Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17455


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MMi
A N N O L X V ]S U ST
m
43
PARA A CAPITAL E LUGARES 0\Di: vi SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantados............... 60000
Por seis ditos dem.......i ...... 125000
Por um armo idem............... CO0OU
Cada numero avtilso, do mesmo dia......." 0100
5EXT-FEIRA 22 M FEVEREIRO DE 1889.
PARA DENTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados............. 13#50O
Por nove ditos idem................ 20||000
Por um auno idem ............... 27(9000
Cada numero avulso, de das anteriores.......... 0100
DIARIO DE PERNAMBUCO
Trcprkdadt de Manoel 3%gurca de S^aria $ Sffycs

TELEGRAMMAS
s::t::: ?asticls so diuio
RIO DE JANEIRO, 21 de Fevereiro,
1 hora da tarde #
Foi nomeado auditor de guerra em Per-
nambilco o juiz de direito da provedoria
da capital da mesma provincia, Dr. Fran-
cisco Domingues Ribeiro Vianna.
t Pelo Ministerio da Marinha foi autorisa-
do o preenchimento das vagas [existentes
Ho pessoal artstico do Arsenal de Marinha
V( mesma provincia. *
Kfieguio hontem para o norte no paquete
nacional Pernambuco o Dr. Jos Ignacio
Fernandez Barros.
i'
::;."::: sa a&sstcza eavas
PARS, 21 de Fevereiro.
O presidente da repblica offereceu o
tucargo de formar o novo gabinete a Mr.
4 Freycinet.
O ex-niinistro da guerra pedio tempo
para consultar os seus amigos.
PARS, 21 de Fevereiro.
Cerca de 8,000 operarios das obras do
Canal de Panam foram dispensados do
ervico.
Receia-se graves desordens.
Acha-se gravemente enfermo o Sr. Ju-
le* Grevy.
HAYA, 21 de Fevereiro.
S. M. o Rei dos Paizes Baixos continua
muito mal.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
21 de Fevereiro, de 1889.
IRSTRUCgiO POPBLiR
ASlUB HWScfe
ANTIGS I MOBE'RNAS
k
AS
i
?
Sciencias. industrias e artes
POR

A buHnuln
(Continuacao)
Ifaspeoda-se urna agulha magnetisada de modo
que pssa mover-sc livremenie em torno do seu
centro de gravidade no plano vertical do meri-
diano, e que tique impedida, por meio de um
caixilho de se mover no sentido honsontal;
r-sc-ha que a agulha se inclina para o hori-
sonte. Esta inclinacao tanto raais pronunciada
quaiito mais s. caminhar para qualquer dos po-
Pua trra, de forma que na zona ecuatorial aa
nma serie de pontos nos quaes a agulha perma-
Bee perfeitamente horisontal, em quanto que
um rcgies polares existe um ponto em que pelo
contrario, a agulha fi-a perfeitamente vertical.
Teu-se o nome de indinwao a estas diflerentes
rtfcices da agulha relativamente ao honsonte.
Ormmios, situados cerca dos polos terrestres,
nos t:;i?s a agulha fica -tical, sao chamados
PMagnticos. A linh i da regiao aquatorial
Wm. a agulha se con.-erva. pelo contrario,
in- mtal, chama-se eqaadoi nutgnetico.
bussola o mais precioso instrumento do
navegador ; por sua- ndicaces que este pode
saber semprt, e co:u certeza o andamento do na-
Eo mesmo instrumento pode tambem prestar
rico- em trra. No meio de um denso bosque,
fio fundo de urna profunda mina, a bussola n-
fccaao observador a direceo do norte ; esta
neriitie Ihe, por conseguinte, reconhecer o sitio
toe seacha, e indica-lhe o caminho que
VUe seguir para ir ter ao seu destino. Os
trarioi que trabalham no fundo das minas nao
temi a bussola para dirigirem em um sen-
eieruiinado suas explorac/Jes e abertura
Movas galeras.
VI
o* relogioM
bsa'itigos dividiam em horas o tempo que
decbrre entre um sol nado e o seguinte ; e distin-
guan) as horas do dia das da noite. De'ermma-
vam-se as primeiras pela altura do sol sobre o
horisonte, e as segundas pelo lugar que ocen-
___^w_ i-____ml,niA ia octrallns mais hn hantps.
paia no firmamento as estrellasmais bnlnantes.
0 pr
o depojdro simples: consiste em um vaso cheio
dagu'i'.-com um pequenoorificio na parte inferior.
&c;)sydro fundado no principio seguinte :
'vm ^escc-am quantidades iguaes de liquido
m te o iguaes, se se conserva constante a al-
tara -ua. Segundo este principio pode me-
dir-a*') tempo recomend e medindo o volume
'ji la d'um vaso em um ntervallo de
terop 1 'lerminado.
frcispsiftro imples que acabamos de descre-
.^pparelho insufliciente e grosseiro, foi usado
Eo tempo pelo? gregos e romanos sera mo-
-uraa (')
*Por primeiro melhoramento, tracaram m no
exterior do vaso donde a agua escoava, divises
iguae- catre si, o que deu em fraccoes iguaes
a sBbdtvis&o dn tempo.
(Contina)
(i i cham-se nos discursos de Demosthenes
allus^. o melbodo de determinar a durac&o dos
SScursos com o clepsydro. Dizia-se por exem-
plo : -urpando a minha agna.
PARTE OFFICIAL
vera* da provincia
UU 11 DE EEVBBBIRO DE 1889
i dente da provincia resol ve nomear
o bacharel Pedro Celso Uchoa Cavalcante para
exercer o cargo de delegado do Io districto lit-
terario da Boa Vista, que se acha vago pelo fal-
lecimento do bacharel Pedro Alfonso de Mello.
Communicou-se ao inspector geral da qs-
truccao publica.
O presidente da provincia, de conformida-
de com a proposta do Dr. chefe de polica em
oflicio n. 144, de 9 do corrente resolve exonerar
a pedido, o tenente Manoel Joaquim de Aquiqo
Mello do cargo de delegado do termo de Flore.
Cominuuicou-se ao Dr. chefe de policia.
O presidente da provincia resolve, de con-
formidade com a proposta do Dr. chjefe de poli-
cia em oflicio n. 145, de 9 do corrate, nomear
para o lugar de i' suppcate do subdelegado do
districto do Riacho 90 SHio'do termo de Flo-
resta Bernardino Pereira da Silva, em substitui-
co de Izidio de Souza Maciel, que nao prestou
juramento.
O presidente da provincia resolve, de con-
forraidade com a proposta do Dr. chefe de poli-
cia em oflicio n. 154, de hoie datado, exonerar a
pedido o capitSb JoSo Elesbao Borges Uchda do
cargo de subdelegado do 2" districto de Afola-
dos (Magdalena) e nomear para substituil-0 o
tenente do Corpo de Policia Theodpmiro Thomaz
Cavalcante Pessoa que fica exonerado do cargo
de delegado do termo de Buique- Communicou-
se ao commandante do Corpo.
O presidente da provincia resolve de con-
foamidatfe com a proposta do Dr. chefe e poli-
cia em oflicio n. 155, de hoje datado, nomear
para o lugar vago de 3" supplente do subdele-
gado do districto de Jurema do termo do Brejo
Jos Joaquim de Carvalho.
Cilicios : .
Ao brigadeiro commandante das armas.
Sirva-se V. Exc. de expedir suas ordens para
que hoje as 2 1|2 horas da tarde urna guarda se
ache postada em frente cstaco da ra da Au-
rora da companhia de trilhos urbanos do Recife
a Olinda e Beberibe afim de fazer as honras f-
nebres ao tenente da fguarda nacional Pedro
Regaard, por occasiio de ser o seu cadver con-
ducido d'alli para a cidade de Olinda.
Ao Dr. chefe de policia interino. Convem
que V. S. recommende ao subdelegado do Io
districto do termo de Leopoldina, que faca reti-
rar da respectiva cadeia o tronco, a que se refere
ojuiz de direito da comarca de Salgueiro em
oflicio de 20 de Novembro ultimo ; devendo
transferirse a prisao para outro edificio mais
seguro.
Assim tica respondido o seu oflicio de 5 do
corrente mez, sob n, 125.
Ao inspector da Thesouraria de Fazeoda.
Transmuto a V. S., para os lins convenientes,
o oflicio, por copia, de 8 do corrente mez relativo
ao exercicio do juiz municipal e de orphaos do
termo de Panellas, bacharel Jos Paulino Caval-
cante ne Albuquerque, reconduzido n*esse cargo
por decreto de 18 de Julho ultimo.
Ao mesmo. Providencie V. S. para que
seja paga a Franccisco Justimano de Castro Re-
bello pela verba Trras Publicas e ColonisacSo
do actual exercicio a quantia de 48:257*500,
tirada dos 7O:4O bel, e entregue o restante ao director da mesma
Colonia ou a quem por elle se apresentar devi-
d a me (i te autorisado Communicou-se ao dire-
ctor da Colonia Izabel.
Ao Dr. juiz de direilO da vara especial do
commercio. Tendo em vista o seu oflicio de 7
do corrente, em que me communica haver o te-
ncnte-coronel Francisco Goncalves Torres obtido
poressejuixo carta precatoria para ser embargada
na Thesouraria de Fazenda a parle da quantia
que tem de ser paga a Manoel Xavier i'.arneiro
da Cunha Filho, como indemnisaco da safra do
engenho Suassuna, que vai ser desapropriado
para servico da colonisacao, declaro a V. S.,
em resposta ao citado oflicio, que nao me com-
pete intervir em questes judiciaes, nem tenho
meios de impedir a cessio ou transferencia que
recela o interessado, o qual encentra na legisla-
cao garantas para o seu^direito.
Ao engenheiro Gregorio Thanmaturgo de
Azevedo. Tendo sido V. S. escolhido arbitro
desempatador da avaliacao do material perten-
cente a empreza do gaz desta cidade pelos ar-
bitros do goverao e da empreza. convem que
declare se aceita ou nao esse encargo.
Ao inspector do Thesouro Provincial.De-
ferindo o requerimenio, sobre que versa a infor-
maco de Vmc. de 8 do corrente, n. 62. de Gen-
til Correia de Gusm&o, autoriso essa .ispocioria
a mandar restituir-lhe a quantie de 39*090 pro-
cedente do imposto que pagou de sua taverna.
sita ra de S. Joao n. 1, em Olinda e do qual
foi desobrigado por despacho desta presidencia
de 4 de Janeiro lindo.
Ao mesmo. -Respondendo ao seu oflicio n.
19 de 8 do mez findo, relativo i pretenco do Dr.
Felippe Nery Col luco, declaro.a Vmc. que nao lhe
cabendo resolver sobre o assumpto da pelicao
que pelo mesmo Dr. Ihe foi dirigida, e que de
minha exclusiva competencia, aguardo requeri-
menio do interessado para resolver como for de
direito.
Ao commandante do corpo de policia Em
resposta ao seu oflicio n. 183 de 9 do corrente,
acerca de ajuda de custo ao tenente desse corpo
Pedro Alexandrino Correia de Mello, declaro a
Vmc. que nao havendo o mesmo tenente desem-
penhado a commisso de que foi incumbido, no
tem direito ao abono da referida ajuda de custo.
Portaras:
concedo a aulonsaco solicitada pela La-
mar Municipal do Recife no sentido de ir satis-
fazendo o pagamento de suas dividas pelo modo
indicado em seu oflicio, a que respondo, n. 17
de 6 do corrente mez.
Declaro Cmara Municipal do Buique que
licam approvadas as arrematacoes dos impostoi
constantes de seu oflicio, a que respondo de 8
de Janeiro findo. ....
0 Sr. agente da Companhia Brazileira de
Navegaco a Vapor mande dar passagem de r
at corte por conta do Ministerio da Guerra ao
1* cadete Arthur Henrique da Silva, do corpo de
alumnos da escola militarCommunicou-se ao
brigadeiro commandante das armas.
O Sr. gefWte da Conpanhia Pernambucana
mande dar passagem de r do porto do Aracaty
ao desta capital, na primeira opportunidade, ao
bacharel Jos Caraillo Linhares de Albuquerque
e a sua senhora, por conta das gratuitas a que o
governo tem direito.
O Sr. superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco mande dar passagens
em carro de 2" classe da estacao das Cinco Pon-
tas de Una por conla do Ministerio da Guerra,
ao ex-soldado Luiz Gonzjga dos Sanios, que rc-
colhe-si' comarca de Gar.mhuns.. de onde ( na-
tural, levando cm companhia sua raulher Maria
Luiza Benites e seus lilhos Joao Benites e Ma-
noel Dionisio, e bem assim a respectiva baga-
gem.
Igual ao chefe do prolngamelo para man-
dar transportar at Garanhuns.-. ommunicou-
86 20 CUCnl.
O Sr superintendente da estrada de ferro
do Recife ao S Francisco faca transportar da
estacio das iuco Ponas de Una. por conta
do Ministerio da Gutra, una escolta do 2 bata
Ihao de infautaria. composta deum cabo de es-
quadra e dous soldados que tem de conduzr o
soldado desertor do mesmo balalhao Miguel Al-
ves de Macedo, providei ciando oulrosiiii para
que. teiiham passagem laquella lo-.-alida-le ara
esta cidade a referida esco'ta e desertor.
KXPrDlINlK DO 58. SECBETABIO
Oflicios : I
Ao brigadeiro commandante das armas
De ordem do Exm. SI. presidente da provincia

transmito a V. Exc. em resposta ao seu oflicio n.
247 de 9 do corrente o incluso passe para o m
indicado no citado oflicio.
Ao Io secretario da Assembla Legislativa
ProvincialDe ordem do Exm. Sr. presidente
da provincia transmuto a V. S., em original,
afim de ser presente, opportunamente, a essa
Assembla os artigos de posturas organisados
peta Cmara Municipal da Villa de Bora Conse-
lho.-~Communicou-se ao presidente e vereadores
da referida Cmara.
Ao mesmo.-De ordem do Exnt. Sr. presi-
dente transmuto a V. S., paraos fins convenien-
tes, o balance da receita e despeza do exercicio
de 1887 a 1888 e o orcamento para o de 1889 a
1890 da Cmara Municipal de Petrolna.
Ao juiz municipal e de orphaos do termo
de Floresta.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., em resposta ao
seu oflicio de 23 de Janeiro findo, que nao ha
forca para augmentar o destacamento ahi exis
tente.
Ao promotor publico da comarca de Buique.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S., em resposta ao seu oflicio de 3
do corrente mez, que nao ha forca de linha d;s
ponivel para estacionar nessa villa devendo ser
suflicientes para o policiamento de um municipio
tao tranquillo como o de Buique, as treze pra-
jas quenelle se acham.
DESPACHOS DA PBKSIDENCIA DO DIA 20 DE
FEVEREIBO DE 1889
Domingos Jos Ferreira & C.Informe
o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
zenda.
Gerente da estrada de ferro do Recife
Caxang.Nesta data remetto ao emge-
nheiro fiscal 59 passes impressos, afim de
serem ndemnisadas as passagens concedi-
das durante o mez de Janeiro ultimo.
Tenente Henrique Cameiro de Almeida.
Requeira por intermedio do director do
Arsenal de Guerra.
Henrique Florentino da Silva Santiago.
Indeferido.
Vicente de Assis Tavares.Nao ha que
deferir.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 21 de Fevereiro de 1889.
O ajudante do porteiro,
Cabral.

-SGGir<~~
llcpartifo da Polica
2.' seccao.N. 195Secretaria da Po-
licia de Pernambuco, 21 de Fevereiro de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que foram hontem recolhidos
a Casa de De ten cao os seguintes indivi-
duos :
A' minha ordem, Domingos Damasceno
e Manoel de tal, como alienados at que
tenham cotfreient destino.
A' ordem do subdelegado da freguezia
de Santo Antonio, Antonio Lourenco dos
Santos, por disturbios a minha disposi-
90
A' ordemdodo2.-d8tricto da freguezia
da Boa-Vista, Manoel Antonio da Silva,
como vagabundo desordeiro e Francisco
dos Santos Coelho, por embriaguez e dis-
turbios.
Pelo subdelegado da freguezia de San-
to Antonio, foi remettido ao Dr. juiz de
direito do 2.- districto criminal, o inque-
rito policial procedido contra o individuo
de nome Antonio da Paixao Ramos au-
tor da morte de Pedro Regaard, facto
que se dera na ra do Imperador, pelas
101[2 horas da noute de 9 do corrente.
Communica o delegado do termo de
Pao d'Alho, ter no dia 12 do corrente mez
acompanhado do Dr. promotor publico,
do escrivSo e do respectivo carcereiro,
feito a visita na cadeia publica onde en-
controu 12 presos, sendo 4 sentenciados, 5
nidiciados em diversos crimes, 2 processa-
dose 1 pronunciado.
Nenhuma reclamacao fzram.
Aquella autoridade participou-me anda
que no dia 11 do corrente foi preso em-
fiagrante no lugar ChS de Capoeiras daqucl-
le termo, o individuo de nome Severino
Barboza de Albuquerque, por crime de
furto de cavallos.
Acerca do facto, procedeu-se nos ter-
mos da le.
Communicou-me o subdelegado do l.-
districto da freguezia da Boa Vista, que
ante-hontem, a 1 hora da tarde, a ma-
china n. 8, da via-ferrea do Caxang, ao
sahir das Officinas da ra do Hospicio
para o Arraial, esmagou o pardo de nome
Felippe Santiago Pereira, de 60 annos de
idade. ^
Das deligencias procedidas a >-espeito,
chegou a evidencia de que o infeliz se
suicidara.
Procedeu-se a respeito nos termos da
lei.
Participou-me o delegado do termo de
Palmares, qul no dia 17 deste mez, em
trra do engenho Sant'Anna, daquelle-
termo, o individuo de nome Jos Cordei-
ro Alves da Silva, ferio com 9 facadas a
Jos Antonio, all morador.
O delegado tomando conhecimento do
facto, fez proceder a vistoria declarando
os peritos serem mortaes os ferimentos.
O delinquents foi preso emfiagrante, e
contra elle abrio-se o competente inque-
rito,
Aquello delegado, communicou-me an-
da, ter no dia 19 tambe Jplo corrente, pe-
laa 8 1t2 horas da noite, capturado, o ce-
lebre criminoso all conhecido pelo nome
de Manoel Lopes, qile declarou estar pro-
nunciado em Papacaca sob o nome de
Manoel Francisco, em Pesqueira pelo ap-
peliido de Manoel Hermenegildo.
Procedeu-se a respeito nos termos da
lei.
Deus guarde a V. Exc.Illm. e Exm.
3r. Dr. Innocencip Marques de Araujo
Gees, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de policia interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
DE
Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 19 DE FEVEREIBO
1889
Jos da Silva Maia. Informe o Sr. Dr. con-
tador.
Antonio Luiz Baptista.Volte contadoria
para declarar se foi remettida a ordem de que
trata a sua informacao e bem assim, porque nao
se fez a respectiva nota e de quem parti esta
falta.
Manoel l'cha de Barros Campello.Com o
Dr. procurador fiscal.
Francisco Tavares da Silva Cavalcante (2)Be
queira presidencia.
Leoballt*Au|Ssto de Moraes.Indeferido, em
vista das informaces.
Ludgero Pinto de Miranda Forjaz Informe a
Becebedoria Provincial.
20 -
Maria Isabel da Fonseca Pinto, Maria
Amalia Forjaz de Lacerda. Informe o
Sr. Dr. contador.
Joao Fernandes Lopes.Volte, com
vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Manoel Mara, Bouza y Gontjn.Infor-
me o Sr. collector da Olinda.
Manoel de Barros Correia.Ao Sr.por
teiro para entregar ao interessado.
Recebedorla Provincial
DESPACHOS DO DIA 20 DE FEVEREIBO
DE 1889
Jos Gencalves de Oliveira Muniz, Antonio Gon-
calves Dias & Q. e Domingos Alves Matheus
Informe a !. seccao.
21 -
Francisco Jos Domingues & C, Jos Custodio
Goncalves Guimares, Jos Francisco Guedes,
Joaquim Jos Goncalves Guimares, L. Lack 4
Correia, .^. M. da Bosa & C, Ferreira & <."., Suc-
cessores, Deodato Torres 4C, Goncalves Coim-
bra k C, Joanna Josepha Vieira Lima, Goncal-
ves Coimbra & C, Joao Christiani, Joao Chris-
tiani, Joao Christiani, Adelaide Felicissima Por-
cincula Menezes, Antonio Joaquim Cascao, Do-
mingos Jos da Silva Nogneira, commendador
Antonio Jos de Magalhaes Bastos. Ludgero
Pinto de Miranda Fajos Informe a 1.' seccao.
Graciliano Octavio da Cruz MartinsDeferido
com relacao ao 1. semestre em vista das infor-
macOes.
Antonio Fernandes LimaDeferido em vista
das informaces.
Joaquim CoelhoA' !. secgo para os devidos
fin3- ... ,
Antonio Seraflm da Silva, Eustaquio Manoel
Carminondas.Informe al.* seccao.
INTERIOR
C orresponjteneia* do Diario de
Vrnaaikii(-o
AGUAS-BELLAS, 16 de Fevereiro
tonfBua osatri^o afagellar^e^a cbmar
ca, faieudo em cadalia urna victima. *
No dia 3 do corrente as 11 horas da manha,
vimos com pezar esse terrivel mal resistir a tudo
e matar urna lilha do nosso amigo tenente-co-
ronel Severino Bodrigues Lins de Albuquerque.
Essa interessaote menina que apenas coutava
12 annos de idade e quando comegava a sorrir
lhe um futuro lisongeiro, desappareceu sob a
espessura de urna campa, deixando a dcsolagao
no lar paterno.
No da 13, tambem falleceu victima de urna
afleccao cardiaca, D. Manuela Rodrigues l ins de
Albuquerque, esposa de Jos de Mello da Silva
Leite. A tinada pertencia urna importante fa-
milia desta comarca e era urna distincta senho-
ra por suas virtudes : a sua morte foi po.s mul-
to sentida.
A finada antes Je morrer pedio que seu cada-
ver fosse sepvltido ou a porta da igreja matriz
ou ao p da Santa Cruz do Carmo; e seus pa
rentes e filhos no louvavel empenho de sasfa-
zerem esse pedido, conseguiram da Cmara Mu-
nicipal urna licenja e foi o enterramento feito ao
p da Santa Cruz do larmo ; o que nao nos pa-
receu regular, embora se tivesse em vista satis-
fazer o ultimo pedido de urna moribunda, em vis-
la do que dispOe o regufemento interno do cemi-
terio publico.
Petnoa hontem torprehendido com a triste no-
ticia de haver fallscido em Bom Conselho o Dr.
Bento Ramos, digno representante deste distric-
to, noticia que foi hoje confirmada.
A morte do Dr. Benlo Ramos geralmente
sentida, principbante por aquelles que culti-
vavam com elle amisade. Para o partido con-
servador desta comarca e da de Bom Conselho
foi urna perda bem sensivel, a cuja causa servio
elle sempre com dedicajao.
Nossas condoleucias familia do morto e ao
partido conservador que perde um de seus dis-
tinctos membros.
Foran abortas no tempo devido e acham-se
funecionando as aulas publicas desta villa, sen-
do a do sexo masculino frequentada por mais de
40 alumnos. ... ,
Tambem acha-se funecionando regularmente
a aula particular de instruccSo primaria, regida
pela Exma. D. Maria Minervina Lobo, que por
seu inexcedivel telo tem apresentado bastante
adianlamento as suas alumnas e satisfeito a ex-
pectativa dos pais. .....
Contina a reluctancia dos habitantes em da
rem os esclrecimentros para o registro civil,
tanto que at esta data apenas se tem registrado
12nasciinentos. 13 bitos e 2 casamentes. Os
encarregados do registro se veem embaracados
porque muitos protestam em ultima analyse nao
fazer caso da multa se Ihes for imposta.
E'tal a reluctancia, que j tomarara o expe-
diente de sepultar os cadveres pelos matos para
nao darem os esclarecimentos para o registro
ltimamente cahiram algumas chuvas, o que
muito tem servido para a criacao do gado, pois
estava ameacada de se extinguir.
Essas chuvas, porm. nao inflem para a cul-
tura, e esperamos quedeemout os para as plan-
tacoes.
A ordem continua inalterada.
VARIEDADES
AMOR E BINHBRO
POE
XIX
(Contimtacao)
Quando volt.m para casa a primeira cousa que
perguntou a Sra. Marian foi : .
O Sr.-Duchanin est la em cuna .
Nao, seojjpra condessa, o Sr. Duchanin nQo
veio. ,. ...
A moca teve um sorriso, um ligeiro en ;omi-
mento de hombros, e raurmuro s para su:
Liquido as minhas derradeiras sorprezas.
XXV
At ao momento preciso, em que Paulo tinha
o dinheiro cuidadosamente fechado na carteira,
teria jurado que apenas de posse d'aquelles vin-
te e cinco mil francos, o seu primeiro cuidado
seria pgalos :
Julgava nao poder respirar seno por tal
proco.
Entretanto, na quarta-feira pelas cinco horas,
o Sr. Le Roux entregava-lhe em miio a somma.
E na quinta-feira de manha, com o dinheiro
sempre no bolso do palitot, parti para Nangis
em lugar de se dirigir para a casa da Sra. Ma-
rian.
Os Parsollier esperavam-o exactamente nesse
dia?
Nao.
Havia dous dias que tinham partido para a
fabrica e deviam l pasar toda semana.
Livre d'aquella obsecacSo de dinheiro, seguro
da II i em diante do resultado, Paulo trata va do
seu futuro, antes de liquidar o seu passado. E
nada mais.
Um novo homem levantava-se nelle.
Trez mezes tinham bastado para cavar um
abysmo entre Paulo Duchanin de outr'ora e d'a-
quelle que partia, em urna quinta-feira de Abril,
conquista do futuro.
Nada j poda encher aquelle abysmo.
Nao lia ponte suspensa no espaco que faca
voltar o homem para traz.
Com o cerebro perfeitamente livre, Paulo Du-
chanin pensava com orgulho na rica e bella
moca que o esperava, tambem disposta a amal-
o... Talvez amando-o j ; pensava elle com vai-
dade. Alm disso, nao era sua mai que o aflir-
mava ?
O pedido olDcial, que anda nao tinha sido
feito, era comtudo, to previsto que o moco nao
poda voltar atraz.
E nesse da, Paulo resolveu mostrarse com-
pletamente apaixonado.. .e mesmo de sel-o real-
mente.
Um sol claro de Abril aquecia a atmosphera.
Da trra suba o perfume das sevas; os lila-
zes, apenas entreabertos, embalsamavam o tpi-
do sopro da primavera.
Os matizej paludos das verduras nascentes
misturavam-se com os ramos floridos, e os dous
carainbavam um perto do outro, ambos sos as
alamedas do parque.
Paulo conteraplava Catharina, perturbado pela
propria esperanca e vagamente tambem por
aquella mocidade desabrochada para elle.
Agora as phrases tornavam-se mais intimas.
Estava sorprendido com aquella serenidade
que a solidao e a possibilidade de urna confisso
amorosa nao perturban).
Paulo sentia-se mais em inlimidade do que
ella.
Seria audacia ?
De certo que nao.
A seguranza da innocencia ?
Muito. Outra cousa tambem, talvez. O ideal
limitado nicamente s aspirac6es da mocidade
e prompto a desvanecerse com o primeiro so-
pro das realidades.
Mas essas realidades seriam fclizes. E o Sr.
Paulo Duchanin j nao tinha. uada do apaixaV
do romanesco qe outr'ora^^
So a [urina lhe. tinha Picado cncajRadQra. E
bello
CnfeanSa p,ensv#no grande p
apoiaudo-se ao braco d'aquelle elegante e
cavalheiro.
seu tenro coraco bata suavemente, apezar
da sua calma affectada.
NSo debalde que se tem vinte annos.
Pouco depois acharam-se m um caminho
estreito, longe dos olhares. longe do mundo.
Paulo linha calefrios.
A moca, vendo que elle demorava o passo,
levantou para elle os olhos lmpidos, e istoL sem
a menor sorpreza. .
As palavras hcavam nos labios de Paulo. Na
verdade nao ousava. Encontrava junto della
urna comraoco inesperada. 0 respeito alla-
va-se a nao sei que vaga inspiraco, at ento
desconhecida d'elle.
E" verdade, inteiramente nova, feliz e pun-
gente.
O passeio continuon.
Tmidamente tentou crear animo e agarrou
docemente, a principio muito devagarinho, na
mo da moca.
Ento ella corou sem olhar para elle.
Aquella chararaa cobrindo a pelle fina e trans-
parente, sacudi Paulo com indisivel commoco.
atharina quiz retirar a mo. mas sem con-
vicco. *
Ella agarrou-lh'a com mais forca e nao a
largou.
A partir d esse momento pareceu que aquelle
silencio se tornava mais eloquente. porque
estavam commovidos e caminhavam lentamente,
sem levantar os olhos um para o outro.
Por fira, Paulo levantou a mosinha apertada
na sua, com a precauco que se tem para com
um passarinho tremendo com fro ; beijou-a com
um movimento de graca respeitosa e ligeira,
terno tambem, com que a moca ficou mais per-
turbada.
Apezar de tudo, e do que podem dizer os scep-
ticos, ha urna hora soberana e que faz tremer de
commoco os mais graves e os mais frios.
E' a hora em que o homem diz mulher hon-
rada :
Se quizer, nao seremos mais que um, e para
sempre. .
Paulo, gue era muito mais, alto do que ella,
ioclinou-se-lhe at o ouvido.
E, baixinho, raurmuro, com o coraco verda-
deiramente comraovido e palpitante : .
Catharina, amo-a... Quer-rae por mari-
do?...
Pequea phraae sempre nova e a melhor;
eterna como a mocidade, como o amor e como
a vida sem cessar renovada.
Catharina t;omprehendeu-a.
E vermelha, e levantando os olhos hmidos
para o bello apaixonado, cujo rosto comovido
se aproximava do ;eu, cujos labios brancos
tremiam Catharina respondeu smplesmente a
um tempo alegre e tmida :
Quero...
Os labios de Paulo pousaram com respeito nos
finos cabellos perfumados.
Depois, felizes, mas sempre mudos e com
as mos entrelacadas, continuaran o passeio,
seguindo pelas veredas desertas.
Na salazinha do primeiro dia, a Sra Parsollier
arrumava os jogos de cartas e o Sr. Parsonr
foi (ava jornaes... que nao lia.
Paulo e Catharina entraram com riso nos la-
bios e sempre de mos dadas.
Ura tanto sorprendidos na apparencia, os pais
pareciara pedir urna explicaco.
Piulo oncontrou a coragem necessaria. Con-
chegou de encentro ao coraco a boa e placida
Sr. de Parsollier, dizendo-lhe :
Amo Catharina. Quer que a chame mam ?
Os olbos da boa senhora encherim-se de la-
grimas de ternura.
Aquillo agrudou a Paulo Parsollier.
Ento um pedido de casamento ?
Paulo, contente, voltou-s:
Urna vez que a amo... de todo o cora-
co! E urna vez que ella quer! .
Vamos l, toca aqui meu genro.
bem t Foi assim que eu pedi a mo della,
outro tempo.
XXVI
Quarta-feira de tarde, Paulo apresenteu-se em
casa de Thereza.
O que tana elle para licar s ?
Anda
em
Que comedia seria constrangido a represen-
tar ?
Preoccupada com a sua propria dignidade, com
o cuidado em acabar com aquelle passado, o
menos mal que fosse possivel, a Sra. de Marian
nao esduecia nenhuma precaugo para que o
reembolsse fizessede urna maneira natural.
A cousa foi muito simples.
A Sra. condessa devia voltar d'alli a meia
hora.
Fizeram esperar Paulo no gabinete.
(Coniina,J
Eehos fluminenses
ALTOS E BAIXOS
Dizem que o habito nao faz o monge.
Esto annexim velho como o... diabo.
O diabo geralmente a unidade que te-
mos mais mao quando fazemos compa-
racoes.
E tem a vantagem de se prestar a tudo
com a elasticidade da borracha ou da eon-
sciencia de certos polticos, que anda
mais elstica.
Diz-se quente como o diabo, fri como
o diabo, feio como o diabo ; e at bello
como o diabo ; o que prova que elle nao
4ao feio como o pintam.
Houve um periodo, entretanto, na nos-
sa vida social em que o habito fazia o
monge, ficando desmentida assim a sabe-
doria popular.
Esse perodo foi aquelle em que a fre-
ojuencia do botequim e o uso do chapeo
baixo constituiam urna nota infamante na
folha corrida do individuo.
Fulano anda pelos botequins a tomar
grogs e capils, cochichava-se as conver-
sas.
Deveras ? Entao est perdido.
E sabes como encontre-o hontem ?
Nao.
De chapeo baixo-
Nao me diga isto !
- E' a pura verdade.
Filho de um homem t3o respeitavel,
de urna familia tao boa... Parece incri-
vel!
O chapeo baixo desmoralisava o sujeito
anda mais que urna descompostura hoje
pela imprensa.
A descompostura pelas folhas publicas
vai perdendo dia por dia a sua virtude de
vergalho.
O que a soffre, embora tratante, pode
equiparar-s ao homem honesto, que a
chucha innocentemente.
Com o chifteo baixo j nao aconteca O
mesmo.
ciar ? A autonoma do homem serio eclipsava--
se pelo simples facto de pOl-o cabeca.
Elle podia professar todas as virtudes
requeridas para a canon isa cao, apresentar
abaixo assignados de visinhos quanto ao
seu comportamento intimo, exhibir justifi-
cac5es julgadas por sentena a respeito do
seu carcter cvico, ser em summa um S.
Francisco de Assis, tudo isto desappare-
ca diante do chapeo baixo.
Era um preconceito como o do charuto,
alguns annos atraz, do qual tambem diziam
cobras e lagartos.
O periodo da condemnacSo do charuto
foi ainda mais terrivel que o do chapeo
baixo.
Quando se quera demonstrar que o in-
dividuo tiuha chegado ao ultimo estado de
degradacSo diza-se:
Emfm j fuma !
Era o bouquet da descompostura ; a pe-
ca final do fogo de planta do desaforo que
se queimava em honra da bhontrayem do
tempo.
O chapeo baixo aviltado, vilipendiado,
passou depois a ter a sua phase de tole-
rancia.
Nesta phase s podia trazel-o os que re-
presentam dinheiro ou posicSo.
Esta tolerancia de vicios ou de actos
que nao sao l muito correctos, attenden-
do-sa idade ou ao prestigio social do in-
dividu, levar-nos-hia a um estudo inte-
ressante se delle podessemos nos oceupar
agora.
Quantas vezes o leitor nao ha de ter /
ouvidos.
Fulano pode fumar, commetter esta
ou aquella inconveniencia, porque um
homem j formado, de certa posicSo...
O vicio ou o acto que offende a prati-
ca das boas normas sociaes attenuado
e s vezes at excusado, segundo a im^
portancia do delinquente !
Que bella theoria de direito penal!
Os que derem, pois, os primeiros ex-
emplos do use do chapeo baixo#%
uns coinmendadores apatacados e uns,
selheiros cheios de prestigio e de
ridade.
Eram uns chapeos de Manilha oo do
Chile, que custavam dezenas de mil res,
e que os donos punham cabeca com oT-
gulho, como que dizendo aos circumstan-
tes: .*
Vejaiu l que isto nao qua|paer
cousa.
O chapeo serio, que da va certo ar de
respeitabilidade ao snjeito que o traaia,
era cylindrico.
Cobertos com aquelles canu^
abas mais ou menos largas, s exigencias da moda, os nossos
gavam-se a coberto de doestos
mas. I
E entre os cliapos cjlind
eram geralmente pretos, sobresahis
os mais luxuosos, por serum mais caros,
os brancos de pello alto.
Estes ltimos, em dias de vento, asse-
melhavam se a galiinhas arripiadas.
Alguns nao era n positivamente braacoa,
mas um pouco psxdacentos, ou tendo om
I tom semelhante ao da manteiga freaca.
com





2
Diario de PemnbucoSexta*feira 22 de Fevereiro de

m
su-
ate
O chapeo baixu fui. pouco a paasa
faindo pel diversas carnadas sacavje
que invadio-a* completamente.
V6-se lioje umanjaita de chapeo, baixo..
N5o urna eoaaa ta, um qudam.
como outr'ora, raaeam senador, umcon-
selheiro, um depatado, um ex-ministro..
Pde-se diaser at que d-se presente-
tente a antithese d% que -isaareia im
outros tempos.
O chapeo baisco subi.
E o alto desee e tead* oada ve a dea-
cer mais sob o aucula:aome de-aarfiaa,
de jaca e de casado !
- Frjm^a ahJcioB.
ASSOC'IACOES
Hlppodromo do Campo <-rande
icax-Da-asaaio .&xtjuoboinaria HA. AS-
SEMBLA GERAL EM 4 DE FEVKKEIRO
DE 1889. t i
Prndenos do Mlm. Sr.. Dr. Jos Antonio de Al-
meida tunhd.
. A's V horas da tarde, presentes 78 Srs. accio-
aistas representando 246 acedes, foi .aberta a
sesso extraordinaria,da assembla geral pelo
Sr. presidente, que convidou para servir de se-
cretario ao Sr. Julio Al vea de Araujo.
Lida a acta da sesso de 6 de Dezembro ulti-
mo foi approvada sem debate.
O Sr. r. Joo de S, pedindo a palavra, (leu
explicagessobre o modo porque tem procedido
a directoria, coiiclumdo por declarar que resol-
vera definitivamente, por motivos particulares a
retirarse da mesma.
O Sr. Augusto tioncalves da Silva pedio que
Bie mandassem, para examinar, urna proposta
leite.pBlo Sr. Manoel Gomes Manbonca para dar
battes de mascaras no carnaval deste anno,-no
Hifpodromo.-Foi satisfeito. .
Os Srs. directores Dr. Ferreira tecohiaa e
Paula Lopes declararam que erara solidarios com
o Sr. Dr. Joo de S no modo de administrar a
eovepnihia. O primeiro accreecentou que decla-
rao a seus companheiros o Sr. Dr. Joao de ba
u*,s retirava da direccao, e sudo o mesmo
r Dr. Joo de S bem como o i>r Dr gerente
da Gompanliia de Trilhos Urbanos do Recie a
Ofmda e Beberibe os dous mais esforzados ca-
vahewos que haviara concorndo para que rosst
leada a realisaco a fundayao do Hippodromo,
o facto de retirar-se o raesrao Dr., levoH-os a
convocar a presente reunio, alitn de ser ouvito
o podereompetente. .
4) Sr. Dr. Jos Diniz Brrelo propoz, a vista
da^exposiooes feitas pelos tres directores pre-
sentes, que continuassem na directora os srs.
Dr. Ferreira Jacobina e Paula Lopes, sendo de -
pois preenchida a vaga, que ia abnr-se, nos ter- ,
mas.da lei das sociedades anonymas.
O Sr, Dr. Pereira Simes disse que nao havia
motivo para nao continuar na direccao o sr. Dr.
Joo de S e assim concluio propondo que ene
traben) eontinuasse como director.
O Sr. presidente antes de consultar a .assera
alea fel-o ao Sr. Dr. Joo de S, e este positiva-
mente declarou de novo que por motivos pa-ti-
culares nao podia continuar na direccao.
Depois de orarem os Srs. Jos Diniz Kodoi-
pho de Albuquerque e Pereira SimOes, o pri-
meiro insistindo na sua reposta, o segundo
opinando para que fosse eleite nova d rectora,
e o terceiro asseverando que a Companhia de
Trilhos Urbanos do Reiife a Olinda e Bebenbe,
de,eme era gerente, continuava disposta a au
xiliar, como sempre lizera, o Hippodromo do
Campo Grande; o Sr. presidente submelteu a
voteco a proposta do Sr. Dr. Jos Diniz, senda
ipprovada .___
Mead* algons Srs. accionistas que. mme-
diatamente se procedesse eleico do lugar va-
g.i dedreclor, nao foram atlcndidos pelo br.
presidente, vista do disposto no art. Vb do de-
crete O. 8.821 de 30 de Dezembro de 1882, que
d regulamento para execuco da le n. .l.loO
de.4.4* Noaembro de 1882, sendo antes lido
pelo mesmo Sr. presidente o referido artigo.
Nada mais havendo a tratar foi levantada a
sesso s 7 horas da noite.
B eu, Julio Al ves de Araujo. secretario inte-
rino, tft a presen'- acta, que de conformidade
,eonrtJei cada pclatoprensa. ___
Secretoria do Hippodremo do Campo brande
i de-Fovereiro de 1*8.Jato Alves de Araujo
Aberta z sessae, sao lidaa e-approvadas as ac-
tas das anteriores, de 15 e 22 de Novembro do
anno-prximo -passado
Logo a os o Sr. prndente relata os trablbos
do conseibo deliberativa, que -nao- foram anda
trazidos ao conhecimenlo d assembla, indican- matada', do
do desde logo que o rneamo conselho funecio-
nara em sessoes econmicas nos .das 22 e 29
de- Novembro do anno lindo, 17, 2i e 31 de Ja-
neiro ultimo e 7 de Fevereiro corrente.
Em seguida desee o mesaiu Sr. presidente a
asaltar c* trataste oaevsm das sessoes de-
caaaulojaae na-triiiini fra-aceita a elimina-
caa^ediaa do sacio Vicente da Silva Miranda;
qoRopprawarara-M os lanceres da commiaaio
do ayodicaocia a didM'hiaoa'da Costa Mello, Jos Lui de Souza
e J9 Maraaiino Alves da Ponseca, proclamados socios un resultado da respectiva
votajao; ^ue foram iiaarovados o* pareceres
daferv ds wmgai.ij-eeerea ficial c"ontiJ#og seuii" Anteoi(f Mathcns de Soe-
za e Joo Carneiro da Silva Cordoville, demitti-
do8 de guarda da Cai de Dentenco, sendo ar-
chivados os proceasos, visto verificar-se nao te-
rem dado causa para suas exoneracOes; e que
vindo mesa, fra mandado a commisso de-fl-
naucas .para
daLnaraa-r oJiaiaucete Oo.tbe- aiM-Jeva.lugarviftto^afS8e.4a^v#,di-
' rectora, oceupando a tribuna em primeiro lugar
io presidente da soeiedade, Sr. Tite-Pranco de
Jnendonca, que raostrou a conveniencia das so-
ciedades litterarias, animou os consocios a pro-
seguirn na carreira brilliante que comecaram,
terminando pelo agradecimento de sua reeleicao
para o cargo de presidente,
Seguiram-se com a palavra os Srs. Gaspar
Guimares, Joao Paulo, Ananias Celestino e di-
versos consocios, sendo todos muito applaudidos.
C'liil l-iiii-rario Dieguew Jnior
Tevc lugar no dia 21 do corrente oeste club,
cuja sede no Instituto 10 de .ibr, a sesso fwra
a eleico da nova directoria a funceiauar oo tri-
mestre prximo.
Presidio a sesso o alumno Tneodonj Jos da
Silva Braga.
O resallado da eleico foi o seguiste :
Presidente-Jos Francisco Martins Sobrinho.
Vice-presideute Augusto Victor Martins.
1. secretario^-Jos dos A. Cesar Burlama-
sourefro, correspon i-iite ao semestre de Abril
.a Junho de 1888. e fechado com o saldo de 219
e 240 por ter cido a receita com o Ido anterior
de 1:6:1.7*240 e a despea de 1:118*000.
Que na egunda, depois do expediente, fra
inteirado o conselho de ter sido entregue ao so-
cio Antonio Matheus de Souza de ama s vez
a quantia de 100*000 era auxilio social, como
resolver a assembla geral em sesso extraor-
dinaria.
Que na terceira, por convites da commisso
Peraambucana para representacao da provincia
naexposico de i8S'J e da directoria da Asbo-
ciaco dos Empregados no Couimercio de Per-
nambuco, fra nomeada commisso especial pa-
ra ass'istir a festa do 3' anniversario desta, dei-
Kando de proceder-se por igual forma, quanto
ao gracioso convite da ommisso Pernarabuca-
na por ter este sido recado no dia eosterior
solemnidade; e que approvara-se para ser pre-
sente assembla geral, o parecer da commisso
de nangas a respeilo do balancete da receita e
despeaa no trimestre de Abril a Junho do anno
prximo passado.
, Que na quarta, depois do expediente, leu-se e
foi a commisso de iinancas, para dar .parecer,
o balancete do thesoureiro relativo ao trimestre
de Julho a Setembro da 1888, cujas operacOes
demonstravam o saldo de 134740, por ter sido
a receita de J.363440, inclusive o saldo ante-
anterior nella incorporado e a despeza de
1:349*700
Que na quinta, lido o parecer da commisso
de linancas sobre o mencionado balancete, foi
approva-io para ter o competente seguimento na
discusso e deliberacao desta assembla.
Que na sexta, finalmente os trablbos limita-
ram-se materias de simples expediente.
Terminado o relatorio, entron-se na ordem do
dia
. Lido o parecer da commisso de flnancas sobre
o balancete de Abril a Junho de 1888, foi posto
em discusso sendo apnrovado alinal sem de-
b de.
Lido outro parecer da mesma commisso sobre
o balancete de Julho a Setembro do corrente
anno. foi igualmente apiirovado.
E nada mais havendo a tratar-se, o Sr. presi-
dente levanta a sesso
Ferimcntow Muriaet-No dia 17 deste
mez, em trras do engenho Santa Anna, de Pal-
mares, Jos Cordeiro Alves da Silva ferio ao mo-
rador dalli, Jos Antonio, dando-lhe nove faca-
das.
Sao mortaes os ferimentos, conforme foi veri-
ficado pela respectiva autoridade policial.
i.adru de rente, no lugar Cha de Capoeiras, de Pao d'Alho,
foi preso em flagrante Severino Barbosa de Al-
buquerque por crime de furto de cavullos.
Procedeu-se nos termos da lei relativamente a
este facto.
CapturaA delegada de Palmares acaba de
communicar que a 16 deste mez, pelas 8 Ij2 ho-
ras da noite, foi capturado o celebre criminoso,
all coi i lie ln pelo uoiue de Munoel Lopes. De-
clarou o hornera estar pronunciado em Papacaca
sob o nome de Manooi Francisco e em Pesqeeira
pelo a p pe I ido de Manoel Hermenegildo.
Triliuiiitl do Wui-y do ReciteFunc-
cioaeu hontera este rrt>tnal cora a presenca de
36 juizes de faci.
A's 11 hotes ida manila, princwiou a sesso
REVISTA DIARIA
loto* da rrefc.aeooiaPor actos de 12
do correte mez :
Foram concedidos dous raezes de ticenca ao
lapilo do coreo de polica. Antonio de Barros
Foi norneado Mam>el Joaaura Ramos e Sil-
rd para ex -rcer interinamente o lugar de es-
iTiatnrario da reparhcao a cargo do inspector
esp*cialde de trras e colonisaca*.
Poi nomeado adjunto do promotor publico
da comarca de Tacarat, o cidalao Jeronymo Pi-
res de Carvalho Beifort.
Failccimono A's 10 horas da noite de
ante-honlem. na Torre, para onde tinha sido le-
vada oom o fim de obter mejoras nos seus sof-
trimertos pulmonares^ falleceu D. Catharina
Pessoa de Figueira Faria, digna e virtuosa con-
sorte do eo-proprietario deste Diario, o Sr. Ma-
nanto de Figueira Faria.
Era a finada natural desta provincia e lilha do
nado capito Francisco das Chagas Cavalcante
Pessoa e sua esposa D. Caiarina Olindina Pes-
sea obre. Tinha 33 annos de idade.
Boa e dedicada companheira, mi exemplar,
pie era a alegra 'do eu lar e a providencia de
Ms tliinhos, D. Catharina Figueira um es-
pirito jovial juntava um ccracao amoravel como
bem poucos se encontra na vida.
Repouse em paz sua nobre alma no seio de
Heus, e aceite o nosso amigo e scu inconsolavel
espojo o fraternal abraco com que nos associa-
iios suadr.
Crrrrtr wcolarl Segundo fra annun-
.aado, reas do Theatvo unta Isabel, o concert vocal e ins-
trumental em beneficio do festejado artista lyri-
co baixo prrfundo, Sr. Giovanm Scolari.
Foi resallar a o ocurrencia e oprogramma pu-
lica4f'-*fcse'-ul:ido ''"'Iraeiite.
O Sr. S olari rau'ou com a sua costumada
coffi'ccao railan-l) haslanle c sendo enthu-
aslaimciii' applaudido. Apezar de decom-
dos dot*niios, a sua imponente voz pouco tem
erddo em frescura e extenso.
i )s amadores, que tomaram parle r,o concert,
Mliiram se muito bem. Dvntre estes nao pode-
no* deixar de destacar os nomes da Exma.
Va D Mara Siaueira, que executou magistral-
nente'no pi mo La Fdeuse, de Raff do Sr. aca-
dmico Paulino de Melto, que muito ha progre-
aido norio ino, e das Ex.nas. sras/DD. Lmza
ledeiro* Julia Pinbeiro, que cantaram.
OHia booi j festa.
Hartodnd<> meerealwa Conmerdal
_F lade realisa em sua sede o soirce
trimestral. Jonungo 24 do corrente e nao sab-
fcado. confoi-mc di.-iama*.
Inmtala lo urdo nado* For
Bterio ilo Imperio dirigido presi-
jafincia e para conhecimento de
mU (k>nceicao Lucas foi declarado
.-urdo-mudo Jos Lourenco
ni de ser retirado do Instilu-
18 annos de idade.
^^Ege regularmente por es-
.1 de encadernador e tem
i Caixa Econmica.
i**o< i<<-do dea Vaaecloaarlo*rro-
*iuri;i<-*> de raaariiMco No dia lo do
.ca do ir. Dr. Wiiru'.io
-.-iljla
-fii ni c priuiei-
sob a presidencia do Dr. Antonio Domingos Pin1
to. juiz de direito do 3o districto criminal, oc-
eupando a cadeira da arcusac/io o Or. Joio Joa-
3uim de Freitas- Henriques, 1 promotor publico
a comarca.
Foi submettido a ul lamento o reo Jos Nico-
lao de Gouveia, pronunciado por despacho do
Dr. juiz de direito do ? districto no art. 205 do
cdigo criminal e aecusdo de haver no dia 29
d Dezembro de 1887, as 9 horas da manha e
no lugar Gamelleira, ferido gravemente a Jesui-
lio Alves de Almeida.
O jury de sentenca compoz-se dos seguintes
juizes de facto : ,
Baro da Soledade.
Joao Climaco dos Santos Bernardes.
Dr. Manoel Francisco de Barros Rege.
Jos Francisco de Pan a Ramos.
Manoel Gomes da Silva.
Joao Ferreira Tavares.
Joaquim Francisco de Medeiros.
Ion Fernandes de Mello.
Capito Jos Roma de Abreu e Lima.
Dr. Adelino Antonio de Luna Freir Jnior.
Joo Ferreira Loureiro.
Thomaz de Aquino Medeiros.
Interrogado o reo resnondeu que era natural
desta nrovin a. de 48 finos de idade, casado,
pescador e analphabeto :
Que sabia o motivo porque .era aecusado. co-
nhecia as testemanhas que juraram no processo,
nada tendo a dizer contra ellas e nao attnbuia a
aecusacoa motiva particular :
Que fra aggredido por Jesuino Alves de Al-
meida o qual armado com um compasso fez-lhe
um feriroento, defendendo-se elle respndeme
com urna pequea faca que tinha na occasio.
Concluido o interrogatorio fez o capito Flo-
rencio Rodrigues de Sfiranda Franco, escrivo
privativo do jury, a leitura dv processo e em
sejruida o Dr. promotor prodnzio* a aecusaco
pe.lindo a condemnaco do acensado as penas
do grao medio do art. 206 do cdigo criminal.
0 palrono do reo. Dr. Antonio Jos da Costa
Ribeiro. allegou em favor do seu constituinte a
justificativa do art. 14 | 2 do cdigo criminal,
ter elle praticado o delicio em defeza de sua pes-
soa com pleno conhecimento do mal que procu-
rou evitar e falta absoluta de outro meie menos
prejudicial, nao tendo hs.vido de sua parte pro-
vocago.
Km vista das decises do jary que, por una-
nimidade de votos, recmheceu em favor do ae-
cusado a justificativa articulada pelo defensor
al. ni das attenuantes dos |S 2, 6o e 8 do art. 18
negou a aravidade dos ferimentos, foi o mes
mo aecusado absolvido e iondemnada a cmara
municipal as custas do pro esso.
Em aogaJda foi julgi.no o reo Joaqmm Jos
de Souza Beltro. pronunciado, no art. 204 do
cdigo criminal por desjiacho do Dr. jui de di-
reito do 3o di~tri-to, oceupando a cadeira da de-
feza o Dr. Jeronymo Materno Pereira de Car-
va Iho. *
Funccionou o mesmo conselho de sentenca.
interrogado o reo di?sn que era natural desta
provincia, de 40 annos de idade, casado e anal-
phabeto ;
Que estova no mercado vendendo pcixe quan-
do Jo* l osto insultou o dizendo-lhe que elle
respondente nao era hornera para bngar comsigo
c conviilando-o a que sahisse, e sabindo elle res-
pondente. travaram lula da qual resultou o feri-
nieoto, nao se lembr.tr do elle respondente se
nessa occasio eslava rmado ;
Que nada tinha a oppor contra as testemunhas
do processo e nao attnbuia a aecusacao a motivo
particufar.
Concluido o interrogatorio fez o esenvio alei-
tarado processo. ,,..,, i
Consta dos autos que no da 2 de Julho do
anuo passado na ra Nova de Santa Rita o reo
ferio a Joao Alves da Coito, contiendo por Joao
Simples.
O Dr. promotor pedio a condemnaco do aecu-
sado no grao mximo Jo art. 204 do t.od. i run.,
visto ter sido o ciimc praiicado a noite.
Materno de C.rvalho deduzindo a defe-
isse qoe o ferimecto nao produzio deformi-
dade e me o seu -onstituinte praticou o enme
Nao hove repli
0 jury reconheceu a aitoria com a circumfitoii-
eia atteiuante do 8 ** hJ art- *8 neg ter e
/erimento produzido deformidade e a agrawn-s
te da noite.
Em vista destas decises foi o reo conatos
do a 1 mes de prisfto e multa corresponda*
tempo, grao minino do ar(
Cod, Crim, ; M
Foi levantada a sesso as 4 horas da tarde e
adiada para hoje as 10 horas.
Pri*ao -Hontem pelas 10 horas da manha
o guauU cvico o6d, estoado.de- poate na ora*
ca do flaameesia. ^ fraaama.do Aemt'e, pro-
curaudafreaiero ndiano-MfrcuaBo Jos* do
Espiritewuato, por estar amado deaiBwcetc,
insultando a um emproaado daxoniwereio,.que
Ihe dera mi de prieo, a ordem do nwpeotivo
subdelegado, nao o coaatui-por ter opposlo
tenaz resistencia erculaao, quacsia o ccete o
ferira logo na caoeca.
Gimpareoando o sutwalegado, e taaundo co-
uhncimaMBtdo Jacto, iez infectiva a priao de
Hereulano,-^azendo aTrar o competente auto de
flagrancia, tendo sido declarados leves, pelo Dr.
Jos Joaquim de Souaa, que vistoriou o Tendi-
do, os ferimentos por este racebidos.
Foi n-oalhido a asa de Detenco o criminoso.
Mot-tedade l.iin-rariu Gonealve*
qui-
2. secretarioTheobaldo Alves da Silva.
AdjuntoJos Affonso Ferreira.
OradorFrancisco Pires Ferreira
Vice-orador Ismael Marques da Silva.
ThesoureiroGraciliano Martins Ftiho.
BibliothecarioVital M. da Silva Mello.
Commissoes : .,,.. ,
De legislaco Ismael Silva (relator), Vital
Mello, Maximiano olelho, Augusto Martins e
Jos Ferreira. ....
De reviso de theses-Jos Martins, Jos Bur-
lamaqui e Francisco Pires.
, De contasTheodoro Braga, Theobaldo Suva
e Virginio Braga.
De avaliacoGraciliano Martins hilho, Jos
Ferreira e Vital Mello.
Foi designado quinta-feira prxima (28) para
a posse da nova directoria.
waro carnavaleocoNa noite de 2 de
Marco prximo a soeiedade recreativa .Jucentu-
de da um sarao carnavalesco nos seus salOes.
De\esei u.ua bonita festa como costumam
sel-o as desta soeiedade.
Agradecemos o convite com que fomos obse-
quiados.
aaaartoa militarEstoo designados para
superior do dia boje o Sr. capito Francisco Jos
da Silva e para ronda menor o Sr. alfores Joo
Pi deFonseca.
A guarnicjio da cidado dada hoje pelo
2 balallio de infantera.
As guardas da Thesouraria e Palacio sao
commandadas hoje por dous Sis. officiaes do 2.
batalbo.
Existem na enfermara 33 pracas dos cor-
nos da guarnico.
Verilicaram praca hontem 11 paisanos, que
foram incluidos nos cornos da guarnico.
No-requerimento ao soldado addido a com-
panhia de cavallaria Alfredo Jos da Silva Pires,
em que pede licenca para usar dos distinctivos
de cadete de 2." classe deu S. Exc. o seguinte
despacho:
Aprsente documentos com que prove o alle-
gado.
A junta militar de saude que inspeccionou
o 2." sargento Mariaono Jos da JSonceico, for-
riel Mmoel Alexandrino/le Meirsf Calote, sol-
dados Idalino Nunes Pewira, Innacencio Fran-
cisco Xavier, Joaquim Antonio'* Santos, cor
neteiro Jos Joaquim de Souza e soldado Manoel
Joaquim de cant1 Anna, todos ptrtencentes ao2.
e 14T batalhOes de infantera, foi de parecer
acbarem-se elles solTrendo de molestias ncura-
veis e porisso incapazes do servicodo exercito.
o 2." e 14." batolbes de infantoria,compa-
panhia de cavallaria reinettam ao quartel ge-
neral as guias das pracas que se destinara ao
sul do imperio, no primeiro paquete esperado
dos portos do norte.
S. Exc. o Sr. general commandante das ar-
mas, concedeu 10 dias de dispensa do servigo
ao. Sr. 2." cirurgio do corpode saude doexercito
r.. Jos* Antonio Ribeiro de Araujo.
Foram entregues ao 14.* batalbo de in-
fantera rubricados por S. Exc. os ttulos de
alistamento pertencentes aos individuos Joo
Caetano de Maraes, Manoel Rufino Nunes, Per-
gentino Luciano da Hora, Jos Caetano de Lima,
Justino Jos dos Santos, Pedro Pereira dos San-
tos Manoel Fabio da Silva e Joo Rodrigues de
Souza.
. Directora daa obran do eoaaeri'a-
codon Portn de reraambucoReci-
fe, 20 de Fevereiro de 1889.
Boletim meteorolgico

3=-o
Horas si
!- -
- :i.
L.
t-
6 ,ii. 25--7
9 2-3
12 30-8
3 t. 29-6
6 28-4
Barmetro a
0
759-62
760-86
760-39
759-23
759-20
Tenso;
do vapor
21,10
21,79
21,02
21,43
a, M
-o
-
a
Reaalao orllllHaver domingo a se-
guinte :
Do Monte-Pio Typographico Pernambucano. s
10 horas da manha, na sede social ra do Co-
aaet Suassuna n. 41, 2' andar, em assembla
geral.
aiaa da DetencoMovimento tos pre-
sos da Casa de Detenco do dia 20 de Fevereiro
de-t889.
Existiam 430; entraram o; sahiram 2 : exis-
tem 433.
. A saber : .
Nacionaes 400; mullica* 11 ;-adranaaa>s 22.
^-Total 433.
arracoados 380.
Boas 357.
Doentes 20.
laucos 3.-Total 38">.
Movimento aent'daaaria
TiveraBrbaixa :
Jos Manando do Naseitaatto.
Joa Joaquim de Santa Anna.
Antonio de Souza Oliveira,
Teve alto :
Jos Francisco da Silva. y
opltal Pedro II O movimento deste
estabelecimento de daridade, no dia 20 de Fe-
vereiro, foi o ieaainte;
Entraram 15
Sahiram 11
Falleceram 3
Existem 572
Foram visitadas as respectivas (enfermaras
pelos Drs.:
Moscoso s 8112, Cysueiro c 10, Barros Sobri-
nho s 7, Malaquias.as9, Poatual s 9 horas.
Nao compareceram os Drs.:
Simes Bar be.-a.
Berardo,
Estevo Cav.iicante.
O cirurgio dentista Numa Pompilio s 8 1)4
lioras.
0 paarmaceutico entrou s 81|4 da manha c
sahio s 4 da tarde.
O ajudante do pharmaceutico entrou s 7
da manila e sahio as 4 horas da tarde.
Lotera do rao Para -Eis os premios
da 3." serie da 26." lotera do?Gro-Par, ex-
trahida em 21 de Fevereiro de 1889 :
1359 60:0001000
7166 6:0OM000
l 3:000*000
3:12 1:200*000
3766 1:2005000
APPROX1M\$OES
1358 .600*000
1300 eo^uooo
7165 300*000
7167 300*000
* 2530 180*000
2532 180*000
Esto premiados com 600*000 os seguintes
aumeros :
1253 3388 4022 4605
Esto premiados com 300*000 os seguintes
nmeros :
631 1173 8754 5643 7927
Esto premiados com 1204000 os seyuintes
nmeros :
1351 1352 1353 135i 1355 1356
1357 1358 1360
j Esto premiados com 60*000 os seguintes
nmeros:
7161 7162 7163 7164 7165 71,67
7168 7169 7170
Esto premiados eom 304000 os seguintes
nmeros:
.2532 2533 '2534 2335 2336 2337
2538 2539 4340
Todos os nmeros terminados em 39 esto pre-
miados com 60*000, excepto o da sorte grande.
Todos os nmeros terminados em 66 esto pre-
miados com 0*0)0, excepto o da sorte imme
date
Todos Os nmeros terrainadosein 31 esto pre-
miados com 30*000.
Todos os nmeros terminados era 9 esto
premiados com 30*000. excepto os terminados
em59.
Todos os nmeros terminados em 6 esto
premiados com 3-*000, exaepto os terminados
em66.
- seguinte lotera corre no dia 27 de Fevereiro
com o plano de 60:080*000.
Lotera do Iraai-Para A 3 parte da
26" lotera, deesa provinqa, cojo premio grande
6:000000, ser extrahida, quarta-feira, 27 de
Fevereiro.
.Cemiterto PuMco- Obituario do dia 20
de Fevereiro dd 1889.
Francisco Pereira de Miranda; Portugal, 30
annos, casado, Santo Antonio; congesto ce-
rebral.
Claudica Maria do Espirito Santo, frica, 60
annos, soReira, Boa-Yisto; tubrculos pulmo-
nares.
Marimba. Parahyba, 23 annos, solteira, Boa-
Vista ; anemia palustre.
Francisco Telles dos Aojos, Pernamhuco, 32
anuos, solteiro, Boa-Vista ; ascite.
Maria de Jess Silva Slotta, Pernambuco, 65
annos, solteira.-Recife ; gastro enterite.
Maria, Pernambuco, 5 aanos, Recife: bron-
cbile.
Um feto, Pernambuco, Boa Visto; asphyxia
ao nascer.
Francisco Miranda da Silva, Rio Grande do
Norte, 22 annos, solteiro, Boa-Viste; hemor-
rhagia pulmonar.
Joanna, frica, 80 annos, solteira, Graca; ca-
chexia senil.
Rufina? Maria da Conceico, Pernambuco, 80
annos, solteira, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
Felippe antiago Pereira, Pernambuco, 60 an-
nos, viuvo, Boa-Viste; esmagamento.
Rufina Maria da Conceico, Pernamboco, 29
annos, solteira Boa.Vista ; ttano.
Um feto, Pernambuco, 1 Santo Antonio; asphy-
xia ao nascer.
Damiao, Pernambuco 3 mezes, S. Jos; gas-
tro hepatite.
Mana Senhorinha, Pernambuco, 55 annos,
viuva Boa-Visto; fefire remittente.
86
71
64
71
75
Temperatura mxima31 ,00.
Dita .mnima 5u,00.
Evaporaco em 24 horas ao sol: 6-,8; som-
bra : 3-,0.
Chuvanulla.
Direccao do vento: ESE de moa noite s iO
horas e 10 minutos da manh; SE, ESE e E al-
ternados at 3 horas e 55 minutos da tarde; Eat
10 horas e 20 minutos-; ENE ar meia noite.
Calmara durante 7 horas pela maoh.
Velocidade media do vento: 1"32 por se-
gundo.
Nebulosidade media: 0,49
Boletim do porto
fT4 a a Da -Horas Altura
P. M. B M P M. B\ M. 20 de Fever. m a > 21 de Fever. 731 da manh 1 43 da tarde 758 2-5 da manh 2-.40 0-.55 2-,15 0-,62
M>lieEffectuar-se-ho os seguintes :
Hoje:
Pelo agente Gusmo, s H horas, ra Mr-
quez de Olinda n. 48, de champagne, ceblas, be-
zerros, urna vacca tourina e outros artigos.
l*elo agente Silveira, s 11 horas, ra do So-
cego n. 27, de predios.
Amanhi;
Pelo agente Pestaa, s 11 horas, ra do
Imperador n. 49, de um sobrado de dous an-
dares.
Pelo agente Stepple, s 11 horas, ra do
Imperador n. 39, de predios e terrenos
MlMMtN fnebreSero celebradas:
Hoje:
A's 8 oras, na matriz da Boa-Vista, pela al-
ma de D. Joanna Guimares de Menezes Furia-
do ; s 8 1/2 horas, na igreja do Terco, pela al-
ma de Luiz Antonio da Silveira Tavora Filho.
Araanh:
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, pela alma
de D. Isabel Candida de Moraes Sarment ; s
7 horas, na mesma matriz, pela alma de Joa-
quim l essoa ; s 7 horas, na igrejjp da Santa
Cruz, pela alma de Manoel Machado ; s 7 1|2,
na maliiz da Graca,.pela alma de D. Mara Soa-
res Perara Bantoa ; as 8 horas, na capellado
Asylo de Mendicidade, pela alma de Paulino da
Suva.
Um pouco de tudo
L-se no Paiz, da corte, de 2 de Fevereiro:
1 Acto de verdadeira imprudencia, seno ori-
ginado de requintada ignorancia, oceasiouou
ante-hontem noite a morte de dous horneas,
que se apavoraram com a trovoada que cabio
sobre esta cidade, ao anoitecer d'aquelle dia.
' Joaquim Luiz da Costa, Joo Botelbo Galvo
e Jos (Martins, emprogados na olaria de Joo
Jos Marques, na ra Iracema, em Catumby, cha-
cara de Fonseca Guimares, suppondo fugir aos
perigos das descargas elctricas, deitaram-se
juntos, sobre o tectodo foroo do estabelecimento,
a despeno mesmo do calor que desprendiam os
lijlos, pois que semelhaute apparelho tinha tra-
baihado tarde.
All adormeeeram, telvez mais aturdidos
pela l'umaca que saina dentra os intersticios do
mesmo Corno, do que vencidospelo cansaco
" Vendo os dirigirem-se para aquellc local,
censurou-os o patrio; o njedo, porm falou mais
alto do que o experiente conselho.
< Entretanto, hontem pela manh, indo des-
pertal-os, apenas Jos Martins foi encontrado
com vida peo seu patro e entre os cornos dos
seus dous companheiros, que tinb^m morrido
asphyxiados.
O salvo milagrosam.'ute infortnou ler sen-
tido durante a noite a invaso da furaaca as
narinas, mas que elle procurara ora desviar o
rosto, ora protgelo com a manga da camisa.
Semelhaute desastre foi communieado ao
Sr. Dr. Bousquet, 2." delegado, que interrogou o
dono da olaria e o etnpregado salvo.
Os Srs. Drs. Thomaz Coelbo e Amancio de
Carvalho veriflearam que a morte dos dous in-
felizes foi devida a asphyxia.

Na matriz de Iraj, magnifico templo, edificado
no campo, esquerda da estrada da Pavana,
celebrou se a grande Jato de Nossa Senhora da
Apresentaco, padroenada freguezia de Iraj.
K' das matrizes dos suburbios a que est em
melhores condices, devido ao zelo e esforgos
do digno vigano Domiogoa Lourenco da Cruz
Penetlo. que alli serve ha antis de 30 aanos, es
lando se.npre prorapto para a Hender aos seus
comparochianos.
A leuda que passamos a narrar, explica como
foi edificada a igreja ; urna ctenca popular.
Em 1745 viajava urna familia composte de unvj
homem, duas senhoras e urna crianca. Vinha do
centro de Mirapic com destino corte, quando.
'la pela lome e pela sede, teve de procurar
o littoral.
. Nesse tempo existiam feras que perseguiam
os j>ons viajantes.
rio lugar otide est hoje edificada a igreja na-
1 triz, essa rnmilia fez pouso : a estrada que ainda
eisiste era u eaminho dos tropeiros.
Por volta das 11 horas da noite do dia 20 de
Novi-mbro foi a familia nssaltada por urna fra e
teve de lutar. Todo o rateresse, porm, esteva
no salvar-se a crianga que tiaha o nome de Za-
hyra.
Aquellas tres pessoas lutaram urna noite m-
teira, tendo sempre esperatica em Deus.
A's 4 horas da manh de 2d de Novembro,
quando a luta j en desigual, a mi da inno-
cente cabio dejfcclbosv levanto os ouos para o
eco e apreseutoa a criaaca. exclamando :
Ah t meaaeus! -Sal vai ao meaos esto in-
nocente I
Nisto. do lado da Pavuua. vitiham uns cayai-
leiros, que, valo o pariyo que.corra a familia,
afugentaram a aira sedaata dmaingue.
Como se fosse um magrc a apparigo
d'aquelles cavaiarofproaetteua tomlia levan-
tar no lugar urna aequenacopella^iujaaragOi
devia serNossa Seohora da Apresentaco.
Hoje no mesmo lugar v-se um magnifico tem-
plo bem conservado, todo ciado de branco,
lendo direito o pequeo cemiterio.
E' nesto igreja que solemnisa a sua padroeira,
que com o seu manto cobre urna, imprtente fre-
guezia, cuja poputoco actual de 8:6O-habi-
tautes.
, ltimamente tetn se discutido em Londres e
em omras capitees da Europa a qaestao de se
reconstituir o reioo de Jada a favor dos israeli-
tas dispersos por toda a trra.
, Em Paris este movimento existe igualmente,
estando frente delle dous grupos : a soeiedade
Filhos de Sio e a soeiedade Emancipaco He-
braica. ,
, Um jornlala francez, parecendo-Ihe inleres-
sante esta qaestao, tratou de indagar as opiniees
de diversos escriptores fraacezes.
, Ernesto Henan declarou que nao julga tal pla-
no reattzavel. Entre muitos outros obstculos
seria- preciso contar qpm os que opporia a Tur-
qua, os catholicos, e os caiholicos orihodoxos
principalmente.
A soluco da que-do j'alaica, accreseentou,
nao est em Jerusalem. Os israelitas que para alli
fossem residir, sentiriam lo Lsndres, l'aris, Vienna e Amsturdam, e a nostal-
gia ato tardara a dispnsalos outr.i vez.
, Alexandre Dumas, que tamhem foi consulta-
do, disse:
Considero essa idea de restabelecer o reino
de Jud como urna chimera, absolutamente ir-
realizavel, absolutamente contraria aos interes-
ses dos israelitas, aos Mareases das nages ci-
vilisadas e ao progresso do mundo
Alm de que a Turqua ao renunciara f-
cilmente aos seus direitos sobre a Palestina
Sob o ponto de vista |do chrisaiiismo, Jerusa-
lem urna cidade internaci'jnal, onde alBuem
os peregrinos para se nrostrarem (liante do t-
mulo de Christo. Est alli o Santo Sepulchrn,
os lugares santos, eas potenciasoccidentaes que
tem direifbs sobre elles jamis permittiro que
cs-es ilireitos oassem para as mos de u:n povo
qualquer.
L'ra ronego honorario de Angoulme, o lev.
Chabauty. cujas ideas sao anti-semiticas, respon-
den :
Na minha opinio a realizago diplomtica
do reino da Palestina teria mais vantagens do
ipie inconvenientes. A emigrago em inassa dos
judeusdese.tnbaragaria o inundo occidental de
nm elemento de agitaco e de discordia, que,
ha mais de seculo, arruina a soeiedade euro-
pea. s
Talvez se admirem-deque um padre catholi-
co admita a entrega do tmulo de Jess Chris-
to ao povo deicida. Mas esse tmulo acha-se
em poder dos rausulmanos, que nao sao melho-
res para nos que os judeus.
O gran-rahbino de Paris, Zadoc-Kahn, na
sua resposta, deu a entender que os seus co-re-
ligionarios nao tratam de reconstituir o antigo
reino de Jud, e apenas aliviar a sorte de algu-
mas familias hebraiiras, fundando com ellas co-
lonias agrcolas na Palestina, das quaes j se ob-
tiveram satisfactorios resultados.
.lorara consultados outros escriptores, que
responderam pro ou contra, segundo as suas
opintes. Citaremos ainda a resposta de um
banqueiro israelita:
Se se fundasse o reino da Palestina, pedi-
ra logo ao re que me oomeasse embaixador em
Paris.
#**
Todos sabeui como a gente saxonia e de cant
guarda o domingo, o diadoSenbor e do whisky,
mas o que poucos sabem que essa pratica
clirist j imposta pelos costumes, foi, ha pouco
tempo, assumpto de graves debates era urna das
commissoes do congresso dos Estados-Unidos.
Urna commisso senatorial presidida pelo Sr.
Blair deu audiencia a duzentos delegados de di
versas seitas religiosas, a proposito do projecto
de lei a estabelecer nos Estados Unidos a ob-
servancia do domingo com o rigor exigido pelos
puritanos puros.
Trate-se, nada mais nada menos, do que pro-
hibir -ios domingos o trafego das e-tradas de
ferro e de todos os vehculos, o servigo dos cor-
reos, e impor outras medidas do mesmo gene-
ro, que obrigaro o desapparecimeoto dos jor-
naes segunda-feira. O Rvd. Craff de Nova
York foi quem tomou a palavra para apresentar
commisso um rol de petices a favor do pro-
jecto, evidentemente favorecidas pelos empre-
gados das estradas de ferro.
Outro orador, nao menos reverendissimo, o
pastor Stwurdon, divertio o auditorio declarando
3ue o presidente da repblica era o uako cida-
o dos Estados-Unidos que a lei iseatava de
trabalhar. aos domingos. O Revra. casuista e
como o senador Palmer, que se prza de ser en-
tendido em direito constitucional, lhe pergun-
tasse que iseuco constitucional era aquella,
resuoudeu o Revd. :
0 artigo da constilugo que concede ao
presidente dez dias, excluido o domingo, para
dar sanego aos projectos de lei votados pelo
congresso.
Foi, porm, o Revd. Lew:s de Plianifield
(Nova-Jersey), relator de urna seite de haptistas,
que teve as honras do debate.
Declarou elle que os seus co-religiooarios, de
aeoordo com todos os judeus, oppunham-se ao
projecto de lei, a menos que nao fosse emenda-
do, para sabhado, o dia de descanso.
Deus descansou no stimo dia e no no pri-
meiro ". optnou dflutamente.
*
Allinna o Bom Successo que na cidade do mes-
rao nome casou-se ha pouco tempo a Sra. D.
Rita Suja cora o Sr. Manoel Sabao, tendo sido
urna das testemunhas o Sr. Joaquim Agua
(ajas.
Foi o Sr. Francisco BarreUa a outra lestemu-
nha. de. que falla o Bom Successo.
Hainiusca em despresar a carne do coelho,
que pode fornecer s familias meaos abastadas
um alimento ptimo e paro.
A Franca, que to gulosa, consom annual-
mente 57 milhes de coelhos, que representem
um valor de 115 120 milhes de francos, e na
Inglaterrra a criagao deste animal tem chegado
a um alto grao de perfeigo.
Tanto os coelhos domesticados, como os do
matto, tm carne, mais saborosas e aromticas do
3ue a dos coelhos conservados em lugares fecha-
os, eaiue se nutrem smente com os restos ve-
getees da cozinha. Estes se sao conservados onde
nao fagara movimentos e se hlo nutridos idnea-
mente, engordara, e sua carne torna-se tenra.
Se si quer que a carne dos coelhos domsticos
adquira um sabor mais grato, convm, antes de
mtelos, dar-Ibes a comer por alguns dias plan-
tes aromticas, misturando-as com a comida.
Sempre que ha falto de outras carnes, a do
coelho se pode muito bem consumir, especial-
mente pelos camponezes que vivera dispersos;
urna carne boa e s, que d um caldo bastante sa-
boroso.
#*
L-se no Afarodn List que, na aldeia de Kadta,
cinco leguas distente de SalTeda, morreu um tur-
o de nome Hadzi Solama Saha na idade de 132
nnos. Tinha-se casado sete vez'-s, e das sete
mulheres, hoje toda mortas, teve 60 lilhos e 9 fi-
Ihas, e quande se casou com a ultima liana 98
annos, e d'este mulher teve tres fllhas.
Este annopensava em casar-se ainda mais urna
vez, mas nao o realisou pelo mo estado das suas
flnancas.
Em todo o curso da sua vida se nutri de pao
feito com farinba de cevada e feijes e beba ni-
camente agua. .
Nao coma carne seno na festa de Bajnun
Nunca adoeceu durante todo o tempo da lon-
guissiraa sua vida, excepto qatro das antes da
sua morte. )
Na idade de ce:n aunos lu; apoutovam aiuda
(
ntes, os quaeano puderam desenvolver-se.
E no3 cento e vinte anuos os seus cabellos e*a
barba adqaenram urna cor verde ecura.
##.
MaS O'Reill, o autor do apaixonado livro John
Bull et son Ue, achava-se n'uma reunio em que
se achavam presentes muitas senhoras entrs
quaes algumas um tanto idosas, que nao obstan-
te nao deixavara'.de trazer toiletes, um tanto trans-
parentes e muito desoladas.
Max O'Reill, emeerto ponto, murmurou ao ou-
viflo da um marido :
Meu caro, diga aquellas senhoras que dei-
em um veo no passado.
Parece que a mesma cousa succedeu a enri-
que Heineao meaos refere elle as suas Nou-.
t9 florentinas e que o poeta escandilisado es-
creveu na cartei a de umasenhora com quem ti-
nha. alguna in'.immade :
As vasaas amiaia mostram as ruinas em um
dia que Troya brilfou.
SPORT
laa iaipastas a joekeys
Pelo starter que servio ua ultima cfcrida que
teve lugar no Derby Club, foram multados os
jockey* Chrispim Antonio, em 40 ; Jos Alves.
.Martins erreira-Honorio, James Dawis e Gar-
dner, em 205 cada um.
Ao jockey Antonio Freitas, foram impostes pe-
lo mesmo starter a multa de 40* e suspenso
por 15 dias.
Pela directoria do Derby foi ternbem multado
o'jockey Pedro Emiliano em 50*.
IHBICAQOES DTEIS
Mdicos
Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
rio aberto ra Duque de Caxias n. 74, dais
12 s 2 horas da. tarde, e desta hora em dian-
te em sua rfsidencia ra da Santa Cruz
n. 10. Especialidadesmolestias de se-
nhoras e enancas. Telephone n. 326.
Dr. Joaquim Lautaro medico e partei-
ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
no Monteiro.
Dr. Barretto Sampaio d consultas de
meio-dia s 3 horas no 1.a andar da casa
a ra do Barilo da Victoria, n. 51. Resi-
dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
trada pela ra da Saudade 11. 'b.
Dr. (astro Jess medico e operador.
Pratica a lavngem do tero quando e co-
mo aconselhada. Consultas das 11
3 da tarde em sua risidencia ra do
Bom Jess (artiga da rruz) n. 23, l.1
andar.
r. Ribeiro dt Brtto d consultas de
meio dia s ') horas da tarde, no 1." an-
dar a ra Duque de Caxias n. 46, poden-
do ser procralo para chamados na sua
residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
lephone n. 303.
Advogados
O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
pode ser procurado ra do Imperador
n. 71, l.- andar.
O Dr. H. "ililet mudou o seu eseripto-
torio de advocada, para a ra do Impera
dor n. 46, 1" andar, sala da frente.
Oeculisa
Di. Ferreira. com pratica nos princi-
paes hospitaes e clnica de Paris e Lon-
dres, consultas todos os dias das 9
horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
dencia ra Larga do Rosario n. 20.
Serrarla a vapor
Serrara a vapor e officina de carajjina
de Francisco dos Santos Macedo, caes do
Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
cimento, o primeiro da provincia neste
genero, compra e vende madeiras de todas
as qualiuades, serra madeiras* de conta
alheia, assim como prepara obras de cara-
pina por machinas e por precos sem dom-
petencia--Pernambuco.
Drogara
Faria Sobrinho & C, droguista por ata-,
cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
Francisco Manoel da Silva & C, deposi-
tarios de todas as especialidades pharma-
ceuticas, tintas, drogas, productos chimi-
cas e medicamentos homeopticos, na do.
Mrquez de Olinda n. 23.
Profeaor americano
Devido a mudanca de residencia, Mr.
George B. Nind, pode ser procurado nos
dias uteis na ra da Conquista n. 20.
.


'
r
PUBLICARES A PEDIDO
Attendite et videte
No artigo que o Sr. Dr. Meira (Albino) fez pu-
blicar sob a epigraphe reaccio lia um trecha
digno de reparo.
Aos meus olhos de moyo pareca, diz o S_
Meira, qu nesse tempo (1870) havia mais patria^
tismo, parecia-me que o povo tomava real inte-
resse pela causa imblica.
Eeu tinfia esperauca nesse povo: e quand/
me achava no meio do povo, e quando lhe diri-*5
ida a palavra. o meu corago transborda va deifl
K, de iithusiasmo e de conlanca; e a minbafl
voz era repassada de benevolencia, de syrapa-
thia (que tartufo I) de ama consideraco frater-
nal. Era que eu tinha a consciencia de que fal-. .
lava a irmos : irmos na obscuridade do nasci-
racnto, irmos na pobreza, irmos na exclusa r
dos comtnodos e vantagens sociaes, irmos na op- J
pressao.
Quem nao conhecer o Sr. Meira pode telvez se-
duzr-se com 3uas tamurias, e suppor que elle
urna victima da injustica dos homens, e das ins-
tituigOes que nos regem: quem, porm, sabe que a ,
9n Meira 6 lente da Faculdade de Direito e que
por urna tramoia obteve a viteliciedade na cadei-
ra. de portuguez do Curso Annexo accumulando,
contra lei espressa, dois pingues venrimentos,
nao pode deixar de rir-se ouvindo-o queixar-se
da. sua excluso dos conmodos e vantagens so**.
ciaes, e ainda mai.s da oppresso que solre.
AcasU'lado em duas viteliciedades, que lhe,
do direito a receber do Thesouro, ainda quando
nao trabalha, 7:200*0 0 annuaes, Gcando lhe ain-
da tempo para advocar e ooliticar,. longe dsM
qucixar-se da sua excluso dos commodos e van-
tagens sociaes, o Sr. Meira pode ser considerada
como um vampiro dos cofres pblicos.
E qual foi a.oppresso que j soffreu o Sr.
Meira?
Querer se referir a sua excluso da Cmara
dos Deputedos era 1885, onde se apresentou coa
documentos grosseiramente falsificados f
Nao possivel, peis deve letnbrar-se di
claraco que fez no Jornal do Commercio. u-T
ranlo-se da corte furtivamente e cobero *e
lama. ,
S-. Meira tome juizo ; v pacilicamente rieiida
sen- accutnulados vencimentos, e nao queiraillu-
dir o publico fazendo-se de victima e de amiga
do povo.
Sua saniidade e beatice j sao bem conheci
Aophao.
O vapor Mlaarva
Na Provincia de dia 15 do corrente v
de lr um artigo 1 respeilo Jo vapor Shncna.
Fraucamenle cenfessamos a indignaco
noscausou.o molJ por.iiv
tor, a tal ponto que, .na
se artigo at suas u
Sera S. prolissiona, ou
2 intencio 1a1'

T
[




^rrr
flssion
icarar a questio pelo la-
xnnico e nunca pelo do ridiculo.
Homorista deveria procurar fazer espirito ba-
seando-se em outros assumptos, photoifntpban-
do a si proprio, e nunca ridicularwando a um
artista nacional, a um artista intellijrentc, a um
artista que, talvee, era nada o ti vase anda oc-
cupado, a um artist.., finalmente, que cnlevado
' e crente na sua desooberta, por ser pobre e nao
podel a levar a effeiio a expensas suas, pede aos
seus patricios, quclles que vao ver ou admirar
o Minerva que lhe auxiem com qualquer quau-
tia para porr assim concluir o seu impertantLs-
simo traboliiu.
Aonde o mal?... Snppora alguem, por ven-
tura, que o Sr. Verissimo peca para si, como
qualquer arteiro larapio ? .. *
Por certo que nao; alli est no estaleiro, j
bastante adiantado, e representando um impor
tanto capital; alli esto traballiando diversos
operarios; alli estao tambera avultados mate-
naes que tm de ser ainda applicados aquella
construego.
Se os resultados-que espera alcangaro Sr. Ve-
nssimo cobrirem-se de gallas, e nao de creps,
questao que o futuro a poder responder; isto
, as experiencias posteriores cnida do Mi-
nerva ao mar.
Nao' obstante, parece-nos que o inteliigente e
ousado artista devia, apenas, ter se limitado a
resolver o problema da navegago por meio da
pressao do ar, o que seria, por si so, um grande
conseguimento, urna grande gloria, para elle e
para o nosso paiz, em vez de ter tido a idea de
resolver tanto* problemas a um lempo como pre-
tende, por meio de urna s embarcaglo.
Nada porin, impossivel ao homem ; Jiapo
ieao duviJou de Pulton, deixando assim de tor-
nar-se o arbitro do mundo; alissy foi conside-
rado lonco, porque chegou al a queimar furioso,
todos os movis de sua caja, e por ultimo o
soallio desta, na contriccao de que descobriria,
emfiui. o esmalte branco.
Mas se, por desgrana, houvesse encontrado
em seu caminho, articulistas como o da Provin-
cia, seria igualmente, como o foi o Sr. Verissi-
mo, arremessado ao ridiculo e dahi ao des-
animo.
Nao : nao busquemos, s para encliermos co-
lumnas de gazetas, s por nos tornarmos pessi-
simistas, s por passarmos por hrnnens de espiri-
to, entorpecer os grandes comniettimentos, e
menos duvidar de que o Brazil, embora de en-
trego povo, pode vir um dia ura Newton, um Gal-
lillo, um Archimedes, ura Fulton.
Nao; no afastemos os hemens sensatos do
afn cora que tm procurado coadjuvar esse,
embora fantico, porin. inteliigente e perseve-
rante artista.
Perdeiii-se capitaes importantes nessas gran-
des casas de joge chamadas Hippoilromos, e no
emtanto as oolsas contraem-se para que nao
passe era um ceitil era prl de um invento que
tal vez venha a ser um esplendido triumpno,
nm: imraorredoura conquista da intelligencia
de um pobre brazileiro.
Dr. Magalhes Bastos.
Dr. Alivio de CnrraUo
Manoel Correia
Dr. Jos de S.
Gerente Henry l'etcher.
Hermano Nieme'er.
io de Peraambuco-'Sexta-feirsfc^22, de! Perorare de- 1S89

A sociedade dos talha-
dores. ao publico
De ordem do Exra. Sr. presidente desla socie-
dade, scientilico ao publico que tendo os
Srs. ex-conlractantes de carnes verdes resolw
do augnientarem o prego desse genero alimen-
ticio para 560 ris at domingo (24) de 640 ris
dabi em diante nos tainos 23 e 29e como esta
sociedade tomou o comproraisso com os Srs. ca-
pito Ludovico e Fiuza Lima C. de nao talha-
rem por raais de 48o ris o kilo, o mesmo Exm.
Sr. torna publico de que as pessoas que traba
lhara nos referidos talhos nao perteocem a so-
ciedade.
Recie, 21 de Fevereiro de 1889.
Moyses de .--ouza osla,
Io secretario.
Esmolas
Araanli, sabbado 23 do crrente, s 9 horas
da inanha e na igreja do Rosario da freguezia
de >anto ntonio sero distribuidas as esmolas
deixada.s aos pobres desta cidade pelo fallecido
Manoel do Reg amarai Primo.
Eleico
Da festa do Vahor Manto C h r i..
to de I pojara, para o uno o de
**.
Juizes por eleico
O* Illms. Srs. :
Dr. Clc-.ientiiio de Mesquita Barros Wanderley.
Luiz Francisco de Paula Mesquita.
Juizas por eleigao
As Exmas. Sras. :
D. Mara, consorte do Illm. Sr. Miguel Jos de
Abreu. x
D. Joanna, consorte do Jllm. Sr. tenente-coronel
Antonio Argn do Reg Accioli Lins.
Juizes por devogo
^ Os lllras. Srs.:
Capitao Augusto Cesar de Andrade.
M! celino Jos Ribeiro.
Juizas por devogo
As Exmas. Sras. .
D. Julia, consorte do Illm. Sr. Dr. Manoel Cys-
neiro.
I?. Ignez, consorte do Illm. Sr. Manoel Cysneiro
da Costa Res.
Juizes protectores
s Illms. Srs. :
Capitio Manoel Filippe de Souza Leo.
Jos Francisco dos Anjos.
Juizas protectoras
As Exmas. Sras. :
D. Leonor, consorte do Illm. Sr. tenente-coronel
Domingos Cavalcante de Souza Leo.
D. Ignez Escolstica Alves da Silva.
Escrivaes por eleico
Os Illms. Srs. :
ilt Manoel Joo 4a Silva.
Manoel de Siqueira Alves da -ilva.
Escrvas por eleicSo
As Exmas. Sras. :
D Auna Wanderley Lins.
Consorte do Illm. Sr. Santino do Reg Barros.
Escrivaes por devocao
Os Illms. Srs. :
Manoel Gongalves Fernaudes.
Manoel Saraiva de Lemos.
Escrivas por devogo
* As Exmas. Sras. :
D. tiuilhermina da Costa Albuquerquc.
D. Francisca, consorte do Illm. Sr. Jos Antonio
Wanderley Lins.
Juizas perpetuas
As Bxnta. -Sr.is. :
D. babel Ephigenia de Sonsa Leo.
D. Cecilia Jaauaria da Koala Nogm-ira.
Koiteiroa e seus procuradores os mismos dos
anuos anteriores.
Procuradores da festa
Os lllras. Srs. :
Tenente Sirao Cbreosi ni> 'de Biraa.
ttapilo Joo Manoe'l de Souza Maraes.
Festa de %. Fra arisco de Pa ulo
en sua eapeila do C '.vjioga. ao
ti! i t de Mareo de HH9.
Juiz por eleico
, 0 Illm. sr. Francisco Pi-reira'da Silva.
Juiza por elcigo
A E\ma. Sra. D. Mana Leopoldina Campo-
Juiz por devocao
O illm. Sr. Jos Mana de Andrade.
Juiza por devogno
Sra. D. Jtelmira de Oliveira Basto-,
Juizes proti'etores
.
^^^^^^BiaiKlante das
ro Dr. JoaqoBi Correia de Araujo.
rubargolorilaaoel la Silva Reg. .
lr. Joaquim i.oit :.. d n iveira Andrade
Dr. Miguel Joaqun) di Almeida Castro
br M9 A'i" '-' Ferreira.
Dr
v
i i,;
'
Joaq
oronel Fr<> &> Torre-
Francisco Gomes de Oliver SoBriao.
"uarte Ribeiro
co Parear
Joao Firmino Correia de Araujo.
Augiubi Cesar da Cunlia.
Lucidio Martin.-
Manoel de Oliveira Amorim.
Joaquim~de Almeida Castro. #
Joo Mouteiro.
Jos Gomes Gauches
Alfredo de Barros.
Manoel de Barras Cavalcante.
Alexandre de Pinbo Borges.
Francisco Jos Rodrigues Praga. *
Samuel Esnaty.
Jos de Oliveira Basto.
Hermann Stolzemback.
Jos Melicharek. ^
Sabino de Paula Daptista.
valfrido de Miranda.
Amadeo Coimbra.
Antonio Peixoto.
Jos Bento Nogueirn Jnior
Vicente Veras.
Jos Carlos Leal.
Pedro Gongalves da Silva Barros
Jos da Silva Campos.
Antonio da Silva Couto.
Joao da Cruz Macedo
Francisco Macedo.
Gurgel do Amara I
Manoel Barbosa Vianna.
Antonio Carmo de /.lmeida.
Bevenoto Travas.sos.
Francisco Maria if* Barros.
Malinas Lima.
Alberico dos Sant Coimbra
Joo Climaco de Miranda.
Antonio Jos da Silva Braga.
Artliur Scbiappi.
Joo Alfarra.
Francisco Pe eir da Silva
Fernando Pereira da Silva.
Vicente Miranda.
Vicente Silva.
Francisco de. Barros
Alberto da Silva Leal.
Dr. Francisco de Paula Correiade Araujo
Joaquim > anoel Correia de Araujo.
Dr. Eduardo Estanislao da Costa.
Jos Joaquim Corria de Araujo.
Jaitas protectoral
As Exmas. Sras. :
D. Ignez Correia de Araujo
D. Julia Correia de Araujo.
D. Rita Correia de Araujo.
D Anna Correia de Araujo.
D. Mara Cesar da unh.i
D. Francisca Plesseman.
D. Adele Plesseman.
D. Mana Gomes Prente.
D. Isabel Moreira.
D. Rachel Peregrino da Silva.
D. Maria Peregrino da Silva.
D. Isabel de Mendonea Pinto Pessou.
D. Anglica tie Mendonga.
D. Antonia Ganches.
D. Maria Magdalena da Silva.
D. Maria Antoniett. da Silva.
D. Maria Mouteiro.
D. Anna da Trindade Peretti.
!>. Mariannu do Reg Medeiros.
D. Chrisiioa Braga.
D. Mana Augusta de Barros Cavalcante.
D. Emilia de Barros.
". Annunciada Esnaty.
D. Leopoldina Praga.
D. Elvira Rosas.
D. Tliereza de Pinho Borges.
D. Mara de Pinho Borges.
D. Francisca Ros; Leal.
D. Albertina Leal
D. Adelaide Leal.
D. Amelia Miranda
D. Anna Miranda.
D. Maximilla Burhiiuaqui.
D. Adelaide BurLunaqui.
. Mara dos Sanios Coimbra.
D. Amalia Coimbra.
D. Mara Lima.
D. Rosa de Almeida Castro.
1 Mara da< unha Menezs.
D. Esther da Silva Reg.
D. Rosa da Silva Reg.
D. Mara Lins de l aula Baptista.
D. Anna de Paula Baptista.
D. Adelaide Oliva de Andrade.
D. Camilla de Andrade.
Esposa do Sr. Francisco Banks.
Esposa do Dr. Argollo Ferrao.
Esposa do Sr. Miguel Macedo.
Esposa do Sr. Jos Ferreira
Filna do Sr. Antonio do Reg Mederros.
Esposa do Sr. Carolioo.
Esposa do Sr. Antonio Peixoto.
Esposa do Sr. Francisco de Barros
D. Amelia Ribeiro.
Esposa do D-. Gomes Prente.
D. Mara i andida Gomes Prente.
D. Maria Henriqueta Gomes Prente.
Esposa do Sr. Augusto Xavier Carneiro
i unha.
D. Maria Amelia Carneiro da Cunha.
D. Maria Eugenia Carneiro da Cunha.
Commissio da festa
Os Illms. Srs. :
Dr. Gomes Prente
Dr. Altiuo Correia de Araujo.
Manoel Cesar Burlaraaqui.
Antonio Correia de Araujo.
Fe I icio dos Santos.
Domingos Cruz.
Carlos Gibson.
Augusto Xavier Carneiro da Cunha.
Pedro de Paula Baptista.
Miguel Macedo.
Jos Rodrigues Ferreira.
Carolioo Gongalves da Silva.
Antonio do Reg Araujo.
Francisco Pereira Lyra.
-----------ec^--------
M
O descol.rimento pelo insigne navegante cas-
telhano da encantada Pennsula da Florida nao
s augmentou o raappa e aceresecutou mais um
floro imperial corda de Castella, senao que
veio tambem alargar os horisontes da poesa com
a magia da lenda, e mais tarde a popularizar
esta parte do couiinente com a produegao do ri-
quissua perfume que de suas flores se extrahio,
e que foi designado com o nome de Agua Flori-
da de Murray & Lanmau. orgulho da America e
elegante necessidade social de seus habitantes.
Quem nao conhece este delicioso perfume ?
Quera ndo ha go.-ado alguma vez de seus em-
brigame* Taporas no banho ou no toucador ?
Quem. ao salo, nao ha sentido mais forte o
corpo. mais clara a mente e mais alegre o es-
pirito ?
Basta proval-a ama vez para preferil-a as de
raais.
A legitima Agua Florida a de Murray & Lan-
man, preparada por Lanman Kemp, nicos fa-
briOMM e proprietarios, New-York.

da

propneta
Aviso ao publico
Enquanto durar a Exposigao Universal de
1889. os nossos eitores que se acharem era Pars
.que desejarem receber quaesquer noticias da
tena, poderlo Jer os nmeros mata recentes do
nosso jornal no escriptorio dos nossos corres-
Ejndentes, os Sr.-. Amde Prince & C, 36 ra
afayette. em Pars.
Os nossos patricios podero receber a sua cor-
respondencia, peridicos etc. etc.. em casa dos
Srs. Amde Prmre & G
Outrosim, os mesmos Srs. Amde Prince & C,
negociautes-coiomissarios pOen. a sua casa de
compras as orden* de qualquer pessoa qne dese-
jar ter urnas infonnagoes. ou utilisar sen inter-
medio
Collegio de Santa Vernica
Na ra do Arago n. 10 2" andar aebam-se
abertas as aulas deste estaJelecimento de ins-
truegio para o sexo femenino.
Bacharel \ntoeio Wtri-
vio
Pode ser procurado roa do Imperador
ti. ;i,, i" andar
I
u
Programina da tradicional
festa do glorioso Santo
Amaro, que se venera em
sua capea das Salinas.
Sexta-feira, 22 do corrente, s 7 horas
da tarde, era'basteado com toda a pompa
o estandarte do glorioso Santo Amaro,
sendo acompanhado por crescidissimo-nu-
mero de distinctasenhoras e'gents crian,
cas, e pela banda maroial do 2 batalhao,
8oltandoBe diversas gyrandolas de fogue-
tes, sendo largado um magestoso bailo.
Sabbado, 23, ao meio dia, urna salva
real e diversas gyrandolas subirSo ao ar,
e a referida banda de msica executar
lindaB pecas de seu vasto repertorio.
A'8 5 horas da tarde do mesmo dia di-
versas gyrandolas e os sons da banda de
msica convidarlo os fiis a assistirem as
vesperas, que constar&o de ladainha canlja-
da as 7 horas da noite.
Domingo 24, ao romper da aurora, urna
salva real e diversas gyrandolas annuncia-
rSo aos fiis ter chegado o dia da festa do
glorioso Santo Amaro.
A's 11 horas do dia entrar a festa,
sendo a missa denominada Santos Pinto ;
oceupando a tribuna sagrada ao evangelho
o distincto pregador da cape 11 a imperial
Fr. Augusto da Immaculada ConceicSo.
A orchestra acha-se a cargo do professor
Tavares de Medeiros, e os solos serao exe-
cutados por habis cantores, tocando an-
tes e depois da festa a referida banda de
msica, lindas pegas do seu repertorio, e
subindo ao ar um lindo bailo.
Das 3 horas da tarde por diante estar
exposto, no largo da capelta, concurren-
cia dos devotes um esplendido bazar de
prendas offertadas pelos devotos do glorio-
so Santo Amaro.
As 4 horas, terao comeco as cavalha-
das, tomando parte diversos amadores,
qae obsequiesamente se offereceram para
assim dar mais realce a festa.
A's 7 horas da noite entrar a ladainha
solemne, precedendo senno pelo mesmo
pregador da festa, rinda a qual ser arrea-
do o estandarte com toda a solemnidade
sendo entregue a futura juiza, subindo ao
ar diversas gyrandolas,* e executando a
banda de msica variadas pegas ; depois,
ter lugar o desafio aerio de dous aers-
tatos Vetper e Venus.
Em seguida, e para por termo a toda
a festividade, ser queimado um lindo fu-
go artificial feito pelo eximio artista Olym-
pio de Mello ; preenchendo os intervallos
a banda de msica que executar impor-
tantes pegas.
O largo da capella achar-se-ha todo em-
bandeirado, e a noite ser Iluminado a
giorno.
A companhia de bonds expedir durante
todo o dia grande numero de carros ex-
traordinarios, augmentando ainda mais
tarde e noite.
A mesa regedora roga aos moradores
do largo da capella e ra do Bom Gosto,
o favor de Iluminaren! as fachadas de
suas casas para maior brilhantismo.
Consistorio da capella de Santo Amaro
das Salinas, 20 de Fevereiro de 1889.
O escrivao,
Hdiodoro Jos da Silva.
Por mais que faejun os.critioos graciosos, cuja.tarefiureeuiae-se.simpiesmente
a destruir aquillo que nao sabem nem podem construir, em certos casos impotente
a maledicencia d'esses demolidores perversos.
O sen trabalho, Ionge de prejudicar, mais um incentivo, para que a verdade
brilhe radiante, offuscando-os com a intensidade da sua luz.
De- todas as classes sociaes, desde o opulento at o proletario desde x> maior
talento ate intelligencia menos culta, todos, porfa, encarregam se de vir dar. um
solemne, desmentido a essas criticas graciosas.
O documento que se vae-ler um attestado que -falla mais alto do que tudo
quanto podamos asseverar.
Eil-o: '
Illm. Sr. Jos Alvares de Souza Soares.Devo urna resposta a seu favor.
Fal-o-hei em poucas palavras, mesmo porque verdade nSo mister coloridas ima-
gens, para impor-se soberana, escudada as manifestacSes da opiniSo universal.
EmanagSo da consciencia, d'esse foro intimo de cada individuo, onde se azyla, ella
surge pura e immaculada.
A sua preparacao Peoral de Cambar um poderoso remedio contra
enfermidades do peito.
t Atteato-o pelos resultados que tenho colindo em pessoas de minha
as
famili
casa
a, nosso com certeza reconhecer
esse pequeo scenario, onde, como pai de
quaes os medicamentos uteis e proveitosos.
Minhas filhas usaram por algun tempo do Peitoral de Cambar, de sua
invencao, e iicaram complentamente curadas de urna tosse pertinaz e perigosa.
Faga destas linhas o uso que quizer.Sempre s suas ordens encontrar
Joaquim NapoleSo Epaminondat de Amida. (Ex-director de collegio, em Pelotas, e
hoje advogado em Bag, Rio Grande do Sul.) >
Sao agentes deste preparado os Srs. Francisco Manoel da Silva & C ra
Marques de Olinda n. 23, que o vendem a 2-5500 o frasco.
10
Dr. Maooel do Nascimento Ma-
chado INu'lella Jimior
Escriptorio ra do Imperador
Io. ANDAR
n.
65
Appello especia] as Exilias*
Sras. em favor da indi to-
sa viuva e filhos da victi-
ma Pedro Regard.
Oh! vos Exmas. Sras. brasileiras e es-
trangeiras da cidade do Recife, e frad'el-
la, e bem assim as dignas directoras de
collegios e com suas joven collegiaes,
vos Exmas. em cujos coragoes germinara
a caridade a sensibilidade e a generosi-
dade.
Considerai a dor profunda que afflige
aquella desdi tosa viuva nossa irmao de
sexo, vendo seus innocentes filhinhos, pe-
direm-lhe p5o sem que ella o tenha para
dar-lhcs e matar-1 lie.-> a fonie, isso por-
que, a mo do malvado, do perverso, as-
sassinou-lhe brbaramente o marido seu
nico arrimo.
Considerai que, a flexibilidade de nosso
sexp nan lhe permitte tanto trabalhar que
possa eos dignidade cuidar na ed cago
dos cinco queridos filhos de suas entra-
nhas.
Considerai finalmente que praticacs urna
obra de caridade soccorrendo aquella in-
feliz viuva, e orphaos desvallidos.
Assim disponde de vossas eeonomias
urna qualquer quantia de accordo com
vossas posses e generosidade, e fazei-a
expontaneamente remetter sob vosso nome
a digna commisso, e esse obulo nSo vos
far talt:t em quanto servir para minorar
a anlicgao a aifiicta.
Nos de Olinda e algures quo consagra-
mos os mesmos sentimentos de amor a
caridade, faremos outro tanto.
Nao vos tornis Exmas. Sras. indiffe-
rentes aos rigores da dive sidade.
A todos eeses coragSes bemfazejos o
eo abengoar, assim lhes desejam, vossas
Irmas Olxndemes.
Operacao importante
Quatorze annos de soffrimentos doloro-
sos, e outros tantos de esforgos, de sacri-
ficios intilmente empregados, tal a his-
toria do meu estreitamento da urethra.
Chegando a esta cidade supportando as
mais cruciantes dores, produzidas por tal
molestia, indicou-rae meu compadre e ami-
go Sr. Joaquim Das de Andrade o Illm.
Sr. Dr. Carlos Bettencourt para medi-
car-me.
Em tres das este distincto clnico deu-
me por prompto e urna realidade o
achar-me radicalmente curado.
Ao Illm. Sr. Dr. Carlos Bettencourt,
pela pericia que revelou na operagao, fei-
ta pela electrolise, pela delicadeza, pela
attengo com que sempre se dignou trac-
tar-me, meu eterno reconhecmento.
Recife, 18 de Fevereiro de 1889.
7oao Carneiro da Motta Silveira.
/ Vias urinarias, molestias do tero,
| operagSes elctricas
I IB. CA2L05 BSTTSNCOSI
( ESPECIALISTA
com pratica de pabiz e londrks
( Estreitamentcs da urethra curados ra-
( dicalmente pela eleclrolyse, sem dr;
hydroceles sem injeega (cora radical)
< feridas e ulceras enronicas. com garan
( tia de cura rpida; pedras da bexiga
I fstulas e hemorrhoidas: syphilis, go-
norrhas, pelo methodo das instillages;
molestias da garganta e do peito pelas
athmospberas medicamentosas. Con-
I sullas e operagos das 12 s 3 horas
da tarde.
| RA DO MRQUEZ QE OLINDA N. 34
2. ANDAR
BrtdeiKiu na Torre

&
Patrimonio Regaard
A eommissao abaxo assignada compos-
ta de amigos do infeliz tenente Pedro
Regaard brbaramente assassinado na noi-
te de 9 do corrente, i esolvea solicitar do
commercio e do publico desta cidade em
geral, um obulo afim de ser adquirido um
pequeo patrimonio para a desventurada
viuva o orphaos da infeliz victima.
Confiada a eommissao na caridade e
benevolencia do mesmo publico, espera
seja attendida em seu muito justo fin,
podendo entretanto aquellas pessoas que
quizerfcm concorrer com o seu obulo, re*
mettel-os ao thesoureo abaxo asaignado
ou a redaccSo deste Diario.
Recife 15 de Fevereiro de 1889.
Presidente,
Felippe de Figueiroa Faria.
Thesoureiro,
Joseph Krause.
Commiesa<> agenciadora
Capito Joaquim R. de Souza Gonzaga.
Alferes Jos.Samuel Botelho.
Tenente Antonio t edro Dionizio.
Tenente Franojsco Jos da Silva.
Tenente Libeiwto Prisco Ribeiro.
Tenente Delrairo Gaudencio Ribeiro
Pessoa.
Collegio de S. Miguel
Ra do viscande de Camaragi-
be n. &3
Aosrespeitavois paes de familias parti-
cipa a directora deste novo estabelecimen-
to de instruc gao para o sexo feminino,
que abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
de 1889.
A mesma promette aos paes que lhe
confiarem suas filhas esforgar-se por lhes
dar urna educagSo primorosa, solida, reli-
giosa e domestica.
A tratar, do Io de Janeiro no proprio
estabelecimento, das 2 da tarde s 7 da
noite.
A directora,
Emilia A. de Mendanqu
Leonor Porto )
Larga do Boaario Se
2o andar
Continua a executar os mais dif"
ficis figurinos recebidos de Lon- i
dres, Pars, Lisboa e Rio da Janeiro.- '
Prima em porfeigao de costuras,
em brevidide, modicidad- em pre-
gos c fino gosto.
Multas vezes til associar a creosota
de alcat 2o de faia do oleo de ligado de
bacalho no tratamento das Accedes do
laryngej dos bronchios, dos pulmSes, e
principalmente as bronchites chronicas
e nos catarrhos. Esta associagao apr-
sente grandes vantagens, mesmo na au-
sencia de doenga e quando se faz uzo se-
ment no fim de fortificar um peito fraco
ou um temperamento dbil.
Estes dous medicamentos encontram-Be
reunidos as capsulas de bkrth creo-
sotad Ag, onde a creosota de alcatro de
faia acha-se em dissolugSo n'um oleo de
ligado de bacalho pa ticulrmente recom-
mendavel, visto ser obtido por processos
que sao os nicos que tem. merecido a
approvago da Academia de Medicina de
Pariz.
Oculista
Dr. Barreto Sampaio, medico,
oculista, ex-chefe de clnica do
Dr. de Wecker, d consultas de
meio dia s 3 horas da tarde, no
1 andar'da casa n. 51 ra do
Barao da Victoria, excepto nos
domingos e das santificados.
Residencia ra Sete de Setem-
bro n. 34. Entrada pela ra da
Saudade n. 25.
Cirurgio Dentista
DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
mado pela Univer8dade de Maryland nos
Estados-Unidos, tem aborto o seu consul-
torio, na ra Bario do Vjctoria 19, Io an-
dar.
Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
Fmlerico (Ihaves Jnior j
Homocpatha
39 RA BARO DA VICTORIA. 391|
Primeiro andar
jSt$ Whm
Jj Medico operador parleiro
t Ba Largado Romario- X4
tros o 70 centnetrose. coraprlmeoJof 16 me
tros e 70 centmetros de largura. Morada me
vida a-vapor, isyBtema RdbJnson Son, com
annos denso.
AsaenUmeoto com 7 caldoias com as dimen-
ses seguintes : 1,70, 1.601,70, 1,20 metro,
1,10, 1 metro, dimetro, fundidas, sendo-qttstro
remendadas.
Casa-de purgar com a eoberta de telha .ar-
ruinada, com 16 metros e 80 centmetros deom-
primento e 16 metros^ 70 centmetros de lafgn-
ra. Terrenos accidentados com valles estreitos,
tendo urna pequeBa parte plana, as partes, acci-
cidentadas e planas sao muito ordinarias, os val-
les sao terrenos variados, oracampostosde aneia,
ora de massap, sendo os terrenos desta ultima
qualidade 4 margem do riacho choa, em urna
pequea extensao ou no fundo de algumariro-
ta 0 eigenho pode produzirem sene terrenos-
bons 800 paes, existem. mattas virgens e apenaf algunas ca-
pberras; e tudo avallado enr 12:010*000...
E assim ser o supra descripto engenho Udioa
arrematado por venda a quem mais der e-miaior
lance offerecer era praga publica, no dia e hora
cima indicado, para pagamento daexecogo
qne por este juizo e cartono do escrrro que es-
te snbscreve, move Sebastiao Manoel do Reg
Barros contra Alfredo devndrade Paes Bareto
e sua multier.
E nao haveodo langador, que cubra o prego
da avaliago, se proceder nos termos da lei.
Para que chegue a noticia a todo se passou o
presente edital, que ser aflixado no lugar do
costume e publicado pela .impi-ensa.
Dado e paseado nesta ci-laae do Recife; aos 26
dias do mez de Novembrode 1888.
Eu, Felicissimo de Azevedo Mello, escrivao.
liz escrever e subscrevi.
Joaquim da Catn Ribeiro
O Dr. Jos Paulino Cavalcante de Al-
buquerqne, juiz municipal e de auien-
tes do termo de Paullas por S. M. o Ira
perador a quem Dos guarde etc.'
Faz saber a todos os habitantes desta
comarea e a quem mais o conheoimento
deste tiver que existindo no povoadoyide
Jurenia desta villa de Panellas urna, casa
de taipa. e telha em mo estado, bem como
existindo tambem no lugar Sorucuc des-
te mesmo termo urna parte da i trra
com urna casinha de taipa e telha tambem
em mo estado ha mais de dez annos
sem que at esta data tenha appareeido
herdeiros ou consenhores de taes casas e
terrenos, mandei passar o presente edital,
chamando a qnem se julgar com direito
aos referidos bens, a virem no prazo de
trinta dias, a contar da data do- presente
edital, habilitar-ee na forma da lei fiados
os quaes nao apparecendo os consenhores
serao ditos bens vendidos em .hasta/pu-
blica deste juizo.
Villa de Panellas 1.- de Fevereir* de
1889.Eu Miguel Joaquim do Regq Bar-
ros,escrvao de ausentes que escrem
Jos Paulino Cavalcante de Albttquerque.
E nada mais mais se continha em dito
edital que copiei por certidao do.proprio
original ao qual me reporto e dou f..
Villa de Panellas 1.- de Fevereiro de
1889.O escrivao de ausentes. Miguel
Joaquim do Mego Barros.
DECLARARES
tua
Oculista
oculista
clinica
Dr. J. Correia de Bittencourt,
residente na corte, ex-chefe de
ophthalmologica dos Drs. Wecher e Pa-
nas em Pars e do professor Hirschberg
em Berlim, tendo regressado de sua ex-
cursSo s provincias do norte, demora-se
alguns luezes nesta capital no exercicio de
gua especialidade.
Consistorio e residencia ra do Barao
da Victoria n. 23 Io andar. Entrada pela
Camboa do Carmo.
Consultas das 12 s 3 da tardo. Gratis
ao pobres.
De ordem do Illm. Sr. Dr. inspector
fago publico que em cumplimento da re-
solugao de S. Fxc. o Sr. Dr. presidente
da provincia, de 14 do corrente, fica mar-
cado o prazo de 45 dias a contar desta
data, para a incripb&o ao concurso que
ter lugar neste Thesouro no dia 15 de
Abr prximo futuro, afim de preendier-
se tres vagas de 3o escripturario existen-
tes nesta repartigao. v_ ^ ^-
O exame versar sobre leitura, analyse
grammatical, orthographia e arithmetica
at a theoria das proporgSes inclusive.*
Os candidatos devero requerer ins-
pectora deste Thesouro a sua adinissofao
concurso por meio de petigo documenta-
da, provando ser maior de 18 annos, anar-
Be livre de culpa e pena e ter bom com-
portamento, lhes sendo licito juntar, alm
destes, quaesquer outros documentes que
possam favorecer o seu direito.
Secretaria do Thesouro Provincial de
Pernambuco, 21 de Fevereiro de 188B.
'Servindo de secretario
O official,
Lindolfo Compeli.
4.a secgae.Secretaria da Presidencia
de Pernambuco, em 19 de Fevereiro' de
1889. "
Por esta secretaria se faz publica a re-
commendagao do Exm. ministro e secre-
tarlo de Estado dos negocios do imperio,
constante do aviso n- 288 de 22 4e. Ja-
neiro rindo, para conheoimanto de Maria
Severina da Conceigao Lucas, mSi do
alumno do Instituto, dos Surdos-Mudos,
Jos Lourengo Godobredo Lucas.
i N. 288. 2a directora.Ministerio
dos negocios do imperio. Rio de Janeiro,
22 de Janeiro de 1889.
' Illm. e Exm. Sr.Nao podendo,- na
conformidade do artigo 25 do regulaman-
to do Instituto dos Surdos Mudos annexo
ao deeteto n. 5,435 de 15 de Outubro de
1873, continuar alli, por haver attrngido
a idade de 18 annos, o alumno Jes Loa
rengo Godofredo Lucas, a quem se refere
o officio dessa presidencia de 24 dej^Ou-
0~Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz dejtubro de 1882 e convindo, portante, pno-
direito do civel delta cidade do Recife e videnciar afim de que seja retirade
seu termo, capital da provincia de Per-
nambuco, por Sua Magestade Imj>erial e

Larga do Rosario 94
(Por cima do Annel de Guro) U
Onde tem consaltorio e resl- '
dencia : podendo ser encontrado e 11
recebenda chamados a qualquer hora })
do dia e da noite. J
Especialidades: Partos, febres, moles- | |
tias de senhoras e dos pulmes, syphilis ,
em geral, cura rpida e completa e ope- J
rages de estreitamentos e mais sofiri- ) j
i \ mentos da uretra. (\
) Acode de prompto a chamados para
| fra, qualquer distancia. 1 j
(j Tolcphone n. 334 H
Dr. Alfredo Gaspar
MEDICO
Operador, parteiro* trata com especiali-
dade de molestias de senhoras e creangas.
Consultorio e residencia ra da impe-
ratriz n 18, Io andar.
Consultas de 8 s 10 da inanha.
Chamados (por escripto) qualquer hora.
TELEPHONE N. 22
EDITAES

MEDICO HOMEPATA
/ Dr. Ballhazar da Silveira
Especialidadefebres, molestias
das cri&ncas, dos orgaos respirato-
rios e das senhoras.
Prestase a qualquer chamado para
ora da capital.
.tVIMO
Toios os chamados devem ser di-
rigidos phariuacia do Dr. Sabino,
ra do Barao da .Victoria n. 43,
onde se indicar sua residencia.
Constitucional, o Sr. D. Pedro II,* a
quem Dcus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem ou
delle noticia tiverem, que decorridos os dias de
pregues e pragas do estylo, e na audiencia des-
te juizo do dia 23 de Fevereiro do anno prximo
vindouro. ir praga de venda a quein mais der
e maior lance offerecer, o engenho Uchda, da
fregueaia de Afogados, que foi descripto pelos
avaliadores no respectivo auto de avaliago da
forma seguinte :
juma casa de vivencia de tijollo. rebocada,
caiada e pintada, contendo quatro salas, urna sa-
leta, sete quartos, um alpeudre em toda a exten
sao da casa sobre columna; de tijollo algamas-
sado com areia e cal: tem dita casa seis janel-
las de frente, tres portas, quatro janellas no oi-
to oeste, cinco janellas e urna porta no oito
leste, est exposta ao sul e mede 22 metros 9#0
centmitros de comprimento e 15 metros ^0
centmetros de largura, tendo tambem urna co-
zinba interna. Est toda a cobert., do alpeudre
arruinada e a coberta principal da casa fraca,
contendo algunas mo* de torga; o corpo prin-
cipal da vi venda est em bom estado.
Um outr .1 edificio sobre pilares quadrados re-
bocados, oude se acha a casa de engenho e as-
sentainento, a parte de tijolio est em bom esta-
do, a coberta arruinada e sustentada por mos
de forca. estando ji abados dous claros de pi-
lares.
Mais um edificio que servia de senzala. com
6 metros e 30 centmetros de fundo e 36 metros
e setenta centmetros de comprimento, com 8
compartimentos, sendo um com porta ejanella
e os mais com portas smentc, iocfuuido na mes-
ma senzala, estribara, casa de farinha e cochei-
r, tudo em mi estado, contendo alpendre so-
bre columnas. [Tem a ca^a do engenno 36 me-
mesmo Instituto o dito menor, o qual, se-
gundo informa o director do estabtaci-
mento no officio, que a tal respeito me di-
rigi, se exprime regularmente por-sCFp-
to, perito official de eneadcrnjdor e tem
o peculio de 864^950, recolhrao a caixa
econmica, dou conhecimonfo disto a V.
Exc. para os fins convenientes.
t Deus guarde a V. Exc, rei-
r Vianna.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco.
O secretario interino,
Manoel Joaquim
s""^.^
'1.a secgao.Secretaria da presiden-
cia de Pernambuco, 19 de Fevereiro
1889.Fago publico, para os devidos lins,
que n esta secretaria se.aeb.an aFj
imperiaes de reforma do coronel Joao Car-
los de Mendonga VasconceH^g^ tenentes-
coroneis Jos Henriques de
e Candido Jos de Barros,
mingos llamos de Andrada
qum Franisco Belm.O
rio, Manoel Joaquim Silveira.^
Thesouro Provincia]
i> ordem do Illm. Sr. Dr. inspe-
partigo, fago publico que no dia i
mez paga se as professoras de 1
relago aos .seus vencimentos ^^M
ultimo.
Pagadoria do Tbesonro Pro
vereiro de 1889.-0 euf"
Silvino-



WBS1H--Paaaaaaaaaa-aaaaai
Rcebedoria Provincial
RelacSo da 8 difl*ren9s para mais en-
contradas no valor locativo dos predios
urbanos da freguezia de Santo Antonio,
que estSo sujetos a o imposto de decima
relativo ao ejercicio de 1889, pelo lanca-
cador Joaquim Tranquilino de Lemos
Duarte.
Ra do Imperador
N. 2. Antonio Nunes Ferrei-
ra Coimbra
N. 48. Jos Hugo Goncalves
e outros
51. 52. Herdeiros de Joaqui-
na Mara Pereira Vianna
N. 3. Jos Antonio de Arau-
jo Guimaraaes
N. 21. Jos Felippe de Sou-
za Le5o
N. 33. Isidoro Bastos de Oli-
veira
N. 41. Manoel de Medeiros
N. 55. Mara Luiza Goncal-
ves da Silva Santos
N. 57. Antonio Jos de Ma-
lhues Bastos
N.'65. Bemardino Jos da
Silva Maia
N. 77. Joao Ignacio de Me-
deiros Reg
Caes 22 de Novembro
N. 36. Mara Rosa da Silva
Castro
N. 38. Antonio Duarte Car-
neiro Vianna
Ra 1." de Marco
: N. 2. Antonio Jos de Ma-
galhSes Bastos
N. 25. Jos Domingos Maia
Jnior e outros
Ra do Duque de Casias
N. 2. Antonio Goncalves de
Axcvedo
N. 54. Mananna de Medei-
ros Reg Peretti e outros
N. 62. Francisco Ignocio de
Oliveira
N. 64. Paulo Jos de Oliveira
e outros
N. 9. Joaquim Innocencio Go-
mes
N. 21. Jos Gomes Leal e
outros
N. 29. Ordem 3.a de Nossa
Senhora do Carmo
N. 31. Jos Augusto de Fo-
jos Correia Cesar
N. 33. Joaquim Ferreira Ra-
mos
N. 49. Antonio Goncalves de
Azevedo
N. 61. Dr. Antonio Pereira
SimSes e outros
N. 107. Joao Antonio de Al-
meida
Ra do Cabug
N. 7. Irmandade do Sacra-
mento de Santo Antonio
Ra das Trincheiras
N. 14. Jos Antonio da Mot-
ta Guiinar2.es
N. 16. Carlota Burlamarque
Magalh2.es
N. 34. Jos Francisco Pocas
N. 1. Vicencia Perpetua Frei-
r de Araujo
N. 7. Jos Antonio da Motta
Guimaraes
_^^aj*Ttaa~daa-l*rangeiras
rN. 6. Albino da Silva Leal
N. 20. Mara Rosa de Lima
N. 26. Galdino Antonio Al-
ves Ferreira
N. 1. Mana Victoria de Souza
M. 31. Manoel Cardoso J-
nior
Travassa da Bomba
N. 13. Antonio Duarte deFi-
Figueiredo
Ra do Fogo
N. 9. Manoel Francisco Mas-
carenhas
Ra do Viscende de Inbama
N. 29. Antonio Nunes da Fon-
dea 2730000
Ra do Coronel Suassuna
N. 50. Jos da Assumpcio
de Oliveira 468*000
Travessa do 1. Becco do Falcio
N. 1 A. Antonio Joaquim Cas-
eje 141*000
Diario de Pernatnbco---Sexta-feira 22 de Fevereiro de 1889
------------,---------------
9630000
1:7120000
l:8220OOd
1:1200000
1:6790000
1:0400000
1:6510000
2:292000o
3:5000000
1:6590000
1:9520000
4000000
1:2570000
3:0000000
3:0220000
as
1:2390000
2:3710000
1:9460000
9730000
1:0590000
7290000
(5730000
7590000
8550000
1:9460000
2:0920000
3730000
2:4720000
4000000
5760000
8460000
333000o
2730000
3600000
2400000
5760000
1730000
1650000
3570000
1890000
Jtua do Msiquez do Herval
N. 48. Leocadia Mara de
Jess 1200000
N. 59. Mara Soares de Amo-
rim 7000000
N. 71. Joao P. Martins Ri-
beiro 4400000
1.* seccSo da Recebedorio Provincia^,
12 de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Jofferson Mirabeau de Azevedo Soares
oriedade Recreativa fommerrlal
Soiree trimestr.i! em 24 do correute
Scientitteo aos senheres socios que esta soiree
principiar as 8 horas da noite.
Convites em poder do Sr. secretario.
Ingressos s com o recibo do mez de Feverei-
ro, o qual pode ser procurado em poder do Sr.
thesoureiro, a ra Pedro Affouso n. 82, ou na
sociedade.
Aggregados nao so adraissiveis.
Secretaria da Sociedade Recreativa Comrucr-
fcial, 16 de Fevereiro de 1889.
0 1 secretario
Ernesto Guimaraes.
COMERCIO
Revista do Mercado
Recipe, 21 de fevebeibo de 1889.
No mercado de cambios notou-se algum novi-
mento e no de algodao foram vendidos algans
lotes do do sertao.
V t amblo
Os bancos adoptaram hoje a taxa de 27 3/4 d.,
ippareeendo poneos tomadores.
Papel particular foi passado a 27 lo, lo.
No Rio os bancos oftereceram saccar a 27 3/4,
sem acharem dinheiro. Papel particular foi pas-
sado a 27 13/16 e 28 d., tanto no Rio como em
Santos- ^^
TABELLAS AFFIXADA8
9 T ! TT s i i" CJ =7 FT
1 # o 3 "X = 5* w 3. M s
i V f < =8
L 2 * * J
t se "S
-
"3 *
i
. te -si?
; ; . a til
ce i* IA I* * i
', M
MI . -J rt 1
-j.
*- ex u
I* s
v |C *l s?
-^ m -- JS. < 1 .
r* w .* *-
i:-
te E _. a-
** _ i *> M u .
S g 4- >* C *- i_ t> t
* 3 s a.
a V * 2

K m S 1
r *- > .fc
tt * 1* 4^ * * JL
Juizo dos Feitos da Fazenda
E8CBIVAO TORRES ASDEIRA
No dia 22 do eorrente, depois da audiencia do
juiz substituto, irao praca, por venda, os pre-
dios abaixo declarados, penhorados por execu-
o da fazenda provincial:
S. Jos ,
Casa terrea, ra de Santa Rita n. 34, com 2
portas e 1 janella de frente, 2 salas, 3 quarlos.
cesinba fra e qniutal, 4 metros e 30 centmetros
de frente, 16 metros e 90 centmetros de fundo,
avaliada em 1:000*000, pertencente a Joao Fran-
cisco de Souza Xavier.
Casa terrea, ra Imperial, com 2 ianellas e
1 porta de frente, corredor separado, 2 salas, S
quartos, cosinba externa, quintal murado e ca-
cimba, 6 metros e 40 centmetros de frente, 26
metros e 25 centmetros de fundo, em bom es-
tado, avaliada em 2:000*000, pertencentu a Auna
Joaquina da Silva.
Ra-Vista
Seis casas de taboas, dentro do terreno ra
Sete de Setembro n. 19 A, e do Hospicio n. 30 A,
cobertas de zinco, com porta e janella de frente,
1 sala, 1 quarto, 3 metros e 80 centmetros de
Trente e 4 metros e 20 centmetros cada urna,
avalladas 5 em 50*000, e a coberta de te-
Ihas, com o metros e 50 centmetros de frente e
5 metros e 50 centmetros de fundo, avaliada em
20*000, as quaes pertencem a Isabel Mara de
Vasconcellos.
Casa trra estrada de Joao de Barros n. 6,
em terreno proprio, murado na frente, portao de
ferro e soto, com 3 janellas de frente e portao
nos oitoes, 2 salas, 1 saleta, 4 quartos cosinha
jora, dispensa, estribara, 2 quartos, bauheiro,
casa de farinha. 0 sotao com varanda, 1 salo,
3 quartos, 6 metros c 90 centmetros de frente,
17 metros e 80 centmetros de fundo avaliada
em 4:000*000, pertencente a Francisco das Cha-
gas Ramos.
Casa terrea, ra Coronel Lamenna n. a,
com porta e janella, 2 salas,'3 quartos, cosinha
fra, quintal e cacimba, 4 metros e 15 centme-
tros de frente, 15 metros e 10 centmetros de
fundo, avaliata em 1:000*(KX), pertencente a
Emiliana Josephina da Cunta.
Casa a estrada velha de Santo Amaro n. 12
, com porta e janella, 2 salas, 2 quaitos, cosi-
nha fora, qnintal murado e cacimba, 4 metros e
10 centmetros de frente, 11 metros e 20 cent-
metros de fundo, avaliada em 600*, pertencente
a Joao Carueiro Rodrigues Campello.
Um terreno a estrada de Joao de Harros, com
75 metros de frente o 160 metros de fundo, com
arvores de fructo.todo cercado, no qual fra edi-
ficada a casa o. 7, avahado em 1:032*. perlen
cente a Antonio Feliciano Rodrigues Sette.
Graca
Casa travessa do Feitoza n. 5, com 2 janellas
de frente e porta no oitio, 2 salas, 2 quartos,
cosiuua fra, com terreno cercado e arborizado.
3 meiros e 40 centmetros de frente. 10 metros
e 10 centmetros de fundo, avaliada em 20"*,
pertencente a Honorio Jos Ferreira.
Casa travessa do Feitoza n. 19, com 4 janel-
las de frente e 1 porta, janellas nos oiles, 2 sa-
las, 2 quartos, cozinha fra, sitio arborizado,
cercado, com porto de inadeira. 13 metros e 5
centmetros de frente, 11 metros e 40 centme-
tros de fundo, avaliada em 1:000*, pertcnceute
a Francisco Furtado de Mendonca.
Apipucos
Casa no largo dt Apipucos n. 38, com poita e
janella, 2 salas, 2 quartos, cosinha fra, quintal,
4 metros e 10 centmetros de frente, 8 metros e
10 centmetros de fundo, avaada em 300* per-
tencente a Domingos da Silva Guimaraes.
S. R.C.
Rcebedoria Provincial
0 administrador da Rcebedoria Provincial, u
forma das instrueces de 27 de Julho de 1883.
convida as associaces que nesta cidadr tem
existencia legal se -ncarregareni da dii-trihu
ESo do imposto de reparticao constante ta la-
ella annexa a le n. 1884 ; sendo esse trabalho
remettido a esta reparticao no prazo improroga-
vel de 30 dia* uteis, contados da data do pre-
sente ; lindo o qual sem a respectiva apresenta-
c3o se proceder nos termos do art. 27 iias refe-
ridas instrueces.
Rcebedoria Provincial de Pcrnanibuco, 6 de
Fevereire de 1889.
Francisco Amimas de Larvallio Meara
Bolsa
JOTAgOEg OFFICIABS DA JUSTA DOS COE-
BETOBE8
Bfcife, 21 de Feceretro de 1889
Cambio sobre Londres, 90 d v. 27 3/i d. por
1*. do banco.
O presidente.
Candido G. 'lcoforado.
O secretario,
Eduardo Dubeux
Algodo
Foi negociado o de I* sorte do serto a 6*330
por 13 kuos.
A exportacao, feita pela alfandega aeste mez
at o da 19 subi a 1.170.845 kilos, sendo 964.874
para o exterior 205.971 para o interior.
As entradas verilicadas at a data de boje, so-
bem a 22.652 saccas, sendo por:
Barcacas...... 1 W accas
Vapores..... 2 *
xnimaes..... a-"! *
Via-ferrea de Caruar. i? *
Via-ferrea de S. Francisco. 1-684
Via-ferrea deljmoeiro u.Oo
Somma. ii-652 Saccas
Pelo vapor inglez N'egretia, carregado por J.
H. BoxweU, foram remettidas 3.380 saccas para
Liverpool.
Asquear-
os precos pagos ao agricultor, por 13 kilos, te-
^nindoa Associacao Commercia'. Agrcola, foram
BrSSn!e':. 3*200 a 35600
Seno i U900aJ100
Mascando purgado 1*400 a l*a00
bruto. !*100 a l^20"
aetame..... *800a t000
Colonia Isabel
Bronco 1*
Someno.....
Mascavado
na Pinto:
Brtaco !
. 2-
Someno .
ado -
\ exportaclo. feita y
o da 19, attmgio a 10
303.596 para o extei
IOJ
2*880
1*500
3*900
l
Gabinete Portuguez
de Leitura
ii-mbl(ii irci-ul
Nao tendo toda a direetoria e alguns membros
do conselho deliberativo, acceitado os cargos
para que forcm eleitos em sesso de 20 de Ja-
neiro prximo passado, convido de novo, de
ordem do Exm. n. Viscondff da Silva Loyo
presidente, os senhores associados asereunirem
em assembla geral, domingo 24 do eorrente.
pelas 11 horas da inanh, nos sales do Gabine-
te, para ter lugar a eleico dos membros qua
falim para completar o corpo administrativo,
Outrosim, fajo publico, que se nao for pos-
sivel cleger utna adminislraco que se torne
eflectiva, a actunl commissao directora resiffna
r pelos meios legaas, o mandato que Ibe toi
confiado.
Recife, 13 de Janeiro de 1889.
Dr. Jos de a lbuqucrque,
Secretario.
Concurso
Por esta secretaria se faz publieo em vista do
despacho da presidencia da provincia de 9 do
correte me/., e de ordem do Sr. Dr. inspector
geral da instruccao publica, que se acha aberta
a inscripye para o concurso a que se vai proce-
der a requerimento do alumno mestre titulado
pela Escola Normal, Arthur Octaviauo da Silva
Ramos, para provimento da cadeira de ensmo
primario do sexo ni;isrulino do Poco da fanelia
(de 2.'entrancia), sendo somtBte admiltidos i
essa inseripco os professores pblicos de qinl-
quer cathegoria, e os individuos titulados m'I
Escola Normal, devendo esto no prazo de W
das apresentar os seguiutes documentos : Ibmfl
corrida ou attestado de procedimento civil e mo-
ral pelas autoridades judiciarias, pohciae< tw
cmaras municipaes das localidades em que ti-
verem residido nos dous ltimos un nos, diploma
conferido pela Escola Normal. Ficando sem
effeito o edita! n. 52, que anuuneiou o accesso
da mesma cadeira.
Secretaria da instrun-o publica de Pernam-
buco, 11 de Fevereiro de 1889.-0 secretario
Pereentino S. de Araujo Galv.lo.
Correio geral
c oii<-iirso para preenchimento
de uui lagar de pratlcante de
a ciasse
FaQO publico para conhecjmento dos
interessados, que acha-se aberta nesta ad-
ministraco durante o prazo de 30 dias,
a contar desta data, a inscripcao para o
concurso que deve realisar-se para preen-
chimento de um lugar de praticante de 2a
ciasse.
Os candidatos deverao documentar seus
requerimentos, provando terem mais de
18 e menos de 25 annos de idade, goza-
reiu boa saude, estarem vaccinados c te-
rem bom procedimento.
A idade exigida para a inscripcSo deve
ser provada com certidao de baptismo
extrahida do assento feito no livro de pa-
roebia no devido tempo, ou justificacao
prestada perante autoridade ecclesiastica
e por estajulgada por sentenca. Este do-
cumento nao pode ser supprido por publi-
ca forma; e inuito menos, por attestados
passados por vigarios, no ausencia dos li-
vros da freguezia.
O- exame versar sobre as lingusa por-
tugueza, franceza, geographia geral, com
desenvolvimcnto quanto ao Brasil, e arith-
netica at a theoria das proporcSes inclu-
sive, sendo motivo de preferencia o co-
nh.-cimento das linguas ingleza e allem2.
Administra^ao dos Correios de Pernam-
buco, 12 de Fevereiro de 1889.
( O administrador,
Ajfonso do Reg Barros.
Prazo de 3 dias
De ordem do Illm. e Exm. Sr. Dr. inspector
da Alfandega, e de cunforraidade com o dispos-
to no 2.- do art. 208 da Consolidasi: das Leis,
se faz constar aos donos ou consignatarios das
mercadorias inflautnavcis abaixo mencionadas,
viudas ordeiu uo vapor alleuiio Tijuca, enlra-
doem 13 do eorrente mez, que Ihes lica marca-
do o prazo de 3 dias, contados desta data, para
vi [mi despacha -as. lindos os quaes ser.o ven-
didas em iraca no ira piche desta reparticao.
Marca M S C n. 501. Uiua caixa, espo-
letas.
Marca dous diamantes com VV no centro do
priiueiro e S. no secundo n 11,15. Cinco dilas.
phosphoros.
Marca diamaule S C. n. 2*20/29. Dez di-
tas, ditos.
Marra dianianlc 3:10 no centro n. 6365. Onze
dilas, ditos.
Marca diamante J D S C n. 92. Dez ditas,
ditos.
Marca F A P n. 1,15. Quinze ditas, ditos.
Marca diamante 536 no centro n. 66. Quinze
ditas, ditos.
Terceira seceo da Alfandega de Peniambuco,
20 de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Dommgo Joaquim do Fonstca.
As entradas verificadas at a data de hoje so-
bera a 108.651 saccas. sendo por:
Barcacas 42.093 Saceos
Vapores.....
Animaes. .. 3.724
Via-ferrea d Caruar. 6.968
Via-ferrea de S. Francisco. 45.156
Via-ferrea do Limoeiro 8710
Somma. 108.631 Saceos
O vapor inglez -Ncgretia, carregado por J.
II. Boxwell, levou para Liverpool 26.608 saceos
com assucar mascavado.
touros
Mercado frouxo, com offertas de 370 res para
os seceos salgados.
Agurdente
Cota se a 90*000, nominal por pipa de 48' li-
tros.
Alraoi
Ultimas vendas, 160*000 por pipa de 480 li-
tros.
He
Cota-se a 50*000 por pipa de 480 litros.
Paula da alfandega
SEMANA 18 A 23 DC PIVBBCIBO DE 18"9
Vide o Diario ie 17 A avos carga
Barca portugueza Novo Silencio, para o Porto.
Barca sueca Are/, para Santos.
Patacho inglez Pfggie, para Mentevido.
Patacho hollaudez Broedertroice, para Pelotas.
Vapor inglez Lochiel, para Liverpool.
Aavlos descarga
Barca r.orueguense Frida, carvo.
Barca norueguense Frhyof, carvo.
Barca ingleza Sobrina, farello.
Barca p.nrtugueza Tentadora, kerosene.
Barca inglesa Paradero, hacalho.
Barca norueguense Josva, cai-vto.
haiti. carvo.
Brigne sueco Pepita, carvo.
Es i Abeja, bacalho.
iagfez Viola, bacalho.
r nacional Murinho VII, carvo.
Laar noru Varuna, farello.
.y Cory, bacalho. \
kUian, car
Importacio
Lugre uortuguez Ve
n* ft C, nanifest'
Sr. Dr. chefe de polica in-, Companhia Aalacoan
publicar para couhecimento \^. % t J
r. 1. do rgulamento para a t liiqiiO e 1 eClQOS
OIHw. S
ferino manda
de todos o art 1. do rgulamento para
matricula de boleeiros e carroceiros, afim
de que nao se reproduzam os abusos que
se tem dado, de dirigirem carros e car-
rocaB individuos nao matriculados, recom-
mendando n'esta data ao mostr de cam-
pos Francisco Justino de Assis, toda a vi-
gilancia para que seja cumprido fielmente
o menciodado artigo.
t Art. 1. Ninguem poder sei admitti-
do :i<> governo de carros, seges, mnibus,
oarrogas ou qualquer outro vehculo de
conducsao, seja na qualidade de boleeiro,
seja na de carroceiro, sera qne esteja ma-
triculado na reparticao de 1 olicia.
Secretaria de Polica de Pernambuco.
20 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Joaquim Francisco de. Arruda.
Secretaria da Instrucc,ao Pu-
blica, 26 de Janeiro de
1889.
Fago Babe/ a quem interessar possa, de ordem
do -. Dr. inspector geral da-ini,trucc3o publica,
que podem ser procuradas nesta reparticao as
cadernetas da Caixa Econmica Escolar da 3*
eadeira do sexo masculino da freguezia de San-
to Antonio, rccolhidas pelo ex-professor Fran-
cisco da Silva Miranaa, constantes da relaco
infra.
Relacao das ca'iernetas da Caixa Econmica Es-
colar da 3- cadeira do sexo masculino da fre-
guezia de Santo Antonio, anda nao reclama-
das.
a
del
1879 S. 2.021 Joao Gomes Pc-
' reir da Silva, folhas 38
S. 3-774 Manoel Pedro
Alexaadrino de Lima,
dita 68
1880 N. 2.011 JoSo Baptista
Lopes de Castro, dita 48
N. 2.012. AUredo Proco-
{io Lopes de t^istro, dita
9
1881 N. 2.084 Theotonio Ari-
pino dos Santos, dita 1<>
N. 3.516 Gustavo de Sou-
za Lopes, dila 17
N. 3.317 Jo&o de Souza
Lo|>es, dita 18
X. 3.510 Martiniano Joa-
quim de Mello, dita 21
N. 3.805 Joo Silverio da
Costa Oliveira, d ita 30
N. 4.638 Manoel Soares
Monteiro, dita 45
N. 4.640 Lupicnio Fer-
nando da Silva, dita 47
1882 N. 5.021 Victorino Duar-
te Pereira Lima, dita 8
N. 2-388 Capitulino Tho-
lu Baptista, dita 16
N. 4.611 Manoel Candido
Ferreira da Silva, dita 19
N. 4.647 Al exandrino
Tavares, dita 20
N. 5-029 ArthurForrcira
Soares, dita 34
X. 5.311 Baymuado Al-
ves de Souza, dita 42
1883 X. 5.312 Luiz de Franca
Soares (ou Souza.) dua
31
X. 6.183 Alvaro de Oli-
veira Colas, dita 37
X. 4.642 Joao dos Santos
Pereira Braga, dita 57
1884 X. 6 371 Joaquim de Sou-
za Pinto, dia 12
X. 5.6i6 Manoel Silverio
de Miranda, dita 20
X. 7.145 Amaro Joo de
Alencar. dita 37
X, 8.196 Rosa de Lima
dos Passos Barbosa, dita
4
1883 X. 5.618 Carlos Henrique
Soares. dita 41
X. 5-975 Alfonso Dantas
Teixeira, dita 36
Fraecoes
1*000
100
ISOOO
3*000
3,MX>0
ICO 10*600
600 5*000
600 55000
520 lOOOO
KS00O
400 2*00
100 1*000
9*000
140 17*000
11*000
500 7*000
740 1*000
360 3*000
' 11*000
840 2*000
309 1*000
45000
630 4*000
500 6*000
400 1*000
800' 3*000
700 4*000
85700
Recife, 21 de Janeiro de 1889.
Francisco d* KM Miranda
Os prcteiidcutes devem apreseutar-se devida-
meiitc habilitados.
O secretario;
* ergentino Stiraica de Aruujo GtUto.
SANTA CASA
CASA PARA ALUCIAR
Ra da Moeda n. 49, armazein 240*0011
dem do Vigario Tenorio n. 27, loja 24O*O0:i
dem idem n. 22. 3. andar -80*000
dem idem n. 25. i. andar 360*000
dem do Bispo Sardinha u. 3, "i." e 2."
andares e sotao 400*000
dem do Bom Jess n. 29, 3. andar 200*000
Idem do Mrquez de Olnda, sobrado
, .44 H 2:131*000
Idea do Bom Jess n. 13, I. andar 2405000
Becco ilas Boias n. 14, loja l.c2. an-
dares 480*000
Um sitio em Parnameiriuo. 400*000
Barricas vuzias 300 volumes e 200 1[2 ditas
ordem. .
Banis vazios 100 ordem.
Pipas vazias 100 a Pert&ra Pinto & C
Barca Horueguense Braco, entrada de Liver-
pool em 21 do eorrente e consignada a Browns
C., manifestou:
Cartao de pedra 683 toneladas a empreza do
gaz. '
* Exportac
RBCtn 20 DE FKVF.KE1I10 DE 1S9 ,
Para o exterior
Xo vapor inglez Handel, carregou :
Para Liverpool, C. P. de Lemos 1,500 saceos
com 60,000 kilos de carocos de algodao.
Xo vapor inglez Lochiel, carregaram :
Para Liverpool,' J. H. Boxwell 5,000 saceos
com 373,000 kilos de assucar mascavado; B.
Xeedhaui 4 C. 1,000 saceos com 73,00 > kilos de
assucar mascavado ; Julio & Innao 800 saceos
com 60,000 kilos de assucar mascavado ; J. Fer-
nanda] 632 saceos com 47,400 kilos de assucar
mascavado.
No vapor americano .illitnra, carregou :
Para New-York, Leo Hess 25,376 peles de
cabra.
Xa barca portugueza oco Silencio, carre-
garam :
Para o Porto. P. Carneiro & t*. 5 barricas com
500 kilos de sebo e 2 pipas com 910 ditos de
fraxa : M. Lima & C. 224 couros salgados com
,688 kilos.
Xa barca portugueza Ceres. carregaram :
Pura o Porto. J. S- Loyo & Flho 44< saceos
com 33,223 kilos de assucar mascavado.
Para o interior
Na barca nacional Mimosa, carregaram :
Para Rio de Janeiro, B. Oliveira 4 C. 1,000
sacros com 75,000 kilos de assucar branco.
Xo vapor nacional Arlindo, carregaram :
Para Rio de Janeiro. P- Crneiro &C. 38 far-
dos com 5.700 kilos de algodio ; P. Valentc &
C. 30 pipas com 24,000 litros de agurdente.
Xo vapor t'rancez Ville de Baliia, carrega-
ram :
Para Santos, Amorim Irmos & C. 300 saceos
com 80,000 kilos de assucar brauco, 500 ditos
com 30,000 ditos de dito mascavado. 10 pipes
com 4,800 litros de alcoel, 50 pipas e 100 barris
can 39,600 ditos de agurdente.
Para Rio de Janeiro, B. Oliveira & C. 20 pipas
com 9 6#0 litros de agurdente k. Pinto & >..
SO pip^ com 24.000 litros de agurdente.
Xo lnate nacional Bom Jess, carregaram :
Para Aracaty, H. Oliveira 60 saceos com 3,600
klos de rnilho ; M. Menezes 100 saceos com fa-
rinha de mandioca e 60 ditos com feijao ; F.
:,irenhas 1,079 saceos com farinha de man-
20 ditos com milho ; Fernandes 4 Ir-
G barricas com 360 kilos de assucar refi-
nado e 1 caixa com 10 litros de genebra.
Convidamos aos Srs subscriptores des-
ta companhia para, de accordo com os
arts. 9 e 10 dos estatutos ate o dia 17 de
Mar$o prximo futuro, realisarem sua
quarta entrada na razao de 10 [0 do valor
de suas acetes ao Banco Intenarcional
em Pernambuco.
Maceio 15 de Fevereiro de 1889.
Os directores,
Jos Teixeira Machado.
Jos Januario P. de Carvalho.
Propicio Pedroso Barreto.
De ordem do Illm. Exm. Sr. inspector da Al-
fandega se faz constar aos interessados que, do
1." de Marco vindonro principiar a ter execuco
o decreto r. 10.170 de 26 de Janeiro do eorrente
anno, abaixo transcripto.
DECRETO X. 1.170-D 26 db janeibo de 18b9
Estnbelece tarifa movel as Alfandegas para cer-
tos gneros fabricados no paiz. a qual ter
execuco do dir 1 de Marco prximo futu-
ro em diante de conformidade com o art. 2."
n. 4, da lei n. 3,396 de 24 de Novembro de
1888.
Em execuco do art. 2., n. 4, da le n. 3,396
c24 de Novembro do anno passado, hei por bem
decretar:
Art. 1." Alm dos direitos estabelecdos nata-
rifa das Alfandesas para as mercadorias com-
prehendiilas na tabella junta, cobrar-se-ha, do
da l." de Marco do eorrente anno em dianle, urna
porecntagem addicional, ealculada sobre os mes-
mos direitos, e proporcional oscillaco da laxa
de cambio, na razao seguinte :
De 22 1,2 at 23 dinheiros por 1*000 6 /
De mais de 25 at 27 1 2 15
De mais de 27 1/2 20 "/o
Art. 2." O ministro du fazenda determinar em
tempo oppoilunoa laxa qne lieve ser cobrada em
tocias as Alfandegas por occasio do despacho
para consumo das referidas mercadorias.
Art. 3." As alteraces de taxas assim delerm-
iiail.is entraran em vigor as mesmas Aifandcgas
no dia seguinte aoem que l'orem nellas recebidas
as ordens respectivas.
Art. 4." Ficam revogadas as disposicOcs em
contraria.
Joo Alfredo Correia de Oliveira, conselheiro
de Estado senador do Imperio, presidente do
eonselho de ministros, ministro e secretrio de
Estado dos negocios da Ka/.enda e presdeme do
Tribunal do Thesouro Xacional, assim o teuha en-
tendido e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro, ios 26 de Janeiro de
de 1889, 68." da independencia e do Imperio.
Com a rubrica de Sua Magestade o Imi-era-
dor.
Joii Alfredo Coi reta de-Oliieira.
Tabella a que > refere o decreto
ii. io.io denla dala
Artigo* da
tarifa Mercidorias
3<. Couros sem pello e envernizados, excepto
camurca e pellica.
32- Arreios. "
36. Calcado.
46. Malas.
53. Sellins e sellas.
58. .Conservas de carne c extracto de carne.
6'. Colla.
61. Espctmacelecni velas.
64. Linguas eun conserva.
67- Conservas de peixe.
72. Siearina em velas.
98- Fructas em conserva e em doce.
10". Tomates preparados de qualquer modo.
123. Fumo.
171. Perfumaras.
361. Aparadores.
365- Bahs e caixas.
366. Bancos, muchos e tamboretes.
372. Bcrcos.
373. Bidets.
374. Buhares.
381. Cadenas.
382. Camas.
385. Commodas.
386. Conslos.
388. Cpulas pura ornas.
390. Formas.
393. Genullexorios.
394. Guarda-loucas, copeiras o guarda-roupas
ou guarda-vestidos.
396. Lavatorios.
398. Mesas.
.408. Retretes.
409. Secretarias.
410. Sofs.
415. Toucadores e psvehs.
419. Obras uo classiiicadas de talha e tnobi-
lias moyeis.
467. Algodo em lio simples para trama ou
urdidura, cru. branco ou tinto e o torcido
ou entrancailo para pavios.
477. Riscados entrancados.
484. Cobertores ordinarios.
499- Lonas e meias lonas.
504- Meias nao especificadas.
509. Panno de algodo, liso ou cntrancado,
cr. .
514- Riscados lisos.
515. Roupa feita de tecidos especificados
nesta tabella.
516. Saceos nao especificados.
531 L em fio simples para trama ou urdidura
cr ou tinto.
532. Feliro liso ou estampado.
.r:ki. Baetas e baetOes.
337 Baelilhas e flanellas.
547. Chales, mantas, lencos e palas.
348. Chapeos de feltro.
350. Cobertores.
564. Pannos, easemiras e eassinetas
567. Roupa feita dos tecidos especificados
nesta tabella.
666 Papel de embrulho.
673. Barro ern obra.
852. Caixas para carros, earrinbos e carrua-
gens.
833. Carros e mais vehculos comprehendidos
neste artigo.
854. Carros para estradas de ferro.
83"). Garrofas e m.is vehculos comprehendi-
dos neste artigo.
1.027. Carros de mao ou de atierro.
4.073. Chocolate commum ou de refeicao.
1.076 Doces e confeitos.
1.092. Manequins.
Palacio do Rio de Janeiro, em 26 de Janeiro
de 1889.Joao Alfiedo Concia de Oliveira.
Terceira seceo, 20 de Fevereiro de 1889.
O chefe,
Domingos Joaqutm da Fototeca.
Prazo de trinta dias
De ordem do Sr. Dr. inspector geral da as-
trueco publica, faco saber ao profcssbr Joo
Cordeiro Fonseca de Medeiros, nomeado em vir-
tudc da portara da presidencia de 16 do corren-
te para reger a cadeira de 2.' cntrancia do sexo
masculino de Pesqueira, que lhe fica marcado o
prazo de 30 dias, a contar da data da mesma,
para assurnir o exercicio da referida cadeira.
Secretaria da Instrucco Publica de Pernam-
buco, 19 de Fevereiro de 1889.
O secretario,
Pcrgentino Sara iva de Araujo Galcao.
Hambui'go.O
He rl i m----
Bremen...
Fr an k fur t
sur Main...
Antuerpia..
Roma........
Genova......
aples.....
Milito e mais
340 cida-
desde Ita-
lia...........
Madrid......
Barcelona..
Cdiz........
Malaga......
Tarragona.
Valencia e{
outras ci-
da des d a I
Hes pa nha ]
e ilhas Ca-
narias......'
Lisboa......'
Porto e mais j
cidades de
Portugal ej
ilhas ...
Buenos Ay-
res .........,
Mon tevido
NovaYork.
Compra saques sobre qualquer praa do
imperio e do estrangeiro.
Rentllmentos pblicos
MEZ DK FEVERK1S >
Alfandega
Renda geral r
Do dia 1 a 20 599:7484' 89
dem de 21 45:848*117
Renda provincial :
Do dia 1 a 20 93:430*153
dem de 21 _3:055*489
Somma total
645:3965806
98:483*342
711:082*148
Segunda secco da Alfandega, 21 de Fevereiro
de 1889
O thesoureiroPlerencio Domingues.
O chefe da seccSo -Cicero B. de Mello.
Rcebedoria Geral
Do dia 1 a 20 36:872*832
dem de 21 4:454*289
41:327*141
Reeebcdoria provincial
De dia 1 a 20 10:882*283
dem de 21 428*643
11:310*926
Uatadouro publieo
Xesto estabelecimento foram abatidas para o
consumo de hoje 50 rezes pertencentes a diver-
sos marchautes.
Reeife Drainagc
Do dia 1 a 20 18:651*827
dem de 21 2:492*410
Recebe dinheiro em conta eorrente da
movimento com juros na razao de 2 /o ao
anno e por letras a prazo a juros conven-
cionados.
O gerente, W limn M. Westber.
82 ditos de legumes a 400 ris
18 ditos de somos a 700 res
9 ditos de fressuras a 600 ris
33 tullios a 2*
9
32*800
12*600
5*400
66*000
,. 192*040
Rendimentos dos ans 1 a 19 do cor-
rente 3:797*080
3:989*120
21:144*237
Mercado Municipal de 9. Jone
O movimento deste mercado no dia 20 de Fe-
vereiro foi o seguinte :
Entraram :
20 bois pesando 2,731 kilos.
617 kilos de peixe a 20 ris 12*340
51 cargas de farinha a 200 ris 10*200
9 ditas de fructas diversas a 300
ris 2*700
12 tabolciros a 200 ris 2*400
14 suinos a 200 ris 2*800
19 matulos com legumes a 200 ris 3*8.0
Foram oceupados:
27 columnas a 600 rfis 16*200
i escriptorio a 300 ris 300
26 compartimeiiUis do farinha a 500
13*000
23 ditos de comidas a {500 ris 11*50q
Foi arrecadado liquido at hoje
Precos de dia:
Carne verde de 240 a 480 reis o kilo.
Carneiro de 720 a 1 reis idem.
Suinos de 560 a 640 reis idem.
Farinha de 400 a 480 reis a cuia.
Milho de 380 a 440 reis idem.
F^jio de 900 a t*20; idem.
Vapores a entrar
MEZ DE FEVEREDJO
Xorte......... .Mandos........... 23
Sul........... Estrella........... 25
Europa....... Vte de Marankao.. 25
Sul........ Pernambuco....... 27
8ul..*........ Allianca.......... 28
!*ul........... -4racnia........i 28
Vapores a sabir
MEZ DE FEVEREIBO
Sul.......... Mandos........... 23as 5
Sul.......... Ville de Maranhao.. 26 as 4
Cear e esc... Pirapama ,........ 26as 5
Rio Formoso Jaguaribe......... 26 as 5
Macei...... Mandaku'......... 27 as 5
Xorte........ Pernambuco....... 28 as 5
Liverpool.....iraucania......... 28 as 11
Xew-York Allianca.......... 29 as 4
ttovimento do porto
Navios entrados no dia 21
Liverpool-31 dias, barca norueguense Braco,
de 411 toneladas, capito 0. Johnsen, equipa-
gem II, carga carvo de pedra; a Browns
Rio de Jaueiro-27 das, lugar americano S. G.
Hart, de 304 toneladas, capitao Peter Smitb,
equipagem 9, em lastro; allenry Forster AC.
Ilha #a Figueira 36 dias, e'scnna portugueza
Feitireira, de 74 toneladas, capito Jos Alvea
Castello, equipagem 5, carga varios gneros ;
ordem
Sahidos no mesmo dia
Pelotas e escala-Vapor nacional om-
mandante Luiz Jos Ramos, ca g-
neros.
Aracaty-Hiate
meniino
Barbados

.<

Indemnisadora
A directora desta companhia convida os se-
nhores accionistas a reunirem-se em assembla
geral ordinaria no dia 28 do correte, ao raeio
da, na sede da mesma. para o lim de aprecla-
rein b balanco, contas da airee-gao e o parecer da
commissao fiscal, e bem como dar-se. cumpli-
mento ao que determina o art. 27 2- dos seus
estatutos. Recife, i4 de Fevereiro de 1889.
Os directores.
Joaquim A Ivs da Fonseca.
Antonio da C. Ferreira Bnltar.
BASCO IlJEEffACIOM .
DO
Capital 'o.ooo:ooo*
dem rcallsado 1,000<000*
A caixa filial deste Banco funceiona
ra do Cominercio n. 40, sacca, vista ou
a prazo, contar os seguintes corresponden-
tes no estrangeiro.
LONON..(Banco Internacional
< do Brasil,
( London office.
( I^ondon A County
( Banking Company L.w
PARS......(llauque de Pars & des
(

Pays-Bas
Deutsche Bank.
Bank d'Anvers.
Banca Genrale e suaa
agencias.
Banco Hypotecario de
Espaa e suas agen-
cias.
\
Banco de Portugal e
suas agencias.
The London & River
Plata, Limited.
G. Amsink & C.
I
I





-
I
Drit) de PernambtacoSexta-feira 22 de Fevereiro de 1889
Frogramma da 13.a corrida
QUE m REALIZAR
Demiiio U de Fevereiro
9
.'
11
12
13
14
u
16
>'
Idadps
Pello
^aliirulida-
de

Cdr da c* lmenla
Proprtctarlas
Alaio........
Rodado.......
a
Russo........
Rodado ........
Io PareoEnaalo (! turma)806 metros.Animaes da provincia que anda nao tenham ganho premios em nenhum dos
prados. Premios : 200*000 ao 1, 30*000 ao 2 e 20*000 ao 3*
Ormond...... 5 annos.. Alazo........Pernambuco
Jatob........
Ida..........
Aquidaban.
Traviata.......
Corsario......
Phebo {ex-Pa-
tife)........ 5 Castanho
Janota........ 7 Rosilho.
Biscoutinho 3 Baio.
Ferrabraz2.
Roldio......
Druid 2-...... 5 Cardao.
Meduza...... "> Castanho.
Sinabrus....... i Rodado
Jonkopurs---- 3 Alazao.
Rocambole.. .* 4 Cardao
5o kilos.
55
55
55
55
53
55
55
50 -
50
85
55
55
53
50 -
53
Azul e branco.......
Ouro..............
Encarnado e branco-
Rosa...............
Azul e branco......
Riscado............
Azul e branco......
Grenat.............
Branco e azul. -
Encarnado e branco.
Azul e ouro........
Verde e rosa.......
Ouro e escarate
Azul listrado........
Branco e encarnado.
Preto e enea/nado. .
M. P. L.
F. P.
A. P.
S. Fradique.
F.S.
J. F. 8.
J. G. Cavalcante.
i. E.
M G. M.
P.J.
P. D.
Coudelana Independente.
J. Davies.
N. P. J.
J. A.
C. P.
1
2
3
I
S
6
7
8
9
10
11
12
13
U
13
16
1." Pareo-Ei
ero........
Dengoso....
Licorne.......
Tuturuba.. ..
Rojal........
Kis's-me (ex
Parbleu)...
Violo.......
Sneca......
Bismarck
Bilontra.....
Purs ........
Boceado......
Arreda......
Breas......
Meteoro.....
Vassallo.....
lie (2.* turma)800 metrosAnimaos da provincia que ainda nao tenham ganho premios em nenhum dos
prados Premios: 200*000 ao Io, 50*000 ao 2." e 20*000 ao 3.
3 annos..
4
7 -
4 -
4
5
5 .
5 i
4
3
o
5
4
3
7 .
o
Rodado -.
Castanho
Castanho claro
Russo........
Castanho- ...
Russo pedrez.
Rodado.......
Baio........
Castanho
Rodado ......
Castanho.....
Alazao.......
Russo........
Rodado......
Pernambuco.
50 kilos.
53
55
53
33
55 *
55
53
53 -
50
55
55
33
50
53
55
Encarnado, preto e branco.
Violeta e ouro.............
Grenat e ouro............
Encarnado e branco.......
Rosa e preto.............
Horran e encarnado......
Verde e amare!lo.........
Azul e amarello..........
Azul marinho e branco
Encarnado listrado........
Azul e branco............
Encarnado e branco.......
Azul listrado.............
Preto, encarnado e ouro ..
Branco e encarnado.......
lEncarnado................
Henrique G. L. Guimares.
A.N.T.
J. C. A.
R. R. R.
Saldanha.
Coudelana Dous Amigos.
F.B.
. P.
F.
P. H.
I. G.
M. G. C.
A. A A.
Coudelaria Desgraca.
Miranda Henrique.
Condelaria Unio.
2. PareoHlppodromo do Ca
ip brande1.609 metros. Animaes de qualquer paiz.
150* ao 2, 60*000 ao 3*
Premios : 600* ao 1,
Josephus
Price
Coupon .
Olga ....
Ernani...
o annos.
3 .
5 -
4
5
Zaino.......
Castahha.
Zaino....
Franca. ..
Inglaterra
Franca ...
S- Paulo..
Inglaterra.
64 kilos.
58 a
64
49 i
64
Azul e escarale
Escarate e ouro.
Branco c encarnado
Branco e ouro......
Rosa e preto.......
M. G.
A. M.
D. M.
M. N. Pontes.
P. C
3o Pareolavaren* Pemamnnrana 900 metros.Animaes da provincia que ainda nio tenham ganho premios n'esta on em
maior distancia em nenhum dos prados d'esta capital. Premios : 250*000 ao Io, 60*000 ao *> e 23*000 ao 3
8
9
10
11
12
13
14
II
16
Cabrion.......
Job............
Phebo tex-Pati
fe)......
Theso........
Pupiniquim...
Bonaparte (ex-
Vagabundo)..
Vlete (ex-Ra-
tao) .....
Jaboatao.....
Orion.......
Bolaxinlia......
Fanfar......
Orange......
Brizzard----
Etna.......
General.....
Mylord......
o annos..
0
5
4
1
Foveiro.
Russo..
Castanho.
Rodado.,
Rodado..
Castanho.
Pedrez...
Russo ...
Rodado..
Castanho.
Rusilho.
Baio...
Pernambuco.
35 kilos.
55
55
53
53
55 .
53
53 -
53
50
55
55 >
55
35
55
55
Encarnado e branco.
Branco, azul e parod.
Azul c branco.......
Verde e rosa.......
Grenale azul.......
Encarnado e branco....
Azul e encarnado......
Encarnado e branco.....
Amarello e verde.......
Branco e azul.........
Encarnado e branco
Preto, encaroado e ouro.
Encarnado e branco.....
Grenat e ouro..........
Branco e preto.........
Azul e ouro............
I. M.
H. Gibson.
J. G. Cavalcante
Coudelaria Independente.
Coudelaria 7 de Setembro.
R. G. L.
B. D. C. P.
A. A.
M. A.
M. G. M.
R. C.
A. 1. G. A.
M. M.
F. Oliveira.
J. B.
A. F. da R. LeaL
4. Pareo ProgrnM-1400 metros.Eguas at puro singue Premios : 350* a i., 80* a 2.' e 33* a 3.
Olga.....
Aspasia..
Alpha....
Gal lia..
Masco t le
Minerva-
4 annos.
3

b
4
4
Castanba
Alaza...
Preto.......
ouradilha.
S. Paulo........
Inglaterra......
S. Paulo........
Inglaterra......
Rio da Prata
S. Paulo......
31 kilos.
58
54
61
61
51
Ouro e branco......
Azul e ouro ........
Branco e encarnado.
Ouro e branco......
Encarnado e preto..
Brancoe encarnado..
H. N. Pontes.
G. & C.
D. M.
Coudelaria Emulacao.
Coudelaria Pavsand.
Coudelaria Cruzeiro.
5* Pareoerny Clan de Pernananu*
Traviata
Gracejo.....
Templar ..
Mouro. ...
Monitor...
annos.
Russo
Rodado.
m
Alazao.
Russo ..
i1700 metrosAnimaes da provincia.
Pernambuco.
Premios : 300* ao Io, 73* ao 2 e 30* ao 3o
54 kilos.
91
54
54
54
Azul e branco.......
Azul listrado.......
Preto e ouro........
Encarnado.........
Rosa e preto.........
F. S.
A. P.aV Silva.
I. M.
A. F.
Coudelaria Pernambucana.
6 PareoPrado PeruakanM
-830 metrosAnimaes de menos de meio sangue, que nao sejam da provincia.
300* ao 1, 75* ao 2 e 30* ao 3.
Premios
Figaro........
Favorita.....
Aymor.....
Recife.......
Galatha......
Alpha........
o annos..
6
*
5
6
6 >
Chita.....
Zaina
Castanho
Rosilha..
Alaza....
Rio Grande do Sul
Rio de Janeiro...
S.Paulo.........
Rio de Janeiro-
Hio.Grande do Sul
S. Paulo.........
35 kilos.
35 >
55
55
53
Encarnado e branco........
Violeta e ouro............
Verde e amarello......
Encarnado e preto.........
Ouro e azul................
Branco e encarnado........
S. S. Bastos.
Maia A Chrisosthomo.
A. M.
S. P.
Coudelaria Allianca.
D. M.
7 PareoVeloeldade800 metrosPequiras da provincia com 1 metro e 30 no mximo. Premios : 150* ao 1., 35*
ao 2. c 15* ao 3,'
5
6
7
8
9
?
12
Jaguar......
Sombrinba..
i Pacifico.....
Bodinho (e x -
Bentivi).....
Advanee......
Borracha.......
Sudan..........
Bel la-Rosa.....
Pilheria........
Elctrico.....
P e t i t R u y -
Blas)......'..
Boulanzer-
4 annos ,
Baio.....
Russo ...
Castanho.
Pernambuco.
Baio.....
Castanho
Pedrez...
Rosilho...
Rodado .
Rodado ..
Castanho
Rodado.
Alazo.
Verde e blanco.....
Verde e amarello. .
Encarnado e branco.
Rosa e preto........
Ouro...............
Verde t amarello. ..
Azul e amarello.....
Encarnado e branco.
Branco..............
Grenat e verde......
Azul e branco.....
A. L.
F.B.
J. F. M.
J. P. Costa.
M.
J. M. A.
J. Amoriin.
J.N.
R. A.
Lucio Jos Monteiro.
Coudelaria 1." de Janeiro.
G. V. C.
* Montado por amador.
BSJBRVAvOES
Pede-se aos Srs. proprietarios o obsequio de terem seus animaes as 9 horas da manha no ensilhamento,
visto como impreterivelmente ser cumplido o horario.
Os animaes inscriptos para o 1." pareo devem achar-se no ensilhamento s 9 horas da manha.
Os animaes inscriptos, para os outros pareos devem achar-s no ensilhamento 1 hora antes da determinada
para o parco em que tm de correr. *
Os jockeys que nao estiverem matriculados na secretaria do Hippodromo n2o poderlo correr, cumprindo-lhes
apresentar as respectivas cadernetas na occasiao da pesagem.
Os forfaits gerSo recebidos na forma do artigo 62 do Cdigo de Corridas.
HORARIO
Corridas
1. pareo
2*
3."
4.
5.
6.a
7."
8.9
11 horas
11 e 50 minutos
12 e 40 >
1' e 30 >
2 e 20
3 . e 10
A
e 50

21 de Fevereiro de 1S89.
O secretario, Jos Eustaguio Ferreira Jacobina.
{
Companhia de fiacao teci-
dos de Pernambuco
Por deliberagao da directora sSo convidados
os senhores associados desta companhia a se
reunirem no salo do edificio da Associagao
Commercial Beneficente, a 1 hora da tarde, no
dia 7 do prximo mez de Marco, para approva-
rem as contas flo anno findo em 31 de Dezembro
de 1883, e nomearem a conimissfto fiscal do cor-
rente anno.
Recife, 7 de Fevereiro de 1889.
Jos JoSo de Amoriin,
eeretario.
DCRBV CLUB
PERNAMBUC
PROJEGTO DE INSCRIPCAO
Recebedoria Provincial
O administrador da Recebedoria Provinciaj
em cumplimento da ordem do lllm. Sr. Dr. ins-
pector do Thesouro, constante da portara sob
n. 108 de 28 do corrente, faz publico para co-
nhecimento dos respectivos contribuintes que,
de accordo com a reaco abntxo, dar-se-ha prin-
cipio nestn repartidlo, no espnco de 30 dias uteis,
contados Je i de Fevereiro prximo a cobranga,
livre de mulla, das animidades e mais servicos
da Recife Draiofra Companv, relativa ao 2' se-
mestre do cxercioio lindo de" 1888.
Recebedoria l'iovincial de Pernambuco, -JO de
Janeiro de 18-!).
Francisco Aniynlhas de CarvalhoMoura.
Rflnaic a Freguezia do Recife
Ras: Mrquez de Olinda, Bom Jess. Alva-
res Cabra!, Couimercio, Hispo Sardinha, Torres,
Tuom de Souza, D. M.iri ele Souza, Vigario Te-
norio, Brrelo de Menezes, Mariz e Barros, Bur-
gOS, Amoriin. Moeda, Tuyuty, Companhia Per-
namlmcana, Madre de Deus, Domingos JosMar-
lins. Mscale. Rcstauraro, D. Maria Cesar, Vis-
conde de Itaparica, Pliarol, Areal, S. Jorge, Vi-
tal de Oliveira, Guara rapes e Baro do Trium-
pho.
Pracas : Assembla, Chaco e PedroI.
Travessas .-Vigario Madre de Deus, Cam-
pello, Domingos Jos Martins, orpo Santo, An-
tigo Porto, Bom Jess, Apollo, Areal, Para a
Fundigao, Occidente, Guararapes e Praga Pe-
dro I.
Largos : Alfandega, Corpo Santo e Assem-
bla.
Beccos :-Abreu, Noronha, Laigo, Pindoba,
Tapado e Paschoal.
Caes : Companhia, Brum e Apollo.
Freguezia de Santo Antonio
Ras :Imperador, Primeiro de Margo, Duque
de Caxias, Cabug, Bario da Victoria, Trinchei-
ras, Larangeiras, Larga do Rosario, Estreita do
Rosario, Francisco Jacintho, Joo lo Rogo. Ilha
do Carvalho, Conselheiro Pirriii. Nelto de Men-
dongj, Major Agostinho Bezerra. Vinle e Oito de
Setembro, Santo Amaro, Pedro Ivo, Mathi;is de
Albuquerque, Paz, Paulino Cmara, Fogo. Livra-
mento, Penha, Visconde de Inhauma, Pedro Af-
fonso, Nova da Praia, Marcilio Dias, Henrique
Dias, Lomas Valentinas, Coronel Suassuna, San-
ta Thereza, Vinte e Quatro de Maio, Palma, Mar-
Suez do Herval, Cadeia Nova e Bario de Villa
ella
Largos :Paraso, Carino, Penha, S. Pedro e
' raceta.
Travessas :Queimado, Cruzes. Mrquez do
Recife, Bella, Calabougo, Matriz, Flores, Carmo,
Bomba, Livramento, Arsenal, 1" e 2* da Praia,
Carcereiro, S. Pedro, Viragao, Lobato, Falcao,
Pocinho e Concordia.
Beccos :Bella, Calabougo, Matriz, !, 2 e 3
da Gamboa. Falcao, Io e 2 da Cadeia Nova.
Praga :Pedro II.
Caes :Vinte e Dous de Novembro.
Campo :Princeza.
Freguezia de S. Jos
Ras :-Marcilio Pias. Lomas Valentinas. Co-
ronel Suassuna, S. JoSo. Felippe Camarao, Mr-
quez do Herval, Vinte e Quatro de Maio, Dias
< ardoso, Passo da Patria, Padre Nobrega, Victo-
ria, Cadeia Nova, Vidal de Negreiros, Frei Hen-
rique, Dique, Assumpgao, Domingos Theotonio,
Padre Floriano, Christov.lo Colombo, Jardim,
Forte, Antonio Henrique, Nogueira. Santa Ceci-
lia, Santa Rita, Padre Muniz, Praia de Santa Ri-
ta, S. Jos, Pescadores, Praia do Forte, Ypiran-
ga, Imperial e Luiz de Mendonca.
Travessas :Martyrios, Ramos, Pocinho, Cal-
deireiro, Gaz, Matriz, Forte. Prata, Serigado, Co-
piares Nova de Santa Rita, Praia do Forte, S.
Jos, Peixoio e Lima.
Beccos :- Palma, Caldeireiro, Gaz, Assump-
gao, Nova de Santa Rita e Matriz.
Largos : Forte e Mercado.
Freguezia da Boa-Vista
Ras : Imperatriz, Conceigo, Visconde de
Pelotas, Tambia, Visconde de Albuquerque, Au-
rora, Capibaribe, Ponte Velha, Conde da Boa-
Vista, Riachuello, Uniao, Sauoade, Sete de Se-
tembro, Visconde de Camaragibe, Camarao, Ro-
sario, Gervasio Pires, Dr. Villas-Boas, Socego,
Principe, Santa Cnu, S. Goncalo, Coelhos, Hos-
pital Pedro II, General Scra, Coronel Lamenha,
Conselheiro A guiar. Leo Coreado, Barao de v
Borja, Mues Machado, Visconde de Goyanna e
Attracco
Travessas :Gervasio Pires, Atalho. Coelhos,
Barreiras, Veras, Quiabo, Joio Francisco, Man-
gueira, Campia e Palacio do Bispo.
Largo : Campia.
Beccos :S. Goncalo e Coelhos.
Pracas : -Conde d'Eu e Santa Cruz.
Thesouraria de Fazenda
De ordem do lllm. Sr. inspector con-
vido os credores de dividas de exercicios
lindos abaixo mencionados para virem re-
ceber as respectivas importancias, visto
ter sido concedido o necessario crdito
pelo Thesouro Nacional
Bernardino Alves Neiva 199(5998
Eloy Nahum de Souza Landim 136&875
Francisco Antonio Torres Ga-
lindo 1360875
Geraldo das Mercs Ferreira
Landim 2730750
Pedro Secundine de Souza Lan-
dim 2730750
Miguel Ferreira das Neves 890000
Manoel Constancio de Jess 890000
Boaventura Jos do Sacra-
mento 890000
Joio Corre ia de Queiroz 890000
Antonio Jos Muniz 890000
Tibmrcio Marinho dos Santos 890000
Demetrio da Paz Teixeira 890000
Francisco Manoel da Silva 4800000
Companhia do Beberibe 720800
Feliciano de Lyra 200000
Campanhia Pernambucana 22)5500
Thesouraria de Fazenda de Pernambu-
co, 20 de Fevereiro de 1S89.
O secretario,
Dr. Antonio Jos de Sant'Amia.
Da 7.a corrida
Em 3 de Margo de 1889
t. "SV?!,? PROSPERIDADE 80 metros. Animaes da provincia que*
anda nao tenham ganho premios no Derby, em' maior distancia. Premios:
2005000 ao premeiro 500000 ao segundo e 200000 ao terceiro.
t- *Vn%SPRADO PERXAMBUCANO 80 metros. Animaes de*menos:
de meio sangue. Premios : 3000000 ao primeiro, 750000 ao segun-
do e 300000 ao terceiro.
3. t*lH CONCORDIA i.O metros. Eguas at puro sangue Pre-
mios : 4000000 a primeira, 1000000 a segunda e 400000 a terceira.
4. ^Ik^o HIPPODROMO DO CAMPO GRANDE1.O metros. Ani-
maes da provincia. Premios : 2500000 ao primeiro, 600000 ao segun-
do e 250000 ao terceiro.
*- mil DERBY CLUB DE PENAMBUCO 1 .O metros. Animaes
de qualquer paiz. Premios: 5000000 ao primeiro, 1250000 ao ae-
gunao e 500000 ao terceiro.
IflTsftIMPRENSA PERNAMBUCANA f. cionaes at meio eangue. Premios : 3500000 a primeira, 800000 a
segunda e 350000 a terceira.
Observacoes
S semo aceitas para cada pareo as quinze propostas que primeiro forea
abertas.
Nenhum pareo se realisar sem que se inscrevam tres animaes de proprieta-
riosdifferentes.
A inscripcao incerrar-se-ha segunda-feira, 25 do corrente s 6 horas da tarde,
na secretaria do Derby Club praga de Saldanha Marinho n. 2, 1. andar.
Recife, 21' de Fevereiro de 1889.
O GERENTE,
II i:mi l Secretarla da IastruccSo Pabtl- estado e proffifesSo anterior do requerente
Thesouraria de Fazenda
SUBSTITUICAO DE NOTAS
De ordem do lllm. Sr. inspector e de confor-
midade com o oflicio da inspectora da Caixa de
Amortisagao de 7 do correte sob n. 82, fago
publico que. tendo npparecido na circulagao no-
tas do governo de 200*000 da o estampa, fal-
sas, que confundem-se com as verdadeiras, a
junta administrativa d'aquella repartigo resol-
veu que seja^i ellas recomidas at 30 de Junho
do corrente anno.
Assim, pois, sao convidados os possuidores de
taes notas a trazel-as ao troco at o referido dia,
pois que dessa data em diante soffrerao o des-
cont de 2 "i. durante os mezes de Julho a Se-
tembro, 4 "i,, de Outubro a Dezembro, 6 ( de
Janeiro a Margo de 1890, 8 \. de Abril a Junno,
10 "jo em Julho, e d'ahi em diante o descont
progresivo e mensal de 5 j. at perderem de
todo o valor, como prectiia o art. 13 da lei n.
3,313 de IfT de Outubro de 18G6.
Em !6 de i de 1889.
O secretario,
Dr. Antonio Mi de SantAnna
a escripta pelo proprio punho deste, sendo
a lettra e firma reconhecidas por official
publico.
O contracto s poder ser assignado por
procurador, se for provada a inipossibili-
dade do comparecimento pessoal do con-
trae tante.
Secretaria da Instrucgao Publica 24 de
Dezembro de 1888.
O Secretario
Pergentino Saraiva de A. Galvao
London & Brasilian Bank
Limited
Ra do Commerdo n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal, sendo
em Lisboa, ra dos Capellistas n. 75, No
Porto, ra dos Jnglezes.
martimos co.ura fugo
Compankla i>hen!\ Per-
nambueana
RA DO CQMMERCIO X. 26 1 ANDAR
Companljia ^e &e$i\xos
CQMTBA ::::
NORTHERN
de JLondres e Aberdaen
Posico financeira (Dezembro de 1885J
Capital subscripto 3.000,000
Fundos accumulados
Reeelta anuual :
De premios contra fogo
De premios sobre vidas.
De juros
3.134,348
577,330
191,000
32,000
O AGENTE,
John H. BoxiveU.
ea 4 de Dezembro de 18SS
PRAZO 60 DIAS
Contractos de cadeiras.
De ordem do Sr. Dr. Inspector Geral
de Instrucjao publica, e em cumprimento
e determinaclo de S. Exc. o Sr. Desem-
bargador Presidente da Provincia de 21
do corrente, se faz publico, que fica mar-
cado o praso de 60 dias aquem nteressar
possa para contractar as cadeiras mixtas,
Marayal e Gammelleira de Buique e a do
sexo feminino de Agua Preta, devendo os
pretendentes apresentarem suas peti5es
instruidas na forma das instruccoes de 24
de Maio do anno passado como abaixo se
declara.
I. Os titulados pela Escola Normal Offi-
cial e pela da Sociedade Propagadora da
Instruccao Publica.
II. Os que, mediante exame de capaci-
dade feito nos termos das disposicoes vi-
gentes, tiverem obtido diploma de habi-
litacSo.
III. Os que provarem haver exercido
o magisterio publico com reconhecida ha-
bilitacSo.
IV. Os que provarem exercer ou ter
exercido o magisterio particular as mes-
mas condicSes.
V. Os que, nao se achando as condi-
c5es mencionadas nos ns. I. a IV, tiverem,
todava, notoria aptidao para o magisterio.
Art. 4o. Os individuos mencionados no
art. antecedente tecSo preferencia, na or-
dem em que se acham enumerados para
as cadeiras que requererem, por modo que
soinentc se admittirao os da segunda classe
quando nao honver pretendentes da pri-
meira e assim por diante.
| Io Em igualdade de condicSes quanto
ao titulo ou diploma, preferir o candidato
que j tiver exercido o magisterio.
| 2o. Em igualdade de condicoes quan-
to ao exercicio do magisterio, preferir p
que tiver antes servido por outro meio
que nSo seja o contracto ou por interinidade.
| 3o Em igualdade de condic3es quanto
ao meio anterior de provimento, prefirir
o candidato, que tiver mais teinpo de
servigo.
Art. 5o. Quanto aos que foram contrac-
tados em virtude da lei de 8 de Junho de
1874 e do regulamento de 7 de Abril de
1879, fica-lhes mantida a preferencia es-
tatuida pela lei n. 1766, art. 9, segunda
parte.
Art. 6 Os que pretenderem o provi-
mento por contracto, deverao, dentro do
praso de que trata o art. 2o, requerel-o
ao inspector geral da instruccao publica,
exhibindo certidlo de idade, folha corrida
e attestados de moralidade.
Sao dispensados de apresentar folha
corrida os que exhibirem attestados de
procedimento civil e moral, passados pelas
Cmaras Municipaes, autoridades judicia-
rias e policiaes das localidades em que
houverem residido nos dous ltimos annos ;
os que, se achando no exercicio de em-
prego publico, exhibirem attestados dos
respectivos chefes ; e as edcamelas do col-
legio de orphSs e casa de expostos.
5 Io Os que requererem as condi3es
do art. 3o n. M, se tiverem exercido o
magisterio a titulo interino, deverSo pro-
var haverem assim, ensinado por mais de
tres annos com proveito para os alumnos.
O meio desta prva consiste na exhi-
bic3o do titulo de nomeacXo confirmada
ou feita pelo inspetor geral ; de certidlo
de exercicio, extrahida dos assentamentos
da secretaria da instruccao publica e de
attestado do delegado litterario quanto ao
aproveitamento dos alumnos.
| 2o. Quando os pretendentes orem ou
tiverem sido professores de ensino parti-
cular (art. 3o n. IV) deverSo fazer prova
por meio de certidao extrahida dos assen-
tamentos e mappas, constantes da secreta-
ria da instruccao publica, de terem ensi-
nado as materias de instruccSo.primaria W S1NISTR0S
por mais de cinco annos, e attestado do I At 31 de Dezeaabrode I *t84
delegado litterario e dospais dos alumnos^ MaritimOS.. ] 1 10:(
quanto ao aproveitamento do ensino.
Art. 7o. A peticSo para o contracta
Companhia de Segaros
AGENTE
Miguel Jos Alves
\. *Ra do Bom Jt-mm-X. *
SEGUROS MARTIMOS E TERRESTRES
Nestes ltimos sceutos a nica companhia
nesta praca que concede aos Srs. segurados semp-
yio de pagamento de premio em cada stimo
anno, o que equivale ao descont annual de cer-
ca de 15 por cento em favor dos segurados.

Companhia 1 m Imperial
^^
DE
Seguros contra Fago
EST: 1803
Edificios e mercadoria
Taxat baixas
Prompto pagamento de prejuizos.
CAPITAL
RS. 1 .000:0004000
AGENTE
BROMAS A C.
N. 5RUADOCOMMERCION
SEGIRO COMKA FOGO
Royal Insurance Company
de Liverpool
CAPITAL .000:000
AGENTES
R. DE DRUSINA & C^
13 Ra Mrquez de Olinda*-
Companhia de Seguros
ilARITIMOS E TERRESTRES
/ Encandecida ent lSSfi
CAPITAL 1,000:00*
edeve conter a declaracSo da filiajao, idad^
Terrestres.
URa do
1





*
Diario de.. Prnawibuco- -
.KIjL'1m)!S
CONTRI F&tJTl
The Liverpool llndoii dlobe
mSUHATTC3Tu:nMP3LlTT
blacsubn, mim & c.
Ra do Commefcio n. 3
" umim .
I CANA
COMPA^HIt PEBNA
DE
Naveg.ico eoselr pr Tpr
POBTOS DO NORTE
Parahyba, Natal, Maco, Mosmts, Araca-
ty e Cear
O vapor Piwpam
Commandante Carvalho
Segu no da 26 do corrate* as 5
horas da tarde. Recebe carga at o
dia 23.
Euaouimendas, pastagens.e dinheiro afrete,
at as 3 horas da tarde do dia' da partida.
ESCRTPTORIO
Ao Caes da Companhia Pernambucana
n. 12
COMPAQ Hit PKR\l1t'tt\t
DE
.\sTfs;ae5o costelra por vapor
Ro Farinoso e Tanraadar
O vapor Jaguaribe
Commandante Monte iro
Segwe no dia 28 de Fevereiro s 6
horas da maub. Recebe carga at o
dia .
Passaeens at s Choras da tarde do dia 23.
ESORIPTORIO
A Caes da Companhia Pernambucana
n.-12
Companhia Brasileira de
Navegado Vapor
PORTOS DO NORTE
O vapor Pernambuco
Coui i uandante" Antonio Francisco de
Almeida
E' esperado dos portos do sul at o
dia !! de Fevereiro e seguindo depois
'da demora indispensavel para os
portos do norte at Mano.
As encommendas sao recebidas na agencia
at 1 hora da larde do dia da sabida.
Para carga, encommendas, passagens e valo-
res tratase com os
AGENTES
PORTOS DO SUL
O vapor Manos
Commandante o Io tenente Guilherme
Waddington
E' esperado dos portos do norte at
o dia 24 de Fevereiro e depois da de-
'mora indispensavel seguir para os
portos do sul.
Recebe tambem earpa-para Santos, Santa Ca-
marina, Pelotas, Porto Alegre >e Rio Grande do
Sul, frete mdico
As encommendas so seraorecebidas na agen-
ca at i hora da tarde do dia da sabida.
Para carga, passagens, encommendas e valo-
res trata-se com os AGENTES.
Pereira Cameiro & C.
6Ra do Commerao==6
Io andar
j
< OMP%->III PKR.\.I1III C *> *
DE
tavegacia costelra por Vapor
PORTOS DO SUL
iacei, Peneito e Iraeaju1
O vapor Mandahti
Commandante Alcide
Segu no dia-27 do corrente s
5 hores da tarde. Reoebe car-
p at o dia36.
Encommendas, passagens e dmheiro frete,
at s 3 horas da tarde do dia da partida.
ESCKIPTORIO
Ao Cae* da Companhia Pernambucana
n. 12
Pacific Steam Navigation
Company
STRAITSOFMAGELLAN LINE
O paquete Araueania
Espera-se do sul at o dia
28 do corrente e seguir,
depois da demora do costu-
me para Liverpool por
I lafcoa. Bordean e Pl.vmoush
Para carga, passageiros, encommendas e di-
aheiro a frete: trata-se com-os
AGENTES
Wilson, Sons A (,. Limited
14- -RA DO COMMERCIO14
Boyal Mail Steam Packet
Companhia
O paquete Trent
(:"miuandante W. Chopmam
Espera-se da Europa at o dia 1 de
iMarco, seguindo depois da demo-
ra do costnme para
ni arelo. Baha.'Rio de Janeiro.
Santos, Montevideo e Biienos-
Ayres.
Para pasagens, fntes e encommendas trata-
Be com os AfaENTES.
O vapor Atrato
Commandante L. R. Dickiaaen
E' esperado do sal no dia 3 de
Mar?o e seguindo depois da demora
-aria para
Lisboa, Vigo. ^oiilhamploo e
Antuerpia
ReneoSo th passagens
Ida Ida tolla
A'L.,bo. 1 t x.,30
A'SotKharaotoo t-etaase t 28 *4
Cam;'r 'i-vados para n .itosde
Pernamb
? vigorar a quareotcoa imposta na
Repblica Arfentina, aos navios proredentes do
Brasil, osvsporesdesta companqianio aceilarao
pasMgeiros nem carga para bueoos-Ayres. ,
Para pasagen, fretes, encommenoas. trata-se
cornos
AOEN'J
Amorim Irmos & C
N. 3Ra do Bom JessN. 3
CETAEGEDltS REUNS
% Franrrin
DE
Xaregac* a vapor
/.mba Pernamlrace, Baltntj Rio de Janeiro e
Santos.
O VAPOR
Vilte de Maranho
Commandante Brant
E'esperado di Europa at o dia 25
de FevereirC', seguindo depois da in-
dispensavel demora para a
Babia, Rio de Janeiro e Santos
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapor* desta linha, queiram apresentar dentro
de 6 diasa contar do da descarga das alvarengas
qualquar reclamacao aaicernente a volumee que
porventam tenham seguido para os portos do
sul atim de se poder dar a tempo as provi-
dencias necessarias.
Expirado o referido prezo companhia nao se
responsabilisa por extravos.
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com o
AGENTE
ugiste Labille'
9RA DO COMMERCIO-9 '
United States and Brazil
M.S.S.C.J.
Ovapor Advance
E' esperado dos portos do
norte at o dia 2 de Mar-
co o qual depois da de-
ii3era necessaria seguir
pa*a a
Baha, lo de Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiro a frete : trata-se com os AGENTES.
O vapor Allianca
E' esperado dos portos do
sul al o dia 28 d Feverei-
ro o qual depois da demo-
ra necessana seguir
para o
aranho. Para, Barbados, S.
Thoniaz e Mew-York
Para carga, passagens, encommendas e di-
nheiroa frete : trata-se com os
AGENTES
Henry Forster & C.
8Ra do Commercio8
V lindar
It i o .rumie do Sul. Pelotas e
Porto-Alegre
Vapor iagJez Estrella
E'eswradotios-portos do sul
no dia 25 ddveorrente e seguir
Sarr o>; portos cima indicados,
epeis de pequea demora.
Recebe carga, encommendas e passageiros a
tratar com os
CONSIGNATARIOS
Pereira Carneiro &C.
6RUA.DO (X)MMERCIO6
1* andar
Companhie de Messageries
MantimBs
LINHA MENSAL
O paquete Congo
Conunaadaate Leoointre
E' esperado dos- portos do
tul no dia 5 de Marco,
eguindo depois dademo
ia do costnme para bor-
ctaux, tocando em
Bakare Lisboa
Lembrurse aos Srs. passageires de todas as
classes que ha lugares reservados para esta
agencia, que podem' tomar em qualqner tempo;
Faz-se abatimento de 15 OjO em favor das fa-
milias compostas de* peswas ao menos e que
pagaren i pnssagens iateirts.
Por excepyo, os criados de familias- que to-
marem bilhetes de proa, gozara tambem deste
abatimento.
Os TOles.postaes 6 sedan at o d 2 pagos
de contado.
Para-carga, pasaagt as/encommendas e di-
nheiro a frete: trata-se wm o
AGENTE
.
O paquete Nerthe
Coninaadaiue Jeaegalwl i
E'esperado da Europa no
lia dearco e segui-
r .depois da demora ne-
cessaria-para
Babia, Rio de Janeiro, Buenos-Ayres e
i MtUevido
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lagares reseivados para esta
agencia, que podem temaron quatMier tempoj
PreTine-se aos Srs. -e;etoedores de mercado-
rias queso se attendera a reclamaces por fal-
tas, nos volumes, qw; i fomn recouhecidas na
occasiao da descarga, aim como deverto den-
tro de 48 horas a contJ do dia da descarga das
alvareDgas, faeremqadqnep reclamacao con-
cernentes a vohimes qo<( porreatnra tenham se-
guido para-osporknMo-mu, afln de poder-se
dar atropo as frovideir^aa noesssanas.
Este paqnete ilhwinad 4 lnz -eleerica
Para carga, passage i:, encommendas e dir
nheiro a frete : trata-;e com o GENTE
Aunaste Labille
.9 Ra do Commercio 9
ParalSadeSMi
ti el
A escuna .portugu** Fsiiceira, segu-para o
indicad o. porto atf o fin domez,-porj ter par-
te da carga engajada i para o resto que lhe
falta tratarse com o en.dgnatark> Antonio Mara
da Silva, a ra da k>npanhia Pernambucana
numero 10. ____
Rio Graiwl.ee Pelotas
Para os portos cima, segoe-com brevidade o
lugar brasileiro M&mko'VIF; para carga trata-
se com os ronsignaau-ioa-Jos *da Silva Loyo 4
Filho.
^"" leTlok '
Leilo
De b caas com ctaasapagne fina, it 1/2 du-
like de pelles de bezerrs mixto e-choix. 1 factu-
ra de amostras, cont fien eoatames para homens
e meninos, calcas, piiiot, camisas, sabonete?,
extractos finos p 6 mi binas .para desarrolhar,
1 silho nvo, i barrica* presuntos de fiam-
tre. 1 capa nova par* piaao de rauda, q'icijos
iuglezes. ancoreas in vinagrt. inobilias de
junco, ditas de jacarand^unos, movis avulsos
de junco, jarros, ioucaa pata almoco e antar. co-
pos, atices, talhenv. i'ivPrsas fazeoaas-e miu
oezas
Ke\a-felrn. 99 do oriwatte
As 11 horas
armatem rua Mrquez de Olinda
n.48
Por interveinjao do agente
Gufimao
Leilo
de
\o
1 garrota ,lurina. prenhe
SEXTA-FEIRA ti DO CORRENTE
A 'a 11 huras
araaazeaa da -vma Marquer
e (Miad* u. ls
Por oct8siae"ledeii60''-de champagne, factura
de ronpas feilus para NUHln e meninos, mo-
vis, etc.
Por intervenco do agente
Gusmao
Leilo
de fardos com ceblas do Rio Grande ava-
riadas
Sesta-felra de Fevoreli-o
As 10.12 horas
No armazem do Sr. Annes, defrontt da
Alfandega
Por intervoneo do agente
Gusmao
Agente Silveira
2 leilo
Da casa terrea sfta rua do Socego n. 27
terreno foreiro
Sexta-feira, 99 do corrate
A's 11 horas
No arniazeiu rua do Imperador n. 45
0 agente Silveira por mandado e com assis-
tencia do Exui. Sr. Dr. juiz de direito de orphaos,
a requerimentode-D Joaquina Ceciliana da Fon-
seca, levar a leilo a referida casa.
Os Srs. pretendentes odem examinar^
Leilo
De movis
Sendo : 1 mooilia de amarello com 12 cadei-
ras-de guamico, 2 ditas de bracos, 2 ditas de
balanco, 2 consolos e 1 sof. 7 etagers; 3 jar-
ros, 2 quadros grandes, 2 ditos pequeos, 1 ta-
pete para sof, 7 pannos de crochet, 2 escarra-
deiras. 1 cama franceza" de amarello, 1 espelho,
1 toilett. 1 lavatorio, 1 commoda, 1 cabide gran
de, i dito menor. 2 mezas de amarello de peis
torneados, 1 sof. 1 marquezo, 1 rupola, 1 col-
chao, 1 armario, 4 bancas, 1 laboa para engom-
Hiadn. 2 escudas, 1 porta. 1 irein de cozinha. 1
pele de ouca. 1 candieir*. 3 quadros e outros
muitos movis.
Sexta-feira, 22 do corrente, s II horas
Na casa n. 37 da rua de Lomas Valentinas, unti-
ga das Aguas Verdes
0 agenie Martins, auloriado pela Sra..D. Pau-
lina Al ves de Oliveira, que se retira panirfort
da provincia, l'ar leilo dos movis e niaie
objectos existentes em dita casa e que serio
~- ndidos ao correr do nurtellu.
Agente Pestaa
LEILO
Do importante sobrado de 2 andares e sotSo, edi-
ficado no Pateo de S. Pedro sob o n. 4, ren-
dendo mensahnente 704.
Si al) hado 93 do eorrente
A's 11 horas
No armiiciii & rua (lolinp ii. 4
0 agente Pestaa, autorisado por mandado e
com assistencia do Exm. Sr. Dr. juiz de orphos
e do Illm. Sr. Dr. Tavares, vnder a quem mais
der o excellente sebrado de 2 andares e sotaOrSito
ao Pateo de S. Pedro n. 4, com os commedos se-
guintes:
Pavimento terreo, 4 salas e f saguo. Primeira
andar, 2 salas, 2 quarios e eosinba^ Segundo an-
dar, 2 satas, 2 quartos, cosinha e soto;. cujo so
bradamede 22 palmos de frente, cora 'i portas e
SO ditos de fnndo. ______ __
Leilo
De 2 casas terreas ns. 341 H e 341 I, estrada do
Grqcrra a JaboaUo. em solo foreiro, bm como
o terreno annexo. freguezia dos Afogados.
Sabbado 23 do corrente
A's 11 horas
Rua do imperador n. 39
0 agente Stepple. por mandado e com assis -
tencia doExm. hr. Dr. juiz de direito dos feitos-
da fu/.euda. a requirmenlo de Mauoel Felippc
Soutu-, levar- lu.loas casas e terreno cima t
desde j padem examinar.
Agente Burlamaqui
Leilo
MegNBda-felra. *5 do correte
A's 11 horas da man ha
De urna ptima casa .terrea Travesaa do
l'eixoto n. 23
O agente cima, legalmente autarsade, ven*
der urna casa terrea cora commodos paca lami-
lla, Travessa do Peixoto n. 23 : os Sr. pre
tendentes podein examinar a referida casa.
Leilo
Da armacAo, gneros e utensilios -existeni
tes na taverna sita rua do Bispo Sar-
dinha n. 11
Terea-felra I le Fevereiro
A's 11 horas
0 agente-Gusmao, autorisado, far leilao,-pon
conta e risco de quem pertencer, da armaco,>
gneros, e utensilios da taverna cima mencio-
nada, em um ou mais lotes vontade dos Srs.
compradores. Oarate*ge a chave.
Leilo
Da importante barraca denominada Tres Ir-i
maos, em perfeitu estado para navegar, com to-:
dos os seus nertences. oarregando 8,008 arrobas,1
a qual se acna fuudeada no caes 22 de Novem-
bro, por traz da rua de Pedro Aflbnso, antiga da
Praia.
Quarta-feira. 27 do corrente
As 11 horas
0 agente Gusmao, autorisado, far leilo na
portada Associaco Commerciai, da imj)i>rtante
e. perfeita barcada cima mencionada ; podapdo
os Srs. compradores desde j examibal-a.
___i__^i_
AVISOS DIVERSOS
AMA- Precisa se de urna cosinlieii-a que durma
em casa : rua das Flores n. 9.
Aluga se casas a 8*000 no becco dos toe-
lhos, junto de S. Goucallo; a tratar na rua da
Imperatriz n. 56L
Auga se o pavimento terreo Jo sobrado n.
46 rua da Roda, estando o mesmo caiado, pin-
tado e todo ladriihado de novo, contendo 1 sala,
2 quartos e cosiiiha ; a tratar ua rna doCabug
n. 16, !oja.
Alaga-se o sobrado :i 3 rua do Cae.- du
Gazome.tro, qu^ segu da Casa de Detenco, com
bons commodo? quintal com frueieiras : a tra
tarcom L; H. R. Valeria, rua das Trincheiras
numero'7 ______ __ _
Auga se o sobrado da nde d'u
n. 26 e o -< la rua Bu. Borjan.
26, com eommodos par., numerosa familia : a
tratar na rua da Aurora b. S^>. Bjercean
i.-a o. 28 rua d.
Ponte Vefta. com agua, gaz e bastante MWatll
na rua Visconde de Albquerque ti. 28. segundo
andar
risa-se de L-ua rosiureira para vestido ;
na rua-do Imperador i. W. 1- andar.
irecisa se de urna ama para todo servico
domestico em-casa de estrangeiro, paga-se beai;
a tratar na rua da Florentina1 o. 10. |
e-se Om bom copeiro para casa de
ou hotel, ou para outro em prego ; a tra
tar no pateo da Peni n. 8, hotel.
Em que liea o Sr. M. T. A. S., nem liquida
nem appance
Pargnnta-se ao-Sr. Francisco Raposo Fal-
c3o quando quer restitnir os movis, se nao paga
os alugueis e nem os entrega.
Cosinheira
Precis-se de urna boa cosinheira : na rua da
Aurora n. 119.
C achorrinho perdido
Desappareceu da casa rua do Pires h. 03,
esquina do Corredor do Bispo, um pequeo ca-
chorrinho branco, felpudo o qual acode pelo
nome de Duque ; pedese a quem o var achado
0 favor de entregar-o na mesma casa ou ra
Barao da Victoria n. 11, loja, que se ficar agr
decido, e se gratificar com generosidade.
A's maes de familias
QEBEIS V088GS FILH08 8EMPBE 8ADI08 ?
Administrae-lhes o xarope ou as
I lulas Vermipurgalivas
DO DR. CALASATfS
ptimas prepara55es de mastruz
e rhuibarbo, para a expulsan completa, sem
dores nem incommodo, dos vermes
intestinos ou loinbrigas
(DAS CBEAN^AS E D08 ADULTOg)
SEIS ANNOS DE SUCCESS
< Estas excclleutes preparaedes nao ne-
cessitam de purgativos como auxiliares,
visto serem purgativas por si mesma.
As pessoaa que tm vermes sentem c-
licas, tem constantemente diarrhas, indis
posiyao, sensa^So de corpos que se movem
nos intestinos, endurecimento do ventre, e
s vezes, vmitos. Rangem os dentes, quan-
do dormera, algumas e pessoas expellem
vermes com as fezes ou com as materias
dos vmitos. As crianzas apresentam as
pupillas dilatadas e inapetencia:
As pilulas levam impresso o nome do
DR. CALASANS e sao cor de rosa.
1 caixa de pilulas 1^200
1 vidro de varopc 153Q0
AS PRINCIPAES DROGARAS E
PHARJIACIAS
Pad
I
Telegramma
Vjame admirem
So o 55 rua Duque de Caxias pode
vender pelos precos que abaixo mencio-
namos.
Amor da China, novidade em padroes, a
200 rs. o covado.
Fustoes brancos a 360 e 500 rs. o co-
vado.
Velbutinas de todas as cores a 800 rs. o
covado. E' barato!
Casaos e capas para senhoras, o que
ha de mais novo e barato.
Cortes de seda, padrSes lindos e pre50s
razoaveis.
Madapolo om 1 metro de largura a
6)5 a pea.
Zefiros a 80, 170, 200, 240 e 400 rs.
o covado.-i
Ditos bordados a 800 rs. o covado.
Tecidos arrendados a 400 e 500 rs. o
covado.
Brins de cores a 320 rs. o covado.
Cortinados de crochet, couaa chic e
preco barato.
Cambraia Victoria a 25800 a peca.
Dita batista a 120 rs. o covado.
Sargelins de todas as cores a 200 rs. o
co-vado.
Guardanapos bons a 1)5800 a duzia.
Las modernas a 240, 280 320 re. o
covado.
Rendas hespanholas a 26 metro.
Lavas de seda a 26 e 3)5 o par.
Espartilhos coura5a a 4<5, B#le 6)5 m.
Merinos pretos e de cores, urna varie-
dade immensa em preces e qualidades.
Setins de todas as cores a 800 rs. o co-
vado.
Toalhas felpudas, grande redoccao em
precos em vista da grande quaotidade.
Enxnvaes parabaptisados o que ha de
mais moderno e por pouco preco, 10<5000.
Colchas de crochet milito chic.
Camisas inglezas com e sem collarinho.
Atoalhado para mesa a 15 e 15800
limito fino.
Collarn los e punhos de lindo e aigodSo
e por pre50 barato.
Babados e entremeios, grande sorti-
mento.
Madapolio pelle de ovo por 6# a peca.
EsguiSo pardo e chumbado a 400 rs. o
covado.
Urna grando variedade em lencos.
Gravatas e meias para homens.
Cretones para coberta o que ha de mais
barato e bom.
Mantilhas de renda a o ana.
Leques de setim muito chic.
Linn bordado com quadros a 800 re. o
covado, muito bonito.
Chitas escuras e claras a 240, 280 e
320 rs. o covado.
Cretones trancados, finos, a 320 re. o
covado, para acabar.
Casemiras de cores e pretas um grande
sortimento em qualidades e pre50s.
Casinetas, o que ha de mais bonito, a
400 e 500 re. o covado.
Tapetes grandes e pequeos por precos
razoaveis.
Crinoline preta e branca a 15600 o me-
tro.
Brins pardos a 320, 400 e 500 re. o
covado.
Cortes de vestido de cachemira com vi-
drilho o que ha de gosto.
Ditos do linn para vestidos bordados.
E' barato.
Cambraia branca, bordada, o que ha de
mais gsto e por preco razoavel a 85000 a
peca.
Dita cora salpicos a 45 e 55000 a peca.
Colchas argentinas a 65500 urna.
Ditas de 2^, 35, 45 e 55000
Bramantes de algodao e linho
os preos.
Grande sortimento
de todos
de cores
var
Precisa-se de urna am? para cofci
na rua da Praia u. 12.
em richs
e pretos.
Grinaldas para uoivas.
Luvas e leques para noivas.
. Bicos de cores muito chic.
Alm do que acabamos de an
temos urna quantidade de artigos que^go
vendo-se, se acredita, pelo que pedem qn
compareeam.
Dan se amostras sem penhor.
Setiuetas lisas de todas as cores a 400
re. o covado. Sao muito largas.
Roupa feita e por medida. ,
55-RUA DUQUE DE CAXIAS^-5p
FSPAMIESEAZEVEDOiC,
anas
Farinha secca para tender ; rende-se apada*
ria da rua do Brum n. 62.
Prefessor americano
Devido mudanca de residencia
MR. GEORGE B. NIND
Ende ser procurado* nos diaa -atis, na rua.da
onquista n. JO.________________________
Cozinheiro
1 Precisa-se de umtosinheiro ; a tratar na rua
do l aysand n. 19.
CHAPi ELEGANTE
Ra do Raror da Victoria n lt
Acaba de receber pelo ul-
liino vapor da Europa urna
collet'ao do chapeos para Se-
nhoras o (jiie ha de mais mo-
derno fino o elegante.: ven-
dempor preco commodo.
Carvalho Irmao&C.
Traspassa-se
ou arrendase urna casa para pequeo negocio,
em um dos pontos mais cenlraes do bairro de
Santo Aiitouio, pintada de novo e com armaco
nova : quum a pretender diriju-se rua Buro
da Victoria n. oi, 1 andar.
Pedido ao publico
Xa manh de iO-do corrente, s 6 horas.- des-
appareceu o menor de nome Leao, -pardo, da
casa n. 28 da roa do Principe, tratando calca e
camisa de algodo listrado de azul e descaico ;
pede-se s autoridades e pessoas dignas, que
encontrndolo, o levem dita casa, onde se dar
alguma gratihnacao.
Alug-a-se
a casa terrea ai rua da Cenquista n. 9, eom boas
accommodacoe, agua canalisada est limpa :
a tratar na.paduria do.OaniiQho Novo.
t
Iomo Jone da *ilva
Alaria Veoaocia da Silva, Mara A. da Silva,
Rita Angelina da Silva, Guilhermina Eulina da
Sirva Cesar, Isabel Juln da Silva Braga, Isabel
Rosa da Silva Purtado, Rosahna Regina da Sil-
va, Manoel Jos Alves da Silva, Joo Jos da Silva
Filho (ausente). Antonio Ferreira Braga, Joo
Antero Purtado, Irineo de Araujo Cesar e Clara
M, da Costa, muIher,fllhos, genros ecunhada an-
da profundamente envolvidos no golpe que aca-
ba de vibrar lhes a plida morte, convidam seus
amigos e parentes,. como os amigos e prentes
do fallecido Joo Jos da Silva, para assistirem
as missas, que pela sua alma, mandara rezar na
igreja matriz do Corpo Santo, s 8 horas do dia
25 do corrente, stimo do seu passamento.
* Desde j se confessam agradecidos a todos
aquelles que concorreram ao enterro, e de novo
assistirem as missas.
Commiimcac.a ao commer-
cio
Liza Florinda Pedrosa declara a todos os ne
gociantes desta praca e mais pessoas do seu cjK
nhecimento que absolutamente nao se responsa-
bilisa pelo pagamento de conta alguma realisada
por quem quer que seja, que para comprar abu-
se do 9eu nome verbal ou por escripto.
Ama
Na rua de Santa'Rita n. 83, se precisa de urna
ama para cosinha.
Carne verde
r. rs. o kilo
Vndese no talho da rua do Rangel, unto a
botica imperial, e nos talhos ns. 1, 23 e 29 do
mercado de S. Jos.
t
Mu ia Koni -s rereira. liarlos
Guilherme Pereira Basto, Cesan a Pereii
Bastos, Francisco Pacheco Soares, Antonio Pri-
o Soares, Joaqui.o Antonio Pereira Bastos,
Maria Pereira Bastos, Joo Pereira Bastos, Jo?
Pereira Bastos. Francisco Pereira Bastos, agra-
decem a todas as pessoas que se di^naram aconi-
panbar uttimu morada os r.-stos mortacs de
sua prezada mulner, irm, sobrinha e cunbada;
e de novo as convidara para assistirem as mis
sas que oor sua alma mandara celebrar na ma-
triz da Graca, A&7 1/2 horas da manh do dia
i-\ do correute,:stimo, do seu fallecimeBto, por
uejo arto de religio e caridade licaro eterna
ni ente "ratos
fimmm ^
a chave da casa -de um bom
estabelecimento em urna das
principaes ras de commer-
cio, na freguezia de Santo
Antonio. Quem pretender
4rija-sea esta typographia,
que se indicar.
Salo da Moda
Rua do \ isrmiile de Iiiliama n..S
(ANTIGA DO RANGEL)
Os proprietarios d'este mui acreditado
estabelecimento previneiu a seus fregu-
zes, que tem um completo sortimento de
fazendas, que vendem por menos 30 \u
do que em outra qualquer parte: como
sejam :
Linhoeinhos de quadros a 80 rs.
Las de quadros a 160 e 240 rs.
Zefires, muito largos, de 320 a 240 rs.
Cambraia df salpicos a 40000 a peca.
Dita Victoria a 2800.
Cretones claros que eram de 320 a
240 rs. o covado.
Chitas de 200 e 240 rs.
Fich com ramos e sem elles a 1|$000.
20000, 3^000 e 45000.
Baptiates de cores a 420 rs. o covado.
Camisas francezas a 2000.
Ditas de linho a 2(5800.
Ditas inglezas a 40500
Chales de casemira a 20000 e 30000.
Sargelim diagonal a 200 rs. o covado.
Meias'para homem, senhoras -e meninos
a 200, 240, 320 e 4U0 rs. o par.
Tambem temos um completo sortimento
de artigos para homem como sejam:
Casemiras, brins, fustoes para collete,
collarinhos, punhos, gravatas e muitos ou-
tros artigos que -sao precisos para, satisfe-
zer as exigencias do mais caprichoso
elegante cavalleiro, para o que montamos
uma oficina de alfaiate sobre a direccSo
de um perito mestre.
_ PRECOS SEM" COMPETENCIA
t
Jnunna (.inuiarai de M*deirOM
l'urtailti i '
Jos JoaquiovdaSilva-Guiiares esua mulner
Anua Rosa do Carino Guimares, mandam rezar
uma. inissa na -sexta feira 22 do correte, as 8
horas, na matriz da Boa-Vista, por alma de sua
mana e cuuhada Joauna Guimares Medeiros
Futtado, stimo dia do seu fallecimento, convi-
dam aos seus parentes e amigos e os da falleci-
da, para assistirem a este aeto de caridade,. que
desde j lhes sero gratos.____________
t

Julia Rom le Aruuju
Francisco Ferreira de Araujo, tundo receido
a infausta noticia do fallecimento em Portogal,
de sua prezada mai Julia Rosa de Araujo, con
vida aos seus amigos para assistirem n missas
que pelo eterno repouso de sua alma manda re-
zar na igreja da ordem terceira do Carmo, s 7
1/2 horas da manh de sabbado 23 do corrente,
trigsimo dia de seu passamento, confessando-
se grato a todos aquelles que concorrerem a esse
acto de religio e caridade._________
poii
1"
Manoel Hurliado
Manoel de Oliveira Menor e suu muiher Brgi-
da Machado Menor, tendo reeebii*> do Rio de
Janeiro a dolorosa noticia de ter alli fciiiecido o
seu prezado sogro e pai Manoel Maehado, con-
vidam aos parentes e amigos para assistirem a
missa que por alma do mesmo tem de ser rezada
na igreja da Santa Cruz, sabbado 23 do corren-
te, s 7 horas da manha, stimo dia de seu fal-
lecimento, pelo que desde j se confessam agra-
decidos.
t
Jos Paulino da >-ilva, seus lillios e genros,
agradecen) a todos os parentes e#imigos que so
dignaran! arompanhar ultima morada os restos
mortaes de seu prezado filho ; e de dotos con-
vidara para assistir a uma inissa que pon sua
alma mandara celebrar na capella do Asvlo de
Mendicidade. as 8 horas da manh do dia"23 do
corrente.
ice provincial
Havendo-se desencarni aliado do poder do
abaixo assignado uma apolle provincial n 27?
da 2." serie, do valor au 300*000 e juros de T
0/0, pertencente ao menor Mario, filho do Sr.
Dr. Andr Cavalcante de Albu'querque, faz-se
publico o fado, para h'ns convenientes
Recife. 7 de Fevereiro de 1889.
__________Joaquim Duarle Campos.
Vos amadores do carnaval
A bem conhecida loja de miudezas-BAZAR
DO RECIFE,a rua Mrquez de Olinda n. 11
cantiga da Cadeia) recebeu grande sortimento de
mascaras caricatas para homens, senhoras e
criancas, e grandes collecces para clubs e so-
ciedades carnavalescas, vende-se poiyarecos sem
competencia, quer pequeas ou grandes porces.
Vale a pena.visitar a loja de miudezas BAZAR
DO RECIFE para ver o melhor sortimento d*
mascaras que tem vindo ao mercado. TaDbera re
cebeu- grande sortimento de bisniaas de cheiro
e outros artigos proprios para o catMTal, nido
a precosmodicos loja de miudezas ;
Bazar do Recife
A' rua Mrquez de Olinda n.'ll
De Domingos M. Martin
Cosinheira
Precisa-se de uma ama para cosinliar ; a tra-
tar na rua; do Livramento u. 1.
Cosinheira
Precisa se de uma ama que cosinhe hem ; no
terceiro andar do predio n. 42 da rua Duque de
Caxias. por cima da typographia do Diario.
Pharmacia Bartho-
lomeo
Precisa-se de un pratreo: a tratar na rua
larga do Rosario r.. 34.
Professora
Uma senhora competentemente hihilitada.
rropOe-sea leccionar em collegios casas par-
ticulares as seguintes materias : portugue,
francez. msica e piano :' a tratar na rua Vis-
conde de Albuquerque n, 20.
atkinson
perfumara inglez^
Ercedt todas s ootraa pato ua
perfume exquisito.
Agua afamada de
'-JVAH2 INGIA de ATflfSfflK
4 '-'itro mniwxs conhecidoe terumeBT ]
'it'i' -un qoalldkda e odor delt'-tkFei*
):-
t
ta
O consellieiro-ios Pernardo Galvo Alcofo-
rado, sua muiher, cunhadas .e filhos convidam
seus prenles e amigos para assistirem u missa,
qne mandara resar no dia 23 do corrente, na
igreja do Monteiro, s 8 horas da manh, por
almade%ua cunhada. irm e lia. D. Isabel Can-
dida de Moraes Sarment.
Luz Antonio da Wllvctra Tavara
KiUwo- .
Luiz Anlouio da ^ilvaira Javora convida aos
seus amigos para assistirem as musas que man-
da rmar no d^a 22 do correute. trigsimo do
passamento de seu filho Luiz Antonio~da Silvei
ra Tavora Filho. as quaes terSo lugar na igreja
de N. .S. do Tereo. peas 8 1/2 Doras da niah :
desde j cordialmeute agradece o compareci-
enlo a esse acto de pjpdade e religio.
S ouq atni- Pmwm
Manoel J.iaquira i -ssoa manda reaar uma mis-
sa na matriz da Boa-Vista,, sabbado 23 do cor-
rente, s 7 horas da manh. por alma do seu
prezado irmo Joaquim Pessoa, stimo dia do
seu fallecimento. Para assistir a ella, convida
aroi~
> ;L"i Orisatal i Dentes ttnsflf
>vi ;,.r tmhelccr os 11
e pri"-rv^ u jengtra.
i. <." Ca-. ?# .':
J.5 C- ATKlflSOM
W*OW-B^ni Jttrrtt, Londrca^
46r i* tafcn-; Ctn" Itu-abruia"
aob- taj Lyr* m Ooro "
oocavadere^o ua totadada.
Cavallos roubados
Furtaram antehontem doengenho Matapagiw
do termo-do Cabo, dousravallos com os seguin-
tes signaes : um alaso. com frente aberla, an
dador de baixo e de tamaiiho regular: e o ou-
tro rodado, sem rauda nenhuiua. cabano e
ferro algum : quera delles ti ver noticias
dirija se ao referido encentro que ser g
mente recompensado.
Nova loj' de calcado-;
Rua da Mrquez de lfada i
4
NICA DES'IE GEKEK
DO REC
Recen temen te aberta achando-si
roes de bem ser.ir o respeitavel publico spen
merecer a confianca de- lodos os hab
provincia e das lintrophe-
Vende-se em grosso e a retai
cionaes e eeWDBiros por pre<
Recife. 20 de
v
.?
I


1
!



I
*
\
1/
* I


lQQrf.
DE PRECOS
21-H14 II0C11ESPU-21
OliVEIRA CAMPOS & (!. tend de receber b~-
vemente um sortimento de artigosnovos dealtanovidade,resolveram
fazer una grande reduccao nosgrecos dos artigos abaixo menciona-
Aula de paisagem
Acna-se aberta a matricula para a nul* do
paisagem? do tyeoo de Artes b Officios, a qual
luncoionara nos domingos, ao-meio da. san a
dipscgas do Sr. J. J. Telfes Jnior.
Cosinheira
fosinlipira ; nv roa Vclha
stoPrecisa-s- de urna
numero i3~.
dos, para os quaes chamam a atlen^o das suas Exmas. freguezas.
Linhos para vestido padrlea modernos a 160 rs. o covado. Mantas hespanholas, de seda preta 80QOO orna.
Creutnea fraasexes, odre cUras,. a 260 re. o dito. Kspa*tilhos,_ o que ha de melhor, de -
Merinos de coros, duas larguras, a 500 r. o dito. i ni.
AUoe.de cOres lavAuUa, de 2#000 a 1)5000 o dito.
Las de cores, desenhos do cachemira, de 900 a 600 rs. o dito.
Merino de quadros de 320 rs. o dito.
Fustao branca de 400 o 500.rs. o dito.
Murs^lina branca para oasacos r. 500 rs. o dito
aphiL de cor, listas e ouadroe a 500 rs. o dito.
Ditos arrendados, lindos goatos, a 600 r. o dito.
iB:U)s de listas- arrendados, altajnovidade, a 800 rs. o dita.
Etamines arrendados, da- crea, de 800 a 500 ra. o. dito.
Flor de Italia em quadrinhos, a 500 rs. de 900 rs.
Mursolinas de cor, de listas, a 400 rs. o dito.
Cortes de cambraia bordados transparente e tapado, de lrJiOOO
e 20(5000 por 94AOO e 12,0000 cada um.
Linao, padrea em qnadroa, a 440 rs. o covado.
anzakes padroes mimosas, de 280 rs. o dito.
Percales miudinha se pannos finos, a 200 rs. e dito.
Merino preto fino, da 20000, a 1^000 o covado.
SetinjLJVIaco de todas odres, a 900 rs. o dito.
Briin tino pardo para.vestido, a 400 rs. o covado.
Cambraia Victoria transparente, fina, a 3^000 a peca. g
0000
Fichus de cr arrendados, de 10000 um.
Capinhas. hespanholas de cor a 25000 uma.
Fichus de seda, muito hndoa, a 30*900 um.
Sargelini diagonal, todas as cores, a 240 rs. o covado.
Casacos de cambraia branca bordados, a 30000 e 4000 um.
Luvas de seda, todos os tamanhos, de 20000 a 3)5000 o par
LenojSes.de linho do Porto, a 40000 um.
Ditos, grandes para, cama francesa, a 60OOG um.
Cokhas de cor, de -20000 a 55000 uma.
Fichas, sortimento completo, de 20000 a 60000 um.
Lencos de linho com barrinha a 20000 uma duzia.
Camisas francesas, do 240000 e 360000 a duzia.
Meias cras para homen, de 40000, 50000 e 60000 duzia.
Ditas brancas cras, e de cores para senhoras.
Ditas brancas cras e de cores para enancas.
Chambres de cretone, de 50000 e 60000 um.
Cortes de casemira.de cor, de 60000 a 80000 um.
Cortes de fustao para collete, de 10000, 10500 e 20000 um.
Camisas inglesas de franella, la jmra, a 50000 urna.
Alm de outros artigos que deixanaos de mencionar.
r
t>.i..%A*Jk fcKtWif-H.HJ (.'.MMWrJMiiafiUUlD
RtCfinun-r teros e-* producto,
iv;,j-,.,r.'.1,, i*la- rWahridMM rdiun.
.<". res a iiu>- ; niu regenerador iiueMCftjkrce.
"ARjuMS RtClWMEIrOAOOi .
perfumara de mmn
GTAS CN'-Er.TRAAS para n leu.
AGUA DIVINA da* agua Ue*au4e-
LJE5 ARTIGOS, aSHSaVSe KA FABRItiA
fnms 13, ne d'Eigfai. 13- parsf
P t. Oto-ikMir da Amtrirm.
Misa*
saasaa
asa
.v luga-se uu..u boj r;i*avp;ira arando familia,
rom "gua, gaz e- est.liinpa. dclrciile da estaca o
dd Camnho ivo tratar na ra daCadeia n.
47, andar, ou Aurora u. 81.
21Rua do Crespo-21

OLESTIAS DAS CHEAUCAS
XAROPERABOI00AD0
de GRIM AULT O*
4p<>rr(i pe/a Jit da HjfHn* do Ma-4s-4a+in.
Mais activo que o xarope antiscor-
butico, excita o appetite, resolve
o engorgitamento das glndulas,
combate a pallidez, torna firmas
as carnes, cura os mos humores
e as croatas de leite das creanoas,
e as diversas erupcoes da palle.
Esta comhinarao vegetal, essencial-
mente depurativa, melhor tolerada
que os ioduretos de potassio e de ferro.
Em PJLR18, 8, Rnm Vtrimna.
0 PEITOAL Do Dr. Ayer.
As enfcnnidotles mais do, irosas e falces da rar
xuta jog pulwfes, ordinariamente desenToJvem-
te, leude por principio bases peguen, cu>.
rrsuHfulos no sao (imo^is de curar s promiiia-
.-!eiite se trado com o remedio coi. veniente. Pi ren
o progresse pode ser engaoso e a demora lalaj.
uu krafrMoaeaa. Tmme ao. raiiprecanM-me c
resaltado do Lrir.giUa. Aathniu BrouvitkitiR.
.MVeafe PnJmdMiar c a>Tsica,
X*daa as ajuiaa >jee leiu criabcas devem ter
0 Peitoral de Careja-uo Dr; Ayei
em esa.. jra o vmr era caso k. nesaliUde. a
penla de um t dia, pode e:n muitos cacea accarre-
lar serias cODsequencia9. Por tanto nio se deve
nerder Umpoi precioso,. *ipri>ado remedios
de efficatia duvfrlosa, eiuqoanto que a enerinj-
lade ae apodera do BjsUm* e ae arraiga promnda-
ii.. i ti'. cmrio que s*1 neceasita tomar ueese justante
o remedio maia corteeotivo enr.aea eV-ito, e e*^
i-emedio sem duvida Mf"1"" o PtiTwaaL l>
.'KKEJA DO DK. AyEH.
1'iEMIil PELO
DR. J. C. AYER k CA.,
Lowt-ll, Muss., K. U. A.
V' Tanda ptaneipaea paarmariaa4liofariat
1NFALLIVBL e RADICAL
no colativo de todas s affeccoes t ronchiaes :
Mal de Garganta, Toase 9 Tsica
PEITORAL
De ANACr/kHJJlTA
Remedio Vegetal da Naturez?. para o alli-
vio e cura de todas as molestias
Do Peito e dos Pulrncea.*
Aluga-se
acaea da ra Coronel Suassuna n. l.'O; a tratar
na na Mardlio Dias n. 106.
Aluga-se barato
a casa n. 47 travesea do Bartholomeo, os 1 e
2- andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
e os 1 2- e 3 andares do da ra do Brum n.i84,
todos cora bastantes aecommodaces para fami-
lia : a tratar na ra larga do Rosario n. 34.
iII Mi JiiTfllJIlil1
u\ li\ IHlLli r
58f^u;i Buque de (axas-58
't ANDE LUllilDAi'O
o
Principia na segunda-feim. de todos, s artigos que
ftuBaiB tle saldo do bajando do anuo prximo passado,
Jlhule ido-se pr metade doseu valor.
Grande (jnantidade de retaJhos de algOliosinho,
un>da;.ioHo,chitas, seda, setim, etc., etc.
56 e 58Ra Duque de Caxias56 e 58
CAPSULAS THEVEN0T
Molestias dos Intestinos
Cascara Sagrada (Laxativo).
Oleo ae Ricmo-PoophyUin (purgantes.)
FttO macho (Lombriga).
Contra as Affecijes do ligado e dos ria.
Etheroio ae Essencia de Terebenthma.
Essenca de TerebenUna pura.Terpinl|
Digital pulertsada fmotat do :orcJoA
Purgativo Julien
CONFEITO VEGETAL, LAXATIVO E REFRIGERANTE
contra PRISAO DE VENTRE
Approvado pea Junta central de Hxgiene pbuca do Buazil
Este purgativo exclusivamente vegetal se apresenta sob a forma de nm confeito
agradavel, que pnrgcom soavidade setn o menor incommodo. E' admiravel contra
as //"ccSe* do estomago e do figado, a ictericia, bilis, pituita, nausea* e jares. 0 seu
effeito rpido e benfico na enxaqueea, quando a cabeca est petada, a bocea
amarga, lingua tuja, falta o appetite e a comida repugna, as ichacoes de entre
causadas por inflammacao intestinal, pois nao irrita os orgos abdominaes. Emfim,
as molettiai de pelle, usagre e couvulsoes da infancia. O Purgativo Julien resolveu
e difficil problema de purgar as creancas que nao acceitam purgativo algn, pote o
pedem como se fosse uma pastilba de chocolate sabidadeconfeitaria.
Deposito em Paria, 8, Roa Virienne, e as principaes Pharmacias e Drogaras.
PHECSEM C( MPEFKN'JA
A' ra Prireirii le llardo n. 20
Dapoaitaxioa em FERNAMBUCO
SILVA *, Ca.
PEHEMA M\GALHAES
Recebedores directos dos mercados da Europa
Kquidan. os seguinles artigos com descont d^ 14 [o as
^luSSO
vendas em
3r,"utanjten '!e 'g>dao superiores, ;i ^0f> rs. o mtr, largura^.
lil<-ii. de puro iinho f^zendn iie 2520" para aeab:-.r ;i 15500, n-tro.
At.wlhado alvo, duas largaras, a 7(10 rs., IdlOC a JOO o dito.,
AlgodSo a!vn, nacional, para ler^es a 5(J;V)0 u ie5a.
LdapAU americano, a 3d600, 43000 e H^OOO, com 24 jardas.
Harpflcaa Ch J cima e escuras, cores firmes, a "0 rs. a d'to.
tea d-ina 120 rs. o dito.
Zefiroe de quadrinhoa, a 80, 160 a 200 rs. o.dito.
erina lisos de urna lai>gura a 2r>0 rs. o dito.
dem r .li-de renda chics a 1,5000.
C. chas Ir^ncczas de cCa-os a 2^000.e 4*000, nua.
Leuyes de bramante a lt.800, para cama de casal.
ras.
Camisas iuglezas e francezas a 26(5000 e 300000 a duzia.
Tapetes aveludados, grandes, a 14<5000 um.
Cortinados ricamente bordados a 5*500 e 6*000-
Pannos de crea para mesa a 1*100 e 1*300 o covado.
Cheviot preto e azul, a 3*000 o dito.
Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
Veludilhos de cores i pretos a 900 rs. o dito.
Rendas austracas para vestidos a 500 e 60 ra. o dito.
retine de todas as cores a 900 rs. o dite.
Setinetas lavradaa 200 e 240 rs. o dito.
Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
Meias cruas inglezas para homem a 2*500 e 3*!'0O a dtuua.
Ceroulas brdadas, de bramante, a 12**
Jauto
Atoalnado bordado a 1*200 o metro.
Alpaca indianas a 320 rs. o covado.
Ditas meacladas a 600 rs. o covado.
Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
Batistas finas a L40, 200 e 240 rs. o dito.
Brim pardo a 280 e 320 rs. o dit;
Baleias pretas a 260 e cobertas a 500 rs,
a duzia.
Bico8 de uma so vr a 2* a pera.
Bramante trancado a 800 rs. o metro.
Brins de cores para crianza a 260 rs. o
covado.
Bicos matiasdoa a 2*500 e 3* a posa.
Cumbraias bordaoas a 4* a peca.
Cachemiras de nadroc a 260 o covadu.
Cortes de seda paii. olete a 5*000.
Ditos de linn ona cartao a 7*000.
Colchas de damasco a 6*000 uma.
Cretone de alsace a 360>rs. o covado.
Cambraia arrendada a 460 rs. o dite.
Cachemira da India a 220 rs. o dito.
Chales adsjMaMMkM a, 2*500 um.
Gflft!i*4na bordados a 64000 o par.
Qajfihaa da cores a 2 2*t>(W uma.
,CmTc>. dt- casineta- S5C0 um. ,
Chambrea a 40-"*', o* e 6*000 nm.
Cortes de setiaeta a 6*000 um.
Cambn.". Vrtpria a 2*900 r peca.
Camisa^ ak' "" a 36*TK.K) a duzia.
Ck- '""niira iitai largin-as a ^(*0 rs. a
r ival".
Va* i- e(ar Colcki.- ; 'rtao a 3*50<"uma.
Camisas, de mcaa a 1*000. uma.
iCeroaias. de bramante a 15* a duie.
'Esgiuao .ido 360 i! 4*X> rs. o covado.
Elfcj^jiri.ii'. ciurqBCS "000 um.
Entremeioa boidailob a 7U0, 800 c 90Ct
, Completo oriiuiento do CM^smni b binn,
wof.. 1m1sj". l'u-hs, leneob. loques nautoann.i
do l.ouvre
Fichs de malha a 25000 um.
Fustao Braneo a 360 e 400 rs. o covado.
Dito de cor para roupa a 800 rs. o dito.
Guarnieao de crochet com matizes.
Gazes de crs a 500 rs. o covado.
Guarda-p para homens a 6*000.
Grinalda para noiva a 8*000.
Guarda p para senhoiae a 8*000.
Lencos com barra a 2*000 a duzia.
Loque a gr-duqueza a, 2*000 um.
w;"*.Wanei a l*2tR o to*X> a duzia.
Luvas de seda a 2* e 2#500 o par.
LinlioB de quadros a 80 rs. o << >. !o.
Las escos^czas s 100 rs. ti dito.
.L'Don de cores a 500 rs. o dito.
Merino do cores, duas larguras, a 800 rs.
o dito.
Meias com pintas, para senhoras, a 800 rs.
Madapolao americano a 6.~000 a peca.
Meias para homens a 3*600 a duzia.
lExtraeto Porte-Veine a 1*400.
Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
vado. ,
1'tJoiot de seda nalha a 7*500.
Ditos dejalpaca poetas 4*500.
Panno da costa adamascado.
Pacotes de p de arroz a 500 r>.
Percales fi as a 200 e220 rs. o covado.
P'Mipas para banhna salgadrs.
!!>:gtae de efirps a 1*0()^ ni n.
abjdaa-de .baile a,2&0':'" uma.
Suspensorios americano.-.
Sxrsolia) de cores a 20t) rs. o evado.
Setim d cores a 60 e 900 rs o dito.
Dito do Japftn a 240 rs. o dito.
TualfaaJ | ar.. ; U a 3*600 a duzia.
Ili-.- oca bsTilio a 1*400 uma.
" ::hos, Jiunilob, leos, toni-
: ;:ros.
ir10
16*000 h dit.
Corte de caaemiraa para calca a 4*O00 e 6*000.
.; uieia casemira a 2*000.
ibto grandes para roato a 4*000 a duzia.
Ideso. felpudas para banho a 12*000 a dita.
r~ ut..s artigos que serSo lembrados com apresr.iya df nosacs le.
Duque de Ci
LO JA DE
a Duque de Caxias- M
PKEKIRA k HAGALHAES
^;0LS de PEPSIHl PBA DTALISABA
de CHAPOTEAUT, Pharmaceutico.
Foi o Sflr Chapotbaut o primeiro cbimico que conseguio preparar e forneoer ao
mdico e aoa doentes, em perolas redondas, uma pepsina pura, nao contendo, nem
amido,aom au*etirdeleite,nemgelatinu.E' CioovzzeB mais activaqueapepsina que
figura na ultima edicao da Pharmacopeafrancesa e digere 100 vezes seu pezc 1e carne.
Sua acc&o da maioreftlcacia; duas prolas tomadas depois da comida basto
para favorecer e activar a digeatao, e fazem deaapparecer no fim de um quarto de
hora as enxaquecas, as dores de cabeca, os bocejoa e a somnolencia, que
sao s consecuencia de urna mi digestao.
Cada perola leva impresso em negro o no me CHAPOTEADI.
PARS. 8, Rne Vivienne, a em todit ti Drofiriat e Phtrmtcits.
AMA
Precisa-se de uma boa en-
gommadeira que fa^a outros
servidos, a tractar uo 3. an-
dar, por cima da typographia
do Diario na ra Duque
de Caxias n. 42.
Precisa-se de uma ama de leite ; a tratar na
ra Barao da Victoria n. 54, nova agencia de
movis.
Ama
Precisa-se de. uma ama para cosinhar em casa
de poucu familia : na ra do Livrameuto n. 23,
segundo indar.
Ama
Na ruaDireita n. 86, 2 andar, precisa se de
ama ama para casa de pouca familia.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar; na tra-
vesaa do Pires n. 5, Geriquiti.
Ama
Precisa-se dv ama ama para ooeinhar para
pequea familia ; a tratar na ra das Larangei-
ras n. o. ______
Ama
Precisa-se de uma,ama.; na ra do Imperador
n. 2, primeiro andar.
Ana
Na ra da Matriz da Boa-Vista n. 26. 1 andar,
precisa se de uma ama que cosinhe bem, para
nasa de pouca famiha._ ___
Cosinheira
Precisa-se de uma boa cosinheira ; na praca
Conde d'Eu n. 32. 2- andar.
Criado
Precisa-se de um criado ; na ra da Aurora
n. 119.
Professora
Lua aanhoa* en iotenteniente habilitada, con
Srai uslo 11 snaoa de profisso, aprc>ontaDd<
ivi ros attestados de bom metliudo e compori..
meo o, offerece-se para len ionar em e^sas ]:
ticv na cidade on em seos airabaM^ ns si-
en i-i uiatrriaa : Port;i fi' ivpt .. lao, rjbaifo de-rgnlhn. nc..
tr;i a ju Vternde de Guyauna u. CO ou
c, >i< ^ffMaas* dn Vn?nhn i } R. io <' '
PRODUCTOS LSrECIVES
lio II r. Carlos Ketleo-ourt
APPBOVADOS PELA JUNTA CENTRAL Vt
HYGIENE DA COBTE
Salsaparrilha e Caroba
GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
Elixir anti-rheuniatico, anti-syphiliico^eacre-
tado em ledas as molestias de pelle, eflHela,
arthros ou impingens, beriberi, aithra|ieB 01
carbunclog, cancros venreos, ferldas cance-
rosas, nlceriis, gonorrhas chronicas, boubaa,
bubOes, escrfulas e todas as doencas "que de-
pendem da nporeaa do sangue.
Este remedio superior a todos 0 ootros te
3eu genero, o que est provado pela preferencia
e acceitaco que Ihe d o publico.
Um vidro 3*00
Elixir de Jurubeba, Quina c
Pegapinto
tnico febrfugo e desobstruenTe
Empregado na debilidade geral, doengas
tomagOj convalescencas depois do parto, fel
palustres, molestias do figado e baco, falta
estomago, convalescencas depois do parto, febrst
palustres, molestias do I i ira d o e baco, falta se
apetite, anemia, chlorose, cores pallidiis ou bu*
de sangue, doencas nervosas.
E' um reconstituinte de energa, aromtico e
agradavel ao paladar.
Um vidro 3*000
Xarope de Jaramacar com-
posto
GRANDE PEITORAL
Tratamento curativo de todas as molestias ds
peito e da garganta, defluxos, tosses simples e
convulsa, coqueluche, conspacOes, asthma, oros-
chite, catarrtio chronico e tysica pulmonar e da
larynge.
E* o primeiro poitoral que se conhece at neje
na medicina.
Um vidro 2*300
A' venda na ra Barao da Victoria n. 51
Pharmacia Pinho
Coslureira e modista
franceza
Mdame Faony Sito tera- o seu atelier de no
das e costuras ra Bario da Victoria n. 45, 1'
andar, e confecciona todo e qualquer toilette,
com apurado gosto e elegancia, para casamea-
tos, bailes, visitas, passeios, etc., faz tambe
manteletes e capas sobre medida. Continua a
ter um lindo sortimento de navidades de Pars,
vestidos de seda, feitos. e em cortes de esa,
gaze, velludo, broch e crpe de chine, foulars*,
surabs, sedas e ottemanas pretas. Escolbto
sortimento em vidrilhos pretos, chapeos, caje-
tas e VlSllos lu.i n 9( horas. Telepbonr B.
93. Ra Barao da Victoria n. 15, 1- andti. a
Cautellas do Monte de Soccorn
Compra-se cautellas do Monte de Soccorro de
qualquer joia, briihantes e relogios; paga-se
bem na Praca da Independencia n. 22, loja se
relojoeiro.
RELOJOARIA
A antiga e bem acreditada officina de relojoei-
ro, sita ra Primeiro de Margo n. 4, acaba l
ser transferida para a ra adarga do Rom-
rio ii. 4*.
0 seu proprletario, tendo um completo e muito
bom sortimento de aviamentos, tesdentes saa
arte e com uma longa pratica da raeama, olTereee-
se ao publico em geral para encarregar-se de
todos concertos de relogios, caixas de msica,
etc., etc.
Espera continuar a merecer a confiauca se
seus fregueies e assegurarllies que ser secjprs
solicito no cumprimento de suas oraens.
42Ra Larga do Rosario 42
Gustavo Vollichard
... ri -v **w.'7>3^i y J-; QOOCHMNHXHK:. 3'
m m
Mat
NTd -QNE'y
Cavallos
i,
s, -j? eoic ; sito rr.= csratti 1 bmw de SS. MU. o Imperador-do BraxU, o F
Uolgtoa, o Bel dos Mu Baix s e o liei da Saxonia.
uppressaodo >0 PELLO
.^ E DA QUEDA.
"* SO este precioso Topc 60 nico que
' -.uDstitueooauaticoecuraradicalmenla
>ax poucos dias as manqlielra, novas
a anligasi as Toreedura, Contuaoes.
Tumores e Zncbacdec daa pamas.
' parava o Sobre-Caima, iTraqnexa e Sn-
- oreitaroeoto das pernos dos^Kjtros. etc., sem
occasionar nenhuma 9aaga, nem queda do pello
mc;rao durante o tamento
iola. etc
35 Apjios (Ex: -
3B.' K. x V.A /_
O rcsultav s cxtiaoi-diDarios que flb
(utico l 13 iiversa-v ftfiaoeoe 3
Pcfto, > OitarrUos, Bror
Ioleii*la, la Careante, O^j.a.
., co dio.logar coacur^.'^cia.
A tura faz** com a. tnio evi 3 nUnutot-, ser
or e -.' corlar, ne.' *rtpar o pello.
:sitaen Paris : rbarnacii GWEAU, Eos St-Kooor, 75, s.\ i. 'uaiHiirguciai. V
jjt HO HA HEPUGMANOiA
m
PagH'ha I*. JPOISOX com 1. #
Z-tt* futilhts, ds bsot airadavst,

*

u
r.',
2at Httilh Mita 19 tfrflgfmtmt

Aesall
ramia-ss bm too** as pncipKS fh tiati
Moleatis* de pollo
ELIXIR DEPURATIVO
do Dr OAZENAVE
gx^rmeo n esm ds uvital db sio um (dosnc** ba mu)
Beta Elixir representa as ultimas conquistas da selencia moderna a constitne
onasJs poderoso depurativo a renovador do aangua que se ooneoe.
iBpreea-se aampre com succaaao as aeguintes molestia :
Damo, 1 Herpes, Pityriasis, I Uloeraofies,
Boaanuu | Bsororolas. ( Prurido, j Psoriasis,
lypaaiis, a tastos as atislanlii resultantes mm aHaoSes vsaernu.
I Pars, 8, Ra Vivienne, e du princip. Farmacias
FERRO GIRARD
Approvado pela Academia de Medicina de Paris.
Approvado pela Junta Central de Hygiene publica do Brazil.
ans^i
. 0 Professor Hrard encarregado do Relatoro Academia demonstran c que
4 fcilmente acceito pelos doentes, bem tolerado pelo estomago, restaura
as torcas e cura a chloro-anemia; que o que distingue particularmente
este novo sal de ferro, que n&o causa pristi de ventre, a combate, e
elevndose a dse, obtm-se dejecgdes numerosas.
0 FERRO GIRARD cura anemia, odres paludas, caimbraa da esto-
mago, smpobrecimento do sangue; fortifica os temperamentos traeos,
excita o appetite, regulariza aa regras a combate a estsridade.
Deposito ai Paria, 8, Raa Vivieses tfsaa prlaolpaas Drogarias st Pbruaeias. ^f^
AS PEROLAS
QuininadoD
Apprcba^o tfa cd*V- Medicinr i* Par*
Cantara les centijrammas (dois graos'' ds Quinina pura.
\ ;:i!>peusavel STiuir a Firma :
"X
rAjmxOA
C^
Caa L FflERE, 19, ra Jacob, PAfl*
r





Diario de Pernambuco-
m
Typogaphia e Lithographia
FABRICA DE LIVROSDE ESCRIPTU-
Premiada as eiposle oes de
lS8elS3
Manoel J. de Miranda
Encadernac,ao e especialidades em cartees de
visitas.
39~Roa Duque de Caxias-39
Telephone n. 194.
Professora de piano
Urna senhora habilitada, nao s pelo seu es-
tudo, como tambem pela pratica, offerece-se a
ensiDr piano por presos niudieos, quer era ca-
sas particulares quer em collegios, podendo ser
procurada para o exercicio de sua prossao na
na do Jasmim n. 39.
VENDAS

VENDE-SE urna mobilia de amarello com
pedras, rnuito bera feita e com pouco aso'; a
tratar na ra das Trincheras n. 19 loja
Veude-se leite de vaccas da trra, puro, a
320 rs a garrafih garantiudo se a boa qualidade
aos fregueses que o comprar nest;i casa. Os
fregu/'-i encontrarfio o leite das as 7 hora?
da man'iJ, e tambera nos encaneganios de man-
dar le;'!' em caa de qualquer freguez : na ru
do Bu" n. 3
Ra D
^ojadoTrm^pIfo.
que de Cavia.
h oni troco, a 320 rs. o covado
DitwSBe quadros, bonitas a 300 rs.
Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
Zefiros largos de quadros a 240 rs.
Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
Ditos bordados linos a 700 rs.j
Etamiue arrendada a 440 rs.
Dita de listas abertas a 400 rs.
Setins de listrinhas a 660 rs.
Ditos da China (fantazia) a 240 rs.
saias bordadas linas a 300o
.Camisas bordadas tiuas para senhora a 4400)
Cambraia brauca bordada, a 4oO a pega.
Dita bordada de cor a 5500 a pega.
Cintas escuras muito boas, a 200 rs. o covado
Algodao largo ( 10 metros), a 24300 a peca.
Dito dito de 20 jardas a 42000
Toalhas acolchoadas grandes, a 4*500 a duzia.
Redes inglezas grandes a 5*000.
Guardanapos de lidio, a-1*800 udu/ia.
Camisas de linho sem punhos e sem colarinho
a 3*000.
Bramante de algodao 4 larguras, a 700rs. a vara.
Tapetes grandes para sof a 14*000
Cortes d seda para rollete a 4*000,
Cortes ae casimira ingleza a 4*500
E outras muitas fazendas que se vendem mui-
to baratas para liquidar.
A' ra Duque de Cavias n. 49
Bastos db C.
Vinho de Collares especial e
da Madeira
Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
der Joaquun da ~ilva Carneiro. largo do Corpo
Santo n. 13, 1 andar.
Aproveitem!
Iiivre desembarazada
Vende se urna mercearia bem afr'eguezada, no
bairro de S. Jos, a qual vende mensalmente
1:500**30, o motivo da venda seu dono mudar
de ramo de negocio : trata se no pateo do Terco
numero 19.
Taverna
Veude-se urna taverna no bairro da Boa-Vista,
p<}HC0 capital, muito propria
para principiante,, utn motivo da venda se dir
a tratar na ra do Arugao n-
fecm localisada, de
para principiante.
"V ^^y;o.nijdpnoTT!
mero T
Para oDerby
Carlos Sinden recebeu grande sortimen
to de gravatas e camisas de cores propria*
nos amadores do Prado e est vendeo-
^or precos sem competencia.
Recebeu tambem collarinbos e punhos
de borracha de formatos novos. *
4Hea bakXo da victoria -48
A REVOLUCO DO 48
A' ra Duqae de CaxJas n. 48
Nesta loja denominada"^' RevolucSo,
tendo sempre um grande e variaflo depo-
sito de fazeadas, resolveu-se vendel-aspor
menos 30,r do que em outra qualquer
casa. Como sejam :
Toalhas felpudas 3 acolchoadas, brancas
e de cores, tamanho regular a ,120, 20j,
500, urna.
Merinos de quairos, lindos padries
200, 240 e 280 o covado.
Seda Alcaciana (fazenda de fantasa),
240 o covado.
Cachemiras de quadros com combina-
gao a 320 o covado.
Mimosa cambraia das mogas para cami-
sas a 3200 a pega.
Lindos cortes para vestidos em cartSo
com todos os aviainentos a 70 9|> 100 e
140 um.
Saias bordadas para senhora (recebidas
ltimamente de raris) a 3*5000 urna.
< retoes inglezes. francezes e allemaes
a 240, 280 e 320 o covado.
Zefiros de quadros, muito largos a 160
200 e 240 o covado.
Lindas colchas com palmas de cores
para noives a 10(5000 urna.
Chitas claras e escuras, muiros padres
.; 200 e 240 o covado.
Batistas com palmas e pintas, cores fi-
v ls a 120 o covado.
Redes Irancezas a 50 e 60000 urna.
Fechos de 1S, muito grandes, todas as
vies de 20000 por 10500.
Camisas francezas de linho (pechinca) -le
60 a duzia por 480.
Merinos finos com duas larguras, todas
as cores de 800 a 500 o covado.
dem idem dem idem preto a 800 e
10000 o covado.
Cortes de fustSo branco e de cores para
colete de 40 por 20000 um.
Madapoloes finos a 40, 50 e 60000 a
peca.
Atoalhado de linho, lindo desenho a
10700 o metro.
Cortes de caseinira para calca, finos e
modernos a 40, 50, 60 e 70000 um.
dem idem idem idem costumes moder-
nos a 200000.
Cambraia de salpicos muito fina com
10 ardas a 40000 a peca.
E muitas outras fazendas que s com a
p res enea das Exmas familias, pode rao ser
vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
lheiras, leques transparentes, bicos de co-
res, ntremelos, bordados, leos, extratos,
luvas etc.
48 DUQUE DE CAXIAS 48
Arma*;ao
Vndese urna armacao de amarello em per-
feito estado, propria para miudezas ou (abara-
a : a tratar na ra do Cabug n. H -A.
Ca briol et americano
Vende-se um, proprio para medico, muito
leve ; na cocheira da ra das Flores n. 35.
Mas Bar
A'
ALojadas Listras Azaes
RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
Telephone a. til
0 proprietario desta conbecida casa previne as
Exmas. familias e todos os seij^^B
uczes, que as pecbinchas que costuma
ar, nao sao nem maca forain (livididatfL,^
de outra casa como alguera anoiraria"
para engaar, vendendo fazeng oVdi-
narias por boas, ca-tume qua. a Lojn
dan LiNtru* Azuc nao tem.
As fazendas vendidas nesta casa sao de boa qua-
lidade, e nao levam; medida eseassa ;
aceita-se a fazenda vendida se, por
qualquer motivo nao fr de muito agra-
do da pessoa para quem for comprada.
D-se descont a quem comprar de 20*
para cima.
ESPECIALIDADES-
Hrlm de listras
20 varas a 60000.
Madapolo com um metro de largu-
ra a 60800 a peca.
Cortes de vestidos bordados em
cartSo a 100000.
Velludllho bordado a contas a 10600
o covado.
Cachemiras pretas, de quadros e
arrendadas a 20 e 20500.
Tecldos fantazia arrendado proprio
para baile e theatro a 400 500 rs.
Cortes de cachemira com guarnieres
bordadas, lindas cores, a 200 e -250000.
Setim Maco de todas as cifres a 750,
e 800 rs. ^M
azues pecas com
Tav
ferna
Vende-se a taverna da ra de Luiz do Reg n
47, em Santo Amaro das Salinas : a tratar na
mesma ou no Caminho Novo n. 87.
FOLF^TIM
SEM MAI
POR
:a:lo s'osiioirc
DURANTE A TKMPKSTADE
(Continuado do n. 42)
CAPITULO VI
l m rilo na nolte
E de um elegante movel de carvalho,
todo ornado com productos da usina, e
que via-se ao lado da porta de entrada,
Ohaniers tirou effectivamente dous guar-
das-clmvas de seda.
Por que dous ? perguntou o doutor ;
Toce nao vai sahir supponho eu...
Sim, quero acompanhal-o at ra,
afim de abrir-lhe o portSo, que deve estar
fechado
O doutor nao insisti, e os dous ho-
mens, com os guardas-chuva abertos, de-
fcaixo do aguaceiro, que cada vez augmen-
tara mas, atravssaram o pateo.
Est um tempo medonho, disse Jor-
ge ; por que nao espera que elle se acal-
me um pouco ? Ficaremos a fumar alguns
charutos no salSo de baixo, quer?... Mi-
aba mulher nao o ouvir. Acompanhal-o-
kei at casa quando estiar a chuva.
Obrigado, haviam de ficar inquietos
li en casa. Ando depressa, encontrrei
carros na estacao do boulevard de Belle-
yille, canto do bairro do Templo. Ainda
Bao urna hora; ha muita gente pelas
tum.
Procura antes na praca das Festas,
que aqu ao p.
Nao, prefiro ir at ao boulevard, mes-
bo debaixo da chuva; andar faz-me bem.
De repente Jorge parou no meio do pa-
perguntou o medico.
>'ejo luz pelas frestas da janella do
aicj o arlo e estou admirado.
Em sua oasa ?
8SOOO a duzia
OLEO AMERICANO
O mals ecouoaiico. hyglenleo e
perfumado oleo para O
G .A. 3B dS Xj r, O
VENDEM
r.OXE DE HATTOS IIIT1 \OS
23-rua Mrquez de Olinda -23
_______BJErC^ra........_______
Pao centeio
Mille & Biset, avisara ao respeitavel publico,
que todas as tercas e sextas- feiras, tem este sa-
boroso pao ; ra larga do Rosario n. 40.
Nao, no meu gabinete de trabalho
da usina. Alli, est vendo?
Sim.
E' tanto mais extraordinario, quan-
do fechei hontem tarde a porta, deixei
as cortinas levantadas, estou certo. E
agora ellas esto abaixadas.
Quer que vamos ver o que ? per-
guntou o doutor.
Mas Jorge havia reflectido.
Obrigado, respondeu elle. Nao po-
de ser senSo meu cunhado Pedro de Sau-
ves, que sem duvida recebeu o telegram-
ma que cnviei-lhe s duas horas, dizendo-
lhe que sua irma comecava a sentir as do-
res. Tomou provavelmente o expresso
das seis horas e acaba de chegar. Parou
de passagem no nosso gabinete, cuja cha-
ve s eu e elle possuimos.
O medico nao insisti.
Os dous amigos chegavara ra, cuja
porta achava-se entreaberta.
Descia um carro a toda brida um pouco
adiante, provavelmente o fiacre que havia
trazido o Sr. de Sauves da estacao de S.
Lzaro.
Jorge chamou-o.
Mas a sua voz perdeu-se no fracasso dos
trovSes, cujos primeiros roncos comea-
vam a ouvir-se.
Deixe, dsse o medico, encontrrei
outro em caminho. At amanba! Sobre-
tudo nao acorde sua mulher e nao deixe
seu cunhado entrar no quarto della anies
da minha volta.
Nao tenha receio. H2o de ser ob-
servadas as suas ordens.
Os dous homens apertaram-se as mos e
separaram-se.
O medico afastou-se rpidamente, enca-
minhando-se para o boulevard, emquanto
Jorge Chaniers, depois de ter fechado cui-
dadosamente a porta, dirigia-se para o seu
gabinete, situado no pavimento terreo da
usina.
A tempestade estava nesse momento no
seu auge.
Os trov?ies rugiam ortemente, fazendo
estremecer a usina at os alicerces, em-
quanto os vidros das janellas chocavam-se,
tremiam, como se fossem voar em esti-
lhacos.
A' parte os relmpagos, que de longe
em longe illuminavam o e acudiam de to-
dos os lados ao mesmo tempo como que
clarSes de incendio, fazia urna noite escu-
ra, atroz, profunda, na qual nao se enxer-
gava a dous passos de distancia.
Na obscuridade opaca destacavam-se
sement os raios luminosos que passavam
por entre as frestas da janella do gabinete.
Jorge chegou finalmente ao limiar da
usina.
Linn bordado, tecido de urna s cor,
qualquer que se desej, a 200_rs!
Zeflros lisos e bordados, tecido fino,
novidade a 500 rs. .~ .
<* Uls de quadrinhos a 200, 240 e 360
o covado.
Llnhos lisos a 60 e de quadrinhos a
00 rs.
Guardanapos melhor qualidade a
10800 a duzia.
Atoalhado branco e de cores a 10.
Oleados para mesa redonda ou qua-
drada a 40000.
Cortinados de crochet, com sanefas,
ultima novidade, para janellas e portas.
Crochet para cortinados a 900 rs. o
metro.
Colchas de fustao, brancas e de eco-
res, a 20000.
Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
Hatlstes de cores seguras a 120 rs.
.\nnzue de lindas cores a 280 rs.
Brim pardo esguiao a 240, 280 e320.
Casinetas de cores escuras para rou-
pa de homem o>i menino a 400 e 500 rs.
Mantilhas de renda hespanhola, pre-
ta, de seda a 80000.
Capas e visitas, de cachemira, de ren-
da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
200, 250 e 300000.
Leques de pennao e transparentes,
ultima novidade, todo preco.
Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
Espartllhos inglezes a 40500 e 50,
tem desde o n. 40 at 80 de grosswra.
Blco branco creme e de todas as
cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
Rendas hespanholas, de seda e de
algodao, preta, branca e de qualquer cor.
Babados e entremeios bordados ta-
pados e transparentes por todo preco.
CJPampos e pentinhos fantazia para
cabello a 400 e 500 rs.
Baldas para vestidos a 260 rs. a
duzia.
Relogios despertadores com fi-
guras em movimento a 80 e 90000.
Aspas de 390 para vestidos a 120 rs.
o metro.
E muitas fazendas que se vende muito
barato para liquidar facturas Ka loja das
LISTRAS AZUES de
m.
Heeeberan modas de Pars
AZEVEDO, IRMaO & v.
16 Ra do B. da Victoria 16
(Antiga Nova)
I Lindas capas de surah, cachemira, me-
rino e renda o que ha de mais novo. Renda
comprimento de saia a 10000 e 10500.
Saigelim fino todas as cores a 200 o co-
Baleias com forro a 240 a duzia.
dem com forro a 400 a duzia.
Bramante de linho com 10 palmos
10500.
D.to de algodao com 4 larguras a 800.
Cortinados bordados a 50000 e 60000.
Ditos de crochet finos a 80000 e 100000
Estracto Rita Sangal a 20000.
Fichus de 12 e seda 10000, 10500.
CapellaB com veo bordado a 60000 e
70000.
MadapolSo^lobo a 70000.
Dito camiseiro a 70000.
Tapetes grandes para sof a 130000.
Espartilhos coura^a a 40000 e 50000.
Brins de linho cies fixes a 600.
Panos de crochet para cadeiras a 800.
Ditos de crochet para sof a 20000 e
30000.
Guardanapos de linho a 20500 a duzia.
Merinos de cores a 400 o covado.
Zefires largos a 160 e 200.
Setim maco a 800 e 900.
Toalhas para banho a 10000 e 10500.
MadapolSo com um metro de largura
a'60500.
Cachemira arrendada e de quadros
10500.
Crochet para cortinados a 700.
Toalhas felpudas a 30000 a duzia.
Camisas finas para homem a 330000.
Colxas de crochet com flores a 50000 e
90000.
Lindas velbutinas de quadros lisos e com
listas propinas para veo.
Nanzuc finos a 240 covado. ,
Ditas finas a 200, covado.
Cretones finos a 400 o covado.
Caixas proprias para presente.
Palitos de palha seda cores a 90000.
Pao verde para bilhar.
Leques de pennas.
Ditos transparentes.
Crinoline preta a 300.
Guarnieres pretas e de cores.
Camisas de flanella de cores.
Seda crua de quadros a 800.
Crep inglez.
Meias brancas de seda a 40000.
Cachemiras de quadros a 280.
FustSo branco a360 o covado.
EsguiSo fino a 10500 a vara.
Casemiras para roupa.
Roupa feita por medida.
TELEPHONE 200
O desengao Ir ver
Doce secco de caj su-
perior
Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
preco commodo ; na ra do Bom Jess n. 35,
armazem.
Cimento Portland
Vendem Soares de Amaral Irmos, a ra da
Madre de Deus n. 22.
Jos Augusto Dias
^^
Abri a porta, entrou *
Dez minutos nSo tinham ainda decorri-
do, quando um trovSo mais violento do
que os outros abalou a casa de alto a bai-
xo, emquanto no co moviam-se ardentes
serpentes de fogo.
No mesmo momento um 'grito agudo,
atroz, terrivel, grito de supremo appello
ou de indisivel afnicfao, grito de homem
ou de fra que se estrangula, atravessou
o espaco, dominando tudo, at o fracasso
do raio, at a bulla da chuva ahindo a
pique as ardosias do telhado, at os rugi-
dos do vento turbilhonando e fdesenca-
deiando-se n'uma formidavel tempestade
sobre as eminencias* de Beileville.
Passaram-se apenas mais cinco minutos,
e os raios luminosos da janella desvaucce-
ram-se, e logo depois a porta da usina
tomou a abrir-sc, e urna forma humana
appareceu vagamente ao clarSo dos re-
lmpagos, que continuavam a laucar sobre
a trra os seus brilhos offuscantes, mas
rpidos.
Essa forma era exquisita; dir-se-hia um
homem de estatura mediana, carregando
sobre os hombros um fardo, sob cujo peso
dobrava-se.
Mas os relmpagos haviam cessado, a
obscuridade tornara-se novamente opaca,
profunda, impenetravel... NSo se va,So
se ouvia mais nada.
A chuva continuava a cahir, m.
de um quarto de hora depois a te
de acalmou-se, cessou, os trovoes foram-
se tornando mais surdos, mais raros, co-
mo os latidos* de um cSo que nSo ladra
mais, mas que nao quer calar-se de todo.
Quando um outro relmpago brilhou no
horizonte, a usina achava-se silenciosa, a
casa de morada dorma na sua paz pro-
funda, com as janellas fechadas, atrs das
quaes brilhava frouxamente a pallida luz
laraparinas de opala; em torno das con-
struccSes pareca nSo haver ninguem nem
cousa alguma.
Se um espectador estranho alli estivesse,
julgaria ter sonhado diante de apparicSo
mystenosa, ou ter sido o joguete de urna
hallucinacSo causada pelo teror, que traz
inconscientemente coinsigo aquellas formi-
daveis detonajoes, aquelles abalos profun-
dos da natureza e dos elementos.
CAPITULO VII
Cha preto superior
Carlos Sinden avisa seus amigos e tre-
gneaes em geral que recebeu pelo ultimo
vapor cha preto novo e superior que ven-
de por precos mais resumidos em vista
da coninuaySo do cambio avoravel.
Convem que experimentem.
48 RUADO BARAO DA VICTORIA 48
S na loja das Estrellas
56--MA DUQUE DE CAXIAS -56
Telephone n. lo
0 proprietario deste mui acreditado cstabeleci-
mentn previne a todas as Exmas. familias
e freguezes em geral, que as muitas pe-
chinchas que costuma fazer, nSo sao mais
divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
AZUES; portanto, quem quizer comprar por
menos que em outra qualquer parle dirja-
se a LOJA DAS ESTRELLAS, onde encon-
trar um completo e variadissimo sorti-
mento de fazendas que se vendem por pre-
ces que nao Ihe ponera fazer competencia
como passamos a demonstrar, a saber :
Atoalhado para mesa, de 10800 a 10000.
Dito de cores a 10 e 10300.
Bramante de quatro larguras a 660 e
759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
mos de largura a 10600.
Brim de cores para ronpa de criancas a
280 e 320 rs.
Colchas de crochet de 100 por 50000.
Cortinados bordados a 50 e 60000.
Cortes de cambraia, bordados, brancos
e de cores a 40 e 40500.
Cortes de vestidos, em cartSo, a 70000.
Cretones, cores claras e escuras, a 160,
200 e 240 rs. o covado.
Cambraia branca, transparente ou Vic-
toria, a 20800 a peca.
Camisas inglezas para homens a 280000
a duzia.
Collaninhos, punhos e aberturas de cel-
luloid, um completo, por 20500.
Capas de vicffilhos e tecidos arrendados
a 100, 150 e 200000.
Casacos Jersey a 20500, 30, 40 e 50.
Damass de seda com lindas cores cla-
ras a 10200.
Esteiras brancas e de cores para forro
de sala a 10100 a jarda.
EsguiSo de linho, pardo, a 240 e 320 rs.
Enxovaes para baptisado a 50600.
Espartilhos cornea a 30 e 30500.
Fichus a 500, 10 e 10200.
FustSo branco a 240 rs*
Grinaldas com finissimos veos de Blond
a 70000.
GuarnicSes de crochet para sof, a 50500.
GorgorSo preto de seda a 10800.
Guardanapos de linho de 30500 por 20
a duzia.
Leques de fantasa a 400 rs.
Lencos para meninos, a 320 rs. a duzia.
Luvas de seda para senhoras a 10000,
10500, 20 e 20500.
Las e cachemiras de quadros a 160 rs.
MadapolSo pelle de ovo, miyto fino, a
60000 e americano, com um metro de lar-
guro, de pre$o de 120 por 70000.
Dito de 80 por 50000.
Merino preto com duas larguras a 560
e 700 rs.
Dito de todas as cores a 500 rs.
Ditos de quadros, lindissimas cores a
240 rs.
Rendas hespanholas a 10600, 10800,
20500 e30000.
Setim Maco, preto e de cores a 750 e
800 rs.
Dito de quadros, ultima novidade, a 10.
Sargelira de todas as cores de 160 a
200 rs.
Toalhas alcochoados e felpudas a 20500
e 30000 a duzia.
Ditas para banho a 800 e 10200.
Tecidos arrendados, ultima novidade, a
200 e 240 rs.
Zefiros de todas as cores a 80 rs.
Assim como muitas fazendas que seria
enfadonho mencionar, e que vendemos por
menos 20 0 do que em qualquer outra
parte.
Ra Duque de Caxias n.
Vende-se bordados de cambraia taadj
de 2 1|2 e 4 metros e urna chave de 1
gura a 500, 600, 800 e 10, muitflno^
qualquer largura a 15400, c da-.rtSo,
700 a 10800 a peca.
Enxovaes para baptisados a 80, 100
120000.
Lindos enfeites para penteados a l1
200, 300 e 500 rs. um.
Lindos granpos para segurar chapeos.
Renda hespanhola a 20500 o covado.
Pulseiras americanas para 30. 40, 50,
60 e 80000 o par.
Guarnieres americanas a 30000.
Lindos espartilhos a 40, 50 e 60000.
Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
sente a 10000.
* Broches de fantasa de 500 a 10000.
dem americanos de 20 a 30000.
Len50s de seda de 500 rs. a 10500.
Lublaque a 200 rs. o par.
Guamigoes de crochet, sendo um para
sof e 4 para cadeiras por 6$000.
Finas capellas de pellica, panno e cftr,
com finos veos.
Flores artificiaes a 10000 o ramo.
Anneis americanos a 20000.
Plisss de 400 a 10000 o metro.
Luvas de seda arrendadas e bordado*
a 20 20500 par.
- Bicos brancos de linho e de cores a 20,
20500 e 30000 a peca.
Centas de cor para enfeitar vestidos a
700 rs., e pretas a 600 rs. o masso.
M8sangas de todas as efires.
Lindos leques brancos para noiva.
Collarinhos e punhos de borracha.
Colchas de crochet para casamento urna
80000.
Talheres para crianza a 800 rs.
Luvas de pellica a 20500 rs. o par.
Linhas de cores para crochet a 20000 e
cor de creme a 10500.
Lindos leques de papel de 500 rs. a
10000.
Espelhos com fina moldura, com dous pal-
mos de comprimento, a 40000 e cara dura
a 500 rs.
Finos binculos.
Agulhas para bordados a ouro e missan-
gaa.
Lindas franjas douradas para facha, de
seda preta e de cores, sem e com vidri-
lhos.
TimSosinhos enfeitados de bico e renda.
PARA O CARNAVAL
Florida e agua de

Agua
Orea a 500 rs. a garrafa.
Vende-se
bagaco de sement de carrapato, pron
plantaros de capim ; na fabrica de oh
taes, ra da Aurora n. 161.
Lmo para
eos vege-
laJflfeereu
emPRa-
Oade i-at elle t
seu lei-
A morta contina a repousar no
to fnebre, mas acha-se s.
A pobre orphazinha est envolta as
suas coupinhas, n'um canto da cama de
sua raSi. Dorme, Inconsciente da si a des-
grana, o primeiro sonino ao lado do supre-
mo repouso !...
Eugenio nSo estava.
Talvez nSo tivesse podido supportar a
vista daquelle cadver...
Talvez naquelle pequeo quarto, no meio
daquella atmosphera pesada como chum-
bo, sentisse necesSidade de respirar e ti-
vesse descido para tomar ar...
NSo ha ninguem agora ao lado delle pa-
ra escrutar a sua conducta, para pedir-lhe
na volta esclarec mentos e expheaces !
Finalmente abre-se a porta da ra com
precaucSo e um passo pesado abala a es-
cada.
Gages apparece no limiar da porta do
quarto.
Est tSo pallida, como a morta, camba-
lea. ..
Teria por ventura bebido ?...
As tavernas devem achar-se fechadas a
essa hora.
Talvez entretanto, como dia de grande
festa, haja ainda alguma aberta, e elle ti-
vesse ido beber, afim de ter coragem de
executar a accao que vai por em pratica.
Effectivamente encaminha-se directa-
mente para o leito; mas ahi nao olha para
o cadver de sua mulher... ao contrario,
desvia delle os olhos, nos quaes lia-se urna
expressSo mais cruel, mais perversa do
que nunca.
Jurar-se-hia que a morta causava-lhe
horror !...
Toma nos bracos a filhinha c conside-
ra-a por muito tempo, com os olhos esga-
zeados...
-NSo quero ficar na Franca, djsseelle
finalmente; a solidSo, os camaradas... os
velhos hbitos... nSo, nSo faria bem .'...
Vou partir para a America depois d'ama-
nhS. Sim, partirei, a menos que...
Olha para a porta, dir se-hia que tinha,
ouvido alguem entrar, tem medo!
Ao cabo de alguns instantes tranquillisa-
se e contina, dirigindo-se sempre crian-
9* "
' NSo posso levar-te, meu pobre the-
souro, que me custa j tSo caro!... E'
forzoso que me separe de ti!... Mas nSo
quero confiar-te a urna ama, isso nunca !...
Sem a minha vigilancia, ella te maltrata-
ra, nSo ^cuidara de ti.... E quando eu
voltar para vir. buscar-te, nSo te encontr-
rei mais!.. Nao! quero-te rica, feliz, ama-
Vinho de pasto
0 que ha de melhor, vende-se pelo mdico
prego de SBJMM o barril de quinto e 9*000 o
ganafao de tres caadas, voltando o garrafao
7*500 (preces lquidos) : ra do Amorim nu-
mero 60.
I
da .'.. V.v, meu amor, vem
Sahe liovaiutute.
Leva c usigo a crianca. ,.
Mas tud) usa sem olhar para a morta.
Deseo par,' os jardins, galga o pequeo
muro que *< tparaD pavilhSo do parque da
usina, e dir>e-s6 directamente para a casa
do Chaniers:
Caminha um pouco depressa para a fren-
te, sem urna hesitacSo, sem um temor.
Em primeiro lugar, conhece admiravel-
raente o terreno, e depois a noite contina
a ser profunda, apezar de haver cessado o
ronco dos trov5es, e ehove ainda.
Pelos seus modos, v-se que elle tem
um plano formado.
Abre a porta da casa, que nSo se acha
fechada a chave ; descalca-se, e nSo faz
mais ruido do que um gato.
Escuta...
Reina o mais profundo silencio em toda
a casa.
Em baixo, mettido no seu globo de opa-
la, arde um tenue filete de gaz, que d
luz bastante para permittir que nao esbar-
re em cousa alguma.
Escuta ainda urna vez.
Todos estSo dormindo, pensou elle;
a noite est muito achantada... A crian-
cinha deve estar guardada por Suzana;
na idade della, o somno profundo... nSo
me ouvir ?...
Como sabe Eugenio que em casa dos
Chaniers acaba tambem de nascer urna
menina ?...
E como pode germinar em seu cerebro
o projecto de ir substituir aquella crianca,
j tSo amada, tSo adorada, pela sua pobre
orphanzinha?
Vamos, dsse elle ainda comsigo, co-
ragem !... Se acordarem, dir-lhes-hei que
minha mulher morreu, que estou desespe-
rado, que minha filha vai morrer de fome,
que trago-a afim de que a alimentem ao
menos at de manhS!...
Rio-se silenciosamente...
Era um achado semelhante idea....
Se o sorprenderem, elle tem o seu pre-
texto, para que a sua presenca nSo seja
julgada extremamente singular.
Alm diss, Suzana contina muito apai-
xonada por elle para que nSo^admitta urnas
tantas cousas da sua parte !...
A este pensamento que tira do passo
que elle d urna grande parte do seu pe-
rigo, Eugenio recobra todo o seu sangue
fri, e, tranquillo, com toda a seguranca,
mas nSo deixando todavia de tomar infi-
nitas precaucjes, sobe a pequea escada.
Sabe onde derme Suzana.
Sabe tambem que ella que deve to-
mar conta da crianc^, que a Sra. Cha-
niers amamentar.
Ha, portanto, todas as probalidades de
que a crianca esteja no quarto da rapa-
riga.
Eugenio chega anual a esse quarto.
Est innundado de suor fri, apezar do
seu grande desembarace.
Gasta cinco minutos a escutar, a pegar
Royal Blond marca YUDO
Este excellente Whisky Escocez pre-
ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
para fortificar o corpo.
Vende-se a retalho nos melhores ai
zens de molhados.
Pede Royal Blead marca YiadW
cujo nome e emblema sSo registrados pasjt
todo Brazil.
BROWNS & C, agentes.
NOVIDADES
FAZENDLAS PRATKABA8
m 7ESTIU03 FmTSUBDS
Aos bailes?^ do carnaval
\os Clubs Internacional, Cario
Gomes e Je ventalle
VENDE A
Loja das Listras zoes
DUQUE DE CAXIAS N.
D-se amostras.

RA*
61
no trinco da porta, a dar-lhe volta sefli
ruido.
Fazem-se ouvir uns estalidos no assoa-
lho do corredor. Eugenio conserva-se ha-
mo vel, com urna das mSos sobre a maca-
neta do trinco,Je a outra segurando a crianca
contra o peito.
O que vai passar-se ?..
E' talvez a enfermeira que vem ver como
vai a crianca!
Apezar do pretexto que escndalo se o
encontrarem por al!...
Explica95es, troca de palavras... bu-
lha... e... o resto !...
Fica com os olhos muito arregalados.
Assalta-o um terrivel medo...
Mas nao, tinha-se engaado, o ruido na
contina, nao apparece ninguem.
Desta vez, entreabre a porta e passaum
pouco a cabe$a pela abertura.
Urna lamparina alumia frouxamente o
quarto, mas todavia o operario distingue-lhe
todos os detalhe.s.
No 8euJjerco, a crianca repousa, com a
cortinado aberto, por causa do calor, que
conserva-se intenso nos aposentos; no divn,
em um canto, Suzana est estendida, toda
vestida.
Ella ceder ao somno, essa imperiosa
necessidade da sua idade, e dorme profun-.
damente. J
O miseravel approxima-se p ante-p^g
Com urna das mSos ergue Georg"
com a outra depde a sua filha no logad
pequea Chaniers..
Nesse momento Suzana abre os olhos.
Gages estremece.
Agacha-se contra o btreo.
A rapariga ergue um pouco o.corpO
ainda adormecida, estende a mSo tocajo
corpo da crianca estendida no berco e ins-
tinctivamente embala-a, murmurando :
Louca que eu sou !... Vejo-o (at
sonhos!...
A crianca solta um ligeiro vagido.
Suzana embala-a com mais forca.
E pouco a pouco adormecem ambas.
Eugenio agachado atrs de um objecto
que a doutor havia collocado junto ao beaco
para 'amparal-o, apenas tinha vida os
olhos.
Suzana a acordar de todo, vel-o, deO
cobril-o !...
Sabia bem oque dizer-lhe, sobreti
ella, que sonhava em voz alta com
Mas em tal occasiSo urna scena
9S0 e 9 de lagrimas era-lhe extre!
desagradavel.
(Continuar-te-hq)
Typ. do Diario ra Duque de Casias n. 4J.1

-
e-1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUYYXBM5V_EZNULX INGEST_TIME 2014-05-22T23:25:42Z PACKAGE AA00011611_17455
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES