancio Poggi.
Francisco Paes de Luna.
Felisujino Lourenco da Silva.
Affonso Taborda.
Mximo Rodrigues des Santos.
Manoel Pinheiro de Mendonca.
MODO DE USAR
Os adultos tomaro quatro colheres das de apa
pela manh e quatro noite, e as criancas duas.
podando se adocar com assucar paro. Tomar-se-ha
pala manh e noite banho fro ou momo. Res-
guardo regular.
Cuidado com as faleificacoes, porque j ha quem
falsifique este remedio.
Consslpac&o habitual ta entre.
Palavras consoladaras
O Dr.Cyrns W. Nelson, de Boston, autor das
observaces clnicas sobre o tratamento das mo-
lestias abdominaes, diz em urna carta datada en
27 de FvMir* de 1862 :
Eu consi lero as pilulas assacaradas de Bris-
tol, o melhor remedio at hoje conheci Jo para a
cura de constipacao chronica do ventre. Ellas
nunca me falharam, e tenho-as receitado em mais
de cincoenta casos, s Elle accrescenta mais: que
pira todHS as irregularidades do apparelho diges-
tivo, do figado, e os intestinos ellas sao o remedio
mais superior e uti! que elle jamis tem receitado
sendo perfeitamente seguras e de eminente con-
fanos.
Um testemunho semelhante nos foi voluntaria-
mente fornecido pelo Dr. Humphrey Lettsom, de
Chicago, o qual apouta nao menos de trinta casos
de cons ipaco habitual e hemorrhoidas, coro os
seus nomes e datas, para os quaes eile adminis-
trara as plalas, t'ndo acancado de todos elles os
mais felizes resultados.
Ellas se acham acondicionadas dentro de vidri-
nhos e por isso a sua conservaco doradora em
todos os climas.
Em todos os casoa provenientes ou ..ggravadoa
por impureza do sangue a Salsaparrilha de Bris-
tol, dever ser tomada conjuuctamente com as p-
lalas.
Ene ntra se venda em todas as pharmacias s
drogaras.
Agentas em Pernambuco, Hemy Forotar i C.
ra do Commercio n. 8.
O vlnbo de extracto de lisa lo de
bacalbo. de Cbevrler. composto de tal
modo qu urna coiher de viaho corresponde exac-
tamente a urna coiher de oleo de figado de baca-
Ibao.
As dses do vinho nao devem exceder s do oleo,
ellas variam segundo a idade e a consti uico do
individuo, entre urna (?) e quatro (.?) colheres por
dia.
E' de grande importancia nao exceder esta ds,
um medicamento ij preenchea es seus fias logo
depois de ter p issado b bocea; ebegaudo no esto-
m'.godeve ser diger lo para tornar-se til; ora as
dsos excessivas nao se digerem, ellas acarretaoa
pelo contrario perturbares gstricas de natureza
liversa, co no o paofessor Dever^ie to utilmente
assigualou. Eis porque chimamos a atteuco d doentes sobre um ponto muito digno de cons de-
raeo: nlo ha exageracSo filaa no rotulo do vi-
abo de extracto de figaio do bacalho, de Che-
vner, nao pie hav-r exagerac imprudente aa
sua administraco.
(Revue Medcale).
_ Laomao k Kemp
Previuem o piblico qm exiafem nesta praca
imitacoes fra'idulentas do seu oleo pbc db h-
oado de Bacalhocontra as quaes se devem
acautelar oa c maumidoros, por isao que o usn
d'eaaes oleoa falsos ser em prejais i dos
doentes.
Eatre essas tslsifisjsooes ha u-r.a qu?ilm da
dillerene i ni puresa do liquido que s pode apre-
ciar-se comparan i > o oleo veriaieiri coas o fa'a >,
engaa tamilmente oa iaeautos. B^porisao apresen
tamos as diffjreuc^s qu? existem oos fraseos e in-
volucros :
A circular que acompaaha ida fraaco deve
ser isaignadi porLanm Kemp^i na= :
Lenman & Ktmp -en na falsificaco.
Oauossoa frascos193 tres ladoa deacoberto3
trazem em relevo no mesmo vidro as teeuiot-s
palavras : -Cod liver oil Lanman it Kemp
Neio-Yorlc, em quanto que os falaos vi iros tem :
Refined Cod Liver Oil=New-York.
as nossas capaulaa metallieas l-^i" :Lm-
mm c Kemp. Droguista, Nueva York, 'n ino.n'o
as ralsss 1 : 'Jol L.ver O.~Ri:/iii-A=Nna-
va-York
R-ommuniaiii -. poi?, aoa do-intes qae quiz'-
rem usar do msao ojeo, e retirar os resultados
maravi.hoaos pelos quaes se tem acreditado em
todo o muado, tenham todo o cuidado em exami-
nar* os frascos que omprarem, nara nao serm
engaados por infames falsifieaco:s.
Tambem ba muitas falsificado-s da nossa agua
FLORIDA DE MREAY & LANXAM, E TOS1CO OBIBHTAL
db kemp, falsifieaco-3 easas preparadas feralmen-
te com substancial prejudiciaea oelle e ao ca-
bello ; ezijam, paia, os consumidores os vrda-
deiros e nj recebam outns.
HAVENOO BEOISTRADO NE3TE IMPERIO TODAS AS
SOSSAS MARCAS I.V0C3T2IAES E BOTLOS, PBEVEMIVO
OS IMITADORES E KALSIFIC.DOBES, QC8 PBOCEDEBEMOS
COUTRA ELLES 03 TBIBCXES, EM PBOTECCO DI
KOSSOS DIBEITOS.
Pernambaco, 28 Jnnho 1887.
Ciaaatan v s* >n;i.
Emulso de Lanman
& Kemp
A Emuiso de oleo de figado de baca-
lbo cora os hipophosphitos de cal, soda e
potassa, preparada pela acreditada casa
de Lanman & Kemp de Nova York,
melbor, a mais perfeita, e a mais efficaz e
agradavel que at agora se tem offerecido
ao publico.
K' um regenerador poderoso das consti
tuicoes debis e um remedio certo para
todas as affeccoes do peito, da garganta e
dos pulmSes.
sese s a Emulso de Lanman &
Kemp nao confundindo-a com as outras.
Vende-se em todas as drogaras e pbar-
macias.
A Inaprensa e o peltoral de Cana
bar < i)
D'entre as muitas apreciacoes que este impor-
tante medicamento tem continuamente merecido
do j rualiami) de quasi todo o imperio, offerecemos
agora ao publico a opinio insuspeita de am Ilus-
trado orgo que v a luz da publcidade na cida-
de do Rio-Gr nde do Sul.
Eil a:
Sabemos de um asthmatco, diz o Artisti, que
regularmente, urna vez por mes, era accommettido
de ataques que o inatilisavam por alguns dias.
Entretanto, no espaco de oito mezes qae tem asa-
do do Peitoral de Cambar do Sr. Jos Alvares
de Soaza Soares, o seu estado de sade nao tea
continuando a soffrer os rudes golp-'s daquella in-
commodativa enfermidade.
Escrevendo estas linbas, o fazemos na crenja
de que prestamos um servico humanidade sof-
fredora.
Apontamos-lhe o Peitoral de Cambar, que
nao contando na sua preparaco cousa alguma no-
civa, tem produzido curas admiraveis.
Clnica medico cirura; ea
DO
Dr, Alfredo Gaspar
EspeciaiidaiePartos, oitiestias) de ae oras e
criancas.
Residencia Ra da Imperatriz n. 4, segunde,
andar.
Telephone n. 226.
Jos Curio
O Dr. Jos de Miranda Curio, sua es
posa e mi profundamente penhorados para
com os respeitosos e bons amigos e os paren-
tes e os do seu mallogrado e querido filbo a
neto JOS CURIO, bem como os que se digna-
ran) caridosamente acompanhal-o at a sepul
tura pedem o mesmo obsequio religioso pera
assistirem as missas que por alma do finado
mandara resar na igreja de Nossa Senho-
ra da Penha no da 5 pelas 8 horas da
manh.
.Recife, 3 de Agosto de 1887.____________




T


Diario de Peruambucoquinta--.eir 4 de Agosto de 1387


Casa de eu cacao moderna
KM
Sciencias, lettras e bellas-artes
RA VELHA N. 36
O director e professor deste collegio ensiua pri -
muras lettras pelo molhor systema dos principaes
collegio da, corte do imperio, colheu escrupulosas
observacoes.
Recebe meninos internos por 3540'X) men-
saes.
Primeiras lettras 200 mensaes.
Pr cada nm preparatorio 31000 mensaes.
36 Ra Velba n. 36
Julio Soarea de Azevedo.
Lyceu de Artes e
Officios
A Imperial Sociedad dos Artistas Mchanicos
e Liberaos de Peroambuoo, qui tem a seu cargo
o Lyeeu de Artes e Officios, no intuito de Ilustrar
u classes artsticas e maaufactureiraa, mantin
como j bem couhecido em seu pilacete, na
Campo das Princesas, aulas de diversa linguas e
scieucias, as quaes funecionam em todos 03 dias
nteis, das 6 ai 9 horas da noite.
Com o mosmo iutuits mantx ella urna pciuena
e m-desta bibliothcc, que coin patriticos dona-
tivos, aug nenta-so de dia para dia, e franqoe i-
da ao publico em geral diariamente, s m:8inis
horas aema, c assim como uin pequeo museu
artstico.
Aasim, pois, com o mui applaudiJo intento de
tornar bem conhicid) o progresso das artes e
officios entre ni, a perf*ic5o e utilidade de seua
productos, faz-r onhecido seua autoras, bem
como os lugares de seua estabelecimento.', afim de
facilitar a sahida e o consum> delle3, proinove
todos os annos, para o dia de seu auuiverssrio,
segundo dispoj o 6o do art. 2o doa seua estatu-
tos, urna eip,aci> dos trabalhos d'artes e officios
e manufacturas.
E' para a consecufao de to aperfeicoadi quao
vantajoso fim, que a directora da Socedade Vem
palo presente solicitar de toias aquella! peaaois
que possuem por pergaminho o trabalno, sua effi-
caz concurrencia expojico que em Novembro
deste anno se eftoctuar em sua sie, Lyceu de
Artes e Officios.
Cumpre tambem a ella tazar conhecaiores os
illustres senhores e seuhoraa qu o quizerem hon -
rar com seus productos, oa seua direitos e
Deveres
l. Devero at 15 do dito mez enviarem as
amostras de seus veniaveia productos para o dito
Lyceu.
2o Em todos 03 objectos deverao acompanbar
o nome do autor, ou proprietario d>s mesmos.
3.o Ser impresciniivol cm todo e qualquer
objecto a declarado do prec> e lugar de su fa-
brica ou deposito.
4.# Quh os objectos para a rxposicao devem sei
tal qual os costumi fazer e vender.
Ulrello
Art. 8o do regulameoto da Ezpoaicio Artiatico-
Indnstrial :
Somente aos expositores permittido abrir as
vitrinas para moatrarom aoa visitantes oa seua
productos.
A directora, co seia de qu muito se esforca-
ro para o faustoso resultado deste certamen to
proveitoso e lisongeiro a todas as classes indus-
triaes, antecipa seua devidos agradecimentjs.
Secretaria da Imperial Socedade dos Artistas
Mchameos e Liberass de Pernambueo, em 30 de
Jucho de 1887.
O Io secretario,
Paternianc Bar roto.
Clnica do Dr. Silva Ferreira
Especialidades. molestias de Senhoras e de
pelle.
Consultas de 1 s 3 horas.
Ba da Cadeia n. 53.
Residencia temporariaPonte d'Uoha n. 55.
TELEPH.NE417
Dr- Lopes Pessoa
Medica e operador
Residencia Rui Lirga do Rosario n.
38 Io andar.
Consultorio Ra do Bom Jess n. 37
1* andar.
Consultas Das 12 s 2 horas da tar-
de.
Chamados -A qualquer hora, por es-
oripto
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico ocu-
lista, ex-chefe de clnica do Dr. de
Weeker, d consultas de meio dia s
3 horas da tarde, no 1. andar da casa
n. 51 ra do Bario da Victoria, ex-
cepto nos domingos e dias santificados.
Residencia ra Scte de Setembro n.
34. Entrada pela ra da Saudade n. 25.
Cal virgem de Jaguaribe
regs
TRADA
Avisase aos seabores de engenho e
mais consumidores desta excelleote cal,
que contioua ser o seu deposito geral a
rui do Bom Jess n. 23. Perfsitamente
en:barricada e em pedras, como a que nos
vm do eitrangdiro e em nada inferior a
esta, continua a s^r vendida pelo preco fixo
de 66000 a barrica.
Alm do deposito geral j indicado, sao
tamb'm vendedores della os senhores :
Guimaraes & Valente6 Pateo do Cor
po Santo -6.
Lopes & Araujo38 Ra do Livramen-
to 38.
Beoto de Freitas Guimaraes & C Ra
do Visconde de Itiparica-51, Recife.
Dr. Col Loito
Medico, parteiro e operador
Riizdencia ra Bardo da Victoria n. 15, 1- andar
Consultorio ra Duque de Caxias o. 59.
D consultas daa 11 horas da man na s 2 d>
tarde.
Attende para os chamados a qualqner bor
telephone n._449.
Cal de Jaguaribe e 9. Beato e
cal virgem
O abaizo assigaado avisa aos Srs. con-
sumidores da cal de Jaguariba e S. Bento,
que o Sr. Vicente do Nascimento contin
a ser o nico que recebe a verdadeira cal
de Jaguaribe e S. Bento, e as tem expos-
to venda nos seus srmazj >s de mate
riaes Praca da Concordia ns. 11, 13 e
15 e toda a cal que nao fr vendida pjr
intermedio do mesaoo sonhor, nilj ser
verdadeira.
Assim como : que a cal virgero, de que
contratante e recebedor o mesmo Sr. Vi-
cente, contina a ser vendida pelo Sr. Se-
bastiio Bezarra ra do Bom Jess n.,
23, a 60000 a barrica.
Jos da Costa Pereira.
Dr< Goroooiro Loito
MEDICO
Tem o sea escriptorio ra Duque e Caxias
o. 74, das 12 s 2 horas da tarde, e desta hora
em diante em sua resideucia ra da Santa
Cruz n. 1.
Especialidadestnoestias de senhoras e crian
gas.Tolephone n. 326.
Leonor Porto
Roa do Imperador n.
Primeiro andar
-I.
Contina a execatar os mais difficeis
figurinoa recebidos de Londres, Pars
Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicaode costura, em bre
vidade, modicidade em precoz e fino
gosto.
MEDICO
1
II
COMERCIO
Hoa *-rclal
COTA5OK8 OFF1CIAKS DA JUSTA DOS C08-
KECTOKES
Recife. 3 de Agesto de 1887
Cambio sobre o Ro Grande do Sul, 90 d|V. com 1
3/4 0/0 de descont, houtem.
Camoio sobre Pari, 60 d/v. com 1 3/4 0/0 de des-
lio cont.
Cambio sobre Londres. 90 d,v. 22 3/8 d. por lf,
do banco.
O presidente,
Antonio Leonardo Rodrigues.
U secretarlo,
Eduardo Dubeux.
Bottmeniu baocarlo
BBCIFB, 3 DK AGOSTO DB 1681
PRACA 1> RECIFE
Os bancos abnrain hoje o mercado de cambio
oom a taxa de 22 1/4 d. sobre Londres, adoptando
mais Urde a 22 3/8 d.
Fecharam firme.
Em papel particular nada fieram.
PRAQA. DO RIO DE JANEIRO
O London adoptou a taxa de 22 7/16 d. sobre
Londres, manteado os cutres bancos a de 22
3/8 d.
As tabellas exposUs j,u foram estas :
Do Ihtkuaciohal :
Dr. Ballhazar da Silveira
Especiali dadesfebres, molestias das .-
enancas, doa orgios respiratorios e das j <
senhoras.
) I Prestase a qualquer chamado para
( ) for* da capital.
| i AVIVO
( ( Todos r-s chamados devem ser dingi
| j dos pharmacia do Dr. Sabino, na da
l ) Baro da Victoria n. 43, onde se indicar
| i sua residencia.
Consultorio medico
cirurgico
O Dr. Castro Jess, contando mais d 12 tana
ie escrupulosa observaco, reabre consultorio nest
ta cidade, ra do Bom Jess (antiga da Crui
n. 23, I.0 andar.
Horas de consultas
De dia : dasl a 2 da tarde.
De noite : das 7 s 8.
Vis demais horas da noite ser encontrado no
sitio tavessa dos Remedios n. 7, primeiro por-
tao esquerda, alm io porco do Dr. Cosme.
Clinica do Dr. SiuSjs Barbosa, Esps-
ciahdades : partos, molestias de senhoras
e du enancas.
Consultorio ra do Mar juez de Olin-
da n. 64 consultas de 1 s 3 horas da
tarde.
Residencia ra da Soledade n. 73.
T"lohone n. 213.
EDITES
Algodao
Entradas
Barcacas ......
Vapores......
Via-fenea de Caruar .
Aoimaes......
Via-fenea de S. Francisco .
Via-ferrea de Limoeiro .
Das
Bascas
1 29 3.256
1 29 3.236
1 28 59
1 29 4.073
1 27 813
1 25 544
Somma.
11.981
HO djv vista
Londres.
Pars. .
Italia. .
Ham burgo
Portugal.
New-York
223/8 221/8
425 429
. # 4.a
526 531
238 240
2*260
Do Londoh Bakk
90 djv vista
Londres.......22 3.8
Pars........ 425
Italia.......
Hamborgo.....
Portugal '.
New-York.....
Do Eholish Bakk :
526
22 1/8
429
429
031
240
2J26U
Despacho de exporlaco
MBZ DE AGOSrO
Nos das 1 e 2, roram despachados na Alfande-
ga os artigos seguintes :
Pura /ora do Imperio
Agurdente..... 1.920 litrofc
Algodao...... 17.710 kilos
Aasucar ...... 56z.5O0
Couros salgados. 9.75'J
Para dentro do Imperio
..... 6.234 kilos
2.100
190 kilos
80
50 kilos
1 caixa
1.800 kilos
12
34 velunes
Aasucar
Cocos (fructa) .
Doce......
Espanadores de penna .
Folhas de jaborau Jy .
Medicamentos
'Jleo de ricino .
Pranchoes de vinbatico.
Vinbo de jurubeba .
Para o exterior
Para o interior
becap:tula9ao do assucab
562.503 kilos
6.234
Somma
568.734
90 dje vista
Londres.......
Pars........
Italia........
Hamburgo......
LtsVioa Porto.....
Pnncipoc cidadss de PortB-
e>........
Liba dos Acjres ....
liba da Madeira ....
New-York......
22 3/8
425
526
238
22 1/8
429
429
531
240
245
248
245
2*260
Mercado de aaitucar e algodao
UCITK, 3 DK AOJSIO DE lOtl
Astucar
A cotacao deste producto contina a regular aos
algarismos abaixj, pot 15 k los :
Branco, os melhores qu>:
apparecem no mercado,
regulam do ....
3. s<-rte boa.....
S. regular.....
Hmidos e baixos
8omenos .....
Mascavado.....
Broto.......
Rtame.....
j.iu
Mercado frouxo ; eotacio duvidosa para o de 1
sorte do serto, a 6*oO0 (aocaiaal) por 15 luW
Entrada de axcar e atitoitau
HEZ DK JL'LO
^l'icur
Entradas
itmo a 400
UftM 2*100
1*700 a 1*8h)
1*500 a 1*7iKj
1*30^J IMO
1*04; a 1*100
*9 a 1*000
*TOO a *8JU
Gavin a carca
Estao sendo despachados os seguintes :
Brigue portugus Armando, diversos artigos, para
o Porto.
Brigue allemo J. G. ficht, aasucar, para o Bio
Grande do Snl.
Barca iugleza sseo, algodao, para o Bltico.
Barca portuguesa Claadma, diversos artigos, pa-
ra o Porto..
Lugar portugus Jos Eiteoao, cauros, para o
Porto
Vapor ingles JtfuranAe/we, assusar, para L'vcr-
pool.
Vapor ingles Sculptor, divra i artig>s> par* Li
verpool.
Navio* A descarta
liUADHO DO BACALBO
Bnrca ingleza Mana.
Lugar iugiez Cala
Lugar inglez Mary Cory.
Patacho ingles Anel.
QOAORO DO XABQDB
Barca nacional Marianninlta.
Escuna aliemi Qesine.
Encuna allema Fritz.
Escuna norueguense Reforin
CARVA I DE PEDKA
Barca norueguense Hornborgsund.
Patacho ingles Echo.
KEBOSESE
Barca alleui Hanza.
VARIOS OENEBOS
B.irca sueca Pulstyernen.
Lugar sueco Armida.
Lugar sueco Iir.es.
Patacho portu^urz Veritas.
Patacho allemao Norddeutsche Seetoorlr.
Vapor nacional Principe do Grao Para
Vap ir austraco Matlekovits.
Vapor nacional Jacuhypc.
secretaria, e apresentarem ss reclamacoos que
tiveren., sob pena de proceder se a arbitramento
para indemnisacao, na forma du lei n. 129 de 2 de
Maio de 1884.
Secretaria da repartilo das Obras Publicas de
Pernambueo, 23 de Julbo de 1887. *
O engenheiri secretario,
Joaquim Gomes de Oliveia e Silva.
DtLARAGOES
= De ordem do Iilm. Sr. eugenheiro director
geral, faco publico que tendo S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia concedido autorisacao Im
perial Suci-dade dos Artistas Mechanic >s Libe-
raes para deaapropriar o terreno com seis peque-
as casas, existentes ao lado do sul do edificio do
Lyeeo de Artes e Officios, para o estatelucment
de officinas e anlas praticas annexas ao in-imo
Lyceo, sio pelo presente chamados oa senhores
iuteressados, para no prazo de dous incz.'a virem
examinar a planta respectiva que toi approvada
pela Cmara Municipal do Recife e acha-ae neat;.
Ca:haca (litro).....
'ariha de mandioca (litro) .
Fumo restolho em rolo (kilo) .
Fumo restolho em lata (kilo)
Fuun bom (kilo).....
Pumo em foiha bom (kilo) .
Fumo em folba ordinario (kilo).
Gcnebra (litro).....
Mel (litro).......
M.lno (kilo)......
Taboados de amarello (duzia) .
70"
03l
5>
720
720
400
200
040
400
lOOOJO
Juros e dividendos
Estao sendo pagos os seguintes :
DIVIDA PD11LICA
Apolices ger.es e provinciaes.
Apolices muuiuipaes (os. 151 256).
LETTUAS HYPQTUECARIAS
Do Banco de Crdito Real, 7 0/0, ultimo se-
mestre.
BARCOS
Crdito Real de Pernambueo, 2. dividendo,
razo de 5 0/0 sobre o valor das entradas reali-
zadas do capital, ou 3*000 por seco.
BratiL, 67." dividendo, na razio de 9*030 por
ucea.). Estao encarregidoe desse pagamento os
agentes Pereira arneiro & C.
CARRIL DE PERRO
Trilitos Urbanos do Bectfe Olinda e Beberibe,
25 dividendo, razao de 8 0/0. O pagamento
f.iz-ee n i escriptorio da compauhia as tercas e
sabbados.
OMFABH1AS
Companhia de Edificacao, juros das acc.es re
midas, vencidos em 31 de Dezembro do anuo paa-
sado.
Memorial
Aos contribuintes dos imposlos deindustria e
prorisao e predial, foi marcado o prazo de 30
das, que terminar 22 do correute, para apre-
sentarem na Heckbkdobia Gbsal as reclamares
que porveutura tcuham de fazer com relaco ao
ultimo laucamento.
T rumia no dia 6 do corrente o praz> mar-
cado para pagamento da terceira e ultima tres
taca-), na razao de 43 0/0, das aceas ltimamente
emittidas pela Cohpahbia do Bebebibk.
A ilirectoria d > Estrada de Feiibo de RibeibIo
ao bw.Niro uarcou o plazo Uc 60 das, que termi-
nara hoje, para os accionistas recolberem a 6.a en-
trada de 10 0/0 de suas accocs.
Com o descont de 4 0/0 e at 30 de Setemb-o
vindoaro, sera substituidas na Thesoobabia de
Fazbnda as notus do valor de 2*1)00 da 5.a estam-
pa, 5*000 da 7.' e 10*000 da 6.
loiporlaco
Vapor nacional Principe do Gram-Par, cha-
gado da Baha e escala em 3 do cor.ente e con-
signado a Domingos Alvrs Matheua, manifestou :
Algodao em lama 20 saccas uo consignatario,
49 a Joi de S Lei.'ao.
Pelle 8 atado i a Diogo A. dos Reis 4 C, 2
II. L.indgren 6t C, 17 a H. Stolzenback & C.
Sola 411 meios a H. Nuescb 4 C, 110 a C t-
tano de A me ida Campos s U.
Tauancoa 3 f.irdoa a Perrera Rodrigues 4 C.
O procurador dos feitss da fazenda provin-
cial, tendo resebido do Thssouro Provincial a r. -
lacaoabaixo transcripta doscontribuintes da Reci-
fe Drainage, da treguesia de S Jos, relativameu-
ao Io semestre do exercicio de 18811882, quedei
xaram de pagar a reapectiva contribuicao uo tem
po competente, declara aoa meamos contribuintes
que Ibes rica marcado o prazo de 3) dis, a con-
tar da publicucao do presento edital, na coofor-
midade do d sp.sto no art. 53 da lei n. 891, para
recolberem a importancia de seus dbitos na
Recebedoria Provincial, certos de que, findo o re-
ferido prazo se proceder a cobranza executiva-
mente.
Rec-fe, 20 de Julho de 1887.
Miguel Jos d'Almera Pernambueo.
Relacao de spparelhos, encanameatos, aniuila-
dea e coneertoB da Companhia Recife Draina-
ge, do Io semestre'do exercicio de 18811882, da
treguesia de S. Jos
Ra do Marqui'z do Hi-rval n. 98. Jo-
vino Buudeira de M. lio
Dita n. 93 O mesmo
Dita a. 100. O mesmo
Marcilio Das n. 104. Antonio Fernn
des Velloso
Dita n. 141. Aitonio Jote Pereira da
Cunha e outro
Coronel Suassuna n. 162. Antonio Va-
lentiin da silva Barroca
Dita n. 164. O mesmo )
S. Joio n. 51. Alexandre Rodrigues
doa Anjos
Marques do Herval n. 136- Antonio
Tavares Ferreira
Dias Cardoso n. 86. Augusto Cyriaco
de Oliveira Villas-Boas e outro
Padre Nobrega n. 73. Antonio Jos
Bruno Jnior
Vidal de Negreiros n. 30. Anua Feli-
sarda de Souia Silva
Dita n. 40. Amenco de Souza e Albu-
querque
Dita n. 50.
Dita n. 66.
sil
Dita n. 84. O mesmo
Dita n. 86. O mesmo e outro (1(2)
Dita n. 202. Antonio Moieira Res
Dita n. 204 O mesmo
Dita n. 1. Antonio francisca Pereira
Oeta n. 119. Auna Amelia do Reg
Mor eir
Dita n. 172. Antonio Jacome de \rau-
jo (parte)
Fre lieurique n. 13 Antonio Jos Sil-
va do Brasil
Antonio Uenrique n. 15. Auna Mara
da Cesta
Dita n. 19. Antonio Feruandes Vel-
loso
Assumpeaon. ii. Antonio de Azevedo
VilUrouco
Domingos Theotonio n. 37. Antonio
Mereira Res
Dita n. 41. O mesmo
Dita n. 47. O mesmo
Padre Floriano n. 66 Autonio Jos da
Costa
Forte n. 2. Antonio Duarte Machado
Antonio Uenrique n. 19. Aatcuio J.i-
cmtho de Jezus Gnf tlvcs
Santa ilita n. 1. Antonio de Souza
Azevedo e outn s (resto)
Dita n. 41. Autonio Francisco Pernira
Travesea da ra nova de Saeta Bita
u. 13. -Adolpho da Foneeca Baok*
S. Jos n. 25. Antonio Moreira Res
Pescadores n. 6 Dr. Aut.n.o Joaquim
de Mcracs e Silva 15*131
Antonio Clodoaldo da
Forte n. 1. Anto-
Antonio Moreira Reis
Antonio Jos Silva do Bra-
239322
100*892
96*395
15*135
49*180
15*44
15*434
15*435
15*435
15*434
15*434
15*434
15*434
15*434
15*434
3J*68
23*151
15*434
15*134
46*3 j3
15*434
l*133
30*867
20*110
11..46
15*431
15*434
15*434
15*434
15*434
15*434
15*131
10*289
15*434
15*434
15J431
Dita o.
Dita n.
Dita n.
D.ta n.
Dita d
Dita n.
Dita n.
Dita n. 40
Dita n. 42.
n
n
i.
n
34.
36.
3S.
38.
Dita
Dita
Dita
Dita
Dita
Dita
Diti n.
Dita n.
Dita n.
Dita u.
Dita ii.
44.
46.
48.
50.
n. 52.
n. 51.
n. 56.
58.
60.
62.
Dita n. 8. Dr.
Sousa
Travessa da ra do
nio Moreira Res
Dita n. 3. O mesmo
Dita n. 5. O mesmo
Dita n. 7. O mesmo
Ypiranqa n. 11. Antonio Moreira Reis
Travessa do liamos n. 2. Bernardo Pe-
reira Ramos
Dita ii. 4. O mesmo
Dita n. 6. O mesmo
Dita n. 8. O mesmo
Dita n. 10. O mesmo
Dita n. 12. O mesmo
Dita n. 14. O meamo
Dita n. 15 O mesmo
Dita n. 18. O mesmo
Dita n. 20. O mesmo
Dita n. 22. O mesmo
Dita n. 24. O mesmo
Dita n. 26. O mesmo
28. O mesmo
30. O mesmo
32. O mesmo
O meamo
O mesmo
O meamo
O mesmo
O mesmo
O meamo
O mesmo
O mesmo
O meemo
O meamo
O mesmo
O u-.eaoio
O mesmo
O mesmo
C i esmo
O mesmo
1 a 55 F. O meemo
Cadeia Nova n. 33. O mesmo
Dita n. 37. O mesmj
Dita n. 39. O mesmo
Das Cardoso n. 3. Bento dos Santos
Ramos
Vidal deNegreiroa n. 58. Bento por
sea tutor Manoel Murtins Fiuza
Dita n. 107. Bernardo Jos da Ric-hi
D que n. 9. Bernardo Falco de Souza
Aaaumpcao n. 68. B rnardino Antonio
da Silva Lisboa
c Nogueira n. 47. O mesmo
! Santa Cecilia n. 25. Bernardo Joa Pe-
reira
-unta Rita n. 83. B da Silva Lisboa
v Jos n. 47. Baronpza de Cimbres
Travessa do Peixoto u. IC. Bernardi-
Pereira Ramoa
Pescadores n. 4. Baro de Uaa
S. Jos u. 35. U mesmo
Pescedles n. 21. Benedicto Jos Du-
arte
Dita n. 23. O mesmo
Macilio D.aa n. 118 Cpl!a doa Pra-
serea de Gu.irarap'S
Coronel Soaaauua u.95. Ctndido Fran-
cisco G mea
Dita n. 99. Ctrlos Frederic Barbosa
Taima n. 87. Carlita Vieira Ki'ociro
Dita n. 89 A iu -s.il i
24 e Main n. 51 A mesma
Mi n. 56. A mesma
Das Cnrd-.bo u. 8. Candida Isabel dos
Sin toa Al ves
Vidal de Negreiros n. 24. Caetano de
L'-i villio Raposo
Fre H"-nque n. 6. Ciementino de Fa-
rdas Ta /res e outr*
Travessa do Forte n. 4. Claudna Ma-
ra do Sacrameuto
Oita ii. 6. Ciaodino Jos de Mello
Dita n. 8. O inclino
IJ-iiniuges The oto ic n. 56. O meamo
Porte u. 5'J. O mesmo
Sauta Cecilia :i. 12. O meamo
Dita u. 18. O in .-nio
Dita n. 17. O uim>
Marcilio Dias u. 133. Dionisio Hyla-
no Lipes
Sauta Rita n. 11. Dumiugos Autuues
Maesas alimenticias 10 caixis a Carvalho ce
>'.., 'i a Humos & C.
Manteiga 2 caixas a C. Pluy i & C.
Mortadelias 2 caixas a R im .-. St C.
Mercado, ias 2 caixas a inna Le Salleny.
Objectos para a ignja 1 cau.a ao Rvio. Fran-
cisco do RegoMaia.
Papel 2 caixas a Veutura Pereira Peuna, 1 a
Rodrigues de Faria 4C.,1 o cousinagtario, ditua
para tiubru h i 40 fardos a Sousa Basto, Ainoriui
4 C, 50 a Domingos Cruz tt C, li ao conaig-
uatario.
Perfumaras 1 caixa a Gomes de Mattos Ir-
moa.
Qieijos 100 caix-s a C. P.uyu & C, 2 a Ra-
mos c C.
(Himno 1 caixa a Francisco Manoel da Silva
it cj.
Relogios 1 caixa a Augusto Reg o C-
Sauguesugas 2 caixas a F aucisco Manoel di
Silva 4 C.
Sardinhas 10 caixas a^Carvalbo 4 C, 4 a Ra-
mos C, 5 a J s Joaquim Alves 4U., 20 a (ion
calves Rosa 4]Pernaudus.
Tecidos diversos 4 voiuines a H. Burle 4 C.
Viuho 1 barril a H. H.wie, 2 a Pedro Vitello &
C, 2 a Ramos & C 1 a Pereira Ferreira ce C,
1 a J. Laguin t C, 2 a branles 4 C.,3 a Ber-
uet 4 C., 6 a H. NucacK Souza Uandeira, 2 u irm Salvigual, 3 ordem, 30
caixoea a II. Nuesch & C, 40 i Ramos 4 C, 5
a Chnstiaoi 15*434
15*434
16f4S4
30*686
30*368
15*434
15*434
15*431
15*434
15*431
15*434
15*434
15*434
15*431
15*434
15*434
15*134
15*434
15*434
15*434
15*434
15*431
15*434
15*434
15*534
15*534
15*534
15*534
15*531
15*534
15*534
15*534
15*134
15*531
15*531
15*534
15*i34
15*534
30*868
15*431
15*434
15*434
15*4J4
15*434
30*863
29*015
15*434
15*434
21*189
15*434
15*434
10*332
15*434
15*434
63*135
15*431
15*131
15*431
18*312
34*226
15*134
30*868
30*863
15*131
30*368
20*170
2*877
15*131
15*131
15*434
15*434
15*434
15*434
15*431
45*303
i>>Ui
I de u uc 3
Recite Drainaye
797/673
736*359
1:534*1/32
Dii Sascjs
29
Barcucas...... 1 i
Vapores...... 1
Va-terrea de C iru i: 1
Anu.ii- d...... 1
Vis-terrea de S. Fr 1 27
Via-f^rrea de Llnsoeirj 1 25
Somma. .
11.377
104
mi
2JI
10.61S
236
23.779
Paata da Aifandexa
SkMANA DR 1 A 6 DB AGOSTO DU 1887
Aesucar retinado (kilo) .... 145
Assucar branco (kiio) .... 126
Assucar mascavado (kilo) 066
Aicool (litro)....... 150
Arroz com casca (kilo) 65
Agurdente e...... 056
Algodao (kilo)...... .'73
i.rracba (kilo;....... 1*066
Couros seceos salgados (kil.-.) 'SO
i seccoe et pichados (kilo) !>8
Con ros verdea (kilo)..... 5i36
(kilo;.......
Caf restolho ikilo).....
Uaruaba (kilo)...... ;|66
;s de aifodio (kilo: 014
Uarvo de pedra de Cardifl (toi.) l.:*HO0
Caf bo-n (kilo)......
Esportavo
RRCira. 2 os ag jkto he 1887
Para o exiericr
So vapor ingles Sculptor, earregaram :
Para Liverpool, Julio & Irinuo 60 saccas com
4,654 kilos de algodao.
No vapor inglez Haranhtv.se, earregaram :
Para Liverpool, J. Pater 4 & 7,500 saceos com
562,500 kilos de Buscar mascavado.
\a barca iugleza Osaeo, earregaram :
Para o Bltico, Borstel'uaun is. C. 40 saces
com 2,81o kilos de algodao.
No brigue portuguez Armando, earrega-
ram :
Para Lisboa, Amorim Irmos & C. 815 couros
salgadoa com 7,335 kilos.
No lugar portuguez J. Eslevao, carregou :
Para Lisboa, A. M. da Silva 4 pipas com 1,320
litros de aguar lente.
fara o interior
N* vapor nacional Espirito Santo, carrega-
r iin :
Para o Rio de Janeiro, Mendes 4 Pereira SO
espanadores de penna ; Costa & Feruandes 2,100
cucos, fructa ; F. M. da Silva & i!. 50 caixas com
1,800 kilos de oleo de ricino ; Rouquayrol c re-
res 24 C'.ixaa com viuhi de jurubeba ; A. F. dos
Santos 10 volumes com vinbo du jurubeba, 50
kilos de folhas de jaboraudy e 1 caixa com medi-
c.imeutoa.
Para a Baha, Carlos Burle 38 barricas com
4,309 kilos de assucar branco ; J. F. da Costa 2
barricas com 190 kilos de doce.
errado anlclpal de 9. Son
O inovnnento deste Mercado uo dia 3 de Agosto
foi o sc^uiiite:
Kntraratn :
38 1/2 bois pesando 5,196 kilos sendo de Oliveira
Castro, 25 1/2 ditos de 1* qualidade e 1
ditos particulares.
606 kilos de pene a 20 ris 12*120
120 cargas de farinha a 200 ris 24*0mj
21 ditas de fructas diversas a
300 rs. 6*30)
10 taboleiros a 200 ris 2*0l0
10 Sumos a 200 ris 2*000
Foram oceupados :
49 1/2 columnas a 600 ris 14*700
21 compartimentos de farinha a
500 ris. 10*500
22 ditos de comida a 500 ris 11*0JO
62 ditos de legumes a 400 ris 24*800
28 ditos de fazendas a 1* 28*000
18 ditos de suino a 700 ris 12*600
11 ditos de tressuras a 600 ris 6*600
10 tullios a 2* 20*00
8 ditos a 1* 3*000
Oliveira Castre 4 C.:
HtVillaca 15*434
Travessa do Peixoto n. 22. Dionisio
Pacheco da Silva 37*734
Coronel Suassuna n. 210. Evaristo
Mendes da Cunha Azevedo Jnior 30*868
Mrquez do Herval n. 142. Emilia Ca-
rolina de Castro Madeira 15*434
Padre Nobrega n. 80 Evaristo Men-
des da Cunha Azevedo 15*434
Vidal de Negreiroa n. 46. Eduardo
GonvaIves Casco e outro 15*434
Santa CccilU n. 10. Evaristo Hilario
de Carvalho 15*434
Travesea do Peixoto n. 21. Edmundo
de Momea Cari-albo 15*434
Marcilio Das n. 114. Desem argador
Francisco de Asis Oliveira Maciel 15*134
Lunas Valentinas n. 57. O mesmo 15*434
i Travessa do Pocinho n. 11. O mesmo 15*134
Padre Notyega n. 76. O mesmo 15*434
Forte a. 18. O mesmo 15*434
Dita n. 54. O mesmo 15*434
Santa Rita n. 81. O mesmo 15*434
Dita n. 85. O meamo 18*312
Nova u. 66. O in sna i 15*434
Dita u. 72, O meamo 15*434
S. Jos n. 40. O u esmo 15*434
Travessa de S. Joa n. 19. O mesmo 15*134
Dita n. 21. O mesmo 15*434
Pescadores n. 17. O mesmo 15*434
Vidal de Nereiros u. 89. O mesmo 18*312
L)inas Valentinas n. 100. Francisco
Ribeiro Soares 46*303
Coronel Suassuna n 83. Francisco de
Souza Bago 15*534
24 de Maio ii. 21. Francisco Ribeiro
Soar-s 15*534
Padre Nobrega a. 61. Dr. Francisco
Jacintbo de Sampaio 40*149
Travessa do Caldeirciro n. 3. Fran-
cisco Jos Vianna 31*413
Cadeia Nova n. 25. Mousenhor Fran-
cisco Muuiz Ta /ares 15*434
Dita n. 27 O mesmo 15*434
Travessa de S. Jos n. 22. O mesmo 15*434
Vidal de Negreiros n. 17. Francisco
de Mello Oavalcante de Albnquerque 15*434
Dita a. 21. Flix Pereira de Souza 15*434
Dita n. 123. Francisco de Mello Ci-
valcante do Albuquerque 15*131
Frei Uenrique n. 34. Francisco Anto-
nio de Souza 33*746
Assumpcao n. 66. Francisco Jos R>
galo Braga 18*312
Domingos Theotonio n. 11. Francisco
de Souza Kcga Mjnieiro 15*134
Oita n. 13. O mesmo 20*470
Dita n. 15. Fraocisc de Mello Caval
cante de Alouqucrque 15*134
Padre Floriano u. 55. Felicidad.: Mara
da Coneecio 15*434
S mi i Cecilia u. 23. Francisco Jos
Vianua 15*434
Santa Rita n. 12. Flix Antonio Alves
Mascarenhaa 15*434
Dita n. 7. Francisco Jos Viauna 15*434
Dita n 51. O in--sino 16J434
Oita u. 5. O meam e outro 30*368
Nov* de Sauta Kaa n. 8. Francisca
Joaquina do Sacramento 15*434
Dita n. 50. Dr. Francisco Goncalves
da Rocha 15*434
S. Jos n. 8. Francisc Jos Vianna 15*134
Dita n. 27. Fortuuata Florinda da
Concita.) 15*434
Dita n. 33. Francisco G.mes da Ro-
cha 15*434
Travessa de S. Jas u. 4. Francisco
de Souza Reg Mooteiro 15*434
Dita n. 6 O mesmo 20*197
Dita u. 10. O meamo 15*434
Dita n. 12. O mesmo 15*134
Dita n. 22. O mesmo 15*434
Dita n. 3. Francisco Botelhc de Men-
dooca 15*434
Padre Nobrega a. 7. Geaoveva Rosa
da Silva Correia Gomes 15*434
Vidal de Negreiros n. 41. Gonzalo Au-
gusto da Graca e Mello 30*868
Santa Rita n. 17. Genuino Jos da
R.sa 15*434
Marcilio Das n. 99. Herdeiros de Ber-
Vapor trances Sentgal, entrado dos portos da
Emopa em 3 do corrente e coueignado a Augus'e
Labiile, unmilebtou :
Azeite de olive ra 1 caixa a J. Liguim.
Amostras 13 volumes a diversos.
Aosyiitlu 2 caixas a J. Laguin.
Arc s 2 caixas a C. iWncbsinan.
Aineixas 4 caixas a Guimaraes Rocha 4 C., 8
a Ramos 4 C, 14 a Joio Fernandas de Almeida,
15 a Goncalves Rosa ce Feruandes.
Cunfcii'dea 1 caixa u Albino Silva o& C.
C'iocolate 1 caixa a G. Laporte 4 C., 1 a Ra-
mos 6 C. i
Couios 1 caixo a C. Wackaman.
Cognac 25 caixas a Ramos 4 C, 5 a J. Laguin,
200 a H. Noaseh 4 C, 10 a Jos Joaqnim Alves
o C 15 a Domingos Ferreira 4 C.
Cachimbos 1 caixa a C. Wackmau.
Chumbo 30 barra ordem.
Cnpsulns 1 caixa a Abrantes & 0.
Coacervas 1 caixa a C. Piuyu |4 C, 18 a or-
dem, 5 a G. La porte C, 4 a Carvaibo &i C.
Doces 3 caixas a Rain .8 S C.
Joias 3 caixas a J. Krause i C, ditrs e luue- l>(-
tas 2 caixas a Augusto Bogo & C. Id
L'Cores 2 cuxasa Ramo* i C.
Mostarda 2 caixss aos m.emoi.
Ulnbelro
RCE8ID0
Pelo vapor nacional Princjie do Grao Para,
rara Sobrinhd 4 C. 300*000
Hend metilo* pblicos
HEZ DR AGOSTO
Aljanaega
Renda treral
D la2
dem -o 3
iienda provincial
De 1 a 2
48.230747
24.861*308
Ide-u ue 3
Del a9
la2
a ilu
5:282 310
2.557.273
73:092*055
7.839.J13
H.'ixb'doria geraX
80:931*668
1:857*530
872*002
Recebedoria i. jjir.tiu
2:229*532
978*038
1:J92<164
2:370*19*
54 tal bou al* 54*000
Deve ter sido arrecadada oeste di
a quantia de 236*620
Reudimento dos dias 1 e 2 439*260
Foi arrecadado liquido at hoje 675*830
Prccos do dia :
Carne verde de 240 a 400 ris o kilo.
Carneiro de 720 a 800 ris idem. ,
S nnoa de 560 a 610 ris idem.
b'amiba de 140 a 240 ris a cuia
Milho de 26) a 320 ris idem.
t'eijao de 560 a 800 idem.
Haiadonro Publico
Foram abatidas uo Matadouro da Cabanga 67
rezos para o consumo do dia 3 de Agosto.
Sendo: 46 rezes pertenceate a Oliveira Castro,
f C, e 21 a di versos.
Etnbarcacdes surtas no porto em
8 de costo
SACIONAES
Armandoconsig. Loyo Filho.
Giqui Companhia Pernambucana.
Ipojuca Companhia Pernambucana.
Jacubype Companhia Pcroambucana.
Lnmegu(canboueira de guerra).
Marianninhaconsig. Baitar Oliveira 4 C.
Maniah Companhia Pernambucana.
Pirapama Companhia Pernambucana.
Principe do Grao Para Domingos A. Matheus.
BMBUSBBW
Armidaconsig. Fonseca Irmos < C.
Ar el Saunders Brothers 4 C.
Claudina Loyo 4 Filho.
Cluta Saunders Broth-rs 4 C.
Echo Wilsoo Sius 4 C.
Fritz Baitar Oliveira 4 C.
Gjsiui-- Pereira Carneiro o* C.
lianza Fonseca limaos & C.
Homborgsuud VVi.-ou ons 4 C.
linea- orditn.
J. G. Ficht F. R. Pinto Guimaraes.
Jos Eatevo Amorim Irmos 4 C.
Mara Joh istou Pater 4 C.
May Corya Saunders Brothers & C.
Marauheuse Johuston Pater (se. C.
Matlekovits Joaustou Pater 4 C
* Norddeutsche seewarte Henry Nuesch 4 C.
Osaeo W. Sons 4 C
PoLty^rnen- Fooseca Irmaoa & C.
Retortaa H. Lundgren 4 C.
Sculptor S. Johuston & C.
Veritas Amorim Irmos 4 C.
SUBTA UO LAKABO
# Seuegalconsig. Auguste Labiile.
O signal nuca ter a embarcafo sabido.
Vapore a entrar
DOS PORTOS DO 8DL
Ville de Santosamanb.
Camillo a 7.
Trenta 14.
Alliancaa 16.
Paraa 17.
Espirito Santoa 27.
La Plataa 29.
DOS POBTOS DO NORTE
Man.-iosa 12.
Pernambueoa 24.
DA EUKOFA
Ville de Maceihoje.
Mondegoa 10.
Taguaa 24.
DB UAMBUBGO
Bahaa 15.
Merchanta 13.
Advaucei 19.
Mattkovttsa 9.
DE tI%'EPO0L
DE SEW-I'OBr
DE TRIESTE
Vapores a sabir
Ville de Macei amanh, s 4 horas da tarde,
para Baha, Ro de Janeiro e Santos.
Ipcjuca.mai.ii I, a 5 horas da tarde, para Para-
byba, Natal, Mac lo, Mossor, Aracaty e Cear.
Ville de Santosa 6, s 2 horas da tarde, para o
Havre.
Camillo a 7, s 5 horas da tarde, para os portos
do norte.
Principe do Grao Para a 7, s 4 horas da tar-
de, para Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaj,
Estancia e Baha.
Mondego a 10, s 2 horas da tarde, para Bue-
nos-Ayres, com escala por Baha, Rio de Ja-
neiro e Sautos.
Giquia 10, ao meio dia, para Fernando de No-
ronha.
Man jsx 13, e 5 horas da tarde, para os portes
do sul.
Trent t 14, 1 h ira da tarde, para Southamp-
ton e portos da escala
Navio* & entrar
Bella Rosade Terra Nova.
Emolatorde Terra Nova.
Florence de Terra Nova.
Farwardde Liverpool.
Lidadordo Rio Grande do Sal.
Mariedo Rio de Janeiro.
Marinho IXdo Rio Grande do Sul.
Marietta do Rio Grande do Sal.
Petrus -de Savannah.
Positivodo Rio Grande do Sul.
Tunerariodo Porto.
Tibsrde Halifax.
Unionde Santos.
U o vi metilo do porto
Navios entrados no dia 3
Bordeaux e es jola 14 dias, vapor fran-
cez < Sanegil de 2373 toneladas;
commandante Mu, equipagem 123,
carga varios gneros; a Augusto La-
biile.
Babia e essala-8 dias, vapor nacional
e Principa do Grao Para de 501 to-
neladas, coinmaniante Jos Fernandos
Teixeira, equipagfiui 21, carga varios
gneros; a Domingos Aives Matheus.
Tricsts o escale25 dias, vapor austraco
Matlekivits, de 1249 toneladas, com-
mandante A. Randichff, equipagem 27,
carga varios pjueros j a Johuston Pater
&0.
Porto31 dias, patacho pirtuguez Veri-
tas i, de 176 toneladas, capitSo Ma-
noel Marques de Souzi, equipagem 8,
carga varios gneros ; a Amorim Irmlos
& O.
Sahidos no mesmo dia
Buenos Ayres e escah Vapor francs
t Senegal commandante Mac, carga
varios gneros.
Mossor -HiAtij nacioual D. Antonia ,
mestre Joib Martina da Souza, carga
varios gneros,
Parahyba Patacho allemao Norddewtche
Seewart cap.tilo J. Manumsr, em las-
tro.
Observagao
Fica no horutonte urna barca brasileirt.
-
I



Diario de PernambucoQninta--ieira 4 de Agosto de 1887



)
)
i
nardo Duarte Pereira 254266
Coronel SuasBuna n. 176. Herdeiroa de
Francisca Mria da Coueeiciu lbfiol
Dita n. 212. H-r leiroa e filhaa de
Francisco de Paula aianezea 164(34
Dita n. 314. Os meamos 15*434
Dita n. 143. H;rdeiros de Antonio Jo-
t Pinto 15 434
Obras publicas
De ordem do Ilm. Sr. engenheiro director gerai
das obras publicas e de conformidade com a au-
torisHcao de S. Exe. o Sr. presidente da provincia
de 30 do Julhj ultimo, f*co publico que no dia 25
do crtente, ao rooio dia, na mesma repirtico,
recebe-se propostas para a obra de reconstruidlo
da ponte do Junquein sobre o rio Pirapama, or-
eada em 8:6702J7.
A plauti, ornamento e el nsulas especiaos do
contracto acham-se nesta s cretaria para seren
examinadjs por aqu-lie^ qu pretenderen! arre-
matar a metma obr i, da aeeurdo com o que dspov
os arts. 7J 73, 8^ a 99, 92, 97 101, 106, 115 e
116 do regulamento de 20 de Juuho do crtente
anno.
Secretaria da reparticuo das obras publicas de
Pernambuco, em 2 de Ag>-tj de 1887.
O ingeuheiro secretario,
.1 aqniui (iunes do Oliveira e -va.
Recite Drainage
A companhia faz publico, para conhecimento
dos interessados, que collocou no mez de Julbo
prximo fiudo. os apparelhos abaixo declarados :
jauto Antonio
Ra do Imperador n. 43, apparelbo n 5,690,
loja.
dem dem idem, irparcll'o n. 5,631, loja.
lioa-Vista
Ra do Hospicir n. 51-B, apparelbo n. 10,962,
pavimento terreo.
Recife, 3 de Agosto de 1887.
I. F. Mackintosh,
Pro-gerente
Club de Regatas Per-
nambucano
Pelo presente sao convidados todos os socios que
estiverem quites com os cofr. s s iciaes ( 1 art. 7)
a virem receber, das 7 s 9 da noite, na sede so-
cial, os respectivos ingresaos par* a reuniao fa-
miliar do da 13 do Barrate, e o m aesiin apre-
sen tare ui as listas dos convit s que tiverem para
a mesi: reunic. Recife, 4 de Agosto de 18S7.
Dr. Barros Sob'iuho,
Presidente.
Asscinblca geral
Nos termos do art. ofi d s estatutos convido os
senhores socio? para a reuniao da assemala geral
ordinaria que deveri ter lugar na eiu do club
domingo 7 <> cirrente, ao ineio dia, para o tim
de serem aprtsentadas as contas da aimiuislrjcao
eelegerse es novos funcionarios para anno
social de 1887 a 1888 ; e bem assim tratar-se de
lgumas dispcsfc s dos esfatuf>s.
Secretaria do C'iob Internacional de Regatas,
3 di Agosto de 18S7.O 1 secretario,
Joaquim Al ves da Fonseca.
Arsenal de Harinba
OExm. Sr. ch- fe de divisao Jos Manoel Pi-
caneo da Citta inspector dest- Arsenal, tutorisado
por S. Exc. o Sr mi liatro da tnariuha por aviso
de 16 de Julbo do co-rente anuo, sob n. 811, abre
concurrencia e p-'de propoat* para a construccao
de urna caldeiru eyiiuiucii multi tubular completa
com as competentes porteira, cinz;iros, grelbas,
caixa de fumo e chauuu.
Os mdustriaes que quizerem concorrer, aeharao
na directora de inachiuts, ond tjlas as explica
CO.'S e informico .'s Ibes aer'j prestadas, o plano
detalhado da m'jsina cal leira, qu-; Ihus servir de
base para seus clculos .
O material todo deve ser de priui ira qualidade, e
ser examinado autea d* empregado pelo director
daa oficinas d; machn i", q' loesma construevao.
Os proponeutes d-vein declarar o preco, condi-
coes da pagamento e t-mpo em qu-.* s& ohrigam a
entregar a caldeira pr impa.
As propostas fechadas serlo recebidas na secre-
taria desta insp-cca ate o dia 10 do prximo mez
de Agosto, dia em que serio abertas e clasifica-
das na presenca dos proponeat-a ou seus propos-
tos.
Inspectoria do A'aenal de Marinha de Pernam-
buco, 2b de Julbo de 1887.
O secretario,
Antonio d'i 8 Companhia do Beberibe
Previne-se aossubacriptorea das accoes da no-
va emiaaao que o prazo para o pagamento da ter-
c?ira e ultima presiaca de 40 /, termina no da
4a do mez prximo vindouro, como fui previamente
annunciado.
Recife, 11 de Jalao de 1887.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Director secretario.
O administrador da li.-cebedoria Provincial
dando cumpriment i a Porttria n. .1017 expedida
pelo Illm. Sr. Dr. inspector do Thesouro em 26 do
corrente, faz publico a quera interessar p issa. que,
no prazo de 30 Jhs utea contados do 1' de Agosto
prximo, dar-ae ha principio neata repartirlo
cobranca. livre de multa, conforme a telaco infra,
das annuidades e mais servidas da Recfe Drama-
ge Compon'/ relativos ao 2- semestre do exercicio
de 188687.
Recebedoria Provincial de Pernambuco 29 de
Julho de 1887.
O administrador,
Francisco Amynthas de Cirvalho Moura.
Relaca) a que se refere o edital supra.
Freguezia do R-eife
Ras: Mrquez de O.inda. Bjn Jflna, Alvares
Cabral, Uommerci i, Bispj Sirdinha. Thom de
Souza, D. Maria d- sura. Vigario Tenorio, Bar-
reto de Meuezes, Mirize Barros, Bur.-oa, Atnorim,
Moeda, Tuyuty, Companhia Pernainbucana, Ma-
dre de Deas, Dominga .."os Martios, Mscate,
Reitauracao, D. Mara Oezar, Viaciude de l:apa-
rica, Pharol, Arcal, S. Jorge, Viul de Oliveira,
Guararapes e liara) de Tnumph).
Pracas : As^embli, Chaco e Pedro 1".
Travesis : Vigarto, Madre de Dcua, Campello,
Domingos Jos Martins, para oCorpo Santo, Anti-
ga Porto. Bom Jess, Areal, para a Pundica, Oc-
cidente, Guararapes u Praca de Pedro 1-.
Beccos : Abreu, N.rnba, Lirgo, Pindoba, Ta-
pado e Paac-hoal.
Largo : Alfandega, Corpo Santo e Assembla.
Caes : Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de r- .nto Antonio
Ras : Imperador, 1" : Mut^o, Dique de Ca-
xiaa, Cabug, Bario da Victoiia, Tnocbeiras, La-
rangeiras, Larga do R)sario, Estrena do Rosario,
Francisco Jacintho, Joao do R-go.I'ha deCarvalho,
Conselbeiro Pirette, Netto de Mendonca, 28 de Se-
tembro,Sauto Amaro, Matliia> de A!bu Paulino Caaiara, Fgo, Livramento, Penha, Vis-
conde de Iubauma, Pedro Aff>nso, Novada Praia,
Marcilio Dias, II nriqu? D as, Limas Valentinas,
Coronel Suasauaa, Santa Toaras*, 24 de Maio,
Palma, Mrquez do H rval e Cadata Nova.
Caes i Vinte Dous de Novetnbro,
Largos: Paraizo, Carrao, Penha, S. Pedro e
Praceta.
Traveseas : Queimado, Cruzes, Jlnrquez do Ke-
cife, da ra Bella, Quarteis, Caiabouco, Expostos,
Matriz, Flores, Cirmo, Bomba, Livramenti, Arse-
nal, 1* e 2' d Praia, Caler no, S. Pedro, Vira-
co. Lobato, Falcao, Pocinh i e Concordia.
Beccos : Da travessa da rua Bella, Calabouco.
Matriz, 1", 2 e 3" da Gamboa, Falci i, Io e 2- da
Cadeia Nova.
Campos : Princeza.
Prajas: PedroII.
Freguezia de S. J >s
Bas: Marcilio Diaa, L-mas Valentn s, Ciro-
nel Suassuna, S. Joo, F^lipp" ('.i-r.aro, Mrquez
do Herval. Vinte Q latro de Mato, Dial Cardoso,
Passo da Patria. Padre Nobraga, Victoria, Cadcia
Nava, Vidal de N'egreirns, Fre Haanajae, Dique,
Beccos : Palma, Caldereiro, Gaz, Asjumpcao,
Nova de Santa Rita e Matriz de S. Jos.
Largos : Forte e Mercada
Freguezia da B>a-Vista
Ras: Imp'ratnz, Conceicao, Viacoidc de Pe
Iotas, Tambi, Viscoode de Albuquerquii, Capi-
baribe, Ponte Velha, Conde da Boa-Vista, Ria
ebuelo, Umao, Saudades, Sete de Setembro, Vis
conde de Camaragibe, Camarao, Rosario, Gervasio
Pires, Dr. Villas-Boas, Socego, Principe Santa
Cruz, S. Goncalo, Coelhos, Hospital Pedr > II, Ge-
ueral Sera, Coronel Lamenba, Conselbeiro Aguiar,
Leo Coroado, Baro de S. Borja, Desembarga-
lor Nunes Machado, Viscondo de Goyan a e At-
traeco.
Travessas: Gervasio Pires, Atalho, Coelhos
Barreiras, Veras, Quiabs, Joo Francisco, Me.n
guetra, Campia e Palacio do Bispo.
P.acas : Conde d'Eu e Santa Cru*.
L.ir,fO ; Campia.
Beccos: Coclh>8 e S. Goncalo. _______
t) ordem do Illm. Sr. inspector, CaOO publi-
co que no dia 6 de Agisto prximo futuro jr
praca, conforme ordenou o Exui. Sr. Dr. presiden-
te da provincia em officio de 11 da corrente, o
f irneciineiito de fardam utj da guarda ivica, o
qual compulse de 360 bluaas de brim pardo, 36 J
calcas da mesma fazenda, 12) calcas de brim
branco, 120 mantas de la, 480 pares de botinas
de bezerro c 120 gravatas de couro de lustre.
Oa senhores concurrentes devem habilitar-se na
sesso da junta do dia 4 daquelle mez e apresen
tar suas propostas em carta fechada, na dia da
arrematacao, acompauhadas de um exemplar ma-
nufacturado de cada artigo que deve ser igual aos
que actualmente usa a mesma guarda.
Outroaim, cada um dos artigoa de que se tra;a
deve vir tambem acompaabaio da amotra da
respectiva fazenda.
Secretaria doThesouro Provincial de Pernanr-
buco em 29 de Julho de 1837.O ufficial,
Liado'fo Campello.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector, faco
publico que no dia 6 de Agosto ptoximo tutdro,
vai prac* neste Thesouro, conforme orcenou o
Exm. Sr. presidente da provincia em officio de 11
do correte, o lornecimento dot obj'Ctos abaixo
declarados, necassarios ao servie,) da Caaa ce De-
te nco.
Os concurrentes devem babilitar-se previamente
na sesso da joota do dia 4 de Agosto a fazer
acompanhar as suag prouoatas, que serio fetas
em cartas techadas e entregues uo dia da arre-
matacao de um exemplar de cada um dos referi-
dos objectos :
2 cassarolas de ferro estanhado cora 9 kll. de
peso.
2 ditas de dito, com 1 dito de peso.
12 coco8 de folha de flandr.-s com 0,08m i.! altu-
ra, O.lOxi de bocea e 0,09m de fundo.
4 dito d dita, Com 007.m de altura. 007 de
bocea e 0,06.m d fundo, aeudo este com ralo.
4 conchas de ferro estanhado.
2 ussucareroa de folha de flindres com c.:paj-
dade para 2 kilos de asaucar.
300 iij-las de loofa de .lapy.
200 pratos da mesma louca.
Secretaria do Thesouro Provincial d-: Pernam-
buco, em 29 de Julho de 1887=0 oficial,
Lindolfo Camp''lo.
i reanlao ala anembla geral or.
linaria
NSo tendo comparecido numero de socios para
estabe ecer-se a assembla geral na 1* convoca-
cao, le novo convido oa senhores socios a compa-
reierem na sede social quinta-teira 4 do correte,
a 7 1|2 horas da tarde, afim de ouvirem a leitura
dos relatnos da directo'ia, conaelho fiscal c com-
misso de contas. Recife, 1 de Agosto do 1887.
Bento ae Aguiar,
Io secretario da assembla geral.
aaaoclacao de protecctlon beneficen-
cia mulla* dos emprezadas publl-
com iceraea de Pernambuco
De ordem do Sr. presideuto interino, convido a
todos os funcclonarios geraes das difierentes re
particoos publicas existentes neata eidade, a com-
parecerem ra renuio convocada para o dia 3 de
Ago to prximo viadouro, p"las 4 horas da tarde,
rua do Hospicio n. 75, afim de tomaren) parte
na discueso dos estatutos, que iem de dirigir a
mesma associacito.
Secretaria da associacao de protoccao e benefi-
cencia mutuas dus emoregadoa pblicos geraes,
em 30 de Julo de 1887.
O 1 aecretario interino,
Jos ue Arim-itba Costa Pontea.
Eleico de um piolennor para mem-
bro do eanaelao Iliterario
De ordem do Dr. inspector geral, declaro aos
profesaores pblicos de eaiino primario effectivos
e vitalicios, quer de u quer de ontro sexo, que
teodo de proceder-se a (jleicdo de um professor
P'ira membro do conselh > litteraro, devem na
t.-m do art. Io daa inatru :cocs de 15 de Maio de
1885 e art. 18 17 do reglamento interno das
ojelas, remettercm a e ata secretaria at o dia 14
de Novembro vindouro, oa icus ofcios.
Secretaria da instrucc:V> publica de Pern.mbn-
co, 1 de Agosto de 18570 secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvao.
i-
Cu
Nauta Casa de Misericordia do
Recife
Por esta secretaria sao chamados os parantes
ou protectores das menores abaixi declaradas,
par.:, at o dia 30 do corrente, apresen tal-as no
collegio daa orphas, afim ne serem ahi admittidas.
visto acharem-ue inscriptas em primeiro lugar, no
respectivo quadro.
Laura, 61 ta de Miguel de Souza Galvao e Isa-
b"l Maria da Silva Galvao.
Sydronia, filba de Cosme Damiio Felippe da
Silva e Constancia Maria do Carino.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 16 de Julho de 188".
O escrivao interino,
Francisco Gomes Castellao
X
Imperial sociedade
DOS
Artistas ^fchameos e
Liberaos
Di ordem do irmao director, convido aos irmaos
que se acbam no goao de seus direitos, a reuoi-
rem-Be em nossa ade sejta-fetra 5 de Agosto,
pelas 6 horas da tarde, fim de ter lugar a as-
sembla gera' do mez prximo passaio, que dei
xou de lunecionar por falta de numero, devendo
esta ter lugar com o numero que comparecer.
Secretaria da Imperial Sociedade dos Artistas
Mecbauicos e Liberaes do Pernambuco, em 3 de
Agoato de 1^87.-0 1 secretario,
Paterniano Barroso.
Yarana publica
De ordem do Exm. Sr. Di. presidente da pro-,
vincia, declaro que no (iyc nasio Provine.al ha-
ver vaccina publica todas as quintas ieiras, daa
11 horas ao mei > dia, ou em qualquer dia santo a
mesma hora.
Gymnasio Ptcvincial, 1 r?.e Agosto de 1887.
Dr. Estevas Cavalcante de Albnquerque.
Qunta-feira, 4 do corrente, bora do cestome,
baver aessio ordinaria.
Secretaria do Instituto Archeologco e Geogra-
phico Pernambucano, 2 de Agosto de 1887.
Baptista liegueira,
1 secretario.
Club Conce dia
Ordentlicbe Hauptversammlung
Preitag den 5 August
Beachlusafabig mit jederanzali! Mitglieder.
Das directorium.
TI1KA fRO
D.; ordem do Illm. Sr. D-. inapector, f*t}0
publico que tica marcado aos senhores arrematan-
tes do dizimo doga o, qne aceitar-m a ccn;essio
da lei n. 1888 sob a clausula .estabeleiida na or-
dem da presidencia de 17 de Junbo ultimo, o
praca de o'.t > dias para a&signarem os respectivos
ontratos, cumprindo Ibes dentro do prazo i.npro
rogavel de tres mezea provar perante este The-
souro, p)r meio de documentos judiciaes, a impor-
tancia dos prejuizos que sofVerain, afim de aerem
deduzidos at um anno no mximo, devendo as
mesmas prevaa ser taitas por justifieaco com au-
diencia dos ajudantea do Dr. procurador des fei-
tos as respectivas t-ollectorias ou dos eo:lectora
no impedimento dellea e posteriormente aubmetti-
doa a este Thesouro, sendo que a falta ou impro-
cedencia deseas provas importar sem mais re-
curso perda de direito a indemniaacao permittida
oa citada lei.
Secretaria do Theaouro Provincial de Pernam-
buco, 29 da Julho de 1887.=0 oficial,
Lindolpho Camp lio.
Companhia de Edificaran
Os senhores accionistas, possuidores das accoes
remidas, sao convidados a receberem os juros das
mesmas, vencidos em 31 de Dezembro prximo
pasalo, em t idus oa dias uteis, das 9 horas da
manb s 4 da tarde. Recifr, 28 de Julbo de
1887.0 gerente interino,
Antonio V. do Naacimento FeitoBii.
Thesouro Provincial
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector desta re-
partirn, faco publico que no dia 1* de Agosto,
comecam os pagamentos dos funecionarioa pro-
viociaea do mez de Julho, ua forma da aeguinte
tabella :
No 3- dem, secretaria do governo.
No 4 dem, ioatrncco publica, bibliotheca,
casa de detenco, juizo e coadjutores.
No 5- idem, secretaria da assembla e escola
normal.
No 6' idem, gymnasio pernambucano.
No 7- idem, obras publicaa e guardas da illu-
minacao.
No 8- idem, recebedoria provincial.
No 11 idem, p>ticia.
No 12- idem, aposentados.
No 13- idem, profesaores de 3 entraucia a es-
colas nocturnas.
No 14- idem, professores de 2" entrancia.
No 16- idem, professores de 1 entrancii e
guarda cvica.
No 17 idem, profeasoras de 3 entrancia.
No 19" dem, professoras de 2 entrancia.
No 21- idem, polica.
No 23- idem, professoras de 1* entrancia.
Pagadoria do Theaouro Provincial de Pernam- '
buco, em 30 de Julbo de 1887.
O escrivao da receita,
Luiz Epiphauio deS>uza.
Thesourariade Fa-
zenda
j De ordem do Illm. Sr. luspector, fajo publico,
para conhecimento dos interesbadoa, que ae acha
marcado o prazo de SO diaa, a cont.r de boje,
para a cobranca amigavet doa impostoa geraea
que deixaram de aer pagos na recebedoria de ren-
das no excrcicio de 1885-1886, procedenda-se logo
em seguida a cobranca executiva.
Theaouraria de Fazenda de Peroambueo, 1 de
Agosto Oe 1887.O secretario,
Luiz Emydio P. da Cmara.
Por de.beraeao da directora sao chamados os
Sra. accinistas desta emprezs, para no praso da
60 lias a contar de 4 do corrente mez, realiaarem
a 7* entrada de 10 % da suaa accoea ooa termos
do | nico do art. 4" doa estatutos.
Recife, 3 de Agosto de 1887.
Jos Bellarinin> Pereira de Mello,
Director-secretario.
Inspectora de ral de Hygiene
Em virtude do que dispoe o art. 66 do regula-
monto que baixou com o decreto n. 9554 de 3 de
Vvereiro de J886, a Inspectoria G Tal de Hy-
gieue faz publico, pelo prazo de oito diaa, que o
cidado Homem B mi da Cunha Souto Maior, Ihe
dirigi a seguiute peticao, com documentos que
aatisf tzem as exigenciab do art. 65 do citado re-
gulatnento :
< Diz Homem Bom da Cunha Souto Maior, re-
sidente na cidadedo Bom Jardim, provincia de
Parnambuco, onde estabelecido com caaa de
drogas, que tendo muitoa anuos de pratici de
phirmacia, como provam os documentos juntos,
e ha vendo grande ueccasidade de urna phaimacia
nesta eidade, como prova com o attestado da C-
mara Municipal, vem o supplicante requerer a
V. Exc. a graca de comed r Ihe lceuca para
abrir e dirigir urna pbarmacia ua eidade de Bom
Jardim, em vista do art. 65 do regulamento que
baixou com o decreto n. 9554 de 3 de Feverciro
de 18S6.Nestes termos pede a V. Exc. deferi-
uiento.E. R. M. Bom Jardim, 8 de Fvereiro de
1887.Homem Bom da Cunha Souto iiaior. So
bre duas eatair.pill.a6 de 200 ra
E declara que se nease prazo nanhum pharma-
ceuti--o formado Ibe communicar ou Inspectora
de Ily i'-ne da provincia de Pernambuco a reso-
luco de eatabeleeer pharmacia na citada local* -
dade, conceder ao pratico a licenca requerida.
Inspectora geral de Hygiene, em 15 de Juuho
de 1887.Dr. t'edro Affonso de Carvalb; secre-
tario.
(Extrabido do Diario Official de 19 de Julho de
1887).
r'Zi
s.i.n.1 \m
Sabbado, 6 de Agosto
Senliora da Roiianca
Drama martimo em 4 actos
Feata artstica do actor LISBOA
l'ronranima, no da.
liRmlOS
ib
COHPnUIl PFKVAMIIlCA^i
avegaco costeira por Tapor
fORTOS DO Si L
Macei, Penedo, Aracaju' Babia
0 vapor Jaculiype
Commanrlante Estevcs
:_- Segu no dia 6 de
Agosto, s 5 horas da
torne.
be carga at e
dia .0.
Encommendas, i i dinbeiros frete at
3 horas da tarde do r(a 6.
ESCRIPTORIO
Ao Caet da Companhia Ptmanbucana
n. 12
a
(Intied Slates Brasil 1. S.S. C
0 raior lll8D(;a
E' esperado dos portos do
snl at o dia 16 de A gosto
depoia da demora necessaria
para
Haraaho, Para. Uarbados, s.
ThoiHaz e .\ew-Vork
Para carga, passagens.c icuimendas .-dinheiro
frefo, tracta-se com o
O vapor Advance
Gniiiaiuia lie Trios Urauos do
m PeniMco
A directora faz sciente aoa Sra. subscriptores
da nova emissao de aesoes para o levantamento
da fabrica na Torre, que fica marcado o prazo de
30 dias desta data, para pagamento da primeira
prestacao de 10 por ce nto, e autorisado o Sr. the-
soureiro Jos Joo de Amorira Jnior, para ore-
cebimento.
Recite, 27 de Juuho de 1887.
Oa directores,
Manoel Jos da Silva Gunaar&es.
Henrique Sara iva,
Secretario.
Jos JcSo de Amorim Jnior,
Tbeaonreiro-
Hua do Bom Jess n. 3.
ll1
AVISO AOS PASSAGEIROS
Visto terem-se dado certos engaos por parte
dos Srs. paasageiroa que ua: leram em tempo oa
avisos d'esta gerencia sobre as novas conecasoes
feitas pela directora, e sobre o regulamento das
series mensaeti por essa occasiao creadas, as quaes
por esta razio mi) poderam ter obtidas por todoa
q'ic na detejaram ; cemmunjeo a Ss. Sa. o ae-
guinte :
1 As conceseo 8 espontaneas e anteriores que
continuaran) em vigor, foran : aa de paasagem
gratuita aos iiienin.s de esco a ; a assignatura de
urna viagem redonda por dia u lOjOOOna 2a classe
para os creados dos asaignantes; o direito de
viajar o assignante ind,stinctamente para Olinda
e Beberibe quandu a aaaignatura fr para duaa
scenla; o direito de transptrtar os meamos gra-
tuitamente no carro de freio, garrafea vasios, latas
ou pequeos caixoes que tenham de voltar cheios,
salvo ocaso em que jesteja tomado todo o lugae
da carga ; o direito de trausportar gratuitameotr
no carro de freio plantas oucmbrulbos cujas dimen-
8.'S oao exceuam as do que pagam os primeiros
precoa daa respectivas tabellan, e por metade do
preco os objectos pelos quaes d'ellas se cobram os
segundos valores.
2o As novas concesees feitas p.o eomeco do
actual mez foram : poder o passageiro obter ae-
riea nominaes de urna viagem redonda por da men-
sa lu ente na 1* classe, a 16VXX), para Olinda e
Beberibe, e 80 )0 para a Eucruzlhada daudo-lhe
oa mjsinoa direitos do que gozam os assignantes;
redueco das tasignaturua de estudantes de pre-
paratorios, que eratn seguudo as idadea ao preco
mnimo de 2500 para a Encrusilhada e 5000
para Olinda e Beberibe; viajar o assignante ou
portador de series, um mez de graca depois de ter
sido consecutiva e uominalmi ute pasaageiro de
taes typos de bilbetca durante 11 mezea, o que im-
porta cu; viajar durante o anno :i raaao de 184333
como aaaignuKte e razao de 14f 666, como por-
tador de series.
3 Aa series podero ser obtidas at a tarde do
ultimo dia do m>-z anterior, visto como sao data-
das e rubricadas e precisamaesim atr preparadas ;
as assigoaturas sao concedidas at o da 3 de cada
mez
4 Oa bilhcteg gratuitos dos meninos de escola
s oao concedidos mediante um attestado de fre-
quencia do respectivo profesaor; e aa aasignaturas
de estudantea de preparatorios, que nao eiercam
outras funecoca e eejam meramente estudantes,
mediante a apreaentaco da matricula.
Escriptorio do gerente, 27 de Julho de 1887.
A. P. Simits,
<'ompaahIaFraoceza de Navega
cao a Vapor
Linl-.a quinzenal entre o H'vre, Lis-
boa, Pensambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
Santos
0 vapor file lo Santos
Uorainaudantc llenry
Espe.ra-se dos oortos do
sul at o dia 5 de Agosto
seguindo depois da indis-
pensavel demora para o IIa
frc.
Conduz medico a bordo, de marcha rpida
e offerece excellentes commodos e ptimo passa-
dio.
As passagens podero ser tomadas de autemo.
Recebe carga encommendas e paesageiros para
os quaes tem excellentes accomraodacoea.
Para'carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: trata-ae com o
0 yapar filis le Macelo
CotrjmaDdante Pancbvre
E' esperado da .Europa
at o dia 4 de Agosto, se-
guindo depois da iiiri-pcu
aavel demora para a Ba-
ha. Kl le Janeiro
e Nonio.
Roga-se aos Srs. importadores do carga p'lo
vapores desta Iinha,qucirum apresentar dentro de 6
dias a contar do da descarga das alvarengi. .:ai-
quer reclamacao ccncernentc a volumes, que: po-
vt'ntniH tenham seguido para oa portos do aul.an,
de se poderem dar a tempo as providencias uccoa-
sarias.
Expirado o referilo praso a coinpanhiaca n se
responsabilisa por extravos.
Para carga, pai sagena, encommendas e dnheirt
a frete : trata se com o
AGENTE
Aligaste Labille
9 -RUA DO COMMERCIO-9
Eiipcra-se de M**-l* News, at odia 19 e Agosto
o qual seguir JepO'a da
demora neCSjri i pua
Baha eio de Janeiro
Para carga, passagens, e encommendas tracta-
e com os
AGENTES
Henrv farster k C.
8 RIJA";,O
.;
L.OMMERCIO-N.
anda
k.
DO
mpcao, Domingos Theotouio, Padre Ploriano,
Chriatovao Colombo, Jar Jim, Forte. Antonio H-n-
riaue Nogueira, Santa Ceci ia. Santa Rita, Padre
Muni'a, Praia de Santa Rita, S Jos, Pescadores,
Praia do Forte, Ypirang-, I^prai e Luis de
Travea^ai: Martyrios, Rimoa, Pocinho, Cal
dereiro, Oa*. Prata, Serigado Oopiarea, da rua
Nova de Su*:* R'ta, Praia do Forte, b. Jos,
Peixoto, Lima e da Matriz do b. Jos*.
Esr.-da de ferro
DE
.iibeiro a Bon to
Por deliberaco da directora, aSo chimados os
senhores accionistas desta empreza, para no prazo
de 60 diaa, a contar de boje, recclherem a 6* en-
trada de 10 / de suss accoes, nos termos do art.
)" 2* dos estatutos.
R-eif-, 4 de Junho de 1887.
O secretario,
Jos Bellariniuo Pereira de Mello.
Secretaria da polica de Pernambuco, em
3 de Agosto de 1887
Da ordem do Illm. Sr. ebef^ de polica se faz
poblico, para couhecimnte de todie, que d'ora
em diante sao obrigadas aquelles que exe cem aa
prosaoea de boleeiroa e carroceiros a andaretn
inunius das competeutes inatiiculas, afim de se-
rem estas exhibiaas quando exigidas ; sendo que
os que forem encontrados sem ellas, nio podexo
proseguir na viagem, e seritu obrigados a regrea-
aar eocheira, ficando aujetos a penas do art.
40 do regulamento d- 23 de Janeiro de 18,4 e
art. 174 daa postuma municipaea de 26 de Junho
de 1873.Pelo aeeretario,
Franeiaco 3. da Silva Barroso.
Estrada de farro
de Ribeir r Bonito
N2o tendo a directora aceito as propos-
tas p ra o assentamento de dez mil me-
tros de trilbos em 5 kilmetros da via par-
manente desta estrada de ferro, convida-
se de novo os concurrentes ao dito traba-
lho a apresentarero suas propostas at o
dia 6 de Agosto prximo, devendo ellas
estar de accordo com as condicSes estipu-
ladas, no escriptorio da empreza.
Recife, 29 de Julho do 1887.
EiisT Ml "ilolallo
Lilel
Capital do Banco....... 1.000,000
Capital realisado......... 500,000
Fuudo de reserva....... 200,00C
A contar desta data e at ulterior reso-
luejio, conceder-sc-ha juros de dous por
cento ao anno, sobre os salios do dinheiro
depositado em oonta corrente de raovmen-
to no uiesnio Banco.
Recebe-se tambem diulieiro em deposito
a juros por periodos determinados, ou su-
jeto ao aviso previo de trinta das para ser
retirado, mediante as condigois de que se
dar conhecimento aos iateresaados.
Pcrnamcuco, 23 de Maio de 1887.
Henry K, Gregory,
Gerente.
Santa Casa de Misericordia do
Recife
Na aecretaria da Santa Casa arrenda-ae os se-
guintcs predios :
Rua do Bom Jess n. 13, 3- andar.
dem dem n. 44, 1- andar e loja.
dem do Vigario Tbenorio u. 22, 1 andar.
dem idem n. 25. sobrado. ,
dem do Mrquez de Olinda n. 53, 3- andar.
dem do Apollo n. 24. 1- andar.
I Je n da Moda n. 4'.
Ipcm idem n. 47.
dem idem n. 45).
dem idem n. 37.
dem da Lingeeta n. 14, 1- andar.
Becco do Abreu n. 2, 2- andar.
Secretara da Santa Caaa de Miaercordia do
Recife, 25 de Maio de 1887.
O escrivao intSrino,
Franeiaco Comea Castellao.
Bauque d'Anvera.
Banc Genrale
agencias.
e au as
BRASIL
Capital o.ooo:ooo*
dem realisado 8,000:0006
A caixa filial d'es'e Banco fuoccionaodo tem-
porariamente rua do Commercio n. 38, saca,
vista ou a prazo, contra oa aegmntea correspon-
dentes no eatrangeir-j:
Loudres......... s/N. M. Rothschil & Sons.
Paria........... De li&thschild Frrca.
Han-.burgo.......\
2erlicB..........\ Dcutscoe Bank.
Uremente.........
Frankfurte/ Main'
Antuerpia.......
Roma...........
Genova.........
aples.........
Miiao o mais 340
cidades de Ita-
lia............
Madrid..........
Barcelona.......
Cdiz...........
Malaga.........
Tarragonf......
Valencia a outrael
cidades da Hca I
pauba e ilhas j
Canariae......'
Lisboa.........\
Porto e mais ei-l
dades de P r-/
tugal e ilhas... ;
Buenos-Ayres.... )
Montevideo......)
Nova York......
Compra saques sobre qualquer
rio e do eatrangeiro.
Recebe diubeiro ern caita corrente de movi-
inento com jures a lazo de 2% o annoe por le-
tras a prazo a juros cxnvoucionadOB.
O gerente,
Willain M Webster
Banco Hypotecario de
Espaa e suaa agen-
cias.
15:.neo de Portugal e
suaa agencias.
liigsb Bank of the Ri-
ver Pate. Limited.
G. Amaii k & C.
praca do iinpe-
ia 33
De liojc por danle os presos
dos materiaos da Otaria a Vapor,
sftro regalados pela tabella se
pinte, sem descont:
Tjoios grossos formato com-
muiii, miiheiro 18$ Ditos for-
mato pequeo 16$ Teihas, mi-
iheiro 35$, Ladriihos de diver-
sos formatos WM.
Recife, 1 de Agsoto de 1887.
. Nascimento Feitosa.
GERENTE INTERINO.
rompaaa::i EBrat-Sleira de .\ave
sncoa Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Camillo
Commaniante Franck Coddith
' esperado doa portos do sul
at o dia 7 de Agosto, e
seguir depois da demora in-
dispcnsavel, para oa portea
do norte at Manaes.
encommendas e valoree
RYAL MAfLSTEA1 PACIET
CIPAM
0 paquete Hondego
E' esperado da Europa no dia
11 do corrente, seguinde
depois da demora necessaa
ria para
Macci, Babia, Rio re Janeiro, Santos,
Montevideo c Rueos Ayres
0 paquete Trent
esperado
do sul no da 14 de
corrente seguindo
depois da demora
necessaria para
i. Vicente, Usboa, Vlgo e 8on-
thamptoa
Reduc^ao de passagens
Ida Ida e volta
A' Southampton 1* classe -28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambnco.
Para passagens, fretes, etc., tracia-se cora oa
Consignatarios
Amorim Irmaos &C.
S. 3- RUA DO BOM JESS -N. 3
Para carga, passagens
tracta-se na agencia
PRAQA DO CORPO SANTO N.
9
Companhia Hahiaua de navega
cao a Vapor
Macei, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia
O VAPOR
Principe do Gro-Par
Ccmimandante J. F. Teixeira
Segu impreterivol-
rnente para oa porto?
cima no dia 7 di
Agosto, as 2 horas de
tarde. Recebe carga
nicamente at ao 1)2
dia do dia 6.
Para carga, passagens,encommendasedinhei-
ro a frete, trata-se na
AGENCIA
7Hua do Vigario7
Domingos Alvos Maiheus
COM PA XII I* PEU\4Mrt(\t
DE
SavegacSo Coste! ra or Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macu, Mossor, Ara-
caty e Cear
0 vapor Ipojua
Cuuituandante Montero
Segu no dia 5 de
Agosto, a 5 born
da tarde. Recebe
carga at o dia 4.
Encommendas paaaagens e dinheiroa afrete at
aa 3 horas da iaide do da da sabida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pomamfmmma
R. l'
Pacific Jicam ^lavigationCompany
STRAITS OV MAGELLAN LINE
Paquete Sorata
Espera-se dos portos do
sul at odia 15 de A-
gosto seguindo para
a Europa depoia da
demora do costume.
Este paquete e os qne d'ora
em diante seguirem tocaro em
Plymonth, o qne facilitar che-
garem os passageiros com mai
brevidade a Londres.
Para carga, passagens, encommendas e din-
leiro a frete tracta-se com os
AGENTES
Wilson Sons ., fJmlted
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N 14
COMP* *!? l'Kli'HHHrCiH*
DE
Vavegaco Coste!ra por Vapor
Fernando de Noronha
0 vapor Giqui
Comandan te Lobo
Segu no dia JO de
Agosto, pelas 12 ho-
- ras da manha.
Recebe carga at o
Pdia 9.
PassagcoB at s 10 '.jaras da manh do dia da
partida.
ESCKIPTORIO
cana n. 19
Porlo por Lisboa
Para oa portes indicados seguir brevemente
o briguc portugus Armando ; para carga e paa-
sageiroa trata-sf com os consignatarios Jos da
Silva Loyo & Filbo.


Quinta-f^ira (4) deve ter lugar o leilao de
diversos volumes com fazeudas de lei, miudeaaa a
perfumarins, de couf iruiiduic c columna dos leiloes.'principiando pelas fisendas
Leilao
De toalbas felpuda, bramantes de linho e ou-
tras fazendaa, conteio de urna caixa descarrega-
da do vapor La Plata.
IIO JE, 4
As 11 horas
Agente Pinlo
No armazem da rua do Mrquez de OUnd%
n. -)-'
Por oceasiSo de O'tro leilao de fazendas, calca-
dos, chapeos, m udezaa c perfumaras.
icilo
Da chapeos d filtro e de lil, preta, cha-
peos do Chile e de palha para homens,
ditos de Italia c esparteri p^ra s.'nhoras,
mocinbas e nitniv-.s
Qnarta-felra 3 de Agosto
A'8 11 horas
Na rua do Mrquez de Olinda n. 35, once
furam estabelecidos os Srs. Aljredo <& C
O agente Martin;, tara leilao por c^nta de quem
pertencer de chapeos para homens e sanboras, em
lotea.
Para liquidar
Do grande quantidade de nuudezas e per-
fumarias
QUARTA-FEIRA, 3 DO CORRENTE
A'8 11 horas
Ao correr do martollo
No armazem da rua do Mrquez de Olindt
n. 19
Em continuado
De movis, quadros, espelhos, jarros, copos, c-
lices, facas, bebidas de diversaa qualidades e moi-
toa outros objectos.
Por intervengo do agente
Gusmo
I






1 ..S

*>*^^p**^*
6
Diario de PeraawMeo---tyutacira 4 de Agosto de 1887
Agente Biirlania^ni
do
De 19 predios
Quinta-feira 4 He Agosto
A'S 11 HORAS
Ra do Imperador n 30
O agente cima, por mandado e aasiatencia
Iim. Sr Dr. jais de direito privativo de orphos
ausentes, e a requerimeoto do cnsul de Porto-
gal, levar a leilu os predios pertencentes ao es
polio de Manoel de Carvalbo Meara, como sejam :
Urna casa terrea sita ra Direita de Afoga-
dos n. 68, urna dita na mesma rus n 72, ama di-
ta n. 28 ra do Mol :coli nib, uma dita na mel-
isa roa n. 27, uma dita iu mesma n. 2, urna dita
idem n. 23, uma roa do Coi G sto n. 36, ama
dita roa de S. Miguel n. 25, una dita idtmn
10, outra dita na travessa de 8. Miguel n. 1, ou-
tra na mesma travessa n.4, outra ditaidimn. 18,
outra dita idem n. 25, outra ra diieita n. 28,
outra roa do Quiabo n. 52, ontra ra Velha de
Santa Rita n. 71 (S. Jos), um sitio e casa na Be-
Viagem, metade da casa n. 21 ra do Motoco
lomb.
Os Srs. pretendentes podem desde j examinar
.as ditas casas, e para qualquer informaco o mea-
no agento dar.
Leilo
De pianos, mobilias de juncos, mogno, Jacaran-
da, lavatorios, mesas clsticas, guarda vestidos,
guarda louca, secretarias, camas, quadros, espe-
lhos, jarros, candieiros, miudezas, ferragens, bnn-
qued-s para meninos, cadeira de braco, papel pau-
tado e outros muiros artigos.
Quinta feira. -1 do correte
A's 11 boras
NA RA NOVA N. 24
Asente Moderna Bapiima
Leilo
De um piano, mobilias de mogno, Jacaranda e
amarello, guarda-vestidas, guarda-loucas, toilets,
lavatorios, secretarias, estantes, mesas com es-
tantes, commodaa, eapelbos, mesas, banquinhas,
camas francezas, marquezoes, lustres para gas
carbnico, 1 espada, aparadores, malas, rdjgios,
obras de ouro, quadro, jarros, focos, fazendas,
miudezas e diversos objectos.
No armazem ra de Pedro Alfonso
d. 43
Quinta-}eir 4 de Agosto
PRINCIPIARA' A'S 10 1/2 HORAS
Por intervencao do agente
Sabbado, 6 do corrente
AO CORRER DO MARTELLO
!%'o armazem da roa do Impe-
rador n. 39
O agente aeim levar a leilo 1 piano, uin
importante toet, camas para casal, 1 marquesas
para casal, 1 banco de ferro para jardim, 1 car-
teirs, 1 estante, 1 guarda louc,a, mesas para cosi-
nha, 1 sof de janeo e oatros movis que citan o
patentas no dia do leilo.
3: Leilo
Da casa terrea coro gotea ti. 32 a ra do
Socego, faz esquina para a ra do Prin-
cipe, com solo proprio.
Sabbado, do correle
NO ARMAZEM A' RA DO IMPERA-
DOR N. 22
As 11 horas
O agente Stepple por mandado e assistencia do
Eiro. Sr. Dr. juiz de orphos a reqaerimento cu
testamenteiro e inventariaut; dos bens do finado
Manoel Antonio Teizeira levar a leilo a caaa
terrea n. 32 roa do S jcego em solo pro; rio, com
grandes commodos para familia.
Os Srs. pretendentes des ie j podem
examinar a dita casa, e para qualquer in-
i'ormayao o mesmo agente dar. A chave
acba-se defronte no estabelecimento do Sr.
Braga.
""avisos diversos
Aluga-se casas a 8JOO no becco doe (' -.
bus, junto de S. Qoncallo : a tratar na rna di
Imperatris n. 56.
Alnga se por 10000 a casa n. 21 na Var-
!ea, defronte da estaba, com armaci ; a tratar
na ra da Imperatris n. 56.
ALUGA-SE o 3 andar da roa do Imperador
n. 26, com bastantes commodos para tamilia :
quem pretender dirija-se i roa do Marques de
Olinda n. 8.
-------------------
Precisa-se da uma cosinheira e de um criado
para casa de familia : a tratar na ra do Baro
da Victoria n. 39, loja.__________________
Na rea dos Pescadores n. 32, precisase de
um menino de 12 a 14 annos de idade, para ven-
der tabo.eiro, e qne seja de boa couducta.
p 5*
^ OS
SS 92
92
s
Britto
Leilo
De 1 registro de gaz, encanamento de
chumbo, 2 candieiros de ferro, arandelas
e alguns movis.
Sexta feira. 5 do correte
As 11 horas
Na loja da ra 1 rga do Rosario n. 38, onda
baver um nutro leilo de nma armario inglesa s
outros uteneilios.
Pelo agente Marns
Leilo
de
De uma bonita vacca taurina
Sexta felra 5 de Agosto
A's 11 boras
!>o armazt-m da roa do Marques
Olinda a. 1
Em coatiooaco
De miudezas, perfumaras. 1 balanca nova para
armazem de assucar, inbiiias, mesas elsticas,
camas, aparadores, lavatori w, t les, guarda-
loucas, guarda-vestidos, cspelhos, quadros, jarros,
colcho js, malas de viagem e muitos oatros ar-
tigos.
Por loterveoco do asele
l.nsniuu
Alugna-se o sobrado grande ra do Pav
sand n. 40, com commodos pai a grande familia,
tem agua e gas ; a tratar na Entrada do Csjueiro
com o Sr. Braga.
Precisa-se de ama pessoa que saiba cozinba
bem, bomcm ou snulher, ra Vinte e Qaatro de
Maio n. 13, Io andar. *
Aluga-se, na ra Vinte Quatro de Maio n.
41, uma casa com 8 quartos, boas salas, agua en-
canada e banb-iro proprio para grande familia
a tratar na ra do Duque de Caxias, n. 85.
Compra-se apolieei provinciass do juro de 7
0/0 : quem as quizer vender deize caita nesta ty-
pographia com as imeiaes K. M._________________
Precisa-se de um official
tratar na ra do Rang-I n. 50.
de barbeiro ; a
Aluga-se a casa terrea da ra de 8. Fran-
cisco n. 27 ; a tratar no becco das Carvalbas nu-
mero 1.
Aluga-se a casa na Encruzilbada de Belem,
por 8J000, est limpa, tem quintal e cacimba, e a
loja da ra do Coronel Saassuna n. 139 ; a tratar
na roa da Imp- rairiz n. 56.
que lave e en-
na rna do Deo
A HA Prt-eisa-se
gomme c- m perfe'co ;
Parias o. 49. ____
Na engenhoca
de ama,
a tratar
Torre, precisa s-
vico s domsticos.
de Bonifica n. 21, ra da
de dous empregados para ser
Leilo
De
cerca do 30 l>tan -ou superior fu no
desfiado e 11 caigas com ceblas
SEXTA FEIRA 5 DO CORRENTE
A's 11 horas
Ka porta do armases m Sr tune
defronle (ia,ifauleia
POR INTERVENQAO DO AGENTE
Gusmo
Aluga-se aeasa terrea n. 127 da ra Vidal
de Negreiros (Cinco Pontas). com 3 quartos c
grande quintal, est limpa ; % tratar em Fra de
Portas, roa do Pilar n. 56, taverna.
Na agencia da roa de Pedro AS 2 andar, tem constantemente para alugar amas,
criados e copeiros, perf.itos em seu officio e ga-
rantidos, mediante nma remunerado mdica.
Aluga-se a casa ns. 6 e 6 A, estrada da
Torre ; a tratar junta n. 6-B.
O. Luisa Thoiuaaia da Coneelco
' assisti-nie, ebegada ba pouco da i rt-\ pJe ser
procurad na ra Wo Jardm n. 47, a qualquer
boia do dia ou da uoite.
Le:lo
De um cofre prova de fe.go (de Milners), 1 ar-
macao ingteza, 1 importante vitrina para porta, 1
mesa grande com gaveta, 1 prensa decopiar com o
competente banco, 1 grande tanque de ferro para
deposito d'agua e altruns outn s novis e merca-
dorias que eero vendidas ao correr do mar
tello.
Sexta feira. 5 do correte
As 11 horas
NA LOJA DA RA LARGA DO RO-
SARIO N. 38
PELO AGENTE
Martin s
Agente Pestaa
Leilo
Da casa terrea sita ra de S. Jos n. 13,
pertencente ao espolio de Msnoel Gon-
calves de Barros.
Sabbado. do correte
Ao meio dia
No armazem de agencia de leilZes ra do
Vigario Tenorio n. 12
O agente Pestaa, competentemente aatorisado
pac mandado do Ezm. Sr. Dr. juiz de orpbos e .
ausentes, vender a qnem mais dr, a casa terrea
cima mencionada, a qual rende 16000 mensaes
12.? J-d
2
i 2-- B
s = g/g>-
I g % %$e5
es s
sr "i
ss
& & 2-
2
X
5

ss j H3
ee -s ^r'7*^
9
GC
^ 9
w
Ceneja
iejele Brand
Ag-ent Burlamaqui
Marca Veloclped
A melhr c mais pura qualidade, nova remetsa
i venda, ra da Croa n. 18. Compras de cinco
caixas para cima tem descont.
De movis, relogios, grades de ferro e i-ai-
zilhos de madeira e diversas portadas
Criado
Precisa-se ci. um ra
(Pass-geic da Magdalena).
de Payjand n 19
NOVA LOTERA
SANTA CATHARINA
5O:00O$000
IMPORTANTE PLANO
Esta toteria corre no dia.....de Agosto
Bilhctes venda na Casa Feliz, pra^a
da Independencia n. 37 e 39: Casa da For-
tuna, ra Primeiro de Margo n. 23 e na mil o
8AUNDER8 BROTHERS 4 C, lsrgo do Cor-
po Santo n. 11, teem para vender :
Cerveja preta e branca, de M. B. Porster 4
Sons.
Dita allem, Plisen Beer.
Vinbo Shary. Amentillado.
Dito 15 rdeaaz, St. Julien.
Whisky, Thiste Blend Scotck Wisky*
Dito *
Presant.'S de Adamson.
Maicena de Brcwns 4 C.
Pbospboros, Amesosto Safety Matches.
Tintas em maasa, branca de xinco, de chumbo
preta e verde.
Zarco.
Plvora da omito conhecida e acreditada marca
EB.
SEM0LINA
De Brons i C, de Glasgow
Este artigo, preparado por um novo processo
de trigo da melbor qoalidade, possue os elemen-
tos necessarios para nutricio de enancas e di en-
tes, e muito se recommenda por ser de fcil di-
gesto e gosto muito agradavel : tambem pnde-se
fazer uma ixcellente papa, misturado em partes
iguaes com a maixena dos mesmos fabricantes,
addicionando-se-lbe algum leite. nicos agentes
nesta praca, Saunders Brothers & C, largo do
Corpo Santo n 11, primeiro andar.
Extracto fle Malta de Kle'
Prsparado
DE
ni stoi .ns \vi.i.i.< oni: & c.
CHIMICOS DE LONDRES
Um poderoso agente digestivo e acimilativo ; um
alimento nutritivo, especialmente adoptado para
os enfermos e nao; um grande succedanen do
aseite de figado de bacalbo.
O Extracto de Malta de Kepler um alimento
perfeito em si mesmo e contem todos os principios
digestivos e nutritivos da cevada, isto phospha-
tos, maltosa, dcstrina, albmina e o importante
quanto poderoso acceisorio digestivo chamado
Diastase,podendo-sn assim dlser que com a m
trodueco do Extracto de Malta, como agente the-
rapeutico, se ba produzidc uma revolucao no trac-
tamento de certas entermidades da nutrico, ope-
rando especialmente na dyspepsia, ulceracao do
estomago, cancros do estomago, debilidades, con-
valecencias de enfermidades agudas, vmitos e
gastro-ententes das enancas, marasmos, affeccoes
escrofulosas, tuberculosas, etc.
Hateo depimitu
34 Raa do Rosario34
Pharmacia e Drogara
BARTHOLOME A C. SUCCESSORES
VIM10 DE JURUBEBA
COM I0DLRET0 DE POTASSIO
Tnico, deparatlvo e anty
rheamatico
PREPARADO POR
BarlliolDniBQ & C. Successor
Approvado pela Junta Geral de Hygiene
da Corte e autorisada pelo governo
Us repetidos pedidos que nos foram feitos por
muitss dos nossos illustradus clnicos para juntar-
mos ao nossoVinbo de Jurnbeba,j "o vanta-
j samr nte conhecido no no>so pais, como no estran-
geiro, urna dose exacta sempre determinada de
iodureto de potassio, creando assim um medica-
mento certo e inalteravel, de immensas virtudes
medicinaes, i.o nos de xaram hesitar um in-
stante, e boje tornos a sati&fico de apresentar ao
illustr- carpo medico do nosso pais e au publico
em geral esse novo preparada, cuja aecu curativa
e certa em grand- numero de molestias iucun-
testavel, como seja iu rbeumatismo agudo ou
chronico, uas obstruccoes do figado e baco, oas
ananas, as el.>rosee, hydrtpesias, mdestiaa uri-
narias, debilidade du estomago a Bal de origem
sypbilitica.
A jurubeba, essa planta preciusissima, lo cheia
de virtudes medicinaes, associada assim ao iodu-
reto de potassio, o o-puia'ivo de cid valor im-
n uso, fas com qu- u aoaoo pre parado seja usado
de preferencia, como um medicamento certo e in-
fiillivel para a cura das molestias que cima dei-
xaoios descriptas.
Seu uso de fcil tpplicaco, podendo por isso
ser tomado pelo doente : todava recemmendimo.
a direcfo de u.n medico, e t elle deve modificar
a sua aeco, elevando ou diminaindo a dt,se a< -
gund'.i o effeito que julgar preciso em tice das
muleslias a cjoibater.
O nosso vinho de jurubeba e iodnreU de potus-
sio puro tem uma dose exacta de iodureto repre-
sentada em uma colber de sopa por qaatro gris
de iodureto, podendo por isso ser turnado peks
adultos na dose de colberes de sopa por dia e
pelas creancas na de 3 das de cha, momentos an-
tes ou no acto das refei^oes.
DEPOSITO
34-Rna Larga do Rosaro--o4
PERNAMBUCO
Farello da caroco b aigodo
a 400 rs. a arroba
Cbegou a primeira remessa do precioso farello
de caroco de algodo, o mais barato de todos os
alimentes para animats de raca cu vallar, vacium
saine, te. O caroco de algodao depois de ex-
trabida a casca e todo o oleo, o mais rico ali -
ment que so pode dar aos animaes para os forta
lecer e engordar com admiravel rapidez.
Nos Estados-Unidos da America do Norte e na
Inglaterra elle empregado (com o mais feliz re-
sultado) de preferencia ao inilbo e outros farelljs
que sao muito mais caro e nao sao de tanta sus-
tancia.
A tratar no BeeifeO Largo do Cor-
po Santo, I andar__________
CASA DA FORTUNA
ios !2:00$uuu
Blihetes garantidos
23-RA PRIMEIRO DE MARQO 23
Da 8 lotera da provincia vendern)
Martina Fiuza & C. os seguintes premios
garantidos : o n. 3878 em cinco quintos
com a sorte de 20000.
Acham-se venda os afortunados bi-
lletes garantidos da 9a lotera da provin-
cia em beaeiicio da Santa Casa de Miseri-
cordia do Recif', que so extrahir qum-
do fr annuciada.
Fabrico Apparelboa econmicos para o cozimen-
te e cura. Proprio para -ngenhos peque-
os, sendo modicu em preco e el"
lectivo em operaco.
i'odc-se ajuntar aos engenhns existentes
do systeoia velho, melborando muito a
quadade do assucar augmentando a
quantidade.
OPERAgO MUITO ;IMPLES
Uzinas grandes ou engenhos centraes,
ma hinismo aperfeicoado, systema moder-
no. Plantas comple.tas ou macbinismo
separado.
EspecificacSes e inforraaySes c.im
Brown C.
5RA DO OOMM ERGIO5
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e lavar,
prefere-8e que durma em casa ; no 3 andar da
typographia da Diario.
Ama
Precisa-se de uma ama para lavar e engommar,
para casa de familia ; a tratar no hotel n. 30
ra da Madre de Deus.
Na rna das Flores n. 19, precisa-se de uma
ama para cesinbeira e outros servidos de casa de
piqcena tamilia
Ama
Precisa-Be de uma ama para cotinhar ; na ra
de Pedrc Afionso n. 58, antiga da Praia.
Ama
Precisa-se de ama ama para casa de pouca fa
milia ; a Paiar no b ce do r*eixe|Friro n. 9, se-
gundo andar.
0 Remedio do Dr. Ayer
COSTRA .: I
.
tos, (.- i rto pan
. : -. Estas d ordens de-
vae origem aui
sangue pelos
por Teroiarf.as e
Qup.treparis.f5, Internas, do Fri,
;. Intermittentea, lernit-
teattiB, Biliosas, eTyphoi
niti-iii quinina ncm ingn
.'.mu mineral; (: seguro e ln

: ::::i'.M:.\r.o 1
.. ,' BK H CA.,
Lowell, Mass., E. U. A.
.\' renda as i rfneipaes phannadaa e
slrogarias.
\luga-sc barato
Hua Visconde de Itaparica n. 43, arm:zem.
i gar.
Ra Coronel Suassuna n. 141, qnarto.
Ra do Rusario da Boa Vista n. 39.
Travessa do Carmo n. 10, lija.
Rna do Rosario n. 39
Ra do Calabouco n. 4, loja.
frata-se na ra do Commercio n. 5, 1 andar
T'ptorio de Silva (ruimaraes & C.
AMAS
Aluga-se
Precisa-so de dua* anu, uma pira aervico
nter n > e qne saiba engominar. e outra que seja
boa Uvadeira ; na Ponte de Ucha, em frente a
erticS", sitio de Luis de Morars (Jomes F-rreia.
O
Vademcum de Homoeopatbico
Methodo conciso, claro e seguro de ebrar
i honiOBopathicamente todas as molestias que
afigem a especie humana, particularmente
aquellas que reinam no Brasil pelo
DR. SABINO O. L. PINHO
!.". edlccao
consideravelmente augmentada e annotada.
Vende-se nicamente em P-Tnambuco.
PHARMACIA HOM(E-.PATHICA
Pelo Dr. J. Sabino L Pinno
DR. tl\0
I 43RA DO BARAO DA VICTORIA 43 1
Amas
Precis i -se de duas amas, para cosinhar e com-
prar ; a tratar na ra de Pedrj Affouso n. 2{, ou
na rni do Rosario da Boa-Vista u. 51. segundo
andar
Ama
Precisa-se de urna ama ; a tratar na rna do
Paysand n. 19, Passagem da Magdalena.
11
Precisa-so de uma
da Uniao n. 31.
ama para crianea ; na ra
CURA CERTA
'le tod*s *s AffeogSes pulmonares
Criada e cosinheira
Precisa-se de uma perita coaiuh.ira e de nma
criada para andar com enancas ; a tratar na ra
do Livramento n. 24, loja.
Bois
Vende-se excedentes bois de carrosa, gordos,
! habituados ao trabalbo, Como tambem carrocas :
a tratar na ra do Mrquez do H>-rval. armazem
da companbi* do Beberibr.
Todos aquelles que soffrem
Jdopeito, devem experimentar
as Capsulas do Dr. Fournier.
Depositarios em Peman tuco ;
FRANCISCO M. da SILVA 0>.
Tinla preta
INALTERAVEL
j grande sitio Tacaruna, no Salgadinbo, com bas-
tantes trras para planfacoes e muitos arvoredos :
Snem pretender dirija-se fabrica Apello, ra do
[ospicio.
Alusa-se
um grande sitio, contendo as principaes fructas,
no Caldeireiro n. 9, com boa casa de morada (que
foi do finado Mamede), teado agua e gaz, a qual
confronta com a casa du Dr. Alcoforado ; a tra-
tar na ra d.i Apollo n. 30, 1- andar.
Ali
se
a casa terrea na trav.asa da Pinte de Uchi n.
12, com bastantes commodos para grand fami-
lia, com sitio murado e arborisado, b a agua po-
tavel para beber, deposito e banheiro de cimento
e bomba, fit-a a dita casa marg"m do rio Capi-
baribe, com banho doce temperado e salgado :
quem pretender dirija-se ao mesmo sitio, das 6 s
10 boras da manh, que euontrnr o proprie-
tario.
Alnga-se
as casa i ns. 22 e 24 da ra do Lima, em Santo
Amare, caiadas e pntalas de. n070, com 3qnar-
tos, 2 salas e quintal com cacimba ; q iem pretn-
delas dirija se ra do Mrquez de Olinda nu-
mero 8
Aluga-se
COI
IIAICMTIVt
PHARMACIA CEIR A L ,
38 Roa do Imperador 38
Pernaiakaco
Serve para escriptaracao mercantil e d tres
quatre copias de urna v-z
na freguezia da Boa- Vista, ra dos Prazeres n.
42, uma boa casa com 6 quartos, binheiro e cosi-
nba, muito fresca ; a tratnr na ra da Imoera-
triz n. 64, loja de fazendas,
Semeotes k carraaao
i
Compra-se grandes e pequeas quantidndes :
aa drogara de Fn neisco M. da Silva z C, ra
4o Marques de 01 in a n. 23.
E
M
Copeiro
Aviso
trt,
Emilio Billion, Engnheiro Mecnico, engarre-
ga-se de montar novos apparelbos, dos melbores
fabricantes fraoeezes, e os mais apperfeieoados,
pelas condi^i s e presos seguintes :
O assucar ser fabricado pelo systema Bro-
cheton e Billion igual ao da Usina Pinto.
- Garante-se no mnimo 9 % de assucar cris-
tallisado de todos os jactos, e 10 "/, com moenda
de represado, augmentando os precos abaixo de-
clarados.
O trubalbo dis apparelbis ser por 24 ho-
ras, se aproveitarao os edificio existentes, com
pequeas reformas ; os propietarios darao todo
material, como : tijulos, cemente, cal, area, ma-
deira, etc. fieando por conta do empreitorio todo
mais trabalbo.
Preco das lulos*
Quem precisar de um eopeir e jardineiro, diri-
ja-se raa da Aurora n. 39.
Ao commerc o
Monra, B rges 4 C. abriram o seu eacriptorio
no largo do C^rpo Santo n. 19, 1- andar, sala de
detrs.
Criado
Precisa-se de um menino ; na travessa do Cor-
po Santo n. 27.
aqm
Na ra da Alegra n. 14, eorta-se e coserse com
perfeicao e por precu commodo, roupi de carre-
gacae.______________________________
Xarope de cambar gaaco e ial-
sidio de Toli
re parado pelo pharmaceutico Jos Fraticisco
Bittenc.art
E' um poderoso prej.an.ilo pan. todas as affec-
;es dos orgaos respiatoiios, como catarrho pal-
doonar, asthraa, coqn- luebe, trenchiti', p > umo-
ii-., tisiea, etc., etc.
Cada frasco JOOO
O-p isito na Pharmacia Central, ra do Im jura-
dor n. 38. P. rnamOucn.
Grammalica latina
Gr-rr-matica latina, segundo o melh do hist-
rico comparativo e pregramma de inst. m-y.To pu-
blica, pelo8 professurei Almeida Torrea e Morei-
ra de Azevedo.
Entrega-s os sete fascculos.
Vende-se na Livrara Industria i rus do Ba-
ro da Victoria n. 7.
do
AGENTE,
Bernardino Lopes Alheiro.
Manoel Perelra da Cunta
1" annivt-rsario
Auna de Q Pcreira da Cunha roga aos seus
parentfs e amigos o earidoso obsequio de sssistir
s missas qne, por alma de seu sempre lembrado
esposo Manoel Pereirc da Cimba, manda resar no
da 4 do correte, s 8 ho. us da manh, na ma-
triz da cidad" de Jaboato, pelo que desde j se
antecipa agradecida.
oo
s
32

100 tonnel.
125
150
2C0 .
9.000 k
11.250 .
13.500 .
18 000.
?
110
140
168
225
3a
II
110:000*000
lo0:00O<000
I50:000000
' 180:00000
Aviso em temp
O abaixo assigoado declara ao publico e ao
corpo commercial, que na. se rtsponsabilisa pelos
dbitos dos Srs. Libanio Costa v C com relaco
a fabrica. Botifi, 1 de Ag sto de 1887.
Joaquim Eitunlslo de Brito.
Ao commercio
_ Bcatty Altgeldt ft C. mudaram o seu escripto-
riopara a ra do Mrquez io Olinda n. 52, pii-
meir andar.
Modas
Para tiiltts de qns (tar gjn. ro. com perfei-
go e gosi.i, procure larttsisi He Cotinha, Im-
perador 55, niiilnr Pivcns mzoaveis, figuri-
uos os mais modernos.
ra Joaquina dos Santos
Francisco Marcelina Mariana e sua esposa,
Francisco Ribeiro Pinto Guim- raes e sua esposa,
Francisco de Souza Res e sua esposa, Trajano
da Costa e sna esposa, os filh'.s e Detos da finada
D. Mara Joaquina dos ttaa'os, agradecen de co-
racao s pessoas que se dignaran aeompaohar o
seu eadaver ao ceontei io, e de novo as convidam
para astistirem as wissas do stimo dts, na ma-
triz de Santo Antonn, s 8 horas da manh do
dia 5 do oorrent.' onfeasaado se ded* j4 sum-
mamenre graton. ,
Para qualqmr cxplieaoo, dirigir se na pr^ca
Aripib n Usina llusqne.
Peitora I de cambar
Agentes e depositarios geraes n> sta provinria
FRANCISCO M DA SILVA & C.
No armazem de drogas ra do Mrquez .te
Olinda n. 23.
Preces : Frasco 2<580. 1/2 fasta
SIOOO duzia 24,;<)00
ladeni'Hsellc < otinha
Ra do Imperador n 55, segundo andar.
Hodisfa
Vina de leite
Precisa-se de orna
Paraso n. 14.
ama de I ir ; no U'go do
Aenco
-vOYAL B1.1SND Jiarc VlAOO
Ust exceeote Whisky EtBinlW e .ei-n..
to cognac ou aguarden < w .-..ui a, ;>ara ortifio
1 corpo.
Vendese a retalo or > mores armaren.
.'V->doa.
Pona KOYAL .. ni n VIAOcujo
e jinril'iii s.j I At> 1 Sr
m
Quem precisar de nma pessoa habtai-. p,tra
fazer cobranzas nesta capital e 11 > interior, diri-
ja-se roa do Vigario n. 12, que achara raa
qnem tratar.
Ao comercio
A firma social de Antonio Ferreira da ~lva &
C, eatabclecida ra do Hospicio n. 6, encon-
trando outra firma igual, desta data em diante,
mudon a sna para antoaio F. rreira 4 C. Re;ife,
2 de Agosto de 1887.
Semenies e empalo
Compra-se na fabrica Apollo ra do Hospicio
numero 79.
PEITO
Administrando diariamente uma Injecco I
sobciitauea com o conteudo de uma seringa
de Pravz (modelo Le Brun) chela de
ECALYPTIM LE BRUN
CLRA.-SK
a Tsica, as Bronchites
e oe
Catarrhos pulmonares
A Uncalyptln nao contem morphlna
LE BRUN, Pharmaceutico-Chimico
PARS. SO e 53, Faubourg Montmartre
e 47, ra Lafayette. PARS
Deposito em Pertiambuco : FUI-1, u HLTi 1 f.

Rojal Miil Sleas h k C.
Avisamos que desla dala eai diante tica 'r..: f-
tenda a agencia da sobridita cmpanhi-i p-.iaoa
Srs Amonm Irmos & C. Peraai-.bue, 2 de
Agosto de 1837.
Adamson H>.w & C.
Sfi^ommddr
Utf.r, e-s.- uma engoms 1
i sua nronria si r.n tV.r,, ., >^.
na oua piopria
Vi Iba u, 30.
f ......- '-
a (u fra ; a Ir
ii.'. 11 :.r
-r ii" ^na
Precisa se ,1, q.,. s,.,',,. y
esortv. r b eoni :.i..-, ,
aptiaio pxiH s.rvr. ...rn <:<
de saa Sestdav : m
Deus d. ;>
flr.
Precisa-!1 de uira boa
Aurora n. 81, 1- and>-r.
oriulicia ;
:. < oatar e
ha e
idor
V.dre .?
da
namn

|**sW


Diario de Pcrnamlmco---tyuinfo-fcira 4 df Agosto de 1887
frlaCTtaM DE B01tA~
9 iuD CinRIEB
fteUtfo pelo AJc-itr3o
mnieo baltamicQ, o Que muitr
wgmmU -i onoritddu ao ,
i OLEO e FIGDO
M lCL0 FERRUGINOSO
'* 5 uacM jrepflfjcio cu* perm,tte
mmiifitnr o Parro aun oro-
I u/ P.->aIo da Vulra, nw
1 laeomniodo.
HraiTtplM PlIB
a, re r.tk'-iwtwrtit. ii
0 ALbAT?^"

*S?*K

tffPLOYA DK ITOJfkr
BKCE1TAHO P^_ TODA* ao
Celebridades Medien
DA Ph *HCA C DA EUROPA
molestias 00 peito.
ffecqOes escrofulosas
chlorosis,
anemia, oesilioade,
tsica pulmn,
monchites. rachitismo
Vinho do Coca
LICENCIADOS HKI.A ISSPBCT01IA 1>K HYOIKNK IMi IMI-KHIO DO BBA1.
Phar^i acia cotral
Boa do laiperaiioi n. S
~ Jos Francisco Bittencoort, hntigo pbarmaceu
tico da pbarmacia frarc-. i mi* do Bario d.i
Victoria u. 25, avisa a tu amigos e fregueses,
que ge acha na pbarmacia cima, onde espera
continuar a merecer a confianca qne felizmente
depositaran) em seus trabalhos proteaeionaes.
A ReVOltiiO Ultimas notas a p-
YENDAS
= Vende-se urna p< quena taverna na povoscao
do Barro, beira da estrada publica n. 166 ; a
tratar na mesma a qualquer hora do dia.
Vende-se um piano bom : a tratar na roa
Direita, na leja no sobra: o n. 60.
= Vende-ae por barato preco um registro com
a competente canalisaco e duas arpas para gas
carbnico ; para ver e tratar na roa do Nogneira
numero 1.
WOLFF& C.
N. 4-BA DD CABGA'-l i
\'*'st- milito onlii-cido esiabc-lrcimen-
to encontr rt o respeiUavel publico o miia
variado o completo sortimento de JAlA-s
recebados sempre directamente dos mellio-
res fabricantes da Europa, e que primam
pelo apurado xosto do mundo elefante.
laicos .derecos completos, lindas pulsel-
ras, alSnetes, voltas d-e ouro cravrjadaa com
brilhuntes, ou perolas, aunis, cacoletas,
botoes e outros muitos artigos proprio
de te fti ieres.
ESPECALIDADE
&'.m reoslo de ouro, prata e nickelwdos.
para hom<-ns, senhorao e me nios dos mu*
acreditados fabricantes da Europa e Ame-
rica.
f ara todos os rticos desta casa aran-
<-*- a boa qualidade. a*>sim como a modtei-
dade nos precos que sao sem competencia.
Vesta casa tambrm concerta-se qual-
quer < lira de ouro ou prata e tambem relo-
j i-Rii; do Cabug--4
Vende-se on alnga se o sobrado de nm na-
dar e setao na ra de Santa Rita o. 75 ; a tratar
no 2p andar da ra da Penba n. X.
Vendf -me o salao acadmico para cor
tar cabelle e barbear, com todos es utensilios, ga-
rantindo-se as chaves ; a tratar no mesmo, ra
da Imperatriz n. 30.
A FLORIDA
Ra Da
B. IOS
oooo ooooooooooooooo
DE
MEUSSA dos CARMELITAS
BOYER
TTnico Successor
dos Carmelitas
* A. *,!= 14, Una de VAhhaye, 14 -
CONTRA :
popleiia Flat&s
Cholera Clicas
Enjo do mar > Indigestes
Febre amarella etc.
Ler o protpet-to no quaf va/ envoinaa
cada ridro.
Deve-se exigir o letrero branco e preto,
em todo os vidros.
aoja qual 16> o tamanho.
IiErOSITOS EX TODAS AS PUABMACIAR
DO Cniverao.
oooooooooooooooooooooooooo
Lotera da Provincia
Extrahir-se-ha quarta-feira de Agosto s
2 horas da tarde
A cha se venda a 8.a lotera a bene-
ficio da tereja de S. Pedro do Rccifc, que
ter I ii^ar no consistorio da igrej a de Nossa
Senhora da Conceieo dos Militares, onde
estar expostas as espheras em orden? nu-
mrica, para serem examinadas.
ao louvre
dentro de no vi da des
(Jootioa em liquidaclo popelinas de seda, a 500 rs o covado !
1 "apodos e transparentes, a 500 rs., a per>a !
L-n^os abainbados, a 1(5800 o 2(5000, a dazia 1
Meta*} E'Rmpas inteirameote novas, a 400 440 rs., o covdo.
Meias cruts para honjein, a 7(5000, a duzia !
"ortes de linbo montados em cartao, a 155000, um!
''astons de 'Ores, desenhos rovos, a J(5400, um !
re I mu tinas, a 230 rs., o covado!
. -o 3 P rpo]8, de cor, a 320 rs o nvad> !
ARTIGOt ESPECIAES
Visites pretas uolmares e momesias, grande novidade e de apurado gosto, sem
competencia em presos I
Surah furta-cores, lisos e de quadros, eppecialidade I
Brevemente ama nova
no ti
A ra 1. de Mareo n. 20 4 (Esquina)
VINHO MARIANI
__ DE COCA DO PER
O tnrio MaBtawi que fol experimentado nos hospitaee de Parts,
pnecrtpto diariamente com xito para combater a Ariemla, OalwsM
iratifi ma, Moleatla. das vlsus respiratoria e Snfamajaeol-
"" do orrao Tooal.
O* Htm* rtcommcndam.no iu Putoaa fracat e dtUcadat. txlauUMt ptim mattm
aot Vttkot e Crianfeu.
W o Raparador da* Perturbacdee dlgaatlraa
O VORTIFICANTB por BXCBLLBNOIA
o vinho mariani ai aacoirriu m casa oa
laf.wamtftWX,ri-ari.|,aiimHlaawiii;S-aw-Ta>i^1l,iAH'.awsl
Sm Ptnumbueo : rraadaoo M. da siiva a O.
i*Vv**W*******V*a**^^
qne de Caxlaa
ADMIREM!
Cintos modernos a 1(5000.
Lavas de pellica a 2(5500 o par.
dem de seda a 26000, 2,5500 e 3,5000 rs.
o par.
Fitas de velludo a n. 9 a 6($000 d 5 a
400 rs. metro.
Albuns de 3(5000 at 8000.
Ramos de flores tin-.s a 15500.
Luvas de escocia para menino, lisas, e bor-
dadas a 800 rs. e 1,5000 o par.
Porta retrato a 50 rs. 1,5000 lf55O0 e
2,5000.
Anquinbas de 1^500, 2*500, e 3*000 orna.
Plisseis de 2 a H ordem a 400 rs. 500 rs.
e 600 rs. o metro.
Pentes para coco com inscripclo.
Enchovaes para baptisados a 8*, 9*, e
12*000.
1 Caixa papel e 100 envelopea por 800
reis.
Capellas e veos para noivaa
Suspensorios americanos a 2*500'
La para bordar a 2*800 a libra.
Estojos para crochet a 1*000.
Bicos de cores cou? 2, 3, 4 dedos de lar-
gura a 3*000 4*000 e 5*000 a pesa.
Lindos broches a 3*000 1*000 e 500 rs.
Leques para menina a 200 rs.
Linhas para machina a 800 rs. a duzia.
Garra agua florida a 800 rs.
Leques com borlota a 800 rs. um.
Bicos branros para setineta, cretone e chi-
ta para correr babados a 1*000 1*500
a peca com 10 varas, e barato.
Albuns de chagrn, velludo e velbotina
para 50 e 60 retratos a 6* 7*. e
8*000 um.
Meias de escocia para senhoras a 1*500 o
par-
Lencos de linbo em lindas caixas.
Bicos das ilhas muito fino proprio para toa-
lbas e saias..
dem br ancos com 5 dedos de largara a
3*000 a peja cora 10 varas.
Caixas com sortes de jogo de mgica pro-
prio8 para s-Jao a 5*000.
Sabonetes de diversas qualidads a 120
200 e 500 rs.
Boleas de couro para menina de escola.
Grande pichincha em eapartilhos de linho
3*000 um.
Lindas pastas de 500 rs. 1*000 2*000
3*000 e 6*000.
Carteiras para guardar sedulas de 10*000
a cem.
Ditas letras com os rep&rtimentos de Ja-
neiro a Dezerobro.
BARBOZA & SANTOS
O 4LH Ra d Duque de Caxias
Tendo recebido um gri.nde sortimento |
de fazendaa que vende coi a 25 0 de me-:
nos de que em outra qualquer parto.
Venhauu ver paira erer
Damass de seda a 1*4(0 o covado.
Setins lisos a 800, 1*000 e a 1 *
Lionayse fazenda transparente a 15*000
a peca.
Organd8 bordados a seda, ultima mo-
da a 16*000 a dita.
Etamine bordado, alta novidadade a
10*000 a dita.
Cachemiras bordadas a seda a 700 ris
o covado.
Ditas pretas a 700, SCO, 900, 1*000,
1*200, 1*400 e 1*600 o dito.
Ditas de cores a 800, '1*000 1*200
o dito.
FustSes brancos a 400, 440, 500, 600
800 o dito.
Ditos de cores a 240, 320, 440 e 500
ris o dito.
Amor da China fazenda de novidade a
400 ris o dito.
Lindas alpacas de cores a 320 rs. o dito.
Lindas lana de quadrinbes 400 rs. idem.
Lindes com salpicos a 640 ris o dito.
Lindos setins de damassj a 320 ris, o
dito.
Gurgorinas de listrinhas a 320 ris o
dito.
Z'firos escocezes a 200, 240 ris o dito.
Crotones para coberta a 320, 360, 440,
e 500 ria dito.
Crep3 idem idem a 700 a 1*000 o dito.
Cambraia bordada a 5*500, 6*000 e
6*500 a peca.
Veludilho liso e lavrado a 1*000 o co-
vado.
Dito bordado a retroz a 1*800 o dito.
Colchas bordadas a 2*, 3*, 4*, 4*500
5*000 e 6000 urna.
Cambraia adamascada a 11*000 a peca.
Toilets para baptisado a 10* e 14*00C
um.
Cortinados bordados a 6*. 7*, 8*, 9*000
o par.
Dito de crochet a 50*000 o dito.
Meias para homem a 2*400, 2*800 at
10*000 a duzia.
Ditas para senhora de 3* a 15*, idem.
Guarnieres de veludilho bordados a vi-
driaba a 6* urna (alta noviciado).
Cobertas forradas a 2*800 e 3* ama.
Renda do Japao a 200 ris o covado.
Madapclao Gema e Pello de Ovo a
6*500 a peca.
Damasco de 13 a 2*000 o covado.
Pao da costa a 1*400 o dito.
Lencos brancos e com barra a 1*800,
2* e 2*500 a duzia.
Chales de cachemira a 25000 e 1*400
um.
Aoquinhas a 1*800 urna.
Feehus a 2*, 3*, 4*, 5$, 6*, e 7*000
um.
Muitos outros artigos que vendemos cem
25 <>|0 de menos do que em outra parte.
Henrqne da Silva Moreira
proximar-sc a hora
CRISE E MAIS CRISE !
Todos peiguofttin o qu; b. J>- n>vo. Recebes-
'ia aleum telegrama!* da torre ? Uus dizem
que s'n., cutios ais'.tn quf nao. < alguna em rcaT-
va que foram apenas osatattado*. K uj meio
desta confaso apresentam se Pudro Antunrs &
C., offerecendo as s-'guintee novidades. que natu-
ralmente agradan1 muito oais no >-. xo xmavel e
das modas, a qm m muito particularmente pedi-
mos a valiosiesima proteccao. Coui l.ccnya......
Bonitos ramos de flores de laranja para um ele-
gante vestido.
B'.ns leques diapbanos de bonitas cores.
Orinaldas e veos para todos os precos. Kenda
bespanhola, erime e preta, em seda e em linbo
bordada.
Finas meias arrendadas de cores, ditas bordadas
a seda e maitas entras qualidades em meias para
en hora s.
Completo sortimento em bordados, Victoria e
trani-pa rentes.
Coinraodos espartilbos para senhoras e moui-
nhae.
Piona extractos e aguas para toilets .
Eep> cial eolj d- cine para amaciur a cutis.
Nao ineu<.s agradavel p Ctudr para pertumur.
Pims sabonetes perfumados e nvedicinaes.
Variedade em entilaras finas.
Que sortimento de artigos para presentes !
Oculos t pencines d'a$o e tartaruga.
Pianos para criancas e grande variedade em
calungas.
Qne bonecas interessantes Capases de fasci-
nar qualquer enanca. muitcs cutres artigos
de qne estamos prevenidos, psrm que nao que-
remos aburar da paciencia das ama veis leitoras.
63RA DUQUE DE CAXIAC63
NOVA ESPERANQA
Pedro An'unei & C.
^olarinhos e punhos de
selluloide
Carlos Linden receben pelo ultimo vapor, e
veade baratissimo ; na rna do Baro da Victoria
numero 48.
Leja das estrellas
Aproveiem
E' PARA LIQUIDAR 08 BEOUINTES AR-
TIGOS :
Merinos de 13 coro duas larguras e de todas as
cores, de 1*200 a 560 ris.
Madaonlao acompao com pequeo toque dfl
mofo, de 12 a 6*
dem Boa-Vista de 11 a 5*.
Quardauapos de 4' a 2*.
Fostao branco d e500 a 240 ris o c vado.
Linn de lindsimas cor 8, liisa de 600 a 240 rs.
Sur de linho com um metro de largura de 700
a 320 ris.
Casimira golpou para vestido de senhora (novi-
dadr) de 600 a 240 ris o orado.
Cretone americano, claros e escuro, desenhol
novos, de 400 e 500 a 240 ris.
Setinetai lavrados e lisas, de 800 e 500 a 240 e
320 ris.
Babados muito largos e estreitos de 1* t 4f a
500, 1 e 1*200 ris.
Cortinados de crochet de 40* e 50* p r 20*.
Guarnieres de fjollinha e puobos para senhora,
de 2*500 a 1*.
Muas inglesas de 12* a 6*
Visitas de velludo para senhurt de 50* a 60*
per 20$, 25* e 3'J*
Cambraia suissa can duas larguras de O a
pega por 6*.
Cortes de cambraia bordada, coro peqn Uiiue
de mofo, de 9* e 10* a 4*500 e 5*.
Brioa de linbo para calcas de 2* a 1*200 ris.
Lencos de cor, com barra, de 2*400 a 1*200 rg.
E bem assim urna grande quantidade de retalhes
de seda de todas as cores que vende de 400 a 500
ris ao covado, e outros muitcs artigue que deicna
de mencionar por falta de tempo.
56 Roa doDiifjie de Caxias U
Telephone 210
Sii
10
pnuLAs do Dr mam
04 NMMN dt remo a* gutm \
TRTWTA *MN03 ti bom xito Undamoaat *4
aaBoacia licontattKTe'- d'aataa PUula. qua :iuat na
lt*m m ?dai naa propriadada llaku m%*rmt*m.,
o lontraa-rc t. rajtme a Qtmrrt *,
4 o BMdcameQtC aaa. ^otrvo coatra aa
nH afS a!ttO*>t.0O CrllOTOS aVMOM
Perda de tpoetlti
CiaVO E.tnp)bre.:in,into i* Sanau*
iflbccoet sc.rofti/osaa, oU-
fMMfU et-Ji 11, ra ts SrjaUa-Siiit^erai, rita
*fi0**mkaB:m~M.AaKX.VA.*
Vende-se cualuga-se um bom sitio com mais
de 70 ps de coqueiios e omitas arvores fructfe-
ras ; a tratar ao mesmo sitio, freguezia de Afo-
e .dos, travessa de Motocolomb n 9, com o Dr.
Escobar Jnior.
Aiimenta;4o racional
das MAES, CRIANCAS, AMAS & COKVALESCENTEt
Por uso da fHOSPUAT/VA Valieres.
PARIZ, 6, Avenas Victoria, 6, PARIZ.
"'H6Uri.s Per. -.r.Duco FtAN- M. da SILVA h O*.
P
!
Na antiga casa Carneiro da Ganha
Admirem!
Setinetas lavradas, lindos padroes a 280 rs. a co-
vado!
Fustdes brancos, novos desenhos, a 320 e 400 rs.
o dito I
Esplendido sortimento de lindas las para vestidos,
a 400 e 440 rs. o dito !
Cachemires felpudas a 1* a dito .' 2 larguras.
Mirins pretos e de cores a 800 rs. o dito I idem.
Velndilbos de todas as cores, bordados, a 1*000 o
dito!
Cn t me de t ores firmes a 240 o dito bom ve-
rem.
Damasco de la, 2 larguras, proprio para capas
de piano, a 2* e dito!
Pannos de lindos desenhos para mesas a 1*600 o
dito !
Cortinados bordados, riquissimas, a 6* e 7* o par
Gusrnicoes de crochet para gofas e cade iras a 8*1
Camisas brancas inglezaa a 36* a dusia !
Ditas 'le cretone finas a 24* a dita !
ttsMalaa uordadas a 12* e 18* a dita !
Lencos em lindas caizinbaa a 3* a dita !
Meias arrendadas para genhorag a 6* a dita !
Chapeos para senhoras e criancas a 2*500, 5* e
6*000.
Egpartilheg de cour&ca a 4* e 5*.
Brim pardo lona a 360 rs. o covado'.
I em branco n. 6, de linbo a 1*500 o metro !
Tapetes aveladados a 12*, 15* e 22*.
Superiores redes com 4 punhes a 12* e 14*.
Colchas francesas a 8* urna.
Ccbertas de ganga, 2 pannos, a 3* !
dem de setinetas finas a 3*500 !
Lences grandes de bramante a 2* !
Cambraia Victoria de 10 jardas a 3* a peca !
dem c m salpicos brancos e de corea a 5*, 5*500
e 6*, 10 jardas !
Madapoloeg pelle de ovo a 6*200, 24 jardag.
Camisas e saiag para senhoras por todo o preco
Bordados de Cambraias finas a 1* a peca.
Fiehus e capas de IS a 2*, 4* e 6*.
Strtimento de casemiras, cheviots e pannoa por
pre^og baratiagimoe.
Grande depoeito de fssendas para os Srs. nego-
ciantes do centro, tendo descont as vendas em
grosso.
59RU A DUQUE DE CAXIAS-59
Cobrado a vender-se
Vende-se o sobrado n. 87 ra da Aurora, em
frente a ponte do Santa Isabel ; quem pretender,
pode entender-se com o corrector Pedro Jos Pd-
to, na praca do Commercio.
l1lu preto superior
Carlos Sinden receben pelo ultimo vapor e con-
tina a vender sem competencia ; na rna do Ba-
rio da Victoria n. 48, leja de altaiate.
Cofres
Carlos Sinden receben e vende barato por ser
de coDsignacao treg cofre, prova de fogo ; na
roa do Baro da Victoria n. 48.
Livraiuento & C.
vendeos cimento port'aud, marca Robins, de Ia
qualidade ; no caes do Apollo n. 46.
A LOJA DAS LISTRAS AZI ES
61-A' RUa DUQUE DE CAXIAS-61
Tele pilone '11
Receben as seguintea f-.zendas de novidade
Velludo de seda preto liso e com bordados de
setim.
Velludilbos pretos e de coros lisos e lavrados
com contas.
Setins lis. s e com matiz de con s a 800 e 1*000.
Renda de seda hespanlula preta, branca e reme
c com bico.
Cretones, alta novidade, a U20 ris, cores se-
guras.
PercalesJulinba e Naninha a 240 ris.
Las de quadrinhos escoras com matiz a 320 ris.
Metins de qoadrinbo imitaco de seda fazenda
larga a 360 ria.
Esguiao pardo infestado para vestid j- p iro linbo
a 360 ris.
Brim pardo para roupa de meninos a 320.
Bramante de quatro larguras a 800 lig.
Magdalena morim americano fabrieado especial-
mente para aLuja das Listras Azues a 7*000,
com 20 varas, (vale 10*000).
Lnvas de pellica e de seda a 2* e 2*500 o par.
Bicos brancos e creme com matiz a 2*, 3*, 4*
e 5*000 a peca.
Leques transparentesNovidades a 2*000,
2*500 e 3*000.
Baleias a 300 ris a dusia, meuW nn.'1'ade.
C iotas para eofeite de vestido, todas aa cores a
800 ris o masso.
Oleo oriza verdadeiro a 900 ris.
Lencos brancas de Bretanha a 2*, 2500, e 3*,
a duzia, em caixas de fantasa para piesentis.
Extractos finos, garrafas com inscripcoes para
presentes a 2000 e 3*000
amostras sem penbor
Jos Augusto Dias
CAPSULAS
M ATHEY- CAYLUS
Preparadas pelo DOUTOR CLIN Premio Montyon
------------
As Capsulas Mathey-Caylus com Envolucro delgado de Gluten n3o fatigao nunca
o estomago e s3o recommendadas pelos Professores das Faculdades de Medecina e
os Mdicos dos Hospitaes de Paris, Londres e New-Ycrk, para a cura rpida dos :
Corrimentos antigos ou recentes, a Gonorrhea, a Blennorrhagia, a Cystite
da Collo, o Catarrho e as Molestia da Bexigas e dos orgos genito urinarios.
1114 Um txplictqo dtttlhada acompanha cada Frasco.
Exigir o* Verdaderas Capsulas Mathey-Caylus de CLIN & Cie, de PARS,
que se achdo em cata dos Droguistas e Pharmaceuticos.
-*-

Mi
lint \ de Marco n. 6.
Parti.ipam a" respeitavul publico at, teut' augmentado sau
eetaueleciirjento de JOIAS coui mia um aooeao, no pavimento terreo,
i:om esp-eiali^ia-i-s em irtlg.- KI-KCTK' >-PL,\TE, coavida as
Exaias. familias e seus numerosos l'reguezes para visitar seu estabele-
cimento, onde en; ontrarao um riquissimo sortimento de ioias de curo e
prata, perolas, brilbantes e outras pedras preciosas, e relogios de ouro,
prata e nikL
Os artigos que -ecebem directamente por tocos os vapor sao
ext-cutados pelos mais afima''os sspei'ia&tas e fabricantes da Europa e
Estados-Unidos.
A par das joia.t de subido ralor acharSo lima gr^nie varmdado
le objectos de ouro, prata e electro pate, proprios para presentes de
.ssan.entos, baptisados e annivarsario.
Nem em relacao ao pre^o, e nem qualidade, o objectos cima
mencionados, encontrarSo concurrencia iiult praca.

??.
Terreno
Vende-se um terreno confronte a estaco do
Principe, estrada de JoSo de Batros, com 90 pal-
mos de frente e bastantes fundos, e cam alicerces
para 3 casas; tratar na ra d'Apollo n. 30, pri-
eiro andar.
Vende-s<* barato
Quatro vaccas creoulas, sendo duas com cria e
duas prenhes, assim como 1 bezerro de mais de
anno, 1 cavallo para sella e cangalha com arreios,
1 carneiro da melhor raca, um partido de canna
e algamas plantacdeg e faz-ge arrendamento de
urna grande baixa de capim, tanto no invern
como no verao ; a tratar no Ja Id -reiro, d'ontio
lado do rio, em o engenho, com Antonio Moreira.
O motivo da venda o dono querer retirar-ge por
falta de sade. ________
Fio de algodo da fabrica Catilina
A natra. da Babia
endem Machado & Pereira, ra do Impe-
rador n. 57, por cemmodo preco.
Vende-se
quinse accots de 200*000 da ompanhi a dos tri-
Ibug urbanos do Recife a Olinda e Beberibe, com
dividendo de 8 0/0 ao anno ; a tratar com Jos
Augusto Diaa, roa Duque de Caxias n. 61, loja
das listras azues.
TNICO FEBRFUGO REGENERADOR
VINHOooStorJOHANNO
DO
'DOUTOR'
Quina, Coca, Extracto de Carne e Hypophosphito
SLecommando-no nos casos que necessito tateos para reconstituir e reg-enerar
o organismo arruinad por molestias, excessos, natureza do clima, Anemia, Chloroalsi
Amenorrhea, Cactaexta, rinxo brueo, que tanto arruino a saude das mulbcres,
Pobreza de Sanpue, Fraquea feral, Debilidade, etc.
H. V1VIEN, Dretrolata, 60, BouloTard de Strubours, em PAEIS
? ??!? ??


PHARM.4CU CENTRAL
38rta do Imperador38
Tendo pausado por urna "ompinta reforma acha-se montada a satisfazer
prorrptid2o as inti-.'ioes medicas, tendo parr. esse iim nu^icam"iil08 de primeira
lidadi^ e especialidad. 8 phariu-cpu io.8 dos primeiroa fabricantes.
com
qtu-
SAUDE PARA TODOS.
(UNGENTO HOLLOWAY
3 Ungento de Holloway um remedio infallivel para os males de percas e do peito r. tamben pa
as feridas antigs chagas e ulceras. E famoso para a gota e o rheumatismo e para todas as enfermi-
dades de peito ni* se reconhece egual
Para os males de garganta, bronchites resfrlamentos e tosses. *
Tumores as glndulas e todas as molestias da pelle nao teem semelhante e para os membrOS
contrabidos e juncturas recias, obra -orno por encanto. c
> Cuas medicinas sao preparadas smente oa Estabeleciraento do Professor Holloway,
78, NEW 0XT0BD 8TKEET (antes 633, Oxford Street), LONLfiES,
E vendemse em todas as pharmaciM do universo.
Ktr Ot compradores lo coavidadas reapeitosaajeMe a fiaminar os rtulos de cada caixa e Pote, ae nao teem a 1
dirocc-io, 533, Oxidad Street sao alaificaooea.
/

'& i
API'UOYAgo DA iCADEMIA E MEDICINA DE PARS
-'--' ^
O quinium Labarraque um \ r>..nc tmeate tnico et tebrifugo destinado substituir cooas a
i preparaces de quina.
O quinium Labarraque conten todos os principios activos dos vinhos mais generosos.
O quinium Labarraque ore ripeo com vantaem aos convalcsccntes de doencas grave*, as partunenma
a todas ai pessas iracas ou debilitadas \ r urna febre lenta. .
Tomado com as verdadeiras pilulas de Vallet, sao rpidos effeitos que produr nos caaos de cUotom, ose*
mU, crespallidas.
Em raxao da efficecia do Quinium Labarraque, preferivel S/* C*^2 4
O em copo de licor, no fim da refeico e as pilulas de Vallet antes. ^#if** yvfiaHUZtyt** o*'&4
Ver4e-e na mor parte das pharmacias sobe a assignatura : X rs^
Piinioaoac- a atacado : Casa L. FBERE
18, rao Jaoob, Paria.
,
i luaml
mm


IB"' -
8
Diario de fernambacoQuinta-ieira 4 de Agosto de 1'
ASSEMBLE1 GERAL





CHARA OOS UEPl'TADOS
SESSAO EM 22 DE JUNHO DE 1887
PRESIDENCIA 00 SB. GOMES DS CASTRO
O Sr. Rodrigo Silva (ministro da
agricultura) : Sr. presidente, no ilespa-
cho de hontem, o honrado Sr. presidente
do conseibo apresentou a Sua Alteza Im-
Serial a Rgeme o pedido da demisslo que
IB dirigir o Sr. Barao de Marnor.
Sua Alteza dignou-se acceder solicita-
o do nosso illustre ex-collega e noinear
paraifub8tituil-o o illustre deputado por
Pernambuco o Sr. conselheiro Manoel do
Nascirnento Machado Portella.
Tenho por conveniente repetir o que
hontera affirroei:
O ministerio nlo sofireu raodificagao al
guma na Btia poltica, nerd com a retirada
do ministro demissiouario, ero com a en-
trada do novo conapanheiro chamado a au-
xiliar nos na ar.iua tarefa do governo.
Eis bb explicago^s que me incumbe dar
sobre a o currencia a que acabo de refe-
rir-me. (Muito bero.)
O Mr. Lcurenc de Albnquer
~e __ >ao poseo, Sr. presidente, dei-
xar de protestar contra o no?o estylo que
so quer establecer. V. Ex;, parlamentar
antigo, nanea vio dar conta Cmara dos
Srs. D.-putados, de urna modifiaglo minis-
terial, outro ministro que nao o Sr. presi-
dente do conselho, como representante, ou
antes, como a encarnaglo da poltica do
ministerio. H mais do que issoa encarnacao poltica
cumpria lhe comparecer Cmara para ex
plicar a razio da modiScaglo havida no ga-
binete. (Apoiados e apartes.) ,
Portanto, protesto centra a innovado
que se pretende fazer nos estylos. (Apoia-
d08-)
O Sr. Jlo Peuido : F' anomala so-
bre anomala 1
O Sr. Lourengo de Albuquerque : O
nobre deputado ministro da agricultura an-
nunciou Cmara que Sua Alteza Impe-
rial Regente aceitou o pedido de demisslo
do honrado Bario de Marnor, e nomeou
para substituil-o nosso illustre collega o Sr.
conselheiro Manoel Portella.
Nao posso deixar de confessar que a no-
meagao toi muito acertada e feliz.
O Sr. Coelho Rodrigues : Tmese
por termo a confissao, que iususpeita.
O Sr. Lourengo de Albuquerque : O
Sr. conselbeiro Manoel Portella, a quero
desde amitos annos conhego, meu distincto
mestre, e devo dizel-o, meu respeitavel
amigo, distingue se pelo seu talento, pela
sisudez de seu carcter (poiados) e pela
sua dedicado causa publica.
No tnho, por conseguinte, que fazer
censura alguma escolha do Sr. Presi-
dente do conselho. S. Exc. fo, repito,
muito feliz.
Mas a aceitado do Sr. conselheiro Ma-
noel Portella suggere-me consideragoes que
nao posso deixar de fazer.
Consta, Sr. presidente, e facto que.
por oceasilo da retirada do nobre ex-roi
nistro da gerra, nosso Ilustrado collega o
Sr. Alfredo Chaves, o Sr. presidente do
conselho dirigio-se, ero primeiro lugar ao
nosso distincto collega Dr. Ferreira, depu-
tado por Pernambuco, e convidou-o para
que tomasse conta da pista da guerra.
Tendo-se recusado S. Exc, o nobre presi
dente do conselho procurou o Sr. Manoel
Portella, qut tambero se recusou.
Dianto destea factos, que nlo poden.ser
contestados, surge naturalmente a seguate
interrogaglo : poique o Sr. conselheiro Ma-
noel Portella recusou eolio entrar para o
ministerio, e agora aceita o con vito que lhe
foi feito ?
O Sr. Pedro Luiz: Porque nao dava
para negocios da guerra.
O Sr. Jlo Penido: Porque nao que
FOLHETIM
ria ter por companheiro o Sr.
Mamo
O Sr.^^aureogo do Albuquerque:---So-
ria porquVnao estava entilo resolviJa a
questlo militar ?de> creio, porque esta
circumsttft seria meaoio uro incentivo
para que q Sr. conselbaro M noel Portella
aceitasse o confite, ^^HRasse os seus
collegas na solugilo Je Mo trabalhoso qulo
grave problema. '*
Teria sido porquefra convidado eni se-
gundo lugar ? Nao, porque conhece dssde
muito tempo o illustr conselheiro, o : ffir-
mo que, entre os seus defeitos, nlo se nota
csse pequeo e excessivo amor proprio, ou
antes, essa reprovavel vaidade.
Portanto, motivo mais serio actuou no
animo de S. Exc- para recusar o honroso
convite.
Depoii disso, Sr. presidente, o em con-
sequencia de um artigo publicado em um
dos jornaes desta cite, notei alguro mo-
vimento da parte de urna das mais dignas
deputacSes d'esta Cmara. Tendo silo o
nobre presidente do conselho interpellido,
exatamento no se a interpellaglo essa deputaglo toda,
exeepglo de uro dos seus membros, de:xou
de comparecer, e o Sr. presidente do con-
selho debalde veio Caraaraencontrou-a
vasia. (Apoiados da maioria.) A demons-
traglo de descontentamento no poderia
aer mais signicativa, nem mais completa.
Eis, porm, que agora, depois que o mi-
nisterio Be debilitou co.n a sol glo qu
deu questlo militar, do seio dessa mes
ma deputaglo nomeado ministro do im
perio.
Este factoj meas senhores, tem urna alta
significaglo. Para mim o Sr. conselheiro
Manoel Portella nao simplesmente minis-
tro do imperio; S. Exc. tem, a meu ver,
a significaglo do arco-iris : o syinbolo da
allianga, de urna allianca ha muito ternp
procurada, mas sempre debalde.
E por este facto eu nao posso deixar de
felicitar o partido conservador. A entra-
da do Sr. Manoel Portella quer diz.r que
cessaram ou foram compostas as faltosas
contendas de Agamenn e de Achules;
que neste momento, em que se suppunha
que e8sas contendas tivessem assumido
maior gravidade, appareccu um sabio Ns-
tor e congragou os dous hroes, do que de-
penuia a felicidade da patria.
O Sr. Cosa Pereira : Si assim de
mos gragas acs deuses.
O Sr. Loureago de Albuquerque : Si
assiro fago votos para que essa allianca
cada dia mais se consolide (apoiados), para
que de ora ero diante seja urna realidade
a uoilo do partido conservador...
Vozes da Maioria : J era.
O Sr. Loureogo de Albuquerque:.
porque, senhores, nao possivel haver go-
verno fecundo e til quando nao se baseia
ero um partido fortemente constitu do.
(Apoiados). Si fr assiro, fago votos para
que o casamento, agora celebrado, teja
feliz a nao conclua dentro de pouco tempo
pos um divorcio...
O Sr. Coelho Rodrigues : Nlo se ar
receie disso.
O Sr. Lourengo de Albuquerque :
que aggrave a antiga scislo. Si lor assiro,
finalmente. Sr. presidente, estimarei que a
nomeacao do Sr. Manoel Portella seja mais
que tudo isso, signifique urna alteraglo
profunda na poltica ministerial, sob o pon-
to de vista das despezas publicas.
O Sr. JoSo Penido : Apoiado.
O Sr. Lourengo de Albuquerque Eu
propri appiaudirei esta i-eorgaoizaglo, si
ilella resultar urna n >va orientagao econ-
mica e inanceira, isto si com a presen-
ga do Sr. conselheiro Manoel Portella nos
conselhos da coroa fr poupada a esta C-
mara o despraz^r de pedidos de crditos,
que, infelizmente, ameagam o crdito do
Estado.
Ainda raais : unir me-he maioria para
dar fragas aos deuses, si, com a entrada
do Sr. Manoel Portella para o ministerio,
Bario de forem adiados esses crditos, reeenterneo-
te presentados coro grande sorpresa da-
qu-lles que acreditavaro qua o ministerio
e 20 de Agosto desejava realmente equi-
librar a receita com a despeza.
O Sr. Jlo Penido :Perca essa espe
rang.
O Sr. Lourengo do Albuquerque: -
Qanndo, Sr. presidente, o nobre ministro
da fazenda declara ro seu relatorio que o
dficit do exercicio nodo importa na eleva
da somma de 25.000:000$; quando S.
Exc. calcula o do corrate exercicio em
em 30 000:003(5, calculo nlo exagerado,
antes aquem da realidade ; quando, por-
tanto, nos dous exercicos o dficit j ele-
va-se somma de 55 000:000$, aggra-
val-o com mais 18.000:000$, nao pru-
dente ero patritico. Eu, portanto, nao
posso deixar de protestar contra as decli-
ragoes do Sr. ministro da agricultura, na
parte ero que S. Exc. atfirmou qua a po-
ltica do ministerio nao tioha soffndo mo-
dificado, nem com a sahida d> Sr. Bario
de Marnor, ero com a entrada do Sr.
conselheiro Manoel Portella.
Nao : a politica do ministerio, si nao sof
freu moliticagao con a sahida do Sr. Ba-
rio de Marnor, ndeessariaroeate ha de sof-
fier com e entrada do Sr. conselheiro Manoel
Portella, por que eu sei que S. Exc, co
mo eu, deplorou sempre os continuos aug-
uientos das daapezas publicas, que, si pro-
seguirem, dentro de pouco tempo nos le-
varlo bancarota. Or>, alo acredito que
em sua idade e quando seu nome to van-
tajosatnente conhe.-ido no paiz, queira S.
Exc. ser o curoplice de urna politica de
desperdicise esbanjamentos. (Muito bem;
muito bero )
O Sr. AfouHO Peona diz que o
nobre ministro da agricultura veio trazer
Cmara a noticia da nova reorganisaglo
ministerial.
Em relaglo pessoa do nobre miuistro
do imperio, que acaba de aceitar a colla-
boragao no gabinete de 20 de Agosto, a-
companha plenamente ao seu collega por
Alagas, nos merecidos encomios e elogios
que teceu illustragao e ao carcter do
Sr. conselheiro Machado Portella.
Quanto, porm, ao modo por que se
preparou e levou a cabo a crise ministe-
rial, quizera que o nobre miuistro da agri-
cul:ura fosse mais explcita e trouxesse
cmara as razoes de ordein publica que
levararo o seu distincto ex collega, a soli-
citar a demisslo concedida por Sua Alteza
a Priuceza Imperial; quizera que o no
bre ministro viesse desfazer na tribuna a
crenga, que geralmente se formou no seio
da populaglo, de que o nobre ex-ministro
do imperio foi alijado pelos seus collegas
de gabinete.
O Sr. JoSo Penido : 3obre isto nlo ha
duvida. Est claro como a luz.
O Sr. Coelho Rodrigues: Si foi ella
quem pedio demisslo..
O Sr. Affonso Penna dir os motivos em
que s funda, vista de factos que se deram
na cmara, ainda nos ltimos das, para
comprehender que S. Exc. foi levado a
pe iir demisslo por convencer-se que nlo
tinha a confaoga de seas ex-collegas.
O Sr. Jlo Penido : -Apoiado.
O Sr. Affonso Penna diz que a cmara
gi meato de fazer parte dessa cormuisslo,
quando soa;Iiwa ero desaccordo com um
dos ministros do gabiaete, que apoiava.
Pois bero, depois desta perecnptiria decla-
raglo, a cmara negju a deraisilo podida.
O Sr. Jlo Penido:Demittiu o mi-
nistro.
O Sr. Affjnso Penna prosegje, dizendo
que era, portant, uro voto claro e mani-
fest de desapprovagao politica seguida
pelo ox-annistro do imperio no senado.
Mas, o aqu que est gravidade das
cireuinstancias, quem comroandou a maio-
ria de entlo? Foram o nibre ministro da
agricultura o os seus dignos collegas, com
assento na cmara, quando se tratava de
inflingir a seu ex-ollega urna censura, por
que tanto imporUva o voto da cmara
foram Ss. Excs. que levaran os seus ami-
gos a recusar a demisslo solicitada pelo
nobre deputado p?la provincia do Espirito
Santo.
J se vG, pois, que perfeitaruenta fun-
dada a crenga di que o nobre ex ministro
do imperio pediu demisslo obrigado por
seus collegas, que o haviarn abandonado ;
pediu demisslo por comprehender que o
voto da cmara, sondo dirigido, como foi,
por seus collegas, tinha simplesmente j a-
tuito de o collocar tora do gabiaete.
O Sr. Jlo Penido :E' lgico.
O Sr. Pedro Luiz e outro Sr. deputa-
do : Nlo apoiado.
Sr. Affonso Penna diz que o nobre
ministro da agricultura, entretanto, aoaba
de dizer simplesmente que e seu collega
pediu demisslo sein haver divergencia no
seio do gabinete.
O orador, porm, entende que devia ha-
ver essa divergencia, porque s nssitn se
explica o voto hostil por S. Exc. recebido na
sesslo de terga-teira, quando foi recusada
a demisslo solicitada pelo nobre relator da
commisslo de orgamento distincto deputa-
do pela provincia do Espirito Santo.
Si, porventura, alo baria essa diver-
gencia, como que S. Exc. pode conti-
nuar depois do vot* da cmara ?
Se o gabinete era solidario com o proce-
diroeuto do nobre ex ministro do imperio,
na commisslo de orgamento do senado ;
se a cmara mantinha a opinilo de sua
commisslo de orgamento representada pelo
seu digno relator, como que o governo
podia declarar que nlo existia es&a diver-
gencia ?
O que parece que se aproveitou a oc-
fcasilo nicamente para o alijamento do
nobre ex-miuUtro do imperio.
Outro ponto que suggere observagSes
ao orador a entrada do nobre Sr. con-
selheiro Portella para os conselhos da co-
ra.
Ainda nlo ha muitas sessoes, S. Exc,
como membro da comroislo de legislaglo
e constituiglo, assignou uro requerimeoto
pedindo inforroag3es ao governo, relativa-
mente ao projecto apresentado pelo honra-
do deputado o Sr. Jaguaribe Flho, a res-
peito da reorganisaglo do trabalho.
Entlo todos Acaran) scientes de que o
governo era hostil ao proceder da com-
misslo, porque entenda que nlo se devia
admittir a debate esse projecto.
Vio se oue o governo na cmara empe-
nhou-se com seus amigos para que tosse
a mesma, o que se segu, portanto, que
JOSLARONZA
POR
JACQES D FLOT E PEDRO MAEL
UliVIt I'IBTK
CARME*'
(Continuaglo do n. 175)
XII
Carmen, entlo, entregou-se a iodos os
pensamentos sinistros que lhe enchiam a
alma ulcerada. BiB
Oh murmurou ella, quero urna vin-
ganga, va-ganga estrondosa. E' preciso
que, por sua vez, essa mulher chore todas
as lagrimas que me fez derramar. E' pre-
ciso que ella venha de joelhos supplicar-rae
que a poupe. E como roubou-me o cora-
cao do hometn a qaem amo, preciso que
ella, por sua vez, aceite o amor do hornero
que odeio
Desceu para o aposento do pai.
Clanos nao deixou de admirar-se um
pouco da sua visita. Nlo espera va a rilha
a essa hora.
A alteraglo as feiges de Carmen, o
seu lhar sombro, a excitaglo da sua pa-
la vrs, causaram-lhe urna emoglo violenta.
Correa para ella, e, tomando-lhe as rolos :
Que ha, Carmen ? por que essa agi-
taglo ?
A moga respondeu de um folego :
__Ha, meu pai, que o senbor, sem eu
o saber, escolheu um marido para mim.
E' verdade, minha filha. Elle te des-
agrada ?
Ella nao ouvio, e contiouou :
EsBe marido, o Sr. Dr. Arband, o
senher seru duviJa o iginra, noivo de
outra mulher.
Clanos recuou um passo.
Como ? disse elle angustiado.
Digo que o Sr. Arband ama a meni-
na d'Isaac, e ella o ama tambero.
Quem te disse isso ?
Ha P0U90; murmurou ella, t a me-
reieitado o parecer da commisslo. fNlo
sabe, que em urna das sessoes desta sema-, > r ... a.L:_ ._:u..I- -
1 apoiados da maioria.)
na, levaatou se o illnstre relator da com-
! nobre deputado por
Subi tribuna o
Pernambuco, boje
misslo de orcamento, para solicitar a sua; "?uro 1 P* a 7a'n Z
a. L; *J \Z ;ao 1 nndi* corona- d'gQ0 tro d ,aJPeri0' .e declaJ0U ^U6
demisslo, por isso que nlo podia acompa
nbar o nobre ex-roinistro do Imperio, na
concesslo que havia feito no senado, em
a commisslo pedia estas inforroagSes, por-
que ellas muito podiam influir no voto que
tena de proferir a respeito do projec.o.
rolado a urna das emendas approvadas r t fJ, Q
1 v j;.___.; S. Exc. accrescentou que taes tossem es-
por esta cmara ao orgament do nnper.o. ia{ s na Ma do projecto
V.u-se entlo uro faoto v.rgem nos an- na8 medda8V qu'e4tive880 de ...U.1..L
nina abragada pelo Sr. Arband. Meu pai,
o senbor devia ter verificado se o Sr. Ar-
band estava compromettido antes de m'o
apresentar. Assim teria poupado sua ri-
ba um desgosto profundo.
Carmen I exclamou o hespanhol. En-
tlo tu o amas ?
Amo o 1 disse ella com amargor.
Desatou em pranto.
O sangue do velho ferveu.
Sua rilha, sua Carmen derramara lagri-
mas !
Ella penava por amor e amava ao ho-
rnera que elle mesmo tioha escolhido. E
esse hornera amava a outra mulher.
Era preciso afastar essa mulher do ca-
miuho da rilha.
Elle tentou consolar Carmen.
Vamos l, o doutor nlo est preso,
que nlo possamos desligal-o. Domis, que
receio podes ter, minha filha? Que mu-
lher no mundo pode se comparar comtigo ?
Maximiliano ha de chegar-se, Carmen, er
no que te diz teu pai, aiada que para ven-
cer a sua indifferenga seja necessario fazer
deaapparecer a rival que te faz sombra.
Carmen sabia o que podia esperar do
amor de Arband.
Todava, ao ouvir as palavras do velho
o seu coraglo batea com forga.
Nlo era sao urna especie de carta bran-
ca que elle dava ao seu desejo da,- vin-
ganga ?
Ella -deixou se, pois convencer e deixou
o pai com um pretexto qualquer. Mas foi
para ir ter com Rouval.
Este trabalhava no seu gabinete.
Tambem nao deixou de admirar-se.
Para que Carmen o procurasse,! era ne-
cessario que preeisasse muito do seu con-
curso I Que quereria ella ?
Mandou que a zessem entrar immedia-
famente.
A senhora az me a hora de procu-
rar 1
Sim, Sr. Rouval, respondeu ella no
mesmo toro.
E' para mim urna grande honra e
um grande prazer. Que posso ea fazer pa-
ra servil-a ou ser-lhe agradavel ?
Carmen peso a as palavras e lentamente :
Sr. Ronvai, perguutou ella, conhece
bem a menina Recata d'Isaac ?
Stephan estremeceu. Por que pronun-
ciara ella o nome de Renata em urna io-
terrogaclo ?
Respondeu muito desembaragadaraento :
Sem duvida, conhece-a.
E, sem duvida, acba-a bella ?
Oh muito bella, disse o banquei.ro,
sem oceultar a sua admiraglo.
naes da cmara : ser recasada a demisslo
pela segunda vez pedida por um membro
de commisslo. O illustre relator da com-
misslo de orgamento declarou perempto-
riamete a sua incompatibilidade com o
ex ministro do imperio e appellou para a
cmara, t m de que o livrasse doconstran-
submetter
epraciaglo da casa. (Aparte.)
A' vista destes factos da maior
impor-
tancia, pergunta, se houve ou nlo modifi-
cagao do gabinete.
O honrado ministro da agricultura acaba
de declarar que a politica do gabiaete
o honrado Sr. conselheiro Portella aban-
donou a sua opinilo proferida na cmara,
em aasuropto muito importante o qne mui-
to preoecupa actualmente a attenglo do
paiz.
Assim, o gabinete de 20 de Agosto,
depois das suas successivas reorganisa-
g3es, deve passar a ter urna data nova,
deve ser o gabinete de 21 de Juina, por-
que agora ticou claro e saliente qua a po-
litica conservadora unidcou-se sobre este
ponto importante.
O nobre deputado pelo Io districta do
Pernambuco, atientas as suas relag*e3 po-
lticas coro o illustre chefe do partido con-
servador, que pjr todos apuntado como
divergente do governo, na apreciago deste
magno assumpto, nlo aceitara por certo
a collaboragao com o gabinete de 20 de
agosto, senlo de pleno accordo com o seu
illustre chefe e comprovinciano.
Fica, portaato, claro que, havendo a
unificado do partido conservador ero re-
laglo a este assumpto, o gabinete deve to-
mar a data de 21 do Julho.
O orador nlo poie acreditar que o no
bre deputado par Pernirobuco, houvesse
prestado a sua collaboraglo ao governo
depois de haver recusado diversas vezos,
conforme declarou o nobre deputado por
Alagoas. 8. Exc. nao entrou para o gabi-
nete, s nlo de acord coro a sua polti-
ca ero todas as suas partes, morroente
ueste assumpto que' como disse, da
maior gravidade e traz ero suspenso a opi-
nilo publica.
Concluiado, doc-lura que acompanha o
seu collega no protesto contra o modo por
que tem sido tratada esta ultima crise mi-
nisterial.
Hontem o nobre ministro da agricultura,
declarou que nlo havia crise ministerial,
porque se tratava de um simples pedido
de demisslo de uro membro do gabiaete.
Hoje, em vez de vir o nobre presidente do
coaselbo, conforme os estylos nlo inter-
rumpidos no parlamento, o nobre minis-
tro do agricultura quero se encarrega de
dar parte a cmara da roodificaglo minis-
terial, e isto era da maior importancia,
por isso que vinha firmar ponto grave a
respeito da politica adoptada pela situaglo
conservadora.
Feito este protesto sentase, desejando
ao nobre ministro urna carreira digna dos
seus t-.lentos, da sua illustragao, o do seu
carcter. (Muito bero.)
O Sr. Bodrlgo Mi Ira (ministro da
agricultura) :Sr. presidente, responderei
sin poucas palavras, ao protesto do nobre
deputado pela provincia das Alagoas, ad-
ditado pelo nobre deputado pelo 3o distric-
lo da provincia de Minas Greraes. Asseve-
rei hontem que nao houve crise ministe
risl e, simplesmente, um pedido de demis-
slo por parte da uro ministro, sem que,
de Sdmelhante tacto, resultssse alteraglo
alguma na politica do gabiaete. Hoje apres-
sei-roe a coromunicar cmara o modo
como se completou o gabinete.
Se o nobre presidente do conselho nlo
coropareceu nesta cmara para fazer esta
mesma declaragao, a razio muito sin-
ples : S. laxe, acnava-sa retido no senado,
attendendo a trabalhos que que reclamara
o seu oomparecimento.
O Sr. Aftons'y Penna : A cmara sus-
penderla a sesslo at que S. Exc. pudes
se comparecer, como sempre se tero feito.
O Sr. Rodrigo Silva (ministro da agri-
cultura) :O facto de que se trata, com-
rnunicado cmara pelo honrado Sr. pre-
sidente do conselho, como querem os no-
bres deputados, apenas teria mais solem
nidade : mas a autoridade das declaragoes
permanece a mesma, porque somos minis-
tros de uro gabinete perfeitaraente solita-
rio. -Apoiados )
losistem os nobres deputados na franca
declaradlo dos motivos da retirara do Sr.
Bario oe Marnor, do ministerio de 20 de
Agosto. Declarei hontem, declarei ha pou-
co e de novo repito : o gabinete ignora as
raz3e8 que levaram o Sr. Bario de Ma-
rnor a pedir a sua exonerlo.
O Sr. Liurengo de Albuquerque :E'
caso virgem
O Sr. Andrade Figueira :-0 motivo
cunhecido : nlo so prestou pno senado ao
accordo que tinha tomado perante a cma-
ra.
O Sr. Rodrigo Sdva (ministro da agri-
cultura) :Vou 1er a carta que o Sr. Ba-
rio de Marnor dirigi ao Sr. presidente
do conselho :
i Illm. e Exra. Sr. conselheiro Bario de
Cotegipe. Itogo a V. Exc. que se digne
pedir a Sua Alteza Imperial
Um sorriso cruel passou pelos labios da
hespanhola.
Oh 1 disse ella, eis ah a exp.-esslo
de um enthusiasmo sincero e vido, ou eu
estou muito engaada.
O agente de negocios tambem sorrio.
E nlo se engaa. Sinto pela meni-
na a Isaac a maior admiraglo.
Ella insisti com a mesma fixidez de
olhar :
E s admiraglo ?
Ora, a admiraglo de aro hornero por urna
mulher bonita sempre comporta outro ge-
nero de sentiroentos.
De modo que estaria muito disposto
a aroal-a ?
Por que nlo, se isso fosse possivel e
licito !
A moga mergulbou o seu olhar negro
nos olhos do banqueiro :
Convinha-me muito que voc amasse
a essa menina.
Ab I e assiro sam dizer agua vai ?
Sim, mesmo o mais cedo possivel.
E accrescentou com perfidia ;
OutrWa em urna viagem que fez,
um... amigo seu, o Sr. Lewis Jubb, que
b^ro conhece, aconselhou-roe que amasse o
Dr. Arband. Eu nlo hesitei em obede-
oer.
Aroci o doutor coro t)da a minha alma.
Ainda o amo.
E quer que Stephaa Rouval faga pe-
la spohora o que a senhora fez por Lewis
Jubb.
Justamente, meu caro Sr. Rouval.
Ah I a senhora faz as cousa" de-
pressa. O Sr. Dr. Arband correspondeu
assim (lo proraptamente ao seu amor ?
Carmen franzio os sobr'olhos. A sua
voz trema.
Nlo, disse ella. Por isso estimara
que no seu amor fosse para cora a menin
d'Isaac i.iais amoroso e menos respeitoso
do que foi o Sr. Arband para coramigo.
IsU entrega me Renata discri-
glo ?
E, levantando-S*, Rouval fui collocar-se
aro p diante da moga.
Entlo que mal lhe fez essa menina ?
perguntou elle.
Ella baixou os olhos, -inda e feroz.
O banqueiro insisti, motejando.
E' a sua belleza que lhe faz lom-
bra?
Sim, respondeu ella com esf.irgo, ella
demasiadamente bella,
Demasiadamente bella I Oh E por-
que ?
Porque Maximiliano a ama.
Rouval deixou de sragejar.
Oh I oh 1 disse elle, isso grave I
E como Carmen continuasso de sobreci-
lios fraazidos, accrescentou ;
Tranquillise-se, miuha bella menina.
Vamos trabalhar par nos vermos livres de
urna rival to perigoea. Por exornlo, re-
ceio que seja preciso recorrer a meios ex-
tremos.
Carmen ficou calada.
Bem, tornou Rouval, estamos de ac-
cordo. Vamos arrancar o Sr. Dr. Maxi-
miliano Arband s seducgSes dessa feiti-
ceira. Pode ficar tranquilla. Havemos
de entregar lhe esse palad'ao soberbo, esse
algoz de noragSes, cujos sorrisos slo indis
pensaveis aos seus sonbos de menina.
A hespanhola pareceu Qespertar.
Tome tent, disse ella em tom sibi-
lante : nlo moteje agora. Deve compre-
hender quanto soffro ; mss ainda nlo sabe
que mulher sou.
Elle tomou-lhe a mo, que beijou cava-
lherosameote.
Nlo motejo quando digo que sei, bel-
la Carmen, que nenhuma mulher pode ser
comparada a voc, que a mais deslum-
brante filha de Eva.
Ella encolheu os hombros com impacien-
cia.
Quer isso dizer que nao devo contar
com o serihor ?
Elle respondeu gravemente :
Isso quer dizer, Carmen, que nesta
circurostancia os seus desejos e os roeus, o
seu amor o o meu. o ssu odio e o mea
concordato. A sua rival Renata d'Isaac
desapparecera do seu caminbo, e voc pa
der amar ao doutor a sua vontade.
Dessa vez era isso tudo quanto ella que-
ra-
Quando voltou ao seu quarto, continuou
a reflectir.
De repente lembrou-se que Ned Hobsoo,
ou antes John Harlett, esperava no hotel
do Helder que ella se digoasse de o man-
dar chamar.
S tenho um meio de apressar as
cousas, dizia ella de si para si, era mandar
chaicar Ned Hobson e eocarregal-o de en-
tregar a Rouval essa desgragada Renata.
Entretanto essa rebluglo assustou a mo-
ga.
Ella reflectio alguna instantes, pensando
na deshonra de Renata, deshonra que ella
teria di exprobrar se toda a viia.
Sim, murmuro^ ella, bou cruel. Nlo
tem Maximiliano o direito da aroal-a ? E,
se elle chegar a conhecer esse... criroe,
alguro dia me perdoar ?
Ttovou-se no seu espirito verdadeira
lata.
Essa luta terminou pela victoria dos
mos instinctos.
Regen-
te, miaba exoacragao do cxrgo de mi-
nistro e secretario de Estaio dos negocios
do imperio, qua rae impossivel continuar
a exercer.
Da V. Exc. amigo e oollega e obrigado.
Bart de Marnor. Rio de Janeiro, em
20 de Julho de 1887.
O Sr. Affioso Penaa : E o nobre pre-
sidente do conseibo prevaleceu se da ooca-
silo para deseartar-sa do seu collega do
imperio.
O Sr. Coelho Rodrigues : Es3a pedido
nlo podia deixar de ser attendido.
(Ha outros apartes.)
0 Sr. Rodrigo Silva (ministro da agri-
cultura) : Si o nobre Sr. Rarao de Ma-
rnor nlo declarou neste documento os mo-
tivos que o levaram a pedir sua exonera-
glo, be-n ve o nobre deputado que me
acho impossibiliiade de satisfazer os seus
desejos. (Apoiados.)
O Sr. Affonso Celso Jnior : O nobre
presidente do canseluo nem explicagoes
pedio ao seu collega.
O Sr. Rodrigo Silva (ministro da agri-
cultura) : O nobre deputado attribuio esse
pedido de demisslo. divergenria havida
entre o nobre ex-ministro do imperio e seus
collegas de gabinete...
O Sr. Alfonso Peana : Que coroman-
daram o voto da Cmara.
O Sr. Ridrigo Silva (ministro da agri-
cultura) : ... que commandaram o voto
da Cmara, muito significativo, em oppo-
8glo aquello nosso illustre collega.
O Sr. Andrade Figueira : -E que con-
cordou coro a comrnisso, de que o nobre
deputado por Minas-Geraes faz parte, para
ser supprimida a verba de 30:000$.
O Sr. Rodrigo Silva (miuistro da agri-
cultura) : Aforrao Cmara que nao hou-
ve divergencia alguma entre o Sr. Bario
de Marnor e os seus eollegas de gabinete.
(Apartes.)
O Sr. Presidente reclama a attengao.
O Sr. Rodrigo Silva (ministro da agri-
cultura) : Pego perdi aos nobres depu-
tados, ougam-me, e tagam depois as con-
sideragSes que i ntenderem convenientes.
O Sr. Affonso Celso Jnior: Pego a
pal>vra.
O Sr. Rodrigo Silva (ministro da agri-
cultura) : Depois do voto desta Cmara,
tivemos urna conferencia e, estando pre-
sente o Sr. Bario de Mamor, entndemo-
no3 sobre os negocios pblicos na maior
conformidade de vistas.
O Sr. Affonso Penna : Nlo trataran
do assumpto ?
O Sr. Rolrigo Silva (ministro da agri-
cultura):Nlo tratamos desse assumpto.
Quanto votaglo aqu havida, todos
nos procedemos, certos de que a commis-
slo se havia entendido com aquella nosso
illustre ex-collega, (Continuara os apar-
tes).
Eu achava-me ao lado do meu digno
collega e amigo o illustre filho do Sr. Ba-
rio do Mamor, e ambos votaroos do mes-
mo modo.
O Sr. Lourengo de Albuquerque : In-
felizmente os 30:000$ que alo se sal-
vam.
(Contina)
Entre o perdi e o amor de Maximi-
liano, nlo teoho que hesitar. O ciume
queima-me o sangue. Afioal de contas nao
sou eu filha da Hespanha ?
E, nervosa, resolvida a realisar o seu
intento medonho, escreveu eu um cartlo
seu esta palavras :
Meu caro Ned, preciso de vo.. Ve-
nha, estou o esperando.
Mandou chamar um criado, entregou lhe
a mensageio e ordenou lhe que trouxesse
log a resposta.
Quando o criado sabio, olla deixou-se
cahir em urna poltrona, preza da agitaglo
que lhe fazia brotar no corsglo o reroorso
e ao mesmo tempo o desejo de arrancar a
urna roeuina virtuosa o amor do hornero
que a tinha desdenbado. Nlo seria mu-
lher se, analysando as consequencias do
acto que ia consumroar, tives3e renuncia-
do a desembaragsr-se assim de urna ri-
val.
Ella ao menos procurava penuadir-se
disso quando aonunciararo Ned Hobson,
qne tinha vindo s carreiras do hotel Hel-
der avenida de Wagram.
Carmen correu ao seu encontr.
Boro I disse ella, estendendo-lhe a
mo, quo elle apertou com effuslo, vejo
que vo^ sempre o mesmo para miro
Ned... sempre dedicado.
Ella apoiou na palavra dedi-ado com
urna malicia que sabia que desembaragaria
o tenente ci-i Jos Laronza.
Este replicou, ioclinando-se :
__ Podia tambero dizer.. sempre apai-
xonado.
__ Eu o creio, meu bom Ned, e foi por
isso quo o chamei em meu soccorro. Por-
que neste momento estou muito ombaraga-
da e preciso que aquelles que, como voc,
dedicam-me affeigao. desinteressada, me
provena que a fatalidade nlo me condem-
nou para sempre.
Dizendo isso, a moga fez um signal ao
americaoo para sentar-se.
Ned Hobsen comprehendeu, por essa en-
trada em materi, que nlo era s a sua
dedicado, que Carmen pretenda por em
contribuiglo.
Entlo, perguntou elle, acooteceulhe
alguma cousa desagradavel ?
Oh I sim, respondeu a hespanhola.
E nlo lhe oceulto ijue coot.'i coro v>c pa-
ra desembaragar-me.
E' grave ? perguntou o yaukee.
__ Bastante gravu para que eu tenha
necessidade, repito, de recorrer sua in-
tervenglo.
Tendo afioal certeza de que reclamavam
delle um ssrvigo, Ned Hobson fornoa se
exigente.
Mas, sabe que me tem raultrat.do
tanto depois qua lhe revele o meu amor,
que sou obrigado a responder-lhe com urna
recusa ?
- Eu o maltratei! exclamou a filha de
Celaoos. Entlo nlo comprehendeu que
eu nlo era mais a mesma e quo o mea po-
bre coraglo estava sujeito a todas w tor-
turas ? Entlo nlo sentio a impressao na
minha natureza altiva de todas as humilha-
g3es que me fizeram soffrer ?
llumilhages e torturas que procu-
rou.
O yaokee lerabrava-se da attitude que
Carmen assumira para com o Dr. Arband,
na Australia.
Procuradas ou nlo, slo a miuha des-
culpa. Aceite-a, meu caro Ned, e creia que
arrependo-ma de ter sido ingrata.
Sou obrigado a acreditar, Carmen.
Mas, vamos ao tacto. Qae espera que eu
faga.
Espero que me ajude a viogar-me.
De qaem I De Jos Laronza ?
Nlo. Ha muito teropo que Jos La-
ronza me indifferente. Quero vingar-me
de urna mulher.
Diabo exclamoa o yaokee. Isso nlo
commigo.
Isso depende, insisti Carmen. A
mulher em questao urna menina, noiva
do seu peior iniraigo, do homem qne... de-
testamos mais neste mundo.
Que... nos... detestamos replicou
Ned Hobson arrastando as palavras. Con-
fesso que no coraprehendo.
Com effeito, como podia o americano des-
confiar que se tratava do Dr. Maximiliano
Arband ? Como podia desconfiar que os
sentimentos de Carmen tinham-se transfor-
mado assim ?
Eu rae explico, accrescentoa a hes-
panhola. E' preciso que a menina Renata
fique compromettida e deshonrada.
A menina Renata d'Isaac ? E por
que ?
Porque noiva do Sr. Arband.
Ah ah j sei, diese Ned. Entlo
aiada ama esse bom doutor ? Querem-lh'*
tomar E julga-me to simples que o v
buscar 1
A hespanhola interrompeu-o.
Eu nlo amo ao Sr. Arbaud. Eu o
desprezo. E' para o magoar que resolv
macular essa menina.
i

-
{Continuar te-ha)
Typ. 4o Diario roa Duque de Cana tt


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVGZ2FL7U_VRLLE0 INGEST_TIME 2014-05-22T22:13:06Z PACKAGE AA00011611_17488
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES