Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17456


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ni n
- I !
SBBADO
im
mili WWI.111LH ovdk ^Ao se paga porte
mezes adiantados............... 6)5000
Po^Ris ditos idem................ 12J000
Por um auno idem................ 23^000
Cada numero avulso, do mesuio da. ..... 0100
DIARIO DE
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis/mezes adiantados..............
Por no* ditos idem................
Por un anno idem. .............
Cada numero avulso, de dias anteriores..........
130500
200000
270000
0100
RNAMBUGO
Troprkdade de Manoel Jit/ueirca de Jara Jitys


/.

TELEGRAMMAS
lllW 2 A&S3TCU SATA:
PARS, 21 de Fevereiro, noite.
Mr. de Freycinet nao acceitou a misso
fosuiar uiu novo gabmeseot
Mr. Charles Tirard foi chfcuj > ao pa-
lacio d > FY&k^Qcum&kuj^g,
o novo nraHBI^Tin^aiTreHa-8e que
vio entrar : Mrs. Constans, Rouvier de
Freycinet e Rn Goblet.
PARS, 22 de Fevereiro.
A situacao poltica na Franca incerta.
Est coinecando urna grande agitacSo
entre os deputados.
LONDRES, 22 de Fevereiro.
Hoje teve logar a abertura do parlamen-
to inglez.
A niensagem real declara que o gover-
no va apresentar brevemente s cmaras
um projecto de defeza da costa.
i
PARS, 22 de Fevereiro.
O novo ministerio acaba de ser consti-
tuido sob a presidencia de Mr- Tirard, que
tomou a pasta do Commercio, os outros
ministros sao:
InteriorConstans (deputado).
FazendaC. Rouvier (deputado).
JusticaTbevenet (deputado).
Instruccao Publica e CultosFallieres
(deputado).
Guerra.De Freycinet (senador).
iJjarinha e ColoniasVice-alinirante Jau-
res.
Obra* PublicasYves-Guyot (deputado).
AgriculturaFayc (senador)
' Agencia ^rtavas," tilial em Pernurabuco,
22 de Fevereiro, de 1889.
IHSTRCCiO POPULAR
AS GRANDES IWEN(0ES
ANTIGS B MODERNAS
KAS
Sciencias. industrias e artas
POR
vi
Ok rilodioi.
(ContinuasEo)
Por nou) progresso, o clypsydro perdeua pri-
mitiva simpfieidade. Foi munido dura mostra-
dor cujos ponteiros se moviam pelo marlieuismo
seguinte : a superl'ric da agua contidauo reser-
vatorio boiava um lluctuador, o qual baixando
proporgo que a agua escoava, puxava vertical
mente umeordo enrolado ao eixo d'um pontei
ro, que recebia assim um moviniento do rotaco
sobre um mostrador. Isso ja era um progresso;
porque se o agente motor do relogio nao deixa-
va de ser grosseiro, omoJo de medirs fraeges
do tempo tinha recebido um melhoramento real.
Este mostrador indiciva as horas mas o pe-
riodo de tempo assitn medido era demasiado
Curto. Conseguio-se resolver o problema d'uma
mais longa durago da marcha dos relogios fa-
zendo mover s ponteiras do mostrador por meto
de duas rodas Jentadas de dimetro diffcrente.
urna da? quaes indicava as horas e a outra os
minutos. Gtesibio d'Alexandre mandou construir,
250 annos antes da era christ, um clepsydro ce-
lebre e muito complicaao.
Parece que o clepsydro recebeu igualmente
entre os orientaes grandes aperfeigoamentos,
porque quando, no ahno de 62 antes de Jess
Christo. Pompeu entrou em Roma triumphando
de Tigrano. Antiocho c Mitrindates, admirava-se
cemo o mais glorioso tropho da sua victoria,
m clepsvdro aperfeigoado. conquistado a u
Ah Asia.
^ (Contina)
PARTE 0FF1CIAL
Offir
A presidente da provincia da Baha.Te-
nho a honra de enviar a V. Exc. em soluco ao
otticiu de de outubro e telegraimna de 7 de 1 >'" signaao ne iguarawu. ^
dezembro do anno nassado, dous saceos conten siderando que a3 cmaras mumcipaes nao
do seroentes de algodo, das variedades deno podem eobrar imposto algum, que nao
minadas -Crioulo. e Quebrad inbo., cultivados | e8teja especificado nalein. 1897, de 1887
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DA 21 DE LgUStO
feveheibo de 1889 Angelo
Abaixo assignado de Iguarass.Con- ques F
Jo
no sertao desta provincia, segundo informa o
gerente da Sociedade Auxiliadora da Agricultu-.
ra, nesta cidade. -Officiou-se ao gerente da So- Considerando que a citada lei, autonsan-
ciedade Auxiliadora da Agricultura, agrade- do no art. 2o 10, a arrecadacSo de emov
ceudo. ....... I lumento8, nao declara a taxa e nem dtfcJ
Ao inspector da tlie.-ouiana de laceada.__-____' i
Comniunicoa V.S., para os lins convenientes, I Psturar: ^k munici
(art. 3o n. 13.;;
que em 23 de Janeiro lindo, o
- Dyiiiiii
(.DH'iuo da provincia
SXPDIF.NTE DO DA 12 DE FEVEREIRO DE 1889
AclOS :
0 presidente da provincia, attendendo ao
nojcequereu o capito do corpo de polica, An-
Bb de Barros Correia, resolve. concederlhe 2
^i1 de licenca, rom os vencimentos a que ti-
(iireiti;, para tratar de sua saude, devendo o
peticionario entrar no gozo da referida hceuga
St5 prazu ile 15 (lias.
O presidente da provincia, tendo em vista
o que < xpoz o inspector especial de trras e co-
lonisaro. ni officio de boutem. resolve uuuiear
Manoel Joaquim Ramos e Silva, para exercer
interinamente o Jugar de cscrinturario da repar-
^^m a cargo do dito inspector.Couimunicou-
p -jiecial de tenas e colonisacao.
dente da p.ovincia, de con forra ida-
jft a proposia do Dr. cliefe de polica, em
j^^EL 9. de hotem datado, resolve nomear
l supplente de subdele-
go do termo de Floresta, o tc-
iire Gome? de S.
da provincia resolve nomear,
Dr. juiz de direito da comarca
icuarel Joo Fe
Ouricdl i^paa h qnaT fot nomado por porta
desta presidencia, de 24 de dezembro ultimo.
ao mesmo.Communico a V. S., para os
lins convenientes, que no da 1." do corrate o
bacbarel Hersilio Lupercio de Souza, promotor
publico da comarca & Boin Jardim, reassumio
o exeicicio de seu cargo.
Ao mesmo- -Communico a V. S., para os
lins convenientes, que no dia 25 de Janeiro findo
o promotor puulico da comarca de Salguero,
Ronio Pereira Filgueira Sampaio, reassuinio o
exercicio de seu cargo.
Ao mesmo.Communico a V. S., para os
lins convenientes, que tendo o promotor publico
effectivo da comarca de Rio Formoso, bacharel
Jos Bonifacio de S Pereira, interrompido o
exercicio de seu cargo, em 7 de fevereiro, por
motivo de molestia, nessa mesma data assumio
o exercicio o respectivo adjunto, Ladislao Nery
Costa e Silva.
.Ao mesmo.Communico a V. S., paraos
lins convenientes, que no dia 28 de Janeiro fin-
do, o bacharel Miguel Archaujo Pereira do Reg
assumio o exercicio do cargo de promotor pu-
blico da comarca de Barreiros, para o qual foi
nomeado em 23 de Janeiro findo.
Ao inspector do Thesouro Provincial.Em
resposta ao seu oflicio u. 61. de 5 do corrente,
acerca da cobranga do imposto de que traa o
25 doarl. 1." da lei n. 1,884, de 30 de abril de
1887, declaro a Vine, que, sendo expressa no
Reg. del de julho.do mesmo anno a obrigago
de ser pago o imposto antes de solicitada a li-
cenca para a venda Je bilhetes de lotera de ou-
tras provincias, quedeve ser concedida pela Re-
cebedoria Provincial, segundo o art. i. daquelle
Reg.. claro que a referida Recebedoria logo
que teve conhecimento da vendagem de bilhetes
sem a precisa satisfagan da laxa, devia, na for-
ma do art. 8. do citado Reg.. mandar appre-
hendel-os e promover pelos meios judiciaes a
cobranca do imposto e da multa de 20 %. sendo
esta a marcha a seguir, em face das terminantes
disposigOes cima apontadas.
O lancamento nao foi cogitado pelo menciona-
do regulamento e nem o poderia ser, porque im-
plica com a providencia da aoprehenso deter-
minada no art. 8., e dara raargem a crer-se que
a dita Recebedoria tem a faculaade de dispensar
o pagamento previo do imposto, art. 2.", e a licen-
ca que lhe cabe dar para a venda dos bilhetes,
art. 1.
Expeca, portanto, Vine. ao. administrador da
supracitu apprehfflsao nos bilhetes
em poder de agentes ou cambistas, e mande pro-
ceder cobranca, pelo/ processo executivo, das
laxas que nao fur.uii pagas no exercicio passado,
ext rali iodo -se conta de accordo coui as leis lis-
caes.
Ao mesmo.Declaro a Vmc. em resposta
ao seu oflicio n. 59 de 5 do corrente. que a im-
portancia de 228 relativa aos premios que obti-
verara os bilhetes da lotera em favor da educa-
gao de ingenuos da Colonia Isabel e foram-me
enviados pelo presidente da provincia da Baha
em oflicio de 23 de Janeiro findo, n 91, deve ser
remettida ao referido presidente, por intermedio
de algum Banco. Communicou se ao presidente
da Baha.
el
recer
confessa que a titulo de emolumentos co
bra o respectivo secretario 500 rs. por
toda e qualquer licenca, alm das taxas
determinadas pela mesma lei, creando-as
sem um imposto, o que da competencia
da Assembla Provincial pelo artigo 10 %
5o do Acto Addicional;
Considerando que, quando estivesse ex-
pressa em lei aquella taxa deveria fazer
parte da receita municipal (artigo 2o da
citada lei), e nao pertencer ao mesmo se-
cretario, a quem smente cabem os emo-
lumentos pelas certidoes de que trata o
art. 79, da lei de Io de Outubro de 1828.
Dou provimento ao presente recurso
determinando Cmara Municipal de
Iguarass, que se abstenha de cobrar
a titulo de emolumentos a taxa de 500
rs., pelas 1 cencas concedidas pela mesma
Cmara.
Maria do Rosario de Oliveira M lio.
Passe portara concedendo a jubilaySo re-
querida, de accordo com o art. 180 4o
do regulamento de 18 de Janeiro de
1888.
Silva & C.lndeferido.
Secretaria da Presidencia de Peraam-
buco, 22 de Fevereiro de 1889.
O ajudante do porteiro,
L'abral.
Ao juiz de paz em exercicio da parochia
do Santissimo Sacramento da Boa-Vista.Decla-
ro a Vmc, em resposta ao seu officic de 4 do
corrate mez, que s devem ser admiltidos a
registro as eriancas nascidas do 1. de Janeiro
em diante, conforme o aviso do Ministerio dos
Negocios do Imperio de 16 uo referido mee.
Portaras:
Determino Cmara Municipal do Rio Formo-
so que expega communicagao aos juizes de paz
e d as .dentis providencias do estylo alim de
que se proceda no dia 28 de Margo vindoflro a
eleigao de dous \ creadores, em substituicao de
Antonio Jos Pimenlel, que falleceu, e do Dr.
Antonio Amazonas d'Almcida, que mudou de re-
sidencia segundo participou-me o presidente
dessa Cmara em eficio de 58 de Janeiro findo.
Comrauuicou-se ao juiz de direito da co-
marca.
Determino Cmara Municipal defSeri-
nhern que expega communicagao aos juizes de
paz e de as demais providencias do estylo afim
de que se proceda no dia 29 de Marco v'indouro
eleigao de um vereador, em substituigao de
Primenio Huberto Duartc, que mudou de residen-
cia, segundo participou-me a mesma Cmara em
oflicio de 28 de Dezembro ultimo e consta de in-
formagao do Dr. juiz de dtrtito da comarca do
Rio Formoso, prestada a 4 do corrente raez. -
i ommunicou-sc ao juiz de direito respectivo.
Os Srs. agentes da Companhia Brazilelra
de navegagao a vapor mandem transportar at
a capital da provincia da Baha, jtor coota e
disposigao da respectiva presidencia dous saceos
conteni sementes de algodo.
Os Srs. agentes da Csmpanhia Braziieira
de navegagao a vapor facam transportar a Corte,
por conta do Ministerio da Guerra o 2 cadete 2o
sargento do 14 batalMo de infantaria Margal de
Siqueira Campos, que se destina Escola Geral
do Tiro de Campo Grande.Communicou-se ao
brigadeiro cointnandante das armas.
O Sr. superinteodeote da Estrada de Ferro
rfo Recife ao Limoeiro faca trausportar em carro
de 2* classe, por coota do MIoisterio da Guerra,
da estaco de Nazareth para esla capital um re-
cruta e urna praga qu**o tem de conducir.Of-
ciou-se ao Dr. chefe de polica, remetiendo o
passe.
EXPEDIENTE DO DR. SECRETARIO
Oflicios :
Ao gerente da Companhia Pernambucana.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
aecuso o recebiniento do officio de hontem, no
qual V. S. participou haver sido transferid* para
hoje as 5 horas da tarde a saluda do vapor Jac-
hipe para os portos do sul, ate a liahia, por nao
ter sido possivel embarcarse toda a carga con-
tractada.
Ao promotor publico da comarca de pun -
cury._S. xc. o Sr. presidente da provincia, in-
teirado do assumpto de s u officio n. 2 de 23 de
Janeiro, reco.nmenda a V. S. que reinelta a esta
secretaria a eertido de Tpie trata o art. 10 do
decreto n. 4,302 de 23 de Dezembro de 1868.
Matatit mutandis ao promotor publico da
comarca de Barreiros.
Ao encarregado do transporte dos retiran-
10 Cear para o Rio de.Janeiro (bordo do va-
Reparti^So da Polica
2.a scelo.N. 199Secretaria da Po-
cia de Pernambuco, 22 de Fevereiro de
1889. IUm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que foram bontem recolhidos
a Casa de Detengao os seguintes indivi-
duos :
A' minha ordem, Manoel Vespasiano dos San-
tos, vindo do termo de Pao d'Alh j, aguardando
communicagao official.
A' ordem do Dr. delegado do Io districto da
capital. Manoel Francisco Alves, por offensas
_,moral Dublica : Luiz Joaquim Ferreira, Josc An
.Sf,,l. rvm^5^Ji|tonio dosMto^jwr disturbios, Porfirio" M
L^S09o2^Ar l Silva. BSitf ajnw e disturbios. .
A ordem do subdelegado da freguezia do Re-
rife, Herculano Antonio do Espirito-Sanio, preso
em flagrante por enme de ferimentos leves.
A' ordem do da freguezia de Santo Antonio,
Theodoro Ferreira da Silva, Zeferino Jos Joa-
quim de Sant'Anna, por disturbios.
A' ordem do do Io districto da freguezia de
S>Jos, Antonio Lourengo Nunes, Manoel Andr
Pereira da Silva, Luiz Mariano, Manoel Luiz
Amaro, Eleuterio Francisco dos Santos e Fran-
cisco Jos da Silva, por embriaguez e distur-
bios.
A' ordem do do 2 districto, Antonia Mara da
Conceico, Clara Maria da onceigao. Raymundo
Alves da Silva. Joo Feliciano da Silva, Rosalina
Maria da 'onceico, Manoel Ignacio de Arruda,
por disturbios.
Communica o delegado do termo de Gara-
nhuas, ter no dia 9 do corrente, capturado o in-
dividuo de nome Floreado Jos da Silva, por
ter na noite de 7 d'este mez furtado um cavado
perteocente a Mariaao Jos de Oliveira.
Abrio-se o competeate inquerito.
A mesma autondade participou-me ter remet-
tido ao juizo compeleote os iaqueritos policiaes
procedidos cootra Sergio e Maaoel de tal, auto-
res do assassinato praticado na pessoa de Pedro
Ferreira da Costa, no dia 6 do mez passado no
lugar Brejo, c Mar inho Alpiiiano da Silva,
tambera por crime de furto de cavallos.
Participou me o Dr. delegado do Io districto
da capital, que, hontem pelas 10 horas da ma-
ulla, na praga do Commercio, da freguezia do
Recife, o guarda-cvico n. 65, que all eslava de
ionto, procurando prender o desordero Hercu-
ano Jos do Espirito-Santo, que armado de c-
cete promova disturbios deu em resultado tra-
var-se de razOes com o referido guarda que re-
cebeu um ferimento na cabega.
0 subdelegado do districto compareceu ao
lugar do conflicto e conseguio effectuar a prisao
do criminoso, sendo o offendido vistoriado pelo
Dr. Jos Joaquim de Souza, que considerou leve
o ferimento.
Acerca do fado procedeu-se nos termos da
le-
Deus guarde a V. Exc.IUm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Groes, muito digno presidente da provin-
cia. O ebefe" de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
at',-Ca.r' Por Una)K\m Sr. presidente da provincia,
cargo de adjunto manda dA a v ||udida em
V termo de Tacaratu, da \sea officjo de nonlem datado, deve ser recolhida
jnas ao hospital Pedro II, para o que dever pedir
' I guia 'autoridade competente.
Leite, Amorim & Cardozo,
el &C, Antonio Maria Mar-
a, Adolpho Jacintho Pereira,
ves Vnella, Antonio Augusto
i C, II. A. Lemos & C, Rita
Prazeres, Joo da Fonseca.
InfoWae a 1.a secgao.
PblBlio-.dos Santos Coimbra.Junte cp-
nhecimentat.de quitagSo da decima relativo
ao uiimowmestrc.
Blnajyia Rocha. Deferido o
. & c-
o para o. fevid|s ns.
-A--1."
sec-
Thesonro Pr#Tlnclal
DESPACHOS DO DIA 21 DE FEVEBEIRO DE
1889
Mara Emilia Cmara Ferreira, Joa-
quim Pedro da Rojha Pereira, Medciros
& C, Modesta, Coelho do Reg, Cunda
limaos & C.In'orme o Sr. Dr. conta-
dor.
Gerente do London Brasilian Bank Li-
mited.Informe o Sr. Dr. contador.
Antonio Jos de Carvalho.Haja vista
o Dr. procurador fiscal
Herdeiros de Francisco Egydio de Luna
Freir.A' secao do contencioso para in-
formar em relagao ao exercicio de 1886 a
1887 e 1888.
Maria Amalia Foijaz de Lncerda.En-
tregue-sc.
Raymunda Joaquina Alaria da C'oacei-
9J0.lndeferido em vista do parecer fis-
cal.
.Martins-Informe o Sr. Dr. ad-
ministrador da Recebedoria Provincial.
Jo3o Ferreira de Mello.A' Recebedo-
ria Provincial para cumprir o despacho da
junta.
._-------------
Heeebedoria Provincial
despachos do dia 22 de fkvereibo
de 1889
Braz JaBUario Fernandos, Gaspar Au-
(
DIARIO DE PERNAMBUCO
RE6IFE, 23 DE FEVEREIRO DE 1889
.\otIclas do norte do imperio
0 vapor Pirapama, da Companhia Pernambu-
cana, entrado hontem do norte trouxe as seguin-
tes noticias:
Rta traade do :%ore
Datas al 19 de Fevereiro :
Por acto de 13 do corrente foram removidos
os promotores pblicos:
Bacharel Jos Ferreira Muniz da comarca do
Principe para a da Imperat.iz ; bacha-el Morei-
ra Dias desta para a comarca do Trahiry (Nova-
Cruz) sendo nomeado para precacher a vaga da
promotoria do Priocipe o bacharel Aoanias Pa-
ranhos de Araujo, que j sohcitou o respectivo
titulo.
Lemos no Corroo do Natal de 14 :
Depois de muito calor, de muitos receios de
urna secca calamitosa, appareceu o invern,
dando-nos promessa de sua frequencia. Em
qaas todos os pontos da provincia tem cabido
chuvas torrenciaes que fazem encher os ros e
reverdecer oa campos. 0 sertanejo est agora
despreoecupado e alegre, e bs felicitamos por
essa ventura.
Em 2 escrevem da cidade do Jardim Ga-
zeta do Natal:
Hontem e ante hontem houve forte inverna-
da flesta cidade.
Pareca que o sertao ia ser alagado por en-
cuernes e inundages de riachos.
Aqu dentro da eid'de as chuvas nao forahj
muito copiosas.
Os ros Serid, Cobra e S Jos enxurra-
ram. Este ultimo esteve a rado.
0 coatentamento da populacho foi indes-
criptirel, mas infelizmente o dia de hoje (2)
veio como que assustar-nos, trazendo-oos a du-
vida no espirito sobre a permanencia do inver-
n, alus tao bem comegado; visto as fortes ra-
jadas de vento que nos tem atordoado os ou-
vidos.
E' verdade, porm, que esses sustos, temo-
res e receios, nao tem l muito valor e proce-
dencia, desd que o invern nesta zona se ma-
uifestajo fia do corrente mez e no percurso do
fceQS"na citada olha de 16 :
No lwrirto de Flores termo da villa do
Acary, oaoite de 31 de Janeiro, para o ama
onecer do dia 1* do corrate, aps o estampido
d? forie descarga elctrica, por entre os clares
dos relmpagos, cabio um raio sobre a casa de
um lal Joao Porfirio, all morador, mataado in-
stantneamente a duas filhas deste j mogas.
Esta lameutavel occurrencia aos foi traas-
miitida em carta de 4 deste mez, na qual se aos
faz as seguintes reflexOes :
Rfcalmeate, a morte das duas mogas filhas
de Joo Porfirio, fulminadas por urna chamma
elctrica nc meio de urna trovoada animadora,
como prenuncio de um bom invern, tem pro
duzido serias cogitagOes no espirito d'aquelles
que acreditara no castigo dos paes at sti-
ma gerago!
Joo Porllrio assassinou Jos Leo cujo cor-
po e'Ie con outros coreos langou s cbamnias
de urna fogueira quando aiuda eslava vivo.
Esse tacto assombroso, medoaho e de des-
commuaal ferocidade, fez especie em toda pro-
vincia e acba.-se registrado nos relatorios e im-
portantes pugas officiaes desde o tempo do ex-
presidente Satyro Dias.
Joao Porlirio e scus comparsas foram pro-
cessados n'aquelle tempo, mas hoje se acnam
livres de pena e culpa pela escandalosa prolec-
go que lhei fci dispensada no tribunal do jury
do Acary, figurando como protogonista de todo
este cortejo da mais revoltante immoralidade o
protector ostensivo dos reos denominados
3ueima genle, o coronel Jos Bezerra, compa-
re e iniaio de Joo Porfirio I
O Dr. juiz de direito Francisco Clementioo
Chaves sabe bem dessa historia, e o promotor
interino, o deputado Santa Rosa, escolhido a
dedo para o glorioso triumpho de seu irmo
Jos Bezerra, tambem pode referil-a com a isen-
go e pureza do seu carcter.
Passaram-se os lempos, a inlpunidade foi
exultada pelos horneas serios desta ierra,
at que agora, diz o povo, appareceu o castigo
do co sobre innocentes creaturas que pag.iram
com usura as culpas de ferozes assassinos, alta-
mente protegidos I
Sao iusondaveis os decretos de Deus.
Lemos na mesma folha :
No districto de Curraes Novos, na fazenda de-
oominadaAba da SerraManoel Germano as-
sassinou sua propria mulher rom 16 tacadas !
Era carta de 3 do corrente que recebemos de
unLjpigo bem iaformado do tacto, se referein
aa^HBlstancias desse borroso altentado :
fcod Germano, morador do coronel Jos
rr ie Araujo Gaho, um perverso, issas-
sinB&Oa propria mulher com 16 facadas mal-
tratando cruelmente a dous filhinhos, um de 2
anuos de idade e outro de 4.
Aos gritos da victima, quando na luta bra-
dava por soccorro, o desalmado marido traocou
as portas .ia casa, vedando assim a entrada dos
visinhos que correram ao lugar do sinistro.
Este lamentavel acontecimenlo Uvera lugar
na madrugada do dia Io do corrente.
As pessoas. que foram em soccorro da mi
sera e mesquinba, cercaram a casa at ao ama-
onecer, do dia : e como nioguera Ibes fallassc de
dentro botaran) as portas abaixo, encontrando o
espectculo mais tnstee lamentavel que se pode
imaginar: o cadver da infeliz crivado de taca-
das, duas creangas a chorar junto de sua mai e
o assassino deiido de lio a compfido 3obre um
giro com o pescogo em um lago de corda atada
cima de um caibro da casa.
Desta posico foi elle tralo e condando
para a cadeia di) districto.
Manoel Germano para justificar o seu crime
-< idiota lendo a cooagein de simular feri-
mentos cm su;i'pro|ina pessoa. pois emo^edor
do OffibigD viarn-se arranhe.- d punta de I
' O assassino continua a Bngir-se de louco
spondendo cousa com eo
As criai
raudo is at&tvo que determiuaruui o ci
pralicado pelo fute; turado pai; dizam
apenas que a<\.rdarani pela madru 9 gri-
tos di- infeliz mai
urna grande surra cada i
iUtoridade poli
delicto e (.rosegue as diligencias para o desco-
brimento da verdade do h
Paraliyba
Datas al 21 de Fevereiro :
As folnas de 16 trazem artigos edictoriaes so-
bre o finado Baro de otegipe, rujo servigose
talentos sao commemorados.
L-se no Conservador de 13:
Nd tarde de 13 do corrente chegou a esta
cidade voltando da de Campia Grande o Exm.
Sr. Dr. Pedro Francisco Correia de i 'liveira que
para all partir no dia 7 em compaohia do Sr..
Dr. chefe de polica e outros amigos em trein"
especial.
Na villa do Pilar onde chegara c era espe-
rado, foi recebido pelo Dr. Jos Maria, digno di-
rector da instruego publica e outros muitos
amigos : sendo que o. aimmendador Joaquim Pi
Napoleo o obsequiara conflpn rja'nW e urna
brilhante oire, que terminou depois de*2 liosas
da madrugada.
Tendo ah pernoitado com a sua Ilustre co-
mitiva e seguido no dia immediato, recebeu em
todo o seu itinerario as mais enthusiasticas ma-
nifestagOes de regosijo e merecido apcego por
sua elevada posigo p merecimento; especial-
mente na cidade de Campia Grande onde se
deteve por 48 horas.
Em Ilabayanna e Mogeiro onde fez S. Exc.
pontos de repbuso, foi igualmente recebido com
varias manifestaces de jubilo e sympathia e
coodigoameote obsequiado pelo decaao conser-
vador corooel Joo de Mello Azedo e subdele-
gado tenente Cosme Henrique de Auorade.
No loga tomou S. Exc. aposento em casa do
digno juiz de direito nosso distincto amigo sr.
Dr. Feliciano Henriques Hardman, que lhe offe-
receu jantar e urna partida asss concorrida e
que durou at a madrugada do dia 9 em que se
guio para Campia Grande, acorapanhado de
mais de 130 cavalheiros qu foram recbelo as
proximidades da villa em a sua passagera de ida
e volta d'aquella cidade.
All chegando depois de meio dia em occa-
sio de grande feira, teve S. Exc. brilhante re-
cepeo acompanhado de urna Ilustre comitiva
de mais de loO cavalheiros que vieram esperal-o
em nao pequea distancia d'aquella cidade, em
que entrou no meio de immenso concurso de
povo que espontanea e entusisticamente o
saudava em delirio sob as harmonas da msica
e estrepito de muitas girndolas.
As ras da cidade regorgitavam de povo
que incessantemente applaudia a presenga de
S. Exc, procurava coooecel-o, e mostrava-se
cheio de satisfaco e regosijo pela hoorosa visita
de S. Exc. aquella localidade.
S. Exc. toi compriraentado pela officialidade
da guarda nacional e seu respectivo comman-
daate superior coroael Alexandriuo Cavalcante
de Albuquerque, Dr. juiz de direito, muoicipal e
promotor da comarca e outros muitos funecio-
aarios pblicos ; visitou a matriz, casa do forum
e cmara municipal, a cadeia publica e outros
edificios, o mercado publico e a graude feira.
Os nossos distinctos amigos vigario Saljes
em cuja casa S. Exc. aposentou-se, tendo in-
gresso sob as continencias de urna guarda de
honra, Christianni Laurenthsem, digno presi-
dente da cmara municipal, e major Francisco
Domingos da Cruz tiveraui a honra de obsequiar
a S. Exc. durante a sua hospedagein offerecen-
do-lhe o 2. delles urna esplendida soire, e o
ultimo un lauto jantar em o dia de sua partida.
Infe'izraente, porm, chegando a Campia e
experimenlando alierago em a sia saude, tai-
vez devida ao abalo da viegem e a mudanga de
estaco, e recejando aggravar esses soffrmenlos,
resolveu votar directamente capital, deixando
de ir s cidades de Arcia e Bananeras, como
preleodia e onde era esperado com fervoroso
agrado c satisfagao.
Chegado estago da Conde d'Eu em o trcui
do horario, ah foi recemdo por varios amigos
distinctos que o esperavam e seguio para o seu
palacio a repousar das fadigas de sua jomada.
Em consequencia de se terera aggravado
os seus incommodos, S. Exc. seguio por Ierra
para Pernambuco, passando a adwraistraco da
provincia, ao 1." vice-presidente, Exm. Sr. Ba
rao de Abiaby.
INTERIOR
Correspondencia do Diario de
Pernambiieo
RIO DE JANEIROcortk, 12 de Janeiro
de 1889
Sumuaro :'uprema preoecupago.Estado sa-
nitario. Estalistica aterradora.
Providencias sanitarias. Consul-
tas e panos.Reunies officiaes e
profissionaes. -Pelo mundo polti-
co. Boato falso. "Viagert do Im-
E;rador.Reuniio do conselhode
atado. Chegada do Ministerio da
Marrana.A espera de... assumpto.
A escassez de assumptos continua a ser o des-
espero dos chronstas e dos correspondeutes.
Muars sindasoas difnculdades destes ltimos
porque, pela natureza especial da sua misso,
eiles devem de preferencia oceupar-se de fctos
de interesse geral, que merecara a attengo pu-
blica ou que pela sua importancia e consequeo-
cia8 devam ser registrados. Muitos factos, pelo
seu carcter secundario, local e transitorio, po-
dem quando muito servir para assumpto de urna
chronlca semanal, nunca porem para urna cor-
respoadeacia que deve ser lida longo do theatro
em que elles se passavam, fra do meio de aegao
em que se moverara os personagens que figura-
jam. Achamo-nos agora em urna posigo emba
ragosa; tal tem sido a monotona, a esterilidade
destes ltimos dias. Os dias v5o passando
sempre uniformes e os acontecimentosse tal
nome merecemvo se desenrolando completa-
mente destituidos de interesse. Uraa trivialida
de assombrosa caracterisa i vida social destes
ltimos tempos. Nem a poltica, nem as lettras,
nem as outras manifestagoes da vida publica tem
offerecido margem ao commenlario ligeiro,
analyse succinta, cabivel neste genero de escrip-
tos. O inventario dos ltimos dias nao pode ser
mais pobre ; bem poucos sao os factos assigna-
lados no nosso registro diario. Como quer que
seja procuraremos desempenhar a nossa misso,
embora nao nos offeregam os fados urna feigo
predominante, um caraeteriatico saliente, urna
nota qualquer pela qual os podessemos definir
com mais accentuaco c interesse.
Infelizmente a maior preoecupago continua a
ser a epidemia da febre amarella, que alimenta-
da por um calor iusnoortavel, por urna tempera-
tura abrazadora, continua a fazer graude nume-
ro de victima- uo seio da populagao desla gran-
de cidade. Para o rao estado sanitario concen-
traram-se todas as vista? e atlenges e tal tem
sido o objecto de todas as coaitacOes. 0 poder
publico, as autoridades sanitarias, as diversas
ca-aadas de nossa sociedade, os pobres e 03 ri-
cos, os proletarios e os capitalistas i todos tem
ocrupailo o hospede terrivel que j tantas exis
'encas caras tem impiedosamente ceifedo. As
i-licas sao bem pouco tranqulisadoras e as
cifras com a sua eloquen :ia incisiva e convence-
dora tea levado a todos os nimos a convicgo
de que ,*- toalmetrte lulaml j com um iai-
migo d ancarnicados.
viuda nao ha muitos dias publicou a Gazetade
Notta urna assustadora Della se
deprebeude que durante o raez di' Jaueiro udo
foram-sepultados n par-
ticulares da corte 1.711 calavares, entre os
quaes 3S5 dfl febre a.nrella e 187 de febre per
niciosa.
Estes algarismos sao realmente aterradores.
Em Jaueiro de 1876 sobre i .237 fallecimeaias,'
122 foram de febre amarella. No dia 20 Mag
do mesmo anno, o dia de maior mortandade, as
Rio de Janeiro, foram sepultados 112 pesaoae,,
sendo 72 de fenre amarella.
Por estes dados se v, que se a epidemia ara-
gredir com o desenvolvimento que vai tenas,
numero de casos fataes em Margo ser ansa*
maior do que em 1876.
A media dos doentes que vo para a Jurujaf
de 13 a 20 po:- dia.
Por ora o flagello lem-se conservado
longe de sua phuse de declinio. Parece
que nao tem augmentado, nao se tem desi
\.w\< ^"x#fc P'^POUie- ussusiadoras coj
coniecou.TfceletpeolOo moi-bid-. \~ J
patologicoexstentes tem encontrado'^
phisico muito favorvel e admira por i
muito mais consideravel nao tenha sido o
ro de victimas. A temperatura tem contin
invariavel, sempre abrasadora. Apenas no atti-
rao dia de Janeiro urna pequea cnuva veio por
algumas horas minorar o calor. Esta alteracto
foi porem muito rpida e nao conseguio modifi-
car as nossas condiges athmospberiCas. Desde
ento nao tem chuvido, o sol continua rlente
como danies. a athmosphera pesada e ha oeca-
siOes em que parece que se vai asphixiar por
falta de ar ambiente, l'ns fugazes preparativos
de mudanga de tempo tem-se apresentado no ao-
risonte, para se desvanecerem loso sem deizar
vestigios. O calor continua sempre implacavel
e a falla d'agua j se vai manifestando, proda-
zindo seus terriveis effeitos principalmeate e-
tre as classes menos favorecidas. A ausenca
de chuvas, neste tempo que aqui geralmeate
chuvoso, vai causnndo graves prejuizos. Ha.
muitos annos os pluvimetros nao aecusavam,
nesta mesma epoclia to pequea quaatidade de
chuva. Devido pois principalmente ao calor e
depois falta de obediencia aos preccitos bygie-
nicos vai fazndo o typho icteroide grandes
estragos. Dentre as diversas carnadas de popo-
lago os que tem sido de preferencia atacados
tem sido os estrangeiros, as criangas e os habi-
tantes dos climas mais fros do sul. Os nortislas
acostumados ao clima quente destas regioes,
gozam de urna tal ou qual immuaidade que en-
tretanto nao infallive.
O governo tem-se mostrado] solicito em-touaar
as providencias ao seu alcance para debellar a
epidemia e minorar-lhe as funestas conseqaen-
cias. O Sr. ministro do imperio tem feito ana-
tas visitas a lugares e estabelecimentos que se
relacionam com a salubridade publica, tein rea-
lisado varias conferencias com as autoridades
sanitarias e outras que podem auxilalo no seo
nobre empenho de bem servir populagao asso-
lada, tem tomado varias medidas com o intuito
de impedir a propagago do mal. Planos epio-
jectos, consultas e conferencias nao tem faltado.
Tem-se reunido a sociedade de medicina e d-
rurgia e a imperial academia de medicina espe-
cialmente para tratar do assumpto e as dsens-
ses tem sido lpminosas e aproveitaveis. K
lamentavel que o carcter puramente theorieode
taes reunies s as tornem muito proveitoszs
para o futuro.
Agora infelizmente o tempo mais de icgio
do que de discuso e mais do que uunca. agar-
ra opportuno tornar urna realidade o Mnlioctt
res non verba. Alm das providencias que foraac
referidas na nossa carta aoterior, consta que os-
tras sero tomadas, urnas de carcter tra
e outras permarientes.
Fallase muito na nomeago de 30 delegados
extraordinarios da iaspectoria de hygiene, cojos
trabalhos sero apeaas utilisadosem quantodta-
rar a epidemia.
Diz-se tambera que vai ser chamado do Cea
o engenheiro J. J. Revy, para dar cometo as
obras do saneameato d cidade, comegando peb
drainagem do sub solo, segundo planos j anfiv
riormente apresentados ao governo imperial por
aquelle distincto profissional.
O conselho superior de saude que reuaio-e
no dia 4, sob a presidencia do Sr. ministra A
imperio, oceupou-se largamente dos meiss Os
debellar a epidemia reinante nao s actualaxa-
te como para o futuro e entre as medidas mal-
eadas prevalece rain a drainagem, o melhoraassav-
to do svsteraa de esgotos e remogo do ILx-
Pelo mundo poltico reina a mais completa
calmara. Nenhum acto administrativo ajMr-
taate temos agora que registrar. A grande nav
chma est em repouso. O mioisteno natoral-
mente prepara-se para apresentar-se peraoleo
parameoto, devidamente apparelhado comes-
tudos feitos, com os projectos de reforma reda-
mados pela opinip. Parece que a prxima f__
sao parlamentar ser das mais agitadas,
oella sero debatidas quesles da mais afta
portaocia para o oosso futuro social e econ-
mico.
Varios joroaes e entre elles a Provincia dr &
Paulo e a Tribuna Liberal deram curso a umhoo-
to, que nos asseguram completamente destosi
de fundamento.
Referirao-nos a urna supposta viagem prosi-
ma do imperador a Europa, viagem anda mo-
tivada pelo estado de saude do velhe monardas-
0 Jornal do Commercio, sempre be:n informado,
declarou inexacta a versao, que ia assumindoas
proporges de urna verdadeira balela gulosa-
mente explorada pelos adversarios da situacSo-
Dizem pessoas bem informadas, que S. JJLa
Imperador nao cogita de semelhante visa
quetenciona mais tarde, se o permiltir o .R
lado de saude, ir a Australia, por simples di-
verso.
A respeita da saude do imperador sao anoto
coalradictorias as noticias, uns o consideraos
completamente restabelecido, ontros affinaat
exactameate o contrario.
A verdade parece estar no meio termo. Se o*
seu estado de saude nao to lisongeiro con
seria para desejar, nada tem entretanto de as-
sustador. Sempre acompanhado pelo seu me-
dico assistente o Sr. Conde de Motta Maia, qne
sempre o medico de semana, S. M. continua t
seguir o tratamento e as prescripges aconselha-
das pelas suinrnidades medicas a quem consol-
tou na Europa. S
O conselho de Estado reunio-se no dia l o
sesso plena. 0 fim dessa reunio foi o pedid
de uin crdito extraordinario de 3.000 coatds,
apresentado pelo ministro do imnerioparaoc-
correr s despesas com a verba soccorros h-
blicos. ,
A abertura do crdito foi appjovada, bavem
apenas divergencia quanio applicaco de ver-
bas da quantia pedida. De accordo com a reso-
lucao do conselho de Estado foi por decrete de
9 aberto o crdito pedido para acudir s (Ic3pe-
zas urgentes com auxilios s populagOs. das
provincias que tem sido flageadas pela secca e
epidemias v para orcanisar nesta cidade mesas
preservativos contra a febre amarella,inicindo-
se as obras do sanearnento.
O crdito de 3.000:000? con ninjs-
terio do imperio destinado a se: f4
deste modo :
3.0 0 contos para a draifl ad
corle, segundo o systemaRevv.
1.000 contos para construcg
permanente, destinarlo a epidemi: iba-
lancias e outras necessida ;
tual epidemia.
1.000 contos para a.
liadas fi"la seci
No dia ti.
te inglez Arat<
ministro da marinh
I

I


"3

I



fMaaria de
lambu

amentalualitmlb peto ujunHu*J^iai eortt
Grande numero de amigos foi receo-o.aao asa.
encontr dirigise urna commis di asocia*^
cao Cammercial que'pelo orgSo do seu digno
Kisidente, erttswou Ihe urna raensagam de-
citaco, pon nka .levado aos censemos da
0 Ilustre Barad.o Guahy assumio as fune-
coes io seu*elevrdocargo e todos depositam nel-
e as mais bem fundadas esperancas, anauran-
do-lrie urna adminMlraco sej'ia,honesia aju*-
ticeira.
A imprensajsBBEehaae nabre rasaastro-cacn
aaelbores expasaeoesaB>sysapnth
tem o JornaiatMommmiotmn sasseb roana se-
manal fez-lbaaaaBroaaaaVrencia.Ma\i tabees
^ne correm pabe-pastaMb digno eusaatroaaBo
maior relevaaaaa: embaan aaendaBaaele, aapenM
e o contrario.
Os precedeataa da wla.publica do henra
parlamentar saa^-eea^urAttaaB^aaisar ota
rito publico sobiaaiiiaWrecula sawseosa qrmaM- i
aaturalmente ha de imprimir aos vanos nego-
cios da repartido de marinha
Nenhum facto, quer de ordem poltica quer de
wdem econmica, temos mais a registrar :
A' espera de assumplo, de alguma noticia de
sensacao, ficamos at a ultima hora e... nada.
Que de ootn versera- maisIMir e-passa trans-
itir noticias mal alegres e m is taeressan-
tes taee sao os meus mais ardeutes votos.
Ylllll
AMOR B
i


-4
POR
^.i^imwi ii ii miliar i
XXVI
(Conchuoo)
-O movel eslava fechada
Paulo proeurou. por toda a parte, abri aacai-
.*as, as quaea Thereza, urr. tarHo negligente e
secura chaves emasmo papis e dinheiro.
Nada!
Essa chave eslava naturalmente no qaarto..
topellido por urna augustia. irreeistivel, diri-
gb>ee rpidamente para a porta.
Deteve o. eiulim. um pudor.
Entrar naquelle qaarto fechado, agorr, como
uin ladrao !
Por diversas vejes, voltou para a mesa e me-
.-liou na earte-a,. sem abrir.
Entao dceidto-se, empurrou a partan com a
. carteira na mo.
Quarto sereno, hannoaioio, de cares ciaras, e
. aeduz telada. Quarta encantador, feliz e casto,
. come um qaarto virgem. Urna commofo, pun-
gente na sua breveduracao. suffocon-0.
Domis, essa cammoco foi curta Era a cha-
ve que ello procurava.
Cheio de colera, ceg de inquietacau, sacudi
- furiosamente o pequeo object o amar/otado, que
i bata na mo.
lima chavezina domada escorregon devagari
noo at o chao foi cabirno tapete.
Paulo nao pode conter um grito de alegra.
Ningueui ponera fazer urna idea dapressa.e
. io tremor dos dedos que elle teve- quando- abri
a gaveta secreta, para verificar a presenca do
(dinheiro.
Apalpou o para se certificar, depois juntou-lhe
.a toda pressa o dinta-iro entregue palo Sr Le
Boax, tornou a fechar a gaveta, poz outra ve* a
i chave na carleira e a carteira em cima da mesa
Entao, exhausto de energa, Paulo Ducbani
. deixou-se cali ir em urna caaeira. de bracos.
Dcz inmutas mais tarde eutrava a Sra. de Ma-
nan.
XXVII
Podiam terdvcerrido anuos, modilicando-lhe
a forma do corpo. pondo-mes rugas no-rosto
'despindo-lhe a cabera e defotmaiid-Ihesi as fel-
fees, que nao se teriam julsado mais dusconhe-
cidos uta para o outro.
E, Unto mais assim que o teoipo nao. tintia
poeto nellesa uietann-tai particular lacoes ja lonsrinquas.
O olhar daUhereza dmgio-se furtivamente pa
ra a carteira.
Tinliara-lhe mechido
U dinheifo, poctanto, eslava no seu lugar
Fria, com a cabeca um tanto levantada, com
um sorriso banal nos labios, a moca comprimen-
Mu Paulo, dando -I he a mo. mo mota indifla-
lenle. o j!>-. de mais a mai* elle nao apertou.
"'iiieamo frr caso que a moca nao Ihe pu
sse a ironte perro dos labios como de costa-
lee- .
Naturalmente, como visita, ooaservava-3*' de
u.
Julgava. ingenua e sinceramente, que nao Ihe
levia mais nada.
A Sra. de Marian -:entou-se e mostrou-lbe a
cadeira de bracos, que eslava en frente della-
K depois. tranquilla, espero.
Paulo estavaceremonioso, mas desembaraza!
.lo.
Todavi. iunavel quanto devia ser.
A principio perguiitou-lra- por sua Ma
tiapois. com pressa de acabar.com aquilto, de ar-
Tumar aquelle negocio, de se salar, como dizia
.1 si para si, tomou urna attitude naehBKolica.
- Ah pensou, ella, chegado. o raamemo !
Primeiro fallou iras dilikuldades da fida, das
immolacOes n.icessarias, infelizmente a feiri-
tde dos seus.
Mas. desta vez, Thereza esUva n*vda a nao
ii ajudar em nada.
I)eixava-o continuar, eorauma engmo'inex-
rioiivel.
Agora, tratava sa de o despertar para sempre
de nunca miis ter saudades delle.
Paulo havia de fornecer tudo quanlo rosse ne-
essario para so, Tliereaa es*aa cerlissima
As palavras. framente apaixonadas, fazendo
de pacotilha, cahiam vasias de sentido, forca
de fres fallar a expresso.
Mas, no liin de certo tempo, licou constrangi-
rf. com o implacav-l,sorriso de Ihercea e.cwn
o seu mutismo,
Contiuuava, mas menos convencido :
Ser sempre a minha ThereM adorada, o
aaico amor da miaba.vida. Conservare sempre
a sua ncordaco e abencrwrci a sua querida
imageni.
liitei rompeu-se mesmo, lingindo-se eom-
movido.
llguiis segundos depois, recomecou :
Mas bem v, Thereza, ha fatalidades
neis M^u pai.que ea respeito
A moca esleve <|uaatgritaodo-!he : ora ei-:
xe-se de historias 1
Depois de circumloquios numerosos, declarou,
de repente, a sua resolnco de se casar.
Assim .preciso absolutamente, minha po
tore Thereza. Mas nunca sera um casamento
. feliz, nunca ser um casamento de amor. Todo
e aeu coracao Ihe pertence, Thereza. Devo'sal-
tu- met pai da raina e minha mai-
Ah como ella desojara esbofetear, com o seu
despiezo aquello ladrao. aquelle inconsciente !
As palavras faltavara-lhe. Nenhuma era bas-
taste forte, para Ihe exprimir o pensamento.
Continha, com difficuldade.'um grito de colera,
ana exclamaco louca e feroz, com.que ella
aneria acoutar Ihe a consciencia.
E elle continua va. na sua inesquinlia palinodia
Nunca teve um relmpago, que Ihe nesse do
ooracao, nem urna s vez, a palavra que chora.
M que, pelo menos, desarma, se nao pode con-
solar f
Quando elle se calou o discurso tinba dura
do longo tempof-Hcou en'o impressioBado com
a expresso terrivel que decompunha o formoeo
rosto da Sra. de Marian.
S6 cniSo Paulo teve medo
S\t agarrar Ihe na mSo.
treta retirou-Ifi'a tranqmllamente.
oro julgou que o desespero .le Thereza
pririnh mas do seu amor.
Julg.iva-se anula louramente amado !
Corfltudo, havia o quer que nella. que o as
sustava- ... i.
^^b entao urna irresistivel necessidade de
entretanto fado inexplicave!, por-
lata della.
i, pouen de delicadeza, ou o
rabar bem, de. Ihe deixar urna der-
rite paia nm- ella se jul-
, que ellaguarilassepreciosa-
cd'< 4 mhranca lidie
ifcRiculava. naquella occasiao era
Quiz e julgou
isolacao.
dale quaai sin-
T%eres, pwwiuekiu elle'
oommovida
w vw wteint, rmnae
pela primeira vezdesde qpe coate n'um a
oara- t-eafM"r9ra,-nao- orae-para- mlnrrom essa Quei:
olhar desesperado que me fas morrer e me per- argum
turba a consciancia e o coracao. diz 9
Pique sabendo, pela contisaao que Ihe rou
fazer, quando me e md ser sempre chara.
Paulo havia dito: esse olhar desesperado ?
Entao elle juteava-a-verdwferraimmte desespe-
rada t Nao compreheudia ?...
De maiaa mais tolo 1. paaaou ella.
. Paulo, sbw lam a UsjaitKccassasj||b dos'
nadiorai-J"' Peaasai qaastam ebafitraatkariinas
Tberasa, noabi pnranraiai assim.
de insbs/SMSBJsaipouctxtfBsjsa-
de.-/u#MMD-fazerHhe aaa>d A sosa, cBBabsulliaSa sinau e, com a voz
ahafaa, coaasa cataap haasa, asalou usiaeuati
neasaa liabauaBuaasa pasaao ar
aj'pailaioa-do >mnn;!to.
e os dvaaaatMrasi.
Todos os sollrimentos, as vergonhas experi-
mentadas, as alternativas de paixao por ella.
Paulo encontrou, desta vez, as palavras aara di-
zer ludo ; e Thereza. abalada, esteve quaSi es-
tendendo-lhe as mos em um impulso de perdo.
Mas uiua uhrase des!lg>r"t!' rf>gpgr'nii.a
Paulo dizia:
Se eu Ihe tivesae fallado nesse dinheiro, ler-
m'o-hra emprestado.com toda a-eerfezae eu (ica-
ria deshonrado.
Entao, pensou ella, ellejulga nao o estar
com o que fez t
Paulo continuou:
lerde-me, Thereza, o erro passado e o
mal que involuntariamente Ihe fiz.
Que importara S~a. de Marian a maior ou
menor sineendade d'aquelle homem !
Perdoar Ihe
Qual !
Mas ella j nem o conheeia !
Tinlia dado o-melhor de si a urna chimera
qoalqnor; a-um d.-sonnlieoido que nao a com-
prehsjfiha.
VeHio-a rSo fria dist-ahi-la, Paulo recordou-
ee aue na vespera, em lugar de Ihe trazer o di-
nheiro, mesmo nessa occasio, pedia Catharina
era casamento.
Urna mordedura terrivel'despertou-lbe a eon-
scieacia adormeoida
Eis como sossobrava aquelle amor, depois de
tantos juramentos de etewndade : n/nma ver
_'"ilMa I
A Sra. de Marian j nao podia- ver aqntlie ho-
mem, j nao o podiaouvir.
Levantou'se
Depois, altiva, inostrou-Uie a porta com um
gesto de mo que podia ser tanto um.compri-
rhento come* urna despedida.
Com voz. clara e fria disse siniplesniente. sera
colera, com imperceplivel tom dedesprzo :
Eu sabia da tudo isso. Adeus, Sr. Dueha-
nin !
vm
0 'uslno medico ua Itussia
u
(Do Commereio dr Portugal)
Promettemos aquellos, dos rrossos leitores que
se interessam pelo rido estudo das cousas me-
dicas completar as informaces que, em antece-
dente artigo demos do ensino medico^na Rus-
sia.
1 issemos que diflerenga havia entre um sim-
ples medico (lekar) e um doutor em medicina,
as disciplinas a estudar e a sua divisan pelos
annos do curso o numero de exames a fazer e
a organisacao dos trabalhos pralics e das cl-
nicas ; diremos hoja algumas palavras. sobre o
professorado, mdicos dos hospitaes, medicas
militares ecimica rural.
Vejamos como se chega a professoc de medi-
cina na Russia.
Ao terminar os estndos mdicos, os ahimnoB
coja classificacao fr cum eximia laude, e cujp
numero oscilla entre trinta eqnaxenta, concor
rem a.Gm de obter o direito de ficas na Acade-
mia (tomamos para exemplo o que se passa nn
Academia Imperial de S. I*etersmirgo) e de. en-
trar pera o Instituto dos-Professores.* Entre as
questoes a que os candidatos teein de responder
por escriplo; ha sempre .urna escolhida pelos
proprros. ;Em 1888 o pomo escoltado pelos can-
didatos fot : Do valor do repooso e.do lraba-
Iho da.therapeutica das doencasflflternas.
Des'es 30 ou 40-concurrentes sao escoltados
geralmente 1, que desde logj. fteam fazendo par-
te do Instituto dos Professores. Recebem 3#
(IJWw rublos i durante .lannos e seguem, a set
bel prazer, as diversas clnicas, aggregados a
um dos hospitaes da capital moscovita. Passa-
dos estes 3 armos podem coacorrer chamada
Misio ao estranyti', e. sendo admittidos, vo
estndar, durante i annos, em um grande centr
scicntifico, recttbendo 4,000 rublos por anno.
Cinco annos, pois. se passaram depois da
alumno ter acabado o curso medico, 3 de.traba-
llro na Russia e S no ustraojreiro ; recolhe ento o
medico academia que o diploraou, faz um exa-
me, qo qual interrogado sobre i s seus traba-
lhos nos 5 anuos que passaram, e faz duas li>
ces. sendo o assumpto de umad'ellas escolhido
peto candidato. Os que licam approvados to'
mam titulo de jmrat doreut e os qne nao poden)
obtel-o sao distribuidos pelos hospitaes para
dirigirem enfermaras e pelo exercite.
Quando o ministro da instrucejio publica ir-
cessita de professores, vai ao batathao do* pri>
vat-docent e eseolhe.
Os escolhidosi sio-noroeadOB professores ex-
traordinarios e mais tarde professores ordinai
rios ; os prouerros ganham 906* 0 os segundos
3304 ; a estes ordenadas devemos juntar as
-ominas pagas pelos alumnos, o que augmenta
de 360* a 430* o que recebe cada professor.
Os alumnos so pagam aos professores quando
matricula.lo- em aliuma das acuidades do im-
perio, porque na Academia Imperial Militar os
estudantes nao remunerara quem os ensina, an-
tea percebe), a partir do 2 anno do seu curso;
uma ajtlta de rusto de 157*060 animars, tiran lo
ohrigados a servir no- exercito. durante 4 1.1
annos.
Nos difirentes hospitaes do imperio os dire-
ctores da enfermara e os medieos interno* sao
nomeados directamente peras municjpahdartesj
sera concurso previo.
Os1 medicas militares comecam por ganhan
360*000, ordenado que> vai angmentando de 31
etn 5 anaos, saguado uma corta lei^ at* chega-*
rem poste de general recebendo on*o.......
1:330*00. Os que teem toos empentio*; ou*
merecimentos especiis, va ertuda no estnw-;
geiro com esplendidas gratdica?Oe^ ayslema-sa-i
i,uido em toaos os pases.
Ao cabo de 33 annos de um servico teru o.me-;
dico militar direito reforma.
Os mdicos dos partidos rurae eiiamadi>s
mdicos distrietaes (zemshi-vratcbK^anbam orv-i
tre USO e 810 mil ris, pulso livre, mas estes or-
denadas lendem a diminuir, porqae,ao coatrario,
do aue acontece em Portugal, os partidos rotaes
sao omito procurados.
Na Rossia ha muitat mulm;irs com o curso;
medico (730 por 15:01)0), e as municipalidades
procuram as com afeo para os partidos distri-
etaes, por ser notori > o zcio-e dedicara que
empregam 'no cumprimento dos seus deveres
prorissionaes.
Estes, mdicos de partido so'na verdade bem
desgranados, porquanto nao teem reforma o as
cmaras municipaes podem exoneral-os quando
quizerem.
No6 grandes centros do imperio ha os me*o*
mtmipan, classe que at certo ponto corres-
ponde dos nossos tubdeUgudes e-xtme -ao
chamados em ruase gorodmemt rrmtek; e o seu de-
v. r principal tratar de graca os pobres da
eidade.
Em S. Petersburgo existe um grande numero
de postos mdicos municijiaes, onde ha sempre
mdicos e enfermeiros. afun de prestar os pri-
meiros soccorros aos iloeBies e dar as consultas
gratis \
0 povo russo e pobie e paga m..l a quem o tra-
ta. Certas municipalidades nao teem recursos
sutlicientes para teteu um medico de partido ;
percorrem-se por isso wntoS de kiliMiietros sem
se encontrar um facultativo.
0 medico russo m emtanlo, sobrio e poura
B3 i"cntc emquauto Mudante come, em goral,
uma vez por dia : defois de formado supporla
rarilmerite as fadiaas e a lucia.
Em resumo o trabalho eidadeiramente bni
tal que lem um individuo para ser medico na
Russia nao em l0"' d<'"
vera sel o. Ao lado te algumas centenas, pen-
cas, de mdicos qse, pela sua posico oflicial
teem garantidos os das de boje e os de am-
tala ta uns poneos dt milbares que raslejam na
gi -rubra, ganhando apeo.is o neeessario para nao
morrer de tome, e aos quaes espera, no fotoro,
w i de hospital; ou i
rio.
em-se, Srs. mdicos
-i'inpre como que "se1
sae se fazi fra.
A.
laha (erra
o edi-
liubicado em outra sanco;- comeaasa'
Jtfbf de Marco prximo, a matricula dos que
rtdsaerfl cursaras aulas queconstituem os
naasos d'esta Faculdade,. sendo que o paga-
Mpsdada-taxa poder ser feto desde j.
O pauso para a matricula dO4:"nno termi-
sasabsam 31 de Marco e para os idemais annos em
W do mesmo mez.
cmtar*x mimka.
G. D
i guiai Miyaris, gotohaa.
Cabs, as gal sa\ a pabia, jos,
Pinaabaa. > ocosasiruadspeiiBbaB,
r.ivaasbariaabak raja,.:
ss, i i aiiwwsMaKupKgaco*,
Mmrammm lavl ll ,i tejba,
Checlios. encontros, jacamina, grautas,
As ararunas, juritis, nhambs ;
Tratara*, irwios cangotvs, piranhos,
Mil cariuhanhas, pacamos, cuils,
Pius, hicudos, carims, sanas,
As sapounar,matzatins, pira;
Queixadas, aulas, capivara* pbas,
Bolas, gerebas, caitils, quatis,
Prcas, guands, maracajs e pacas,
T1 obs, macacaa, chimpa-zs, saguis ;
Sao cousas vistas, j cantadas, tanto,
A' cada canto no Brasil, porni,
Que nao me atrevo a encordoar na lyra,
Canto tymbira e vw cantar sus.
Canto da torra da mi patria, as villas,
Desde as cochilas do Uruguay cantar,
Cantar das grin*pas',de 1 uacumaque,
Do Apurimaque asreftoeajpo mar;
Eu principio-Cantamilo^iraiape,
Castro, Acarape, Sofocab, M,
Paranagu. Botucatli, Campia,.
Granja, Aotonira, Mar d'Espanha. Ass ;
S. LfoaoJda, JoaretrOi Al velas,:
TelT, Barcenos, CaroMna, leo,
Maragogine, i iamanlina, Oeiras,
Canoa vieiras, Maca li, Codo;
S. Joio.do Principe, Bonito, Brotas.
Pilar, Pelotas, PitombeiraiTng,
Mag, Vassouras, Macero, Gurgua,
Souza, Assembla, Serid, Para.
Olinda, Areias. Taubat: SanPAnna,
Uruguayana Gurupa, obral,
Baturit. S. Joo dEl-Rel, Vigia,
Cabo, Anadia, Mossor,. Pombal.
(ioyaz, Morretes, Catalo, Buique,
Luiz, i taque- hiqae, Maeap, Traip,
Bomlim, Goyanna, Cavalcante, Escada,
Pedra'Lavrada, S. Matheus, Ex.
Victoria, Cnmpos, Nitheroy, Baha,
Villa K*r*, Cuvab, Natal,
Manos, S. Paoio, Fortaleza, Lavras,
No" mais... palavras, etc. e tal.
-
ASSOCIAgOES
InstUstto Areheologico e Creo-
graphico PcruainlnH-aat
sbssao. SOMAMHsV* os 31 de .jateibo le 1889
Presidencia do Exm. Sr. destnbargiidor Ma-
noel ClementiHO
A' 1 hora da larde, presentes os Srs. Drs.
Cicero Peregrino, conselheiro Pinto Juniar, f'ap-
tista Regueira, i. secretario, Portella Jnior,
Lopes Machado, e major Codeceira,- 2. secretario,
foi aberta a sesso.
Lidas as actas das sessOes ordinaria de 10 c
solemne de 27 do corrente faram approvadas
O Sr. Dr. Io secretario mencionou o seguinle
expediente:
(Wertas:
Pelo Dr. Jos Marianao Danieiro daCuntia,.por
intermedio do consocio Dr Jos Hygino, quatro
.cartes datadas de Loanda, em I83s, e assignadas
duas por Manoel Jos Vaz de;Olrtfcira,e duas por
Antonio da Silva ReS, mencionandojieaiesas de
escravos para esta, provincia.
Pelo autor o engenheiro A. S. Wres Ferrer*
um volme. .
Esbanjamentos (-ornprovados do engenheiro
Aristides Galvaode-Queiroa na direceo das es-
tradas de ferro em' Pernoaibuco. Compilaco
feita pelo referido engenheiro Pires Ferreira.
Pelas respectivas redacroes diversos jorrraes
desta e de oatras provincias. Demcomo um nu-
mero do jernal Li Brsil, publieado era Pars.
QBxm. desembargador presidente declara que
a presente sessie extraordinaria foi convocada
para se.trata, de assumpto de ordem. econr>
mica.
Informa que tendo a le do orsmento gernl,
votada para o exercicio corrente, um crdito de
3:000000 para publicaco de importante* docu-
mentos historeos que existem no archivo do
instituto, nao foi esaa quantia considerada na
distribmco dos crditos feita para essa provin>-
cia ; e nestas eondiges convinha que^se reque
resse ao governo imperial o credio que a let
aurorisoa, sem o- qual nao podo o instituto pror
seguir na publicafiao dos mencionados doenmeuh
tos, attenta.a insufficiencia dos seus recursos
ordinarios.
Drscntrdc o assumpto do declaracaado Exm'
'r. desT-mbargador presidente, o resolvido
que se pedisso ao toverno imnesial o crdito
concedido pela le do orcamento rentele que se
requeresse tambem ao poder legfslatrvo gernl
uma subvenco anrrual de que carece o instituto
para oceurrer s deapezas que deva taser para
bem cumprir o seu encargo.
Km seguida foram approvados, para socio no-
norario, o Exm. Sr. Dr. lnnocencio Marques de
Araujo Goes, actual presidente da wovinesa, pro-
posto pelos Srs. Drs. Baptista Regueira. PortcU
la Jnior. Lopes Machado, Cicero Pesegriao, con-
selheiro Piulo Jnnwr e majon Codeceira; para
socio effectivo o Exm..Dr. Antonio PsanciscoPe-
reir de C.irvalhcs advogado nos auditorios desta
ciddade, proposto pelos, Srs.. Drs. conselheiro
Pinto Jnior, Baptista Regue>a. Lopes Machado
e major Codeceira ; e finalmente para socio cor-
respondemeJoDr. Horoho R. Storer. residente era
"Niwport nos Estados Unidos, membro daSocie-
dade Americana de Numismalica Arciieologica,
proposto pelos Srs. Drs Cicero Peregrino, Bap-
tista Regueira, conselheiro Pinto Jnior.- Lopes
Machado e major Codeceira.
O Sr. Dr Baptista Regueira,'propoz e-*^aP"
provado, queae pedisse a todos o Sra.*oios
qne tem em seu- poder hvros pertencaadas ao
instituto'queosTecolhessen' afim de--se poder
dar.comeen ae-catnalogo da biWiotheca.
O Exm Sr. conselheiro Pinto Jnior, commu-
taca que a commissio de que tizera i parte, in-
cumbida de visitar o Exdi. Sr. presideate da
provincia, desempenhara-se de sua incumbenciai
e fra betn reeebidn mostrando se S. Exc. agr-'
decido e awnifestuBdo boa-vontade em favor do
instituto.
Nada mais havendo a tratar-se foi levantada a
sesso.
niiiutto iiacua. ao ImiMKSMaaor
te o Dr. juiatidadraito do adiatncto
IcYbssbBal, deu queisst,..-coataa Manoel. daHaixo
[iKaasaa. D Joanna Archanb Megaard, nu do
toaaaH' Pedro Regaard, sllgairido oatnaproru
cadas! da queixosa o oaabami Unta da utum-
eassasH.que generosamerbmawiresiasca acampa
nnaacae tormos do psacassaasn foimaaSoBsIstcul-
pa eiao plenario (pando o criminoso ti ver de
sor.bjigado.
Rasas queixa :
fWm e Exm. SrTOr.jmvPdireitotr2 dis-
tricto criminal. Joanna Arobauja Regaard, viu-
va do tenenle PeJro Regaard, moradora na ei-
dade de linda, natural destn pravibeia. usando
da attriburco que Ihe confore o art. 72 do'Cod.
do Proc. criminal, vem perante V, Exc. queixar-
se de .Manuel da Paixao Hanuii, cidado hnaair
leiro. -negoriante, morador nesta eidade, pelo
facto ofimmoso qne-passa a narrar :
No dia/9'para 10 do de meia noilo ouco mais ou menos, estando
seu finado marido na ra do Imperador junto
esquina da loja de Severino & IrmSo a espera de
umbond da.liulia de Santo Amaro qu devia
condnzil-o Tacuruna^ meio taniiuho da eidade
de Olinda, onde'resida, approximou se dolle
Manoel da Paixo Ramos, que trazia em sua
companliia a mnlbcr de vida publica, de nome
Laurentina Mura do Jess, com quem pouoos
momentos autes havia ceiado no hotel Globo, si-
to ra Duque de Caxias n. 28, e ao dirigir se
o tenarte.Pedro Regaard ao querellado pedimlo
logo para acendar o harulo, foi, depois do for-
mal raasa por.parte do*, querellado, injuriado-
por este-maltratando o rom palavras' offeasiva-.
o que deu lugar ao marido da queixosa repel-'
lil-o em termos habis.
Tanto basluu para que o querellado, homem
de mos precadentes, eque vi\ia constantemen-
te armado se. enfureces se a travasse ama Juta
com o marido da queixosa; tata alias desigual
porque aquelle achava-se na occasiio munido de
uma faca de pona, e este completamente iner-
me, dando-lhe om acto continuo cinco tacadas,
duas das quaes eram consideradas -m rtaes jui
zo dos facultativos -resultando eflectivamente a
morte no dia 10 do corrente s 4 horas da tarde,
nao obstante os cuidados que ofram inmediata-
mente m pregados-no hospital Pedro para on-
de foi condnzido, logo depois de ferido, seu fina-
do marido.
Perpetrado o crime, o querellado tratou de
evadirse, mas, foi tal a precipitaclo com que
fez, que dtaxeono theatro'do crime-o signal in-
delevel do sua pasangem, como fosee o. chapeo
de canega e o.do ao! com quoeslava nessa.noi-
te, objectos estes que foram appreheudidos pela
polica e reconliecidus por Laurenlna. como
pertencentes-ao querellado, e bem assim.por.um
seu caixeiro.
Ora, como co;n semelbaata peocedimento o
querellado tornou-se massivel das penas corami-
nadasnoart. 193 do Cod. Crim.. por isso, vera a
queixosa dar aprsenle qii'ixi paraolim do sor
o querelludo punido com as penas do mencionada
artigo por terem concorrido as ciscumstamaas
aggravantes dos S i.", 6." e 13." do art. 10 do
mesmo co ligo.
A queixosa jura aos Santos Kvangelhos o que
acaba ae expender a deixa de avaitar b.darno
causada por ser ineslimavol.
N'estes termos.
PedeV. Exc. que distribuida autoada o
jurada se prosiga na Ibrmacu da culpa, citndo-
se o quaruliad para se ver processar, sob pena
de revelia e as testemmihas para deporem o que
souberem e perguntado Ihes for no da e hora
que liouver de a*rdesgnado. sob pena dedeso
bedteacias assim.-como, o* Dr. i." promotor pu-
blico paraassistir.depois de satisfeito o-disposfo
no S doart. 20 do decreto u. 4.824 de.22 efe
Novembro de 1871, visto tratarse de um- crime
era que cabe acco publica. -E. R. M.Reeift,
21 de Fevereiro de 1889. >-O procurador censti-
tuido. Hachare! Luiz ie DrammpMd.
Testemunlias Dr. JoseMam* de Albuqnt-r-
que Mello ; Dr. Luiz Demetria SimOes ; tcnente
Antonio I^lro Dionisio -r Pedro Ramiras (caixeiro
de Machado Pareir*;) Jos HouorJo Perreiru
teuardp cvico chapa b. 15 ;) Antojup PranaisfiR
flas (hagas.
Esta queixa foi pelo Dr. juia de direito re-
meltida ao juiz substituto para quem deolinou
em face da nova lerda reforma judiciaria.
Logo que. forera envidas as tesiemuuhas da
formaco da culpa, publicaremos os. seus depoi-
mentos.
E VISTA DIARIA
Arion da Brea*IPor artos de 13
do corrente mes:
Foi determinado que oseleitores do S.-dis-
tricto do paz (Barra de Jangada) da parochia de
Nos-a Senbora da Conceico do Bonito, se reu-
nam para actos eleiioraos na o-tar.ao de Barra do
Jangada, tirando >em effoito a portara que de-
signou a capella de Nos-a S-:di ira da- I).
Capoeiras. para a reunio dos referidos elei-
tores.
Foi designado o tenente coronel comraan-
dante do 68. batalho da guarda naaonal de
Iguarass Manoel Gordeiro Cavalcante Galvan,
para exercor inlriinaim'iileocargo de comman-
dunte superior da menina comarca..
Poi nomeado Henrique Borges da Silva,
para exercer interinara oteo lugar de praticante
daTbesouraria de Faz-uda.
Foi deinittido Alfredo de Asis Garrido do
lugar de praticanie interino da Thesunraria de
Fazenda
Tribunal du Jurj do Ite-UV--"li:!r-
cioriou hootem este tribunal com a pr"senca de
3S juizes de facto no juianiento do reo Joo
Francolino dos. Santos pronunciado no. art. 4."
da lei n. 33M de ti de Outubro fle 1886, porque
no dia 13 de Fevereiro do anuo passado.,s 4
horas da madrugada inceudiou uma casa de
taipa coberta de palba sita ua estrada de Joo
de B'trros; freguezia da .Graca, onde residra a
amasia do mesmo reo Seraptana Mua da Conr
ceigo.
A"s 11 horas da aiajilia principiou a se3so
sob a presidencia do Dr. Antonio Domingos
Pinto jusc de direito do 3.* distrirto criminal.
Occupott a tribuna da aecusaco o 1 promo-
tor da comarca, Dr. Joo Joaquim de Freitas
Henriques e a da defeza o Dr> Jeronymo Materno
l'ereira de Carvalho.
O jury de senteuca compoz-se dos seguinfes
S" traaos":
iguel Antonio da Costa e Silva..
Vntonio Fernandes de Albuquerque.
Jos Roma de Abreu e Lima.
Manoel Gomes da -Uva.
Francisco de Lima Coutinbo.
Manoel Coelho Cintra Rainallu
Jos Fernandes de Mello.
Joao Ferreira Lonreiro.
Joaquim Francisco de Madeiros.
Elias Cordeiro Cintra.
Bento Manoel de Castro Amaral.
Antonio Adolpho Borges- Leal.
Interrogado o reo dase que era natural da
proAincia da Parahyba, de *) asnos de idade,
solteiro, jornaleiroeanalphabeto;
Qne sabia o motivo porque era aecusado. nada
tinha a dizer contna as teslemunhxs que jnraraaj
no processo, nao attribuia a aecusacao a motivo
particular e, liaalmente que, com relaco ao
crime de que era aecusado, de nada se lembruva
porque no dia em que elle se deu estavamuitu
embriagado.
Era seguida ao interrogatorio fez o. escrivaa a
leitura do processo.
O Dr.- promoior pedio a condemnago do accu^
sado as penas do- grao mximo do art 4* da
lei n. 3311, por estar, pro vado dos autos que elle
pro medita va o crime e o realizara noite.
0 patrono do reo, negando a autora do crime,
allegou nSo estar elle comprehendido na hypo-i
these do art. 4 da lei n.i33H.
Houva replica e treplica.
Terminados os debates recolheu-se o conseibo
a sala das conferencias voltando a sala publica,
meia hora depois e em vista. de suas decisoes
foi o reo condemnado a i annos e 8 meses A;
priso simples e multa de 25 por cento do valor
do damoo causado, grao mnimo da art 4.0 da
lei n. 3311 combinado com o art. 49 do cdigo
criminsl.
Foi levantada a sesso as 3 horap da, tarde,
sendo adiada para hoje s 10 horas.
Ir. Tobiaa UarreU -Realisou-seem a
noite do 19 do corrente. na Escada o benefioio
promovido em auxilio viagem que Europa
projecta esse filustre mestre da nossa escola de
direito.
Foi muiio regular escrevem-nos dalli, a con-
enrrencia de espectadores.
O circo eslava embandeirado e o trabalho da
companhia foi liem desempenbado. Por vezes
f.ir.nu victonados com bouquet.
H'ez as honras da festa a Philarmonica 6 de
.U>r/7expontaueamente off-recida pda directora.
Ao terminar o espectculo, por parte jla
romni'sso p omotora do benefltiio, fallou o Dr.
Aquillmo Polo, o qual depois do agradecer
gentileza da com iaotai em ai podido do
beneficio r aos espectadores a adbeaaoque pros-
larara do honral-O, tornou bem salientes os mo-
do plevadissima ordem pelas quaes, aEsca
da nao [> xli i ser mdbfen>nte aos soiirinieatosqu
Ir.isem prosirado no le i lo da di lavol
homem de lettras.
Terminou o espectculo a i hora da madru-
gada.
bgtaioao dsta-Ars.-tAsaarhn lrraesfr C,
carga hoje para os os portos do Cear, Camos-
sim, Parnahyba e Maranho, devendo sabir im-
pretcrivelmente amanli.
Bsmolai -Hoje. s 0 horas da manila, na
igreja do Rosario da freguezia de Santo Antonio,
sero distribuidas as esmolas deixadas aos po
bres desta eidade pelo fallecido Manoel do Reg
Amaral Primo.
ras da tala-,haaaw reaobse dostarscuaaiinJe, no.
1 andando sabaado n. 39. ra do-Baro da
Victoria.
1'Vwl itn mmrnamm** %<> -A ra do
MarqueadsKliada- vai. praparaivse- para*festejar
o carnavafca^A oaaamisaaar onaarmgiidaidos fes-
tejos achaa asab coatpasta:
Presidas*--B*. Augaaavda osaa Soaes.
Secretaria)' JaaajpitdabMHiiacMBia.
Thesouiairai taumiaa*tabiaavavMaaissBk
Vogaes : Ananias Goncalves Coirolira, Alfonso
Oliveira, Francisco Floro Leal, capito Alfredo
iG. Miranda Leal, Albino Fernandes, Antonio A.
Vjorreia Lobo, Galdino Jos Burity, Joao Soares
Braadao, Tibarrio Adelino de Oliveira.
A' ra 1" de Marco tambera pretende fes-
tejarro eatvraval. pata-cque-acha-se encarrega-
da a seguinle comraisso :
Presidente.Manoel: Joaquim Pereira.
SecretarioFrancisca Gorgel do Amaral.
ThesoureiroMunoet Jos Mata.
VogaesFrancisco Xavier Ferreira, cumtnen-
dador Josepii Krause. Severino ^araiva de An-
drade Jos Pereira'de-Amare, Manoel Josde
,4ndrade, Jouo Walfiwdo de-Medoiros, Domin-
j.US Jos Antunes Guhnarfles e coronel Monoel
Martins Fiuza.
lervtfo aiiliMr -lis; -designados hoje
para superior do dia o Sr. major Honorio Cle-
iaeaano Marttas o para' ronda menor um subal-
terno de canillara .
\ gnamicao da uidadr duda pelo 1^ la-'
tallio de uttaatasia
'As uuaaus da T!iesenraria,ePaloeio enao
comm.iodadiw hoje i;- doas-Sre: ofli iaes doi2"
batalho de infaolaria.
Existem na enfermarin i9 pracas dos cor-
pos da.guarnigo.
Aprceeatott'Se'healem uo quartel geueral o
Sr. aliaros Jos Soares de Mello,'que recolheu-se
do destacamento do presidio de Fernando de
Noronha, o qual comparecer hoje junta medi-
ca miliir ahm de ser inspecoionado de saade.
i-i-iins se guinle carta-da redaorfio-do.Rebate, e a publica-
mos como o. raelhor meio de dar scienoia ao
publico do. intnito que atare o redactor d'esse
peridico :
lllms. Srs, ductores do.Dwrao de Pentam-
buco. -A rodaecfio do Rebale e seus operarios, no
intuito de eoucrrer de sua parte afiui de bene-
ficiar familia do iufcUz Pedro Regaard, brba-
ramente asBassinado. resolveuconviar um mce-
iiiij de caridade, que se realisar no quina-foira
28 do corrente. s 4 horas da tarde, no largo do
Pilar, etn Fra do Portas.
Subir tribuna o cidado Fortunato Pinhei-
ro, e tomar por assumpto da sua conferencia
a Caridade.
Ser distribuido um follioto, escriplo polo
mesmo cidado, s pessoas que etaverem pre-
sentes, mediante urna asmla jualquer.
Foioleita uma commisso para essa lime-im-
posta dos seguintes cidados :
i residentes Joo Goni's de Oliveira e Jos Vi-
con'e Perroira da Silva.
/. secretario Joo Nepomuceno Corroa da
Silva.
>." secreturio Sautos Lopes.
Thetourturo Joo Martins da Silva.
Commissio para agenciar donativos os segra-
les cidados:
Manoel Fernandes Velloso.
Slarcelino Fructuoso Lopes.
Eduardo Daniel do Souza (-"radique.
Luiz de Oliveira.
Jos dos Ataos-Parias.
Francisco-Al ves Lonreuco.
Joo Martins Rayrauado.
Joaquim Antonio Rodrigues Sobrinho.
Jos Domingues.
Maaoel de Seno a
Pedimos a Vv. Sa. que to dignamente teem
dufen a victima de to covarde asaassinato,
que se-dignein dar publicidade a estas rabas,
agradecendo a redaeco do Rebale to grande
favor.
t. Vv Sai ole. A redaeco do Rebat repre-
sentada por Fortunato Finheiro->llecife, 2*de
Kovereiro de 1889 *.
flu) l.itlrario tj-re* Oanw-Moje
reune-se este club, para eleger a nova directora,
no lugar e hora do rstame.
Jui do rammerrio niir. Montenegro,
juiz do commercio, despacha ra do Imperador
n.. 42, r andar, onde actualmeme reside.
i.arapiu nalatcio Recebemos hontem
a seguinle carta em que sa idados os signaes
de um larapio astuto, contra o qual cumpre que
todos se preinuiiaiii :
Villa.do Bimito. 29 de Fevereiro de id89. -
Ulms. Srs: redactores- do D*trio de Permunlmco.
-Atim de que fique aonlreeido e seja punido
orno merece, uta larapio que, corrido dessa ei-
dade, anda pelas villas e cidades do centra dis-
famado em criado, pego a Vv. Ss. que dem pu-
blicidade s linhas que se seguem :
N dia 15 do corrente appareceu-rae em
casa, uesta villa, um individuo que representa-
va ter de 18 a 20 annos, pretofulo, batso, de
tabello carapinho bem penteado e aberto ao
meio, usando .sapatoes e vestindo calca e pale-
to! de aigodo azul de ristras e camisa branca,
offerecenao-se para criado e dizendo-se-bom co-
zinheiro e raelhor copeiro, e instando para fiear
aimla mesmo como tratador de cavallos. o como
prova de sua boa candada dizia j ter sido cria-
do do Arcelina Catnpeud, do Dr. Barros Car-
neiro e de outras pessoas dessa eidade. de onde
sahira por causa do recrutamento.
. Tendo tido resj) sta de que a casa o pre-
cisava de mais criados, retirou-se, depois de toa
ter o meu companheiro de casa, Dr. Francisco
Antonio Regueira Costa, promettido que o arru-
mara na eidade de Bezerros em casa de um seu
amigo, para onde pretenda ir, como effectira-
monte foi, no dia 17.
N--sse dia pela maoha notamos que o rele-
ndu individuo, qae dizia chamar-se Manoel,
havia dormiaa em casa e suppomos terem sido
os nossos criados que llie haviam dado aga-
galho.
i No dia 18, chegaodo da ra as 9,1,-2 horas
da noiie, doube pelos criados uue o tai Manoel
havia desupparecido e que descoofiavam ter
elle roubado alguma causa, e verificando, vi que
laltavaa,algumas pegas de roupa branca ede
casimira, que se achavam om uma mala um re-
volver americano de 5 tiros, do valor do 5M,
e com a marca da casa Smitb and Wessor, uma
faca de ponta gcande com bainba de facam e
um sacco, n3o tendo cenduzido outros objectosi
por falta de tempo, p is para isso apreveitou-se
el'e de uma pequea-ausencia dos criados.
Esse individuo deve ser o mesmo que, ha
poueo tempe, fe/, um roubo nessa eidade e do
qual do noli ca os joraaes.
Entre a roupa de casimira foi um crotsd de'
cheviot leudo na gola, do lado de dentro a marca
Emilio ou Emilio Soares, em cuja casa foi
feto.
Certo de que Vv. Ss. a tiende rao ao meu pedi-
do, publicando a presente, con fe.-so-me desde
| agradii.'i.loe assign -rae etc., ole Sebaiti
Ildefonso d Reg Barros.
(tintino Faamiliatr Est convocada para
hoje uma assembla geral d'esta sociedade, sj
7 horas da noite em sua sede.
Beclfc Illuatrado -Distribuio-se hontem
o n. 20 deste peridico critico.
rito poatctsstea Hontem pelo
Dr. delegado do i* districto da capital foram
remontaos ao Dr. taz de direito do 2* districto
criminal, osinqueritos pociaes procedidos con-
tra Maria Emilia da Silva Braga por ter na tarde
do oa 14 do corrente ferido, na ra do Impera-
dor a Antonia Vicencia do Espirito Santo e
contra Antonio Francisco Joaquim de Alora, que
na no'te de 15 trujara c ntra a^ida do acad-
mico do 5o auno de direito Joo Francisco Tei-
xeira Sobrinho.
iieiiAen li.Teetuar-se-ho os segrales :
- Hoje:
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra do
Imperador n. 49, de um sobrado de dous an-
daros.
Pelo agente Slopple, s 11 horas, ra do
Imperador n. :I9. lo predios e terrenos.
Secunda-l'eira'
Pelo agento Burlamaqui, s 11 horas, na ira-
vessa do Peixoio n. 23, do uma casa.
Pelo agente Stepple, s i 1 horas, roa do
Imperador n. 32, de predios.
zem ra do imn
de dous andares
UTaaaai fnebre*Sero <-|
Hoje:
A's 8 horas,naatrit da Boa-Vista, pelaa1
de D. Isabel. Candida do Moraes Sarment
7 horas, na mesma matriz, pela ana
quim i ossoa ; s 7 horas, pa groja da Santa
.Ccuz, pola alma do MaaaeLJIkchailo : s 7 li2
aaamalriz dbGu,'*, nataabasdo D. Marta Soa-
res- Pereira Bastos ; s**boras, na caK do
Aayo de Moudicidade, pata alma de PaflK da
shra : s 8 horas, na rreja do-alferes Joo 11. do Amaral- e Mello.
SCgundttrfeira :
Ais-7 l| liocas, na igraja, do Carmo, pala al-
ma de Fraiicisco Pedro de :MeIlo ; s 6 lrf ho-
rras, narigrtaadw llosario da-Boa-Vista, peta al-
ma delaiiiicio'.Mbnrtes'da-ilva.
Patame row Chegados do norte no va-
por brasileiro Pirupama:
Dr. Linhares sua senhora e um criado, P. da
Oliveira Souza. Antonio D. Correia de Medeiros
e filho. Pompilio M de Albuquerque. Sy, Joa-
quim de Vasconcellos, Antonio Teixeu Cereja,
Dr. Jos Villar. 2 cunhados e 1 menor, Ismael
Cezar Ribeiro sua senhora e 2- filaos, Luiz t-rn-
cisco de Moraes. Jos Estoves Pereira, Marcos
do Souza Santiago, Juvenal Augusto de Sal-
les, Irineu Salles c Horacio Salles e Silva, Odi-
lon Ribeiro e 1 criado, Juvino Brrelo. 1 irmS,
1 filho e 2 criados, Dr. Alfonso de Loyolla,
Joaquim G- de Pinho e 1 criado.
Chegados de Fernando de Noronha no va-
por nacional Jaguaribe;
Capilo Joaquim Agripino Furlado deMendon-
ca.e 1 criado, alferes Jos Soares de Mello, cade-
tes Goncalo Ucha S. Leo e Manoel Ucha Ca-
valcanli, 4 pracas de linha e 2 mulheres1, 18
presos 6 mulheres o 3 lilhos, Jos Lima e soa
senhora.-'
UirecSort da o lira, de i i:nrria-
ti**as aTaaeua ate Pemambui.. -Reci-
io. 2t de Fevereiro-de 1889.
Boletim meteorolgico
=---------
~ .i 53
Horas g O g 3 p 3s Barmetro a 0o Tensoi do vapor T3 '1 3
6 m. W 0 T9-41 2,13 85
9 26" 6 70-88 22,31 84
12 30-2 760^53 21,18 63
3 t. 30 -i 759-60 21,69 67
li 28" 4 758*95 20.5o 72
Tempe-atura mxima-31",." '.
DiXa mnima 24-,30.
I vaporaco em 2i horas a .-I: i>,3 : som-
bra : 3-,0.
Chavatralla.
Direcgao- do vento: BNB-dt meia noite s 7
horas e 18 minutos da nianli ; E at 9 horas e
50 minutos; SE e ESE alternados at 9 llorase
45 minutos da tarde; SE a' meia noite.
Calmara durante 4 horas pela manh.
Velocidado media do vento: l" (ti por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,53
Bolelim do porto

^ y.
r: -
n


1'. M.
i! M
P. M.
B M.
Dia
21 de Fever.
22 de Fever.
Horas
,S- -14 da manila 2-23
2 40 da Urde 0-.64
8- ,43 2-,23
3 - 7 da manh 0-,72
Altura"

19
16
0
37S
eofermalias
r
i
Hi-miiocss eciai-M llavera amanli as se-
^uintes:
Do Instituto Luterano olirtaense, s 10 horas
da manh, na sede social, em sesso ordinaria
doconselho director.
Do Moale-Pio Typographico Pernambucaao. s
10 horas da manh, na sedo social ra do Co-
ronel Suassuna u. 41, 2 andar, em assembla
geral.
operiici erurgicisiForam pratica-
das no hospital Pedro II, no dia 22 do corrente,
as seguintes:
Pelo lr. Malaquias:
Abertura de abeesso profunda da cOxa.
ebridamento em infiltraco e abriesso nrino-
so consecutivo a estreitamento da urethra.
Extirpaco de dous kistos sebceos da nade-
ga osquonia um, o outro da r-gio infra manil-
lar inferior.
Pela Dr. Estevo:
Raspagein e cauterisaco de \egetacOes syphi-
liticas do perineo.
Dilataco pelo therrao cauterio, de (islilla peri-
neo-recial.
Cuku de UetenciioMorimento das pre-
sos da Casa, de Detenyo do dia 21 de" Fevbreiro
de 1889.
Existan 433; entraram 22; sahiram 31; exis-
tem 424.
A saber:
Nacionaes 390; mulheres 12 ; estrangeiros -22.
-Total 424.
Arraeoades 380.
Bons 355.
Doentes 22.
Loucos 3Total 38.
Movimento da enfermara
Teve baixa:
Jos Antonio Alves.
Teve alta :
Jos Antonio de Siqueira Campos.
Foram visitados os presos desle ostaboloci-
mento por 299 pessoas, sendo 12a" homens e .7f
mulheres.
oapMal Pedro II -O raovjm -nt. deste
estabeleciraento de daridade, no dia 21 d. 9t-
voreiro, foi o seguinte;
Entraram
Sahiram
Falleceram
Existem
Foro* visitadas as respectivas
pelo Drs.:
Mosoosos 8.1(4, Cysneiro s ft, Barcos Sobri-
nho s 7, Berardo as 10 sr8, Malaquias s 7 112,
Pontaal s 9, BstevO Cawalcante s 8 ty4, Simoes
Baruosu s 10 Ijl.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 7 Ip4
horas.
0 pharmacautico entrou s 8 1 |i da manh
sahio s3i|2 da tarde.
0 ajudante do pharmaceutico entrou s 7
da manh e sabio as 4 horas da tarde.
Ijoteri do tiram-Par-A 3< parte da
26* lotera, dessa provincia, cuta premio grande
60:0O0.'00O, era extrabida,quarta-feira, 27
Fevereiro.
CenUrrio Publico -Obiluario do coa
de Fevereiro de 1889.
Catharina de Figueiroa Faria. Pernarrjbuct),
annos, casada, Afogados; tubrculo- puftpi
res.
Cecilia^ Keruambuco, 6 meses, Boa-Vista gas-
tro entente.
Idalina Ramos Pereira. Parahyba, 31 aflHM
casada, Boa-Vista; bypetrophia do coracaoj
Manoel, Pemambuco, tanoas, S. Jos; i
tigo.
Hermelinda Candida de Athayde, Pernambta-
co, 50 annos, solteira. Boa-Vista; tubercola|l
pulmonares.
Dionisio, Peraambuco, 4 annos, S. Jos
tarro svffooaote.
Maria Antonia Rodrigues Sal es, Pern
60 annos, casada, S. Jos; lesio cardiaca.
Jos Francisco da Rocha, Pernambuco, 1
nos, S. Jos ; carhexia palustre.
Antonio Josde Sanf-naa, Pernambuco,
annos, solteiro, Graca; cachexia palustre.
Um pouco de tudo
Tendo O Pnz, da corte, publicado urna
tislica. arranj ida a dedo, para faif
era a folha mais Ma da corte, saliii
contro a G zeta de. Noticias que.
dados taconlestatos, fez o seguinte
Publicamos arite-hontem urna
Acial do sello que mensalmonte pa,
nal da manh ao correio, e observi
quo a sua autbeqtiddude nao tai n
posta om duvida.
. A prim ira condicao para qu
ca leve a conclusOes de ui
tca, que os algarismos c
\j esies nao o sao.
vemos, portanto, -de tirar a



i-
11
i'

u






1888
3
5!gr 1:4004000
32 gr. 10*000
^r- 2454000
30 ct. 104000
e pala-
deixar toda a clareza.
;os.leitores, para reereio dos-quaes
noe damos i este trabalho, vero com que sin-
gelofii'ttra de todo o ponto completa e elucidada
estatKtiea. que antohontem denos. Repet-
mol-a :
* iaj(ins seis meses, as folhas. diarias da
mantel existentes pairara ao correio, pela refe-
rida expedirao, mensa.'inente, as segnintesquan-
jtiascom o peso de cada folha simples, que vai
(indicado:
Jornal dfi Conunercio
Gazftd de.Notieins
i": i:
Diario 4e iNotkuus
Calentemos que o primeiro de3tes jornaes
deu meia folha diariamente de supplemeuto -s
meia (plha e que os dous seguintes draiu dez
supplementos de meia folha bot mez, nio danilo
o ultimo; tieahum supplemento.
Assim, teremos encontrado o peso diario a
pagar par es la jornal ao correio augmentando ol
da folha simples naqnelra proporfo.
Ser portante:
Jornal du Commerr'm 03 graramas
Garra de Noticias 43
O Vm: 48
Qiario de Noticias 30
Se o porte fr de 10 reis por 180 grammas,
como actualmentepodendo seroutre qualquer,
o que nao alien a proporcao, que ser sempre a
meerat -chegamos ao resultado (a que todo o
mundo pode chegar fazendo o calculo<, de que a
expedico diana de cada jornal pelo correio 6 a
seguinte:
Jornal do Commercio 5,010 folhas 1:4004000
Gazeta de utir- i 6,670 8604000
O Patz 1,7"0 2454000
Diario de Noticias 2,330 2104000
Isto o que diiem os algarismos ofliciaes
na sua maior singeleza e na sua mais completa
eloquencia.
> Nem mais nem menos.
Na listoria do nevrosismo o tabaco tena nina
pagina vergonhosa.
Adoptado para esconder ou mitigar muitas
formas de nevrosismo, augmentou-as e gerou
bovos males.
Leiam a proposito, os leilores as pagmas es-
criptas nos Elementi d~ ujisne. s quaes accrescen
tem este colieillo antinicotico, collado dos mais
recentes estudos do Dr. Rouillard.
Decawne. nos seus estudos sobre os meninos
(amantes, .ita muitos, que depois de terem co-
gtecado os seus estudos de modo rauito brilhan-
tc tornaram-se depois morosos c preguicosos.
Berlillon publicou una curiosa estatistica so
bre os alumnos da famosa Escola Polttecknica de
Par:, que representam urna cathegoria de jo-
rths es olhidoa de viuie annos.
Napromociio de 18*5 o-numero do fumantes,
que no primeiro grao fra de 6. se elevou pro-
gr(B>!vii!nc!re a 16. mos vinte ltimos.
(il)r. Constan renovou este estudo, adicio-
nando obs-rvaces muito numerosas e confron-
tando os postos Jo.- alumnos sua entrada e
suu sabida, achou que :
Os n i lomantes perderam 2 postos
Os frai;os fumistas 26
Os fortes fu mistas 38 -
Nao bastar a eloquencia destas cifras f
# E:rtre affecces graves dos centros nervo-
sos (liemiplegia), amollecimenio cerebnl, para-
plegia. ataxia locomotora, paralysia agitante),
iamis^-r aeliou Ai nos fumista?, e destes 30
eram soberbos fumantes.
Piasecki medxo uiunuactaru dos tabacos
do Havre, verificou urna mor-idade grandis.d-
ma nos meninos das operaras, sto o. 22-I ni ir-
tos sobre 376: 55dos quaes inorrer.ru por ffa>
coes do cerebro, mtningitos e eongc*es.
Or. (asc, antigo medico da manufactura de
tabaco de Toiinein.-. oiservou que as affeecOes
nervosas o as con*ut*oes, as (tomaras, a apo-
plexia e a epilepsia eram molestias muito com-
muns naquelles operarios.
O l)r. llastings jamis vio um caso de epile-
psia his grave do que a de m menino de 12
annos, que desde dous annos fuma va de um mo-
do exraordinario. Tratado intilmente com di-
versos remedios, curou-se promptarmvitc depois
ie ter deixado o vicio.
torno da vida ilo homeo como as plantas que
adornam o-tron w do arvaiho o fazeirreom as
suas grinaidas le^a*tes< Ckateambriand
Nao malvada seno o homeni impudente
coa, a bice m as mulhres.--i>orm.
As ranUnces .nos dewm amuner paite dos sena
defeitos, e nos 4e,cmaa-lhee a maior parte das
notsas boas.qnaiJ.ites.C. Lamtsle.
A raultaec, quj uuito-frequenta as agradaveis
nunies, s-de4.'iaailm>inte das viiluiles que
devem formar as alegras da lamilia. Ella ah
dissipa o animo, a bellesa, a vida e umitas ve-
zes torua-se cauta das raaft tremendas con-
sequencias. Na adulaco, no inconvenieule
cortejo, pe a satisfacao do seu amor proprio e
perde o fado que- pode fuzel-a realmente con-
tente. Deicmrt.
Oh miillierea, aeres desgracados e sen si vis!
nao exponde-vos com o corjeo indelTeso guer-
ra o amor onde es hamens se apresuntam com
o peito fingido >le triplece couraca; se vos
abandonis muitc necessidade de ser amadas,
os homens senhores de si mesmos, minaro a
vosea existencia para embellesarem a sua.Mu-
dame Stanl.
Nao sabemos a que altura poder elevar
se a mulher, porque anda nao houve urna po-
ca, nem urna narSo, e:n qne ella tivesse podido
ilesenvolviT-se e exereer aea restriceoes as suas
tercas moraas e intelleciuaes.Stuart Miel.
Sede circumsp >ctu quando tiverdes de fallar
das inulberes perante homens mal intensiona-
dos. Blles acptto sempre as supposicOes com
a pervereidade do proprio cora4o. Inflis
interpretes do que se diz. deltas, do um
mo sentido aos discursos mais simples, ao Tac-
tos innocentes ; sonham mysterios, onde nao ex-
iste nenhum. N'iihum cuidado 6 excessivo pa-
ra nwater iilibadi a reputacao de urna mulher.
Est reputacao,-ds 3b de na .intrinsoca hons-
tidade. o mais bello premio. Quem nao ze-
loso em conserval-a, quem tem- a viles de com
prazer-se qne outiis supponhra n'uma mulher
alguma fraquesa por elle, um indigno ? mere-
cera de ser expuso de toda a soeiedade.
AsaraKps de peticao *
Ao Sr. desambargador Dellino Caralcante -
Do Recite-"Asgrarante Luir Jos da Costa e
Silva, aggnvado o juizo.
Ao Sr. desemhargador PiresFerreira::
Do ReeifeAggrvante Juo Victor Alves Ma-
theus. aggruvad Fredarico Sodr da Multa.
*o Sr. ilesembargador Monteiro de Andrade '
Do Recite Aggravante Francisco Perreira1
Vianoa, aggravada..D. franceliita da Silva Al-
meiila.
oSr. desembargador Alves Ribeiro :
Do Recite Aggravanle D. Anna Generosa o-
drigoes Costa, aggravado o juizo de orphtos.
fcucerrou'se a-Susano s 2 horas da larde.
INDICAGOES TEIS
CHRONICA JDDICIARIA

O Dr. Uourdiu enrileirou as cifras que se n -
fRsentam o augmento do cousumo do tabaco em
rauca e comparou-as com as que assurualam
' O augmento do numero dos loucos. Ceriam n-
fcte an.egiwid:is nao sao tilbas das priaieiras :
mas sao i*m iodo caso cifras muito c-oqo.mie.-.
que fanvomeditar o eitor :
Anuo ii'>nsumo do tabaco Numero dos doudos
1840 Wa018.495 kilog. I3N
185o 10.218 406 20.061
1860 21.580.668 28.741
1870 31.319:191 20.is:i
18* S&JMtn 47.46:!
NMf uco departamentos da Franja, oude se
funm-mats (Nord, Pas-de-Calais, Meurthre e Ma-
selir, Boliches-dn-Rhomo, Alpes Mariiirnes).. a
mdm do eoOBtmo de tabaco (comprehendidos
meninos enumere?) dekilog. 1.762, eo nu-
meromo dos doudos por cada departamento
de 769.
Nos cinco< departamentos onde se -tema me-
nos (Aveyron. Lozere. Dordogne, Haute Loire
Chajxuii.'i auha^se iS-^ramcias de tabaco por
halid inte -'i 2w loucos por departamento.
listas cifras sigrtMMm que onde ha mais ner-
fOSiCos fuma-se nmis'e d'ahi resulta maior nu-
mero de loucos: 4em excluir, porin, que tam-
br,. mi i do lahaeo augmenta o numero dos
P alienados.
Em terceira inlia. depois do alcool e do ta-
baco, lignraa cerno elemenl-* *ec<&tttniite$ o
cate ; o cli. i) seu consnmo iarna a uecessi-
da li-'de excitacao, e o nevrosiemo que leva a
procurar com vida cupidez estes alimentos ner-
vosos, faz sempre augmentar o numero de ne-
vrosicos. E u cdm que produa o elftiio e o
effeito que duplica alausa; um dos tantos circu-
ios viciosos, que pareceu combatef a lgica, mas
que se entranha nos labyrintos do c 'rebro hu-
nano a dos seus vicios
O hotuem do secnlo XIX un cavallo de m-
nibus, que deve sempre correr, equandoa aveia
lio basta, levam chicotadas sem m-'dida Ao
menos os cavallos de quatro persas nao soffirm
senao o mesmo chicote appficado de urna ou de
outra extremidade ; o -taomempelo contrario,
sem fallar das chicotada-i jmychicaf apanha. as
ahicotartas, que se chamam, alcool, tabaco cha.
rale. etc.
La Foiitainedissequi- nolia argumento i; elhor
nem mais efliraz .do que a satyradaS
s; o seu elogio tem sido mais de mil
do. Nadier. .
s mnlheres s!ioT>os-a- mestrasna iuocidade,
mpanhelm na ;\ ide MdioHi, i-
fctrici's ua velhice. Boom.
^A nmlner, anda no eoneeito-doamai? bruiaes
i ores, pele menos raetade do ..
mont, mas para quem a julga com'Justina
lam -.m re' ia,ella Paiawoque a :ue-
lossu familia, pors-que. pela bellesa do
ii^n dg espirUa, [vi'Ja>'ternu-
r.i ufo como pelo gran diverso
ara, porte exerrer tambera sobre a utra
i i mra. nim
ninadufca tanto iw bem emanto nu
H/iahg-izza. .
tier urtrr -das mulheiv- amor serve de
Qaerrazzi
Mh! Hria, irm.. esposa, av: nes-
tas p inclue aquillo que pelo-coraco
bunran' podee\HB>de mais suave, de mai
eso i- nais puro e de mois inelfavel. Memia*
ilher a caricia da vida.Mazzin'
^^Os os raciocinio dos homeni ;,
r. mulhei.-
^Bpc-eWneu o !io:uc:; a

feridus
mulher
Tribunal da Relaro
SESSO ORDINARIA EM 22 DE FEVEREI-
RO DE 188!)
PKESIDENCIA DO EXM. SB. COSSELHEIRO
QUIKTISO DE MIRANDA
Secretario, Dr Virgilio oelho.
As horas do cost ame presentes os Srs. des-
erabargadores em numero legal foi aberta a
sessao depois de lica e approvada a acta da an-
tecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se
osseguinli's
J U j G A M E T O S
Recursos eleitoraes
De l'anellas Recurrente irmino Pomposo de
Mello Ful -o, recorrido Ovidio de Barros Correia.
Relator o Sr. desembargador Toscano Barrete,
i eu se provimento, unnimemente.
De Villa BellaRecerrente Honorio Lopes de
Siqueira, recorrido Braz Lucio Ribeiro Vianna.
Relator o Sr. desembargador Toscano Barrete.
Em diligencia.
De Caruaru Reoorrente Manuel Goncalves de
Mello, recorrido o juizo. Relatar o Sr desem-
bargador Monteiro de Andrade.Negou-se pro
vimento contra o voto do Sr. desembargador
Silva Reg.
De aruarRecurrente Fraucisco Alexandri-
no de Paula Rocha, recorrido o juizo. Relator o
Sr. des.mbargador Alves Ribeiro. Deu-se pro-
vimento, unnimemente.
Recursos crimes
Do lng Recorrenle o juizo, recorrido Anto-
iii i Francisco do Nascimeoio. Relator o Sr.
esi'iubargador Toscano BarreteDeu-se pro-
vimento, unnimemente.
Do Recite Recorrenle o promotor publico,
recorrido o bacilar-! '.rthurde Barros Falco de
Lacerda. Relator o Sr. desembargador Delli
no Cavalcante.Ni'j-.uu-se proviraenlo, contra o
voto do Sr. desembargador Oliveira Andrade.
com
bello
aarteaqitaco de
Kiio- de Sale*.
r o homeni seria rustico, desen-
o; n4aia'irta da.graci que.
i mulber exparge.uorax
Da Lnperatriz tt*corrente o juizo re-jorn lo
Antonio Pedro de- Alcntara. Relator o Sr.
desembargador Pires Ferreira. Negou-se pro-
vimento, unnimemente.
Do Cabo -Recorrenle o juizo. recorrido Epi-
phanio de Luna Freir. Relator o Sr. desem-
Bargador Monteiro de Andrade-Deu-se provi-
mento, unnimemente.
Da Imperatriz Recorrenle o juizo, recorrido
Jos Fraucisco Nuiles. Relator o Sr. desem-
bargador Oliveira Andrade. Den-se provimen-
to, unnimemente.
Do Te i xe ira Recorrenle Manoel Cavalcante
Ferreira de Mello, recorrido o juizo. Relator o
Sr. desembargador Alves Ribeiro.Deu-se pro-
vimento, unnimemente.
De Palmares Recorrente o juizo, recorrido
Domingos AlTonso Ferreira. Relator o Sr. des-
embargador lavares de Vasconcellos.Negcu-
se provimento, unnimemente.
De BananeirasRecorrente o juizo, recorrido
Melchiades Minen.no de Mello Muniz. Relator
oSr. desembargad or Silva Reg. Negou-se pro-
vimento, nnanimemeute.
Da ImperatrizRecorrente o juizo, iccorridos
Jonquiui Alves da Silva e outro. Relator o Sr.
desembargador AUes Ribeiro. Negou-se pro-
vimento. unnimemente.
Aggravo de petico
Do Recite -Agravantes Cramer Frey & '.,
aggravado o juizo. Relator o Sr. desembarga-
doiloicaio Barreto. Adjuntos os Srs. desem-
bargadores Tavares d'P" VSSconcelfos e Pires Fer-
reira. Nao se lomou conhacimento, contra o
voto ilo Sr. desembargador Tavares de Vascon-
cello.-.
Conlliclo de jurisiiicgo
Entre o iuiz municipal e de orphos de Cam-
pia Grande e o respectivo iuiz de direito. Re
lator o Sr. desemiiigaUor Tacares de Vascon-
cellos. Adjuntos os Srs. desembaradores Buar
que Lwnae Dellino Cavalcante. Julimu-.se-pre-
judicado.
I'aSSAAEKS
Do Sr. desombargador Monteiro de Andrade
ao Sr. desembargador Alves Ribeiro :
AppeUanio crime
De Alaga do H3nterro vppellante o promo-
tor publico, appellaiio Vicente Ferreira Lima.
Do Sr. desemborgador Pires Goncalves ao Sr.
desembargaiter 'Aires Rrbeiro :
Apnellacao-erel
Do Recie-frAwprttaiiteriabmtes C. appel
lado Dr. Antonio Gomes-Pewira Jnior.
O Sr. desembargad, r Pires Goncalves como
procurador da corta e itromotoc da justica, deu
uareccr noa seguint s feitos :
Appcllacoea crimes
De I'i.-aobasAraieMuut.: u juizo, appetfenlu
Antonio Mara dos Santos
De Pedras de Fogo Aiipellante o juizo ap- j
peilado Vicente Jos da Suva.
De lacatut Appellante Antonio Flix do
Nastiineulo, appella la a jr.stira.
De Pedras de 1.1- .\jif*lau Allio Jos
Rodrigues, appeltrdi a ju-fcea
Ap lellacito ctvel
Da Parahyba Appellante oo Alvares Tri-
Bflliada a fazenda nacional.
DILIGENCIAS
Com visia ao %r. desembargauor prataoior da
justica :
Apii- llacOe? crimes
Do Recite Appellante o promotor publico^
appellado Pedro Ferreira e Azeveifb.
De Hazareth Appellanies o juizo e. Antonio
Pereira do Espirito Sanio, appellados a justija
e JosLou'neo da titea
Do inga-Appellinte Ca.iniio Gom "9 da Silva,
appeilad a justica.
Em diligencia ik juizo a qu
Apiiellagao crime
Do ReciteA ppe i Unte o promoto, publico,
; :1o o 2* cri'.'do 2o batalhae de mfan-
taria FranciBc i Bel ra i Gomes Silveira.
i sisia as par es :
Appillaco commercia!
1-c. Escuda Abltente Joio Fernandez da
Silva Fortes, appaft4a*aoato Luiz Francisco
ApptiUacao 0W9
Doftfcii'tAppellantes Jos Antonio Pintee
appellado Eduaro A exandre Burle
sTRIBCiguES
Aggravo idean staiaKmt
Ao Si. desemfurgador Tavares de Vas.
De Pedras da Fogo-H*fjftraa Joo da Sil-
va Oliveira, aggravado Rozendo VTeia -Ber-
nardee.
Medios
Dr. Cerquelra Ltite, tem o seu osoripto
riosberto rua Duque de Gaxias n. 74, das
12 as 2 horas da tarde, edestahoraem dian-
te em sua residencia ruada Santa Cruz
n. 10. Especialidades molestias.de se-
nlioras e crianzas. Telephonem. ^6.
Dr. Joaquim Loweiro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto. Sampaio d consultas de
meio-dia as 3.horas no 1.a andar da ceas
a ra do BarSo da Victoria, n. 61. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada' pela ra da Saudade n. 25.
Dr. Castro Jess medico e operador.
Pratica a lavagem do tero croando e co-
mo aeonselhada. Consultas das 11 s
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jesns (antiga da f'ruz) n. 23, 1.a
andar. ,
- r. Ribeiro de Br'tto d consultas de
moio dia s 3 horas da tarde, no 1." an-
dar a ra Duque de axias n. 46, poden-
do ser procurado para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
Iephone n. 303.
Advocados
O hachar el Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, 1.- andar.
O Dr. H. let mudou o seu escripto-
torio de advocada, para a ra do Impera
dor n. 46, l" andar, sala da frente.
O bacharel Jos Vicente Meira de Vas-
concellos e o Dr. Manoel da Trindade Pe-
retti, mudaram seu escriptorio para a ra
do Imperador n. 50, 1. andar.
Occulista
Dr. Ferreira. com pratica .nos princi-
paes hospitaes e clinica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os das das 9
horas dao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e oficina de carapina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualidades, serra madeiras de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petenciaPernambuco.
Drogara
Furia Solirinho & '.'., droguista mor ata-
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios do todas as especialidades pharma-
eeuticas, tintas, droga, productos chimi-'
cas e medicamentos homeopticos, ra do
Mrquez de Olinda, u. 23.
Profraaor americano
Devido a mudanca de residencia, Mr.
Gcorge B. Nind, pode ser procurado nos
dias uteis na ra da Conquista n. 20.
Despacho
Requeiraem termos- paral poder a dire-
ctora deliberar.21 de Fevereiro de
1889. -fioMrf.e.
/ Replica
Illra. Srsi sreotore*' do Prado er-
nambucano.
O snpplicante replica sobre o despacho
4 proferido na Jietijao supra, ponderando
que os termos que ella est redigida
sao correctos e exprimera o pensamento
do supplicante, posto que enrgicos, ne-
nbuma offensa cOTrtrn t; sao usados no fo-
ro sem que os jnizes e tribunaes se sin-
tam atacados em 3ua sirsceptibilidade.
O despacho como foi exarado vem mos-
trar, mais urna vez a exactido do concei-
to emittido pelo snpplicante, reto que
Jia m vontade, pois que de outra forma
nSo sera in limine negado o conhecimen-
t da directora que Vs. Ss. compSem,
petico dos supplicantes.
O suplicante aspara que aua peticSo
seja submettida a directora, afim de que
ella rosolva com justica
------------*asfc.-------------
Os Dts.* A. Meira e J
Marianno
ose
notabis-iimo artigo,
reaeco. disse o se-
0 Sr. Dr. Meira em seu
que tem por epigraphea
guilde :
Nesse tempe- segundo diz, rmtito crivnca) trabalbavamos secre-
tamente, em um quasi escondrijo como uns quasi
conspiradores 5mas e-igalmei>te certo, que Jos
Mariano nunca desmentir em publico os com-
promissos que alli (no escondrijo) tontow.
Eno Sr. Dr. Jos Marianno que compromissos
foram esses que S. S. tomou no escondrijo com
o Dr. Meara que nesse tempe era crianca !
S. S (em n dever de declarar quaes foro
esses' compromissos tomados uo escondrijo. Seus
amigos tspiTajn que*. S. no>se recusar a urna
exphcaco, por que sem esta o nesrocio torna-se
feio.
Muitos eleitores du 2" districto.
poblicacOes a pedido
Justica hippica
O publico aprecie o modo correio, por-
que procede o gerente e tutnnuju do Prado
Pernambucano, qnando reclamou-se con-
tra os seus apaixonados julgamentos.
E' preciso que elle comprehenda que
temos, quem nos possa julgar, sem su je i-
tar-se a faca de seus capangas.
Illms. Srs. director, s do I rudo ernam-
bucano.
O abaixo assignade proprictario da egua
Olga, vem pelo presente contra-protestar
sobre o protesto que perante essa directo-
ra, encarregada do Stud Book desta
provincia aprehentaram alguns proprieta-
rios de animaes.
A referida eguatrouxe para esta pro-
vincia todos os documentos comprobato-
rios da sua classifioacfio, b, lientas condi-
y.oes j : ,-in ella sido classifcada devida-
mente e havendo at corrido nos dhTerentes
Prados, parece que hoje o protesto apre-
sentado, foi adrede preparado, com o fim
snient'e de prejudicar ao nbaixo assig-
nado.
Accresce aipda, que essa directora pela
parcialidade que mostrou na cocrida do
cavallo Apollo, nao pode .ter. aquella sen-
cilo de animo, indispensavcl naquelles que
tem de ser juizes sobre interesses alheios,
e nortant uao Jnapira ao abaiso assigna-
do a 1 evida con fianca.
O abnixo assiguudo- n&o j>>r diuid.i era
submetter-se a urna decisl" proferida pelas
tres directoras dos tres Prados existentes
nesta capital, nSo s porque Ibes deve in-
rcressar de perto semelhantc decisae, como
porque o abaixo assignado folga de reco-
nhecer que as troe directoras ha caracte-
res illibados : mas mao pode de modo ne-
iiliuin submetter-se ao que fr por Vs.
Ss., isoladament^ decidido, por quant'i
nSov em algims dos membros dessa di.
rectoria aquella independencia e rectidao
que devem presidir a taes decis5e certo at, que en alguns dos ditos?, mem-
bros, predomina, como, j ibi verificad",
m vontade a respeito da t oadelaria 2 de
Fevereiro. do qua! o abaino asignado fez
parte.
Nunca a paixao e o rancor, condenn-
veis por sua natorexa, farao bona conse-
lheiros em qualquer negocio, e muito
menos quando so trata de fazer justica.
Demais contra todos oe .principios que
se posea ser juiz e parte ao mesmo totopo,
e Vs. Ss a" poderao licitamente negar
que foram parte em urna queatao havidn
com o gerente da Coudelark 2 do Feve-
reiro.
Assim, poib, espera o abaixo asaignado
que Vs. Ss. pesando lev idamente oa inte-
resses do Turf 'emamOMcaao, reunam.
todas as directoras dw tre' Prados, .afim
de que por este modo se d ama decisao
sobre e como, deve ser ckssificado a
egua Olga.
Iiisiiliil BciiHicculc i)s Ofliciaes
da (lnarda \'ac oiiai
lteuuie-se no dia 21 a directora d'essa soeie-
dade e Iratou de diversos assumptos^ entre os
quaes, dos meios de adquirir donativos para a
familia do infeliz tenente Pedro Rygaard, c to-
mou a deliberacao de nomear diversas coinmis-
ses, ^as quaes licaram compostas dos seguintes
Srs. :
Reeife
apitao-Nuno Alves da Fonseca.
Tenente Galdino Jos Burity.
Alteres Augusto Leopoldino da Silva Veres.
Santo Antonio
Capito Augusto Cesar Cusseiro de Mattos.
Tenente Antonio Pedro Dionisio.
Alteres Sezino Vieira da Silva.
S. Jos
Teoepl Hermillo de Azeredo Coutinho.
Tenente Gaspar Antonio dos Res.
Tenente Hehodoro andido Ferreira Rabello.
Ba-Vista
Tenente Pedro Celestino de Bro Macedo.
Tenente Manoel Domingues da Silva.
Tenente Masimiano Ribeiro de Araujo.
Olinda
Capito Fortunato Jos de Sampaio.
Tenente Manoel Procopio da Silva.
Tenente Manoel Nunes Vianna.
Graga
Capito Vigente Ferreira de Saut'Amia.
Capito Francisco Mauricio de Abreu.
Tenente Godofredo de Abreu Lima.
S. Lou renco
Capito Manoel Joaquim de Trovas Marinho.
Capito Augusto de Miranda Albuquerque
Alteres Antonio Ferreira Lobo.
Victoria
Alteres Joo Carolino de Goes Cavalcante.
Capito Joanuim Joo da Cuuha Pimpim.
Tenante Caetano Bento^la Cuuha Figueiredo.
Cabo
Capilo Mauoel Duarte Vieira.
Altere? Lotz de Franca de Hollanda Chacn.
Alferes Joo Francisco do Reg Barros.
Escada
Capito Sergio Evergisto de Souza Magalhes.
Tenente Paulino Martins da Costa.
Tenente Luiz Jos de Franga Carioca.
Nazareth
Virencia : Capito Elysio Tavares de Mendonca
Pocas.
Alaga-Secca : Alferes Joo Lobo de Oliveira
Tracunbem :' apito Joaquim Ignacio Gongal-
ves da Luz.

Patrimonio Regaard
Relago das pessoas que concorreram para o
patrimonio Regaard, cujo resultado se aeha de-
positado as mo do digno tbesoureiro o Sr.
commendador JosepbKrause
Transporte
Gurgei do Amai-al
'"""y" 1 1 mi
D. J. Seve
Andr
Alves 4 C.
Fernandes
Fabrica Globo
Anonymo (ra do Rosario)
Dr. Presciliano



Collaco
Tenente Souza
Hotel
Novaes
Salvador
AugnBto Castro
Aimnymo
Diniz
Jacintho
Narciso Maia
Meu.com padre
Nati vi dad i'
Maia Silva
Neto Campos
Andrade Maia
Joaquim Ferreira de Cramo
Leite Bastos C.
R. G.
Costa Campos
Anonymo (ra do Livramentol
Dias
Anonyi 1
J. da 1. V.
Albino (ra doLi.*famento|
Miguel isabella
Fernandes da Cunha
Campos 4 Ferreira
eixas
Auonyn.o
Commendador J. F. da Costa-.
Costa Urna 4 .
lsnaty Rodrigues- C.
A. G. Senra
J. D S. C.
Araorim
Leite
Carlos A. B. v
Fernandes 4 Irntos
Lopes Alheiro
Figueirdo 4 Costa
Soa es 4 Fernandes
Aiiouyuo
j" Ja Silva Pereira
103*000
isooo
i*000
5500
11000
2000
laOtK)
300
*500
1*IHHI
uooo
2*00
300
um
vm
5*000
tan
oOO
uooo
1*0 o
14000
1*000
1*0(X1
*-(k)
2*000
1*00
1*000
1*000
i*(KX)
-*0iK)
1*000
1*000
2*000
1*000
1*000
, 2*000
l*ooo
iJOOo
1*000
2000
l*00>
2*000
11000
l.O'KI
*500
*S00
1*000
2*000
*50
1*000
2*1X11)
UOOO
1*000
mpMo
ntonio do Reg Medeiros
da
m* 5
,-erior a todas as aguas de Colonia e a legi-
tuna Ayua Florida de,Murray ALanman.
da disniiago ^erfeita das maia
llores do tro pico-enlldoaiem toda sua lou-
cania.
Para o bauho e tousador nao ha nada igual.
Perfuma, fortalece, acalma, refresca e deleita. A
legitima leva ao derredor.ido gar^alo da garrafa
urna tira branca em 400 aoBacaaem gravadas
em ac as nalavraa-r^aaeBMirduaiiial e o fac-
smile da firma de. seus unios paoprietarios,
Lanman & Kemp New-York.
Festa de S. Fraorlseo de Paulo
em aua apella do nanga, no
dia 4 de arco de lf.
Jniz per eteigao
O Illm. Sr. Francisco Pereira'da Silva. ,
Juiza por eteigao
A Exma. Sra. D.Mauia Leopoldina Campos.
Jaiz por- devocan
O Illm. Sr. Jos Maa de Andrade.
Juiza por devttto
A Exma. Sra. D. Zulmira deOhveira Bastos.
Juizes protectores
Os E.vms. Srs. :
General commandante da^armas.
Gonselheiro Dr. Joaquim Correia de Araujo.
Desembargador Manoel da Silva Reg.
Os Ilhus. Srs.:
Dr. Joaquim Correia de Oliveira'Andrade.
Dr. Miguel Joaquim de Almeida Castro.
Dr. Pedro Affbro Perreira.
Dr. Pinto Pessa.
Dr. Manoel Trindade Perettl,
Dr. Jos Flix da Cunha Menezes.
Dr. Argollo Ferro.
Aurelio dos Santos Coimbra. 1
Jos Adolpho Kodrigaes Lima.
Commendador Albino da Silva Leal.
Joaquim Duarte Campos..
Tenente-ooronel Francisco Goncalves Torre
Francisco Gomes de Oliveira Sobrinho.
Tbeodomiro Duarte Ribeiro.
Dr. Hortencio Peregrino
Dr. Maga'lhe* Bastos.
Dr. Alipio de Carvalho.
Manoel Correia.
Dr. Jos dcSa.
Gerente Henry Fletcher.
Hermano Niemeyer.
Joo Firmino Correia de Araujo.
Angosta Cesar da Cunta.
Lucidio Martins.
Manoel de Oliveira Amorim.
Joaquim de Almeida Castro.
Joo Monteiro.
Jos Gomes Ganches.
Alfredo de Barros.
Manoel de Barros Cavalcante.
Alexandre de l'inho Bprges.
FranciscaJoseJledrifcues l'raca
Samuel Esnaty.
Jos de Oliveira Basto.
Hermann Slolemback.
Jos Melicharek.
Sabino de Paula apiisla.
Walfrido de Miranda.
Arnadeu Coimbra.
Antonio Pencte.
Jos Bento 3ogueira Jnior.
Vicente Veras.
Jos Carlos Leal.
Pedro Goncalves da Silva Barros.
Jos da Silva Campos.
Antonio da Silva Cont.
Joo da Cruz Macedo
Francisco' Macedo.
Gurgei do Ainaral.
Manoel Barbosa Vianna.
Antonio Carino de Almeida.
Be ven uto Travassos.
Francisco Mari* de Barros.
Mathias Lima.
Alberico dos Santos Coimbra.
Joo Climaco de Miranda.
Antonio Jos 'la Silva Braga.
Arthur. Scbiappi.
Joo A!farra.
Francisco Pe eir dailva.
Fernando Pereira da Silva.
Vicenie Miranda.
Vicente Silva.
Francisco de Barros
Albtrto da Silva Leal.
Dr. Francisco de Paula Correia de Araujo
Joaquim v a noel Correia de Araujo.
Dr. Eduardo Estanislao da Costa.
Jos Joaquim Correia de Araujo.
Jaizas protectoras
As Exraas. Sras. :
D. Ignez-Correia 4v Araojo.
D. Julia Correia de Araujo.
D. Rita Correia &- Araujo.
D Anua Correia de Araujo.
D. Mara Ce-ar da unha.
. Francisca Messerami.
D. a dele Plesseman.
D. Mara Gomes Prente.
D. Isabel Moreira.
D. RacM Peregrino da-Silva.
D. Mara Peregrino da Silva.
D. Isabel de 'aendonca Pinto Pessoa.
D. Anglica de Mendonca.
D. Antonia Canches.
D. Maria Magdalena da Silva.
D. Mara Antonieta da Silva.
D. Maria Monteiro.
D. Anua da Trindade Peretti.
D. Marianna do Reg Medeiros.
D. Chrislina Braga.
D. Maria Augusta de Barros 'avalcaate.
D. Emilia de Barros.
I. Annunciada Esnaty.
D. Leopoldina l'raga.
D. Elvira Rosas.
D. Thereza de Pinlio Borges.
D. Maria de Pinito Borges.
D. Francisca Rosas Leal.
D. Al b rtina Leal
D. Adclaide Leal,
i). Amelia Miranda.
I). Anua Miranda.
D. Max unida Burlamaqui.
I). Adelaide Burlamaqui.
I'. Maria dos Santos Coimbra.
D. Amalia Coimbra.
D. Mara Lima.
D. liosa de Almeida Castro.
'. Maria da cunha Mcueies.
D. Esther da Silva Reg.
D. Rosa da Silva Reg.
D. Maria Lins de Caula Baptista.
D. Amia de Paula Baptista.
D. Adelaide Oliva de Andrade.
D. Camilla de Andrade.
Esposa do Sr. Francisco .Banks
Esposa do Dr. Argollo Ferro.
Esposa do Sr. Miguel Macedo.
Esposa do Sr. Jos Ferreira.
Filha do Sr. ntonio do
E-posa do Sr. Carolino.
Esposa do Sr. Antonio Peisoto.
Esposa do Sr. Francisco da. Barros.
D. Amelia Ribeiro.
Esposa do D '. Gomes Prente.
D. Maria andida Gomes Prente.
D. Maria Henriqueta Gomes Prente.
Esposa do Sr. Augusto Xavier Carneiro
1 unha.
D. Maria Amelia Carneiro .da Cunha.
D. Maria Eugenia Carneiro da Gacha
Commissjo da testa
Os lilms. S.*s. :
Dr Gomes Prente.
Br. Altiuo Correia de Arauje.
Manoel Cesar Burlamaqui.
Antonio Correia de Araujo.
Feiicio dos Santos.
Domingos Cruz.
Carlos Gibson.
Augusto Xavier Carneiro da Cunha.
Pedro de Paula Baptista.
Miguel Macedo.
Jos Rodrigues Ferreira.
Carolino Gongalves da Si lva
Antonio do Reg > Araujo.
Francisco Pereira Lyra.
ProgrJMBitia da tradkrnal
feata do glorioso Satto
Amaro, que se venera em
sua capel Ja das Salinas.
Sesta-feira, 22 do oorrenie; as .7 horas r
da tarde, aera basteado com tola a pompa-e
o estandarte do glorioso Santo Amaro^i
sendo acompanhado por-crescidissimo nuv.
mero de dstinctas senhoras e'gentis crian.. 1
cas, e peta banda marcial, do 2o bataltf,
soltndole diversas gyrandolas.de fugjne-.o
tes, sendo largado .um.magestoao balt-M
Sabbado, 23, aomeio idia,./urna saWa
real-e diversas garandlas subirSo ao ax^r
e a refueda banda de msica ejecutar r
lindas pc^s de seu vasto repertorio.
A's 5 horas da tarde do mesmo da di
versas gyrandoks e os suris da banda.de
msica convidarlo os deis a assistirem as
yesperas, que constarfio de ladainha canta-
da as 7 horas da noite.
Uomingo 24, ao j-omper da aurora, urna I
salva real e diversas gyrandolas annuncia-
rSo'aos fiis ter chegad o dia da festa do
glorioso Santo Amaro.
A's 11 horas do ca entrar a festa,
sendo a missa denominada Santos Pinto :
oceupando a tribuna sagrada ao evaagelho
o distincto pregador da eapclla imperial
Fr. Auguito da [inmaculada ''onceicao
A orchestra acha-se a cargo do professof .
Tavares de Medeiros, e solos ^ea-io.exe-
outados por fcabeis cantore?, tMianOP-an-
tes e depois da festa a referida banda' dt
msica, lindas pecas do seu repertanb^^H
subindo ao ar um lindo balito.
Das 3 horas da tarde por diante estaroj
exposto, no largo da capella, concurren-
cia dos devotes oim esplendido bazar de
prendas offertadas pelos devotos do glonfr- >
so Santo Amaro.
A's 4 horas, terao comeco as ca val ha-
das, lomando parte diversos amadores,
que obsequiosamente se ofiereceram para
assim dar mais realce a'festa.
A's 7 horas da noije entrar a. ladainha
solemne, precedendo sermao pelo mesmo
pregador da festa, finda a qual ser arrea-
do o estandarte com toda a solemnidade
sendo entregue a futura juiza, subindo ao 1
ar diversas gyrandolas, e executando a
banda de msica variadas pecas ; depois.
ter lugao- o desafio aerio de dous aers-
tatos Vesper e Venus.
Em-egtttda, e para por termo a todaC
a festividade, ser quaimada un lindo fo*-"*
go artificial feito pelo eximia artista Olym-
pio de Mello ; preenchendo oa intervallo
a banda de msica que executar impor-
tan te> pecas.
O argu da capella .-leiiar-se-ha todo cm-
bandeirado, e a noite ser Iluminado a
giorno.
A companhia de bonds expedir durauttti^
todo o dia grande numero de carros eA
traordinarios, augmentando ainda mais >
tarde e noite.
A mesa regedora roga aos moradoxes
do largo da capella e ra do Bom Gusto,
o favor de illuminarem as fachadas de
suas casas para maior brilhautisino.
Consistorio da capella de Santo Amaro
das Salinas, '20 de Fevereiro de 1889.
O escrivao, j
lldiodoro Jos da Silva.-;'

Appello especial as
Sras. em favor da m
sa vjuvaeilhos da victi^*
ma Pedro Regaard.
Oh! vos Exmas. Sras. hrasileiras e es^
trangeiras da cidade Ao Eocvfe, e frad'el-
la, e bem assim as dignas directoras de
collegiQg e com suas jovens coJlegiaes, ^
vos Exmas. m enjos. coragSes germinan
a caridade a sensibilidade i a generosi-
dade.
Considerai a dor profundo aquella desditosa viuva nossa^irmo de
sexn, vendo, seus innocentes nluinhos, pe-
direm-lhe p2o som que ella, o tenha parsi
dar-lhcs e matar-!hes a fmne, iiso por-
que, a mao do malvado, do perverso, as-;
sassinou-lhe brbaramente o marido sen
Huaico arrimo. __,--_mmm^h
Considerai que, a flexibidade de nosso
sexo nao lhe permitfce tantot^sabalhar que
possa con: dignidade cuidar na ed cacito
dos cinco queriaVis filhas de uas entaaj
nhas.
Considerai finalmente que praticacs urna
obra de caridade'soecorrendo aquella in-
feliz viuva, e orphSos desvallidos.
Assim disponde de vossas eeonomias
urna qualqner quantia de accordo com
vossas posses e generosidade, e fazei-a
expontaneamente remetter sob vosso nome
a digna commisso, e eme obulo nao vos
fiar falta em quanto servir para minorar
a alriiccao a airiiota. ,
Nos de Olinda e algures quo cooaagra
mos os mesmos sentimentos de amor a
caridade, faremos outso tanto.
NSo vos tornis Exmas. Sras. indiffe-
Tentes aos rigores da dive sidade.
A todos esses eeraedes' bearfazejos o
ceo aben9oar, assinrlhes drejm,-vosaos
Irmas Olindenses.
Aviso ao publico
Enquanto durar a Exposigao Universal de
1889, os nossos leitores que se acharem em Paris
e Jque desejarem receber quaesquer noticias da
trra, podeo ler os nmeros mais recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
Eondertes. os Srs. Apjde Prince i C 36, ra
afajettc.em Paris.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos etc. etc., em casa dos
Srs. Amde Punce 4 C.
Outrosim, os memios Srs. Amde nnce 4 C,
ne-oeiantescoiumissarios poen a sua ca^a de
ordene de qualquer peffloa que dese-
jar ter urnas inforraagoes. ou utiffear seu ater-

i
Bacharel Antonio Wilru- \
m Pinte Bandeira j
Pode ser procurado ra do Imperador > <
n. 71, 4* andar .( |
Patrimonio Regaard
A tfommisso abaixo assignada compos-
ta de amigos do infeliz tenente Pedro
Regaard brbaramente assassinado ca noi-
te de 9 do corrente, csojveu solicitar do
commercio e do publico desta cidade em
geral, um obulo afim de ser adquirido um
pequeo patrimonio para a desventurada
viuva o orphlos da'trrrHre Yictrnra.
. Confiada a commisso na caridade e
benevolencia. do.mesmo publico, espera
seja attendid em seu muito justo fim,
podendo entretanto aquellas pessoa3 que
quizereni oncorrer com o seu ohulo, re-
mettel-os ao thesnureiro abaixo assignado
ou a redacco deste f. ario.
Reeife 1") de Fevereiro de 1889.
Presidente,
Fehppe de Figueiroa Faria.
Thesoureiro,
Jcaeph Krause.
Commisso agenciadora
Capito Joaquim R. de Souza Gouzags
Alferes Jos Samuel Botelho.
Tenente Antonio f'eflro
Tenente Franeis
Tenente Libera
Tenente Delm?
Pessoa.
L
1


Diario de PernambucoSabbad< eiro dh 1889
Opera^ao importante
Quatorze annos de soft'rimcntos doloro-
sos, e outros tantos d esforcos, de sacri-
ficios intilmente empreados, tal a his-
toria do meu estreitamento da urethra.
Chegando a esta cidade supportando as
mais eruciantes d6res, produzidas por tal
molestia, indicou-me meu compadre e ami-
go Sr. .Joaquim Dias de Andrade o Illm.
Sr. Dr. Carlos Bettencourt para inedi-
car-me.
m tres dias este distincto clinic den-
me por prompto e urna realidade
achar-me radicalmente curado.
Ao Illm. Sr. Dr. Carlos Bettencourt,
pela pericia que revelou na operacao, fin-
ta pela electrolise, pela delicadeza, pela
%ttencab com que sempre se dignou trac-
tar-me, meu eterno reconhecimento.
Recife, 18 de Fevereiro de 1889.*
Joao Carneiro da Motta Sveira.
Vias urinarias, molestias do tero,
operacoes elctricas
::..:::::: :":^:::::
ESPECIALISTA
cora pratica de pariz k Londres
Estreitamentcs. da urethra curados ra-
dicalmente pela electrolyse, sem dr :
hydroceles sem injecct* (cura radical);
feridas e ulceras chroaicas. com garan
lia de cura rpida; pedras da bexiga,
fstulas e hemorrhoidas; syp'r.ilis, go-
norrhas, pelo methodo das nstillacoes;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospheras medicamentosas. ntas e operacOos das 12 as 3 horas
da tarde. '
RA DO MRQUEZ DE 0L1.NDA N. 34
2. ANDAR
evidencia na Torre
Leonor Porto
*
Ba l.iuua do Rodarlo
2 andar
Contina a executar os mais dif*
ficis figulinos recebidos de Lon-
dres, Paris, Lisboa e Rio de Janeiro.
Prima em perfeicao de costuras,
em brevidude, modicidade em pre-
90S e fino gosto.
Oculista
Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
residente na corte, ex-chefe de clnica
ephtbalmologica dos Drs. Wecher e Pa-
nas em Paris e do professor Hirschberg
em Berlim, tendo regressado de sua ex-
enrsSo s provincias do norte, demora-se
alguns mezes nesta capital no exercicio de
na especialidade.
Consistorio e residencia ra do BarSo
da Victoria n. 23 1 andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
aos pobres.
MEDICO HOMEPATA
Es
Dr. Ballliazar da Silveira
a3e-^-ebres, molestias
cas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Presta-se a qualquer chamado para
ora da capital.
AVISO
Todos os chamados devem ser di-
rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
ra do BarSo da Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Dr.
do Xastimento
chado Portilla Jnior
Escriptorio ra do Imperador n. 65
Io. ANDAR
# COMERCIO
Revista do Mercado
Recife,. 22 de fevereibo de 1889.
0 movimento limitou-se a pequeas transac-
5e8 no mercado de cambios e a venda de algu-
nas partidas de agurdente e alcool.
Cambio
Os bancos mantiveram a taxa de 27 3/4, sem
icharem tomadores.
Em papel particular houve pequeos negocios
a 27 15/W, exigindo os bancos 28 d.
No Rio os bancos saccaram a 27 3,4 e papel
rticular foi passado e offerecido francamente a
d.
TABELLAS AKFIXADA8
^*
3.
rs
s_
5'
u
x
2.

a

3
3.
=
SS
?

O
3
c
13
-
2.
I
Preferencia
O peitobal DE cambaba hoje o re-
medio mais receitado pelos mdicos para
as molestias do peito.
Francisco Manoel da Silva & C.
Superioridade
cima de qualque:.- outro remedio para
as doencaa do peito, est collocado pela
sua efficacia o Peiloral de Cambar que
se vende em casa des agentes Francisco
Manoel da Silva & C, ra Mrquez de
Olinda n. 23.
A ultima palavra
Da medicina para as molestias do peito
O PEITOBAL DE CAMBABA.
Francisco M. da Silva & C.
losses
O Peitoral de Cambar combate
enrgicamente as toases dolorosas, tornan-
do-as brandas e expectorantes at cuial-as.
Os agentes
Francisco M. da Silva & C.
O PEITORAL DE CAMBAR
Vende-se a 25500 o frasco, 130000 1/2
duzia e 240000 a duzia em casas dos
agentes Roerigues Silva & C. e as prin-
cipaes pharmacias e drogaras da capital.
RAZ. O NATURAL
Qual a razao da grande fama de que
gosa o Peitoral de Cambara
E' pelos seus maravilhosos resultados.
FRANCISCO M. DA SILVA & C.
Cirurgio Dentista
DR.ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Univcrsidade de Maryland nos
Estados-Unidos, }tem aberto o scu cnsul- ;
torio, na ra BarSo do Victoria 19, 1 an-:
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculisia, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
Io andar da casa n. 51 ra do
BarSo da Victoria, excepto nos
domingos e dias santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Colle^io de Santa Vernica
Na ra do Arago n. 10 2" andar acham-M \
abertas as aulas deste estabelecimento ^e ins-,
truccao para o sexo femenino.
Medico operador parteiro
ti- Ra Largado Howario I
(Por cima do Annel de Ourb)
Onde tem connultorio e resi-
denrl podendo ser encontrado e
recebendo chamados a qualquer hora
do dia e da noite.
1 Especialidades: Partos, febres, moles-
/ tias de senhoras e dos pulro&es, syphilis
' em geral, cura rpida e completa e ope-
( racoes de estreitamentos e mais solfti-
, mentos da uretra.
Acode de prompto a chamados para
fra, qualquer distancia.
Telephone a. 394
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creancas.
Consultorio e residencia ra da iinpe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da manha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 226
EDITAES
Frederico Chaves Jnior !
Homapatha
39 RA BAR0 DA VICTORIA 39
Prinaelro andar
Novos estudos de mdicos, primeiro em
Franca, depois na Allemauha e em todos
os paizes da Europa e da America, tem
mostrado a efficacia da creosota extrahida
do alcatrSo de faia as affeccSes chroni-
cas do larynge, dos bronchios e dos pul-
raSes. particularmente as bronchtes
chronicas e nos catharres. as Pendas
de Creosote de Dr. ''lertan a creosota
encerrada debaixo de urna fina, carnada
gelatinosa, conforme o processO approvado
pela Academia de Medicina de Pariz-
Este medicamento toma-se assiin com a
maior facilidade.
Nao simiente seu sabor e sua caustici-
dade sao assiin dissimulados, mas ainda
o doente pode tomar com connanea um
medicamento que se apresenta com todas
as garantas de nma piueza irreprehensi-
vel.
Bol
sa
O Dr. Joaquim da Corta Ribeiro, juiz de j
direito do civel desta cidade do Recife e
seu termo, capital da provincia de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imperial e
Constitucional, o Sr. D. Pedro II, a
quem Deas guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edita I virem ou
delle noticia tiverem, que decorridos os dias de
pregoes e pracas do estylo, e na audiencia des-
te juizo do dia 23 de Fevereiro do auno prximo
vindouro, ir praca de venda a quem mais der
e maior lance, olTerccer, o engenho Uchda, da
freguezia de Afogados, que foi descripto pelos
avaliadores no respectivo auto de avaliago da
forma seguinte :
Urna casa de viveuda de lijollo,. rebocada,
caiada e pintada, contendo quatro sals, urna sa-
leta, sete quartos, um alpendre em toda a exten
sao da casa sobre columnas de lijollo aigamas-
ado cbm areia c cal; tem dita casa seis jane|-
las de frente, tres portas, quatro janellas no qi-
lo oeste, cinco janellas e urna porta no oitfio
leste, est exposta ao sul emede 22 metros e 30
centmetros de comprimento e 15 metros e 80
centmetros de largura, tendo tambem uina co-
zinha interna. Est toda a cobert do alpendre
arruinada e a coberta principal da casa Traca,
contendo algumas mSos de forca; o eorpo prin-
cipal ila vivenda est em bom estado.
Um outro edilico sobre pilares quadrados re-
bocados, onde se acha a casa de engenho e as-
sentamento, a parte de tijollo est em bom esta-
do, a coberta armiada e sustentada por mos
de forca, estanj j abatidos dous claros de pi-
lares.
Mais um edificio que servia de senzala, com
6 metros e 30 centmetros de fundo e.36 metros
c setenta centmetros de comprimento, com 8
compartimentos, sendo um com porta e janella
e os mais com pprtas smente, incluindo names-
ma seuzala, estribara, casa defarinha e eocbei-
ra, tudo em mo estado, contendo alpendre so-
bre columnas. Tem a casa do engenho 36 me-
tros e 70 cciitiineiros de comprimento e 16 me
tros e 70 centmetros de largura. Moenda mo-
vida a vapor, s\ steina Robinson Son, com 10
annos de uso.
* ssenlamento com 7 caldciras com as dinien-
soes segPiutes : 1,70, 1,60, 1,70, 1,-0, metro,
1,10, 1 metro, dimetro, fundidas, sendo quatro
remendadas.
Casa de purgar com a coberta de telha e ar-
ruinada, com 16 metros e 80 centmetros de com-
primento e 16 metros c 70 centmetros de largu-
ra. Teneuos accidentados com valles eslreitos,
tendo urna pequea (irle plana, as partes acci-
cidentadas e planas sao rauito ordinarias, os val
les sao terrenos variados, ora compostos de anua,
ora de massap, sendo os terrenos diste ultima
qualilade margem do riacho Ucha, ubi urna
pequena extens ou no fundo de algunja gra-
ta. O engenho pode produzir em seus terrenas
bous 800 paos, termo medio. Nos terrenos nao
existem maltas viruens e apenas algumas ca-
poeiras: e tudo avaliado em 12:000-5000.
E assiin ser o supra descripto engenho Uchda
arrematado por venda a quem mais der e maior
lana- offerecer em [ir.ica publica, no ilia e hora
acuna indicado, para pagamento da execueito
que por este juizo e camino do esirivo que es-
te subscreve, move Seltesliau Manoel do llego
Rarros contra Alfredo de ndrade Paes Rarreto
c sua mulher.
E nao havendo lancador, qu cubra o preco
da avaliaco, se proceder iris termos da I _i.
Para que chegue a nolieia n toos se passou o
presente edital, que ser allixado no lugar do
costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 20
das do mez de Novembro de 1888.
Eu, Felicissimu de Azevedo Mello, cscriTo.
liz escrever e subscrevi.
Joaquim da Cotia Ribeho.
DECLARARES
De ordem do Illm. Sr. Di-, inspector
faco pdico que em camprimento da re-
8olu9lto de S. Hxc. o Sr. Dr. presidente
da provincia, de 14 do corrente, tica mar
cado o prazo de 45 dias a contar desta
data, para a incripbao ao concurso que
ter lugar neste Thesouro no' da 15 de
Abr 1 prximo fatv.ro, a Km de preencher-
se tres vagas de 5" cscripturario xi-
tos nest.-t repartijio.
O exame versar sobre leitura, ana!)_se
grammatieal, orth"graph'a c, arithmetica
at a theoria das propurefes inclusive.
Os candidatos deverao requerer A ins-
pectora deste Thesouro a sua admissao ao
concurso por meio de peticao documenta-
da, provando ser maior de 18 annos, adiar-
se livre de culpa e pena e ter boin com-
portaraento, lhes seudo lcito juntar, a'.i'-m
destes, quaesquer outros documentos que
possam favorecer o seu direito.
Secretaria do Thesouro Provincial de
Peniambuco, 21 de Fevereiro de 1889.
Servindo de secretario
O official,
Lindolfo Campcllo.
4.a scele.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 10 de Fevereiro de
Por esta seerctaria se faz publica a rc-
onuuendacb do Exui. ministro e secre-
tario de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n. 28 de 22 de Ja-
neiro lindo, para conhecimento de Maria
Sevcrna da Concecao Lucas, inai do
.himno do Instituto dos Surdos-Mudos,
Jos Lourenco Godolrcdp Lucas.
t N. 288. 2a directora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 188.
o Illm. e Exm. Sr.Nio podendo, Da
conforinidade do*artgo 25 do regulamen
to do Instituto dos Suidos Mudos aunexo
ao decteto n. 5,435 de 15 de Outubro de
1873, continuar alli, por haver attingido
a idade de 18 annos, o alumno Jcs Lou-
renco Godofredo Lucas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 de Ou-
tubro de 1882 c convindo, portanto, pro-
videnciar afini de que seja retirado do
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director do estabeleci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigi, se exprime regularmente por escrip-
to, perito official do encadernador c teui
o peculio de 8G4>950, recolhido a caixa
econmica, dou conheciinonro d'isto a V.
Exc. para os tins convenientes.
Deus guarde a V. Exc. A. Furrei-
ra Vtnna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco.
O secretario interino,
Manoel^Juaquim Silcaira.
DOS COB-
OOTACOES OFFICIAE8 DA JUSTA
BETOEE8
Recife. 22 ae Fectreiro de J8S9
Cambio sobre Londres, 30 d v. 27 3/8 d. ixir
1*000.
O presidente,
Candido G. Alcofoiado.
' O secretario,
Eduardo Dubeux
Alodio
Gota-se o de 1* sorte do serto a 6350 por 13
kilos.
A exportacao. feita pela alfandega neste mez
at o da 20 subi a 1.176.543 kilos, sendo 964.871
para o exterior e 211.671 para o interior.
Vapores.....
Aniuiacs.....
Via-ferrea de Garuar.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea do Lmoero
Somina.
6.136
7620
8.467
11.097 -
118.162 Saceos
' As entradas verificadas at a data de hoje, so
bem a 18.793 saccas, sendo por:
Barcacas.....
Vapores.....
Animaes.....
Via-ferrea de Caruarft.
Via-ferrea de S. Francisco.
Via-ferrea deLimoeiro
1 339 SaceM
221
3.1o8 -
1266
1748
8893
Somma.
18 793 Saccas
Pelo vapor nacional Arlindo, foram rcmetti-
dos 41 fardos para Rio de Janeiro.
Assuear
Os precos pagos ao agricultor, por 13 kilos, -e-
/umloa Associacao Commercal Agricola, foram
BrSn,e8:. 3*00a3i600
Lmeno 1*900 a IOO
Mascavado purgado MOO u U500
bruto. 1*100 a U200
aetame..... 80 ,*m
Colonia Isabel:
Branco !
2*
. 3- .
Somenp .
Mascavado .
Usina Pinio:
Branco 1"
. 2'
Someno .
Mascavado
iiiOO
23800
11900
1*900
Pelo vapor nacional 'Arliudo,, foram rcraet-
tidos 2.803 saceos com assucar brinco e 20 ditos
com dito mascavado para Santos ; 280 saceos
com assucar branco para Rio de Janeiro ; 1.193
barricas, 130/4 e 123 saceos com assucar brauco
e 123 barricas com dito mascavado para Pelotas.
Couros
Mercado frouxo, com offertas de 370 res para
os seceos salgados.
Agurdenle
Venden se a 93*000, por pipa de 489 litros.
O vapor nacional'Arlndu, levou 130 pipas
e 333/5 para Snntos e 1^4 pipas para Rio de
Janeiro.
Aleool
Constou vendas na razao de 180*000 por pipa
de 480litros.
O vapor nacional "Arlindo, levou 20 pipas
para Rio de Janeiro-
Mel
Cota-se a 30*000 por pipa de 480 litros.
Pauta da alfandega
BilANi -r. 18 A 23 DK PBVERSIRO DE 1869
Vide o Diario de 17 de Fevereiro
\'alos carga
Barca portugueza Novo Silencio, para o Forto.
Carca sueca Axel, para Santos.
Patacho tofn Peggie, para Mentevido.
Patacho hollandez Broedertrowe, para Pelotas.
Vapor inglez Lothiel, para Liverpool.
U000
2*300
3*000
As entradas verificadas at
bem a 118.462 sarcos, sendo ;
Barcacas
Vivios a descarga
. norueguense Fridc, carvSo.
i norueguense Frilhyof, carvao.
Barca uigleza Sobrina, farello.
Barca portugueza Tentadora, kerosene.
Barca, ingiera Paragero, bacalho.
Rarca norueguense Josta, carvo.
. allema Auna, earvao.
Brigue sueco Pepita, carvo.
;ia ingleza Abeja, bacalho.
Lugar iagirz Vmla, bacalho.
Lugar nacional Marmho VII, carvio.
Lugar norueguense Yaruna, farello.
Lugar inglez May Cory, bacalho.
-apor inglez Cliilian, carvio.
S. R. J.
soi :< Aviso
o prximo domingo, 24 do corrente, nao lla-
vera recreio, visto estar se ornamentando a casa
para o sarao carnavalesco.
Secretaria da -ociedade Recreativa Jnventude,
22 de Fevereiro de 1889. O 1 secretario.
A. Monleiro.
Indemnisadora
A directora desta eompanhia convida os se-
uhores accionistas a rennirem->e cm assembla
geral ordinaria no dia 28 do corronte, ao meio
lia, na sede da mesraa. para o lira de aprecia-
ren!.o balanco, coutas da direceo c o parecer da
i ummisso ti-cal, e bem cuino dar-se cumpri-
meiito ao que determina o art. 27 2- dos seus
estatutos. Recife, i4 de Fovereiro de 1889.
Os directores
Joaquim Akes da Fonsera.
Amonio da C. Feneia Bnltar.
Prazo de trinta dias
De ordem do Sr. Dr. inspectur aeral da ns-
tiuccao publica, faco saber ao prulesor Joao
ronieiro Fonseca de Medeiros, noineado em vir-
tude da portara da presidencia de 16 do corren-
te- para regar a cadeira de 2." entrancia do sexo
masculino di- Pesqueira, que lhe tica marcado o
prazo de 30 dias, a contar da data da mesina.
para assumir o exercicio da referida cadeira.
Secretaria da Instruccao Publica de Pernain
buco 19 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Peryenlino Suraica de Araujo Galco.
lmpora?o
Escuna portugueza Feiticirn, entrada d.iFi-
gueira em2t do corrente, e consignada ordein,
manifestou :
A/.eitonas I caixa ordem.
Sardinhas 31 barricas i ordem.
Vinho 49 pipas e 120 barris ordem, 26 e 20
ditos a Feniandcs da Costa Se C. 33 e 20 ditos a
Joaquim Ferreira de Carvalho C, 20 barris a
Aquilino R. da Cunli Oliveira.
Vapor nacional Pirapama, entrado dos portos
do norte em 22 do corrente, e consignado a Com-
panhia Pernainbucana, manifestou :
Algodao em rama 39 saccis a Borstelmann.
Couros seceos salgados 27 a Adolpho Hirscli
& C, 13 a Moura Borges & C.
Cera de Carnauba 14 saccas a Adolpho Hirsch
A C, 19 a Xogueira & C.
Faiello 300 saccoj a Mair. & Rezemle.
Fa/.eudas 2 volumes a Julio Irmao.
Pennas de ema 1 caixa a Souza NoRueira
* C. Pellos ile cabra 30 fardos a Aoa Stein 4
C., 9 a Adolpho Hirsch & C, 9 ordein.
Saceos vasios 2 pacotes ordem.
Vassouras de palha 9 volutues a oi'dem.
Exportaeo
BECI 21 DK FRVEKK1RO DE 1889
Para o exterior
So vapor inglez Handel, carregou :
Para Liverpool, C. P. de Lemos 223 saccas
com 16,369 kilos dealgodo, lli saceos com
8,140 kilos de residuos de algodo,
v. Faiao ulterior
No vapor nacional Arlindo, carregarat :
Para Pelotas, P. Carneiro A C. 50 barricas com
5.130 kilos de assucar branco.
Para Rio de Jaueiro, P. Carneiro & C. 1 fardos
com 536 kilos de algoduo ; M. Borges fcC. 30
pipas com 14,400 litros de agurdente ; J. A. de
: 280 saceos com 16,800 kilos de assucar
branco.
Para Santos, M. Borges & C. 10 pipas com
4,800 litros de agurdente.
So vapor nacional Mandos, carregou :
Para Rio de Janeiro, A. A. 11. Costa ';0 duzias
de frascos com elexir eabeea de negro.
No hiale nacional Bom ./.<. carre^arain :
Para Aracaty, Ainoriui Irmios & C. 100 saceos
com fannha de mandioca e 30 ditos com 3,000
klos de millio : F. Mascarenhas 23 saceos com
i 10 kilos de sement de algodo e 10 ditos
com 600 'titos de millio.
No lugar inglez Wlnifrtd, cancgarain :
Para Ceart, H. Lundgrin & C. 7,0u0 saceos
com farinha de mandioca.
No cter nacional Oliveira, carregou:
Para Mosaor, J. Baptista 100 saceos cora fa-
rinha de mandioca c 30 uioihos de piassava.
o cter nacional Jaguarary, carn
Para Natal, A. Barbosa 1 barrica com 60 kilos
ucar refinado.
Relac,ao do Recife
De ordem do Exm. Sr. conselbeiro pn
da Relacao, deelaro que a revista civel n. 10,880,
procedente de Belm, entre partes, como re-
crreme Fausto Pinto Guraart-s e recorrido An-
tonio Joaquim Rodrigues dos Santos, tem dia
designado-para ser julgada na prxima sessSo.
o qu faco publico para que as partes ou seus
procuradores e advogados possam usar, se qui-
zeren). do .li:cito que lhes concede o art. '',* do
decreto de 9 de Novembro de 1830.
Secretaria na Relaco do Recife, 22 de Feve-
reiro de 1889.
O secretario,
Vinjilio Cnellw.
Facldade de Direito.
De ordem do Exm. Sr. consellieiro di-
rector interino taco publico que no dia l.-
de Marco prximo comecar nesta se-
cretaria a matricula para os que pre.
tenderem cursar as aulas maiores da
taculdade, sendo que o pagamento da
taxa se podev effectuar desde j, c
o praso para os matriculandos do 1.* auno
terminar no dia 31, e para os deraais
a 15 do mesmo mez de Marco;
A inscripcao se fara mediante reque-
rmento dirigido ao Exm. Sr. conselbeiro
director interino e instruido dos seguintes
documentos:
Para o 1.- anno; certidao de approva-
ylo dos preparatorios exigidos como ha-
bilita9ao, certidao de idade e vaccina, co-
nhecimento do pagamento da taxa, c
para os deiuais annos, certidao de a'ppro-
vacSo no anno anterior e conhecimento do
pagamento da taxa.
Secretaria da Eaeuldade de Direito do
Recife 22 de Fevereiro de 1889.
O official servindo de secretario,
Manad Antonio do Pasaos e Silva
Gabinete Portuguez
de Leitura
Aft*>embla geral
.Nao tendo toda a directora e alguns membros
do conselho deliberativo, acceitado os cargos
para que foram eleitos em sessio de 20 de Ja-
neiro prximo paeado, convido de novo, de
ordem do Exm. >r. Visconde, da Silva Loyo
presidente, os senliores associados a se reunirem
em assembla eral, domingo 24 do corrente.
pelas II horas da manila, nos sales do Gabine-
te, para ter lugar a cleicao dos membros qu
fallara para completar o corpo administrativo,
Outrosim, faro publico, que se nao for pos-
sivel eleger uina adiniiislracao que se torne
cIVecva. a actual coiuinisso directora resigna
r pelos uicios legaas, o mandato que llie tui
eonliado.
Recife, 13 de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de lbuquerque.
Secretario.
iira. Sr. Dr. chefo de polica in-
terino manda publicar para conhecimento
de todos o art. 1. do regulamento para a
matricula de boleeiros e carroceiros, afina
de que nao se reproduzam os abusos que
se tem nado, de dirigirem carros e car-
iocas individuos nao matriculados, recom-
mendando n'esta data ao mestre de cam-
pos Francisco Justino de Assis, toda a vi-
gilancia para que seja cumprido fielmente
0 inenciodado artigo.
Art. 1. Ninguem poder sei adinitti-
do> ao governo de carros, seges, mnibus,
carro5as ou qualquer outro vehculo de
conduccao; seja na qualdade de boleeiro,
seja Da de carroceiro, sem qne esteja ma-
triculado na reparticao de ^olicia.
Secretaria de Policia de Pernambuco.
20 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Joaquim Francisco de An-uda.
De ordem do Illm. Exm. Sr. inspector da Al-
fandega se faz constar aos interessados que, do
1 de Margo vindouro principiar a ter execucito
o decreto n. 10.170 de 26 de Janeiro do corrente
anuo, abaixo transcripto.
DECRETO N. 1". 170-De 26 de Janeiro de 18"9
Estabelece tarifa movel as Alfandcgas para cer-
tos gneros fabricados no paiz. a qual ter
execuco do dir Io de Marco prximo futu-
ro em diante de conformidade com o art. 2.-
n. i, da le n. 3,396 de 24 de Novembro de
1888.
Em execucSo do art. 2.", n. 4, da le n. 3,396
de 24 de Novembro do anno passado, hei por bem
decretar:
Art. 1." Alm dos dreitos estabelecidos nata-
rifa das Alfandcgas para as mcrcadorias com-
preliemlidas na tabella junta, cobrar-se-ha, do
dia 1. de Marco do corrente anno em diante, urna
porceutagem adduional, calculada sobre os mes-
mos direitos, e proporcional a oscillacao da taxa
de cambio, na razao seguinte :
Rcudlmeutos publieos
MEZ DR rFTEltmio
Alfandega
Renda geral
Do dia 1 a 21 643:3964806
dem de 22 10:1484753
--------------------685:745561
Renda provincial :
Do dia 1 a 21 98:4834342
dem de 22 4:479*866
U'WO
102:9655208
Somma total 788:7104769
Segunda secco da Alfandega, 22 de Fevereiro
de 1889.
8thesoureiroFlorencio -Domingues.
cliefe da scelo Cicero B. de Mello.
Recebedorla Cieral
Do dia 1 a 21 41:327*141
dem de 22 2:8364874
44:1644015
Recebedorla provincial
D dia la 21 11:3104926
dem de 22 5834172
.11:8944098
Recife Drainage
Do dia 1 a 21 21:1414237
dem de 22 1:6694717
22:8104954
Mercado Municipal de 9. Jom
O movimento deste mercado no dia 21 de Fe-
vereiro foi o seguinte:
Entraram :
21 1 2 bois pesando 3.047 kos.
418 kilos de peixe a 20 reis
21 cargas de farinha a 200 res
4 ditas de fructas diversas a 300
ris
12 taboleiros a 200 ris
13 sumos a 200 ris
20 matutos com legumes a 200 ris.
Foram oceupados :
27 columnas a 600 ris
I escriptorio a 300ris
26 compartimentos de farinha a 50J
ris
24 ditos de comidas a 500 ris
81 ditos de legumes a 400 ris
18 ditos de sainos a 700 ris
9 ditos de fressuras a 600 ris
34 taiiiosa24
84360
44200
14200
2400
34000
348 0
164200
300
134000
124000
:244O0
12600
544O0
681000
RcndimentOB dos das
rente
1 a 20 do cor-
1924040
3:9894120
Fot arrecadado Hquido at boje
Precos de dia:
Carne verde de 460 a 480 reis o kilo.
1:1724180
32.
36.
46.
53
58.
6'.
67.
72.
os-
lo;.
123.
171.
361.
365-
De 221,1 at 2",
Detnais de 25 at 271 2
De mais de 27 20-/,,
Art. 2. 0 ministro da fazenda determinar em
tempo opportunoa taxa que eve ser cobrada em
todas as Alfandcgas por occasio do despacho
para consumo da? referidas i/iercadorias.
Art. 3." As alteracoes de taxas assim determi-
nadus entrarao em vigor as mesmas Alfandegas
no dia seguinte ao em que forera nellas receidas
as onlens respectivas.
Art. 4." Ficam revogadas as disposices em
contraria. *
Jnio Alfredo Correia de Oliveira, conselheiro
de l-.stado. senador do Imperio, presidente do
cobsellio de ministros, ministro e secretrio de
Ksado dos negocios da Fazenda e presidente do
Tribunal do Thesouro Nacional, assim o teDha en-
tendido e faca executar.
Palacio do Rio de, Jaueiro. aos 26 de Janeiro de '
de 1889. 68.'' da dependencia e do Iraperifi.
Com a rubrica de Sc.v Magestade o Impeba-
dor.
loiio A ifredo Coi reia de Olitetra.
Tabella a que ne refere o decreto
n. IO.IYO desta data
Artigo? (Ui
tarifa Mcrcadorias
* Couros sem pello e enveruizados, excepto
camurca c pellica.
Arreios.
Calcado.
Malas.
Sellins e sellas.
Conservas de carne e extracto de carne.
Colla.
61 Espermaccte em velas.
64. Linguas em conserva.
Conservas .le peixe.
Siearina em velas.
Fructas cm conserva e em doce.
Tomates preparados de qualquer modo-
Fumo.
Perfumara?.
Aparadores.
Balius e caixa?.
366. Raucos, muchos e tamboretes.
372. Beroos.
373. Bidets.
374. Buhares.
381. Cadeiras.
382. Camas.
38o. Commoda?
380. Conslos.
388- Cpulas para camas.
390. Formas.
393. Genuflexorios.
394. Giurda-loucas, eopeiras a guarda roupa
ou guarda-vestidos.
Lavatorios.
Mesas.
Retretes.
Secretarias.
Sofs.
Tbucadares e psychs.
Obras nao classiicadas de tulla e mobi-
lias movis.
Algodo em lio simples para trama ou
urdidura, cru, branco ou tinto e o torcido
ou eiitrancado para pavios.
Riscados entraucados.
Cobertores ordinarios.
Lonas e nieias lonas.
Meias nao especificadas.
Panno de algodo, liso ou entrancado,
cr.
Riscados lisos.
Roupa feita de tecidos especificados
nesta tabella.
Saceos nao especificados.
531 L era fio simples para trama ou urdidura
cr ou tinto.
332. Feliro liso ou estampado.
f>36. Relas e baetOes.
337 Baetilhas e llaoellas.
347. Chales, mantas, lencos e palas.
548. Chapeos de feltro.
530. Cobertores.
Pannos, easemras e cassinetas.
Roupa eita dos tecidos especificados
nesta tabella.
Papel de embrulho.
Rarro em obra.
852. Caixas para carros, carrinhos e carrua-
gens.
853. Carros e mais vehculos comprehendidos
neste artigo.
854. Carros para estradas de ferro.
85 >. Crnicas e m. is vehculos comprehendi-
dos neste artigo.
1.027. Carros de mo ou de atterro.
1.073. Chocolate coniinum ou de refcie&o.
1.076 Doces, e conferios.
1.092. Manequins.
Palacio do Rio de Janeiro, em 26 de Janeiro
de 1889.Joao Alfiedo Covem, de Oliveira.
Terceira seceo, 20 de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaqnm da Fonseca.
Recebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial, na
ferina das instrueces de 27 de Julho de 1883,
convida as associages que nesta cidade tem
existencia lrgal se ? ncarregarem da distribui-
Eao do imposto de repartico constante da ta-
clla uiiuexa a lei n. 1884 ; sendo esse trabalho
remettdo a esta reparticAo no prazo improroga-
vel de 30 dias uteis, contados da data do pre-
sente ; fiodo o qual sem a respectiva apresenta-
co se proceder nos teimos.do art. 27 das refe-
ridas instrueges.
Recebedoria Provincial de Pernambuco, 6 de
Fevereiro de 1889.
Francisco Arayntlias Je Carvalho Moura
i'-irueiro de 720 aU reis idem.
Suiuos de 560 a 640 reis dem.
arinha de 440 a 330 reis a cuia.
Milho de 380 a 440 res idem.
F:;io de 900 a 4200 idem.
Matado aro publico
Neste estabelecimento fotam abatidas para o
consumo de hoje 68 rezes pertencentcs a diver-
sos marchantes.

396.
398.
408.
400.
410.
415.
419.
467.
477.
484.
499.
504.
309.
314.
515.
516.
564.
567.
666
673.
Vapores a entrar
MEZ DE FEVEltEIRO
Norte......... Manos...........
Sul........... Estrello........:.-
Europa....... Vdle de Maranhao..
Sul........ Pernambuco.......
Sul........... Allianra..........
Sul........... Araucania.........
MEZ DE MABgO
Europa....... Trent.............
Norte......... Adcance..........
Sul............Urato............
Sul........... Montevideo........
Hamburgo----- Paranaga........
Sul........... Congo.............
Europa...... Sertke...........'.
23
23
25
27
28
28
Vapores a sabir
MEZ DE FEVERED10
Sul___ .....Mandos........... 25 as 5h.
Sul.......... ViUe de Maranhao. v 26 as 4 h.
Cear e esc... Pirapama ,........' 26 as 5 h.
Rio Formoso Jagtuuibe........26 as 5 h..
Macei...... Mandahit'......... 27 as r 3 h.
m
Tiovinieno do porto
Navios entrados no dia 22
Rio de Janeiro pela Baha8 dias, vapor brasi-
leiro Maranhao, de 450 toneladas, comman-
dante Francisco da Silva Miranda, equipagem
28, carga varios gneros; a Amorim Irmos
4C.
Rio de Janeiro 23 dias. patacho brasileiro
Francoln, do 170 toneladas, capito Amaro
Jos Ramos, equipagem 9, carga varios gene-
ros ; a Amorim Irmos c C.
Ceari e escala 7 dias, vapor brasileiro Pira-
P'tma, de 360 toneladas, comniandante Fran-
Raymundo de Carvalho equipagem 30,
carga varios gneros: u Companhia I'ernam-.;
bucana.
Feruaudo de Noroulia 36 horas, vapor uacj^H
Jag-iar,be, de 429 Dudadas, comman^^H
Alfredo Moiiteiro, equipagem 30, em la-
Companhia Pernambucana.
Sa/iidos no mesmo dia
Liverpool Vapor inglez ti.indel, commantJ^M
O. Braithwaite, carga varios gneros.
Rio Grande do Norte--Barca portugue;
dora, capitao Francisco dos Santos
lastro.
Cear Hiate nacional Camelia, mestre Ma:
Antonio da Silva, carga varios geiu
.':

.

K





{
I


_~~
fiK.*v
-Sabbado 23 de FevWeiro de 1889




Frogramma da 13.a corrida
QUE SE REALIZAR
Demingo U de Fevereiro
C*r da rliinrnln
Iroprtc(ario
Io ParcoEtiNnio
(1* turma)800 metros.Animaes du provincia que aiuda nao tenham ganho premios cin nenhum dos
prados. Premios : 200*000 ao i", 50*000 ao f e 20*000 ao 3
1
2
3
4
o
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
Orniond......
Jatob........
Ida..........
Aquidaban...
Traviata.......
Corsario......
Phebo (exl'a-
tife)........
JaDota .......
Biscoutinbo
Ferrabraz 2o. -.
Roldo........
Druid 2*......
Meduza......
Sinabrus.......
Jonkopings
Rocambole...*
anuos.
Alazo.-
Rodado.

Russo ..
Rodado .
Castanho
Rosilho...
Baio.....
Pernambuco.
Canlo...
Castanho.
Rodado ..
Alazo
Cardao ...
55 kilos.
55
55
55
55
53
55
55
50
50 .
55
55
55
53 .
50
53 .
Azul e branco.......
Ouro..............
Encarnado e branco-
Rosa...............
Azul e branco ...
Riscado............
Azul e branco......
Grenat.............
Branco e azul.
Encarnado e branco-
Azul c ouro.......
Verde e rosa.......
Ouro e escarate
Azul listrado.......
Branco e encarnado.
Preto e encarnado. .
M. P. L.
F. P.
A. P.
S. Fradique.
F.S
J. F. S.
J. G. Cavalcante.
J. E.
M. G. M.
P.J.
P. D.
Coudelana Fndependente.
i. Davies.
N. P. J.
J. A.
C P.
1. PareoEawalo (2.* turma) -800 metrosAnimaes da provincia que ainda nao tenham ganho premios em nenhum dos
prados Premios: 200*000 ao 1, 50*000 ao 2. e 20*000 ao !
i
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
ero........
Dengoso....
Licornc.......
Tuturub..
Royal........
Kiss-rae (ex
Parbleu)...
Violto.......
Sneca......
Bismarck ....
Bibutra.....
Purs .......
Boceado.....
Arreda......
Breas......
Meteoro.....
Vassallo.....
3 annos..
4 -
7a .
4
4
5
5 >
5
4
3
5
5
4 .
3
7
5
Rodado
Castanho
Castnnho claro
Russo........
Ca-tanho. ...
Russo pedrez.
Rodado.......
Baio........
Casta ntic-----
Rodado .....
Castanho.....
Alazo.......
Russo........
IHodado ......
Pernambuco.
50 kilos-
53
55
33
33
55
53
53 -
53
50
5o -
55 .
53
50 -
55
55
Encarnado, preto c branco.
Violeta c ouro............
Grenat c ouro............
Encarnado e branco.......
Rosa e preto.............
Morra n e encarnado......
Verde e urna re lo.........
Azul c amarello..........
Azul marinho e branco ...
Encarnado listrado.......
Azul e branco............
Encarnado e branco.......
Azul listrado.............
Preto, encarnado e ouro .
Branco e encarnado.......
Encarnado...............
Henrique G. L. Guimaraes.
A. N. T.
J. C A.
R. R. R.
Saldanha.
Coudelaria Dous Amigos.
F.B.
U. P.
r.
P H.
I.G.
M. G. C.
A. A. A.
Coudelaria Desgraca.
Miranda Henrique.
Condelaria Unio.
2.' 'PareoHippvdramo du Campo fcrande1.609 metros.Animaes de qualquer paiz. Premios: 600* ao 1,
150* ao 2, 60*000 ao 3
Josephu:
Price
Coupon .
Olga,...
hriKiin
3 annos.
3
5
4 -
Zaino
Caslaoha.
Zaino-----
Franca ........
Inglaterra.......
Franca.........
S. Paulo-..-.-.-
Inglaterra.......
64 kilos.
58
64
49
64
Azul e escarate
Escarate e ouro.
Branco e encarnado
Branco e ouro......
iRosa e preto.......
M. G.
A. M.
D. M.
M. X. Pontes.
P. C
3o Pareo Imprema Pcrnamburana 900 metros.Animaes da provincia que ainda nao tenham ganh premios n'esta ou em
maior distancia em iieulium dos prados d'esta capital. Premios : 250*000 ao Io, 60*000 ao 2 e_23O0O ao 3o
8
9
10
11
12
13
1 Cabrion.......
2 Job............
Phebo (ex-Pati-
fe>.......
Theso.........
Pupiniquim...
Bonaparte (ex-
Vagabundo)..
Vlete (ex-Ra-
tao) ......
Jaboato.......
Orion.........
Bolaxinha......
Fanfar........
Orange.. .....
Brizzard......
14|Etna.........
15 General.......
16 Mvlord........
o annos.
6 -
3
4
4 -
Fovciro____
Russo.....
Castanho.
Rodado.-
Rodado ..
Castanho.
Pedrez. .
Russo -
ll.Klado..
Castanho -
Pernambuco
Rusilho.
Baio. .
55 kilos.
55
53
33
55
5
55
53
50
55
33
55
33
55
53
Encarnado e branco.
Branco, azul e parod.
Azul e branco.......
Verde e rosa.......
Grenat e azul.......
Encarnado e branco
Azul e encarnado......
Encarnado e branco.....
Amarello e verde.......
Branco e azul .........
Encarnado e branco-----
Preto, encarnado e ouro.
Encarnado e branco.....
Grenat e ouro..........
Branco e preto.........
Azule ouro............
J. SI.
H. Gibson.
J. G. Cavalcante
Coudelaria Independente.
Coudelaria 7 de Setembro.
R. G. L.
B. D. C. P.
A. A.
M. A.
M. G. M.
R. C.
A. 1. G. A.
M. M.
F. Oliveira.
J. B.
A. F. da R. Leal.
4. Pareorrogre*1400 metros.Eguas at puro sangue. Premios : 350* a I 80* a 2.' e 35* a 3/
Olga.......
Aspasia...
Alpha......
Gui..
Mascotte .
Minerva...
annos.
Castanha
Alaza...
Preta.......
Douradillia.
S. Paulo.........
Inglaterra.......
S.Paulo.........
Inglaterra.......
Rio daPrata
S. Paulo.......
51 kilos.
58 .
54 -
64
61 *
51
Ouro e branco........
Azul e ouro .........
raneo e encarnado..
Ouro e branco.......
Encarnado e preto
Branco e encarnado..
M. N. Pontes.
G. & C.
D. M.
Coudelaria EmulacAo.
Coudelaria Paysand.
Coudelaria Cruzeiro.
5 PareoDrrhy Club de Pernambuco1700 metrosAnimaes da provincia.
... Pernambuco.
Premios : 300* ao Io, 75* ao 2- e 30* ao 3o
Traviata.
Gracejo..
Templar
Mouro. .
Monitor. .
6 annos..
I .
3
Russo
Rodado.

Alazo.
Russo .
54 kilos.
31
34 -
54
54
Azul e branco...........
Azul listrado..........
Preto e ouro .......
Encamado............
Rosa e preto............
F. S.
A. P. A. Silva.
I. M
A. F.
Coudelaria Pernambucana.
6o PareoPrado Peran aabacano -830 metrosAnimaes de menos de meio sangue, que nao sejam da provincia. Premios :
i* ao Io, 73* ao 2. e 30* ao 3."
300*
Fgaro......
Favorita. ..
3 Aymor...
Recife.....
Galatha....
Alpha......
3 annos..
6
5
3
6
6
Chita.....
Zaina ...
Castanho

Rosilha.-.
Alaz.....
Rio Grande do Sul 53 kilos.
Rio de Janeiro. .- 35
S. Paalo......... 55
Rio de Janeiro.-. 55 .
Rio.Grande do Sul 55
S. Paulo......... 55
Encarnado e branco........
Violeta e ouro............
Verde e amarello..........
Encarnado e preto.........
Ouro e azul................
Branco e encarnado........
S. S. Bastos.
Maia & Chrisosthomo
A. M.
S. P.
Coudelaria Allianca.
D. M.
7 Pareoveloeldade800 metros Pequiras da provincia com 1 metro e 30 no mximo.
ao 2.' e 15* ao 8,"
Premios : 150* ao 1., 35*
1
2
i
4
'i
6
7
8

!?
1
Sombrinha... . 4 annos. 4
Pacifico........ 4
Bodinbo (e x -
Bentivi)..... 2
4
Borracha...... 4
5 .
Bella-Rosa..... 3 -
3 -
Elctrico 6
Peti t Ruy-
Blas)....... 3
Boulanger. .)
Baio.....
Russo ...
Castauho
Baio.....
Castanho
Pedrez...
Rosilho...
Rodado
Rodado ..
Castanho
Rodado .
Alazo.
Pernambuco.

Verde e branco.......
Verde e amarello..........
Encarnado e branco.:......
Rosa e preto...............
Ouro......................
Verde e amarello.........
Azul e amarello............
Encarnado e branco........
Branco.....................
Grenat e verde.............
Azul e branco..
A. L.
F.B.
J. F. M.
J. P. Costa.
M.
J. M. A.
J. '. Amorim.
I.H.
R. A.
Lucio Jos Monteiro.
Coudelaria 1. de Janeiro.
G. V. O.
Ion tado por amador.
OBSERVARES
Pede-se aos Srs. proprietarios o obsequio de tercm seus animaes s 9 horas da manh no ensilhamento,
visto como impreterivelmente ser cumprido o horario.
Os animaes inscriptos para o 1. pareo deveni achar-se no ensilhamento s 9 horas da manh.
Os animaes inscriptos para os outros pareos devem achar-se no ensilhamento 1 hora antes da determinada
lepara o pareo em que tem de correr.
Os jockeys que n2o estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo nao poderao correr, curoprindo-lhes
presentar as respectivas cadernetas na occasiSo da pesagem.
Os forf'nts -erilo recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
HORARIO
i. pareo........ H horas
2.
i."
4.
5.
*
7."
11 e 50 minutos
12 i e 40
1 e 30
2 > e 20 .
3 e 10 >
4 >
4 e 50
Recife. 21 de Fevereiro de 1889.
O secretario, Jos Eustaquio Ferreira Jacobina:
o
i
Companhia de fiaejoeteci-
dos de Pernambueo
Por deliberacao da directora s3o convidados
os senhores associados desta companhia a se
reunirern no salao do edificio da Associacae
Comraercial Beneflcente, a 1 hora da tarde, no
dia 7 do prximo mez de Margo, para approva-
rem as contas do anno findo em 31 de Dezemhro
de 188^, e nomearem acommissfio Osea! do cof
rente auno.
Reeife, 7 de PereYeiri t 1880.
Jim- Joto de Amorim,
-''(Telarlo.
Recebedoria Provincial
0 administrador da Recebedoria Provincial
em cuinprimento da ordem do Illm. Sr. Dr. ins-
pector do Thesouro, cpnstante da portara soh
n. 108 de 28 do crrente, faz publico para eo-
tivos rontribuintes que,
oabaixo, .lar-se-ha prin-
esnaco de 30 diasuteis,
M prximo a cobranca,
- e mais servidos
any, relativa ao 21 se-
il(; 1S88.
de Pernambuco, 30 de
nheciiwnto dos
de accor.Jo com
ripio nesta
contados d*
livi-e ci' mulla
da Recite Drainri
(ii'sirc do i'x.'ivi
Recebedoria
Janeiro de l,x <>.
Francisco AmyDiha* de CarvalhoMoura.
Uriana, i tpe ir frfrre o r-diUtl mpra
Fref-'iiczia do Recife
Roas:Mrquez de Oliuda. Rom Jess, Alva
res Cabral, Coiuineicio, Rispo Sardinha, Torres,
Thom de Souza, D. Mara de Souza, Vigario Te-
norio, Brrelo de Menezes, Mariz e Barros, Bur-
gos, Amorim, Mordn, Tuyuty. Companhia Per-
nambucana, Madre de Deus, Domingos JosMar-
tins, Masuaje. Rcstanrac&o, 1). Mara Cesar, Vis-
conde de Itaparica, Pliarol, Areal, S. Jorge, Vi-
tal ae Oliveira, Guararapes e Baro do Trium-
pho.
Pracas :Assembla. Chaco e Pedro I.
Travessas :Vigario Madre de Deus, Cam-
pello, Domingos Jos Martins, Corpo Santo, An-
tigo Porto, Bom Jess, Apollo, Areal, Para a
Fundii-ao, Occidente, Guararapes c Praga Pe-
dro I.
Largos :Alfandega, Corpo Santo e Assem-
bla.
Beecos: Abren, Xoronha, Laigo^ Pindoba.
Tapado e Paschoal.
Caes : Companhia. Rruin e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Ras :Imperador, Primeiro dt Margo, Duque
de Caxias, Cabug, Bardo da Victoria, Trinchei-
ras, Larangeiras, Larga do Rosario, Estrerta do
Rosario, Francisco Jacintho, Joo do Reg. liba
do Carvalho, Conselheiro Piretti, Netto de Men-
doned, Major Agostinho Bezerra, Vinte e Oito de
SetemJiro, Santo Amaro, Fedro Ivo, Mathias de
Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Fogo. Livra-
mento, Penha, Visconde de Inhauma, Pedro Af-
fonso, Nova da Praia, Marcilio Dias, Henrique
Dias, Lomas Valentinas, Coronel Suassuna, San-
ta Tnereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mr-
quez do Henal, Cadeia Nova e Bario de Villa
Bella
Largos:Paraso, Carmo, Penha, S. Pedroe
' raceta.
Travessas : -Queimado, Cruzes, Mrquez do
Recife, Bella, Calabouco, Matriz, Flores, Carmo,
Bomba, Livramento, Arsenal, 1" e 2a da Praia,
Carcereiro, S. Pedro, Viracao, Lobato, Talcao,
Pocinho e Concordia.
Beecos :Bella, Calabouco, Matriz, 1, e 3"
da Camba. Falco, Io e 2o da Cadeia Nova.
Praga :Pedro II.
Caes :Vinte e Dous de Novembro.
Campo :Princeza.
Freguezia de ?. Jos
Ras :-Marcilio Pias. Lomas Valentinas, Co-
ronel Suassuna, S. Joao, Felippe Camaro, Mr-
quez do Herval, Vinte e Quatro de Maio, Dias
ardoso, Passoda Patria, Padre Nobrega, Victo-
ria, Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei Hen-
rique, Dique, Assurapgo, Domingos Theotoni*,
Padre Floriano, Christovo Colombo, Jardim,
Forte, Antonio Henrique. Nogueira. Santa Ceci-
lia, Santa Rita, PadreoMuniz, l'raia do Santa Ri-
ta, S. Jos, escadores, Praia do Forte, Ypiran-
ga, Imperial e Luiz de Meudonga. t
Travessas:Martyrios, Ramos, Pocinho, Cal-
deireiro, Gaz, Matriz, Forte, Prata, Serigado, Co-
Snares Nova de Santa Rita, Praia do Forte, S.
oa, Peixoto e Lima.
Beecos : Palma, Caldeireiro, Gaz, Assump-
gao, Nova de Santa Rita e Matriz.
Largos : Forte e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Ras :Imperatriz, Conceigo, Visconde de
Pelotas, Tambia, Visconde de Albuquerque, Au-
rora, Capibaribe, Ponte Velha, Conde da Boa-
Vista, Riachuello, UniSo, Sauuade, Sete de Se-
tembro, Visconde de Camaragibe, Carnario, Ro-
sario, Gervasio Pires, Dr. Villas-Boas, Socego,
Principe. Santa Cruz, S. Gongalo, Coelhos, Hos-
pital Pedro II, General Seara, Coronel Lamenha,
Conselheiro Aguiar, Leo Coroado, Barao de >.
Borja, Mues Machado, Visconde de Goyanna e
Attracgo
Travessas :Gervasio*Pires, Atallio. Coelhos,
Barreiras, Veras, Quiabo, Joo Francisco, Man-
gueira, Campia e Palacio do Bispo.
Largo :Campia.
Beecos :S. Gongalo e Coelhos.
Pracas : -Conde d'Eu e Santa Cruz.
*
Thesouraria de Fazenda
De ordem do Illm. Sr. inspector con-
vido os credores de dividas de exercicios
Hndos abaixo mencionados para virem re-
ceber as respectivas importancias, visto
ter sido concedido o necessario crdito
pelo Thesouro Nacional
Bernardino Alves Neiva 199i998
Eloy Nahum de Souza Landim 136<$875
Francisco Antonio Torres Ga-
lludo 136^875
Geraldo das Mercs Ferreira
Landim 2735750
Pedro Secundino de Souza Lan-
dim 2735750
Miguel Ferreira das Neves 895000
Manoel Constancio de Jess 895000
Baventura Jos do Sacra
ment 895000
Joao Correia de Queiroz 895000
Antonio Jos Muniz 895000
Tiburcio Marinho dos Santos 895000
Demetrio da Paz Teixeira 895000
Francisco Manoel da Silva 480<5000
Companhia do Beberibc 725800
Feliciano de Lyra 205000
Campanhia Pernambueana 2255Q0
T'esouraria de Fazenda de Pernambu-
co, 20 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Dr. Antonio Jos de Sant'Anna.

Thesouraria de Fazenda
SUBSTITUICO DE NOTAS
De ordem do Illm. Sr. inspector e de confor-
midade com o oflicio da inspectora da Caixa de
Amortisago de 7 do corren te sob n. 32, fago
publico que. tendo apparecido nn eireulago no-
tas do goveriio de OOSOt da 5" estampa, fal-
sas, que confundera-se com as verdadeiras, a
junta administrativa d'aquella rep.irtirao resol-
veu que sejau! elku recomidas at 30 de Juoho
do corrente armo.
Assim, pois. sao convidados os possuidores de
taes notas a trazel-as ao troco at o referido dia,
peis que dessa data em diante soffrerao o des-
cont de 2 | durante os mezes d* Julho a Se-
tembro, 4 \a de Outubro a Dezembro, 0 "j, de
Janeiro a Margo de 1890, 8"[. de Abril a. Junno,
10 "o em Julho, e d'ahi em diante o descont
progressivo e mensal de 8 "n at perderem de
todo o valor, coma pretitua o art. 13 da lei n.
3,313 de 16 de Outubro de 188fr
Em 1G de Fevereiro de 1889.
.ao,
Dr.-Ajonio Jos de SantAnm
OBRBY CLUB
PERNAMBUCO
PROJECT0 DE IWSCRIPCAO
%i
I
Da 7.' corrida
Em 3 de Margo de 1889
yV%^ PROSPERIDADE 850 metros. Animaes da provineia que
anda n2o tenham ganho premios no Derby, em maior distancia. Premios:
2005000 ao premeiro 005000 ao segundo e 205000 ao terceiro.
HyWfcPRADO PERN.VMBUCANO 850 metros. Animaes de menos
de meio sangue. Premios : 3005000 ao primeiro, 755000 ao segun-
do e 305000 ao tereciro. i
*\Vk% CONCORDIA 1.OO metros. Eguas at puro sangue Pre-
mios : 4005000 a primeira, 005000 a segunda e 405000 a terceira.
^1^9 HIPPODROMO DO CAMPO GRANDEi.SO metros. Ani-
maes da provincia. Premios: 2505000 ao primeiro, 605000 ao segu. .;
do e 255000 ao terceiro.
^Wfc DERBY CLUB DE PENAMBUCO 1 .ttOO metros. Animaes
de quakjuer paiz. Premios: 5005000 ao primeiro, 1255000 ao se-
gundo e 505000 ao terceiro.
*\^9IMPRENSA PERNAMBUCANA -1.400 metros. Eguaslna-
cionaes at meio sangue. Premios: 3505000 a primeira, 805000 a
segunda e 355000 a terceira.
Observacoes
S serao aceitas para cada pareo as quinze propostas que primeiro forem
abertas.
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam tres animaes de proprieta-
riosdifferentes.
A inscripcSo incerrar-se-ha Ecgunda-feira, 25 do corrente s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derbv Club praga de Saldanha Marinho n. 2, 1. andar.
Recife, 21 de Fevereiro de 1889.
O GERENTE,
HiMtHH i s< ni i :
i
3:
>
S. R. C.
co
AKHIA
oriedade Becreallva Comnterclal
Soiree trimestral pm 24 do correute
Scientiflco aos senheres socios que esta soiree
principiar as 8 horas da noite.
Convites em poder do Sr. secretario.
Ingressos so cora o recibo do mez de Feverei-
ro, o qual pode ser procurado em poder do Sr.
thesoureiro, ra Pedro Affonso n. 82, ou na
sociedade.
Aggregados nao sao admissiveis.
Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
cial, 16, de Fevereiro de 1889.
0 I secretario
Ernesto Guimaraes.
Companhia A alago ana de
FiaQao e Tecidos
Convidamos aos Srs subscriptores des-
ta companhia para, de accordo com os
arts. 9 e 10 dos estatutos ate o dia 17 de
Margo prximo futuro, realisarem sua
quarta entrada na razSo de 10 i0 do valor
de suas ac3es ao Banco Intenarcion&l
em Pernambuco.
Maceio 15 de Fevereiro de 1889.
Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de arvalho.
Propicio Pedroso Barreto.
Prazo de 3 dias
De ordem d Illm. c Exm. Sr. Dr. inspector
da Alfandega, e de conformidade com o dispos-
to no 2.* do art. 208 da Consolidagao das Leis,
se faz constar aos donos ou consignatarios das
mercadorias inflammaveis abaixo mencionadas,
\ indas a ordem no vapor allemao Tijuci; entra-
do em 13 do corrente mez, que mes fica marca-
do o prazo de 3 dias, contados desta data, para
virem despchalas, lindos os quaes serto ven-
didas em praca no trapiche desta repartigo.
Marca M S (', n. 301. Urna caixa, espo-
letas.
Marca dous diamantes com W no centro do
primeiro e S. no segundo n 11 13. Cinco ditas,
phosphoros.
Marca diamante S & C. n. 2220/29. Dez di-
tas, ditos.
Marca diamante 330 no centro n. 63 63. Onze
ditas, ditos.
Marca diamante J D S & C n. 92. Dez ditas,
ditos.
Marca F A P n. 1,13. Quinze ditas, ditos.
Marca diamante 336 no centro n. 66. Quinze
ditas, ditos.
Terceira secgo da Alfandega de Pernambuco,
20 de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaquim da Fonseca.
PRRMHBKm
DE
Xavegaco eostelra por vapor
Rio Foriuoso e Tamandar
O vapor Jag'uaribe
Commandante Monteiro
Segu no dia 26 de Fevereiro s 5
horas da manha. Recebe carga at o
dia ...
Passagens at s 3 horas da tarde do dia 23.
ESCRIPTORIO
da Companhia Pernambucana
n.12
Ao C,
oes
MARTIMOS
co
a\dh
PGI\(UB(ll\l
DE
Xaveao5o eostelra por vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Macdo, Mossos, Araca-
ty e Cear
O vapor Pirapama
Commandante Carvalho
Segu no dia 26 do corrente s o
horas da tarde. Recebe carea at o
dia 23.
Encommendas. passagens 2 dinheiros frete,
at as 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCRIPTORIO
An C/iex da Companhia Pernambucana
n. 12
Companhia Brasileira de
Navegacao Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Commandante Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do sul at o
dirv7 de. Fevereiro e segurado depois
da demora indispensavel Apara os
portos do norte at Manos.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res trata-se com os
AGENTES
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o 1 tenente Guilhenne
Waddington
E' esperado dos portos do norte at
o dia 23 de Fevereiro e depois da de-
mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
Recebe tambem carga para Santos, Santa Ca-
tharina, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande do
Sal, frete mdico
As encommendas s serao recebidas na agen-
cia at 1 hora da tarde do dia da sahida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Carneiro & C.
6=Rua do Commercio=6
Io andar
i
CO
4*111 A I>KR\11IB1CA\4
DE
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN UNE
O paquete Araucania
Esperase do sul at o dia
28 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
I lsboa. Bordean\ e Plymouth
Para carga, passageiros, encommendas e di-
iheiro a frete : trata-se com os
AGENTES
Wilson, Sons & L Limited
14RA DO COMMERCIO14
Rio Grande e Pelotas
Para os portos cima, segu com brevidade o
lugar brasiieiro Marinho Vil; para carga trata-
se com oe consignatar (,oy0 4
Fimo.
XavegaeSo eostelra por Vapor
PORTOS DO SUL
Macei, Penedo e Aracaju
O vapor Mandahu
Commandante Alcides
Segu no dia 27 do corrente s
o horas da tarde. Recebe car-
at o dia 26.
Encommendas, passagens e dinheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida
ESCRIPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
CHARGEURS REUNS
Companhia Francesa
DE
Xavegaco
-iinha quinzer.al entre
Pernambuco, Bahia,
Santos.
O VAPOR
Ville de Maranho
Commandante Brant
E'esperado da Europa at o dia 25
de Fevereiro. segurado depois da in-
dispensavel demora para a
Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores deste linha, quiram apresentar dentro
de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
qualquer rechiraaco conceracnte a voluntes que
porventura tenham seguido para os portos do
snl afirn de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prazo a companhia nao se
responsabilisa por extravos. .
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
a vapor
o Havre, Lisboa,
Rio de Janeiro e
Apste Lahille
j^"9-RAD<



de Perntoibuco-SaUbatlo. 23 de Fevepekio de 18S
I

>tet!*Wlates antTBrazf
M.S^C.J.
Ovapor JLdvance
E' *pmo-4M potlm do
norte at o dia de Mar-
co o qual depois da de-
mora necosearia seguir
pana
B&fcia, Mo de Janeiro e ftaatos
Para carga, passagens, encommendas e di-
uheiro a frete rtrala-e com os,-rfESCBS.
O vapor Allianca t
E' esperado dos portos do
sul at ro o pal^uiwiNn demo-
ra necessana seguir
para o
aranho, Para, Barbad*. .
Thomaz e ScirtMi
Para carga, passagea, encoudtfaad e, dK
oheiroa rete : tratse cen os
AGENTES
Henry Forster &C.
8Ra do Commercio8
1 ail*
A-grate Pestaa
UETLtO
Do importante sobrado de 2 andares e soto, edi-
ficado no Pateo de S. Pedro sob o n. 4, ren-
dendo mensalmente 704.
sabbado 93 do corrate
As 11 horas
I rmaPBi & rna do Imperador
n. 49
0 agente Pestaa, autorisado por mandado e
om assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos
e do Ulm. Sr. Dr. Tavares, vender a quem mais
der o excellente sebrade de 2 andares e soto, sito
ae Pateo de S. Pedro n. 4, com os commodos se-
guintes:
Pavimento terreo. 3 salas e i saguo. Primeiro
andar, i satas, Iquartos 03inba. Segundo an-
dar, 2 salas,-2 quartos, cosinha e soto; cujo so-
brado raede'Sa pabnos de frente, com 3 portas e
1 ditos de fondo.
Rojal Mail Steam Packet
Companhia
O paquete Trent
Commandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia 1 de
'Margo, aeguindo depois da denio-
'ra do costme* para
_laceJo. Babia, Rio de Janeiro,
(Matos, tlontcaldeoe *-
lyns.
Pai passagens, fretese encommendas trata-
se com os AGENTES.
O vapor Atrato
Commandante L. &. Dickuison
E' esperado do sul no dia 3 de
Marco e seguindo depois da demora
'necessaria para
iJaboa. Vigo. ftouthampton e
Antuerpia
Reduccao de passagens
Ida ida e volta
.A'Ushoa lclasse 20 30
A* Soutiampton l-classe ti *.2
Camarotes reservados para os passageiros ae
Pernambuco.
Euiquanto vigorar a quaFentena imposta na
Repblica Argentina, aos Baio-proBilM!o
Brasil, os vapores desla companqia nao aceitarao
paasagaios nem oarga para. Bueaes-Ayws.
Para passagens, fretes, aaqommendas, trat-se
co
'
**>?' AGENTES
AmorimTrmos & C
\,'.BRim iId Boin- JeBns-*-*N. '>
Blo Ciraade do Sal. Pelotas e
Porto-Alegre
or inglez Estr^H
E' esperado dos portos do sul
no dia 23 do corrente e seguir
parr os portos cima rndicados,
depois de.pequea demora.
Vap<
Recebo carga, eoeommendas e passageiros a
tratar ota os
CONSIGNATARIOS
Pereira Carneiro & C.
6BA DO COMMERCIO6
1- andar
V ^______________.....___-.-...........______*
Companhie de Messageries
Maritimes
linha mensal ^
O paquete Congo
Commandante Leceintre
E' esperado dos partos do
sul no .diai 3 de Marco,
seguindo depois dademo
,.ra do cvs ume para
!eaux, tocando em
Dkarf Llef>a
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
dasse-que ha rogares reservados para esta
agencia, que podem tomar em quslquer tempe
Fa*-se atoatWato de 4* 0i efavor da* fa-
milias i miifHn de pewoas as menos exgie
pagarem 4 paasagens inteiras.
Por excepco. os criados de familias ^-" ~
marn bilhetes de proa, gosam tamhenr deste
abatimeoto. /
Os vales postaes s se do at o da i paos
de contado.
>ara carga, passagens, enoemmenaae e u-
eieo a frete: trala-se com o
AGE3TE
imuis
eilo
De 2 ca/as terreas ns. 341 H e 341 1, estrada do
Gequia a Jaboato. em solo roreiro, bem como
o terreno aiinexo. frafmeaia dos Afogados.
Sabbado 23 do corrente
A's 11 horas
Ra do Imperador n. 39
O agente Stepple. por mondado e com assis-
tencia do Exm. Sr. Dr. juii de direito dos feitos-
da fazenda, a requerinientO' de Manoel Felippe
Souto, levar a leilSo as casas e terreno cima :
desde j podem examinar.
Agente Burlamaqui
Leilo
Nejiinda-frira, t d corrate
A's 11 horas da manha
De urna ptima, ova terrea Travessa do
0 agente cima. rtB^pk autorisado, ven-
der urna, casa terreacoi^>nvuodos para fami-
lia, Travessa do Peixoto n. 23: as Scs. pre-
tendente? podem exammar a referida casa.
Leilo
Da armadlo, gneros e utensilios existen-
tes na taverna sita raa do Bispo Sar-
dinha n. 11
Terea-fdra 19 de Pererelro
A's 11 horas
4H agente Guauao, autorisado. far Inila, por
nia o risco de quem perteaeer, da armayo,
eneros e utensilios da Uverna cima mencio-
nada, em um ou mais dotes vontade drjs Srs.
compradores. Garante se a chave.
Agente Silveira
Leilfo
De generoe, armario e trtansrSo
Terfa-felra, do carrate
A's 11 horas
A' ra Jardim n. 11
O agente Svetra,xlewlaBiente aatorisado>por
D. I.uzia Chagas de Mello levar a leito es gene-
ros, armaco e utensilios existeBtes na tavierua
sita ra do Jardimn. 11. em um oumaislotes.
Garante-se as chave?.
Agente Brillw
Leilo
1 e predla e terreaaa
Pe 4 casinbas-dearo le um terreno. 'murado,
rendeudo todas* K8M)0$ em solot proprio, no
bercedo Pom bal para Joode Barros.
Um terreno: teodo 90 palmos de frente com
alicerce para 9 casas, mucado, em frente esta
o do Principe.
Um terreno na estrada nwa de Agua Fna,
com 28' palmo-de'frente e-iuX de fondo* senda
a (reate de H na ra quervaj em" frente a casa
do gra. -
Terca-feira. 26 de Fevereiro, s 11 horas
RuadoBngetn. 48
O abanto assignado pelo presente declara que
nSo dvvedor de impostas alguns, quer relativo
a sua casa de negocio ra do Progresso n. 20,
quer ra do l'aysand n. 2, pelo qae ne se
pode respoBsabisr para com a fazenda nacio-
nal por qualquer eoasa que outro dcva, e ainda
mais daclara ao commercio e aos particulares
3ue nao tem -coalas atrnzadas, com mais de 30
ias, e se tem a firma de Abren-A- GunarAes
na ra do Progrease para sexlferoncar da da
run do Paysand n. 2 ; e nesta data Fequer ao
Dn. ^juu des fetlos da aenda. para os devidos
oOeitos.
Betfe'21 tle Feyereiro-de 1889.
Xunoel fermudes de .ibmu.
Leilo
De boa movis, loara fina.
objecto de metal erjstaes
Constando de urna solida'anobilia de ,pio ra
ga com coneolos-de-pedra, -i ditu dejuaccom
12cadeiras de .fuarnicii, 4 ditasde bracos, i
bor- coasolos oom pedra e 1 soti, 1 espelho oval, 2
pares de laa erdas, 1 par de jarros linos, 1 boni-
to candleiro. 1 relogio de parede, 1 toilet de Ja-
caranda, 1 dito de tncijfuo, iarro e baca de por-
celana. 1 cama froncea, 1 gonirda vestidos de
amarullu. 1 cabide de columiui, 1 espreguica-
deira 1 pega para loet, t porta^cartOes e 1
porla-jaias.
lina forte mesa riasrica. de laboas, l,,gjarda
4ou;a de ainarellovlsofa- de .amarello, l cadeiv,
'ras de balanco de amarello. 2 aparadores de
amarello,. 12. caCeins de junco. 2 esureguijadei-
ras, 1 aesa grande port-guardanapos, 1 porta-conservas, l costa
para pao, 1 apparelho de metal- para cn. 1 dito
de louca lina para cha. raeio apparelho para
iantar, 1 gaUeteiro, 2-duzias de garios de me-.
tal, 12 copos, 12 clices, 2 compoteiras, 2 cuntas
:
O paquete Nerthe
Commandante Jezegabel
I.' E'esperad da nropa no
dia 7 de Marco e segui-
r depois da d^snoca, ae-,
cessaria paca
Baha, Rio de Janeiro, Buefios-Ayres
Mvrttvo
Lembra-ie a*s Srs. eaasageiros de todas as
cbssestuo ha krgaras reserrte. <* eita
asMia. que podem tomar em quataier tempo.
Previne-se ae'9rs. receh*0Fe8 oe^niercado-
as que s se attender a reclamacoes por fal-
tas.dnes TOhnnes, aue forem i
tccaswo
tro de
aira
cementes -
guido paraespor'osdosul, alun de peder-se
lar a tempo as providencias nacesarias.
Este naoaete illuminado lus electrM.-a
Paft carga, passagens. encommendas e di
heiro a frete : tratase com e GENTE.
Ajigitrt Lbilie
- Roa do Commercio 9
ParaMha-cle K. AJh-
r?1
el
A ef cuna port'urut-/.a Feitictira, segu para o
indicado porto at o Imi do mez. por j ter par-
te da cii(t'a ei iira o tasto fie Hie
fill i n miaiawi onsi-oa'ario Antonifc-'Marfa
da S n'.c.hh:;i Peraambucana
numc.
Vapor Maranhao
^^^^^Prmr.i, Caiaoesinx. Parnahyha. e
Miraoii;"./
hir aiapr r
carga
lioif-
pan se-
poseageiroa.
Irs'ws Sl CT.
Jfossore Araeastj
jj
anu
aboi
aero 14.
jin brfcvild* na/a
car*i tratase
' /Lapa du-
Da imnorUraW>fbaiaca. aenoniinaa Tw ir-
perferta harcaca actarr mencionada ; pflfJduo. fojco n^s- grandes caminhada
Srs. compradores desde j exatninal-aVtj ^, acada instante oelos ama
_ AVISOS TERSOS
AMA Precisa se de cn;a oosinheira que diirina
em casa, a*j das.Flereai. !t.
Alu^a se casas a S<(*Xl no b^cco dos feoe-
Ihos, junto de S. (iontdlu a'tratar na ra da
Imperan i. K. -i
luga se n pavimeut) terre do sobrado n.
46 ra.da houa^ estando o nesmo njfii li-
tado e todo ladrilbado de io\o. contcato 1 .-ala.
Sabbado *>fwwirtlf imiTKk"0**"'' >"*>""4c**i
Aiga-- o-obrado u. a ra do
-i,<>. qo.- .-- -.; da Casa 4e DetaiHf;..cui.i Mita-do Baro da %irtoria a 19
bons commodos Quintal com frunamarar a
tarcgenL. B ITelenpi, -4 u da^XDjncUuts
MUiie:
aoa'M
. 26 e o sobrado da rjiBarJa>rfe S. Borja n.
2, com conuno" sa familia;.a
tratar na -ua>d-. aaereeaei;
Alnt.ii-se-a KwMe/H'i casa n. 28 ra d
Ponte Velha, c. xz e bu.-tante aaaeiada:
na roa Vi j %a- n 2 -".uoiio
Preriea-se b una aiif para cosa!!' e la-
var ; na ra da Praia n. 11.
loiu Z balas, a tquovd, *^|arriiiu a
tratar Tir na dojinnorira, armazcm o 49J com
A. a. de Sama^iguiar.
Aluga-se 0 sohrado da traves-a do Livra-
mento n. 10, e o t- dar fa ra do Kidre Flo-
riano n.'W : as chafes na Praeinha n 7. ctra-
ta-seeam^dolrunrn. 02,' 2 and
Pre. boa cos'ureira para vesndo ;
na ra do. Imperador n. 44, 1; andar.
reeisa se de uma aura para lodo sewtpt)
domestico em casa de estrangeiro. |>aga M bem;
a tratar na ra da Florentina u. 0.
,fg Precisa-se de uma ama para comprar c co-
sinhar para cas^ de pouca familia ; na ra da
Penha n. 21, segundo andar.
fferece-se um bom copeiro para casa de
familia ou hotel, ou para outro emprego : a tra
tar no pateo da Peotia h. 8, hotel.
JBn que lira o Sr. M. T. A. S., nem liquida
nem.apparuce.
Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
co quando quer restitair os movis, se nao paga
osauwueia eaem w entrega.
A lusca-se
a casa u. 3 da ra de Paysand, tem agua e gaz,
e muitae acommodacoes para familia : a enten-
der-se ra do Corredor do Bispo n. 6.
Ama
Precisa se de uma ama para comprar e eosi-
nhar ; ua ra da Imperatriz u. 41. padaria.
Ama
Precisa se de uma ama para casa
solteiro na raa da Fundico.n. 4.
de lioinem
Ama
Precisa-se de uma ama de idade para pouco
trabatho ; a tratar na ra da Madre de Deus n.
3, hotel.
Caixeiro
Precisa-se
com prntica
numero 4.
denm menino de "12 14 anuos
de-taren ; na rna da Ferndico
Caixeiro
'Precisa-se de um caixeiro com pratica de mo-
Ihados : a tratar na ra da Florentina n. 34.
riado
i'reoisa se de um menino
Florentina o. :<4.
e tratar na ra da
Ao commercio
Antonio -Emysdio Barbosa Gome?, negociante
en Tiiubiifiba,"declaraaocorpo commercial des
ta.pracajque o Sr. N'azano Rodrigues d'Ouveira
deixou.de ser seu-empregado desde o dia 18 do
correte mez e. que nao se reeponsabilisa por
qualquer transacgao effectuada-com este senbor.
Recife, 21 de Fevereiro de 188.
Antonio Emygdio Barbosa Gomes.
Proleslo
Ajuarara Irmaos & G . vinem ao corpo commercial
t a todos qe ioteress;ir
| x >ssa. ^e o Sr- Aiitio Au-
iruslo Bezerra de iMt-nezes
(ieixo de ser seu emp re-
gado.
___
\ssucar
Usina Pinto
Santa.Filouita
Colonia Isabel
Na reinaco Salgueiral,
numero 22.
ra Mareilio Dias
Assucar refinado
JO.QUIM HALGUEIRAL A C
Ra Mareilio Oas n. 22
iinirr* 115
de coloeres para se|ia.-2 dilasi para cha,-2 bules especial, o melbor que se fabrica nesta cidade.
de-metal para cha," 2 assucarelros, 2 escanadei-
ras, 1 quartinheira de. coJomaas, 2 malas-.gran->
de e. 2. .ditos peqoenaa.
Terca-fera-e do corrente
A's 11 hars
No i andar dosobrado Uaperador
?" O ageute Maitine toa kilopo ordem de uma
familia que se tvtirou desta provincia dos mo-
veise mai8 tbjectaa aethw -nag,*e removidos para o xtjfcrida siibEado tserao ven-
didos a quem maieiOJr.
Entrega e paga menW"enr acto continuo.
Lefo
taarta^am^ do cereeiile
As H "vcas
agente Guamao. aui^sado, far Jeilao na
porta da AstxracAo'Gora^ercjai. dairap.iptete > no centro desta cidade podendosem.es-
Nova Hanibur^o
Bailes Pilan! azi a
Pelo' Carnaval
Approximando-so a epoclia de carnavala
Nova amburgo aviza ao respeitavel publico
que no presente anno como as precedentes,
terJo lifar.com o maior brilhantismo osiwf-,
les Eantqsados que este^rande e bemimon-
tadoeatabeleciroento industrial custnma fa-
cultar ao generoso povo pernambucano para
o que desde j se trata da ornamenta$Xo
doi ganado theatro de ''ariedades existen-
te, no- recinto da fabrica bem como dos
arranjos don luagnifcos terrayos pavilhSes
e gardias. Collocada a Nova Hambnrgo
Gosinherai
Precisa-se dvm boa cosinlieira : na ra da
Aurora -n. J19:
Cachorrinho perdido
Desapp&receu da casa ra do Pires a. 93,
esquina do Corredor do Bispo, un pequeo ca-
chorrinho branco, felpudo, o qual acode pelo
nome de Duque ; pede-se a quem o twardiado
o favor de entregal-o na mesma cata ou Ama
Barao da Victoria n. 11, loja, qn se-ftear agra-
decido, e se gratificar com generosidade.
MAIS DE 10:(NW ClilAS
I i! Il41 vi u lia
asars so sssmnara
DORES DE DENTES
E
PREPARADO NICAMENTE
POR CALA3ANS & C.NA BAHA
Medicamento heroico contra os rheuiua-
tismos, incha5oes, dores aciatkas, nevral-
gias, dormencia, et., empregando-se em
fomentacSes sobre os lugares affectados
Cura o beri-beri, as paralysias e as dores
de den tes.
^Todos os frascos levam direcc5es para
so d'este medicamento admiravcl.
Prego l$20O. Descont de urna duzia
em diante.
DEPOSITO NO RECIFE
Francisco Manoel da Silva & C. ra
Mrquez de Olinda n. 23
Padarias
Farinba secca para tender ; vande-se na pada-
ria da na do Brum n. 62.
drrefessor americano
Devido mudanca de residencia
MR. GEORGE. B. HIND
pode ser procurado nos-das nleis,'; mr roa da.
Conquista' n. 20._____________________
Cozinheiro
Precisa-se de um cosinlieiro ; a tratar na raa
do .?aysand n. 19.
t
aii JoaVlaMilva
Mura Venancia da Sika. Maria A. da Silva,
Rita Angelina da Silva. Bilhermina Enlina da
Suva Gesar. isafoi i Julm da Suva Braga, sabel
Rasa da Silva Purtado llo-alina Regina da Sil-
va. Manoel Jos Alves da Silva, Joo Jos da Silva
Filho. ausente Antonio Ferreira Braga, Joo
AuteraJ-'urtadu, trineo de Araujo Ceaar -e Clara
M. da Costa, mullier.lilhos, genrosecuuhada ain-
da profundamente envolvidos no golpe que aca-
I a de vibrar lli-s a.pulida morte. convidam sets
amigos prenles, como os amigos e prentes
do fallecido Joo Jos da Silva, para assistirem
as missas. que pela sua alma, mandaru rezar na
i^reja matriz do Corpo Santo, s 8 horas do dia
13 do correte, setioiu d" sen passamenlo.
Desde j se confessam agradecidos a todos
aquelli's que couconexam ao entono, e de.uuui.
assistirem a* missas.
a ser vizi-
tada a cada instante pelos amante* da fo-
lia e peb que buscam narcotizar o .tedio
implantado no espirito pela* occupaeSea
pesadas; tendo em seu vor a agrader
bilidade de structura evproprcSes que a
torna preferida as quatro noites consa-
gradas muza alegre dos devenidos de
esperar, meeme admiesirel contar com
a frequencia que se ha notado as epo-
chas anteriores em que a boa ordera do
rvico interno ha perleramente correepen-
dido ao espirito ordeiro oaniiro e so-
ciavel da ni.bre populaban desla moteta.
IAPfii i KlifiGAN
Acaba de rec-eberpe!< '-
timo-vapor .t En ropa uma
ccdlgo dechajK^s para^e-
nhoraso que lia de nwtis mo-
dernj iiiu e elefante, ven-
dra por preep eoneraodo.
Canalho Trmo&-C.
TelegTamma
Vejam e admirem!
S o 55 ra Duque de Casias pode
vender pelos preses que abaino mencio-
namos.
Amor da China, novidade empadrSes, a
200 rs. o covado.
FustSes brancos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
' Velbutinas de todas as crea a 800 rs. e
covado. E/ barato!
Casaos e capas para senhoxas, o que
ha de mais novo e barato.
'' Cortes de seda, padroes lindos e presos
razoaveis.
Madapolao com 1 metro de largura a
6$ a pesa.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.
Ditos bordados a 800 rs. o cavado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados' de -crochet, cousa chic e
preso barato.
Cambraia Victoria a 2i5800 a pesa.
Dita bat8ta>a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
covado.
Guardanapos bons a 15800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 e 320 rs. o
envado.
Rendas hespanholas a 25 o metro.
Luvas de seda a 20 e 3f5 o par.
Espartilhos couraca a 40, 5 e 60 um.
Merinos pretos e de cores,, uma varie-
dade immensa em preses e qaalidades.
Setns de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, grande reducsao em
presos em vista da grande quantidade.
Enxovaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preso, IOiJOOO.
Colchas de crochet muito chic.
Camisas inglezas com e sem oolhrinho.
Atoalhado para mesa a 1* e<108OO>
amito tino.
Collarinhos e pimhos de linhe e-Igodao
e por preso barato.
Babados e entremeios, grande sorti-
imento.
Madapolao pelle de ovo por 60 a peca.
Esguiao pardo e clumbado a 400 rs. o
covado.
Uma grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretones para ooberta o .que ha de mais
barato e bom. I
Mautillias de renda a 5 uma.
Leques de setim muito' chic.
Linn bordado com quadros a 800.rs. a
ovado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 280 e
3K) rs. o covado.
Cretones transados, finos, a 320 re. o
covado, para acabar.
Cascmiras de cores e pretas um grande'
8ortimento em qualidades e preces.
Casinetas, o que ha de atis benito, a
400 e 500 rs. o covado.
Tapetes grandes e pequeos poripresos
razoaveis.
I Crinoline preta e branca a 10600 o me-
tro.
t Brins pardos a 329, 400 e 500 rs. o
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos de linn para vestidos bordados.
Jl'l barato.
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gosto e por preso nwoevel a 80000 a
pefa.
Dita com lpicos a 40 e 50000'a peca.
': Colphas argentinas a 60000 uma.
Ditsde 20> 30,'40 '50000
Bramantes de algodao e linho de tedos
os presos."
Grande sortimento em tieh de cores
e pretos.
Grinaldas para uoivas.
Luvas c leques para noivas.
Bicos de cores muito chic.
Alfni do que acabamos de anaunciar,
temos urna quantidade de artigos que s
vendo-se, se acredita, pelo que pedem que*
comparesam.
Dao se amastras sem penhor.
Sotinetas lisas de todas as cores a 400
rs. o covado. Sao muitc largas.
Koupa feita e por medida.
55-RA DUQUE DE CAXIAS 55
ItRWMIESDEAZEVEDOC
Marte MoMe remira BMtM
GutMwnue Peretra Bastos, Cesana Pereira
Bastos, Francisco Pacheco Soares, Antonio Pri-
o Soares, Joaquin Antonio Pereira Bastos,
Masa ea'ira Bastos, Joo* Pereira Bastos, Jos
-Peretra- Bastes, Francisco Pereira Bastos, agra-
decen a-todas as pessoasqnasedignaram acom-
panhar nttima morada os restos mortaes de
sua presada nmlher, irm, sobrinha e cunhada';
e de novo as convidara para assistirem as mis
sas que por sua alma maodam celebrar na ma-
triz da (iraca, s 7 1 2 horas da manh do dia
23 do corrente, stimo do seu fallecimento, por
uejo acto de religio e caridade licaro eterna
mente gratos.
"I^M^HHBHBaBBBBBaaBBBBBHBBB
f
V ommunicac.ao' .ao commer*
ci
Luisa Florinda Pedroaa declara a todos-es ne
saciantes desta praca e mais Jiessoas do-seu co-
nhecimento que absolutainenw nao .se responsa-
bilisa pelo pagamento de cunta alguma retlisada
por quem quer que seja, que para comprar abo-
se do seu nome verbal ou por escripto.
------ ...............---------------
Tvpogapliia e LilliTapl.ia
FABRICA DE LTVROS DE ESCRLP1U
RA^AO
Preailada as expositor< de
Manoel J. de Miranda
EneadernacSo e especialidades em cartOes de
visitas.
39-Rfla Duque de Caxias-39
Telepnone n. 194:
a chave da casa de un bom
estabelecimento em uma das
prkicipaes ras de commer-
cio. na fresruezia de Santo
Antonio. Quem pretender
dirija-so a esta typc^raphia,
que se indica ni.
t
luUinrn l*i>oMo Parla
Marianao de Figueiroa. Faria, seus lilhos. sua
sogra eseus.cunhados. feridos pelo golpe da
morte de sua idolatrada esposa, mi lilha e ir-
m, Catharina Pessoa de Figueiroa Faria, agra-
decem de todo conncao s pssoas que acompa-
nharam o cadver da mesma at a sua verdadei-
ra morada, e de novo rogaui o favor de assisti-
rem as missas do stimo da, que lero lugar no
dia^6 do corrente, pelas 8 oras da manh, na
mu-triz da Boa-Vista ; confessando-se desde j
agradecidos por e6te acto de religio e cari-
dade.
llferes .Irto H. do Amara!
-Mello
Os empregados da estrada do Limoeire, com-
[laiilHiiit.-ju aim-ii do pranieado mocj Joo Ikip
tisiado.>.\munil*.-Mellu, profundamente sealidos
|ieio seu inesperado passamento rouvidaiu a fa
niilja, -panenles e amigos para coiupareeereai as
OMsas 4H8mandiim resar hoje, stimo dia. do
s u passamenlo, s 8 horas da manh. na igreja
do Pilar. Por este.acta.de caridade confessum-
se gratos.
**isaMBaaaaaaaBHBaBHBBBaBBBi

t
ttu(lnM Maria da Conrriro
O Dr. Augusto hopes da Assmpso Pessoa.
Eurico Lopes da Assumpco Pessoa e Gervasio
Lopes da Assumpco l'essoa, agradecem a todos
aqelles que acompanharam e conduzram ao
cemerio pubco o corpo: ta, Buliaa Mura ; da Conceico ; e de novo os
couvidaiu, .cnoiiuas dwiiai*.prenles e amigos a
assistirem as adosas que~ pela aima da mesma
lkaala sedio-ee rezar s 7'horas da manb de
segunda-feira 25 do corrente, na igreja do Ro-
sario da.Sanlo Antonio
t
Jaita Kaisa de ii-aujo
Francisco Ferreira de Araujo, tendo recebido
a infausta noticia do fallecimento em Portugal,
de sua prezada mil Julia Rosa de Araujo, con-
vida aos seus amigos para assistirem m missas
que pelo eterno repouso de.gaa alma manda re-
zar na igreja da ordem terceira do Carino, s 7
172-horas da manh de sabbado 23 do corrente,
trigsimo dia de seu passamento, confeseando?
se grato a todos aqelles que concorrerem a esse
acto de religio e caridade. ________
1
.iisr
I
Manoel Hu< bailo
Manoel deOliveira Menor e sua mulher Brgi-
da Machado Menor, tendo recebido do Rio de
Janeiro a olorosa noticia de ter allk fallecido 0
seu prezado sogro e pai Manoel Machado, con-
vidara tus iwrentwm amigo-i-para. assisWrern-n
raissa que por dmado eiesaia tem-de-ser-nexadn
na.igreja da Santa Cruz, sachado t) do norren-
te, s-7.4ras da-moh. setsmo. dia-de-ae*i fal-
lecimento. pelo que desde ja se confessam agr
decidos.
aaaEHMaagaMa'iM'M*aa-JBB?jaggBa
f
lsn;Mo Heudes da %H\
Rosa arolina Mondes da Silva, Julia Benigna
Mendesda Silva. Maria Eugenia de Jess e Joo
Eziquio de Jess/agradece s pessoas que dig
naram se acompaohar os restos mortaes de seu
presado eposo, pnev sogro e convidam para as-
s>r a Bwsi que- mantlam resar egunda-leinl
t6- do -corrente, 11a -igreja do Rosario da Boa-'
Vista, -ae- 61,"2 -horas da manh e confi'.-am-se
ternamente agradecidos.
Salao da Moda
Ra do Viseonde de Inliaiiiuan. 15
(ANTIGA DO KANGEL)
Os proprietarios d'este mny acreditado
eetabelecimento previnem a^eus fregne-
zes, que tem um completo /sortimento de
fazenda*, que vendem po'r menos>.>30 *[0
do que em outra qualquer parten-come
sejam: *
Linhosinhos de quadros a 80 rs.
Las de quadros a 160 e 240 rs.
/(tires, muito largos, de 320 a 240 rs.
'ambraia de salpicos a 4)5000 ai peca.
Dita Victoria a 2#800.
Cnetor.es claros que eram de 320 a
240 rs. o covado.
Chitas de 200 o 240 rs.
Ficfas com ramos e sem eUes a'1*4000,
2^000, 35000 c 4*3000.
Baptistes de cores a 120 rs. o covado.
Camisas rancezas a 25000:
Ditas de linho a 25800.
Ditas inglezas a 45500
Chali ae casemira a 25000 e -9*000.
Sargetim diagonal a 200 rs. o covado.
Meias para homeni, senhoras e mernoi
a 200, 240, 320 e 400 rs. o par.
Tambem temos um completo sortmento
de artigos para homem como sejam:
Casemiraa, brins. fustoes para oolletc,
collarinhos, punhos, gravatas o muitos'ou-
tros artig.s zer as exigencias do mais caprichoso e
elegante cavalleiro, para o que.montamos
uma officina de alfaiate sobre adireccJc
de um perito mestre.
PRECOS SEM COxMPETENCIA
Gon^alvrs /Santos & C
Apolicc provincial
Ha vendo-se desencaminhado do podar do
ahaixo assignado urna apolle provincial. 279
da 2.* sene, do valor ae SOUiOOO e jaras de 7
O/O, pertencente ao menor Mario, lho do,Sr.
Dr. Andr Gavalcaute de jlbuquerques faz-sf
publico o facto, para tins eonvonieates.
Recife. 7 de Fevereiro de 1889.
.'oaquim Duarle Campos.
,
Cosinheira
Prei-rsa se de uma ama que coainhe batte bo
terceiro andar do predio u. 42 da na Duqiie de
Caxias, por cima da tynograpbia do Dkuio.
Pharmacia Barthr-
lomeo
Precka-se de um praro : a tratar na ra
larga do Rosario n. 34.
Professora
Uma senhora competentemente hi/iJl{tda-
prop6e-se a l>-ccionar i-m collegios t rasas par-
ticulares as seguintes- materias : portnguez-,
francez. msica e piano : a tratar na ra Vis-
onde de Albuquerque n, 20.
i raspassa-se
ou arrenda.se uma casa para pequeo negocio,
em um dos pontos mais centraes do bairro de
Soplo Antonio, pintada de novo e com armaco
aova : quem a pretender dirija-se ra Baro
da Victoria n. 54, 1 andar i
t
Franti-.r Pedro :le MeHo
CapituWim Maivarida de Mello, suas inni e
sabrbaoBaJidara eaiir aa regunda-feiru 5 do
corrente, s 7 12 horas da manh. na i^nejado
Carmo, uma musa por alma d.- mu tuna lio.
Francisco Pedro de. Mello ; convidara os amigas
eprente- do finado para assistirem quelle
acto
Cavaos roubadbs
Furtaram ante-hon'em do engenho do termo do Cabo., dous cavallos com osieefruin
tes signaes.: um alaso, com frente abeldar as
dador de baixo e de tamanho regular; e o ou-
tro rodado. i-ir. .mude nenbunta, cabano'e sem
ferro algum : quem delles ti ver noticias exactas
dirija se ao referido enuenho que ser generosa-
mente recompensado.
ova loja de ca]
Rna do WarqucA de Olindrc m.
4l
NICA DESTE GENERO NA KREGCEZU.
BO BEtn:
Recentemente aberta achando-se em condi-
C&es de bem servir o respeitavel publico espera
merecer a confiatica de todos os -habitantes Ueste
provincia edas limitrophes.
Vende-eem grosso e a relallio calcados na-
cionaes e eslrangeiros por preces rasoavep.
Recife, SO de Fevereiro de 1.^99. .
Maja Itodrifllls-r'fc. .
Cosinheira
Pn(isu-e de urna boa cosinneJH aalpra^a
Conde d"u n. 32. i- andar.
Criado
Preosi-^
D 11#
Kldo
la .:a Mton
f
0 conselheiro Jos -tir<* >ai*e- \lcofo-
ta uiulher. cunhadas e lilhos convidara
seus prentes e amigos para assistirem a raissa,
qne raandam rosar no dia 23 do corrente. na
iflseja do-Montwro, s 8 horas du'mauh, por
aima de sua caahaiia. irm e tia. t. Isubct Can-
dida de Moraes .Sarniento.
doaquim Peimoa
Manoei Joaquira essoa manda rezar urna mi-
sa na matriz du Boa-'Vista. sabbado 23 do cor-
ntn.e. s 7 horas da manha, per alma do
prezado irrao Juaquim Pessoa, stimo da d^U
seu falk'cimento. Para assistir a ella, convida -VMMA2J
aos seos i amigos.
RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada nffiaiua de relojoei
ro. sita ra Primeiro de Mareo n. 4. ac '
ser transferida para a roa fui raa do Rata
O seu proprletar 6, tendo nm completoe mi i*
bom sortimento de ,:vi une.itos tendentes
artee oom urna longapratica da mesma.
se ao publico em gural para encarn-g:
todos concertos [< reloaios, caixas de
etc., etc.
Espera continuar a ;.
seus fregueses < i-lhos que
solicito no ciuiiprmcnto de si as oro^
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vol lichard
^^*MJMIY



-



\
*
W
jfcario de gfemambucQS^hbiid 23 de 1fmmm* *8S9
Aula.de paisagem
Acna-se aberta a matricula para a auf de
paiMfaii. iioiLywiV) de Artes e Officios,' a qual
fowvwnai nos domneos, ao meio dia. sob a
dirfiB* Cswiheira
Preoisa-si numw-o 137.
21-MA ]H)CRESP(I-21
OLVERA CAJPOS & 0. tendo de receber toe-
?emente um sortimento de artigosnovos de alta no> (lacle, resolveram
fazer urna grande rednceao nos presos dos artigeos ahaixo menciona-
dos, para os quaes chamam a attencgo das snas Km as. fregueza.
Manas hespanholas, de seda preta 30000 urna.
de QDHA E FERRO
< IMIAULT 0\ Mr~ ararla.
pelt Junt da /// 4o Rlo-dt-Jtneito
Oraca* a toas proprledada tnicas e repa-
jo---*, estas preparados prodnzem os me-
mora* reeulLadoa qnando empreados contra
a aaaaala, a ohlaraaa.a. laaoorraa. as dnor-
a manatruaoto, as oalmbraa do aato-
. __>, consecutivas essag enfermldades, o
lympaaUamo e outras molestia*provenientes
><*raaa da aaetra*. Ercltando o appetlte,
amulando o organismo, e reconatituindo os
"Sf mrsfme. o rom xabope d.
GOTHa ERRO da OBIMADLT a C-, deten-
Linhos para vestido padrSes modernos a 160 rs. o covado.
Cretone* franoees corea clara) a 260 rs. o dito.
Merinos .de corea, duas larguras, a 600 rs. o dito.
Dito de odres, lanudos, de 2($000 a 1,5000 o dito.
Las de cores, desenhos-de* oaobemira, de 900 a 600 re o dito.
Hum de quadros-de 320 rs. o dito.
Fustao branco d 4U0 e 500- rs, o dito.
Morsolina branca para casacoa a 500 rs. o dito
Zephir de cor, lista e-quadm a 500 re. o dito.
Ditos arrendados, lindos gosto, a600 re. o dito.
Ditos de listas arrendado,, alta novidade, a 800 re. o dito
Etamincs arrendados, de corea, de '600 a 500 rs. o dito.
Flor de Italia em. quadrinbos, a 500 rs. de 900 rs.
Mniaolinas de cor, de listas, a 400 re. o dito.
Cortes do cambraia bordados transparente e tapada, de 155000
e 20a1000 por 9,>00G e 12OO0 cada um.
Linio, padroes em quadros, a 440- re. o covado.
Nanaufces padroes mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos lino, a 200 rs. o dito.
Merin< proto tino, de 2*000 a WDOO o covado.
Setim Maoao de todas cores, a 900 re. o dito.
Brim tino pardo para vestido, a 400 re. o covado.
Cambraia Victoria transparente, tina, a 3)5000 a peca.
Espautdnos, o que ha de mettor, de 40000, 5000, 6*0001
. 70000 um.
Fichs de cor arrendados, de 10000 um.
Capinkos hespanholas de cor a 20000 urna.
Fichas de soda, mutto lindos, a 30OOO um.
Sar^aliin diagonal, todas as cores, a-240rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados) a 30000 c 4000 um.
Luvas de suda, todos os taannos, de 20000 a 3#000 o par.
Lenoes de liuhodo Porto, a 40000um.
Ditos grandes para cana francesa, a 60000 um.
Colchas de cor, de 20000 a 50000 urna.
Fichs,. sortimento completo', de 20000' 80000 um.
Lacayos de linho com barrinha a 20000 urna duzia.
Camisas francezas, de 240000 Meias cras para homen, de 40000', 50000e 60000a duzia.
Ditas brancas cras e de- cures pare senhoras.
Ditas brancas, cras e de cores para enancas.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de casemira de cor, de 60000 a 80OOO um.
Corte de fustao para collete, de 10000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglesas de franella, la-pura, a 50000 urna.
Alm.de outnos artigos que deixatnosde mencionar.

volvem rpidamente as creancas dabais e as
mocas paludas aacemlcaa, corleo o Ugelros
occeuot U retire, tupprimem o tuor Sai mos
e ot tuore nocturno!. Ato da malor eflloacla
as diarrhot rebelde, facilillo a marcha das
*"'""> MftktU tMitenU t telhoi.
** Vlnbo eata Ear.pt a* pr.a*
4a zcaUaaita faua
oteara
VIV2BJTW*.
Qtnirnr
MM PJUtIS, a, RXTA.
!as
ijji
i-asa
a1u:u-se urna boa casa para {.-ande familia,
eoaajagtis,.iu7. '('st'li:i.pav-dtfn>nte'da estacao
u.' Umiulio Novo : tratan va run dwflbdeia n.
*/, 1- an 21Ra do Crespo-21
Ao* amadores (k^ mrm al
A bem ronfu-ciaa loja de miudezas-BAZAR
1(0 RBCWBr-? na Marques de OImda n. 11
';in'rr;i (la adeial receben ?ranilp-3(rtim>lo (te
'I .........;...... .: ............:.o- ; rWflO I'
1 tts, < giaiK.t-s uolMicee |i..ia lubs j-
le n '' ., ,
| ;::".:.. ,.t .M-i
i i.'ii vi--'-ii- :i loin de nrioaBAiZA'R
., jFi, ,..11.. ic u iiinuiwi'MMaauaento ''<.
n>, j ... ;;..'un. iiiitio o inuicduo. ii.ujite.i i-
lii-M : U; li iro
:- ;-.;, ..; ,;..
... | | J:: .i,. |.,M.,i
ucftr do Ite^fe
A' run Mrquez de XJfndn n. 11
!). Ddmimapes M. Mmi'
Precisa se de una ama para HMBaVir-, a
tar na r>w do Livrime-"- v. I
O H2rrrK*C1'0 COMPtSTTJ D
Slaa^arrilha
do Dr. Ayer,
E' TiTn Ui nt ar s>-o *x*-.cj complot
mente -Jo gj^'-mna Kftcrofu li>rod!trlaae t
itf*K-vi'-i\i.i*. mu aitiiUilade cor s < ulei:ii>i'iaiea
"untijiinms, -: .- ^-.sio-iadis pfc!' uiereurio. Ao
roe-Miio Uit-po v;utaia- eiii^jucc* o.singa *nxa-
inunican lo nina &c&o auiarel a" i-j;ai.Uiiio
rcjuv.-iusctiido c tyateaa intipo. Lata.grande
Mfldeoiaa, legeaei,ultra, ,
e rdnniist-fc- iv#ii ;( v-trir.'teiim SiUgayarp**a- 1-
.oiiijuraii, d'iSJ.tiiN i'< /*i)IasKj e de Ferro, e
-i*FvU-? tt 2>-an*-ipofem"!a-* "virtudefe
eorativau. culAadAaa [iiapnu- preaawitio.
A foruiii'iv gtii.in :.' = conhaw-i da prrio
modi, i i iv #.iv- a S -. .-a
i'M(i:;;ji. Wl Di; um
Remedio Absoluto
para ai onPornM$fm oooasiouadas p.-Io estado
v.'clow do *-;iq.
EtM i lini l-Ullil<> M pr^o ruis alto pradicavc],
u:ti rniii aji^r-outr.i pr>ar: ;iV> da wia
'ap8, -um .rete" v^oporoitaf ig-ia^s ffuitos, e
. por taiitoa modijciaft -inhi ferat*, asfiiia ooino *
. ; :f.r* piirifina! iaigue.
I'itEAirADO) i-i:u>
DR. J. C. AYFR sa CA
ToweH. Mm, K. lr. A.
* A' TOtdfeaa* ^iui;me ftrmmtm ; itaiesriu
Ahiga-se
a casa da ra Coronel Suassuna n. 150; a tratar
na ra Marcilio Dias n. 106.
"RSXZSIO
OJi!
-alas S^*fe '
a tcda'afl lo nafcuwza

1?
iLSumi
DE-.HUSTDL
0 lieuejo. de Kania-por acetara!
Alug;a-se
n

58 Ra Duque de Laxias-58
GB\NELIQ(JI0A(10
5
Priucipia na segunda-feira. de todos osw^rti^os que
ficaram de saldo do balando do anuo prximo passado,
vendeudo-se por metade do seu valor.
Grande quantidade de retaihos de algoxlosinho.
madapolao, chatas, seda, setim, etc., etc.
56 e 58Ra Duque de Ca:rias--56 e 58
.......~
AON. 20
(JUNTO AO LOVRE
a casa terrea ra da Conquista n. 9, eom boas
accommodaOes, agua canalisada, est limpa:
a tratar na padara do Caminho Novo.
Alu;a-se barato
a casa n. 47 travessa do Bartbolomeo, os 1' e
2 andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
eosl-,S- e3 andares do da ra do Brum n.,84,
todos com bastantes accommodaces para fami-
lia : a tratar na ra larga do Bosario n. 34.
AMA
f**r ~Jf*&.-*&mt-


DE
f
"01
irop de Chioial Follet
tcH
.
i
" 0 oaUsaarnts por excelencia que ^uDprlBi
o. aorxioo tranq-xlllo atural ni
. h.VUA&GlAf* aOTTA
TILICA x^EteRES
xlolr av afinas*:
rafirtca casa FRERB, 19, roa Jacob, PAJU1
da
RHJEHaiA
VWaTiTllWiT^lW ##***
PEltElHA -
Recebedores directos dos mercados da Europa
liquidan* os seguinles aftigu.v ton* descont di 14 fo as
vendas em grosso
Bramantes de algodao superiores, a 800 rs. o metro, 4 largura,
dem de puro.iinhu-fazenda.de ~>-vM> para acabar a IdOO. mtro.
At(alnada alvo, duas,larguras, a 700 rs., 5100e 1 200 o dito.
Algodao alv-i. nacional, pai-a lenee. a o^OO a peca.
Madapolao americano, a 3AS0O,. 45000 e (55000, ccoi 24 jardas.
Mariposas de. .cores a i'Ors. o covado.
Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. <> dito.
Batistes dem a 120 rs. o dito,
heriros de.uaadrinh<, a SO, 160 e 200 rs. o dito.
Merinos lisos-de urna largura a 200 rs. o dito.
dem do qoadros uttjdeKmjs a 28C 308re-. o dito.
Fichas de ronda chica 1vK)0.
Oolehas francezas de corea a 25000 e 45000, runa
Leseos de bramante a 15800, para cama de oaaaJ.
Casimiras de core* para-, coupa de enanca a f-^000 e 15800, diagonal, duas
krguias.
Camisas inglesas e france&aa a 265000 e 305000 a duzia.
Tapetes avelndados, grandes, a 145000 um.
Cortinados ricamente bordados a 55500 e 65000-
Pannos de cores.para.masa a 15100 e 15300 o corado.
Cheviot preto e azul, a 35000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores Rendas austracas para vestidos a 500 e 560 rs. o dio.
Setins de todas aa eresa 900 rs. o dite.
Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, 1 suradas, a 2-J'"* rs. o dito.
Meias oruas ingleaas para hornero a 25500 e 35* 00 a duzia.
Ceroulas Lordadas, de bramante, a 125000 e 165003 a dito,
. Cortes de caaemiras para calca a 45000 e 65000.
dem de m< a casero ira a 25000.
Toalhas grandes para rosto a 45000 a duzia.
dem felpudas para banho a 125000 a dita.
E milito artigos que sero lombrados com apreseao* de uossosiaiu,;...
59Ra Duque de Caxias59
LOJA DE
PEEEIBA k HAGALHAES
Gazes de cores a 500 rs. o covado.
Fustao branco a 360 e rs. o covado.
Brins de cores.a 280- rs. o covado.
I Baleias pretas a 260 a rs. a duzia.
j Colchas de corea a 25 a 35000 urna.
Cumbraias bordadas a 45000 a peca.
Lus!dc seda-a 25 e 2i>50O o^iar.
Lencos blancos a 15200 e 15800 a duzia.
Cretones de AJsace a *360 rs. o covado.
Atoaihado bordados 15200 o metro.
Brim pardi a 2S0.rs. o covado.
Linhos de quadros a 280 rs. o covado.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Espartiibo couraca a 55000 um.
Chales adamascados a 25500 um.
Cortinados bordados a 65000 o par.
Merino do cores, a 500 rs. o covado.
Ceroulas de bramante a 125 a duzia.
Madapolao araorieoao v -GOQO a P^S-
Chachemiras lisas e listra de oorabinac? -
a 15200 o covado.
Cambraia Victoria a 25900- a. peca.
Bramante de linho a 15700 o metro. -2g
Toalhas para banho a 15500 urna.
Tapetes grandes a 135090-am.
Ceroulas de linho a 345000 a duzia.
Cretones franeezas a 400 rs. o covado.
Leques transparentes a 25500 um.
Alpacas de quadro n ->00 rs. o covado.
Camisas branca para meninos.
Sabidas do baile a 15008mna.
Cretones de cre a 240 rs. o covado.
Percales as a 200 rs. o curado.
Nansok cores lixa.s a 240 o dito.
LSs escosBezas a 260 r. o dito.
THESORO DAS HIS VERDADEIROS
COLLARES ROYEli
i::o.
EJactro-Magntfticoat
TaNaiili uodfMa te .i -tuio" eoatra 11
CONVDLaBS
E TkU riUUTU k tTlfj BAS CBIilf kt
O.C0LLARES ROYEf ,(n
le 25 annos. sao os umrn ci*vao
~GONVULSES
jugando ao iwnno lempo a UmUtci.
Para evitar a F^li.llica^Saa aa \ult*o6
' nutre i ia fatriea 4 m.
------.-cawnau m i marc aa fatriea 4 m-trgem t o ptraaantv neou
IMTiaeWiAn CKtAlif AS BOTER, PharaaacaaUea, 236, roa flauat-lf arUn.em PARS
Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
>a riui Prmeiro de Maree o. 20
i AS Ii: < 0\FIA.VVA
AMAEAL
Popeitaa.branca, a 80 e 15Mk o- covado.
rjcoa matisados a 25500 e SrV.tK) a pe5a.
Paniu* da .costa adamascado.
Regatas de cores a 15000 urna.
Sargelim de cores a 2A) rs. u covado.
Crenolina, preta o .bnanoa^ a 400-ra.
Chambres, do crep a 5500-A, ,65000 um.
Cachemiras de quadros a 260 rs. o covado.
Quarni'.-flo de croehet com. matizas.
Griaslaar- pana tmi--i#.
Setim de core- a 0Q rs. o covado.
Cachemiras de duus larguna a-800-rs.
Cortes de linn em oartin H 105 e 125000.
Camisas allomaos a :i650O0 a duzia.
Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
covado*
Lnuil de coros a 500 rs. o< dito.
Linhoside quadaaa a .80 rs. o dito
Uramante tranatlus.". 15000o metro.
Meias para horneas a 35600 a duzia.
Oitarniyao de crochet, brancas.
Kxtr.-kcto aVort Y-eine, a. 1 *4.*>
Alj.acaa mesiJadas a 600 rs. o covado.
Entretella. para camisas a. 8<>0 rs.
PARA 0. CAMAY AL
Guarda-p para homens a ti^OOO.
Guarda p para senhoras a 1-05000.
Paletots da seda palha a 85000.
Ditos de alpaca pretaa 55000.
Dito de brim pando a 55000:
Ksgiiio pardo a.400 rs. o covado.
Gangas lisas a 340 rs. o covado.
tetineta dourada a 400 "rs. o covado.
Tana tana prateada a re.'O covado.
Veibotina de cores a .800' rs; o dito.
Precisa-se de urna boa en-
gommadeira que aqa outros
serv^cos, a tractaV no 3. an-
dar, por cima da typographia
do cDiario na ra Duque
de Caxias n. 42.

Precisa-se de urna ama de leite ; a tratar na
ra Barao da Victoria n. 34, nova agencia de
movis.
Ama
Preoisa-se de urna ama para cosinhar em casa
de pouca familia : na tu* do Livramento n. 23,
segundo andar.
PRODUCTOS ESPECIAES
Do lr. Carla* BetteaicoMrt
APPBOVAD08 PELA JUNTA CENTKAit DB
HYGIENE DA COETE
Salsaparrilha e Caxoba
GRANDE DEPURATIVO DO SAN|GUE
Elixir anti-rheuiuatico, anti-syphilitico,empre-
ado em todas as molestias de pelle, erysipela-,
iariros ou impingens, beriberi, anthrazes oa
carboncillos, cancros venreos, ferias (anee-
rosas, ulceras, gonorrhas chronicas, bsubas,
bubes, escrfulas e todas as doeacas qae de-
pendem da impureza do sangue.
Este remedio superior a todos os ontfss A
3eu genero, o que est proTado pela preferencia
e acceitaco que Ihe d o publico.
Um vidro 3/OCl
Elixir de Jurubeba, Quina e
Pegapinto
TNICO FEBRFUGO E DES0BSTRUENT1
Empregado na debilidade geral, doesfas
estomago, convalescencas depois do partoj(ebra
palustres, molestias do ligado e baco, falta de
apetite, anemia, clilorose, coras paludas ou falta
de sangue, doengas nervosas.
E'um reconstituinte de energa,, aromtico e
agradavcl ao paladar.
Um vidro # 35000
Xarope de Jaramacani com-
posto
GRANDE PEITORAL
Tratarntinto curativo de todas as molestias de
peito e da garganta, defluxos, tosses simnlee e
convulsa, coqueluche, constipaces, astbma, proa-
chite, catarrbo chronico e tysica pulmonar e t
larynge.
E' oprimeiro peitoral que se conhece ale baje
na medicioa.
Um vidro 2*5W
A' venda na ra Barao da Victoria n. 51
Pharmacia Pinho

Ama
Na ra de Sania.Bita n. 83. se precisa de urna
ama para cosinha.
Ama
NajuaDireita n. 86, andar, prsciaa se de
urna ama para casa de pouca familia.
>X>C>-<3?
Mesfriomento, $osse, atarrho, Risica
XAROPE d HYPOPHOSPHITO de CAL]
de GRIMALT & "
Approvado pe Junt, de Eygiene io Rio de Jtntlro
Fazendo-se uso deste Xarope, calmo-ae oa accessoa da tosse,
[deeapparecem os sucres nocturnos, goza-se de um aomno re*I
parador, desperta-se o appetite, e o doente, augmentando suas foreas,
apresenta o aspecto de quem gosa boa sade. Os mdicos recommen-1
do que se tome ao mesmo tempo as Pastilhas peitoraes de
sueco de alfacee agua delourocerejode GRIMALT eC\|
[que constituem oa doie calmantes mais inoffensivos da materia medica.
Om fruMcom aran, foa ooatm ato JCaropa, *S 4a ama x/i or rpaa
laro,m marca isa- fabrica, o Bailo e a firma da soasa oaaa.
Dtfui Pars, 8, Boa Vivienne, 0 rs principies Pbarmacias e Dtaftras.
Ama
i'racisa-e de urna ama para oosiohar; na tra-
vesea do Pires n. 5, Griquiti.
Ama
Precisarse de urna ama para cosinhar para
pequea familia : a tratar na ra,das Larangei-
ras n. 5.
Costureira e modista
franceza
Madame Fanny Silva tem .0 sea atelier da tao
das e costuras ra Barao da Victoria n. 1JL I-
andar, e confecciona todo e qualquer toileMe,
com apurado gosto e elegancia, paja casasisav
tos, bailes, visitas, passeios, etc., fas,tarbea
manteletes e capas sobre medida. Contiafta a
ter um lindo sortimento de novidades de Paria,
vestidos de seda, -feitos, e em cortes de sea,
gaze. velludo, broch e crpe de chine, foulards.
su rali., sedas e """**Ta j^Tta." Esco '
sortimento em vidrilhos pretos, chapees,
tas e.^isita ; luto^m 1 oras. Tlefiboaltr.
W. flua Bario 3a Victoria n. 15, 1- andat.
Caulellas do Monte de Saccom
Gompia-se cautellas doMontedeSoccorjo de
qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 22, loja.ie
relojoeiro.
Ama
Precisa-se de urna ama : na ra. do imperador
n. 2, primeiro andar.
Ama
Na na da Matriz da Boa-Vista n. 26, 1 andar,
precisa-se de urna ama que cosinhe bem, para
casa de pouca familia.
Professora
Urna ser hora competentemente habilitada, cea
pratira de 11 annos de profinaot aprcuonajasi
diversos attestados de bom methodo e comporta-
ment, offerece-se para leceienar em casas par-
ticulares, na cidade ou em jens arrabaldes as se-
guintes materias : Portuguez, Francez, Iialiaae
Geographia, Piano, trabalhos de agulha, etc.; a
tratar a ra Visconde de Goyaana n. 09 en ea
casa do Regulador da Marmhara larga t
Rosario n. 9.

i
SADE PARA TODOS.
PILULAS MOLLOWAY
As Pilulas pui'iflcao o Sgn4uo, eorrigem todas ag Jteordesm da.atomao 5
doa,l ntattn08.

Fonalecem a saudeda coamm-Jocs laucadas. o d'um valor incrivel para todas as enfermldades
peculiares ao se i petduas de id_ i. at ,a,:.. a su a ctficacia e. inconteitaveL
^^^<^<> i
Ili^as cie-iicjj-i-Jl- pr^paUaiij^. fncate DO E-ubelecimcnio do Profe&sor HollowaV,
73, rf;A.W OXi'BJD STBEET (a.itci 533, Oxford Stroet, LONDR,
^ ti. .eudeinse em todss as Dharraadas do universo.
,t Cb coju* atlociM ai, aoovididos res pe to ^menle a examinar 01 rtulos de cada caca e Pote se nao tCCS a l
dracClic. 5331 Oxfor.: Street, sao falicasfoea,
1
ii.octaa
mv* -u *e* 'aaiwunoi Niva 'srardt
aaad|aaifiajinv> -kjud.iq *j. a.I aquoo jnatneoipoui osoioajd ain omnsaoa 'onu o 9
M19 jo pmff m tmtmm m>f 'un? wr*? m rnmvf mi
|AM3H MVISSO
S0Of?MU
sacr0l swp eano
9pvpiiq9([ 'enndujr 'Bsoiojqo
oayad 3 vnipio
rnrj| 1 tuaia, >uil.| ta lutnatNi t\,i nmtpmn
CAPSULAS
!
7-

Prepar?a* pelo DOOTOK UalN fit'mio loniyooo
SALLO

4*t cada
o vtrdadttro noint
Denain, 7 PARS
i K. da SILVA & C", na pripcipaae PaarauKd
r308
oes. -Utos entre m tr*M ea*. eU.
CURA INF ALL VEL,
' da 4 a ::. orif

^OaUCXSE-I.Y7SS6
aaaicHcn o aira i:ou>-j:'_i-# o fKio^r
U earv..: raauttta tuna, at. farijat"." "
am vmk*m<> rH4kM- m a sfa, <
i o estomago e m&u rononlrannoeri-aa pe, 1
, os Mdicos dos Ho.-i ! Corrimentos antigos ou recentes, a Gonorrfaea. a iiienno.- a Gy
Collo, o Catarrho e as Molesti; a Btyae.: dos '-
, Gluten n5o fatigo nut
N;W-Vi'ih, ,,.na a cu
'
II
lm* eMfiiioi(o rtna/t
Exigir que sa ocha em eata dos Droguistas i Pharmaceutico.
iNSTiPAgFS e MOLESTIAS do PEITO
AHTIPHL0GISTID3
OE S*
PARS, Phsrmaas BfilANT. 150. run re Riroii, PARiS.
.^ roiv.!iBMn ,lt.>ral *" "* ov **
... Caairx* Qa*Bar*. mi
Mae-anauav a Broctiara uior
aaw
<><*aa

BJ .
.--

I



8
diario de PernambucoSabbacjo 23 de Fevereiro de 1889
Professora de piano
L'ma senhora habilitada, nao s pelo seu es-
to, como tunibem peta pratica, offerece-se a
asioar piano por presos mdicos, quer em ca-
particulares quer em collegios. podendo ser
curada para o exercicio de sua protissao na
do Jasmim n. 39.
VENDAS
VENDE-SE urna inobilia de amarello com
pedras, muito bem feita e com pouco aso ; a
tratar na ra oas Trincheras u. 19 loju
Vende-se leite de vaccas da trra, puro, a
320 rs. a garrafa, garantiido so o boa qualidade
aos fregoezes que o comprar nesta casa. 0s
freguezes encontrarao o leite das s 7 horas
da manha, e tambem nos encarregs^os de man-
dar levar em casa de qualquer freguez : na ra
do Rangel n. s.
furnias baratas
Loja do Triumpho
Ra Duque de Caxias u. -1
Las fin? rom troco, a 320 rs. o covado
Dita; de quadros, bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
Zefiros largos do quadros a 240 rs.
Ditos largos de quadros tincas a 20 rs.
bordados linos a 700 rs.
arrendada a W rs.
listas abertas a 400 r<
listiiiilas a 660 :.-. .
Chi
CaM-:' 'ardida? '" :!"-;! *j ". .
hnt-c Han- \ 5500 a peca.
D *'"i-dada de cor a 3!R"0 pr-rn
f.l -'uns n;t::to !;oa-, a .00 rs. o eovulo
AJgodo largo ( '0 metros), a 2*500 a peca.
Dito dito de 20 jardas a 4*000
Toalhas acolchoadas grandes, a 4 500 a duzia.
Redes inglezas'grandes a 5*000.
Guardanapos de linho, a 1,5800 aduzia.
Camisas de linho scm punbos e sem colarinho
a 35000.
Bramante de algodao 4 larguras, a 700 rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14J000
Cortes d seda para collete a 4KX),
Cortes de casimira ingleza a 4#500
E outras muitas fazendas que se vendem mui-
to barata para liquidar.
A ra Duque de C'a\ias n. 49
Bastos dte G.

Vinho de Collares especial e
. da Madeira
E ni* decimos e ca xa de duzia, tem para ven-
der Joaquim da -uva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, 1 andar. __
Aproveitem!
Livre e desembarazada
Vende-se urna niercearia bem afreguezada, no
bairro de S. Jos, a qual vende mensalmente
1:500*000, o motivo da venda 6 seu dono mudar
do ramo de negocio : trata se no pateo do Terco
numero 19.
Tav
erna
Veude-se urna taverna no bairro dfl Boa-Vista,
bem localisada, de pouco capital, muito propina
para principiante, e o motivo da venda se dir
ao comprador : a tratar na ra do Arago nu-
mero 13.
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores propina?
I para os amadores do Prado e est vendeii-
, do porprecos sem competencia.
Recebeu tambem collaf-inhos e punhos
de borracha de formatos-Bovos.
48bca barXo d^ictobu 48
. ^JKMffADKS
TZENDAS PRATKADAS
rm "::::::: psitcasiabos
Aos bailes do carnaval
>o. Clubs Internacional. Carlos
Conies e leventnde
VENDE A
Loja das Lislras Aznes
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Da-se amostras.
FOLPSTII
SEM MAI
POR
:l::: mamn
DURANTE A TKMPKSTADE
aahio
e deN
(Continuadlo don. 43)
CAPITULO VII
Oade eit elle 1

Alm disso, se Suzana o descobrisse,
Sua filha, suppondo mesmo que adoptas-
sem-a na casa, seria tratada como urna
orpha, como urna estranha!...
Nao, nao.era isso que o miseravel quera.
Era b adopco completa, os desvelos, a
ternura infinita, o amor de todos os nsinutos.
Finalmente Suzana nlo mexeu-se mais.
Dentro em pouco a sua respiracao igual
e suave veio dizer a Gages qae ella dr-
mia gbvamente.
Da-cocaras, sem ousar levantar-se, elle
arto, cuja porta deixou aberta;
bo, sem fazer mais bulla do
serpente desusando flexivel e
jlo solo, desceu a escada, atravessou
o vestbulo, calcou novamente os sapatos e
metteu-se no jardim, tomando o mesmo cami-
n i percorrido ura quarto de hora antes, e
udo lia mesma ferina nos bracas urna
i anca envolta as suas roupinhas.
A casa mergulhada no mais profundo
silencio, continuava a dormir.
* Fra, a chuva havia estiado ; soprava
;to*mas fresco, annuncianio a ap-
ximaejio da aurora.
^HH* acordu de repente em sobre-
to.
pomava o dia.
dia anda muito frouxo, que nao lu-
tava contra o frac brilho da luz da laiu-
raas que de**nk:. tanto na
. graadf* fi-'ir.-- inado do
se a ranaritr
A EEVOLCAO DO 48
A' ra Duque de Caxias n. 48
Nesta loja denominada A' RevolucKo,
tend > sempre um grande e variado depo-
sito de fazeadas, njsolven-se vendel-aspor
jnenos 300r do que em outra qualquer
casa. Como sejam :
Toalhas felpuda e acolchoadas, brancas
e de cores, tamanho regular a 120, 20 V
500, urna.
Merinos de quadros, lindos padrOes
200, 240 e 280 o covado.
Seda Alcaciana i fazenda de fantasa), i
240 o covado.
Cachemiras de quadros com coinbina-
cao a 320 o covado.
Mimosa cambraia das mocas para cami-
sas a 3(5200 a peen. '
Lindos cortes para vestidos em cartao
com todos os avi.mentos a 7(5 9)5 lO&p
14(5 um.
Saias bordadas para senhora (recebidp
ltimamente de I axis) a35000 urna.
(retoes inglezes, francezes e allenia
a ?40, 280 e 320 o covado.
Zefiros de quadros, muito largos a 160
200 e 240 o covado.
Lindas colchas com palmas de core
para noives a 10000 urna.
Chitas claras e escuras, muitos padr5es
a 200 e 240 o covado.
Batistas com palmas e pintas, cores fi-
xas a 120 o covado.
Redes francezas a 5$ e 6(5000 urna.
Fechs de 13, muito grandes, todas as
cores de 2000 por 15500.
Camisas francezas de linho (pechinca) -le
60 a duzia por 48$.
Merinos finos com duas larguras, todas
as cores de 800 a E'OO o covado.
dem idem idem idem preto a 800 e
1;$000 o covado.
Cortes de fustao hranco e de c6res para
colete de 4<5 por 2f5"000 um.
MadapolSes finos a 45, 5)5 e 6,5000 a
peca.
Atoalhado de bono, lindo desenlio a
1$700 o metro.
i ortes de caseinira j>ara calca, finos e
modernos a 4, 5>, 65 e 75CKX) um.
dem idem idem lrvo costumes moder-
nos a 205000.
Cambraia de salpicos muito fina com
10 jardas a 45000 a peca.
E muitas outras fizendas que s com a
presenca das Exmas familias, poderao ser
vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
lheiras, leques transparentes, bicos de co-
res, ntremeos, bordados, leos, extratos,
luvas etc.
48 DUQUE DE CAXIAS 48

Armacao
Vende-se una armaco de amarello em per-
feito estado, propria para miudezas ou tabaca-
ria : a tratar na ra do Cabuga n. H-A.
Cabriolet americano
Vndese um, propro para medico, muito
leve ; na coeneira da na das Flores n. 35.
Ta
venia
Vende-se a taverna da roa de Luiz do Reg n-
47, em Santo Amaro das Salinas : a tratar na
mesma ou no Camintn Novo n. 87.
8SOOO a duzia
OLEO UERflWO
O mais economieo, hyglenleo e
perfumado oleo para o
G .A. B 3S 3C X* O
VENDEM
OJIES DE MATTOS IRfiAOS
2.1-niii Mrquez de Olinda 11
Pao centeio
Mil'c 4 Biset. avisam ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas-feiras, tem este sa-
boroso pao; na larga do Rosario n. 40.
Enectivamente a porta da entrada aca-
bava de fechar-se, e ouviam se distincta-
mente no wstibulo passos abafados.
Ella saltou incontinenti do seu divn,
dizendo comsigo:
A porta estava entilo aberta ?...
E, muito corajosa, correu ao patamar.
E' o senhor ? perguntou ella em voz
ba i xa.
Sou, responder com voz mal dis-
tincta.
Mas Suzana reconheceu logo a pessoa
que lhe responda.
Ao mesmo tempo a enfermeira, a Sra.
Xouvailles, que tinlia velado cabeceira
de Adelia, entreabri a porta do quarto
desta com infinitas precau53es.
Suzana.tinha j descido.
A enfermeira, curiosa, nao desdenhan-
do tomar um pouco de ar, imitou-a.
Sr. Pedro, dizia Suzana, quando a
Sra. Nouvailles mettta o seu nariz ponte-
agndo em meio da escada, os.enb.or aqui!...
E em que estado, mou Dea ?
Cala-te; como val minha inna ?
Pedro de Sauves achava-se com effeito
molhdo cOmo um pato, coberto .de lama
dos ps cabeca, com a physionomia hor-
rivelmente alterada, mais paludo do que
um cadver.
A senhora vai mujto b|m.
Sem febre?
Sem febfe.
O que telta lia ?
Urna bella filhinha.
E ella nao morrer?
Quem, a senhora?
Sim, de certo, Adelia!... Que me
importa o resto, que me importa tudo ?
Elle achava-se n'um estado de sobre-
excitagao extraordinaria; as maos tre-
miam-lie : da garganta, horrivelmente con-
trahida, mal podiara sahir os sons.
Ahi es um senhor singularmente
emocionado, disse comsigo a Sra. Nou-
vailles, escutando, espionando, no meio da
escada. .
Acalme-se, disse o mesmo tempo
Suzana. A senhora vai tao bem quanto
possivel. Ella so.Treu, mas depressa pas
sou, c (o muito feliz. O medico disse, an-
tes de retirar-se, que estava muito, muito
satisfeito.
Como me fazos bem !... Desde que
recebi o telegrama a do Havre, estou co-
mo um doudo !... Via incessantemente
Adelia morta como Bertha, a minha po-
bre mulher .. Nao podia afastar senie-
Ihante espectculo ilos meus olhos !... Ah !
! or. seja aben^oado!.. os meus le-
nao tinlian: fundamento.
Cdiio sentado aurna aeira do vest-
bulo, e, doatendendo-se-lbe os ner
Mais Barato
r
A Loja das Listras
A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephone n. Sil
0 prourietario desta conhecida casa previne as
Exmas. familias e tolos os seus fre-
Suezea, que as pecbinchas que costuma
r, nao sao nem nunca foraui divididas
de outra casa com algnem annuncia
para engaar, Hadando fazendas ordi-
narias por. bous, casUime que Loja
da* Li*iru* Azu^i nao 4 m.
As fazeidas \eudLrii? nesfa caa u dq loaqua-
Ijdade, i- nao k'\am;ucJida oses;
aceita se a fazenda vGndiiiii se, por
qualquer moli\t nao fr de mu lo agra-
do da pessoa para quera for c nprada.
Dase descont a quem compra! de z
para cima.
ESPECIALIDADES
Mrim de listras azuespecas com
20 varas a 60000.
Madapolo com um metro de largu-
ra a 60800 aje9a.
Cortes de vestidos bordados em
cartfio a 106 Velllldllho bordado a coutas a 1600
o covado.
C'aclteuiiras pretas, de quadros e
arrendaclas a l';) e 25500.
Tecidos fantazia arrendado propro
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes de cachemira com guarni3es
bordadas, lindas cores, a 205 e 255000.
Setim M.ico de toda as cores a 750,
e 800 rs.
Linn bordado, tecido de urna s cor,
qualquer que se deseje, a 200_rs.
Zcflros lisos c bordados, tecido fino,
novidade a 50(Jts.
Las de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
l.inhos lisos a 60 e de quadrinhos a
00 rs.
Guardanapos melhor qualidade a
15800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 15-
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada a 45000.
Cortinados de crochet, comsanefas,
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas de fustao, brancas e de ec-
res, a 25000.
Chitas finas precalcs a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
Datlstcs de cores seguras a 120 rs.
\anzuc de lindas cores a 280 rs.
Brim pardo esguio a 240, 280 e 320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
Hantllhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 85000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
205, 255 e 305000.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo preeo.
Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 25.
Lspartllhos inglezes a 45500 e 55,
tem desde o n. 40 at 80 de grossara.
IIico branco reme e de todas as
cores desde 700 rs. at 25500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e de qualquer cor.
Sbados e ntremelos bordados ta-
pados e transparentes por todo preco.
Cirannos e pentinhos fantazia para
cabello a400 e 500 rs.".
Hlelas para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Reoslos despertadores com fi-
guras em movimento a 85 e 95000.
Aspas de aeo para vestidos a 120 rs.
o metro.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas Ka loja das
LISTRAS AZUES de
Jos Augusto Das
Nvidades
Receberam modas de Pars
AZEVEDO, IRMaO & O.
16 Ra do B. da Victoria 1G
(Antiga Nova)
Lindas capas de surah, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de saia a 15000 e 15500.
Sargelim fino todas as cores a 200 o co-
vado.
Baleia6com forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 palmos
15500.
D to de algodao com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 55000 c 65000.
Ditos de crochet finos a 85000 c 105000
Estracto Rita Sangal a 25000.
Fichus de 12 e seda 15000, 15500.
Capellas com veo bordado a 65000 o
75000.
Madapolo globo a 75000.
Dito camlseiro a 75000.
Tapetes grandes para sof a 135000.
Espartilhos courasa a 45000 e 55000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 25000 e
35000.
Guardanapos de linho a 25500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setim maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 15000 e 15500.
Madapolo com um metro de largura
a65500. o
Cachemira arrendada 'e de quadros
15500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 35000 a duzia.
Camisas finas para homem a 335000.
Colxas de crochet com flores a 55000 e
95000.
Lindas velbutinas de quadros lisos e coiu
listas proprias para veo.
Nanzuc finos a 240 covado.
Ditas finas a 200, covado. .s
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palha seda cores a 95000.
Pao verde para bilhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crmoline preta a 300.
Guarnieres pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 45000.
Cachemiras de quadros a 280.
Fustao branco a360 o covado.
Esguiao fino a 15500 a vara.
Case miras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE 200
O desengao ir ver
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
preco commodo ; na ra do Bom Jess n. 35.
armazem.
Cimento Portland
Irmaos, ra da
Vendem Soares de Amaral
Madre e Deus n. 22.
-----7
tidos desde a vespera, dcsatou em solu-
50S.
Sr. Pedro! Sr. Pedro, repeta Suza-
na, como que se deixa abater assiin, o
senhor, to forte !...
Elle continuava a chorar como urna
enanca, repetindo no meio do seu pranto :
Amo-a tanto !... Minha pobre irma-
zinha, tao boa I....
En to, querendo tentar urna diveraao
ao espirito do Sr. de Sauves, Suzana con-
tinuou:
Mas como se explica que chegue a
esta hora e nesse estado?
Elle olhou para si e parecen sbita-
mente muito contrariado, muito embara-
zado,
E' verdade, disse elle, estou uojon-
to. E' preciso liinpar-rae, Suzana.
Ms, emfim, onde que sujou-se as-
sim ?
No canto da ra Clavel ha urna casa
em eonstrucelo ; eu caininhava muito de-
pressa. nao prestando attencao ao que ha-
via na minha frente, e cahi n'uma poca
cheia de lama.
Veio entao a p ?
Quasi.
Vem. de sua casa ?
NI, da estacao de S. Lzaro. Per-
di no Havre o '.Tem das seis e dez e fui
obrigado a esperar o das dez horas, que
s chegou a Pariz s tres e vinte e cinco.
Ah foram longas horas crueis para mim,
asseguro-te... Na estacSo de S. Lzaro,
o cocheiro cujo carro tomei, nao quiz con-
duzir-me senao at o boulevard da Villet-
te, onde recolhia Seria necessario urna
discussao com elle, e prefer subir 3 p.
Suzana nao iusistio.
A Sra. Nouvailles havia-se retirado sor-
rateiramente.
E' urna chegada bem extraordinaria
essa, disse el;a comsigo, ao voltar para o
quarto de Adelia. Esse senhor conta cou-
sas muito exquisitas !. .. E que emoc&o a
delle. grande Deus Dir-se-hia que com-
metteu alguma accao m.
Vais dcixar-me ver Adelia, nao
verdade? continuou o Sr. de Sauves, en-
tao mais socegado e.. por conseguinte mais
senhor de si.
Nao, ainda au.
Porque?
O doutor prohibio-o cathegoricameu-
te. Ninguem, excepc&o de urna enfer-
meira que elle propro arranjou, pode en-
trar no quarto da senhora,emquanto elle
njo fizer a sua visita desta inanha.
Nem eu ?
Nem o senhor, nqm eu, nem o pro-
0 Sr. Jorge. Bem v 0110 as ordens
Carlos 8indan aria aoii.i amigos e fre
ghezes em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por procos mais resumidos em vista
da continuacao do cambio favoravel.
Convem que experimenten!.
48 RUADO BARO DA VICTORIA 48
Barato .
S na loja das Estrellas
56-RUA DIQIE DE CAXIAS-86
Telephone n. tlo
0 proprietario deste mui acreditado estubeleci-
mentn previne a todas as Exmas. familias
e freguezes eO) geral, que as muitas pe-
chinchas que costuma tazer, nao sao mais
divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
AZUES; portante, quem quizer comprar por
menos que em outra qualquer parte dirja-
se LOJA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trar um completo e variadissimo sorli-
niento de fazendas que se vendem por pre-
cos que nao loe podeni fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa, de 1)5800 a ltOOO.
Dito de cores a 1$ e 15300.
Bramante de quatso larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 1(J600.
Brim de cores para ronpa de enancas a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 10 por 50000.
Cortinados bordados a 5 e 6#000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a4 e 4(5500.
Cortes de vestidos, em cartao, a 70OOO.
Cretones, csres claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado. *
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 20800 a peca.
Camisas inglezas para homens a 280000
a duzia.
Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
tuloid, um completo, por 20500.
Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
a 100, 150 e 200000.
Casacos Jersey a 20500, 30, 40 e 50.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 10200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 10100 a arda.
Esguiilo de linho, pardo, a240e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 50600.
Espartilhos couraca a 30 e 30500.
Fichus a 500, 10 e 10200.
Fustao branco a 240 rs.
Grinaldas com finissimos veos de Blond
a 70000.
Guarnigoes de crochet para sof, a 50500.
Gorgorito preto de seda a 10800.
Guardanapos de linho de 30500 por 20
a duzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a duzia.
Luvas de seda para senhoras a 10000,
10500, 20 e 20500.
Las e cachemiras de quadros a 160 rs.
Madapolo pelle de ovo, muito fino, a
60000 e americano, com um metro de lar-
guro, de preco de 120 por 70000.
Dito de 80 por 50000.
Merino preto com duas larguras a 560
e 700 rs.
Dito de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, lindissmas cores a
240 rs.
Rendas hwspanholas a 10600, 10800,
20500 e 30000.
Setim Maco, preto e de cores a 750 e
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 10.
Sargelira de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 20500
e 30000 a duzia.
te: m csss
Ra Duque de Caxias n. 103
Vende-se bordados de cambraia tapada
de 2 1[2 e 4 metros e upa chave de lar-
gura a 500, 000, 800 e 10, muito fino, de
qualquer largura a 10400, e de fustao, de
700 a 10800 a'pega.
Enxovaes para baptisados a 80, 100 e
120000.
Lindos enfeifes para penteados a 100,
200, 300 e 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 20500 o covado.
Pulseiras americanas para 30, 44t 5(1,
60 e 80000 o par. "
GuarnicSes americanas a 30000!
Lindos espartilhos a 40, 50 e 6000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a 10000.
Broches de fantasa de 50Q a 10000. .
dem americanos de 20 a 30000.
Len50s de s6da a 10000.
Sublaque a 200 rs. o par.
Guarn55e3 de crochet, sendo um para
sof e 4 para cadeiras por 6$000.
Finas capellas de pellica, panno e cSr,
com finos veos.
Flores artificiaes a 10000 o ramo,
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o#metro.
Luvas de seda arrendadas e bordados
a 20 20500 o par.
Bicos brancos de linho e de cores a 20,
20500 e 30000 a peca.
Contas de cor para enfeitar vestidos a
700 rs., e pretas a 600 rs. o masso.
Missangas de todas as cores.
Lindos leques brancos gara noiva.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento urna
80000.
Talheres para crianca a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de creme a 10500.
Lindos leques de papel de 500 rs
10000.
Espelhos com fina moldura, com dous
mos de compriniento, a 40000 e cara
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e missan
gas.
Lindas franjas douradas para facha,
seda preta e de cores, sem e com vi
lhos.
Timaosinhos enfeitados de bico e rea
PECHINCHA
i
1
r
?
i
Colarinho para homem a 30 e
duzia.
Bordado de cambraia Victoria mufl
fina com 3 1[2 metros do qualquer largura
a 10200 a peca fazenda que vale 20 e
20500, vende-se por este preco para liqui-
dar a grande quantidade que temos.
PARAOCARNAV
Agua Florida e agua
Orea a 500 rs. a garrafa.
Ditas para banho a 800 e 10200. i
Cha preto ssperlor 2ooTi24oarrndad08'uUima novidade'a
Zenros de todas as corea a 80 rs.
Assim como muitas fazendas que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 j0 do que em qualquer eutra
parte.
Vende-se
bagaco de sement de carrapato, proprio para
plantaces de capim ; na fabrica de leos ?ege-
taes, ra da Aurora n. 161.
Onde est a pequea ?
No meu quarto. E' soberba. A se-
nhora quer que ella se chame Georgina.
Tem os olhos azues como o co; os olhos
do pai.
Pedro sorrio com indulgencia.
Suzana, muito familiar com elle, por-
que havia muito tempo que era da casa,
fallava da crianca com um enthusiasmo
quasi maternal.
E essa pequea mar vil lia, disse
elle, poder-se ha ver sem matal-a de emo-
cao ?
Sim, mas com a condicao de nao fa-
zer mais barulho do que as moscas. A
senhora est dormindo e nlo se deve per-
turbar o seu somno.
Suzana subi a escada com Pedro.
No quarto, a criancinha trazida por Eu-
genio Gages" dormita va debaizo dos finos
cortinados, cora os pequeninos punhos cer-
rados.-
Um singular sentimento de ternura in-
vadir o Sr. de Sauves ao entrar no apo-
sento.
Mas quando approximou-se do bero
esse enternecimeuto gelou-se, transforman-
do-so pouco a pouco n'um sentimento de
repulso, impossivel de vencer.
Ella podia matar Adelia, como Rq-
berto matou Bertha!... disse elle baixi-
nho, procurando urna desculpa para to
exquisita impressao.
entretanto adorara Roberto, eraquan-
to que nao sentia-se capaz de tomar aquella
recemnascida nos braos.
Suzana, com a vela levantada, mostra-
va a crianca, repetindo :
E' soberba!
Nao a acordemos, disse Pedro; se
ella chorasse, Adelia poderia onvil-a. On
de est Jorge ?
DeVe estar deitado. Nao o vejo des-
de que foi acompanhar o doutor.
Pedro collou o ouvida porta do quarto
de seu cunhado, e, nao ouvindo movimen-
to algum, nenhum ruido, voltou-se para
Suzana.
Vou esperar na salinha de baixo at
que o doutor chegue ou Jorge acorde, disse
elle. Logo que se d qualquer destas
duas cousas, chama-rae.
Desceu. O dia estava claro.
De ordinario, a esSa hora, os operarios
comecavam a chegar ; sobretudo o machi-
nista, que ia preparar a sua machina.
como era segunda-feira de Pente-
costs, isto dia feriado, a usina conser-
vava-se muda e silenciosa.
A's 7 horaa, mais ou menos, Pedro, que
a adormecido, foi acordado por Su-
zana :
Vinho de pasto
O que ha de melhor, vende-se pelo mdico
preco de 33*00 o barril de quinto e 9*00 o
ganafo de tres caadas, voltando o garrafao
7300 (precos lquidos) : ra do Amoriin nu-
mero 6<>.
O doutor e6t ahi, senhor, disse ella
entreabrindo a porta.
O mancebo saltou lestamente do cana-
p em que estava deitado.
Posso entrar no quarto da senhora ?
perguntou elle a Suzana.
Pode ; o doutor disse que ella vai
muito bem.
Pedro nao esperou que lhe repetissem
isso e subi a escada, galgando os degros
de quatro a quatro.
Ouvindo abrir-se a porta, o medico vol-
tou-se vivamente.
Julgava que era o Sr. Chaniers,
disse elle em vtz baixa, fallando comsigo
mesmo.
E sorrindo, apezar disso, para Pe-
dro, a quem conhecia, porem menos inti-
mamente do que a Jorge, collocou um
dedo sobre os labios.
A senhora sua irraa vai to bem
quanto posssivel, disse elle; mas supplico-
lhe que nao fa9a alguma scena de ternura.
Abrace-a, e depois saia...
Adelia, muito branca, com os labios
descorados e os olhos pisados, sorria sua-
vemente para Pedro.
Viste a minha Georgina? pergun-
tou ella francamente.
Vi, responden o Sr. de Sauves com
a garganta apertada por singular emocSo.
E' magnifica.
Has de amal-a 'muito, nao verda-
de?
Que pergunta!
Tanto quanto eu amo Roberto ?...
Tanto quanto amo-te a ti.
Basta, interveio o doutor, o senhor
est sahindo do programma.
- Onde est Jorge ? perguntou Adelia,
nao fazendo caso da observa5ao do dou-
tor.
Suzana, que nunca esperava que a in-
terrogassera, respondeu em lugar de Pe-
dro :
O senhor ainda est dormindo. Anida
nao mexeu-se no.seu quarto, e como dei-
tou-se muito tarde, nao quiz acordal-o.
Bem, disse Adelia, deixem-no dor-
mir.
Procural-o-lie antes de retirar-me ;
preciso fallar com elle. 'Finalmente, Sr.
de Sauves, tanto ao senhor como a elle
peco que nao fat guem hoje a minha doen-
te. Dou-lhes licenoa de fazer-lhe tres pe-
quenas visitas at' tarde, de cinco mi-
nutos cada urna, e nada mais; quando vol-
tar noite farer o programma de ama-
nh... Agora deixe-nos. E voc, minha
filha, v buscar a pequea, para que se
lhe d a primira refeic&o.
Pedro ebedeceu, depois de abracar Ade-
lia muitas vezes.
whi:
Royl Blend marca VIADO (
Este excellente Whisky Escocez prt-
ferivel ao cognac 6u agurdente de c "
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores arma-
zens de molhados.
Pede Itoyal Blend marca Ylad,
cujo nomc e emblema sao registrados para
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
Carne verde
0 rw. O kilo
Vende-se no talho da ra do Rangel. jira
botica imperial, e nos talhos ns. 1, 23 e 29 do-
mercado de S. Jos.
* :
tarto
t.
Anda nao havia decorrido um qu
de hora, Suzana deseen procura do fl(P
de Sauves, com a phisionomia singular-
mente alterada, as feicoes revoltas.
Ah! meu Deus! exclamou Pedro
pondo-se sbitamente de p, invadido por
indizivel emocao, o que ? Minha irma!...
O que lhe aconteceu ?
A ella nada, respondeu incontinenti
Suzana.
O Sr. de Sauves respirou.
Entao o que ? perguntou elle mais
calmo.
O doutor deseja fallar com o Sr.
Jorge. Bati muitas vezes porta delle.
Nao s o senhor n3o responde, mas n5o
se ouve ruido algum no quarto.
Porque nao entraste ?
Tenho medo!
Effiectivamente o rosto sempre resolut
da rapariga apresentava a expressSo do
mais profundo terror.
O Sr de Sauves nao respondeu, e, com
o coraeao batendo mais apressadameni
que de ordinario, subi a escada.
A porta do quarto, preparado na ves_
ra noite para Jorge, nao e3tava fechada
chave.
Pedro abrio-a, e acompanhado de Su-
zana, pentron no aposento.
A janella fechada, apenas deixava pe-
netrar fraca a claridade, insuffieiente
distinguir os objectos quando se vinha
fra.
Jorge disse Pedro a meia voz.
Ninguem respondeu.
Suzana dirigise janella e abrio-a de
par em par.
.Uma onda de luz jorrou no peqdano
quarto, elegante e confortavel como to-
dos os aposentos da casa.
Os olhos -do Sr. .de Sauves dirigiram-se
em primeiro lugar para a cama, collocada
n'um canto.
Eatava feita, intacta, com os lenges
muito alvos, a fronha muito lisa estendida
no meio.
Ah! exclamou Pedro singular
admirado.
Voltou-se c examinou o quarto.
Reinava eiu todo o aposento a mai
feito ordem.
l'ciirt entrado alguem uepois ,
Sana fzera a cama ?
ra provavel.
- E dizes que nao viste meu ciiuiad
desde que o medico sahio depois do par
to' perguntou Pe panga.
-- ? verdade. *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMQ7X3LFM_J6CU6L INGEST_TIME 2014-05-22T22:26:16Z PACKAGE AA00011611_17456
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES