Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17460


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO IXt-NUMERO 48
I
1
I
n



i


PARA A CAP*TAJL E L^OAUt \DE KlO E PAA PORTE
Por tres meses adiantadoa.
Por seis ditos dem.....
Por um armo dem .....
Cada numero avulso, do mesmo dia.
6000
12*000
23*000
,1100
A-
FSVEBHB|.E M
PARA DE VTRO E P#RA RA PRRTIMCIA
Por seis meses adiantados ....
Por aove ditos idem. .....
Por um auno dem. ......
Cada numero avulso, de das anteriores
M
264000
#100
DIARIO DE PERNAMBCO
Trcprkdade de Manoel 3tfmirca ie^^aria $ 3%tycs
TELEGRAMAS
3ss:i;::: uicu savas -
ROMA, 2G de Fevereiro.
Acaba de fallecer o cardeal monsenhor
C. Sacconi, decano do Sacro-Collegio.
BERLIM, 26 de Fevereiro.
"Acha-se cfeMidfto casametto.ao prin-
cipe Alexandre de Battemberg com a can-
tora Liesinger de Dannstadt.
LONDRES, 27 de Fevereiro.
Contina o processo entre Mr. Pormel
e o jornal The Times.
Urna das testemunhas tendo tendo de-
clarado ser autora du duas cartas attribui-
das a Mr. Pormell, cauzou isto urna certa
emocSo.
Parti para a Allemanha a Imperatriz
Victoria, viuva do Imperador Frederico.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
27 de Fevereiro, de 1889.
(liante as clausulas que com este baixam, assig-
nadas por" Antonio da Silva Prado, senador do
imperio do meu conselho, ministro e secretario
de estado dos negocios da agricultura, commer-
cio e obras publicas, que assim o tenha enten-
dido e faca executar.
Palacio do Rio de Jaieiro, em 5 de Janeiro
de 1889, 68 da independencia e do imperio.
Com a rubrica de Sua Magestade o Impe-
rador,
Antonio da Silva Prado.
INSTRCfJlO POPULAR
AS GRANDES l\VE\(ftES
ANTIGS K MODERNAS
AS
Sciendas. industrias e artes
POR
VI
Os riloKios
(Contnuacio)
Relogios de sala. Nao c scno nos relogios
fixos que o agente motor um simples peso O
motor que se usa nos relogios de sala e nos de
algibeira, isto nos relogios portateis, urna
mola feita de urna lamina de ac estreita e tonga,
earoscada sobre si mesma em forma de espiral
Supponhamos que se prende a extremidade
interior da mola, a que oceupa o centro da espi-
ral, a um eixo que possa girar sobre si mesmo,
couservaudo-se a extremidde exterior, fixa a
um ponto imraovel; o que succeder quando se
fizer andar roda este eixo sobre si mesmo por
meio de urna chave ? As espiraes cerrar-se-hao
cada vez mais, applicando se urna sobre a outra:
a mola ficar ento tendida, como se costuma di-
ler Se agora o eixo se abandonar a si mesmo,
o fue fara a mola ? Tender a retomar a sua
posico primitiva e distender-se-ha; isto as
laminas afastar-se-ho para voltarem a pnmeira
posico ; mas ao mesmo lempo e por effeito deste
movmento, devido sua elasticidade, a mola
imprimir ao eixo. a que est ligada, um mov-
mento de rotaco. Este o maclimismo da mola
espiral, que faz andar os ponteiros dos relogios
de sala e dos relogios de algibeira.
Mas a aeco da mola ser constante, sempfe
igual, como o a do peso metor dos relogios :
xos f Nio de certo. A forca de urna mola vai
diminuindo sem cenar desde o momento em que
comeca a distenderse, at ao momento era que
tem retomado a sua forma primitiva. O motor
espiral nao tem, pois, aquella aeco constante,
neces3aria harmona do maehinismo. Vejamos
agora como se conseguio dar-lbe esta qualidade
indispensavel.
Encerra-se a mola em urna pequea caixa cir-
cular, da forma de um tambor, e chamada por
isso mesmo tambor. A' superficie exterior deste
tambor est enrolada urna cadeiasinha de ac, a
qual, depois de dar certo numero de voltas em
torno desta superficie, vem eprolar-se ttn um
tambor comeo munido de um encaixe de forma
espiral, o qual recebe os diversos giros da ca-
dea: este tambor cnico recebeu o nome de
fuso. Quando a mola est completamente tendi-
da, a cadeia acha-se enrolada em toda a super-
ficie do fuso; mas meaida que a mola se dis-
tende, faz girar o tambor a que est ligada e ao
mesmo tempo o fuso por intermedio da cadeia
' Esta, portanto, desenrola-se do fuso e enrolase
no tambor. J sabemos que a forca de ten sio
da nola. reagindo sobre a cadeia, vai diminuinlo
desde o'momento em que comeca a distender-se,
at aquelle em que tem tomado a sua forma pri-
mitiva ; mas, como vamos ver, esta forca que
diminue de urna parte, augmenta da outra, de
tal forma que os dous effeitos compensam-se, e
a aeco da mola flca sendo igual e constante.
Eis aqui como que a forca da mola cresce
pelo jopo do fuso, apesar da diminuico da sua
mtensidade real.
A' medida que a mola sedistende e perdepro
gressivaraente a forca, vai reagindo sujeessi-
vamente sobre maiores raios do cone do fuso, e
a sua forca portanto augmentada de modo a
restabelecer o flgnibrio. Se verdade que a
mola, no momento em que comegou a distender-
ge, adquiri urna forca pela qual poderia fazer
andar as rodas com mais rapidez, tambem ve:-
dade que ento reage no vrtice do fuso pelos
menores raios, e que a sua forca se acha ento
sensivelmente diminuida. A forca compensado-
ra deste appaelho provem, po s de que a mota
reage successivamenie sobre o fuso, na extremi-
dade de um maior braco de alavanca, medida
que estiver menos tendida.
0 movimento regular, produzido por este en-
genhoso artificio, transmitido aos ponteiros do
mostrador por intermedio da roda que o fuso pOc
em movimento.
(Contina)
CLAUSULAS A OUE SB SBFBRB O DBCRRTO B. 10,157
DE 5 DE JANEIRO OB 1889
Of "WmlTactarrflfc' Mbr1QHPBlfF9*WBBr as
obras do melhoramento do porto de Pernambu-
co de conformidade com o plano geral e especi-
ficacoes constantes do relatorio apresentado pelo
engenheiro Alfredo Lisboa em 14 de Abril de
1887 com as alteracOes que, durante a execucao
dos trabalhos, se reconhecerera necessarias c fo-
rem pelo governo approvadas.
Obrigam-se os contractantes, alm disto, a
executar um molhe enraizado nos arrecifes jun-
to do antigo forte do Picio e avancando obli-
quamente para o mar, de conformidade com o
plano proposto pelo engenheiro Victor Four-
ni.
n
As obras de melhoramento que forem objecto
do presente contracto, comprehendem os traba-
lhos seguintes :
i. Dragagem em todo o porto e utilizaco do
material extrahldo na formaco de terraplenos e
construeco de caes provisorios para sustentar
os terraplenos onde for necessario.
2. Construeco de um quebramar sobre o ar-
recife submorso desde o pharol do Picio at a
lage da Tartatura e entre a Barreta e a Barra
Grande.
3.- Construeco do molhe exterior referido na
clausula precedente.
4." Alteamento dos arrecifes e enrocamento
em algumas quebradas dos mesraos.
5.' Arrasamento du Rocha que obstrue em par-
te a Barra Grande.
6. Collocaco de bdias e postes de araarraco
nos ancoradouros.
7. Reparaco e consolidadlo do dique do No-
gueira e do caes do Norte.
8.- Construeco de caes dilinitivos, acostareis
por navios de grande calado.
9. Construeco dt diques e estaleiros de repa-
raco naval.
III
O molhe exterior ter 720 metros de corapri-
mento e ser formado de blocos artificiaes de
cimento, do peso de 20 toneladas cada um, dis-
postosat altura de um metro abaixo de nivel
da baixa-mar de aguas vivas, sendo encimado
este enrocamento de urna muralha da altura de
3m,50 e de espessura igual.
IV
Os contractantes collocaro, ao longo dos caes
que tiverem construido, trilhes e guindastes para
carga e descarga de mercadonas e construiro
nos lugares convenientes alpendres e arraazens
para abrigo e guarda das mesmas. Exceptuase
a parte do caes fronteira alfandega, que ser
reservada para o servico dessa repartico.
Os contractantes farao dirigir as obras por um
engenheiro de reconhecida canacidade e expe-
riencia
VI
As obras tero comeco no prazo de um anno,
contado da data do contracto e ricarao conclui-
das dentro de seis anno?, a contar da mesma
data..
VII
Durante o prazo da concesso os contractantes
sero obrigados a proceder, sua custa, as rc-
paracoes que forem necessarias e a manter as
obras em perfeito estado de conservaco, e bem
ajsira, em toda a extenso do porto, a profundi-
dade adquirida pela dragagem, licando ao go-
verno o direito de na falta de cumplimento desta
.clausula, fazer executar por conta dos contrac-
tantes os trabalhos indispensaveis.
VIII
Para pagamento das despezas com a fiscalisa-
fo por parte do governo, dos juros do capital
empregado as obras, razo de 6 ft|o ao anno,
da quota necessaria para a amortizaso do mes-
mo capital no prazo da concesso, e, finalmente,
das despezas de conservaco e dos demais ser-
vicos a cargo dos contractantes. o governo arre-
cadar por conta destes o producto das taxas au-
torizadas pelo parjgrupho nico do art. 7 da le
n. 3,314 de 16 de Outubro de 1886 e | 5 do art.
! da lei n. 1746 de 13 de Outubro de 1869, das
quaes as primeiras nao podero excederle 2 M
xy
Si durante o prazo da concessio o governo
julgar conveniente dar maior desenvolvimento
ao caes e dragagem no porte, os contractantes
serao preferidos em igualdade ae condicOes para
a execucao destes trabalhos.
XVI
O prazo da concesso ser de 33 anuos con-
tados da data do contracto e lindo elle (icario
pertencendo ao Estado todas as obras e- material
uxo e rodante da empresa.
XVU
O governo poder resgatar as obraa e os, es-
tabelecimentos e dependencia, perte:
contractantes em qalquep tempo, d,
corridos Je 10 primeTfSsTiiInos da concltnsodas
obras.
O.preco do resgate ser fixado por modo que,
reduzido a apolices da divida publica, produza
urna renda equivalente a seis por cento (6 '/<,)
de todo o capital efectivamente empregado, de
duzindo-se. porm, a importancia que j hourer
sido amortizada.
xvn
As questoes que se suscitarera entre o governo
e os contractantes Sero decididas por arbitra-
mento na forma do 13 do art. 1." da alludida
le n. 1746.
Si as obras forem exerutadas por empreza es-
trangeira, ter esta representante legal no Brazil
para tratar directamente quer com o governo,
quer com particulares.
Sero embarcados e desembarcados gratuita-
mente nos es^abelecimentos dos contractantes
quaesquer sommas de dinheiro perlencentes ao
Estado, as malas do Correio e as bagagens dos
colonos.
Serio isentos do pagamento de taxas, os bo-
tes, escaleres e outras embarcaces miudas, em-
pregadas no transporte dos passageiros e das
respectivas bagagens.
AA.
Pela inobservancia das clausulas da presente
concesso podero ser impostas aos contractan-
tes multa desde 100* at 5:000*. as quaes po-
dero ser deduzidas das importancias dos paga-
mentos devidos aos contractantes.
Caducar a mesma concesso si forem exce-
didos os prazos marcados na clausula 6.* e o
governo nao quizer prorogal-os.
AAI
Para garanta da fiel execucao deste contracto
os concessionarios faro no Thesouro Nacional
urna cauco de 80:000*, de conformidade com o
que se acha estabelecido na condico 22.' do
edital da Directora das Obras Publicas de 12 de
Setembro de 18x7.
Palacio do Rio de Janeiro em 5 de Janeiro de
1889. Antonio Prado.
PARTE OFFICIAL
Actos ilo poder executivo
DECRETO N.
10,157 DE 5 DE JANEinO
DE 1889
Concede a Jos da Silva Layo Jnior c a Anto-
nio Joo deAjnorim autorisaeo para construi-
rem as .ibras de melhoramento do porto de
Pernambuco
Tendo em vista a pronosta apresentada em
concurrencia publica por Jos da Silva Loyo J-
nior e Antonio Joao de Amorim. em virtude do
edital da directora das oubras pnblicasjla res
pectiva Secretaria de E?tado, datado de 12 de
Setembro de 1887" Hei por bem conceder aos re-
feridos proponentes auorisaco para construi-
rem as obras de melhoramento do porte de Per-
nambuco a que se refere o mesmo edital, me-
sobre o valor da importaco e 1 Ojo sobre o
exportacio e as ultimas dos precos que vigorara
actualmente as alfandegas.
A este producto ser addicionado o das taxas
relativas aos diques e estaleiros de reparaco
naval, as quaes nao deverao exceder das que sao
cobradas nos estabeiecitnentos congeneres per-
tencentes ao Estado.
rx
Os jures de 6 / ao anno a que se refere a
clausula precedente, sero calculados semestrai-
mente sobre o capital que se verificar ter sido
empregado as obras, tendo-se em vista as quan-
tidades de obras executadas pelos contractantes
e os precos indicados no relatorio do engenheiro
Alfredo Lisboa, os quaes vigoraro igualmente
para o computo das despezas relativas conser-
vaco das obras
As taxas mencionadas na clausula 8.1 sero
cobradas proporcionalmente importancia das
obras realizadas e a execucao dos servicos cor-
respondentes a cargo dos contractantes, pagan-
do-sc a estes o que lhes for devido na forma da
clausula VIII e reservndose o excesso para fu-
turos pagamentos.
Pica, porm, expressamente entendido que a
responsabilidade do Estado pelos pagamentos
devidos aos contractantes, na forma estabelecida
pelas clausulas do presente edital, depende do
producto das taxas indicadas, nao podendo, em
caso de dficit, ser reclamado do governo mais
do que a entrega de tal producto, depois de de-
duzidas as despezas de fiscalizaco, ou de arre
cadapo das taxas e as que houverem resultado
de obrts executadas em virtvde do final da clau-
XI
Os contractantes tero o direito de desapro-
priar na forma do decreto n. 1664 de 27 de Outu-
bro de 1855 as propriedades e berafeitorias,
pertencentes a paiticulares, que se acharem em
terrenos necessarios construeco das obras
AU
A empreza poder, de accordo com o governo,
arrendar os terrenos accrescidos que nao forem
necessarios ao seu uso, nem a aberturas de ras
e outros logradouros pblicos, sendo neste caso o
producto do arrendamento reunido ao das taxas
que trata a clausula 8A
Os armazens construidos pela empreza goza-
ro de- todas as vantagens e favores concedido-
or lei aos armazens alfandegados e entrepostos,
e noder a ompreza emittir ttulos de garanta
das mercadonas depositadas nos mesraos sujei-
tando-se ao regul imento que for expedido para
tal fim.
XIV ,
O governo poder incumbir aos contractantes
o servico das capatazias c armazenagem da al-
fandega, expedindo os reglamentos e instruc
coes necessarios.
rliaislerindo Imperio
P9r despacho de 9 do corrente mez :
Foi elevada a Viscondessa a Barn eza
de Santa Justa, viuva.
Foram agraciados com osseguntes graos
da ordein da Rosa ;
Oficial, o major Braz Joaquim da Sikj
veira;
Cavalheiro, o Dr. Hofnann.
Foi tambem agraciado com o grao de
cavalheiro da ordem de S. Bcnto de Avir, o
I.* tenente da armada Antonio Ferreira
Garcia de Andrade.
Foram nomeados vice-presidentes da
provincia de Santa Catharina: 1.* o Dr.
Fernando Hackradt; 2.- o conego Joaquim
Eloy de Medeiros; e 4.- Dr Jos Ferrei-
ra de Mello.
Foi nomeado secretario da provincia
de Santa Catharina Domingos Goncalves da
Silva Peixoto.
Fez-sc merc do titule de conselho
ao Barao de Muritiba, procurador da co-
rea, fazenda e soberana nacional da re-
la^o da cortea
Por decreto de 26 de Janeiro ulti-
mo, foi concedida ao coronel Augusto
Fausto de Souza a exoneracSo que pediu
do cargo de presidente da provincia de
Santa Catharina.
Por despacho imperial de 16 do cor-
rente mez, foram agraciado:
Com o titulo de BarSo de Vidal, Lniz
Vidal Lei te Ribeiro;
Com o de conselho, o desembargador
Barao de Muritiba, Procurador da CorOa,
Soberana e Fazenda Nacional.
Com os seguintes graos da ordem da
Rosa:
Commendador, capitao Antonio Rodri-
gues Alves;
Officaes : capitao honorario do exercito
Candido Alves da Silva Porto, Dr. Anto-
nio Jos da Silva Rabello, capitao Tho-
maz Luiz Sympson e Joio Augusto Nei-
va;
( avalheiro : Ana tole Roudel.
Com o grao de commendador da or-
dem de Nosso Senhor Jess Christo, o ba-
cliare 1 Levindo Ferreira Lopes, ehefe de
polica da provincia de Minas-Geraes.
1 ._ ..
provincia do Ro Grande do Norte, Jos
beii* Dantas, ficando aggregado ao re-
o commando suoerior.
Foram nomeados para comarca da Maio-
ridade, no Rfo Grande do Norte : major
ajudante de ordena secretario geral, Mar-
colino Barbosa de Miranda, capitao quar-
tri-UBstre, Vicente Lopes da Costa J-
nior.
.proni
Ribeii
ferido
\ For
addido dr 1
fllpisterlo de Rtfa
>*>i MBttido do cargo de addi
ehuse legacao imperial na Repblica
Argentina Jos Augusto de Saldanha Ga-
ma, sendo nounRo para o mesmo cargo
Alfredo Leite Rodrigues Torres. *
fllnlslerlo da.uerra
Por decretos de 9 do corrente foram classifl-
cados nos corpos das armas de artilheria, de ca-
vallaria, corno de transportes e de infantaria os
seguintes omciaes :
Arma de artilharia-Estado maior O briga-
deiro graduado : conselheiro Antonio Jos do
Amaral.
Os con>neis: Ernesto Augusto da Cunha Mat
tos, Francisco Antonio de Moura, conselheiro
Francisco Canos da Luz, Augusto Fausto de
Souza, Luiz Henrique de Oliveira Eubank.
0 coronel graduado : Manoel Jos Pereira J-
nior.
Os tenentes-coroneis : Luiz Carlos da Costa
Pimentel, Joaquim de Souza Mursa, Francisco
Jos Teixeira Jnior, Jorge Diniz Santiago, Jos
Mara dos Anjo! Espozel Jnior.
O tenente-coronel graduado : Francisco Ray-
mundo Ewerton Quadros. v
Os majores : Antonio da Rodka Bezerra Caval-
cante. Francisco Antonio RodKues de Salles.
Albino Rosire, Firmino Pires Fenreir.a, Satur-
nino Ribeiro da Costa Jnior, Marcos^Sficlo Por-
tilho Bentes, Francisco Ciementino Santiago Dan
tns, Antonio Francisco Duarte, Norberto de Xario-
rim Bezerra. '
Os capites : Luiz Rabello de Vasconcellos
Carlos de Oliveira Soares. Augusto de Menezes
Vasconcellos de Drummond, Henrique Guatimo-
sim Ferreira da Silva, Jos Candido dos Res.
Montenegro, Jos Freir Bezerril Fontenelle. Vi-
eente Antonio do Espirito Santo, Arthur de Mo
raes Pereira, Antonio Tertuliano da Silva Mello,
Julio Fernandes de Almeida, Joo Teixeira Maia,
Hermes Rodrigues da Fonseca, Joo Baptista de
Azevedo Marques. Jos, Carlos Pinto Jnior, Ur-
bano Duarte de Oliveira, Pedro. Ivo da Silva Hen-
riques, Alexandre Carlos Barrete, Bento Manoel
Ribeiro Carneiro Monteiro e Olympio de Cam-
ino Fonseca.
i. regimentCoramandante, tenente-coronel
Bernardo Vasques; fiscal, major Antonio Fer-
nandes Barbosa: ajudante, capitao Ricardo Fer-
nandes da Silva; 1* batera, capitao Joaquim
Pantaleo Telles de Queiroz; dita, capitao
fctasio Carlos Pinto; 3' dita, capitao Miguel de
elca Paes : i" dita, o capitao Francisco Emi-
Sgeoee
Ministerio da ffustiea
Por decretos de 16 do corrente :
Fin reconduzido no lugar de presidente
da Relacao de Ouro Preto, o desembar-
gador conselheiro Francisco Leite da
Costa Belm.
Foi removido, a pedido, o juiz de direi-
to Jos Joaquim da Palma da comarca da
Posse para a de ('avalcanti, ambas de Ia
entrancia na provincia de Goyaz.
. Foram designadas:
A comarca de Braganca, de 21 entran-
cia, na provincia- de S. Paulo, para nella
ter exercicio o juiz de direito Antonio
Jos Lopes Rodrigues.
A da Posse, de Ia entrancia em Goyaz,
para nella ter exercicio o juiz de direito
lemente de Oliveira Mendes, licando sem
effeito o decreto de 13 de Junho, que lhe
designou a de Cavalcante na mesma pro-
vincia.
Foi nomeado para continuar no exerci-
cio de substituto do juiz de direito da co-
marca de Timbauba, em ernambuco, o
juiz municipal e de orphaos do antigo ter-
mo desse nome, bacharel Bellarmino Gue-
des t orreia Gondm.
Por portara de 9 do corrente mez,
foi transferido para o servico da reserva o
coronel commaddante superior da guarda
nacional da comarca do Cear-mirim, na
toCSommaiiilante, fenente-ooroml
AntoniiT Joaquim da Costa Guimares; fiscal,
major Joo Carlos Lobo Botelno; ajudante, ca-
pitao Henrique Candido de Mirando Reg: Ia
Batera, major graduado Luiz Gomes Caldeira de
Andrade ; 2' dita, capitao Francisco Xavier Ba-
ptista ; 3" dita, Jos Agostinho Marques Porto ;
4* dita, capitao Joo Carlos Marques Hnriques.
3." regimentCommandante, tenente-coronel
Bcntn Jos Fernandes Jnior; fiscal, major An-
tonio Gomes Pimentel: ajudante. capitao Pedro
Guilherme Alves da Silva; 1* batera, capitao,
Innocencio Benedicto Ferraz de Oliveira; 2> dita,
Manoel Ferreira das Neves Jnior ; 3* dita, ca-
pitao Manoel Vicente Ferreira de Mello; 4 dita,
capitao Ernesto Victorino Jeols.
4." regiment-Commandante, coronel Candi-
do Jos da Costa ; fiscal, major Francisco da Ro-
cha Callado ; ajudante, capitao Antonio Louren-
co Telles Pires; 1* batera, capitao, Almachio
Ferreira Mendes: 2" dita, capitao Alfredo Joa-
quim Puget; 3* dita, capitao Manoel Potmeiro
da Fontoura ; 4 dita, Ignacio Alencastro Gui-
mares.
1. batalho Tommandante, coronel Antonio
Jos Maria Pego Jnior; fiscal majorLuii Felip-
pe de Souza Reg; ajudante, capitao Alfredo
Mac-Guines; 1" batera, capitao Nicanor Goncal-
ves da Silva Jnior ; 2* dita, capitao Manoel No-
gueira Borges ; 3' dita, capitao Celestino Alves
Bastos; 4" dita, capitao Jos Elias d. Paiva J-
nior.
2.9 batalho Commandante, tenente-coronel
Joaquim Pinto Guedes ; riscal, major Francisco
de Paula Pereira Fortes; ajudante, capitao Jos
Marianno de Araujo ; Ia batera, capitao Carlos
Augusto Brazileiro de Carvalho; 2* dita, capitao
Manoel Juvenilio Barbosa ; 3* dita, capitao Jos
Zeaobio de Dan e Costa; 4 dita, capitao Leon-
cio Peixoto de Azevedo.
3. batalho-Commandante, coronel Benedi-
cto Marianno de Campos; fiscal, major Antonio
Olympio da Silveira ; ajudante, capitao Jos Can-
dido Jacques; 1" batera, capitao Marciano Au-
gusto Botelbo de Magalhes; 2 dita, capitao
Alcibiades Mariis Rangel; 3* dita, capitao Auto-
ote liba Moreira ; i dita, capitao Manoel Theo
philo Barrete Vianna.
4o. batalhoCommandante, coronel Antonio
Jos da Costa ; fiscal, major Jos Pinto de Arau
jo Rabello ; !ajudante, capitao Antonio Pcdroso
de Barros ; 1* batera, capitao Horacio Hermetto
Bezerra Cavalcante ; 2* dita, capitao Antonio Ma-
ria de Albuquerque O' Connell Jersey ; 31 dita,
capitio Octaviano Augusto Monteiro da Franca
4' dita, capitao JoSo Mara de Paiva.
Arma de carallaria Io regimentComman-
dante, coronel Antonio Germano de Andrade
Pinto ; fiscal, major Joo Antonio d'Avila ; aju-
dante, capitao Manoel Joaquim Godolphim : 1*
esquadro, capitao Raymundo Antonio Fernan-
des de Miranda ; V dito, capitao Joio Justinia-
no da Rocha : 3o dito, capitao Antonio Virgilio
de Carvalho ; 4o dito, capitao Floriano Floram-
bel da Conceigo. ,
2 regimentCommandante, coronel Carlos
Machado Bittencourt; fiscal, major Bernardina
Rodrigues de Mesquita; ajudante, capitio Al-
fredo de Miranda Pinheiro da unha"; Io esqua-
dro, capitao Floriano de i astro Lavor; 2* dito,
capitao Victoriano Gomes.Maciel da Silva ; 3
dito, capitao Pedro Augusto Pinheiro Bittencourt;
4o dito, capitao Thomaz Alves.
3* regiment*- Commandante, coronel Jos
Diogo dos ReisTfisca!, major Joo Baptista de
Almeida; ajudante, capitio Carlos Augusto Pei-
xoto de Alentar ; Io esquadro, capitao Manoel
Ambrosio de Camargo ; 2 dito, capitao Fernan-
do da Gama Lobo d'Eba ;3> dito, capitao Bento
Goncalves da Silva Fifho ; 4" dito, capita Paci-
fico Goulart Pinto. ,
4o regimentCommandante, coronel Joao Jo-
s de Bruce ; fiscal, major Joaquim Francisco
Moreira ; ajudante, capitao Benjamn Pereira
Monteiro ; 1 esquadro, capitao Antonio Ado.-
pho da Fontoura Menna Barrete ; 2' dito, capi-
tao Julio Alves Chaves ; 3o dito, capitao Antonio
Fernandes da Fonseca Azambuja ; 4 dito, capi-
tao Carlos da Fontoura Barrete.
5 regimentCommandante. coronel Manoel
Luiz da Rocha Osorio fiscal, major Jos Cliris-
tino Pinheiro Bittencourt.; ajudante, capitao Al-
fredo Barbosa; esquadro, capitao Lopo de
Almeida Henrique Boielho e Mello Jupior.; ,2o
dito, capitao Antonio Nicoo Cnsul; 3 dito,
capitao Manoel Antonio da Cruz Brilhante ; 4
dito, capitao Estevod'! Souza Franco.
6* regiment -Commandante, coronel Manoel
Lucas de Souza : fiscal, major Antonio Corquei-
ra; ajudante, capitao Braulio de Oliveira Bran-
dio ; 1* esquadro, capitao Joo Manoel Menna
Barrete Filho ; 2 dito, capitao Jos Caetano de
Paria ; 3* dito, capitao Jos Hermenegildo Mon-
teiro de Albuquerque ; 4 dito, capitao Jos Flo-
rencio de Toledo Bibas.
7 regimemo-Commaadante, tenente-coronel
Adolpbo SebastiSo de Athayde; fiscal, major Jo-
s Joaquim de Aguiar : ajudante, capi'o Manoel
Joasjum Gtnnesjde Car ralba; i* etpadro, ca-
pitio Joo Jos da Rocha ; z- dito, Rpito Car-
los Augusto Pinto Pacca; 3* dito, capitao Anto-
nio Facundo de Castro Menezes : 4' dito, capitao
Francisco de Castro Canto e Mello.
8o regiment-Commandante, coronel gradua-
do Francisco Xavier de Godoy ; fiscal, major
Frederico Soln Sarapaio Ribeiro ; ajudante, ca-
pitao Jos Ignacio Riliero ; l' esquadro, capi-
tao Antonio Curios Fernandes Leo; 2 dito,
capitao Rodolpho Leopoldo Pinheiro Bittencourt;
3* dito, capitao Joo Brrelo da Gama Lobo Pi-
ta : 4o dito, capitao Antonio Jos dos Santos
Azevedo Jnior.
9* regiment -Commandante, tenente-coronel
Joao Haptista da Silva Telles ; fiscal, major Ja-
cintho Ferreira da Silva : ajudante, capitao Jos
de Vasconcellos ; esquadro, capitao Amn-
elo Fagundes de Freitas; 2 dito, capitao Joo
Faria de Oliveira Lima ; 3 dito, capitao Joaquim
Victorino Maciel: 4o dito, capitao Carlos Deltim
de Carvalho.
10" regiment Commandante, tenente-coro-
nel Joo da Silva Barbosa; fiscal, major JGs
Procopio Tavares: ajudante, capitao Aristides
Arnizaut; 1" esguadro, capitao Lidio Prpura-
rio dos Santos Costa; 2o dito, capitao Jos Fre-
derico Pereira da Cunha; 3o dito, capitao Jos
Pedro de Oliveira Galvo; 4" dito, capitao Do-
mingos Francisco de Oliveira Junqueira.
Corpo de transporte Commandante, major
Carlos Luiz de Andrade Neves; ajudante, capi-
tao Trajano de Menezes Cardoso; li esqua-
dro. capitao Innocencip Gomes de Oliveira;
2o dito, capitao Luiz Lopes da Rosa.
Arma de infantarial' batalho Comman-
dapte, tenente-coronel Manoel Rodrigues Bra-
ganca ; fiscal, major Honorato Candido Ferreira
Cadas: ajudante, capitao Minervino Thom Ro-
drkues 1 companhia, capitao Silvestre Rodri-
gueda Silva Travassos ; 2 dita, capitio Car-
los ilvmpio Ferraz: 3* dita, capitao Vicente
OiorflLle Paiva : i' dita, capitao Braz branles.
2o baWhho Commandante, tenente-coronel
AntonioTranciscoTfci-Coyi. fiscal, major Julio
Augusto de Serra MartinsT%ldante, capitao Pe-
dro Velho de S Barrete ; 1" corrilHihia, capitao
Alfonso Firmo Pereira de Mello; 2* dH^ capitao
Jos Placido Lucas Bion; 3 dita, cap
no da Silva *ssumpco;4' dita, capittf
nio Ignacio de Albuquerque Xavier.
3" batalhoCommandante, coronel Jos An*
tonio Alves; fiscal, major Ignacio Henriques
Gouv>*a ; ajudante, capitao Antojio Moreira Ce-
sar ; 1" companhia, capitao Antonio Bernardo de
Pigueiredo;' 2 dita, capitao Joao Emiliano de
Araujo-Lepes; 3 dUaaeapito Juliao Muniz Ta-
vares ; 4 dita, capitao Julio Cesar da Silva Lima.
4o batalhoCommandante, coronel Francisco
de Lima e Silva ; fiscal, major Arthur Osear de
Andrade Guimares; ajudante, capitao Donacia-
no de Araujo Pantoja; 1" companhia, capitao
Eduardo Augusto Ferreira de Almeida; 2 dita,
capitao Manoel Ignacio de Oliveira Leito ; 3*
dita, capitao Joo Francisco Menna Barreto ; 4*
dita, capitao Joo Pacheco de Assis.
5o batalho Commandante, tenente-coronel
Joo Luiz Tavares; fiscal, major Manoel Eufra-
sio dos Santos Das: ajudante, capitao Pedro de
Aquino Moreira; 1 companhia. capitao Felicia-
no Xavier Freir Jnior ; 2 dita, capitao Regi-
naldo Nemesio de S; 3a dita, capitao Manoel
Feliciano Pereira dos Santos ; 4" dita, capitao
Joo Baptista de Souza.
6o batalho Commandante, tenente-coronel
Luiz dos Reis Falcio; fiscal, major Francisco de
Paula Pereira; ajudante, capitao Jos da Costa
Monteiro; 1 companhia, capitao. Gabriel Perei-
ra de Souza Botafogo. 2 dita, capitao Francisco
Jos Velho ; 3 dita, cap to Affonso Alves de
Moraes ; 4* dita capitao Jos Bernardino Vas-
concellos.
7o batalho -Commandante, coronel Manoel de
Azevedo do Nascimento ; fiscal, maior Jos Ge-
raldo Gomes ; ajudante, capitao Pedro Paulo da
Fonseca Galvo; 1 companhia, capitao Bento
Thomaz GoucalVes ; 2* dita, capitao Manoel Joa-
3uim Pereira; 3 dita, capitao Manoel Estevo
e Andrade Vasconcellos; 4" dita, capitao Geral-
do Jos debemos.
8o batalho Commandante, coronel Joaquim
Jos de Magalhes; fiscal, major Tiburcio Vale-
riano de Arroda; ajudante. capitao Luiz Felip-
pe Fernandes Cuyabano; 1' companhia, capitao
Heleodoro Joaquim de Oliveira; 2* dita, capitao
Thomaz Thompson Flores ; 3' dita, capitao Geo-
grapho de Castro e Silva ; 4* dita, capitao Joa-
quim Manoel Martins Moreira.
9* batalho Commandante, coronel Tu Je Soa-
res Neiva; fiscal, major Jos Joaquim Alves :
ajudante, capitao Jacintho Carneiro de Oliveir \;
1 companhia, capitao Tranquillino Borborema ;
2 dita, capitao Alfredo rftmos Chaves ; 3* dita,
capitao Sergio Tertuliano Castello Kranco; 4 di-
ta, capitao Jeremias de Souza Carij.
10 batalho -Commandante, coronel*Joaquim
Mendes Ourique Jacques ; fiscal, major Zeferino
Jos Teixeira Campos ; ajudante, capitao Ma-
noel Climaco dos Santos Souza ; companhia.
capitao Jos Correia Telles ; 2> dita, capitao Flo-
rismundo Collarino dos Reis Araujo Ges; 3'
dita, capitao Francisco Luiz Moreira Jnior; 4'
dita, capitao Antonio de Bastos Varella.
11 batalhoCommandante, tenente-coronel
Luiz Antonio Ferraz ; fiscal, major Joao Severia-
no Maciel da Costa ; ajudante, capitao Tristo
'Sucupira de Alencar Araripe; Ia coaipanhia, ca-
pitao Joo Agostinho Rosauro de Almeida ; 2
dita, capitao Aristides Rodrigues Vaz ; 3a dita,
capitao Jos Joaquim Soares Carne Viva ; 4 di-
ta, capitao Miguel Teixeira da Costa.
12 batalhoCommandante, coronel Manoel
Joaquim Guedes; fiscal, major Manoel da Silva
Rosa Jnior; ajadante, capitao Antonio Tupy
Ferreira Caldas; ia companhia, capitao Joaquim
Carvalho Salom Pereira; 2 dita, capitao Bmyg-
dio Dantas Barreto; 3' dita, capitao Philomno
Jos da ''unha ; 4* dita, capitao Hermeto Gomes
Tourinho.
13 batalhoGommanlante, coronel Domin-
gos Alves Barreto Leite ; fiscal, major Jos Sa-
lusliano Fernandes dos Reis ; ajudante, capitao
Luiz Manoel Martins da Silva; 1* companhia.
capitao Joo Fereira Maciel Sobrinho ; 2 dita
capitao Henrique Jos de Magalhi s ; 3 dita, ca-
pitao Democrito Ferreira da Silva ; 4a dita, ca-
pitio Francisco de Paula Andrade.
14 batalhoCommandante tenente-coronel
Feliciano calippe Monteiro de Mello; fiscal,
major Francisco de Paula Argollo; ajudante, ca-
pitao Augusto Frederjco Pereira de Carvalho; #
comnanhia, capitao Francisco Antonio de S Bar-
reto ; 2 dita, capitao Manoel Anselmo Pereira
Guimares ; 3a dita, capitao Gelasio Servulo Al-
ves de Araujo; 4- dita, capitao Jos Roma de
Abreu Lima.
15 batalhoCommandante, tenente-coronel
Vrancisc Carlos BuenoDeschamps; fiscal, ma-
jor Joo Nunes Sarment; ajudantf, capitao
\
Luiz Lopes Villas Boas ; Ia companhia, capitife
Marcos Antonio Rodrigues; 2a dita, capitao Qe
raido Jos de Abreu; 3* dita, c ipito FrancW
Ignacio de Meirelles; 4a dita, capitao Manoel
Nonato Neves Seixas.
16 batalhoCommandante, coronel Chris-
tiano Frederico Buys; fiscal, major Joaquim
Manoel de Medeiros ajudante, capitao Francis-
co Joaquim Pereira Calda; Ia companhia, c-
pitio Felisberto Jos Ferreira da Fonseca; 1*
dita, capitao Jos Sabino de Brito ; 3 ditay caj-
to Joaquim Apalinario da Costa Doria ; V dita,
capitao Francisco de Paula Castro.
17* batalho Coramandante, coronel Carlos
Frederioo dr Rocha; fiscal, major Wenceslao
Freir de Carvalho; ajudante. capitao Guilherme
Rondot Avila ; Ia companhia, capitao Adolpho de
Alencastro Graca; 2* dita, capitao Joaquim Al-
fredo Garcia Terra; 3< dita,, cap*) Ignacio An-
tonio Gomes de Oliveira; 4a dita, capitao Clau-
dino Marinho de Oliveira e Cruz. -
18 bataihoCommandante, tenente-coronel
Manoel Francisco Soares, fiscal, major Jos
Francisco Ribeiro ; ajudante, capitao Francisc
Soares Neiva; 1 companhia, capitao Porphirio
Francisco da Rosa; 2a dita, capitao Antonio
Leite Bastos; 3a dita, capitao Amaro de Souza
Franco ; 4a dita, capitao Candido Rufino Borges
da Fonseca.
19 batalhoFiscal, major Honorio Ciernen-
tino Martins ; ajudante, capitao Antonio Annibal
da Motta ; Ia companhia, capitao Gabriel Nunes
de Araujo; 2a dita, capitao Horacio Vieira de
Souza ; 3 dita, capitao Minervino Francisco da
Costa; 4a dita, capitao Maximillo Augusto Car-
neiro.
20' batalhoCommandante, tenente-corouel
Pedro Luiz Manoel de Jeaus ; fiscal, major Onofre
Jos Antonio dos Santos; ajudante, capitao Joo
Maria Berqu; Ia companhia, capitao Joo de Al-
meida Senna; 2a dita, capitao Paulo Antonio
Ferreira Lisboa; 3" dita, capitao Alfredo Tavora;
4a dita, capitao Jos Ignacio Xavier de Britto.
21 batalhoCommandante, tenente-coronel
Severiano de Serqueira Daltro l fiscal, major Je-
suino Deocleciano de Souza-Brurio; ajudante, ca-
pitao Joaquim Jos Ferreira da Silva; Ia compa-
nhia. capitao Carlos de Miranda Santos; 2a dita,
capitao Antonio Augusto Nogueira de Batimn;
3a dita, capitao Olegario Antonio Sampaio ; 4a
dita, capitao Jos Sabino Maciel Monteiro.
22- batalho Commandante, coronel Carlos
Magno da Silva; fiscal, major Francisco Agosti-
nho de Mello Souza Menezes; ajudante. capitao
Paulo Jos Pfalzgraff; 1" companhia, capitao.Ma-
noel Thom Cordeiro ^ 2a dita, capitao Verissimo
Mximo Gomes fia Silva; 3a dita, capitao Alfredo
Vicente Martins; 4a dita, capitao Augusto Tibe-
rio Cesar Burlamaque.
23 batalhoCommandante. tenente-coronel
Estevio Jos Ferraz ; fiscal, major Antonio Car-
los da Silva Piragibe ; ajudante, capitao Flamioio
Antonio de Vasconcellos Machado; Ia compa-
nhia, capitao Pedro Antonio Jfery; 2a dita, capi-
tao Pedro de Alcntara FonMea ; 3a dita, capitao
aphael Tobias; 'i' dita, CMHlO Eugenio Augus-
Mello.
atalhoCommanda/ie, teuente-coronel
SebasTl**BJmunrio EwertOB; fiscal, major Pe-
dro Nunes Bap*JJK!a4^Ferreira Tamarindo; aju-
dante, capitio CarloTBfega da Silva Telles; Ia
companhia. capitao FiimirTfJ*1opesReg^2adita,
capitao Manoel Presciliano deOK,veird-flladao^
3a dita, capitao Virginio Napoleo Ramos : 4a di-
ta, capitao D. Joaquim Balthazar da Silveira.
25* batalhoCommandante, coronel Joo Bap-
tista do Reg Barros Cavalcante de Albuquer-
que ; fiscal, major Joo Barretto Picaneo da Cos-
ta ; ajudante, capitao Joo Alcino de Parias ; Ia
companhia, capitao Francisco Flix de Araujo;
2a dita capitao Jos Lotero de Menezes ; 3a dita,
capitao Jos Neves Seixas ; 4a dita, capitao Pedro
Augusto de Mendonca.
26 batalho-Commandante. tenente-coronel
Franklin do Reg Cavalcante de Albuquerque
Barros ; fiscal, major Joaquim Fernandes de An-
drade e Silva; ajudante, capitao Nelson Pereira
do Nascimento; Ia companhia, capitao Capitu- .
lino Cesar Loureiro; 2a dita, capitao Gerein0>vv
Martins de Oliveira e Cruz ; 3" dita, capitao Joo
Capistranio de Oliveira Epaminondas; 4a dita,
capitao Gabino Bisouro.
27 batalho -Commandante, tenente-coronel *
Joio Pedro Xavier da Cmara ; fiscal, major Joo
Domingues Bamos ; ajudante, capitao Joo Fer-
reira Panasco; Ia companhia, capitao Ernesto
Alves Pacheco; 2a dita, capitao Felippe Bezerra
Cavalcante; 3a dita, capitao Manoel de Alcntara
Souza Cousseiro; 4a dita, capitao D'amilo da
Costa Leito.
28 batalhoCommandante, tenente-coronel
Roberto Ferreira; fiscal, major Joo de Souza
Castello; ajudante, capitao Joo Cesar Sampaio ;
Ia companhia, capitao Onofre Moreira de Maga-
lhes; 2a dita, capitao Antonio Jos Centeno J-
nior; 3a dita, capitao Raphael .ugusto da Cnnha
Maltos; 4a dita, capitao Alberto Soares de Aze-
vedo.
29 batalhoCommandante, tenente-coronel
Luiz Antonio do Couto ; fiscal, major Aureliano
Augusto de Azevedo Fedra; ajudante, capilo
Luiz i ves Leite de Oliveira Salgado; Ia com-
panhia, capitao Pedro Abrelino oje Oliveira; I
dita,capitao Jeronymo Ignacio dos Santos; 3*
dita, capitao Francisco Jos da Silva : 4a dita, ca- ,
pito Victorino dos Santos Silva.
30 batalhoCommandante, tenente-coronel
Joaquim Jos de Piano.; fiscal, major Beato Luiz
da Gama; ajudante, major graduado Honorio Ho-
racio de Almeida ; Ia companhia, capitao Antonio
Jorge Moreira ; 2- dita, capitao Julio Fernandes
Barbosa ; 3a dita, capitao Benedicto Ribeiro Du-
tra; 4a dita, capitio Manoel Aphrodisio qa Silva.
Por portara de 11 do corrente foram no-
meados para servir nos batalhoes da arma de en-
genharia, creados pelo decreto n. 10.015 de 18
de Agosto de 1888, os seguintes officaes :
1 batalho-Cotnraandante, coronel Joo Luiz
de Andrade Vasconcellos; liscaes, major Alf-edo
Carlos Muller de Campos; ajudante, capitao Ni-
colao Alexandre Muniz Freir j Ia companhia,
capitao Leopoldo Rodolpho Pinheiro Kittencourt;
2a dita, capitao Felippe Ferreira Alves ; 3a dita,
capitiff Joo Claudino de Oliveira e Cruz; 4a
dita, capitao Tito'Antonio da Franca Amaral.
2" batalho Comnaadante, teneriro-coronel
Dionisio Evangelista de Castro Ceraueira; Real,
major Feliciano Antonio Benjamn, aju lante,
capitao Jesuino Melchiados de Souza: "Com-
panhia major graduado Francisco Marcellino de
Souza Aguiar; 2a dita, capitao Antonio Gomes
da Silva naves ; 3* dita, capitao Henrique Au-
gusto Eduardo Martins; 4" dita, capitao Fran-
cisco Alberto Guilloo.
Por portara de II do corrente, foram cla-
sificados nos corpos das armas de engentara,
artilharia, javalfaria e infantaria, reorganizados
pelos decretos ns. 10.015 e 10.097 de 18 de Agos-
to e 1 de Di-zeicbro de 1888, os seguintes >IT1-
ciaes subalternos :
Arma de engenharial" bulalho i." lenles:
Antonio Jos de Siqueira, Octaviano de Britto
Galvo. Jos Mura de Beaurepairc Pinto ''eixoto,
Antonio Pinto le Almeida, Jos Eulaliodu Silva
Oliveira, Osear de Oliv iraMiraud Coriolanode
'.arvalho e Silvoe Carlos Jorge Calheiros de Li-
ma ; 2,s tenentes : Antonio Flix de Souza Amo-
rim, Alvaro Fiuza de Castro, Feliciano Beciaain
de Souza Aguiar, Jos Joa uim Firmino, Liuro
Severino Muller, Fre lenco Liiz Ron*
Marques Gui uares, Sfjanoet Laiz de Mello M
Thimotheo de Fana Correia Fillio e I
Sergio de Oliveira.
2o bata'uao:J.0* tenentes: Joaquim Rodr
\
s
M
i
i i

.i

*.


j



ario Je P* uc

Araripe, Augusto Xim
r, Antonio Carlos Branda; Jos Joa**" fran^ fos
^ros, Pabo Barretlo Leite eFelisberto
ir tenentes .- Anierlco de Aa-
drade Alniada. Xmphiloquio de Azevedo, Eduar
IdoArlhur Scrates, Jerouvmo Villeh Tavates,
Adolpho Penba Fimo, Jas Bevilaqua,- Jos da Cu
nba Pires, Eduardo Googaives Ribeiro, Autonio
Jos Vieira Leal e Jos de Calazans e Silva.
Arma decavallarial regimeuto Tenentes :
Sebastio Bandeare, Jarunyim afalo Hoguu
de Moraes, Modestia tk^mm, diio lega,
Gustavo Ramalbebortoa, Alfredo Odiarlo datilv*
Moraes, Uenri^ae de Amo im Bezerra e Antonio
Borges de Albente Jnior alfcies: Pedro Piulo
l Peixoto Velho, Jos 'Ja Sl\a Pessoa, JosBrazi-
Ilo de Amorim t-exerrr. Muate! M nervino de Vas-
concellos, Arthnrde oliveira Maciel, JooLudge-
ro dos Santos Agaiar Coav. Joo Ttaataz deLan-
tuaria, Alexandre Xaoanas d'KsuBKo, Ame-
neo Craveiro de^afiuila*iao Pertira.
2 regimentTenentes : Augusto Cezar da
Cunta, Manoel Marques Saraiva do Amaral, Joo
Jos da Luz, Boaveutura Maggesi de Castro Pe-
reira, Candido de Azambuja Rangel, Raphael Pe
reir Nuoes, Joo de ieus Guimaraes e Eugenio
Rodrigues Jardiui: alferes: Frederico Augusto
Falro-da Krou. Jeatrre Joao itein, Gmlberme
Eliseu Xavier Leal, Leo Antonio da Rosa, Luiz
de Miranda Azevedo, Juvenal Antonio de Souza.
Manoel Correa da Cmara. Jos Cesar Marcondes
de Brito, Abilio da Silva Pereira e Alfredo Pre-
textato Maciel da Silva.
3 regiment Tenentes : Jos Mara das Cha-
iras, -rancisco de Paulo Alencastro, Luiz Anto-
nio Cardoso, Felippe Pinheiro Correia da Cma-
ra. Kabricio Bautista de oliveira Pilar, Joao de
Souza Franco, Zeferino Horacio Marcelino e Ma-
noel de Araujo Brito; alferes: Franciseo de
Paula NoTonha, Raphael Theophiio Zobarom,
Joao Manoel de Campos e Souza, Eduardo de
Oliveira Lima, Viriato da Cruz, Acastro Jorge de
Campos Alfredo Fernandes dos Res, Joo Ca-
valcante Lacerda de Almeida, Thom Barbosa
Peixoto e Julio Lopes Deuo.
4" regimentTenentes : Vctor Neves, Paci-
fico niomo da Silva, Marcelino Americo de Oli-
veira Netto, Francisco Pedro Vieira. Alfredo Pi-
nheiro Correia da.1 amara, Joo Carlos de Menua
Barreto, Marcotino Antonio dos Santos Jnior e
Jos Carneiro Maciel da Silva; alferes : Belar-
mino de Souza Franco, Alencastro Carneiro da
Fontoura. Joo Nepomuceno de Silva Campos,
Augusto Jos GoQcalves ila Silva, Tristo Ja
Cunha, Alvaro Guimaraes dos- Reis Motta, Her-
menegildo Tarares de Senna, Oliverio de Deus
vieira, Cicero de Brito Galvo e Innocencio Vello-
so Pederneiras Filho.
5 regimentTenentes: Joo Propicio Car-
neiro da Fontbura, Jos Antonio de Souza, Va-
leriano Jos Lopes, Joo Ignacio Alves Teixeira.
Bonifacio da Silva Telles, Tomaz Augusto Mar-
tins Edmundo Osorio e Fernando d'Avila Ortiz:
alferes: Rodolpho Jacintho Pereira, Zeferino
Xavier de Moraes, Marceliano Francisco Pinto,
Manoel Correia de Mattos, Julio Fernandes dos
SantosjPereira, Carlas Augusto Cogoy, Jos Vieira
da Silva, Angelino Climaco de Carvalho e Paulo
Jos de Oliveira Jnior.
6 regimentTenentes : Francisco de Paula
Pinto Pacca, Guilherme da Mlva Faradios, Joa-
quim Roberto da Silva, Francisco Manoel Velas-
ro, Leobaldo Antonio de Moraes, Albano de Oli-
veira e Silva, Luiz Carlos de Magalhes Ferreira
e Joo Jos de Castro; alferes : Braz Antonio da
Silva Fonseca, Raymundo Nunes Pereira, Eurico
de Andrade Neves Meirelles, Manoel Feliciano
Ladislao dos Santos Jos Me Andrade Nevs
Meirelles. Herculano de Araujo, Frederico Au-
gusto de Albuquerque Mello, Abei Nogueira,
Luiz Augusto Marques Fogaga e Jos Venssimo
de Souza.
T regiment Tenentes : Felisbino Antonio
Duira, Candido Jos de Medeiros, Tristo Baptis
ta Nobrega Joo Piuheinr de Linios, Ambrosio
Taveira, Ls Joaquim Caxas, Joo Elisiario da
Silva Guimaraes e Gentil Eloy de Fjgneiiedo :
alferes-: Joo Baptista de Avila Oitiz. Maximiano
Vieira. Benedicto nlonio de Lima, Arthur Fre-
derico de MesquiU, Manoel Gomes Parreira Fi-
lho. Manoel Francisco deJM'-nezes Doria. Pedro
Volasen Alves Ferreira, Joao Pi da Panacea,
topar Adolpho da Foutoura l'enna Barreto e
fBruoo Stelfeld. ^
"regiment -Tenentes : llenrique Guilherme
Coelho, Rodrigo Jos de Figueiredo Neves^ons
tantino Antunes do Prado, Aristides francisco
Gariner. Joo Nepomuceno DaotasT Antonio Netto
de Oliveira Silva Faro, AgrietTo Pinto de S Ri
has e.AntonioManoe! de Agriar Silva; alfe-
. res *t,Thoi-7. Machado. Joaquim Ignacio
" filtt?!aCai-rtds'o, Paulino da Souza Franco Aris-
tides Anninio de Almeida Reg, i arlo6 Caval-
caofe de Albuquerque, Antonio (Mara das Mercs
Marques deFigueiredo. Gafarme de Castro Car-
neiro Leo, Joaquim Barbosa Cordeiro de Parias
Adao Rodrigues Vidigal e Marcos Antonio.Telles
Ferreira. .
9o regimentTenentes : Antonio Pinto Das
de Almeida, Manoei Jos Rodrigues, Ismael Lago,
Emiliano Goncalves Forjado Benedicto Brusque
de Oliveira, Feliciano Ramn Nazaieth, Antonio
Francisco Xavier e llenrique JMaria de Oliveira
Bezcrra ; alferes : Jos Joaquim Dantas, Joao
Pedro da Silva. Paulino Jos de Souza. Francisco
Lourengo de Souza Reg, Andr Len, Luiz Al-
bense de l'adua Fleury, Daniel Accioli de Aze-
vedo Silva-. Ignacio Joaquim de Camargo, Carlos
Baptista de Oliveira.'Manoel Machado da Silva e
Antera Aprigio Gualberto de Mattos.
10 regimentTenentes : Joo Nepomuceno
Pereira Lisboa, Olegario Herculano da Silveira
Pidto Jos Maria Ferreira. Antonio Angusto
Santiago,Firmino Gorges Bellegard, Manoel Alves
de Azevedo, Argemiro da Costa Sampaio e Fran
AstolphoEpa

!
Joao Eraldo e. Oliveira,-Luiz' F
Franca, Jos Mara de Olive* .Guarns. Joo
Ralitllo daJlocha, Je s Francisco Pereira am-
pos, Amorro da Cmara Ta vares, Antwiio Isaac
Ribeiro e Olavo Vellisco bolina Berquo
7 batalhao Tenem.es : Gil Antonio Marques,
Eduardo Augusto di Silva, Augusto Prederico
Caldwell do Couto e Alfonso Pintowle Oliveira :
alferes : Napoleo .'lippe Adi, Innocencia Fa-
bricio Ferreira de Mu tos, Messias Ludgero de
Oliven-a Vallada*. .k-Bonifacio de Andrade
Vanddli, AiMnwo };Pinheiro TnpinambA,Por
ttiiatu de Sena Diai. Antonio Francisco Cor-
reia, Leopoldo Jos? Ortiz da Silva. Joaquim da
Silva Ferreira Filho e Ignacio Luiz di Silva
anda*
8 liataihao Tenentes : Frederico Casimiro
Rodrigues da Silva, .latinas Jos de Souza Ri-
beiro.. Joao Luiz de Castro e Silva e Norberto Il-
defonso Muniz; alferes :' Manoel Lucia Evanpe-
lista, .los Laiz Bnofae le. Luiz Peirot, Maxiinia-
no Jos de Oliveira Manrity, Manoel Marcelino de
Oliveira, Tertuliano Lopes de souza, Antonio
Faustino da Silva, Miuoel Duarte Bello, Pedro
Antunes de Souza Pance e Agostinho Teixeira
Jnior.
9 batalhio -Teea es : Jos Theodoro Perei-
ra da Mello, Joo Pan) de Sant'Anna, Pompfn
de Souza Morigboia e Mauoel Pinto da Silva;
alferes: Diogo Antonio Hahia, Manoel Ernielin-
do Estrella, Joao Gomes da Silva Leite, Manoel
Fernandes de Castro. Jos Mathias da Silva J-
nior, Manoel Francisco de Araujo Reg, Joo Mi
lito de Souza Campos, Goncalo Barca, Manoel
das Neves e Joo Gamillo da Silva Seixas.
10 batalhaoTenentes : Antonio Mafra, Jos
Alves da Silva Cunta, Severiano Jos da Costa e
Carlos Augusto de '.ampos; alferes : Americo
Augusto de Farias Cesta. Alfredo Leo da Silva
Pedra, Pedro da osla Leite, Horacio aelano dos
Santos, Ludgero Jos da Cruz, Gustavo dos San-
tos Parahyba, Joio Carlos Galhardo. Paulino Cae-
tano da Silva Sautgo, Theodoro Joaquim da
Silva S gago e Maa'c! ;:acado de Souz Pin-

jilio de Oliveira, Olympio 8
toaio Maria de Souza, e Joo lt>
26" batalhao Tenentes : Th
Wanderley, Manoel Alexandre FeavR|^^^H
Leoncio Luiz Pinto Ribeiro e Justino Lopes (Ca*-
diin; alferes : Jos Viegas da Silva, Jos Tho-
maz dos Santos, Joaquim Jos de Andrad.'Mar-
timano Francisco de Oliveira, Ivo Rodrigues da
Rocha. Be'larmino Augusto de Atlmyde, Ray-
mundo Publio Rosklin da Silva Jfcirtius, Fean-
..luJli UiI [""TP"~ ^-lihiii ii imi M
ra-Costa aingo* e Mello Ca*o.
2^ biiulkla Teneute* : Lydki Port%. Jos
Leoncio de liau. Praaciseo de Ihuta Menra e
Josd Augusto Groinwe; alferes Ma el da
Fraga Barreto, Maurique Vctor de Lina,, uto-
nio .Valerio dos Santos News, Agaelle Lopes
IVi-clra, Joaquim GonaagaiMfciquna l*orto, Pauli-
no Mlppe Sn6es, GaldiM Kvansto da Silva
LeiA, Mancal Quintino m iuite, >'edi xandriuo nMJBn.e'Lu^JKlteLe*i-
2- batalhao Tenentes : Febronio de Brito.
Antonio Basilio da Fonseca, Justintajio esario
Augusto Moreira e Ppdro Pereira Nunes; alie-
res : Jos Borges do CanW, Felippe Santiago
Fernandes de Andrade, Perciliano Nunes de
Abreu, Benedicto Jos Correia, Antonio Bento
da Costa Keal Jnior, Antonio Manoel Martin?
Filho, Miguel Gont^alves de Castro vtascareohas,
Joo de Deus Moreira de carvalho, Tude Soares
Neiva de Lima e Chi istiano Frederico Boys.
29 batalhaoTenentes i Joaquim Candido de
Vasconcellos, Ravmundo Fernandes Monteiro,
Manoel Moreira de Souza e Antonio Goocaives
Pereira ; alferes : Ant nio Gerasino de Castro e
Silva, Lenidas Epaminondas de Caivalho e Sil-
i i mmtmm
Societaria da Presidencia de Peruain-
bace, 7 de Fevereiro de 18^9.
O-porteiro,
F. "Chacn.
ira 2S de Fevereiro de J
cisco Joaquim Dantas ; alferes : As
mlnonds linio Bandeifa, Jos Olegario de Al-
meida Moura, Alvaro edreira Franco, Guilherme
Augusto da Silva. Joo aulo de Oliveira Carva-
lho, Jorge mirante de Albuquerque, Fridolim
Jos da osla. Epiphanio Alves Pequeo, Jos
Pinto Pe'ixoto Velhoe Ayres de Moraes Ancora -
to. ,
i i" batalho -Teueates : Jos Joaquim Aues
do Nascimeuto, Bent:dicto Hemeterio Valente,
Francisco Pedro dos -antos e Francisco Benevo
lo ; al/eres : Candido arlos Cavalcanle de Ne-
greiros, Raimundo Martins Nunes, Jos Ray-
mundo de Albuquerque, Joo Pedro de Souza.
Joaquim Euciides de Freitas, Joo Martins Alves
Ferrei a, Candido Borges Gastello-Branco, Ray-
mundo Carneiro Leo, Jos da Costa Villar Fi-
lho e Joo de Mullos Nogueira.
12" batalhao Tenentes : Francisco Antonio
da Fonseca Jnior, Quatavo Adolpho. Braz Gxlori-
co Alves Teixeira e Luiz Manoel da Silva Dal-
tro ; alferes : Jos da Costa Maia. Rodrigo Anto-
nio da Fonseca Lessa, Agostinho Meira Heiiri
ques de Gouveia. Francisco Luiz Machado Le-
ms, Carlos Frederico de Oliveira, Francisco Al-
ves de Araujo, Pedro Lourival, Henrique Flintes
Cw'lho, Frederico Prestes Guimaraes e Antonio
Carlos Pereira.
13' batalhao-Tenenles: Sebastio Jos Ve-
lho Barreto, Raymundo Pinheiro de Freitas, Joo
Pedro do Rosario e Jcajuiu; Pompilio da Rocha
Moreira : alferes : Antonio da Silva l'araguass,
Ernesto Antonio ardoso, Evaristo de Almeida
Leite, Raphael Goainhc Valder, Horacio de Cas-
tro Canto e Mello, Thomaz v\ rigth Wall de Je-
ss Meirelles, Domingos Augusto de Mendonca
Rocha, enceslo Da.-o de Oliveira Bello, Numa
Pompilio Brando e Ernesto Cyrillo de Castro.
14 batalhaoTenentes : Joaquim Candido de
Oliveira Marques. AureTiano Xavier do Valle,
Jos Joaquim de Aguir e Jos Xavier de Fisuei-
redo Brito; alferes: Manoel Belmiro da Silva,
Pedro de Barros Falco, Antonio Joaquim Coe
Iho dos Santos. Ignacio Joaquim Pereira Lobo,
Jos Ignacio Werckelh, Francisco AffonsO do
Reg Barros, Adolpho de Albuquerque Belio*, Vi-
cente Magno Nunes, Jos Candido Bczeijra da
Trindade e Pedro Nol: seo de Souza. f
13 batalhaoTeneni.es: Joaquim Rodrigues
Pereira, Jeronymo Anlonio JiV">Wde Araujo,
Marianno Marques -U ^i e Cypriano Alcides ;
atlereg ; Lucio Gwiealves da Silva, Pedro Ale-
xandrino de Amorim, Evaristo Baptista Cruz e
Souza. Vicente Franco. Francisco de Paula e
Soma. Manoel Jos re Souza, Benedicto Man-el
lutvi de Araujo, (abriel Salgado dos Santos, Jos
Chaves de Menezes e JustinoJose.de ouza.
16 batalhao -Tenenles : Antonio Fernandes
de Souza Couceiro, Manoel Joaquim di Nasci
ment Machado. Salvador Pires de Carvalho Ara-
go Jnior e Augusto Cesar Gaspar: alferes:
Braziliano da Silva Barauna. Jos Luiz le Santa
Anna, Pampbilio Gurrite Pessoa, clemente Jos
Alves. Joo Paulo lve da Silva, Joviniano Jos
de \aujo Franco, Herminio Americo Coelho dos
Santos, Jos Pedro de Bivar Pereira da Cunha,
Tito H'rmillo da Silva Machado e Getulio Simes
dos Reis.
17 batalhaoTenentes : Antonio Eugenio Ra-
malho. Antonio Candido de Araujo Maeedo, Je-
ronymo Teixeira Franja e Joo Candido de
Aguiar Bello : alferes: Liberato Augusto da Sil-
va Ribeiro, Jos Gerai.iiano Ferreira Villa. Car-
los Sizenando Rio. Olympio Agobar de Olivei-
ra, Joo Machado de Lemos, Fernando Antonio
Cardoso Jnior, Joaquim Cavalcante de Albu-
querque Bello, Joo da Silva Ramos, Benjamn
liamos Velasco e Francisco de Albuquerque Pa-
juaba.
18 batalhao Tenenles Henrique Severiano
da Silva, Arthur Cavalcante* do Livraraento, Joo
Deocleciano Ribeiro 6 Joo Maria da Rocha An-
drade ; alferes : Manoi'l Ignacio Domingues, Jo-
s Rodrigues de Cast-o, Julio Cesar Gomes da
Silva, Antonio AlVes Cordeiro, Vicente Ferreira
Alvares, Ral Germano da Silva, Felippe Anto-
nio da Fonseca Galvo, Antonio Monteiro de Al-
buquerque, Herculano Fernandes de Carvalho e
Manoel Correia de Partas.
19" batalhao Tenentes: Aggeo Aureliano da
Costa Paiva, Joaquim Cavalcante da Silveira i e-
zerra, Joaquim da mz Freir e Jos da Costa
Lana ; alferes : Joo Antunes Leite, Innocencio
va. Jos Rodrigues das Neves; Jos Candido Ve-
las, o. Olympio Moreira da Silva Castro, Joa-
quim Elias Peixoto, Graciliano Alves da Trinda
de, Raymundo Mairno da Silva, Pliiladelpho Leo-
nardo Ferreira Lima e Antonio Augiwio de
Athavde.
30 batalhaoTenentes : Manoel Jos BradiO,
Francisco de Paula Rodrigues Barrctlos,' Poly
carpo Lopes da <-ouseca e Ricardo Antonio Bap-
lista ; alferes : Fabio Pcodjwte de A-ranjo. -'os
Candido Rodrigues, Cypriano da Costa Ferreira,
|Luiz Jos Pimenta, Giiilhenne Marques de Sou
za Soares, Antonio Velasco, Francisco Pompeo
ile Barros, Lirio Jorge da unha, Francisco de
Me.-quita Saldanha e A'lipio Justiniano Cesar Ja
cobina.
Arma de artilharia -1" regiment 1" tenen-
tes : Julio Placido Soreval, Emygdio Crules da
Silva Torres, Antonio Fernandes Borges. Cinei
nato Cardoso Lopes de Barros, Jorge dos Santos
Rosa, Garibaldino de Faria Correia Antouio Go-
mes Soares e Antonio Adolpho de Alencastro ;
i" tenentes : Joao Rodrigues Moreira dos San-
tos, Tobias Carlos Coimora, Jos Rodrigues Jar-
dim, Zozimo Alves da Silveira. Honorio Vieira
de guiar. Jas Grncalves de Almeida. Domin-
gos Alves Leite, Tristo Alves Barreto Leite, Ra-
phael Clemente Telles Pires e Luiz Soares dos
Santos.
2" regimenlo I-tenentes : Pcrcilio de Car-
valho Fonseca, Saturnino Nicolao Cardoso, Fran-
cisco Baptista da Silva Pereira, Vctor Guillobel,
Clodiialdo da Fonseoa. Leopoldo Augusto Dnar
te Nunes, Alfredo de Simas Eneas e Milito Lo-
bo ; 2" leneni: Manoel Jos dos Santos Bar-
bosa. Diogo Ia.m da Silva Freir. Joaquim Ma-
xiuft) Madurcra de S, Jos Pereira I>ega8, Joa
quira Duira da Fonseca, Augusto Cincinato de
Araujo, Joaquim Baltazar de Abreu Sodr, Adol-
pho Augusto de Oliveira Galvo. Jos Florencio
r!e Carvalho e Joo Baptista deFigueiredo J-
nior.
.'i' regiment.I tenentes : Jos Antonio Co-
breira, Mauoel Jos de Farias Albuquerque, Joo
Carlos de Vasconcellos, Jos Gamillo Ferreira
Rabeilo Jnior, Antonio Fres de Castro Mene-
zes, Alvaro Marques Martins, Jonatas de Mello
Barreto e Leopoldo Rangel; 2" tenentes : An-
tonio Ignacio da Cruz, Finnino Francisco Dias,
Mauoel Jos Soares, Mauoel Jos Alves Rodri-
gues, Joaquim Severo dos Santos, Gabriel Ma-
noel de Araujo e Silva, Joo Jos de Lima. Le-
nidas Benicio de Vello, Pedro Paulo de Castro
Cerqueira e Tobias Becker.
4 regiment i" tenentes : Jos Carlos da
Silva Telles, Antonio de Medeiros Germano,
Eduardo Marques de Souza, Joo d'Avila Fran
co, Benjamim Ucha Rodrigues, Adalberto Au-
gusto dos Reis Pitharzi, Francisco Ca-tildo Jac-
ques e Francisco" Moreira da Rocha : 2 tenen-
tes : Americo Augusto Soares Wqlf, ludo Prado-
Monthe Pires da Franca, Jos ;-alomao Agostinho
da Rocha, Sebastio Francisco Alves, Franeisc^
Albuquerque e Souza. Joao Baptista Telasco,
Origues Alves de Paula, Joaquim Raphael da
Silva Pessoa e Jos Feliciano Lobo Vianna.
Io batalhao 1 tenentes : Achules Velber
Pederneiras, Ronualdo de Carvalho Barros, Tho
maz Cavalcante de Albuquerque e Jos Ferreira
Maciel de Mirauda; 2" tenentes : Marcos Anto-
nio Rodrigues, Henrique da Silva Pereira, Joo
Marques de Freitas, Joo Henrique Bueno Des-
champs, Evaristo Jo- de Souza, Thomaz dos
:^^"^r^rto^ienenie8^"5^""i Santos Almeida, Lanrindo Jorge Mineiro Joo
!*.* Tmeira. Januario Jos de Oliveira, Fran- Caetano de Farias Albuquerque, Urbano Vieira
RbsaTei .
cisco Caldas Thompson e Joojde Almeida Santos
Temo: alferes: Julio Ribeiro Balthar,'Julio
tlesar de Castro Olivejra, Sebastio Dias de To-
ledo, Paulino das Chagas Pereira, Urbano Texei-
rti de Souza e Joaquim Fenelon Borja.
' Arma de in/on/orjai batalhao Tenentes:
Peitx Barreto Muniz Telles, Antonio Leite Ribei-
ro Jtiuior, Cyro Primo de Seixas e -Iberio Gavio
Pe -eir Pint : alferes : Joaquim Jos Pereira
Jnior, Braziliano Alves do Nasciniento, Alfonso
Gru^ Marques de Souza, Jos de Al'-ncar Ara-
ripe. Juvenrio Rodrigues dos Santos, Leopoldo
Antenio Lciz de Miranda. Alfredo de Souza
Mendes, Rodoloho Cavalcante da Silva Pessoa,
Thomaz Diniz Villas Boas e Agnello Petra de
timeida.
" 2 batalhaoTenentes : Francisco Teixeira de
Carvalho Sebastio Goncalves da Costa, Manoel
Mauricio Lopes Lima e Milito Thomaz Goncal-
ves : alienes : Joo Alfonso de Mello, Victorino
Leopohtino da Silva Castro, Jos Soares de Mel-
lo. Vicente Ferreira Lima. Carlos Augusto de
Almeida Soares, Luiz Bezerra dos Santos, Ma-
ntel Sebastio da Rocha Lins Filho, Segisnaado
Rodrigues da Silva. Manoel Bellerefonte de Lima
e Prxedes Augusto de Araujo e Silva.
batalhaoTenentes : Joaquim Machado de
Souza. Valeriano Gomes Meirelles, Silvino da
Silva Franca e Joaquim de Fari ; alferes : Tho-
maz de Souza, Jos Antonio dos Reis, Ernesto
Ma< me- Mciiado, Camlo Euzebio de Carps,
Antonio Loiz de Almeida Jnior, Philadelpho de
Alentar Snipira. Joo Theophiio Varella, Myr-
tarisndes Fortuna e Felippe Benicio de Castro e
Silva
| batalhao Tenentes: Joaquim Goncalves
Gouiides. Jos Antonio dos Santos, Joaquim Go-
me- da Silva e Joo Antonio da Costa Campos ;
alferes Joaquim Alves da Costa Freir, Joo
Soare- da Silva, loo da Motta uza Araruama,
Pra'iWin de Menezes Doria, Manoel Accioli Pi-
nheiro, Carlos Ocano da Silva Santiago, Aman-
cio Francisco Jos da Costa, Fausto Augusto de
Paula Barros, Joo Horacio da Silva Paranhos e
Cyrillo Bernardin Fernandes.
'.alliSoTenentes. Raymundo Pereira de
Qneirtz, Firmino Raymundo dos Santos Reis,
Antonio Paas de Barros e Bonilacio Antonio Ber-
ba: altere; Prmino /.ntunes Brasil Coma,
poldo de Barros Vasconcellos, Antonio Hay
do Bell i, Joo de. Lemos, bibii.no Pedro ue
.Ignacio Raymundo dos K-is, Jos Jorge
lerio August^ de Amorim Bezerra,
Albino Dias Ribeiro e Francisco Malinas Pereira
bsulhfio: Tenentes: joaquim Pereira de
.albino Gomes de Lastro. Tito Pedro
e Antonio Jos Ribeiro: alferes : Ma
dar. Francisco Theophiio Cardoso
da Silva Franca, Henrique Olympio Monteiro e
Jos Mana Silveira dot Santos.
20 batalhao Tenentes: Joaquim Mara de
Santa Anna, Alberto Luiz da Cunha e Cruz, Luiz
Alves Pinto e Herculano Ferreira da Silva; al
[ere* ; Joaquim Affonso de Camargo, Luiz Fran-
cisco da Costa, Francisco de Assis Teixeira,
Candido Leopoldino de Azevedo. Guilherme Lu-
dovico de Almeida, Antonio Jos Lopes, Anto-
nio Pacifico Alves, Caetano Bruno de Bastos,
Valenlim Pereira da Gafa e Joaquim Querino
Villarira.
21 batalhao -Tenentes: Joaquim Innocencio
de Oliveira, Petronillo de Carvalho Rangel. Luiz
Telles da Cunha Sandes e Joo Capisrano de
Oliveira; alferes: Vicente Itebello Leite, Ma-
noel Vieira Lopes, Luiz Zeferino Moreira, Justi-
niano Fausto de Araujo, Jos Apparicio de Aran
jo, Dellino Vieira de Barros, Francisco JosMo
Couto, Jos Ladislao de Oliveira. Arthur %uos-
to Fernandes Leo e Francisco Pereira Mendes.
22 batalhao Tenentes i Antonio benedicto
de Araujo, Jos Lauriaoi da Costa, Americo de
Albuquerque Pono Caero e Pedro Manoel Go-
mes Carneiro ; alferes : Jos Ferreira Dias J-
nior, Joo Alfredo Barbosa Lima, Alexandre Au
gusto Frias Villar, Ludgero Pereira da Luz. An-
tonio ugusto da Cunh, Horacio de Vasconcel-
los, Jos Antonio Dourado, Pedro Ignacio de
Souza, Agrcola Guan bara e Joaquim Elesbo
dos Reis.
23 batalhao TeneTes: Augusto Fernandes
de Almeida Brandan. Joo Barbosa Espindola,
Antonio Caetano da Silva Jnior, e Jos Joaquim
Lapa Ao Nascimento ; alferes: Prederico Ribas
de Menezes, Joflo Candido Domingues Ferreira,
Joo Pereira de Oliveira, Mauricio Antonio de
Lemos, Emilio dos Santos Cabral Manoel Ray-
mundo de Souza, Joo Pi de Oliveira Penna,
Crodegando Mendes Ferreira, Cicero Franklin
de Vasconcellos Monteiro e Jos Custodio da Sil-
veira.
24 batalhao Tent rites: Joo Jos Ferr
Henrique Justino Jos Alves Jacotinga, Joaquim
Ferreira da Cunha Barljosa e Joaquim Lourenco
da Silva Ramos ; alien s; Urcicino Augusto Vil-
las-Boas, Herculano Augusto Goncalves da Ro-
cha, Raymundo Penaforte de Araujo, Crisp.m
Guedes Ferreira, Raymundo de Amorim Fignei-
ra, Josino de Barros Fiilco, Alcibiades Cardoso
da Menezes Souza, Arthur Adacto Pereira de
Mello, Arthur Neptuno de Boubrar e Theodorico
Goncalves Guima.es.
batalhao Tenentes : Francisco de Borja
Conceicao, Henrique Alfonso de Araujo Maeedo,
Alfredo Muniz e Malacu as Jos Netto ; alferes
Gregorio Alcery de Souza onceicao, Francisco
Marques da> Silva, Joiquim de Almeida Gama
I Lobo c'Eci. Carlos Alberto Camisao. .Goncalo
'' Muniz TelIjB, Adolpho Fernandes Monteiro, Tro-
ca, Tertuliano Jos da Silva Tinoco e Godofredo
de Mello Barreto.
* batalhao1" tenentes : Lindolpho Linanio
Moreira Serra, Raymundo Frederico Por Deus,
Joo Soares Neiva de Lima e Erico Augusto de
Oliveira; 2o* tenentes: Pedro Ferreira Netto
Rulio Ferreira Netto, Servando de Loyola e Sil-
va, Raphael de Menezes, Nstor Villar Barreto
Coutinno, Manoel Paoloja Rodrigues, Jos Lean-
dro Braga i.avalcante, ntonio Cato Mazza, Ju-
veual de Maltos Freir e Patricio Jos Teixeira.
3o batalhao l- tenentes : Antonio Jos Dias
de Oliveira, Joo Luiz Pires de Castro, Lindolpho
Alipio Rodrigues da Silva e Antonio Baptista da
Costa Jnior; 2" tenentes: Francisco Mendes
da Rocha. Augusto Maria Sisson-, Benedicto
Graccho Pinto da Gama, Joo de Siqueira Mene-
zes, nlonio Affonso de Carvalho, Jos Raphael
Alves de Azambuja, Alipio Gama, Thomaz dos
Santos Silva Filho. Annibal de Azambuja Villa
Nova e Joo de Souza Martins-
4o batalhao tenentes : Manoel Portilho
Bentes, Lauro Nina Sodr e Silva, Francisco
Emilio Paes Barreto e Alfredo Jos Barbosa; *
tenentes. Mauoel Eugenio Barbosa, Antonio
Jos Barbosa, Fernando Jos dos Santos Barbosa,
Adriano Severino de Miranda, Marcal Figueira,
Espiridio Rosa, Eugenio Bittencourt, Manoei
Francisco Moreira Sobrinho, Francisco Mendes
da Iva e Joo Gualberto de Mattos.
Por portara de 11 do corrente foram mar-
cadas aos corgos das armas de engenharia, ar-
tilharia. cavallaria e infantaria, creados pelos
decretos ns. 10 015 e 10,099 de 18 de Agosto e 1
de Dezembro de 1888, as scguiutaa paradas :
Arma de engenluria l'batalfaSo.- corte, 2
dito : Rio Grande do Sul.
Arma de artilharia 1 e 4" regimentos e 3o
batalhao. Rio-Gradde do Sul; 2o regiment e Io
batalhao, edrte; 3o regiment. Paran ; 2" bata-
lhao, Matto-Grosso ; 4 dito, Para.
Arma de cavallaria i" regiment, corte ; 2,
3, 4 5 e fl ditos, Rio-Grande do Sui; 7 di-
Repartlf :1o da Polica
2.a 8eccao.N. 212Secretaria da Po-
lica de I'ernair.buco, 27 de Fevereiro de
1899. Illm. e rjis. Sr. -Participe
V. Exc. que foram hqatein recoiidos
a Gaea de etence os seguintes iadivi
do:
A' uiinha ordi'in, Antonio Monteiro da
Paixio, ''indo de Goyaima. conw crimino-
so de ferimentos no tema de Nazawth ;
Juiti, Olegario do Sanio e Mariano de
So* Rodrigues, rindos de S. Lonrenco
da Matta, aguardando communicacao offi-
cial; Francisco Bonno Avebno de Barros e
Joao Pereira de Araujo, como vagabun-
dos.
A' ordem do Dr. delegado do 2a disr
tricto da capital, Lourenca Maria do Ro-
sario, Quitea Maria da Conce5o e Mar-
garida Liberata Affonso, por offensas
moral publica!
A' ordem do Dr. delegado do Io distri-
cto da capital, Climerio Leopoldo Franco,
por disturbios, minha disposicao.
A' ordem do subdelegado do 2o distri-
cto da freguezia de S. Jos, Felisbino
de Andrade e Caetano Jos Francisco, por
disturbios.
A' ordem do do 2" districto da fregue-
zia da Boa-Vista, Servino ou Severino
Malaquias de Sant'Anna e Manoel Aut,o-
nio de Oliveira. por embriaguez e distur-
bios.
Communica o delegado do termo do Ca-
bo, que no dia 25 do corrente, pelas 7
horas da noite, um individuo empregado
da companhia da cavallinhos que actual-
mente trabalba alli, dcfechou um tiro de
pistola em um outro, empregando-se toda
a carga em urna das pernas do menor de
nome Antonio, logrando evadir-se o cri-
minoso. t
O offendido foi transportado para o hos-
pital Pedro II, afim de ser medicado.
Acerca do facto abrio-se o competente
inquerito. *
Participou-mc o delegado do termo de
Floresta, que no dia 31 do mez passado
no lugar Sabioc daquelle termo, foi ag-
gredido o soldado de polica Pedro de Al-
cantra Muniz Sobrinho, por tres indivi-
duos que se apoderaran da carabina e de
urna pistola que trazia o inesmo soldado,
logrando evadirem se em seguida.
O delegado tomou conhecimento do fa-
cto, e abri o competente inquerito.
Pelo subdelegado do districto de
pi, foi hontem remettido ao juizo com-
petente o inquerito policial procedido con-
tra Demetrio de tal, por crime de deflo-
ramento na pessoa de Lidia Maria da
Conceico.
No dia 11 do corrente, prestou jura-^
ment e assumio o exercicio do car*go de
oittro
Fi publicado na corte o seguinte telrgraro-
ma :
Valparaso. 16 de Fevereiro
A onicialidade do cruzador Almirante Barroso.
deu a bordo urna imponente testa para agrade-
cer sociedad chilena a recepgo que lhe fi-
zera- ,
A essa festa concorreu a melhor sociedade chi-
lena notndose nuiitos oiciaes de mar e trra.
Falleeu o senador Vergara. '
A Bolivia trata de estabelecer um caminho de
ferro entre as cidades de Sucre e La Paz.
Os iniraigos do contrato (race continame
abster-se, aendo provavel r dissolVa a cmara dos deputados.
HUt ta Prait
Foram pubcado na corte estes telegrara-
rau:
Buenos Af/ret, 12 de Fevereiro.
O governo de Paraguay ordenou a quarcnlena
de 15 dias para as procedencias do Rrazil.
A canboneira Beltnejo e o encouragado Iis
Andes faro um cordo sanitario em Corrien-
tes.
Regressou de sua viagem o Dr. Jurez Cel-
mau, presidente da repblica, que no dia 44 do
corrente partir para Montevideo.
12 Fevereiro.
/'.'/ Nacional denuncia mos tratos feitos aos
immigraules recolhidos na hospedara, no Ro
Bario.
Montevideo, 12 de Fevereiro.
Parte da directora da companhia de Crdito
Nacional renuneiou os seus cargos.
12 de Fevereiro.
Achamse no Lazareto atacados de febre ama-
rella dous passageiros do paquete Pntagonia.
Htenos-Ayres, 14 de Fevereiro.
O Dr. Jurez Celman, presidente da repblica
parte amanh para Montevideo.
Tigi-
subdelegado do districto de Carahibas, o
cidadao Martiniano Antonio da Concei^ao.
Deus guarde a V. Exc.lllm. e Exin.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Cies, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de policia interino, Daro
Cavalcante du liego All/u Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 26 DE FEVEREIRO DE
&S^&^K^S^M ^Mauoel Clementiuo Correia de Mello. -
il-ij.i vista o Dr. procurador fiscal.
Izabel Mana Ferreira da Silva.Volte,
para declarar se foram remettidas contas
pelo juizo do exercicio de 188485 para
c e bem assim quaes as que foram re-
mettidas anteriormente e a que isto moti-
vou.
Antonio Luiz Baptista.Informe a se-
cretaria.
Antonio Jos Ferreira Monteiro, Gui-
lhermina Francisca Claudina da Concei-
co. Entrcgue-se pela porta.
Herdeiros de Francisco Egydio de Luna
Freir.Volte Recebedoria para decla-
rar quem liquidou o debito da casa em
questao no exercicio de 188687, es-
tando ella isenta da dcima pelo seu esta-
do de ruina, como informa o Sr. lancador
Felinto.
Gabriel Rubniano* Gorgonha.Indeferi-
do, porquanto em 19 de Novembro de 1887
foi concedida a sencao de que se trata,
a contar do 3o semestre do exercicio de
188687 por diante.
Reeebedorla Provincial
< DESPACHOS DO DIA 26 DE FEVEREDIO
DE 1889
Manoel Marques de Oliveira.A' Ia
8ecc3Lo para os devidos lins.
Antonio Maia & C, Antonio de Sou-
za Oliveira. -A' Ia seceso par informar.
Pedro Flix do Sacramento, Correia
Lobo & C.Informe a Ia seccao.
Luiz Abranches de Figueiredo.Certi-
que-se o que constar dos livros existentes
nesta reparticSo.
27
Angelo Raphael & C, Adolpho Jacin-
tho Pereira Gaspar, Augusto Soares Lei-
te, Antonio Mana Marques Ferreira, Amo-
rim & Cardoso, H. A. Lencos & C. eAn-
C. e
tonio Augusto Lemos & C.A' Ia seccSio
to, Matto-Grosso ; 8o dito, Paran ; 9 dito, Mi- para informar.
nasGeraes; 10 dito, S. Paalo ; corpo de trans |r SllurpH & f_
porte. Rio Grande do Sul.
-A' 1* seccSo para os de-
rma de infantaria-l, 7o, 10", 22-, -23 e *4
baialhoes : corte, 2o e 14" ditos : l'ernambuco:
3, 4o, 6", 12, 13, 18, 28, 29 e 30 ditos, Rio-
Grande do Sul; 5o dito : Maranho ; 8o, 19 e
21 ditos : Matto-Grosso; 9 e 16- ditos : Rabia;
H" dito ; Cear: 15 dito : Para ; 17 dito: Pa-
ran ; 20 dito : Goyaz ; 25 dito : Santa Catha-
rina; 26* tuto: Alagas : 27 dito: Parahyba.
Goieruo da
DESPACHOS
Provincia
DA PRESDDENCIA DO DIA 26 DE
FEVEREDIO DE 1889
Coronel Frederico Chris^mo Buya.
Deferido com officio dest data The'
sourana de Fazenda.
Capita. Francisco Pereira do Lago.
Informe o Sr. inspector do Thesouro Pro-
vincia!.
Fraga Rocha & C.Informe o Sr. ins-
pector da Thesouraria de Fazenda.
Francisco de Pinho Borges.Informe o
Sr. fiscal da Companhia Recife Drainage.
Bacharel Joao Zeferino Pires de Lyra.
'ertifique-se.
Nicas da Silva GusmSo.A vista das
infonuacSes do Thesouro Provincial o sup-
plicante aguarde crdito.
Vicente Treza.Junte os documentos
legae.
k i t
Soares & C.
vidos fina.
Francisco Joaquim Antunes, Joao Fran-
cisco Ramos e Silva, Justino Ferreira dos
Santos, Jos Paulo Botelho, Joaquim
Francisco Collares, Leopoldino Geraldo
das Merce, Joaquim Alves da Silva J-
nior, Moraes & Filho, Alipio de Frana
Mello, Joaquim Ferreira de Souza, Joo
Aureliano Lins Alves, Francisco Barbosa
Longarito, Domingos Gomes Penna e An-
tonio Francisco da Piedade.Informe a
Ia seccSo.
Francisco Pinto de Magalhes.Satis-
faca a exigencia da Ia seceso.
Banco de Crdito Real de l'ernambuco.
Cumpra-se.
Manoel Jos de Arauj>.O snpplicante
nio pde serattendido por esta repartico.
Recorra ao Thesouro Provincial, querendo.
Viuva de Constantino Pinto Fcfrreira da
Silva.Informe a Ia seccao.
DIARIO DE PERNAHBCO
RECIFE, 28 DE FEVEREIRO DE 1889
noticias do Pacifico. Rio da
Prata e Sul 'do Imperio
O paquete nacional Pernambuco entrado bou-
lem do Sul, trouxe as seguintes neticias :
Causou aqui grande sensaco a noticia do fal-
li.'Cimwito do bario de Cotegipe.
Houve um assalto de indios na provincia de
Sania Fe tendo havido muit.is inortes e feri-
mentos.
O Sr. Legare!a foi reeleito presidente da
bolsa.
Foi declarado infectado o porto de Santos.
Unto grande tormenta cahio sobre a regiao
los Andes causando bastantes estragos.
Monterido, 14 de Fevereiro.
O governo suspendeu a puhlicago do El Re-
benque.
A 2' diviso de cruzadores de que comuian-
dante o chefe de divisan Wandenkolk deve re-
gressar para o Rio de Janeiro no dia 18 do cor-
rente.
Buenos-Ayres, 1 de Fevereiro.
0 Dr. Jurez Celman, presidente da repblica,
embarcou hoje a bordo do encouragado Almiran-
te Brown cou\ dusl'wo a Montevideo. Aeompa-
nnaram-o os ministros dos negocios estrangei-
ros, fazenda e guerra, Drs. Carcano e Vidal, go-
vi'i nador de Corrientes, senadores, depulados e
diplmalas, compondo-se a comitiva de 2U pes-
soas.
Aquello enfcouracado foi escoltado pelos na-
vios de guerra Venus, Eole, \faipii. Villarino.
I riujiiity. I'aran e Vigilante.
<) presidente deve chegar ainanhi ao ineio-dia
a Montevideo, a cuja entrada passara para bor-
do do <-ruz-jdor Patagonia que o aguardar tora
da barra.
' 11'ieiuts Agres, 13 deFuvrrciro.
I.'i Nacin alacou com violencia ao presidente
da repblica por causa do gasto que faz com'
viagens e o luxo que ostenta.
-cha-se gravemente enfermo o general Res-
pejo.
Monleredii, 15 de Fevereiro.
o sonador Torres foi reeleito presidei lo se-
nado.
Continuam as desconancas a respeito do cr-
dito da Companhia de Crdito Nacional.
Buenos Ayres, 17 de Fevereiro.
A bordo do paquete inglez Aralo que se ada
solado na Ponta de Lara fallecen um passagei-
ro e achaai-se dous enfermos. Os deinais pas-
sageiros faro quarentena a bordo dos lazaretos
lluctuantes Singapore e Jpiter.
O governo autorisou por decreto que sejam
recliacados os navios infectados que proeurarem
entrar neste porto.
Houve um principio de incendio no predio
em que funeciona a typographia Nacin, sendo
abalado a tempo-
ITm incendio destruiu completamente o vapor
llumherto I que se achava atracado no novo
porto.
Tambem foi destruido por um incendio una
fabrica de movis da ra Defensa.
Monterido, 17 de Fevereiro.
Continuam as festas ao Dr. Jurez Celman
que assistio hoje s corridas de touros.
Buenos-Ayres, 18 de Fevereiro.
Corre o boato de que a visita do presidente
da Repblica Argentina ao da Repblica Orien-
tal teve por lim combinar as bases de um tra-
tado de allianca offensiva e defensiva.
Montevideo, 18 de.Fevereiro.
Continuaram bontem as illuininaces e festejos
em honra ao Dr. Jurez Celman, presidente da
Repblica Argentina.
Na legaco argentina foi servido um lauto ban-
quete, no qual os dous presidentes general Ta-^
jes e Jurez Celman saudaram a solidariedade
que existe entre as duas repblicas.
Durante as corridas dos touros deram-se al-
gumas desordens que fcilmente foram repri-
midas.
Buenos Ayres, 19 de Fevereiro.
Os .conservadores venceram as eleices no
Paraguay.
A imprensa denuncia abusos praticados no
transporte de immigrantes.
Falleceu o general Espejo.
A Patria Argentina, d noticia de um casosus-
peito de cholera.
Montevideo, 19 de Fevereiro.
No discurso que proferio por occasio do en-
cerramenlo do Congresso Internacional, disse o
Dr. Quirno Costa:
Assim, no tocante a instituicOes, presencia-
mos, ha pouco tempo, o solemne espectculo
da abohcao da escravido no Rrazil, facto gran-
dioso, que o mundo inteiro applaudio, esforco
prepotente que, ao revelar urna vez mais a viril
tempera de um monarcha, digno da na$ao que
governa, revela tambem o eoragSo justiceiro e
humanitario, que pulsa no peito do Imperador
Pedro II, promotor da idea que foi levada a ef-
feito com o prestigio de seu nome e no nieto do
enihusiasmo do povo, a cujos destinos preside.
Estas palavras foram recebidas com geraes
applausos.
19 de Fevereiro.
O Dr. Lagos, ministro de negocios estraugei-
ros, diz que o congresso jurdico estabeleceu
regras para a sol gao dos conflictos sobre direi-
to civil, commercial e martimo, reconheceu a
prepriedade Iliteraria e artistica e conciliou a
represso policial com a liberdade, estabele-
cendo accordo entre as diversas nagoes quanto
ao estatutq pessoal.
19 de Fevereiro.
Falleceu o major Casalla.
tio Grande do Sul
Datas at 9 de Fevereiro.
Na capital, no dia 1 do corrente, ra dos
Voluntarios da Patria, junto ao trapiche da viu-
va Classen ft C, Angelo Pusi, ao dar um tiro de
espingarda era um jacar que alli apparecera,
ferio mortalraento o menor Francisco, que se
achava beira da praia.
Os projectis re do jacar e fora c empregar-se na cabega e as
costas do ranaziuhO; que falleceu duas horas de-
0 subdelegado de polica' do 2o districto fez
recolher o involuntario assassino cadeia civil,
procedeu a auto de corpo de delicio e ao inque-
rito, que foi remettido ao Dr. juiz de direito do
2" districto criminal.
Refere o Co-reio Mercantil, de Pelotas, que
na estancia dos irmos Fontoura, na Costa, lugar
denominado Laranjal, deu- e um desastre, que
podia ter custado a vida a m pobre rapaz an-
da inexperiente no servico do campo.
Indo um peo daquelles estancieiros. de i
annos, lagar urna rez aconteceu enrodilhar-se
em urna das voltas do lago e prenderse pelo
pescoco. .. ..
Estando o lago apresilhado ao cavallo e dis-
parando este, foi elle arrestado por umitas qua-
dras em vertiginosa carreira, at(f que outros
companbeiros, acudindo, puderam conter o ani-
mal.
O peao cou quasi morto; com o rosto, as
mos e outras partes do corpo muito pisadas,
ohegando mesmo a correr risco de vida, que en-
tretanto anda nao lhe est garantida
Tem tido grande aceitago em Bag a idea
da creagao da empreza frigorinca.
4Vu>dia 7, s 3 horas 8 tarde, cahio sobre
a cidade d Desterro un grande tufo de no-
roeste, que pez em grande risco as embarca-
is surtas no. porto, mas felizmente durou uns
quinze minutos em sua maior intensidade, so-
brevindo ento forte trovoada, acompanbada de'
grossa carga d'agua.
Refere a Regeneracao da mesma cidade :
Felizmente desde a tarde de 29 do mz pas-
sado as nossa* condiges atmosphericas mdi-
licanim-se.
Temos ido trovoadas mais ou. menos freguen-
tes e alguma cliuva, o que tem sido verdadeira-*
mele providencial
Na q ii de S tivemas um aguaceiro, acompa-
nhado du vento, que durou quarenta e cinco
minutos.
O tbermomel.ro ios dias de maior calor nao
ten passado de 33-, aspasso que at 29 de Ja-
neiro attingio a 35", .1 1/2 e 36 !
O aguaceiro de 5, noite, rompeu as bocas
dos corregos, o que quer-'izer que varreu a ci-
dade de boa parte de immundicies.
Na villa do Tubaro a temperatura ( som-
bra) tem-se elevado, quasi diariamente, a 37,
centgrados. .
Paran
Datas at 13 de Fevereiro:
No dia 14 do mez lindo, na occasio em que
o alferes Jos Joaquim da Silva Santiago, trans-
piraba o rio Jangada, cora diversas pragas de li-
nlia queiam para a capital, enviadas da colonia
do Chapec, cabio no referido rio a praga Cypria-
no Nunes Ferreira, que, levada pela correnteza,
no pode ser salva por seus companheiros.'
Secundo communicgo do subdelegado de po-
flicia da Uuiao da Victoria, foi mais tai-de encon-
trado cadver da infeliz praga, licando verifi-
cado que foi casual o facto
. Na colonia Thomaz Coelho, uo dia (i o pola-
co Gaspar Cbiveck moneu esma^ado por haver
desabado urna casa vellia em que se abrigara du-
rante um temporal.
Ase na (iazeta Paranaense de 9 :
Chegundo hontem ao conhecimento do Sr. Dr.
chefe de policia que, do quarteirao do Ah, do
districlo do norte desta capital, desapparecera
de sua casa o italiano Anlonio Florido, ha tres
para quatro dias, deixando toda a sua roupa e
abandonando urna olana e carregas que possue,
sem saber-se o destino que tinha tomado, orJe-
nou que para alli se dirigisse inmediatamente o
respectivo subdelegado para syndicar do facto e
acautelar os bens de Florido. "
Falleceu no hospital de caridade da capital
Maria Eduviges de Sant'Anna, que alli estavaem
tratamento.
Esta re foi conde.nnada peaa de 8 airaos de
priso coiu trabalho pelo jury em 25 de Seteuibro
ile I8S% como cmplice de "seu pai. Joaquim de
Sant'Anna no a;.sassinato de Francisco Ribeiro,'
facto este occorrido no quarteire do Campo
Comprido, em 16 de Setembro de 1836.
Mina* (icraeii
Na corle foram publicados estes lelegram-
mas :
Orno-i'reto, I" de Fevereiro.
Informaram mal a Tribuna Liberal. O adini-
nislra'lor da Recebedoria nao est alcancado em
I5:(KK)j. Pelos precedentes iberios por'seu an-
tecesaor Jos Feliciano, aquellc administrador
inexperienli' e novel ainda, deixon de cobrar im-
postos por cabecas de ^ado, e (icou debitado,
como este, pela respectiva importancia j exigi-
da, e tratatn de recolhel-a aos cofres pblicos..
Ambos toi langa que pranle os interesses da
faze:ida. outra 3 ou 4 exactores alcangados
em pequeas quantias j se providenciou.e tam-
bem suas Sancas eobrem qualquer prejuizo. A
administracSo provincial tem sido exclusivamen-
te solicita no ciimprimenio de seus deveres, e
lauto prova o augmento consideravel ilas rendas
nos ltimos exercicios e que prometle continuar,
sob os ; uspicios do governo actual, do presiden*
te da provincia e do director da fazenda.
17 de Fevereiro
O coramendador Jos Carlos di Carvalho foi
Cachoeira do Campo examinar as fazeudas doa-
das por Sua Magestade o Imperador para o csta-
belecimento de colonias agrcolas.
Trouxe d'alli as memores impresses,, pelacx-
cellencia da trra- massap.
Ai fazendas tm 40o alqeires.
A colonia deve ser inaugurada a li dr Margo,
anniversario natalicio de Sua Magestade a frnpe-
ratriz, e receber.k o nome de Pedro II
. Paulo
Datas al 19 de Fevereiro :
O contracto para a grande lotera em favor da
nova cathedral foi assignado cora os Srs. Vis-
conde de Figuenedo, Fonseca Cunha, Jos Men-
dos de Oliveira Castro e Sebastio l'iaho, sende
os tres primeiros represeutados pelo ultimo. O
premio graude ser de dous mil contos.
A mprensa da capital era geral tece os
mal res eiogios ao Baro de Cotegipe.
A Uniao Conservadoia telegrapnou ao conse-
ilieiro Rodrigo -ilva para represental-a no en-
terro, dar pezaraes familia e depositar urna
cora sobre o caixo.
Na Assembla Provincial em 14 do cor-
rente o Dr. Delphino intra fundamentou um
projecto, concedendo os seguintes favores s as-
sociagOeis particulares que montarem ncleos
colomaes :
Pagamento de 200*001 por familia localisada:
Construcgo de caminhos que facilitera.o uio-
\ ment agrcola;
Deraarcago de lotes custa da provincia.
O dito projecto autorisa a despeza de........
2,000:0004000.
Na capital est exercedo o cargo de cnsul
do imperio allemo o Sr. Carlos Schmidt
Chegaram a accordo o superintendente da
estrada ingleza e os directores da Associacao
Commercial de Santos sobre recebimentos de
cargas.
A estago receber e entregar cargas das %
horas da manha, s 6 da tarde, effectuando-se
pagamento dos fretes al s 4 horas.
Ficou designado o prazo de 48 horas at o fia
do mez, para a retirada de mercadorias, mas se,
no decorrer deste prazo a companhia verificar
3ue nao auxiliada pelo commercio e lutar coa
ifficuldades, ser elle reduzido conforme o en*
tender a administrago.
Houve a 13, em Santos, duas mortes po '*
insolago.
No bairro do Turvo, municipio de Itape-
tirfuga. esteva Francisco Rodrigues experimen-
tando urna espingarda e, como esta nao dsse
fogo. poz no ouvido da espingarda urna braza e
chupou o cano da mesma, que,, disparando, em-
pregou-lhe toda a carga na bocea, deixando o.
em um estado horrivel.
Est gravemente ferido.
Em Sorocaba o Sr. Manoel Pereira da Silva,.
guarda trem da estrada Soroca baa, foi ha dias.
apanhado pelos batentes de dous vagos pela
cabega, que por pouco nao licou completamente
esmagada, licando no emtanto cora a o re ha cor-
tada pela parte media do pavilho e as regies
temporaes muito contundidas.
No da 10, na ladeira do Carmo, urna me-
nina de 3 annos de idade, lilha do Sr. Joaqun
de Lima Maeedo Faustino, cahio de urna escada.
fracturando o crneo e vndo a fallecer anfe-
hontem.
A 15 do corrente, uo bairro do Munduzinho,
municipio do Rio Claro, foi assassinado um in-
dividuo de cor preta, por um italiano, colono do
Sr. Gualter Martins.
Sabe-se que o assassino tendo verificado que
haviam rouiiado um cavallo de sua propriedade,
c tendo noticia do caminho seguido pelo larapio,
perseguio-o, e enoontrando-o no bairro do Mun-
duzinho, tendo em seu poder o animal roubado,
desfechou-lhe um tiro de espingarda, que o ma-
tou quasi que instantneamente.
0 assassino foi preso pelo Sr. (Jualtcr Martins.
Em Villa Bella, na noite de 8 para 9 do
corrente, desappareceu o pardo Romualdo, que
no dia 11 appawceu morto no porto do lugar
denominadoTambora, com um ferimeito de
fouce na testa e contuses em um braco e no
pescogo.
No l'erek, bairro onde resida o assassinado1,
foi encontrado urna canoa com vestigios de san-
gue, palo que julgam que foi nella perpetrado
crime.
Bsereve o Cwreio de Computas: ,
< Os gneros alimenticios estosubindo cons-
tantemente.
O feijo j est a 20*000.
Todos os outros gneros de primeira neees
sidade esto soiTrendo grande alterago, e
que peior, pelo que ouviraos aos nossos nfor-
mrintes comraerciaes, na tendencia parsita.
De alguns gneros ha grande escasa
Est nestes casos a banha nacional.
? Em i'lgumas lagas do municipio de Tau-
bat, para as bandas do Trememb, a tempera-
tura da agua, pela ac$5o do sol, teto subido
i
, .
?
2^



]


de PeruambucoQu
r,
A

(
I I
'
por nao poderem supportar a agua.
Vari 13 roarrequtobas d'agan, faioNQtkwrata,
tero se apanliado fcilmente, porque ellas aban-
doiram as lagoas'pela mesma causa e vao se
MMwtnbar no mato, onde por pouco- praticas
de andar sao perseguidas e presas.
Em Santos, o empregado da estrada de fer-
ro, Pietro Francisco foi recolhido Misericordia,
a a orna direita esmagada por ter-lhe pas-
sado por cima ura trem.
Foi feita amputago no tergo inferior da coxa.
O B"o de Araraquara fez donativo de
KNM i i bnete de leitnra do Rio Claro e de
'igual quantia Santa Casa da Misericordia da
na cidade.
A Jos Pinto de Almeida Jnior, que se
aclia preso na cadeia da capital, foi intimada a
senleni,a que o condemnou morte. O tribunal
da relago concedeu-lbe oito dias para interpor
o recurso de graga. Pinto, porm, est firme-
mente disposto a nao se dirigir ao poder mo-
derador.
l8to consta da seguate caria :
Tendo sido intimado da sentenca de morte
que me foi imposta pelo tribunal do jury de
Campias e confirmada pelos tribunaes da rula-
rio c supremo, venho rogar a V. S. inserir no
seu conceituad jornal o seguinte : fui intimado
da scnli-nga de morte pelo colando tribunal da
rciago que coneedeu-mc oito dias para inter-
por o recurso de graga : assignei nos autos tal
mtimago doclarahilo ticar sciente.
Nao iuterpuz e nao interponho tal recurso.
Se a sociedade nao tem escrpulos em matar un
hornero de cujo crimenao pode estar conven-
cida,levaiile'se, o cada falso que nesta vida
que arrasto a minha ultima e nica esperanga,
E'meu urdente desejo pedir imprensa a
trausenpeo desta declaragu que faz o coo-
deronado morte.Jos Pinto de Almeida J-
nior. S. Paulo, cadeia, 10 de Fevereiro Je 1889.
Em Tatuhy ha dias, no bairro das Pedernel-
ras, deste municipio, Miguel Guilherme, tendo-
Ihe morrido u;n boi atacado de carbnculo, es-
quartejou-o e rende'u muita carne na visi-
nhanga.
Victima de'ste abuso, Eufrasia Candida de
Brito foi atacada daquella molestia, conseguin-
do porui salvar se da irre inedia vel morte que
lhe estava reservada.
Na dia 6 cabio urna faisca elctrica nesta
cidade, no quintal de Joaquim Abreu, ra de
Jos Bonifacio. Nao offendeu a ninguem.
A lei sobre registro civil de nascimentoss
casamentos e bitos nenhum enibarago tem en-
contrailo em sua execugo neste municipio.
No dia io s horas da manrugad, na
roa do Carneiro Leo, foi encontrado um indi-
viduo com diversos ferimentos no pescogo.
telas diligencias a que procedeu o subdele-
gado do Braz veriticou-sc o seguinte :
Encontrou se morto o italiano Marcellino Ar-
raillini, morador no quarto n. i da praga do
Mercado.
11 roten, as ti liaras da manh, transferido o
cadver para a ostago do Braz, foram encon-
trados diversos ferimentos de faca, sendo trez
' no pescogo, c dive sos no peito e urna macha-
dada na caneen.
Pelos vestigios que apresenta oslo, no lugar
onde se devia ter dado a lula, suppe-se ter si-
do ella encarnigada.
O guarda chura do morto que era de. estoque
foi encontrado com os pannos dilacerados, que-
braja a arinago. conservando o cabo cm urna
das mos.
Suppe-se que tenha havido um crime, sendo
o raovel o roubo, pote nao foi achado o relogio
qoe Armillini costuroava trazer.
as algibeiras apenas foi encontrado alguin
droheiro em cobre erabrulhado em papel troco
recebido. noite, no cafe Giroudino.
Foi preso preventivamente um italiano que
morava coro o assassinado, o qual estava de
posse da chave do quarto ero que ambos habi-
tavaro.
Diz se que o preso fi prente de Armillini.
Foi preso depois, alli. Jos Marcliirini, indigi-
tado eo:no autor do assassmato de Marcellino
Armelioi, tstabelecido na Praga do Mercado.
O indigilado, logo lio dia seguinte ao do cri-
me, fez a barba toda, pois a tinlia cerrada e
raspn a cabeca, o qu fez com que sua mulher,
desconfiando, euntasse o occorrido aos visiuios
os quaes, por sua vez, levaram o facto ao co-
uliefi meato da polica, que ento tratou de cap-
turar Marchirini.
O 8r. Jos Zeaobio de ftgoeiredo despachou
uodia 14, na estaeo do Ribeiro Preto. dous
volumes de bagagem, fechados chave, com
destinos cidade de S. Paulo.
Indo a estaeo da Luz proeural-os, eucou-
trou-os abertos e, em presenga de empregados
da m.'sma estaeo, mostreu que faltava : urna
caixinha rom 20 libras esterlinas, 2 pataces,
algumas uioedas em pralu de 1 j e 200 rtfl-, um
attinetc de ouro e mais outros objectos.
Tendo os dous volumes tramitada otn trez li-
nhas: Mogyaua, Pausta e Ingleza, uo se sa-
bia em qual dellas deu-se o roubo.
No camidho que do Espirito Santo do P/
nhal vai para o Alberto, ao escurecer, estando'
o preto de nome Vicente deitado margem da
estrada, deseangando, appareceu un: desconhe-
cido sem articular palavra, des.arregou-lhe
um tiro queima-roupa. O delegado de polica
dirigise ao lugar do incidente e procedeu s
diligencias legaea sendo graves os feriineutos
recebidos por Vicente. Consta que o autor
desse crime uro individuo hespanhol. que es-
tando eni Ouro Fino fez toda a sorte de vanda-
lismos, j espancando enancas, j procurando
offender senhoras lionestas, e que nesse dia se
dirigi com destino aquelle lugar, armado com
urna parrocha de dous canos.
Em dias da linda semana cabio ura raio so-
bre o cruzeiro que se acha em urna colliua adya-
cente cidade de S. Luiz do i'arahytinga, redu-
lindo a pedagos este synibolo da passagem do
padre Bartholomeu Thadei por aquella cidade.
Ha dias, em Jacupiranga. pereceu afogado
no rjo Guarah, quando tomava banho. Francis-
co Damasceno, de 17 annos, lillio do Sr.-Antonio
Pedro Damasceno.
Pelo inspector do bairro de Jaguary foi
Sreso o preto de nome Joo feiticeiro e curan-
eiro, para cuja captura ha pouco tetnpo anda
fra enviada una escolta que. nao logrn encou-
tral-o.
Em poder de Joo o inspector encontrou duas
caixas de phosphoros amarradas em cruz, das
quaes se exhalava horrivel ftido.
Nessas caixas onecntraram-se fragmento? .1
ossos de enancas, dentes, bezouros c diversas
immundicies.
Ha poucos dias, esse preto appliepa botos em
m hornero e urna mulher que o foram procurar
para qiie os curassem, convencendo-os de que a
nui-*3 poda fazer-se com bolos.
Sob o titulo -Preso curiosopublicou al!'
o Diario Mercantil esta noticia :
Noticiamos lia dias ter-se evadido da cadeia
de Jatuhy, ua noite de 12 para i3, o preso Al-
fredo Vctor Modesto, de accordo com a senti-
nella Annibal Blanquine, seguindo um reforgo
no encalco dos fugitivos.
Sabemos agora que Vctor Modesto estava
preso por crime de polygamia, espera da sen-
tenga da relago para a qual tinha appellado. O
nosso hroe tem a bossa do casamento desenvol-
vidis3ima (sem maldade,j se v...) E se nao
reparem.
. Em Curitiba. Modesto raatnmoniou-se e
dessa pnmeira mulher teve-.urna filba. Aborre-
cendo se de sua esposa, veio para Iguape e,
como varelas delecta!, casou-se pela segunda
Satisfeita a paixo, Modesto, que soffre da
nevrose do secuo. aborreceu-se e um bello dia
azulo. Fixou residencia em Braganga e aln
pela terceira vez succumbio tentago : casou-
se ainda.
Por ura acaso infeliz para Madesto, a sua
terceira esposa apprehendeu urna carta da espo^
sa n. 2, sabendo assim que se marido era ca-
nsado em Iguape.
Communicou ao pai a descoberta, e o pai,
por seu turno, cotnmunicou-a polica.
Preso, foi-lbe instaurado processo e condem-
uado a seis annos de correego. pena que cum-
prio esignadame.ite, indo depois de solt loca-
sar-sc em Tatuhy
A tal bossa, porem. era mpertmente e o
bom Modesto, j marido de tres mulueres e gen-i
ro de tres sogras, casou pela quurta vez!
Alli foi p/ocessado novamet:te e coudemna-
do a outros seis annos de nrisSo.
Em Tatqhy Modesto chamava-se Alfredo de
MaRos- ,
O exquisito homem e sapateiro, bom traa-
cador de barbante, sympathico. communicativo.
,nd com certo t'osto e fcllando pelos coto-
No I I :ie .dar aindi este polyganio ae
\ tripeg.-' '
*i*4le Jaaeiro
Dalas at 20 de Fevereiro :
Foi concedida f.arana de juros de 6 por cen-
to ao anno sobre o capital de 780:000*5000
corapanhia que for organi ada por Joaq itn Xa-
vier Carneiro de Licerda para fuudaco de um
engenho central, destinado ao fabrico de assu-
care alcooj de Cetina, no municipio de Jaboato
da provincia de Prnambuco, coro capacidade
para trabalhar diariamente 300 toneladas de
canna durante cada safra calculada em cera
dias.
Por decreto n. 10,188 de 17 do correte foi
promulgada, para que seja observada e cumpri-
da to inteiramente comonella secontm, acoh-
venco firmada em Bruxellas a lo de Wargo de
1886 pela qual o Brasil, a i elgica, a Hes.anha,
o Estados Unidos, a Italia, ortugal, a Servia
e a Confederago Suissa- estabeleceram entre si
systeraa de trocas iiternacionaes de documentos
oDiciaes ede pnblicacOes scientilicas e Ilitera-
rias.
Sao estas as publicaces que os Estados con
traetantes se comptomettem a trocar:
1* documentos olliciaes, parlamentares e ad-
ministrativos ; ^^ammmm
i" obras ejecutadas por ordem e as expensas
dos governos;
Ser estabelecida em cada nm dos Estados
contactantes urna reparligo encarregada do
ser vico dag trocas.
As repartiges de trocas servicio como in-
termediarios oficiosos entre as corporagocs e as
sociedades I aeraras, scientilicas, etc., dos Es-
tados con traetantes para a recepgo e remessa
das suas publicages, licando entt ndido que,
neste caso, a acgo das sobreditas repartieres
ser circumscripla trransm sso gratuita das
obras trocadas e de nenhum modo tomaro a
iniciativa de provocar o* estabeiecimento de taes
relagoes.
Taes disposiges smente sern apnlicoveis
aos documentos e obras publicadas desde a data
da couvengo, a qual perdurar por dez annos,
continuando em vigor alm deste praso cmquan-
to nao for renunciada com antecipago de seis

Outra convergao entre o Brasil. Blgica.
Uespanha, Estados-Unidos, Italia, Portugale Ser-
va foi promulgada por decreto n. 10,189, tam
bem de 17 do correnie. para a troca da folhaof-
tkial e dos annaes e documentos parlamentares
dados publicidide. Durar esta cpnvcngao
pelo mesmo prazo da anterior e com a resalva
da denuncia com antecipago de seis mezes.
No BrasU existe, desde algutis annos, encar-
regada de semelhantes trocas, urna commissSo
central de permut;.goes internacionaes que, a
despeito da escaase/. dos seus meios, algumas
trm levado a offeito.
O Jornal do Commeicio de lo narra assia o
enterro do Baro de Cotegipe :
Foram dados sepultura hontem, uo ce-
miteri de S. Jo Baptista da Lagoa, os despo-
jos mortaes do Bariio de i.o'.egipe.
Na cmara mortuaria alm das tres grinaldas,
cada urna das quaes com a inscripgoA raeu
pai, depositadas pela lilha do illustre finado a
Sr. D. Antonia Wi.nderley em seu nome, no de
sua irra e de seu irmo ausentes, viam-se as
seguintes
03 empreados da Santa Casa de Misericordia.
o benemrito Baro de Cotegipe. A corapa-
nhia Nacional de Nivegago a Vapor. A ad rai-
uistraeo da Santa Casa. Monitor Campista. -
Gratidao. O administrador do cemiterio de S.
Joo Baptista.A seu pruvedor Baro de Cote-
gipe. Ao mais dedicado amigo de meu f ai -
Humberto Antunes. Uro amigo-ao eminente
brasileiro Baro de Cotegipo.' Ao meu melhor
amieoMiss Bose. A meu av Joaquim e Fe-
lippe. A meu sogro. A meu avMaria e Jo.
Conselheiro Freitas Henriques e Amalia Freitas
Henriqus. A meu querido tio. As orphas da
fabrica de Flores Orphanologica ao seu protec-
tor. A familia de Antonio Manoel Xavier Bit-
tencourt. Baro e Baroneza de C.uahy. Sauda-
des da familia SampaiO Vianna. Saudade da
familia Pinto Lima. Homenagem do partido
conservador da provincia da Bahia. As orphas
do recolhimuiilo da Santa Casa de Misericordia.
A- .xpostas da Santa Casa. Irmandade do San
tissimo Sacramento da Candelaria. Ao Esm.
?varro e sarao Jo
obre, Jardim e Torquato Coulo,
Jornal do Commervia ao Baro de Cotegipe.
Alm d'esta,kdepositaraos taubem UM corda
como representante do Diario de ffotcku da
Bahia e outra como representante da Gazeta da
tahia.
O Sr. Mrquez de Muritiba foi pessoalmente
depr urna grinalda sobre o caixo do Ilustre
estadista.
Depositaran! igualmente : o Sr. desembarga-
dor Espindola, cnefe de polica da corte, urna
grinalda. em nome do seu collega da Baha, o
Dr. Domingos Rodrigues Guimares : o Sr. pre-
sidente da Associago Commercial da corte urna
grinalda, em nome da Associago Commercial
da Bahia ; o Sr. engenheiro Ramos de Queiroz
urna palma de saudades roxas ; e cada urna das
seis c rphs da commisso do recolhimenlo da
Santa Casa um grande amor-perfeito
0 caixo estava coberto de llores naturaes.
A's 10 horas da manh, depois da eucoin-
inendago do corno pelo padre Scaligero. f >i con-
duzido o caixo para o carro fnebre, peganufl
as algas e nos conloes os e mselheiros da meza
da Santo Casa da Misericordia, os Srs senador
Barros Barreto. commendador Miranda Ca-tro e
Visconde de Silva e os Srs. Baro de Guahy.
Brs Ke
pela Cmara
Municipal ; presidente da rovincia do Rio de
Janeiro, cheles de polica da corte e de Nicthe-
rotiy, inspector da Alrandega da corte, ajudante-
general do exercito e seu ajudante de orden;
frei Fidelis, monsenher Brito, vigario geral do
bispado, presidente da Relago da corto, officiaes
generaes e superiores da armada e do exercito,
coramendadore8 Jos Mendes de Olivira Castro;
Joo Bodrigues Teixeira e Hermano Jopper pela
Assocjaso Commercial da corte, a directora e
o conselho fiscal do Banco do Brasil, commen-
dador Bernardo Pinto, pelo Banco del Credere,
commendador Joo Carlos de Olivira Rosario
pela faixa descrdito, Dr, Fausto pelo Banco
Industrial. Antonio* Alves da Silva Pinto pelo
Banco Unio de Crdito, Antonio Pedro de An-
drade pelo Banco Commercial e como represen-
tante do Banco Mercantil da Bahia, commenda-
dor Manoel Maria da Tonreca pelo Ban -o Indus-
trial, cmmenda 1or Tjtta pela Corapanhia Na-
cional de Navegago a Vapor, coramisso da
junta de corretores, Dr. Machado Bittencourt
pela administrago da Estradade Ferro I). Pedro
H, commisso da Liga Operara, conselheiro Sal-
dauha Marinho pela Assembla Provincial de 8-
Paulo, maior Delgado de Carvalbo pela compa-
ntia de S. Cnnstovo, ommenda.dor Gomes
Braudo pela Sociedade Propagadora das Bcllas-
Artes, commisso da Caixa de Soccorros de Pe-
dro V, Baro de Itacuruss,' commendador Souza
Ferreira e Jos Antonio Araujo pela Veneravel
Ordem Terceira de S. Francisco de Paula, com-
misso da irmandade'do Santissimo Sacramento
da Candelaria, Dr. Moura Brasil pela Policlmina
do Rio de Janeiro, Visconde de S. Salvador de
Campos pela Faculdade de Medicina -do Rio de
Janeiro, commisso dos empregados ao Senado,
Araujo Ferraz Fliho, por seu pai. o. Sr. Baro
de Araujo Ferraz ; conselheiro Dodsworth c com-
mendador Jorfe Naylor, pela Secretaria da C-
mara dos Deputados"; commissOes de irms de
caridade e o/phs dos recolhimentos da Santa
Casa e da Casa dos xpostos, e commisso da
Sociedade Portugueza de Beneficencia, enge-
nheiro Moscoso pela Associago Bahiana de Be-
neficepcia e commisso do Gremio dos Internos
dos Hospitaes.
Foi representada a aprensa desta cidade
Eelos seguintes senhores: Gazeta de Noticias,
r. Dermeval da Fonseca; Diario de Noticias,
Campos Porto e Joaquim Ramos : Diario do Com-
mercio, Dr. Candido Mendes ; Gazeta da Tarde,
Dr. Germano Hasslocher; Tribuna Liberal. Drs.
Carlos de Laet e Valentim Magalhes ; Apostlo,
padre Scaligero ; Paiz, Izaias de Assis ; Muni-
cipio" Neutro, Dr. Ferreira Nobre; Diario official.
Dr. Jos Avelino e Flix ''erreira ; L Italia, Dr.
Fogiiaui; Nocidades, Alcindo Guanabara e Gui
Iherme dos Santos c esta folha pelo commenda-
dor Joo Carlos de Souza Ferreira.
As das provincias pelos Srs. Dr. Mello Moraes,
Jornal de Noticias da Bahia: Ernesto,Senna, 0
Parahybanc ; Ral Pompeia, Diario de Minas; e
commendador Souza Ferreira o Diario de Noti-
cias da Baha e Gazeta da Bahia.
Assim as ras por onde passou o prestito
fnebre, como no cemiterio, era muito grande a
concurrencia.
De volta do cemiterio, os .Srs. "ministros
"dirigiram-se residencia da familia do finado e
nessa occasio o Sr. presidente do conselho,
dando as condolencias Sra. D. Antonia Wart-
derle-v, manifest u a conviego de que a nagao
brazifeira nao se esqueceria dos relevantes servi
gos que lhe prestou o eminente estadista, cujo
passamento todos deploram.
O Sr. conselheiro Rodrigo Silva recebcu
antc-hontem, noite, deS. Paulo o seguinte te-
egramma :
L'niao Conservadora communica a V. Exc. que
a noticia do infausto passamento do venerando
Baro de Cotegipe foi recebida por toda a pro-
vincia de S. Paulo com a mais profunda consler-
nago cmpede-lhe se digne represental-a no en-
terro, depositar urna cora no caixo do bene-
mrito clefe e manifestar as suas sinceras con-
dolencias familia do illustre finado. O secre-
tario, Rubio Jnior.
O Sr. senador Barros Barreto recebeu os se-
guintes :
. Bahia, 13.Pego a V. Exc. que represente a
mesa da Santa Casa de Misericordia desta capi-
tal nos funeraes do Baro de Cotegipe.Prove-
dor interino, Jos Bernardina Franco Lima.
Pindamonhangaba, 13. Dolorosamente sor-
prehendidos pela noticia do fallccimeiito do Ba-
ro de Cotegipe pedimos a V. Exc. transmittir
profundos senlimenlos familia do eminente es-
tadista. -Isao Velloso, pai e lilho.
O Sr. Visconde de S. Salvador de Campos re-
cebeu o seguinte :
Bahia, 13.-Interpretando os sentimentos da
congregago da faculdade de medicina, pege a
V. Exc. represental-a nos funeraes do BarSo de
otegipe. Ramiro Monteiro.
O Sr. inspector da Alfandega do Bio de Ja-
neiro recebeu telegramma do da Bahia pedindo-
Ihe para represental-o as t exequias do Baro
de Cotegipe.
Ao Sr. Ernesto Senna, ex pedio o Parahy-
bu.no da larahyba do Sul o seguinte : pedimos
que aprsente pezames familia'do Baro de
Cotegipe.
No mesmo sentido recebemos telegrammas do
Recites fie Hezende. do Club Litlerario de Gua
ratinguel. q^e publicamos na seceo compe-
tente.
A junta commercial em sesso de hontem,
por proposla do seu presidente, conselheiro Fer-
nandos Pinheiro, resolved unnimemente que se
consignasse na acta um voto de entido pezar
peo fallecimenlo do benemrito estadista Baro
des. inajor Delgado de Carvalho". rs. Ataliba
de Comensoro e Pedro de Barros, Baro de Ma-
cahubas, Osear Mangeon e Carlos de Araujo e
Silva. .
Poz-se a caminho o prestito fnebre na se-
guinte ordem : .
lam ua frente a iruiandade da Santa Casa da
Misericordia de cruz aleada, diverso3 irmos lo
dos de opa, o padre Scaligero e o sachristo que
o acolvtara na encomraendago.
Segua se o carro fnebre e depois o do nadre
Loreto com o sichrislo : um carro puxado por
quatro animaos, em que ia a cora de barfio e o
Sr. Baro de Macacubas, representante da fjmi-
lia do finado : uraa calega conduzindo as gri-
naldas e mais de 13") carros condueindo as pes-
soas que acompanharam o enterro.
Chegando o prestito a capella do palacete do
Sr. Vizconde de Silva, pegaram as algas e nos
cordes os -:s. Barao de Guahy, senador Barros
Barreto. conselh iio Manaui. cnefe de esqua ira
Fernandes, Visconde le Silva. Baro de Macahn-
\r.\ rommendadores Miranda Castro c Guilher-
tn Porto, inajor Delgado de Carvalho. Drs. Ata-
liba Gomensoro e ''dro de Barros, Carlos de
Araujo e Silva. /
Na capella ha\ a .ramle numero de senjK>ra
e.na ra grande agiomeraco de novo.
Deposto o caixo na ega, rezou a niissa de
corpo presente o Sr. vigario geral do bispado,
acompanhando-a no orgo o Sr. Maias de Assi3
Da capella para o carro fnebre pegaram as
algas e cordes do ciixo o conselheiro Doria,
representando SS. AA. a Sra. Condessa d'Eu e
seu augusto esposo, os Srs. Visconde de Serro-
Frio, Marquezes dejl'aranagn e de Tamandare
Baro de Pinto Lima, senador Barros Barreto,
conselheiro Galvo, Dr. Ataliba de Gomensoro,
commendador Miranda Castro, Osear Mangeon,
Drs. Seabra e Pedr de Barros.
O prestito seguio na mesma ordem pela praia
de Botafogo e ruas da Passagem e General Poly-
doro.
No cemiterio a irmandade da Santa Casa, que
bavia acompanhado em carros o prestito desde
a referida capella, formou porta, sendo o cai-
xo conduzido para b tmulo pelos Srs. presi-
dente do conselho, Biro de Guahy. conselheiros
Galvo e Sampaio Viinna, senador Barros Br-
relo. Baro de Pinto Lima, commendador Gui-
Iberme Porto, Drs. Machado Porea. Jos de
Araujo Goes, Samuel Pertence e J. Bittencourt-
O corpo foi sepultado no jazigo perpetuo n.
20 F.
Ao descer o caixo sepultura oraram os
Srs. conselteiros Angelo Thomaz do Ama-
ral e o Dr. Eunapio Deir, lembrando ambos os
servigoe prestados pelo illustre morto sua pa-
tria e ao partido, te que era um dos maiores or-
namentos.
Em segpida fez a enommendago o padre Lo-
reto dobraudo nessa occasio. o sino do cemi-
terio. ...
Acompanharam o enterro todo o ministerio, a
commisso do Sead'}. Barode Loreto, por parte
de SS. AA. 11 a Sra. Condessa e Comi d'Eu.
deputados conselheiros Theodoro da Silva e Al
fred Chaves, assos Miranda, Tarquimo, Cas-
ti-ioto, Junqueira Ayres, Goelbo Rodrigues, Seve
conselheiro Mariani, chefe de esquadra Fernn-' -de Cotegipe, que to relevantes servigos prestou
ao paiz.
O Gremio Benfeficente Memoria de D. Es-
tepliania. rainha de Portugal, igou ante-hontem
a meia baste o pavilho deste gremio, e assim
o conservar (luanle sete dias.
A commisso de limites brazileira resolveu
mandar rezar urna missa rom Libera-nu.
Como demonstrago de pezar pelo falleci-
mento do cmiuenle ciuado Baro de Cotegipe
que referendou o decreto n. 9,886 de 7 de Margo
para execugo do registro civil, foram cerradas
por tres dias as portas do cartorio do mesmo re-
gistro na parochia de Sant'Anna.
Bnhin
Datas at 23 de Fevereiro.
As folhas que recebemos nada referem de
importan!!'.
Datas at 2u de Fevereiro
G-assava com rouita nlensidade a varioia
na capital, t.rodo j feiUt uiuilas victimas.
O presidente da provincia visitara no dia
17 o novo acude do encauasateto ic aguapota-
sel no lrbedouro.
.No da -Ji i;.- --seulada a piimeira pedra
do cemiterio de Bebido m
Ao amanheeur de 3 C j euconirada redu-
zida a cinzas a correspondencia que existia na
caixa urbana collocada Praga dos Martyrios.
0 autor de tal malversago servio-se de mate-
rias inllammaveis as quaes intrdilazio pela aber-
tura respectiva da caixa ateiando-lhe fogo.
Sobre esse facto mandou o Sr. Dr. chefe de
polica que o subdelegado do districto proeedes-
se a corpo de delicio c ao competente inquerito
para os devidos fins.
Na mesma noite inutilisaram os malfeitores
sete combustores da ilbiminago publica, em
cuja pratica sao frequentes.
De S. Jos da Lage escreveram o seguinte:
" Calcula-se em 12 a la mil sacras de algodo
as que, das boland^iras deste termo, das do ter-
mo da Imperatriz, Ingazeira e de outros muitos
pequeos motores de descarocar algodo, se-
guem animalmente para Pernambuco sem pagar
o devido imposto de exportago I
Le se no Guttemberg de 23 :
Contain-nos que ante-honte andavam os caes
a disputarse os pedagos d cadver do urna
desventurada mocinha que fra victimada pela
varioia I e to pobre, to desamparada de todos,
que nao teve quem a sepultasse !
Estamos a espera de informaces seguras e
certas para tornar ao assumpto. .'
AMenbla Provincial Realizou-se
hontem a i" sesso orepraratoria son a presi-
dencia do Exm. Sr. Df. Jos Mara de Albuquer-
que Mello, tendo compru-acide u Srs. deputa-
dos.
O Sr. presidente deelarou havero numero le-
gal para ser aberta a 2> sesso da 87* legistura,
e que neste sentido ia olliciar-se ao Exm' Sr.
presidente da provincia afim de designar a hora
para a abertura
__SI
AoCo da prridearla -Por actos de
18 do corrente :
Poram cocedfdos 3 mezes de licenga ao pro-
! Victorino Antonio de Alcntara.
Foi considerado memoro honorario do Conse-
lho 'Lilterario o professor jubilado Francisco da
Silva Miranda.
Foram concedidos 30 dias de licenga a pro-
fes8ora Thereza l'orfiria de Jeius e Silva.
TribuiiHl do Jury do^BecIfe Punc-
cionou hontem este tribunal com a presenga de
36 juizes de facto no julgamento do reo Joo
Francisco Rastos de Olivira Filho. pronuncia-
do por despacho do Dr. jniz de direito do 3o
districto, no art. 219 do cdigo criminal, porque
ero urna das noites do mez de Abril do anno
passado, deflorou a menor de 17 annos. Quite-,
ra Deolirtda do Nascimento, Hlha de Francisco
Kibciro Jersey.
A's 11 horas da manh, principiou a sesso
sob a presidencia do Dr. Antonio Domingos
Pinto,'juiz de direito do 5o districto criminal.
Fnnccionaram no conselho de sentenca os ci-
dos seguintes:
Elias Cordeiro Cintra.
Thomaz de Aquino Medeiros.
Antouio Martms Vianna.
Antonio Fernandes de Albuqnerque.
Francisco de Lima Coutinho.
Dr. Manoel Francisco de Barros Reg
Agostinho Jos dos Santos.
Jos Roma de Abreu e Lima.
Bento Manoel de Castro Amaral.
Joao Cesario de Mpllo.
Joaquim Francisco de Medeiros.
Jos Francisco dos Santo* Miranda.
Interrogado o reo disse que era natural desta
provincia, de 29 annos de idade, solteiro, artis-
ta e que sabia 1er e escrever;
Que indo a Boa Viagem, passando em casa de
Jersey encontrou ahi diversos rapazes seus co-
nhecidos em divertimentos em que tomou parle ;
43ue dias depois Jersey o aecnsou de haver
dciiorado urna sua lilha o que no^ exacto, e
passando dias depoi pela casa de Jersey, encon-
trou um individuo de nome Filemon que, ouvio
dizer, estava para casar com Deolinda ouvindo
tambem nessa occasio Jersey dizer a sua mu-
lher que se apparecesse alguma prostltuigo em
sua casa elle a matara, pelo que a mulher de
Jersey pedio a elle respondente que raptasse
Deolinda, aoque nao quiz amiuir:
Que teve occasio de ver Filemon mudar de
roupa dentro do qnarto das filbas de Jersey e
na presenga destas:
Finalmente que conhecia as testemunhas do
processo, nada tendo a dizer contra ellas e que
nao attribuia a aecusago a motivo particular.
Concluido o interrogatorio fez o capito Fio
rencio Rodrigues de Miranda Franco, escrivo
privativo do tribunal a leitura do processo.
Em seguida o Dr. Joo Joaquim de Freitas
Henrique, Io promotor publico da comarca pro-
duzio aaecusago.
Hstoriou facto delictuoso expondo ao jury
todas as provas e circumstancias constantes do
processo e pedio a condemnaco do reo no grao
mximo das penas estabelecidas no art. 219 do
cdigo criminal visto ter-se dado o crime a noi
te, abusando o delnqueme da confi*nga que
lhe era dispensada pela familia da otTendda.
O Dr. Jeconymo Materno Pereira de Carvalho,
advogado do reo, deduzindo a defesa do seu
constituinte analvsou o 1." auto de vistoria pro-
cedida na pesso'a da ofTendida e disse que nao
estava ella disvirginada na poca do referido
exame.
Analysando o segundo corpo de delicio felo
00 dias depois do i.- a requerimento do pai da
otfendida e outras pegas do processo, concluio
que, ou pelos meios que a malicia precoce, re-
velada pela menor no proprio auto de pergunUs
a que respondeu. poderla indicar-lhe, ou por in-
sinuages, o defloramento foi voluntario e po-
curado.
Fez outras muitas considerages e concluio a
defesa pedindo a absolvigo do reo.
Houve replica e treplica.
Foram propostos ao jury de sentenga os se-
guintes ques^os :
1. O reo em dias do mez de Abril do anno
passado deflorou a menor de 17 annos Quitea
Deolinda do Nascimento. lillia de Francisco Ri-
beiro Jersey e Severina Francisca Jersey, mora-
dores na Imbirbeira, freguezia de Afogados ?
Io o reo commetteu o crime a noite t
3.' O reo commetteu o crime com abuso de
t nette posta ?
istera circumstancias attenuantes em fa-
vor do reo ?
0 jury respondeu:
Sim. porwez votos, ao 1." i: e 3." quesitos -
Nao por Igual numero de votos ao ultimo.
De conformidade com estas decises foi o reo
condemnado a 3 annos de desterro para a co-
marca de Palmares, dotar a offendida e as cus-
tas do processo, grao mximo do art. 219 do c-
digo criminal.
Termino o julgamento s 4 horas da tarde.
Foi encerraba a 1.* sesso ordinaria do.cor-
rente anno.
Eleirao municipalNa eleigo havida
hontem era Palmares para as vagas existentes
na respectiva Cmara Municipal, triurapharam
os conservadores, cuja chapa foi sutfragada com
180 votos, teudo a liberal apenas 100 votos.
na ra do Imperador, brigaram dous menores
de cor preta, dando um d'eles, de nome Antonio
Jos, urna canivetada no oulro, chamado Victo-
rino Jos da silva.
0 offensor foi preso estevado para a estagao
da guarda cvica da parafchia de Sar.to Antonio.
Rerebedoria de Muda* Internan
CeraePela ultima \ez, aeeta poca, chama-
mos a attengo dos -rs. contribuintes para o
pagamento sem multa do imposto de industrias
e profisses, relativamente ao 1. semestre do
correte exercicio; pagamento, cujo prazo se
finda hoje.
Lembramos ainda que segunuo as disposiges
do novo regulamento a importancia que nao
attingir a 50*000 ser cobrada de urna vez, por
todo o exercicio.
Do 1.* de Margo em diante far-se-ha a referida
cobranga mediante multa de 10 >/, que passar
depois, no caso de remisso, a 15 % com a cir-
custaucia aggravante da execugo judicial.
A Efttac&o Da Corte recebemos hontem o
u. 3 do :8. anno do jornal de modas parisienses
aHi publicado, |sob o titulo cima, pela livraria
H. Lombaerts 4 C.
Alm|de muitas gravuras intercaladas no texto,
traz dous tigurinos coloridos.
Bevitia Tj'posrapiilrn Tambem da
Corte recebemos os ns. 48 a 19 do 1. anno desta
revista semanaria, orgo"das classes graphicas do
Brazil. .. ,
i:\puoiniu Provincial Aroaiiha, as b e
1,2 horas da* tarde, no Lyco de Arles e 'lucios
rune-se a Commisso Pernambucana para a re-
presentago da provincia na Exposigo Univer-
sat de Pars. .
A reunido tem por tim tratar-se de materia im-
portante'e urgente.
Imposto de induntriaa e profiaaoea
Hoje termina o prazo de pagamento, sem multa,
do imposto de indastrias e profisses, na Rece-
bedoria Geral. Depris sero entregues aos co-
bradores as certides do imposto com a multa de
1 /o para promoverem a cobranga as casas dos
contribuintes.
Ctub Dramtico FamiliarPor moti-
vo de molestia deumdos socios que desempe-
nhava um dos principaes papis, fica transferido
0 espectculo que devia ter lugar hoje no thea-
tro Santa Isabel. Em lempo se far annunciar.
Club olindene pawtoril papafaio
Este club percorrer no prximo dominga as
ruas da cidade de Olinda na mais chistosa cri
tica.
Miscelnea pbiloMopblca e ocio-
laglcaPublicou-se o 21 fascculo desta obra
do finada Dr. Aprigio Guinjaaes.
Basar universal -A loja dessa denom-
nago, de propriedade do Sr. Emilio Roberto e
sita no predio n. 17 da rtia do Baro da Victoria,
lem um completo e explendido sortimento de
mascaras, bisnagas de diversas naturezas e ou-
tros artigos proprios para os dius de folia carna-
valesca.
Becoramendamos essa loja aos amigos dos di-
vertimenios do carnaval.
Missa O Gremio dos Professores Prima-
rios manda celebrar hoje, s 8 horas da ma-
nh, na matriz de Santo-Antonio, urna mis-
sa pela alma do professor Antonio Candido
Ferreira.
Associaco Medico Pbarmaceufl-
eaHoje, quinta-feira, haver sesso da Asso-
ciago Medico Pharmaceutica Pernambucana na
1 em sua sede a hora do costume.
Nervico militar-Esto designados hoje
para superior do dia o Sr. capitc S Barreto, e
para ronda menor o Sr tenerrte Leobaldo de Mo-
raes.
A'cidade guarnecida hoje pelo 2."-bata-
Iho de infamara.
As guardas de Palacio i Thesouraria sao
commandadas hoje por dous officiaes do i." ba-
talho. >
Na enfermara em trata ment existem 36
pragas dos cornos da guarnigao.
Segundo communicou a presidenciada pro-
vincia em officio de 26 do corrente S. Exc. o Sr.
conselheiro ministro da guerra con deu 3 mezes
de licenga em prorogago aos em que se acha ao
Sr. tenente do 14. batalho Francisco Evaristo
de Souzu, para tratamento de sua sade.
No requerimento do 2.** sargento do 14." ba-
talho Marianno Jos da Conceigo, pedindo para
aguardar deciso de sua baixa em seu quartel
deu SJExc. o seguinte despacho : -Como pede-
Obteve hontem de S. Exc. o Sr. general
comraandante das armas, 8 dias de dispensa do
servico o 2. cadete furriel Olympio Nanas Lins
da Silva.
Hontem, s 4 horas da tarde fez as honras
fnebres ao cadver do tenente da guarda naci
nal Jos Maria de Albnquerque Olivira, urna
guarda de honra do 4." batalho.
C bataln&o de intentarla Segu
brevemente para a Bahia o Sr. coronel Frederi-
co Christiano Buys commaudante que foi do 2
batalho de infantaria, transferido ltimamente
para o 16" batalho da mesma arma.
S. S. que foi sempre ura official distincto, e
um commandante de corno exeraplar, ao passar
honlem o commando do 2" batalho ao Sr. capi-
to Pedro Velho de S Barreto, dirigi ao mes-
mo batalho a seguinte:
Ordem do dm n. lOti
De conformidade com o telegramma do Mi-
nisterio da Guerra de 22 cemmunicado pelo
commandante das armas em officio de 23, n.
369, entrego- hoje o commando ao distincto Sr.
capito Pedro Velho de S Barreto.
Despedindo-me deste batalho, immensa
a saudade quo me compunge.
Durante o tempo que commandei-o.Jnem urna
s vez Ime esqueci de que a honra e os bros
do soldado nao dvem estara merc de urna fal-
sa interpnetago da lei por parte de um superior
mal avisado.
A tranquillidade de mnha consciencta diz-
me que procurei sempre ser justo para poder
ser obedecido, porque, segundo a phrase feliz
de um escriptor illustre a i bediencia e a alma
da disciplina, mas a abediencia bem entendida
e nao o servilismo qu degrada a quem o prati-
ca e humilha aquelle que o faz nascer.
Coadjuvado officiosamente em todos os meus
trabalhos pela distinctissima officialidade deste
batalho, nao me possivel distinguir quaes os
amigos que mais se esforgaram em merecer a
rainha gratidao. e por isso, confundo-os todos
nos meus agradecimentos.
Sao tantos e to valiosos os favores que me
prestaram. que recordal-os agora seria tarefa
superior s minhas forgas: guardos, porm,
no intimo do peito. como lembranga inolvidavel
dos dias que passei entre elles.
< Diz-me o corago, lanceado por esse apar
lamento que se nao adquir alfeiges nao con-
quistei odios e inimizades.
Estendo a minha gratidao aos Srs. cadetes,
officiaes inferiores e as dmais pragas pelo mui-
to que se esforgaram para elevar bem alto os
crditos deste corpo-, e louve os pela disciplina
e acendrado amor ao dever, d>que deram ex-
huberantes provas.
Urna ou outra falta grave-felizmente bem
raras-commettida durante o meu commando,
nao teve forga para apagar a agradavel impres
sao que levo de to briosos camaradas, que me
faro sempre recordar, com legitimo orgulho. a
fortuna de havel-os guiado com os meus couse-
lhos e experiencia.
Nao me esquego do muito que devo aos Srs.
alferes Joo Affonso de Mello, quartel-mestre.
e Luiz Bezerra dos Santos, ajudante, 2" cadete
sargento ajudante Antonio Martins de Mello e
2o cadete sargento quartel-mestre Porapiho Jor-
ge de Campos, pela boa vontade, intelligencia
e invejavel zelo com que cumpriram as obriga-
ges dos cargos que oceupara. e louvo-os por se
terem imposto minha estima e gratidao.
Elogiando-os, creio cump'rir um dever, que
ser applaudido pelos que conhecem e apreciara
suas bellas quaiidades.
Elogio, igualmente, aos Srs. Io cadete Luiz
Gomes Monteiro de Mello e particu'ar Joo Vas-
co Cabral Netto, pelos servigos que prestaram.
como amanuenses da secretaria, ondedemons
traram sempre a melhor boa vontade e aprovei-
tavel intelligencia do cumplimento de seus de-
veres.
Como fraca demonstrago da mais sincera
amisade e do muito aprego que me merecem os
Srs. alferes secretario Manoel ^ebastio da Ro-
cha Lins Filho, 2" cadete 1 sargento Balthazar
de Albnquerque Martins Pereira e 2 cadete 2o
sargento Jos Marianno Augusto de Moraes,
deixei, em ultimo lugar, esses para mim to
charos nomes.
Nao me seria possivel conservar na sombra
os que mais direitos alcancaram a todas as dis-
tineges que, porventura. possa fazer-lhes: ce-
do, portante, a um roovimento deinteira justi
ga, dou Ibes urna insignificante prova de meu
reconheci ment, elogiando-os com toda effuso
de urna alma agradecida, pela maneira altamente
honrosa com que conquistaran! minha Ilimita-
da confianga e a rara dedicago com que em-
pregaram no publico servigo os recursos de
seus talentos, realcado por urna applicago sem
limites e zelo inexfedivel.
(Assignado)Frederico Christiano Buys, co
ronel.
- O Sr. capito Pedro Velho de S Barreto,
quem coube por sua antiguidade substituir ao
Sr. coronel Buys, ao assumir o commando fez
publicar tambem, esta outra :
Ordem do dia n. 1,089.
Assumo o commando interino deste bata-
Uio no mesmo dia em que delle se despede o
illustre e distinctissimo Sr. corouel Frederico
Christiano Buys, levando a certeza de que em
nossos corages ficar indelevelmente gravada a
lembranga de sua luminosa passagem e a eter-
na gratidao que lhe devemos pelos immensos
favores que so elle sabia prestar.
, E' a um ch fe que por sua g ntileza e ca-
valheirismo se impoz ao respeito, amisade e
sympathia de todos nos, que 6u venho substi-
tuir : essa honra me fulmina.....
Beeonhego que nao podere, apezar de mi-
nha boa vontade, seguir os tragos rutilantes de
sua administrago, se roe faltar o poderoso au-
xilio da nobilissiroa oflicialidaue desic corpo.
Fago um appello. porlanto, s luzes e ge-
nerosidade de todos os meus corapanheiros, para
que me seja possivel desempenhar to ardua
tarefa......................................
(Assignado)Pedro V. de S Barreto, capi-
to commandante interino.
Tiro e ferimento Communicam do Ca-
bo que, no dia 25 do corrente, s 7 horas da
noite, um individuo empregado n'um circulo de
cavallinhos que alli est trabalhando, ferio com
um tiro de pistola ao menor de nome Antonio,
logrando evadir-se depois do crime.
O tiro era dirigido outro empregado do
mesmo circulo, mas o desvio da arma deu lu-
gar A que em vez da porca fosse ferido o leitao.
0 ferido foi recolhido ao hospital Pedro U.
Soldado pnsillanimeMandaram dizer
de Floresta que, em 31 de Janeiro finda, a praga
de policis" Pedro de Alcntara Muniz Sobrinho
foi aggredida por tres individuos que lhe toma-
ram a carabina e urna pistola que trazia a mes-
ma praga.
E realmente muita pusillanimidade urna pra
ga de polica, armada de pistola e carabina,
deixar-se assim desarmar I
Fallec mentHontem. s 3 1/2 horas da
madrugada, suecumbio urna sciilcrose do ap
parelho gerito-urinario, o commerciante Jos Ma-
ria de Albuquerque Olivira.
Filho de Joo Antonio d3 Olivira e sua mulher
a Rosa de Olbeira, tinha o finado 84 annos e
meio de idade, e conservou-se sempre robusto e
activo at poucos asnos passados quando lhe ap-
parecerm os pruneiros symptomas do raal,que o
levou ao tmulo.
Foi empregado da capitana do porto, cargo em
que se aposentou, e dedicou-se depois ao com-
mercio. oceupaado-se no desmbarago e despa-
cho de navios, servigo em qne sempre se distin-
gui, merecendo toda confianga dos seus conmu-
ten tes
Era homem jovial, nao obstante o seu genio
as vezes irascivel, e anab fazer amigos. Era of-
ficial reformado da antiga guarda nacional
Tooiou parte na 824.
.Seja-me a trra leve, e recebam se
ios nossas condolencias.
Cmara MunicipalEro sesso de hon-
tem d'esta.corpuraco foi contrattado. com 0 Sr.
capito Ernesto Vieira de Arauio o arrendame-
to do mercado publico d-S. Jos, por capar/) de
nove_ annos, obringando-se o cdmractante pela
consrvagao, reparos e melhorameatbs do mesmo
mercado.
O fim principal do acto da Cmara foi o paga- -
ment de toda a divida ao i anco do Brazil, que
fomeceu os capitesTpara a construego do mer-
cado.
Desde muitos annos Lucta a amara com diffi-
culdades para effectuar o pagamento d'essa di-
vida que, cada dia tornava-se maior pela acenmu-
lago dos juros, agora por esse meio vae ser sa-
tisfeito esse compromisso, conforme obrigou-se o'
contractante.
Esmagamento Hontem. no trem que do
Recife fubia para Caxang s 8 horas e 25 minu-
tos da manh, teguio n*um carro de 2' classe
Aquilino Carneiro, pardo, de0 annos de idade.
vendedor de leite e morador em Caxang. .
Ao approximar-se'O trem da ponte do Lasserre,
na Capunga, tentou Aquilino passar de um carro
para outro; mas o fez com tanta infelicidade
que, entrando o dito trem na ponte, baleu Aqui-
lino de encontr grade da mesma ponte.i sendo
comprimido, e cabrado ao rio Capibaribe, de
onde foi retirado j morto e transportado para
o Caxang.
Assassinato da ra do Imperador
Damos hoje publicidade o depoiment da 1*
testemunba que ante-hontem depoz no processo
instaurado contra Manoel da Paixo Ramos pelo
assassinto do tenente Pedro Regaard :
. testemunJia. -Pedro Ramires, 33 annos de
idade, solteiro, natural das Alagas, morador na
ra Primeiro de Margo, commerciante, aos cos-
tumes nada disse, testemunha jurada.
Disse que no dia e hora aun refere a queixa
achava-seelle tcstemunhFem sua casa rea
Primeiro de Marco n. 11 e ouvindo urna alterca-
go na ra chegou janella afim de ver c que
era ; que continuou a ouvir as vozes de dous no-
mens e compreneodeu que elAs altercavam pela
razo de um recusar ao outro o fogo para acen-
der o charuto ; que o primeiro, isto o que pe-
dia o fogo insisti por mais de urna vez e 0 ou-
tro recusava terminantemente ; que o individuo,
que pedia fogo tinha a voz forte e grossa e o
que recusava tinha a voz mais branda ;
Que elle testemunha ouvio ao primeiro dizer :
o Sr. insltame recusando-me o fogo; que
depois de ama pequea pausa ouvio elle teste:
munha a urna mulher que acompanbava ura des
individuos dizer :vamo nos embora, ouvindo
tambem do individuo que pedia o fogo pergun-
tar ao outro :eo de modo algum o snhor
me d o lume, ao que o outro respondeude
tnuneira nenhuma lhe dou o lume.
Que pareceu ento a elle testemunha que con-
tinuavam a andar a mulher e o individuo qne
recusara o- fogo porquanto ouvio pisadas pela
calgada approximando se calcada da ra do
Crespo, esquina onde tem estabeiecimento Joseph
Krause ; que ahi sem que elle testemunba ou-
visse provocaco comegou urna lucta parecendo-
Ihe que os dos individuos luctavam corpo a
corpo.
Que a lucta continuou por algum tempo ou-
vindo depois elle testemunha como que bordoa-
das que erara dadas em um corpo sem acgo ou
por traqueza na ural ou porque eslivesse snb-
jugado por outro. *
Que nessa occasio puvio elle testemunha a
voz da mulher que se approximou dos dous que
In.'tavam, a qual dizia rara o que dava as por-
doadasdeixa isto e vamonos embora -ao que
o individuo respondeuque deixasse-o matar
aquelle individuo que nesso occasio foi que
elle testemunha conheceu que o individuo de voz
branda era quem $ubjugava eespancava o outro
e que era o companheiro da mulher a que se tem
relerido.
Que as bordoadas continuaran] at que elle
testemunha ouvio ao individuo de voz forte $
grossa dizer : a matou-me, o que fez elle tes-
temunha suppor que houvessse nessa occasio
o aggressor dado urna facado no offendido.
Que elle testemunha horrorisado e nervoso com
o que se passou retrahio-se um pouco da veranda
de uiodojque ro reparou ou nao percebeu
se o aggressor conservou-se no lugar ou se poz
era fuga, ouvindo porem ao ol' ''o dizer por
tres vezes e com muita difficulda^., _,.rtam rael
Que ento acudiram diversas pessoas, '^aeeUe
testemunha suppe terera partido da*f-'*jra-
phias da ra do Imperador em auxilio .- -
dido; que elle testemunha ouvio a urna dft
pessoas que haviam chegado perguntar ao affen-
dido, se reconheceu que o haviam ferido respou-
dendo elle apenas : Pedi-lhe lume, (que nao
ouvio mais nada alm destas pahavras); que na
mesma occasio ouvio elle testemunha apitos e
vio a pessoa que ajitava e que no dia seguinte
soube ser porrcia e que dizia, quando j estavam
reunidas diversas pessoas, meu ver aquella
mulher que entrou no botel sabe algnma cousa
respeito dse facto e eu entenda que devia
prendel-a se nao fosse o Sr. major.
Que no correr desse facto elle testemunha ne
ouvio nenhuma voz pron rociar um nome pro-
prio. .
Que elle testemunha por ser miope e mesmo
por estar a noite escura nao vio os dous indivi-
duos vendo, apenas o vulto de urna mulher que
por mais de ama vez approximou-se da^es-
quina da ra oro Crespo por estar com roupas
claras-'
Que o facto a que se refere teve lugar a ra do
Imperador na calgadt do estabeiecimento de
Joseph Krause, sendo que parece-lhe que o es-
bordoamento j teve lugar abaixo da mesma
calgada, porquanto a mulher na occassio de |
convidar o offensor para relirarem-se, parou
naquelle lugar, donde pareceu a elle testemu-i
nha virem as pancadas.
Que na occasio nao ouvio dizer que -o offen-
sor tivesse deixado no lugar do crime vestigios
de sea pessoa, nem mesmo se tratou de perse-
guigao d'elle, estando-todos oceupados em pro-
videnciar quanto a retirada do offendido d'aquelle
lugar: que no dia seguinte por volta dt 8 oras
da manh sabindo elle testemunha de casa vio
um grupo no lugar em que o facto criminoso se
realou e dirigindo-se para ahi Vio ainda urna
pga de sangue no chao e ouvio referir por um
mogo de nome Arthur Espiuca que dizia ter ser-
vido de escrivo ad-hoc nasjprimeiras deligencias
Rrocedidas pela policia, quj o offendido era um
edro Allemo de Olinda e o offensor era Manoel
da Paixo Ramos o qual deixarajno lugar.vestigios
de sua passagem. lembrando-se elle iestemunha
de ter ouvido fallar em um chapeo de sol que o
offensor ahi deixou, levando consigo o cabo que
foi encontrado defronte da casa de uraa amas!
do offensor.
Dada a palavra ao advogado da queixosa e
seu requerimento disse a testemunba, que o in-
dividuo que passou na frente da ra do Crespo
por diversas vezes apitando, trajfvaroup*4>araa
c era de estatura menos de regular ; que a mu-
lher que elle testemunha vio durante a luctu"
havida entre os dois individuos, depois .delta
terminada aind se conservou por alli talvez
mesmo em direcgo a retirarse, parecendo a
elle testemunha que ella tomou a direcgo da ra
do Imperador para o lado do Jardim do Campo
das Princezas, sem grande precipitacSo, de ma-
neira que quando esse individuo que apitava,
disse que ao seu ver a mulher que tinha entra-
do no hotel sabia de todo o facto, justamente
poderia ella ter tido tempo de alcangar o mesmo
hotel.
Dada a palavra ao Dr. promotor publico deela-
rou este nada ter a requerer.
Dada a palavra ao advogado do reo e a seu re-
querimento disse a testemunha, que depois da
ultima vez que foi recusado o pedido de lume
pelo individuo de voz grossa, ouvio distincta-
mente os passos de duas pessoas chegando at
a mulher a esquina da ra do Crespo, de manei-,
raque elle testemunha suppe que a lucta se
dera pela forma 6eguinte indo retirar-se do
lugar em que hornera a troca de palavras, o
individuo, que recusava o lume com a mulher o
que pedia o mesmo lume langou-se sqbre eUe
para tomul-o a forga ; que elle testemunha julga
que decorreram cerca de quinze minutos do mo-
mento em que comegou a ouvir a altercago at
qne o offendido pedio soccorro que o lugar da
lucta circumscreveu-se a calcada do estabeteci-
meoto de Krauze do lado da ra do Imperador.
e que durante a lucta entre os dous individuos
apenas ouviu elle testemunha o ruido dos pea,
ou sapateado, sem ouvir nem palavras
Saneadas, pelo que jujga elle'testemnnha i
os luctaram corpo corpo.
Que o esbordoamento de que que ja fai j
testemunha passou-se abaixo da refendaj
I

iferid

1


4
UM
io de Pernambuco---
f
4
\
ii entre os dous pnmeiros arvoredos que all
existem, suppondo elle testemuna que um dos
individuos fisvia subjugado o ontro con ama
dio e o esbordoava com a outra.
Que egaeesbordoamento- continuoo por es-
paco de S mi autos pouco mais ou menos e s
cessoo quando o,individuo de roz mais forte dis-
se que o'hawam matado, e que era mesmo
quando a mulher convidou a um delles para se
retirar, isto ao de ros mais branda, cessaram
as pancadas que elle testemunha ouvira.
Que quando essa pessoa vestida de roupa par-
da e. que apitava ebegou ao local do crime ja se
achavam reunidas diversas pessoas, e que esse
individuo ] fallava do tacto, donde conclue que
ee ja estivesse estado all.
Que sabe elle testemunha do que se passou
santo ao chapeo de sol e autorta do crime por
w ter dito Artbur Espiuca, o qual tambera lhe
narrou que se haviam obtido esses esclareci-
mentos por meio de um estratagema usad com
Laurentina que era a mulher que se achara na
occasiao do conflicto
Que o estratagema a que se refere foi o se-
guinte: /
Estando Laurentiaa presa foram ter coin ella
diversas pessoas e lhe disse ram que Paixao
um homem com quem estivera ha pouco a mes-
ma Laurentina, confessava que havia assassina-
io um homem na ra do Imperador, e que ella
Laurentina navia agarrado esse homem para au-
xiliar ou facilitar o crime ao que referi Espiu-
ca a elle testemunha que Laurentina bavia dito
desgrasado, tanto que eu gosto delle e procura-
va oceultar o crime e elle quer me comproinet-
ter; j agora digo o que se passou e effectiva-
mente o fez.
Que os indicios pelos quaes disse Espiuca se
ter descoberto a autora do crime, foram, alm
de oulros, os do chapeo de sol e p cabo do
mesmo, e o soldado declarar que Laurentina de-
via saber do facto.
Que quanto a pris&afde Paixao apenas sabe
que este evadira-se por lhe ter dito Espiuca, sem
que lhe tivesse dito se haviam procurado o mes-
mo Paixao em casa ou em outro lugar.
Que nao lhe coasta que Paixao entretivesse
inimisad com Pedro Regaard, antes lhe parece,
pelo facto que presenciou, que os dous homens
que Iuctavam eram desconhecidos um do outro.
Que nao conhece Paixao nem Pedro Regaard,
nem sabe delles facto que deponha contra o pro-
cedimento dos mesmos.
Que elle testemunha vem hoje dar o sen de-
poimento neste pro.-esso por ter referido a di-
versas pessoas o que vira. -
Que as primeiras pessoas a quem relatou o
facto que se passou na ra do Imperador foram
os seus companheiros Martyrio Jo4o Brasilien-
ge, Manoel Ramires, Dr. Climerio Sampaio, a
qoem elle testemunha contou dito facto.
Dada a palavra ao reo para contestar a teste-
munha, disse que aguardava-se para o seu in
terroga torio.
E por nada mais lhe ser perguntado, mandou
o iuiz encerrar o presente depoimento, que de-
pws de lido c achar conforme vai asaignado pe-
la testemunha com o iuiz, o advogado da autora,
o reo e seu advocado e o Dr- promotor pu-
blico. ,
Eu Felieissimo de Azevedo Mello, esenvao o
escrevi. Barbalho Uchoa. Pedro Ramires.
Luii de Drumraond. Manoel da Paixao Ramos.
Alfonso Ondense. Adelino de Luna Freir
Jnior.
Fealejo* fiMi leco A convite
de alguns moradores da ra do Coronel Suas-
suna foi nomeada urna commisso para tratar
dos festejos Jcaroavalescos da referida ra a
qual ficou cornposta dos Srs. Crispim Geborrio,
Bellarmino da Silva, Manoel de Melio, Xavier
Carneiro, Jos Coelho, Prxedes Brederodes,
Costa Filho Carisio de Bai ros.
Os moradores da ra do Arago resolve-
ram preparar a referida ra para os tres prxi-
mos das do carnaval, cuja commisso ficou as-
sim organisada.
PresidentaAntonio Neiva.
! secretarioAdolpho J. Pereira.
The80ureiroSidronio Sette.
Director dos festejosJoaquim Ga;o.
Vapor AtrmfEste vapor, segundo tele-
gramma recebido pela casa Amorim Irmos A
C., snppoe-se que sabira hoje do Rio de Janeiro,
que a se verificar a noticia chegar segunda-
feira ao nosso- ... '.
Partear' Dr. Maduro principia a lec-
cionar obstetricia no dia Io de Marco, no hospi-
tal Pedr0 ii, ao meio dia, e continua em toda
as ter sextas-feiras uteis.
"^"^^^ErTectuar-se-bao os seguintes:
Hoje:
Palo agente Pinto, s II horas, ra da Roda
n. 46- de movis, louca e vidros.
Pelo agente Gusmao, s 11 horas, no arma-
zem do Sr. Atraes, de phosphorus avariados.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra de
Menrique Dias n. o, em Olinda, da^averna ah
sita.
Palo agente Britto, s 10 1,8 horas, ra de
Visoonde de Inhauma n. 19, de movis, fazendas
e miudexas. .
Amanhi : *
Pelo agente Gusmao, s 11 horas, ra Mr-
quez de Olinda n.. 48, de camisas e diversas
miudexas.
Pelo agente Pinto, s 10 1/1 horas, ra do
Bom Jess n. SO, de fazendas, miudezas e per-
fumarias.
Pelo agente Burlamaqui, s 11 horas, na I'as-
sagem da Magdalena, dejbons movis.
Pelo agente Modesto Baptista, s 11 horas,
ra Mrquez do Ilrval n. 33, de movis e vi-
dros.
Pelo agente Martins, s 11 horas, ra do Im-
perador n. 16, de 7 animaes proprios para cor-
ridas.
Pelo agente Silveira, s 10 1/3 horas, ra do
Jardim 11, de gneros, armacao e utencilios.
Miasaa fuaekresSerao celebradas:
Hoje:
A's 8 1/2 horas, na matriz de Santo Antonio,
pela alma de D. Amelia de Santa Rosa Cunha ;
as 8 horas, na mesma matriz, pela alma do pro-
fessor Antonio Candido Ferreira; s 3 1,2 horas,
na matriz do Corpo Santo pea almadeJoo
Martins Raymundo ; s 7 1/2 horas, na matriz
de Santo Antonio.'pela alma de Custodio Fran-
cisco Martins.
Amanh :
A's 8horas, na matriz da Boa-Vista, pela al
raa de Jos Remeterlo de Castro Amara!; as 7
horas, na igreja do Espirito Santo, pela alma
de Antonio Gonc>lves Nogueira ; s 7 horas, na
igreja da Soledade, pela alma de Jos Capituli-
no Couto de Azevedo; s 8 horas na matriz do
Corpo Santo, pela alma de Bazilio Gomes Pe-
reira.
PaiiMiieirM-Chegados do sul no vapor
brazileiro Pernambuco :
Alcides Jos de A. Pernambuco, Joaquim da
Silva Carvalliu. Jos da Silva Jarvaiho, Ernesto
de Souza Leal, sua senhora e 4 filhos, Jos Ma-
na das Neves, Joao de Oliveira, R. Mrceles,
Manoel R. Filbo, Quintino Jos de Lima, Manoel
(criado), Dr. Cesario Idaiino Feraandes, Er-
nesto Jos Ferreira, Aurelio Vianna, Alfredo
Leite, onorato de Barros Paim, Caldas Britto,
James Tavlor. Augusto Carvalho, Jos Francisco
da Silva, sua senhora e 1 filha, Antonio B. de
Xazareth, Anna B. de Nazareth, Deolinda B. de
Nazareth, Americo T. da Costa Pereira, Silvio de
Aguiar Campello, Ignacio Hasselman, Sergia
(criada), Fehcidade Maria do Nascimento, Ma-
noel de Mattos e 5 ex-pra^ do exercito.
| Sahiuos para o sul no vapor Mandahn :
Pedro Celestino de Souza e sua senhora.
Directora tes obra ae eoaerva-
r do Portan de Fernambue-Reci-
fe, 26 de Fevereiro de 1889.
Boletim meteorolgico
eir 28 de Fevereiro de
1 S o m -3
Horas - O -L Barmetro a 0* Tensaol do vapor es a
P- s
6 m. 26-2 760-73 19,69 77
9 28*-9 762-12 20,08 67
12 29-4 761-64 20,77 67
3 t. 29-3 760-18 21,07 71
6 28--0 760-73 20,21 71
Temperatura mxima30,00.
Dita mnima 23*,73.
Evaporacio em 24 horasao sol: 8.0; som
bra: 3.<.
Chuvanulla.
Direcco do vento : SE durante todo o dia.
Velocidade media do vento: 2" 83 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,37
Boletim do porto
COMERCIO
Revista do Mercado
Recife,
27 DE FEVEREIBO DE 1889.
Foi sem importancia o movimenb-
Os mercados, em geral, conservaram-se para-
usados, com esperanga de raelhor posico.
Bolsa

DOS COK

-'
0TAgCE8 OFFICIAE8 DA JUNTA
RETOBES
Rrcife, 27 ae Fecereiro de J869
Cambio sobre Lisboa, vista 93 0,0 de premio,
do banco.
O presidente,
Candido G. Mcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
r
0 movimento foi msipnificante.
Os tomadores de papel bancario pediram 28
d., recnsando os beos saccar cima de 27'7,8,
por falta de lettras particulares.
Em papel particular nao constou transaeco
alguma, exigindo os bancos 28 3/16 e 28 1/4.
No Rio mauteve-se o mercado sem alterago.
TABELLAS AFFIXADA8
as se >
u ^
a
5"
S
OD
O
a
E.

3?

t
c

b
B

%
11 2 H
fl Dia Horas Altura
P. M. B. M. P. M. 26 de Fever. 27 de Fever. 2 33 da tarde 8-44 314 da manh 2-31 0-52 2-,30
Operacte cirurjica-Foram prutica-
das no hospital Pedro II, no dia 27 do corrente,
as seguintes:
Pelo Dr. Pontual:
Ligadura in loco da arteria radia esquerda
reclamada por ferido da mesma arteria (morde-
dura de cao.)
Ligadura m loco da arteria pediosa indicada
por ten da da mesma arteria.
Pelo Dr. Malaquias :
Resecco parcial da 4* e 3* costella direita,
indicada por alteraco das mesmas.
Caaa ae Deteafe -Movimento dos pre
sos da Cusa de Detencab do dia 26 de Fevereiro
de 1889.
Existiam 467; entraram 13; sahiram 12; exi
tem468.
A saber:
Nacionaes 421 mulheres 18; estranguiros 21.
ToUl 468.
Arracoados 409.
Boas 375.
Doentes 29.
Loucos 2.-Total 4"i.
Movimento da enfermara
Teveram baixa:
Martiniano Ferreira Nativos.
Bernardo Silvestre do Nascimento.
Teveram alta :
Jos Manoel de Souza.
Salustiano Ferreira Bastos.
Antonio de Souza Almeida.
Caetano Luiz da Silva.
Jos Antonio Alves.
Manoel de Sant'nna Oliveira.
Jos Rodrigues da Silva,
eolindo dos Santos Reis Catuaba.
Foram visitados os presos deste estabeleci-
mento por 154 pessoas, sendo 54 homens e 103
mulheres.
Honpiiai Pedro II -O movimento dcste
estabelecimento de daridade, no dia 26 de Fe-
vereico, foi o seguinte;
Entraram 11
Sahiram 19
Falleceram 3
Existem 563
Foram visitadas aa respectivas eufermarlay
pelos Drs.:
Moscosos 8,Cysneiro s 9 \\\, Barros Sobri-.
nhos 7, Berardo s 9 3(4, Malaquias s 9 1|2,
Poutual s9, Estevo Cavalcante s 8 1(2, ho-
ras.
O Dr. SimOes Barbosa nao comparecen.
O cirurgio dentista Numa Pon^pilio s 7 3(4
horas. ,
0 pharmaceutico entrou s 81|2 da manh e
sabio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7
da manh c sanio as 2 horas da tarde.
Latera de Grao Para Eis os premios
da 4.* serie da 26.* lotera do Gro-Par, ex-
trahida em 27 de Fevereiro de 1889 :
3007 60:000*000
1647 6:0004000
7946 3:000*000
3331 1:200*00
4226 1:200*000
APPROXI MAQUES
3006 600*000
300K 600*000
1646 300*000
1648 300*000
7943 180*000
7947 180*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
nmeros:
1002 2873 4993 5473
Esto premiados com 300*000 os seguintes
nmeros:
1926 2001 4733 7366 7608
Esto premiados com 120*000 os seguintes
nmeros :
3001 3002 3003 300 3003 3006
3008 3009 3010
Esto premiados com 60*0j0 os seguintes
nmeros:
1641 1642 1643 1644 1643 1646
1648 1649 1630
Esto premiados eom 30*000 os seguintes
nmeros :
7941 7942 7943 7944 7943 7947
7948 7949 7930
Todos os nmeros terminados em 07 esto pre-
miados com 60*000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 47 esto pre-
miados corn 60OJ0, excepto o da sorte imme-
diata
Todos os nmeros terminados em 46 esto pre-
miados com 30*000.
Todos os nmeros, terminados em. 7 esto
premiados com 30*000, excepto os terminados
em 07.
Todos os nmeros terminados em 8 esto
premiados com 3o*090, excepto os terminados
em 47.
* seguinte l-tcria corre no dia 4 de Margo
com o plano de 60:000*000.
atera do tiraa-Pari-A 4' parte da
26' lotera, dessa provincia, cujo premio gtande
60:000000,ier extrahida, segunda-feira^ 4 de
Marco.
Um pouco de tudo
J nqui foi dada a noticia de que, a comer r
de 1 de Janeiro a pena de mortc seria applicada
em Nova-York por meio da electricidade, nao
mais na forca como at ento-
Para este effeito continua/am em Dezembro as
experiencias sobre animaes. no laboratorio de
Euson, tendo sido sacrideados um vitello e' um
ca vallo.
A exportaco, taita pela alfandega neste mez
at o da 25 subi a 1.204.719 kilos, sendo 992.4t2
para o exterior e 212.227 para o interior.
As entradas verificadas at a data de hoje, so-
beta a 24.296 saccas, sendo por:
Barcacas.....
Vapores......
Animaes.....
Via-frrea de Caruar.
Via-frrea de S. Francisco.
Via-ferrea de Limoeiro
Somma. *
tssucar
Os preces pagos ao agricultor, por 13 kilos, se-
cundo a Associaco Commercial Agrcola, foram
os seguintes:
Brancos..... 3*200 a 3*800
Someno..... 1*900 a 2*100
Mas'uivado purgado 1*400 a 1*500
bruto. 1*100 a 1*200
Rtame..... *800 a 1*000
Eslava asseutado que tambem eria sacrificado
pela electricidade o elephante thuf, o maior
existente em Nova-York, e que se bavia tornado
muito mo e perigoso.
As experiencias parecem ter patenteado a n-
stantaneidade da mor te.
A 29 de Outuhro ultimo a Academia das Scien-
ias de Pariz recebeu do Dr. Yvert urna commu-
nicaco acerca do. emprego do bichlorureto de
mercurio no cholera a dos resultados obtidos de
tal applicaco do Toukin.
A este respeito foi prsenle- doula corpo-
raco, na sesso de 7 de Janeiro, urna nota que
de Jacksonvillc, dos Estados-Unidos, lhe enviou
Paulo Gibier acerca da aeco d'aquelle agente
therapeutico no tratamento da febre amarella e
do cholera, recordando que, liavia j algum tem
po, a-'reseatra a tal respeito um trabalho
Academia das Sciencjas de Havaua.
Jacksonville foi urna das localidades dos Esta-
das-Unidos onde mais intensamente reinou, no
amo prximo passado, a epedemia da febre ama-
relia, tendo portanto, offerecido lgubre labora-
torio s expernentaces de Paulo Gibier.
Infelizmente, nao acharaos na Reouta ScietUi-
fleetj da qual extraamos esta noticia, nenhuma
indicaco acerca da dosagem empregada nem de
outra qualquer particuiardade.
*
A mortalidade, ha maitos annos tem progres-
sivainente diminuido na Inglaterra.
Em 1887 foi de 18,8 por 1,000, sendo este o
menor algarismo registrado desde a orgauisaco
lo registra civil. A mortalidade dos. ltimos sete
airaos foi de 19,2. Quanto aos decennios prece-
de:, es tinh sido de 21,4 de 1871 a 188'; 22,5
de 1*H a 1870; 22,2 de 1860 a 1863 e 22 de 1841
a 1830
No anno de 1888 a mortalidade de Londres foi
apenas de 18,5 por 1,000. mnimo algarismo al
agora registrado, sendo de 30,7 a porcentagem
dos nascimentos. Occorreram 9 bitos por va-
rila e a proporco dos bitos causados por mo-
lestias infectuosas foi de 2,33 por 1,000. A di-
pliti-ria augmentou de frequencia, ao passo que
dirainuirara de melade as affecres iutesiinacs-
***
A Academia das Sen-ocias de Pars tinha posto
a concurso o grande premio da seceso das scien-
cias mathemalicas, tendo por thema a questo
seguinte:
Apf.rfe'upnr em ponto importante a theo-ta do
movimento de um corpo solido.
Apresenladas diversas memorias acerca d'esle
ar-luo problema de analyse transcendental, a
commisso deliberou conceder o premio me-
moria inscripta com o numero 2 e, aborto u en-
volucro que con tinha o norae do autor, o presi-
dente Janssen iroclamou o nome de Sopdia de
Kowalewsky," professora na Universidade de Sto-
ekolrao.
A
A Noruega prepara para este anuo una nova
expedico ao polo-Norte son a direcco de Nau-
sen, o feliz explorador que ccaba de atravessar
a Groelandia.
ConU-se que ai tripolaces norueguenses af-
frontarSc, nielhor do qlie quaesquer outras, o
fruidas regiOes rticas.
Segundo 0 Anstrilvm Medknl Journal nao tem
dado neubutn resultado as experiencias da des-
truirn dos celhos na Australia pela iuoculaco
do virus do cholera das gallinhas.
0 mal continua em proporgOes espantosas,
sendo prodigiosa a multiplicaco dos coelhos
que tem devastado distnclos uileiros.
#*#
E' sabido que a imcomparavel riqueza do M-
xico em anualidades de toda a sorte offerece
campo vastissimo s investgages da historia,
da authropologia c da areheologia. *
O governo mexicano nlo tem recuado ante sa-
crificios para exhibir riquezas d'aquelle genero
na Exposico Universal de 1889. Um pjvillio
especial est sendo construido para as autigni-
dades mexicanas Sero tamhem exposlas plan-
tas raras no Mxico, amostras geologi'uis e mi-
neralgicas, raarinores, pedas preciosas, etc.
Ln Sature, revista franceza, traz no seu ultimo
exemplar varias gravuras representando nota
veis vasos funerarios mexicanos e dolos zopo-
tecos.
*

Um derradeiro beijo trra enva
O sol que'l se apaga no occidente,
Da jurili soluca a voz plangento,
Exhala o errao a flux doce harmona.
Da noite o negro bando se annuncia,
Geme queixosa a lmpida corrente,
Suave a natureza inspira e sent
Saudade, paz, amor, melancholia.
Como um saudoso adeus do desterrado
A' patria que roubou-lhe a serte dura,
Va minh'alma s sombras do passado.
Mas d\ da que morre essa tristura,
A povoar oermo e o co doirados,
Um doce allivio traz-me desventura.
MANOEL CAVALUANTI DE MELLO FILHO
Janeiro de 18S9.
COMUNICADOS
De (arde
Hontcm tarde, quando o sol norria,
A natureza era um poema santo.
De cada moita a t-sciirido sabia,
De cada gruta rebentava um canto,
Houtem a larde, quanto o sol morria.
(CASTRO ALVES)
2 373"" Saccas
221
8.114
1.376
1959
10251 i
24.296 Saccas
Colonia Isabel:
Branco 1*
c 2* .
. 3 .
.Someno .
Mascavado .
Usina Pinto:
Branco 1*
2* .
Someno
Mascavado .
4*100
2*800
1*50(1
;i*900
1*600
4*000
2*300
3*000
1*300
P
m
aiuda. 6*400
A exportacSo, feita pela alfandega neste mez al
o da 25. attingio a 12.462.524 kilos, sendo...
6.182.566 para o exterior e 6.279.958 para o
interior.
As entradas verificadas at a data de hoje
bem a 131.863 saceos, sendo por :
so-
Barcacas
Vapores ...
Animaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Limoeiro
Somma.
49.307 Saceos
''.856 I
8911
34.737 .
12.052
131.863 Sacce3
A barca sueca Axel, carregada por Pereira
Carn.-ir C. levou 4.734 saceos com assucar
branco e 4.466 ditos com dito mascarado.
Pelo vapor francez Ville de Maranho,-
furam remettidos 2.750 saceos cam assucar bran-
co e 3.300 ditos com dito mascavado para San-
tos.
Cauros
Mercado frouxo, com offertas
os seceos salgados.
de 370 ris para
Agurdente
Ultimas vendas, a 95*000, por oipa de 480 li-
tros.
0'vapor francez -Ville de Maranlio.- levou 50
pipas para Rio de Janeiro e 30 ditas e 50/5 para
Santos.
I-
Aleool
Ultimas vendas, na tazo de 180*003 por pipa
de 480 litros.
el
Colase a 30*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
SBtfAXA I* 25 OB FkVRkIIIO a t BE MARCO
DE '*
Video Diario de 24 de Feceieuo
\a\loH earga
Barca portagueza oco Silencio, para o Porto.
I'alacho inglz Pegote, para Mente video.
Patacho hollandez Broedertrotce, para Pelotas.
Vapor inglez Lochiel, para Liverpool.
Navios k descarga
Barca norueguense FrS,carvio.
Barca uorueguense BrilMyof. carvo.
Barca ingleza Sab'rma, farello.
Barca ingleza Paragero, bacalho. .
Marca norueguense Jotra, carvo.
Barca alleina Anua, earvo.
Brifoie sueco Pepita, carvo.
Escuna inglesa Abeja, bacalho.
Lugar nacional Marinho VII, carvo.
Lugar inglez -.iy Cory, bacalho.
Vapor inglez Chilian, carvo.
Importacio
Vapor nacional Pernambuco, entrado
dos portos do sul em 27 do corrente c
consignado a Pereira Carneiro & C, ma-
n testou :
Carga do Rio de Janeiro
Cerveja 4 Larris a Joao Meyer. Cha-
peos 1 caixfio a Christiani & C.
Fumo 3 volumes a J. Santos. Ferra-
gens 1 volume a Reis Santos.
Lampadas 2 volumes a Manoel Bote-
lbo.
Manteiga e banha 10 caixas a Jos
Francisco de P. Ramos. Mercadorias di-
versas 1 volume a Adolpho A Ferro, 2
a Capitana. g
Pauno de algodJio 10 fardos a Mahado
d Pereira, 15 a Ferreira d Irmio.
Piano 1 a Ernesto Leal.
Vinho 1 pipa e 10 barrs a Domingos
Gomes de Amorim, 10 ditos a Joaquim
Ferreira de Carvalho d C.
Xarque 408 fardos a Blackhurn Nec-
dham & C, 257 a Maia & RrzPride.
Carga da Babia"
Charutos 3 caixdes a Almeida Machado
& C. 2 a R. de Druzina dC, la Joa-
quim Bernardo dos Reis & C. Chapos 4
caixoes a Antonio Pinto Carneiro da
Silva.
Fio de algodao 62 saceos a Joao Fran-
cisco Leite.
Panno de algodlo .5 fardos a_A. Oliveira
& C, 10 a Andrado
Jardim & C.
Kleleio do lo .Ustrino
O Jornal do Recife contina no empenho de fa-
zer, seja como fr, opinio contraria reeleicio
do conselheiro Rosa e Silva, mourejaudo ao mes-
mo tempo para rodear a candidatura do Dr. Lou-
renco de Sa de um prestigio que nao tem, de urna
forca moral de que earece a olhos vistos.
Somos obrigados a repetir conside'races j
l'eitas, ma vez que o contemporneo insiste em
repizar em terreno estafado e j explorado sem
vantagens.
O conselheiro Rosa e Silva tem no 10." districto
incontestavel influencia, c all o elcitorado con
servador tem notavel maioria ; as cleices ante-
riores do d'isso elequeutes proras, inclusive at
a em que foi eleito o candidato liberal, pois a Re
laco do districto posteriormente mandou des-
alistar ceuto e muitos eleitores dos que concorre-"
rain para essa falsa victoria; o hnralo minis-
tro da justica recommendou-se por seu talento e
inereciuiento ao ponto de ser elevado ao honroso
posto que boje oceupa, o que augmentou seu
prestigio pessoal; e quando lud. isto se da, tudo
isto se sabe e se v, empenlia-se o orgo libenal
no improbo trabalho de contestar estas verdades
e de phuutasiar violencias, Ilegalidades e quau-
tos raaos recursos lhe so sugeridos pela imagi-
uayo.
O que explicara todo esse cortejo de meios
reprovados e violentos, quaudo os antecedentes
do districto e do honrado miuislro da justica pro-
metiera lima victoria bfilhautc c fcil, e quando
ao candidato opposiciouisla, desconhecido no
districto, como o na provincia, fallara todos os
elementos para pretender o triuaipho ?
O conselheiroRosa e Silva, que tem exliimdo
as melhoi es pravas de seu talento e estudo, quer
no joroalisnio, quer na Asseinbla Provincial,
quer, filialmente, na Cmara dos Depulados, dis-
cutindo nao quesliuuculas de localidades como
outros, mas assumplos da maior importancia,
nao icni ttulos para ser rceleilo porum districto
que j lhe tem dado as raaiores provas de api-e-
co e conlianca; mas, pelo amor de Deus, dizei
nos, vos que tanto impugnis essa candidatura,
quaes sao os ttulos, os inereciinentos do vosso
candidato Fazei-uos a historia dos servgos, ci-
ta as provas de talento e de merecimento em
nome dos quaes se aprsenla perante o 10. dis-
tricto o Dr. Lourengo de S, prelendendo repre-
sental-o no parlamento, era urna situaco que
vos qualificais de inulto sera e melindrosa, para
conjurar a qual sao, sem duvida, necessarios
luctadores da maior competencia ?
Com certeza, quando contestis os merecimen-
tos do conselheiro Rosa e Silva, e, em nome de
uns ttulos que ninguera conhece, tocis trom-
beta a respeito do vosso candidato, vos rides a
surdina como os augures romanos.
3Cop certeza, nao tomis ao serio vossa pre-
tenyo peranlc o 10 districto, quando, preten-
dendo all a victoria em nome de uns grandes
interesse da patria, sobre a qual derramis-
urnas lagrimSs de crocodilo, dais a um moco
pouco conhecido, e depois que outros a regeita-
rara, a incumbencia de pleitear essa victoria
Ou nao sois sinceros, quando fallis dos gra-
ves e serios deveres que vos arrastam para a
lucta ou, se o sois, ha muita pobreza d lucta-
dores nos vossos arraiaes.
Rccommenda o vosso candidalo, sem exage-
races a respeito delle e sera injusticas ao vosso
adversario ; eucaminhai-o para o 10* districto,
aliui de preparar all suas armas, de fazer-se co-
nheciJo, de arrumar ninho para melhores tem-
pos, estis na vosso direito; mas essas preven-
ces que andis pretendendo incutir no animo
do eleitorado conservador, essas phantasias de
compra de votos, emprego de forras e outras sao
recursos j desacreditados e por isso impotentes.
Para que vindes lembrar o neme do Dr. Luiz
da Silva Gusmao ?-4 vos Qsquecestes de quanto
fez no Brejo esse juiz ? Irapondo silencio ao
egosmo que levou-vos a aceitar os. desmandos
desse magistrado como bons serviros, e julgai
estes como de vem ser julgados.
Tranquillisai-vos a respeito do, emprego da
forca publica; vos bem sabis que a reeleico
do" couselheiro Rosa e Silva nao carece desse
meio, e que elle ser apenas empregado, si as
vossas pretences no 10 districio sahirem do
terreno legal. Em tal caso conta: com elle, por-
que isso um dever da autoridade.
Nao acreditis que o eleitorado do 10 distric-
to se deixe influenciar pelos envellopes officw.es
do ministro da Justina; sede inais justes. E, de-
uiais, porque tendes em vosso poder un envel-
Jope oflicial, conclus d'ahi que todas as circu-
(lares do conselheiro Rosa e Silva vieram em en-
vellopes iguaes ?
E' tirar concluses forca, c a medida dos
vossosjdesejos.
E a proposito : cenheceis o novo regulamento
dos correios!
Sem duvida, nao coidicceis, porque, em caso
contrario, nao terieis Jeito aecusaces bascadas
nos tacs envellopes cfliciacs livres de taxas.
Dai-vos ao trabalho de esludar esse ponto, e
veris que irucastes defalso.
E de falso trucareis na lucta que vac empe-
nhada no 10 districto. A victoria nossa; re-
signai vos.
Maia & C, 10 a O
Brigue portuguez S. Lonrenqo entrado
do Rio de Janeiro em 20 do corrente e
consignado a Amorm Irmaos & C, ma-
nifestou :
Barricas vazias 100 volumes ordem.
Pipas vasas 200 a David Baltar.
Vinho 60 baiTs ordem.
Exportaco
RECIFE 26 DE FKVEaiBO DE 1869
Para o extener
No vapor inglez"Lochie!, carregarara ;
Para Liverpool, P. Carneiro & C. 200 saceos
com 15,000 kilos d* assucar mascavado.
No vapor americano AUiunca, carregnram :
Para New-York, Leo Hess 2 barricas com 120
kilos de borracha.
Na escuna portuguesa Feiliceira, carregou :
Para Ilha de S. Miguel. F. M. doMoura 30 bar-
ril com 3 000 litros de mel.
Para interioi
. No vapor austraco Szeceny, carregnram :
Para Santos, P. Carneiro A C. 2, 00 saceos com
12 0 0 kilos de assucar branco.
No vapor francez Ville de Maranho, carre-
garara :
Para Santos, A. V. de Barros 1,000 saceos com
60,000 kilos de assucar mascavado.
Para Babia, J. Foutelles 6 caixas com 220
kilos de doce.
ao vapor inglez Estrella, carregaram :
Para Rio de Janeiro. P. Pinto & C. 30 barris
com 4.8 0 litros de mel e 50 pipas com 24,000
ditos de aguntenle ; Paiva, Valeote & C. 50
pipas com 4,00 litros de agurdente ; A. Gui-
tnraiM l.oOOsaceos cora 60.000 kilos de assu-
car branco ; P. (irneiro A C. 40 pipas e 50 bar-
ris com 20.000 litros du agurdente.
No vapor nacional /': garam :
Para Babia, Viuva de M. F. Marques & Filho
50 barricas com 5,653 kilos de assucar branco.
No vapor nacional Maudahu, carregaram :
Para Penedo, P. Alves \C. 14 barricas com
1,330 kilos de assucar refinado.
No vapor americano Alliania, carregaram :
Para Para, V..M. do Eirado 800 barricas com
54 013 kilos de assucar branco ; Viuva de M. F.
Marques & Fi.ho 300 barricas ccn 17,968 kilos
de assucar branco.
No vapor nacional Pirapama, carregaram :
Para Cear, Amorm Irmaos A <\ 20 saceos
com farinha de mandioca ; M. Meuezes 300 sac-
co^oora farinha de mandioca ; Paiva. Valente A
C. 200 suecos com farinha de mandioca: C. Mon-
teiro 50 saceos cora feijo e 50 ditos com fari-
nha ; P. Carneiro A C. 110 saceos com 8,250
kilos ilc assucar branco, 20 caixas com 600 ditos
de oleo de moclo, 600 saceos com farinha'de
mandioca c 218 ditos com feijo ; M. Borges A
C. 1,200 saceos com farinha de mandioca e 50
iiitoscoin feijo.
No liiute nacional Rivnka dos Anjos, carre-
ja rain .
Para Maco, J. Cordeiro, 16 garrafoes com 240
litros de ceuebra.
Para Mossor. E. C. Beltro i Irmo U bar-
ricas com 1,M3 kilos de assucar mascavado e 1
dita com 60 ditos de dita retinado.
No vapor nacional Ptrnainbco, carregaa-
ram :
ara Manos, H. Oliveira 40 barricas com
2,050 kilos de assucar branco ; v Bcis A 25
barricas cora 2,050 kilos de assucar braaco e 25-
barris cora 2,400 litros de agurdente ; F. M. de
Moura 10 barris coc 960 litros de agurdente.
Para Para, F. M. de vioura 30 barris com 4.800
litros de agurdenle ; B. Oliveira AC..200 barri-
cas com 12,110 kjlo.? de assucar branco e 50 bar-
rj
Dinhelro *
BECEBIDO
Pelo vapor nacional Pernambuco,
para:
English Bank of Rio de Janeiro
Martins Fiuza C.
Joaquim Hiles da Silva
Manoel Soares Pinheiro
Pelo vapor nacional Pirapama,
Mossor
do sul.
9.55660
2.300*000
2:00 000
2.000*000
para:
10.000*01-0
EXPEDIDO
l Pelo vapor nacionalMandan para :
Pcned 5.0005000
Rcndlaacatos pblicos
MEZ DE FK.vEHtit >
Alfandega
Renda geral:
Do dia la 26 806:733*592
dem de 27 42:310*630
Renda
Do dia i a 26
dem de 7
provincial :
120:103*186
5:925*672
849:0i6222
126:028S.'i8
PUBLICACES 1 PEDIDO
Eleico do 10" districto
Approxima-se o dia, em que deve fe-
rir-se no 10 districto a grande luta elei-
toral, cin que est empenhado o vulto
sympathico do conselheiro Rosa e Silva.
O brioso e patritico eleitorado desse
districto tem mais de um motivo para am-
parar e sustentar a candidatura desse
honrado e Ilustre pernambucano, que sou-
be com os seus talentos e preclaras qua-
lidades conquistar a elevada posicao, qu
hoje oceupa, com brilhautismo parasi e in-
contestaveis vantagens para o paiz.
Para esta provincia e especialmente para
o 10- districto nao poda ser mais oppor-
tuna a elevacao do deputado Rosa e Silva
aos conselhos da coroa.
Em urna quadra de verdadeira reer-
ganisac2Q-social e poltica, como esta em
que entrou o Brasibpela larga porta da
lei de 13 de Maio, muito ha o que espe-
rar de urna intellgencia lucida e prepara-
da como a do conse-heiro Rosa e Silva, e
sobre tudo de sua grande honestidade po-
ltica.
Que importa quo o conselheiro Rosa e
Silva nao tenha em seu favor o prestigio
Carneiro de 720 a 1 i reis idein.
Suinos de 360 a 640 reis dem.
Farinha de 440 a 560 reis a cuia.
Miiho de 380 a 440 res idera.
"'Jode900a <*20'idem.
Matadouro publico
Neste estabelecimento foram abatidas
consumo de hoje 75 rezes Jpertenccntes a "diver-
sos marchantes.
para o
Vapores a entrar
HEZ DE FE VE KKIKO
Pul........... AllianQa.........
Sul........... Araucama........
. Somma total 975:075*080
Segunda scelo da Alfandega, 27 de Fevereiro
de 1889.
8thcsourciro Flercneio Domingues.
chefo da secgio -Cicero B. de ello.
Reeenedorla Geral
Do dia 1 a 26 66:324*246
dem de 27 15:073*090
81:397*336
Reeebcdoria provincial
Do dia 1 a 26 15:699*023
dem de 27 238*032
Euro, .i......
Norte.....
Sul...........
Sul...........
Hamburgo .. .
*ul...........
Europi......
Norte.........
Sul...........
MEZ DE KAB0
IYvnJ
Adcance------
Arate.......
Montevideo ...
Paraiiagioi ..
Congo........
Xertlte.......
Maranho___
Para........
28
28
1
2
3
3
5
7
7
8
15:937*033
Recife DraJaage
Do dia i a 26 33:86/*815
dem de 27 2:698*931
36:360*716
.-is com 4,800 litros de agurdente ; J. S. Loyo
A Filho 2013 barricas cora 13,050 kilos de assucar
branco ; J. L. da Silva Oliveira 20 barricas com
1,3 0 kilos de asocar refinado.
Para Martnho, B. Oliveira A C 1 pipa com
480 litros de agurdente, 15 saceos com960 kilos
de assucar branco e 3 ditos com 223 ditos de dito
mascavado. **
= Na barcaca Victoria, carregou :
Para raeaty, 11. Oliveira 200 saceos com fa-
rinha de mandioca.
Na barcaya Estrella do Oriente, carregou:
Para Macei, A. C. da Silva 26 pipas e 145
barris com 27,500 kilos de graxa.
Mercado Municipal t?e S. Jos
0 movimento deste mercado aC da 26 de Fe-
vereiro foi o seguinte:
Entraram :
241/2 bois pesando 3,408 kilos.
221 kilos de peixe a 20 ris 420
56 cargas de farinlia a 200 ris 11*200
4 ditas de fructas diversas a 300
ris 1*^00
10 taboleiros a 200 ris iOfX'
9 suinos a 200 reis 1*800
22 matulos com legumes a 200 ris 4*4.0
Foram oceupados:
26 112 columnas a 600 ris 15*900
1 escriptorio a 300 ris 300
25 compartimentos de farinha a 500
ris 12*500
26 ditos de comidas a 500 ris 13*000
82 ditos de legumes a 400 rs 32*800
18' Sitos de suinos a 700 ris 12*600
9 ditos de fressuras a 600 ris 5*4'K)
T talhos a 2* 70*000
Vapores a sabir
MEZ DE FEVKKEIHO
Norte........ Pernambuco....... 28 as
Liverpool Araucania......... 28 as
New-York-----AUianca.......... 29 af
MEZ DE MAK^'O
Buenos-Ayres. Bwf............. 1 as
Southarapton. JfrsM............ 3 as
Sul..........Adcance........... 3 as
Hamburgo- Montevideo........ 4 as
Bordeaux----- Congo............ 5 as
santos e esc Paranagu........ 5 as
Montevideo .. Nerthe............ 7 as
Sul.......... Maranho......... 7 as
Norte........ Poro........,---- 9 as
5h.
11 h.
ib.
12 h.
12 i.
5h.
2h.
2h.
3h.
3h.
5 h.
5h.
Rendimentos dos das 1 a 25 do cor-
rete
187*520
4:937*920
Foi urrecadado liquido at hoje
Pregos de dia :
Carne verde de 240 a 560 reis o kilo.
5:125*410
Movimento do porto'
Navios entrados no dia 27
Rio de Janeiro e escala7 dias, vapor
brasileiro Pernamouco, de 1999 tonela-
das, commandante Francisco Antonio de
Almeida, equipagem 60, carga varios
gneros; a Pereira Carneiro & Q.
Rio de Janeiro IS das, lugar inglez
Sentina, de 488 toneladas, capitao Char-
les Morrell, qnipagem 9, em lastro; a
ordem.
Maco -5 dias, hiate nacional D. Julia,
de 80 toneladas, mestre Laurentino F.
da Costa, equipagem i), carga sal; a
Batholomeu Lourengo.
Rio Forinoso e Tamandar6 -horas, va-
por nacional Jayuariie, de 429 tonela-
das, commandante Alfredo Munteiro,
equipagem 30, em lastro ; a .(. ompanbia
jPernambucana-
Sahidos no- mesmo dia .
LiverpoolVapor inglez Lochiel, Com-
mandante T. M. Mitchell, carga varios
gneros.
Aracaj o escalaVapor n Mando-
na, commandante Alcides Moraee
Albuquerque,, carga varios gneros.
.&dk.'.-

m




---*

-><-
Diario de Pemainbuco

ellos brancos. si el'e tem o de uas
provada* aptidoes e o de seu reconheci-
do merecimento intelectual, moral e po-
tico?
J se foi o tempo em que sq, aos cabel-
los brancos eram reservadas as altas posi-
cSes e em que aos mocos nao era dado
aspirar os postos mais avangados as gran
des batalhas da poltica.
Hoje os horisontes dos grandes coinmet-
timentos e das mais elevadas posigfkjs
polticas .se alaigaiain para os mocos e
podem ser por elles descortinados, desde
que os aureole o merecimento.
O censelheiro Rosa e Silva um desses
mocos privilegiados pela natureza, a quero
omais consumado bom senso e urna in-
telligencia vigorosa, tendo a seu servico
um carcter selecto, abriram as portas
cor de rosa de um graudioso futuro polti-
co, que ha de fazel-o um dia objecto de
veneracao de seus concidadaos.
Agora mesmo a permanenoia do conse-
Iheiro Rosa e Silva no governo do paiz
ha de Ser urna solida garanta para o
triumpho seguro de todos os grandes e
saos principios econmicos, que se vem.
amcacados pelas coinbinagoes interesseiras
de muitos mal intencionados, que b cuidam
de seu proprio bem estar, esquecendo
completamente e de todos a collectividade
de que fazem parte.
A intrincada questao das carnes verdes
que traz ameacados de morte os mais legti-
mos interesses de todos os distrctos creado-
res desta provincia e portanto tambem os
do dcimo districto, est a desafiar os ge-
nerosos esfbrcos do digno ministro, que
saber fazer triumphar o salutar princi-
pio dalivre con urrenoia, que se procura
asphyxiar com um contracto desastroso,
que a um tempo prejudica o creador e o
consumidor, apezar de suas eBganosas
apparencias de vantagens para este ultimo
Toda esta provincia conhece aattitude
enrgica, que o conselheiro Rosa e Silva
assumio em n<>ssa Assembla Provincial
em duas de suas sessoes animas, em que
se discutio, antes, do anno passado, a
questao do abastecimento de carnes ver-
des ao municipio do Roci'e por meio de
um contracto mais ou menos as condi-
c3es do que acaba de ser prorogado ille-
galmentc pcla| mesma Assembla Provin-
cial.
Como hontem, o conselheiro Rosa e Sil-
va anda hoje adversario decidido do
monopolio, disfarcado ou nao, sobre tudo
tratando-se de gneros de primeira neces
sidade, em que as suas mnestas conse-
cuencias anda sao mais para temer.
Os criadores do 10 districto devem
unir-se e fazer convergir todos os seus es-
fbrcos em prol da candidatura do conven-
cido propugnador dos seus sagrados inte-
resses, que sao os de todo o seu districto.
A'8 urnas, patriticos eleitores do 10
districto Votai no conselheiro Rosa e
Silva e ficareis com a consciencia tran-
tuilla de terdes cooperado para o engran-
ecimento e prosperidade do vosso distric-
to, que tudo tein a esperar do seu dedi-
cado representante de hontem, se conti-
nuar a sel-o amanha, como ha de sel-o,
porque esta a vossa soberana vontade.
Recife, 27 de Fevereiro de 1889.
Disraei.
m-i------------
mes em que o Dr. iouza Beis tem os sent men-
tas de iustica to dtsenvolvidos como os de ener-
ga e dignidad
Ficamos n'um circulo vicioso, palavra.
I\H8 ge nao conhecemos essa energa e di-
gnidade como por ellas avaliarmos a justica !!
Continuamos na mesma, isto desconfiamos.
Quinto-i*
28 de Fevereiro de 1889
o
Justina hippica
Sob esta epigrapbe veio Salpicla na JVonac'o
de 20, com um arauzel, um verdadeiro destam-
patorio em que s sobresaiiem a reclidao, a mo-
ralidade, a aignidade e energa do digno gerente
do Prado Pernambucano.
Antes de entraimos na apreciagao d'aquelle
amontoado de disparates, que considera|rfipa>-a
0 contra protesto do proprietario da egua Olga,
de vemos dizer que admiramos que urna pesoa
que escreve para o publico tome como pseudo-
nymo o nomc do animal de que trata em seu
artigo.
Mas .. so efTeitos do Prado.
Vejamos o que diz o ou a Salpicla era seu
aranzel.
1 Que a egua Olga aclia-sc protestada na Cor
te, onde tinba o nome de Salpicla, etc.
E' certo que esse animal foi protestado na
Corte peranle o Jockey Club, que onde se acha
o Stud-Book, mas tambem e certo que foi mar-
cado o prazo de 40 das para a prova. prova
que nunca se deu, e tanto que aquello Club em
certido passada a 31 deDezembro prximo pas-
sado declara nada constar contra dita egua.
J ve quem tomou d'ella o antgo nome, que
aquelle protesto nao provado como se nunca
existir: c foi por isso que a directora do Pra-
do Pern.mbucano que tem um gerente to di-
gno, tao recto, tao moralisado e tao enrgico,
mandn, em vista da carta limpa com que veio,
inscrever no Stod-Boock ahomonyma, a xarapim
do articulista.
4 Nao ha maior disparate do que querer-se
no contra-protesto que a decisao sobre a classi-
ficaco de Olga seja proferida pelas trex dire-
ctoras dos Prado?, porque, (as razoes ncm de
cabo de esquadra sao, sao ufe soldado raso, ou
quando muito de anspencada) nao pode ficar
ad-libitum do proprietario que torna-se parte es-
colner o juiz que lera de ju{gal-o.
Houi'essa!
Ento as partes nao escolhem juizes! !
Nao discutiremos isso; mas quantas vezes j
tem havido no mesmo Prado, juizes nomeados
ou louvados pelas partes ? O que 6 um arbitro,
sena um juiz ? ,
Santo Deus !
Outra razio para qualificar de disparate o con-
tra-ptotesto, a existencia do accordo celebrado
entre as trez directorias,
Mas, o que foi que accordaram ellas ?
Que cada urna tari um certo numero de cor-
ridas, por anno; que nenhuma d'ellas daa cor-
ridas nos dias que coubessem as entras: e que
as deliberacoes tomadas por urna seriam manti-
das pelas otras.
Que deliberacOes, pOrm, serao essas a que se.
refere a acta do accordo ?
Sem durida, acerca das disposigoes existentes
nos respectivos Cdigos.
Mas, se ein nenhum dos Cdigos baum so ar-
tigo que se relira bypotliese. segue-se que nao
est ella comprehendda no accordo, e s por
deliberaco geral das trez directoras, ou por
delegac&o especial das outras, do l'rado. po-
der essa arrogarse a attribuico exclusiva de
decidir.
E' principio de direito (vai latinonu para fa-
zer pendant com adlibUum), quod ontnes tang,
ab mnibus approbari debet, e como negocio
3ue affecta inmediatamente os intepesses de to-
os os Prados, a classificacao de um aiymal de
corridas, devem com certeza as respectivas dW
rectoras to;nar parte na decisao.
0 contrario disso flearem as duas sob a pe-
sada tutclla da do Prado, que so por ser mais
velba nao t;ni direilo a isso. pois ha muitos ve-
nios, aos qiiaes falta ni requisitos para o munus
de ttella.
Diz Salpicla que se alimm dos directores do
Prado suspeito. que o interessado allegue e
orove a suspeieo, porque a simples allegarao,
n prova, importa injuria.
Ma= allegar e provar peante quem ?
Pois ia Dito se allegou e dando razoes basea
das em tactos de notonedade publica ? E qual
^cauelrfera termos (Despacho proferido
DekTsecre ario em vez do presidente).
^Repito Mas allegar e provar peninte quem.
Peranle a director1 ,.
reraH\ -um soque di-
ario,
que descance-
Conreare Oirtcary
Copia.Ao Illm. Exm. Sr. Ministro da
Justica.Nao devendo ficar oceulto o pro-
cedmento de um juiz modelo como o da
comarca de Ouricury no processo instau-
rado n'este termo contra o tenente-coronel
Hay mundo Florencio de Alencar, seu ir-
mSo capitao Joto Sil Veno de Alencar e
seu cunhado capitao Antonio Dias Prente,
abaixo publicamos urna carta e resposta
do escrivlo respectivo par;>, ser vista e
apreciada pelo Exm. Mi' -'r da Justica,
sem comsasntaric
Eil-a:
t Granito, 31 ae ^vgoso au tooo.
Illm. Sr. Manoel Francisco de Souza
Leao.Em abono da verdade, sipa-sc
V. S. attestar:
e 1. Se foi no meado pelo Dr. juiz de
direito desta comarca Joaquim Alcebia-
des Tavares de Hollandu, escrivilo ad-hoc
no processo que, por denuncia do promo-
tor publico por crime de falsidadc de es-
cripturas de arrendamentos para a inclu-
slo de cidadaos no alistamento de eleitores
d'esta freguezia foi instaurado n'esta villa
no dia 23 do expirante Agosto, contra e
tenente-coronel Ray mundo Florencio do
Alencar, seu irmao capitao Joao Silverio
de Alencar e seu cunhado Antonio Dias
Prente;
t 2." So o mesmo juiz de direito efeteve
hospedado em casa dos aecusados com
quem viva na mais doce harmona, jogando
de dia e noite com Raymundo Florencio
e outros a sua predilcta marimba;
3. Se qnando V. S. era obligado a
apresentar-lhe os autos, eram estes despa-
pachados na mesma mesa em que o en-
contrava jogando;
4. Se foram os aecusados pronuncia-
dos o 1. no art. 167 do Cod. Crim. 1.a,
2.a e 5.a partes, e os outros na 5.a parte
do mesmo artigo ;
t 5.a Se marcou o julgamento dos ae-
cusados para o dia 30 de Agosto, 6 dias
depois da pronuncia, conoedendo-lhes logo
fianca provisoria por 30 dias e sahindo
com elles para a fazenda Madeira do 1.
aecusado;
t 6." Finalmente se voltou no dia 30 e
lavrando a sentenca de absolv yao no sitio
Araruna, 6 leguas distante d'esta villa,
para onde partir na tarde d'aquelle dia
acompanhado dos aecusados, ordenando a
V. S. que tambem o acompanhasse para
receber os autos com a sentenca e inti-
ma]-a ao promotor n. maulia de hoje.
Permita que faca de sua resposta o
uso que me 'convier. De V. S. amigo,
criado e obrigado.Jote Peixoto e Silva.*
t Illm. Sr. Jos Peixoto e Silva.At-
testo pela afirmativa todos os quesitos de
sua presente carta. P<>de fazer V. S. de
minha resposta o uso que quizer.De
V. S. amigo e criado.Manoel Francisco
de Souza Leo.
Granito, 31 de Agosto de 1888.
(Estava com a firma reconhecida pelo
tabelliao publico.)
Mofina
Infeliz trra Rio Formoso que tem
como encarregado de reger a freguezia o
santo padre Francisco Verissimo Bandei-
ra, lembranea do t.osso diocesano.
INSTITUTO
DE
MISSA SLMIIIKA DO (ARMO
liiwlrufru primaria, nefandaria e
recreativa
Este collegio, fundado em 1873, conti-
nua a funecionar no palacete n. 72, ra
de S. Francisco, junto a estacao .da ra do
Sol, da Estrada de Ferro de Caxanga, e
recebe alumnos internos, meio-penssionis-
tas e externos.
O 6eu director em vista da crise mone-
taria que affecta a todos, resolveu modifi-
car os preces das mensalidades dos alum-
nos internos e meio-pensionistas, ficando
em vigor a tabella seguinte:
Alumno interno, trimestre lOOtJOOO
dem meio-pensionista, idem 60)^000
Os internos tm-direito a roupa lavada
e engommadagrata e nao dao joias.
Os professores sao habilitados; a ali-
mentacSo de primeira qualidade: todo o
edificio muito claro, espa^oso e arejado
e tem banhos frios de choque e chuvisco.
As aulas j esta > funcionando.
--------------------------i
W.
Eterao verao
Que cousa mais bella ha que o vero com sua
riqueza de flores, o canto de seus passaros e o
resplendor do sol *
E quao triste pensar que dentro de uns pou
eos mezes os passares se bavero ido trras
onde o sol mais qi ente e as llores jazero sob
urna carnada de nev.
Porem ha urna trra onde eternamente biilba
o sol e exhalum as flores sua fragrancia e onde
sao desconhecdas a nev e o gelo. Esta 6 a
trra das flores, ou a Floiidi.
Por um processo tao delicado como sua pro-
pria fragrancia, conservada esta na exquisita
[irepaiacao conbecjda sob o nome de Agua Flo-
rida de Murray \ Lamiun. que refresca no vero
como as flores que lie do a vida e recorda no
invern suas einmnrrlii:ci Aviso ao publico
Enquanto durar a Exposico Universal de
1889, os nossos leitores que se acharem era Paris
e Ique desejarem receoer quaesquer noticias da
trra, poderao ler o. nmeros mais recentes do
nosso jornal no esc riptorio dos nossos corres-
pondentes, os Srs. Ancde Prince & C, 36, ra
Lafayette, em Paris.
Os nossos. patricios poderaa receber a sua cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amede Prrace & C.
Outrosim, os meamos Srs. Amede Pnnce A C,
ncociantes-commissi.rios perr. a sua casa de
compras s ordens de qualquer pessoa que dse-
jar ter urnas informacoes, ou utilisar seu inter-
medio ___^J__ .____
--------------SOSOS-------------'
Dr. Manoel do "\a$riinenlo Ha-
chado Portella Jnior
Escriptorio ra lo Imperador n. '35
1o. ANDA
r
lastimo Beneleeite dos Midis
da Guarda Nae onal
Reunio-se no dia il a directora d'cssa socie-
dade e tratou de diversos assumptos, enfre os
quaes, dos meios de adquirir donativos para a
familia do infeliz tenente Pedro Rygaard, e to-
mou a deliberaco de uomear diversas commis-
soes, as quaes licaram compostas dos segaintes
Srs. :
Recife
Capitao Xuno Atves da Ponseca.
Tenente Galdino Jos Burity.
Alferes Augusto Leopoldino da Silva Neves.
Santo Antonio
Capitao Augusto Cesar Cousseiro de Mattos.
Tenente Antonio Pedro Dionisio.
Alferes Sezino Vieira da Silva.
S. Jos
Tencute Hermilln de Azeredo Coutinbo.
Tetunte Gaspar Antonio dos Res.
Tenente Heliodoro andido Ferreira Rabel lo.
Uoa-Vista
Tenente Pedro Celestino de R/ito Macedo.
Tenente Manoel Domingues da Silva.
Tenente Maximiano Ribeiro de Araujo.
Olinda
CapitSo Fortunato Jos de Samnaio.
Tenente Manoel Procopio da Silva.
Tenente Manoel Nunes Vianna.
Graea
Capilo Vicente Ferreira de Sanl'nna.
Capitao Francisco Mauricio de Abreu.
Tenente Godofredo de Abreu Lima.
S Lourenco
Capitn Manoel Joaquim de Trevas Marinho.
Capitn Augusto de Miranda Albuqnerque.
Alferes Antonio Ferreira Lobo.
Victoria
Alferes Joo Carolino de Goes Cavalcante.
Capitao Joaquim Joo da Cunta Pimpim.
Tenente i aciano Beato da Cunha Figueiredo.
Cabo
Capitao Manoel Duarte Vieira. ,, '
Alferes Luz de Franca de Bollanda Chacn.
Alferes Joao Francisco do Reg Barros.
Escada
Capitao Sergio Evergisto de Souza Magalhes.
Teuente Paulino Martns da Costa.
Tenente Luiz Jos de Franca Carioca.
Nazaretli
Vicencia :Capitao Elysio Tavares de Mendonca
Pugas.
Alaga-Secca:Alferes Joao Lobo de Oliveira.
Tracunhem :Capitao Joaquim Ignacio Goncal-
ves da Luz.
vesM i til aaaodar a creosota de al-
atrio de &ia ao oleo de figado de haca I lo do
tratamento das sfteccoei do laryage, dos bron-
hios, dos pulm5ei, e principalmente as broa*
ekitea ehroniess e nos eatarrnos. Esta associaflo
preseata grandes vantagens, mesmo na ausen-
cia dedoenga e quando se fas uso rnente no fiza
de fortificar um peito fraco ou um temperamento
aeb.
Estes doui medicamentos encontrlo-s e reunidos
as Capsula* de Bertki creosotada, onde a creo-
sota de aleatrlo de faia acna-se em dio!ucao
n'um oleo de figado de bacalhSo particularmente
recounnendavef visto ser obtido por proce^sot
que so os tnicos que tem merecido a approva-
co da Academia de Medicina de Pariz.
Opera^ao importante
Quatorze annos de soffrimentos doloro-
sos, e outros tantos de esforcos, de sacri-
ficios intilmente empregados, tal a his-
toria do meu estreitamento da urethra.
Chegando a esta cidade supportando asj
mais cruciante8 dores, produzidas por tal
molestia, indicou-me meu compadre e ami-
go Sr. Joaquim Dias de Andrade o Illm.
Sr. Dr. Carlos Bettcncourt para medi-
car-me.
Em tres dias este distincto clinice den-
me por prorapto e urna realidade o
achar-mo radicalmente curado.
Ao Illm. Sr. Dr. Carlos Bettencourt,
pela pericia que revelou na operacSo, fei-
ta pela electrolise, pela delicadeza, pela
attencao com que sempre se dignou trac-
tar-me, meu eterno rcconhccimento.
Recife, 18 de Fevereiro de 1889.
Joao Carneiro da Mota Silveira.
os
Collegio de Santa Vernica
Na roa do Arago n. 10 2 andar acham-se
abertas as aulas deste estabelecimento de ins-
truccao para o sexo femenino.
9f
I!
I
Vas urinarias, molestias do tero,
operacoes elctricas
U n. cmo8 SEirascouaT
ESPECIALISTA
com pratica de pariz r. lonobes
Estreitamentc8 da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dr ;
hydroceles sem injecc* (cura radical);
feridas e ulceras enronicas. com garan-
ta de cura rpida; pedras da bexiga.
fstulas e hemorrhoidas: syptilis, go-
norrhas, pelo metbodo das mstillaces;
molestias da garganta e do peito pelas
athraosphcras medicamentosas. Con-
sultas e operacoos das 12 s 3 horas
.' da tarde.
{ RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34
*. ANDAR
BcMideaeia aa Torre
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, partero trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e crean cas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por eacripto) qualquer hora.
TELKPHONE N. 226
Bacharel Antonio Witru-
>io Pinto Bandeira
Pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1" andar
MEDICO HOMEPATA
Dr. Ballhazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias ||
das enancas, dos orgos respirato- <
ros e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n.
onde se indicar sua residencia
Lr. dabino,
oria n. 43, \ /
sidencia. I j
Oculista
Dr.' Barrete Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra 'do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela roa da
Saudade n. 25.
X
Medico operador parteiro
* I Ba Larga do Bt inri o I
(Por cima do Annel df Ouroj
Onde tem consultorio e resi-
dencia t podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: Partos, febres, moles-
tias de senhoras e dos pulmes, syphilis
em geral, cura rpida e completa e ope-
racoes de estreitamenras e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, qualquer distancia.
Telcphonc n. 394
Frederieo Chaves Jnior
Homocpatha
39 RA BARO DA VICTORIA 39
Prlmelro andar
Novos estudos de mdicos, primeiro
Franca, depois na Allemanba e em todos
pases da Europa e da America, tem mostrado
a eficacia da creosota eztraliida do alcatrao de
faia as affecfSes chronicas do Iarynge, dos
bronebiog e dos pulmCes, particularmente as
brou chiles chronicas e nos catarrhos. as Per ola*
de Creosote do D< Clertan a creosota encerrada
debaiio de ama fina carnada eclatinosa, con-
forme o processo approvado pela Academia de
Medicina de Paris. Este medicamento toma-se
assim com a maior facilidade.
Nao rnente seu sabor e sua causticidade sao
astim disgimuladoe, mas simia o doente pode
tomar com confianca um medicamento que se
apresenta com todas as garantas de orna pureza
Breprehensiyel. ^______
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-L'nidos, tem aberte o seu consul-
torio, na ra Bario do Victoria 19, Io an-
dar.
Consultas das 10 s, 4 horas da tarde.
DECLARARES
!. seceo. Secretaria da presidencia de
Pernambuco, 27 de Fevereiro de 1889. Por esta
secretaria se faz publico a quem interessar pos
sa. que se acha uesta repartic&o, aran de ser
entregue ao interessado, depois de pagos os de-
vidos direitos, a patente do tenente-coronel Tho-
maz Jos de Aquino Pereira, reformado no mes-
mo posto, per decreto de ti de Dezembro dp
anno prximo passado.
0 secretario interino,
Manoel Joaquim .-ilveira.
Companhia Ferro Carril de
Pernambuco
A gerencia interina desta companhia previne
que s dar carros para o Derby Club, no do-
mingo 3 de Maree at 2 1/2 horas da tarde, vol-
ta para a cidade da ultima turma, isto de accor-
do cora o gerente Jaquel la companhia
Recite, 27 de Fevereiro de 1889.
Felippe de Araujo Sampaio. ^^
Correio Geral
Mala* a expedlr-ae aoje
Pelo paquete nacional Pernambuco, esta admi-
nistra(o expede malas para os portos do norte,
recebendo impressos e objectos a registrar at
2 horas da tarde e cartas ordinarias at 3 horas
ou 3 1 2 com porte duplo.
Administraco dos Correios de Pernambuco,
8 de Fevereiro de 1889.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
Companhia de fiacao e teci-
dos de Pernambuco
Por deliberaco da directora sao convidados
os senhores associados desta companhia a se
reunirem no salao do editicio da Associacao
Commercial Beneficente. a 1 hora da Urde, no
dia 7 do prximo mez de Marco, para approva-
re ni as con tas do anno lindo em 31 de Dezembro
de 188"*, e nomearem a commisso fiscal do cor-
rentc anno.
Recife, 7 de Fevereiro de 1889. j
Jos Joao de Araorim,
'__________Secretario._________
Imperial Sociedade dos Ar-
tistas Mchameos eLi-
beraes
Nao tendo comparecido numero legal para a
convocacao feita para 14 ao correte, de novo
convido a todos os senhores socios effectivos
que estiverem nos gosos de seus direitos a com-
parecerem auinta-feira 28, s 6 horas da tarde,
na sede social, afim de ter lugar a assembla
geral para a apresentaco de contas e posse dos
novos funecionarios.
Recife, 26 de Fevereiro de 1889.
0 I' secretario,
. Francisco da C ostaRmos.a
Indemnisadora
A directora desta companhia convida os se-
nhores accionistas a reunirem-se em assembla
geral ordinaria no dia 28 do corrente, ao meio
dia, na sede da mesma. para o tira de aprecia-
rem o balango, contas da direegao e o parecer da
commisso fiscal, e bem como da'r-se cumpli-
mento ao que determina o art. 27 % 2- dos seus
estatutos. Recife, 14 de Fevereiro de 1889.
Os directores
Joaquim Alves da Fooseca.
Antonio da C. Ferreira Beltar.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
fao publico que em cumprimento da re-
solucao de S. Exc. o Sr. Dr. presidente
da provincia, de 14 do corrente, fica "mar-
cado o prazo de 45 dias a contar desta
data, para a incripbao ao concurso que
ter lugar neste Tnesouro no dia 15 de
Abr 1 prximo futuro, afim de preencher-
se tres vagas de 3o escripturario existen-
tes nesta rcpart5ao.
O exame versar sobre leitura, analyse
grammatical, orthographia e arithmetica
at a theoria das propones inclusive.
Os candidatos deverao requerer ins-
pectora deste Thesouro a sua admissao ao
concurso por meio de peticSo documenta-
da, provando ser maior de 18 annos, achar-
se livre de ulpa e pena e ter bom com-
portame.nto, lhcs sendo licito juntar, alm
destes, quaesquer outros documentos que
possam favorecer o seu direito.
Secretaria de Taesoore Provincial de
Pernambuco, 21 de PeveiciiO c 1889.
Servindo de secrelario
O official,
Lindolfo Compeli.
i.

]
t 4.* scele.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro de
1889.
Por esta secretaria se faz publica a re-
commendacao do Exm. ministro e secre-
tario de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n. 288 de 22 de Ja-
neiro findo, para conhecimento de Mara
Severina da Conceicao Lucas, mSi do
alumno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourengo Godolredo Lucas.
N. 238. 2a directora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
< Illm. e Exm. Sr.Nao podendo, na
conforraidade do artigo 25 do regulamen-
to do Instituto dos Surdos Mudos annexo
ao decteto n. 5,435 de 15 de Outubro de
1873, continuar all, por haver attingido
a idade de 18 annos, o alumno Jes Lou-
rengo Godofredo Lucas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 de Ou-
tubro de 1882 e convindo, portanto, pro-
videnciar afim de que seja retirado do
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director de estabeleci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigs, se exprime regularmente por eacrip-
to, perito official de encadernador e tem
o peculio de 8644>950, recolhido a caixa
econmica, dou conheciinonfo d'isto a V.
Exc. para os fins convenientes.
Deus guarde a V. Exc. A. Ferrei-
ra Vianna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco. .
O secretario interino,
Manoel Jonquim Silveira.
Club Concordia .
Aufserordentlichc Hauptversammlung.
Freitag den i Marz 1889.
Tractanden: Watel eines Commissions
gltdes.
Unvorhergesebenes.
Das Directorium.
llil-
Concurso
Por esta secretaria se faz publieo em vista do
despacho da presidencia da provincia de 9 do
corrente mez, e de ordem do Sr. Dr. inspector
geral da instrucco publica, que se acha aberta
a inscripeo para o concurso a que se vai proce-
der a reqnerimento, do alumno inestre tiiulado
pela Esccla Normal, Arthur Octaviano da Silva
Ramos, para provjmeiito da cadeira de ensino
primario do sexo masculino do Poco da Paridla
(de 2.* entrancia),iendo sommte admittidos a
essa inseripeo os orofessores pblicos de qual-
Siier cathegoria, os individuos titulados pela
scola Normal, divendo estes no prazo de 40
dias apresentar os corrida ou attestado de procedimento civil e mo-
ral pelas autoridades judiciarias, policiaes ou
cmaras municipaes das localidades em que ti-
verem residido nos dous ltimos annos, diploma
conferido pela Escola Normal. Ficando sem
effeito o edital n. 32, que annuneiou o accesso
da mesma cadeira.
Secretaria da instruccSo publica de Pernam-
buco, 11 de Fevereiro de 1889.O secretario,
Pergentino S. de Araujo Galvc.
0 Illm. Sr. Dr. chefe de policia in-
terino manda publicar para conhecimento
de todos o art. 1. do regulamento para a
matricula de boleeiros e carroceiros, afim
de que nao se reproduzam os abusos que
se tem dado, de dirigirem cairos e car-
rocas individuos nao matriculados, recom-
mendando n'esta data ao mestre de cam-
pos Francisco Justino de Assia, toda a vi-
gilancia para que seja cumprido fielmente
o menciodado artigo.
t Art. 1. Ninguem poder ser adinitti-
do ao governo de carros, seges, mnibus,
carrocas ou qualquer outro vehculo de
conduegao, seja na qualidade de boleeiro,
seja na de carroceiro, sem qne esteja ma-
triculado na repart gao de olicia.
Secretaria de Policia' de Pernambuco,
20 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Joaquim Francisco de Arruda.
Be ordem do Exm. Sr. Dr. inspector se
faz publico que em virtude do telegramma ex-
pedido pelo Ministerio da Fazenda, a taixa ad-
dicional da tarifa movel, cobravel do 1 de Mar-
go prximo em diante, conforme o decreto 1170
de Janeiro ultimo, ser de 20 0/9 at ordens em
contrario.
3." seccao da Alfandega deP8rnambuco,*'6 de
Fevereiro de 1889. 0 chefe,
e Domingos Joaquim da Fonseca
D Dr. chefe de policia manda pnbcar pa-
ra conhecimento de todos e fiel execugo os
arts. 70 e 71 das posturas municipaes :
Art. 70. Fica prohibido neste municipio o
brinquedo de entrado com agua ou qualquer ou-
tra substancia, de qualquer maneira que se em-
pregue : os infractores pagaro a multa de io
e soffrerao 8 das de nnso.
Art. 71. Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : os infractores alm de as perder paga-
garfio 4/ de multa.
Secretaria da polica de Pernambuco, 23 de
Fevereiro de 1889.
0 secretario,
Joaquim Francisco de Arroda.
Companhia A alago ana de
Fiacao e Tecidos
Convidamos aos Srs. subscriptores des-
ta companhia para, de accordo com os
arts. 9 e 10 dos estatutos ate o dia 17 de
Marco prximo futuro, realisarem sua
quarta entrada na razao de 10i0 do valor
de suas acgUes ao Banco Intenarcional
em Pernambuco.
Maceio 15 de Fevereiro de 1889.
Os directores,
Jos Tcixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Barreto.
Recebedoria Provincial
Relagao dos contribuintes comprehendi-
dos nos impostes decretados no 21 do
art. Io da ein. 1884, (10[0) em relagao
a freguezia do Poco da Panella e perten-
centes ao exercicio de 1889, pelo langa-
dor Joaquim Tranquilino de Lemoe Duarte.
Estrada do Arraial
N. 66. Domingos Gomes Lor-
reia 20i>000
N. 66 A. Oliveira Castro &C. 9j600
N. 25. B. Jos Cuiz Ribeiro 10*000
N. 25C.MoreiradaSilvadC. 120000
N. 27, Manoel Oongalves Ro-
drigues 90600
N. 27 G. Domingos Gomes
Correia & C. 20(5000
Estrada do Brejo
N. 24. Luiz Gongalves Lou-
renco & C. 120000
Estrada de ferro do Limoeiro
N. 7. Francisco Alves de Bar-
ros 100000
Ra de S. Joao
N. 4. Manoel Elias Alves de
Farias 100000
Travessa de S. ,Jo5o
N. 2. Azevedo & Silva .70200
Estrada de Agua Fria
N. 16 Antonio Arcoverde de
Mello 120000"
N. 16 A. Minervino A, Fiuza
Lima
Ra da Harmona'
N. 10. Miguel A. Jos Fernan-
N
N
N
N
N
i
X
N
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X
X.
X
X
X.
N.
X
X
X.
X.
X
X
X.
X.
X.
X
Estrada do Encanamento
. ^12. Adriano da Rocha Pe-
reira
. 22. Generoso de Oliveira
Fernandes
, 11. Adriano da Rocha
120000
100000
Pe-
reira
. 19 F. Antonio Vasques
, 23. Jos de Hollanda Ca-
valcante
Travessa do Cemiterio
, 4 A. Minervino A. Fiuza
Lima
Estrada de Sant'Anna
. 14. Thom Rodrigues da ,
Cunha
. 7. Manoel Sotolino
. 11. Francisco Dias dos Res
. 41. Joo Procopio de Co-
lombo
Ra da Casa Forte
. 18. JoSo Cavalcante de Al-
buquerque
. 42. Minervino A, Fiuza
Lima
. 46. Manoel jMartins Cam-
pos
. 3. Andr Busson
. 13. Generosa Alves
. 15. Antonio Aarcoverde de
Mello
. 17. JoSo Procopio de Co-
lombo
. 17. A. Manoel Rodrigues
. 69. Antonio de Carvalho
de Azevedo <&C.
Travessa da Casa Forte
. 9. Manoel Martins Lopes
da Cruz
. 10. Bazilio Magna da Sil-
va Guimaraes
Ra -da Poeira
. 2. Ferreira & C.
Ra da Matriz
. 2. Manoel Ferreira da Mot-
ta
Ra do Monteiro
2. Miguel Baptista de Oli-
veira
4. Oliveira Castro & C.
4 A. Tiburcio Vctor de Mel-
lo Santos
6. Almeida & C.
18. Araujo & C.
44. Manoel Pedrosa dos
Santos
44 A. Oliveira Castro & C.
1. Manoel Ferreira da Cruz
7. Minervino A. Fiuza Lima
17. Manoel Ferreira da Cruz
& C.
. 75. Minervino A. Fiuza
Lima
75 A. Antonio Joaquim de
edo
Ra do Lamarao
1. k #oel Ferreira dos San-
tos Bragax
vJtua da Ponte
1. Manoel lie Carvalho
Bec o Quiabo
. 2 A. Joao de Affcaejda Sei-
xas n
Estrada de Apipuc *
X. 2A Manoel Gencalves i >
gueira
X. 6 B. Joaquim Deocleciano
de Oliveira Cmara
X. 9. Capito Alves.
Largo de Apipucos
X. 46. Joao Felizardo de Amo-
rim
X. 48. Minervino A. Fiuza Li-
ma
X. 54. Cassiano Rodrigues & C.
Travessa do Arruda
N. 1. Victorino Tobas de Mello
Estrada para o Engenho
X. 2. Joaquim Ferreira Alves
X. 4. Oliveira Castro & C.
X. 14. Jos Joaquim Martins
? C.
X. 15. Manoel Rodrigues
X. 15 A. O mesmo
Dous IrmSos
X. 3. Jos Maria
Travessa da Carolla
X. 1. Horacio Machado
Pedra Molle
X. 2 A. Antonio Maia
X. 4- Manoel Passos
X. 5 A. Maria Pastora da Con
ceigao
120000
80000
120000
80000
100000
120000
120000
150000
120000
130000
80400
120000
120000
60000
100000
120000
60000
80000
120000
60000
100000
200000
100000

120000
120000
150000
120000
180000
150000
120000
150000
100000
100000
90600
120000
120000
200200
60000
120000
160000
150000
140000
60000
120000
90600
150000
100000
90600
30600
60000
100000
40000
60000
Ia secgao da Recebedoria Provincial, 25
de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Jeffenon Mirabeau de Azevedo Soares.
Correio geral
Concurso para prccnchlsatento
de um lugar de pratleaate de
*- elasse
Fago publico para conhecimento dos
interessados, que acha-se aberta nesta ad-
ministragao durante o prazo de 30 dias,
a contar desta data, a inscripgao para o
concurso que deve realisar-se para jireen-
chimento de um lugar de praticante de 2a
elasse.
Os candidatos deverao documentar seus
requerimentos, provando terem mais de
18 e menos de 25 annos de idade, goza-
rem boa saude, estarem vaccinados e te-
rem bom procedimento.
A idade exigida para a inscripeo deve
ser provada com certido de baptismo
extrahida do assento feito no livro de pa-
rocha no devido tempO,' ou justificagao
prestada perante autoridade eccles.astica
e por estajulgada por sentenca. Este do-
cumento nao pode ser supprido por publi-
ca forma; e muito menos, por attestadps
passados por vigarios, no ausencia ios li-
vro8 d.i freguezia.
O exame versar sobre as lingusa por-
tugueza, franceza, geographia geial, con
desenvolvimento quanto ao Brasil, e arith-
metica at a theoria das proporgoes inclu-
sive, sendo motivo de preferencia o co-
nhecimento das linguas ingleza e allema.
AdministragSo dos-Correios de Pernam-
buco, 12 de Fevereiro de 1889.
i O administrador,
Affonso do Reg Bm
I
I

i .





mm
Royal Mail Steam Packet
Companha
. O paquete Trent
-.Coramandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia i de
LMarco, seguindo depois da demo-
* a do costnme para
[arel. Baha. Rio de Janeiro,
autos. Montevideo e Buenos-
Ayres.
Para passagens, fretes e encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Atrato
Comni andante
m
UsboM.
L. R. Dickiusen
E' esperado do sul no dia 3 de
Marco e seguindo Jepois da demora
necessaria para
viso. Southampton
Antuerpia
tituc$ao de passagens
Ida Ida e volta
A' Lisboa 1 classe >X 20 30
A' Southampton elasse f 28 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernaubuco
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Argentina, aos navios procedentes do
Brasil, os vapores desta companqia nao aceitarao
passageiros nem carga para Buenos-Ayres. ,
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmaos & C.
N. 3Ra do Bom JessN. 3
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
O vapor Advance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 4 de Mar-
co o qual depois da de-
mora necessaria seguir
para a ,
afeJa, Ro de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os m GENTES.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos uo
sul at o dia 1 de Margo
o qual depois da demo-
, ra necessana seguir
I para o
naranho. Para, Barbados, S.
Thomaz e .\rv York
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiroa frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commercio8
1* andar
Pacific St;e? m Navigatio^
Con panj
STRAITSOFMAGELLAN L isE
O paquete Araueania
Espera- sul at o dia
28 do trente e seguir,
dopois da demora do costu-
me para Liverpool por
Usboa, I deaui e iMyuouth
- Ea^a carga, passageiros, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons L Limited
14RA DO COMMERCIO14
Companhia Brasil eir e
Navegado Vapor
PORTO DO SUL
O vapor Maranho
Commandante o espiHo de fragata Pedro
Hyppdyto Duarte
^m E' esperado dos portos do norte ;it
jSMSvo'dia 7 de Vareo e depois da de-
g|| Elmora indisp ensavel seguir para os
ssaa^sWp0rtos do tul.
Recebe tambera carp para Santos, Santa Ca-
marina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As en :ommendas so ierSo recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passageos.encoinmendas e va o-
res trata-se com os AGENTES.
PORTOS DO NORTE
O vapor Para
Cominandante Antonio .Ferreira da Silva
E' esperado dos portos do sul at o
dia 8 de Marco e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at I hora da tarde do da da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
Pefeira Cameiro & C.
* 6*==Rua do (3ommercio=6
1 andar
-
nambuco --Qui^U^faira "28 de Fevereiro de .-1889
Companhi de Messageies
Maritimes
LINHA. MENSAL
O paquete Congo
Commandante Lecointre
E' esperado dos portos do
sul no dia 5 de Marco,
seguindo depois dademo
i ra do cosiume para bor-
deaux, tocando em
Dakar e Usboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha. lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 0(0 em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
marem bilhetes de proa, gozam tambem deste
abatimento.
0s vales poslaes s se do at o da a pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
. AGENTE
O paquete Nerthe
Commandante Jezegabel
E" esperado da Europa no
dia 7 de Marco e segui-
' r depois da demora ne-
'cessaria para
Babia, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
' Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que na lugares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
riasaueg seattender a reclamacoes por fal-
tas, oos volumes. que forem reconhecidas na
occa*io da descarga, assim como deverao den-
tro de 4- horas a contar do dia da descarga das
alvaivnias, fazerem qualquer reclamaco con'
cementes a volumes que porventura tenham se-
jruido para os portos do sul, al'im de poder-se
dar i ti-mpo as providencias necessanas.
Este paquete Iluminado a luz elctrica.
Para carga, passgens,. encommendas e di-
nbeiro a frete : tra'a-se om o GENTE.
AugrsleLbille
i ftHa do Commercio 9
Rio trandee Pelotas
Para os portos cima "segu com brevidade o
lugar braseiro i rinha VII; para carga trata-
. onsignatarios Jes da MI va L^yo 4
__________
Para Lilia de S. Mi-
guel

y.-;t ;.--- -cue para o
u lira do uicz. por j ter par-
eada, e para o*resto que 'lie
^rom o consignatario Antonio Maria
-;n:uitihia Pernainbueana
Mossore Araeaty
para
JJ-ga ti
LEILOES
JLeilo
De diversas du uias raneas e ie ere
Jone, costunae de casemira par bonieaj-e me-
ninos, calas, palctets, camisas de linho, sa-
poetes e extractos linos, vestuarios pasa mas-
Caras, Disnagas, 60 aVaias.de cliaminside di-
versas linhas, duzias de i boioes .grandes com
tinta para escrever, loalhas para rosto, eol-
ias, guardanapos. ataaladoa, eftguio, gar-
rafas com vinho de caj, superior, mobilias,
pianos, movis avulsos, lougas, vidros e mui-
tos outros artigos proprios para o carnaval.
tte*ta-felra 1 de Maree
A's 11 horas
No armzem ra Mrquez de Olinda
n. 48
Por intervcnqao do agentr
Gusmao
Leilo
De bous moveis^crystaes, electro pate, vidrost
lencos etc., a saber: 1 mobilia de junco preto,
i cama de Jacaranda, i'dita de mogno, i toilet.
de Jacaranda, 1 dito de moguo. i guarda vestidos,
1 meia commoda, i bidet, 1 mesa com i gavetas
1 secretaria, 1 mesa elstica, 3 aparadores, i mar-
quezOes. ileadeiras de junco. 6 ditas de aina-
rello, aparelho de jantar e de almoco, porta car-
tees de electro pate, copos, garrafas, clices jar-
ros, candieiros, quadros, etagers, mola e outros
artigos de casa de familia.
%v\tn-felra 1 de Marco
A's 11 horas
No 2. andar da ra Mrquez deHerval
n. 33
O agente Modesto Baptista autorisado pelo Sr.
Jos Pedro Rodrigues dos Santos fara leilo do
que cima declara e aluga o mesmo sobrad \
Hoje, 27, o de preios, conforme o annun-
cio em outro lugar destii seocao.
le movis, no sobrado
Quinta-feira 8, o
ruada Roda n-46. ___ _____
Sexta-feira 1 de Marco-, o de fazendas,
miudezas, calcados, pe fumarias, chapeos, fer-
ragens e outros objectos de gosto, no 1" andar
do sobrado sito rea d* Bom Jess n 20.
~ "Sabbado 2, deve~ter ligrr o da egua Ri-
sette, vida ltimamente le/Rio de Janeiro.
Leili
De movis, loujaV vidros
A saber :
Urna mobilia com. 1 sof, 2 coilsolos cora pedra,
2 cadeiras de braco e 12 de gualnico, 2 de ba-
lanco, 1 espelho, 3 qualros, casticaes com
mangas, 1 candieiro par gaz e! escarradeiras
Urna commoda, 1 cama, 1 mez de cabeceira,
1 meza com duas gavetas, 1 mac ina de costura,
2 bahs, 1 meza, z appaiadores, cadeira de ba-
lando, 6 cadeiras de gua'iucao, 1 sof de ma-
rello, 1 quarnheira, loc^a e vioros, 1 machina
para caf e outros objeclos de lasa de familia.
tulnfa-feira. do cor rente
A's'11 Moras
A^eit Pillo
Na casa da ra da Ria n. 46, sobrado da
esquina
Leilo
Das taver.ias em Olinda, urna ladeira do Vara-
douro denominada Corsario Negro e a outra
raa de llenrique Dias soto n. 5. outr'ora ra da
Biquinlia.
|ni n l ai ira 98 do corrate
A's 4.1 horas
O agente Stepple por naadado e assistencia
do Illm. e Exm. Sn Dr. juiz de direito especial
do commercio de Olinda, a requerimento dos
Sfs. Fraga Rochj & C. cur.idores lscaes da massa
gallida de Santos & Fernandes, levar a leilo
as duas tavernas cima, com armaces, pesos,
medidas e diversos gneros em bom estado que
se achara, em un ou ma:s lotes a vontade dos
Srs. compradores, e garante-se as chaves dos
mesmos estabelecimeutos.
Os Srs. pretendeates dusde j podero ir exa-
minar os referidos estabelecimentss, ou alguma
informaco com o agente 4 ra do Imperador
n. 39.
Leilo
De 11 caixas com 550 grozas de phospho-
ros com toque de avaria d'agua do
mar marca Ni te dale.
(uinta-feirn. 9H do corrate
A's 11 horas
O agente Gusmo fari leilo na porta do ar-
mzem do Sr. Armes,-(^fronte da Alfandega,
das caixas com phosplioros cima menciona-
das.
Leilo
\ g-ente Brito
De movis, fasendas, csiudezas, mascaras, fer-
gens e outrbs artigos que se venderlo ao
Ao correr do martello
QuJuta-feira 9H de Feverero
AS 10 1/2 HORAS
Ra do Rangel n. 48
Agente Silveira
LE1LAO
De gneros, armacao e utencilios de taver-
na sita a ra do Jardim n. 11.
Wexta-felra t de Marco
As 10 i, oras
O agente Silveira de vivamente nutorisada por
D. Luiza <:hagas de Mello, levar a leilo a refe-
rida taverua era um ou inais lotes.
Garate-se u chaves.
_j
Agento Martins
Leilo
De 7 animaes proprios para corridas de
prados, chegados do centre da provincia.
Sendo:
Urna burra andadeira, i cavados e 4 egua?
corredeiras. f
Keita-felra I de Marco
. A's 11 horas
Na porta da armaiem da ra do Imperador n. 16
Grande e variado
Leilo
de fazendas, miudezas, perfumaras, cal-
cados, chapeos, espelhos. bijuterias
constande de:
Camisas de linho para bomens, casemiras in-
(estsdas, calcados para loinens, senhoras e me-
ninos, chapeos de palha e de la para homens e
senlniras. plomas e enfei tes para chapeos, leques
tinos, ciiisa- e ceroulas de la. eollarinhos de
lii'iho. suspensorios, sflfarlilhos. ehis chales,
i. ntes. piuceis. extractD. espellios. ('echaduras
tinas, lesouras. i. niveles, faeas. bijnlias .ralea-
das e inuitos outros objectos de apurado gosto
em leilo
Sexta-feira, I de Marco
N" 1." andar do sobrado na do Bom
Jess n. 20
\ttlhelm Reimers. temi de seguir para a Eu-
ropa, faz leilo por iiiH'i-vnco do agente Pinto
e nu lotes vqmade doi compradores, du sua
grande exposico de fjucitdu, miuile/a-. perni-
raarias, lalcaaos por -lentes no
rinieiro mai alo sito a ra uo Boui
[sus n. O.
o !eil< principiart as 10 1|3 horas em ponto
wmmmmmmwmm*->--
Santa Casa da Misericordia
doRecife
t
lir. Pedro Afranmo (h* Mello
A junta administrativa desta santa casa lara
celebrar na igreja da Senhora do l'a raizo, pelas
8 horas da manh do dia 7 de Marco, a missa do
30. dia com rquiem cantada pelas expostas,
pelo descanso eterno d'alma do seu compuoheiro
de trabalho, Dr. Pedro Affonso (le Mello, e pede
a assistencia de todos os merabros da irmanda-
de, dos panules c amigos do finado a to pie-
doso acto.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife,27 de Fcvereiro de 188.O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
t
Leilo
da egua Rlsette
de 7/8 sangue nacional, S. Paulo, por San*
Pare (by speculum) e Rosina 3/4 Rio
da Prata, vinda do Rio de Janeiro e
desembarcada eui 17 de Fevereiro do
paquete Alagos.
Animal all de reconhecida superioridade, onde
com 3 annos percorreu 1 -450 metros em 96 se-
gundos, batendo folgada Mandarim, Jenny, Ca-
tana, Clannetta, etc., e no mesmo dia 1609 me-
tros em 108 segundos Espadilha, puro sangue,
(vide jornaes do dia 28 de Novembro de 1887).
Tendo este animal em poucas vezes que o
auno passado correu, apresentado-se sjmpre
com insignificante preparo, e seu -propnetario
desde ento se retirou do sport, regeitando em
leilo 3:000*000.
Agente Pinto
Sabbado de Mareo
A's 11 horas
Em frente ao arinazem da ra do Mr-
quez de Olinda n. 52 por occasiSo do lei-
lo de vinhos. .

Leilo

De vinhos tinos, cognac e leite condensado
Constando de :
216 duiias de garrafas eom vinhos das marcas
Santernus, S. Julien, S. Estephech, Larozc, Mar-
gaux, Lauto, Potrtet Canet.
60 meias duzias de vinho do. Reno a saber :
Mascotiremar, Mosebliicheu, Ranentbaler, Hoch-
heimer, Assuanshauses, Geiseuh Kosackerberg,
Rudeh Engrsg. Spark e moiselle, Ritter de an-
gustura, Bonekamps.
10 meias duzias agurdente de trigo das mar-
cas Kuldluburg, Nordaansen, frascos com leite,
licor sortido e cognac.
70 duzias champagne marcas Ferminet & Fils.
Privilege, Cliegqet e outras marcas.
17 caixas com cognac.
Sabbado, 2 de Marco s 11 1|2 horas
No armazem da ra Mrquez de Olinda n. 52.
O agente Pinto, levar a leilo, por mandado
e em presenca do Exm. Sr. Dr. juiz de direito
especial i o commercio, mu variado sortimento
de vinhos linos cima mencionados, pertencen-
tes a massa fallida de JoSo Moreira & C em lo
tes a vontade dos compradores, s 11 e 1]2 ho-
ras do dia cima dito, em o se armazem, ra
Mrquez de Olinda n. 52.
Amelia de Santa Rom Cimba
Digna de Santa Rosa, Joanna Amelia do Cu-
nta, Joanna Francisca das Chagas Cunha. Pedro
Tertuliano da Cunha, Joo Francisco da Cunha,
Jovno Epiphanioda Cunha. Tranquelino Ildefon-
so da Cunha, Senborinha Cunha, Ilermina Ama-
lia da Cunha e Jesuina Cuulia, summaraente
commovidos pelo infausto passamento de sua
muito prezada irm, mi, madrinha, ora e cu-
nhada, D. Amelia de Santa Rosa'Cunha, convi-
da n a todos os seu? parentes e amigos para as-
sistirem as misas que pelo eterno repouso da
mesma tinada-, mandam celebrar na igreja ma-
triz de Santo Antonio, no dia 28 do corrente, s
8 1/2 horas : e por ese acto de caridade se con-
fessam eternamente gratos.
Agente Burlamaqui
Leilo
Sabbado < de Nare
As 11 horas da manha
No hotel da Passagem da Magdalena, de-
nominado Felinho, junto a estacad dos
Bonds, na Praca do conselheiro Joao Al-
fredo.
De bons movis, gneros no vos.
O agente cima autorisado pelo Sr. Flix
Cypriano da Silva Teixeira vender una mobilia
de junco completa, um.piauo forte em,boni eluido,
um bilhar completo e muitos outros movis, pro-
prios para hotel com um completo sortimento
de gneros novos. Os Srs. pretendentes podem
examinar a referida casa, garantindo-se as chaves
a quem comprar o hotel, o qual acha-se prepa-
rado para os baile* carnavalescos.
AVISOS DIVERSOS
Aluga-se o pavimento terreo do sobrado n.
46 ra da Roda, estando o mesmo caiado, pin-
tado e todo ladrilhado de novo, contendo 1 sala,
2 quartos e eosinha a tratar na ra do Cabug
n. 16, loja. ^^__________
Aluga se casas a 8 JOOO no becco dos Coe-
mos, junto de S. Goncallo ; a tratar na ra da
Imperatriz n. 36.
Aluga-se o sobrado da travessa do Livra-
mento n. 10, o 2- andar da ra do Padre Flo-
riano n. 69 e a casa da travessa do oeinho n-
58 : as chases na Pracinha n. 7, e trata-se na ra
doBrumn. 62, 2- andar.
luga-se o 2- andar com agua, ra do
Padre Muniz n. 13 ; as casas terreas ra de
Santa Thereza e becco do Caj ns. 50 e 24 ; a
tratar na ra das Trincheiras n. 18.
Aluga-se na travessa das Barreiras um en-
cllente terreno plantado e murado, prestndo-
se para carroceiros : a tratar na ra do Impera-
dor n. 80, 1- andar.
Precisase de urna ama para todo servico
domestico em casa de estrangeiro, pagase beni;
a tratar na roa da Florentina n. 10.
Precisa-se de urna ama para comprar e eo-
sinhar para casi de pouca familia ; na ra da
Penha n. 21, segundo andar.
Precisa se de urna ama que cosinhe. lave
e engomme para ura hornera s : na ra de flor-
tas n. 76.
Precisa-se de urna ama para cosiohar : a
tratar no largo do Corpo Santo n. 19, armazem.
Cosinheira
Precisa se de urna boa cosinheira
Aurora n. 119.
na ra da
Professora
Urna senhora inglcza offernce-se para ensinar
em casas particulares as seguiotes mate;
inglez (pratica e iheoricaucnte). fnincez e pia
no. tartas fechadas no esenptorio desta foltia,
com as iniciaes P I.
Francia? Aatonio de Albuouer-
que Mello
Xeomisia Lucia do Albuquerqu^ (fea
lilbos e enteado convidara ms seus par
amigos para assistirera as missas que por aln,.i
do seu serapre lembrado espr tuandara
celebrar na igreja da Soledad-, as 8 hon
manh do dia 4 de Marco, primetro untiiversario
de seu passamentp: pelo que
|
ProfenMor X nlonlo Candido rerrelra
O Gremio dos Professores Primarios, [profun-
damente magoado pela sentida morte de seu
mui presado consocio ex-presidente, professor
Antonio Candido Ferreira, manda celebrar urna
missa pelo seu eterno descanso, s 8 horas da
manh, de quinta-feira, 28 do corrente, trigsi-
mo dia de seu fallecimento, na igreja matriz de
Santo Antonio desta cidade.
Para assis'iraesse caridoso acto o Gre-nio
convida a Exma, familia, parentes, amigos e col-
legas do finado.
Secretaria do Gremio dos Professores Prima-
rios de Pernarabuco, 25 de Fevereiro de 1889.
O secretario interino,
Augusto Wanderley,
t
Joao MarliiiM Ka j mundo
Io anniversario
Joo Martins da Silva. Joo Martins Raymun-
do N'ctto. Agostiuho Martins Raymuudo. Albi-
no Martins da Silva, pedera aos seus parentes e
amigos para assistirem as missas que mandam
celebrar quiuta-leira, 28 do corrente, as 5 e 1,2
horas da manh. na matriz do Corpo Santo, pelo
eterno repouso da alma de seu sempre lembra-
do pai, av e padrinho, anniversario de seu
infausto passamento, e desde j se confessam do
intimo d'alma agradecidos a todos que compare-
cerem a este acto de religio e caridade.


t

GRANDE LTODACAO
Na Loja das Estrellas .
36-Ru Duque de CxiaS-a8
Telephone n. CIO '
Este bem conhecido estabelecimeoto acaba
de passar por um grande reforma,
sendo ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serera despachados todos os seus
freguezes com mxima brevidade
. possivel, resolveu fazer grande II-
ifuidacao de todos os saldos que
ticaram de balanco, por menos
50 i0 do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar:
Artigos de le
Esguiao, pe?a, a 30500.
Madapolao eom um metro de largura de
140 por 70000
dem dem americano de 80 por 50000
Algodao marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras,^ 10 u 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de fustao,- qualidade super.ior, a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
Lencts de bramantes a 20000. '
Chales escocezes a 10000.
E outros muitos artigos que deixam de
ser mencionados e que se vendem cora
igual abatimento
Tecldos de alta novldade
PARA VESTIDOS DE SEXHOBAS
Linhos pardos para vestidos a 300 c 320
Sedas com quadros e listras de 10800 por
800 rs.
Setins de seda, todas as cores, de....
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PE^AS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padroes, de 50 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
FustSes de cor, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs.
Sedas Felippmas, de 500 por 200 rs.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodao, linho, la e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 [e.
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de<8O0 por 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartSo, alta no-
vidade a 80 e 100.
Guamigoes de colariuhos e punhos para
senhora por 10 e 10200.
Gal preta caldeada com
agua doce
0 abaixo assignado offerece aos Srs educado-
res e engenneiros a cal preta caldcada com agua
doce, que muito preferivel caldeada com
agua salgada, como est verificado: podendo.
qualquor pretendento mandar examinar i ra seo
forno, ao entrar no rio de Nova Cruz, onde fez
agora urna cacimba com 40 palmos de profnn- .
didade, a qual conserva agua muilo-boa para
beber e com a mesma caldeia o seu foTio >
fabricar cal preta.
Nova Cruz, 2o de Fevereiro de 1889."
Francisco Cockles Teixeira d'Araujo e Silva
AVISO
Amorim Irmaos & C. pre* '
vinem ao corpo commerciai
t a todos que interessar
possa, que o Sr. Antonio Au-
gusto Bezerra de Menezes
deixou de ser seu empre*
gado.
Jus' Ilemelerio do Castro
Amara I
4-0 anniversario
Rosa Anglica de Castro Amaral, suas irmis,
cunhado e sobrinhos convidara a todos os seus
amigos para assistirem a missa que mandam re-
zar por alma de seu semp^ lembrado filho, so
brinno e primo, Jos Hemeterio de Castro Ama-
ral, na matriz da Roa Vista, s 8 horas da ma-
nh do dial' de Marco, 4- anniversario de seu ,
infausto passamento; confessando-se desde j Capotas (preparadas na corte) de 20* por
gratos a todos que assistirem a este acto de reli- 90 e 100
e caridade.
t
Padre Ha noel Ignacio Bezerra do
Aaaaral
Jos Cornelio LeitSo Rangel convida aos seus
amigos e parentes para assistirem a urna missa
3ue manda rezar no dia i de Margo, trigsimo
o passamento de seu prezado ami.'O e p. padre
Manoel Ignacio B. do Amaral, a qual ter lugar
na matriz de N. S. da Gloria do Goita, pelas 8
horas da manh daquelle dia. e desde j agr
dece cordialmente todos quantos assistirem a
esse acto de religio.
'
Antonio onc-arVew Xogueira
Manoel Goncalves Nogueira, tendo recebido a
infausta noticia do fallecimento em Portugal de
seu prezado pai Antonio Goncalves Nogueira.
convida aos seus amigos para assistirem as mis-
sas que pelo eterno repouso de sua alma manda
celebrar na igreja do Espirito Santo, s 7 horas Setins Maco de todas as
da manha de sexta-feira 1 de Marco, trigsimo
dia de seu fallecimento.. confessando se grato a
todo" aquelles que concorreretn a esse acto de
religio e caridade.
t
0. Amelia de Sania Rosa Cunha
A professora Digna de Santa Rosa convida a
todos os seus collegas para assistirem as missas
que pela alma de sua sempre lembrada irm,
amiga e collega, D. Amelia Je Santa ilesa u-
nlia, manda rezar na igreja matriz de Santo An-
tonio, pelas 8 1/8 horas do dia 28 do crreme,
stimo de seu fallecimento. e por este acto de
caridade se confessa grata._____
t
Custodio Francisco Martins
2- anniversario
Maria lionoria Tarares Martins, seus Glhos_ e
genro convidara aos seus parentes i* amigos pa-
ra aidistireui as missas. que por alma de seu
sempre lembrado esposo, pai e sogro, mandam
celebrar na igreja do orpo Sanio, s 7 1/2 ho-
ras da raanli do dia 2* do corrente, 2- anniver-
sario de sea passamento, pelo que confessum-se
desde j agradecidos._____________________
- Jum' CuprrNno tonto de Ase-
*edo
Variii Tln-rcza C 'ut> > ..zevedo'e seus filho?
do iiiiim-i d'alma agradecen! M pessoas que se
dignaran] acompanhar ao cvmiterio publico o
restos mortaes de seu prezado filho e irmo,
Jos Cupertuo Cr>uto de Azevedo : e de novo
convidara todos os seus amigos e parentes a as-
sistirem as missas quepelo eterno repouso do
,o tinado mandam celebrar na igreja Soledade, pola? 7 horas Ja :ijanh de sexla-feira
1- de Vano
Bdkllio Ciornen Perelra
Sebastiao Bocg*^ C. da Cpnba, Eliza Amelia
C. da Cunha. \ gario Genuino Gomes Perelra,
Lui;." Pereira, Caetauo Gomes l'oweli.
Mara Ail<-laide de Figueiredo. Maria Carrnella
de Figucirefo. agradecem ? pessoas qn" digna-
.panhar sua ultima morada os
taet de seu '-unhado, irm.'io e tio. Ba-
silio Gwnes l'rcia, econvidam as pessoas de
sitirera as* missas que man
do orpo Santo.e na <
riiil,,, -fonal de MTQO, pelas 8 h
i falIfTimen'o.
Crollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para criancas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de briiu.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
tricos por 50.
Luvas de seda meio braco e q^ualquer ta-
manho a 10500 o par.
dem dem de Escocia a 10 e 10500.
Sobretodos impermeaveis de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
na ricamente enfeitadas de vidrilhos a
250 e 300.
dem idem .de renda, seda, damasco e
gurgurSo, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 e 400.
Velludos de seda e algodao de umitas co-
res.
Gazes de seda.
Ricat rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linho, com um metro de largura.
cores a 750 e
dOO rs.
E muitos outros artigos de confeccoes
como sejam mantilletes de blonds, sahidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos inais, que se ven-
dem com >> mesmo abatimento de 50 j0.
Para homens
Casimiras inglezas com duas larguras, de
305I.X) por 1 v_>Oi i.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 fe.
Cortes de seda para collete, de 120000 por
30000 c 30500.
Ditos de velludo e fustao a 10 e 10200.
Meias jnglezas com fio de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 urna.
Collarinho8, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglezas com eollarinhos e pu-
nhosj sem eollarinhos e ;em punhos a
360000 a duzia.
Brins pardos de linho a' 240, 280, 320,
360 e 400 rs.
Dito branco de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira iogleza, de 6
^ 80, 100 120 a 40," 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens,' de 700 e 800 por 300 e 400.
Ceroulas francezas, de 380 por 240OO-
a duzia.
Paletots de seda, completos e feitos de
casemira. malas para viagem, boleas de
tapete e mu completo e variadissimo sor-
timento de cheviots, casimiras francezas, |
inglezas pretas e de cores de padroes in-
teiramente novos e que se vendem com
mesmo abatimento de 50 [ de sen valor.
Re alkos
Aproveitcm a grande quantidade e
pelos precos, em sedas pretas e de cores,
gorgoroVs, setins, las_. merinos, zephyros,
linhos., hitas, iradapoloes e acodaos i-
nhos.
E rauitas ouirftg u'i'liiiiclias que s6 se
encontram na ,
Lmadas Estrellas
Costureira e modista
franceza
Mdame Fanny Silva tem o seu atelier Je mo
das e costuras ra Barao da Victoria u. lo. I-
andar, e confecciona todo e qualquer toilette,
com apurado gosto elegancia, para casamen*
tos, bailes, visitas, passeios, etc., -faz tambem
manteletes e capas sobre medida. Continua a
ter um lindo sortimento de novidades de, Par?,
vestidos de seda, feitos, e em cortes de seda,
gaze, velludo, broch e crep de chine, foulards.
suralis, sedas e ottomanas pretas. Escolhidc
sortimento em vidrilhos prelos. chapeos, capo-
tas e visitas : luto em 24 Iroras. Telepbone n.
93. Ra Baro da Victoria n. 15. 1- andar.
's maes de familias
QIEKKIS V03SOS FILIIOS SEMPRE SADIOS ?'
Adndnistrae-lhes o xarope ou as
Pilulas Vermipurgalivas
DO DR. CALAb aIVS
ptimas preparacSes de mastniz
e rhuibarbo, pava a expulsao completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou lombrigas
(DAS CKRAKOA8 E DOS ADULTOS)
SEIS ANNOS DE SUCCESSO
Estas excellentes prepara^oes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares,
visto serem purgativas por si mesmas.
As pessoas que tm vermes sentem 'c-
licas, tem constantemente darrhas, indis-
posicjlo, sensa93o de corpos que se moven;
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormem, algumas e pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As criancas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia.
As pilulas levara impresso o nome do
DR. CALASANS e sao cor de rota.
1 caixa de pilulas 10200
1 vidro de varope 10200
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARMACIAS
Professora de piano
Urna senhora habilitada, nao s pelo seu es-
tudo, como tambera pela pratica, offerece-se a
ensinar piano por pregos mdicos, quer em ca-
sas particulares quer em collegios. podendo ser
procurada para o exercicio de sua profisso na
ra do Jasmim n. 39.
Professora
Urna senhora competentemente haili&da..
prope-se a leccionar em collegios e casas par-
ticulares as seguintes materias : portuguez.
francez. msica e piano : a tratar na ra Vis-
conde deAlbuquerquc n, 20. ____
Peitoral de Cambar
De I. AlTares de H. "loares
Sempre foi, e ser o principal remedio
para as molestias da laringe, bronchite os
pulmoes.
A bronchite, asthnia. molestia do peito,
rouquidao, coqueluche o qualquer tosse sao
perfeitamente curados com o verdadeiro
remedio Peitoral de Cambar, de S. Soa-
res, approvado peta Exma. Junta Central
de Hygiene Publica do Brazil, premiado
com duas medalhas de ouro, e rodeado de
valiosos attes-tados medicse de innmeros
de pessoas curadas, tanto nesta provincia
como em outras do imperio.
Precos : frasco 20501', 1/2 duzia 130-
duzia 240000.
Em easa dos asenten
FRANCISCO MANOEL DA SILVA te C
23 ---- BCA MAKQUaZ DE OLIND.. 23.
Pernambuco
Nova loja de caleadc-s
Rna do Mrquez de Olinda u.
4
LNICA DESTE GENERO NA FREGCEZIA
DO RECD7E
Rccentemcnte aberta aeltando-se em condi-
coes de bem servir o respeitavel publico espera
merecer a confianga de todos os habitantes ueste
provincia e das limitrophes.
Vende-se em grosso e a retalho calcados na-
cionaes e^estrangeiros por precos rasoaveis.
Recife, 20 de Fevereiro de 188.
Maia Rodrigues & C.
Previne-se a quem quer que seja que u5o fa-,
% negocio algum com as casas que possue
[arcianoCarneiio da Cunha, na estrada nova .do
Caxang, per quanto se acham hypo'hecadas ao
abaiso assignado.
Manoel Joaqui.ii Goncalves.
Diarios ejornaes
Gompra-se para embrulho-: na ra da Aurora
0. 85, raercearia Arthur G. Mages.
( ai.xeiro
i
Precisa-se.de um caixelro ; na ra de Luiz do
gOHi. 47 em Santo Amaro d* Saln;s
Ama
Precisase de urna aran para cosinhar para
casa de familia ; na rna tuque de Cavias B4,
loja. i
A na
Precisu-se de urna miiu -ar, : ola**
go da Santa Cruz b. i i.
Assucar refinado
Rego
Os refiii dores previnen
que era consequencia da i.
sucar em rama tem combinad
eos para o mez i!c Marco pro\ mo.
I. sorte 4-
2 i .
Treguezf
I
>
-
- *.

\l

1


Diario de Pernambuco--Quii
r

Recebedores directos dos mercados da Europa
liquidara Os seguirires artigos com descont 14 |,
vendas em grosso
Bramantes de algodao superiores, a 800 rs. o ui3tro, 4 largura.
[dea de puro linho fazenda de 25200 para acabar a 1(5500/metro.
Atoalhado alvo, duas largura, a 700 rs., 1(5.100 15200 o dito.
idSo alvo, nacional, para lences a 55500 a j>eca.
Madapolao americano, a 35600, 45000 e G5000, com 24 jardas.
Mi-iipozas de cores a220ra. o covado.
as claras e escuras, cores times, a 200 rs. dito.
les idem a 120 rs. o dito.
ros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o diu.
Merinas lisos de urna largura a 200 rs. o dito.
li ni de quadros modernos a 280 e'300 rs. <> dito.
Kichs do r^nda chics n 15000.
'"ichas francesas de cores a 55000 e 45000, rana.
Ler.yW rio bramante n 15800. par* cama de casal.
Casimiras tie cores para roupa de enanca a 1*000 e liwUU, diagonal, duas
larguras.
Camisas inglczas e francWsj a 26)5000 e 305O00 i dnia.
Tapetes aveludadns. granil'-s, a 145000 um.
Cortinadas ricamente bordados a :>t5:)O0 e 65000-
Pai::os de cores pam mesa a 1(5100 e 15300 o covado.
vint preto e azul,,a 35000 o dito.
BrM pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veiudilhos de cures r pretos a 900 rs. o dito.
i... i.as austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 900 rs. o dite.
Setinetas avradas 2(K) e 240 re. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Heiaa cruas inglezas para homem a 25500 e 35' '00 a duzia.
Croulas bordadas, de bramante, a 125000 e 165000 a dito
iJoites de casemiras para calca a 45000 e 65000.
dem de meia casemira a 25000.
Toalhas randes para n>sto a 45000 a duzia.
dem felpudas para banho a 125000 a dita.
E m-titos artigos que serao lembrados com a presenca de nossos leitores.
59Ra Duque de Caxias59
LO JA DE
PEBEIRA MA6ALHAES
AO N. 20
UNTO AO LOUVRE
lilS Gazes de coros a 500re.'o covado.
Fustao ibranco a 360 e rs. o coviido.
Brins de cores a 280 rs. o covado. i
Baleias pretas a 260 a rs. a duzia.
Colchas de cores a 25 e 35000 urna.
Cumbraias bordada* a 45000 a peca.
Luva* de seda a 25 e 2*500 o par.
Lengos branoM a 15200 e 15800 a duzia.
Uretoiies de Alsace a 360 rs. o covado.
Atoalhailo bordado a 15200 o metro.
Brra pardo 280 rs. o covado.
Linhos de quadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Kspartilhos couraca a 55000 um. .
Chales adamascados a 25500 um.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Merino do cores, a 500 rs. o covado.
Ceroujas de bramante a 125 & duzia.
Madapolao americano a 6000 a peca.
Chachemiras lisas .e liatra*Je combinagoes
a 15200 o covado.
Cambraia Victoria a 25900 a peca.
Bramante de linho a 15700 o metro.
Toalhas para banho a 15500 urna. -
Tapetes grandes a 135000 um.
Croulas de linho a 345000 a duzia.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Leques transparentes a 25500 um.
Alpacas de quadro a 600 rs. o covado.
Camisas brancas para meninos.
Sahidas de baile a 15000 urna.
Cretones de cares a 240 rs. o covado.
Percales tii as a 200 rs. o covado
Nansok cores fixas a 240 o dito.
Las escossezas a 260 rs. o dito.
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.

Purgativo Julien
COffFEITO VEGETAL, LAXATIVO E REFRIGERANTE
contra PRISO DE VENTRE
Approvado pela Junta central de Hyciene publica do Brazil
Este purgativo exclusivamente vegetal se apresenta sob a forma de um confeito
agradavel, que purga com suavidade sem o menor incommodo. E' admiravel contra
as affecces do estomago a do fi-jado, a ictericia, bilis, pituita, nauseas e gaxes. O seu
elTeito rpido e benfico na enxaqueca, quando a cabeca est pesada, a bocea
amarga, lingua suja, falta o appetite e a comida repugna, as ichacbes e ventre
causadas por in/lammacao intestina}, pois nao irrtaos orgos abdominaes. Emfim,
as molestias de pelle, usagre e couvulsoes da infancia. O Purgativo Julien resolveu
e difficil problema de purgar as creancas que nao acceitam purgativo algn, poia o
pedem como se fosse urna pastilha de chocolate sahida de confeitaria.
Deposito em Pars, 8, Ra Vivienne, e as principos Pharmacias e Drogaras.

Popelina branca.a 800 e 15000 o covado.
Bicos.matisados a 25500 e 35000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Regata de cores a 15000 urna.
Sargelim de cores a 200 rs. o covado.
Crenolina, preta e branca, a 400 rs.
Chambres, de crep a 55000, e 65000 um.
Cachemiras de quadros a 26 rs. o covado.
GuarnicSo de crochet com matizes.
Grinaldas para noivas.
Setim de cores a 800 rs. o covado.
Cachemiras de duas larguras a 800 rs.
Cortes de linn em cart3o a 105 e 125000.
Camisa alienes a 365000 a duzia.
Cachemira de duas largura a 800 rs. o
covado.
Linn de cores a 500 rs. o dito.
LinhoB de quadros a 80 rs. o dito
Bramante trancados a 15000 o metro.
Meias para hornea a 35600 a duzia.
Guarn 80 de crochet, brancas.
Extracto Port Veine a 15400
Alpacas mescladas a 600 rs. o covado.
EntreteLU para camisas a 800 rs.
PARA 0 CARNAVAL
Guarda-p para homens a 65000.
Guarda p para senhora a 105000.
Pahstot de eda palha a 85000.
Ditos de alpaca preta a 55000.
Latos de brim pardo a 55000.
Esguiao pardo a 400 rs. o covado.
Gangas lisas a 340 rs. o covado.
Setineta dourada a 400 "rs. o covado.
Tarlatana prateada a rs. o covado.
Velbotina de cores a 800 rs. o dito.
Vi ra Primeiro de Maree n. 20
C&BA DE < OM I t \, t
AMAFAL &

C
____
-\w
llctnrtaac oo.' lasouterfi t% iltiien tfo imptm o Irull.
s

o.e
de SDALO GITSIM:
Prrjarc*o i Unala i
MOLES T.I A. 5 S Z3 O IK. B T .A.
tf* <--.c c< famt$i C*tp*u'*u .-'ffi frwaJ r-rnfr rec>mwflndadai nmi AaiMtf
Unta it t* (ofll t,.'rr..' -.-ir.'' ptm o T**m*ato) cor fftra'TCcat* 4'BtM ,* WWUk MOliU
rr.**, %*.T* .- '-. :.,'.-':,. i.iOL RM.Vfl, WtKHVSiUn c tVWCBB, m LORDACfa
t-.M AR "VUCI^iK* "Oi4Afr*
-
CUsrrs3.Anorta,Cztnarropulmonar, Bronchlte chronica,
ziarrr. ia titgz, Ptlsica, Tosse conoulsa. Dyspeos*, Palias
Peraaf zsmamas, Cacorros antigs compifcams, 01*
TWl'^flII aMMifla o"i ^ffJUC? as pr!-T^h-i^ 3ii<-..r "
SIDiO (ERAL
1
r
ALIBIS I)ATEiiSON & G
N. 44Raa do BrumN. 44
JKTG A ESTACA DOS SOMOS
'i'em para vender, por preyos mdicos, as seguintes ferragens :
Tachas rundidas, batidas e caldcadas. .
CrivafD de diversos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Bancos de ferro com serra circular.
Gradeamento para jardim.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos modelos.
Portas de fomalha.
Vapores de forca de 3, 5, e 6 cava]los.
Moendao de 10 a 40 pollegada de panaddta.
Rodas d'agua. systema Leandro.
Encarregam-se de concertos, e assentamento de machinismo e executam qual
Oc- uabalho com perfei^a) e presteza.

'*vr'mam\ -" >ww*jw*-*..-
GrOTTA,
Eheuiva .tsico, Doris
Soluqo do jDouior Clin |
Laureado da Facvldaos tfe Ucdicina da Pars Pnmio Kontjroq. '

\ Verdadeira Solu^ao CLIN ao Salic^lato de Sc^a enij.rega-se para curar: J
As Atteccoes Rheumatismaes agudas e chronicas, o Rheumatismo gottoso.
as Dores articulare e musculares, e todas as veses que necessarlo calmar os V
solrimentos occasionados por estas molestias.
A Verdadeira Solucao CLIN o melhor remedio contra o Rhetunatismc
a Gotta e a Dores. j
,3 Ur.ia atplicaoio detalhada acompanha cada frasco.
Exigir a Verdadeira Solucao de CLIN & Cie, de PARS, que se enconfra em
casa do* Droguistas e Pharmamutieos.
INJECQAO
NfSfeqkca-f Prm
MMMM
aOopthiba. Cubeta
*tfav* t Ftm, BsmtriK
Mmtro. ytrtbmnir.na. $f
te ONl OCA8 FOUTWI, forlo n* ?Srwinm '.v >**
% 4a mmt*r. .18 qaa H-jpUrm-* im* IhW i. Cr-i mm molMU> m~B>SV-
ttUm rabeides mu -.-.ar mu N.u>a>iio oiaxa *ilo-irt
IM.Fii.QAO fCRTIM im-wrv nwtih omr ->--r'aa*o a n-#mtA*
-imii.i .nitaam,*!" f*
-.
/
eM l Iwpr
triol.
LiMiciadat ft\i iisftctirU de lypi
""QUINA E FERRO
Chlorose, Anemia, Debilidade
_______C-uLT-a. das Febros
fut ia mitmit as thiidat ti AuK, fiuU cttisintt ta scels U <&*""**
A feliz reuuiao. n'osle preparado, dos dous tnico- por excedencia, ? '
C o rWJtStO, i:uslilue um precioso mourcaoiculo contra a Vhlror
ponida*. Atu-mia, Florea branca; Cottmatui^aes fraeu*
PARS, 3AIM & FOURNIKR, 43^ ra d'AmaUrd
Dep-ltr*o era Pcmai'^H^o : rBAW" M. da stlva a Cfc.
Para folia do Carnaval
A padaria a vapor do I'oiul al. expoz a venda
pos de nrrpz a iOO reis o pacote, nos lugares :
fabrica Mirtina, roa da Imperatriz n. 1, Tesoura
Muda, Livrnmenw n. $1, merciaria Lusitana,
Gevarsio Tire n. "ii. fabrica Flora, ^abug n.
7 A, loja Rival. Dpaue de Caxia? n. 8" padaria
'onde d'Kn ii. 14, padaria Pnnceza Izabeln...
merciaria Zeferino Valente 4 C, caes 22 de No-
vembro : assim como especialidad para fIhsv
ou papas e bolos finos.
18#000
Alagase a casa n. IC D, da ra do Riachaelto,
antiga do Destino, ua Boa Vista, com 2 salas, 2
quartos e quintal : a de n. 14 da roa da via-fer-
rea, em S. Jos, com 2 salas, 2 quartos, cosinha
e quintal por 124000 ; a de n. 16, junto, por 1S,
com 2 salas. 2 quartos. cosinha. sotao c cacim-
ba : as chaves esto junto para ver e trata-se na
ra da Guia n. 62.
Offereee-se
nma senhora de meia idade o de familia, de boa
conducta, para fazer comp&nhia em casa de fa-
milia, mas que nao tenba meninos, dcn'ro desta
capital, d liador sua conducta! quem Dreten-
der dirija se ra do Nogueira n. 15, das 9 ho-
ras as 3 da tarde, que achara com quem tratar.
Perdcu 4
se
No Pico da Panella entro a casa do Dr. Jos
Mariano e a estcao da Casa Forte penleu-sa um
pincenez de curo, quem o achar pode levar a
ra Bario da Victoria n. 18 1' aunar, que se-
r bem gratificado.

\
ssucar
Usina Pinto
Santa Filonila
Colonia Isabel
v a refnafio Salgueiral, ra Maicillo Dias
nun.ero 22.
Assucar refinado
especial, o im-lhor que se fabrica nesta idade.
J0AQ1M >ALGUEIRAL A C.
Ilua MaTilio Dia n. 22
'l'elt'plifine numero 115
Cosinheira
Precisa se de urna ama que cosinhe bem ; no
terceiro andar do predio n. 42 da ra Duque de
Caxias, por cima da typograpbia do Diario.
ATKINSON
PERFUMARA INGLEZA
bxueUo todas m ontraa pelo tea
perfum** exquisito.
EAU DE TOILETTE DE LOIDRES
DE ATKINSON
inoompanvcl para refrescar e soavizar a
pelle e pela inexcodlTcl ettcolha. de
i ^erfames para o lenco. Artigos tiotc*
preparadof pelo InTiitores exclaaV
Tamuvto.
Enoontn-n em Caa de ledos o Werfo-
cantes Fibricntes
4. C. ATKINSON
24, Od Bond Street, Londres
Marca desabrir Un Boa Wuci "
sobre ara Lyn de onro '
eoBcuduacona totalii.
Typogapha e Lithographia
FABRICA DE LIVROSDE ESCRJPTU
RA9aO
Premiada as exposlees de
188ei88&
Manoel J. de Miranda
Cncademacao e especialidades em cartes de
visitas.
.19Ra Duque de Caxias39
Telephonen. 194.
Ensino particular
0 professor Joaquim Elias de Albuquerque
Reg Ranos, ra da Conceicao n. 27, asina,
3oer oo nao, pelas casas, as seguintes materias,
epois das 3 horas da tarde : portuguez, latim.
arimetica, geographia, historia egeometri;i.
Euermiflsdes Secreta
BLENORRHAQIAS
QONORRHEA8
FLORI8 H*"C*.
CORRIMEN'i recentes ou antigo ?5o cuivdo: em i
ponaos dias em segredo, sem re5
men nem tisanas, sem cncer sen!
molestar os orgos digestivos, pe
e intecefioda______
* -
AVA
00 DUTOR FOVRNIER
CoSa Ptula ttm gravada SwjvmJ,
la. 6 n. Duipt" ni.
0^ioo omBNTL
0 PE1T0RAL de CEREJA
Do Dr. Ayer.
As enfermidailos mais da mxmws e fataes da gar
tM e los palnioes, ordinariamente desenvolvem-
te, tende por principio bases pequen-is, eoj-n
rebultados nao to diftlcis de curar se prompia-
:r.onte se trafilo com o remedio conveniente. Fnrfir
8 progresa pode Mfr en^Mnoso e a demora fata;
O* Kusfriado* e as Tortees dito reciprcamete o
: Hilado de Larinef'i*. A al broa, Bronchitis ,
AV-ccSo I'ulmonar ; a Tsica.
Todas as familias que tcm cria&cas devem ter
0 Peitoral de Cereja do'Dr. Ayei
em casa para o usar em caso di necessidade. ^
pTd^de um da, pode etii nmitoe casos acearre-
tar serUs onsequencias. Por tantc nao se deve
ppruer tempo precioso, ejtperlmentando remedios
de eficacia dnvidosa, emquanto que a enermi-
dstdsj tf> apodera do systema e se arraiga profunda-
aienu, ^ entao que se nece salta tomar nease instante,
o remedio mais certo e activo em en effelto, e eMe
;emcdio sem dovida algnma o Pj-.itujal
Oebeja do Db. Ayer.
pbrpabado pklo .
T3B. J. Ct AYER E CA..
I.owell, Mass., K. U. A.
.' nda im iHmMfim (SaraiaciM drnjriv
'J\
Alug-a-se
a casa da roa Coronel Suassuna n. 150; a tratar
na roa Marcilio Dias n. 106.
PARA O CABELLO.
Augmenta, Aformosea
E PAZ CBESCEH O CABELLO
com assombrosa rapidez.
Aluga-se
a casa n. 3 da ra de Paysand, lem agua e gaz,
e muitas acommodaces para familia : a enten-
der-se ra do Corredor do Bispo n. 6.
Aluga-se
a loja e 3 andar do sobrado ra da Impera-
triz n. 20, ambos em perfeito estado de limpezr
e com grandes commodos para familia ; a tratar
com Capitulino de Gusmao, roa do Bom Jess
n. 11, 1- anaar.
Aluga-se barato
a casa n. 47 travessa do Bartholomeo, os 1 e
2 andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
eosl-,2- e3 andares do da ra do Brum n.i84,
todos com bastantes accommodacoes para fami-
a tratar na ra larga do Rosario n.'34.
lia
AMA
Precisa-se de urna boa eo-
gommadeira que fac,a outros
servicos, a tractar no 3. an-
dar, por cima da typographia
do Diario na ra Duque
de Caxias n. 42.
Precisa-se de urna ama para
casa de pouca familia ; a tratar
vello n. 34.
cosinhar, para
na ra do Coto-
PEecae- de*wna
solteiro : na ra
Ama
ma -wpa para caa de homem
da Funaicao n. 4c
Ama
Precisa-se de urna ama para cuidar de urna
enanca : na ra da< Imperatriz n. 47, segundo
andar.
Ama
Precisa se de urna, que lave e engomme com
perfeicao, para duas pessoag, e mais servigos ;
a tratar na ra Pedro Alfonso n. 66, sntigada
Praia, armazem.
----------------------.....-------------?------............
Ama
Precisa-ae de orna perfeita cosinheira, para as-
sistencia interna: tratar na ra do Marcraez de
Olinda n. 54.
Ama
Precisa-se de ama ama para todo servico de
casa de familia : a tratar na ra da Santa Cruz
n. 3, padaria.
Ama
Precia-se de urna ama que saiba cosinhar e
dorma em casa do patrao. que atteste a sua con-
ducta : na ra da Conceicao n. 4, 1- andar.
Para casa de familia, p
na ra do Cabug n. 2-.
Ama
recisa-se de orna ama :
os amadores do carnaval
A bem conhecida loja de miudezas-BAZAR
DO RECIPE,a roa Mrquez de Olinda n. 11
(antiga da Cadeia) receben grande sortimento de
mascaras calicatas para. homens, senhoras e
enancas, e grandes coHeeces para clubs e so-
ciedades carnavalescas, veaae-se por precos sem
competencia, qoer pequeas ou grandes porces
Vale a pena visitar a loja de miudezasBAZAR
DO RECIPE para ver o melhor sortimento d
mascaras que tem vindo ao mercado. Tamben] re
cebeu grande sortimento de bisnagas de chiro
e outros artigos proprios para o carnaval, tudo
a precosmodicos loja de miudezas
Bazar do Recife
A' ra Mrquez de Olinda n. 11
De Domingos M. Martin
Aula depaisagem *
Acna-se aberta a matricula para a aolr. de
paisagem, no Lyco de Artes e Oflcios, a qual
I un cuoia r nos domingos, ao meio dia. sob a
direccSo do Si. i. J. I'elles Jnior.
Pharmacia BarthD-
lomeo
Precisa-se de um pratico
larga do Rosario n. 34.
a tratar na ra
laiilellas do Monte de Soceorro
Compra-se cautellas do Monte de Soceorro de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praga da Independencia n. 22," loja de
relojoeiro. ____
Telegramma
Vejam'e admirem!
S o 55 ra Duque de Caxias pode
vender pelos precos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padrBes, a
200 rs. o covado.
l'ustoes brancos a 360 'e 500 rs. o ca-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs.
covado. E' barato!
(,'as ;os e capas para senhoraa, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padroes .lindos e precos
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura a
6$ a pega.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o covado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 re. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic
prego barato.
Cambraia Victoria a 2(5800 a peja.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs.
co-vado.
Guardanapos bons a 1)5800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs. o
covado.
Rendas hespanholas a 2-5 o metro.
Luvas de seda a 25 e 35 o par.
Espartilhos couraca a 4f9f 5J5 e 6d um.
Merinos pretss e de cores, urna varie-
dade immensa em preges e qualidades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, grande -reducjSo em
prejos em vista da glande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha dp
mais moderno e por pouco prego, 10)5000.
Colcha 8 de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem collariaho.
Atoalhado para mesa a lo e i<5800
muito tino... ^
- Collarinhos epOnhoe^de linho e algodSo
e por prego barato. -~,
Babados e entremeios, grande sorti-
mento. "<_^
.. Madapolao pelle de ovo por 65 a pega.
EsguiSo pardo e chumbado a 400 ts.
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de atis
barato e bom. /
Mantilhas de renda a 55 urna.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs.
covado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 280
320 re. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 re.
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grasde
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que ha de mais bonito, %
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por prego
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 1560) o me-'
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato. ^
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gosto e por prego razoavel a 8)5000 a
pega.
Dita com salpicos a 45 e 55000 a pega.
Colchas argentinas a 65500 urna'.
Ditas de 25, 35, 45 e 55000.
Bramantes de algodao e linho de todse
os pregos.
Grande sortimento
e pretos.
Grinaldas para uoivas. #
Luva e leques para noivas.
Bicos de cores muito chic.
Aluui do que acabamos de anniuKsar,
temos urna quantidade de artigos q* bo
vendo-se, se acredita, pelo que pedem ^s
comparegam.
Dao se amostras'sem penhon ?
Setnetas lisas de todas as cores a 460
rs. o covado. Sao muito largas.
Roupa feita e por medida.
55-RA DUQUE DE CAXIAS 55
FERYUllESDEAZEYEDfolG
em fichas de cores
Professora
Urna senhora competentemente habilitada, con
pratica de 11 annos de proflssao, apresentanric
.diversos attestados de bom methodo e comporta
ment, offerece-se para leccionar em casas par
ticulares, na cidade ou em seus arrabaldes as se
guintes materias : Portugus, Francez, Italiano
Geographia, fiano, trabalhos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Goyanna^. 69 ou em
casa do -Regulador da Marmnaroa larga de
Rosario n. 9.
Alfafi
a
Genero novo ebegado directamenu
video, vendem Maia di Rezende..
d Monte-
Loureii:o& C.
continan) a receber os seguintes vanos, e, de-
cimos e quintos, e que retalham:
Genuino de Collans.
Superior de Cheleiros, um dos-vinhos i1"
cons/no em Lisboa.
Tinto da Rgoa e alto Douro, sendo i
dado por um particular anfigo.
Tambera reta^lham Verde e Rgaeiru Qdtah-
dades garantidas por Lourciro t C., ra Bk
fica n. 7, Passagem.
AlimentoiGrianQas
Para remediar a fraqaeca das rrlnn-ir. ; vemr
as suw (breas e preservut-os las Soen'x
tenra, os principaes Mdicos de Pars, re
da A.-ademiadc Medicina ie Paria, rv-
oplinioexiio o verdadtlro '
sc-ata out i"! Arabas s) Delaagrenier, s) rarM.
EsteagradavL'lalimento.compostocoma
vegetacs n-.: irili vaserortalecedor
nonila tuda, e, pelas suas proprleda
mellioraacoiiiposlcSodoleltedasaS
menlo, e acorta as torcas lnguida
51. ru tiiieoM, Pu,s. hawitw w nM*Jta) i

i"-
V
%
Jl

1HH0 I


I
,i
*
'Pao centeio
Mille & Biset, avigam o respeitavel publico.
que todas as tercas e sextas-ffeiras, tem este sa-
boroso |*o; roa larga jp Rosario n. 40.______
Cosinbeira .
Precisase de ama, que saiba cosiohar e nao
saia a roa, pare casa de familia : a tratar na ra
do Cabug n. 14, de meio dia at 2 horas.
Caixeiro
Precisa-se de um menine de it 14 anuo,
com pratica de taverna ; na ra da FundieSo
numero 4. __________
Professora
Na ra Barto do Triumpho n. 68, se dar in-
ormaces de quem precisa de urna professora
para ensiar cinco meninas, portuguez, geogra-
phia, historia e trabalhos de agulha. ____
uinta-feira'28 de Fevereiro de 1889
Prefessor
americano
Devido mudanca de residencia
MR. GEORGE B. NIND
pode ser procurado nos das utei." na ra da
Coaquista n. SO.__________
RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada oflicina de relojoei-
ro, sita na Primeiro de Marco n. 4, acaba de
ser transferida para a ra Larcu do o
rtoa.a.
O seu proprletrio, tendo um completo e muito
bom sortimento de aviamentos tendentes sua
arte e com urna longa pratica da mesma, offerecc-
se ao publico* eni geral para encarregar-se de
todos concertos de relogios, caixas de msica,
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confianca de
seus freguezes e assegura-lbes que ser sempre
solicito no comprimento de suas oraens.
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vollichard
VENDAS
Yende-se leite de vaccas da trra, puro, a
320 rs. a garrafa, garantindo se a boa qualidade
aos freguezes que o comprar nesta casa. 6s
freguezes encontraro o leite das 5 s 7 horas
da manhS, e tambe m nos en car regamos de man-
dar levar em casa de qualquer freguez : na ra
do Rangel n. 53._____
Vende-se a taverna
ra da Imperatriz n. 53.
bem afreguezada da
Breu
Em barricas
n. 60.-
vende-se na ra do Amorim
Bom cavallo
Vende-se um cavallo novo, bom andador, m-
teiro e sem achaques : dirija-se ra de S.
Francisco n. 71 quem pretender compral o.____
Para oDerby
Carlos Sinden receben grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores proprias
nos amadores do Prado e est venden-
or precos sen) competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de formatos no vos.
48BOA BABA O DA VICTORIA48
Mobilias ausjriacas
Vendem-se mobja?- austracas de
Jualidadesji ests, por presos os mais commo-
os, par iquidacSo, ra do Mrquez de Olinda
6. 54/
Viva
o carna\
al
:*
SSRa Duque de Casias
Primeiro andar
Grande exposicao de um sortimento de roupas
de phantasia e de todas as epochas. proprias
para os bailes do Hippodromo, Internacional,
Carlos Gomes e passeios.
PRECOS 8EM COMPETENCIA
Na ra Duque de Caxias
P*r cima da encaderaario do Mi-
randa
FOLPTII
SEM MAI
POR-
FA7L0 swas.cn
DURANTE A TKMPKSTADK
(Continuadlo do n. 46)
CAPITULO IX
A ana vtili
Quanto aos vveres, havia um abatimen-
to para os operarios, e como disseram-lhe
o preco dos diversos gneros alimenticios,
elle convenceu-se de que era possivel fe
zer economas.
Mna Eugenio queria, alm de tudo isso,
urna somma que lhe pennittisse antes de
partir collocar a filha em algum asylo.
Nao accederam a tal pedido.
Na ra Santa Cecilia consentiram em
dar-lhe a somma, mas elle achou-a insuf-
iciente.
Emfim, na ra Auber arranjou o que
queria.
Quaes sao as suas recoramendacSes ?
perguntaram-lhe antes de fechar-se defi-
nitivamente o contrato.
O Sr. Pedro de Sauves, o inventor de
nudeira esculpida ra Belleville n. 280,
pede dar-lh'as. '
Bem, l iremos hoje mesmo. Se as
iaformacSes lhe forem favoraveis, amanhl
entregar-Ib e-hemos o dinheiro, e o senhor
de ver estar no dia 4 no Havre, onde se
efectuar o embarque na manir de 5.
Mas'estamos no dia 3, disse Euge-
aio Gagos.
O empregado olhou com indifferenca
{tara um calendario pregado parede, no
qual viam-sc o mez e a data.
- Sim, disse elle, e-tamos a 3.
Eugenio nao replicou.
Na occaailo de sabir, voitou-se e diri-
gio-se novameute ao escriptorio.
Novid
Beeeberaaa modas de Pars
AZEVEDO, IRMaO A C.
16 Ra do B. da Victoria 16 ,
(Antiga Nova)
Lindas capa* de surab, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de aaia a 14000 e 1(5500.
SargeSm fino tpdas as cores- a 200 o co-
vado.
Baleias com forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 palmos
1,5500.
D to de algodlo com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 50000 e 6(5000.
Ditos de crochet finos a 80000 e 106000
Estracto Rita Sangal a 2)5000.
Ficbua de II e seda 14000,' 1)5500.
Capellas com veo bordado a 60000 e
74000.
Madapolao globo a 7)5000.
Dito camiseiro a 7(5000.
Tapetes grandes para sof a 134000.
Espartilbos curaca a 44000 e 54000.
Brins de linho coi es fixes a 600.
Panos de crochet para cadeirs* a 800.
Ditos de crochet para sof a 24000 e
34000.
Guardanapos de linho a 24500 a duzia.
t Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setim macaca 800 e 900.
Tolhas para banhb a 14080 e 14500.
Madapello com. um metro de largura
a 64500.
Cachemira arrendada c de quadros
14500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 34000 a duzia.
Camisas finas para homem a 334000.
Celxas de crochet com Afires a 54000 e
94000.
Lindas velbutinasde quadros lisos ecoiu
listas proprias para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palba seda cores a 94000.
Pao verde para bilhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
GuarnicSes pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Ssda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 44000.
Cachemiras de quadros a 280.
Fusilo branco a360 o covado.
Esguiao fino a 14500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE200
O desengao c Ir ver
para cami-
Taverna
Vende-se a taverna da ra de Luiz do Reg nv
47, em Santo Amaro das Salinas : a tratar na
mesma ou no Caminho Noto n. 87.
Arma<;ao
Vende-se urna rmacSo de amarello em per-
feito estado, propria para miudezas ou tabaca-
ria : a tratar na ra do Cabug n. li-A.
Cofres de ferro deW
ners
Vendem-se estes excellentes cofres, como tam-
bem de outros bem acreditados fabricantes, va-
rios tamanhos, prova de fogo, com a maior segu-
ranza desejavef. a precos baratissimos, na ra
Mrquez de Olinda n. 54.
Ceblas
Na ra do Vigarion. 15, armazem, vende-se
qualquer quanalade de ceblas novas em res-
teas a 200 ris por kilo ou por cento, preco ba-
rato.
Vende-se qualquer quantidade.
Perdi, senhor, disse elle, se abuso
da sua complacencia ; quer prestar-me um
servico ?
Qual ?
Qur fazer-me o favor de dizer ao pa-
trio que, se deixo a casa delle, por cau-
sa da morte de minha mulher ?...
Por que n3o lh'o diz o senhor mes-
mo?
Estou horrivelmente desesperado;
venho agora do enterro; quizera nlo vol-
tar usina.
Bem... A proposito : se tem algum
negocio a por em ordem, pode chegar ao
Havre no dia 4 hora que lhe parecer,
mesmo noite. O embarque eflectua-se
no dia 5 s dez horas da manha; comtan*
to que se aprsente na occasiSo da cha-
mada ; faca o que entender.
E o dinheiro, quando o recebo ?
Amanhl de manha, depois das nove
horas.
Obrigado, senhor.
Gages retirou-se.
Antes de voltax para casa, foi a urna
loja de movis, cujo dono conhecia, e, ex-
pondo-lhe a sua situaclo, propoz-lhe ven-
der tudo quanto existia na sua pequea
casa.
O lojista aceitou.
Amanha de manha estarei l para
fezer o preco, disse elle.
* Amanha de manha nao posso espe-
ral-o, replicou o operario. Devo estar s
nove horas na agencia que me contrata, e
de l irei tratar de collocar a minha pe-
quena Clotilde.
Entao quando quer que v?
J se lhe convm.
J, nao posso, porque tenho que es-
perar minha mulher, que sahio, e a loja
nlo pode ficar s; mas logo que ella che-
gue, irei. Tomando o mnibus de Lou-
vres-Bellevilie, que passa perto daqui, de-
pressa estarei em sua casa.
Obrigado, e at logo.
E Eugenio que achava-se fatigado por
tantas voltas que havia dado, tomou um
carrorpara voltar casa.
Desembarcou em meio da ra de Belle-
ville e fez o resto do trajecto a p.
A excellente Sra. Lureau l estava an-
da, tratando da crianca, tendo j arruma-
do a casa.
Depois de ter feito em casa deba o ne-
ceseario, voltara, varrera, Unpara, abrir
as janellas, de sorte que o modesto inte-
rior reassumira a sua antiga physionomia
decente e assciada, como quando a infeliz
Paulina tlelle cuidara com tanto amor.
Todos os vestigios do enterro haviam
despparecido.
WW ') 48
A' roa Bnqite de Casias n. 48
Nesta loja denominada A' Revoluclo',
tendo sempre um grande e vanado depo-
sito de fazeidas, resol veu-se vendel-aspor
menos 30,1 do que em outra qualquer
casa. Como sejam :
Toalhas felpudas e acolchoadas, brancas
e de cores, tamanho regular a 120, 200,
500, urna.
Merinos de quadros, lindos padroes
200, 240 e 280 o covado.
Seda Alcaciana (fazenda de tnntasia).
240 o covado. v.*
Cachemiras de quadros com combina-
9S0 a 320 o covado.
Mimosa cambraia das mocas
sas a 34200 a peca.
Lindos cortes para vestidos em cartSo
com todos os aviamentos a 74 94 104 e
144 um.
Saias bordadas para senhora (recebidas
ltimamente de k aris) a 34000 una.
Cretones ingleses, franceses e allema.es
a 240,280 e 320 o covado.
Zefiros de quadros, muito largos a 160
200 e 240 o covado.
Lindas colchas com palstas de cores
para' noives i 104000 um. I
Chitas claras e escura, nattos padrees
a 200 e 240 o covado.
Batistas com palmas e pavas, cores fi-
zas a 120 o covado.
Redes francesas a 54 e 64000 urna.
Fechs de la, muito grandes, todas as
cores de24000 por 14500. 11
Camisas francezas de linho (pechinca) le
60 a duzia por 484.
Merinos finos com duas larguras, todas
as cores de 800 a 500 o covado.
dem idem idem idem preto a 800 e
14000 o covado.
Cortes de fuBtao branco e de cores para
colete de 44 por 24000 um.
Madapetes finos a 44, 54 e 64000 a
peca.
Atoalhado de linho, lindo desenho a
14700 o metro.
< ortes de casemjra para calca, finos e
modernos a 44, 54," 64 e 74000 um.
dem idem idem idem costumes moder-
nos a 204000.
Cambraia de salpicos muito fina com
10 jardas a 44000 a peca.
E muitas outras fazendas que s com a
presentadas Exmas familias, poderao ser
vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
lheiras, leques transparentes, bicos de co-
res, entremeios, bordados, leos, extratos,
luvas etc.
48 DUQUE DE CAXIAS 48____
Famdas baratos
Loja do Triumpho
lina Duque de Caxias n. t
Las fins com troco, a 380 rs. o covado
Ditas de quadros bonitas a 300 re.
Merinos lisos. 2 larguras a 560 rs.
Ditos lavrados, i larguras a 700 rs.
Zefiros largos dpquadros a 240 re.
Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
Ditos bordados tinos a 700 rs.j
Etamine arrendada a 440 re.
Dita de listas abertas a 400 re.
Setins de listrinhas a 660 re.
Ditos da China (fantazia) a 240 re.
Saias bordadas finas a 300t>
Camisas bordadas finas para senhora a 4<000
Cambraia branca bordada, a 4*500 a peca.
Dita betu^da .de.cor a 5*500 a peca.
Chitas escuras muHo-bflas, a 200 rs. o covado
AlgodSo largo ( '0 metrow^a 2500 a peca.
Dito dito de 20 jardas a 4*000
Toalhas acolchoadas grandes, a 4*500 a duzia.
Redes inglezas grandes a 5*000.
Guardanapos de linho. a 1*800 a duzia.
i amisas de linho sem punhos e sem colarinhS
a 3WO0.
Bramante de algodo 4 larguras, a 700rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14*000
Cortes de seda para collete a 4*0004 *
Cortes de casimira ingleza a 4*500
E outras muitas fazendas que se vendem mui-
to barata:- para liquidar.
% ra Duque de Caxias n. 49
Bastos efe G.
At o horrivel cheiro do phenol tinha-
se quasi desvanecido de todo.
Como a senhora boa! disse Euge-
nio enternecido. Como poderei pagar-lhe
tantos obsequios?
Mostrando-se homem corajoso e nao
deixando-se abater pelo desgosto.
Isso nao provavel, porque acabo
de tomar urna grande resoluto.
A de nio abusar mais das bebidas ?
Sim, disse elle muito gravemente,
es8a em primeiro lugar, mas outra tam-
bem.
Qual ?
Contratei-me para a America.
Ah! meu Deus E a pequea ?
Nao a levarei commigo de certo, isso
nao seria possivel. i
Entao o que vai fazer della ?
A casa com a qual fiz o meu con-
trato paga-me a viagem, garante-me bom
salario por espaco de dezoito mezes, du-
rante os quaes nSo trabalharei senio para
ella e alm disso faz-me o adiantamento
de mil e quinhentos francos. Esses mil e
quinhentos francos, veu consagral-os todos
crianca.
Servirn primeiro para pagar-lhe os me-
zes de amamentacao, e depois para col-
focal-a em um convento, onde seja educa-
da como operara, at que eu volte. Se
nlo chegar essa quantia, mandarei mais
dinheiro da America, quando estiverem
pagos os mil e quinhentos francos. Por-
que l hi de ganhar e economisar, visto
que nao saio daqui para outra cousa.
- O senhor um homem s direitas,
Sr. Gages, disse a leiteira enternecida at
s lagrimas; o que vai fazer muito bem
pensado, e trar-lhe-ha felicidade. Mas o
senhor com que que vai partir ?
Vou vender os poucos movis que
aqui estao. Com isso pagarei o aluguel
que nao passa de sessenta e dous francos
e emeoenta cntimos, e guardarei os pou-
cos sidos que me restarem, depois de ha-
ver saldado a conta do medico.
Entao, perguntou a Sra. Lureau,
vende tudo?
Nao posfio fazer outra cousa. Peco-
lhe, entretanto, que aceite a commoda co-
mo lembranca de Paulina, que a estimava.
A minha pobre mulher ficou te contente,
quando comprou-a, por occasiSo do casa-
mento !... Repugna-me vendel-a!...
Algumas lagrimas subiram aos olhos do
operario.
Nlo, nlo, disse a Sm. Lureau., nao
quero. O que ha nlo chega para o se-
nhor.
E eu supplico-lhe, que aceite. O
que me arlo alguns sidos mais ou me
CHAPEO ELEGANTE
Raa do Bario da victoria ai.lt
Acaba de receber pelo ul-
timo vapor da Europa urna
collecao de chapeos para Se-
nhors o que ha de mais mo-
derno fino e elegante, ven-
dem por preco commodo.
Carvalho Irmao&C.
Salo da Moda
Ra do Viseonde de Inhaina n. I
(ANTIGA DO RANGEL)
Os proprietarios d'este mui acreditado
estabelecimento previnem a seus fregue-
zes, que tem um completo sortimento de
fazendas, que vendem por menos 30 r0
do que em outra qualquer parte: como
sejam:
Linhosinhos de quadros a 80 rs.
Lis de quadros a 160 e 240 rs.
Zefires, muito largos, de 320 a 240 rs.
Cambraia de salpicos a 4)5000 a pesa.
Dita Victoria a 20800.
Cretones claros qu eram de 320 a
240 rs. o covado.
Chitas de 200 e 240 rs.
Fichas com ramos e sem elles a 1)5000,
2^000, 30000 e 40000.
Baptistes de cores a 120 rs. o covado.
Camisas francezas a 20000.
Ditas de linho a 20800.
Ditas inglezas a 40500
Chales de casemira a 20000 e 30000.
Sargelim diagonal a 200 rs. e covado.
Meias para homem, senhoras e meninos
a 200, 240, 320 e 400 rs. o par.
Tambem temos um completo sortimento
de artigos para homem como sejam :
Casemiras, brins, fustoes para collete,
collarinhos, punhos, gravatas e muitos ou-
tros artigos que slo precisos para satisfa-
zer as exigencias do mais caprichoso e
elegante cavalleiro, para o que montamos
urna offieina de alfaiate sobre a direc$lo
de um perito mestre.
PRECOS SEM COMPETENCIA
Qon$alves Santos & C. .
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
prego commodo ; na ra do Bom Jess n. 35,
armazem.
Mais Barato
A'

ALojadas Listras Azues
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephaoe n. 11 i
As fazendas vendidas nesta casa sao de boa qua-
lidade, e %io levara ] medida escassa:
aceitase a fazenda vendida se, por
Jualque,r motivo no fr de muito agra-
o da pessoa para quem for comprada.
Dase descont a quem comprar de S0#
para cima.
ESPECIALIDADES
Urina de listras aruespe$as com
20 varas a 60000.
HadapolSo com um metro de largu-
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordados em
cartlo a 100000.
Velludliho bordado a contas a 10600
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros e
arrendadas a 20 e 20500.
Teeidos fantazia arrendado proprio
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes de cachemira com guarnieres
bordadas, lindas cores, a 200 e 250000.
Setim Maco de todas as cores a 750,
e 800 rs.
Linn bordado, tecido de urna s cor,
qualquer que se deseje, a 200'rs.
Zefiros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Las de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
UalaOS lisos a 60 e de quadrinhos a
00 rs. '
Ccaardaaapos melhor qualidade a
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 10.
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada a 40000.
Cortinados de crochet, com sanefas,
ultima novidade, para janellas e portas
900
rs. o
Cimento Portland
Vendem Soares de Arnaral Irmaos, ra da
Madre de Deus n. 22.
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gnezes em ge ral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da continuadlo do cambio favoravel.
Convem que experimentem.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 4A
8BOOO a duzia
OLEO AMERICANO
O mais econmico, hyglenleo e
perfumado oleo para o
G .A. B DS X, 01,0
VENDEM
GOUBS DE MATTOS IR.flAOM
23-rua Narqnez de Olinda -23
*_______aacgrg _
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para Ten-
der Joaquim da ilva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, i andar.
nos ? Nlo terei necessidade durante a
travessia, e na America comecarei a ga-
nhar logo no dia seguinte ao da minha cne-
gada.
Aceito, mas com urna condijao.
Qual ?
E' que a entregarei mais tarde
pequea, depois de pagar a minha via-
gem para leval-a casa de urna ama, por-
que tenho em vista o que ella precisa.
Eugenio esbocou um gesto de protesto.
Reteve-se.
Como quizer, disse elle. Quando
nlo se rico, nlo se deve ter orgulho.
Onde mora essa ama ?
as visinhancas de Caen, meu tor-
rlo natal. Tenho urna amiga que procu-
ra urna crianca para amamentar e que to-
mar conta da menina at aos tres ou
quatro annos por quatrocentos ou qui-
nhentos francos. Depois disso ha um asylo
de orphlos n'uma alaeia visinha, na Deli-
vrande, onde receberlo a pequea e onde
dr-lhe-hlo excellente educarlo com os
mil francos que restarem.
Est combinado. Amanhl a senho-
ra ter o dinheiro, e se a crianca morrer
durante a amamentaclo, guarde o resto
para si.
Nlor restituir-lhe-hei.
Nunca aceitarei um ceitil dessa quan-
tia ; toda ella para a pequea. Se ti-
vesse a infelicidade de perdel-a, nlo que-
ria ver nem sombra de tal dinheiro.
Mas deve-se esperar que ella viva.
Veja como bella !
E a boa senhora apresentou a crianca a
Gages.
Mas este, longe de tomal-a nos bracos
para acaricial-a, afastou-se vivamente da
criaturinha, como se ella lhe fizesse expe-
rimentar um profundo sentimento de re-
plalo.
Nao quer beijal-a ? perguntou a Sra.
Lureau.
Oh nlo! nunca!
Por que? perguntou ella estupe-
facta.
Elle ficou muito vermelho, hesitou, e
depois, de repente :
Ella matou a mii! disse elle afinal.
Pobre innocente! ella nlo foi a cul-
Croehet para cortinados
metro.
Colchas de fustlo, brancas e de ec-
res, a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
Batiste* de cores seguras a 120 rs.
\anzuc de lindas cores a 280 rs.
Brlm pardo esguilo a 240, 280 e320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
Mantilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
200, 250 e JO0OOO.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo preco.
Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartllhos inglezes a 40500 e 50,
tem desde o n. 40 at 80 de grossara.
Bleo branco creme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodlo, preta, branca e de qualquer cor.
Babados e entremeios bordados ta-
pados e transparentes por todo prego.
Cirampos e pentinaos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Baleias para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reloglos despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
Aspas do ac para vestidos a 120 rs.
o "metro.
Sargelim francez fino, diagonal, a
200 rs. de qualquer cor.
Crinolina de cordlo preta, branca,
chumbo e cor de caf a 400 rs. o metro.
Redes americanas para menino
ormir a 30500 e para homem a 60000 e
70000.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas aa loja das
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Dias
m m c&u
Ri/k Duque de Caxias n. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 1[2 e 4 metros e urna chave de lar-
gura a 500, 600, 800 e 10, muito fino, de
qualquer largura a 10400, e de fustlo, de
700 a 10800 a pega.
Enxovaes para baptisados a 80, 100 e
120000.
. Lindos enfeites para ponteados a 100,
200, 300 e 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 20500 o covado.
Pulseiras americanas para 30, 40, 50,
60 e 80000 o par.
Guarnieres americanas a 30000.
Lindos espartilbos a 40, 50 e 60000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a 10000.
Broches de fantasa de 500 a 10000.
dem americanos de 20 a 30000.
Lencos de seda a 10000.
Sublaque a 200 rs. o par.
GuarnicSes de crochet, sendo um para -
sof e 4 para cadeiras por C$000.
Finas capellas de pellica, panno e ct,
com finos veos.
Flores artificiaes a 10000 o ramo.'
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordadas
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cSres a 24,
20500 e 30000 a pesa.
Contas de cor para enfeitar vestidos a
700 rs., e pretas a 600 rs. o masso.
Missangas de todas as cores.
Lindos leques .brancos para noiva.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento urna
80000. '
Talheres para crianca a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de creme a 10500.
Lindos leques de papel de 500 rs. a
10000.
Espelhos com fina moldura, com dous pal-
mos de comprimento, a 40000 e cara dura
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e missan-
gas.
Lindas franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vidri-
lhos.
Timaosinhos enfeitados de bico e renda.
PECHINCHA
Colarinho para homem a 30 e 40 a
duzia.
Bordado de cambraia Victoria muito
fina com 3 12 metros de qualquer largura
a 10200 a pega fazenda que vale 20
20500, vende-se por este preco para liqui-
dar a grande quantidade que temos.
PARA O CARNAVAL
Agua Florida e agua de
Orea a-500'rs. a garrafa.

y

De accordo, mas Paulina nlo existe
indis !
A leiteira nlo insisti.
Afinal de contas. Eugenio amava tanto
sua mulher!.. .
O negociante de movis foi, como ha-
via promettido, algumas horas depois, e,
feita a sua avaliagao, exceptuando a com-
moda, offereceu duzentos francos por tudo.
Trezentos, disse Eugenio; estou sem
dinheiro.
O outro, que era extremamente agarra-
do, discutio por muito tempo.
Chegaram emfim a accordo por duzen-
tos e cincoenta francos.
Aqui esto, disse o commerciante ;
mandarei buscar tudo depois de amanhl.
Nlo, amanhl no correr, do dia. Te-
nho que partir tarde, e melhor que eu
esteja para entregar.
Sra. Lureau, disse elle leiteira, a
senhora encontrar na commoda a roupa
de minha pobre mulher. Reserve a rou-
pa branca para a pequea, se .quizer ;
quanto aos vestidos e saias, vista-os, por-
que daqui at que a creanca cresca, as
tracas devoral-as-hiam.
Nlo, nlo, replicou a boa.senhora; a
pequea Clotilde ha de encontrar tudo in
tacto; hei de tratar das roupas to bem
que a traga nlo lhes dar.
Como quizer.
Ficou combinado que ella levara a pe-
quena para casa, onde a alimentaria du-
rante dous ou tres dias pela mamadeira
emquanto nlo a levase para a Noman-
dia.
A' tarde a Sra Lureau voltou para sua
casa.
Sentado na cozinha, Eugenio nlo toca-
va na sopa que a excellente mulher havia
preparado para elle antes de retirar-se.
Achava-se s, com um dos cotovellos
apoiado a mesa, a cabeca mettida na pal-
ma da mo, os olhos fixos, o rosto horri-
velmente transtornado, urna ruga profunda
cavada entre as .sobrancelhas, como um
golpe perpendicular.
De quando em quando violentos estreme-
cimentos agitavam o* operario, groseas got-
tas de suor brotavam-lhe da testa, as pu-
pilas arredondavam-se-lhe, dilata vam -se... 4
parecia-lhe que alguem andava no pavi-
mento superior...
Tinha medo !...
Elle, um homem!...
E de que alias?...
Porque nlo podia na verdade ser daquella
pobre creatura que tanto o havia amado c
para elle tinha sido terna como urna es
posa, indulgente como urna mli!
De repente, cerca das nove horas, um
passo, desta vez real, parou porta da
pequea casa, e duas pancadas muito sec-
cas foram vibradas na porta, sem duvida
com urna bengala.
Como se fosse tocado por urna descar-
ga elctrica, Eugenio poz-sc de p, com
os cabellos erigados, o rosto mais branco
do que a cera e no qual pintava-se o mais
profundo terror.
SKT
Boyal Blend marca HADO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de mol hados.
Pede Boyal Blend marca Viada,
cujo nome e emblema so registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Cimento

Vende-se cimento da melhor qualidade pelos
mais razoaveis precos do mercado, na ra .do
Mrquez de Olinda n. 54.
Meu Deus!... O que ser?.. mur-
murou elle levando instinctivamente a mo f.
bocea, como para abafar at o ruido da
respiraclo.
Passaram-se alguns segundos.
O operario conservou-se immovel, com
as pupillas dilatadas, os ps pregados no
chlo, a garganta cerrada.
Bateram de novo.
Gages! ests ahi ? perguntou ao .
mesmo tempo uma voz de homem com ex- \
presslo benevolente.
Mas o eperario ficou ainda mais pal-
udo.
Sr. Pedro! balbuciou elle accom-
mettido por louco espanto, que attingia os
ltimos limites. Ah o que querer elle
de mim ?
Mas o Sr. de Sauves, porqne era elle
effectivamente, vendo um tenue filete de
luz passar pela fiesta da porta, abrio-a,
comquanto nlo ouvisse no interior o me-
nor movimento.
Fechava-a um simples trinco, que ce-
deu presslo empregada por Pedro.
Eugenio tinha cabido nevamente na sua
cadeira e estava com o rosto mettido en-
tre os punhos fechados.
O Sr. de Sauves approximou-se de seu
operario predilecto.
Depois, tocando-lhe ao hombro :
Meu pobre Gages! disse elle mei-
gamente. Ests entlo por tal forma dea-
gostoso que te expatrias ?...
O viuvo de Paulina ergueu lentamente
a cabeca.
As faces achavam-se-lhe banhadas de la-
grimas.
Infeliz?.. repetio elle. Oh! sim,
patrio, parece que vou morrer de dr !...
Comprehendo-o, tinhas uma mulher
to boa ? Mas por que abandona su fi-
lha ? Porque nlo podes leval-a para to
longe...
Resolv partir, porque fizeram-me
um adiantamento; com esse dinheiro pu-
de garantir os mezes de amamentaclo da
ppequena o os seus primeiros annos de
existencia.
Eu no estava aqui para ajudar-te?
Nao estou aind ?. .. Renuncia ao teu
projecto, Gages ; contina comomeu coi
tra-mestre, meu ajudante, *neu amigo, se
o quii eres, e eu encarregar-uie-hei d< tu
filha.
Uma rpida contracclo passou pelo re
to de Eugenio : os' labios tremer
os seus olhos, nos quaes as lagn
caram sbitamente, tornararu-se sombros,
f Continuarse-haj
"***
ra Duque de Ca

&#>
T


1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHBJCFI3R_3D2V6J INGEST_TIME 2014-05-22T21:35:04Z PACKAGE AA00011611_17460
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES