Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:17452


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ASNO LXHfc-KMEKOO
PARA A CAPITAL E LUGARES .VDE XAO SE PAGA PORTE
Por tres mezes adiantadoa.
Por seia ditos idem.....
Por um anno idem .
Cada numero avulao, do mesmo dia.
60000
120000
230000
0100
TERCA-
FBVEREIRO-DE 1889
PARA DEXTRO E PORA DA PROVINCIA
Por seis mezes adiantados ....
Por nove ditos idem. x. .
Por um anno idem... ...
Cada numero avulao, de dias anteriores-
130600
200000
270000
0100
DIARIO DE PERNAMBCO
Tropriedade de Manoel ffigueirca, de Faria # 3%lpcs


-'
Os Srs. Amede Prin-
ce & C, de Pars, sao
os nossos agentes ex
elusivos de annuncios
epublicagoes na Fran-
Qae- Inglaterra.
~ KLEGRAIIAS ~
ssavijo pabticulas so sumo
RIO DE JANEIRO, 17 de Fevereiro,
s 12 horas e 25 minutos da manha.
Fei elevado Visconde do mesmo titulo
o Barao de Axacagy.
Foi agraciado com o titulo de conse-
lho o Barao de Muritiba, desembargador
da Relago da Curte.
Foi designado para servir como juiz
substituto da comarca especial de Timbau-
ba, em Pernambuco, o juiz municipal e de
orphaos do termo do mesmo nome, bacha-
rel Bellarmino Guedes Correia Gondim.
i Foi concedida Exma. Sra. D. An-
tonia Wanderley, filha do finado Barao de
Cotcgipe, urna pensao annual de 3:600*000.
jjjKO DE JANEHiO, 18 de Fevereiro,
1 hora e minutos da tarde.
Acha-sc gravemente doente o deputado
geral pelo 1. districto da provincia do
Para, Dr. Jos Ferreira Cantao.
Falleceu o medico Dr. Pedro Car-
neiro da Cruz Machado, filho do Visconde
de Serro-Frio.
PARAHYBA, 18 de Fevereiro, s -2 ho-
ras e 55 minutos da tarde.
O presidente desta provincia Dr. Pedro
Francisco Correia de Oliveira, em conse
ttcncia. de se achar doente, passou a ad-
mimsfrariio ao 1." vice-presidente Bario
de Abiahy, e parti hontcm para a cida-
de do Recife.
ssst:;: sa a&scia savas
PARS, 17 de Fevereiro.
Mr. Sadi Carnot offereceu a missao de
formar um novo ministerio a Mr. Meline
presidente da Cmara dos Deputados que
acceitou esta missao.
ROMA, 17 de Fevereiro.
discusaao da interpellacao na Cmara
dos Deputados terminou-se por um voto
estabelecido por 247 votos contra 115,
concernente a approv.u;o da conducta do
governo e a confianza da Cmara no mi-
nisterio Crisp.
PARS, 17 de Fevereiro.
As negociares continuam a respeito da
forisacilo Jo novo ministerio.
Pensa-se que o novo gabinete ser con-
stituido amanhii.
Agencia Havas, filial em Pernambuco,
18 de Fevereiro, de 1889.
1NSTR0CC0 POPULAR
O elemento c ssencial da bussola, de um
lado a agulba magntica, e do outro o eixo de
suspensao muoido de urna chapa d'agata, sobre
a qual assenta a agulha magntica que se pode
mover livrementc no piano norisontal.
A bussola martima ou agulha de manear for-
mada d'uma agulba magntica equilibrada e mu
raovivel sobre um eixo vertical. Esta agulha
colloca-se dentro de una caixa ou baticula. a
qual pode ser feita de madeira ou cobre. Nao
se deve empregar o ferro para a construir por
que este metal attrann a agulha e Ihe mudara
a direccao natural. A agulba deve estar collo-
cada de modo que se conserve sempre horison-
tal a despert de todo e qualquer movimento do
navio, rara este effeito, mantem-se, por um ays-
tema particular de suspensao, a caixa que a en-
cerr em urna direceto constantemente horison-
tal. seja qual for a inclinacao, do navio. Collo-
ca-sc um carto circular debaixo da agulha, de
modo que o centro corresponda ao meio do com-
primento da agulha e juntamente. a vertical do
eixo. Este disco, que acompanha a agulha em
todos os movimentos, modera-lhe as oscillaces.
chama-se rosa um circulo collocado por baixo
da agulba da bussola, o tendo o centro na verti-
cal do eixo.
A circumferencia dcste circulo tem trinta c
duas divisos iguaes, chamadas rumos dos ventos.
As quatro principaes divisoes da rosa designam
os quatro pontos cardeaes, chamados norte, sul,
este, e oeste. Estas quatro divisOes principaes
subdividem-se tamben em quatro outras inter-
medias, que sao nordeste, sueste, sudoeste e no-
roeste e se chamam nt ios rumos. Estes dividem-
se em quartos de rumo e estes ltimos em meios
quartos ae rumo.
(Continua) '
PARTE OFFICIAL
Actos do poder execatlvo
DECRETO N. 10,177de 1 de feve-
reiro de 1889
Crea urna Escola Militar ne provincia
d1 Cear
De conformidade com o art. 6, n. a, da Ici n-
3,397 de 21 de Noverabro do anno prximo pas-
sado, bei por bein crear urna Escola Militar na
provincia do Cear, com o curso de infantaria e
cavallaria, a qual se reger pelo regulamento
que opportunainente ser promulgado.
Tliomaz Jos Colho de Alineida, do meu con-
selho, senador do Imperio, ministro e secretario
de Estado dos negocios da guerra, assim o tenha
entendido e expeca os despachos necessarios.
Palacio do Rio de Janeiro em 1 de Fevereiro de
1889, 68 da independencia e do Imperio.
Com a rubrica de Sua Magestadb o Impera -
IXIR.
Tkomaz Jad Colho de Almeida.
Ministerio do Imperio
Foi elevada a Viscoadessa a Baroneza de Santa
Justa.
Foram condecorados : com o oflicialato da or-
dem da Rosa, o major Brax Joaquim da Silveira
e com o grao de cavalleiro da mesma ordem o
Dr. Hoffmann, e com o da ordem de S. Bento de
Avia o 1. tenente da armada, Antonio T. Garca
de Andrade.
<;ovorno da Provincia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 16 DE
FEVERETRO DE 1889
Alfredo de Drummond^Concedo.
1. tenente Jonathas de Mello Barreto.
Remettido ao Sr. inspector da Thesou-
rai ia de Fazenda para attender de accordo
com sua informacao de hontm, n. 89.
Bacharel Zozimo Zenaides da Cmara
Lima.Indefendo vista da informacao.
Secretaria da Presidencia de Pernain-
buco, 18 de Fevereiro de 1889.
O porteiro,
F. Chacn...
AS GRANDES IMEMJflES
ANTIGS E MODERNAS
AS
Sciencias. industrias e artes
POR
v
(Continuadlo)
A bussola quo serve para dirigir os navegado-
res atravs dos mares nio mais de que a agu-
lha magntica, a qual posta em equilibrio sobre
urna ponta de ajo de modo que possa mover-se
horisontalmentecom toda a liberdade, aponta
constantemente para o polo norte da trra e
mostra d'est'rte aos navegadores para onde Icb
onorie.
Os prineiros pilotos nao ousavam afastar-sc
muito da costas, e quando se faziam ao largo nao
tinhuai para se guiarem seno o sol e a estrella
pola-- Mas o co est bastante vezes nublado
tanto

e dia como de noite. Por que meio ha-
ento de dirigir a embarcacSo e nao se
ilcnarem merc das ondas ? E' com a
magntica, a tal podra laide et brunier
ra), que hoje se pode navegar com
Com effeito urna agullia magnetisa-
orisontalmenta collocada em um eixo
erra sempre a inesma direccao a do
Ministerio da Instlea
Por decretos de 9 do corrente:
Foi nomeado procurador da corda, soberania e
fazenda nacional da Relacao da Fortaleza o de-
sembargador da mesma Relaco Americo Militao
de Freitas Guimares.
Foi removido o juiz de direito Joaquim Augusto
Ferreira Alves, da comarca de Braganca, de 2
entiancia, em S. Paulo, para a 1' vara crime da
capital da mesma provincia.
Foi nomeado para continuar a servir como sub-
stituto do juiz de direito da comarca de Queluz,
em Minas Giraes, o juiz municipal do antigo
jermo desse nome, bacharel Antonio Carlos Soa-
res de Albergara.
Foi reconduzido no logar de juiz municipal e
de orphos do termo de Pao de Assucar, as
Alagas, o bacharel Luiz Gonzaga de Almeida
Araujo.
Foi removido, a pedido o bachael Francisco
Vicente Bulte Vianna. de cargo de juiz substi-
tuto da comarca de Abran tes, na Baha, para a
vara municipal do termo de Santo Amaro, na
mesma provincia.
Foram nomeados .
O bacharel Cyridiao Durval para o logar de 4
juiz substituto da capital da Babia.
O bacharel Joo Jos de Oliveira Junqueira
para o logar de juiz substituto da comarca de
branles, na Baha.
Guarda nacional.Foi reformado no mesmo
posto, o coronel commandante superior das co-
marcas de Itacoatira e Rio Madeira, no Amazo-
nas, Vctor da Fooseca Coutinho.
Foram nomeados:
Capito secretario geral das comarcas da capi-
tal e Rio Negro, na mesma provincia, Francisco
Xavier de Castro.
Coronel commandante superior das comarcas
de Itacoatira e Rio Madeira, na mesma provin-
cia o capito Joaquim Theodoro Bentes.
Tenente-coronel commandante do 10* batalho
de infantaria das mesmas comarcas, o capito
Joao Antonio Netto.
Tenente-coronel commandante do 48 batalho
de infantaria da eomarca da Vioosa, no Cear,
Joaquim Ferreira de Carvalho.
Corooer commandante superior da comarca do
Cear-merim, no Rio Grande do Norte, o major
Miguel Ribeiro Dantas.
Major ajudante de ordens secretario geral, da
mesma comarca, Joaquim Varella Burity.
Capito quartel-mestre, da mesma comarca,
Joaquim Antunes de Oliveira.
Capito quartel-mestre do commatdo superior
das comarcas da capital e S. Jos dos Pinbaes,
no Paran, Joo Ferreira Leite.
Ministerio da Guerra
Por decretos de 9 do corrente :
Foram transferidos para a segunda classe do
exercito, de conformidade com o disposto na im-
mediata e imperial rcaotugao de i de Abril de
1871, o coronel commandante do 80 batalho de
Infantaria Joao Theodoro Pereira de Mello e o 2"
lente de artilharia Orgenes Alves de Paula,
ficando aegregados ia armas a que pertencem,
visto terem sido iulgados incapazes do servito do
nesruo exercito em inspeceo de sade a que
foram submeitidos.
Foi perdoado ao 2" sa.igento do 15 batalho de
infantaria Jos Ramos o resto do tempo que lhe
falta para cumprir a oena de seis mezes de pn-
so com trabalho a que foi.condemnado por sen.
tenca do Conselho Supremo Militar de Justig de
19 de Dezembro do anno prximo ndo.
iO '--------------
Ministerio da Mariana
Por portara de 6 do corrente foi concedida ao
capito-tenente Faustinc Martins Rastos a exone-
rado que pedio do logar de capito do porto da
provincia das Alagus.
------------<^o--------------
Ministerio de Estrangelros
Foi promovido a addido de legago de 1 claB-
se o de J. Alfredo Rodrigues Torres.
Repartirlo da Polica
2. seceso.N. 179Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 16 de Fevereiro de
1889. Illm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. cpie foram hontem recolhidos
a Casa de DetencSo os seguintes indivi-
duos :
A' minha ordem, Jos Marinho do Niscimento
a requisico do r. chefe de polica da Parahyba,
e Manoel Luiz da Rocha, como alienado, vindo
de Timbauba, at quejtenha conveniente destino.
A' ordem do *subdelegado de freguezia de
Santo Antonio, Bemvenuto Octaviano Barbosa
Res, por disturbios e uso de armas defeza.
A' ordem do do 2* districto da freguezia de S.
Jos, Julio Paes Barreto, por disturbios.
Ante-hontem s 9 l\ horas da manh. no
Io districto de Afogados, quando d'alli parti um
um bond guiado pela coxeiro Machado, aconte-
ceu cahir o menor de nome Elysio Carneiro da
Cunha, e flear com um p esmagado pelas rodas
do mesmo bond.
O respectivo subdelegado tomando conheci-
mento do facto, tez proeder a competente visto-
ria e das deligencias procedidas a resgeito ven-
licou-se ter sido o facto todo casual.
No dia 11 do correte, assumio o exercicio
do cargo de sugdelegado do districto do Poco
da Panella, o cidado Andr Rampke, na qualida-
de de Msupplente
Relativamente ao que vem publicado hoje
na Provine a sob a epigraphe Polica que mata,
submetto a consideraco de V. Exc. o ofcio
junto por copia do Dr. delegado do 1* districto
da capital, afim de que V. Exc. tenha conheci-
mento do que ha de real sobre o facto a que se
refere aquelle jornal.
Deas guarde a V. ExcIllm. e Exm.
Sr. Dr. Innocencio Marques de Araujo
Groes, muito digno presidente da provin-
cia. O chefe de polica interino, Daro
Cavalcante do Reg Albuquerque.
Delegacia de Polica do 1 districto da capital,
16 de Fevereiro de 1889.
Illm. Sr.Participo a V. S. que hontem pelas 2
horas da tarde foi levado a 3 estacSo da guarda
cvica, por diversos companheiros, o preto afri-
cano de nome Aiexandre, ganbador, declarando
elles all, estar Aiexandre soffrendo desde pela
manh de uns ataques que pareciam loucura,
O commandante daquella eotaco policial veri-
ficando que effectivamente o horaem soffria o
que quer que fosse de extraordinario e que tam-
bemjlhe pareca loucura, dos que tentavajmorder
a quantos se lhe aproximavam, resolveu man-
dal-o recolher a Casa de Detenco, como aliena-
do, para que tivesse opportunamente o conve-
niente destino ; entretanto nao sendo possivel
transportal-o a p. mandou como costume,
falta de vehculo propio, atal-o a urna es-
cada, em que foi ento conducido para aquelle
estaDelecimento, onde ao chegar, verificando-se
estar morto, foi devolvido para a referida es-
taco.
Tendo-me sido communicado o facto pelo com-
mandante geral da guarda cvica, para all me
dirig, acompanhado do Dr. Gama Lobo, e este
digno facultativo depois deouviros companhei-
ros de Alexandae t fazer detido exame no cada-
ver, declarou que a morte fra occosioLada por
um accesso de epilepsia, fazendo notar, entre-
tanto, que todos os symptomas dobnal de que fora
accommettido Aiexandre, segundo a declarago
de seus companheiros, pareciam ser os de terri-
vel mal da raiva.
Nao tem, poisl fundamento a aecusaejio levan-
tada contra a polica na Provincia de hoje, sob a
epigraphe Policio qne mata, sendo mal informada
a redaejao do Jornal do Recife, relativamente ao
mesmo tacto.
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr. Daro .Ca
valcante do Reg Albuquerque, muito digno chefe
de polica interino da provincia. O delegado,
Anetio Augusto de Carvalho Serrano.Conferme.
0 secretario, Joaquim Francisco de Arruda.
2.a scelo.N. 183Secretaria da Po-
lica de Pernambuco, 18 de Fevereiro de
1889.Illm. e Exm. Sr. Participo
V. Exc. que foram recolhidos a Casa de
Detengan os seguintes individuos:
No dia 16 :
A' ordem do Dr. delegado'do Io distri-
cto da capital, Antonio Francisco Joaquim
de Alm, preso em flagrante por crime
de tentativa de morte.
A' ordem do" subdelegado da freguezia
do Recife, Zeferino da Cunda Lagos, por
disturbios.
A' ordem do da freguezia de Santo An-
tonio, Jlo Francisco de Almeida, Jos
Joaquim Pereira de Almeida, por distur-
bios, e Manoel dos Keis Sant'Anna, como
vagabundo.
A' ordem do do 2 districto da fregue-
zia de S. Jos, Celestino de tal, Justino
dos Santos Gloria e Manoel Cypriano de
Azevedo, pr disturbios.
A' ordem do do Io districto da Graca,
Manoel Alves dos Santos, por disturbios.
No dia 17:
A' minha erdem, Heliodoro Francisco da
Trindade, por disturbios.
A' ordem do subdelegado da freguezia
do Recife, Antonio BarroB, por crime de
furto, Generosa |de tal ou Antonia Otilia
Maria das Dores, por offensas moral
publica, Jos Manoel dos Santos, Pacifico
Jos de Sant'Ana, Francisco Paulino",
Antonio Francisco da Silva, como vaga-
bundos, Henrique Martins Simit, por cri-
me de ferimentos.
A' ordem do da freguezia de Santo"
Antonio, Antonio Luiz do Nascimento,
Silvino Rocda, JoSo Antonio de Lima
e Pedro Affonso Ferreira, por uso de ar-
mas defeza.
A' ordem do do Io districto de Alega-
dos, Antonio Luiz BrandSo, como vaga-
bundo e turbulento, minha disposicao.
O delegado do termo de S. Loureugo
da Matta, communica que hontem ama
nheceu morto em um rancho alli existen-
te, um individuo que depois reconhacia-
ser Jos de tal, que vinha de Pao d'Alho.
Aquella autoridade tomou conhecmeu-
to do facto, fez proceder a competen-se
vistoria no cadver, declarando os peritos
ter sido apoplexia fulminante, a causa da
morte.
Procedeu-se a respeito nes termos da
lei.
Helo delegade da Escada foram remet-
tido* ao jodio eompetente os inqueritos
PlisMrfMKffdidos contra os individuo*
IF*rSanto8, por crime de
fe meatos graves, Joao da Rocha e Anto-
nio Firmo do Nascimento, pelo de furto
cavallos.
O cidado Bonifacio de Lagos Ferreira
Costa, communica ter nesta data, assumi,
do o exercicio do cargo de subdelegado do
districto de Tigipi, na qualidade de 3o
supplente.
Hontem. s 71|2 horas da noite, na
ra Imperial, do 2.- districto de S. Jos,
foi Horacio Manoel do Nascimento, trai-
coeiramento aggrcdido e ferido as cos-
tas, por um individuo que logrou eva-
dir-Be.
Nascimento nlo reconheceu seu offen-
sor.
O subdelegado respectivo tomou conhe-
cimento do facto, fez proceder a vistoria
pelo Dr. Gama Lobo, que consideren le-
ves os ferimentos e mandou offendido
para o hospital Pedro H afim de ser medi-
cado.
Al> rio-se o competente inquerito.
Ouvi o subdelegado do 1.' districto da
Boa-Vista, acerca do facto de que tratou o
Jornal do Recife, do dia 13 do corrente,
debaixo do titulo Enterrado no quintal e
tive em resposta no annexo junto por
copia a informacao que a tal respeito
prestou aquella autoridade que submetto
a con8deracSo de V. Exc.
Deus guarde a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. Innocencio Marques de Araujo Ges
muito digno presidente da provincia. O
chefe de polica Daro CavalcarJe do Reg
e Albuquerque.
Copia. Subdelegada do t.* districto
da Boa-Vista, 16 de Fevereiro de 1889.
Blm. Sr. Antes de receber o officio
de V. S. n. 735 de 13 do corrente cha-
mando'a minha attancao para o que pu-
blicara o Jornal do Recift dessti mesmo dia
sob a epigraphe Enterrado no quintal j
havia eu entrado na indagacSo do facto,
e verificado o que passo a expr a V. S.
Senhorinha Francisca da Silva, amazia
de Sebastiao Henrique da Silva com quem
reside no largo dos Coelhos, aoortou, na
noute de 8 para 9 do corrente, umfeto, que
foi extrahido morto ej em decomposiclo,
pela assistente examinada Constancia Ma-
rinha da Silvacujo attestado foi ratificado
pelo Dr. Joao Pedro Maduro da Fonseca,
que te ve conhecimento do facto.
Diversas pessoas visinhas da referida
Senhorinha, entre as quaes Thereza de
Jess Coimbra viuva de Flix Gomes
Coimbra, Clemencia Margarida de Bar-
ros, mulher.de Guilhermino Goncalves de
Barros, e Francisca de Barros do Nasci-
mento mulher de Joao Baptista do Nasci-
mento, que foram por mim interrogadas,
declaram que assstiram ao parto resultan-
te da morte do feto, o qual foi effectiva-
mente extrahido j em decomposicSo.
O referido Sebastiao, no interrogato-
rio a que o sujeitei, declarou de modo a
inspirar me confianQa, que tendo havido
verdadeiro aborto de um feto morto, e nao
tendo havido baptismo que determinasse
o enterramento em lugar sagrado, lhe pa-
recer licito enterrar o feto em qualquer
parte, e por sso o interrara no quintal
na melhor boa fe, com inteiro conheci-
mento de todos os visinhos.
Nao me parecendo que nestas condi-
c3es haja um crime a punir, deixei de re-
duzir a auto as deligencias a que proced,
e de instaurar o respectivo inquerito po-
licial.
Creio ter assim cumprido o meu dever,
e satisfeito a recommendacSo de V. S
a quem transmitto o attestado da assis
tente.
Deus guarde a V. S.Illm. Sr. Dr.
Daro Cavalcante do. Reg e Alb quer-
que, muito digno chefe de policia de
Pernambuco. O subdelegado. Manoel Hu-
golino Pereira Giralda. Secretaria de
policia de Pernambuco, 18 de Fevereiro
de 1889.Conforme. O secretario Joa-
quim Franccc de Arruda.
Claudina da ConceicSo, Maria Amalia For-
jaz de Lacerda, Antonio Jos Ferreira
Monteiro.Ao contencioso para cumprir o
despacho da junta.
Monoel Francisco Ferreira.D-se.
Jos Antonio Fernandes, Aristarcho
Xa^ ier Lopes.Ao Sr. porteiro para en-
tregar aos interessados.
Joaquim Jos Ferreira da Rocha.Vol-
le Recebedoria para declarar se existe
a pequea casa a que se refere esta ul-
tima informacSo.
Candido Jos Goncalves da Fonte.
Deferido, nos termos da portara desta
data ao collector de SerinhSem.
= 16
Lafayette (hagas, Jos Campos Torres
de Medeiros, Thomaz Antonio GuimarSes,
Claudiana Nativa dos Santos.Informe o
Sr. Dr. contador.
Benedicto Marques Vieira.A' conta-
doria para cumprir o despacho da junta.
Thomaz Jos de Mello. Pgue-se.
Joao Fernandes Lopes. Volte conta-
doria para dizer oque ha sobre a aecusa-
5S0 feita pelo supplicante, Sociedade
Auxiliadora da Agricultura com relaco
ao recebimento de dinheiros sem presta-
co de contas.
Affonso Ferreira Baltar.Haja vista o
Sr. Dr. procurador fiscal.
Ignez Barbalho Ucha Cavalcante.
D-se.
Jos Dias de Almeida.Informe a Re-
cebedoria Provincial.
Recebedoria Provincial
DESPACHOS DO DIA 15 DE FEVEEED10
DE 1889
Antonio Rodrigues Tavares, Isabel Ma-
ra Ferreira da Silva, Joviniano da Rocha
Pereira e Carlos Estanislao da Costa.In-
forme a 1.* seceo.
Mello & <:.A' 1.a seceo para os de-
vidos fins; quanto a irresponsabilidade
per impostos atrazados dirijam-se os sup-
plicantes ao Thesouro Provincial.
Leocadia Jacintha Pereira Daltro.A'
1.a seccSo para os devidos fins.
16
Joo Christiani (3). Junte conheei-
mento de dcima relativo ao ultimo se-
mestre.
Ros & C. Informe a 1.a seccao.
Jorge Hermn.Certifique-se o que
constar.
Ramos Ferreira & CDeferido de ac-
cordo com as informacfos em rclao ao
exercicio corrente.
18
Francisco de Paula Penna, bacharel
Joaquim Jos Ferreira da Rocha, J. ?E-
Pincelle, Alfredo Alves da Silva Freir,
Junta administrativa da Santa Casa de Mi-
sericordia, Jos da Silva Loyo Filho,
Caetano Ferreira Colho, Mathias Gomes
Fernandes, Joaquim dos Santos Colho,
Adolpho Banks, Joo Jos de Araujo e
Antonio Francisco Ananas. Informe 1.a
8ec?o.
Thereza dos Santos.A' 1.a seceo
para os devidos fins.
Domingos Manoel Martins.Informe a
1 seceo.
DIARIO DE PERNAMBCO
Thesouro Provincial
DE8PACH0S DO DIA 15 DE FEVEEEIEO DE
1889
JoSo Joaquim da Costa Leite. Pa-
gue-se.
JoSo Hermenegildo Borges Diniz.
Volte a contadoria para fazer as respecti-
vas notas.
Joo Ramos, Companhia Santa There-
za, Francelina Vieira .de Araujo, Nicas
da Silva Gusmao.Informe o Sr. Dr.
contador.
Antonio Jos Ferreira Lima.A con-
tadoria com os dos inclusos vigsimos da
lotera de que se tracta.
Francisco da Silva Miranda.A' conta-
doria para cumprir o despacho da junta.
Rodrigo Carvalho & C, Leobaldo Au-
gusto de Moraes.Haja vista o Dr. pro
curador fiscal.
Joo Ferreira de Mello, Guilhennina
' RECIFE, I9E FEVEREIRO DE 1889
Rcirospccto poltico do .anno
de 1888
POL1T1CV PABTICULAH DOS ESTADOS EUROPSUS
(ContinuacoJ
Floquet tiuha dito no discurso que pronuu-
ciou em 12 de Janeiro, como presidente da c-
mara dos deputados :
A verdade que hoje, o que nao deixa de
ser natural, os problemas referentes ao processo
poltico interessam megos vivamente a naco
que as questes que attingem os grandes nego-
cios as tinancas publicas, a itidustria, o com-
mercio, a sorte dos operarios, a forca militar, a
situacao internacional.
Essa3 palavras baviam agradado sobretudo aos
opportunistas. Nao caram, porm, elles do mes-
mo modo satisfeitos com o programma do no-
vo gabioete. E' certo que este prometteu pre-
star attencSo especial a esses valiosos assum-
ptos. Declarou que se dedicara antes de tudo
a estudos ornamntanos, que faria reformas lis-
caes, que pedira ao senado a rpida votagao
da le militar, que collocaria, emfim, o paiz,
quer no interior, quer no exterior, em condicOes
propicias 4 celebraco solemne do glorioso cen-
tenario de 1889. Mas a par de taes promessas
- e comecaram aqu os desgostos -annunciava
que ia apreseutar um projeclo sobre associaces
a preliminar ndispensavel para o legislador,
bem como para o paiz, da regularisao das re-
lactes entre a igreja e o estado. Era esse,
segundo o novo governo. o modo de proseguir
no trabalho de secularisaco, iniciado pela revo-
luco franceza c continuado na terceira rep-
blica.
Quanto i reforma da constituico, cuja urgen-
cia havia sido approvada pela cmara, dizia o
progranima ministerial que era urna d'aquellas
que mais calma e reflexo exigiam. E accres-
centava : os que d'entre os membros do ga-
binete se bao manifestado mais decididamente
por essa reforma, nao queriam que obra d. tal
importancia, destinada a harmonisar completa-'
nifnie a nossa organisaco poltica com -os prin-
cipios republicanos, fosse emprehendida em con-
dicOes comproinettedoras. Ficar ao governo o
cuidado de indicar-vos o .momento favoravel e
de promover, para a realizagao d'ella, o neces-
surio aeerdo entre as duas casas do'parla-
mento.
SO a extrema esquerda appludio estas pala-
vras, apezar de haverem sido precedidas destas
outras, que mereceram a approvacao dos repu-
blicanos moderados : 0 governo nao tem me-
do de qualquer reforma seriamente elaborada.
Deseja collocar-se frente da maioria republi-
cana para guala nesse camiuho, e estabelecer
as suas fileiras urna disciplina voluntaria que
assegure a satisfago das esperanzas que a na-
ci tem na repblica. Mas a liberdade nao pro-
cede como a dictadura, nao pode prometter
transformarles sbitas.
Annolando a declaracao lida por Floquet na
cmara e no senado, disse o Temps que se o go-
verno que se inaugurava quizesse realmente a
concentrago da repblica, deveria ter eliminado
do seu programma as questes que dividiram
sempre a maioria parlamentar, e que as mais
importantes desws eram sem duvida a separacao
da igreja e do estado e a reviso constitucional.
A maior necessidade do momento era, pensava
aquelle jornal, fortalecer urna constituico que
incommodava os plebiscitarios, porquanto elles
a denunciavam e atacavam furiosamente. En-
tretanto o gabinete segue-Ihes a pista. Dir-se-
ia que todo o seu esforco, que toda a sua di-
plomacia, consiste em dizer aos efeitores :
Nos tambem somos boulangistas 1 > E eis
como se pretende embargar o passo dicta-
dura.
Por aqui se pode calcular as disposigoes em
que o opportunismo recebia o novo ministerio.
A to anhelada harmona das forgas republicanas
ficava desde logo e mais urna vez prejudicada.
Mostrou o immediatamente, e de modo eviden-
tissimo, a eleigo do presidente da cmara, lu-
gar que Floquet deixara vago. Foram candida-
tos a esse lugar Clmenceau, Bnsson, Andrieux
e Develle, vice-presidente. Nenhum destes al-
cangou maioria absoluta em dous escrutinios
successivos. No terceiro escrutinio os dous l-
timos desistirn: da candidatura. Empataram
Clmenceau e Mline, apresentado ultima
hora pela Uaiao das esquerdas. Realizou-
se o texto bblico : Os ltimos sero os
primeiros. Mline foi nomeado presidente
por ser mais velho que o chefe radical. A-
quelle nasceu em Ramiremopt (Vosges) aos
20 de Maio de 1838, Clmenceau na Venda em
28 de Setembro de 1841.
Foi a primeira vez, a contar de 1789, que a
preferencia da idade, desde essa poca consig-
nada em todos os regulamentos das cmaras
francezas, aprovetou em cleigoes dessa especie.
Contando sempre com a eterna e irremediavel
divergencia dos diverso^ grupos da maioria re-
publicana, a direita da cmara nao se demorn
em experimentar'BS forgas do gabinete FloqBefc-"
Na sesso de 23 de Abril, o conde Martimprey
interpellou-o. Censurou esse oflficial reformado
que a pasta da guerra tivesse sido confiada a
Freycinet. Na sua opinio, o movimento popu-
lae que se levantava contra a cmara ia necessa-
riamente crescer, em consequencia desse facto,
desse desafio laogado a una opiniao publica tSo
inclinada militanga, que se agitava com al-
gumas palavras proferidas ao som de um toque
de marcha, e ante o simulacro de um general a
cavallo. Por um paizano frente de solda-
dos era, assegurava o interpellante, nao conhecer
os francezes e ignorar os odios qne isso desper-
tava no exercito. Este-accrescentou o orador-
nao gosta dos que o commandam antes de te-
rem obedecido, dos que desejam manter-lhe a
disciplina sem nunca se haverem sujeitado a ella.
Quer um chefe que se lhe associe nos perigos, a
quem tenha visto no campo de batalha e na pra-
tica diuturna da vida militar, mundo especiar,
que tem linguagem, tradiges e costumes pro-
prios, os quaes nao devem ser desconhecidos por
quera quer que se propSe a dirigil-o. Para mos
trar como o uniforme era, so por si, urna grande
cousa para um ministro da guerra, lembrou o
interpellante o que se tinha passado, havia pou-
cos dias, no concurso hippico. Certo general
fardado fra alli o monopolisador de todas as
Saudagoes com evidente prejuizo da simples so-
brecasaca de Freycinet. E o cavallo ?interrogou
preoecupado o conde de Martimprey ; dar-se-ha
que o ministro da guerra v em calecbe passar
a revista de Longchamp ? Houvequem lhe lem-
brasse que nao seria esse um caso novo, porque
em carruagem esteve Mauricio de Saxe na bata-
lha de Fontenoy. O presidente do conselho tam-
bem recordou ao deputado realista alguns fec-
tos de historia patria. Desde 1630 a i758os ne-
gocios da guerra foram sempre dirigidos por
paizanos, com excepgo de Villars, que foi mi-
nistro tres annos. Dessa ultima data at 1792,
a direcgo suprema do exercito esteve, certo,
entregue a militares, mas nao foi inferior a vin-
te o numero dos directores successivamente no-
meados nesse peridlo, o que nao constitue prova
em favor de urna das theses do interpellantea
da estabilidade dos ministros da guerra com gra-
duago no exercito.
As epochas mais notareis da historia militar
do antigo rgimen em Franca sao dominadas
pelos nomes de Richelieu e" Lourois, que nunca
foram soldados. Tambem o nao foram os mi-
nistros da guerra Carnot, em 1793; Arago em
1848, eem 1870 Gambetta, que encontrouno
proprio' Freycinet o mais activo e intelligente dos
auxiliares na^ueHe momento extraordinariamen-
te critico da nacin lidade franceza.
as grandes guerras de hoje o prestigio e bra-
vura de um general nao valem mais, e talvez
valham menos que a competencia de um enge-
nheiro e a precisao de um mathematico, tal
como o ministro que servio de pretexto int
pellagao realista.
Respondendo a esta, disse anda Floquet ;
" Eatendo que, as circunstancias actuaes, le-
var a autoridade civil adminstragao dos nego-
cios militares, acto menos revolueionario que 1
de instigar a agitago poltica de um sida
voltoso. 0 remoque ia como urna setta ao
putado interpellante, tido e havido por um 1
.


*
>




J
I
X
1


i

l
i
I
I
>
ario
WiiambucoTer^a-fei 19 de Fevereiro
^q io wuiiuiawTflW
^ i nao foi feliz' deas w
aunara approvou por grande maiona urna mo-
,*o de conauea etn fase-* amisicrio.
Apezardissoe dos vigorosos discursos que
Jalio Ferfy. Mline e Metieres acabavam ie pro-
aonciar contra R ulanger era Epinal e Nancy. ia
en progressa a fortuna poltica do ex-eomman-
aanle do 13" corpo.
Os seus partidarios kaatovaai aas as caatis
estudantes iniraigos das diriaiaras -mranOs
Bmquanto o presidenttjal rapafclica visaaO.0
eadoeste do paiz.no inaiaiedijaiaDifieativas tn
ooes democrticas : euaaaanta >aV>uaor no ton-
qwste do hotel ContineBaaV, em fr^orocaaora
aaquilar n'um discurso*''! ;Os pa*apiiaBs,
na qualidade de presidente* Assoeiarfl tfncio-
al Republicana ;-Naquet e e general enchiam
ae salas do caf Riche com o echo da sua ele-
euenciaede vivo enthusiasmo os coraces de
Uguerje^Rochefort, Laisant, conde Dillon, D-
roulde, Clovis Mugues, de Susii, Michcluv
erisS e outrosconvivas do jantar com quefiou-
langea responda aos gapes dos seus adversa-
rios. de estranhar que estes dssem ao men
aoutangista a honra da transcripcao as snas
(ollias. de raaior circulago e nomeada.
. Na of.casiao do champagne, disse o senado;-
Je Vauclusej:
Contesta-se que Bulanger seja urna forja
pela wpuWica. Os parlamentares, ameacudos
o rgimen de sua predeccao, apontam-n'o co
mo uh perigo para u instituigao republicana,
levantan nae sei que especiru de cesarismo
dictada.rai.em que provavelmente.muilos deUe
nio aWeditam. E- acusado diaer que se se
actaese da factura de um dictador, de nm Ce
sar, nio estaramos aqui en, nem qualquer dos
que me ouvem. Mas se o cesarisino um phun
tasma, se a resurreico das ideas plebiscitarias
ama palavra 6em sentido, os perigos do syste-
ma parlamentar sao, em compensaco, terrivel
realidad*, Essc systema dividi Tepublicanos
e monarchtas ; deu em espectculo Franca
as cobras .pessoaes pesca de urna pasta, a
absoluta knpq^ncia do parlamento para reali-
sar a mnima reforma, a fatal instabilidade dos
conselbos do governo. Dessa instabilidade re-
sulta tornar-se impossivel o estabelecimento de
um plano invariavel de poltica exterior, de
aperfe^oamesto do exercito e de ordem finan-
ceira. -Em somma, esse rgimen creou urna es
pece de anarchia que estraga todas as molas
da machina goveraativa, e afasia de si as popa
laces democrticas e laboriosas das cidades e
dos campos.
' Disse ainda Naquet que seria fcil remediar
asses males, reformando a constituico monar-
ahica de 1875, substituindo o parlamenlarismo,
que nao se adapta ao sufragio universal, nem
ao genio da naQo, por um governo representa
UTO, tal como o comprehendera a grande revo
luco e comprehendem tolas as repblicas exis-
tentes, menos a franceza.
Ainda.dscontando o que ha de .exagerado
'esta apreciaco, indubitavel que ella fui em
aiuitos ,pon.os exacta. A queslo, porm, < sa-
ber se aquelle de quer o celebre campeo do
divorcio se tornou o melhor e mais valioso pa-
trono ser effectivamente capaz de correspon-
der, pela intelligencia e carcter, a popularida-
uacao que tantoscriticam e a qoe muito pomos
saberiamvdar remedio. Disse mais o sonador
boalangista que a patria neces.sitava de um go-
verno nacional, em vez do governo de partidos
quejio cessou de ter deporS da pnraeira repu-
-altca al aoje. Bssa necessidade nao so pecu-
liar (rauca, porm a todos os paizes onde a
nitaco irracional, inconsciente, das instiluicaes
poltica da.Juglaterru se tornou um engedo pa-
ra maiorias ingenuas e.fonie do rooeita .para
certos grupos de espertes e intrigantes. *!>*
qne prova segura deu ja da sua idoneidade
para ser oorgo de um tal governo, o ex-minis-
tro da guerra, o parlamentarcommum, o arden-
te partidario de hontem, que surge de repente
como um messias, annuuciando a salvaco do
paiz por entre as expan-oes de um genio
chocalbcirQ, attrahido pelo gosto de urna popu-
laridade cuja origem e tao incerta, tao myste-
riosa, como o destino que possa vir a ter.
A verdade, porm. que Boulanger continua-
va a scrfavoneado pelo suffragio universal. Em
Mato alcanjou mais de 14 mil voto* no departa-
mento .de bre, e at na Coctrnchina pode
obter 22 !
{Continua,/
---------------rsega'5iT>--------------
\o1Mm Paciflcs. Rio da
Irala e Mu do Imperio
Os paquetes nacional Alagtat, c Ingles Elbe,
entra los airte-hontem do sul, trouxeram as se-
fuiutes, noticias :
Parlnc*
t pnbli-ado na cOrte este telegramma :
Vnlpmam, 8 de Fevereiro.
..km urna iusurreiyo militar em Juinn,
O Per a quaL foi atempo reprimida, sendo
presos os autores
8 priaetpe D. Augusto visitou perto de &an-
litancia de Santa ( ruz.
Kiu da Frala
Datas-de Buenos Ayres at 5 e de Montevideo
OG de Fevereiro: .
Por decreto do poder executivo da Repblica
Argentina foi reorganisado o estado maior ge-
aeral do evercto, do qual continua a scrchefe
e general de divo Nicolao Levalle.
O congresso internacional reunido em Monte-
ido concluio os seus trabdhos no dia 4. Fo-
ram oito os tratados approvados : versam sobre
crck), qoestOe* de direito civil, materia de
processo, propriedade litteraria e industrial e
La$ao penal.
Com destino a Europa chegou naque!le mes-
rao dia ao porto de Montevideo, a laVdo do va-
por italiano Sapoli, o coronel Lourengo Latorre.
acompanhado de seus fiihos. Foi-lhe negada a
permissao que pedio i>ara desembarcar e demo-
rar-'se em trra algumas horas. Seus lilhos de-
sembarcaram e foram ao cemiteno depositar
ores sobre a sepultura de sua mai.
Latowe fe muito visiUdo por. seus amigos.
Declarou qne demorar na Europa dez mezes,
lindo- os quaes regressar -a Buenos-Ayres, se
ent&o nao Ihe for permittidfc anda viver na pa-
tria.
Au mesmo temno que Latn*- vai navegan-
do para a Europa, diz El Siglo, o general Santos
regressa de sua viagem pelo anligo continente.
Ninguem duvida oe que se empenhar para que
derogue a le de bauimento que Ihe impede de
voltar a patria ; mas tambem opiniao ge ral
que nada conseguir n sentido.
ublicados na corte estes telegram-
Bmen- iru-
is ros devasta a provin-
vereiro.
i ron em ferias
' na bolsa
ro.
i leu na B
laabia do Ciedito a-
ues oo-
io juro de
las sospeitas as procedencias do
1-Sffaf-, porque aiguns offici
HJReUte pm^<^;lraproeedaHP
Os navios brazileiros sahidos de Mato O i
com destino ao Rio d>! Janeiro tambem faro
qnarentena, por se ter tpalhado o boato de es-
tar grassando a febre imarella em Corumb.
Esse boato aida nao foi confirmado.
Hkmtecido, 9 de Fever.'iro.
Na sua passagem por esta cidade o general
SaalQi-oi muito vi.sia.lo e coinnriaiimtado a
poa^MIIMdtotaaxi. R TtilnndVin
erimaalnapraki cm o general que. res-
ideado* uaudaiio dacbraii que abando-
nara pwjeOa-de avroluflajfawamnatriar-e
e que esparava^iie sem jOMiea.
TainJieai dectarouqae vnhara para tratar d >s
teas oaajtrios, se o fosse isso licaria em
ton
. t\\,mn*'j to'Bft ireifo.
GtksjM o Dr. toaaoaaitf
Paraguay.
Noticias particuliires reeenidaa aqui desmen
tem os boatos relativos ao appareciini'nto da ie
bre amarella em Corumbi e no Paraguay.
O coronel Ganneiidia trocar os trabalhos da
commisso de limites argentina com os da bja-.
riteira em -Mnirr.
Chegoui o general Maiimo Santos.
O governo vendeu a-s rs. Iknne Irotos, por
dezesete- milhes de libras, a estrada d ferro
central dooorte.
Montevideo, 10 de Fevereiro.
A companhia de credi o nacioHaLreconheceu
todas acedes, sendo por isso restabelecida a co-
taco dellas pela junta do commercio.
Buenos-Ayrer,' 11 de fevereiro.
Falleceu o Dr. Agurre
Noticias recebidae da indade de Dolores nn-
nunciam que o rio que por ella passa. sanio do
leito inundando parte da cidade e dos arrabal
des. '.Os estragos sao consideraveis, tendo morri-
do muito gado.
Desde o dia 1 do carreute irtraram dade 6.1XXtimmigraiUes
Montei-ideo. 11 de Fevereiro.
O paquete nacional Rio Pari traz boas noti-
cias 'das tropas brazileiras acampadas em Corum-
b. O commandaate dest vapor recuou-se fa-
zer quareutena e segua para o Rio Grande.
Ha grandes, preparativos, para a recepto do
Dr. Jurez Crdman. presidente da Repblica Ar-
gentina.
A impreasa recomern os ataques .ao general
Santos.
Rio tiL'ttnili' d Mu
Datas at 2 de Fevereiro:
Telegramma de S. Sepe comrmiicam te-
rem se dado alli graves conflictos, resultando
grande numero de ferimentos e i nortes.
Diz ^Reforma, que por ordem do presidente da
provincia tinham seguido de S. Gabriel para
alli 20 pracas de linha, sob o commando de um
ollicial.
As repartices de fazenda de Pelotas arre-
cadaram durante o mez lindo 158:3531565.
Foram publicados na corte os seguintes tele
grainmas :
Porto Alegre, 9 de Fevereiro
niM'iou o Dr. Tavares qne i^st procurando
conciliar alguns elementos contrarios ao Dr.
taldino Pimentel. presi(!ente da provincia.
A maioria do o" ditriclo-swstenta a candida-
tura do Dr. Rodrigues-Vitonova a eleiyo ge-
ral para preenchimento da vaga deixada na
cmara dos deputados pelo Dr. Miranda Ri-
beiro, .
9 de Fevereiro
A tarifa morel causou grande abalo no com-
mercio : urna r imraissao da praca foi ao.'presi-
dente e pedio providencias. A demora da ta-
rifa especial est prejudicando excessivamente
toda provincia, augmentando o contrabando.
Foi apresentado pelo partido conservador o
Dr. Villanova para preencher a vaga de deputa
do geral pelo v districto para cuja eJeieao est
marcado o dia 20 de Mareo.
Rio Grande, (i de Fevereiro
Falleceu hoie, s 8 horas, prximo Barra,
victima de febre amareHa, o commandante do
vapor inglez Cabral. O vapor rete para o porto,
onde foi desinfectado. O cadver foi levado
tarde para o cemiterio. Entraram para a Santa
Casa alguns doentes de febre amarella, vindos no
paonete Rio Paran.
O commercio.e a impreivsa esto desconteules
com a demora da tarifa, que tem causada enor-
mes prejuizos.
Commercio parahusado.
7 de Fevereiro
Naulragou na altura do Bujurs, 16 milbas ao
norte da Barra, a barca ingleza Pratur Makensie,
em viagem do Rosario para Barbadas, com lastro
de areia Morreram o capitao e o despenseiro,
salvando-se quatre tripoltntes.
Kaala Camarina
Foram publicados na corte os seguintes tele
grammas :
Desterro, 9 de Fevereiro
Deu-se Mateo aqui um caso de febre ama
relia em um italiano rec^m-chegade d*ahi no
paquete Rio Paran, que foi submeltiuo qua
rentena por tres dias. Chegou boje do sul o
transporte Madeira.
9 de Fevereiro (s y horas da nolle)
Falleceu s 3 1 2 da tarde o italiano desem-
barcado do paquete Rio Paran.
Hoje tarde um soldado em servico ferio um
marinheiro por este ter querido forcar a passa-
gem por urna ra em que fallecer aquello ita-
liano, e que Reara impedida, por ordem da ins-
[lectoria de hygiene, ao transito publico.
O mariuliero foi para bordOy dizem que do
Madeira, voltou acompanhado por companheiros
armados, ugoca promovej-am grande conflicto,<|
disparando Milites tiros de revolver contra o
povo, qne os repellio a pedradas e ccete at a
ponte de embarque, ignora-se se houve morte
ou ferimento. Estiveram no lugar do conflicto
o presidente da provincia e o cuefe de polica.
A torga de linha compareceu com muita prom-
ptido. Ignorase se os marinheiros pertencem
ao Madeira ou Miraj. Tmese desforco. As
consequeneias no estado actual seriam funestis-
simas. A forpa de liulia aati uo trapiche.
Dulenp, 10 de Fevereiro
Os marir.heiros que provocaram o conflicto
tolln pertenciam tripolago do escaler do
transposte Madeira. Sbese que a offcialidade
ignora va as inten r dos marinheiros. Sr. Ho-
raiao Lemos e o Io tenente do encouracado fita-
chuello cooseguiram acalmar os nimos. Tres
marinheir.i* flearam feridos a pedradas. O con-
flicto depois tomou maiores proporci's por se
ter envolvido uelle o povo. Tudo calmo.
Novo caso suspeito de febre amarella na casa
fronteira a em que falleceu o italiano. Dizem
oo ter havido o cuidado preciso e medidas hy-
gienicas depois da morte do Italian A impren-
sa toda pede providencias
Mina Cieravex
O Jornil do Commercio da corte publicou este
telegramma :
Ouro Preto, 8 de Fevereiro
Por telegramma consta ter havido desordem
em Ferros, Jequery, Conceico da Boa-Vista.
Araponga, Borges, Joanezia e Paulo, Moreir, por
causa de urna conferencia republicana sobre o
registro civil
Os libertos, em eral, sao eentrarios ats repu
blicaoos.
Para Ferros, onde correm risco os republica-
nos Drummon I Filho e ontros o governo fez se-
guir o juiz muiicipal de Itabira, o promotor pu-
blico e forca policial.
O Liberal Mineiro diz ter o Dr. Beneveuuto Lo-
bo receb.do dous tiros de garrucha quando fazia
a conferencia em Jequery.
No conflicto em tJonceico da Boa Vista houve
20 feridos.
A Relaco julgou hoje a importante revista em
que sSo partes o commendador Britoe o Dr. As-
sis E' advogado do primeiro o Dr. Henrique
Salles e do segundo o senador Ignacio Martins.
flauhou a cansa o commendador Brito. restau-
rando o tribunal a sentenca em \' instancia
Tendo ou'ras foi has da corte publicado te-
legrarinnas assnstadores, e-creveu 0 Jornal do
Cu.'itnercio de 0 :
0 Sr. ministro da justiga, ao ter ante-non
tem conhi'cimepto de que nesta cidade haviain
sido sflxados boletins com tele.'raiiiiiias proce-
dentes de Minas, noticir.ml j que em vanos pon-
to- da provmoa se tinham dado conflictas, tele-
graphou ao Dresideote da referida provincia.
- .Vio tendo at hontem, s H 1/2 horas da
manh. recebido a esperada resposta, foi a esta-
co central dos telegrapi 'do e ah sou-
be qne a liaba eslava interrumpida para Ouro-
Preto. por causa de forte trovoada.
. Dii iaj;ao da estrada de
ferro D. ^roll e d'ahi telegraphou novamente
ao Dr. oncalves Ferreira, pediodo iuformasoes.
de-infan (aaoJOiO lAlloio
rdeni de par*r.
. Para 'sla liifl aesUadaaBWeraafwepaapUiai
tirm especiaHfl sataa* taaaao monanto
ara conduma^8Brd*etoaBalBBjtocima iaaa-
K,da-. aiutoadeaoa d* 'aeoo funeciojam
at s$ 1 2toraa.'!a-trde, aiOiiaoo al ais
J^aarde ainda a pagadura e a paO^Ces-o- *ju-
dante general e quariabnieoaBigOBaOl.
A-aVt toatovaaalaau
iiw^r*^iittleroa4ail>ai^t o 4*^- bala** d***ifi
pleta ordem de marcha. .
O primeiro telegramma foi recebido pcloSr.
ininislro da ju.-tk a depois do despacho impeRls
S. Exc. rcspoodeu e pedio novas informages, s
6 3/4 receben outro telegramma, era visto do qual
as t}XL^jm)uipUiiit>4iu'UraQi.
Os UM do presidente da provincia
de Mina diziam o se^uiule :
Do interior consta deslruigo de livros do re-
CmqrjarHo n8o'B^BOBBa8Communin
pret- ministro da jusfica conferenctoi'
(aaVfh coliega da guerra, sendo tomadas as
seguiute.- providencias :
Mauilou-e-apromptar para marchar
meir. coO etapa pura 3 dias. o 10 bala-.
lh5o de infautaria e um piquete do 1 regi-r ouvio-ve4bo Siqueira gritos angustiosos, e, cor
ment, de cavallaria, commandado por um om- toado^oa direcgo da voz que clamara por soc-
cial roperi-r
O commandante da 1' brigada general Eneas
Galvio com-ca siauo-maior e. Jiaif o. iiSmti, ittagridQ^Maaactao destruid
--MU
41 Doras da manh, raorru queimado
mi rogado o cidadaojpsd Sv-
Este iufelia liavia sahido para a roga em
aornaanhiado pai, Francisco de Siqueira Gomes.
Quando o fogo j lavrava intenso no rogado,
corraniaparou coa o espectculo borrivel e lan-
cinante o corpo do filho j inanimado e todo de-
8
providencias toram lomauas. ie sjiunuua de
Ferro'dizem receiarera-se confliato, para ahi
mamleium ollicial e forcas e ordenei a ida do.juiz
municipal e do promotor publico para que com o
prestigio de sua autoridade empreguera meips
suasorios-uflm deevitarquefleja alterada a ordem
publica; nao parecem ter fundamentos taes re-
cejos.
Em Conceico da Boa-Vista, termo de Leo-
poldina, no dia 3, houve conflictos e ligeims le-
rimentos ; o delegado de pohcia partioapron
denoisr: mandeiT.>rgas sufi-kntes^ara prevenir
nevos conflictos. Nao hainais. cojuinuiuuKwj
capital est tranquilla. f '<
0 referido Jornal publicou depois estos te-
legrammas do seu servio*
Ouro-Preto, 9 de Ke.vejwiro
N'esta capital nao houve desordem de especie
alguroa. ...
0 presidente da provincia recebeu noticia de
desorden* as fregaezias de Joanesia, Anta, Her-
val, A reponga,'Bagres eBonito, por. causaiki re-
gistro civil.
Foram tomadas todas as providencias para o
resiabelecimento da ordem.
Na Conceico da Boa-Vista, no dia 9, por oc-
casiao de urna conferencia republicana, houve
um conflioto armado entre republicanos e libertos,
licando 15 feridos.
Tomaram-se providencias, porque annuncia-
vam nova conferencia o conflietos.
OiHo-Preto, 11 de Fevereiro.
Os conflictos havidos em alguma localidades
da provincia neiihum resultado grave produz-
ram; sao devidos a m comprenenso do povo
relativamente ao registro civil.
- E publicou mau na sua (azetilko os segua-
les, que" foram recebidos de Ouro Prelo pelo Sr.
ministro da a&lJ .i aos dias 10 e 11:
Respondo telegramma recebido hontem 1012
horas da noite. Araponga era paz, inquerito feto,
registro em execugo, segundo communicaco de.
4, recebida hontem de Joanezia e B&a-Vsta,
aguardo inforniagoes que traosiniirei logo.
Quanto estao cidade de Sant'Anna de Ferros,
nada posso adiantar: parece, porm, nao hayer
motivo receio conflictos annunciados, tendo sido
tomadas providenciase haveodo exogeracAo no-
ticias publicadas.
Os disturbios havidos nao lm era geral ca-
rcter poltico, exceptuadas, as desordens em
Conceico da Boa-Viata.
Acabo de receber do delegado da Couceicuo
da Boa-Vista, termo de Leopoldina, o seguate
telegramma : No confliclo no dia 3. nao houve
mortes nem ferimentos grave?. Existe at agora
tranquil!idade publica.deridoas medidase ure-
senga da fbrga.
Por estar tranquillo o termo de Leopoldina a
forca do 22." batalho de infantaria que para ah
emBarcou hontem. teve ordem de dirigir-se para
5. Paulo do Muriah, de onde o ministro da jus
liga recebe do juiz de direito Antonio Cesario
de Faria Alvim um telegramma commucaodo
3ue Ihe ceostova estar preparado um ataque ci-
adepara hoje, com o fin de destruir os livros,
assaltar e soltar os presos da cadeia, inclusive 3
que foram ha dias presos conaf- cabegaa dos re-
voltosos autores de* disturbios no arraial doGlo-
Publicando o primeiro d'esses lelegrammas.
0 Jornal accrescentou :
Hontem, s 3 horas da tarde, recebeu ordem
o commandante. do 22. batalho de infantera
para fazer partir hoje, oe treiu expresso dae 3 ho-
ras ila manh, o capitao Paulo Jos Pfaitzgraff,
um official subalterno e 30 pragas do mesrao ba-
talho com destino cidade da Leopoldina, onde
se apmsentorQ ao delegado de polica, ficando
all de preveaco.
. 0 Sr. raiistro da guerra e seus auxiliares
de gabinete estiveram toda a tarde na secretaria,
de estado. *
N.Pauto
Datas al 11 de Pevereiro.
l 'ous, mariiihei ros do vapor allemo Medula,
surto no porto de Santos, baixaram ao.hospital
atacados de febre amarella.
0 informante do Diario da Tarde, a quera
foi dada esto notioia, accrescentou que o com-
mandimte do vapor loe dissena, haverem os ma-
rinheiros tido a bordo vmitos pretos.
Na terga-feira cabio forte chuva de pedras
entre as eslages do Corumhatanv e-MorrO'Gran-
de, na estrada de ferro do Rio-Claro.
Cabiraui pedras enormes, causando muito pre-
juzo
Em Campias no dia 21 do passado, no
bairro do Bebedouro, n'este municipio, foi as^
sassinado um tropeiro de nomc JoSo Flix, cujo
cadver se encontrou no dia seguinte":
Parece que o roubo foi movel do criine. A po-
lica ja interrogou onze testemunhas, nao poden-
do averiguar ainda qual o autor ou autores d-'es-
te brbaro crirae.
No raesmo bairro, s 3 horas da tarde do da
30 do passado, cahio grande chuva de pedraque
eausou muito prejoizo aos fazendeiros.
Os cafesaes caram todos quasi sera fructos,
em eonsequencia do temporal os haver derri-
bado.
Muitas casas d'estc bairro foram damnificadas,
e os carainhos tcaram intransitaveis,
Kio de Janeiro
Datos at 12 de Fevereiro.
Por decreto de 9 foi aberto ao ministerio do
imperio um crdito extraordinario de. 5.00 >:000,
para acudir s despezas imprevistos e urgentes
com auxilios directos e indirectos, populago
das provincias flagelledas pela secca e com as
medidas tendentes ao ruelboramento do estado
saniiario d'.sia capital: assim como para come-
k) exi-cugo das obras que respeitom ao sa-
ieamento s,ystematico e preservativo da mesraa
capital, prendendo-se a drainagem do solo, se-
gundo os estudos do Dr. Julio ltvy.
Tendo varios caciques de tribus indgenas,
que estaheeiam na confluencia dos rios S. Fran-
cisco e Guarapuava, solicitado a construeco de
um engenho destinado a moagem de canna de
assucar, declarou o ministerio da agricultura
presidencia da provincia do Paran ser de sua
competencia, na forma da circular de 16 de Ja-
neiro, providenciar a tal respeito.
A le do orcamento para o exercicio actual
mandou que sejam entregue s.provincias, para
que tenham a devida applicaeJo, as consignagoes
constantes das tabellas explicativas. D'ora avan-
te, pois cabe s provincias dirigir e superinten
der este servigo que para algumas 6 de alto inte-
resse, sobretodo pelo que tora necessidade de
preservar as populag6es civiliaadas contra as
correras e attentados de toda a sorte que era
tanta parte cotniBettem as tribus nao dapmti-
-
Espirito Manto
Datas at 9 de Fevereiro.
Por acto de 5 docorrente, foram remov los o
promotor publico da comarca de Gurar, l)r. i-
guel Flonano,de Menezi^ Doria, para a de Pjo-
pri, e o desta, Dr. Nylo Ramos Romero para
iqueila.
No die 2, o ex-presidente da provinei;. Dr
"restes Pimentel. foi alvo de ama manife-i >eo
honrosa, recebendo um rico brinde que Ihe foi
ido em nome do povo.
S. Exc. dias depois embarcou com destino
edite.
L se na Provincia do Espirito Santo:
De Cariacica noticia-n correspon-
dente, que no dia 30 de Janeiro recenlemente lin-
<> cadver "do infeliz inaaMai seftaltadMoa
larde toqaae dia, no cemitaaw danaagueoto
i L-so as mesma fofha :
> Uui ihmso correligionaria*; anaja, o Savoe-
vero to UiJctoJ'iiilo, enviou-nosiaa)ttOf uiaaawe
norma que foi moita em a freirotala dufianta
Isabel peloSr. Antonio Saaal BraapaBaiaaaas.
e que foi aUsniassilicada coiaosMidadav yaap,
de forma eatoaanho descomaaaui -.
' Sefe'ufMainro:niarO'aaaaBtoBm*a q:i0,aan
lu iwm'fptjtamos lldi.ngbas. essa agtrnTTnnnsrniosa. tai-
vez urna aguia errante, pesan 8 I i kilos e me-
dia, abertas as azas, 2,08. Uraa peana da aza
tinjia 60 eras.,de comprimen to.
Pode-se avahar da grandeza da enorme ave
admirando-se o p, que pretendemos offertor ao
Sr. p-""'""' '' i!;'"1-4i1liffir;TflM fi..........,1'1"
Immigrago, para Ugurar jia pcoxima exposico.
Os mais antige miradores de uflirniam nunca terem visto, alli, ave semelhante.
Santa
Datos at 15 de Fevereiro.
Os jornaes da larde d#.13 e os da manila de \\
deram todos artigos adictorUes, tardados de pre-
to, commemorando a vida do Raro >le Cotegipe
A Gazeta da Baha apparcccu a 14 toda de lucio,
e suspendeu por tres dias sua publicago em de-
monstragao de pezar.
Fecbaram-se pelo raesmo. motivo, uo da 13,
repartigOes publicas, e a associago commercial
e outros estabelecimentosi, bem como os navios
surtos no porto conservavam em funeral as res-
pectivas handeiras.
Houve muito: nutra autras demonstragOes de
aeotimento pela,atarte do illustre Baro de C >te-
gipey morte que produzio consternagOjna pro-
vinera.
De UbnBaaaaeacrojrai>.'''ljxla-Ca-
choeira.:
. Nos limites esta fregueaia e da de. Santo
Esteii-o, no* lugaree denominados Cainana e 6.
Romeu choveu pedras no-idia 7-de coriente, cau-
sando prejuizos, porque descobrio muitas casas
A pobreza continua a csmolar o p.
Aqni o povo est se sustentando a uinb co-
sido com sal.
Horror. -
Escreverarn do Curr Linho ao Jornal de No-
ticias .dizende que continua a reinar naquelle
centno.uma horrorosa secca.. As chuvas que ha-
viain comegado a calnr a 26 do.passado nao con-
tinuaram, de modo que assustador o estado
(aquella localidad e seus arredores, a mor-
tandade de gado tem si Jo extraordinaria, e j
muito grande o prejut30,,que sotrre grande nu
mera de creadores.
As diversas lavouras esto todas queiraadas
pelo sol abrazador.
Os gneros alimenticios esta todos por pre-
gos.axcessivainentealtoi nao se sabe essa ta
restia at onde attingir.
A falta d'agua uo Curraliiibo qnasi total
Os morudores supprem-se para beber era urna
fonto!muito distante, cuja.agua pessnae.quasi
nenhu.na. E' abi tambera que vaoailavandei-
ras da localidades lavar suas roupas.
l/'-se nessa follta de 14 :
Est, felizmente, restabelecida a ordem no
Urub, dizem cartas d'alli, chegadM lia dias p
que obsequiosamente nos foram mostradas.
. As familias liberaesuslio regre-sando con-
fiantes e todos sao accordes.eai acreditar na ma-
nuteqcao da ordem, gragas cootiauga inspirada
pelo delegado de polica.
A actual paz da localidade tem sido de louge
em longe incommodada pela perseguigo movida
contra larapio de gallinhas -o que no final de
contas. nio importa jada para a quebra da or-
dem.
MOjOaoai
Datos at 16 de Fevereiro.
Todas as folhas pubcaramartigossore. o Ba-
ro de Cotegipe, fazendo sobresanir os seus ta-
lentos e servigos.
Deixou a redacgSo da Hri*la do Sore o
Dr. Manoel Messias de Gusmo.
Coutinnava a ,peste de varilas fazeres-
tragqs.
OBBJfBaBBBmiaBBBJBB
INTERIOR
Correspoudeacio do Diario de
Pernanibuco
RIO: GRANDE DO NORTE atal, 13
de Fevereiro de 1889.
i. nu-:'.->' infinida bondade Divina, te-
mos agora de registrar com satisfagan,, no-
ticia muito animadoras, que temos rece-
bido : uestes ltimos dias, dos scrtSes da
provjncias.
Em toda zona do sertao do Serid, as-
sim pomo Ase e Trahiry, temos noticias
de copiosas e abundantes chuvas, que tem
animado bastante a popujacao e, assim,
acreditamos, que desappareoer&o completa
mente as tristes aprehens5es, que em ge-
ral se nutria, de que teriamos de lutar
com ;o borrivel flagello da secca.
De outros pontos da provincia, aJm dos
que mencionamos, temos tambem noticia
de que tem chuvido ltimamente.
Em .Mossor, onde j havia aSo peque-
no numero de inmigrantes, o para onde
se reciamavam soccorros para a popula-
cSo, ltimamente as noticias que o xm.
presidente da provincia, nos consta ter
recebido, sao bastante lisongeiras, recia-
ntando-se apenas algumas semen tes, para
serem distribuidas .populacao, que pro-
curava regressar a seus lugares.
O.Exm. Dr. Jos M>rcellino, informam-
nos que providencioui.sem demora, no sen-
tido de serem satisfeitas estas reclama-
95es, fazendo as necessarias reeommenda-
95es,s autoridades, e pessas considera-
das d'aquella cidade.
No dia 6 do corrente, teve higar
nesta capital^ a eleico para duas vagas de
vereadores da Cmara Municipal.
A eleigo correu pacificamente, sendo
eleitos os dous candidatos conservadores,
tendo os liberaos consciencia de sua fra-
que/.i n'esta cidade^ pelo que se abstive-
ram do pleito.
Apenas dous membros desse partido se
apresentaram e sendo conhecida suas cha-
pas, verificou-se ter recahido esta vota-
5^0 nos seguintes:
Dr. Pedro Velho da Silva Jardim, Dr.
Jo3o. das Estivas Rangel Pestaa, JoSo
Avelino Lopes Trovao, NapoleSb de Qoes
Martins Jnior, a
Fazendo assim recahir o ridiculo, sobre
bre seus proprios correligionario, Dr. Pe-
dro Velho, capitao JoSo Avelino e Dr.
JoSo de Albuquerquer, que ltimamente se
tem declarado republicanos.
Sao arrufo e briga de compadres!
__. No dia !) do corrente, reunidos mui-
ts libertos e teudo feito previamente con-
vites pela imprensa, ficou creada urna as-
sociacilo ou lub, a que deram a denomi-
naytb de Guarda Negra, sahindo depois
em passoiata pelas ras d'esta cidade, pre-
cedidas de urna banda de msica e nume-
rosa concurrencia de povo, dando entu-
sisticos vivas, s instituieSes do Imperio,
a S. M. o Imperador e excelsa Princeza
Imperial.
A manifestacao foi feita na melhor or-
dem, sem haver incidente algum desagra
davel.
__ Na Serra de S. Miguel da comarea-
de Pao dos Ferros, deu-se um assassinto,
do'qual t seguintes termos :
Arthur Cavalcante Albquerque, no
dia 4 de Noverabro" ultim assssinu
brbaramente o infeliz Miguel A. dos An-
jos, morigerado, de boa ndole e que de
suas economas havia capital sado urna pe-
quea quantia.
c Aproveitanostse a msate Artkarjda
madrugada d'aqjajhllc dia, hora em pie o
infeliz Miguol o dirigir a urna oaonba
para haver agu*,..|raaaiko ide que me,m a
sua profissao reeer o ass^saa*. em omaaabia de um
OMtro de nome Jtacintho, e ahimestao pra-
am ambos aobaro kaworoto rU, deW4t o reetirso hrterposto por um dos
me, descarregando sobre a innocente victi-
ma algumas cacetadas e vinte e sete fa-
cadas.
O infeliz ficou subraergido na men-
cionada cacimba.
Os malfeitorcs tivenam por lim rou-
bar.uns cobres que o infeliz havia reco-
lhido em sua casa, onde prooederam ao
saque.
O digno delegado de polica acompa-
nhado do integro Dr. promotor publico da
comarca, que n'esta occasiao se achava no
lugar, procedeu regularmente s diligen-
cias
da
do que resulton o descobri-
eriminalidade dos taes inalfei-
mento
tores.
E' este umfacto que muito tem cons-
ternado a populacao d'esta villa, e gracas
s diligencias e esforcos das autoridades,
vao sendo dovidameato punidos os delin-
quentets que j se acharo recolhidos ca-
deia.
Por acto de 31 do passado, foi no-
meado o Revm. Francisco Gonstancio da
Costa, para servir interinamonto o cargo
de director geral da Instruccao Publica,
durante o impedimento do effectivo Dr.
Antonio Ga.-eia,. que entrn no goso de
licenca.
Consta, de polica, commandante do destacamento
da oidado do Principe, foi all capturado
em dias do me-passado, celebre crimi-
noo Bartholomen Bimba, pronunciado no
termo de Campia Grande da provincia
da P-arahyba como incurso no art. 17 do
Cod. Crim. combinado com o art. 8." da
lei de 3 de Outtibro de 1833.
Da frapp, do Natal, de 9 do eor-
oente extrahimos i seguinte noticia, sobre
chuva de pedra* na Sorra do S. Beato:
a Da Serra de S. liento, comarca, do
Trahiry d'esta provincia, .recebemos a se-
guinte noticia de 2 do corrente :
A's 3 horas e 5 minutos da tarde
de 31 de Janeiro ultimo, appareceu sobre
esta povoaco urna chuva de pedras, que
se desfaziam logo depois da queda. A
chuva durou 22 minutos.
A populacao supurstiticioea assoav
brou-se pedindo misericordia liante d esse
tremendo castigo do eo !
A chuva passou, fi Deiis permuta que
em vez da fino .chuv't&cos. d'esses que s
produzem lagartos, venham de novo essas
agrodnoes pedradas, atiradas l das re-
gioes sidreas. Venha e venha sem de-
mora esse carnaval celeste com tanto que
os rios corram e nao no.- quebr -a ca-
beca.
Durante o mez lindo de Janeiro a
Alfandega desta cidade arrecadou o se-
guinte :
Renda' geral 4:30S#191
Imposto provincial 1:559(5467
MARANHAO, 30 de Janeiro de 1889.
Vai esta nm pouco demorada por falta
de assumpto capaz de prender a attencao
dos leitores do Diario'.
A nota caracterstica do mez findo fo-
ram as discu3s*es jornalistLcas, travadas
entre pessoas ^ue aqui oceupam lugar sa-
liente, tendo por .protogonistas os Drs.
Neiva Rodrigues, Hugo Barradas, JoSo
Henrique, padre DamascoOo e os redactores
do Patzj.mas isto, nSo englobadamente,
em coro, porem de modo mais suave e ar-
tstico. Os dous prmeiros discutirn! cou-
sas passadas l para as bandas.de Anaja-
tuba, os dentis, poltica velha e velharias
polticas.
O Dr. Neiva Rodrigues, por exemplo ;
em artigo estampado no Pacotilh^ de 7
de Janeiro, declarou-se informado de que o
Dr. Hugo Barradas, ao chegar em Ana-
jatuba a noticia de se haver retirado do
ministerio o conselheiro Vieira da Silva,
suppondo aquelle Dr. -Barradas, que alli
jniz de direito interino, ter voltado ao po-
der o grupo poltico de que chefe o con-
elheiro Gomes de Castro,oh doce illu-
sao da mocidade! dirigira-se casa em
que de passagem achava-se hospedado o
pai delle Dr. Neiva Rodrigues, e, depois
de tel-o insultado, acabon 'por declarar
ruidosamente que alli lora propositabnente
aipeacal-o por Ihe ter constado pjetender
o coronel Solano levar ao ./conhecimeuto
do ministro da juatica, actos roprovados
praticados por elle Hugo Barradas.
Como era de espera, este artigo foi con-
testado, e depois da competente replica e
treplica, ficamos nos, que fizemos parte
disso que se chama o respeitavel publico,
sem saber onde esta va o gato.
Acabam quasi seinpre assim, entre nos,
as hitas jornalisticas: nao temos como os
europeus a salutar vantagem de, quando
nos julgaraos affrontados naquillo que te-
mos de mais charo, empunhar um florete
ou urna espada, e dar quatro ou cinco
guiadas em frente ao nosso contendor.
Entre o Dr. Joao Henrique e a redac-
c&o do Paiz a^uestio mais velha. A
proposito de um artigo escripto por .este
pondo em duvida a influencia de que goza
o honrado renador Vieira da Silva,* a
quem negaram at o real merecimento
umversalmente proclamado, veio a eampo
o Dr. Joo Henrique, e de alfarra-
bio em punho, provou soeiedade que o
digno chefe do grupo dissidente, nao fra
extranho s manobras partidarias que de
continuo ensombram as nossas lutas poli-
ticas amalgamando e confundindo princi-
pios, como se estes nao representassem se-
nilo mesquinho8 interesses. Useiro e visei-
ro do escambo de vota5es, como bem o
demonstron o Sr. Joao Henrique, o illus-
tre corypheu da faco&o dissidente, corte,
sento poder jamis jnstificar da culpa de
havar entregado o seu partido ao Sr.
Franco de S, por occasiao do ensaio da -
eleio directa por circuios, nem chete ^ > arsoiiier reunidas ,
nominal dos liberaes maranhenses, recu-
sou jamis o seu testemunho para demons-
tra|r que a cadeira de deputado entao ob-
tida pelo Sr. (ioiaea de Qastro, n2o fra
seniio um presente a elle conferido pela
hybrida eolligagSo de liberaes e conserva-
dores que elegeram um dos chefes, depu-
tado, e o mais feliz dos dous, membro da
cmara vitalicia.
Contina o Ilustre presid nte da pro-
vincia a regel-a dcaaasombxado, seguro do
apoio e sympathavoae to esclarecida
adrainiatracao vota todo) os homens sen-
satos ,.mparcaos. O proprio Paiz, nico
jornal>iqne entre h* representa a opposi-
5io,.^>uvou o digno Sr. Moreira Alves,
preoeaisando-lhe os scatimentos de jus-
tiga -e a taleraneia desieu espirito ele-
vado, teudo Bjca>afl'do>- vereadores da Cmara Municipal, alle-
gando ter -ido tumultuaria a sesso em
que foi presidente desta corporaco o Sr.
Collares Moreira, que pertence ao grupo
Casineta.
No dia 1 do corrente embarcou para
essa cidade a virtuosa esposa do Sr. Dr.
Moreira Alves, em digresso de "recreio.
Por occasiao do seu embarque S. Exc.
foi alvo de significativa manifestacao de
aprego da familia, inaranheSe que teve
occasiao de av liar de seus altos dotes.
Creseido numero de senhoras acorupariha-
ram-na at a bordo do vapor Allian$a ; e
por esM oceas'ao o digno presidente da
provincia pode bem.aqutlatar as justa 53401-
pabia8 de que o seu nome cercado,
vendo o numero de amigos que foram
aeompanlinr em tal momento.
Descuipem o laconismo desta, que ser
brevemente seguida de outra mais circum-
stanciada.
*
AMOR E ONHjgXEO
POR
XIV
(Coiitinuacoj
l'ma manh Paulo tomava um bhete na cami-
nho 0 pai acabava de o deixar depois de unimaces
e Araseibofl sem fim.
O mogo caminhava as trovas. .Vio sabia ter
vontade, ladilerent a tudo, obedecendo ao aca-
so, no (b-saiiiuio
  • Quando se apeou ni estacan de Nangis, um
    hoinein caminhou para elle com a mo enten-
    dida :
    Bons dias, Sr. Paulo, como vai a Sra. Du-
    chain 1
    Minha nrii continua a estar uai pouco in-
    commodadi; o fro tem-na leito soffrer muito
    oestes ltimos tempos. De-ine noticias noticias
    da Sra. Parsollier.
    Oh Minha mulher passa de saude como a
    ponte nova. Quer saber, isso depende do bom
    ar. Minha mulher e minha tilha ignoram o que
    sejam nevroses. Passam oito mezes no campo
    todos os annos.
    Chegavam perto do tilbury ; a phrase foi, per-
    ianto, interrompida, naturalmente. 0 Sr. Par-
    sollier, porque era elle, agarrou as redeas e o
    cavallo parti a trote.
    Emquanto esculava as explicaijes do seu com-
    panlieiro a respeito do lugar que atravessavam,
    o moco examihava-o vontade, censurando um .
    pouco os modos familiares do seu companheiro.
    Acnavam-se em presenta duas castas.
    Paulo Duchain, alumno da escola polylechni-
    ca, filho de tira hornera sahido da escola central,
    representava a aristocracia industrial.
    O Sr. Luiz Parsollier, robusto como um athleta,
    um pouco baixo, com urna cabeca enorme em
    um pescoco de touro, teices do povo, intelligen-
    tes e desenvolvidas, com o nariz um pouco es-
    borracbado, com a bocea grande, expandindo-se
    em um riso bonachao, a que a finura do olhar
    indicava o lado subtil. o sr. Parsollier incarna-
    va o proletariado industrial na sua accepgo
    mais propria e mais alta e tambera a mais digna
    le respeito-
    Ostentava na (apella a lita da Legio de Hon-
    ra, um poucachinho maior que o rigoroso bom
    gosto indica.
    As palavras e os gestos respiravam talvez de
    mais o homem seguro da sua importancia, apoia-
    do na solida base de urna grande fortuna.
    O habito continuo do mundo, serio e ecessa-
    rio, accrescentava ainda um orgulho apparente
    a primiva rudeza.
    As primeiras imprcssOcs de Paulo nao se pa-
    reciara com a sympathia. Mas o trajelo foi
    longo.
    Quando o vehculo fez estalar debaixo das
    rodas a rea cuidadosamente raspada do parque
    Paulo tinha mudado o seu juizo prematuro. Des-
    cobria debaixo do rude involocro do orgulhoso
    fabricante um homem bom, um homem excellen-
    10. um hornera honrado.
    XV
    Depois de tiraremos pesados sobretodos, os .
    dous atravessarrm primeiro urna sala de bilhar
    inmensa, ornada com tapecarias do XVIII se-
    culo.
    Depois o Sr. Parsollier introduzio o moco ea *
    urna salazinha conchegada e alegre, forrada de
    tazenda Jouy.
    Diante de urna bonita escrivaniuha, de forma
    a Luiz XVI, e de pao rosa, escrevia urna moca
    fazendo as suas contas com urna religiosa, senta-
    da junto della.
    0 Sr. Parsollier presentou :
    O Sr. Paulo uchanin...
    Minha tilha Catharina ..
    Paulo fez o comprimento um pouco secco.0 ce-
    remonioso da cabeca que se inclina e a moga es- ,
    teikieu simplesraente a mo.
    Trocaram-se algumas phrases banaes.
    A religiosa esperava jilacidamente, indife-
    rente.
    0 pai explicou a necessidade de Catharina
    continuar no seu trabalho, porque tinha que de-
    terminar o emprego da semana para a sua escola,
    para o orphelinato, hospital e capella.
    Parsollier desculpou-se tambera por deixar
    Paulo alim de ir previnir a mulher, porque o re-
    cebiam como amigo, sem ceremonia, na intimi-
    dade da familia, e das. oceupaces quoti dianas.
    A enscenafao .staya -preparada com toda a
    certeza ; mas entretanto-ii cousa nao era nem
    menos bem nem menos cordialmente feita.
    A menina Catharina pareca ignorar aquellas
    corabin-icoes, porque -continuou no seu traDalho
    com perfeite/des^Jisombro.
    Discuta escrevia -com methodo, avahando as
    importancias, verificando a ?oota das provises
    de reserva e o que conyinha accrescentar, os li-
    vros e os tornecimentos necessarios escola, o
    augmento de combustivel, compras de medica-
    mentos, de gneros, de fazendas, mil pormeno-
    res, intelligentemente debatidos de urna parte e
    de outra, rpidamente concluidos e escriptos em
    Em seguida a menina Catharina carregou duas
    vetes, no boto de urna campainha.
    Apresentou-se urna criada.
    - Rosa, mande trazer o cesto.
    E comecon a escrever de novo, desta vi -eai.
    fallar cuidadosamente, methodicamente. 1 m
    classificava as notas e as facturas e prenda em
    seguida com um alune e cada serie diferente.
    Enlrou um criado trazendo um gqande rest
    de lavadeira. cheio com diversos bnnqued-
    quinquilharas.
    A menina ainda precisa de miro ?
    Nao, pode retirar se.
    Tudo aquillo simple-mente, Um gsneraisinho
    bonito, sandavei. encantador, com o rosto ho
    to, joven e fresco, com os olhos lmpidos,
    caracolhinios uaturaes do seu cabello castaabo
    em volta da nuca e da testa.
    Tratava se agora de, urna tmbola para
    :*


    I*.


    r
    I
    f

    i


    t.
    I
    \
    I
    -la.
    Paulo eslava admirado. Ai
    sa, t


    $-
    -
    w escrupuloeameni -^deav
    11 hornera do coaunercio.
    imn olhos azues de cilios (arrogado
    i ios e. du- o menor emita-i
    raen, sem affectaco, as pessoas .e as coueas.
    Trujando um vestido de panno de fer
    rugeta, e guarnecido de astrakan, jlmhu feite
    naturalmente moa visita matinal aos estabeleci-
    monlirollorwtoi sob a saaJta vigilancia, por
    que i.ui capul de panno, luvas e umeasaco se
    melhnnte uo uvam ein cima de urna
    cadena de bracos por detraz della.
    Cada ve :nais iiiteivssado, Paulo examinava
    minuciosamente todas as feices daquelle sereno
    rosto, a que nada perturbava a serenidade lia
    innocencia.
    A testa, um tanto elevada de maig. o queixo
    ama Irado, preeminente, aunnnciavam urna ener-
    ga, urna vontadeque poda ir atea teimosia.
    As sobrancelhas bera arqueadas, inais escuras
    do que os cabellos,.davara-lhe ao olhar urna es-
    pecie de dureza quando so observavn raais atten-
    lamente.
    Nos membros um pouco fortes, a fazenda do
    vestido muito apertado esticava-sc,
    Sim, aquella creatura sadia, b.\-i, rica, de
    gostos relativamente simples, devia aguardar
    sua familia.
    E a ella <
    Poderia amal-a? Por eimiunto admirava-a
    cem nitlflrtMTTi* inquieta.
    Nlo Be mudou nada nos hbitos da casa e o
    almogo fo: servido on ci na do oleado como da
    costme.
    Co no o pretexto da viagem do moo fosse
    urna r.ousdeneiosa visita a Tabrica. fallou-se da
    sua or^annacao cujo entroiamcnto era to per-
    -feito qia ausencia do Sr. Parsoliier nao lhe
    'poda fazer parar o movimento.
    A rigor urna mulher poderia conduzir tudn
    coin urna liscalisaco atienta e pouco fatigante.
    Alm disso. a Sra. Parsollier% bem como a
    filh i. igualmente bem informadas, metterara-se
    na conversacao, fazendo.a proposito observaces
    exactas.
    Depois fallou-se de poltica.
    Os nome de mojas amigas de Camarina
    foram pronunciados, naturalmente. Todos ti-
    nh-i:i- uina partcula. Nao foi mencionado um s
    noni'1 commum.
    XVI
    Paulo fez a couqu:sta da familia
    O Sr. Parsoliier farejou o industrial futuro,
    in'.elligeate e coloso, debiixo do involucro do
    borne.ii elegante.
    Admiriva os horneas de Torga : urna viga
    aehav.i se por accaso encostada a porta de um
    ro "l que foi preciso rgiicar as reservas.
    K.n logar de chamar ura liomem de trabalho,
    Ulii Parsoliier aggarrou na pesada viga de mi-
    deira: o mogo ja fazia o mesmo gesto, coma
    na'ur ilidade 4o habito.
    Carregaram aquelle pesado fardo sem que
    um -iiu-cnlo do rosto traliisse o menor esforgo em
    Paulo.
    As sua- oaos muito bera tratadas nao recea-
    ram o trabalho, tinham tambera a forga de o
    supportar.
    O industria'! fez outras tentativas de maner i a
    uuis natural aa apparencia.
    Paulo percobeu-o ? ....
    Tal vez que nao, i'orque o Sr. Luiz Parsolilier
    tinha endita manha e esperteza.
    Fosse como fosse, o mogo sahio victoriosa-
    mente de todas as experiencias.
    Decididamente em aquelle o genro que con-
    vinha.
    Catharina tinha vinte e um annos e com i-ertc-
    za nao lhe fal'avam pretendentes.
    20 pai e a mai, naturamente ambiciosos para
    ella, bem como para o irmo, tinham pensado,
    pelo menos riiiia-se, emum brilhante casamento
    qualouer.
    A sua fortuna pernuUia-llies collocal-a na pri-
    meira lilha da sociedade pariziense.
    Puderam. avaliar, operigo d'aquella corabma-
    cio por informaees fortuitas sobre um preteu
    dente acceito. .
    A licu recebida deu os seus fructos uteis.
    Catharina eotao foi encarregada d.' um traba-
    lho inteiessante. Fundaram p>ra ella urna es-
    cola Foi oraaoisado pelos seu= cuidados um
    coro liara a capxUft. A moga tomou gosto n
    trabalho. ,,
    Sentia-se que reta urna excellente raulncr,
    aniio seguro, um socio honrado najexistencia
    commum. .. ., .
    ijilkarioa i:prtseiitava, pois, a feiicidade pa
    cida e a segurauga do futuro.
    O Sr. Duclianin esperava a volta do lilho. Nao
    se tinha deitado. .... ..
    \ mai. que nao tinha querido intervir ate all,
    tambem licra com os olho abertos, contando
    os minutos ora o coraco oppriraido
    Pauto abri a porta Ja ra levagarUMK, subi
    a escuda sem fazer barulho para nao accordar
    ninguem.
    No primero andar, entrada do quarto. o pai,
    paluda e trmulo, esper\a-o etenaVn o be os
    uracos. .
    Vem da um beijo em tua mai Beses dous
    da- passados sem te ver parecem-lhe ntermi-
    naveis Di-sejava fallar-le antes de adormecer.
    V Sr ihtciianiu deu-lbe um beijo, informou-
    se da viagem. Tinha madado preparar a ceia
    para o mogo.
    Kmquanto ao pai :
    Tu vens apaixonado. liemmeu rapaz,
    perguntou elle con um sorriso dissimulando
    mal a sua angustia.
    Venho, pai.. quasi.
    - K" muito boa gem>, .onlinuou elle, estive
    na rompanliia dalles, como se ja os conhecess'..
    Inri i imito lempo. A menina Cathanua e urna
    moca bonita, boa inteligente. Amanha falla-
    i!- em tu lo isso, concluio elle com um sora
    de voz sfmelhante a um queixume.
    Pelo menos nao vem'entusiasmado pen-
    sou o Sr. Ducharan que ainda assira veto soce-
    gar a mulher exageraudo-lhe muito as MU UB-
    Bressfies do lilho. ,
    (Continua;.
    iario e:-Itemaiilmci-{fi^^ FerWei6 d 1889
    1 i^i^
    onde hornea- pekis. 4 horas da. de oaerTieoidosBowragoejiBe do amdcpio,
    REVISTA DIARIA
    Arto da preid<>nriRPor actos de 7
    do correne mez :
    Foi concedida a gniliHiac-JO da I* parte dos
    venciraentoe ao agenh' reeebedoi addido a Ite-
    cebedoria Provincial, Joo HermenegiWo Borgcs
    Diniz, por con'ar3S de : anuos de servir j.
    Foram concedido- 45 dia de licenra a
    profe>stMai)'ibkca..Max'uiuiia da Silva Joans.
    Por acios de 8 do corrente mez :
    Foi nomeado Vicente Femara de Sania.
    Earao posto de capitoda l* compuulna d
    da ,-uarda nacional de Garntaos em
    sub-l'l'ii.fi: '" Mauricio I/>pes Lina, que foi re-
    formado.
    !:.;, iconivrfidos 3 mezes de licencaa
    professora Fra-icisca Lodovina Ribeini Baceflar.
    liiforMMfv peUhBtol *-Por aada
    le 18 do corrente. e pnipos! do
    r clv- de polica. I ignal da-., foi ......r-a-lo :
    ippteitff d I" lo
    * FaU-ao S
    nli i em subsiiaico de Frauci i -
    Mouiz PaWo n>i- aaop:-,. u juraraento.
    Dr. geni C. Omn- Hnnto*, Bnmw -
    oje. s bon- da manhl. na igre;a motru da
    o celebradas rnissas peia alma du
    h. i; no?, falle
    lia 13 de- mez.
    I acto de i re-
    ligio sao convidalo= os mu ''' bnado.
    lade.
    (licradn > .vclie-
    ul, ante-ho0le:i o .r. coronel Joaquim
    Verissao Reg Barros, agricultor i'.s romar-
    - ao i!lu,-tre amino.
    t,A|i>vi riilnaiauriK- Amuuliect-u
    ii ranio de S. Louren-
    A' iraic*-
    do 2"
    ine-i:.
    nido
    f.lHeeiiiTr '"'' as
    rasdanotee 5*2^
    ao cemiterio publi-
    lUaim
    A presentamos nossos psames a sua famuia.
    t conircNNuda etpotico n-
    IhrnpulotiH criminal (Pars, 10 -H de
    Agosto de 1889. A 5 e Outubro do aun fm-
    do. confonne lemos no ultimo faoic:ilo do Archi-
    vo de psychiatria, n- netas penaes e anthropologia
    criminal, o comit francs reunise e fez a es-
    coma definitiva dos tfn-mus que devem ser dis-
    cutidos, decidindo-se admittir 14 '7 para a sl-c-
    gao tc biologa criminal e 7 para a de sociolo-
    ga criminal i
    Os outros th:mas proposlos ou por propor,
    podero ser desenvolvidos em conferencias nas
    ses- O- relatnos oiliciaes que expriman! somen-
    te as opinies do relator, sem responsabikdude
    scientinca do comit, naodeverao exceder de seis
    paginas impressas e de vendo ser enviados at
    este mez ao Dr. Magitot, secretario geral do co-
    mit (em Paris ra de Saints-Pres 8)
    As adheses que do direito aos actos do con-
    gresso sem pagamento e a todas as redueges
    ferroviarias na Italia e em Franca, devera ser
    enviadas ao mesmo doator o mais breve possivel
    com a quota de 20 liras.
    Dos 14 theraas escolhidos definitivamente, 8
    sao dos propostos pela commissao permanente
    italiana.
    Sao estes ltimos os seguintes :
    Biologa criminal :
    Ultimas descobertas da arithropologia cri-
    minal (relatorio de Lombroso e Tenchim).
    Sobre a opportunidade de estabelecer re-
    gras geraes para as pesquisas de anthropomelria
    e da p3ychologia nas pnses e nos hospicios de
    alienados (relatorio de Seiamauna e V. Rossi)
    Sobre o valor relativo das condicoi indi-
    viduaes. phv crime (relatorio de Fern, Sergi e Colajanni).
    igaos e f-incges dos sentidos nos crimi
    nosos (relatorio de Frigerio e Ottolenghi).
    Sociologa criminal :
    Quando um indiciado t?m sido recotiliecido
    culpado, pode-se estabelecer. sobre a anili- >po-
    logta criminal, a classe de crimmosoe a que per-
    tence (relatorio de Cnrofalo).
    Oprocesso criminal no ponto de vista da
    sociologa (relatorio de Raemioi e Pugliese
    So!re a applicacao da anthropologia crimi-
    nal s legislates e as questes .iu direito civil
    (relatorio de Fioretti, Puglia, -limeea e Les-
    sona).
    O svstema cellular etc. (relatorio de du Ha-
    Outros doze themas ja propostos por Manou-
    vrier. Lacassagne, Bertillon, Anfosso, Motet,
    Magnan. Garnier, Coutagne, IMmondo, Marro,
    Ottolrnghi, Lascli, Barnlai e outros, formam a
    segunda serie para a disrussao livre.
    Qnanto eiposigao que formar a nona sec-
    go da exposigao geral de anthropologt* com u
    titulo anthropologia juritea e criminal, o director
    geral Berzer declarou que todas as facilidades
    estoja asseguradas aos expositores. O comit
    porem dar em execugo as mais precisas infor-
    raages para a expedidlo, entrega, retirada e
    despezas de transporte dos objectos a expor.
    Como se \\ o trabalho preparatorio vai muito
    bem e nos estamos certos, tambera por nume
    rosas adheses ] recebida. qneao congressoe
    exnosico os italianos daro um concurso effi-
    cacissim. digno dos continuos triumphos que
    a nova escola criminal obtem hoje em da no
    mundo scientilico e official.
    ' Furuldade de Direito -Com o prazo de
    seis mezes, contados de 16 do corrente, e-t
    aberta a iaecripgo de candidatos ao lugar de
    lente substituto da Faculdade de. Direito. na va-
    gl doixada pelo Dr. Tobas Brrelo de Meoezes,
    que passou cathedratico
    !>iubiiiuicode nolat-Em consequen
    ria de terem apparecSdo na circulagao notas fal-
    sas de aoOAOflOda 3" estampa, a junta adminis-
    trativa da Caixa de Amortisagao resolveu que
    sejam ellas recolhidas at 30 de Junho do cor-
    rete anno ?>';n Icseonto. D'ahi em diante co-
    megar o descont prjigressivo, na forma da le.
    Tfeene inauguralO Sr. Dr. Joo de Bar-
    ros Brrelo obsequiou-uos com um exemplar da
    Tliese inaugura! que apresentou e defendeu pe
    cante a congrezago da Faculdade de Medicina
    do Rio de Janeiro para obter o grao de Dr. em
    sciencias medicas.
    A dissertago um E*tudo Higinico dos esgo
    los do Rio de Janeiro, e revella no novo medico
    vastos connecimeuti'S hygienicos e \iuitu profi-
    ciencia.
    A thesc raereceu ser approvada com distinc-
    cao.
    Agradecemos o mimo.
    Anniverwario* -Fazem aiuanlii' II annos
    que foi exaltado ao solio pon'ificio 9. S. o papa
    Leso XIII.
    Tambem fazem amanh 62 annos que leve
    lugar na Repblica Argentina a batalha de Itu-
    sango. .
    Rerrentiva Commercial A sociedade
    deste nome da um sarao dansante no sabbodo 23
    do correte. E' de presumir que seja muito con-
    corrido, como costumam ser as reunioes da mes-
    ma sociedade.
    >atio< enronlradox -O Sr. capitao da
    barca norueguense Grid, entrada neste porto no
    da 16 do corrente, communicou ha ver encontra-
    do no dia 28 de Janeiro prximo pasado na Lat.
    55.30' N. 29"20 S. urna barca Italiana cujas ini-
    ciaes erara N. C. K. II. que vinha de Pen-icola
    para Magdalena, e cora 38 dias de viagem
    Tudo a bordo corra bem.
    0 Sr. capitao A. Jacobsen, da barca norue-
    guense Josra, que entrou em 0O890 porto no
    dia 16 tambera do corrente, communicou que en-
    contrn no dia i deste mez na fc. 4"' 5* N. r 23.50
    S. com um lugar italiano que tinha as iniciaes
    Q. B. C. D. e vinha de Lwofne para Buenos-Ay-
    res com 36 dias de viagem.
    A bordo do do navio tudo ia bam.
    BegiNirp civH Le se no Jor/i/ do Com
    mercio da corte :
    Segundo era para esperar, a execego do
    regulameato civil tem suggerido era numerosas
    localidades dilliculdades eduvidas que felizmen
    te ro sendo removidas sem obstculo nem re-
    sistencia por parte da pcpulago \ importan-
    cia, que para ligar regulandade de servieo
    taoutil, in luz nos a publicar a seguir.te decisao
    dada pela presidencia da provincia do Rio Gran-
    de do Sul acerca da interpretago do art. 70 do
    mesmo regulamento. mediante consulta do juiz
    de paz do 1" districlo de S. Borja :
    Cou'inuaiKlo o meu telegramma desta d..ia.
    respoodo consulta feita por Vmc. no de 7 do
    ; mele mez, do seguiute modo :
    Os viganos da dioce-e tui faculdade de
    unir pelo sacrameh'o do matrimonio, na propiia
    casa, os seos parochianos m-extremi ou em ar
    ligo de morte, que assim o quizerem por motivo
    de conscienaa e para occorrer aojioconvenent'-
    da illegitimidade dos Olhos, sem depend-m ia
    de banhose de provao deliceoca, como o ei-j
    pede, bastando que prestem o juramento de nao
    terem i ra pedimento algum.
    Alm disso ic niece que, resftoitan la
    leis da nce.-.-idade os di.vi'n- 1.., Z de
    grande parte da poilacao. os raesmos rfgaii
    quando em visita p-..roc,hial. mitas vpzi
    caear era casa e pura este hra umbcm'esUo au-
    lorisados. indeoen J ule de proviso de licei
    ,is paruefaianos cobres qne moram em lu
    .eares distaiinv- da e.te da fregnezia, mormente
    os que vivera em unio UliciU, e que par falta
    'ros nao p > '"ii comparecer na ig:eja ma-
    triz. .. i
    . Estas benignas e saudaveis disposicoes aul-
    lis da igri-,a sobre materia de sua privativa
    competencia, uo se atam era podem ser alte-
    radas pelo S r do art. 70 Jn regulamento do re-
    giitro civil, a que se refere Vmc. o qual ac
    "eio reglar u | das aiibilitages inatri-
    motii::--. pnsciwt'ii !o ap nas que no registro
    civil do acto do ea i mencionada-
    todas as suascir-mm-lancia.-.
    Quante ao eawo 9ee -mido neasa parochia,
    que deu lagai amaca i. mioma o vi-
    i capitular da dieces que 'mi lo ouvido ao
    freguez.a, eicicaba de responder-Ibepor
    telegramma que o seu parocaiaiw Jos S. Mar-
    tin- viva em uuiio illife hava em i
    de morte teudo fallt*ido de:
    7i do regahim it
    ito semcemdl
    ., de ptttdo dttrid em qne -.- tiver dado
    o faliccimeat sendo elle es
    clin depois de lavrudo o respectivo as
    avista doatiestado medico ou de cor-
    jar do fidlecunen
    de ditas pessoas qnaliltaidasoque
    nudo ou veriicado o bito.
    i que alludeo art. 50. perteocem
    incon aa Estado.
    Conecta-/. lona Provincial est
    aos respectivos lancadores pela forma seguinte :
    Recife, Varzea e &. Lourengo, FeliiUo-doRogo.
    Santo Antonio e Pogo d Panella, Lemos
    Duarte. *
    S. Jos e Afegades-, Maltes Fereira.
    ma-VisUi e Graca, Pinho Borges.
    Tribunal do Jury do Recife Foi
    (tontera submettido a julgamento este tribunal
    o reo Janaario innes de Oliveiru, pronunciado
    por despacho do Dr.juiz de direito do S dis-
    tricto, no art. 103 combinado com o art. 34 do
    eodigo criminal, porque uo dia 20 de Outubro
    de 1887 do lugar Agude do Germano, parochia
    do Poco da Panella, tentn matar o subdito irr
    glez John Henry Wlieldon, gerente da compa-
    uhia doBeberibe.
    A's 11 horas da manb principion a seasio
    sob a presidencia do Dr. Antonio Domingos Pin-
    to, Juiz de direito do 5* districto cri r.inaf.
    Compareceram 37 juizes de facto sendo sor-
    teados para compor o jury de sentenca os se-
    guintes :
    Manoel Gomes da Silva.
    Bento Manoel de *'astro Amarad.
    Trajano Alipio d-i Oarvalho Mendonga.
    Jlo Mauricio de Abreu.
    Beojamin Constaot da Cunha Salles.
    Agostinho Jos des Santos.
    Elins Cordeiro Cintra.
    Manoel Lyra.
    Joao Ferrira Loureiro.
    Antonio August- da Frota Menezes.
    Joaquim Francisco de Medeiros.
    Joo Climaco dos Santos Bernardes.
    luterregado o reo dase que era natural desta
    irovincia,' de 56 aunos de idade, casado, jorna
    eiro e analphabeto ;
    Que nao sabia o motivo porque era aecusaao
    e nem onde eslava quando deu-se o crime do
    qual s leve noticia por ouvir dizer .
    Que conhecia Henry VVlieldon.com quera te-
    ve urna pequea questao por se ter o mesmo
    recusado a pagar-lhe quinze dias de trabalho,
    mas que dessa questiio nao resultou consequen-
    cia alguma :
    Finalmente que nada i i uha a dizer contra as
    test-munhas do processo e na attribuia a ac-
    cusago a motivo particular.
    Em seguida fez o escrivo privativo do tnbu-
    nal, caplo Florencio Rodrigues de Miranda
    Franco a leitura do processo da formagiio da
    culpa.
    O prime:ro promotor publico da comarca Dr.
    Joo Joaquim de Freitas Henriques desenvolveu
    a e i-u-acao e pedio a condemnacao do aecusa-
    do no grao mximo das penas do art. 193 com-
    binado com o art. 34 do cdigo criminal cm
    vista ia prova dos autos ,e aggravaiites dos
    Io e 12 do art. 16 do mesmo cdigo.
    Produzio a defeza o juiz de facto Dr. Adelino
    Antonio de Luna Freir Jnior.
    Allegando ser o seu constituinte victima de
    urna perseguigo tornou saliente a uniformrdade
    que se notava nos depoimentos das testemunhas
    qne disse elle erara suspettas por serem embre-
    gados da companhia de Bebente
    Disse ainda que o facto delictuoso de que tra-
    ta o libello nao poda ser classificado como ten-
    tativa de morte e neste sentido fez omitas consi
    derages e concluindo a defeza allegou em fa-
    vor do reo a aUenuante da embriaguez.
    Compareceram e foram inqueridas as teste-
    munhas da aecusago Joo Tavares Canuto, Da-
    mazio Manoel de Lyra e Joaquim Mendes Torres.
    Houve replica e "ireplica.
    De coaformidade cora as dceisOes do jury que
    reconheceu por 7 votos, ter o reo tentado matar
    John Wlieldon e per 11 votos a existencia da
    attenuante do g 9 do art. 18. foi o masmo reo
    condemnado a \ annos e 8 mezes de prisao, grao
    mnimo do art. 103 combinado com os arts. 3i
    e i9 do cdigo criminal.
    Terminou o julgamento s 3 1[2 horas da
    tarde.
    a sessaafoi adiada para hoje as 10 hora.:.
    Servieo militar Est designados para
    superior co dia o *R capitao Pedro velho, epara
    ronda menor o ~r. alfares Manoel.
    Existera na enfermara militar oo pragas
    dos corpos da guarnigao.
    As guardas da Thesouraria e Palacio sao
    coramanddas hoje por dous Srs. ofliciaes do 2
    batalho.
    A cidade guarnecida hoje pelo 14 bata-
    lho de infamara.
    FunCcionou hontem no quartel-general o
    conselho de investigago a que respondem os
    soldados do 2 batalho de infantarh Manoel Pe-
    reira de Araujo e Daniel Baptisla de Olivelra,
    sob a presidencia do Sr. capitao Justiniaoo da
    Rocha.
    Passou a ser nas tergas-feiras, das 7 s 8
    horas da noite, o recolher no quartel-general.
    S. xc. o Sr. general coramandante das armas
    concedeu 4 dias de dispensa do servieo ao coro-
    nheiro do 14 batalhio Braz Ferrcira Barbosa.
    No requeriinento do soldado do 14 bata-
    lho de infamara, Raymuodo Olympio Paz, pe-
    dindo mais 3 mezes para usar do distinctivo de
    2" cadete, visto n'io ter ainda se habilitado, deu
    S. Exc. o seaointe despacho: Como pide, por
    2 ufezes.
    nirertoria lao obran de couierva-
    n\u don Furtos de Pernaoaburo fteci-
    17 de Feveiviro de 1889.
    Boletim meteorolgico
    wda dn Cunha, Adolpho Banks, Dr. Ca
    B. dos Beis e Silva, sua senhora e 2 lilhos, Jos
    Vicente Harboza de S, Eduardo Pereira Lobo.'
    Edmundo de Lemos Jjessa, padre Joas d Aran
    jo Batinga Julia Fernandes dos Santos LesBa
    Misael tavetro. Innoceacio-Celsot Candido Jbs.i
    de Oliveira e Silva, Antonio utas de Almeida
    I lilhos, Miguel Medeiros, Dr. Manoel Ribuiro
    Vieiw, padre Fernando Bangel de Mello,- Hen-
    Moras BaforoetaQ u Tenso ilo vapor o "O C3 o g 3
    r* ~*
    6 m. 26 3 758-27 22,12 86
    9 28-i 760-30 21.69 77
    12 29"-9 760-26 23,58 75
    3 t. 29" 9 758-77 22,00 69
    6 28- 8 758-89 22.26 76
    Temperatura mxima 30,73.
    Dita mnima 26u,0.
    Evaporagao era 24 horas -ao sol: 3" 8 ; som
    bra: -",4.
    Chova3,-3.
    Direcgo do vento : E. ESE e SE alternados
    durante todo o dia.
    Velocidad c medi o vento: 1" 22 por se-
    gundo.
    Xebiilosidadt ni '.'.. i.3S
    lololim do porto
    Vifi
    Di.
    1! \i
    9
    H
    r\ '..
    17 dr Feve
    18
    l'e
    llura-
    11 -40 da manila o-:w
    ) TO da larde
    II O 11 -.i | -,2o
    6 -26 . 2-,i8
    Altura
    procedendo a collecta dos diversos impotos para
    o corrente anno flnanceiro, tendo sido distribui-
    L!Mea -!-:'Trd' .:-- :ia i M seguintes :
    ,-rl.i agente usmo, s i horas, no sobrado
    do largo ira Santa Cruz, por orcastlo do leillode
    lis, crTStaes, porcelanas e electro-plate.
    de Ires exccllenles raccas toarinas com crias.
    agnte Pinto, as i 1 horas, ra da San
    ta Cruz n. 8. de 3 vaccas tourinas com cria-
    Pelo agente Gasoio, s 10 1 horaa, no Lar-
    go da Santa C-uz, de atoris pia io e
    Pelo agente-Brillo, i> I i oras, a r
    conde de lobaama n. VS, da movis, mifdo-
    BtS] etc.
    Araanh :
    Pelo asente Modesto Baplist, as II Ii ti I
    ra do I' qfall
    Pelo '".i. s horas, raa d
    con le !- Goyanna n. 36, de um par da ar:
    para carro.
    MiwMn fawrrf< -Serio celehfOdaa :
    Hoje:
    i rotinsrt >
    alma de D. A
    horas na Boa-Vista
    D '
    cilia o do

    I !
    ASM
    fanwwg wn Che por
    braz:!
    D:
    Magalhes. Dr. Licurgo 5. i fuim
    -simo do Reg Barra?, l'eolindo Cardozo.
    EdmundCox.ClarindoCvVio do .Valle. Quirino
    Luiz Vctor. E luarl iljaig Vlankon, Dr. Manoel
    S. Wanderley, sua senhora,b fllha
    Paulo Breneau. Eugenio Touwnho, Jos Sapul-
    Eduardo Arthur Shorte. Jos de Sant'Annu, Jos
    Antonio e Jos Gallino (turcos), Jos, tagusto
    Soares Brazil, Anna Pereira de Souza. Mara
    Alvares, Jos Mara Santos e 7 irn:nigrant>'s ita
    lanos.
    Cheganos do sul no vapor iuglez Elbe :
    Leoii Chlander, John E. Keen, Mary Keen
    Thomaz Vieira e Leopoldo A dos Sanios.
    Sabidos para a E-a ropa ao mesmo> vapor :
    Adolpho Kranse, Antonio Lua dos- Santos e
    saa-senhora, padre Antonio Jos Araujo, Jos
    Goncalves- Azev^do, Jos Praocisco >-Martins,
    Juam Me n i lea Garci,:, -Aune Wjod e Antonio de
    Souza Duarte Ferrira.
    Sabidos para o norte no vapor bruzilairo
    Alagos : /
    Prederico B. de Almeida, Jos Joaquim Bo
    drigues Martins, Dellino Ferrira Sicupira, co-
    ronel Antonio de Oliveira Borges, Vctor Gu -
    rineau, Cezare a'Tari. Antonio Mont-iro. Jos
    Victor Soares, Maria Isabel de Carvalho Cunha.
    Manoel dos Santos, Paulo de Albuquerqtte Mello
    Jnior, Francisco de Brito Lyra, Antonio Goo-
    veia de Castro, Antonio Marques da Fonseca,
    sua senhora e 1 jcunhada, Joao Araujo, Bamon
    Carrera, Bamrn '"eia, Jos Bodrigues, VkxaHe
    Fenizola, capitao Pedro G. da Cunha, Sebastio
    do Reg Castanhola. J. D Prangley, Faustino
    Jos de Audrade, Joao Antonio H." Oliveira, Jos
    Marques de Carvalho^ Jos Pereira Neves Bahia,
    Antonio Maria, Domingos Alves de i.arvalho,
    Margarida de Souza e Custodia Rosa
    Operac*!' eirurglca*Foram pratMia-
    das no hospital Pedro II, no dia 16 do corrente,
    as seguintes:
    gPel Dr. Malaquias:
    Oscheotomia indicada por elephantiasis do
    escroto.
    Pelo Dr. Berardo:
    'Tarsonhaphia com exciso ovalar de retallio
    da palpebra em trichiasis.
    Exciso de pterygio pelo precesso de ArlI.
    Pupilla artificial para extraeco de estilhaco
    de espoleta na cmara anterir>r "do olho direito.
    Cava de Ueieneao ->t- vi ni en to dos pre-
    sos da Cusa de Detenc'o do din 17 deFevereiro
    de 1889.
    Existiam 424; entraram 13; sahiram 4: exis-
    tera 433.
    A saber:
    Nacional 398 ; mulheres 12 ; estrangeiroe 2:5.
    Tetal 433.
    Arragoados 382.
    Bous 362.
    Doentes 19.
    Louco 1.Total 38.
    Movimento da enfermar;?
    Tiveram baixa:
    Deolindo dos Santos Beis Catuaba.
    Jos Antonio de Siqueira Campos. ^
    Jos Francisco da Silva. \
    Sebastiio Canguss.
    Tiverum alta :
    Jos Manoel de Souza.
    Salviano Marques da Costa.
    Joaquim Francisco de Oliveira.
    Jos Mxima Jnior.
    Foram visitados os presos deste estabeleci-
    mento por 233 pessoas, sendo 113 horacns e 138
    mulheres.
    nospitai Pedro II O movimento deste
    estabelecimento de dariiade, no dia 17 de Fe-
    vereiro, foi o seguinte;
    Entraram 11
    , Sahiram- 1
    Falleceram 5
    Existem 370
    Foram visitadas as respectivas enfermaras
    pelos Drs.:
    Moscoso s 8 M2, Cysneiro as 1 i[2, Barros
    Sobriaho;s 7, Malaquias s 81 [2.
    Nao compareceram os Drs.:
    Berardo.
    Poutual.
    Esteva Cavalcanie.
    Simes Baroosa.
    0 cirurgio dentista ama Pompilio nao com-
    parecen.
    O pharmaceutico entrou s 81)1 da manh e
    sahio s 3 da Urde.
    ajudante do pharmaceutico entrou s 7 1(4
    ifh manila e sahio s 2 horas da tarde.
    Lotera do rana-ParaA 3- parte da
    26' lotera, dessa provincia, cujo premio grande
    60:000*000, -era extrabida, quinta-teira, 21 de
    Fevereiro.
    Cemiterio Publico -Obituario do dia 13
    dePv.-reirode 1889.
    Manoel Thomaz Pereira do Rogo. Pernambuco,
    43 annos, casado, Boa-Vista ; cerebrite.
    Alberto, Pernambuco, 2 mez?s, S. Jos ente-
    rite.
    Pastora Maria de Almeida. Pernambuco. 40
    anuos, viuva. S. Jos ; hemorrhagia cerebral.
    Maria da Conceigo, Pernambuco, 30 annos,
    solteira, S. Jos ; tubrculos pulmonares.
    Manoel, Pernambuco, 1 hora, Recife : as-
    phixia.
    Luiza, V'rnambuco, dias, S. Jos; ttano.
    Belmira Francisca da Silva. PernaraDuco 24
    annos, casada. Boa-Vista ; hemorrhagia cere-
    bral.
    ' Joo Lins Machado, Pernamouco, 47 annos,
    Graga; peri-encephalite.
    Um feto. Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista :
    inviabilidade.
    - 16
    Joanna Guimares de. Medeiros, Cear, 66 an-
    nos, viuva, Boa-Vista ; febre typboide.
    Maria, Pernambuco, 2 mezes-, Recife ; entero
    colite.
    Lucinda Francisca de Araujo Santos, Pernam-
    buco, 52 annos, casada, S. Jos ; cirrhose hep-
    tica.
    Pedro, Peraambu-o, 1 anno. Recite: couvul-
    " j.daide, Pernambuco, 4 mezes, Santo Anto-
    nio : convulses.
    Isabel, Pernambuco, 7 mezes, Santo Antonio ;
    espasmo.
    Jos Themoteo, frica, 70 annos, vinVo, Boa-
    Vista ; contuso e paraplegia
    Manoel Jacintho da Silva. Pernambuco, 17 an
    nos, solteiro, Bou-Vista ; tubrculos pulmonares.
    Pedro Jos dos Santos, Pernambuco. 32 annos
    solteiro,Boa-Vista ; broncho pneumona.
    Manoel Moreira da Silva, Pernambuco, 54 an-
    nos, viuvo, Roa-Vista : insuficiencia mitra!.
    Jos Felipge Santiago, Pernambuco, 19 anuos,
    solteiro. Bir-Vh ai-, lite.
    ;i.1re. frica -"-'i ann s. 8 fose: epi-
    lepsia.
    I'-dri. !' :ii ibuc, Smezes. Uoa-Vista : en-
    terite.
    17 -
    B isendu d^i Silva i dnbueo, :\: an-
    uos, casado. Poco; lymp'ntitc perniciosa.
    Joo B. Holl, Perfi
    2 annos, solteiro, Graga : febre infecciosa.
    Isabel Candida de Mor: -i'o. Pernam-
    bncu, 86 anuo-, viuva. Poc:: encepo dite.
    Maria Soare- 'ernambuco, 11) an-
    nor solteira. Boa v'ista: (sica pulmonar.
    Deomedes Bezerra de Mello. Pernambuco. 26
    anno3. casado. S. fes ; longe-fdo cerebral.
    Alfredo Jos dos Prazeres, Pernambuco, 27
    anno?. solteiro, Boa-Vi-ta : epilepsia.
    S rio Emilio da Costa, Pernambuco, 30 an-
    liro, Boa Vista : :abernilose pulmonar.
    Marcelina Maria do Espirite Santo, Pernambn-
    co, 45 annos. viuva, Boa-Vista, tubrculos*pul-
    monar.
    Laurentiiio J >'a. Pernambuco, 16 an-
    Iteiro, boa-Vista ; febre perniciosa.
    Maria Amoria,.Pernambuco, 19 annos; soltei-
    ro. Boa aberculo pulmonar.
    Um I leies. Boa-Vista.
    ) Vin poaco d< tudo
    fanv
    J tivemos de re!
    de | ama vez) ao estudo i: das
    poeiras do Rio de Janeir
    do aerse;>pio de Miqucl. o poa^uia
    iueansavel que tamanho impulso tem dado
    a este gene/o de analyse to utes hy-
    giene. Foi introduzido entro
    relho por iniciativa do Dr. L. Crnl
    aps diTersoB ensaios, dirigidas as pri-
    metrae obserwacJes pelo Dr. Antonio Pi-
    mentel que ae roalisow de 3 a 5 de De-
    zerabro na casa n. 128 da ru* D. Anna
    Nry, situada distancia de cerca de 20
    metros da estacao do Bocha, da estrada
    de ferro D. Pedro II, metro e -meto cima
    do solo. A reprodacSo photograpKica dos
    corpsculos oolhido8 fui exeeutada mu h-
    bilmente no Imperial Observatorio, que
    acaba de dar uo ultimo exemplar da sua
    Itmista um desenlio 'dos meamos corps-
    culos com indicaao da sua natixreza.
    Recolheram-se cryptogaraos desenvolvi-
    dos, criptogamos unioelulares, pollens.
    graos de amido. ciystaes atmosphericos,
    grande copio de corpsculos mineraes
    amorpliOB e crystalinos (quartzo, mica e
    ca,rv3o), cellulas epitheliaes, etc., tendo
    havido a natural precaao de determinar
    todos os factores meteorolgicos que, como
    sabido, muito influem na presenga dos
    germens atm sphericos. Desta influencia
    da testemunho o seguinte tacto invocado
    pelo Dr. Antonio Pimentel: Ale 5 de
    Margo de 1885, o Sr. Moreau, comman-
    dante do paquete Sngal e collaborador
    do Dr. Miquel, em viagem de Santos para
    o Rio do Janeiro, nSe achon nenhum or-
    ganismo vivo em 1585 litros de ar, rei-
    Ward, fazia parte, como .primeiaa.aa^riz,
    de, urna dasaoompanhias dramatious que se
    arriscara voluntariamente as .Longasivia-
    -gens e levara arte s-.mais pernotas re-
    gi6es,propondO'de em paizesvidesconheci-
    das, a maravilliar as populacoes e iris,
    com o ineanto hypnoptico do gesto *e da
    pala va. %
    A companhia de mis Ward, dando^este
    ciurso de representaSes na Anfetraliaj^ foi
    tumbum Nova Zelandia.
    Reatando o. cont, a joven. ingJjeza,
    bella e seductora, cuja voz era. oai. to suscitou um grande furor de sympathia
    em todo o paiz : e os zolandistas coayiam
    ao-theatro, eomo se naqualles lhoe e> na-
    quellavoBieatvviesso toda a magia das>. se-
    reiaa que os poetas teena- cantado*
    Mas o mais encantado de todos ertl na-
    da menos do que um rei '
    Um rei da Nova Zelandia, o rotl dos
    Maioris, Travsaic ; > uiiik que tinha aca-
    bado por descurar todos o negocio* do
    seu threno e do seu Estado, pelos-grandes
    olhos glauco e pela nave voz de mixi-
    nol de miss Ward ; nm rei que, ruis horas
    do crepsculo vivia somonte daqnelles
    olhos azues metallices e daquella-.icasa
    voz que fazia vibrar o seu oorajto ; um
    te ultimo dia, com :o vento leste e depois
    sueste, entra a Ilha Redonda e- o ancora-
    douro da Ilha das Enxadas; achou em 182
    litros de ar um bculo e ama mucedinea.
    Esta riqueza do ar atmospherico, superior
    a 6 bateras por metro cubico, foi expli-
    cada por Miquel como effeito da approxi
    macao do continente.-
    Nem sao nicamente os factores meteo-
    rolgicos que influeni na presenta dos
    germens. O Dr. Antonio Pimentel ponde-
    ra com rozo que a vegetajSo ou desnu-
    dez do solo, a proxhnidade das casa! ha-
    bitadas, a de estradas de ferro, etc., sao
    causas, entre outras, da quantidade e di-
    versidade dos corpsculos fluctuantes na
    atmosphera.
    Nestas primeiras informajSe^, a aban-
    dancia com que se mosftsaram. no campo
    do microscopio o carvao, o qaartzo, a
    mica, e outras substancias mineraes de ap
    parencia crystalina, formas irregulares, e
    arestas agudas, suggerio ao hbil analysta
    um preceito hygienico, digno de ser con-
    siderado. E' commum no Rio de Janeiro
    remover certa classe de doentes, sobretudo
    os doentes do peito, para os arrabaldes
    o mbawbiuaada paak'aa aaapihMr ar paro
    vivificante, dando-se muitas vezes pre-
    ferencia, em razao da commodidade da
    condcelo, s casas que margeiam a es-.
    trada de ferro e as linhas de carris. Esta
    preferencia nao pareceu ao Dr. A. Pimen-
    tel bem aconselbada, a menos que o m-
    nimum da proximida3e de taes casas, em
    relacao estarada de ferro, seja mais ou
    menos de 100 metros, porque o ar da
    rea intermedia deve acha-se inpregnado
    das poeiras mineraes provenientes do at-
    tricto dos trens, pulverisacao do granito,
    etc. A experiencia feita a 20 metros da
    estacao da Rocha, patenteando grande co-
    pia de poeirns mineraes, parece indicar
    aquelle inconveniente.
    Trat.-ac de estudos que apenas come-
    cam entre nos. Elles merecem, no entan-
    to, ser notados, j pela pericia com que
    foram encetados, japorque denotam amor
    da sciencia.- Da nossa parte, jamis rega-
    teiareruos louvor e estimulo aos. bomens
    que trabalham pelo adiantanaento das
    sciencias no Brasil, seja qual for a ordera
    das pesquizas a que se dodicarem.
    Urna recentissima prova do nevrosismo
    universal doa povos civilisados a paixao,
    a inania pela morphiua em amitos doentes
    que pela primeira vez provam os effeitos
    inebriantes dessa substancia.
    Antes de fazer injeccSes hypoderinicas
    de morphina, especialmente se se trata
    de mulheres delicadas, sensiveis, nevrosi-
    cas ou subnevrosicas, deve-se refletir duas
    vezes e observar se nao se pode obter a
    destruicSo da dor, a cura da doenca sem
    recorrer a este remedio efficacissimo, mas
    que offerece muitos perigos.
    J existe ama pequea bibliothoca de
    artigos, memorias c livros sobre o rnor-
    phinismo ; doenca nova, toda moderna e
    que produzida pelo abuso da morphina.
    As mulheres, especialmente, que bebem
    pouco ou nada, que fumara pouco ou na-
    da, que sao pela opiniao publica e tambem
    pela sua co stituicle privadas quasi sem-
    [ire das einocSes que o alcool d e da
    anguidez do fumo, s enamoram das allu-
    cinagSes, da embriaguez da m>rphina e
    dellas podem vir a ser viciosas, viciosas
    de fingirem nevralgias com o fim de con-
    segurem que o medico Ibes injecte o pre-
    dilecto veneno.
    Muitas outras depois, mais corajosas,
    nao recorrem mais ao medico; comprara
    valenteraente en pequea seringa de Pra-
    vaz e gn^as a um pharmaceutico com-
    placente, procurando a sua delicia, se
    morphinisam ao infinito.
    Temos tambem viciosos de tlier, de
    clhoroforario, de ohlecal e quem sabe
    tambero se muito breve nao teremos a
    nova hierra Jos cocainomaniacos.
    Beard, encantado cora o objecto que
    tomou por assumpto, chega a exagerares
    tae que nos surprendem bastante, visto
    partirem de u:n hemem que sabe tao bem
    observar e geralmente to sabiamente
    eoiieUiir. Talvez seja a prova mais elo-
    quente do que quer provar, isto que o
    povo americano iniiuinentemonte nevro-
    sico.
    O proprio Dr. Beard um escriptor
    nando nordeste, late e depois sueste. Ne#- ci que'eonto o fi-H- de"Dunuiuuyvivia
    encadeado par aempre.
    Miss Genoveffa ria do reidos Maoris.
    O rei a quera desposar; entre os Maoris
    ra polygamia admktlda; e Trawsa tinha
    jquatro mulheres.
    Mas, pensando que isto podease- por
    obstculo ao seu matrimonio cottrmiesnGre-
    novefla, propoz-se matar as outras 'quatro
    mulheres, e ficar com urna s para to-
    da a vida, miss Genoveffa.
    A actriz, ficando um pouco. desinquieta,
    comejou a assustar-se com esta -paixao
    que nao tinha raai& limites, e por maie de
    urna vez responden negativamente, ao rei,
    e, invocando a protec?ao do govetno1 in-
    gloz contra o amor de Trawsaio,'' inter-
    rnmpeu a curso des representases e fu-
    gio para Sydney.
    Mas b cavalheiro da Oceania nao perdeu
    o animo por isto. Firme na sua promessa,
    raais ardente desde que. soube que a't sua
    mulher me tmha fngido, penson qafe nem
    os mares, nem os montes, nem potncia
    alguma humana o podiaia soparu- de niss
    Genoveffii Ward.
    Esta, no emtanto, vrvia segura' ew Sy-
    dney rindo aquelle Trawsaio, da sua co-
    ra, do seu throuo c do seu* subditos ;
    e pensava no regresso sua cara Ingla-
    terra, ao seio de seus- patentes, aos quaes
    teria de contar a estranbo aventura de
    amor que. lhe tinha occortido.
    Ella se julgava a salvo, tendo* d
    meio entre ella e Trawsaio o mar.
    Mas sobre a praia de Sydney-appareceu
    navio, ancorado, baloucando-se aas ven-
    tos australianos: um navio misterioso.
    Um dia, em que miss Genoveffa Ward
    passeiava beira do mar, cantarolando dis-
    trahidamente com urna amiga, do navio
    mysterioso desembarcaram os Maons, ca-
    pitaneados pilo mesmo rei Trawsaio e ar-
    rebataran violentamente miss Genoveffa.
    O rei tinha passado dez dias escondido
    le per-
    newosico,
    PeHfl-
    escreve- e
    exagera
    ne-
    vroticamente.
    Nao ser e'le por ventara nevo-osico,
    quanio ooteata sor-amence que a extra-
    ordinaria belleza das mulheres america-
    nas, a el iqnencia dos oradores, a -menor
    gravidaik- da sypbSia dos nossos tempos.
    a cr paoda e pouco viva dos vestidos l
    dos nos Bstados-Unido, os mos en
    emu'ra- otitraacoasas, bellas ou Mas,
    effciL-s ou provas do ne i a:;i>-:--
    can<> r
    1-'. assim com to neste
    nm era i de raethodo, que mais commum
    eme dizer dos que com-
    UMrt lias escriptores e pensa-
    dores de primeira ordem, que com os seus
    h'vros, sns conferencias, sua palavr:;
    u fallada i>bram sobre a opiniao
    publ a lei das leis quo governa
    9{1000 da familia humana V
    **
    rev urna folha:
    'ras joven ingleza, miss Genoveffa
    no seu navio, espreitando que a sua se-
    reia viesse praia, espera que urna oc-
    casiao qualquer lbc fizesse cabir nasmaos
    a senhora do seu coracao.
    Hoje, miss Genoveffa Ward est na
    Nova Zelandia.
    Nao parece isto um romance de Fe:
    more Oooper? N -
    Este rei selvagem nao parece um cava-
    lheiro de paixao?
    # *
    O Daily News, tornando a falla d'um
    supposto congre8so para definir a questao
    entre o Papa e a Italia escreve :
    * O Papa, como diseinos recentemente,
    nao d, por lei, nem mais nem m&nos do
    que um simples cidadao italiano.
    Elle nao prioneiro do Vaticano, es-
    tando perfeitamente livre de andar ou ir
    aonde bem quizer.
    Que elle pois o chefe da maior igreja
    christa, nao ha duvida nenhitm.
    Os italianos libertarain-se da a#toridade
    sacerdotal, e esta liberdade conquistada
    entendein conserval-a.
    O governo e o parlamento italianos nao
    querem mais submetter a sua mconstesta-
    da jurisprudencia sobre a sua capital a
    urna decisao de estrangeiros, como o nao
    qiteremosTis mesmos.
    Alguns apaixonados catholicos creem
    que o Papa nao deve ticar disetigao de
    urna potencia.
    Mas o Papa tem o remedio nas pro-
    pnas mos. Se nao lhe agrada a Italia,
    pode retirar-se para utra parte.' Todo
    o mundo lhe est aberto, nem ser, obli-
    gado a viver seinpro no mesmo pai*.
    Uina Italia livre, unida e indepeadente
    nao tem desejo nenhum de impedir os
    satis movimentos, mas est firmemente de-
    cida a nao reconhecer amis as suas pre-
    tcnooes.
    *
    No convite que o governo dos.Eatados-
    Unidos espalhou para uui grandov Con-
    gresso internacional, que se reunir a 2
    de Outubro deste anno em Washington,
    entre os delegados officiaes das repblicas
    do Mxico, da America Central e da
    America do Sul, do Haiti e S. Domingos
    e do Imperio do Brasil, para cujo projec-
    t > s para o despeza da prepasaca-" foi
    fixada a somma & neio uilhao de fran-
    cos, esta se mostra ainda mais importante,
    se se lerera os pontos principaes submet-
    tidos deliberacao dos delegados.
    Eis o que acerca das medidas a disen-
    tir-se escreve uniforma de Roma:
    A idea grandjp, mas tal paraliao as-
    s -star cortamente a boa vontade e -espi-
    rito de iniciativa dos araericanosy.^tahto
    mais quanto ahi acharao tambem-o seu
    tornaconto ecepomico.
    Eatre estas propos ada
    a celebre doutrina de Mour^
    America for americans, c tanto p
    forcal-a semjne mais o governo
    h:ngton convidou todos os
    v i inundo a esta conferencia
    nal, a qual convm dizel-o.
    Iment
    Cer que a id
    . publicas da America ('
    -ci' de estad
    !io : e certamcue nti^H
    da em que a idea pe:
    reu se realisar.
    VValtW
    nente americano,
    forsa, do ditiheii
    '' -
    H

    V-

    B '.





    I
    \
    I
    ^N
    ario de PernambucoTer^t-fera 19 de Fevereiro de 1889
    canelo tonuda celebre, e hoje na, bocea e
    no coracSo de todos os americanos, sada o
    di* suspirado, em que o Mxico e Canad
    pertencerSp aos Estados-Unidos, e S. Sal-
    vador, Guatemala, Honduras britnica e
    Honduras hespanhola, Colombia, etc., for-
    marte a UniSo da America Central.
    * E' o canto de um poeta que os homens
    polticos sussurram brandamente ao ouvi-
    do, e ja para comecar, os pequeos va-
    pores aos Yankees sulcam u'um ao outro
    lado as praias e as collinas verdejantes da
    * antiga e potente nacSo dos pueblo. Quan-
    to ao Canad, todos devem recordar-se
    das ultimas divergencias entre o governo
    de Washington e da Rainha Victoria;
    divergencias na de todo aplainadas.
    D aqui a celebre mocSo do Senado dos
    Estados-Unidos, hoje suspensa, mas j re-
    solvida, para que o Canad seja annexo
    Unilo.
    O Canad responde querer ficar no que
    ; mas isto nao obsta que o Congresso
    internacional americano nSo esteja desti-
    nado e ter effeitos notaveis.
    E bastarSo a prenuncial-o os votos ex-
    presaos nos Estados-Unidos, a proposito
    ao Canal de Panam.
    do
    SPORT
    Dcrlj Club de Pernambuco
    Com um programma bera organisado e urna
    concurrencia regular, realizou-se antebontem a
    6' corrida annuociada pela directora.
    0 divertimento correa em boa ordem.
    0 servido da renda das paules e mesmo o do
    pagamento, foram feitos com a desejavel presteza.
    Entretanto, anda d'esta vez, nao foi observado o
    horario marcado no programma : os dous mi-
    nutos e o tu fechar do costume rendan tanto em
    todos os pareos, que a corrida do ultimo effec-
    tuou-se ja ao escurecer.
    As partidas, em geral, foram dadas em boas
    condicOes.
    Ojogo, que esteve bastante animado, attn
    gio a 65-570*000.
    Eis o resultado das corridas :

    Io pareoConsolaco800 metros.Animaes
    que anda nao tivessem ganho premios no Derby.
    Premios: 200*000, 505000 e 205000.
    Ao grito do digno starter, sabio Ecla escapado
    na pona, fazendo acreditar a niuitos, pela van
    tagem que levava aos demais competidores, que
    da mesma forma chegaria ao poste do vencedor.
    Esse engao, porm, fui de pouca duracao. Animal
    fraco e de pouco folego, tendo alm d'isso con-
    tra si a c6r (pedrez), que si boa para viagens
    longas entretanto pessima, segundo os enteu-
    COMMERCIO
    Revista do Mercado
    Recipe, 18 de fevereibo de 1889.
    Omoviir.ento limitou-se a pequeas transac-
    coes no mercado de cambios.
    Os outros mercados mantiveram-se na mesma
    posicte, sem constar vendas.
    Bol
    sa
    DOS COR-
    OOTACOE8 OFFICIAE8 DA JUNTA
    RETORES
    Recife, 18 de Fevereiro de 1889
    r^bio sobre Londres, 90 d/v. 27 5/8 d. por
    do banco.
    O presidente,
    Candido i G. 'Icoforado.
    O secretario,
    Eduardo Dubeux
    Cambio
    A taza bancaria continua a ser,27 5,8, sem at-
    trahir dinheiro algum, exigindo os tomadores
    27 11/16.
    Em papel particular nao constou transaerte
    alguma, querendo os saccadores 27 3/4, pedindo,
    porm, os bancos 27 13/16.
    Mercado firme.
    No Rio, os bancos mantiveram a taxa Je 27
    5/8.
    Papel particular foi passao a 27 13; 16.
    didos, para as corriiu, Ecla, como era natural,
    affrouxou na entrad* da recta de ehegada, ce-
    dendo a ponp a Bolashinba e a Bonaparte. que
    valentemente disputovam a corrida e que atinal
    foi ganha por Bolactinha em 61".
    Bonaparte foi bom 2o e Good-morning 3. .
    Nao correram Bertiand, Guerreiro e Vlete.
    Paule de Bolachinha montado por Jos
    Prado, em 1, 172*)); em f, 90*300.
    Paule de Bonaparte em J, 15*700.
    Movimento geral, 5.795*000.

    2 pareo Prado Ptrnambucano 900 metros.
    Animaes de menos de meio-sangue.Premios :
    360*000, 754000 e 30*000.
    Dado o signal. Favorita, montada por Luiz Pe-
    reir, sabio na vanguarda e nessa posico se
    conservou at ao vencedor, ganbando a corrida
    em 63".
    Galathafoi 2'e Alfa 3.
    Poule de Favorita, em 1, 9*800; em 2,
    7*400.
    Poule de Galatha cm V, 11*000.
    Movimento geral, 8.640*000.

    3* pareo Derby Club de Pernambuco 1 609
    metros.Animaes de qualquer paiz.Premios :
    500*000. 123*000 e 50*000.
    Ernani, montado per Antonio Freitas, tomou a
    pona logo na sahida 9 nao mais a cedeu, ga-
    nbando a corrida em 115".
    Price, que nao se aehava em boas conefices
    para correr, obteve o 2* luxar e Africana o 3o.
    Neste pareo estroc o cavallo Presidente, lti-
    mamente chegado da corte c chrismado aqui
    com o nome glorioso de Sal vatus. E' urna ver-
    dadeira antilhese do Silvalus do turf fluminense :
    se o de l consegue bter os melhores parelhei-
    ros, o de ca, parece-nos, nao passar de um
    E essim bagageiro, tal foi a figura que fez ante-
    ontem e que provooou ruidosas gargalhadas
    por parte do publico.
    Apollo, que havia sido inscripto, nao correu.
    Poule de Ernani, em Io, 10*000; em 2o,
    6*700.
    Poule de Price em 3?, 7*300.
    Movimento geral, 1'1.6204000.

    4* pareoPrado Pe'-nambucano1 200 metros.
    Animaes da provincia que anda nao tivessem
    ganho nesta ou em niaior distancia.Premios :
    250*000, 604000 e 25000.
    Arreada a bandeirs. sahircm Florete e Pirraca
    disputando a corrida, conservndose ambos em-
    paredados at a distancia de 700 metros. Ah
    conseguio Floretp, que era dirigido por Pedro
    Alexandrino, livrar-se da companla do Pirrara
    e coilocando-se na.vanguarda, cliegou ao vence-
    dor em 94".
    Pirraca foi 2o e Sirid 3o.
    As honras da corrida, porm, nao perlence-
    ram a Florete, mas sim a Caranguetjo, urna espe-
    cie de Jaboatao e Jpiter, animaes j conheeidos
    de nosso publico como excellentes bagageiros.
    O intereuante animal lionrou sobremodo o nome
    3ue Ihc deram: cor-cu com a mesma ligeireza
    o carangueijo e de tal forma se houve que
    quando conseguio enfrentar ao poste do vencedor
    j os companheiros w acbavam em descanco no
    ensilhamento I
    Someno .
    Mascavado .
    Usina Pinto:
    Branco 1*
    2*
    Someno
    Mascavado
    2*800
    1*600
    3*400
    2*300
    3*000
    1*500
    A exportacio, feita pela alfandega neste niez at
    o da 15, attingio a 8-365.1841/2 kilos, sendo...
    i paro o
    4.772.466 paro o exterior c 3.392.718 I
    interior.
    As entradas verificadas at a data de hoje
    bem a 95.633 saccas, sendo por :
    m
    Poule de Florete em 1., 12*900; em Io,
    9*100.
    Poule de Pirraca em 2., 11*700.
    Movimento geral, 9:175*000.

    5. pareo Hippodromo do Campo Grande
    1.100 metrosAnimaes nacionacs at ineio san-
    gue-Premios : 350*, 80* e 354000.
    Buy Blas, montado por Antonio Freitas, puxou
    a corrida e sem esforfio cliegou ao vencedor em
    80 i/1"
    Corcovado foi 2." e Douro 3..
    Poule de Buy-Blas em 1". C*2O0;, em 2,
    5*700.
    Poule de Corcovado em 2., 6*200,
    Movimento geral, 11:175*000.
    *
    6." pareo.Concordia 1.400 metros Eguas
    at puro sanguePremios : 400*, 100* c 40*.
    Foi a corrida mais importante do dia.
    llaviaui sido inscriptas neste pareo oito eguas,
    das quaes smente cinco, Olga, Minerva, As-
    pasia, africana e Gallia se apresentaram.
    Vanda, Cynira e Mascotte, que bem podiam
    ter feito um pareo parte, nao se apresentaram.
    O publico, como era natural, deu preferencia
    a Olga, Aspasia e Africana: mas a corrida, po-
    de se dizer, foi disputada semiente por Africana
    e Aspasia. Olga esta va doente e limitou-se a
    ser testemunha da lucia entre as duas compa-
    nheiros, na certeza, talvez, de que a victoria ca-
    era a Africana, j conhecida como valente p -
    relheira, ao passo que Aspasia, alm de ser
    muito nova, de formas aiuda pouco desenvol-
    vidas.
    Dado o signal, as melhorcs condices, sahi-
    ram na vanguarda, cmparelliadas, Africana e
    Gallia, seguidas de Olga, Aspasia e Minerva.
    Cerca de 800 metror depois, Africana tomou a
    pona, que conservou at prximo ao distanciada.
    Ah, Aspasia, que j havia liquidado as duas
    companheiras, cmparelha a Africana e com uns
    tres galOes colloca-se na vanguarda, ganhando a
    corrida em 99".
    Africana foi 2." e Olga 3.".
    Montava Aspasia o inglez James Dawis, que
    depois que passou a servir Coudelaria Allianca,
    tem mostrado ser um Jockey de mereeimento e
    perfeito conhecedor da arte que professa.
    Poule de Aspasia em 1. 15*600; em 1,
    6*700.
    Poule de Africana em 2.", 7*100.
    Movimento geral, 13:0954000.
    7." pareo.Prosperidad?.850 metros Ani-
    maes da provincia que ainda nao tivessem ga-
    nho premios em maior distancia.Premio* :
    2004, 50* e 20*000.
    Dublin tomou a pona ao grito do dirno star-
    ter; mas sendo atropellado por Orante, teve de
    recuar, collocando-se em seguida na vanguarda
    Florete, montado por Cbrispim, que ebegou ao
    vencedor em 65",
    Oronge foi 2." e General 3..
    Nao correram Lucifer e Pirraca.
    Poule de Florete em i., 10*600: em 2.,
    84700.
    Poule de Oronge em 2.\ 13*100.
    Movimento geral, 6 0703000.
    so-
    Barcacas
    Vapores.....
    Animaes.....
    Via-ferrea de Caruar.
    Via-ferrea de S. Francisco.
    Via-ferrea do Limoeiro
    Somma.
    36.275 Saceos
    "".96 '.
    6.330 .
    40162
    7.930 .
    93.663 Saceos
    TABELLAS AFFIXADAS
    i > 8 3 00 3- 3 E fe S a. 3
    3- t X -a 9 . X
    i o o - T j 1
    o. 3 - 9
    S
    i
    0 vapor allemao -Tijuca, levou 2.000 saceos
    com assucar bronco e 750 ditos com dito mas-
    cavado para Bio de Janeiro; e 700 saceos com
    assucar bronco e 2.100 ditos com dito mascavado
    para Santos.
    'onro*
    Ultimas vendas, 380 ris.
    Afinare! ule
    Cota se a 90*000, nominal por pipa de 48.' li-
    tros.
    O vapor allemao
    para Bio de Janeiro.
    Tijuca, levou 00 pipas
    Algodo
    Nao constou vendas.
    A exportaco, feita pela alfandega neste mez
    at o da 13 subi a i. 159.023 kilos, sendo 953.052
    para o exterior e 205.971 para o interior.
    As entradas verificadas at a data de hoje, so-
    bem a 15.053 saccas, swdo por:
    Barcacas.....
    Vapores.....
    Animaes.....
    Via-ferrea de Caruar.
    Via-ferrea de S. Francisco .
    Via-errea de Limoeiro
    Somma.
    1 349
    162
    4.978
    . 842
    1 240
    6.482
    Saccas
    I5 053 Saccas
    Pelo vapor allemao -Tijuca, foram remettidas
    235 saccas para o Bio de Janeiro.
    Assucar
    Os precos pagos ao agricultor, por 15 kilo, se-
    gundo a 8sociaco Commercial Agrcola, foram
    os seguintas:
    Brancos .....
    Someno.....
    Mascavado purgado .
    t oruto.
    34000 a 3*800
    1*900 a 2*100
    a
    a
    1*400
    14100
    *860
    14500
    I09
    1*000
    Colonja I
    Branco i*
    34900
    2*880
    Ailcool
    Ultimas vendas, 160*000 por pipa de 480 li-
    tros.
    Me
    Cota-se a 504000 por pipa de 480 litros.
    Pauta 4a alfandega
    SBMA.NA DB 18 A 23 DK K:VEIU.IHU DE 1889
    \avIos a carga
    Barca portugueza Novo Silencio, para o Torto.
    Barca sueca Axel, para Santos.
    Patacho inglez Peggie, para Mentevido.
    ttn- ------
    \avios descarga
    Barca norueguense Frida, car vio.
    Barca norueguense Frilhyof, carvo.
    Barca ingleza Sobrina, farello.
    Barca portugueza Tentadora, kerosene.
    Barca norueguense Celer, carvo.
    Barca sueca Augusla, carvar.
    Barca ingleza Parage.ro, bacalho.
    Barca norueguense Jatva, carvo.
    Brigue sueco Pepita, carvo.
    Escuna maleza Emuatur. bacalho.
    Escuna ingleza Abeja, bacalho.
    Lugar inglez Viola, bacalbo.
    Lugar nacional Marinno VII, carvo.
    Lugar norueguense Varuna, farello.
    Lugar inglez May Cory, bacalho.
    Lugar inglez Stella, bacalho.
    Vapor, inglez Chilian, carvo.
    luiportacio
    Paquete nacional Pai, entrado dos portal do
    norte em 16 do corrate e consignado a Pereira
    Carneiro A'C, manilestou:
    Gomma 10 paneiros i Costa Lima & C.
    Pipas vazias 30 a Amorim lrmos & C rara-
    sitas 4 amarrados a J. da Silva Beis.
    Typos 8 volumes i A. de Mello.
    Xarque 25 fardos a T. Just.
    Paquete inglez .Vera, entrado dos portos da
    Europa em 18 do crrante e consignado a Amo-
    rim lrmos de C, manifestou:
    Armas 10 caixas a Monhard Huber 4 C.
    Amostras 43 volumes a diversos.
    Chapeos 5 caixOes a Christiani & C.
    Ferragens 246 volumes Companhia do Bebe
    ribe.
    Graxa 3 caixas ordem.
    Mercadorias iversas 33 volumes ordem, 1 ao
    Banco Internacional I a Machado & Pereira, 1 a
    J. H. Boxwell.
    Papel 10 fardos a Medeiros C, 1 caixa a J.
    W. de Medeiros.
    Queijos 3 caixas a Paiva Valente & 1., 34 a J.
    B.de (arvalho, 12 a J Fernandes de Alnicida,
    21 a Camino A C.
    Tecidos diversos 9 volumes a Machado & Pe-
    reira. 42 ordem, 2 a Bernel & <",., 8 a Rodri-
    gues Lima & C, 2 a A. Sant03 4 C. |a Manoel
    Dias :.. 3 a SilvaGiimar?.es & C, 2 a O. Jar-
    dim & C. i a R. de C.rvaltio & C, 16 a Joaquim
    Goncalves & C, 8 a Luiz Antonio iqueira, 20
    a Goncalves Cunha A Z., S a Joaqmm Agostiiiho
    t C, 2 a Guerra & Fernandes, 5 a A \ iaira 4
    C, 2 a A. de Britto C 3 a L. Maia 4 C.,1 a
    Guimares lrmos 4 C, 9 a A. Maia <* C. Tin-
    ta i caixa ao Banco Internacional do Brazi<.
    Vapor nacional rliido, entrado dos portos do
    3ul em 16 do correiitn e consignado a i'creira
    Carneiro 4 '... manifeUou :
    Ceblas 191 sacci* ordem, i7 resteat a
    Joo F- da CoUi -laia 4 Re?
    Linguas 10 caixas a Autonio Augusto Falcao,
    1 ordem.
    Mallas 11 volumes c 1 caixa a Gongalves Cu-
    nha C
    Mercaduras diversas 114 volumes a Cosa 4
    Fernandes. .
    Panno de algodo 40 fardos a diversos, 8 aos
    consignatarios
    Piassava 78 fardos ordem l'eixe 4 bardolc-
    zas aos ooaigaatWMM, 15 banis a Manoel Lo-
    pes de S, 4 a Joaquim da Silva Carneiro.
    Xarque 1823 fardos a Blackburn Needhatn 4
    C, 9i6 qos consignatarios, 349 a Baltar Oliveira
    *C.
    Barca fianceza Ti ampielar, entrada de Ham-
    bnrgo em 15 do correte e consignada a Guima-
    res 4 Perniati, manifestou:
    Amost as 1 volume ordem. Agurdenle 10
    caixas ordem.
    Buhar e pertences 2 caixas a Francisco Lauria
    * C.
    Ccrveja 50 caixas a Vieiro[Silva, 70 a Figueire-
    do Costa 4 C, 40 a Joo Fernandes de Alneida.
    10 a Gomes Pereira, 50 a Praga Rocha 4 "... 5
    a M. J. Carlos Cardozo, 10 a Carlos Sioden 'an-
    gulas 1 caixa a Per reir Guimares C. Canela
    3 caixas a Figueiredo Costa 4 C Cimento 1.930
    barricas aordem, 250 a Vianna Castro & C, 500
    Albino Silva 4 C, 500 a J. X. Lidislone 600 a
    Anonio Rodrigues de Soma 4 C, 600 a \V- llal-
    liday C.
    Dinamite 6 caixas aos mesmos, 5 a Albino
    Silva 4 C.
    ErfifbH 20 gamites ordem. Ether 1 caixa
    ordem. Espoletas 1 caixa ordem.
    Frascos visios 50 grades a Manoel Lopes de
    S 4 C. Ferragens l caixa a Cjnrad Vaclis
    maui
    Garrafes vasios 910a Figueiredo Cosa 4 C,
    300 a Gomes .v Pereira. Genebra 15 caixas a
    Figueiredo Costa C, 50 a Joo Fernandes de
    Almeida, 20 ordem.
    Louya 100 grades a Fernandes 4 lrmos, 34 a
    Jos de Macedo C.
    Mercaduras diversas 6 volumes a F. Launa 4
    C, 5 a C. vvachsmann, i aFerreira 4 Irmo. 20
    a Casimiro Fernandes 4 C.
    Oleo 2 baris a Azevedo & C.
    Pineuta preta 20 saceos a Figueiredo Costa
    4 C. Papelo 20 fardos o Diogo A. dos Beis.
    Porcelauas 6 caixas a i. Duarte Campos 4 C.
    Pregos 36 caixas a Miranda Souza C. Pbos-
    phoros 90 caixes ordem, 10 a Costa Lima C,
    25 a Joo Fernandes de Almeida, 10 a Gomes
    Pereira, 10 a Lopes]M .galhaes C, 10 a Gomes
    de |Matos lrmos, 10 a Guedes de Araujo 4
    Filho, 10 a Mauoel olaco ., 20 a Paiva Va-
    lente 4 :., 20 a Fernandes da Costa 4 C, 15 a
    Joaquim Felippe Aguiar, 10 a Pereira Ferrei ra
    4 C, 10 a Araujo Castro C, 5 e Carlos Sinden.
    45 a Soaras do Amara! lrmos, 10 a Nuaes Fon-
    seca 4 C, l"a Ferreira Irmo 4 C. Papel de
    embrulho 100 picotes a Pereira 'arneiro C,
    150 a Guedes de Araujo 4 Hlho, :W0a Figuei-
    redo Costa 4 C, i50 a Paiva Valente 4 C, 820 a
    Joc ^ernandes de Almeida, 753 a Joaquim Fe
    lippe 4 Aguiar, 375 ordem, 312 a Araujo as-
    tro >v C, 50 a Carlos Sinden. Plvora 210 bar-
    r8 a \V. Halliday C. Parolinas 6 caixas a Ce-
    zamiro Fernandes C.
    Sola tO barris ordem.
    VeTCls 5 caixas ordem. Vidro 3 caixas a G.
    Martins Paquete nacional .llagos entrado dos portos
    do sul em 18 do corrente e consignado a Pereira
    Carneiro 4 C. manifestou :
    Carga do Bio Janeiro
    Chapeos I caixo a Baphael Dias 4 '". al-
    eados 1 caixo a T. de Carvalho C. Caf 283
    saceos a Costa 4 Medeiros, 307 a Joaquim Fer
    reir de Carvalho C 10 ordem.
    Mercadorias diversas 22 volumes Presiden
    ca, 23 Capitana, 10 a Guimares Rocha 4 C,
    1 a Domingos ruz 4 C, 2 a Perreira Barbosa 4
    C, 2 a Jos Antonio dos Santos, 12 a Gurgel 4
    Irmo. 1 a Ramiro M. da Costa <- C, 2 a Soares
    do Amaral lrmos, 1 a Medeiros .1 C.
    Panno de algodo 75 fardos a diversos. Papel
    1 caixa a Ramiro M. da Costa C.
    Vinho 1 pipa e 5 barris a Rodrigues Lima
    4C.
    Xaiquo 435 fardos a Amotiui lrmos 4 C.
    * arga da Baha
    Charutos 9 caixes ordem, 1 a Jos Antonio
    dos San os t C, 1 a B. de Drusina 4 Cha-
    peos 3 caixes a Antonio P. Carneiro da Silva, 1
    i Rodrigues Lima 4 C, 1 a Guerra 4 Fer-
    nandes.
    Fio 60 saceos ordem, 40 a Joo Francisco
    Leite. Fumo 5 barricas a Meuron 4 C.
    Panno de algodo 40 fardos a Domingos A.
    i'.uimares. 35 ordem. Piassava 86 molhos a
    Pinto Ferreira Roupa i mala a Auguste Labille.
    Barca norueguense Grtd entrada de Savannah
    em 10 do correle c consignada a H. Forster *
    C, manileslou:
    Madeira de pinho 4359 pecas o. 190118
    aos consignatarios.
    Hippodromo do'C'aaipo Grande
    'Eis o resultado da inscripcSj encerrada non
    tem para a corrida de domingo paoximo :
    1 pareoEntaio-8 provincia que ainda nao tenhara tranho pre-
    mios no Hippodromo, Derby e Prado. Premios :
    200* ao 1., 50* ao 2.* e 20* ao 3:
    Ormond, Jatob, Ida, Aquidaban, Traviata,
    Corsario, Pfiebo ex Patife. Janota, Biscoutinho,
    Ferrabraz, Boldo, Druid 2.', Meduza. Sinabru^,
    Jonkopings, Rocambole, Xero, Dengoso, Lin-
    eme, Tutumb, Royal, Kiss ex Parbleu, Vlete
    ex Bato, Violo. Sneca, Bhmark, Bilonlra,
    Purs, Bocacio, Arreda, MeteOro, Breas, Vas-
    sallo, Boa Idea, Cysne, Bridedor, Guaran: Mar-
    te, Vesuvio, Ginga, Minha e.speranca, titn,
    Borburema, Camocim, Dakar, Lamblon, Torpe-
    do, Pomboca, Pedreira, Cyclone.
    2. pareoImprensa Pernambucana900 me-
    trosAnimaes da provincia que ainda nao te-
    nhu.m ganho premios nesta ou maior distancia
    em nenhum dos prados desta capital. Premios :
    250* ao 1.*, 60* ao 2." e 2-">4 ao 3.':
    Cabrion, Job, Phebo ex Patife, Thezeu. Petit-
    Caim, Tupininquim, Bonaparte ex Vagabundo,
    Jaboatao, Orion, Bolaxinlia, Fanfar, Orange,
    Blizard, Etna, General, Lucifer, Mylord, Caim,
    Pombo-Preto ex 1,dador. Caipora ex Oiseau,
    Republicano, Macaro.
    3." l'areoHippodromo do Campo Grande -1,609
    metros Animaes de qualquer paiz. Premios
    600* ao 1.", 150* ao 2." e 604 ao 3."
    Josephus, Trice, Gallia, Coupon, Olga e Er-
    nani.
    4." Parco Prado Pernambucano 1,300 metros
    - Animaes nacionaes at meio sangue. Premios
    40* ao !.", 1004 ao 2." e 404 ao 3.
    Nenhum foi inscripto.
    5." Pareo -Derby Club de Pernambuco- 1.700
    metrosAnimaes da provincia. Premios :H)04
    ao I*, 754 ao 2." e 304 ao 3."
    Traviata, Gracejo. Templar, Mouro e Monitor.
    6." Pareo Prngresso 1,400 metros -Eguas at
    puro sangue. Premios 3504 a 1.*, 80* a2.' e 355
    a 3,"
    Olga c Aspasia.
    7.' PareoVelociiUtde 8^0 metros Pequiras
    da provincia com 1 metro e 30 centmetros no
    mximo. Premios 130* ao 1., 334 ao 2. e l*
    ao 3.*
    Jaguary. 'apela, Soinbrinha, Cavallic, Pacifi-
    co Bodmho ex-Bentevi, Borbolla, Advance,
    Borracho, Sudan, Bella Rosa, Pilheria. Elctrico,
    Boulanger, Teimoso, Petit Huy-Blaz e Sorvete.
    Nao se tendo completado o 4" e C." pareos,
    amanh s 3 horas da tarde, encerrar-se-ha a
    inscripeo para os referidos pareos, o l. dos
    quaes soffreu a semiinte altcraco : 830 metros,
    em lugar de 1,40" metros; auiriiaes nacionaes de
    menos de meio sangue em lugar de animaes na-
    cionaes at meio sangue.
    Os pequiras serte medidos oo Hippodromo na
    quinta-feira s 3 horas da tarde."
    Vapor inglez Yandich entrado de Liverpool e
    escala em 16 do andante e consignado a Black-
    burn Ne'jdham C., manifestou :
    i de Liverpool
    Alo ,'iarrts a Livramento & *,'. Arroz
    100 s .iva Valente &
    130 a Joaquim Duarte Simes 4 C, 100 :
    .'iO a Ferreira Rodrigues C, 300
    a Domingos Cruz 4 C, 100 a S mza Xognei.
    C.. 30 a Fernandes da Costa 4 C. Alpiste 13
    saceos ordem, 20 a Domingos Cruz *.C, 20 a
    Ferreira Rodrigues 4 C, 20 a Joaquim Ferreira
    de Carvalho 4 Arcos de ferro 173 feixes a
    Albi::o Silva *C. Armas 1 caixa ordem. Ac
    4 feixes a Ferreira Guimares 4 C.
    Itatatas 48 caixas aos consignatarios. Bscou-
    tos 8 caixes a Jos de Macedo, 10 a Paiva Va-
    lente 4 C, 5a Soares 4 Fernandes, 27 ordem.
    Barras de ferro 40 a W. Halliday 4 ('.., 283 e 73
    feixes a Reis 4 Santos. Barrilha 100 tambores
    ordem.
    Cartas para jogos 1 caixa a Antonio Duarte
    Carneiro Vianna, 2 a Guimare* (lardoso v C
    1 humbo de munico 50 barris aFerreira Guima-
    res 4 C. Corteja 10 barrica a Alfonso de Oli-
    veira. 20 a Fernandes da .osla, 20 a Carvalho 4
    C, 20 a Soares 4 Fernaifdes, 23 a Fernandes 4
    lrmos. I" a Jos Joaquim Al ves 4 C, 2 caixas a
    Pollimann & C. Conservas 25 caixas a Joo Fer-
    nandes de Almeida, 40 ordem Cidra 40 cai-
    xas ordem, 10 i Carvalho 4 C, 30 a Soares 4
    Fernandes, 50 a Joo Fernandes,d'A!meida. Cha
    32 grades ordem. Camella 13 caixas a Jote
    Fernandes d'Almeida. Cobre 74 feixes a Fer-
    reira Guimares C. Calcados 1 caixo a Sol-
    zer Kauffmann 4 C 3 a Ferreira Barbosa 4 C.
    Chapas para luyan 33 a Miranda 4 Souza.
    Estauho 6 tambores a Ferreira Guimares C.
    Esleirs 10 voIuiuj ordem. Estopa 29 fardos
    ordem. Enxadas 18 barricas a Browns C.
    10 a Albino Silva 4 C, 25 a A. Pinto da Silva
    k C, 60 a Ferreira Guimares 4 C, 14 a \V.
    Halliday 4 C, 30 a Beis 4 Santos.
    Fio 1 farao a Ferreira Guimares 4 C, 2 a W.
    Halliday C. Ferragens 8 volumes a ilson
    Sons 4 ll, 3 a Gomes de Mittos lrmos, 10 a
    Miranda i- Souza, 2 a '..rduso 4 Irmo, 12 a An-
    tonio Pinto da Silva 4 C, 4 a Vianna Castro
    C, .'i- a Albino Silva 4 C, 2 a Prente. Vianna
    v C. 13 a Ferreira Guimares C, 4 a \V.
    Halliday 4 ti, 18 a J. de lievedo 4 C, 26 a
    Reis 4 santos. Familia ordem. Formas de ferro i a Glass Faetones of
    Pernambuco. Follias de Flandres (il caixas a
    Vianna Castro 4 C, 73 orde n, 10 a Ferreira
    Guimares 4 C.
    Ginger alie 5 barris a Fernandes 4 lrmos.
    Luuea 10 barricas 24 gigas onleai. 20 a
    Joaquim Duarte SimOes 4 C. Lona 1 lardo
    ordem.
    Mercadorias diversas 7 caixas ordem, 1 a
    Guimares Irmo 4 C. 5 a Coiupanhia do Bebe-
    ribe, 1 a Manuel CoParo 4 '., 4 a Fabrica de
    Fiaco e Tecidos, 6 a Manoel Joaquim Ribeiro 4
    C, i a Francisco Lauria 4 C 3 a Xunes Fonse-
    ca 4 C. Movis 9 caixes a Silva Fernandes
    4C.
    Objectos para gaz 9 volumes a empreza.
    Provises 10 caixas a Goncalves Rosa 4 Per-
    naudes, 4 a Pohlmaun 4 C. Papel lo caixas a
    ( de Mattos Irmo. ?'s de fejro 2 feixes a J.
    de Azevedo 4 C. Presuntos 5 caixas ordem, 3
    a Jos Joaquim Altes 4 C. imenta da ludia 10
    saceos a Paiva Valente C. Piano 1 caixo a
    Cupertino Guimares Basto.
    Rolhas 1 caixa a Puhlmann 4 C.
    Residuos de vidro 200 barricas ordem.
    Sherry 3 caixas a 'ohlma in 4 C Sacco3 va-
    sios 4 fardos a Julio Fuerstemberg.
    Tecidos diversos 12 volumes ordem, 2 a J.
    L. Teixeira, 10 a Goncalves Cunha 4 C. 2 a Fer-
    nandes Si^va 4 C, 3 a Figueiredo C, 1 a Fran-
    cisco de Azevedo 4 C, 15 a X. Maia ''., 2 a A.
    Amorim 4 C. 6 a Rodrigues Lima 4 C, a
    Francisco Lauria C. 3 a R. de Carvalho C,
    2 a Olinto Jardira 4 C, i a Andrade Lopes 4 C,
    8 a A. Vieira C, 7 a i.outo Santos 4 C, 3 a A.
    Santos a C, 2 a Pereira de Magalhes 4 C, 3 a
    B. Maia 4 C. 3 a Joaquim Gongalves 4 C 2 a
    Souza Xogueira 4 C, 3 a L. Maia 4 C II a Ma-
    chado 4 Pereira, 6 a Francisco Gurgel 4 Irmo.
    Tijoios para limpar facas 30 caixas a Joo Fer-
    nandes de Almeida.
    Viuho 30 caixas a Jos Joaquim Alves 4 C.
    Vidros 3 volumes a J. de Azevedo 4 C.
    Carga de Lisboa
    Albos 60 canastros a Costa Lima 4 C. 23 a
    Paiva Valente 4 C. Azeitouas 5 caixas or-
    dem.
    Batatas 10 12 caixas a J. D. Primo. Bagas 10
    caixas a Candido C. Noves.
    Ceblas 20 caixas a Goncalves Bosa 4 Fer-
    nandes, 20 a Paiva Valente & C, 20 a Souza
    Basto Amorim 4 C. Castanhas i caixa a Jos
    Lourenco 4 C.
    Figos 3 caixas a .-ilva Guimares 4 C, 81 a
    de Coussciro lrmos, dito de Gomes
    4 C, copiador de Ferreira Barbosa
    Junta Commercial da cidade do
    Recite
    ACTA DA SESSO DE 14 DE FEVEKEIRO
    DE 1889
    PRESIDENCIA DO ll.LM. SI. GOMHBND&DOR ANTONIO
    (JOMES DE MIRANDA LEAL
    . Secretario Dr. Julio Giumaraes
    A's 10 horas da manh declarou-se aberla'a
    sesso, estando presentes os Srs. deputa'dos Olin-
    to Bastos, commendador Lopes Machado e Her-
    mino de Figueiredo, faltando sem participaco o
    Sr. depurado Beltro Jnior. ,
    Lida, foi ajiprovada a acta da sesso anterior
    e fez-sc a leitura do seguinte :
    EXPEDIENTE
    Offitio :
    De 9 do crrante, da junta dos corretores des-
    la praca, enviando o boletira das cotaces ofli-
    ciaes de 4 a 9 do presente mez. Para o ar-
    chivo..
    Foram distribuidos rubrica os seguintes li-
    vros :
    Diario
    Ferreira
    *C.
    O Sr. commendador presidente deu sciencia
    junta que. em vista da urgencia allegada, or-
    denou a 8 do corrente nao s o arciiivamento da
    prorogaco do contracto de sociedade em nome
    col lectivo de Joseph Krause. Adolpho Krause,
    admittindo mais como socios Max Krau-c c Gus
    tavo Krause, sob a mesma tirina de Joseph
    Krause C, subsistindo o mesmo contracto de
    27 de Margo de 1886, para a continuaco do
    commercio de joas, nesta praca. ra Primeiro
    de Marco, como tambem o contracto de socieda-
    de em nome conectivo de Joseph Krause C,
    e Samuel Wolff, sob a firma de Wolff 4 C, com
    ocapitil de 12:000'0o0, para o commercio de
    joias, nesla praca, roa do Cabug n. 4.
    DESPiCuoS
    Pcticpcs:
    Do Baro de Serinhem, na qualidade de di-
    rector nerenie da empresa da estrada de ferro de
    Ribeiro a Bonito, para que se archivera o ba-
    tanete, relaco dos ufensilios. material lixo e
    rodante e a lista geral dos accionistas da mesma
    empresa. Arehive-se. na forma da lei.
    (Xo tomou parte na votaco o Sr. deputado
    Olinto Bastos.)
    De Jos Carlos Mayrinck Monteiro de Andra-
    de, Alfredo Carlos Mayrinck Monteiro de Andra-
    de e um coinmanditario. para que se registre,
    com o segredo recomiiiendado na lei, o contracto
    de sociedade em nome colleelivo e em commaii
    da. acompanhadj de ama escriptura de antori-
    saco para commerciar, que celebraran! sob a
    lirma de Mayrinck Irmo C, com o capital de
    3:0O0i, d qual o fuinlo em coiiimandila di;
    7:0004, para o lim de fabricar e vender por
    grosso e a retalho vinagres e outros lquidos
    nesta praca, ra Baro do Triuinpbo n. 73
    Rf,gslre-se somonte a escriptura de autorisaco,
    de conformidade cora o parecer li*cal.
    De Virgilio Augusto Lopes, idem, com o se-
    gredo recomraendado na le, o distracto de so-
    ciedade que celebrara com um commanditano,
    Fernandes 4 lrmos. Feijo 10 saceos a J. D.
    Primo, 70 a Guimares 4 Valente. 30 a Figuei-
    redo Costa fe C, 40 a Paiva Valente 4 C, 11 a
    Jos da Silva Pereira Lisboa.
    Massa de tomate 13 caixas a J. D. Primo, 3
    ordem.
    Passas 20 caixas a Silva Guimares 4 C.
    Sardinhas 30 barricas a Souza Basto Amorim
    4C.
    Toueinlio 80 barris a cilva Guimares 4 C.
    Vinho 20 pipas a Joaquim Ferreira de Car-
    valho 4 '., 4, 2 |/i e 35 barris a Soares do Ama-
    ral lrmos, 40 pipas e 40 barris a Domingos
    Cruz 4 C 3 e 10 a Verissimo Marques & C, 2 e
    30 a Ferreira Rodrigues v C., 10/35 a Souza
    Basto Amorim a C, 23 barri a Snva Guimares
    4 C, 8 a Mendes Lima 4*. 2 a Couto >antos
    4 C, 12 a Goncahes Rosa 4 Fernandes, 3 a Jos
    Lourento 4 C, 15 a. los Daniel Primo, 3 a Ja-
    ciiitho de Oliveira/Baposo.
    rga do Porto
    U a Guedes de Araujo & Fi-
    igos Alves Maiheus, 50 a F. R.
    4 C. Apparellio .para cama de
    rancisco Jos P.'ssoa.
    Ferra^ens 1 caixa a Jos N. de Souza, 3 a Ma-
    noel Collaco 4 ('... a Ferreira Guimares 4 C.
    Impressos 2 caixas a F. P. Rolelreau.
    Peneiras 2 caixas a Ferreira Guimares 4 C
    Pregos 25 barricas aos mesmos.
    Sardinhas 200 barricas a Manuel F. Velloso.
    Vinho 4 barris a Jos B. Pereira de Sou/.a. 3
    ao conego Jos Vaz Goiterres, 2 a Ferreira Rodri-
    gues 4 C.
    ISxporta?o
    BEC1FI 16 H P'VKKHIIU DE 1*9
    Para o exterior
    No vapor inglez Nagrebia, carregarora :
    Para Liverpool, J II. Boxwell 3 140 saceos
    com 235,50* Kilos de as ucar mascavado ; J. S.
    Loyo 4 Filho 136 saceos com 10 200 kilos de
    assucar mascavado ; A Casco 4 C. 156 saceos
    com 11,700 kilos de assurar mascavado : M.
    ittuorim ?0 saceos com 6,750 kilos de assucar
    mascavado.
    No vapor inglez 'ortueuse, carregaram :
    Para Liverpool, J. Pater4C. 2.000 saceos com
    I20.OIX1 kilos de carocos de algodo.
    Na barca portugueza Cera, carregaram :
    Para o Porto. J. S. Loyo & Filho 200 saceos
    com 15,000 kilos de assucar mascavado.
    Na barca portugueza oco Silencia, carre-
    garam :
    ' Paro o Porto. S. B. Amorim C. 200 saccas
    com 11,822 kilos de algodo.
    fara a interior 4
    No vapor inglez Cuiwlu, carregaram :
    Para Rio de Janeiro P. Carneiro 4 C. 550 sac-
    eos com 33.000 Kilos de assucar mascavado : J.
    S. Loyo 4 Filho 2,383 saceos com 142 980 kilos
    de assucar branco e677 ditos com 41,840 ditos
    de dito mascavado.
    No vapor nacional ArUmdo, carregou :
    Para Rio de Janeiro, J. II. Boxwell 134 pipas
    com 73,920 litros de agurdenle.
    No vapor nacional Para, carregou :
    Para Rio de Janeiro, a. de Oliveira Maia 7,000
    cocos, fructa.
    No vapor nacional Magnas, carresaram :
    Para Man ios. P. Pinto 4 C. 75 barris com 5,280
    litros de agurdente ; Amorim lrmos 4 C. 50
    barris com 4.800 litros de agurdente.
    Para Para, M. J. Alves 100 barricas com 6,356
    kilos de assucar branco ; A. Guimares 130 bar-
    ricas com 8,830 kilos de assucar branco ; Amo-
    rim lrmos 4 C 23 pipas e 50 barris com 4G.80O
    litros de agurdente ; Maia 4 Rezende 5 barris
    com 480 litros de azeite d-' carrapato ; M. Ror
    ges 4 C. 200 barricas com 12,630 kilos de assu-
    car bronco.
    Para Manos, II. Oliveira 60 barris com 5.750
    litros de agurdente e 25 barricas com 1,200
    kilos de assucar branco.
    Para ara, P. Carneiro 4 C. 5 pipas com 2,400
    titros de agurdente e 3 0 barricas cm 16,020
    kilos de assucar branco ; E. Barbosa 300 barri-
    cas com 18,605 kilos de assucar bra.-tco ; .
    Guimares 900 barricas com 33,102 kilos de as-
    sucar branco e 75 barris com 7,20) litros de
    agurdente.
    Para Cear, M. Borges 4 C. 80 saceos com
    4,800 kilos de feijo.
    No hiate nacional Deus te Guarde, carrega-
    ram :
    Para Cear, P. Pinto 4C. 13 barris com 1,200
    litros de mel.
    No hiate nacional Camelia, carregaram :
    Para Cear, Seixas inoaos 300 saceos com fa-
    rinha de mandioca.
    No hiate nacional Anua Ehsabeth, carrega-
    ram :
    ara Parnahyba, P. Alves 4 C. 40 barricas com
    1.403 kilos de assucar branco, 30 ditas com 908
    ditos de dito relinado, 6 ditas com 610 ditos de
    dito mascavado e 4 pipas com 1,920 litros de
    agurdente.
    No hiate nacional Aurora, carregaram :
    Para Mosspro, M. Borges 4 C. 2 saceos com 150
    kilos de assucar mascavado e 10 ditos com 600
    kilos de millin ; E. C. Beltro 4 Irmo 100 sac-
    eos com farinha de mandioca e 4 barricas com
    342 kilos de assucar refinado.
    Na barcaca Almertnda, carregaram :
    Para Macei, P. Pinto 4. C. i caixa com 50
    kilos de doce.
    Na barcaca TerezinJia, carregaram :
    Para Natal, Julio 4 Irmo 10 caixas com 300
    kilos de oleo d raocot.
    sob a firma de Virgilio Lopes & C, ficando o
    supplicante de posse do estabelecimento de
    Sharmacia ra da Imperatriz desta cidade e
    o activo e passivo.Begistre-se, com o segredo
    recommendado na lei.
    De Antonio Martins Ferreira e Ventura Jos
    da Fnnseca. dem, quanto ao contracto de so-
    ciedade em nome collectivo, que celebraram sob
    a firma Leite Basto 4 C, com o capital de.....
    50:0004, para o commercio de fazendas destina-
    das ao fabrico de chapeos de sol roa do Li-
    vraraento desta cidade n. 6.Seja archivado.
    Da Companla Pernambucana de Navegacte
    Costeira por Vapor, para que se mande pas-
    sar carta de registro no vapor de sua proprie-
    dade denominado lita.Prestado o juramento,
    na forma da lei, passe-se a carta.
    De Loiega v ... de cuja firma sao socios
    Anaslacio da Silva Lorega e Jos Nicacio Alves,
    domiciliados nesta cidade e estabelecidos com
    casa de commercio de cigarros ra Larga do
    Bosario n. 8 solicitando o registro da marca
    que adoptaram para os cigarros de fumo bor-
    ba, sob a denominaco Cata Flores. Vista
    ao fiscal.
    De Ferreira Lima 4 C, para que se d baixa
    no registro da nomeacao de seu ex-caixeiro Eu-
    clides D. da Costa Monteiro. -Como pedera.
    De Jeronymo da Costa Lima, idem quanto
    nrocuraco que passara a Joaquim Elcsbao Bi-
    beiro para representa! o as sociedades que ti-'
    nha soba firma de Ferreira Lima de vinagre ao caes do Apollo ns. 73 e 75.D-
    se a baixa pedida.
    De Jeronymo da Costa Lima, Jos Ca los May-
    rinck Monteiro de Andrade e Alfredo Carlos
    Mayrinck Monleiro de Andrade, para que se ar-
    chive o distracto da firma Ferreira Lima 4.C.,
    pelo qual fica o ex-socio Jeronymo da toslaXi-
    ma encarroado da liquidarte, sem respon^abi-
    Iidade dos demais ex-socios. Archive-se, na
    forma da le.
    De Magalhes 4 Malla, para se dar baixa no
    registro da notneaco de seu ex-caixeiro Manoel
    Goncalves Carneiro de Barros e se registre a
    que apresentam.Na forma requerida.
    De Antonio Leonardo Rodrigues, para se re-
    gistrar o conhecimeiito do imposto de corretor
    geral desta practi, relativo ao primeiro semestre
    de corrente exercicio.Registre-se.
    Proferiose o despacho "deferida as seguin-
    tes petires, solicitando registros de nomea-
    cOcs de caixeicos de :
    Antonio Maia e C.
    Henriqu' w ogelley.
    Justino Ferreia dos Santos.
    Jos Theotonio Domingues e C.
    Pedro de Alcntara Borges Castro.
    Francisco ctrocelli Irmo.
    Goncalves Lourenco e C.
    Joaquim Dainasio e C.
    Joo Francisco llamos da ^ilva
    Joaquim Alves da Silva Jnior.
    Morass e Filhns.
    Silva Fernandes e C.
    H. A. Leraos e C.
    Antonio Luiz e C.
    Amorim e Cardoso.
    Antonio Joaquim de Santa Auna.
    Joaquim Ignacio Ribeiro e C, suecessores
    Segunda scete da Alfandega, 18 de Fevereiro
    de 1889.
    O thesoureiro -Flerencio Domingues.
    O chefe da seccio -Cicero B. de Mello.
    Ilccebedorla .eral
    Do dia 1 a 16 26:0704232
    dem de 18 3:6544202
    29:7243434
    Recebcdorla provincial
    Do dia 1 a 16 -8:84036
    dem de 18 1:561 SG
    IO:402322
    Rcclfc Uralnase
    Do dia 1 a 16 13:444*5532
    dem de 18 1:811 677
    15:2565209-
    Mercado Municipal de *>. lON
    O movimento deste mercado nos dias 16 e 17
    de Fevereiro foi o seguinte :
    Entraram :
    51 bois pesando 8,188 kilos.
    438 kilos de peixe a 20 ris 9I60
    28 cargas de farinha a 200 ris 5i600
    15 ditas de fructas diversas a 300
    res 45500
    21 taboleirosa200ris 45200
    44 suinos a 200 ris K800
    42 matulos com legumes a 200 ris. 840O
    Foram oceupados:
    52 112 columnas a600 ris 3LJ500
    2 escriptorio a 300 ris 600
    30 compartimentos de farinha a 50)
    ris 235000
    47 ditos de comidas a 300 ris 235500
    179 ditos de leguines a 400 ris 7U60O
    36 ditos de suinos a 700 ris 252O0
    18 ditos de fressurasla 600 ris 105800
    7i> talhosa25 1405000
    Rendimentos dos das 1 a 13 do cor-
    rente
    368860
    3:050180
    !:3995040
    Foi arrecadado liquido at hoje
    Precos de dia:
    Carne verde de 240 a 480 reis o kilo.
    Carneiro de 720 a 15000 reis idem.
    Suinos de 560 a 640 reis idem.
    farinha de 360 a 480 reis a cuia.
    Milho de 320 a 400 reis idem.
    F:'io de 900 a 1520J idem.
    Vatadonro publico
    Neste estabelecimento foiam abatidas para o
    consumo de hoje 72 rezes pertencentes a diver-
    sos marchantes.
    Vapores a entrar
    MEZ DE FEVEREIRO
    Europa....... Ville de Baha ..... 19
    Norte......... Manos........... 24
    Sul......... Pernambuco.......< 27
    Albos 7.3 cana
    11j, 80 a Doai
    Pinto Guimara
    iiuho 1 caixa
    [
    Dinheiro
    RECEBIDO
    Pelo vapor nacional "Alagoas, do sul, para :
    Martins Fiuza 4 C. 4.000/000
    Antonio Augusto dos Santos Porto 2.0005000
    EXPEDIDO
    Pelo vapor inglez Sera, para :
    Bio de Janeiro 14.0005000
    Pelo vapor nacional Para. para :
    Maci 40.000*' 00
    Rio de Janeiro 15.6245860
    tendlmentos publico
    MEZ DB FF.VERS1SO
    Alfandega
    Renda geral:
    Do dia 1 a 16
    dem de 18
    Re,da provincial
    '78:9105910
    19:333368
    Do dia 1 16
    dem de 18
    79:2015079
    M8:2ii527JJ

    Somma total 613:67054
    Hovlmento do porto
    Navios entrados no dia 17
    Buenos-Ayres e escala 12 dias, vapor ingles
    Elbe, de 1,732 toneladas, commandante G. Ar-
    mstrong, equipagem 103, carga varios gene-
    ros ; a Amorim lrmos & C.
    Bio de Janeiro e escala7 dias, vapor brasileiro
    Alagos, de 1,999 toneladas, commandante
    Joo Mara Pessoa, equipagem 60, carga va-
    rios gneros; a Pereira Garneiro a C.
    Baha2 dias. vapor inglez Tanallon. de i.310
    toneladas, commandante S. Partridge, equipa-
    gera 26, era lastro ; a Blackburn Needham
    4C.
    Cardiff 45 dias, barca norueguense Josta, de .
    471 toneladas, capito A. Jacobsen, equtpa-
    gem 9, carga carvo de pedra; Companla
    do Beberibe
    Maco16 dias, hiate nacional Victoria, de'63
    toneladas, mestre Manoel Duarte da Silva, '
    equipagem 5. carga varios gneros ; a Carlos
    Antonio de Araujo.
    Terra -Nova43 dias, escuna ingleza Abeja, de
    189 toneladas, |capito Wiliiam C. Johnson,
    equipagem 6, carga bacalho; a H. J. Per-
    man 4 > .
    ijiihido no riesmo dia
    Southampton e escala -Vapor indezElbe, com-
    mandante imstrong, carga vahos gneros.
    Navio entrado no dia 18
    Rio de Janeiro .; dias, barca norueguense
    Kronos, do. 353 toueladas, capitte JacofcBent-
    sen. equipagem 9, em lastro; a Joimstoq Pa-
    ter x C.
    Safiidos ::o mesmo dia
    Manos e escah -Vapor brasileiro Alagos, com-
    mandante Joo Mara I' "os g-
    neros.
    LiverpoolVapor ingle! PoAuense, commandan-
    te Fred. HevH, cari:
    Barbados Lugar in .. R. Nis-
    bett. em lastro.
    Barbados Escuna itig
    nidosBa;
    1

    i

    ;
    1
    !

    f.
    I'




    V.i

    Diario de Pernambuco---Ter^-feira 19 de Fevereiro de 1889

    Antonio Maria Marques Fcrreira.
    Amonio Augusto de I.enjos e C.
    Angelo Raptoael e 0.
    Adolpho Jacialho Pereira.
    Jos Luiz Alves Villela.
    J. Cardoso de Mello.'
    Maroolino de Sonza Travassos.
    Macoel Alves Barbosa, Successores.
    Freitas Tavares cC.
    Graciliano Martins e C.
    Adolpho c Ferro,
    A. M. Rosa e
    Braz Januario Fernandes.
    Jos Tavares Carnciro.
    Dcodalo Torres e C.
    Josfldc Souza Guimaraes.
    Ferreira e C., Successores.
    Francisco Antonio de Oliveira.
    Euzebio da' unha Bel t rao e Innao.-
    Jos Duarte Pereira.
    Francisco Pinto de Magalhes.
    Manoel Collaeo e C.
    Teixeira e Miranda.
    Barbosa e Santos.
    Ferreira Cruz c C.
    Antonio Goncalves Dias e C.
    Christiani o C
    Jos de Almeida c C.
    Gaspar Augusto Soares Leite.
    Joaquim Fernandes da Rosa.
    Prente Vianna e C.
    Maia, Silva e C
    Leite Bastos e G.
    Pinto Alves e C,
    Antonio Sampaio do Nasciincnto
    Jos Cleinentiuo llenriques da Silva (2 nomca-
    ces).
    Prealle e C.
    MaDoel da Cunha Lobo.
    Ernesto e Leopoldo.
    \utos de aggravo viudos do Tribunal da Re
    lacao, ne^ndo provimento ao aggravo entre
    partes, aggravantes Pereira l^niia e C, aggra-
    vados Gados de Arruda eC.-Guinpra-se a de-
    cisao de fls. ) confirmada a lis. 31 v., colloque
    seoreg. n. xii no seu respectivo lugar, e pro-
    cdase na forma da lei quanto no 2 e 3 exem-
    plares da marca de Pereira Penna Je C., e quan-
    to cobranea das cusas pertencentes fazenda
    nacional. .,. ,
    Encerrou-se a sesso as 11 3,Hioras da ma
    nh.
    Porque nao se admira o articulisla de igual
    Srocediraento 3in relacao aos Srs. B. de Granito,
    alio de Barros, Garaciolo, Porlov Rogoberto e
    quasi todos os impugnadores do contracto, que
    procedern) d; igual modo E* que S. S. igno-
    ra- que tambera se emprega a retirada como
    meio extremo de salvasao. Est perdoado por
    isso. ,. ,
    Estrauba finalmente nao ter eu ido, no da 19
    salvar a minhi emenda, empatada na vespera.
    Salvar como Sr. articulista ? Se S. S. conl'essa
    que no dia 1* ella empatou deve convir que a
    19 empatara tarabem, por que nao me era dado
    fabricar deputarios de barro para votar por ella,
    era S. S. era supplente, que podesse ser cha-
    mado eni lugar do Sr. Gorreia da Cruz, nico
    que ausentou-.-e antes do combate. O que pa-
    rece que S. S ignora que urna materia duas
    vezes einpatadi considera-se rejeitada ; e desde
    3ue mostra nao entender destas cousas tica per-
    oado. E.Deus o favorera para sempre.
    Taquaretinga, 11 de Fevereiro de 89.
    Joo A Ices B. Catulcan'e.
    Patrimonio Regaard
    Relacao das pessoas que concorreram com do
    nativos para o patrimonio Regaard :
    INDICARES TEIS
    Mdicos
    Dr. Cerqueira Leite, tem o seu escripto-
    rio aberto rua Duque de Caxias n. 74, das
    12 s 2 horas da tarde, e destahoraem dian-
    te em sua rssidencia ra da Santa Cruz
    n. 10. Especialidades molestias de se-
    nhoras e criancas. Telephone n. 326.
    Dr. Joaquim Louieiro medico e partei-
    ro, consultorio ra do Cabug u. 14,
    1. andar de 12 s 2 da tarde; residencia
    no Monteiro.
    Dr. Barretto Sampaio d consultas de
    meio-dias 3 horas no l.4 andar da casa
    a ra do Bario da Victoria, n. 51. Resi-
    dencia ra Sete de Setembro n. 54, en-
    trada pela ra da Saudade n. 25.
    Dr. ( astro Jess medico e operador.
    Pratica a lavagem do tero quando e co-
    mo aconselhada. Consultas das 11 s
    3 da tarde em sua risidencia ra do
    Bora Jess (antiga da Cruz) n. 23, 1.a
    andar.
    / r. Ribeiro de Britto d consultas de
    meio dia s 8 horas da tarde, no 1." an-
    dar a ra Duque de Caxias n. 46, poden-
    do ser procurado para cliamados na sua
    residencia ra do Hospicio n. 81. Te-
    lephone n. 303.
    Advocados
    O bacharel Witruvio Pinto Bandeira,
    pode ser procurado ra do Imperador
    n. 71, l.r andar.
    O Dr. H. }S.ilet mudou o seu escripto-
    torio de advocada, para a ra do Impera
    dor n. 46, 1' andar, sala da frente.
    O < enlista
    Dr. Ferreira. com pratica nos princi-
    paes hospitaes e clnica de Pars e Lon-
    dres, consultas todos os dias das 9
    horasdao meio-dia. Consultorio e resi-
    dencia ra Larga do Rosario n. 20.
    Serrarla a vapor
    Serrara a vapor e offidna de carapina
    de Francisco dos Santos Macedo, caes do
    Capibaribe n. 23. Este grande estabele-
    'cmento, o primeiro da provincia neste
    genero, compra e vende madeiras de todas
    as qualidades, serra madeiras de conta
    alheia, assim como prepara obras de cara-
    pina por machinas e por precos sem dom-
    petenciaPcrnambuco.
    Drogara
    FarUt Sobrinho & C, droguista por ata-
    cado, ra do Mrquez de Olinda n. 41.
    Francisco Manuel da Silva &C, deposi-
    tarios de todas as especialidades pharma-
    ceuticas, tintas, drogas, productos china-
    cas e medicamentos homeopticos, ra do
    Mrquez de Olinda n. 23.
    r Profetmor americano
    Devido va mudanca de residencia, Mr.
    Oeorge B. Nind, pode ser procurado nos
    dias uteis na ra da Conquista n. 20.
    A. Soares
    Aguiar
    Augusto Lemos & C.
    Gil
    iNiveira
    Filho da viuva
    Joaquim Alves da Silva Jnior
    Thomaz Carfttap & C.
    Lab.-rty
    L'm debutado
    Antonio Silva
    Cesario Papoula
    Mendes &.C.
    Porto
    Pilrao.
    Anonymo
    2 anonyrao
    Joaquim Grande
    M. Francisco Gavalcante
    Rufino Gaio
    Veanu'o
    Reg Lima
    Cesar
    Artbur MacSes
    Gaspar A. S. Leite
    Gouceiro
    Desiderio
    Dm W.
    :>Oo
    iSOIX)
    -JOOO
    2(HX
    2000
    txx)
    1 iK0
    2 I 000
    1/1MK)
    lOOO
    UOOO
    4000
    1*000
    uooo
    iOOO
    UOOO
    2-5000
    UOOO
    uooo
    UOOO
    uooo
    500
    OOO
    500
    500
    500
    UOOO
    UJ000
    A actriz portugueza Helena Balsemo
    Rodrigues actual proprietaria do antigo
    theatro de Santo Antonio realisa pelo car-
    naval naquellt. casa de espectculos 4
    magnficos bailes de mascaras para o que
    organisou grandes reformas fcando os dois
    saloes para os bailes muito melhores do
    que eram.
    Continuando depois do carnaval as obra
    que o dito theatro reclama e que ir t-
    car urna das melhores casas para espect-
    culos onde o publico encontrar todas as
    commodidades.
    A fachada do edificio que jest promp-
    ta ficou linda e de muito gosto. Vimos a
    explendida scena que apparecer no pal-
    co durante os bailes e que foi pintada pelo
    nosso talentoso Chrispim do Araaral que
    representa um baile de mascarae a elle
    dirigimos un bravo sincero pelo seu bello
    trabalho que de completa novidade.
    As ornamentaco'es para os saloes tara-
    bem devem produzir bello effeito.
    O velho Santo Antonio remocou e offe-
    recer este anuo ao publico os melhores
    bailes carnavalescos
    N'um dos compartimentos do theatro
    est exposto um sumptuoso e variado guar-
    da roupa propriedade da actriz D. Balse-
    raao que se aluga por precos muito mdi-
    cos e cora a vantagem de quem alugar
    roupas ter entrada gratis nos bailes.
    Finalmente estaraos certos que o nosso
    publico corresponder eos esforcos que a
    intelligente actriz tem empregado para
    enriquecer a nossa provincia com mais
    um theatro decente e que muito concor-
    rer para o erabelezamento d'aquella ra
    Nos bailes tomarao parte seis cancanis-
    tas francezas.
    PUBLICARES 1 PEDIDO
    Joao Alves B. Cavalcante ao
    publico
    htzer urna mentira grande erro,
    repetil-a un grande crime.
    Impellido pelo deseiode dar o mximo desen-
    volvimento a verdade venho, ainda urna vez,
    contestar a i-epetigao de conceitos externados
    meu respeito, em relacSo a questto de carnes
    verdes, ltimamente debatida na Assembla. con-
    ceitos de que se faz echo no Diario de Pernain-
    buco um eleitor que nao e'eitor, salvo se quizer
    provar esla qualidade com o tcstemunho das
    Araras que ja urna vez lhe serviram de prova.
    GNao verdade ter eu me pronunciado con-
    trario das manifestacOes que Hz, nem sena um
    tal subterfugio concentaneo com os meus hbi-
    tos e costumes. Todos que me conhecem sabem
    que sou de urna franqneza muitas vezes com-
    prometedora de mim mesmo. alm de ufio ha-
    ver motives, para fusir ajesponsabilidade de
    qulquer acto relativo a csa questo.
    Saiba o articulista do Diario que se nao me
    dispuz a.apeitar o contracto, sem rwtriccao al-
    gama foi somente por achal-o perigoso para a
    Srovincia; ao contrario o teria adoptado como
    Ibo, e ento autorisaria o articulista a abocar
    a trombea para aturdir a humanidade em peso
    com a noticia deste meu procedimento. Ora ea
    ' fugindo a responsbilidade de um acto por ia.m
    mesmo praticado I E" celebre E qual o mo-
    vel ele tal procedimeDto 1 Nao poder dizer o
    articulista f E qual o fim do subterfugio ? Nao
    rder tambera dizer i Ora o Sr. articulista, S.
    nao me condece, e por isso o perdo-o.
    ausa-Ibe. .admiraco nao ler eu procurado
    submetter a vn.os, antes in projecto, a emenda
    que t'ffereci, porque, diz elle, so assim poderia
    eu votar contra o contracto, no caso de nao ser
    aceita a raesraa emenda.
    En? prioieiro lugar devo observar que ist i de
    votafo de emeuda antes da votacao do projecto
    a au-- ella offerecida poder ser permetdo pelo
    ,> do arlici ibla nao.
    fuuda bypothese vejo
    liraapiKO-
    tar fica
    do raeu
    nediato ao
    Protesto
    Tendo sido annunciada pelo jizo dos
    feitos da fazenda, escrivao Torres Ban-
    deira para o dia 22 do corrente, a praca
    da casa n. 38 do largo de Apipucos, ava-
    hada em 5001000. e como pertencente
    a Domingos da Silva Guimaraes, e tendo
    constado ao abaixo assignado que a casa
    em que os officiaes fizeram penhorae de
    que se fez avaliacao foi a de n. 40, de
    propriedade de sua mulher, D. Joanna do
    Reg Maia Tavares, o que parece ser cor-
    roborado pela descripcao que se faz da
    mesma casa, avisa a todos os pretenden
    tes do referido leilao que a casa a. 38,
    pertencente a Domingos da Silva Quima
    rees, acha-se era estado de mina e assim
    nao pede ser i que se v descripta no
    respectivo edita!.
    Protestando pois fazer valer scus di-
    reitos contra quem quer que seja, faz a
    presente dcclarac,ao afim de que ninguem
    depois paesa pretender direitos que nao
    adquiri, nem poder adquirir por um
    mero equivoco dos avaliadores.
    Recife, 18 de Fevereiro de 1889.
    , Antonio Rodrigues Tavares.
    Aendile el videte
    Loa republicano que m<* dlc multo
    limpo
    (QUEM NlO O CONHECKR QUE O COMPRE)
    Al.* commissao de inquerito exami-
    nando as actas e documentos relativos a
    eleiao do 5. districto da Parahyba e ve
    rificou que nos respectivos collegios teve
    o Visconde de Souza Carvalho 619 votos
    e o Dr. Albino Meira 273.
    Bazeando-se a contestajao vpresenta-
    da pelo Dr. A. Meira em documentos que
    a'commissao provisoria, a Cmara dos De-
    putados e esta commissao reconJieceram
    terera sido grosseiramente falsificados e fi-
    cando com naioria* de votos o candidato
    impugnado ainda guando nao se contassem
    os votos de 500 elettores cuja annullacao
    se podia, a commissao de parecer :
    Que seja reconhecido o Visconde de
    Souza Carvalho.
    Sala das conunisoes, em G do Margo de
    1885. J. Pedro, A. Araujo, Doria, Jos
    Marianno, J. Tavares, Caminha, Samuel,
    .1. Pompea, Bento Ceciliar.o.
    (ue vergonha! !
    --------------~.------------
    Patrimonio Regaard
    A commissilo abaixo assignada compos-
    ta de amigos do infeliz tenente PcdrO
    Regaai-d brbaramente assassinado na noi-
    te de 9 do corrente, resolvou solicitar do
    coramercio e do publico desta cidado em
    geral, ura obulo afim de ser adquirido um
    pequeo patrimonio para a desventurada
    viuva o orphaos da infeliz victima.
    Confiada a commissao na caridade e
    benevolencia do inesmo publico, espera
    seja attendida em seu muito justo fim,
    podendo entretanto aquellas pessoas que
    quizerem concorrer cora o seu obulo, re-
    mettel-os ao thesoureiro abaixo assignado
    ou a redaccao deste Diario.
    Recife 15 de Fevereiro de 1889.
    Presidente,
    Felippe de Figueiroa Faria.
    Thesoureiro,
    Joseph Krause.
    Commissao agenciadora
    Capitao Joaquim R. de Souza Gonzaga.
    Alferes Jos Samuel Botelho.
    Tenente Antonio Pedro Dionizio.
    Tenente Franeisoo Jos da Silva.
    Tenente Liberato Prisco Ribeiro.
    Tenente Delmiro Gaudencio Ribeiro
    Pessoa.
    ------------------------------------
    Ao commercio
    O abaixo assignado, tendo de retirar-se
    para a Europa no vapor de 17 do corrente,
    taz sciente a quem interessar possa, que
    dcixa como seus bastantes procuradores os
    Srs. Arthur Goncalves Maces, Domingos
    Gomes Correia e Bernardino de Souza
    Duarte, quer para seu estabelecimento,
    quer para suas transacgSes particulares;
    tal como se acham na ordem aqui estabe-
    lecid.
    Outro sira, faz sciente aos seus amigos
    e freguezes que. o seu empregado o Sr.
    Jos Wenceslao fica encaiTegado das ven-
    das do balcao, assim como receber contas,
    passar recibos, etc.
    Recife, 16 de Fevereiro de 1889.
    Antonio de Souza Duarte Ferreira.
    Protesto
    Xa qualidade. de advogado do Sr. Vi-
    cente Ferrer, de Maranguape, declaro que
    a venda em leilao dos gneros, utencilios,
    cofre, carteira, etc., existentes no estabe-
    lecimento na do Visconde de Inhauma
    n. 37, annunciada no Diario de Pcrnambu-
    co, de hontem para o dia 20, nao por con-
    ta e ordem do Sr. Manoel Martins t-apitio,
    corao nico representante dessa firma, da
    qual faz parte o Sr. Jos Pires Licate,
    cujo nome at figura na firma, mas por
    accordo com os credores da mesma.
    Nao consinto em que se faca annuncios
    com o intuito de lludir a responsabilidade
    social.
    Recife, 18 do Fevereiro de 1889.
    An'.onio Estevao de Oliveira.
    Gratido
    Tendo adoecio no dia 16 do crvente,
    meu empregado Jos Ferreira de Castro,
    chamei o ilustre Sr. Dr1. Miguel Themu-
    do, que reconheceu achar-se o doente ata-
    cado de febre amarell; e logo fazendo
    applicacao do medicamento proprio, no
    dia seguinte, (24 horas despois) se acha-
    va doente completamente restableci-
    do. Venho, poi confessar minha grati-
    :ao illutre facultativo, pedindo
    que ue relev; se por ventura ofendo a
    ,juar> ;l modestia.
    Re, evereiro de 1889.
    s ------------,.r.^^ fca
    Um banho perfumado com a legitima Agua
    Florida de Murray & Lanman, o prazer mais
    exquisito que pode dar-se ao corpo e ao espirito
    em um dia de calor.
    Os Miembros recobram o vigor perdido e ad-
    quircra a suspirada frescura : a mente se aclara
    e repousa. e :i accio hilariante do perfume aviva
    as ideas communicando chispeante brilho ao
    pensamento.
    Depois de um banho tal ninguem se julgue
    infeliz.
    S legitima a Agua Florida de Murray 4
    Lanman. preparada por Lanman & Kemp, New-
    York.
    O Sedlitz Chanteaud, cuja fama uni-
    versal, um purgante salino, refrescante,
    de sabor muito doce e efficacia segura para
    debellar a ci nstipaeao (dureza do ventre);
    o seu emprego diario utilissimo para as
    pessoas gotosas, atacadas de rheumatismo,
    de constituicao sangunea, biliosas, promp-
    tas s congest3es do cerebro, s vertigens,
    enxaquecas, dispostas as hemorroidas ou
    embaracos gstricos. E' elle tambom o
    purgante por excellencia das mulheres e
    das criancas.
    Para evitar os perigos das contrafaccoes
    do Sedlitz e dos medicamentos dosimetri-
    eos cujos o nico preparador o Sr. Ch.
    Chanteaud, exija-se nos rtulos o nome
    dos autores Burggraeve Chanteaud.
    ---------------+.---------------
    Elixir depura-
    tivo vegetal.
    Formula de Angelino Jos
    dos Santos Andrade
    Approvado pela Inspectorio Geral de Hy-
    giene Publica do Rio de Janeiro em 20
    de Jumo de 1887.
    Este depurativo de grande efficacia as mo-
    lestias syphiliticas e impureza dosangue ; assim
    como em todas as molestias das sennoras.
    Tem curado radicalmente, muitas pessoas ac
    commettidas da terrivel molestia beriben.
    MODO DE USAR
    Os aaultos temario quatro colheres das de
    sopa pela rnanhfi e quatro noite. As criancas
    de 1 a 5 annos tomarao urna colher pela manha
    e outra a noite, e os de 5 a II annos tomarao
    duas colheres pela manb e duas noite. De-
    vero tomar banuos fri ou momo pela manha e
    noite. H esguardo regular.
    Encontra-se venda na drogara dos Srs.
    Francisco Manoel da Silva 4 C, ru do Mrquez de
    Olinda n. 13 e pharmacia Oriental ra fc*tr"-
    ta do Rosario n. 3.
    0 autor deste preparado poae ser procurado
    na ra do Barao da Victoria n. 37, onde ser en-
    contrado para dar toda e qualquer explicac&o
    que for precisa.
    Beriberi
    N. 46
    Luiz Vctor Homem de Carvalho, doutor em me-
    dicina pela Faculdade da Bahia, etc. etc. etc.
    Attesto que empreguei com feliz resultado o
    Elixir depurativo do Sr. Angelino Jos dos San-
    tos Andrade, era um doente affectado da ben-
    beri com dormencia as extremidades nfe-
    Recife, 30 de Julho de 1885.
    Dr. Luiz Vctor Homem de Carvalho.
    N. 47
    Illm. St Angelino Jos dos Santos ndrade.
    mi.
    Acommettida no cornejo do Ipno de 1879, do
    terrivel mal que a sciencia denfainaBeriberi
    fui entregue aos cuidados e tratamento do
    illustrado e cuidadoso medico o Illm. Sr. Dr.
    Estevao Cavalcante, que com lelo e* proficiencia
    que lhe sao caracteristieos, envidou todos os
    seus esforcos durante o longo periodo de cerca
    de um anoo em prol de meu restabelecimento.
    j aconselhando a minha ida para a Torre e ja
    para a ilha de Itamarac, afim de ver se com a
    mudanca e ares obtinha resultados benficos
    para meus padecimentos, urna vez que a rebel-
    da do mal pareca se ter tornado impotente
    medicina.
    Engao manifest.
    Na ilha de Hamarac onde permanec tor mais
    de tres inezes melhoras nenharaas ontive, e
    quando de l rearesse foi, se nao peior, ao me:
    nos no mesmo estado em que quando d'aqui
    sahi.
    Era elle de tal natureza que ao desembarcar
    no caes do Hospit;* Pedro II fui transportada
    para casa, que era entao ra Coronel Lamenha,
    pequea distancia do caes de desembarque, car-
    regada era urna cama por amigos dedicados de
    raeu fallecido marido.
    Teste estado de desespero, prostrada em um
    leito de aculas dores, servida pelas maos dos
    outros porque achava-me quasi que paralytica;
    e ja sera a menor esperanya de vida, a mim
    confesso, apenas para satisfazer as instancias de
    pessoas que tanto se interessavam pela minha
    sorte, a usar do seu Elixir por V. S. preparado,
    sendo tal a sua p.iderosiss(ma e prodigiosa eli-
    eacia, que eo:n iluas .-anatas, rrfstabeleceu-me
    de todos os meus soffrimentos, restando-me
    boje apenas pequea press'io nos dedos e maos.
    Dizendo isto nada mais nosso accrescentar, se
    nao um voto de agiadecimento a V. S. que com
    o seu Elixir ressuscitou-me vida e proclamar
    a sua excellencia e efficacia como restaurador
    da vida a mais compromettida por molestia de
    tal ordem.
    Poder V. S. caso queira, fazer d'esla o uso
    que lhe aprouver, pois assim far um grande be-
    neficio hainanilade.
    Suhscrevo-rae com todo respeito e considera-
    co-
    De V. S. criada veneradora e obrigada.
    Cindida Francisca Muniz Fej.
    y. 48
    Illm. Sr. Angelino Jos dos Sanios Andrade.
    Estando urna senhora de minha familia sof-
    frendo de gomas as pernas ha cerca de dous
    annos mais ou menos, bem como de grande irre-
    galaridade, a ponto de proslral-a no leito da dr,
    c depois de esgotar todos os remedios, j estava
    despersaadida de ticar boa
    un amigo, era tao boa hora, indicou-me seu
    Elixir purilicador do sangue, com tanta felici-
    dade que com duas garrafas o restabeleceu de
    todos os seus soffrimentos de que dou multas
    gracas a Deus ; e para qne a hamanidade possa
    gozar de to benfico remedio, para o presente
    attestado, e autoriso a fazer d'elle o uso qae lhe
    convier.
    Recife, 5 de Setembro de 1888.
    De Vmc. venerador e obrigado,
    Manoel Rodrigues de Poica.
    (Estavam selladas e reconhecidas as firmas.)
    (Contina.)
    Frederico Chaves Jnior
    Homoepatha
    ll 39 RA BARO DA VICTORIA 39 j J
    ) ( Primeiro andar ) )
    Dr. Alfredo Gaspar
    MEDICO
    Operador, parteiro trata com especiali-
    dade de molestias de senioras e creancas.
    Consultorio e residencia ra da impe-
    tatriz n. 18, Io andar.
    Consultas de 8 s 10 da manha.
    Chamados (por escripto) qualquer hora.
    TELEPHONE N. 226
    MEDICO HOMEPATA
    Dr. Balthazar da Silveira)
    (
    Especialidadefebres, molestias U
    das criancas, dos orgSos respirato- \
    rios e das senhoras.
    Presta-se a qualquer chamado para
    ora da capital.
    AVISO
    Todos os chamados devem ser di-
    rigidos pharmacia do Dr. Sabino,
    ra do Barao da Victoria n. 43,
    onde se indicar sua residencia.
    Cirurgio Dentista
    DR. ROBERT P. RAWLINSON, for-
    mado pela Univereidade de Maryland nos
    Estados-Unidos, tem aberto o seu consul-
    torio, na ra Barao do Victoria 19, Io an-
    dar.
    Consultas das 10 s 4 horas da tarde.
    Curso primario e prepara-
    torio
    Ra Larga do Rosarlo a. 11
    Io andar
    Estarao abertas as aulas deste curso no
    dia 8 do cerrente mez.
    O director,
    Camerino Sobrinho.
    Leonor Porto
    Boa Larga do Boaarlo n. lo
    2o andar
    Continua a executar os mais dif"
    ficis figurino8 recebidos de Lon-
    dres, Pars, Lisboa e Rio de Janeiro.
    Prima em perfeijao de costuras,
    em brevnkde, modicidade em pre-
    cos e fino gosto.
    Collegio de S. Miguel
    Ra do Visconde de Ounaragl-
    be n. &3
    Aos respeitaveis paes de familfes parti-
    cipa a directora deste novo estabelecimen-
    to de in8truccao para o sexo, feminino,
    que abrir as aulas no dia 14 de Janeiro
    de 1889.
    A mesma promette aos paes que lhe
    connarem suas filhas esfprcar-se per lhes
    dar urna educajao primorosa, solida, reli-
    giosa e domestica.
    A tratar, do Io de Janeiro no proprio
    estabelecimento, das 2 da tarde s 7 da
    noite.
    A directora,
    Emilia A. de Mendon Oculista
    Dr. Barreto Sampaio, medie*,
    oculista, ex-chefe le cinica do
    Dr. de Wecker, d consultas de
    meio dia s 3* hora da tarde, no
    Io andar da casa n. 51. ra do
    Barao da Victoria, excepto nos
    domingos o dias santificados.
    Residencia ra Sote de Setem-
    bro n. 34. Entradt pela ra da
    Saudade n. 25.
    O bacharel Julio Augusto da Cunha Gui-
    maraes, secretario e fiscal da Meretissi-
    ma Junta Commercial do Recife, em
    observancia da disposcSo do artigo 41
    o decreto h. 9828 de 31 de Dezem-
    bro de 1887.
    Certifico que as senteocas proferidas nos au-
    tos de agravo entre partessai,'!iravantes Hereira
    Penna C., aggraVMOS Garlos de Arruda ot C,
    sJo do theor seguinte:
    A Jauta Commercial do Recife* tomando em
    consideraeio o allegado pelos aggravantes Carlos
    d'Arruda C-, e.x-socio da firma Ventura Pereira
    denna & C, em sua minata de folhas 10 e 11
    verso e o que consta da liel e exacta informaco
    (la secretaria desta Junta de folhas 13 e 14, da
    ?ual resulta o verdade de nao ter esta Junta con-
    rontado a marca dos aggravantes Carlos de Ar-
    roda & C, registrada sou o n. til a ti de Mar-
    co altimo, cora a dos aggravados Pereira Penna
    & C, quando solicitaram o respectivo registro,
    pelo que confrontando-as e achando que os ag-
    gravados imitaram parcialmente a marca dos
    aggravantes, e. tendo em vista as disposicoes do
    artigo 8" n. 6 da lei n 3346 de 14 de Oatubro
    de 1887 e artigo 9' n. 0 do regulamento n. 9828
    de 31 de Dezembro d 1887 qae prohibem ex-
    pressamente o registro de marea que contiver
    imitaco total ou parcial de marca j registra-
    da para prcduelo da mesma especie, irae possa
    ioduzir um cv,rj ou confuso ao comprador; de-
    vendo consum- verilicada a possibilida'de
    de erro ou (oirfo. f;o sempre que as differencas
    nao possanttreconhecidas sem exame atien-
    to ou confrMMHp.
    Reforma MBp o despacho proferido em ses-
    so de 13 ':':).:frente, folhas sete. na peticao de
    Pereira Peona i C, de cuja firma sao socios
    Jos Pereira Peona e Bento harboza, para c* lira
    de ficar sem clfeilo o registr n 242 da marca
    Indiana que ser trancado ou concellado, e
    cassados o segundo e terceiro exemplares da
    dita marca que so acham em poder dos aggra-
    vados, e annexando-os a este processo, Meando
    salvo aos mesmos aggravados a interposico dos
    recursos legaes.
    Junta Commercial do Recife, em sesso de 27
    de Dezembro de 1888. Olinto Bastos, presiden-
    te interino. Lopes Machado. Beltro Jnior.
    Figueiredo. 0 secretario Julio Guimaraes.
    Accordito em Relago, depois do sorteio e re-
    latorio do estylo, que aggravados n5o foram os
    aggravantes pelo daspacho de que se aggravaram,
    em vista dos autos e fundamentos expendidos pe-
    la Junta Commercial desta cidade, em sua con-
    traminuta de folhas 28, e, negando portante,
    provimento ao aggravo, condemnam os aggravan-
    tes as custas.
    Recife, 8 de Fevereiro de 1889. Quintino de
    Miranda, presidente. Mouteiro de Andrade.
    Delpbino Cavalcante.Pires Ferreira.
    Cnmpra-se a deciso de folhas vinte, confir-
    mada a folhas :1 verso, colloqoe-se o registro
    n. 224 no sen respectivo lagar, e proceda-se na
    forma da lei -quanto ao segundo e terceiro exem-
    plares da marea de Pereira Penna & C. e quan-
    to cobranea das custas pertencentes a fazenda
    nacional.
    Junta Commercial do Recife, em sesso de 14
    de Fevereiro de 1889. Miranda Leal, presiden-
    te.Olinto Bastos. L. Machado.-Figueiredo. -
    0 secretarlo, Julio Guimaraes.
    Sao estas as sentencas extrahidas dos autos
    de aggravo pedido dos vene.dores Carlos de
    Arruta 4C.
    Dada e passada nesta secretaria da Junta
    Commercial do Recife, aos 14 de Fevereiro de
    1889.
    Escrevi e assigno. Em f de verdade. O se-
    cretario, Julio Augusto da Cunha Guimaraes.
    DOENCAS CHRONICAS
    3
    DO LAKVXGEDOS BBONCHIC08
    DOS PULMOESBBONCHITES CHBONI-
    CASCATABROSCONSMPcXo
    Medicamentos recommen-
    daveis
    Pernios do (rcosolo de C lcsian
    Capsula rrrosolada*
    de Berilio
    Oleo de figada de bnralho puro de
    Bertta
    O lio f de ligado de baralhao
    creosotado de Beriiie
    APPBOVACAO DA ACADEMIA DE .MEDICINA
    DE PAHIS
    Urna instruccao acompanha cada frasco
    Vendem-se as pharmacias de
    todos os paizes
    Fabricado e atacado: casa L. Frere
    19, ru Jacob, Paria
    Vias urinarias, molestias do tero,
    opera$oe8 elctricas
    IS. CASLQS SSTTSaCOST
    ESPECIALISTA
    com pratica de pariz e Londres
    Estreitamentcs da urethra curados ra-
    dicalmente pela electrolyse, sem dr ;
    hydroeeles sem injecci* (cura radical);
    feridas e ulceras chronicas. com garan-
    ta de cura rpida; pedras da bexiga,
    fistolas e hemorrhoidas; sypbilis, go-
    norrhas, pelo methodo das nstillagoes;
    J molestias da garganta e do peito pelas
    * athmospheras medicamentosas, um-
    I su I tas e operacoos das 12 s 3 horas
    da tarde.
    RA DO MRQUEZ DE OLINDA H. 34
    2. ANDAR
    Residencia na Torre
    i Oculista
    Dr. J. Correia de Bittencourt, oculista
    residente na corte, ex-chefe de clinica
    ophthalmologica dos Drs. Wecher e Pa-
    nas em Paris % do professor Hirschberg
    em Berlim, tendo regressado de sua ex-
    cursao s provincias do norte, demora-se
    alguns mezes nesta capital no exercicio de
    sua especialidade.
    . Consistorio c residencia ra do Barao
    da Victoria n. 23 Io andar. Entrada pela
    Camboa do Carmo.
    Consultas das 12 s 3 da tarde. Gratis
    aos pobres.
    ) | Bacharel Antonio Wiln- {
    vio Pisto Bandeira ,
    / < Pode ser procurado A ra do Imperador >'.
    j I n. 71, 1 andar } {
    rS
    )r. Mh (Umt$
    JJ Medico operador parteiro
    !!
    94 Roa Larga do Rosarlo l-i
    '{Por cima do Annel de Oaro)
    Onde tem eonsnllorlo e resi-
    dencia t podendo ser encontrado e
    recebendo chamados a qualquer hora
    do dia e da noite.
    Especialidades: Partos, fehres, moles-
    tias de senhoras e dos pulraes, syphilis
    em geral, cura rpida e completa eopc-
    rag&es de estreitamentos e mais soffri-
    mentos da uretra.
    Mi de prompto a ehamados para
    fra d qualquer distancia.
    Telephone n. 394
    Lugar s prova!
    Quardo mesmo nao tivessc;nos o traba-
    lho de vr trazer ao conSecimento do pu-
    bco a noticia das muitissimas curas ope-
    radas pelo Peitoral de Cambar, de Souza
    Soares, bastava que os proprios beneficia-
    dos por tao poderoso remedio se encarre-
    gassem de lhe divulgar as virtudes.
    A voz do povo a voz de Deus, puf
    esta razSo nada mais do que elle preciso
    para constituir a gloria de um preparado.
    O attestado que se vae lr iais urna
    pva do que levamos dito.
    Eil-o :
    Atiesto que se minhas filhas, Iso-
    lina, de 3 annos de idade, e Sihrina, de
    5,soffram ha mais de tres annos, hor-
    rivelmente de asthma, que lhe,s vinha po^
    accessos amiudados e tao fortes, que eW
    julguei em muitos d'elles, ter-se apprbxi-
    niado o termo fatal de suas pobres exis-
    tencias. Depois, porm, que usaram o
    Peitoral de Cambar, preparacSo do Sr.
    Jos Alvares de Souza Soareii, em Agos-,
    to do ar.no prximo passado, s Silvina
    foi atacada ha quinze dias, de um novo
    accesso, que cedeu promptamente ao mes-
    mo peitoral.
    Tuto o que digo verdade e o juro,
    se preci&o for.
    t Pelotas, 10 de Marco de 1879.Mi-
    guel Antonio dos Sanios. (Pelotas.)
    Este importante medicamento vende-se
    em casa dos agentes Francisco M. da
    Silva & C, ra Mrquez de Olinda n. 23,
    que o vendem a 20500 o frasco.
    -------------.*---------------
    Aviso ao publico
    Emquanto durar a Exposicao Universal de
    1889, os nossos leitores que se acharem em Paris
    e {que desejarem receber quaesquer noticias da
    trra, podero 'ler os nmeros mais recentes do
    noss jornal no escriptorio dos nossos corres-
    Emdentes, os Srs. Amede Prince &. C, 36 ra
    afayette, em Paris.
    Os nossos patricios podero receber a sua cor-
    respondencia, peridicos, etc. etc., em casa dos
    Srs. Amede Prince & G.
    Outrosim, os mesmos Srs. Amede Prince 4 L.,
    negociantes-commissarios poeir. a sua casa de
    compras s ordens de qaalqaer pessoa que dese-
    jar ter urnas informaees, ou utilisar seu inter-
    medio.
    Dr. Manoel do \ascimenlo la-
    chado Porteila Jnior
    Escriptorio ra do Imperador 'n. C
    Io ANDAR
    "* EDIT&ES
    DECLARAO0ES
    . S. R. O.
    Ivociedade Recreativa Commercial
    Aviso
    De ordem do Illm. Sr. presidente, aviso a to-
    dos que se julgarem crecores da sociedad Re-
    creativa Commercial a apresentarem suas con-
    tas ao Sr. thesoureiro Manoel Simo dos Santos
    e silva, ra redro Affonso n. 82, afim de-se-
    run immecliataraente pagas.
    cretarii da sociedade Recreativa Commer-
    cial, 18 de Fevereiro de 1889.
    0 1 secetario,
    Ernesto Guimaraes.
    Prazo de cinco dia
    De ordem do 111ro. e Exm. Sr. Dr.
    se faz publico que as 11 horas
    rente mez ero-vendidos em
    guardamora desta alfandi
    urna peca de lona de Un!
    kilos pprehen
    o ultimo, cujo
    clamaRfti
    seccao d,
    IfittQ
    tumi
    /
    i
    ;

    O Dr. Jofcquim Correia de Oliveira An-
    drade, juiz de direito privativo de or-
    phaos e ausentes nesta comarca do Re-
    cife, por Sua Magestade Imperial a quem
    Deus guarde, etc.
    Faco saber aos que o presente edital virem ou
    delle tiverem conhecimento que depois da au-
    diencia de 19 de Fevereiro do corrente anno,
    iro a praca para ser vendido a quem mais der
    os bens seguintes :
    Dous cousolos de amarcllo 6.
    Duas i.-.- deiras de halaneo IH.
    Seiscadeiras lit.
    Urna mesa de pinho lt. ^v
    Quatro tamboretes IS.
    Urna marqueza de amarello .
    Um par de lanternas it. ^
    Um armario 1-5-
    Uma cama de lona I .
    Os quaes bens pertencem ao espolio do fina-
    do Antonio Goncalves Pinto c vao a praca em
    um s lote por ordem deste juizo.
    Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 14
    de Fevereiro de 1889.
    Eu, lavo Antonio Ferreira, escrivao, o sub-
    screvi.
    Joaquim Correia de Oliveira Andrade.
    3* seccSo.Secretaria da Presidencia
    de Pernambuco, em 7 de Janeiro de 1589.
    Faco publico, de ordem do Exm. Sr.
    Dr. presidente da provincia, que se acha
    aberta a concurrencia para o emprestimo
    externo de 8,600:0000 (oito mil e seis-
    centos contos de ris), autorisado^iela lei
    provincial n. 1,927 de 15 de Novembro
    rindo, com o graso de quarenta e cinco
    dias, a contar da data da primeira publi-
    cacao do presente, para o recebimento
    das respectivas propostas, que serSo apre-
    sentadas nesta secretaria, em cartas fecha-
    das.
    Estas pe rao abertas pelo mesmo Exm.
    Sr. s 12 horas do dia, em que expirar o
    praso fixado, com os proponentes presentes
    Nos termos da referida lei, o emprestimo
    ser de quantia que produsa a predita impor-
    tancia de 8,600:0000 Coito mil e seiscen-
    tos contos de ris) liquida, a ser applicada
    ao resgate da divida da provincia, funda-
    da em apolices de juros annuaes df 7 [,
    (sete por cento), com excepcSo daquella
    que tenham sido emittidas por empresti-
    mos a companhias ou a particulares, come
    auxilio agrcola ou industrial, bem como
    para liquidacao dos exercicios de 1886 a
    1887 e 1887 a 1888. #
    A taxa da emisso nao ser inferior a
    92 (noventa e dous) livre de comunisaSo
    e o juro nao exceder de 5 i0 (cinco por
    cento) alm da quota de amortisacao, que
    nao ser superior a 1 j0 (um por cento),
    sendo esta e aquello safisfeitos semestral-
    mente. -
    O secretario interino, Manoel Joaquim
    Silveira.



    6
    de PernambucoTer^a-feira 19. de Fevereiro de 189*


    secb i publico a quem uiteressar possa,
    qe se acha nesta repartiera, aflm de ser entre-
    gue, depois de pagos os devidos diraltos, a pa-
    tente de referan nc posto de major, do capiUo
    da i. companhia do 7. batalhao de reserva da
    guarda nacional da comarca do'Rk) Formoso,
    Antonio Pereira da Rocha.
    i) secretario interino,
    Manoel Joaquim SilveiM.
    Club Concordia
    Ordentliche Hauptversammlung
    Dienstar dan 19 Februar 1889.
    Traktandeu laut 20 der Statuten
    / *
    Auraahme nesser Mitglieder.
    Das Directorium.
    S. H. G.
    Junta commereial
    Esta secretaria faz publico.'que forara regis-
    tradas duas escripturas ante-'nupeiacs u de dote,
    a i.' celebrada entre Pedro Antonio Joaquim
    Salgado D. Mara L'mbeliado-Rego-Pontea ea
    2. entre Joaquim Ignacio Pessoa de Siqueira e
    D. Mara Adelaide de Mattos Lima.
    Os primeiros contractantes esftpularaui que o
    seu casamento ge regulasse pelo rgimen dotal
    quanlo a cinco apolices provinciae6 de* 000*
    cada una, de ns. 1839 a 1863, asquees -consti-
    tuirao o dote da esposa, havendo communuio
    nos outros bens, conforme foi tudo deliberado
    pelo juiz de orphaos.desta cidade.
    Os segundos contractantes aoeeitaram os pue-
    rtos segtfintes :
    !' Nao baver communho de Leas ntreos
    conjuges, quer a respeito dos que actualmente
    possuem. quer a respeito bos que adquirirem na
    constancia do matrimonio por qualquer titulo
    que seja.
    2- A esposa entra para o casal com os bens
    que lhe coube em sua legitima paterna e com as
    joias do seu uso, tudo no valor de 8:6904, e nao
    so esses bens como oaque de futuro adquirir
    por qualquer titulo nao estarao yeitos aos com-
    promissos contranidos e por contrahir pete es-
    poso.pois ha completa stparacao de bens, e cada
    nrn dos ronjuge* administrar.o quo-Uie perten-
    cer, podondo dispor delles sem autondade um
    do ouiro.
    3- N'o caso de fallecimento de qua'quer dos
    conjuges, revertero os beng a quem de direi-
    to for. i.
    Secretaria da junta commereial do Recite. H
    de Fevereiro de 1889.O secretario,
    Julio Guimaraes._ ___
    (3a praca)
    Pela inspecloria desta Alfandega, se faz pu-
    blico, que. s 11 horas do da... do corrente
    mez serao arrematadas em praca a porta denla
    repartico, as seguinUs inercadorias :
    Armazem n. i
    Sem marc?. e sem numero. l'm pacote, amos-
    tras de retalhos de fazenilas sem valor, viudo
    de Ilamburgo no vapor alleinao Buenos Agres,
    em 20 de Marco de 1888.
    Arnrawia n, 2
    Marca AP*C e HPAC nm baixo-X. 7208 A.
    Urna caixa contendo 63 kilos de jarros de vidro
    n. 1. de cores, viudo de Liverpool no vapor in-
    glez Mariner cm 7 de Marco de 1888, ordem.
    A nicsuia marca-N. 708 B. Urna caixa con-
    tendo 30 kilos de candieiros de vidro n. 1. e
    mais 30 kilos de jarros de vidro n. 2, de cores,
    dourados, idem, idem, idem,
    A mesma marcaN. 7208 C. Urna caixa con-
    tendo 20 Julos de.globos de vidro n. 2, dourado,
    e 7 kilos de vidro n. 2, idem, idem, idem.
    A mesma marcaN. 7268 D. Urna caixa con-
    tendo 13 kilos de obra de cobre e suas ligas
    simples nao classificadas, 9 0 grammas de tor-
    cidas para candieif, de alaodSo, idem, idem,
    idem.
    A mesma marcaX. 7208 E. -Una caixa, con-
    tendo 3 kilos e 200 grammas de cobre e suas
    ligas obras nao classilieadas, simples, idem,
    idem, idem.
    Armazem n. 3
    Marca F&CX. 1- Urna caixa contendo amos-
    tras de retalhos de faiendas, viadas deXew York
    no vapor americano Adrante, em 17 de Margo
    de 1888 a Vianna Castro (t C.
    Armaaem n. 3
    Marca CC da C Moreiraseni numero. Um pacote
    de amostras vindo de Liverpool no vapor ingles
    n ntrado em 13 de linio de 1888, a C. C
    Moreira.
    m diamante 16664 no centro-X. 86 103
    acote pesando dous e meio kilos de cober-
    tores de tecidode linho entrancado, idem, dem,
    idem.
    Armazem u. 7
    Marca AMVAC e M em baixoX 2. lima cai-
    xa contendo 45 kilos de man, vinda de Geno-
    va, no navio italiano lnunacutada Concerni em 9
    de Abril de 1886, a Martiniano Veras & C.
    Marca AMV*CeMem baixo. X. 4. Urna
    caixa contendo 100 kilos de man, idem, idem,
    idem.
    Marca H S P & CNs. 21. 22, 23, tres caixas.
    contendo 137 kilos de man, idem, dem, idem,
    Hermes de Soma Pereira A C.
    A mesma marca X. 21. Urna caixa. contendo
    1 kilo de capsulas medicinaes. 15 kilos de pro-
    ductos pltarmaceuticos. 12 kilos de xarope me-
    dicinal em vidros at 50o grammas, peso liquido
    6 kilos, idem, idem, idem.
    A mesma marcaN. 23. Urna caixa, contendo
    5 kilos de linimento, 5 kilos de perfumara, 100
    grammas de quiniuo nao especificado,idem, dem,
    dem. .
    Marca H S P C e em baixo. X. 27. Lma
    sacca contendo 1M) kilos de folhas medicinaes
    nao especificadas, idem, idem, idem.
    Marca HSPeSVCCem baixoN. 22. Urna
    barrica com lO kilos de carbonato de soda, vin-
    da de Southampton no vPr inglez Im Plata, em
    14 de Abril de 1888 or em.
    Marca Hermes Ns. 27, 34/36, tres grades,
    peso bruto 558 kilos, taxa de 35 por cento, que
    Era de 3 por cento, liquido legal 34o- kilos de
    garrafas de vidro ordinario branco, sem rllia e
    sem bocea esiaerilhuda, viada deHamburgo no
    vapor allemao Uruguay, em 16 de Abril de
    1888.
    seceso da Alfandega de Pcrnambnco 18 de
    Fevereiro de 1889.
    O chele,
    Domingos Joaquim da Fbnseca._
    I ndemnisadora
    A directora desta ompan*ia. coa vida os se-
    nhc es accionistas- a reunirem-fe em assemblea
    geral ordinaria no dia 28 do corrente. ao meio
    dia. Da sede da mesma. para o lim de aprecia-
    rem o bataneo, contas da direeeo e o parecer da
    commissiio fiscal, e bem como dar-se eumpn-
    mento ao que determina o art. 27 $ 2- dos seus
    estatutos. Rocife. 14 de Fevereiro de 1889.
    Os directores
    Joaquim Alves da Fonseca.
    Amonio da C. Ferreira Beltar.
    Sorirdade Berii-Iva Coannarrr-lal
    Soiree trimestral em 24 do corrate
    Scieuiilico aos sealidres socios que esta soiree
    principiar as 8 hora* da noite.
    Convites em poder d Sr. secretario.
    Ingressos so com o recibo do mes de Feverei-
    ro, o qual pode ser procurado em poder do Sr.
    thesoureiro, ana Pedro Affonso n. 8, ou na
    sociedade.
    Aggregados nao sao admissiveis.
    Secretaria da Sociedade Recreativa Commer-
    eial, ifi de Fevereiro d 1889.
    0 1 secretario
    Ernesto Guimaraes.
    Faculdade de Direito
    De* ordem do Exm. Sr. conselheiro director
    interino, e em cumpn ment do aviso n. 481 de
    5 do corrente, faco publico que. Oca novamente
    marcado o praao de seis meses, contado da data
    deste para a inscripcao dos que pretenderem
    concorrer ao lugar de lente substituto desta Fa-
    culdade, que Be acha vago por ter passado a
    cathedratieo o Dr. Tobias Brrelo de Menezes.
    Pelo que todos os pretendentes ao referido lu-
    gar poder&o desde j apresentar-se nesta aecre
    taria para assignar seua nomes no livro compe
    tente, o que lbes.pennittido fazer por procura-
    dor, se estiverem a mais de viote legoas desta
    cidade ou tiverem juso impedimento.
    Devem outroshn, apresentar documentos que
    mostrem sua qualidade de cidadto brasileiro e
    que e3to no goso de seus direitos civis e pol-
    ticos, isto tolua airrida no lugar de seus do-
    micilios e mais o diploma de doutor ou de ba-
    cbarel por urna das Faculdades de Direito do
    imperio ou publica firma justificando a impos-
    sibilida-le da apreseulacfti do original, e na mes-
    ma occasiao poderte entregar quaesquer docu-
    mentos que iulgareai convenientes, ou como ti-
    tulo de habilitacao ou como pravas de servicos
    prestados ao Estada, humanidad-- ou scien-
    cia, do quaes se Ibes passar recibo, tudo de
    conformidade com os arts. 36 e 37 do decreto
    n. 1286 de 28 de Abril de 1854 e 111 e seguiotcs
    do de ii. 1568 de 21 de Fevereiro de 1855.
    E para que chegue ao conhecimento de todos
    mandou o piesmo Exm. Sr. conselheiro director
    interino arfixar ipre.iente, que ser publicado
    aas "i,'has desta cidade e as da corte.
    Seeretarta da Facolt.ade de ireito do Recife,
    16 de Feveriro.de 1885.
    O ollii-ial ervindo de secretario,
    Manotl A. dos Passos e Silva.
    ARTIIflS
    Concurso
    Por esta secretaria se fez publieo em vista do
    despacho da presidencia da provincia de 9 do
    corrente mea, e de ordem do Sr. Dr. inspector
    geral da nstruccao publica, .que se acha aberta
    a inscripcao para o concurso a que se vai proce
    der a requerioaeato do alumno mestre Ululado
    pela Esa la Normal, Arthur ctaviano da Silva
    Ramos, para provimento da cadeira de eosino
    primario do sexo oaascunno do Poco da Panella
    (de 2.' entra), teailo omi ate admittidos a
    essa inseripeo os professores iwlilicos de qual-
    quer cathegoria, e ss individuos titulados pela
    E-icola Xortsal, devendo este? no praso de 40
    dias apresentar.os segumtes documentos : folha
    corrida ou attestado Te procedimento civil e mo-
    ral pelas autoridades judiciarias,. |>oJ.iaiues ou
    cmaras munieipaes das localidades em que ti-
    verem residido nos dous ltimos anuos, diploma
    conferido pela Escola Normal. Picando sem
    elTeito o edital n. 33, que aanuneiou o aeosso
    da mesma cadeira.
    Secretaria da instruego publica de Pernam-
    buco, 11 de Fe Pergentino S. de Araujo Gnlvao.
    Recebedoria Provincial
    O adminisirador da-Recebedoria Provincial, na
    forma das io.str.ucc.oes de 27 de Julho ip 1883,
    convida as a.-sociac&es que nesta cidnd>- tem
    existencia legal d se^nearregarem da distribm-
    co do imposto de repnrticao constante da \*-
    bella .isriexi a kin. 1884 : sendoastwtrabalho
    remettido a eau vel de 30 das tea*, contados da data do pre-
    sente ; lindo o qual sean a resoectita apresen ta-
    ca o se proceder nos tornos do art. 27 dag rcl'e-
    rinas inncses.
    Recebedoria fcrouaeiai dePernambuco. 6 de
    Fevereiro de 1889.
    Francisco Amyathas de Carvalho Moura
    Prazo de cinco das
    De ordem do lUm. e Exm. Sr. Dr. inspector
    se faz publico que as 11 horas do dia 23 de cor-
    rente mea serio vendidos em praca porta des-
    ta Alfandega, doze relogios de nickel para algi-
    beira vindeede-bordo do vapor inglez La hlata,
    apprehendidos peto guarda desta repartico Au-
    gusto de Albuquerque Magalhes Bastos, 1
    hora da tarde de fl de Janeiro prximo passa-
    do, hora esta em que -o catraeiro Jos Antonio
    Correa trazia para, lma os mseos relogios.
    3." seccao da AJfcmdegn de lernambuco, 18
    de Fevereiro de 1889.O chefe.
    Domingos Joaquim da Fonseca.
    United States and Brazil
    M. S. S. C. J.
    Ovapor Advance
    . E' esperado dos porto* do
    norte al din de Mar-
    go o qnaldepo8 da de'-
    mora Deceslaria wgaira
    para
    Baha, Rio de Janeiro e santos
    Para carga, passagens, encoinmendas e di-
    oheiro a frete : traU-se com os t GENTES.
    O vapor. Allianca
    k.' esperado dos portos do
    sul at o dia 28 de Feverei-
    ro o qual depois da demo-
    ra necessana seguir
    para o
    Haranho. Parav Barbados, 8.
    Thomaz e Mew-Vork
    Para carga, passagens, encommendas e di-
    nbeiroa frete : tratase com os
    AGENTES
    Henry Forster & C.
    8Ra do Commercio8
    1* andar
    CHARGRS REUNS"
    Companhia Francea
    DE
    Vavcsaio a vapor
    Linha quinzenal entre o Havre, Lisboa,
    Pcrnambuco, Bahia, Rio de Janeiro e
    Santos.
    O VAPOR
    Ville de Maranho
    Coinmand&nte Brant
    E'esperado da Europa at o dia 25
    dr. Fevereiro. seguindo depois da in-
    " ipensavel demora para a
    Baha, Rio de Janeiro e Santos
    Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
    vapores desty liaba, queiram apresentar dentro
    de 6 dias a contar do da descarga das alvarengas
    qualquer reclamaco concernente a volumes que
    porventura tenham seguido para 06 portos do
    sulalimdese poder dar a: tempo as provi-
    dencias necessarias.
    Expirado o referido prazo a companhia nao se
    responsabilisa por extravos.
    Para carga, passagens, encommendas e di-
    nheiro a frete : trata-se com o
    AGENTE
    . ^Augasle Labille
    9RA DO COMMERCIO 9
    mmm
    0 agente Gusmo, autorisado pela Exma. Sra.
    Viscondessa da Raqui do Norte, far leilao dos
    ricos mdveis que arnamn-sua residencia sita ao
    aapo de Santa Oucn...
    Agente liiirlamaqui
    Leilao
    Quarla-feira, O do corrente
    A's 11 horas
    Na ra do Rangd n. 37
    De gneros novos e urna boa armacao
    0 agente cima, por conta e ordem de Martins
    Pires Vi C, na pessoa do seu nico representan-
    te Manoel Martins Capitn, vender em leilo to-
    dos os gneros, armaco, utencilios, cofre, car-
    teira, estante, santuario, prensa de copiar emais
    artigos de escriptono, existentes no seu estabe-
    cimento. ra do Vilconde de lnhama n. 37.
    para pagamento dos seus credores.
    Garante se a chave do estabelecimento, a
    local i (ladc magnifica.
    Precisa-se de urna ama para lodo servVo
    no segundo andar n. 16 oo largo do Carmo.
    AMA Preei8aee de ama, que lave e en-
    gate bem ; a tratar na roa Marpoez do Her-
    val n. 107, entrada pelo oitao.
    ....... .....-- --------- ___ i
    Em que lica o Sr. M. T. A. S., nem liq-iida
    nem apparece.
    Leilo
    Agente Silveira
    Da casa terrea sita ra do Succgo n. 27
    freguezia da Boa Vista
    tuarta-feira 90 do eorrente
    A's 11 horas
    No armazem ra do Imperador n. 45
    O agente Silveira por mandado e com assis-
    teocia do Exm. Sr. Dr. juiz de direito de orphos.
    a requerimento de D Joaquina Ceciliana da Fon-
    seca, levar a leilao a referida casa.
    Os Srs. pretendentes Midem examinar.
    Pergunta-se ao Sr. Francisco Raposo Fal-
    cSo quando quer restituir os movis, se nao paga
    os alugueis e nem os entrega.
    Typogaphia e Utho^raphia
    FABRICA DE LIVROS DE ESCRIPTU-
    RACAO
    Premiada as exposiees de
    !8telSS
    Manoel J. de Miranda
    Ene i< ,,-|ieeiali(lades em cartes de
    visitas.
    IMUa Diique de t#x\m~M
    TeWplione i. 194.
    Protesto
    C. A. van der l.h-!en, credor da Brrna Dias &
    C. protes'a contra i -tes pela venda que /i-ram
    doe.-!:in'h'i!!ii;'iitn dr nnhados sito na ra Lar-
    ^a do Rosari i ti. 1 ae ?r Joaquim Coelho como
    consta dos aniiuicios dos Diarios de Pernnmbuco
    de 12, 11 e 14 do corrente : isso faco eW conse-
    quencia de nSo ter setnela de dita rendo.
    Recife 16 de Fevereiro ile.!889.
    C. A. tMn A*r F.inrien
    Pacific Steam Navigation
    GonfpMny
    STRAITS OF MAGELLAN LINE
    O paquete Araueania
    Espera-se do sul at o dia
    25 do corrente e seguir,
    depois da demora do costu-
    me para Liverpool por
    Lisboa, Bordeanx e Plymoiith
    Para carga, passageiros, encommendas e di-
    nheiro a frete : trata-se com os
    AGENTES
    Wilson. Sons i... Limited
    ~ 14RIA DO COMMERCIO14
    Leilo
    , Thesouraria de Faz^ada
    SUBSTITXJI^O DE NOTAS
    De ordem do lllm. Sr. inspector e de confor-
    midade connroffHn da inspectora da Crrixade
    Amortiracao de 7 do correutt sob u. ">. faco
    publico que.endo appire(klo na circulacao no-
    tas do governo dt- 20')i*W da 5a estampa, fal-
    sas, que coiifundem-e com as verdadeiras, a
    junta administrativa eu que seja n ellas recolhidas ate 30 df Junho
    do corrente anno.
    Assi.n. pnis. -0) convidados os possuidore.- le
    troco at o referido dia.
    lesna data em diante soffrero o des-
    cont, le 2 "i, durante os mezes d:- Julho a Si'-
    tembro, 4 j.d" Outnb-o a Dezembro. t de
    Janeiro a Marco le l*90. H de Abril a Juntio.
    1U i, em lulln ni dianl -onfo
    'i ]o at
    o art. i:', ila l.- n.
    le !8S6.
    ^p< :s80
    if.Utna.
    nal de Guerra
    f i-turto nos -dias 18. I
    i. eean m- rostureiras i'
    a,
    Alferes adjaoto.
    Correio ijeral
    Courursa para preenehimi>uto
    de um lufiar de pratieante de
    35 elasse
    Faco publico para conhecianento dos
    nteressadosr que acha-se aberta nesta ad-
    ministracao durante o,prazo de 30 dias,
    a contar desta data, a inscripcao para o
    concurso que de ve realisar-ae para preen-
    chimento de um lugar de pratieante de 2a
    elasse.
    Os candidatos devero documentar seus
    requerimentns_, pruvando terem mais de
    18 e menos de 25 annos de idade, goza-
    rem boa saude, e.ttareaa vaccinados e te-
    rem bom procedimento.
    A idade exigida para -DgcripcaV> deve
    s extrahida do asento feito no livro de p-
    rechia no devdo, tempo, oa jst6c*e3o
    prestada peranta autoridade eeelesiastica
    e por esta julgada por sentemea. Este do-
    cumento nao pode ser snpprido por publi-
    ca forma; e muito menos, por .attestados
    passados por vigrios, no ausencia dos li-
    vroa da freguezia.
    O exiue versar sobre as tinyaa \>r-
    fUgueza, franceza, geographiu geral, com
    desenvolvimento quanto ao Brasil, e arith-
    metica at a theoria-das proporeoes inclu-
    sive, sendo motivo de preferencia o co-
    nheciaieato da4inguaai ingleza e allemS.
    Administracio dos Ootreios de Pernam-
    bnco, 12 de Bmoraif&e 1880.
    O administrador,
    Affonso do Reg Barras
    Companhia Brasilira de
    Navega^ao Vapor
    PORTOS DO NORTE
    O vapor Pernambuco
    Commandante Antonio Francisco de
    Almeida-
    E' esperado dos portos do sul at o
    dia 27 de Fevero.iro e seguindo di aois
    da demora ndispensave! pora os
    portos do norte at Manos.
    As encommendas sao recebidas na agencia
    ate 1 hora da tarde do dia da sabida.
    Para carga, encommendas( passagens e valo-
    res tratase com os
    AGENTES
    PORTOS DO SUL
    O vapor Manos
    Commandante o Io teneate Guilhernie
    Waddington
    E' esperado dos portos do norte at
    o dii, 24 de Fevereiro e depois da de-
    mora indispensavel seguir para os
    portos do sul
    Recebe tambera carga para Santos, Santa Ca-
    tharina, Pelotas, Porto>Afegre Rio Graade 4
    Sol, frete mdico
    As eicommendas so sero recebidas na agen-
    cia at 1 hora da tarde do dia da anida.
    Para carga, passagens, encommendas* valo-
    res trata-se com s AGETTES.
    Pereira Carneiro & C.
    6=Rua do Commercio=6
    l.o. andar
    De moveis. - e ohjeetos de ollegio
    - A saber:
    Um piano forte quasi novo do bem acreditado
    fabricante Pleyel, urna mobilia austraca com 1
    sof, 2 consoos, 2 cadeiras de bragos e 12 de
    guarnico, 1 jardineira, 2 cadeiras de fenhinco,
    candieiros paca gaz, i-asticat'n e manirs. 2 jarros.
    2 figuras, 2 quadros domados e 1 esleir, forro
    de sala.
    Urna mobilia de Jacaranda.
    Urna seraphina, 1 estante envirtracadu. 1 se-
    cretaria, 2 camas de ferro, 2 classes e 2 car-
    teirinlias.
    Urna mesa elstica, 1 guarda-Iouca, 1 guarda-
    comida 12 cadeiras, 1 sof, relogio, 6 cadeiras
    de bragos.
    DilferenU'-i objectos de electro-pate.
    (tuarta-felra CO do corrente
    ?gente Pinto
    Nu casa da ra Visconde de Goyanua n. 56'
    Em contiiiuacao
    E A'S U HORAS EM PONTO '
    De um telheiro coberto de telhas de barro,
    laasoalhado).
    Um dito coberto de telhas de zinco (novas).
    Um tanque>grande de ferro, deposito d'agua.
    Um dito menor de ferro, deposito d'agua.
    Duas bombas quasi novas di; jactos.
    Um porto de ferro.
    Um tego de forro grande.
    Urna masa grande de ferradurj.
    Urnarouparia e mesas avulsis.
    Seis classes, 6 mesas, carleiras e 6 camas de
    ferro.
    Dous estrados e mesas com gavetas.
    Um clarineto e 1 ralieca.
    Chumbo, ferro vellio, nadaras e outros objec-
    tos.
    l'm cabriolet americano de i rodas para 6 pes-
    aos.
    Um dito Dog cart.
    Pannos, bastidoures e pertences de um tliea-
    trinho. ___ ___r
    Leilo
    De A mobilia de junco, raeia commoda, 1 cama
    de casal. marqui'Zcs, 1 mesa elstica, 2 apara-
    dores, cadeiras de amareHo e de junco, 1 mar-
    queza, consolos, 1 jarra de torneira, candieiros.
    quadros, jarros, louca, copos, cauces, gnala.
    etagersj 1 berco de ferro. 1 machina de frisar. 1
    cari ittho para menino e moitos outros objectos
    de uso de hotel.
    Quarta-feira 90 do corrente
    A's 11 horas
    No becco do Rosario em ada da ra do Fogo
    n 8.
    Agente Modesto Baptista
    *
    r '
    i*QUIJ'4r*
    FSiilQ, .-.. JW.'S,
    HP-SUt.nt MZH,
    KMKoav .' J'nur..' 7a e Stt-
    oaavtttBlate .,j1 .4*i'.e
    para ;:;l- -'. [iOT iirit; p nahito! e
    si- parar mu |i nc tem
    Es ... i.i.-u -.'i.- i;xii-.;: :. i.
    oskumores, bll:s, tiaiiiorcs vtseosoa vi-
    cia'V) ; n' i
    niulcslL .-. '.
    ta re i '


    -
    I *6Ui..!"-;-- adade.co::-
    v?m Uf. uii-ntc Bai olestias
    1 Chrn-'.-(.".
    i S3-trat!to cano-'t'-a \o dos CMaaa-
    i dios l.quiaos UOdO*. i 5'.:!si I
    1 .v -
    cianea liara .>-. uet.-n.K" ,,
    Sai. InlsiHv'm c ijua Aftinint,
    CntXirrh i. :'.':. li-itin ilisnio.
    THMtttrrH, i t* .'i--'-*'7 Vrrrln fo
    I aumetitelPrbre. r'utfssMex, i'a-
    irstm a> *';//(., impi/t**.
    Vmarlii!'<<>. Bp-rttOm.
    I nH3lf1ltrfrorUi>-t(-ijJIW '** T i 'i it r.- 1 .
    Ph;ia GOTTIN, lea u iBt. Lo iy
    Pa dara?
    Farinlia cecea para tender ; veiu.-fc
    ria da roa d i
    t
    i).
    '*
    '*.
    0-
    tn
    -:-
    v
    -i
    y
    <-.
    t
    <>.
    .*
    .;. pu ia>
    I ll HIUKL1LJ--UJL11J -II
    Salio da Moda
    Ra do Visconde de Sahadna n. 43
    (ANTIGA DO KANGE
    Os proprietarios d'este mui acreditado
    estabelecimento previnem a seus fiegue-
    ze8, que tem um completo sortiniento de
    fazendas, que vendem por menos 30 *[
    do que em outra qualquer parte: como
    sejam:
    Linhosinhos de quadros a 80 rs.
    L5s de quadros a 1G0 c 240 rs.
    Zefires, muito largos, de 320 a 240 rs.
    Oambraia de salpicos a 4#000 a peca.
    Dita Victoria a 2800.
    Cretones claros que eram de 320 a
    240 rs. o covado.
    Chitas de 200 e 240 rs.
    Fichus com ramos e sem eles a liJOOO,
    20000, 30000 e 40000.
    Bapt8tes de cores a 120 rs. o covado
    Camisas franceza a 20000.
    Ditas de linho a 20800.
    . Ditas inglezas a 4^500
    Chales de casemra a 2i5CXJ0 e 30000,
    Sargelim diagonal a l rs. o covado.
    Meias para homcm, senhoi'as e meninos
    a 200, 240, 320 e 400 rs. o par.
    Tambem temos um completo sortimente
    de artigos para homcm como sejam:
    Casemiras, brins, fustoes para collete,
    collarinhos, punhos, gravatas e muitos'ou-
    tros artigos que sao precisos para satisfa*
    zer as exigencias do mais caprichoso e
    elegante cavalleiro, para o que montamos
    una officina de alfaiate sobre a diree^rlo
    de nm perito mestre. |
    PRECOS SEM COMPETENCIA
    Cosinheira
    Precisa-se de urna cosinheira : na ra d
    Bemlica n. 7. F'assagem. ____ ___
    AV mies de, familias
    QUEEEIS VOSSOS KILH08 SBMPBE SADIOS?
    Achninistrae-lhcs o xarope ou as
    Punas -Vtrnipiirga.ivas
    DO DR. CALASANS
    ptimas preparagoes do mastruz
    e rliuibarbo, par a expulsan completa, sena
    dores nem ineommodo, dos vermes
    intestinos ou lombrigas
    (das cranlas e dos adultos)
    SEIS ANN'OS DE SUCCESSO
    Estas excellentes prepara^oes nSo ne-
    cessitam de purgativos como auxiliares,
    visto serem purgativas por si mesmas.
    As pessoas qae tm vennes sentem c-
    licas, tora constantemente diarrhas, indis-
    posicSo, sensaeao de corpos que se uicrvem
    nos intestinos, endurecimento do ventre, e
    s vezes, vmitos. Rangem os dehtes, qtian-
    do dormem, algnmas e pessoas expellem
    vermes com as fczes ou com as materias
    dos vmitos. As crianeas apresentam as
    pupillas dilatadas e inapetencia.
    As pilulas levam impresso o nome do
    DR. CALASANS e sao cor de rosa.
    1 caixa de pilula- 1||200
    1 vidro de varope 10200
    AS PRINCIPAES DROGARAS E
    PHARMACIAS
    SALAO DO THEATRO
    4|aaria-feira. do torrente
    A' 8 6 1[2 horas ta n te em ponto
    extbaordi>:akia TESTA KOSICAL do ar-
    tista LTBMM BAIXH PTiOFlNOf
    filVAtfXI SGULAW
    .i i-itifceiro, Lu Hara
    de Si -tinelos pr Ama-
    ro Brrelo. Candido Filho, Joiio Alves da Silva.
    Paulino de velloe CiroCiarlini.
    A festa sob a protensio do illusrado povoper-
    nambucano, que o ar ist lepis de doee
    annos de ausencia, ( oBtvecida as Ex
    amadoras de piano e cam/ as dignOs
    professores
    LE1L0ES
    9
    Quarta-feira, 20, deve ter lugar o teilao de
    movis, telheiros, tanques, cabriolis, piano, se-
    rafina, classes e muitos utros objectos de colle-
    gto e casa de familia. >-\: (entes na casa da raft
    do Vissonde de GoyaBiia :. outr'ora ruado
    Cotovello.
    Leilao
    De tres excellentes vacras tourinas com crias
    Terea-felra. O do eorrente
    A's 11 koraa
    Por occasiao do leilao de ricos matis, crystaes,
    porcelanas e electro- pate
    Xo sobrado Jo largo da Santa Cruz n. 8
    P#r interven^ao do agente
    Gusmao
    Leilo
    'Deumparde arreios .novo para <-'arro ou
    cabriolet, i selim bordado com molas de ac/>)l
    mea grande propriapara al faite, 1 machina de
    costura de Sidger.
    Inaria-feira. tO do eorrente
    Xa casa da ra do Visconde de Goyanna n.
    56, por occasiao do leilo 'de outros movis e
    mais objectos alli existentes.
    I eilo
    Agente Brito
    Do mobilias der junco, movis, faaendas, miu-
    dezas: extractos liteiros, baiancasvmalas, c outros
    objectos, ao correr do martello.
    Quii a-feira. 1 do corrente
    A's 10 Ifi horas
    49-Ruu do Rangel-^18
    Leilo
    da armaco de amacello envidracada, fiteiros e
    mercadorias existentes na antiga fabrica de ci-
    garros, denominad Venus, e da loja de barbei
    ro, cam todos o* seas utenciliu*. sita na do
    Marquaz to Herval u. '"i
    A's 11 horas
    O agente Gusmo, autorisado, far leilao dos
    estafaecinientos; cima menciunados. os quaes
    sto bem local liados e afpegueaados. Garante as
    diaves.
    Dr. licito Ceciiano ils San(s
    HHfflOS
    O l)r. i:ranciseo oiud:'
    Hihefro' Vianna e o tenene-eo-
    roni'l .Vpolinario Florentino de
    Albuqnerqne Xaranho man-
    da m celebrar ntissas s 8 horas
    da nianh de terea-felra do
    corrente, na matriz da Boa-
    Vista, por alna do sen finado
    amigo lar. Brnto-Ceeiliano dos
    Santos Ramos, e para assistl-
    rem ellas convidan, aos de-
    ntis amigos d'aqBclle lllustre
    finado.
    I
    Seve
    Amelia le Acevedo
    3. anniversario
    Antonio da Silva Jueves e seus lilhos pedera
    aos seus prenles amigos para assistirem as
    missas que mandam celebrar terca feira 19 do
    eorrente, s 8 horas da manila, na igreja do
    convento de -S: Francisco, pelo eterno repouso
    il alma de sua Garitsima esposa mai, i anni
    versario de seu infiusto passamento, e desde j
    se confessam agradecidos.

    ATISOS DIVERSOS
    r
    Caixeiro
    'fferece-3e um rapaz esperto c com bastante
    pratica de t?venia, dando ioformaco de sua con-
    ducta : a tratar no pateo da Santa Cruz n. 2.
    Ao
    commercio
    Offerece-se um rapaz com alguina pratica de
    escriptorio, ou para caixeiro de cobrancas : a
    tratar na ra 'onde da Boa-Vista n. 79.
    Rio Grande e Pelotas
    Para os portos cima, segu com brevidade o
    lugar brasileiro Marinho VII; para carga'frata-
    se com os consignatarios Jos da Silva Loyo *
    Filho.
    Traspassa-se
    ou arrenda-se urna casa para pequeo negocio,
    em um dos pontos mais centraes do bairrojde
    Santo Antonio, pintada de novo e com araaco
    nova : quem a pretender dirija-se ra Baro
    da Victoria n. 54, i- andar.
    Precisa se de urna ama de leite ; a ti atar na
    ra Bar&o da 'Victoria n. 34, nova agancia de
    movis.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para enguennaar e en-
    saboar, para casa de familia : a tratar na ra
    Conde da Boa-Vista n 24-B, ou ra Duque de
    Caxias n. 93.
    Ama
    Precisa-se de urna ama para eDgommar -e co-
    sinhar ; na Camboa do Carmo o. 14.
    IH-. Monti tknriJMtfu a>M Snul<>
    . Hamo
    Alfredo Corris de Olivielra manda rezar urna
    *missa na eapclla do -engenho Con^eico. terca
    feira W doflrreue. as-8 horas, da maulla, por
    alma de sen mu prezado e chorado amigo o Dr.
    Benlo Ceeiliano dos Santos Ramos. Para assis-
    tir a ella, convida aos prenles e amigps do fal-
    ecido. __________
    mu'iip i '!'
    Aluga se casas -a 85fX)no boaoa dos Coe-:
    Ihos, junto de S. Goncallo ; a traur na ra da |
    Imperatriz n. 56. 0

    Grande leilo
    Df importantes movis anstnacos e dourados,
    piano, tinos crystaes, porcelanas, electro-
    pate, forros de tapetes, alcatifas e esteiras,
    plantas, trem de cozinlia o ferraaientas para
    jardim.
    Terca-feira, 19 do corrente
    A's 10 e ifi horas
    No 1 e 2o andar.- do sobrado sito ao la rao da
    Saula Croa n 8
    'onstando :
    Di- l rica mobilia austraca, com l caifa
    d-guarniciio. ditas da-bracos, i sola e dun
    arques. 1 tmi novo de fi.
    cade:- aara Jilo, estante para
    musiea\ etagen & jarros grandes,
    jardrR-iras com jarr i arattriaes, mesa
    para i entfo de
    para forro de sala. I i im-
    porta:
    AIuira se o BAneato terrea Jo sofcrado n.
    U ra da Roda, estando o musmo caiado, piu-
    lado e todo ladrilhaJo de novo, contendo 1 sala,
    2 quartos e cosinha : a tratar na ra do Cabug
    n. 16, loja.
    i
    r com espi
    ir, mesa ela
    de ditas
    lorcelana para
    tro-pate para almo-
    de eleclro-plate e mar-
    talhrres. copos, clices,
    garrafas, compoteiras. tudo
    Ujs-^ue erao de
    com UH'io brae*
    almo<;o e ,
    co, importante
    fim completo, pa
    Aluga-se o sobrado n. 3 ra do Caes do
    Gazometro, que segu da Casa de DetencU, com
    bous commodos, quintal com fructeiras; a ta
    tarcora L. M. R. Valenca. ra das Triaoheiras
    numero 17. ____ __
    Alugase osi la praca Conde d'Eu
    n.-2ti e o sobrado rta ra Baro "de S. Borja 0.
    2t, com commodos ,. rs mnarosa familia ; a
    rva da Aurora n. H.3. avnm
    iLGA-S a casa u. 52 a ra do Fogo.
    i-, o alcovas. cosinha e appareJho : a
    tratar na ra do Amonm. armazem n. W. com
    \. a. de Sonta Aguiur.
    - Precia batt. com pra-
    tica di mer earia, que d k.dor .-ua cond1.
    para^-asn comuiercial a relalho nesta cidade : a
    tratar na mu larga do Rosario n. 11.
    de u na i
    mais uL'uu. trrico de tima a mtlia
    tratar
    ir n. 'i. I
    ) da Villora ti. 39. loja.
    reeisuV .le una ama para todo se.
    domestico era/' 'rangeiro, pagase bem;
    a tratar na r/a da Florentina n. 10.
    rmi--se de urna amr par;
    na roa da l'raia n. 12.
    melia (2 ANMVKRSARIO)
    Ant-mio Jos de {Jhevedo, (sua mulhrr seus
    lilhos- ..'lias, iiandainni tej-ca-eira, 1!' I
    rente, e s 8 Horas da i'i.anha. resar na ia_iriz
    d lo Antonio uauaissa por alma de sua
    querida eostimada lilli.i e irm Amelude Azsve-
    ab Netes. Pedetn aos sjims amigos e prenles o
    caridoso obsequio de essislir a este acto de re-
    ligiao e earidade e desde ja se confessam snm-
    mamente agradecidos.

    i
    iUENOBRHAGiAS 0^
    GONORRKEAS
    FLOHE'BRAr *)AS
    rcotitea ou anXsjoH .-o curados em|
    ;, >-8-.dia.amegBedfTaoiinr*l- U
    r.m.n&m.-.itiaana&,' sunt cncer .-irtff |
    atwtestar os oegios digetivv*1 pei -
    r i

    : ......
    i-.;.: -. i. .:.; .. Mi t"1 '
    ta : '!isJ4B
    vn( --.' v-jjSCSB
    -..
    :.-
    Joaqui-u de Imeida Gomes e a familia do fi-
    nado Jos Francisco de Carvalho, convidan) os
    seus parantes e a ni) paraassisiirem a missa
    solemne que por alma no mesnio Tinado mandam
    celebrar na igrvja de N. S. da l'enha. a 7 horas
    da manila do dia 20 do crrente mez, trigsimo
    do passamento. eantecipam seusacradecimentps
    ; i poresjoacto^e rpligi i e carklade.
    giai
    f
    Jo.s<; ernardo Galio
    . vidam1 os seus
    - missas qui
    __da, D. Isabel Can-
    dida de iteras Sarment, mandam reiarsaboa-
    do 23 do crrante, na igreja doMonteiro
    horas da manb. ________________.
    0 canse..
    rado s
    alma
    '
    _-aora do
    tnhado de
    medida ^^|
    ro at sei para
    '----- -
    jSraJPABIS^RuaWrlba!
    -

    *

    i

    4
    i
    i
    i
    l
    1
    m



    u

    1
    I
    :*
    v
    V
    Diacia de Pernambueo---Terqai faina 19- de~Feeyetro de 1889*
    A
    '^kAa^'1'
    NGENHEIRO E 5C0NSTRUCT0R
    DE
    ROBERTO WEISS
    FRANCFORT S/MENO CA1WIM%W fem
    Estabelecimenlo especial por frnacimenlo de caminbos d^
    ato tr.inspoilaveis, e (ixos montlos completos para posigao, e manejo rpido,
    asism como
    CADEIRINHA COM RODAS, VAGONETES, DE
    tf.
    TAIPAES LOCOMOTIVAS, GRAS, ETC.
    Pin uso: agripla, plantees, armazeos, minas
    induslrias, selvas c campos militare*, etc.
    i:\pohi !
    90OOOOOOOOOO00^OOOOOOOO
    S HHS"-* J MESSA d9s CABBUnS
    o

    f "
    . _.- --..' ..-< -..........
    TE*Jti.i:-l*.&* *> 1** te i Aiibuye, .4 --- IP^-til g
    r>r.o *^~ y
    eolisaa W 0
    -^. ------.
    /^ '


    %
    -: -C urea. ote.
    1 :#f c J 2 tf.ro/i-.di>
    VC-'\ n.a.t, i'/^'-i ;--- cxi-i.T <'.:trei> krsaco ; ta
    ^^Vr^TSv'x', "v-^ r-^posrros ::* toka as fhapjiacia
    Indigestoes /fltSIF }t A$Q$8
    ; reto
    us todos os vidro,
    ^-.al fdr o toman ho.
    ::m toda; as phakmacias
    do Umrtrao
    Bxig a Aspignatuw
    de
    58 Ra Duque de Caxias-58
    GRANDE LlUAlO
    o
    Principia na segunda-feira, de todos os artigos que
    ficaram de saldo do balanco do anuo prximo passado,
    vendendo-se por metade do seu valor.
    Grajuie^-auanj-idade de retal hos de algodaosinho,
    madapolao. chitas, seda, setim. etc., etc.
    56 e 58Ra Duque de Caxias~56 e 58
    Capsulas de Quinina de Felletier
    Hoje nio ha quera ignore que Pelletier o inventor da Quinina e que a ana
    marca de fabrica foi adoptada por lodos oa mdicos, por ser integramente pura,
    contra as Enxaquecaa, as Nevxalgiaa, os Accessos de febre, contra as
    Pebres intermitientes e paludosas, a Gota e Rheumatismo, e os Suores
    nocturnos. Cada capsula, da grossura de urna ervilha, contm 10 centi- f\
    grammas de sulfato, e nella l-se PELLETIER. Estas capsulas Un> aocaoMH
    mais prompta e mais segura do que as pilulas e confeitos, e engolem-ae VX
    mais fcilmente do que as hostias. ,
    Vendem-se em frascos de 10, 90, 30, 100, 900, 500 e 1000 capsulas. B* o tnico
    mais poderoso que se oonhece. Urna capsula somante representa um grande
    copo de riho de quina. .............
    Deposito en PARS,9, rma TMmm, e njprincipaei Pharmacia e Drogara.
    PEHEIM tt
    Recebeclores directos dos mercados da Europa
    liquidara osseijuintes artigos com descont de 14 |o as
    vendas em grosso
    Bramantes de algodao superiores, a 800 rs. o metro, 4 largura,
    dem de puro linho fazenda de 20200 para acabar a 10500, metro.
    Atoalhado alvo, duas larguras, a 700 rs., 10100 e lfJ20Q o dito.
    Algodlo alvo, nacional, para lences a-, 50500 a peca.
    Madapolao americano, a 30600, 40000 e 60000, com 24 jardas. ,
    Maripozas de cores a 220 rs. o covado.
    Chitas claras e escuras, cores firmes, a 200 rs. o dito.
    Batiste idem a 120 rs. o dito.
    Zefiros de quadrinhos, a 80, 160 e 200 rs. o-dito.
    Merinos lisos de urna largura a 200 rs. o dito.
    dem de quadros modernos a 280 e 300 rs. o dito.
    Fichas de renda chics a 10000.
    Colchas francezas de cores a 20000 e 40000, urna.
    Lences de bramante a 10800, para cama de casal.
    Casimiras de cores para roupa de criaba a 10OCO e 10800, diagonal, duas
    Urgnraa.
    Camisas inglezas e francezas a 260000 a 300000 a dnzia. |
    Tapetes aveludados, grandes, a 140000 um.
    Cortinados ricamente bordados a 50500 e 60000-
    Pannos de cores para~mesa & 10100 o 10300 o covado.
    Cheviot preto e azul, a, 30000 o dito.
    Brins pardos e de cores a 280 rs. o dito.
    Veludilhos de cores o pretos a 900 rs. o dito.
    Rendas austriacas'para vestidos a -500 a 560 rs. o dito.
    Setins de todas as eresa,900 rs. o dita
    Setinetas lavradas 200 e 240 rs. o dito.
    Alpacas modernas, lavradas, a 240 rs. o dito.
    Meias cruas inglezas para homem a 205OO e 30000 a dnzia.
    Ceroulas bordadas, 4e bramante, a 120000 e 160000 a dito.
    Cortes de casemitas para calca a 40000 e 60000.
    dem de meia casemira'-a 20000.
    Toalhas grandes para rosto a 40000 a duzia.
    dem felpudas para banho a 120000 a dita,.
    E muitos artigos que, serao lembrados com a presenca de nossos leitorea.
    59Ra Duque de Caxis59
    LOJA DE .
    PEBEIRA k HA6ALHES
    grageas de Ferro Rabuteau
    laureado do Instituto de Franca.- I rmio da TkarajHirtM.
    . 0 emprego em medicina de Perro Rabuteau I baseado na Sciencia.
    AsVerdadeiras Grageas de Perro Rabuteau sao recommendadas nos casos de
    CMoroae, Avemia,Plidas Cores, Cormentos, Debiiidade,Esgotamento, Convaltseencut,
    Fraqueza dis crianzas, Depauperamento e Alteraoao do sangue em consequ^ncie de
    jillias e excessoc 2 loda a natureza. Tomar 4 4 6 grageas dor dia.
    Aem Conslipacao nem Diarrhea, Assimilaeo completa.
    Elixir de Ferro Rabuteau recommendado as pessoas que n5o poderc cngulir
    cugul'1" as r:"; a~ ^m calix de licor aos repastos.
    Xarope de Ferro Rabuteau especialmente par, as enancas.
    411 Urna explicado tfetaUtada seofflauAa cada frasco.
    Verdadeiro Perro Rabuteau de CLIN 4 G", de ?
    encontra m casa dos Droguistas e Pharmaceuticos.
    !A2
    que se

    ,'
    PREt^SE^COMPETr^CA
    A' na Primeiro de Mar^e U
    ItlstfO
    Atoalnado bordado a 10200 o nletro.
    Alpacas indianas a 320 rs. o covado.
    Ditas mescladas a 600 rs. o covado.
    Ditas lavradas a 500 rs. o covado.
    Batistas finas a 140, 200 e 240 rs. o dito.
    Brim pardo a 280 e 320 rs. o dito.
    Baleias pretas a 260 e cobertas a 500 rs,
    a dnzia.
    Bicos de urna s cor a 25 a peca.
    Bramante trancado a 800 rs. o meti.
    Brins de cores para crianca a 260 rs. o
    covado.
    Bicos matisados a 20500 e 30 a peca.
    Cumbraias bordadas a 40 a peca.
    Cachemiras de quadros a 260 o covado.
    Cortes de seda para colete a 50000.
    Ditos de linn em cartSo a 70000.
    Colchas de damasco a 60000 urna.
    Cretones de alsace a 360 rs. o covado.
    Cambraia arrendada a 460 rs. o dito.
    Cachemira da India a 220 rs. o dito.
    Chales adamascados a 20500 um.
    Cortinados bordados a 60000 o par.
    Colchas de cores a 20 e 20500 urna.
    Cortes de casinetas a 10500-um.
    Chambres a 40500, 50 e 60000 um.
    Cortes de setineta a 60000 um.
    Cambraia Victoria a 20900 a peca.
    Camisas allemSes a 360000 a duzia.
    Cachemira de duas larguras a 800 rs. o
    covado.
    Cretones claros a 280 e 320 rs. o dito.
    Colchas de fusto a 30500 urna.
    Camisas de meia a 10000 urna.
    Ceroulas de bramante a 150 a duzia.
    Esguio. pardo a 360 e 400 rs. o covado.
    Espartilhos couraca a 50000 um.
    Entremcios bordados a 700, 800 e 900.
    Completo sortimento de casemira
    o covado.
    rs. o dito.
    do Louvre
    -Fichs de mallia a 20000 um.
    Fusto Brinco a 360 e 400 rs.
    Dito de cor para roupa a. 800
    Guarnicao de crochet com matizes.
    Gazes de cores a 500 rs. o covado.
    Guarda-p para homens a 60000.
    Grinalda para uoiva a 80000.
    Guarda p para senhoras a 80000.
    Lensos com barra a 20000 a duzia.
    Leque a gra-duqueza a 20000 um.
    Lenco*.brancos a 10200. e 20000 a duzia.
    Luvas de seda a 20 e 2|500 o par.
    Linhos de quadros a 80 rs. covado.
    LSs escoBsezas a 100 rs. o dito.
    Linn de cores a 500 rs. o dito.
    Merino do cores, duas larguras, a 800 rs.
    o dito.
    Meias com pintas, .para senhoras, a 800 rs.
    Madapollo americano a 65000 a peca.
    Meias para homens a 30600 a duzia.
    Extracto Porte-Veine a 10400.
    Popelina branca, de seda, a 800 rs. o co-
    vado.
    Paletots de seda palha a 70500.
    Ditos de alpaca preta a 40500.
    Panno da costa adamascado.
    Pacotes de p de arroz a 50(5 rs.
    uos,g bolsas, fichs, lenjos, leques e muites outros artigos.
    Percales fi as a 200 e 220 rs. o covado.
    Roupas para banhos salgados.
    Regatas de cores a 10000 urna.
    Sabidas de baile a 20000 urna.
    Suspensorios americanos.
    Sargelim de cores a 200 rs. o covado.
    Setim de cores a 800 e 900 rs o dito.
    Dito do Japao a 240 rs. o dito.
    Toalhas para rosto a 30600 a duzia.
    Ditas para banho a 10400 urna.
    e brins, collarinhos, punhoe, leos, toni-
    AMARAL & C.
    .*.-*
    SA,UDE PARA TCDCS.
    !
    -r~>i<
    rH
    O Ur.guento ds HolJow-y .um remoli infalYel para os males de tiernas e do peito; tamben) par
    as erida antigs chajj.s e ulceras. E famoso para a gota c o rheumatismo e para rodas as erjfenw
    dades de peitc nlo te reconheo: egual i
    Para os male de garganta, bro:\chitcs resfriawento e tossae.
    Tn*nore n^ giandolas e todas a-, molestias da pejlr nao tuera semelhaate e pata wini illbsMJ
    ontiahirlos" junctures recias, obea corno por qncamo. |
    ---------------------------
    3?,*3& mefj&BS rfo T.rc :nc"tc no Esubcieciin.nto >I'.wrfisor Hoiloway,
    ib. H 0..;:-. Ul 'Z >ntes 5?3, Oxford Street) L0NDESE, i
    K vena. -m t.iiis a (hariaacUs do universo.
    $0f O cg. ipradores do co^vidac. -* re^-utr.fameate .. examinar as rottrfos de" cada caixa e Pote, i
    Gireccao. 533^0xfc**d StreC, r\c faleacoes.
    wafSs
    si cn' f"li>(.fcrra 0. -ri'.-fl no Imptn^ Oo *rmii>

    te J
    ssi
    feto,
    rr-rirtWMi
    ***
    .. ,..>. ,nii.....+>i*umM*~t*mm

    FUNDIAO GER.U
    \LLAN PATEKSON & C
    N. 44Ra do BrumN. 44

    JUNTO AESTACO DOS BONDS
    Tem para vender, por precos mdicos, as segaintes, ferragens :
    Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
    Crivacos de diversos tamanhos.
    Rodas de espora, idem, idem.
    Ditas angulares, idem, idem.
    Banous-.de atmt-cMtn rracirotiflr.
    Gradeamento para jardim.
    Va randas de ferro batido.
    Ditas de dito fundido,, de lindos modelos.
    ' Portas de fomalha.
    Vapores de forca de 3, 5, e 6 cavallos.
    Moenda* de 10 a 40 polfbgadas de panadura.
    Rodas, d'agua, systema Leandro.
    Encarregam-se de concertos, e assentimento de machinismo e executam qual
    uur-r trabalbo com perfeicao e presteza.
    -kHOPE PHEMIC0 Of iAt
    ^1*^ Pharmaceuticoem Paria w**l
    Otoido Phenioo 4 o principio aotivo dos alcatroes expurgados de todo quanto
    tona desagradavel a sna absorpcao, se dlgere com difflculdade.
    Sob a forma de xarope, um especifico affioas contra as Doonoaa do peito,
    BronohltM, Asma, Ronqralddoa, Toa, Qoqoalofco e Orlppo. Produs os
    memores resultados pan aa pmiOM obligadas a fallar multo.
    Mam: aated prtanlpaaa Pharmsfrlas do BraaU de Portugal
    Chtopnsp. Ancolia. Gatharropulmonar. BroiKhltB chronica,
    :;::.:. c. r"r i??-'. tilde
    Para oDerbj
    Carlos Sinden recebeu grande sortimen
    to de gravatas e camisas de cores propri^s
    Sara os amadores do Prado e est vendeii
    o por precos sem competencia.
    Receben tambem collarinbos e pnnhi-
    de borracha de formatos novos.
    48BOA BARAO DA VICTORU 48
    Professora de piano
    L'ma senliora habilitada, nao s pelo seu es-
    tado, como tambem pela pralica, onerece-se i
    enatnar piano por presos mdicos, quer em ca-
    sas particulares quer em collegios. pedendo spr
    procurada para o exercicio de sua profissao na
    ra do Jasmim n. 39.
    . ^ .'I*
    Cosi nh eir
    Precisa-pe di'urna ama para eositthar ; a tra-
    tnr na ra do FJvramenlo u. 1.
    Criado
    nV um criatro ; na ra n. 119.
    Cas
    . aaoutado a
    i)
    i", i 80 lar, ou Aurora n. 81.
    nde familia,
    Han
    Phamiacia Bartho-
    lomeo
    Precisa-se de um pratico
    larga do Rosario n. 34.
    a tratar aa ra
    Apolice provincial
    Havendo-se desencaminhado do poder do
    abaito assignadourna apoli'e provincial n. 79
    da 2." serie, do valor ae 500*000 e juros de 7
    0'. pertencente ao menor Mario, lilno do Sr.
    Dr. Andre Cavalcante de lbuquerque, fai-se
    publico o facto, para tins conveniente*.
    Recife. 7 de Fevereiro de 1889
    Joaquim Duarle Campos.
    Feitor
    Ainda prttiou-se de um f itor para tomar conta
    de um sitio : a tratar na ra Pedro Alonso nu-
    mero 58.
    Professora
    Urna senhora competentemente habilitada, com
    pratica de 11 annos de prolisso, apresentande
    ifl attestadoa de bom methodo e comporta
    menta, ofle ra lectionar era casas par
    b, na cidad ou em seu.- arrahaldes as se-
    guintfs i: Portuuuez, Franeez, Italiano
    etc.; a
    a ra Vi l ou erx
    irsa. di
    Rosario n. y.
    o sobrado aa ra Baro de S. Borj n. 26, com
    commodos para numerosa familia ; a tratar na
    ra da Aurora n. 85. ______________________
    Aluga-se barato
    a casa n. 47 travessa do Bartholomeo, os 1 e
    2- andares do sobrado ao caes do Apollo n. 75,
    eosl,2-e3 andares do da ra do Brum n.,84,
    todos com bastantes accommodacoes para femi-
    lia : a tratar na ra larga do Rosario n. 34.
    Ksmedio do. Dr. Ayer
    CONT21A SfEBfiata.
    ' :r: tnico forte puramente Tflg
    ; lo corl:ec?mc-uto practico dos seus cffei-
    ... '; m remedio certo para
    ivs w.ilirias. Estas 4esoadeos de-
    sna orij;eiii :: um veneno miasnintico
    i .c uciii-'.ra no ;;.:' d palos pchpoes, ait.-n:
    ^>e,nwti\a as diflenmtus rl.-.-
    Srei coulmieidas ?>or Terciar".as e
    reliaras, Iaternas,' de Fri,
    'Malignas, Iiite"rrnittenteB Remit-
    o.irea, Ijiliosas, eTypboide.
    ": KiwrpTO no T)t!. Avpn neutralisa o
    HBStlco c expele-o do systeim
    I ucm iogredienU: .vi-
    /.un mineral; seguro e inoffensivo, e
    f; .lha se, se usa segando as dlreccoes
    FBETAItADO PELO
    . .1. C. AYJER e CA.,
    Lowell, Mass., K. L-'. A.
    A' vcad: as ptiacipaes Kiiarmi;ias
    'ir(J*ri..s.
    Alug
    a-se
    a casa da ra Coronel Suassuna n. 150; a tratar
    na ra Marcilio. Dias n. 106.
    Alug
    a-se
    AMA
    Precisa-se de urna boa en-
    gommadeira que faca outros
    servieps, a tractar no 3. an-
    dar, por cima da typographia
    do Diario na ra Duque
    deCaxiasn. 42.
    Ama
    Precisase de urna ama para cuidar de crian-
    cas ; na ra da3 Creoulas n. 2-B (Capunga), casa
    de azulejo.______________
    Ama
    Precisa-se de urna ama para cosinhar para
    pequea familia ; a tratar na na Direita n. 64,
    segundo andar.
    --------------------
    Ama
    Sa ra Direila u, 86, 2- aqdart precisa se de
    urna ama para.casa de pouca familia.
    Ama-
    Para urna casa de familia eitrau^eira preci-
    sa-se de urna criada para se/vico de casa; tam-
    bem. urna ba eos i ii he ira.
    Ambas devem trazer boas recommendaces,
    tratar na ra do CotrunereiOjU. 5, i" audar, es-
    criptorio da frente.
    Ama para o Para
    Precisase de urna exceilenU oosinfteira que
    Saelra ir para o Para ; a tratar na ra larga do
    osario n. 26.
    Cosinheira
    Precisa-se de urna boa cosinheira ; na praca
    Conde d'Eu n. 32, 2- andar.
    Cozinheiro
    Precisa-se de um cosinheiro ; a tratar na ra
    do aysand n. 19.
    Prefessor americano
    Devido mudanca de residencia
    MR. GE0RGE B. NIND
    Ejde ser procurado nos dias uteis, na ra da
    DRquitan.20. _
    Cosinheira
    Precisa-se de urna cosinheira na ra Velha
    numero 137.
    Feitor
    Precisa-se de um feitor para tomar conta de
    um sitio ; a tratar na va? do Vigario n. 13.
    Criado
    .Precisa-se de um criado ; na ra do Hospicio
    numero 3.
    Aos amadores do carnaval
    A bem conhecida ioia de miudezasBAZAR
    DO RECIPE,a ra Marques de Olinda n. 11
    (antiga da Cadeia) receben grande sortimento de
    mascaras caricatas para homeos, senhoras e
    criancas, e grandes collecces para clubs e so-
    ciedades carnavalescas, venae-se por precos sem
    competencia, qner pequeas ou grandes porces.
    Vale a pena visitar a loja de miudezasBAZAR
    DO RECIFE para ver o melhpr sortimento de
    mascaras que tem viudo ao mercado. Tambem re-
    ceben grande sortimento de bisnagas de cheire
    e outros artigos proprios para o carnaval, tudo
    a pregosmodicos loja de miudezas
    Bazar do Recife
    A' ra Mrquez de Olinda n. 11
    De Domingos M. Martin
    RELOJOARIA
    A antiga e bem acreditada officna de relojoei-
    ro. sita ra Primeiro de Marco n. 4, acaba de
    ser transferida para a ra Iisuraja lo a-
    rlo>n. 4*.
    0 seu proprletario. tendoum completo e muito
    bom sortimento de aviaraentos tendentes sua
    arte e com urna longa pratica da mesma, offerece-
    e ao publico em geral para encarregar-se de.
    todos concertos de relogios, caixas de musita,
    etc., etc.
    Espera continuar a merecer a conlianca de
    seus fregaezes e assesura-lhes que ser sempre
    solicito no cumprimento de suas oraens.
    42Ra Larga do Rosario 42
    Gustavo Vollichard
    Criado
    Pr um criado de 14 a 16 annos
    ra Imperial n. 17.
    na
    DOENAS
    -DO-
    ESTOMAGO
    E DO
    FIGADO.
    :>*
    -
    BiiiMSTE YEGEIjp
    'hor Purgante e o Remedio
    . : ; -,: contra os ditos males.
    : Blarizan a Dig*)st.o
    jRFICAM A BILIS
    c caram radicalmente
    A DISPEPSIA.
    PBODICTOS ESPECIAES
    Do Dr. Carlos Bettencourt
    APPBOVADOS pela JUNTA CENTRAL de
    HTGIENE DA CORTE
    Salsa parril ha e Caroba
    GRANDE DEPURATIVO DO SANGUE
    Elixir anti-rheumatico, anti-syphiliticoempre-
    tado em todas as molestias de pelle, erysipela,
    arthros ou impingens, bariberir-atitheazes ou
    carbnculos, cancros venreas, feridas cance-
    rosas, ulceras, gouorrha ebronieas, boubas,
    buboe, escrfulas e todas as doencas que dey
    pendem da impureza do sangue.
    Este remedio superior a-todos os outros da
    seu genero, o que est provado pela preferencia
    e acceitaco que I he do publico.
    Um vidro 3*000
    Elixir de Jurubeba, Quina $
    Pegapinto
    TNICO FEBRFUGO e desobstruente
    Empregado na debiiidade geral, doencas da
    estomago, convalescencas depois do parto, febres
    palustres, molestias do ligado e baco, falta da
    apetite, anemia, chlorose, cores paladas ou falla
    de sangue, doencas nervosas.
    E' um reconstluinte de energa, aromtico e
    agradavcl ao paladar.
    Um vidro 3*000
    Xarope de Jaramacar com-
    posto
    GRANDE PEITORAL
    Trataraento curativa de todas as. molestias da
    peito e da garganta, defluxos, tosses simples e
    convulsa, coqueluche, constipacSes, asthma, nroa-
    cbite, catarmo chronico e rysica pulmonar e do
    larynge.
    E' o primeiro peitoral que se conhece at heje ,
    na medicina.
    Um vidro 2*500
    A' venda na ra Bar So da Victoria n. 51
    Pharmacia Probo
    Costureira e modista
    franceza
    Madame Fanny Silva tem o seu atelier de mo
    das e costuras ra Bario da Victoria n. 15. i
    andar, e confecciona todo e qualquer toilette,
    com apurado gasto e elegancia, para casamen-
    to?, bailes, visitas, passeios, etc., faz tambem
    manteletes e capas sobre medida. Continua a
    ter um lindo sortirneBto de novidades de Paris,
    vestidos de seda, feitos, e em cortes de seda,
    gaze, velludo, broch e crep de chine, foulards.
    surahs. sedas e ottomanas pretas. Escomida
    sortimento em vidrilhos pretos, chapeos, cape-
    tas e visitas ; luto em 2i horas. Telephone n.
    93. Ra Baro da Victoria n. lo, 1 andar.
    Cautelas do Moote de Soeeorro
    Compra-se cautellas do Monte de SoccostfL.de^
    qualquer joia, brilhantes e relogios; paga-se
    bem na Praau da- ladfcpendencia a. 22, loja de
    reJojoeiro.
    Nova Hamburgo
    Bailes Phantazia
    Pelo Carnaval
    ApprffEBiandasea epocha do- carnavala
    Nova Hamburgo aviza ao respeitavel publico
    que no presente anuo como nos precedentes,
    terao lugar com o maior brilhantismo os bai-
    les fantaziados que este grande e bem mon-
    tado estabelecimento industrial custnma fa-
    cultar ao generoso povo pernambucano para
    o qqe desde j se trata da ornamentacae
    do garrido theatro de Variedades existea-
    te no recinto da fabrica bem como dos
    arranjos dos magnficos terra90s pavilhoos
    e gardins. Collocada a Nova Hamburgo1
    no centro desta cidade podendo sem es-
    forco as grandes caminhadas ser vizi-
    tada a cada instante pelos amantes da fo-
    lia e pelos que buscara narcotizar o tedio
    implantado no espirito pelas oceupacoes
    pesadas; tendo em seu favor a agrada-
    bilidade de structura e proporcSes que a
    torna preferida naa quatro noites consar
    gradas muza alegre dos devertidos de
    esperar, mesmo admissivel contar com
    a frequencia que se ha notado as epo-
    chas anteriores em que a boa ordem do
    servico interno ha perfeitamente correspon-
    dido ao espirito ordeiro espansivo e se-
    ciavel da nobre populacao desta venezm.
    Ensino particular
    0 professor Joaquim Elias de Albuquerque
    Reg Barros, roa da Conceicio" n. 27, eosina,
    quer ou nao, pelas casas, as seguales materias
    depois das 3 horas da tarde : portuguez, latiai,
    arithmetica, geograpbia, historia egeometRja.
    Professora
    Urna senliora competentemente hatilitada,
    propSe-se a leccionar em collegios e casas par-
    ticulares as seguintes materias : portuguez,
    franeez, msica e piano : a tratar na roa Via-
    conde de Albuquerque n, 20._________________
    As almas caridosas
    Rita Ferreira do Espirito Santo, viuva, mora-
    dora na travessa da Piedad* ni 6, esa Sanio
    Amaro, achando-se na mais extrema miseria a
    tendo em sua companbia urna aniada aleijada,
    vem pedir caridade publica que a soeeorra,
    aflm de matar a fome.
    Mascaras novas
    (Mullo barato)
    Acaba de chegar um grande sortimento <
    mascaras de papelo, rame, seda e caricatos 7
    venda na loja de msicas do Azevedo. ra Nova
    numero 13.
    Cosinheira
    Precisa se de urna ama que cosinhc bera ; no
    terceiro andar do predio n. 43 da ra Duque de
    Caxias, por cima da typographia do
    Duas cosinheiras
    Precisa se de urna cosinheira par^c
    urna familia no Manguinho ; toma-st
    para um esjabelecimentb aa oA|H
    somente nos dias uteis e d.
    com tanto que,comprc

    I


    f
    I
    >


    E"
    X
    8
    Diario de PernambucoTer$a-feira 19 de Fevereiro de 18S9
    En:ommadeira
    Nal ra Formosa n. 8, predsa-se de urna en-
    gomniadeira que durnia em <
    Ama
    Precisa-se de urna ama para cosinhar; na tra-
    vesaa do Pires n. 5, Geriquili.
    Aula de paisagem
    Acbae aberta a matricula para a aula de
    paisagem, no LycO de Artes e Oflicios, a qual
    runccionar nos domingos, ao meio dia. sob a
    direccao do Sr. J. J. Telles Jnior.
    VENDAS
    - Vende-se leite de vaccas da trra, puro, a
    320 rs. a garrafa, garantindo se a boa qualidade
    aos freguezes que o comprar nesla casa. 08
    freguezes encontrarao o leite das 5 s 7 horas
    da manba, e tambera nos encarregamos de man-
    dar levar em casa de qualquer freguez : na ra
    do Rangel n. 53.______________________
    - Vndese barato um terreno em Agua Fra,
    com 90 palmos de frente e 500 de fundo, na ra
    de S. Paulo ; a tratar na travessa da Casa Forte
    n. 10, (averna.
    Doce secco de caj su-
    perior
    Tem para vender em latas de 2 e 4 libras, por
    preco commodo ; na ra do Bora Jess n. 35,
    armaz'">\

    PASTILHASfcPALANGI
    Com Chlonto e Potam Alcttro
    kffmtiu plilntt mutiu HrjiiHpikliu ulriu.
    Estas Pastilhas substitueni com
    vantagemosgargarejoseseempregaiii
    com xito contra as affecces da
    garganta.iuiiammacao da&amyg-
    dala3, ulceracSo das gengivas.
    aphtas, rcuquidao e extinccSD da
    voz. Tomadas no comeco de um de-
    fluxu, de urna broncbile, quand > a
    molestia se ten: declarado,facilitam a
    esp-ttoracao e sustam a marcha da
    hiflumtna^o. Sao iiniispeiisarct* ;>.-
    finiquiten pela presi n.;a :i" a!jalTi.,
    qi: ii'irifici o balito e combate os
    eflV'tos do fumo, e sao milito apn>-
    CUUai pelo caulrca, piulcasuics,
    drogados e prgadores, para exci-
    tarem a secreco salivar e conser-
    varem a bocea hmida e fresca.
    PA.IjA.NQIB!,Phirmiceutico de 1' Clttie.
    Deposito em PARS, 8, Ra Vmenne,
    I KAS MIXClFAk PHABIA'IA K 11 'ltlA<
    Fazsndas baratas
    Loja do Triumpho
    Ra Duque de Caxlas n. 49
    Las fin? com troco, a 320 rs. o covado
    Ditas de quadros, bonitas a 300 rs.
    Merinos lisos, 2 larguras a 560 rs.
    Ditos lavrados, 2 larguras a 700 rs.
    Zefiros largos de quadros a 240 rs.
    Ditos largos de quadros finos a 280 rs.
    Ditos bordados, linos a 700 rs.|
    Etamine arrendada a 440 rs.
    Dita de listas abertas a 400 rs.
    Setins de listrinhas a 660 rs.
    Ditos da China (fantazia) a 240 rs.
    Saias bordadas unas a 300U
    Camisas bordadas finas para senhora a 42000
    Cambraia branca bordada, a 4X500 a peca.
    Dita bordada de edr a 5*500 apera.
    Chitas escuras muito boas, a 200 rV o covado
    Algodao largo i i0 metros), a 21500 a pega.
    Dito dito de 20 jardas a 4*000
    Toalhas acolchoadas grandes, a 4*500 a dtizw.
    Redes inglezas grandes a 55000.
    Guardanapos delicho, a 1*800 aduzia.
    Camisas de linho 6cm punhos e sem colarmho
    3*000.
    Bramaute^e algodao 4 larguras, a 700 rs. a vaa.
    Tapetes grandes para sof a 14*000
    Cortes de seda para collete a 4*000,
    Cortes de casimira ingleza a 4*500
    E outras muilas fazeodas que se vendeni mui-
    VJp baratas para liquidar.
    A' ra Duque de Callas n. 4
    Bastos db G.
    Vinho de Collares especial e
    da Madeira
    Em decimos e caixa de duzia, tem para ven-
    der Joaquitn da silva Carneiro. largo do Corpo
    Santo n. 13, 1 andar.
    FOLHTIM

    SEM MAI
    POR
    :a::: 'AI&beho:
    DURANTE A TKMPESTADK
    CAPITULO IV
    un mi

    (ContinuasSo do n. 39)
    Depois de todos esses preparativos, ella
    approximou-se da doente, que nSo se me-
    xia mais.
    Como rai isso ? perguntou-lhe affec-
    tuosamente.
    Paulina abri penosamente os olhos.
    NSo sinte mais nada, respoudeu ella;
    mas estou como que com as carnes rasga-
    das.
    Descaece; a cousa ha de recomecar
    daqui a pouco. Vou descer cozinha pa-
    r accender o fogo e aquecer agua, mas
    se precisar de mm chame-me. Nao ne-
    cessario gritar; eu tenho bom ouvido.
    A Sr. Sureau desceu effectivamente a
    comecar os preparativos de que acabava
    de fallar.
    Em cima, Paulina nao fazia o menor
    movi ment.
    A agua, n'ama chaleira, comecava so-
    brt o fogo a sua canelo alegre, quando
    Eugenio chegou com a parteira que tinha
    ido chamar.
    Esta era urna mulher da idade de Pau-
    , una, com a qual, quando ambas eram
    enancas, havia brincado. O seu rosto era
    sympathico e intelligente.
    Interna da Maternidade c parteira de
    primeira classe, a Sra. Laminois era mui-
    to estimada em Monttnartre, onde comeca-
    va a crear ciientr
    Vendo a'guein no pavimento terreo,
    ouvindo soiretudo as idas e vindas da Sra.
    Sureau, Gages ulgou que Paulinaaestava
    A ^EVLCAO DO 48
    A' ra Duque de Cadas a. 48
    Nesta loja denominada A' Revoluclo,
    tendo sempre um grande e variado depo-
    sito de fazcadas, resolveu-se vendel-aspor
    menos 30tj do que em outra qualquer
    casa. Como sejam :
    Toalhas felpudas e acolchoadas, brancas
    e de cores, tamanho regular a 120, 20u,
    500, urna.
    Merinos de quadros, lindos padrSes
    200, 240 e 280 o covado.
    Seda Alcaciana (fazenda de fantasa),
    240 o covado.
    Cachemiras de quadros com combina-
    cao a 32P o covado.
    Mimosa cambraia das mocas para cami-
    sas a 352U0 a peca.
    Lindos cortes para vestidos em cartSo
    com todos os aviamentos a 75 95 10$ e
    14$ um.
    Saias bordadas para senhora (recebidas
    ltimamente de aris) a 3jJ0OO urna.
    (.retoes inglezes, francezes eallemSes
    a 240, 280 e 320 o covado.
    Zefiros de quadros, muito largos a 160
    200 e 240 o covado.
    Lindas colchas com palmas de cores
    para noives a 10)4000 urna.
    Chitas claras e escura-, mu tos padroes
    a 200 e 240 o covado.
    Batistas com palmas e pintas, c8res fi-
    xas a 120 o covado.
    Redes francezas a 55 e 65000 urna.
    Fechs de 13, muito grandes, todas as
    cores de 2*000 por 1(5500.
    Camisas francezas de linho (pechinca) >ie
    60 a duzia por 485.
    Merinos finos com duas larguras, todas
    as cores de 800 a 500 o covado.
    dem idem dem idem preto a 800 e
    1*000 o covado.
    Cortes de fustao branco e de cores para
    colete de 4* por 20000 um.
    -MadapolSes finos a 4*, 5* e 65000 a
    peca.
    Atoalhado de linho, lindo desenho a
    1*700 o metro.
    Cortes de casemira para calca, finos e
    modernos a 45, 55, 6fi e 7 dem dem idem dem costumes moder-
    nos a 20)5000.
    Cambraia de salpico muito fina com
    10 ardas a 4(5000 a peca.
    E umitas outras fazendas que s com a
    presenca das Exmas familias, poderao ser
    vereficadas, como sejam: mantilhas brasi-
    Iheiras, leques transparentes, bicos de co-
    res, entreme08, bordados, leos, extratos,
    luvas etc.
    48 DUQUE DE CAXIAS 48
    Arma^ao
    Vndese urna armacfio de amare! lo em per-
    feito estado, propria para miudezas ou tabacu-
    na : a tratar na ra do Cabula n. 11-A.
    Cabriolet
    americano
    Vende-se um, proprio para medico, muito
    leve : na cocheira da ra das Flores n. 35.
    Tav
    erna
    Vndese a taverna da ra de Luiz do Reg n-
    47, era Santo Amaro das Salinas : a tratar na
    mesma ou no Caiuinho Novo n. 87.
    8SOOO a duzia
    OLEO AMERITO
    O mais ecooomico. hygieuleo e
    perfumado oleo para o
    G A. 3B Ki X, X, O
    VENDEM
    I.OniS DE MATTOS IRH.lOS
    23-rua lanjuez de Oiinda 11
    JRJSfCTS:;_________
    Pao centeio
    Milie t Biset, avisara ao respeitavel publico,
    que todas as tercas e sextas teira.-. tem este sa-
    boro so pSo ; roa larga do Rosario n. 40.______
    tempo que appareceram-
    Mas alguns gemidos partidos de repente
    do primeiro andar confrangiram-lhe terri-
    velmente o cora^ao e a garganta, e o ope-
    rario conservou-se firme e pregado ao chao
    na entrada da casa.
    A parteira havia penetrado na cozinha.
    Como vai a Sral Gageb ? perguntou
    elle Sra. Sureau.
    NSo muito bem. Ella nao tem for-
    cas.
    Ha muito
    lhe as dores ?
    Ha urna hora, pouco mais ou me-
    nos, que estou aqui. A Sra. Chaners,
    mulher do patrio do Sr. Gages, foi dizer-
    me que Paulina sentia-se muito incommo-
    dada. Acud logo. Ella torcia-se em do-
    res. Deitei-a na cama. As dores acaba-
    ram-se-lhe. Ficou como morta.
    NSo se moveu ata agora ?
    A Sra. Sureau nSo teve tempo de res-
    ponder.
    Um grito agudo, dilacerante, medonho.
    atravessou a escada, seguido desde logo
    pela queda de um corpo.
    A Sra. Laminois e a visinha subram
    precipitadamente ao quarto, emquanto Eu-
    genio, collado parede, com os oihos mui-
    to abertos, urna gotta de.suor na raz de
    cada um dos cabellos, ientia-se enlouque-
    cer de angustia e murmurava:
    Ella ir morrer, enhor meu Deus?
    A parteira encontrn Paulina no chao,
    torcendo-se junto ao leito.
    Amanda balbuciou a pobre mulher
    desvairada, allivia-me, eu morro!...
    Desmaiou ao pronunciar estas palavras.
    A parteira ajoelhou-se, enxugou a testa
    de sua amiga, molhada de suor fri, apal-
    pou-a, prestou-lhe cuidados.
    Depois, erguendo-se muito paluda :
    Onde est o Sr. Gages? perguntou
    ella Sra. Sureau.
    L em baixo.
    A senhora ter forcas para aj udar-
    me a levantal-a e deital a na cama V
    Franzna como a Sra. Gages nSo
    deve ser muito pesada.
    Mas pode?
    Poseo.
    __EntSo vamos tentar. Pegue nos ps
    e levante-os, acompanliaado os meus mo-
    vimentos.
    Perfeitamente!
    E Amanda, alta, forte, extremamente
    gil, deitou rpidamente Paulina sobre o
    leito de dores, que to fortemente amea-
    cava ser um leito de norte.
    Agora, ordenou a parteira, nSo a
    deixe, impeca-a de^liirnovamente. Pre-
    10 fallar com o flJarid. NSo 6 cousa
    demorada, volto ja.
    Eugenio havia-se sentado eu urna das
    azues pecas com
    Mais Barato
    ALojadas Listras Aziies
    A' RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
    Telephone n til
    O proprietario desta conhecida casa previne as
    Exmas. familias e todos os seas fre-
    Sezes, que as pechinchas que oostuma
    r, nSo 86o nem nuaca foram divididas
    de outra casa como alguem annuncia
    para engaar, vendendo fazendas ordi-
    narias por boas, caslume que a Loja
    da* LiatruM Asnea nao tem.
    As fazendas vendidas nesta casa sao de boa qua-
    lidade, e nao levam medida escassa;
    aceita-se a fazenda vendida se, por
    uaiquer motivo nao fr de muito, agr-
    o da pessoa para quera for comprada
    Da.se descont a quera comprar d 20*
    para cima.
    ESPECIALIDADES
    Mrlm de listras
    20 varas a 6)5000.
    Hadapol&O com um metro de largu-
    ra a 60800 a peca.
    Cortes de vestidos bordados em
    cartSo a 100000.
    Velludllho bordado acontas a 10600
    o covado.
    Cachemiras pretas, de quadros e
    arrendadas a 20 e 20500.
    Tecldos fantazia arrendado proprio
    para baile e theatro a 400 500 rs.
    Cortes de#cachemira com guarnicSes
    bordadas, lindas cores, a 200 e 250000.
    Netlm Maco de todas as cores a 750,
    e 800 rs.
    Linn bordado, tecido de urna s cor,
    qualquer que se deseje, a 200.rs.
    Zefiros lisos e bordados, tecido fino,
    novidade a 500 rs.
    Lis de quadrnhos a 200, 240 e 360
    o covado.
    fulnhos lisos a 60 e de quadrnhos a
    00 rs.
    Guardanapos iqelhor qualidade a
    10800 a duzia.
    Atoalhado branco e de porefl a 10.
    Oleados para mesa redonda ou qua-
    drada a 40000.
    Cortinados de crochet, com sanefas,
    ultima novidade, para janellas e portas.
    Crochet para cortinados a 900 rs. o
    metro.
    Colchas de fustn, brancas e de eco-
    res, a 20000.
    Chitas finas precales a 200 e 240 rs.
    Chitas escuras a 160, 240 e 280 rs.
    Batlstes de cores seguras a 120 rs.
    \anzue de lindas cores a 280 rs.
    Brlm pardo esguiSo a 240, 280 e320.
    Casinetas de cores escuras para rou-
    pa de homem ou menino a 400 e 500 rs.
    Mantilhas de renda hespanhola, pre-
    ta, de seda a 80000.
    Capas e visitas, de cachemira, de ren-
    da, com lindos enfeites e com vibrilhos a
    200, 250 e 300000.
    Leques de pennao e transparentes,
    ultima novidade, todo prego.
    Luvas de seda, lizas, bordadas ou ar-
    rendadas, pretas e de qualquer cor a 20.
    Espartllhos inglezes a 40500 e 50,
    tem desde o n. 40 at 80 de grossara.
    Blco branco reme e de todas as
    cores desde 700 rs. at 20500 a peca.
    Rendas hespanholas, de seda e de
    algodao, preta, branca e de qualquer cor.
    abados e entremeios bordados ta-
    pados e transparentes por todo prego.
    Crampos e pentinhos fantazia para
    cabello a 400 e 500 rs.
    Baldas para vestidos a 260 rs. a
    duzia.
    Reloglos despertadores com fi-
    guras em movimento a 80 e 90000.
    Aspas de ac para vestidos 120 rs.
    o metro.
    E mu i tas fazendas que se vende muito
    barato para liquidar facturas aa loja das
    LISTRAS AZUES de
    Jos Augusto Dias
    cadeiras da cozinha, e, com a cabeca oc-
    culta as maoa verta copiosas e ardentcs
    lagrimas.
    e ver-
    Ella est muito doente, nao
    dade ? perguntou elle Sra. Laminois, lo-
    go que a vio.
    Sm, o estado grave, respondeu
    lentamente a parteira.
    Ah como sou desgracado !... m-
    nha mulher vai morrer !
    Anda nao podemos chegar a esse
    extremo, mas deve-se esperar isso; e so-
    bretodo nio devemos perder a cabeca co-
    mo est fazendo.
    Diga-me francamente o que ha.
    Desci para isso exactamente. O tra-
    balho camecou, mas a crianca apresenta-
    se em m posicao. Paulina esta to ira-
    ca, que nlo quero tomar sobre mim s a
    responsabilidade de assistil-a.
    Entilo preciso chamar mais al-
    guem?
    Sim, um medico.
    Nao conhego nenhum.
    Ha um muito bom no n. 148 do bair-
    ro do Templo. V chamal-o de minha
    parte e diga-Ihe que para um parto dif-
    ficil. Elle vira immediatamente. *
    Eugenio levantou-se acto continuo mas,
    quando poz se de p, cambaleou como se
    estivesse ebrio.
    Vamos, tenha mais um pouco de co-
    ragem, homem!
    Nao posso... Nio, nSo posso!... Se
    a senhora soubesse Minha mulher o
    meu bom anjo, tudo quanto tenho na tr-
    ra de bom, de devotado, de firme!. .. E'
    ella que me impellir para o bom caini-
    nho, se eu tiver a forca de vontade de nao
    beber mais, de nao fazer mais extrava-
    gancias !... S ella... E' tao honesta, a
    minha Paulina!...
    Eu conheco-a, disse Amanda, e ha
    muito tempo, mas nao occasiao agora para
    ternura, liada de perder tempo. Va-
    mos! O Dr. Larnay ha de salval-a, so-
    bretodo se o senhor for depressa e ,n&o
    perder o sangue fri.
    Ah! a senhora restitoe-me as forcas.
    Vou j.
    E Eugenio Gages pegou no chapeo c
    sahie effectivamente a correr.
    Mas toda a scencia do Dr. Larnay,
    muito popular em Belleville, nao pode ope-
    rar um milagro.
    Porque s um milagro poderia dar in-
    feliz Paulina, extenuada pelas privacSes e
    pelos desgostoa de toda especie, as forcas
    que ella nao tinha.
    Inerte, incapaz de outra cousa que nao
    fosse gemer e lastimar-se, nao auxiliava
    em cousa alguma o homem da arte e a
    Novidades
    Beceberam modas de Pars
    AZEVEDO, IKHaO & .
    16 Ra do B. da Victoria 16
    (Antiga Nova)
    Lindas capas de surah, cachemira, me-
    rino e renda o que ha de mais novo. Renda
    comprimnto de saia a 10000 e 10500.
    Sargelim fino todas as cores a 200 o co-
    vado.
    Baleiascom forro a 240 a duzia.
    dem com forro a 400 a duzia.
    Bramante de linho com 10 palmos
    10500.
    D to de algodao com 4 larguras a 800.
    Cortinados bordados a 50000 e 60000.
    Ditos de crochet finos a 80000 e 100000
    Estracto Rita Sangal a 20000.
    Fichus de la e seda 10000, 10500.
    Capellas com veo bordado a 60000 e
    70000.
    Madapolao globo a 70000.
    Dito camiseiro a 70000.
    Tapetes grandes para sof a 130000.
    Espartilhos couraca a 40000 e 50000.
    Brins de linho coi es fixes a 600.
    Panos de crochet para cadeiras a 800.
    Ditos de crochet para sof a 20000 e
    30000.
    Guardanapos de linho a 2500 a duzia.
    Merinos de cores a 400 o covado.
    Zefiros largos a 160 e 200.
    Setim maco a 800 e 900.
    Toalhas para banho a 10000 e 10500.
    Madapolao com um metro de largura
    a4605OO.
    Cachemira arrendada e de quadros
    10500.
    Crochet para cortinados a 700.
    Toalhas felpudas a 30000 a duzia.
    Camisas finas para homem a 330000.
    Colxas de crochet com flores a 50000 e
    90000.
    Lindas velbutinasde quadros lisos ecoia
    listas proprias para veo.
    Nanzuc finos a 240 covado.
    Ditas finas a 200, covado.
    Crotones finos a 400 o covado.
    Caixas proprias para presente.
    Palitos de palha seda cores a 90000.
    Pao verde para bilhar.
    Leques de pennas.
    Ditos transparentes.
    Crinoline preta a 300.
    Guarn55e8 pretas e de cores.
    Camisas de flanella de cores.
    Seda crua de quadros a 800.
    Crep inglez.
    Meias brancas de seda a 40000.
    Cachemiras d quadros a 280.
    Fustao branco a360 o covado.
    Esguio fino a 10500 a vara.
    Casemiras para roupa.
    Roupa feita por medida.
    TELEPHONE 200
    O desengao Ir ver
    Vinho Maduro
    tfOgaa Mendes A C, com grande estabeleci-
    mento de seceos e molhados, sito casa n. 9 a
    ra est:eita do Rosario, contiguo a igreja, aca-
    bam de receber urna grande remessa do acre-
    ditado e especial vinho Maduro, o nico que sera
    e minima confeccao importado neste mercado,
    s se vende no referido estabelecimento.
    Cimento Portland
    Vendem Soares de Amaral Irmaos, ra da
    Madre de Deus n. 22.
    Vende-se
    seus perteuees
    o hotel do Beberibe com todos
    a tratar no mesmo.
    Cha preto superior
    Carlos Sinden avisa seus amigos e fre-
    guezes em geral que receben pelo ultimo
    vapor cha preto novo e superior que ven-
    de por procos mais resumidos em vista
    da continua^ao do cambio favoravel.
    Convem que experimentem.
    48 RUADO BARAO DA VICTORIA 48
    parteira que assistiam-n'a, ambos com tan-
    ta dedicacao quanta intelligencia.
    No pavimento terreo, Eugenio soluca-
    va desesperadas.ente.
    S urna vez elle ha^ia subido, e aquelle
    pobre rosto convulsionado pelas dores,
    aquelles grandes olhos que fixavam-se ar-
    dentcs e cheios de supplicas sobre os que
    all se achavam, parecendo dizer na sua
    muda dr: c Salvem-me tudo isso agi-
    tou-o de tal forma, que elle fugio como um
    doudo para a pequea cozinha.
    E depois, cada pancada com a palma da
    mao na testa, cada gemido, cada lamento
    arrancavam-lhe a alma.
    Elle torca as orelhas, rasgava o lenco
    com os dentes, arrancava punhados de ca-
    bellos.
    Mas continuava a ouvir Paulina.
    Finalmente, pelas cinco horas, um grito
    agudo atravessou o espaco, o grito de urna
    fra que se estrangula, seguido immedia-
    tamente de grande, profundo silencio, si-
    lencio da morte.
    Um instinctivo movimento, mais forte
    do que toda a emocSo, todo o raciocinio,
    de que todo o temor, impellio Eugenio para
    a frente e fel-o precipitar-se fra de si na
    escada.
    Quando chegou ao quarto, o Dr. Lar-
    nay achava-se inclinado sobre Paulina,
    que estava estendida inerte no meio dos
    lence, com a cabeca cabida para tras dos
    travesseiros, os olhos fechados, a bocea
    aberta, mais branca do que urna morta.
    A parteira amparava nos joelhos urna
    criancinha muito vermelha, que soltava
    traeos vagidos, emquanto com as maos
    adestradas vestia-lhe urna das roupinhas
    que Adelia Chaners havia trazido na-
    que Ha mesma manhS.
    Minha pobre mulher!... murmurou
    Eugenio, empallidecendo horrorosamente
    e segurando-se ao portal.
    O doutor voltou-se.
    Scio!... fez elle imperiosamente,
    pondo um dedo nos labios.
    0 operario cahio sentado numa cadeira
    de palha.
    Amanda teve piedade do seu desespero
    e aproximou-se delle:
    -Jem urna filhinha, Sr. Gages, disse-
    lhe ea em voz baixa. Veja coaio bo-
    nitinha 1.. Pegue-a no eolio um pouco,
    emquanto eu vou oceupar-me de sua mu
    lher.
    Ella pareceu nao ve* a muda e ardente
    supplica contida no olhar do operario e
    deixou-o para approximar se da moribun-
    da, dep >is de haver-lhe entregue um vo-
    lume completamente branco, do qual emer-
    ga s um rosto vermelho e enrugado.
    Mas quando Eugenio sentio o suave ca-
    Barato
    S na loja das Estrellas
    K-'lDA BOQUE DE CAXIAS-56
    Telephone
    n. to
    proprietario deste mui acreditado estabeleci-
    mento previne a todas as Exmas. familias
    e freguezes era geral, que as mui tas pe-
    chinchas que costuma fazer, nao sao mais
    divididas com a sua ex-casa das LISTRAS
    AZUES; portanto, quem quizer comprar por
    menos que em outra qualquer parte dirja-
    se LOJA DAS ESTRELLAS, onde encon-
    trar um completo e variadissimo sorti-
    mento de fazendas que se vendem por pre-
    fos que nao lhe podem fazer competencia
    como passamos a demonstrar, a saber :
    Atoalhado para mesa, de l#8()0a 1)5000.
    Dito de cores a 16 e 15300.
    Bramante de quatro larguras a 660 e
    759 rs. o metro e de linho com 10 pal-
    mos de largura a 15600.
    Brim de cores para ronpa de criancas a
    280 e 320 re.
    Colchas de crochet de Q0 por 5(5000.
    Cortinados bordados a 5(5 e 6)5000.
    Cortes de* cambraia, bordados, brancos
    e de cores a 45 e 4)5500.
    Cortes de vestidos, em cartao, a 75000.
    Cretones, cores chiras e escuras, a 160,
    200 e 240 rs. o covado.
    Cambraia branca, transparente ou Vic-
    toria, a 25800 a peca.
    Camisas inglezas para homens a 285000
    a duzia.
    Collarinhos, punhos e aberturas de cel-
    luloid, um completo, por 25500.
    Capas de vidrilhos e tecidos arrendados
    a 105, 155 e 205000.
    Casaco8 Jersey a 25500, 35, 45 e 55.
    Damass de seda com lindas cores cla-
    ras a 15200.
    Esteiras brancas e de cores para forro
    de sala a 15100 a jarda.
    Esguiao de linho, pardo, a 240 e 320 rs.
    Enxovaes para baptisado a 55600.
    Espartilhos couraca a 3)5 e 35500.
    Fichus a 500, 15 e 15200.
    Fustao branco a 240 rs.
    Grinaldas com finissimos veos de Blond
    a 75000.
    Guarnicoes de crochet para sof, a 55500.
    Gorgorito preto de seda a 15800.
    Guardanapos de linho de 35500 por 25
    a duzia.
    Leques de fantasa a 400 rs.
    Leos para meninos, a 320 rs. a duzia.
    Luvas de seda para senhoras a 15000,
    15500, 25 e 25500.
    Las e cachemiras de quadros a 160 rs.
    Madapolao pelle de ovo, muito fino, a
    65000 e americano, com um metro de lar-
    gare, de pre-;o de 125 por 75000.
    Dito de 85 por 55000.
    Merino preto com duas larguras a 560
    e 700 rs.
    Dito de todas as cores a 500 rs.
    Ditos de quadros, lindissimas cores a
    240 rs.
    Rendas hespanholas a 15600, 15800,
    25500 e 35000.
    Setim Maco, preto e de cores a 750 e
    800 re.
    Dito de quadros, ultima novidade, a 15-
    Sargelim de todas as cores de 160 a
    200 rs.
    Toalhas alcochoados e felpudas a 25500
    e 35000 aduzia.
    Ditas para banho a 800 e 15200.
    Tecidos arrendados, ultima novidade, a
    200 e 240 rs.
    Zefiros de todas as cores a 80 rs.
    Assim como muitas fazendas que seria
    enfadonho mencionar, e que vendemos por
    menos 20 [0 do que em qualquer outra
    parte.
    Vinho de pasto
    0 que ha de raelhor, vende-se pelo mdico
    preco de 35# garrafao de tres caadas, voltando o garrafao
    74500 (preco? liquido?) : ra do Amorim nu-
    mero 60.
    lor que escapava-se daquella leve massa
    que palpitava-lhe nos braos, invadio-o
    urna singular emocao, soberana, poderosa,
    nica, qm fazia-lhe pular o coracao no
    peito e dominava-o inteiramente.
    O amor pacer nal, esse affecto nico, que
    alguns homens sentem to fortemente, to
    plenamente, com as suas protecgSes, os
    seus devotamentos e as suas ternuras, as-
    cia na alma do operario.
    CAPITULO V
    A morta
    Urna hora depois, o*Dr. Larnay deixa-
    va a parturiente e tazia signal a Eugenio
    que o acompanhasse.
    O operario obedeceu.
    O estado de sua mulher desespe-
    rado, disse elle a Gages.
    Este cambaleou.
    E o senhor abandona-a balbuciou
    elle desvairado.
    Fiz tudo quanto era possivel; nSo
    ha nada mais a tentar. Outros doentes
    reclamam-me imperiosamente. Dei as mi-
    nhas instruccSes Sra. Laminois, que
    muito intelligente; voltarei noite.
    E como a physionomia de Eugenio se
    contrahisse de dr:
    Vamos, meu pobre homem, disse o
    medico, preciso que tenha coragem:
    olhe que tem agora urna filhinha a crear.
    E retirou-se,- deixacdo o operario louco
    de desespero, sem forca, mal tendo a no-
    ca das cousas.
    A parteira foi arrancal-o do torpor de-
    sesperado que o acommettia.
    Suba, disse ella a Gages. Paulina
    est o chamando.
    Elle fez machinalmente o que a Sra.
    Laminois lhe dizia que fizesse.
    Por discricSo esta ficou na cozinha.
    Com o rosto tao decomposto, que pare-
    cia j um cadver, Paulina achava-se dei-
    tada com a cabect recostada nos traves-
    83ros.
    Ao lado della, a pobre creaturinha que
    lhe custava a vida, dorma o seu primeiro
    somno, o somno dos anjos seus irmSos.
    A desgracada mi, com urna das mitos
    pousada sobre o pequeo volume vivo,
    olhava para a filha com indefinivel ter-
    nura.
    Ao ruido que fez Eugenio ao subir a
    escada, ella tentou voltar a cabeca. Nao
    pode.
    Eugeni%, murmurou ella com voz
    extremamente fraca, apprexima-te, quero
    fallar-te.
    Elle, horrivclmente agitado, commovi-
    do, com o coracao apunhalado, foi cahir
    ' m mi casa
    Ra Duque de Caxias n. 103
    Vende-se bordados de cambraia tapada
    de 2 12 e 4 metros e urna chave de lar-
    gura a 500, 600, 800 e 15, muito fino, de
    qualquer largura a 15400, e de fustao, de
    700 a 15800 a peca.
    Enxovaes para baptisados a 85. 105 o
    125000.
    Lindos enfeites para penteados a 100,
    200, 300 e 500 rs. um.
    Lindos granpos para segurar chapeos.
    Renda hespanhola a 25500 o covado.
    Pulseiras americanas para 35, 45, 50,
    65 e 85000 o par.
    GuarnicSes americanas a 35000.
    Lindos espartilhos a 45, 55 e 65000.
    Porta dedaes de vidro, objecto para pre-
    sente a 15000.
    Broches de fantasa de 500 a 15000.
    dem americanos de 25 a 35000.
    Lencos de seda de 500 rs. a 15500.
    Lublaque a 200 rs. o par.
    GuarnicSes de crochet, sendo um para
    sof e 4 para cadeiras por 6$000.
    .Finas capellas de pellica, panno e c8r,
    com finos veos.
    Flores artificiae8 a 15000 o ramo.
    Anneis americanos a 25000.
    Plisss de 400 a 15000 o metro.
    Luvas de seda arrendadas e bordados
    a 25 25500 o par.
    Bicos brancos de linho e de cores a 2)5,
    25500 e 35000 a peca.
    Contas de cor para enfeitar vestidos a
    700 rs.r e pretas a 600 rs. o masso.
    Missangas de todas as cores.
    Lindos leques brancos para noiva.
    Collarinhos e punhos de borracha.
    Colchas de crochet para casamento urna
    85000.
    Talheres para crianca a 800 rs.
    Luvas de pellica a 25500 rs. o par.
    Linhas de cores para crochet a 25000 e
    cor de creme a 15500.
    Lindos leques de papel de 500 rs. a
    15000.
    Espelhos com fina moldura, com dous pal-
    mos de comprimnto, a 45000 e cara dura
    a 500 rs.
    Finos binculos.
    Agulhas para bordados a ouro e missan-
    gas.
    Lindas franjas douradas para facha, de
    seda preta e de cores, sem e com vidri-
    lhos.
    Timaosinhos enfeitados de bico erenda. (
    PAR A O CARNAVAL
    de
    %


    %
    V
    11
    I
    Agua Florida
    Orea a 500 rs.
    e agua
    a garrafa.

    WHISKY
    Boyal Blend marca YIADO
    Este excellente Whisky Escocez pre-
    ferivel ao cognac ou agurdente de cana,
    para fortificar o corpo.
    Vende-se a retalho nos melhores arma-
    zens de molhados.
    Pede Rojal Blend marca Viado,
    cujo nome e emblema sao registrados para
    todo Brazil.
    BROWNS & C, agentes.

    X
    NOVIDADES
    FAZENDAS PRATKADA&
    m:::::::: zlx:l::lz::
    Aos bailes^ do carnaval
    \ os Clubs Internacional, Cario
    Gomes e IeTentude
    VENDE A
    Leja das Listras Aznes
    RA DUQUE DE CAXIAS N. 61
    D-se amostras.
    \
    .r
    .
    ajoelhado cabeceira da cama, nao poden-
    do murmurar senao estas palavras :
    Minha pobre mulher! Minha pobre
    mulher!...
    Amei-te muito!... disse ella com
    infinita ternura. Se te pedir um ultimo
    favor, se te dirigir a minha supplica su-
    prema, me escutars ?
    Oh falla! minha Paulina, falla;
    que posso recusar-te, a ti, minha ami-
    ga, minha nica affeicao, minha cara Pro-
    videncia ?
    Ella quiz sorrir tristemente, mas nao
    teve forcas para tanto.
    Triste providencia, que nao soube
    velar por ti!... disse ella.
    Sou um Jniseravel!... Fizeste mil
    vezes mais do que podias, querida santa.
    e se nada conseguiste, porque eu nao
    valho cousa alguma... Entretanto amo-te
    com todas as forcas da minha alma, e no
    tundo nao sou mo Mas a orgia... A
    forca de vontade de nio acompanhar os
    camaradaa quando elles insisten! Nao
    posso!
    NSo fallemos mais do passado, in-
    til. S o presente e o futuro me pce-
    oceupam... O que eu nao soube fazer
    quando viva, quizera obtel-o depois de
    morta.
    Elle ergueu a cabeca sbitamente as-
    sustado, muito pallido, olhando instincti-
    vamente. para a porta, como para afugen-
    tar a morte, essa ladra que ia arrebatar-
    lhe Paulina.
    Morta repetio elle, tu !... Oh !
    nio falles assim, supplico-te !... Nao, nao
    has de morrer!...
    Ella meneou a cabeca.
    A questSo nao essa, replicou ella.
    Tens agora urna filhinha, meu pobre ho-
    mem. Essa nao te ajudar, ao contrario.
    Sers tu ssinho a crial-a, a amal-a, a di-
    rigl-a... Para que possas fazer della urna
    creatura honesta, preciso que tu proprio
    tenhas urna conducta irreprehensivel...
    Jura que has de amar tua lha cima l?
    tudo neste mundo !...
    Paulina, minha Paulina, o que ests
    dizendo? poderei por ventura proceder
    diversamente ?
    Jura sempre.
    Sim, juro-o.
    Pela memoria de tua mSi, pelo tu
    amor por mim!
    Juro-o!...
    Jura mais que has de eriaVa como
    urna menina honesta, que nunca lhe dar
    mos exemplos, que o seu pensaraento nao
    te ha de abandonar nunca!..
    (CotUinHor-te-ha)

    >.
    I
    '
    Typ. do Diario ruaDuqe de Caxiae n. 42.
    r


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EUV1MY8DU_XY0CH8 INGEST_TIME 2014-05-22T23:51:29Z PACKAGE AA00011611_17452
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES