Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17457


This item is only available as the following downloads:


Full Text
NNO'LXV- NUMERO 45

-


V

I

I
PARA A CAPITAL E LUCARES OH'DK \AO SE PACA PORTE
Por tres mezes adiantados....
Por seis ditos dem ...,.-.
Por un anno dem .
Cada numero avulso, do mesmo da.
60000
125000
230000.
0100
DHC M FEVEREIRO M 1889
T
in
PARA Di:\TRO E PORA DA PROVINCIA
Por seg^inezes adiantados.............. 134500
Por nove ditos idem...........'..... 2O|>000
Porum anno idem ............... 270000
Cada numero avulso, de dias anteriores.......... 0100
DIARIO DE PERNAMBUGO

Tropriedade de Manoel Figueiroa de diaria dHfyvs
TELEGRAMMAS
RIO DE JANEIRO, 23 de Feyereiro,
as 12 befas e 47 minutos da tarde.

Fin agraciado com o titulo de Barao de
SuassunaoDr. Henrique Marques de Hol-
landa Cavalcante.
NATAL, 23 de Fevereiro, as 5 horas
e 40 minutos da tarde.
/
Chegou hoje aqu o vapor nacional Ma-
nos e a tarde seguio^para o sul.
RIO DE JANEIRO, 23 de Fevereiro,
s 6 horas e 20 minutos da noite.
O Governo Imperial resolveu manter as
sposicoes vigentes que obstam facam exa-
mesem Margo os estudantes da Faculdado
de Direito que foram reprovados na epo-
efca anterior.
:s::;:da a&encza um:
BUCHAREST, 22 de Fevereiro.
A Cmara dos Deputados da Roumania
adoptou a proposta de por em accusagao o
ministerio Bratiano.
LISBOA, 22 de Fevereiro, tarde.
Eis a modiricaciio ministerial que acaba
de ter logar :
O Sr. Henrique de Barros Gomes passou
para a pasta da fazenda.
O Sr. Rassano foi nomeado ministro da
marinha e colonias.
O Sr. Eduardo Colho, ministro das
publicas commeroiuf e.industria.
-

PARS, 23 de Fevereiro.
4Foi nomeado ministro ds estrangeiros
Mr. Spuller.
..Agencia Havas, filial em Peraambuco,
28 do Fevereiro, de 189.
INSTRUCfJO POPULAR
as cuMs \vimm
ANTIGS K MODERNAS
AS
Scienas. industrias e artes
POR
l&zs riGVXBit
VI
o-. relOgiON
(ContinuacaeJ
Os antigos ainda tinhan mais dous instrumen-
tos para medir o tempo : eram a ampulheta e o
relogio do sol.
A Ampulheta que serve para medir o lampo
consta ae duas pequeas parrafea de vidro cujos
fargalos, muito estreito, csti- reunidos. Urna
estas garrafas contem arcia fina. O tempo que
a areia gasta a passar de urna garrafa para a
outra, serve de medida ao tempo. A ampulhela
fowisada no Egyplo, desde a mais remota era.
como ineio de medir o tempo. Os romanos em-
pregavam-na juntamente com o clepsydro. a
ampulheta ainda era usada as assemblas da
Sorborina era 1656.
O relogio do sol um instrumento no qual o
tempo medido pelo inovimento da sombra que
projecta sobre urna superficie plana, urna baste
melallica exposta ao sol.
As indicaces do relogio de sol baseam-se as
diversas posices do sol e da sombra nos diffe-
rentes movimentos do dia; urna das bellas ap-
plicaces da geometra. Attribue se descober-
tadete instrumento escola de Alexandria,
isto aos sabios gregos que tinham vindo resi-
dir nesta cidade do Egypto, na qual fundaram
ama universidade justamente celebre.
O relogio do sol sera duvida utn instrumen-
to bem importante, mas incompleto, porque as
saas indicaces nao podem ter lugar de noite
neui na ausencia dos raios solares.
Desde o quarto at ao dcimo seculo da era
cbit, as sciencias estiveram, na Europa, en-
volvidas as espessas trevas da barbarie. O de-
posito das ciencias pertencia, nessa epocha s
racas mahometanas, isto aos rabes de frica
e aos mouros de Hespanha.
No seculo IX, um califa do oriente, Haroun al-
Rasclid, assombravaa corte de Carlos Magno
fazendo-lhe presente de um clepsydro. Nestes
tempos de ignorancia a Europa chegara a esque-
cer a arte de medir o tempo, que lhe navia sido
Jnsmitlida pelos amigos. Os religiosos da
le media viam-se obrigados a observar 'os
Hros para tocar a matinas e averiguou-se que
em 1108, ua rica abbadia de C'.uny, o saetiristo
ia consultar os ast.-os quando quera saber le
eram horas de acordar os religiosos para as rezas
nocturnas
" No seculo \. os monges de muitos conventos
allemes regulavam a hora da reza pelo cantar
do gallo-
A primeira menco de relomos adiase em os
Utos da orili-m de S. Bernaudo. compilados no
anno de 1120 no qual livro se prescreve ao si-
christo que. regule orrlogio da abbadia de modo
quede horas antes de matinas.
Em 1370, no tempo de Carlos V.appareceu era
Franca mu relogio muito notan I. construido por
um aflemao chamado Henrique Vic. Carlos V
mandou chamar este sabio a Pris para construir
o relogio do palacio real
(Oontmaj
PARTE 0FF1C1AL
Governo da provincia
EXPEDIENTE DO DIA 13 DE FBVEREIRO DE 1889
Actos :
0 presidente da provincia, tendo em vista
o officio de 7 do correute mez do Dr. juiz de di-
reito da comarca do Bonito, dcteraiina, em vir-
tude da disposico do art. 5 n. 2 do dcc. n. 9790
de 17 de Outubro de 1887, que os eleitores do 5o
districto de paz (Barra de Jangada) da parochia
de Nossa Senior da Couceico do Bonito se reu-
nam para actos eleitoTaes na es tacto de Barra
de Jangada, do prolongaraento da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco; (cando assim
sem effeito a portara de 23 de Abril de 1883 na
parte em que designou a capella de Nossa Se-
iihora das Dores de Capoeiras para reunio dos
referidos eleitores.Communicou-se ao enge
nbeiro ebefe do prolongaraento da estrada de
ferro do Recife ao S. Francisco e reraetteu se
copia Cmara Municipal do lonito e ao juiz de
direito da comarca.
O presidente da provincia, de conformida-
de com o art. 19 do decreto n 5373 de 21 de
Marco de 1874, resol ve designar o teen te-coro-
nel commandante do 68 batalhao da guarda na-
cional da comarca de Iguarass, Manoel Cordei-
ro Cavalcante Galvaopara exercer interinamente
o cargo de commandante superior da raesma co-
marca.Fez-se a necessaria communicacao.
O presidente da provincia, resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca interino em officio de hontem datada n. 158,
nomear o alferes Jos Antonio Duarte Costa para
o lugar, de subdelegado o 1* districto do termo
de Bom Jardim.
O presidente da provincia resolve exonerar,
a pedido, Joaquim Jos de Miranda do lugar de
subdelegado do districto de Queiraadas do termo i
de Bom Jardim e nomear para substltuil-o Joo
Manoel de Farias Leite.
O presidente da provincia resolve nomear
para o. lugar de 1* supplente do subdelegado do
districto de Queimadas do termo de Bom Jardim,
o actual 2o supplente Moyss Amaral de Souza
Inteiraminense e para preencher a vaga de 2o
supplentc o cidadao Trajano Goncalves de Lima.
o presidente da provincia resolve exonerar
Manoel Pedro daPaixfio do lugar de 2* supplente
do subdelegado do districto de Serra Verde do
termo de Bom Jardim, e nomear para^ubstituil o
Joao Al ves Camello de Araujo Pereira.
0 presidente da provincia resolve nomear
o capitao Joao Capitulino de Aquino Guerra para
o lugar de subdeleaado do districto de Bizarra
do termo de Bom Jardim em substituirlo .le Silva-
no Antonio Gaio qaemudou-se para a provincia
da Parahyba.
O presidente da provincia resolve nomear
o alferes Jos Antonio da Fonseca para o lugar
de Io supplente do subdelegado do districto de
Bizarra do termo de Bm Jardim em substitu-
cao de Joaquim Correia Xavier GaiSo. que nao
aceitn a nomeaco, e para o lugar de 3o snp-
plente Manoel da Silva Pinto, em substituidlo de
Joo Baptista de Araujo, que fallecen.
-j O presidente da provincia resolve nomear
o tenente Manoel Jos Pinto nara o lugar-de i*
supplente do sul>il bim do termo de Bom Jardim,
0 presidente da provincia resolve exonerar,
a pedido. Mauael Christovfio da Silva Pinto e
Sabino Gomes BUrbo.-a, dos lugares de 2o e 3o
supplente do subdelegado do districto de Suru
bim do4terrao de Bom Jardim c nomear para sub-
-tituil-os o alferes Amaro Severino de Paula e o
cidadao Henrique Jos do Reg.
0 presidente da provincia resolve demittir
Alfredo de asss Garrido do cargo de praticante
da Thesouraria de Fazenda, para o qual foi no-
meado provisoriamente por portara de 31 de
Dezembro do anno passado.Commumcou-se
ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
presidente da provincia resolve nomear
Henrique Borges da Silva para exercer interina-
mente o cargo de praticante da Thesouraria de
Fazenda. Communicou-se ao inspector da The-
souraria de Fazenda.
Oflicio3 :
Ao biigadeiro commandante das armas
A' vista da inforraacSo junta por copia, n
283, de hontem, prestada
obras militares declaro a
ser autorisado o concert das guantas dos dous
baluartes da Fortaleza doBrum.
Fica assim respondido seu oflicio n. 210, refe-
rente ao do commandante da dita fortaleza.
Ao Dr. chefe de polica interino.Expeca
V. S. as convenientes orden* para que me seja
apresentada copia do assentaraento do preso
Jos Vicente da Silva, pronunciado em Goyanna,
e actualmente recolhiao Casa de Dotencao.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.
Com a informacao junta por copia de hontem
sob n. 28A, prestada pelo engenheiro das obras
militares, transmuto a V. S., para os ins conve-
nientes, notas do gaz consumido durante o mez
de Janeiro lindo com a illuminacao do Arsenal
de Guerra. Communicou se ao director do Ar-
senal de Guerra.
Ao director do Arsenal de Guerra.Auto-
riso V. S. a mandar satisfazer, na forma do aviso
circular do ministerio da guerra de 13 de Abril
de 1881, o incluso pedido de diversas pecas de
fardamento, que para seu uso faz o alferes secre-
tario do 2. batalhao de infantaria Manoel Sebas-
tiao da Rocha Lins Filho.Fizeram-se as neces-
sarias communicacoes.
Ao engenheiro das obras militares.Auto-
riso V. S., de accordo com a primeira parte do
seu oflicio n. 282, de hontem datado e segundo o
orcamento apresentado, a substituir o antigo en-
canamento (Pagua existente na Fortaleza do
Brum pelo o actual de alta pressao.Communi-
cou-se ao brigadeiro commandante das armis e
ao ins|>ector da Thesouraria de Fazenda.
Ao inspector do Arsenal de Marinha.Trans-
mittindo os inclusos papis, que me sero devol-
vidos, relativos ao pedido feto pelo director do
Arsenal de Guerra de urna canoa destinada ao
transporte de volumes ao Paiol da Plvora da Im-
beribeira, recomraendo a Vmc. que declare se
existe ah alguraa canoa completa, que possa ce-
der ao referido arsenal.
Ao engenheiro encarregado da obras ge-
raes.Approvo o contracto que celebrou Vmc.
cora Manoel Thoinaz de Albuquerque Maranhao
a pelo engenheiro das
a Y. Exc. que nao pode
zenda. para os tins convenientes, copia da acta
que acumpanhou o ollicio de Vmc. de 7 do cor-
rente, -^o n. 5, devolvendo a Vmc. as quartorze
propostas que acompanharam o dito oflicio.
Remetteu-se copia do contracto ao inspector da
Thesouraria de Fazenda
Ao inspector do Thcsouro Provincial.-Re-
metto a Vmc. a inclusa copia do oflicio do com-
mandante do corpo de polica de 9 do corrente,
n 184. alim de que mande pagar ao alferes do
mesmo COrp Ww ente da Silva Valcnca a ajuda
de custo a que tiver direito Cuttirannicqu-se ao
comraaoiftinte do corpo. ____
Ao inspector geral da Instruccuo Publica.
Tendo em vista o requerimento da professora
de Bebedouro Rutina Demetria de Souza, sobre a
qual rersaa .-na infonnacao n. 8. de 7 de Janeiro
lindrt. awtoriso Vmc. a dar attestado de exercicio
a referida professora si o respectivo delegado lit-
terario continuar a nei.'alo
Ao mesmo.--Recommenof. a Vmc. que em
seuaofficios, quando se tratar de citacao de leis,
declare as datas das mesmas, nSo se limitando a
indicar somente os respectivos nmeros.
Igual ao inspector do Thesouro provincail e ao
engenheiro director da repartieao das Obras Pu-
blicas.
Ao juiz de direito presidente da junta revi-
sora de alistamento militar da comarca de Goyan-
na. Inteirado d que exp6e Vmc. em officio de
31 de Janeiro Ando recommendo-lhe que trans
mitta-me para ulterior deliberacan urna lista no-
minal dos juizes de paz das parochias d'essa co-
marca, que deixaram de remetter o resultado do
alistamento militar.
Ao juiz de paz, em exercicio, do 1* districto
da parochia de Santo Antonio de Tracunhacm.
Respondo ao officio de 15 de Janeiro Hado decla-
rando a Vmc. que so na falla de quem 'possa at-
testar o bito anm de ter lugar,a certidao alludida
pelo art. 74 do regulamcnto do registro civil, ge
admittir a declaragao verbal, conforme consta
do aviso do ministerio dos negocios do Imperio
de 16 do citado mez.
Ao director geral de Obras Publicas.Re-
metta-me Vmc. orcamento dos reparos de que
carecem a ponte sobre o rio Capibaribe, na Pas-
sagem da Magdalena, aos quaes se" refere o seu
oflicio de 9 do correte, sob n. 14.
Ao fiscal da Companhia Recife Drainage.
De accordo com a informacao de Vmc. em officio
de 11 do corrente autoriso, a contar do prximo
futuro semestre em diante, a supnresso de um
dos tres apparelhos d'essa companhia, collocados
no predio n. 15 da ra Primeiro de Margo, de
propriedade de Manoel Joaquim Pereira e da
Tiara do commendador Manoel Jos Machado por
constituir urna s residencia; cora a clausula de
ser reposto logo que passe a servir de habitarao
de mais de urna familia. -Communicou-se ao ins-
pector do Thesouro Provincial.
Ao gerente da Companhia Pernambucana de
Navegacao.Providencie Vmc. para que a viagem
ao presluio de Fernando de Norooba tenha lugar
amanh ao meio dia. como solicitou o inspector
da Thesouraria de Fazenda.Fizeram-se as ne-
cessarias communicacAes.
Ao juiz de paz em exercicio do districto
de Jureina, da parochia de Nossa Senhora da
Conceicao do Bello Jardim. Respondo ao offi
ci de 3 do corrente, declarando a Vmc. que
compete-lhe impor multa aquel les qne, tendo
obrigacSo de dar a registro agum nascimento,
casamento ou obi'o, nao fizerem as declarares
competentes dentro dos prazos marcados no
respectivo regulamento.
Nesta data expeco ordeiu Cmara Municipal
do Brejo, afim de que os administradores ou ze-
ladores dos cemiterios ahi existentes nao facam
enterramento algura sem a certidao do escrivao
de paz, conforme determina o art. 74 do citado
regulamento. Olficiou-se a Cmara Muni-
cipal.
Ao escrivao do juiz de paz encarregado do
registro civil ua parochia de .Nossa Senhora da
Conceigao de QuipapBespondo ao officio de
Vmc, de 8 ;do corrente mez, declarando que ao
juiz de paz]desta parochia cumpre impor multa
quelles que, tendo obrigagSo de dar a registro
algum nascimento, casamento ou bito, nao fize-
rem as declaracGesIconipcleiites.'dentro dos prazos
marcados no respectivo regulamento.
Nesta data expeco ordem a Cmara Municipal
de Quipap, alim de qne os administradoras ou
(adores dos cemileog ahi existentes ate fa-
Mm nt^rrautewflIlPl wnn a c Ttido do es-
crivao de paz, conforme determinaart. 74 dg
citado regulamento. Olficiou-se Cmara Mu-
nicipal.
Portaras :
Recommendo Cmara Municipal do Re-
cife que rae preste informacoes minuciosas so-
bre os casos de febre amarella que no seu officio
de 6 do corrente disse ter apparecido nesta ci-
dade.
i'.'eclaro Cmara Municipal da Boa-Vista,
que approvo a arrcmatacao do imposto constan-
te de seu officio, a que respondo, e 11 de Janei-
ro (indo.
Declaro Cmara Municipal de Jatob,
que licam approvadas as arreraataces dos im-
postas constantes do termo annexo por copia ao
seu officio, a que respondo, de 2-> de Janeiro
lindo.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
na mande dar passagera de proa at o presidio
de Fernaudo de Noronna, por conta das gratui-
tas a que o governo tera direito, a Rosalina Ma-
ra da Conceiciio, irina de soldado do 2." batalhao
de infantaria, Antonio Rodrigues da Costa.
Comuunicou-se directora do presidio.
O Sr. gerente da Companhia Pernambuca-
ua mande dar passagem de proa at o presidio
de Fernando de Noronha, a Antonio Rosa da
Gama, por conta das gratuitas a que o governo
tem direito. Communicou-se ao director do
presidio.
O Sr. gerente da Companhia Pernambucana
faca transportar para o presidio de Fernando de
Noronha, por conta de Reis iSantos, os gneros
alimenticios e outr s artigos de que trata a re-
lacao aqu junta, assignada pelo secretario inte-
rino do governo desta provincia.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco mande dar transporte
de ida e volta, em carro de segunda classe, en-
tre as estacoes de Cinco Pontas e Palmares, ao
emigrante alleinao Jo3o Henrique Schlulel,
quando forem requisitadas e para serem des-
contadas das gratuitas a que o governo tem di-
reito.
Igual ao encarregado do prolongamento
na estaco de Palmares para dar transporte at
a da Jaqueira, por conta do Ministerio da Agri-
cultura.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Officos :
Ao Dr. chefe de polica interinoS. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda recommen-
dar a V. S., era resposta ao seu officio n. 159, de
hontem datado, que faca constar ao juiz muni-
cipal do termo de Nazareth que, existindo all
vinte e nove pracas destacadas, requisite a es-
colta de que precisa para conduccao dos sen-
tenciados.
Ao secretario da Assembla Legislativa
Provincial.-De ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia transmiti a V. S., para os lins
convenientes, o orcamento e m;ns documentos
enviados pela amara Municipal de Jatob.
Ao director gerente das obras publicas.
O Exm. Sr. presidente da provincia licou intei-
rado, pelo seu officio de hontem, sob n. 15. de
naver mandado, em 9 do corrente, lavrar termo
de recebimento definitivo da ebra de reparos
da cadeia de Serinhm, de que arrematante
Antonio Pereira da Rocha.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 22 DE
FEVERED10 DE 1889
Amelia Elisa Ramos e Silva-Remettido ao Sr.
regedor do Gyranasio Pernambucano para atten-
der a supplirnte, nos termos de sua informacao
aqnexa ao oflicio n. 57 de 2 > do crreme mez do
inspector geral di|in-trucgSo publica.
Altilio Francisco SimonelleInforme o Sr.Dr.
juiz de direito do 2o districto criminal do Recife.
Candido Ma tins de Albuquerque. -Neg pro-
vimento ao recurso, a vista das informacoes das
quaes ?e colhe que o escrivao de p z rte Gamel-
leira (Io distriet) fci regularmente nomeado,
depois dp exmcediJa a necessaria liceoca pelo
juiz de direito da romarca da Escada que nesle
sentido inforraou.
Fielden Brothers.Deferido cora oflicio de
hoje do Thesouro Provincial.
Padre Krapcisco Adelino de Brito DantasIn-
forme o Sr. Inspector da Thesouraria de 1
renda.
Gertrudes da Costa de Farias.Requeira ao
Dr. chefe de polica.
Jos da Silva-MoraesNao ha vaga.
Jos de Castro Paes Barretto.Informe o Sr.
director geral de Obras Publicas.
Jos Cypriano Rezende Mello. -Informe o Dr.
chefe de polica, ouvindo o delegado do termo
de Bom-Jardim.
alferes JoSo Jos de Carvalho.Informe o Sr.
commandante superior da Guaraa Nacional da
comarca da Escada.
Lerry EUerman e outros. Sim.
Mara Juna Monteiro Lopes .Concedo 45 dias
com ordenado. jf
Capitao Manoel Accioly de Moura
Mohaque deferir.
Theopbilo Xavier Cavalcante de Albuquerque.
-Sn.na forma da le.
Secretaria da Presidencia de Pernani-
buco, 23 de Fevereiro de 1889.
O portairo,
F. Chacn.
Gondim,
Repartidlo da polica
2.* seceao.N. 202Secretaria, da Po-
lica de Peraambuco, 23 de Fevereiro de
1889. IUm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que foram hontem recolhidos
a Casa de Detencao os segnintes indivi-
duos :
A minha ordem, Manoel Dias Barboza,
Jos Bezerra de Mello, Paulo Gomes do
Nascimento, Jos Francisco de Lima,
Jos Quedes de Arrda, Luiz Pereira
Barboza e Jos Francisco da Silva, como
sentenciados, vindos de Nazareth, a dis-
posicao de Dr. juiz de direito do 2.- dis-
tricto criminal; Jos Flix da Hora re-
gressado de Fernando de Noronha, a dis-
posiclo do mesmo juiso.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Alfredo Carolino da Silva, Ma-
noel Firmino, Joao da ConceicSo c Elias
Monteiro, como vagabundos.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonie, Fructuoso Lopes de Moraes, Jos
Luiz do Nascimento e Manoel do Nasci-
mento Vera-Cruz, por disturbios.
A' ordem do do 1.- districto da fregue-
zia de S. Jos Chrispira Jos de Castro
Moreira, por disturbios.
A' ordem do do 1. districto da fregue-
zia da Boa Vista, Manoel de Souza Bran-
dan, por disturbios.
Communica o delegado do termo de
Villa Bella, que pela3 11 horas da noute
de 28 do mez passado, o individuo de
nome Holdrado Pereira da Silva, assassinou
com um tiro f Francisco Gomes de An-
drade Filho, evadindo se em segnida.
J(ii^ JftornUdj^ jwou comprimen-
to do f*to, fez pftjcoder avistara mais
deligencia legaes.
No dia 5 do coi rente, assumio o exerci-
cio do cargo de delegado daquelle termo,
o cidadao Braz Ferreira de Magalhaes,
na qualidade de 2.- supplente.
O Dr. juiz municipal do termo de Flo-
res, participou-me que nos dias 4 e 5 do
corrente, apresentarm-se voluntariamente e
foram recolhidos a cadeia publica os indi-
viduos de nomes, Antonio dePaiva Aman-
cio, conhecido por Antonio do O' indiciado
em crime previsto no art. 205 do cdigo
criminal e Jos Pereira de Moraes, incur-
so as penas do art. 269 do referido c-
digo.
Pelo Dr. delegado do 1.* districto da
capital foram remettidos ao Dr. jniz de di-
reito do 2.- districto criminal, os inqueritos
policiaes procedidos contra Maria Emilia da
Silva Braga, por crime. de ferimentos, na
pessoa de Antonia Vicencia do Espirito
Santo na tarde de 14 do corrente e con-
tra Antonio Francisco Joaquim de Alm
por ter no dia 15 tambera, do corrente,
tentado contra a vida do acadmico Joao
Francisco Teixeira Sobrinho.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Ges, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
DE
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 22 DE FEVEBEIKO
1839
Manoel Clemente da Costa Santos.Informe o
Sr. Dr. contador.
Thereza Josephina da Cunha Salles.A con-
tadoria para sua sciencia.
Antonio Nunes Ferreira Coimbra, Ernesto &
Leopoldo, Jos Ferreira da Costa, Maria Ade-
laide Costa.Ao Sr. poTteiro para entregar .ios
interssados.
JoSo Joaquim da Costa L ite.Indeferido, por
estar fora do art. 13 1" do regulamento de 4 de
Julho de 1887. a decisao recorrida foi publica-
da no livro da porta em 31 de Janeiro ultimo e
desta data que se coqta o praso nos termos do
Io do art. 147 do regulamento de 2 de Julho
de 1879.
Recebedorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 23 DE FEVEREIRO
DE 1889
Joo Christiani, (3 peticoes) e L Lack 4 Cor-
reia. Satisfacam a exigencia da 1.* scelo.
Antonio Candido de Araujo Maia, a 1.* seceao
para os devidos tins.
Joao Christian, Francisco Antonio de Olivei-
Va, Euzebio da Costa Beltro, Jos de SouzaGdi-
marSes, Magalhaes & Motta, Antonio Maria A C,
Jos de Mello Salgado, Anna Francisca de Souza
e Galdino Jos Buritv. Informe a !. sen o.
Instrucco Publica
DESPACHOS DO DIA 21 DE FEVEREIRO
DE 1889
Francisco de Paula Lins de Carvalho. -Enea-
mi nhe-se.
Manoel Lopes da Paz.A' 3.' seceo, relator o
Dr. Jos Diniz.
Emilio Albuquerque Pereira. -A' 3.' secco,
relator o Dr. Reaueira Costa. /
- 22 /
Maria Eugenia de arvalho c Silva. Encdmi-
ulie-se. i
Vicente da Silva Monteiro.Informe o dele-
gado litterario. ;
Thereza Porfiria de Jess.A' 3." seccSoJ re-
lator o Dr. Regueira Costa. 1
DIARIO DE PEBJA1B0C0
RECIFE, 24 DE FEVEREIRO DE 1889
Ketrospecto poltico do anno
de 1888
POLTICA PARTICULAR dos estados ecropeus
(Continuacao)
Eram judiciosas as ponderaces do Fgaro, e
os seus receos plenamente justilicados pela his-
toaia. (Js realjslas tamben asxiliaram Luiz Na*
poleao contra a repblica de I8't8: Viara n'esse
aventnreiro urna especie de guarda avancada da
monarchia triumphante. Sabe-se como foram
traclados aps o golpe de estado, em que moeda
o imperio lhes pagou os bons servicos.
Foram talvez as vivas recordacoes desse facto
as inspiradoras dos ltimos manifestos do Conde
de Pariz. O pretendente preoecupou-se com o
ruido que se fazia em torno do nome de Boulan-
ger, c achou que era prudente lembrar a alta
nobreza do seu. Os liis que tem em Franca
proruravam escndelo atraz do general. A po-
sicSo era at certo ponto commoda, mas a tc-
tica podia ser perigosa. O-mais acertado seria
que o principe raostrasse, ainda urna vez, que os
da sua familia se sabem moldar perfeitamente a
todas as circumstamcias. Se Philippe Egalit
condemnou 4 morte a Luiz XVI. por que nao
poderia um seu descendente fazer concurren-
cia franca ao boulangismo, adoptar-lhe o pro-
gramla, imitar-lhe a linguagem, pedir tambem
a dissoluco da cmara dos deputados, a reforma
constitucional e o plebiscito ou-consulta a nacao ?
As tradic6es monarchicas, a crenca na origem
sobrenatural da realeza ? Foi Chambord o ul-
timo representante desses velhos preconceitos
em Franca.
O Conde de Pariz mais sceptico e mais pra-
tico. A sua declaraco de Abril collocou-o ao
lado do ex-ministro da guerraaquelle de cuja
justica o duque de Aumalc e os seus amigos nao
podem guardar mu gratas recordacoes: a carta
que em Julho dirigi aos maires, acerca das
franquas munieipaes, coufaodio o com os mais
intransigentes autonomistas, com os mais ar-
dentes partidarios da communa independente.
Podo bem ser que ainda vejamos o expatriado
conde fazer -da repblica o primeiro artigo do
seu programma. Nao acredita provavelmente o
actual governo da Franca na possibilidade desse
extraordinario progresso, e eis por que se deli-
berou a prohibir a circulaco da missiv de que
fallamos.
A advertencia do principe obrigou os monar
chistas a regatearem temporareamente os votos
a Boulanger. A esse retrahimento passageiro
se attribuio a denota de Droulde, candidato
boulangista. na eleigo de Cliarenta. 0 general
nao eutibiou com esse contra-tempo Entendeu
que precisava, ao contrario, provocar qualquer
escndalo que Ibe estendesse a nomeada. Elle
bem sabia que a cmara dos degutados nao linha
o mnimo desejo de votar o seu proprio aniqui-
lamento. Esse estoicismo nao commum em
taes corporacc:. Tanto melbor para qiem via
na resistencia que tmha de ser-lhe opposta um
meo de patentear a sua grande coragem (
No dia 12 de Julho foi Boulanger ao palacio
Bourbon e ah disse aos seu3 collegas, mais ou
menos, o seguinte :
E' ueeessario que o presidente da repblica
Ibes demandado de despejo. Pecam-lh'o, e quan-
to antes. Seria em extremo perigoso que as
eleicOes geraes coincidissera com a exposico
univcrsalde 1889. Todo o paiz quer e exige a
dissoluco, porque chegou a convencer-se de que
esta"assembla, minada pelas divergencias que
se lhe agitara no seiu, est cahiodo a pedacosi
a reduzir-se a p e nada mais.
Foi terrivel a tempestade de indignaco le-
vantada por taes palavras. O general, sereno e
tranquillo no meio della, fallou ainda mais seve-
ra e rudemente. Levantou-se. porm, o presi-
dento do conselho, eportal forma replicou, que
o fez perder completamente o sangue fro. En-
tre outras cousas, disse Floquet que o deputado
do Norte havia ganho a eleico com auxilio dos
reaccionarios ; que achava intil a cmara, nao
tendo entretanto curaprido com o seu dever de
representante, visto como uo ceraparecia as ses-
ses.
O primeiro artigo desse beilo foi contestado
por negaco, sem protesto de convencer afinal;
ao segundo obtemperou Boulanger que tiuha em-
pregado melhor o seu tempo, dirigindo um ap-
pello nacSo.
E' verdadereplica o cliefe do gabinete
appelleis para a nacao. e ella responde-vos der-
rotando o vosso candidato no departamento de
Charenta. E com mais rigor:
Passastes a vida inteira as ante-salas dos
principes para nlcaucar promoces.
( Ments impudentemente, bradou furioso o
general. E pouco mais pode dizer. O tumulto
e a autoridade do presidente da cmara nao o
deixaram desabafar capazmente.
Urna vez (Jue me impedem de responder s
affrontas que me foram dirigidas, una vez que
me tollipm violentamente a tribuna, renuncio ao
mandato de depu'.ado. >
E sabio com um pequeo squito de partida
ros. Na ra /encontrou aigumas acclamaces
misturadas de/ assobios. Te ve no dia seguinte
de bater-se em duello com Floquet, e foi vencido.
Nessa occasiao o boulangismo quasi fica sem ca-
beca.
Quanto ao presidente do conselho, alm do
mais, tirn da sua habilidadc no jogo do florete
o nao perder o discurso que, emquanto espera-
va a hora do combate, escreveu para ir recitar
na inauguraco da estatua de Gamtietta, se a
fortuna o ajudasse.
Apezar do ferimento de Boulanger, a celebra-
cao do 14 de Julho nao foi menos brilhante e
alegremente ruidosa que nos annos anteriores.
Ao contrario, o banquete dos mares, no Campo
de Marte, o jantar dos tres rail convivas, deu
mais -ealce ao festejo.
Desde que a repblica estaya sendo Uo mal-
tratada, era preciso que a cotumemoraco da
'queda da Bastilha dissesse, 'pelo seu esplendor,
que monstruoso crime comraettem os que ten-
tam induzir a Franca a recomecar a sua histo-
ria de um seculo, a fierder de vista o caminbo
percorrido, por entre abalos e crises espantosas,
de 1789 at boje.
Nenlium desses incidentes impedio, todava,
que o boulangismo. temporariamente diminuido,
se patenteasse dentro em poun mais forte .e-
goroeo que nhnca. O seu chefe obteve trpnwv
viciara eleitoral no dia 19 de Agosto. No de-
partamento de'Thfehtn'Tnferiorioi eleito depu-
tado por 57.236 votos ; no de Somma por 76,9Q4,
sendo reeleito no do Norte por 150,152.
Em todos esses lugares hariam ganho os reac-
cionarios as eleiges geraes de 1885. Nos l-
timos pleitos, o estado maior do partido realista
deliberara nao apresentar candidatos. Era um
grande auxilio que presta va a Boulangar, embo
ra tivesse recommendado na raesma occasiio -
sabe Deus com que sinceridade -que se nao des-
sem votos ao general. Este encontrou, porn,
adheses decididas entre os amigos da realeza,
e sobretudo nos arraiaes do boiiapartismo.
A Autoridade, folha imperialista, apreciou dee-
te modo o novo triumpho do ex-ministro da
guerra:
Foi menos por Boulanger que contra o go-
verno a manifestagao dos eleitores. Nao o ge-
neral Boulanger que triumpha, mas o general
Opposieo. Tres departamentos, como orglos
de toda a Franca, declaram solemne e peremp-
toriamente que nSo querem mais supportar o
ministerio Floquet, a presidencia Sadi Carnot e
o rgimen em vigor. Nao urna advertencia,
porm uira condemnaco, um dobre por finados.
Aps a vot.cao de hontem, a actual repblica
est mura. Talvez ainda d alguns passos, mas
como a lebre ferida no coraco antes de cahir.
A Presse, orgo ofiicial do boulangismo. falla-
va com mais reserva e modestia: Nao podia,
nem devia dizer naquelle momento, quaes se-
riam as consequecia assignalada victoria do
partido nacional. Aflirmava, no emtanto, desde
logo, que elle contiuuaria a proclamar a neces-
sidade da revisao, dissolugo e da constituinte,
programma til em todas as hypotheses possiceis.
A dar crdito ao Intransigente, o general encon-
trou urna solacio benfica para a repblica-
Chamal o Sadi Carnot para a presidencia do con-
selho, depois de haver despedido a Floquet, se-
ria o meio de por termo a urna agitaco prolon-
gada, a urna crise quedizia Rochefortnao po-
dia resolver se de outro modo. E accrescen-
tava :
< Se os parlamentares nao tivessem perdido a
cabeca, seriara os primeiros a promover^sse
desenlace.
Parece que com esta condicSo, se na verdade
Boulanger se lembrou de impol-a, o parlamen-
tarismo, que tanta indignaco lh causava e aos
seus amigos, passaria a ser a coasa mais acei-
ta ve 1 do mundo !
E' escusado dizer que as follias opportuntstas
e radicaes metteram bulla a proposta, e prin-
cipalmente esta phrase do dito Rochefort :
Agora diga o Sr Carnot se prefere ter o ge-
neral por ministrla tel-o por successor.
Como a rjposta devia ser demorada, annui-
ciaram os jornaes que Boulanger ia darum pas-
seio Suecia.
(Contina,)
VARIEDADES
O PALPITE
Eu julgo que neste tempo de cavados, cada
um deve examinar bem as suas armas de sport-
man, botar em pratos limpos todas as foress e
todas as razes que poderem fazer com que o in-
dividuo acert em metter a sua rao com 54000
pelo guichet da casa de poules, e minutos depois,
retirar na raesma mo urna cousa parecida as-
sim com urna ptlga de 50*000.
Ora, oinguem poder-me-ha negar que o >-
le seja urna d'aquellas cousas determinantes.
Passemos, portanto, a exarainal-o.
O que o palpite ?
O palpite genuino, o palpite n e cru, o pal-
pite expontaneo urna ccega que a gente sen-
t por dentro, e que, sem que .-a i bunios porque,
nos arresta para aqui ou para all.
E' assim como um cochicho imperceptivel,
um soprosinho da Estrella, boa ou ni, de qualquer
individuo.
O que que o produz ?
Tudo e nada.
Tudo, isto milharcs de pequeos nadas-. -
Nada, isto um pouco de tudo.
Exempliliqueraos.
**
O individuo amanhece de um caiponsino de-
vastador.
L030 pela manh, ao tomar o seu banho trio,
escorrega no banheiro e faz urna contusio no
joelho ; vae ao caf, est sabendo barata; re-
meche todas as gavetas, todos os boleos e todas
as caxas procura de urna nota importante e
nao encontra; almoca. emfim, mal, um bif. cor-
neo, e accende o seu charuto ; mas, sabida,
na porta da ra. mette na bocea rogo do cha-
ruto.
Na ra, ura horror: topa, escorrega, jes
ra com todo o mundo, atropellado
e um credor que elle nao via ha 6
Ira-se com elle repentinamente, em
para cumulo de miseria, urna car .
lhe de ama a immaculada alvura de wm
branca .
O hornera vae tonto, tropeg >. oy.n aquella ma-
cuca s costas.
J perdeu o ponto da repartieao, maldiz a<
sorte, julga-se o mais desaracado dos vvenles;
tem vontade de chorar.
E' imito caiporismo! K' muito caiporisniol..
Estou boje diminado !..
'isto, esbarra cora um bilbete te lotera, em
ura kiosque:
1*59.
Estaca,' .
ta*...-
Reflecte : -nu.-, foi em 1859 qqOa^H^tni-
nha primeira mulber!
-Em 1589 (numero paree. ntou
se o primeiro kiosque I
- Hoje sao 18<;o mez !
< 59 o numero de minha c -.!... Diaholete
a desgrata I
Entao, PALPITA I
O sangue sobe-liie s faces, os olhos brillara,
saboreia a sensaco i xtranha, deliciosa, da fc-
licidade n'um momento, esquece as topadas, o
credor, os escorregos, a lama; ou antes, o pot
}


LVi -


2
Diario de Periiambuco---Domingo 24 de Fevereiro de J889




1
pite murmura docemente dentro delle : -aben
$oado cretlor, abengoados salpicos, bemditas to--
padas Tudo isso, toda esta macaca era p'ra me
frazer aqu I-
ApproxiTha-se, abra a carteira, e pucha o di-
nhero com tanta calma e tanta certeza de tirar
a sorte grande, como na mais certa e lucrativa
Iransacgo commercia 1 do toma l e d c.
***
Outro da mesma especie.
Joga-se o lasquenet. i
O sujeito perde aesndaiiient1- tres vezes na
agarrado romunhas dentes ; desde que a Po
Ucia comega a tocar, ratra-lhe o palpite a des>
maiar. e desmaiar, a enfraquecer, e acaba por
evaporar-se, sumir-se.
O pobre horaem lica entilo, como cobra que
prdeu a pegonha, vasio, sem o peso daquella
orientago; cada qual segreda-lhe um palpite"
estrangeiro, de filiacao desronhecida, masca in-
do, muita* vesos falso .
E mesuio 1ue s,'Ja um palpite abengoado, um
palpite dt lun a certeza, rendoso, o que vale
U infsrawyao-enchichada a um canto do ensi-
mesm'dama : apparece una dama pela quarta- temeoto, comparada a frescura, expontanei-
dade do palpite que elle trazia de casa, tilho le-
git xo seu ?
Eu j vi urna moca a quem obrigaram a com-
prar poules n'um cavallo que nao era o feliz ani-
mal de seu palpite.
vez.
Caramba! gritam todos.
Muitos exclamara : aposto tudo contra a dama !
Mas, o tal sujeito seote, er.to, nm palpite
desesperado, que Ihc arrepia todos os cabellos
do corpo. e que lhe segrcda o seguinte :
Meu amiguinho, no esquejas de que
a sorte capricho; por ism mesa que ga-
nharam 3 damas,* bem pwdriet que ganhe a
quarta; aposta 1 ....
E eng que se ouve o sujeito bradar, intr-
pido, convicto, contra todas as regras da lgica:
Vou tudo pela dama 1
E muitos oinam para elle, invejando sincera-
jceule nao tcrem d'aquelles palpites do condem-
-tado, segredos de Satanaz.
i i (Estas duas especies de palpite sao os palpites
jjitra-scientiflcos : o individuo que joga n urna
carta' cansada ou compra um bilheie de lotera
v depois de um dia de caiporismo, raciocina, sem
11 dar por isto, do seguinte modo :
O facto 6 que eu estou de um caiporismo
delicie so; a sorte tem-me dado pancada em
regra.
Ora, que mal fiz eu a Deus, nao me di-
y* rao ? !.. -
k f Ka sou um christo como outro qualquer;
nasci em dia de folliinha, tanto que me chamo
' Jeronymo, nome que trouxe da pa.
Como todos 03 outros vvenles, estou aqu,
i- no mundo, sujeito aos caprichos do Fado,
verdade ; mas, por mais caprichoso que seja
o Fado, elle nao ha de ser to mo rapaz, quo
que queira azer de mim, burro de carga ou
tetede-turc.
Demais, tudo n'este inundo estando perfeita-
- mente em equilibrio, se eu contino a perder,
desconfio bem que vai haver urna calamitosa
differenca na distribuigao da justiga celeste.
E* tempo que isto melhore, mesmo porque.
sempre ouvi dizer quede hora em hora Deus
.-,meThoru.-Ora, ha mais de urna hora que eu
prco.
Almd'isso a Sorte urna bella moca, e as
m mmheres amam sempre qualquer manifestago
- de. torga; assinp, ella vendme intrpido, re
.nitente, a aflrontar os seus golpes, fazendo
'* jmra-p, n'esta dama, eu devo neeessariamente
<* captivar-lhe as boasgragas.
*. *.
occasiao
yimu
imot.
bi-
Mas, era todos os palpites tm este fundo de
-philosophia, ou esta philosophia profunda.
Ha palpite-estpido, o palpite-ca\algadura.
i Anida na lotera, vejamos :
. O sujeito est, fazendo a barba. Na
em que o Fgaro acaba de ensaboal-o, um
grita, da porta: quer Baha ? I E' o ultn
i O sujeite estremece, qnasi cortase.
c. '. Paipitou.
Porque paipitou '
Oucamol o, elle murmura :
u. Ora. este menino offerecer-me este
. .- thete, AGOR \ !
r* Que coincidencia! Justamente guando o
- Jjarbciro acaba de passar-me o sabio no ros-
to!
Ento, volta-se e encara o menino :
? Menino, t d'onde es ?.
Eu sou de Cbique-Chique.
. T dizes t !! t De $hique-Unque ? '
Passa p'ra c o bilhete !
%
F... nunca, infelizmente, foi ao Hippodromo.
4rque, carranca que entende que o mellior
Hippodromo cada um em sua casa com sua
mulher e seus tlhos.
-"Manca ouvio fular em Milao nem ao menos
onhece de vista algum membro da dynastia dos
Pistolas er cousa admira vel, n'esta trra da
grammatica, (grammatica Uvro) elle ainda urna
jo ves< nao se envelveu em discusses sobre a,
-pronuncia d -Hippodromo ou Hippodromo, o que
e ser descontodo. quaudo tiver de entrar no
co.
Mas, urna bella manhS, accorda como corpo. .
nolle, appcteccndo sensaces novas e fortes;
4ega. -nlum Jornal, e logo o diabo da teolagao
pv-lhe detSxo dos olbos um programma de
Vrandr remio, vistoso, rutilante, bem impresso.
Si eu fosse s corridas ?...
Est dito vou s corridas.
i Preciso de ganhar uns cobres. E, gnu pra
dentro :
Mulher vou dar-te urna boa nova : vou
ao Prado!
A mulher, que urna boa esposa, que anl
ocnde-lhe carinhusamente l dentro :
Pode ir at p'ra o diabo que
res-
o carre
Obricado.
o diabo
Varaos a ver onde hei de apos-
gue
Ur. *
.. .So primeiro pareo esli inscriptos tres caval-
tos :
r Cisco.
2 Alexander.
3 Per.
O bomem exlama logo, sentando-se na cama :
_,,- Xnh" um palpite em Alexander Me-
ander -
. Sim, isto aqui Ale4-sander
Entra um amigo, que- tambem nunca fol ao
Prado.
F... mostra-lbeo pareo :
i Qual o teu palpite ?
-O. bomem W :
Cisc.. Alexander... Per...
Eu iria em Alexander.
tu 'Appareceu um segundo ; mesma scena ; res-
.posta ; Alexander.
- Terceiro, dem, idem.
E eu tenho um palpite em como todos os meus
lertores desconhecendo os cavallos, palpitanara
em Alexander, em primeiro lugar, porque elle
o segundo da lista, e. de cem pessoas, s quaes
se offerecam tres bilhetes ou tres objectos, nu-
merados de um a tres, 90 escolheram o nume-
ro 2 *
lito urna concesso que o pal pile faz sor-
te : porque, realmente, escolher o numero i e
esperar, ainda em cima, que a sorte <> lavoreca
com o l' lugar, exigir muito. Raso jx-Ja qual
nguera compra o numero t na lotera.
Em 2o lugar, porque Cisco nao pode ganhar
na corrida em que entre Alexander...
Em 3 lugar, porque Per, que ave de pen-
aas, nao pode idem, idem. idem.
Demais, o A, o x e o r de Alexander csto bem
aroressos !... ao passo que Cisco est tao apaga-
do I... e ao Per faltou a crista, isto o acento
ao u.
Por tudo isto, e muitas cousas mais, F pal-
pito em lexandre.
L a cor do cavallo : -Baio.
Infelizmente, lembra-se de ter ouvido dizer que
ta cavallos desta cor nao aguentara repucho e,
esmo a mulher, para ser amavel, exclama,
ntrariando-lhe o palpite :
Ento tu nao sabes o que se diz l o:a T
?.-
Quando se encontra na estrada um tabareo
Pois bem : o cavallo ganhou e a moga licou
triste.
Vaiou-o e deu palmas ao seu predilecto, que
^rcio n'uma memoravel bagagem ; e a nica e
pequea concesso que fez ao pobresinho do
vencedor, foi- receber o dividendo de suas
poules. *
Bem feito I
Deixem cada um seguir o seu palpite...
Q||)prat aqui estou U que, na ultima corrida,
sahi de casa com a minha palpitara, toda ali-
nhada. empacotada. iodiscutivei, ungulilbada.
Ia.ieliz. contente, a tao cheio de mim. que
eu enchi o parafuso- E' to bom comegar o
dia com urna esperanca I
Mas, infeliz de mim tomei, sem querer n
bond da musir da msica classica, da msica
do futuro I...
Resultado : quando chegamos Calcada do
Bomfim, eu, de palpites, nem fumaga ; e termi-
nada a corrida, estava to leve que, se houvesse
mais um pareo eu sahu dahi direitinho p'ra ca-
deia.
Por isso, siga cada nm o seu palpite.
E' verdade que o Palpite fimo da Tolice com
o Bomsenso que foi a cousa mais tola que Deus
botou no mundo mas, elle, por sua vez. tcm
urna iilha que tudo o que ha de mais doce no
munda, e que nos faz viver os momentos mais
felizes da vida, os nicos talvez .
E' a esperanga.
O que doce a hypocrisia no palpite.
Sujeitos descabellados, regentes de orchestra,
sem palpites, sem nada, verdadeiras almas de
folha de Flandres, recebera urna grossa bolada
depois de um pareo.
A gente corre a elles, agarraos :
Mas fulano, como foi isto ? Gamo gan lias-
te ?... Tu sabias de alguma.. f
Elles respondem com a cara mais chapada
desta vida :
Nao. Foi um palpite. Ha muito tempo
queeu ando com palpite naquelle cavallo.. ,
I Mas naquelle bicho feio, piolhento de sobre-
cana I
Que queres J olhaste a venta daquell
cavallo ? .
Vaiolhar; cinco buracos'....
Shocking Zut! ,
BkOCK.
Me e marre de amor!
L'amour c'est la vie
' V. Hugo.
Se se morre d'amor? Pergunta a brisa
Que sussurrante tardezinba passa
Osculando teus labios, minha Elisa!
Pergunta ao vento das manhas serenas,
A' flor que vive soletrando amores
as bellas tardes do verao, amenas!
Pergunta rola tao saudosa e triste
E te dir, por certo, oh! doce amada,
O que o amor, cm que o amor consiste 5
Pergunta ao vate descantando amores,
Elle dir : E' venturosa vida
Consuniir-me vencendo immensas dores 1
Quem posas reprimir, forca que prive
D'amar-se, neste mundo nao existe;
A menos, qu'o viver nisto consiste,
c Nao se morre d'amor, d'amor se vive
Odlabeg Midnal.
Lea mduches sont des tres trop intimes pourf
se donnot comme cratrices ou mme admii
tratirces de quoi que, ce soit. mais leur cervel-
le est as?$z developpe pour donner par ci par
l une idee qui comme toutes les idees eat sus-
ceptible de developpement et de perfectionne-
ment.
Fly.
21 Fevrier 1889.
,*5fHUIAI8uCO
Empreza da Ksttada d Fer-
ro do RibeLra ao'Benito
Ri-laco il 11 mi n Mlr mi wi ten
le ainili mnwii ral* J
Mfe-
i li-
li
re
4-: Ir aMir MftHtK
31 de Bi'icmbr.
5 de Joaquim A. de Hollanda Cavalcante a
Marcolino Lopes Cato."
52 de Theo Just a Domingos Joaquim Ferreira
Cruz.
20 de Laurentino A. P. de Carvalho a D. r,se;
cia J. da Cunba Guimares.
5 de Juvencio da Silva Lins Jniora Joaquim
da Silva i;arneiro.
5 dp Dr. Joo Bezerra de Mello ao Barao de
Serinhem.
o do Dr Joo Bezerra de Mello a Jos Maria C
Cunha
10 do Dr. Francisco de Souza Res a Isidro
Wanderley Lins.
'i de Augusto Alves Portella ao Baro de Se-
rinhem.
5 de Augusto Alves Portella a Joaquim da
Costa Moreira.
JO de Jos Joaquim da Costa Maia a Agricio R.
de *raMo Lins.
10 de Hypiolito V. Pederneiras a Jos Joaquim
Moreira.
10 de Christino do Valle a Joio i Paulo Bo-
telho.
10 de Izidro Wanderley Lins a D. Mara Kosa
Miranda Machado.
152 aegoes.
sT E. & 0.
Recife, 31 de Janeiro de 1889.
Empreza da Estrada de Ferro
de Rlbelro ao Bonito, no Re-
rife.
BALANCETE EM 31 DE DEZEMBEO DE 1888
Activo
Construccao da Estrada, dispen- .
dido 173:682*110
Material rodante, idem 38:204*100
Dito fixo, idem 75:706*O2(
Dito e ferragens, iaem 729280
Utensilios da ferro-via, idem 1:268/960
Movis do escriptorio, idem .210*5500
Obras d'arte. idem:
Ponte Araaragy, estages e ofli-
cina^ 20:681*230
Diversos 30*160
Depsitos em caugo, valor de apo-
fices 107:000*000
Apolices provinciaes, existentes lOO/OuO
Caixa, dinheiro-existente 1:172*010
Accionistas, entradas a realizar 13:450*000
432:29i370
dmmou
lado, pode-se-lbe perguntar sera receio:
^J amigo, onil? libndonoste o^baio t E.
epoT ollM a crtr da vestimentaamarello e
'quH j pareces um defunto !...
Mfeg o palpite de F... t- inabalavel, e elle, cal-
ndo-as chinellas, n'-ponde-lhe com arrogancia
tr axibma : ..,,.- ,.
^^Sfenganada! Cavallo bajo quando .la
^^^KHm bbm mesmo
> palpite
V
te urna cousa to vaga, to mpercep-
tivel. Uo insaisissabl; que muita> vezes palpita-
bos em darmns p ir isso.
Excmplo : depois de urna corrida em que ga-
^^Ko cavalio A. todos os que l'oram na egua B.
istiiDa, ".- : Eu tinha um palpi-
ivallo !...
.. tov;a:r, 5( ido o palpite, ou elle evapo-
u-ge no meio daquella lula-lufa de
I ipanhado no ar por burguezes im
ncapazes de palpitar
va bora que os hippodromo?
^Bcefr lwro#-r>'W'tros, ondeos
sem, na entrada, os
para assim evitar que se locuple-
ite cornos palpites alheios
parece fra de duvida que
gosta de msica.
o entra com o seu palpite seguro,
Comme les hirondelles, mes sueurs dans la ua-
tnre, j'ai chang de climat sans change- de ca-
ractre: je reviens vers vous, bienveillant le-.
cteur ou gracieuse lectrice aussi curieuse, aussi
tracassire que je l'tais l'anne dernire.
Pendant mon absense, m'a-t-on,dit. une autre
monche s'est arrete quelque temps dans lea- co-
lonnes d'nn Journal voisin ; doc'e mouche sans
doute, mouche savante plus que probablement,
c'est assez vous dir qu'elle n^st pas de raa fa-
mille, a moi, pauvre mouche simples et sans
pretention.
Lorsqu'ou-revient de loin,nest ilpas vrai, Ion
s'tonne aisment, ct de mes toanemente je
veux vous faire part, persuade que plusieurs
d'entre vous vous assossierez mon sentiment.
II y a quelques mois j'entrai ou plutot je volai
par hazar.i dans une fort belle salle, remplie de
milliers de volumes ; i'en vis de portugais, de
francais, danglais, d'aliemand sans compter les
latins et les grecs.
Au milieu de tous ees Trsors de lame il
y avait un umque lecteur et encor me parut il
etranger. Je crus & une circonstance particuli-
re, a quelque fte religieuse attirant la foule
sur un point determin. Mais voici qu'a mon
retour je retournai dans ette grand salle dout
l fraiebenr m'avait laiss un agrable sou venir
et a ma stupefaction je retrouva le mme silen-
ce, la mme solicitude. Cette fois ma curiosit
naturelle m'y fit retourner a des heures diff-
rents t j'arrivai voir runis jusqu'a cinq le-
cteurs la fois e cela bien rarument! A pr-
sent pourquo?
Comraent est il possible qu un tablissement
semblable, parfait dans son genre, soit ainsi d-
laiss ? Ce ne saurait tre a cause du prix d'a-
bonnement, douze mil reis par an, ce que fait
mil reis par mois I
Certes, ce nest pas faute d'intelligeacede la
part des tudiauts du Recife; on sait assez
quelle est mon opinin sur l'intelligence brsili-
enne. Pourquoi enfin ? En Europe ou, je dqis
I'avouer, je ne comais pas un seul cabinet de
lecture aussi parfait de tous points, que l'est ici
le Cabinet Portugais de Lecture, tous ees cabinets
sont pleins du matin jitfqu'au soir malgr les bi-
bliothques publiques et gratuites, qui, elles
aussi, oot leurs lecteuis assidus.
Pourtant, le plusgrand nombre desjeunes
gens francais neconnfissent aucunelangue tran-
gi-re pens'ant sans diute comme nos voisins lesi
anelais quu le monrte entier doit ou tout ao
monis devrait saoir l'cuglais ou le frangais.
Ici, la plupart des jones geni et des jeunes
(lies ont tudi et ils n'ont pas toujours appris
le frangais, Tangais et touvent mme l'alle-
mand. Comment ? Je le dimande une fois de
plus, les jeunes gens ngligeVt-ils un muyen aus-
sic fcil'1 et aussi agrable h se perfeclionner
par la lecture dans la connais-Vnce des langues
et de la litlrature.
Je serais vraiment aise de
n'-ponsea ees questions, peut
discretes.de la part de nne
d'importance.
Je n'ai pas fini, une aulre
et un tonnement plus grand eucorea^H-imer
Le Rcife, se je ne me trompe, a une pojblation
de prs de cent mille ames. II posse*s^un
des thains les mieux amenags au poigale
vue du conlortablf de I'acoustique etc., et, y
thtre. est ferm plus de la moiti de l'anmJ
Et tout le monde ainie le thatre puis qu il e
plein aussitt qu' arrive une troupe 4 peu pr
supportable Nona savons que es toiles
sout fort dieres. .:' cru"il n'y faut pas penser;
mais faute de prea on se contente de merles ,
et il ne devrait pas tre absolument impossible
d'avoir icicequ o France, parexem_
pie. toutes les anadee vles de province, c'est a
din', nr-e bonne troupe ate. Je crois
qu'il en est de ceci comme d'unc foule de dio-
ses auxquelles ou ne ^ense pas, et qui du jour
oo Pon s'en occope deviennent ou ne peut plus
fciles.
ve
Barao de Serinhem, saldo
London & Biasilian Bank, idem
Banco Internacional, idem
English Bank of Rio de Janeiro,
idem
Banco do Prasil, idem
Coronel Jos Bellarmino Pereira
de Mello, idem
Livramento <& C., idem
tirusouwerk idem
SocietAnonymede.MancineIle ;
Covillet, idem
Diversos, idem ^
Subvengo da provincia, idem
apital, subscripto
Lacros e perdas, saldo
6:423*850
24:027*120
25:82 J*890
20:369*500
15:000*000
9-7(*000
1:4175500
70**290
ikilSO
2:0271070
108;000000
198:400*000
20:140*000
132J94*37Q
evoir (|uelque
re un peuin-
;e de si peu
ion iaire
S. E. & O.
Recife, 31 de Janeiro de 1889.
Baro de Serimhaem,
Gerente.
Parecer da <-orami*naw lleeal
A. accionistas da Estrada de Ferro de Hibeinto
ao Bonito.A commisso liscal, em cumplimento
s disposicoes da lei qne rege as sociedades ano-
nymas, e de accordo com os nossos estatutos,
vem apresentar-voa o seu parecer.
A comraissio examinou a escripturaco e os
documentos relativos a gestao dos traballios da
Empreza oo anno prximo findo de 1888, e tudo
achou na melhor ordem.
Veriticou a commisso, que a receita foi de
161:732*310, sendo de entradas dos accionistas
40:950*000, de subvengo provincial 108:000*000,
de material fornecido aos erapreiteiros 6:231*710,
de diversas contas 853*240 e renda da estrada
em 5:6974360.
A importancia despendida com as obras, ma-
terial hxo e rodante, e pessoal elevou-se som-
ma de 158:225*060.
A renda.proveniente de transporte de merca-
dorias e passageiros entre Ribeiro e Progresso,
na extenso de 12 kilmetros (duas leguas) prava
a evidencia o grandioso futuro d'esta ferro-via
de coraraunicagao ; pena porra, qae continu
ella a nao merecer a attengo dos nossos capi-
talistas.
A commisso lembra aos Srs. accionistas o al-
vitre de autorisar a directora a contrahir um
mprestimo, a prazo longo, at a quantia que
fr precisa para a concluso das obras da em-
preza, dando por garanta as mesmaa obras ; por-
quanto, julga ser de necessidade a prompta ter-
rainago da linha.
Concluindo, entende a commisso que as cun-
tas de*em ser approvadas e pede um voto de
agradecimento para o 8r. director gerente, pelo
zelo, solicitude e perseveranga que tem empre-
gado no desenvolvimento da nova empreza.
Recife, 15 de Fevereiro de 1889.
Sebastiao Lopes Guimares.
Gracilian ctdvto da Cruz Martins.
Joaquim Olinto Batios.
Joo Manoel de Barros 6 Silva.
Jos Soares de Seixas.
omcial de deecarcaPor acto da pre-
sidencia da provincia, de hontem datado, foi de-
mitlido do cargo de offlcial de descarga interino
da Alfandega, Christiano Frederico Martins Ri-
beiro, sendo nomeado para substitul-o Antonio
de Andrade Rrederode.
Acto* da prcfttdeneta da provincia
Por actos de 14 do corrente mez :
Foram concedidos 3 mezes de licenga ao escri-
vo da collectoria provincial da Escada, Austri-
cliniano Coutioho Ponce de Len.
Foi exonerado, a ncdidp, Pedro Agripino de
Alcntara, do ca go de agente do corrio de Ca-
nhotinho e nomeada para substituil o Maria Olin-
dina de Alcntara.
Por oflicio da mesma data mandou-se o The-
souro Provincial pagar as companhias das estra-
das de ferro do Recife ao S. Francisco e Recife
ao Limociro as quantias de 4*80J e 7*680 de
passagens concedidas as mesmas estradas.
Enipr<>Mlinae provincialEm sua folha
de booteio, a Provincia, referindo-se recepgao
de propostas para o emprestimo que pretende
contraBir a fazenda provincial, disse aue fra
preferida e acceita urna proposta feita pelo Exra.
r. Viscoude da Silva Loyo em nome de um ban-
ueiro portuguez. .
Nao inteirauente exacta essa noticio. A pro-
sta do Exm. Sr. Visconde da Silva Loyo foi feita
s condigOes indicadas pela Provincia, mas nao
definitivamente acceita. Depende isso do
,te de condig5es, que, embora nao sejam de
or importancia, tm valor notavel para a fa-
,'da provincial.
f'oi, pois, prematura e algo inliel a nformago
deram Provincia.
aetoaro Provineia-A'con(ar de 21
do brrente, acha-se marca io o praso de 45 das
para a inscripgao dos candidatos ao provimento
de tres logares, por concurso, de 3." escrintura-
rios do Thesouro Provincial, o edital publicado
na competente secgo deste Diario indica quaes
as materias exigidas dos concurrentes e bem as-
sim as demais condiges satisfazerem.
Beegeativa iuventnde A sociedade
desse nome nao abre hoje 3eus saloes em conse-
quncia de estarem elles sendo ornamentados
para o sarao carnavalesco.
1*Brinete Porluxuec d> i.eitura E'
boje, is 11 horas do dia, que se ruunem em as-
embla geral os socios do.Ge.binete Poriugui;z
de Leitura, para elegerem alguns membros da
respectiva admmistrago.
...Manto Amaro dan Matlinsva Realisa-se
hoje, na capella de Sanio Amaro das Salinas, a
festa do seu padroeiro, constando de missa so-
Icinocas 11 horas do dia com senno peto Revd.
Fre iagusto da Imraaculada Coiiceigao Alves, e
ladaiulia s 7 horas da noite, precedida de ser-
mo pelo mesmo pregador.
A' tatjle havera, no largo fronteiro capella,
um bazar de prenda3 e cavalhadas; e noite fogo
de artificio.
Tocar a banda de msica do 2. batalho.
O largo estar decorado e noite ser illumi-
nado
A Companliie Ferro Carril far um servigo es-
pecial de carros.
Recreativa CommereialHoje a So-
ciedade Recreativa Commereial faz o seu sarao
dansante do costume.
Compantaia Alaicoaua de Piacao e
TecidoeAt o dia 17 de Margo prximo, os
subscriptores da Companhia Alagoana de Fiagao
e Tecidos devem realisar no Banco Internacional,
de Pernarabuco, a quarta entrada, na razo de
10% do valor das quantias subscriptas.
PrasoAo protessor Joo Cordeiro Fonseca
de Medeiros, nomeado por concurso para a ca-
deira de 2.' entrancia do sexo masculino de Pes-
queira, foi marcado o prazo de 30 dias para as-
sumir o exercicio dessa cadeira.
Festeje* carnavalesco* -A ra do Ro-
sario da Boa-Vista toma parte tambera nos feste-
jos carnavalescos.
Para adornar essa ra, foi organisada a seguih-
ta commisso:
Presidente-Manoel Luiz Ribeiro.
Vicc-presidente Jos Luiz Alves Vilella.
Secretario Jos Moreira da Silva.
Thesourciro Joaquim Francisco da Costa.
Vogaes Antonio P. de Azevedo, Jos. Joa-
quim Alves Pacheco, Pedro de Souza Oliveira,
Antonio Marques d'Oliveira Ramos e Manoel Jos
de S. Araujo.
Paquete Manoe O paquete nacional
Mandos, segundo telegramma recebido pela es-
tagao telegrapbica desta cidade, sabio do porto
da Fortaleza no dia 22 do corrente s 4 horas da
tarde, era viarem de regresso para o sul.
i.impeza da cidadeDamos vista C-
mara Municipal do Recife da seguinte carta que
recebemos hontem:
Recife. 22 de Fevereiro de 1889.Srs. Re-
dactores.Vai para quatro ou cinco mezes que
nos, os moradores da ra Imperial, tivemos ne-
cessidade de recorrer Vv. Ss. para que protes-
tassem, pelo criterioso jornal de que sao re-
presentantes, contra o modo porque se fazia na
mencionada ra o servico da limpeza publica.
A nossa justissima reclaraago foi, de algu-
ma forma, attendida por quanto poucas vezes
apresentou-se a compihia da vassoura antes das
nove horas da noite.
Hontem, porm, e como hontem outros dias
mais, fomos obrigados a eocarcerarmo nos s 8
horas da noite taes eram as ondas de poeira que
o irregular e asphixiante servigo produzia t
Tenham Vv. Ss. a bondade deainda urna
vez-tornar-se echo dos nossos protestos, e ac-
ceitem por isso a sincera gratido dosMorado-
iei da ra Imperial.
AMaeiiinatoas 11 horas da noite do dia
28 do mez proxino lindo, no termo de Villa
Bella, foi assassinado com um tiro Francisco Go-
mes de Andrade Filho pelo individuo de nome
Clodoaldo Pereira da Silva que conseguio eva-
dirse em seguida.
O delegado daquell termo tomando conueci-
mento do facto, procedeu a respeito nos termos
da lei. i
Tribunal do Jury do Recife -Deixou
de haver julgamento neste tribunal per s to-
rera comparecida apenas 32 juizes de facto.
As 11 horas da manh presentes o Dr. Anto-
nio Domingos Pinto, juiz d- direito do '5 dis-
tricto, presidente do tribunal, o Dr. Joo Joa-
quim de Freitas Heoriques 1" promotor da co-
marca, e 0 capitao Florencio Rodrigues de Mi-
randa Franco, escrivo privativo do jury, fez-sc
a verificaco das cdulas e a chamada, sendo
em seguida levantada a sesso que foi adiada
para amanh s 10 horas.
Fe*ti idade reliRio*a-Hojc, ter lu-
gar, segundo j noticiamos a tradicional festa de
Nossa Senhora dos Afflictos em sua capella, na
estrada do mesmo nome.
A commisso encarregada desta festa ao tem'
poupado esforgos para que seja brilhante.
O car natal na cidade de O inda -
O Sr. secrelario da sociedade Recreativa Bella
Uniao pedio-nos para [publicar as seguintes li-
nhas :
Resolvendo a sociedade Recreativa Bella
Unio dar orna tohe no terceiro dia de carnaval
no palacete da amiga academia de linda, e j
tendo convidado diversas familias, previne ao
re.neitave! publico que a sociedade Recreativa
Bella Unio, percorrer a carro, ac i:panhado
pela msica do 2o batalho de infantera no i
e i* dia de carnaval as principies ras da -ve-
lha cidade.Secretario, Antonio M. P.
.aniversarioAmanh fazem 269 annos
que foi creado o primeiro bispado do Brazil.
suffraganeo do arcebispado de Lisboa.
Sociedade Canimiro de AbrenA
nova directora dessa sociedade luterana, eleita
a 20 do corrente mez^flcou assim coraposta:
Presidente-L. Paula Lopes Jnior.
/. vice-presidentelos. Tbimes Pereira.
2.o ciee-pretidente Raymundo Orestes de
Aguiar.
1' secretan Jos de Goes Cavalcante.
2." secretario-Francisco de Souza Nogueira.
Orado'Ernesto Peixoto Jurema.
Vice orador-Miguel A. Rodrigues Lima.
ThesoureiroAlfredo Geraldo Tbimes Pereira.
BibliothecarioA rthur Osear X. B.
induKtrla* e proli**e* -Anda urna vez
chamamos a attengo dos sennores contribuintes
para o pagamento sem inulta do imposto de in-
dustrias e prolissoes, referente ao i." semestre
do exercicio corrente.
Como se sabe expira no dia 28 do corrente
mez a referida cobranga, sendo que depois dessa]
data ser elevado o debito com a multa de dez e
quinze por cento, alem da execugo judicial em
caso de remisso definitiva.
Mervlro militar Esto designados hoje
para superior do dia o Sr. capitao Pedro Vel no,
e para ronda menor o Sr. alferes ajudante do
2*, e para o cha 25 o Sr. capitao S Barrete, e pa-
ra ronda menor o Sr. alferes ajudante do 14
A guarnigo da cidade dada hoje pelo 2o
batalho e amanh pelo 14.
As guardas da Thesourana e Palacio sao
commandadas hoje por dous sehhores oiiciaes
do 2 batalho, e amanh no outros dous do mes-
mo corpo.
~ Existem na enfermara 27 pragas dos cor-
pos'da guarnigo.
Foram Horneados os Srs. major Honorio
Cleraentino Martins, Dr. Francisco Domingues
Ribeiro Viauna, capitao Francisco Jos da Silva,
tentjnle Francisco Teixeira de Carvalho, Leo-
baldo Augusto de Moraes, alferes Joaquim Fe-
nelon Borba e Manoel Machado da Silva,'para
presidente, auditor, interrogante e vogaes do
conselho a que vai responder pelo crime de fu-
ga o soldado do 14" batalho Jos Zacaras Fer-
nn des da Silva.
Amanh funecionar' no quartel general o
conselho de guerra a que vai responder o sol-
dado do 2 batalho Francisco Jos de Lima,
sob a presidencia do Sr. coronel Joo Evange-
lista Nery da Fonseca.
Toca hoje das 3 s 7 horas da tarde a
banda de msica do 14" batalho de infantera
no corete do jardim do Campo das Princezas.
Foi devolvida ao f batalho de infantera
a.certido de assentamenlos que serve de escu-
sa ao soldado Manoel Uelia Cavbante, que teve
baixa do servigo d exerciio por achar-se cora-
prchendido no aviso do Ministerio da Guerra de
i:) de Setembro de 1887.
IjeUde*EfTectuar-se-o os seguintes :
Amanh :
Pelo agen te Burlamaqui, s 11 horas, na tra-
vessa do Peixoto n. 23, de urna casa.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do
Imperador n. 32, de-predios.
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, no arma-
urn sobrado
zem na do Imperador n. 49,
de dous andares.
Terga-feira :
Pelo agente Gusmo, s 11 horas, ra do
Bspo Sardinha. da armago e gneros da ta-
berna ahi existente.
Pelo agente Silveira, s 11 horas, ra do
Jardim n. 11, de generas, armago e utencilios.
. Pelo agente Martins, s 11 oras, ra do
Imperador n. 38, de bons movis, louga e ob-
jectos de metal.
Mi*a* fnebreSero celebradas:
Amanh :
A's 71(2 horas, na igreja do Carmo, pela al-
ma de Francisco jedro de Mello ; s 6 1|2 ho-
ras, na igreja do Rosario da Boa-Vista, pela al-
ma de Ignacio Mendcs da Silva.
Terca-feira:
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela al-
ma de D. Cathara Pessoa de Figueira Earia;
s 7 horas, na igreja do Rosario de Santo Anto-
nio, pela alma de D. Rufina Maria da Conceigo.
Directora da obras de connerva-
cao don Porto* de Pernambuco Reci-
fe. 22 de Fevereiro de 1889.
Boletim meteorolgico
1 "5 o 9 = ,
Horas gil p0 Barmetro a 0 Tensoi do vapor 1 5 9 s
6m. 25-7 759-49 20,30 84
9 28-0 760-62 20,55 72
12 29-9 760-41 19,96 63
3 t. 29-4 75883 21,33 67
6 27"-8 759"29 19,71 70
Temperatura mxima3 >,25.
Dita mnima 25,0u.
Evaporago em 24 horasao sol: 8",4 ; som-
bra : 3-,2.
Chuva nulla.
Direcgo do vento : SE com pequeas inter-
rupges de ESE durante todo o dia.
Velocidade media do vento: 2" 74 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,55
Boletim do porto
i |8 Bia Horas Altura
P. M. B M P M. B. M. 22 de Fever. 23 de Fever. 924 da manhg 3-37 da tarde 9-48 424 da manh -,13 0- 74 2-,03 0-,74
Caea de DetencaoMovimento dos pre-
sos da C^sa de Detencao do dia 22 de Fevereiro
de t889.
Existiam424; entraram35; sahiram 10; exis-
tem 449.
A saber:
JSacionaes 415; mulheres 12; etrangeiros 22.
Total 449.
Arragoados 380.
Bons 355.
Doentes 22.
Loucos 3.Total 380.
Movimento da enfermara
Teve baixa:
Jos Rodrigues da Silva.
Jos Laurentino da Paz.
Felismino Pedro Francisco.
Manoel de Santa Anna Oliveira.
Antonio Ma tilias do as c un en t
Teve alta :
Sebastiao Canguss.
Ignacio Pereira Nunes.
Ftlix Gomes Ferreira.
oepltai Pedro H -0 movimento deste
e3tabelecimento de daridade, no dia 22 de Fe-
vereiro, foi o seguinte;
Entraram 15
Sahiram 10
Falleceram 3
Existem 577
Foram visitadas as respectivas enfermara*
pelos Drs.:
Moscosos 8 li2,Cysneiro s 10, Barros Sobn-
nho s 9, Malaquias s 8 Ij4, Estevo Cavalcan-
te s 9 112.
>4ocompareceram os Drs.:
Uerardo.
Sim6es Barbosa.
Poutual.
O cirurgio dentista Numa ,PompiIio nao com:
parecen.
O pharmaceutico entrou s 81(4 da manh e
sabio s 4 da tarde.
0 ajudante do pharmaceutico entrou s 7
da manh e sanio as 4 horas da tarde.
Lotera do Cram-ParA 3' parte da
26" lotera, dessa provincia, cujo premio grande
60:000*000, era extrabida, quarta-feira, 27 de
Fevereiro.
Um pouco de tudo
L-se no Commurtio do Amazonas :
Acha-se desde ante-hontem eiposto
no estabelecimento dos Srs. Kahn, Polack
& C, o quadro que, segundo noticiamos a
tempos o Sr. .Arthuro Luciani destina
ExposicSo Universal de Pars, no corrente
anno.
A composicjlo do Sr. Luciani, de as-
sumpto amazonense, c executado conscien-
ciosamente depois d'uma serie de estudos
do natural, nos parece que, pela sua origi-
nalidade principalmente, embora v firma-
da pelo artista, conseguir attrahir a at-
tencSo dos visitantes cosmopolitas da gran-
de exposicSo.
Representa o quadro a cathechese dos
indios Jauaperys pelos frades mssionarios
da Propaganda fide os quaes, como
sabido, fazem frequentes excurs5es ao
Rio Negro com o fim de porein-se em con-
tacto com os selvagens chamal-os acom-
munhao civil.
A scena escolhida o momento
que no interior d'uma cabana coberta
palha os frades entregam aos indios
brindes do costume, constando de armas,
espelhos, bugigangas, pelos quaes sao elles
tao apaixonados. Grupando assim civilisa-
dos e selvagens, o artista teve occasiao de
reunir todas as ragas que povoam a vas-
ti8sima regio do Amazonas, e os diversos
typos que reproduzio tm a indispensayel
fidelidade, nomeadamente os iridios, cujos
modelos o Sr. Luciani foi tomar no proprio
lugar, com os seus adornos e armas, assim
como a lynda paisagem que se descortina
ao fundo do quadro. Quanto a parte ma-
terial da obra, a execucao bem cuidada,
o desenbo correcto e o colorido tem a fres-
cura e o brilbo adequados a intensa luz
equatorial que nos euvolve ; os detalhes
mais minuciosos sao dignos de nota, e en-
tre elles especificaremos, pela exactidSo
com o que foram copiados, o pote, a cuja,
e o bah de marup que contem os brin-
des
Alguns trechos" do quadro ainda nSo
se acham integramente terminados, e so
receberito o's ltimos toques depois de re-
tirado da casa onde est exposto, afim de
que o Sr. Luciani possa corrigir este ou
aquello senao que as pessoas competentes
lhe indicarem.
Em todo o caso, nio se pode chzer
que o Amazonas nto ser lembrando este
anno na Exposicao Universal de Pars ;
a tela do Sr. Luciani represento um episo-
dio da nossa vida, com a necessana ver-
dade histrica para que por ella se possa
fazer urna idea de certos e determinados
costume* nossos. Mas tambem, esse qua-
em
de
06
dro, e mais o
do Primeiro morto que
mesmo artista manda exposicao, por
emquanto o que nos cuita ir do Amazo-
nas para Paris, e eremos que j nao 6
cedo para cuidar-se em mandar mais al-
guma cousa. >
**
* proposito das intencoes atlribuidas a Glads-
tone pelos jornaes clericaes, interessante um
artigo do mais autorisado orgo do seu partido,
sobre a questo do papado.
O Daily f/ews fallando do arbitramenta que
alguns soiiliam. para resolver a controversia
pergunta : .
Mas paia que lim um arbitramento ? O pa-
pa quer Roma e os italianos nao podem dar-lb'a |
A idea da uuidade teve sempre a incluso da
de Roma capital.
A casa de Saboia foi mais feliz do que o papa i
e nao pode haver dous reis em liorna.
O poder temporal cabio sob o peso de erros
que sao urna consequencia da sua mesma natu-
reza. Se resuscitasse coinmetteria os mesmos
erros, que licariam ligados com urna cadeia de
ferro ao proprio passado.
Nao ha preciso de arbitramento e nao vale
a pena nisto fallar-se.|
As circumstancias as quaes poderia ter' lu*
gar, desappareceram para sempre.
O papa est bem onde est e como est. A
me.hor prova disto que o papa nao se achou
nunca to liorescente como hoje.
A sua liberdade est perfeitamente garantida
e de tal modo respeitado pelo povo e pelos
governos de Italia, que pode intrigar impune-
mente contra a independencia de Italia na propria
capital italiana.
governo italiano nao pe "obstculos ao pa-
pa : tanto isto verdade que o papa nao est
impedido as suas funeges, que escreve cartas
exultantes em que annuncia opportunamente os
seus presentes e futuros triuinphos em foda par-
te do mundo.
Se o papa nao fosse Iivre como poderia cele-
brar estes triumphos ? Se estivesse com effeito
prisioneiro, como poderia gozar esta absoluta
liberdade de communicacOes com todo o mundo 1
Certamente nenhum partido poltico querera
BOggprir de perturbar ura estado de cousas que
d ao papado todas as vantagens, em quanto
que confere, no mesmo tempo, J Italia to o os
seus direitos.
O hberaes inglezes assistiram com arii-nte
sympathii longa meta que sustentaran] os
italianos para conseg ir a sua unidade e a sua
capital, e a Italia pode [estar segura de urna
activa'continuago de sympathia e de concurso
por parte dos mesmos liberaes, quando estejam
no poder.
Nao duvidaraos porque, em tal questq, nao.
podem haver em Inglaterra divergencias depar-
tidos. *
.'\
A proposito da pena de morte, eis. um facto
curiosissimo e interessante que succedeu pro-
piamente a Ratibor na Germania.
Um condemnado pena de morte, que achou
sem duvida que o systeraa de lexecugo adopta-
do alli nao a ultima.palavra da sciencia. ioinou
corajosamente a resolugio de querer mo'rrer de
fome.
Tentaram a principio fazel-o comer com a
persuaso, mas elle duro : era o mesmo que dis-
correr com a parede ; e tiveram euto de recor-
rer violencia.
Duas vezes ao da, continuara a imm.ibilisar
a cabera do condemnado mediante um mecha-
nismo especial : e pela manh e a tarde fazer-
Ihc engulir vinte e cinco grammas de farinfca
de trigo cosida em meio litro de leite.
Succedeu s vezes, Jiambem na Italia, antes
que a pena capital fosse extracta para sempre,
era nome da civilisago c da sciencia, e fre-
quentes vezes tambera entre nos, vigiar zelosa
e escrupulosamente sobre a provisoria salvagSo
de um condemnado morte o qual tinha ten-
tado enforcar-se n'um prego ou n'uma travesi-
nha da celia ou que a febre typhoide tinha ac-
commettido e ameagava manda-o para o .outro
mundo antes que o algoz lhe pozesse a mo.
E' o cume da suprema hypocrisia 4da socieda-
de, um fundo de requinte de fra crueldade
da pane da chamada vioganga social que
nSq quer deixar a sua presa e|tem de conser-
val a intacta nara a solemne mise en scene da
execugo publica.
E' tamben verdade que esta phylanropi fe-
roz se acha em coatradicgo com a pbilosoj"
moderna, a qual contesta o direito de puai
nao reconhece sociedade outra cousa senao 9
direito de defeuder-se; antes precisamente por
isto que da nossa parte nao se admitte a pena
de morte.
Mas por aquillo que diz respeito ao facta de
Ratibor accrescenio por minha conta, diz um
escriptor, se era quasi todos os paizes do novo e
do velbo mundo a pena de morte ainda existe
consagrada as Ieis penaes, em casos supremos
de defeza socialmate vinganga que defeza a
tortura est por isto extincla para sempre, aquel-
la tortura que os guardas da priso do con dem-
nado tedeseo, nao tiveram direito de accrescen-
tar pena capital.
Na a se tinha ainda tornado-a^iai Wcaze
todos os recursos da mennanica. com o fim de
conservar urna existencia s e lardeada para o
patbulo.
Baccho. o fumo c Venus reduzem o hornera a
cinzas.
O Dr. Decaisner apresentou Academia de
Medicina de Paris urna sua memoria sobre a ver-
tigem dos fumantes, devida ao abuso do tabaco.
O doente, diz a memoria, experimenta urna
sensago de vacuo extremo ; parece faltarcm as
forgas.
Nao percebe nada do que se passa prximo
elle e faz d'ahi.esforgos para fixar as suas.ideias
sem comtudo conseguil-o.
Neste estado os seus movimentos ?fo inco-
herentes, como as suas ideias e os seos srntidM
sao as vezes allucinados.
Toda a cousa lhe gyra ao redor, e se fecha m
olhos sent a impresso da vertigein.
< De 63 doentes de vertigem cdr. dos peloDr.
Decaisner, 14 eram de 29 aos 50 annoS* e 49 dos
50 aos 66.
0 tratamento achado mais efficaz. consiste na
suppresSo absoluta do uso do tabaco, .e, eit
algum caso da raodilicaco di? habito.' Por
exemplo, sobre 37 doentes que fumavam em
jejum, 33 viram desapparecer as vertigens *no
fumando mais senao depois de terem comido.
***
Parece que no Chile as meninotas se enamo
rara cedo ou muito antes do tempo, e muito dra-
maticamente: e nao seria mo que se pensasse
um pouco antes de acceitar as suas antecipagOes
sentimentaes.
Um jovem doutor francez, foi chamado casa
d'uma senhora chilena, cuja filha estava indis-
posta.
O medico prescreveu urna bagatella, e a mo-
cinha licou curada : caso extranho e nQ muilo
frequente para um medico f
Em signa! de reconhecimento a'senhorinha, que
era admiravelmente bella, offereceu ao douior
urna rosa magnifica.
O doutor jovem galante, como a maior parte
dos francezes, levou a rosa aos labios, a desfo-
Iha com um beijo e declara que a eonserpr
sempre, mesmo quando ficar murcha. meme
fanie.
Apenas elle deixeuja casada senhorafoi"nOva-
mente chamado, depois ainda outra vez, at que
ura dia a senhorioha. desgostosa porque o dontor
nao tivesse pedido a sua mo. era lugar de ofle-
recer-Ihe urna limonada lhe offereceu... o ve-
neno.
O doutor conheceu seu estado e correu un
collega para., para, vejam l que cousa...
para o contra-veneno.
**.
Aquelles que querem mostrar muito espirito e
pouco oteem, merecem mais rompis"
qutra cousa, entretanto esta especit .de j
abunda em todos os paizes.
Um sagaz motejador raras vezes se
e quem se reputa tal deve haver-se muit
tolloso, porque nem sempre o que procura Taief
rir. se faz estimar. -La Bruxeri.
As faceciasgque agradam aoivulgo tornam-se as
mais das {.idas s pessoas son satas e
pouco hones'as podem parecers senboras gen
as gragolas que proferidas n'uma
horaeos considerados como taes, no,o
Se nos sao dirigidas, melhor deixar despie-
zad i urna facerla' sem resposta, ao eavez d
empenbar-oos n'uma lucia com pe- tal-
vez nc considerou ferir-nos, evitando as ex-
iilicages que emlugar de approximar os amigos,
Vastara para "mais longe. Mas se-nao pef-
raittido responder com aspereza. (ido

,f



i^iidJKif
Diario* de PernambucoDomingo-34 de Fefereiiro-Ae 1889

rebater jocosamente qinlquer proposico que
nos pareca extravaganteGioia-.
bitactes de um condado da Inglaterra
aprcsentararo um erapolado enderece a Jacome I,
succesgor de Isabel Desejavam nelle que o seu
reino duraste tanto quanto duaria o sol. Se
Deus ouviros vosso8|vot03,fre8pondeu elle alegre
mente, meu filho ser obligado a reinar pobre-
mente. -
, 1HDICACES DTE1S
Modeos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, das
12 s 2 horas da tarde, e desta hora em dian-
te em sua residencia ra Barao de S.
Borja n. 22. Especialidades molestias
desenhoras e criancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 as 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
a ra do Baro da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero quando e co-
mo c aconselhada. Consultas das 11 as
3 da tarde cm sua risidencia ra do
Bom Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.a
andar.
Ir. Ribeiro de Britto. d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no 1. an-
dar a ra Duque de ("axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.

Advogados
O bacharel Wltruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
O Dr. H. Hilet mudou o seu escripto-
torio de advocacia, para a ra do Impera-
dor n. 46, 1* andar, sala da frente.
Os hachares Jos llcente Meira de Vas-
coucellos e Manoel da Trindade Peretti,
mudaram seu escriptorio para a ra do
Imperador n. 50, 1." andar.
Ocetillsta
Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia ncstc
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas c por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista porata-
' cado, na do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Marqiit.-z de Cunda n. 25.
Proft'NMor americano
Devido a mudanca de residencia, Mr.
Greorge B. Nind, pode ser procurado nos
dias uteis na ra da Conquista n. 20.
tontera o conselheiro Rosa e. Silva venca a
eleico por mais d" duzsutoe rotos ; logo depois
desalistava em recurso perante o Tribunal da Re-
jaco cento e muitos eleitores escandalosamente
alistados, e que haviam votado em seu conten-
dor ; e, boje, quando seus servicos mais o tem
radicado no 10. districto e sua merecida posico
actual lhe augmenta o prestigio e naturalmente
ter desvanecido os amigos que o elegeram, seu
pai precisa comprar dinheiro sua reeleigao !
E' ridiculo Semelhante intriga nao merece
as honras de urna conloe tacao; e quem a faz nao
comprehende que vai nella urna offensa aos brios
do eleitorado liberal, porque nao se pode em tal
suspeita envolver o conservador, que vota por
espirito de partido e que j deu grande victoria
ao conselheiro Rosa e Silva.
E' to deponente essa pretenjao de levar
forca de dinheiro um eleitorado, que nem que-
remos retaliar, lembranilo aqu urna candidatu-
ra que foi recusada, antes de olTerecida ao Dr.
Lourengo de S, porque os amigos nao chega-
rain quantia exigida para gastos da eleico, e a
pretengo que se leve de fazer bolsa em favor da
candidatura do actual pretndeme.
Quem por taes rucios procura combater urna
candidatura incontestavel, bem capaz de re-
correr anda urna vez aos meios pelos quaes se
quiz vencer no 3 districto, em 1884, falsificando
vergonhosamente o livro das actas de llama-
rac.
E' so, quanto a este recurso, que nOs, con-
vencidos como estamos das facilidades da ree-
leico do conselheiro Rosa e Silva, gritamos aos
amigos d'este :alerta cuidado !
Cesteiro que faz um cesto, faz um cento...
At imaginam processos forjados por juizes
conservadores, sem se lembrarem dos punhados
d'elles fetos em pouco tempo pelo juiz de direi-
to de 1'aruar, Dr. Vieira de Amorim, que em
sua rede tem abrangido o eleitorado, tanto des-
sa cidade, como de S. Bento : dous districtos a
um tempo.
Resignem-se os liaeraes e os republicanos,
agora abracados e unidos por um odio com-
mum ; nao valero intrigas, nem manejos,; o
honrado ministro da justiga ser reeleito : o 10
districlo mais urna vez firmar seus crditos de
bom conservador e partidario arregimentado.
Olinda
c*i
cao 4a tabecripco em fa-
vor da ramilla Regaard
205*000
2*000
Transporte
Epiphanio da Franca Mello
Frederico Columbiano da Silva Gufma-
res 5*000
Innocencio da Cunha Goyanna Jnior 1*000
Antonio Martins Pereira 54 00
Eduardo de S Correia Jnior 5*000
Joo Fernandes Soares 1*0)0
Claudino Coelho Leal iOOO
Eieuterio Monteiro 2*000
Chaves 2*000
Antonio M. da Silva Manguinho 1*0^0
Joaquim Raymundo Pereira Bello 1*000
Man eliLiberato Fernandes Soares iOOO
Leopoldo G. A. Montarroyos oUd
Fortunato Jos de Sampaio 1*000
Conego Joaquim Graciano 1*000
Franciseo Miguel deSiqueira Bastos 1*000
Joio Evangelista de Gusmao 2*000
Jos P. A. Bezerra 1*000
Jos Pinto de Araujo Castro 5*000
Thomaz Antones 2*000
Dr. Manoel Ferreira Castro -"J0O0
Professor Nobre 500
Frederico Moutinho 1*000
Gervasio Fioravantc 1*000
Joao'do Monte 2*000
Joo Buarque Lima 1*000
Manoel Pires Martins Fonseca 5*000
262*000
Herculano Tavalcante de Albuquerque,
Presidente.
Manoel Procopio da Silva,
Thesoureiro.
Silvino Augusto Nunes de Mello,
Francisco Antonio Teixeira de Farias.
PUBLICAgOES A PEDIDO
COffiHDNICADOS
Kleico do i o. districto
O Jornal do Recife bateu palmas a um artigo
I escripto na Provincia de 22. a respeito da elei-
co que vai ter lugar no 10." districto ; e, como
quem a^.-ita cuidadosamente negocio de casa,
trauscreveu o em sua edigo de bontem, com
um;:- taes hlan quer.r ao orgo democrtico, que ter-nos-hiam
couiiiiovido si acreditsemos na sinceridade do
orpfto liberal.
A m vnntade. a acrimonia e os eonceitos des-
lavla vehnente declamados pela Provincia con-
tra o actual gabinete e particularmente contra
um dos seus merabros. o actual ministro da jus-
tica, que tem o grande crime de ter merecimen-
to, sendo conservador, por tal forma quadraram
aos intuito? e aspiragoes do Jornal do Recife,
que este nao duvidou fzei seu iodo aquelle cor-
tejo de aggressoes contra a reeleico do conse-
lheiro Rosa e Silva.
At hontem, emquanto seu merecimeiilo nao
tinh sido ainda honrosamente u'ar conselheiro Rosa e Silva, era u:n conservador
poupado pela m vontade da opposigo, nao ti-
nha ainda experimentado os espinhoseo fel dessa
poltica pequea e sem generosidade. que con
siste em deprimir e amesquinhar o adversario,
porque este filho desta provincia : chamado
aos ronselhos da cora, tem hoje todo? os de-
feito's. faltam-llie todos os predicado.-.
E a Prmtncia e o Jornal do Recife do signaes
da alai na, tocam rombeta e rufam tambores
em > -i- acampamentos, r. em nome da salvaro
do imperio que dizem em risco da dissoluco, e
em n. me do merecimento intelleetual. o que ne-
gam ao conselheiro Rosa e Silva, proclamam aos
hberaes do 10." districto, e os convidam para se
arregmentarem em torno do Dr. Lourengo de
S, que. por este nico facto, fica convertido
por aquelles dous campeOes em salvador da pa-
tria, em grande merecmeio'
Dir-se hia que esses orgos da imprensa escre-
vem, nao para esta provincia, onde sao bem co
nhecidos os homens que figuram em seu scena-
rio poltico, mas para fra d'aqui, onde a falta
desse conheciniento pode permittiraos seus con-
ceitos urna certa impresso. embora passageira
e por iso mesmo ridicula.
Porque, contestando ao conselheiro Rosa e Sil-
va ura merecimento que at hontem ninguem lhe
negava, nao proclamam seus aecusadores, enthu-
agora do Dr. Lourengo de S, os merec-
otos, os talentos, a eloquencia e servigos que
hontem ninguem conhecia n'este?
Nao lgico, nao serio semHhante procedi-
mnto.
E, para dar combaU reeleigo do honrado
ministro d justiga, procura-se (i forga diminuir
6ua estatura, e levantase a intriga de que seu
honrado pai pretende conquistar o W." districto
pezo de dinheiro'.
Estes dous recursos do a niedjda dos senti-
mentos de quem os poe em jogo eda consciencia
9fle tra da justiga da causa inie defendem es
que poi' taes meios estao pretendeno evitar urnai
recleigio inilisputavc-I
Catharina Pessoa de Figueira
Faria
Marianno de Flgueiroa Faria.
sens filos, sna sogra e seus ru-
nfiados, feridos 'pelo golpe da
more de sua idolatrada esposa.
01.13. filha e Irma Catharina Pes-
soa de Flgueiroa Faria, agrade-
cen de todo eoraeo s pessas
que aeompanharam o eadaver
da icsma at a sua verdadeira
morada, e de novo rogam o fa-
vor de asslstlrein s missas do
9." da que te rao lugar no da 26
do eorrente. pelas 8 horas da
manh. na matriz da Boa-Vista
eonfessando-se desde j agra-
decidos por este acto de rell-
gio e carldade.
A Sociedade dos Talhadores
de Carnes Verdes
Ao publico
De ordem do Exm. Sr. presidente desta socie-
dade tornamos publico que os Srs. talhadores
que comegaram bontem a vender carne por
mais de 480 res o kilo, nao pertencem ao nos-
so corpo social.
Outrosim, lwnbrumos aos nossos charos con-
socios, empregados dos Srs. Oliveira Castro
C, hoje Araujo '-- C, que estando a sociedade
no firme proposito de cumprir risca o seu ma-
nifest e a resolugao posteriormente tomada, o
cumprimento de nossa lei orgnica, no caso de
violago fican eliminados da mesma sociedade
e seus nomes serio publicados as folhas desta
cidade, afim de o publico ficar inteirado do nos- J
so procedimento.
Recife, 23 de Fevereiro de 1889.
Moyss de Souza
1." secretario.
Ao 10." districto
O quatro de Marco prximo vai abrir urna
data por demais importante para o partido con-
servador de Pernambuco. pois ser nella que o
merecimento pessoal e inconteslado tem de ser
po?to a disposigo Je um eleitorado dessa poli-
tica que sempre se ha -aludo manter em sua
verdadeira altura. E o 10. districto que nesse
dia. estamos certos, se esforgar por tornar ain-
da essa vez triumpilante urna causa to nobre
para si, quanto de ititeresse publico. Ser, pois,
preciso que to digno eleitorado se iaipotUiu
cora a altivez que The congenita etn prol da
candidatura do honrado Exm. Sr. conselheiro
Francisco de Assis Rosa e Silva, actual e dignis-
simo Ministro e Secretario de Estado dos Negocios
da Jtistira.
Cerrar lucirs para to nobilsimo intuito,
disputar o ^anho dessa causa com a hombnda-
de.de seu carcter, e sem que tenha em vista
ressentimeutos, se que os ha, malentendidos
e inupportunos pare represalias, ser esse o de-
ver do 10. districlo que sempre teve no seu
candidato un insigne propugnador de todos es
elementos de prosperidade do seu districto. Sua
palavra escripta e a lada quando governo ou
opposigo,e que i'lle nunca regateou quando a
necessidade urgia. sene de documento exhube-
rante era seu favoi.'
Deixar, portanto. que a opposigo derrote essa
candidatura depreciando assim os tantos requi-
sitos cora que ella se recommenda sobrauceira
a todos os sacrificios, seria descerde si to tra-
dicional c'eitorado que nunca retrocedeu cm
seus principios pr I ticos.
Teiha-sc, solretjdo. em consideraco irame-
diata quanto o Exm Sr. conselheiro Rosa c Sil-
va se iia imposto po seus servigos adrairago
do mus inteiro, e da qual ivsultou ser elle pre-
ferido para os altos conselhos da cora. Mogo
anda, porm, ao mesmo lempo j bem enrique-
cido de ideas adiitadas e madureza de refle-
xo, todos seus actos publico denotam urna
sensatez conciliadora do bem e do til trra
de seu bergo, que < a do seu maior extremeci-
mento pessoal.
Assim reputado, e direi mesmo admirado em
todos os circuios poltico sociaes, S. Exc. tem
jus a esses preito? que o elevaram no conceito
publico, porque ajera do mais, nunca recusou a
sua valiosa eontribuigo influencial e at pecu-
niaria s maiores exigencias da occasio.
Poltica em geral e correligionarios em parti-
cular, sempre o literam como um forte esteio
para tudo quanto jstava ao alcance do sen pro-
teccionismo desinleressado.
Eis ah o candidato que pede suflragios; eis
ahi o homcm de estado, que tendo um passado
honroso e um presente briihante, tem mximo
direito um futur j auspicioso
-Embora tenhamos confianca as sincerassym-
pathias que o Exn. Sr. conselheiro Francisco
de Assis Rosa e Silva tem legitimamente arrai-
gadas em todos os amigos das localidades que
comprehende o 10 districlo. mesmo assim
nossa consciencia em atalaia vigilante d esse
brado de alerta pa-a evitar distracgOes que em
casos taes s poden traduzir derrotas inevita-
veis. Compre, pois, que todos os eleitores, e
cada um de per si, tornera se compactos na
arena do combate, f por este modo facara ainda
urna vez valer o seu prestigio nunca de;menti-
do. e a sua dedi(;So jamis posta em dnvida.
S nisto devera consistir o seu maior empenho
e do qual ento refaltar ser victoriado o seu
extrenuo defensor conselheiro Rosa e Silva, que
incontestavelmente j urna gloria jiernammi-
3io estes os ros sos votos e o? de quantos
prestam homenagens ao mrito reconhecido e
ac talento superior.
,. Surge et amovieleitores do 10." districto
' Recife, 21 de Fevereiro de 1889.
G. L
Marianno de Figueira Faria
Peame
Maximino da Silva
sua familia.
Gusmao e
Recifeii21889.
Prado Pernambucano!!!!
Um raembro do turf Pernambucano, propala
urbe et orbe que a Olga nio correr mais no
frado Pernambucano. porque a directora da-
quelle Prado nao Tara pareo de meio sangue,
em que ella possu entrar.
Ser isto exacto 1 Nao eremos, mas como
a paixo Dode muito, esperemos.
Os prejudicados.
Iif Jn.
Corcovado.
Douro.
Ao publico
" Francisco dos Santos Coelho, depparando com
um nome igual ao seu na parte policial, publi-
cada no dia 22 do eorrente, vem declarar que
nao c euleude comsigo tal prisu, pois que
muito i unhecido em Freixeiras, na freguezia da
Escada. onde habita muitos annos e est actual-
mente.
Freixeiras, 23 de Fevereiro de 1889.
Francisco dos San!os Coelho.
n.
.No banho onde rcalisa um de seus maiores
triuraphos a Agua Florida de Murray A Lanraan,
produzindo, por assim diiel-o. o prazer dos pra-
zi res e o mais satisfactorio dos flus hygienicos-
De meia urna garrafa de Agua Florida na agua
do banho sufliciente a reanimar o corpo mais
fatigado e a fortalecer a natureza mais prostra-
da. especialmente si a prostrago provm de ex-
cessivo calor, de traballio exagerado, i seja phy-
sico ou moral, ou de nao acostumada agitago,
a sensago de frescura, fortaleza ea tranquil-
lidade qu experimenta o systema nem so de-
pois de ura banho ys-im preparado iudizivel
parece que urna nova vida toma possesso do
corpo, e que os espirito- vitaos se expandem em
busca de maiores gosos.
Santal Clertan
Perolas de Essenela pura de
Santal
A es sene i a pura de Santal tem sido ex-
perimentada com o maior successo pelas
celebridades da Europa e da America.
' inofensiva, mesmo dose elevada, e
nSo occasiona nem diarrebeas, nem dores
de estomago, nem arrotos como produzem
frequentemente as preparac3es de copah.
A essencia pura de Santal nao exala
cheiro revelador.
As perolas de Santal c\& Dr. Clertan,
preparadas com a approvp^&o da Acade-
mia de Medicina de Parr; contm essen-
cia pura, e sua efincaciofade certa nos
corrimentos contagioso : esquentamentos e
todas as inflammacoes ou catarrhos dos or-
gSes genito-urinarios.
Podera ser tomad; *s a todas os periodos
da blenorrhagia.
Tomando as perolas de Santal do Dr.
Clertan, os doento j sSo assegurados de ter
um producto qae. mereca toda cenfianca.
Exigir afim.
Vende-se na mor parte das pharmacias.
Dr. HMoel do IVascimenlo Na
hado Portella Jnior
E8*1"" .ptorio
roa do Imperador n.
1. ANDAR
65
Instituto Beueflceote dos Oficiaes
da Guarda \ae ooal
Heunio-se ao dia 21 a directora d'essa socie-
dade e tratou de diversos assumptos, entre os
quaes, dos meios de adquirir donativos para a
familia do infeliz tenente Pedro Rygaard, e to-
mou a deliberaco de nomear diversas commis-
soes, as quaes hcaram compostas dos seguintes
Srs. :
Recife
Capito Nuno Alves da Fonseca.
Tenente Galdino Jos Burity.
Alferes Augusto Leopoldino da Silva Neves.
Santo Antonio
Capito Augusto Cesar Cousseiro ele Mattos.
Tenente Antonio Pedro Dionisio.
Alferes Sezino Vieira na Silva.
S. Jos
Tenente Hermillo de Azeredo Coutinho.
Tenente Gaspar Antonio dos Reis.
Tenente Hehodoro 'andido Ferreira Rabello.
Boa-Vista
Tenente Pedro Celestino de Brito Macedo.
Tenente Manoel Domingues da Silva.
Tenente Maximiano Ribeiro de Araujo,
Olinda
Capito Fortunato Jos de Sampaio.
Tenente Manoel Procopio da Silva.
Tenente Manoel Nunes Viauna.
(Jraga
Capito Vicente Ferreira de SanlAuna.
Capito Francisco Mauricio de Abren.
Tenente Godofredo de Abreu Lima.
S. Lourengo
Capito Manoel Joaquim de Trovas Marinho.
Capito Augusto de Miranda Albuquerque.
Alferes Antonio Ferreira Lobo.
Victoria
Alferes Joo Carolino de Goes Cavalcante.
Capito Joaquim Joo da Cunha Pimpim.
Tenente Caetano Bento da Cunha Figueiredo.
Cabo
Capito Manoel Duarte Vieira.
Alteres Luiz de Franga de Hollanda Chacn.
Alferes Joo Francisco do Reg Barros.
Escada
Capito Sergio Evergisto de Souza Magalhes.
Tenente Paulino Martins da Costa.
Tenente Luiz Jos desFranga Carioca.
Nazareth
Vicencia:Capito Elyslo Tavares de Mendonga
Pugas.
Alaga-Secca: Alferes Joo Lobo de Oliveira.
Tracunhem :Capito Joaquim Ignacio Gongal-
ves da Luz.
Patrimonio Regaard
A commiss&b abaixo assignada compos-
ta de amigc* do infeliz tenente Pedro
Regaard: brbaramente assassinado na noi-
te de 9 do eorrente, resolveu solicitar do
commercio e do publico desta cidade em
geral, um obulo afim de ser adquirido um
pequeo patrimonio para a desventurada
viuva o orphaos da infeliz victima.
Confiada a commissao na caridade e
benevolencia do mesmo publico, espera
seja attendida em seu muito justo fim,
podendo entretanto aquellas pessoas que
quizerem concorrer com o seu obulo, re-
mettel-os ao thesoureiro abaixo assignado
ou a redaccio. deste Diario.
Recife 15 de Fevereiro de 1889.
Presidente,
Felippe de Figueiroa Faria.
Thesoureiro,
Joseph Krause.
Commissao agenciadora
Capito Joaquim R. de Souza Gonzaga.
Alferes Jos Samuel Botelho.
Tenente Antonio Pedro Dionizio.
Tenente Franeisco Jos da Silva.
Tenente Liberato Prisco Ribeiro.
Tenente Delmiro Gaudencio Ribeiro
Pessoa.
?viso ao publico
Emquanto durar a Exposigo Universal de
1889,os nossos leitores que se acharera em Paris
e |que desejarem recebr quaesquer noticias da
trra, podero 1er os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
pondentes, os Srs. Amede Prince & C, 36, ra
Lafayette, em Paris.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
Srs. Amede Prince & C.
Outrosim, os mesmos Srs. Amede Prince & C,
negociantes-commissarios pOen. a sua casa de
compras s ordens de qualquer pessoa que dese-
jar ter urnas inforraagOes, ou utilisar seu inter-
medio
Pilulas operativas da mi Sei^el
Contra con6tipacao inaegao dofigado, etc.
Dessemelhante a inuitas outras medici-
nas catliarticas, estas pilulas nao fazem
com que urna pessoa se sinta peor antes
de se sentir melhor. Produzem o seu effei-
so com brandura mas completamente, nao
tendo acompanhado de accidentes desa-
gradaveis, taes como nausea, apertos do
ventre etc., etc.
As Pilulas Operativas da M5i Seigel sao
a medicina de familia a mais til que se
tem descoberto. Limpam as entranhns de
todas as substancias irritantes, deixando
as em condicSo saudavel. Sao o melh*or re-
medio que existe contra a peste das nos
sas vidasConstpaoslo e naccS d-< li-
gado.
Estas pilulas impedem ebres e toda a
sorte de doengas, pelo simples facto de
expellirem toda a materia venenosa das
entranhas. Operam com vigor, mas sua-
vemente e sem causar d6r alguma.
Se urna pessoa apanhar um resfriado e a
ameagar urna febre, e sentindo dores na
cabega, costas e menbros do corpo, urna
ou duas doses das Pilulas Operativas da
M3i Seigel expedidlo o resfriado, impe-
dindo a febre.
Lingua grossa acompanhada de um gos-
to salobro, a causa de materia impura
no estomago. Urnas poucas d< ses das Pi-
lulas Operativas da MSi Seigel limparao
o estomago, removendo o mau gosto, res-
taurando o apetite e com elle trar boa
saudc.
Muitas vezes succede que doenga ou
alimento meio apodrecido, causa nausea
e diarrhea. Se se limpar as entranhas
desta impureza com urna dose das 1 lulas
Operativas da MSi SeigeL estes effeitos
desagradaveis desapparecerSo, resultando
boa sau/le.
As Filulas Operativas da MSi Seigel
impedem os maus ofFeitos que produzem o
comer e beber em excesso. Urna boa dose
ao deitar da cama torna urna pessoa hbil
e inclinada para o trabalho do dia se-
guinte.
i orno estas Pilulas slo cobertas de urna
carnada de asaucar tomam-se com agrado.
O gosto desagradavel tao commum maior
parte das pilulas desta forma evitado.
Achara'-se a venda em todas as Boticas
e Lojaa de Medicinas, em toda a parte do
mundo e em casa dos Proprietarios A. J.
Whjte, Limited, Londres.
Depositarios na provincia de Pernam-
buco por atacado: Francisco M. da Silva
& C. na cidade de Pernambuco.
Vendedores retalho, na cidade de
Pernambuco, Bartholomeu & C. J. C.
Levy & O A. M. Veras & C. Rouquayrol
Freres, Faria Sobrinho &C. e T. S. Silva;
em Palmares, A. C. d'Agniar; e em S.
Joao da igreja Nova, J. A. da Costae Silva.
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n. 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da inanhS.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE K. 226
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
Bario da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Nova Hamburgo
Bailes Pbantazia
Pelo C arnaval
Approximando-se a o pocha do carnavala
Nova Hamburgo aviza*ao respeitavel publico
que no presente anno como nos precedentes,
terSo lugar com o maior brilhantismo os bai-
les fantaziados que este grande e bem mon-
tado estabelecimento industrial custnma fa-
cultar ao generoso povo pernambucano para
o que desde j se trata da rnamentacao
do garrido theatro de Variedades existen-
te no recinto da fabrica bem como dos
arranjos dos magnficos tarragos pavilhSes
e gardins. Collocada a Nova Hamburgo
no centro desta cidade podendo sem es-
forgo as grandes caminhadas ser vizi-
tada a cada instante pelos amantes da fo-
lia e pelos que buscam narcotizar o tedio
implantado no espirito pelas occupagSes
pesadas; tendo em seu favor a agrada-
bilidade de structura e proporg5es que a
torna preferida as quatro noites consa-
gradas muza alegre dos devertidos de
esperar, mesmo admissivel contar com
a frequencia que se ha notado as epo-
chas anteriores em que a boa ordem do
servigo interno ha perfeitamente correspon-
dido ao espirito ordeiro espansivo e so-
ciavel da nobre populacho desta veneza.
( / Vias urinarias, molestias do tero, l /
j i operacSes elctricas |
H 8S. CASLOS SZTISJfCOBT i
ESPECIALISTA )|
com pratica de pabiz e londres
Estreitamentcs daiurethra curados ra- <
dicalmente pela elcctrolyse, sem dr ; (
hydroceles sem injecg* (cura radieal); ) ,
feridas e ulceras enronicas, com garan > j
tia de cura rpida; pedras da'hexiga,, !
fstulas e hemorrhoidas: syphilisS 0- i (
norrhas, pelo methodo das mstiUajgi'S*,* t
molestias da garganta e do peito pelas (
athraospheras medicamentosas. < on- '
sultas e operagoos das 12 s 3 horas 1
da tarde. \
RA DO MRQUEZ DE OLINDA N. 34 )
2o. ANDAR )
Hsi f
Quando mesmo nio tvessemos o traba-
lho de vir trazer -ao conhecimento do pul
buco a noticia das muitissimas curas'Ope^
radas pelo Peitoral de Cambar, de Souza
Soares, bastava que os proprios beneficia
dos por tao poderoso :remedio i se encana*
gassem de lhe divulgar as virtudes.
A voz do povo a voz de Deus, por
esta razo nada mais do que elle preciso
para constituir a gloria de um preparado.
O attestado que se vae lr mais urna
pro va do que levamos dito.
Eil-o :
t Atiesto que se minhas filhas, Iso-
lina, de 8 annos de idade, e Silvina, de
5,soffriam ha mais de tres annos, hor-
rivehnente de asthma, que ps vinha por
accessos amiudados e tSo fortes, que eu
julguei em muitos d'elles, ter-Se apprax
mado o termo fatal de suas pobres exisj
tencias. Depois, porm, que usaram o
Peitoral de Cambar, preparago do Sr.
Jos Alvares de Souza Soares, era Agos-
to do anno prximo passado, s Silrina
foi atacada ha quinze dias, de um novo*
accesso, que cedeu proraptamente ao mesj
mo peitoral.
Tuto o que digo verdade e o juro,
se preciso for.
Pelotas, 10 de Margo de 1879.-*-fi-
guel Antonio do Santos. (Pelotas.)
Este importante medicamento vende-se
em casa dos agentes Francisco M. da
Silva & ('., ra Mrquez de Olinda n. 23,
que o vendem a 2(J500 o frasco.
Jeto $#m$
Medico operador parteiro
/* I Ruii Lniea do onario I
/ (Por cima do Annel de (Juro)
Onde tem consultorio e re*l-
dencla ; podendo hf encontrado e
recebendo cnaraados a qualquer hora
do dia e da noite.
Especialidades: Partos; febres, moles-
tias de senhoras e dos pulmes, syphilis
em geral, cura rpida e completa eope-
rages de estreitamentos e mais soffri-
mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
tora, qualquer distancia.
Telephone a. 394 .
H


!!


j Frederico Chaves Jnior
Homcepatha
\139 RA BARAO DA VICTORIA-39U
j | Primeiro andar ) )

Opera^ao importante
Quatorze annos de soffrimentos doloro-
sos, e outros tantos de esforgos, de sacri-
ficios intilmente empregados, tal a his-
toria do meu estreitataento d urethra.
Chegando a esta cidade supportando as
mais e-ruciantes dores, produzidas por tal
molestia, indicou-me meu compadre e ami-
go Sr. Joaquim Dias de Andrade o Illm.
Sr. Dr. Carlos Bettcncourt para medi-
car-me.
Em tres dias este distincto clnico deu-
me por prompto e urna realidade o
achar-me radicalmente curado.
Ao Illm. Sr. Dr. Carlos Bettencourt,
pela pericia que revelou na operacao, fei-
ta pela electrolisc, pela delicadeza, pela
attengSo com que sempre se dignou trac-
tar-me, meu eterno reconhecimento.
Recife, 18 de Fevereiro de 1889.
Joao Carneiro da Motta Sveira.
jj Hachare! Anlono Witru- \
vio Pinto Bandeira '
/1 Pode ser procurado ra do Imperador
) ( n. 71, 1 andar | j
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Universidade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
torio, na ra Barao do Victoria 19, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Oculista
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clnica
ophthalmologica dos Drs. Wecher e Pa-
nas em Paris c do professor Hirschberg
em Berlim, tendo regressado de sua ex-
cursSo s provincias do norte, demora-se
alguns mezes nesta capital no exercicio de
sua especialdade.
Consistorio e residencia ra do BarSo
da Victoria n. 23 1 andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
Leonor Porto
Ra Larga do Roarlo u. 9*
2o andar
!( Contina a executar os mais dif"
II ficis figurinos recebidos de Lon-
' J.-4resi Paris, Lisboa e Rio de Janeiro.
PTl^em perfeicao de costuras,
em brevi?ht4e> modicidade em pre-
Collegio de Santa Vernica
Na ra do Arago n. 10 2" andar acham-se
abertas as aulas dcste estabelecimento de ins-
truegao para o sexo femenino.
DECLARARES
MEDICO HOMEPATA
Dr. Balihazar da Silveira
Especialdadefebres, molestias
das criancas, dos orgSos respirato-
I rios e das senhoras.
( Presta-se a qualquer chamado para
| ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.

De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector.'
faco publico que em cumprimento da re-i
solujo de S. Exc. o Sr. Dr. presidente
da provincia, de 14 do eorrente, fica mar-
cado o prazo de 45 dias a contar desta.
data, para a incripbao ao concurso que
ter lugar neste Thesouro no dia 15 de
Abr 1 prximo futuro, atiin de preencher-
se tres vagas de 3" escripturario existen-
tes nesta repart gao.
O exame versar sobre leitura, analyse
grammatical, orthographia e arithmeea
ate a theoria das proporcies inclusive."
Os candidatos deverao requerer ins-
pectora deste Thesouro a sua admissao ao
concurso por meio de peti2o documenta-
da, provando ser maior de 18 annos, achar-
selivre de culpa e pena e ter bom eom-
portamento, Ibes sendo licito juntar, alm
destes, quaesquer outros documentos que
possam favorecer o seu direito.
Secretaria do Thesouro Provincial de
Pernambuco, 21 de Fevereiro de 1889.
Servindo de secretario
O official,
Lindolfo Compeli.


4.a secjae.Secretaria da Presiden
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro de.*
1889.
Por esta secretaria se faz publica a *e-
commenda$ao do Exm. ministro e secre-
tario de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n. 288 de 22 de Ja:
neiro findo, para conhecimento de Maria
Severina da Conceigao Lucas, mai do
alumno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Godolredo Lucas. %
t N. 288. 2a directora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
Illm. e Exm. Sr.Nao podendo, na
conformidade do artigo 25 do regula
to do Instituto dos Surdos Mudos ^
ao decteto n. 5,435 de 15 de O atufar de
1873, continuar alli, por haver atringido
a idade de 18 annos, o alumno Jeg Lou-
rengo Godofredo Lucas, a qthBfle refere
o offico dessa presidencia de ^R de Ou-
tubro de 1882 e convindo, portanto, pro-
videnciar afim de que seja retirado do
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director d estabeleci-
meito no officio, que a tal respeito mo di-
rigi, se exprime regularmente por escrip-
to, perito official de encadernador e tem
o peculio de 8640950, recolhiclo a caixa
econmica, dou cenhecimonto d'isto a V.
Exc. para os fins convenientes.
< Deus guarde a V. ExcA. Ferrei-
ra Vianiu\.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco. .
O eecret,
Mmotl Joaqmvi 6


Diario de PernambacoDomingo 24* de Fevereiro de' 1889
mmm^m
D Dr. chefe de polica manda pnMicar pa-
conhecimeoto de todos e fiel esecucSo os
tg. 70 e 71 das posturas municipaes :
Art. 70. Fica prohibido neste municipio o
brinquedo de entrado coni agua ou qualquer ou-
tra substancia, de qualquer maneira que se em-
pregue : os infractores pagarao a inulta de lo*
e sonrerao 8 dias de pnso.
Art. 71. Fica prohibida a venda de limas de
cheiro : 08 infractores alm de as perder paga-
garao 4* de multa.
Secretaria da polica de Pernambuco, 23 de
Fevereiro de 1889.
O, secretario,
Joaquim Francisco de Anuda.
Subdelegada do Io distrlcto da
freguezia de H. los. 8 de
Fevereiro de 1889.
CAVALLO FBTADO
Acha-se apprehendido n'esta subdelegacia um
cavallo russopedrez, pequeo e muito magro,
quem fr sea tono comprela na 3* eslacA da
guarda-civica no dia 87 do corrente, s 3 horas
da Urde, aim de justificar a posse de sua pro-
priedade. t
O subdelegado,
Joao Antonio da Silva Pereira.
Prazo de cinco dias
Pela inspectora desta Alfandega se faz publico
que as 11 horas do dia 27 do corrente mez serio
vendidos em praga aporta desta reparticao,
deze relogios de nickel para algibeira. vindos
de bordo do vapor inglez La Plata, apprehendi-
dos pelo guarda desta reparticSo Augusto de
Albuquerque Magalhaes Bastos.
3. seccin da Alfandega de Pernambuco, 23
de Fevereiro de 1889.O chefe,
_________Domingos Joaquim da Fonseca.
Club Concordia
Aufserordentliche Hauptversammlung.
Freitag den i Marz 1889.
Tractanden: Watel eines Comniissions Hil-
gdes.
Unvorhergesehenes.
Das Directorium.
S. M. T- M.
ocU-daut- Muointl 13 de Maia (Ca-
liunciit-norl
Assembla geral em 26 de Fevereiro de 1889
De ordem do Illm. Sr. presidente, convido a
todos os senhores soos a se reunirem em as-
sembiea geral no dn cima, s 6 I 2 horas da
tarde, afim de proceder se a eleigao para a nova
directoria.
Sede da Sociedade Musical 13 de Maio, 23 de
Fevereiro de 1889.
O 1 secretario,
Manoel dos Santos C. farros.
Indemnisadora
A diroctoria desta companhia convida os se-
nhores accionistas a reunirera-se em assembla
Seral ordinaria no dia 28 do corrente. ao meio
ia, na sede da mesma. para o lim de aprecia-
ren] o balanco, contas da direccao e e parecer da
commissao fiscal, e bem como darse cumpli-
mento ao que determina o art. 27 2 dos seus
estatutos. Recife, 14 de Fevereiro de 1889.
Os directores.
Joaquim Alves da Fonseca.
Antonio da C. Ferreira Beltar.
Gabinete Portuguez
de Leitura
AM<-mbl<-u teral
NSo tendo toda a directora e alguns membros
do conselho deliberativo, acceitado os cargos
para que foram eleitos em sessao de 20 de Ja-
neiro prximo passado, convido de novo, de
ordem do Exm. Sr. Viscoode da Silva Loyo,
presidente, os senhores associados a se reunirem
em assembiea geral, domingo 24 do corrente,
pelas 11 horas da man ha. nos sales do (ajane-
te, para ter lugar a eleico dos mejahros que
faltam para completar o corpo adjraistrativo.
Outrosim, faco publico, mi? se nao for pos-
sivel cleger urna ^dmiisraco que se torne
'""activa, a actual commissao directora resigna
v-^jfckS meios legaas, o mandato que Ihe toi
loriado.
Recife, 13 de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de Albuquerque,
Secretario.

Recebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial, na
forma das instruccoes de 27 de Julho de 1883,
convida as associaces que nesta eidade teui
existencia legal a se rncarregarem da distribu
cao do imposto de reparticao constante da ta-
bella annexa a le n. 1884 ; sendo esse trabalho
remettido a esta reparticao no prazo improroga-
vel de 30 dias uteis, contados da data do pre-
sente ; findo o qual sem a respectiva apresenta-
co se proceder nos termos do art 27 das refe-
ridas instruccoes.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, 6 de
Fevereire de 1889. ....
Francisco Amynthas o.e-carvalho Moura
COMERCIO
Revista do Mercado
Recife, 23 de fevekeibo de 1889.
Foi limitado o movimento, constando apenas
pequeas transaces no mercado de cambios.
Os outros mercados mantem-se na mesma po-
6CSO.
------
Cambio
Com tabellas de 27 3,4, realisaram os bancos
algumas transaeces reservadamente a 27 7/8.
apparecendo entretanto poucos tomadores.
Em papel parteular houve negocio a 28 d.,
mostrando >s bancos, 19 fechar do dia, pouca
vontade de tomar abaixo de 28 1/16.
No Rio cotaram 27 3,4 bancario nominal, ha-
vendo negocio em papel particular a 28 e 28
1/16.
TABELLAS AFFIXADAS _____
Faculdacle de Direito.' *
De ordem do Eim. Sr. conselheiro di-
rector interino hv;o publico que no dia 1."
de Marco praxis o comecar nesta se-
cretaria a matricula para os que pre
tenderem cursar as aulas maiores da
aculdade, sendo que o pagamento da
taxa se poder effectuar desde jl, e
o praso para os instriculandos do 1.- anuo
terminar no dia 31, e para os demais
a 15 do mesino nitz de Marco;
A inscripcSo se tara- mediante reque-
rimento dirigido ao Exm. Sr. conselheiro
director interino e instruido dos seguintes
documentos:
Para o 1.- anno, certidSo de approva-
cilo dos preparatorios exigidos como ha-
bilitayao, certidSo de idade c vaccina, co-
nhecimento do pagamento da taxa, e
para os demais aiuios, certidSo de appro-
vacSo no anno anterior e conhecimento do
pagamento da taxa.
Secretaria da Faculdade de Direito do
Keciie 22 de Fevereiro de 1889.
O official servindo de secretario,
Manuel Antonio dot Pomos e Silva
O Illm. Sr. Dr. chefe de polica in-
terino manda publicar para conhecimento
de todos o art. 1. do regulamento para a
matricula de boleeiros e carroceiros, afim
de que nao se reproduzam os abusos que
se tem dado, de dirigirem carros e car-
rocas individuos-na.) matriculados, recom-
mendando n'esta data ao mestre de cam-
pos Francisco Justino de Assis, toda a vi-
gilancia para que -soja cumprido fielmente
o menciodado artigo.
Art. 1. Ninguem poder sei admitti-
do ao governo de carros, seges, mnibus,
carrocas ou qualquer outro vehculo de
condcelo, seja na qualidade de boleeiro,
seja na de carroceiro, sem qne esteja ma-
triculado na reparticao de rolicia.
Secretaria de Polica de Pernambuco.
20 de Fevereiro de 1889.
0 secretario,
Joaquim Francisco de Arroda.
Concurso
Por esta secretaria M faz publieo era vista do
despacho da presidencia da provincia de"9 do
corrente mez, e de ordem do Sr. Dr. inspector
geral da mstrucco publica, que se acha aberta
a inscripgao para o concurso a que se vai proce-
der a requerimento do alumno mestre Inalado
pela Escola Normal, Arthur Octaviano da Silva
Ramos, para provimenio da cadeira de ensino
primario do sexo masculino do Poco da Panella
(de 2.' enrancia), sendo soimute admittidos a
essa inseripcao os profesores pblicos de qual-
Suer cathegoria, e os individuos titulados pela
scola Normal, devendo estes no prazo de 40
dias apresentar os seguintes documentos : folha
corrida ou attestado de procedimento civil e mo-
ral pelas autoridades judiciarias, policiaes ou
cmaras municipaes as localidades em que ti-
verem residido nos dotas ltimos annos, diploma
conferido pela Escola! Normal. Ficando sem
elTeito o edital n. 52, pue annuneiou o aco-sso
da mesma cadeira. \
Secretaria da rastruefto publica de Pernam-
buco, 11 de Fevereiro dt!H8S9.O secretario
Pergentino SJdeAraujo Galvo.
Companhia A alagoana de
Fiacap e'Tecidos
Convidamos aos Srs subscriptores des-,
ta companhia para, de accordo com os
apts. 9 e 10 dos estatutos ate o dia 17 de
Marco prximo futuro, realisarem sua
quarta entrada na razlio de 10 | do valor
de suas accoes ao Banco Intenarcional
em Pernambuco.
Maceio 15 de Fevereiro de 1889.
Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de arvalho.
Propicio PedrosoBarreto.
S R. C
Companhia de fiacaoeteci-
dos de Pernambuco
Por deliberaco da dirf doria sJo convidados
os senhores associados desta companhia a se
reunirem no saiao do edificio da Associacao
Gommercal Benelicente. a i hora da Urde, no
dia 7 de prximo mez de Margo, para approva-
rem as contas do anno findo em 31 de Dezembro
de 18SS, e nomearem a commissao scal do cor-
rente anno.
Recife, 7 de Fevereiro de 1889.
Jos Joo de Amorim,
Secretario.
Bolsa
C9TAOE8 OFFIC1AE8 DA JUNTA DOS COR-
RETOBES
Recife, 23 de Fevereiro de 1889
N4o houve.
O presidente.
Candido G. Icoforado.
. O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
Cota-se o de 1* sorte do serto a 64400 por lo
kilos.
A exportacao, feiu pela alfandega neste mez
at o da 21 subi a 1.193.670 kilos, sendo 981.443
para 9 exterior e 212.227 para o interior
As entradas verificadas at a data de hoje, so-
bem a 22.197 saccas, sendo por:
f"
i
3
.3
-o
3.
1
"X
s
B.
aa
-
y
c
(6
3P
3
sr
e
% 5.
P M Bl
3
i
s

co w
\ .- w i<___t
co 1*
ocledade Hecreallv tommorclal
Soiree trimestral cm 24 do correute '
Scien tilico aos senhores socios que esta soiree
principiara as 8 horas da noite.
i'onvites em poder do Sr. secretario.
Ingressos so com o recibo do me/, de Feverei-
ro, o qual pode ser procurado em poder do Sr.
Ihesoureiro, ra Pedro Alfonso n. 82, ou na
sociedade.
Aggregados nio sao admissiveis.
Secretaria da Sociedade Recreativa Gommer-
cal, 16 de Fevereiro de 1889.
O I secretario
Ernesto Guimares.
Recebedoria Provincial
O administrador da Recebedoria Provincial
em cumplimento da ordem do Illm. Sr. Dr. ins-
pector do Tbesouro, constante da portara sob
n. 108 de 28 do corrente, faz publico para co-
nhecimento dos respectivos contrihuintes que,
de accordo com a relaco abaixo, dar-se-ha prin-
cipio nesta reparticao, no espaco de 30 dias uteis,
contados de i de Fevereiro prximo a cobranca,
livre de multa, das annuidades c mais servidos
da Recife Drainage Company, relativa ao 2 se-
mestre do exercicio Ando de 1888.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, 30 de
Janeiro de 18-9.
Francisco Amynthas do CarvalhoMoura.
Rekiro a que se refere o edital supra
Freguczia do Recife
Ras -.Marque/, de Olinda, Bom Jess, AWa-
res Cabral, Couimercio, Rispo Sardinas, Torres,
Thom de Souza, 1). Mara .le Souza, VigarioTc-.
norio. Brrelo de Mem/.es, Maris e Barros, Bur-
gos, Amorim. Moeda, Tuyuy. Companhia Per-
uambucana, Madre de Deus, Domingos Jos Mar-
tins. Mscate. Restauraco, D. Mara Cesar, Vis-
conde de Itaparica, Pharol, Areal, S. Jow, Vi-
tal fle Oliveira, Guararapes e Baro do Trium-
pho.
Pracas :Assembla, Chaco e Pedro I.
Travessas Vigario Madre de Deus, Cam-
pello. Doniingos Jos Martina, Corpo Santo, An-
tigo Porto, Bbm Jess, Apollo, Areal, Para a
Fundido, Occidente, Guararapes e Praca Pe-
dro I.
Largos : Alfandega, Corpo >anto e Assem-
bla. J
Beccos : Abrcu, Noronlia, Laigo, Pinaoba.
Tapado e Pascboal.
Caes: Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Ras : -Imperador, Primeiro de Margo, Duque
de Caxias, Cabugi, Baro da Victoria, Tiinchei-
ras, Larangeiras, Laiga do Rosario, Estreita do
Rosario, Francisco Jacintho,, Joao do Reg, Ilha
do Carvalho. Conselheiro Piretti, Netto de Men-
donca. Major Agostinho Bezerra, Vinle e Oto de
Setembro, Santo Amaro, fedro Ivo, Mathias de
Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Fogo, Livra-
mento, Penba, Visconde de Inhauma, Pedro Af-
fonso. Nova da Praia, Marcilio Dias, Henrique
Das, Lomas Valentinas, Coronel Suassuna, San-
ta Tbereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mai-
quez do Herval, Cadeia Nova e BarSo de Villa
Bella
Largos:Paraso, Carmo, Penha, S. Pedroe
1 raceta.
Travessas : Qucimado, Cruzes, Mrquez do
Recife. Bella, Calabouco, Matriz, Flores, Carmo,
Bomba. Livramento, Arsenal, 1* e 2" da Praia,
Careereiro, S. Pedro, VirucSo, Lobato, Falco,
Pocinio e Concordia
Beccos :Bella, Calabouco, Matriz, 1, l e 3o
da Camba. F-lto, Io e 2 da Cadeia Nova.
Praca : Pedro II.
Caes :-Vinle e Dqus de Novembro.
Campo : Princeza.
Freguezia de R. Jos
Ras :- Maicillo l'ia Lomas Valentinas. Co-
ronel Suassuna, S. Joo, Felippe Camaro, Mar-
que/, do Herval, Vinte e Quatro de Maio, Dias
ardoso, i'assn da atria. Padre Nobrega, Victo-
ria, Cadeia Nova. Vidal de Negreiros, Frei Hen-
rique, Dique, Asunipgao, Domingos Theotonio,
Padre Floiiauo, Christovao Colombe, Jardim,
Forte, Antonio Henrique, Nogueira, Santa Ceci-
lia, Santa Rita, Padre Muniz, l'raia de Santa Ri-
ta, S. Jos, Pescadores, Praia do Forte, Ypiran-
ga, Imperial e l.uiz de Mondonga.
Travessas :-Mariyrios, Ramos, Pocinho, Cal-
deireiro, Gaz. Valnz, Forte. Prata, Serigado, Co-
piares Nova de Santa Riui, Praia do Forte, S.
Jos. Peisoto e Lima.
Beccos : Palma. Caldeireiro, Gaz, Assump-
gflo, Nova de Santa Rila e Matriz.
Largos : Forte e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Ras :Imperalri/., Conceico, Visconde de
Pelotas. Tambi, Visconde de Albuquerque, Au-
rora, Capibaribe, Ponte Velha, Conde da Boa-
Vista, Riachuello. nio, Sau.iade, Sete de Pe
tembro. Visconde de Cainaragbe, Carnario, Ro-
sario, Gervasio Pires, Dr. Villas-Boas, Socego,
Principe, Sania Cruz, S. Goncalo, Coelhos, Hos-
pital Pedro II, General Sea, Coronel Lamenha,
onselheiro Aguiar. Leo Cornado, Bariio de *.
Borja, Mues Machado, Visconde de Goyanua e
Attracgao
Travessas :-Gervasio Pires, Atalho, Coelhos,
Barreras, Veras, Quiabo, Joo Francisco, Man-
gueira. Campina e Palacio do Rispo.
Largo : Campia.
Beccos :S. Goncalo c Coelhos.
Fragas : Conde d'Eu e Santa Cruz.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
ben) a 123.376 saceos, sendo pon
Barcagas 46.430 Saceos
Vapores..... ...... *
Ananaes..... 6.524
Via-ferrea de Caruar. 8.433
Via-ferrea de S. Francisco. 51.092
Via-ferrea do Limoeiro 11.097
Barcagas.
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea de Caruar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea de limoeiro .
Somraa.
Saccas
I 883
221
s.ll'i
1.334
1.989
8.893
22.19" Saccas
u :
^ 3 S S *

?-
i MI
imA
Pelo vapor inglez-Handel, carregado porJ.
Fuerstemberg, wram remettidas 333 saccas para
Liverpool.
loar oh
Mercado frouxo, com ofertas de 370 ris para
os seceos salgados.
Agurdente
Ultimas vendas, a 95*000, por pipa de 48" li-
tros.
Asaoear
Os pregos pagos ao agricultor, por 13 kilos, se-
itundo a Associagao Comniercial Agricola, foram
os seguintes,:
Bancos..... 3*200 a 3*800
Someno..... i** a 2/100
Mascavado purgado
bruto.
Rtame .
Colonia Isabel:
Branco 1'

. 3"
Someno .
Mascavado
1*400
1*100
woo
1*500
1*200
1*000
Usina Pinto:
Branco 1'
2'
Someno .
Mascavado
4*100
2*800
1*500
3*900
1*600
4*000
2*300
3*000
1*500
Aexport5io,eita pela ajfaadegajieste un-
o ma 2i,atngw a 10.889.SK kilos, sendo
5.894.221 para o exterior c 4.995.343 p
interior.
Somma. i 123.5*76"Saceos
------
Aleool
Ultimas vendas, na razio de 180*000 por pipa
de 480 litros.
Mol
Cota-se a 50000 por pipa de 480 litros.
Pauta da, alfandega
scxa.na > 25 ce piverkiro a 2 de marco
de 1889
Assucar retinado ^kilo).....220
Assucar branco (kilo) .... 20i>
Assucar mascavado (kilo) ... 86
Aleool (litro) ....... 340
Arroz com casia (Vilo) .... 50
Algodo (kilo)...... .- 356
Agurdente........ 160
Borracha (kilo)...... 800
Cnuros seceos salgarlos (kilo) 354
Couros soceos espichados (kilo) 410
Couros verdes (kilo)..... 192
Cacao (kilo)....... 400
Caf bom (kilo) ..... 550
Caf restolho (kilo)..... 350
Cachaca (litro)......'. 80
Carnauba 'kilo)...... 260
larogos de algodao (kilo) 16
Carv5o de pedra de Cardiff iton.) 16*000
Farinha de mandioca (litro) ... u
Follias ilo ahorandy (kilo/ ... :00
Genebrn (litro)...... 200
Mol .litro)....... 70
Mimo (kilo........ 60
Pao Brasil (kilo)...... 35
Taboa los de amarello (duzla) 100*008
\avlos earga
ten portugueza .Vopo Silencio, para o Porto.
Barca sueca Axel, para Santos.
Patacho inglez Prggie, para Mentevido.
Pancho hojlandez Broedertrowe, para Pelotas.
Vapor inglez Lochiri, para Liverpool.
navios deaearga
Barca noroefBeQM Fruta, carvJo.
Barca noruoguense Frilltyof, carvo.
teca luglera Sobrina, farello.
Barca Higleza Paragcro, bacalho.
Rarca '"sra, carvSo.
Barca allenju \nna, carvo.
itaxu Pefitk, i'ui-vao.
i. \bejq, bacalho.
i'.'a. bacdlhao. .
LiiitDi ;a-icnnl irinho Vil,carvo.
Luga imfCory, bacalho.
irvp.
UBRBY CLUB
W>K
PERNAMBUCO
PROJECTO DE INSCR!P$AO

t.
3
Da 7.a corrida
Em 3 de Marco de 1889
HU- PROSPERIDADE IM metros. Animaes da provincia que
anda nSo tenham ganho premios no Derby, em maior distancia. Premios :
200(5000 ao premeiro 50OO0 ao segundo e 205000 ao terceiro.
^^1,9PRADO PERNAMBUCAN0-85O metros. Animaes de menos
de meio sangue. Premios: 300)3000 ao primeiro, 75^000 ao segun-
do e 30)5000 ao terceiro.
^V&^e CONCORDIA 1.OO metros. Eguas at puro sangue Pre-
mios : 400.S000 a primeira. 1005000 a segunda e 405000 a terceira.
4. *\^!>9 HIPPODROMO DO CAMPO GRANDEf.O metros. Ani-
maes da provideia. Premios : 250i5000 ao primeiro, GO^OOO ao segun-
do e 255000 ao terceiro.
'S!^ DERBY CLUB DE PENAMBUCO 1 .O metros. Animaes
de qualquer paiz. Premios : 5005000 ao primeiro, 1255000 ao se-
gundo e 505O0Q ao terceiro.
VlAMr*" IMPREXSA PERNAMBUCANA f.JOO metros. Eguas |na-
cionaes at meio sangue. Premios : 3505000 a primeira, SU5000 a
segunda e 355000 a terceira.
Observacoes
S sero aceitas para cada parco as quinze proposas que primeiro forcm
aberras. .
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam tres animaes de proprieta-
riosdifferentes.
A inscripeo incerrar-se-ha pcgunda-feira, 25 do corrente s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club praca de Saldanha Marinho n. 2, 1." andar.
Recife, 21 de Fevereiro de 1889.
O GERENTE,
ttiMuoi i: O procurador dos feitos interino da fa
zenda provincial, tendo recebido do The-
soiiro a relayilo abaixo transcripta dos
devedores do imposto de 12 [0 sobre es-
criptorio, cartorio e consultorio, do exerci-
cio do 188G a 18#7 que deixaram de pagar
no tempo devido, declara ios ncsuios de-
vedores que lhes rica marcado o prazo de
30 dias, a contar da data do presente edi-
tal, para dentro delle pagarem a importan-
cia de seus dbitos com guia da seceso do
contencioso, certos de que. rindo aquelle
prazo, se proceder cobran?a judicial-
mente.
Recile, 19 de Fevereiro de 18S9.
O procurador dos feitos interino,
Jos Franeisco de Ges Cavalcattte.
Relaco dos devedores do imposto de
12 [0 sobre escriptorios, cartorios e
do exercicio de 1886 a 1887 e 3. se-
mestre.
Boin-Jess n. 33. Dr. Augusto
da osta Gomes 455504
Imperatriz n. 30. Dr. A. Mat-
tos 455504
1.' de Margo n. 1G. Dr. Anto-
nio Bruno da Silva Maia 455504
Pateo da Santa Cruz n. 8. Dr.
A. Imbassaby 225752
Duque de Caxias n. 72-. Dr.
J|Aftbnso A. Cisnciro de Albu-
querque 159964
Larga do Rosario n. 36. Dr.
AdriSo L. Pereira da Silva 345128
Cabug n. 14. Dr. Antonio Joa-
quim da Costa Loureiro 175632
Barao da Victoria n. 53 Dr.
Augusto Serfico da Silva 345128
Bom-Jesus n. 26. Dr. Beraldo
Carneiro da Cunha 455504
Importaeo
Vapor brasileiro itarunho, entrado do Rio de
Janeiro e escala, em '-2 do corrente, e consigna-
do a Amorim Iruiaos <* C, manifestou :
Albos 10 caixas a Costa & Fernandos.
Caf 739 saceos a Domingos Cruz > C 200 a
Taiva Valente A C, 100 a Figueiredo Costa & C,
90 a Soares do Aniaral IrniSos, 82 a Pinlo &
Ribeiro. 70 a Ferreira Rodrigues & C, 56 a Lo-
pes de Magalhaes &C, 49 a Joaquim Duarte Si-
mos C., 30 a Estevo de Gusmo.
Calcados 1 caixao a F. Barboza & C.
Fazeudas 1 caixa ordem.
FogOes de ferro e pertences 18 volumes a A.
Silva C.
Malas 1 engradado a Joaquim A. Mendos Gui-
mares.
Patacho brasileiro Francoln, entrado do Rio
de Janeiro em igual data e consignado a Amo-
rim lrmao ., manifestou :
Barris vazios 190 ordem.
. Barricas vazias 494 volumes ordem.
Farello 695 saceos a Maia 4 Rodrigues.
Fumo 68 volumes aos mesmos.
Pipas vazias 100 ordem.
Vinagre 5 barris -ordem.
Vinho 4o barris ordem.
Vapor allemao Cari Waerinand, entrado de
Rueos Ayres e escala em 23 do corrente, e con-
signado a Borstelmann & C, manifestou :
Alfaa 200 fardos a Maia > Rezende.
Xarque 940 fardos a Baltar Oliveira & C, 774
a Pereira Carneiro C, 738 a Francisco Ribeiro
Pinlo Guinaraes & C, 476 moriin Irraaos
&C
- ISxportaco
AtCUk .*. 1>K KtvVBRElBO DE 1389
Para o exterior
No vapor ingkv Lockiel, carregaram :
Para Liverpool, i. H. Boxwell 1,500 saceos
com 112,500 kilos de a'ssucar mascavado ; J. S.
Loyo & Filho 468 saceos com 35,100 kilos de
assucar mascavado; F. Ctscao & Filho 41 saceos
com 2,870 kilos de assucar mascavado.
Na barca portuguezai Xoco Silencio, carre-
garam :
Para o Porto, M. Lima tV C. 142 saccas com
11,049 kilos de ;dgodo.
Para o intei "ior
No vapor nacional Man os, carregaram :
Para Rio de Janeiro, A. Gu.-mares 1,564 sac-
eos com 93,840 kilos de assu car branco e 92
ditos cora 5,520 ditos de dito mascavado ; M.
Menezes 200 saceos com 12,000 k'ilos de assecar
branco e 100 ditos com 6,000 ditc* de dito mas-
cavado ; Paiva, Valente 4 C. 20 0 saceos com
12,000 kilos de assucar branco.
Para Babia, J, Torres Loite 10 cai xas cem 370
kilos de doce.
Para Victoria, A. Guimares 100 t accos com
7,500 kilos, de assucar branco e 400 i titos com
30,090-ditis de dito mascavado.
5a barca nacional Mimosa, carregaTam :
Para Rio de Janeiro. S. Liyo 'Fimo* 2,000
saceos com 150.000 Mos de assucar branca i B.
Oliveira 4 C. 30 pipas e 50 barris com 1 "9.200
litro? d agurdente.
Vigario n. 4. Dr. Barros So-
brnbo
Conde d'Eu n. 22. Dr. Caeta-
no Xavier Pereira de Bnto
Mrquez de Olinda n. 34. Dr.
Carlos Betencourt
Dita n. 48. Dr. Carneiro da
Cunha
Bom Jess n. 23. Dr. Castro
de Jess
Imperador n. 14. Dr. Cosme de
S Pereira
Duque de Caxias n. 59. Dr.
Coelbo Leite
Mrquez de Olinda n. 60. Dr.
Enniro Coutinho
Dita n. 51. Dr. E. d'Psseau
Bonnet
Bom-Jesus n. 20. Dr. Eatevao
Caval ante de Albuquerque
Dita n. 30. Dr. Fernandos de
Barros
Larga do Rosario n. 50. Dr.
Francisco G. de Andr&dc Li-
ma
Mrquez de Olinda n. 27. Dr.
Jacinho S. de Santa Rosa
Larga do Rosario n. 20. Dr.
Joao Ferreira da Silva
Duque de Caxias n. 70. Dr.
Jos Flix da Cunha Menezes
Cabug n. 2. Dr. Jos de Mi-
randa Curio
Baro da Victoria n. 43. Dr.
Joao Carlos Balthazar da Sil
veira
Bom-Jesus n.
Pessa
Imperador n.
da Fonseca
37. Dr. Lopes
88. D. Maduro
455505
455504
685256
685256
455504
455504
225752
455504
685255
455504
455504
225752
455504
455504
455504
275302
225752
455504
225752
Antonio
Antonio
Dita n. 45. Dr. Manoel Fran-
cisco Teixeira
Duque de Caxias n. 20. Dr.
Malaquias Antonio Gopcalves 275302
Bario da Victoria n. 59. Dr.
Matheus Vaz de Oliveira
Duque de Caxias n. 80. Dr.
Manoel Clementino de B. Car-
neiro
Visconde de Albuquerque n. .37.
Dr. Pedro de Athayde Lobo
Moscoso
Mrquez de Olinda n. 1. Dr.
Rodolpho P. Lopes
Mrquez do Olinda n. 64. Dr.
Simoes Barbosa
Bario da Victoria u. 43. Dr.
FristSo Henrique da Costa
1. de Margo sem numero. Dr-
Adelino Antonio de Luna Frei-
r Filho
Dita sem nnmero. Dr. Alfonso
Pinto Ribeiro Guimariies
Dita sem numero. Dr. Adolpho
Tacio da Costa Cirhe
Dita sem numero. Dr. Affonso
Jos de Oliveira
Imperador sem numero. Dr. An-
nio Justino de Souza
Dita sem numero. Dr. Assencio
M. Gonoalves Mascarenha
S. Francisco sera numero. Dr.
Argemiro A. Arocha .
Imperador sein numero. Dr. An-
tonio Luiz Vieira de Mello
Dita sem numero. Dr. Arthur
Orlando da Silvr
Dita sem numero. Dr.
< lodoado de Souza
Dita sem numero. Dr.
Gonalves Ferreira
Dita sem 'numero. Dr. Antonio
de Souza Pinto
Dita sem numero. Dr. Antonio
J'iaquim Manoel e Silva
Dita sem numero. Dr. Antonio
Estevao de Oliveira
Dita sem numero. Dr. Arsenio
Coriolauo Tavares Santos
Dita sera numero. Dr. Antonio
Jos da Costa Ribeiro
Duque de Caxias sem numero.
Dr. Bcnvenuto Lobo
Imperador sem numero. Dr.
Carlos E. D. Mavignier
Dita sem numero. Dr. Candido
Jos Lisboa
Io de Margo sem numero. Car-
los da Costa Ferreira Porto
(.'arreiro
Imperador sem numero. Dr. Deo-
doro Ulpiano Coelho Catanho
Dita bem numero. Dr. Duarte
Estevao de Oliveira
Dita sem numero. Dr. Demoeri-
to Cavalcante d Albuquerque
Dita sem numero. Dr. Ernesto
da Cunha Soares Guimares
Dita sem numero. Dr. Ernesto
de Aquino Fcnseca
Dita sem numero. Dr. Francisco
Isidoro Dias da Costa
Dita sem numero. Dr. Francisco
Gomes Prente
Dita sem numero. Dr. Francisco
de Assis Rosa e Silva
Dita sem numero. Dr. Henrique
Augusto de Albuquerque Mi-
let
Dita sem numero. Dr. Herminio
Moreira Dias
Dito sem numero. Dr. Joao Joa-
quim de Freitas Henriques
Dita sem numero. Dr. Joo Te-
lesphoro da Silva Fragoso
Dita sem numero. Dr. Jos Di-
bz Barreto
Dita sem numero. Dr. Jos Fran-
cisco Ribeiro Machado
Dita sem numero. Dr. Jos Ma-
ra de Albuquerque Mello
Dita sem numero. Dr. Jos Ma-
riano Carneiro da Cunha
Dita sem numero. Dr. Jos No-
vaes de Souza Carvalho
(Contina.)
No vapor nacional Maranhao, carregou :
ParaMaranhao, C M. da Silva 50 barricas com
5,250 kilo- de assucar branco.
No hiate nacional Camelia, carregaram :
Para Cear, Maia 4 Rezende 351 saceos com
farinha de mandioca e 39 ditos com 1,950 kilos
de feijio ; Amorim Irmos 4 C. 10 barricas com
1,050 kilos de sebo.
No cter Oolombo, earregaram :
Para Natal, E. C.BeltrSo 4 lrmao 30 volumes
com 1,648 kilos de assucar refinado.
No cter nacional OUreira, carregaram :
Pi.ra Mossor, A. da Silva Campos 10 barricas
com 600 kilos de assucar refinado ; M. Borges
4 C. 100 saceos com farinha de mandioca e 20
ditos com 1,000 kilos de milho ; J. P. de Olivei-
ra 100 saceos com farinha de mandioca.
Na barcaca, Farofa, erregon :
Para Parahyba, J. B: da Silva 20 saceos com
1,200 kilos do assucar branco.
Rendimeotos pblicos
455576
345128
220752
915008
45J504
155264
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225758
145251
225752
225752
225752
22575?
22575i
345128
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
225752
Renda geral:
Do dia 1 a 22
dem de 23
UEl DR rEVERKlKO
Alfandega
685:745i561
37:i46696
Renda provincial :
Do dia 1 a 22 102:96r>208
dem de 23 8:158*345
723.192*257
111:123*553
Somma total 834:315*810
Segunda seecao da Airaadegu, 23 de Fevereiro
O Ihesoureiro Florencio Domingues.
O chefe da seccio -Cicero B. de Mello.
Recebedoria Geral
Do dia 1 a 22 44:164*015
dem de 23 1855*749
46:019*764
Recebedoria provincial
Do dia la 22 11:894*098
dem de 23 571*097
12:465*195
Recife Drainage
Do dia 1 a 22 20:810*956
dem de 23 1:172*916
21:983*872
Mercado Municipal de S. doa
0 movimento desie mercado no dia 22 de Fe-
vereiro foi o seguinte:
Entraram :
15 bois pesando 2,061 kilos.
1210 kilos- de peixe a 20 rii
28 cargas de farinha a 200 Tis
7 ditas de fructas diversas & 300
ris
12 taboleirosa200ris
12 sumos a 200 ris
20 matulos com legumes a 200 ris
24*200
5*600
2*100
2*400
2*400
3*800
Foram oceupados:
27 columnas a 600 res
1 escriptorio a 300 ris
26 compartimentos de farinha a 500
ris
24 ditos de comidas a 500 ris
87 ditos de legumes a 400 res
18 ditos de suinos a 700 ris
9 ditos de fressuras a 600 ris
34 tallios a 2*
1(14200
300
13*000
12*000
34*800
12*600
5*400
68*000
203*000
4:172*180
4:375*180
Rendmentos dos das 1 a 21 do cor-
rete
Poi arrecadado liquido at hoje
Precos de dia:
Carne verde de 400 a 560 reis o kilo.
Carneiro de 720 al* reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
? arinha de 380 a 480 reis a cuia.
Milho de 380 a 440 reis idem.
Fa-ao de 900 a t *20J idem.
Ratadouro publico
Neste estabelecimento foiam abatidas para o
consumo de hoje 83 rezes pertencentes a diver-
sos marchantes.
Vapores a entrar
HEZ DE FEVEKEIBO
Norte......... Manos..........
Sul........... Estrella.........
Europa....... Vdle de Maranhao.
Sul........ Pernambuco......
Bul........... Allianca-----,-----
Sul........... Araucanta........
MEZ DE MASCO
Europa....... Trent............
Norte......... Adtance.........
Sul........... Atrato...........
Sul........... Montevideo.......
Hamburgo ... Paranaau.......
Sul........... Congo............
Europa...... Nerthe...........
25
25.
25
27
28
28
3
3
4
o
7
Vapores a sabir
MEZ DE FEVERED30
Sul.......... *farios........... 25 as 5 b.
Sul.......... Ville de Maranhao.. 26 as 4 h*
Cear e esc... Ptrapama ,........ 26 as 5 h.
Rio Formoso Jagmribe........ 26 as 5 h -
Maceio......Manduhu'......... 47 as 5 h-.
Norte........ Pernambuco....... 28 as 5 h.
Liverpool... .4rawcania......... 28 as 11 h-
New-York Allianca.......... 29 as 4 n.
Movimento do porto
Navio entrado no dia 23
Rosario de Santa F e escala-12 dias, vapor al-
lemao Cari Woermmn, de 1,476 toneladas,com-
mandante J Jarek, equipagem 32, carga vanos
gneros; a Borstelmann C.
Sahido no mesmo dia
Parahyba Patacho llemao Golconda, capito I.
Tho'maz; carga varios s
Macei-Barca norueguense Arnos, capito Ja-
cob Bentsen; em lastro.
X



-
'#.
.
,::
i










m

'Diario de Pernambuco---Domingo 24 d Fevereiro de
Programma da 13.a corrida
CfDE SE REALIZAR
D: mingo 24 de Fevereiro
JUIZES DE CHEGADATenente-coronel Manoel Goncalves emra Lima, Dr. Laurindo deMoraes Pinheiroe Dr.
I-uiz Antonio Cavalcante
JUIZES DE PAUTIDAAugusto P. deMoraes da M. Finientel e Amador Lias.
JUIZES DE RAAJoaquim de Mello Reg, AdolphoMendes Torre*, Henrique da Costa Carvalho calieres Carlos
Augusto de Almeida Soares.
JUIZES DE ARCHIBAKCADADr. Francisco do Reg Baptista, Dr. Francisco Altino Corroa de Araujo, Dr. Joa
quirn de Serqueira Leite, Dr. Jos Alvos Lima, Dr. Manuel do Naacirnento Pontea e Dr. Jos Austraeesili
Rodrigues,!.! mn.
JUIZ DE DISTANCIADOCapitio Alfredo Rodrigues dos Anjoa.
JUIZ DE PESAGEMProfesaor FratH-ison da Sil Fraeoao.
stragesilo
8
9
10
11
12
13
14
15
16
>mt'
llllllt-S
Pello
Xadirnltdn-
Pl'SO*
Cor da \.limi-nii
I'iop ic-iario*
1" ParcoEu*nio (! turma)-806 metros. Animaes da provincia que ainda
prados. Premios : 2(K)OOO 10 Io, 50*000 ao 2o i
Alazo........Pernambuco..
Ormond.....
Jatob.......
Ida..........
Aquidaban...
Traviata......
Corsario ... .
Pnebo (ex-Pa-
ute)......
Janota......
Biscoutinho..
Farrabraz 2".
Boldiio........
Druid 2......
Medoza......
Sinabrus.......
Jonkopins
Rocatnflole .. *
annos..
Rodado
m
Russo.
Rodado
Castanho.....
Rosilho........
Baio..........
CarJo.......
Caslanho___
Rodado......
Alazo----1..
Cardo......
nao tenliam ganho
e 20*000 ao >
55 kilos. lAzul e branco............
M
58
55
55
53
55
55
55
56
55
55
55
53
50
53
Ouro...................
Encarnado e branco-.......
Rosa....................
Azul e branco...........
Riscado.................
Azul e branco.............
Grenat....................
Branco e azul.............
Encarnado e branco.......
Azul e ouro...............
Verde c rosa.............
Ouro e escarate..........
Azul listrado..............
Branco e encarnado.........
Preto e encarnado..........
premios era nenhura pos
M. P. L.
F. P.
A. P.
S. Fradique.
F.S
J. F. S
J. G. Cavalcante.
i. E,
M. G. M.
P.J.
P. D.
Coudelaria Independente.
J. Davies.
N. P. J.
J. A.
C. P.
I. Pareo-KnMi (2.a turma)800 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tnbam ganho premios em nenhum ios
prados Premios: 200000 ao Io, 50*000 ao 2. e 20*000 ao 3."
8
9
10
11
12
13
II
a
m
ero
Dengoso
Licorne........
Tutnrub.....
Boyal.........
Kiss-me (ex-
Parbleu) ...
Violo........
Sneca.......
Bismarck.....
Bilontra.....
Purs ........
Boccacio......
Arreda......
Breas.......
Meteoro......
Vassallo......
annos.
Rodado .
Castanho
Castanho claro.
Russo.........
Castanho.....
Russo pedrez..
Rodado........
Baio..........
Castanho.....
Rodado .......
('astanho......
Alazao........
Russo.........
Rodado.......
Pt rnambuco..
50 kilos.
53
55
53 .
53
55
55
55
53
50
55
55 <
53
50 .
55
55
Encarnada, preto e branco..
Violeta e ouro..............
Grenat e ouro.............
Encarnado e branco......
Rosa e preto............
Morran e encarnado.....
Verde e amarello........
Azul e amarello.........
Azul marinho e branco ..
Encarnado listrado.......
Azul e branco...........
Encarnado e branco......
Azul listrado............
Preto, encarnado e ouro..
Branco e encarnado......
Encarnado...............
nqu(
A. N. T.
J. CA.
R. B. R.
Saldanha.
Coudelaria Dous Amigos.
F.B.
. P.
F.
P. H.
I. G.
M. G. C.
A. A. A.
Coudelaria Desgraca.
Miranda Henrique.
Condclaria Unio.
2." PareoUlppodromo do Campo
-ritiidi- l .009 metros.Animaes
150* ao 2", 60*000 ao 3
de qualquer paiz. Premios : 600* ao Io,
Josephus..... 5 annos...
Price......... 3
Coupon...... 5
Olga.......... 4
Ernani........ 5
Zaino.
Castanha.
Zaino. -..
Franca ..
Inglaterra.
Franca ...
S. Paulo..
Inglaterra.
64 kilos.
58
64 49
64
Azul e escarate___
Escarate e ouro. .
Branco e encarnado
Branco e ouro......
Bosa e preto.......
M.
A.
I)
M
P.
G.
M.
M.
N. Pontes.
C.

PareoImpreiM PernamfeucaBM-900 metros.Animaes da provincia que ainda nao tenham ga
maior distancia em nenhum dos prados d'esta capital. Premios : 260*000 ao Io, 60*000 ao r>
nho premios n'esta ou em
e 25*000 ao 3o
1 Cabrion.......
2 Job...........
Phebo (ex-Pali-
fe) --------
ThesO.........
Pupiniquim...
Bonaparte (ex-
Vagabundo)..
Vlete (ex-Ra
tao) ......
Juboato......
Orion........
Bula x i n ha.....
Fanfar.......,
Orange........
Brozzard .....
lilEtna.........
lolGeneral.......
i6|Mylord........
8
9
10
11
12
13
annos..
Foveiro.
Busso. -
Castanho.
Rodado..
Rodado..
Castanho.
Pedrez......
Russo......
Rodado.....
Caslanho
Rusilho..
Baio....
Pernambuco.....155 kilos-
55
55
53
53
55
55
55
53
55
55
55
55
55
55
55
Encarnado e branco........
Bronco, azul e pardo.......
Azul e branco..............
Verde e rosa..............
Grenat e azul..............
Encarnado e branco.......
Azul e encarnado.........
Encarnado e branco........
Amarello e verde..........
Branco e azul.............
Encarnado e branco........
Preto, encarnado e onro
Encarnado e branco........
Grenat e ouro..............
Branco e preto............
Azul e ouro...............
J. M.
II Gibson.
J. G. Cavalcante
Coudelaria Independente.
Coudelaria 7 de Setembro.
R. G. L.
B. D. C. P.
A. A.
M. A.
M. G. M.
R. C.
A. 1. G. A.
M M
F.Oliveira.
J. B.
A. F. da B. Leal
4. PareoProcrea*1400 metros.Eguas at puro sangue. Premios : 350* a 1.', 80* a 2.' e 35* a 3."
Olga...........
Aspasia
Alpha........
Gallia
lia...
Mascotte
Minerva.
4 annos.
3 .
6

4
4 .
Castanha
Aluza...
Preto.......
Douradillia.
S. Paulo......
Inglaterra-----
S.Paulo......
Inglaterra.. ..
Rio daPrata..
S. Paulo.....
51 kilos.
58
54
64
61 .
51
Ouro e branco.............
Azule ouro................
Branco e encarnado........
Ouro e branco..........
Encarnado e preto.........
Branco e encarnado.........
M. N. Pontes.
G. & C.
D. M.
Coudelaria Emulaco.
Coudelaria Paysandu.
Coudelaria Cruzeiro.
5 Pareocrt-y Co de Pernambuco-1700 metrosAnimaes da provincia. Premios : 300* ao 1, 75* ao' 2o e 30* ao 3
Traviata.
Graceio..
Templar
Mouro. .
Monitor .
6 annos..
4
5
/
5
Russo .
Rodado.

Alazo.
Russo ..
Pernombuco.
54 kilos.
51
54
54
54
Azul e branco..............
Azul listrado.............
Preto e ouro...............
Encarnado................
Rosa e preto...............
F.S.
A. P. A. Silva.
tu.
A. F.
Coudelaria Pernambucana.
6o PareoPrado Pemantburano -850 metrosAnimaes de menos de meio sangue, que nao seiam da [provincia. Premios
300* ao 1, 75* ao e 30* ao 3.
1
Fgaro.........
Favorita......
Aymor.......
Recife........
Galatha......
Alpha.........
annos..
Chita.....
Zaiaa ..
Castanho
Rosilha.
Alaz...
Rio Grande do Sul 55 kilos.
Rio de Janeiro...
S.Paulo.........
Rio de Janeiro...
Rio Grande do Sul
S. Paulo.........
35
55
55
55
55
Encarnado e branco........
Violeta e ouro............
Verde e amarello..........
Encarnado e preto.........
Ouro e azuL...............
Branco e encarnado........
S. S. Bastos.
Maia & Chrisostbomo.
A. M.
S. P.
Coudelaria Allianca.
D. M.
7 PareoVelocldo.de800 metrosPequiras da provincia com 1 metro e 30 no mximo. Premios : 150* ao 1.*, 35*
ao 2. e 15* ao 3,
Jaguar........
Sombrinha...
Pacifico.......
Bodinho (e x
Bentivi)....
Advanee.....
Borracha......
Sudan.........
Bel la-Rosa___
Pilberia.......
Elctrico.....
Petit Buy-Blas
ex-rabocolinho
ItlBcranger.
o
6
7
8
9
!?
I
i
i
2
i
5
1
8
6
3
5
annos
Baio.....
Russo ...
Castanho
Pernambuco.
Baio.....
Castanho
Pedrez...
Rosilho...
Bodado .
Bodado ..
Castanho
Bodado.
Alazao.
Verde e branco....... ...
Verde e amarello........,
Encarnado e branco......,
Bosa e preto-.....".........
Ouro......................
Verde e amarelle..........
Azul e amarello.......
Encarnado e forneo........
Branco.....................
Grenat e verde.............
Azul e branco.
A. L.
F. B.
J. F. M.
J. P. Costa.
M.
J. M- A.
I. '. Amorim.
J.N.
R. A.
Lucio Jos Monteiro.
Coudelaria 1. .de Janeiro.
G. V. C
(*) Montado por amador. *^a
. OBSERVARES
Pede-se aos Srs. propriotnrios o obsequio de terem seus animaes s 9 horas da inanhl no ensilhamento,
visto como impreterivelmeatc ser cumplido o horario.
Os animaes inscriptos para o 1. pareo devem achar-se no ensilhamento s 9 horas da raanha.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o pareo em que tm de correr.
Os jockeys que nao cstiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderao correr, cumprindo-lhes
apresentar as respectivas cadernctas na ccasiao da pesagem.
Os forfa serao recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
HORARIO
Corrida
1. pareo.......i 11 horas
2.
pareo
3.
4."
5.
6."
7.
8."
>
11
11
12
1
2
3
4
4
50 minutos
40 >
30 .
20
10
50
J
Recife, 21 de Fevereiro de 1889.
O secretario, Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Secretaria da InstruccaoPu-
blica, 26 de Janeiro de
1889.
Fago saber a quem interessar possa, de ordem
do s. Dr. inspector geral da instruccao publica,
que podem ser procuradas nesta reparticao as
cadernetas da Caixa Econmica Escolar da 3-
eadeira do sexo masculino da freguezia de San-
to Antonio, recolhidaa pelo ex-profesor Fran-
cisco da Silva Miranda, constantes da relacao
mira.
Relacabdas caieraetai da Caixa Econmica Es-
colarda ;i> eadeira do sexo masculino da fre-
juczia de Santo Antonio, ainda nao reclama-
SEGURO COMBA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
i
CAPITAL 9.000:000
AGENTKS
R.DE DRUSINA & C.
13 Ra Mrquez de Olinda13
1879 N. 2.021 Joo Gomes Pe-
nara da Silva, folhas 38
N. 3.774 Manoel Pedro
Alcxandrino de Lima,
dita 68
1880. 2.011 JoSo Baptista'
Inopes de Castro, dita 48
-V 2.012. Alfredo Proco-
pio Lopes de > astro, dita
1881 N. 2.08'* Theotonio A-ci-
pino dos Santos, dita I
N. 3.516 Gustavode-Sou-
za Lopes, dita 17
N. 3.517 Joao de Souza
Lopes, dita 18
N. 3.310 Martiiano Joa-
quim de Mello, Sita 21
X. 3-805 Joo Silverioda
Costa Oliveira.dita 30
N. 4.638 Manoel Soares
Monteiro, dita 45
N. 4-640 Lupicinio Fer-
nando da Silva, dita 47
1882 X. 3.021 Victorino Duar-
te Pereira Lima, dita 8
N. 2.388 Capituno Tho-
m Baptista, dita 16
X. 4.641 Manoel Candido
Ferreira da Silva, dita 19
N. 4.647 Alcxandrino
Tavares, dita 20
N. 5 029 Artbur Ferreira
Soares, dita 34
N. 3.311 Baymundo Al-
ves de Souza, dita 42
1883 X. 5.312 Luz de Franga
Soares (ou Souza.) dna
31
N. 6.183 Alvaro de Oli-
veira Colas, dita 37
N. 4.642 Joao dos Santos
Pereira Braga, dita 57
1884 N. 6.371 Joaquim de Sou-
za Pinto, dia 12
N. 5.616 Manoel Sil veno
de Miranda, dita 20
N. 7.145 Amaro Joao de
Alencar. dita 37
N. 8.196 Bosa de Lima
dos Pasaos Barbosa,] dita
1883 N. 5.618 Carlos Henrique
Soares, dita 41
S. 5.975 Affonso Dantas
Teixeira, dita 36
FracrScs
11000
100 I #000
34000
3*000
160 10*000
600 35000
600 3*000
320 10*000
16*000
400 2* 00
'100 15000
9*000
140 17*000
11*000
500 7*000
740 1*000
560 3*000
Companljta te Seguras
:mu ro&o
NORTHERN
de Londres e Aberdben
Posigo linanceira (Dezembro de 1885j
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados 3.134,348
Recelta animal :
De premios contra fogo 577,330
De premios sobre vidas 191,000
De juros 32,000
O AGENTE,
John H. Boxivell.'
COHPAXUI.l Pi:H\AMm CAV4
DE
XaTegacXo eostelra por Tapor
PORTOS DO NORTE
Paruhyha, Nafal, Maco, Mostoso, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 26 do correte s 5
horas da tarde. Becebe carga at o
Encommendas, passagens e dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernamhxicana
12
n.
Companhia de Seguros
uhli&Mt t isbia
11*000
840 2*000
309 1*000
4*000
630 i000
500 6*000
400 1*000
800 31000
700 4*000
AGENTE
Miguel Jos Alves
^ *Ra do iiom jm:s -M 9
SEGUBOS MABITIMOS E TERBESTBES
Xestes ltimos seguros a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
yo de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados.
Companhia
Imperial
8*700
Recife, 21 de Janeiro de 1889.
Francisco da Silca Miranda.
Os pretendentes devem apresentar-se devida-
mente habilitados.
0 secretario;
Pergentino Saraira de Araujo Galtao.
Seguros contra Fogo
EST: 1803
Edificios e mercadorias
Taxas baixas
Promptq pagamento de prejuo.
CAPITAL
II*. I <.000:000*000
AGENTE
HROH\S A C.
N. 5RUADOCOMMERCION
MARTIMOS
geral
documentar seus
terem mais de
de idade, goza-
vaccinados e te-
Correio
Concurso para preenehlmento
de una lugar de pratleante de
'i elasse
Faco publico para conhecimento dos
interessados, que acha-se aborta nesta ad-
ministracSo durante o prazo de 30 dias,
a contar desta data, a inscripgSo para o
concurso que deve realisar-se para preen-
chimento de um lugar de praticante de 2a
cjasse. ,
Os candidatos deverSo
requerimentos, provando
18 e menos de 25 annos
rem boa saude, estarem
rOm bom procedimento.
A idade exigida para a inscripcSo deve
ser provada com certidao de baptismo
extrahida do assento feito no livro de pa-
rpehia no devido tempo, ou justifcalo
prestada perante autoridade ecclesiastica
e por esta julgada por sentenca. Este do-
cumento nao pode ser supprido por publi-
ca forma; e muito menos, por attestados
passados por vigarios, no ausencia dos li-
vros da freguezia.
O exame versar sobre as lingusa por-
tuguesa, francesa, geographia geral, com
desenvolvimento quanto ao Brasil, e arith-
metica at a theoria das proporjSes inclu-
sive, sendo motivo de preferencia o co-
nhecimento das linguas ingleza e allemS.
Administra^ao dos Correios de Pernam-
buco, 12 de Fevereiro de 1889.
O administrador,
Affonso do Reg Barros.
SANTA CASA
CASAS PARA AI.K.VR
Ba da Moeda n. 49, armazem 240*000
dem do Vi gario Tenorio n. 27, loja 240*000
dem idem n. 22, 3. andar (80*000
dem idem n. 25, i. andar 360*000
dem do Bispo Sardinha n. 3, 1. e Io
andares e sotao 400*000
dem do Bom Jess n. 29, 3.a andar 200*000
dem do Mrquez de Olinda, sobrado
'. .44 2:131*000
dem do Bom Jess n. 13, 1. andar 240*000
Becco das Boias n. 14, loja 1. e 2." an-
dares 480*000
Um sitio em Parnameirino. 460*000
United States and Brazil
M. S. S. C. J.
Ovapor Advance
E' esperado dos porros do
norte at o dia 2 de Mar-
co o qnal depois da de-
mora necessaria seguir
para a
Baha,Ro de Janeiro e Santos
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os AGEXTES.
r
Ovapor Allianca
E' esperado dos porros do
sul ate o dia 28 de Feverei-
ro o qual depois da demo-
ra necessaria seguir
para o
flaranhSo. Para, Barbados, S.
Thomaz e \ew-lork
Para carga, passagens, encommendas e di-
oheiroa frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commercio8
1* andar
Royal Mail Steam Packet
Companhia
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFJIAGELLANLINE '
O paquete Araucania
Espera-se do sul at o dia
28 do corrente e seguir,
depois da demora do cost-
me para Liverpool por
lisboa, Bordeaux e iMymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aneiro a frete: trata-se com os
AGENTES *
Wilson, Sons & C, Limited
14RA DO COMMERCIO14
(OHP4SHII PKH.VtMRI <' t Vt""~
DE
\avea<- o eostelra por vapor
Rio Formoso e Tamandar
O vapor Jaguaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 26 de Fevereiro s
horas da manh5. Becebe carga at
Passagt-ns at s 3 horas da tarde do dia 25.
ESCRIPTORIO *
Ao Caes da Companhia Pernambucana
_______ n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos porros do sul at o
dia i7 de Fevereiro e seguindo depois
da demora indispensavel para os
portas do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia

at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens
res trata-se com os
AGENTES
e valoi
PORTOS DO SUL
vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilherme
V Waddington
^ V E'esperado dos portos do norte at
23 de Fevereiro e depois da de-
i indispensavel seguir para os
ara Santos, Santa Ca-
e Bio Grande do
Espera-se da Europa at o dia
Margo, seguindo depois
IlfDEMNISADORA
Companhia de Seguros
MARTIMOS E TERRESTRES
Estabelerlda em 1S8S
CAPITAL 1,000:000^000
SINISTBOS PAGOS
At 81 de Dezeutbro de 1884
Martimos.. 1,110:000^000
Terrestres. 316:000^000
44Ra do Commercio44
SEGUROS
martimos comra fogo
Companhia Pheulx Per-
oambueana
BA DO COMMEBCI N. 26 1 A.XDAB
London & Brasilian Bank
. Limited
Ra .do Commercio n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistai n. 75. No
Porto, ra dos Inglezes.
TI
>na at o Oa 1 de
depois da demo-
ra d costme para
Macelo, Babia. Rio de Janeiro.
Santos, Montevideo e Bnenos-
Ayres.
Para passagens. (retes e encommendas trata-
se com os AbENTES.
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dickinson
E' esperado do sul no dia 3 de
Margo e seguindo depois da demora
necessaria para
Lisboa, vlgo. Southampton e
Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida Ida e volta
A' Lisboa 1 classe 20 t 30
A' Southampton 1- classe i 2 t 42
Camarotes reservados para os passageiros de
Pernambuco.
Emquanto vigorar a quarentena imposta na
Repblica Argentina, aos navios procedentes do
Brasil, os vapores desta companuia nao aceitaran
passageiros nem carga para Buenos-Ayres.
Para passagens, fretes, encommendas, trata-se
com os
AGENTES
Amorim Irmos & C.
N. 3Ra do Bom JeausN. 3
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
IaTegaeo
/inha quinzenal entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O VAPOR
mo
por
Becebe tambem
tharina, Pelotas, P
Sul, frete mdico
As encommendas so ser5>ecehidas n
ca at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6^Rua do Commercio=6
1 andar
co
AMHIA
I CA.V4
Tapor
PKK.VVM
DE
IVnregaeio eostelra por
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo e Aracaju'
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia 27 do corrente s
5 horas da tarde. Recebe car-
at o dia 26.
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
CONTRA FOGO
The Liverpool & London Globe
INSURANCE CDMPAJfT
SLAC2S, mam & c.
Ra do Commercio n. 3
Ville de Maranho
Commandante Brnt
E'esperado da Europa at o dia 23
de Fevereiro. seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer reclamacS concernente a volumes que
porventura tenham seguido para os portos do
sul afn de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsahilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete.: trata-se com o
AGENTE
Angoste Labille
-RA DO COMMERCIO 9
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRDPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
______________n. 12________________
Companhie de Messageries
Maritimes
LINHA MENSAL
O paquete Congo
Commandante Lecointre
E' esperado dos perras do
-sul no dia 5 de Marco,
seguindo depois da demo-
ra do cosiume para Bor-
deaux, tocando em
Dakar e Lisboa
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha logares reservados para esta
agencia, que podem tomar em qualquer tempo.
Faz-se abatimento de 15 0|0 em favor das fa-
milias compostas de 4 pessoas ao menos e que
pagarem 4 passagens inteiras.
Por excepcao, os criados de familias que to-
marem bilhetes de proa, gozam tambem deste
abatimento.
Os vales postaes so se do at o dia 2 pagos
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se com o
AGENTE
O paquete Nerthe
Commandante Jezegabei
Bahia, Rio
E'esperado da Europa no
dia 7 de Marco e segui-v
r depois da demora ne- -
cessaria para
Janeiro, Buenos-Ayres e
Montevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados paca %sta
agencia, que podem tomar em quatquer tempo.
Previne-se aos Srs. recebedores de mercado-
rias que sO se attender a redamacOes por fal-
tas, nos volumes, que forem reconhecidas na
occasio da descarga, assim como deverSo den-
tro de 48 horas a contar do dia da descarga das
alvarengas, fazerem qualquer reclamaco con-
cernentes a volumes que porventura tenham se-
guido para os portos do sul alim de poder-se
dar a tempo as providencias necessarias.
Este paquete illuminado hiz elctrica.
ParS carga, passagens, encommendas .
nheiro a frete : tratase com o GENTE.
Auguste Labille
9 Ra do Comme
Rio Grande e P
Para os partos acimaCsegoe
lugar braaleiro Marinkc
se com os consieaatarjo* Jd
Filbo.


-/


Diario de < Prnambu&<

j 24 d& Fevereiro de 1889
t&tr*nde m Sol. Pelotas e
Porto-Alegre
Vapor inglez Estrella
E' esperado dos portos do sul
no da 25 do correte e seguir
Sarr os portos cima indicados,
epeis de peqoena demora.
______Mkrga< encommendas e passageiros a
tralar com os
CONSIGNATARIOS
Pereira Garneiro &C.
i:RA DO COMMERCIO6
1 andar
"Para tlha deS.Mi-
g-uel

A t-.-i una portuguera Feitice^ segu para o
indicado porto at o fim do mez, por j ter par-
te da carga engajada, e para o resto que lbe
bita trata-se com o consignatario Antonio Mara
da Silva, ra da Companhia Pernambucana
numero 10.
Sabbadn ik Fevereiro de ittl
Vapor Maranhao
Para o Cear, Caraossim. Parnakyba e
Maranhao. Recebe carga hoje para i
kii%manh2, domingo.
Tambem recebe passageiros.
Consignatarios, Aomrim IrmSos & C.
sa-
Mossore Aracaty
O hiate Victoria 6egue com brevidade para
aquelles portos ; para o resto da carga tratase
a nordo,- no caes do Loyo, on ra da Lapa nu-
neMrn.
LEILOES

Agente Burlamaqui
Leilo
Segunda-felra. do torrente
A's 11 horas da manha
De urna ptima casa terrea Travessa do
Pernoto n. 23
O agente cima, legalmente autorizado, ven-
der urna casa terrea com commodos para fami-
lia, Travessa do Peixoto n. 23 : os Srs. pre-
tendentes podera examinar a referida casa.
Leilo
Da armacSo, gneros e utensilios existen-
tes na taverna sita ra do Bispo Sar-
dinha n- 11
Terca-Ielra 1 de Feverelr
A's 11 horas
0 agente Gusmao, antorisado, far lei!9o, por
conta e risco de quem pertencer, da armacJo.
gneros c utensilios da taverna cima mencio-
nada, em um on mais lotes vontade dos Ss.
compradores. Garntese a chave.
AVISOS DIVERSOS
AMA Precisa se de ama cosinheirai que'durmaf Aur0
em casa : a ra das Flores n. 9.
Agente Silveira
Leilo
De gneros, arraacao e utensilio!
Terea-felra, *B do corrate
A's 11 horas /
A' ra do Jardim n. 11
O agente Silveira, devidamente eutorsado por
D. Luzia Chagas de Mello levara-a leilo os ?ene-
ros, armaco e utensilios existentes na taverna
eita i ra do Jardim n. 11, em nm ou mais lotes.
Garante-se as chaves.
I
1
Agente Brille
Leilo
De predios e terrea**
De 4 casinhas dentro de um terreno murado,
rendando, jadas 48*000, em solo proprio, no
ecco do Pombal para Joo de Barros.
Um terreno, tendo 90 palmos de frente com
alicoree para 3 casas, murado, em frente esta-
cao do Principe.
Um terreno na estrada nova do Agua Fra,
com 280 palmos de frente e 800 de fundo, sendo
a frente de 800 na roa que vai em frente a casa
do Agr. ._, _
Terca-feira, 26 de Pevereiro, as H horas -
Ra do Rangel n. 48

i
Leilo
De hoos movis, lonea flaa.
objeftos de metal e erystaes
Constandj de urna solida mobilia de pao car-
ga com consolos de pedra, 1 dita de junco com
12 cideiras de guarnicao, 4 ditas de bracos, 2
consolos com pedra e 1 sof, 1 espelho oval, 2
pares de lanternas, 1 par de jarros tinos, 1 boni-
to cafcdieiro, 1 relogio de parede, 1 toilet de ja-
Caranda, 1 dito de mogno, jarro e baca de por-
celana, 1 cama franceza, 1 guarda vestidos de
amarello. 1 cabide de columna, 1 espreguica-
deira, 1 peca para toilet, 2 porta-cartoes e 1
porta-joias.
Urna forte mesa elstica de 3 taboas, 1 guarda
louca de amarello, 1 sof de amarello, 2 cadei-
ras de balanco de amarello, 2 aparadores de
amarello, 12 cacleiras de junco, 2 espreguicadei
ras, 1 mesa grande de amarello, 2 banqniahas,
i pofta-guardanapos, 1 porta-conservas. 1 cesta
Sara pao, 1 apparelho de metal para cha, 1 dito
e louca fina para cha, meio apparelho para
jantar, 1 galneteiro. 2 duzias de garlos de me-
tal, fl copos, 12 clices, 2 compoteiras, 2 duzias
de colheres para sopa, 2 ditas para cha, 2 bules
de metal para cha, z assucarelros, 2 escarradei-
ras, 1 quartinheira de columnas, 2 malas gran-
des e 2 ditas pequeas.
Terca-feira, 26 do corrend'
A's 11 hora
No Io andar do sobrado n. 38 da roa do
Imperador
O agente Martins far leilo por ordem de urna
familia que se re tiran esta provincia dos mo-
ygu o mais objectos de lino osto. e que foram
removidos para o referido si brarto e sero ven-
A\AOf a quem mais der.
Entrega e pagamento em acto continuo.
Leilo
Da importante harcar: dcaoiflfcMuii Tres r-
meos, eiif perfeito estado' para naegar. cora to-
do- ertences, carregw.do ..00)arrobas.
a q.. ia fundead i i2 de Novem-
kro, por traz da ra de Pedr Alonso, antiga da
Quarfa-feir;.1 27 rente
U :
sado. far 1<
il. da importante
|
:ala
Leilo
"'-nt-1 i '
- .;. ellas
4|uaria-fcra *3Ji> As 11 frrente
Asente Pinto

Aluga se casas a 8*000 fio becco dos Coe-
Ibos, junto de S. Goncallo ; a tratar na roa da
Imperatriz n. 86.____________
Aluga-se o pavimento terreo do sobrado n.
46 roa da Roda, estando o mesmo caiado, pin-
tado e todo ladrlhado de novo, contendo 1 sala,
2 quartos e cosinha ; a tratar na roa do Cabug
n. 16, toja.
Aluga-se o sobrado n. 3 4 ra o Caes o
Gazometro, que segu da Casa de Detencio, com
bons commodos, quintal com fracteiras ; a tra-
tar com L. M. R. Valenca, a roa das Triacheiras
numero 17._____________________________
Aluga-s# o sobrado da praca Conde d'Eu
n. 26 e o sobrado da roa Bario de S. Borja n.
26, com commodos para numerosa familia ; a
tralar na roa do Aurora n. 85, merceana.
Aluga-se a excellente casa n. 28 roa da
Ponte Yema, com agua, gaz e bastante asseiada:
na roa Visconde de Albuquerq*; n. 28, segundo
andar. ____________________
Aluga-se o sobrado da travessa do Livra-
mento n. 10, o 2- andar da roa do Padre Flo-
riano n. 69 e a casa da travessa do Pocinho n.
58 : as chaves na Praoinha n. 7, e trata-se na ra
do Brum n. 62, 2 andar.
Aluga-se o 2 andar com agua, roa do
Padre Muniz n. 13 ; as casas terreas roa de
"anta Titerera e becco do Caj ns. 58 e 24 ; a
tratar na roa das Trincheiras n. 18.
LG-S a casa n. 52 roa do Fogo,
com 2 salas, 3 aleo vas-, cosinha e apparelho : a
tratar na roa do Amorim, armazem n. 49,| com
A A. de Souza Aguiar.
Preclsa-se de boa costureira para vestido ;
na roa do Imperador n. 44, 1 andar._______
Precisa se de urna ama para todo servico
domestico em casa de estrangeiro, paga-se bem;
a tratar na roa da Florentina n. 10.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
sinhar para casa de pouca familia ; na roa da
Penha n. 21, segundo andar.
Precisa-se de un m? para cosinhar e la-
var; na roa da PraTn. 12._________
Offerece-se am bons copeiro para casa de
familia ou hotel, ou para outro emprego ; a tra
tar no pateo da Penba n. 8, hotel.
, m que tica o Sr. M. T. A. S., nem iiquida
nem apparece.
Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
co quando quer restituir os movis, se nao paga
os alugueis e nem os entrega
Professora de piano
Urna senbora habilitada, nao s pelo seu es
tudo, como tambem pela pratica, offerece-se a
ensinur piano por prejos mdicos, quer em ca-
sas particulares quer em coilegios, pedendo ser
procurada para o exercieid Ve sha prosso na
roa do Jasmim n. 39.
Eng-ommadeira
Precisa-se de urna boa engommadeira ; na ra
do Sebo n. 22._________________________
Protesto ao publico
D. Luzia das Chagas e Mello faz sciente ao pu-
blico e ao Sr. agente Silveira que nao autorisou
a pessoa alguma e nem quer fazer leilo de sua
armacio, gneros e utensilios, ^ protesta ; isto
para governo sen.
Cosinheim
Precisase de urna, que saiba cosinhar e nao
saia i roa, para casa de familia'. a tratar na roa
do Cabuya n. 14, de meio dia al 2 horas.
Ama
Precisa se de urna ama para cuidar de urna
crianca na ra da fmperatrwo.-47, segundo
andar.
Ama i*

Precisase de urna, que laveeengommecom
perfeicao. para duas pessoas.lHnais servicos ;
a tratar na ra Pedro Affonscr*vr. 66, antiga a
Praia, armazem
Ama
Precisa-ae de urna perfeka-cosinheira, para as
sistencia interna : tratar" ha ra do Mrquez de
Olinda n. 54.
Professora
Na roa Baro do Triumpho n. 68, se dar in-
formaces de quem precisa-de urna professora
para ensinar cinco mmiia,'~portnguez, geogra-
phia, historia e trabalhos de anlha._______
Breu
Em barricas vende-te na ra do Amorim
n. 60.
Tatema
Vndese a taverna do pato do Terco n.'lt :
a tratar na mesma.
Bom caraHo
Vende-se um cavallo novo,' bom andador, m-
teiro e sem achaques : dirija-se ,. roa de S.
Francisco n. 72 quem pretender compral o.
Vinho depasto
0 que ha de melhor, vende-se pelo mdico
prego de 35* 00 o barrH de quinto e 9f 000 o
garrafo e tres caada?, voltando o garrafao
7*300 (precos liqmdos) : roa do Amorim nu-
mero 60.__________________________
Cofres de ferro de Mil
ners
Vendem-se estes excelentes cofres, como tam-
bem de outros bem acreditados fabncantes, va-
rios tamanhos, prova de fogo, eom a maior segu-
ranca desejavel, a precos baratissimos. na roa
Mrquez de Olinda n. 54.
Mobiias austracas
Vendem-se mobilia? austracas de todas as
ualidades e cores, por precos os mais commo-
os, para liquidago, un do Mrquez de Olinda
n. 54.______________ ___
Cii neato
Vende-M- cimento da melhor qualidade pelos
m;iis razoaveis preces do mercado, na ra do
Mrquez de Olinda n. -.
Cosinheira
Precisa-se'de nma boa cosinheira : na ra da
ta n. 119.
Se seffres porque queras
8A E C01TVENCEB-TE-HA8
CURA RADICAL
e
SEM DIETA
DAS
Molesti** de pelle
SYPHILITIC.A8
Darthros, sarnas, ulceras antigs, im-
pingens, bobas, gommas, cancros, rheuma-
tismo e morpha.
Com os prodigiosos
XAROPE E UNGENTO
DE
Hydrocotile Calasans
ApplicafRo fcilUso sem perigoEf-
feitos promptos, dieta razoavel.
Contra Tactos oo ha argumentos
Estes remedios sSo os mais commodos
do mundo. Envia-se gratuitamente, pelo
correio, direc93es para uso d'estes medi-
camentos admiraveis.
Prejo do ungento 10200 o frasco.
Preo do xarope 30000 a garrafa.
Preparados por Calazans 4 C. Phar-
macia Imperial, Bahia.
Deposito no Reelfe
Francisco Manoel da Silva 4 C.
Ra Mrquez de Olinda n. 23
I
HMJ^'^^il&fcA ^^-j -*r--:
| Lfioir^kWH




Cachorrinho perdido
Desappareceu da ua do Pire
redor do Y o, uui per
o qual u-
i ra
TelegTamma
Vejam e admirem!
S o 55 ra Duque de Caxias pode
vender pelos precos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padroes, a
200 rs. o corado.
Fust"es brancos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 ra. o
covado. E' barato!
Casaos e capas para senhoraa, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padroes lindos e procos
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura
60 a peja.
Zetiros a 80, 170, 200, 240 e 400 i
o covaio.
Ditos bordados a 800 rs. o covado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, cousa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 20800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
co-vado.
Guardanapos bous a 10800 a duzia.
L3s modernas a 240, 280 e 320 rs. o
covado.
Rendas hespanholas a 20 o metro.
Liivas de seda a 20 e 30 o par.
Espartilhos couraca a 40, 50 e 60 um.
Merinos pretos e de cores, urna varie-
dade immensa cm precos e qualidades.
Setns de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, grande redcelo em
precos em vista da grande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco pre5-o, 100000.
Colchas de crochet muitochic.
Camisas inglezas com e sem collarinho.
Atoalhado para mesa a 10 e 10800
muto fino.
Collarinhos e punhos de linho e algodo
e por'prejo barato.
Babados e ntremelos, grande sorti-
mento.
Madapolao pelle de ovo por 60 a peca.
EsguiSo pardo e chumbado a 400 rs. o
covado. ,
Urna grando variedade em lencos.
Grvalas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilhas de renda a 56 urna. -
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 rs. o
covado, muito bonito.
Chitas :scuras e claras a 240, 280 e
320 rs. o covadoi
Cretones trancados, finos, a 320 rs. o
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e precos.
Casinetas, o que ha de mais bonito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por preos
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 10600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilko o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
E' barato.
Cambraia branca, .bordada, o que ha de
mais gosto e por pre^o razoavel a 80000 a
peca.
Dita com salpicos a 40 e 50000 a pe?a.
Colchas argentinas a 60000 urna'.
Ditas de 20, 30, 40 e 50000
Bramantes de algodBo e linho de todos 4
os presos.
Grande sortimento cm fichs de cores
e pretos.
Grinaldas para uoivas.
Lavas e leques para noivas.
Bicos de cores muito chic.
Alui do que acabamos de annunciar,
temos urna quantidade de artigos que s
vendo-*, e acredita, pelo que pedem que
comparecam.
D2o se amostras sem penhor.
Setinetas lisas de todas as cores a 400
rs. o covado. Sao muitc largas.
Roupa feita e por medida.
-RA DUQUE DE CAXIAS 55
FERJAMESDEAZEYEDOi:.
AO=- Srs. PHOF^IETAEIOS de CAVAX.3,09
UT^GENTO STVENS
lico bubstitulDdo cauterisaer) os c
-o. Esto maravboso preirado e u
'o verdadoiramente efflca para cura; .,
-'uct IflriM iumnt mtiIM, UariKilJce] i,
' Dliiotajis U IMa uUtk. AO nnon de
optrao e coatlBn* xito em t*Oaa as er-
barma >, e no prlnclvmaa ectabeleci-
-s de candlM ot ZnflMam e Europa,
m noiloa alguma. F mlster experf-
para Qcar convencido do seu Tai
otopttextH indiav+
uMU(fr :VE<8, : ua.xnvMnulatrra)
Wittri. .Ai -1, t, Q.TA
GRANDE LIQUIDACAO
Na Loja das Estrellas
S6--Ru Duque de Cxis-38
Telepkoae a. SflO
Este bou* cDnhecido estabelecimento acaba
de passar por urna grande reforma,
sende ligado interiormente com a
casa contigua do n. 58 no intuito
de serem despachados todos osseus
freguezes com mxima brevidade
possivel, resolveu fazer grande II-
quidaf o de todos os saldos que
ficaram de balanco, por menos
50 [0 do seu valor, cujos artigos
passamos a demonstrar :
Artigos de le
EsguiSo, peya, a 30500.
MadapolSo com um metro de largura de
140 por 70000
dem idem americano de 80 por 50000.
AlgodSo marca T, especial, muito largo,
de 70 por 50000.
Bramantes, pecas, por 70000.
Atoalhados, lindos desenhos, duas largu-
ras, a 10 e 10200 o metro.
Guardanapos de 40 por 20000 a duzia.
Estopa de linho para bordar a 500 o me-
tro.
Bramantes de linho com 11 palmos de
largura a 10500 o dito.
Lencos brancos e com barras de cor a 10,
e 10200 a duzia.
Toalhas de-fusto, qualidade superior, a
30 e 40000 a duzia.
Cretones para coberta a 240 rs.
Colchas acolchoadas, brancas e de cores a
20000.
LenQes de bramantes a 20000.
Chales escocezes a 10000.
; E outros muitos artigos que derxam de
ser mencionados e que se vendem cora
igual abatimento
Teeidos de alta novidade
PARA VESTIDOS DE SENHOEAS
Linhos pardos para vestidos a 300 e 320
Sedas com quadros e listras de 10800 por
800 rs.
Setins de sqda, todas as cores, de-----
10200 por 500 e 320 rs.
Merinos lisos, todas cores, de 500 por
240 rs.
Tuaile de Vichy, de 240 por 160 e 80 rs.
Nonsuks, desenhos novos de 240 por
120 rs.
Cretones claros e escuros com lindissimos
desenhos de 440 por 240 rs. 1.800
PECAS!
Merinos de quadros, grande variedade de
padr3es, de 500 por 240 rs.
Mimos dos Alpes, de 640 por 240 rs.
pechincha !
Fust3es de cor, de quadros e outros dese-
nhos muito lindos, de 500 por 160 rs.
Sedas Felippinas, de 500 por 200 re.
E muitos outros tecidos para vestido,
em algodSo, linho, 12 e sedas que se ven-
dem como o mesmo abatimento de 50 [t.
Confeceo
Vestidos feitos de Casemira ricamente
bordados de 800 por i 50 e 300.
Ditos para armar de 60, 80 e 100.
Ditos brancos bordados em cartSo, alta no-
vidade a 80 e 100.
GuarnijSes de colariuhos e punhos para
senhora por 10Je 10200.
Capotas (preparadas na corte) de 200 por
90 e 100
Gollinhas e punhos para menino de 3 a
8 annos.
Vestuarios e roupinhas para crianjas, por
50, 60, 80 e 100, e Jersey, casemira e
de brim.
Saias bordadas a 20 e 30.
Enxovaes para baptisado com collares ele-
trieos por 50.
Luvas de seda meio braco e qualquer ta-
maito a 10500 o par.
dem idem de Escocia a 10 e 10500.
Sdbretudos impermeaveis de borracha de
700 e 800, por 300 e 400.
Capas e pellerinas de cachemiras ottoma-
ba ricamente enfeitadas de vidnlhos a
- 250 e 300.
dem idem de renda, seda, damasco e
' gnrgurlo, tanto para phantasia como
para commodidade a 380 e 400.
Velludos de seda e algodSo de muitas co-
res.
Padarias
Farinha secca para tender ; vende-se oa pada-
ria da ra do Brum n. 62.
Prefessor americano
Devido mudanca de residencia
MR. GEORGE B. SIND
Eode ser procurado nos das uteis,; na roa da
onquista n. 20.
Jr G mefbor tientltricio
% Odontalina #
*m PARS: SemeHa, 24, na d'EngMea
Cozinheiro
Precisa-se de nm cosinheiro ; a tratar na ra
do Paysand n. 19.
EXP08IC0
Mdiille rOr
lu na Hium Kcompf,
Nova Creacio
PRIMAVERA
E.COUDRAY
Inrantop eA
FEBFPIUIIIi ESPECIAL di IiCTEHi
To tpnotoe tfo tlt da.
SalwaaU........ PRIMAVERA
OU............PRIMAVERA
Agn. da Torneador PRIMAVERA
Eiiencla........PRIMAVERA
Po 4-rw...... PRIMAVERA
FABRICA E DErOtiTO :
PARS 13. Bm i Elftiu, II PAMt
ICti-M i T!_l 1 wm u >rticmn W-tM
NMNNNNMMNMI
f
Gazes de seda.
Ricas rendas hespanholas de seda, algo-
dao e linhe, com um metro de largura.
Setins Maco de todas as cores a 750 e
800 rs.
E muitos outros artigos de confceoes
como sejam mantilletes de blonda, sabidas
de bailes, leques transparentes e de phan-
tasia, e outros muitos mais, que se ven-
dem com o mesmo abatimento de 50 [0.
Para horneas
Casimiras inglezas com duas larguras, de
30500 por 10200.
Ditas cor de caf e azul, de 20500 por
800 rs.
Cortes de soda para collete, de 120000 por
30000 e 30500.
Ditos de velludo e t'ustSo a 10 e 10200.
Meias inglezas eom fio de seda, de 120
por 60000 a duzia.
Paletots, de 70 por 40000.
Camisas com um pequeo toque de mofo
a 10600 uiua.
Collarinhos, modelo moderno, a 50000 a
duzia.
Camisas inglesas com collarinhos e pu-
nhos, sem collarinhos e sem punhos a
360000 -Taima. *
Brins pardos de linho a 240, 280, 320.
360 e 400 re.
Dito bramo de linho n. 6 a 10200 a vara.
Lindos cortes de casimira ingleza, de 60
80, 100 e 120 a 40, 60, 80 e 100000.
Sobretudos impermeaveis de borracha, para
homens; de 7< c sO-> por 30:) e*4O0.
Ceroulas francesas, de 380 por 240OO;>
a duzia
Paletots de seiia. completos e feitos de
casemira. para viagem, boleas de
tapete e um completo e ?anadissnai sor1
tmentO de cheviots, casimiras francezas,
inglesas, pretas e de cores de padriJes ri-
teiramente npvos e que se vendem t-r-iu <
mesmo abatimento de bO "[0 de sen valor.
. Hetalho*
Aproveitem a grande quantidade e
pelo- preet, en -edas pretas e <:
gorg merinos, zel.\
linh''-. eh:n-. ninriapo] nhofc. '
Y. ni -hraclias que
Loi'a das Estrellas
Josio Jutir da il a
Mara Venancia da Silva, Mara A. da Silva,
Rita Angelina da Silva, Guilhennina Eulina -da
Silva Cesar, Isabtl Jul da Silva Braga, "sabel
Rosa da Silva Furtado, Rosalina Regina da Sil-
va, Manoel Jos Alves da Silva, Joo Jos da Silva
Filho (ausente), Antonio Ferreira Braga, Joao
Antero Furlado, Irineo de Araujo Cesar e Clara
M, da Costa, imilber,filhos, gen ros e cunhada an-
da profundamente envolvaos no golpe que aca-
ba de vibrar lnes a plida morte, convidam seus
amigos e narentes, como os anrigos e prentes
do fallecido Joo Jos da Silva, para assistirem
as missas, que pela sua alma, mandara rezar na
igreja matriz do Corpo Santo, s 8 horas do dia
25 do corren te, stimo d" seu passamento.
Desde j se confessara agradecidos a todos
aquelles que concorreram ao enterro, e de novo
assistirem as missas.
t
< albarina Pessoa de iiim-ioa
Faria
Marianao de Figueira Faria, seus (Unos, sua
sogra e seus cunhados, ferdos pelo golpe da
murta de sua idolatrada esposa, mi liha e ir-
m, Catharina I'essoa de Figueira Faria., agra-
deceni de todo coraco s pessoas que acom'pa-
nharain o cadver da mesma al a sua verdadei-
ra morada, e de novo rogain o favor de assisti-
rem as-missas do stimo da, que (ero lugar no
"lia 26 do corrente, pelas 8 horas da manh, na
: iriz da Boa-Vista ; confessando-se desde j
ugradecMOS por este acto de religio e can-
dnde.
t
Buliiia Hara da (occmio .
O Dr. Augusto Lope.< da Assumpco I'essoa.
Quirino Lopes da Assump'cDo Pessoa, Gervasio
Lones da A,urapco I'essoa e obrinhos agra-
decem a tedos aquelles que acompaauaraai e
conduziram ao cetniterio publico o corpo de ua
mui prezadatia. Rutina Mara da Conceicao : e
de novo os convidam. como aos demais prentes
e amigos aasisureoi as missas que pela aima
da mestm finada se hSo de rozar s 7 horas da
manh de terca-feira 26 do corrente na igreja
do Rosario le Santo Antonio.
i.....mmmmimmwmmKsimx
Typogaphia e Lilfaographia
FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTD-
RAgAO
Premiada na exposicSes de
188 e 188*
Manoel J. de Miranda
EHcadernaco e especialidades em cartes de
visitas.
39-Ra Duque de Caxias-39 _
Telephonen. 194.
mmtsa-n
a chave da casa de um bom
estabelecimento em urna das
principaes mas de commer-
cio, na fteguezia de Santo
Antonio. Quem pretender
dirija-se a esta typographia.
que ne indicar.
Cosinheira
Precisa se de urna ama que cosinhe bem ; no
lerceiro andar do predio n. 42 da ra Duque*de
Caxias, por cima da typograpbia do Diario.
Pharmacia Bartho-
lomeo
Precisase de nm pratico : a tratar na ra
larga do Rosario n. 34.
Cavallos roubados
Furtaram ante-hontem do engenho Matapagipe
do termo do Cabo, dous cavallos com os seguin-
tes signaes : um alaso, com frente aberta, an
dador de barxo e de tamanho regular: e o ou-
tro rodado, sem muda nenhuma, cabano e sem
ferro algum : quem delles ti ver noticias exacta?
dirija se ao referido engenho que ser generosa-
mente recompensado.
Nova loja de calcados
Ra do Mrquez de Olinda n.
49
ranea deste genero na fregcezia
DO RECIFE
Recenlemente aberla achando-se em condi
ces de bem servir o respeitavel publico espera
merecer a confianca de lodos os habitantes desta
provincia e das limitrphes.
Vende-se em grosso e a retalho calcados na-
cionaese estrangeiros por pregos rasoaveis.
Recife, 20 de Fevereiro de 1889.
______Maia Rodrigues & C.
Cosinheira
Precisa-se de urna boa cosinheira ; na praca
Conde d'Eu n. 32. 2- andar. _^ __
Criado
Precisa-se de um criado ; na ra da Aurora
n. ii9.
RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada officina de relojoei-
ro, sita ra Prmeiro de Marco n. 4, acaba e
ser transferida para a ra Larga do bom-
rto n. 1S.
O seu proprlelario, tendo nm compleloe muitc
bom sortimento de aviamentos tendentes sua
arte e' com urna longa praca da mesma, offerece-
se ao publico em geral para encarregar-se de
todos concertos de relogios, caixas de msica,
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confianca de
seus freguezes assegura-lhes que ser sempre
solicito no cumprimenio de suas oraens.
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vollichard
Trasp
assa-se
ou arrenda-se urna casa para pequeo negocio:
em um dos pontos mais centraes do bairroide
Santo Antonio, pintada de novo e com armago
nova : quem a pretender dirija-se ra Raro
da Victoria n. 54, 1 andar.

Amorim Irmaos & C. pr*e-
vinem ao corpo commercial
t a todos que interessar
possa, que o Sr. Antonio Au-
gusto Bezerra de Menezes
deixou de ser seu empre-
gado.
t
l^naeio Heude da 8iia
Rosa arolina Mendos da Silva. Julia Benigna
Monde? da Silva. Mara Eugenia de Jess i
Biquio de Jtrsu.-. agradeovm que dig-
naram se aconipanhar os restos morlae? de seu
presado esposo, pae e sogro e convidara para a~-
sislir a unssn que mandara n
2o do corrente, na igreja do Rosario da B6u-
6 1 i horas da manha e eonfftwam-se
idos.
Assucar
Usina Pinto
Santa Filn ila
Colonia Isabel
Na reinacao Salgueiral, ra Mareilio' Dia^
numero 22.
Assucar refinado
especial, o melhor que se fabrica oesta cidade
JOAQUIM SALGUEIRAL i C.
liiia-Mavcilio Das n. 2S
'l'el'ph o no numero I ir
X
t
fiaiirloco Pedro rto Hejlo
Capitulia Mar^arida de Mello. sua> irms e
sobrinha mandaai rezar nda-feira 25 do
corn
Carino, ama missa por alma de seu irn
e prente do pai-o
Pettoratip Cambar*'
DE
Jos Alvares de Socza Soares
De Pelota?
Approvado pela Exma. Junta Central
de Hygiene Publica, autnrisado pelo l.i
verno Imperial e premiadu com duas me-
dalhas de ouro de l.'classe.
O PEITORAL DE CAMBAR cura perfeitir
mente a bronchite aguda on chrot
O PEIORAX DE CAMBAR cura .1 ;isthru:
por mais antiga que soja:
O PEITORAL HE VAMBAB Cilla d
fonua admiravel qifalquor roaq-r .".
perda de voz ;
. O PEITORAL h. \ ura i'..!.
tavelmente o tyaica pnlnvu
> PEITORAL DE AMBARA cura as toss
simples, as deflu>: pidan
te que ao 'propri ioenti
,io;
E~ ende-at
b SAatll") luaia e

_

a
*

*
/





Diario de PernambucoDomin
e Fevereiro de, 1889
PHOSPHATINA FAL
0 mellLor Alimento
Para as CRIANCAS
'APT, e, AVENUa vicxobia, e. r.
DetositM ta Mu u priuipaM ttmmtaL.
ni:
\
HERMES DE SOUZA PEREIRA & C.
g3G5BSSORB8.
Acaba! de reabrir-se esta importante pharmacia sita ra do Mrquez de Olinda n. 27, depois de ter
passado por uma.transformaeao completa. Est em conclicoes de satisfazer todo e qualquer pedido, nao s concer-
nente manipulacao do receituario, como a venda de preparados nacionaes e estrangeiros, dos quaes a dasa se acha
rigorosamente sortida.
Esta casa sendo por demais conhecida pela sua seriedade, os seus proprietarios esperam do distincto corpo
medico e da populacao em geral, a continuacao da proteccao que sempre lhes d6pensaram, para o que empenham
a reconhecida lealdade com que costumam tratar os negocios de sua profissao.
DHCDSaiWXKS 303S SOtJZA. ^Deoa3erB.jL &. G. SOCCESSORES
WH&Wk 81A &Q 9 2 2 BE OLSiiB.2 7
58-Rua Duque de Caxias-58
GRANDE LIQUIDCO .
Principia na segunda-feira, de todos os artigos que
ficaram de saldo do balando do anno prximo passado,
vendendo-se por metade do seu valor.
Grande quantidade de retalhos de algodaosinho,
madapolao, chitas, seda, setim, etc., etc.
56 e 58Ra Duque de Caxias56 e 58
AO N. 20
(JUNTO AO LOUVREj
PEREIRA MAGALHAES
i
c 1*800, agonal, duas
Recebedores directos dos mercados da Europa
iquidam os seguintes artigos com descont de 14 [c
vendas em grosso
Bramantes de -algodao superiores, a 8Q0 rs. o metro, 4 largura.
Tdem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 1)9500, metro.
Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 15100 e 1*200 o dito.
Algodao alvo, nacional, para lences a 5*500 a peca.
.Madapolao americano, a 3*600, 4*000 e 6*000, com 24 jardas.
Maripozas de cores a 220 rs. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
Ratistes idero a 120 rs. o dito.
Zefiros de quadrinhoe, a 80, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito,
dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
Fichs de renda chics a 1*000.
Colchas Irancezas de cores a 2*000 e 4*000, rana.
Lences de bramante a 1*800, para cama de casal.
Casimiras de cores para roupa de crianca a 1*000
largaras.
Camisas inglezas c francczas a 26*000 e 30*000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 14*000 um.
Cortinados ricamente bordados a 5*500 e 6*000-
Pannos de cores para mesa a 1*100 e 1*300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 3*000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores o pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dito.
Setins de todas as cores a 900 rs. o dite.
Sejinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruas inglesas para homem a 2*500 e 3*000 a duzia.
Ceroulas bordadas, de bramante, a 12*000 e 16*000 a diu>,
Cortes de casemiras para calca a 4*000 e 6*000.
dem de meia casemira a 2*000.
Toalhas grandes para rosto a 4*000 a duzia.
dem felpudas para banho a 12*000 a dita.
E muitos artigos que serao lcmbrados com apresenca de nossos leitorea.
59Ra Duque de Caxias59
LO JA DE
PEREIRA & HAGALHES
as
i
Gazes- de cores a 500 rs.J[o covado.
Fustao branco a 360 e rs. o covado.
Brins de cores a 280 rs. ocovado.
Baleias pretas a 260 a rs. duzia.
Colchas de cores a 2* e 3*000 urna.
Cumbraias bordadas a 4*000 a peca.
Luvas de seda a 2* e 20500 opar.
Lencos brancos a 1*200 e 1*800 a duzia.
Crotones de Alsace a 360 rs. o covado.
Atoalhado bordado a 1*200 o metro.
Brim pardo a 280 rs. o covado.
Linhos de quadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Espartilhos couraca a 5*000 um.
Chales adamascados a 2*500 um.
Cortinados bordados a 6*000 o par.
Merino do cores, a 500 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 12* a duzia.
Madapolao americano a 66000 a peca.
Chachemiras lisas e listra de combinaco'es
a 1*200 o covado.
Cambraia Victoria a 2*900 a peca.
Bramante de linho a 1*700 o metro.
Toalhas para banho a 1*500 urna.
Tapetes grandes a 13*000 um.
Ceroulas de linho a 34*000 a duzia.
Cretones francezes a 400 rs. o covado.
Leques transparentes -& 2*500 um.
Alpacas de quadro a 600 rs. o covado. m
Camisas branca para meninos.
Sabidas de baile a 1*000 urna.
Cretones de cores a 240 rs. o.covado.*
Percales fi as a 200 rs. o covado.
Nansok cores fixas a 240 o dito.
Las escossezas a 260 rs. o dito.

Alpacas- indianas & 320 rs. o covado.
\a ra Primeiro de Maree n. 20
Popelina branca a 800 e 1*000 o covado.
Bicos matisados a 2*500 e 3*000 a peca.
Panno da costa adamascado.
Regatas de cores a 1*000 urna.
Sargelim de cores a 200 rs. o covado.
Crenolina, preta e branca, a 400 rs.
Chambres, de crep a 5*000, e 6*000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. e covado.
GuarnicSo de crochet com matizes.
Grinaldas para noivas.
Setim de c6res a 800 rs. o covado.
Cachemiras de duas larguras a 800 rs.
Cortes de linn em cartao a 10* e 12*000.
Camisas allem3es a 36*000 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado.
Linn de cores a 500 rs. o dito.
Linhos de quadros a 80 rs. o dito
Bramante trancados a 1*000 o metro.
Meias para homens a 3*600 a duzia.
Guarnico de crochet, brancas.
Extracto Port Veine a 1*400
Alpacas mescladas a 600 rs. o covado.
EntrcteUa para camisas a 800 rs.
,. AU 0 CARNAVAL
Guarda-p para homens a 6*000.
Guarda p para senhoras a 10*000.
Pilotte de seda palha a 8*000.
Ditos de alpaca preta a 5*000.
Ditos de brim pardo a 50000.
Esguiio pardo a 400 rs. o covado.
Gangas lisas a 340 rs. o covado.
Setineta dourada a 400 're. o covado.
Tarlatana prateada a rs. o- covado.
Velbotina de caes a 800 rs. o dito.
0 Remedio do Br. Aye*
CONTIIA SEZES.
E' i;m tnico forte puramente vegetal, e,
polo conhecimouto practico dos seus cffei-
tos, Garantido como remedio certo para
as febrea malignas. Estas desordens de-
\c-ra a sua origem. a um veucno miasmtico
que penetra no sangue pelos pulmoes, altera
agaido e motiva as differentes classes de-
febres conhecidas por Terciarias e
Quatrenarias, Internas, de Fri,
Malignas, Intermitientes, "fiemit-
tentes, Biliosas, e Typhoide.
O 7r.\tEDio no T)t:. Ayer neutralisa o
\'> miasmtico e -x;le-o do systemi.
H2o contem quinina uoit ingrediente ai-
gtuj mineral; seguro e inoffensivo, e
URcu fallin se se usa segundo as ilireccSes.
PRErAKADO PELO
DE. J. C. AYER e CA..
Lowell, 3Iass., E. U. A.
A' venda as priccipoes pharmscias e
oregarias.
O OLEO PURO
DE
FIGADO de BACALHO
LAUMAU & ZEMP
produz effeitos anlogos a os da
Emulso com Hypophosphrtes
dos meamos senhores, no caso do
ser preferido o tractamento nesta
forma para o curativo dos incom-
modos
do Peito, a Garganta e os PoimOes.
Aluga-se
a casa da roa Coronel Suassuna n. ISO; a tratar
na ra Marcilio Dias n. 106.
Aluga-se
a casa terrea ra da Conquista n. 9, eom boas
accouimodaces, agua canalisada, est limpa
a tratar na padaria ao Camiaho Novo.
Alug-a-
se
a casa n. 3 da ra de Paysand, tem agua e gaz,
e omitas acommodaefies para familia : a enten-
der-Be ra do Corredor do Bispo n. 6.
Aluga-se barato
a casa n. 4J travessa do Bartholomeo, os 1 e
S' andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
e os 1 -, 2- e 3 andares do da ra do Brum n.|84,
todos com bastantes accommodacoes para fami-
lia : a tratar na ra Larga do Rosario n. 34.
AMA
Precisa-ae de urna boa en-
gommadeira que faca outros
servicos, a tractar no 3.a an-
dar, por cima da typographia
do cDiario na; ra Duque
de Caxias n. 42.
PRODUCTOS ESPECIAES*
Do Br. Carlos Bfettenconrt
APPKOVADOS PELA JONTA CENTRAL DI
HYGIENE DA CORTE
Salsaparrilha e Caroba
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheumatico, anti-syphilitico, empre-
ado em todas as molestias de pelle, erysipla,
darthros ou impingens, beriberi, anthrazes o
carbnculos, cancros venreos, feridas cance-
rosas, ulceras, gouorrbas chronicas, boubas,
bubes, escrfulas e todas as doencas que de-
penden) da impureza do sangue.
Este remedio superior a todos os outros se
3eu genero, o que est provado pela preferencia
e acceitacao que Ihe d o publico.
Um vidro
3*010
Elixir de Jurubeba, Quina e
Pegapinto
TNICO FEBBIFGO E DESOBSTRUENTE
Empregado na debilidade geral, doencas 46
estomago, convalescengas depois do parto, febref
'_ do e bao
peste, anemia, calorse,-cores paludas ou falta
palustres, molestias do tigado e bac, falta de
de sangue, doencas nervosas.
E' um reconstituinte de energia, aromtico e
agradavel ao paladar.
Um vidro 34000
Xarope de Jaramacar com-
posto
GRANDE PEITORAL
Tratamente curativo de todas as molestias da
peito e da garganta, defluxos, tosses simples e
convulsa, coqueluche, constipaces, asthma, nroa-
chite, catarrbo chronico e tjsica pulmonar e o
larynge.
* E' o primeiro peitoral que se conhece at neje
na medicina.
Um vidro 2*500
A' venda na ra Barab da Victoria n.
51
Pharmacia Picho
aaSaaaa
Precisarse dauma ama
rea i Barao da Victoria n
movis.
de leite ; a tratar na
54, nova agencia de
Ama
I. Precisa-se de urna ama para cosinhar em casa
de pouca familia
'segundo andar.
na ra do Livramento n. 23,
AMARAL
c *M**MS DORES D*P*W>fe^
tf* Elixir, jP o Pasta dentifricios ^*^#
- dos
RR. PP. BENEDICTINOS
da ABBADIA de SOTTLAC (Gironde)
DOM MAGUELONNE, Prior
M AS MAJS ELEVADAS RECOMPENSAS
Grageas Demazire
ApproTOdM 9*1* Xxun>ootori do Hyaleue do BrsutU
CASCARA SAGRADA
Vtniudairo Jli r0
Contra a Priumo de Vntr hmhttmml.
Deposito
I0DURET0 FERRO CASCARA
O JbvM* activo do* Perruginomom
Tfio prodamlndo a Primio geral: PHABMAOIA G. DEMAZIRE, 71, avenue de Villiers, Pars
Em Ptrwimtuco : FRAN" U. da SILVA C
INVENTADO
StO \NNO
Pelo Prior
Marre aouai
' O BM qnntiiliaiio do Elixir Dentifricio
dos RB. PP. Benedictinos, com doae de
lf!uu dt-B denles, embranqnecoos, fortalecendo e tor-
nando as gengiva prfeiamente sadias.
': Prestimos um verdadeiro servico, assigna-
lando tos nossos lritores este antigo e utilis-
mo preparado,o melhor curativo eo nico
reservativo contra as ArleccSes den-
krias. s
Agente geral : SEGUN,
Acht;
BORDEAUX
en todas u bous Ptrfumtriu, P/iinnic/ai e OrogarU.
Ama
^a ra de Santa Rita n. 83, se precisa de urna
ama para cosinha.
Ama
Precisa-se de jjma. amor para cosinhar; na tra-
vesea do Pires n. 5, Geriquiti.
Ama
Precisa-se de
pequea familia
ras n. 5.
urna, ama para cosinhar para
a tratar na ra das Larangei-
Ama
Na ra da Matriz da Boa-Vista n. 26, i andar,
precisase de urna ama que cosinhe hem. para
casa de pouca familia.
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar e eosi-
nhar ; na na da Imperatriz n. 41. padaria.
Ama
Precisa se de urna ama para casa de homem
solteiro : na ra da Pundicao n.'4.
ffl^U|nnu,<

.'3m casa da todo- cmg atea GaJ>iil<*reiros
c Fvw&a o ci.-; SxtiHgelr<

PREr-A!t/.">J CON.
.^"ST, Porftu
I ^als, e, 3PAJ5.
//
ini
Vinho Xarope ** Dusart
A0 LACT0-PH0SPHAT0 DE CAL
Approvados pola Junta d'Hygiene do Rio-do-Janeipo.
0 Loeto-Photphata de cal, que entra na composicao do VINHO e do XAROPE
d# DUSART, o medicamento mais poderoso que ae conhece hoje para restaurar
as forgas de certos doentes.
Consolida e endireita os ossos das creancas Rachiticas, torna activos e vigorosos
os Adoleicentes mollea e lymphaticos e os que ae achao fatigados em consequencia
de rapao crescimento. Facilita a cicatrisac&o das cavernan do pulmao nos Tisieot.
Sendo administrado s mulheres durante a gravidez ellas Etravesso todo o periodo
da gestai;ao sem a menor fadiga, sem nauseas, sem vmitos, e do a luz a cre&nrm
fortes e vigorosas.
O Laeto-Pkosphato de cal administrado s amtu e s niSes que crio os fllhoa,
toma o leite mais rico, mais nutritivo, e preserva as creancas da diarrha e de o
molestias, que se declarao durante o crescimento. A dentico ope:'a-se sem fatigar a
oreanca, sem que apprego convulsoes.
O VINHO e o XAROPI de Lacto-Photphato de cal de DUSART de?pe.-t*o o
appetite e levantSo as forcas dos convalescentes e devem ser eaij regados em todos
os casos em que o corpo humano se achar fatigado ou exhaurido de forca$.
Deposito em Parlz, 8, ra Vivien
Curadas pelos CIGARROS ESPIC
OppresHen Tosae Defluxos Xevraigias
UCSSCIADOS PILA IMPICTOBIA DIHVaiEKE DO IMPERIO DO 3RAZ1L
Asplra-se a fumaca que penetra no pello, acalma o sy-stema nervoso,
lacllU a expectoraco e tavorlsa as fanc?Oes dos orgos resplratorios.
Venoa ataoa4o. J. ESPIC,' ZO, ra Si-Lazara, eai Parte. hxija-* ata. oulgnatum.
fc Ptritmujcc, : FRAMCo u. da SILVA a Cm iiaa rmiU^>i nuna u*wi~.
DIGEST0ES
0IFFICEIS
Dyspopsia
Parda
08 AppiUtB
DOEnCASfeESTOIMGO
ELIXIR GREZ
GASTRALGIA
tnico
KM TOnoS
AAM
OS BOSPITAKS
Jt*r1m"-mr
NA, OOCA
omitos
Diarrha
chrontca
NA
Ama
Precisa-se de urna .ama de idade para pouco
trabal no ; a tratar na ra da Madre de Deus n.
3, hotel.
G
asa
.-\luga-se urna boa casa para grande familia,
com agua, gaz e est limpa, defronte da estacao
do Caminho Novo : u tratar na ra da Cadeia n.
47, i andar, ou Aurora n. 81
Aos amadores do carnaval
leja
Ma
8ez, 3a, ra La Bniyare. a todos as afear
4a Omro m Diplome* da Honra.
A VMRDADKIRA.
AGUA de B0T0T
f o nico Dentifricio approvsdtr
nu ACADEMIA db MEDICINA os PARS
0 melhor calmante contra as Dores de Dentes
Raoommandado especialmente com os ROS de IOTOT w" Ootti,
para os ouldados da bocea. ..
89, Rae St-Honore, Paria,* a uiu m bou DMprla*. ttrlmwaim t CaUUaatha.
'. IJffi^r^aitN.

m

'
TITTTTI
- ll
fi'
'3AL Mu,.. 3L0SS*
{pasta unctuo'
ORA XA LIQUIDA HHPEMEAVU]
TTiO d'esta oraxaf
<,-> durante urna somajiu.
saja tr*w tr o ternpo.
nbtras. I
tuiirpt* i ^ ^fl'*1
SB& SSCOVAa
de tolbe, de fal o/oajl
Exercito laglax.'.
AganUs e*K m PEHNAM8L.
OuimjrM A Parntfn.

A hem conhecida loia de miudezasBAZAR
DO RECIPE.a ra Mrquez de Olinda n. ii
cantiga di adela) recebeu grande sortimento de
mascaras i-aricatas para homens, senhoras e
enancas, p zrandes colleccOes para clubs e so-
ciedades caravalescas. vende-se por precos sem
competencia, qner pequeas ou grandes porces
Vale a pena visitar a loja de miudezas^BAZAR
0 RECIFE para ver o melhor sortimento d
mascaras que tem vindo ao mercado. Tambem re
cebeu grande sortimento de bisnagas de cheire
e outros artigos proprios para o carnaval, tudo
a pre508modicos loja de miudezas
Bazar do Recife
A' ra Marques de Olinda n. 11
De Domingos M. Martin
Costureira e modieta
franceza
Madame Fanny Suva tem o seu atelier-de me
das e costuras ra Bario da Victoria n. 16, 1-
andar, e confecciona todo e qualquer toilette,
com apurado gosto e elegancia, para casaaMs-
tos, bailes, visitas, passeios, ete> jgz taaaow
manteletes e capas sobre medida, ^fctia-*-
ter um lindo sortimento de uoidades de paria,
vestidos de seda, feitos, eem cortes de seda,
gaze. velludo, broch e crep de chine, fnnfcii.
surans, sedas e ottomanas pretas. Esoaftido
sortimento em vidrilhos pretos, chapeos, capo-
tas e visitas ; luto em 24 horas. Telepbqpe a.
93. Ra Barao da Victoria n. 15, 1 andar.
Caulellas do Monte de Sdccorro
Compra-se cautellas do Monte de Soccorr* de
qualquer joia. brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 22, lo/a de
relojoeiro. ____ _____
Professora
Urna senhera competentemente habilitada, cea
prtica de 11 annos de profissao, apresentaodt
diversos attestados de bom methodo e comporta,
ment, ofierece-se para leccionar em casas par-
ticulares, na cidade ou em seus arrabaldes ae se-
guintes materias: Portuguez, Prancez, Itahaso.
Geographia, Piano, trabalbos de agulha. etc.; a
tratar ra Visconde de Ooyanna n. 69 $m en
casa do-Regulador da Marinha ra larga
Rosario n. 9.
Apolice provincial
Havendo-se deseocaminhado do peder da
abaix<< assignado urna apolke provincial n. S79
da 2.a serie, do valor ae 5OO300 e juros dt 7
0/0, pertencente ao menor Mario, filbo do Sr.
Dr. Andr Cavalcante de Albuqaerque, lax-ae
publico o facto, para tins convenientes.
Recife. 7 de Fevereiro de 1889.
Joaquim uarte Campos.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 12 14 anaas,
com pratica de taverna ; na ra da Fundifla
numero 4.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com, pratica de
Ihados : a tratar na ra da Florentina n. 34.
Criado
Precisa se de um menino
Florentina n. 34,
a tratar na isa
Cosinheira
a tra
Precisa-se de urna ama para cosinhar
tar na ra do Livramento u. 1-
Aula .de paisagem
Acna-se aberta a matricula para a aula de
paisagem, no Lyco de Artes e Officios, a qual
unccionai nos demingos, ao meio dia. sob a
direceo do Sr. J. J. Telles Jnior.
Cosinheira
Precisa-se de urna cosinheira: na ra Velha
numero 137.
Professora
Urna senbora competentemente habilitada,
r.ropoe-se a leccionar em collegios- e casas par-
ticulares as seguintes materias : portugaez.
francz. mhsica e piano : a tratarla rea Vis
i conde de Albuquerque a, iO.
Ao
commercio
Antonio Emygdio Barbosa Gomes, nagoctaata
em Timbaba, declara ao corpo commerciald'as-
ta praga que o Sr. Nazario Rodrigues d'Oirtia
deixoi de ser seu empregado desde o dia 19 de
corrente mez e que nao se responsabihsa par
qualquer transaco effectuada com este ear.
Recife, 21 de Fevereiro de 1889.
Antonio Emygdio Barbosa-Gome!.
Protesto
O abaixo assignado pelo presente .declara pie
nao devedor de impostos ilguns, quer relativo
a sua casa ele negocio ra do Progres a tO,
quer ra do Paysand n. 2, pelo que-alase
pode responsabilisar para com a iz>u(|a acio-
nal por qualquer cousa que outro aiada
mais daclan ao commercio e jos partteurares
3ue nao tem contas atrazadas. coj te 30
ias, e se tem a firma de Abreu i c'ai'uiajricB
na ra do Progresso para se diftVivncara da
ra do Paysand a. 2; e nesta dai
Dr. juiz dos feitos da fazeiidi;
effeitos.
Recife. 21 de Fevereiro de 1889.
Manoel Fenandn i-

tvtt aa
evidM
Communica^ao ao
ci
Lniza Florinda Pedrosa
gociiintes desta praca oaaai
nhecimento que absolu
bilisa pelo pagamento
por quem quer que
se do seu aume verbal
f
: s
.-


I





GRANDE ESTABELECIME
a^
PIANOS E MSICA
FUNDADO EVi 1851
43-RUA DOS OUaiVES-43
J. BSVILAGQU
___ .._ :_*^_z^_ _. t .. "^ ,..t* .K.Ion
dos piaros de
ruso fregueses Jo interior que tem a- mpru n>. Tj estabelecimento o
piscos dea Dn-lhor** utnres.
t". iticip -rg seus do
sortimnto de
rraior a tutia escolhido
sr.
(primeiro fabricante da Allemanha)
CoDiTairtoa cotn chapa ioteir* de metal, propria para o iiobbo clima
Cordas cruzadas, grande son rdade, perfelco. durarlo e solidez
:l::s:. noiao, &Amu, nu, sozssslqt s otsss
B- Ctslpgoa e precos corrent ferio remettidoa grtniUoif-nti* a quem os pedir.
GRANDE OFFICINA PARA CONCERTAR PIANOS
USICA
D
todos os editen" d'Europa para piano, canto, inatrumentoB, orebestra -. banda militar.
niMAITRl MUSICAL-Rio lbum ontendo aete pecas de msica, almanacb e catalogo de peci.s esoolbidas
Querc noa remetter 520 r. enviaremos u MINIATCRA.
As encommend* que no forem dirigida serlo deapachada com maier brevidade, desde que venbam acompanhada
dejeeu valor.
N. B. -O ^batimentos serlo propogeionados o t.Ic das encommenda.
Grande officina para gravar e imprimir msica
As pea8oas que quizerem mandar editar auzs conip. bcS deven reroetter-oo os manuscrito par seren informada da
. doapeaa.
ominsro 24 de Fevereiro de 188
MZ333SEMEEBL
J. BEVILACQUA
43-RUA DOS OUMVES-43
Rio de Janeiro

CHaPO FREGANTE
Roa do Bar fio da Victoria 19
Acaba de receber pelo ul-
tinio vapor da Europa urna
collec,ao de chapeos para Se-
nhoras o que ha de mais mo-
derno fino e elegante, ven-
dempor prego commodo.
Car val ho Irmao & C.
Salo da Moda
Ra do Visconde de Inlisiiima n. 3
(ANTIGA DO RANGEL)
Os proprietarios d'este mu acreditado
estabelecimento previnem a seus fregue-
zes, que tem um completo sortimnto de
fazendas. que vendem por menos 30 [0
do que em outra qualquer parte: como
sejam:
Linhosinhos de quadros a 80 rs.
Las de quadros a 160 e 240 rs.
Zefires, muito largos, de 320 a 240 rs.
Cambraia de salpicos a 4)5000 a peca.
Dita Victoria a 20800.
Cretones claros que eram de 320 a
240 rs. o covado.
Chitas de 200 o 240 rs.
Fichs com ramos e sem elles a 10000,
2*000, 3*000 e 40000.
Baptistes de cores a 120 rs. o covado.
Camisas francezas a 2*000.
Ditas de linho a 2*800.
Ditas inglezas a 4*500
Chales de casemira a 2*000 e 3*000.
Sargelim diagonal a 200 rs. o covado.
Meias para homem. senhoras e- meninos
a 200, 240, 320 e 400 rs. o par.
Tambem temos um completo sortimnto
de artigos para homem como sejam :
Casemiras, brins, fustoes para collcte,
collarinhos, punhos, gravatas e muitos ou-
tros artigos que sao precisos para satisfa-
zer as exigencias do mais caprichoso e
elegante cavalleiro, para o que montamos
urna officina de alfaiate sobre a direeeao
de um perito mestre.
PRECOS SEM COMPETENCIA
Gonqalves Santos & C.
A
Pao centeio
Mille & Biset, avisara ao respeitavel publico,
(rae todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; ra larga do Rosario n. 40.
VENDAS
VENDE-SE uina mobilia de amarillo com
pedras, muito beun feita e com pouco uso ; a
tratar na ra das Trincheiras n. 19. loja
Vende-se leite de vaccas da trra, puro.
320 rs. a garrafa, garantindo se a boa qualidade
aos freguezes que o comprar tiesta casa. 6s
freguezes encontraro o leite das \ as 7 horas
da manhS, e tambem nos encarregaroo; de man-
dar levar em casa de qualquer freguez : na ra
do Rangel n. 53.
tPara oDerby
ros Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores proprias
pan: os amadores do Prado e esta venden-
So por precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinhos e punhos
de borracha de formatos novos.
48RA BARAO DA VICTORIA 48
Armaco
o
Vende-se orna armacao de amarello em per-
feito estado, propria para miudezas ou tabaca-
ria : a tratar na ra do Cabug n. H-A.
F0LP5TIM
Fazendas baratas
Loja do Triumpho
Rna Duque de Caxlas n. 49
Las fins com froco, a 3*0 rs. o corado
Ditas de quadros, bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
Zeliros largos de quadros a 240 rs.
Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
Ditos bordados linos a 700 re.,
Etamine arrendada a 440 rs.
Dita de listas abertal a 400 rs.
Setins de listrinhas a 660 rs.
Ditos da China (fantazia) a 240 rs.
Saias bordadas finas a 3#O0u
Camisas bordadas finas para senhora a 4<000
Cambraia braDca bordada, a 4*500 a peca.
Dita bordada de ciV a 54500 apoca.
Chitas escuras muito boas, a 200 rs. o covado
Algodo largo ( 10 metros), a 2#500 a peca.
Dito dito de 20 jardas a 4<00Q
Toalhas acolchoadas grandes, a 4#500 a duzia.
Redes inglezas gratules a 5*000.
Guardanapos de linho, a l #800 a duzia.
Camisas de linho sem punhos e sem colarinho
a 3*000.
Bramante de algodao 4 larguras, a 700rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14*000
Cortes de seda para collete a 4#000,
Cortes de casimira inglesa a 4#500
E outras muitas fazendas que se vendem mul-
to baratas para liquidar.
A' rna Duque de Caxlas u. 4
Bastos efe G.
SEM MAI
POR
mulo fai.seiust
DURANTE A TKMPESTADK
(Continuarse do n.
CAPITULO VII
43)
Taverna
Vndese urna taverna no bairro da Boa-Vista,
bem localisada, de pouco capital, muito propria
para principiante, e o motivo da venda se dir
ao comprador : a tratar na ra do Arago nu-
mero 13.
NOVIDADES
FAZENDAS PRATEADAS
rm vssTisos mmsiAsos
Aos bailes do carnaval
\os Clubs internacional. Carlos
Comes e !*'cntnde
VENDE A
Loja das Lislras zoes
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
D*-.*e amostras.
Taverna
Vndese a taverna da ra de Luiz do Reg n-,
47, em Santo Amaro das Salinas': a tratar na
mesma ou no Caminho Novo n. 87.
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
der Joao^iim da < Uva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, 1 andar.
K
Onde est elle t
De repente o rosto de Suzana annu-
viou-se extraordinariamente, e urna nu-
rem passou-lhe pelos olhos lmpidos.
Julgo, entretanto, disse ella, que al-
Sim entrou no meu quarto esta noite.
Iiy, durante o somno, a porta abrir-sc,
e depois urna peasoa approximar-se do
fcer50.
E era Jorge ?
Ella cojou violentamente pensando na-
quelle qu^ julgara ver e respondeu :
__Mal abr oe olhos, porque dormia
profundamente, e no vi ninguem. Mas
afinal nao podia ser se nlo o Sr. Jorge
memo.
Elle nao poderia ficar taV> perto de
Adelia, com a tentacao de velar sua ca-
becero e a impossibilidade de fazel-o. Foi
aem duvida para o seu gabinete. Vou ver.
Chegou at a porta.
Sbitamente voltou-se:
Sobretndo, disse elle,' n3o inquietes
nnha irmS, e nao lhe digas que seu ma-
rido jiSo dormio aqu esta noite.
Nao tenha receio, Sr. Pedro.
O Sr. Sauves desappareceu.
Estava um pouco paludo, e urna pro-
funda ruga cavava-se-lhe no ineio da testa.
E' que lgnnti dias antes, Jnanna Des
cours, n'um momento de Suprema miseria,
apresentara se na usina e pedir para fal-
lar com Jorge.
Este recusara-se categricamente a re-
, cebel-a.
Mas Joanna So < dava :o fcilmente
nAr vencida.
Voltara, escrevera.
Vendo as suas cartas sera resposta, con-
tinuara a voltar.
Urna tarde, dou* dias antea, Pedro en-
contrara-a porta da usina, esperando
Jorge.
A idea de que Adelia podia vel-a e ter
profundo desgosto com essa historia, que
ella ignorava, fizera com que Jorge se di-
rigisse peccadora.
Porque obstina-se asaim em querer
ser recebido por meu cuahado? disse-lhe
elle muito moderadamente, afim de nfto
irrital-a rfiais. Elle nao deve, n3o pode
acceder ao seu pedido, como a senhora
deve saber.
Ella meneou a cabeca, adoravelmente
bella, com os seus olhos verdes debaixo
de sobrancelhms negras, e respodeu com
colera persistente:
Isso bom de dizer, meu caro Pe-
dro. .. Preciso fallar com Jorge, e nem
que seja daqui a quinze annos, hei de fal-
lar-lhe.
- Eu nao posso substituil-o'(
Pedro era um homem muito seductoi,
com o seu rosto grave e os seus olhos cas-
tanhos e meigoB.
Impressionar um Scrates de tal genero
nao era cousa que desagradasse a Joanna,
o qual sabia que inimigo tivera sempre no
Sr. de Sauves, a encoutrava um duplo sa-
bor na conquista de ura homem daquella
tempera e daquelle vulto, que lhe nzera
mal.
Talvez, respondeu ella volvendo para
elle o mais perfilo olhar das suas pupilas I
phosphorecentes.
Entao saiamos daqui; acompanhe-
me. Conversaremos em caminho.
Pois bem.
Ella obedeceu-lhe. E emquanto des-
ciam a ra de Belleville,s Joanna explicou
ao Sr. de Sauves que a vida incerta que
sempre levara aborrecia-a.
Pi opunham-lhe um estabelecimento van-
tajoso no Rio de Janeiro, urna loja de
confeccSes a montar, e ella aceitara se
tivesse dinheiro... Mas cousa certa,
fique sabendo, accreseentou Joanna com
o seu bello desembarace de parisiense que
nao duvida de cousa alguna ; s existe
urna casa desse genero no Rio, e cssa mes-
ma metade alleiua, metade inglesa. Se
urna franceza. 1 se installasse, com os mo-
delos de Pars faria muito dinheiro. Ac-
cumular-se-hiam milhiles em pouco tempo.
E essasjinma que a senhora vem
pedir ao Sr. Chiuiiers r interrogwi Pedro.
Sim, e dejois diftso elle ntincn mais
ouvir fallar de mim.
Quaato Ihu prc
Cem mil francos.
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
preco commodo ; na ra do Bom Jess n. 35,
armazem.
Cimento Portland
Vendem Soares de Amaral IrmSos, a ra da
Madre de Deus n. 22.
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
gnezes em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da continuado do cambio favoravel.
Convem que experimenten!.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 48
Vende-se
bagaco de sement de carrapato, proprio para
plantacOes de capim ; na fabrica qe leos vege-
taes, ra da Aurora n. 161.
88000 a duzia
OLEO AMERICANO
O nals econmico, hygicnlco e
perfumado oleo para o
CABELLO
VENDEM
COHES DE MATTO* IIIW AO*
2--nia Mrquez do Olimla 2,"
Mais Barato
0
A Loja das Lislras Azues
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Tclephone n 911
0 proprietario desta conhecida casa previne as
Exmas. familias e todos os seus fre-
guezes, que as pt-ehinchas que costuma
dar, nao sSo nem nunca Corara divididas
de outra casa como alguem aunuiicia
para engaar, vendendo fazendas ordi-
narias por boas, caatume que a* l*oJa
> dan i-iKtmi. Aiut". nao tem.
As fazendas vendidas nesta casa sao de hoa qua-
lidade, e nfio levam; medida escassa;
aceita-se a lazenda vendida se, por
quaiquer motivo nao fdr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprada.
Dase descont a quem comprar de 20#
para cima.
ESPECIALIDADES
llrim de Ustras azues pegas com
20 varas a 6,5000.
Hadapolo com um metro de largu-
ra a 6(5800 a pega.
Cortes de vestidos bordados em
cart2o a 10i5000.
Velliidilho bordado a contas a 1(5600
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros e
arrendadas a 2(5 e 2(5500.
Tecldos fantazia arrendado proprio
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes de cachemira com guarnieres
bordadas, lindas cores, a 20(5 e 25(5000.
etlm Maco de todas as cores a 750,
e 800 rs.
Linn bordado, tecido de urna s cor,
qualquer que se deseje, a 200 >s.
Zeflros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs.
Las de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
iJnhos lisos a 60 e de quadrinhos a
00 rs.
Guardanapos melhor qualidade a
.10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 15.
Oleados para mesa redonda ou qua-
dradaa 4(5000.
Cortinados de crochet, comsanefas,
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas de fustao, brancas e de ec-
res, a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
Batiste de cores seguras a 120 rs.
\anzuc de lindas cores a 280 rs.
Brim pardo esguiao a 240, 280 e320.
Caslnetas*de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
nantilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enteites e com vibrilhos a
200, 250 e 300000.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo prego.
Lava de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartilhos inglezes a 40500 e 50,
tem desde o n. 40 at 80 de grossura.
Bico branco creme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 apega.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e de qualquer cor.
Sbados e entremeios bordados ta-
pados c transparentes por todo prego.
(.rampos e pentinhos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Baldas para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reloglos despertadores com ti-
ras em movimento a 80 e 90000.
Aspas de ago para vestidos a 120 rs.
o'metro.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas rna loja das
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Dias
Pedro parou estupefacto.
A senhora est douda : disse elle.
Porque ?
Onde quer que Jorge v buscar urna
somma tao importante, urna fortuna ?...
Jorge ficou rico, herdou.
Entao a heranga que elle recebeu
nlo foi applic'ada no estabelecimento da
usina?
Sim, mas a usina vai muito bem.
Diz-se por toda a parte que os senho
res ganham quanto querem.
Pedro encolheu os hombros.
Historias... disse elle. Mais tarde,
sim, pode ser. Mas actualmente nos co-
megamos e temos necessidade de todos os
recursos.
Entao quanto poder elle dar-me ?
Porque preciso de dinheiro... sim, pre-
ciso !...
Pedro ficou revoltado com semelhante
pedido, feito em tom de legitima exigen-
cia.
A senhora sabe, disse elle, que Jor-
ge nao lhe deve cousa alguma, e que se
fallar-lhe nesse tom, serei eu quem o
a&inselhar a que nao a escute.
O olhar do Sr. de Sauves tornara-s to
claro, tao decidido, um desses olhares de
homem forte e enrgico, que Joanna nao
pode affrontal-o.
Ficou offendida, ferida no seu amor
proprio como urna lebre sobre a qual atira
um cagador hbil, e furiosa, fra de si,
convencida nao somente de que mais nada
alcangaria, mas tambem de que nao con-
seguira sequer impressional-o, afastou-se
dominada por furiosa colera, murmurando :
Havemos de ver se o medo do es-
cndalo ou outra cousa... nao farSo com
que Jorge roe cscute.
Fallara como mulher, tao convencida de
bom xito, que Pedro sentio apertar-se
lhe a garganta, accommettido por vaga
apprhenslo.
Afinal, Jorge era de carcter fraco ; po-
deria resistir aos assaltos de Joanna V..
O attractivo do fructo prohibido nao o
fascinara algum dia por aquella mulher
que lhe havia pertencido e que estava mais
bella do que nunca?
Mas entao, o que seria da fulicidade de
Adelia ?...
Foi atrozmente atormentado por estes
pensamentos, depois das araeagas de Joan-
na, tanto mais quanto Jorge nSo lhe dis-
sera palavra a rspeito de tal historia e
elle achara esse silencio inquietador.
Estava mais preoecupado com is&a do
que nunca, emquanto atravessava o jttfeo
que separa va a casa da usina pai
se seu cimbado estar no gabinete de tia-
balho, onde podia perfeitamente ter ador-
mecido, vencido pela fadiga.
CAPITULO VIII
O mj'KlPrio
A porta da usina estava aberta, e aber-
ta igualmente a do gabinete.
As cortinas achavam-se cerradas.
Pedro, com movimento brusco, abrio-as.
O aposento estava vasio.
Olhou ; nenhum vestigio de luta ou de
desordem apparecia no gabinete.
nicamente, urna cadeira virada e um
revolver no canto de um movel.
Mas a cadeira podia ter sido atirada ao
chao pelo proprio Jorge por occasiao de
urna sabida brusca.
Quanto ao revolver, nao tinha sido ser-
vido, por isso que as seis balas estavam
intactas em volta do rodizio.
Acudi urna idea ao espirito do Sr. de
Sauves.
Approximou-se da secretaria, da qual
elle e Jorge tinham cada um urna chave.
O inovel achava-se fechado. Pedro exa-
uiinou-o. Nem o mais ligeiro signal de
violencia.
Mais tranquillo, abrio-o.
Mas, por mais que procurasse, nao en-
contrn os trinta e oito mil francos alli
guardados por Chaniers para o vencimen
to do dia seguinte.
Evidentemente, s Jorge poderia tel-os
tirado.
Desgragado !... disse elle comsigo,
ter ido casa de Joanna? !... Escolheu
urna boa occasi2o para isso Ah! comtan-
to que Adelia nao Venha a saber!...
Hoje, seria a raorte para ella... e daqui
a alguna dias, seria a morte da sua felici-
dade.
Pedro voltou para a casa de norada
com o rosto transformado pela idea de que
Jorge, o marido de sua irm8, havia suc-
cumbido a semelhante tentagaq.
O Dr. Graniers esperava por Pedro na
salinha de baixo.
Meu Deus Sr. de Sauves !. ex-
clamou elle logo que vio o engenheiro,
como est pallido O que tero o senhor ?
Pedro parecen horrivelmente embara-
gado.
Nada, respondeu elle. Estou fati-
gado.
O medico, que era homem de socieda-
de, compre*hendeu que a sua pergunta era
indiscreta c no insisti.
-Sabe onde est o Sr. Chaniers? per
guu ou elle ao cabo de alguns segundos;
quera fallar lhe antes de .sahir.
Meu confiado sabio, doutor.
m m tm
Ra Duque de Caxias n. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 lj2 e 4 metros e urna chave de lar-
gura a 500, 600, 800 e 10, muito fino, da
qualquer largura a 10400, e de fustao, de
700 a 15800 a pega. '
Enxovacs para baptisados a 80, 100 e
120000.
Lindos enfeites para penteados a 1
200, 300 c 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chap
Renda hespanhola a 20500 o cov
Pulseiras americanas para 30, 40,
60 e 80000 o par.
GuarnicSes americanas a 30000.
Lindos espartilhos a 40, 50 e 60000.
Porta dedaes de vidro, objecto para
sent a 10000.
Broches de fantasa de 500 a 10000.
dem americanos de 20 a 30000.
Lencos de seda a 10000.
Sublaque a 200 rs. o par.
GuarnigSes de crochet, sendo um pata
sof e'4 para cadeiras por 6$000.
Finas capcllas de pellica, panno e odr,
com finos veos.
Flores artjficiaes a 10000 o ramo.
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordadas
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores a 20,
20500 e 30000 a pega.
Contas de cOr para enfeitar vestido* a
700 rs., e pretas a 600 rs. o masso.
Missangas de todas as cores.
Lindos leques brancos para noiva.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento uaa
80000.
Talhercs para crianca a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de creme a 10500.
Lindos leques de papel de 500 r. a
10000.
Espelhos com fina moldura, com dous pal-
mos de comprimento, a 40000 e cara dan
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e mssaa-
gas.
Lindas franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vidn-
Ihos.
Tiinao8nhos enfeitados de bico e renda.
PECHINCHA
Colarinho para homem a 30 e 40 a
duzia.
Bordado de cambraia Victoria multo
fina com 3 Ij2 metros de qualquer largura
a 10200 a pega fazenda que vale 20 e
20500, vende-se por este prego para liqui-
dar a grande quantidade que temos.
PARA O CARNAVAL
Agua Florida e agua de
Orea a 500 rs. a garrafa.
gur
O outro ficou sorprendido.
Sahio! a esta hora! exclamou elle.
E sem saber noticias de sua mulher ?...
E' realmente extraordinario !...
Pedro nao replicou, e no seu rosto ac-
centuava-se urna contrariedade cada vez
mais evidente.
Emfim, continuou o Dr. Graniers,
nada teman com essa ausencia. Quera di-
zcr-lhe que nao fatigasse a Sra. Chaniers
e fosse ao quarto della o menor numero
de vezes possivel. ,
Encarrego-me da sua commissao,
doutor. Quando volta ?
__Logo noite, a no se dar o caso de
sobrevirem complicagoes, caso em que me
faria o favor de mandar chamar... Mas,
accrescentou elle com muita seguranga,
n2o hao de dar-se complicag3es, sobretudo
se seguirem as nimbas recommendagSes.
N2o tenha receio, ha de ser obede-
cido.
Emquanto o Dr. Graniers afastava-se,
impressionado, mo grado seu, com a agi-
tagSo do Sr. de Sauves, a enfermeira, Sra.
Nouvailles, chamon Pedro.
Este subi.
O que ? perguntou elle ao chegar
cima.
A senhora est inquieta por nlo ter
visto anda o Sr. Jorge. Est perguntan-
do por elle.
Ah exclamou o Sr. de Sauves, ac-
commettido por indizivel angustia.
O que se deve responder-lhe ? insis-
ti a velha, cujos olhos penetrantes enca-
ravam Pedro.
- A verdade, respondeu o outro sbi-
tamente decidido, ao perceber o olhar in-
quisitorial e malvolo da Sra. Nouvailles.
Diga a.minha irml que o Sr. Chaniers
sahio por causa de urna encommenda im-
portante, que nlo podia soffrer a menor
demora, e que eu tambem vou fazer outro
tanto.
Bein, senhor, respondeu a enfermei-
ra, sempre desconfiada.
O Sr. de Sauve* tomoi eftectivamente
o chapeo e dirigio-se para a ra Mosniers,
onde raorava Joanna Descours.
Chegando casa da peccadora, soube
que ella nSo estava e que nlo havia I
pernotado.
Nlo ha duvida, disse Pedro comsi-
go, um certo pudor reteve Jorge; raar-
cou-lhe entrevista em algum lugar equi-
voco.
Fsperou-por Joanna.
S s onze horas .que ella chegou.
Estava radiante.
Vendo Pedro, as
lhas franziram-se e
rara- se mos.,
snas finas sobrance-
os seus olhos torna-
Ruyal Blend marca VIADO
Este excellente Whisky Escocez pra-
ferivel ao cognac ou aeuardente de
para fortificar o cqr
Vende-se a ret
zens de molhados.
Pede Roya! Blend marca Viado.
cujo nome e emblema slo registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C. agentes.
Carne verde
seo rft. o kilo
Vende-se no talho da ra do Rangel, unto a
botica imperial, e nos tainos ns. 1, 23 e 29 d
mercado de S. Jos.
O senhor aqui, disse ella. A qae
devo a honra da sua visita ?>...
Joanna nlo era violenta, ao contrario-
Experta e astuciosa, era urna telina qae
poucas vezes enfurecia-se e que sabia con-
ter-se.
O Sr. de Sauves havia-a combatido to-
da a sua vida, tinha sido seu inimigo de-
clarado por occasiao da sua ligaglo com
Jorge Chaniers.
Joanna sonhara sempre fazer ao enge-
nheiro, por qualquer forma, todo o 'mal
que ella pretenda ter recebido delle.
Joanna, murmurou Pedro, commovi-
do e transtornado, pensando em sua irma,
mo o que fez !...
A Tigre farejou um mysterio, e, muita
forte para nlo confessar que nlo o confce-
cia absolutamente, limitou-se a encolher
os hombros e a murmurar desdenaoaa-
nente :
Ora, meu caro, a genfe defende-ee
como pode !...
Minha irml den luz hontem
noite, urna emoglo pode matal-a, e eat
tal occasi3o que a senhora toma-lhe o
rido !...
Ah! exclamou Joanna mo grada,
seu, desappareceu entao o seu cunT
Nlo se finja admirada, a senhw
be-o, Jorge sahio da usina esta noiSS,'
guem sabe onde elle para, mas eu vim
rectamente sua casa.
A Tigre sorrio mysteriosamente.
__Engana-se, murmurou ella com urna
physionomia que desmebtia as suas pala-
vras ; nlo vi o Sr. Chaniers.
Nlo me est dizendo a verdade. Paa-
sou a noite com elle. E elle deu-lhe-ama
somma considravel, que estava honte
na secretaria da usina, e que l no eaai
mais hoje. ,
__Como possivel isso, se o senlier, o
homem honesto e impeccavel, que nuaca
deve ter mentido, me affirmou ha tres dias
que nem seu cunhado nem o senhor ti-
nham dinheiro?
Era a verdade. Nos nao tinliaaaa
dinheiro que podessemos distrahir da noan
industria, mas possuimos as quantias aa-
cessarias para os pagamentos dos nosa
operarios e des nossos fornecedores.
Nos o'ho.s de 'Joanna adr-endeu-sc
brilho mo, e, com urna expresslo
ciosa, que cada vez dizia mais o c
rio que elle afnrm&va, repeli
Nlo vi Jorge. Deraais,
sua mulher, que u-uito bella, ao qu
rece o que viria elle fazer em
casa?. -, J
. i Wi'-viar-xe-hal
elle adore
miaaa
Typ. dolAxM
m
1



v


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESEZ73RS3_H3VLA6 INGEST_TIME 2014-05-23T00:00:55Z PACKAGE AA00011611_17457
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES